Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10468


This item is only available as the following downloads:


Full Text
r


AMO II. NDIEBO 212.
Por tres mezes adiantados 5$O00
Per tres mezes vencidos 6$UU0
Porte ao correio por tres mezes. 750
,ip*i ->'.- *.
.i/4**;'
^3!: '
SEXTA FEIRA 16 DE SETEIBRO DE 1864.
Por amo adiaotado.....49$00O
Porte ao correio por oh aano. 38Q0O

BNCARREGADOS DA SUBSCR'QO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Aleandrino'de Lima';
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
gr.A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Paf, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
1NCARREGADOS DA SUBSCRrPCAO NO SUL.
Alagas, o Sr. Claudino Falcso Dia3; Babia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Onda, Cabo e Escada todos os das.
Iguarassu*, Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinbo e Garanhuns as tercas eiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Viste, Ouricnry e Exu' as quartas feiras.
Sennhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas eiras.
liba de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi dia.
EPUEMERDES DO MEZ EE SETEMBKO.
1 La nova as 3 h., 48 m. e 8 s. da m.
9 Quarto cresc. as 3 h., 30 m. e 38 s. da m.
15' La cheia as 6 h., 40 m. e 20 s. da t
22 Quarto ming. as 4 h., 34 m. e 14 s. da t.
30 La nova us 8 b., 23 ni. e 10 s. da t.
PRBAMAR DB HOJB.
Primeira as 3 horas e 42 minutos da Urde.
Segunda as 4 horas e G minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIR03.
Para o sul at Alagdas a 6 e 25; par* o norte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
das 14 dos mezes dejan, marc., maio,jul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife: do Apipucos as 6 Vz, 7 7 Vi, 8 e
8 Vi da m.; de Olinda as 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboato as 6 V dam.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 Vi. 4, 4 Vi, 4 Vi.
8. 5/, Vi e 6 da tarde; para Onda s 7 da
manhaa e 4 >/t da tarde; para Jaboato s 4 da tar-
de ; para Cachang e Varzea s 4 Vi da tarde; para
itemfica&sidaterde.
AUDDsNCIA DOS IRfflUNABB DA CAPiTAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintes.
Relacao: tarjas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a l hora
da tarde
DIA3 DA SSHAICA.
12. Segunda. S. Macrobio m.; S. Liborio m.
13. Terca. S. Aula v.; S. Heronides m.
14. Qua'rta. Exaltago da Sania Cruz,
lo. Quinta. S. Domingos pni Soriano.
l. Sexta. Ss. Comidi, C\pnano e Rogelomm.
17. Satinado. S. Pedro de Arbues m.
18. Domingo. S Jos de Cupertino f.
A8SIGNA-SB
no Recife, em a linaria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, os proprieterios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
gundo constou de participado da directora geral
interina da secretaria de estado dos negocios da
justica, de 2,*i de agosto ultimo, S. M. o Imperador
por portara de 19 do rnesmo mez, houve por bera
prorogar por tres mezes com ordenado a licenca
concedida por c-ta presidencia ao juiz de direito
da comarca de Palmares, bacharel Joo Francisco
da Silva Braga, para tratar de sua sade.
Dito ao mesmo. Participndome o bacharel
Leocadio d'Andrade Pessoa, em data de 9 de ju-
nho ultimo, que por molestia deixou de seguir pa-
ra a comarca de Cabrob, onde juiz de direito,
ao findar-se a licenca de que gozava : assira o
communico V. S. para seu conhecimcnto.
Dito ao inspector da thesouraria provincial. I
Aulonso V. S., em vis-a de sua informacao de 9
do corrente, sob n. 39o, dada com referencia da
PARTE QFFIGIAL
GOTCRO DA PROVINCIA.
Cenliuuaro do expediente do dia 10 de sctcmbro
de -Isu i.
Offlcio ao cnsul de Portugal.Tenlio presente
o offlcio de 17 do passado, era que o Sr. l)r. Clau-
dino de Araujo Guimaraes, cnsul de Portugal ties-
ta provincia, reflexionando sobre a deciso, pela
qual indeferio esta presidencia o requerimento em
para ser eliminado do servico da guarda nacional
sob o fundamento de ser subdito portuguez, solici-
te que seja reconsiderada aquella decisao para o
lira de ser alteodido o referido Guimarae*, como j
o fora um seu irmao, que se achara em idnticas
circumstancias.
Apolando suas reflexoes na le do Io de setem-
bro de 1860, que dispe que o eslado civil dos es-
Sos^BSum tSSSmfSfl I K o que disser respeito aos exercicios
Sr. cnsul que esses filL menores sao cidadaos JtJSBT&Ji +"**? ]HSf*J I
portuguezes.
Era resposta, cabe-me dizer ao mesmo Sr. cn-
sul que a conclusas, que tira do suas reflexoes, nao
cana, faca transportar no vapor Jaguaribe, por pectaeulo no Sauta Isabel, gracas ao acolhimento
coate do ministerio da guerra os objectos roen- e boa vontade da empreza para com os artistas que
cionados na relacao junta, que o director do arse- vem nossa provincia, sendo muito applaudido, e
agradando todos os seus -trbateos, em que mostrou
pericia e gosto.
Filho de urna escola hem conhecida, a de Mr.
Roberto, o Sr. Julio faz honra ao methodo, nao s
' porque prende e captiva a attencao publica com
chistosas phrases, como sorprende com a agilidade
c presteza que faz as passagens.
O seu gabinete bello e variado, e contm novas
pecas de machinismo, que multe concorrem para
~ o boa resultado de algumas de suas sortes. Desde
a sua pndula aeria at sua roseira admiravel,
desde o cofre de crystal at as cai\inhas mltiplas-
ludo maravilha e agrada.
nal de guerra, tem de remetter para o presidio de
Fernando.OfDciou-se neste sentido ao menciona-
do director e comtnunicou-se ao commandante do :
presidio.
Despachos do dia 13 de setembro de 4861.
Requerimentos.
Amaro Lito de Oliveira.Passe portara no sen-
Francisco Beringuer Cesar de Mnczes.Dirija
se thesouraria provincial.
Major Jos Francisco da Silva. Dirija-se the-
souraria provincial.
Jos Juvenal Dias Barreto. Informe o Sr. te-
contadoria dessa thesouraria, a mandar pagar ao ; nente-coronel recrnlador.
professor de instrurco elementar de Nazareth do Leopoldina Maria do Reg Barros. Dirija-se
Cabo, Francisco Beringuer Cesar de Menezes, a agencia da companhia Brasileira de paquetes.
As suas vistas disolutivas sao de bello efleito c
merec:ni ser apreciadas pelo nosso publico.
Amanhaa d o Sr. Julio um segn lo espectcu-
lo, em que apresentar novas variedades de sortes
Alimentados custa dos cofres provinciaes
Movimento da enfermara.
Tiveram alta :
Damio Cuelho de Mello.
Joao Lourenco de Sant'Anna.
Bernardino .los Patricio.
Francisco Jos Ignacio de Mello.
Felisberto, oscravo de Jos F. P. de Burgos.
147
CHROY.a JUB1CIAR1A
TBIBIWS, O COMMERCIO.
EXTRACTO DA ACTA DA SESSO ADMINISTRA-
TIVA DE lo DE SETEMBRO DE 1864.
PRESIDENCIA DO KXM. SR. DESBMBARGAUOR
ANSELMO FRANCISCO PEUETTI.
As 10 horas do dia, verificada a presenca dos
Srs. deputados Lemos, Rosa, Ah-oforado, e do sup- i
pente o Sr. Basto, o Exm. Sr. desembargador pre-
quantia que se Ihe estiver a dever, proveniente do
aluguel, que ha pago, do saliio do convento do Car-
mo, onde funcciona a sua aula, fazendo para esse
Joaquina Maria.Prove o que allega.
Theodoro Rampck. Informe o Sr. director das
obras publicas.
e de vistas, continuando somento por mais duas ou j sidente abri a sessao ao toque da campainha. Em
tres noutes, visto ter de seguir para a Europa no ; seguida fez-so a leilura da acta da antecedente,
procedente, por quinto mais genrica e abso
lula, do que o principio de que ella decorre, visto
que a lei de Id de setembro, contera simplesmenle
urna disposieo facultativa, que por sua natureza
pode deixar ou nao de ter applicacao, e limitar-se
a certos e determinados casos.
Tarabem menos procedente a maneira por que
o Sr. cnsul entende que a faculdade comida na
referida lei, nao foi concedida ao governo, quando
assim se exprime : esset factUdade nao concedi-
da pelo governo, nem pelos cnsules, 7iias pela lei
em todos os casos, em que durante a menoridnde os
filhos de estrangtiros reclamarem que a sua naci-
naltdade seja regulada pelo mesmo direito qw re-
gula a de seu pais. >
Que a faculdade, de que se trata, foi concedida
o exercicio de 1860 1861 na
annuaes, e nos outros na de 5
fectuado durante
razao de 50,5000
mensaes.
Dito ao mesmo.Attendendo ao que expoz o en-
gpnheiro encarregado da repartico das obras pu-
blicas em offico de 10 do corrente, ssb n. 245 re-
commendo V. S. que mande sobr'estar na arre-
matado dos reparos de que precisa a sapata da
ponte da ra da Aurora, pois que tenho resolvido
que taes reparos sejam feitos por administracSo
conforme indica o mesmo engenheiro : o que de-
claro V. S. para seu conhecimento e em addita-
mento ao meu officio de 6 deste mez Communi-
cou-se ao engenheiro encarregado da repartico
das obras publicas.
Dito ao mesmo.Em vista do incluso certifica-
do que me foi remeitido com offlcio do engenhei-
ro encarregado da repartico das obras publicas
datado de 5 do corrente e sob n. 239, mande V. S.
[ do publico para os seus irabalhos.
Na freguezia do Recife continnou hontem o
. recabimento das cdulas.
Concluio-se o trabalbo na do Poco da Panella, sa-
Qnarlel general do commando das armas de Per-. hindo eleitos juizes de paz :
nambuco, na cidade do Recife, 15 de setembro Io districto.
vapor francez do (im do moz. (llamamos a attencao que foi aoorovada. Passando-se ao expediente, i JS Joaquim na testa.
(Jumtella.
A's 10 horas da manhaa, feita a chamada, acha-
ram-se presentes 36 Srs. jurados.
Foram despensados da sessao, a bera do servico
publico, os Srs :
Manoel Peregrino da Silva.
lr. Eduardo de Barros Falcao de Lacerda.
Hr. Julio Augusto daCunha Guiraares.
Foram multados em 20,J cada um dos Srs. jura-
dos que faltaram.
Enlratn em julgamento os reos Jos Flix do
Monte e Adelino Flix do Monte, acensados co-
mo cmplices na tentativa de homicidio.
Procedeodo-se ao sorteio, foram recusados pela
promotor i a os Srs. :
Jos Bento da Costa.
Dr. Ignacio Firmo Xavier.
Joio Joaquim de Siqueira Varejao.
Dr. Aprigio Jusliniano da Silva Guimaraes.
Foram rees idos pela defeza os Srs: :
Joao da Silva Parias.
Pedro Celestino Mindelio.
COMMANDO DAS ARMAS.
Leu-se um offlcio do actual ministro e secretario Jos Antonio Vieira 10 Sonza.
de estado dos negocios da agricultura, commercio e francisco Jos Lyrill
de lsui.
ORDEM DO DIA N. 333.
Nao tendo o Sr. capito da 3* companhia do 2 .,
batalbaode infantera Luiz Paulo de Figueiroa ;Jose '01"3'0 ereiri. "^
; Aristides uarte Carneiro da C. Gama,
i Joao Baptiste Pereira Lobo.
Nicoiao Machado Freir.
pela lei, por de mais evidente para ser contesta- itt**Sa*_!_S.li_S
do ; mas nao o tendo sido aos cnsules, como re-
conheceu o proprio Sr. cnsul de Portugal, claro
que, s o foi quera tem de apolica-la e n)s casos
especificados nos regulamenlos que o governo hou-
ver expedido para a sua boa execucao, e que at o
presente outros nao existera em relacao aos subdi-
tos portuguezes, se nao o que foi estipulado na
convenci entre o Brasil e Portugal, permiltindo-
se que os cnsules portuguezes podessem arreca-
dar e liquidar a successo de seus compatriotas fal-
lecidos no imperio, embora houv^sein filhos me-
nores.
Para fins especiaos como este que cogitou a
supracitada lei, a qual nao deve ser interpretada,
como entende o Sr. cnsul de Portugal, por que
ella revogaria, o que nao pode fazer o artigo 6.
1." da constituicao i oliiica do imperio, que declara
ser brasi/eiro o filho de estrangeiro nascido no
Brasil, urna vez que este nJo resida para servico ^*8^__,|^_
de sua naci.
Em vista do que tenho expendido reconhecer o
Sr. cnsul a irapossibilidade de ser reformada,
como pede, a deciso de que trata em seu supraci-
tado offlcio ; e por que o meu acto de 30 de junho
prximo lindo, citado pelo Sr. cnsul, nao est em
harmona com aquella minlia deci-o, tenho resol-
vido que fique elle de nenhum etfdit, expedindo-
se para esse flm as orden< necessarias.
Renov ao Sr. cnsul de Portugal a seguranza
de minha estima e consideracao.
12 -
Portara.O presidente da provincia, allendendo
ao que Ihe requereu o bacharel Joao Rodrigues
Chaves, iuiz de direito da comarca de Flores, re-
solve cnceder-lhes tres mezes de licenca com ven-
cimentos para tratar de sua saude fora da co-
marca.
- 13 -
Officio ao Exm. Dr. vigario capitular.Commu-
nico V. Exc. que, segundo me constou de partid-
pacao da repartico do imperio de 17 de agosto
ultimo, foram apresentados na cathedral da diocse
desta provincia por decreto de 13 daquelleniez, o'
conego de prebenda inteira Jos Joaquim Camello
de Andrade na dignidade de chantre, o de meia
prebenda Jos Marques de Castilha em um canoni-
cato de prebenda inteira, e o reverendo Tran |tulli-
no Cabral Tavares de Vasconcellos em nm de meia
prebenda.Igual communicacao se fez thesoura-
ria de fazenda.
Dito ao mesmo. -liemeito V. Ekc. afim de que
se sirva de providenciar com entender convenien-
te o offlcio incluso por copia datado de 23 de agos-
to ultimo, em que o parodio da freguezia de Sania
Maria da Boa-Viste me declarou nao poder dar
curaprimento a ordem desta presidencia d; 21 de
julho prximo passado, por nao existir ali um s
de 2405 a que tem direito, por haver limpado,
abahulado e aperfeicoado 480 bracas na estrada do
sul, ter sido esse trabalho feito por empreitada, e
estar comprehendido na lei n. 584 que prohibe que
pelo agente fiel pagador daquella repartico seja
executado pagamento superior 2005.Commu-
nicou-se ao engenheiro encarregado da repartico
das obras publicas.
Dito ao mesmo.Ao agente fiel pagador da re-
partico das obras publicas, mande V. S. entregar,
em prestaces semanaes a quantia de 4005, para
occorrer no corrente mez os despezas com o cal-
camento, visto nao ter essa quantia, segundo de-
clarou o engenheiro encarregado daquella reparti-
co em offlcio de 6 deste mez sob. 242, sido con-
templada no pedido que acompanhou o meu offl-
cio dirigido aessa thesouraria em 9 do presente
mez.(jomaiiiniaou-se ao encarregado da reparti-
Dto ao mesmo.Restituo V. S. os papis que
vieram annexos a sua informacao de hontem, sob
n. 403, afim deque de conforraidado com ella,
mande pagar ao major Jos Francisco da Silva a ;
quantia de 1965200, que se est a dever ao dele-
gado de Ingazeira Laurenlino de Vasconcellos C*-
faca de Brito, como saldo da que despenden com o
sustento dos presos pobres daquelle termo desde
abril de 1862 at dezembro de 1863, ficando o mes-1
mo major obrigadoa restituir essa quantia se den-
tro do prazo de dous mezes nao apresentar nova
procuraciio, com todas as formalidades lgaos.
Dito a'o desembargador provedor da Santa Casa
de Misericordia.-Em vista do que expoe o inspec-
tor da thesouraria provincial no oflicio incluso por
copia datado de 9 do corrente, ver V. S- a impos-
sibilidade que ha de ser satisfeita sua louvavel
prelencao, constante do officio de 12 de agosto ul-
timo, relativa ao pagamento integral, Santa Casa
de Misericordia da suhvencao votada pela lei do
orcamento vigente.
Dito ao presidente da caixa filial. Respondendo
ao offlcio que V. S. me dirigi em 10 do corrente,
tenho a dizer que flcam expedidas as convenientes
i ordens para que as estacoes liscaes desta provin-
cia sejam recebidas e trocadas por ouro as notas
dessa caixa filial.
Dos Exms. presidentes das provincias limi-
trophes, solicito nesla data iguaes providencias
de confiirmidade cora o final do seu citado offi-
cio. Fez-so o necessario expediente.
Dito ao juiz de direito interino de Cabrob.
Respondo ao seu offlcio de 2 do mez findo, dizen
do-lhe que para o mappa semestral exigido por
circular do ministerio da justica de 23 de marco
do 1858. deve Vine, prestar informaroes como
juiz de direito interino, c como iuiz municipal do
tempo que tiver exercdo este ou aquelle lugar
Contreira Nabuco de Araujo, apresentado-se no dia
9 do corrente, anterior ao em que finalisou a li-
cenca de tres mezes que obteve do governo em
prorogagao da de que frua na corte, conforme par-
ticipou o respectivo Sr. commandante interino em
offlcio n. 885 de 10 deste mez, o coronel comman-
dante das armas interino o declara ausente, e vai
ser chamado por edital nos termos da lei de 26 de
maio de 1835.
O mesmo coronel declara para os fins conve-
nientes, que approvou o engajamento que no da
13 do corrente contrado para servir por mais 6
annos com as vantegens concedidas no 2 do
art. 3o da lei n. 1220 de 20 de julho do corrente
anno, percebendo o premio de 4005000, o 2o sar-
gento da 8' companhia do 9 batalho de infante-
ra Zosino Adeltrudes Jayme da Silva; o que
constou de offlcio do Sr. commandante do batalho
datado desse mesmo dia, sob n. 646.
Assignado.Luiz Jos ferreira.
Edital.
Luiz Jos Ferreira, commendador da imperial or-
dem da Rosa, offlcial da do Cruzeiro, cavalleiro
da de S. Bento de Aviz, condecorado com as
medalhas da campanha da independencia do im-
perio, c da de ouro pela de Uruguay e Paran,
coronel de infantera e commandante das armas
interino da provincia de Pernarabuco, per S. M.
o Imperador etc.
Faco saber ao Sr. capito da 3' companhia do *-
batalho de infantera Luiz Paulo de Figueiroa
Contreira Nabuco de Araujo, e a todos aquelles que
poderem e quizerem fazer chegar ao seu conheci-
mento, que nao tendo elle comparecido no dia 9
do corrente mez, por ter linalisado no dia anterior
a licenca de tres mezes em prorogagao aquella
com que se achava na corle para tratar de nego-
cios de sua familia, foi hoje declarado ausente em
ordem do dia deste guarnicao sob o n. 3*3, e
chamado pelo presente edital, para que se apresen-
te dentro do prazo de 2 mezes a contar do referido
dia 9, sob pena de proceder-se a respeito de sua
falta de comparecimento, nos termos da lei de 26
de maio de 1835.
E para que o referido Ihe conste fiz lavrar o pre-
sente edital, que assignei e fiz sellar com o sgnete
das armas imperiaes, e ser publicado as gacetas
desta cidade.
Quariel do commando das armas de Pernambu-
co, em 15 de setembro de 1864.
Assignado.Luiz Jos Ferreira.
Conforme. Jos Francisco de Moraes e Vascon-
cellos. capito ajudante d'ordens encarregado do
detalhe interinamente.
PERNAMRUCO,
2 districto.
Joao Pacheco de Queiroga.
Francisco dos Res Gomes.
Joao Pires Ferreira.
Joao Francisco Pessoa de Vasconcello-.
Na do Cabo foram eleitos :
Io districto.
Dr. LnizFelippe de Souza Leo.
Bernardo F. de Barros Campello.
Leopoldo A. Cesar de Gusmo.
Jos de Albuquerque M. Loyolla.
2o districto.
Braz Carneiro Leo.
liarao de Guararapes.
Francisco C. Rodrigues Campello.
Flix Ramos Lieuthier.
3o districto.
Candido Jos Lopes de Miranda.
Joao Luiz Gongalves Ferreira.
Virginio Barbosa da Silva.
Manoel Barbosa da Silva.
Na de Sernhem foram eleitos :
Io districto.
Ignacio de Barros Wanderley.
Antonio Germano Rigueira.
Henrique Lins Wanderley.
Jos Eugenio da Silva Ramos.
2 districto.
Coriolano Vellos* da Silveira.
I Ji.i Cortluiro Ciatra.
t-'iiinriscq Manoel Wanderley Lins.
Fructuoso Dias Alves da Silva.
Hoje se extrahe a ultima parte da segunda
c primeira da terceira lotera, do theatro de Santa
Isabel (108'), sendo o maior premio 10:0IK)5.
Escrevem-nos de Pao d'Alho, em 10 do cor-
rente :
Quarta-feira comegou aqu a eleico. ficando o
partido conservador cora maioria na mesa. Eslava
a igreja fechada, tendo sraenle abortas, com sen-
tnellas. as portas da frente ; medida que toraou o
commandante do destacamento, naturalmente de j
accordo com o delegado (porque o juiz de paz re-
rlamou contra isto),"depois da eleico da mesa e '
de um pequeo disturbio, que so applacou logo.
Antes da chamada eotenderam os partidos c
concordaran] em nomear cada um quatro pessoas
de sua confianga para fallar e requerer o que fo>so!
hem dos seus ante a mesa. Esse accordo, porm, I
durou pouco, porque, entrando na matriz o promo-
tor publico de Nazareth e reclamando os quatro
conservadores contra a sua estada all, visto que
elle augmentava a commisso dos progressistas,
nao poderam conseguir sua retirada.
t Corra a eleico, quando, chegando urnas pra-
cas de Nazareth, o juiz de paz resolveu ir com os
seus continua-l na capella do engenho Laragem,
Dr. Pedro de Athayde Lobo Moscoso.
Dr. Joao Vicente d Costa.
Candido Antran da Matta Albuquerque.
Foi multado em 205 o Sr. Americo Netto de
Mondonga, por se haver retirado sem licenga an-
tes de se proceder ao sorleio.
O jury de sentenga foi composto dos senhore^
seguintes :
Manoel Gomes Viegas.
Na peticao (que rotura rom parecer fiscal) de Dr Manoel Arthur de Hollanda Cavalcanti de Al-
Jos Antonio Ferro de Fisueiredo e Joaquim Ri- buquerque.
beirodaGama, pedindo o registro do contrato de Sebastiao Jose Gomes Penna Jnior,
sua saciedade commercal :-Registre-se. Francisco Antonio Pereira de Brito.
Na dos administradores da massa fallida de Se- JenuinoJose lavares.
ve, Filhos 4C, pedindo que se Ihe certifique se Augusto .esardaJ.unha
Francisco Xavier de Oliveira ou nao commer- lente Joao de Siqueira Gampetio.
ciante matriculado, e se lem apresentado rubrica
ivros commerciaes, quantos foram e em que data:
obras publicas, firmado 30 de agosto prximo fin
do, comraunicando a sua nomeacao por decreto
dessa mesma data. Accuse-se a recepejo e archi-
ve-se.
Foi presente a cotaco offlcial dos precos cor-
rentes da praca, relativa semana linda era 10 do
corrente, e que nao havia sido apresentada na ses-
sao prxima passada :Ao archivo.
DESPACHOS.
Certifique-se.
Na de Jos Joaquim Gongalves Bastos, como ad-
ministrador de sua mulher 1). Amelia Constanga
Dantas, para que se mande registrar a copia da es-
enoUtra ante-nupcial de dote, que aprsenla :.
Registre-se e publique-se a parte relativa ao dote.
Nada mais houve a despachar, e dada a hora,
o Exm. Sr. desembargador presidente eucerrou a
sessao.
SESSO JL DICIARIA EM 15 DE SETEMBRO
DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARCADOR
A. F. PERETTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
As 11 't horas da manhaa, oSr. presidente abri
a sessao estando reunidos os Srs. desembargadores
Reis e Silva, Silva Guimaraes e Accioli, e os Srs.
deputados Lemos, Rosa, C. Alooforado e Basto.
Luiz Amavel D. Jnior.
Capito Francisco Raphaol de Mello Reg.
Antonio Machado Pereira Vianna.
Dr. Francisco Teixeira de S.
Francisco Antonio Pontual Jnior.
E prestaram o juramento dos Santos Evan-
gelhos. .
Foram os reos interrogados e procedeu-se a lei-
tura do processo.
O Sr. promotor pedio a condemnagao dos reos
no grao mximo do art. 192 combinado com os
arts. 5, 33 e 35 do cdigo criminal.
O Sr. advogado, dduzindo a defeza, pedio a ab-
solvgao do reo.
Findos os debales e preenchidas todas as forma-
lidades da lei, o Sr. juiz de direito propoz os que-
sitos seguintes : ,. ,
i. O reo Jos Flix do Monte, no da 28 de
maio do anno pa-sado, directamente concorreu
para que fosse ferido 0 individuo por nome Gra-
ciano Rodrigues Ferreira, segundo se descreve no
:puiauus liemos, misa, <>. aiouiuiauu a mw.----------------- -o-----:vr,------;. \, ...... *
Li-la, foi approvada a acia da sessao anlecc- corpo de delicto atlhas b dos auios .
-denle.
Assignaram-se os acordaos proferidos na ultima
sessao entre partes :
Appellante. os administradores da massa fallida
de Novaes & C. ; appellado, Manoel da Silva Pas-
sos, do Rio de Janeiro.
Appellante!, Domingos da Silva Campos; appel-
lada, I). Anua Josepha Pereira dos Santos.
Jl (.(AMENTOS.
Appellante, Jos Joaquim da Silva ; appellados,
Ribeiro & Caduir._
Adiado na sessao anterior.
Passou urna diligencia proposta pelo Sr. deputa- j entre dous ou
do Rosa.
Appellante. Manoel Jos da Silva Grillo : appel-
do, Antonio Gomes da Cunh:i e Silva.
Adiado na ultima sessao.
Foi confirmada a sentenca appellada.
Appellanles. Joao Caetano de Magalhaes e Joao
2." Os referidos ferimentos produziram no pa-
ciente grave incommodo de sade ?
3. Os ditos ferimentos produziram no paciente
inhabilitagao de servico por mais de um mez T
4." U reo assim praticou com a circunstancia
de se haver por semelhanle modo tentado con-
tra a vida do sobredito Graciano Rodrigues fer-
reira, isto manifestado por actos exteriores, e
principio de execucao. o que nao leve efleito por
circumstancias independentes da vontade do mes-
mo reo Y
5. O reo assim priticou tendo precedido ajuste
Hvro de assentos de 'bitos, casamentes e bapti- dentro do semestre lindo, em junho ultimo.
sa(jos Dito ao juiz municipal de Ingazeira. Tendo-se
Dito ao commandante das armas interino. -In- concluido os Irabalhos da junta revisora de quall-
forme V. S. sobre o que pede Candida Mari;; de Oli-
veira no requerimento incluso.
Dito ao mesmo.Fica approvado provisoriamen-
te o contrato que em 5 docorrenle, rolebrouo de-
legado docirurgao mor do exercito com o botica-
rio civil Braz Marcellino do Sacramento : o que
communico V. S. em resposta ao seu olficio n.
1601 de 10 do corrente.-Communicou-se ao ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Dito ao Dr. chefe de polica.Respondendo ao
offlcio de V. S. n. 1,132 desta data, lenlio a decla-
rar-lhe que acabo de offlciar nao so ao inspector
do arsenal de marraba para mandar postar junto
ao caes do Forle do Matto, amanhaa s 7 horas do
dia, urna lancha equipada para o embarque dos
13 sentenciados destinados ao presidio de Fernan-
do, mas tambem ao commandante das armas para
prestar as pragas que forem necessanas para es-
colta-Ios da casa de detengao at o vapor Jaguaribe
e 10 para irem al aquello presidio guardando os
raesmos sentenciados.-Expedirn! se as ordens
de que se trata, e bem assim ao gerente da Com-
panhia Pernambucana para dar-lhes transporte no
vapor Jaguaribe, e communicou-se ao commandan-
te do presidio.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Para que o faga constar a quera competir, declaro
V. S. que, segundo consta de aviso do ministerio
da fazenda de 29 de agosto ultimo, fot indeferido o
requerimento do praticaote da alfandega desta ca-
pital,. Joaquim Antonio de Mendonga Pereira, pedin-
do ser nomeado quarto escriturario da mesma al-
fandega, visto nao acliar-se esse ompregado habili-
tado na forma da lei.
Dito ao mesmo.Expega V. S. as suas ordens,
para que na recebedoria de rendas internas seja
arrecadada, viste da neta por copia inclusa, a
importancia dos direilos c emolumentos que tem
licaco da freguezia desse termo, no dia 16 de
agos'to ultimo, como me declarou Vine, em seu of-
ficio do 1. do corrente, determino-lhe que guar-
dados os prazos e mais formalidades da lei, con-
voque e rena extraordinariamente o conselho
municipal de recurso, no dia 15 de outubro pr-
ximo vindouro, que para isso fica desjgnado,
afim de tomar conhecimento das reclamacoes que
por ventura tenham sido desattendidas pela refe-
rida junta revisora.
Dito ao engenheiro encarregado da repartigao
das obras publicas.Concedo a autorisaco, que
pedio em seu offlcio de hoje sob n. 248, para la-
vrar o termo de recebiniento definitivo da obra
dos reparos da parte do caes da ra da Aurora,
em frenle do gymnasio provincial, os quaes j se
acham concluidos de conformid>de com o respec-
tivo orgameMo, ficando Vmc. na intelligoncia de
que Desta data recommeodo ao inspector da the-
souraria provincial, que avista do competente cer-
tificado, mande pagar ao arrematante de taes re-
paros a quantia, a que tiver direito.Nestc sentido
offlciouse thesouraria provincial.
Dito ao conselho de compras navaes. Autoriso
o conselho de compras navaes, a comprar nos ter-
mos do seu regulamento os objectos mencionados
em seu officio de 9 do corrente, visto que sao nc-
cessarios para provimento do arsenal de mari-
nha.
Portara.O Sr. gerente da companhia Pernam-
bucana, mande dar transporte para o presidio de
Fernando, no vapor Jannaribe, cm lugar de proa,
destinado passageiro d'estado Joaquim Bezerra
Cavalcante de Albuquerque, que consta ser des-
valido. .. ...
Dita.Os Srs. agpntes da companhia Brasileira
de paquetes, mande dar transporte no 1. vapor que
vier do sul, para a capital do Ceara ao tachygra-
REV1STA MARA.
Hontem funecionou o Instituto Archeoloijico e
GeograpkiCO Pernambucano, sob a presidencia do
Exm. monsenhor Muniz Tavares, e com assisten-
cia dos Srs. Drs. Soares de Azevedo, Faria Noves,
e Manoel de Figueiroa, padre-mestre Lino do
Monte Carmello, e major Salvador Ilenriques.
Lidae approvada a acia da antecedente, o Sr. Io
secretario leuum offlcio do socio oRvm. Sr. Manoel
da Costa Honorato convidando ao Instituto para
assistir sua primeira missano dia 11 do corren-
te, communicando ao mesmo tempo que convidou
pessoalmenle alguns socios, na ausencia do Exm.
Sr. presidente do Instituto.
Foram presentes alguns nmeros do Constitucio-
nal Pernambucano oflorecidos pela respectiva re-
daegao, e dous do Brasil Histrico, pelo socio Dr.
Manoel de Figueiroa.
Sendo muito limitado o numero de socios pre-
sentes, o Exm. Sr. presidente resolveu adiar a vo-
tagao do parecer sobre admisso de socios, para a
sessao segrate, que deve ser 29 de corrente
Consla-nos que se acha nomeado interina-
mente feitor conferente da nossa alfandega, o Sr.
Dr. Antonio dos Santos de Siqueira Cavalcanti.
A companhia de seguros Fidehiade, de Lis-
individuos para o lim de ser
commeliido o crime?
ti.- F:xistem circumstancias attenuantes a favor
do reo
lio Adelino Flix do Monte.
1. O reo Adelino Flix do Monte no da 28 de
maio do anno passado direciamente concorreu
Luiz Via ma : appellados," os administradores da! para que fos.-e ferido o individuo por nome Gra-
massa fallida de Jos Antonio da Silva Araujo. j ciano Rodrigues Ferreira. segundo descreve o coi-
AdiadO na sessao antecdeme. po de delicio a foi has b dos autos 1
Foi confirmada a sentenca appellada. 8.* Os referidos ferimentos produziram no pa-
Appellante, Jos Cesado'de Mello : appellado, o .ciento grave incommodo de >aude ..Mfa
Dr. Joaquim Antonio Carneiro da Cunha Miranda.; 3." Os ditos ferimentos produziram no panente
Feito o sorleio ; e comecando a leilura do rea- | inhabilitagao do servico por mais de um, mez
torio, occorreu
ao Sr. desembargador Reis e Silva ; 4." O reo assim praticou (
circunstancia
vindo o coronel Lnurengo Cavalcanti, snpplent do ^"'na^podia" ser miz"nc^te~feito por ser prente j de se haver por semelhante modo tentado contra
juiz de paz fazer urna duplcate na matriz. de uma uas partes, pelo que jurou suspeigao e o a vida do sobredito Grac-ano Rodrigues Ferreira.
t Na Luz appareceram os conservadores, porem passou ao r. desembargador Silva Guimaraes. isto manifestando por actos exteriores e principios
nada sei de notavel. Appellante Manoel Itibeiro Bastos ; appellada, I ,le execucao que nao leve efleito por circumstan-
Na Gloria comegou a eleico regularmente,' a embargante 3* I). Tlieodora Maria Quileria e | cias independentes da vontade do mesmoireo
anidos os genuinos com os conservadores. Dando- oulros
se de doente o subdelegado cntrou era exorcicio o Adiado o julgamento ;i requerimento de um Sr.
supplente, porm, iodo para all soldados do des- jei)U|ai|0
herdeiros de Manoel Luiz
JIUUUI MUCia UV3 UIICIWO ^ vmwiu"ii.iiivj <|uu **------ -> j------- ., -_--,-*- -
de pagar o padre Joaquim de Aragao Ebla, para pho Carlos Ernesto de Mesquita Falcao, cornado a
obtenco da sua carta de parodio apresentado na despeza por conta d aquella provincia, como se
sentido officiou-se declarou na portara de 17 de agosto ultimo.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes, raandem dar transporte para a Bahia,
por conta do ministerio da guerra no vapor que se
espera do norte D. Leopoldina Maria do Reg
Barros, que segu com urna filha menor de 5 an-
tacamento e havendo-se tentado quebrar a urna,
suspendeu o juiz de paz os trabalbo?, queso conti-
nuou quando a torca desappareceu. Acabada a
eleico, reconheceu-se terem vencido os ocos li-
gnitos.
Deixou hontem de ser mencionado o nome
do Sr. Custodio Jos Alves Guimaraes, ra do
Crespo n. 7, na lista das pessoas encarregadas de
receber as prendas para o leilo no Hospital Por-
tuguez de Beneficencia, bem como sahio errado o do
Joao Ferreira da Silva.
O fim pi e candoso desse leilo, estamos certo,
demover os coraces piedosos a concorrerem m
um bolo que tornando mais importante o leilo,
augmente o producto, ajudando prosperidade do
estabelecimento to digno de proteego.
Hoje 16 lem lugar na casa da ra do Hospi-
cio, residenciado desembargador D.FranciscoBal-
thazar da Silveira, o leilo de movis por interven-
gao do agente Pinto.
No dia 30 do corrente mez finda-se o paga-
mento de todos os impostes e dcimas cobrados
boa, reaiiso, no semestre de margo agosto ulti-! pelo consulado provincial, do exercicio de 1863
mo, seguros no valor de 683:280-5, dando de pre-' 1864 ; soguindo para juizo todos aquelles que nao
mi 3:6635. satisfizerem os seus pagamentos at aquella dala.
Desappareceu inteiramente o pnico publico
acerca de notas da Laixa Filial. Nestes dous lti-
mos dias ful limitadissimo o numero de notas apre^
sentadas, ej diversas quantia sem ouro foram all
depositadas por particulares.
A presidencia da provincia acaba de ordenar as
Repartico da polica.
Extracto das partes do dia 15 de setembro de
1864.
Foram recolhidos casa de detengao no dia 14 do
corrente :
A' ordem do subdelegado do Recife, Joao Manoel
estages fiscaes nao s o recebimento como a tro-; do Nascimento, para corrcegao.
ca por ouro dessas notas, e offlciar aos presidentes I A' ordem do de Santo Antonio, Felisberto, escra-
das provincias limilrophes pedindo o mesmo. vo de Jos Flix Pereira de Burgo?, por desordem.
A nao ingleza Bombay seguio ante-honlem A" ordem do de S. Jos, Joao Barbosa dos Santos,
para Montevideo e a fragata tofo sahio hontem sem declarago do motivo, e Luiz Antonio Mactia-
para o Para. do Freir, para averiguagoas policiaes.
E' domingo que a confraria seminarista del A'erdem do da Capunga, Graciliano Marques
Nossa Senhora das Dores festeja em sua igreja de'. de Jess, por furto ; Jos Soares Leite, e Joao Pe-
Olinda, a respectiva padroeira, com missa solemne, dro Pereira, ambos por briga.
freguezia de Muribeca. Neste
ao agraciado.
Dito ao mesmo.Declaro V. S. para seu co-
nhecimento, e afim de que o faga constar qiiem
competir, que o Exm. Sr. cooselheiro Carlos Car-
neiro de Campos pariicipou-me em aviso do pri
raeiro do corrente mez, que por decreto de 31 de nos, para a companhia de seu marido o alferes do
agosto ultimo, houve S. M. o Imperador por bem estado-maior de 2.a classe Henrique Everaldino
nomea-lo ministro e secretario de estado dos neg- Bittencourt Tourinho. Comraunicou-se ao com-
etes da fazenda. mante das armas interino.
Dito ao mesmo. -Communico V. S. que, se- Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
Te-Dem e vesperas no sabbado s 6 horas da
tarde, as quaes prega o Rvd. Sebaslio Fabio de
Oliveira Lima.
Ora no Ecangcllto o Rvd. fre Joaquim do Espi-
rito Santo, pregador da capella imperial, ex-lentc |
de eloquencia sagrada no seminario de Olinda ; no
Te-Deum o Rvd. Antonio de Mello e Albuquerque,
dislincto capellao do exercito.
A orchesta, dirigida pelo hbil professor Trajano
Felippe Nery de Barcellos, executar a grande e |
sempre aprciavel missa a Formiga, e o Te~Deum
de Luna-Grande; e a msica do 4o batalho de
artilharia tocar algumas pegas do seu repertorio
nos intervalos dos referido* actos, para cujo bri-
Ihantismo pleno, segundo nos conste, nada se tem
poupado. .
Quarte-foira deu o prestidigitador braseiro,
o Sr. Julio dos Sanie Poreija, o su primeiro es-
O chefe da 2* secgao.
J. G de Mesquita.
Movimento da casa de detengao do dia 14 de
setembro de 1864.
Existiam....... 370 presos.
Entraram......
Saturara .....
A saber
Existem.
360
Nacionaes...
Mulheres....
Estrangeiros.
Eslrangeira .
Escravos ------
Esciavas. .. 3
301
4
12
1
37

360
Appellantes. a viuva c ..
Gongalves ; appellado, Joao Francisco da Silva no-
vaes
Foi confirmada a sentenca appellada.
Appellautes, o Dr. Antonio Agripmo Xavier de
Brito e os curadores fiscaes da massa tallida ue
Marlinho de Oliveira Borges e outros; appellado,
Jos Gomes Leal.
Adiado requerimento de um Sr. depntedo.
Appellantes, Caetano Cyriaco da Costa Morena,
como administrador de sua mulher, Manoel Leao
de Castro e oulros herdeiros de D. Antonia Mana
de Castro ; appellados. Barroca A Medeiros.
Adiado requerimento do um Sr. deputado.
designaco de da.
Appellante, Jos Francisco Pinto Guimaraes;
appellado, o Dr. Gabriel Soares Raposo da tmara,
Appellante, Antonio Alves de Carvalho N eras ;
appellado, Joaquim Jos Ramos.
Primeiro dia til.
PASSAGENS.
Appellantes. Valle Porto & C.; appellados os
administradores da massa fallida de Joaquim Jose
'Appellante, Basilio Alvares de Miranda Varejao ;
appellado, Antonio Goncalves de Oliveira.
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. desem-
bargador Silva Guimaraes.
D1STRIBU1CES.
Appellante, Joaquim Juvencio da Silva; appella-
dos, os curadores fiscaes da massa fallida de Amo-
rim, Fragoso, Santos & C.
Ao Sr. Desembargador Silva Guimaraes.
AGRAVO
Interposto do juizo especial do commercio-.
Aggravante, Francisco Ignaew Pinto ; aggrava-
do, Antonio Joaquim de Vasconcellos.
O Exm. Sr. presidente negra provimenio.
CVRTA TESTKMbNHAVEI.
Viuda do mesmo juizo.
Aggravante, Jos Alves Barbosa aggravada, D.
/et'erina Maria de Jess.
Exm Sr. presidente deu provimento
Nada mais nociendo tratar-se, encerrou-se a ses-
sao s 2H' horas da tarde.
THI Bl >V L JU*
5 SESSAO-DIA 12DESETEMBRO DE 1864.
PRESIDENCIA DO SR. DR. JOO ANTONIO D ARAUJO
FREITAS HKNRIQUES,
JU1J W DIREITO DA PRIMEIRA VARA GRIMINAL.
Proautor publico, o Sr. Dr. Jose Paulino da
Cmara.
Escrivao, a S: Joaquim Francisco de Paula
Esteves Clemente.
Arrogado, o Sr. r. Celso Tertuliano FtrmMes
o. O reo assim praticou tendo precedido ajuste
entre dous ou mais individuos para o lim de se pra-
licar o dito crime ?
6. Existem circumstancias attenuantes a favor
do reo t
Recolhido o jurv de sentenca sala secreta das
conferencias 1 hora 3|4 da tarde, voltou s 2 horas
respondendo aos quesitos pela maneira seguinte :
Jos Flix do Monte.
Ao primeiro quesito :Nao por unaninudade.
Deixou de responder aos domis, por licareni
prejudicados.
Adelino do Monte. ....
Ao primeiro quesito :-No, por unanimidade.
Deixou de responder aos demais, por ficarem
prejudicados. ,
Lidas as respostas pelo presidente do jury de
sentenca. o Sr. Dr. Francisco Teixeira de Sa, o Sr.
juizde'direito publicou sua sentenga absolvendo
os reos e condemnando a municipalidade as
Levantou-se a sessao, que ficou adiada para o
dia segrate s 10 horas da manhaa.
COMMNICADOS.
Ao correspondente ligueiro d'aqui para o Jornal
do Commercio da corle.
Na sua missiva de 28 do passado, dando conta
dos boatos que por aqui circulavam acerca de no-
vas occorrencias em Tacaratu, diz o efcrwilJM offl-
(' l'll *
Outros dizem que nessa noticia translnzem as
insinuaces quo para Tacaratu tem feito certa
alma precita que anda ihvolta na nossa politi-
ca; mas embora nao seja pequeo o numero dos
i quo assim pensara, eu nao posso crer em tanta
a perversidade.
Ha quem por espirito de poltica, e para for-
mar um pedestal propria elevago, nao recue
t diante de certas medidas. A historia dos nossos
t partidos ahi est para o attester ; porm, aconse-
c Ihar um morticinio para desacreditar uro jugar,
t ou a alguns adversarios polticos invengao em
que nao possivel crer com facilidade.
Quem nao encherga nestes trechos o dedo per:
verso de perverssima insrauago T Quem foi ja
quem pensou neste provincia, que no ultimo acon-
tecimento de Tacaratu houvesse influido outra pes-
soa, alm do Sr. Valpasso ? Quem vio nisso sug-
ge-toes de terceiro ? Ninguem absolutaraents t En-
tretanto, o misero lambisqueiro das migalhas do
poder, que de presente escrevo correspondencias
para o Jornal do Commercio, nao se animando
a escrever aqui o que Ihe suggere o seu damnado
espirito, porque seria esmagado em continente pea
reprovaco publica, manda derramar em paginas
longinqua? o veneno de sua perversidade! se essa




mm
MI
Ufarlo de Perabat --- Sexta lelrm to de Hetembro de t !.
V
.rivel hornera que M |WMi c estima, sata do em auxilio turronadas allu-oes diga francamente o qtw pcn- lento de autorisar enfardes instrumentos de piti-
do negocio* d<> Tararat, alim de quo seja exoi- tica para a ortica da todos os desmandos e s
sa
$30, para apun
que inandatn quebrar urnas, e os que conservara Iguobels.
as po>igoes offleiaes verdadeiros reos de polica I i
Entonde o cftrow'stu i Contine, que. ha de ter res-
uosia desembucada.
~ 0 Wagn.
CORRESPONDENCIAS.
Sr*. reductores-0 Sr. Dr. Cardos exaudo d'ar-
aumcolos e provas para continuar na discttssao,
..........I..U.J..V. nitimamenle no rcdtu lo
pode
que ncetau, acaMeltou-.-o ul e no reducto
de sua palavra, que segundo ja nioirei, nao
na queMo actual ser aceita, pela falibilldado da
memoria de que depende, c entao rom a altivez
que distingue, couclue bascado nicamente nes-
ga sua palavra. ___
Nestas cu constancias, pois, convrnlio com o
Sr' l)r. Cardse, que nao possivel continuar a
discussao sen recelo de a desviar de stu verdade-
ro trilho, e assiui deixo ao publico sensato e alus-
trado, que a ten aeompanhado, para apreciar de
Quem o dira aliruns annos antes T Derla ser o
Sr. Domingos de Souza Leao, collocado pela ven-
tado do Imperador na cadeira da presidencia, quem
se havia constituir um delegado infiel, um agita-
dor com meredmento, um pequeo tyranno de seus
comprovincianos, o instrumento dcil de nma fac-
gao contra os sous amigos da vespera e os seus
proprios parantes, o representante empunhada ab-
jectas e pequeninas ambiges que nao treme e nao
tome em lanzar por sobre a provincia urna verda-
dera conflagrarito, urna ordem de calamidades pu-
blicas.
O proprio cidadio que estas palavras encaminha
respeiloso ao throno Imperial, como sincera inoslra
de imperlubavel adhesao a causa mouarchica, a
qoal tem sabido volar alguna saerlli'ios, teria ca-
bido como urna das victimas do punhal homicida,
so felizes circamslancias no se bouvesse posto de
perineio dianle da realisacio dos sinistros planos,
sera duvida concertados e autorisados pelo delega-
de do Imperador nesta provincia.
E entretanto vimos no tetona que se diz de pro-
grosso, e os empalmadores desta situagfio accla-
mam-se da escola liberal. Crucificara a liberdade
que lado existe a razao.
Conclumdo, o Sr. Dr. Cardse ameaga-nos^cora ^ ^ ^^ g ^ ^^ manfesla(,r40> al.
" lei fundamental em seus dogmas
Acostumado a lutar com grandes difficuldado,
e a ouvir fanfarronadas des>a rdein, nao vejo por
ora notn sombra do que me deva aterrar.
nha rotnco fazer allusao pessoa alguna.
Rccifc, 14 de setembro de 1804.
Jos Uamede Alces Ftiretra.
PUBLICARES A PEDIDO.
sangue
;0
sobre, a rasa do Scnhor, e assim expondo a ontori-
dade (]iic Mies foi confiada para dirigir o paiz pelas
do governo representativo, plantan! a descrenca
as instituicoes, a cuja sombra benfica descansa
quem assignale o perigo estes es-
horror, a que se tem condemn.v
uendo enrgico protesto ante
paiz, e em presenca do Primeiro Cidadio,
ciinipro um dever de honra, que me impue a leal-
dade de minlia dedicacao causa mouarchica, som
outro fim que registrar os factos como llgoes d?
severa clequencia para o futuro.
A aproxiiiiacao do memoravel dia, em que feli-
zcs recordacoes patriticas rememora um grande
ac-uitecimcnto n historia poltica do imperio, rc-
solvi-me, a instancias de muitos alliados apresentar-
Dedicado ao lllni. C ICxiU. Sr* me no pleito que nessediadevia inaugurar-se. Nao
Yiscoutlc de Camaraslbe por { nos ser'a duvidoso o triumpho, se o debato tivesse
. j-; i ii. TT....1 Ja. lugar pelos meios legaes, ainda mesmo tolerando
occasiao do segundo anuiier- po|j|i(.a oem ,f0i rcursos qae ,he sSo fa(.eis.
sarlO do lallCCinieatO Ue Slia Sen que demonstrasse f n'uma cavilosa circu-
espo^a. lar em que o Sr. Domingos de S taza recommdra
Qui mane! in charitale,in i as suas autoridades completa abstengo no empe-
Deomunelct Uctts in eo. nho eleitoral, pensei todava que S: Exe. nao se
Quem vive em candade, i faria de agitador de conflictos, em que a propria
vive em Deus.
S. Mato
Hoje, a ampolheta dos t-"mpos, em seu continuo
rodeiar, marca mais um anno na existencia de um
tmulo I Hoje, dous anuos.....um tu nulo abriu
suas portas, para fecha-las c fecha-las para sempre
sobre o corpo de urna virtuosa inulher e una das
mais affectuosas esposas I Hoje, o som montono do
brome mysterHO e o canuco lgubre, porm su-
blime, do Padre dospertao no amigo a idea de um
dever sagrado, de rosar e esexever, anda que com
roao dbil e trmula, algunas palavras de homena-
gem sobre essa eampa taerla..................
vida dos advesarios nao ficasse em salva-guarda.
Pactos de alcance, registrados pela imprensa do
todas as cores, eram proprios elevar estas tris-
tes apprebensoes sobre as vistas administrativas
ao grao de quasi certeza. Quando, pos, affrontei
os embates da lula, comprehenJi o arriscado da
empreza, o temerario do arrojo; era porm susten-
tado pela firmeza dos meas alliados que nao leva-
ran) bem a descelo do posto que devo a sua
confianza.
A' vespera da eleicao desmandando-se a autori-
dade local em excessos e tropelas que enr.hiam de
pavor a classe menos favorecida, diriji-me em pes-
soa ao palacio da presidencia a pedir garantas que
............................................ acautelassem o exercicio legitimo do direito do vo-
............................................ lo. Posse que o Sr. Domingos tirasse d'ah avi-
Oh tu, que vi.-ita a morada dos morios e que, ^o para redobrar de energa, ou que conlinuasse
descobrindo a antithese, v em seu eterno e me- irnpcrlubavcl em seu systema compressor j con-
lancbolii'o repouso o termo do bulicio das cidades ;i certado entre os risos e applausos des seus com-
tu, que ve na simplicidade do tmulo as ruidosas j mensaes, o que certo que de palacio se tocou
pompas e voluptuosas galas do mundo e contempla \ rebate para o subdelegado e sua cohorte de inspec-
no rypreste, que o adorna, o impiiielravel segredo' lores que se derrainavam no seio da popularn a
do musulo; tu, que le na my.-teriusa porta do: mentir o terror por atnea$as de sangue, quando
cenoiapbio estas Bblicas palavras, que todos vm outros meios fossem improficuos.
ou ouvein, porm s as observa o bomein das: Ao passo que em urna renniao, a que convidei o
sete virtudes tbeolugaesmomento homo, guia pul- \ povo pelos jrnacs, aconselbava-me o emprego dos
vis es, el in pulvrmn receiter, nao tombos do,pwios regulares, e completa abstencao de hitas o
que rega com lagrimas a fra lousa do sepulchro,, rearcOes, preferindo em tal caso poder a eleicao
ou do, que chora na sepultura da ami-ade : nao 'l<" nos quera comprar a preco de sangue, dizia-
escarnecas d'eile, porque Uasphemas. Nesse roo-1 se em palacio que lindamos em reserva um trem
ment sa alma, como que desprendida do corpo,! de an/as, e para repressao das influrnritts rebeldes
nao solire es.-a lenivel presso, que a turna escra- mandava o presidente urna forca de bayonetas para
va submissa de desgranadas e detestareis paixoes. esta fregaezia, convenientemente municada para
humana, e, tendo-se, por assim dizer, lran>poi ta- u> tiroleo de horas.
do as mais alias regioes ethereas, esta tao pura, Sendo-me j deshonroso recoar, anda que dybai-
como pura sabiu das Maos do Creador. xo ,,:1 Imi* desagradavel impressao, comparec
Nao cscarnecas d'elle, porque neste momento, e : matriz no dia 7 para exercer as minhas funcedes
tal vez somante nesse mura-uto, elle nao do er- de jiu/. de paz. Etremeeendo por mim e por meas
ro, de Sf\i coraijao se tem apoderado duis dos amigos dame do pe de guerra, em que eslava o
mais nobres sentiincntos d'alma amisade e craii- templo, aeonselhel-lhes cautela e prudencia, per-
dao -e no seu cerebro paire duas ideas, quaes' suadindo-os que se deixassem correr pelo snbde-
outnis antros radiantes, que gui-m a humanidade legado, o bacharel Jos Hoberto de Horaes e Silva,
atravez do eminaranhado labyrinlho da vida, s- 'i.'"-' pretextara obedecer em ludo a ordens supe-
mente dou-i pen.-ameuios se nxo a existencia do i rieres.
um Deus e a immurtalid-de d'alma. urnpos armados estavam as avenidas da fregue-
Duas ideas,dous pensamenios.que se achao gra- Conhecidos malversores, verdadeiros reos de
vados em caracteres de sangue divino pela propria \ polica, lancavam aos nossos accintosas provoca-
Mo de Deus ao pedestal dn monuiiiento da socie-! !?*. aineaeando-os eterrorificando-os com indisivel
dade; ellos .se lein no livro da vida dos povo- pre-
sentes e passados, e ler-se-ho no livro das gera-
r;o"s futuras, poique tem Deus o homem um
monstro e a sociclade um citaos.' Dous pena-
mi-ntos, que, sem a f, escapo ao v^o investigador
da philosoplua; o atheismo, negando, os confessa;
o pagauismo, e>si religiao creada pelo delirio das
paixoes, os reverencia; e o Ciilulecisnio, essa re-
ligiao descola do Uo os santifica.
Nao escrnelas d elle, porque .-uas lagrimas sao
audacia.
O subdelegado de polica, esse Sr. Jos Huberto,
de lo honrosos precedentes em nossas lulas polti-
cas, pretenda ingenr-se no exercicio das attnbui-
ces do magistrado popular, diclando-lhe heoes
todo pritposiio e interviudo com sua autoridade as
discusses que se agitaram no acto da cornposicao
da mesa.
De improviso, excitados os espirites pelo ardor
dos debates, lira de urna faca o miseravcl capanga
_ i cscarnecas
a expresso viva de unta dor acerba, porm subh-, ^ ni,l1'e Darata, e alira-se ao lado couservad.ir aos
me! Para tu, que percorje as mas de um comit- Srilos lemorra vermelho !que eram repetidos
rio, prosia-te e, com o amigo e o esposo, resa um P,,los S(,us comparsas. Eis que se Irava um con-
l'alrr Hofterdiante d'esse jazigo ornado por
urna aureola de virtudes, entre as quaes sobresalte
a CAKIDADE...............................
E V. Exc Sr. Visconde de Camaragibo, que na
sagraila roupagem da Moral Divina, aprenden a
ser exeellente esposo, bom amigo sptimo cidado,
enchugue o prant", porque nao sabe, se. no mesmo
momento, em que o derrama sobre o tmulo da es-
posa, os aojos p Santa na manso dos justos Oh ioacessiveis ar-
canos da Providencia, os quaes humaoa intelli
gencia nao dado penetrar.
Hecife, 16 do setembro de IK6'i.
IU. I.. Cesiir l.oureiro.
MANIFEST.
Ilicio ameacador, em que sao feridos quatro dos
meus alliados e dous dos mais sdanosos capangas
da polica, nm destes gravemente !
Terminada esta lutaensanguenlada. que nos cu-
chen a todos de dr e indignacao profunda, separa-
ram-se os nossos, que eram para cima de duzentos,
em pequeos grupos que ocruparam o largo da
matriz. Em quanto assim procedamos, fugindos
provocacoes e evitando quanto possivel o derrama-
ment do sangue, o faccinoroso subdelegado despe
as insignias da autoridade, eum sicario frente
de mullos outrosinvestem para os nossos, espan-
cam, esbordoam, assaltam a casa do cidadao Jos
Lucio Lina e a do respeitavel vigario da parochia,
onde fazem cruel espancameoto as pessoas de
I.uiz Jos Goncalves da Luz e Justino Manoel na
Cruz, que este atlentado nenhuma resistencia po-
deram oppor !
No mcio desta vertiginosa anarchia, correndo im-
mnenle perigo a vida de cada dos nossos, mu tos
I se me offereceram para repellr pela forca os ag-
Depois das scenas ensangostadas que de ultimo: gressores, que meurejavam em qual mais se exce-
tiveram lugar na freguezia de Afogados, onde sou i desse. Difficil me foi conte-los em sua justa indig-
de6dc annos morador e proprielario, corre-me o, nacao ; mas tendo atlenco s destacadas conse-
dever de erguer um solemne protesto em face do quencias que viriam enlutar a minh freguezia
pai e doPiiuiEiRO Cidaoao do Imperio contra a; persuadi-os com vivas instancias que se retiras-
inaudita compresso com que se me esbulhou, a sem para as suas casas, e cerrassem as portas, em
mim e aomeus numerosos amigos e alliados poli-1 quanto ia pedir presidencia as necessarias pro-
ticos, da partie.ipago no pleito eleitoral de 7 de se- videncias.
tembre, ijue foramos chamados em nome da lei. Assim o fiz, mas o affirmo com intimo pezar.
Heduzidos por motivos imperiosos de forra maior Ouvi pessoalmente do Sr. Domingos de Souza Leao
deixar correr a uossa revelia o processo eleito- que era eti o amor da desordem e tumulto, reinan-
ral, que devja dar ao municipio legtimos repre- tes na freguezia. Contendo-me custo diante desse
Rentantes e juizes de paz aos varios di-trictos des- primero responsavel da anarchia, que por tal modo
ta freguezia, reclama a firmeza de nossas convic- procurara alienar de si a consciencia de seus ruins
efies que reunamos imprensa dar conta exacta e feitos, obtivo promessa de que seria mandado
desapaixonada dos verdadeiros attentados em que, aquella localidade o Sr. chefe de polica que, por
sob salvaguarda d > policia e ao mando da prfmeira estranho s Iotas agitadas pela presidencia, me
autoridade da provincia, se arredou urna opiniao inspirara principio essa confianca, que raras ve-
respeitavel do concurso que tinha irrccusavel zes se reeusa autoridade legitlmamente consti-
direito nesse solemne debate penante urna. tuida.
E* esta a segunda rez em que, dehaixo do regi- Mais um complico fez o gorerno surgir as ce-
rnen inaugurado no paiz por um attentado a cons- as lutuosas do Afogados. All comparecendo, o
titucio, me vejo obrigado accadir me a impren- Sr. chefe de policia vio os grupos que Ihe apontei
sa para deuunriar desatinos e atrocidades postos armados, a desordem, o tumulto, a anarchia em
em praija para tolher-me no exercicio do direito do toda parte ; fc quando se esperava que enrgicas
voto. Anda no ultimo anno, quando fementidas providencias iam tolher a acciio dos sicarios, lim-
promessas correram o paiz em todas as ilirecQoes,, tou-sc o primero orgo da policia a'gumas friro-
prorocando em lirre concurso as ornas em nome las recommendacoes ao subdelegado, despedindo-se
da ventado mais bem intencionada do imperio, sa-! desse seu agente a frente de minha casa e aecres-
be-se o como nesta fregnezia se trucidou a expres-
sio legitima da aspiragao popular, fazendo-se cir-
cular a ameaca, o terror e um cortejo irresMirel
de meios compressores para roubar-me,e aos meus
alliados, o triumpho com que nos acenara urna po-
pulacho pacifica e laboriosa desde tonga data ha-
bituada ver um amigo em cada um d-- nos, ami-
go experimenta lo as mais duras provacoes. En-
tao, como agora, voltamos a< faces provocado
enverna mental, e elevamos um protesto qa>j nao
foi desmentido, por que nao o poda ser.
Era distancia de mezes, eis que Iguaes scenas se
repetem, no que toca ao terror ameaca e im-
centando em tom rardial que desarmasse os des-
ordeiros, pois taes eram as ordens do governo.
Ja Ihes havia eu perguntado se nao julgava de
prudente aviso exonerar desde logo esse agente
su alterno, que tao mal romprehendia a mi autoridade ; e respondra-me o magistrado de poli-
cia que nuda poda fazer ntslt sentido, pois a sua
commisso consista apenas em transmitlir ordens
da presidencia.
Convenc me entao quo todos estes attentados
eram o resultado de nm trama concertado pelo Sr.
Domingos de Souza Leo, e qae iaroos ficar entre-
gues, e sem recurso da arca governamenlal doca
pressao, tintas agora em o sangne de inoffensivos nibahsmo do Sr. Jos B"bcrto de Moraes e Silva, o
cidadiliR que tiveram o enme de onvir o mando subdelegado desta infeliz freguezia.
da lei para o cnmpri ment de um dever e exerci-
cio de uro direito. O punhal do sicario vio agora
Com effeito. O Sr." chefe de policia que se retira
eo tuoiulfo que rompe iroso, e o purihaos que se
mostrara & dcscoberto, o as amcacas que-se noom
em campo com inerivel arrojo, occu'tando-se o
poucos dos nossos queaiuda uoliaviam cedido aos
effeitos do terror.
Entre scenas de horror passou-se oprimeiro da,
presente todos estes desmandos o Sr. Manoel do
Carvalho Paes de Andrade, escrivao do juizo espe-
cial do conimercio. na cidade do Recife, sobrinhode
S. Exc. e emissario privado da conquista de Afo-
gados.
No dia inmediato, passando inerme o cidadao
Manoel Ferreira Escovar por frente da casa onde
se achava o energmeno subdelegado e varios dos
seus sequazes, lancaram nm ceno facineroso Joao
Grande em seu seguimento, e alcangando o ra
do Motocolomb, de faca e cacte em punho, o
esbordoou de>apicdadiimente em frente de um des-
tacamento de trinta bayonetas. A propria forca
publica era assim constituida em garante do cri-
minoso audaz I
Succumbindo entretanto urna das victimas da
respera, um famigerado Joao Marinho, mirador
na V'arzea, que recebera no conflicto erimento
arare, levanta-se voz em grita dos grupos desor-
deiros, reclamando vinganca por este homicidio
que imputavam nossa conta. Kepete-seem coro
sinistro o nome esse mnrtyr da liberdade, e co-
mo trete reeordaclio de suas virtudes rmeos cer-
cam de ameaeas a minha propria habitacao, pro-
lestando-se fazer-me pagar caro o tributo de san-
gue s-exigdo pelo Sr. Domingos de Souza Leao !
Ilocorrendo ao capito commandante do desta-
camento, e fazendollie ver que esperara o seu con-
curso para repellir as tentativas que se punham
em praca contra a minha seguranca, respondeu-
me esse militar que tlnha noticia d'esses planos,
que os via a meios rcalisados, mas que esperava
nao fossem levados effeito.
Nao por mim quo o tinha por autor de todos es-
tes lamentaveis acontecimentos, com que pretenda
talvez tirar de-forra de um facto que entre nos se
passara dous dias antes da eteleS. mas por amor
seguranca pessoal dos meus allialos, dirigi-mo
por quatro horas da larde M Sr. presidentd; a
quem dei novas do occorrido, concluindo por
pedir garantas, e que de novo mandasse a Sr.
chefe de |wlicia afim de proceder corpo de delic-
io nos feridos, que era minha casa eram pensados,
e que nao deriam ser vestoriados pelos seus pro
prios verdugos, os assassioos era nome da po-
lica.
Obtendo promessa, tao generoso como no pro-
metter este Sr. Domingos de Souza, voltei ler-ine
com os proscriptos de A (Togados. A' pouca dis-
tancia da freguezia, encontrando-me com o fretro
em que se conduzia no meio de desrespeitoso es-
trepito e arelamacCes frenticas de um populas
desordenado o cadver do infeliz Joao Marinho,
viudo frente o subdelegado e um bando de ins-
pectores, foi omeu carro cercado por hmeos si-
nistros e um dos quaes lancou ino arrebatada-
mente s redeas, e outros investiram contra mim
cora insano furor !
Se nao fura a espontanea ntervenejio de um
alferes do destacamento e varia outras pessoas,
que me offereceram efflcaz garanta, tambem en
teria cnido urna das nctimas do punhal I
.Este horrirel attentado contra a minha pessoa
entreva talvez nos planos do Sr. Domingos de Sou-
za Leao, que por estecommodo meio fcilmente se
desombaracaria de um implacavel adversario s
suas vistas de desmedida ambicio pessoal.
Chegando freguezia depois de horas, o Sr.
chefe de policia nem ao menos comgo se entendeu
para ver os offendidos. Nada de proceder cor-
pos de delicio, como fra generosamente promctltdo
por S. Exc.
N este estado de abandono, entregue aos meus
proprios recursos, resolv dirigir-me de novo ao
Sr. presidente da provincia por meio de um ollcio,
que Ihe enderecc por nove horas da noute, e no
qual instava pelas providencias tanta vez solici-
tadas. Embalde esperando a resposta que fora
promettida, encaminhei no dia dez nm requeri-
menco S. Esc. em que ainda urna vez, fiz sentir
a necessidade de proceder-se sem perda de tempo
corpo de delicio.
Obtendo por despacha que estavam dadas as
providencias, at hoje nenhuma diligencia teve lu-
gar em ordem rerificar um exame legal a exis-
tencia material dos delictos.
Entretanto, referir o zelo do Sr. subdelegado em
prises e processos, nos quaes se pretende impli-
car notaves caracteres da freguezia, vendo-se o
crime em loda parte menos ern seus conhecidos e
apuntados autores.
Passara-se todos estes lamentaveis factos meia
legua da cidade, e nm |>ern*mlucsno qasui fi-
menta, dirige e ordena atrocidades sem ronta, ab-
lentados sem i|Ualilieaco, contra una populacao
pacifica e respeitaveis "caracteres.
Morador ha trinta e tres annos n'esta freguezia,
onde tenho exercido todos os cargos de eleicao po-
pular, onde sou ainda commandaiije de um bata-
Ihao da guarda nacional, oudo lenlio familia nu-
merosa e amigos dedicados at ao sacrificio, onde
sou proprielario de estahelecimentos agrcolas em
que se abrigara cerca de quatrocentos, moradores
que os tenho ligados mim por lacos de gratido,
pois Ihestenhe prestado na carreira de minha ton-
ga vida todos os beneficios e desvelada proteccSo.de
que capaz nm cidadao as minhas condicocs, ps-
so alucinar com desvaneciinento que tenho plantado
n'esta freguezia urna legitima e incontestada in-
fluencia, nunca manchada pela pratica de excessos
criminosos e sempre respeitada pela populacao
iuleira cojos interesses hei promovido e expendido
com verdadeiro e [turo patriotismo, como particu-
lar desde tonga dala, e como vereador na munici-
paldade em cinco legislaturas consecutivas, em
duas das quaes me coube a honra de representar
o municipio como presidente da cmara.
Ergo-me sobranceiro peante os (|ue me conhe-
cera : escrevo era urna provincia onde lodos sa-
ben de que naiureza sao as minhas polticas c
pessoaes com a briosa populacao de AITogados, que
nunca abandone! nem bei de abandonar, em [leus
o espero, anda nos transes mais arriscados.
Eslava reservada ao Sr. Domingos do Souza
a estulta o vaidosa preteneSo de derrocar u a
influencia pacifica, fundada preco de pro-
vas de dedicacao e amizade durante urna tonga
serie de annos, cimentando o pedestal de sua glo-
ria rom o sangne dos meus comparochianos.
Saiba, pois, o paiz e saiba o iMPEn.\non que o
presidente de Pernambuco nao tremeu diante do
assassinato para engriualdar a fronte com urna
conquista demais.
Perdemos urna eleicao ; mas a honra licnu-nos
em penhor do nossa sincera adhesao cansa mo-
narchica, de nossa leal dedicacao ordem publica.
AITogados, 13 de setembro de 1864.
Manoel Joaguim do Reg Atbuquerque.
Hospital Portnguez de Beneficencia em Per-
nambuco.
Tendo de celebrar-se no da 18 do corrente c
anoiversario da fundacio do Hospital Portuguez,
como pre>creve a sua lei regulamentar. entendeu
a actual junta administrativa, a imitacao do que
pratcou a sua antecessora, que esse acto se pode-
ra tornar mais solemne, seeuindo-se-lhe a exposi-
cao de preudas e joas, que a generosidade dos ha-
bitantes desta hos,dtaleira cidade se diguaremde
oflertar-lhc, para em publico serem trocadas e
convertidas em beneficio dos pobres enfermos.
Nesle intuito foi nomeada urna commisso espe-
cial para agenciar e arrecadar os diversos donati-
vos, a gual em desempenho de sua honrosa e san-
ta missao dirigi humildes supplicas s pessoas de
que teveconhecimenlo.
Nao sendo porm possivel que semelhanle con
vite fosse enderezado individualmente todas as
senhoras e cavalheiros, nao s por falta de tempo,
como e principalmente por se ignorar seus nomes,
a mesma junta e commisso se prevalecen) do
nico meio que lhes resta, para fazer chegar a pre-
senca de todos os habitantes desta capital as mes-
mas supplicas, como se especialmente e a cada um
de per si as tivesse dirigido, pedindo que se dig-
nem enviar qualquer offerta, que ser recobida
com o maior reconhecimente, como obulo de cari-
dade.
Recife, !i de setembro de 1864.
Joaquim Ferreira Mendes Guimares.
1" secretario.
Illm.Exfior V. consideracoes para levar-
Ihe ao coraco um incentivo de caridade, fra por
em duvida o espirito nimiameute religioso e phi-
lantropico que tanto caracterisa a respeitavel pes-
soa de V.
Sao j por demais conhecidos os sentimentos de
pura generosidade que V. tem manifestado em
faror da humanidade desralida, e o Hospital Por-
tuguez de Beneficencia nesta cidade, por quem ho-
! je imploramos/ah ettamhom para altestar a rer-
i dade de scmelhante asseroao
Nao ser, pois, em rao que nos dirigimos V.
a rogar-lhe, em nome dos pobres enfermos, que no
leto da dr recebem o soccorro desto hospital, se
digne concorrer com utna prenda ou j"ia em dona-
tivo para, depois de exposta concorrencia publi-
ca no da anniversario da installaco do dito hos-
pital, ser all trocada pelo bulo da caridade em
auxilio da manutencao de tantos infelize.
A femuneracao do benigno acolhimento qne V.
dar esta snpplica e a remessa que aguaramos
de qualquer objecto em prova de sua piedade e
dedi cacao, pi-rtencer ao Todo Poderoso rujo
throno devero chegar as vozes agradecidas dos in-
digentes enfermos, da mesma sorte queem signal
de respeilo e veneracao bei ja m as mos V.
Recife de agosto de 1864.
Os membros da commisso :
Joao Pereira Moutinho.
_- Custodio Jos Alves Guimaraes.
Jos Martins da Silva Borges,
Joaquim da Silva Costa.
Domingos Ribeiro da Cunlia Oliveira.
Joao Ferreira da Silva.
Albino Jos da Silva.
Jos Joaquim da Cunha.
Francisco Pinto O/.orio.
N. B.As prendas ou joias queforem olT -riadas
poderao ser enlregues al o dia 16 do setembro,
qualquer dos signatarios ou no proprio hospital.
Anacahuita peitocal de Iv>nip.
Alegrem-se todos aquelles que por espaeo de an-
nos inteiros teem vivido agoniados e ifOictns p^los
solTrimentos da a-thma e dos broncliios. Esle ex-
eellente e ioolT.rasivo remedio vegetal attaca promp-
tamente e com invariavel seguranca essas moles-
tias mesmo na< suas peiores formas. A arvore
donde o rico balsamo extrahido tem sido verda-
deiramente a arvore da vida para milhares de pps-
soas que pereciam das affecoe.s des pulmes e da
garganta. Lirapa e faz remover todas as morosi-
dades acumuladas nos vasos bronclnos, fortifica a
membrana da traca-arteria e do delicado tecido
dos pulmoes e imparto um vigor verdaderamente
maravillioso todo o aiiarelho da respiraco. En-
contra-se as drogaras de Caors & Barboza e de
Bravo & C.
C0STME1GI0.
sovo bi\co m nuiHiin.
O novo banco p^a o 13 divideu
na razao de 8$000 per aece.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 14......*.. 279:7074347
dem do dia 15................. 30:38958
310:1065305
Hovlinento da alfandesa
Voluine.s entrados com fazendas... 263
com gneros... 344
------ 607
Volumessahidos com fazendas... 197
t com gneros... 1,127
------- 1,327
Descarregam no dia 16 de setembro.
Galera inclcza//e/ro/on' ferro para a ponte.
Patacho inglez Unid of Atheuscarvao de pedra
Barca inziezaConrwtdem.
Patacho inglez -Propon/esmercadorias.
Barca francezaLes anias de Saint Jean de Luz
mercaderas.
Importaeo.
Bergantm inglez Proponiis, entrado do Liver-
pool consignado a Johnstoo Pater & C, manifestou
0 seguiute :
5'JO caixas sabio, 48 ditas cha, 1 dita sida. 5
barricas lijlos, 6 fardos tecido de linho, e 40 to-
neladas de pedra ; aos consignatarios.
10 barris manteiga; a J. F. da Silva.
6 ditos oleo de linhaca; a E. A. Burle & C.
20 cascos soda caustica, 10 barris breu; a Maia
& C.
30 barris harrilha refinada, 20 ditos salitre, 3
caixas phosphoros, 20 barris therebpntina, 25 ditos
breu, 80 chapas de fogao, 3 barricas lampos, 7
ditas e 1 caixa cuteleria, 2 ditas sciins rompidos,
3 ditas panno para soalhos, 8 ditas vidros de cor,
16 ditas diios, 2 ditas atacadores, 1 dita um ba-
nheiro, 175 ditas folha de flandres, 1 barril (olhas,
!60 pesos granel, 2 barricas ditos, 4 ditas o 11
fi-i\es moinhos para caf e sous pertences, 3 ditos
i'iMe~, ?, caixas ditos galvanisado, 30 barricas
pnxadas e ferragens, 100 l'eixes ps de ferro; a
S. P. Johnston Ai C.
31 caixas e 7 fardos lecidos de algodrw.de linho,
de lia e mixto; a Phipps Brothers i C.
1 dita medicamentos, 33 ditas e 80 fardos teci-
dos de algodao, de linho, saceos vastos, estopa e
tecidos mixtos: a Adam-on Hiwie & C.
2 barricas cuteleria, 1 caita tecidos de meia e
elsticos, 2 barris estanto em barra, 3 dilas ferra-
;.-ns, 1 caxa fio, 3 ditas cofres de ferro; a Isidoro
Netto 4 C.
11 gigos tonca; a Thomaz de A. Fonseca.
2 caixas tecido de meia, 37 ditas enxadas. dobra-
dices, e ferragens, 2 caixas objeetns de seleiro, 1
dita inachinismo. 10 barricas estanbo, 30 feixes
ps de ferro; a Saunders Brothers & C.
17 ditas rerveja, 1 dita o 8 barricas candieiros
de vidro, 2 ditas grampas de ferro, e ferragens; a
Thomaz Jefferies.
30 ditas conserva. 18 barricas e 2 caixas fer-
ragens e dobradires, 70 feixes chapas de fogao, 2
barricas lapis, 210 caixas millas de flandres, 4
fardos e 14 caixas tecidos de linho c dito do algo-
dao ; a Paln Xash & C.
2 caixas sal amargo, 19 barricas cerveja, 20 cai-
xas conservas, 2 ditas mu-larda, 26 ditas fundos
ib cobre, 2 ditas toihas de dito, 1 dita e 5 cascos
ferragens, 1 caixa-ctihre, 4 tubos dito, 2 barricas
potes de ferro, 1 dita cutileria, 10 dilas estanto, 24
ditas chumbo demunicao, 10 fulbas de chumbo, 80
feixes folhas de ferro,'232 barras e 401 feixes de
ferro, 198 caixas follias de Flandres, 32 gigos ton-
ca, 13 fardes e 17 caixas madapolao e tecido de al-
godao ; ordem.
85 pegas de cordoalha, 17 barris breu, 30 ditos
manteiga; Manoel Joaquun Ramos c Silva &
Genros.
18 barris oleo de linhaca ; Bartholomeu F. de
Souza.
13 gigos louca ; Thom & C.
40 caixas linha de algodao, 2 ditas atacadores, 1
dita esporas, 1 barrica "escovas, 1 dita tinteiros, 1
dita ferrolhos, 300 potes de ferro, 10 barricas ferro
para sellins, 3 ditas pesos e 100 ditos granet, 50
chapas para fugo, 10 caixas e 123 barricas ferra-
gens ; Prente Vianna & C.
2 cascos ferragens ; a Shaw & C.
8 caixas tecido de algodao e de linho ; Joao
Keller & C.
10 ditas batatas, 1 dita botos 6 dilas cha prelo,
1 dita phosphoros, 12 pedacosde toucinho, 12quei-
jos, 30 presuntos ; Thomaz Barnes, capito do
mesmo.
Recebedorla de reodae Interna
geraes de Pernambuco. ^
Rendimento do dia 1 a 14........ 13:7304110
dem do da 15................. 5295U0
14:239610
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 14......... 27:6224127
dem do dia 15................. 8454014
&4f6
sidentc da provincia de 12 do corrente, manda fa-
zer publico, que no dia 29 do mesmo, perante a
junta da fazdida da mesma thesouraria se lia de
arrematar quem mais der o imposto de 24-500 do
gado vaceum consumido no municipio de Iguaras-
s. no restante do triennio corrente, avaliado nova-
mente em 1:4334000.
A arremaUco ser feta por tempo de 2 annos e
9 raezes a contar do 1" de oulubro de 1864 a 30 de
junho de 1867.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao, comparecam na sala das sesses da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
peto jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 13 de setembro de 1864
O secretario,
A. f. d'Annunciariio.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimontu da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 12 do corrente, manda fa-
zer publico, que no dia 29 do mesmo, peranto a
junta da bzenda da mesma thesouraria, se ha de
anematar quem mais der o imposto do dizimo do
gado vaceum, da comarca do Bonito, avaliado no-
varaente em 2:000;5*tOO.
A arieraalacao ser feta por lempo de tres an-
nus a contar do primero de julho de 1864 30 de
junho de 1867.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
ci coropareeam na .-ala das sesses da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia e
competentemente habilitadas
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 13 de setembro de 1864. ,
O secretario,
A. F. d'Annunciaeiio.
O cidadao Joaquim Antonio Carneiro, juiz do paz,
i" votado do 1 districto da freguezia de Santo
Antonio da cidade do Recife de Peruaiiibaco.
Paco saber que pelo Exm. presidente da provin-
cia me foram dirigidos os olDcios seguidles :
4a seceo. Palacio do governo de Pernambuco, em
11 de setembro de 1864. Tendo nesta dala consi-
derado nullos os trabalhos eleiloraes, que se es-
lava procedendo nessa freguezia, em consequencia
das oceurrencas quo ah se tem dado, e das quaes
resuliou o desapparecimenlo do livro das acias,
sem o qual nao possivel apreciar a regulandade
daquelles trabalhos, nem da organisaco da mesa
parochial, e resolvido que se faca nova eleicao no
dia 16 de oulubro vindouro, assim o communico
Vine, para que, nos termos da lei, faca a convoca-
cao dos oleferas e supplentes da freguezia para a
organisaco de nova mesa parochial.
Dos guarde a Vine.Domingos de Souza Leo.
Sr. juiz de paz mais volado da freguozia de Santo
Antonio desta cidade.
4' secgo. Palacio do governo de Pernambuco,
em 12 de setembro de 1864.Respondendo ao of-
ficiode hoDlem em que Vmc. me consulla se a
eleicao que se lem de proceder nessa freguezia,
no da 16 de outubro prximo vindouro, como de-
termioei em meu oftl.io de hootem, deve ser de
juizes de paz somonte ou de veroadores tambem,
cabe-me dizer-lhe que, devendo estar concluida
n'aquella data a eleicao municipal, e por conse-
grante couhecido o seu resultado, s pode ter lu-
gar nessa freguezia a eleicao dos juizes de paz, em
face do que declara o aviso n. 62 de 21 de feverei-
ro de 1833.
Deus guarde a Vmc.Domingos de Souza Leao.
Sr. juiz de paz 2 volado da freguezia de Sanio An-
tonio desta cidade.
Era consequencia do quo convoco os eletores e
supplentes desta freguezia em numero de 67, n'ella
resideules, a coraparecerem, pelas 9 horas do men-
cionado oa 15 de outubro prximo vindouro, na
igreja matriz dosta freguezia, abra de se organisar
novamcnle a mesa parochial.
Outrosim faca igualmente saber que, tendo a lei
provincial n. 600 de 13 de maio deste anuo suppri-
mido o 2 districto de paz desta freguezia, como me
foi commiincado pela cmara municipal, deve a
eleicao para juizes de paz ser una para toda a fre-
guezia.
Assim tambera o communico a todos os cidados
qnaliflcados volantes nesta Ir-guezia em numero
de 1230, cojos nomes foram inscriptos na lista all
xada na referida matriz, para comparecerem a dar
seus votos na forma do ai t. 100 da lei regulamen-
tar das eleicoes, observaudo-lhes que nao sero ad-
miuidas as cdulas dos votantes. QUfl nao comiiarc-
cerem pessoalmente; bem como as que liverem no-
mes ri-cados, alterados ou substituidos por ouiros,
(orno expressamente declara o art. 50 da dita le,
e que serio multados naquantia de 10-iOO na for-
ma do art. 126 % 7, os que sem motivo legal deixa-
rem de comparecer.
/oram eleilos os senhores :
*M)r. Deodoro (Jlpiano Olho Caianho, Dr. Joa-
quim de Aquino Fonceca, Dr. Francisco de Araujo
Barros, Amonio Augusto da Fonceca, Francisco
de Paula e Silva Manuel Antonio Viegas, Jos
l'rancisco Carneiro, Francisco Xavier Pereira de
1,075 varas do brim branco.
1,000 varas de algodozinho.
42 pares de clcheles pretos.
Quem quizer vender taes objectos aprsente
a sua proposta em carta fechada na secretaria do
conselho s 10 horas da manhaa do dia 16 de cor-
tembr prximo vindouro.
Sala das sesses do conselho administrativo para
fornecimeuto do arsenal de guerra 9 de setembro
do 1864.
Antonio Pedro de S Barreta,
Coronel-presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pijrrho,
Vogal secretario.
CoDseiho de compras navaes.
Contrata o conselho em 19 do corrente mez a
lavagom do roupa dos eslabeleeimentos de mari-
nha, e o fornecimento dos objectos de fardamento
abaixo declarados, ludo por tempo de tres mezes
fmdos em dezembro prximo'vindouro.
Objectos de fardamento.
Para os aprendaos artifices.
Bonetsdo uniforme, bonels para o servico, blu-
sas de brim branco, blusas de algodao azul, caigas
de panno azul, caigas de brim branco, caigas de
algodao azul, camisas de algodozinho, cobertores
de lia, colches de linho chelos de palha, colchas
de algodao, frdelas de panno azul, fronhas de al-
godozinho, lencos de teda preta para graratas,
leng de Jalgodaozinho, sapatos feitos no paiz,
saceos de guardar roupa, e travesseiros de linho
lelos de palha.
Para os imperiaes mai inlu-iros e aprendizes ditos.
Bonels de panno azul, camisas de brim branco,
caigas de algodao azul, calcas de brim branco, ca-
misas de algodao azul, calcas de panno azul, farde*
tas de panno azul, lencos de seda preta para grava-
tas, sapatos feitos no paiz, e saceos de tona de raa-
rir.hagem.
Para os fnzileiros navaes.
Bonels de chapa e palla, caigas de brim branco,
calcas de panno azul, frdelas de panno azul, far-
das de brim branco, graratas de couro de lustre c
sapatos feitos no paiz.
Para os Africanos lirres.
Calcas e camisas de algodao azul.
Para as Africanas lirres
Camisas de algodajzinlu, c saias de algodao
azul.
Sao snjeitos : o contratante da lavagem de ron-
pa a pagar a mulla de 10 por cento quando nao
for esse servico feto dentro de oitodias o mais tar-
dar, e de 20 por cento nao sendo realisado ou se
for feito de maneira inconveniente, c tambem
sujeito a pagar a importancia de qualquer peca
que se estravie ; e os contratantes dos objectos de
fardamento a pagarem tambem a primeira dessas
multas no caso de demora na entrega dos mesmos
objectos, e segunda se nao o fornecerem, ou f-
rem de m qualidade.
Tambem no referido dia 19 do corrente mez
promove o conselho a compra do seguinte :
12,000 azulejos, 1 barmetro, 20 arrobas de mia-
lliar branco, 1,000 pregos para forro de zinro, 73
arrobas de plvora grossa, 50 milheiros de pregos
de batel pequeo, 30 iniheiros de pregos ripares,
20 arrobas de pregos de 4 pollegadas, 12 duzas de
tabeas de pnho de 1 pollcgada, 10 duzias de ta-
beas de pinho de 2 pollegadas, 200 pegas de linha
alcatroada e merlim, 100 saceos proprios para con-
duccio de carvao de pedra, 50 chapos de oleado,
50 esgunchos, 1,000 torneas de rede, 600 folhas
de cobre de 28|o, 600 libras de pregos de dito, 000
sapatilhos diversos, 20 lanternas de patente, 145
covados de damasco de seda verde, 20 taboas de
assoalho de amarello de 50 palmos limpos de cora-
pri ment, 6 duzias de taboas de dito ou vinhatico
de 38 palmos limpos de comprimento, 20 duzias
de taboas de amarello ou vinhatico, polomoju' ou
arariba de 3 1|2 pollegadas de grossura e nao me-
nos de 30 ps de comprimento, 40 duzias de taboas
ditas de 5 pollegadas de grossura, c nao menos
de 33 ps de comprimento, 30 duzias de taboas de
amarello para assoalbe de 26 30 palmos de com-
primento, e 12 duzas de taboas de amarello de i
1|2 pollegadas de grossura ; sujeitos igualmente
os contraanles pela venda destes objectos s men-
cionadas mallas de 10 por cento pela demora na
entrega delles, e de 20 por cento quando nao os
fornecerem, ou forem de m qualidade.
Contrata o conselho e promove a compra vista
de propo-tas recebidas no dia indicado at s 11
horas da manha.
Sala do conselho de compras navaes, 14 de se-
tembro de 1804.
Alcxandrc Rodrigues dos Anjos.
, Secretario. .
Inspecco do arsenal de na
Hulia.
Faz-se publico que a commisso de ppritos exa-
minando, na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1,324 de 5 de fevereiro de
1854. o casco, machina, caldeira, appaielho, mas-
ireago, veame, amarras e ancoras do vapor Ma-
mawjuapeii companhia Pernambucana de nave-
gacau costeira, acliou ludo em regular estado.
nspeccao do arsenal de marinha de Pernambu-
co, 11 de'sotembo de 1864. inspector, H. A.
lirito, Luiz Jos Pereira Siinoes, Caelano Pialo de. i Barbosa de lim-ida.
Veras, Manuel Antonio de Jess Jnior, Innocncio p0|a secretaria do tribunal do commercio de
Rodrigues de Miranda, Dr. Antonio Rangel de Tor-! Pernambuco se faz publico que nesta data fiea re-
res Bandeira, Manoel Antonio Pereira, Dr. Jo.-
Joaquim de Moraes Sarment, Silvino Gnilherine
de Barros, Dr. Antonio Jos Alves Ferreira, Seve-
riauo Jos de Moura, Francisco de Souza Reg Mon-
teiro, Flix Antonio Alves Mascarenlias, Jus Fran-
cisco de Paula, Jo.- da Fonoca e Suva, Dr. Jos
gislrado o contrato celebrado em Pars entre os
Srs. Jos Alves da Silva Guimaraes Max Hambur-
ger e Carlos Salomn, em virlude do qual fica este
que era cominanditario desligado da suciedade que
haviam formado, e que gyrava nesta cidade sob a
lirma de Alves, Hambiirger & C, desde 31 de de-
Pelix de Brito Macedo, Flix Francisco de Soiiza zenibro do anno prximo paseado ; continuando
MQYIMENTQ 50 POETO.
iVai-o entrado no da 15.
Terra-Nova40 dias, escuna maleza Margare!, de
155 toneladas, capito Clrment Peirel, equipa-
gem 8, carga 1,892 barricas e 37 caixas com
bacalho; a Johnston & C
Navios sahidos no mesm dia.
Baha Curveta vapor nacional Pnramse, rom-
mandante capitio-tenente Pedro Thom de Cas-
tro Araujo.
ParaCurveta a vapor ingleza Carletc, comman-
dante Hudson.
Rio-Grande do SulBrigue nacional Sorpreza,
capito Ja< Rodrigues de Almeida, carga sal e
outros gneros.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin
cial em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre
Magalhies, Claudino do Reg Lima, Joao da Cu-
nha Suares Guimaraes, Jos Francisco do Reg.
Caelano Sdverio da Silva, Luiz de Franca Soulo,
Miguel Candido de Medeiros Pinto, Manoel Hay-
mundo Penafoi te, Joaquim Mililo Alves Lima, Dr.
Antonio Epaminendas de Helio, Justino Pereira de
Fanas.
Supplentes.
Dr. Jiio Francisco Teixeira, Luiz Cosario do Re-
g, Dr. Angelo Henrique da Silva, Dr. Antonio Jo-
s da Costa Ribeiro, Manoel Camello Pessoa, Fran
cisco Antonio de Brito, Francisco Antonio Pereira
de Brito, Jos Maria de Alencar, Cleuienlino Car-
neiro do Lira, Joaquim Gregorio dos Res. Ladislao
Jos Ferreira, Manoel Auto .10 de Alcntara, Joao
Bautista da Silva Prxedes, Manoel Thomaz de Pa-
rias, Cassimiro dos Reis Gomes e Silva. Joao Luiz
de Carvalho, Joaquim Olyntho Baslos, Bernaidioo
de "
Jua
Ma
Fonceca, Jaeiolho Antonio de Mello, Miguel Jos
de Almeida Pernambuco, Dr. Joaquim Pires Ma-
chado Porlella, Dr. Manoel da Silva Neiva, Dr. Ig-
nacio Nery da Fonceca, Francisco Domingues da
Silva, Fumino Francisco de Brito, Albino do Reg
Machado.
E para que a todos conste, mandei fazer o pre-
sente, que ser aflxado nos lugares mais pblicos
desta freguezia, e publicado pela imprensa.
Recife, 13 de setembro de 1864.
Eu Joaquim da Silva Reg, escrivao que o es-
crevi.
O juiz de paz,
Joaquim Antonio Carneiro.
DECLIUCOES.
Arrematado.
Pelo juizo municipal da 2a vara, c de residuos e
capellas, vai praca de venda no dia 17 do cr-
reme, depois da audiencia, requerimento do tes-
tamenteiro e inventarame dos bens da finada Ma-
ria Candida de Magamaei para pagamento dos le-
gados e sello nacional, e custas, o sitio deuomi-
nado Zongu em Apipucos, cora casa de sobrado,
cozinha, estribara e urna graude otaria de fazer
lijlos e torno, com barrelro e grandes haixas de
capim de plauta, era chao Joreiro, avaliado por
6:0005009.
Na audiencia do juiz de orpbaos ir nova-
niente praga sexta-feira 16 do coi rente o dominio
directo das casas da ra Nova,' j annunciadas, a
excepcao dos de ns. 1 e 3, com o abate da quinta
parte.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento dn
arsenal de guerra lem de comprar os objectos se-
guintes :
Para o 4o hatalhao de artilharia.
400 pares-de sapates.
30 Itonets.
30 mantas de lia.
30 pecas de palatina.
234 covados de panno azul.
162 covados de hollanda de forro.
21 varas de aniagem.
mesma suciedade suas operaces, sob as bases e
convengdes anteriormente estabelecidas, e com a
firma de Alves ; Hamlmrpcr.
Secretaria, 14 de setembro de 1864.O oflicial-
maior. Julio Guimaraes.
RhE,\TA(J.IO.
No da 17 do corrente setembro, finda a audien-
cia do Sr. Dr. provedor de residuos, escrivao Vas-
concellos, ser arrematado o sobrado de um andar
e sot.io n. 14, sito ra de Santa Rita, com portao
para o becco e que d sabida para o muro da Pe-
nba, em terreno proprio, pertencente a testamen-
taria do fallecido Sebastian Mauriclj Wanderley,
avaliado dito sobrado em 4.0003000
Hoje 16 de setembro se ha de arrematar por
ser a ultima praca, na sala das audiencias, peran-
m sitio
Rodri-
Abbade do
Armiiataco.
Pelojuizo municipal da 2* vara, depois daau-
diencia do mesmo no da 17 do corrente, tem de
ser arrematado no deposito gcral, na ra do Im-
perador, alguns movis e fazendas peuborados por
execuco da veneravel ordem terceira de S. Fran-
cisco contra es herdeiros do finado Antonio Jos
Pereira.
Vai praca hoje para ser arrematado por
quem mais der, depois de finda a audiencia do Sr.
juiz municipal da 1' vara, duas cscravas pretas-
com habilidades, e ptimas engommadelras, sendo
urna de nome Maria, com 16 annos de dade, e ou-
tra de nome Leandra, com 20 annos, e uns mo-
vis de casa, tudo por execucio de D. Umbelioa
Leoncia Borges Diniz contra Francisco Antonio
Pereira de Brito.
9*1
iHE\TH0
DE
EMPREZA
(.MU Va k COIMBM.
Sabbado, .7 de self mitre de 1864.
Segunda representaco dada pelo prestidlgltaer
brasilciro
JULIO DOS SANTOS PEREIRA
Socio benemrito da sociedade Propagadora
das Bellas Artes no Rio do Janeiro,
e primeiro magieo brasileiro.
Nevo, extraordinario e variado divertento de
apparenfes jagos pbysiees,
prcas mecnicas e verdadeira prestidigilacie.
Depois de urna wolhida onvertura, serio aber-





i
I
-





Otarlo c *ernfifcfi -- ella 'Ira I 3 4e eiembi-o de i4.
F
los os iraliilhos polos enigmticos e idexplicaveis
effeitos, que tem por titulo
AS&UDOSSEGREDOS
ou
NSTENOS DO DLVBO.
PBIMEIRA PARTE.
As cartas obedientes, sua apparico, engao e
mudanza de cor ; a luva encamada passa-
gens visi veis, reuniiio do todo priso milagrosa
aves encantadas, fgida e liberdade Objeclos
invisiveis, caixa pequea omito mgico adv-
ahaco larangeira do paraizo fructo mara-
vilboso As borbuletas fe.ttceiras.
SEGUNDA PARTE.
A estrada de seda A moeda viajante, sua che-
gada O negro quadro dos segredos Projuizo
inexperado Concert e entrega dos objectos
O segredo de Sybila A carga de urna pistola,
seus effeitos e entro da realidade O jardim de
Veus A cornucopia da abundancia Offerta
ao calor Variedado e dalva.
Finalisar a segunda parle com a admiravel
Cnixa de guerra da legio oeculta
que exec Mar
A POLKA DO DIABO.
' TERCEIRA PARTE.
Esta parte ser preencliida pelas admiravcis o
sublimes coramnacocs, que. anparaafaMnntQ, como ,
as vistas dissolutivas tem por denominado
OSEIWEITOS
DO
MEGASCOPIOEGYPCIO
Patente qae seja ans espectadores. 0
anjo ihts vistas piltorescas
Ter lujar a apparico das segiiintes:
Urna aldeia dos arrebaldcs de Paris. A pesca
los ursos brancos do Mar-Negro. A igreja de
Santo Andr na Hespanha.A cathedral de Notrc-
Dame de Paris.A nao PrinCeza ein frente ao por-
to de Marselha. A pomposa ceremonia do casa-
mento de Napoleao llf.O monte Vesuvio.Novo
corredor do gran te palacio do Gon capella de S. Severo em Paris.O palacio do grao-
duque de Ferrara Urna casa de campo nos arra-
bales da Italia. A rnesma em uiudanca para o
invern.
Finalisando pelo quatro
6 AFAMADO CACADOR DE LEQES
pediito de maltas pessoas.
Em seguida volver por elTetos da circularlo
elctrica
Os fagos diamantinos
finalisando o divertimento logo que seja annuncia-
do pelo aojo da noite
.* SOIR.
Cooiecar s 8 horas.
atooS mimtimos.
LEILO
O
DE
saceos com mtlho.
HOJE*
Por ronta de quem pert.-ncer o agente Pestaa
far leilo de 2ti0 saceos com excedente milito no-
vo em lotes vonlade dos compradores: sext.vfei-
ra 16 de corrate pelas 10 horas da manha, no
armazem do Aanes.________________________
DA
i vaccas turinas.
HOJTE.
O agente Pinto far leilo por conta de quem
pertencer de duas vaccas turinas as quaes dito
bastante leite nao obstante urna nao ter cria, o j
esto aclimatadas; o leilo ser effectuado 1
hora da tarde do dia 16, em frente ao primeiro
sobrado a esquerda do largo do Hospicio, oade
haver leilao de movis anteriormente.
iioji:
Se\ta-feira 16 de setembro, s 11 ho-
ras, ra da Cadcia armazem
d U.
Pelo ageatelEnzebio.
Desde j estar exposla urna colleccao de qua-
dros, pintura oleo, obra primorosa representan-
do diversos passos da Paixao do seHhor intitulada
Via Sacra, cuja doaeo para um templo ser feliz
lembranca da almapedosa que para tal fin cons
correr; e entregue pelo maior preco ; e raais dua-
mobilias de Jacaranda, outra de anarello, guarda
vestidos, eadeiras e berros de cereja, urna rica
cuminoda de Jacaranda obra de gosto, palitelro de
prata, estes objeetss sao novos e sero vendidos.
LEILAO
LIVMRIA ECONMICA
Hua do Crespo n 2
,ao p do arco de Sant Antonio'
Obras ltimamente reeebidas
LITTERATUHA.
Historia da Fundado du Imperio Bra-
slleiro por J. M. Pere.ra da Silva, pn- j
meiro vol.......5W00
Galabar, historia brasil eir do seclo 17
por J S. Mendes Leal Jnior, 1 vol.
ene.........SJOOOl
Theatro do Dr. Joaquim Manoel de Ma- i
cedo, 3 vol. euc......9*000
Obras de M. A. A. de Azevedo, 3 vol. ene. 9UO
Suspiros Poticos, de D. J. G. de Maga-
Ihes, 1 vol.......3*000
' Mocidado de D. Joo V por L. A. Rabello
da Silva, 3 vol......8*000
Um anno na corle por J. A. Corvo, 3 vol. 800(
| O.s Miseraveis, por Vctor Hugo, 10 vol. '65000
('.rimesespantosos, 2 vol. *>*?**
Marida de Dirceo, ntida edieco, 2 vol. 6*000
Historia de Napoleao, com estampas, 2
vol........6*000
Obras poticas de M. I. da Silva Alvaren-
ga, 2 vol........6*000
O Outono, poesas de A. F. de Caslilho, 1
vol. ...... 4*000
Revelacocs, poesas de E. A. Zaluar, 1
vol...... 5*000
Pcregrjnago provincia de S. Paulo, pe-
lo nesitio. 1 vol......6*000
A njorte moral, aovolla por A. D. de Pas-
cnai,3vol.' ...... 6*000
Agulha em palher por Gamillo Castello
Branca, 1 vol. 2*000
Viso dos tempos, Antguidade Homrica,
Harpa de Israel. Rosa Mystica, poema.
por Theophilo Braga, 2* edicao, 1 vcl. 1*500
Cynismo Scepticsmo e Crenca, comedia
por A. Cesar de Laeerda, 1 vol. 1*000
itlm distas obras rerebeu mais, de ltteratura
franceza, portugueza e brasilera, as quaes vende
precos muita razoaveis._________________
ubllcaco lite ra i.
Saho luz o opsculo intitulado
A LlRHRAI>i;
DE
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DF.
Naveca$o ceseira vapor.
Paraha, Natal, Maro, .liacatj, Gcar, e Araracu'
No dia 22 do correte expe-
dir esta companhia para o- portos
cima menriouados o seu vapor
Mamanguapr, rom mandante Mou-
ia/ia. Recebe carga smento ato o
dia 21. EiiiMininendas, passageiros e dinheiro a
frete at As 3 horas do dia da sabida : escriptorio
no Forte do Mat:os n. I. ___
Paui o Rio de Janeiro
pretende seguir com ranjta brevidade o veleiro
brigne nacional Almirante, tem parle de sen car-
reganwnto prompto : para o resto qne Ihe falta e
escravos a frete, para os qnes tetn excedentes;
commodos, trata-so com os seus consignatarios An- j
tonio Luiz Je Olivcira Azevedo c C., no sen es-
criptorio ra d? Cruz n. 1.__________________
60MFANHIA BRASILERA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos partos do norte espera-1
j-jHl t,-?s do at o da 16 d) corrento o va-
';//;"""",;";., por Paran, rottrnandanle o ca-
i'-c.--i~al''';"10'''" ,r''i-''ltl Santa Barbara, o I
^g^^Bwi'qual depois dademoia do COSlU-
me seguir para os porto- do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conauzir, a qna dever
ser embarcada no da de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo fs C.
MOBILIA
Su libado 17 do corrate.
O agente Pestaa legalmente autorisado por urna
pessoa (ue se retirou para fra far leilj de to-
dos o< objectos que compuuham o ornamento de
sua casa, a saoer : urna elegante mobilia gosto
escolbido de jacaranu contendo 18 eadeiras com
entalhe, 4 ditas de bracos, 2 ditas de balance, i
consolos, 1 sof, 1 jardineira lampos de peJra, 1
dita constando de 12 eadeiras, i ditas de bracos,
1 sof, 2 consolws, I mesa redonda tudo de Jaca-
randa e tampos de pedra, 1 esplendido toillete
obra de gosto de Jacaranda com lampo de pedra e
espelho, guarda vestidos, commodas, u ma sump-
tuo de molas de ferro, guarda vestidos, ricos jarros,
lindas figuras de porcelana, toillet de mogno com
espelho, mesa elstica, guarda louca. candelabros,
serpentinas, candieiros gu, mesas, eadeiras, vi-
dros, rrystae?, apparelhos de lenca de almnco e
jamar, trens de cosinha, venezianas, salvas de
prata, paliteiro etc., e muitos outros objectos que
tornar-seia enfadonho enumera-los e que se aclia-
rao patentes ao exame dos concurrentes : sabbaJo
17 do corrente. pelas 10 horas da manhaa, na
Lingoeta n. 10, terceiro andar.
Teaosfercncia de
LFJL80
Obras de,
Dli
ouro c prata.
O leilao de obras de ouro e prata por ordem do
consulado pnrtuguez e pertmeentes ao espolio do
finado subdito portugnez Jos Fernn les Pereira
Villa-rica aniiunciado para ho]e, llea transferido
para sobdado i 7 na occasiao <1j lailo du mubilia
na Lingoeta n. 10.
1)K
JiO aecfs da eompanhM Vigilante.
Tira-feifii o de setctnbt'o.
O agente Pinto levar novamente a leilao por
despacho do Illui. Sr. Dr. juiz de orphos as 50
acciles da companhia Vigilante pertencenles au
casal de D.CIemenlina.Theodora da Silva, isto <
lo horas do dia supradito em frente a Associaco
Commercial.
COMPANHIA
PERNAMBCANA
DE
Xavega^o cosleira a vapor.
Tamaa Cainnragilic e Macei.
No dia t\ do corrente expedir
esla companhia para os portes ci-
ma o seu vapor. Parahyba, coin-
Cmandante Martins. Recebe carga
__Psomcnte at o dia 23. Encom-
mendas, passageiro e dinheiro a frete at as 3 ho-
ras do dia da sahida : escriptorio no Forle do
Mattos n. 1._____________________________
Para o Ai ac y
pretende seguir cora muita brevidade o velc o
hiate Doits Amigos, tem parte do seu carregamen-
to prompto : para o rosto que Ihe falta, trata-se
com o seu consignatario Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C, ra da Cruz n. I, ou com o capitn
Francisco Martins da Costa no trapiche do algodao
ISILQIS.
Importante leilao
Como sejam :
1 piano forte com cadeira, 1 mobilia com 1 so-
fi, i consolos21 mesa redonda, 2 eadeiras de bra-
cos, i ditas de bataneo e 18 ditas de guarnQ.io, ri-
1 excedente secretara com 10 gavetas, 1 estante
envidra$ada comescrivannha.l mesa com forro de
panno para advogados, 6 eadeiras de Jacaranda, 3
commodas, 2 relogios americanos, 1 cama france-
7.a de Jacaranda, 1 guarda louca envidracado, 1
grandes apparadores envidracado, 18 eadeiras, 8
mesas de differentes tamanhos, 2 guarda vestidos,
4 gaarda roupa e muitos outros objectos que esta-
rSo patentes ao exam dos r.oncorrcntes.
no.!*:
' O desembargador D. Francisco Ba'tbazar da
Sllvera teodo de retirar-se para a corte, far lei-
lao por intervenco do agente Pinto, dos movis
cima mencionados existentes na casa de sua re-
sidencia largo do Hospicio, priraciro sobrado ao
jado esquerdo, principiar s 10 horas.
DK
Perfumaras inglezas.
Ter$a-feira 80 de scteanbroL
Rolhe ie lid inlac farao leilo por intervencao
do agente Pinto de 5 ca xas com um completo e
variado sortimcnlo de finas perfumarlas, existen-
tes em s.'u escriptorio rna do Trapicha n. 18, on-
de se effectuar o leilao as II horas em punto.
AVISO
ao respeltavel pnblieo.
Carlos Walter, relojoeiro na ra da Imperatriz
n. 18, avisa aos seus freguezes e ao respetavei
publico, que se acha encarregado para vender um
bello sortimento de relogios patente inglez o chro-
Domatro, -tanto de ouro como de prata, do afamado
fabricante James Horuby, por pregos mu ito com
modos, e debaixo de sua garanta.________^^
Alusa-se urna casa terjea na ra da Man-
gueira. da Boa-Vista : a tratar na ra do Livra-
inento n. 39, u em Olinda, ra de S. Rento, com
o promotor publico.
f enflores
Bernardo Alvos Pinheiro, querendo retirar-se
desta provincia, roga quem possue objectos em-
penhado* at o din do auno de 1862, na ra larga
do Rosario ns. 17 e 19, jonto aoquarlel, o favor de
os resgatar no praso de .'(Odias, a contar de hoje.
Recife 14 de setembro de I8G4.______________
Arrenda-se ou vende-se urna casa com pe-
queo sitio as ImmediacSes de Sint'Anna, visi-
nlia ao sitio do Sr. Joo Alves Machado. Iijista;
de ennstruecao moderna e feita este auno, com
estribara, jardim e boa cacimba de agua doce com
bomba ; o lugar sendo bastante ameno o saudavel.
e margem do Capibaribe, olTerece as melhores
vantagens para o pssamento da (esta : o pretn-
deme dirija-so ra da Cruz n. 17, terceiro andar
D.idorio dos Aujos Porciuncula venden o sua
armacao que tinha na casa da ra Direita n. 19 a
Antonio Pinto da Silva ; e eulao declara que se
alguem se julgar com direito amesma aprsente
sua reclamacao no praso de tres dias.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite que seja sadia :
a tratar na ra Nova n. '.'>;), segundo andar.
Que bello banho!
Aluga-se um sobradinho margem do rio Cap-
barlno, na Poco da Panella, rua do Rio a tratar
cum Tasso Irnio.
POR
Affonso de Albwpwque Mello
Convdam-se os assignantes a mandarcm receber
seus exemplares na praca da Independencia ns. 6
e 8, que sera entregues vista dos recibos das as-
signaturas ; ah tambem eslao cxposlos' venda a
35000 cada um. Sao sob os seguiutes ttulos as
materias de que se oceupa:
Introducan. Nocauda liberdade.- O Brasil co-
lonia. Revoluco de 1817A independenciaA
constituateAconsttuico-A revoluto de 1824.
A expulso ou abdicacao. A regencia livre. O
partido regressista.-Ameaca dos corcundas e que-
da dos livre. A regencia corcunda.Causa dos
males da regenria livre.-Regencia corcunda e
maioridade.-Priucipios do reinado ile D. Pedro.
Revolta de Minas c S. Paulo.-Domnio da Praia
Luzia.O dominio liberal nao nquietava os cor-
cundas. Feilos do dominio liberal.-A praiaeChi-
chorrosenatoria.A revolta e a revoluco de
1848 A consttuinte.-A constituate.- Derrota
da revoluco. Negociacao de Honorio com os liba-
rles : traidores.Venda da bandeira da cons-
titninlc. O partido liberal durante osquatorze an*
nos do chamado ostracismo. Os corcundas e os
liberaes durante os quatorze annos.Captveiro re-
signado e voluntario dos liberaes durante os qua-
torze anuos.0 pov0 corcunda, ou os vermelhos q
os sabios.-A situaco propriamCnte poltica.Ins-
tilufoiis livres, e direilos polticos que (vemos
at o llm da regencia livre, e o que actualmente
temos em lugar delles. Os representantes da na-
aoedas provincias.Situacan administrativa.
1 que sao nella os Portuguezes. Como o gover-
110 obrigado a corromper o paiz e a fazer-lhe
sempre maior mal.Como se multiplica e se paga
a clientella do governo para sustentai -se o impe-
rio corcunda. O procnsul. O procnsul da co-
marca. Dos cargos, dos crimes e da punfcjto. A
justica.-Juizes municipaes.Juizcs de direito.
Tribunaes.Us das Relaces.Tribuimos do Com-
mercio.Supremo Tribunal de Ju>tica.~O jury.
Os advogados.Conclusao.- Garanta dos direilos.
Amoral publica.Dos crimes.As eloieoes.
Corollaro da obra saquarema.-O que a pa-
tria. Situaco para com o exlenor. Situaco
linanceira.As linancas doeslado.-A miseria
Perigo o salvamento" dos corcundas.A liga.
Como se eobgregam os elementos para ella.Con-
siderares retrospectivas. A consumite. Prepa-
res autecedentes. Conciliaeao e opposiqao parla-
mentar.Monta a liga.O que sao os liberaes na
liga.Que bem faro os liberaes ao paiz.O pro-
gresso.Seus feitos.O que o progresso e que
far.Como se (!eve viver nesla trra echegada
ao progresso.Porque o progresso s vem com-
pletar nossas desgrasas e sem mais remedio.Se
ha salvacao para nos qual seria o meio e hem f-
cil. -Resumo. -A's cinco provincias pernambuca-
nas. Histrico o poltica corcunda. He que pro-
vm a miseria. Como se corrompe na eleicao.A
restnco da liberdade apar do progresso da inimo-
ralidadi1. Curollario.
Anda est para alagar-so a boa casa
terrea n. 39 : rua da Unio.
Precisa-se de nin feitor, qne entenda de jardim ;
a tratar na rua da Cruz n. 0.
gg O Dr. Rocha Bastos niiidou a sua re-
sidencia para 0 caes Vinte e Bous de Ro-
Os venihron. 30,porcimadnBuhardos Arcos.

*-:* r**k VAM4W*
LEIL\0
HOIE
Sexta-feira 16 do cor rente, s 11 ho-
ras, raa da Cadea n. 53.
DE
i casas terreas novas sitas roa Nova
do Pires d? ns. 2, ao Hospital ililar.
Pelo agente Euzebio se vender em leilo as ca-
nas terreas como cima descripta* e mais com
porta e janclla, duas salas regulares, 2 quartos,
osinha fora, carimba o quintal, chao proprio : os
lrefcndcnles queiram aproveitar a opportunidade.
4os 10:0Oip00.
Terca-feira 27 do corrate mez, se cs-
trabir a segunda parte da prime-ira lotera
(lu)') a beneficio da igreja de Sania Rita
desta cidade, no consistorio da igreja de
Nossa Senliora do Rosario da freguezia de
Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva thesooraria rua do
Crespo n. 15.
Os premios de 10:0003000 at 200000
serao pagos urna hora depois da extracc5o
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuico das listas.
Senrindo de thesoureiro,
______________Jos Rodrigues de Souza.
SOCIEDADE
UNIAO BENEFICENTE
MARTIMA
Por ordem do Sr. presidente sao convidados to-
dos os senhores socios para a reunio da assem-
bla geral do dia 18 do corrente, s 10 horas do
dia, no salo do suas sesso"es, aflu de se proceder
a eleicao da nova directora.
O mesmo presidente previne aos senhores socios
que tem resol vido, dando-se o caso de nao se reu-
nir o numero marcado no arl. 51 dos estatutos
para poder unecionar, tratar de dissolver a soce-
dade com o numero de socios que se apresentar
quites nessa occasio, art. 6 dos estatutos.
O mesmo presidente conscio de que tem sido
por demais condescendente com os senhores so-
cios rebeldes, tem o pezar de annunciar que ser
esla a ultima vez que os chama para a reunio
da assembla geral, pois tem resolvido impreteri-
velmente dssolver a mesina no dia cima indica-
do, se os senhores socios anda assira nao seapre-
sentarem quites, em numero bastante para a
eleigo.
Secretaria da Socedade Unio Beneficente Ma-
rtima, 7 de setembro de 18GI.
Balthazar Jos dos Res.
____________ 1" secretario._________
ll.\TK TO PttIM IJiiUliZ
Por ordem do Htm. Sr. presidente convido todos
os membros da directora provisoria a compare-
cerem a sesso que deve ter I ugar sexta feira. 16
do corrente, s 6 horas da tardo, no Gabinete Por-
tuguez d Leitura.
Secretaria do Monte Pip Portugaez em Per-
nambuco os 13 de setembro de 1864.
Joaquim Gerardo de Bastos.
2 secretario._______
- O Sr. Joo Baptista Fernandes tem ral car-
ta vinda da Baha, no escriptorio de Witson &
Hett, roa do Trapiche n. 14, primeiro andar.
OHdreee-se para cozinliar eiq casa di punca
familia ou de hornera solteiro urna mulher habi-
Itada para este servico : na loja do sobrado da
rua da Guia n. 20.
- Quem precisar de urna ama para engommar
e tratar de meninos, dirija-se rua da Imperatriz,
no armazem de louea. que achara com quem
tratar.
Anda est para ser vendido o sitio da 1ra-
vessa do Remedio na freguezia dos Afogados n.
21 : quem o pretender entenda se com o seu pri-
prietario na rua de S. Francisco, sobrado n. 10,
como quem vai para a rua Bella.
Perdeu-se de um carro u.na sacea de caf,
i da escadinha al a entrada da rua Direita, quem
i der noticia ser gratificado : na rua Direita ta-
1 berna n. 106.
mmm
0 Dr. Rocha Bastos S
pode ser procurado das 7 horas da manhaa w
ao meio dia, e das 3 horas da tarde Sn
em diante no
raes 39 de Xovcnibro n. 30-
* (POR CIMA 1)0 I1ILHAR DOS ARCOS.) i*
\ De meio da s 3 horas da tarde
', \. Rna da Cruz .v 18. j
5 Gura radical e em poucos das as mo- '
\ lestias syphililicas e as do apparelho ge- H
\ Dito-urinario.
r Precisa-se de um criado forro ou escravo
rua da Gadeia do Recife n. 52
Dinbeiro juros.
Na roa Direita n. 48, se dir quem d de lOOSOOO
1:0005000.
Precisa-se de dous homens qoe enlendam do
servico de copeiro : na rua da Aurora n. 32.
ApprovaHa por mriat Academias e alias
sunimitlatlcs medicas.
O qncoccasiuna cm rtuI as molestias abalxo
dcMgiindus a esla^navao do sanguc em cerlas
parles do corpo, a qnateprodu/ida pelos resfria-
mrnlos e inuias onlras cauzas, tutfio declarao-se
ns ItkeHmatinto*, Goto, l'aralysia, Fraqueza
dos membres. Constiparon, Klcphantiasis ou
l'tnws Indiadas, el Dores Nervosas.
O uso i!a cscova ELECTRO-MAGN-
TICA leni IUCCMBO ccrlo para a cura de todas
estas molesiias, sem recorrerle a nenhuma outra
inedioacAo. Ella tem urna forma mu manejavel
e produz, a vonlade de quem d'ella usa, seos mais
lltcis e felizes resellados. Seopmpiegopreserva
das molestias cima. Para mais informafacon-
sut-tc-se a nolicia que accompauha cada Kscova.
DCP08ITO GBAX.
Boulcriirt du Prince Eugcne, 18, Para,
Vende-se na raa do Imperador botica
franceza n. 38.
Precisa-se fallar ao Se. Antonio Jos
Teixeira de Mendonca Belem : nesla typo-
graphia, ou na livraria ns. 6 e 8 da praca da
Independencia.

I utrm
19Rua Nova49
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as opera^oes de sua arte, e rol-
loca dentcs artiliciaes, tudo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos dentifteo.
Peco empresladas ou compro as cartas de
Pitia Damo, por Fr. Joaquim do Amor Divino
i.aneca, e o Astro da Lusitania, peridico de Lis-
boa.Antonio Joaquim de Mello.______^__
INJECTION BROU
I
XAROPE
DE CASCAS de LARAHJAS AMARGAS
de J. P LAROZE, Chimico,
BAHC1CTIC0 B IlCOlt IVM1I01 DI Filil.
Este xarope, rogularisando as'funccOe do estomago e meninos, destroe essas
indisposicOcs protcirermes, e lar abonar as molestias de que sio indicios proeurso-
rcs. Mdicos o doeulcs tem reconhocido que reubelccc as indigeslocs, hiende
desapparecer os pesos de estomago, que calma as enxaqnecas, espasmos!, e caimbras,
que sio resultado de digestes penosas. Seu gosto agradavel c a facilidado com que
se suporta, o tem fcito adoptar como especifico infallvel das doenpas nervosas,
gastritis, gastralgias, clicas de estomago c da entranhas, palpitar^, dores di
coracSo, vmitos nervosos; sua aceito sobre as funeces assimladoras tal, que oa
mdicos mais Ilustres o tem adoptado por rescipienle real dos dous primearos
agentes therapeulicos: o Murcio de Potassa e o Proto-Iodurelo de ferro, tendo
observado que debaixo de sua influencia, o primeiro perde sua aco irritante, e o
segundo 6eu cffeito adstringente.
XAROPE DEPURATIVO
De cucas da laranjas amargas com Io-
durto de potasst.
O odurelo do lijsa, adiuiiistrado em
solug ou dcl-.aixo da forma solida, causa ao
doente nina grande repugnancia, ou determina
accwltntei que o firro & renunciar a esta
mediclo efficaz.
L'nido porm ao Xarop de cascas He laran-
jas. elle nao causa ncm gastralgias, neni per-
XAROPE FERRUGINOSO
Da cascas do laranjas amargas eom
proto-iodureto de farro.
A aatatiaeio do tal ferro ao Xarope de cas-
cas de laranjas tanto mais racional qnantn
que cale xarope, empregado so, para estimu-
lar o apetite, activa a sitrt<,-io do sueco ga-
slTru. e pur lim reguUnsa as funrnVej abdo-
niiufs, neutraliza os mioi cffriios dus ferru-
lorba^o dn cslvmago g iulestinos, c grai.as a ; ginosos c dos aduratos (peso de rabera, pri-
este talvagutrila, oi tralameutos depurativos j na do venire, dore epigstrica! ei nu.into
s*;o continuados sem iiUerruptio, as affec- i quv facilita sua absorpcA. I)issolido no
i.es escraTiilow*, Merculostll, cancerosas e
uas tecuniuriai t terciarias, metmo reunxi-
thismtes, as quaes elle i o mais seguro espe-
rifiro. A dose est definida de lal maucira
que o nadir pode Tarial-a a sua vontade :
0 frasco: 4 fr. 50 c
XaropOj cite se toma e se supporla fcilmente,
por acliar-se no estado puro mais assimilatot
c assim pnde raulinuar-se a cura da pillidei,
corrimantos brancos, anemia, affecq^cs escro-
fulosas e raehiUsmo:
0 frasea: 4 fr. 50 e.
Os Xaropes de J.-P. LAROZE eslao sempre em frascos especiaes
nunca cm meias garrafas ncm cm frascos redondos). ExpedicCes: em casa
J.-P. LAROZE, ru des Liona-Saint-Paol, 2, Paris.
Rua do Imperador n. 38. botica franceza.
ma
PERFUMARA medica hygienica
De J.-P. LAROZE, quimico, pharmaceutico de la Escola especial de Paris.
Estes productos sio o resultado da aplicaran das lei* da hygicne perfumara, que se ergue c
tornase pharmacia da belleza, anaarragada de prover hvgicne da prlle, dos cabellos, dos dentcs,
ergios lio importantes; cutao evita e destroe as causas das doen^as que sua inuan mais vellia,
i pliarmacia prnpriamcnle chamada, tem que curar.
oleo ue avela PBiimMADO para ruwdiar a
Uurtz Uua cabelloii e a *ua aiuiiia, o \idp>. 2 c.
ELIXIR BENTITRICIO para tarar iaii-Jialcmenlr aS
dores ou raivas de dentrs; o vidro 1 fr. 25
OS DENTITRICIOS COR DE ROSA .:om base lie
Magnesia p.ira branquear c conservar os denles ;
o vidro...........1 fr. 25
oriATO OENTITRICIO para forlincar as gingivas
e ovtlar as nevralgi.ts dftUriaa ; o |>ole 1 fr. 50
Curativo DENTARIO para tratar os dentes
cariados antes do chumbamente, e avilar os ab-
cessos e dores o vidro com o instrumento A fr.
aoca LEDaoDERMiHA, para conservar a frescura
a as funches d pelle ; o vidro 3 fr.
ESFIRITO DE AHIE RECTIFIGADO, complemento
do aeeioda bocea despoH de comer; o vidro 1 fr. 25
gABo LENITIVO MEDICINAL, de violeta, a:ru-n,'.j.i
amarga, bouquel, o pSo.......2 Tr.
CREME DE 8ABO LENITIVO MEDICINAL de
prmas de ovos, para evitar as fondas, fri- iras e
doencas de petlc, du violeta, de bouqu.-i; o pao 2 fr.
CREM8 DE SABO LENITIVO MEDICINAL era
ps. Ella e especial para a barba, o acu: I das
senhoras e das enancas, o vidro.....2 fr.
AODA LUSTRAL para conservar e enih?l!eznr os
cabellos, c fortificar suas raizes, o vidro. J fr.
VINAORE DE TOILETTE SUPERIOR pela sua
Buavidada e sui accS'> rtrascanm, o vidro. 1 fr.
cold cp.eam supsnion para conservar a pelle
clara, freca, ediaphana, e evitar "- mos rfeilns
> u-. das cres, u po'.e......1 ir 50
AGDA DE GOLOCNA SUPERIOR, COB) 0 1 sem
mbar; permanencia de sau perrume o faz buscar
para o ioaadar, banbos garaas c loeaes, o vidu I fr.
PASTILHAS ORIENTAES do Dr. Paul CleDMllt,
para lirar o cheiru da tabaco e pan ruodili -. i os
hallitas fortes; I 2 fr. a eaia.
AGUA DE FLORES DE ALFAZEMA. COIinelien
bascado para tirar as comichees, lorlill r < rc-
freocar canos orgloa, ?Mro.....I fr. Ii
E-SPIRITO DE HOnTBIAN SCPERPINO. Elle 0
aperfeicoamonlo indn*pensavci do aeeo da bocea
d'-pois de comer, o vidro......1 fr. 25
POMMADA CONaERVADORA .!e (uinim pura
p ra fortificar os cabellos, os eiiibellezar e evitar
, o ancanecimenlo prematuro, o pvte.... 3 fr.
Depsitos em cada ctdade, em caza dos pliarmaccuticos, perfumistas, eabelleirciros, negociante., de
modas e de fazeudas. Varcjo: l'iunmctA Laiioze, ru NciiTe-des-Pels-Cliamp, 16.
Expedicoes: cm caza de J.-P. Laroze, ru des Lions-Saint-Ptrul, n'i, em I'aris.
Roa do Imperador n. 38, hot'ca france-a.
"ll"S.ssiJ
Vende-se na rua do Imperador botica[franccza n. 38.
a
-
I i
asi ~
O *
S 2
O V
o er
~l c
O n
S r-
3 %
o ~
^ .
s
o rS
at -i
d 2
o. u
f y
c o
Ii
5 I
t
a
Precisa-se de nma criada livre ou escrava
que saiba cozinhar e engommar : na rua das Cruz
n. 42, primeiro andar. __________
Alexandre da Cosa Canlo vende ou permuta
por predios na povoaco de Gamelrira ou nesla c-
j dade, por escravos, a sua propriedade denominada
: Atalata, sita junto da villa da seada, margem do
j rio Ipojuca, circundada |m>Io ro e a lioha de ferro,
i e porisso livre de questoes de lmites, nella existe
| um cercado para manter 16 vaccas de leite, boas
I baxas para rapim, e terreno muito productivo
; para plantar qualquer lavotira com um pomar de
larangeras e diversas outras fraeteiras, bastantes
i bananeiras, em cujo terreno existe edificado um
, sobrado a go>to moderno, com commodos para
urna familia, JO moradas de casas terreas que es-
to alugadas, e urna taberna mulo afregnezada,
i cuja propriedade paga fro a aldeia da Escada
: i2 por anuo : quem pretender, procure o an-
1 nunciante em sua propriedade, ou communique
aos Srs. Correia .v Santos, na rua do Livramento
para ser procurado.

E
filial.
Precisa-se de urna ama que saiha cosinhar;
tratar na rua do Apollo n. 19 primeiro andar.
Precisase de urna ama livre ou escrava para
todo o servico de urna casa de familia, e qne tenha
bous comunes : na rua do Aragiio n. 25.
irisa
Novamente se annuncia a venda ou troca com
casas, ou faz-se qualquer negocio, do sitio livre e
desembaracado na estrada de Joiio de Barros, visto
como nao e o sitio do lado do poente, mas sm o
do lado do nasconlo, collocado entre os sitios do
Sr. Dourado e viuva do Sr. Butino. Consta-nos
que ha quem deponha contra a bondad da casa,
e do terreno do dito sitio, e como seja talvez somen-
te com o flm d* interesse particular, como bem se
pode collegir, neuhum merocimento se deve pres-
tar a bes informacoes tratar na j citada rua
do Rosario da Boa- Vista n. 38.
Boga-se aos senhords ex-assiynautes do nde'
pendente de Tamandar que queiram pagar as im"
portancias das asstgnaturas que eslao devendo, no
praso de 8 dis ; Ccrlo de que nao o fazendo serao
publicados os seus nomes por este Diaria e cha-
mados a juizo para satisfazerm o qne estiverem a
dover, por riuanto o encarregado 4o recebimento
osla com todos os poderes para tal tim. Recife 16
de. setembro de 186i.
Na rua da Concei^ao n. W, ha ama ama de
leite para se alagar.
Precisase de urna':
Bosario n. 2, segunde andar.
OtTerece-se ama senhora portugueza de bous
costures para casa de pouca familia : quem pre-
cisar dirja-se a rua daSenzala Velha n. 112, ter-
ceiro andar.
O Dr. Carohdo Francisco de Lima San- ^
tos, continua a residir na rua do Itnpe- $JH
rador n. ti, 2* andar, orlde pode ser pro- IM
curado a qualquer hora do dia e da noite
para o exercicio de sua profissao de me- dien ; sendo que os rhamados, depois de 'M
meio da al 4 horas da tarde, devem ser ^
deixados por escripto. O referidu Dr. j|
nao abandonando nunca o estado das ^B
molestias do interior, prosenue, com o ffi
maior afflnco, no das mais difficeis e deli- i
cadas operacSi-s. como sejam dos ergaos |||
oarinarios, dos olbos, partos, etc.
na rua estreita do Precisa-sc altigar um moleque : a tralar na
i ,.na do Hospicio n. 78.
Acedes.
No armazem da rua*da Cruz n. 33, M dir
quem compra aeyocs da companhia de seguros
; Utilidade Publica.
Precisa-se de nma criada que saiba
engommar : na rua da Florentina nume-
ro 20,
Pre*sa-se de um ama de leite: a tratar na
rua do l.ivramenlo n. 20, segundo andar._______
" Urna senhora bastante habilitada para ensi-
nar primeiras letras, off.;rece-s para ensinar em
qualquer engento : a tralar com o Sr. Elias Bap-
tista da Silva na rua da Aurora n. W, ou no en-
gento S. Francisco, na Varzea.
Alugasc ou vende-se urna canoa para trafico
de eapim por commodo prego ; a entender-se com
i Manotl Barbosa no estaleiro da rua Nova.
O abaixo assigoado faz sciente ao publico,
que consenhor da propriedade denominada Praia
do Simo Pinte, e como ronstou ao mesmo abaixo
assigoado que a Exma. Sra. Baroneza de Ipojuca
tencin vender a dita propriedade, faz o presente
annuncio para que ein lempo algutn baja a menor
ignorancia, e como lamhem at o presente nao
tem recebido arrrndamenlo aigum.
________Manoel Jos Nunes de Medeiros
.iota ota eserara.
trooisa-sc de tima ama forr,? or escra-
va que saiba coainhar e engommar, pagarse
. bem : a tratar no segundo andar di rasa
Ida rua da. Imperatriz. n. 47,
as notas da caixa
ORDEM DO DIA.
O Baliza dudara que nao vota na chapados
partidarios que pregam a fallencia da caixa filial.
O terror espalhado nesla cidade. passou de largo
pelo quartel do Baliza I
Venham todos trocar por gneros as notas da
caixa filial, rjue de preferencia a outro qualquer
dinheiro serao aceitas na rua do Livramento nu-
mero 38._______
Hloje desappareceu do largo da Assembla
um rapaz crioulo, com idad de 16 annos, de al-
tura c corpo proporcional a tdade, com bastante
marcas de bexigas, rosto regular e beicos bastan-
tes grossos, olhos brancos, andando com chapeo
de baeta velho e camisa de algod.ozubo, chama-
se Luiz : quem do mesmo souber dirija-se par-
ticipar no mesmo lugar n. 20._______________
O abaixo as.-ignado faz sciente ao publico, e
especialmente as pessoas com quem ntitre tran-
sacf oes, que o Sr. Antonio Lopes de Carvalho foi
despedido nesta data de caixeiro de sua casa com-
mercial.
Beclfe, 10 detembrode 1864.
Jos Augusto de Araujo.
ASPHALTO

O asphaltista Cdelho de Almeida pode ser pro-
curado travessa do Carmo n. 10, loja, das 9 s
12 horas do dia, para os misteres d sua arte.
Sant-Clat*
das lha* ou os desterrados na ilha da Barra, w-
mance digno de ser lido pelas senltoras_ por seus
lances interessantes postos em execucao por orna,
senhora, 3 volumes em brochnra a *i : na livra-
ria ns. 6 e 8 da praca da lnde,|>eiidi.ncia.
Antonio Joaquim de Mello advoga no civel e
i crime, e peranlo os jurados; e gralratamente aos
pobres: na rua do Imperador n. 14, das 8 horas
1 da manhaa s 2 da tarde-


Mario ele Feruatfarco Mevte eira 1S 4e ScteaOM-* 4c 1S04.
CASA DA FORTUNA
Ai 10:000.000
IHIhetcs garantido
A* roa da Crespa a. 23 e casas 4 toa
0 abaixo assignado venden, nos seus muitoeli-
zes bilhfes garantidos da lotera que se acafeou
de exirallir a beneficio da rmandade do enlioT
Bom Je.-dis da Via Sacra, os seguales premios:
N. 97 meio bilbete com W:OOo*O00
N. 29W meio bilfcete com 2:000*080
t 719 dous quartos com 2:000*000
N. 399 meio mete com 500,8000
N. 1943 bilhete inteiro com 500*000
E ouiras multas de 200*, 1005, 40* e 0*.
Os possuidores podem vir receber sem os des-
enos das lets na Casa da Fortuna roa do Cres-
po B. 23.
Acham-se venda os da ultima parte da secun-
da a primeira da terceira do iheatro de Santa
Isabel, que se extralnr sexta-feira 16 do cor-
reote mez.
Presos.
Bilhetes inteiro?..... 12*000
Meios......... 0*000
Qoartos........ 3*000
Para as pessoas que eomprarem
de 100* para cima.
abetes........ 11*000
eios......... 3*500
Qoartos......, 2*750
_____________ Manoel Martins Fiuza
Na livraria n. 6 e 8 da praca da Inde-
pendencia existe urna carta de importancia
para o Sr. Antonio Fernandes Corredor.
Salsa prrilha de Ayer
PARA A CURA DA
ESCRFULA
e todas as molestias
provenientes del la
Minute
todas as molestias da
peile
ebensipcllas, tumores, nlceras,
sarnas,
nascidas, empiugens,
REUMATISMO
Precia 4 d un eriaite uara^vjomprar e
iFazer mais algiraflenir era eaSf| a tratar
I na ra da emperatriz n. 47, cgtaido andar.
! LOA 1)0 BEUA FLOR.
Ra do Queimado ns. 63 q 69.
LOJAIjEIHjDEZiSFIKAS
As pessoas que moram nos predios de mon-
senhor luniz lavares, no caso de terem algum ~ pelu Darat pre A 2*300" "3*000-"
negocio urgente a.ratarem. rom lo a repello 16BllE d QueiIUadO M ru do QueimTo n^79
dos mesmos predios, dinjamse ao Sr. Ignacio
Barrozo de Mello, que se acha para isso atitorisado.
Cintas dourados.
Si chegados Os lindos cintos bordados ouro,
00 Beija-flor,
Ci de Terra %ova.
' Bitas finas.
'Bonitas Utas de grosdenaples lisas, eom dous
dedos de largura, cores de bonina, azulsinha, viole-
TJesappareceo do sitio de Euzebio Baphael Ba- a, chocolate, caf, verde, laranja e preta, a 480 ruis
bollo,4io Caldeireiro, um cao de raga da Terra No- vara,
'a, de cor amarello oscuro, rjalo de prelo, cora
as orellias cortadas e urna cicaltii cima do nariz:
quem e tiver adiado ou delle livor noticia, dirja-
se ao referido sitio, ou i ra da 'Cadeia do Becife
n. 08, primelro andar, qne ser gratificado._____
HOSPITAL POKIJJGEZ
11 kaki i i;\tiv eh im:h v 1 n-
Bonitas dilas de grosdenaples lisas, cora dous
dedos e meio de largura, cores de cate, bonina,
H.ulsinba, vilela, verde, rosa e branca, a 40 rts
a vara. S
Bonitas ditas de grosdenaples lisas, 4 % e a
; dedos de largura, cores de rosa, escarate, carroi-
' sim, bonina, vilela, verde, branca, preta, azul e
azulsiuha, a 1*606, o 2*000.
Biquissimas ditas de grosdenaples bordadas, de
4, 5, e 6 dedos de largura, de todas as cores, pro-
BUCO.
A juma administrativa do Hospital Portuguez SPfva 'a5S de cinteiros> a ,*600' **<**
nesu cidade tendede solemnisar no dia 18 do cor-, Td^_:, a,~l a ,.; Aa *.. ___-
rente o aniversario da inaogurago mesmol Jffi'^St*^*^^
Hospita, conv,da a todos os senhores socios e n *% tStJffit versas eores,
para cintos, a 500 ris a vara.
Pecas de cascanlhas de seda de todas as cores,
geral ao respeitavel publico dent capital a con-
currer a esse acto para o tornar mais bello e ed i fi-
cante.
A festividado religiosa principiara as 11 horas
da manhaa e dabi em diante a visita ao estabele
diflerentes larguras, 1*280,1*600 e 2*000.
Pecas de filas de seda de um dedo de largura, de
cimento, que estar patente at as 9 horas daj"^*^^^ e e tedas as cores, Queimado ns. 63 e 69.
para debrura de vestido, a 800 ris. Talheres para meninos
Fivellas para cintas.
Chegaram tambera ricas fivellas douradas e de
ac para cintos a 1*000 e 1*200 : no Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Peales de Urlaruj a.
Lindos pentes de tartaruga, goslo moderno, a
53:200, 5*500 e 6*000 : rna de Queimado ns.
63 e 69.
Pentes de travessa.
Vendem-se pentes de travessa de novo gosto para
meninas a tOO o 800 rs. : s no Beija-llor, rita do
Queimado ns. 63 e 69.
Pestes para atar cabellos.
Lindos pentes pequeos para atar cabellos, pro-
prios para se andar em casa a 400 e 500 rs.:
no Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e 69.
Botes de madreperola.
noite.
1) leiiao de prendas principiar as 4 horas da
tarde, e para o qual se pede a attencao e benevo-
lencia do publico c dos senhores socios.
As 8 horas da nulte ter lugar a ladainha em
honra c lonvor de S. Joao de Dos.
Becife 14 de setembro de 1864.
Joaquim Francisco da Silva Jnior.
__________________2o secretario.__________
Precisa-se de urna ama forra ou captiva pa-
ra coziobar, lavar c engommar, para casa de pe-
quena familia : a tratar na ra da Praia n. 13,
Oescrivo de paz do primeiro distric-
to da freguezia de Santo Antonio abaixo as-
signado mudou o seu cartorio da ra de S.
Francisco para a ra do Imperador no pri-
meire andar da propriedade n. 71.
O escrivo,
Joaquim da Silva Reg.
Vire-consulado oV llespaiiha.
Attencao
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permittido
Tendo recebido nm variarlnsnnimpitn JffS?^^fS vendem seu cant. a'im deannunciar ao respeitavel publi-
ca 400 ^ abmuadura ^ no Beia^ior ra d M grande:S0Ili'neDl de galanteras do melhor
Oueimado ns 1! o UeJanor- rua d0 gosto propnamente para qualquer mimo, que ara-
Queimado ns. 63la 69. ba de chegar Deste u|lin)0 p'aquet0( &Jm nm
r.uirites para scanoras. 1 mU|t0S outros objectos que recebe por diversos na-
5 enfeites modernas a 2*000 e 2*400, vios, Unto de sua conta como de consignacao que
no Beija-flor, rua do est resolvido a vender por precns muito baratos
j para vender muito c ganhar pouco, e dar extraco
1 o grande deposito que lera, que espera merecer a
ditos de rede a 900 rs.
Pecas grandes de filas de hnhe acolchoada para | Chegaram novos sorlimentos de talheres para! prolecco do respeitavel publico empregando para
debrum, a 160 o 320 res. meninos a 280 e 320 rs., ditos cabo de balanco de isso todas e as melhores diligencias para que fi-
Pecas de tranca de laa preta, a 80 e 160 res. um botao a 400: as iojas do Beija-flor, ns. 63 i nuera satisfeitos; isto s no Gallo Vigilante, rua do
ftvelas. : e 69. j Crespo n. 7.
Biquissimas fivelas douradas e com finissimas
pednimas parece brllhantes para cintos, a 1*280,
1*600 e 2*000.
La para bordar. Ricos porla-joias.
Vende-so laa de superior qualidade e de lindas | Cofre de muito gosto por
no Beija-flor, rua do Quei-
I cores a 6*800 a libra
Cintos. mado, ns. 63 e 69.
Riqusimos cintos de galo dourados epratiadcs papel de Tersas qaalidades.
coiubonitas fivelas e borllas, a 2*000, 2*500 e Vende-se papel de beira dourada pautado a
* .., 15200el*30opacote,ditossemserdouradoenem
Lufejtes de cabeta. pautado a 640, 800 e 1*000 : no Beija-flor, rua do
Riqusimos enfeites de caneca com cascarrilbas Queimado ns. 63 o 69.
e frocas ultimo gosio, a 3*000. | Enfelopes para cartas.
Ditos ditos com cascarrilha muito larga os mais Vende-se envelopes de cores a 600 rs. a calza,
nSnfdL. m !. r,^- inf>n ditos brancos a 640 e 800 rs. : no Beija-flor, rua
Ditos ditos com acos e froco a 2*00a do Queimado ns. 63 e 69.
Ditos ditos com lagos evidrilhos, a 1*000. p S-----^. nara .,_
Ditos ditos de contas brancas e pretas, e pretos e VmAlt renl'8 'Tm7. P l ,,
de cores rom lacn a 1.SLMKI Vende-se pentes domados para atar cabellos a
ffA!i deToraa, a 1*000. I &&*> ^ e 3*000 : no Beija-flor, rua
Ditos ditos pretos e de cores de retroz, e tranca'do Qneimado ns. 63 e 69.
Havendo fallecido o subdito hespannol Bento: sera |aj0Sj a 800, e 1*000. Penles para marrafas.
Antonio Coutinho, sao convidados todos os seus Vnlliubas Vende-se lindos pentinhos dourados com pedra
devedores e credores a apresentarem neste vke-: Bontas d d M para marrara a 1*200 : no Beija-flor, rua do Quei-
rnn^nhrln n; rnnflrlivna lilnmc nin nrAronor-co__ .____F uo ^viaoa.tiaiin Itl3d0 U* 6-i G 69
SYPHIXIS
em todas as suas formas, assim como todo I dudos respectivos mulos para proceder-ee pia a i*^oe 2*000
o mal que nrovm do uso excessivo do ^d^ao^!L^,lio. i D'tas mais peroe
que prov
MERCURIO
Ulceraeo do flgado
e em summa lodos os males que lem sua
origem na
IMPUREZA DO SANGUE
um alterante poderoso para a
RENDVACAO DO SANGUE
e para dar nova forra e vigor ao corpo ja
enfraquecido pela doenca.
Vende-se na rua Diieita ns. l e 70 e
Hospicio n. 40.
Vende-se em Pernambueo:
na pbarjnacia franceza de
P. MAURER & C.
___________RUA NOVA N. 18.
Aluga-se a sala e quarlos da parte de delraz
do primeiro andar*da casa n. 63 da rua do Impera-
dor com vista para o p;rsseio, propna para escrip-
torio, e morada de pessoa solteira : a tratar na
mesma. ______________
O
Si
o
pequeas pretas com cruz a 800
H Companbia fldclidade de
seguros martimos e ter-
S restres estabelecida no
j|| Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEPNAMBUCO
Antonio Luiz de Olivcira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companbia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercadu-
ras c predios no seu escriptorio rua da
Crot ni.
Sapalos de tranca.
Vendc-sesapatos de tranca muito b ditos de tapete a 1*600 : no Beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Balaios com sabo.
Lindos balaios com 6 sabonetes de varias fine-
tas a 2*300 cada um : no Beija-flor, rua do

ce

i
3
es

i
P
co
00
.
I
I

0

a

r-t-



S3
p-l

JO.
0

0->

P
rr.
0
fi 0 0-
lt Q-. h-1.
ao ~
ce '
-. 0 P-
"
p
r-f-
>.
P-i



1i.
o
0*
oa
c
Na praga da Independencia, loja de ourves
n. 33, compraiu-se obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-,
commenda, e todo e qualquer concert. i
i'recisa-se de um caixeiro que tenha pratica
de alguma loja de fazendas, que queira ir para a
provincia da Parahiba, villa de Bananeiras, dan- i
do-se bom ordenado : na rua da Cadeia do Beci- i
fe, na loja de Jos Joaquim Gomes & C, que tem
com quem conversar.
Pede-se encarecidamente ao Sr. Andr Ave-
lino Sobreira de, Mello que tenha a bondade trazer
rua da Cadeia do Recite n. 48, primeiro andar,
as duas serpentinas que pedio emprestadas em
nonio do Sr. Furtado Cecilio para o primeiro es-
pectculo do Apollo.
No hotel ca rua do Trapiche n. 22 precia-se
de um cozinheiro.
res.
Ditas de aljofares grandes de cores, a 3*000.
Ditas de aljofares branco com cruz, a 1*000.
Ditas de continhas brancas e de cores, a 800
I ris.
I i Ditas de coral, a 300 e 2*000.
< Bonitas pulseiras de contas de cores, a 800 e I Queimado ns. 63 e 69.
I 1*000 Xas mesmas Iojas se encontrar lindo sorti-
Pentes. ment de perfumaras e variado sortimenlo de
Riquissimos pentes dourados com padrinhas para miudezas que se tornara enfadonho menciona-las,
regaco, a 1*800 e 2*000.
Ditos ditos lisos e recortados, a 640 e 1*000.
Ditos de conchas dourados, a 2*000.
Ditos de marrafas cora pedrinhas, a 1*280.
Objectos diversos.
Lnvas brancas de Jouvin frescas, 2*500.
Ditas nao frescas, a 1*000.
16*000
Ceslinhas transparentes Jorradas de ma-
dreperola por 18*000
Lindas jardineiras. 10*000
Ricos cofres com camapheu. 10*000
Lindas caitinhas com podras brancas. 10*000
Lindo balao com calungas deiitrn, tam-
bem para juias. 16*000
Tambalier para ditas. 9*000
Cestinhas ditas. 6*000
Cosmorama ditas. 6*000
L'rnazinhas. 6*000
S no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
RIVAL SEM SEGUNDO
Rua do Queimado n. 49, est vendendo muito
boas fazendas muito baratas, quem qulzerpodera
vir ver on mandar para experimentar, assim como
sejam :
Golhnhas muito linas para senhora a 500 rs
Ditas e pannos de fusto muito bonitas a 640*.
Cartas de alfinete de caneca chala de todas os ta-
raanhos a 80 rs.
Resmas de papel de peso muito bom a 2*.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Caixas com superiores obreias de eolia e de massa
a 40 rs.
Cordao branco grosso que tem molla applicaco a
vara a 20 rs.
Linhas de carriteis garante-se 150 jardas a 40 rs.
Cartoes de linha Pedro V com 200 jardas a 40 rs
Grosas de pennas de aro muito linas a 500 rs.
Varas de franja de laa para vestido a 40 rs,
Ditas de'franja branca larga para toalhas a 160 rs.
Pares de boles de puuho a 120,320 e 500 rs.
Tinleiros de vidro com tint a 160 rs.
Ditos de barro com superior tint a 100 rf.
Grosas de botes de louca prateados a 160 e a dr>
zia a 20 rs.
Tesouras para costura a 80, 200, 400 e 500 rs.
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
Libra de laa para bordar da melhor qualidade a-
6*300.
Caixas de phosphoros de seguranc* a 160.
Caixas e pacotes de papel amizade superior a 60O
ris.
Caixas com 100 envelopes muito finos a 800 rs.
Quadernos de papel pequeo azulado a 20 rs.
Carriteis de linha Alexandre com 200 ardas a
100 rs.
Baralhos para vol trete a 240 e mais teosa 300 rs.
Meiadasde linha frouxa para bordar a 20 rs.
Pares de sapates de tranca de todos os lamanhos
a 1*500.
Grosas de botes de madreperola muito finos a 560
ris.
Cartas e caixas de clcheles de superiores qaali-
dades a 40 rs.
Massos de grampos superiores e limpos a 30 rs.
Grosas de palitos de gaz a 2*200.
Libras de areia preta da melhor qualidade a 120
ris.
Caixas redondas para rap e tem muito bonitos ca
lungas a 100 rs.
NOVA
liqnidiico de fazendas de todas as qna-
Ricos porta bouiiuetes de diversos costos core- i:.>.i 1 :_ j
{os; s no Vigilante, rua do Crespo n 7 ,,rta(,CS na '"J armazem da Arara,
Ricos sinlos
com bolcinhas ao lado, a 10*, 12* e 15*, ditos sem
bolea porm do mesmo gosto, a 2*500, 3*, 3*300
4*000.
Ricas fivellas avulsas para sinto, o melhor que se
pode encontrar, a 1*500, 2*, 2*500 e 3* o par;
s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Cabazes ou ceslinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para meninas trazerem no braco, o mais rica
po^sivel a 2*500, 3*500, 4*. 5*, 7* e 10*: s no
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Pentes.
ni.i da 'nipcratriz n. 56, deLoureu-
co Pereira Neutle* (uimares.
Attencao qne se val principiar.
Vende-se pecas de panno de linho para lences,
toalhas e seronlas, com 13 1/2 varas por 8*300 ;
brim liso por 500, 560,6i0 rs. a vara : na rua da
Imperairiz loja da Arara n. 56, de Mendes Guima-
res.
A Arara vende soutcmliarque a 105 e I2|5.
Vende-se soutembarques de laazinhs enfeilados
a 10* e 12*, ditos pretos de grosdenaple fino'
a 20*. 22* e 25* ; capas pretas ricamente enfeta-
das a 23* n 30*; camisinhas para senhoras a
! porm afianca-se ser tudo bom e mais barato que
I em outra qualquer parle.
! Albuns superiores para re-
tratos.
A Aguia Baanca sempre disposla bem servir e
COMPRAS.
Varas de labyrinto grande, a 100,160 e 240 agradar a sua boa freguezia, mandou vir e acaba
de receber um bello sortimento de albuns de snpe-
I rior encadernacao e apurado gosto, com cspeclall-
; dade os de capa de inarfim com lavores, outros
; guarnecidos de tartaruga com trancas de prata,
outros marchitados de madreperola com trancas
de prata uourada, outros de velludo etc. etc. Para
quem tem gosto e dinheiro, um lbum assim per-
feto sem duvida o mais apropriado para selle
so depositar os retratos de charos pais, bons pa-
reles e amigos. Em quanto, porm, esses albuns
. se tomam notareis por sua perfeir.ao e bom gosto,
I outros recebidos na mesma occasiiio. se tornara re-
i coramendados pela commodidade de prer.os vista
da boa obra. Assim pois o pretendenle ser ser-
vido conforme o dinheiro que quizer dispr [tara
| esse Um, adiando sorlimento para 24, 50, 60 e 80
retratos: na rua do Queimado, loja d Aguia Bran-
1 ca n. 8.
res.
Bonecas pequeas que choram, a 200 ris.
Caixas de papel amisade paulado, a 720 ris.
Ditas de dito liso, a 600 ris.
Caixas com 10 envelopes, a 640.
Ditas de pennas limpas, a 600 ris.
Urna escrava.
Vendo se urna bonita escrava de 16 an-
sa nos, bastante sadia, habilidosa e entea-
X dida em todo o serviro de urna casa : na
rua da Impcratrlz n. 33, primeiro andar.
Xeste artigo tem um grande sorlimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos ?,[* 8o1 "has *40> *> *00 5 "#.
que se pode desejar, assim como de arregarar ca- J* e d^ : na rua oa 'mperatnz n. 56, loja da
nello, tanto de borracha como de tartaruga cm en-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante, rua
do Crespo n. 7.
Penles
lambcm chegaram os riquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massa fina, que se vende por 2*, t'*A"t?*\l"?
3* e 5*-, s no Vigilante, rua'do Crespo n.P7. | """^ ,
Arara.
Coi tes de chita a 2 100.
Vndese coi tes de chitas com 10 covados a
2*'i00. ditas franceza a 3*200 -, ditos de cambraia
de salpicos a 2*300 a peca, dita fina a 3*500, *.
e 3*: na rua da Imperatriz n. 36, loja da Arara, o'e
Leques.
Riquissimos Jeques de madreperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato prego
de 12* e 14*; s no Vigilautc, rua do Crespo
n. 7.
Mais leqnes
com pequeo defeito, leques de sndalo com pe-
queo defeito por barato prego de 8* c 103, chi-
nezes muito bonitos tambera, pelo barato prego de
'i*c 3, bentarallos muito bonitos, tambem por ba-
rato prego de 4* c 3*, leques de charao tambem
por i>. ludo isto para acabar, perdendo-se lal-
Vende-se palitots preto de panno a 16*, 14*
12*, 10 e 8*, ditos de alpaka a 3* e 4*, ditos de
brim branco a 2*300, 3*; 3*300; caigas de brim a
,* e 2*500, dilas brancas a 3* e 3*500 ; palitots
de caseinira de cores tinos a 10*, 8* 6*, o 5* ;
seronlas a 2* ; camisas brancas a 2*, 2*500 e 3*:
na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Colariohos econmicos a 610 a duzia.
Vndese colaiinhos econmicos muito bem fri-
tos a 610 a duzia : na rua da Imperatriz n. 56, lo-
ja da Arara.
ve. 80 por cerno; so no Vigilante," rua do Crespo f9^ie^Jr*wntfn (,e1i,,""(? ""^ **S0 c
I 2*800 a vara, tendo 10 a 12 palmos de largura ;
brim branco para caiga a 1*200, 1*100 e 1*600 a
n. /.
Carteiras e bolsas para
Precisa-se alugar nina escrava de meiaida-
de para oservigo de urna dasa de duas pessoas: a
traiar na rua ireita u. 51, loja.
Compra-se ouro c prata em obras vellias
daga-se bem: na loja de billictes da plagada Inde
pendencia n. 22. _______________________
Compra-se cobre vellio : na rua do Brum nu-
mero 78.
Compra-se efectivamente
ouro e prata era obras velhas pagando-se bem :
na rua larga do Rosario n. 24, loja de ourves.
Compra-se um escrito de meia idade: quem
o tiver annuncle por e?te Diario, ou entenda-se
com o capello do cemilt-rio publico, residente na
casa contigua aos muios do mesmo cemiterio.
Alraeida Gomes.
AlcaMo.
Vcndemsebarriscom alcalrao : na rua da Cruz
n. 23, primeiro andar, escriptorio de Antonio de
______________ viagem.
j Na loja d'Aguia Branca, rua do Queimado n. 8,
1 vendem-se carteiras com corroas para traze-las a
; liracolo, c bolsas de tapete, ludo para viagens.
Vende-se potassa era barra a comtnedo prego o Ppp'fiiiiin.ri'm inffIPTflS
POTkSSA
na rua da Cruz n. 23, primeiro andar, eseriplbr
de Antonio de Almeida Gomes.
IMi
iJ,
Grande
m\
mi
Aluga-se um sobrado cun bastantes com-
inodos, e una casa de campo, tendo cocheira, es-
tribara e sitia com alguns arvoredos, na tra-essa Compra-so nm pequeo mnleqne de o a 0
dos Remedios: quem as pretender, dirija-se ao I annos, na oa do Marcell.no 4 C.ou no primeiro
mesmo lugar, na taberna da quina n. 27, que ahi I audar n. Ot, na rua da Udea do Recife.
achara as chaves e se dir qiem o seu dono. i'o;lil"l-SC
Bebcribe : a tratar Uma escrava qne seja sadia e bonita figura,
Aluga-se uma casa em
com J. I H. llego, na rua do Trapiche n. 3i.
Callo Francisco, subdito italiano, vai Babia.
Jgj Saques sobre Portugal, figj
O alialxo assiguado, autorizado pelo ^i
Banco Mercantil Portuense. c na ausencia ISll
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre c
as pragas de Lisboa e Porto, e mais luga- SS
| res do reino, por qualquer somma vis- |H|
ta, e a praso ; podendo, os que tomarem js
saques a praso.receberem avista, no mes- 88
I mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na |
ac loja de chapos da rua do Crespo n. 6, ou <_
jm na rua do Imperador n. 63, segundo an- 9m
dar.Jus Joaquim da Costa Maia.
rua das Trinchei-
coznhe e engorme : a tratar na rua
do Recie n. 35, primeiro andar.
da
que
Cadeia
Aluga-se a casa n. 40 da
ras : na rua da Aurora n. 36.
Na rua da Cadeia n. 20 tem uma carta para
oSr. M. A. Richert.____________
40 PUBLICO
O abaixo assignado faz sriente ao publico que
desde o dia 13 do crreme mez deixou de ser ge-
rente dos negocios commerciaes da Sra. D Sopha
Tavares de Castro, viuva de Antonio Jos Fernan-
des de Castro, de accordo com a mesma senhora e
sen procurador actual Joaquim Francisco de Albu-
querque Santiago.
Francisco Xavier de Athayde.
Jos Antonio da Silva venden sua taberna no
pateo da Ribeira n. 23 ao Sr. Dernardino Pacheco
dos Santos, livre e deserabaragada : quem se jul-
gar credor, apparega uestes tres das na mesma
taberna.
Recife, 13 de setembro de 1864.
A sociedade commercial que gyrava nest
praca sob a razao de Francelino Izidoro Leal A C,
tendo sido dissolvida desde o Io de mao de 1862
por convengan entre os mesmos socios, brando po-
rm o 1 socio nico responsavel pelo activo e
passivo da mesma firma rom a facaldade de poder
usar della at quando Ihe conviesse, resalvo qne
do Io do correte era dianle a firma commercial
sera Francelino Izidoro Leal, por assim havermos
tratado.
A Semana llluttrada que se publica no Rio
de Janeiro lodos os domingos, asslgna-se em casa
de i. Falque, rna do Crespo n 4 ; pre$o da assig-
natnra, trimestre 6*. semestre 11*. um anno 184.
_N. B. Os asslgnantes da Smana Ilustrada te-
rao no fim deste anno um quadro com os retratos
de todo o gabinete'do Imperador e da cmara dos
deputados, offerecido pelos proprietarios do jornal.
I*arn passar a fisia
No largo do Montelro. margem do rio Capihari-
b*, alnga-se a casa denominada-Canna Fstula
outr'ora de Xisto Vieira Gielho a traiar na rua
do Crespo, loja n. 8, esquina da do Imperador.
' avallo.
Compra-se um cavado que seja acostumado a I
trabalhar em ma, luna de padaria, mesmo sendo ||
magro : na rua du llangel n. 9.
Compra-se a obra de Theologia Moral do i j
bispo Mareles, 3a edirao :_quiiii tiver annuncie. I
C'mpram-se garrafas e botijas vasias : na j
rua Direia n. 72. ;
VENDAS.
A loja de sapatos do pateo do arsenal mudou a
sua liquidago para a rua da Cruz n. 17; vende as
fazendas por prego de graga, como seja, marroquim
novo preto a 18* a duzia, recebendo notas do ban-
co do Brasil.
Enfeites modernos para
c beca.
\a roa larga do Rosario n. 38.
A loja da Aurora recebeu enfeites muito moder-
nos para cabega. o qual se vende barato ; assim
romo recebeu enfeites de cano de muito bonitas co-
res, e tmbein ditos de trancioha lisos, o minias
outras miudezas, as qnaes se vendem baratas :
quem duvidar, mande buscar as amostras, pois a
vista faz f.
Vendem se dous cavallos proprios para car-
re e mesmo para sella por terem alguns andares,
e lambem para viagem por serem muito fortes at
para carga : na rua Nova n. 37, primeiro andar.
Vende-se 20 libras de peonas de rola pro-
prias para travesseiros o rolchdes de mangas: na
rua do Queimado, loja de ferragens n. 14.______
Vende-se a taberna da rua de Aguas-Verdes
n. 48, afreguezada para a trra, propria para prin-
cipiante por ter poucos fundos : a tratar na
mesma.
Vende-se
ama vacca muito boa de l-ite, nova, crionla, man-
sa de corda, parida d pouco : qnem quizer com-
prar, dirija-se. ao sitio do Lucas que foi do falleci-
do Ju- Domingues Pimenta, que se dir quera
vende.
pecHinrr.HA
O dono do antigo estabelecimento do
Passeio Publico n. II, avisa- ao publico
que recebeu um grande sorlimento de
chitas francezas e inglezas, e est resol-
vido a vender por barato prego aflu de
adquirir freguezia o apurar dinheiro.
No Passeio Publico n. 11.
Vende-se chitas eslreits a 200 rs. o
covado, dita a 260, dita larsa a 280, dita
a 320, dita a 360, dita a 400, dita a 440.
S no Passeio Publico n, H,
Vende-se chales de merino bordado a
6*300, dito estampado a 7*. dito liso a
4*300.
>'o Passeio Publico n. 11.
Vende-se brim branco pardo de listra
pelo barato prego de 720 rs. a vara, ma-
dapoln fino a 95 com 20 varas, dito a
75800, dito a 6*800, casemira pre.ta a
1*800o covado, panno fino a 3*500, dito
superior a 6*500.
S no Passeio Publico n. 11
Vende-se grvalas de seda a 200 rs.,
ricos corles de vestido de cambraia a 4*,
leugos bordados capricho a 200 rs. as-
sim como outras fazendas que s vista,
tambem se dao as amostras deixando
penhor.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de contas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto a 1* e 1*200.
Para segurar mangitilos.
Tambem chegaram as liguinhas estrelinhas de
borracha que as senhoras tanto precisara para se-
gurar manguitos por ser muito commudo e muito
barato, a 320 o par; s no Vigilante, rua do 'jres-
po n. 7.
Canelas.
vara, dito pardo a 640, 800 rs., 1* e 1*200 : na
rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Vendem-se bales americanos os melhores qne
lem viudo, de todos os lmannos a 2*240, 2*300,
3*, 4* e 1*500: i o Arara na rua da Imperatriz
n. 56.
As liaiiubaa da Arara a 210 rs. o covado.
Vendem-se laazinhs para vestidos de senhora a
240,320, 4IH) e300 rs, o rovado, ditas muito
, finas lisas 600 rs. o covado, dilas especiaes a 720
Riquissimas canelas de madreperola proprias i e 800 rs. o rovado : na rua da Imperatriz n. 56,
para qualquer presente, pelo baralissimo prego de loja da Arara.
1*300 e 2*.
Sapaiinltos c meiaade seda.
Riquissimos snpatinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
nbas e louqniohas para as criancinhas se baptiza-
rem; s uo Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Voltinhas.
Lindas vollnhas de perolas falsas comcrnznhas
fingindo brilhantes, assim como ernzinhas avnlsas
(iolinhas.
m
Vende-se a casa terrea da rua do Progresso
n. 21 (no Caminhu Novo) tem nm porio ao lado
que d entrada para o qinutl, no qual existe cin-
ro pequeas niei aguas, rende tudo 480*, e ven-
de-se barato por seu proprletarlo ter de retirar-se
para ra da provincia : a tratar na rua do Quei-
mado D. 77.
ei'liinrlia
Vendem-se pegas de superior algodao com um
pequeo toque de avaria, com 20 jardas cada pega
a 5*000, dito com 24 jardas, muito largo, supe-
rior fazenda, a 7*800. A etles anles que se ac-
bem ; na loja de quatro portas da rua do Queima-
do n. 10.
Em Gameleira,
casa de Domingos PVrreira dos Santos Porlo, ven-
de-se cal nova de Lisboa vinda no ultimo navio,
por prego razoavel.
Vende-se uma armaco nova e sens utenci-
lios lambem novos, e lera "alguns gneros na mes-
ma armagao, propria para quem quizer sortir
a seu gosto : as pessoas qu a pretender, dirija-se
a rua de Joao Fernandes Vieira n. 64, ou tra-
vessa do Pombal n. 20, para tratar o dito negocio.
VIMI pur
Chegou afioal o afamado vinho do Cartacho sem
canfeigo, e vende se nicamente na rua do Cres-
po n. 9, armaz-rn Prinripal, a 30* a ancora de 9
caadas e a 560 a garrafa.______________
Lavas de Jouvin.
A loja da Aurora na rua larga do Rosario n. 38,
recebeu lavas de Jouvin de cores e brancas para
hornero e senhora, muito frescas, chegadas pelo
vapor francez.
Vende-se, ou troca-se por casa nest cidade,
o alua-se para pa>sar a fest, ama grande casa
a duas pequeas, tendo aquella sitio, o estas seas
respectivos quiutes bastante compridos, sitas na
freguezia da Varzea na rua do Fugo com fundos
para a rua do Busario, tendo o sitio bastautes arvo-
redos de frurtsj qnem pretender drija-sc i rua
de Hartas o. i, priutiro andar.
A Aguia Branca, conhceendu a bem merecida
estima que os apreciadores do bom dao s perfu-
maras inglezas, por isso mandou vir o esplendido
sorlimento que acaba de receber, e os acreditados
' nomes dos bem conhecidos fabricantes J. Gosnell
i & C, Napoleao Price & C. sao bastantes para co-
nhecer-se a superinridade dellas. Consiste esse
i bello e variado surtnnento em pequeas quantida-
I des de dilferentes e agradaveis extractos de pri-
meira qualidade em frasros de diversos tamaitos
I e formas, fazeodo-se notaveis entre elles os que
vem em una caileira de tres, com os quaes por
sua elegancia e bondade se faz um bello presente ;
i assim como outros frascos com finas essencias con-
| centradas, outros com excedentes leos para ca-
i bellos, e outros finalmente com agua de Lavander
sublimada ; ebem assim finos sabonetes em paco-
j les e eaixinhas com tres, bonitas e delicadas al-
mofadinhas com pastilhas em p, as quaes deilan-
do-se nos guarda-vestidos, commodas, etc., nem s
deixam toda a roupa cheirosa, como afugentam
baratas, tragas, etc., etc. Em quanto, porm, a
commodidade dos pregos ja nao entra em davida.
uma vez que o pretendente comparega munido de
| dinheiro e disposto a fazer gasto na loja d'Aguia
Branca, rua do Queimado n. 8.
Balas grandes e caretas de
borracha.
Excedentes brinquedos para mancas: vendem-
se a 500 rs. cada urna : na rua do Queimado, loja
d'Aguia Branca n. 8.
Espelhos cdm molduras pretas
e douradas
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
cebeu um bom sorlimento de espelhos de difieren-
tes tamanhos com molduras pretas e douradas, e
os esl vendendo por precos commodos.
Papel inglzm
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
cebeu um novo sorlimento de papel inglez liso e
pautado, almago, de peso, e pequeo, vindo deste
tambem com beiras douradas.
Enfeites invisiveis
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, rece-
beu novos enfeites invisiveis, os quaes pela finura
do tecido e bom gosto lem merecido tanta estima
Preparos para flores.
A Aguia Branca, na rua do Queimado n. 8, re-
cebeu novos prepares para flores, sendo papel de
cores para rosas, dito verde para fu-Ibas, folhas de
i panno e velludo, caixas de trigo, ditas de uvas
brancas e rxas, e como sempre continuara a ser
vendidos por pregos commodos.
Rna do Crespa, leja n. 20 B.
"indraTe Sal 'Tec id'o "go^uE ST1" T S ""i'05 SSSL2S T
nimiAttf mmn i r,.iCmc *... T .. "J linctivos c offerecinientos as sinhasinhas dos me-
K595H&& o6 mSmSS lhores fi mais afamadosf,antores 1 ?riLe !n"laler-
Chitas baratas a 20 rs.
Vendem-se chitas de cores lisas a 240 e 280 rs.,
o covado, dilas francezas linas a 350. 360, 4C0 e
500rs.,o covado, dilas [oralas a 560e600rs. o
covado : na na da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A .liara vende mada|iolao barato a IAjOO, cortsc
de vestidos a Mara l'ia a 15\ i(if> e 185.
Vende-se prcas de madapnlao de. 24 jardas, de
7 a "*, n. 2 a 8*100. -! a 8*500, ++
er2nahi Pl fe P7* v ? l*20' hS *"saa lotlll a 11* e I!*; KlgudSo regular 5*,
cruzes auijs asa iOO rs.; so no Vigilante, rua do I dil0 Bno ,,nrn(. de varra a ^-^ dllo dome8iiroa
; 7*, dito sicupira a *, dito pao ferro a 9* a pega
tem 20 jardas : na rua da Imperatriz, loja n. 56.
Riquissimas golinlias e mantrnitos, o melhor gos-
to possivel, a 2*. 2*500 e3*;s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Biquissimos enfeites rom lago e sem lago e de
outros muitos goslos a 1*, 1*500 e 3* : s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
Trancelins.
Lindos trancelins no cabello para relogia ou u
netas, pelo baratissimo prego de 1*500, ditos de
retroz a 200 rs.
Uabadiubos ntremelos.
Biquissimos babadinhos entremeios com lindos
desenhos lapados e transparentes, pelo baralissimo
prego de 1*200, 1*500, 2* e 3*; s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Cascarrilbas.
Grande sortimenlo decascarrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e traneinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, rua do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sorlimento de filas de diversas larguras
e qualidades, por pregos que admirara aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
leiros que se pae vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 2*; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Fitas de la.
Fitas de laa de todas as qaalidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7
Ricos espelhos.
Riquissimos espelhos com moldura dourala e
sem ella de 8*, 10*, 12* e 14*, assim como com
columnas de differentes tamanhos a 2*, 3*, 4*, 5*
e 6*; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros c Uguras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu
tem apparecido; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
cousa de mullo gosto a 1*300 e 2*, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimenlo de extractos e banhas, poma
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
us de casemira, zuavos de la, "colchas de damas- "^
P'ei5^I!^,^ute_mharqi,e*.de Rrosleaayles, or- rua do Crespo n. 7#
zen las de laa, liuho e algodao,' que o mesmo ven-' 1-jUVaS 6 pGllCl pl*5l Se*
der m,.a barzoque quabjuer outr.--------------- ^^ ^QQQ jIJ
Ha para vender a mais nova, e uLaraente che- ^SZSiS^^ m ^^ n'104
gda ao mercado, em bem acondicionados barris: J m'iiaezas. ________________
no anazem de Manuel Teixeira Bastos, rua do Vende-se Ires encerados novos e grandes no
Trapicike n. 13, por prego razoavel. armazem do caes d'Alfandega n. 3.
Chales baratos a 16600.
Vende-se chales de ISa/mha a 1*600 e 2*, ditos
de merino a 3*, 4*500, 6* e 7* : na rua da Iur-
peralriz n. 56.
Corles de caigas a l^COO.
Vende-se curtes de calca para hornera a 1*600,
1*800 e 2*500 boa fazenda ; cortes de casemira de
cores finas a 5*, 5*500 e 7*; casemira parapalitols,
calcas e coletes enfestadas a 3* o covado: s na
loja da Arara, na rua da Imperatriz n. 56.
Casemiras para capa de senhora a 25 e 3.-).
Vende-se casemira entestada propria para capas
para senhora a 2* e 3* o covado, tambera serve
para costuines pnr ser de boa qualidade e lindas co-
res, vende-se a 2* e 3* o covado: na loja e arma-
zem da Arara, na rua da Imperatriz n. 56.
A Arara vende as percalas a 560 rs.
Vende-se percalas finas para vestidos a 560 e
600 rs.; chitas francezas finas a 360, 440, 500 e
560 o rovado : na rua da Imperatriz n. 56.
A Arara vende as capas de grosdenaple a 25* e 305.
Vende-se nras rapas de grosdenaple preto para
senhoras a 25* e 30*; soutembarques pretos finos a
20*. 22* e 235 : na loja da Arara
Tarlalana de cores e branca a 800 rs. a vara.
Vende-se tarlatana branca e de cores finas a 806
rs. a vara, fil de bnho a 800 rs. i vara : na rua
da Imperatriz loja e armazem da Arara, n. 56.
0 propnelario da loja e armazem da Arara re-
eo i menda toda a atlengao aos Srs. frepuezes que
mandem ver as amostras de todas as fazendas que
annunria, prometiendo vende-las por barato prego.
Pecbincba de lencos de seda a 800 rs. el*.
Vende-se lengos de seda pequeos a 800 rs.; di-
tos grandes a 1*'; ditos brancos com barra de co-
res a 200 rs. cada um ; meias croas para horneen a
2*400. 3*, 4* e 5* a duzia ; ditas para senhora a
1 e 5* a duzia : na rua da Imperatriz n. 56.
Cassas francezas a 280 e 320 rs. o corado.
Vende-se cassas francezas finas para vestidos a
280 e 320 rs. o covado: na rua da Imperatriz n. 56.
Colchas de daauaoa a 15.
Vende-se colchas de damasco para cama a 4*,
ditas de fusto a 5*, ditas de chit a 2*: ricas chi-
tas para cobertas a 320, 360 e 4' 0 rs., ditas aseti-
nadas muito linas a 500 rs. o covado, ditas encar-
nadas a 500 rs. o covado : na roa da Imperatriz
n. 56, loja da Arara.
Fumo imperial
Cortado igual ao francez muito proprio para ca-
chimbo, em latas de I libra, qnando nao seja me-
lhor igual ao americano por 1*200 rs., para veri-
ficar a verdade os Srs. fumantes podem-se dirigir
a fabrica vapor de cigarros antiga rua dos Quar-
teis de Polica n. 21.
Superior cal de Lisboa.
Sende-se superi >r cal de Lisboa a mais nova oue
ha no mercado tanto era porgan como a retlbo,
por barato prego afiancando-se aos compradores a
superior qnalidade : a tratar as sagrantes ms :
Crespo n. 7, Impera lor n. 28, Forte do Mallo ar-
mazem do Sr. Villa defroote do trapicho do al-
godao.
LL


iHaiio de l'emamlmc* ^-Mj/a eha itt de clmb. de ifcttA.

1
>

COMMEHC
RA DO QUEIMADO W. 45.
Passand o becco da Congregarlo segunda casa.


mm
wmm
NOV1DADE
Pereira Rocha C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de raolhados denominado Clanm Commer-
cial, onde o respeitaVel publico encontrar sempre um completo sorlimenlo dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes sero vendidos por precos muito resumidos como o respeilavel publico ver pela tabella abaixo menctoncda ; garante-se oDom
peso e boa quadade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e' Peras seccas muito novas a 600 r*. a libra.
100 rs. a libra, e .0800, 20600 e 30000
a arroba.
Ameixas francezas em lalas e em frascos a
10200 e 10600, e em frascos grandes a
2*500.
dem era caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,10400, 106OOe2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa aOlO rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de malarana a 320 rs. a
libra.
Avellaas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinhae a2O0 rs. a libra.
Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, 20,
20500, 2;>8O0 e 39000 a libra,
dem preto muito superior a 2;>000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez uno a 90^ rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
200^ K), 20200, 20500, 20300, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
Cartes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfeitados a 7O0e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs a
libra.
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite
muito novo a 640 rs.
Cevadinba de Franca muito superior a 220
rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata,
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
! de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor a
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs
cada'um.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 60 r.
libra.
Eigos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, Pedro, D. Luiz I. Mara Pa,
Bocage Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
dem de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
dem em garrafes de 3 e 5 galoes a 50500
e 70500 cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, qualidade especial em garrafas muito
grandes, a 10800 a garrafa.
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
vidro, a 10000, s. a garrafa vale o di-
i nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem francez muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 60 i rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
Grande liquidadlo.
Roa da imperatriz u. ttO.
Luja de blendas do l'avao de (ama k Silva.
Acla-ge este cstabeleclmento completamente
sonido du fazendas. inglezas, francezas, allernaas 6
snissas, proprias tanto para a praea como para o
mattu, prometiendo vender-se mais baralo do que
em outra qualqner parle principalmente sendo em
porco, e de todas as f.izendas diio-se as amostras,
deixando flear penhor, 011 mandam-se levar em
casa pelos eaixeirosda laja do l'avao.
As cuitas'rio Pavao.
Vendem-se chitas inglezas claras e escuras pelo
baraio prego da 240, itO e 280 rs. o covado, timas
seguras ; ditas francezas de cores seguras a 320,
340,360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
muito superior e bonitos padroes : s na loja do
Pavo.
As lmiahas da exaoaicao do Pa\ao.
Vendem-se laazinhas as mais modernas que
teiQ vindo ao mercado, proprias para vestidos e
sonlembarques por seren lisas e de cores muito I
delicadas ,t 560ea00rs. ditas lisas cun um lustre
que parece seda 640 rs. o covado, ditas com
quadriuhos de seda oOO rs. o covado, s para ac-
bar : na loja e armazem de Gama <& Silva, ra da
Imperara a. 60.
Os vestidos do Pavao.
Vendem-sd os mais modernos cortes do vestido
de la, que vieram pelo ultimo vapor, com ricas
barras de cor, corpinho e collete separado ; ditos
com listas de seda e tambem com barias e enfei-
tes para o corpo, por preco mais barato do que em
outra qualquer parte, esa quizerem urna prova
do que se diz, mandem ver leja e armazem do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Os vestidos Haria Pia. S o Pavao (80000).
Yendem-se os mais lindos vestidos Mara Pia
de laazinha transparente com listas, e palminhas
de seda pelo barato preco de 85 cada corte : s
na loja do Pavao A* ra da Imperatriz n. 60, do Ga-
ma & Silva.
As eassas do Pavo a 20, 280, 300, 320 e
360 rs.
S o Pavo vende as lnissimas eassas persianas
mitacao de laa, com cores fixas, 360 rs. o co-
vado ; ditas francesas muito linas 240, 280, 300
e 320 rs. o covado, islo para acabar : ra da
Imperatriz, loja de Gama & Silva.
Os madapoles do Pavo
Vende-se peca de raadapolao infestado rom 12
jardas cada peca pelo barato preco do 4, 4500 e
j5 cada peca, fazenda muito superior : s o Pa-
vo ra da Imperatriz n. 50, notando que a pega
leva urna etiqueta com o Pavo pintado para nao
haver duvidas nem engaos : isto previne o Pa-
vao, de Gama & Silva.
tramante de llnho do l'avao
2^, 400. 20OOO.
Vende-se o melhor bramante de linho puro com
dez palmos de largura por prego muito commo-
do, por ter de acabar a factura, a vara por
25200, 25400, e 25600 ; s o Pavao : ra da
imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Punno de linho d< Pavo.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura propno para lences e toalhas de nio pelo
baratissimo prego de 640, 720 e 800 rs. a vara, al-
godozinho com oito palmos de largura proprio
para lenges, pelo baratissimo preco de 15 a vara,
tem o melhor algodozinho tanto em
Q PROPHETA
AO RI&PISITAVI.Ij PUBLICO,
RA DAS CINCO PONTAS NS. 86
Inquina tta nova travessa de fc. *#oo.
<&m& mi
Desejando o propietario do grande armazem do Propuet dar lar-
gas ao sen genio emprebendedor, cotnmercial e especulativo, resolveu ceder ainspiracao
que o assaltou, quando as horas caladas turbilho de ideas, tendentes todas bem servir e agradar aos generosos habitantes
desta bella provincia, de abrir mais este grande cstabelecimento de dovos e
escolbidos gneros, quasi que especialmente destinados s pessoas que moram na fre-
guezia de S. Jos, e aquelles senhores que Iransitam pela via forrea, para quem em ver-
dade sao seni conta o numero das vantagens que se lhes offerece, nao s com relago a
modicidade dos fretes, como da facilidade e brevidade da conduceo dos objectos com-
prados.
O sonbo do Propheta ser unta verdade pratica lao acceita e abracada como as
palavras simples e bem intencionadas dos velhos patriarchas desses lempos idos, si o Se-
nhor Deus dos exercilos nao o qnizer contrariar.
Propheta nao querendo restringir-se a forma ordinaria de negociar resolvct*
tambem, depois de profunda meditaro, de 'nao vender smente os seus generosa di-
nbeiro crtente ; mas tambem de por em pratica troca delles por outros da prodcelo
do paiz ou por escravos, bois. cavallos, etc. Assim, pois, Pique na intelligencia de todos,
que o propheta receber como tuoeda de qualquer tos senhores agricultores, asnear,
algodo, agurdenle, milbo, feijao, cavallos, escravos, etc., el:, e Ibes dar o mesm valor
em gneros, escolbidos a contento.
Quando a importancia dos gneros apartados for menor do que a dos objectos re-
cebidos por troca, o cropheta nao demorar a differenca que deve dar em diabeiro.
Um estabeleciniento que com tantos sacrificios e desptzas acaba de ser aberto
deve inspirar a todos a certeza de que se vender muito barato com o lim de se adqui-
rir crdito e freguezia.
A'arutn verdadeira a 320 rs. a libra.
Arroz do Maranhao, Java e do Penedo a 80,
100 e 120 rs. a libra, e a arroba a I#800,
241500 e 25800.
Amendoas a 280 rs. a libra.
Ameixas francezas a \ 5200, 15400 e I 600
I em latas, frascos e lindas caichmhas muito
proprias para memosear algnem,
Amendoas etn fra-cos de vidro a IjJOlO o
frasco.
Alpista a 100 rs. a libra e a 4:>a00 a arroba.'
dem em botija a 350 e 400 rs." a botija.
Graixa em laUsa I#200 a duzia.
Limonadas de diversas fructas a 1,5000 o
frasco.
Licores inglezes e francezes a I 000, l#S00
e 2r> a garrafa.
Lingoas americanas a.8O0rs. cada urna.
Linguicas promptas em latas a 12(0 a lata.
Manteiga ingleza neste genero o que ha de
melhor a 800 rs. a libra e em barril a 700
rs.
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70501) rs. dem regular a 500 rs.
aduzia. Macas finas para sopa: estrelhnha, pev.de, far"urawmoem corpo, proplo para lentes, ca-
Idem .Morgauve Chateaulumini de 1854, a 1.5 rodinha e aletrta a 600 rs. a libra e a -^ msas deescraos, etc., etc., pre^o muito comroo-
a Caxinha com 12 libras. i do H vistada fazenda; s o Pavao : ra da Im-
' Nozes muito novas a 100 rs. a libra. peratriz n. 60,de Gama & Silva. '..
arrala c Peixe em latas preparado pela primeira arte Algodozinho com toque
decozinba n 15 a lata,
Paliios de denles a ICO rs. o maro,
dem de (lentes a 120 rs.
a garrafa,
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a _
' 16200rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porgo de outros que deixamos dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
pecas c carnadas, tanto em porres como Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
retalho- 25 e em caixao a 040 rs.
Oucm comprar de 100.-M300 para cima le- Palitos do gaz a 25200 a groza.
r o abale de 5 por cento. Passas muito novas a 480 rs. a libra.
e .1,800
Vende-se pega de algodozinho por ter um pe-
queo toque de avaria, mas que esta em bom es-
| tado, pelo barato preco de 45 e 45500 a peca ; s
i o Pavao : a ra da Imperatriz u. 60 de Gama &
Silva.
do Pavo e s do


NOTAS D4 CMXA FILM
DO
MACHINAS EPTENTE
de Irabalhar nio para
dcscarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Troca-se ditas notas por fazendas.
loja da ra do Crespo numero
17.
Quem comprar de cem mil res para cimadar- jpor cento.
Aproveitem todos. Aproveitem todos.
Fazendas ds apurados gostos viadas de Paris.
lucro de dnco
Capas pretas importanlissi-
mas.
Casacoes pretose pelerinas.
Basquina de cintura e pe-
lisses.
Sotambarques de caxemira
de cor com tintura.
Jaquelas de merino de cor
para senhoras.
Zuavos pn-tos de soda mui-
to bem enfeitados.
Gorajes, sotambarques de
cda.
Cortes de seda de cor de
muito Rosto.
Colxas de seda para DOivos
Sedas de quadro de muito
gosto a !5'-60 o covado.
Moreanliques e grosdena-
ples.
Cortes de organdiz com
barras.
Chapees de palha para se-
nhora.
liales de arcos e muse-
linas.
Balues de merino de cores. $
Fazendas de linho e de al-
godo.
Selectas, esguioes e bra- ,.-,
mants. C
Cassas, chitas camisas e
scroulas.
Peitos bordados para ca-
misa.
Camisas de 15a de cor pa-
ra homem.
Madapolaoa 75, 85,95e
105 a peca
arroba de algo-
do em carco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou ii ar-
robas de algodo
limpo.
Esta machina
a nica que
vantagens de nao destruir olio do al- covado"' cassas
SCu. -------- ... ... ,
Esleirs para forrar saU a 850 rs. a jarda. Tapete de superior qualidade com
seis palmos de largura a 5-i00 rs. o covaiio.
Na realidade, este estabelecimento oerece grandes vantagens aocommercio.
Aproveitem todos a occasiaode trocar notas da Caixa ganhando cinco por cento.
ARCOS
[1
A OOO
Na ra do Queimado n. 40, letreiro verde.
Superiores e bem armados baloes pelo diminuto preco de 25, advertindo que vendem-se
este pre$o(wr ter-se comprado urna grande porco e qaerer-se acabar.
por
GMNGEIASANTIBtENNOR
u-INI do HuS^VrjEREOSi
mmw aw
SuprioreaiaiMaspr-pnriis conli<-iia.slhi)j Jtrrilo segur* e prometo, sem nmise.-n, nm oolicas.n^m irem-jr. Fareis i lomar ''n 'ciiwli sera llssm.
Injecgo curativa e preservativa
UfUil, cur cn rapideaim A>rr< os ccorrimUo eoTlagtows il* a:obo o. Tlw brancai. *f*l1"fi,D'V
illaaca< camtitUmJ*. fortilita os leuuin^nioe os iirMorva i* iu4.ier alior::;So. l'AKIS. 5. ru rf J/ars-M-n-iOT-a.
Deposito geral em Pernambac* ra da Cruz n. 22 de emcasaCaros 4 Barboza.
Kfiaumi
RA DO QUEIMADO NUMERO 11
Loja de fazendas d' Augusto Frederic dos Santos Porto
Liadas chape!Inas e chapeos para senhoras.
Chegaram a este esubeleclmenti) as mais modernas chapelinas e chapeos para aenhora?.
Saperiores cortes de 15a de barra de 105 a 205.
As mais superiores capas e souterobarques de seda preta e casemira de cores para senhoras de
105 at 805.
Excellents laas para vestido a 320, SOO, 560 e 600 rs. o covado.
Cassas e organdys de cores a 240 e 320 rs. o corado.
O melbores pete* para sof com riquissimos sentios.
Lencos de cambraia'de linho e fil bordados a 15 cada um.
Superiores casemires mescladas de diversos gostos tanto em pecas como em cortes.
Eoalras mnitas fazendas como sejam: percalls* flnissirpas, bretanhas, silecias, esqnio, silis-
trina preta moflo fina, cantao para vestidos de luto, {rosdenaple de bonitas cores e as superiores
Estelras para salas.
As pesoas que pretodorem forrar suas salas on gabinetes, encontrarlo neste estbilMiinento
meisMr aqaalidad* de wteiras de toda as larguras e pelo mm mdico preeo,
possue as
godao e de fazer render o dobro de qualquer ou
tra com menos trabaIho, a sua introdcelo para
as provincias deste imperio ser de muito valor
para todos os interessados na lavoura do paiz.
Assim cora machinas em ponto grande do mes-
mo systcma.oraql serum movidas por animaos,
agua ou vapor, pus uaes podem descarocar 18 ar-
robas de algodo ampo por dia.
O algodo descansado por estas machinas tem
muito mais estimacao nos mercados de Europa c
vende-se por maiorpreco.
As machinas se acham venda unicamenie em
casa de
Sannders Brothct s & C.
TV. II, praca do Corpo Manto
RECtFE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado n. 49 loja de miudezas de Jo-
s Uigodinlio, venham ver a pechincha que se est
acabaudo certas qualidades de fazenda.
Pecas de litas elsticas com 10 varas a.. 240
Ditas de tranca branca lisa com 10 varas. 100
Ditas de tranca preta lisa a............ 60
Realejos para'meuinos, pechincha a... 120
Rodinhas com superiores alfinetes a..... 20
Caixas com superiores agulnas e limpas a 200
Saboneles de familia, muito linos a 80 e.. 160
Pares de sapatos de la para mancas a.. 400
Varas de babado do Porto muito bom a
100, 120e......................... 160
Ditas de bico largo grosso a............ 100
Potes de superior tinta tem mais de meta
gai rafa a.......................... 320
Caixas com perfumaras muito bonitas a. 500
Frascos de oleo de macara muito fino a 100
Ditos de oleo de babosa superior a 240,
320, 400 e......................... 500
Ditos de cheiros muito superiores em qua-
lidade a........................... 320
Ditos de agua de colonia muito boa a.... 400
Ditos de dita dita grande a............. 800
Sabnnetes de todo o preco 60, 160, 200,
320e........................!.... 400
Frascos de superior banha a 320 e....... 800
Caixas de p para limpar deotes muito
fino a-............................ 100
Ditos df banha transparente a.......... 600
Pares de ligas muito finas para senhora a 500
Sabonctcs inglezes da melhor qualidade a 320
Frascos de agua dentiifire superior ga-
rantida a.......................... J5000
Massos com 25 en velones grandes azula-
do a.............................. 100
Varas de fita preta com clcheles a..... 100
Frascos de macaca perola muito superior 200
Caixas com peanas grande a......... 200
Grosas de botoes para caifa prpta, miados 100
Libras de memento da mapa de lavar a.. 200
Carriteis de retroz de todas as edres e
tem meia oitava de retroz a......... 200
Varai de bicos de differentes largaras a 60
Os guardanapos econmicos
Pavo
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda-
apos econmicos e todo linho, lano para as casas
de familia romo para hoteis, bolequins, etc. etc.,
pelo baratissimo preco de 35 a duzia, *lo s na
\a do Pavao ra da Iioperalriz n. 00, de Gama
Silva.
s soiitcmbarques do Pavo
9 el9.
Vendem-se os mais finos sotttembarqoes que
1 teem vindo ao mercado, sendo de raxemira de co-
res pelo diminutissimo preeo de 125 cada um, di-
tos de musambique pelo diminuto prego de 05, s
na loja do Pavo, mas que se nao rngauem : ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Atoa I hado do Pavo.
, Vende-se panno de linho adamascado proprio
ara toalhas de mesa, pelo diminuto preco de 25500
rs. a vara, guardanapos de linho a 55 a uuzia,
toalhas de moa 55 cada duzia, na loja do Pavao,
! ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
ir so o Pavo (a S#5fJO).
Vendem-se os baloes americanos muito superio-
iide r("s com -" e 23 arcos pelo baratissimo preco de
urna 25500 e \g>, ditos de 25, 30 e 35 arcos com titas,
muito bem armados e tambem tem cores escuras
pelo barato prego de 35300 cada um : s na loja
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama i
Silva.
0 -avo vende parallo.
Vende-se superior seliin da China, fazenda toda
de laa sem lustre tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, capas, paletots, caigas, etc.,
pelo baratissimo prego de 25, 25* 0, 25300 e 35 o
pretas lisas, chitas pretas largas e
Azeite doce francez a 900 rs. a garrafa. dem mais baixa a O'iO e 7:20 rs a libra.
Azeite de Lisboa a 040 rs. a garrafa e 4)5800 Manteiga franceza a 480 rs. a libra, em barril
acannda. ea540eS60rs a libra cm rttalbo.
! Azeite doce^emboioes com 9 garrafas a 50500 Massade tomates a 040 rs. a libra.
I como boino. Marmelada muito nova a 040 rs. a libra.
' Azeitonas por todo o preco. Molbos inglezes a 400 e 040 re. a garrafinha.
1 Biscoitos inglezes de diversas marcas a 1 300 Mostarda preparada a 400 e 640 rs. o fras-co.
d juta Massas para supo macarrSo, talharim e aletna
Bolachinhas de soda, oval e lunch a 000 a 400 rs. a libra.
| a lata com 5 libras, dem finas em caixinhas a 30000 a caixinfia.
Bolachinhasamericanas em barricas 20 Marrasquino de Zara verdadeiro a l5l0o
libras a 25000. f':isco.
Banha de porco da molhor iraalidade a 300 dem mais baixo aSOOrs. e I 000 o frasco.
rs a |j|)ia< Milhn em saccascom 20caas a 350O.
Batatas em gigos e caixas por lodo o preco. Prezunto inglez ara fiambre vindo no ultimo
Caf moido a 1C"00 ou 8000 a arroba. vapor a 800 rs. a libra.
Caf superior a 7^500, 800u e 8500 a dem mais ant go a fiO rs. a libra.
' arr0ua. dem do Torio a 040 rs. e sendo intetto a
Cha neslo genero temos o que h de melho- 5o0 rs. a libra.
assim romo lamben, temos baixo pelos pre- Passas [.ovas a 400 rs. a libra.
eos segundes: t4n0, lrjO(, i800. Polvo a IfiO rs. a libra.
400 2G00. 2800 e 3000 o lino. Patuco a 160 rs. a libra.
Charutos do todas as qielhores e peores mar- Pomada a 240 rs. a duzia
cas do mercado a 800,1000. 1000, 25, Pimenla do reino a 320 rs. a libra.
2800,3000, 45000,55000, n:X)0e0 Peixe em latas a 10.0 a lata, save, cor-
o cento. i vina, pargo e outros
Chouricas as mais novas do mercado a 12 Papel de peso a 25000 a resma.
o barril com 1 arroba e 480 rs. a libra, a dem dem muito lino a l000 e.35300.
ellas que pechincha. i dem ruarfim a 45' 0,
; Chocolate magnifico a 1000 e 15200 a libra. dem almaa a 35000, 3500 e 400C.
Cerveja marca a mais acreditada que tem Mein para embruiho a 15200 a resma.
vindo a 300 rs. a garrafa, emeia garrafas Palitos pata denles mares com20 macinhos
por 320 rs. branca e preta. a 80, 120 e 200 rs. o maco.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco fazenda Palitos do ga .-. '5000 a groza.
chique. Queijos flami ngos do ultimo vapor a 2(00.
dem francezas a ii- 0 rs. o frasco. j Wem londrino a 900 rs. a libra.
.Cevadinba de Franca a240 rs. a libra. dem prato a 640 rs. a libra.
Champagne da melhor marca que squi tem liap Meurcua l->(00 a libra
estreitas, manguitos, roiarinhos, piinhos, e enfeites,
tudo preto proprio para luto fechado, e ni ni tos ou-
tros artigos ijue se venden) por precos mais cm
conta do que em outra 'lualqucr parle por estar
liquidando : so na loja do l'avao ra da Impera-
triz n. GO, de Gama \ Silva.
As percalas do Pavo.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-
cado pelo ultimo vapor tem na loja do l'avao pelo
barato preco de 000 rs. o covado ; ditas de listi
olas muit miudinhas proprias para vestidos e
roupoes de senhoras, meninos e meninas, pelo ba-
ratissimo preco de 500 rs. o covado ; garantem-se
as cores por "serem do melhor fabricante que as
tem em Paris : isto na loja do Favo ra da Im
peratriz n. 60, de Gama <& Silva.
A* chitas do Pavo;. 20-flOO e
S08OO o corte
Vendem-se cortes de chita com dez covados
24O0, ditos 25800, com ii covados; sao chitas
inglezas, mas- padroes bonitos e tintas seguras
assim tem as melhores chitas francezas c de tin-
tas seguras por precos commodos, a saber : 320,
340, 360, 400, 440, 500 rs. o covado : na loja do
Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Os bordados do Pavo
Vendem-se camlsinhas com manguitos e golli-
nhas bordadas, pelo barato preco de 1 e 1,8280
cada um, manguitos s 500 rs. cada par, ditos
cora golinha a 800 rs., golinhas 400 e 480 rs., de
fil a 240 rs. cada golinha bordada, romeira de
cassa o de fil muito bem bordadas 2 cada
urna, manguitos que serven para calcinita de me-
ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e
golas com a competente grvala de seda, fazenda
fina, pelo barato preco de 3,5, e militas outras
bordadas que se vendem por precos muito em
conta : s na loja do Pavao ra da Imperatriz
n. 60, de Gama k Silva.
As ro upas do Pavo
Vende-se panno preto fino muito superior pelo
barato preco de 25, 25500, 35, 35500 e 45, dito
muito lino 55 e 65 o covado, casimira preta de
urna s largura e muito fina a 15800, 25 e 25500
e 35 o covado, cortes de casimira de cores a 55,
55500 e 65, casimiras enfestadas de urna s cor
proprias para raigas, paletots, coletes, capas e para
roupas de meninos a 35500 o covado, isto na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.______________________
Potassa da Russla,
da mais superior desembarcada hontem : vnde-
se no escriptorio de Manoel Ignacio de Oliveira &
Filho, largo do Corpo Santo n. 19.
Gomma de mandioca.
Vndese na ra da Madre de Dos n. 38, ar-
nazem.
vindo'a 20;> e 24:> o gigo. | Sag e sevadinha a 240e 280 rs. a libra,
Cognak inglez e francez a 800 rs. e 15000 a Sardinhas de Nantes a (iU), *j;0 e 360 ts. a
garrafa. I;il;i- an
i Ceblas por lodo preco. Sabao massa a 120, 180, 200 e 240 rs. a
! Copos lapidados que sempre so venderam c' libra, e em eaiyr.es per menos.
se vendem em multas liarles a H e IOS, Sal refinado a C.CO rs. o vazo (pote de vidro.)
vendemos a 503* 0 e 800fl a duzia. Toucinbo de Lisboa, de Santos e americano
Copos para vinho a 3j00'J a duzia. a ICO, 2'i0 c 32 i rs. a libra e em arroba
Doces de calda vindos de L'sboa ueste ultimo a 5, 7, c 9,-MXK).
vapora 0-0 rs. a lata das melbores ftc- lijlos para limpar facas a IGOrs. cada um.
tas da Europa. I Vinho do Porto em ancoras com 70 garrafas
dem da goiaba e da .-asea o melhor que e a 3O,#0OO.
possivel por diversos procos, e conforme Vinhos de Lisboa e Figueira qualidades mag-
o tamanho dos caixSes. nicas a 300. 3i5u(:0 e 4.oOnO a caada.
Ervilhas em lalas a G40 rs. a lata. Vinho do Porto em pipa a .'i e ^00 a caada,
dem seccas a 200 rs. a libra. Vinho branco de Lisboa e Porto em ancoras,
Espermacete americano a 1;>200 a libra. barris e pi| as a 4-5000 e ufiOtK) a caada,
dem francez a 5G0 rs. omasso coro G velas. Vinagre de Lisboa a 15000 e 25000 a cana-
Figos de comadre em caixinhas muito lindas' da.
a 800 rs. a caixa. Vinagre em garrafes por 15000 comogar-
Farinha de Higo a 120 e 140 rs a libra. rafao.
Farinha do Maranhao a 240 rs. a libra. Vinagre em ancoras para 15600 com a ancora
Fumo do Para a 15800 a lata grande. de 9 caadas.
i Vassouras americanas a 640 rs. cada r>ma.
a 200 Vinho dellordeaux ueste genero temos grande
porco e das qualidades melhores que tem
35300 i vinJo ao nosso mercado em garrafas, em
ancoras, em barris c quartolas oqualven-
. demos por procos muito baixos.
Fumo americano a 15400 a libra.
Fumo em macinhos para sigarros
rs. o ma?o.
Farelo em sacas de 80 a 90 libras a
Genebra delaranja 15 o frasco,
dem de Hollanda a 300 rs. o frasco.
Cera branca.
No armazem da rj.ia da Gru n. 33 h um com-
pleto soriimento da cera branca em vellas para
se wnder.
DECLARMAO.
o
O Baliza declara pelo prezenle que deixa de pu-
blicar os precos pelos quaes vende as suas mercadorias'por
motivos qne ao respeilavel publico pouco intereca, servindo
de bazc os preces do Propheta.
ORDEM DO DIA.
Concede plena liberdade aos seus amareis colegas (to-
rios, Unioes, mitrados e croados, para que possam saltar,
berrar e tudo mais quanlo Ibes aprouver at segundn
ordem.
AZEITONAS
a 15 a ancoreta, em porgiio se fara grande abat-
ment : na ra Nova n. 8, loja do cha.
Vendem-se doas negras, urna perfeila cozi-
oheira e engomma algama cousa, e outra boa qui
audeira Cincto: as Pomas n. 83.
Uvas
Uvas de superior qiialidade a tfi a libra :..no
armaiem da Aurora-Drilhante no iarfo da San ti
Gru, vind ne.-te vapor.
Vende-se nm cabriole! de
fcito estado por commodo preco
cochetra do Chico Meira.
4 rodas em pe-J
: no Mnndo NVo






-- .._ --,- .
/

Mari* e PernakiM r*
1

57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Paulo Ferr'r a da Silva s Campanhia
Grande sortimento de molhados em grosso e a retalho. nico armazem que mais
tantagens efferece ao publico.
Desenganem-se todos.
o Alllanca o verdadeiro homem do progressso.
o Alllanca o verdadeiro e principal armazem .de molhados.
B o Alllanca o armazem que-vende mais barato.
K o Alllanca o armazem que vende os melbores gneros.
Alllanca o armazem onde preside o melbor aceio.
Fiquem todos sabedores desta vardade,
Venbam todos a ra do Imperador n. 57.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
PARA AS FESTAS
DE
S. JOfiQ E S. PEDRO.
Amendoas confeitadas de bonitas cor dem de Hollanda em garraoes com 24 gar-
. 8oo rs. a libra. rafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
dem de casca muito nova a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gui*
Avl9as a 2oo rs. a libra. zados a 2oo rs. a libra.
Aineixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezos de todas as qualidades a
alampas a l,2oo, l,4oo e l,6oo rs. cada 8oo e I,ooo rs. as garrafas grandes.
ttma. i Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo
. dem em frasco de vidro com rolha do mes-! e 96o rs. a libra.
mo ou do meta!, a l,2oo e l.ioo rs. cada dem franceza nova j deste auno a Coo rs.
om. a libra, e 58o rs. em barris inteiros.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada, Marraelada especial dos melhores fabrican-
um. tes de Lisboa a 6oo e 64o rs. a libra, ha
Idcm em latas de I K% e 3 libras a l,2oo e' latas de djAferentes tamanhos.
2,ooo rs. j Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o
4rroz da India e Maranlio o melhor que se! rs. cada urna.
O
NEM COROAS NEM MITRAS

NOVA EXPGSIQAO DE GNEROS
GRANDE
DE
RITA BO IOTFERADOR I\. 40
Junto a sebrado em qne mora o Sr. Osberne,
Para a festa de Santo Antoaio, S. Joao e S. Pedro.
Dnarte Almelda i: c. reeeberam de sua propria enconimen-
NO
ARIIAZESI
PRINCIPAL

DE
IV. 9 RA O CRESPO *. O
Esquina que volt para a ru < da Imperador
provavel que n3o sej* bem aceita a veriade, quando a boa t de todos anda
illudida por esla epidemia de nauzeaticos annuncios de cmelas, tambore* coras mi-
tras, etc., que todo o dia enchem as paginas deste jornal. '
ALERTA
da o ais lindo garlado .M de o.nado8, propr.oa'sua p^KS?SeS'ZZ^s^^^Z^S^^^
assentarem fortunas a forca da regra de liga como outros annunciantes deste genero
PARA TOROS
Noarmazem prmopal vende-se a todos pelos procos marcados na seguinte ta-
bella, mas na* se vende por todo o preco fazendo-se peso de arroba bespanhola iraran
te-se as qualidades dos gneros trocando-se todo aquelle que nao seja do agrado do
da presente estaco.
Manteiga ingleza
da safra nova vinda neste vapor de 28 de
maio a 800 rs. a libra.
Manteiga franeeza
da safra nova a 860 rs. alibra, e em barril
a500rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2*400, muito propios para mimos.
Cartees
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
pode desejar a loo e 12o rs a libra e! dem, para soda estrellinba, pevide e rodinha com bolachinhas de soda de todas as qua-
2,8oo a 3,4oo rs. a arroba. em caixinhas sorlidasa 3,ooo 3,5oo rs. cada
Azeite doce de Lisboa a Coo rs. a garrafa, e j urna e 5oo rs. a libra.
4,8oo rs. a caada. dem macarro, talbarim ealetria a 4oo rs. a
Mera francoz clarificado em garrafas bran-j libra.
cas a 9oo rs. cada urna, e lo.ooo rs. a Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
caixa com I duzia. rs. cada un
Alfazema muito nova e Iirapa a 32o rs. a li- Molho inglez em garrafinhas com rolbas de
lidades a 10300.
Chocolates
de todas as qualidades a l$OO0 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. i libra.
I'eixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
outros a l,ooo rs. a latas.
Palitos para (lentes a 14o e a 16o rs. o mas-
so dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, c 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos cliegados neste ultimo
vapor, a 3,ooo
Ideo prato muito fresco a 8oo e 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melbor qualidade que at bo-
je tem viudo ao nosso mercado a 8oo rs.
a libra.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado cm potes de vidro a 5oo rs,
cada um.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
duzia, eoCo rs, a garrafa.
Sardinba do Lisboa e
meias latas a 38o e
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
roba.
Traques de 1.a quaKdade a 9,."oo rs. a cai-
xa, e 2io rs. a carta.
bra.
Alpista a 16o rs. a libra e 4,6oo rs. a ar-
roba
rolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: agua e
sal doces, eimperiaes ein latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e de :i '/j libras a l.ooo rs.
e em libra a 04o rs., estas bolachinhas
lorna-se muito recommendavel com espe-
cialidade para os doentes.
:$iscoilo8 e Boiachiohas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a |,35o rs. a lata.
Bolos francezes em ca toes e de diversas
qualidades a Co rs. cada um.
uanha de porco verdadeira retinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a ICo rs. a libia.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem vindn ao nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo e l,5oo rs. a garrafa
mteira, e 8oo rs. as meias.
Cha uxim o melhor que se pude desejar, e
que outro qualquer ino vende por menos
de 3,ooo a 2,Too rs. a libra.
dem perola de esp cial qualidade a 2,Ooo c
2.8oo rs. a libra, garaole-se a qualidade
d'este cha.
dem hysson o melhor que possivel encon-
trar-se a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra,
dem do Rio em latas de 4, 6 e8 libras
a l,2ooe !,4oo rs. a libra.
dem preto muito Bnoa i,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a I.ooo, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditad') fabricante Jos Fur-
lado de Simas em > caixas das seguin-
tes marcas: Parizienses, Suspiros, Uili-
cias, Napolees e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas Rteirus Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna,
riera de outros muitos fabricantes e de dif-
ferentes marcas para i,5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a l,6oo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inleiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Iilem franceza a ooo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a l,ooo
rs. a garrafa e Io,ooo rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 8oo rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Gravo da India a 6oo rs. a libra.
Canellaa l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a S.ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Gaf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,8oo e 9,5oo a arroba.
foce fino de goiaba a Ooors. o caixo.
Kr?ilhas portuguezas ltimamente ebegadas
a 7oo rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Prinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a,
l,ooo rs. cada urna,
dem em lilas ermiticamente lacradas a
l,5oo e2,5oo rs. cada urna,
dem em caixas de '/* arroba a 2,3oo rs. j
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Qraixa muito nova a loo rs. a lata e l.ooo'
rs. a duzia. Vassouras doPorto de arcos de ferro a 32o
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12 rs. cada urna.
frascos por 6,ooo rs. e 560 rs. o frasco dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
dem de laranja a l,ooo rs. os frascos gran- cada urna.
des e H.ooo rs. a caixa com 12 frascos. Velas de espermacete superiores a 56o rs.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada a libra, e 52o em caixa.
urna. dem de carnauba refinada e de composicao
dem em garraoes de 16 garrafas a 4,8oo a 36ors. a libra, e de lo.ooo a ll.ooors.
rs. com o garrafo. a arroba.
temos velhos para 500 rs.
vidro a 64o rs. cada urna. rtoA ^.A _
Marrasquinbo verdadeiro de Za l,ooo*a daa UUeiJO> ndinengOS
agarrafa, lo,ooo rs. a caom 1 usi.xrc a chegados neste ultimo vapor a 2#6oo.
zia. Queijos
Nozes muito novas a 16o rs a libra. chegados no ultimo vapor a 2#600 cada um.
Prezunto de fiambre superior a 6oo e 8oo | Qneljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
. as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
Ma^as brancas
para sopa a melhor que se pode desejar,
macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 4^500 a caixa.
Vinho
comprador.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente domadas,
proprias para mimos a 900 e 1#200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3?5 a 2;>600.
dem perola
especial qualidade a 2->700 rs. a libra.
Figueira J A A e outras muitas marcas acre- Amendoas confeitadas de diversas cores
ditadas a 500 rs. a garrafa.
Mcm de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2,5800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 1 e 1,5200
a garrafa e de 105 a 125 a caixa, as mar-
cas sao asseguintes: Chamisso AFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos euzes,
lagrimas do Douro e outros muito.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 15800 a barrica damesmaque
vendem a 2^000 e 2,5400.
Nozes
as mais novas do mercado a I20r-- .il bra.
Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mai
cas de 40500 a fl500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranlio a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra', e 20500 a 3,->000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de I." 2.a sorte do Rio de Janeiro a 805(
e 80300 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garraoes
com 4 i garrafas com vinagre a 10000 ma
o garrafo.
GENEBRA DE LARANJA
64o rs. a libra,
dem de casca dura a 24o rs. a libra,
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas, a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a l,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 */* libra a l.loo rs.
Arroz do Maranlio e da India o melhor que
ha neste genero de 8o a loo rs, a libra, c
de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada,
dem francez e de Lisboa reGnado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa c lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libia.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. alibra, e 4,4oo rs. a
arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades, em latas
de 6 e de 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a
lata, e 64o rs. a libra,
dem ingleza em latas de 2 e de 4 libras
das melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs.
a lata. .
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
era barril a 36o rs.
Lentilhas muito novas excellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades de
7oo e 9oo rs. a garrafa.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a8oo rs.
a libra, -desnessesario mais elogios nes-
te genero que s se pode verificar com a
vista.
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
ou meios a 5oo rs.
Marmullada do i. fabricante de Lisboa a 6oo
rs. a libra, ha latas de 1, 1 % e 2 libras.
Maca de tomate em latas de urna e duas li-
bras, a 6oo rs. a libra.
dem para sopa estrelllnba, pevide, rodinha,
etc. a 3,5oo rs, a caixa e 56o rs. a libra.
Macarro, talharim e aletria a 4oo rs. a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinhas com rolha de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marraschino verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o re. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro, ga-
rantindo-sc a qualidade, a 7oors. a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a libra, e
6,5oo rs. a caixa.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes qualidades, sabel, corvina, go-
rz, cavallinha e pescada a l,ooo rs. la-
2o.ooo! ia.
Batatas cm caixas de 2 c de 4 arrobas a
l.loo rs. a arroba.
Champagne das melhores marcas a
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs. Palitos para denles lidiadas a 14o rs o ma-
^s meias garrafas. I co de 20 macinhos.
Ch.1 uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a h- dem do gaz a 2oo rs. a duzia, e 2,loo rs.
a groza.
bra.
dem hysson
o mais aromtico que tem viudo ao nosso slos.
mercado a20600. 1 .,., <'iv\hKiC\
ffC;* *-11n f ide Hollanda verdadeira em frasqueira a Ooo
Massas amarellas rs. cada uma.
para sopa, macarro, talharim e aletria a ; PALITOS
480 rs. a libra. os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
COl.'V.ic e 2o rs. cada caixinha.
San cadiurna muit0 af;,mado co"nac Pal6 Bl*andJ' a '8o i LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas quaida-jfinos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa. com uma duzia c a l,ooo a garrafa.
copos lvAi*mAlidfl
lapidados para agua a 4.5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo f^s. cada um.
verdadeira a 10000 o frasco, e de H0OOCii,l|,|n P'-r<>la qualidade especial a 2,7oo rs. panr0 muito novo a 16o rs a libra e 4 5oo
a caixa. a libra. ( rs. a arroba.
DEM
; em frasqueiras de Hollanda a 50800 cojo
dem do Rio em latas do 2 a 8 libras, a i,3oo
dem hyssoni o-melbor que ha neste genero Queijos flamengos do ultimo vapor
., a 2;,?-' 2*lT.C -,'Gll .?. hb-, o ,,,leni P,;" "'o fresco a 8oo k. a" libra, e
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. ca-
rs. a libra.
dem preto homeopalhico 2,ono rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez,. suisso e hespanhol a
l..ooo, l,2ooe l.ioo rs. a libra.
PAPKL
Toucinho novo de Liiba a 2io e 32o rs. a'almaco, greve, peso e de outras muitas qua*
libra. | lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada um. \ Ihor.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos condecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a Ooo rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando cora-
composico a 56o rs. a garrafa, e 4,ooo
rs a caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1.2oo rs a garrafa, ga-
rante-so que por este mesmo preco d
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em 'caixas com 12"garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e lo,ooo
rs. a caixae Ooo e l,ooo rs. a garrafa.
IdemMuscatel superior a 1,ooors. agarra-
fa, e lo.ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
dem em garrafes com 5 garrafas a 1 .ooo
rs. com o garrafo.
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lanvgo a 52o rs.
Papel de botica a libra-
de excellente qualidade a 20200 a resma ui,rn i ...
1 ,Jr u'^iuj, Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra C
i i- ^*, de 3>000>a 3**00 rs- ;' arroba,
azul e pardo para embrullio de 1,4oo a 2,2oo VELAS
rs. a resma. : de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
(jOrintiliaS a UDra e em caixa ter abatimento.
passas corinlhias muito novas proprias para' VELAS
podim a 8oo rs a libra "e carnauba em caixas de arroba a9,3oo e
--A" i caixa e 34o rs. a libra.
J UIIHJ) Kataias novas
o verdadeiro fumo americano em chapa a em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
l,4oo rs. alibra a libra.
do de Simas e outros da Babia como sc-
jam Regala, Trovadores, Guanabaras. De-
licias e Suspiros, a l,6oo, 2,ooo, 3,ooo e
4,noo rs, a caixa.
dos melhores fabricantes de Lisboa, corno se-1 Conservas inglezas a 75o rs. o frasco
jara Abreu e outros muitos a 6oo rs. a i,jem franceza surtidas ou de uma s quali-
dade de cada frasco a 5oo rs.
da um.
Sardinba? de Lisboa e de Naafes a 6oe rs.
a meia lata, e 4oo rs o quarlo.
Sag muito novo c alvo a 24o rs. a libra.
Sardinba do Franca a 18o rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos tarta- Sevada a Ion rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 3oors. a libra.
Tijolos para limpar facas a loo rs. cada um'.
Vinagre
PRRem ancoretas de 9 caadas a lo.ooo rs.
cada uma.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e 1 .ooo rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,'.
e 40400 a arroba.
Passas muito novas
em qartos e inteiros a 20 o qnarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
GIUNDE S08TMENT0 DE FAZENDAS
DE
Custodio, Carvalho & CompanMa.
99 RA DO QUEIMADO
29
Pegas de ntremelos bordados a i.
Tiras bordadas a pee. 2.
toberlas de chita a chineza a 2200.
Lencoes do. linho finos a 25200.
Toalhas'de liuho para mos duzia 4.
Sap^tos de tapete para meninos, senhoras c hotriens pelo barato prec/) de 15600 o par.
Toalhas de linho para mesa a 3$300 e i<.
B.iInVs de aros para senhoras a 34-
Fil de linho liso vara 500 rs.
amlesortimento de laas para vestidos.
Superiores saias de fustao para senhoras a o&.
Dsee da casca da goiaba
a 600 e 10ocaixae.
Os proprietanos do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
rreguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tiputaram os mesmos precos nos seguintes lugares:
lni c Commereio ra do Queimado n. 7
O Verdadeiro Principal roa do Imperador a. 40
FRUCTAS
n te;aa. per\s b uva
chegadas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes lagares: Ra do Imperador n
40, Verdadeiro Principal-Ra do Queimado n. 7, nio Commereio.
Salitre refinado, superior qualidade, ?nbo Bor-
deaux, differentes qualidades, mais barato que em
qualquer parte : no armazem de E. A. Burle &
C, ra da Gnu n. 48.
Fartura de sabonetes
A Aguia Branca receben um completo sortimen-
to de sabonetes, e qaer distribu-tos com toda a sua
fregaezia que compra a dinheiro vista, por isso
os est vendendo pelos baratsimos precos de !J, ..j^XT ^1T''"L uo ."""* ^usl,,s na.ra meninas
15200, 1*500, 2*, 25300 e 3* a duzia, sendo ef- EgoTrn *3L& f' ,0> do Bei-
tesde cores e com diversos moldes e figuras, e ,|i"Fl0r' ruR do aeimad 63 e 69.
outros transparentes a 2*500, 3* e 4,1000 a duzia. l K\'tl*l tSl P E-tes accommodados precos servem bellamente A^-1** NliMl jai*
paraque todos lavem suas nios, lencos, etc., etc., xilllins
com cheiroso sabonete, e uma vez que haja dinhei-
ro, dirijam-se- roa d Qtteraadd, toja d'Aguia
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira qualidade a
10)5 a lata : nos armazens da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
Alenco.
Vende-se superior vtnh do Porto em caixas de
nma duzia : em casa de Jolinston Pater & C, ra
do Vigario n. 3
Balais para meninas
Lmdos batirios de varios gostos para meninas
Cognac ingleze francez a I,ooo rs. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canda a 1,000 rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.8oo,
S.ooo e 5,5oo rs. a duzia, c uoo rs. cad;'
um.
Cafi' do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,5*oo a O.ooo rs. a arroba,
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,ooo a 8,500 rs. a arroba.
Doce de goiaba a 6oo rs. o caixlio.
Ervilhas portuguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata,
dem seccas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo rs.
cada uma.
Graixa nova a loo rs. a lata, l,loors. a
duzia.
Genebra de Hollanda era frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o fras-
co, e H.ooo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida Suissa a
l,8oors. a garrafa.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira das
marcas menos condecidas a 4oo rs. a gar-
rafa, ea 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira especialmente escolhido neste
lugar a 6oors. agarrafa, e4,6oo a cnida.
dem Lavr.'d o. Colares muito fresco sera,
composicao a Goors. agarrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a22,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a 56o rs. a garrafa,
ea 4,5oo a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garra-
fa.
dem engarrafados generosos, Lagrimas do
Douro, Dnquc do Pono, D. Luiz I, D. Pe-
dro V, Nctar, velho secco, Malvazia, o
genuino particular de Oooal.oe rs. a gar-
rafa e a lo,ooo rs. a caixa com uma duzia.
dem Madei^legitimo a l,2oo rs. a garrafa,
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Moscatel a looo rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marcas St.
Jufien St. Esteph, chteau la Ro/e, chatau
Margoux e outros a 6,ooo rs, a caixa e 56o
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2,ooo
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e l,4oo
rs. a caada,
dem em garraoes com 5 garrafas a l.ooo rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada uma.
dem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada uma.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e sendo em caixa a 52o rs.
dem de carnauba refinada e de composicao
a 36o rs. a libra, e lo,5oo e H,ooors. a
arroba.

M O O B> Q
= C? 3 x
Ifl8'Ifill|>f1

T> X

cri
Branca n. 8.
Bichas hamburguezas.
Na roa Nova o 61 detroote da tilma, cmara
municipal, vendem-se constantemente bichas novas
por menos 2 o cento que em outra qualquer par-
te : recetem-se por todos os vapores.
Lindas caixinhas com um cartao cora a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco ou sa-
bio o mais fino que passivel: na Joia do Beiia-
Flor ra do Queimado n. 63_e 69.
Charutos da Harana.
Vende-se- superiores chara tos da Harona em
cas de Rabe Sebmet'.au A C. \ roa da Cadea
o. 18.
7? <*13 ~
B gl a, n
O. -; a,' 3 va
^ C6 S-. B
u __ D K =
CJ 6 O Z O
V.
O
'-5


g
9
a M g" o ^ 3 p. 5
3&b2-
3 "2 S
-n *t S C* C5
i 8
sri 2
" a> w
v. o> o Sr
|
i
CA
2.
i
=iq23
. =j Ul o.
B O
3
n m
e
. u 3
3 I.
o
;sr
3.
a

Machinas para descaro^ar
algodilo dos mais acreditados
febricantes: nafundieodo
Bo^vman, ra do Brnm n. 38.
" AIOlAZI ff
Nevimenlo, roa da i deia d Recife
numero 30.
Vende-se um btelo de aioreH inulto bom,
seis fiteiros e nm rejrlstro de gaz, por commodo
pre;o. _________________
Vende-se Um slt no principio da
estrada do Joao de Barros, canto qne
volia para o l'ombal, em cajo fundo
tem de passar a nova rita, aberta pa-
ralella dio Principo, tendo deste
modo tres faces proprias para edifleacoes, tem 6o*
casa de vi venda com qualro quarlos, duas f alas e
espacosa cozinha, carimba rm boa agua de beber,
ahjuns arvoredos. A largura do sitio de 238
palmos e Tundo de 408 palmos; a largura da casa
6 de 31 palmos e meio e fuido 72 : a tratar ra
do Crespo n. 20 B, com Alvaro Augusto de Alroei-
da, ou ra do Sebo n. 43, da manhaa at s 9
horas e tard das 4 emdlanlc..
Vende-se superior vinho de caj a 500 rs. *
jarrara; na roa Augusta d. 114, df fronte do vivei-
ro do Muuiz.
.7
i


Diarlo le reraanbneo *eia felra 1 <2e ftctenibro de 1S4.
\
...
AO PUBLICO
Htm o
glmento
Importe
menor constrau-
sc entregar o
do genero que
nao agradar.
ARMAZEM U
ATTENCAO
Os preeos da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslM servir de pa-
se para o ajaste de contas
i os portadores.
RA DA CA12E2IA II RECIFE I. 53.
(Logo passando o arco da Conceirao)
Grande redneeo de precos, equivalente a dez por cento menos do que outro qualquer
annunclante.
Collegas.Nao posso por mais lempo sustentar o proco da manteiga ingleza a I.ooors. a libra, bem assim o de outros
amitos objectos, etc., dando eom isto ocasio a todas as espeluncas acabarem por bom prego a manteiga de tempero, e gritarcm em
alta voz, que podem vender pelo prego que eu vendo!! 1 Ora, eu ofendido com oslas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systliema que vim encontrar, de s se vender com um por cenlo a carola, resolv fazer esta grande reduecao de precos, como" veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molbados Uniao Mercantil nao
se sabia de outro prego de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a 1,600 rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduecao a que
esto obligados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamscao de pregos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mal informado deste novo estabelecimenlo. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu Dm
to somonte obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senlioras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromplido e cntei-
reza com que serao tratados, convida a u;na vizita- ao mesmo, certos de que sem duvida me dao a proteccSo e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam peuco pratices, pois
sero tao bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendagao, afim de que nao voemoulra parte.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escoltada a 800 rs. a libra, em barril se
faz aba lmenlo.
dem aucoza a mais nova que tcm vindo ao
.mercado a 56o rs. .a^bra, e em barril ou
meios a 5oo rs. *,
Ca hysson de superior qualidade a 2,6oe rs.
* libra.
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
oeste genero 2,6oo rs.
lom preto homeopathico por ser de superior
ualidade a 2,000 rs. a libra.
n hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,6oo, l,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito rega'ar, igual
ao que se vende emoulra parle por 2,4oo
e2,oo rs.
Linguigas, chourigas e paios em latas de 8
libras, emticamente lacradas a 5,506 rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em Larris.
Chourigas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e liSoo c 600 rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a 1,600 e l,8oo re.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libia, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portuguesas em latas ja pre-
paradas a 64o rs.
Marmclada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Presunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteifo.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 3,ooo e 5,ooo a
ttocia,
Choculate francez, suisso e hcspanol a 9oo
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas conten-Jo G libras
por i.ooo rs., garante-sc serem transpa-
rente e de superior qualidade, lambeta tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
re, e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8.5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira-qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidarle-a-ito
e 28o rs. a libra, e 7J$oo a 8,000 rs. a
-ron. *' *'
Arroz do Maranbo a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Paingo e alpista a 14o re. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Alelria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo re. a caixa.
dem e tallierim branca a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse im.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 4S,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo c5oo rs. a garrafa, cmcaada a 2,5oo,/
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a (80 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melliores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Donro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fcitoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
10,000 rs. ea9oo e 1,000 a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
Antonio de Lisboa cm latas com 6 fibras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixasfrancezas ora latas de 1 e meia libra
por 1,2oo; ditas em ciamhas de diversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exterior a. i,2oo, l,5oo, e Uta&rs*
Azeite doce refinada Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 880 rs-. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a lfcra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melliores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes ja preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
No armazem de lazendas ba-
ratas de Santos Coelho,
Una doQueimddo n. 1 Vende-se o seguinte:
Attcncao I!
Ricas lazinhas, fazenda a melhor que tero vi*
do ao mercado, tanto em pesio como em qualida-
de, pelo baratsimo preco de 560 rs. o covado.
Ditas mindinhas carmezins, proprias para ven-
dos de meninas e ramisinhas a iO o covado.
(orles de lita com lo covados, pelo barato preee
de i',,',.
Cuberas de chita da India a 2fSDQe3JL
Lences de panno de linho a 2 e 2,330o.
Pecas de cambraia de forro com 8 1|2 caras -
5200.
Toalhas aleoeboadas proprias para mies a : a
du/ia.
llicos cortes de laa com barra Mara Pa a
18*.
Pecas de planillas de algodo com 10 varas,
propriaa para saia a .
A'god5o enfestndo com 7 I|2 palmos de largura
a 1,5100 rs. a vara.
Esleir da India, propria para forro de sala it
i, >, e 6 palmos de largura, por menos preeo do
rjno em outa r|ualquir parte.
Neste estabelecimento tambero se encontrara
Din grar.desortimcnto do roupas feitas, e por me-
dida.
)
PARA TODAS AS MOLESTIAS* IM>
aun 1 nuii is hib
Acaba de leceber de sua propria eiicommeua um granue e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em;
offerecer 30s seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem conbecido ar-1
mazem.
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 rs,
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e 52o rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
^___ "^ ------------ -
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a*2,7,,
Licores francezes e portuguezes das seguin-;
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-!
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-:
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gin-
ja, cauella, cravo, rlela pimenta a 1,00o
rs. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garante-se:
que os melhores que temos lido 110 mer-
cado. ~A3|t>
fe
v
AS
Ptalas VegctaesAssnraradas
De Kemp
dem hyssoo- o mais superior ^ue se p6de Passas muito novW or qhsrtos e nteiros a
desejar a %6m de 8-libras para cima
boa a 64o re.
da, salmo. ostras echernee, vezugo emlBolachinhas inglezas as mais novas do mer-
latis grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna, 'j eado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
Vinho Bordeaos das marcas mais acredita-! libra,
das (pie tem viudo ao nosso mercado a-Bolachinha de soda em latas com diversas
6,000, 7,ooo e 8,000 rs. a caixa, garante-1 qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco.
Genebra de H-illand* a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Aliona em
frascos grandes a i .000 rs. o frasco, e
11 ,ooo rs. a duzia.
dem de "foHaoda em botijas grandes a loo
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a ioo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras,
de comadre a 24o rs. a libra e
1,80o rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhasd'agua cm sal da fabrica do Beato
Figos
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a 1,000 re. e II,000 a duzia-
Palitos para denles a l4oe 16ors. o maco.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a 5,000 e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sano mnilo novo p alvo a S4o rs a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutosde todos os fabricantes da Bahiae das
mais acreditadas marcas conhecidas- no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas
1,080 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4
9
a2,5oo rs.
dem menos superiop a 2,4oo e de 8 libras
para cima a 2,3oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,ioo.
dem do Bio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, H."ioo e 4,800 rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,800 rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a 1,000
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem prato es melliores e mais frescos do
mercado a 800 rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a 1.7oors. agarrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Maclue e ouiras mili-
tas a l,3ooe I,4oors.
I Fumo americano em chapa a 1.600 rs, a
libra.
j Araruta de todas as qualidades.
a' Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 3 a
caixa e 60 rs. a libra-
; Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,000 rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 3,ooo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
bras por 2,ooo; dito em caixes a 600 rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a, Chocolate portuguez o mais especial que se
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba. pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa j pao.
e 4,8oo a caada. Papel de botica de excellente qnalidade a
Banlia de porco refinada a ioo rs. a libra, 2100 rs. a resma.
e 36o rs. em barril. Potes com sal refinado a i8o rs. cada um.
Capil de diversas frutas muito frescas a Bicos frascos com frutas francezas em calda
alvo a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras
2,ooo. rs.
Cebo-las soltas a -I,ioo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas por 1,2oo rs.
Matle excellente cha para
a 2oo rs. libras.
a melhor que se pode destjar de l,4oo a
3,ooo o frasco.
por
AGENCIA
lNGIOLOW-AOEIOOR.E
llua da Senulla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roapa: em casa de S. P. Johnston A C,
ra da Senzalla Nova n. i2.
Vinho do Porte superior
dm caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
cer Antonio Luiz de Oliveira Azevedo& C, no seu
cscriptorio ra da Cruz n. 1.
Fabrica Conceicjio da
Bahia.
Andrade & Reg, recebem constante- !5
mente e tem venda no sea armazem n. W
34 da ra do Imperador, algodo d'aqnel- 2uS
la fabrica, proprio para saceos de assu- g
car, embalar aigodo emploma etc., etc., $
pelo prego mais razoavel.
ARMAZEM
FRONTEIRO
DE
AliVES COlTTimiO 21Largo do Terco21
A0 puhlioo.
Chouricas muito novas a 6io rs. a libra ; chocolate francez a l,ooo rs. a libra;
ameixas idem ; alpista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do Maranbo e da
India de 8o a loo rs. a libra, e em a arroba de 2,6oo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a 1,000 rs. a garrafa e em porcSo, menos; idem de barris a 64o re. a garrafa, e em cana-
da a 4,8oo rs. ; banha de porco a 4oo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
novas a 4o re. a libra, e l,2o)rs. a arroba ; cha perola, hysson, miudinho a i,8oo, 2,4oo
e 2,5oo rs. a libra ; charutos des melhores fabricantes da Bahia de 2,ooo e i.ooo rs. ;
cerveja branca e preta a 5o rs. a garrafa ; cravo, canella, cominho e erva-doce, conser-
vas inglezas em frascos e meios de 5oo a 9oo rs.; cognac inglez superior a l,ooo rs. a
garrafa ; caf de 1.a, 2.14 e 3.a qualidade de 8,5oo, 9,ooo e 9,5oo rs. a arroba; cevadi-
nha a oo rs. a libra ; ervilhas portuguezas em latas de i '/a libra a 7oo rs.; spermacete
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,
e em a arroba a 6,ooors ; genebra de laranja a l,ooo rs. o frasco; idem de Hollanda
a 64o rs., e 4oo rs. a botija; graixa em latas a I,2oo rs. a duzia ; manteiga ingleza per-
feila flora 8oo rs. a libra ; idem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maca
, de tomate a 6oo rs. a libra; marmelada dos melhores fabricantes a 6io rs. a libra : ale-
de superior qualidade vendem-se em casa tria> talharini e macarro a 4oo rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a l,ooors. cada fras-
oe bcnanemm & C ra oa Lruz n. vz. ^ nozes mutn nflvas a 2f)0 rS a ,bra paS9as a iOQ rg a )jbra ^^ a t6o m pQ-
Ra da Senzalla n. 42. mada a 24o rs. a duzia; pimenta do reino a 36o re. ; papel almaco e de peso de diver-
Vende-se, em casa de S. P. Johnston 4 C, sas marcas; palitos do gaz a 2,2oo rs. a grosa e 2o rs. a calxinha; ditos de seguranca
selins e sillines iuglezes, candieiros e casti- individual a 2o rs. a cxinha e 36o re. o maco; queijos flamengos do vapor a 2,ooo rs.
Caes bronzeaJos, lonas inglezas, fio de vela, cada um; cevadinha a 2oo rs. a libra; sardinhas de Nantes de ioo a 64o rs. a lata; sa
chicles para carros e montara, arretos para bao massa muito superii r a 2oo rs. a libra; toucinho de Lisboa moito alvo a 3oo rs. a li-
carros de um e dous caaoa, e relogios de bra; vinho do Porto velbo engarrafado a l,5oo rs.; idem em barril a 8oo rs. a garrafa',
mmwmm wm mmmm
Charutos de Havana
ouro patente inglez.

KARATA
Vende-se nma armagao de taberna cm pont.i pe-
sendo porco fa/.-se differenca eem caada a 5,ooo rs.; idem de Lisboa muito superior a
ioo rs. srarrafa e 2.8oo rs. a caada ; idem da Figueira J. A. A. a 5oo rs. agarrafa e
3.6oo rs. a caada; idem do Bstreito a 36o e 320 re. a. garrafa e em caada a 2,56o;
idem Bordead! a 56o rs. a garrafo ; idem branco de Lisboa, proprio para missa a Sea rs.
a garrafa; vinagre de Lisboa muito superior a 2oo rs. a garrafa, e I,loo rs. a caada;
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muilos a 12o rs. a
lata de 2 I [2 libras.
Foijao verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
ilSozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
os navegantes a rs> a arroba>
: Amendoas confeitadas a 6oo rs. a libra.
j dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 183i, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna dozia a lo.ooo e
I.ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 6io rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e5oors, agarrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a ioo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composicao a 560 a garrafa e i,ooo re. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l,ooo rs. cada urna.
Ricos livros com figos l,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 re. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafes com i JA garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem com i Vi ditas de venagre a 1,000 rs. o
garrafao.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
i5,ooo rs. com aancoreta
dem em pipa puro sem o batisme a 2oo rs.
a garrafa e I,ioo re. a caada.
Caixas cora 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6>8oo rs.
a caixa e 7oo re. a garrafa.
2,o6o rs o quatt,-a-6,5ooa caixaeioo
rs. a lMfc -- ~* '
dem corinthias propriaspara'pddmT S9m
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 6io rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. I a 8-3500 cada urna. |
Massas para sopa macarro, talharim alelria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
eSoors. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
de
dado nos paizes clidos em r
DISPEPSIA, EHCHAQECA,
Constipado ou Prizo do Venlre,
PABECIMENTOS DO FIGABC
Affecc,oes Biliosas,
HEMORRHOIDaS, clica.
Ictericia,
FEBRE GASTRO-HIPATICA,
E oatnueufermidadrtanUgai
ElLs vio rpidamente substituindu os ant.gj
purgantes drsticos.
A venda as boticas de Caors & Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo d C, rna
da Madre de Dos.
Venda ele predios
m particular ou em leilaa.
osmaisbaisoseodosquoporahiseven-. J?"?'Ts,e *' PWprwhto de .i.-.i> coate
. ^ 9 K ^ F gnas, de diius andares o otan, rom prendes arn.a-
uem a z,ooo e z,ooo rs. zeDS orcnpailos aeloalmente iieloSr. Feliciano hri
Gomes, para o IraOco rtn asucar, sitos na roa rt
Apollo ns. 34 e .'16, ediflrados pelo irtual proprie-
tario, com ptimos alieerces, superiores DUdeiras,
e acabados em 1801, tendo ambos .'2 palmos le-
vres de pan-de?, de largura, e os altos do de n.
ai, e o primeiro andar do de n. .')( SIS palmos de
coroprmenio, u segundo andar do de n. 'M tem sa-
nente 120 palmos do comprimrnto, com um tec-
raco, e os annazens lem 340 palmos de compr-
mento cada um. tendo ambos tamltera frente para
a rua do caes de Apollo, e o de n. 1(6 tarnbem pura
a travessa ilo anligo porto das canoas : os prweu-
dentes estes valiosos predios <|iieiram dirigirse
ao seu proprietario Antonio Botelho Pinio de Mes-
quila na rna da Cadeia do Recife n. fii, secan^.'
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,500 rs. ar- andar, ou ao agente Oliveira na meso rua n. C2T
roba, e36o rs. a libra. PmmP/a da il1uiinii>in"in &
dem de sebo muito dura flngindo esparmace- -LiitipicZtl ue imillllllcH,cW tt
te 36o rs. a libra. i'Z.
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, eem: ..
P,;v, i&n r? enm 9"i lihra<: Todas as vendas ,!e aPnarelhos e reclamacSes
caixa a owj rs. com zo iiuidb. (por eseri|)l0 dan(]o 0 nomP) morada, data, etc.).
Papel 0 melhor que se pode desejar para OS devem ser feitas no armaren) da rua do Imperador
Srs. empregados pblicos a 5,000 l'S. ares- n. 41. Osmachmslas mandados para attender ar
ma, i se venden por 7.ooo rs. esus, apreseniarlo um livro que os reclamantes
,, *_ ,. i.,.. ___ deverao assijjnar loso depuis de proinpto o serMC-i
dem almaco pautado e liso a 3.ooors. a resma, reclamado 5 sto para que a empreza flque sciete
de haverem os mesmos senhores sido devidamenW
attendidos.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28^0 a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranbo a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, c 8o rs. a libra.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma,
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo rs.
a resma.
^-q0 ^Taur na "tero* do s0^ cevada, afasema, gaz e tijolo de limpar facas a 14o rs. Presuntos de Laraego a 5o
Xor com pouco diueiro :
PfWipe n.32.
^ea.l.sa.irrb outros muilos gneros quedesnecessario menciona-loa.
Rua da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
Idemembrulhodel,2ooal,4oors. a resma, ferro coado libra a MO rs., idem de Low
Ameixas francezas em latas de 1 '/* libra a Moor libra a 120 rs.________________
1,2oo e 8oo rs. a libra. ---------- -s- -
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o ESCB AVOS FfJflGS
frasco valle l,ooo rs. tarnbem temos em:-------*aifl*fUfl """-------
frascos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Molhos inglezes a 8oo e l.ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 6oo rs. a garrafa.
Mem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,ooo rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vinchas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,oo rs. o molho e
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqoeiras a 6,0001
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a ioo rs.
dem em garrafes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Fugiona tarde do dia Ib do correte ura
eseravo pardo, de nome Marcos, desembarcado
do luate S'nita Auna, vindo do Aracaty, tendo
de idade 28 annos pouco mais oa menos, eos sig-
naes seguintes : aliura regular, secco do corpo,
pnuca barba, cabello crespo, levou camisa u
calca de algodaosinho de riscado azul echa-
po de palha, tendo levado comsigo urna trooxa
com mais ronpa, e rendido de urna da* venlhas;
quem o appreender queira leva-lo rua da Madre
de Deus d. 38, ou rua do Brum n. 55, que ser
recompensado
Fupio do engenho Guerra de Ipojuca um es-
eravo de nome Jos Muniz, estatura baixa, e
crioulo : quem o apprehender on der noticia no
dito engenho, ou na rua da Aurora em casa do Sr.
Elias n'ai.tifia da Silva, ser generosamente re-
compensado.
Acha-se fgido desde o dia 7 de fevereiro 86
, corrente anno o eseravo de nome Faustino, de da-
PalitOS do gaz a 2,200 rs. a groza e 2o rs. a ; de de 40 annos, pouco mais ou menos, cor fula,
caixa. allura regular, grosso do corpo, bem espadnada|
dem de denles liados em mafiot grandes g^i* S^StJl^!SJ5SiM
COm 20 rs. O macmhOS a i2o rs. O masso.' ,eir) as ;,prnas arqueadas, porm nao muito, ba
CominhoS muito novos a 32o rs. a libra e unte cabellos nos peitos, e eoatonM quando |Pf
0,000 a arroba. fallar mais apressado romo que gaguejar, porn>
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milbo alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arreba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas al.ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 6oo e l.ooo rs. o
caixo.
muito pouco, que mal se pprcebe ; costuma anda
em sambas, e as vezes embriagase por gostar d
bebidas espiritnosas; suppo>-se que elle segnj
para o centro, e consU que elle esta em Grvala,.:
porUnto roga-se s autoridades policiaes que o fa-
Cam appr"hender e condozl-lo casa de seu W1
tibor major Antonio da Silva Gumao, na rua Im-
perial, em Pernamburo, que satisfar toda e qual-
quer despeza que por ventura faeam. e aos cayV
tes de campe offerece urna boa gratiflcacSo. |
"^ Contina fgido e consta estar acontado Va
Goianna o e>rravo Jos, preto, crionlo, de 28 ai?
nos, liaixo, corpo regular, beicos grossos e estafa
dos, orelhas pequeas, cachaco grosso, pouea tu*..
O pwprfet%^gnmli iiMiiiii. Chite eCommercio dythra aos seus fregu ^%^Z^*t!S
icihtar a commodidade de todos espulou q0H parevce prel0> fle |!ilrai!j paIt,tol prp,0> pemA
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar
os mesmos precos nos seguintes lagares-:
Un&o e (Vmmercio rua do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal rua do Imperador n. 40.
misa e com urna rarapuca encarnada na cabida
roga-se s autoridades policiaes e capiles de cae
po que o apprehendam e facam condoxir preses
ca de sen seuhor na rna Dirriu desta cidade ft
54, que serio genemsamente recom^nsados.
MUTIL ADOr
i ILEGVLk


l>Ur! 4c Ter**mhne* ... He\i elra Mi 4e fteientbr* ie 1194
SGIENGAS E ARTES.
-.
X
O QUKPDF. SBR USA REVISTA SCIKKTIFICA STSTRMA
HE ADOPTAMOSCRITICA DO SR. OZOKIO OE VAS-
CONCELLOSA 01 ESTAO DA l'SIDVDE DA MATERIA
10 DR HOJE DA FORCA E DO MOVIMENTO OPIMOKS
l>OS SABIOS O QI'E O Alt, E OCAES SAO OS SEI S
tnittir qae as distancias dos tomos sao peqnena s do equador do sol: e conservar-se symetrica ero
sao sim imperceptiveis aos nossos sentidos, mas rclago ao sol como centro. Como o sol, segando
sao muito grandes em reanlo espessnra dos ato- se deduz de observages astronmicas, carainha
mos, e enrrelacao a esta que as distaorias se com todo o systema planetario atravez do espago
devem avaliar. Com um movimento uniforme e rectilmio, d'ahi de-
ve resultar outra perlurbago tambem permanente
As distancias sensneis, sao, em relagao gran
deza dos alomo?, enormissimas, por isso a essas; no cthev; a combinago destas duas perturbages,
constitlixtis n oiiMARs -os tres botados da m'a- distancias deixam de manifestarse as atlracgoes; d, segando a theoria mathematica de Challis, em
*E 0RI,;0 MMstifico-a nEsriBAgo-1 atomicas Sendo a espessnra do tomo de oro, | resultado as ondulagdes da luz. Esta explicagao
PROVAA maSSStvim tuIoiato-hS cmsii- Pr exemplo.nmfl centessima milionessima parte de eogcnhosa, e que julgamos dever admittir-se, mos-
cos emnossa DEFCTA o i. oiouro di vasco!!.- >Attftmrfro7oma distancia de um centesstmo de mil-t ,ra i.os a criticar os CHinicos -provas em pavor da untetro ja egaal a um milho de vezes a espessa-: Pe,as suas manifeslages luminosas.
TX^S^!S^S *5 'n ** al0mo- El" "i"* logar a variacao de ac- [ A theoria de Challis assenta sobre a hypothese
chandeza dos povos OAOSA da transparencia 5a0 a diversas distancias, a existencia de urna for- de que os atoraos da materia sao esphericos, e essa
dasfoiiqas atmicas, ANAi.or.iA comas o'K ac-lea repulsiva ao lado de urna forca attractiva entre theoria explica lodos os phenomenos das forgas
puam sobhr os astros-do RTHRRA i. '. zodia- | os atomos, talvez nao estabelega'entro as forfas ato-i physicas; razao para admlttir que seja espherira,
micas e as planetarias urna difTerenga tao grande provavelmente, a forma dos atomos. Para explicar
como primeira vista se aflgura. I nolaveis facts de cristalographia, Wollaston pro-
0 estudo do movimento dos cometas peridicos pz urna theoria, que tem por base a hypothese dos
mostrou a Enoke ser a dnracao da sua revolucao atomos espnericos. O modo porque as molculas dos
vanavel, e necrescenta: d'ali deduzia este sabio lquidos se grupam em torno de urna molcula
CAi. -SAO ESPHERICOS OS ATOMOS ?CONCLUSOKS.
(Concluso.)
Emquanto tomos a largura das ondulagoes lumi-
nosas acompanhadas do calor dos raios vor:rielhos
do espectro solar eguaes a ttenla e quatro chiles-
'Siei.is millessimas partes do millim'tro, temosa
i molcula do ouro segundo as deduegoes tiradas
urna prora da existencia de urna forga constante central, formando pequeas espheras; quando o
posta ao movimento do cometa, esta forga era a re- volume do liquido bastante diminuto para nao
feto Sr. Watcrston das relaeoes da capillaridadc e ] sstencia de um mestinm inter planetario, do etker. > perturbar a livro aegao das forgas atomicas; mos-
calorico latente, com a espessura de urna centessi- j 0 sr. Faye buscn combater esta bypothese, altri-' tra bem a tendencia da materia para a forma
ma millionessima parle de um mlimetro. A dis- j |)U0.a ao desejo de conservar intacta a le geral! espherira.
'.icia entre as molculas do ouro setenta eqna- 'da gravitagao a saber, que todas as molculas
Para nao alongar este artigo, terminaremos aqui
tro mil vezes maior do que a espessura das mole- do nosso mundo (systema planetario) gravitara i.
cuias. urnas para as oulras (como que se attrahem), pro-
K pois muito grande a distancia entre os tomos | porcionalmente as suas massas, e inversamente aos |
em somparago com a grandeza dcstes.
Foi urna quadrados'das distancias.
(doiitica concluso que chegou o Sr. Chalis appii- Segundo o Sr. Faye, e com razao, a unldade da
| to grandes, tanto quanto a induego no-lo pode de-
monstrar relativamente espessura dtssas partcu-
las ultimas da materia; que as forras actuam sobre
canio o eaicilo a interpretago dos phenomenos forca que se exerce entre o sol, os planetas, os sa-
Oa luz. leb.es e os cometas, islo 6, a uniformidade da at- 09.*toll,0'.de "" 0do seraelhan.le a'iue,.,e poriae
A transpareucia dos metaes mas em argumen-! iraecao segundo a lei exposta, nao um dogma
lo que deve cilar-se em favor do afastamento dos scientifico. Depois de discutir, segundo o seu pon-
tomos dos corpos. ,0 t't' v's,a> a theoria do melium resistente oceu-
Heduzidos a folhas finissimas, a carnadas mera- pando os espaeos, o celebre astrnomo conclue:
ir.inosas os metaes tornam-se transparentes, para O mundo celeste nao obedece a tima s forga
raios de luz de diversas cores. Urna follia de ouro a atlraccao, mas a duas toreas, attracgao e repul-
go noventa una millionpssimas mais nartes de sio. A primeira depondo das massas, asegunda
dasuperflcie dos corpos celestes e do calrico.^'
Lina propaga-se instanlaneamedte a outra succes-
svamente. Urna acta atravez de toda a materia
setn soMrer diminuicao alguma, a outra intercep-
tada por urna simples lamina. Ambas estas forcas
sao universaes.
actuam sobre os astros; que o etker existe, porque
sem a sua existencia sao inconcebiveis e inexpli-
veis os phenomenos das forcas physicas ; e emlini
que provavelinente espberica a forma dos ato-
mos. Em vista destas conclusoes liradas de nume-
rosas consideracoes theoricas e experimentaes, pa-
i rece-nos que podemos manter, como comjmraco
(milmetros de espessura deixa paesar a luz de um
azul esverdeado ; com a mesma espessura a pra a
c tambem transparente e deixa passar luz azul 011
violeta; raodilkaces nacoBStituicao das partcu-
las do metal poden fazer variar a cor da luz que
$)as5a por transparencia. Asim vi'-se que as fo"
Ibas metallieas tendo urna espessura inferior ao
comprimento das ondulaoes da laz deixam pas-
sar essas ondulacOes. O que pode t ar, sendo
a distancia entre osatom^ ^.maceiras aoa4ssas
ondulagoes. '- '' ,
O modo porque a energa da natureza acta so-
fero os atomos dos corpos, as leis que segu a aeeao
a energa, onindo entro si as partculas da mate-
ca, tcm fixado muita atteneo dos physicos, e dado
origcm a hypotheses diversas, mals ou menos jus-
tificaveis. Nao s a afflmdade que une entre si os
atomos das substancias ebrneamente heterogneas
(lias a cohesao a forga quo prende entre si as mo-
lculas c os alomo da mesma natureza lein dado
essumpto a essas diversas tiypotheses.
hutjii suppunha a allinidade idntica com a at-
iracfio universal, attriboindo forma dos atomos
as differengas no modo de accao de urna forga.
Jergman modilieou a theoria de Buffon : e Guytou
Morveau, reputando absurda a explicagao das dif-
erecgas entre a attengo e a forga chimica, pela
diversa forma dos tomos, considerou com ludo
daas aegoes como devidas a urna causa nica, a
sttracgao universal. Derlholet tambem sappoz a
Sem acceitarmos as razoes que o Sr. Faye ad.
dos, e os systemas de partculas que eonstituem os
corpos.
Pedimos desculpa aos leitores de havermos oc-
cupado urna revista inteira com a discussao das
objeegoes criticas que fez nossa primeira tecista
o redactor scientifico da Gazeta de Portugal; mas
j nos tinbamos a responder a rcflexges criticas, e a
duz contra a theoria do mdium resistente enchen-j mostrar que hsvia razoes fortes em apolo de quan-
do os espagos celestes, nao pedemos com tuu'o dei-! t0 escrevemos na nossa Revista a proposito da uni-
xarde admittir a existencia de phenomenos de re-
pulsao, manifestando-se entre os as semelhanga
dos phenomenos de repulsao que se manifestara
entre os atomos.
O modo da aegao da forga da gravitagao que se
exerce entre os astros, as manifestagSes do calor e
da luz o atravessando os espagos, tudo inexpliea-
vel, a nosso ver, sera admittir a existencia de um
mdium, do que os physicos denominam o etker. E'
na verdade inconcebivel que urna forga physica,
indurado a forga de gravitagao, se possa transpor-
tar de um outro lugar do systema solar sem urna
successiva accao o reaegao em alguma coma de in-
termediario. A acro a distancia da materia urna
sobre a outra um absurdo ; era esta mesma a
opiniao do grande Newton. Na sua terceira carta
Bentley diz elle :
t Que um eorpo possa aduar sobre outro a dis-
tancia atravez de um vacuo sem a mediagao de
alguma outra cousa, por meio e atravez da qual a
atraceSo causa provavel das eombinagoes chimlcasilsua arCa0 e for5'1 Pssa i(* transportada de um
resultando as dfferengas de ser a sua aegao exer- outro. Para mim Orande absurdo.
Cida, nao sobre massas, mas sobre molculas, col-: A luz, o calor sao movimentos ondulatorios, a luz
locadas a distancias; segundo elle, extremamente, eo caler Irocam-su entre ns astros, trneain-n pni^
fequenas, e dilTerindo entre si pela forma, cohesao entre estes movimentos; e como se pode conceber
;C claslicidade. essa troca nao havendo nada que se raova nos espa-
A estas seguiram-se outras theorias, que attrbui- Cos ? O mdium universal, o etker nao conside-
ram a allinidade ja a urna forga de natureza part- ra(j0 pe|0S physicos boje como urna entidade me-
cnlar, j a electricidade. E inconlestavel que na ihaphysica; o etker um fluido material e elasti.
affiioidade se apresentam phenomenos, que naopo- co. QSr. Grove negao etker immaterial, porassim
dem ser explicados simplcsmente pela accao da dizer; mas suppOe o etker um Huido muito elstico
sttracgao, segundo as leis que a scicncia gernlmen-
reconhece a essa forca, aotuando.nas grandes
massas do nosso systema planetario.
A propria uniao dos atomos ou molculas da
mesma natureza, aprsenla phenomenos que nao
cntram as leis conhecidas da attracgao universal.
Kant sunnoe a materia como sendo uina essencia
^ U,H liU((rodynamica dasribrarues por elle desenvolvida
com existencia propria, actuada por duas forcas. /0_ *_._ __,____,- .' ,._
tendo peso, ainda que a quantidade deste esteja
fra dos limites da determinagao, por a tornar ina-
preciavel a sua excessiva tenuidade. Na phytoso-
pina da natureza do Dr. Boase encontramos sobre
o etker urna opiniao anloga.
N'uma serie de memorias, e partindo da theoria
urna forga de attracgao, e una forca de repulsao,
crescendo a forga de repulsao cora a coodepsacao
da materia.
O Sr. Clausius confirma as ideas de Kant; sc-
dade da materia.
Estamos decididos agora a nao responder mais
aos crticos, que levantam questes pelo desejo de
attrahir a attengo dos leitores por um pequeo es-
cndalo. Nao nes apraz o escndalo nem mesmo
na poltica, onde todos, por desgraga, o andam bus-
cando e promovendo : em sciencia reputamo-lo
urna irreverencia e um absurdo.
Ao Sr. Ozorio de Vasconeellos pedimos que acei-
te como sinceros os seotimentos de sympathia com
que acompanhamos os seus laboriosos esforgos em
beneficio do derramamento da instruegao. De-
sejamos-lhe prosperidades, e triumphos scien-
tificos.
J. de Andrade Corvo.
(Jornal doCommercio, de Lisboa.)
o Sr. Challis, professor de astronoma e phylosopbia
experimental na unversidade de Cambridge, dedu-
ziu pelo calculo as leis de todas as manifestagoes
da energa da natureza. A harmona entre os re-
.sultados da experiencia sobre .as forga? phvsicas, e
gundo este profundo pbysico, au lomando em con- M dedacc5es theoricas do Sr- Cnal|s ra^-0 8offl.
" cieutes para se admittirem como expressao, ao me-
nos muito prxima da verdade, as hypotheses que
serviram de fundamento a essas deduegoes.
outras, deve anda adnuttir-se a existencia de duas
jriju.-, que devem disiiuguir-se.
c Pens diz elle, que quando duas molculas se I -
7 ;,o ronsequencias dos movimentos
aproximaui una da outra, exerce-se prunciro una
Segando o Sr. Challis todas as forgas physicas
e pressoes de
um mdium uniforme e altamente elstico, que en-
che o espago, e em que a pressiio varia proporco-
nalmenle: as variages da densidade este mdium
acta immediatamenle por presso sobre os lti-
mos tomos dos corpos, que Challis suppoe seren
lodos espheras de grandezas invariaveis, e tendo a
mesma intrnseca inercia. A existencia do ether
O professor Challis, refere-se tambem, na sua i com as propriedades que Ihe attribue o Sr. Challis,
e de athmosphericos, explica todos os phenomenos
attracgao, que coinega a ler un effeil sensive
.mesmo a alguma distancia, e que cresce medida
que a distancia diminue; mas que, quando as rao-
l.'cuUs .tem chegado a maior aproximagao urna da
outra, urna forga entra em aegao que busca afasia-
las.
.iheoria das forgas moleculares aos phenomenos de
attracgao e repulsao, que se mauifeslam, e ac-
crescenta una rdlexo que da maior importan-
cia para a queslao da homogense das forgas phy-
sicas.
E' cousa demonstrada diz aquello professor,
que urna theoria das forgas moleculares nao pode
das forgas physicas.
Depois das deduegoes engenhosas do Sr. Challis
podemos dizer, que a existencia do ether nos espa-
gos se pode reconhecer por phenomenos perfeita-
menle visiveis. Precedendo ou seguindo-se ao cre-
psculo da manha ou da noule, na poca do anno
construir-se sobre a hypothese que as forgas variara correspondente aes equinoxios, observase um como
segundo qualquer lei da distancia entre asparti-1
eulas materiaes individuaos, a menos que a le nao
soja tal que a forga mude de signa! com a distan-
cia, de modo que se torne attractva depois de ter
sido repulsiva. Mas se a forca i urna virtude, que
reside na partcula, ella deve na sua origem ser ou
Cttractiva ou repulsiva, e parece impossivcl conce-
der como por emanarilo, a distancia ella pode mu-
dar de qualidade.
Estas c.onsderagoes theoricas bazeam-se todas
em resultados experimentaes. Assim entre as mo-
lculas dos corpos existe urna aegao atlractiva, que
acta eutre determinados limites; alm do que se
pode chamar a esphera de altrace/io da molcula,
es efdtos d'essa attracgao como que desappare-
Ccm ; a quem d'esse limite a attracgao manifesta-
se e vae crescendo com a diminuigao da distancia
O'ura razao que nao est bem determinada, mas
que e provavelmente a mesma que se encontra na
attracgao entre os outros.
Chegando as molculas a um certo lmite de
aproximago, limite que est para dentro do espa-
pj em que a allracgao se exerce, comega' a mani-
festarse a repulsao entre ellas, repulsao que cres-
co rpidamente medida que urna prsalo ou qual-
quer aegao exteriot tende a forgar essas molculas
a aproximar-se. Estas aegoes diversas a diversas
(Blstaneias, nao pudem altribuir-se a urna proprie
ade inherente materia.
cone de luz frouxa, que se apoia no horisonte e
cujo vrtice fica alguns graos cima deste, sendo o
eixo na direegao aproximada da eclptica. Da
comparagao de numerosas observagoes conclue-se
que a luz zodiacal forma como urna lente biconve-
xa, tendo e sol no seu centro, e o seu plano princi-
pal inclinado um pon -o em relagao ao plano da
eclptica. A que 6 devido esse immenso disco de
luz paluda, que cerca o sol, e se estende anda
alm da rbita de trra? Tem-se dado da luz zo-
diacal varias explicagocs, sendo que urna de-lias
que esta luz originada por um grande numero de
pequeos corpos, asteroides, circulando em torno e
cahindo sobre o sol. D'ahi mesmo se tem querido
tirar a explicagao do calor intenso e permanente
do sol; suppondo que da queda daquelles corpos,
continuada e velocisstma, resulta o fogo do sol;
mas, provado que a trra est dentro de disco lu-
minoso, isto dentro do que se supunha ser, na
hypotheso cima citada, urna enorme raassa de
asteroides, nao racional admittir tal hypothe-
se. Peas suas deduegoes mathematteas o Sr. Chal-
lis provou que a luz zodiacal deve ser o resultado
das vibragSes de ether interplanetario, produzdas
pelos movimentos de rotagao e translago do
sol.
O vasto corpo do sol gira uniformemente sobre o
| seu eixo em vate e cinco das aproximadamen-
te. Desla rotagao deve resaltar ama perlurbago
Em vista do que acabamos de expr, dir-se-ha I no estado do e/(). que 0 cerca> essa perturbago
*nam no systema planetario, e as que actuam entre
OS atomos? Em primeiro lugar, nao se pdr ad-
deve : ser constante como a causa que a produz;
descrecer era proporgo do crescimento de distan-
cia ao sol, e do afastamento relativamente ao plano
Analjse critica tres artigo* publicados na Revue
des deux mondes, ionios Vi e 16 dos mezes de
jonho e jufho de I8(3, sob a epigrapbeLe
Brsil el la soeil brsHrenne. mipiir #t p; -
sages ; pelo padre Manuel Amando das- Dores.
Chaves, membro da assembla legislativa pro-
viudal das Alagas, e professor de lalim do ly-
cco de Macei.
NaRevue des deux mondes acabara de ser
publicados, sob a epigrapbe supra, tres extensos j
artigos contra o Brasil, smeote notaveis pelo es-
tylo grosseiro e brusco do seo autor, pela facilida-
de com que elle refere, alterando e deturpando,
muitos fados da vida, nao s publica e social dos
Brasileiros, como at da intima e familiar ; e mui-'
to mais pela ogeriza pronunciadamente manifesta-1
da por esse degenerado filho da ierra de S. Luiz i
contra os habitantes da de Santa-Cruz.
Que dos prelos inglezes sahissem contra o Brasil
artigos violentos e de mo gosto, como esses de
Mr. Adolfe d'Assier, nada havia de admirar, atten-
too odio implacavel, que no feroz coragao de leo-
pardo britannico se aniuha contra nos. Poda
mesmo ser a produegao de urna d'essas horas, em
que os vapores da cerveja, do cognac, do absinthio,
ou da genebra tizessem apparecer em ra voso tri-
podio irosos phantasmas, no cerebro escandecido
d'algum gcntlcman.
Que na Franca mesmo.. em algum pamphet sera t
merecimento e sem criterio ; ou em alguma foJha
sem alcance serio, como o Aimnble Faubourien,
journal de la camnlle, ali publicado pela orga po-
polar de 18i8, se estampassem artigos, como estes
gmenle celebres pela maledicencia, pela violencia
da linguagem, e por todas essas palavras torpes e
nauseabundas que se lem no vocabulario pustulo-
so das marafonas e das cantoneiras, nlo havia ain-
da o que admirar.
Seriam vmitos asquerosos d'essas lesmas lute-
ranas, d'esses vermes intestinaes que sohrenadam
as fezes da sociedade, e para quem a honra pa-
lavra sem sentido ; o decoro, fumo de chamin ;
o brio, tinta de zarcao.
Mas, que era um jornal de irameusa circulago,
como aRevista dos dous mundos que deve pre-
sarse de honrado e serio, como um ser moral que
tem a perder um crdito e repulago sm generis,
se franqueaasse a publicago de artigos do depra-
vado gosto d'esses do Sr. D' Assier, contra urna na-
go amiga c hospitalera, com quem a Franga tem
sempre vivido as melhores relagoes, e onde tanto
joalheiro e tanto mscate gallo ha podido com toda
franqueza obter fortunas colossaes, e alliar-se a
importante familias, o que custaria a acredi-
tar-se.
Infelizmente urna triste realidade.
E, para que o leitor avalie da grosseria e desho-
nestidade do eslylo era que sao redigidos esses ar-
tigos, que parecem haver sido composlos em algum
d'esses prostioulos, de que Paris tanto abunda, tal-
vez mesmo na ru de Saint- Benoit, no seio de algu-
ma companbi temulenta, basta saber que o seu
autor, tendo em poueo a castidade dos ouvidos de
suas honestas patricias, nao duvidou usar por mais
de urna vez da impdica e torpe expressSo de
(nao podemos reprodazi-la) em um monlogo im-
po e de mo gosto que elle empresta a um fazen-
deiro irado contra Santo Antonio pela fuga de um
escravo.
Parece que a crpula urna das nobres palxSes
que tumultuara no coragao do honesto autor de
taes artigos.
Affeigoou-se por tal forma cachaga brasileira,
tao conhecida as senzalas, domicilio habitud do
Sr Adolfe, que nella falla tinte e cinco vezes,
Ex abundantia cordis os loquitur.
t TraJiit sua quemquevotuptas.
Florentcm cgtmm sequttur lasciva capella.
Entretanto, analysemos, como nos permi'.tir a de-
ficiencia das nossas lnzes esses importantes artigos.
Accoropanhemos paripass o Sr. D' Assier ; vamos
pilha-lo ; aqoi, em um flagrante canard ; ali, em
umalndisculpavel ignorancia doscostumes do paiz,
que elle tanto diz ter visitado ; [e a cada instante,
as suas malcreacoes.
Para isso devemos procnra-lo quasi sempre no
Rancho, e na Fazenda, sen rendez-vous habitual,
onde nunca falta o f e a cachaga ; em
commanhao com o feitor e os escravos; comendo
na'mesma tigela o bacatho e os hancots (feijoes)
e bebendo da mesma cabaga ; raras vezes na casa
de vivenda do abastado proprietario.
Depois, iremos sua pista, chopin-chopant como
o permiltirem as nossas forgas at as portas da a-
dade, onde o illustre visitante nao cura de precu-
rar a alta sociedade ; mas por acanhamento e mo-
destia contenta-se com um aboletamento por urna
d'essas ras de alcouces, como a veiha Gorbeuu,
em Pars.
Coraecemos.
I
Sob a epigrapbe de Rancho esfra o delicado ar-
tiguista os seus primorosos escripias. O rancho
o que todos sabemos ; urna cabana coberta de pa-
Ihas que serve de abrigo aos tropeiros.
O Sr. Adolfe, com urna consumada pericia na ar-
te descriptiva, nao se olvidou de dedicar alghraas
linha ao Rancho, essa idea sublime que nelle se ha-
via encarnado, depois de haver dito perfondoria-
te duas palavras sobre a importante descoberla
que d'esta parte do Novo-mundo fez, poueo mais
de 3 seculos e meio. o ousado navegante portuguez
PedreAlvesCabral; bem como sobre a navegagao
dos grandes rios, e exploragao das immensas einex-
gotaveis riquezas do Brasil.
No poden demorar-se nessas superficialtifades
os profundos'e vanados eonhecimentos do escriptor
talentoso, que a iarmo-nos era sua palavra honra-
da, acha-se habilitado para escrever minuciosamen-
te sobre o Brasil, por eausa de sua longa residen-
cia nesle paiz.
Esboga com pincel de meslre om grupa, em que
se veem eraparceirados na sociedade crioula o fa-
z-mdeiro, os escravos, o feitor e o indio.
No estylo o mais bello, expresstro e appropriado,
que faria inveja a Chateaubriand, apresenta aos
olhos do mundo inteiro o indio refractario a toda
a civilisagao comparao ao jaguar que se embre-
nha na floresta proporgo que o machado euro-
peu se approxima delle. De um genio eminente
inventor elle figura Cabral fazendo erguer as
praiasdeS. Salvador, emvez de urna fortaleza,
o lbaro da redempgo, e o patbulo infamante
dos condemnados, em frente um do outro. E' a
religio e a polica admiravelmente censorciadas.
Ah nao so poupados o Portuguez e o Castelhano.
Depois de haver qualrfreado de indomavel e re-
fractaria civilisagao toda a raga tupir, o eximio
artiguisla remeda muito perfeitamente este peto-
rio, dividrado os Indios ero bravios e mseos (me-
chanls et aprivoiss.)
E, quando todos os phifosophos, todos os via-
jantes'Ilustrados sao unnimes em afflrmar que
iiiio ha povo algum sem a nogo de ura Deus,
sem a idea de um ente superior, a quera-preste
culto sob qualquer forma que seja ; porque essa
idea uuversat e iooata do coragao humano, o
Sr. Adolfe, que desejaria acabar at cora o Deus
dos Brasluiros. nega-ihe a existencia nesta gran
de parte do mundo ; cora um verdict declara os
Indios urna raga de atheus, e, com todo o os
facons de um escriutor qne nao se presa, invoca
em testemunbo de sua impia assergo a autorlsa-
da palavra do distinelo viajante e escriptor fran-
cez o Sr. Bibeyrolles, que na sua obra sobre o
Brasil escreveu o seguinte:
Les historiens de la eonoate, et ceux des
missions prtent cependant une mythologie- tres
savaute l'une des tribus mores, la race lu-
pique. lis disent que ees indiens recomais sai-
entt un dieu, vritable Jhovab, qu'ils appelaient
Tupan (lonerre.) Comrae dans toules les theogo-
nies le gendaires, que viennent de linde, de la
Perse, ou du Sinai, ce dieu Tupan avait un con-
tradicteur, un adversaire, un diable, qu'ils ap-
pelaient Anbang. An dessous des deux majes-
ts du ciel, venaient deux series de gniesles
bous et les mchants ; et plus ba>comme simples
interpretes, on saenfleateurs, taient les prtres,
les devns, qui vendaienl au peuple les secrets
des dicux
Deste trecho v-se que os Indios, so- bem que de
um modo indebito.adoravam o verdadeiro Jehovah
sob nome de Tupan, o qual, segundo todas as
theogonias legendarias, oriundas da India, da Per-
sia, on do Sinai, tlnham um contradictor, um ad-
versario, um diabo, que os Indios reconheciam,
nao pelo nome de D' Assier, mas sob o nome, um
poueo menos odioso, de Anhang.
Todava, por um excesso de bondade, o cohe-
rente artiguista permute quo essa raga de atheus
indomavel e refractaria toda a civilisagao, saiba
colher o caoulchouc (borraxa) a ipecacuanas, a
baunilha, a salsaparrilha e todos os outros pro-
ductos das flore-tas,o v da-!os em escambio pelos
productos da industria europea.
Aqui comega a entrar a cachaca.
Permittidas essas nocoes do commercio, o Indio
pode tao bem entender alguma cousa da caga, da
pesca e da natago.
E' elle ama especie de traosgo, ou de media-
dor plstico entre o hornera e o bruto.
O illustre sabio francez ica tomado de admira-
go e pasmo, vendo pendente, como poderoso ta-
lismn, do peseogo de um Indio urna moda fran-
ceza de 50 cntimos, sem se lembrar que por
urna triste parodia ao selvagem costume dos lio-
tucos, os Francezes que se arrogam a vanguarde
da civilisagao, e bem assim toda a Europa, ainda
mandam brbaramente perfurar as orelhas de
suas recem-nascidas, para pendurar-lhes quinqui-
Ibarias.
Cora a costumada urbanidade e cortezia, tantos
annos aprendida as senzalas, o notavel artiguis-
ta saltado negro, e do Indio ao padre qu o se-
ini-iom de sua escala diatnica. Era sua inqua-
lificavel paterphobia elle apresenta em espectcu-
lo aos olhos do mundo inteiro o padre catholico,
semt-felloria do proprietario, representando o pa-
pel do derviche, a angariar neophitos com a inde-
feclivel cachaga.
O nobre artiguisla, para exaltar as suas ideas,
e conserva-las na altura que compete a um genio
transcendente, nao quer perder o gosto ao trago,
E' a 5' vez na 3* pagina que se lembra do ine-
briante licor. Talvez estivesse nesse momento
abrasado pelo calor dos trpicos, e carecesse refres-
carse.
O mentiroso precisa, para nao contradizer-se,
de urna memoria feliz, afim de lembrar-se das pe-
tas que tem pregado, e de um genio inventivo,
para arranjar novas que confirmen) as primei-
ra s.
Ao Sr. Adolfe D'Assier falta urna e outra cou-
sa ; e, se nao, vejamos.
O Indio, tratado pelo Sr. Adolpho na 2" pagina
do seu monumental artigo, porjaguar, indoma-
vel e refractario a toda a civisarao, na 4* pa-
gina vae perdendo osinstinctos do bruto, e adqui-
rindo faculdades d'alma, para poder obter noges
do commercio, agricultura e artes. Mas creem
os leitores que tica nisio ?
Na 5* pagina o Indio procura (por cachaca) o
missionaro paran baptisar.(ahi temo-lo religiosa.)
Na 6* vemo-lo poltico verdade que poueo exal-
tado;) e, immediataraente assume os foros de ci-
dadao civilisado, procurando urna forma de go-
verno na pessea de um capitao.
E' certo que esse capitao nao pode na sua re-
publqueta sustentar o luxo, o fulgor e a mages-
tade do throno, que boje circumdam o illustre Fu-
gitivo de Ham.
E' um pebre diabo, carregado de esleirs velhas,
cujosjoelhos apparecem pelos buracos das caigas,
usando da chistosa expressao do Sr. Vctor Hugo
nos-seus Miseraveis. Mas, em flm, um chefe de I
povo que tem um governo sui generis.
Pomar, com sua cor azeitoni, foi tao rainha de
sua nagao preta, como o para a aristocracia, e
para o pauperismo britannico a preclara Victoria
com a suaepiderme transparente, atravez da qual
I se v a arborsago das veas.
Nao vejo difTerenga de poder entre o que teve
Tonssaint YOuvertiire, c o que tem NapoleaO III.
Mas, de que serve esse passo que o '.Indio d
para a civilisagao, se com 4 palavras no lira da
mesma pagina o Sr. D'Assier fa-lo voltar ao seu
estado indomavel e embrutecido, embrenhado no
seio das florestas virgens, saturado da vida selva-
gem e feroz f
(Continuar-se-ha.)
UM POLCO DE TlliO.
L-se no Jornal do Havre :
A Africana de Meyerbeer chegou a Paris e vae
ser posta em scena com o nome de Vasco da Ga-
ma mas nao poder ser dada antes da primavera
de 1865. Porm isto nao mpede que em Vienna
seja applaudida urna parodia, que se diz muito
cmica, da opera de Meyerbeer.
A scena passa-se em urna floresta virgem da Ame-
rica, onde a Africana se refugia para escapar aes
directores e negos'antes da mnsica.
Comega ella a cantar urna aria mutto sentida pa.
ra se indemnsar da longa redusao na pasta do
maestro, quando repentinamente se apresentam
os seus inimigos e d ama grande batatha... mu-
sical.
E urna satyra animada ao estylo de Meyerbeer
de Wagner.
Um jornal de Paris noticia no entretanto que Mr.
Brandus chegara recentemente a Berlin, levando a
partitura da Africana cujos ensaios vo immedia-
taraente comegar na opera.
Esta obra do graude compositor Meyerbeer, est
completamente terminada, sem lite fallar urna
nota.
Meyerbeer levou o seu cuidado at a escrever da
sua propria, mo numerosas variantes, para ocaso
j em que una passagem parecessemui difficil aocan
j tor, ou de peior effeito do que a passagem priraili
va, a podesse executar.
Publica o Correio dos Estados-Unidos o se-
guinte :
A' porta de um photographo de Broadway esl
em exposigo um retrato muito curioso do presi-
dente Lincoln, formado de urna multido de peque-
nos retratos justa-postos, segoindo os contornos do
retrato de Lincoln.
Ha ah. caras de tedas as pessoas cenhecidas na
i America, generaes, politices, ecclesiasticos, irmaas
dacardade e dangadnas, que a certa distancia
\ produzem o efTeilo da um rosto crvado de bexi-
gas.
O retrato apresenta-se de perfil.
Noomoesta Jefferson Davs, no nariz o general
Mac-CIdlan, ao p da orelha os seus ministros, Bar-
num na testa, Bernet e Beecher dos dous lados,
! miss Cushmann nos labios, um negro no peito, e
1 Fremout sobre o coragao, tudo ataviado com rostos
; de damas risonhas, entre as quaes se distingue
i Belle Boyd e VestvallL
As seraelhangas sao admiraveis, e o todo o mais
galhofeiro possivel.
L-se n'uma correspondencia de Haya:
cougresso ntcroaeiooal para o progresso das
scencas sociaes, que o anno pssado teve a sua
ultima sesso era Gand, resolveu reunir-se esle an
no em Amsterdara.
A poca fixada no mez de setembro.
O re poz o palacio de Amsterdam disposigao
do congresso para as suas sessoes, qae provavel-
mente attrahiro aquella cidade um-grande con-
: curso de jurisconsultos, economistas e homens po-
Uticos.
O publico hollandez nao deixar provavelmente
i de tomar vivo interesse nestas deliberages, porm
I como Amsterdam um centro essencialmente con-
i servador, julga-se que as discuss5es versaro quasi
1 exclusivamente sobre questes de reformas com-
i merciacs e judiciaras, que mais particularmente
i interessam ao puOlico dos Paizes Baixos.
Esta poesa do finado Sr. Antonio Jos Domin-
! gues, a qual nao foi publicada em sua vida :
AO SAGRADO CORACAO DE MARA.
Scut cinnamomum, et bal-
samum aromatzaos adoren
Coragao do Mara, excelse Nome,
Que os anjos preconisam,
Que em frvidos transportes as almas puras
Com seraphicos hymnos solemnisam;
Eu t'invoco, meu estro em ti s'inftamme,
S meu inspirador;
Era cada verso mea, teu sacro fogo
' Nos tibios corages iufunda amor;
Esse amor inefTavel, que descendo,
Do seio Omnipotente
: Sobre o peito almejanle, o divinisa,
1E do nctar do cu Uie faz presente:
, Coragao de Mara, a ti foi dado,
Por decreto do Eterno,
Suster na senda da virtude o justo;
1 Valer ao peccador, fechar-lhe o inferno.
Vos todos, que soflreis, vinde a Mara;
Seu coragao vosso;
Elle soubc o que dr, e a dr sensive,
Nosso templo quiz ser, refugio nosso:
Nesse abysmo de gloria, em que se engolpha,
Nesse esplendor que a cobre,
Nao se perde atravez da imraensidade
Ura s ai, dos que Ella enva o pobre:
Orpbosinho misrrimo, ferido
Pela sorte mais crua I
; Esse p, que foi me, debalde invocas,
Ergue os olhos ao cu, Maria tua:
Mara Me, peccador, nao temas
Com proteegao tao alia I
gneas preces lhe faze, Deus seu Flho,
Pode a todos faltar, me nao falta:
Dizei-o, hornera de f ; que o diga o triste
No leito dolorido,
Se a rubra devogo Ifte ferve n'alraa,
Como acolhe Maria o seu gemido ;
: Como desusa o mlico sorriso
Do labio maternal!
E da esp'ranga, ou sade desee o anjo
A vir dar lenitivo, ou termo ao mal!
Singular coragao, que lingua pode
Teus exprimir portentos?
Por toda a parte encontr a immensidade,
Se me atrevo acontar os monumentos!!)
Quantas vezes mar, eu te conjuro,
Que sbito respondas,
Quantas vezes ao mano de Maria,
Tensalizado as montuosas ondas?!!!
Quantas vezes o naufrago qne via
. Em cada vaga a morte,
Erguido pela f surgiu do abysmo
Dentro d'alma invocando a raulher forte?Tf!
A' raulher forte estremecida a trra
S'inclina pressurosa;
Abre as portas do Empreo; e cerra as fauces
Do eterno pranlo a estancia pavorosa.
Um seu mnimo aceno apaga o raio,
O trovo emmudece;
Desfaz a nuvem que ameaga horrores.
O tufo que os mortaes empallidece.
Com tao vasto poder quinta humldade
Dos anjos na Rainha I I
Hurailha-te, soberbo, e reconheee,
Que o que vales ao nada se avizlnha.
Almas puras, e humildes, achegae-vos;
Maria vos acea ;
Sobre as azas da f voae-lhe ao throno,
Onde fulge virtude, e a paz serena :
Entrae no coragao da Mae do Christo,
De amor inebriae-vos ;
Nesse mar de ternurasubmergi-vos,
Nessa fonte de nctar saciae-vos :
Que louvores, mea Dos, tu deve o hornero 11 !T
No filho e raae dos dste
Consolacao, escudo, amparo e gloria,
E do vale do pranto um cu fizeste.
D'inelTavel piedade, Me, a offerta
Do meu amor aeeeita ;
Do vale bumilde o mnimo tributo
Teu nobre coragao jamis rejeita.
Quando a sorte desfeche o extremo- golpe
Da minha vida ao giro,
Pelo teu coragao Jess reeolha
No aberto lade meu final suspiro.
A NacSo conta o seguinte :
O general federal Hunter para vingar os revezes
experimentados pelas tropas, acaba de quermar a
academia militar de Lesoglon na Virginia. Foiem
Lesngton que foi erigida em J7-88 a primeira es-
tatua de Washington, era de bronze.'e ndl* se ha
a seguinte inscripeo :
A assembla geral do estado de Virginia* man-
dou le yantar esta estatua como um monumento de
affecto e de gratidae ao general Washington, qae
unindo ;is qualidades de hroe as virtudes do pa-
triota, fundou a liberdade do seu-' paiz, tornou o
seu nome caro ao seu paiz, e deu ao mundo un?
exemplo immortal de verdadeira gloria.
0 general Hunter mandou botar abaixo esta
tata, e a mandou mutilada ao exereito do sul

A Dinamarca que possuia urna extengao de ter-
ritorio de 2,633 milhas geographicas com urna po-
pulagao de 2,733.914 habitantes, perdea durante
esta ultima campanha suspensa pelo armisticio, 800
milhas de territorio, e 1,508:000 habitantes.
*
A junta de Biscaia acordou em dirigir sua san.
dade Pi IX, a seguinte mensagem, para lhe ex-
pressar a gralido do paiz, pelas gragas- quese d'13-
nou conceder egreja de Santa Maria de la Antigua:
1 Sanlissimo padre.-Congregados dfebaixo da
arvore syrabolica de nossas iiberdades, bees uso3
e costumes, temos sabido com lagrimas de gratido
e alegra as gragas que v05sasa0tidade.se tem dig-
nado derramar sobre o templo erecto- Me de
Deus por nossos piedosos antecessores, para nelle
pedir a cu que infunda aos que aqui nos congre-
gamos o espirito de f e de sabedoria que nos e
mtsler.
Quando todos os das ao ooraecar os-trabalhos,
encamiotiados ao bem da nossa honrada trra, nes
postramos ante o altar da Immaculada Virgem, pa-
droeira da Biscaia surge de nosso coragao e for-
mulara nossos labios esta orago Intereedei, Se-
nhora, pelo successor de Pedro, que est cercado
de tribulages. Protejel as liberdades vascongadas,
que sao o alvo aonde dirigem seus tiros erroe
a malicia. Cobri cora o voseo sagrado manto a rai-
nha, que-em nossa patra a susleotaiora da f e
do direilo !>
A me de Deus nos protege. Quaado- reeeber-
des santissimo padre, este solemne voto da nossa
gratido, dignae-vos unir a vossa proteegao que
nos dispensa a Virgem Mara, enviando-a vossa ben-
go a arvore de nossas liberdades e ao povo con-
gregado sua sombra.
* *
Pedo de Soln eslava ha lempo mettido debaixc
d'agua um navio de guerra o Sanii Petri, que ten
do servido 20 annos de presidio aos forgados, foi.
presa das chammas. ltimamente eom algum tra
balho se conseguiu traze-lo flor d'agua.
Alm do grande deposito de peixes e mariscos
que ali se encontrou, achou-se urna verdadeira ca-
lifornia de dinbeiro. Em todo o seu interior na-
viam pequeos escondrijos com dinhero que es
forgados ali guardavam, e virara-se primores de
arte no modo de abrir estes escondrijos nos luga-
res mais visiveis.
E' do Sr. H. d'Alencastre Aturan a seguate poe-
zia:
Fallo a tidoce virgem dos meus sonhos
Viso dourada d'um scismar tao paro,
Que sordas por noites de vigilia
Entre as rosas gentis do mea futuro.
Casimiro se Abreu.
Hoje sim, boje j posso
Desprender dos labios meus
Canees alegres e vivas,
Pois bebi nos olhos teus
Qual celeste emanagao
O fogo da inspirago.
Hoje sim, hoje j passo
Erguer a fronte arrogante,
E dizer, sem que trepide,
Son poeta de ora avante;
Pois nos olhos teus, menina,
Eu bebi chamma divina.
Hoje sim, pois que vi oelles
Urna estrella scintillante.
Que me acenava o futuro,
E minh'alma delirante
Julgou-te um anjo luzente
Da manso do Omnipotente.
Hoje sim, pois hoje um templo
Te erigi de adoragSo,
Cercado todo de flores,
No rao do coragao,
Onde vive com encanto
Amor puro e sacrosanto,
Hoje sim, pois que minh'alma.
Em contemplando a belleza,
Estampada no tea rosto,
Ao Seahor da natureza
Se curvou, jurou ardente
De te amar eternamente.

PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. 4
W
S

iMMTii Anm


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDEETKUL1_853BRJ INGEST_TIME 2013-08-28T01:57:15Z PACKAGE AA00011611_10468
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES