Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10467


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.**
I
AH O U. flffiEBO 211.
Por tres aezes adiotaioa 5JO00
Por tres mezes vencidos 6JO0
Porte ao cerrew por tres meies. 0780
?n4t*-* */
WDITA FEIRA 15 DE SETEMBRO DE 1864.'
Por amo abantado.....19$000
Porte ao comi por nm aivao. 3J00O
NCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO NORTE
segundas e
Caruaru',
BPHBMKRIDES DO MEZ DE SETEMBRO.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
_ ,. I Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Parahyba, o Sr. Amonio Alejandrino de Lima'; Iguarassu', Goyanna e Parahyba as
Natal, eSr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o sextos-eiras.
8r.A.deLemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de Santo Anfio, Gravat, Bezerros, Bonito
Oliveira; Maraahao, o Sr. Joaquim Marqnes Ro-1 Altinho e Garanhuns as tercas eiras
dngnes; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C.; A- Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro Bre o Pesoueira l n
nuzonas, o Sr. Jeronymo da Costa. Ingazeira, Flores,Villa Bella facS-CaK' 22 Quart0 mn*-
Boa Vista, Ouricury e Exu' as cuartas feiras a "9 nn"'1 '
INCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SL. Sennhaem, Rio Formoso, Taraandar, Una, Barrei-
Alagoas, o Sr. Claudino Faloao Dias; t^K^mVKSSSB^^^9^^9^^
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
.jera Martins S Gasparino.
1 La nova as 3 h., 48 m. e 8 s. da m.
9 Quarto cresc. as 3 b., 30 m. e 38 s. da m.
13 La cheia as G h., 40 m. e 20 s. da t.
as 4 h., 34 m. e 14 s. da t.
30 La nova as 8 h., 23 m. e 10 s. da t.
as vezes que para ali
Todos os estafetas partem ao >/
sahir
Vi dia.
Primeira as 2 horas e 54 minutos da Urde.
Segunda as 3 horas 18 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEMOS.
Para o sal at Alagas a S e 25; para o norte at
tU*i\ a e 22 de cada mez i Para Femando nos
atas n dos mezes dejan, marc., maio, jul, set enov.
d t, pARA DOS MNIBUS.
la i/ ? Rec,fe : do Apipueos as 6 Vi, T, 7 '/*> 8 e
?Jk ,~ m- de 01inda as 8 da m. e 6 da tarde; de
ia*oatao as 6'/ da m.; da- Caxang e Vanea s 7
ni Bniflca s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 A, 4, 4 'A, 4 %
Vj, 5 V e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manua e 4/da tarde; para Jaboatao as 4 da tar-
de | para Lachang e Vanea s 4 Vi da tarde; para
IBemflcaasidatarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal docommercio: segundas e quintas.
Relago: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta.; s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : torgas sextas ao meio
di a.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a 1 hora
da Urde
PARTE QFFICIAL
GOVERNO DA PROVINCIA.
Espediente do da 12 de selembro de 186 i.
Oflicio ao Exm. presidente da provincia da Pa-
rahyba.Acenso recebido o ofllcio de 6 do corre-
te, em que V. Exc. me communicou a remessa dos
individuos de nomes Joaquim Mariannu e Luiz de
Barros da Silva, que foram presos nessa provincia
por denuncias de seren desertores do exercito.
Communicou-se ao commandanie das armas.
Dito ao commandante das armas. Remetto in-
cluso o ofllcio do inspector da thesouraria de fa-
zenda ji. 306 de 9 do corrente, e o processo de ha-
bilitagao que elle allude, para que V. S. se sirva
de ministrar os eselarecimeolos que se exigem no
sentido de explicar a divergencia que se nota en-
tre a informaran desse commando de armas datado
de 14 de abril de 1859, e a f de offlcios do tinado
enente reformado do exercilo Manoel Bezerra do
Valle.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transmuto V. S., para i s convenientes exames,
as inclusas copias das actas do cooselho adminis-
trativo do arsenal de guerra, datadas de 29 e 30
de agosto prximo passado.
Dito ao mesmo. Com o aviso que em 25 de ju-
lho ultimo se servio dirigirme o Exm. Sr. minis-
tro da fazenda, recebi o litlo de nomeaco do 2o
esrnplurario da thesouraria de fazenda da provin-
cia da Parahyba, Joao Jos Henriques Jnior, pa-
ra 3 escripturario dessa repartigao : o que decla-
ro s- pa" seu ronherimento e execucao.
Dito ao mesmo. Devolvo inclusos o ofllcio do
commandante das armas de 30 de marco ultimo e
a relacao de mostra a que elle se refeie, para que
V. S., nao obstante a sua informago n. 328 de 28
de junho desie anno, mande creditar o alferes
Francisco de Freitas Moreno pela quantia de 83050,
proveniente das racoes de etape abonadas ao re-
trala Manoel Joaquim que. tendo sido apurado pa-
ja o exercito no termo do Ex, foi posto em liber-
dade por se haver inutilisado para o ser-ico, como
consta dos offlcios do Dr. cliefe de polica e do de-
legado daquelle termo constante das copias ns. 1
Dito ao inspector da thesouraria provincial.In-
teirado do conteudo do offlcio que V. S. me dirigi
em 9 do corrente, sob n. 394, tenho a dizer m
resposla que concedo a permissao nelle pedida pa-
T? 22S poslos novamente em praca o imposto
de 2&>U0 sobre o gado vaccom que fr consumido
no municipio de Iguarassu e o do dizimo do mes-
mo gado na comarca do Bonito, o primeiro com o
abate da terca parte e o segundo com o de 3/8 nos
respectivos valores, como V. S. indica no seu cita-
do offlcio, visto nao haverem apparecido licitantes
a taes impostes.
Dito ao mesmo.Pode V, S., de conformidade
com o parecer da contadori dessa thesouraria,
que se refere a sea informacao de 6 do corrente
sob n. 391, mandar adiantar SnOjOOO ao professor
nomeado para reger interinamente a 2" cadeira de
instruccao elementar do termo de Cimbres, Fran-
cisco Malaquias Soares, aqualser-lhe-ha desconta-
da de conformidade com o arl. 2J da le n. 589 de
13 de maio deste anno.
Dito ao,Sr. William Otto.Fico scienle de haver
0 **r: William Otto, como me communicou em seu
offlcio do Io do corrente, reassumido as funegoes
da cnsul de Hannover, e de vice-consul da cidade
livre e hanseatica de Lubeck nesia provincia.
Reitero ao mesmo Sr. cnsul os meus protestos
de estima e consideracao. Fizeram-se as necessa-
rias communicacoes.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Remeta V. "
juiz munii
Tnomaz d"
dio sem guia'.
Dito ao director do arsenal de guerra da curte.
Pela leitura do ofllcio que aqoi ajunto por copia,
llcar V. S. inteirado de lerem sido recolhidos ao
arsenal de guerra, sem a menor falta, as espadas
com hainha de ferro, e o panno alvadio que V. S.
DIAS DA SMaNA.
12. Segunda. S. Macrobio m.; S. Liborio m.
13. Terca. S. Ama v.; S. Heronides m.
J4. Quarta. Exaltagao da Santa Cruz,
i!" 0uinta. S. Domingos ern Soriano.
- a',Si Cornelio, Cypnano e Rogelo mra.
i/- Sabbado. S. Pedro de Arbues m.
18. Domingo. S Jos de Cupertino f.
ASS1GNA-SE
no Racife em a livraria da praca da Independencia
F Filho! propnetnos ***0*1 ^Sfroad!
de magisterio, devendo essa gratificacio ter prin-
cipio da data da mencionada lei. Communicou-se
ao director geral interino da instruejo pu-
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Francisco Pereira da Silva, resol ve
conceder-lhe lioenca para rcmetter ao presidio de
remando, o seu oseravo de nome David, a ser
entregue alli seu socio Manoel Jos de Souza
Nunes.
Dita. -O Sr. gerenic da
cana, mande d ar Iranspor
seguir para o presidio de
correnle, por ronta do gov
giao Francisco Marciano
posla de mullier e 3 fillios com idades de 2 6 an-
nos, e cm lugares de pifia destinados passageiros
d estado 2 eternos e 1 criada menor do mesmo
cirurgiao.
Di la.O Sr. gerente da companbia Pernamhu-
cana, mande transportar al o presidio de Fer-
nando no vapor que para alli tem de seguir no
da 14 do correnle, em lugar de proa, destinado
passageiro d'esiado Maria Magdalena de Jess,
que consta ser desvalida.
Despachos do dia 12 de selembro de 1861.
Reqncrimentos.
Alexandre Francisco dos Sanios.Informe o Sr.
commandante superior da guarda nacional do Pao'
d'Alho.
Albino Jos Ferreira da Cunha. Concedo per-
missao para o supplicante levar a effeito a demo-
licau que pretende, urna vez que satisfaga a exi-
gencia da reparticao das obras publicas, constante
da infoimacao por copia inclusa.
Claudino dos Santos Castello Branco.Requeira
a assembla legislativa provincial.
Francisco Ferreira de Araujo.-Informe o Sr.
Dr. chele de polica.
Francisco Luiz Cavalcanie de Albuquerque.
Informe o Sr. inspector do arsenal de marinha.
Francisco Beringuer Cesar de Menezes.Passe
portara na forma requerida.
Bacharel Jos Joaquim de Souto Lima.Informe
o SrL inspector da thesouraria de fazenda.
Joao Nunes Correa.O supplicante s pode ser
attendido depois da resolucao do governo im-
perial.
Manoel dos Santos Nunes de Oliveira. Enten-
da-se com o chefe da repartigao das obras publi-
cas, a quem se expedem as convenientes ordens.
Manoel Vicente Ferreira Rocha.Informe o Sr.
Dr. chefe de polica, ouvindo o administrador da
casa de detencao.
Rosa Maria Francisca de Albuquerque.- Re-
queira assembla legislativa provincial.
e Olho de Boi, perteneente mes-1 rnn<);.O om ,i t
Faci ma companbia, tiuham sido convidados para esta -.L'^. .em. f,ue dcie P**" entroncamento
racimando a existencia de taes plantas, e exame \ festa.
Iherme cousul, emprezario do theatro de S. Car- fazer -
los ; Eduardo '
. do thea
tros, secretario.
Hmmxtu&is!&i fsaaraBSBiBi
I^uve varios brindes feitos pelos convivas, eo
br. Serzedello Jnior, um dos directores gcenles
de Lish'n"aiTorr'mo 7 "-""'"a.^S^T""j1"'" I wjnpanliia, fez um brhanle discurso anlogo
navios ^m ,ia rm a* -diyses iaterf dos dlt,os ?0,ad'antamenlo em que se acham os bossos esta-
O presidente da commissao o Sr. Francisco Pa- EEi*" dS commandantes a de", ^SJEf! ** ,
Iba prona que a idea se ampliasse, e em vez de. o ET i/ii .... __ .i. amar acabou depois das cinco horas da tar-
uuuniode Jjsboa traz a seguinte portara! de, havemlo em seguida um baila nos terrenos
e justiga com data contiguos s fabricas, terminando a funecao ao sol
do director geral da posto,
procurador geral da cora. Houve um desastroso incendio no dia 14 do
pequeas colum collocadas no alan A* itwim! SrZ ":J': ?l"c',|Ue co.nseH>e'ro procurador (corrente, no roci de branles.
de D. Maria.
Ser encarregado da obra o Sr. Vctor Bastos,
ou o Sr. Brdalo Pinheiro.
No dia 24 inaugurou-se effectivamente, no
caes, de Maihosinhos, junto ponte de Leca, a es-
tatua de Passos, Manoel.
A estatua de raarmore, feita as offlcnas do
Sr. Almeida Costa, ao Laraujal, reprsenla o illus-
trecsladista com um livro na mao direita, a legis-
lado de 1836. Est assenle sobre nm pedestal de
GOVUKXO RO BI3PADO DE
1*1 ItVliIUI c o.
SEDE VAClfli
CONCLUSO S FEGUEZIAS VACAS.
Tendo o governo de Sua Magestade Imperial
mandado que nesle bispado se proceda ao concur-
so de algumas das froguezlas que se acham vagas,
declaro a quem convier que S. Exc. Rvma. o Sr.
vigario capitular brevemente vai mandar afflxar
os edilaes para se proceder ao concurso das se-
guintes freguezias :
S. Caetano da Raposa, em Pernambuco.
S. Jos de Ingaseiras, idem.
Nossa Senhora dasMontanhas da villa de Cimbres
idem.
S. Jos de Piranhas, Parahvba.
S. Miguel da Baha da Tracao, idem.
rtossa Senhora da Conceicao da villa do Conde
idem.
oa expeca as ordens convenientes aos
inagisirados do ministerio publico, seus subordina-
dos, para que em todos os processos de habilitado
para successao de herangas de subditos portugue-
zcs, fallecidos no imperio do Brasil, que correrem ,
nos juizos e Iribunaes, junto dos quaes os mesmos
magistrados exercerem as snas funegoes, interve-
niiam nao su quando por parte da fazenda nacio-
nal nouver direito a contestar a habilitagao como
parte leliganie, chamada pela citagao edilal e im-
5.??u,raent.0' PerPna I (Segue-se a assignatura do ministro.)
um filho, Illm. e Exm. Sr.Convindo adoptar algumas
Erap todo meio dia, quando o. m*EX&'ES*CY U%*S!tL
de foguetes annunciou o comego da ceremonia, e30^oj.n^^?!torito Se!?c!L-
omum veo de LS""' QUe ^^ CoberU i !1^ ti $X iTZ^oVLfo.
IrSSS^ccn,ro da ^uai ficou co,i-; ^s^stsjsJSi Sfd aant
cado o monumento eslava todo embandeirado, e' rgida em M de iunho anierior nelo referirlo m
Tr^^rJ^T^^l^ ?.ais.b.e" !W ntstnL^arT/de^rS'no im-
completo e inaugurado,
recordagao das virtudes e qualidades
seu.
ser coroavam-no as galas da natureza, ostentadas perio do Brasil tacr.es nara n*
por um da formoso, e pela formosura do local, essao dehcrabMfdiSSfwSSSSS.
Sa'e8^* T ^,M-,0n!i0 de damasco cidos meYmo^mpVrio : ordenafETJSt
e seda, e adornado interiormente com duas ban- tro e secretario do estado dos neeocios eccl cas
deiras nac.onaes, obrigava urna mesa, onde devia ticos e de jus caque V Exc irfn'mftta aos ma
hfnHa,SSignadooa5todasoleraoidade- P^"no,a gistrados &SiSrioip&TS? Srnbe
banda de msica do regiment n. 5 de nfantaria. o cumprimento da<^imSi*LtamlLiXimM
ttS+ssEarderausica'e fazeado as- jns,ru'c5es '^^ Ksair^qS
egre a resla- forem cnamados a inlervir em alcuma das mancin.
.um seguida ao descerramento o Sr. A. F. da seus immediatos superiores a-esta secretaria de
Silva Barros, leu um discurso anlogo aoassnm- SKTS5- SSfSi1!
J&^"l223&'Z*m* nu"; -A ~rem q^e pende a"
que pende a habilitagao.
O nome e estado da pessoa de quem provm
ranea.
A ierra da sua naturalidadp.
mero deJcguetes, que estrugiam osares.
i-indo elle, pason-se leitura e assignatura do
auto, isovas gyrandolas annunciaram entao, que
a ceremonia estova terminada, distribuindo-se em #> O RflDw da lorr^A^itl'^T"'a ..
seguida Uma esmola aos pobres das res freguezias orf SJSSfBE SmSlto 'eCeU' U
de Guifoes, patria do grande estadista, e de Ma- fe. 0 nome da erra T,t J h?. ,
thosinhos eS. Mamede de Infesto, natoralidade acha arrecada da C eX'SlC U Se
- 5t, aberto o concurso para o monu-1 ^'^SU.lfawlliSSS f****
ment, que D. Pedro IV se deve erigir na praca do Torres Novas do exonerando o conde de
Roco.
O fogo rebentou em uma estancia de madeira?,
e communicando-se s duas moradas contiguas,
pertencentes a Jos Baiatoiro, tambem as devoroo,
assim como a eslancia.
Morreram queimados um macho do bastante va-
lor e cinco porcos.
Acudiram bstanles pessoas, que tiveram de
atravessar o rio em barcos.
Porm dous rapazes, um de 13 annos e outro de
13, Olhos do mestre de primeiras letras de bran-
les, de appellido o Rato, nao adiando barco, met-
(eram-se ao vo, vestidos, porm nao acertando
com o vo, afogaram-se.
Os cadveres appareceram no da segunte abra-
gados es dous um ao outro, mostrando que assim
haviam morrido.
Este acontecmenlo consternou toda
que os dous irmaos eram estimados pelo
mo comportamento.
No dia 20 reunio-se
Assocagao Commercial, e resolveu representar ao
governo contra o decreto que permiti o deposito
de cereaes e farinhas no Porto e Lisboa, por nao
satisfazer, antes aggravar, as necessidades do mo-
mento, e por conseguate pedir a livre admssao;
bem como para ser alterada
das Dossas linhas com as de llespanha.
Celebrou-se no 1* do corrente mez, em o hos-
pital dos invlidos militares de Runa, o aniversa-
rio da maugoracao daquelle estabelecimento.
"Exm. general Horta, a quem est confiado este
estabelecimento, nao poupou cousa alguma para
tornar notavel esta festa.
B-epois da festa na igreja, seguio-se um abundan-
te jamar, de que os restos foram distribuidos po-
breza. v
O povo da localdade foi todo convidado a asss-
tir ao jamar dos invlidos, no lim do qual S. Exc,
em nm eloqaento discurso recordou aos seus com-
panneiros de armas os sacrificios feitos na defeca
da nacao e da liberdade, e levantou os brindes
memoria da augusta princeza fundadora do eslabe-
fecimento, a carta constitucional, sua magestade
imperial, cl-re e familia real.
Esteve muito brllhante esta festa; o Sr. Horta
tornou-se digno de louvor pelo affan que mostra
em lornar-se respeitavel e respeitodo, como deve
ser, o pantheon de todas as nossas glorias milito-
i "o a lii"v' de '"ser o relalorio com dato
e .1 do corrente, da commissao nomeada por de-
creto de 7 dejullio pretrito, para a escolha do lo-
cal apropriado para a ediflecto de usna priso pe-
nitenciaria nos suburbios de Lisboa, e n'uma por-
tara com data de C do corrente louva o conselhei-
Pi- ?.l,!?51m-e! Ia Silva Abra'nches"'"presidente da
extraordinariamente a
seu opti-
ct.ida commissao, pelo zelo, actividade, e acert
com que so houve no desempenho daquelle cargo
que Ihe foi commettido
O relatorio da referida commissao do teor es-
guinte :
Senhor.Foi vossa magestade servido ordenar
que a commissao nomeada por decreto de 7 de ju-
Iho ultimo procedesse escolha do lugar, apropria-
nem como para ser alterada a hora para mas tar- d0 oara a ed ^1^^ 1 U SPVproKna"
de da sabida do correio para as provincias. Alm ar ,"S-,le.uraj ra'a ,en,ral Dellllen-
destes dous assumptos, diz-so que tambem a drec JSL J? Sitt V CS'e lK T^J8*
gao resolveu representar ao coverno contra a ex-! Td? t* da hnila ^ circumvallacao da da-
cao
porlacao do ourb, pedindo a cunhagem de uma no
representar ao governo contra a ex- e de C,,'?''"i}" \ ":".,,MU Ud
uro. oedindo a cunhaeem de ama no- ML.'??03' f*S8e fVra dos .Pntos onde a Popula-
kwiui^.iu uuuuiu, puuiuuu a cunoagein oe uma no- .v, SP ,Ph m-,:- o~i.-.jr-------
va moda en. ouro, que possa no mercado supprir SmnSeTrSSSlW?6^ ,1 S6, *"** raZOa"
a falta de soberanos. Zl T que venha a agglomerar-se, e
sendo escolhldo fora da dita linha nao fique mas
de tres kilmetros de distancia della.
Para os dous primeros assumptos, contra os
quaes representa a Assoclacao Commercial, tam-
bem extraordinariamente se reuni a Associagao
Industrial no dia 20 noute, e por unanimidade foi
resolvido que ao governo fosse dirigida uma re-
presenlacao, que pedisse a livre admssao de ce-
reaes estrangeiros, como a necessidade do momen-
to reclamava, e a mudanga para mais tarde da
partida do correio_ para o norte do Douro.
Na mesma sessao foi resolvido que se offlciasso
s domis associacaes existentes no Porto, tanto de
soccorros mutuos como industriaes e commerciaes,
para que se nao quzessem adherir representa-
gao da Associagao Industrial, x%g cop o'em isolada-
menlo no mesmo sentido ao &
AflrmS-se~quo 9 ministro da fazenda apo-
sentar ao parlamento na sua prxima
'-; ------^-trrrrtcTrf-Irrr
Em desempenho, pos, deste encargo, que vos-
sa magestade foi servido commetter-lhe, a mesma
commissao passou a visitar os suburbios da cida-
de de Lisboa e conseguio encontrar um terreno
em Umpolide, no sitio chamado trras do Seabra,
comprehendido entre o deposito de agua do alto do
Pombal.o muro exterior da linha de circumvalla-
cao, o arvoredo da quinta do ronde d'Asambuja,
ea cncosta de Campolide, que rene todas as con-
digoes desejaveis para a edilcagao de taes estabe-
lecimentos. Asss vasto, aberto a todos os ventos,
distante de habitagScs e de quaesquer focos insa-
lubres, o lugar indicado proprio para nelle se
*aT8nWh551llLjfl|!UfU, qoaiqoe>
que soja a forma e extensSo que qaeira dar-se-lhe.
cuiuia ao parlamento na sua prxima reuniao, Piano p < ,,m 7. U.T e ,ut,r,i u, e',ne-
um projecto de le para eapitalisacio de toda a di- Ja tn% *? .? ,alor,_poi* que consto de Ierras
vida passva da estado, e bem assim do papel mo-' Kfa-,2mhSS,a,8?inM' a saa exPro"
da que existe em ser. pria\' sera barata e a edilicacao econmica.
la \ S. para esta capital, a disposicao do! Nossa Senhora da Conceicao de Macau, Rio-Gran-
inpal da 1- vara, o sentenciado de justiga de do Norte.
1 Aquino Vianna. que se acha neste presi S. Joao Baplisto do Apody, dem.
Nossa Senhora do O' da Serra-Negra, idem.
A de Passabuss, Alagoas.
Nossa Senhora do O' de Tap, idem.
Santa Auna de Ipanema, dem.
Nossa Senhora
remetteu para esta provincia em 2 caixoes no va-
por Paran, como me communicou em sen offlcio
n. 398 de 22 de agosto ultimo.
Dito ao commandante do briguebarca llama-
rac.Recebi o offlcio que V. S. me dirigi boje,
sob n. 53, e fleo sci-nte de que o vapor de guerra
Paraense tem de seguir para a Babia no dia lo do
corrente.
Dito ao engenheiro encarregado da reparticao
das obras publicas.- Sendo inconveniente segunde
constadesuainformagao.de 9 do corrente, sob
n. 2^3, a remoeao do lampiiio eolloeado na casa
que volta da ma do Mondego jiara o becco das
Barreiras, rerommendo Vmc. que entendendo-se
com o proprietano da mesma casa Manoel dos
Sanios Nunes de Oliveira, procure chegar a um
accordo rasoavel a bem do publico e dos inleres-
ses d aquello propietario.
t Dito ao mesmo.Declaro Vmc. para seu co-
Dhecunento que em vista de sua informagao de 9
do corrente, sob n. 244. e mediantes as condices
nella indicadas, acabo de conceder a Albino
Joso Ferreira da Cunha a permissao iiue pedio
para demoiir parte do parapeito de um dos ra-
rnaes da ponte do Manguinho que lica cm frente
do portao do ^eu sitio.
Dito ao engenheiro fiscal da estrada de ferro.
Accusando recebido o offlcio que mo dirigi a
commissao encarregada do exame das contas da
estrada de ferro com o balanco da receita e des-
peza da mesma eslrada no mez de agoo ultimo,
tenho a dizer-lhe que approvo o procedimento que
teve essa commissao glosando provisoriamente a
despeza feita com os armazpns de ferro ltima-
mente adquiridos para as estagoes de Frecheiras e
Agua Preto, os quaes pela sua natureza devem ser
considerados obra nova, e pertencer o seu custo
conta do capital.
Quanto ao dficit qae anda produz o servico da
mesma estrada, em alguns- mezes, recommendo
commissao que o procure fazer desapparecer por
meio de reduegoes convenientes.
Dito cmara municipal do Recife.Para poder
resolver acerca do que propoe a cmara municipal
do Recife, em sen offlcio de 27 de julho ultimo,
sob n. 32, mister que a mesma cmara emita
o seu parecer sobre o que pondera o engenheiro
em chefe da repartigao das obras publicas, no offl-
do incluso em original datado de 31 de agosto
prximo Ondo, que me ser devolvido.
Dito cmara municipal de Garanhuns. De-
paro cmara municipal da villa de Garanhuns,
em resposta ao seu offlcio de 19 do agosto ultimo,
municipio, constantes da copia do termo de contra-
to que veio annexo o citado offlcio.
Portara.O presidente da provincia, altendendo
ao que requereu o professor publico de nstruegao
primaria da povoago de Nazareth do Cabo Fran-
cisco Beriagner Cesar de Menezes, resolve de ac-
cordo com as informag5es do director geral inte-
rino da instrnego publica de 22 de agosto findo,
sob n. 173, ouvido o conselho director, e do inspec-
t0' daihesouraria provincial de 9 do corrente, sob
n. J96, conceder ao referido professor, nos termos
do art. 2% da lei n. 598 de 13 de maio do corrente
anno, 4 graufleagao correspondente a metade de
seus veneimentos, visto contar mais de 25 annos
ra da Penha de Burity, Minas-Geraes.
Santa Anna da Catinga dos Alegres, dem.
Cidade de Olinda, 13 de selembro de 180,
Conego Joaquim Ferreira dos Santos,
Secretario do bispado.
EXTERIOR.
Parece que baver grande numero de concur-
rentes. S artistas italianos dizem que concorre-
rao cento e tontos.
llavera quatro premios para se distribuirem
pelos melliores projectos que se apresentarem :
Receberam-se
archipelago do Cabo-Verde, datadas de' 26 de 11
ilio ultimo.
Chegou neste navio o ex-secretario
geral.
do
CORRESPONDENCIAS DO RA
RIO DE l'EH.VmiiX'CO.
LISBOA.
28 de agosto de 186!.
(Concluso.)
Falli no dia 4 de junho a casa commercial
m,Sl"Ppura de J- de Almeida F'lnos com......
i590,000.
Parece que a quebra de outras casas commer-
ciaes, que se achavam entrelacadas com a firma
Almeida & Filhos, motivara esta fallencia ; com
ludo esperava-se que os credores formassem um
meetim, para tratarem de apurar os melliores
meios de chegarem todos a um fim amigavel.
Oxal que assim acontega, pois era uma casa
aquella, em que qualquer Porluguez cnconlrava
sempre a hosptalidade em toda sua plenitude.
As noticias posteriormente recebidas dizem que
foram chamados os credores da casa commercial
de Singapura-Almeida & Filhospara delibera-
ren! sobre o melhor meio de attenuar as difflcul-
dades em que esto amiga e respeitavel firma se
acha, devido s grandes perdas que solfreu. e ao
mau estado dos negocios.
Pela declaragao entao feita soubc-se que o al-
cance da firma de 5912,000 das quaes 487,000
sao realisaveis e 423,000 de incerta realisagao.
Para salsfagao desta somma incerta apresenta-
se um valor estimado em 31,300; porm o esta-
do do mercado, pela escassez de dnhero e a m
condigno do* negocios, faz julgar que toda esta
somma nao seja realisavel.
A deliberadlo unnime des credores foi que
a firma Almeida & Filhos entregasse o seu estado
de conta3 inspeegao de uma commissao formada
d enlre elles.
A sympaihia pelos Srs. Almeidas, nasactuaes
circumslancias geral.
Ha probabilidade que esta firma ter anda re-
cursos, para poder continuar os seus negocios co-
mo at aqui.
A colonia italiana pretende erigir no largo
de S. Roque, o monumento que votou ao auspicioso
consorcio d'el-rei com a Sra. rainha D. Maria de
Saboia, e para sso solicitar a indispensavel licen
ga da cmara municipal. O local bem esco-
ltado.
O monumento consiste n'uma columna de 43
palmos de altura, tendo no remate a injcripgao
n'uma lapide redonda, eircumdada de uma cora
de louro.
Diz-se que o monumento custar 600,5. E" diri-
gido e riscado pelo Sr. Cinatti.
Formou-s orna rommissao para tralar de
levar a effeito ma monumento para recordar a me-
moria do f&hrodo actor Epiphanio, a qual est
constituida pete segunte forma : Francisco Palha
governo da India, por assim o ha-
ver requerido, e a carta regia noraeando o Sr. Jo
Ferreira Pestaa jiara aquelle governo.
O Sr. Pestaa ir, segundo consto, em outubro,
pelo Mediterrneo a Alexandra com sua comitiva
D 11111 navio da armada naval.
ju-: tou-se daquelle frelamenlo para sahir dos portos
inglezes e escapar aos cruzadores federaes. O cer-
governo to e que o navio nao chega, e por ora nao ha outro
Communica o respectivo governador geral ha- Pa- No^liaT*0 dfa linha- A
voremsido j declarados Hnfpos^os poriofda i.ha n'agua twSi Sw S?
deSTIi.ago. llavia chovido em quasi loMm\porMSSotimSSTJXllS^
conselhosdo archipelago, segundo as participa-! mu Dias m ~l "m a COnela D""'o!o
goes dos respectivos administradores, o que deve I O Sr. D. Luiz I assistia ao arto
azer augurar a lerm.nacao da crse ; permitlindo No arsena I avia mISo"Jovo c ama -uuda do
as necessanas sementeiras. Tem sido soccorridos corpo de marionetas armada c
TSBES obta C0nMem*M *** ^ dia M biea-%SmeSa da Guadia-
\oS^^'hospitaes no mez de ^KWSfBBaifflSSUt,
cidade da Pra.a foi no hospital militar, entrados corrente, em que comeou a rubricada at 81
sessao legislativa,
uma providencia a
licaram exis- Note-se
hidos : curados 191, morios 336
lindo em 1 de junho 293.
A mortalidade do conselho da Praa, no memo
mez de malo foi de 1,229 bitos; sendo 846 na
freguezia da Senhora da Graga.
O Buletim publica participagoes dos administra-
que das madeiras sobejou urna grande
porgan que vai servir para a canhoneira Rio Gua-
diana.
A medicas da Rio Minho a segunte :
Lomprimento entre iierpendieulares 3b,23. Bo-
la cava meslra 6,23 m. Puntal da face supe-
Nao coube no tempo, a ultima
alias o ministro teria tomado
este respeilo.
E' digno de transcrevor-lbe tambem o que se lo
no Jornal do Commercio a respeilo dos Portos me-
teorolgicos e de siqnats :
Para agora tolve oito mezes. que foi annun-
ciado com data antecedente um temporal, que com
Mello se veriflcoa em alguns pontos da Europa.
Entao o Sr. ministro da marinha, Mendes Leal,
com aquella boa vonlade, energa e illnstragao, que
spm duvida o tem d.-tingudo no alto cargo, que
exerce, mandn ouvr o encarregado da superin-
tendencia das observantes meteorolgicas marti-
mas, o Sr. lente Brilo Capello, sobre oque con-
vina fazer-se entre nos para se poderem tambem
noticiar com a possivel aoticipacao e probabilidade
as variagoes do tempo, e tomar as precaugoes
quando precisas. E" este um objecto, de que em
toda a parte se oceupam hojo os governos, ouvin-
do os homens mais competentes, e aulorisando as
despezas necessarias, no que sao at coadjovados
do diversas maneiras por individuos e corporaeoes.;
O Sr. Capello iuformou, que para sso scriam" ne-1
Recomroenda-se alm disso o lugar escolhido
pela proximidade em que est o referido deposito
>al, d onde pode mni econmicamente abas-
circumstan-
- para que a commissao pre-
lerisse este lugar a todos quantos vio, poslo que
tambem apropriados ao fim
tecer-sc a casa penitenciana.'sendo esta 1
ca a que mais iofluio para que a com
rerisse este lugar a todos quantos vio,
latonera apropriados ao fim.
Em vista, pois, das exposlas condgoes do lu-
gar escolhido em Campolide, a commissao tem a
iionra de indicar vossa magestade, como mui
apropna-lo para a prisao penitenciaria que se pro-
jecto construir nos suburbios da cidade de Lis-
boa (seguom-se as assgnaturas).
Pelo ministerio das obras publicas ordenou-
se que o fiscal do governo junto a companhia das
aguas, alem de ter tomado posse das aguas e obras
adquiridas e construidas pola dita companhia, co-
mo me foi ordenado, tome igualmente pos.-e dos
maienaes destinados aos trabalhos que a mesma
companhia, em vlrlude do contrato que foi rescin-
dido, devia oxecutar.
Publicaram-se os
dos decano*, riscando
anno jurdico da unversidade de Coimbra
accordaos dos conselhos
um estudante do segundo
por um
18
e 22 do corrente em expo-
portugueza Gerguida, na madrugada de de Linharcs
ho desm Srif Sh?^SObr? S eachl)0sd0! ~ E^leve no dia 21 e Z3 ao crreme em expo-
L^?hfliSL^iSS^:M fuDdeada" Pr" S|W o paco municipal do Porto, a reproduegao
nSKSSSSTS? aS aarras- Fo,,?oc-, em.Pra,a d0 monumento de D. Pedro V, levantado
con ida especialmente pela gente da corveta Goa. I no largo daBatalha, mandada fazer pela Asocia-
da sis sz^rmb!i t* a^^^^^^^^^ss*
23LattlJ I5* 2S*2XKl0?\f2!?** PoWe de Beneficencia do Rio de
" ,'7 1 ro Andrea' c?,mmandanle da Janeiro, para o leilao que alli vai fazer-se a favor
corveta Goa, polo bom servigo que Ihe prestara,
O Diario de lo do corrente conlm uma im-
portante providencia. E' a permissao de deposito
ate 31 de margo de 1865 de cereaes em Lisboa e
Porto, quer tenham entrado pela foz do Tejo e Dou-
ro, quer tenham vindo por este ultimo rio ou pelo
caminho de ferro de leste.
O despacho nao por emquanto permittido e as
razots para isto constou de um documento que o
mesmo Diario transcreve.--
Gom esta acertada providencia conciliadora de
todos os interesses devem cessar os receios de fal-
ta de cereaes, e os lavradores que teimavam em
as>everar que a carencia do genero era artificial
tambem se nao pode queixar, pois que nacontinua-
gao da prohibigao do despacho at que a falta se
torne evidenlssima-attendeu-se s suas reclama-
goes.
Pblicou-se uma portara pelo ministerio da
marinha, ordenando que se tirem em duplcala as
plantas e aleados necessarias para ter conhecimen-
19 das divisos internas de todos os navios da ma-
rinha de guerra e capacidade de seus tonques
d agua, devendo uma dessas plantas ser entregue
ao commandante do navio, e outra ficar completo-
mente archivada para os fins seguntes :
Sendo de sumraa conveniencia e de notoria uti-
lidade que exislam nos competentes archivos, nao
so os planos geraes das embarcagoes do estado c
respectivos modelos, senao tambem as plantos e
algados que expressa e claramente representen) as
divisoes internas dos mesmos navios e a capacida-
de de seus tanques de aguada.
A' vista de toes plaas, podem assim o inspec-
tor geral do arsenal de marinha como os comman-
danies dos navios conheccr com mais facilidade
da necessidade das obras e melhoramenlos que as
ditas disposigSes internas tenham de ser introdu-
zidas.
do hospital da mesma sociedade.
O monumento reproduzd no seu completo,
tendo uns 60 centmetros desde a base cabera da
estatua, e um peso excedente a nove kilog'ram-
mas.
A estatua, brazoes e emblemas tudo a fosco, e
todo o restanle a bruido.
A estatua c brazoes sao obra do Sr. Francisco
Jos Aranha, os emblemas sao trabalho do hbil
lavranle o Sr. Jos Pereira Leile ; o irabaiho do
gravador do Sr. Antonio Marques dos Santos,
sendo toda a obra restanle, indurado a grade, do
Sr. Antonio Jos Machado.
Na grade tem gravadas as legendas que deve ter
a de verdadeiro monumento, quando concluido.
Estos legendas, que recordam as maores verbas
de receita com que foi auxiliada a obra do monu-
mento sao :
Sociedade Madrepora, do Rio de Janeiro, 7 de
junho de 1863.
Artistas nortuguezes
junho de 1863.
preca
tas estagoes, para serom de maior utilidade c pro-
venas para os navios, que demandam os portos
00 Portugal, servir tambem de postos de suputes,
foi de parecer o Sr. Capello, que se preferirse o
sitio da Foz, no Porto e no Algarve, Sagres ou Cabo
de S. \ cenle; ou ambos estes pontos no S., deven-
do em tal caso ser um s Jollesposto meteorolo-1
rico do signaos e o outro nicamente posto de
signaes e indicou finalmente os instrumentos n-
dispensaveis, e os signaos de convengas do systo-
ma de Filz-Roy.
Ignoramos os motivos, que poderla ter havpo
para se sobrestar na realisagao deste plano ; mas qu d'ahi Ihe resulrin r
felizmente parle delle vai entrar immediamente em!q US 10 foi routoo c-io?
execucao, gracas illnstraeao e bizarra da Asso-
dagao Commercial da cidade invicta, e notoria
actividade do Sr. Fradesso da Silvrira.
Os Srs. Fradesso e Capello, tendo-se dirigido
ao Porto, reconheceram o ponto conveniente no si-
tio da Foz para o levantamenlo do porto ou obser-
ambos appareceram afogados na laga, daquelle
mesmo lugar.
Os dous rapazes tnham a mesma dado, pois
naviam nascido no mesmo dia, coniavam 8 annos,
- meses e 10 das, l'm, Manoel Francisco, era filho
dfl Joao Franri>co, lavrador; o outro, Joaquim
toarte, era lilho de Francisco Duarte, traba-
Ihador.
Ambos nasceram no inesmo da, e no mesmo
lugar ; ambos guardavam gado ambos morreram
no mesmo da, o uc mesmo lugar, de morte igual
e a mesma hora !
Suppoe-se que se teriam ido banhar na lagOa, e
valono meteorolgico e do signaes ao N. do reino;
e a instancias e exposices do Sr. Fradesso, os be-
nemritos negociantes do Porto prestaram-se gene-
.., talvez esto circums-
ancia occasonasse a morte dos rapazes, too singu-
larmente unidos no seu destino.
Se fossem filhos dealgum grande da trra, quan-
ta eloquencia nao se ostentara para celebrar esto
casualidade I
~ N*da menos de seis vezes chamaram no dia
1- as torres os soccorros para os incendios, que se
manifcstaram em differentes pontos da cidade.
do Pelournho no predio
O que houve no largo
no Ro de Janeiro, 10 de
Bazar porluense, nojardim de S. Lzaro, 30
de agosto da 1862.
Devendo merecer extremo cuidado e eontkiua
attengao a regular distriauigao das a*uas a bor-
do, o que- se nao conseguir fcilmente senao pelo
1862.
Emproza dos caminhos de ferro porluguezes,
21 de junho de 1863.
V-se por isso que a prenda offerecida pela As-
sociagao Beneficente dos Ourives do Porto para o
leilao da sociedado Portugueza de Benefiyenca do
Ro de Janeiro nao menos apreciavel pelo valor
intrnseco que pela grandeza da significagao.
No dia 14 deste mez os opranos das fabri-..
cas de Santo Amaro, pertencentes companhia de stobelecido. Entre as torres ficar, segundo eons-
fiagao e tecidos lisbonenses celebraran), como eos-; te, a cauella do Nossa Senhora da Luz e as cons-
tiimara fazer ha annos, a festa Nossa Senhora das trucedes annexas serao comprehcndidos os aloja-
'es- menlos para o pessoal, e os dispostos para o mate-
rosamente s necessarias despezas. Parece, que os frotefro Zo h^dfpo7^T"Z t es, u -
Srs. Fradesso e Capello acompanhaos do Sr. Ga- na para o lado da ra do ZSeal' anrarecL Tra-
ma Lobo, passaram agora ao Algarve para a csco-, ppente e atterrador appareceu ""-
Iba dos pontos adequados ao estabelecimento do
ponente e atterrador.
goes e instrumentos. Se estes meios nao forem suf-
llcientes, queremos acreditar, que o ministerio da
marinha nao deixar de contribuir com o restante
para o complemento total da obra. A honra e a
gloria sao de todos quantos se afa-gam e concor-
rem para to serio objecto, cada um na parte que
Ihe toca : o proveito da patria e da humanidade.
Com os meios pecuniarios, com que j se pode con-
tar, e eom a actividade e intclligencia dos planisa-
dores e executores, deveremos esperar confiada-
mente, que j para o invern prximo tudo esteja
concluido e prompto para os fins desejados e ne-
cessarios ; e que quando se diarera os esforgos, os
(rafeamos, as obras e os resultados dos estranhos,
possamos tambem citar alguma cousa dos nossos,
fazendo justiga a todos, dando a cada um o que de
direito Ihe toca.
Parece que no Porto se concluir o edificio
era que actualmente esto o pharol, construindo-se
outra torre, igual aquella om que o pharol se acha
Estes dous ltimos annos o arratol tem sidosufes-
tituido por jamares. O ueste anno foi lauto eas-
sislram mais de 300 operarios.
rial dos portos de signaes e do observatorio.
Chegarara no dia 10 do correrte de Badajoz
os engenheiros hespanhes D. Eusebto Page, e D.
peiras, os soccorros appareceram com promptdao
mas o fogo conservou-se ameagador, em quanto nao
se Ihe assestaram por alcum tempo as agulhetas de
duas bombas vapor e uma da bomba do ar-
senal.
Das outras bombas que primeiro acudiram zom-
bou o fogo, favorecido pela ligeira virago que so-
prava da barra; mas, logo que por espago de meia
hora teve coaira si as duas bombas vapor, reco-
nheceu-se que estova completamente dominada o
limitado ao local onde se manifestou.
O predio tem sete janellas para o largo do Pelou-
rnho e seis para a ra do Arsenal. No primeiro
e segundo andares eslao a hospedara Lusilania e
o hoiel Porluense.
Uma circunstancia cariosa occorreu neste in-
cendio, (juando principiaran) as torres a locar,
acabava-se de assignar a apolice do seguro dj pre-
dio na companhia Bonanca, segando dizem uns, ou
era urna companhia do Porto, segundo dizem oa-
tros.
As bombas se retiraran) do largo do Pelournho ,
s 5 horas da tarde, e vieram correndo at s Cha-
gas, porque dando esto torre 15 badaladas depois
das mais terem censado de chamar os soccorros, a
de S. Roque, comecou a dar 29. Este engao pro-
veo de lerem sido muito repetidos
|)...j" ""..'''r''". -----n'"'A" "Tyy**"* *" """i"'''! ""i siuo umuu reiieuaos na torre da
a. n5r ador ^ admu*arado.r d(> "J8*? Innocencic.Gomes Raldan, os quaes veem, segundo | Conraicao Nova e na de S. Juliao os toques reba-
j ,(,m.'Antonic,Bodngues Sampaio, Lud* Al- consto, eommissionados pelo governo hespanhel te sem numero fixo de badalada*
meida e Albuquerque, e urna commissao de opera-. para t|tor. com. o uosso governo de eslabelecer as l Acabavam as bombas de reco"lher as suas esta-


Diarto ir Penarkae* Quinta lelrm 15 4* rtembro r 11 4
7
?Oes, quando as torres, an signal de 13 hadaladas,
novamente as chamavam. Para os lados da Grao*
li foram correudo, e cont lias anadciros, pique-
las, inspector, etc.
As que desdara pela ra Nova do Almada para-
rain na iravessa deS. Nicolu, porque tamltem ahi
Bastos YareUa, para servir na gitarnico da pro-
vincia ta Baiiia. Em o 1 do crrante.
Remoeo.lio Sr 2* cirurgio q> corpa 4o
sade Dr. Pedro Romao Borges de Lemos, da guar-
uiciio desta corte para a da provincia de S. Paulo.
Transferencia.Dos Srs.: segundos tenentes,
gritaran por soccorro. So duas bombas ahi Va- Antonio Francisco Duarte do 1" regiment de arti
rain e s ama trabalhou, porque o fogo era n'uma litara a cavallo, para a companhia de artiflcos de
chamln.
As mais dirigiram-se para a Graca onde parece
que furam mais necessana. Os outros fegos foram
insignificantes a nao ser o ultimo que se manifes-
tara na olaria da ra Direita d'Arroios, sendo ludo
consumido pelas chammas: e eonseguuido-se ape-
nas evitar que o fogo se eoinmuoicasse aos predios
contiguos.
No dia 9 apresentou-se no ministerio da guer-
ra um ufBcial inferior de arliluana vestido com o
novo nnifjrate daquella arma.
A barretina pequea, e a chapa consta do se-
guinte emblema-urna silva dourada com duas
pecas atravessadas, ao centro urna granada pratea-
da, e uo alto remata com urna corda
O ruaco tem gola encarnada, com as respectivas
granadas, canho preto avivado de encarnado; em
lugar das amigas platinas, dragonas encarnadas
ranadeira com franja preta.
No dia 15 falleceu repentinamente, victima de
urna apoplexia fulminante, o Dr. Jos Henriques
Proenca. Tinlia ido passar o da a casa de um
amigo, em Bonifica e comecando a sentir-s eu-
coramodado, puuco depois expirou.
O Sr. Proenea era medico pela Universidade de
Gi.-nnea, memoro do varias sociedades scieutilicas
e fundador do primeiro consultorio homeopalhico
em Lisboa.
O novo corpo de artilharia, que ser o quarto
daquella arma, acha-se ja organisado, sen I > seu
coiamandante, o commendador Jos Maria de
Pina.
O quarto de artilharia, est aquartelado na Gru
dos quatre eaminhos. Ja recebeu a moliilia ne-
cessana do arsenal, assim como o armamento novo
que soearabnasdeadarme0"0l4, espadas ebayo-
netas para 300 pravas.
As obras da doka de Ponta Delgada, ilha de
S- Miguel, vo bastautes adiantadas. A plataforma
ja tem 13 lances, o que equivale a 1,07o ps de
compnmento. O numero de operarios all empre-
gados monta a.'i't.
Foi concedida a Jorge Higgs, a patente de in-
venco por 15 anuos, de urna machina denominada
leguladorelectro-hydrauliio que funeciona pela
aeco combinada da electricidade com a das ma-
res.
Sna magestade el-rei mandou pela sua vedo-
ra declarar o seguinte :
Tendo attenc* as urgencias do estado, hei por
bem ordenar que da dotaeo que me foi estabelec-
da, na confurmidade da carta constitucional da mo-
narchia.se deduzaa quanliade30:0005como dona-
tivo espontaneo que oever veriicar-se durante o
anno econmico da 18651866 ; eoutro sim sou
servido declarar que de minha vontade que desta
soma sejam applicados 0:0005 para auxilio as cons-
truecoes navaes da marintia de guerra e que a res-
tante quantia de 10:0005 seja comprehendida na
recelta geral do tbesouro publico.
Centiua a dar representaeoes no |Porto a
companhia do theatro normal. A Cora tem al I i
agradado mnito.
Era Lisboa est um brutamontes que se intitula
o rei dos iutadores. um cene Mr. Charles de
quem falla a fama e que pelo norae nao perca. Eu-
tenueu o homem das forcas que os jomaos nao ti-
nham razo de reprovar que se consentis.se na ca-
pital o ignobil espectculo da luta desse Hercules
com uns poucos de parceiros apalavrados que se
deixavam vencer.
O Sr. Charles, picado com isto, atirou-se aos jor-
nalistas como S. Tliiago aos Mouros e iujuriou a va-
ler. Apezar desta grosseria obteve a lieenca que
desejava e l se mostra aos domingos no Salitre,
onde oulr'or brilhou o D. Jos Serrate. Us jor-
naes eneabecaram a coneesso da lieenca na poli-
tica o vo ralbando do ministro do reino por ser
condescendente com o homem dos empurres.
Lisboa est de.serta. O calor excessivo afugen-
tou para o campo quem podia abandonar tempora-
riamente os seus negocios.
L.
Pernambuco, e Antonio da Rocha Bezerra Caval
canli, desta companhia para aquelle regiment.
Alferes do corpo de guaroicao de Minas-Ge-
raes Eslevo Itibeiro dos Santos Monteiro, para o
corpo de guarnico da Parahyba.
t Do particular do 1 batalhao de infantera
Benjamn Dantas Piuag, para o corpo de guarni-
cao do Cear.Em 31 de agosto (Indo.
Do cabo de esquadra do 1* batalhao de infan-
taria Antonio Manoel do Oiiveira, para a compa-
nhia de tajadores de Sergi pe. -Em 26 de agosto
lindo.
Do soldado do mesmo batalhao Romo
A' mu Exma. familia dimos nosso* psames
Nao sendo possivel, a commissat encarre-
Bada de obter objectos para o leo no tiosaal
Portugus de Beneficencia, ir pessoalmente todas
as pessoas quem dirigi cartas bascar as res-
postas, pode-nos declaremos essas pessoas que
queirara dirigir qualquer dos seguiotes senho-
res ou ao eiiabelecimento os objectos aue tiverem
atsabbado (17) ao meio dia : erem'
Joaquim da Silva Costa, ra das Crazes n. 42.
Joo Pereira Monlioho, ra da Aurora.
Jos M. da Silva Borges, ra Direita.
Domingos R. da Cuaba Oiiveira, ra da Praia.
Jo*o Teixeira da Silva, ra Direita.
Albino Jos da Suva, dita.
Jos Joa'quim da Canha, ra da Praia.
Francisco P. Onorio, ra do Rosario.
Termmaram os trabalhos eleitoraes na fre-
guezia de S. Jos, sendo que a apuracao das
j quatrocentas e oitenta e cinco cdulas rccolhidas
Lopes urna deu o seguinte resaltado :
Vereadores.
Dr. Joaquim de Aquino Fonseca
Dr. Joo Jos Pinto Jnior .
Luiz Cezario do Reg ....
Francisco Acyoli de Gouveia Lias .
Jos Antonio de linio Bastos
301
294
285
280
278
Dr. Joo Maria Seve.......278
Leite, para a companhia de cacadores do Rio Gran-
de do Norte. Em 31 de agosto lindo.
Do soldado addide do mesmo batalhao Marti-
nho Jos Ferreira, para o asvlo de invlidos da
corle.
De soldado do 4 batalhao de Infamara Anto-
nio Luiz Torres de Aguiar, para o Io regiment ds
(avallara ligeira.
Do soldado deste regiment Emiliano Francis-
co de Oiiveira, para a companhia de cavallana da
provincia de Peruambuco, engjando-se para con-
tinuar a servir na forma da le. Em 26 do cor-1 Gustavo Jos do Reg
rante mez. Dr. Jos Joaqun) de Moraes Sarment.
Do tambor do Io batalhao de artilharia a p! Luiz Francisco de Barros Reg .
Jusliuiano Ferreira dos Santos, para o 4o batalhao! Feliciano Joaqnim dos Santos.....jas
da mesma arma. I Antonio Jos Silva de Brasil.....125
Festejou-se hontem o 42 anniversario da nos-1 Luiz Jos Pereira Simoes ....... 124
Dr. Sil vino Tarquino Villas-Boas
Justino Pereira de Paras ...
Fernando Francisco de Aguiar Montarroyos
Manoel do Nascimento da Costa Monteiro .
277
272
251
134
129
126
125
sa emancipaco poltica.
Entre as sociedades
patriticas que mais se
Tboraaz. de Aquino Fonceca.....124
A cada um uestes nove ltimos deve contar-se
Appellante, Jos Ignacio de Mello; appella-
do, Alejandre Beierra de Albuquerque Barres.
Appellante, Vicente Ferreira da Costa Miranda ;
appellado, Hermenegildo Edaardo do Reg Mon-
teiro.
PASSAGKNS
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Alraeida e Albuquerque
As appellacoes civris.
Appellanle, Jos Gomes dos Santos Pereira da
Bastos ; appellado, Dr. Francisco Elias do Reg
Dantas.
Appellante, o visconde de Suassuna; appellados,
os herdeiros de Sebastio Antonio Paes Barreto.
Do Sr. desembargador Alraeida e Albuquerque ao
desembargador Assis
As appellacoes crimes.
AppeHantcs, Manoel TVares do Nascimento e
outros ; appellado,. o juizo.
Appellante, o juizo ; appellados, Jos Mulato da
Silva e outro.
Appellante, Joo Gomes Coutlnho ; appellada, a
justica.
Ao Sr. desembargador Molla
O conflicto de jurisdieeao entre o juz munici-
pal de Ouricury e o de Boa-Vista.
O Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desem-
bargador Molla
A appellacao crime.
Appellante, Joo Soares de Macedo; appellado,
Joo da Fonseca e Silva.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Ucha Cavalcanti
As appeliaces cruiies.
Appellante, Andr Ferreira da Silva ; appella-
da, a justica.
Appellante, o juizo; appellado, Gregorio, es-
cravo.
Appellante, Antonio Alves de Carvalho Voras ; h.mi~.
appellado, Joaquim Jos Ramas. *
Appellante, Jos Praaosco Pinto Guimaraes ;
appellado, o Dr. Gabriel Soares Raposo da Cantara,
como administrador de sua mulher e tutor de suas
enteadas, filbas do fallecido Francisco Jos Bar-
bosa.
Appellante, Francisco Luiz Carreiro & C.; ap-
pellados, Tasso Irmaos.
Do mesmo ao mesmo.
AGGHAVOS.
Do juizo municipal e comraercio do Cabo.
Aggravante, Pedro Alexandrino da Costa Macha-
do ; aggravado, Augusto Cesar Pereira de Men-
donca.
O Exm. Sr. presidente negou provira ento.
Nada mais houve, e encerrou-se a sesso as 2
horas da tarde.
Hospital Porluguez de Bencliceneia em Per-
namliuco.
Tendo de celebrar-se no dia 18 do corrente c
anniversario da fundacao do Hospital Porluguez,
como pre-creve a sua lei regulamenrar. entendeu
a actual junta administrativa, a imitado do que
praticou a sna antecessora, que esse acto se pode-
rla tornar mais solemne, seguindo-se-lhe a exposi-
cao de prendas e joias, que a generosidade dos ha-
bitantes desta hospitalera cidade se dignarem de
olTertar-lhe, para em publico serem trocadas e
convertidas em beneficio dos pobres enfermes.
Neste intuito foi Borneada orna commisso espe-
] cial para agenciar e arrecadar os diversos don,
nwiastias syphiliticas e merenriae?,
assim como toda a casta d molestias da pelle.
Era quanlo existirem tre imitacoes e falsifiea-
edes desta medicina, portanto preciso evitar en-
gao, procurando a original e verdadeira as loja
de Caers i Barbosa e de Joo da Conceico Bravo
&C V
distmguram nos festejos notaremos Bella Har-1 mais vinle e seis vetos tomados em separado, se-
ntomo, Brailo Ypiranga, Sete de Setetnbro, e Peta- gundo deliberacao da mesa, visto haver conside
lgica, que execularam nsca os respectivos pro- i rado serem lyt'ographados igual numero de ce
grammas. I dulas.
Esiiveram apinhadas de novo as ras e pracas
ali-
As appeliaces civeis. \ vos> a 9ual em desempenho de sua honrosa e san-'
Appellantes, Rostron Rooker & C.; appellada, a ta missao dirigi humildes supplicas s pessoas de ia ",l"t0 costo escrever meu lilho, que enlao j
fazenda. ; 1ue teve conhecimento. : eslava nessa cidade, ped-lhe que me mandasse
lllm. Sr. Jos da Rocha Prannos.Com a malor
satisfacao lanco modapennapara Ihe dirigir estas
linhas em *agradecimenlo ao proveito que tive do
uso que fiz do xarope acoolico de vellame, da sua~
composico, para que V. S. disto tenha couhecimen-
to; eorespeiuvel publico proveito. Desde 1858
que soflria as maiores dores roeumaticas, cumpl-
cadas com o que a medicina denomina siphilis, e a
um anno que soffria de ulceraa na. garganta. Da-
quella poca para c semore viv em uso de reme-
dios, de que nao tirei resultado algum a Bao ser
alivios momentaps, e lempos havia que de todo me
va impossibilitado de me levantar "de urna cama,
s-direndo sempre tanto no vero, como no rigor do
invern; persistindo porm no uso de remedios j
applicados pelos conheced(.res da arte, j de entros
que via annonciados nos jornaes com appltra?o
aos meus padecimentos, e destes um sem numero,
continuando sempre a soffrer como multas pessoas
desta cidade sabem, e sao testemunhas de me ve-
rem andar na ra mais para morrer do que para
vinar.
Aconteccu que em abril deste anno as dere* ata-
caram-mc de forma que levei dous mezes de cama,
sem que me podesse sentar, pelo que tive occasilc-
de desesperar da vida, taes eram os meus soffri-
mentos. Neste lempo lendo o Diario de Pernam-
buco, deparei com um aviso do xarope alcoolicc-
de vellame, manipulado em sua pharmacia, li este
aviso, e tomei-o como um aviso de um anjo; pude
por onde transitaram ao romper do dia as socie-
dades acompanhadas de bandas de msica.
< Apz o Te Deum, celebrado na capella impe-
rial, com assistenca de Suas Magestades, houve
cortejo no paco da cidade.
U Sr. Dr. Martinho Campos, como orador da
deputacao que foi felicitar a Sua Magestade por
parte da cmara dos Srs. deputados, pronunciou o
seguinte discurso:
Senhor.Ha quarenta e dous annos ao sol do
Ypiranga, que to brilhante refulge no horizonte
brasileiro, a nago vio o augusto pai de Vossa Ma-
gestade Imperial fazer sua a causa do Brasil, e
tirmar assim gloriosamente os laeos que unirara
aos destinos do imperio americano a augusta fa-
milia de Vossa Magestade Imperial.
Neste dia faustoso, |>or suas recordacoes tao
caro a Vossa Magestade e oaco, como orgos
da cmara dos deputados, fiis e legtimos inter-
pretes dos sentimentos dos Brasileiros, vimos com
as felicitacoes da nossa augusta cmara, e chelos
de confianza uo porvir grandioso da patria depAr
na presenca de Vossa Magestade Imperial os votos
de amor e respeito que a naco vos consagra.
Senhor!Com a memoria dos vardes llnstres
Juizes de paz.
Manoel Antonio Ribeiro .
Joo Jos de Albuquerque. .
Ttmrcio Valeriauo Baptista .
Juvencio Aureliano da Cunha Cezar
Joo Pacheco Alves ....
Francisco Antonio das Chagas .
Jos Francisco de Souza Lima. .
296
294
281
276
151
148!
Appellante, Jos Ayres Branna;
Antonio Penna.
Do Sr. desembargador Ucha Cavalcanti ao Sr.
desembargador Domingues da Silva
A appellacao c/o.
, Appellante, Adriano Xavier Pereira de Brito;
appellada, a fazenda.
DISIIUBU1COES.
Ao Sr. desembargador santiago
A appellacao crime.
appellados, Bazilio Alves
appellado, Luiz I "* sen(lo porm possivel que semelhante con
; vite fosse enderezado individualmente todas as
| senhoras e cavalheiros, nao s por falta de tempo,
i como e principalmente por se ignorar seus nomes,
! a mesma junta e commisso se prevalecem do
1461 Appellante, o juizo
Joao Joaquim de t igueiredo.....129 Correa e outro.
UHoje (15) anniversario de passamento do! Ao Sr.desembargador Almeidae Albuquerque
saudo>o missiooarlo capuchinho Fre Sebastao da A appellacao crime.
i-irem' S,avtra ,nissa e memento no hospicio de Appellante, o juizo ; appellados, Jos Tbom.
N. S. da Penha, A appellacao civel.
- Araanhaa (16) electuar-se-ha o leilo de mo-' Appellante, Joao Salvador da Cruz ; appellado,
veis por iotervencao do agente Pinto no Hospicio Domingos Ferreira da Costa Romeu.
casa da residencia do desembargador D. Francis-; Ao Sr. desembsrgador Assis
co Balthaz ar da Silveira. a appellacao crime.
Keparticao da polica. Appellante, o juizo ; aupeilada, Josepha Maria
Extracto da parte do dia 14 de setembro de da Trindade.
1864.
DIARIO DE PER tAMRUCO
de 8
S hontem recbenos o Crrelo Mercantil
do crrente, do qual exirabimos o seguinte :
Eutrou hontem (7) o paquete nacional Geren-
te com datas de Porto-A legre at 30 do passado
e do Rio Grande at Io do corrente.
Nao ha noticias importantes,
Fra nomeado eommandante de urna das bri-
gadas da diviso de observaco, o Sr. general Jos
Gomes Portinho. 8. Exc. partir no da 20 com
destino Cachoi-ira.
Deviaseguir para Bag, afim de reunir-se
div,o e tomar o commandt) do 4 batalhao de in-
antaria o Sr. tenenle-coronel Salustiano.
Fallec-ram em Parto-Alegre os tenentes-coro-
neis Vctor Jos de Figueiredo Naves e Francisco
de Assis Chagas.
Para Ja^uaro haviam seguido os vapores de
guerra Amelia a Apa, o primeiro do commando
do Sr. capito de fragata e eommandante da lloti-
Iha Rodrigo Antonio de Limare, e o segundo do
commando do Sr. capito-tenente Jos Nolasco da
Fontoura Pereira da Cunha.
Ao Rio Grande chegara a conhonheira Itajiky
procedente de Santa Catharina. Depois de receber
carvao >eguia para Montevideo.
Constava que o cnsul geral de|Saa Ma?estade
Britanmca, dirigir por ordem do seu governo um
oflicio ao Sr. ministro dos negocios cstrangeiros,
agradecendo ao administrador e mais pracas
da praticagem da barra, os soccorros que se
pre-taram ao patacho inglez Alciope, que esti-
vera enedhado no da 10 de ianeiro do corrente
anuo.
Havia naufragado na costa do Albardao, 18
legua* distanb- do Rio Grande, o patacho nacional
Arupehy, capito Manoel Jos Machado Jnior, em
viagem do dosso porto para aquella cidade,
um carregamento de .-al e caf.
e]dos feilos heroicos que engrandecen) nossa his-
toria e nos do tao nobre orgulho e seguro passo
no caminho ao progresso da civilisacao, a nacao
brasileira, rendendo gracasao Todo Poderoso pelos
innmeros beneficios que Ihe tem liberalisado,
contempla e acata cada dia com maior veneraco
as sabias e hvres in.-tituices (ue, no seu progres-
sivo desenvolvimento, afianeam aliberdade.o cn-
grandecimento, a felicidade da nossa patria ea
gloria de Vossa Magestade Imperial, primeiro
presentante da naco.
As foi has recebidas hontem de S. Paulo alcan-
cam 4 do carrete:
Em S. Roque fra mortalmente ferido Joaquim
Pinto de Moraes por dous individuos gue Ihe eram
devedores da grande quantia de dous mil ris I
Em Sorocaba fra assassinado o menor Jo5o
pelo escravo Goncalo, do alferes Claudio da Ma-
durera e Souza.
A' 17 de junho, na mesma cidade, a autoridade
policial proceder a auto de exame em um crneo
e algunsossos encontrados as margens do rio So-
rocaba.
Ioformam-nos, diz a Revista Commercial de
Santos, de que appareceu nesta cidade urna carta,
coiiLft_carpi -ado Argentino, e escripjajjer
Miguel de Jess, um dos reos proifnneiados pel
crime do assassinato de Nicolao Chnst, em que o
criminoso incumbe pessoa a quem se dirige, do
participar polica de Santos, que suas buscas ul-
teriores seriio iouteis, achandose elle em lugar se
guro, fra de seu alcance : e encarrega mesma
Foram recolhidos casa de detenco no dia 13 do
correBte :
A* ordem do subdelegado do Recife, Bernarda
Eugenia da Annunciaco, por ferimentos, Theoto-!
;nioJos de Carvalho, para correc?o, Antonio'
Francisco Borges e Jorge Charles Leotichz, por
brisa.
'ordem do de S. Jos, Manoel Joo Antunes,
por tentativa de morte. e Margarida escrava de
D. Feliciana de tal, a requerimento desta.
A' ordem do dos Afogados, Candido Floreiccio do
Nascimeuto, como cumplice era crime de morte.
O chele da 2* seceo.
J. G de Mrsquita.
Movimento da casa de detenco do dia 14 de
re-1 setembro de 1864.
Existan)....... 367 presos.
Entraram...... 7
Sahiram ..... 4 >
Ao Sr. desembargador Motta
. 1 appellacao crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Correia
Bernarda | Lima.
Ao Sr. desembargador Ucha Cavalcanti
A appellacao crime.
Appellante, o juizo ; appelladorJoo Ribeiro da
Fonseca.
Ao Sr. desembargador Domingues da Silva
A appellacao crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Jesuino Pereira
Tavares.
A 1 hora da tarde encerrou-se a sesso.
A saber
Existen)....... 370
r :
Naconaes..... 307
Mulheres.....
Estrangeiros.,
K-trangeira ..
Escravos.....
Escravas.....
4
12
1
40
6
370
algumas garrafas acompanhadas das pillas, mas
logo depois vi que nesta cidade ja havia o xarope a
venda era casa do Sr. Raymundo Jos Pereira de
Castro, e logo me apresentei em mandar comprar
duas garrafas. Fazendo uso delle, no fien de das,
nico meio que Ibes resta, para fazer chegar a pre- Ja mdava em casa pegado duas bengalas, e no
senca de todos os habitantes desta capital as mes-!Iil" ,'1' qninze das sa/na ra. Quando acabei de
mas supplicas, como se especialmente e a cada um : tomar duas garrafas senti-me completamente bom,
de per si as livesse dirigido, pedindo que se dig- i andando com todo desembaraco, reslando-me as
nem enviar qualquer offerta, que ser recebida cridas na garganta, para o que empregoei outros
como maior recoohecimento, comoobulo de cari-, remedios, mas nada me aproveltou ; foi quando

P
Alimentados cusa dos cofres provnciaes
MiiviniHul da enfermara.
Te Ve baixa :
Felisberto, escravo de Jos Flix Pereira de i.ur-
gos, sezes.
Passageiros do vapor brasiieiro Jaguaribe,
sabidos para a Ilha de Fernando:! cadete,'9
pracas e 13 sentenciados, cirurgio Francis'co Mar-
pessoa da cobranga do dinhero que a companhia; ciano de Araujo Lima, sua senhora, 3 filhos, 2 e
da estrada de fern Ihe licoii de vendo.
PERNAMBUCO,
REVISTA DURU.
Hoje funeciona o Instituto Archelojtco e Geo-
graphico Pernambucano.
A bordo do vapor inglez On-tida segui ram
para a Europa 140 passageiros, sendo 12 tomados
em nossa porto.
Nafreguezia de Jaboalo foram eletos juizes
de paz:
Io districto.
Jos Francisco de Souza Leo.
Antonio Francisco Paes de Mello Barreto.
Manoel Pires Ferreira
Irino Coelho da Silva.
2o districto.
Antonio Pereira da Cmara Lima.
Joaquim Pereira Vianna.
Manoel de Souza Leo Jnior.
Jos de Souza Leo.
Na de S. Lourenco foram eleitos:
Io districto.
Luiz Francisco de Barros Reg.
Dr. Augusto de Souza Leo.
com Prisciliano Peres Campello.
1 Jos Ferraz Dallro.
era vos e i criada, Eufrozina Aniceta da Boa-Mor-
tee 1 filha, Maria Magdalena de Jess e
David escravo de Francisco P. da Silva, Joaquim
Bezerra Cavalcanti, Amaro Leite de Oiiveira.
Obituario do cemitebio publico no da 14 de
setembro de 1864.
Uermina, Peruambuco, o mezes, S. Antonio ; be-
xiga.
Joaquim, escravo, frica, 36 annos, soileiro, Boa-
Vista ; hypetrophia.
Jos, escravo, Pernambuco, 24 annos, soileiro, Boa-
vista ; varila.
Benita, Pernambuco, 6 mezes, S. Jos: convulcoes,
Antonio, escravo, Pernambuco, 18 annos, soileiro,
Poco da Panella ; phlhysica pulmonar.
Lourenco Jos da Silva, Pernambuco, 40 annos,
solteiro, Recife, phlhysica pulmonar.
Francisco Serfico de Assis Carvalho, Pernambu-
co, 65 annos, casado, S. Jas; apoplexia cerebral.
TRIKIVVL < OHHEBCIO.
EXTRACTO DA ACTA DA SESSO ADMINISTRA-
TIVA DE 12 DE SETEMBRO DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PBRBTTI.
As 10 horas do dia, verificada a presenca dos
Srs. deputados Lemos, Rosa, Alcoforado, e do sup-
plente o Sr. Basto, o Exm. Sr. desembargador pre-
sidente declara abena a sesso ; feta a leitura da
acta da precedente, que foi approvada, deu-se co-
meco ao
EXPEDIENTE.
Foi lido nm ofDcio do conservador do commercio
; da provincia das Alagoas, firmado em 20 de junho
l prximo passado, em que aecusa a recepeo do
59 i que por parle deste tribunal Ihe foi dia%M&em 6
do mesmo mez, i-ommunicaodo-s-lhe a posse e
exercicio do Exm. Sr. presidente do mesmo tribu-
nal.Inteirado.
Nao foram presentes as cotages que costuma a
junta dos correlores remetter semanalmente se-
cretaria do tribunal.
DESPACHOS.
No requerimento do Alves Hambnrger & C. (j
informado pelo Sr. desembargador fiscal) em que
2 flihos P^diam o registro do contrato social que juntaran).
' Registre-se. .
No de Jos Antonio Ferrode Figueiredo, e Joa-
quim Ribeiro da Gama, para que se admiltisse
registro o contrato de sua sociedade commercial
que juntara : Vista ao Sr. desembargador fiscal.
Nada mais houvo a despachar, o dada a hora,
o Exm. Sr. desembargador presidente encerrou a
sesso.
SESSO JUDICIARIA EM 12 DE SETEMBRO
DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
A. F. PEHETTI.
Asll;a horas damanha, estando reunidos os
Srs. desembargadores Silva Guimaraes e Accioli,
eos Srs. deputados Lemos, Rosa, C. Alcoforado e
Para o lugar do naufragio partir o jniz do 2o diMrcto.
commereio da 1- vara, um alferes e oito soldados Francclino F. Paes Barreto.
Pllclites- Antonio Goncalves da Silva.
Em referencia ao Arapeln/ d iz o Commercial : Antonio de Barros Wanderley.
Seu propietario, o Sr. Miguel Tito de S,! Joo do Reg Barreto.
comquanta livesse o navio spguro, nao deixa toda- 3o districto.
va de ter nm prejuizo de raiis de 10:0dQf ; pos, Antonio Jos Duarte.
ha cerca de seis mezes o tinha forrado de cobre,; Jos Duarte de Albuquerque Maranho.
no/3lie (as,ou mais de 8:0005. Perde tambera Francisco J. da Rocha Falco.
1,800 alqueires de sal que nao estava no seguro. Joo Paulo de Souza.
A carga de caf que tinha bordo, era da pra-1 Na de Rio Fonnoso sahiram eleitos :
5a e estava seguro aqui, e no Rio de Janeiro.
Todava houve urna felicidade neste naufragio,
e de ter-se salvado toda a tripolaco, a sennora
do capio, sua caohada e 7 enancas de tenra
idade.
L-se na mesma folha :
O Sr. Hermogenes Hyppoto da Fonseca de-
clarou verbalmente ao Sr. capitao-tenente Antonio
Alves dos Santos, eommandante da barra, que no
da 21 do corrente (agosto), na laL 26 52' e long.
O. S. de Greenw. 4.5 57' vio um corpo de mulher.
No da 19 na lat. 28' 48' e long. 47- 28' um
dito de homem.
No dia 22 na lat. 32 28', long. 49 4", outro
dito tamben) de homem.
Tem continuado a reinar mo tempo, com
chuveiros e vento do l'ES.a barra sempre brava e
aatmosphera muilo canvgada.
Da ordem do dia do ajudantc-general do exer-
cito publicada ante-hontem, sob o n. 414, consta o
seguate :
Nomeaces.Dos Srs. : tenente do corpo de
estado-maior de 2" classe Segismundo de Aguiar,
para ajudante de ordens da presidencia da provin-
cia das Alagoas. Em 29 de agosto Ando.
Tenente do mesmo corpo Joo Manoel da Ca-
nha, para ajudante de ordens da pre>idencia da
provincia do Espirito Santo.Em 29 de agosto
fiodo.
2 cirurgio do corpo de sade Dr. Joaquim
Marianno de Macedo Soares, para 2o cirurgio do
heepital militar da corte
Alferes do 4" regiment de cavallaria ligeira
Jos Ignacio Pires Fortuna, para secretario do
mesmo reg ment.
Tentte reformado Joo Bibiano de Castro,
para escriturario da 2- directora g^ral da secre-
taria de estado dos negocios da guerra Em 27
de agosto lindo.
Pedro de Mello Palhares da Velga, para ama-
nuense da 3- directora geral da mesma secretaria
de estado.-Era 27 de agosto lindo
Io cirurgio do con de sade Dr. Antonio
Jos Moreira, para servir na guarnido desta cor-
te.Em 31 de agosto fiado.
2 cirurgio do mesmo' corpo Dr. Li vino de

1 districto.
Jos Antonio Lopes.
Silvestre Rodrigues Pinto.
Antonio Mendes Ramos.
Jos Antonio de Leao.
2 districto.
Leandro da Silva Santiago.
Padre Miguel P. de Azevedo Falco.
Manoel de M. Silva Aguiar.
Francisco Leo de Gimvela.
Na de Una foram eleilos :
I districto.
Joo Antonio Alves da Silva.
Manoel Teixeira da Motla.
Padre Antonio Jacome de Araujo.
Eduardo Jo= Teixeira.
2 districto.
Paulino A. da Silva Freir.
Maxi miao da Rocha Wanderley.
Jos Teixeira Lima.
Joo Felippe de Barros Cavalcaute.
Remeltem-uos o seguale, pedindo sua pu-
blicado :
No dia 8 do corrente reuniram-se alguns mo-
cos Inglezes, empregados no commercio desta
praca, afim de gosarem por algumas horas o
cricket, um jogo favorito e especial de seu paiz.
O sitio do jogo era o pateo do engenho Dous Ir-
fnaos, o qual, pela horadado de seu dono, o Sr
Cezario, fra concedido para esse divertimenlo aos
mesraos mocos. O jogo comecou s 8 horas da
manha e continuuu at o e.-curecer, sendo estor-
vado somente pelo espago das 2 horas mais cal-
renlas do dia. A's 6 horas e meia, tanto os joga-
dores come os espectadores, se retiraran) mais
satisfeitos tendo passado um dia bem divertido,
devido nao s a generosidade do Sr. Cezario, mas
tamben) ao dia ter sido mu nublado o por con-
sequeuca favoravel.
Amanha se pxtrahir ultima parte da se-
gunda e primelra da tereeira lotera do theatro
de Santa Isabel (108a) sendo o maior premio
10:0004000.
Falleceu efoi hontem sepultado no cemite-
rlo publico o Sr. Francisco Serfico de Asslz Car-
valho, amigo erapref ado de arsenal de guerra.
CIIR0MC.4 JUDICIARU
THIIII'.VVL DA RELAMI.
SESSO EM 13 DE SETEMBRO.
PRESIDENCIA DO EXM. SU. C0NSEL1IEIR0
soasa,
s 10 horas da manha, presentes os senhores
desembargadores Gilirana, Lourenco Santiago,
Almeida e Albuquerque, Assis, Motla, Ucha Ca-
valcanti, e Domingues da Silva, fallando o Sr. des
bargadur C. Santiago, cora participado, abrio-se a
sesso.
dade.
Recife, 5 de setembro de 1864.
Joaquim Ferreira Mendes Guimaraes.
1" secretario.
Illm.Expor V. consideraces para leva?
Ihe ao coraco um incentivo de caridade, fra por
em duvida'o espirito nimiameute religioso e phi-
laotropico que lauto caracterisa a respeiUvel pes-
soa de V.
Sao j por demais conhecidos os sentimentos de
pura generosidade que V. tem manifestado em
favor da humanidade desvalida, e o Hospital Por-
luguez de Beneficencia nesta cidade, por quem ho-
je imploramos, ah est tambera para attestar a ver-
dade de semelhante asserco.
Nao ser, pos, em vo que nos dirigimos V.
a rogar-lhe, em nome dos pobres enfermos, que no
leito da dr recebem o soccorro deste hospital, se
] digne concorrer com urna prenda ou joia em dona-
tivo para, depois de exposta concorrencia publi-
ca no da anniversario da installaco do dito hos-
pital, ser all trocada pelo obulo da caridade em
auxilio da manutenco de tantos infelizes.
A remuneraco do benigno acolhimento que V.
dar esta supplica e a remessa que aguardamos
de qualquer objecto em prova de sua piedade e
dedi cacao, pertencer ao Todo Poderoso cujo
throno deverao chegar as vozes agradecidas dos in-
digentes enfermos, da mesma sorte que era sigoal
de respeito e veoera$o beijam as mos V.
Recife de agosto de 1864.
Os membrosda commisso:
Joo Pereira Moulinho.
Custodio Jos Alves Guimaraes.
Jos Martins da Silva Borges,
Joaquim da Silva Costa.
Domingos Ribeiro da Cunha Oiiveira.
Joo Ferreira da Silva.
Albino Jos da Silva.
Jos Joaqnim da Cunha.
Francisco Pinto Ozoro.
N. B.As ofendas ou joias que forera olfertadas
podero eer entregues at o dia lt de setembro,
qualquer dos signatarios ou no propro hospital.
; recebi as garrafas que havia pedido meu lilho, e
| continue com a tereeira, que, no fim de poneos
dias, fui melhor. Hoje me acho completamente
bom. Portanto, sirva-se V. S. aceitar meus since-
ros aeradecimentos, e o publico que ti ver a infeii-
cidade de soffrer laes padecimentos que aproveite
com este meu testemunho.
Sou com apreco de V. S. muito alt. ven. e cria-
do, Benlo Jos Antunes.
Maranho, 11 de agosto de 1864.
(Do Pair.)
GQMMEBCIO.
JOYO MKM DE HMAIIIKO.
0 novo banco paga o 13 dividen
oa razo de 8$000 per aeco. -
Alfaadega
Rendiment do da 1 a 13........ 247:671I07
dem do dia 14................. 32.036*440'
279:7074541
.no vi ment da alf andega
Volumes entrados com fazendas...
t com gneros.
Volumes sabidos
com
com
fazendas...
gneros...
253
367
164
260
620
424
m NMMMMaa
.asea*. -... ii
Descarregam no dia 15 de setembro.
Galera inclezaHermionemercaderas,
Patacho inglez Propontesmercaduras.
Barca francesaLesanias de Saint Jean de Luz
mercaderas.
Barca inglezaLeigthonfarinha de trigo.
Patacho inglezMaid of Atheus carvao de pedra.
i Barca inslczaConraddem.
I Brigue brernenseClarissecharque. .
Recebedorla ;2c rendas Interna*
geracs de Pernanibueo.
' Rendimento do dia 1 a 13........ 12:273*317
dem do da 14................. 1:4567'J3
Wi -
Fazem hoje sete dias que
infatigavel da morte fez tombar no tmulo mais
una victima Ilustre I
Ergue-se hoje no cemiterio mais urna cruz, que
sombrea mais urna pedra, sob a qual s'esconde
mais um cadver I
Reza, hoje, o ministro do altar una missa pelo
repouso eterno d'alma do (nado Domingos da Silva
Guimaraes !
Era um cidadao respetavel, um esposo modelo.
um pai extremoso, amigo prestimoso e um em-
pregado publico honrado.
O livro de sua vida desceu com elle ao tmulo,
com suas paginas puras de qualquer mancha ; sua
esposa perdeu nelle um arrimo decidido e um amigo
desvelado ; seus lilhos um protector cheio de ex
13:730*110
Consulado provincial.
fouce ojapiedada e i Rendimento do dia 1 a 13......... 86.887*586
............ 1:034*541
27:622*127
dem do dia 14.
supplente Basto, o Sr. presidente declarou abena a lremos ; seus amigos um coraco brando e com-
sesso.
Lda, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
_0 Sr. desembargador Rcis e Silva communicou
nao poder comparecer sesso de hoje, por se
adiar incommodado.
O Sr. Dr. juiz de direlo presidente do tribunal
do jury communicou por oDcio desta data, s Ihe
ter sido possivel dispensar hoje, de continuar a
servir naquelle tribunal o bacharel Julio Augusto
da Cunha Guimaraes, secretario deste.
Foram ldos e assignados os accordos proferidos
na sesso de 5 do corrente, nos feitos era que fra
relator o Sr. desembargador Silva Guimaraes, eutre
partes :
Appellantes, Chrstiani & Irmo ; appellados, os
O br. desembargador Guerra, procurador da co-: curadores liscaes da massa fallida do Joaquim da
' Costa Maia, os da de Jos Luiz Pereira e Manoel
Sebastio da Rocha Lias.
Appellante, Jos Goncalves Malveira : appella-
dos, Vaz .V Leal.
Foi lambem lido e assignado o accordao profe-
rido na sesso passada, na causa entre partes :
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Pacheco & Mendes: appellado, Francisco Jo-
ra, nao cotnpareceu.
Passados os feitos e entregues os distribuidos,
derara-se os seguintes
JULGAMENTOS
Aggravos de pctigao.
Aggravante, o rocolhimento de Glora e Concei-
co ; aggravado, o juizo.
Relator o Sr. desorabargador Ucha Cavalcanti.
Sorteados os senhores desembargadores Gitirana, s da Costa Barro
e Assis.
Deram provimenlo.
Aggravante, Luiz de Albuquerque Maranho ;
aggravado, o Dr. Jos Joaquim de Moraes Sar-
meuto.
Belator o Sr. desembargador Ucha Cavalcanti.
Sorteados os senhores desembargadores Assis,
e Domingues da Silva.
Nao tomaram couhecimento.
Appellacoes crimes.
Appellante, Luiz Gonzaga dos Santos ; appella-
do, Joo de Siquera Ferro.
Nullo o processo.
Apellante, Manoel Cabral de Mello ; appellada,
a justica.
Annullou-se o processo.
appellante, Targmio Guedes Gomes Linhares ;
apellados, Antonio Teixeira Bastos e outro.
Nullo o processo do libello em diaute.
Appeliaces citis.
Appellante, Erne.-to Augusto Manguaba e Silva ;
appellada, D. Maria Joaquina Accioli Wanderley.
Confirmada a sentenca.
Appellanb, Flix Soares
Manoel Alves Barreto.
Reformada a sentenca.
Appellantes, Joo Tavares
a preta Tnereza.
Receberara-se os embargos.
DILIGENCIAS CRIMES.
Com vista aoSr. desembargador
justica
As appellacoes aimes.
Appellante, Aleixo Barbosa da Fonseca Tinoco;
appellada, a justica.
Appellante, o juizo ; appellados, Josc.de Santia-
go Tenorio.
DBSIGNACAO DE DIA.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
feitos :
Appellacao chd.
Appellante, a fazenda ; appellado, Anlcnio Joa-
quim de Oiiveira Baduem.
da Costa; appellado,
de Mello; appellada,
promotor da
passivo e urna alma cheia de movimentos nobres,
e a repartico em que elle servia um empregado
iutelligenle e sobre cuja probidade nunca se le-
vautou nina suspeita se quer.
Com taes litulos era elle um vulto venerando na
sociedade.
E depois de cincoenta annos de idade, de vinte
e sete anno de casado e de perto de trinta annes |
de servico publico, morreu, legaudo a sua viuva e
seus lilhos a pobreza 1 ...
E' este o seu mais bello elogio.
Na bolsa do finado ficaram alguns pergamnhos
rubricados por Sua Magestade Imperial, e nada
mais....
No nosso paiz o empregado publico vive hones-
tamente para morrer na miseria ; o nosso governo
retribue os bons servicos, a probidade e a honra-
dez cora o esquecmento.
Era breve, provavelmentc, esse emprego que
poderia ser dado a algum lilho do tinado, ser dado
de presente algum lilhete protegido, algum per-
dulario_ tal vez, que esbaojou sua fortuna particular,
algum indolente ou ignorante.
Recife, 15 de setembro de 1864.
MOVIMENTO UO PORTO.
Natio sahidos no dia 14.
Ilha de Fernando Vapor brasileiro Jaguaribe,
eommandante Manoel Joaquim Lobato.
CearEscuna dinamarqueza Levante, capito H.
Behrmann, carga parte da que trouxe de Ham-
burgo.
ObservarSo.
Suspenderam do lamarao' para o Rio de Janeiro
a nao liombaij, eommandante Browrm e para cru-
zar a curveta americana Onward, eommandante
Clark.
Nao houveram entradas.
EDITAES.
JULGAMENTOS.
Appellantes, os curadores liscaes da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & G ; appellado,
Dr. Joo Baptista Casanova.
Adiado da sesso de 5 pedido de um dos se-
nhores deputados, e da de 9 por nao estar presen-
te o Sr. desembargador Silva Guimaraes : Foi con-
firmada a senteoca appellada.
Appellante, Domingos da Silva Campos; appel-
lada, D. Anna Josepha Pereira dos Santos.
Foi reformada a sentenca appellada.
Appellante, Manoel Jos de Siqueira Pitanga ;
appellados, o presidente e directores da Caixa Fi-
lial do Banco do Brasil desla culade.
Foram desprezados os embargos com o voto do
Exm. Sr. presidente.
Appellante, os administradores da massa fallida
de Novaes & C. ; appellado. Manoel da Silva Pas-
sos, do Ro de Janeiro.
Foi reformada a sentenca appellada.
Ficou adiado o julgamento dos seguintes feitos,
pedido de alguns aos senhores deputados sortea-
dos :
Appellante, Jos Joaquim da Silva; apnellados.
Ribeiro & Caduff. rm
Appellante, Manoel Jos da Silva Grillo; appel-
do, Antonio Gomes da Cunha e Silva.
Appellantes, Joo Caetano de Magalhes e Joo
Luiz Vianna ; appellados, os administradores da'
massa fallida de Jos Antonio da Silva Araujo.
OESIGNACAO DE DIA.
Appellante, Manoel Ribeiro Bastos ; appellada,
a embargante 3" D. Tueodora Maria Quiteria e
outros.
Primeiro dia til.
PASSAGENS.
Para jnlzesdepaz da ireguezta
de Manto Antonio.
Capito Luiz Cesario do Reg.
Capito Antonio Augusto da Fonseca.
Capito Flix Francisco de Souza Magalhes.
Tenente-coronel Manoel Camello Pessoa.
Para vereadores.
Proprietario Francisco Accioli de Goaveia
Lins.
Tenenie-coronel Fernando Frsncisco de
Aguiar Monturro io, agricultor.
Dr. Joo Jos Pinto Jnior, lente e advo-
gado.
Dr. Joo Maria Seve, medico.
Dr. Joaquim de Aquino Fonseca, medico.
Tenente-coronel Justino Pereira de Faria,
proprietario.
Major Jos Antonio de Brito Bastos, agri-
cultor.
Capito Luiz Cesario do Reg, proprietario.
Dr. Silvio Tarquinio Villas-Boas, medico.
Salsa de Brystol.
A salsa-pabrilha de brystol.Trinta annos de
truinpbnntcs resultados bao dado a este antisp-
tico vegetal urna reputacao incommensuravelmen-
le superior todas quantas se ronhecem para.a
cura das escrophulas e de todas as mais classes
de enfermidades ulcerosas e erupliveis. Os raedi-
cos, os mais eminentes, os periodistas, e os escrio-
tr-irao An mnilinL.n Ja ...*^_ *_.__ ... *
Appellantes, os administradores da massa fallida tores do medicina, sao outras tantas lastm
de Bastos & Lemos ; appellados, Campiano &. Cor-: da sua efficacia quasi maravilhosa. Tem salvado
dei.ro' ,! i> c- ., fJ e conuniia a saJ'ar as vidas dos membros de mi-
AppelIante, D Carolina Josepha de Alraeida ; Ihares do pessoas. Nunca foi administrad? m
appellado Jos Hyg.no de Miranda. ,5o, anda mesmo nos casos os mais terrieU
bo Sr. desembargador Silva Gaimaraes por im- obstinados. E' o nico remedio para as escrophu-
pedimento, ao Sr. desembargador Accioli. | las, erysipelas, herpe?, chagas as pernas, abees-
| O Dr. Tristo de Alencar Araripe, olWal da im-
perial ordem da Rosa, juiz de direilo especial
do commercio desta cidade do Recife de Per-
nambuco, e seu termo, por S. M. Imperial e
Constitucional o Sr. D. Pedro II, quem Dos
guarde etc.
Faco saber aos que o presente edital viren, e
delle noticia tiverem, que no dia 26 do mez de se-
tembro do corrente anno, se ha de arrematar por
venda a quem mais der, em praca publica depois
da audiencia respectiva os escravos seguintes :
Flix, pardo, de 12 annos,avahado em 9005000;
Vicente, pardo de 6 7 annos, avahado cm
;005000; Maria, crioula de 13 annos, av.iada em
900QOO ; Custodio, crioulo, de 40 annos, avaliado
em 6005000; Rosa, crioula de 33 annos, avahada
em 7005000.
Os quaes sao pertencentes ao casal do finado
Marcelino Antonio Pereira, e vo praca por >xe-
cuco que contra o mesmo casal move o bacharel
Gabriel Soares Raposo da Cmara.
E na (alta Jo licitantes ser a arrematado feta
pelo pre idjudicaco com o abatimeuto res-
pectivo di
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei fazer o presente edital, que ser afu-
fado nos lugares do costume e publicado pela im-
prrnsa.
Dado c passado n'esta cidade do Recife de Per-
nambuco aos 12 de setembro de 1864.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, eseri-
vo, o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
DECLifiaCOES.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co aos devedores dos imprstos cobrados por iao-
c.imento pertoucento ao exerrcio find de 1*63
1864, que no ultimo de setembro correte finda-se
o prasu marcado para o pagamento de seus. dbi-
tos, ficando sojetos a serem executados os que
nao pagaren) at aquelle dia.
Mesa do consulado provincial de Pernaubocs 1*
de setembro de 1864.
Antonio Carneiro Machada Ros.
Administrador.
Juizo des feilos da fazenda
nacional.
Na quinta-feira lo do corrente, pelea 10 nana
da manha, na sala das audiencias, perante* lllm.
Sr. Dr. juiz dos feitos da fazenda, se veaaer en
praca publica um terrona de marnha, Miaara
de Santo Amaro n. 33 A, beneficiado e com caes,
penhorado aos herdeiros de D. Silvana Mara Fer-
nandes Eiras, cujo terreno perteoce boje a amo-

'
MUTILfiDQl
QLEGVELi
m i i
_.*-
-Pf"


Diario e Ptra&mbae Quintaielra tb de Hetetuhro t9l.
/v
nio Jacintho Rorges, afiliado por 3:0005086, e se
?ende pan pagamento dos foros dcvidos aienda.
Rer i fe 10 de setembro de 1864.
0 solicitador,
F. X.'T. de Brito.
Arremataos.
Pilo jaizo municipal da 2* vara, o de residuos e
capailas, ra praca de venda no da 17 do cor
LEILQES.
Transferencia de
LElLiO
DE
Obras de ouro e prata
O leilio de obras de onro e prata por ordem do
consulado portuguez e pertencentes ao espolio do
tinado subdito portuguez Jos Remande Pereira
Villa-rica annunciado para hoje, tica transferido
LIVRARIA ECONMICA
Hua do Crespo n 1
ao p do arco de Sant Antonio
Obras ltimamente recibidas
a praca de venaa no <; i<-wm-i *+i2S S*J \*l K^^^s oj&J'Jzsq
rente,.depois da audiencia, requerimento ^o les-1 o agente Almeida competentemente antorisado
Uraenteiro e inventarame dos bens da finada m- far leilo das dividas activas da massa fallida de parasabbado 17na occasio d leilo de
ra Candida de Magalhae> para pagamento dos te- Novaes & C, sommandoem 187.4835200 rs., por na Lingoeta n. 10.
fados e sello nacional, c custas, o sitio denomi- nUa|quer preoo cima daoffrrta de 1 por cento.
nado Zongu em Apipucos, coiu casa de sobrado, II <>*J II
eorinha, estribara e orna grande dara de fazer | a-:.,.^ 1H l.aMpnl 9ft
tijolos e forno, com barreiro e grandes baixas de WJQIU a-ietra 10 0 tdrreillC dO
eapim dfl planta, em chao foreiro, avaliado porj mcio da
6:000809. Em seu escriptorio na rua da Cadeia n. 48, on-
i 01TCI0. i de os pretendentes podem examinar a relaco e
- Pela adminislracao do correio desta cidade se' os respectivos litlos.
fax publico que boje (14) pelas 11
mobilia
horas da (ma-
nhaa em ponto fechar-se-la a mala para o presi-
dio de Fernando, a qual tem de ser condnzida pelo
vaper costeiro Jaguaribe.
Conseiho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
guimos :
Para o 4 batalhao de artilbaria.
400 pares de sapatoos.
30 bonets.
30 mantas de laa.
30pecas de palatina.
34 covados de panno azul.
162 covados de hollanda de forro.
21 varas de aniagem.
1,075 varas de brim branco.
1,000 varas de algodozinho.
42 pares de clcheles pretos.
Quem quizer vender taes objectos aprsente
a sua 'proposta em carta fechada na secretaria do
conselho s 10 horas da manhaa do dia 16* de cor-
tembro prximo vindouro.
Sala das sesoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 9 de setembro
de 1864.
Antonio Pedro de Sa Barreto,
Coronel-presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
Na audiencia do iuiz de orphlos ir nova-
nente praca sexU-feira 16 do crrente o dominio
directo das casas da ra Nova, j anaunciadas, a
eieepcao dos de ns. 1 e 3, cora o abate da quinta
parte.
Conselho administrativo.
O comelho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
guintes:
Para o fardamento do 4o batalhao de
artillarla a p.
Bonets para inferiores e soldados........
Ditos para msicos....................
Manas de laa.........................
Platinas para msicos, pares............
Ditas para sargentos-ajudantes e quartel
mesire, pares.......................
Ditas para inferiores e soldados, pares....
Ditas para tambores, pares.............
Sa patos, pares.........................
Panno azul, covados...................
Dito azul tino, covados.................
Dito azul para capotes, covados..........
Hollanda de forro, covados..............
il.n'-t a verde, covados..................
Brim branco, varas....................
Algodaosinho, varas....................
Aniagem, varas.......................
Galio de prata de t. polegada de largura,
varas..............................
Coloes grandes de metal pratiados cum
bombas............................
Ditos pequeos........................
Ditos de metal lisos para capotes.........
Ditos grandes de metal amarello com
bomba en. i.......................
Ditos pequeos de igual tlieor...........
Colxetes pretos, pares..................
Quein quizer vender taes artigos apresenb
400
24
400
24
2
478
6
426
2130
130
3018
1783
1760
3162
2047
240
36
33C
141
3521
2808
340
1025
sua
proposta em carta fechada na secretaria do conse-
lho s 10 huras da uianhaa do dia 21 do cr-
reme.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
forneeiinento do arsenal de guerra, 14 de setembro
de 1861
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presid ule.
Sebastiao Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
No dia 17 do correte setembro, Anda a audien-
cia do Sr. Dr. provedor de residuos, escrivlo Vas-
concellos, ser arrematado o sobrado de um anclar
e soto n. 14, silo ra de Sania Hita, com porto
para o neceo e que d sabida para o muro da Pe-
ana, em terreno proprio, pertencente a testamen-
aria do fallerido Sebastiao Mauricij Wanderlev,
' valiado dilo sobrado em 4.000:5060
LEIlAO
DE
Diversas obras de onro.
ho.it:
O agente Pestaa vender por ordem do consu-
lado de Portugal diversas obras de onro como se-
jam : trancelins, pulceiras, aderemos, brincos etc
todas pertencentes ao espolio do linado subdito
portuguez Jos Fernandes Pereira Villa-rica ; o
leilo ser electuado por pecas e a relacao e ob-
jectos acham-se em mao do agente i sendo effec-
tuado quinta-feira 15 do correute pelas 10 horas
da manhaa na ra do Vigario n. 13, primeiro
andar.
LITTERATURA.
Historia da Fundado do Imperio Bra-
slleiro por J. M. Pereia da Silva, pri-
meiro vol.......
Calabar, historia brasileira do seculo 17
por J S. Meudes Leal Jnior, 1 vol.
! ene.........
Theatro do Dr. Joaquim Manoel de Ma-
---------------------------------------------------------cedo, 3 vol. ene......
x 'i i i % t rt Obras de M. A. A. de Azevodo, 3 vol. ene.
inStltUlO ArClieOlOfflCO e deO-, Suspiros Poticos, de D. J. O. de Maga-
Ihaes. 1 vol.
* iiblicaco Iliteraria.
Sabio luz o opsculo intitulado
A IJBKRD.lDi:
NO
POR
Affonso de Albuquirque Mello
.t PER %
Perdeu-se nm indispensavel (sarco de brac.. de
ecuro preto j Osado, desdo a roa Nova al o Ca-
! changa, tendo-se dado urna volta desde a ra do
| Aragao al o hospital militar ; eontmlta 1 lenco de
I iabyrintho, 2 bolees de pnnho de coral, 1 volta de
j coral com una cruz, i lenco de linho de beira en-
ConvidamVe'7sa7sigV,Vnte a .nadarera receber "hSa^ouHteiUrSr-inir-a0^; HT
seus exemplares na praca da Independencia ns. 6 jacnou. e o quizer entregar em cw>a do Dr. Sabino,
AVISOS DIVIESOS.
graphico Pernambucano.
llavera sessSo ordinaria
Mocidade de D. Joao V por L. A. Rabello
quinta-feira, *5,Umanno na corte porJ. A. Corvo, 3 vo.
do corrate, as 11 horas da manhaa. Os Miseraveis, por Victor Hago, 10 vol.
Secretaria do Instituto 12 de setembro Crimes espantosos, 2 vol.
de 1864.
J. Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
DE
40 barris com lingnicas, 80 caitas
combtalas, 10 barris com touci-
nho de Ninas.
ora
Mariha de Dirceo, ntida ediccSo, 2 vol.
Historia de Napoleo, com estampas, 2
vol.........
Obras poticas de M. I. da Silva Alvaren-
ga, 2 vol......
O Outono, poesas de A. F. de Castilho, 1
vol..... .
Revelares, poesas de E. A. Zaluar, 1
vol.........
Peregrinacao provincia de S. Paulo, pe-
lo mesmo, 1 vol.
A morte moral, novella por A. D. de Pas-
cual, 3 vol
AoslO:00$OQO.
Corre amanhSa.
Sexta-feira 16 do corrente mez, se ex-
trahir a ultima parte da segunda e pri-
raeira da terceira lotera (108a) a beneficio I Apuh' era'palhei'ro por Camiiio Ca'stell
do theatro de Santa Isabel, no consistorio | Branco, i vol......
da igreja de Nossa Senhora do Rosario da Vsao dos tempos, Antiguidade Homrica,
freguezia de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
thesouraria ra do
O agente Pestaa vender por couta de quem
pertencer 40 barris com linguicas e 80 caixas cora
batatas de 2 e 4 arrobas muito novas desembarca-
das do brigue Comanle II, assim como 10 barris
com toucinho de Minas, em um ou mais lotes
ventado : boje 15 do corrente pelas 10 horas da
manhaa no armazem do Annes.
Hoja desappareceu do largo da Assembla
um rapaz crioulo, com idade de 16 annos, de al-
tura e corpo proporcional a idade, com bastante
marcas de bexigas, rosto regular e beicos bastan-
tes grossos, olhos brancos, andando com chapeo
de hata velho e camisa de algodaozinbo, chama-
se Luiz : quem do mesmo snnber dirija-se par-
ticipar no mesmo lugar n. 20. ______________
Importante leilio
DE
w
Como sejam :
1 piano forte com cadeira, 1 mobilia com 1 so-
f. 4 consolos2 1 mesa redonda, 2 cadeiras de bra-
cos, 2 ditas de balanco e 18 ditas de gnarnicao, ri-
cos jarros e vasos para flores, 2 candieiros de gaz,
1 excellente secretaria com 10 gavetas, 1 estante
envidradla comescrivauinha,l mesa com forro de
panno para advogados, 6 cadeiras de Jacaranda, 3 i
cuinmodas,. 2 relogios americanos, 1 cama "
venda na respectiva
Crespo d. 15.
Os premios de 10:000OOO at 20/5000
ser5o pagos urna hora depois da extracto
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguate depois da distribuigao das listas.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
Harpa de Israel, Rosa Mystica, poema,
, I por Theophilo Braga, 2a edicao, 1 vol.
a Cyoismo Scepticismo e Crenca, coinedia
5*000
5*000
95000
9*000
3*0P0
8*000
8*000
165000
6*000
6*000
5*000
.65000
45000
5*000
65000
6*000
2*000
1*500
por A. Cesar de Lacerda, 1 vol. 1*000
Alm destas obras receben mais, de litteratura
franceza, portuguesa e brasileira, as quaes vende
precos muit razoaveis.
AVISO
ao respeltavel publico.
Carlos Walter, relojoeiro na ra da Imperatriz
; n. 18, avisa aos seus freguezes e ao respeitavei
01 publico, que se acha encarregado para vender um
ftinmnftO Leal mildOU be" sortimento de relogios patente inglez e chro-
- I nometro, tanto de ouro como do prata, do afamado
fabricante James Horuby, por precos mu ito com
modos, e dehaixo de sua garanta.____________
Ama de le Precisa-se de urna ama de leite que seja moca e
\n sadia : na ra estreita do Rosario n. 3-\ primeiro
0.0 andar.
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima
armazem Progressista, aon-> g para ss^; z primeiro andar ro
, ceiro dito com sotao, ambos na ra do Encantamen-
de o acnaro como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fissao, chamado por escripia.
e 8, que serao entregues vista dos recibos das as
signaturas; abi tambem esto exposlos venda a
35000 cada um. Sao sob os seguintes ttulos as
materias de que se oceupa:
. i ra Nora n. 43, ser recompensado.
lexandre da (xwia Canto vende ou pprmuta
por predis na povoaco de GamekMra ou nesta ci-
dade, por escravos, a sua propriedade denominada
Introdcelo.Nogao da liberdade.- O Brasil co- Atulaia, siia junio da villa da Escada, margem do
loma.Revolugo de 1817A Independencia A rio Ipojuca, circundada pHo rio e a inha de ferro,
constitalnteAconstiluijoA rcvolugao de 1824. e por isso livre de quests de limites, nelia existe
A expulso ou abdicacao. A regencia livre. ^0 um cercado para manter 16 vaccas de leite, boas
partido regressisla.Ameaca dos corcuudas e que- baixas para rapim, e terreno muito productivo
da dos livre?. A regencia corcunda.Causa dos para plantar qualquer lavoura com um pomar de
males da regencia livre.-Regencia corcunda e larangeiras e diversas onlras frncteras, bastantes
nuioridade.Principios do reinado de D. Pedro. i bananeiras, em cujo terreno existe edificado um
Revolta do Minas e S. Paulo.Dominio da Praia sobrado a gosto moderno, com rommodos para
Luzia.O dominio liberal nao inquietava os cor-1 urna familia, 10 moradas de casas terreas que es-
cundas.Peitos do dominio liberal.A praiaeChi- tao Mofadas, e urna tatu-roa muito afregur/ada.
chorrosenatoria.A revolta e a revoluco de; cuja propriedade paga foro a aldeia da Escada
1848 A consumile.-A constitnintP.Derrota j 12* por aniw : quem pretender, procure o an-
da revulucao. NegociafSo de Honorio com os libe-1 nunciaatn em sua propriedade, on communique
raes : traidores.Venda da bandeira da cons aos Srs. Corroa Santos, na ra du Livrameuto
tituinie. O partido liberal durante os qoatorze an- para ser procurado,
nos do chamado ostracismo.-Os corenndas e os
liberaes durante os quatorze annos.Captveiro re-
signado e voluntario dos liberaes durante os qua-
torze annos.0 povo corcunda, ou os vermelho* e
os sabios.A siluaco propramenle pollica. Ins-
tituieoes livres, e direitos polticos que tivemos
at o fim da regencia livre, e o que actualmente
temos em lugar dellcs.Os representantes da na-
ao e das provincias.Situacao administrativa. -
> que sao nella os Portuguezes. Como o gover-
no ubrigadu a corromper o paiz e a fazer-lhe
sempre maior mal.Como se multiplica e se paga
a clientella do governo para susteniar-se o impe-
rio corcunda. O procnsul.O procnsul da co-
marca. Dos cargos, dos crimes e da punieio.A
iustica. -Juizes municipaes.Juizes de direilo.-
Precisa-se de um Portugiu-z para feiior de
engenho : na praia do Caldeireiro n. 26, primeiro
andar.
Precisa-se
Verdes n 92.
de orna ama: na rna das Aguas
Precisase de um forneiroquesaibabemdes-
empenbar o seu lugar ; a tratar na ra larga do
Rosario n. 16, padaria.
a Halar na
Precisa-se alagar um moleque
ra do Hospicio n. 78.
O abaixo assignado faz scenle s pessoas
que pretenderen) pa.-sar a festa na ridade de Olin-
da, i|iie acaba de construir urna casa terrea na ra
do Xavier de Santa Rosa, na quina da mesma ra,
*Tribnaes.Os das Kelacoes.Tribunaes do Com-1 com visla muito excellcnle para todos os lados,
mercio.Supremo Tribunal de JuMica.O jury. : cun bastantes commodos para familia, com recreio
Os advogados.Concluso.- Garanta dos direitos. i ao lado e lerraco no fundo, muito ba posicao ou
A moral publica. Dos crimes.As elcit,oes.: local, construida a moderna e bom gosto, mirito
Corollario da obra saquarema.-O que a pa-' porto do banho alijado, bem caminho e sem ladei-
tria. Stuaco para cem o exterior.- Siluaco. ra : quem pretender, dirija-se ao largo de S. Pe-
tinanceira.As (mancas do estado.-A miseria | dro Apostlo, taberna que faz quina fiara o Carmo.
to ; ama loja na ra do Amorim e urna casa ter-
rea na ra da Alegra : a tratar com Joo Rbeiro
Lopes, ra da Cadeia n. 33, loja.
n rio
Por ordem do lllm. Sr. presidente convido lodos
os memhros da directora provisoria a compare-
france" eerem a S888*91ue d,,ve ltir' u*r soxl;l feira ,6
za de Jacaranda, f guarda louea envidracado, 2 do corrente s 6 horas da tarde, no Gabinete Por-
grandes apparadores envidraci-do, 18 cadeiras, 8 ,ujuez ^e 1'ei'ura- iti -., nm DaP
Joaquim Gerardo de Bastos.
1 guarda roupa e muitos ou(rcs objectos que esta-
riio patentes ao exame dos cbncorrentes.
Sextafeira 1(5 de setembro.
O desemhargador D. Francisco Da thazar da
Silvcira tendo de retrar-se para a corte, far lei-
l.o por mtervencao do agente Pinto, dos movis
cima mencionados existentes na casa de sua re-
sidencia largo do Hospicio, primeiro sobrado ao
lado esquefdo, principiar As 10 horas.
2." secretario.
lzc-\
a
DE
SOO saceos com milho.
Sexta-feira K> do crrete.
Por contade quem pertencer o agente Pestaa
far leilo de 200 saceos com excellente milho no-
vo em lotes vontade dos compradores: sexta-fei-
ra 16 do corrente pelas 10 huras da manhaa, no
armazem do Annes.
Antonio Luiz de Olivcira
vedo Agente* do Banco l'niao do Poilo.
Competentemente autorsadus sacam por iodo
os paquetes sobro o mesmo Raneo para o Porto
Lisbon, o para as soguiit. Bgsnoiaa.
Londres sobre Janh of London.
Pars Freilerie S. Itallin c\; C.
Hambiirgo Joan Gsbo i^ Filho.
Harcellona Francisco llahoba di Ballista.
Madrid Jaime Meric.
Cdiz Crdito commercal. '
Sevilha Gonzalo Segoria.
Valencia M. I'erera Y. Hijos.
Em Ponn'OAL.
Angra Terceira.
Caminha.
Castello Branco.
Chaves.
Perigo e salvamento dos corenndas.A liga.
Como se congregam os elementos para ella.Con-
sideracoes retrospectivas. A.constituintc. Prepa-
res antecedentes. Conciliac'o e opposicao parla-
mentar.Monta a liga.O que silo os liberaes na
liga.Que bem faro os liberaes ao paiz.0 pro-
gressoSeus feitos.O que o progresso e que
far.Como se deve viver nesta trra echegada
ao progresso.Porque o progresso s vem com-
pletar nossas desgracas e sem mais remedio.Se
ha salvacao para nos"qual seria o meio e bem f-
cil. Resumo.A's cinco provincias pernambnca-
nas. -Histrico e poltica corcunda.De que pro-
ven) a miseria. Como se corrompe na eleicao.A
restncao da liberdade apar do progressa da immo-
ralidade.Corollario.
Antonio Silveira Lins.
Na ra de S. Jos n. 24
casa de ponca familia, a qual
preciso, e muito zelosa.
lia urna ama para
sabe fazer todo o
Quem precisar de urna pessoa que sabe co-
zinhar perfeilamenle, para casa de pnura familia,
de portas para dentro, pode dirigirse ra da
Cruz n. 63, segundo andar.
Precisa-se de um homem para traballiar em
um sitio c plantar: na ra Nova, armazem de lou-
ea n. 49, se dii quem quer.
Precisa-sealugar una escrava, pagase bem:
na ra do Hospicio n. 62.
R0SARI0--3
PranSSOO Pinto Osori-i ooi.itiaa, _a_"ol-
lotar dcatfs jwtitiriaesjato por meio de
rQ molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sem qne as obras nao
liquiin a vontade de seus donos, tem pos
eoutras preparantes as mais acreditadas
para conservau da bocea.
No r.rmazem da
a -3 -I O 13 5 o e k8 -r a 5 -i < O
--c a 3 VI a -i p, D va d > 5 a O -i r. ~ o-rr
a O p o o o - 'O a 0 VI 5. a---------.........---------..........-
Precisa-se de urna criada livre ou escrava
que saiba cozinhar e engommar : na ra das Cruz
0. 42, primeiro andar.
quem compra acroes
Ctilidade Publica.
A cees.
ra da Cruz n.
da companbia
ile
se dir
seguros
I'recisa-se
engommar :
ro 20.
MM
de uitia criada que saiba ^1
na ra da Florentina nume- S
far,{sins?;
mmm
Furto.
Na madrugada do dia 11 do rorrenle furtaran
da ruada Concordia n. 62, um cavallo rodado pe-
drez com os 4 ps arregazados de rodado, tem 3
verrugas sendo urna entre pernas, nutra junto da
barriga c outra na queixada e este l-c. muM
Precisa-se de um escravo para o servico ex- ^r.nnle e muito esqolpador, bem felto, iiiteiro, lum
torno e interno de urna casa pagando-se 183 por! j dinas e a cauda grande e os denles quebra-
mez : na ra do Queimado n. 29.____________,|os: robase as autoridades policiaes ou quem o
_ Precisa se de urna : na rila estreita do' aprehender que traga dila casa que ser bem
Rosario n. 2, segando andar. recompensado. ___________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Kaveis;:i^o costelra vapor.
l'arahiba, Natal, Maco, Aracaty, Ccar, e Acaracu'
No dia 22 do corrente expe-
dir esta companhia para os porlos
cima mencionados o seu vapor
Uiamanguape-, rommandante Mou-
__Pra. Recete carga smenle ato o
dia 21. Encammendas, passageiros e dinbeiro a
tfrete at s 3 horas do dia da sabida : escriptorio
ao Forte do Mallos n. I.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o veleiro
rigue nacional Almirante, tem parle de seu car-
regameoto prompto : para o resto que Ihe falta e
-scravos a frete, para os quaes tem excellenles
commodos, trala-se com os seus consignatarios An-
onio Luiz de Oiiveira Azevedo & C, no seu es-
oriptorio ra da Cruz n. 1.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
, Dos portos do norte espera-
do at o da 16 do corrente o va-
por Paran, commandante o ca-
Ipito de fragata Santa Barbara,, o
_ Pqual depois da demora do cosu-
ne seguir para os porlos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
Sexta-feira 16 do corrate, s 11
ras, rHa da Cadeia o. 33.
DE
\ casas terreas aovas sitas ra Nova
do Pires d* ns. 2, A, 6eS, confronte
ao Hospital 'Minar.
Pelo agente Euzebio se vender em leilo as ca-
sas terreas como cima descriptas e mais com
porta e janetla, duas salas regulares, 2 quartos,
cosinha fura, cacimba c quintal, chao proprio : os
pretendentes queiram aproveilar a opportunidade.
Figueira.
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Lamego.
Leiria.
^a-
yb
N
DA
turmas.
2 vaccas
Sexta-felra 16 de setembro.
O agente Pinto far leilo por conta de quem
pertencer de duas vaccas turinas as quaes do
bastante leite nao obstante urna nao ter cria, c j
esto aclimatadas ; o leilo ser effectuado 1
hora da tarde do dia 16, em frente ao primeiro
sobrado a esquerda do largo do Hospicio, onde
haver leilo de movis anteriormente.
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
i Aveiro.
! Rarcellos. Coimbra.
Ra. Rastos. Covilhaa.
I Reja. Elvas.
i Draga. Extremos.
Braganea. Evora. MonSd0-
I Faro. Fafe. Moncorva.
Oiiveira d'Aze- Pinhal. Regoa.
meis. Porto-alegre. Selubal.
Penafiel. Thoinar. Vianna do Cas^
Tavira. Villa Nova do tollo.
Villa do Conde. Portimao. Villa Real.
Villa Real de Vizeu. Madeira.
S. Antonio. Faial. S. Miguel.
No MrEiuo.
Baha. Maranho.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somraa prazo ou vista.podendo logo
os saques prazo serem descontados no mesmo
Raneo a razo de 4 por cento ao auno : a tratar
na na da Cruz n. 1.
aiendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2 2^"*i*ffi" "?*'
SOCIEDADE
UNIAO BENEFICENTE
MARTIMA
Se\la'leira 1 b de setembro, as 11 no- por ordem do sr. presidente sao convidados to-
ras, ra da Cadeia arniaZCUl s senlwres mhpn a reaniaoi da assem-
blea geral do da 18 do corrente, as 10 horas do
a 5o. dia, no salao de suas sesses, afim de se proceder
l'elo agente'l-]nzeblo. a eleicao da nova directora.
Desde j estar exposta urna collecf o de qua- O mesmo presidente previne aos senhores socios
dros, pintura oleo, obra primorosa representan-' que tem resolvdo, dando-se o caso de nao se reo-
i do diversos passos aa Paixo do senhor igtitulada nir o numero marcado no art. 51 dos estatutos
! Via Sacra, coja doacao para um templo 'ser feliz para poder funecionar, tratar de dissolver a socie-
lembranga da alma piedosa que para tai flm coh- dade com o numero de socios que se apreseutar
correr; e entregue pelo maior preco ; e mais duas quites nessa occaio, art. 64 dos estatutos.
mobilias de Jacaranda, outra de amarello, guarda O mesmo presidente ronscio de que tem s
Perdeu-se de um carro urna sacra de caf,
da escadinha al a entrada da ra Direita, quem
der noticia ser gratilicado : na ra Direita ta-
berna n. 106.
Precisa-se de um amassador e aluga-se nm
preto: na padaria em Santo Amaro atraz da (un-
dicao do Sr. Starr._______
Offerece-se urna senhora portte
costamos para casa de ponca familia : quem jjre-
cisar dirija-se a^ia 'JaSeniala 'Vetna 112, tK
ceno andar.
a festa
Para passar
No largo do Monteiro. margem do rio Capibari-
be,"aluga-se a casa denominadaCanoa-Fistola
oulr'ora de Xisto Vieira Coelho a traiar na ra
do Crespo, loja n. 8, e-quina da do Imperador.
Aluga-se urna casa terjea na ra di Man-
gueira da Boa-Vista : a traiar na roa do Livra-
meuto n. 39, on em Onda, ra de S. Bento, com
o promotor publico. __________________
Anda est para alugar-se a boa casa
terrea n. 39 : ra da L'niao.
ueza de bens > Os Srs. Antonio Fernandes ile Paivg,
Antonio FtgiUMiyduile. Patyji jL jpo Pe-
reira Gonealves, tenham a boniladc de vt-
rein rita ta Cruz n. 4, primeiro* andar,
com toda a brevidade para trataren) de ne-
gocios de sen inleresse.
enflores
urna rica
oras, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Laiz de Oiiveira Azevedo & C.

COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
JUavegaco costelra a vapor.
Taan ar, Narra Grande, Ponto de Podras,
Camaragibe e Macei.
No dia 24 do corrente expedir
esta companhia para os portos ci-
ma o sea vapor Parahyba, com-
nandante Marlius. Recebe carga
Psomente at o dia 23. Encom-
eoendas, passageiro e dinheiro a frete at as 3 ho-
ras do dia da sahida : escriptorio no Forte do
Hallas a. 1.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
IVavegacao costelra a vapor.
(Iba de Fernando de Noronba.
Esta companhia expedir no
da 14 do corrente para o porto
cima o seu vapor Juguaribe, com-
" nandante Lobato. Recebe carga
at o dia 13. Passageiros e dinhei-
ro a frete at s 10 horas da manhaa do dia da
ahida : escriptorio no Forte do Mattos n. 1.
Parao Aracaiy
pretende seguir com muita brevidade o velei o
rate ous Amigos,.loa parto do seu carregamen-
on o sen consignatario Antonio Luiz de Oiiveira
Aiewdo & C, ra da Cruz n. I, ou com o capito
Francisco Martins da Costa no trapiche do algodo
commoda de Jacaranda obra de gosto, palitelro de
prata, estes objectos sao novos e serao vendidos.
LEILO
DE
MOBILIA
Sabbado 17 do correte.
O agente Pestaa legalmcnte antorisado por orna
pessoa que se rctiroa para fra far Ieil3 de to-
dos os objectos que compunham o ornamento de
sua casa, a saoer : urna elegante mobilia gosto
escolhido de Jacaranda contendo 18 cadeiras com
cntalhe, 4 ditas de bracos, 2 ditas de balanco. 4
consolos, 1 sof, 1 jardineira lampos de podra, 1
dita constando de 12 cadeiras, 4 ditas de bracos,:
1 sof, 2 consoles, 1 mesa redonda ludo de Jaca-
randa e tampos do pedra, 1 esplendido toillele
obra de gosto de Jacaranda com lampo de pedra e i
espelho, guarda vestidos, rommodas, u ma sump-1
tuosa cama de Jacaranda de apurado gosto, dita
de molas de ferro, guarda vestidos, ricos jarros,,
lindas figuras de porcelana, toillet de moguo com,
espelho, masa elstica, guarda louca. candelabros,
serpentinas, candioiros gaz, mesas, cadeiras, vi-
dros, crvsues, apparellios de. loca de al moco e
jantar, trens do cosinha, veneziaoas, salvas de
prata, paliteiro etc., e muitos mitres objectos que
tornar-so-ia enfadonbo enumera-los e que se acha-
rao patentes ao exame dos concorrentes : sabbado
17 do corrente, pelas 10 horas da manhaa, na
Lingoeta n. 10, terceiro andar.
por demais condescendente com os senhores so-
cios rebeldes, tem o pezar de annunciar que ser
esta a ultima vez que os chama para a reuniao
da assembla geral, pois tem resolvido impreteri-
velmente dissolver a mesma no dia cima indica-
do, se os senhores sucios anda assim nao se apre-
sentarem quites, em numero bastante para a
eleigo.
Secretaria da Sociedade Unio Beneficente Ma-
rtima, 7 de setembro de 1864.
Balthazar Jos dos Reis.
Io secretario.
Bernardo Alvos Pinhero, querendo retrar-se
desta provincia, roga quem possoe objectos cm-
peohados at o fim do auno de 1862, na na larga
do Bosario ns. 17 e 19, junto ao quartel, o favor de
os resgaiar no praso de 30 das, a contar de hoje.
Becife 14 de setembro il-^ 1S64._____________
Ama ou eserava.
Precisa-se de urna ama forra on escra-
va que saiba cosinliar e engommar, paga-se
bem: a tratar no segundo andar da casa
da ra da Impera!" i/, n. 47.___________
Arrenda-se ou vende-se urna casa com pe-
queo sitio as immediacoes d: Sanl'Anna, visi-
nha ao sitio do Sr. Joo Alves Machado, lojisla ;
de construcc/io moderna e feita este anno, com
estribarla, jardim e boa cacimba de agua doce com
bomba ; o lugar sendo bastante ameno e saudavel,
| e margem do Capibaribe, offerece as melhores
i vantagens para o passamenlo-da festa : o preten-
| dente diri.ia-se ra da Cruz n. 17, terceiro andar
Contina fgido e consta estar acornado em
Goiaona o escravo Jos, preto, crioulo, de 26 an-
nos, baixo, corpo regular, beigos grossos e estufa-
dos, orelhas pequeas, cachaco grosso, pouca bar-
ba porque tem apenas na ponta do queixo, levou
duas caigas, urna branca e outra de castor escaro
que parece preto, de listras, paletot preto, sem ca-
misa e com urna carapuga encarnada na caneca :
roga-se s autoridades policiaes e capites de cam-
po que o apprehendam c fagam conduzir presen,
ca de seu senhor na ma Direita desta cidade n-
54, que sero generosamente recompensados.
Izidorio dos Aujos Purciuncula vendeu a sua
armaco que tinha na casa da ra Direita n. 49 a
Antonio Pinto da Silva ; e ento declara que se
alguem se julgar com direito a mesma aprsente
sua reclamaco no praso de tres dias.
Ama de leite.
Precsa-se de urna ama de leite que seja sadia :
a tratar na ra Nova n. 63, segundo andar.
Que bello banho!
0 Dr. Rocha Bastos
pode ser procurado das 7 horas da manhaa jj
ao meio dia. e das 3 horas da tarde 1
em diante no
'Caes 99 de .\'venibro u. 30
(por cima do bilrar dos arcos.)
De meio dia s 3 horas da tarde
X. Hua a Cruz .V 1H. \
Cura radical e em poneos dias as mo- |
lestias syphiliticas e as do apparolho ge- >
Hito-urinario. 2
Precisa-se de um menino para caixeiro de
taberna na cidade da Victoria, prefere-se porlu-
guez : a tratar na roa Direita, padaria n. 84.
B Joao da Silva Ramos, medico pela Uni
ver.Mdnde de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
&g das 4 s 6 da larde. Visita os doenles
'& en suas casas regularmente as horas
M para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, qne serao soccorridos em qual-
quer oceasio. D consullas aos pobres
que o procuraren! no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doenle,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao crurgica.
Para a casa de sade.
Pi'imeira classe 35000diarios.
Segunda dita.... 20300
Terceira dila.... 2,5000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servigos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianga de que sem-
pre tem gozado.
Aluga-se on vende-se urna canoa para Iratic
de capim por rommodo prego ; a cntender-secom
Mano. I Barbosa no estaleiro da ra Nova.
Precisa-se de tima mulher estranceira de
bom comporlamenlo para se oceupar em servie*
interno de urna casa de pouca familia; a tratar em
I casa da vitiva Carvalho, em S. Jos do Mangoinno.
O abaixo assignado fazsciento ao publico, "
especialmente as pessoas com quem nutre tran-
saccoes, que o Sr. Antonio- Lopes de Carvalho foi
despedido nesta data de caixeiro de sua casa coia-
; mercial.
Ileclfe, 10 detembrode 1864.
Jos Augusto de Aranjo.
t) abaixo assignado faz scento ao publico,
que consenhor da pro(inedade denominada Praia
do Simo Pinb>, e como constou ao mesmo abaixo
' assignado que a Exma. Sra. Baronexa de Ipojuca
tenciona vender a dita propriedade, faz o presente
annnncio para que em lempo algnrn hajaa menor
; ignorancia, e como tambem al o presente nao
i tem recebido arrmdamento algum.
Mauoel Jo.- Nones de Medeiros
Na ra de Sanio Amaro n. 18 recebe-se rou-
pa para lavar e engommar, por prego cummodo :
: i|uera precisar, dirija-se mesma casa, que acha-
' rcom quem tratar.
Precisa-se fallar ao Sr. Antonio Jos
Teixeira de Mendonea Belem : nesia typo-
graihia, ou na livraria ns. 6 e 8 da praga da
Independencia.
RELOGIOS,
Vende-se em casa de Jobnston Pater d
C, ra do Vigario, n. 3. um bello sorti-
mento de relogios de ouro patente in-
glez, de um dos mais afamados fabricantes
de Liverpool, e tambem 'urna variedade de
boninsttrancelins para os mesmoslt
m.
*B O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
S tos, contina a residir na ra do Impe-
y| rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro-
^ curado a qualquer hora do diae da norte
i para o exercicio de sua proBssao de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia at 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estado das
molestias do interior, prosegne, com o
maior afflnco, no das mais difflceis e deli-
cadas operages. como sejam dos ergaos
ourinarios, dos olhos, partos, etc.
1 DENTISTA DE PARS
19Roa Nova -19
Frederico Gantier, cirnrgio dentista,
faz todas as operagoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaes, tudo cem superio-
ridade e perfeico, que as pessoas enten-
8 didas Ihe reconnecem.
Tem agua e pos dentifieio.
Pego emprestadas ou compro as cartas de
Pitia Damo, por Fr. Joaquim do Amor Divino
Caneca, e o Astro da Lusitania, peridico de Lis-
boa.Antonio Joaquim de Mello.
ASPH4LT0
O aspnaltista Coelho de Almeida pode ser pro-
curado travessa do Carmo n. 10. loja, das 9 as
I! 12 horas do dia, para os misleres de sua arte.
O abaixo assignado, escrivao da irmandade
Naut-Clair
das ilhas ou os desterrados na ilha da Barra, ro-
Alugar nm sobradinho 4 margem do ro Cap- do 9A5+mlm*m. em, S. GoncajJD, i %ilftn"tn^o^Z
vra-
barlbe: no Po^o da Panella, ra do Rio, a tratar por ordem da mesa regeiora convido aos^^^^^^^,^^11^^
con,TasrmL ------WZXSSXggSiZ^
l< ICT I IIK nez pelas 3 horas da Urde, atim de assistirera a Antonio Joaquim de Mello advoga no civel e
n 7 S? *w ." j;m henco da cruz que tem de ser collocada no fron-' crime, o peranle os jurados; e gratuitamente ao>
SSSSSXtS'Sfi que emenda de jardim; gjgw oatru^qu .^^ ^^ qe os mesmos Jobres j na ruado Imperador n. 14, das 8 horas
a tratar na rua da Cruz n. 49.
O Dr. Rocha Bastos mudou a sua re
sidencia para o caes Vinle e Dous de No-
vembro n. 30, norcima do Bilhar dos Arcos.
na re- K
le No- Jfi
\rcos. K
irmos e devotos nao delxem da comparecer para ja manhaa s 2 da tarde.
melhor abrilhantar o acto ; assim como pedo aos |___________t_
irmos thesoureiros de todas as contrarias, que i
nesta ocaslio mandem dar nm repique ao signa I
das girndolas de fogo do ar.
Jos Lucio do Carmo.
n
Precisa-se de um criado forro ou escravo
na rua da Cadeia do Recite n. 32
-Offerece-se para cozinhar em casa de pouca precisase de urna ama de leite : a tratar na
i familia ou de homem soltoiro urna mulher hab- rua do Livramento n. 20, segundo andar._______
luda paral este serwico : na loja do sobrado da -_ Uma stnnora baslante habituada para ensi-
rua da Guia n.^________________________ nar prmeira8 letras, offerece-se para ensinar em
Dinbeiro juros.
Na rna Direiu n. 48, se dir quem d de 1008000
1:0001000.____________________________J
Precisa-se de dous homens que entendam do
servigo de copeiro : na rua di Aurora n. 32.
E
- Quem precisar d" uma ama para engommar
e tratar de meninos, dirija-se rua da Imperatrn,
no armazem de louga. que achara com quem
tratar. __________
Ainda esU para ser venJido o sitio da tra-
vessa do Remedio na freguezia dos Arogados n.
21 : quero o pretender enfeuda-se com o seu pro-
prieUrio na rua de S. Francisco, sobrado a. 10,
como quem vai para a rua Relia.
as notas da caixa filial.
iraur com o Sr. Elias Bap- UKIMliM Iji) m)I\
SS Silva3 rua da Aurora n. 36, ou no en-' O Raliza d, clara que nao (vota a *g*
i partidarios qne pregam & fallencra da caixa mu.
O terror espadado nesu cidade passeu de largo
TINTURARA. I P*JJ^fcJJt; por eneros as noUs dfc
Tinge-Se COm perfOIClO para qMlquer cf gj^, quTde preferencia a outro qualquer
genho S. Francisco, na Vanea.
cor, ei.o mais barato posswl
Rangel n. 38. segundo andar.
na rua do I dmheiro seroaceitas na rua do Livramento nu-
mero 38.
MUTILADO.
,'.
v.' I


MM
Diario 4c reraanbaeo Quista felra l* de 9e(earitar 18*4-
______________. ______ iiijuj.' jtsftta^i %inai
6,
CASA DA F0RTUN4
AOS 10:000.000
llilhete garantido*
1' ra de Crespo a. 23 e casas do costante
O ahaixo assignado venden nos seas nroito/feti-
es bilheles garantidos da lotera que se acafcou
de eilrabir a benefteio da irmandade do -Senhor
Bom Jess da Via Sacra, os seguales premios:
N. 970 meio bilfeete cora 10*064000
N. 3999 meio bitoele com 23000*000
N. 719 dous quartos cora 2:<*W*(t00
N. 3399 meio blkete com 500*000
N. 19 lo bilhete uteiro cora 5004000
E oiilras muitas de 2004, 1004, 404 e 20*.
Os possuidore podem vir receber sem os fles-
con.os das leis na Casa da Fortuna ra do Cres-
po n. 23.
Acham-se vendaos da ultima parte da sejin-
da e primeira da tovceira do theatro de sSiaata
Isabel, que se eitraLir sexta-ivir 16 do < tr-
rente 111(7..
Presos.
Bilhetes inteiros..... 124000
Meios......... 64000
Quartos........ 34000
Para as pessoas que compraren!
de 1004jiara cima.
Bilhetes........ 114000
Meios......... 54500
Quartos........ 24750
_________________Manoel Martins Fiuza
Na livraria n. 6 o 8 da praca da Inde-
pendencia existe urna carta de importancia
para o Sr. Antonio Fa nandes Corredor.
Joe Caetano Gomes, Portuguez, vai para
provincia do Cear.
Attenco.
O afearlo assignado faz sciento r. todos os re-
dores 4e Sr. Dr. Francisco Joao Carneiro da Go-
uha, jwetom proco/ago basiante-do mesnio Sr. e
de sua*enhor.i, B. Rermina Puppe da SilvaiGsr-
i neiro da Cunha, para vender o-eu engenho d'A-
gua, para pagamento dos mesme* seus credores,
pudeado desde a data desteannuneioat realisar-se
dita veoda, torera toda informacSo do ditoenge-i -
nho na ruado Appollo n. 39, primeiro andar a1 Aluga-se urna casa era Beben! a tratar
qualq*er hora; declara raais o abatxo assignado cora J- l -* Reg, da ra do Trapiche a. 34.
Preasa-9e fllugarorna escrava de meia'ida- I I A 11 IIA IIPIII TW Aik
I^s^Tzs??" *"''*, LIMa 1)0 IILIJA FLOR.
&?*: Ra Queimado ns. 63 e 69,
Cintos dourados.
Aluga-se um sobrado com
modos, e aata casa de campo, tendo cooherra, es-
tribara sitie cora algans arvoredos, na travessa
dos Remedies : quem as pretender, dirija-se ao
mesma lugar, na taberaa da quina n. 27, que ahi
achara as chaves.e *o dir quem o seu dono.
Caito Francisco, subdito italiano, vai iflahia.
que a bypolheca existente no-engenho, nehum
embarago poe ca dita venda, pois de-aecordo
coms possoidor da mesma hyeotbeca. Nad pre-
ciso taHar-se a respeito da bondade do engenho,
pois elle um dos melhores da provincia,-quera
preteador dte engenno, apparega quaato antes,
pois Bao se podo demorar muito a venda. Recife,
9 de setembro de 1864.
_______ Antonio da Rocha Accioly .Lins.
O abano assignado tendo -arrendado Do-
mingos Ya* da Costa Agr o engenho Thom e di-1 mero 7a
versos esora-vos, e tendo passado letras correspon- i -------------, ** ,-----------;-------------
dentes renda total dos referidos bens, que se ha | ixTOpra-se eiieciivament
de findar era mao de 1867, previne quo.nmguem ouroeprata em obras velhas pagando-se bem
faca traosacifao com dito Agca sobre as-referidas na ra larga do Rosario n. 34, loja de oumas.
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em obras-velhas
daga-se bem: na loja de bilhetes da praca pendencia n. 22.___________________
Comprase cobre velho : ama doBrum nu-
letras, visto como o ajuste foi dependente 4e con-
dicoes, e nao tendo sido preenchido, nao corre
obrigacao da,parte do abaixo -assignado, nao obs-
tante existiram em poder de Agr letras-na impor-
tancia de todo arrendamento.
_______________Goncalo Comes de Soota.
SALSA PARRILHi DE AYI.it.
Transcrevemos aqu algns
dos muitos alteetados que temos
recebido das virtudes da salsa
parnlha do Dr. Ayer.
Rheumatismo.
DE J00 JOS DS SANTOS.
Ouro Preo.
P
8-
B
co
00
9
p
p-
SP
i
1

g
Pj
o
P-
o
P
8
trt-
O
-
P-
I
P-
P
CO
C5 0 p F p Mack Moen
co S p
p- B &
5S 8- ^
<-s co jH
-i GC ^3
0 B
0- O
23 Cfc
trt- p
PICO ce
o>
escrivo de paz do primeiro distrie-
Solri rlicumatisiao por mu-
tas vezes, e vendo annonciado!,
em um jornal (Testa cidade a ^t0 da fceguezia de banto Autouio abatxo as-
Sutsn parrilka de Dr. Ayer, re-: *&*** mudou Jcar,tori da 'ua de S-
comprar um frasco e fazer uso! Francisco para a ra do Imperador no pn-
d'ella ; e ames de concluir o primeiro fras-1 meire andar da propnedade O. 71.
co, acuei-me forte e sem sentir a mate leve! escriv3'
Sao chegados os lindos cintos bordados ouro,
pelo barato preco de 25300 e 2#000: no eiia-flor,
ra do gueiraado ns. 63 e 69.
Fivellas para Sirtes.
Chegaram tambera ricas fivollas douradas c de
ac pana cintos a 1*000 o 1#300 : no Beija^or,
ra do jueimado ns. 63 e 69.
Pentes de laj laruga.
Lindos pentes de tartaruga, goslo modonno, a
61200, o&jOO e 6*000 : ra dt> Queimado ns.
63 e 68. v
Pentes de travessa.
Vendcm-se penles de travessa de novo gesto para
meninas a 600 e 800 rs. : s ao Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Pentes para atar ahellos. .
Lindos pentes pequeos para atar cabellos, .pro-
prios para se andar em easa a 400 e 500 rs.:
no Beija-flor, ra do Queimado us. (W e 69.
Botoes de madreaerela.
Tunda recebido um variado sortimento dos de-
sojados botoes para abertura de roupo, vendem-
se a 408 rs. abotoadura : no Beja-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Enfeites para eaaaras.
Lindos enfeites modernos a 2*000 e 2*400,
ditos de rede a 900 rs. : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
'fallieres para meninos.
------- Chegaram novas sortimentos de talheres para
. meniaos a 380 e 320 rs., ditos eabo de balaneo de
aa fa- um DolSo a 4()0 as lojas do Beija-flor, ns. 3
n. 2L e 69-
--------I Lia para bordar.
Vende-se 13a de superior qualidade e de lindas
! cores a SOO a libra : no Beija-flor, ra do Quei-
I um piano de armario qae esteja em bom estado:, raa" ns. 03 e 69.
1 a tratar na ra de Santa Ttere a n. 18, do bairro; **apel de diversas qoalidades.
do S. Antonio. | Vende-se papel de beira dourada pautado a
- Compra-se um escravo de meia idade: quem S^ ffi *&?*&!seraser^.ounradoe nT
otiver annuncie por este Diario, ou entenda-se ^2A*^J^Ai|000 : Beija-flor, ra do
com o capello do cemiterio publico, residente na ueiniaao ns- > e o,
casa contigua aos muros 00 mesmo cemiterio. Envelopes para cartas.
no^ n\ar.., a, Vende-se envelopes de cores a 600 rs. a caixa,
,.,, >,. ae aJETc-arr aai ab= ig i s0 : "**'ro1
l'eutes dourados para atar.
Vende-se pentes dourados para atar cabellos a
1*000, 1*209, 2*800 e 3*000 : no Beija-flor, ra
i do Queimado ns. 63 e 69.
Pentes para marrafas.
Vende-se lindos pentinhos dourados com pedra
Compra-se um-escravo, que seja sadio e en-
tenda do offlcio de carpina : a tratar com Antonio
de Moura Rolim, a-ra do Queimado n. 3i.
Compra-se urna scrava que saiba eugom-
mar e cozinhar : ua ra do Crespo n. 18, segundo
andar.
A i ten cao
Compra-se urna casa al 500*000 nesta cidade ou mesmo nos Afogados; a tratar na
ra das Larangeiras 11. 7.
Compra-se
jornaes para embruHio a 140 rs. a libra :
j brica de cigarros, aetiga ra dos Quarteis,
GOMPBA-SE
Compra-se um pequeo moleque de 5 6
., ou no
andar n. 64, na ra da Cadeia do Recife.
VENDAS.
para marrad a 1*200 : no Beija-flor, ra do Quei-
- mado ns. 63 e 69.
dr nos joelhos ; a parte do corpo lava affectada d'esse terrivel eucomjnodn
que roubou-me tantas noites de somno.
Krupces. borbulhas, pstulas.
ulceras, c (odas as molestias
da pellc.
DO SU. JOO PAILA DE ABBEC E SOUZA.
Ra de S. Pedro./f/o de Janeiro.
Soria mais de dous annos de urna
eruprao syphiliiica em todo o corpo, mos-
trndole sempre com mais violencia na ca-
ra, prove muitos medicamentos e consultei
mtiiios mdicos, e estava quasi desanimado
quando vi os annuncios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer: cmnecei a fazer uso d'ella e
nos primeiros dias a erupcao aggravoo-se,
porm antes de acabar o segundo frasco ti-
nha o mal desapparecido comjtlelamente de
todo o corpo.
Doctor Don Jos Valdes Berrera, profes-
sor de medicina y circrjia, subdeleoado
em ambas as facultades del sesto dis-
TitiCTO Habana.
Coi tilico que he usado la Zarza panil-
la delJDr. Ai/rr, x como depurativo tu: ob-
u.mdo de ella los mas felices resultados en
los casos de ulcera crnica, como asi mismo
ensayado las Pildoras catrticas del mismo
autor y las considero como um purgante,
cuya accin ademas de ser segara, lia sido
muy eficaz en el tratamento de las enfermi-
dades que exsigeu el uso de los purgantes,
y no vacilo en recomendar estas preparacio-
nes. Y para los fines que puedan convenir
doy la presente en Regla 7 de Setiembre
do 1880.
Don. Jos V. Herrera.
Escrfula.
ATTKSTADO DO ILI.M. S'l. FRANCISCO FeRRAZ
dos Santos.Ouro Piito.
Me acbo ha quasi dous anuos affectado
de escrfulas, e tendo soffrido tanto que al-
gumas vezes quasi que diego a desanimar
da vida e maidizer da minha infeliz sorte;
Joaquim da Silva Reg.
VE\niH-SF
as seguintes obras: Garnter, Economa po
litica, 1 vol. por 20O0; Mackeldey, Diiei- Sapatos de tran?a.
to romano, 1 vol. por 40 ; Du Caurroy, Vende-se sapatos de tranca niuiio bons a 1*500,
Coramentario do cdigo civil francez. 2 vol. dilos de ,aDe,e a *600 : D0 Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Balaios com
Vke-coBsoladd d" Hespnnha.
Havendo fallecido o subdito hespanhol Bento por ^qw Racne 0bras completas,
Antonio l.outinho, sao convidados todos os seus ., 'm n < r.- ',
devedores e eredoras a apresentarem neste vice- voh por 80000, G. Mass, Diccionario do
consulado os respectivos ttulos para proceder-se contencioso commercial, I vol. por 6;
liquidacao d seu espolio Chaboi de VAllier, commentario sobre suc-
cesses, 1 voi. por 6;?; A. Arnaud, obras
Compauhia fldelldade de
seguros martimos e ter-
restres estabeleeida no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomara seguros de navios, mercadu-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
sabao.
Lindos balaios com 6 sabonetes de varias frnc-
tas a 2*500 cada um : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar lindo sorli-
mento de perfumaras e variado sortimento de
mudezas que se tornara enfadonbo menciona-las,
dy, creado de bancos de deposito. 1 vol. porm afianca-sc ser ludo bom e mais barato que
por 2$; Lotus Dlanc, organisacao do traba- era outra qualquer parte,
lho, 1 vol. por 2$: na ra doCabug loja
n.2A.
philospphicas, i vol. por 2$; Sauvage-Har-
6
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permitlido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto, alim deaanunciar ao respeilavel publi-
co o grande sorliraento de galanteras do melbor
gosto propriarnente para qualquer mimo, que aca-
ba de chegar neste ultimo paquete, assim como
muitos outros objectos que recebe por diversos na-
vios, tanto do sua conta como de consignacao que
est resolvido a vender por precos muito baratos
para vender muito e ganliar pouco, e dar extracao
o grande deposito que tero, que espera merecer a
proteccao do respeilavel publico empregando para
isso todas e as melhores d'"
quera satisfeitos; islo s no
Crespo n. 7.
Ricos porta-joias.
Cofre de multo gosto por
Ceslinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por
Lindas jardineiras.
Ricos cofres eoin c.amapheu.
Lindas eajxinhas com podras brancas.
Lindo balao com calungas dentre, tam-
bem para joias.
Tambalier para ditas.
Cestnhas ditas.
Cosmorama ditas.
Urnazinhas.
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta boui|uetes de diversos gostos
?os; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sintos
com bolcinhas ao lado, a 10*, 12* e 15*, ditos sem
bolea porm do mesmo gosto, a 2*500, 3*, 3*500
4*000.
Ricas fivellas avahas para sinto, o melhor que se
pode encontrar, a 1*500, 2*, 2*500 e 3* o par;
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes ou cestinbas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para meninas trazerem no braco, o mais rica
po-sivel a 2*500, 3*500, 4*. 5*, 7* e 10*; s uo
\ igilanle, ra do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sorlmenlo, tanlo
para alizar como para alar cabello, os mais lindos
que se pdc desojar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga cm en-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado n. 49, est vendendo muito
boas fazendas c muito baratas, quem quizerpoder
vir ver ou mandar para experimentar, assimTorao
Gollinhas muito linas para senhora a 500 rs
Ditas e punlios de fustao muito bonitas a 64
Cartas de alflnete de cabeca chata de lodos o ta
manhos a 80 rs.
Resmas de papel de peso muito bom a 5*.
Capachos redondos e compridos a 500 is.
Caixas com superiores obreias de colla e de massa
a 40 rs.
Cordao branco grosse que tem murta applicacao a.
vara a 20 rs.
Liabas de carriteis garante-se 150 jardas a 40 rs.
Cartes de linha Pedro V com 200 jardas a 40 rs.
Grosas de pennas de ac muito finas a 500 rs.
Varas de franja de 13a"para vestido a 40 rs,
Ditas de franja branca larga para toaHias a 160 rs.
Pares de botoes de punbo a 120,320 e 500 rs.
Tinteiros de vidre com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a ICO r?.
Grosas de botoes de louca prateado a 160 e a du-
zia a 20 rs.
Tesouras para costura a 80, 200, 400 e 500 rs.
Escovas para limpar dentes, superiores a 200 rs.
Libra de laa para bordar da melhor qualidade a
6*500.
Caixas de phosphoros de seguranca a 160.
Caixas c pacotes de papel amizade superior a 600
ris.
Caixas com 100 envelopes mnito finos a 800 rs.
Quadernos de papel pequeo azulado a 20 rs.
Carriteis de linha Alexandre com 200 jardas a
BaShoTpara voltarete a 240e mais finos a 300 rs,
a lo V -Mlante ?ua do "''> lir>"a Tou" para bordar a 20 rs.
lante, ra do Pares de sapat(sS de a de tod9s ,amanho5
a 1*500.
Grosas de botoes de madreperola muito finos a 560
ris.
Carlas e caixas de eolchetes de superiores quali-
dades a 40 rs.
Massos de grampos superiores e limpos a 30 rs.
Grosas de palitos de gaz a 2*200.
Libras de arcia preta da melhor qualidade a 120-
ris.
Caixas redondas para rap e tem muito bonitos ca
lungas a 100 rs.
16*000
18*000
10*000
10*000
10*000
16*000
9*000
6*000
6*000
6*000
e prc-
NOVA
liquidaran de fazendas de lodas as qna-
liiiadcs na loja c armazem da Arara,,
ra da mpei-atriz n. 56, de Loaren-
co Pernea Mendesfiuimares.
Attenco que se vai principiar.
Vende-se pegas de panno de linho para lenges,
loalhas e sern las, com 13 1/2 varas por 8*500 ;.
brim liso por 500, 560,640 rs. a vara : na ra da
Imperatriz loja da Arara n. 56, de Alendes Guima-
res.
A Arara vende soutembarqne a 10o e 12)$.
Vende-se.soutembarques de laazinhas enfeitados
a 10* e 12*, ditos prelos de grosdenaple lino
a 20*. 22* e 25* ; capas pretas ricamente enfeita-
30*; eamisiuhas para senhoras a 2*
manguitos a
n. 56, loja da
das a 25-
e 3* ; golinhas 240, 320 e 500 rs.;
500 rs. e 1*-: na ra da Imperan iz
Arara.
Coi tes de chita a 2-ViOO.
Fogos de artificio da viuva
Rufino.
Nesta acreditadissima fabrica recebem-se en-
commenias de fogos de artificio para dentro ou
fra da provincia, garantindo-s s pessoas que se
dingirem este estabelecimento acharem reunidos
os gostos i perfeieSo nos artigos ahi fabricados,
As encoramendas receliem-se no armazem da bola
amarella no oitao da secretaria da polica.
Precisa-se de um caxeiro que tenha pratica
de alguma loja de fazendas, que qneira ir para a
provinoia da Parahiba, villa de Bananeiras, dan-
do-so bom ordenado : na rua da Cadeia do Reci-
fe, na loja de Jos Joaquim Gomes & C, que tem
com quera conversar. _________________
Pede-so encarecidamente ao Sr. Andr Ave-
lino Sobreira de Mello que tenha a bondade tratar
teillio sido (calado por muitos mdicos d'es-! rua da Cadeia do Recife n. 48, primeiro andar,
ta cidade, c neulium pode vencer a te-naci-' as duas serpentinas que pedio emprestadas em
dade de minha moles lia, eslava sem espe-;r
raucas de
ultmame
rillia do Dr. Ayer. Comnletam-se ,
,. ,.,. i- ,. .^ ... 1 Jos Antonio da silva vendeu sua taberna no
tnnta e sele diasque comecei com este' ^ ^ RJDera 23 ao Sr. Bernardino Pacheco
santc remedio, o tantas melhoras tenno ; dos Santos, livre e de#embaracada : quera se jul-
sentido que tenho COnvicciO de cm breve gar credor, appareca nestes tres dias na mesma
recobrar a minha saude, perdida ha tanto tabcrn'A-
I.0JADEMIUDBZASF1\AS
Xa praca da Independencia, loja de ourives 1 ___!> \ ftnATmftln___1 A
n. 33, compram-se obras de ouro, prata e pedras' JLv xilUl UU V*UOIIUa\lU 1U
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en
commenda, e todo e qualquer concert.
&HAJNHE
Fitas linas.
Bonitas fitas de grosdenaples lisas, com dous
dedos de largura, cores de bonina, azulsinha, viole-
. ta, chocolate, caf, verde, iaranja e prela, a 480 ris
a vara. l
, iIjuuit.-i -iiuj dedos e meio de largura, cores de caf, baaina.i
YIMIl PURO
Chegou afinal o afamado vinho do Cartacho sem
canfeigo, c vndese nicamente na rua do Cres-
po n. 9, armazn Principal, a 30* a ancora de 9
caadas e a 560 a garrafa.
Luvas de Jouvin,
A loja da Aurora na rua larga do Rosario n. 38,
recebeu luvas de Jouvin decores e brancas para
homem e senhora, muito frescas, chegadas pelo
vapor francez.
-a .1
tteaco-
I Vende-se cortes de chitas com 10 covados a
2*400, ditas franceza a 3*200 ; ditos de cambraia
de salpicos ailBOOa peca, dita lina a 3*500, 4*
de tartaruga e de mass lina, que se vende por 2*,! ffi arr,lil pni D. 06, loja da Arara, oe
3* e 5* ;s no Vigilante, rua do Crespn. 7. R Mm Gnlma-raw.
0 L s H Roupa frita liarala.
Rlquissimos leques de madreperola tanto para UiToWSff JfSLft ?Te iV^iio-^e
senhoras como para meninas, pelo barato preco :f' A?* j^Aip.ram f a
de 12* 0 14*^0^0 Vigilante, rua do C?espo %?^%S%S^^X
1 de casemira de cures linos a 10*, 8* 6*, e 5* ;
seroulas a 2* ; camisas brancas a 2*, 2*500 e 3*:
na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
"Mais leques
o defeito, leques de sndalo
Colarinlios econmicos a 610 a duzia.
Vende-se colarinhos econmicos muito bem fri-
tos a OiO a duzia : na rua da Imperatriz n. 56, lo-
DE
Grande
, V j pectaculo do Apollo,
le recobrar a minha saude ; quando;--------------------------
ente resolv fazer uso da Salsa par-\,- *i]5SL&n"
par
boje
este
de um i'o/.inheiro.
do Trapiche n. 22 precisa-se
tempo.
Wyphilis e molestias mei'ciiriaes.
Do Ii.i.m. Sn. Dr. Jackson.
Medico muito conhecido as provincias do
sul do Brasil.
Tenho receitado a Salsa parrilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilis constitucional e sempre com
Recife, 13 de setembro de 1864.
A sociedade commercial que gyrava nesta
praga sob a razio de Francolino Izidoro Leal 4 C,
tendo sido dissolvida desde o Io de maio de 1862
por convenci entre os mesmos socios, licando po-
rm o Io socio nico responsavel pelo activo e
passivo da mesma firma com a faculdade de poder
usar della at quando Ihe conviesse, resolve que
do Io do crreme em diante a firma commercial
OS sera Francelino Izidoro Leal, por assim havermos
mais felizes resultados ; o melhor alteran-! tratado.
te que conheco. A Semana Ilustrada que se publica no Rio
L.eucorrha e flores brancas. 1 . Temos cartas em que nos contam casos ^&?4&2nX; tPaT.So^:
inveterados que foram radicalmente curados N. B. Os assignantes da Semana Ilustrada te-
com um ou dous frascos d'esta Salsa par-
rilha.
O espaco nao nos permitte transcrever
todos os attestados que possuimos das vir-
tudes d'este extra, to composto de Salsa i
parrilha do Dr Ayer. Hasta declarar ao [
publico que tem sido empregado ha mais I
ile vinte anuos pela profissSo medica tanto j
das Americas como da Europa, sem nunca
desmentir a sua alta ropuiacSo.
rao no fim deste anno um quadru com os retratos
de todo o gabinete do Imperador e da cmara dos
I deputados, olTerecido pelos proprietarios do jornal.
A loja de sapatos do .pateo do arsenal mudou a
azulsinha, vilela, verde, rosa e branca, a 640 ri, sua liquidado para a.rtia da Cruz n. 17; vende as
a y*ra. J fazendas pof preco d Braca, como seja, marroqnim
Bonitas ditas do grosdenaples lisas, 4 !* eo novo preto a 18* a duzia, recebendo nolis do ban-
dedos de largura, cores de. rosa, escarate, carmw co do Brasil,
sim, bonina. violeta, verde, branca, preta, azul e
amlsinha, a 1*6(0, o 2*000.
Itiquissimas ditas de grosdenaples bordadas, de
4, 5, e 6 dedos de largura, de todas as cores, pro-
prias para la^os de cinteiros, a 1*600, 2*000 e
2*500 a vara.
Bonitas litas de gorgurao, de todas as cores, pro-
prias para cintos, a 15000 a vara.
Bonitas litas de sarja listadas, diversas cores,
para cintos, a 500 ris a vara.
Pecas de cascarrilhas de seda de todas as cores,
differentes larguras, 1*280,1*600 e 2*000.
Pecas de filas de seda de um dedo de largura, do
todas as cores, a 320 ris.
Pec.as de litas de laa prela e de todas as cores,
para debrum de vestido, a 800 ris.
Pegas grandes de fitas de linbo acolchoada para
debrum, a 160 e 320 ris.
Pecas de tranca de laa preta, a 80 e 160 ris.
Fivelas.
Riqoissmas fivelas douradas c com finissimas
pedriiihas parece brilhantes para cintos, a 1*280,
1*600 e 2*000.
Cintos.
Itiquissiinos cintos do galo dourados epraliadcs
com bonitas fivelas e borllas, a 2*000, 2*500 e
3*000.
Enfeites de cabeca.
Riqussimos enfeites de cabeea com cascarrilhas
e frocos ultimo goso, a 3*000."
Ditos dilos cora cascarrilha muito larga os mais
modernos.
Dilos dilos com lagos e frocos, a 2*000.
Ditos ditos com lagos evidrilhos, a 1*000.
Ditos ditos de contas brancas e pretas, e pretos e
de cores com lago, a 1*500.
Ditos ditos de frocos de cores, a 1*000.
Ditos dilos pretos e de cores de retroz, e tranca
sem lagos, a 800, e 1*000.
Volliuhas.
Bonitas e grandes vollas de contas prelas Mara
Pia, a 1*500 e 2*000.
Ditas mais pequeas pretas com cruz a 800
ris.
Ditas de aljofares graudes de cores, a 3*000.
Ditas de aljofares branco com cruz, a 1*000.
Ditas de continhas brancas e de cores, a
ris.
PECHMTHA
O dono do antigo estabelecimento do
i Passcio Publico n. 11, avisa ao publico
que recebeu um grande sortimento de
chitas franeczas e inglezas, e esl resol-
vido a vender por barato prego alim de
adquirir freguezia e apurar dinheiro.
No Passcio Publico n. II.
Vende-se chitas estrellas a 200 rs. o
covado, dita a 260, dita larca a 280, dila
a 320, dita a 360, dita a 400, dila a 440.
S no Passeio Publico n, i I,
Vende-se chales de merino bordado a
6*500, dilo estampado a 7*, dito liso a
4*500.
No Passeio Publico n. II.
Vende-se brim branco pardo de listra
pelo barato prego de 720 rs. a vara, ma-
dapoln fino a 95 com 20 varas, dito a
7*800, dito a 6*800, casemira preta a
1*800 o covado, panno fino a 3*500, dito
superior a 6*500.
S no Passeio Publico n. 11
Vende-se grvalas de seda a 200 rs.,
ricos cortes de vestido de cambraia a 4*,
longos bordados capricho a 200 rs. as-
sim como oulras fazendas que s vista,
tamhem se dao as amostras deixando
penhor.
Para a cura radical de escrfulas e affecces
escrofulos, syphilis e molestias syphi-
liticas, ulceras, feridas, cliagas,
erupces cutneas e todo e
qualquer incommodo que
provm d'um estado
impuro de sangue,
TOMEN A
SAI.*A PARRILHA DE AYER.
A' venda na rua Direita, ns. 12,2G e 76;
rua da Quitanda n. 51 ; praca da Consti-
tuico, n. 30 e Hospicio, n. 40. E as
principaes pharmacias c drogaras do im-
qerio.
Vende-se em Pernarabuco:
na pharmacla franceza de
P. MAURER & C.
BA NOVA N. 18.
Maqnes sobre Portugal.
O abaixo assiguado, autori>ado pelo
Banco Mercantil Porluense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por lodos os paquetes sobre
as pragas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer somma vis-
ta, e a praso ; pudendo, os que lomaren)
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na
loja de chapos da rua do Crespo n. 6, ou
na rua do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa ilaia.
Aluga-se a casa n. 40 da
ras : na rua da Aurora n. 36.
ra das Trinchei-
regago, a 1*800 e 2*000.
Ditos ditos lisos e recortados, a 640 e 1*000.
Ditos de coochas dourados, a 2*000.
Ditos de marrafas com pedrinhas, a 1*280.
Ohjcelos diversos.
Luvas brancas de Jouvin frescas, 2*500.
Ditas nao frescas, a 1*000.
Varas de labyrinto grande, a 100, 160 e 240
ris.
;, Bonecas pequeas que choran), a 200 ris.
Caixas de papel amisade paulado, a 720 ris.
Ditas de dito liso, a 600 ris.
Caixas com 10 envelopes, a 640.
Ditas de pennas limpas, a 600 ris.
hecheo.
Voou para o Jado da rua das Larangeiras um
checheo manso e cantador : quem o apanhnu o
uo o quizer posuir como nuhado, dirija-se ao
cartorio do tabellio S, que dar alvicaras pelo
acfaada
lima escrava.
Vende se urna bonita escrava de 16 an-
nos, bastante sadia, habilidosa e enten-
dida em todo o servigo de urna casa : na
rua da Imperatriz n. 35, primeiro andar.
Na rua da Cadeia
oSr. M. A. Richert.
n. 20 tem urna carta para
AO PUBLICO
Alcatrao.
Vendem-sebarriscom alcatrao: na rua da Cruz
O abaree asignado faz sriente ao publico que
desde o dia 13 do rorrenle mez ilewou de ser Re- Almeida toraes.
rente dos negocios rommerciaos da Sra. D Sophia 1
n. 33,jirimeiro andar, escriutori de Antonio de P** a aC*J mental, dividido pelos dias da
guiar manguitos por ser muito com modo e inuilo
barato, a 320 o par; s no Vigilante, rua do 'jres-
po n. 7.
Canelas.
Riqoissmas canelas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo barattssiino preco de
1*500 c 2*.
Sapatinlins e meias de seda.
Riquissmos sapalinhos de seda e de merino en-
feilados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
nbas e lonquinhas para as cnancinhas se baptiza-
ren ; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Volliuhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avulsas
e voltinhas, pelo barato prego de I* e 1*200, *s
cruzes avnls asa 400 rs.; s no Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquisimas golinhas e manguitos, o melhor gos-
lo possivel, a 2*, 2*500 e 3*; s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Enfeilcs para senhora.
Rlquissimos enleites com lago e sem lago e de
outros muitos gostos a 1*, 1*500 e 3* : sb no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
Traiicelius.
Lindos trancelins oo cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 1*500, dilos de
relroz a 200 rs.
llabadinhns entreiucios.
Riquissmos babadinhos entremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 1*200, 1*500, 2* e 3*; s no Vigilante,
rua do Crespo a. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galoziuho e. trancinhas pro-
prias para enfeitt-s; s no Vigilante, rua do Cres-
u. 7.
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e quahdades, por oreos que admirara aos com-
pradores, havendo filas largas proprias para cin-
teiros que se pae vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 2*; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Fitas de la.
Fitas de laa de todas as quahdades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7
Ricos espelhos.
Riquissimos espelhos com moldura douraJa e
sem ella de 8*, 10*, 12* e 14*, assim como cora
columnas de difterentcs tamanhos a 2*, 3*, 4*, 5*
e 6*; s no Vigilaute, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros e liguras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto queaqui
tem apparecido; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
cousa de mullo gosto a 1*500 e 2*, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, rua do Crespo 11. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
coes o peucoes, hymnoao Espirito Santo, co- das, assim como de irados conos ou vasos com dis-
ra do Senhor, aviso a qualquer alma de- tinctivos e ofierecimemos as sinhasinhas dos me-
vota, desengaos da vida humana, hymno Inores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
de Santo Ambrozio Nossa Senhora, jacula- ".jomo os grandes ropos de bnnha jamen
..c..;:c.,^i ,. ., j a z* e a 1*, assim como outros objeclos que nao e
tonas ao Santissimo Sacramento, extracto da possVei por hnje annunciar, e vista dos fregue-
via-sacra, commemoragao Nossa Senhora zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
do Carmo e ao SS. Sacramento, directorio r"a do Crespo n. 7.___________
com pequjpo ueieito, leques de sndalo com pe-
queo deflito por barato prego de 8* e 10*, chi-
nezes mufo bonitos tambera, pelo barato prego de
4* e 5, bejitarallos muito bonitos, tamben) por ba-'
rato pregfde 4* e 5*, leques de charo tambem
por 4*, nado isto para acabar, perdendo-se tal- J ,V V .
vez fiOpor ceiilo; so no Vigilan te rua do Crespo \^d**br5Bt?n e,Suro, "Dbo, ,a l2*d00 e
n 7 v 25800 a vara, tendo 10 a 12 palmos def largura ;
DbIum. 1,rim branca para caiga a 1*200,1*400 e 1*600 a
vara, dito pardo a 640, 800 rs., 1* e 1*200 : na
rua da Imperatriz n, 56, loja da Arara.
Vendem-se baldes americanos os melhores que
i ara segurar manguitos. le vindo, de todos os tamanhos a 2*240, 2*500,
fambem chegaram as*liguinhas estreilinhas de 3*, 4* e 4*500: s o Arara na rua da Imperatriz
borracha que as senhoras tanto precisam para se- n. 56.
Lindas pulseiras de contas e de missanga,
muito lindas e de muito gosto a 1* e 1*200.
cores
Enfeites modernos para
c beca.
Na rua larga do Rosario n. 38.
A loja da Aurora recebeu enfeites muito moder-
nos para cabega, o qual se vende barato ; assim
como recebeu enfeites de cano de muito bonitas co-
res, e tambem ditos de trlicioha lisos, e muitas
oulras mudezas, as quaes se venden) baratas:
xjt) quem duvidar, mande buscar as amostras, pois a
vista faz f.
Ditas de coral, a oOO e 2*000. Vende-se urna armago nova e sens nteoci-
Bonitas pulseiras de contas de cores, a 800 e lios tambem novos, e tem alguns gneros na raes-
MWW raa armagao, propria para quem quizer sortir
Penles. | a seu gosto : as pessoas que a pretender, dirija-se
Riquissimos pentes dourados com pedrinhas para rua de Joao Fernndes Vieira n. 64, ou tra-
1 vessa do Pombal n. 20, para tratar o dito negocio.
Vende-se, ou troca-se por casa nesta cidade,
i ou aluga-se para pa>sar a testa, urna grande casa
i e duas pequeas, irndo aquella sitio, e estas seus
respectivos quinlaes bastante compridos, sitas na
i freguezia da Vanea na rua do Foco com fundos
para a rua do Rosario, tendo o sitio bastantes arvo-
1 redos de (rucias; quem pretender dirija-se rua
; de Hortas n. 1, primeiro andar.
Iivro de oracoes.
Vende-se ICO reis, na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia, um livrinho con-
tendi o seguime: louvor ao santo nume de
Deus, cora dos actos de amor de Deus, ora-
po
Alnga-se a sala e quartos da parte de detraz Tavare de Castro, viuva de Antonio Jos Fernn- lili \ \Sii
do primeiro andar da rasa n. 65 da roa do impera- des de Castro, de acerdn com a mesma senbora e '
dr com visia para o passeio, propria para esorip- sen procurador actual Joaquim Francsup de Ama-
torio, e morada de pessoa solteira : a iratar b* querquo Santiago,
meama. i Francisco Xavier de Athayde. j de Antoato de Anacida Gomos.
Vende-se potassa em barris a wjmmedo prego o
, na roa da Cruz n. -33, primeiro andar, eseriptori:
semana, obsequio ao coracSo de Jess, sau-
daces devotas s chacas de Christe, ora-
ces Nossa Senhora, S Jos, ao anjo da
guarda, Deus em obsequio qualquer san- loja de mudezas.
to para a nenie, o responso pelas almas
do purgatorio.
Luvas de pelica para se-
nhora 1#000!H
Garante-se a qualidade, na rua Direita n. 104,
Vende-se tres encerados novos e grandes no
armazem do caes d'Alfandega o. 3.
As laaziulias da Arara a 210 rs. o covado.
Vendem-se laazinhas para vestidos de senhora a
240, 320, 400 e 500 rs, o covado, ditas muito
finas lisas 600 rs. o covado, ditas especiaos a 720
e 800 rs. o covado : na rua da Imperatriz n. 56,
loja da Arara.
Chitas baratas a 240 rs.
Vendem-se chitas de cores lixas a 240 e 280 r?.,
o covado, ditas franeczas linas a 320. 360, 4C0 e
500 rs., o covado, ditas percalas a 560 e 600 rs. o
covado : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A Ai ara vende niadapolo barato a 6.S0OO, cortse
de vestidos a Mara Fia a I \fi, 1C$ e 18*.
Vende-se pegas de raadapnlo de 24 jardas, de
marcas linas n. 7 a 7*,n. 2 a 8*100. + a 8*500, ++
0*, S a 10*, HII a i I* e 12*; Mgudao regular a 5*,
dito fino carne de vacca a 6*500, dito domestico a
7*, dilo slrupira a 8*, dilo pao ferro a !>* a pega
lein 20 jardas : na rua da Imperatriz, loja n. 56.
Olales barates a I (00.
Vende-se chales de laazinha a 1*600 e 2*, dilos
de merino a 3*, 4*500, 6* e 7* : na rua da Im-
peratriz n. 56.
(lurtes de raigas a l.-MiOO.
Vende-se cortes de calca para homem a 1*600,
1*800 e 2*500 boa fazenda ; corles de casemira de
corc> linas a 5*, o*500 e 7*; casemira para palilols,
caigas e coletos entestadas a 3* o covado : s na
loja da Arara, na rua da Imperatriz n. 56.
Laseiuiras para capa de senhora a 2> c 3>.
Vende-se casemira entestada propria para capas
para senhora a 2* e 3* c covado, tambem serve
para costumes por ser de boa qualidade e lindas co-
res, vende-se a 2* e 3* o covado: na luja e arma-
zem da Arara, na rua da Imperatriz n. 56.
A Arara vende as percalas a 560 rs..
Vende-se percalas linas para vestidos a 560 e
600 rs.; chitas Irancezas finas a 360, ',40, 500 e
560 o covado : na rna da Imperatriz
A Arara vende as capas jiiisiiena'1
'A
Vcnde-se ricas capas de grOsdeJt
e30&
i para
tinos a
senhoras a 25* e '',: snulemnarq
20*. 22* e 25* : na loja la Arara
l'arlalana de cores e branca a 800 rs. vara.
Vende-se tarlalana branca e de cores linas a 800
rs. a vara, fil de ludio a 800 rs. a vara : na rua
da Imperatriz loja e armazem da Arara, n. 56.
O proprielario da loja e armazem da Arara re-
eo'i menda toda a attenco aos Srs. freguezes que
mandein ver as amostras de todas as fazendas que
annuncia, prometiendo vtnde-las por barato prego.
Pecliinclia de leugos de seda a 800 rs. e 1*.
Vende-se lengos de seda pequeos a 800 rs.; di-
los grandes a 1* : ditos brancos com barra de co-
res a 200 rs. cada um ; meias cruas para homem a
2*400. 3*, 4* e 5* a duzia : ditas para senhora a
4* e 5* a duzia : na rua da Imperatriz n. 56.
Cassas franeczas a 280 e '20 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas linas para vestidos a
280 e 320 rs. o covado: na rua da Imperatriz n. 56.
Colchas de damasco a 4.
Vende-se colchas de damasco para cama a 4Jr
ditas de fustao a o*, ditas de chita a 2*; ricas chi-
tas para cobertas a 320, 360 e 4( O rs., ditas aseti-
nadas muito finas a 500 rs. o covado, dilas encar-
nadas a 5o0 rs. o covado : na rua da Imperalna
n. 56, loja da AraraJ_______________________*
RuTdoCrespo, loja n. 20 B.
Alvaro Augusto de Almeida tora no seu estabe-
lecimento o mais lindo sortimento de fazendas que
tem vindo a este mercado, recebido pelo ultimo
paquete, como seja rionissimos cortes de vestido
de verdadeiro blonde com todos os pertenec para
noivas, lindos e importantes cortes de seda de co-
res, elegantes chapelinas de palha de Italia, de cre-
p e de dina, chales e manteletes de renda de goi-
por, capas esoutemharqnes de grosdenaeles, hor-
nus de casemira, zuavos de laa, colchas de damas-
co de seda e de la para cama, e muitas nutras fa-
zen las de laa, linho e algodo, que o mesmo ven-
der mais barato que qualquer outro.
Estciras ao Aravaty
Vendom-se na travessa da Madre de Dos 10|o.
)
.
"

MUTILADO 1
IILEGVEL
--------


ata*
iMarfo de Petiiaubuco Quinta fcira 15 de StUuilr,. de A84I4.
CLA
COMME
msm
RA DO QUJEOf AllO W. 15.
Passaud o becco da Congregacilo segunda casa.
NOV1DADE

Grande lipidacilo.
Rna da Imperatriz u. ttO.
Loja de fazendas do l'avio de (iaina A. Silva.
Acha-se este eslabelecirnento completamente
sonido do fazendas'lngletas, francezas, allemaas e
suissas, proprias tanto para a prsea como para o
matiu, promeltendo vender-se niais'batato do ijue
em outra qual(|iier parta principalmente sendo em
porcao, e de todas as f.izeodas diio-se as amostras,
deixando flcar penhOf. ou maudam-se levar en
casa pelos caixeiros da loja do I'avao.
As chitas do Patn.
Vendem-se chitas inglezas claras e escuras pelo
barato piejo de 210, 2(50 c 280 rs. o covado, tintas
seguras ; ditas francezas de cores seguras a 320.
349,360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
muilo superior e bonitos padi oes : s na loja do
I Pavao.
As Ilutabas da e ipositiin do Pavo.
Vendem-se lazinhas as mais modernas que
tem vindo ao mercado, proprias para vestidos e
soutembarques por seren lisas e de cores muito
0
AO ItfiSI'EITAVJtilj iPUBIilCO.
RA DAS CINCO POMAS NS. 86
*SumlMl da nova travesea de s. loao.


.
Pereira Rocha C, acabam de abrir na ra do Queimado n. 48 um armazem de molhados denominado Clarim Commer-
c*at> onde e respeitavel publico encontrar seinpre um completo sorltmenio dos melhores gneros que vem ao nosso mercado os
quaes sero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencinela; garantc-se obom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados nesto armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Fraga muito superior a 220
100 rs. a libra, e 10800, 20600 e 31000 Painoo a 200 rs. a libra. rs. a libra.
a arroba.
Ameixas francesas em latas c em frascos a
10200 e i 0600, e em frascos grandes a
2*500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,10100, 10600 e 2.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpiste a !60 rs. a libra e a 43600 a arroba.
Aseite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa.
Mera de Lisboa a6i0 rs. a garrafa.
Ararute verdadeira de matarana a 320 're. a
libra.
AvellSas muite grandes e novas a 8Q rs. a
libra.
Biscoutos ingieres de diversas marcas a
1030' rs.
;Bolachinhas d soda, lalasgrandes, a 20 rs.
a late.
dem inglezas muito novas a 30006 a barri-
quinhae a 200 rs. a libra,
;lanha de porco renada a 440 rs. a libra e
embarrilo 400 rs.
Cha hysson, huchin e perolaa4$600."20,
20500, 20800 e 35000 a libra,
dem prelo muito superior a 2#000 a libra.
Ceneja prea e branca, das melhores marres
que vem ao mercado, a 800'rs. a garrafe
e 50800 a duzia.
Cognac inffiez fino a9P rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, de pepino, a 72' rs.
dem, s de azeitonas, a 750- rs.
Charutos dos melhores fabricantes da ftaiua
e espeeidmente da fabrica imperial do
Candido Ferreira Jorge da Gasta a 108'K>,
2->0.)0, 20200, 20500, 20500, 30009 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a hbra e 80500* 80800 rs. a arrala.
Cartoes dt; bolinlios francezes muito novo* e
bem raeito enfeitados a 709 e 600 rs.
Cbourieas e paios muito noros a 800 *e
libra,
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeile e Ervilhas portfiguezas a 640 rs. a lata.
mnito novo a 640 rs. | dem seccas muilo novas a 200 rs. a libra.
Qucijos flamengos do ultimo vapor a 20800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem prato. I de oito libras e canastrtnhas de 1 arroba a
dem londrino chegado no ultimo vapor a 10800, 50500 e 280 rs. a libra.
900 rs. a libra. ; Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 re.! dem de trigo a 120 rs. a libra.
cada'em.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag nraito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 36 rs. a libra.
dem slearinas nattito superiores a 600 *
fibra.
Eigos em caixip'feas emticamente lacradas
& 10600.
Vinho do Porte engarrafado o nrelhcr que
ha neste pesero e de varias marcas, como
sejam : Veltio de 1815, Duque do Porto,
Madeira, B. Pedro, D. Luiz 1. Mara Pa,
Bocage Chamisso e oalros a 800, 900 c
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90O8O e 10000.
dem em pipa, Port, Lisboa e Figueira a
480, 5O0e 560 rs. a garrafa e30, 30500
e 40 a caada,
dem braico de Lisboa muito fem a 500 rs.
a garrafa.
dem deBordeaux, Madoc e SJJulien a 780
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
a duzia.
dem Morgauxe Chateauluminids 1851,al >
a garrafa.
dem muscatel a 806 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs.
10200 rs. a caada.
a garrafa
Genebra de Hollanda verdadeira marca YD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
dem ern garrafoes de 3 e 5 galoes a 50500
c -70500 cada -nm-oom o garrafao.
Graba a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, quaiidade especial em garrafas -muito
grandes, a 10800 a garrafa.
dem era garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
nheiro.
fanteiga ingleza perfeitemerte fio*, 'desem-
barcada de peco a 900 rs. a libra, e da
de segunde quaiidade a 800 rs.
dem francez .muito nova a 40 rs. a libra.
dem de tempero a 400 re.
Maca de tomates em barril a 480 rc, a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada'itaperial dos melhores'oonservei-
ros de Lisboa a 60 i rs. a lata.
Marrasquirilvo de Zara., frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Magas finas para sopa: eslreUinba, pevide,
rodiubo. a caixitiha com 12 libras.
Nozcs multo novas a 160 rs. a litera.
Peixe em latas preparado pela pnmeira arte
deooanha a 10 a lata,
Paliios de dentes a 16f rs. o nwo.
Desojando o propietario do grtale arinazcEn do Prophei dar lar-
gas aoseu genio emprehendedor, commcrcial e especulativo, resolveu ceder a inspiraciio
que o assaltoii, quando as horas caladas da noite o seu solicito espirito se agitava tfum>
- ._...MHI,jUVO .,ut ^ciciii limeta c uc lu cr inuitu l-ii i j il'i i i *
delicadas oGOe. 500 rs. ? ditas lisas com um lustre: turbilnao de ideas, tendentes todas a fiera servir e agradar aos generosos habitantes
que parece seda 640 rs. o covado, ditas com desta bella provincia, de abrir mais este grande estabeleclnacno de novos e
quadrinhos de seda 4500 rs. o covado s para ac- escolhidos gneros, quasi que especialmente destinados s pessoas que moram na fro-
oar : na loja e ar1** *' .... ..*
Imperatriz n. 60.
na loja e armaiem de Gama Silva, ra da I gezia ()c g Jos) c -aqoeft| chores que transilam pela via frrea, para quera em vei -
Os vestidos do Pavo.

dade sao sera conta o numero das vantagens
que se Ibes offerece, nao s cora relaco a
brevidade da conduccao dos objectos com-
Vendem-sc os mais modernos cortes de vestido tttodlcidade dos fretes, como da faciliddde e
de la, que vieram pelo ultimo vapor, com ricas prados.
Sr .de r' Tpinh0 .e colllile s,eParad01 di,t0.s sonho do Prouheta ser una verdad.', ortica lo aceita e abracada como as
m^l^jeSSlSt^y^ P^'avras simples ebem intencionadas dos velhos patria.chas desses lempos idos, si o Se-
outra qualqocr parte, e se quizerem urna prova hor Deus dos exercilos nao o qnier contrariar.
do que se diz, mandera ver leja e armazem do O Proplieta nao querendo restringir-se a forma ordinaria de negociar resolve -
Pavao, ra da imperatriz n. 60, defama & Silva, tamban, depois de profunda meditacao, de nao vender smente os seus gneros a di-
*s vestidos Mana Pa. So o Pavao (800001. nheiro correte ; mas tambem de por em prattea troca deliea por outros da produefo
de lSX"^S{Snie^!nTK e* paiminE do Paiz ou P01' ^vos. bois, cavallos, etc. Assim, pois, fique na inteligencia de todos,
de seda pelo barato preco de 80 cada corte : s Que o PROPUBTA recebera como moeda de qualquer dos senhores agricultores, assucar,
aa loja do l'avo ra da Imperatriz n. 6, de Ga- algodo, agurdenle, milho, feijao, cavallos, esclavos, etc., et:. e Ibes dar o mesmo valor
ma Silva. em gneros, escolhidos a contento.
As cassas do I avio a 210, 280, 300, 3-0 e Quando a importancia dos gneros apartados for menor do que a dos objectos re-
,.. 4 r TS-' cbidos por troca, o rropheta nao demorar a differcnca que dmc dar em dinheiro.
^^^Xt*^^^^ToS Un estabelecimentoipie com tantos sacrificios e rJespezas acaba de ser aberto
vado; ditas francezas muito lioas 210, 280,300 deve inspirar a todos a certeza de que se vender muito barato com o fim de se adoni-
e 320 rs. o covado, isto para acabar : ra da rir crdito e freguezia.
Imperatriz, loja de Gama & Silva. |
A'rutn verdadeira a 320 rs. a libra.
Arroz do Maranhao, Java e do Penedo a 80,
100 e 120 rs. a libra, e a arroba a 10800,
20500 e 2,5800.
Amendoas a 280 rs. a libra.
Ameixas francezas a 10200, 10400 c 10600
<9s madapoloes 4o Pavo
Vene-sc peca de madapolao infestado rom 12
jardas cada peca pelo barato preco de i3, W-OO e
'A cada pe^a, fazenda moito superior : s o Pa-
vo i ra damperatriz n. 50, notando que a pega
leva ama etiqueta com o Pavao pintado para nao
haver duvidas nem engaos : Isto prevrae o Pa-
vao, de Gama & Sirva, i em latas, frasese lindas caicliinhasmuito
BramantedeltahodoPavao a proprias para memosear algucm,
dem em botija a 330e 100 rs. a botija.
Graixaem laUsa 10200 a duzia.
Limonadas de diversas fructas a I0OOG o
frasco.
Licoresinglezese francezes a L>000, 10500
e 2:i a garrafa.
Lingoas americanas a 800rs. cada urna.
Vndese o melhor bramante de linho -puro com
des palmos de largura por prego moito commo-
do, por ter de acabar a factura, a vara por
2200, -20400, e 2,g60O; s o Pavo : ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Panno de lis lio do Pavo.
! Linpuicas promptas em latas a 10200 a lata.
Amendoas era fra-eos de vidro a 100.0 o Manteiga ingleza neste genero o que ha de
frasco. melhor a 800 rs. a libra e em barril a 700
Alpiste a 160 rs. a libra e a 40500 a arroba. rs.
Azeite doce francez a 900 rs. a garrafa. dem mais baixa a 640 e 720 rs a libra.
Aceite de Lisboa a 610 rs. a garrafa e 40800 Manteiga franceza a 480 rs. a libra, em barril
a caada. ea540e560rs a libra em retalbo.
l^X61**^."^JS22 ^^ik^I1^^ !A' -Vzeito doce em boiues com 9 garrafas a 54500 Mam de tomates a 040 rs. a libra.
-Cara propno para lenooes e toalhas de niao pelo i ._ ,. ...___.. ..,,, ,.._
baratissimo prego deGie^Oe 800rs. a vara, al-1 <*>m o boiao. Marmelada muito nova a 040 rs. a libra,
-godozidba com oiio almos de largura proprio' Azeitonas por todo o preco. Molhos inglezes a 400 e 610 rs. a garrafinha.
para lenees, pelo baratissimo preco "de 15 a vara, I Biscoitos inglezes de diversas marcas a 10300 Moslarda preparada a 400 e 640 rs. o frasco.
Kirsk garrafas muito grandes a 108OOrs.
Alera dos gneros cima mencionados 1 v dem ce dentes a I2rs: i
mos grande porco de outros que deixamos' dem de flor a 200 rs.
de mencionar, e que ludo ser vendido por Amendoas confortados a 900 rs.. libra.
pecas e carnadas, tanto em por;es como Doce de goiaba em lates o melhor possivelej
retalbo- 20 e-em caixSo a GAO rs.
Qnen comprar de 1000009 para cima; feo- Palitos do gaz a 20200 a groza.
a lata. Massas para sopa macarro, lalbarim e aleti la
Bo'larftinbas de soda, oval e lunch a 20000 a 400 rs. a libra.
aflata com 5 libras, dem finas em caixinhas a 30POO a caixiniia.
Bolacbinhas americanas em barricas 26 Marrasquino de Zara verdadeiro a 10500 0
libras a 20000. frasco.
r o iwie de 5 per cenlo.
i

J3PS\Q&
NOTAS Di 4114 FILKL
l'
DO
mmiL
Passas muito novas a -480 rs. a Itera.
M4dlMSMPAfflTl
de rahalhar mo para
descaro^ar algod
FABIUCADAS "
Por riant Bothers & C.
OtAII
Silva.
Os gusrdaBspos
Povio e s da
A
Troea-se ditas Violas por izenfe.
foja da ra do Crespo numero
17.
Uaom -omprar de fem mil ris para cima dar-ic-'.ia ao comprad.);- o lucro de .toco
,por cenio.
Aproveitem todos, i proveitem todoe.
Raaendas de apurades gostos vindas de Pari.
Capas- pretas importantissi-
mas.
CasacoAg pretos i? pelerinas.
JJasquina Jisses.
Sotambarques de caxemira
de cor com tintura.
aquetas de merino de cor
para senhoras.
Zuavos pretoc de seda mui-
to bem enfeitado?.
CorafOes, soumbarques de
seda.
Cortes de seda de cr dp
muilo costo.
Colxas d&sedapara noivos
Sedas de quadro de muito
gosto a I52H o covado.
fcforeanliqaes e grosdena-
p\es.
Cortes de organdiz com
barras.
Chapees de palha para se-
nlwra.
Baloes de arco e inusse-
Bales esierinde cr?.
Fazendas de linho e de al-
godio.
Selectas, esguioes e br2-
mantes.
Cassas, chitas camisas.e
seroulas.
Peilos bordados para ca-
misa.
Camisas de la de cr pa-
ra homem.
Madapolao a 7S, 85, 5 e
10 a pega.
Estas machinas
podem descarocar
%e> qualqoer especie
,:; de algedao sem
m -,'estragar o o,
sendo bastante
assim como tem o meilwr algodozinho tanto em
largura como em corpa, proprio para lenees, ca-
misas de escravos, etc., te, preco- muilo commo-
peratriz o. 60, de Gama & Silva.
Alijodrtihe rom (que de avaria z i.000 ris i
e-1,800 Banj,a je porco a melhor lualidade a 3G0 dem mais bai\o a 800 rs. e i 5000 o frasco.
^ende-se peca de aigodaozmtio por ter nm pe- .ih' vm enrra!cnm 20cnia quenotoqe de avaria, mas que est m bom es- f*- a "Dra: -\lllln Pm saccas rom 2U coiai a v,"u-
tado, pelo barato preco de 4 e 4^500 a pc^a ; s atetas em gig9s e caixas por todo o preco. Prezunto mglcz para hambre vindo no ultimo
o Pavao: ra da Imperatriz u. (50 de Gama & Caf moido a 10)5000 OU 8)000 a arroba. vapora 800 rs. a libra.
Caf superior a 7#500, 850OL e 8>500 a dem mais ant go a 640 rs. a libra.
arroba. dem do Porlo a 040 rs. e sendo inteiro a
Cha nesto genero temos o que hade melho- 5i 0 rs. a libra,
assim como tambem tomos baixo pelos pre* Passas novas a 400 rs. a libra,
eos seguines: <$4'0, Jd^OO, 1J80O. l'lro a 1H0 rs. a libra.
25400, 2&00. % r'CJiariitosde tcxlasasmerhores e peores mar- Pomada a 40 rs.""a'iuzia
cas do mercado a 800, IMIOO. 1^600, 25, Pimenla do reino a 320 rs a libra
25800,3000, 45000,55000, 5d5OOe60 pexe em latas a I50u0'a lata, sa'vel
o cento. 1 vina, pargo e outros
Cootiricas as mais novas do mercado a I2 Papel de peso a 25000 a resma
o barril com 1 arroba e 480 rs. a libra, a dem idera moito ino a MOOO e 3A-00
i na WMiffi^&ir&eSZS^:Tra! eilaf ,l'ue ^hmci?a- I Mem marfim a 455' 0.
I da Imperatriz n.tO, de Gama & Silva. rUiocolate magnifico a I?)000 e l>200 a libra. dem almasto a :,Si i()C 36500 e 45000
.lAoaihado do l:ivo. lOeryeja marca a mais acreditada que tem Mein para cmbrulho 1 'l-V'OO i re Vende-ee panno de Itabo adamascado proprio'
para toalliaede nifsa, pelo diminuto preco ib 25*i001
rs. a vara, guardanapos de linho a 55 a uzia. Lcon
as de mik)ao5 cada duii?, na loja do Pavo. 1
tMMUCM
Pavo
Vendem-se os mais Undos c modernos guarda-
napos econmicos c todo linho, tanto para as casas
le familia como para iioteis, botequins, etc. etc.,
icio baratissimo preco o 35 a duzia, isto s na
a uo ravao a ra da imperatriz n. 'J, o uatna
Silva.
s sonteuibarqvcs do PavSo
9 eljl.
Vendesi-se os mais oos soutemua?ques que
teem vindo ao mercado, sanio de raxmira de co-
res pelo dliinuiissimo prwio de 125 cada um, di-
tos de musambique pelo diaiuto preeo de 5, s
t
cor
lall
ter-i-endr o dobro.de qaalquer w-<"r-'\* pretMHMft Sillas preas larpas e
strabaiho, a sua introduccao para '?*[> l,-,VnaD-!U,.Cw'ni)'",Dh0!-1-,uJnhf,ii'* cnf-'ilC!i.
leste imperio ser de muito valor "d. in.et0 ,"'opri Para Jmo fod,a(l0- ""-'- ou-
linas.
Esleirs para forrar sal. a 8--0 rs. a jarda. Tapete de superior quaiidade com
seis palmos de largura a 25500 rs. o covailo.
Ka realidad?, e^te estahelecimento offerece grandes vantagens ao commercio.
/.provemim todos a occasiSo de trocar noUs i ca*a gauhando cinco por cenlo.
8W- ^^
?^^>V
A OOO
Na ra do Queimado n. 40, letreiro verde.
. _^9^^^MaaM^^f^Smmpnde j, advertindo que vendem-se por
esu, >reco pr terse comprado urna grande porgao e qaerer-se acabar.
Esta martri
a nica qao
possue as vantageur de nao leslrur o lio do al-
godo e de fazer iend
tra com menos
as provincias desle miperio ser de muito valor
para todos os interessados na lavoura do paiz.
Assim coai machinas em ponto grande do mes-
mo systenia.oraql seren movidas por animaes,
agua ou vapor, pas uaes podem descamar 18 ar-
robas de Algodo ampo fwr da.
O algodo de=carocado por estas machinas tem
muito mais esliiiiaco nos mercados de Joropa e
vende-se por majorprego."
As machinas se achara venda unicamaole em
casa de
Sannders Brotiers & C.
X. IB, pra?a do Corno Sanio
RECIFE.
Os nicos agentes aeste paiz.
ra da Imperatriz n. 50. de Gama & Silva.
ir Pavo (a500>
duaspessopara ; Vendem-se-os bahies americanos muilo superio- 'Cevadinha de Franca a 40 rs. a
otrakalho.; pode :ras;com 20 25 arcos, pelo baratissimo prego de i Champagne da melimr marca quo
descapoear urna : SftaOO e \&, di ios de t, 30 c 33 arcos com fitas, ..... i.,0, n s lh ', *' '
arroba de algo-1 nto bem armados e tambem tem cores esenraeL W00.a*J*> -,!> &%<>
do em em 40 nioalos, Ido.RavSo, ra da Imperatriz o. ^0. de Gama & garrafa.
?1 a-? aF'9bas I S,h'a' o. r. e I Ceblas por todo preco.
por da ou t> ar-'
robas de algodo
impo.
i veja marca a mais acreditada que tem Mein para embrulbo a 1,5200 a resim
nnnr?rfr 'Jarr*/neia gar^s_ Palitos par.-, denles mac's com 2( macnhos
por 320 rs. branca e preta. I a 80. 120 e 200 rs. maco
nservas inglezas aSOOrs. o frasco fazenda Palitos do gaz a 25000 a "roza'
chique.
| dem francezas a 5:0 rs. o frasco.
0 hwii vcneparaiiito.
Uueijos llamengos do ultimo vapor a 2;JGO0
dem Inmlriuo a 900 rs. a libra.
libra. dem pram a 040 rs. a libra,
zqui tem I; | Menrnna 1-hoo a libra.
Sag e sevadinha a 250e 280 rs. a libra,
V300 a Sardinhas de Nuiles a (i 50, "iiO e 360 rs a
lata.
Sabao massa a 1-20, 180, 200 e 240 rs. a
Copos lapidados que sempre se venderam c libra
jasvarsasasaas: it. a^.'asK'Jb r c ,','Sal re,i.....'
pno para vestidos, capas, paletots, calcas, etc.,L wndcm0h a >*' C <>000 a duzia.
pelo baratissimo preeo de 25, 232i 0, 1500 e 35 o C,,PS Para v"1110 ;' ->M)(k> a duzia.
covado, cassas tirelas lisas., olmas pretas larpas e Doc3s de ealda viudos de L'sboa ueste ullimo
INJECCAO E CAPSULAS
GRIMAULT E C'.A PHARMACEUTCOS EM PARS
Novo traumentopreparado rom as folhaa *e Matleo,rr.re *m Fem, para a cura rpida e infallivel
da Oonorrhet sem reecio algiim da contracceo io canal ou da inflammacao dos intestino. 0 clebre
doutor Rlc-erd, de Pars, ter renonciado, desde sua apparicSo, ao emprgo de qualquer outro tratamento.
Emprega-se lajrr^a* no i-omc.0 do fluxo. as capsulas em todos os casos ebronicos e Inveterados, que
resistir) as pteparacaes do copahu, cubeba e s injec<6es com base metalllca.
Depsito geral: em tarit, em casa de MM. Grimaut e o, pharmareutico, 7, roa de la Feulllade:
em Lnboa, J.-A;..l c*ala-Carvalho juolor no rorto. Miguel lont ** loa Fer-
r*lra; em o fu>-de-Janeiro,Getm: 102, ra S. Pedro; em Bahia, Jo.c-Caclano Ferrelra-Eapla.
hrjra, em Bio-Crand, J,*\n de Godo; em Maranhao, Ferreira e C; em Pernambuco,
m eo, roa daCrox.M-, sama,eas principaet pharmacias do Brasil.
Deposito geral em Pernambuce ra da Cruz n. 22 de emcasaCaro. & Barboza.
240
100
60
120
20
200
160
400
160
100
.120
SOO
100 j
5001
cal de Lisboa.
Ha para vender a mais nova, e uliimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris
no armazem de Manoel Teixeira Bastos, ra do
Trapiche o. 13, por preco razoavel.
Roa da geniada Nava a. 42.
Nesl estabekcjmento veodem^e: tachas de
ferro coado libra a liOn.. itUndeLon
MoorhrailOrs.
Pechioclia
Vendem-se pecas de superior algodo coro um
pequeo toque de avaria, com 20 jardas cada pega
a KJOOO, dito c<>m 24 jardas, muito largo, supe-
rior fazenda, a 75800. A elle antes que se aca-
oem; na loja de do n. 10.
--ir Vende-se urna armacao e os seas pertences
de taberna, sua na traveg*a do Pombal, casa n 20:
quem a pretoqder, dirija-se 4 rne?ma.
RIVAL SEM SEGUNDO.
rtua do Queimado n. 49 loja de midezas de Jo-
s Bigodinho, venham ver a pechinclia flue se est
acabando certas qualidade6 de fazenda.
Pecas de litas elsticas com 10 varas a.. -
Ditas de trasca branca lisa com 10 varas
Ditas de tranca preta lisa a............
Realejos para meninos, perhincha a...
Rodiohas com superiores allinetes a.....
Caixas com superiores agulhas e limpas a
Sabonetes de familia, muito linos a 80 e..
Pares de sapetos de la para enancas a..
Varas de babado do. Porto muito bom a
100, 120 e.........................
Ditas de bico largo grosso a.......... .
Potes de superior tinta tem mais de meia
gairafaa.......................
Caixas com perfumarias muito bonitas a.
Frascos de oleo de macaca muito flno a .
Ditos de oleo de babosa superior a 240
320, 400 e........................
Ditos de cheiros muito superiores eni oua-
lidadea........................#<
Ditos de agua de colonia muito boa t.'.V.
Ditos de dita dita grande a..........
Sabonetes de todo o preco 60, 160.' 200
320 e..........................
Frascos de superior banha a 320 e.7.7.7.
Caixas de p para limpar dentes muito
fino a ............................
Ditos de banha transparente a.....,'.'....
Pares de ligas muito finas para senhora a
Sabonetes inglezes da melhor quaiidade a
Frascos de agua dentrlhVe superior ga-
rantida a......................._
Massos com 2o envelopes grandes azula-
do a ..............................
Varas de fita preta com clcheles a...'.'.'
Frascos de maraca perola muito superior
(.alxas com pennas grandes a.........
Groftag de botoes para caifa preta, miudos
Libras de memento da roupa de lavara..
Carriteis de retroz de tortas as core e
tem meia njiava de retroz a.........
Vara? de bieog de difTertmtes largaras a
tros artigos que se veadem per pregos wais em
conta do ^jue em outra qualquer parle por estar
liquidando s.i na loja do Pavao ra da Impera-
triz n. 60,.d.ii.;ama i Silva.
As ferr;ilas && Pavo.
A mais lindas percalas que tem vjndo ao joer-
cado pelo ultimo vapor tem na loja do Pavao peto
barato preco de 600 rs. o covado ditas de listi-
nh.is^ muito miudinhas propinas para vestidos e
roupoes de senhoras, meninos e meninas, pelo ba-
ratissimo prego de 'OO rs. o covado ; garatem-se
as cores por serem do melhor fabricante que as
tem em Paris : isto na loja do Pavo ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As chitas de l'avo 3glOO e
*0*oo o corte
Uin2('m"se ,ortes de chi,a com dez covados
i 25i00, ditos 25800, com 12 covados; sao chitas
inglezas, mas padroes bonitos e tintas seguras:
assim tem as melhores chitas francezas e de lin-
KL8 9iraR por nre?os commodos, a saber : 320,
40,,360, 400, 440, 500 rs. o covado : na loja do
Silva0 a rUa da In,')eratnz n- 60' de Gama &
Os bordados do Pavo
h*e"dcmse camlsinhas com manguitos e golli-
nnas bordadas, pelo barato prego de 11 e 11280
cada um, manguitos s 00 rs. cada par, ditos
com golmlia a 800 rs., golinhas 400 e 480 rs., de
ino a no rs. cada golinha bordada, romeira de
cassa o de fil muito bem bordadas 2-5 cada
urna, manguitos que servem para calcinita de me-
ninas a. oi0 rs.cada par, camisa com manguitos e
goias com a competente gravata de seda, fazenda
"ua pelo barato prego de 31, e muitas outras
Doraadas que se vendem por precos muito em
co'1-a i, nalJa d Pavao ra'da Imperan f
n. 60, de Gama & Silva.
ido a 000 rs. o vazo (polo de vidro.)
roucinlio de Lisboa, de- Santos e americano
a 160, iO e 32 i rs. a libra e em arroba
a S, 1, c 9^000.
Tijolos para limpar facas a 160 rs. cadanm.
\itilm dn Pi.rini'm ancoras com 70garrafas
a 30>0()0.
Vihos (I
vapora 6.0 rs: a lata das melhores file-
las da Europa,
dem da goiaba e da casca o melhor que
possivel por diversos precos, e conforme Vinhos de Lisboa e Fisueira qualHades mar-
o amando dos canjes. i nificas a :A..OO. 3551.0 e i>.).,() a canatla
Ervilhas em latas a 6i0rs. a lata,
dem seccas a 00 rs a libra.
Espennacele americano a I #200 a libra. barris e m e 550(
dem trances a ;>(0 rs. o masso com 6 volas. Vinagre de Lisboa a 15600 e 25u00 a cana
Figos de comadre em camuas muito lindas da.
a 800 rs. a caixa. Vinagre em "
Farinha de trigo a 120 e 140 rs a libra. raflio
Farinha do MaranhSoa 24< rs. a libra. Vinagre em ancoras para J -S600 com a ancora
Fumo do Para a 10800 a lata grande
Fumo americano a i#400 a libra.
Fumo em macnhos para sganos
rs. o maco.
Farelo em sacas de 80 a 90 libras a
Genebra de laranja 1 $ o frasco,
dem de Hollanda a 500 rs. o frasco.
Vinho do Porto em pipa a '> e (-jouo a ranada.
I Vinho brancode Lisboae Porto pm ancoras,
jarrafoes por l-sooo com ogar-
de 9 caadas.
Vassouras americanas a 640 rs. cada tima,
a 200 Vinho de Hordeaux neste genero temos grande
porcao e das qualidades melhores que tem
vinuo ao nosso mercado em garrafas, em
ancoras, em barris e (pianolas oqpalven-
demos por procos muito babeos.
3;j00;
As nnipas do Pavao
in L *euJe-se Panno preto fino muito superior pelo
400 ba[a,10 Pre5? de 21, 21500, 31, 31500 e 41, dito
mnito fino a 6? e 61 o covado, casimira preta de
urna so largura e mullo fina a 11800, 21 e 21500
SjKJ *"!**> cortes de casimira de cores a 51,
.ii5-jOOe61, casimiras entestadas de urna s cor
proprias para caigas, paletots. coleles, capas e para
roupas de meninos a 31500 o covado, isto na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Potassa da Rnssla,
da mais superior desembarrada honiem : vende-
"n6!?0 ,'scnP1i'io de Manoel Ignacio de Oliveira &
Filho, largo do Corpo Sanio n. 19.
800
400
800
100
600
500
320
11000
100
100
200
200
100
200
200
60
' Gomma de mandioca.
Vndese na ra da Madre de Dos n. 38, ar-
Tazem.
Cera branca.
No armazem da rna da Cruz n. 33 ha um com-
AZEITONAS
a 1J a ancoreta, em porcao se far grande abati-
mento : na ra Nova n. 8, loja do cb.
. Vende-se queijos do ultimo vapor 21 cada
pieto sortimento de cera branca era vellas para um, e urna quandade do travos da louro ; na ra
sevender. Direita ns. 09 e 100.
DECLAKAGAO.
O Baliza declara pelo presente que deixa de pu-
blicar os precos pelos qtiaes vende as suas mercaduras por
motivos que ao respeitavel publico potico intereea, sei vindo
de base os precos do Propheta.


ORDEJI S>0 IA.
Concede plena liberdade aos seus amareis colegas Cia-
rlos-, Unioes, mitrados e croados, para que possam saltar
berrar e tudo mais quanto Ihes aprouver al segumla
ordem.
Uvas
Uvas de suneriorq-ialidade a 11 a libra : fift
armazem da Aurora Orilhante no largo da Sanr
Cruz, vindi nu^te vapor.
Vende-se nm cabriole! de 4 rodas em p.v.
frito estado n" comniodo prego : no Mundo Novo
cochclra do Chico Mcira.




1
iMillLADQ,



I I arlo e
aeo Quinta lelra 15 e Srtrmhn* 4r i<%4
RANDE ALLIANCA
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Paulo Ferreira da Silva & Companhia ;-
Grande sortimento de molhados em grosso e a retalho. nico armazem que mais
wattagens efferece ao publico.
Deseuganein-se todos.
o AlHauc o verdadeiro homem do progressso.
K o AlUaa^a o verdadeiro e principal armazem de moluados
o .%!!lao^a o armazem que vende mais barato.
li o Alliauva o armazem que vende os raelhores gneros.
o AlllanQa o armazem onde preside o melhor aceio.
Fiquem todos sabedores desta wdade,
Venham todos ra do Imperador n. 37.
Yeiiham ver os gneros que temos expostos a renda.
PARA AS FESTAS
DE
S. JOJO E S. PEDRO.
Amendoas confeitadas de bonitas cor I'dem de Hollanda em garrafies com 24 gar-
8oo rs. a libra. I rafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
lem de casca muito nova a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
Avelas a 2oo rs. a libra. | zados a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a i,2oo, l,4oo e l,6oo rs. cada. 8oo e l.ooo rs. as garrafas grandes.
oma. I Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo
dem era frasco de vidro com rolha do mes- \ e 96o rs. a libra.
mo ou de metal, a I,oo e l.ioo rs. cada' dem franceza nova j deste anno a 6oo rs.
om. a libra, e 58o rs. em barris inteiros.
. dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada Marmelada especial dos melhores fabrican-
O
NM COROAS NEM MITRAS
.1 til.-ff.W
fIM\E

ARMAZEM
DE
NOVA EXPOSIQAO DE GNEROS
NO
ABMAXEJf
PRINCIPAL

tes de Lisboa a 6oo e 64o rs. a libra, ha
latas de diTerentes tamanhos.
Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o
rs. cada urna.
dem para soda estrellinlia, pevide e rodinha
em caixinhas sorlidasa3,ooo 3,5oors. cada
um.
dem em latas de 1 '/i c 3 libras a 1,200 e
2,000 rs.
Arroz da India e Maranho o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,loo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6uo rs. a garrafa, e I urna e 5oo rs. a libra.
4,8oo rs. a caada. dem macarrao, taiharim e aletria a 4oo rs. a
dem franeez clarilicado em garrafas bran- libra.
cas a 9oo rs. cada urna, e lo,ooo rs. a .Mostarda franceza preparada em frasco a loo
caixa com I duzia. rs. cadaum
Al&zema muito novae limpa a 32o rs. a li- .Molho inglez em garrafinhas com rolhas de
bra.
Alpista a i6o rs. a libra e 4,6oo rs. a ar-
roba
tolachinlias de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio das seguintes qualidades: agua e
aal doces, e imperiaos em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. s de 3 '/a libras a l.ooo rs.
i; em libra a 64o rs., estas bolachinlias
torna-se muilo recominendavel com espe-
cialidadc para os doenles.
Biscoilos e IJolachinlias de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em carios e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
taiiha de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
5>tatas novas a 16o rs. a libra.
fo'aciinhas inlezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a.bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
al buje tem viudo ao nosso mercado a
48,ooo rs. o gigo e l.ooo rs. a garrafa
inteira, e 8oo rs. as ineias.
Gh uxim o mellior que se pode desojar, e
quo outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,Too rs. a iibra.
dem perola de esp cial qualidade a 2,fioo e
2.8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
deste cha.
dem hysson o mellior que possivel encon-
trar-; a 2,4on e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em talas de 2, 6 e 8 libras
a |,2ooe l,4oo rs. a libra.
lem prelo muito fino :i l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melbores qualidades, franeez,
hespanhol c suisso a i,ooo, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
{."rulos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em */j caixas das seguin-
tes marcas: Palmenses, Suspiros, Dili-
cias, Napolees e Goanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada una.
h-mi de outros muitos fabricantes e de dif-
ferentes marcas para 4,Soo rs. asmeias
caixas, de suspiros a I,6oo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
dem franceza a Soo rs.
Cognac ingle/, das melliores marcas a l,ooo
rs. a garrafa e lo.ooo rs. a duzia.
dem franeez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cxmiiiho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra..
Canellaa l,ooo rs. a libra.
O>pos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
Soo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Ooce fino de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas ltimamente cliegadas
a 7oo rs. a lata.
dem ceceas a 160 rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Faosa de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
figos em caixinhas muito bem enfeiladas a
1,000 rs. cada urna.
dem em l?las ermiticamente lacradas a
4,5oo e2,5oo rs. cada urna.
dem em caixas de V* arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e l,ooo
rs. a duzia.
ienebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 560 rs. o frasco
lem de laranja a l.oo rs. os frascos gran-
des e 11,000 rs, a caixa com 12 frascos,
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada
ama.
Jdtna em garrafes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. corn o garrafo.
RA DO IMPERADOR HU 4
Junte ao stbrado em que mora o Sr. Osberne,
Para a festa de Santo Antonio, S. Joao e S. Pedro.
l>Hrte Almeida C. reeebcram de ana proprla encommen-
da o mais Hado c variado sortimento de molhados, proprlos
da presente csta^o.
Manteiga ingleza Ma$as brancas
da safra nova vinda neste vapor de 28 de para sopa a melhor que se pode desejar,
mvio a 800 rs. a libra. macarrao, taiharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 4jJ500 a caixa.

DE


X. 9 RIJA 1IO CRISPO N. 0
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Za 1,000'a dja -
agarrafa, lo.ooo rs. a caom 1 usi.xrc a
zia.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Prezunto de fiambre superior a 600 e 800
rs.
dem do Porto para panclla a Soo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. i libra.
l'eixe em latas de diTerentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinha el
outros a 1,000 rs. a latas.
Palitos para (lentes a 14o e a 16o rs. o mas-
so dos melbores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4,Soo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixinlia.
Queijos fiamengos chegados neste ultimo
vapor, a 3,ooo
dem prato muilo fresco a 800 e 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que at ho-
je tem vi rulo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes de vidro a Soo rs,
cada um.
Gerveja das melbores marcas a 6,000 rs. a
duzia, eS6o rs. agarrafa.
Sardinha de Lisboa e Nanles em quartos e
meias latas a 38o e 080 rs. cada urna.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca I80 rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
roba.
Traques de 1.a qualidade a 9,0oo rs. a cai-
xa, e 24o rs. a caria.
Toucinho novo de Liiba a 24o e 32o rs. a
libra.
Tijolo para [impar facas a 15o rs. cada um.
Vinlio em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melbores marcas a 3,800 rs. a caada, e
Soo rs a garrafa.
dem do Pullo Lisboa e Figueira de marcas
menos orihcciilas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muilo fresco nao levando com-
composico a S60 rs. a garrafa, e 4,000
rs. a caada.
dem branco de uva pura a S60 rs. a garra-
fa, e 4,Soo rs. a caada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,Soo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1.2oo rs. a garrafa, ga-
ranle-se que por este mesmo preco d
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em 'caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e lo,ooo
. rs. a caixa e 9oo e l,ooo rs. a garrafa.
demMuscatel superior a l.ooors. agarra-
fa, e lo,ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
dem em garrafes com 5 garrafas a 1.000
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
cada urna.
Velas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o em caixa.
dem de carnauba refinada e de composifao
a 36o rs. a libra, e de lo,ooo a ll.ooors.
a arroba.
Manteiga franeeza
da safra nova a 860 rs. alibra, e em barril
a 500 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2(4400, muito propios para mimos,
CartOes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolacbinhas de soda de todas as qua-
lidades a li$300.
Chocolates
de todas as qualidades a 15000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melbores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velbos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 26oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 2#600 cada um.
tneijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de exeellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente, douradas,
proprias para- mimos a 900 e 1$200.
CM uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 23700 rs. a libra, a
dem hysson |
o mais aromtico que tem vindo ao-ni,^so
mercado a 2^600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, taiharim e aletria a
480 rs. a libra.
COGNAC
o muito afamado cognac Pal Brandy a 1,80o
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a SOO rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2#800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto alje 15200
a garrafa e de 105 a 12(5 a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisso dcFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r+ i bra.
Cervejas
I dos melhores fabricantes|e de todas as mai
cas de 4^500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de I.1 e 2.s sorte do Rio de Janeiro a 8:SSf
libr
Esquina que volt;) para a ra do Imperador
E provavel que nao seja bem aceita a verdade, quando a boa f de todos anda
illudida por esta epidemia de nauzeaticos annuncios de cornetas, tambores coras mi
tras, etc., que todo o dia enebera as paginas deste jornal. '
ALERTA
Os annunciantes nao lem em vista senao garantirem ao respeitavel publico a
sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas subsistencias e n5o Dar
assentarem fortunas a torca da regra de liga como outros annunciantes deste genero
PARA TOBOS
No armazem principal vende-se a todos pelos precos marcados na scuinte ta-
bella, mas nao se vende por todo o preco fazendo-se peso de arroba hespanhofa, oran-
te-s as qualidades dos gneros trocando-se todo aam-lle aue nn c; Hr. ti j~
comprador.
aquelle que nlo seja do agrado do
Amendoas confeitadas de diversas cores a
64o rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas, a l,2oo e l.Soo rs.
dem em frascos de vdro a l,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 '/a libra a l.loo rs.
Arroz do Maranho e da India o melhor que
ha neste genero de 80 a loo rs, a libra, e
de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem franeez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libra.
Azeitonas muito novas a 2.000 rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. alibra, e 4,4oo rs. a
arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades, em latas
de 6 e de 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a
lata, e 64o rs. a libra.
dem
ingleza em
latas de 2 e de 4 libras
e 80500 a arroba, e 280 a 300 rs. a
Garrafes
com 4 V garrafas com vinagre a 10OOOtsa
o garrafo.
GEJEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de H0OOC
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a S0SOO coa
13 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros patitos do gaz a 2,2oo a groza
c2o rs. cada caixinha.
LICORES
rs. a garrafa'e de outras muitas qualida- jfinos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa. com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
copos Marmelada
"Sff.TOEiiEa um!0 desmedres fabricad ....como se-
das melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs.
a lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em caixas de 2 e de 4 arrobas a
l.loo rs. a arroba.
i Champagne das melliores marcas a 2o.000
IMPKI.
i almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,Soo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de 1, 'too a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,000, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas n 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
passas corinthias muito novas proprias para' VELAS
1 nnAim or, nh. l de carnauba
podim a 800 rs. a libra.
Tumo
o verdadeiro fumo americano em chapa
l,4oors. alibra
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a lS.ooo rs.'
cada urna.
Cebollas
em caixas de arroba a 9?3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas oras
em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muilo novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra,
Chocolate
I portuguez o mais especial que se pode de-
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa seJar a 80 rs- a lil)ra e 140 rs. pao.
e l.ooo rs. o molho. Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Alpista e Pnico
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra, Dsce da casca da guiaba
e 40400 a arroba. a 600 e 10 o caixe.
Os proprietanos do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
Unio e Commercio ra do Queimado d. 7
O Verdadeiro Principal roa do Imperador h. 40
FRUCTAS
M'AA, peras e uva*
chegadas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes lugares: Ra do Imperador n.
40, Verdadeiro Pnncipal-Rua do Queimado n. 7, Unio e Commercio.
Lentilhas mudo novas excellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades de
7oo e 9oo rs. a garrafa.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 rs.
a libra, desnessesario mais elogios nes-
te genero que s se pode verificar com a
vista.
dem franceza a'56o rs. a libra, e em barril
ou meios a Soo rs.
Mal-mellada do 1. fabricante de Lisboa a 600
rs. a libra, ha latas de I, l'/j e 2 libras
Maca de tmale em latas de urna e duas li-
bras, a 600 rs. a libra.
dem para sopa estrellinha, pevide, rodinha,
etc. a 3,Soo rs. a caixa e 56o rs. a libra.
Macarrao, taiharim e aletria a 4oo rs. a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinhas com rolha de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marraschino verdadeiro de Zara a 1,000 rs.
a garrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro, ga-
rantindo-se a qualidade, a "00 rs. a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a libra, e
6,5oo rs. a caixa.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes qualidades, sabel, corvina, go-
rz, cavallinha e pescada a l.ooo rs. la-
ta.
orna-
ra, o gigo, l;8oo rs. a garrafa, e 9oo rs. Palitos para denles fichadas a 14o rs.
as meias garrafas. j co de 20 macinhos.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li- dem do gaz a 2oo rs. a duzia, e 2,Ioo rs.
b''a' a groza.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs. pajnco muito novo a I60 rs. a libra, e 4,5oo
rs. a arroba.
Queijos flamengos do ultimo vapor.
dem pralo muilo fresco i 800 rs. a libra, e
sendo inteiro a Tty rs. '
Sal refinado em poles de vidro a Soo rs. ca-
da um.
Sardinhas de Lisboa e de Nantes a 6oe
a meia lata, e 40o rs. o quarto.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sardinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. alibra.
Toucinho de Lisboa a 21o e 3oors. a libra.
Tijolos para limpar facas a 15o rs. cada um".
a libra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2.000. 2,4oo e 2,600 rs. a libra.
dem do Uio emlatus uo 9.a 8 HOreis, a l,3oo
rs. a libra.
dem preto homeopalhico 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate franeez, suisso e hespanhol a
l.ooo, l,2ooe 1.4oo rs.a fibra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furia-
do de Simas e outros da Rabia como se-
jam Regala, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l,6oo, 2,ooo, 3,ooo e
4,000 rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a Soo rs.
Cognac inglez e franeez a l,ooo rs. a garra-
fa, e-lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a 1,000 rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.800,
S.ooo eS,Soo rs. a duzia, e Soo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,Soo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,000 a 8,Soo rs. a arroba.
Doce de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas em latas, cliegadas l-
timamente a" 7oo rs. a lata.
dem seccas a I6o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinba de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeiladas a 9oo rs.
cada urna.
Graixa nova a loo rs. a lata, l,loo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada urna.
dem em garrafes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a l,ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o fras-
co, e H.ooo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida Suissa a
l,8oors. agarrafa.
rs.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira das
marcas menos conhecidas a 4oo rs. a gar-
rafa, ea 2,800 rs. a caada.
dem Figueira expecialmete escolhido oeste
lugar a 600 rs. agarrafa, e 4,5oo a caada.
dem Lavradio. Colares muito fresco sem
composirao a 6oors. agarrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a 56o rs. a garrafa,
e a 4,Soo a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garra-
fa.
dem engarrafados generosos, Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I, l). Pe-
dro V, Nctar, velho secco, Malvazia, a
genuino particular de 9ooal,2oo rs. a gar-
rafa e a lo,ooo rs. a caixa com urna duzia.
dem Madeiralegitimo a 1.2oo rs. a garrafa,
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a looo rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marcas St.
Julien St. Esteph, chteau la Roze.cbatau
Margoux e outros a 6,000 rs, a caixa e 56o
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2,ooo
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e l,4oo
rs. a cao.ada.
dem em garrafes com 5 garrafas a l.ooors.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna,
dem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Vellas de espermaceie superiores a 56o rs.
a libra, e sendo em caixa a 52o rs.
dem de carnauba refinada e de composicSo
a 36o rs. a libra, e lo,5oo e 1!,osara, a
arroba.
Roa da Madre de Dos.
Vende-se o seguate :
ri ha de mandioca, saceos grando*, 45500.
f.r'lio, saceos grandes, 35G0O e 3*800.
Miiii), caceos grandes, 34200.
f'tijo mnlalinho, sacros grandes, 7500.
Fumo imperial
Cortado igual ao franeez muito proprio para ca-
chimbo, em latas de 1 libra, quando nao seja me-
Superior ealde Lisboa.
Ihr igual ao americano por 15200 rs., para veri-
ficar a verdade os Srs. fumantes podem-se dirigir
; fabrica vapor de cigarros antiga ra dos Quar-
----------------- tois de Polica n. 21.
Charuto da Havana.
V Vende-se: superiores charutos da Havana em
.de Rabe Schmettau & C.; ra da Cadeia SeIlde.se SU|wri )r cal ^ UsitQA a ^ QOva Que
___ ha no mercado tanto em porcw como a retalho,
por barato preco aliancando-se aos compradores a
superior-qualidade : a tratar as seguintes ras :
ven- j Crespo n. 7y Imperador n. 28. Forte do Matto ar-
mazem do Sr. Villa defronte do trapiche do al-
; gofio
Eni Grameleira,
rr de Domingos Ferreira dos Santos Porto.
VjHI nova de Lisboa vinda no ultimo navio.
V* preco razoavel.
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor-
deaux, differentes qualidades, mais barato que em
qualquer parte : no armazem de E. A. Burle A
t, ra da Cruz n. 48. a
Farturadesabonetes
A Aguia Branca recobeu um completo sortimen-
to de sabonetes, e quer distribui-los com toda a sua
freguezia que compra a dioheiro vista, por isso
os est vendendo pelos baratissimos precos de lk
1*500, 1*500,2*. 2*300 o 3* a duzia, sendo es-
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira qualidade a
4041 a lata : nos armazens da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapicbe Novo n. 8.
Allencao.
Vende-se superior vinhe do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater & C, ra
do Vigario n. 3
Balaios para meninas
Lindos balaios de varios gostos para meninas
tes de cores e com diversos moldes figuras" e trazerem no braco : s se encontra na loja do Bei-
outros transparentes a 2*500, 3* e 4*000 a duzia ja-Flor, ra do (jueimado n. 03 o 69.
Estes accoinmodados pregos servera bellamente;T7Yf1,nfAa a fik"m Arn n
para que todos lavem suas maos, lencos, etc etc J-iXLlalUS ballO llll eai"
com cheiroso sabonete e urna vez que baja di'ahe- vl-ioa
ro, dinjamjse a ra do Queimado, loja d'Aguia AlllUao
Branca n. 8.
Bichas hamburguezas.
Na ra Nova n 61 delronte da Illma. cmara
mnniclpal, vendom-se constantemente bichas novas
por menos 2* o cento que em outra qualquer par-
te : recebem-se por todos os vapores.
Lindas caixinhas com um cartao com a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco ou sa-
bao o mais fino que passivel: na loja do Beija-
Flor ra do Queimado n. 63 e 69.
Vendem-se duas negras, urna perfeita cozi-
nheira e engomma alguna cousa. e outra boa qttij
audeira Cincto: as Pontas n. 8o.


c
BS =?-0
= 5
so,"
CU i/' -. ^
w ~ 2 o = w
2 .S'c ssaS'i
es>
en -i 3 ~


o
a,
STtaC.e>g20
sr
__ w w ^ *
-*il
b
"O -j
S a g.
rii
-
i
<6
O =
en u
Q.
C
O
cu

a.
3
E
en
v
|
Cu
2 ~ *
o p,
fro<9.
~ WM =
o. i 3 S
n
S fi&
i
o 7a
rs
_ O
cu Si
ai *
o ?
-o 8
S3 1
5 P
=3
- g f
o
2
e
e
e
9
a
Machinas paradescarocar
algodao dos mais acreditados
fabricantes: na fundid do
Bowman,rua doBrainn. 38.
Mevinicnlo, roa Ua i adeu dt Rcife
nnmeroSO.
Vende-se um balcao de aiaareH moito bom,
seisfiteiruse um reieiiro d gaz, f#r commodo'
pre^o.____________
Veudese om sitio no principio da
estrada de Joao de Barros, canto que
volla para o Pombal, em cujo rundo
tem de passar a nova roa, aberu pa-
r le la i ilo, h-inoipa, tendo deste
modo tres faces proprias para edificacoes, ten boa
casa de vvente com qualro quartos, duas salas e
espacosa cozjnha, cacimba com boa agua de beber
ealsjuns arvoredos. A largera do sHiodeS38
palmos e rundo de 408 palmos; a largura da em
e de 31 palmos e meio e fundo 72 : a t/alar ra
lt?!".*Jrt5rt"in-W' "Saat as 9
horas e tarde das 4 envdiante.
Vende-se superior viuho de caj a MM r*. a
garrara; na ra Augusta n 114, defronte do tw-
ro do Muuiz.
i


^'^I
Diario ib Pcrmarabnco Quinta letra 15 de eteiubro e l *C4.
>
AO PUBLICO
Ncm o menor eonsran-
gimento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ARMAZEM U
ATTENCO
Os precoN da seguinte
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de lia-
se para o a juste de coutas
com os portadores.
RITA 91A CA1H2IA DO RECIFE tt. 53,
Grande reduceo de preeos,
(Logo passtndo o arco da ConefifS)
equivalente a dez por cento menos do que outro qualquer
annunciante.
Collegas.Nao posso por raais lempo sustentar o proco da manteiga ingleza a l,ooors. a libra, bem assim o de ontros
muitos objectos, etc., dando eom isio ocasio a todas as espeluncas acabarpm por bom prego a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podera vender pelo preco que cu vendo I! 1 Ora, cu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vim encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reduec3o de presos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis capelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molbados Unio Mercantil nao
se sabia de outro prego de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduceo a que
est3o obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamafao de precos, c "qualidades, vingam-se de um e outro portadores
_al informado deste novo estabelecimcnlo. para lbe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
. to smente obler a concorrencia de seus freguezes.
e
Para bem de todos.
Senhores e Senboras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromptidao e entei-
reza com que serao tratados, convida a urna visita ao mesmo, certos de que sem duvida rae daro a protecc5o e preferencia na compra
dps gneros que precisarem, e quando nao pocam vir poderao mandar seus portadores, ainda que estes scjam pouco pratices, pois
sero to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afira de que nao vio em outra parte.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abat- Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escoltada a 8oe rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cb hysson de superior qualidade a 2,6oe rs.
a libra.
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
oeste genero 2,6oo rs.
Idom preto homeopathicoporser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, huxim e perola raais proprio
para negocio o l,6oo, l,8oo c 2,ooo rs.
libra, garante-se ser muito regu'ar, igual
ao que se vende ein outra parte por 2,4oo
e2,6oo rs.
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a a.uoe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e 1,5oo c Coo rs. a libra.
Queijos flamencos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a l,6oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas o favas portuguezas cm latas j pre-
paradas a 64o rs. *"
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para Hambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a r,ooo c 5,ooo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l,ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacctc em caixinbas contendo 6 libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de*12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, saimo, ostras ecbeniee, vezugo em!
latas grandes a 8ooe l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8.5oo rs. a arroba,
jldem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranbo a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvoegraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a bbra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de i e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e tallierim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se rccomendaveis as
pessoas doentcs por serem propiamente
feitas para esse lim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branro de Lisboa de excellente quali-
dade a -icio e iioo rs. a garraCo, em ranada
a 3,000 e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de i duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Dnuro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs. ea 9oo e l.oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
No armazem de fazend&s ba-
ratas de Santos Coelho,
Uua do Qiieimddo 19,
Veude-se o seguate t
Altenco !!
Ricas laazinhas, fazenda a melhor que tem ?-
! do ao mercado, tanto em posto como em qualida-
dc, pelo baralissimo preco de 560 rs. o cuvado.
Ditas miudinhas carmezins, proprias para vesti-
dos do meninas e camisinhas a 6i0 ocovado.
Corles de laa com 15 covados, pelo barato pree
de 6.
Cobertas de chita da India a 2 Lences de panno de linho a ~i& e 25500.
Pecas de cambraia de forro com 8 Ii2 varas i
3*200.
Toalhas alcochoadas proprias para macs a 55 a
dn/ia.
lucos corles de lita com barra Mara Pia a
185.
Pecas de planillas de algodao com 10 raras,
proprias para s.iia a 4.
Aigodao enfestado com 7 1|2 palmos de largura
a 15100 rs. a vara.
Esteira da India, propria para forro de sala de
4, 5, e 6 palmos de largura, por menos preco do
que em outa qualquer parte.
Neste estabelecimento tambem se encontrara
um grande sortimento de roupas feitas, e por nw-
dida.
SALSAPARRILHA
Acaba de reeeher de sua prupria encommetida um grande e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, aGancando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
cado a 2,8oo rs. a barrica, c 24o rs. a
libra.
das que tem vindo ao nosso mercado a Bolachinha de soda ein latas com diversas
6,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garante- j qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinbas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco. | para mimo a 64o rs.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, c Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
o,7oo rs. a frasqueira. libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras,
dem de laranja verdadeira de Altona em Figos de comadre a 24o rs. a libra e
frascos grandes a I .ooo rs. o frasco, e j 1,8oo rs. a caixa com 8 libras.
H,ooo rs. a duzia. Amendoas do casca mole a 32o rs. a libra,
dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas era las de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinbas de deverses
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, 1,5oo, e 1,8oors.
Azeite doce refinada Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 83o rs. a garrafa e 9,ooo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4 oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e H.ooo a duzia-
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
5,5oo a duzia e 46o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Suvaiuia de Franca muitu nova a2uui.
Charutos de todos os fabricantes da Bahiae das
mais acreditadas marcas conbecidas no*
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a(
1,080 rs. a garrafa. j
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li- j
bras por 2,ooo; dito em caixes a 6oo rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra. |
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra,
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinbo de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a 1,400 o cento ; ditas em
molhos com cento etantas por l,2oo rs.
Matie excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
Amendoas confeiladas de 8oo rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 8oo rs,
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e 52o rs.
sende em barril.
Cha nxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a2,7oo,
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, ortel pimeMa a l.ooo
rs. a duzia I ,ooo rs. a garrafa, garante-se;
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
desejar a 2,6oo e d 8 libras para cima
a 2,5oo rs.
dem menos superior a2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para ma a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo
rs. a libra.
dem miudinbo proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 8oo
rs. a libra.
Marmeladas dos maisafamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre Dglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra.
Chouricas e paios muito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. 1 a 80500 cada urna.
Massas para sopa macarro, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 8oo rs. a garrafa.
dem prato os melhores e mais frescos do. Idem francez a 7 000 rs a duza e 7oo rs. a
mercado a 8oo rs. a libra sendo mtoiro.
Genebra marca gato a 1.700 rs. a garrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria. Pcc-nic, Fancc, Machine e outras mul-
tas a l,3ooe l,4oo rs.
Fumo americano em chapa a 1,60o rs, a
libra.
Araruta de todas as qualidades.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 3,> a
caixa e 60 rs. a libra*
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 3,000 rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o yellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
AGENCIA
DA
FUMO LOW-AOMOOILE
Ra da Setualla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a baver
nm completo sortimento de moendas e meia!
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar rowpa: em casa de S. P. Johnston & C,
na da Senzalla Nova n. 42.
Vinho de Porto superior
dm caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
eer Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu
cscriptorio ra da Cruz n. 1.
Fabrica Concei$o da
Bahia.
Andrade k Reg, recebem constante-
mente e tem venda no sen armazem n.
34 a ra do Imperador, algodao d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assn-
car, embalar atgodo empluma etc., etc.,
pelo prec.0 mais razoavel.
A1MIIZIW
Charutos de- Havana
de superior qualidade vendem-se em casa
de Sehafleitlin & C, ra da Cruz n. 42.
Ra da Senzalla o. 42.
Vende-se, em casa de S. P Johnston A C,
sellins e siles inglezes, candieiros e casti-
caesbronzeados, lonas inglezas fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de ura e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
BARATA
'
Vende-se nma armario de taberna em pontd pe-
quen' bom >st<1o para quem se quizer estabele-
cer com pouco dioheiro : a tratar na taberna do
? rincipe n. 31
FRONTEIRO
DE
ALTES COUTINHO fe BRA\I)O
21Largo do Terco21
Ao publico.
Chouricas muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a l,ooo rs. a libra;
ameixas idem ; alpista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do Maranbo e da
India de 8o a loo rs. a libra, e em a arroba de 2,6oo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a 1 ,ooo rs. a garrafa e em por^o, menos; idem de barris a 64o rs. a garrafa, e em cana-
da a 4,8oo rs. ; banha de porco a 4oo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
novas a 4o rs. a libra, e l,2oors. a arroba ; cha perola, hysson, miudinbo a l,8oo, 2,4oo
e 2,5oo rs. a libra; charutos des melhores fabricantes da Babia de 2,ooo e 4,ooo rs.;
cerveja branca e preta a 5oo rs. a garrafa ; cravo, canella, cominho e erva-doce, conser-
vas inglezas em frascos e meios de 5oo a 9oo rs.; cognac inglez superior a l,ooo rs. a
garrafa ; caf de 1.a, 2.a e 3.1 qualidade de 8,5oo, 9,oooe 9,5oo rs. a arroba ; cevadi-
nha a oo rs. a libra ; ervilhas portuguezas em latas de 1 7? libra a 7oo rs.; spermacete,
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,
e em a arroba a 6,(x>ors ; genebra de laranja a l,ooo rs. o frasco ; idem le Hollanda
a 64o rs., e 4oo rs. a botija; graixa em latas a l,2oo rs. a duzia ; manteiga ingleza per-
feita flor a 8oo rs. a libra; idem franceza a 56o rs. a libra, e em* barris a 52o rs.; maca
de tomate a 6oo rs. a libra ; marmelada dos melhores fabricantes a 64o rs. a libra ; ale-
tria, talharim e macarro a 4oo rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a l.ooors. cada fras-
co ; nozes muito novas a 2oo rs. a libra ; passas a 4oo rs. a libra ; painco a 16o rs. ; po-
mada a 24o rs. a duzia; pimenta do reino a 36o rs. ; papel almaco e de peso de diver-
sas marcas; palitos do gaz a 2,2oo rs. a grosa e 2o rs. a caixinha; ditos de seguranra
individual a 2o rs. a ctixinha e 36o rs. o maco; queijos flamengos do vapor a 2,noo rs;
cada um; cevadinha a 2oo rs. a libra; sardinhas de Nantes de 4oo a 64o rs. a lata ; sa-
bao massa muito superi< r a 2oo rs. a libra;' toucinho de Lisboa muito alvo a 3oo rs. a li-
bra ; vinho do Porto velho engarrafado a l,5oo rs.; idem em barril a 8oo rs. a garrafa,
sendo porgo fa/.-se differenca eem caada a 5,ooo rs.; idem de Lisboa muito superior a
4oo rs. a arrafa e 2,8oo rs. a caada ; idem da Figueira J. A. A. a 5oo rs. a garrafa e
3.6oo rs. a caada; idem do Estreito a 36o e 320 rs. a garrafa e em caada a 2,56o;!
idem Borieaux a 56o rs. a garrafa; idem branco de Lisboa, proprio para raissa a 5oo rs.
a garrafa ; vinagre de Lisboa muito superior a 2oors. a garrafa, e l.ioo rs. a caada ;
soda, cevada, alfasema, gaz e tijolo de limpar facas a 14o rs. Presuntos de Lamego a 5oo
ea.l.s a.ir rb outros muitos generes quedesnecessario meuciona-los.
pao
Papel de botica de excellente qnalidade a
21oors. a resma.
Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
Bicos frascos com frutas francezas em calda
a melhor que se pode desrjar de 1,4oo a
3,ooo o frasco.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos 12o rs. a
lata de 21 r2 libras.
Foo verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeiladas a 6oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo,ooo e
l.ooo rs. agarrafa. '
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sema mais pequea
composicao a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a I,ooo rs. cada urna.
Ricos vros com figos i,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafes com 4 '/j garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garraf3o.
dem com4 .'/a ditas de venagre al.ooo rs.o
garrafao.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com aancoreta
dem em pipa puro sem o batisjno a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8oo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a 1,5oo,
2,ooo, 2,ooo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ah SHYjTT"
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e26o rs. aiibra.
Arroz do Maranbo a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
DE BEISTOL.
As curas milagrosas de
E SCKO FULAS,
TJTL.OZETFLA,
HAGAS ANTIGS,
ENFERMIDADES SYPHLITICAS,
Erysipclas, Rheumatismo
Nevralgias, Escorbuto,
etc., ele., etc.,
que tem grangoado e dado o alto ro
uomc
Salsaparrilha de Bristol
por todas partes do universo, sao t3*>
gmente devidas
nica Legitima e Original
SALSAPARRILHA DE BRISTOL,
PREPARADA EXCLl'SIVAMEN'TE POR
LANHAS & KEMP DE NOVA YORK,
Mediante a reoeiia do Di: C. O. BrisloL
A venda as boticas de Caors & Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo de C, ra
da Madre de Dos. __________________
Yenda de predios
m prkkr um kilo.
\>rdfm-*e doa* propnedades de rasas eoc-
s'ia. de dous andares e sotao. rom erantes arffla-
zi'tis oceupados actualmente peloSr. Friinano Ih
Gomes, para o trafico .i-* aburar, sito.: na ra Apoll us. 3i c 36, edificados pelo actual proprie-
tario, com ptimos alicerces. superiores maderas,
e acabadas em 1861, tendo ambos Si palmos li-
vres de paredes, de largara, e os altos do ile u.
34, e o primeiro andar do de n. -'ti 215 palmus Jo
Cumplimento, o segundo andar do de n. lili lem .-o-
mente 120 palmos de romprimento, com tun ttr-
raco, e os armazens tem 310 palmos de compri-
mento cada nm. tendo ambos tambem frente pp.ra
a ra do caes i\p Apollo, c o de n. 36 larnhem para
a travessa do amigo porto das canoas : os preien-
dentes i estes valiosos predios queiram dir'gir^ie
ao seu proprietario Antunio oielho Piolo de 3f,es-
qnila na ra da Cadeia to Recite n. 64, sejrunif1!
andar, ou ao agente Oliveira na mesma ra n. 64
Vende-se a taberna atraz da matriz de San-
to Antonio n. 18. com poneos fundos, ou fnz-se sp-
ciedade rom quem queira entrar com alguna
ipuautia.
roba, e 36o rs. a libra,
dem de sebo muito dura Dngindo esparmace-
te 36o rs. a libra,
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, i
caixa a 52o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res- lEmpreza de illuiuiliaCiO 'd '
ma, j se vendeu por v.ooo rs.
dem almaco pautado e liso a 3,ooors. a resma,
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma,
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo rs. |
a resma.
gaz.
demcmbrulho de l,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de i {i libra a
I,2oo eSoors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle I,ooo rs. tambem temos em
frascos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Molhos inglezes a 8oo e l.ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs.
duziae 6oo rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a o,ooo
e 6,ooo rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a i,ooo rs. o molho e
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza o 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a 32o rs. a libra e
Io,ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a I8o rs. a libra.
Milbo alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas al,ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 6oo e l,ooo rs. o
caixo.
Todas as vendas de apparelhos e reclamacSc*
(por escripto dando o nome, morada, data, etc.),
deven) ser feitas no armazem da ra do Imperador.
n. 41. Os machinistas mandados para aiieuderx.
i estas, apresentaro um iivro que os reclarnaut.es '
dever.o assignar logo depois.de prompto o servfo
reclamado; islo para que a empreza fique srieffre
de haverem os mesmos senhores sido devidamciila
altendidos.
IN.IECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnorrheas
antigs e recentes, nico deposito na bo-
| tica franceza, ra da Cruz n. 22, pra-
co_35_________________________
Wnde-se um preto bom cauoeiro : na ra,
do Ilrum n. 35.
O proprietario do grade armazem UniSo e Commercio declara aos seos fregu
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulo
os mesmos procos nos seguintes lugares:
Uniao e Commercio ra do Quemado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
ESCHAVOS FGIDOS.
Fugiona tarde do dia 16 do crrente um-'
escravo |iardo, de nome Marcos, desembarrado i
do hiato Sania Anua, vindo do Aracaty, leudo
de idade 28 anuos pouco mais ou menos, e us sig-
na* > seguintes : abura regular, secco do corpo,
P*mca barba, cabello crespo, levou camisa e-
caica de algodaoi-inho de riscado azul echa-*
pn de palba, tendo levado comsigo umalrouxa
com mais roupa, e rendido de urna das veninas;
quem o appreender queira leva-lo ra da Madre
de Deus ti. 38, ou ra do Brum n. ao, que aera i
recompensado _______ ,
Fugio do engenho Guerra de Ipojuca umesr
cravo de nome Jos Moniz, estalnra baixa, e *
crinlo : quem o apprehender on der noticia to
dito engenho, ou na ra da Aurora em casa do Sr.
Elias Haptista da Silva, ser generosamente re^,
compensado.
AUTOS)
Acha-se fgido desde o dia Tde fevereiro dui
correte auno o escravo de nome Faustno,,de i&u
de de 40 annos, pouco mais ou menos, cor fuuu
altura recular, groase do corpo, bem espadnag^'
barbado e j com alguns cabellos brancas na baf- i
ha, bracos e pernas grossas e bastante cabelludas,
tem as pernas arqueadas, porm 'nao muito, **-.
tante cabellos nos peitos, e custurea quando ojadH
fallar mais apressado romo que gaguejar, porm
muito pouco, que mal se percebe ; co.-tuma andaj*,
em sambas, e as vezes embriagase por gosr d
bebidas espirituosas; suppde-se que elle segumi
para o centro, e consta que elle est em Gravatya
portanto rogases autoridadesnoliciaes quao St.
?am apprehender e condnzi-lo casa de. seu ^e-
nh'ir maj*>r Antonio da Silva Gmmao, na ma In>'
penal, em Pernamboco, que satisfar toda e qoaM
quer despeza que por ventura 'acaro, e aos capt*,
laes de campe offerece urna boa gralificacio.

i
T1LADQJ
mi
i i


Diarlo de Peraaabneo -. Quinta Irlra i* de ftefeiuLWo d 1**4.
I


SCIENCAS E ARTES.
O QLK PODE SER CHA BEVISTA SClB.NTIFICA-SYSTEMA
(HJE ADOPTAMOSCITICA IX) SU. OZOKIO DB VAS-
CONCELLOSA QUESTO DA UNIDADE DA MATKMA
l DE 110JE DA FOligA E DO MOVIMENTO OPIMBS
DOS SABIOS O QUE K O Al, E QUAES SAO OS t
Osorio criticou, pos essa proposico se refe ra ao
modo immediato de combinacao dos corpos.
Nao alongaremos mais esta discussao ; diremos
Iiorm ao leitor, que achar inexacta a formula
apresentada pelo Sr. Osorio no irecho cima cita-
do, qae, n'um artigo posterior, o em resposta a ob-
servarles criticas do Sr. Barros, o nosso estima ve1
C0KST!Tn.NTEs"NoitMAEs-'osTnK3 estados da_ka- censor cmendou a nexactidao, que.de ccrto por lonetas sensiveis
TBHIA E O lUIJOll SCIENTIFItOA RESI'IRAC.AO doSCUllO COmmClleU.
CITICA POUIETBRPIIKIACAO INEXACTA-ONDE SE ^ ^
ihona a ltilidade de sEii plaamo-os ciii.Mi- i." A dcfinigao do oxido de carboneo defi-
dasses corpos celeste?, e as distancias entre os to-
mos sao insensiveis.
i." As forras (quaes forjas ?)saono systema pla-
netario na razio inversa do quadrado das distan-
cias, e nulias $6 quando estas sao infinita? -, entre
os tomos as forjas sao proporcionaos as distan-
cias (qual essa proporgao ?),e sao insensiveis a dis-
versos corpos elementares, e correspondendo gem da luz do calor pelos corpos transparentes on
existencia de ama grande quantidade de materias dialhermanos prova que o afaslameuto dos tomos
eos
LOS
: UNIDADE
ffiB INFINITADA EXIlil IHADE DOS TOMOS I
CilANDEZA DOS POVOS CAUSA DA THANSPMIKNCIA
DASFOilCAS ATMICAS, ANALOGA COMAS (
emnossa defeza (i su. ozonio de vasConcbl- cieote, por que fcil aprosentar muitos gazes que
iSSSSSF^S^ SI* misU*M propriodades indicadas
< Tenho por pouco scientifico dizer, talvez para
nielhor vulgarisar, que o oxido de carboneo car-
rJAMS^orA"^DolERlTu.rzoDA- ^ meio queimado. .
CAL-SO KPBKRICOS OS TOMOS T-CONCWSOBS. Ha un)a jncjsjva jr0na j^ para me,hor ^
(Coutinuagao.) gnnsar, do nosso critico, a qual estimamos since-
A aecusagio de falta de rigor scientifico, na ana- ramate que nao recaa sobre nos. A pirrase do
ly.se do ar seguem-se outras, as quaes, para nos um chimico, que gosa de urna justa celebrldadc ; a
nao perdermos em desenvolvimentos pouco inte- phrase criticada do Sr. Malaguti. Diz este chi-
rcsssntes para fe leitores, traascroreremos, dando- mico :
Ihes urna curta resposta. Diz o Sr. Ozono de Vas- As -^ ^^ e sah(jm dM nossas fcr.
concellos na sua critica a nossa Hasta : na|nas nno sao se na0 oxjdo de rarbonM que> ar.
i* Falla em tres estados da materia, solido, li- dendo, se transforma em acido carbnico. O oxi-
quido e gazoso. do de carboneo no c pois se nao carboneo meic
f Tambera nao ha rigor nesla classifieagao. quemado, v>to que ainda combustivel.
Esta observago do Sr. (torio 6 em verdade sin- Ms 9Kmamm ajnda a velha eScola, que pre-
gular. No principio do sea artigo critico, diz elle ftre louvar a censurar, e que respeita as reputa-
deverem as Revistas ser chronieas resumidas
das novidades sdentilicas. e deverem os artigo*
destinados a vnlgarisar ser rosamos das princi-
fpaes obras e theorias onde se amenisem e cortem
difllculdades, apreseulando os resultados empyri-
camnte. e depois aecusa-nos de ter fallado nos tres
estados da materia, que sao admitti-los, como ty-
fios de classifieagao pelos physicos, e como taes
descriptos em todos os corsos desta soiencia. Que-
cer dizer o Sr. Ozono de Vasconcellos que ha eu-
coes dos homens que, pelo trabalho assiduo, intel-
ligente e honesto teem procurado ser uteis ; por
isso nao nos atreveramos a censurar o Sr. Mala-
guti.
Jel;.'a o redactor scientifico da Gazeta de Portu-
ijul, deficiente a drfinirao que demos do oxido de
carboneo ; entendemos que por haver nimios ga-
zes que sao t transparentes, sem cor e sem cheiro,
c nocivos vida dos animaos. >
Sinceramente, parece-nos que o nosso severo en-
tre os typo3 bem definidos dos tres modos de agre-
gacao estados intermediarios ? Todos sabem isso, tico nao attentou em que nos nao quizernos indicar
sanea) todos que essas transieres apparecem na propriedades pelas quaes se podesse distinguir o
natureza em qnasi ludo; o que nao impede que as oxido de carboneo entre os oulros gazes ; mas sim
classifieagoes, creaco js do nosso espirito e nao da dada urna determinada combinagao de carbonee-e
. oatureza, se possara fazer ; tomando em considera- de oxigenio, fizemos a rpida resenta dassuas pro-
gao principalmente os typos definidos. Abra-sc priedades.
qualquer tratado de physica, e l se encontrar a ( Ha mnitos gazes que tenbam aquellas qualida.
classifieagao dos estados de agregarlo da materia : d(js ? ^ {m iiQ papa 0 nosso cas0 ? Pois an.
. eos tres typos, depois a iodicacao de que ex,s-; ^ **&,* termos, as qual-
em transios naturaes para es.es JP-M*1"' | dades de um gaz, na0 tinharas dito que esse nao
sificacSodos tres estados da materteMtthi M J ^ m ^ e determi.
. \->t scientifico, como todas as classificagoes na-! B "*
luraes; e adoptada em lodos os livros didaticos nado, rentante da cotnbmarao do carboneo c on-
da sciencia physica.
ijenio, e differente do acido carbnico ?
o." O Sr. Corvo arrola to smente quatro
combinares do enxofro com o oxigenio. Ha mui.
tas mais, e ainda ha pouco se descobrb urna ou-
" Na explicacao do phenotneno da respiracao,
nao anda o sabio professor par com a sciencia :
.. eor uuanto hoje aJmiitiio que a combustao res-
.giratoria tambera se faz as arterias. Pelo menos Ira, conforme eu not.ciei em urna revista. -
as medico. directas levaram a esta conclusao. | Ainda urna vez nos julga encontrar o nosso an-
0 sabio professorque o Sr. Ozorio de Vascaa.' go discpulo em falta, por nao estarmos, como
olios acensa de ter commettido tantos erros quan- 9e, ao par da sciencia.
- as as palavras que escreveu, ainda neste caso nao ; g' certo quo nao temos a vaidosa pretenelo de
merece a accuaeao que o seu Mtigo discpulo lhe s;ler mdo; mas temos por costume consultar os
dirije. O rodador sclentifieo da Gazeta de Portugal vros quando nao sabemos e temos de fallar ou es-
eu com pouca attencao o podido que criticou : bas- crever em assumptos de sciencia.
a, para o provar, citar textualmente as poucas li- Erramos muiIas veze. eorao toda a gente mas
pbas quo sobre, a respiracao escrevemos na nossa {uemos g nos$a d(|jgeneia para n5o errar.
Revista Ei-las : A respiracao dos animaos e um ... ;, n
.h nomeno anlogo ao da combastao do earvao O Sr. Barros ja deu o seu justo valor a cnt.ca do
SZSb uma parte do oxigonio do ar coml.i-' I Sr. Osorio de Vasconcellos; e ns accrescentaremos
CU rUpiratorios cora earvao, que nicamente que nao se tra.ava no periodo cen u.
Slseemexeessoao organismo vWo, e 6 expirado rado, de indicar todas as combinares io cnxofre
sob a forma de acido carbnico. coin ngeao ms s a1llellas 1e se af'resen-
3." A existencia do ether, quasi mylho, atacada
por Grove e oulros philosophcrs.
4." A esphericidade dos tomos nlo se pode de-
dnzlr das condifoes e phenomenos da-materia.
Nao possivel fazer agora urna dissertagao so-
bre cada um deMes pontos, por isso diremos mui-
to breveinerite as principaes razSes que nos levam
a nao acceilar eomo refutarlo das nossas opinioes
as objecc5es propostas pelo Sr. Ozorio de Vascon-
cellos.
A divisibilidade extrema da materia nm faci
provado por numerosas observacoes e experimen-
tag5es, qoe todos, mais ou menos, conhecetn.
Os metaes, o ouro e a prata. por exemplo, po.
dem dividirse em porc5es, anda observaveis-ao
microscopio, de urna tenuidade que a razio mal-
pode coraprelrender ; e comtudo, tonservam ainte
nessa extrema divisao tedas as suais propriedades
caractersticas.
Nos corpos organisados achamos nos tambem
urna prova maravilhosa da dtvisibilidade extrema
da materia ; ha infusorios, esm urna' organisa^ao
complicada, cujas dimensoes sao lao pequeas, que
s muitos milboes delles reunidos poderiam fazer
o volume do um graede areia. Ehrenberg obser-
vou que algumas carnadas de rocha, sao formadas
de esqueletos ou conchas destes animaes micros-
cpicos ; urna pollegada cubica desta rocha pode
conter qirnrenta e um nulmilhes de conchas des-
tes animlculos, pesando cada urna 11.187.000.000
de um grao.
O mesmo observador demonslrou que as part-
culas competentes dos corpos, nao podinm ter se-
nao um dimetro muito interior a 1|6.009.000 da
linha.
Por dedceles delicadas,, tomando por base as
relacoes da capillaridade ao calor latente, o Sr.
Watcrston, julgou poder avahar a espessnra da
molcula de ouro > em 3|30000.000 da linha.
Nao podemos pois chegar, a nao ser pela indc-
elo, a admittir ara limite divisibilidade da ma-
teria, a considerar como existentes os atoraos, par-
tculas, nao infinitamente pequeas na aceepcao
mathematica, que se nao podem dividir ncm des-
truir. Ou havemos de admittir a existencia dos
aloraos, como limite da divisibilidade da materia.
ou havemos de adoptar o perigoso principio da di-
visibilidade at- ao infinito.
Querendo absolutamente abstor-n-s deexcer
critica, nada diremos do periodo doSr. Ozono que
cima fica citado.
3* Affirma o Sr. Corvo que raras vezes um cor.
lam em relajos simples, tomando por termo fixo
16 de enxofre.
N'este caso ainda escolhemos o exemplo do en-
X0fra_reslringindo-nos a citar s a quatro das
coinbinacoes d'este corpo com o oxigeniopara dar
A nocla de materia esencialmente obscura,
por isso que diHkil distinguir entre as impres-
toes dos nossos sentidos, que nos fazera connecer
o que chamamos as propriedades da materia, as
ijueso puramente nossas, exclusivamente subjec-
tivas, e as que sao inherentes aos corpos exte-
riores.
O som produaido por um corpo em vibragao nao
existe senao ao nosso ouvido, fra delle o que ha}Jd!erja UDjca.
movimento a luz eo catn, sendo lao diflcrente
distinctas, de sbstMels elementares heterogneas,
contrariada pelas induccoes que se tiram dos
factos a qtte nos referimos ; assim somos levados
bem fundada supposicao de que a materia
urna.
O limite da divisibilidade vae como affastando-se
medida que a experiencia e a razio vio pene-
trando mais e mais nos segredos da creacao ; as-
sim como o mundo organisado tem ido como quo
escapando-se aos limites que a sciencia hara jul-
gado poder-llie llxar, medida que o microscopio
nos tem ido accrescentando o alcance da visio. A
unidade do peso atmico adoptada por \Villiam
Prout foi por Dumas substituida por oulra menos
elevada; mas essa aada provarelmente superior
ao tomo limite ; pois que do peso desse tomo li-
mite devem ser mullipfosos pesos atmicos do to-
dos os corpos.
O principie fundamentar da le de Prcut, que
conduz a admittir que os diversos elementos chi-
micos actuae poderiam ser constituidos pela con-
densacao de urna materia nica como diz o Sr-
Dumas, tao ?erdadeiro, sndb a unidade, que
sirva de commam divisor ao- poso dos atoraos, o
peso do tomo de* hydrogeneo, como sendo essa
unida de metade, um qnarto, ou orna fracro me-
nor do alomo do nydrogeneo.
Poderiamos aqu entrar na diSCOMO dos nwnc"
res-que indicam os pesos atmicos, e observar que
mesmo os determinados pelo Sr. SU podem antes
servir a confirmar do rme a destruir a lei de Prout,
logo qoe se admita urna nnidade qno seja omr.
fraccabdo peso atmico do hydrogeneo mas esse
nm trabalho difTJcil e pouco proprio para um artigo
de jornal. Advertiremos, porm, de passagem, e
como -apoto s nossas ideas, qne a chimica admilte
j que-a mnima quantidade de hydrogeneo assim
como de-outros corpos simples, que pjle existir
livre centrar n'uma combiaacio, formada d don-
atomot-, wna molcula.
Admitttda a existencia d6s atemos, e soppondo
que as partculas constituirles dos denominados
corpos simples sao grupamentos diversos desses
tomos, que motivos temos para suppor qceelles
nlo estile-em contacto, nem mesmo prximosem
relagiosua grandezamas- se i'onservamdts-
tancias une-dos outros, insensiveis para os nossos
sentidos, mas muito considerareis relativamente ao
seu volum?
Nao podando entrar em ampios desenvolvimen
tos, apoDtaromos apenas as razies que julgaraos
favoraveis nossa opiniao. A porosidade do cor>-
pos, ainda daquelles que pareeera mais densos e
com os tomos mais unidos, oao del xa duvida de
que as partculas componentes de todos os cerpos
esto a distancia urnas das outras ; nos corpo3 qoe
resultara dauniio chimica de substancias elemen-
tares, em oada partcula ha partes distinctas pelas
suas propriedades.
Admittida a opiniao de Prout, com os desenvolvi-
mentos quejulgamos, a sciencia de hoje autorna.a
introduzir-lhe, temos quo esas parles, que" pea sua
unilo formama? Substancias compostas, sio ellas
mesmas QjoJecalas constituidas pelos tomos-da
superior largara das ondulacoes.
(Continuar-se-ha.)
LITTERATRA.
UM POUCO DE TUDO.
L-se no jornal Echo Arlsien o seguinte :
Urna d'aquellas apostas insensatas, que infeliz-
mente se estilo a repetir com frecuencia, foi feita
na semana ultima entro dous rapazes que andavam
pesca.
Um d'elles aposlou 10 francos que enguliria um
peixe cr.
A aposta foi imprudentemente effectuada, e o
primeiro peixe perjueno que sabia da agua foi met-
tido as guelas do apostador. Mas passacfo poucos
insanles comegou dlle a nao poder respirar senao
com-muita difllculdadc; eadar visiveis signats do
soffrrmcnto : e logo g-atiFou ao chao, torcendo-sc
com oVJres.
O pcise, em lugar c%" ter sido introduzido na
garganta-pela caber, i, tinha sido pela cauda, de cor-
te que a? barhatanas cra-varam-se na garganla'e
impediara a extrancao.
Compreheodendo enlio o perigoque corra aquel*
le infeliz, o-seu corapanheirofoi chamar um facul-
tativo a toda-a pressa. Mas es-esbr^os do hornera
da sciencia foram impotentes,, apesar de nclsde
operadas na rogao da garganta^
O desventurado expirou no meto-de atrozes sof-
'rimentos.
A' um jornal de L-beda (Hespaafca> escrevem de
iiraena o seguiute :
Nessas immediacoes appareceu BU lagarto tio
monstruoso, ijuo-as pessoas quo c- ten visto ava-
lam, que nao pesar para menos de i arro-
bas.
No dia 27 do panado sahiram a dartfta caga, Si
eavalleiros, varfa-gente de p e 30 c;ies, mas re
Lm modo, refere urna folba estrangeira, foi e
vado aos tribunaes por diffamaco.
Escolhen para advogado oufro modo
Este era alumno do instituto Os- surdos-mudos
de V.enna, e comecou a defeza pedmJo ao tribanal
indulgencia para a sua enfermidade.
Depois, descreveu com mmica de vivsima ex-
pressao o estado do espirito do seu cliente-atraem
a Providencia tmha recusado a faite, e a ,erg0nha
que o opprimia ao ver-se em um estabelecimento
publico, servindo de alvo do esoarneo e assnmpto
do riso publico ; por fim demonslrou a innocencia
oo seu amiga com tanta eloquencte e lao calorosa-
mente, que o tribunal cheio de emoeao absolvea e
re"porunaniroidade.
l'm folha de Hespanha nos d a orfeem da ex-
pressao, muito usada hoje em toda a parte, Me.
O celebre pintor i>avid tioha, no cometo desle
secuto, urna escola do ptofln, onde fazte pagar
caras as h^Ces.
Os rapazes pobres, porrni se mostravam tareuto
erara ensinados de grara.
Entre estej-distnguiu-^e sngijfarmente um pe-
queo chamado Clueque,- de adrairavel talento.
Morreu aos 18 annos, cauaaode esta desgraca graa-
de sentiraenlo David.
Desde entio, quando um discpulo- apresentava
um trabalho inalfeilo, dizia-!he o ill3re mestre :
Chicque nac-o fazia assiTi,
Se o estudo era bora, dizia :
Isto recorda-nie Chicque ; ou siraplesmente
asta Chicque.
D>mo David, os disyipulosdizcm'dcuBiibom tra-
balho :
Est Chicque.
E do que era mu :
Nao Chicque.
Da academia passou este modo especial Vdlier*
paraos que convivam oom os discFntos-deB&vid,
e depois universalisou-se com a suppressao do que
finak
Foi 'nttiroaraente veuditte era lelao-em>Par*ra
Em vista das modernas theorias chimicas es' exemplo esrolhido, entre outros. por Gmelin, que
nlo o acido sulphunco pela formula SO1, H, v-se de corpos simples que se combinam em varas pro-
que houve urna combinacao de SO' cora II. E- cou- porefles, cita Gmelin o enxofre, dizendo : 16 de
sa difflcil apresentar leis geraes sobre as combina- enxofre com 8 de oxigenio forma o acido hyposul-
rocs dos'corpos. principalmente agora, que a chi- phurosoo : em 16 de oxigenio o rido sulphuroso ;.
mica or-anica tem caminliado tanto. com 20 de oxigenio o acido hyposulphurico; e cora
Ainda aqui o Sr. Ozorio do Vaseoocellos eoteo-
tu qae devia alterar as nossas phrases, para nos
dar urna correeeao TenJo feito na Revista quo
24 de oxigenio o acido sulphurico
Scgue-sc d'aqui, por ventura, que Gmelin ignora
a existencia e os caracteres da serie dos outros
provocou as criticas do redactor scientifico da Ga- compostos do enxofre com o oxigenio, e desconhece
teta a roseaba de todos os corpos chimicamente a cataren dos dous cidos hyposulphuroso e hy-
distinctos, de qae nammos fallado tratando da posulphurico t De certo que nao, por que o sabio
analyse d ar, indicamos aos leitores quaes desses | e laboriosiss.mo chimico minuciosamente os des-
erara dos que sao coahecUos como simples: quaes creve no segundo volume da sua grande obra.
o? compostos de primeira ordem, isto 6, resultan- j Terminara aqui as criticas de detalhe que nos
tes da uoiao de duas substancias simples : e quaes fez o autor das Revistas Saenl.ficas da Gazeta de
os de seounda orlera isto os prodozidos por Por(Hgaf. Citando um trecho, em que nos trato-
combinares em que cntraram corpos compostos vamos de dar idea do nosso modo de conceber a
na aceepcao commam da chimica. Por essa occa- coiislituirao dos tomos nos corpos, pela compara-
siao nolmes que, para a formara o dos compostos, Cao com o systema do universo, o Sr Osorio de
quasi sempre os corpos simples se combinavam Vasconcellos faz as seguintes reflexoes
Seja-nos lcito lembrar urna velha experiencia
dos acadmicos de Florcnca, que demonstra nao- s
que as partculas dos corpos nao formam um sys-
tema continuo, mas ainda que essas partculas es-
li muito affastadas urnas das outras. Compri-
mindo espheras ocas, de varios metaes, que haviam
enchido de agua, observaran) os aeademicos que
este liquido sahia por toda a superficie do metal,
atravessava pelos poros. As molculas da agua>
de um corpo no estado liquido, em que grande a
mobildade, mas as molculas se acham relativa-
mente muito affastadas urnas das outras, podem
passar por entre os tomos dos metaes, o que prove
que eHes se achara muito- affastados uas dos
outros.
Como a luz um movimento. o calor um movi-
mento, o do mesmo modo as outras manifestacoes
da energa da natureza, e esses movimentos sio
reeebidos e coramuncados pelos tomos, pelos ele-
mentos constitutivos da materia, as cerpos ponde"
raveis, segue-se que esses tomos s& movetn; a
grandeza desses movimentos deve corresponder
para nos, na realidade teem urna natureza idntica
sao a Impresslo de moTiroeatos rpidos, em Jur.
tas ondulagoes sobre os ervos. S
Aphysiologiaprova,por muitos ex^mpioS( por
experiinentages lio curiosas como.ejici^ a s^\.
jbiTi** das sensacoes. Comtud.0, fraTd- du-
vida que existo exleriormente a nos alguma ou-
sa ; sendo alias difflcil descrmnar entre as nos-
sas sensacoes o que se deva considerar como ex-
terior a nos, como objeclivo.
Pela analyse e pelo raciocinio, chegamos com-
ludo a recouhecer que a extensdo, o movimento, a
impenetrabilidade teem urna existencia real, nao
sao urna illuso dos sentidos. Supposto isto, pode-
mos admittir a divisibilidade at ao infinito ? Nlo,
porque entao como que desappareceria a idea de
materia do quid que tem extenslo, que se move, e
impenctravel na sua aceepcao, ainda a mais res-
tricta.
Assim, se nos consideramos um monte de areia,
por exemplo, nao podemos conceber a sua realida-
de, senao admittindoa reumodo paites, cada urna graudeza das ondulacoes. que produzom os pheno-
das quaes um grio de areia. Cada grao de areia, menos da luz e do calor; ora, se nos lembrarmos
gressaram depois de algumas horas, sem terem |
censeguido o seo Mh
ma carta de aples diz, que segundaos symp-
temos precursores est prxima urna empelo do
Vsuvio, porque ha-alguos das nio lacea fumo, e
esta seceos todos os pocos immediatos.
as noticias que os jprnaes hespanhes' dao das
illias Felipinas, rckrem o seguinte :
No dia 18 de mato em Piddig, e no dia 19 em
Sarrat tiverara lugar-duas solemnes ceremonias, o
baptismo de 300 u'js no primeiro ponto( e de 40
no- segundo, convertidos ao catholcisrao pela per-
severancia, e zelo des-parocbos daquelles pontos.
Estes neophitos eram, procedentes de algans po-
vos da cordilheira immedteta aos dilos pontos-, por
supersticio, tinhara deixado de cultivar a ierra, e
reduzdos maior miseria emigraran por uraa
inspiraeao sobrenatural, para os pontos indicados,
dizem, que certo- genio na figura de um. menino
Ihes prometiera, que ali aebariain amparo e ven-
tura.
Urna carta de Bucharest ao jornal Vaterkmi no-
ticia o que segu :
As noticias da innundagio sio aterradoras.
O dislricto de Eraschowa, limiirophedaTxansyl-
vania, foi o que mais soSFreu.
Nacommuna dePhilipesti traram-se da agua
123 cadveres.
A aldeia de Salugeritz desappareceu dbaxo de
agua, iiioiTundo-alutfado lodos OS SOUS bAbitantCS.
Metade da aldeia de Margineau foi levada, pela
torrente, pereceado uiais de 50 pessoas.
Multas outras aldeias e burgos tiveram a mes-
ma sorie.
O estalajadoiro israelita Karczmar, da aldeia de
Cornesti, refugiou-se no telhado da sua casa, situa-
da n'uma eminencia, e ali lhe levaram, as aguas
um barco som um meuino ainda sao e salvo.
O israelita encarregou-se do pobre menino, que
nio foi reclamado, porque provavelmente, seus paes
foram victimas da ionundacio.
com os simple?, c os compostos com os composto?,
cm determinadas relacoes.
Raras vezes, dissem os n?, um corpo compos
t E' arrojada a comparacio de um corpo qual-
quer a um systema de astros.
Para mim tenho que nao attentou bem o Sr.
(o se combina immediatamentc com um corpo sim- Andrade na dessimelhanca e heterogeneidade dos
pies. dous termos da comparacio.
Esta affirma gao nao nossa, nao temos a pre-
t-:nco de asseutar leis em chimica, nem mesmo
de poder peremptoriamente decidir entre as theo-
rias chimicas qual a que merece incontestavel
preferencia ; a affirmaeao cncontramola na obra
de Gmelin (segunda edicao ingleza de 1801) nos
seguints termos: t Compostos re-ultantes da
unilo de duas substancia- simples ou compostas de
i Segundo as theorias atmicas aceitas hoje (pelo
menos segundo as que eu conhego ) o segundo as
jis do systema planetario, vemos que n'este sio
as distancias incomparavelmente maiores do que
as dimensoes dos astros ; em quanto que nos cor-
pos as distancias entre os tomos sio insensiveis.
t No systema planetario, as torgas sao na razio
inversa do quadrado das distancias, e nulias s
tirimeira ordem a que perlencem os cidos mor
r i ., ..ii- -M,f quando essas distancias sao infinitas; nos eorpos
can eos, bases, chlorureos metallicos, etc. sao elles i ..... .
proprios pela maior parte capazes de se combina- sao proporcionaes as distancias ; e sao insensiveis
tem-algumas vezes, ainda que raras-cera r-ubs- > distancias sens.ve.s.
(ancias simples, mas muito mais freqnentemente Segundo esta theoria, nio lgica a compara,
com outros compostos da mesma ordem. Desta gao do Sr. Corvo ; se porm o sabio professor ac-
maneira se formam compostos de segunda ordem, iceta desde j a theoria da unidade, deve funda-
dos quaes os mais importantes sao es saes simples.! menta-la, e tanto mais, que o seu nome respe.
No que disseraos nao se trata das formulas theo-1au0-
ricas, que explicam o modo de gruparaenlo dos
lomos depois da combinagao ; tratase das condi-
goes em que a combinagao se faz.
sendo composto de partes, nao tem realidade, a
nao ser real a existencia dos seus constituintes.
A respeito de cada urna dessas partes que for-
mara o grao de areia podemos applicar as mesmas
consideraces; e se nlo admittirmos os limites da
divisibilidade, partculas com existencia real e in-
divisiveis, veremos como que fugir diante da razio
o limite que buscamos, a realidade da materia.
Seria fra de proposito embrenhar-nos agora as
complicadas questoes a que conduz o estado da en-
lidade materia e da {orea, dos pontos de unilo ou
distincgao de urna e oulra cousa, das doutrmas so-
bre o assumpto das escolas phlosophicas antago-
nistas ; basta por agora reconhecer que nao pode-
mos conceber a realidade da materia, sem admittir
um limite divisibilidade, sem adoptar a hypothese
dos tomos.
A chimica d-nos os limites da divisibilidade em
relagio aos meios de accao de que dispoe -, mas nao
nos pode dar o limite absoluto. Chega a chimica
a avahar, como que a medir e pesar, os lmites pro-
vaveis da divisibilidade do ouro, da prata, do mer-
curio, do oxigenio, do hydrogeneo, emfim de todos
os corpos denominados simples, seja qual for o seu
estado de aggregagao; pode tambem a chimica de-
terminar anlogamente os limites da divisibilidade
dos compostos; isto 6, a molcula em que os cor-
pos simples, ainda unidos para constituir compos-
tos, estao apenas reduzdos a grupos de tomos, em
E' fra de duvida que a moderna theoria chimi-
c Admitte o Sr. Corvo a existencia do ether in-
ter-planetario. Grove ataca este quasi mytho, e ou-
tros philosophos seguem egual opiniio.
t Nio chegaram os sabios idea da constitui-
da extrema pe piencz dos tomos, e se trouxermos
memoria que, segundo Fraunhofer, as ondas do
raio vermclho do espectro tem de cumprimento se.
tenta e quatro centesimas milessimas partes do mi-
lmetro, e que as ondulagoes do calor sio muito
maiores no extremo do espectro calorfico cento e
otcnla centesimas milsimas do milmetro: segue-
se que entre os tomos deve haver intervalo?, em
que possam ter lugar movimentos de grande am-
plitude por essos atoraos execuldos, e alera d'isto
que nesses movimentos os tomos nao chegam ao
contacto.
A luz, assim como o calor radiante pode passar
alravez de certos cerpos, sem perder se nao urna
parle pouco consideravel da sua intensidade. Ha
corpos que deixam passar a luz de urna corta cr
e interceptara a das outras cores; oulros corpos que
deixam passar a luz e nao o calor; outros que dei-
xam passar livremente o calor radiante nao acom-
panhado de luz, o calor obscuro. Est demonstra-
da hoje que a luz um movimento vibratorio; o
calor tem urna idntica natureza: para chegar a
distancia, para atravessar os espagos; o movimento
que nos corpos luminosos ou aquecidos a causa
dos phenomenos que chamamos luz e calor, indis-
pensavel que se propague, isto que alguma cousa
receba esse movimento e o communique como o ar
recebe e communica os sons, que tambem sao re-
sultado de movimento : esse quid, que se move,
que ondula com pasmosa velocidadc, c deve para
Os jornaes propozerara que se lhe dsse o nome
de Moyss.
Sobre o riacho de Knikow viu-se fluctuar urna
cabana inteira, e at com luz, mas nao se lhe pode
dar soccorro, apesar dos gritos afUctivos das pes-
soas que estavaai dentro d'ella.
A egreja de Siancest foi arrebatada pelas aguas,
que desaterraram o ceraiterio, levando para lonioe
as ossadas.
Segundo alguns dados dignos de f. divide-se do
seguinte modo a populagao do Meneo :
llaga india e misturada ......... 6,700,000
Descendentes europus............ 1 ,o00,000
Negros e estrangeiros.............. 80,000
mobilte do Dr. Couty Ce la Poramerais; que ha
pouco foi gulhotiuado per crime de envenena-
raento.
Na saa bibliotheca tinha aiguns tratados sobre %
sciencia herldica.
O doutor possuia um grande numero de pistolas
e floretes-
Pose era leilao um enorme-cesto cheio-de ossos
humanos.
Tinha tambora alguns musquadros egrayuras
sera -valor.
Tude foi vendido por bom pxeco.
l'm aJmofariz de marmore branco, no-qual se
diz que la Pomraerais preparava a digatina, fOi
muito disputado.
Os objeclos de prata pesava apenas 9O0<5ram.
mas.
A iVn.ao- publica o que segu :
Encomiamos uraa curiosa eslalistica coma edade
dos meuibros da academia fraaceza, e delte extrac-
tamos o-seguinte :
Mr. Vienne tem 87 annos, Segur 83, Barente 82,
Dupin 80, Lebrunt 79, Guizot 77, Lamartine 76,
De Broge 7i, Villemain 74, Berryer 73, Eonger-
ville 72, Cousin, 72, Patn 74, Flourens 79; Mignot
C8, Thicrs 67, Rcmusant 67.
Oulros poderamos mencioaar aiada, que mos-
iram claramente que o peso dos annos no.pxeju-
dica as-vigorosas intelligencsos-,. quo o estado e a.
sciencia defendem contra os darauos do terapo.
**
Aricsto, este grande ^ota, depois de teroscrip-
to o Cuando Furioso, escreveu nos seus ltimos
annos, em 1525, um outro poema com 8 litulo-B*-
naldoAldito.
Este poema, que at nossos dias eseve indito
vae, segundo vemos de um jornal de Xurin, ouMa-
car-s9 agora com consentimento de sig. Yiconao
Faustti, a quem pertenceu por casta, da par-
lillu.

Diz um jornal, que o presente q a Saxonia
qor offerecer Mr. Beust por ter nepreseatado
dignamenle a Dieta no congresso de Londres, ser,
dizem, a trra senborial de Zohmeo, que est a al-
g.umas leguas do Leipzig, e que est avallada em
200,000 thalers.
proporges singellas, e no numero limite abaixo do j sso ter uraa elastlcidade quasi infinita, esse ^iid
qual cessa a existencia dos compostos, para cada 0 f//,r. L0g0 diremos alguma cousa a respeito
um dos corpos componentes retomar a sua exis-1|do elner. por agora SUpporemos admittida a sua
tencia propria. O que na Revista do mez passado
dissemos sobre cerpos compostos e relagSes atmi-
cas, parece-nos sufficiente para, com um pequeo
existencia.
Para que a luz ou o calor passem atravez dos
ca dos typos mais racional, mais fecunda, mais glo dos corpos por experiencias, senio por idduc
era harmona com es factos, do que a theoria do coes lgicas.
uahsmo, apesar mesmo dos brilhantes trabalhos f partjndo da mullpUcidade da materia) conclue
de Berzelis; mas nos nio tratamos de embrenhar Q Sf Corvo que cada ,,,, simples formado
os nossos leitores as questoes complexas das tbeo- ^ a,omosde dlfrtrenle grandeza, de diverso peso
ras chimicas, quizemos-lhes un.araente indicar o e mesmo,a|vez de dislincla f0rm eraquanto
acto, que a autoridade de Gmelin nos permittia frraai pornii a theoria de Ampere, que s admit-
dar como certo. i f aloraos esphencos, a mais adoptada, e sem
O acido sulphurico anhydro para nos referinos duvida a mais em harmona com as condigoes ge-
ao exemplo citado, pelo Sr. Osorio de Vasconcel- raes da materia na natureza.
tos que um composto de primeira ordem, passa
ao estado de acido sulphurico normal era contacto
com a agua, que egualraente um composto.
< Alm da contradiegio, confesso francamente
que nao percebo a razio disto.
Nao sei que relagio ha entre a esphericida-
. Depois da combinagao a moderna theoria, que de dos tomos e as condigSes geraes da materia,
sem duvida, repetimos, muito racional, d do modo
. .. cornos transparentes ou dia/ei-wianos (que deixam
esforco de attengao, o leitor entender o que neste uu'p .. ... VH .._J
. \ ; passar o calor radiante): isto e, para que os movi-
penodo acabamos de dizer. *^ ...
mentos que produzem estes dous phenomenos se
Suppomos a existencia dos tomos, em relagio < na0 percam no interior dos corpos, communicando-
ao nosso espirito, como provada ; mas nio sio as
Total............................. 8,280,000
Le-se no Jornal dos. Debates, o seguinte :
Deve haver uo domingo 1 i do crreme, na ra
Neuve-Bossuet, era Parte, urna sessao publica e
gratuita, dada pelos Srs. Carlos Hermn e Baln,
para se poder apreciar toda a importancia de um
novo ensino musical,em que o professor Bahn pen-
ga ha muito lempo, e que vem a ser a resolugao
do seguioto problema : -Habilitar qualquer indi-
viduo a corapor um trecho de msica e improvisar
cm um piano cora tanta presteza como se escreve
una carta, c improvisa urna conversagao.
No Qommercto da Porto l-se o que segu :
Cartas de Hong-Kong cora data de 13 de junho,
dio noticia d'ura horroroso furacao como nao tinha
havidouestes ltimos sessenta annos.
Avaliam-se as perdas produzdas por este phe-
nomeno atmospherico em mais de 600 contos ; de-
sabaram predios na cidade, matando alguns chins.
Era Wampoa, juntojao rio de Canto,a innundaglo
causou muitos estragos e fez mais de 300 victimas.

Achamos em urna folha belga mu curiosas n-
dicagoes sobre os preciosos vinhos da adega de
Breraen.
J fallamos do exageradisslmo prego de cada
garrafa, e de cada gota d'este admiravel licor.
Agora saiba-se mais que o vinho dos Apostlos, e
mais ainda o da Rosa, nao se vende senao a quem
partculas, limite da divisibilidade, qoe pode alcan-
gar-se pelos meios de que dispSe a chimica, dos d-
se do ether s molculas nesses corpos, preciso tem foros dos cidados de Bremen.
Os burgo-mestres sao os nicos que teem dlrei-
que os espagos entre essas molculas sejam bastan-
te grande e estejara dispostos de modo, que as on- to de tirar algumas garrafas para com ellas mi-
nominados corpos simples, que nos tomamos petos I dulacoes passem por elles sera se mortificaren!. Se \ mosear testas coroadas.
verdadeirostomos; essas partculas, fallando com jo ether existe, como ludo leva acrer; so elle, Um cidado de Bremen ora caso de molestia
propriedade sio molculas, sao grupos de tomos. U quera pelas suas ondulagoes transmute os movi-1 grave pode obter uraa garrafa por 20 francos; mas
Lemos n'um jornal de Hespanha, que Mr. Dom-
bom, que se propunha dar direcgao.aos globos, em
breve far sua experiencia ; di-aos inleressantes
particularidades a respeito do barco areosttico,
em que demonstrar a facilidade da navegago
aerea.
O barco chama-se Eolo, e tera urna forma pare-
cida ao corpo de um pato mechendo-se sobre as.
aguas.
Na proa tem urna figura alegrica represeclada
por um lelo.
Cabem nelle commodamente at oito pa$sage-
ros, o pillo, o hornera do leme e o capitao..
E' todo de ferro e pesa urnas 300 arrobas.
Tem um magnifico hlice directriz, e irodas q
paitlas heliciaes.
Ai.-iii disto ha ae levar duas grandes- azas cojas
pennas alcancam urna longitude de 2 3 metros.
Antes de proceder a construccio dQ Eolo, Mr.
Dombom fez urna pequea machina pomba, que
voou perfetamenie sem se resear no sea movi-
mento de mitra cousa mais do qae da falto de di-
reccao, o que se comprehende perfeitissioomente
porque impossivel cm to pequeo auohinismo
obter outro movimento que nio seja a rectilinio e
o parablico.
O jornal de quem copiasnos esta noticia, que
um jornal de Valencia, diz, que o ensato do Eolo
estar concluido em breve, consistir em tira-lo
da ra de la Keina, o leva-lo at ao placo, quo
inedia entre o mar e as casaras, aonde subir e-
far evolugoes era lodo o sentido na praia n'uma
altura de 10 metros, depois se elevar aos 100
metros, atravessar Valencia tornando ao ponto, da
partida.
Feito este ensaio, Mr. Dombom esperar para fa-
zer o segundo que ollkialmente era Madrid se uxe
o da.
O lempo necessario para ir a Madrid nao ser
superior 3 ou quatro horas.
Se esta noticia verdica, e o seu resaludo fr
prospero, poderemos dizer que est resolvido um
problema, cuja solueio occasionar urna grande
revolugio no universo, e que forcosamente altera-
r de um modo extraordinaria entre outras cousas
todos os recursos de defeza que em nossos dias ern-
prega a arte militar.
para alcangar esta graga deve reqnere-la,juntando
certificado do medico o licenga da cmara muni-
cipal.
Se o cidado pobre tem a garrafa de graga ;
de constituigo chimica do composto resultante
ima explicacao e urna formula, que est cm har-
mona com os factos hoje conhecidos, e d d'elles
.orna explicagau philosophica.
Isso porm nada tem com a proposigo, que o Sr.
Assim pois arrojada ( era mais simples dizer
errada) a nossa comparagao, sao faltas de lgica
as nossas opinioes, porque :
1. As distancias, que separam os astros, sao n-
compantvelmente maiores do que as dimensoes
que nos leva a esla hypothese ? Considerarles na-! mentos que sio luz ou calor; se enche os espagos
morosas, que se deduzem da historia da sciencia; j enire os atoraos dos corpos: claro est que quando
induccoes colhidas as relagBes simples dos pesos as ondulagoes no interior de um corpo forem per-
atmicos dos corpos elemcnlares observados por turbadas ou por estarem os atoraos tio prximos
Prout primeiro, edepois por o Ilustre Dumas eou-' ae esta3 nio podem passar cora toda a largura,' mas alm dos documentos j Indicados, deve tara
tros chimicos modernos, a multiplicidade sempre ou p0I- ser a disposigao dos tomos tal que as on- bem exhibir attestado de pobreza.
crescente dos corpos denominados simples quo a dulagoes, depois de camnharom um curto espago Ao cidado de Bremen assisto tambem o direito
sciencia est descobrindo. I no interior do corpo vio por fim quebrar-se por as-. de reclamar urna garrafa, se em s na casa hospedar
A divisibilidade infinito da materia impossivel sim dizer contra os tomos, os tomos dos corpos: um personagem celebre,
porque conduz nio existencia da materia ; a di- entrarlo em movimento, e o calor e a luz nao pas-, A cidde de Bremen enviou a Goethe urna gar-
visibilidade tendo limites diversos, segundo os di- sarao alera do corpo, perder-se-hao nelle. A passa- rafa deste vinho no dia do sen nome,
Um jornal inglez diz que, para conservar a leite
um anno ou mais, se .deve encher de leite unta
garrafa, upa-la bem, e depois mergulhar-ae a gar- .
rafa em agua a forver conservando-so n'ella por
espago de um quarto de hora; qoe preparado por
esta forma, o leite se conserva durante am. anno
como se vesse sido acabado de mugir.
A experiencia nao cuitosa.
PERNAMBl'GQ.-TYP. DE M. F. DE F. & FUJ





Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E7MGBA1VC_9SR4G0 INGEST_TIME 2013-08-27T20:56:37Z PACKAGE AA00011611_10467
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES