Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10466


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ANUO xi. jo:

Por tres aezes adiantados 5$O00
Por tres mezes vencidos 6JUU
Porte ao eorreio por tres mezes. 4750
CUARTA FEIRA 14 B SETEMBRO DE 1864.
Por auno ad'a.'iado.....49$00O
Porte ao correia por b anno. 3$00

***twm wl>">-"~ ------
INCARRSGADOS DA SBaCRiPCAO NO NORTE
Panmyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima';
Natal, e Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
8r. A. de Leraos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; MaranhaO, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Piuheiro dj d; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
NCARRKGADOS DA SUBSCRIPGAO NO SUL.
Alagas, o Sr. Claudino FaJcio Dias; Baha, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
era Martins & Gaspariuo.
tARJlDA DOa EsTaFETAS.
Oiinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Samo Antao Gravat, Bezerros, Bonito, Garuara',
Altmho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d Alho, Nazareth, Liraoeiro, Brejo, Pesqueira.
Ingaieira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricnry e Exu' as quartas feiras.
Serinhaem, Rio Formoso, Taraandar, Una, Barrei-
m3f Pa ta e Piraei"eiras as quintas 'eiras.l
lina de temando todas as vezes que para aii sahir
navio. I Primeira as 2 horas e 6 minutos da t?rde
Todos os esueus partem ao y, dia. | Segunda as 2 horas e 33 minutos da manhaa.
PHBMERiDES DO MEZ LE SETEMBRO.
1 La nova as 3 b., 48 m. e 8 s. da m.
9 Quarto cresc. as 3 h., 30 m. e 38 s. da m.
lo La cheia as 6* h., 40 m. e 20 s. da t
22 Quarto ming. as 4 h., 34 m. e 14 s. da t.
30 La nova as 8-h., 23 m. e 10 s. da t.
PRBAMAR DE HOJB.
parijoa dos vapores costero..
Para, o sal at Alagas a 6 e iS; par o norte at
* jj* 7fl22 decadamez; para Fernando nos
das 14 dos mezes dejan, marc., maio,.iui, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
. ,,a Reeife : do Apipucos s 6 A, 7, 7 /,, 8 e
8 Vt da m.; de Oiinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
JaboaUo as 6 Vi da m.; do Caxang e Vanea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
DoRecife: para o Apipucos s 3 /teMVfc4 V*
6, i'/,, 5 Vj e 6 da Urde; para linda s 7da
manhaa e Va da tarde; para Jaboaiao as 4 da Ur-
de ; para Cachang e Vanea s 4 /. da tarde; para I
Beinfica s 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal docommercio: segundas a quinus.
Relaco: tercas e sabbados s iO horas.
Fazenda: quintad s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas a sextas ao meio
dia.
Segunda vara de civel: quarUs sabbacs a 1 hora
da tarde
DAS DA SMaNA.
'- Segando. S. Macrobio m S. Liborio m.
3. Terca. S. Au-a v.; S. leronides m.
14. Quarta. Exallayo da Sania Cruz.
Jo. Quinta. S. Domingos em Suriano.
17 iX!a'.SsV.rj?rnf,|k%- Cypnano e Rogeicmm.
l/. Sahl.ado. S. Pedro de Arbues m.
18. Domingo. S Jos de Cuperlino f.
ASSIGNA-SE
jno Reeife mi a Icaria da praca da Independencia
iFariafcFio! pr0pne,anos "anoel f^iroade
PARTE CFFIGIAL
GOYERNO DA PROVINCIA.
Conlinuaco do expediente do dia 9 de selembro
de 1861.
Officio ao juiz de direito do Bonito.Tenho pre-
sente a copia da resposta dada por Vmc. a consul-
ta do tenente coronel Jos Joaquim Bezerra de
Mello, e que veio junta ao seu officio de 3 do cor-
rete, a que respondo dizendo-lhe que bem deci-
di Vmc. declarando aquello tenente coronel que
nao podia assumir o exercicio do cargo de Io sup-
Slente do juiz municipal e de orphaos do termo do
onito, cm face nao s do aviso de 24 de julho de
1835 citado por Vmc, como tainbem do de n. 238
de 3 de junho de 1863, os quaes declaram ter o
supplente do juiz municipal renunciado o seu lu-
gar se nomeado olticial da guarda nacional e en-
tra era exercicio do posto.
Quanto porm ao ex-collector Antonio da Costa
Mello Lima, nao havendo lei expressa que o inhiha
de exercer o lugar de 2 supplente d"aquelle juizo,
e nao podendo declarar-se incompatibilidadu onde
a lei expressamente nao estabelece, vou levar o
assumpto ao conhecimento do governo imperial
para resolver.
Diio ao engenbeiro fiscal da eslrada de ferro.
Em resposta ao seu officio de 31 de agosto ultimo,
em que Vmc. communica-me ter a commissao con-
sultiva da estrada de ferro elevado os ordenados
dos ajudantes do engenheiro residente, e chele da
fraccao, por oecasiao da partida deste para In-
glaterra, tenho a dizer-lhe que, se o trabalho dos
referidos ajudantes se augmentou coa a ausencia
daquelle engenheiro, pde-se por equidade conce-
der-se-lhes um augmento, que nao exceda 5*
parte dos que actualmente vencem.
Quanto ao modo porque se tem calculado o frete
dos transportes cencedidos pelo governo, approvo
o procedimento da comraisso de liquidacao redu-
ziudo aquelle frete cora a dedcelo da importancia
das duas passagens a que tem direito o governo, o
qual pode dalas a quem quizer, seja militar ou
paisano, como j declarei ao superintendente em
cilicio de 31 de marco ultimo de que dei sciencia
a Vmc.
10
Officio ao Exm. presidente da provincia do Cea-
ri.Passando as maos de V. Exc as inclusas co-
pias dos officios que me dingiram o commandante
das armas em 3 e o commandante do brigue barca
llamarac em 9 tudo do mez correte, rogo-lhe
que se digne de mandar proceder s avenguagoes
que entender necessarias afim de saber-se se de-
sertor do corpo de guarnicao dessa provincia, o
imperial marinheiro de 2- clas>e Joao Raymundo
do Naseimento que lendo-se apresentado ao mesmo
commandante das armas para ser indultado, decla-
rou pertencer ao predito corpo no qual tem o no-
me de Manoel Raymundo do Naseimento.
Dito ao Dr. chefe de poliea.-Communcando-
me o Exm. presidente da Parahyba em officio de G
do correte que expedio ordem para ser enviado
esta provincia, onde criminoso o preso Antonio
Rodrigues Vieira, vindo do termo de Campia
Grande; assim o communico V. S. para seu co-
nhecimento e afim de que faca regressar para
aquella provincia na | opportnidade as pravas
que escoltaram o referido criminoso.
Dito ao mesmo.Transmiti V. S. para seu
conhecimento copia da infcrmacao ministrada em
data de 20 de agosto lindo pelo "juiz de direito da
comarca de Flores, relativamente ao processo ins-
taurado contra Antonio Pereira de Souza Ferraz.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. -
Remetto inrlusas V. S. para os convenientes exa-
mes as copias das antas do conselbo administrati-
vo do arseual de guerra, datadas de 19 e 26 de
agosto prximo passado.
Dito ao mesmo.Panicipando Jos Soares de
Mello Avellins que em 18 do mez lindo e na qua-
lidade do 1" supplente rcassumio o exercicio do
cargo de juiz municipal e de orphaos do termo de
Cabrob : assim o communico V. S. para seu
conhecimento.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.Em
vista da conta junta em duplcala e nao havendo
inconveniente, mande V. S. payar ao r. Manoel
Buarque de Macedo, como solicitou o rhefe de po-
licia cm officio de hontem, sob n. 1121. a quantia
de 44000, proveniente do aluguel de um mez,
vencido em 20 de agosto ultimo, di casa que serve
de cadeia no termo do Ex. -Communicou-se ao
Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo. -Pode V. S. conforme indica
em sua ioformacao de 23 de agosto ultimo sob n.
368, mandar euregar a Francisco Jos de Cam-
pos Pamplona em 3 prestacoes al o fim de no-
vembro e mediante fianea idnea os 6:000:000 vo-
tados pelo '7 do artigo l da lei doorramento
vigente para as obras da igreja matriz da fregue-
zia de S. Jos desla ridade visto eonvir nisto o
Exm. vigario capilular, segundo declarou-me em
olficio de 31 d'aquelle mez.Communicou-se ao
Exm. vigario capilular.
Dito ao desembargador provedor da Sania Casa
de Misericordia.Km vista da sua informac/io do
i" do corrente dala com referencia ao re mor-1
ment de Mara da Luz, mande V. S. inscrever no
respectivo quadro alim de ser opporlunamnt'! ad-
mittida no collegio das orphias a neta da suppli-
cinte de norae Adelade Franceliin Maviffnier.
Dito ao cnsul de l'orliual. Para se poler re-
solver acerca da baixa do servico militar do cabo
de esquadra do 2- baulho do ifintana Jos Mi-!
ra (o:n;a'.ves Costa, cijnvm que se prove com os
necessanos documentos, como me declarou o
Exm. Sr. ministro da guerra em aviso de 17 de .
agosto prximo passado, a qualidade de subdito !
portugaez do referido cabo de esquadra, visto tur
este declarado, quando assentoa praca voluntaria-
mente, que era Brasileiro, e natural "desta provin-
cia; o que communico ao Sr. Dr. Claudino de
Araujo Guimaraes, cnsul de Portugal em solucao
aos seus offlcios de 4 e 3i de maio ultimo.
Renov ao mesmo Sr. cnsul os meus protestos
de estima e considerado.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Brejo.Conced os 30 dias de licenca que,
para vir a esta capital, solicitou V. S em data do
Io do corrente.
Dito ao director das obras militares.Ordene V.
S. ao segundo tenente do corpo de engenheiros Jos
Tiburcio Pereira Magalhes que entendendo-se com
o inspector da alfandega organise com brevidade
o ornamento da despeza a fazer-se com a colioca-
co de trilhos de ferro naquella repartido.
Dito ao mesmo.Mande V. S. fazer com urgen-
cia os concertos de que necessita o t do quartel do segundo baulho de infaniaria. qae
foi arrombado para o amanhecer de 8 do corrente
pelos presos que alli existiam.Fizeram se as ne-
cessarias communicacoes.
Dito aojniz de direito de Flores.Remetiendo
Vmc. para Ihe servir de governo copia do orna-
mento apresentado pelo delegado do termo de Flo-
res para os concertos da respectiva cadeia, recom-
mendo-lhe que pelos meios mais econmicos e com
quem melhores vaniagens offerecer. guardadas as
cautelas necessarias, contrate a factura dos sobre-
ditos concertos, que deverSo ser feilos sob Imme-
diata e a mais escrupulosa inspereao de Vmc., de-
pois de approvado o mesmo coutraio por esta pre-
sidencia.
Dito a cmara municipal do Reeife.Em respos-
ta ao officio n. 40 de 24 de agosto ultimo, em que
a cmara municipal do Reeife pede que Ihe sejam
dados para um nasseio publico os algalos de ma-
nnha ns. 6o e 77, existentes entre o edificio de
Gymnasio provincial, e a fundicao do Starr & C,
tenho a dizer que nesta data recomniendo the-
souraria de fazenda que no caso de haver expirado
o prazo marcado a I). Francisca Amalia Moreira
para ser atterrado e bemfeitoriado o segundo de
taes_alagados, laca elTectiva a necessaria commi-
naeao se nao tiver sido cumprida aquella condico,
para depois de medido o demarcado ter a applica-
Cao indicada pela mesma cmara, que acerca de '
desapropiar do de n. 55 deve proceder amigavel
ou judicialmente, como for mais conveniente, visto I
ter sido esse alagado concedido a Manoel Jos Fer-
reir Machado sem onus algum, segundo informa
a mencionada thesouraria.Officiou-se nesle sen-
tido thesouraria de fazenda.
Dito ao presidente da cmara municipal de Ipo-
juca.Nao tendo a cmara municipal dessa villa,
como me declarou Vmc. em seu officio de 28 de
agosto ultimo receido as circulares desta presi-
dencia de 3 e|7 de julho do anno de 1862, remetto-as
inclinas por copia alim de que preste com urgen-'
cia a mesma cmara as informacoes nella exigi-
das.
Dito ao promotor de Flores. Respondo ao seu j
officio de 25 de agosto lindo, dizendo-lhe que ha
prgeneia na informaro exigida do orcamento do
imposto de 25300 por cabega de gado vecum con-
sumido ann-jalmcnte no uso particular dos habi-
tantes dessa comarca, e por sso deve Vmc. miois-
tra-la com toda a brevidade.
Portara.O presidente da provincia, attendendo
o que Ihe requereu Joao Francisco da Cunha, te-
nante do corpo de polica e commandante do des-
Ucamento de Cimbres, resolveconceder-lhe30dias
de licenga com vencimentos para vir a esta capital
tratar de negocios de seu inleresse.
Expediente do secretario do governo do dia 10
de selembro de 186i.
Officio ao inspector da thesouraria de fazenda.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda trans-
mitir V. S. a inclusa ordem do thesouro nacio-
nal sob n. 97.
Dito ao inspector do arsenal de marinha. O
Exm. Sr. presidente da provincia manda commu-
nicar a V. S. que em officio de 5 do corrente de-
clarou o Exm. Sr. presdeme do Ro Grande do
Norte ter 6ido entregue naquella provincia o esca-
ler que foi para alli enviado no vapor Paran.
Despachos do dia 10 de selembro de 1861.
Requerimentos.
Antonio da Molla Marques.A'vista da informa-
tao do Sr. administrador do eorreio nao pode lor
upar o que reqner o sopplieante.
Padre Genuino Gomes Pereira. Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Or. Joao Rodrigues Chaves.Passe portara con-
cedendo a licenca que requer o supplicante.
Tenente Joao Francisco da Cunha. Passc por-
tara concedendo a licenca que requer o suppli-
cante.
Joaquim Francisco do Reg.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Jos Theodoro Gomes.DO-se, nao havendo in-
conveniente.
Tenente coronel Manoel Joaquim dn Reg e Al-
buqtierque.Estn dadas as providencias.
Manoel Jos de Oliveira. Requeira quem tiver
o direito til do terreno a que allude o supplican-
te, juntando o respectivo ttulo.
Mara da Luz Mandou-se inscrever filha da
supplicante para ser opportunameute admetlida no
collegio das orphas.
As cartas que eutoutro lugar transcrevemoo no-
ticiara o que de mais importante occorreu na pro-
vincia de S. Pedro do Sul depois da saluda do Ge-
rente.
O vapor de guerra Jequittnhonka, que de Monte-
vdeo fora expedido para o Rio-Grande com offlcios.
da nossa missao- especial no Estado Oriental, che-
gou barra no dia f, e tendo entregado a corres-!
pondencia ao vapor Protecrao, voltou para aquelle
estado.
As canhoneiras Uparan e Maracan, sahidas
deste porto, tambem tnliam chpgado ao Rio Gran-
de. A primeira recebeu carvao e seguio para
Montevideo, a segunda ficava a largar para Porto
Alegre.
Da provincia de Santa Camarina nada nos cons-
ta de interesse.
INTERIOR.
RIO HE JANEIRO
-> de agosto.
O senado approvou hontem em 2' discossao, sem
debate, a proposieao que autorisa o governo para
innovar o contrato da companhiaUniaoe Industria:
e em Ia e 2a discussao a proposieao sobre paga-
mento aos herdeiros do conde da Barca.
Entrando em Ia discussao a proposieao que auto-
risa o governo para rever e alterar os reglamen-
os relativos a terrenos diamantinos, foi rejeitada,
depois de orarem os Srs. Ferraz, Dias-de Carvallio
eSilveirada Mulla.
Ficou adiada, tendo orado o Sr. Dantas, a 3* dis-
cussao da proposieao que autorisa o governo para
conceder s companhias Badiana e l'ernamburana
a conlinuaeao da subveneao qae lm percebido.
Votou-se sobre o art. 3o do orcamento (despeza
do ministerio da marinha), sendo'approvado, salvo
o algarismo: approvados o< Io, 2". 3o 4 3, 1"
8". 10. II, 14, 17, 18. 19, 20 e 23: rejeUdos,quan-
toaosalgarismos,osf|2-, 6 9 12, 13, 13, 16, 21
22, e approvadas as emendas da cmara dos depu-
tados aos mesmos paragraphos.
Conlinuou a 2* discussao do orcamento, no art.
6o (despeza do ministerio da guerra"), com as emen-
das da cmara dos epatados.
Orararn os Srs. bario de S. Loarenco. Prannos
e Pompeo, QcandO a discussao adiada "pela hora.
A cmara dos depulados approvou hontem em
primeiro lugar, sem debate o parecer da commis-
so de poderes reconhecendo deputado o Sr. conse-
lheiro Francisco Carlos de Araujo Brusquc.
Adoptou em secoida, depois de alguma^ obser-
vares dos Srs Mutim Francisco, Nery, Junquei-
ra, Moreira, ministro do imperio e Macedo sobre
um requerimento de separaco dos addtivos offe-
recido pelo priraeiro s--nnor, o projecto que lixa as
forcas de ierra para o anno financeiro de 1863
1866, com o additivo da commisso que autorisa o
governo a conceder urna elape aos ofllciaes que re-
quererem, e que houverem servido no exercito du-
rante a lula da independencia.
Oecunou-se em ultimo lugar com adiscussao das
emendas vindas do senado proposta do governo
convertida em projerfo de lei autorisando um ere-
dito para pagamento do corpo legislativo. Depois
de algumas observacoes dos Srs. Franco de Alcnei-
da, Ribeiro da Luz, ministro do imperio, Costa Pin-
to c C. Madureira, ficou a discussao encerrada.
No principio da sessoo Sr. Affonse Celso fun-
damentou o seguintc requerimento, cuja discussao
ficou adiada por terein pedido a palavra os Srs. Fer-
reira da Veiga e Ribeiro da Luz :
t Requeiro que se pecam ao governo as segura-
tes informacoes :
1" Quaes as medidas de estatistica que, decre-
tadas pela assembla provincial de Minas, na ses-
so do corrente anno, foram sanecionadas pela pre-
sidencia da provincia.
2" Quaes os empregados estipendiados pelos
cofres pblicos qae tm sido sido exonerados., a
contar de maio do anno passado at hoje.
Pelo vapor Brasil, entrado hontem dos portos do
snt, recebemos dalas de rorlo Alegro ar 17, Rio
Grande 18, e Sama Cstharina 21 do eorrente.
Por decreto de 17 do'correnle foi nomeado 2
cirurgio do corpo de saude do exercito, o doutor
em medicina Joao Cupertino da Silva.
26
Conlinuou hontem no senado a 2a discussao do
orcamento, no art. 6o (despeza do ministerio da
guerra) e orararn os Srs. Ferraz, Dias de Carvalho,
Paraohos, Peana e ministro da guerra, ficando a
discussao adiada.
Hontem nao houvo sessao na cmara dos deputa-
dos por falta de numero legal. Nao obstanle, leu-
se um officio do Sr. ministro do imperio, pedmdo
da e hora afim de apresentar urna proposta para
a abertura de um crdito extraordinario indispen-
savel para occorrer as despezas com o casamento
das augustas princezas Marcou-se o da de hoje
a urna hora da tarde.
Foi apresentado na igreja parochial de Nossa
Senhora da Conceicao da cidade de Nazareth, da
diocese e provincia d'e Pernambuco, o padre Jero-
nymo Jos Pacheco de Albu |uerque Maranhao.
Foi apresentado em um canonicato da caihedral
do Rio Grande do Sul, o padre Manoel Jos da
Conceicao Braga.
Foi nomeado commissario vacciuador da provin-
cia das Alagas, o Dr. Joao Francisco Dias Cabral,
sendo exonerado do mesmo lugar, a seu pedido, o
Dr. Thomaz do Boraflm Espindola.
Foi concedido o titulo de conselho ao ministro
do supremo tribunal de justiga Albino Jos Barbosa
de Oliveira.
Foi nomeado veador da casa imperial o conse-
lheiro Miguel Maria Lisboa.
Foi jubilado na 2* cadeira do 4o anno da Facul-
dade de Direito de S. Paulo, cora mais de 30 annos
de effeetivo exercicio de magisterio, o conselheiro
Dr. Clemente Falco de Souza.
Foi aceita e confirmada a renuncia que fez o
padre Jacintho Jos de Almeida, da igreja paro-
chial de Cuiet, do bispado de Mananna e provin-
cia de Minas Geraes.
Foram oaiuralisados cidadaos brasileiros os sub-
ditos portnguezes Joaquim Coelho Fragozo e Ma-'
noel Soares de Pinho, o o subdito francez Dr. Joao
Romao Pedro Mariot.
Por decretos de 22 e 24 do corrente foram no-
meados:
O bacharel Emilio de Moraes Dias, juiz munici-
pal e de orphaos do tormo de Bragada, na provin- i
cia do Para ;
O capitao Alexandre Francisco de Oliveira. para
tenenic-coronel commandante do 6 baulho de.
infantaria do servico activo da guarda nacional da
provincia do Rio Grande do Norte ;
O tenente-coronel reformado Autonio Jos Gon-
calves Lima, para commandante do batalhao de in-
famara n. 11 da guarda nacional da provincia da
Paralaba.
Foi removido o juiz municipal Luz Jacintho
Vergne de Abreu, do termo de lbeos, para os de
Belmonte c Canavieiras, na provincia da Baha,
por assim o haver pedido. |
Teve merc Joao Evangelista Lopes Chaves, da
serventa vitalicia dos olcios de Io UbelUSo do
pulilico judicial e notas e escrivo de capellas e
residuos do termo de Propr, na provincia de Ser-,
gipe.
Foram creados nos termos de Miranda e Santa
Auna do Paranahyba, na provincia de Matto-Gros-
sq, os lugares de juizes rounicipaos que accumula-1
rao as funecocs de juizes de orphaos.
27 -
O senado approvou hontem sem debate era 1* c
2a discussao a proposieao sobre a naturalsaco de
Albino Jos Martins Guerra e outros, e mandando
pagar a D. Joanna Ricarda Vieira de Freitas o
meio sold de seu pai.
Entrando depois em i* discussao a proposito
qne manda pagar D. Seraphina de Arruda Cma-
ra os ordenados que competiam seu marido, ora-
rarn os Srs. Silveira da Molla e Souza Franco, sen-:
do a proposieao adiada e remettida comraisso
de fazenda requerimento do Sr. Silveira da
Molla.
Proseguio a 2a discussao do orcamento, no arl.
6" (despeza do ministerio da guerra), e orararn os
Srs. baro de S. Lourenco, Penna e ministro da
guerra, sendo encerrada a discussao. Foram ap-
provadas todas as emendas da cmara dos depuu-
dos, e os paragraphos do artigo assim emendados.
Entrando era discussao o art. 7 (despeza do mi-
nislerio da fazenda), foi adiado, requerimento do
Sr. Silveira da Motta, para depois de voUdo o orca-
mento da repartido das obras publicas.
Seguo-se, portauto, a discussao do art. 8o (des-
peza do ministerio da agricultura, commercio e
obras publicas) e orou o Sr. Silveira da Motta.. fi-
caado adiada pela hora.
A cmara dos deputados oceupou-se hontem em
priraeiro lugar com a discussao do parecer da
commissao de poderes sobre as eleeoes de varias
freguezias pertencentes ao 2o dlstricto da provincia
de Sergpe. Depois de algumas observacoes do
Sr. Costa Pinto, ficou a discussao adiada pea hora.
Rejeiteu em seguida as emendas vindas do sena-
do proposta do governo convertida em projecto,
autorisando um crdito para pagamento do corpo
legislativo.
Tralou cm ultimo lugar da 3a discussao do pro-
jecto que lixa a forca naval para o anno financeiro
de 1865 1866. Orararn os Srs. Neri, ministro do
imperio, Franco do Almeida, Silva Pereira e Alvim,
ficando a discussao encerrada.
O Sr. ministro do imperio leu a proposta para
abertura de um crdito extraordinario indispensa-
vel para occorrer s despezas cora o casamento das
augustas princezas.
S. M. o imperador, acompanhado de seos sema"
narios e dos Srs. general Cabral, inspector do ar"
seal de marinha, commandante da diviso nava'
o capitao do porto, embarcou hontem no mesmo
crsenal s 9 horas e 15 minutos da manhaa, na
soa galeota vapor e dirlgio-sc a Jarnjnba, d'onde
seguio para Imbuhy pela Praia de Fra. Tendo
examinado as obras que cstao cm andamento nes-1
tes lugares, S. M. reembarceu e foi visitar a cons-!
trncQo que se- est fazendo no morro da Viuva,
desembarcou no arsenal i hora da tarde e depois
de examinar as obras do officinas d machinas, te-
tirou-se :-s 2 horas e ii minutos. i
oflfcial marinheiro que, por iruptido- ou roo
comporUmenlo habitual, perder o lugar, naa tendo
a,uda Preenebido o lempo de servico> na forma do
art. Ib do regulamenlo de 24 de dezembro do anno
passado, obrigado a compleu-lo no corpo onde
tiver tido a praca primitiva.
- 28
O senado approvou hontem sem debate, em 3*
discussao a proposieao sobre a pensao a D. Cons-
lanca de Paiva Lopes Gama ; eem 1* e3" discus-
sao a proposieao sobre a preteaco de Jos Jacome
Tasso. r
Entrn em 2a discussao a proposieao autorisan-
do o governo para reformar a secretaria da agri-
cultura, commercio e obras publicas, e foi regeita-
do o art. Io, ficando o 2o adiado para passar-se 2"
parle da ordern do dia.
Froseguioa 2a discussao do orgaraento. no art. i para o servico desta administrarlo e das pi
(ai-speza do ministerio da agricultura, commer-! cas ser organisado como nielhor entender o co-
ci e obras publicas), e ficou adiada depois de ora- verno. B
na, depois de orarem sobreest ultima es Srs. ba-1 Tindms m f-.n-c ,i .. ,.ir a
rao de S. Loarenco e Dantas. j ,P^h-^ 1 ,d- 5"r Justificadas pelo
Conlinuou asegunda discussao da proposf3o M9b,i'tU. i ?. L"de,r!!' ^Pelo lente
que auiorisaa reforma do eorreio, e fo, apoda ^2KS?iS2S "-^ da m'
abrate emenda do Sr. viscond, de Jequiti- j ^!^^% bAoart. fr aecrescente.se : Sob as seguintes i ^suSmSSde "^ ^ "**"*
.. .1. As attribuicSes da 4> direoloria do mi-!, .l'T^'n? fre.i,'i1ndindoiid^as e outras al-
nisteno da agricultura, commercio e obras puhli-l mpies fados, e attendendo somente.
cas devero passar para administra-o do eorreio'
da corte que denominar-se-ha adm>nistraco eral
dos crreles.
% 2. A administradlo geral dever constar de
ama secretaria, com secretario, ajwlante e substi-
tuto de administrador geral, de um archivo e de
quatro seceoes. O quadro do pessoal neeessano
provn-
remos Srs.
Prannos.
visconde de Jequilinhonha, Jobira e
A cmara dos depulados adoptou hontem o pro-
jecto que fixa a forca naval para o anno financeiro
de 1863 1866.
Occupou-se depois com a discussao do projecto
que autorisa o governo a mandar dispensar a Ber-
nardo Teixeira de Carvalho Jnior, para se poder
matricular em qualquer encola de medicina do Im-
p.to, os exames de preparatorios em que houver
sido approvado na escola central da corte. Depois
de um debate entre os Srs. Martim Francisco, Pe-
dro Brando, Aristides Lobo, Pamplona, Pinto Li-
ma, Liberato e Barros Pimental, ficou a discussao
encerrada.
% 3.a Para o exercicio dos differentes cargos
do eorreio o governo estabelecef eondicoes e pro-
vas necessarias aos candidatos, segundo a cathego-
ria dos empregos.
' S A terca parle dos vencimentos dos em-
pregados do eorreio ser coatada pro labore.
' % 5. As agencias sero divididas e classifica-
das segundo a importancia das linhas e das locali-
dades.
6. Ficam abolidas as listas Dominaos quan-
to a correspondencia ordinaria, quer particular quer
official, devendo ser substituidas por facturas em .-,
que se mencione em separado cada especie de oh- 5L." v,po'* da "'o da congregado, que
jecto, seu numero e porte.
aos fundamentos jurdicos em que se baseou a con-
gregarlo para julgar nao abonadas as faltas do
supplicante -de parecer que se nao pelo rigor de
direito ao menos pela mais evidente equidade seja
a peticao do supplicante favoravelmente deferida
por esla augusta cmara, pulo que passa pon-
derar.
I O fundamento em que se baseou a congrega-
1 gao para julgar nao abocadas as faltas dadas pelo
peticionario o que se l no segualo'despacho da
directora :
Tendo- a congregaco em sessao de 8 do cor-
1 rente decidido que nao esUvam justificadas as
I faltas do sopplieante, nao pode o seu requeri-
I ment ser de novo submeliido decisao da mes-
' t na congregaco, vista do aviso de 27 de agos-
to de 1863.
K l'os, manifest que a razio por que nao fo-
ram justificadas as fallas do peticionario, est na
doutrina do citado aviso de 27 de agosto de 1863.
i Mas esse aviso s foi publicado pela imprensa
e por ordem da direetoria em 13 de junho, isto
As lisias de dstrcto serio igualmente substi-
tuidas por facturas, que deverao mencionar o nu-
mero dos objectos o as taxas que tem de ser arre-
cadadas.
Hontem, quando entrava em nosso porto o bri
gue inglez Woolton, procedente do Liverpool, foi
arrasUdo pela mur sobre as pedras da forUleza '
Lage. Acudirara diversos escaleres de navios
guerra, os vapores de reboque Montserrute e
lector,jado bordo deste o Sr. capitao do porto, e i irancez, a admissao dos manuscriptos
laqiielle um dos ajudantes da guarda-moria da al- j duego da Uxa sobre livros e impressos, elevacao
fandega. Cora o auxilio do priraeiro cooseguio o de porte da correspondencia do exterior, medidas
brigue sahir das pedras, e, sendo condu-ido por restrictivas franqua official ou sua suppresso, e
e le para ancoradouro da descarga, como fazia ; prohibigo, sob pena de multa rigorosa, de incluir
alguma agua, alli comegaram a trabalhar as bom- j as cartas registradas ou nao dinheiro, ouro, pra-
bas, coadjuvando este servico alguns marinheiros! ta, pedras preciosas ou outros valores,
da nao ingleza Eqmont.
29
jlgoiii nao abonadas as fallas do peticionario.
Nao podia. pois, a doutrina do citado aviso,
publicado no dia 13 de junho ter elleilo retroacti-
vo ; antes de sua publicacao pela imprensa, e por
ediiaes no recinto da Faculdade nao podia o peli-
Da ordem do dia n. 413 publicadaante-hontem rs., tomndose por modelo o systema inglez.
pela repartido do ajudaute general consta o se-
guate :
Nomesgoes.Dos Srs. Dr. em medicina Joao Cu-
pertioo da Silva,
sade do exercito.'Decreto de "17 do corrale
mez.
Capitao do corpo de engenheiros Miguel Antonio
Joao Rangel de Vasconcelos, para dirigir o labo- ^^df,0(,Sill,a,0LPHrlCUlareS* T'
ratorio pyrotbechnico do Campinho. eraquanto se casos de uif.acgao do novo reeularae
uiu ., e foram relevados da perda do anno, fundando-sea
congregagao na ignorancia em que esses estudan-
tes esUvam do aviso de 1863, como se l as se-
grales palavras da acta de 14 de outubro de 1863,
junta pelo peticionario :
Todas as sobreditas faltas foram julgadas abo-
nadas sob o fundamento de nao terem os estu-
* dantes entao conhecimento do aviso de 27 de
< agosto de 1863, cuja disposigo coinegaria a Ti-
t gorar no correle anno.
Portanto, se a falta desses estudantes foram
abonadas em razao de nao ser*por ellcs conhe-
cido o aviso, essa mesma razo assiste para serem
justificadas as fallas do peticionario, que se achava
na mesma ignorancia, e que s teve sciencia do
10. O governo estabelecer multas aos em- aviso depois da congregaco de 8 de junho do cor-
8. 0 registro de que falla o paragrapho an-1
tecedente, ser facultativo e pela laxa fixa de 200
9." Ficarao abolidos os seguros, deveudo fa-
zer-se a transmissao dos saones, dos valores decla-
^n* !>.e?!!:'^~Cl' radosequotados segundo o svstema francez, me-
paIL*..?'W,0 t rJ* dianl<> o Premio de 2 par cento' sobre a importancia
remettida alm das taxas ordinaria e do registro.
Por aviso de 1$ do correaba declarou-se qne o
, a
tivos alli se mandou proceder; ficando exonerado
do lugar de 3 ajudanteda directora do arsenal de
gnerra da corte.Em 21 do corrente mez.
Capitao do corpo de eslado-maior de Ia classe
Luiz Carlos da Costa Pimentel, para o lugar de 3o
ajudante da directora do arsenal de guerra da cor-
te.Em 24 do corrente mez.
1" cirurgio do corpo de sade Dr. Antonio Jos
Moreira, para delegado do cirurgio-mr do exer-
cito na provincia do Amazonas.
Io tenente do corpo de engenheiros Antonio Pe-
reira Rebougas, para ficar disposigo do ministe-
rio da agricultura, commercio e obras publicas,
afim de ser encarregado da direcgo das obras da
estrada da Graciosa, na provincia do Paran.Em
17 do corrente mez.
TeHente do corpo de estado-maior de 1' classe
Autonio Alves Pereira Salgado, para membro ad-
junto da commissao de melhoramentos do material
do exercito. Em 16 do corrente mez.
Alferes do corpo de guarnicao da provincia de
Minas-Geraes Joao Alfonso de Figueiredo. para aju-
dame de ordens da prendencia do mesma provin-
cia.Aviso de 17 do corrente mez.
Transferencias.Dos Srs. 2o tenente do corpo de
artilharia do* Amazonas Jos Theophilo Cardoso, do
lugar de secretario [tara a fileira do mesmo corpo
como requereu.
2o cadete do 11 batalhao de infantaria Fidelsi-
mo Jos Fcrreira da Fonseca, para o corpo de guar-
nicao da Parahyba.
Licengas concedidas.Aos Srs. capitao do 4o ba-
talhao de infantaria Francisco Xavier Correa da
Conceicao, 6 mezes, cm prorogaco da com que se
acha para tratar de sua sade.
Io cirurgio do corpo de sade Dr. Antonio da
Silva Deir, 3 mezes, com sold simples, para tra-
tar de negocios de seu inleresse na provincia da
Baha.
Tenente do 2o batalhao de infantaria Luiz Jos
Ferrera Jnior, para vir praticar na escola militar
na forma do art. 44 do regulamenlo de 28 de abril
de 1863, afim de poder ser considerado com o cur-
so completo de sua arma.
2 lente do corpo de artfices da corte Joao Ro-
drigues Barbosa Jnior, 2 mezes com sold simplos
para ir a provincia do Espirito Santo tratar de
negocios de sua familia.Em 24 do corrente
mez.
Alferes do Io batalhao de infantaria Franklin do
Reg Cavalcante de Albuquerque Barros, 2 mezes
com sold e etape, para tratar de sua sade.Em
19 do corrente mez.
Dispensa do servgo para cstudar.Ao alferes do
4o batalhao de infaniaria Carlos Jos Van-Ns, para
concluir o curso de sua arma, matriculndose no
1 anno da escola militar no anno vindouro, se sa-
tislizer as condigoes para tal fim exigidas.
Foi tambem concedida para matrieularera-se na
escola preparatoria desU corte no. anno vindouro,
se satisfizerera as exigencias do regulamenlo em
vigor:
Ao Sr. 1" cadete do i* batalhao de artilharia a p,
Pedro Ovidio Alves Picango.
Ao Sr. 2o cadete do Io batalhao de infantaria,
Avelino Martins de Jess Tapagem.
Ao particular 2o sargento do 2o batalhao de arti-
lharia a p, Paulino Pereira.
Ao 1 sargento do corpo de guarnicao de Minas-
Geraes. Joaquim Matluas de Assengo Palestino.
Ao soldado do 1* batalhao de infantaria, Lucio
Jos Ferreira GiUhy.
Condecoragoes.Ordem da Rosa : cavalleiros,
os Srs. Io' cirurgides do corpo de sade:
Dr. Joaquim Jos de Araujo.Decreto de 2 de de-
zembro de 1858 e diploma de 11 de fevereiro de
1839.
Dr. Olegario Cesar Cabass. Decreto de 2
de dezembro de 1858 e diploma de 20 de abril de
1859.
Ordem de Christo.Cavalleiro, oSr. cirurgio
do mesmo corpo Dr. Joaquim Jos de Araujo.De-
creto de 14 de margo de 1860 e diploma de 25 de
novembro de 1863.
30
O senado approvou hootem em terceira dcus-
sao, sem debate, as proposigoes mandando pagar
aos herdeiros do conde da Barca o que Ihsaest de-
vendo a fazenda publica ; sobre novago dos coa-
tratos da companuia Uuio e Industria j e autori-
sago coatiouago das subvengoes que teem as
companhias de navegago Bahiasa o Pernambuca-
os differentes
ularaenlo dos cor
rente anno, isto depois da decisao que julgouno
abonadas ae faltas em virlude do aviso, publi-
cado cm 13 do mesmo mez.
Por essas consideragoes a commissao de pa-
recer que seja deferida favoralmente a potgo do
<"nnMeanio p nlT.-rece narn esse fim a eoniote re-
proposigao as coranussoes de legislagao e de cons-; solugao :
tituigao, sendo tambera ouvido o ministro da repar- A assembla geral legislativa resolve :
tigao respectiva. Artigo nico. Fica revogada a decisao da con-
Proseguio a segunda discussao do orgaraento no gregago da Faculdade de Direito do Reeife, que
Depois de algumas observagoes dos Srs. Ferraz,
visconde de Jequilinhonha, Penna, Silveira da Mot-'
trt c D.*-*. Vicro, vuno.-u oo o iHamento n*""* 'r n
ai t. 8; (despeza do ministerio da agricultura, com-
mercio e o ras publicas), com as emendas da outra
cmara, e foi apoiada a seguinte emenda do Sr. vis-
conde de Jequilinhonha :
Accrescente-se ao 12 do art. 8 :
E incluidos 10:000-5000 por mez, para a cons-
Irucgao desde j de una nova estrada de rodagem,
e as necessarias desapropriagoes, desde o hotel do
Commercio, junto das Aguas-Frreas, em Andaia-
hy, at o Alto da Boa-Vista na Tijuca, nao devendo
ter de comprimenlo toda a eslrada mais de duas
mil cento e noventa e tres bracas, ou tres millias
iuglezas, e 40 palmos de largura, nem declive mais
forte do que 1 em 16 era toda a referida extensao;
sendo o mximo de seu culo 300.0005000, cojo
julgou nao abonadas as faltas do estudante Victo-
rino Antonio do Sacramento, alumno do 4 anno d3
mesma Kaculdale.Souza Bandeira.F. Carlos
Brando.
31 -
O senado approvou hoatein em 3' discussao a
proposieao sobre naturalisacao de Albino Jos Mar-
tins Guerra e outros.
Passaram em Ia discussao tres pareceres da
commissao de conslituico sobre dilferenles elei-
ges primarias na provincia de Minas-Geraes.
Entrando em I' discussao o parecer da mesa so-
bre publicacao dos debates, oraram os Srs. viscon-
de de Jequilinhonha, Ferraz e Silveira da Motta.
passando o parecer a 2a discussao com urna emen-
pagamento integral ser elfectuado o mais tanlar da do Sr. visconde de Jequilinhonha, para que nao
baja publicacao official dos debates.
Foi approvado em 2' discussao o parecer da me-
sa sobre obras na secretaria do senado.
Passaram em l" e 2a discussao as proposigoes
sobre pretencao do desembargador Jss Antonio de
Magalhes Castro e meio sold de D. Mathildes
\ cmara dos depulados adoptou hontem o pro- Emilia de Vasconcellos Pinto Leal.
Teve depois lugar a Ia discussao da proposigo
em tres annos, sem vencimento de juros, e devendo
estar a estrada acabada em dezoito mezes, ou dous
annos no mximo. >
Oraram os Srs. Pompe.u e Dias Vieira.
A discussao licou adiada.
jecto que autorisa o governo a mandar dispensar
a Bernardo Teixeira de Carvalho Jnior, para se
poder matricular em qualquer escola de medicina
do imperio, os exames de preparatorios em que
houver sido approvado na escola central da corte,
conj unca mente com urna emenda, fazendo igual
favor ao esludante Ernesto Alvim da Silva.
Occupou-se depois com a discussao do projecto
que autorisa o governo a conceder urna subveugo
annual que nao exceda a 200:0005, durante dez
annos, corapanhia ou empreza que contratar com
o governo dos Estados-Unidos urna linda mensal de
barcos de vapor em numero sulficientc para effec-
tuar doze viagens redondas por anno enlre um dos
portos dos Estados-Unidos e o Rio de Janeiro, to- bincte.
cando era Belm, Babia e Pernambuco e outro ou
outros quaesquer portos intermediarios, conforme
parecer conveniente.
Depois de um debate entre os Srs. ministro do
imperio, Martinho Campos, Uanlas, Souto e Martim
Francisco, licou a discussao adiada pela hora, ten-
do sido rejeitado um requerimento de adiatnento
olferecido pelo priraeiro desles senheres.
Foi offerecida a seguinte emenda :
Dgase : conM|ualquer companhia nacional
ou estrangeira, preferindo-se a primeira em igual-
dade de eondicoes e vantagens.Sonto.
No principio da sessao o Sr. Brando fundamen-
tou o seguinte requerimento, cuja discussao ficou
adiada por pedir a palavra o Sr. Urbano :
Itequeiro que se pega ao governo que in-
forme :
t i." QuanUs pragas se acham destacadas as
cinco comarcas que constltuem o 3o disiricio elei-
toral de Pernambuco, e quantos delegados milita-
res nelle existera empregados.
2." Se o capitao Jos Joaquim de Barros, ha
pouco assassinado, no termo de Tacaratu, no mo-
mento de ser mono por Francisco Vicente da Cu-
nha Valpasso, exercia alli o cargo de delegado de
polica.
t 3. Em que data e por quem foi o dito Valpasso
nomeado supplente do juiz municipal daquelle ter-
mo, e se se achava no exercicio da vara quando as-
sassinou o referido capitao.
Requeiro outrosim que se pega mais ao gover-
no copia dos processos organisados por diversos
crimes contra o mencionado Valpasso na comarca
da Malta-Grande, provincia das Alagas, e das or-
dens da polica e da presidencia daquella provincia
expedida para sua captura.
Foi apresentado o seguinte parecer :
A' commissao de instrucgo publica foi pre-
sente a petigao de Victorino Antonio do Sacramen-
to, esludante da Faculdade de Direito do Reeife, na
qual requer a revogacao da decisao da congreRaco
que julgou nao justificadas 14 faltas dadas pelo pe-
ticionario na aula da Ia cadeira do 4o anno, nos
mezes de abril e maio.
t O peticionario allega que dora as 14 falUs por
motivo de molestia grave, que essas falUs foram
Justificadas pelo lente da 2* cadeira do 4_anno, o
qual se cwitentra com a simples insftwgao oceu-
lar, attwito o sen estado visiveletcnte: eofermo, des-
que approva o decreto alterando o contrato feito
com a companhia Brasileira de Paquetes a vapor.
Oraram os Sis. Ferraz e visconde de Jequilinho-
nha ; e ficou encerrada por nao haver numero pa-
ra votar-se.
Hontem nao houvo sessao na cmara dos depu-
lados por falla de numero legal.
0 ministerio resol vcu hontem pedir a sua exo-
neraco, que Sua Magestade o Imperador se dig-
nou conceder-lde, chamando o Sr. conselheiro
Francisco Jos- Furtado para organisar o novo ga-
Por decretos de 25 do corrente concederara-se
privilegios :
A Joaquim Ferrera Nobre Jnior, por dez an-
uos, para fabricar e vender no imperio o liquido
que declarou ter inventado para extinguir a for-
iniga saiiva.
A Jos Pradines, por cinco annos, para fabricar
e vender no imperio os afiadores de navalhas que
diz ter inventado.
Por portara de 29 do corrente foi nomeado .
Albino Pereira Pinto, por pioposla do respectivo
administrador, para o lugar do agente do eorreio
da villa de Taquary, na provincia de S. Pedro do
Sul, vago por exoneragao de Antonio Geraldo Pe-
reira.
Na mesma data se concedeu a Antonio Pinto de
Macedo a demisso que pediu do lugar de agente
do eorreio do Carino, na provincia do Rio de Ja-
neiro.
Por portara de 27 do corrente foi creada urna
agencia de eorreio na freguezia de Jaguaryahiva,
na provincia do Paran.
Por decretos
dos :
Thesoureiro da alfandega
Rodrigues Valenga;
1.* escripturano da alfandega da Baha,
Antonio de Miranda ;
E aposentado no lugar de Io escriturario da al-
fandega da Babia, Joao Alves da Silva.
de 24 do corrente foram nomea-
de l'raguayaua, Jos
Joao
Por portaras de 27 do corrente, foram nomea-
dos :
Escriturario da 2a direetoria geral da secreta-
ria de estado dos negocios da guerra, o amanuen-
se da 3a directora geral da mesma secretaria, te-
nente reformado Joao Bibiano de Castro, e ama-
nuense desta. directora geral, Pedro de Mello Pa-
ulares da Yeiga.
Io de setembro
O novo ministerio acha-se assim organisado :
Prasidente do conselho e ministro da jnstica, o
Sr.. senador Francisco Jos Furtado.
Imperio, o Sr. deputado Jos Liberato Barroso.
i Fazenda, e interino dos estrangeiros, o Sr. sena-
dor Garlos Carneiro de Campos.


'ii w m ^" 9 i
Dlartn le rernasifcne Quarta felra 14 Je Seten.br* > I .

brigadeiro Henrique dos ministros que eutram, coum aindamis dos mi- diviituos, nao sane como pudcss tfahi < oneluir o houve d.imora, ahoa volitado do sanado pdb am-
nistes que saiittin, a rospcilo da posi^ao de cada nobre senador que teaba havido reaccio, da qual da supprir rodo.
Guerra, o Sr.
paire Kohan.
tfarinha, o Sr. depulado Francisco Xavier Pinto
Lima.
Agricultura, commercio e obras publicas, o Sr.
epatado Jesuino Marcondes de Oliveira e S.
Nao hoave hontem sesso no senado.
um delles. se deve recuar! Porque o gabinete declara que ha
Quando no governo representativo ha mudancas de respailar aquelles direito* e interesses, pode-se
de ministerio, ellas devera forcosamente ter urna por ventura concluir que at aqu nao eram ellas
signiticacao poltica ; nao pdem limitarse a me- respeitados?-----
ras passagens de homens pela scena, como acn-1 G Sr. Silveiha da Motta :Basta, basta; esta-
tcce nos tablados dos lueatros ; oeste systema nao mos entendidos. (Apoiados.)
A cmara dos depuudos approvou hontem em se coneebe substituico de um gabinete, sem dar- O Sn. Fohtado: "Quanto as razoes porquo nao
2" discusso, sem debate, a proposta do governo se modificacao de ideas. | esta completo o gabinete, o nobre senador na de
pedindo um crdito especial para a despeza dos Ja em oulra occasio dise que antes quer saber permittir que por ora nada diga a este respeito.
casamentes das augustas princesas. os motivos da saluda dos ministros que se retiram O Su. Silveira da Motta : Bem; contina ne-
Approvoa tambem, depois de algumas observa- do que o programma dos que entram; a razo buloso.
coes do Sr. Casimiro Madureira, o projecto que simples; os que sabem bio de precisar factos: O Su. Barao de S. Lourenco de ludo quanto ou-
declara que os oassaportes para paires eslrangei- os que entram fazem programmas vagos, tanto vio dizer nao p le concluir seno que a mudanca
ros sero regidos pela legisfaci que vigora sobre mais que estamos na quadra das ideas indefini- do gabinete significa apenas arrotos entre ami-
os passaportes para o iulerior do paiz, revogada das, e cum eeilo vago fui o programma do no- gas: quanlo i poltica nao ha mudanca alguma;
assim a ultima parte do art. 118 do cdigo do pro- bre presidente doconsellio; dir se-hia urna segn- continua tudq na mesma.
cesso criminal.
Approvou depois suceessivamente os pareceres
da cominissiio de poderos sobre as eleicoes da fre-
guezia de Nossa Senhora da villa de lialiaiauinha,
e das paroebias de Nossa Senhora do Riacho e 1.a-
tarto, pertencentes ao 2o districto da provincia de
ergipe.
Tratou em seguida do parecer da referida com-1 la T ou que a exagera
missao sobre as eleicoes da parocha de Morretes, se esclarera.
A explioaro que d desses arrufos esta : ha
una plirase que milito que se aecu-ava a cmara de falta de aceo,! me parecer conveniente. Asemei
) que, quanto a maioria quiz mostrar que nao era ssim, e pr'eci- to e Viriatoforam regeitadas.
da edicto da falla do throno.
Ao menos o orador so ilio achou urna
pode ter alguma signitieaeo ; c foi
aos individuos, o gabinete respailar loJos os dire- pitou; como as cousas vo, o que so fazia n'um
tos e interesses legtimos, anno, vai-se fazendo n'um mez, logo ser cm quio-
0 que quer istodlzer? que nao ha mais reac- ze dias. Vai passando em regra que gouoerner
cao? que o novo gabinete para? que contina nel- c'rt frapper ; acamara quer mostrar que tem von-
-' la ? ou que a exagera ? E* indispensavel que isto tade, a cousa ha de tocar a todos. Em breve todos
sern exabbades, e nao haver ninguem do coro ;
O S. Presidente declara encerrada esta dis-
cusso, e que continua a ordera do dia. '
Reconhece-se nao haver casa para volar-se, em
primeira discuss o, a proposico obre a com?a-
ahia Brasileira dos paquetear vapor.
A cmara dos deputados approvou hontem em
segunda discusso o projecto que autorisa o gover-
no a conceder urna subvencao annual que nao
exceda a quantia de 200: 005, durante dez annos,
a companhia ou emprezario que contratar com o
governo dos Estados-Unidos urna hnha roensal de
barcos de vapor em numero suicienle para effec-
tuar doze viagens redondas por anno, entre um
dos porlos dos Estados-Unidos e o Rio de Janeiro,
tocando em Beln, Baha e Pernambuco, e outro
| ou outros qnaesquer portos intermediarios, confor-
idas des Sis. Sou-
que nenhum fWtode armas decisivo a aproximasse ces de Dnrasno e Porongos, e mandadas aliando-
f^A1^.***** *erno1 de Mon- nar pelo governe Canelones, Froy, Bento e Merrei-
.ev.'e?.pcr,de.u 5M pon,os c S0ICeu alguns re- des. jfadt consegulo o ministro italiano para a
da provincia do Paran, ficando a discusso ada-1 Anda fr urna obseTvaco sobre| o estado in-
da pela hora, depois de algumas observares do completo do gabinete. O senado sabe que a res-
Sr. Nabina, que ualisou ollereeeudo a cuiute Deito de relacoes ioternaeionaes, o nosso horison-
porqno todo o ex-aubade tem dispensa do coro,
(llilariedadc.)
A proposito recorda-se que um dia vio certa se-
nhora castigando urna sua til ha de 10 ou I i annos
de ida de...
O Su. Presidente observa ao nohre senador
que a qnesto de que se trata nao vaga, mas pre-
cisa; versa sobre as causas da retirada do gabi-
nete, e programma do que o subtitulo.
O Sn. Bauao de S. Lourenco isso mesmo que
est fazendo. Est explicando a retirada do gabi-
nete ; mas s p.le faze-lo conforme emende...
_0 Sn. Presidente torna s a dizer que a questao-
nao vaga ; tem pontos determinados.
receudo a segu ute
emenda :
Que seja declarada aulla a eleico presidida
pelo quarto juiz de paz, e approvada a presidida
pelo primeiro. >
Occupou-se cm ultimo lugar com a 2' discusso
do projecto que autorisa o governo a conceder urna
subvencao animal que nao exceda a quantia de
200:0005, durante dez aunos, companhia ou em-
presario que contratar com o governo dos Estados-
Unidos urna linha mensal de barcos de vapor em
numero nfleteme para eflectuar doze viagens re-
dondas por anno entre um dos porlos dos Estados-
Uoidos e o Rio de Janeiro, tocando em Belm, Ba-
ha e Pernambuco, e outro ou outros qtiaesquer
portos intermediarios, conforme parecer convenien-
te. Oraram osSrs. Virialo, Casimiro Madureira e
Paula Souza, Meando a discusso encerrada.
Foi oilererida a seguinle emenda :
O governo lica autorisado a conceder urna sub-
vencao annual que nao exceda quantia de.....
200:000,3, durante dez annos. com a companhia ou
emprezario que contratar com o governo dos Esta-
dos-Unidos, ou com qualquer compauhia nacional.
em igualdade de rondicoes, urna linha mensal de
barcos de vapor em numeio suQlciente para effec-
tuar doze viagens redondas por anno eDtre um dos
porlos dos Estados-Unidos e o Rio de Janeiro, to-1 nobres ministros oscillavam; por que que nra bilidade de qualquer acto praticado por algum
cando nos portos do Brasil que o goveruo desig- j gabinete que ostentava todas as coodicoes do apoio seos collegas.
te est excessivamente carregado; e quando em
taes circunstancias conviuha que a pasta dos nego-
cios estrangeiros fosse urna das que mais clara-
mente se desenhasse, justamente esta que fica
nebulosa!... Podcr-se-ha (sem inconveniente) sa-
ber se a pessoa indigitada para essa pasta est pa-
ra chegar? se est presente, ou se est ausente?
ou se uoaceilou? ou se anda nao se asseutou
quem a deve occuiiar ?
Quanto ao programma, seja-lhe licito perguntar
se a poltica do actual gabinete, enunciada com pa-
lavas mullo sfmelliantes s do programma do mi-
nisterio de l-'i de Janeiro, i a mesma, a conliuua-1 fere que aquella menina, assim castigada, enfure-
ci da desse gabinete? jceu-se e disse a sna ini : t Quando eu frmi e
E pensa ter sufliciente motivo para formular es- tu lores filiia, hei de vingar-me. > A menina tinha
ta questao, porque um de duas : se o actual gabi- razo; hoje nao ha Glhas que nao possam ser mais
neie continuador da poliliea do seu predecessor, desuas mais ; nao ba crealura que deixe de revol-
no se explica nem a sua ascengo, nem a derre- tar-se contra o seu creador.....
to do nobre senador pela Baha, ex-prosidente do O Sn. Presidente declara que o nobre senador
couselno, e seu collega. (Apoiados.) Se nao con- nao est na ontem. ( ReclamacSes. )
tinuador dessa poltica cumpre-lhe assignalar as O Sn. Barao de S. LouRENgo senta-se.
divergencia?. O Sa. Das de Carvalho pondera que o ministe-
Opaiz quer saber por que que um gabinetcqne rio organisado em 15 de Janeiro declarra-se soli-
se dizia apoiado em urna grande maioria, que ain- darm, e fui sempre fiel a esse preceilo. Com effei-
da ha poucos dias deu-lhe novas provas (nocturnas to, nao ba quem possa dizer que um s dos mem-
verdade) de sua adhes^, quando pareceu que os bros desse gabinete j mais declinou da responsa-
de
vezes ao sul do Rio Negro, que se nao po-lia m re-
putar compensados por ligeiras vautagens obldas
ao norte do mesmo rio.
Fallava-se de negociares de paz entre Flores e
o presidente Aguirre, dirigidas pelo ministro ita-
liano. Sobro as bases sineute conjecturas se
podiam fazer. Suppunham uns que Flores punha
como condico formar elle juntamente com Aguir-
re um governo provisorio, outros que se contenta
realisacao da par, por causa da recusa, de algumas
das condicoes de Flores, por Aguirre.
Chegaram <,capital o capio e a tripolaco da
barca franceza Vrmjan, que abalroou e perdeu-se
na altura do cabo llorn. O navio ia do Havre para
Valpa raizo.
Chile.As cmara) chilenas decretaram a tras-
ladado dos restos de O' Higgins, indo urna com-
misso busca-Ios, e nomearara una oulra para
. -. *- 1 jitu Utrta IWi W uiiivim uiiki "ti l id l'flin
va com ser ministro geral. O que e natura que, Culll[)ri)r ,ro |)avjos dc guerra no< EsUdos.uD.
Flores, cuja posicao melh.rou stiisivelmente, faca(ios oU j ', dos q^aes se chamar O'
agora maiores exigencias do que quando pela pri- ii^uin, '
meira vez so iratou do paz Fallec'eram o coronel D. Luiz Cruz e o general
Ate agora as operagoes de nossa esquadra tm-1 rj. j, Adnate
se limitado a impedir o governo de Montevideo de j Bolivia.-O Sr. Carvalho Borges, cncarregado de
mover-se por agua. negocios do Brasil, eslava em Oruro. Descobri-
A Repblica Argentina coulinuava cm paz, I0M una grande mina de carvo de pedra no lu-
seu governo, segundo todas as apparencias, de ac gar (>,smirj a UU;(S d canlo acaoa sen.
cordo com o Brasil na questao oriental.
Do Paraguay lambem nao ha uuvidade. -
Por decretos de '.i deste mez:
Foi uomeado Francisco Paes da Cosa para o
posio de tenente-coronel commandanle do quarto
batalbo de tnfantaria da guarda nacional da pro-
: vincia de Mallo Grosso.
A Francisco Joaquim de Paula
da pena de qualro mezes e meto
Jeguas
do o mineral de boa qualidade.
Rio de Janeiro.Foram apresentados :
O padre Henrique Leopoldino da Conha, na
igreja parochial de Nossa Senhora da Conceico da
povoaco de Cajazeiras da provincia da Parahyba
do -Norte, bispado de Pernambuco;
Padre Pedro Soares de Frotas, na igreja paro-
chial de S. Sebastin de Carahubas da provincia do
Approvou depois em 3" discusso a proposta
do govorno pedindo um crdito para occorrer s
despezas com os casamentos das augustas prin-
cezas.
Approvou igualmente, depois de algumas ob-
servares do Sr. Jos Caetano, o parecer da com-
missao de poderes acerca das eleicoes da parocha
de Morretes, na provincia do Paran ficando pre-
judicada a emenda do Sr. Nebias. ; ua pena ne quatro mezes e meio ae prisao e n Padre Tarsino Pau Carvalho n igreja
USES. tt.!S2 de*3,f'- WA F0fe' c,orresPnd"'e metade do lempo a que foi con-1 parodlal da8NoSsa Senhora dos Prazeres da vil a
2fSSS5t2.,d* eiv*^* "?0.* denmade por crime de injuria pelo juiz de di- Jo Oar-Mirim da provincia do o rande do
do Poaso-Alegre, pertcncenteao o districto de Mi- reito da comarca de Villa-Vicosa, na provincia do j Norte, do dito bispado;
Cuara* Padre Francisco das f.hagas Sonza, na igreja pa-
c. .. .7,~. l rochial de Nossa Senhora da (iMicrice da povoa-
Expedio-se com dala de 29 de agosto a segumte, c:-1(J de Misericordia da provincia da Parahyba do
circular as tbcsourarias de fazendaJos lJedru, .\0rte, do dito bspado-
Dias de Carvallio, presidente do tribunal dothe-,'
souro nacional, attendendo conveniencia de pro-
aula Portella perdao Kio Grande do Norte, do dito bispado;
:eio de pnsao e multa Pai|re Targino Paulino de Carvalho,
lempo a que foi con-1 parochial de Nossa Senhora dos Prazen
nas-Geraes.
Approvou tambem, em una s discusso, o pro-
jecto que releva Jos Lourenco de Brito e Miguel
Hertriques de Paiva, dos juros que devem fazen-
da publica.
Approvou ainda, em 2* discusso o projecto
vindo do senado que autorisa o governo para dis-
1 pensar os bancos dc crdito mutuo, ou bancos po-
0 Sk. Baiiao de S. Lourenqo, proseguindo^ re- pulares, que se estabelecerem no imperio, do pa
gamento do sello, applicando-lhes as disposiroos
da primeira parte do 22 do art. 2" da le n.
1,083 de 22 de agosto de 1860, e do cumprinienlo
dos 5 lie 13 do mesmo artigo.
Occupou-se em seguida com a 1" discusso do
mover o desenvolvitnento do commercio dos pro-
ductos nacionaos enire as dlfereoles provincias
do imperio, e considerando que tem sido presentes
ao thesouro varios reijuerimenios pedindo licenga
para o transporte do sabio em navios estrangeiros
para os portos do norte, ordena aos Srs. inspectores
das thesourarias de fazenda que provisoriamente
compreheudam o sabo de producidlo nacional na
projecto revogando a deciso da congregado da tabella u. 11 annexa ao rejiulamento das alfande-
faculdade do Recife, que julgeu nao abonadas a.<: gas.Jos Pedro Das de CurvalUo.
faltas do estudante Victorino Antonio do Sacra- 6
rnenlo. Depois de algumas observaeos. dos Srs. Fi-
gueiredo e Correia das Nev, Ocou a discusso
adiada pela hora.
Foi prorogada at o dia 12 do corrente a
sent sesso da assemblageral legislativa.
, O senado approvou bontein em l* e 2' discusso
a proposico sobre naluralisago de Beruardino
Jos Ferreira Rodrigues e outros.
Eutrou em 1* discusso (e a requerimento do Sr.
Padre Belizio Lins de Albuquerqoe Cabral, na
igreja parochial de Nossa Senhora da Boa Viagem
da povoaco da Alagoa Grande da provincia da Pa-
rahyba do Norte, do dito bispado;
Padre Jos Fidelis da Silva llosa, na igreja pa-
rochial de Nossa Senhora da Conceico da villa de
Cabaceiras da provincia da Parahyba do Norte, do
dito bispado;
Padre Bernardo da Carvalho Andrade, na igreja
parochial de Santa Maria Magdalena da villa da
serra do Teneira da provincia da Parahvba do
iNorie, do dito bispado;
Padre Francisco Xavier da Rocha, na igreja pa-
I rochial de Ne*sa Senhora da Conceico da povoa-
! cao da Araruna da provincia da Parahyba do Nor-
; le, do dito bispado;
Padre Manoel Ribeiro da Silva Lima, na igreja
nar.-Vuiato.
- 2 -
Enlrou hontem em 3a discusso, no senado, a
proposico probando por cinco annos o praso
concedido a Jos Jacoine Tasso para explorar luga-
res do iulerior das provincias de Pernambuco e
Bahia. Oraram os Srs. Penna, Souza Franco e
visconde de Sapucahy, e foi approvado um re-
querimento do Sr. Penna para ir a prepsito
commisso de fazenda, afim de interpor o seu
parecer.
Passou em 3* discusso a proposico que autori-
sa o governo para mandar pagar o meio sold de
D. Joanna Ricarda Vieira de Freitas.
Seguiose a 1* discusso da proposigo (jbre
creaco de mais dous lugares de labellies na cor-
te. O Sr. Candido Borges raotivou e foi apoiado
um_requerimenlo_ de adiamento para ir a propo-
sico commisso de legislaco atn de dar o seu
parecer.
O Sr. Ferraz justificou o seguinle requeri-
mento :
a Que v o projecto i commisso de legislaco,
para dar o seu parecer sobre sua utilidade, e ao
mesmo lempo para propr o que julgar convenien-
te para regular os exames e o concurso dos luga-
res de labellies, estabelecendo novas eondicous de
idoneidade para o s* u provimenlo.
O Sr. presidente declarou que nao submeltia ao
apoiamento este requerimento, por conter materia
muito importante, sendo alias a questao simples-
mente de adiamento. O Sr. Silveira da Molla fez
algumas observacoes contra o requerimento de
adiamento; mas, posto a votos, foi approvado.
Por occasio do Sr. Candido Borges olferecer
esse adiamento, profeno palavras que deram lugar
ao Sr. Furtado, presidente cuuselno, para apresen*
tar o programma do novo gabinete, havendo ento
a discusso de que offerecemos o seguinle ex-
tracto :
\ o... r..------... u .....iiu i* iiue, ienuu
Sido
O nobre ex-ministro do imperio enlendeu que,
tratando-se de urna proposta do governo que nao
podia soffrer impugnaco (e o resultado o mostrou) dante dobatalho de infamara n. I
nacional da provincia do Maranho
da cmara temporaria, presidida pelo primeiro re-
presentante da situaco nascente, o presideate do
conselho de 2'i de maio, de repente levou urna der-
rota tal que achou-se com 10ou 12 votos, e alguns por que limilava-se simplesmente a dar meios de
70 contra si!... I execufo para urna lei que acabava de ser promul-
Este fac.to nao pode explicar-se sem que os no- gada, e versava sobre materia qae nito admittia
bros ministros declaren! se a maioria que derrotou controversia, nao devia a cmara preterir a appro-
o gabinete passado nao derrotar o actual; e se vacio dessa proposta, para oceupar-se com um pro-
acredilaro que nao serio por ella derrotados, por jecto que nada linha de urgente e opportuno.
julgaremse mais legilimos representantes da maio- Insisti, pois, o nobre ex-ministro do imperio em
riada cmara temporaria do que os seus ptede- que o projecto fosse adiado e romettido a nma com-
cessores; mas ento esto na necessidade rigorosa missao, declarando-se logo a urgencia do parecer ;
de declarar em que ponto sao melhores represen- mas a cmara, nao si rejeitou o adiamento, como
tantes dessa maioria do que os outros ; o que im- approvou e projecto em primeira discusso e logo
porta o mesmo do que revelar as divergencias en- em seguida a urgencia para a segunda discusso.
tre as suas opinioes e as dos seus predecessores. Entendeu, pois, o nobre ex-ministro do imperio
Resumindo, pergunta: ha innovaeo na poltica: que haveria desar para elle, vista doprocedimen-
ou se nao ha, sao continuadores da administracio tu da cmara, se continuasse no ministerio..
Por decretos ae 23, 2C e 27 do corrente,
nomeados :
Jos Joaquim da Silva, tenente-coronel comman-
pre- visconde de JeqoiUnbooha) fui commisso de na-1 parochial de Nossa Senhora dos Amos d Aldea, da
guerra, a proposico relativa a preteoco provincia e diocese do Bio Grande do Sul;
Conego dacathedral metropolitana Antonio Eleu-
; do piloto Alfonso Henrique de Alouquerque e Mel-
foram lo e outro.
Depois de approvada em 1- discusso, teve o
mesmo desliuo, a requerimento do Sr. Penna, a
Araujo Lima, na dignidade de mestre-
Joaquim Pereira de Araujo, tenente-coronel che
fe de estado-maior do commando superior da guar-
da nacional dos municipios do Principe
na provincia do Rio Grande do Norte.
Foi promovido:
da guarda propo.-ico declarando que os lilhos menores dos
ufflciaes da armada tem direito ao mouie-pio da
marinha, etc.
Prosegoio a 2" discusso do orcamento no art. 8
e Acary, (dospuza do ministerio da agricultura, commercio
| e obras publicas) com as emendas da oulra cma-
ra t as apoiadas no senado. Foram tamhein apoia-
0 Sk. Visconde de Itaborahy :E entendeu
muito bem. ( Apoiados.)
O Sr. Silveira da Modta :O sea procedimento
honra-o muito. ( Apoiados. )
O Su. Das de Carvalho......e colloeada, com a
razao, a questao nesse terreno, o que restava aos
passadaf... Nao sabe o orador se entre os novos
ministros ha alguns que concorressem para a der-
rota do gabinete de 13 de Janeiro : mas naja, ou
nao baja, preciso que se saiba se temi o actual
ministerio subido sobre as ruinas daquelle gablnc-1
le, tem as Besana ideas que elle segua, ou se,
(em as da maioria que o derrotou ; para conhecer-! cullegas do nobre ministro do imperio se nao a es-
se isto basta que o nobre presidente do conselho colha...
informe se vota pelo projecto que manda dar _a OSr. Silveira da Motta :Nao lhe restava es-
suliveuco companhia emprezaria de navegago col ha algoina. ( Apoiados. )
vapor entre os Estados Cuidos e o Brasil. (Apoia- o Sn. Das de Carvalho.,. entre unirem a
do.-.)
Agora dir duas palavras do despedida ao nobre rem-se delle e preencher-se o ministerio
senador pela Babia, ex-presideute do conselho. j ceu-lhes que entre estes dous extremos nao havia
Francamente dir que pensuu que S. Exc, hornero que hesitar, e que era ponto de honra acompanha-
de Ilustraran e amigo do systema representativo, rein-o ( mallos apoiados, muito bem!), embora
no desempenho da honrosa tarefa de explicar ao abstendo-se de apreciar as intencoes da maioria.
0 capitn Daniel Antonio Mendes Valenle, ao das as seguinies emendas do Sr. Candido Borges.
posto de major ajudante de ordens do commando No 13do art. 8o Em lugar de 10o:200f5 ele,
superior da guarda nacional dos municipios de Ca- i diga-se 43:200000.
meta e annexos da provincia do Para. No 3a diga-se 100:000-5 incluindo os premios
Foram concedidas, na conformidade do art. 441 designados no 13 do art. 28 da lei n. 909 de 20
de setembro de 1817.
Tendo orado osSrs. Candido Borges, ministro da
agricultura, Ferraz e Penna, licou a discusso en-
cerrada, nao se votando por falta de numero.
art.
do decreto n. 738 de 25 de novembro de 1850, as
gratificares annuaes de 2-'i<). a Innocencio Antu-
nes de Farias Torres, escripturario da secretaria
do tribunal do commercio de Pernambuco ; e de
1505 a Antonio Correia Maia, porteiro da raesraa
secretaria.
Foi perdoada a Delfim Soares da Silva Medella,
a pena de 2 mezes de priso e mulla corresponden-
te a melado do lempo, a que foi condemnado pelo
juiz municipal do termo de Mag; na provincia do
Bio de Janeiro.
Tiveram raerc da serventa vitalicia :
Custodio Antonio Rodrigues, dos offlcios de par-
tidor e distribuidor do geral e orphos do termo
lerio de
escola.
Por decreto n. 3,304 de 25 do passado conce-
derse ao Sr. Jos Pradines, de Bernambuco, privi-
legio por 5 annos para fabricar e vender no impe-
rio afiadores de navalhas de sua invenro.
Pelo ministerio da fazenda se declarou
thesouraria de fazenda do Para que as loteras con-
cedidas pelas assemblas legislativas provinciaes,
que foram extrahidas as respectivas provincias,
para edilicacoe obras de igrejas, ficam isentas de
imposto de 8 % estabelecido pela lei n. 109 de H
de oultibrode 1837. mas nao de outro igual esta-
belecido pelo ari. 22 da lei n. 317 dc 21 de ootu-
bro de 1813, porque o primeiro destes impostas
assenta sobre o capital que a lei nao quiz desfalcar
augmentando assim o beneficio concedido as dilas
igrejas, e o segundo sobre os premios sorteados,
sendo deduzdo dos ditos premios quando os vo
receber os portadores dos bilhetes. Outro sim
Hontem nao houve sesso na cmara dos depu- qne m gg M e 46 ^ art q. da ,ei n tm de 27
lados por Talla de numero legal. dt setembro de 1860, augmentando de mais 4 /.
n., T ., I esles impostos, nao applicou o augmento feito em
O senado approvou hontem em 2' discusso os i favor das dilas jg|V:a)1 se 0 ^-,3, fl premjos das
pareceres da commisso de constituicao sobre a ,oterias que e produzem a elles pertencem. De-
eleicao de eleitores do colleg.o de Uba em Minas; .,tntl;, ,car aqUt.|(a ,hesoura.a na ntelligeona de
Geraes, e da parocha de Jacobina, na Baha ;eem [que, tendo de extrahir-se qualquer lotera das
.1'discusso a proposigo sobre o pagamento re-, mencionadas no seo- offlcio n 72 de 23 de iulho
querido por D. Seraphina de Anuda Cmara. | nWno, devem entrar para a mesma thesouraria
'.'o so-
expea-
e aistnoiiKior ao geraj e
?aa I de Marica, na provincia do Rio de Janeiro ; Procedeu-se votago do art. 8" do orcamento c 1 4 .i C0I|, d h ,,.. -.
causa a do seu honrado co.npanheiro, ou separa- \ Francisco Eugenio das Cbagas e Antonio Augus-! foram approvados : o artigo, salvo o algarismo ; os | bre vr:""l ,., A- T\\ S B
preencher-se o ministerio I Pare-110 Botelho, dos offlcios de, panidores do termo da | 1, 2, 4, 7, 8, 10 e 16 da proposta, bem como as dldas '
Limera, na provincia de S. Paulo. emendas aos | 3, 5, 6, 9, II, 12, 13, 14,13, 17 e
3 ; 18as emendas do Sr. visconde. de Jequilinhoulia,
Foi hontem lido no seoado o decreto do primeiro tanto em 1* como na 2
do corrate, prorogando al o dia 12 a sesso da
do Hi
L-se no Correio Mercantil:
A revista civel, em que foi recorrente
artTlannrt ^ "'1 ^5?SI^^^'**",*>**" fwS'TfcnS
senado a Mirada do gabinete a que presidio, com- Acorapanharar, pois, todos os ministros o seu SssemWa wrilarslatva."~ Sr. Candido Borues ao O' aj j nacmnal e Pernamlmco, foi julgada na relaco
prchcndees.i o enocata.-,. msiitor n dever de ser, dsroo colleaa, e pedio lodo o gabinete exoneraco.; Pasucamjun pnauica o sauda discusso as Cuiitinuou deoois a k'"'discusso do orcamento 1-.?.?,'.. e"lg"a pe upr"mo tnt)U"al de jusli-
completamente explcito. Acre-iita, pois, que a saluda do ministerio aU ais i proposicoes sohre matricula do estudante Bernardo no art. 7- (despea Uo ministerio' ih faze'd11com 'C '4 rver novamenle essa causa.
O nobre senador, porm, limitou-se aos factos parlamentar possivel. ( Muitos apoiados.) Teixeira de Carvalho Jnior, e pagamento de or- as emendas da cmara dos nVi.niad.K. Oraram ns L ._!B!l!i. '0I. "ondemnada a pagar smente
que conslam dos jornaes; para o aue nao era de
ceno inobisu i|ue losse a tritmna do senado. O que
Oraram os I
el
sido cncarregado por S. M. u Imperador da honro-' convinha que fosse inteiramente franco e expli- se sem ler maioria....
sa tarefa de organisar o gabinete em substituico jeito; que nao deixasse a menor dunda sobre as o Sn. Silveira da 1
do de 15 de Janeiro, jnlga dfl seu dever fazer esta! razoes por que prdeu a sua maioria, e-vio a sua se tintantes razao.
commuoicaco ao senado, e expr o programma da
nova administraco.
onvemido de que a constituirlo nao precisa de
reforma, e apenas de boas lei orgnicas (apoiados),
nao propor o gabinete', llera aceitara reforma
alguma da conslituico (apoiados); promover, llo-
rera, a reforma de todas as leis orgnicas defeiluo-
sas ou deficientes. (Apoiados.)
Entre as que esto nesse caso apontar as se-
gninles : a le de 3 de dezembro, a da guarda na-
cional, a de reerularaento para o exercilo e arma-!
da a lei eleitoral, as leis de organisaco muni- i
eipal c provincial, e as que regulam a instrueco '.
publica.
Um dos maiores empenho do gabinete, por consi-
dera-lo um do seus primeiros deveres, ser o res-1
tabeleeimento do equilibrio entre
poltica derrotada
Se S. Exc. dsse essas razoes, e assim se visfe
que houve falta de conlianea da maioria, por ma-
nifestarle entre ella e o gabinete de 13 de Janeiro
divergencia sobre laes e laes ideas, podia-se sa-
ber peritamente o que o novo gabinete vera re-
presentar, e que, no systema constitucional, nao
pode ser seno essas ideas divergentes que obsta-
rara a coulinuacao do nobre ex-presidente do con- da do gabinete foi parlamentar e honrosa. O
selho e seus rollegas. bre Paulisla, ex-ministro do imperio, preslou
.Nem poliaseroutrooprocedimento do ministe- denado viuva do juiz de direito Jos Francisco Srs. visconde de Itaborahv Carneiro de Caninos
>; era elle constanlemente aecusado de sustentar- i de Arruda Cmara ; e em segunda discusso tres Dias de Carvalho.
pareceres sobre eleicSes primarias na provincia de Foram apoiadas as seguales emendas do Sr
1 Minas-Geraes. j Dias de Carvalho.
Entrn era segunda disaussoo parecer da mesa I i AoSldoart 7oTyoocraohia nacional in-
OS11. Das de Carvalho.... a isso respondiam : sobre publeaco dos trabalhos e debates do sena-1 clusive i0:(H)03 para a nubiieac-o do Diana Of-
sempre o orailor e seus collegas provocando urna do, e oraram os Srs. Ferraz, visconde de Jequlti-1 ficiai 190:000
demonstrago; no momeulo em que esta se apre- nhoulia e Silveira da .Mulla, sendo o parecer appro-
sentou, os ministros deram a sua demissao: nao vado com as seguintes emendas :
fizeram mais do que cumprir a sua promessa. (Mui-1 l. Do Sr. Ferraz :
to bem I muit-.bem muitos apoiados.) Que o contrato nao possa ser per mais lempo
O Su. Pimenta Bueno dir poucas palavras. que um anno.
E' impomvel deixar de reconhecer que a relira-1 Que as actas sejam impressas nos annaes do
Ao 20Obras, ficando desde j autorisada a
: construeco de urna ponte de ierro ua allandega de
Pernambuco, em lugar de 160:000^.
a receiia c a
despeza do estado; para consegui-lo, est disposio I ser mais franco: diga S. Exc. se ha alguma cousa
a promover, quanto estiver ao seu alcance e den- j de novo, se continuador da poltica passaJa, ou
tro dos meios que cabera ao estado, o augmento da \ se iniciador de alteracoes nessa poltica ? O no-
riqueza publica; a cortar todas as despezas que bre ministro fallou em respear direitose interes-
Mas para dizer oque est nos jornaes 1 certo um importante servico ao paiz, |ior quanlo,
Emlim, nao quer ser impertinente 5 contenta-se procedendo como procedeu. uo zelou se a dignida-
em pedir ao n,,bre senador pela Baha mais fran- de propria, zelou ainda mais a diguidade do poder
queza poltica: se S. Exc. nao a quizer ter, pacien- que lhe fura confiado. ( Apoiados.)
ca, o orador nao insistir. | Quanto s causas da retirada do nobre ministro
Nesse caso, voltando-se para o nobre presidente do unperio e seus collegas, dir que, quando nao
do conselho, ver se (ao menos por ser novo) quer fSSe veneraco, era reo.iiheciinento do respeito
no-! senado e nao em separado."
por 2. do Sr. Silveira da Molta
As condicoes do contrato para a ptiblicacao
dos debatos, aecreseente-se onde convier :
Os eniprezarios se obrigam a ter dous redac-
tores que assislam s discussoes para redigirem os
discursos vista das ilutas decifradas pelos tachi-
graphos.>
Ficou prejudicada a emenda do Sr. visconde de
nao haver pnblicacao ollicial
espezas que
possam ser dispensadas sem prejuizo do servico
publico; a alterar os regulamenios e promover a
modilicaco das leis eoncernentes a arrecadaro,
distribuico e fiscalisaco da renda publica, eni
ordem a tornar o respectivo processo menos dis-
pendioso para o estado e menos vexatorio para as
partes. (Apoiados.)
Quanto aos individuos, o gabinete respeitar
todos os direitos e lodos os ioteresses legili-
mos. (Apoiados.)
Pelo que respeila s quesloes externas urna
paiavra resume a poltica do novo gabine-
te :paz, porm paz honrosa, e nao a todo o
transe. (Apoiados.) Assim, pora o maior esmero
em cultivar relacoes com todas as nacoes, urna vez
que sej> sem sacrificio dos Ioteresses do Brasil, e
sem a menor quebra da dignidade nacional. (Mui-
tos apoiados.)
devido ao alto assumpto posto em questao (Apoia- Jequitinhonha, para
dos). Vendo preterida a proposia do governo, que; dos debates.
versava sobre materia inconcussa," do elevada Foi approvada em primeira discusso, e entrn
magnitude e reconhecida urgencia, para preferir- logo em segunda a proposico relativa ao novo
se assumpto inoppurtuno, por mais do urna razo. contrato celebrado com a Companhia Brasileira de
nao podia o nobre ex-unistro do imperio deixar paquetes a vapor, sendoapoiada a seguinle emenda
de proceder como procedeu, zelando a honra pes- '
goal o a do poder de que era depositario. (Apoia-
do*).
No tem, pois. seno que elogiar o nobre ex-mi-
nistro do imperio e ao gabinete, por terem seguido
a nica vereda de honra que Ihes restava. (Apoia- \
spe:
ses legtimos dos individuos; o que significa isto?
quer reaego? quer parar ou quer exagera-la ?...
O paiz tem o direito de saber isto com grande
clareza e preeisao.
O Sn. Furtado nao se lisongea de satisfazer ao
nobre senador; mas nao pode deixar de olferecer
algumas cousideracfcs a respeito do que S. Exc.
disse.
Achou o nobre senador vago o programma do dos).
novo gabinete. E' aecusaco que teem soflrido to- K qual o assumpto a que se den
dos os programmas (apoiados), e que naturalmente Nem precisa qualilica-lo. No lugar do nohre miis-: falta de numero, iicou'prejudicado
hao de soffrer |odos os que twerem de haver; por- ,ro 0 orador teria feto mais, feria logo declarado' discusso da proposico.
que o defeiio e da natureza da cousa. Um pro- quc nao sena mais ministro nem um dia se tal
gramma nao passa de certas regras geraes, nao projecto fosse approvado.
, pode tomar o carcter de una dissertacao. jao prosegue. Tendo manifestado a sua opiniio
O nobre senador considerou mais o programma SObre a retirada honrosa do ministerio, nada mais
, como mera reproduceao de ideas ja assentadas; dir seno qne para aquillatar a marcha do actual
nao sabe o orador que em materia de admiuistra- gabinete, s espera ver orna cousa, como votam
Hontem nao houve sesso na cmara dos depu-
tados por falla de numero legal.
Nao obstaute leu-se um ollicio do minislerio do
imperio, comraunicando, de ordem do S. M. o Im-
perador; que o mesmo augusto senhor receber 110
paco da cidade, 1 hura da larde, a deputaro da
mesma cmara que tem de O felicitar hoje, por tr.l(n f.,nA,
ser o aniversario da Independencia do Unperio. Jnuco hlhZ. ^^ nao era ptar"
. maceutuo iiatnlitddo, e, como este provasse qus
a quantia pedida relativamente ao valor de '.'00-
lampeoes que o recrreme foi obrigido a entrar
antes de (indo o prazo do seu coutratocom a pro-
vincia, para Iluminar azeite a cidade de Per-
nambuco, cuja relaco, reformando a sentenca do
juizo dos Mos, jnlgra o recorrente sem direito
indemnisaco alguma, pelo que fora-lhe concedida
a revista.
Os jnizes, na relaco revisora, foram os de-
sembargadores Pereira Monteiro, Gomes Ribeiro,
Queiroz (revisores) Vaz Vieira e Siqueira (sor-
teados.)
A thesouraria provincial de Pernambuco con-
tratou o furnecimonto de medicamentos para a en-
fermara da casa de deteucao da cidade do Recite
com o Sr. Jos da Bocha 'aranhos, pharmaceuti-
coalli estabelecido.
A presidencia da provincia rescindi este con-
de Sr. barao de Antonina
t Fica igualmente o governo autorisado a modi-
ficar o contrato que fez com a companhia da linha
int-rmediaria de vapores.
Oraram os Srs. Ferraz e Peana.
O Sr. Prannos requeren que a proposico fosse
commisso de emprezas privilegiadas,
preferencia ? | Nie se podendo votar esle requerimento, por
e encerrada a
Os memoras da depntaei s,io os Srs. Martinho
Campos, Urbano, Ribeiro'da Luz, Marlim Francis-
co, Barios Pimentel, Cariniro de Campos, Uoreira
Brando, bario de S. Joo do Rio-Claro, Viriato,
Carlos Ribeiro, Valdelaro, Andrade Pinto, Seraphi-
co, Espendiao, Silva Pereira, Pedro Moniz, Jun-
queira, Dantas, Lima uarte, Helio Franco, Flores,
Uoreira, Fleui y e Pamplona.
Por decreto de 3 do correle, na conformidade
das disposieoes do 1" art. U- da lei n. 'tS de 18
de agosto de 1852, coocedeu-se reforma ao alteres
do corno de cavallaria de Matto-Grosso, Gregorio
Antonio da Silva, visio solfrer molestias mcuraveis
Hontem nao houve sesso na cmara dos depu
lados por falla de numero,
i
que o tornara incapaz do servico.
Por portara Je 5 do corrente foi nomeado Fran-
cisco de Paula Alves para o lugar de ajudante da
agencia do correr da villa de Santa Isabel,na pro-
: vincia de S. Paulo, vago por demissao dada a An-
| tomo Jos de Oliveira.
Na na mesma
data foi creada urna agencia de
_ 1 correio na freguezia de Tabatinga, na provincia do
O senado reieitou hontem em segunda discusso Amazonas, e foram concedidas as demissdes une
a proposito que approvou o decreto de alteraco pediram Francisco Goncalves Vasco, do lugar de
a sua passagem pelo poder. j dor.
O Su. Zacharias, obedecendo aos estylos parla-! Portanto, claro que acha-se
mentares, diz que vai dar ao senado, os rotivos da de, como disse, de satisfazer a
retirada do gabinete de 15 de Janeiro. | prosegue.
Em sesso de 29 de agosto, no momento era que i Quer o nobre senador saber se a maioria nao dai
na cmara dos deputados ia entrar em discusso a, derrotar o gabinete actual, como derrotou o pas- ser. Nao foi nois nara dizer
, iKii i '.ilii.. Aif.inli cirio i i a i,-'i.i t-, ,,...,.. J..u ..., -----*- _i___ .
ideas de economa, ha pouco enunciadas no pro- sicao relativa a urna compensado ao desembar- do de agente do crrelo da villa de Sania Helena
gamma, comee-ara a ter applicaeao em occasio tio, gador J. A. de Magalhes Castro,' pelas despezas e ua provincia do Maranho.
. qu
era, nao o admittio posteriormente, a bem dos n-
leresses da fazenda.
O Sr. Paranhos, entendendo que a resciso de
contrato ilegal, denunciou do Sr. Dr. Domingos
de Souza Lelo, presidente daqoetfa provincia, pe-
ante o supremo tribunal dejusliga, a quem hon-
tem apresentou-se a denuncia, que vai ser distri-
buida para proseguirse nos termos legaes.
Ld-se no Jornal do Commercio :
Cambio.Summam o< saques pelo paquete in-
glez Prtctiirt.
Sobre Londres 2 500,000 a 27 3/8, 27 1/2 e
27 5/8 d., incluindo 50,000 tomadas pelo gover-
no imperial ao primeiro algarismo.
Sobre Franca e Antuerpia 1,800,000 francos
a 344, 45 e 46 1 s.
Sobre Hambtirpo 400.000 m.b. a 657 rs.
Sobre Lisboa e o Porto regulou a tabella
guinte :
100 a 101 -!- vista.
99 a KH> /. 30 das.
98 a 99 '/. 60 dias
97 a 98 % 90 dias.
Apnlices. -Negoriaram-se as geraes de 6
a 97 1/2 e 97 %.
t Descontos.Uantem-se nos bancos a 8 %
so-
/.
Falleceu hontem, s 5 horas da tarde, no hospi-
tal da Misericordia, o Belga Alexandre Ferry, que
o..........1 .....1........ -vt-* vw Mtvooiou -~, ... .... uc Magalhes Castro, pelas despezas e
na impossimiiaa- propria. (Apoiados). ; trabalho na confeceo dos seus projectos de codi-
B. zsxe.; todava 1 OSr. Soiza Franco reconhece que nao ha duas gos militares.
.bu ^P'"'"65 sotire a sabida do gabinete ; todos concor-; Adoptou em terceira discnsso as proposicoesso-
tai qual devera; bre matricula do estudante Bernardo Teixeira de! anle-honlem as i horas dT*niadrogada loar itendo
princeps, tKSS d? 3SS ^o^r^^Jrffibte%. StSaaS TlroiJZTJrln^l r elTornrim^riffe'iK" ESEteS?* JS? %* "H ,abrS' V**"} em
afim de tratar-se do projecto relativo i subvencao, ta discussso. ZSEESESTE. a^SZ^^Tf? r^^!".TOr^UVrm_M-ha^QeraeS- I D0 S(iUlu''1J dealbiate, e tendo cnegado recente-
que se pretende dar a urna companhia de nave- O nobre senador como aue pretende obriaar o' i S^S ^T amencan0*' Cont,nuoJa a s"B|da discusso do orcamento, mente ao Brasil, nao condeca in.iuigos.
,ao aP vapor erare T3S$Zo \wSJS3Si^^fSfl^'da^affdoSS m^i^S^'mn^lS^SX emSsSa^h^tLft'Si ? JSSSaLf "** de ^un',a;fe,ra est,vra **"* com
Brasil. | oredecessor: mas n mn m oodpr ***, S**! 1 em?ro^Le?..n,Qm.Bro.de .cuarenta,, commercio e obras pubjicas, cora as emendas da dous amigos no Alinear Lyrico, d'onde sahira para
Vencida a urgencia, o Sr. conselheiro Jos BonU
lacio entendendo, por motivos que
veniente que o projecto fosse
que o estudasse embora rom a clausula de ur-1 maioria ilaquella cmara
gencia, assira o propiiz. Este requerimento foi
rejeilado.
a-T____ K*' **^ uv a-u.i mbiiiuiuj, cm uumci y uc ti ua en ui. < uiuiiici l iu c un as uuuucas. com as e
1 SSSl ^A S US SBn ^ia -as 5* fu -* ; ^^^e.- ww sa.
Oraram os
dis-
.TnT? n^,rr.^,;"^^=^0emr^.da; ********** maioria ne-l P--
declaram
tiverTm\'nipnnr!nL,um Pr?osito de era.baracar.3 approvago da Na cmara dos deputados, hontem, o Sr. Dantas
'_"...:. i ,"1.h l''"a menur proposta do governo. A questao foi mal eolloea-; fundamentou o seguinle projecto :
da... O governo fica autorisado a conceder carta dc
OSr. Silveira da Motta : 0 Sr. Zacharias naturalisacao ao cidado portuguez Manoel Anto-
que lhe responda oio da Cunha, residente na provincia da Baha.
O Sn. Souza Franco. .. e nao oxistia a menor, Entrando depois em discusso o requerimento
relaco entre as duas materias. ; do Sr. Ferreira da Veiga em que pede para serem
ntenco de ferir o gabinete...
O Sn. Silvkira da Motta :Entao era so ao no-
nao foi so rejeilado o adiamento, como passou tre ex-ministro do imperio. (Apoiados.)
discusso o projecto da subvencao, pedin-
O Sr. Furtado nao pode dar resposta a este a-
parte.
Perguntou ainda o nobre senador se ogabinete
continuador da poltica do seu predecessor.
E
em 1
do-se inmediatamente" dispensa do intersticio e
urgencia para a 2 discusso.
No debate foram trocadas algumas palavras as-
?ner*rwf0n? g,Uer 4uefosse' Sr. conselheiro-----------------------,------------- ,^D.co.^,. .* p.u^y, U u
, .i. -S2 re,,nm-se>, xergando no que se tinha nao se suppor que ludo quanlo esta feito desde ja- tando que quando nao fosse venerarn era rece- r c
tZOTJZSSl VM? de h,os,llidade s" Pessoa neiro deste anno urna serie de despropsitos, a' nheciraento do respeito devido altura do aWniD- SSEtS. 2S2 coos,l,lera?ae*. olfcre-
do que ao gabinete Inmediatamente dirigio-se consequencia deve ser a crenca de que o gahmete to da proposta fefica orovado que nenhuma ^c- JZSFaS&h* ^d"ldo !*' a P"b,i-
casa do orador collocando a questao oeste p, e actual ha de continuar o que houver de bora na cusaco ha a fazer contrae procTd",nentn da ^f^i^h'g,d, ?f ov? Pfl" Presiden-
iOCumiHBdo^ de ir solicitar de S. M. o Imperador marcha daquelle a que succede. Isto, porra, eo maioria da cmara dos depuudosP SSo sS JaJ^to f^idTeairnca, e leon a dTs-
sCSS?^ a a i,,uer dizer 1ae abwluameote e em tudo e por tu- esse ponto de vista. Portanto nada mais diz
jyyj.J1 *?" todos os membros do do, seja continuador do passado; possivel que : O Sn. D. Manoel manifestando vivo prazer ,
gaboete, e, deliberando nao amana a i ranea miIm -i ^..m. ,- m.iu..l____:_:..j_______________a____."."r fl condecorado com
da do seu digno colleg.. .
tambem a sua eioneraco
i & Coriseo, exl^Vasconsa."aM7o"l,npera'- eue,...........T*......--------- ~""" S^l^'^Dn^^'^^Znnc^ ^^-".^rabsados cidadosbrasileiros os sub-
oardoqrTin^lHnTf^rr^r\PedOM,a0 entreunto deve desde j dizer que no nobre e- E&ntnfiiSi EBR TFg' SSSSfStSlSSSSlt %T?
gyg-n.te.- a nolto Si da frSS SVJ f se*"nto l8r a"0 S frfnC0 e deri,,i,1 ^^d^' etowd aa Podlir- fal "rador **" elkle- Sino jS Andr da S 1 a f,Uarle' e ar-
neSSi de.mirada !k2?L ? I'n"e"',"r ^ ceno esta umbem de que S. Exc. tem eonscien i rco*s v*re este aconterinwnto, e conrJue pedin- g d S,ha-
SST, l^X^J^SJS^^JSSSt S de nao harer jamais -ura,,,jr ^^orrido para di/*, senado que, sera exeepeao de pessoa, Tm- r**
n^S^J!!Xod^aS^rthetn ST iffi^KSfe O Sn. Silveira da Motta iw circunstancias
graves era que nos achamos entende que o paiz
entrar era ura hotel fronteiro com alguns amigos
ein cuja companhia sabio. Diz-se que nesta occa-
sio se approximara oulio grupo em que haviam
duas mullieres e que cruzando-se os doestos e epi-
nicios terinmou a contenda no brtnmto mortal de
Ferry e em urna puntialada que recebeu na cabe-
ca outro Belga empregado ua casa da viuva La-
porte.
Esperamos que a polica nao poupar estafo*
o habito da ordera de S.
de brigada Dr. An-
a sua administraco, que sustentou
maior lealdade. (Aiwiadus.)
slas palavras que o orador pcoferio, qnando raa-
nifestoa o proposito em que est c gabinete de res-
novo gabinete, e deixem pascar o ornamento nesta Mercey com datas de Buenos Ayres at 27 o Mon
sesso, ainda cum alguma prorogaco ; nao pri- tevideu 29 do passado.
vem o paiz do urna lei de orcamento quando este A guerra civil prosegua no Estado Oriental sera
prara regulara de 8 a i
procura de numerario.
Ouro.Exportaram se durante
valores seguintes em moeda :
Southampton.
Lisboa. .
Genova. .
Ilha dos Acores.
Pernambuco.
O paquete ingiez Paran*!
Na
1/2 %, havcDdo pouca
a qumzena os
7:150000
4:2005000
4:1004000
4:4005000
44:4505000
leva despachados
para Pernambuco |ior Joaquim Lopes de Carvamo
4 C. 5:0005 em notas do governo.
t Accoes.Negociaram-se as do Banco do Bra-
sil a 405, 395 e 385 de premio, do Banco Rural e
Hypolhecario a 735 o 725 de dito, do Banco Bra-
silero e Portuguez a 265 de dito, da Companhia
de Seguros Fidelidade a 55 do descomo, da estra-
da de ferro de Petropolis a 605 cada accao de
2005 e as caucoes da Sociedad banrarla Mau
Mac Gregor Si C- a 7505 |>or cada 1:0005.
i Assucar.Colamos : Pernambuco brancofino,
u 2"sorte,55TO0a55i0;3'sorte, 55 a 55100;
para descobrir os autores deste en nie, e se infe- sotenos, 45 a 4-5100; Macei, branco, 45400 a
lizmenle, urna das victimas j nao pode accusa-la 15*w 1 "all|a 8 Clinguiba branco, 45 a 4500;
com depoimeutos, a oulra, que ainda vive, podera i 9im,''?s uranC> *5 a 45400: mascavado 25400 a
fornei;er uteis esclarecimeutos, e concorrer para | 35600.
que nao se reproduza o assasainaio em urna ra
publica e continuamente frequentada.
DIARIO DE PERNAMBUCO
Temos vista cartas e jornaes do sul do imperio,
trazidos pelo vapor ingiez Qnnda, alcanzando do
Bio de Janeiro a 7 e da Baha 12 do correle.
Sob a rublica Interior vae o que ha de mais im-
prtame.
Confederacao Argektuna. Ao congresso pre-
tenda o governo apresentar os contratos que cetc-
brou em Inglaterra para a construeco de novas
estradas do ferro.
Montevideo. Urna parte da esquadra brasileira
seguir para Uruguay, a proteger os suodiius all
residentes.
Foram tomadas pelas forras de Flores as povoa-
As qualldades que nao vo rotadas faltam no
mercada
Ficam em ser :
De Pernambuco, 4,000 saceos, velho; de Ma-
cei, 428 saceos e 12 cazas, dera ; da Bihia e
Coiinguba, 900 caixas, idera ; de Cami>os, 50 sac-
eos e 110 caixas novo. Total 4,928 saceos e 1,022
caixas.
Carne seca.Ha em deposito 93,000 arrobas,
sendo 37,000 ditas do Bm-Grande e 56,000 ditas
do Bio da Prata.
t Vndese a primeira de 25400 a 3*400, e a
segunda de 25600 e 35400.
- Cbegou, procedente de Pernambuco, i i, opa-
tacho dinamarquez Maria, com 14 dias.
> Acha-se a carga para esse porte o lugre Julio.
Baha.Falleceu, cera 37 annos de idade, o lr.
Ricardo Pinheiro de Vasconcellos, juiz de direito
de Iuhambupe
Acerca de eleicoes l-se no Jornal:
* Procedeu-se ao recebiraento das listas, doran-

iLEGfVQ



Dlarle de Ptrbnmhiifo ~ Quart* lelra 14 de fteiembro e 1*4.
V
4

le o fjual honve em alguiiis freguezias mnia pro-
voeaco e disturbio.
Na de S. Pedro, Concelcao, S, Pilar, Saolo
Antonio e Piraj, reuve multa pancada, e em al-
lurnas grandes enmenlos.
Consta-nos que na do Pilar, por parte dos go-
vernislas, mais de urna voz tentarara metier na ur-
na massos de cdulas, tendo sido pegado pelo bra-
co o sugeito que isso lenlava.
*a da S, no da 8 noite, un sogeito escon-
dido debaixo 4o mesa, lentava furiar a urna, mas
foi descoberto, o protegido por um opposicionista,
para nao ser victima de sua audacia.
< Em toda a parte tem havido muita animacao,
e sensivel o proposito em que est o povo de
reagir contra os excessos que se tem praticado.
t Contina a annimaco no povo, pelo bora resal-
tado que appzar de tudo tem apresentado as urnas
as diversas freguezias da capital, excepcao da
do Pilar, onde ha IOS > listas a apurarse, tendo
sido alias mui diminuto o numero do votantes,
que compareceram, segando nos afflrmou hontem
em carta um assignante.
t Como se ver da apararlo, que vai publicada
em outro lagar, o triumpho dos conservadores,
que por estarem om opposicio liga uo perderam
seas direitos, e poderao ser esmagados alinal, co-
mo se propala por duas freguezias nominaes, mas,
nos qnaes jamis se poder contestar a vautagem
qne levam nesta eleicao.
Tem continuado as provocaeoes dos governis-
tas, prisoes e roaos tratos pralicados pela polica.
As autoridades policiaes conlinuam as igre-
jas.
a Na noite passada foi urna Torca para a do Pi-
lar, diz-se que para testemunhar e defender o esta-
do interessante da urna.
O eamhio regulara : sobre Londres 27 l|4
e 27 3i8 d. por 14000, sobre Paris 346 e 348 rs.
por fr., sobre llamburgo 650 rs. por m. b., e sobre
Portugal 97 98 > de premio.
AcMva-se carga para Peruambuco o pata-
cho D. MIZ.
Chegaram procedentes de Pernambuco : a
29, o brigue Novo-Almirante, coro escala pelo Ara-
caj ; 30, o pataclw D. Luiz, com o dias ; 4, a
polaca hespanhola Paula, com 4 ; 6, a barra i n-
gleza Constancia, com 3 e 7, o brigne inglez
Annie Laurie, coro 5.
PERNAMBUCO.
CORRESPONDENCIAS.
s ir desapercibido a excellonte orchestra que ora
funeciona no nosso theatro. 0 Sr. Colas teve dedo na
escolha dosprofessores, e podemos afila ncar que '
a inelhor quo se tem reunido. | Srs. redactores. A discusso cora o Sr. Dr.
Louvores a empreza que caramba acertadamen- Mamedc, ameaca tornar-se intcrminavel pela ne-
je para satisfazer o publico, cumprir e contrato c- cessidade constante em que me colloca dd resta
NOVO BANCO
DE
PHRNA.HIBUCO
EM 13 DE SETEMIJHO DE 186*.
0 banco descoma na presente semana aoito poj de 186i.
cento aoannoatopraso de quatro roezos, o nove
tlfautlega
ftendimento do da i a 12........ 222:2735139
REVISTA MAMA.
Honlem apenas aOIuiram sessenta conlos de ris
4 Caixa Filial para serem trocados por ouro.
Algumas pessoas, segundo nos inormam, j
hoiitein furam ali levar ouro para ser trocado por
notas, ao que nao aceedeu a directora.
O vapor Cruzeiro do Sul devia sahir do Rio
de Janeiro no da 13 do correte.
Aeha-se concluid* a eleicao da freguezia
da Boa Vista, sahindo eleitos juizes de paz do:
1. districto.
Decio d'Aquino Fonseca................. 363
Joo l'aclieco de Queiroga............... otil
Joaqnim Francisco Franco............... 3.>8
Bernardo Jos Marlios Pereira............ 55o
2. districto.
Antonio Carneire da Cunba.............. 230
Joo Barih olomeu G. da Silva............ 208
Dr. Francisco Ferrara Martins R......... 200
fhom Carlos Peretti................... 139
V districto.
Francisco A da Silva Cavalcante......... 100
Dr. Jos E. Ferreira Jacobina............ 93
Antonio Jos do Castro.................. 91
Ray inundo da Silva Maia................ 79
Domingo festejan a irmandade acadmica
do Boin CoDselbo a sua padroeira, com pompa e
briliianis.-iino, orando ao Evangclho e Rvm. mon-
senbor Pinto de Campse ao Te-Deum o Rvm. frei
Joaquiui do Espirito Santo.
A" tarde percorreu algumas ras da Boa-Vista
e Santo Antonio una bemorganisada e bulla procis-
so, cm ura grande acuinpanhamento.
A igreja foi muito concorrida noute pela popu-
lacho da cidade.
Xa freguezia do Recife comecou de novo hon-
tem o processo eteiloraJ, corapondo-se a mesa dos
mesmos senliores da antecedente. Concluio-se a
primeira chamada.
Em S. Jos comejou-se a apuraro das c-
dulas.
Seguirn) tiontem para a Europa as ranho-
neiras russas Runda e // ij/Jawak.
O Sr. Dr. II. Sibiriakoof, medico da corveta
rnssa Ri/nda surta om nosso porto, por occasiao de
visitar o inuseu do Gymoasio Provincial, offe.receu
ao rogedor interino daquelle estabelecimento, sete
moedas ile prata brouze, para augmentar a col-
leec3o roamismatica do nie^mo moseu. Quatro
de>sas moedas s.io chinezas, fetas de bronze e de
torma circular, tendo de dimetro i't millimetros,
cbamam-se Bu, u tem a singularidado d aprpsm-
tarein nu centro urna abertura qaadrada, de 7 mil-
limetros de lado, como para sorem enliadas em
cordo. Una jponeza, denominada Tiempo,
da mesnia natureza (|ue as precedentes, porm de
forma elptica, rujo maior dimetro de 19 mlli-
roetros, e o menor de 3i Tem no centro urna
abertura qaadrada como as primeiras.
As duas ultimas sa > russas chamadas Koupekp,
de prata, sendo a maior de 23 koupekp, e a menor
moedas de prata de ponco valor.
Hnje d o Club Perntimbucuno a saa partida
niensal.
Foi cena no nosso Santa Isabel, no dia 10
do crreme, um lindo drama ipie muito nos iiu-
pressionou. .1 Primavera eterna o titulo desse
ramalnete, cixn o qual Sr. Ernesto Riester enri-
queceu a litleratura dramtica do sen paiz.
.Nao nos oceuparemos com a historia dos dramas
sobre os quaes tivermos de fallar, nao s por ser
pequeo o espaco da no<*a revista, e termos de no-
ticiar outras muitas cousas, como tandiem por en-
tendermos. que sempre uina prevengo desapra-
Javel paja aquelles que tiverem de ir ao theatro,
roubar Ibes assim o prazer da sorpreza que um
dos majeres desse til e honesto divertimento. Li-
mitar-nos-hemos a dizer que boa quando nosi
agradar a composicao. Nesle caso est aPrima-1
otra elerna.
A execucao desta primorosa obra, foi exceden-
te. 0 Sr. Germano, desempenbou magistralmrnle
o papel ie-laijine de Avilezeslava inspirado!
A sua voz grave e segura prestava-se ptimamen-
te s transicedes difficeis que Ihe indica va o carc-
ter do personagem que representava. Scenas hou-
veram era que o Sr. Germano foi alni de todo o
elogio. Damos-lhes os parabens.
OSr. Coimhra. noseu papel AeMatheos Sna-
res esleve m-gnilico I Este artista, lia querido
do nosso publico, ha lempa* qne pareca querer ',
fortar-se aos seus applausos. Entendemos que fa-
ra mal em pretender privar aos seus. immenses '
admiradores do seu bello talento artstico. Folga-
mos, neis, de o ver de novo envolvido no reperto- i
rio. A arto nobelita; ajunte o Sr. Combra ao ti-!
iulo de emprezario, o de artista distinelo, que o 6,'
e ter uro futuro de prosperidade.
O papel da innocente e carinhosa fillia de Jayme'
de Anlez, ejecutado pela Sra. D. Antonina, cau-j
sou admiraco geral. Ha muito tempo que o nos-'
so theatro nao apresentava nma actriz de tanto
merecimento. Tantas perfeic^s reunidas raro I
Figura eslielta, voz maviosa e sym|athica, belleza. I
t'aciiidade na diece, e sobre lado talento artstico,'
um conjuncto de qualidades dlstinclas que for- i
mam um grande vulto na arte dramtica. A Sra.
II. Antonina, ha de por forca sahir, e bem de to- j
dos os papis de que se oncarrogar.
A Sra. D. Camilla extorcou-se quanto pode para
hein representar o seu papel da costureiraCa-
rolina e o couseguio, apezar da extrema fraque-
za da sua voz. Nota-se-lhe a falta de energa pela
delulidade m.initdsta que se descubre em todos os
seus gestos. Contado andou bem e agraden.
O Sr Borges, sa1)ia bem de cor o seu papel de
Jaymemas altou-lhe o necessario desenvolvi-
miento para fazer sobresahir as bellas situaces
que abunda sesea inleressante parte. O Sr. Bor-
,'tB ostra ter pauca pratica da scena ; porm,
-uu estudo, lie<'ies e tempo vira a ser bom artista,
pois que dispt>ii;ao nao ihe falla.
A Sra. D Jnsnina e o Sr.iPorto, andarara bem
oos seus papris.
Itepmentou-se tambea sessa noite. pola tercei-
ra vez, o drama fecordttfoet da mocidade. A exe-
oucao correu como era de esperar; os tetas
mal Identificados com os papis trabalharam bem
o drama foi geralmette appL-iudido.
O* nossns parabens ao Sr. Veneri polo magnifico
ml/io do 4" acto, das Recordares da mocttlude e
pelo gabinete do 1" e 3 actos da Primavera eterna.
Bitas, sim, sao obras dignas do pincel do insigne'
secnograpoo. Nao podemos deixar igualmente pas-.
vliaeato da alfaodega
Volame8 entrades com fazendas... 263
* com gneros...
Voluntessahidos com fazendas...
com gneros...
Descarregam no dia 14 de setembro.
317
162
37
380
399
lebradocom o governo, e para o progresso da arte belecer os faltos e at os meas proorlos argumen-
dramtica ate boje abandonada entre nos. tos ,,ue elle adultera, affoicjandoos seu talante.
Depois d'amanhaa se extrahira a ultima par- E- em p a asserco de que uo Vi entregar Pr Je *" mezes, e faz emprestunos
te da e 1- da 3* lotera, do theatro de Santa Ua- t ct,ave, e ne.n o contrario prova a declaracao do sobre lulos commerciaes.
bel (I08-I sendo o maior premio 10:0005000. Sr. Fernandes. Nio consinto que a autoridadu de
O delegado de Goyanna fez prender, no dia t do niinha palavra, sempre honrada no conceito dos
crreme a Jos de Frailas, por wr ha 10 annos homens de bem em cajo circulo tenho consUnte-
pouco inais ou menos dado um tiro em M.inoel meate vivido, soja poste em duvida por quem
Joaquim Figueira opassava a remtelo para Na- qUer qUe seja.
zareth, onde commetlea o enme que nao devellcar fo, fui, nem posso ser tamben contestado
impune. -. | quantos ao ponto de haver sempre feito observaces
Lm preto de nomo Damiao, escravo do proprle- e advertencias sobre a pratica irregular de contiar
Uno do engenho Serra d Agua de Una, Joao Vieira Um claviculario a outro a chave do cofre.
Fialho, assassinou a am individuo, cujo norae ainda i Quant0 ao sentido da ordem n. 58i, s por urna
se nao sabe, em das do mezde agosto prximo fin- iaierpreUcao cerebrina se pode delta tirar sentido
do do lugar Pedra do Conde do termo do Rio For- diverso do que Ihe dei
raoso, e immediatamenie evadio-se. Se aquellos que tem suspensa do um fio sobre a
KEPARTigAo u\ polica. cabeca a espada da lei, sa resolveren) a fazer con-
,i'el dai partes dos dias Hei2 de setembro tra mun etfectiva peranle os tribunaes, essa sonha-
dV .... ... da responsabilidade, tero o desgosto do soffrer Gale/a imsleHermi inercadorias"
Foram recolaidosacasadedolencao no da 10 do decepeo ainda mais desapontadora do que as Patacho iglez p/opoXs-raercadorias
correntc : outras, que ato agora Ihes lera sobrevindo, ao sen- Barca inileza(>,wdiversos imnnrii
mino
A
vo de Manoel Custodio Peixoto Soares, a rcquisigao qU6 do golpes
destP- E' wr isso que provoco a lueta, como o nnico
A ordem do da Boa-Vista, Euphemia, eserava meio do |MJr em relevo a impoteacia dos raeios
de Floriano Jos de Miranda, tambem a requer- reprovados empregados contra quem representa o
ment deste. principio do dever, da jastica e da moral na triste
11 rio historia deste malfadado estabelecimento.
A' ordem do subdelegado do Recife, Joao de Sou-; Ponho aqai termo a esta polmica, por estar
za Lele, para correccao. exhaundo o thema, declaran lo pela u Rima vez,
A" ordem do de Santo Antonio, Ernesto Bezerra que as allusoes uue flz nao tem carcter de persa-
da Silva, por desorden). nalidade.
A' ordem do da Boa-Vista, Jos Soares de Mello.! Recife, 13 de setembro de 186i.
como indiciado em crime de roubo, Cosme Jos
Damiao dos Santos, por desordem; Joaqutm, es-
cravo de Ignacio Pinto dos Santos, a requertuiento
deste.
13
Foram recolhidos a casa de detencao no dia 12
do corrente :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Tran-1
quilino Agnello Pereira Dutra, como indiciado em
crime de ferimento; Jos Leo de Mello Assucena.
por embriaguez.
A' ordem do subdelegado do Recife, Leandro Jo-
s Gomes, para correccao.
A' ordem do da Boa-Vista, Joao Vieira da Costa
Guimaraes, por embriaguez.
A' ordem do de S. Jos, Joaquim Mauricio Va-
rella, por disturbios.
O chefe da 2" seceao.
J. G de desquita.
Passageiros do vapor inglez Paran, entra
1 Quem quizer. vender tae abyectos apfpsente
a sua proposta em caria fechada" .i secretaria do
. conselho as 10 horas da manhSa de Oia 16 de ror-
i tembro prximo vindouro.
i Sala da* sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 9 de .eteinbro
COMPAKHIA BBASIICIBA
DE
PAQUETES A VAPOR.
I Dos portos do norte espera-
do al o da 16 do corrente o va-
por Paran, commandante o ca-
pit.io le fragata Santa Barbara, o
{taI depois da demora do cost-
me seguir para os porta* do sul.
Desde j reeebem-se passageiros a engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual de vera
. ser embarcada no dia da *tia chegada: encom-
Idem da dia 13................. 25:397968*ininando na forma determinada no regulamento mendas 9 dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
annexo ao decreto n. 132i de 5 de fevereiro de hons, agencia ra da Cruz n. 1, escriplorio da

Antonio Pedro de S Coronel-presidente.
Sebastiiio Jos Basilio Pyrrho,
Vaga I secretarlo,
lasprrr do arsenal de marinua.
Faz-se publico que a commissao de peritos exa-
2i7:67l107 1854, ocasco, machina, caldeira, apparelho, mas- i Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Joao Cardozo de Meneas e Souza.
PUBLICARES 1 PEDIDO.
con
enderezado individualmente todas as
senhoras e cavalheiros, nao s por falta de tempo,
como e principalmente por se ignorar seus nonies,
a mesma junta e commissao se prevatecem do
nico meio que Ibes resta, para fazer chegar a pre-
senta de todos os habitantes desta capital as mes-
mas supplicas, comose especialmente e a cada um
Hospital Portugucz deBsnelicencia eraPer-
nambuco.
Tendo de celebrar-se no da 18 do corrente c
anniversario da fundago do Hospital Porluguez,
como pre^creve a sua lei regulamentar. entendeu
a actual junta administrativa, a imlacao do que
pralicou a sua antecessora, que esse acto se pode-
rla tornar mais solemne, sesuinio-se-lhe a exposi-
cao de prendas e jotas, que a generosidade dos ha-
bitantes desta hospitaleira cidade se dignarem de
offertar-lhe, para em publico serem trocadas e
convertidas em beneficio dos pobres enfermos.
Nesle ntuilo foi nomeada nma commissao espe-
cial para agenciar e arrecadar os diversos donati-
vos do Rio e Baha :-Gu*We de Locleacar, Henry vo, a qua, em desempenho de sua honrosa e san-
Bautenfred Giiilherme J.K. e sua senhora Dr. L. ta misSao dirigi humildes supplicas s pessoas de
X. Pereira de Brito e 1 criado, F Iterla, A. II. de que teve conhecimenlo.
& Bandeira. J. L. di Assis Carvalho e 1 criado, J. Nao sendo porum passVel que seraelhante
UB. Kohter, Joset. hsirella. vite fosse enderecado individualmente loe
Seguem para Soutampton :
Henry Bantenfeld, J. P. Ramos, Mara dos Anjos,
A. de P. Santos, J. M. P. Bitetas. R. Pelucio, Nicolao
C, M. A. da Rocha Jnior e sna senhora, Dr. Joa-
quim Antonio Alves Ribeiro. Jos M. da Silva. Se-
bastiao Verges, A. de A. Brandao.
M."-.j jj. a s .i mas uuiiviij, tuiuw 3c csi>u>.i.iiiiicuin u a inuii un
^.rriafi 3Sa Ci4 d0dU 12de de per si as tive^se dirigido, pedmdo que se dig-
nem enviar qualquer ollera, que ser recebida
com o maior reconhecimento, como obulo de cari-
dade.
Recife, 5 de setembro de 186i.
Joaquim Ferreira Mendes Guimariios.
Io secretario.
Illm.Expor V. consideracoe* para leva?
Ihe ao coraco um incentivo de caridad, fora por
em duvida espinto nimiamente religioso e plu-
laotropico que tanto caraclerisa a respeitavel pes-
soa de Y.
Sao j por dais Mohecidos os sentimentos de
pura euerosidade que V. tem manifestado em
favor da humanidade desvalida, e o Hospital Por-
tngaez de, Beneficencia nesta cidade, por quem bo-
je imploramos, ah est tambero .para atlestar a ver-
dade de semelbante asserco
au serA, poiv, om v<> ijuc us ilirlglmoA V.
a rogar-lhe, em nomo dos pobres enfermos, que no
leito da dr recebem o saccorro deste hospital, se
digne concorrer com urna prenda ou )oia em dona-
tivo para, depois de exposta concurrencia publi-
ca no da anniversario da installacio do dito hos-
pital, ser all trocada pelo obulo" da candada em
auxilio da manuieiico de tantos Infelizes.
A remuneraco do benignoacolbimento que V.
dar esta supplica e a remessa que aguardamos
de qualquer objecto cm i^rova de sua piedade e
dedicacao, pertencer ao" Todo Poderoso cujo
throno devero chegar as vozes agradecidas dos in-
digentes enfermos, da mesma son queem signal
de respeilo e veneraco beijam as mos V.
Recife de agosto de 186*.
Os membros da commissao :
Joao Pereira Moulinho.
Custodio Jos Alves Guimaraes.
Jos Martins da Silva Borges,
Joaquim da Silva Costa.
Domingos Ribeiro da Cunha Oliveira.
Joao Ferreira da Silva.
Albiuo Jos da Silva.
Jos Joaquim da Cunha.
Francisco Pinto Ozorio.
N. B. As prendas ou joias queforeiu oifertadas
poderao ser entregues al o da 16 de setembro,
qualquer dos signatarios ou no proprio hospital.
setembro de 1861.
. 369 presos.
5 a
Sahiram ----- 7 >
. 367 i
A saber :
Nacionaes___ . 30o a
Mulhcres..... >
Eslrangeiros.. . 13
E-itrangelra .. 1
Escravos..... 40 B
Escravas..... a 367
Alimentados i casta dos cofres provinciacs 189
Movim>-nfo da enfermara.
Toro baixa :
Flix do Souza Fireno de Veras
OITLAItlO O CE.MITKIUO PUBLICO NO DIA 11 DE
SETEUBRO DE 1861.
Loureoca, Pernambuco, 1 mez, Recife ; espasmo.
Rodrigo, Peruambuco, 2 mezes, Santo Antonio ;
intente.
12
SalnstianoFerreira Coutinho, Pernambuco, 30 an-
uos, solteiro, Boa-Vista; abcesso.
Marcollna Hara do Espirito Santo, Pernambuco,
22 anuos, sol te ira, Boa-Vista; dilatacao da crosse
da arte r.
Delflna Marganda dos Prazeres, Pernambuco, 52
annos, solteira, Poco da Pauella ; affeccao pul-
monar.
Jos Braz de Sant'Anna, Pernamhueo, 19 annos,
solteiro, Boa-Vista ; tubrculo pulmonar.
Anna Bita da Silva, Pernambuco, 90 annos, soltei-
ra, Santo Antonio; velhice.
Manoel, escravo. Pernambuco, 2 mezes, S. Jos ;
eongestao.
Maria. Pernambuco. 2 horas, Boa-Vista ; eon-
gestao.
Joaquim, Peruambuco, 1 anno, Sano Antonio; con-
vnlsoes.
Antonio, Pernambuco. 11 mezes. S. Jos : bexi-
gas.
Carolina. Peruambuco, 2 annos, S. Jos ; gastroin-
torito.
lecebedorla de rendas lateritas
geraes de Peraambuco.
Hendiraemo do dia 1 a 12........ il:198A5"2
dem do da 13................. 1:074*765
12:273*317
Consulado provincia!.
Rendimento do dia 1 a 12......... 24:926A336
dem do dia 13................. 1:661*250
26.5875586
MQ7IMENT0 SO POSTO.
Navios entrados no dia 13.
Havre43 das, barca raoeeza Les anias de Saint
Jean de Luz, de 289 toneladas, capitao Ndlec,
equipagem 12, carga 400 barricas com farinha
de trigo eoutros gneros; a Flix Sauvage
& C.
Baha5 dias, corveta americana Onward, com-
mandante Clark.
Bio de Janeiro e Baha 6 dias, vapor inglez Pa-
ran,i 1,720 toneladas, commandante Jellicoe,
equipagem 131, carga varios gneros.
Navios sahidos no mesmo dia.
LiverpoolPatacho bollandez Gerberdina Joanetta
Emite, capitao S. P. Kupper, carga ossos e ou-
tros gneros.
Terra Nova Patacho inglez Mar y Bell, capitao
Kinght, em lastro.
Soutbampton e portos intermedios Vapor inglez
forana, commandante Jellicoe.
EDiTAES.
GOMMNIOADOS.
juviram os co-reos a voz ao cnete, Capil3o Anll|n0 Augusto (la Fonseca.
; envergonhados lodos vao-se ereuendo, ,, "... ,, ,-, o"-"" ^",
i as azas librados se debatem, Upitao r elix Francisco de Souza II igalliacs.
Ouviram os co-reos a voz do chefe
E
E
Quaes nocturnas previstas sentinellas.
Mii.ton (Paraso Perdido).
Os gagetros da governanca redobram de susto.
A cousa nao para meaos. A's consciencias in-
quietas, ou atormentadas de remorsos se augurara
sempre larvas o phanlasmas lgubres.
Assim se explica a cruaco imaginaria do pan-
demnium da ra da Aurora de que falla o Jornal
do Recife.
Acreditamos porm que os gageiros nem sabem
o sentido da palavra que escreveram Como o
demonio da intriga a musa quo os inspira, es-
tilo a soubar com pandemonios I De inepto pas-
saram a desfructaveis. Cada dia inventan) alguraa
palavra que excite novidade. Beconhecendo que
a palavra progrcssoi se Ihes apodreceu nos labios,
apressam-se em pr no mercado o pandemnium 1
Quem pensa ah em combinar meios de derru-
bar esse pardieiro que desaba em ruinas ?
Isto faz lembrar o louco de Clarimundo, que por
todos os lados Jvisava 'conspirares contra a sua
pessoa !
Os vermelhos, o partido do pudor, nao curam
de concertar ataques contra o frgil colosso, que
ahi se dusmoroua por sua propria podrido.
S secombinam esforcos contra siluacoes se-
rias. Mas silaacoes, que se cempoem de urna
msela indecisa de hypocrisia e de oppresso, de
audacia, e de cobarda, e que fazem consistir toda
a sna forca na corrupeo dos principios, e dos
caracteres, estas por si se amquillam.
De que serve o poder sem ervo, e sem lustre,
em cujos loiros a fortuna quiz entrancar os espi-
nhos da reprovaco publica ? De que vale trazer
nos hombros urna farda de presidente, quando o
cortejo sao exequias ? De que vale trazer as roaos
a vara do governo, quando o prestigio se foi t
De que vale ouvir no gabinete as jaculatorias in-
teresseiras de falsos amjgos, que na opinio estao
rompendo os threnos por esla Jerusalem poltica
ainargurada de tantos males, e makliyoes ?
Isso siiuacio que d cuidado ? Nao, o que Ha
causa tedio, se nao horror, ao espirito publico ;
o qae ella causa sao estragos nos thesouros da
moral, comprometiendo o Imperador com o paiz,
e o paiz tom o Imperador. Por este lado a si-
tuaco presente condemnavel, e condemnada '.
nao pode ir adianto, seus dias estSo contados, sua |
ultima hora soa.
O plhodo Ypiranga.
Para jnizes de paz da fregnezia
de Manto Antonio.
I Capitao Luiz Cesario do Reg.
Totiente-coronel Manoel Camello Pessoa.
Para vereadores.
Proprietario Francisco Accioli de Coureia
Lins.
Teen te-coronel Fernando Francisco de
Aguiar Montarroio, agricultor.
Dr. Joao Jos Pinto Jnior, lente e advo-
gado.
Dr. Joao Maria Se ve, medico.
Dr. Joaquim de Aquino Fonseca, medico.
Tenente-coronel Justino Pereira de Faria,
proprietario.
Uajjor Jos Antonio de Brito Bastos, agri-
cultor.
Capitao Luiz Cesario do Reg, proprietario.
Dr. Silvio Tarquinio Villas-Boas, medico.
Pilulas xegctae assncaradas de
Kemp.
Entre as innnmeraveis classes de pilulas que
continuadamente se annunciam, as pilulas vegetaes
assucaradas de Kemp, s que se podem conside-
rar como o prototypo dos aperitivos caseiros, com-
pletamente efflcazes e absolutamente inoffensivas.
Na sua composicao nao entra um s nnico tomo
de nenbuma substancia mineral. Constituo- pois
o nico remedio necessario para os desarraigos do
estomago, irregularidad^ do ventre, constipaco ha-
bitual, affecges biliosas, dyspepsu e todas as en-
ferroidades dos intestinos, predominantes Dos cli-
mas calidos.
Tomadas teneio evitara infalli velmenta os mor-
tferos flagellos epidmicos e endmicas* das re-
gioes inlertrapicaes. Sao astinicas pi lulas que se
vendem em frasqulnhos de crystal e a capa assuca-
rada que as robre ddsepva suas virtudes e as tor-
na mu agradaveis. ao paladar. Acham-se a venda
em todas as boticas do mundo e ero Pernambuco
as lojas de Bravo & C. e d Caors & Barbosa.
Pedido de deiuisso.
illm. Eira. Sr. Por falta de confianca na ad-
minwtracao de V. Ec. peca rniulia demisso do
lugar de 2o supplente de delegado de policia da
comarca de Nazareth.
Peranle a cmara municipal desta cidade
estarlo em praca nos dias 14, 21 e 28 do corrente
rnez, para serem arrematados por quem mais de.r,
por lempo de um anno, os impostes segrales, que
fazem parle do patrimonio e rendas da mesma c-
mara : o arrendamento da casa no pateo do corpo
Santo, na cidade do Recife, onde se acba a Asso-
cacao Commereial, por 8065 dizimo di) rapim de
planta, por 1:0013 ; atiricio, 5if, sendo o arre-
matante obrlgado a aferr os pesos e medidas per-
tencentes a mesma cmara ; coqueiros, 4025 ; 500
ris por cabeca de gado vaceum, 4795500 ; 100
res por cabeca de gado recolhido no corral, ris
48j40fi; casinhas da nbeira, 1345; mscates e
boceleiras, 305500 ; repeso do assougue, 105 ; ga-
do snno, 75 ; cargas de farinha e legnmes, ris
145"44 ; gado ovehum, 25048 : os pretendente.-
podem comparecer nos menoionados das com seus
tiilV". habilttnd'ts na frmft Ha lc, p.irA podc-
rem lineal', sem o que deixaro de fazer.
Paco da cmara innnieipal de Oiinda, 9 de se-
tembro de 1864. Manoel Joaquim de Miranda
Lobo, pro-presidente.Murcolino ias de Arujo,
secretario.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, fiducial da impe-
rial ordem da Rosa e juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Recite, capital da
provincia de Pernambuco e seu termo por S. M.
I. e C. o Senlur D. Pedro II a quem Dos guar-
de etc. etc.
Paco saber aos que o presente edital vircm e
delle noticia tiverem, que no dia 26 de setembro
do corrente anno, linda a audiencia deste juizo, se
bao de arrematar os seguinli s escravos : Joao,
crioulo, que representa ter 14 annos de idade, ava-
hado por 7005, e Cosme que representa t"r lo an-
nos, avadado por 600j, os quaes foram penb irados
por execncao de Rocha Lima & Guiraares contra
Antonio Gncalves ila Silva.
E nao havendo lancadnr que cubra o preco da
avaliac.lo, a arremalacfw se far pelo preco da ab-
jodicacSo como abatimunto da lei.
E liara que che-rue ao conhecimento de todos,
mandei passar editaos que sero publicados pela
imprensa e afosados nos lugares do costme.
Itecife 10 de setembro de 1864 quadragesimo
terceiro da independencia e do imperio do Brasil.
Eu Man el Maria Bodrigues do NascimeotO, es-
crive o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
treaco, veame, amarras e ancoras do vapor. Ji
guartbe da companhia Pernambucana de navega-
cao costeira, achou tudo em regular estado.
Inspecco do arsenal de mariulia de Pernambu-
co, 13 de seleiubro di 1864.
O inspector,
II. A. Barbosa de Aimeida.
CORREIO GERAL.
Rrlacaa das cartas seguras rindas da sul pele
vapor inglez < Magdalena para os sensores
aliaixo declarados:
Akreu & Veras.
Antonio Bezerra de Menezes.
Antonio da Silva Ferreira Santos.
Carlos Justiniano Rodrigues.
Domingos Bodrigoes de Aodrade.
Felippe Cavalcanti de Albuquerque.
Dr. Francisco Augusto Costa.
Francisco Carlos Bricio.
Francisco Llns de Almelda. **
Francisco de Salles.
Dr. Joaquim Florencio da Silva.
Joao Ferreira de Oliveira e Silva.
Jos Antonio de Oliveira Botelho.
Jos Ferreira Dias dos Santos.
Capitao Jo< Joaquim Pereira de Oliveira.
Manoel Mximo d >s Santos Torres.
Manuel Martins Fiuza.
Bamos & C.
TIIEITHO
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
Mavegacan costeira a vapor.
Tapan a*i, Barra Grande, Pauta de Podras,
Camaragibe e Macei.
No dia 24 do corrente expedir
esta companhia para os portos ci-
ma o seu vapor Parahyba, com-
mandante Martins. Recebe carga
"smente at o dia 23. Encom-
mendas, passageiro e dinheiro a frete at M 3 ho-
ras do dia da sahida : escrptorio no Forte do
Mattos n. 1. _______________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegaco costeira a vapor.
Ilia de Fernaudo de Noronha.
Esta companl.ia expedir no
dia 14 do corrente para o porto
cima o sen vapor Jaguaribe, com-
Imandanti1 Lobato. Recebe carga
__fct o dia 13. Passageiros e dinhei-
ro a frete at s 10 horas da manhaa do dia da
sabida : escrptorio no Forte do Mattos n. 1.
Para o Arac7
pretende seguir com muita bruvidade o vetei'o
hiate Bous Amigos, tero parte do seu carregaroeD-
to proroiito : para o resto que Ihe falta, irata-.-e
coro o seu consignatario Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo (S C, ra da Cruz n. 1, ou com o capitao
Francisco Martins da Costa no trapiche do algodo
LEILGES.
EMPREZA
i.l:i\\o i COIUBRA.
Os empresarios querendo dar urna prova de que
BECL1UC9E8.
DE
30 canastras com albos. H bar-
riieom cognac, lcaKas com
cha.
se acharo dispostos a aeolherem lodos os artistas BS)) J K
que chegarem esta capital, (ur nacionaes, qur: 0 agente Pestaa vender por conta de quero
estrangeiros, e slo para que o publico freqnenta- pertencer 30 caaastras de exeellentes| alhos em
dor deste theatro, nao-fique privado dos dilferen- mauncas e 10 caixas com cha da India e 8 barra
tes gneros de diverlimentos que por ventura pos- com cognac tudo em lotes : quarlafeira i4 do
sam apparecer, acaba de contratar com o Sr. Julio corrente pelas 10 horas da manhaa, no arraazera
dos Santos Pereira, prestlgitador brasileiro, urna do Aunes,
serie de representacees iiue comecar
QnarUt-feira 14 de setembro d 1864
PHOGItAMMA.
Primeira reareswlaeaa dada ptlo prestidiijiador
brasileiro.
Un lio dos Ata utos Pereira
Socio benemrito da sociedade propagadora das Hel-
ias artes no Rio de Janeiro e primeiro
mgico brasileiro.
NOVO, EXTRAORDINARIO K VARIADO DIVEPTIMBBTO DE
LE1LAO
DO
8 ESCRAVOS.
HOJE
(Ra da Cruz n. :i8.)
O leilao de escravos annunciado para o dia 4f
do corrente por intervencao do agente Pinto, n
(iraca do commercio, fica transferido para qtiarta-
feir 14 do corrente, no escrptorio do
APPARE.vtes jocos Fnvsicos, ...c.j.vs MECHAKICAS i reiri u do Porri>nll>j no rS(.ri,.torio'do referida
E vERDADRiiu PRESTiDiciT.w;.\o. I agl.nle rua da Qmi b. 38. Po? aquelle annunci
B^pois de urna escolhida obertura serao aber- se podera sabor as habilidadOB dos ditos escravos
to> os trabalhos pelos mygmat.cos e uiexplicaveis principiar s 11 horas,
elle.tos que tem por titulo :
A SALA DOS SEGREDOS
*" Feira semanal
ou
MISTERIOS DO DIABO.
PltlMEIRA PARTE.
A pndula aeria. A campainhi do diabo o seus
admiraveis eleitos.Lquidos de cores. Misturas
e separacoes. Gabinete mgico. Pyraniedes fei-
ticeiras.Ultima mystura.Grande susto.Objec-
tos diSerentes. Transforroacao. Engao.Licor
ramis.
DE
Trastes novos c osado?, pp1oos, crys-
lacs c ulros mullos 0Mig*s,
HOafE
s 11 horas no armazem da rua da Cade
<1( Recife n. 48.
O agente Olympio vender em leilao no lugar
(iuo.Offerta. Appahco da Fada. Restituicao. cima diversos objectos de marcineiria, cryslaes.
As cartas escolhidas. Effeitos de duvida.Ar- pianos, relogios e oulros arligos.
cabuz.Prejuizo e o lindo festao de flores. --------------~ '"'"~ _"~-----5e"---------------
SEGUNDA PAIl I E. LEl Ti 4i
a garrafa feiliceira. A baralbacao das cartas. i>f *
-Subida de urna. Nova baralbacao. Lico de f^~. ^^
esgrima.-Esculla aeria. O lenco incombustivel.
Corte duvidoso. Gabinete de Lucifer.Moda
de prata.Passagem.Visivel costHra a s-apor.
O cofre dos doentes. -Fgida a vista. -Contagens.
Escamoiagem. Passagem para o cofre de crys-
tal.Chegada nexperada. Caixa lacrada.Sor-
preza de Paris. Rozcira encanta la. Apparico
do anjo.Grande vfl.
TERCEIRA PARTE.
Esta parle ser preenchida pelas admiraveis c
ublimes combinacoes, que, apparentemente, como
as vistas dissolutivas tem pnr denomnaco:
Ot KmilTO.H DO Illit.AliO-
Ia IO KCilPCIO
Patente que seja aos espectadores o anjo das
vistas pitorescas ter iugar a apparico das se-;
guintes:
Urna aldea nos arrabaldes de Paris.O moinho i
d'agua no caslello de Lille em Flandres.O moder-!
no edificio de encanamento das aguas em Londres.
O agente Aimeida competentemente autorisado
far leilao das dividas activas da massa fallida de
Novaes & C, sommandoem 187:4S3O0 rs., por
qualquer preco cima ria offerta de 1 por cento.
Qiiiira-I'cira lo do carrete ao
meio dia
Em seu escrptorio na rua da Cadeia n. 48, on-
de os prelendenles podem examinar a relarao e
os respectivos litlos.
LEILAO
DE
.Inizo dos fcitos da fazenda
nacional.
Na quhvla-feira la do corrente, pelas 10 horas
da manhaa, na sala das audeueias, perante o Illm.
Sr. Dr. juiz dos feitos da fazenda, se vender em
praca publica am terreno de marinha, sito na rua
de Santo Amaro n. 33 A, beneficiado e com caes,
penhorado aos herdeiros de D. Silvana Maria Fer-
nandes Eiras, cojo terreno pertence hoje a Anto-
nio Jacimho Rorges, avahado por 3:0303080, e se
vende para pagamento dos foros devidos fazenda.
Recife 10 de setembro de 1804.
O solicitador,
F. X. P. de Brito.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co aos devedores dos irapestos cobrados pnr lan-
c.tmento perieocente ao exercico lindo de 1H63
1864, que no ultimo de setembro crrenle liuda-se
o praso marcado para o pagamento de seus dbi-
tos, ficando sujeitos a serem ejecutados os que
nao pagarem at aquelle dia.
Mesa do consulado provincial de Pernambncs 1
de setembro de 1864.
Antonio Carneiro Machado Rios.
Administrador.
Arrematado.
Pelo juizo municipal da 2" vara, c de residuos e
capellas, vai praca de venda no dia 17 do cer-
rente, depois da audiencia, requerimento do tes-
tamntelo e Inventarame dos bens da finada Ma-
ria Candida de Magalhae.s para pagamento dos le-
gados e sello nacional, e cusas, o sitio denomi-
nado Zongu era Apipucos, eom casa de sobrado,
cozinha, estribara e uma grande olaria de fazer
tijolos e Torno, cora barreiro e grandes baixas de
capim de planta, em chao foreiro, avahado por
6:000*009. m
forrei.
Pela admstracao do crrelo desta dado se
faz publico eue h^j.- (14) pelas 11 horas da (m.v
Diversas obras de oiro.
inintii-fcli'a 15 do corrate.
O agente Pestaa vender por ordem do consu-
-0 palacio de Margarida de Borgonha. O pala- lado de Portugal diversas obras de ouro como se-
rio do grao duque de Ferrara. O mesroo no mo- jaro : trancelins, puleeiras, aderecos, brincos etc
ment de seH iucendo. A ponte dos suspiros em todas perlencentes ao espolio do finado subdito
Veneza.A capella de Santo Andr na llespanha. ponugnez Jos Fcrnandes Pereira Villa-rica ; o
A nao Princesa ero frente do porto de Marselha. leilao sera effectuado por pecas e a relaco e ob-
A bella hitada do jardim de aples.O magni- jectos acham-se cm mo do agente sendo effec-
fico corredor do palacio de Constantinopla l'ina tuado quinta-feira 15 do corrente pelas 10 horas
cidade da Suissa. vista no vero. A mesma em da manhaa na rua do Vigario n. 13, primeiro
mudanca para o invern. Finalisando pelo qua- i andar.
dro :
GER1RD
-O AFAMADO lACADOH DE LEOES.
A pedido de muitas pessoas, em seguida, volve- i
r por effeitos da crculacao elctrica
0SF0G0S DIAMANTINOS.!
Finalisando o divertimento logo que seja annun-
ciado pelo anjo da noite
BOX MOIll.
E' com este divertimeuto, no todo o mais varia-
do, que o prestidigitador dar principio aos seus
trabalhos ueste lugar.
O seu gabinete, primeiro neste genero, sem
duvida o mais completo que tem viudo America
do sul e norte.
O norae do prestidigitador j bastante conhe-
cido, nao s no Brasil, onde sempre tem trabaja-
do em sens melhores theatros, como sejam o thea-
tro lyrico da corte, S. Pedro e S. Januario, onde
sempre recebeu os maiores applausos, como tam-
ben) em paizes estrangeiros, d'onde acaba de. che-
par ha potico tempo, tendo ltimamente trabalha-
do em Solis, em Montevideo e Colon, em Buenos- |a0 peT ,nterveBcao do agente Pinto, dos movis
Ayres, theatros prlncipaos destes dous paizes. Cer- cima mencionados existentes na casa de sua re-
Importante leilao
DE
Como sejam :
1 piano forte com cadeira, 1 mobilia com I so-
f, 4 consolos21 mesa redonda, 2 cadeiras de bra-
cos, 2 ditas de balanco e 18 ditas de guarnieao, ri-
cos jarros e vasos para liores, 2 candieiros de gaz,
1 exceliente secretaria com 10 gavetas, I estante
envidraeada rom esrrivaninha,! mesa com ferro de
panno para advogados, 6 cadeiras de Jacaranda, 3
commodas, 2 relogios americanos, 1 rama Jranee-
za de Jacaranda. 1 guarda lonca envidrarado, 2
grandes apparadores envidracado, 18 cadeiras, 8
mesas de difirentes tamanhos, 2 guarda vestidos,
1 guarda roupa e minios outros objectos qne esta-
rao patentes ao exame dos concorrentes.
Sexta-fera 16 de setembro.
O desembargado/ D. Francisco Raithazar da
Silveira tendo de relirar-se para a corte, far lei-
to, pois, do gosto que pelas artes se desenvolve ne
publico desta cidade.espera quo nao sero baldados
os seus esforcos, tanto as grandes despezas que
Ibe foi preciso fazer, como para o feliz resultado
de seas desejos.
sidencia largo do Hospicio, primeiro sobrado ao
lado esquerdo, principiar as 10 horas.
LEILAO
1TIS0S HiRITUHOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DK
dio de Fernando, a qual tem de ser conduzida pelo
"vapor costeiro Jaguaribe.
Conselho administrativo.
iard Tfi ,vo,n. ii j O conselho administrativo para loraecimenlo do
brKo^ $S* + ^ ^ CmPrar S bJeC'0S S6-
Le?l ?!!^len(lal Provjn;'a de Pernarabnco. *u,mcs p^ 9 4. D|lt3H,5(j fr artj|nnria.
hm icronymo Puente dAlbugHerone Maranko. \ oo pares de sapal&es.
IaTega^tio eostelra rapor.
nha em ponto fechar-se-lia a mala para o presi-' Parahiba, IS'atal, Maco, Aracalv, Cear, t Aearacn'
CMMERCIO.

mu sMm m nmxmm:
0 MVO.Jkaco oa o 43 dividen
na razo de 8$000 oor aceao. I
30 Itoncts.
30 mantas de la.
30 pecas de palatina.
254 covados de panno azul.
f62 covados de hollanda de forro.
SI ara*4e aniapem. .**
1,075 vras do brim I ir a neo.
1,000 varas de algodozinho.
42 pares de clcheles pretos.
No dia 2t do correte expe
dir esta companhia para os portos
cima mencionados o seu vapor
Mamanguape, commandante Muu-
a. Recebe carga smente ato o
da 21. Encrtinmendas, passageiros e dinheiro a
frete at As 3 horas do dia da sabida : escrptorio
no Forte do Mattos n. 1.____________________
Para o Eio de Janeiro
pretende seguir com muita. brevidade o veleiro
hrigue nacional Almirante, tem parte de seu car-
regamento proinnto : para o resto qae Ihe hita e
escravos a irete, para 'os quaes tara escolenles
DK
OO meco* cera milho.
Seila-feira lo do correte.
Por conta Oe qnem pert.mcer o agente Pestaa
far leilao de 200 saceos com excetiente milho no-
vo em lotes vontade dos compradores: sexta-fei-
ra 16 do corrente pelas 10 horas da manhaa, no
armazem do Aunes.
LE1L40

Se\U-feira <6 do frrenle, s ii ho-
ras, a rta da Cadeia o. 53.
de
A casa terrea aovas sitas ra Nova
do Pires d- is. 2,4,6 e8, confronte
ao Hospital Militar.
Pelo agente Euzebio se vender em leilao as ca-
sas terreas como, cima deseripias e mais com
cummndos, trata-se coraos seus consignatarios An- porta e janetla, duas salas wjulares, t quarlqs
Ionio Luiz de Oliveira Azevedo & C., no seu es cosinha tora, cacimba e quintal, chao proprio : os
criptorio rua da Cruz n. i. prelendenles acarara aproveitar a opportunidade.

^


/
T
CUrlo f-rr
Cuarta *-ira i4e*ietemfcrc4e 18 4.
VW^
DA
2 vaccas (urinas.
Wxta-felra 46 de eteuabr*.
O agente Pinto faii leilao par conta de quem f$
pertencer do duas vascas toninas as quaes do
bastante leite nao obstante urna nao ter cria, e j
e.-tS aclimatadas ; o leilao era etTectuado a i
hora da tarde do dia 16, em frente ao primeiro
sobrado a esquerda do lar$to do Hospicio, o*e
haver leilao de movis anteriormente.
LEILAO
EXPLEIOIIH
DE
MOBILIA
Sabbado 17 da crrenle.
O agente Pestaa legalmente aulorisado por una
pessoa que se retirou para fura ar leil) de to-
PILl'LAS CMUHICftS 91 AYEli.
Estas .pilulas vagetaes sao a-
daptadas a todos s usos de ura
purgante as femi^as, pois sao
perfMlatHente innocentes, e era
quatato milhapes de pessoas cot-
fessaai om ;gralidao que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha
um s aso em yue haja stispei-
tas di triis leve resultado inju-
rioso por scu uso.
Publicamos aqui alguns dos
attestadds que atemos de curas
liclaveis feitas ltimamente.
Um caso notavel de
AlTeeeit ehrMica do ifigado.
Illm. Sr-
Jaiz de Fra, 17 de foveneiro de 186i.
Tondo I cito uso das pilutas catharticas
dos os objectos que compunham o ornamento de de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
sua casa, a saoer : urna elegante mobilia gosto rQ^ tendo lirado um resultada nao espera-
f^^4jVacf^aaconi^18/atKn,nco,t Jo.-; padecendo ha mais de deze annos en-
entalhe, 4 ditas de bracos, 2 ditas de balaneo, 4 ... ,
consolos, i sof, t jardinira tampes de pedia, i fcMwdades do hgado e baco, coa o uso
dita constando de 12 cadeiras, 4 ditas de bracos, das {ululas, posso lhe assegttrar que estOU
i sef, 2 cobsoIgs, 1 mesa redonda tudo de jaca- ^ota, p0S len j0 desappaneciO um grande
randa e uaos de pedra, 1 esplendido lo|llete i tn ntria nafran rlrps
obra de gost de Jacaranda eomtampo de paira e e^OtgltamontO que soitua, IBUlUtS UOres
espelho, guarda vestidos, commodas, u ma sump- obre a regiao do ligado e costas, dores de
tuosa cama de Jacaranda de apurado gosto, dita cabeca, inchacfio do ventre, :rt3o podendo
de molas de ierro, guarda vestidos nkas jarros, deUat-aie seno do lado direitO, SSO mes-
lindashguras de porcelana, toillet deaiogno rom nroriirando nnsiciin nara tnr uvetm hn-
espelho, mesa elstica, guarda louca. .candelabros, mo procinanao posiCdO para ter kOCegO, 110-
serpentinas, candieiros gaz, mesas, eadeiras, vi- je e ariio livre d esse padeewnenlo ; como
dros, crystaes, ajtparelhos do louca de almoco e poraqtM anda as nao haja, MiMMDO tenho
jamar, trens de cosiuha, venezianassalvas de Cste propiio que de casa, lhe rogo man-
prata, paliteiro etc., e muitos oulros objectos que AL^au2l viftms p n rnsj Jg i,lP ,
tornar-seia enfadonho enumera-los e que se acha- .a' "T a*un! *iaios' e cuao ",e sa-
rao patentes ao ecame dos concorrenles : sabbado lisiara, assim bem como do cliarope de
17 de crreme, pelas 10 horas da manhia, na cereja, qmt tive ocessio de experimentar ;
Lingoeta n. 10, tereeiro andar. em urn ataque de guellas que leve urna
!preta que com elle curei, faro uso d'elles
Das tosses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que pepo para
TiwtiitntA ArpliAnlooim P r-A- mandar aluns ^squinlios, e mesmo as pi-
itiiiuiu ai oueigioeuw-i |u|as pode montar a doze> porque tenh0
graplliCO PeriiambllClllO. fe'lo uso d'ellas para uso da familia e al-
Haversesso ordinaria quiuta-feira, W "" Pessoas. todas leem l,rado grande
do crrente, s 11 horas da manhSa. resultado; sou^ ^ ,
Secretaria do
de 1861.
iVISQS DIVERSOS.
CASA DA FORTUNA
aos io:u(K),wio
Bflhetes garantMos
f' ra 4< Crespo a. 23 e casas o eostome
O abaixoassignado vendeuinossaas muito fe4i-
es tilhetes garantidos da lotera qne se acabos
deextrahrra beneflcio da irmandade do Senlior
Bsm Jess da Via Sacra, os segulntes premios:
N. 970 eio bilhete con .16:000,5000
N. 2990 meio bilhete com SiOOOfiOOO
K. 719 dous quartos con iM)O0aO00
N. 2390 neio bilhete cora OOSOOO
N. 4946, bilhete inteiro coro 500JOOO
E outras.militas de 200, 100}, mg, e i&.
Os possuidores poilem vir receber sem os des-
po o. 23.
Acham-se a venda os da ultima parte da segun-
da e primen* da terceira do theatro de Santa
Isabel, quee extrahir sexla-feira li do cor-
rete mu.
Predas.
Bilhetes inteiros..... ]#00C
Meios......... 6^000
Qnartos........ 3#900
Fas* as pessoas qne comprare m
de lOOi para cima.
Bilbetes........ 114000
Meios......... ;i300
Qnartos......, 2,5760
Manoel Martint Fiuza
0 Dr. Rocha Bastos
pode ser procurado das 7 horas da manhaa ao eio
dia, e das 3 horas da tarde em diante no
Caes 9 de \ovembro n. SO.
(POB CUMA DO BII.HAR DOS ARCOS.)
De meio dia s 3 horas da tarde
>. Roa da Cnu-.V 1 H.
Cura radical e em poucos dias as molestias sy-
phililicas e as do apparelho genito-urinario.
OfTerece-se urna ama de boa conducta para
casa de homem solieiro ou de pouca familia : na
ra do Sebo n. 37, sobrado.
<5
Instituto lde setembro
J. Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
De V. S. atiento obligado,
FitANcisco Ferkeira Paes.
?M
Aos10:0(MiSOUO.
Corre depois d'amaiiiiaa.
Sexta-feira 10 do corrate inez, se ex>
trahiiia ultima parte da segunda c pri-
meira da terceira lotera (1081) a beneficio
do theatro de Santa Isabel, no consistorio
da igreja de Nossa Senhnra do Rosario da
freguezia de Santo Antonio.
Os bilheies, meios e quartos acham-se
renda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
lilii'iiiiialisiiiii e ataques heinorrhoidaes.
_ i Illm. Sr.
Ouro-Prelo, 30 de marro de 1864.
Posso certiicar-lhe (|ue as pilulas ca-
tharticas do l)r. Ayer sao excedentes, pois
que soffrendo eu dores pelo corpo, e que
suppunha ser rhetimatismo, (molestia esta
que j havia soffiido ha annos") c soffrendo I
O
td
o
i
1
P
w
0
>
-
w
B
0
CO
GO
B
g
|
P5
B
2.
g
O
O
g
fa-
go
5-
o
s?
M
ce
O
p
ce
-i
3
I
o
p
CD
B
cx>
'.
P3
CO
B
o
CD
P
PS
m
p
i
p
pe
co.
p-
O
n
O escrivo de paz doprimeirodistric-
lambem de ataques hemorrboidaes, e de 'i0 da freguezia de Santo Antonio abaixo as-
um ouvido, pois que at j pouco Olivia, e; signado mudou o seu cartorio da ra de S.
acompanbado de urna domo queixo, con-1 Francisco para a ra do Imperador no pri-
sultei a um dos nossos metbeos, e este me meire andar da propriedade n. 71.
disse que devia fezer uso da salsa ; porml o escrivo,
lemlo eu o almanack do mesmo doutor, | Joaquim da Silva llego,
comprei em sua casa um vidrinho das mes- j
O abaixo asonado faz scierrle s pessoas
ijue pretenderem passr a festa na cidade de Olin-
da, que acabale construir urna asa terrea Da ra
do Xavier de Santa Rosa, na quina da nema ra,
com vista muito xoellenle para todos os lados,
com bastantes oom A Semana Ilustrada que e publica no Rio
de do J. Falque, ra do Crespo n 4 ; pseco da assig-
natura, trimestre 65, semestre 115, un anuo 18.
_N. B. Os assignantes da Semana alustrada te-
rO'Ho fim deste anno um quadro com os retratos
Compra-se effectivamente
ouro e prata em obras velhas pagaadose bem :
na ra larga do Rosario n. 24, toja de ourives.
Compra-se um escravo, que seja sadio e en-
tenda doofflcio de carpina : a tratar com Antonio
ao tauo e terrago ao fundo, muito boa posicao ou de todo o gabinete do Imperador e da cmara dos de oura Rolim, a ra do Queimado n. 31.
Na ra de S. Jos n. 24 !.a urna ama para
casa de pouca familia, a qual sabe fazer todo o
preciso, e muito telosa.
Quem precisar de um;i .pessoa que sabe co-
zinhar perfeitanwntc, |>ara casadle pouca familia,
de portas para dentro, pde dirigirse ra da
Cruz n. 63, srgundo andar.______
Precisa-ce de um homem para traballiar em
um sitio c plantar: na ra .Nova, armazem de lou-
ca D. 49, se dir quem quer.
Antonio Jos Candido de-Souza, sua senhora
e um liiho menor reliram-se para Portugal tratar
de sua saude.__________________
Precisa-sealugar urna escrava, paga-se bem:
na ra do Hospicio n. 62.
Raneo Mercantil Portnense. e na ausencia
do Sr. Joaqnim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer somma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que tomaren!
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Raneo, descontando 4 0|0 ao anno: na
loja de chapos da rna do Crespo n. 6, ou
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
Precisa-se de urna ama para todo o servico de
Joao Caetano Gomes, Porluguez, vai para al <"* casa de pequea familia : na ra da Soleda-
provincia do Osar. de n. 31.
Precisase de um criado di* 10 16 annos
I na ra do Corredor do Rispo n. 24.
No armazem da ra da Cruz n. 33, se dir;
quem compra aceoes
Ltilidade Publica.*
A cees.
i*d
da companhia de seguros
Precisa-se de
ongommar
ro20.
Aluga-se a casa n. 40 da
ras : na ra da Aurora n. 36.
ra das Trinchei-
Comprase urna escrava que saiba engom-
mar e cozinhar : ua ra do Crespo n. 18, segundo
andar.
Compra-se urna casa al 500,5000 que seja
nesta cidade ou mesmo nos Afogados; a tratar na
ra das Larangeiras n. 7.
Compra-se
jornaes para embrulho a 140 rs. a libra : na fa-
bnca de cigarros, antiga ra dos Quarteis, n. 2!.
COMPHA-SE
um piane de armario que estela em bom estado :
a tratar na ra de Santa There a n. 18.
Compra-se um escravo de meia idade: quem
o tiver annuncie por este Diario, ou entenda-se
com o capellao de cemiterio publico, residente na
casa contigua aos muros do mesmo cemiterio.
urna criada que saiba
na ra da Florentina nume-
Attencao.
O abaixo assignado faz atiente a todos os ere-
dores do Sr. Dr. Francisco Joao Carneiro da Cu-
uha, que tcm procuracao bastante do mesmo Sr. e
de sua senhora, D. Herona Puppe da Silva Car-
neiro da Confia, para vender o seu engenho d'A-
TEND1S.
Vende-se um cabriolet de 4 rodas em per-
feito estado por commodo preco : no Mundo Novo
cocheira do Chico Meira.
Uvas
L'vas de superior qualidade a 15 a libra : no
gua, para pagamento dos mesmos seos credores, armazem da Aurora Rrilhante no largo da Santa
Na madrugada do dia 11 do corrente furtaram pudendo desdes data desteannuncio at realisar-se Cruz, vinda neste vapor,
da ruada Concordia n. 62, nm cavallo rodado pe- dila venda, tirem toda informaoao do dito enge-
drez com os i ps arregazados de rodado, tem 3 nho na ra do Appollo n. 39, primeiro andar -
Em Garaeleira,
dos Santos Porto, ven-
nda no ultimo navio,
dos: roga-se s autoridades policiaes ou quem o ciso fallar-se a respeito da bondade do engenho,
aprehender que traga i dita casa que ser bem Pois e elle um dos melhores da provincia ; quem
recompensado. pretender dito engenho, appareca quanto antes,
pois nao se pde demorar muito a venda. Recite,
G BARATA
Vende-se urna armacao de taberna em ponto pe-
queo e bom estado para quem se quizer estabele-
eer com pouco dinheiro : a tratar na taberna do
Principe n. 32.
gocios de seu interesse.
Aluga-se ou vende-se urna canoa para trafico
de capim por commodo preco ; a i ntc:ider-se com j letras, visto como o ajuste foi dependente de con-
Manotl Rarbosa no estaleiro da ra Nova. | dicoes, c nao tendo sido preenchidn, nao corre
Precisa-se de una mullier estrangeira de
bom comporlamenlo para se ocrupar em servigo
interno de urna casa de pouca familia; a tratar em
casa da viuva Carvalho, em S. Jos do Manguinho.
\ IMII) PIRO
Os Srs. Antonio Fernandes de Paiva, y de seteibo de 186*.
Antonio FigueiredO de Paiva e JooPe-j________Antonio da Rocha Accioly Lins.
reir Goncalves, tenbam a bondade de V- O abaixo assignado tendo arrendado a Oo-
rem ra da Cruz n. 4, primeiro* andar,! mingos Vaz da Costa Agr o engenho Thom e di-
com toda a brevidade para tratarem de ne- ^ersos craw, e tendo passado letras correspon-
rxcw\t\e .lo con ntorocco dentes a renda total dos referidos bens, que se ha
de lindar em maio de 1867, previne que ninguem Chetjpu afinal o afamado viuho do Cartacho senv
faca transaccao com dito Acra sobre as referidas ^nfeicao, e vende-se nicamente na ra do Cres-
letras, visto como o ajuste foi dependente de con- P n\9> armazem Principal, a 30 a ancora de 9
Manotl Rarbosa no estaleiro'da ra Nova.
obngaco da parte do abaixo assignado, nao obs-
tante exisliremem poder de Agr letras na impor-
tancia de todo arrendamento.
Gongalo Gomes de Souza.
caadas e a io a garrafa.
O abaixo assignado faz scienle ao publico, e
especialmente as pessoas com quern nutre tran-
saccoes, que o Sr. Antonio Lopes de Carvalho foi
despedido nesta dala de caixeiro de sua casa cora-
mercial.
Reclfe, 10 delembrode 1864.
Jos Augusto de Araujo.
a 15 a ancoreta, em porcao se far grande abati-
mento : na ra Nova n. 8, loja do cha.
Lucas de Jouvin.
A loja da Autora na ra larga do Rosario n. 38,
recebeu lavas de Jouvin de cores e brancas para
homem e senhora, muito frescas, chegadas pelo
vapor francez.
Copeiro.
Os premios de 10:000^000 at *)*>00 | S?,,U,?sfmP;sr L'ffi 'melemis I Precisa"se de um ^ ^ro e
serao pagos urna hora depois da extraeco i ,,.m',-|,,s',e sCra as unaiisar a. o-me &em as ruado impe,.adur n. 9 sobrado.
ats 4 horas da tarde, e os outros no dii ddr^ ')el C0,'P ; f sem sentir' sare,1 d.
1 luvido, e mesmo dos ataques hemorrboi-
na
seguate depois da distribuicao das listas.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
Ama de leite.
Precisa-so de urna ama do leite nn rna dn Im
perador n. oO, segundo andar._______ _____
Arreo tase ou v.Mile-se urna casa com pe-
queo sitio nis mmfldiagdes de Swn"Aiiiia, visi- j
nha ao sitio do Sr. Joa-j Alves Machado, lojisla ;
de cnostnifcSo mo lerna n f.-ita este anno, com
estribara, jardime boa cacimba de agua djee com
bomba ; o logar sen lo bstanle amenoe audavel,
e margen) do Capibaribe, offerece as melhores
vanlagens para o passamento da festa : o pretn-
deme dirija-se ra da Cruz n. 17, lerceiro andar.
Por ordem do Illm. Sr. presidente convido lodos
os membros da directora provisoria a compare-
cerem a sessaoquo Javo ter I ugar sexta feira 16
do correte, < 6 horas da larde, no Gabinete Por-
togooz de Leitnra.
Secretaria do Monte Pi Porluguez em Per-
nambuco aos 13 do setembro de 1864.
Joaquim Gerardo do Bastos.
2 o secretario.
freei-a -e de mu criado forro ou escravo
de 14 a 1" annos : a tratar na ra da Imperatriz
i). i:l. lerceiro and.ir.
Ama i escrava.
Precisa-se de una ama forra ou escra-
va que saiba cosiuliar e cngommai*. paga-se
da casa
daes : portanto sito fiara mim as taes pilu-
las as melhores que tenho experimentado;
isio em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo corlo, venerador e obligado,
O brigadeiro
.lo.vo Rodrigues Feu de Cvrvalho.
Caslrite.
Ouro-Prelo, 2!) de marro de 186 i.
Attesto que tendo feito uso, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
liquei perfeitamente bom de urna gastrite
que solTria e que privava-me de andar aper-
lado, boje felizmente nada sinlo.
ArccsTO Gollati.no de Mello.
Vice-coDsolado d* llespanha.
Havendo fallecido o subdito hespanhol Rento
Antonio Coutinho, sao convidados todos os seus
devedores e credores a apresentarem neste vice-
consulado os respectivos ttulos para proceder-se
liquidaco d > seu espolio
^liii sis isiaisi
o-m-panuia UueTIdade dc-fi
seguros martimos e ter-
restres estabeleclda no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .i.
bem : a tratar no segundo andar
da rna da Imperat'izn. 47.
l'erdeu-se de um carril Uiiia sacra le cafi,
da escadinha al a entrada da ra Direita, nuem
der noticia ser gratificado : na ra Direita la-
berna n. Uili.____________________________
Precisa-se de um amassador e aluga-se un
preto: na nadara em Santo Amaro atraz da (un-
dicio do Sr. Slarr.
Falla de apetite.
Ouro-Preto, 2'i de fevereiro de I80i.
Sendo cu affectado do ligado ha muilos
anuos, e ltimamente sofri falla de apetite,
hoje dou pracas a Deus por achar-me sio
e perfeito com o uso das pilulas catharticas'
do Ur. Ayer.
Antonio Bento Vieira.
Na praca da Independencia, loja de ourives
n. 33, comprm-se obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert._______
&HAMDE
Fabrica
DE
Foffos de artificio da viuva
Alexandre da Cosa Canto vende ou permita
por predios na povoacao de Gameleira ou nesia ci-
dade, por escravo-, a sua propriedade denominada
Atalaia, sita junio da villa da Kscada, margem do
rio Ipojuea, circundada pelo rio. e a linha de ferro,
e por isso livre de questoes de limites, nelia existe
um cercado para manter l vaccas de leite, boas
baixas para capim, c terreno muito productivo
para plantar qualquer lavoura com urn pomar de
larangeiras e diversas outras fracteiras, bastantes
bananeiras, em cujo terreno existe edificado um
sobrado a gosto moderno, com commodos para A
urna familia, 10 moradas de casas terreas que es- A loja de sapatos do pateo do arsenal mudou a
tSo alagadas, e ama taberna muito afregnezada, sua liquidae.iu para a ra da Cruz n. 17; vende as
de Sim.io Pinto, e como constou ao mesmo abaixo cuja propriedade paga foro a aldeia da Escada fazendas por precede graea, como seja, marroquim
assignado que a Exma. Sra. Raroueza de Ipojuea 125 por anno : quem pretender, procure o an- novo prelo a 18 a duzia, recebendo notas do ban-
tenciona vender a dita propriedade, faz o presente niuniante em sua propriedade, ou communique co do Brasil. _^^^________
annuncio para que em lempo algum baja a menor aos ISrs. Correia Santos, na ra do Livramento Yende.se a taberna atraz da matriz de San-
ignorancia, o como tambem ale o presente nao paia ser procurado.____________________.. ,_.._;._ lo -------------..-j ._ r......
Aluga-se um segundo andar na ra da Pe-
nha, e a casa terrea na ra da matriz da Boa-Vis-
ta n. 30 : a tratar na mesma, das 9 horas do dia
s G da tarde.
(I abaixo assignado faz scienle ao publico,
quo consenhor da propriedade denominada Praia
LM
tteneo
tem recebido arrendamento algum.
_________ Manoel Jos Nunes de Medeiros
Na na da Cruz n. .*J'J precisase de urna ama
ii.u .i u servico interno e externo ae urna casa.
Na ra de Santo Amaro n. 18 ecebe-se rou-
pa para lavar e engommar, por preco commodo :
quem precisar, dirija-se mesma casa, que adia-
rjiomiraerntralar._______________________
a ma de leite
Na roa Direita n. 89 precisa-se de una ama de
leile, nao se duvida pagar bom ordenado, sendo
muca e sadia, preferindo-se branca ou parda.
Club Pemambucauo.
A reuna* familiar de corrente ra
ter 'ujiar na noiic do dia \\.
Aluga-se a sala c qnartos da parte de detraz
do primeiro andar da casa n. C3 da ra do Impera-
dor com vista para o passeio, propria para escrip-
torio, c morada de pessoa solteira
mesma.
Precisa-se de um Porluguez para feilor d
engenho : na praia do Caldeireiro n. 20, primeiro u.aniia.
to Antonio n. 18, com poucos fundos, on faz-se so-
ciedade com quem queira entrar com alguma
andar.
Precisa-se
Verdes n 92.
de una ama: na rna das Aguas
Precisa-se de um forneiro que saiba bem des-
empenhar o seu lugar ; a tratar na ra larga do
Rosario n. 16, padaria.
Alura-se
lyi
urna grande casa e siiio confronte a povoacao do armazem 10.
Monteiro, a margem do rio Capiharibe, rom boa
baixa de capim, e todos os Commodos para urna
grande familia : a Halar na rna de Apullo n. 1,
segundo andar.
Precisa-so aluear um molcque : a tratar na
rna do Hospicio n. 78.
Charutos de Havana
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schafleitlin & C, ra da Cruz n. 42.
Fumo de Garanhims.
Vende-so urna porcao de superior fumo verda-
deiramente de Garanhuns : na ra do Queimado,
KZ S555
Grande
PECHIUT.HA
Precisa-se de una criada livre ou escrava.
que saiba cozinhar e engommar : na ra das Cruz
D. 42, primeiro andar.
Precisa-se fallar ao Sr. Antonio Jos
Teixeira de Mendonca Belem: nesia tvpo-
graphia, ou na livraria ns. 6 e 8 da praca da
Independencia.
DENTISTA DE PARS i
19Ra Nova-19
VIS
ao respeltavel publieo.
Carlos Walter, relojoeiro na ra da Imperatriz i
n. 18, avisa aos seus freguezes e ao respeitavei I
publico, que se acha encariado para vender um
bello Mirtinieiitn de relogios patente inglez c chro-!
numetro, tanto de ouro como de prata, do afamado |
fabrieatiie James Horuby, por preces mu ilo com |
modos e deliaixo de sua garanta.'
Constiparan, dores de caliera.
Oitro-I'reto, 28 de marro de I81H.
Atiesto que adanJo-me atacado de urna
forte eonstipacao que trouxe-me dores por I RllfillO
tndo o corpo e na cabera, soTri horrivel- ,. ,-,,- u-'
m-.ni., .. .. ...,* t i- .- -Nesta acreditadsima fabrica recebem-se en-
mcnle por espaco ue quatro ibas; entao' commen las de fogos de artificio para dentro oo
um amigo aconselhou-me que tomasse pi fra da provincia, garantindo-s s pessoas que se
lulas atliarlicos do Dr. Ayer : com ellas fi- i dingirem este estabeleciment acharcm reunidos
quei sao e complelamenlc reslabellecido em'0/ estos Perfeic:l0 nos ar"80S ahi fabricados,
i!. ^ i- ,t. .-i COM,u^JCVIU" "-" As encommendas recebem-se no armazem da bola
i tres has, de sortc que estou no ffirme pro-1 amareiia no oitao da secretaria da polica.
|pos:to de aconsejronse das ditas pilulas( Manael Anlon0de Carvalho e Silvaa(;na_sc
j a todas as (tessoas (jue lorcm allectadas de' justo e contratado comprar a taberna do Sr.
consiifiaces. Francisco Antonio Martins na ra da Imperatriz
I AGOSTINHO JOS DA SILVA, negociante de fa-! 34> Pe, 1ue *** a ,odas as Pessoas que alguma I Peco e^mpre^ladas ou compro as cartas de
7P. -i bjecQo tenham a fazer, o bsequio de se apresen- Pitia a Damao, por Fr. Joaquim do Amor Divino
______________| tar nestes oito dias com suas reelamaedes. Rocife Caneca, e o Astro da Lusitania, peridico do Lis-
Precisa-se de urna ama de leite, sadia e sem
a tratar na filhos, paga-se bem : a tratar ua rna do Mondego
numero 2.
Precisa-se de urna ama para cosinbar e com-
prar, em casa de homem solleiro : ra do Quei-
mado n. 41,loja.
I
Fredenco Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operacSes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaes, tudo com superio-
rittade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas lhe reconnecem.
Tem agua e pos denuncio.
s
Francisco Antonio Martins, sendo aconselha-
do pelos facultativos de ir a Kuiop.i tratar de sua
saude, vende o seu estabelecimento de taberna da
ra da Imperatriz n. 34 ; e porque se ache de ca-
ma e nao possa por esta razao ir procurar aos pon-
eos credores que tem, roya a <;stes de coinparecc-
rem na mesma taberna para si-rem embolcados.
ATTENCO.
irriiarn do estomago.
Ouro-Preto, 2!) de marro de 18i.
Ama tie le te
Precisa-se de urna ama de leite que seja moca e
sadia : na ra estrella do Rosario n. 3z, primeiro
andar.
Ha para alugar ura primeiro andar um ter-
ceiro dito com sotao, ambos na ra do Encantamen-
to ; urna loja na ra do Amorim e urna casa ter-
rea na ra da Alegra : a tratar com Joao Ribeiro
Lopes, ra da Cadeia n. 33, loja.
Para passar a frsta
No largo do Mont'eiro. margem do rio Capihari-
be, alnga-se a ca-a denominada- Canna Fstula
ouir'ora de Xislo Vieira C Iho a tratar na ra
do Crespo, loj-t n. H. esquina da do Imperador.
10 de setembro de 1864.
Aluga-se um* casa lerjea ua ra da Man-
fnetra da Boa-Vista : a tratar na ra do Livra-
mento n. 39, ou em OliBda, ra de S. Rento, com
o pramotor pablicd
enh'n
tres
fiernardo Alves Pinhpiro, qoerendo retirar-se
Je-ia |.rjvim-u. roga qjtriii pos.-ue objectos em-
peuhados at o Oin do auno de 18G2, na ra larga
du Busario ns. 17 e l. jonto aoguariol, o favor de
s resgatar no praso de 30 da*, a contar de hoje.
Becif 14 de .-eteiribro de 1864.
O aiiaixo assignado, escrivo da irwandade
do liwiK.r bi,n JeMis das Dores, cm S. Aancallu,
por ordem da mesa ntge lora condo aos devotos
e com Hieciaade aos irmos da mesma, com
parecerem na mesma igreja no da 15 d crrente
inez, tiela* 3 horas da tar.l, alim de asiistiran i
eencao da cruz que in de ser colorada so ron-
tis|icio da referida gr.-ja espera que o* mesmos
irmos e rtVrotos nao d -item d comparecer para
inemor abriillauur o arto assim coma pede aos
irmais tnesoureiros de U nesta oi-casl.o maudem oar uui repique ao signa]
da* girndolas defogo do ar.
m________________Ju< Lucio fa Carrao.
Preci ra do Livramento o. 20, cegando .andar. |

Attesto e juro, se necessario fr, que. sof-
Ifronda ha muito lempo excessiva irritaco
de estomago, pouco apetite e diflicil diges-
tao, d'ella tenho experimentado sensiveis
melhoras depois que tenho feito uso das pi-
lulas catharticas do Dr Ayer.
Antonio Hrrmougnes Perora Rosa.
Lombriyas.
Ouro-Preto, 28 de marco de 1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram empregadas com grande vantagetn por
mim em urna menina de dez annos, que
solTria de vermes intestinaes, notando-se
que os symplomas que ento apresenlava
eram de molestia bastante perigosa.
Raymi nho Nonato S. ra Thiago, pharma-
ceutico.
....
Nevralgia.
Urna caria do Illm. Sr. Francisco Alva-
renga de Azevedo.
____
Ha mais de sete annos que soffria dores
no hombro e uas costas, tomei urna intini-
dade de remedios sera achar alivio algum.
Dr, angustia, oinaento sao palavras for-
tes, porra nao exprimem o que tenho sof-
ini.>: ltimamente tomei as pilulas ca-
tliarticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, o os:
toa completamente restabelecido ; ha tres
dias que nao Sinto a mais leve dr no Hom-
bro nem as costas.
Estas pululas acham-se venda xm prin-
cipaes boticas e drogaras do Imperio, -e no
Rio de Janeiro, ma.Direila n. 15..
Vende-se e.ra Perhambuco:
na pharmacfa franceza de
P. MAURt'fi & C.
W\ NOVA N. 18.

l
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica
de alguma loja de fazendas, que queira ir para a
provincia da Paraltiba, villa de Bananeiras, dan-
do-se bom ordenado : na ra da Cadeia do Reci-
fe, na loja de Jos Joaquim Gomes & C, que tem
com quem conversar. __________
boa.Antonio Joaquim de Mello.
ASPHALTO
Ave-
0 asphaltista Coelho de Alraeida pde ser pro-
curado travessa do Carmo n. 10, loja, das 9 s
12 boras do dia, para os misteres de sua arte.
- Aluga-se urna casa com bons commodos e
tratar com o
ra da Gloria
Praca da Independencia loja n. 12.
Albino Biplista da Boelia, portuguez, relojoeiro c
dourador, tem a honra de participar ao respeitavei
publico desta cidade, ou mesmo com espeeialidade
aos seus amigos, que se acha com loja de relo-
joeiro e dourador, loma qualquer concerio por
preco commodo, e responsabilisa-se pelo seu Ira-
balllo.__________________________________
No sobrado rxo n. li da ra de S. Francis-
co precisa-se alugar nm preto escravoou forro.
Na livraria n. t! e 8 da praca da lnde-
! pendencia existe urna carta de importancia
para o Sr. Antonio Fernandes Corredor.
Precisa-se de um escravo para o servico ex
O dono do antigo estabelecimento do
Passeio Publico n. II. avisa ao publico
[ que recebeu um grande sorlimento de
i chitas franrezas e inglezas, e est resol-
j vido a vender por barato preco alim de
adquirir freguezia e apurar dinheiro.
No Passeio Publico n. II.
Vende-se chitas estreitas a OO r?. o
covado, dita a O, dita larca a 280, dila
a 320, dita a 360, dita a 100, dila a UO.
S no Passeio Publico n, 11,
Vende-se chales de merino bordado a
\ 65S00, dito estampado a 7-3, dito liso a
; 4o00.
No Passeio Publico n. 11.
Vende-se brim branco pardo de listra
i pelo barato preco de "20 rs. a vara, ma-
i dapolo lino a 3 com 20 varas, dito a
t 7,5800, dito a G58O0, casemira prela a
i 15800o covado. panno lino a 355'00, dito
superior a Ii550.
S no Passeio Publico u. 11
Vende-se grvalas de seda a 200 rs.,
ricos cortes de vestido de cambraia a 45,
lencos bordados capricho a 200 rs. as-
sim como outras fazendas qne s vista,
tambem se dao as amostras deixando
penhor.
Pede-se encarecidamente ao Sr. Andr
lino Sobreira de Mello que tenha a bondade trazer tresca, em sanl'Anna de dentro: a
ra da Cadeia do Recife n. 48, primeiro andar, solicitador Manoel Luiz da Veiga,
as duas serpentinas que pedio emprestadas em numero 94.__________________
nome do Sr. Furtado Coelho para o primeiro es-. ~ o Dr. Rocha Bastos mudou
pectaculo do Apollo. _________ para o caes Vinte e Dous de Jovembro n. 30, por
Enfeites moderaos para
c* beca.
Na ra larga do Rosario n. 38.
A loja da Aurora recebeu enfeites muito moder-
- terno e interno de urna casa pagaudo-se 18 por nos para cabeca. o qual se vende barato ; assim
mez : na ra do Queimado n. 29.
No hotel da ra do Trapiche n. 22 precisa-se cima do Bilhar dos Arcas,
de um cozinheiro.
Sant-Clalr
Precisa-se de um moleqne para servico de
casa de rapaz selteiro : no escriptorio da compa-
residencia ph'a Pernampcana se achara com quem tratar.
Quem nao quer ser lobo nao lhe vista a pe-
le. Quem tanto brio tem cumpre o que trata, e
nao.... se.... soccorre de protestos e palanfrorios,
com o fito de palliar : assim pois, acoriselha-se a
Jos Antonio da Silva vendeu sua taberna no das Ibas ou os desterrados na ilha da Barra, ro- quem couber a carapuea. que o melhor partido do Ouvidor.
pateo da Ribeira n. 23 aa Sr. Bernardtno Pacheco manee digno de ser lido pelas senltoras por seus ,,ue dcve lomar u0 jar niargem gaiatadas, as -------------
dos Santos, livre e desembarazad i : quem so jul- lances interessantes postos em execu^o por urna nSm s como recebeu enfeites de cano de muito bonitas co-
res, e tambem ditos de trancinha lisos, e multas
turas miudezas, as quaes se vendem baratas :
quem duvidar, mande buscar as amostras, pois a
vista faz f._________
Excedentes uvas peras e macas chegadas pelo
iiI lime vapor
Na ra do Imperador n. 14, esquina da travessa
gar credor, appareca nestes oito dias na mesma senhora, 3 yulumes ero brochura a i&': na livra- acifi<-os, visto como os judiciaes senam impro-1
taberna. na ns. 6 e 8 da praya da Independencia._______i caos.O Vergonhoso.
A sociedade commercial que gyrava nesta Antonio Joaquim de Mello advoga no civel e !? IB ia> ,
praca sob a razao de Frncelino Izidoro Leal & C., crime, e perante os jurados; e graiuiamente aos | Kj % IPIL
tendo tido dissolvida desde o 1 de maio de 1862 pobres: na ra do Imperador n. 14, das 8 horas Perdcu-se um indlspensavel fsacco de braco) de |
por convenjao entre os mesmos socios, fleaodo po- da manhaa s 2 da tarde. ccuro preto j usad, desde a ra Nova at o Ca-'
rm o i socio nico responsavel pelo activo e, ; changa, tendo-se dado urna volta desde a ra do
passivo da mesma Arma com a faculdade de poder
usar della at quando lhe conviesse, resolve que
do 1* do corrente em diante a firma commercial
ser Frncelino Izidoro Leal, por assim havermos
tratado.
i lincheo. E
Veril para o lado da ra das Larangeiras um
checheo manso e cantador : quem o apanhoa o
nao o quizer possuir como roubado, dirija-se ao
cartorio do tabelbo S, que dar alviearas pelo
achado._______ _____________________
- Na ra da Cadeia n. 20 tem urna carta para' r*!" ****** Bfliza' ,
o Sr M A Rc*ert. I Venham tod"s trocar por gneros as notas
GRANDE
PECHINCHA
Na loja do Passeio Publico n. 11, vendem-se as
as notas da caixa filial.
ORDEM DO DIa.
O Baliza d clara qne nao vola na chapa dos
partidarios que pregam a fallencia da caixa filial.
O terror espa'hado nesta cidade passou de largo
ra Nova n. 43, ser recompensado.
Precisa se de urna :
Rosario n. i, segunde andar.
na ra estreita do

Urna senhora bastante habilitada para ensi- dinheiro
nar primeiras letras, oiTerere-se para ensinar em mero 38.
qualquer engenho : a tratar com o Sr. Elias Bap-
li.-l.i da Suva na ra da Aurora n. 36, ou no en-
genho S. Francisco, na Vaczea.
da I
_ 'caixa filial, 7- dinheiro serao aceitas na ra do Livramento nu-
, Aragao at o hospital militar ; conimha i lenco de ?0gaintes fazendas, por menos do que em outra
labyrinlho, 2 botoes de punho de coral 1 volta de qua|quer parte, chitas estreitas e flus a 200 rs. o
; coral com una cruz, 1 neo de Imitoi de boira en- covad0) Ain a j^q dila ,ar a 2g0 diu a 3Or
carnada, e algum dinheiro em cobre: quemo dita a 360, dita a 400 rs., assim como outras fazen-
achou e o quizer entregar em casa do Dr. Sabino, das qDe so a vis,a dos comprad0res, e tambera se
; dao as amostras doixando penhor.
Erapreza de illuininacao a
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamacoes
(por escripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser leitas no armazem da ra do Imperador
n. 41. Os machinistas mandados para attendor a
estas, apresentaro um livro que os reclamantes
deverao assignar logo depois de prompto o servico
reclamado; isto para qne a empreza fique sciente
OlTerece-se urna senhora portngueza de bons
cotuitios para caSa de pouca familia : quem pre-
cisar dirija-se a ra da Senzala Velha n. il, ter-
ceiro andar.
COMPRAS.
TINTUKAWA.
Tinge-se com perfeu;o ,oara qualquer
cor, o rnaxs barato possivel-; na ra i
Rangel \. 38. segundo aBdar.
nr- n kV ...*t m ~ "," J-M ?n.roJe Prata o*"8 veas de haverenj os mesmos senbores sido dovidamente
aUyrar-sc a boa casa daga-se bem: na loja de btlbetes da praca da Inde auendidos
terrean. 39 : ra da'fniao. i Icaria n. 22.__________,_ j -_------------------------------------------------
'
Precisa-se de nm meMiio para caixeiro de
taberna na eidade da Vivirla, |irVfrre-se portu-
gus : a tratar aa ra D*au, potara n, 84.
*
Compra-se couro de carneiro : na ra larga I uODlIllft
do Rosarlo n. 10- muito superior em barricas : vende Francisco Oo-
Compra-se cobre volho : na ra do Brum nu- \ mes de Mattos Jnior, na rna larga do. Rosari? nu-
mero 78. mero 24.
]
V
i


t
..


Diario de Pernaubuco 4 u asa fcira 14 de *eleiui>i-o le iH I.


AL.
RA 1IO QUEIMADO X. 4*.
Passand o becco da Congregac&o segunda casa.

NOFIDADE
tereira Rocha & C. acabara de abrir na ra do Qucimado n. 43 um arraazera de raolhados denominado Clarira Comraer-
cial, onde o respeitavel publico encontrar sempre ura completo sorlimenlo dos memores gneros que tem ao nosso mercado os
quaes sero vendidos por preces muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencinela ; garaniose ooom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 c Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinba de Fraiira muito superior a 220
400 rs. a libra, e 1*800, 20600 e 3>0O0 Painco a 200rs. a libra. rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. levada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e Ervdhas poriguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 6SO rs. dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Queiws flamengos do ultimo vapor a 2->800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
rrlom nrain de oito libras e canaslrinhas de i arroba a
a arroba.
Aweixas francezas em latas e em frascos a
141200 e 10600, e em frascos grandes a
2>500.
dem em caixinhas elegantemente cnteifadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 10200,10400, 10600 e 2.
Amendoas com casca auito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mnito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a640 rs. a garrafa.
Ararula verdadeira de inataraaa a 320 rs. a
libra.
Avellaas muite grandes e novas a 180 r<. a
libra.
Biscoutas inglezes de diversas marcas a
1030' rs.
Bolach'uihas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata,
dem mglezas muito novas a 30000 a bani-
qirinhae a 200 rs. a libra.
Banlia de porco refinada a 440 rs. a libra e
em barril a 4()0 rs.
Chhysson, huchin e perola a'10600, 20,
20300, 2#800 e 35000 a libra,
dem prcto muito superior a 2,->000 a libra.
Ceneja prcta c branca, das melhores marcas
que vem ao morcado, a 300 re. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac iosAez fino a 99^ rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
e especi tmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa a 10800,
200 >ft, 20200, 20500, 20300, 30000 e
30300 a caixa.
Caf do Bio muito superior a 280 e 320
.rs. o libra e 80500 a 80800 rs. a arroba.
Cartees de bolinhos francezes muito novos e
bem muilo enfeitados a 700 c 600 re.
Cbouricas c paios muito novos a 800 rs a
L'bra,
dem prato.
dem londrino chegado no utbmo vapor a
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs
cada oh.
Sardinhas de Nantes a 300 rs.
Sag nuwito alvo e novo a 260 rs. a libra
Tuucinfeo de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. aHbra.
Idem-stearinas muito superiores a 60 rs.
libra.
Figos em caixwhas eraieticamenle lacradas
a4>>600.
Virio do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero c de varias marcas, como
sejam : Velno de 1815, Duque do Porto,
Madeira, l) Pedro, D. Luiz I Mara Pa,
Bocage Chamisse e outros a 800, 900 c
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 9O00 e U>000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, MK)e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada.
dem bramo de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaos, Medoc e S. Julien a700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
a duzia.
dem Morgauxc Chateaulumini de 1851, a 10
a garrafa.
dem aauscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
ItOOrs. a caada.
Grande liqidagao.
Rna da Imperatriz n. O.
Loja de faiteadas do Pavo de (jama k Silva.
Acha-se esle eslabeleci ment completamente
sonido de fazendas itiglezas, francezas. allemas o
suissas, proprias tanto pata a praca como pifa o
mallo, prometiendo vender-se mais barato do que
ero oulra qualquer parle principalmente sendo im
porgao, e de todas as fazendas dao-se as amostras,
limando tirar penhor. ou maudam-se levar em
casa pelos caisenosda loja do Pavao.
As chitas do Pavo.
Vendem-se chitas inplezas claras e escuras pelo
barato preco de 240. 200 e 280 rs. o covado, timas
segura* ; ditas francezas de cores seguras a 320,
340,360, 400, 440, 480 e 900 rs. o covado, fazenda
muito su[icriur e bonitos padroes : s na loja do
Pavo.
As laznhas da expositn do Pa\o.
Vendem-se laazinhas as mais modernas que
tem viudo ao mercado, proprias para vestidos e |
soutembarques por serem lisas e de coros mnito |
delieadas 560eu00rs. -, ditas lisas com um lustre
que parece seda 640 rs.' o covado, ditas com
quadrinhos de seda SOO rs. o covado,
bar : na loja e armazem de Gama &
Imperatni n. 60.
0 vestidos d Pavo. ; co granae sortnenlo de galanteras do meiuor. O,5500.
^
wsSkasff as?Js; swssaLwt tsa?' & ,o *- n,ii wa yrs-
es para o comor wec.Mnais barato do que e11 esta volvido a vender por preces muito baratos Qua,,,,rnos de papel pequeo azulado a 20 rs
^^^^^SMr%^^St^J!ZZ P vend, r muito e ganii* gato Alejandre com 200 jardas a
voliaretea 240e mais tinosa 300 rs.
frouxa para bordar a 20 rs.
de tranca de todos os tamaitos
a 15300. a
Grosas de botoes de madreperola muito finos ow
165000 ris.
Carias c caixas du colchetes de superiores qoaii-
18-SOO! dadesa40rs.
1050(K): Hassos de grampos superiores c limpos a 30 rs.
Grosas de palitos de gaz a 25200.
Libras de areia preta da melhor quaiidade a !l)
ris. ,
Caixas redondas para rap c tein muito bonitos ca
langas a 100 rs._______________________
Alfencao
,' sopara ac- j O Vigilante est alerta, nao Ihe era pennittido Xesooru para costura a 80, 200, 400 e 300 rs.
Sirva, ra da'deixar pausar desapercibido seni que nao dsseo ESP,)Vas para limpar denles, superiores a 200 rs.
1 seu canto, alim deannunciar ao respeitavel publi- Libra de lia para bordar da melhor quaiidade a-
SEM SEGUNDO
' liua do yueimaito u. 49, e.-l veiidendo murtf
boas razendas c multo baratas, ipiem quizer podera
vir ver ou mandar para experimentar, assiin come-
soja m :
Gol 11 n lias muito linas para senhora a 300 rs.
; Ditas e punlms de uslao muilo bonitas a 640.
(.'arlas de aliinete depabeija chala de lodos os W-
i manlios a 80 r?.
Resinas de papel de peso muilo b..ni a i$.
Capachos redondos o compridus a 300 rs.
Caixas coii superiores brelas de colla e de roassa
i a 40 rs. ,. .
' CordSo bnneo prosse que tem minia applicacao a
I vara a 20 rs.
Linnasde carnteis garaule-sc IjO jardas liOrs.
' Cartees de linha Pedro V com 200 jardas a 40 rs.
Grosas de peonas de ac muito linas a oOO rs.
Varas de franja do laa pira vestido a 40 ^,
' Ditas de franja branca larga para h-allias a 160 rs.
! Pares de botoes de punliu a 120,320 e 500 rs.
, Thiteiros de vidro com tinta a 160 rs.
! Dit js de barr) com superior tinta a 100 f.
Grosas de. botoes de louca prateado a 160 e a du-
zia a 20 rs.
Kirsk garrafas muito grandes a l,->S00rs.
Alm dos gneros cima mencionados fe- dem de denles a 120 rs.
mos grande poroto de outros que detxamos dem de llr a 200 rs.
de mencionar, e" que ludo sei vendido por Amendoas confeitados a 900 rs. a libra.
pecas-e carnadas, tanto em porcOes como Doce de goiaba em latas omellior possive'i*
retlho- ~ em caixao a 640 rs.
Qucm comprar de 100->0OO para cima te- Palitos do gaz a 2*200 a groza.
r o.abate de 5 por cento. Paas muilo novas a .480 rs. a libra.
1I800, 5J500 e 260 rs. a libra.
Farinhaiio Maranhao a 160 rs. a libra,
dem de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de HoUanda verdadeira marca YD
a 360 rs. o frasco e 6#200 a frasqaeira.
dem em garrafees de 3 e o gaSes a <5)>300
e 7#500 cada um com o garrafo.
Graixa a 400 rs. a lata e l#W0 a duzia.
Lirore^ muito finos a 700 rs. a garrafa.
Uem, quaiidade especial om garrafas muito
grandes, a 1^800 a garrafa,
dem etn garrafas mais pequeas a OO rs.
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
vidro, a 1^000, s a garrafa v*le o di-
nheiro.
Manteiga >kigleza perfeitamenle flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segsjnda quaiidade a 800 rs.
dem francez muito ora a 640 ts. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Maca de lmales em barril a 480 rs. a libra,
ldem-em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros Marrasquinho de Zara, frascos graudes/&jll^
809 rs. jgodozinho com oito palmos de'
dem regular a 300 ts.
Macas linas para sopa: estrellinda, pevide,
rodiuha e alelria a 600 rs. a libra e a '>
a-caixinhacom 12 libras.
Nezes muito novas .a 160 rs. a libra-.
Peixe em latas preparado pela .primeira arte
decozinha a l/> a lata,
Palos de dentes a 160 rs. o ma<;o.
de lazinha transparente com listas, e palminhas
de seda pelo barato pre^o de 85 cada corte : s
na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60, do Ga-
ma & Silva.
As eassas o Pavo a 2, 280, 300, 320 e
360 rs.
Crespo
Ricos porta-joias.
Cofre de muito gosto por
Ceslinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por
: Lindas jardiueiras.
[ Ricos cofres cun crtiuapheu.
S o Pavo vende as finissimas eassas persianas Lindas eaixiabaa com podras brancas.
imitagao de la, com cores fixas, 360 rs. o co-' Lindo balao com catangas dentrn, lam-
vado ^ ditas francezas muito finas 240, 280, 300 j bem para joias.
e320rs. o covado, isto para acabar : ra da. Tambalier para ditas.
Imperatriz, loja de Gama Silva. j Cesliuhas ditas.
Os niaiapoloes do Pavo Cosmorama ditas.
Vesdc-se peca de madapolao infestado rom 12 Urnazinhas.
jardas cada peca pelo barato preco de *$, 45300 e So no Vigilante, ra do Crespo n. 7
55 ada peca, faienda muito superior : s o Pa-
vo ra da Imperatriz n. 50, notando que a pega
leva urna etiqueta com o Pavo pintado para nao
haver duvidas nem engaos : islo previne o Pa-
vo, de Gama & Silva.
-Bramante de Hnho do Pavao
2, 400. 2ttOO.
Vende-se e melhor bramante de linho puro tom
dez palmos de largura por preco muile commo-
do, por ter de acabar a factura, a vara por
25200, 25IOO, e 2,5600; s H) Pavo : ama da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Fauno c liiilio d< Pavo.
105000
105000
18*000
9*000 i
6A00O
65000
05'JOO
Hicos porta bouquetes de diversos gostos e pre-
50S; s no Vigilante, ra do Crespo u. 7.
RiCOS Millos
com bolcwhas ao lado, a 105,125 e 155, ditos sem
bolea porm do mesmo gosto, a 2*300, 35, 35-"i00
45090.
Kicas fivellas avulsaspara sinto, o melhor que se
pode encontrar, a 15300, 2$, 5500 e 35 o par;
s no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Cabazes ou cesliuhas.
Ale quechegaram as desojadas ceslinhas ou ca-
bazes para meninas irazerem no braco, o mais rica
I po-sivel a 25500, 35500, 15, -ri5, "5 : 105; s no
rouuu c inniw vigiiaute, ra do Crespo n. 7
Vende-se Danno de linhocora 4 palmos de lar- Dnte
Ba&JbfW.tttt,S estelo ten, uiSdesortimeitt, tanto WSfflffBW^TStt
NOVA
liqudac* de fazendas de todas as via-
lidades na l-ja c armazem da irar,
ra da 'mperatriz n. 56, deLoure-
co Pecira iedc>r(im:'ies.
Acuvo que se val principia*1.
Vtnde-j-e pecas de panno deliuho para lcn(;oex,
toalhas e seronlas, com 13 1/2 varas por 85500 .,
brim liso por 500. 560,640 rs. a vara : na ra da
Imperatriz loja da Arara n. 56, de Mendes Gluma-
raes.
A Arara vende sotitcmliaripie a 103 e 12$.
Vende-se soutembarques de laazinhas enfeitados
a 105 e 123, daos preos de ^ro.-denaple fino
a 205,225 e 25.5 : capas pretas ricamente enfeita-
das a'255 n 305; camisinhas para senhoras a 2.?
para leooes,-pek) baratissimo preco
assim como tero o melhor algodozinho
largura como' em corpo, propric para 'k-,
misas de eseravos, etc., etc., prego muilo comino- ao V n-
do Avistada faienda; s o Pavo : ruadalm-| *r,ue* ____.
peratrit n. 60,de Gama & Silva. | tmbemehesaram os nquissimos pentes de roncha
Alaod^iBao Leques.
e4i800
Vende-se.pega de algadozintio por ter um pe-
queo toque lado, pelo- barato prego de 45 e 45500 a pega ; so
o Pavao : ra da Imperatriz n. 60 de Gama k
Silva.
Os 53idaas4ios eeouneos do Pcvo e so do
Pava
Riquissinios legues de madreperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato prego
de 125 e 5; = no Vigilante,
n. 7.
Mais tapes
com pequeo dceito, leques de sndalo com pe-
queo deleito por barato prego de 85 o 105, ehi-
Veadem-se os mais lindos e modernos arua- nozes mulo bonitos tambem, pelo barato prego de
N0T\S U\1\\ FILUL
DO
BH^l||
3 ti
Trocarse ditas notas por fozoti^as.
loja da ra do Crespo numero 17.
I4ClII\ASi)EPATEME
de traballiar mo para
deseaa*ocar algodo
FIBtaOAMS
Por Plant Brothers & 0.
OLDAM
I Um
Queta comprar decem mil ris para cimadar-se-lia ao romprader o lucio de
y por cento.
Aproveitem todos. Aproveilem todos.
Paseadas de apurados gostos vindas de Paris.
:-inco

Cortes de t
muilo gosto.
ida de cor di
Colxas de seda para noivos godo.
Sedas de quadro di- muilo
goslo a 15200 o covado.
Moreantiqnes e grosdena-
plcs.
Cortes de organdiz com
barras.
tJhapecs de patita para se-
nhora.
Baloes de arcos e musse-
linas.
e bra-
Capas pretas importanlissi-
nas.
CasacVs pretose pelerinas.
Haquina de ciutura e pe-
iifi;:es.
Eotambarques de eaiemira
de cor com tintura.
Jaquetas de merino de cdf
para senhoras.
.Zuavos pri-tos de s-jda mui-
lo bem enfeitados.
Coragoes, sotambarques de
teda.
Esleirs para forrar sal. a 30 rs. a jarda. Tapeto de superior quahoaae cora
seis palmos de largura a 25500 rs. o covado.
Xa realidade, este estabelecinieuto ollerece rafides vanlagens ao commercio.
Aproveitern todos a occasiao de trocar notas da caixa ganha-ndo cinco por cento.
Raloes demerinde adres.
Fazendas de linho e de al-
Selecias, csguioes
manes.
Cassas, chitas camisas e
gema las.
Peiios bordados para ca-
misa.
Camisas de laa de cor pa-
ra homem.
Madapolao a 7i, 85,95 e
105 a pega.
Dtt I
Estas machinas
podemdescarogar
qualqner especie
de algodao sem
istragar o o,
sendo bastante
duaspessospara
olrahalho^ pode
Jcscarogar urna
i:i-roba de algo-
to em carogo
om 40 miuulos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algedo
i i upo.
Esta machina
apos econmicos e todo linho, tanto para as casas
de familia como para botis, boteqKins, etc. etc.,
ip.lu Itaraissimo prego -de 35 a duzia. islo so na
I loja o favuo a ra va tuipeiauu u. oo, jj o.
I & Silva. _
; Os souenibaraKCs do Pavao i
eV.
Veudem-:e os mais BlOS soutm!;arques que
tcem vindu ao mercado, sendo de casimira de co-
res pelo diminulissimo prego de 125 cada um, di-
, tos de utusambiqne plo diminuto preco de 95, *
na loja do Pavo, mas que se nao enuem : ra
da ImperAlris n. 60, rte G<>sna &-Silva.
Aioalhado do Parlo.
Vende-se panno de lintio adamascado proprio
25400. ditas francya a 35M0 dllos le cambraia
de salpicos a 25500 a peca, dita fina a 35->00, 45
e 55: na ra da [mperatriz n. 56, loja da Arara, ue
Mendes Guima-res.
Ronpa feila barata.
Vende-se palitots prpto de panno a 165, '''5
125. 10 e 85, daos de aipaka a 35 ''5, ditos de
brim brancoa 25300,35. 3*300; calcas de hrirn a
rna do Crespo | e -2;;oi, ditas brancas a 35 < 35o do casemira decores linos a 105, 85 fi5. e 55 ;
! seronlas a 2-3 : camisas brancas a 2,3, 25-)00 e tv
na ra da Imperatrizn. 56, loja da Arara.^
Cnlaiiiihos econmicas a lO a duzia.
Vende se cularinhos econmicos muito bem ttt-
tos a 640 i duzia : na ra da Imperatriz 50, lo
ja da Arara.
d.> rmro linio a 25ut;0 c
45 e 5, bentarallos muito bonitos, tambem por ba-
rato preco de 45 e 55, leques de charo tambem
or 4. iudo isto nara acabar, perdendo-so tal- iJ" v'.']>"J.'. 'i.nmim
vez 80 por ceulj; so no vigilante, raa do crespo 28yn a vara tendo
n. 7.
Pulseiras.
, Lindas pulseiras de cenias c de missana, cores
muilo lindas c de muilo gosto a 15 e I521'1).
Para sepiai* maii(|iiilus.
rambem chegarain as liguinhas etreitinhas de
borracha que as seoboras tamo precisara paia se-
gurar manguitos por ser muilo comniodo o muitu
tralo, a 320 o par; s no Vigilante, ra Jo -jres-
po n. 7.
Canelas,
para tulla de mesa, pelo dunmuio preco de 25-.00 lij(|Uimas ca.J(.ias de madrepcro|a proprai!
rs. a vara.guardanapos de linho a o5 a noza, para qoalqner presente, pelo baratissimo prego de
Sapatinhos meias de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
feitados, assim come meiaszinhas de seda, gorrazi-
n'ias e louquinhas para as cnancinhas se baptiza-
rom ; s no Vigiiaute, ra do Crespo n. 7.
VuUiulias.
Lindas voltin'ias de perolas Falsas comcruziuhas
lint'.iiidi) brilhantes, assim como crnzinbas avnlsas
e vultinhas, pelo barato prego de 15 e 15200. ^s
erases avala asa 400 rs.; s'no Vigilante, roa do
7.
Gclinbas.
toalhas do mo a 55 cada duzia, na loja do Pavo.
ra da aiperatriz n. 60, de Gama & Suva.
ir o o Pavo {a "fCs0 >.
Vendeai-se os baldes aaterfeanos muito superio-
res cora SO e 25 arcos {>elo baralissimo prego de
2,3500 e 45, ditos de 25, 30 e 38 arcos com litas,
muito bem atinados e Umlem tem cores escuras
pelo barato prego de 35500 crida um : s na loja
do Pavo, ra 'da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 ''avo vende-f ra luto.
Vende-se superior selim da China, fazenda tnua
de l.i sem lastro -lendo 6 uauaos de largura pro-
Cresp-i n.
10 a 12 i almo- de larpura
brim branca para caiga a 15200,1-3WO ifloy>
vara, dito pardo a 640, 800 rs., 1 e 15208 : na
ra da Imperatriz n. 5fi, loja da Arara.
Vendem-se baldes americanos os melhores que
lem rindo, de todos os lan anln sa 25240, 25500,
35, 45 e .'*<): s o Arara na ra da imperatiu,
n. SO.
As lau&as da ':.:.. s 250 rs. o avado.
Vendem- :e laazinhas para vestidos de senhora .i
|2i0,320, MW eoOO rs. o covailo, ditas i I
lina-;lisas litio rs. o covado, ditas especiaes a '-i
c 800 rs. o covado : na ra da Iiaperatrii n. 80,
luja da Arara.
Gilas liara las a 251 rs.
Vend iii-.e i l.ii is iJc (...- ilxas .. 240 e 280 r?.,
0 envad '- (iras a 320. 360, 4C0 e
I rs.. o i dilas i ciralas a 500 e600 rs. u
i'uva i" : na i na da [mpi li iz n. 50, loja da Arara
1 Arara veude inadapolao barato a 6>i0, eortsc
de vestidos a Sana i'ia a JL">. l6,o e 18i.
Vende-se p>-ga de madapoln de 24 jardas, ;t
marcas linas n."7 a 75, n. 2 a 85100. + a 85, '*
95, S a io-3, lili a 115 e 125; igodao regolar aS.
dito lino carne de vacca a 65500, dte domestico a
75,

-

a ooo::
Na ra do Queimado u. 40, letreiro verde.
Saperiores e bera armados baloes polo diminuto prego de 25, advertindo que vendem-se por
este prego por ter-se comprado urna grande porgao o qnerer-se acabar.
M;\DA..i LEOm FUi/VDd)... li\C \IJI \)
XAROPE DE RBANO IODADO
Snodo o aiiestadus dos medico dos hospiwes de Paru, cn^gnailos no f"lfi- S^vf^n^S
o> carias Academicot, este Xarope eaiprega-se com o maior successo, em lugar do OLEO M lu*"0 *
BACALHAfl, ao qual elle realmente superior. Cura as molesUas da pelto, as escrfulas, o lymphatlsmo, a
flaides e molleza das carnes, as perdas d' appetlte, e regenera a constiluicao purificando o sangue. t.m
mnaia o rWi poderoso depurativo eoubeeido. Elle nunca canea o estmago ou os intestinos como o
lodus de poUsalum e o loduro de ferro; e administra-te eom malor eliicacidade jos mamnos sujeitos
mi bontores oa ao entupimeatodu glndulas. O pautar cc*c, da bespital de n Luis de raru,
o reconawndia'Mn modo inleiramente particular as molesUas da pelle, coBjunctamenie com as pilutts
'"oepisHo gerat: em Par, en casa de NM. Grima^u c C, pharmaceutlcos, 7, ra de la Feuiuade;
en Lisboa, en casa de Badriga ata. Coaia-Caraalh*; no Porto, en casa de JHel Jaa* ale Son-
Ferrelra; em o Bio-i-Janeiro, lava PcUata Dala, rna do *hSo, 11 em Bahta, en casa fle
laat fnrr- Frrrrtra-Eeplnaelra; em io-CranoV, en cas de Joaqun ae Go4oy; em Harn-
Ue, en casa de Farreira a O; em Per nambuco, tk.ua O, rna da Cruz, 22 Sama, e as principas
pnarmaeias do Brasil. ^^^^^
Deposito geral em Pernambuce ra da Cruz n. 22 de emcasaCaros A Barboza.
i---------------'i----------------- ----------" ~"7'
Pecliintha
'*iidem-se pecas de superior algodo com um
neqWtno toque de avaria, com 20 jardas cada peca
a 5#0UO, dito com 2i jardas, muito largo, supe-
rtor*Hzenda, a 75800. A elles antes que se aca-
benV^ia loja de quatro portas da ra do Queima-
do IV.'IO.
Cal de hUttho.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris :
no armazem de Manoel Teizclra Bastos, ra do
Trapiche n. 13, por preco razoavel.
Vende-se o sitio da travessa do Remedio
freiwzia dos Afolados n. 21 : qnem o pretender
entenda-se com o seu propietario Caetano Pinto. Vendc-so una armay* e os seus pertonecs
da Veras na roa de 8. Francisco sobrado D. -10, da Ulerna, na na travessa do P>mbal, easa n 20:
con queoj vaj para a ra BclU, \ q-3m pretender, dirija-se mesma.
prio para veslides, capas, palctois, calcas, etc.,
c a nica possue as vatagens de nao destruir o no do al- covade, cassas uretas lisas, chitas pretas largas e
godao e de fazer render o dohro de qealquer oa- eslreilas, mangoitos.tolannhos, ponhos, e enfeites,
tra com menos trabalho, a sua introduccao para [uJo pret0 prupr0 p2ra luto fecnado, e muitos ou-
as provincias doste imperio ser de muito valor lrS ar(irT0s ,|ue se vendem por precos mais ora j
I'iqciissimas golinhas e manguito-, oniclhor gos-
to posaivcl, a 25, 25500 e -I-3; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Euteiles para scnltora.
Riquissimos enfeites com laco e sem laeo e de
lo sh-upia a 85, lito pao ferro a '.'5 a peca
tem 20 jardas: na ra da Imperatriz, loja n. 36.
muito valor
para todos os interessados na lavoura dG paiz. c^ta"dVquTeiufflsUa"qnllqn^ por esiar outros muitos gostos a 15._l-ii>i) e 35 : s no Vi-
Asaim com machinas em ponto grande do mes-: nuidanrlo : s na loja do l>avao ra da Impera- 8'^nte. ra do Crespo n.
mo svstcnia.oraql serem movidas por aoimaes,
agua ou vapor, pas uaes podem d6caroc.ar 18 ar-
robas de algodo ampo por dia.
O algodo descarocado por estae machinas tem
muito mais estimac nos mercados de Europa e
vende-se por maiorpreco.
As niachiuas se achara venda uoicamenie era
casa de
Satjudei's Brothers & G.
X. II, prava do Corpe fanto
RBCIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado n. 49 loja de miudezas de Jo-
s Bigodinho, venham vdr a pechincha que se est
acabando certas qualidades de fazenda.
Pegas de fitas elsticas com LO varas a..
Ditas de tranca branca lisa com 10 varas.
Ditas de tranca preta lisa a............
Realejos para meninos, pechincha a...
I'.o.liulias cora superiores allinetes a.....
Caixas com superiores agulhas e limpasa
Sabunetcs de familia, muito tino* a 80 e..
Pares de sapatos de la para enancas a..
Varas de tetado do. Porto muito bom a
100, 120e.........................
Ditas de bico largo grosso a........___
Potes de superior tinta tem mais de meia
garrafa a..........................
Caixas com perfumaras muito bonitas a.
Prascos do oleo de macaca muito filio a .
Ditos de oleo de babosa superior a 240,
320, iOOe.........................
Ditos de cheiros muito superiores em qua-
iidade a...........................
Ditos de agua de colonia muito boa a....
Ditos de dita dita grande a.............
Sabonetes de todo o preco 60, 160, 200,
320 e.............................
Frascos de superior banha a 320 e.......
Caixas de p para -limpar dentes muito
fino a-............................"
Ditos de bsnha transparente a..........
Pares de ligas muito finas para senhora a
Saboneles inglezes da meifaor quaiidade a
Frascos de agua dentrifice superior ga-
rantida a...........................
Ma&sos com 25 envelopBs grandes azula-
do a .....................i........
Varas de fita preta com colche!es a.....
Frascos de maraga perola muito superior
Caixas com piranas grandes a.........
Grosas de botSes para calca preta, miudos
Libras de memento da roupa de lavar a..
Carriteis do relroz de todas as cores e
tem meia oitava de retroz a.........
Varlrde bicos do diferentes larguras a
Trancelins.
Lindos trancelins de cabello para relogie om lu-
tria n. 60, de Gama 4-Silva.
A** percatas do Pavo.
As mais lindas percalas que leu. vrado ao mer- '. l'Jj arat.ssimo proco do 15o00, ditos de
caao polo ultimo vapor itin na loja do Pavo pelo i relroz a -00 rs.
barato preco de 600 rs. o covado ; tilas de listi-1 lliriadnilios cnlreuiews.
nhas muit raiudinhas jiroprias para vestidos e j Riquissimos babadinhos enlreraeios com lindos
roupoes de seiroras, meninos e meninas, pelo ba-; desanos iapados e transparentes, pelo baralissimo
! ralissiiBO preco de 500 rs. o .covado ; garantem-se preco de 15200, 15500, i$ o 35 s no Vigilante,
I as core* por serem do metbor fabricante que as i ra do Crespo n. 7.
tem em Paris : isto na loja do Pavo ra da Ira-1 Casearrilhas.
peratriz n. 00, de Gama & SiWa. Grande sortiraeiUo de eascarrilhas de diversas
As chitas do Pavo 8400 C (larguras, assim como galozinho e tranciuhas pro-
2MHOO O COI'e. j I'1'''1" Para enfeites; So no Vigilante, ra do Ces-
Vendem-se cortes de chita coa dez covados po u. 7.
25400. ditos 25800, com 12 covados; sao chitas Iitag.
mglezas, mas padroes bonitos e tintas seguras ;! Grande sortimento de filas de diversas larguras
assim tem as melhores chitas francezas e de Un-1 e qualidades, por procos que admirara aos com-
as seguras por precoscommodos, a saber : 320, piadores, haveudo litas largas proprias para cin-
340, 360, -400, 440, SO rs. o covado : na loja do leiron que se pae vender a 300 rs. a vara, e peca
Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & de 9 mas a 25; s no Vigilante, ra do Crespo
Silva:" n. 7.
-------Os bordados do Pave Fitas de la.
Vendem-se camisinhas com manguitos e golli- Filas de la de todas as qualidades, proprias pa-
smas bordadas, pelo barato preco de 15 e 15280 ra debrum de vestido a 700 rs. a peca; s no Vi-
240
100
60
120
20 i a*a8 bordadas, pelo barato preco de 15 e 15280 ra debrum de ve
200 cada um, manguitos s oOOrs. cada par, ditos gilante, ra do Crespn. 7
16t) I cota golinfia a 800 rs'., golinhas 400 e 480 rs., de Ricos espelhos.
1001 fil 240 rs. cada golraha bordada, romeira de, Riquissimos espelhos com moldura douralac
(cassa o de fil muilo bem bordadas 25 cada sem e|(a ti sS, 105, 12J e 145, assim como com
160 urna, manguitos que servem para calcinha de me-' celumnas do differentes lamanhos a 25,35,45, 55
100 ninas 640 rs. cada par, camisa cora manguitos e e c; s no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
golas com a competente grvala de seda, fazenda | LMos arres e ligaras,
fina pelo barato W'jPj***-*^*** Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
bordadas que s'.vendem por P^fosmut em <;nfeite daJs;i| seDOsnie|hor gosto qucaqui
conta. su na toja do Pavo a ra da Imperatriz em apparecid(| 0' no vigilante, ra do Crespo
a. bO, aeoama & Silva. n 7
AsranpasdePaio Para pos de arroz.
\ende-se panno nreto bno mortn superior pe o Rqili,sini0, ,m ceom bonFC|a p:ira s de arroz,
barato prego de 25, 25oO, 35, 35o00 e 45, dito d |fi30 e'^ ass, coino
muito (mo a o5 e 65 o covado, ** paco.es s cora os pos a 320 rs. cada um; s no
urna so largura e muilo lina a 15800, 25 e MSOO Vi i|anl ,ua do ^ 7.
e.)5ocovad,o, cortes de casimira de cores a 55, *,"au->,u u pf11IIlsri
.55-500 e 65, casimiras enfestads de urna s cor
proprias para calcas, paletots. coleles, eapas e para
Cuales baralos a I600.
Vende-se chales de lazinha a 1GO e 25,
n-ii.
320
500
100
500
320
400
800
400
800
100
' 600
500
320
15000
100
100
200
200
100
200
200
Perfumaras.
ii>. isjn Biiucis c (Mi 1 uianuo _______ lL. a:
roupas de meninos a 35500 o covado, isto na b.ja das assim como do Pavo ra da iiSratriz n. 60, de Gama & MMwf e f^M,lP
gjlyj Ihorese mais afamados autores de Pars einglaier-
----- 1 ra, assim como os grandes copos de banha japoneza
Potassa da RlISSla, a 25 e .1 15, assim romo muros nbjrctos qne nao e
da mais superior denunbarrada bonlem : vende- possivel por baje annunciar, e vista dos fregu-
se no escriptorio de Manoel Ignacio de Oliveira & zes se fartodo negocio; na loja do Gallo Vigilant
Filho, largo do Corpo Sanfo n. 19. ra do Crespo n. 7.
GoiDina de mandioca.
Vndese na ra da Madre de Dos n. 38, ar-
nazem. ,
Cera liraoea.
No armazem da ra da Cruz n, 33 U"> rom-
pelo sortimento da cora branca em velias para
se vender.
Luvas de pelica pra se-
nhora 1|000! .
GarantP-?e a quaiidade, na ra Direita n. 104,
loja de miudezas.
ii 1'
Veiiiie-nu um preto bom cauoeiro : na roa
do Brum n. 33.
de merino a 35, 45500, 65 e 73 : na ra da Im-
peratriz i. 36.
Corles tic calcas a 16800.
Vende-se cortes de calca para Inum-m a lo>.C.
15800 e >ji)0 boa fazenda : coi les o casemira d>
core- linas a j'O, 5.j50 e ''y. casemira parapalilc!,
calcas e coletes enfesiadas a 35 o covado: s na
loja da Arara, na ra da Imperatriz 11. 56.
Cascniiras para capa de senhora a 2;} e 3 Vende-se casemira infestada propria para capa?
para senhora a 25 o 35 o covado, lanibera serve
iara costum.es por ser de boa quaiidade e lindas co-
res, vende-se a 25 e .'15 o covado: na loja e arma-
zem da Arara, na ra da Imperalriz n. 06.
A Arara vende as percalas a 560 rs.
Vende-se percalas linas para vestidos a 560 i-
600 rs. dulas Irancezas linas a 360, 440, 500 e
560 o covado : na rna da Imperatriz n. 56.
A Arara vende as eapas de grosdenafle a 2$ e 30J.
Vende-se ricas rapas de grosdeoaple prelo par;>
senhoras a255 e 305; sooiembarques pelos tinos a
205. 225 e 255 : na laja da .Arara
farlalaua de cores e liranca a 800 rs. a vara.
Vende-se tai laiana branca e de cores linas a 800-
rs. a vara, fil de linho a 800 rs. a vara : na ru.i
da Imperalriz loja e armazem da Arara, n. 56.
O proprielario da loja e armazem da Arara re-
co 1 menda tuda a atlenco aos Srs. frenuezes que
mandem ver as amostras de todas as fazendas que
annr.ncia, prometiendo vende-las por barato prego.
Perbinclia de lencos de seda a 800 rs. e l#.
Vende-se lencos de seda pequeos a 800 rs.; di-
tos grandes a 15 ditos brancos cora barra de co
res a 200 rs. cada um ; meias cruas para homem a
25400, 35, 45 e 55 a duzia ; ditas para senhora a
45 e 55 a duzia : na ra da Imperatriz n. 56.
Cassas francezas a 280 e 320 rs. o corado.
Vende-se cassas francezas finas para vestido:, a
280 e 320 r?; o covado: na ra da Imperatriz n. 5t.
Mellas de damasco a I5.
Vende-se colchas de damasco para cama a 45,
ditas de fuslo a 55, ditas de chita a 25; ricas chi-
tas para cobertas a .120, 360 e ii-0 rs., ditas aselt
nadas muilo linas a 500 rs. o covado, ditas encar-
nadas a 'oO rs. o covado : na ra da Imperatru
n. 56, loja da Arara.________________________
lina do Crespo, leja 0. 20 .
Alvaro Augusto de Almeida tem no sen estae
lecimento o mais lindo sortimento de fazendas qac
tem viudo a este mercado, receido pelo tflmu
paquete, como seja riquissimos cortes de vestid/
de verdadeiro blunde cora todos os perienccs par;i
noivas, lindos e importantes cortes de sda de co
res, elegantes chapelinu.de palha de Italia, de cre-
p e de dina, chales e manteletes de renda de gi
pur, eapas esouUmbarques de grosdena.les, bor-
nus de casemira, zuavos de laa, colchas de damasr
co de seda e de la para dama, e muitas oulrasla-,
zpp las de laa, linho e algodo. que o mesmo v-ra
der mais barato que auatyneroutro.___________
Esteiras do Aravaty
Vendem-se na travessa da Madre de Dos IQJn. *
1

-
m
ILEGVlU


' MN
..
(Innrta lelra llc Hctcmbr de tlfll
ALLIANCA
57
* ^57 RA DO IMPERADOR
DE
Paulo Ferreira da Silva k Companhia
Grande sortimento de molhados em grosso e a retalho. nico armazem que mais
lagens efferece ao publico.
Desenganem-se todos.
K

I
Alllauca o verdadeiro hornera do progreosso.
o Alliauva o verdadeiro e principal armazem de molhados.
o AlSlanea o armazem que vende mais barato.
o Allian^a o armazem que vende os melhores gneros.
Al lianza o armazem onde preside o melhor aceio.
0
NEM COROAS NEM MITRAS
i
NOVA EXP6SIQA0 DE GNEROS
NO
ARMAZEM
GRAIDfi
AKMI/En
DE
*
Fiquem todos sabedores desta wdade.
Venliam todos ra do Imperador n. 57.
Ventura ver os gneros que temos espostos a venda.
PARA AS FESTAS
DE
S. JOfiO ES. PEDRO.
Auttdoas confeitadas de bonitas cor Ilem de Hollanda em garrafoes com 24 gar-
8oo rs. a libra. | rafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
Mfm de casca muito nova a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
Avclaas a 2oo rs. a libra. zados a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estompas a l,2oo, l,4oo e 4,6oo rs. cada i 8oo e l.ooo rs. as garrafas grandes.
ama- {Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo
dem em frasco de vidro com rolha do mes-1 e 90o rs. a libra.
too ou de metal, a l,2oo e 4, ioo rs. cada! dem franceza nova j deste anno a 6oo rs.
un* a libra, e 58o rs. em barris inteiros.
lejiB em frasco grandes a 2,5oo rs. cada Marmelada especial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a Goo e 64o rs. a libra, ha
dem em latas de I l% e 3 libras a 1,200 e latas de differentes tamanhos.
2ooo rs. I Massa de tomate em latas de i libra a 56o
4rroz da India e Maranhao o melhor que se; rs. cada urna'.
pode desejar a loo e 12o rs a libra e dem para soda estrellinha, pevidee rodinha
2,8oo a 3, ioo rs. a arroba. em caixinhas sortidasa 3,ooo 3,5oo rs. cada
Azeile doce de Li.-boa a Ooo rs. a garrafa, e: urna e 5oo rs. a libra.
4,8oo rs. a caada. dem macarrao, talharim e aletria a 4oo rs. a
; libra.
RA DO IMPERADOR N. 40
JhbIo ao se brado eu qne mora e Sr. Oborne,
Para a feste de Santo Antonio, S. Joao e S. Pedro.
PRINCIPAL
DE
Dolarte Almelda fc C, rrcel.cr.tm de sua proprla encoinmen-
da o malo lindo e variado *ortimeu(o de
da presente eotaeS*.
Manteiga ingleza
da safra nova vinda neste vapor de 28 de
maio a 800 rs. a libra.
molhados, proprlos
Ma^as brancas
fafejm francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e lo.ooo rs. a
saixacom I duzia.
Alfezema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a i 6o rs. a libra e 4,6oo rs. a ar-
roba
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio das sejuinles qualidades: agua e
.Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um
Molho inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Macrasquinho verdadeiro de Za l,ooo"a daa -
agarrafa, lo,ooo rs. a caom i usi.xrc a
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Manteiga franceza
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril
a 500 rs. '
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2)Ji00, muito propios para mimos.
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1#300.
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras Prezunto de fiambre superior a Ooo e 8oo
a 3,ooo rs. e de 3 '/s libras a 1 .5no rs. rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinhas
torn'a-se muilo recommcndavel com espe-
alidade para os doentes.
Kscoos e Bolachinhas de soda em latas de
todas as quadades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em caries e de diversas
quadades a 6lo rs. onda um.
laaba de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril i 38o rs.
Molos novas a I(5o rs. a libra.
i: bebinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
CJisrnpa^ne das marcas mais superiores que j
<\k hoje tem vindo ao nosso menudo a
18,ooo rs. o gigo e l,5oo rs. a t'arrnfo
^ ioteira, e 8oo rs. as meias.
Ci uxnn o meliior que se pode desojar, e
que outro qualquer nSo vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra.
idum perola de esp cial qualidade a 2,6oo e
2,8oo re. a libra, garanle-se a qualidade
deste cha.
Mein hysson o melhor rjue possivel encon-
intr-sa a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
ftteindo Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2ooe l,4oo rs. a libra
ideo) preloinuio fino a l.Goo rs. alibrn.
Ibocolate das melhores qualidades, francez,
bespanhol e suisso a l.ooo, l,2oo e 1/too
rs. a libra.
(Siarutos do acreditado fabricante Jos Fur-
taiio de Simas em a caixas das seguin-
tes marcas: Pariirenses, Suspiros, Diu-
cas, Napolees e Guanabaras a 2,3oo rs.,
* em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
&*Ma de outros muitos fabricantes e de dif-
erentes marcas para l,5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a l,6oo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas intuirs.
Orfiservas iiirlezas a 8oo rs. o frasco.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
jPeixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
outros a l.ooo rs. a latas.
Palitos para dentes a 14o e a 16o rs. o mas-
so dos melhores.
Pamco o mais novo e limpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor, a 3,ooo
dem prato muito fresco a 8oo e Ooo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que al ho-
ie tem viudo ao nosso mprcarln a s rs
a libra.
dem londrino a Ooo rs.
Sal refinado em potes de vidro a ooo rs,
cada um.
Ceneja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
duzia, e 56o rs, a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e
^ meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
roba.
Traques de 1.a qualidade a 0,5oo rs. a cai-
Latas
Chocolates com 40 libras d^baBa a wo.
de todas as qualidades a 1IOOO a libra. BolacMnha ingleza
PreSUntOS infflezeS al800 a barrica damesmaque
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambera vendem a ^2? e m'
temos relbos para 500 rs. J\OZeS
Queijos flamengos as mais novas Amercad0 a la0p'A bra-
chegados neste ultimo vapor a 26oo. OervejaS
ludios [dos melhores fabricantesjede todas as mai
para sopa a mettior que se pode desejar,
macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e utras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem d Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2^800 a caada.
Iden do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a l| e 10200
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar-
cas sao asseguintes: Chamisso AFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Donro e outros muito*.
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
tneijo
londrino o mais fresco que'se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 000 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 000 e 10200.
Cha uxim
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de l.1 e 2.* sorte do Itio de Janeiro a 8-55f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafocs
com 4 [i garrafas com vinagre a 10OOO#
o meinor que se pode desejar, que outro! ogarrafao.
qualquer no pode vender por menos de GExebra de laraxja
Amendoas confeitadas de diversas cores a
64o rs. a libra,
dem de casca dura a 24o rs. a libra,
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
30 a 20600.
Iden perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
O maio nK.nialii.u ,|uc tclu Mimo 3,, nissb
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aletria a
480rs. alibra.
(OftVIC
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo
verdadeira a 10000 o frasco," e dc.H0OOC dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
v hitado < itisflM) nr.
Egqnina qoc volt para a roa do Imperador
ii j-j iwovavel que n3o seja bem aceita a verdade, quando a boa fA tn,w. a.
.llud.da por esta epidemia de nauzeaticos annuncios do cornetas lojUL*JSanda
tras, etc., que todo o dia enchem as paginas deste jornal. reS' **** ""'
ALERTA
s annunciantes n5o tem em vista seno garantirem ao reseitavel ntih!; ,
sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas sUffiaToffii
assentarem fortunas a forca da regra de liga como outros annunciantf deste SF*
PARA OlOS
Wo armazem principal vende-se a todos pelos precos marcados na xmim i.
^t' Tn^ VedC Pr t0d0 pre?0 fazend0-se Pe' de arrota hMoSu aran"
Sra^r dadeSd0SgenerSlr0and0'Se ld ** ^ 8 do %3R
Lentilhas muito novas excellente legume Da-
r sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades de
dem em frascos de vidro a I,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
Idemem latas de 1 '/j libra a l.loo rs.
Arroz do Maranhao e da India o melhor que
ha neste genero de 8o a loo rs, a libra, e
de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
Azeite oce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa el o,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libra.
Azeitonas muito novas a 2.ooo rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. alibra, e 4,4oo rs. a
arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades, em latas
de 6 e de 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a
lata, e 64o rs. a libra,
dem ingleza em latas de 2 e de 4 libras
das melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs.
a lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em caixas de 2 e de 4 arrobas a
^ l.loo rs. a arroba.
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo'
MASS.*a garraf-e 9ors- hr-sas?-"a 14re- ma"
Chi wim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li- dem do "gaz a 2oo rs. a duzia, e 2,loo rs.
3 ftAQ r-c
libra, desnessesario mais elogios nes-
te genero que so se pode verificar com a
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
ou meios a 5oo rs.
Marmellada do 1 fabrcame de Lisboa a 6oo
rs. a libra, ha latas de 1, 1'/, e 2 libras
Maca de tomate em latas de urna e duas li-
bras, a 6oo rs. a libra.
dem para sopa estrellinha, pevide, rodinha,
etc. a 3,5oo rs. a caixa e 56o rs. a libra
Macarrao, talharim e aletria a loo rs a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p.j a 64o rs. o frasco
Molho inglez em garrafinhas com rolha de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marraschino verdadeiro de Zara a l,ooo rs.
agarrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro, ga-
rantindo-se a qualidade, a 7oo rs a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a libra, e
_ 6,5oo rs. a caixa.
P'eixe em latas hermticamente fechadas das
segumles qualidades, sabe!, corvina, go-
raz, cavallmha e pescada a l.ooo rs. la-
ta.
xa, e 24o rS. a carta.
rs. a garrafa e de outras muitas
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPO
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
4 $ fracooo.
GENEBBA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e2o rs. cada caixinha.
LICORES
bra PataC muito novo a 16o rs. a libra, e 4,5oo
rs 3 3rroln
^^.*!ff* ??. Moa (ameydo ultimo vapor.
1 prato niuio fresco a 800 rs. a libra, 6
a 2,ooo, 2,4oo e 2,6oo rs. a libra,
dem uu hio emmas de 2 a 8 libras, a l,3oo
rs. a libra.
rs. a
Uoa franceza a 5on rs.
''i^nac ingle/, das melhores marcas a 1,000
rs. a garrafa e 10,000 rs. a duzia.
non francez superior qualidade a 800 rs.
3 garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
iTmmho e erva-docea 4oo rs. alibra.
troto ila India a 600 rs. a libra.
Caoellaa l.ooo rs. a libra. "
Copos finos para agua a 5,000 rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
^f do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Joce uno de goiaba a 600 rs. o caixao.
Enilhas portuguezas ltimamente ebegadas
a 7oo rs. a lata,
dem ceceas a 16o rs. a libra.
em j descascadas a 2oo rs. a libra.
Pariau de aramia verdadeira a 320 rs. a
libra.
RgOS em caixinhas muilo bem enfeitadasa
1,000 rs. cada urna.
Z-Jem em l?tas ermiticamente lacradas a
t,5oo e 2,5oo rs. cada urna,
dem em caixas de '/* arroba a 2,5oo rs.
rada urna, e 2oo rs. a libra.
Oraisa muito nova a loo rs. a lata e l,ooo
rsv a duzia.
huebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 560 rs. o frasco
tidm de laranja a 1,000 rs. os frascos gran-
des e ll.ooo rs. a caixa com 12 frascos,
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada
ama.
em em garrafoes de 16 garrafas a 4,800
rs. com o garrafo.
Toucinho novo de Liiba a 2io e 32o rs. a
libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs a garrafa.
dem do Purto Lisboa e Figueira de marcas
menos conbecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colaros especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando com-
composico a 56o rs. a garrafa, e 4,000
rs a caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a l,2oo rs a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em 'caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e lo,ooo
rs, a caixa e Ooo e l.ooo rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a 1,00o rs. a garra-
fa, e lo.ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
dem em garrafoes cora 5 garrafas a l.ooo
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
dem de escova para esfregar casa a 36o rs,
cada urna.
Velas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o em caixa.
dem de carnauba refinada e de composicao
a 36ors. a libra, e de lo,ooo a i 1,000rs,
a arroba.
PAPEL
;almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades do 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 20200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulliode l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa
l,4op rs. alibra
Vinagre
PRRem ancoretas de 9 caadas a l,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l.ooo rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 110 rs. a libra
e 4(5400 a arroba.
qualida- finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa[
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,000, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abalimento.
VELAS
; de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
: caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
a em caixas de 2 arrobas a 5$ a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muilo novas
em quartos e inteiros a 2 o quarto e 6500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
; portuguez o mais especial que se pode de-
libra,
libra.
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frotas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaha
?SP^Pr.ielar!0S. d...Srande a^ o Verdadeiro^Principal declaram aos seus
niao e Commercio ra do Queimado d. 7
O Verdadeiro Principal roa do Imperador n. 40

chegadas neste ultimo
FRIJCTAS
MACAA, PERAS E UVAS
Salitre refinado, superior qcalidade, rinho Bor-
deaux, diOeremes qualidades, mais barato que em
gualquer parte : no armazem de E. A. Burle &
C, ra. da Cruz n. 48.
Vende-se
tUbtUsiU na rua da Concordia n. 62, muilo
p-m aireguezada, com os fundos nellas existenles :
* tratar na mesma.
Rua da Madre de Dos.
Vende-sc o sfpiote :
>'*"( ha de mandioca, saceos grandes 4500
I ;irrt!o, saceos grandes, 35600 e 3800.
ttha, saceos grandes, 3$200.
PtiiSo mnlatinbo, sacc.os grandes, 75500.
Charutos da llavana.
Vende-se- superiores charutos da Jlavana era
"GZ de Rabe Schmeltau & C.; rua 19.
Fumo imperial
Corlado igual ao francez muito proprio para ca-
chimbo, em latas de l libra, quando nao seja me-
lhor igual ao americano por 1#200 rs., para veri-
ficar a verdade os Srs. fumantes podera-se dirigir
a raLrica vapor de cigarros anliga rua dos Quar-
teis de Policia n. 21.___________
Superior cal de Lisboa,
Sende-se supi-rior ral de Lisba a mais'nova oue'
na no meread laiui *m porcao :como a.retalho
|K>r tralo pfeco afiancando-se aos compradores a
Mjpetfer qualidade : a tratar as seguintes ras
'.respo n 7, Imperador n. 28, Forle do Matto ar-
goio" V'"a dflfron,e *>napiebi*)ar-
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira quadade a
1(M a lata : no armazeos da rua do Im-
perador n. i6 e rua do Trapiche Novo n. 8.
Aencao.
Vndese simerior viabe do Porto em caixas de
urna duzia : em casa de Johnston Pater 4 C, rua
do Vigario n. 1
dem preto homeopalhico 2,ooo rs. a libra.
Ceneja das melhores marcas a 6,000 rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, suisso e hespanhol a
l,ooo, l,2ooe i,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furia
do de Simas e outros da Babia como se-
jam Regaba, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l,Goo, 2,ooo,3,ooo e
4,000 rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de ma s quali-
dade de cada frasco a 5oo rs.
Cognac inglez e francez a 1,000 rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a ioo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a 1,000 rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.800,
5,ooo e 0,000 rs. a duzia, e 000 rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o c 3oo rs. a
e 8,000 a ),ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a
e 8,000 a 8,500 rs. a arroba.
Doce de goiaba a 600 rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seccas a I6o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo rs.
cada urna.
Graixa nova a loo rs. a lata, l,4oo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5.8oors., e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,800
rs. com o garrafo.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a 1,000 rs. o fras-
co, e ll.ooo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida
l,8oe.a garrafa.
000 rs. ca-
rs.
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a
da um.
Sardinhas de Lisboa e de Nantes a 609
a meia lata, e 4oo rs. o quarto.
Sag muito novo c alvo a 24o rs a libra
Sardinha de Franca a 180 rs. a libra
Sevada a loo rs. alibra.
Toucinho de Lisboa a 2io e 3oors. a libra
Tijoios para limpar facas a loo rs. cada um'.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira das
marcas menos conhecidas a 4oo rs. a car-
rafa, ea 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira especialmente escolhido neste
lugar a 600 rs. agarrafa, e 4.000 a caada.
dem Lavradio, Colares muito fresco eem
composicao a 6oors. agarrafa, e 4,5'oo rs a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,oofl rs. a ancora.
dem branco uva pura a 060 rs. a garrafa
e a 4,5oo a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garra-
la.
dem engarrafados generosos, Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I, D. Pe-
dro V, Nctar, vell.o secco, Malvazia, o
genuino particular de Oooal,oe rs. a gar-
m Ja !*?*!? a eJta com una duzia.
dem Madeirajegitimo a l,2oo rs. a carrafa
ea 12,ooo rs. a duzia. *'*B*rna,
dem Muscatel a looo rs. a garrafa
dem Bordeaos dos acreditadas marcas St
JuhenSt. Estepb, chteau la Ro7e,chataii
Margoux e outros a 6,000 rs, a caixa e 56o
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2 000
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafii e 1 4oo
rs. a caada. '
dem em garrafoes com 5 garrafas a 1,00o rs
Vassouras doPorto com arcos de ferro a Mo'
rs. rada urna.
dem de Oscovas para lavar casa a 36o
cada urna.
rs.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs
a libra, e sendo em caixa a 52o rs.
laeme carnauba refinada e de oomposico
Suissa al a 36o rs, a Jibra, e lo.5oo e (5 ,
j arroba.
ca n c* < o
.>- >r> k w ti *
^s ffi*
fi*
vi ir. a. a v> S. Sf-SI
v.
en

. O, a 3 o
a>
1 *z ^
2
j o
Farturadesabonetes
A Aguia Branca receban un completo sortimen-
lo de sabenetes, e quer distrjui-los com toda a sua
fregueaa que compra a dinheiro vjsta, poris
XS v.eJldeniL pelos. naratissimos precos de 14
1500, KiSm, ti, OO e 34 a duzia, 'sendo
tes de cores e eem diversw mfllfles e flguras, e' traaerem no braco : s seeorontr^"^ .Td"
outros transparentes a 24500, 34 e 44000 a duia ja-Flor, ruado Uuenido d S 69 j d"Beh
E>tes accommodados precos servem bellamente 'T*-,4./w i-*
para que todos lavemsnas aos, lencos, etc., etc., MinitOS e mh&Q
com cheiroso sabonete, e nma vez qoe baja dinbei-
ro, dirija.m-se a raa do Queimado, toja d'iteuia
Branca n. 8. ^^
Balaios para moninas
Lindos balaios de varias postos para menina;

Machinas para descarocai-
O o
w3
.
5
m
9
-

Bichas hamburgu^zas.
NaruaNova n'Ol'Octronte da Htma. cmara
-monripal, vendem-se constantemente bichas novas
por eeos 94 o canto que em ontra qualquer par-
te : recebem-se por todos os vapores.
em eai-
xinhas
Lindas caiaiBhas com nm carlao com a familia
imperial, e dentro de cada cita um frasco o'a
bao o.mais fino qne pasnvel: r
Pler'rua do Queimado n. 63 e 69.
Vendem-se duas
negras, urna perfeiu cot-
nheira e engomma ajgutq^ couse, c outra boa ani*
audeira Cincto: Das Potas D. 80. wl
k. "^ m ^.^"
vi *+ S
? o _
r-r* s
o .a.
ffT
r c w a.
1

3
#2
re
a &
1
| 1 w
a
cg
i '
-0
9
e
s
febricanes: nafiujdtto Bowmaa, roa do Brma a 38.
AKMAZEM
imenlo, roa da t adeia de Becife
fTO^.
venae-se nm balcio de araarella jnuiio o
^ateu-oseoin re^Utro d.fE p*^o|o,
%'eude'je wn sitio no "principio 5a
estrada de Joao de Barros, canto que
volta para o Pombal, em cujo fundo
tem u yatsar-a ova roa, berta pa-
ralella do Principe, tendo deste
modo tres faces pwpms pera ediikures, tem boa
ca4 de menda com qoatro quartos, duas salas e
espacesa cettetn, cacimba com boa nena de beber,
eaieunsarvoredoe. A tarfura do sitio e 888
palmos e fundo de 408 palmos; a largura da casa
i d44 folrnM-o meio f.mdo 78 : a Iratar rua
do Graspo n. JO B, com Alvaro Angust Oe Almel-
da, oo mdo Sebo a. 43, de manhaa at s
huras e larde das 4 giganta.______
Vede-se superior vinho de caj a 300 rs a
garrafa; na rua Augosfa H. 114, defronte do vtvet-
ro do Maoiz.
i

I
i
1
ILEGfVLt
//


DUrle t
Qnarla felra 11 de HHemhro de tt4.
*
V.-
ATTENCO
Os presos a seguirte
tabella para todos, po-
deudo asslin servir de ba-
se para o ajuste de eontas
ooiu os portadores.
AO PUBLICO
sem o menor constran-
giaaento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ARMAZEM
RA DA CA1NBIA DO MGCIFE W. 53.
(Logo passando o arco da Cunee cao)
tirando redneco de precos, equivalente a dea por eento menos o que outro qnalquer
annunciante.
Collegas.Nao posso por raais lempo sustentar o prego da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
muitos objectos, etc., dando com isto ocasio a tudas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritaran em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo!! I Ora, eu offendido com estas obscuridades e receloso cm adoptar o mesmo
systhema que vim encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reducto de precos, como \eicis
pela seguirte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Lniao Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a l.Goo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redcelo i
mto somonte obter
e
esto obrigados, encarando todos os das de seus freguezes reclamacao de precos, e qualidades, vingam-se de ume outro |Wwrw
al informado dcste novo estabelecimenio. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu rao
a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimenio, e mais que tudo apromptido e enlei-
reza com que scrao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darlo a proteccao e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir podero mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco pratices, pois
serlo tifo bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommeudacao, aOm de que nao vaoemoulra parte.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abat- Antonio de Lisboa era latas com 6 libras
ment, por 2,oo; ditas doce em latas com o mes-
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
e 8.5oo rs. a arroba. de 3 libras por l,5oo rs.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs. Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
a libra, e 9,noo rs. a arroba. porl,2oo; ditas em caixinhas de dreos
dem do Cear de superior qualidade a 24o
^ARTE iVLMEIlffi
| No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coelho,
lina doQueiniddo o. 19,
Vende-se o seguate:
Attpnrao !!
Ricas laazinhas, fazenda a melhor que tem ra-
do ao mercado, tanto em posto como em qualida-
de, pelo baratisstmo preco de 560 rs. o covado.
Ditas miudinhas carmezins, |irnprias para vesti-
dos de meninas e canusiuhas a G'iO o covado.
Cortes de lia com lo covados, pelo barato pree
de 65.
Cobertas de chita da India a 2 Lences de panno de linho a 2 e SSoOO.
Pi'ca's de cambraia de forro com 8 1|2 varas a
:(,3OO.
Toalhas alcoclioadas proprias para mos a 35 a
du/ia.
Hicos corles de 1:1a aun barra Maria Pa-a
185.
Pecas de planillas de algodao com 10 varas,
propria* para saia a 45.
A'godSo entestado com 7 I|2 palmos de largan
a 15100 rs. a vara.
Esleir da India, propria para forro de salada
4, ", o 0 palmos de largura, por menos preco j f|ue i ni outa qnalquer parte.
Neste estabelecimento tambem se encontrara^
um grande sortimento de roupas feitas, e por iw-"
dida.
6EAHDE OBRA
PARA TODAS AS MOLESTIAS DO
Mift i ii e is mam
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escoltada a 8oo rs. a libra, era barril se
faz abalimento.
dem franeeza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a *>oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem buxim o melbor que se pode desejar
ueste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,6oo, l,8oo e 2,ooe rs. a
libra, garante-se ser muito regu'ar, igual
ao que se vende emoulra parte por 2,4oo
e2,tioo rs.
Lingutcas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5.5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas c paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e l,5oo c 6oo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a l,6oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abalimento. .
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra,
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a Soo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latasj pre-
paradas a Ci rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 5Go rs. a fibra, e a 5oo rs. nteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo c 5,ooo a
duzia,
Choculate francez, suisso c hcspanol a 9oo
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo G libras
por i.ooo rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem Sardinhas portuguezas em latas grandes
de 12 por libra propria para carro. preparadas pelo melhor conserveuo de Lis-
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-1 boa a tilo rs.
da, salmo, ostras e chernee, vezugo em; Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna, i cado a 2,8uo rs. a barrica, c 24o rs. a
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-! libra.
das que tem vindo ao nosso mercado a Bolachinha de soda cm latas com diversas
6,000, 7,ooo e 8,000 rs. a caixa,garante-, qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco. para mimo a 64o rs.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
5,7oo rs. a frasqueira. j libra e 6,000 rs. a caixa com 28
dem de laranja verdadeira de Aliona em,Figos de comadre a 24o rs.
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranho a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra..e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a Soo
rs. a libra.
Alelria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e lalherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse Gm.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
caixa
tamanhos com bonitas estampas na
exteriora l,2oo, l,5oo, el,8oors.
Azeitedoce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franeeza em potes j preparada
Acaba de rebeber de sua propria encommenda um grande e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguirte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 rs,
libra,
dem franeeza a 56o rs. a libra, e 52o rs.
sende em barril.
Cb uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras |
para cima a 2,600.
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-;
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limao, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, rlela pimenia a l.ooo
rs. a duzia l,ooo rs. a garrafa, garante-se
AS
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para qoe os melhores que temos tido no mer-
cima a 2,7oo, i cado.
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e mleiros a
. ~ .. -----------.: 2,000 rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior,a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,800 rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a 1,5oo
rs. a libra.
a 4oo rs.
LellhauKlCellente ,eg"me Para S6pa 8 2 ldem miudinho proprio para negocio a 1
rs. a libra.
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooo rs. e 11,00o a duzia-
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o maco.
Sal refinado em irasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,' Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
5,000 a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinlia de Franca muito nova a2oors.
Charutosde todos os fabricantes da Baha e das
mais acreditadas marcas conhecidas no
r.osso mercado a 2,ooo, 2,5co, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a oaixa de loo charutos. .
Cognac inglez das melhores marcas a
l,oo rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em lalas de 4 li-'.
4oo eouo rs. a garrafa, emeanada a 2,ooo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a too e Soo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e .'t.ioo rs.
Vinho bramo para missa em caixa de I duzia
a 8,000 c a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, .Malvadlo fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs. e a 9oo e l,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada uina.
frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e
H,ooors. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem prato es melhores e mais frescos do
mercado a 800 rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a 1.7oo rs. a garrafa.
Biscoitos em latas Me 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
!tas a l,3ooe l,4oo rs.
Fino americano cm chapa a 1,0oo rs, a
libra.
Araruta de todas as qualidades.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 3# a
caixa e 6o rs. a libra*
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
dito em caixoes a 6oo rs. ,jem ingle/as em barricas a mais nova do
mercado a 3,5oo rs, a barrica e 24o rs. a
a 32o rs. a I iDra.
bras por 2,ooo;
cada um.
Farinha de araruta verdadeira
i Hipa
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a Chocolate portuguez o mais especial que se
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba. pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
Azefte doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa pao.
e 4,8oo a caada. &$ c botica de excellente qnal.dade a
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra, 21oo rs. a resma.
e 36o rs em barril 'Potes coin ^ retinado a 48o rs. cada um.
Caui de' diversas frutas muito frescas a Bicos frascos com frutas francezas em calda
64o rs a garrafa a melll0r Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza. 3,ooo o frasco.
Toucinho de Lisboa muito alto e
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras
2,ooo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 8oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes cora sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. I a 8^500 cada urna, j
Massas para sopa macarro, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 8oo rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a i,Soo,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranho a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, c 8o rs. a libra.
alvo a
por
molhos cora cento e tantas
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
AGENCIA
>k
rUUGIOlOW-iOffiOOLE
Ra da Senzalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a hayer
um completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o*
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas par
lavar roapa: em casa de S. P. Johnston & C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
Viudo do Porto superior
dm cairas de urna e duas duiias : tem para ven-
eer Antonio Luiz de Oveira Azevedo & C., no seu
cscriptorio roa da Cruz n. 1.
Fabrica Conceic&o da
Bakia.
Andrade & Reg, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algodao 'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
ear, embalar algodao em pluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
iit.fi.iKi:.u
FRONTEIRO
Fruas em calda chegadas ltimamente, pera,
peeego, ginja e outros muitos a 12o rs. a
lata de 21)2 libras.
Foijo verde em bages em latas a 64o rs. a
lata,
por 1,2oo rs.; $ozes m}\lo novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
! Amendoas confeitadas a 6oo rs. a libra.
! dem de casca mole a 320 rs.
1 Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca, Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo.ooo e
l.ooo rs. agarrafa,
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
1 dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
i dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
Chouricas muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a l,ooo rs. a libra; I marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
ameixasidem ; alpista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do Maranho e da! e 500 rs a garrafa.
India de 8o a loo rs. a bra, e em a arroba de 2,6oo e.3,ooo rs. ; azeite doce refinado nnh^;A,c iM ^
al ,ooo rs. a garrafa e cm porQ3o, menos; dem de barris a 64o rs. a garrafa, e em cana-1 dem de marcas pouco conheadas a 4oo rs.
da a 4,8oo rs. ; banha de porco a 4oo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
novas a
e 2,5oo
DE
AliVES COUTIjMO 21Largo do Terco21
Ao publico.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
4o rl a ibrTel&Vs. "a arrobTfchTperola', h^sn, mhldinho a"l,8oo, 2,4oo, Especial vinho LaK^do sem a mais pequea
rs. a libra; charutos des melhores fabricantes da Balda de 2,ooo e 4,ooo rs. ? composicao a 5bO a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
cerveja branca e preta a Soo rs. a garrafa ; cravo, canella, cominho e erva-doce, conser-,
vas inglezas em frascos e meios de Soo a 9oo rs.; cognac inglez rapen* a l.ooo i a Fjrmi de^ *""* 'ffi*
carrafa caf de Ia 2.a e 3.a qualidade de 8,5oo, 9.ooo e 9,5oo rs. a arroba ; cevadt- Rjcas caixas com figos a l.ooo rs. cada urna,
nha a o rs. a libra ; ervilhas portuguezas em latas de 1 libra a Too rs.; spermacete Ricos hvros com figos .ooors.
farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,: Pomada a 200 rs. a duz.a, sevada muito no-
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.
e em a arroba a 6,ooo rs ; genebra de laranja a
a 64o rs, e 4oo rs. a botija; graixa em latas a l,2oo rs. a duzia ; manteiga ingleza per
l.ooo rs. o frasco; idem de Hollanda I va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
-; Garraf5es com 4 l/i garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafo.
_ Vende-se queijos do ultimo vapor 23 cada' feft flor a 8oo rs. a libra"; idem franeeza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maca
um, e urna quantidade de travs de. louro; na roa & tomate a 6oo rs. a libra; marmelada dos melhores fabricantes a 64o rs. a libra; ale- idem com 4 l% ditas de venagre & 1,000 rs. o
Direita ns. 99 e loo._____________________ tna ta|j,a, ,m e macarr5o a 4oo rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a l,ooo rs. cada fras-1 garrafSo.
Superior Cal de Lisboa co;' nozes muito novas a 2oo rs. a libra ; passas a 4oo rs. a libra ; painco a 16o rs. ; po- vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
Vende-se superior cal de Lisboa a mais nova mada a 24o rs. a duzia; pimenta do reino a 36o rs. ; papel almaco e de peso de diver-1 15>00o rs. com a aocoreta
do gaz a 2,oo rs. a grosa e 2o rs. a caixinha ; ditos de seguranca \m em ppa pnro sem 0 batismo a 2oo rs.
oue ha no mercado tanto em porcao como a reta- gas marcas; pallos
iho por barato JW g^iwiLL "J* individual a 2o rs. a ciixinha e 36o rs. o maco ; queijos flamengos do vapor a 2,ooo rs., a garra-fa* i,4oo rs. a caada.
I^^KS^hiaSS n 28 K cada um; cevadinha a 2oo rs. a libra sardinhas de Nantes de 4oo a 64o rs. a lata; sa- im com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
do Mallos armazem do Sr. AvHIa deronte do tra-
piche do algodao.
Ra da Senzalla n. 42.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9.5oo rs. ar- andar, on
Pihuas Vegctaes Assucaradas
De Kemp
Compostas dos dois novos resnoides ohatu-
dos Podopiilika e Leptandkina, e inteir*-
mente livres de Mercurio ou outros venenos
mincraes ou metallicos, so de gTandc atil-,
DYSPEPSI, ENCHAQUECA.
Conitipaco ou Prizao do Ventre,
PABECI5IENT0S DO FIGAIft
AfiecqUes Biliosas,
HEIORBHOIDAS, CLICA.
Ictericia,
' FEBRE GASTRO-HEPATICA,
E outras enfermidadrs nHnf,a\
Ells vao rpidamente substituidlo os autigos
purgantes drsticos.
A venda as boticas de Caors & Barbosa,
ra da Cruz, e Joao da C. Bravo A C, ra
da Madre deJDeos:____________________
Venda (le predios
era particular <>u em leilo.
Vcnd-ni-se duas propriedaik-s de rasas couli-;
pnas, de dus andares e sotan, com grandes arma-
iens occupailos actualmente peloSr. Feliciano Kt
Gomes, para o tralko de assucar, sitos na roa <1s
Apollo ns. 31 e :o, edificados pelo actual proprie-
tario, com ptimos alicerecs, superiores madeiras,
e acabados em 1801, leudo ambos 52 palmo* H-
vres de paredes, de largura, e ns alio? do de n.
34, e o primeiru andar do d<> n. 36 215 palmos compriment, o segundo andar do de n. 36 tem >,4-
mente 120 palmos de comprlnienfn, rom um tw-
r.ico, e os armazens tem 3'iO palmos de compri
mt-nto cada um. lendo ambos lamlwm frente p^ra
a ra do caes de Apollo, e o de ti. 36 tambem p?f:t
a travessa do antigo porto das canoas: os preten-'
dentes estes valiosos predios qtieiram dirigir-se
ao seu proprietario Antonio Botelho Pinto de Mes-
quila ua ra da Cadeia do Becife n. 64, segando
ao agente Oliveira na mesma ra n. Gi
roba, e 36o rs. a libra,
dem de sebo muito dura ingindo espaimace-
te 36o rs. a libra,
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e em
caixa a 52o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaco pautado e liso a 3,ooors. aresma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma,
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo rs.
a resma.
dem embrulho de l,2oo a I,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 */ libra a
l,2ooe8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
ba da Senzalla i\ova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: lachas d
ferro coado libra a 110 rs., idem do Lo ?
Moor libra a 120 rs.
Molhos inglezes a 8oo e 1,000 rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Teneote verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 6oo rs. a garrafa.
Mem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,ooo rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. o molho e
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollondaem frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafSesde 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs, o macinhos a 12o rs. e masso.
Cominhos muito novos a 32o rs. a libra e
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milhoalpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas al,ooo rs. a lata j prompto
a eomer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 6oo e I,ooo rs. o
cai.\3o.
ESSEAYOS FSIDQS.
Pugio na noite de 23 do crrente julho da
1864 o .cravo Jos, preto, erioolo, ae 26 annos,
, baixo, eorpo regular, beic/* grossos e esluladbs,
on-llias pequeas, e cachaco grosso, pouca barba
l-orqiie tfin api-nas na pnuta do queixo, levoo duas
! calcas, urna branca e otifa de castor escuro ' paiei e pri'lo, de bstias, paletot preto. sem camisa
e rotifuina carauuca encarnada na cabera, a lata
de marojo: qnem pegar leven) ra Di re la o.
54, qut* Sfr generosamente recompensado.
Fugi.ma tarde do dia IG do corrente um
escravo pardo, de nuine Marcos, desembarcado
I do lnate. Santa Ann, vindo do Aracaty, leudo
i de idade 28 anuos pouco mais ou menos, eos sg-
' nae> seguintes : altura regular, secco do cor|io,
! pouca barba, cabello crespo, levou camisa e
caica de algodosinho de rispado azul echa-
peo de palha, lendo levado comsigo urna troua
com mais roiipa, e rendido de urna das veninas;
quem o at'preender queira leva-lo ra da Madre
de Deus n. 38, ou ra do lirum n. So, queter
i recompensado.
cada um; .
b3o massa muito soperi- r a 2oo rs. a libra; touanho de Lisboa muito alvo a 3oo rs. a li-
bra ; vinho do Porto velho engarrafado a l,5oo rs.; idem em barril a 8ors. a garrafa,
sendo porcao fa/.-se differenca e em caada a 5,ooo rs.; i-Jera de Lisboa muito superior a
VeW^Tem "casa de S. P Johnston C, 4oo rs. a arrafa e 2,8oo rs a caada.^idem da F.guei ra '^Wj ze8 e ami^e^ 'pj^mmh'm"ra^Haf a commodidade de todos estipulou
sellins e sillwes inclezes, candieiros e casti- 3.6oo rs. a caada ; dem do Etreito a bo e J2U rs. a garraia e em canaaa a z.ooo, _-------------m r~ aMii.iiilaB ,,PM.
deaux fazenda muito especial a 6,800 rs.
a caixa e7obrs. agarrafa.
O Droprietario do grande armazem Unio e Commercio declara aos seus fregu
caesbron^os, lonas inglezas, fiode vela,-demr^raeauxao^ ^'H^^'^S m do QueimadO B. 7.
chicotes para carros e montara, arreios para a garrafa; vinagro de Lisboa muito superior a 2oo rs. a garrafa, e l,4oo rs. a caada ,
carros de um e dous cavados, e relogios de soda, cevada, alfasema, gaz e lijlo de l.mpar facas a 14o rs. Presuntos de Lamego a 5oo
ouro patente inglez I ea.l> a.ir rb outros muitos generes quedesnecessano e menciona-los.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
Kugio do engenho Guerra de Ipojuca um es-
cravo Ue nome Jos Muniz, estatura baixa, e
rrioulo : quem o apprehender ou der nolicia n
dito engenho, ou na ra da Aurora em casa do Sr.
Elias Haptista da Silva, ser generosamente re~
compensado.
Xo oa 5 do correle setembro de 1864 fug>
da casa de seu senhor, o escravo Herculano, paro*
escuro, com 3o annos, alto, cabellos carapmbos,
olhos e orelha> pequeas, foi com a barba raspada o
mesmo quando >st grande tem apenas no qneixfc
e usa entao de bigode, perna e andar de quebra
mangue, leudo o pe esquerdo torto e saludo par*
fra como pala de seri, e por isso pucha algunia
cousa pela perna quando anda, levou vestido camisa
de chita parda e caifa de ra>bT salpicada de preto-,
levando na caheca cliajio de palha igualmente si-
tado de preto, suppoe-se andar aqui mesmo na ci-
dade : quem o pegar leve-o ra Direita n. 34,
que ser generosamente recompensado.
Acha-se fgido desde o dia 7 de fevereiro >
corrente anno o escravo de nome Faustino, de ida
de de 40 annos. pouco mais ou menos, cor fo',
altura regular, grosso do cori*, bem espadu,
barbado e j rom algnns cabellos brancos na hafr
be, bracos e |>ernas grossas e bastante cal-!lutf>i^
tem as pernas arqueadas, porm nao muito, bas-
tante cabellos nos peiios, e ro>turaa quando qiwr
fallar mais apressado como que gaguejar, pori*
Timito pouco, que mal so percebe -, co.-luma audalr
em sambas, e as veas embriagase por gosiar db
bebidas espirituosas: SUppoV-se que elle segUD
para o centroe consta que elle est em Gravis:
prtanlo rogase s autoridades (Miliciaes que b O-
cam apprehender e roodnzi -lo casa de seu-se-
nhor major Aittonio da Silva Giwniao, na ra Im-
perial, em Pernaiiibuio, que satisfar luda e qnsl-
quer despeza que por ventura facam, e aos eaili-
tes de campe ufferece urna boa gratilicacao.






ILEGVEL


/r
Mfe* PMHlii Qnarfa letra i t le srtrmU.n de i 44.
SCIEHCAS E ARTES.
( w nossa? ideas sobre scloncia, e a nossa aprecia-
gao dos seus trabalhos e progressos actaaes.
rta nossa primeira Revista, publicada ha um mez
no Jornal do Commercio, occupamo-nos da questao
da natureza da materia, questao do mais elevado
interesse scientifico, por ser urna d'aqucllas que
occupa constantemente os pmlosophos, e sobreludo
porque julgamos opportuno por os leitores ao facto
lo que a sciencia sata sobre tal assumpto, para
lepuis tratarmos dos notaveis principios que acer-
ca -las forras, das raanifestages da energa da na-
tureza, a sciencia est actualmente descobrindo e
proorando rijosamente demonstrar. Havendo
de tratar da correlagao ou anles da idealidade da
natureza e origeni da homogenese das torgas, pa-
roeeu-nos natural comegar pelo cstudo da mate-
ria, sobre a qual se exeree a energa da natureza ;
e que, pelas suas niudilicages nos da a conhecer o
modo de acolo e os caracteres dtinctivos das Tor-
cas.
O titulo de Revista, que demos ;i nossa pubhca-
gao, o systema de exposigao scienlifica que adop-
tamos, o assampto de que nos oceupamos, c mul-
tas das proposites que eslabeleceinos, tudo foi
acremeuto criticado pelo Sr. Ozorio de Vasoonecl-
los, redactor cientfico da Gazeta de faringal.
A' critica do nosso collega, pedimos boje licenca
ao leitor para responder aproveitando a occasiao
de accrescentar alguus esularecimcntos a pontos de
sciencia.. que s de passagem indicamos na Revista
a que oSr. Ozorio pz duaidas e fez redros, a nos-
>u ver pouco merecidos.
Acha o Sr. Ozorio de Vaseoocellos estranbo que,
adoptando nos um titulo eguat ao das suas publ-
csroes na Gazeta de Portugal, nao trilhassemos a
mesma senda do que elle; que nao fizessemos a
chronica resumida das novidades scientifleas du-
rante um certo periodo, consubstanciando em {mu-
ras Hutas e de um modo claro os principase atn-
os T?.ES ESTADOS DA MATERIA K O RIGO SCIENTIFICO
A H8SPIRAC.A0 CITICA fOU INTEPHRETACVi
INEXACTA DO QUE ESCREVEMOS SOBRE O MODO DR
flOMUlNACAO i)i)S CORPOSOND8 SE l'ROVA A ITII.I-
DADE Di: SER PLAGIARIO OS CHIMICUS EM NOSSA
DKFBSA, E O SR. OZORIO DE VASCONCKI.I.OS A CBITI
CAR OS CBIMICOS!\ EXIGIDADR DOS TOMOS B
DA GRA.Mii-.ZA Dos POBOS-UTtLIDADB DAS UVl'o-
THESKSO ETIICII EXISTE ?IIYl'Ui IIKSK B RESUL-
TADOS OIITIOOS POR CIIAI.I.N OPIXIOES DIVERSAS,
CAMINHAJIpO i-ara 0 ACCOHDOO yl.'E HA DE FAVO-
VKl. ACNIADE DA MATERIA .' DESPEDIDA AOS Cal"
TICOS.
A primeira Revista Sctenttfica por nos publicada
nVste jornal, tinba por fin dar ama idea sumiiiaria
tilo clara quanto permitlia a difficuldade da don-
trina e os no.-sos recursos intellecinaes, do cstido
da sciencia n'uin assumpto pnr extremo importan-
te, a natureza da materia.
E- esta urna qneslao de sciencia anda letlgiosa o
obscura, por nao poderem os meios direitos as oh-
servagdes e trabalbos experimentes resolve la de
um modo positivo e ncontestavel : sendo s a in-
duego bascada em fados importaotes e numero-
sos, ainda que em parte mal averiguados, quem po-
de guiar o nosso espirito, no cstudo arduo c com-
iscado d'este grave ponto da philosophia natural.
Parecen-nos' com ludo ser ul aos leitores" ron de-
sojan, se nao aprofundar a sciencia ao menos for-
mar idea das questdes que n'ella se debaleni e
busca resolver, expor os fundamento* em que al-
ttins sabios tcVm assentado a opinio de ser, com
grande probabilidade, a materia iww, e depende-
rera as differencas entre os corpos denominados
simples apenas do modo de aggregnran. e da varia
.rcao da energa da natureza sobre os tomos, as
ultimas partculas indivisveis dos corpos.
Como os argumentos a favor da anidada da mn.
teria, ou da sua muliiplicidade sao deduzidos do
conhecimento das relacoes entre o peso dos alo- tecmenloi das regida da sciencia: e julgando do
inos dos corpos que ainda se nao pnderam decom-1 seu ponto de vista o nosso trabalbo, declara pe-
ior, e por isso se denominan) simples; e esse pe*o j remptoriamente que o nosso ntnto t nao era de
atmico determinado pela observaran do modo | rerto mistar, mas sim vulgarisar.
|ior que se passam as acedes de combinagao e de 0 redactor scienliico da Gazeta de Portugal nao
cemposicao das diversas substancias que a rhimica vju no nosso ar,jg0 sen5o | TehpJl0 rf(, fMot |-|
se passaram quasi no primeiro alioreter da canu-
ca moderna.
as torgas cram a causa do movimento, e que s el-
las portanto poieriam modificar a materia. Mas
a torga ? E' evidentemente urna abstrago, e
por isso que Auguste Comte e Freycinet dizera que
a forja smente tendencia ao movimento que do-
ve ser aitribnido a um movimento que, preexislia.
K de feitj nunca se encontrn movimento sem mo
vimento anterior. "'
Na citaco que faz dasnossas palavras o Sr. Ozo-
rio supprimiu urna parte, cuja falta Ihe altera to-
talmente o sentido.
mos no comego da nossa primeira revista. Pare-
cen-nos logo qne-ella poderla aflgurar-se como um
tanto enygmauca a muilos |pitores,e careca por isso
ser explicada; mas para nao deixar duvda de que
nao pretendamos no nosso primeiro artigo dar as
oxplicacCes que reputavamos Indispensaveis, disse-
mos logo que nesse artigo idos Decaparamos da
materia, da sua constituigao, e de abrumas das suas
mais notaveis propiedades..
J v o redactor scientifiro da Gazeta de Portu-
gal que foi precipitada a sua critica, quande cscre-
veu :
Mas quando se traa de vulgarisar a sciencia,
Nos escrovemos o seguinte : A' materia imprl- sera 9uria' xpor urna theoria ainda nao aereita
me a forra, a energa da natureza, moviraentos. ?nTTnT lh,Mf"lri'0.uin mc,hodo poUCO c,a"
. i 10>ou antes bastante nebuloso?
Sao es*es movimentos que raodificam a materia, <
que a transformam, ect. A idea de urna precede "annarao mnito os que desejam aprender sem
no nosso espirito a do eleito. A energa da nature- custo ?
za a causa de todos os movimentos que produ-
zem esses variados plienomenos que podemos estu-
dar na natureza physica; cssa. energa assim co-
mo a materia permanente na natureza, transmrt-
le-se, transformase, mas nao se perde, nem se cria.
Parece-me que nao.
Bom resumir, mas o resumo deoe
plrto e lucido. >
ten cent-
Qop. rrenonderomos a pora a urna serie E.v niltilo niliil, i niliilum niLiwsse revert. A ma- ^?s.l1fl *'*lhe ane o nosso aorerlsvel rnllosa ns
teria nao se extingue nem creada as varias S2JS!7iS!L3 nhra'fiS qa* f*^* de
,_ iranwiOTOT ? Iteermnopremos ponro; mesmn nor-
transfdrmacoes porque passa no mundo; nem a que um mnito eetimavel neanunmonm e=rrintor,
energa, a potencia da natureza, se pode tambera redactor tambpm da Gazeta de Portugal, o Sr. Mar-
crear nem extinguir. ro,>|flVe bondade de fomar a nossa defa, con-
_r M f!l alenmas essas criticas, e, a nosso ver, de as
Descarte jaesprimiu este principie., de que ti- refutar completamente.
nha, como o sea grande espirito, presentido a ver
dade:
Censura-nos a nana crtico por nao havermos
A meu ver, diz esse philosopho, ha urna darloa analyge rigorosa dnar. e or nao desrrrver-
certa quantidade de movimento em toda a materia moyos mai* perferfns e mmTernns
creada, que nao aogmenta nem diminue nunca. mP "* ***"** W* npprarai. Padnria.
A mencionada autoridade tomn todas as pre-
caugoes para capturar os negociadores em fla-
grante, porm estes nao appareccram no da in-
dicado.
Por um novo aviso se soube na administrago
do segundobairro que a negociagao teria lugar na
indicada taberna na noute de 23.
O administrador substituto, o Sr. Antonio da
Fouseca Sampaio, continuando as diligencias co-
meradas pelo Sr. Jalles, administrador effectivo'
dkpoz t;o acertadamente a diligencia, quo snr-
prehendeu na taberna Roberto Vieira de Moraes
com outro individuo que o acompanliava.
O primeiro, no acto da surpresa, tenlou lanrar
fra nm masso, oque nao conseguiu, porque o
agarraram logo, sendo anda preciso empregar es-
forgo para Ibe arrancaren! o masso.
r'oi ueste cmenos que o individuo que o acom-
panliava consrguiu fuglr, por urna porta escusa
para os quintaes.
O masso apprehendido e fechado finha por fra
a lapis o algarismo600.
Seuao coDduzido para o Carmo o dito Roberto
Vieira de Moraes, anda no caminho foi o Sr. ad-
ministrador substituto Sampaio alcancado pelo ta-
bernejro. que corria a entregar um outro masso,
egual a> primeiro, que disse encontrara j chae,
debaixo de urna mesa.
O preso ansse que nao condeca o individuo que
, | ugira e s saljia que se chamar* Roberto da ?aia.
Descobrindo, por-m, a autori-do.de que o tal ho-
COObeea e aoalysa, era indispensavcl, para o fin a
que nos propunhamos no nosso trabadlo dar noti-
cia de alguns fados de fcil compretiensao, dos
guaes o leitor pudesse colher o conhecimento ; do
que sao os corpos reputados simples e os corpos
compostos: do carcter que tem em geral as aegoes
de afinidade entre os corpos \ das proporroes em
que as combnagoes tem lugar, proporgoes defini-
das e que mauleem entre si reiacoes simples ; do
modo por que se consideram os corpos formados de
tomos, de partculas enuissimas, que sao o limite
da divisibilidade em relagao aos meios de que ais-
lamos para actuar sobre a materia : da maneira
|)or que se determmou a relagao entre o peso des-
:-as partculas, as diversas substancias, isto o
l>cso atmico.
Foi a analyse do ar, e de alguns cerpos de que*
essa analyse nos levou a fallar, que servio para
ministrronos .ao leitor as noces de chimica indis-
|jensaveis, para poder comprehendi r a marcha da
tciencia no estudo da grave questao que, no prin.
cipio da nossa Revista formulamos nos seguales
termos :
> E' nica a materia, sendo as suas propneda-
des distinclivas o resultado de modifieages exlra-
nlis sua essencia, ou ha tantas qualidades dille-
rentes de materia na natureza qnantns os coi-pos
simples conhecidos 1
Comprehendamos e comprchendemos ainda. a
immensa dillieuldade de dar, n'algiimas columnas
de um jornal, idea de um (ao complicado proble-
ma, comoaquelle sobre que desejavamos lixar a at"
lengo, e esclarecer o espirito do leitor, c por isso
nos nao lisongeamos de o haver conseguido cabal-
, .. l principio symetrico com o da umdade da materia:
mente ; con. todo julgamos melhor tentar urna dema na ,nalerh $& ^.^ a
grande difficuldade com pengo de a nao vencer do lU)lmcla (,a nahll.,:a. TeD(Jo e .,, dasJfor.
Wuempmcammte os resultados dos estados;,,,#> eull!n(]uIll8 dever como ntrodl|CP!l(). resumir
dos sabios sobre a natureza da materia. os ,rabaJhjs dos saL0:j acerca da a^^m da raa.
"Sappomos possivel em qaasi todos o assumptos teria.
de sciencia, ou de industria dar ao commum dos j Es,es ,raba||l0s n5o sQo de aniga dMa> n-Q
s pareceram no alvorecer da chuica moderna; sao i
' o resultado de esludos, que beva se podem dizer
A esta parte da critica do Sr. Ozorio de Vascon-
celos, ja respondemos no principio d'este artigo.
O titulo de Revista adoptamo-lo hao/foannos nos
ittMfaM das sciencias e das lettras para urna publl-
eagao da natureza d'aquella que fazemos hoje no
Jornal do Commercio ; o systema que seguimos
euiao e que hoje applicamos aquello que cima
expuzemos.
E' bom ou mu esse systema? Reputamo-lo
bom, por isso o seguimos; deixando aos outros a
liberdade de adoptaren! o que Ihes parega melhor
sem nos julgar-mos autorisados a crtica-Ios por is-
so. Para nos revistar vuluarisar; e diligenciamos
fazer urna e outra cousa simultneamente.
.Veste intuito entendemos que o mas transcen-
dente assumpto de que su oceupa actualmente a
sciencia era aquello pela qual deviamos comegar
as nossas Revistas. Estudar, expr, vulgarisar os
trabalbos modernos sobre a energa da natureza e
as suas inanifestagesmovimento, calor, e ectr-
cidade, luz, magnetismo, afflnidade chimisa, vital-
Uadepareceu-nos o que mas poda interessar pe-
la sciencia aos leitores curiosos e inteHigentes;
alm d'isto, com o conhecimento da correlagao das
furgas dore, a nosso ver, considerarse eomo ponto
de partida para todos os estudos que tifiham por
objecto os phenomenos da natureza, por isso esta-
mos intentando dar n'e-t i nossa Revista dos prin-
cipios e leis d'essa correlagao urna exposigao tao
clara e simples quanto podermos.
A homogenese das forgas physicas como un
A idea de forga, de energa como causa do* mo- tZSCEIgSSff tSTS' *"* *mCT de ***> "Ue es,i'e
vimentos, encontramo-la em qaast todos os sabios 'araos, pnrm. certos qrje nao merecernos essa des- ra dous dia' en Uma hospedara da Batalba, tra^
que tratam das sciencias physkas. agradara aecusagao.
Auguste Comte concede larobem a energa, a
forga, a actividade como causa de moviraentos, % c5ps fndampntaes da chimica de (
ds mais, como propriedade immaoenle materia, mos para px-nor o estado da questao- i da unidade
Des que a philosophia positiva. d5 elle, come'gou nn n'nralidd J
a prevalecer, e o espirito humano se limitou a es-
tou Ico de o procurar, e rom quanto o dSo achas-
Tnnv m* a an.lysedo ar como mein de tornar *' v?iaa sr,^r ^e ttmOaio delle morava as
enmprehpisive'ios'princfnarsphRnr>mpnnseano-!esca:>9d05 Zuindaes e lase dirigi inmediata-
mente.
da materia. Nos prncessos de
anatve psenthemne d'entre"r> melbor serviam para o noso fim : o qu nos da-
tuaar o verdadeiro estado- de causas, sem Ihe bus-. vam conhprimpnrn d atffnnsf corpos imples ecom-
ear as camas primarias e generatrizes, tornou-se pisto* spguniTo a rhimica): dos differpnles esta-
evideute para todo o observador, que os differen- ***" *T*flJ de apregarSo da materia ; das
tes corpos naturaes manifestara todos uma activi-: tfup,as ^composigSe, etc.
dade- espontanea mais ou menos extensa. Este ^' rom me^mo fim qne tratamos da synmcse
pbilosopho, que' tanto trabakiou para por limites ^.a.,,a,y!ft da ** da combnlao, da respiracao.
__j__i- j____. .___. ,, Foi nelo mims motivo one aissemos ser o da-
aos doouan da raz:u, buraanav-coasiderou. os mo- mnfe rnn.n banardade e vefflaciria que nao
vimentos como o elreito das fjrgas, mas estas como to ennhocida do vulgo romo snppSe o Sr. Oto-
nao sendo do dominio da mechanica. A raechanica rio VaconceWos, e qne nos citames. porque
nao s nao considera as causas-primarias dos mo- na frriinara mostrar que nmasnbstanria- no
niA ,,a o...- (i., j .* ui .. : estado solido, poifia apresentar varias proprir-
Vimeotos que estao fora de toda- a philosophia po- daileR pbysiras, den^ndentes da rfispo>icao reta-
siti-vai mas era mesmo as circumstanrias da sua tivadaspariirnlas; Tacto este de mnito interesse
produego, as quaes, ainda que-oonstituindo-real- para a questao deque tratavamos na nossa- re-
mente um assumpto interessante de indagagao po- visra-
sitivas as diversas partes da physica, nao sao-de' Diz o Sr. Ozorio de Vasconcellos :
modo algum do dominio da mechanica, que se Uroi- p.*,, o. n
i ta a considerar o movimento em. si, sem buscar apenas : agna, acido carbnico, oxJgenio e azl*.
porque maneira foi-determinado. Assim as foscas -,. rr .
nao sao outra cousa,. era raechaniea, senao Sfl^iZ&^t+gJ^ *
mensos produzidos on tendendo a>prodzir-sc.
Bem ser en que o Sr. Corvo nao ignora ests
Grove, no seu livroda CorrcHtco das fonos fados yrms tanto quiz simplificar qne-ffie-faltmo
physkas; fez o primeiro esbogo da-nova theoria \rVor,t-
physica de que tem- sahido tanta Itiz para ascijn-! Temos-presente a grande obra cVehimica *
cia. A theoria exposta em corpe-de doutrina por Gnielin ; esse Great Standard Worl da chimiea
Grove, e a que trabalho* posteriore tem imprim- moderiM', c^mo lhe charoa traductor inglez : e
A.nZ-m-tL, lmos, nella no artigo-ar atmospUerico, o se-
do um rpido e seno progresso, rwonhece as ma-; guint :
nifestaroesda acrao mechanica, do calor, da luz da i
electrioidade, do nvigoetismo. da afflnidade chirai-! ", c"?f*fc *pma miskara de gaz
___.. ,. ", azote o oxlgemo, em proporgoes quaa aovara veiV.
ca uma idntica natureza, uma ir.lvma correlagao,, pequeas e varia veis quantidades de-acido carbo^
do que resulta poderem transformarse urnas as nicoe vapor aquoso esta tambera presentes;
outra&em preporgees determinadas, de haver tat\^lfmf$ vts?* tmbem certas outra- substancias,
tre eMas equivalencia: Todas essas roanifestagees I or8aDa* e- orgnicas.,
sao diversas formas de movimttttos cuja causa! Segue-se *epois na ebra de Graeif urna srie
a enercia coIiesis>nii> enm a n>-.h.ri rrnv **- ", feitas-por maitos eMmicos em
Mter. Grove ds- MmMM lugares, e em Vanadas eowlices, rras
a matrna.
tingue bem a causar do cffeto, a forga do movimen-
to. Easta, para o provar, tomar, entre muitas os-
tras, as seguinte& | timp< de uma.loitora do i lus-
tro physico sobre o moto continuo : O que se at-
uQieientes para avaliarem por si a importancia
dos novos trabalhos edescobrmentoscom que a in-
dustria e sciencia se vao enriquecendo ; mas para
jilo conseguir coutiuuadamente indispensavel.nao
dars noticias resumidas c rpidas indicacoes, mas
entrar s vezes na eiposico desenvolvida das don-
trinas qaepela sua difficuldade oeiiglrem, c pela
sua imporiancia o nierecerem, descrever outia-
vezes processos industriaos, explicar outros o lugar
,que as novos inventos cabe na historia do progres-
o, e esclarecer sempre tudo com os principios fun-
damentaes das sciencias.
Urna Remta Scienlifica pode fazer-se por vanos
aduaes.
A importante memoria do Sr. Dumas sobre os
equivalentes dos corpos simples, onde se encon-
trara estabelecidas relagoas entro estes equivalen-
tes, que este sabio cnimico julga t deverem abrir
a philosophia natural novos e profundos horison-
tes do fim do anno do 1857 : a memoria em
que o Sr. Stas corrige alguns dos resultados expe-
rimentaos do Sr. Dumas, e busca tirar consequen-
cias contrarias unidade da materia, tem a dala
de 1800 : a critica a este trabalho do Sr. Marignan,
que tao bem se orcupou da reedificagao dos peso-
rr.odos; pode ser um noticiario de todos os aconte-! alni|C0S de algumas substancia', do fim d'esse
Cimentos, que vao successivamente tendo lugar na< mesrao aon0; assim pois, dando noticia d'estes
sciencias e suas applicaces, apenas urna chronica; uabalhos, nao julgamos haver relatado fados pas-
resumida das novidades; ppla multiplicidade dos; ados no primeiro alvorecer da chimca moderna.
jssumjitos a que tem de referr-se, uma Revista] _, ,
E verdade para que tornar comprehensiva a
lei das relacoes de peso atmico estabelecidas por
William Pont, e os ltimos trabalbos de notaveis
Scienlifica d'csta natureza nao pode deixar de apre-
sentar os lacios qaasi desacompanhados de todas
ta explicares e esclareciinenios, que, para Icito-
res pouco instruido, se devem reputar indispen-
aveis.
Pode a Revista Scientfica escolher de entre as
questes em discu^s^lo na sciencia, e os descobri-
r.ientos que interi-ssara a marcha do espirito ou da
eiiimicos sobre o mesrao assumpto, assim como as
consequencias que de taes trabalhos se podem tirar
acerca da natureza da materia, lomos obrigados a
eXpr algumas das leis da afflnidade, a exemplifi-
car pela analyse do ar e outros phenomeuos china-
cos essas leis, a dar noticia do principio das subs
industria humana, o que reputa mais importante. m^B e das proporoas dennidaS; assim corno
e acompanhar a expos.gao dos assqmptos escolhi-1 J(JS (undameillos da ,heoria atmic mas nao .,.
dos cora os desenvolvunentos srientiiicos c histun-
eos indispensaveis para por alies interesar os lei-! fmos "ue "m homera ***?"* cra0 Sr- Ozor'o
de Vasconcellos possa, a nao ser por mau humor,
criticar uma exposigao dos principios da sciencia
fdta a leitores que podem desconhecer esses prin-
Entre estes dous methodos com que pode ser es- cM>'m e aquem sedeseja fazer comprehender uma
lores, que nao podem consagrar longas horas ao e-
udo.
diversos
quaes se determmou, cerne represer.rand os'ccnv
ponpntes- normaes do ar, o exige-nt o azote,-.o
acido rarboniru. o o vapor da agiK*i: sendo aattt
ultimo considerado corno^igno de attenrao, mais
sob o ponto de vista phwieo do que sol o poato
tenas por expressao, moto conXinuo, lomando-a Ba|de vnta ohiraico, pela extrema variedade de p^io
acepfQ vulgar ? No sentido roal todo o movinwn-' porgoes em que se enoontra no ar. Passando de-
to, ou ames toda a forga continua (perpetuad Pis a **" ^s outras materias que-se encontrara
E n-outro lugar : Una forga nao pode prod.rir.l 5** 'JSS^\SS2
movimento senao quando a rosisteneia que se lhe duzidas peta electricidade atmcsfiherica, cairas
oppoe fr menos-poderosa do que ella. i saindoer forma de vapor de pontos particolares
sobre a>superfice da trra, ou arrasadas pelos-ven-
A accepcao palavra/irri) ne sentido de eausa tos cerno poeira da trra ou do mar at asmis
do movimento gh qualquer ordem, de energta-na-: altas refiws da atmosphera. As qnantidades
toral que se transforma, mas-nao se extingue, nem S?^!?2?SL!!! "'i ?ml M,Cem aoida-
se cria, ach.-so- na seguinte phrase do ^r. Fara. ^f^ ^ alongar este art^o nao citemos nu-
das : A palavra forra por mtiilos entendido \
como indicando simplesraente a tendencia que tem'' n,^bJino a olira *?*" d? *" M*
. y. H que a composiran taeiha defimvf do ar e em 100
um corpo de-passar de nm. lugcf para outro, o que volantes de 2093 de oxigenio e 707 de azote e s
equivale, segundo supponho, phrase for^a mecha- o acido carbnico e a agua sito consideraos como
nica. O que eu entendo por forra a causa de prinopios tambem normaes- do ar.
uma acal* physica : a or.igem on orignu.de todas No. moi,ernrt lcdomvi0. geral das scienCias
as mudancat possivs entre as partculas, ou ma- que se est publicando em- Franga, aetia-se o se-
teriaes do universo*. i inte :
Sobre o modo de conceber a conservagao ia t ar essaneialment formado da mtnr de
energa, na natureza nenliuma maneira ha mais. dous gazes, azote e oxigonio, em proporgoes que
lgica e mais lucida do nuc a nronosta nelo Sr.1 ea?ha serem sensivplniente as mesmas em todos
os pontos do globo. Conten alm d'isto urna mjii-
Na busea que a polica de a casa encontrou es-
condido debaixo de uma cama, um horaem cha-
mado Manoel Trindae natural de Penajoia e j
conheeido cotiio falsificador-. Os papis, letfr:s, car-
tas- e receitae- qne tinba comsigc- faziam suspeitar
criminalidad, e em comequencrdisto foi tambem
preso e conduzido para e-Carme.
L>li' foi a mencionada- autoridade dar l?ea a
casa do serralheiro Jos Maria Teiweira, na rua'do
(]orreio, e nao obstante nao achar nada que indi-
casse complicidade na fabncacilo di notas bisas, I
prenden o dito Jos Mara Tixeira e seu pae e lio
Antonio Cardos Teixeira e Francise9-Cardoso Ti-
xeira que figuravftm como Biedianewes na nego-
ciagao para terem parte nos lucros.
Sao, perianto, cinco os presos, a saber : Rober-
lo Vieira de Moraes Manoel Trindade; Jos Maria
Texeira; Antonio Cardoso Kixeira Francisco-
Cardoso Tixeira.
Forana todos cincoentregus- justi- criminal
com as aotas e papis que a polica ajiprehendeu
aos doos prmeiros;
Quano ao homem que fugin^ da taberna, em !
quanto a noticia lustava com Itoberto Viejra de Mo-
raes paralhe tirar o masso das notas falsas, sup-
poe-se <^oe nao (icaria em estado de poder ir para
muito lenge.
Quancto fugiu, foi'perseguidc- pelos caes-e ainda
Ibe dispararam um ilro.
Honte de manba deu-se basca aos- quintaes
por onde-fugira e er.eontraram-se rastes V: san-
gue e pedacos de cateas c de seroulas,
ApoKeia continia as diigencias qoe o caso
pede.
O miaistro dos nOcios da. justira da.Dinamar-
ca recebeu de Skagen (ponta seplentrenal da Ju-
llandia> uma garrafa cuidadamente lacrada que
o mar atirou praia.
Condola essa garrafa o spsuinte docameolo :
Deliberado e rsdigido em. Uagusa. .2i de ju-
lho, ioanoo do Saabor de !8tti. Hoje, lendo sido-
levada a effeito a. oceupaco de toda a Jutlandia
pelo glorioso exercito de sua magestade o re da
Prassia, muitos officiaes, porta-bandcvras c volun-
tarles prussiaros alojaraa-se na hospedara de
Skagei e banbaram-se no ponto onde se confun-
deui.as ondas do mar do norte com as do Bltico.
A qpeco achar>-este documento pedirp.es que o faga
ir pela va mais segura s maos do chefe do gabi-
nete inglez, lord Palmerston, como ama lemhracra
da gloriosa c-eflicaz proisccao que se dignou ca-
ceder ao nciwe povo da Dinamarcr-
(Seguem-se qoatorz assignaturas.)

llavera nte airaos uin fabricaste de salwc- que
vivia em grande pebraza, encontrou na ra um ho-
mem desconhecido de gesto e feigwes muito oxpres-
si vos, que se cliegou a elle e dsse-lhe :
So qaeres que te salve da indigente que
te faga rico has-de dar-me uma cousa qee-esj era ;
loa casa sem saberes que l a tcns.
que a proposta pelo S
Kaukine, cujas op.moes sao justamente considera-. to pequea quanlidade de acido carbnico ,
das no mundo scienliico. A' phrase conservatao i porciio variavel de vapor de asna : i emfin o-re-
ta forga, propoo este sabio que se substitua a de : cent aculo de- todas ai fmanacoes qne saem do solo
.conservado da energa.. A eneigia, ou a o/no- **" Seres que "" ***** a "*"&&
tdade que pormanece constante era todas as ac.oes j Aqni tem o. leitor, aqui pode ver o redactor
physicas entre um systema de corpos, ou pro-! scien,i'ir da Gazeta de Portugal porque tratando
ducto de dous factores-urna tendencia ou osforgo SgsTSS ^n^SZ^ S5J
para produzr una raudanga, e a mudanga no sen- oxigonio, acido carbnico e vapor da agua, na co-
udo em que aquelle esforco capaz de continuar a! v,,,gao de que nao faliavames ao rigor neientifico. ^
actuar-ou o equivalente desse producto.. O pri-116^^^^^^^^ > ter'fa per50nag"m Podia S8r sen3 Satonai' c.
meiro daquelles factores, a tendencia, ea energa'^ vstoqup,tojfodepois de dar dea dn'analyse do! (luo eHe ndiscretamenie baria vendido seu fllhe
potencial; o segundo factor, a mudanga, a ener-! ar, accresceatamos : > que tica exno*to' apa-] ao diabo.
gia actual ou dynamica. Um esemplo pode escla-!nas ^pida noticia de um proresso de analyse do
rerer esta nronosico r"in recer esia propos.gao. snfflpiente> elC- No(ave| ^^ > o ^
Supponbamos um poso qae por meio de um cor- \ crtico nao attentasse nesta phrase : e se deixas=e
do levantado alguns metras cima do chao : ,a0 rivamente impresslonar por o que ello chama
como a trra exerce sobre elle uma aegao attracl- inJuslamente fal,a de m scienlifico.
O pobre fabricante, muito contente per sabir da
misea em qm-vivia, disse logo que sim, mesmo
Porque de nada lhe servia essa cousa que lhe di-
ziam estar em casa sem elle saber aande.
Felo esto pacto, o fabricante eatra em casa e
drlbe a mulher parte de que eslava grvida.
Entilo o pobre homem entra a scismar que era
do filho-qtie o desconheaido falla>va, que esse mys
cripta uma Revista Scienlifica, escolhemos este ul
timo, por nos parecer que satisfara melhor ao fim
que pretendamos obter-, fazer a chronica dos pro-
gresos mais importantes dos conhecimentos hu-
manos, vulgarisando ao mesrao tem jo os principios
fundamentaes das sciencias, e de suas apphcagoes
industria.
Pjr haver preferido, em geral, este systema pa-
ra a nossa Revista Scienlifica nao se segu que nos
julguemos obrigados a seguido iuvaravelincnte,
Dem que rei.uta.mos improprio de uma Revista o
.sysieina opposto.
Siem 1857 publicamos ama Artista .cientfica
DOS Animes das sci'ncias e lettras, e n'essa publi-
cagao, ora seguimos o systema de exposico scien-
tica e histrica dos trabalhos e desrobri.nentos mos a,gum ,ant0 ,de mu"> PP0Stas' *">*
que n"essa poca tixaram a attencao dos sabios,!oppor,ano ^ ,uaes ^o os pontos que merece-
questao que a elle- inmediatamente se liga. Aqui
a exposigao de alguns desses fados passados quasi
no alvorecer da chimica moderna, nao foi o fim da
nossa Revista, foi o meio de que nos servimos pa-
ra tornar intelligivel uma questao da actualldade.
No nosso systema, o ter de expor esses principios
nao era ora erabarago, era urna vantagem de que
nos quizeraos aproveitar para vulgarisar a scien-
cia.
O fim das nossas Jlmflfw em parte, vulgari-
sar a sciencia; mas, nesse caso, diz o nosso critico
era obrigagao nossa conservar o rigor da scien-
cia. Suppunhamos haver conservado esse rigor,
mas como na critica a que nos referimos se diz
que t forga de querermos simplificar, confundi-
va, esse peso adquiriu pelo facto de ser levantado,
a faculdade de produzr movimento, cahindo. Em'
quauto est suspenso existe nelle a energa poten-
cial. Se for cortado o cordao, o corpo prse-ha
em movimento, o medida que se for aproximan-
do do chao ir perdendo a sua energa potencio}
para ir ganhando o equivalente em energa dyna-
mica. Se o corpo soffrer uma rpida diminuigao
na sua energa mechanica, se for inlerrompida a sua
(Continuar-se-h.)
UM POCO DE TL'DO.
O Commercio do Porto noticia o seguinte :
Na noute de anle-honteiu levou (a effeito a po-
queda, a energa reapparecer sob a forma de I "c'a uma imPriante diligencia, prendendo cinco
calor. I individuos implicados n'um negocii de olas falsas
I do Brasil e apprehendendo 1200 destas notas (de
50000 ris) em dous inassos de 600 cada um.
Den-se o caso do segrate modo :
Era junho do corrente anno teve o Sr. admi.
rara esta spera censura ao Sr. Ozono. Discuta-
mos plcidamente as observages do nosso critico.
Diz elle o seguinte:
Comega o Sr. Corvo por dizer que sao os mo-
ora nos restringimos a fazer o noticiario dos acon-
tecimenios que passavam na regio das sciencias,
acotupanbado apeuas de breves couiraentarios. Re-
tomando um titulo que ha oito anuos nos serviu
para uma publicago da natureza dVsta que ac- vimentos qae modifleam a materia,-que a transfor-
tualmeote fazemos no Jornal do Commercio, euten- mam etc.
demos que o titulo nos nao limita va era nada a li-1 u c,,,Afti ,u__-. *
. ... imh | e sustentavel esta theoria, e mesmo a mais
bordade de expor do medo que nos parecesse mais moderna, apresentada e encanecida por Grove e
convententepara a proficu.dade d esta publicago, seussaccessores.Acredi.ava.se amigamente qae
Seria longo deduzir do que Oca dito todas as con-
sequencias em favor da proposiglo que estabelece-
mos na nossa Revista, e qne mereceu os reparos do
Sr. Ozono de Vasconcellos. Numerosas observa-
goes mostrara hoje, a nosso ver, de um modo evi-
dente, que sao os movimentos, resultado da aegao
ta energa, quem modifleam a materia, e lhe im-
primemos caracteres qae nos impressonim. A
densidade, o estado da agregago, a composigao
chimica, a temperatura, as faculdades de produzr
luz, electricidade ou magnetismo, a cor, a quieta-
l gao ou n movimento, etc., sao todo effeitos da ac-
; gao da energa sobre a materia.
A concepgo de Newton exacta ainda, mas os
j seus limites como qae se alargaram, com o desco-
I brimento da homogenese das forcas physicas. Nos
i seas Prmcipius, escreveu Newton : t Attamen
Igravitatem corporibas essentialem esse mrame
I afflrmo. Per vim insitara intelligo solara vn ioer-
tice. Huec immutabiHs est. Gravitas recedendo a
trra dimnuitur. A vis inertice de Newton nao
nistrador do segundo bairro aviso confidencial de
que Manuel Soares de Alraeida, que tem loja do
mercearia em Miragaya, fra convidado por Jos
Mana Tixeira, serralheiro, morador no largo do
Crrelo, para um negocio de notas falsas do Brasil
era que entravam Roberto Vieira de Moraes, de
Mezao fri, e Maximiano da
Quinta de S. Lourengo.
Costa Cabrito, da
Em consequencia desle aviso, ordenou' a men-
cionada autoridade algumas diligencias que foram
entao sem resaltado.
ltimamente, o individuo que fizera oprimei-
quantitativa. Pode haver mais ou menos mate- W avis procurou o Sr. administrador do spgundn
ra inertil, mas nao mais ou menos inercia. A hairro doriimn ik .. -... j -
inercia uma propriedade essencial da materii S ,Qae se ,ra,ava da ^gociagao
segundo Newton, na genuina accepgao que elle lhe I q. ev,a ,er ]a&T na laberna ^ Jos Ro-
da ; as outras forcas nao. meiro, prxima a alameda da Lapa, e que o ajuste
Era impossivel n"um s artigo, expor, mesmo de; era de 800000 ris por cada TOOOSOOO ris de no-
leve, os fundamentos da proposicao, que aprsenla-! tas falsas, 1
Desde esse dia, o commercio do fabricante en
truu a medrar, a medrar, al que elle se vio se
nhor de uma fortuna avultada.
Tempos depois, nasceu urna menina; mas a in-
feliz, desde o dia o seu nascimento, que era vic-
tima de uma enfermidaae terrivel que se ajera-
vava proporgo que seu pae ia enriqueesndo.
Nos anniversarios do dia em que seu pae con-
cluir o parto horrivel, davam-lhe terriveis furias,
que dez horneas mal podiam segura-la.
Agora a desditosa menina morrea esganada pe-
lo diabo, que no pescogo lhe deixou os signaes das
garras. O pao vive no maior desconsol, e lodos
os habitantes da pequea alda de Szegedin na
Hungra Ostao cheios do supersticioso terror de
que esta morte foi effectivamejile obra do diabo.
*
Um correspondente remetteu-nos o seguinte :
Ha pouco tempo sucoedeu um caso, o qual, por
me parecer galante, pego lcenga para o referir
aos seus leitores.
Certo conselheiro, talvez do Japae, querendo mi-
mosear pela festa do anno bom um seu antigo
creado, deu-lhe um par de caigas cor de flor de
alecrim... e que elle por vinte annos consecuti-
vos havia usado.
O creado, talvez por nao goslar da cor, ou an-
tes porque a acbou muito duvidosa mandou ungir
as calcas que recebera oomo recompensa dos seus
bons servigos.
Um domingo, porm, eslava o conselheiro na sua
ianella, observando quem sahia de uma egreja,
quando reparou que o creado trazia urnas caigas
pretas c to lustrosas que lhe pareciam novas.
Esls muito janota, Jos, como arranjaste
urnas cah.-as to boas ?
Foram as que o patrao me dea ; mandei-as
tingir de preto. E- verdade que gastei 240 ris,
mas flcaram como o patrao v...
- Parecem novas, parecer, e fizeste bem Jos.
Fizesle muito bem porque para se poder rlver ues-
te mando, necessario ser muito poupado ; tado
custa rios de dinheiro. Portanto, toma l os doze
finteas e d para c as caigas porque nao me ti-
nba lembeado desse arranjo. Obrigado Jos, obri-
gado.

l'm Individuo que viajava no vapor Rha de Cu-
ba que sahiu em 30 de junho do porto de Cadlx
para o de Havana, escreveu a um amigo partici-
pando-lbe um lance curioso que succedeu a bordo
do dito barco.
Tinham-se embarcado no vapor uns qunlientes
e tantos soldados destinados ao Ultramar, os qaaes,
assim como os seus capitaes, demandaram at Ca-
narias. Depois de se terem apartado d'estas ilhas,
acosturaados ja uns e outros ao mar, quizeram os
ebefes verificar o numero de individuos que iam a
bordo, e acharara mais um soldado do qae os que
estavam inscriptos no mappa.
Como te dianas ?pergunlou um' do? capi-
laos a um joven moreno de rosto mu varonil e ao
mesmo lempo gracioso.
O soldado nao soube que responder, otas fallou
por elle um caraarada :
Perdoe, msu capitao : Magdalena.
Magdalena! come- 'issof- disso o sapifo
admirado.
Swi, senhor,disse emo o fiogido scdad
corando-at s orelhas ; eu nao sou recrula. Gos-
to d'este rapaz, e jurei nao rae separar d'elle ainda
que fossewos at- ao fim do mundo. Coohego qv.'-
cahi n'um culpa, e espero a ininha seotenga.
O capilocouheceu que havia n'aquelleacto um-
exeesso de aSeigo, e reunindo- os outrss officiaes,
foram todos de parecer que ticassem os dos ena-
morados em Porto-Bieo, onde a rapariga tapia o
unifr>rme e o rapaz- foi posto s ordens do-capitao
geral da ilba.
*
Mathilde Samuel,- mcrailora em lanovcr Street,
declara no tribunal de polica de Bowstrcet qne na
manha-de 27 dejullo, dtis 5 para as 6 horas-, es-
tando ainda deitada; aeordou de repente e va o
allemao Paulo MoJtor era p junto do sea leito; e
com as frotas na mao. Tratou logo d acordarseu
marido que se vesta a-tod a pressa e foi chamar
um soldado da polica; Mathilde Samuel pergun-
lou ao allemao o que elle queria, e e.'le respondeu
em allemao. Quando-seu mando volioa cora ool-
dado da polica, deu este a voz de preso ao ?Jfe-
mao, e examinando a* porta da casa reconhecea
qae nao ticham sido Sargadas.
O agente da policia declara no tribunal que de-
pois de tei raettido c-ru B'uaoa estagoo polibal,
foi examina- as localidades-. O ru ec-rcu corra-
mente pela eesinha cuja- persa nunca se- fechava.
Escalando o muro exterior tiftaa perdiJo o chapea
que fui adiado depois.
Passando-ce- a averiguages, soube-se que oito.
das antes tirita sido preso aquette mesmo allemao
por se ter mettido em outra-casa.
Um sugeto que desempenha as funcroes dein1-
ten>rete, diz que acaba de explicar tudo-aa ru, e
que as suas rssposlas levara, a erer que est toma-
do de estranhaperplexidade. Como allemao de
nascimento e se chama Mullsr, teme que. o tomem
ppr Franz Muiler, assa&sino de M. Bri^gs, de que
por vezes se tsra fallado. No seo terror, est sem-
pre disposto a esconder-se. J esteve para morrer
de fome em ura dos seus escondrijos. E caixeiro
de um negociante allemao-e evidente -que a sua.
raaao nao est em muiso bom estado.
O magistrado Vaughon, do tribunal de Bows,
Ireet, mauda-o levar ao censal da Pricssia. Este
diz-lbe que nada pode fazer em seu Curar e pOFi
conseguinte meltido Paule-Muiler nuc hospi-
tal, como doudo sera asylo.
# *
Est agora a senhora- Dooglas exentado o saca
vigor em Londres, nc- palaeio da Alhambra.
Apostou mediante 10C0 libras que andara.l;00a>
mlhas caraiohando durante 1:000 heras consecu-
tivas.
Caleulou-se que para andar uma miiba, terkr.de
dar dezenove voltas t-j redor do palaoi.
l'm sugurto encarregado de verificar o nuaiaro
de voltas. .adverte a senhora Douglas cada vez que
ella tem eito uma aiilha. Entao descanga ella du-
raute alguns minutas 4 depois poem-se ouira. vez
a cammiio e percorte outra railh'a ; descaag.a. ura
pouco, o assim por dame. Est caliulado quo-em-
prega deieseis mantos em cada inba.
Parara Incrivel I-ois preciso saber que a se-
nhora Douglas nao.-uma rapariga,.porqsie tm os
cincccnta annos e sele tilhos !
J nao a primeira vez que faz d'estas-marav-
Ibas de vigor.
Em 1859 fe palmar muita gente na Australia.
Actualmente io Ibe falla gente- aaAllambra para
ver e pasmar.
A Nardo publica o seguate quaoro das hor.-
comparadas de todos os pontis. do gtobo.
Quando o quadrante marca meio dia em Pana
sao 2 horas- e 8 m. em S. letersburgo, 12 h. e-2-2
m. em Madrid, 10 h. e lt m. em Calcuta, 11 fc, 50
m. em Argel 1 h. e 2:) m. em Munich, 12 h q 10.
m. em Londres, horas no Rio de Janeiro, 1 n. o
30 m. em Munster, 7 h. e 20 m. em Pekin,.2; h. e
14 DV era Constantinopia, e 1 h. e 10 ra. es). Cope-
nhague, 8h. e o m. eas. New-York, 1 b. e 4 m. em
Vienna, 6 h. e 4(5 m. ao Mxico, 1 h. e 16. m. en
Berln, 12 h. e 3o a. em Dublin.
*
Diz a Armona que o general MontebelJacbegan-
do a Pars entre&ou imperatriz Eugenia um mag-
nifico crucifixo que o Santo Padre lhe mandava.
* *
Para formar uma idea do encarnigamento com
que nos Estados-L'nidos se olhara os do norlc e os
do sul, reproduzimos alguns trechos d'um discurso
pronunciada em New-York pelo humanista padre
Bol i no \v.
Se livesse poder para isso, dara armas e cuari.-
ria com o uniforme dos oxercilos federaos aos lo-
bos s pantheras, aos tigres e aos hijos das monta-
nhas ; aos crocodtllos dos pantanos de todas as. ilhas,
a todos os pretos da cenfederacao do sul, a a lodos
os demonios do inferno. A guerra actual deve
marchar avante com espirito de ira e vinganca
ainda quaudo houver de exterminar-so a todos os
homens, a todas as mulheres e a todas as crian-
gas de6sa raga ahjecta (muilos applausos)....
Grant tomar a Richemond, e entao faremos togir
os rebeldes at que com a ajuda de Deus os preci-
pitemos no golfo do Mxico afogando nelle toda a
raga como o diabo afogeu os torcos no mar da Ga-
lilea.
Quando a guerra lenha lemraado contaremos
com 600,000 valenles soldados, e entao son de opi
nio que- demos o seu merecido i velha Inglaterra
(muilos applausos). Pederemos castigar aconfe-
derace do sul, e tomar logo a Franca e a Inglater-
ra : eu quero que nos apoderemos de todo o mundo
ctvilisado at que tenhamos acontado a toda a
creacao. (Donde nos lavemos de metter ?)
PERNAMBUCQ.-TYP. DE M. P, bi F. 4; FLHO
)
I





Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMC1998SL_HKC1OU INGEST_TIME 2013-08-28T01:17:46Z PACKAGE AA00011611_10466
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES