Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10470


This item is only available as the following downloads:


Full Text
tr'j
r
' i
/
amo u. imim 214
Por tres ttej.es adiautados 5$tlUU
Por tres mezes vencidos 6$uuu
Porte ao eorreio por tres nsezes. 750
te** &
.
SEGUDA FEIRA 19 BE SETEMBRO DE 1864.
Por un adiaatado.....19J00O
Porte ao eorreio por no aano 3300o
~. H+-W*" --i*--*-.'-
*NCA BREGADOS La M'BsCIVpgAO AO KORrfc
Parahyba, o Sr. Antonio Aleandrino de Lima';
Natal,-? Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaiv, o
Br. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oiiveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa,
ENCARRKGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Faico Dias; Baha, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Oasparino.
Oiinda, Cabo e Escada tolos os dias.
iguarassu', Soyanna e Parahyba as secundas e
sexta;-teiras.
Santo Autao, Qravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tercas fciras.
Pao d Albo, Nazaretn, Lircoeiro", Breio, Posqueira.
Ingazeira, Flores, Villa Bella, rararalu, Cabrubo,
Boa Vista, Ouncury e Exu' na* quarus feras.
sennnaem, Rio Formoso, raiuandar, Una, Barrei-
rs. Agua Preta e Pimenteiras as quintas .'eiras.
liba de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao / dia.
Mi-HKMCR.DhS l>0 MKZ LE SETEMBRO
PARTE GFFIGIAL
1 La nova as 3 h., 48 m. e 8 s. da m.
9 Quarto cresc. as 3 h., 30 m. e 38 i. da ni.
15 La cheia as G h., 40 m. c 20 s. da t
\ 22 Quarto ming. as 4 h., 34 m. e 14 s. da t.
| 30 La nova as 8 h., 23 m. e 10 s. da t.
PRKAMAR DE H0J8.
Primeira as 0 horas e C minutos da manha.
Segunda as G boras 30 minutos da tarde
riRilJ>A uO> VAORa caSicJllOs.
Para o sul at Alagoas a 6 e 2o; par o norte at
5*Kia 7 e 2 de cada rnez' para remando nos
dias i* dos mezes de )au. marc., maio, jui, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recite : do Apipara as 6/.' 1 V, 8 e
8 Vi da m.; de Oiinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6 i/, da m.; do Catanga e Varzea s 7
da m.; de Bemtica s 8 da m.
\\}\; **a P Apipuco s 3 lAu 4, 4 /,, 4i/,,
' i.- fl e 6 d3 tarde; para Oiinda s 7da
manhaa e 4 >/, da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Caehang e Varzea s 4 Vi da tarde; par
Bemflca as 4 da tarde.
I AUDIENCIA DOs 1R.BUNA8S DA CaPiAL.
I Tribunai do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Pazenda: quiaiai s 10 horas.
Juizo do cominercio: segundas s it horas.
Dito de orphos: trras sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas sextas ao meio
dja.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a i hora
da tarde
-4
-M.N*.
I!'. Segunda. S. Januario b. m.: S. N'ilo b. ni.
2. Terca. S. Eustaquio m.; S. Pnsro m.
21. Quaita. S-. Maiheus ap.; S. Joas prof.
it. Quinta. S. Mauririu m.; S. Santiuo b.
23. St-xla. s. Lino |i. i,,.; s. Teda v. m.
24. Sabbado. N. Senhora das Mi-rcs.
23. Domingo. As chagas do S. Francisco.
AS8IGNA-SE
uo Recife, em a Irvrana da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa da
Faria & Filho.
G0VEUIO DA PROVINCIA.
Conliinuiao do expediente dn da I i de seiembro
dr i.si.
Ollicio ao inspector da thesouraria de fazenda,
Atiendeudo ao que no incluso roquerimeuio e\poz
o juiz de dirello da comarca do Li.noeiro, bacbarel
Jos (tintino de Castro Lefio, recomin-ndo a V. S.
que considerando abona Ja i as iillasque por doen-
te deu o su|i|ilicante de 10 23 de agosto ultimo,
mande pagar os seus veneimenloi correspooicntes
aquelles das.
co a \ me. para seu conheeimenlo o para que Tuca
constar ao agraciado, alim de que solicite em lem-
po o respecliro titulo, que seguudo constoa de par-
ticipado da directora geral interina da secretaria
de estado dos negocios da justica, de 3 deste mez,
essencial da existencia da mesan siluaco porque tre elles em coma alguma, nem as ideas nem no"
urna associaco de individuos, formulada o ba- fados. -*
seada iinicaiiienle no interette recipioco de seus O niinislerio actual em ludo se mostra conserva
meinbros, necessariament se desmantella por dor: ou por ouira, ministerio que vive mera
sua Magestade o Imperador, por decreto de 20 de pareca. f Apoiados)
qualijuer divergencia que entre os associados ap-
abril uliuno, houve por bem fazer roen- a Flix da
Cunta Mac Jo Franca da serventa vitalicia dos
oflioios de tabelliio do publico judicial e notas, e
escrivao do civel. nrime, orphos e mais annexos
desse termo. Tambem se commucicou ao agra-
ciado.
"Portara.-O presidente da provincia, resolve de
conformidade cora o artigo >i do regulamento de
14 de abril de 18G0, nouiear os doulores em medi-
cina Alfredo da Rocha lia-tos, Jos Joaquim de
Suma 0 cirurgiao Francisco Jos da Silva, para
Dito ao coinmandante superior da guarda uacio-1 examinarem o estalo de sade do mestre da offi-
nal do Hecife.Ten.Io resolvidoem 10 do crrente, :C'na de ferreiros do arsenal de marinha, Sabino
que lique sem effeito o olficio que em 30 de junho Jos Viauna. Fizerain-se < uecessarias communi-
uliiino dirigi V. S, mandando despensar do ser-1 "acoes.
VICO da guarda nacional a Jos Amanciode Oiiveira '
Guimaraes, que alleg^u ser subdito porluguez : as-
sim o declaro a V. S. para que o faca entrar no
servios do batalho n. 1 de artilharia da guarda
nacional de.-te municipio a que nertence.

OfIIcio ao commandante das armas interino. !
Remello por copia a V. S., para seu conheeimenlo,'
o aviso de 1G de agosto ultimo, em que o fcxm. Sr.
ministro da guerra nio s me rommuni
aoprovada a nomeaco do lente reformado
exercito, Joo de Siquelra Campelio para
Evjii'dieiilc do secretarle dogournododia lo
de seiPmbro de 18fii.
Oflicio ao commandante das armas interino. -O
Eim. Sr. presidentu da provincia manda communi-
car V. S. que, nesta data proferto no requeri-
menlo do primevo sargento Trancredo Ferreira
Cocllio, sobre que versa sua inf.irmacao n. 1G2i
Purt.into, para aquellos que cntendem e consi-
derara a situacao assim, a morte do gabinete 1ra-
ra a morte della.
Quando, porm, a situaeao tenha de morror rom
o ministerio, se tao mesqmnha como alguns o
figurara, eu peco licenca para dizer que o par-
tido liberal nao ha de morrer com o ministerio.
(Apoiados.)
O Su. Figueibedo : O partido liberal cousa
muito differente.
O Su. Urbano : -O partido liberal, forte no paii
pelas su.\s crencas e principios, forte pelo presti-
gio de suas tradicoes, de suas gjurias c do seu
trido
m ca-
tonio
furlado
iras na
Terenca para A intervencao do governo em urna eleicao em Lis,a dos baptisados e. casaraentos da freauf-
. taes circumstancias, em urna eleicao de senador. zia da BOa-V.sta no mez de momo dTw14
de expediente, aceitando e imitando em ludo
precedentes de seus predecesores.
O Sn.|BtztHiuCAVALi;A.NTi:Ha diferenca para
muito pefor.
O Su. Urbano: Qual o principio
idea genero que o gabinete actual te ni procura- candidato e hostigando outro. a la verdadei
u S,vejo^ennumab!;an"mC *"*"".....S2& ffi ? ^ *** 1 "* i ",? Ed'Sda $ttSL? ^ h'al" C
I LAJ!2?,S->a ^_?_t!**,^0-?5?_?im procede,como | Amelia, branca, nascida era l3>julho do anno
passado, lilha legilima de uo Martins do ltio e
IgneK Martins o Rio.
Joau, brauco, nascMo em 10 de setembr do anno
polica,
da provincia.
n Su ? '"a- i (Apoiados.; O ministerio que assim procede, como
.pfrfii n\S%% :-pMfrBe oilo mezes em ; o actual, nao presenta corta urna lista rerdade.-
^ Su \2SS n ra' ;'l,re^'"l;'-l'"'- u'":' "a falsa, urna lisia sua,
um su. uti'iTAiH.: De (jueni e a culpa ? em lugar de urna lista do corpo eleitoral
r IiL.,,ticKI":.: 1)0 'n'nterio. O S. Fimr.mm.o .-Urna lista da polica, c nao
O Mksmo Sh. Depvtado : Nao o creio.
Oltro Su. IlErtTAoo : Ha cutios culpados.
Su. Urbano : A nica idea poltica que po-
(Conlintu -sr-ha )
de ajudante da fortaleza do rum, mas tamben)
passado, nunca depon lera da existencia de ne- da ter ligaeao com os principios do'partido liberal,
ntium gabinete (apoiados); elle passou por multas que aqui se apresentou. foi a reforma indiciara:
cnses, sobreviveu a multas desgranas, a mutas i mas esta mesma proposta nao foi devida ao mnis- |
perseguicoes e rcaeoes, sempre vigoroso e sempre lerio actual; e temos presenciado o triste especia-1
disposlo a acudir ao reclamo daquelles que Ihe culo de se discutir urna proposta do governo sobre
failavam era nomo da liberdade, quando acredita-1 materia de sarama importancia na ausencia do res-1
va em sua sinceridade. (Apoiados.) |>eclive ministro.
Essepa tido vive e ha de viver independentc O Sr. presidente do conseibo apresentou-se aqui
I (apoiados), independente de nos primeiros dias dessa discussao. mas parece que
| se ainuou por ter passado urna idea contra a sua
opiuiao, c nao nos bonrou mais como a sua pre-
senca.
quaiquer ministerio, e ainda mais de um homem
Dito ao inspector da tbesouraria de fazenda.O
smenlo, nunca se identilkou com os seus
resses. (Apoiados.)
E" verdade que lera apparecido estes nlraosdias '' com, fi*fram- Foi [Teso como autor, um rom-
I na cmara ; ?as SSS!S^JSSSS BST" "^ "" "' "^ ""
queilas eadirM mh ... ...;:. -~ .. .... ..
ze
passado, Itlho legitimo do Dr. Juo BaptisU do
Ainaral e Mello e Anna Borges do Amaral e
M'Ilo.
Caelano, brauco, nascido em 23 de maio diste an-
uo, lilbo legitimo de Antonio Jos da Costa e
^ Silva u Anua Monti-iro da Costa e Silva.
Francisco, branCu, nascido em 4 de junho deste
\ ~ anuo, liilio legitimo ce Procopio Joaquim Das e
Temos a vista cartas de Sergipe e Alagas, Ira- ^ Antonia Francisca GuimareS Dias.
zidas pelo vapor Paraliyba, com datas do primeiro l Frandwu, brauco, nascido em > do corrente mez,
liliio legitimo do Dr. Juaquim Pires Machado Por-
ella e D. Emilia Carolina .la Costa l'ortella.
Mana, brama, ue iua .e de 2 anuos, lilba legitima
de .lose Faustino di- Lemos e alaria Rosa da Sil-
va Pereira.
Marconilla, parda, nascida em 10 de Junho desle
DIARIO DE PER CHURUCO
al 2, e da segunda at lo do corrente.
Seboipe.Foi encontrado beira mar, no lugar
Pont a i Arco, do districto de Itaporanga, o cada-
ver do allemao Carlos Bartholomeu, que alli com-
merciava, assassinado com o flm de ronbarem-o.
anno prximo passado.
Despachos do dia Ui de setembro de 18i.
Requitrimeolos e abano assiguados moradores,
e commerciantes estabelecidos na ra do Crespo
desia cidade.Informe o engenheiro em chefe da
deliberaco que tomei nao so de suspen
der dos exercicios, alira de seren responsabilisa-
dos, o director da colonia militar de Pimenteiras,
tenente Amonio Vilella de Castro Tavares, mas
itambem de nomear para substituirem ao Io o ca-
pitao Jos Ignacio de Ifedciros Reg Monteiro e a
2' o lente reformado de exerco Manoel Camel-
lo Machado Freire.-Fez-se igual communicaeao "panicao das olira< publicas.
ao inspector da thesouraria de fazenda. Francisco Luiz Gavaicanti d'.'
Dito ao mesmo. -Era resposta ao seu oflicio n. 1,G 17 de 14 do corrente, tenho a declarar-lhe, que '* Rodrigues "Oiiveira Lins JniorPasse
tica expedida a conveniente ordera para serem Palana prorogando o prazo por um mez.
transportados para as Alagoas no vapor que se es-' ^"st" domingos da Costa.Informe o Sr. Dr.
pera do norte, os Volamos com o resto da ambu- P'""-,I"r publico da comarca do Recife.
iancia destinada villa de Tararat ; conviado Ma"el Jos da Silva.-Informe o Sr. inspeclor
Vlbuquerque.In-
m^ i.i i.>i,i ouinmuu ,. -----~------v
que V. S. declare o nome de urna das pracas que H '"jurara provincial,
i volumes, aiim de se Ihe -Var(,|j;o. Africano livre.Informe o!
vao guardando os referidos volumes, aura d se ihe A ->ar('ls. Africano livre.Informe oSr. inspector
alionar o quantitativo necessario para occorrer as do arsenal de marinha.
despezas de conduefao por mar, da cidade do Pe- Trancredo Ferreira Colho. En vista
aeOo al o porto de Piranhas e |Kr trra do mesmo J^Veo '"' .'io reeai.im*nto porto at aquella villa.Fez-se a este respeilo o ; ae ,8 oecessario expediente.
O Sh Hobta de Arauo : Nao tem f na refor-
ma que se esta disculindo
O Su. Liiba.no :Entretanto era e.-ta a aspiracao
mais legilima e grandiosa do partido liberl, a uni
ua liberal, que representa o paz nesta casa, tem ;ca que se procurou realizar, e que foi logo aban-
tolerado o ministerio actual, nao porque lenha nelle donada pelo ministerio.
a menor Confianea, nao porque espere delle al-1 O Su. .\i:bias: Se a cmara e o governo fizes-
guma cousa no sentido de sem principios nem | sem ludo desla vez uao licava nada para ser re-
em beneficio do paz (apoiados e nao apoiados),, commendado na falla do Ihrono vindoura I
mas por um demasiado escrpulo de leildade.....| O Su. Urbano :O mesmo projecto de reforma
O Su. Arauao e Mello : E" verso que V. indiciarla, que se discute, est porventura no caso
Exc. quer uar... de satisfazer asaspira^oes do partido liberal ?
O Su. Uhbaxo : -......pela consideracao de Nao, |>or certo ; e, se eu tiver occasio de fallar
certas conveniencias polticas, a que d exagera- na 3" discussao, mostrarei que tal projecto vac em-
da importancia, e sobretudo por urna apprebensu poiorar as cousa-, nao s em relacao administra-
u- ,....,. ,ds ,,;, se ,ein uignaao seniar-se na- r..llp '------........
queilas adema para nos auxiliar com as suas lu-: '_ N.. ..:,, ,, sagaaarta smee sBB-~^B r
sastradas questes de gabinete V.nle nco.anno-- L um homem for-
Vi*ga, que espinlos ardilosos teem innoculado no.au da juslica, como em relacao a"liberdade indivi-
anirao da cmara. (Apoiains e nao apoiados.) i dual, como principalmente em relacao influencia
O Sh. Figueiredo : E' a pura verdade. | poltica da lei de 3 de dezembro de 1841 sobre a li-
rdaile do voto.
Um Sh. Dkii iado : Apoiado.
o Su. Urbano : Pora dessa p
anno, lilba natural do Pedro Paulo dos Santos e
Maria Theresa di- Carvalbo.
Rosa, branca, nascida em it de marco deste anno.
lilha legitima de I.y.lio Bandeira de Mello e The-
reza Telies Bandeira de Mello,
te, i|ue traballia at meio dia, sem tomar refeicao Horacio, brauco, nascido no Io de agosto deste an-
alguma no, liiho legilimu de Luiz Antonio Olimpio Car-
Ai.ai,oas.-J; bavia dado eomeco aos trabalbos lomout e Eulina unaiilla Cap de Ville.
para a canalisacao d'agua potavel para a capital, o Carolina, preta, de idade Ue 6 mezes, lilha legiti-
msso comprovinciano Joaquim Pires CarneiroMon-' ma de Joo Diogo da Costa e Margarida Mara
leiro. ao Rosario.
O consulado provincial rendeu. no mez pas-1 L sado, 20 77028 rs. mo de Augusto Heraldo e Flori>monda do as-
A eleicao cerreu meic do governo, por cimento Ferreira de Mello-
ter abandonado o campo o partido conservador,' Amelia, branca, uascida em 20 de abnl do anuo
nao s na capital, como em Porto Calvo, Alagas, passado, lilha legitima de Jos Victor da Silva
Santa I.uzia e Impcratriz. As mesas foram orga- Pnnentel e Mana MiXima de Carvalbo Pimentel.
bisadas por quem quiz, e a votacao foi quasi toda Laura, parda, de idade de 14 mezes. filha legitima
arranjada, por ausencia de votantes.
O Sr. Urbano: Mas, senhores, retire-se o mi-1 berdadedo voto.
nisterio, organise-se um outro, que se eleve al-
tura dos principios, que proclame poranle o paiz, SR. URBANO :Fra dessa proposta, que alias
lis- com fr;,nlueza urna poltica liberal grandiosa, e I nao ohra do ministerio actual, que elli-au pro-
<;ovt:it\ io itisi' \io de
PKIIMtIKI < o.
SEiifc VA I1TS
CONCURSO S KHKOJ'KZIAS VAGAS.
Tendo o governo de Sua Mageslade Imperial
liito ao mesmo. Fiea a disposiyao de V. S. para
assentar praca no exercito, se fr julgado apto |
para isso em inspecyo de sade. o recrnla Daniel
Jos Ribeiro. que se acha no quattel do 2o batalho'
de iurantaria.Communicuu-se ao tenente-coronel
recrutador. i
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. mandado que neste bispado se proceda ao concur-
Informe V. S. acerca da importancia do sello na- s de algumas das Ireguezias que se acbam vagas.
onal, que no requerimento incluso pede Kdilardo declaro a quera convier que S. Esc. Rvma. o Sr^
Gadult no caso de ser rescindido o contrato de vigario capitular brevemente vai mandar aflixar
que elle traa, romo permute o arl. 5" da lei pro- OS editaos para se proceder ao concurso das sc-
vincial n. 565, de G de maio de 18G3. pnintes Ireguezias :
Dito ao mesmo. Communlco V. S. para seu S. Caelano da Raposa, em Pernambuco.
conheeimenlo, que em aviso da repartieao da agri- S. Jos de Ingaseiras. idem.
cul.uia commercio e obras publicas, datado de 29 Kom Senhora das Monlanhas da villa de Cimbres, I qu'^o'caliiudo todas as ii licoes libera
de agosto ultimo, me foi declarado que S. M. o lm- .....m. cnefes desse minia
pecador por decreto n. 3,304 de 2o desse mez. bou- 5- Jos de Piranha*, Parahyba.
ve por bem conceder a Jos l'radines, privilegio S. Miguel da Rabia da Traicao, idem.
por lempo de 5 annos para fabricar e vender no ossa Senhora da Conceicao da villa do Conde.
imperio, aliadores de navalhas do sua invencao. idem.
Igual commuoicacao se fez ao agraciado. fossa S"nhora da Conceicao de Macan, Rio-Gran-
Dito ao mesmo" -Ha vendo-meo Exm. Sr. minis- dedo Norte.
troe secretario de estado dos negocios do imperio S. Joao Baplista do Apodv. idem.
declarado em dous avisos datados de 29 de agosto Nossa Senhora do O'da Serra-egra, idem.
ultimo, que se conceden aomordomo d-lazareto A de Piassabussii. Alagoas.
do Pina a diaria de 15000 para alimeutacSo, e que Nossa Senhora do O" de Taipii, idem.
naquella data se autorsou pelo ere lito de-Laza- Santa Anna de Ipanema, idem.
re! do actual exercicio o de 1:3303 com appll- Nossa Senhor da Penba de liurity, Minas-Geraes.
cacao dos pagamentos nao s da referida diaria, Santa Anua da Catinga dos Alegres, idem.
veremos que esta maioria. que vai delinbando, por teje, < da qual nao faz o menor ca&o, digani-me
assim dizer, abatida, dividida, desanimada, inerte,! quai o\)u1m projecto que seja do gabinete actual ?
esta maioria, composia de urna mocidade lio bri- j Sa. Fiuleibedo :Esta cstudando.
Ibante, de lano tlenlo e illu.-lracao, que entrou O Sb. Iiiuano :-Seuliores. o ministerio actual
para esta casa lao animada de esperanzas e de tem sido atacado de urna lal esterilidade que em
mspiracoes, se ha de erguer de repente do abali-, oito mezes de sessao ainda nao tem lei de ori-
niento moral em que est, e, cheia de nobre or-; ment .' K' a primeira vez que isto acontece !
gulhn c enthusiasmo, inspirada da mais nobre de- Un Sb. Depitado :Veja de quem a culpa,
dicayao, e apoiada na opinio geral do paiz, ha! O Su. Ubba.no :E dizese : o ministerio nao tem
de salvar o syslema represenlaiivo e fazer tra- lempo, o ministerio eslestudade Al quando ha
duzir em realidade os principios do partido liberal, de estudar '.
(Apoiados) OSr. Jinoi kiha :E" o tal hispo que ainda as-
lio, ninguem acredite que a sorte do par-' concluio os seus estudos.
m.\< tambera dos vencimentos a que liverem direi-
to o predito mordomo e o guarda daqnelle estabe-
iecimento; assim o communico a V. S. para seu
conheeimenlo.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Se nao honver Inconveniente mande V. S. pagar a
.rapio Theodoro da Silva a quantia de 475600
despendida desden \" de junho at 0 de agosto des-
te anno, com o sustento dos presos pobres da ca-
lea do termo de Rirreiros. como se v das duas
inclusas contas. que para esse lira me foram remel-
tillas pelo chefe de polica com cilicio de hontcm,
sob n. 1,145.Communicou-se ao Dr. chefe de
polica.
Dito ao mesmo. A" Estevao dos Anjos da l'or-
ciuncnla mande \'. S. pagar, conforme solicilou o
chefe de polieia em ofl'nio de hintem, sob n. 1,142.
Cidade de Oiinda, 13 de setembro de I86i,
Conego Jemtum Prrrra los Sanios.
Secretario do bispado.
INTERIOR.
mo im: .i t\e:iit<>.
ASSEHULE4 (EltAL
C v ti ira dok si;\ai)iti;s
WKPl IMDOM.
Discirse referida era 11 de agiste de 18(.
O Su. Urbano (signaes de altencao) : Sr. pre-
sidente, ped a p.ilavra para fazer algumis consi-
tido liberal esteja dependente" da conservaco do
ministerio actual, e que esta conservaco seja
a garanta essencial e nica da maaotencao do
mesmo partido. Nao, en entendo, pelo con-
traro, que o descrdito e a ilesmoralisacao em
e os
o publiea i1116
com toda a certeza ha de produzir o seu suicidio.
(Apoiados.)
O nobre deputado fallou do commando do nosso
dislincto collega o Sr. Kebias. V.w perguntarei ao
nobre deputado : sao aquelles que sustentan) o
ministerio actual os compelen!
OSb.Mabtib Francisco : Apezar disto, ba
mullos que querem ser bispos.
(Ha cutios apartes; o Sr. presidente reclama at-
tencao.)
OSr. Urbano:Sr. presidente, como disse, o
ministerio actual tem vivido vida de mero expedi-
ente ; marcha ao acaso, sem nenhiim syslema, sem
methodo algum, sem nenhuin principio de poltica
ou adininistracao, e .- tem sabido desla apathia
para Cumpiiuur a cmara co"> questc de gabi-
nete.
____PERNAMBUCO,
REVISTA DIARIA.
Concluiram-se sabbado os irabalhos eleiloraes
da freguezia do Recife, sahindo eleitos juizes de
paz :
Luiz Antonio Goncalves Penna (P;...... tlii
Jos Pedro das Neves (C).............. 221
Manoel da Silva Neves (I.i............. 213
Manoel da Silva Mendonca V'ianna (P)... 207
Eis o resultado das eleices para vereadores
as ireguezias do Recife, S. Jos. u-a-Vista. Airo-
gados, Varzea, Jaboatao, S. Lourcuco da Malla e
Poco da Panella :
Dr. Jos Joaquim de Moraes Sarment...
Manoel do .\". da Costa Monteiro........
Gustavo Jos do Reg................
Luiz Francisco de Barros Rcgo.........
Luiz Jos' l'ereira Simes...............
Dr. Joaquim Jos de Miranda............
Feliciano Joaquim dos Santos...........
Thomaz d'Aqoino Fonseca..............
Antonio Jos Silva do Brasil.............
Antonio Pires Ferreira .................
Dr. Prxedes G. deSouza l'ilanga.......
Dr. Silvio Tarquimo Villas.I!'mas.......
Dr. Joaquim de Aquino Fonseca........
Dr. Joo Jo Pinto Jnior.............
Luiz esano do R
lego...............
linda nao tivemos ministerio que tanto violen- Francisco Accioli dcGouva Lins.....
Prillei..!/.' V.UU3CI IIIIUI c."*, i; OUC II.IO i ~*~
sabemos ainda que os lenham abdicado ueacoes sobre e.-sas questoes de gabinete, e pnn
0 Sr. Aiiauao i-: Mki.i.o :V. Exc. nao os acci- f'l"artfl P6' ultima,a eleiclo do presidente des-
loo ? (i que fez em Pernambuco1' la cmara. Neslaaoestao o ministerio mostrou-sc
OSr Urbano : Creio que nao somos n6s!S"r ompressoW desrespoilador da cmara dos
que estamos mais approximados do Sr. Nemas. i sr!: ^'PU'ados, como tamben, inepto
O Su. Aragao b Mello : V. Exc. m .>sii'. I '?. ta Pinto :- -ludo isto sem urna recia
que eslig-1 .
1 W\ f>. ,11. ""*,'
Dr. Joaquim de Souza Res............
Bario de Morillera...................
Francisco de Miranda L. Seve..........
Manuel Joaquim do Reg e Albuquerque
Dr. Rento Jos da Costa...............
Jos Maria Freir Gameiro............
Falla apenas a da Varzea.
Deu sabbado seu segundo espectculo o Sr.
Jubo dos Santos Pereira. desunci prestidigitador
u ou. Akacao e Mello :Apoiados ; e quando brasileiro, composio de novas sortes e vistas, que
se la alguma reclamaco laoca-se logo em rosto, muito agradaran). Cada vez mais o Sr. Julio lir-
OSn. Urbano :Trata va-se da escolha de um ma a opinio que formamos, em o sen primeiro
senador pela provincia do Maranho, era cuja lista espectculo, nao s de sua pericia e agilidade, co-
OSh. Mabtui Francisco :Nao queremos aze-
! dar a discussao.
a
e nao havendo .inconveniente, a quantia de 37,8200 deragfies sobre diversos assumptos, lguns relati-
despendida, como se v da inclusa conta, com o vos particularmente ao ministerio da guerra e
sustento dos presos pobres da cadeia do Cabo du- outros relativos a poltica geral do (iaiz.
rante os mezes de julho e agosto ultimo.Commu- Mas, antes de principiar, entralo que devo al-
nicou-se no Dr. chefe de polica.
Dit > ao cornmaiidanti superior da guarda nacio-
nal do Recife. -Para rumprimonto do disposto no
aviso da repartieao da justica de 30 de agosto ul-
timo, informe V. S. sobre o'qno pede no inclu-o
requerimento oeapltao d > 1" batalho de reserva
da guarda nacional sob seu comraandn superior,
Antonio Jos Leal Res
Dito ao mesmo. Mande V. 8. despensar do ser-
vico empunto e.-tivorem oceupando os em>reos
d
> guard
i ias, do 4 batalho de infamara da guarda nacio-
nal sob seu commando superior.
Dito ao engenheiro encarregado da repartieao
das obras publicas.Respendendo ao seu oflWo-d<
12 do corrente. sob n. 2'i7, t
Mas. antes ib
goma resposta a certas prop isleo-s que ouvi nesta
casa na sessao ne hontem pelo distincto deputa-
do pela provincia da Baha, que enlo talln.
matisaos seus collegas, deve explicar asna con-
duca
O Sr. I Urano : Nao estigmatiso. esto res-
pondendo a um membro da maioria, que disse nao !
podia negar o seu apoio ao ministerio actual, por i
que nao quera ser soldado do Sr. Nebias. Ser- i
mos nos soldados do Sr. Nebias ?
O Sr. Aragao E Mello : V. Exc. o pode di-
zcr.
O Si. Urbano: Creio que o nobre deputado
condece mais a firmeza dos meusprincipios do que
i mesmo dos seus.
Alguns Senhores : Oh oh!
0 Sr. Aragao e Mello : O anno de 1841 ,
' alu est para provar o contrario ; foi a voz do Z:v S6 [JOr Pernambuco, e, sendo esta lisia Anda desta vez agradaran) e foram muito ap
nobre deputado a nica que se levantou anu I eoa\P*'* e. ,res eandidatos, que todos haviam plaudidas as vistas dissolutivas, com especialidad,
para defender o Sr. Pedro Chaves contra o Sr !a|'01-" i'u,nIe c lud;: "am dignos, o ministe- a da au Princeza
Otluni I rl ";l" >e tlV,il mterpor nesse negocio e pr
0 Su. Urbano:- Nao dou resposta a e.-te apar-! ffiSfiSSf? de tuda C qua,,,ner ,',nani
| tacao de preferencia ou menos proco quaiquer
iriiambuco,
trplice era eomtemplado o nosso digno presidente, mo de seus conhecimentos na arte que prefessa.
Se se Uzesse a escolha antes do dia 3, em que se As sortes da larangeira, do quadro negro e i
I deva proceder eleicao da mesa nesta casa, e fos- vela nao s agradaram como sorprendern), p(
se o nosso presdeme o Sr. Furlado o escolbido, bem executadas que for.m. O seu enigmaii...
I appareceria a complisaco na nossa eleicao do no- tambor maravillmu. principalmente pela natural- "le,",|'> P"r "rime de defl .rainento.
vo presidente, porque nosso i" vico presidente, dade e compasso com que accompanhou a or-i ,A' ordem do da Roa-Vista, Fernando, es
o Sr. Saldanha Mannho, era candidato em otlra cheslra. de Virgilio Coclho, requerin>enlO deste.
de Marcoliuo FraHCisco das Chagas e Dephina
Mana da Coiicti^-ao.
Duarle, branco, de idade de 12 dias, filho legitimo
de Jo.- Antonio Al ves Neiva e Claud.ana Augus-
ta Pavau.
Jos, branco, nascido cm 23 de junho deste auno.
filho natural de Josepha Mana de J.-sus.
..nionio. branco. nascido em 3 de fevereiro Te
1802, lilhu b-gitimo do brigadeiro Gaspar de m-
uezes Vascoaeellos de Drummond e Lauriana
Candida Rigueua Ruarte de Drummond.
Mana, parda, de idade de : aunes, lilna natural
de Jacintha Francisca di Jess.
Antonio, pardo, de idade de 1 auno, filho natural
de Jaciutha Francisca de Jess.
Tunjuato, branco, nascido em 13 de man,) de
ty'2. lilho legitimo de Manoel Jos da'Silva
Guimaraes e Jovina Parias Tacares Guunaraes.
Afeo,.- franco, nascido em 2u de io.hu do-anno
passaM lilhu legitimo de Rraz Vieira de Souza
Guedfca .\ .ra Laudelina de Souza Guedes.
a. blanca, nascida em 89 de junho deste "an-
i i gilima de F'rancisco Alves de Carva-
Jiio Ignez Amelia de Carvalbo.
Joao, crioulo, de idade de 2 mezes, lilho natural
de Herculana, escr.-va.
Joanna. branca, de idaJe de 5 mezes, lilha legili-
ma de Joaquim Francisco Franco e Joauna'la-
na Arantes Franco.
Gaspar, branco, nascido era 7 de marco deste'an-
uo, lilho legitimo do major Joao do Reg Rarros
Falca i e Francisca Mena Brrelo de Barros.
Joao, branco, nascido em 20 de julno deste anno,
lilho legitimo de Manoel Marques de Abren Por-
to e Guillirnnina Francisca Pinto Porto.
Casameiilos
Jacinlho Martins do Jess com Leopoldina Nunes
Vianna. braceos.
Joaquim Mariiniano de Parias com Maria Bemviu-
da do Espirito Santo, blancos.
Ftrmino Francisco das Chagas com Maximiana
Mara da Penha, patos.
Manuel Dias de Pmho com Porcina de Medeiros
Agoiar, bramos.
Tem-ute Augusto Leal Ferreira cora Maria Senho-
riiiha da Coineic Viauna. braneos.
Alferes Joao Raptista de Meuezes com Thereza Ma-
na de Jess, urlicos.
Repartieao ua polica.
Evtracto das partes do dia 17 de setembro-de
I8tii.
Foram recolhidoscasadedetencao no dia 10 do
corrente :
A' ordem do lllm. Sr. Dr. chefe de polica. Luiz
Antonio de Souza, viudo da Paralaba, cuino sen-
tenciado.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Honorio.
. escravo
deste.
O chefe da 2* seccao.
J. G de Mftquita.
- Passageiros do vapor brasileiro Paran, ai-
uu p.n,i >iw>iuii,iu.i lunii, iiiii- i-oan iai ou. ti ii,i i,i,i ,i ,...i------------------- tacao ue preierencia ou inenns nreen
Se o nobre deputado limitasse a fazer a sua u^^re do,u,a,,' i'^ue nao quero azedar a cdid;ilu^ a j^" ~s gg
maniresiacao de adhesao ao gabinete, estara em n Sr. rauXo k Hiu r. n.,0 v u. P, ecenseguia perfeitamente adiando-
sen d.re.to c eu nada tena a dizer-H.e, respei- von.u uci ~ q P ias a "-'-'ha do senador pelo Man
d inspectores de qo irteiro. o 2" sargento Joaquim ser tomadas n'ura sentid > um pone o d-sairoso ou
Jo^ Cavalcanti e o guarda Mareolino Neves de F'a- desfavoravel aquelles qo? na rasa se achara em
lando sua liberdade de pensar, assim como ib-sejo
que lo los guardera para commigo a mesma alin-
elo ; mas o nobre duputado aventn algumas pro-
pjSicSeg e lancen certas n^inuaees que podem
'oiid i ura pouco d
I
opposb.ao ao gabinete : portante, de met dever
tomar essas proposiedes em consideracao.
O nbbre deputado' disse que prestava ao gabinete
actual o mais sincero apoio, porque nao quera
-se por p
ranhao.
icreir.
O Sn. Urbano 0 nobre denotado na nnlitiea glhilf *" luiz allender a estas conveniencias ; do com gosto e aeeio. | J'*co de 'aula A. Alraeida, soldado Manuel Gomes
era n-lacao a mira novu ,,u"""1' o gabinete quera dar todos os signaes de pete-! Remettem-nos o seguinte, pedindo sua pu- Yei,1,*.n,i,1t Cemente Joaquim d'Oliveira, 4esatavos
0 S. Ajiaao Mn lo'- Si'm duvida rt'"cia a u,n Candidalo, todas as demonstracoes de t blicacao. de Joao Pereira Moutiuhn, i dito de J.-ao Pereira
0 Su. Urbano- Eu Dio nuera recordar ser lanliI'aIma e dcsconsidmyao a outro. Srs. reductores do Revista Diaria.Assim co-'1'0-1 Santos. I dito de Albuquerque & Barboza, 1
mas u noore diputado deve saber une em i Por ,sso em primeiro lugar tentou fazer eleger mo pela amiga legislacio eram obrigados a mudar i' Jo> Urbano da Costa Carvalbo. I dito de
VICOS
1843 achei-me aqu; unic0; MtohoTHfflios| ^SS^X*. Sr" S -e A"n,1uer1ui> i
cao, combatendo o partido que enlo se achava no 'a0 l,odt"du. ^rem, levar a efleilu lal pretencao,
poder lancou mao de outro candidato, impondo a cama-
0 Sn. Figleibeoo : 0 paiz intero Ihe faz ins- n a r,'^i?s',) J> 0"11' d" seu Io vice-presidenle,
liga. Caracteres como o nobre debutado nin oceupam era dar salisfaces desta ordem i Mas. veja:se .^ouiradictao e a inepcia com que
nho a dizer qu
approvado o contrato, que Vmc. celebrara cora An- mais que nao enxergava signilfeacao alguma na
Ionio de Barros Falco. para fazer por empreltada oppotff-ao que se faz ao gabinete actual
os reparos de que precisa o palacio da presidencia,' Ora. desse modo por qti- o nobre deputado en-
na importancia de 2034'ilHi, quesera paga quando cara as cousas e a presente siluaco parece con-
ctverem concluii"
raeao acabo de. d
senda. Communieon-
ria do fazenda. lo, representante do elemento conservador nesta
Dito an cnnselho administrativo.--Recommendo casa; e pde-se datli dedozir que aquelles que
O Sn. Urbano : -Nos approximados do partida Prot'e-leu Mtel Ledendo a maioria a essa
onservador Porque? E" verdade, senhores aue I,ressao' vo,i}do conta o t. Vicc-presidenle, acei-
oje se acha lulo lao confundido, os principios os- ">du ocandidalo imposlo pelo governo para nao
aT',t'.r;'|U'i"l'raL,a":"lU;!",'1(J 77 llsasi:'a |in ?!' Hinacao parece con- fio da tal ntodo esquecidos, abandonados desde P^duzr una crise ministerial cumtudo, parade-
ros laes reparos, o dessa delibe- ciuir-se eslar elle persuadido deque, ou se ha de n|ia(|0s,desprezados aanaads. desde- monslrar que seus sent.mentos, suas svmpathias
lar sciencia a thesouraria de fa- apoiar o gabinete, ou se ba de bear sob o coraman- K eslavam em manifesta opposico com a'imposicao
ncou-se ao inspector da Uiesoura-; do do disimcto deputado pela provincia de S. Pau- O Sr. Luces Netto : Nao apoiado; nao esto i do governo, essa mesma maioria deu 00 votos\ao
ao conseiho administrativo do arsenal de guerra,
que ims termos do seu regulamento. e de confor-
midade com a relae.io junla, promova a aeqnislcao
de urna imagera du' Senhor Cruelfleado, bera como
dos objectos necessanos para decoraco do com-
partimento do hospital militar, destinado para ser-
fazem opposi^ao ao gabinete se acliHin congregados,
alliados ou muito approxiraados do partido con-
servador.
Sr. presidente, esta proposicae que o nobre de-
putado soltou aqui na casa, e que eu tenho ouvido
a mullos outros deputado-s ; esse modo de apreciar
esquecidos. j candidato que imha sido rejeitado para a presiden-
U Su. Urbano:----- que nao ha nada que' cia !
admirar. Uai Sit. Depi.tauo : Mais 10 votos do que obteve
Mas aquelles que se uniram fraternalmente com o candidato do governo.
alguns conservadores, sem accordo algum de prin- j O Sr. Urbano: E o que quer isto dizer, senho-
cipios, sem rombinac/io de ideas... res? Quer dizer que a maioria ceden pressao
O Su. IIorta de Aradjo : Nao apoiado. Tque sobre ella fez o governo era relacao presiden-
) Sn. Urbano: -----seram os mais compe
i cia, mas que esta nao era a sua voatade, estes nao
urna
vir de deposito das pracas falle, idas emqnanlo nao as tousaV, faendo dein ler a sorte c todo o fu- lentes para cstigmatisar quaiquer outra allianca eram os seus desejos; a maicria quiz dar
sfio dadas a sepultara.Coraraunicoii-se ao inspec- tu o da sitnaQin da conservaco do gabinete actual, da magma natureza que por acaso se fizesse-* pruva de alta estima ao seu 1." vice-presidenie, com
lor da thesouraria de farendi. da de>tasituaci a mais triste idea. O que que distingue os partidos nesta casal So o que demonstren que pela sua parte teria eleilo
Diloao Dr. jmz de dirello do l.imneiro. Pelo seu O Sr Jlnqubira : Aporado. j acaso o ministerio actual svrabolisa os principios presidente a esse digno canlidato repellido pelo
ollicio d 4 deste mez. fiquei mteirado de ter \ me. ( O Su. L ruano : Nao sei.Sr. presidente, como da situaeao, qitaes sao elles, e que dilferenca governo. O ministerio devia abler-se desse ina-
nomeado o baefnre! J >- Hara Freir Gameiro Ju- se encara a siiuago se ella meramente nlBeial, fazera da poltica que seguiram lodos os mimsteriU- new redimi e indecente.
nior, para oxercer inter'mamcnt-' o cargo d pro- so nao Mm ren-to nbpaiz, se n.io tem fundamen- anteriores? No nosso paiz. Sr. presidente, desle multo tem-
motor publico dessa comarca, no impedimento do lo na opiiio- real, se urna corabinaco mera-1 Na verdade, combinando todas as oninioes to-po t proclamou e tem-se sustentado o principio
effeciivo. Communicmi-se a thesouraria de fa- mente par'amentar,umareu..nda individuos para doa os relaiorios, todas as proposlas, to.los oa'dis-, de que o governo lem direilo de intervir cm elei-
zenda. | manieren) o poder cmn os seus gozos, visto que torsos, e todos os actos do minislerio acltta] com ces, se no ccono gowrao, ao menos co-mo opi-
Dilo aojuiz municipal de Rarrelrcvs,Commum- a conservaco do ministerio aclual elemer,io os de sews predecessore?, nao acho di(Tertn^a>n-iniao-
de domicilio os
trumento que
s aprend'izes de rabera, ou mitro ins- Qoitwia Mana da P 8i!a, 2
i incommodasso o socrego publico, I Salvador H.ira?lu Benndicto, Jos I
pravas de pret,
Franci-co d'Alen-
nos parece que pela moderna, c quando t'ndo va! cal' Alcantarino, coiiselheiro I). Francisco R.liba-
em progresso se au deve consentir ba tanto tem-'2ar da Silveira, sua senhora, 2 hlhas e 18 e-cravos,
po, que, no becco das Rarreiras do balito da Roa-'J,,ao LT'S }'0' 'luiz AlVtS Ba,,.ia>.l)r- Jos Ko"
Vista, more com sua familia urna dnuda furiosa, a I "*0** *' ^o wcravos de Jos da F.raseea e
qual com gritos descommiinaes, e a deshoras. Da- f!1*8',1 "lotle Jos Joaquim Gomes de Abreu, 1
gela os oovidos dos visinhos. Parece ainda que!dl' de Domingos Joaquim da Costa, 4
ue ,,xS|em I Ahreu (\ Veras, Manoel Rodrigues La
para remover esses inconvenientes que
os hospicios, casas de caridade. hospilaes etc. ele.
Assim pois, pedimos s autoridades de nossa Ierra
que lancera suas piedosas vistas para esse ponto, e
removam para alguma clula do Hospital de Mise-
ricordia de Oiinda essa infeliz louca. fazendo
dest'arte una rariiLide, c ao mesmo lempo um
duplo favor aos visinhos encammodndas.
Tendo do proceder-se ao calcamento da ra
do Crespo, pedem-nos algumas pessas lembremos
que o nivelamenlo das calcadas e a largura do cen-
tro da ra sejam feilos semejantemente ao da roa
do Im|ierador, para que nao fique mais largo em
nns lugares e mais estreito em outros, (ornando a
ra deformo.
ditos de
raogi-ira,
2 escravos de Jos Duarle das Neves, i dito de
Manoel Ignacio de Oiiveira A Filho, t recrutas de
marinha, Sidromo Martins Pereira de Carvalho,
bacharel Balbino Cesar de Mello e 1 escravo, Jos
Maria Baplista Carneiro. 1 escravo de Joaquim
Antonio Piulo Serodio, Pedro Claudino Duarle, 8
escravos de Adriano Augusto de Almeida Jordo,
Dr. Francisco Pires Machado Porb-lla. Fumino
Herciilaiio da Silva, cabo de esquadra Manoel Cy-
rillo Xavier, Jc Alves da Silva Pereira, Jo\o
Donneloy. bacharel Francisco J. de Sampay, 1
escravo de Joo Botelho Nello, 1 dito de Fiamisco
Alves d'Oliveira, 1 dito de Mello 4 InmW I dito
do Symplicio Jos da Silva, 1 dito de Jos Luiz do
Amanhaa comeca a defeza de Iheses do Sr.! s"|ueira Cavaleante, I duo de Joaquim Manoel
bacbarel Clao Guefreiro de Castro, natural da! ferreira de Souza, Marina Mana da C.mvic>.
Baiua. Passageiros da barca inglez.i Lady Elizabeth.
O delegado do S. Benlo acaba de capturar a entrada de Santa Helena :
Francisco Borg- s Macambira, que res|K)ndeu cin-' Pedro Jos Antonio Lima, Luiz Jos de Amorim,
co processos de crimo de norte, e a Francisco: Alberto Antonio de O iveira, Mariano dos Santos,
Leite que. em dias de agosto do anno passado, as-1 Nicolau da Fonseca,
sassinou a Justino Pereira dos Sanios, no lugar Ala- Passageiros do vapor naoional Paran, vindo
gna do Monteiro, provlneia da Par.>hyl>H. do Para c porius intermedios : J^s Ferreira
-^___v^- -
im i


vT
Diarlo de Persaaabuea -- segunda letra 1 de weiemhro de mil.
i
Appellaule, o promotor; appellado, Joao Ferrci-
ra de Laeerda Jnior.
apellado, Jos Ribeiro da
appellado, Manoel Correia
appellado, Jesttino Pereira
Pinto Filgueiras, Emilio Getulin de Oliveira, D.
Leonila Seierina Ruarte, Pedro Ignacio d>i Soma
Habello, Francisco Melquades de Cerqn.-ira, Ve-
rissim > Ferreira Chaves, Gnillvrme Pereira de
Aievedo, Luiz Dematrio Coellio, Jos B-rnar.lo de
Mora-s, Paulino Jos drdeiro, Amaro de Barros
Correa, Jo- Antonio Marques Guimares, Joaquim
Jos de Sal'Anua Macaco.AJulplie Eugenio Stares,
.los Pedro Biptista Carneiro, Anluuio Alvaro Ver
rena da Silva, Jos Anlunes Guimares, capitn
Luiz Antonio Goncalves D. Joan Besson, Manoel
ofoFerrettaS ftPl** da Costa Gomes
Su&j Lonn^o U Aotmi., IUdr,| appellado. Joao Pudo da Coda.
raes da Cosa, Luiz Ferreira Leal, Antonio Jorge n ., ^n/lulode luruducao.
Pires lianoel Antonio Piro*, M.uoel Joaquim da ; O conflicto de jurisdiccao entre oju.z miinuu-
.Siv"'Moura Antonio Parlo de Vasconcelos, lab \ I* de Oancui y e o de Boa-Vista.
Fvaii'n-iita da Salle*, I runineso, I desertor e \ cassagens
nr-ir tV.csco!tindo-o- 2 escravos entregar Dobr. desembargado!- Almeida e Albuquerque ao
^Rem para o sol : I8r- desembargador Ass.s
Appellaule, o juizo
Fonseca.
Appellante, o juixo ;
Lima.
Appellaote, o juizo ;
Tarare*.
DESIG.NACO DE DA.
Assignou-se dia para julgaraento dos seguintes
feitos :
Appelliico enme.
iiao .le frag..ia Antonio Ernesto Lassauce
eCiiftlM, dito loaimim rVrreira >le Souza Jacaran-
da r Jo- de Alonada Marlins Costa, sua senho-
ral liiha, l criado e i escravos Joaqun Ignacio
de'Alnvula e I criado, Manee! Alexaadre Uodn-
gue-, Rapharl de Menezcs, Bernardo) de Sena
uarie e sua sobrinha, 2" cadete HanOel Carlos Ca-
Taleantd de Negrearos, Alcino Gomes Brasil, Seb-
balino Pellini, G 9 escravos a entregar.
Passageiros do vapor nacional Paruhnba, viu-
do do Aracaj e portes niterinedios ; Francisco
das Chayas Muniz, Joan Casemiro da .Suva Ma-
chado, Bomardino A. Cruz, Amonio Avoiinu Leite
Bosta, Antonio Joaquim de Si |U ira, Amonio Joa-
iui'u de Fisueiredn, Jo:qoim Antn o Mirhado,
Joaquim Luiz Coelho, J ;! > AI ve* do Reg, Manuel
Joaiiilim Maia. Claudino AlTun-o do Carvillio, A
J. Marques. F. L Lima. A. P Cesar E. F. de Al-
moida, F. Teiieira, Jos Viceute .la Cruz, Lamen-
liuo P. de Araujo, Francisco de Va-coueeil.s Meo-
doea, Jos Manoel Bautista, Francisco de Paula
Heves, Guilnerme Garre! e sua seouora, Tlnmaz
d'A puno ile Olive.r.i e sua sanhora, Antonio l-ran-
eis o Leite, [ir. Dionisio lileuterio de Meiiezes, sua
seoliora e I menina, alfares Jos Francisco da Sil-
va Lea, desembargador Bernardo da Costa Doria,
jucravns e 1 criado, um Africano livre Felippe
da Co-laJo-e Antonio Rodrigues da Silva, l'raucis-
eo Oliveira Barros.
Movimeuto da casa de detenga.) do da 10 de
selembro de 1864.
Existan)..... . 348 presos.
Entraran)..... .i 1
Saliiram 9 i
Existen...... . 342
A sabor :
Nacionaes ... . 291
Mulheres..... 7 s
Eslrangeirus.. 4
fc-irangeira .. 1
Escravos..... X, i
Esclavas..... 4
342
Alimentados custa dos cofres provinetaes
Muvimento da enfermara no dia 17.
Te ve bal xa :
Luiz Biptist. da SilvaDefluxo.
Tiveram alta :
Flix J..s Rodrigues.
Vicente Ferreira de Sonto.
149
ADVERTENCIA.
fa toialidade dos dneiiU existen) 147. sendo
*.'! !: unens e 04 mulheres.
Pora ni visitadas as enfermaras estes dias :
P-lo Dr. Buhos as 6 3|i, 6 Sil, 6 3i4, 6 :I|4
6 3|4 7, 6 3|4,
Pelo Dr. Sarment as 8 lia. 8 liS, 8 :t|4 o
1|4, S), 9 \\% 7 I[4.
Fallecern) :
hidra M.nada ConeeiVao, gangrena.
Thomazia Mara da Conreicao (ii< :t horas depois
de t r eii.j;i |,,|. varilas.
Joanna Mara dn Con-'-irao. pbtysra pulmonar.
Fortunato Carneiro da Silva, dem.
Anua Frincisca .los Prazeres, infeCco purulenta.
Joau.. Ba.lista, apojdexia.
(IllITl \itlo DO CEMITERIO PUBLICO SO DIA lo DE
SETF.MBRO D8 1864.
A npiu'/ltirao civel.
Appeltouites, a parda Mana e spus lilbos; appel-
lado, Benedicto Antonio do Espirito Sauto.
Ao Sr. dosemiiargader Multa
.1 appflliirao civel.
Appellaule, Bernardo Jos de Barros ; appella-
do, Jos Antonio Marques.
O Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desera-
bargador Doria
As appellcott aimes.
Appellaule, o juizo ; 'appellado, Jos Pedro de
Santa Auna.
Appellante, o juizo ; appellado, Pedro Fraocis-
co .le Luna.
Appellante, o juizo]; appellado. Manoel de Siquet-
ra Barbosa Cavalcai.li.
As appdUicoes civets.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Val Te-
norio de Albuipienpie.
Appellaule, a fazenda ; appellado, Pedro Ale-
xandruw de Barros Cavalcanti do Albuquerque.
Um Appellado, Adriano i Castro ; anpellaule, Chris-
tovfio dell.llaiida Civalcanli.
Do Sr. desembargado!- Molla ao Sr. desembar-
gador Ccboa Cavalcaiiti
.4* uppellwoes ciinus.
Appellante, o juizo ; jijieljados, Jeroytno Fer-
reira de Albuipaerque e outros.
Appellaole, o promotor ; appellado, Manoel Jos
de Freitas Ramos.
Appellante, Joao Soares de Macedo; appellado,
j Joao da Fonseca e Silva.
Do Sr. desembargador L'cha Cavalcanli ao Sr.
(desembargador Dommgues da Silva
As appcltacSes c.runes.
Appellanles, Leandro Jos de Oliveira e Joaquini
' da Rosa ; appelUda, ajustica.
Ap|iellanle, o juizo ; appellado. Manoel Joaqun)
i de Lima.
Do Sr. desembargador Domiugues da Silva aoSr.
desembargador Almeda e Albuquerque
.1 qppetlaaia cicel.
Appellante, Adriano Xavier Pereira de Brto;
appeliada, a fajeada.
DISTHIlllICOES.
Ao Sr. desembarga.ior Santiago
.1 appeUaco crime.
Ajip.llanle. o juizo; 'appellado, Jos Martins
] Vianna.
Ao Sr. desembargador Gitirana
As nppellacvcs evimes.
Appellante, o juizo ; appellada, Mara Luiza da
Conceico.
Appellante, Antonio Francisco de Lima ; appel-
lada, a juslica.
Ao Sr. desembargador Lourengo Santiago.
As ajpeUacQct crimrt.
Appellante, o ju'tzo; appellado, Manoel Carlos de
Souza.
Appellante, Jos Francisco Pereira ; appellada,
a juslica.
Ao Sr. desembargador Almeda e Albuquerque
A iippclhirao crime.
Appellaule, o curador de Placido ; appellada, a
jusiiea.
.impelante, Anna Francisca de Brito : appella-
dos, Zel'enno Jos Coutiiiho e outros.
O ugtjraro ie yelieo.
Aggravante, Manuel Francisco de Paula: aggra-
vado, o juizo.
Ao Sr. desembarga.ior Assis
A appfUaco crime.
Appellante, Herculano Xavier Aives ; appellada,
a juslica.
.1 appeUaco civel.
Appellante, Antonio Gomes de Albuquerque :
appellauos, Gnilherme Augusto de Miranda e ou-
tros.
Oaggmto ie peticao.
Aggravante, Manoel de Rezende Reg Barros;
ageravado. o juizo.
Ao Sr. desembargador Doria
A tnipelliicao crime.
Appellante, ojuizo ; appellado, Jos Henriqaoda
Silva.
.1 appeUfh'o cictl.
Appellanie, a laz.u.la ;'appellado, .lose Francis-
co do llego Maia.
O agqruvo de pelico.
Agcravantc, Jo>e Rodrigues do Aranjo Porto: ag-
gravado. o juizo.
Ao Sr. desembargador SfnfUi
A uppelltieo crime.
App'llante. lo- Gomes da Slveira ; appellada,
a juslica.
Ao Sr. desembargador L'chda Cavalcanti
A appellacaa crime.
Appellaule, ojnizo ; appellado, Pedro Gomes da
Cosa.
Ao Sr. dosembirgadnr Dnmingues da Silva
A nppeUaeo crime.
Appellante, o juizo -,' appellado, Isnacio Mo-
reira.
Ao meio-dia encerrou-se a sessao.
prmeiros das da Janeiro desle anuo, expoz ven-
da e effectivamenlo venden, como purria diver-
sos a carne do urna vaeca sublraltida a Adriana
de lal ?
2. Existem circumslancias attenuantes a fa\-or
do reo ?
Recolhido o jury de sentenca sala secreta das
confenneias 1 horae 3|4 da tarde, d'ahi voltou
s 3 l|2 respondendo ao quesitos pela nmneira se-
guiute :
Ao primeiro Sim, por 6 votos.
Ao segundoSim, por 7 votos.
Lidas as respostas pelo presidente do jury de
sentenca o Sr. Dr. Joao Vicente da Silva Costa, o
Sr. juiz publlcou sua sentenca absulvendo o reo, e
condemnando a muuicipalidada as castas.
Levanloo a sessao, lican.lo adiada para o da se-
| guinie s 10 horas da mannaa.
DA 14.
PHESIDKNCIA DO SR. DR. JOAO ANTONIO D'ABAUW
IKEITAS IIENUIQCES,
JLIZ DE IIIHEIIO DA PRIMEIRA VARA OIUMINAI-
! Promotor publico, o Sr. r. Jos Paulino da
Cmara.
Escriviio, o Sr. Jonquim Francisco de Paula
Esleves demente.
' abogado, o Sr. Ur. Grito Tertuliano Fernandes
Qmntella.
A's 10 horas da manha. feita a chamada, acha-
iain-sepresentes 40 Srs. jurados.
Foram multados em 20 cada um dos Srs. que
faltaran).
Entra em julgamento o reo Claudino Eufra-
zio de Franca Lima, aecusado por crime de
, rotibo.
O jury de sentenca fo composto dos senhores
' seguiites :
! Antonio Caldas da Silva.
; Pedro Celestino Mindelto
Joao Joaquim de Siqueira Varejao.
i Sebastio Jos Gomes Penna Jnior.
Dr. Horacio Valtredo Peregrino da Silva.
Francisco Antonio Poniual Jnior.
, Man mI Ignona de Torres Bandeira.
I Francisco Antonio C Cousseiro
i Tenenie Joao de Siqueira Campello.
Jos Joaquim da Costa.
niouio Gooe .Ivi'-. Pereira Lima.
Dr. Manoel Artbur de Hollanda Civalcanti de Al-
boquerqne..
E prestaran) o juramento dos Santos Evan-
' gelhos.
Foi o reo interrogado e procedeu-se leitura do
1 pr.icesso.
O Sr. promotor pedio a condeinnacao do reo
\ no grao medio doart. *>9 do co ligo criminal.
O Sr. advngado, deduzindo a defeza, pedio a ab-
| solvictio do reo.
Findos os debates o precnchidas todas as forma-
! lidades da le, o Sr. juiz de direito propoz os que-
sitos seguintes :
1." a reoClaudluo Eufraziode Franca Lima, no
dia ultimo de fevereiro do correte anno, tirou
para si contra a vontade de ara dono os- objeclos
constantes do termo de busca folhas 6 dos
autos ?
2. O dito reo afiui de assim praticar, fez violen-
cia empreando os arromhamentos descriptos no
auto do carpo de delicio folhas 2 do proees>o ?
." Existom rjrcamstancias attenuantes a favor
do reo 1
Recolhido o jury do sentenca sala secreta das
cenferencias 1|2 hora depois de 1|2 dia, d'ahi vol-
t'ii 1 hora da larde respondendo aos quesitos
peta maneira segurte :
Ao prfaneiro quesito :Sim, por 8 votos.
Ao segundoSim, por 8 votos.
Ao lerceiroNao, por 7 votos.
Lidas as resn islas pelo presidente do jury de
sentenca, o Sr. Dr. Manoel Arthur de Ho landa Ca-
valcanli de Albuquerque, o Sr. juiz de direito pu-
bleou sua sentenca, condemnando o reo pena
de quairo annos e mtodo gales, e mulla de 2 1|2
por rento do valor roubado, e as cu-las.
Levanlou-se a sessao, que tiern adiaaa para o
dia seguinte as 10 horas da manhaa.
DIA Ir
flIESlOENCIA DO SR. DH. JOAO ANTONIO D'ARAIJO
KREITAS HEN.ilQCKS,
JflZ DE DlhKITODA PRl.MEIHA VARA CRIMINAL.
Promotor publico, o Se. Dr. Jos Paulino da
Cam-ira.
Etcrtto,o Sr- Joaquim Francisco de Paula FiteP
ves Clemente.
A's 10 horm da m*nha, tmta n eli:nna.iu, acha-
ram-se presentes .'M S s. jurados.
Foram militados em 205 cada nm dosSrs jura-
dos que faitarani.
Sendo in-ulTIciente o numero de jurados preseoa
tes, o Sr. juiz de direito addiou a sessao para o di-
seguitite s 10 horas da niauhaa.
Assim pois tranquillo rom o soberano veredic-
Uim, ipw lera pronunciado a conveniencia publica,
leiibooonviccao, deque quando voltara calma ao
meuaniagonisU, elle me far ajustica, quo me-
reco.
Recife, 17 de setembro de 18fi4.
Jos Mamede%Alves Ferreira.
Salsa de Brislol.
O grafle purifleador do sanano.
A nica preparacao original e genuina para a
cura radical dos mais perigosos e confirmados ca-
sos de escrophulas ou mal do re, ehagas antigs,
leicensos, tumores, abeessos, ulceras e toilas a
quahdades de erupgoes escahrosas e eserophuiosas
i- a legitima salsapairilhadeBristol. preparada [>or
Lanman A; Kemp.
E' igualmente um remedio cerlo para rhenma-
lism s.empigens, tinha,escorbuto, tumores branc.is
e alfee.eoes nevraUcas, debilidado geral o nervosa
dosystema, falta de apetite, languidez, tonteiras,
e todas as molestias do ligado, robres, labres bilio-
sas, frios e ictericia.
0 inelhor, e emliui o nico remedio corto para a
cura de todas as molestias provenientes de um es-
tado Impuro e viciado do sangue.
Os que soffrem destas molestias podem estar na
certeza que nao tem a menor pancula de substan-
cias minoraos, mercuriaes, ou outro qualquer ve-
neno nesta medicina.
Ella inteiram'ente innocente, e pode ser toma-
da por pessoas no maior estado de fraqueza ou as
chancas mais delicadas sem Ihes causar o menor
mal.
_E' preciso acautelar-s contra as ires falsifica-
eSea e imilacoes que existen), pedindo a legitima
salsa de Brislol preparada unicamenlc por Lanman
& Kemp.
venda em casa de Caors & Barbosa e J. da C.
Bravo t C.
Mais urna coroa de gloria pa-
ALFA.NDEGA DE PERXAMBL'CO.
PAUTA DOS PKECO DOS UE.NEBOS SUJEITOS A DIREITO DE
EXPORTACO. SEMANA DE 19 A 24 DO MEZ DE
SETEMBRO DE 1864.
Mercadonas. unidades. Valores.
Abanos.........cento I 1300
Agurdenle de cana.....' caada 00
dem restlada ou do reino 800
dem cax.tea......... 400
dem genebra........ WO
dem alcool ou espirito de agua- 900
ardente.....,
Algodao em carneo.....arroba
dem em rama ou em lia.
Arroz rom casca......
dem descascado ou pilado
Assucar mascavado.....
dem branco........
dem retinado.......
Azeite de amendoim ou mendo-
bim.........
dem de coco.......
dem de mamona.....
Batatas alimenticias.....
Bolacha o diara, propria para
embarque.......
dem lina........
Caf boin ........
dem escoma ou restolhe .
dem torrado.......
Caibros.........
Cal...........
dem branca.......
Carne secca (xarqne) ....
Carueiros........
Carvo vegetal......
Cavernas de sicupira ....
Cera de carnauba em bruto. .
dem idem em velas ....
Cha..........
Charutos........
Ovados (jiorcos;......
Cuco (seceos).......
Colla.
6*523
MMOO
IJHSUO
ipue
257( ifl
45400
55120
caada
arroba
libra
um
arroba
um
arroba
urna
libra
cento
um
cento
libra
raoExm. Sr. wiisellieirolSrtie'mScS^ado,
r. Antonio Feliciano de tSt*tSSSlrw: :
0astilko. SeVsSr^: : : : : *
Malaquias do Lago Ferreira Jnniur, menino de ; dem em gela ou massa.
o annos de idade, morador na ra de Santa There- dem em calda.....
za, ten lo qnatm mezes de frequencia nesta escola I Bmwadoroo grandes .
ceniral, com 26 faltas por causa de doeuca, pois dem pequeos......
dn urna constituico mu dbil c delicada, l qual-; Esleirs para forro de estiva
quer bvro que se Ibe aprsente, incluso os Luzia- de navio.......
das, escreve bastardinho sem regrados, e sali a Estopa nacional.....
taboada ; apresentei-o ao IIIm Sr. commendador Farinha de de mandioca. .
Figueiroa e ao Illin. Sr. Ignacio Bento de Lovola,; dem de araruta
um
um

25000
1*600
800
15200
:I5000
75000
85HK)
"5000
440
360
280
500
115200
4*600
15 8500"
2i0
;ioo
1*500
2*500
15*000
45(MIH
600
166'
240
100
3o0
105000
1*000
320
" "i
45000
25000
lino da Suva, equipagem lo, carga 16,500 arro
bas de carne.
Guayaquil 90 dias, brigue hambnrgiiez Drei fie-
suestern, de 190 toneladas, capitn F. P. Mathic-
sen, equipagem II, carga cacao, ao mosmo capi-
to ,' veio refrescar e seguro para Falmoulli.
Navios sahiitos no mesmo dia.
Rio de Janeiro Barca ingleza Uighton, capital
Blarkrord, em lastro
Rio de JaneiroBrigue nacional Almirante, capi-
tao Jos Moreira Maia, ;carga sola e outros g-
neros.
Rio de Janeiro e portos intermedios Vapor brasi-
teirn Paran, commandante o capilao de fraga
ta Santo Barbara.
Navios entrados no dia 18.
Benicarlo-42 das, esra hermlx.la Cnrrruca
(le 02 toneladas, capilao D. Cosme Calzada, equi-
pagein 7, carpa vinho ; a Pereira ( arneiro & C.
Santa Helena-.il dias, barca ingleza Lody Ehza-
netlt, de 4G7 toneladas, rapilao I. Duike, equi-
pagem 14, em lastro ; Juhnston Pater & C.
EDITIS.
riCBIDAN DE DIREITO.
De rdea do Esa. Sr. vheonde director ie lt
publica a lista das faltas dos estudantes, t
jitslilicadas, rom relarao ao mez prximo pasa*
do, e jalyadas em sessao da connregare il
houtem.
Primeiro anno.
Elpidio Jos de Carvalbo, 1 falla na primeira ca
deira.
Joao Baplisla de Aguar Bello, 1 dita na primei
ra cadeira.
Pedro Jorge de Souza, 2 ditas na primeira ca-
deira.
Jos Francisco do GJes Cavalcante. 1 dita na
primeira cadeira.
Vicente Ferreira Gomes, i dita na primeira ca-
deira.
1
perante os qnaes leu no jornal do da para nao se
dizer que era leilura estuda.la. Com o leslemu-
oho antes senhores, propreiaros dos dous mato
anligos jornaes desta provincia, ufanme em ca
mar gloria ao Exm Sr. eon que polo tea insigne methodo merece as heneaos
da patria, o a atmiracao da posteridade.
Escola central do methodo Castilho 16 de setem-
bro de 1864.
Francisco de Freitas Gamboa.
cento
arroba
alqueire
arroba
l.U_
COMKUrfIGADOS.
5* SESSAO-DIA 13 DE SETEMBRO DE 1864.
PRESIDENCIA lo SR. DR. IIKiiMoKMCS SoiaiATRS TK-
VA ES I1K VASCONORLLOS, JOIX MUNICIPAL DA PRI'
HKIIIA VAHA E P1UMBIB0 SUBSTITUTO DA PRIMRIRA
D DIMKITO
Promotor publico, o Sr Dr. Jos Pauli no da-
Cmara
Francisco Jos da Silva, Pernambuco, 22 annos 1EscrteSo Sr.Joaumm Franciico de Paula Este-
solteiro. Bm-Vista- pneumona.
Al-vHidrui >. Pernambuco, ti mezes, Boa-Vista
diai rtia.
Leandro, escravo, Pernambuco,:] annos, Boa-Vis-
ta ; bexigas.
Joanna Francisca das Nev?, Pemambnco, II an-
uos. Recife 5 erysipela.
Domingos, escravo, frica. 00 annos, solteiro. Boa-
Vista ; liydrnpericardia.
Tiloma;, de Aquino esarto, Pernamborn, 25 an-
nos, solteiro, Boa-Vista; tubrculos pulmonares.
Joaquina R casada, Boa-Vista; varilas.
16
Francisco, Pernambuco. 3 annos, Boa-Vista ; pneu-
mona.
Mana I. .urenca Constancia do< I'razeres, Pernam-
buco, :18 anuos, soltrira, Boa-Vista ; plithysica.
Carolina Francolina d'AunuiK-iacao. I'ernainlni
Clemente.
Adcogado, o Sr. Ur. Amrica Netlo de Mendanen.
A'* 10 horas da maniiaa, feita a chamada, acia-
ram-se presentes .'i7 Srs. jurados.
Havenio numero legal, o Sr. juiz de direito de-
ciaron aberla a ses-ao
F-ram multados em 204 cada um dos Srs. jura-
dos que fallaran).
Entra em julgamento o reo Lucas Antonio Evan-
1 geli-ta, acensa.lo por crime de.esle.llionato.
I Frocedeiii|o-se ao soiteio do jury de sentenca,
1 foram recusados pela promotoria os Srs.
Dr. Antonio Jo< da Costa Bieiro
Jos Antonio Vi- ira de Souza.
Dr. k'nacio Firmo Xavier.
Dr. Francisco Teixeira de S.
Dr. M .n el Arthur de Hollanda Cavalcanti de Al-
boqueique.
Dr. Joao M 1 ia Seve.
Teudo acoinpanhado na tribuna sacra aos rnui
distinctos oradores que a ella tem subido, para
com sua vuz auionsaiia pregar a verdade o fazer o
pauefiyrlcu desta ou da-tuoila- iuvocaco, sorpren-
deu-me ceriameiile .piando oceupou este lugar o
Exm. Sr. cunego projadu domestico Joaquim'Pinto
de Campos, na oracio que proferto por occasiao
da pomposa fest.vnlade de Nossa Seiih-ra du Rom
Conselho, er ca no convento dos religiosos fran-
ciscanos desta cidade, sol os auspicios dos estu-
dantes de dir.-iii. O Exm. Sr. cotiego, snbindo a
tribuna chnstaa,elevou-se a altura de Lamennais,
e digamos com verdade, que alui de um histrico
lu:ido esoculosu, traiou da instiluiyao da iiiesma
Soberana Seudora do Boui Conselho, do dogma da
iniinaculacao, e de oulros poptns do f, com
aquella lucidez profunda, que os seos mudos e va-
riados cuiihecimeuios loe pru|iorcionam, e as suas
sii.is e periiianeules vigilias Ihe auturisam.
Cuiilmue o FI\m. Sr. conego nesta orthodoxa lo- |
cbrala., torne o pulilo santiHcado, conhecido e
admirado, e colha a palma devi%meule merecida
aos seus talentos oratorios e a regeneracao que
com vivo interesse procura atlingir a trnuna bra-
sili-ira.
Para patentear mais o ment do Exm. Sr. cone-
go, tran (-reveremos aqu um bello soneto que en-
contramos p jiileado em um dos Jornaes desta ci-
dade, em uutubro de 1801 ; ei-lu :
A par do lempo que cammha avante,
Prsegoe, oh (hampos, la fama e {.'loria !
Teu nome Ilustre brilbar na historia,
Ser leu vulto no porvir gigante !
Coa profundo talento Deus constante
Tens em cada palavra urna victoria.
Teme o sceptico audaz tua memoria
E aterrado a teus ps cahe delirante.
Do teu genio o triiimpho asss potente
Mil prazeres me da quando o contemplo,
Pois em tijdo o que eres lambn) son crate.
Tu s para os moraos divino cxemplo,
E p'r'as leis defender de um Deus clemente
s mais que um sacerdote, s mais que nm templo
I.C.
Illm. Sr. Jos da Rocha Paranhos.Com a maior
salisfaco lauco mao da penna para Ihe dirigir estas
linhas em agridecimeuio ao proveito que live do
uso que Iz do xarope acoolico de vellame, da sua
composcao, para que V. S. disto tenha conhecimen-
to; e o respeitavul publico proveilo. Desde 1858
que soffiia as nwioros dores rheumaticas, campli-
cadas com o que a medicina denomina siphilis, e a
um anno que solfria de ulceras na garganta. Da-
quella poca para c somore vv em uso de reme-
dios, de que n;io tirei resultado algum a nao ser
alivios momeotaes, e lempos ha va que de todo me
via mpossibilitodo de me levantar de una cama,
soffreodo sempre tanto no ferio, como no rigor do
. invern; persislindo pnrm no a applicados pelos conheced^res da arte, ja de oalrn*
que via aununciados nos jornaes com applicaco
aos ineus padeciinenlos, e desles um sem numero,
continuando sempre a sofTrer como mullas pessoas
desta cidade sabem, e sao teslemunhas de me ve-
rem andar na ra mais para morrer do que para
vi ver
Aconteces que em abril desle anno as dores ata-
earam-u.e de forma que leve dous mezes de cama,
sem que me podess sentar, pelo ijue live necasio
de desesperar da vida, taes eram os meo* snlfri-
mentes. Ueste lempo leudo o Uiarie de Pernam-'
buco, depaiei com um aviso do Xarope alcool ico 1
de vellame, manipulado em sua pharmacia, li este;
aviso, o loinei-o cuno um aviso de um anjo; pude
a milito custo esrrever meu liiho, qneentaojl
eslava nessa cidade, pedi-lhe ijue me mandasse i
algumas garrafas aromi>anhadas das pillas, mas
logo depois vi que nesta cidade ja havia n xarope a
venda em casa do Sr. Raymundu Jo- Pereira ile!
Castro, e logo me aprsente) em mandar comprar j
(las garrafas. Fazendo u-o delle, no fim de .lias.
j andava em casa pegado i duas bengalas, e no;
lim de quiize das aAia roa. Quando acabei de
tomar duas garrafas senli-me cumplelamente bom,'
andando con lodo desembaraco, restaiido-me as
endas na garganta, para o que emprenoei uniros
remedios, mas nada me aproveitnu ; fui quando
reeebi as garrafas que (.avia pedido ;i meu lillio. e
c.'iitinu.'i com a terceira. que, no lim de poneos dem do da 17.
dias, fui melhor. Moje me aoho rompletamento
bom. Poiianto, sirva-se V. S. aceitar meu* since-
ros agradecimentos, e o publico que tiver a inf.l-,
cidade de SofTrer laes padeciinenlos que npruveite
com esie meu te>i.muiiho.
Son com.apreso de V. S. muito att. ven. e cria-
do, liento Jos ntunes.
Maranhao, II de agosto de 1864.
(\)o Paiz.)
um
arroba
una
arroba

ceulo
>
um
caada
arroba
um
quintal
um
urna
inolho
l0i"J
2-5 4500 I
15800
55000
145000
855O0
850rK)
55tMW
600
25500
255000
2501)0
1(5006
85000
240
900
55000
55000
55000
800
451X10
15000
120
1 dita na primei
di
1 dita na primei
diu na prhneia ca
", 2 dilas na primei
de Albuquerque. I
rento 55580
Feijae de qualquer qudlidade. .
Frechaes ........
Fumo em tolha, liom ....
dem ordinario ou reslolho .
dem em rolo bom......
dem ordinario ou restolho .
Gallinhas........
('.omina.........
[pecacuanha (raiz^......
Lenha em achas......
Toros..........
Linhas e esteios.......
Mel ou melaco.......
Mimo. -.......
Papagaios........
Pao Brasil ........
dem de jangada......
Pedras de amolar.....
dem de filtrar......
dem de rebolo......
Piassava.........
Pontos, ou chifres de vaccas ou
novilhos........
Pranchoes de amarello de dous
costados........
dem de louro.......
Rap..........
Sabao..........
Sal..........
Salsa patrulla.......
Sebo em rama.......
dem em velas.......
Sola em vaqueta......
Taboas de amarello.....
dem diversas.......
Tapiocas.........
i Tatajuba.........
Travs.........
Pulas debei.......
Vassouras de piassava. .
Mitas de limbo......
Ditas de carnauba......
Vinagre.........caada
Alfandega de Pernambuco, 17 de sel
181)4.
(Assignados):
U 1." conferente, Florencio Domiugues da Silva, j
0 2. confereule, Jo$eMurm Cenar do Amoral.
Approvo. Alfandega de Pernambuco, 17 de
selemliro de 1804..1. Entallo.
Conforme.O 3."escriplurario, Joao dos Sontos]
ludo.
rtecehetlnria (le reol;n* Inferna
Se Pernambuco.
um

libra
B
alqueire
arroba
nina
dtizia
>
arrolia
quinta!
11111,1
Cento
205000,
105000
15000
120
400
2*5000
55000
75(KH)
25-00
1405000
geraes
Rendinienio do da 1 a 10..
Consulado provincial.
Beadimeuto do dia 1 a lo......... 29:2695556
dem do dia 17................. 8645220
ERRATA.
Na Dnblicacao fnebre, publicada no dia 16, den-
se o soguinte erro : onde diz as sete virtudes theo-
lugaes leia-seas tres virtudes theologaes etc.
OOMMERglO.
NOVO B.M10 M KttNVl)C.
0 novo banco (Higid 13 di>i(leii
rr i-azao e SfcOOO |ir acio.
Alfandega
' Rendimento do dia 1 a 16.......
dem do dia 17................
380:807*488
39.7065960
390:4045448
Movimiento da alfandega
VoJomes entrados com fazendas...
t com gneros.
25 anno.. viuva, S. J.- ; tubrculos pulmonares!! ''r- APT**" Justiniaiw da Siva Guimares.
Alejandrina lii-uteria dos Prazeres, Peruambuco, V.11" A,,?w' Dubourcq Jnior.
38 annos, solleira, S. Jos ; bexigas.
UtOMIA JIIMCIAKU
TKIKirVll< l>.\ RELAMI.
SESSAO EM 17 DE SBTBMBttO.
PnKSlUEKCIA DO KXM. SU. CONSEI.IIBIRO
OOBlk.
As 10 limas da mannaa, presente* os senhores
desemiiargadores lnuitoneo Santiago, Almeda e
Albuquerque, Assis, Doria, Molla, L'cha Caval-
canti e Dounngiies da Silva, fallando os Srs. d.s-
emiiarga.b'res C. Sautiago e Gilirana, .-om pariii-i-
pae.'io, almo-se a sessao.
U Sr. desembargador Guerra, procurador da co-
roa, nao compareceu.
Pas-ados os feitos e entregues os distribuidos,
deram-se os seguintes
JULGAMEXTOS
Appellacoes crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Sergio Manoel
do Nascimento.
Iui|imcedenle.
AppellanU-, o juizo ; appellado, Candido Jos
de Abren.
A' novo juryt
DILIGENCIAS CIUMES.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justica
As appeJIaces crimes.
Appellante. o juizo ; appeHado, Jos Thoin.
Miguel Sumes Viegas.
Pela dtin-za foiam recusnilns os Srs :
Capilao b'iancisco Rapliael de Mello Reg.
Tenenie coronel Francisco le Miranda Leal Seve
Dr. Francolino Bermrdo Qninteiro.
Bernardo Lina e-ar Loiireiro.
Joao Amonio da Silva Pereirn.
w Ma. m Krejre Camero.
O jury de sentenca licou composto dos Srs. se-
guimos :
Seiiastin Jos G.mes Penna Jnior.
Gandido Autran da Malla Alhu.pierque.
Antonio Machado P. reir Vianna.
M.ikmiI Ignacio de Torres Bandeira.
Joo Joaquim de Siqueira Varejao.
Anio mi Caldas da Silva. .
Dr. Hmacio Vaifi- do Peregrino da Silva.
Luiz Per- ira de Faius.
Dr. Joao Vicente da Silva Costa.
Jos Joaqun da Cota.
Fr.iwisri Antonio Pereira de Brito.
Peiro Celi-slino Miudell >.
E piestoram u juranianlo dos Sanios Evan-
gelios.
Foi o reo interrogado e procedeu-se leitura do
processo.
O Sr. promotor pedio a conduinoacao do roo no
grao medio do art. 264 l. do cdigo criminal.
O Sr. advocado deduzindo a defeza, pedio a ab-
solv^ao do reo.
Finitos os debates e preenchidas (odas as solem-
nidades da le, o Sr. juiz de direito propoz os que-
MbiS seguintes :
O reo Lucas Antonio Evangelista em um dos
Voluraes saludos
c
com
cora
fazendas..
gneros..
PUBLICARES A PEDIDO.
Tiub'iii quero dizer o que sinlo
Como amigo que sou de dar a i esar o que de
Cesar e a Deus o que de Deus, reconheci que na
eleicao de juizes de paz da freguezia de Santo An-
tonio, que leve tao bom cometo, e de facto correu
plcidamente at o momento em que se feizou o
lempo, pelo que fleu adiada, eram os cidadaos
abaixo declarados os mais aceitos ; isto por serem
dados com lodos nos homens do novo : por \n>o\
ai.resento-os aos m-us camaradas, afim de serem!
elles os que devem dirigir -os nossos destinos con-
ciliatonos nos futuros quatro annes.
Capitn Luiz Cc-ano do Reg.
Major Antonio Bernardo Qninteiro.
Capito Antonio Augusto da Fonseca.
Capitn Jos Lniz Pereira.
Um votante pobre, mas que nao vota de
caixao, mu recebe palito nem chapeo.
Alinelo.
Se o meu antagonista ach >u, que o terreno, on-
de lutavamns ltimamente, tiuha-se tornad apau-
lado, smente devia iraeixar-se de si profiri, que
por ineio de suas proposito absolutas e acrimo-
niosas fn desappaiecer *i terreno secco e ameno,
que sempre pr curei con.-ervar.
Se nao tenho o hbil.) d'eiaredir pessoa alga-
ma, laidi.in nao supiiort", quo homens, qu- se
prezam, |Mr meio de palavrinhas duces e amatis,
rae dirijam insinoacoes insultmvas, as quaes re-
pollindo as. nao faco mais que um dever.
80
259
------ 339
305
296
------601
TPRAQA DO RECIFE
I? IR SETF.T1KK lR tHHl.
AS TRES HORAS DA TARDE.
Ilevista semanal.
Jus Pedro de Paiva Baractio, 1 diu na primei
ra cadeira.
Simplicio Coelho de Besando,
ra cadeira.
Jos Furtado de Mendonca, 2 ditas na pritneir;.
cadeira.
Luiz Vieira de Resende Fillio,
ra cadeira.
Joao Baplisla de Freilas,
155000ideira-
Manoel Gomes Viegas Jnior, 2 dilas na primei
ra cadeira.
Antonio Paulino Cavalcante
dita na primeira cadeira.
Manoel Varella do .Nascimento Jnior, 2 dilas 1
1 sabbatina na primeira cadeira.
Artequelino Avies Albano Co.Ia, I dita a pri
metra cadeira.
Francisco Antonio de Castro Loureiro, I dita na
primeira cadeira.
Manoel Vicente de Magalhes, 1 dita na primei-
ra cadeira.
Joaquim Guedes Alcoforado, 1 dita na primeira
cadeira.
Joaquim Theophilo Agr da Silva, 2 dilas na
primeira cadeira.
Prxedes Theodulo da Silva, 1 dita na segund,
cadeira.
Jos de Aranjo Vianna e Almeida, 3 ditas e I
salibatina na primeira cadeira.
Luiz Antonio Moreira de Meudonca, i dita na
primeira cadeira.
Aurelio Numeriano Poies da Slveira, 2 dta>
na primeira cadeira.
Cassemiro Borges Godinno d'Assis, 1 dita c.
primeira cadeira.
Augusto Pedro Gomes da Silva, 1 dila na pri-
meira cadeira.
Antonio Manoel de Sampaio Jnior, 3 diia na
primeira cadeira e 1 na segunda.
Francisco Santiago Accioly Lins, 4 dilas na
primeira cadeira.
Jos Jorge de Siqueira Filho. 6 ditas na primei
ia cadeira.
Marcelino Pinto Cabial, 2 dilas na primeira ca
deira.
Agesilu Pereira da Silva, f ditas na primeira-
HUSMO ^ ir;l'
mm \'ie. nlu Carralhn Hodrigacs Lima, 1 it* tu.
SsnaJ primeira cadeira.
gJJ Francisco Alves da
*()* l'r'""'ira cadeira.
lafiMMtl A|IS-',I?'0 Egydio Lastro de Jess, 4 ditas
' meira cadeira e 4 na segunda.
Luiz'P.reira de Araujo. 2 ditas na primeira ca
deira e 1 na segunda.
Ilenrique d'Alenca.-tro Autran, 1 dita
mena cadeira.
Vicente de Souza Emeiroz Jnior, 1 dita na pri
meira cadeira.
Theophilo Domingos Alves Ribeiro, i dita na
primeira cadeira.
Ricardo Jos Teixeira Jnior, 2 dilas na primei
ra cadeira.
Samuel Henrfque Hardman, 3 dilas na primeir;.
cadeira.
Terencio Jos Chivantes, 1 dita na primeira 1 :
deira.
Manoel de Paiva Cavalcante, 1 dita na primeira
cadeira.
Augusto Cesar Jansen de Mello Rocha, i dit,-
17:2065380-) na primeira cadeira.
Falii.. .Nones Leal, 1 dila na primeira cadeira.
Feliciano Placido Poniual. 1 dita na primeira
cadeira.
Jus Jacintho de Souza, 3 ditas e 2 sabbalioaa
na prim-ira cadeira.
Tobas Brrelo de Menezes, 1 dila na primeia-
cadeua.
Lourenco Gomos de Araujo e Silva, 1 dila m-
primeira cadeira.
Antonio de Castro Alves, 5 ditas e I sa'batina
na iniineira cadeira.
Zeferino Botilio de Andrade, G dilas e 1 sabba-
tina na primeira cadeira.
Segundo anno.
Antonio Joaquim Ribas Jnior. 1 sabbalina ua
segunda cadeira,
Francisco Antonio d'Oliveira Sobrinho. 1 talla
na segunda cadeira.
Terceiro anno.
Antonio Rodrigues c Souza Mariins, I falla j
primen a cadeira.
Francisco da Cunha Machado Pedrosa Jnior.
I dila na primeira caleira.
Pedro Ferreira Coelho, 3 ditas na primeira cu
deira e 1 na segunda.
Joaquim Guedes Correa Gondin, 1 na segunda
cadeira.
85000
65000!
500
mbro de
Slveira Brillo, 1 dita us
na pi1
na pri
16:3455028
8635(52
30.1335782
Cambio........Sacm-*e ibre Londres a 27 Vi
d. por 151KK), sobre Pars a 345
rs. por Ir. e .-obre Lisboa a 93
por cento de premio, elevndo-
se s saques eir-'ctuados durante
a semana a 20,1)00.
Algodao........ O oesia provincia vendeu-se de
275000 a 275300 por arroba, ol
de Marei, posto a borio, a I
285000, e o da Parabyba, da]
niesma maneira a 2(.>55tM).
Agurdenle.....Vendeu-se do 705000 a 725000
a pipa.
Arroz.......... O pilado da India vendeu-se j
de 2540' a 25600 onr arroba
Azeite dcc..... Vendeu-se o de Lisboa a 25500
0 galn.
Racalliao.......Vendeu-se cm atcalo a 145500 Sigismundo Antonio Goncalves,
por barrica, c a re taino de 1451 Kuni1* cadeira.
a 161000.
Francisco Rodrigues Soares, 3 dilas na SPguoda
cadeira.
Descarregam no dia 19 de setembro.
Barca francezaLes Amis de Saint Jean de Luz
diversos gneros.
Patacho ingiez Proponte^ mercadorias.
Patacho infte.....MafgaMh bara'ho.
Patacho ingiez Mui of Athens carvo de pedra.
Barca bremense Bremerim farinha de trigo.
Importacao.
Vapor naciqnal Paran entrado dos portos do
Aracaj, manifesiou o segoime :
De Penedo.
302 mpo< de sola, 2 sarcos farinha de mandio-
ca ; .i Jo> Goncalves Turres.
148 pellos de cabra curtidas ; Antonio Jos
Moreira Pontes.
1 caixao ovos, 1 dito requeijoes, 1 dilo doces, 1
barril toiicinho, 1 sacco feijo ; Armmdo & Sa-
raiva.
3 saceos farinha, 12 meios de sola e 32 pelles
curtidas j Bernardo Machado C. Doria.
9 couros seceos ; Antonio Gomes da Cunha e
Silva.
De Aracaj.
2 saccas algodo ; a ordem.
Escuna ingleza Margaren, entrada de Terra-
Nova, consignada J. Pater & C, manifetou o se-
guinte :
1,892 barricas e 37 caixas bacalho ; aos mes-
mos.
Barca bremense Bremeriu,entrada de New-York,
consignada Saunders Brothers & C., manifestou
o segualo :
3,414 barricas farinha de trigo; aos mesinos.
Carne secca..... A do Bm-Grande do Sul vendeu-
se de 25800 a 35700 nor arrolla,
ficando em deposito 80,570 ar-
robas ; e a do lio da Prata de
25600, a 350); Hcando em de-
posito 20,000 arrollas.
Carreja......... V.-ndeu-se de 550U0 a 65000 por
duzia de garrafas.
Louca.......... A ingleza ordinaria vendeu-se
com 320 por cento de premio so-
bre a farlura.
Manteiga.......A ingleza vendeu-se a 770 rs.
a libra, e a franceza de 500 a
510 ris.
Sabio..........O amarello vendeu-se a 140 rs. a
hhra, e o do Mediterrneo a
130 rs.
Toucinho.......Vendeu-se o de Lisboa a 85200
a arroba.
Vinagre........ de Portugal vendeu-so de 1005
a 1105 a pipa.
Vinlios.........Os .le Li>boa vriiderara-se de
1605000 a4 2005000 a upa. e os
d muros paites de 1605000 a
1855000.
Velas.......... A" de eomposico venderam-se
a 500 rs. o pacoie de seis veas.
Descontos.......O rebate de lettias regulou a 8
|ior cento ao anno.
Fretes......... Para o Canal ingiez 3J 6 nomi-
nal, pelo lastro para Liveriionl
17 6 a 12 6, e a 3/4 por lima de
algudc.
1 dita na se
'ontes de Miranda, 1 dita na segunda
1 dita na pri
OTMBTjj DO POETO.
Minos entrados no da 17.
Rio Grande do Sul 37 dias. barca hrasileira
Aguia, de 278 toneladas, capito Francisco Pau-
Joaquim
Cadeira.
Manuel do Nascimento Teixeira,
meira cadeira c 2 na segunda.
Licinio Alfredo da Silva, 1 sabbatina na primei-
ra cadeira.
Ireneo Ceciliano Pereira Jofflly, 2 faltas na se
guada cad- ira.
Ignacio Ferreira de Almeida Guimares, 1 dita
na |.r.meira cadeira e 1 na segunda.
Antonio Alonso de Faria, 1 dita na primeira ca-
deira.
Amonio Venancio Cavalcante d'Albuqucrque, f
dila lid segunda cadena.
Joao de Hollanda Cunha, 1 dita na primeira ca-
deira.
Samuel Felippe de Souza Uc.ha, 2 ditas na se
guma cadeira.
Miguel Peinlo de VasconceRes, 3 ditas inclusi-
ve 1 sabbaliua ua primeira cadeira o 4 faltas na
segunda.
Joaquim Joas Rezerra Montenegro, 1 dita na.
primeira cadeira.
Maiioel Fernandes u'Araujo Jorge, o ditas na
segunda cadeira.
Ignacio Jo- d'Oliveira rruda, 1 dita na pri
mena cadeira.
Amonio Ribeiro Pacheco d'Avila, 2 ditas na se-
gunda cadeira.
Secretaria da Fanildade de Direito de Recife, 15
de setembro de 1864.
O secretario
Jos llouort Bezerra de Meneze.
O Illm. Sr. inspector da thesoararia piuvic
clal em cumprimento da > rriem do nn. Sr. pre
si lente da irovincia de U do correal-, muida fa-
zer putdicn, que no da 29 do mesn, izante a
juma ,da fazenda da mesiua thesourana se Ua d..
aiiematai qneiii mais der oiinposto.de 25500 do
gado vaceum consumido no municipio de Iguaras-
s. no restante do menoio crrante, avaiiado nova-
raeule em 1:4335000.
-.-.A.

- -_> -.
-


Diario He Peraa**"* Seguutla felra 19 le Svemhto e I*l.
S
4atr..,ii,t^t..eKl-la,.rtemlKjde2nnosp Mos- grandes de metal amarcllo com-
JE&STd ladeoutubro* 186i 3de dT^*_t,^:::::::::::
'a? pessoaTqnc se propozerem a essa arremata- &&__ pretos, pares..
gS"SWSS SS3LTftfcJ i
Quem quier vender taes artigos aprsente sua
screlaria do coiise-
hos 10 horas da raanha do dia 21 do cr-
competentemente habilitadas.
E para constar se mandn publicar o prsenle re** ^ ^^ ^ ^^ administrativo para
1 SeSX. da ihesouraria provincia, de Pemam- "rngwolo do arsenal de guerra, 14 de sete.nb.-o
Mico, 13 de setembro dei 1861i Anton0 Pfdl.n de g Brrelo,
tal em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre- V("WI "reiario.
^dent"da provincia de 12 do rorrete, manda fa- COBSC'hO (le COHIf ras DaVaCS.
ei publico, que no dia 29 do mesmo, perant a Contrata o conselho era 19 do rorrelo mez a
unta da fazemla da mesma thesonraria, se ha de lavagem de roupa dos estaholeeiinentos do mari-
arremntar qnem mais der o imposto do dizimo do nha, u o forneciinento das objecios de. fardamento
gado vaeetim, da pomares do Bonito, avallado no- abario declarados, ludo por lempa de tres mezes
vmoste em 'SOOO^OOO. (indos em dezembro prximo vindouro.
A arreraataeo ser feita por lempo de tres an-j Objectos ilr fardamento.
nos a rontar rio primeiTO dte jumo de 1864 30 de par_ 0s aprendir.es ai tilices.
unho de 1067. i Bonets du uniforme, bonets para o servico, blu-
As pessoas qne se propozerem a essa arremata- 5as de brim branco, blusas de aleodu azul, calcas
am comparecam oa sala das sessdVs da referida de panno azul, calcas du brim branco, calcas de
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia e algodo azul, camisas de algodozinho, cobertores-
competentementehabilitadas | de la, colchoes de l.nho cheios depalha, colchas
E |iara constar se mandou publicar o presento d,. algodo, frdelas de panno azul, fronhas deal-
pelo jornal. godstennllD, lencos de >erta prrta para graratas,
Secretaria da thesouraria provincial de Pcrnam- lenco de algo-liizinlio, sapatos feto* no paiz,
buco. Itt de setembro de 1804.
O secretario,
A. F. .
OEOiUGQES.
Smrt* Casaie Nnericmlia- do Bccrte.
A illma. junta administrativa da Santa Casa do
Misericordia do Recife manda fazer publico <|ue
30 dia 22 do crrante, pelas I horas da tarde, na
sala de suas sesBes, tem de ser arrematado por
dezembro
DK
Perfumaras ingfezas.
Terca-felra de setembro.
Holln Bid .ulac farai* feifita. por intervengo
lo agente Pinio le eaia own un completo o
variado sorlime*te-d-njan twrf.iiwrias, existen-
les em s>m osonvMrwrnaidbfmr&ah.-i n. 18, on-
de se eftV.tum-rfi )__-*# K ha? em punto.
Joaoi
LELA O
DB
:il) afeooi x eiMHMiivl* Vigila i te.
Teroa-feis i rltf setotabro.
O agente Pinto levar navamente leilao poc
despacho do Iltra. Sr. Dr. j'uiz de orphos as oO
arenes da comparrhla Vigilante pertenecntes ao.
rasal de D.CIementina Theodora da Silva, isto u&
K horas do dia supraJito em frente a Associacaa
Coftiniercial.
_g_L
da Silva liamos, mdico pela Uni
versidadjr- de f,oiahr.t, dS consultas em
suaea*ads 9 as II horas da n.anhaa, e
das4as6da tarde. Visita os dventes
e-n siius casas rosularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que. jwrao soccorridos em qual-
quer outasio. D consultas aos |ioi>rcs |
qu* o procurarem no hospital Podre II.
aonde ensontradn diariamente cas 6
s 8 horas da maihaa.
T.-m sua casa db sade- regularmente
montada, para receber qnakmer doeiite,
anda mesmo os alinacUis, para o que
tem commodos apropriados e aella g-
lica qualqunr operado cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeiraclasse ;>tOdiarios.
Segunda ditai 2,1600
Tercelc*dita-.. 2O00
Este estabeleeimuuta ja. bem acredi-
tado peles boas serviros qne Wra pres-
tado.
O proprteiario espera que elle eomi-
nne a merecer a conianca de que sern*
pre tem gozado.
m
i*
W&^
J&> &L
uj
Je orphos no trimestre de outubro
Tiroxuno, a saber :
E'tahcFecimentos de caridade.
Ch preto libra.
Mantciga franceza idem.
Tapioca idem.
Caf fin uro idt-ni.
\saucar brauco ein torrao arroba.
Dito Minado pritncira sorte idem.
Dito dito Motada sorto idem.
Arroz pilado do Maraidio ideiu.
Bacalho idem.
Tounnlio de Lisboa dem.
aho amarello idem.
Velas de carnauba dem;
Ditas ile spermacel-'. masso de 1 libra.
paniilia du mandioca,da tena, bjueire.
Viiitjo tinto de Lisboa, caada.
Uito branuo dem.
Vinagre de Lisboa idem.
Aguldenlo branca idem.
Azi-ite doce idem.
Dito de cairapaio idem.
Parolo de Lisboa sacco.
Carao rerdo lilira.
Pao e bolacha idem.
Colb'gios de orplio*'.
Assucar refinado, libra.
Cha prelo idem.
Caf ein grao idem.
Mantena franceza dem. .
Arroz pilado du Maranhao id fni
Batatas idem,
Aletria idem.
Carne verde idam.
Peixe fresco idem.
Pao e bolacha idem.
roneiiihu de Lisboa dem.
Parinha de mandioca da trra, ilqanre.
Feijo idem.
\zeite doce, garrafa.
Vinagre de Lisboa idem.
Cal, cma.
Lenlia em aehas, cento.
\- propostas devem ser apresentadas em cartas
ichailas, devando ser especiws ja para os estahe-
eeiiiientus d* rariiladc e ja para os collegios de
rpius : sao tambem aceitas propostas -..im-m.-
,a>a a carne verde, e para o pao 0 bolacha tanto
,os eslabeleciinentos de ca.idade como dos colle-
!u)< de nrph.'ios. ,
ds protendentes podem dirigir-se a esta secivta-
ia aas horas de seu expediente, allmde colherem
i informadles que julgarem precisas, e no ano
la arrcinatacao devem comparecer acompannartos
te seas fiadores, ou munidos de cartas destes, que
ira i respoosaveis pelo inteiro cumprimento dos
respectivos contratos. ,. ,
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
if<. |C de setembro de 1804.
0 escrivao,
F. A. Cavalcanti i'.ousseiro.
Tribunal do conmiercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernamhnco se declara que o despacho proiendu
em ses>ao de T.N do corrento na pcticao de Jos
Vntonio Ferrn de Pigoeiredo e Joaouim Ribeiro
da Gama, pedindoo registro de seu contrato social,
Jo iheor segninte :
Modilipieiii o o- artigo em ordem a eviUr.se o
meonveniente de poder o socio Figuciredo allegar
|ue nao fui de accordo com elle que o seu socio
eontrahio debito. .
Secretaria do tribunal do commercio do Por-
liticti 16 de selembro do 18ti'.
Julio Guimaraes,
Official-maior.
Conselho atliuiaisliauvo.
' O conselho admimstrativn para tornecimen'.o do i,
sacros de guardar rotula, e travesseiros de linho
cheios de palha.
Para os imperiaes marinbeiros e aprendizes dito-.
Bonets de panno azul, eamisas de brim branco,
calcas de algodo azul, calcas de brim branco, ca,
misas de algodo azul, calcas de panno azul, farde-
tas de panno azul, lencos de seda prela para grava-
tas, sapatos feitos no paiz, e saceos de lona de ma-
rinbagem.
Para os fnzileiros navacs.
Bonets de chapa c palla, calcas de brim branco,
oalcas de panno azul, frdelas de panno azul, far-
das de brim branro, grvalas de couro de lustre e.
sapatos feitos no paiz.
Para os Africanos livres.
Calcas c camisas de algodo azul.
Para as Africanas livres
Camisas de algodfwzinho, e saias de algodo
azul.
Sao sujeitos : o contratante da lavagem de rou-
pa a pagar a multa de 10 por cento qiiaudo nao,
for esse servico feto dentro de oito dia* o mais tar-
dar, e de 20 por cento nao sendo reabsado ou se
for feito de maneira inconveniente, e tamben
sujeilo a pagar a importancia do qualqiier peca
que se extravie : e os contratantes dos onjectos de
lardaiiiento a pagarem tamlieni a primeira dessas
multas no caso de demora na entrega dos meamos
objeelos, e segunda se nao o fornecerem, ou f6-1
r, in de rn.i qualiilade.
Tambem no referido dia 19 do rorrente mez
promuve o conselho a compra do seguinte :
12,000 azulejas, I barmetro, SO arrobas de mia-
lliar branco, 1,000 prPgOS para forro do lineo, 73
arrobas de pulvura grossa, 50 uiilheiros de pregos
do batel pequeo, 'O miibeiros de pregos ripares,
20 amibas de pregos de 4 noilegadas, 12 donas 'te
tatas de pinto de 1 pulbyada, 10 diuhu de ta-
beas de pinho de 2 |m.llegadas,200 pecas de Imlia
aloatreada e merliin, 100 sacco-. propnus para con-
dticcao de carvfio de peilra. 50 ihapus de oieailo,
50 guachos, i,(MM) femeas i\ rede, (00 l'.nh.i-
de cobre de 28(0. 601 libras de pregos de dito, 600
sapatillms diveoos, 20 lantenias de patente, 143
covados de damasco de seda verde, 20 taboas da
assoalho de amarello de 50 palmos limpos de com-
priment, (5 dnziaa do taboas de dito ou vinhalbo
de 38 palmos limpos de romprimenlu, 20 dozias
de taboas d amarello ou vinhtico, ptomoju' ou
arariba de : l|2 poUegadas. de grossura e Din me-
nos de 30 ps de cumprimento, 40 duzias de taboas
ditas de 3 pollegadas de grossura, o nao menos
de 3o ps de eoniprimento, 30 dnzias de talcas de
amarello para assoalh de 2(> :10 palmas de com-1
priiiiento, e 12 duzias de taboas de amarello de l
11|2 i'Ollegadas de grossura ; sujeitos igualmente
os contratantes pela venda de-te ohjectos as men-
cionadas inultas de 10 por cento pela demora na
entrega delles, e de 20 por cent ,|iiauiio nao os
fornecerem, ou forein de mi qualidade.
Contrata o conselho e promove a compra vista
de proponas recebidas no dia indicado al s II
horas da inarihn.
Sala da BoaMiibo du roinpras n.ivaes. 14 de se-
tembro de 18G4.
Alesandre Rodngaes dos Anjos.
Secretario.
Qnai"-feini 21 do crreat
Airendiftscoa.wnd^st ana>,nnsa> com pe-
i queno suiu n imniediaccfes. de Sant?Aoua, visi-
: ni aoitio dn Sr. Jtiiu .Uves Saciado, lojista;
SontaII Mellnrt C. faro leilo por in"rven?ap deWnstmcpo moderna e frita este anno. com
do agente Pintn, de um completo c variado sorli- estr|)aTiBi f^l a boa caaimba de agu doce rom
ment de fazendas inglezas existentes em sen ai- ^mba ; o lugar serillo bastante amenoe saudavel,
bvneni ra do Torres n. 38.
Principiar s 10 horas em ponto.
AVISOS DIVERSOS.
%&rwmA

v......... ^, ni., (i .'iirii/. iMcmitK ">"
o mangad) ilu Candaribe; oflednl w mlhores
vantagens para o assaineato da festa : o pretn-
deme dirija-so ra da Cruz n. 1", terceiro andar
Cao de Terra *ova.
Besappareceu do sitia de. Eozebio Raphael Ra-
bello, no Caldeirciro, um cao de raea da Thrra No-
ra, de cor amarello escuro, rajado de prelo, com
as-orolhas corladas e umn cicatriz cima do nariz:
queme liver arhado ou dvlle tiver nolieia, dirija-
AOS Mhti&NQM. !se M fefrrido sitio, ou na da Cadeia do Rectfe
Terca-feira 27 do correte mez, se ox-1n '^ Primeiro an"ar' 1"snr ^,icad0-
trahir a segunda pirte Ja prunoira lotera i
(;h0') a beneficio da igaga de Santa ftita;
(Insta cidade, no consistorio da greja de
Nossa Seniinra do Rosario da fregueia de
Sant Antonio. _;
Osbilnetes, meios equartos achatn-w |
renda na respectiva thesonraria ra do
Crespo n. 15.
Us premios de 10:000^000 at 204000.
serao pagos urna hora depois da extraccao
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
segninte depois da distribuic3o das listas. z\ V S 0.
Servindo de thesorjreiro. Xovam,.ntt sc ansoncia a venda ou troca rom
Jos Rodrigues (Je souza. easas. 1)U failge (mali|uei negocio, do sitio livre e
desembaracado na estrada de Mo de lanos, visto
como nao o o sino do lado de poente, mas sim o
do lado do nascdnie, rolflicado entre os sitios do
Sr. Douradu e vmv.i do Sr. rtotino. Caeta nos
que lia quem depenlra contra a hondado da ca^a,
e du terreno do dito sitio, e comoseja talvez sumen-
te com o tim de intereaw particular, como bem se
i pmle cnllegir. ncnbun maeeeimento se dew pres-
0 abaixo assigniido venden noseHs muitn [sil- (ar ., lais mfonnaoues : a tratar na i rilada ra
O'Dr. Rocka Ba.tos ft
pode ,sjrpro<:uradodas7horasdam.inh.ia W
to meio dia. e das 3 horas da laude ^
em (Imite no >*,
w.C'iU's le \ovcmbro n. 30V
(ron cima no uilii.vr nos Ancos.) ^5
De meio dia s 3 horas da larde jjj
\. 3 Ra da Cruz *. 9
Cura radical e em poueos dias as mo
lestiaa syphihticas e as do apparelho ge
nito-usinario.
mwmMMmmmm-wmm
Dinbeiro juros.
Na na Direita n. i8, se dir (juera dde lO^OOo
i:OOQJ0flQ._______________________________
Alagase ibo s modos, e urna casa de campo, tendo cocheira, es
tribaria e siti^coni aiguns arvoredos, na traess.
dos Remedios : qnem as pretender, dirija-se a.
mesmo hlgar, na tr.berna da quina n. 27, que ah
achara as chaves e sc dir quem o seu dono.
JUb|Msa urna casa em Beberibe : a tratai
com J. I M. Reg, na ra do Trapiche n. 3i.
o rapa u !ia fldeltdade de JjJ
seguro martimos e ter- c
restres esialeleeida no
lio le iaueiiu.
AGENTES BM PEPNAMBtCO ^
Anlouie Liz dt Oiivrira Azsveiiu k i'.., competentemente autorisados pela direc- ^
toria da compaubia de seguros Fidelida- 85
de, tomam seguros de navios, mercado- |
rias c predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
> uMirar liilerarli.
Sabio luz o o|Hisculo inluladu
M i.ire:i%di:
i
09
t 1 1 = a s 9 ^ 3 = 3 3 1 e a C 3 re p l tu B a. a 2 ? $ K -l 9 O '/. -i r > S a o i s c u 2 3-1 5 o 2. *4
c o $ i 3 b 9
o ft V. -n- O 1
.
C;

AOS KK000.000
III Ihetes, garantidas
A' na do Crespo n. 23 e casas do costme
Que Mo banio!
Aluga-se um sobradinho A margem do rio Capi-
barlbe, no Poco da Panclla, ra do Itio: a tratar lriororciinTuT" Upiocoiistir "()"pr
com Tasso Irmao.
Ainda est para alngar-se boa casa
terrea n. 39 : na da 1'nio.
inud-ui a
O Dr. liocba Bastos inuu-iu a sua re
sidencia para o caes Viole e Ihins de No-
fj vembron. 7, porcimadoBilhar dos Arcos. {SE
Anda est para ser vendido o sitio da tra-
vesea do itemedio na freguezi.i dos Afogados n.
POK
Affonso d* Aibuqiirqiie Mello
Convidam-se osassignanles a mandarem reecber
eos ejemplares na piara da linlependeiieia ns. 6
S 8, que sern entregues a vista dos recibos das as-
-iStiafuTaS : ahi tainliem csto exposlos venda a
5000 cada um. Sao sob OS seguintes titnlos as
oaterias de que se oreupa:
liiiroduccao. Noc.ao da liberdade.- O Brasil co-
iiia.Revoluciui no 1817A Independencia A
iiistituinteAconstiluicao-A revoluqao de 182i.
-A expulsan on abdicinvio. A regencia livre. O
lartido re^ressisia. Ameaca dos corcundas o que
la dos livres. A-regencia encellada. Causa dos
iiab's da regencia livre. Regencia coicunda e
naioridade. Principios do reinado de D. Pedro.
\>'Voll.i de Minas e S. Paulo. -Dominio da Praia
iuzia. 0 dmalo Ufcersil'nm) impuetava os for-
mulas.Koitos du dominio lilii'ral. -A praia i-Cbi-
oorrosenatoria. A revolia e a revalucao de
;8i8 A cousiitiunie. A constltuinte.-Derrota
a revoliiciio. Negi.ciac.o de Ilonnri" c.im os lilie-
aes : traillles. Venla da bandeira da cons-
iloiiile. O partido liberal durante osqimlorze au-
,ios do rhajiiado o>trarisiuu. Os roncunda* < < s
liberaes durante os quatorzc anuos. Caplvciro re-
-ignado e voluntario dos IMwracs durante os nwa-
oizi'anuos.-0 \ is sabios. A siiiiacao propriainentc |litv*. Ins-
Utuicoos livres, e direilas (xililicos une ticemos
d lim da regencia livre, e <> que actualmente
temos ein losar delles. Os renroscnUfltes da na-
liu e das provincias.ftilnacao aduiiui-trativa.
que sao neila os l'oiUiguezes. -Como o gover-
no ubrigado a coi romper u paiz ea fozer-lhe
-e.nipre niaior maJ.Como se multiplica e sc faga
a clieutella do govr-rno para siistentai -.-( n impe-
n consol rta co-
marca. Pos cargos, los crimi's e da puniai'.A
justica. Juizes municipaes.Juizes de dreiUh-
l'iibiinaes. Os das RelacOes. Tribiinaes do Com-
nvrcio.Supremo Tribunal i\ Ju-tiea.O jury.
.Os advogados.- Coiicloso. Gamntia dos liridto?.
-A moral publica.Oes crimes. As ebirdes.
Corollario da obra sa-piarcma. O que a pa-
tria. Situaco para rnin o exterior. Siiuaco
linanceira. -As liuancas do eskldft.- A nii-ena -
l'erigo e salvamento dos corcundas.-A liga.
Como so congregam ns elementos para nilai Ubn-
isiileracdesretrospectivas. A romtitninti*^ Pwma-
ros antecedentes. ConciliaQo e ot^posicao parla-
mentar.Monta a liaa. O que sao o iilH'iaes na
21 : quem o pretender emenda se com o sen pr >- j ia -q,,,. \wm f;ira s heraes ao paiz V-fro-
pretario na ra de S. Francisco, sobrado n. 10,; r,-,.^,-,. -Se.us feitos.o que o pr>ares-o e-ojpe
como quem vai para a roa Bel'"
a.
jonjas leis na'casa da Portona a ra do Cres- j S~~ & t? SSR
Acham-so venda os da segunda parte da pti- do setembro de 186i______________________
meira lotera a hendido da igreja de Santa Rila \ Na ra da Conreico n. ti, ha urna ama de
iie Cassia, que se extiahiru na terca-feira 27 do i(.tc para sc alagar,
crrenle mez.
fara.Como se deve viver nc*la ierra echegada
ao progres pletar ims-as desgraea> e si ni mais remedio.Se
i ha sal vacan para ns'inml seria o nuio e -enuta-
cil. liesuino. A's cinco provincias pernambuca-
j as. Ilisto'ico e polilii-a corctmda. De qu pro-
Competentemente autorisad is sacam por lodo ; vm a miseria. Como se corminiic na eleicao. A
os (laquetes sobre o masmo Banco para o Porto s restncfio da liberdade apar do prngrosso da inmw-
Ltsboa, e para as seguintes agencias. raltdade. Corollario.
Londres sobre Banb of Condol.
Paris
Hamburgo
Antonio Luiz dv Ql'wv.i.in Aze-
veth) ds C
Afeite do Banco Inio do Po t.
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia

IflSOS HJkBITD
COMPANHIA PERNAMBOCANA
^TaTraeSo coslelr- vapor.
Parahiba, Natal, Maco, Arawly, Ccar, e Acaracn'
No 'a "2 do correte expe-
dir e.-la rompanhia para o*porto<
acuna mencionados o seu vapor
Manwngunpc, conniandinle Mou
a. Recebe carga somonte at o
nmendas, passagiros e dinbeiro a
frete at s 3 horas do dia da sabida : escriptorio
no Forte do Mattos n. I.__________________
~~"COMPANHIA" PEUNAMBUCANA
DK
Navegaeio costeira a vapor.
Tanoao ar. Barra Grande, Pima de Podras,
Camaratribe e Macei.
dia 21.
Precos.
Bilhetes inteiros..... IfftOOO
Meios......... 4OO0
Quarios........ 3J800
Para as peasoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 114000
Meios......... SiSOO
Quartos........ t&~5Q
Manoel Martins Fv'za
- OSr. J iao Bapiist.i Pernandas l.-m urna car-
ta vinda da Bihia, no escriptorio de Wilson 4
Helt, a ra do Trapiche n. I'i. primeiro andar.
Precisa-se da um caixetro pequeo desles
que chegai..... ltimamente : na ribeira n. i'\ on
na ra ua Lapa n. 13.________________
~~^ esfirivao de paz do primeiro tlistric-
to da freguezia do Santo Antonio abaixn as-
sigtiado tnudou o sou cart'rio da ra deS. j
Francisco para a rita do Imperador no pri-
meiro andar da propriedade n. 71.
0 escrivo.
Precisa-so de una anu livre ou escrava para
I todo o servic de urna casa do familia, e qne iQiiha
oliscoinnies : na roa do Arago n. 25.
Joaijuim da Silva llego.
Antonio BaptMa(iitirana c D. .Mana Ale-
undrina Xavier (iitirana, pal e vio. .a do
bacliarel Frannisco Js P-rnandes fimrana,
irr.-iJ.ie.-iii i-oi-Maloieii' as |ie^.-oa.< /loe se
dignarain aromiianh.tr ao ultimo jazign o
coi['i do dito seu lilil o marido, e rogam
aos sen- amigos o-favor dt asststirema inis-
sa do stimo dia. a q:tal se celebrar na
igreja da (loria, as horas da manha, se-
gonda-feira 19 do correte.
.Iosi' Augusto d Costa Guimaraes convida
a seus parantes o amigos p de seu cimbado
Joaquim do Olivcira Sklln para assistirem a
una missa que inania dwr na segunda-fe-
ra 10 ito corrente. s 7 horas da manba, no
cemiterio pnlriim, piralma de sua presada
irma Mara Augusta da Costa e Mello, i
que desde ja s-i confessa agradecido
\a raiestreUn do itosari 11. :i
di
Amarantes.
Arcos de V
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganea.
Paro.
Oliveira
mais.
PunaOol.
Tavira.
Villa do Conde.
Villa Real de
S. Antonio.
d'Aze-
Precisa-se fallar ao Sr. Antdiin Jos
ricdericS llallin \ (.. ... __.,. .,
Joio Cabe i\ khiio. iTeixeira Krancisco Baboba <.V Baista. rrraiihin, mi na livraria tis. l o S da prafa da
In-lepemlencia.
DENTISTA DE PJSWS 1
10Rus N'nra -10
Fredenro Gaiiiier, cirurgtio dentista, "
faz todas as opemeoes de sua arte, e col- 9g
loca dentes artiflciaes, ludo com'snnerio- D
ridade e perfeicao, quo as pessoas enten- iB
didas l!:-3 reconnecem. &t
Tem agua e pos dentificio.
Jaime Meric.
Crdito commerc.ial.
Gonzalo Seora,
i M. Perera Y. Hijos.
E.\I POBTL'OAL.
Angra Terceira.
CooiifriUk
Castillo Branco.
Chaves.
tieira.
Guarda.
Guimaraes.
I.agoa.
Lagos,
.aniego.
Leiria.
Coimbra.
Ciivilha.
Klvas.
Ivctrems. M 5o
Evora. *
Pafe. Sfoncorva.
Pinhal. Ileg.a.
Purto-alcgite. Setabal
Tlininar. Vianna il<-
Villa Nova do tello
Porlimo. Villa Real.
Vizeu. Madeira.
I'aial. |S. Miguel.
o IMPKRSO.
Babia. Maianho.
Bio de Janeiro. Para.
Qualquor somma aprazo ou vista,podendo logo
os saques prazo seren descontados no mesmo
Banco a ra/.o rio i por cento ao aniso : a tratar
na ra da Cruz n. i.
..
Preci-a-se de urna ama : na ra das Aguas
Verdes n. 111
abaUo assignado fazscienle ao publico, e
especialmente as pessoas com qnem nutre tran-
saccoe*, quo o Sr. Antonio Copes do Garramo fui
despedido nesta data de caixeifO de sua casa rom-
esla compaubia para os por tos ci-
ma o seu vapor Parnh/ha, com-
mandante Martins. Ro-ebe carga
tmente at o dia 23. Encom-
igeiro e dinbeiro a frete at as 3 ho-
eicrijitorio no Forte do
'minies :
Para o hospital militar.
ma imagetn do Senhor (iruxiflcado.
l'rna com banqueta, "solideo c estrado para altar, j pretende seguir com u
Oualro casticaes
mBecl, 10delembroilel8Gi.
Jos Augusto de Arauj".
: Advogado Attbnso de
querque Mello,
pede ser procurado a qualquer hora :
tetras, porm, na villa do Cabo.
itofSftci-
.-enal de guerra tem de trocar os ohjectos se- ras do da da sabida
as, p:
i dia
Mattos n. I.
Urna tara reeeber ocorpo.
Estrado.
-tola.
Ouem quizer trocar taes objectos aprsente i
. sua proposta em caria fechada na secretaria do |
. ousellio as 10 horas da inaiiha.i do dia 23 de cor- i
rente
Sala das fssf.es do eoiiscllio adminislntivopara
urnecimeoiodo arsenal de guerra 16 de setembro
ie |8ii'i. i
Antonio Pttlro de Sa Barrrio,
Oironel-presidente.
Sebastian Antonia do Afijo Batroi.
Yugal seereuriointerino.
fara o A ac y
irevidade o velei o
hiate Dona mi'jos, tem parte Jo seu carregamen-
to prompto: para o resto quo Iba falta, tratare
com o mu consignatario Antonio Luiz de Oliveira
Azcvedo & C. ra da Cruz n. I, ou com o capitn
Francisco Martins da Costa no trapiche d-i algodo
LEILOES.
LEffiO
Agradccitncnlo
O abaixo assignado tundo deixado de servir rom
praca no i" batalho do artilbaria a pe, onde du-:
rante quatro anuos e sete metes ex>*cea as fue-!
;des de segundo sargento, nao pode deixar de
11*11111 momeiilo to solemne despedir-se nao .- dn i
Illm Sr. coronel Hygino Jos : ociho, como dos de-
mais efOciaes, inferiores ecadetes que Cazein paite
do referido batalho, assegurandi desdi- ji que seu,
pouco prestiino estar ao dispr dos seuhores j
indicados para onde a sortc o levar. A estima di)
que o atialxo assiynado Minore goznu, a delicadeza I ]
com que sempre foi tratado, sao favores 'joe nao ;
pode esipiecer por um s momento: e oxal que t
a tantos favores pewa o abaixo assignado pagar.
, com ignaes, porque sabe de coraeo que paga urna I
I divida sagrada.
Francelino Jos Rodrianes.
de ollios; .
do pptto :
dos orgos geiiiti
Em 10 do correle,
A. C.de Abreu far .leilo por intervenco do
#0 aos evedom w to^o-gw ..fLiT; agente Pestaa, de diversas fazendas franc-zas,
-amento pertenconto ao exerricio lindo fle tu.i a r-
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
\m%u
400
24
400
24
,.. pertenc...
48oi. me no nltimo de setembro corrente bnda-se
.. praso marcado i.ara o pagamento de seus debi-
-,-. licando sujeilos a serern execatados os que
-to pagaren! at aquello dia.
Mesa do consulado provincial de Pornarabucs t
Ji setembro de "fiGi.
Antonio Carneiro Machado Bios.
Adiniislrador.
C'onselhti atlmlnlstrnlK.
O con.elho administrativo para fornecimento do
-enal de guerra tem de comprar os objectos se-
guimos :
Par* a fardaiwnto do 4" batalho de
a miliaria a pe.
RMMtS para inferiores e soldados........
litos para muskos....................
M .uitas de la.........................
Platinas para milicos, pares............
atetas para sargentos-ajudantes e quartel
inestre, pare* t ...........
Utas para inferiores e soldados, paras....
.Mitas para tambores, pares.............
pate*, pares.........................
Panno azul, covados...................
i'iit i azul fino, covados.................
lito azul para capotes, covados..........
iluiianda de.forro, covados..............
H lita verde, covailo--..................
1i im braaco, varas....................
\l-jidosinbo, varas....................
Miiagem, varas.......................
i", ilo de prata de }'t polegada de largura.
varas..........'....................
-Il.-io-s grandes do nieta! pratiados wi
bombas............................
Hitos pequeos........................
lt:i : de metal io para capotes.........
aigumas chitas inglesas mofadas e oniras fazen-
das perfeitas. para f-cbar facturas : segunda-feira
19 do corrente s lo horas em ponto, em son ar-
mazem ra da Cadeia
LEIJLiiO
DE
HOJE.
O agente Oliveira t-ndo d effectuar um impor-
tante leilao de fazendas inglezas de li, boje segn-
da-fe'ra 19 do corrente no armazem dos Srs.
Siunders Brothers & "'.. praca do Oirpo Santo
n. II, convida aos seus amigos para comparecer as
11 horas em ponto do referido dia.
feira semanal
DE
tovris, pial*, realejos tiyifiw, pc-
O engenho d'Agua do Sr. bacharel Francisco Joo 1.1
Carneiro da Cimba, que diariamente por este !
Difiri anntimiado para ser vendido, alem da tiy- i
petheea de que trata os annuncios, tem outra fetta
ao abaixo assignado; e tambem est o engenho
abrigado ao acabameuio da apella, levados c n**
disimsii.es testamentarias do tinado Heni i'pie Po-;
pe Giro, senhor que foi desse engenho, e que ain-1
da nao cslo todos enmuridos, como swjam as der.
orphas ; ludo se ve no tesuunonto junio aos au-
tos de mveiiiario, e partilba nooartono do Sr. es-
crivo Baptisla desta cidade ; tundo o Sr. bacharel
Francisco Joo. recebido 37:0004 em dinbeiro pa-
ra todo cumprimento das disposigoes testamenta
ras, crreme o sagrado devr de pugnar pelo
seu cumprimento por ter Giro pedido uv uista-
mento a herdeira sua sobrinba minha esposa.
Marcelino Jos Lones.
Alnga-se urna escrava mulata para o servico boea, c que
de cozinhar o diario de urna casa de familia, e Vista ti. 24.
bem assim para fazer as compras, menos carre a- i
nietii:. de agua, etc. : quem pala quieer, dirija-se S
ao segundo andar da casa n. 46 da ma do bnpc |
rador. .
0 Dr. Cosme de SS Pereira cont-
na ;i residir na ra da Cruz n. 53,
1" e 2" andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
s3o medica, e com especiadade
sobro o seguinte
1" mulestis
T
urinarios.
Em sen escfiptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas conu-cando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar coiisuitas todos os dias d s
G as 10 da manoSa, meaos nos do-
mingos.
Praticar tetla e qttabiuer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelec-imento dos seus
doentes.

Peco emprestadas on compro as cartas
Pitia llaman, por Fr. Joaquim do Autor l'iiviiw,
i.aneca, e o Astro da l.usilnnia, periodic i de Lis-
boa.Antonio Joaquim de Modo.
Prcci>a-e iie nina cn;ia"iive U cStiv
que saiba cozinhar o engommar : na ra das Gru
u. 42, primeiro andar.____________________
Virf-iosulad' ti lespuilia.
Havendo fallecido o subdito licspanlml liento
Antonio ( oiitinho, sao convidados todos es seus
d--vedi-res u rredores ipresentarem neste vice-
consulado o* respectivos ionios para praceder-se
liquidacao d-J ^n espidi____________^__ _
~ Na praca da lndei>endencia, loja de ourives
o. 33. ciimprm-se obras de ouro, praia pe-lras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, todo e qualquer concert.
Precia-se de um caixeiro que teiiha pratica
de alguma b'ja de fazendas, que querr ir para a
provincia da Parahiba, villa de Baaneiras, dan-
do->o bmn ordenad" : na na da t'.adiia do lii'i-
na loja de Jos J--aquim Gomes & C-. que tem
com quem conversar.________________
OTILIO
'raiieisco Pinto Ozorio contina a co!-
M locar dentes artificiaos tanto |wr meio de
Si molas como pela presso do ar, nao re-
ti-ebe paga alguma sem que as obras nao I
liiiuem a vonUde de seu* denos, tem pos
feoutras preparacoes as mais acreditadas
para conservac/io da bocea.
WB
Li
0 asphaltista Goelhn de Alnieida pode ser pro-
curado a iravessa do Carino n. 10, luja, das l as
l horas do da. para os mis te ros de sua arle.
Nant-clatr
das Ibas ou os desterrados na Iba da Barra, ro-
mance digno de ser lido idas sriihoras |or seus
lances interessantes postos em execncao per urna
senhora, 3 voiumes em hrochnra a ^5 : na livra-
ria ns. (i e 8 da praca da independonria.._______
_ Antonio Joaquim d Mello advoga no civi I o
crime, e perante os jurados: e gratuitamente aos
pobres: na ruado Imperador n. 14, das s lima-
da manba s i da tarde. ______^_______
Precisase de urna costuroira que cosa bem
de alfaiata : na ra daViracao, casa a. 39._____
O secretario da cmara monrerpa
da cidade
de OlidV, abaixo assigoado. faz M-aente (po por
(Teliberaco da mesma f-iram transferidas a e
: praeas de seus impostes para os das H e 9J do
crreme mez, c nao para os d.ns 21 e como se
havia annunciado. OtiiMl lo di: selembro de 1861.
Marruliiui Das de Araujo._____
Um criado.
Precisa -se de um criado para comprar e
fazer mais algnm servico em casa : a iratar
A Semnnn Ilustrada que se publica no Rio na ma da Iin|iprati'iz n. 47. segundo andar.
de Janeiro lodos os domingos, asslgna-se em casa
de J. Falque, ra do Crespo n 4 : prego da as-ic-
natura, trimestre fij, semestre 115, um anuo 185.
X. B. Os assignantes da Srmmu Ilustrada te-
rao no lim deste anno um quadro com os retratos
de todo o gabinete do Imperador e da cmara dos
deputados. ofunecido pelos proprietarios do jornal.
gmm mm mm n m&
A luga-se o sobrado da wnna da roa do Padre
Floriano : a tratar por detraz da ma to Alecrm.
segunda casa sem numero.
Wk O Dr. Carolino Francisco de Lima San- +-.
lt| tos, contina a residir na ra do Impe- Pl
rador D. 17,2 andar, onde |>>le ser pio-
n!Mar i n
Araba de chetrar a loja da Primavera, roa da
Cadeia do Recie n. 21, um completo sortioi.uU-
de ricas molduras para qnadros, espelhos. etc. e
assim como eordao e borllas para o
oue Indo se vende por barato preco.
mesmo lim.
jurado a qualquer hora do dia o da noile ^
>ara a ejercicio, de sua prnOssao do me- >g
2
478
61
426 | ir,es P/ jnias de OHH
2:if)| Ter?a-elra 99 do correte
3018 Na arawzem ra da Caleia da Recife a. 18.
1783
1760
3HV2
2047 far leilo de diversas obras de marcenara, no-
240 vas e nadas. pianos fortes modenins, um realejo
1 moderno, nina secretaria do mogno. candiel as a
36 gaz, reloains de onro e prata, venecianas, lanter-
m<. candelabros, ouro c praia em ohra-, miude-
336 zas e onlros muilos arligos que se tornara enfado-
144 nho mencionar.
3521 i Dar principio o leilao s 11 horas.
kl
Anda sc precisa de urna ama de leite :
ra do f jvrameuto n. 20, segundo andar.
na
Aluga-SB um pivto para .o servjfip de urna
lea. c ime saiba cozinliM : na prac,a du Boa-
S dieo ; sendo ipie os chauiad-is, depois de
gS meio dia at 4 horas da larde, devem ser
a?5 deixado* por escripto. O referido Dr.
no abandonando nunca o patudo das
_ molestias do interior, proseirue. com o
W, malor allinco. no das mais dimYcis" e dWi-
atf cadas operanies. como sejatu dos orga
ourinarios, dos olhos, parios, etc.
m
i
Ama
Precisa-se alugar urna amapvi cozinliar a cou-
iirar em casa de homem sotteiro, (irofcrindo-se es-
crava : na ra do Queimado n. 43.
Ahiga-se. ou vende se a olaria dos Coelho> n.
.i, onde este.ve o Sr. Manuel Serra, o oaes passa na
frente, (tea em muito bom local para quem quizer
editicar, ou mesmo para qnem qn-ira por alguma
Ion licn : a tratar ni ra Direita n. 22, c:trnaeao
de Francisco Jo- de Araujo.
Abuia-se. urna boa cw turre n.t ruidos
Pires n. 2! : a tratar na ruada Cadeia n. 21, loja
da Primavera. __
O barbarel
hanisw Augusto la ("osla
Kua do hnpenwkw mwttm <>U.
' A'ugam-se por barato prego 2 salas e 2 b:o-
. vas, na ra da IVnha : a tratar na raa Plrdfta "
19, segundo andar.
Ama h ei-rava.
Prct*a-se de- nma- ama torra ou Na
va que slw cnsinLar e engommar, paga-se
b.n :.a tratar no egmido ailar da casa
da rita da Itnpi rali i/_ii._4_T._____________
- Prcci^a-se de urna ama forra on eapliv pa-
PrecLsa;sede urr,: preta escrava me
cosiohsr : na roa 4o Qr-n^M n. W,!*-
Par-t pausar a fruta
i No largo do Monteiro. margem do rio Capibari- J
5 he aloca-so. a casa deuomint.hi Canna Fistola J
fe ontr'ora de \isto Vi.-ira Coelbo a tratar na ra j
' do CreS|K, loja n^ftesuuiim da do Imperador. j
"_AsS irfstioa* ijue moram nos predios de mou- j
mmt Mnniz Tavares. no caso de tere.n aigiun ]
, negocio nr-eiil a Iraurem com elle a resperto
do< mesmo predios, diriiam se ao Sr. igna-w
Batrozo dv Mello,que se Beba pata tsso ant-nsado.
renll"res
Bernardo Atecs Pinheiro, qnerendo relirar-sc
iliista. provincia, roga <|U-Di posle ohjectos cm-
nenhadas al o Mm do anno de 1862, na ra luga
do lt..sario ns. 17 e l'J junto ao quartel, o favor de
i-30das, acontar de boje.
Precisa-se
alujar urna preta para todo 0 slvvco de urna ca-
sa de penca familia, i- paga-se bem : a (rat.ar na
ra da Cadeia do Berife ny49, primeiro andar.
Urna p*l>i '!' h-m-t cos'ipn-s fferece-se
para aio) de casa de horneas solwtro ou <\>- pva
f: imlia : r.a roa do Senhor Dom Je.-us ns OfctU-
las p. .V..___________________________________
J Precisa-se da quantia d- 3305 a pieiiiio de
2 por cento, dwido-se |H.r garanta, mu e-ravo :
qnem .pit'.er fazer este neg.x-i aanuncie |or este
Diario.
*.iqu<-* noore Portugal, jg
O aliaixo assignado, autora e- |Ho
Banco Mercantil PurUiense, o pa ausencia t-y*
do Sr. Joaqun da Silva Castro, sa t- ^
a fectivamente |ior todos m **&*# **** f1
m as pravas de l.isboa e P..rt.., e mi- loga- m
_B res do reino, |h)i qualquer s.-imna a vis- gj
_ la, e a jiraso ; po-leildo, os que t..marem TS
BS saquera |-raso,rec. Lerem .tvista, Humes-
fafii mo f.anco. descontando 4 (0 au anno. da y.
loja de rhapoos da rua do Crespo n. mi
B na na do Imperador n. 63, segtmito an- O
tt dar.Jos Joaquim da Costa Jtala.
- Aloga-se a casa n. 40 da rua das Tnnchei-
na roa da Aurora n. 36. ___
ras
i3\fy.\ Precisa-se atugnr um moteque : a tratar na
1 rua do llospiflo n. Ti.
Na livraria U. < e da praca da nte-
pendencia existe urna caria de i^rt:nria
para o Sr. Antonio Fernandos Corrvdur.


Diarlo c P
i te neo egamdVfelra t *c Setembro 4c 184.
*
A molestia ou infeccao peoce
liar conhecida pelo nome le Es-
crfula ti um ilos males mai-a
nrevalecentes e universal que
ha em tuda a extensa lista das
efrrini.lades de que saffresse
genero humano : disse uui no-
bre escriptor da medicina que
mais de urna torga pane de
Criado
A* ra da Aurora o. 28 precisa se de um criado
llvre ou escrava
.
Antonia Jos Candido di! Soura, sua senhora
e om lllljo menor, reliram-se para Portugal tra-
tar de sua saude.
Tomase mapa para lavar por jw-jco commo-
Jo : na ra do Vicario n. 17, loja.
CW$iKT,IIo
Di
S}
Deixai que os unos da civilisaoao vos.oreguem
-economia-paraospslt Esta parte 4o corpo
humano e por certo aquella que, neste kma ne-
cessita de maior a,fasalho: pela hmida*) nos ps
O cirurgiao Leal mudou ^^ffi^ji7ftS?iZ
tuctiva, pprm a principal causa de mui-
rs outras enfermidades que nao Ihe sao ge-
ralmente attribuidas.
E' urna causa directa da pliijkisica pul-,
momr das molestias .bfigado, do est*ma-\fo 0 aChardO COLIIO mUYQ DiKe t*^!"*
afeccoes do cerebro: -Lntre os Be8l__-_._a. nn\nM ko. t* Diu>s de tpete paca homens e
meiro andar, por cima ioRZISlSTc**
, armazem Progresista, aon-JDsdeNan,esde*iass(>las
os dito de sota e vira
go e
numerosos syini.tomas acham-su os seguii-jPrOlliptO a QUalQUOr OPa pa*
St:7ff^^ffi'?;'5,,,,tfalfM* exercicio de sna prt>
lido e as vpzes indiada, as vizet de urna! n
abura transparente e outras corado e *-1 SSlO, CamaClO pOr BSCripta.
marellento ao redor da bocea ; fraque/a e
malleza nos msenlas : dhgestao fraca -e
appelite irregular, falla de energa, ventre
inchado e ecocuaeo irregular ; quando o
mal leu seu assento sobre os pulmes, urna
cor azulada mostra-se em roda dos olhos;
quando ataca os orgaos digestivos, os olhos
tornatu-se avermeliadus : -o hlito ftido,
a lingua carregada, dores de cabeca, ton-
tetras etc.
as pessoas de disposicSo escrofulosa ap-
parecem frequentemente ei upces na pello
da cabeca e outras partes do corpo, sao pre-
disposlas s afeccdes dos pulmdes, do ga-
fo, dos rins e dos orgaos digestivos e ute-
rinos. Portantoj nao smente, aquelles
que padecem das formas ulcerosas, e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de pro-
tercio contra os seus estragos; todos a-
quelles em cujo >angue existe o virus laten-
te (Peste terrivel lagello (e s ve/.es heri-
ditario) estao exposios tambem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao :
.4 phthysica, ulccraroes do godo, do es-
tomago e dos rins : erupces e enfermida-
des eruptivas da cutis ; rosa ou erijsipela ;
barbullas, pstulas nascidas, tumores, rk-
cnmaca benlos, ulceras e chqgas. rhe.u-
maiismo, dores nos ossos, nas costos e na
cabeca, debilidades femininas, flores bran-
cas causada pela ulcerniao interior, e en-
fermidadi's uterinas, /n/dropesia, indiges-
tao, enfraquecinunlo e drbidade geral.
Aos pulirues a escrfula produz tubrcu-
los e finalmente consntnpco pulmonar:
nas planillas ella produz ncliaces e toniam-
se ulceras: nos orgaos digestivos causa
desairanjos que proiluzem indigestao, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pello produz eiiipcoes e all'eccoes cut-
neas. .
Todos estes males lendo a mesma ori-
gem, rarecem do inesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fin tolecer o sangue.
A salsa ;>urrilli:i le Ayer
compiista dos antdotos mais effica/es que
a seiencia medica lem podido descobrir.
TINTURARA.
Tinge-se com perfeicSo para quslquer
cor, e o mais barato possivel: na ra do
Rangel n. 38. segundo andar.
tapete paca nomens e se-
nhoras a 800 e
Saiiatos de lustre pana senhora a
Ditos para casa
Chinelas rasas do Porto
45800
5000
54000
3*000
U000
14400
14000
14000
I4OOO
500
14600
Albuus superiores para RIVAL SEIn" SEGUNDO
- tratOS. '. Rua d0 Queimado d. 49, csl veuuVndo muito
A Aguia Baanca sempre dispost bem rvir e'r^ftS5fft225S2? ^izt'r,odera
agradar a sua boa freguezia, mandou vir e acaba !I eper.mcntar, assim cwbo
ffor erd.Z,''!'!10 7UmT d? albUnS de SK- fiAhnh'as mu.to linas para seubora a 500
; a I6"? /"5: r.ad0 V***. mm "P*h Ditas e punhos de fustlo mu.to Zllf?a
dade os de capa de nurlim" l^'l^re^'^^' SasTal^SJeab^Sat^W^
guarnecidos do tartaruga com tran5as d prata, manhosaSO^ de todos os ta-
outr-s marchitados de madrcperoS en trancas
de prata uourada, autim de velludo etc. etc. Para
qurrn tem gosto o dinbeiro, um lbum assim per-
frito e san duvida o mais apiopriado para tielle
se depositar os retratos de charos pais, bons pa-
reles o amigos. Em qnanlo, porm, esses albuns
se tornam nolaveis por sua perfrmao e bom gosto,
outros recebidos na mesma occasiao, se tornam re-
W RIVAl
I.OUliEMUliHZASHAAS
16Eua do Queimado16
Pitas finas.
50D1ias fila* Je grosdenaples lisas, com dous
Compra-se 0o.ro e prata em obras veHias, dedos de largura, eores4e bonina,aiolsinba, viole-
laga-M bem: na loja de bilhetes da praraalude 1,a. chocolate, caf, verde, iaranja e preta, a480ris
COMPBAS.
a vara.
pendencia n. 22.
Compra-se cobre voiho : na rua do Brum ou-' den<
leao e meio de largura, cores de caf, bonina,
Bonitas ditas de grosdeuaples lisas, com dous
mero 78.
Compra-se effectivamente
ouroeprata em obras velhas pagndose bem :
na rua larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Compra-se
urna escrava que seja sadia e bonita figura, que
cozi
azolsinba, violeta, verde, rosa e branca, a 640 ris
a vara.
Bonitas ditas de grosdenaples lisas, 4 i{ e o
dedos de largura, cores de rosa, escarate, earmi-
shi, bonina, violeta, verde, branca, preta azul e
azulsinha, a l< 0. e 2JW00.
Riquissimas ditas de grosttenaples bordadas, de
AlfencAo
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permittido
deuar pa>sar desapercebido sem qo nio dsse o
seu canto, afm de annunciar aj rcspeilavel oubii-
Car te iras e bolsas para
viayem.
Na loja d"Agua Branca, rua do Queimado n. 8,
co o grande soriiinento de galantt ria.s do nielhor *end0,mse "arteiras com crrelas para traze-las a
gosto propiamente para qunlquer mimo, que ara. Uraculie bo^as dt ftyf*$ ludo para viagens.
ba dechegar neste ultimo paquete, asrtm como rfirTllinirl<4 n>-lAyft mu.los outros ol.jeclos <,Ul! recebe por diversos na-! lU lU> UMS*
vios, tatito de sua ronta como de con.-innacan oue Agma ,{ranra. eonhecendo a bem merecida
est resolva
para vender
proteccao do respeilavrl publico empregando para ^!S S r-m ","J(-I,, fabricantes J. Gosnell
isso todas c as melhores diligencias para ana fi- 91U| nP?a Price & G. sao bastantes para co-
Resmas do papel de peso milito bom a 24.
Capachos redondos e compridos a 300 rs.
Caixas com superiores obieias de corla e de massa
a 40 rs.
Cordo branco grossa que tem multa applicacao a.
vara a 20 rs.
Modas de carriteis garaute-se loO jardas a 40 rs.
commondados pela commodidado de reos""viia SS?if ""^ Pfdr0 V C ?Wiarda1La rs'
da boa obra. Assim pois o pretedente "era ser- "*.^^nnas de ac mmto linas a 500 rs.
vido conforme o dinbeiro Z% fz7r $**51 X^'^f ^l^ t",1'* mMd0 ." TS\
eSse Um, achando sorlimento para 24 30 60 o 801 S ST'J-1 hranra lar*a """3 ,oalhas a ,60 rs-
Ditos de barro com superior tinta a 100 R.
(.rosas de botoes de louca prateados a 160 e a du-
zia a 20 rs.
Tesouras |iara costura a 80. 200, 400 e 300 rs.
Escovas para lirapar denles, superiores a 200 rs.
"KfJSS ,aa para DorJar da nielhor qualidade a
bXM).
-------------j..---^^ i*..t-i,u yvi inversos na- n *-*
uito de sua cont como de con.-ignacao que gllia "ranca. eonhecendo a bem merecida
isolvido a vender por precos mnito baratos e,;t,lPa I0*.01 apreciadores do bom do s perfu-
ender muilo e ganlur pouco, e dar extracao manas 'ng'e'.as, por isse mandou vir o esplendido
de deposito que lea), que espera merecer a f0rtime, I11" ;lc;'ba de r.-ceber, e os acreditados
ligencias para que fi
ozinhe e engomme : a tratar na rua da Cadeia ( % 5, e 6 dedos de largura, de todas as core pro-' Cosmorama ditas
o Recife n. 53, primeiro andar._______________ SaLpara laCos de cinteiros, a 14600, 2000 e l'rnazinnas.
quem salisfeitos; isto so no Gallo Vigilante ruado P"*0*-80 asuperi..ndade deltas. Consiste esse
Crespo n. 7. -
Rkss perla-jsias.
Cofre de multa gosto por
Cestinhas Iranspaieutes forradas de ma-
dreperola por
Lindas jardineiras.
Ricos cofres com camapheo.
Lindas cauinhas com pedras brancas.
Lindo balo com calungas dentrn tam-
bem para joias.
Tambalier para ditas.
Cestinhas ditas.
Caixas de phosphoros de seguranca a 160.
Calas e paroles de nanel imitada uwarf.
res.
i avallo.
Compra se um cavallo que seja acostumado a I Prias Para cintos, a 14000 vara,
irabalhar em machina de padaria, mesmo sendo I Bonitas filas de sarja listadas, diversas cores,
magro : na rua do Rangel n. 9.
14500 a vara.
Bonitas filas de gorgnrao, de todas as cores, pro-
us parr -
Bonitas
para cintos, a 500 ris'a vara.
165000
95000
65000
65000
64OOO
S no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos e pro-
cos ; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
pacotes de papel atnizade superior a 600
Caixas com 100 envelopes muito finos a 800 rs.
Quadernos de papel pequeo azulado a 20 rs.
Carriieis de linha Alexandre com 200 jardas a
100 rs.
Baralhos para voltaretea 240e mais tinosa 300 rs.
... v.-.w.o. o.,^ Meiadasde linha frouxa para bordar a 20 r
ia "Vi ia des de diflfereotes e agradaveis extractos de prl- a 15500. v
165000' c'mm,a!:lar!.,la,dHnm/rnT0S ** dlversS ,amanl,0 Gro-.as de ^ madreperola muito finos a360
<~w; e lormas, azendo-se nota veis entre elles os que ris.
185000 HTS^St^tUS^M*1 tr,c-' com os qoaes por Carias e caixas de clcheles de superiores quali-
ntnoo efc*nc e boodade se faz um bello presente ; dades a 40 rs. H
05000 an,?,Z" ,tls tma* *&linas ">* en- Massos de grampos saperiores e limpos a W rs.
(looo "n.lradaiS' olllro1 "W excellcntcs leos para ca- Crosas de palitos de gaz a 25200
en u":^,?^ linaluK:nlV'oin a?"a de Lavander Libras de areia preta da melhor qualidade a-120
subiiinau.), e bem assim linos sbeseles em naco- res.
Ricos sin tos
com bolcinbas ao lado, a 105, 125 e 135, ditos sem
bolea porem do mesmo gosto, a 25500, :I5, 35500
45000.
Ricas fivellas avulsas para sinto, o melhor que se
pode enconlrar, a 15300, 25, 25300 e :\& o nar-
is todas as cores, sno Vigilante, rua do Crespo a. 7 P '
-Compra-se a obra de Theologia Moral do | g*SSSm ^!&SV&f* *^''l^JW*!*"5
bispo Montes, :i> edifao : quem ti ver annuncie. 1 S,*?' Ta' '56, ------!-------------------------------- recas de Olas de seda de um dedo de largura de
- L'mpram-se garrafas e botijas vasias: na; todas as cores, a 320 ris
rua Diieila n. 72. pecas de lilas de laa preta e
- Compra-se urna escrava de 300 6005, che-1 Pa? ** de vestido% 800 rfaT >" "" ^'^aKi'JKl.l
gada do malo, emhora nao teha habilidades : pe?as gandes de filas de linho acolchoada para a,a nnah taDazCs cr!,,'nnaS-
debrum, a 160 o 320 ris. AIe ^UP fbegaram as desejadas ccsiinhas ou ca-
Pecas de tranca de laa preta, a 80 e 160 ris ? faraieninas irazerem no braco, o mais rica
' Fivelas BMW a 2,K,0' 3500' i5- 5*> 7* fi W > *o o
Riquissimas fivelas douradas e com fin.ssimas N ,"a",,!'rua do Crespo n. 7.
< pedrmhas parece brilhanles para cintos, a 15280 v rentes.
- Compram-se al trinta accoes da companhia i im> e 2*000- oara aUsffSj^"^^ sorlimento, tanto
de Beber.be : quem as quizer vender, annuncie! ntos. ^XLXtFlS Cahe"i 0S mais li,,,,os
para ser procurado.
quem liver para vender, dirjase Capunga Nova
110 entrar da mesma, passando o primeiro portan,
no segundo, a esquerda, que achara com queni
tratar, ou annuncie por esta folha para ser procu-
rado
------ -----, .es em paco-
mnf!a?nhX'" lasmCom JS 1,oni,as e delicadas al- Caixas redondas para rap e tem mullo bonitos ca
mofadinhis com pastilhas em p, as quaes deitan- lungas a 100 rs.
do-se nos guarda-vestidos, commodas, etc., nem s ---------------------T^-----------------------
deixam toda a roana ebeirosa, como afugentam IVOV A
baratas, tracas, ele, etc. Em quanto pon'-m ai* J 1 a. a
commodidade dos pircos ja nao entra emi duvida. miUIflnCaO (le taZeDdaS de todas US qua-
uma vez que o pretndeme compareca munido de li'lades H |*j| e armaZPIll da Arara
dinbeiro edisnosto a fazergasio na loja d'Aguia .,., ,'J l + '
Branca, rua do Queimado n. 8. TU1* da 'fflperalriZ II. 56, te LoUrea-
Balas grandes e caretas de
borracha.
co Pereira llende> liuimaraes.
fUemio que se val principiar.
Vende-.-c pecas de panno de linho para letices.
VENDAS.
Cintos para alizar como Dara atar cabello, os mais lindos
Riquissimos cintos de gal'o dourados epra.iadcs mu\P^SSSSSi 3rr,'paC'''r "'
1 com bonitas fivelas e borllas, a 25000 "5500 e S, m m de tartaruga com en-
.5000. "ww. d juw, z#.juo e renes e .-em elle para menina; s no Vigilante, rua
Enfeites de cabeca.
Riquissimos enfeiles de cabeca com cascarrilhas
e frocos ultimo gos o, a 35000.
Ditos ditos com cascarnllia muito larga os maN
modernos.
para esta m lestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que contencioso commercial.
%i:\K7i-i:
cfl'vof ^lt^r'^^i^\m^,a eom 'aos frocos, a 25000.
Iilita, I VOl. por .>000; Mackeldey, Diret-1 Ditos ditos com lagos e vidrilhos, a 15000.
t" romano, i vol por %$; Ou Caurrou, I ',os aitos de comas brancas a pretas, e pretos e
nanas
cura
fe
vol. por 0,?;
;ar"
.4. Arnaud, obras
e tranca
V ni liii has.
do Crespo n. 7.
Peales
lmbemeheparam os riquissimos penles de concha
de tartaruga e de massa lina, que se vende por 25,
35 c 35; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Leques.
Riquissimos leques de madreperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato preco
de 125 e 115; s no Vigilante, rua do Crespo
Mais leques
com pequeo defeito, leques de sndalo rom pe-
queo defeitq por barato preco de 85 e 105, chi-
Excellenles brinquedos para enancas : vendem- Loalha,? e #ero",as'.!,nin M V- varas P01* 84W ?
se a 300 rs. cada urna : na rua do Queimado loia F p?r 00' oW)'bW rs- a vara : na ">* da
d'Aguia Branca n. 8. Imperalriz loja da Arara n. 36, de Mendes Guima-
FspelllOS Clil molduroS pretas A arara vende sontenibarque a 10,? e 120.
6 douradas Wnde-se someinbarqoes de ISaxinbas enfeitados
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, re- J jff nxj'.'tJ^ZJ^JPSS^ilaS"*
ceben um bom sorlimento de espelhos de dilferen- ^tSS*?' SSS 'h?38 r"'an"'",e L'nf,l'a-
.es lmannos con. moldaras pre.as e douradas, c 3* -Sfi. h' mSmffS^SSSl/t
os esl vendendo por precos commodos. *^f_'J
Papel inglez
15 : na roa da Imperatriz n. 36, loja da
Dilas
Sauvage-Har- ris.
mais pequeas pretas com cruz a 800
conten virtudes venladeiramente extraordi-!^*""*^'' l-Wier, comrnentario sohre suc- Brollase grandes lias de coalas pretas i Mara Dl,zesm1ui,u bonitos tambem, pelo barato preco de
Pia, a 15300 e 25000. t"! > bentarall.is muiio bonitos, Utnhem por ba-
rato preco de 45 e it&, leques de ebarao tambem
por 45. ludo isto para acabar, perdendo-se lal-
vezSOpor cenlo; s no Vigilaule, rua do Crespo
D. 7.
Pnlaeiras.
Lindas pulseiras de contas e de missanna, cores
muito lindas e de muilo goslo a 15 e 1-5200.'
mase provado ueoniestavelmenle pefas j cessoes, 1 vol. por 6?$; A.
ras noiaveis e bem condecidas que Um pWIOavpbicas, 1 vol. por2;$;
lo de tumores, empcO s cutneas, e pea*, barbullas, nascidas, chagas antigs, !""'-^ Lotus Blnnc, organisacUo doiraba-
uteerns, rlieuma, sarna, parebas, hydrope-
sin, losse qtiaruln rausada por depsitos tu-
berculosos nos pulmes. Dehdi lade ge-
ral : Indigestan, Sijphilis constitucional "
lho, 1 vol. pw2; na rua do"Calmea loia
n. 2 A. J
COMPENDIO DOLOROSO
molestias inerairiaet, inolesiias das niuHie- que cnlem o ..icio le Xossa Senl.ora das
ros. jii.or.rcs rio ulero, a nevralgia e ron-
vulroes epilpticas e em suinma, inda serie
de enfermidades que nascem da impureza
do ampie. Vede as certidSes no Altna-
nack e Manual desade no Dr. Ayer pie
se disi.iiliiif graiuitaniente nos lugares onde
se Vrtuem o> remedios.
Este remedio u l'nicto ile tongas e labo-
rio-ws experiencias, e ha alnindantes provas
das suas virtuies: poste tpie offerecido
ao publico sobo nome de Salsa parr i ha,
composto de diversas plantas, alenmas das
salsa parri-
q.iaes sao supenores a melhor
Iba no sen poder alterante,
PEITOHiL HE CEItFM DE \\\.l\.
Hura prompiamente a a>tbma, bronebite,
tosse, defluxo, andina, coqueluche,
phthysica primaria, lubeiculos
pulmonares. e todas as
molesitjs pulmo-
. nares.
Allivia os etlicos declarados.
Todas as molestias da gaigaota, dn peilo
c dos lubuoes pdem ser curadas em pini-
co lempo pelo perroitAL nu cereja do nu.
avi:h.
A' venda nas principaes boticas e droga-
ras do impeiio. e na agencia central do
Rio de Janeiro rua Direita n 15.
Veude-se em Pernamhuro:
na |>liarma P. MAUn-ER & C.
.___________ROA NOVA N. 18.
Aluaa-se a sala e marlos da parte de delraz
do priovnandar da rasa n. 05 da rua do Impera-
dor Com visla para o passeio, pronria para es.-rip
torio, e morada de pessoa solteira : a tratar na
mesma.
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
roa, um setenario e mais outros ejercicios
do piedade e devocSo; ordenado pela ir-
mandade dos servos da mesma Senhora,
que se acha erecta na egreja de xN. S. da
Penha do impetial hospicio dos reveren-
dos padres misslonarios apostlicos capu-
chinbos italianosde Pernambuco, approva-
do por S. M. I., que Dous guarde; dado
luz por devucao do minio reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 0 e 8!
la piara da Independencia.
Livi'o de oracoes.
Vende-se 160 res, na livraria ns. 0 e 8
da pr;n;a da Independencia, um lirrinho con-
lendo o soguinie : louvor ao santo nwme de
Deus, corda dos actos de ?mor de Deus, ora-
c5es o peiices, hymnoao Espirito Sanio, co-
ri do Seidior, viso a qualquer alma de-
vota, desengaos da vida humana, hymno
de Santo Amhrozio Nossa Senhora, jacula-
torias ao Sanlissiino Sacramento, exercicio da
via-sacra, commemorai;ao Nossa Senhora
do Carmo e ao SS. Sacramento, directorio
para a oracao mental, dividido pelos dias da
semana, obsequio ao coracao de Jess, sau-
daces devolas s chacas de Christo, ora-
jes Nossa Senhora, S Jos, ao anjo da
I guanla, Deus em obsequio qualquer san-
to e para a noute, e responso pelas almas
do purgatorio.
Wndem se dous ca val los proprios para car-
ra o bmmim para sella por terem algong andares,
e tambem para viajrem por serem muito fortes al
para carga : na rua N.,va n. 37, primeiro andar.
Ditas de aljofares grandes de cores, a 35000.
Ditas de aljofares branco com cruz, a '5(100.
Ditas do conllnlias brancas o de coros, a 90o
ris.
Ditas de coral, a 300 e 25000.
Bonitas pulseiras de contas de coros, a H00 c
15000
Penles.
Riquissimos pentes dourados com pedrinhas para
regaco, a 15800 e 2-5000.
Ditos ditos lisos e recortados, a 640 e 15000.
Ditos de conchas dourados, a 25000.
Dilos dn marrafas com pedrinhas, a 15280.
Objeclos diversos.
Lavas brancas de Jouvin frescas, 25300.
Ditos nao frescas, a 15000.
Varas de labyrinto grande, a 100, IliO e 240
reis.
Uonecas pequeas que cboram, a 200 ris.
Caixas de papel amisade pautado, a 720 ris
Ditas de dito liso, a 600 ris.
Caixas rom 10 envelopes, a 610.
Duas de p.-nn i> Innpa-, a 1O0 ris.
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
ceben um novo sortiineoto de papel inglez liso e
paulado, almaco, de peso, e pequeo, vindo deste
tambem com beiras douradas.
Eiifeites invisiveis
A Aguia Branca, na roa do Queimado n. 8, rece-
ben novos entones invisiveis, ns quaes pela linura
do terido e bom posto lem merecido tanta estima
Treparos para flores.
A Aguia Branca, na rua di' Queimado n. 8, re-
cebeu novos preparas para flores, sendo papel de
300 rs. o
Arara.
Coi tes de, chit a 20100.
Vndese cortes de chilas com 10 covados a
25400. ditas frauceza a 35200 5 dilos de cambraia
de salpicos a 25300 a peca, dita lina a .15300, 45
e 35: ua na da Imperatriz 11. 36, loja da Arara, oe
Mendos Quima-raes.
Itoupa frita barata.
Vende-se paiitols preto de panno a IC5, 144
125, 10 e 85, dilos de alpaka a 35 0 45, dilos de
brun branco a 25300, 3-3, 35300; calcas de brim a
,5 e 24600, ditas brancas a 35 e 3300 ; palilots
de casemira de cores linos a 105, 85 65, e 35 i
ilas a 25 ; camisas brancas a i^, 25300 e 35:
m
Grande
O
2?
*
B
GO
5
g
o
S
ct>
O
os
e-t-
p
r-t-
O
8
Cf
CD
CD

s3
X

3
o
o-


K gs
0
re r:
P er
Cu ^'
S3 *~
C/3 %

3
ce **
Viada
GO
3
o
a-
ce
Vende-se urna viada muito mansa, com dous
anuos de domesticada : a tratar no armazem de
salda rua Imperial n. 221.
Enteites para Cabera.
Chi'garam os lindos enfeites de cabeca para se-
nhoras, sealo muito simples e de muito goslo : s
no Vigilante, roa do Cres|Mj n. 7.
Vende-se a taberna da rua de Asnas-Verdes
n. 48, afreguezada para a trra, propria para prin-
ci|.i.i|ite por ter poucos fuodos : a tratar na
mesma.
O dono do antigo estabelecimento do
l'asseio Publico n. 11, avisa ao publico
que receben um grande sorlimento de
chilas francezas c malezas, e esi resol-
vido a vender por barato preco afim de
adquirir freguezia e apurar dinheiro.
No Passeio Publico n. II.
Vendo-se chitas esirtitas a 200 rs. o
covado, dita a 260, dita larca a 280, dita
a 320. dila a 360, dita'a 400, dita a 440.
S no Passeio Publico n, II,
Vende-se chales de merino bordado a
65300, dito estampado a 75, dito liso a
14800.
O Passeio Publico n. II.
Vende-se brim branca pardo de listra
pelo barato preco de 720 rs. a vara, ma- _
dapolio fino a 95 com 20 varas, dito a m
"5800, dito a 65800, casemira preta a SB
15800 o covado, panno lino a 35500, dito S
superior a 65300. JHt
S no Passeio Publico n. II jf>'
Vende-se grvalas de seda a 200 rs., m
ricos cortes de vestido de cambraia a 45,' j
lencos bordados capricho a 200 rs. as- {
slm como outras fazendas que ?6 vista, WM
lamlicm se do as amostras deixando S
pi'idiur. QB
laco e de
so no Vi-
-- Joe Dias da Cunha faz publico a quem con
yier e espcialmenle as pernoa com quem tenha
Atlenco attenqo attenco !
Vende-se um sitio na povoaco do Montcro, es-
trada que tai para o Arraial, denominada Ladei-
ra dos Mudos, com duas salas de frente e urna di-
la de jamar, qualm quarlos, cozmha e copiar do
lado, leudo mais urnas pequeas casinhas ao lado
para hospedes e o sitio com bastantes frurteiras.
Quem pretender pode dirigir-se a rua do Pilar n.
17 que achara com quem tratar.
Vende-se na Villa do Cabo, em casa do Sr.

Em Gameleira,
casa de Domingos Ferreira dos Santos Porto, ven-
de-se cal nova de Lisboa viuda no ultimo navio,
).s a firma Minio & Cunha qu ponera* nl,~ ^ !T,?a V,IU U' elB casa **'
dos Lsoriado* e lie i.ca t Jos oe Srs. 5dvo,,a,l,, f'* '!"11" *M*J22 oU, enten-
transaegr
do 11 ni,n, ,is a-soriaaos e li
endure, fol disolvol, soc.edade. urando o mos- *SS uc-l*W eo.n Jos M.H-Wra da Silva, rua
ni.. Jos Dn .la Cnnha com o eslbeleclnvot e '"'"". 'lo Ros;ln" n" ,U' k "Tf^1 e escravas
......**m. bem c.n.o ol.ruadj i.or todo o na*- ?'" U*' u,"J".",U(':,'"ha'? moteqnes, meslres
siv. da exmela firma. v ,,t s.-ucar, carreiros, foguista, escravalura loda
-------7;r----------------;---------------,__________moca.
0> abaixn ..........-'
por preco razoavel.
Atten#ioT
Vndese ou permuia-so por predios nesta pra-
ga a bella e vastissima e muito frtil propriedade
denominada liba da Saudade, em Gameleira, con-
tendo excellentes baixas para eapim, barreiras \A'
ra louca, alcumas fructeiras, tendo de frente 3,000
palmos e mais de fundo, circulada pelo rio Seri-
nbaem, e de frente pelo valle da estacan de Game-
leira: a tratar na relinaeao dos Afosados n. 13.
Vende-se ou permuia-se por escrava um peque-
no sitio com urna asa i-equena de |iedra e ral
contenno 2 salas, 2quartos, cosinha fora, 2 cacim-
bas, 1 helio tanque para banho e lavar roupa, 7
coqueiros e diversa* fructeiras, chao p'roprio, na
travessa de S MkupI n. 12, em Afugados : a Ira-
torna relinaeao dos A togados n. 13.
Enfeites aGaribaTdl
A loja da Aurora, na roa larga do Rosario n. 38
Para segurar mangiiiios.
Tambem chegaram as liguinhas estreilinhas d.-
borraea que as senhoras tamo prensam para se-
gurar manguitos por ser muito commodo e muilo
barato, a 320 o par; s no Vigilante, rua do cres-
po n. 7. J
Caetas.
Riquissimas canelas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baralissiino preco de
l->aO0 e 25.
Sapatioiios e meias de seda.
Riquissimos sapalinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, eorrazi-
Ohas c louquinhas para as cnaiiciuhas se baptiza-
ren) ; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Vollinhas.
Lindas vollinhas de parolas falsas com cruzinhas
I lingindo brilhanles, a>sim como cruzinhas avulsas
e vollinhas, pelo barato pr^co de 15 e 15200, ns
; ernzes avbls asa 400 rs. s no Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
liolinlias.
Riquissimas colinhase manguitos, o melhor cos-
to possivel, a 25. 25300 o35 s 110 Vigilante.
rua do Crespo n. 7.
Enfeiles para senhora.
Riquissimos enfeiles com laco e sem
outros omito* go>io^ a 15, 15300 e 35
guante, rua do Crespo n. 7.
Trancclins.
Lindos trancelins de cabello para relnpio ou b-
nelas, polo baralissiino preco de 15300, dilos de
reiroz a 200 rs.
Italiadinhos ntremelos.
Riquissimos babadinhos ntremelos com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baralissiino
preco de 15200, 15300, 25 e 35; s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7
Cascarrilhas.
Grande sorlimento de cascarrilhas de diversas
larguras, as>im como galozinho e trancinhas pro-
prias |iara cufeites; s no Vigilante, rua do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sorlimento de filas de diversas larguras
e qualidades, por precos que adimram aos com-
pradores, havendo filas largas proprias para cin-
leiros que e pue vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 25; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Filas de laa.
Filas de laa de todas as quabdades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
gilaule, rua do Crespo n. 7
Itiees espellios
Riquissimos espillos com moldura doura la e
sem ella de 85, 105, 1*5 r 145, >f*|m como com
columnas de dilerenles lmannos a 25, 35,45, 54
e 65; s no Vigilante, rua do Crespo u. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo omelliorgosio que aqui
tem apparecido; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com l.on- ca para pos de arroz,
cousa de muilo goslo a 15300 e 25. assim como
pacoles s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
cores para rosas, dito verde para folhas, folhas de Imperatrin. 86, loja da^A.ara.
panno e velludo, caixas de trigo, dilas de uvas
brancas e rxas, e como sempre continuam a ser
vendidos por precos commodos.
ljaobTuafloii.
Rua do Queimado ns. 63 e 69.
Cintos ddurados.
Sao chegados os lindos cintos bordados ouro,
pelo barato pn go de 25300 e 34000: no Reija-llor,
rua do Queimado ns. 63 e o'J.
l'ivcllas para cintos.
Chegaram tambem ricas fivellas douradas e de
ac para cintos a 15000 e 15200 : no Reija-llor, 240, 320
rua do Queimado ns. 63 e 69.
Penles de lailaruqa.
Luidos penles de tartaruga, gusto moderno, a
35200, 35300 o 64000: rua da Queimado ns
63 e 69.
Peales de travessa.
Vendem-so pontos ito travessa de novogostopara
meninas a i (Hl e 800 rs. : s no Beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Peales para alar cabellos.
Lindos penles pequeos para alar cabellos, pro-
prios para se andar em casa a 400 e 300 rs.:
no Reija-llor, rua do Queimado ns. 03 e 9.
Relies de madreperola.
Tundo recebido mu variado sorlimento dos de-
sejados buidos para abertura d.- roupao, vondem-j
se a 400 rs. ab-.lnadura : no Reja flor, rua do .
Queimado ns. 63 e 69.
Enfeiles para seaktras.
Lindos enfeiles miKl.rnisa 25000 e 25400,
ditos de itide a 900 rs. : no Reija-llor. rua do
Queimado ns. 03 e 69.
fallieres para meninos.
Chegaram novos sorlimenios do lalheres para
meninos a 280 o 320 rs., ditos cabo de bataneo de
um butao a 400: nas lujas do lieija-tlor. n-:. 63
e 69.
Laa para bordar.
Vende-se laa de superior qualidade e de lindas
cores a 65800 a libra : no Beija-flor, rua do Quei-1
mado, ns. 63 e 69.
Papel de diversas qualiilades.
Vende-se papel de b.ira dourada paulado a
15200e 15300 o pacote.dit.issemserdouradoe nem
paulado a 640, 800 c '.5000 : no Beija-llor. rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Envelopes para carias.
Vende-se envelopes de. cores a 600 rs. :i cala,
ditos brancas a li40 e 800 rs. : no Beija-flor, rua
do Queimado us. 63 e 69.
Peutes dourados para atar.
Vende-se pentes dourados para alar cabellos a
15000, 14200, 25800 e 34OOO : no Beija-flor, rua
do Queimado ns. 63 e 69.
Peales para marrafas.
Vende-se lindos p-nlinhos dourados com podra
para inarrafa a 15200 : no Beija-flor, rua do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Sapalos de tranca.
Vende-se s?patos de iranga muito hons a 15300,
dilos de lapete a 15600 : no Beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Balaios com sabn.
Lindos balaios rop 6 sabaneles de varias frnc-
tas a 25300 cada um : na Beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Nas mesmas lujas se encontrar lindo sorli-
mento de perfumarlas e variado sorlimento de
iiiiudezas que so tornara enfadnnho menciona-las,!
porm abanca-se* ser ludo bom o mais barato que
em oulra qualquer pane.
Colarinbos econmicos a 610 a duzia.
Vende-se culariuhos econmicos muito bem fri-
tos a 640 n duzia : na rua da Imperatriz n. 36, lo-
ja da Arara.
Vende-se bramante de puro linho a 25300 e
25800 a vara, lendo 10 a 12 /.almo* de largura -
brim branco para calca a 15200, 151OO e 15600 a'
vara, dito pardo a 640. 80O rs., 15 e 15200 : na
rua da Imperalriz n. 06, loja da Arara.
Vendem-so baldes americanos os melhores que
lem viudo, de lodos os tamanbosa 25240, 25300,
35, 45 o 453OO: s o Arara na rua da Imperalriz
n. 36.
.18 lindabas da Arara a 250 rs. o corado.
Vendem-so laazinhas para vestidos de senhora a
4oi) e 3(H) rs, o covado, ditas muilo
covado, dilas especiaos a 720'
na rua da Imperatriz n. 36,
linas lisas 600 rs. o
e 800 rs. o rovad 1
loja da Arara.
Chilas baratas a 2!0 rs.
Vend in-su chitas de cores lixas 1 240 e 28o rs.,
0 covado, dilas francezas linas a 320. 360, II 0 e
300 r$., o covado, dilas pe calas a 360 e 600 rs. o
Covado : na rua da Imperatriz n. 36, loja da Ai ara.
, A Arara \cuile madapoln barato a 68O0, cortso
de vestidos a Hara l'ia a I !,j. !(!> e IS.
Vende-se pecas de madapolio de 24 jarrta de
marcas linas n. 7 a 75, n. 2 a 8-5100. + a 85500 v+
95, S a 105, I1H a 115 e 125; Mgodao regular a :. Jilo lino carne de vacca a 6-3300, dito domestico ;i
i, dito slcupira a S5, dito pao ferro a 95 a peca
tom 20 jardas : na rua da Imperalriz, luja n. 36.
diales baratos a 14600.
Vende-se chales de liaziha a 1-5600 e Z, ditos
de merino a 35,15300, 65 e 75 : na rua da Im-
peralriz n. 36.
Corles de caifas a IA600.
Y^'^'-^.e-ries decalca para homcni a 15600,
1>SOO e 25300 boa fazenda ; corles de casemira de
cores imas a 35. 55300e 74; casemira para paiitols,
calcas e coleles entestadas a 35 o covado : na
loja da Arara, na rua da Iniperatriz 11. 36.
Caseinias para rapa de rcnbora a 2$ e 33.
Vende-se casemira entostada propria para capas
para senhora a 25 e 34 o covado, tambem serve
para coslumes por ser de boa qualidade e lindas co-
les, vende-se a 25 e 35 o covado: na loja e arma-
zem da Arara, na rua da Imperatriz n. 56.
,A Arara vende as percalas a ofiO rs.
Vende-se percalas linas para vestidos a 360 c
600 rs.; chitas Irancezas linas a 360, 440, 300 e
360 o covado : na rua da Imperatriz 11. 36.
A Arara vende as rapas de ijrosdcnapie a 2.J5 e30#.
Vende-se ricas capas de grosdenaple |irelo para
senhoras a 235 e 305; souiembaniues pretos finos a
I 205. 225 e 235 : na loja da Arara
farlatna de cores e brama a 8(10 rs. a ara.
Vende-se tarlalana branca e de cores linas a 800
; rs. a vara, fil do linho a SOO rs. a vara : na rua
da Imperalriz loja e armazem da Arara, n. 36.
O proprielario da loja e armazem da Arara re-
.eo meuda toda a alleneao aos Srs. freguezes que
I mandan ver as amostras de todas as fazendas que
aununcia, prometiendo vende-las por barato preco.
Pecbincba de lencos de seda a 800 rs. e I >.
Vende-so lencos le seda pequeos a 800 rs.; di-
los grandes a 15: ditos brancos com barra de co-
res a 200 rs. cada um ; meias cruas para homem a
25400. 34, 45 e 35 a duzia ; dilas para senhora a
45 0 o& a duzia : na rua da Imperalriz n. 56.
Cassas francezas a 280 e 320 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas linas para vestidos a
280 o 320 rs. o covado: na rua da Imperalriz n. 56.
Calchas de damasco a l5.
Vende-so colchas rio damasco para cama a 45,
ditas de fastio a 55, ditas de chita a 25; ricas chi-
tas para cuberas a 320, 360 e 4 0 rs.. ditas aseii-
Perfumarias.
Grande sorlimento de extractos e banhas, poma-
das, asim como de lindos cupos ou vasos com dis-
tinctivos e offerecimenlos as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
ra, assim como os grande.- copos debanha japoneza godloV
a 25 e a 15, assim como Superior cal de Lisboa.
Sende-se superi ir ral de l.isltoa a mais nova oue
ha no mercado lamo em porgan como a relalho, i
por barato preco anancando-se aos compradores a
superior qualidade : a iratar nas segnintes ras:
nadas muito linas a 500 rs. o covado, dilas encar-
nadas a 300 rs. o covado : na rua da Imperatriz
n. 36. lo|a da Arara.
humo imperial.
Corlado igual ao francez muito proprio para ca-
Crespo 0. 7, Impera lor n. 28, Porto do Matto ar-jCn'mno> eai 'alas do I libra, quando nao seja me-
asMgnados declarain ao coriMi do
ooinmeic... e a troto* os seus frentazos .pie no riia
14il- seiemhm rorrete, despe.ram de sna caa
commercial ao seu caix.iro Beiaru.ino J.is pt
Ozono.
________________ Bastos # Magaihaos.
\ recobeu ricos entones a Garibaidi dos mais moder- Possiv*'1 V Ni annunciar, e vi>ia d..s fregu- ,
; nos que tem anegado a este mercado, para senhu- 2es w bj*0** negocio; na loja do Gallo Vigilaute, Vf
,' ras o meninas tambem receben trancas de linho rua do Cref, n- 7" orna
la i'lnn^l I.....,.-, .. 1. _.^_. ^____ *___. .'
Veieleiii-se as -eguinles imra< : Mazzarelli.
Obras, ..rite, D. Bel., Bert-ier, 0<>c meoburico, de caracol, brancas e de cores,pecas rom 10 varas
Tapparelii, I), nal., Andr, hice, de USccl 0 ni, llisi. da Virgem, Burlamaqni, O. nal. e das ve.sl,"l0!i. assim como tem um grande sorlimento d8
gentes, Behiie, D nat., Ahrens, D nat 'fcmdot, s;ci- j mill(,czas a qual \ende barato.
Pncisa-se de don- humen* que eniendan do
servieo de copeiro : na rua di Aurora n. 3.
Luyas de pelica para se-
^{LtLtf'^^i*"^^"^ Vede-se um .-avallo kovo e grande, com to-' llllOfa ii lyjSOOOfil
".son i., Za* : na r'n '""r""a d" ""**Jfc "s andares, muito manso,-e bom de cabriokt: : Garante-se a.
- tsun anoar. ,. aMi na coen.,jra da rus do Imparador n. 85. lajajto miudezn
mazem do Sr. Villa defronte do trapiche do al-1 'nBr igual ao americano por l4*K) rs., para veri-
ficar a verdade os Srs. fumantes podem-se dirigir
--------------------------------- 1 fabrica vapor de cigarrosantiga rua dos Quar-
' lM'lllllr|i;i tois de Poliria n. 21._________________________
endem-se pecas de superior a'gndao com um | Vende-se a armacao da ca racada
horas da tardo
pequeo toqne de avaria, coto 20 jardas cada peca lo Nogueira n. 41, livre o desemharacada : a Ira-
a 55000, dito om 24 jardas, muilo largo, supe- \ tor na roa das Flores 11. 33, das 3
rior fazenda. a 75800 A elles antes que se aca-
ben) ; na loja de qualro portas da rua do Queima-
do n. 10.
- Vende-se 20 libras de peonas .te rola pro-
inawade, na rua artilla jj-rtl, prias para travessein e colchos de criaucas na
rua do Queimado, loja de. ferragens n. | .
em dianic.
Cal de Lisboa.
Ha para ven tora mais ova, a ltimamente ene-
jada ao mercado, em bem acondicionados barris :
o armazem d Manoel Teixeira Bastos, roa do
.! Trapiche n. 13, por rr^o ,r.voavol.
i




s


WMIVMnMNBVBMMWI***""*
Diario de Pemaiubiico Segunda le ira IB de Seewbro de 1MI4.
i


CLIlUll
COMMERCIAL.
mm
RA 1IO ^1 JI2I.HA I0O W. 1*.
Passand o becco da Congrega#io segunda casa.
1181301 M "
NOFIDADE
Grande liquidadlo.
Ra da Emperatriz n. o.
Ltja de hiendas do Pavo de Gama k Silva.
Acha-se este estabelecimento completamente!
sonido de fa/.endas inglezas, francezas, allemaas e !
suissas, proprias tanto para'a praca como para o \
matiD, prometiendo vender-se mais haiato do que I
em oulra quaiquer parle principalmente sendo em
porcao, e de todas as tondas do-se as amostras,
deixaodo flcar penlior, ou niandam-sc levar em l
casa pelos eaixeirosda luja do Pavao.
As chitas do Pavo.
Vendern-se chitas inglezas claras c escuras pelo
barato prego de 240, 260 e 280 rs. o covado, tintas
seguras ; ditas francezas de coros seguras a 320,
340,360, 400, 440, 480 e 300 rs. o covado, fazenda
muilo superior e bonitos padrdcs : s nji loja do
Pavo.
As luiuhas da exposiciio do Pavo.
Vendem-se lzinhas as mais modernas que
0 PROPHETA
Pereira Rocha & G. acabara de abrir na ra do Queimado n. io um armazem de molhados denominado Clarim Comroer-
fcial, onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos memores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes serlo vendidos por preces muilo resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo raencioneda : garante-se obom
peso e boa qaadade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranho, India e Java a 40, 80 e Peras seccas muilo novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muilo superior a 220
1U0 rs, a libra, e 1*800, 20600 e 3*000 Painco a 200 rs. a libra. rs- a libra.
Polvo seceo muito novo a 400 rs. a libra. Ccvada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamqgo era calda de azeile e Ervilhas portuguesas a 40 rs. a lata.
muito novo a 60 rs. : dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos tlamengos do uKimo vapor a 2r>800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem prato. de oito libras e canastrinhas ile 1 arroba a
dem tondrino chegade no ultimo vapor a I$800, 5o500 e 280 rs. a libra.
900 rs. a libra. Fartnha do Maranho a 100 rs. a libra.
Sal refinado em frascos (le vidro*a 600 rs dem de trigo a 120 rs. a libra.
a anoba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
i 200 e 10600, e em (rasos grandes a
2 :ijO.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
cora ricas estambas no interior das caixas
; 1**00, 10400, 1*000c2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a ribra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 10600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa MM rs. garrafa.
Arara la verdadera de malarana a 320 rs. a
libra.
Avelllas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos ingiezes de diversas marcas a
1(530' rs.
'Bolacbinhas de soda,'lilasgrandes, a 20-rs.
a Uta.
ftdem inglezas muito novas a 30000 a bai>m-
quinha e a 200 rs. a libra.
'Banha de perco reinadaa 440 rs. a libra c
em barril a 400 rs.
'Cha hysson, huchin e perola a 1*600, 2$,
2*500, 2<>80o e 3*000 a libra,
dem prcto muito superior a 2*000 a libra.
Cerve,a preta e branca, das melhores marca*
que vem ao mercado, a 300 rs. a garrafa
e 5*800 a duzia.
Cognac inffiez fino aDO'1 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, so de pepino, a 72" rs.
dem, s de azeitoras, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da 'Babia
e especidmento da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 1*6 M),
2)0 !, 25200, 2*500, 2*500, 3*000 e
3*500 a crin.
Caf do Rio muilo superior a 280 c 320
rs. a libra o 8rJ1'' a 8*8>0 rs. a arroba.
Cartoes de bolinbos francezes muito novos e
bem muito enditados a 70De 600 rc.
Chourgn e paios-siuito novosaSOOrs a
lilira,
cada um.
Sardinhas de Xantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinbo de Lisboa a 320 is. a libra.
Tijulos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 6t0 r.
libra.
Figos em cauchas ermetieameete lacradas
a 1;>600.
Vinbo do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Vetno de 1815, Duque do Porto,
Madeira, B -Pedro, D. Luiz I Mara Pa,
Bocaire Chamisso e outros a 800, 800 e
1*000a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 9*000e 40*000.
dem em pipa, Porto, Lish e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e 3*, 3*500
e 4*a caada.
Lisboa muito fino a 500 r
-nrl
dem branco de
a garrafa,
dem de Bordeaox, Medoc e S Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 7*000 a 7*500 rs.
a du'ia.
dem Morgaei e Chateauluinini de 183 i, a I >
a garrafa.
dem muscatel a 800 rs. a .garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
li>200rs. a caada.
(enebra de Slollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 6*200 a frasqueira.
dem em garrames de 3 e 5 galoes a 5*500
i e 7*500 cada um com o garraflo.
j Graixa a 400 rs. a lata e 4*100 a duna.
' Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
! dem, qualidade especial em garrafas muito
grandes, a 1 -5800 a garrafa.
dem era garrafas mais pequeas a 000 rs.
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
vidr-o, a 1*000, s a garrafa vale o di-
nheiro.
Mantciga ingleza perfeitamenlc flr, desem-
barcada de pouco-a 900 rs. a libra, e da
de segunda quatidade a 800 rs.
dem francez muite nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates era barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 6W rs.
Mar melada mper-ia! dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 60 rs. a lata.
%0 REMPfiFIMVEJL PUBLICO.
RA DAS CINCO POETAS N. 86

Ksqnlna da nova ravessa de H. foo.
1
a
Desejando o proprietark) do grande armazem do Prophela dar ;ar-
gasaoseu genio empreliendedor, comtneicial e especulativo, resolved ceder a inspiracSo
tora vindo ao mercado, proprias para vestidos e que o assaltou, quando as horas caladas da noite o seu solicito espirito se agilava n'iim
soutembarques por seren lisas e de cores muito j turbilhao de ideas, tendentes todas a bem servir e agradar ao's generosos bahitanlcs
de novos o
moram na fie-
m em vet -
relaclo a
s vestidos doPao. modicidade dos fretes, como da facilidade c brevidade da condcelo dos objectos com-
Vendem-se os mais modernos cortes de vestido' prados.
barras deUceoVe-rani fh' S J"*' Cdm- ditos son,1 (, ProPne1 SC1 Ul,ia wrdada pratica to acceita e abracada como as
com*su^edI,eVmbem eomfrntVenfei- palavras simples e bem intencionadas dos velhos patriarchas desses lempos idos, si o Se-
les para o eorpo, por preco mais barato do que en nhor Deus dos exercilos nao o qui/er contrariar.
oatra quaiquer parte, o se quizerem urna prbva o Propheta nao rjuerendo retringir-se a forma ordinaria de negociar resolveu
il^rL^xZlt^m ^?K^mi lambem, depols de profunda meditado, de nSo vender smente os seus gneros a d-
Os vestidos i laria Pa. S Pavo (8*0001. nbeiro corrente ; mas tainbem de por em pratica a troca del les por outros da produccaO
Vendem-se os mais lindos vestidos Maria Pa do paiz ou por escravos, bois. cavallos, etc. Assim, pois, fique na intelligencia d todos,
de laazinha transparente com listas, e palminhas que o propheta recebera como tnoeda de quaiquer dos seiihoies agricultores, issucar,
algodo, agurdenle, uuilbo, feijo, cavallos, escravos, etc., etc. e Ibes dar 0 iuesmo valoi-
em geneos, escolhidos a contento.
Quando a importancia dos gneros apartados for menor do que a dos objectos ie-
cebidos por troca, o f-ropbeta niio demorar a difiercuca que deve dar em dinhero.
Um eslabelecimento que com tantos sacrificios e despezas acaba de ser aberto
imitaciodisafcom cores fixas^ i 360*19. o ro- deve inspirar a todos a certeza do que se vender muilo barato com o fim de se adqui-
vado ; ditas franrezas muito tinas iO, 280, 300 rr crdito e fre"ue/.ia.
e 320 rs. o covado, isto para acabar : ra da
A-aruta verdadeira a 320 rs. a libra. I dem em botija a 3 Arnz do Maranho, Java e do Penedo a 80,! Graixa em lat.sa 1*200 a duzia.
HO c 12o rs. a libra, e a arroba a 1*800, Limonadas de diversas lidas a l*O0C o
2*5K) e 2;>800. frasco.
Amendoas a 280 rs. a libra. Licores ingiezes e francezes a
Ameixas francezas a 1*200, 11400 e 1*000 e 2* a garrafa,
em latas, frascos e lindas caichinhas muito
proprias para memosear algi.em,
Amendoas confeitadas em fia-eos de vidro
a 19 o frasco.
Alpiste a 16o rs. a libra e a 4*500 a arroba.
Azeite di-ce francez a 90o rs. a garrafa.
de seda pelo barato preco de 85 cada corte : s
na loja do Pavao roa d'a Imperatriz n. tiu. de Ga-
ma & Silva.
As eassas do Pavo a 210, 280, 300, 320 e
3C0 rs.
S o Pavo vende as liuissimas eassas persianas
Imperatriz, loja de Gama Silva.
Os madapeies do Pavo
YeitJe-se peca de madapoln intestado rom 12
jardas cada peca pelo barato preco de i*, 1*300 e
5* cada peca, fazenda muito superior : s o Pa-
vo ra da imperatriz n. 30, notando que a peca
leva urna etiqueta rom o Pavo pintado para nao
haver duvidas nem engaos : isto previne o Pa-
vo, de Gama & Silva.
Erainanfe de llnho do Pavo :i'
20, 2 oo. *;oo
Vende-se o melhor bramte de linho puro com
dez palmos de largura por preco muito commo-
do, por ter de acabar a factura, a vara por
200, 2*400, e 2*600} s o Pavo : roa da
emperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Panno d iialio l< Pavo.
Vende-se psnno de linho com 4 palmos de'lar-
lences e toalhas de mao pelo
Mm-rasquinho de Zara, frascos grandes, a f,BLJE&tStmttn.^^,''*
;800 rs.
dem recular a OO rs.
H
rod
>0O0, 1*500
Lingoas americanas a 800rs. cada urna.
Linguicas promptas em latas a 1*2(0 a ata.
Manteiga ingleza neste genero o que lia de
melhor a 800 rs. a libra e em han il a 700
rs.
I dem mais baixa a 6-0 e 720 rs a libra.
Azeite de Lisboa a 640 rs. a garrafa e 4800 .Manteiga frtmceza i 520 rs. a libra, em barril
}.
a caada.
a 6 10 rs a libia em rttalho.
Azeite doce emboies com 0 garrafas a e*5C0 Massa de tomates a 640 rs. > libra.
como boiao. Matmelada muito nova a 610 rs. a libra.
. Azcitonas por todo o preco. | Mullios ingiezes a 400 c OO rs. a garrafiuba.
godozinho eor oito palmos de largura proprio I Biscoitns inlezes de diversas marcas a !?300 Mosiarda preparada a i00e 610 rs. o frasco,
para lenges pelo baralissimo prego de 13 a vara, ( MaSMS [iara S()|,., maca, ,.g0 ,a|harm e aletria
ras linas para sopa,:^ estrella, pevideJ-^ ? Bolacbinhas de soda, oval e lunch a 2*000 a 100 rs. a libra.
rodinha a alaria a 6U0 is.- a libra e a 4|, misas de escravos, etcn etc., prego muito commo-1 a lata com 5 libras, dem linas em .'aixinhas a .'l-SCOO a caixmha.
a caixinbacom 42 libras.
Nozes muilo novas a i60 rs. a.Vibra.
Peixe em latas preparado pela Jirimeira arte
de cozinha a 1* a lata,
Paliios de deiites n H'50 rs. o m'o.
do i vista da fazenda-, s o Pavao : ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
tlgodoziube com n>(e de avaria a ,000 ris
4,800
Vende-se peca de alpodaozioho por ter um pe-
rjueno toque il avana, mas que e.-ta em bom es-
, lado, pelo barato prego de 4* e 4*300 a pega ; s
| o Pavo : ra da imperatriz n. 60 de Gama 6
20 Marrasquino de Zara verdafleiro
fi asco.
a |8C0 o
Kirsk garrafas muito grandes a l*S00rs.
Alm dos gneros cima mencionados le-dem de denles a 120 rs.
mos grande porcao de outros (pie deixamos dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudosei vendido por Amendoas confeittdos a 000 rs. a libra. Silva,
pecas e carnadas, tanto emporros como oce de goiabaom latas o melhor possiveU0s retalho- 2> e em caixart a 610 rs.
Quem comprar de 1001600 pare cima te-1 Palitos do gaz a 2*200 a groza.
r o abate de 3 por cenia Passas muilo r>>v:& a 180 rs. a fibra.
Bolai-hinbas americanas em barricas
bbiasa 2*00.
Banha de poico da melhor qualidade a 300 dem mais baixo a 800 rs. e 1*000 ofrasio.
rs. a libra. Milhn na saccasiom 20cuiasa 3*500.
Batatas em gigos e caixas por todo o preco. Piv/.uuto ingle/, rara Hambre vindo no ultimo
Caf moido a 10* 00 ou 8->000 a arroba. vapor a 8(0 rs. a libra.
Caf superior a 7*500, 8*00;- e 8*500 a dem mais anl go a 640 rs. a libra.
arroba. dem do Porto a 640 rs. e sendo nieir: a
r.i...
NO
ARSIAZGUI
DE
**24(IIIMSlltPAE^T
de trabaUuir A mo para
ile>f:i04;ar algotfio
IV.ailH'.ADAS
Por Plant Brothers & 0.
LBAH
Ertas machinas
>ododescarocar
^ qoalqaer especie
?,de algodao
i, osiraRar o
m
I4eate esidbetecimento ha sempre um sortimento compieio de roupa fea de
* todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida,- vontade dos conoi-r-
' moetn tem um
para senboras.
rentes, para o que tem um dos melhores professres, assim como t
grande e variado sortimento de fazenda; de todas as quaJdades, [,
M grand
^ bomens c meninos.
& Casacas de panno preto, 3iJ* e
m Sobrecasacas idem, 3)* e .
w Patetos idem e de cores, 2o*,
3 20*, 45* e......
**< Dos decasemira. 20*, 45*.
m 42*, 40* e ......
Hfc Dit de alpaca. 5*, 4*e .
M. Ditos ditos pretos, 9*, 7*,
m 5*. 4*e......
*|< Ditos de brini e ganga e c-
^ res, 4*300, 4*, 3*300 e. .
R Ditos branco de linho, 6*, 5* e
Wi Ditos de merino preto de eor-
do, 40*, 7* e.....
|ti Calcas de casemira preta. 12*,
m to*, 8*c......
Ditas de cores, 8*, 8* e. .
Ditas de meia casimira de co-
res, 3*000 e.....
Ditas de princeza e merino prc-
to de cordo, 4*500 e. ,
Ditas de brim branco e de c-
' res, 5*, 4*500, 4* e .
Ditas de ganga de cores, 3* e
Coletes de velludo preto e do
i-..-,'
5**00J|
Cha nesto genero temos o que ha de nielhn-;
. p,aTa,0 assim como lambem temos oaixn pelos pre-, Passas i ovas a 100 r?. a libi a.
Vendem-se os mais lindose modernos guarda- assimcumu iduiutmiwiiw v r ., Q ...
' apos econmicos e lodo linho, tanto para as casas eos segundes : i 1 0, l*r,< 1 >HtlO, POlvo a I i S. a 110 a.
de familia eomc para hoteis, bolequins, ele, etc., 2*400. 2*60"*, 2*800 e ?/>0t 0 0 luto. PainCO a 160 r?. a Hpia.
: pelo baralissimo preco de :!* a duzia, isio s na ciliari'lo* lc todas as melhores e peores mar- Pomada a 210 rs. a duzia
loja do Pavo ra da Imperatriz n. (50, do Gama i cag ^ ,ne|V.ulo a b()l () j s,(juo. I *600, 2*, Pimenla do reino 3 320 l S.
! M''siiteflaiarqiiea do Pnt5 h\ 2*800,3*000, i*tOO,8*000, S:>300elj* Peixe em laUs a l*0i0 a
9 e I9|. ocento. vina, pargo e outros
Vendem-se os mais linos soutembacjaes qoeChourigas as mais novas do mercado a 12*Papel de peso 8 2*001' a resma.
. teem vindo ao mercado, sendo de caxenHra de co-j o barril com 1 arroba e 180 rs. a libia, a
ellas que pechincha.
Chocolate magnilico a I *000 e 1*200 a libra.
Cerveja marca a mais acreditada que tem
a iibra.
la;. s&vel
arroba de algo-
do era caroco
em W) minutos,
ou 18 arrobas
wr dia os B ar-
robas de algodo
limpo.
Esta madiina
a nica que
res pelo diminutissimo |;rego de I cada um, di-
tos de musamhiipie pelo diminuto prego de O*, s
na loja do Pavao, mas que se nao enganein : ra
da liuperalrjz u.00, de Gama ^ Silva.
Atoalhado do Pavo.
Vende-se panno do linho adamascado proprio
para toalhas de mega, polo diminuto preco do 2*300
1 rs. a vara, guarda-napos de linho a o-3 a urna,
m toalhas de mao a o* cada duzia, na loja do Pavao.
' i-10 ra da Imperatriz n. GO, de Gama \ Silva.
ir s o Pavo (a 8#5QO).
Quem tem baldes por lal preco !
Vendem-se os baloes americanos muilo superio-
i. com 20 ; 25' arcos <>elo baralissimo prego de
2*300 e 15. ditos de 23, :',() e .'!." areus com litas,
meito bem armados e UOibem leni cores escuras
pelo barato prego de -14500 cada um : s na loja
vindo a 500 rs. a gnala, emeia garrafas
por 320 rs. branca c preta
Conservas inglezas aSOurs. o frasco fazenda
chique,
dem francezas a 5< 0 rs. o frasco.
Cevadinha de Franca a 210 rs. a libra.
Champagne da melbormarca que cqui lemjltap iieurona K:00 a libia.
vindo a20* e 21* o gigo. iSag e sevadinba a 240e 280 :>. a liti.,
Cognak inglez o francez a 800 rs. c I SOCO a' Sai Judias de .v.nlt s a 1510, 300 e 360 i .-
ga rafa. j lata,
i'ebolaspnr lodo preco. Sabo masa a 120. 180, 200 e 240 rs
dem idem muito fino a 4-5000 e 3*; 00.
Iddi marfira a 1 >5' 0,
dem abnasso a 3* 00, 3*300 e 1*000.
Iiem para embrulho a 1*200 a resma.
Paliios para de:.lis macos C(,m2( macii-ncs
a 80, 120 e 200 rs. o maco.
Palitos do gaz a 2*000a groza.
Queijos fiamei gos do ultimo vapor a 2*600.
Idem lonihino a 910 rs. a libra.
dem pialo a 640 is. a libra.
a
30*000 ^'tos de selira preio. .
25*000 Ditos de ditos e eoa branco,
6* e.......
10*000 Ditos de gorgurao de seda
pretos e de cores, 6*, 3* o 4*000
7*000 Coletes de fusto e brim bran-
3*500 co, 3*300, 3* e 2*500
Seroulas de brim de linho,
3*500 400 e......2*000
Ditas de algodo, 1*600 o. 1*100
3*000 Camisas de peitos de linho.
4*000 4*, 35 e......2*500
Ditas de madapolo, 2*500,
5*000 2*e........ 1*600
Chapeos de massa, pretos frars-
7*000 cezes, 40*. 9* e. 8*500
7*000 Ditos defltro, 5*, i*, 3*300 e 2*000
Ditos de sol, de seda, 12*,
4*000 41*. 7* e......6*0*0
Collarinhos de linho fino, ulti-
4*000 ma moda duzia. .
Sortimento completo de grava-
2*500 tas.
2*500 Toalhas parroslo, duzia, H*,
possuea vantageosde nao destruir olio do al-
godo e de fazer reoder o dabro de quaiquer
m_ j pelo baralissimo preco de 2,5, 252' 0, 2-3300 e 3* o
tra com menos trabalho, a sua intro'ducgo para i c',Vi"1"' cassa8 '"vl"i,s "W8' L'""as f"*u ; larM e
as provincias deste ini|tcno ser de muito valor
do Pavo, ra da Imperatriz n. 00. de Gama A : Copos lapidados que sempre se vendern) e
0 hwm vende parlalo.
Vende-se superior seiim da Clima, fazenda toda
de !a seiii lustre tendo (5 palmos do largura pro-
prio para vestidos, capas, paletnts, caicas, ele:,
. para todos os interessados na lavoura do paiz.
Assim com machinas em poni grande do mes-
Imo sysieiv'.i.oraql seren movidas por animaes,
, agua ou vajor.pas uacs podem descarocar 18 ar-
j robas de algodo ampo por dia.
O algoriao desearncado por e>tas machinas tem
muito mais vende-se por uiaiorpreco.
As macbiiias se aeharh venda unicamenie em
rasa de
Saundcrs Brothers & C.
\. II, j)t; do Corpo Kaito
RECIPE.
Os tnicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
6*000
*
6*000
cores, 9* e.. "... 7*000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
Ditos de casemira preta, 5* e 4*000 tos e de cores..... 1*000
Ditos de ditas de cores 5* Lences de bramante de linho. 3*000
i e........ 3*500 Cobertas de chita chineza.. 2*500
mmmmmmmmmmm mmmm
s
m
Alteiicao
A loja do sapatos do pateo do arsenal mudou a
sua. liquidarn para a ra da Cruz n. 17 ; vende as
fazendas por pr>-co de (iraca, como se]a, marroquim
novo preto a 18* a duzia, recebendo notas do ban-
co do Brasil.
mmm
a i A a flocoreta, em porcan se far grande abati-
mento : na ra Nova n. 8, loja do cha.
PT.SS4
Empreza de illuminaclo
gaz.
Todas as vendas de apparollios e reclamagijes
(P'ir eseripto dando o nouie, morada, data, etc.),
de vem ser leitas no armazem da ra do Imperador
n. 41. Os machinlas mandados para atiender a
estas, apresentaro um livro que os reclamantes
devern assijinar logo depois de pmmpto o servicn
reclamado; isto para que a empreza fi'iue sciente
de haverem os mesmos seuhores sido devidamente
' attendidos. ___________________
Kua da ieuzalla \ova a. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
| ferro coado libra a 110 rs., idem de Lo
Moor libra a 120 rs.
oslreitas, manguitos, rolarinbos, pnnns, e enfehes, r,],,.^
ludo preto proprio para luto fechado, e muitos ou-
tros arligos que se. renden) por precos mais em
conla do que em mitra quaiquer paite por estar
i liquidando ; s na loja do Pavo roa i!a Inipera-
! tiiz n. fiO, dGama & Silva.
As percalas lo Pavo.
As mais lindas percalas que tem vindo no mer-
j cado polo ultimo vapor tem na loja do Pvo pele
barato preco de (5(H) rs. o covado ; ditas de sli-
nlias muito miiidinhas proprias para vestidos e
; roupoes de senhoras, meninos e meninas, pelo l;a-
: ralissimo preco de 00 rs. o covado : garanlcm-se
! as cores por serem do melhor l'abricanie que as
, tem em Pars : isto na loja do Pavo ra da Im-
peratriz n. 60, de (Jama & Silva.
%s fhilas do Pavo 'i-flQQ e
IfNOO o corte
Vendem-se cortes de chita com dez covados
: 2*100, ditos 2*800, com 12 covados : sao chitas
Ra do Queimado n. 49 loja de miudezas de Jo- j inglesas, mas padroes bonitos e limas seguras;
s Higodiiiho. venhaj ver a pechincha que se esl 'assim tem as melhores chitas francezas e de nn-
:1.2o
300
100
Vende-se potassa em barns a enmmedo preco o;
a ra da Cruz n. 33. pnmeiro -
de Antonio de Almeida Gomes.
Machinas para desctrocar
algodo dos mais acreditados
I fabricantes: na fundicao do
C'hariitoN da Ilavana.
Veade-w> superiores charutos da Ilavana em
cao* tobeScbmettau&C: ra da CM.| floran, ym ^0 BrUlD B. 38.
acabando celtas qualidades de fazenda.
Pecas de litas elsticas com 10 varas a..
Hilas de tranca branca lisa com 10 varas.
Ditas de tranca preta lisa a............
Realejos |iara meninos, pechincha a...
Rodinlpis com superkres allinetesa.....
Caixas com superiores agulhas e limpasa
Sabonetas de familia, muito linos a 80 e..
Pares de sapalos delaa para criancas a..
Varas de babado do Porto muito'bom a
ioo, i20c.......;.................
Ditas de bico largo grosso a............
Pules de superior tinta tem mais de meia
ca rafa a..........................
Caixas com perfumaras muito bonitas a.
Frascos de oleo de macaca muilo fino a .
I Dit<>s de oleo de babosa Superior a 240
320, 400 e.........................
Ditos de coevos muilo superiores em qua-
lidade a...........................
Ditos de agua de colonia muito boa 3___
Ditos ile dita dita grande a...........
Sabnnetes de lodo o preco 60, luO, 200.
320 e........................!....
Frascos de superior banha a 320 e.......
Caixas de p para limpar denles muilo
fino a-............................
Ditos de banha transparente a..........
Pares de liga< muito finas para senhora a
Saboneles ingiezes da melhor qualidade a
Frascos de agua dentriiiee superior ga-
"'""'a a.......................... jjooo
alassos com i' envelopes grandes azula-
do a ..............................
Varas de fila preta com clcheles a.....
Frascos de macaca perola muilo superior
Caixas com pennas grandes a.........
Grosas de botoes para caifa preta, miudos
Libras de memento da ronpa de lavar a..
CarriteJa de retroz de todas as cores e
tem meia oitava de retroz a.........
Vara? do bico; de difer-ntes largura-- a
' las seguras por precos coinmodos, a -aber : 320,
2iU 1340, 360, 400, 440, .'JO rs. o covado : na loja d-i
100 Pavao ra da Imperatriz n. liO, de Gama &
(0 Silva.
120; Os bordados do Pavo
201 Vendem-se oamlsmhas com manguitos o frolli-
200. nhas bordadas, pelo barato preco de 15 c 13280
160: cada um, manguitos s 500 rs. cada par, ditos
1001 com golinha a (X) r?., golinhas 100 c 480 rs., de
I fil 240 rs. cada golinha bordada, romeira de'
160 cassa a de tilo minio bem bordadas 25 cada
1 urna, manguitos que serven) para calcinita de me-
ninas 040 rs. cada par, camisa com manguitos e
golas com a competente grvala do seda, fazenda
lina, pelo barato prego do 35, e militas nutras
bordadas quo se vetidem por precos muilo em
conla : s na loja do Pavao ra da Imperalrfz
00 !n. 60, de Gama A Silva.
r.^. I As roiipas do Pavo
V."y, Vende-se. panno preto lino milito superior pelo
S barato preco do S, 25J0O, 35, 35300 e 15. dito
muilo lino 35 e 65 o covado, casimira preta de
urna s largura o muilo lina a 15800, 25 e 25300
e 35 o covado, corles do casimira de cores a >&.
' 35500 c 65, casimiras entestadas de urna s cor
IOO l'roPr'as l,ara calcas, palelols. coleles, capas e para
J* roupas de mininos a 35300 o covado, isio na loja
-!v I ',0 Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama A;
gklvj.
se vendem em muiUs partes a P| c 11K
vendemos ;i 3oS 0 e6-5O0i> a duzia.
Copos para vicho a 3^00 a duzia.
Doces de calda vindos del. stoa ueste ultimo
vapor a 0 0 rs. a lata das melhores
las da Eiin pa.
da guiaba e da casen o melhor que e
_ possivel por diversos precos, e conforme
o tamanho dos ca xSes.
Ervilhasem latas a 640rs. a lata.
dem seccas a oo rs a libra.
Espermacele americano a l<500a libra.
Idem francez a SfiO rs. u masso com 0 velas.
Figos de comadre em caixinhas muilo lindas
a 80n rs a caixa.
farinba de trigo a 150 e 140 rs a libra.
Farini.a do MaranhSn a 2V' rs. a libia.
Fumo do Para a 18' 0 a lata grande.
Fumo amer.canoa H400 a libia.
Fumo em macinhos para sigarrOs a 200
rs. o maco.
Fareloetu sacas de 0a 3" libras a 3>300
Genebra de larnja 1-5 o frasco,
dem de Hoilanda a 500 rs. o Irasco.
a
libia, e em caixoes p< r menos.
Sal refinado a C<() rs. o vazo (pole de vidro.)
Teucinlio de Lisboa, de Sanios e americano
a libra e em arroba
02 I .'
facas a 160 rs. cada um.
o em ancoras com 70 garrafas
a 160, 240 e 32
a."i, 7,etyjOM>.
uc- Tijolos para limpar
Vln'io do Poi
a 30-jfOOO.
Vinhosde Lisboa e Figueira qualidades mag-
nificas a 3->000, .;'): o e i -s)t 0 a caada.
Vinho do I'urto em pipa a 3 e iI-^OO a ranada.
Viuho branco de Lisboa e Porto em ancoras,
barris e pipas a i0O0e 35000 a caada.
Vinagre de Lisboa a 1-5600 e 2AU00 a cun-
da.
Vinagre em garrafoes por l-JCOO comoga-
rafo.
Vinagre em ancoras para >3COcojii a ancora
de 9 caadas.
Vassouras americanas a 640 rs. cada orna.
Vinho deRordeaux neste genero temos grande
porcao odas qualidades mell.ores qoe 'em
vindoao nosso marcado em parraBs, em
ancoras, em bai ris e rjuartolas oqual' eo-
demos por procos nimio haixos.
400
800
o;l<*:i la Russla.
da mais superior desembarcada honlem : vende- j ^.
se no escripiorio de Manoel Ignacio de Oliveira &
llio, largo do Corpo Santo n. 19.
Gamma de mandioca.
Vende se na ra da Madre do Dos n. 38, ar-
iiazem.
100
100
200
200
100
200
Vendem-se dus nepras, urna perfeila cozi-
2i)0 nheira e enjromma alpuma cousa, e oulra boa qui
60ja'ideira Tincfo: as. Pontae n. 83.
^p'afr pjsp qpp c# <|J5 ^ -.*: s- x:\
OBAT,r
DECLARACAO.
O BALIZA declara pelo prezente que
deiia de publicar os preces pelos quaes ven-
do as suas mereadorias por motivos qne ao
respeitavel publico poueo intereca. Servo
provisoriamente de ()aze os precos do Pro-
pheta.
ori>e$ m\ nt\.
O BALIZA concede plena libcrdade aos
seus amavcli collejas Clarins, Unies, mitra-
dos e croados, para que possam srltar, her-
rar e tudo mais quanto Ibes aprouver, al
a sua segunda orden*
-"'.


i ILEGVEL


1
w
Miarla r rrrtttmhmro weguuda tetra I de eenibi-o de t RG4.
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Ptw/o FerreWa da Silm s Companhia
Grande sorlimento de molhados cm grosso e a relamo. nico armazem que mais
vanlagens fferece au publico.
* Desenganein-se todos.

e: o Al llanca o verdadeiro hemem do progressso
K e .tlliaiica o# verdadeiro e principal armazem de molhados.
!; o .<% Iltan'ca u armazem que vendo mais barato.
o A11 linca o armazetn que ven le os melhores gneros.
K o AlIIao^a o armazem onde preside o melhnr aceio.
, Fiquein ledos sabedores desta verdade,
. Venhain todos i ra do Imperador n. 57.
Yenliam ver os gneros que temos expostos a venda.
Amendoas confeitadas de bonitas cor Iflem do Hollanda em garrames com 24 gar-
Soo rs. a libra. rafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
tdem de casca milito nova a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente lgame para sopa e gui-
A.eias a 2oo rs. a libra. /ados a 2oo rs. a libra.
Ameisas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a l,2oo, l,oo o l,6oo rs. cada 800 e l.ooo rs. as garrafas grandes.
urna. Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800
Idem era frasco de vidro com rolha do mes- e S)tio rs. a libra.
mo ou de metal, a l,2eo c -l.ioo rs. cada dem (raneen nova j deste anno a tioo rs.
nm. I a libra, e 58o rs. em barris intuiros,
tdfim em frasco grandes a 2,5oo rs. cada Marmelada espeeial dos melhores fabrican-
ibra. ha
50o
NEiM C0ROAS NEM MITRAS

NOVA EXPOSIQAO DE GNEROS
NO
ARMilZFJI
GlttlUfi
DE

I
PRINCIPAL

DE


HITA DO IMPERADOR \. JO
Hnt ao sebrmlo en qae mora e Sr. cheme,

M. O RA JIO CKKSI! I. 9


Uii.ii ie Aliueida A C. rteeheratn de sua pi'opria eacommeu-
da o mal lindo e variada sortlnipnlo de molhados. proprlow.
da presente estaco.
Manteiga ingleza Ma^as brancas
da safra nova vinda neste vapor de 28 de', para sopa a melhor que se pode desejar. I
maio a 800 rs. a libra. macarrUo, talharim e aleiria a tOD rs. a
Uaateiga franeeza libra o 4^500 a cnixa.
da safra nova a 560 rs. alibra. e em barril VlillO
I Figueira J A A e ootras militas marcas acre-
am.
dem em latas de I */s e 3 libras a l,2oo e
2,000 rs.
Arroz da India c Maranhao o melhor que se
pode desojar a loo e 12o rs a libia e
2j8oo a 3, loo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
l,8oo rs. a caada.
dem frasee/ clarificado em garrafas bran-
tes de Lisboa a $oo e 64o rs. a
latas de differentes tamanhos.
Massa de tomate em latas de I libra a
rs. caila urna,
dem para soda eslrellinha, pevide e rodiuha
em caixinhas sortidasa 3,ooo 3,5oo rs. cada
urna e 5oors. alibra.
dem macarro, talharim ealetria a 4oo rs. a
libra.
cas a oo rs cada urna, e lo.ooo rs. a Mostarda franeeza preparada em frasco a 4oo
caixacom I duzia. rs. cadaum
Xlfrzcma milito nova e limpa a 32o rs. a li-. MoUio inglez em garrafinhas com rolhas de
bra. i vidro a <>4o rs. cada urna.
Alpista a 16o rs. a libra c 4,Goo rs. a ar- iVIarrasquinlio verdadeiro de Za l.ooo adja -'
Aniendoas
confeitadas de lindsimas core a 800 rs.
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2-5400, muito propios para mimos.
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada hu.
Latas
com bolacuiunas de soda de todas as qua-
lidades a IAMM).
Chocolates
de todas as qualidades a 1^000 a libra.
Presuntos inglezes
dos memores fabricantes a 800 rs., tambem
temos vemos para 500 rs.
ueijosflaniengos
^ F,s(jiiia que vlta pura a rn do Imperador
L provavel que nao seja bem aceita a ver lade, quando a boa f de lodos anda
munida por esta epidemia de aauzeaiicos aniiuncios de cornetas, tambores cortas ni-
| iras, etc., que todo o dia enchem as paginas deste jornal.
im;hia
Os annunciantes nao tem em vista enao garantirem ao respeitavel publico a
sua palavra de honra, veudeudo com o lucro suficiente para mas subsistencias eno par*
asseutarem fortunas a forra ta regra de liga .como oulros aimimeiaotea deste genero
PARA TOttOS
Noarmazexa principal vende-so a todos polos procos marcados na sectate la-
bella, mas nao se vende |>or todo o proco fa/.endo-se peso de arroba hespanhola -aran
te-se as qualidades dos gneros trocando-se todo aquello que nao seja do aerada do
comprador. J b uu
roba agarrafa, |o,ooo rs. a caom 1 iisi.xrc a
olacliinhas de Lisboa da fabrica do Beato zia.
Amonio dasseguinles qualidades: agua e Nozes muilo novas a 16o rs a libra.
sal doces, e imperiaes em latas de <> libras Prezunto de hambre superior a 6oo e 8oo ; <|hc jo
i 3,000 rs. e de 3 '/a libras a 1:3oo rs., rs. londrino o mais fresco que se pode esperar
e em libra a 64o rs.i estas bolachinhas dem do Porto para paridla a 3oo rs, a libra,
lorna-se muilo recommendavel com espe- Passas novas a 48o rs. ^ libra.
I'eixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
oulros a l.oon rs. a latas. as mais nows m,e se podeesperar a 760 rs..
Palitos para (lentes a 14o e a ICo rs. o mas-t 'rasc-
(litarlas a 800 rs. a garrafa.
Idriu de Lisboa
e de oiitras marcas a 400 rs-. a garrafa, e
S08OO a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado das melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 1# e 1(5200
a garrafa ede 105 a 125a caixa, asmar-
cas sao as seguintes: Chamisso & Filho.
F. M., Nctar ou vinho dos Ueuzes,
lagrimas do Doaro e oulros muitor.
Latas
rom 10 libras de han ha a 4(9000.
Bolaohinha ingleza
alA800 a barrica damesmaqe
vendem a 2^000c 25400:
Nozes
as mais novas do mercado a laOr--1 .* bra.
j Cervejas
[ dos melhores fabricantes]? de todas as mai
ciaii Biscoitos e Bolachinhas d soda em latas ile
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1.35o rs. a lata
Bolos francezes em carines e de diversas
qualidades a 64o rs. cada tim.
auna de poico y>rdadeira refinada a loo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
.atalas nova-;:! 16o rs. a libra.
tolachinhas inglez.ts u I li mmente desembar-
cadas a -Jii rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
Champagne das marcas mais superiores que
at hoje !em rindo ao nosso mercado a
18,000 rs. y gigo e l,5oo rs. agarrafa
inteira, e 8oo rs as meias.
Jh uxim o mellior que se pode desejar, e
que nutro qua!quei nn vende por monos
de 3,ooo a 2,7 so dos melhores.
Pnico o mais novo e limpo a 16o rs, a li-
bra, e a l,5oo rs. a amiba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a gl'OSa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixiuha.
Queijos ffamengos cltegados ueste ultimo
vapor, a 3,000
dem pralo muilo fresco a 8oo e Doo rs. a
libi a.
mercado a Idemsuisson melhor qualidade que at bo-
chegados ueste ultimo vapor a W6oo.
<|nIJos
ebegados no ultimo vapor a 2*600 cada um. ''as dc w*00 a fi^00 a duzia.
C-ARTOS
Charutos Thom Pinto,. Beis e outros em
e de excdlante maree a 800 rs. a libra! mejas catatabas a 15500.
sendo mteiro e 900 rs, a relalho. Arroz
Conservas malezas do MaranhSo a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2*500 a 3*000 a ar-
roba desses que vendem por 3*400.
CAF
OT3 i de 1 .* e 2.s sorte do Bio de Janeiro a 8*31
em libras e caixinhas ricamente domadas,, e 8*800 a arroba, e 280a 300 rs. a libp
propnas para miraos a 900 c I-V200. *
1 pi darratoes
. vna UXll com 4 'i garrafas com vinagro, a 1*000M
o garra f3o.
Amendoas confeitadas de diversas cores
64o rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 3o rs. a libra.
Ameixas' francesas em caixinhas com lindas
estampas, a l,2oo c l,3oo rs.
dem em (rasaos de vidro a 1,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,.too rs.
dem em latas de 1 / libra a l,loo rs.
Arroz do Maranho e da India o melhor que
ha neste genero de 8n a loo rs, a libra, e
de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez c de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e lo.ooo
rs. a duzia.
Alfzema muilo nova e limpa a 3o rs. a
libra.
Azcitonas muilo novas a 2.000 rs, a anco-
rla.
! Alpista limpo a 14ors. alibra,e 4,loo rs. a
arroba.
1 Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades, em latas
de 6 c de 3 libras a 3,ooo e 1,500 rs. a
lata, e 61o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e de 1
a Lentilhas omito novas excellente iegume m-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas, as qualidades de
Too e 9oo rs. a garrafa.
Manteiga ingleza perfeitamente flor-aSuo rs.
a libra, desnessesarie mais elogios nes-
te genero que s se pode verificar com a
vista.
dem franeeza a 36o rs. a libra, e .-m barril
ou meios a 5op rs.
Marmelladado I." fabricante de Lisboa a6oo
rs. a libra, ha latas de 1, 1'^ e 2 libras.
Maca de tomate em latas de una e duas fi-
bras, a 6oo rs. a libra.
dem para sopa estrellinha, pevide, rodinba.
etc. a 3,5oo rs. a caixa e 36o rs. a libra.
Macarro, talharim e aleiria a loo rs. a li-
bra.
Mostarda franeeza preparada a loo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p a 6lo rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinhas com rolha de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrascfiino verdadeiro de Zara a !,ooo rs.
agarrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
Nozes muilo novas a I6o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a Too rs. a lata.
iliras
Figos
. h-ezmitii para fiambro iiit>!ez veid;
das melhores marcas a 1,3oo e 2:2oo rs. | rantn,lo-se a qualidade, a 7oo rs a libra
'n,t\l r i v Passas novas de carnada atoo rs. a libra,'e
Banba de porco refinada a 4oo rs. a libra e u\roo rs. a caixa.
11 a :J6 rs- Peixe em latas hermeliiament; fccha.lasdas
di
arrobas a
Btalas em caixas de 2 e
l.ioo rs. a arroba.
Champagne das melhores marcas a 20.000
seguintes qualidades, sabel, corvina, go-
rz, cavallinha e pescada a l,oo<) rs. la-
ta.
rs. o gigo, L8oo rs. a garrafa, e 9oo rs. pai,os para denles lidiadas a 14o rs u ma-
as meias garrafas. co (|e -1(} macinlios.
je lem vmdo ao.aosso mercado a 8oo rs.
a libra.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes de vidvo n foo rs,
cada um.
dem perola de esp eial qualidade.a 2,6oo e j Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
duzia, e56o rs, a garrafa.
Sdrdinba de Lisboa e Nani.es em quartns e
meias latas a 38u e 38o rs. cada urna.
Sag muilo novo e alvo a 2io rs. a libra.
Sevadinba de Franca i8o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e ,8on rs. a ar-
roba.
o melhor que se pode desejar, que outroi
qunlquer nao pode vender por menos de1 genebra DE laha.vja ci';' X'm o melhor possivel a 2,/oo rs. a li- Idem ,, gaz
3* a 2*600. verdadeira a 1*000 o frasco, e de H*00f bra.
dem perola i a <*aixa- ,l1cm Porn,a qualidade especial a 2,7oo rs.
especial qualidade a 2*700 rs. a lll.i.i
dem li)ssoii
o mais aromtico que tem rindo ai- uoss
mercado a 2*600.
Massoa rtrntirclia.^
a oo rs. a duzia. e 2,loo rs.
-2,8uo rs. a libra, garanle-se a qualidade
d'esle cha.
idem hysson o melhor que possivel encon-
trar-se a 2,4on c 2,6 dem do Rio em latas de (> e 8 libras
a l,2ooe 1,'mors. a libia
dem pretomuilo finoa l,6oo rs. alibra.
doocolate das'melhores qualidades, francez,
hespanho! e suisso a l.ooo, !,2oo c I,loo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em > caixas das seguin-
tes marcas: Parisienses, Suspiros, l)ii-
cias, Napnleoes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas Bteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada una.
Idem de oulros muitos fabricantes e de dif-
fereules marcas para l.fioo rs. as meias
aixas, de suspiros a l,6oo, 2,ooo e3,000
rs. as c.iixs inteiras.
>>inservas inglezas a s Idem franeeza a 5oo rs.
i^ognac inglez das melhores marcas a l,obo
rs. a garrafa e ln,ouo rs. a duzia.
Idem francez superior qualidade a 8oo rs.
a garrafa e D.oon rs. a duzia.
'ominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
.!.!! da India a 6uo rs. a libra,
anella a l,ooo rs. a libra.
lopos linos para agua a 5,ooo rs. a duzia. e
5oo rs. cada un:.
J;'f do Bio superioi a -2S0 e 320 rs. a libra,
e 8.8uo e 9,5on a arroba.
;oce ino de goiab;. a6oors. ocaixo.
''rviihas portuguezas ltimamente chegadas
i 7oo rs. a lata.
para sopa, macarro, talharim e al.-tri
480 rs. alibra.
COC VA
o milite afamado cognac Pal Brandv a I.800
IDEM a hora,
em Irasqueiras de Hollanda a-3*800 con dem hysson o melhr.r que ha neste genero
12 frascos. a 2.ooo. 2,oo e 2,6oo rs. a libra.
GENEBRA Idem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a i ,3oo
de Hollanda verdaileira em frasi}ueira a too 1 rs. a libra.
rs. cada urna. dem preto homeopathico 2,ono rs. a
a PALITOS
libra.
a groza.
Painco muito novo a 16o rs. a libra, c l.-'ioo
rs. a arroba.
Queijos flamencos do ultimo vapor.
dem prato muilo fresco a 800 rs. a libra, e
sendo inteiro a 72o rs.
sal refinado em potes de vidro a 000 rs. ra-
da um.
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza zia, e 56o rs. a "arrala.
e 2o rs. cada caixinha. Chocolate francez, suisso e hespanho
LICORES l.ooo, l.2ooc 1.4oo rs. a libra.
Ce^ldfimtor^^raSa6'000rS,adu" Sardinbas' de Lisboa e de Nantes a 6o
a meia lata, e 4oo rs o quarlo.
Sa muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sardinba de Franca a I80 rs. a libra.
a
rs.
rs. a garrafa e de outras militas qualida-, finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa I Charutos do afamado fabricante Jos Furia Sevadaa loo rs. alibra
des a l.ooo e 800 rs. a garrafa.
cepoK
lapidados para agua a 4,500 e 5,000 rs. a
dein ceceas a 16o rs. a libra.
dem i descascadas a 2oo rs. a libra.
arinha de aramia verdadeira a ;i20 rs. a
libra.
Mgns em caixinhas muilo bem enfeitadas a
l.ooo rs. cada urna.
I lem em Irlas ermilicamenle lacradas a
I.ooo e2..'ioo rs. cada urna.
Jdem em caixas de '/ arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra,
.raixa muilo nova a loo rs. a lata e l.ooo
r:5- a duzia. Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
enebra de Hollanda em frasqueiras corn 12 rs. cada nina.
fras'os por 6,noo rs. e 360 rs. o frasco i dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
Hem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran- cada urna.
Jes e 11,000 rs a caixa com Vi frascos. Velas de espe-macete superiores a 56o rs.
J!cm de Hollanda em botijas a loo rs. cada a libra, e 52o em caixa.
na. dem de carnauba refinada e de composico
dem em garrafes de |fi garrafas a 1,800 a 36o rs. a libra, e de lo.ooo a ll.ooors.
rs. com o garrafo. a arroba.
Traques de 1.a qualidade a 9,3oo rs. a ca-i
xa, o 21o rs. a carta. I
Toucinho novo de Lba a 2lo c 32o rs. a
libra. !
Tijolu para limpar facas a 13o rs. cadaum.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das:
melhores marcas a 3,800 rs. a caada, e j
5oo rs ; garrafa.
dem do Purto Lisboa e Figueira demarcas;
tnenos (onhecidas a '00 rs. a garrafa, e
2.8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muilo fresco.no levando com-
composico a 36o rs. a garrafa, e 4,000
rs a caada.
dem branco de uva pura a 060 rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,3oo e 7,ooo!
rs. a caixa. i
dem muilo especial que raras vezes vera ao
nosso mercado a 1,2oo rs a garrafa, ga-
rante-so que por este mesmo preco d
prejui/.o e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seuintes marcas Lagrimas do Dou-
10. Duque do Borlo, Genuino, Velho Par-
licular, Malvasio fino, D. Pedro V, l),
Luiz I. Neclar e outros a 9,ooo e lo,ooo
rs a caixa e 9oo e l.ooo rs. a garrafa.
IdemMuscatel superior a 1,000 rs. a garra-
fa, e lo.ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2, loo rs. a canalla.
dem em gairafes com 5 garrafas a l.ooo
rs. com o garnfao.
duzia. e a 110 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almam. gceve, peso e de outras militas qua-
lidades de 2.200. a 4,5oo a resma do me-
lhor.
S9apel dc botica
de excellente qualidade a 2*-200 a resma, Maranll3o> Java e Indi.1( ., |oo r?
P.*I*BCl. P 3,000, a 3,w2oo rs. a arroba,
azul e pardo para embrulho de I .loo a 2,200 VELAS
rs. a resma. de espermacete de diversas marcas a 36o rs.
CorlltllilS a UDra c era caixa ter''' abatimento.
passas corinthias muito novas proprias ara VELAS
podiin a 800 rs. a libra. de carnao Gm caaas de arroba a 9,3oo e
11 caixa e 31o rs. a libra.
com urna duzia e a l.ooo a garrafa. do de Simas e outros da Baha como se-
Mnrnipl'wln jamRegala,Trovadores, Guanabaras. De-
Ar-< mom, n- r ,, 1 ,r 1 : 1L'ias e Suspiws, a 1,600, .ooo, 3,ooo e
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se- 4 ()no ^ a cax.,
jam Abren e outros muitos a 600 rs. a Conervas'inglexM a 73o rs. o frasco.
r;i" dem franeeza surtidas ou de urna s quali-
1 re/5UlilO dade de cada frasco a 3oo rs.
o verdadeiro prezunto de Lamego a 32o rs.', Cognac inglez e francez a 1,000 rs. a garra-
a ijra. '' '.ooo rs. a duzia.
ABBOZ Comnho e erva-doce a oo rs. a libra.
bra e Gravo da ludia a (ion rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos fino? para agua e vinho a 4.8(
'<>
f
'lireja op iMaunri
oMpuiJO *u a 'n8 jj 'miQ ep boj "o anaqg oanqmtiiuoj ui 3 j jijjjjj p er.-.j ua -opy
-uojD(( UI3 Impmf) p BiHhaar ip W*9 u,) '*puBty-oyl U13 !J|JHu|4-j.wj|jjjjj MHjj-*uf
ap BBB3 U3 'Oll/DS UW 11 'W! op BIU '>|a|a J 0|0I|..J HAI>|t 'ujl3tlVf-)p-0fg O UJ* VJ|j.lUj
-8| *or i^hMik ap BB3 ua 'ojmij ou "D p ia"u ap Bsta ua 'voqsrj toa
I apsinnaj bi ap oru 't ,tK>:>nn,HBUUBqd '.3 iinamijo "kh P bJ ua 'tuoj uia : iBjaS ouudaa
-auiou tus ui.'wj jiib
np||l uiod aiuJiunpunfuoo 'aijad Bp 8bii3|oiu sbu jcinoiJBil ajuaucjiaiu; opoui uin,p epu.iuunooaj o
su,i ap iinn ,ub<;ap [Bidsuq op -a wmmq joih.ii (, 'SB|iipin|8 SBpojuaiu(ilhjaa ob no saioiunq sos
*oiia(n souiu.iuj sob. spKpp8.>|ia jo|bui i moa .-Jis'mriiipB a ojjaj ap ojnpo) o a lunisssiod ap ojnpui
o ouioa souiisaju so nooaBiuo; obsubj Kiunu tgg -opiaquoo oxiiBJndap osojapodupiui o a Buiuin*
ui^| anSiure o opuB^nJnil ojiniisuoo Bjauailai a 'a||iadd ,p Bpjad sb 'sauia ep b||oiu a tapi||ad
p. oiniiiBii-liDi o -B|njojoa ge -onad ap fBi|SJ|oinsb bjiv.i 'jo[jadn9aiuaui|Bajai|a.|(nboB '0VH7VDV3
33 OflVOIJ 30" 0310 "PJ!i| 111a *oo.)jiiti joimn n moa at-Bajdiua adojsx a>a sojiuupdj t ioud.i ap
o(pB"i'i')i 11 a nitiM..i..i,( 01 c"i>nSui|.... '/ija^ an amiilgoq op vaiiiMiu op w>pBi oavaoi OMvavu ca 3dO\Vx
o\ irn 3^j '" anv^o o-no!" \ (v \
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l.loo rs. alibra
Vinagro
PBBem ancoretasde O caadas a lo.ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a T.ooo rs. a caixa
e l.ooo rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novu do mercado a 110 rs. a libra,
e 4* OO a arroba.
Itatatas novas
em caixas de 2 arrobas a 5$ a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas uiiiilit novas
i em quartos e nteiros a 2j o qnarto o (hV->00
a caixa eiOOrs. a libra.
Chocolalc
portuguez o mais especial me se pode de-
sejar a 800 rs. a libra o 110 rs. o pao.
Vrutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 010 rs. a lata.
Usce da casca da goialm
a 600 e 1,4 o caixiie.
Os propriclarios do glande arniazem o Verdadeiro Principal declarara aos seu>
rreguezes e amigos c ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularan) os mesmos precos nos seguintes lugares:
IniAo c tiommerr.io ra do QneimaHo n. 7
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n.
50
FRUCTAS
itAV*A. pi;ra* b ni*
s neale ultimo vapor, vende-se nos seguintos lugares: lua do Imperador n.
dadoiro Principal-Ra do Queimado n. 7. Uniao c Commercio.
enejadas nesie ultimo
40. Ven
3,ooo e 3.."ino rs. a duzia, e 3oo rs. cada
nm.
Caf do Rio superior 28n e 3oo rs. a libra,
c 8,5ooa9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,000 a 8.5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba a 600 rs. o caixao.
Ervliasporluguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata,
dem seccas a 16o rs. a lihra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
i Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo rs.
cada urna.
Graixa nova a loo rs. a lata, l,loo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12 i
frascos a .".800 rs., e 56o rs. o frasco. ; Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e 1, loo
dem em botijas a loo rs. cada tima. rs. a caada.
1 dem em garraloes de 16 garrafas a l,8oo Idemem garrafes com 5 garrafas a 1,000 rs.
rs. com o garrafo.
dem idem de 3 caadas a 7.2oo rs. rada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro. qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l.nno rs. o fras-
co, e ll,ooo a fiasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida Suissa a
Toucinho de Lisboa a 24o e 3oors. a libra.
Tijolospara limpar facas a loo rs. cada um.
Vinho em pipa, Porto. Lisboa o Figueira das
marcas menos condecidas a loo rs. a car-
rafa, ea 2,800 rs. a caada.
dem Figueira expeci.dmei,te escolhido neste
lugar a 600 rs. a garrafa, e l.-'ioo ac-mada.
dem Lavrad o. Colares muito fresco ^em
composicoa 6oors agarrafa, e i..ino rs. a
canaila.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especal a 22,oo rs. a ancora.
dem branco uva pura a 50o rs. a garrafa,
ea 4,5oo a caada.
dem Porto lino em pipa a 56o rs. a garra-
lo a
dem engarrafados generoso?, Lagrimas do
Douro, Duque do Porto. 1). Luiel, O Pe-
dro V, Neclar, velho secco, Malvazia, o
genumo particular de 9ooat,*oe rs. a gar-
rafa e a 10,000 rs. a caixa com urna duzia.
dem MadeiraJIegilimo a l,2oo rs. a garrafa,
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscaiel a looo rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marcas Sf.
Julien St. Esteph, chteau la Ro/e, chalan
Margoux e oulros a 6,000 rs. a caixa e 56o
rs. a garrafa.
Vermouth a raemor bebida estomacal a 2,ooo
rs. a garrafa.
I
800 rs. a garrafa.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
dem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Vedas de espermacete superiores a 3t>r rs.
a libra, e sendo en caixa a 32o rs. '
dem de carnauba refinada e de composicao
a 36o rs. a lib*-^ e lo,3oo e 11,000 rs. a
arroba.
=f C C O 3 ;r"- sT O O a: o
Bilaias para meninas
Lindos balaios de varios gostes para meninas
iriiaj-rein no trajo : s se eiKonlra na |yi;, o Bei-
ia-Fliir 1111 il....., ;,.i,.. ...,. c'
Extratos e sabao
xinhas
em
Lmdas caixinhas com um rarlao com a familia
iMeMAfe e deniro de c-ada caixa um frasco ou ^a-
bwi'O mais lino que passivel: na loja do Bci'ja-
Venda de predios
cm particular ou em leilo.
Vfiid-m-s guas, de dons andares e sotSo, com jrrands arma-
ea- 'wns or(,"l,ados actnalmente pcloSr. Feliciano ltos!
! Gomes, para o ir.illco d<^ asswcar. sitos na ra de
Apollo ns. li ;j, ediiic.iili.- pefa actual proprb
OB C.
" -, o
e "
S
')_; :~ j.
S38iie. 2
-=.- 5 2 < a
\ c- as c _j o
' H-S"
C5 C
5.^, s;S
o.
C_ ": -, ^2 'S>
S c- 2 => > 3 2S
&v & 3 a ss S, s-. 5:

2
5-3 =
Pler ra doOueimado n. 6 o 69.
tario. com opnmus alicerces, supcrioivs madeiras. i -a ^ cz c.
iwv
g "S 2 "" 5. H
S n ST 3 -' J" '"w^-i
gg&l
B< Z a> >
S S
tm
3- SS g- _
2 o

9 3
-y.
v.
e acabados mn I8tl, Xtmo ambos ."3 palmos li-
vres dc paredes, de larpura, e os altos do de n.
34. e o priwoiro andaF do de n. .% US palmos de
i corapriinenlo, o st-goiulo andar do .le n. .'ftt lem s-
menle 120 palmos t\ coniprimenio. com um ter
raco, c os acmaaens tem JiO palmus de com|fi-
j ment cada nm. fondo ambos iarnlm frente para
i a ra do caes de Apollo, o o dc n. .'16 larnbcm nata
Salitre roteado, superior qualidade, nl,o Bor- i a travessa do ;o.So ,K>rto das canoas : os K
deaux, differentes qualidades, mais barato que em i denles estes valiosos predios queiram ricir-s*
qualquer parte : no arioazL-iu de E. A. Burle & ao sea proprielario Amonio nolelbo Pinto de Mes-
wmitytat}
m
C, roa 4a Cruz n. .'8.
ru.p.ito ecral em Pernambuc* ra da Cruz n. ti de emcasaCaros ABarboza.
Ver/c-so a rasa terrea da ra do Proresso
n. 21 (,no(.;irriiniioXov(!i tem um porfi ao lado
queda entrada para o quintal, no qnal existe cin-
co poqnon.is rr. i agua, rondo tudo 4805, e ven-
; dc-sp l.;.i;.i.. por .-ou propri>tarlo ter do rclirar-se
' para fra da ; revineia : a tratar na na (lo Onoi-
malo n 77. v
qtiita na ra da Cadeia do Recifo n. 64, secundo
andar, ou ao agfnlo Oliveira na mesma ra u. 6S
GAZ GAZ GA2
Vende-se gaz de primeira qualidade a
l-j a lata : nos armazens da ra do Im-
perador o. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
o O OS
p
rli
a, ""
3. Ba
O
O =s
en B>
"O
03
5.
3
B
O
I
3P
ai* 3 =i
_5 ?
g5a
. 3 v a.
os O
s
o

O i
a:

^3
O
li
P
9
i
i
O barato.
i -4:500^000.
Vendo-so um excellom^ siUo na Capunga, rom
: urna boa rasa de pedra e ra| para numerosa tami-
j lia, tendo :i salas e 8 quartos, rozinha fr;i. casa
paraescravos, dita para feitor, tanqne para iianho,
dito para lavar roupa, e duas cacimbas can Um
atina de beber, terreno propro, vireuo rom peise
e no, e muirs arvores de frurto, cun 200.pi> de
laranpeiras i!e diversas qualidade, sspolisv tftUh
beiras, abacaln, mangueiras. fructa-pan, ronuiras,
hananciras, coquciros, jambroiros, teieiras, par-
reiras, e baixa do capini, e que M ada livre e do-
sembaracado : os pretenden tes podem diripir-se
Capanga Nova, no mirar da mesma, a esqm-nfcr,
passando o primeiro poi tao, mi segundo, qne acha-
ra com" miem naiar osle mgocm, e tambem par
ir examinar o mesmo.
Alcatrilo.
Vendem se barris com alentrao: na na da :ru
n. 2.1, primeiro andar, eseriptorio de Amonio Almeida liomes.
Vende-se superior violw do l^to em caixaf de
orna duzia : era casa de Johnston Pater A O re
do Vigario n. 3
'




i


mmmm
Diarlo tfe rcrWMiH *rgw4*fr* I > efcmhro 4c !**.
f

60 PUBLICO
ua e Menor censtran-
gimento se entregar
importe do
nao agradar.
ATTEIiglO
genero
Os presos da. seguate
tabella t para todos, po-
tiendo ashiui servir de ba*
se para o ajuste de contas
eom os portadores.
RIJA ]>A CA1ESA IlO RECIBE IX.
(Logo passando o arco da Conefire)
brande reduce o de presos
53a

equivalente a dez por cento menos *.o qne outro qualquer
annnnclante.
Collegas.Nao posso por mais lempo sustentar o preco da manteiga ingleza a i,ooors. a libra, bem assim o de outros
amitos objectos, etc., dando rom isio ocasifto a todas as espeluncas acabaren) porbom preco a manteiga de tempero, e gritaren) em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo!!! Ora, eu oTendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
sysllieuia que vim encontrar, de so se vender com um por cento a carola, resolv fa/er esta glande redcelo de presos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Uniao Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l.iott a l.Goo rs. a libra. Iloje porem, resentidos da reduccao a que
estito obligados, encarando todos os das le seus freguezes reclamacfio de precos, c qualidades, vingam-se de um eoutro portadores
al informado deste novo esUbelecimenln. pan he vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta 01 dem que o seu fim
ml;to sini-nte obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Seohores o Sentaras o aceio que presidio, aos antojos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromptidao e entei-
reza com que sero tratados, convida a nina vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me dai o a proteccao e preferencia na compra
dos gneros que precisaren), o quando nao popan vir podero mandar seus portadores, rinda que estes sejam paveo praticos, pnis
serao Ufo bem servidos como se viessem pessoalmente, bavendo para com estes 4oda recommendago, afimde que nao vio em outra parte.
Manteiga inglew (safra nova) especialmente
eseolbida a 8oe rs. a libra, cin barril se
faz- abalimento. x
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 50o rs. a libra, e em barril ou
me ios a .*ioo rs.
<;!ia livssou de superior qualidade a 2,Goo rs.
a libra.
dem pe ola o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem buxim o melhor que se pode desejar
neste genero .b'oo rs.
dem prelo bomeopathico por ser de superior
qualidade a 2,000 rs. a libra,
dem bysson. huxim e perola mais proprio
para negocio o I.600, l,8eo e 2,ooe rs. a
iibra, garante-s ser muito reg ar, igyal
ao que se vende em outra parte por 2,4oo
e2,tSoo rs.
Lmgmcas, cbouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a a.;ioo rs.
,'iraiite-se seren superiores aos que vem
i^n barris.
Choaricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. o 1.000 e 600 rs. a libra.
Jueijos llamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2.2oo rs. e do vapor
passado a l,(oo o 1,80o rs.
dem loudiinos os mais superiores que tem
indo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ni se faz aba)monto,
dem pialo muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Ateaiejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes tJUfi >c acaben).
k&vilhas e favas poriugucza? cm latas ja pre-
paradas a (lio rs.
Hfcrnielada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a Ron rs. n libra.
Preznnto (!;> reino rindos de casa particular!
a SHJo rs. a libra, e a oo rs. inteiro.
dem ingle/as pura fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Oj)<>s lapidados para a gua a ."1,000 e 5,000 a
dir/.ia.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8.000 rs. a arroba,
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ioo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 21o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz, do Maranhao a loo rs. a libra, c 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3>ooo rs. a arroba,
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painro e alpisla a lio rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 4 e 2 4ibras a
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a bbra.
Alelria, macarrao e talharim a loo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e lalherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentas por serem propriamente
tedas para esse lim.
Estearinas a Go rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidaile proprio para engarrafar em ancore-
tas com 5) caadas por 45,ono rs.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,Soo; ditas imperiaes em latas
Ptim^
DIIAUTE ALMEIDA,
0^^^
Acaba de lecebei de soa propria eiicniiineiia um granue e vanado .iiui.toio
de molbados todos primorosamente escolbidos, por isso apressa-se o propri'tario em
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos pregos, afiancando todo c qualquer genero vendido ueste bem couhecido ar-
mazem.
Amendoas confeitadas de 8oors. a libra. Licores francezes e portugueses das seguin-
peso a 2,000; artas imperiaes
de 3 libris por l,5oors.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por 1,2oo; ditas em caixinbiW de deversos
tamanbos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e4,8oors.
Azeiiedoce refinada Penanolou do Kempes
u Manteiga ingleza peritamente flor, a 800 rs,
libra.
I dem franceza a 50o rs. a libra, e 52o rs.
sendo em barril.
Gb mita a2,7ooTs. a libra, e de 8 libras |
para cima a 2;6oo.
dem perola 2;8oo rs. e de 8 libras para
Gmaa2,3oo,
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa-com ama doria.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,800 a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nw.es muito novas a *6o rs. a libra
Molho ingtez em garrafa de vidro com
rolba do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melrrores fabricantes a
800 rs. o frasco.
tes marcas creme de violetas, gerofles. ro-
sa, abslnto vespeiro, amor perfeito, amen-
dna amaiga, percicot. de Turin, Motetim,
morangos, limo, caf, laranja, cidro, gin-
ja, canella, cravo, ortel pimenta a l.ooo^
rs. a duzia 1,000 rs. a garrafa, garante-se
que os meiiores que temos tido no mer-
cado.
rs. a libra.
.Mostarda franceza cm potes j preparada dem mais baixo hom para negocio a i,i*oo
a 4oo rs.
L-entiibas excellente legume para sopa a 2oo i
rs. a libra. I
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a.2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras
para cima a 2,3oore.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e.8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata.
Idempreto omeJbor que se pode desejar
neste genero a 2.8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2(4oo, a 4Soo rs. a libra.
Marrasquinoo verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a I.ooors. e 11,000 a duzia-
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Qaeijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o mago. Oueijos chegados no ultimo vapora 2,6oo rs
Sal refinado em'rasco de vidro com rolha do. Mera prato osmelbores cmais frescos do
mesmo a 000 rs. mercado-a 800 rs. a libra sendo inteiro.
Vinlio de pipa Porto, Kigueira, e Lisboa a32o,; Cerveja branca e preta das marcas mais a-; Celebra marra gato a 1,7oo rs. a garrafa.
4oo eooo rs. a garrafa, emeanada a2,5oo,' creditadas me vem ao mercado a 5,ooo e .
3,ooo e 3,8oo rs. 5.5oo a duzia e 48o rs. a garrafa. B.sco.tos em latas de 2 libras das segu.ntes
Vinho bramo de Lisboa de excedente quali-
dade a 400 B )'><) rs. garrafa, om canuda
a 3,000 e 3,Soo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melbores marjas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, Duque Genuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Felora em caixa de 1 duzia ile 9,ooo a
lo.ooo rs. ea9ooe 1,000a garrafa.
Chocolate francez, >uisso e hespanol a 9oo I Vinho Colares o mais superior que tem
l.ooo e l,2oo rs. a libia. vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Kspermac le em caixinhas contando 6 libras Sardbdtas de Nantesem quartos e meias latas
por 4,o-io rs... saranli'-se serem transpa-i a 36o e 56o rs. cada una.
rente e de superior qualidade, tambem tom| Sardinhas iiortuguezas em latas grandes
de 12 por libra profiria para carro. prepradaspelomelliorconserveirodeLis-
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-1 boa a 64o rs.
da, salmiio. ostras e chernee, vezngo em Bolacbmhas inglezas as mais novas do mer-
latas grandes a 800 e 1,ooo rs. cada nma. I cado a 2,800 rs. a barrica, e 24o rs. a
Vinho BordeatlX das marcas mais acredita- libra,
das <[ ic tem viudo ao nosso mercado a Bolcliinlin de soda em latas com diversas
6.0 mi, 7,ooo c 8,000 rs. a caixa,garante- qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, (pie outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de H'dlanda a 56o rs. o frasco, e
5.7oo rs a frasqneira.
dem d laranja verdadeira de Altona em
frascos grandes a l.ooo rs. o frasco, e
ll,noo rs. a diuia.
dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a loo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 2^ libras.
Figos Je comadre a 24o rs a libra e
l,8oo rs. a caixa rom 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs a libra
Uulachiiiliasd'atiua em sal da fabrica do Beato
Sac muito novo c alvo a 24o rs. a libra. marcas : Osborne, Crakntl, Mixed, Victo-
Sevadinhn -lo t'n.na routa nava 20 rs. i na, Pec-mc, tance, Machinecoutras mui-
ChariitosdetodososfabricantesdaBahiaedasi tas a l.doo e 1,4oo w.
mais acreditadas marcas conb.-cidas no Pumo americano em chapa a l,6oors. a
r.osso mercado a 2,ooo, 2,5 3,000 e :i.8oo a caixa de loo charutos. 1Ara|-Uta de todas as qualidades.
Cognac inglez das memores marcas a
l,oo rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4
Hlalas novas em caixas de 2 arrobas a Z# a
caixa e 60 rs. a libra-
Balacbinba deCraknelem latas de 5 libras
bruto a 4,000-rs.
bras por 2,ooo; dito em caixes a 600 rs.. i,jem ingle/as em barricas a mais nova do
cada um. mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
Farinha de araruta veidadeira a 32o. rs. a; |j|)ra<
libra. ,
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a Chocolate portuguez o mais especial que se
32o rs. a libra c lo,oo rs. a arroba. pode desejar ; 800 rs. a libra e 14o rs. o
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa! pao.
e 4 800 a caada. "P*' de botica de excellente qnalidade a
Banlia de poico refinada a loo rs. a libra', 21 on rs. a resma.
e 36o rs. em barril. r('l,'s (',,in sa' 'cunado a 48o rs. cada um.
Capi'l de diversas frutas muito frescas a'.Bicos frascos com Cuitas francezas em calda
64o rs a garrafa i a nielhor que se pode desrjar de l,4oo a
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza. 3.00 frasco'
Toucinhe de Lisboa muito alto e alvo a j ptuias cm ,-a|cia chegadas ltimamente, pera,
32o rs. a libra e 8,;ioo a arroba. pecego, funja e ouos mudos a 12o rs. a
Ameixas francezas em latos de 3 libras por; |a(a ,|e 1( |;].as>
2,"00. rs i Foijao verde em bages em latas a 64o rs. a
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em I |ala-
mollios com cento e tantas por 1,2oo rs. $0Z6S mill0 nnvas a 120 rs. a libra, o 4,ooo
Malte excellente cha para os navegantes a; rs. a arroba.
a 2oo rs. libras.
AGENCIA
rMIOlOW-iOKCCLE
Hua da Seuzalla uova o. \2.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
o tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanbos para ditos.
Arados americanos e machinas para
avar roapa: em casa de S. P. Jo Iras ton de C.
ra da Senzalla Nova n. 42.
Vinho ilo Horlo supf rior
dm cahM do nina e rtuas dnz.ias : lem |>ara ven-
;ha/s;w
DE
21 Lar y o do Tem11
Ao publico.
i-;srri|iturio ra da Cruz n. \.
Cbourigas muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a l,ooo rs. a libra;
Amendoas confeitadas a 600 rs. a libra.
" i dem de casca mole a 32o rs.
\ nhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D Pedro V. nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca, Por-
j to superior D. Luiz I, c outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo,ooo e
j 1,00o rs. a garrafa.
' dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
! fa c 4,000 a caada.
dem superior a 5oo rs. a garrafa e 3,2oors.
: a caada.
i dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
fJTH KIIMU \M\~ Ulllrt C HU UU.IO.' ICIIf l'ill'l CI|- ,, (( 1 II l ~ An
.jer Antonio Luiz de Oliveira Azevedu& C, no seo ameixas dem ; alj.ista a Ibo rs. a libra, e 4,600 rs. a arroba ; arroz do Maianhao e da e s00 rs, agarrafa.
Baha.
Adrade & Reg, rerebem constante-
icnlu o tem venda no sea armaina n. &
34 da ruado Imperador, algodo d'a'jael- ,*;
la fabrica, proprio para saceos de assu- W
car, embalar aieodo empluma etc., etc., 0A
pelo proco mais razoavel. JS
India de 8o a loo rs. a libra, e em a arroba de 2,doo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
ao, meaos; ideni de barris a 64o rs. a garraa, e em cana- dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a 4oo rs. a libra, c em barril a 36o rs.; batatas muito a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especal vinho Lavradio sem a mais pequea
composc5o a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matar;.na a 240 rs. a libra.
a arroba ; cha perola, by.-sou, miudinho a l,8oo, 2,4oo
*R i e 2,5oo rs. a libra ; charutos das melbores fabricantes da Babia de 2,ooo e 4,ooo rs.;
cerveja branca e preta a Son rs. a garrafa ; cravo, canella, cominbo e ei va-doce, conser-
yM vas inglezas em frascos e meios de j5no a 9oo is.; cognac inglez superior a l,ooo rs. a
2.a e 3."1 qualidade de 8,5oo, 9.oooe 9,5'>o es. a arroba ;
cevadi-! Ricas caixas -com ligos a 1,000 rs. cada urna.
garrafa; caf le I ... -. -,-.....-----------,,-----
nha a -oo rs. a libra ; ervilhas portuguesas em latas de 1 '/> 'i',ra a 7" rs. ; spermacete lcos nvros com ngos i.ooo rs.
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libia, Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
e em a arroba a 6 ooo rs ; genebra de laranja a l.ooo rs. o frasco ; idem de Hollanda va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba,
a 64o rs., e 4oo rs. a botija; graixa em latas a 1,-ioo rs. a duzia ; manteiga ingleza per- Garrafoes com 4 */s garrafas de vinho supe-
feita flor a 8oo rs a libra ; idem france/a a 56o rs a libra, e em barris a 52o rs.; maga
de tomate a 6oo rs. a libra; marranada dos melhores fabricantes a 64o rs. a libra ; ale-
de superior qualidade vendem-se em casa ^ laiarim e macarrao a 4o<.'rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a l.ooo rs. cadafras-
n C, r m. nnzes muil nftvas a ()0 (S a |it)ra p.ISSJI4a 4. 0 rs. a i,bra ; liainc4a 16o rs.; po-
mada a 24o rs. a duzia; pimenta do reino a 36o rs. ; papel abnaco e de peso de diver-
mmMMM mm mmmmm
Charutos de Havana
rior a 2,5oo rs. com o garraTSo.
dem com 4 ['< ditas de venagre a i,ooo rs.o
garrafo.
Vinagre PRR em ancorlas de 9 caadas a
15,ooo rs. com a ancoreta
Roa da Senzal'a a. 42.
Vende-se, em casa de S. P Johnston & C, sas mansa; palitos do gaz a 2,oo rs. a gr->sa e 2o rs. a caixinha; ditos de s^guranca jdem em ppa pUr(, sem o batismo a 2oo rs.
seins c silhes iuglezes, candiein.s e caoo rs. | a garrafa e ,4oo rs. a caada.
;aes bronzeados, lonas inglezas, fio de tela, cada um; cevadinha a 2oo rs. a libra; sar tinhas de Nanies de loo a 4o rs. a lata; sa- Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
chicotes para carros e montara, arreios para bao massa muiu siqieii r a toe rs. a libra; toucinho de Lisboa mtto nlvo a 3no rs. a li-
carros de um e ilous cavallos, e relogios de bra; vinho do Porto velho engarrafado a t,5oo rs ; idem em barril a 8oo rs. a garrafa,
uro patente inglez. s'en,ln awpn fa'-se difierenca eem caada a S.oon rs.; i tem de Lisboa muito superior a
4oo rs a --arrafa e 2.8oo rs. a cnida ; idem da Figueira J. A. A. a Soo rs. a garrafa O.
deaux fazenda muito especial a 6,8oo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra.
dem corinthias proprias para pedim a 8oo
rs. a libra.
Marmladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a dio rs. a libra
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao debico muito novo a HSors. alibra.
Ervilhas francezas cm latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a 1)680 rs. alibra
fazenda especial.
Presunto pra fiambre inglezes a.7oo e 8oo
rs. a libra.
Churicas e paios mnitonovos a-4o a libra.
Caixas de traque n. 1 a 8#500 rada urna.
Massas para sopa macarrao. talharto aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e8oors. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os i
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven
dem a 2,ooo c 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba c 26o rs. a iibra.
Arroz do .Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da ludia muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
Idem de sebo muito dura tingindo esparmace-;
te 360 rs. a libra.
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e era
caixa a 52o rs. cora 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,000 rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
Idemaimaco pautadoelisoa3.ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo rs.
a resma.
Idem embrulho de 1,2oo a 1,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/* UDra a
l,2oo e8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., so o
frasco valle 1 ,ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Molhos inglezes a 8oo e l.ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 6oo r>. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,ooo rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
rindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l.ooo rs. o molho e.
8oo rs. o cento.
Genebra de Holionda em frasqueiras a 6,ooo
e "56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garraloes de 14 garrafas a 3,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza 2o rs. a
caixa.
dem de denles lixados em macos grandes
com 2o rs o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominbos mutto novos a32ors. ahbrae
1 o,ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a J8o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arrsba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas al,ooo rs. a lata j-prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 0oo e 1,000 rs. o
caixo.
Os (lasos
OS MAIS AfiGRM-
K
D'nmn portin/ iHracilf?
DK
ESCRFULAS,
OU ERPCES ESCROFULOBas.

Ulceras de toda :t especie.
SYPHILIS, Oi MAL VBflbUW
TEMORES,
Ebnlll^dest
BERTOEJAS,
0PHTHA11IA,
Hydropisia,
lr^tgert*,
HERPES,
ERYSIPEUS
ES(ORBI"IO,
Tin lia,
CHAGAS ANTIGS,
Rhe^matrsmo Chronts^i,
DEBILIDADE (JERAL
Nervosidade, Ncvraliiias,
FALTA M APPETITE, FAKTTO.
SUPPRESSAO DAS REGRAS, o?r
AMENORRHEA,
unan, i mes wma
Reteneao das Unas,
EMACIAgO,
Ou t)/>ut!/recitnento ywul /ente do estado vicioso do tanytH,
INFLAMACOES CHBONICAS,
Aflfec9oes Chronicas do Figado
V-IM COMO T0DA9 AS MAIS blMILHAXTKS O
LK8TIA8, l'EINCIPALMENTE QtANDO Sa'C
8AC8ADA6, O PR0DUZIDA8 PKLO MU
i.iviiK iso no Mercurio ov
Qoiniko,
A-ir*lm romo imnbpni pol frequentr nua da >H-
SEMC.'O c omnu prepnra; en .'!i:.< i urn;
Todaa estas Euferruidaden prompta e effioi"*
.ieute cedem A benfica, poderoza e
puricautes qualidades da mi
justamente afamada
. NUMPlRRIliH! RE BRW,
venda as boticas de Caors Barnozi.
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo C, ms
da Madre de Dos.
Enfeites modernos para
c beca.
Xa ra lanja d Rosario u. XS.
A toja da Aurora receben enMles muilo mine-
nos para rabera, o ijnal pe vende barato ; ;> *
romo rerelieu enfeites de rano de muito bonitas fo-
ros, e tambem ditos do trani'ioba st;;-, c muitd'
outras miudezas, as quaes se vendem barata"
qnem du'idar, mando buscar as amostras, ''
vi.-la faz f.
O proprietario do grande armazem Uniao e Commercio declara aos seos ife^uei
a*-M.4aMda; idem do E4re,io'a S6o e 30 rs a garifa'e em wnada a 2,Stki5 ^ e amigos eao publico em geral, que para facilitar a commodidade de lodos stptilou
idem Itor leaux a IWa rs. a garraf i: idem bran-o de List, propio para missa a Soo os mesmos pregos nos seguintes lugares:
i&uaaijafcmdo v^ iiifto e (jOiTimercio ra do uneimado n. 7.
mm plb
final o afamado vinho -lo Ca
^&l^SS^mm^iSi soda, cevada,a.fase,a, gaz eti,olo de lim,.arfara9 a Uors. Presuntos do Lamego a 5oo q y^Jb^ Principal >Ua (0 Imperador II. 40.
<-anada? e a seo a gairafa. .l.s a.ir ib outros muitos generes quedesnecessano e mencionados. v YClUtluouv J.isW|fM i"a uu iiupoiauvx u,. tw.
ESCEiVOS FGIDOS.
Fupio un lard" do di t6 do correte u?'.
escravo |>arrio, de nunie Marres, desembarcad!
do lale Suida Anua, vindo do Aracaty, tei:da
de idade tx anuos ["'tico mais oo m< ie .-. eos si;,-
naes seiiuiiites : altura recular, ?efco do cor;.".
pnuca barda, cabello cres|io, levou camisa
ca'va de alyiilaoitibo de risredn avul o eha-
|ii> de patita, ti-udu levado comsij-o umatrouxa
com mais rotipa, e rendido de un.a it.is venlhis :
quem o ai'preemler queir<< leva-lo a roa da Maore
de Detis n. :t8, ou ra do IIrom u. 55, quesera
recompensado
Fujtio do cnpcnlin Guerra de Ipojuca um es-
cravo de nome lo<6 Moniz, estalnra baixa, e i
crinnlo : qnem o apprehender on <\ dito eiigenbo. on na ra da Aurora em rasa Sr
Elias liapiisia da Silva, ser generosamente re-
compensado.
h-('i! O fllti,! 0.
Xo dia 13 do corrente fugto o mulato escra^i
de nome Luiz, condecido por Luiz Hntiteiro, idaJ'
ii anuos, potirn mais ou menos, bastante alto, sec-
co, bem parecido, pernas compridas, cor clara, (ja-
bellos cachi a'ius, e canholit e anda se' torn'j
mais conhecido por U-r em cada urna das mij^
ama estrella pintada de azul, eem carta lalo^
roto tres piulas tambem azues formando om iriaB-
gulu, bem na vnie do resto ; oftirial de pedrci-
"0, iiintor e caiador ; e.-cravo do major Antor'i
da Silva Gusmao, morador na ra Imperial : jwr
tanto rnga-se s aulondades poliHaes, assim euUt'
aos senliores de engenhos e proprietarios, anndo
|Kir ventura elle for trabalhar, intitulando se fir.
tanto nesta provincia como lora delta, e aas cap
le-s de campo, que o fagam anprehender e r.-me"
ter ao subreitiio senhor, que papar todas as de-
pezas, a-M ktfAMk U
Acha-so fgido desde o dia 7 de fevereiro <
corrente annou escravo de nome Fanstitm, deTfla
de de 40 anuos, pouco mais ou menos, cor fula,
altura regalar, gmaw do enrpo, bem espadnado,
barbado e j coni algtins caltellos hranrns na I"!'
ha. bracos e pernas gpissas e haMante catoeiMrtfes,
tem a< pernas arqtteaAas, imrm nao muito, b-
tante cabellos nos peitos, e co>tuma quando qner
Miar mais aprestado como que gapuej-ir, poreii
muito pouco, qne mal se percebe ; mstOlmi andar
em sambas, e as mes embriagase por goslar dt
beludas espirituosas; supp6V-se qne elle segOki
para o centro, e consta qne elle est em Gravara!
porUnlo rojta-M s autoridades policiaes que o T3
cam appc-hendcr e conduzllo can* de eti <*
nh ir major Antonio da Silva Gn penal, em Pernatolruco, que satisfar toda e qial
qner desjieza qne por ventura facam. e aos cap;
tSes de campo offerenc nma boa graliflracao. ___
__Coniina fogido e consta estar acontado tm
Goianna o escravo Jos, pretn, crioulo. de 26 ;ht
no-, bauo, corpo repnlsr. beiciis 0*K$M 'inef^
di> oremw pequeas, cachaco groso, uaeaiiM 1
l>a iMirque tem aptatn na (iiwla do qnejxn, ktnm
dnas caicas, orna Manca e mitrarte castor e*0HM
qne parece preto, \U>. listras, naletut pretn, sem ?*>
misa e com nma caratHica encarna.ia na caM-ca s.
ropa-se s autoridades pnliciiM c rapitaes de cxm
pouoe o apprehendam e facam condnzir pre.ei
ca de sen senhor na rna Direita desta ciliado -
54, que sero generosamente reconjBecsadfls.

L
OLEGVLl


MM|
tmum
m.....*
Diarto e rrrmmmhmem Secunda lelra 1 e eeinbro de I *
l
LITTERATR.
Ainhsr critica lrs artigas publicados na iRerae
essa instiluicao execranda, que s6 veto a ser total- sera Hm, e a cidade alta, que sobe por Cooperas
mente abolida a datar de Janeiro de 1836. i Hill at o Zological-Garden, e i Necrpolis, cida-
Em 1848, porm, a lotera para burlar a aceito de dos n,ortos-
do governo, trajoa a candi la e santa roupagem da Na margem esquerda do Mersey, nao havia s-
desdem mondes., lomos iS e 46dos mcies de religiao e piedade, e ei-la de novo Insultada na' mente terrenos dsenos, algumas cabanas de pes-
iiuiho o julho de 488, sob a e'pi)rnpheLe Franfa, pan erig'conventos, egrejas e cupritas eadores, c ima casa de boa apparencia, peno do
Brsil el la sonre brsirniic, imi'iirs c! lj- Anda em 1850, em plena lepublira, vo-se tra- forte, que defende a entradado rio.
Era sir Mauricio Abdon, proprietario de todo o
campo, qae se esteadi* daquella casinha at o
forte. -
ores Miliar a tamisa loterii dolingot \ com um ca-t Se ainda liojo essa paisagem nao alegre n'a-'
Elle mostrou prestar singular alteneo barca o
as redes do pescador ; e, depois de trocar com
Lizaalgumas palavras insignificantes, continuo] o
seu passeio para o Jado das colinas.
Hei de provar a esle rico vzinho que o ho-
rnera de bera, ainda quo pobre, pode passar sem
Nao lia lugar algum onde o sol seja mais avaro os seus soccorros interesseiros, dsse Henrique
Ja n o illnstrado arl.gu.sta que, se nao ha cal- de seus raioSj 0 0 ceu ,nais ,iroa-jg0de chava mas Liza. sem la'8ar o trabalbo.
colad* proposito na sua ienoraneia, eu ando mais nroverhiai' lielle rias miilhor.* a i i
c rcedo de amanhar as trras, de grossr ros costumos do* negro-: hocacs e foito-' vae casar em I ivernool e anrende ..... 1 |Mwvwsweniterriveis nras.
Lora palmar e grosseira Ignorancia elle con,, ros hrasiteiros de*ca o Sr. Adolfo al mas es.i-so como u Xua rangdra N, ti I i" ZS f T1'""% ""* 'd{r0t'l!,^ ^
corno o hr estrume, ou adobo para c, ierre- radas paginas, com que o leitor fica estasado. i ,, no se v So 552 TSiS SSS^SSAS^ "^ ~
5 ^SSliSSl^l^m 55L55 jofoso c rii,icu,s5n rom ,al dcsaso maoe- azumOLd asul n5 mais radianle do iue as ] Ja se deve ,er "*** v #* m .^0,
--.' ^ZZTZttwZ^ZT^n iiadus P10 escrP,or da? ". 1M aos labios do, dZC gr,"aldaS de Se"h0raS' qU6 r0am W- na ^ de Henrique, esgo.ra intilmente, pa!
?a; leitor discreto e assisado nao pode deixar de asso- '"eatro, sem a m.slura das casacas prelas. ra com Liza, todas as formulas de seduejo. E' io-
mar o riso do escarneo por to bestialogca esti- Na data era que se passa esta historia, eslava crive> mal que fez Inglaterra o livro immoral
urna moga sentada na frente de urna das casinhas de um cele|Jre romancista. Antes da invencao do
safas ; pelo padre Manoel Amanri das ll
Chavrs, sembr da assemblfa legislativa pro- pital de 7 mHboes, parajavorecer apassagem da' quelle"tem|.o cra'trtsim'a"
inicial oasJUagas, c professor de lalim doh- California I .',,.,___ .,___._J
r"'u de Macei.
(Continna(aaj
VI '
D lotice em tolice, qual mais desenchabida e! vil
Jilivo as lagrimas e porque estas sanam as feridas una subscripcao, cuja importancia entregue ao
aalma- raPaz e J""'a as suas economas, Ihe permitt.r
poder ir brevemente para o sen paiz e para a com-
panhia de sua mae.

Acha-se nesla cidade com intuito de se apresen-
tarem expnsic3o. nm mancebo de 18 para 19 annos
pode-a dar cousa algnma.
v habet.
Xcmo dril qnotl
O eneyetopedico iiguista querendoostentar seus
rada.
Pilherias desencliaitidas, dichotes de mu gosto,
da margem esquerda do Mersey, c occupavase em Lovelace' nao havia a sombra de um Lnvelace em
1 rrfuota e rarudos conhecimentos natnraes e gaialadas estpidas e insulsas do idiota, formara o j ura trabalbo de aguiha. Era una dessas bellas In8,terra- O Bdalgo oueupawi-Sfi com apoltica,
agneotas, eutra em minuciosa descrlpcao da ar- j ^0 m|bMo d'eaaas paginas desalinhadas, que o \ morenas, cujo ty,.o de Chesler; cabellos negros aos 30 annos carava, e tornava-sc ch^fe de urna
"a" qtutamdeiro escreveu sobos vapores do delicioso! com reflexos reluzeutes, testa de um feitio admira- numeroa familia. Rchardson velo transtornar es-
0 rhum da Jamaica. | vel, as faces de rosas e lyrios, e urna bocea inven scs nabitos patriarchaes. Tera-se visto estadistas
A lesmri Iliteraria do Sr. D'Assier acabou de tada s n'aquelle paiz : o labio superior formava s&rins cmo os seus domingos, que, entre um e ou-
xando ver perolas que o tro discurso parlamentar, divertera-se representan-
ma denles. Seus olhos di- do Panel na I-ovelace, e por juvenil fatuidad*1,
doce brilho'sob palpebras de azem a,arde de f'gurar em um processo escanda-
a belleza. loso-
Assim .
1
A melancliolia acouipr.nhava o poeta como a sua
sombra; cada verso urna lagrima, cada poesa
um canto de dr.
Ponjue?
Casimiro de Abren amava.... amava extrema-' de eila,ie' Pr nome JaoBaptista dos"Santos, natu-
raente a sua mi o miro lano a urna mnea-a vr- raJ, do Algarve, que lera tres pernas e qnatro
gem que o inspira va serapre. Se lestes cora atlen- i pef:. ,
-ao as suas .Pnmaveras. l virieis que elle pade- *f obsan* cfs defeilos dc rbusla conor--
ela por ambas e que ambas amava cora esse araor m'fi0 "" du l"f saude-
de _ne|a A natureza lem luiiibem os seus caprichos.
escuece o caplm ; salta canna, e ao fabrico
acucar, acabando pela indefectivel racha-'n. de
Tratando peunrteamente do algodao o eare- ".% {'f'm ] crpr 1 PfW da Reiisla babea
o leite dos alooones, desenfaixou-se nos bordis e
0:0 rialuralista remata a historia d'essas ires plan-
tas com o seguiute memoiavrl epipbonema :
E' a esses tres termos, assucar, caf e algodao
C1.? se reduz toda a agricultura brasileira.
Pobre tabaco tu que at agora constituas urna
grande parte da riqueza agrcola brasileira, e ate-
do bajo comiioes o emblema da bandeira nacional,
aleaste supprimldo pelo omnipotente fuero do Sr
Adolfo D'Assier l
(trigo (elle o coufessa mu ingenuamente)
ippareee sob a forma de pao as mesas dos ri-
cos. O paranynpho das senzaias pnnba-lhc o den-
A linda moca conlemplava com tristeza um ra- !,ue fl noute fechada' Henii'iue lava
pro>tibulos parisienses, vindoacabara sua educa- paz que dormia sobre a re va, junto soleira da no'c lu'ava coraJosamente contra um vento po-
cjto entro os indios, os tropeirus e as delicadas I porta, e, de vez em quando, suspirava, oteando 'f|ue su pel Mersev acma
Tfacidade"^ que elle escreve o f ....... !para c6u- Li" rezava diante ^^stmie S. Patricio, pa-
Essa moca clara e paluda, de olhos e cabellos
pretos, liaba urna tez fina, delicada o de urna alva-
ra tal que vos parecer ura setira : era porm po-
bre... era urna das causas do seu soffrimente....
elle tambera era pobre !
Sua mae torturava-o cora as suas toncaras : li-
nha sido a causa do seu exilio em Portugal, para
ondeo seu pae mandara-o para priva-lo deassistir
as mfam antes scenas d. sua mae. Elia anda
vive, mas para ponparmos a memoria do poeta, nao
mais tesaremos nessa macula de que poueo talvez
sailiam.
Flho natural de ura spero fazendeiro nao pode
seguir a trlha que a vocafiSo Ihe indigiUva. Eram
todos os seus desejos vir esludar direito, porm o
seu pae julgava que somonte o positivismo docom-
merco o pu lera tornar feliz.
Nascido na provincia do Rio de Janeiro, leve ce.
do dc deixar a sua patria para entoar os cantes da
saudade as ribas pittores>:as do Doaro, as var-
zeas do Tejo e as velgas risonhas do Minho. Ah
elle recordava a nngeitade dos nossos sertoes e a
sublimidide dos rios gigantes: a sua lyra fu in*-
pirada pelas dores do exilij c os S3as cantos l
leva me a intima convicio de que o Sr. D'Assier! O rapaz acordou sobresaltado, como que assus- aroeiroaa "lanaa, e urna pequea lamparilla, pha- mesino respira vara os ares da patria. De volta
do numero d'aqu. lies que n.io devem atirar pe- tado por ura sonho, e levanlou-'e com difflcoldade r' ca&eir dava uma frouxa claridade alravs de
ras aos transentes, [wrque pode acertar em seu i com 0 vagar de um ve|ho um vidro embacialo pela neblina.
s temos
proprio pae.
O impo iconoclasta, nao podendo acabar d'uma Mano, disse-lhe a mofa, dermes como se II-
vez com as sagradlas imagens, d-lhes ridirulos vestes ganho uma libra. E esta noute
empregos, fazendo at padroeiros dos criadores de ..... rri. 5
,nlc) P porcos o immortal confessor de Padua. | para a Ctia' pa0 e aSua"
Drt tolice em tolice, quil mais inspida estulta,. Que queres, rainha querida Liza, respondeu
?..r:.51AJs?,,:r.!!^[* tr?u.r1d?..^,'/f'c?.in..?,lm:elle: s.nto-me hoje ainda mais fraco do que nos
outros das. E entretanto tenho tome.
snmenle de escarnecer ezombetear dos Brasileiros,
te alguma vez, qoando a sua Venus de Jacaranda aowSeiiUiiio-os aos olhos da Europa rmlisada,
?..11 pilha-lo da mesa do Senhor. O sustento C0M0 amt BPW grosseiramenle supersticiosa.
i,,i.,i..| j., a, .__.. Sentese o Sr. D'Assier, e ouca-me. A crenca
habitual da gente pobre a mandioca, o arroz, o I nos feill.os e todo 0 Renero' de sovr|tSI0i quas
mino e o lepo o Sr. D'Assier est. nessa condi-: lito vetea como o mundo.
(e:; por Uso contenta-se com o costumo da trra | .Sem fallar na pythonissa de Endr e outros ma-
genio eminentemente creador do Sr. Adolfe
i ocura a todo o transe prcenclier no reino animal
? rasileiro a grande lactina que oelle deixou o
C.u;potente. Como o nandti, e os onislitis, elle
creou agora s com a torca de sua ventado um
r-.ovti, que nao sabemos se bpede, ou qoadrupede.
Tratando da> cobras do Brasil, o Sr. D'Assier
enromette uns poneos de erros e falsidades, reterin-
flo ura facto, de que elle se apresenta como teste-
nunha ocrular.
Diz elle ter vi>to urna enorme jaracotiaja, In-
(enottpkato dos mais cenenosost abater-se sobre
es caes, para se vingar sem duvla por Ihe have-
fem lies perturbado o seu repouso. c mata-Ios
".'tantlicamente.
O eximio lingista, cuja inimilavel pedantaria
fartou os leitores logo no principio do artigo com
tuia enxurrada de tchoon, couaruj, tarou-ie-tou, e
outras palavras improvisadas pelo seu beetenln, e
<". nao existem em diccionario algum da limrua
tupiea, (1) revea agora completa e supina ignoran-
cia das cousas indgenas, chamandojaracotinga
c que deve ser-jaiaracotinga; isto ;jraraca
Eutao renunciaste compleUmente pesca,
meu bom irmao?
Que queres, ha tanto fro noute !
Mas tambera ha fro para os outros, disse
gicos mencionados as sagradas paginas, n^ acha- j za j
moa os feitceiros entre todos os povos. Mas, se .
re orrermos a historia patria do tllustre mscate \ ~~ i>ao> eslaes engaada; ha pessoas que nada
gallo, encontraremos proeessos mu recentes, e ; temem, e eu tenho medo de tudo.
juteados mesmo na Franca, que demonstram quan- Mas. replicou a irma, s de uma sade ro-
to (iiiii -ii extirpar taes prejuzos.
L'ma fbula de Q ty, intitulada a reina e sen ga-
to, enumera a tribuales a que. estao exportas
na Inglaterra (sai palavras de nm escriptor inglez
o Sr. Bretn) as pobies inu'heres que passam por
eniregar-se ao roliculo offlcio da feticeria.
Tal anda na Europa a superstieao popular.
Ougamos agora o que a proposito disso diz o Sr.
Eugenio de Monglave. Ilustre escriptor frontes,
Entre nos anda grande o numero dos feit-
ceiros (sorciers) que ordinariamente acabam na
polica correccional.
busta, tens torca como um touro, nao terias medo
de jogar o socco com Dick.
E' verdade, Liza, e apezar disso, sinto sem-
pre desf illecimentos nos ervos, que me fariam
temer que qualquer crianca me deitasse ao chao.
O fri, o nevoeiro, a chuva fazem-me calafrios.
Gosto de trabalhar e repgname o trabalho. Es-
tou sempre como que entorpecido pete somno.
Oh! muilo triste disse Liza enxugando
A qualquer rumor que senta tora, abra ella a
janella. mas nada poda ver, e s Olivia o surdo
burburinho do grande rio, que desee das monta-
nhas de Sheffleld. e alargase na embocadura como
um braco de mar.
A' meia noute, nao podendo resistir ao somno,
estendeu-se sobre a enxerga, sera despir os trapos
que a vestam rosaentre teas de aranha, e ador-
meceu.
Acordou com o barateo de tres paacadasraa por-
ta de sua casa:
Meu pobre irmao! disse ella correndoa abrir,
o fro da noute fez-lhe mal!
Mas deu um grito, ao reconhecer o homem que I primor do seu livro, e preciso foi que elle expiras-
lhe appareceu cerno um espectro, e obedecendo a ise Para 'lue as 'orias de pojla tee adurnasse o se-
uma rabila Inspiracao, curvou-se, e passando, co- j pu'chro.
mo uma corsa, por baixo dos dous bracos, quz se-; ^i no anno dt 186( ('ue Csiniiro de Abreudei-
era
1857, sentiu corao que uma renovacao do seu pas-
sado, elle sorriu-se as illusoes que de novo s* re-
volveram na mente, mis que depois foram se su-
mindo uma una, corao Bres secca< era tarde de
venlanias.
Decidiu-seeuifim a publicar as suas poesas eera
18S9 no [lio de Janeiro appar 'ceu um bello volu-
nte ricamente impresso con o titulo de Primave-
ra. Xenhum no.ne Ihe coubera radhor : a es-
tacao das flores e smente fbres. ali se encon-
trara flores liiin- de uma inspiracao espontanea
como sao flores da primavera.
Alguem j disse queo re^onheciment do m-
rito s vem depois da morlee uma verdade.
Poucose fallava de Casimiro de Ahreu apezar do
L-se na Iterolacao de Selembro, o que segu :
O namorado Iranspde tmido os umbraes da porta
do desejado sogro. Calca luva do Barn, bota d(>
Slelphlug, elegante chapeo dos Cresioi?, rak de
Orproog e rescende a agua-colonia.
O sogro ern perspectiva apparecc a porta da sala.
dc barrete de dormir, ebambre roto, oculos ne
testa e olhar carregado :
Senhor, diz o dandy, a vida humana cifra-se
em duas felicidades : o amor conjugal e as delicias
do lar.
Pareee-me enganar-se, torna o vegete: as
felicidades sao o dinheiro e a ausencia das ma-
nieres.
Sao modos de ver. Eu amo sua filha.
Nao o primeiro.
Vcuho pedir-lhe a sua mao.
Liuvavel desejo.
Nao sou rico...
Triste cousa.
Mas o meu nome e o meu coniporlamento...
Caso indiferente.
Abonam a prelencSo.
Siga.
Tdabo uma posicio definida.
Em que vocabulario ?
No orcamento.
A cousa mais fallivel do universo.
Sou empregado publico...
Simples caixeiro do estado.
E gauho aonualmente...
Dme liceiic i para tomar urna pitada.
Trezeulos e oiteula rail res.
As casas e.-lao caras, raeu charo senhor, e a
carne a 140 rs. Deploro a sua posico. (Tocando
urna campaiiiha.) Joo, acorapanha osse senhor.
Mas..., torna o elegante nadando era suores
fros.
Mas... V. S. ganha 3805000, e eu tenho SO
anuos de edade I
O preteudente fo agarrado no da seguinte por
um municipal quando eslava para se lancar ao
Tejo.
Passemos um golpe de vista retrospectivo para i duas lagrimas.
0 XIV e XV secuto ; quando o Brasil nao tinha Acreditas que nao soffro, proseguiti o rapaz,
.aludo anda sob as vistas ambiciosas da Europa, vendo-te to pobre, tito mal vestida e lo desgra-
e ja a rranca tao cnilisada recorra aos erros do' i,_ ..
paganismo,c ao culto grosseiro da edade meda. ;5ada? Tomo as "" in>a resolucao; oteo para
Foi uma begaina de Nivellus que proclamou a i as miabas redes, para a rainha barquinha, e digo :
innocencia de Mara de Brabante, mullier do re Esta noute hei de trabalhar pelo offlcio do nosso
de Franca, Felippe o Temerario aecusado por La _... ., mks u_ i
lirosse.u-harheiiodeS. Luz. pobre pae. Amanhaa levare a m.nha pesca ao
Luiz XI faza tremer os mais altos bares do seu mercado de Liverpool, e trarei peto menos uma l-
reino, e elle proprio ajoclhara-se em presenca de | bra minha pobre irmaa. Mas chega a noute; camnhou-se para o rio a passos vagorosos, mur-
sirologa I sopra o vento norte, o Mersey encapella-se, dese i murando palavras affectuosas, cora voz muito do-
xou o mundo : era justo que o lugar que ouviu o
primeiro cnilro da ave ouvisse tambera o seu der-
f.aihartea de Mediis viva incessantemente pre-
+ anca, ou fedorenta, por que essa especie de co. oceupada do mesmo terror,
bra tem ambas as qualdades exprimidas pelo ad-
o nevoeiro, cae a chuva e falta-me o animo.
Ali-
Duranie esse secuto a sciencia faza valer se i r-me na ca,na como um pedaco de chumbo.
Pobre irmao pobre Henrique I *
, que ha paizes, onde
e o mar azul e tepi-
da violencia de seu veneno, tenha mono tnstanta-' Omlherme Portel niio foi reverenciado por seu o sinl I"1'' em um Paiz assm, teria a forja
lamente animal algum ; e muito menos a tinga, yerdadeiro mrito, corao pelo mrito oceulto que; que me falta ao corpo, a forja da alma.
lectivo tupkoltnga. Ella mais esbramiuicada que Pr a1ui1l mesmo que mais devia desconsiderada. Pobre irmao pobre He
a verdade.ra, e exala de sob as escamas um humor v ,"s'r,raram '<* em ^r^'"e Agrippa de ; Dir.em, proseguiu elle,
... ... .""""" "Ul Xeiioheiin, para admirarera o homem iniciado na ,.,
liJo. Nao ha exemplo de que a jararaca apezar cabala. 1uonw> r,a st-reno,
i.'ja, de um oval oblongo, exclue o nnrne de tnjo-
i ocepkMa que llie empresta o Sr D'Assier.
A cobra trigonocephala ( cabera triangular ) sai- i
se Ihe suppimha.
(iorneille Gemma confunda a astrologia com a
astronoma.
JoSo Tasnier tratou da chiromancia em forma.
Miguel Xostradamus foi cercado das homeoa-
i gens da corte, que pretenda coinprehenJer suas
a o tllustre naturalista gallo, da familia das ero- \ intellgencas centurias.
telas, das tachesis, c das tisiphones : nunca fo,
nem poder ser contada entre as jararams.
Erros lo palmares e tao frequentes dio ntreos
rendantes um distincto lugar de honra ao immor-
>r. Adolfe.
Descrcvendo a viagera de urna familia pelo n-
trior, o artignisla tem occasiSo de fallar e n uma
f.ve de nomoara, que nao p le deixar de ser ou.
tro erro grosseiro, em lugar de arara, passaropnr-
l tale, do bieo revolto, da Familia dos papagaios. r
que falla a lingm brasileira tao bem, como o Un-
r istico Sr. artignisla.
Nao contente o Anhang dos indios de apresen
tar aos olhos do mundo cvilsado o brasileiro todo
entregue crpula, pinta-o agora dominado pelo
destruidor vicio do jogo, que absorve-lho todas as
rendas com gravo detrimento das estradas, ca-
aaes, e estradas de ferro.
i Lina das variantes do jogo a lotera ( diz
elle ) essa lepra legada ao Novo-Mundo pelos an-
i.gos conquistadores.
O pobre artiguista falla de outiva ; alias nSo da-
ra lo grosseiras cloradas.
Compulse o Sr. D'A sier -U Ensate fohre a pai-
kaodojogo-do seu patricio Dussanlx, litte.rato, e
deputado ( Pars 1779 ) e ver qual a lotera, s ,b
C nome de banca, chegou mais depressa da Italia
Franca, do que do Portugal ao Brasil ; isto ; pon-
Parmeson B zes Baixos, foi o orculo da Hespanha, e merecen
ser citado por Cervantes.
De bem prxima data o ronde Caglostro, ou
Jos Bdsamn.
E ii proprio Napnleo grande nao cru na sua
estrella ? Nao foi elle quera mandou a sybilla da dinheiro emprestado, preciso resltu-lo.
: paizes ? disse Liza com voz trmula.
Com que, minha boa irma? as viagens cus-
tam muito caro, e nos nao possuimos uem um
schilling.
Sm, Henrique, infelizmente verdade...
Mas podemos pedir emprestada
A quem ?
Ah !...sim...ah que est a difflculdade !
O mpossivel! minha Liza ; quando se pede
gura-la, correu, com espantosa agildade, para s
beira do rio e s parou ah, era cima de uma tabia
que servia de rampa e que se eslendia por cima do i radeiro canto : isso acontecen ao poeta : inspirado
pela primera vez na potica Frihurgo. alm dos
orgos, ali perdeu-se taiiibem o seu canto final. L
jaz ainda a sepultura do poeta, e quem l vae que
nao desfolhe rosa; sobre a tensa,on que. depond
uma cora de saudades, nao va regar as flores em-
murchecdas com as lagrimas da dor '!
Era anda muito moco : tinha sido sua vida mu-
te curta, longos porm tinliam sido os soffrmentos.
A posteridade vae cada vez mais fazendo jnstica
ao seu ment, e as suas poesas sao lidas com
admiraco e apreciadas por todos. Exgotada com-
pletamente a edico do Kio, faziam-se raras as
iPrimavcras, e anriosos moitos desejavam debal-
de possui-las quando uma nova edico tirada este
auno em LlsbOa velo satisfazer os justos desejos.
Aquem e alm do Atlntico, Casimiro de Abren
apreciado. O sentimentalismo das suas poesas
fazem lerabrar as de Lamartine e os cantos de
Goncalves Das. O pensamento se dobra melodio-
samente influencia da rima e as phrases harma-
niosas Ihe cahem quasi que sem sentir, pois como
diz madama de Stael: tO poeta nao faz, por assim
dizer, seno soltar o pensamento prisoneiro no
fundo da alma. >
Mersey.
Sir Mauricio tudo tinha previsto, menos es so ge
ero de defeza; ficou algum terapo immovel e in-
deciso. Depois, deliberou proseguir na sua tentati-
va, lembrando-se que, se perdesse essa occaso,
talvez nunca mais se Ihe offerecesse outra: porque
o irmu protector, cujo temperamento indolente c
inimigo do fro elle conhecia perfeitamente, nao
era capaz de passar outra noute no rio Mersey.
Sob a impresso de uma febre qualquer o pen-
samento funcciona rpidamente. Sir Mauricio en-
ce; poretn a moja, suspensa sobre o abysmo do
Mersey, com um gesto obrgou-o a parar, e gritou:
c Se d maisum passo achar-se-ha sozinho aqui, e
ter de responder pelo meu crime perante Deus!
Sir Mauricio, que era membro da cmara dos
communs, empregou todas as figuras da persuaso
para tranquilisar a rapariga, e provarlhe que el-
E porque nao vamos para um desses bellos le quera ser seu protector desnteressado : ella li-
rua de Tounmm consultar as cartas ?
Madamojselle Le Nonnand nao perdeu todo o
crdito iIoiois da sua morle ?
E as villas e os campos da vossa trra, Sr. D'As-
sier, nao est do mesmo modo ijue entre nos, re-
rheiados de feiticeiras, de prophetns, de entende-
dores de cartas, de pastores inspirados, que lem o
futuro cm um ovo, nasliniias das inos, como as
A menos que nao nos seja dado esse dinheiro.
E quem dara cem libras a um pobre dabo
como eu ?
Mas, replicou Liza, perturbada... ha quem
tenha offerecido dinheiro.
Quem? disse Henrique interrompendoaviva-
nossas rigaoas, sem ron'ar'/ssas mesas dansanles, I mente.
fallantes, e esses espirites que .-e aboletam no co-i Sir Mauricio Abdon
pfeftr a^tlsts us i, "r'r ,an^u um oi,,ar u,miname so,,re sua
jaes disposto a tirar patente de tolo. | laa e aeP0,i de um longo silencio, disse :
Para ostentar toda a variedad? e. exlensao dos /'-n., ,
seus Cnhrctmentos, o Sr. D'As>ier intulca-se lam-! <-nca, antes quero mnrrer de tome, e ver-
bem urn |kuco entendido na sciencia de Hippo- le morrer comigo, do que reeeber cinco libras des-
crait's, dizendo muito modestamente que. pela sta se homem !
quaUdade de vinjeiro, o felor da fazendo, emane Nao te irrites, meu irmao, julgnei ter desco-
n [eitireiro purgara de mais os escravos, etcobriu >. ._,. __ __.. ,
Jile cara de duulor, e appellou para os seas conhe- berl0 "m expedtente que....
rmenlos mlicos (textual) a lira de impedir os ra- Cala-te, crianca! disse o mancebo inlcrrom-
de um verdadeiro enveuena-
pendo-a.
Fallemos de nutras cousas, proseguiu Liza.
pidos progressos
ment.
Que bello titulo para ser doutor em medicina i
E' desses ttulos e d essas reeo.nmendaces que ""-emmeque no Roal Thcatre ha raparigas que
os nujeiros gallos di plana do Sr. D'Assier Irazetn ganhart cinco schlllings por noute, apparecendo
para o Brasil 1 as comedias, sem fallarem... fcil.
Vejamos em que dorara os profundos conheci- E te disse isso? pergnntou Honrtoue
mentes do mlico leito as pressas. ,, 6 yunque,
U sabio rionlor, queda sciencia de Esculapio nao lu na0 fallas com mognem.
ro depois de loOO : quando o Brasil, poueo des- entende patavni, embrou-se de ter unvido dizer Mas, meu Henrique, s vezes, como tu, son
COberto, e lutando braco braco com os seus con- j lgres que a clara lo ovo era um contra veneno; ohreada a Tallar cora o noss0 proprietario nnan-
qoistadores, nao tinha lempo, nem dinheiro para ?*V ')nUr ocns d/J *! '"f"'''0'- de '"'' do elle anda paliando a cavallo, e para diante da
1 taruqas r de passarmhos (textual) para desenvene- r .. ,"F"imwii
, nar os negros. nossa ea 1 lhfi perienee.
tal | Qu3 doutor de patente I Ainda sir Mauricio I disse Henrique; e fo el-
Que em 16oS concede, am-se cartas pa.en.es para o \ \ %^T^0. ,
CStabeJeeimeoto de uma lotera de inercadonas. O pobreSr. D'A-si.-r disse isso innocentemente,
vendo-se depois u mesmo governo na necessidadd llor ignorar qu nem tola a qualidade de ovos lem
de prol.ibi-la-, por quesolapavam o estado. \ na rlar? a virll,dc anwtolieal; porque essa virtu-
i de reside no albmina, que alguna ovos nao lem ;
por t-xempio os dos aniones amehibios, em cujo
numero entran) os jacars e tartarugas, citados batear
pelo alustrada doutor. D.Miiais, a virtnde antito-
aprender a jogar.
Na Franca, isto sira ; a lotera fez ura furor
Ainda no principio d este seclo havia ras es-
labelecidas era Bordeaux, Strasbourg e Lyo para
nha bastante bom senso para nao se deixar enga-
ar por essas melifluas palavras. Nao se pratcam
beneficios com taes arrotibos, meia noute, disse
comsigo Liza; e conservou-se na sua atiitude de
defeza, com o braco estendido para o seu crimino-
so aggressor, e fazendo estalar sob seus ps a ta-
boa carunchosa, como qne para fat-la quebrar e
cahir no abysmo, poupando-se assim ao crime do
suicidio.
Sir Mauricio, pertinaz na sua idea, tanto por
Sem ter elle o genio de Alvares de Azevedo, nos
o julgamos superior pela harmona do verso c pelo
sentimentalismo do pensamento. Da escola de
Byron, entbnslasla pelos poemas do poeta nglez,
este qneimra as flores do coraco na letura do
Child-Ilarold, de D. Juan, e sobretodo da Parisi-
ma. O calor das orgas linha-o tornado raaterialis-
amor proprio como por paixo, terminou o seu dis ta e ah Alvares de Azevedo crestra esse idealismo
curso com esta peroraco : i tao bello na poesa.
Pobre Liza, marres aqu de miseria c de fo- i Eis em que se distinguen! os dous jovens poetas,
me; leu irmao um prdgoicoso, que nada pde^eguaes no genio, egoaes no destino !
fazer por ti; e eu, por um senilmente de earidde Se Casimiro de Ahreu nao tvesse morrido tao
christa, quero dar-te a abastanca, e nao te peco o I cedo, seria boje sem dnvida um rival de Gonjalves
menor sacrificio. Estabeleco-te com leu irmac em Das: tinha os predicados para ser um grande
Church-Street a mais bella ra da cidade. Exer-' poeta : tinha a imaginacao, esse souvenir ideali-
cen* ah a prolisso nue convm a uma rapariga;; fi no dito de Pbilarete Chaspes, e a inspiracao
venders fazendas dc Dublin, pannos de Sheffleld, i nunca Ihe falten,-era um verdadeiro poeta,
sedas bordadas de Manchester, e fino aro de B.r- j A sua poesa nrl0 vae adu|an,,0 raslejar-se na
nimbara; eu fornecore. os fuodo* para esse com- cscadaria dos nobri.Sf nom assentar-se no bal cao
mercio, e todo o meu prazer ser ver-te feliz, e fe- das tal)ernas. m.m se emhrJaar nas orcias dos
l.z pelo meu fraternal desvelo. i upanares ,,, s0lll)e comprehende-la e Pelle.an
- Ah vem meu irmo! excjamou Liza, apon-Ja''"ha dito que: o que faz a poesa, a parle
lando para o Mersey. na direceo do forte.
(Continuar-se-ho.1
UM POLCO DE TDD.
Da Crenra Iranscrevemos o seguinte :
CASIMIRO DE AllllKl.
' O que verdaderamente divino no coraco do
divina do coraco humano.
I.-se no Cmmercio do Porto:
Ha dous annos aposteo um habitante de S. Fran-
cisco que Richmond sera tomada no espaco de
irinla das.
A entrada era uma maca, com a rondicao de
que seria dobrada a cada periodo de triuta das
dejiois do termo fatal.
Segundo as ultimas noticias do llieatro da guerra
na America do Norte, j o homem devia mais de
oito inillioes de macas.
le quem te aconselhou que te fizesse comedanla ?
Comedanla que nao falla, disse Liza, com a
maior ingeuidade.
E's umanjo! exclamou Henrique, abracando
a irma: quero lornar-me digno de ti. Hei de tra-
s que elle pr>
&arias e indispensaveis ao nWhanismo e phi|no-
Shia da lingna, visto cxpriimrem ideas e nngSes
ne nao pudem deixar existir entre pnvo algum.
ti5o as encontrei no eseellente dierinnano -la lin
pa tupir do Sr. consellmirn, Dr. Jo Maria de
Almelda e Aranjo Correa de Laccrda ( 1860 ). E
nao sendo pnssivei, que vasta enid'cao e pr>fun
dos conliectnentos lingsticos do sabio phitolngn e
lexicoerapbo pnrtmttiez escapassem palavras tSo
oecessarias e capitaes na confecQao do seu d'ccio-
riario que tenho entro m.ins conclu que ella- erara
O parte da pedantaria do Sr. rr*lir, tantas vp? revelada em mi esermios. Sinto que tamaita
lonaitude me separe do Sr. D'Assier, qiiA prova
velmente nao ha de Ir* esta minha humilde res-
|OSta ; pois desejaria ver com que diccionario on
Classico da limrua Hpica elle provaria a existencia
deseas palavras. E, como eu pretendo remetter.n
Otmia de Pernainhuco para a Revista, se tiver a
fortuna de ser lidopelo Sr.D'Assier.eelle me i'i'fai
digno de respost, queira nao eeqnefer-se qae
rae esarado nesta nota.
(Continnar-se-ha).
Tiiipu.iaii.
AO MRL' AMIGO D.N.NADIBI',
Guarda-bandeira da nu bucentauro.
II
Nas raargms do Mersey.
(Continuaco.)
Em 1803. Liverpool nao era a soberba metropo-
Liza estremeceu, e o larapejo de alegra que Ihe
nou a tristonha paisagem
, proseguiu o mancebo :
Eutrou era casa, e volteo d'ahi poueo trazendo
lodos os utencilios da pesca, que colloc-m na bar-
quinha, que se achava amarrada boira do rio ;
depois tratou das provisoes oecessarias, com um
ardor que nunca livcra. Liza applaulia-o com a
voz, com os gestos e com os olhos.
De repente, ella estremeceu ao emir o tropel de
um cavallo.
Ura lavalleiro approximou-se da casa do psca-
le que vemos boje. Sessenta annos de trabaibo dor.e parou diante da porta.
ingle flzeram desse pantanoso balrro a cidade de Era um homem de 40 annos, magro, paludo, mu-
mais commercio e mais rica do mundo. Na po- to direito, com uma cara, que tinha typo cavallar,
ca denla histeria, Liverpool nao tinha ainda as uma testa saliente por cima de seus pequeoos olho-
suas qarenta doras, com as rvclopiras aberturas
sobre o Mersey ; a magnifica alfandega ; a grande
praca de mercado, que nm mtelo; a bella pra-
i;a do commercio; os sumptuosos hoteis ; os caes
verdes e bajos.
Liza levante'.i-se e comprimentou-o respeitosa-
mente; Henrique olhou-o de revez, e continuou o
seu trabalbo.
E no andar cm que vo as cousas, por muito feliz
se deve ter se nao Picar arruinado.
homem nao pode ser definido- disse raidaina de
Stael fallando da poesa; esle um dom na verda-
de tao sublime, que smente pode dimanar dos
cus e nem se poder traduzr nao ser do mo-
do como Lamartine interprelou pela palavra--,
Emojo!
Esle pensamento do poeta francez acha-se com-
pletamente expresse nas paginas de Casimiro de *
Abren.: joven, elle se compenetrara da phrase de l'm esiranlio incidente tinha motivado um gran.
Lamartine e terla talvez hombreado com o seu mes- de concurso do povo, no da 6, ua rua Saint Hono-
tre, si nao raorresse to cedo: r, em Pars.
Casimiro de Alreu era um verdadeiro poeta : as [ Ura rapazubo saboyano parara defronte das vi-
Primaveras^ sao um livro precioso, mas queain- drajasdeum armazem de papel onde eslava expos-
da nao leve a justija bastante. Ahi se encorara a la, entre varias gravoras, uma aquarella que res
poesa pura e os seus versos se dcshsam to doce- presentava n'uma casa de colmo, n'um sitio dar
mente que semelham o leve murmurio de um ra- montanhas da Saboya, uma mulher rodeada por
cho, que lnguidamente curre sombra das palmei- seus fin10s. Depois de ter oteado alternamente
ras, em cujos leques partidos vera a aragera sus- ()ira es>a aquarella, a creauca entrara na toja
pirar ao anoutecer, misturando os seus queixumes gritando :
rom o cauto saudo.-o do sabia. Minha mae! minha mae 1
Nos ouvi.nos, vemose sentimos oque opoelanos Fura accomrnettida de violenta agitaco ner
linge ; e enlcvado nas azas dos seus sonhos quan-
las vezes elle nao se perde e nos com elle! en-
to que corao delirio se apossa de nos e rimo-nos
com o poeta, e com o poeta choramos t
.0 mesmo nos acontece com Casimiro de Abren-
vosa.
Depois que foi possivel serenar-lhe o animo, disse
que a pintura espuela na vidraja represonlava com
grande exaclido a sua i\baiia natal, sua ine
c suas irmas, que provavelmente tinliam sido
Triste quasi sempre, elle sabe infundir em nos desenliadas por algum pinjo? lotuiste.
uma tristeza que chega a nos arrancar lagrimas; Como haviajaaiguiis annos que e^ava separado
alegre as vezes faz-nos o coraco pulular de jubilo: da sua familia, eu>aia-!he aquella vista uma mi-
mas nesla alegra ressente-se nos versos uma me- pressau que nao pude evitar,
lancholia inliraa- porque o coraco desse poeta rj passageiro que tinha ouvido esta narraci
padeciaeporqueellepreviaqueosseussoflrimentos compren esta aquarella e doma ao peqoeU) sa-
eram talvez infindos; mas ao sentirmos os tristes boyanu, ajuntando aiuelle dora uma peca de 20
harpejos de sua lyra o nosso coraco como que pul- francos,
sa de prazer- porque as dores aobam um ti-. Ao mesmo teuipc. as pessoas presentes abriram
Jos Agostinho de Macedo era homem de enge-
nho reconhecido, se bem que de carcter vil. Licen-
cioso descarado e invejoso sera medida, nao tinha
forja para mascarar seus seuliraentos quando es-
creva.
D'ahi provra o olvido a que parecera estar con-
demuadas suas obras, onde os estudiosos podera
encotitrar alm de uma erudijo vasta, uma Ira-
guageiu portugueza pura.
Se o autor desee muitas vezes a usar dos voca-
bulus mais proprios d'ura arrieiro, como nos arti-
gos da Berta Esfolada e nas eslrophes do poema
neroico-coinico iineltior seria chamar-lhe heroico
poreo) os burros; tambera exprime outros n'uraa
iiuguagein nobre, corao niMeditaciio e no Newton.
Tauo nas obras dura genero como nas do outro
ha lices a aproveitar : />or./u. a'am apnmde-se a
evitar os excessos, n'outros o segredo d'uma ljo
pura e elevada.
Quando os preconceitos, que ha contra este ho-
mem, tiverem Ora, suas obras sero lidas cem
prazer.
As obras de Macedo emquanto elle viven Uve-
ram uma grande extraejo, nao tanto justificada
pelo merecimento dellas, como pelas invectivas,
que ah eram dirigidas a homens de genio, que sao
sempre os novos estimados.
Concurra tambera para esse lsongeiro acolh-
meolo dos escriplos de Macedo o modo porque elle
tratava das questes polticas, que agitavam seu:
contemporneos.
Era a satyra desapiedada, que deixa em p os
principios, mas que fulmina os que os pregara.
O esquecimeoi de trila anuos represalia snf-
ficiente, para viogar as victimas de Macedo.
Hoje j eomecara a ser procurados nas livrarias
os escriplos do Horacio, de Jos Daniel e adversa-
rio iiicansavel de Bocage, vencido a cada passo
por este, mas ergueudo-se sempre de cada queda.
lia uma anedocta indita de Macedo, que nos
foi contada por pessoa sua contempornea.
E' uma lija) sabia a esses crticos de todos os
lempos, que exprimera nas trevas lemendo os gol.
pes de seus adversarios.
Agostinho sentra-se uai da n'um banco de bo-
tequim.
A vida depravada a qoe.se entregara tornra-o
esquecido dos votos feilos em 1778.
Defronte delle eslava sentado, tendo um pequeo
grupo em re la, um homem fallando com certo
lom de importancia que incommodou Macedo.
O pretendido rival de Camoes esenton.
Cusa a crer, dizia o orador, at que ponto
chega o injostiflcavel enlhosiasmo do publico para
rom este hornera. Que obra de merecimento pro-
dnzio ello ? Leiara o Oriente, lciam essas tarcas
tolas, essas tragedias sera sabores, que ah va i ap-
plaudidas, cam olhos abertos, e verlo so nao ha
razio para rir dos admiradores do padre Jos Agos-
tinho, que tem o airevimento de medir-se com o
chistoso autor do Almtcreve das Petas.
Macedo leve leiitaces de esganar o seu detrac-
tor. Conteve-se, porm, e decidiu enriquecer a sua
galera de burros com mais este, que ousava es-
concinha-lo.
Mas ia por diante o monstro horrendo na sua
critica verbal, quando Macedo teve uma idea ex-
travagante.
Levanlou-se e dirigiu-se ao grupo com ura sor-
riso satnico nos labios, que pretenda tomar a-
mavel.
Agradecido poras suas benvolasexpressoes,
disse ao orador.
E-te estremeceu.
Levantotpfte e sahiu do hoteqnira.
Senhor, disse elle a Macedo, que o acompa-
nhava, tudo o que disse o contrario do que pen-
s seu respeito. Admiro-o, mas gosto de me rir
cusa destes parvos, que sao seus inimigos.
Quem o senhor T Nao escreveu um entre-
mez para a rua dos Condes?
Sm, seuhor. E' intitulado Cacar sem
arma.
Percebo, pensou Macedo, tens medo de
miu.
Os crticos sao quasi todos do genero deste.
Quando se Ihe chega a lanterna ao rosto, de ho-
mens tomam-se escravos, em vez de escravos se
tornarem homens.
Nao tem forja para tetar de face descoberla e
pedem perdo.
PEK.NAMHUCO. -VP. DE M. tM F. & P1LHQ
i




~. ..


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E4P323M9Y_5L45LN INGEST_TIME 2013-08-28T00:39:22Z PACKAGE AA00011611_10470
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES