Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10465


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XI. HOMERO 209.
Ptr tres mema adiantados 5$O00
Per tres mezes vencidos 6JUU0
Perte ae cerreio por tres mezes. 0750
m m ii i ni"
.*.? *h ** <
NCARJAEGADOS DA SUBSCTJPCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima';
Natal, e Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
8r.A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C.; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
NCARRKGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SL.
Alagdas, o Sr. Clandino FalcSo Dias; Bahia, o
rr. Jos Martins Aires; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Carnarn',
Altinho e Garanhons as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazem, Flores, Villa Bella, Tacara tu', Cabrob
Boa Vista, Ouncury e Exu' as quartas feiras.
Serinhaem, Rio Formoso, Taraandar, Una, Barrei-
n" .Pa Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
una de temando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao V dia. |
TERCA FEIRA 13 DE SETEMKRO BE 1864.
Per ame- adtantade.....1-91000
Porte ao aureio por un anne. 3gQ0O
f

EPHEMER1DES DO MEZ DE SETEMBRO.
1 La nova as 3 h., 48 m. e 8 s. da m.
! Quarto cresc. as 3 h., 30 ni. e 38 s. da m.
15 La cheia as G h., 40 m. e 20 s. da t
22 Quarto ming. as 4 h., 34 m. e 14 s. da t.
30 La nova as 8 h., 23 m. e i s. da t.
PRKAMAR DK HOJR.
Primeira as 1 horas 18 minutos da larde.
Segunda as 1 horas 42 minutos da manhia.
PARTIDA DOS VAPORES COSTJURO.
rara o sul at Alagas a 5 e 35; par o norte at
a- a\ e *' de cada mez' Para Penando nos
das tt dos mezes dejan, raarc., maio, iul, set enov
PARTIDA DOS MNIBUS,
ara o Rp~*-
8V a:
Jaboatao *.
da m.; de BamficasS dam.
Do Recife: para o Apipueos s 3 V, 4, lU, V,
' S" .V* e 6 Urde P*r* alinda s 7 da
mannaa e 4.y da tarde;. para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cachang e Vanea s 4/ da tarde; para
Bemflcaas4.daiaxde.
AUDIENCIA DOS TRBUNAKS DA CAPPAL.
Tribunal docommercio: secundas quintas.
Relacao: tercas e sabbados s i horas.
Fazenda.: quintas s 10 horas.
Juixo do commercio: segundas 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas, s sextas ao meio
dia-.
Segunda vara do civel: quartas a sabbados a 1 hora
da tarde
DIAS DA SMaNa.
12. Segunda. & Macrobio m ;S. Liborio m.
13. Terca. S. Aula v.; S> MeroBdes m.
14. Quarta. Efcaltacao da Sania Cruz.
>. Quinta. S. Domingos em Soiiano.
16. Sexta. Ss. Gornelio, Cypnano e Rogelo mm,
1". Sabtiado. S. Pedro de-Arbui-s m.
18. Domingo S Jos de Cuperl.no f.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a lirraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, des proprietario3 Manoel Figueiroa de
rana 4 raso.
PARTE OFFGUL
GOYBRHO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 9 de setembro de 1S6L
OfTicio ao commandante das armas interino.
Informe V. S. sobre o que pede a mulher do alfa-
res Henrique Everaldioo Bittencourt Tourinho no
incluso requerimento.
Dito ao Dr. chefe de polica.Ao ofllcio de V.
S. de 6 deste mez. com referencia a outro por co-
pia do delegado do termo do Bom-Conselho, res-
pondo dizendo que as passagens pela va frrea,
tornam-se onerosas aos cofres pblicos, e que ne-
nhum inconveniente encontram na thesouraria os
prets quaudo sao organisados de conformidade com
a le.
Dito ao inspector da thesouraria do fazenda.
Communico V. S. que o bacharel Jos Joaquim de
Souto Lima, promotor publico da comarca do Li-
moeiro, entrou em 30 do mez lindo no goso da i-
cenca que Ihe foi concedida.
Dito ao mesmo.Em additamento ao meu offlcio
de 17 de agosto ultimo remeti V. S. por copia o
ofllcio do inspector dasade do porto de 3 de julho
deste anno, a que acompanha a conta da despeza
com os concertos feitos na baleeira que est ao ser-
vico daquella reparligd.
Dito ao mesmo.=Partecipando o bacharel Joa-
quim Ferreira Chaves, que renunciou o resto da li-
cenga que Ihe foi concedida e reassumio em 22 de
acost prximo findo, o exercicij do cargo dejuiz
municipal e de orphaos do termo de Ingazeira : as-
s:m o communico V. S. para seu conheci-
mento.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.Em
vista da conta junta ern triplcala e nao havendo
inconveniente, mande V. S. pagar ao Dr. Joo da
Silva Ramos, conforme solicilou o chefe de polica
para a Baha ao soldado do 10- batalhao de infan-
taria Manoel Gomes Ventana, e para a corte aos
soldados voluntarios Saturnino Nunes de Barros e
Jos Pessoa da Gama, este do Io batalhao de infan-
tina e aquelle do Io doartilharia a p.Comino-
nicou-se-ao commandante das armas.
Despachos do dia 9 de setembro de 48G1.
Uequcrimentos.
Antonio Antunes Lobo.Fica expedida a conve-
niente ordem para ser o caixeiro do supplicante
dispensado do servico al a prxima reuniao do
ccnsclho de qualificagao a quem deve requerer o
seu direto, na forma dos artigos 27 a 29 do decre-
to n. 722 de 25 de outubro de 1830. '
Alejandre Americo de Caldas Brandao.Passe
portara concedendo 3 mezes de licenca.
Antonio de Moura Rolim.Dirija-se ao Sr. di-
eTe1SarraisaaceAaadadsqUe ^ SS" eXPZCrCm' X" "^ **"" ^^ ^
Com tudo, respondendo ao officio em que VV. SS. Manoel do gomara e Maria Rosa do Rosario
!fJiT Ta Rv- 'igari0 Beral Cami" ** Me"' Joa" ios Haaws. e Koialina Maria de Jess.'
donga tunado nomeara os empregados para serv- Manoel tioncalva Santiago, e Maria Joanuina da
rem no cemileno, e confiara VV. SS. a adminis- Cofcceto.
tracao delles, sendo que um desses empregados foi Vicioriano Jos dos Santos, e Donara Maria da
por mim mandado demittir do lugar, cabe-me Coneeicao
HflerJfo^rHSS'qHaee".nen-umcon5ecimen, Joa,luira *>i da Silva, o Guilhermina Maldira
tive ale agora dessa administragao, nem dessas no- de S.
n!SS.vdBecJr!lprH!ad0S' ,porra' /nda T8"!0 Theodero Roberto da Cruz, e Mara Jos do Espi-
quando tivesse conhecimento de tudo, nao obraria rilo Santo
B0^n.0J^M!^m,a^deo^dei,a,!.^ Apollinarto da Rocha Marinho, c Maria Rosada
Kv. coadjutor quo demittisse esse empregado, din- Coneeicao.
SEGUS a VV* SS-' e llesrd.iria Que demitils-. Francisco da Trindade Dantas, e Claudina Francis-
COStO> A prova disto esl na linguagem que por
i oceasiao- da discussao daqut-Ue assuinplo susteRtou
lord mmerstoo na cmara dos eoinmuns, sem im-
i portar-se com o mal que suas indiscretas assercoes
j iriam causar ao progresso da neRociacao- pendente
entre o gabinete inglez e o do Rio de Janeiro. Des-
penado pela energa com que o Brasil se houve na
queslao Ctiristie, lord Palmerston qaer vingar-
se? tanto mais que politica tradiccioual deste go-
verno actuar com prepotencia sobre os paizes lon-
sem, porque esse empregado faltou com o rspeito! ca do Espirito Sanio
' S^te101! da- freK.??ia- E estou cert0 de; Luiz Marco de Azevedo, e Maria da Penha da Con-
ao
rector geral interino da instroccao publica.
Administradores da massa fallida de Amorim Que> sc VV. SS. o nao cohibiram, como convinha, i ceicao
Fragoso Santos & CConcedo a liecnca que pe-1 'oi porque esse fado nao chegou ao seu conheci- \ Frmino Jos Gomes e Thereza Maria Gomes
dem os sopplicanles pagos os direitos nacionaes. I ment: pois do contrario, zelosos como sao pelo Hermino Bispo dos Santo* e Francisca Leocadia da
Bacharel Balbino Cejar de Mello.Como requer. I explendor e prosperidade de tudo quanto tende I Coneeicao trasca beonon ua
Bernardino Pereira Ramos.Remettide ao Sr. sua matriz: jamis consentiriam que fosse menos Joo Lourenco de Mello e Maria Francisca da
inspector da thesouraria de fazenda para mandar prezado um sacerdote que tao bons servicos tem Conceicaa
passar o titulo que requer o supplicante, pagos os prestado a essa parochia. Joo Gomes Honorio de Mello, e Maria Gomes da
direitos nacionaes. | Dito ao coadjuctor de Anadia.Respondendo ao i Silva.
Hennque Jos Vieira da Silva.Informe o Sr. seu offlcio de 28 do prximo passado, tenho a di-' Manoel Figueiredo Rocha, e JosoDha Maria
inspector da thesouraria de fazenda.
Irmandade do Sr. Bom Jess da Va-Sacra da
igreja da Santa Cruz desla cidade.Ficam expe-
didas as convenientes ordens para ser entregue a
supplicante o beneficio de que trata mediante a
competente llanca.
Josepha Maria do Espirito Santo.Indeferido.
Jos Francisco Barbosa da Silva Cumar.-Pas-
se patente.
Lulz Jos Marques.Remeltido ao Sr. inspector
da thesouraria provincial para mandar passar as
certiiloes de que trata o supplicante.
Mathias de Albuquerque Mello Jnior.Informe
D. Mana Lina de Mello.J se expedio ordem
para ser passada a carta de emancipacao ao Afri-
cano de que se trata.
Sm4!Si-de 6 do corren,e- sob n- *** a quantia o Sr. juiz municipal da Encada.
de 752d0, proveniente da lavagern da roupa dos
presos pobres da casa de detencao, durante os me-
zes dejunho a agosto deste anno.Communicou-se
ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo.Em vista do incluso pedido,
mande V. S. entregar opportunamente ao fiel paga-
dor da reparticao das obras publicas, conforme so-
licilou o respectivo chefe interino, as prestacoes
semanaes que se fazem precisas para occorrer as
despezas com as obras por adraiuistrago cargo
daquella repartigao no correte mez. Communi-
cou-se ao encarregado daquella repartigao.
Dito ao mesmo.Afflrmando o commandante do
corpo de polica como melhor se t da informaco
de 3 do corrente, constante da copia inclusa que o
soldado Joaquim Ignacio de que trata o seu officio
n. 381 de 31 de agosto ultimo, pertence a com-
pagina do mesmo corpo onde "sob n. 258 tem o no-
me de Joaquim Ignacio da Silva, haja V. S. de
mandar indemnisar o pharmaceutico Benjamn de
S Pereira romo solicilou o Dr. chefe de polica,
em officio de 2 de agosto findo, da quantia de.....
7780, despendida segundo a conta junta com o
tratamentodaquelle soldado na cidade da Victoria,
sendo essa quantia levada a verba competente no
exercicio corrente, ficando V. S. certo de que pelo
referido corpo ser recolhida a essa thesouraria,
mediante o descont a que se esl procedendo a
importancia das tres quintas parles do sold do
predito soldado em 30 das, tempo que esteve doen-
ie, bem como os 275340 que Ihe foram abonados
em dinheiro.
Dito ao mesmo.Exija V. S. do proprietario das
casas em que residem
OVHHXO DO HISPIDO DK
l*i:itMH|fl C O.
SEUE VACASTE
Setembro de i86i.
Expediente do dia 7.
Officio ao juiz municipal da 2* vara.Consla-me
qne, procedendo-se por esse julzo arremataco de
urna pobre menina de cerca de doze annos de ida-
de, quasi branca, escrava de urna senhora fallecida
ha pouco, algumas pessoas caritativas, compade-
ceado-se do infortunio dessa croanca, da sua tenra
idade, do seu estado lacrimoso, generosamente pro-
moveram logo entre si urna subscripeo, e conse-
guirain a alforria da innocente.
Compartilhando os generosos sentimentos de tao
Ilustres cavalheiros, e desejando completar urna
obra lao meriloria, proporcionando um asvlo a essa
desvalala, afim de que, na tenra idade em que ella
se acha nao venha a ser victima das sedceles
mundanas, e deste modo tornar imprelicua para o
uluro urna accao que tanto honra a todos aquelles
que para ella concorreram, tenho determinado con-
ceder-lhe um lugar no recolhimenlo de Nossa Se-
nhora da Gloria dessa cidade, para que essa meni-
na ah possa reeeber urna edueaco moral e reli-
giosa proporcionada ao seu sexo.
Queira pois V. S. cammunicar-mo se julga con-
alim de que eu
zer-lhe que bem andou V. Rvma. em nao casar
F, que se diz viuvo, mas para o provar apre-
senta a certido de bito de urna mulher casada
com A dizendo ter elle mudado o nome para
F, na occasiao de chrismar-se. Louvo muito
o zelo com que V. Rvma. procedeu s ndagacoes
necessarias para descobrr a verdade. EsseP....
tambero aqui veio para ver se obtinha de mira o
que de V. Rvma. nao pode conseguir; mas nada
alcancou. V. Rvma. por tanto s proceda ao re-
conhecimento desse homem, quande estiver bem
convencido de que a certido de bito que elle
aprsenla realmente da antiga mulher delle, ou
quando estiver certo de que elle na verdade
viuvo.
Dito ao vigario da villa de Pao dos Ferros.Re-
meti incluso o compromisso da irmandade doSan-
tissimo Sacramento, erecta nessa matriz de Nossa
Senhora da Coneeicao da villa de Pao dos Ferros,
o qual V. Rvma. me envin com o seu officio do
Io do corrente. Para que esse- compromisso possa
ser approvado, convem que tenha melhor redac-
Manoel Ferreira dos Santos, e Francisca Ludgera
Cavalcanti.
Joo Felippe de Oliveira, e Generosa Rosa de Me-
deiros.
Bento Jos das Neves, e Alexandrina Maria da
Coneeicao.
Ludgero Jos das Neves, e Thereza Francisca da
Coneeicao.
Jos Francisco Dantas, e Maria Francisca de Jess-
EXTERIOR.
CORKKgPOXDKXCIAS DO IA
RIO DE FFK.WMBIXO.
os empregados da barrei ra
do Giqui que faga os concertos de que ellas ne- veniente este meu offerecimcnlo,
cessilam, como reclamou o arrematante Antonio de d as necessarias providencias.
Farias Brandao Cordeiro, no requerimento a que 9
allude a sua informaco n. 28ti, de 2 do cor-; Offlcio ao vigario de Santo Antonio, -Tenho pre-
ote- sent o officio de V. S. datado de 8 do correle, em
Dito ao commandante do presidio de Fernando, i que me diz que leudo havido nesse mesmo dia
Quando recebi o officio n. G6 que V. S. me dirigi derramamento de sangue na matriz da sua frepue-
em 29 de julho ultimo, j se achavarn comprados os zia, por occasiao das eleieoes, a que ah sc estava
objectos mencionados no pedido do almuxarifado procedendo, tomara a de'lberaco de transferir o
desse presidio datado de 22 de junho prximo pas- Santissimo Sacramento para a 'igreja do Espirito
sado. menos a cera prela que sera fornecida na Santo.
quaotidade de urna arroba como ordene nesta data I Lamentando que no recinto do templo se dsse
ao con.-elho administrativo. essa infausta occorrencia, approvo a deliberacao
Respondendo assim ao seu citado officio. tenho a tomada por V. S., e em tempo providenciarei para
dizer-lhe mais que convra ouvir o referido almo- que se proceda reconciliaco dessa matriz e
xanfe acerca da differenca que se encontra entre "ova transferencia do Santissimo Sacramento,
os dous pedidos por elle apresentados para forne- Dito cornmisso administradora das obras da
cimento dos preditos obiectos.Noste sentido ofli- nova matriz de S. Jos.Accuso recebitlo o offlcio
ciuu-se ao consejo administrativo. de VV. SS. datado"de o do corrente, ao qual res-
Dito ao commandante superior da guarda naci- pondo. Fei-me grata a noticia de, no dia Io do
nal do Recife.Km deferimenlo ao requerimento crreme, haver o Rvm. Jos Antonio dos Santos
do negociante Antonio Antones Lobo sobre que Lessa felo entrega VV. SS. dos objectos e alfaias
versa a sua informaco n. 113 de 17 de agosto ul- perlencentes nova matriz de S. Jos, e constantes
timoautonso V. .a mandar dispensar do servico da relacao que por copia recebi: bem como da
ate a prxima reuiao do conselho de qualilicaco o casa da ra Velha, tambera pertencente mesma
ixeiro do supplicante Antonio Jos de Oliveira matriz.
Cordalmente agradeco a cada um dos mombros
dessa commissao e em particular ao Illm. Sr. Fran-
cisco Jos de Campos Pamplona os generosos esfor-
508 que tem empregado afim de, a todo o cusi,
tornar effectiva a deliberagao que eu tomei de
anda ueste anno abrir ao culto publico a nova ma-
triz de S. Jos. Jamis esquecerei a confiann. com
que, sem haverem recebido ainda quantia alguma
da thesouraria provincial, encetaran os trabalhos
com a toda a aclividade, afim de adiantarem as
obras sem perda de lempo. J olliciei novamente
as Exm. Sr. presidente da provincia, respondendo
as observacoes do inspector daquella thesouraria,
c faclilando os meios de ser entregue ao Illm. Sr.
Pamplona a quantia consignada pela assembla
provincial para a nova matriz. Creio pois que nao
podera haver grande demora na entrega dessa
quola. Todava, assegurando Ilustre commissao
que hei de corresponder aos seus esforeos com todo
o apoio que pudor preslar-lhe, cabe-me affirmar
que nao sero esses embancas que bao de impe-
dir que a nova matriz se abra ainda este anno
veneracao dos fiis.
Dito ao vigario collado da Parahvba.Tenho
presente o seu officio de 30 do pnximo passado,
em que me pede que o exonere da regencia da fre-
LWMll.
23 de agosto de 1861.
A mala franceza, chegada do Brasil por va de
cao, principalmente nos lugares que vao notados Dordos. foi aqui recebida no dia 20 do corrente,
margem, a fim de serem mais clara as suas propo- annunciando os jornaes qne a queslo do Brasil
sigoes e as suas determinagSes ; feto o que pode ^J"-?. rePub,ic Oriental fra diplomticamente re-
voltar, que nenhuma duvida tere em prestar-lhe a so,v.ida- Entretanto as noticias particulares que
minha approvagao. i a Bito ao vigario de S. Jos de Mipib.-Respon- mento Mistente na provincia do Rio-Grande do Sul
dendo ao seu offlcio do 1 do corrente, no qual V. Pr a1ne"a solucao, visto como os habitantes dessa
Rvma. pede que d providencias, a fim de acabar aI,e do iraPeri cansados de serem Iludidos pelos
com o abusivo costum9 de se cantarem novenas em differentes governos daquella repblica, desejariam
casas particulares, porque taes novenas no campo resolver aquelle conflicto por meio das armas. En-
so se fazem para divertimentos e interesses profa- ,retanto. hoje que o governo imperial se acha com
nos, lenho a dizer-lhe que devem ser prohibidas U0H ,orca rcspeitavel sobre a fronteira rlenla!,
novenas em casas particulares qoaodo eltas corti rtof receiar que cc3o dos patriotas ulira-
estrondo e ajuntamento de povo etc. e nao aquel- passe a do gah"iete do imperador, o que demais
las que as familias religiosas fazem a sos, e por es- aca""elara um dezar de anarcha sobre o Brasil,
pinto de devogo. Convem pois que V. Rvma. pro- As. fo"jas .'"R'ezas nao commentaram aquellas no-
ceda com circumspecao e criterio, para que, ao *l0,as' limitndose a dalas, como alias costumam
passo que for cohibindo esses escandalosos divert- er resIeito de tudo
com os difeilos de suecessao que sSo allegados pe-
lo duque d AuKUstemberg e pelo principe de 01-
pemburg. O primeiro-desses pretendentes parece
acbai-se em melhor iiosico, visto como toda a Al-
lemanha apoia a sua causa.
Nesle estado de cousas, a paz reputada certa
at |M)rque a eonlinuagao da guerra imnortaria pa-
ra a Dinamarca roaiores desastres. Ifouve j al
a troca de prisioneiros entre os beligerantes, o
que mais um indicio de que as conferencias de
eastsasstt =^:=^x^s:
trar meios de repulso equivalentes aos seus.
L por este modo que naopini.v,- de lord Palmers-
ton a Inglaterra const-guira sem|>re fazer respeilar
os seus direitos, sendo que para fazer prevalecer
essa doutrina a maior parte das vezes langa mo Ue
qoalqner pretexto, que por si s- j revollanle, e
muito mais quando determinado (>or aquelle odioso
principio !
Tudo o tjue fica expo
para ajuizar da pouca probab
franca reconciliacao entro
de Janeiro.
S. M. a rainha deixara Windsor no dia 26 do
A visita d'el-rei dellespanlia ao imperador Na-
poleae- Ihii aqui despertado nin ciume de raga.
Algumas tullas exaltadas tem descoberto naquelle
acto de corlela um projerto de allianga entre a
Hespanha e a Franga, quando a verdade parece
ser apenas o desejo que e imperador Xapoleo tem
sempre manifestado de ameusar por todos os
sto sevviri de euia ao leitnr moJ,as rt,|50:s entre dous paizes limitrophes.
rotibSif?eha de un?'Sua ?2?M,?de a r;,in"? da !!espanha havia demas
nSISueta 5 o doTio S!*-0 a "nPera,r Eu8eBa com toda a distinc-
gao, e era por tanto natural que o soberano da
Franga desejasse corresponder na pessoa d'el-rei
viajar osle anno pela Allemanha como cosiumava ; nZ a -t n%. OSBPfL *-de JUih
fazer i prximo passado. O imjierador Maximiliano de-
O estado do espirito publico na Allemanha. que StaSa mThii^SK^ *"**&*, re-
O almirante francez acha-se de posse de Aca-
dos esfor-
buscavam re-
Juarez
Allemanha na desgragada queslao do Schleswig.
A rainha seguir para Bahmoral com toda a fa-
milia real, menos o principe e
que j so achato na Escossia desde
rente. SS. AA. reaes residem em Abergeldie, onde
o principe herdeiro posse urna importante pro-
priedade.
No dia 2 do prximo mez SS. AA. reaes se om-
barcaram em Aberdeen a bordo de urna embarca-
gao de guerra, segurado para Copenhague, onde vao
de visita seus Ilustres prenles. A sympathia
decidida que o principe de Galles manifestou pela
Dinamarca no actual conflicto dano-allemo, Ihe
grangear o enlhusiasmo do povo dinamarquez que
,-i .j. ?"#. u almirante francez acha-se de posse
aninceadeGalles P'.-Ja ecupacao mantinha apezar de
sdPe o dia 10 d?cor Mde ,alumas fras-rebe,de? 1ue bas
TA23^&\***** aRt.arn.cao naval franceza.
conserva-se por em quanto no territorio mexica-
no, apparecendo aqui e ali com alguns destaca-
mentos ; mas a sua eausa. reputada inteiramente
perdida, sendo que o exercito francez se limita hoje
por assim dizer a repellir os insignificantes ataquos
que essas forgas do inimigo fazem contra alguus
dos pontos quo eslao sob a auloridade imperial.
A auloridade militar franceza ia fazer bloquear o
porto de Matamoros, em cujas visinhagas exislem
alguns defamemos de Jurez e por onde estes re-
ha de provavelmente reeeber S. A. real com gran- "e; "
de regozijo : a occasiao presente foi, pois, muito i r,,. i m> L r.., n *
i.em escolhda por esse augusto personagem para I caS f? v m. P> Sarrio peruano bus-
fazer a sua apparigo na capital daquelle infeliz 22' pop,llar,s.r. a soa causa conlra- a "espanha
reino.
A partida do conde d'Eu, filho mais vellio do du-
as repblicas americanus. No Chile e na
Bolivia havia conseguido com elfeito dispor aopi-
niojpublica nesse sentido, sendo que os governos
que de Nemours e do nrncine de fiotha nara o i """'f"'""-0 ? ""'". aeuuo ijue o.> govcruus
ras,., aquileas X^JSJgVSi ^^1%^J^^
casamento das nossas princezas com esses princi-
pes ; sendo que o principe de Coburg esposar a
princeza imperial, e o conde d'Eu a princeza Leo-
poldina.
As folhas inglesas nada tem dito contra a preso- i
mida cscolha de S. M. o Imperador ; nem seria de
presomir que o Bzessem, quando corlo que ara-
DOS os principes sao muito bem coneoitudos neste !
paiz
bellicos para o caso d'uma guerra entre a Ilespa-
nba e o Per. Entretanto os gabinetes do Chile e
da Bolivia nao haviaui por era quanto commettido
acto algum de hostlidade contra a Hespanha, pelo
que essa presumida allianga nao pede julgar-se
realisada. O governo do Equador pelo contrario
tem manifestado suas sympathias pela Hespanha,
embora haja offlclalmente olferecido mediar nessa
questao. De Guayaquil haviam sido exportadas
O principe Coburg neto do rei Luiz Felippe por : "^fc^jF"6!!* para almJranIe Pinzn, o
que dora lugar a vivas reclamagoes por parle do
sua mai.
O ministerio
que merecendo alguma
memos, nao suffoque tambem as familias piedo- importancia poltica ou commercial, succede no
sas antigos habilos de verdadeira devogao. S^*^^ "tere** *** \ ^SXgffSSeSSSt! f 2 ^^^p^R
DISPENSAS MATRIMONIAES. I O descont do Banco de Inglaterra contina 7 Dopois da f:rande lu,a Parlamentar, os conselheiros I fflSfSLES?0! ^Sl R WrSf TS,ran'
Fago publico que o Exm. e Rvm. Sr. n.ernuncio W lr cenlo, e nos bancos "BSSSTSf elle STS^SS^XX *SSP5 I mSJ^RVSSJS cluncn^ O S
ca
Lobo, guarda do Io batalhao de artilharia daguar
da nacional, sob seu cemmando superior o qual
deve requerer o seu direito ao mesmo conse-
lho.
Dilo ao director do arsenal de guerra.Forneca
V. S. com urgencia ao commandante do 7S batalhao
de infantaria, 6 espingardas do adarme 17 em bom
estado, recebemlo do mesmo batalhao em Iroca
igual numero de armas arruinadas como solicilou
o commandante das armas em officio desta dala.
Communicou-se ao commandante das armas.
Dito ao director geral interino da inslrurco pu-
blica. Attendendo ao que requereu Antonio de
Moura Rolim e tendo em vista a sua informaco
do 1" do crreme sob n. 181, autoriso Vmc. a man-
dar admittir no Gymnasio provincial como meio
pensionista, o filho do supplicante de nome Joao
Spinola de Moura Rolim.
Dito ao conselho administrativo.A' vista do
ane expoz o conselho administrativo em offlcio n.
58 de 30 de agosto ultimo, acerca da falta de 66 sl-
queires e 2 selamios de farinlia de mandioca que
se encontrou na que se remetteu ltimamente pa-
ra o presidio de Fernando no vapor Parahyba, te-
nho por cooveniente recommendar ao mesmo con-
selho todo o cuidado na medigo e entrega da fari-
uh que se houver de comprar para semelhantes guezia da Conceigao da villa da Jacoca pois que os
remessas afim.de evitar taes desfalques que se at- seus amigos males teem reapparecido,'eo impossi-
tribuem aos vendedores-Recommendou-se the- billam de reger duas freguezias. Altendendo s
sourana de fazenda que proceda a esse respe.to razes que me ezpde, tenho resolvido exonera-lo
como ror de direiio, e communicou-se ao comman- da regencia dessa freguezia, para o que espero que
dandante do presidio V. Rvma. me indicar um sacerdote idneo para
Dito ao tnesoureiro das loteras. Attendendo ao administrar o pasto espiritual nesse lugar. Aguar-
que me requereu a mesa n-gedora da conraria do do pois a sua informagao, e fleo certo de que m'a
Senhor Bom Jess da Va-Sacra da igreja da Boa- dar com brevidade, afim de quanto ames cessa-
vista, autoriso Vmc. a mandar entregar ao respec- rem os Feus trabalhos parochiaes em dita fre-
tivo thesooreiro Benjamim|Viraes Dutra, depois do guezia.
prazo da lei e de haver prestado Sanea idnea na Dito ao coadjutor de Anadia.Attendendo ao
thesouraria provincial o beneficio da 1* parle da zelo e religiosidade com que V. Rvma. se tem com-
2* lotera exlrahida em favor das obras daquella portado sempre no lugar de coadjutor da freguezia
igreja do qual dever o referido tnesoureiro pres- de Anadia, cujo parocho falleceu no dia 13 do pro-
tar contas opportunamente. Communicou-se o ximo passado, como V. Rvma. me participa em seu
thesouraria provincial. officio de 15 do mesmo, tenho determinado nomea-l
Portara.O Sr. gerente da companhia Pernam-! parocho encommendado dessa freguezia, e nesta
hucana faga transportar para o presidio de Fernn-' dat mando passar-lhe a compleme prov.sao.
do por conta do ministerio da guerra no vapor que jo-
para ali seguir os offlciaes, pragas de pret senten-1 Officio irmandade do Santissimo Sacramento
ciados militares e volumes que o commandante de Papacaga.Estou de posse dos tres officios de
das armas remetter para bordo do mesmo vapor VV. SS., todos com data de 28 do passado, bem
competentemente relacionados. Communicou-so como da acta da installag3o dessa irmandade. Nao
ao commandante das armas. ; respondo circumstanciadamente a cada um delles,
Dita.Os senhores agentes da companhia Bra- porjae nesta data os envi todo por copia ao Rvm.
sileira de paquetes mandem dar transporte, por missionario capuchinho, que neste mez, tem de ir
coma do ministerio da guerra, no vapor Pnrani.' missionar em Papacara, e Ihe indko. as medidas
relagao abaixo transcripta. As pessoas por-
tanto que estiverem encarregadas de procurar es- estes ltimos annos o mercado de Londres tem
tes requerunenlos, podera dirigr-se em Olinda, 'ldo li0 explorado com lao numerosas e dispen-
secretaria do bispado, no seminario episcopal; e di.osas especulages commerciaese (inanceiras.que
no Recife casa do Illm. Sr. conego da capelia im- na0 admira o desequilibrio que por vezes nelle se
penal Francisco Jos Tavares da Gama, na ra da tem manifestado, trazendo comsigo em dilferenles
Cruz n. 56, junto matriz do Corpo Santo. occasioes como agora, a caresta do mercado En-
Cldade de Olinda, 6 de setembro de 1861.Co- ,retanlo o grande mal que destascrises poderia ter
neg Joaquim Ferreira dos "
bispado.
Lista dos oradores que se ...
dtmento de afpnidade licita
linlia lateral, dos quaes tra
Antonio Matlieos de Almeida
da Conceigao. Os consolidados ingl
Joaquim Jos de Sant'Anna, e Anna
Fonceca.
de Russell parti com a sua familia liara o norte do
reino.
Entretanto as folhas peridicas annunciam que o
gabinete de Londres est insislindo con. o de Pars,
allm de conseguirem da Prnssia e Austria a nter-
vengao da auloridade diplomtica franco-ingleza
as negociagoes de paz que tem presentemente la-:
ar em Vicua. A pretexto do tratado de Londres!
Magdalena da presente situacao financeira. Picando os 3 por cento
a 89 1/8 e_89 1/2 vista, e 89 5/8 prazo.
nosfiO/r.r.7i/* c.rj-7-n, o-ifiU prometlerem os prel muars da paz
snoiidad5 SS Z&tif. !ML1 nLcnr r.ei qw*, l m* m *&
Antonio Jos Victoriano, e Cordolina Valcacer do A c'ago dos fundos brasileros
Amor Divino.
Jos Luiz do Nascmento, e Mariannr. de Jess.
Jos Felippe Cardozo, e Anna Maria da Coneeicao.
Joaquim Roberto da Costa, e Maria Ignacia do Espi-.
, J Saio I solidados turcos 6 O/o 50 1/2; os 6 O/o de Buenos-
Joao bilverio da Silva, e Joaquina Mara da Con- A>'es 93 : gregos 5 O/o 23 ; e os mexicanos 3 0/n
ceigao. i 28 e 29.
Cosme Jos de Lima, o Josepha Maria da Concei- I En? Liverpool o algodaode Pernambuco e do Ma-
ciin- ; ranhao tem mantido pregos elevados, regulando de
Jos Teneira de Araujo, e Januaria Mara da Con- :>1 d- a 32 d por libra; e o da Babia 29 d. 29
ceicao. 11/2 d por libra. A primeira qualidade deste ar-
nanoel do Carmo "c Silva, e Clemencia Maria de l|f de ns5a produegao manifest tendencia para
Jess. alga, e o pedido firme.
Manoel Severino da Silva, e Anna Joaquina do Sa- J* ulros gneros do Brasil aqui venda ficam
u "amerito. pelos seguintes pregos : cacao de 45 s. 60 s. per
Manoel Theotomo de P,tula,.e Francisca Maria de cwl- Caf de primeira qualidade 73 s. 80 s. per
, Jesus-, I cwt; segunda qualidade 69 s. 73 s.; e ordinario
Antonio Jos Cardozo, e Manoella Maria do Nasci-' 60 s. a 70 s. 6 d. per cwt. Pao-Brasil do 70 s.
ment. | 7o por tonelada. Assucar branco de Pernambuco
Thomaz Jos Casemiro, e Germana Maria da Con-; c da Parahyba 31 s. 6 d. 34 s. per cwt: masca-
. ceigao. vado 26 s. 6 d. 31 s. Dito branco da Bahia 31 s.
Antonio Ferreira Lima, e Maria Delfina do Espiri- a 34 s. per cwt; e mascavado 27 s. 30 s. Cou-
to Santo. ros seceos do Rio de 7 d. 9 1/2 d. por libra.
Antonio Vicente Ferreira, eJoanna Mara da Con- Na ultima quinzena chegaram a Inglaterra de
ceicao. diversos portos do norte do Brasil os seguintes na-
Joao Huelo de Abreu, e Maria Rosa de Jesus. vios : do Rio-Grande Lady Newborough. (10)
Manoel Vieira de Carvalho, e Claudiana Maria da Liverpool; do Rio-Grande Rapid (11) Hull ; da
Conceigao | Bahia Hary. (12) Cowes ; e da^Bahia .Clara.
Antonio Galdino de Oliveira, e Josepha Maria de (18) a Falmouth.
us- _, i ^e Inglaterra seguiram para o Brasil os seguin-
Jose Perer, e Maria Ignacia da Con-1 tes : de Falmouth .Amalia. (10) para o Rio-Gran-
lar o futuro poltico da Dinamarca desmembrada,
apezar de a haverem abandonado na hora do pe-
rigo !
1. 'r-l ^'nele da Prassia e o d Austria acolheram
4 lVo/ndel8?- Osfnnir^rtL^^t segundo annunciam varias folhas, esta sollicitagao
7%7L*UL 5ftWSK"Ji?" Idas gandes potencias, sem' com tudo eoV
acceita pelo
. desse limite
ll.es licar toda a liberdade d'accao.
Alguns jornaes de Londres tem manifestado que
Mr. Bille, ministro da Dinamarca nesta corte, aca-
ba de ser posto em disponibilidade, havendo o ga-
binete de Copenhague decidido spprimir a lega-
gao que aqui traha. Esta decisao importa nao me-
dida econmica para a pobre Dinamarca, mas to-
deliberacao propria importa tiara o governo impe-
rial, no caso de approvar o procedimento do seu
agente, o ter esposado a causa do Per contra o
gabinete de Madrid I
As noticias dos Estados-Unidos que chegam al
8 do corrente sao ainda de naturtza confusa. O
general Slierman que fdra noticiado acharsede
posse de Atlanta, contina a cercar essa praca,
que tem todava j investido com bons resultados.
Grant depois de haver minado parle das fortillca-
goes de Petersbnrg fazendo saltar um forte com
grande perda para o inimigo, foi com tudo repel-
ido com perda de cinco seis mil homens por
occasiao de atacar o inimigo as segundas linhas !
Foi at toreado a retirar d'ali parte do exercito
para defender a Maryland, onde os federaos en-
trarain novamente havendo oceupando Haggers-
torn. Dizia-se que esse general passaria por um
conselho de Investigacao em consequenca do re-
cente desastre que soll'reu defronte de Petersburg,
cuja captara era por elle representada infallivel.
fiestas cireomstancias a prolongagao da guerra
parece mevitavel ; per quanto as peripecias desse
grande drama se acham equilibradas entre os dous
combatentes igualmente residentes, alem de que o
presidente Lincoln nao qaer tratar da paz com o
sul sob una base rasoavel. Exigrado do presiden-
te Davis o reconhecimento da l'niao e da aboligao
da escravatura. Abrahao Lincoln impoe ao inimi-
go a larefa de urna negacao absoluta dos princi-
pios, pelos quaes a Confederacao tem combalido :
e esse suicidio poltico nao commettar um partido
Sebaslio
ceigao.
Joao Jos Sobral, e Felicidade Maria da Concei-
gao.
Vicente Ferreira de Almeida, e Joaquina Maria da
Conceigao.
Manoel Chrisostomo
de Jesus.
de Moraes, e Isabel Firmina
Jos Faustino, e Victorina Maria da Conceigrio.
Manoel Ferreira da Silva, e Acacia Marina de
Jesus.
Francisco de Paula Leitc, e Josepha Carneiro de
Sampaio.
Listados oradores que cstao ligados no impedimen-
to de consagtunidade em grao mixto da linha
lateral de que trata a mesma declarar.ao acuna.
Jos Antonio Egypto, e Francolina Mara da Con-
ceigao.
Belarmino Nogueira da Silva, e Isabel -de Oliveira
Mello.
Jos Felicio, e Anglica Maria.
Marianno Herculino d'Almeida, e Isabel d'Oliveira
Mello.
Eduardo Machado Silva, e Joanna Maria da Con-
ceigao.
de ; de Falmouth Johan Frederick (12) para Per-
nambuco e de Deal Benton (16) para o Rio do
: Janeiro.
As aegoes das nossas emprezas frreas aqui co-
i tadas mantm as mesmas colagoes da ultima quin-
zena : as do Recife ficam descont do 3 4;
as da Babia com o de 3 3 1/2; e as de S.
Paulo com o de 1 1/2.
A discussao sobre os Africanos livres no Brasil,
que ti vera lugar recentementc no parlamento bri-
tannico, tem fornecido campo a Mr. Christie para
de novo nos assallar pela imprensa, combalendo as
razies que allegara Mr. Osborne era nosso favor
para a revogagao do Bill-Aberdeen.
Mr. Christie, que evidentemente parece ser o au-
tor das publicagoes que al ludo, contesta as razoes
de Mr. Osborne transcrevendo a correspondencia
de Sir James Hudson, quando ministro da Gra-
Breanha no Rio de Janeiro, para provar a m f
com que o governo imperial proceder a rspeito
dos Africanos livres, allegando demais que lord
Aberdeen nnnea ti vera sera intengo do abolir a
medida coercitiva que conserva a seu nome.
Sao estes os meios de que se serve esse nosso
Roberto Ferreira de Menezes, e Minervina Guedes adversario para nos combaler faltando verdade
de Moura.
Manoel Alexandre da Silva, e Maria da Silva.
histrica sera ceremonia alguma; mas essa guerra
miseravel nao faz aqui impressao alguma na opi
Jos Francisco do Nascmento, e Anglica Maria de. nio publica, servindo apenas de expediente para o
Moura. f gabinete britanmeo que deseja molestar-nos a todo
mada as actuaes circunstancias manfesta tam-
bem o justo descontentamento em que esl el-rei
Christianno para com o governo britannico, e quem .
nao applaudir urna demonstrarlo tao justa, quan-1 ^ '"f sc e,ev.on dt fal ao Bfaode urna naci-
doninguem ignora que s a poltica de lord Rus-1 S~> ^e, a conta doze mxttares de homens.
sell foi a causa de haver o governo dinamarquez OUIro ,ado. as grandes potencias nao ousam
entrado no caminho da resistencia !! Assim pois ">terv.r naquella sanguinolenta contenda, de modo
o expediente alludido como que tem merecido a 11ue nenhum me, dt conc.liacao se aprsenla por
approvagao geral daquelles que lamentara a pre- i a?.r,a para lnKt a um ,erm final essa guerra
sent condigo da Dinamarca. Cl^"4 ... ... -, *
O partido republicano insiste pela nomeagao do
A discussao dos preliminares da paz apenas co- general Maclellan para o commando superior do
megou em Vienna, o quo foi devido a ausencia de exercito, visto como reconhece nesse official dis-
instruegoes por parte dos plenipotenciarios dina- tinelo merecimenM.
marquezes. i\ada tenho accrescenlar a rspeito O premio do ouro fica va a 160.
do que noticiei acerca dos pontos que formam
aquellas bases da paz, sendo que aellas se acha
j determinado em principio que os ducados tica-
rao com urna parte da divida da Dinamarca.
Em i.openhague causou iriste impressao a ac-
ceilagao de taes condigoes pelos plenipotenciarios
de el-rei Christianno ; mas o gabinete dinamar-
quez se defende allegando que foram essas as ni-
cas possivels. A monarchia actual parece todava
ameagada pelo triste resultado que teve a guerra,
com proveito para o partido scandinavo que dese-
ja a reuniao da Dinamarca Suecia e Noruega.
Os jornaes estrangeiros tem at fallado de urna
prxima insurreigao que lngara fra do Ihrono
el-rei Christianno, hoje desprestigiado porque foi
menos acertado em condescender com o ministro
Hall que o impellio a guerra.
A Allemanha comtempla o trumpho das armas
prussianas e austracas desconfiada porm da boa
f dessas potencias. O incidente de Rendsburg, e
a ambigao desmedida da Prussia que desejava a
annexago dos ducados, tem levantado urna forte
celenma contra Mr. Bismarck, que apenas comega
a dissipar-se por influencia d'Austria. Esta poten-
cia acaba de suggerir a idea da forraacao de ura
governo provisorio para os ducados, formado da
Austria, Prussia e Confederago : conseguindo as-
sim contentar a dieta que recciava ver correr a
sorte dos ducados tuerce dos gabinetes de Ber-
ln e Vienna.
O imperador d'Austria e o rei da Prussia, qne
pelos preliminares da paz, sc acham cessionarios
dos ducados, deixaram dieta a competencia de
regular o destino dos ducados em conformidade
L.INBOA.
28 de agosto de M'..
Continuara por todo o paiz os preparativos elei-
toraes. Esta agitago, excepto no dstririo de Villa
Real tem tido at hoje um carcter pacifico, e jul-
ga-se quo assim proseguir, ficando todo em balas
de papel. Naquelle disiricto os acontecimeotos sao
muito desagradaves, embora as declarages offlciaes
no Diario de Lisboa procurem tranquilisar os ni-
mos. O certo que, as desorden entre os apasi-
guados dos diversos bandos resuliou j a morle de
tres ou quatro homens, alm de alguns ferimentos,
o que tem causado profunda impressao. Ninguem
desconheco tambem que estes disturbios nascem
tambem de rivalidades pessoaes que, nestes lempos
se costumam attribuir poliiica,fazendoso o poder
cumplice e mesmo autor de actos criminosos que
do seu inleresse fra nao terem jamis sido per-
petrados.
A consrvago do governador civil de Villa Real
verdade que irriton aquelles povos ; mas nao
menos certo que grande numero de pessoas consi-
deraveis da provincia a aplaudi. E' triste que de-
pois de tao longo tyrocimo de existencia represen-
tativa, ainda estejamos, em certos pontos, no prefa-
cio da existencia constitucional com estas altera-
cues da ordem, com estas exploses de rancores
focaes.
A linguagem da imprensa nestes ltimos das
tem-sc tornado virulenta, e a cada noticia de novas
desordens, vem, como thema obrigado, novas es-



-*

_________
Diario de rerum^im ... Terca felra 13 4c Metembro 4c I !.

probacoes ao ministerio pela sua falta de prudcn-1 dos universitarios indigitar um dos seos represen-
cia no evita-las. lanKs, no passo que as esrolas superiores do Lis
As contemplacoes pessoas do de si taes if! boa o Porto procuram por todos os modos ganlwr
Acuidades, sejam quaos torem os ministros da co- preponderancia e inculcar de preferencias os seus.
roa. seja qual fr a bandeira poltica das sita-' Esta ri validado antiga e faz-se sentir^ em mu tos
coes. i ramos de administragao. Por affeicoes polticas
O da 11 de setembro pois, esperado com im- junto do presidente do conselho de ministros, e de
paciencia para por termo a este estado anormal crer qae nao prevaleca oSr. Thomaz de Carvalho.
em que una parte do paic se consom ja pela luta Reunio-se antes de hootem a assemblea geral do
de ambcT)es, j pelas immoralidades qae unse ou- Banco da Portugal aflm de resolver sobre a pro-
tros, todos enfim com raras excepcOes favoneam, posta da composicao apresentada pelo Sr. Thomaz
sempre com a piedosa intenco de salvar a patria. Mara Bessone, autorisado pelos seus admlnistrado-
Dir-nos ho que a Inglaterra tambem as lamenta na res. Achando-se reunidos mais de cincoenta ac-
sua propria casa, e mais all a patria do coosli- cionistas, foi presente o parecer da commissao elei-
tucionalismo I C e l ms /das ha. E por ta para examinar a dita proposta, sendo dispensa-
ultimo, diga-so ludo, o reinado de Astra teria de da a sua leitura, por se achar impressa e destrihui-
baxar trra para converter as paixoes dos no- da pelos accionistas. O parecer coaclue pelo se-
men* cm virtudes, c s assim lograramos a fortu- gunte : A eompoiro que se propoe inad-
. na de nao ver, em occasiSes dcstas, a elTervescen- missivcl. >
cia, que, por oatro aspecto considerada, tambem O barao de Barcellinhos, relator da commissao,
um symptoraa de vida poltica, sustentou larga e fundamente o parecer, o qual foi
O antro assumpto que na actoalidade occupa as approvado por toda a assemblea, menos diu votos,
rtteticoes,o que diz respeito ao resUbelecimonto sendo prejudicada urna prosista do Sr. Martinho
de conventos. Bartholomeu Rodrigues cm que sustenlava a com-
A deciaraco offli-ial do governo (que Ihe trans- postean.
crevi oa miha nlimia- um tanto oracular. A op-1 Tambem foram aoprovadas duas propostas do
posico oa imprensa argumenta contra a nec.essi- Sr. M. J. Fernandes Branco qno sao as seguirte* :
dade* de tratar sobre a concordata de 1818, pois |. Que a direccao Oque autorisada a repellir,
- nao tendo este tido a approvacao das cortes, antes sem concurso da assemblea geral, toda e qualqnpr
do acto addicional (cm 18$t) nem mesmo de|iois, proposta de composicao que Ihe for frita pela mas-
caduoou. Juntam a este fundamento que a hiten- sa fallida do Sr. Bessone
?ao de restablecer quaesquer rdeas religiosas 2." Que a direccao ligue autorisada a entregar
em Portugal, do sexo masculino ou femenino, com ao Sr. Dr. Pinto Codito todo o anJamento do pro-
votos temporari )g ou permanentes, embora sane- cesso com a nasaa ; e autorisado. corno advogado
ciooada por una lei de cO'tes, nao deixa de ser do Banco para usar dos meios legaes que no seu
urna violaco das leis de 1834. parecer aconselha.
A quadra eleitoral, explica tambem a insisten-1 Foi tambem aprovada urna prosposta do barao
ca com que se explora o thema. E' necessario, de Barcellinhos para que a direccao seja autorisa-
com tudo, qne o governo pelos seus orgos, se ex- da a fazer as despezas neressarias en quaesquer
pilque maiscaibegoricamenle, porque em tudo isto, publicacoes tendentes a defender os interesses e a
o que at agora se v, urna polmica toda funda- dignidadc do banco.
da sobre hypothpses, e derivada de algumas phra- No Jemal do Commercio foi publicado ha dias
ses sybillias, onde o governo escondeu o seu ver- um artigo ioleressante sobre a fuso dos bancos
dadeiro pensamenlo subie a qucslo. Mais franco, Ultramarino e Lusitano ,
mais conveniente mesmo para o gabinete seria que j Ei-lo :
o negocio se discutisse sem rodeios, e bem sabo o,
publico que ha muilos meios de isto se fazer sem
qut-bra de dignidade governamental, nem irans-
gresso de praxes diplomticas.
Correu tambem o boato de que o governo hespa-
nhol linha dirigido ao nosso urna nota enrgica so-
bre o apresamente feito pelatscunade guerra por-
tngueza Napier, do paiacho bespanhol Virgen del
Refugio.
Creio que opportunamente o informei de que se
dizia ter o governo do Htspanha exigido a indem-
nisaca de lOOcoutis de ruis, a restituicAo da pre-
sa, e a demisso dos oHciaes que guarnecan) a
Napier. Os peridicos llberae* de Madrid censu-
Os desejos manifeslados na praca do Porto por
alguns accionistas do banco Ultramarino para a fu-
sao d'este banco com o Lusitano, vo encontrando
forte opposicao nos accionistas d'este novo estabe-
lecimento de crdito, os quaes apreciando as
vantagense as desvantagens que Ihes poderiam re-
sultar desta fusao, tem conhecido que de modo
nenhum aquellas podern compensar-lhes estas.
Entende a maioria dos accionistas do banco Lu-
sitano, que se o Ultramarino tem 30:0005000 res
de subsidio, tem igualmente o pesado encargo de
estabelecer liliaes e agencias em ponto* que forco-
1 smente Ihe devem fazer liazer extraordinarias
despezas.
raram aernneiiie a nota dirigida pelo governo hes- Parece que as difficuldades com que a este res-
panhol ao de Portugal sobre e legalissimo apresa-1 peitoj tem lutado o conselho de admlnlstraco
meato do Virgundel R-fwjio. Parece que o_gabi-do banco iltramarino,tem fortificado muito as
do Norte, d'onde c natural e vew corrido. A po-
lica devo fazer coiihecimeoto coin este fregus.!
A conlrucia seminarista da Sendera das Od-
res, rcunindose em mesa geral no da 9 4o cor-
rente, procedeu a eleicao dos membros da mesa,
que a tem de reger de til 65, escoltando para
os cargos, de que esta se compe, os. seguirte* se-
nhores :
Joiz.
Conego Dr. Manoel Thomaz de Oliveira.
Procurador geral..
Conego vlce-reltor Jo.- Marques de Castilha.
Thesonreiro annual.
Seminarista Ignacio Ibiapina da Silva Sobral.
Io secretario. ;,..
Seminarista Jacintho Francisco de Oliveira.
2 dito.
Seminarista Manoel Vieira da Costa e S.
Procuradores.
Seminaristas :
Fredenco Augusto Raposo da Cmara.
Jos Alves da Costa Gadelha.
Ivo Jos Pereira da Costa.
Francisco de Gouveia Cunha Barrete
Mordotoos.
Seminaristas :
Joa'quim Eneas Cavalcanti.
Manoel Joo Gomes.
Fraocisco Aniano de Souza Araujo.
Constantino AureJiano Gomes de Maltes.
Joaquim Avelino de Souza Cavalcanti.
Eloy Porfirio de Lima Ribeiro.
Joo Evangeliza dos Santos Lima.
Daro .Nuiles da Silva.
Maximino Leopoldme Buarque de Gusmo Lima.
Antonio Chacn Cavalcanti de Albuquerque.
Lino Barbosa da Costa Res.
Juito Augusto do Nasci ment Pereira.
Pjssageiros dopalhabote nacional Sobralense,
Lev.intou-se a sessao, que ficou adiada para o
dia seginute s 40 horas da manha.
COMMUNICADOS.
O Jornal do Becife menlio, qoando disse qne urna
proclamaco, que elle transcreveu e sabio da typo-
graphla do Liberal, havia sido impressa e ilistri-
boida na nout de 10 do correrte. Estamos bem
informados, e podemos afflrmar que essa procla-
maco anda nao eslava redigida s 9 horas da
manhSa do dia 11 deste mez, e que s foi impressa
na tarde desse dia, e distribuida em pequeo nu-
mero noute.
Aluda mentio o Jornal oflicial, quando disse que
essa proclamapo parti dus vermeUtos. Nao foram
estes, quo a escreveram e tomaram parte em sua
publicaco.
Nessa proclamabas nao se prega resistencia ar-
. mada, como quiz fazer crer o Jornal oflicial. sem
recordar-se que ropiava essa pruciamaco. Neila
se recommendava : prudencia, cautela "e resisten-
cia ; e quem 1er a proclamacao lia de ver que ahi
se trata da resistencia legttl aos desmandos dos
agente* do governo, que eram quem as matrlzes
provocava as desordens, quebrava urnas, desinba-
nhava facas de portas, e feria seus adversarios
polticos.
Os negociantes, capitalistas, proprietarios e artis-
tas nao tinham que temer do que se dizia nessa
proclamacao; mas smente esse punhado de aven-
turemos polticos, que se dzem agentes do gover-
no, por quanto sao estes osverdadeiros anarclustas
da sitiiaco.
Pernaubcanos IEmquanto chegavam ao pala-
cio da presidencia as tristes noticias dos atlenlados
comnietiidos as matrizes, em consequenca das
sabido para o Acaracii :Cesarlo Ferreira Gomes, eleigoes que nellas se faziam, em quanto corra o
Antonio Ferreira da Rocha e 1 criado, SanchoFer- sangue pernambucanoderramado pelospunbaesdos
reir Gomes e I criado, Jacintho Terciode Oliveira sicarios do governo, o Sr. Domingos de Souza Leo
Gondini, Joaquim Lourengo da 1'ranci Silva* t filbo ouvia risonho as pegas que as bandas de msica
menor e I criado, Raymundo Pinto Cavalcanti, Jos militar tocavam no largo das Prncezas, e S. Exc.
Cesai io Ferreira da Costa e 1 criado, Joo Braga. noute applaudia o triui.ipho alcancado pela polica
Passageiro do vapor francez Gntennt, sahdo por entre feridos e morios, entrando cm ingas de
para o Rio de Janeiro c Babia :Leonardo Met
tlenkamp.
Passageros do vapor francez Guienne, vn-
prendas e dansado E o Sr. Domingos de Souza
Leo nasceu em l'ernainbuco!
Pernambucanos I Vede o bomem que se acha
dos de Bordeaux e portos intermedios : Henry na administracao desta heroica provincia, e deduzi
Kalkmann, Len Chapelin, Jeau Jouve, BeTby o que se pode esperar desse ente feroz, cujos ins
Jules, Antonio Bernardo Vaz de Carvalho, Blum tinelos se revelam no regosjo que mostra ao ver
Moise, Francisco Pires Machado Portella, Joo ; derramar-se o sangue dos seus patricios, instinclos
Ta vares da Silva, Blum Jozeph, Metzger Alfredo,! que justltlcam seu nome !
Augusto Colombier, Jos Joaquim Pinto da Fian- Durarte a revolta de 1848 o Sr. Domingos de
ni, Manoel Lopes da Silva, Lulz Antran, .Claire Souza Leo e seu* parentes nao tizeram mais do
OSr. Dr. Feileza, n'Bma sua correspondeucia, I je imploramos, ahi esitamliem para alteslar a ver-
que fez publicar no Diario de segunda-feira, como dade de semeliunie asserco
defeza contra o que se havia declarado n'um mani-, Nao ser, pois, om vo que nos dirigimos V.
festo do partido liberal, disse, entre o mais o seguu-1 a rogar-lhe, m neme dos pobres enfermos, que no
te : c durante o lempo por demais longo, que di- j i^iio da dr recebem o soccorro deste hospital, se
noi a opinio liberal na provincia etc. digne concorrer com urna prenda ou joia era dona-
Dessas poucas palavras se depreheode, que o Sr. j|V0 para) depois de exposta eoncorrencia publi-
Dr. Feitosa nao considera-se nuis pertencer^ ao ca D0 ,j,a anniversario da mstallaco do dito hos-
parlido que se dirige pela opinio liberal ; nao
mais o director delle ; mas o partido progressista,
a que hoje pertence o Sr. Dr. Felosa, nao com-
poslo, comj explicou S. S. no parlamento, dos ele-
memos liberal e conservador ? Nao foram frae-
c5es desles dous elementos, que s*amalgamaram e
formaran) o elemento do progresso ? este mesmo
elemento nao contm anda o elemento liberal com
suas autonomas, e elemento conservador tambem
eom as autonomas que Ihe sao pruprias ? Agori
dir S. S., quo elemento representa no mixto ele-
mento progressista, vislo que o mesmo Sr. Dr. Fei-
losa mostra-sc desligado do elemento liberal, pelo
que deu a entender em sua correspondencia ; com
o que mui desapontado ficou um progressista pelo
lado do elemento liberal com suas autonomas.
CORRESPONDENCIAS.
Srs. Redactores. O Sr. Dr. /oo Cardo, vol-
tando boje imprensa, e deficienle d'argumentos
e fados para contestar, o que demenstrei em meu
communicato de hontem, limiouse a dzer, que
nao houve de sua parte falta de memoria, e que
tinha direilo ser acreditado em sua asseveracao.
Parecendo-me ler evidentemente demonstrado
em meu auterior communicado essa falta de remi-
niscencia, sem que fosee contestada, e dependendo
della a asseveracao do Sr. Dr. Cardoso, ha de per-
mitlir-me S. S. que nesse caso c por essa circums-
tancia dcixe de dar toda importancia e respeito,
que sempre consagrei, c consagro palavra de
S S., como nobre e dslnctocavaileiro.
Aproveitando anda a invocacao que fez o Sr.
Dr. Cardoso do testemunho do -r. Das Fernandes,
uve em resposla a caria que abaixo vai iransrrip-
a, o da qual declara fraucamenle aquello senhor,
que eu ihe eotreguei a chave do cofre para se tirar
odinheiro do Sr. Joo d'Amorim, peraute o Sr. Dr.
Cardoso presdeme da Caixa.
E nem outra resposla poda eu esperar desse
dislncto cavalleiro, que desde o momento em que
lete de Santo Ildefonso s fund va em que Portu
gal nao tem tratado com a Hespanha que Ihe deem
o direito de revista. O navio hespanhol foi apre-
sado a 1|2 milha na cosa, isto as nossas aguas
territoriaes, e a presa foi julgada boa pelos trbu-
Baes ordinarios, (>or ser umerime ordinario com-
metdo no territorio nacional, que tem de ser jul-
gado pelas leis do reino, sem carencia de iratado.
opinide* contrarias a fuso dos dous bancos.
Conhecem lambem ja os accionistas do_ banco
Lusitano que tem combatido a idea da fusao, que
foram mui raros os negociantes das nossas colonias
d'Africa que subscreveram e que dos mais nota-
veis, dos que maior commercio tem paraal nenhum
subscreveu.
A circunstancia da snbscripco em Lihoa para
Os jornaes porluguezes destes ltimos dias, eos o banco ultramarino nao produzido 8:0 contos,
Hespaubes lanihem afTirmain que ce.-sou comple- i apezar de ter sido prorogado o prazo de encerra-
tamente a reclamacao diplomtica que fora dirig- ment, e de se comnor o conselho de administra-
da ao governo de Portugal pelo de Hespanha, fun-
dando-se o ministro hespanhol Io em que o vaso
havia sido aprelienddo fra da linha de respeito ;
depois, em que havia sido julgado nao pelo tribu-
nal de presas, mas sim pela commissao mixta.
cao de pessoas escomidas entre as mais respeila-
veis da nossa praca ; a circumstancia do banco Lu-
sitano nao gosar de previlegios, mas tambem nao
ter por sso mesmo especiada compromissos com o
governo, qne Irazem militas vezes consecuencias
O governo porluguez res|>ondeu com documentos j funestas, sao factos que os accionistas do banco Lu-
concludcntes,
aguas
milla que
Refugio. Os accionistas d'este banco, reunidos em assem-
Depois de se ter divulgado que esta questao ha-1 bla geral constituem o nico poder do banco : sao
*ia acabado, ronslou qne urna outra reclamacao ouvidos em todos os negocios qnejhes interessam,
nos fra dirigida pelo governo dos Estados-Unidos ,, sao elles os que tem de esculher annualmente as
dentes, que o aprisionameiito fra as j sitano nao potlem deseonherer como contrario s
portuguezas; 2* que fra nao a commissao j poucas vantagens que a fuso lhes podena pro-
que julgra a causa do bergantina Virgen del metler.
da America, sobre um navio que o governo portn-
guez tizera condemnar por incapaz de servico, nao
deixando sahir barra do Tejo. Entretanto nao
transpiran) por ora as condices da reclamacao. e
a noticia nao tem tido o curso que ordinariamente
se d a cousas desta ordem.
No dia 18 do corrente, pela I hora da tardo,
dignou se S. M. el-rei dar no real paco da Ajuda, a
primeira audiencia ao marquez de Fagliacarne,
enviado extraordinario c ministro plenipotenciario
de S. M. el-rei da Italia, arhandn-se presentes a
este acto os ouTciaes-mres da real casa, o- gentis-
homens da real cmara, os ministros e consellu-i-
ros de estado, os iniuistros de estado honorarios, e
mais pessoas que costumam ser convidadas para
taes solemnidades.
O maranex de Tagliacarne.ao depositar as reaes
toaos de S. M. a sua credencial, pronunciou o se-
guirte discurso :
t Sire. J'ai l'honneur de remetire votre ma-
jaste les lettre, par les quelles mon augusle sou-
verain adaicn m'accrediter en qualit de son mi-
nistre anprs d elle.
V tre magest y verra que je suis tout sp
cialein'iit onarg do maintenir intaets les liens
d'amiii i|ui ont toujours exi lusires maisons de Savoie etde Bragance.et qu'une
alliance rcente, comblanl les voeux de Portugal el
de ITialie, a rendus plus intimes encor.
Mon premier devoir sera de chercher me
rendre digne de la tnission qui m'est conlie ; mon
plus grand bonlieur serait d'y rusir.
I'arrive dans un pays qui pourtons les coenrs
italens a recu une doubla consecration. C'est ice
que le glorieut Charles Albert a ot eutour des
soins les plus touchants.
C'est ic que la bien aim tille de mon souve-
rain a t accueillie avec lanl d'enthusiasme et de
sympaihie. Ces circumstances rendenlna lache du-
Meinent honorable, et si votre Magest daigne m'ac-
corder sahanie bieveillance, j'ose nouorir l'espoir
dene poinl y faillir.
Sua magesladedignou-se responder :
Monsieur le ministre :J'tiache le plus haut
prix assurances qne vous venez de_jne donner, an
noni de sa magest le ro d'llaiie, des sentimenls
qui l'nninunti nversmapersoncc ellouto lafamille
royale du Portugal.
i onvaincu, comme je le suis, des antales
qui doivenl resuller aox intits des panoles des
deus pays des liens d'amili qui subsisten! si heti-
reuseuieut entre les maisons de Bragance et de Sa-
voie, liens qui venne de se raffennir l'occasion
d'un vneinent qui cortribtier efiieacement mnn
bonhur personnel et celui du peuple portogais,
je me ferai toujours nn agreable devoir de les cuili-
ver et de les resserver de plus en plus, s'il est pos-
sible.
Kn recevant la lettre qui vous arcredite en
qualit de representan! de votre angoste souverain,
je me piis ajonler qni c'est avec beaucoup de
plaisir que je vois ma cour un ministre qui, a tant
de tures, et droit toute ma bienveillance. -
No* dias 2't e 2o deste mez, houve em Mafra
duas fe-tas ambas reaes, ambas rivilit-adera e
sympatbicas. Celebrou-se no primeiro dia o pri-
nieiro anniversario da installaco do As\lo dos Fi-
lhs dos Soldados, instituido em 1863 pelo Sr. mar-
quez de S da Bandeira, miau ministro da guerra.
E' dirigido pelo Sr. Salgado e vai prosperando. No
segundo dia foi a desirLuicao dos premios aos
alumnos da escola real de Mafra, fundada pelo Sr.
D. Pedro V de saudosa memoria. Sua mageslade
el-re deu aos meninos os premios, e sua augusta
esposa, varias prendas s meninas da escola pu-
blica da villa.
O festejo foi apparatoso, e o Sr. D. Luiz l pro-
nuuciou discursos apronriados aos artus.
A corte vulia amanhaa para Brlro, em rujas
praias tomar bandos sua magestade a rainha, por
.seren amito fortes as anuas da Ericeira, onde de
primeiro se dizia que tomara banhos do mar.
Suas iiingesiades vo provisoriamente habitar no
paco de Beim, por causa das obras a que se est
orocodendo no da Ajuda. Neste pafu se est re-
vestuido um dos aposentos da rainha com o mar-
more que o vce-rei do Egvpto mandou de presen-
te a el-rei o Sr. D. Pedro V
Pelo jornal de Madrid la* Nulidades consta
qae se espera u aquella corte sua alteza a inlanla
D. Isabel Mara ( de Portugal ) que regressa de
Roma, onde recebeu todas a* proras de considera-
jo do summo ponliflco, e se dirige para Lisboa.
Aflirmar-se que o doulor em medicina Jos
Eduardo de Magaihes Cuutinho (director geral de
inslrurco publica ) foi noineado por ri-rei o Sr.
D. Luiz seu secretario partirular. Diz-se que o
importante lugar que esto cavalleiro hccupava o
ministerio do reino, ser dado ao reitor do lycen
nacional do Porto, o Sr Adriano de Souza Macha-
do ;'on los asseveram que ser nomeado parasubs
tituir o Sr. Magaihes Coutinho o doulor Thomaz
de Carvalnn leute da osela medica-eirnrgica de
Lisboa. Quando se trata de vagar um iugr como
dirercoes. Estas sao pagas por urna porcentagem
determinada sobre os lucros em quanto no banco
Ultramarino ha grandes remunerac es fixas, haja
ou nao os necessarios lucros e at mesmo em caso
di perdas.
A dea da fuso dos dous bancos nao pois ac-
ccitavel para os accionistas do banco Lusitano, os
quaes na sua grande maioria, quando subsrreve-
ram para este, poderiam ter-lhe preferido o banco
Ultramarino. Ambas as subscripc,ocs estiveram
abertas.
Dos poneos accionistas do banco Lusitano qne
formalmente nao regeilam a Idea da fuso, quasi
Indos, anda assim, para a acceilarem, querem
grandes modilieaces na eouslituicao do banco Ul-
tramarino.
Na prafa era opinio geral qoe a fuso dos dous
bancos |ior lodos estes motivos nao se realisar.
O consellieno Amaral goveniador de Macan
achava-se em 20 de maio em Tientsn, onde havia
chegado com bella viagem, e devia realsar-se a
troca das ratiliaces do iratado no dia 28. As
nossas Diurnas noticias sao de 20 ; e dizem-nos qne
n'cste dia se esperava em Tientsn o commissario
chinez que fora nomeado para a referida troca.
Concluida esta msso, sua Exc o ministro de Por-
vigal.e mais empregados da legacao visilaro Pc-
kim, onde s ficaro oito dias, pal lindo em segui-
da para o Japo.
("ConfnuiaT-s-ifl.J
Domont, ulie Domonl, Tavares da Silva.
Movimento da casa de deteneao da 10 de se-
tembro de 1864.
REVISTA DI4R1A.
Acha-se quas exlinclo o pnico publico sobre as
notas da Caixa Filial e di.-soprova olerein hontem
apenas alli sido apresentadas notas uo valor a cerca
100:0005000 que foram trocadas por ouro, sem
a tropela
Anda desia vez nao se realisaram os bous dese-
jos de alguem acerca desse importarte eslabeleci-
nenio de nossa provincia.
Na freguezia de S. Jos concluio-se honlem o
processo de rerebimento e conlagem das ceduls
em numero de 485. Hoje comecara a apuracao.
Na da Boa-Vista prosegue a apuracao.
Na do Recife deve hoje principiar o novo traha-
Iho, em vista da deliberadlo presidencial. Ctautt-
iius que as partidos liberal e conservador dispula-
rao a eleicao com o progressista.
-Na da Varzea sahram eleitos juiz de paz, na du-
plcala da matriz:
francisco Xavier Caroeiro I.ins........ 212
Jos Jacques da Costa Guimares. .... 208
Jos Carneiro Rodiigues Camvllo...... 207
Ignacio Xavier de Paula lincha........ 198
Na dos Afugados concluio-se o trabalho sahindo
eleilos jui/.e.s de paz do 1 districto'.
Dr. Jos Roberto de Moraes e Silva..... 186
Manoel Pereira Camello ............... 182
Manoel Jos da Silva Grillo........... 180
Paulino R.de Oliveira................. 178
2o districto.
JooCarneiio Rodrigues Campello...... 116
Jos Bemardino Pereira de Brito ..... 115
Manoel Thomaz C. de Lima.......... 114
Antonio Caldas da Silva.............. 113
3o districto.
Alexandre Martins C. de Barros........ 118
Fraurisco de P. Borges............... 110
Paulino A. de Souza Ayres..........'. 109
Domingos S. Lins de Abnquerque...... 108
4" districto.
Maonel Jos de Oliveira Lima.......... 76
LuizM.de Carvalho .............. 72
Joaquim Rodrigues E. de Moraes....... 68
Francisco Luiz da Silva Portella........ 63
O Sr. JosDnarte das Neves tambem assigmm
o documento, que houtem publicamos, sobre asno-
tas da i'.m.ra Filial.
Chegou hontem da Bahia a esqnadrlha in-
gleza, da estaco naval dessa nacao no Brasil,com-
posta da nao tiombny, com o pavho do almirante
Honorable C. G. Elfiot. da fragata Alecto, coinman-
dada pelo Sr. Blake e da corveta Cvrlew, ao mando
do Sr. lludson.
Esses navios tem urna for^a effertiva de 1,060
pracas, sendo 700 no primeiro 180 em cada um
dos outros. A nao lem 00 pecas, a fragata 3 de
grande calibre e a corveta II.
Andam em visita aos diversos portos.
Ilemeltem-nos o seguirte :
Hontem (II) s 7 horas da noute, na ra dos
Acouguiuhos, ia sendo victima de urna punhalada
o Se fos Patricio de Siqoeira Varejoj dada por
Luiz de tal Machado Freir, conhecido por Gndola.
Felizmente aenhuma cuusequenria teve a tentativa
mais do qne ra-gar a mangado paleto!.
J nao a primeira vet que este valentSo as-
pois que varios
A saber
Exstam..... . 372 presos. 3 8
Existem...... . 367 i
Nacionaes.... Eslrangeiros.. Estrangeira .. Escravos..... Escravas..... . 304 12 > 4 > 42 a 0
367
158
que correr espavoridos, fugindo dos perigos da
guerra civil: depois do desastre do lamentavel dia
2 de fevereiro de 1849, ello e seus parentes s res-
piravam vinganca e exigan) perseguigoes I Eis o
liberal progressista, que finge condoer-se da sorle
do povo!
Pernambucanos Desperla, e nao vos deixeis
Iludir. O traidor quo actualmente persegue seu<
amigos correligionarios, vos perseguir depois de
satisfeitos seus desejos.
Pernambucanos 1 Prudencia, cautela o resisten-
cia. Nao provoquis ; mas nao vos deixeis inti-
midar. Tornai responsavel pelo sangue, que lem
corrido, e possa ainda correr, o Sr. Domingos de
Souza Leo.
Escndalos e mais escndalos !
uStSSt^tSSt!f 11 'de PPW* presenciado, bem como os demais
cei7n.bin Z Si ? portla provincia, do imperio e de todo o mundo,
alguns casos de injusticas, de immoralidades e de
selenibro de 1864 : 367 presos. 5 3
Existem....... A saber : Nacionaes..... Eslrangeiros... Mulheres...... Estrangeira---- Escravos ...... 369 306 3 > 12 1 41 6 >

3G9
horrores, mas era or laso se segu que devam
os seus habitantes calar-se quando viretn ou sou-
berem de algum escndalo commctlide, quer pelos
empregados pblicos, mando em vez de se collo-
carem na altara de suas respectivas atlribuicoes,
abaixarem se ao ponto de mercadejarem a justica,
ou de se mancommunarem com os Infractores da
le para arranca-Ios das garras da jutica, a que
se tinham sujetiado por seos mos feitos, quer
pelos particulares que, ignorando ou calando a
voz da conscienna, e fechando os olhos sublime
lei do dever moral nivolam-se aos mais immundos
irracionaes, para, como este.-, dar pasto aos mais
vis e bruti.es desejos da materia, e depois de assim
se ci'iifundireni com os brutos descerem ainda
mais balxo do que elles, jactando-se por ter com-
Alimentadas cusa dos cofres proviociaes 150
OBITLAniO DO CEMITE1UO PUBLICO NO DA 8 DE
SKTEMBHO DE 1864.
Maria dus Anjos, Peruaml
S. Jos ; inlerite chronica
Manoel, Pernamboco, Recife
Jo9o, Pernamtraco, anooi,
chile. "^
Joo, Pernamboco, 9 mezes, S. Jos ; febre inter
milente.
Manoel, Pernambuco, 2 dias, Sanio Antonio.es
JaCilaria da Conceico, Pernambuco, 25 an-
nos,solteira, Recife; cholera.
foi verificado o desfaljue, nao vacllou m chamar JJ"gj g^jffk
a s. a parte da responsabilidade que me poda ca. "hamaSw fS&Sdmu*
ber, declarando que eu nao podia ur responsabili- littJS^XTISL
dade, por issoque, tendo delle confiado minlia cha-
ve, nao havu assistido aberluaa, do cofre, na oc-
casiio em que isso teve lugar.
Nao contestando o Sr. Dr. Cardoso o fado de s
comigo e sem assislencia de oulro director, ou do
thesoureiro ter dado balance nos cofres no 1" du
julho ultimo, e sem que u'essa occasiao, nem em
outra qualquer, tivesse observado ou advertido ha-
ver nesse facto urna infraeco, confiando esse di-
reclor sua chave do cofre ao sea companheiro de
semana; como que agora abunde diz, que nao
dexara passar factos deste* sem as convenientes
observares e advertencias ? Parece que assim es-
t em contradieco eomsigo mesmo porque pre-
senciar o faca, approva-lo conconvndo para sua
execuco sem nada observar; e passado algum
tempo, sem o contestar, dizer que, se soubesse, te-
ria-o censurado E' o que nao posso explicar.
Quanto respoosabilidade do presidente que o
*r. Dr. Cardoso a principio contestava m tolum,
agora j reconliece que j a tem moralmente, po-
rm espero que, relleclindo mais sobre a ordem
n. 584 do Banco do Brasil que r. publicar, nao lar-
ilar em admittir que, se a responsabilidade do
presidente da Caixa em lodos os factos qne. alli se
drem, nao fr maior que a dos directores, tambem
nao poder j ser menor qae a destes, quando a tive-
rem.
E nem se diga que aquella ordem da directora
do Banco do Brasil opposta le orgnica da < al-
ia ; por isso que essa ordem, sem derogar artigo
ou disposico alguma dos estatutos, amplia deveres
e obrigacoes quo estao na soa aleada, e ihe sao fa-
cultadas pelos arts. 23 e 32 dos" mesmos eslatutos.
Supponho ler dilo quanto basie, para que, nao
menos tranquillo que o Sr. Dr. Cardoso, me consi
dere, acerca do juizo que meu respeito possa for
mar a parte sensata e ilustrada do paiz, relativa-
Itiino da directora do
oceupando desses graos
podan] ser elevados
! respeiuvel publico, e ambos commettidos aqui om I ^ froporcoes ao iiymaw.a, e produzirem os resal-
i lados observados.
Papacaca.
, No da 10 de agosto prximo passado, tendo-se
reunido a cmara municipal, e tendo sido preso
um individuo conhecido por Sicupira, por ter co-
, companlua do procurador respectivo andou co-
] brando as multas da mumcipalidade, foi de novo
solt sem que nada Ihe acontecesse, apezar de es-
tar provada esta borrivel extorso. Pelo que dizem
por aqui, que o procurador da mesan cmara, por
isso mesmo que era cmplice no dito rrime, arran-
jou fcilmente a absolvic/io para o seu co-ro.
Ooutro facto nao menos horroroso, e at di-
9
Joo Guedes de Souza, Pernambuco, 35 annos, sol-
triro, Recife ; bexigas.
Jos de Sania Anna, Pianhy, 46 annos, solteiro,
Boa-Vista ; congesto pulmonar.
Joo Francisco Mariano, Pernambuco, 27 annos,
ArmtTtSSStpS^PerSuco, 33 an-! "^ mull ** T^ S
,os, solteira, Boa-Vista; mfecco purulenta.. |^?2l^V^adro de
Tenlio sido mais longo do que pretenda, e mes-
mo permiilia o artigo me respondo, pelo que
aqu concluo, asseverando anda ao Sr. Dr. Canto-
so que jamis Uve a menor rtencao de ofTend-lo,
pois que sempre me considere obrigado pelas suas
obsequiosas maneiras com que me tratou.
Recife, 10 de setembro de 1864.
Jos Alamede A'ves Ferreira.
Itlm. Sr. Jos Joaquim Dias Fernandes.Rogo-
pita), ser alli trocada pelo oboto da caridade em
auxilio da manutenco de Untos infelizes.
A remuneraco do benignoacolhiinenlo qne V.
dar esta supplica e a remessa que aguardamos
de qualquer objecto em prova de sua piedade e
dedi-acao, pertencer ao Todo Poderoso cujo
ihrono devero ebegar as votes agradecidas dos in-
digentes enfermos, da mesma sorte quoem signal
de respeito e veneraco he.ijam 4S mios V.
Recife de agosto de 1864.
Os membros da commissao :
Joo Pereira Montinho.
Custodio Jos Alves Guimares.
Jos Marlins da Silva Borges,
Joaquim da Silva Costa.
Domingos Ribeiro da Cunba Oliveira.
Joo Ferreira da Silva.
Albino Jos da Silva.
Jos Joaquim da Cunha.
Francisco Pinto Ozorio.
N. B. As prendas ou joias queforeui offertadas
podero ser entregues at o dia 16 de setembro,
qualquer dos signatarios ou no proprio hospital.
Srs. redactores. Como volante da freguezia de
Santo Aotouio desta cidade, lembro a meu* couci-
tlados, que nao so esquecara de volar para juizes
de paz desta freguezia nos distiactos e honestos
pernambucanos,
Os Srs. :
Cnpio Jo* Luiz Pereira.
Dito Luiz Cesario do llego.
Empreado Manoel da Silva Ferreira (aposentado).
Major Claudino llenicio Machado.
O Justo.
Pastllhas vermfugas de Kemp.
As crancas aiormcniadas por vermes podem
ser aliviadas com una s dse de pastilha verm-
fugas di Kemp, que sao incitantes em apparencla
e deliciosas de mais no seu gosto para serem rejei-
tadas.
Estas pastilhas sao muito procuradas por qua-
no contm mlneraes nao pre-
ffectuam o que se de-
jas eslo promptas a
lomar mais do que marca a reeita.
Nenhuma mi que j as tenha experimentado
urna vez, quer ontro vermfugo na sua casa.
A' venda por todos os primeiro* droguistas do
imperio, e em Pernambuco por Caurs & Barbosa e
J. da C. Bravo & C.
Pedido de deiiiiss&o.
Illm. c Exm. Sr. Por falta de confianca ad-
mioistraQ'i de V. Exc, pe$0 minha demisso do
lugar de 2 supplente de 'delegado de polica da
comarca de Nazareth.
Deus guarde V. Exc. Nazareth, 7 de setembro
de 1864.Illm. e Exm.Sr. Domingos de Souza Leo,
presidente da provincia de Pernambuco.
Jos Joaqun Pacheco de Albuquerque Maranho.
Para juizes de paz da freguezia
de Nauto Antonio.
("apilo Luiz Cesario do Reg.
Capito Antonio Augusto daFonseca.
Capito Flix Francisco de Soiza Magaihes.
Tenente-corunel Manoel Camello Pessoa.
Para vereadore.
Proprietario Francisco Accioli de Gouveia
Lins.
Tenenic-coronel Fernando Francisco de
Aguiar Montarroio, agricultor.
Dr. Joao Jos Pinto Jnior, lente e advo-
gado.
Dr. Joo Maria Seve, medico.
Dr. Joaijuim de Aquino Fonseca, medico.
Tenente-coronel Justino Pereira de Faria,
propriet-irio.
Major Jos Antonio de Brito Bastos, agri-
cultor.
Capitn Luiz Cesario do Reg, proprietario.
Dr. SilvioTarquinio Villas-Boas, medico.
COffiMEBCIO.
MYO twm M PEilNlMllC.
0 novo buc pga o 43 dividen
Ihe o favor de responder-me ao pe desta se, em o ..-. .i trlIO un- sn-i-ao
dia 29 de julho ultimo, em que lavamos de se- i a WIM uc ftuuu V*r lLta0'
^^A^^!^' a0D0S' S0Ue" i AlSoSnSa STSX Melchiades
ra.Oiinda herysipella.
Domingos da Silva Guimares, Pernambuco, oO
annos, casado, B'ia-Vista anasarca.
Munz, tendo recebido em sua casa de negocio
urna senl.ora casada, que l foi noute, lalvez para
P.Tni!nh.iTo''vaUor7oteira cscrava comprar alguma causa, reuniram-seeom mais seis
l^-tlS!KF* Csraa': Pessoas, c tal brutalidade empregaram para saciar
Benedicto', frica, 40 annos solteiro escravo, WZfEjSES. **"**' qUC deXara,n "
Vista ; anemia.
Antonio Pires Galvo, Pernambuco, 42 annos, ca-
gado. Boa-Vista ; pneumona.
- 10
Joanna Baptista, 16 annos, solteira, Boa-Vista; apo-
plexla.
Isabel Maria da Costa, Pernambuco, 28 annos, sol-
teira, Boa-Vista ; abeesso no abdomen.
Pedro. frica, 40 annos, solteiro, escravo, Boa-
Visla; cangrena no escroto.
Joo, Kio Gratule do Norte, 5'6 annos, solteiro, es-
cravu, Boa-Vista ; colite.
Manoel no Nascimento, Tacaratu', 3o annos, viuvo, |
Boa-Vista; bexigas.
IKOMCA JUDICIARU
sem po-
der levantar-se.
E' at onde pode ebegar a brutalidade. concu-
; piscencia c perversdade
Oito homens contra urna pobre c fraca mulher,
c per meio de violencias e ferocidade I... Os pro-
prios animaes ferozes nao sao to exagerados cm
sua brutal lascivia !...
E factos desta ordem se nao devem calar. Todos
devem saber e conhecer a crueis inclioacdes des-
ses sceleratos.
ludignado e profundamente revollado roso a
Vmcs., Srs. redactores, que se dignem incluir as
lo conceituadas columnas do seu jornal, esses
dous factos aqu passados, e muito grato Ihe
cara
O pai do poto.
Papacaca, 6 de setembro de 1864.
mana na Caixa Filial, \mr occasiao de requsitar o
iesoureim a abertura do cofre para tirar a quan-
ta de 100:0005000 para pagar ao r. Amorim &
Irmos, eu nao Ihe enlreguei para tal lim as ml-
nhas chaves perante o presidente e o Sr. Manoel
Joo d'Amorim que ahi se acbavam presentes. Pe-
co-lhe anda permisso para usar de sua i esposta
como convier. Sou de V, S. atiento venerador c
obrigado.
(Assignado) Jos Mamede Alees Ferreira.
E' verdad ter-me V. S. entregado sua chave do
cofre, e.-tando na mesma sala dos descont* os
Srs. presidente da Caixa, e o Sr. Manoel Joo d'A-
morim.
Pode V. S. fazer o uso que Ihe convier dessa mi-
nha resposla.
De V. S. alenlo venerador e cralo
Jos Joaquim Dias Fernandes.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 10........
dem do dia 11.................
199:9113641
22:2615498
222:2735139

sim pratica, segundo consta-nos, r
o de director geral vera necesariamente os desejos profesos tem soffrido, ja aqui o j oo Rio Grande
TKIHV\Ali 0 .11 III
o" SESSAO-DIA 7 DE SETEMBRO.
PRESIDENCIA DO SR. DR. JOO AHTONI0 D'AIUUJO
'FRF.ITAS HENIUQES,
JUIZ DK DIRF.1TO DA PKIME1RA VARA CRIMINAL.
Promotor publico, o Sr. Dr. Jos Paulino da \ ?? ^u,La"'lh''"a
Gnonrn.
Escrivao, o Sr. Joaquim Francisco de Paula
Esteces Clemente.
Advogado, Dr. Lourenro kvtltina de Albuquerque
Mello.
A's 10 horas da manha, feita a chamada, aeba-
ram-se prsenles 36 Srs. jurados.
Foram multados em 205 cada um dos Srs. jura-
dos que faltaram.
Entra em jnlgamento o reo Silvestre Prsncisco
Lourenco do Munie, acensado por erirae de furto
de nm peca de bnm do armazem da viava
Gibson.
O jury de sentenca foi composto dos senhores
seguintes :
Dr. Francelino Bernardo Qninteiro.
Manoel Ignacio de Torres Bandeira.
Pedro Celestino Mindello.
Francisco Antonio de Brito.
Joo Joaquim de Siqueira Varejo.
Dr. Horacio Vallredo Peregrino da Silva.
Capito Pranmeo .ftapnael de Mello Reg,
Antonio Ma. hado P^rlra Vianna.
Dr. Ignacio Firmo Xavier.
Antonio Caldas la-Silva.
Francisco Antonio Pereira de Brito.
Dr. Julio Augusto da Gunha Guimares.
Fui o reo interrogado e procedeu-se leitura do
processo.
O Sr promotor pedio a condemnacao 4o reo no
gran mximo do art. 257 do cdigo criminal.
O Sr. advogado, dduzindo a defeza, pedio a ab
solvicao do reo.
Finil.js os dehaies e preenchidas todas as forma-
lidades da le, foram propostos ao jury de sentenca
os qu'-sitos sobre o facto principal e suas cir-
comstancias.
Recolhido ojnry de sentenca sala secreta das
conferencias 1 hora da tarde, voltou 1 1|S hora
com suas respostasque foram lidas pelo respecti-
vo presidente o Sr. Dr. Francelino Bernardo
Quint-iro.
Em visla da dec.iso do jury, o Sr. mu presiden-
te politicn sua sentenca rondemnando o reo pe-
na de 2 annos o nm mez de prlsao com trabalho e
multa de 9 i; meio por tent do valor furtado e
as cintas.
As eleices.
Desde que a imprensa corregi a plvora, a pl-
vora humilhou-se perante o lypo. A idea achou no
como a forga a linha encon-
j irado no eanho. O prlo disputa com razo a pri-
mogemtura moral, e o morgado da civilisaco I
bocea do fego. O cauho mu ti plica a devastacao, e
cifra o segredo da rpida ruina. O prlo repovoa,
pelos milagros do pensamento communicado, os
ermoi que deixou atraz de s a arlilharia.
Recu riendo a imprensa, o no.sso intuito atacar
os abusos c excessos do governo, com o fim de co-
hibir e de evitar os iristes effeto* da resistencia
armada, expediente extremo que sempre reprova-
remos.
Nao cortejamos as paixoes ruins do povo, susten-
tamos os seus direitos conculcado* pela dictadu-
ra das bayonetas.
Nao injuriamos a pessoa do presidente, respeita-
mo-ia; censuramos os seus desvos, erros e desa-
tinos.
Nao fazemos questao pelo triumpho de nenhum
partido ; fazemo-la pela legalidade dos meios que
se i mpregam.
Nao condemnamos o governo pelo empenho de
sahir vencedor na urna.
Condemnamos, porm, as alicantinas, astranqni-
bernias, as evolucoes vergonhosas, os quebramen
Tendo lido na Revista do Otario de Pernambuco
de 7 do corrente o meu nome como pronunciado
na enrrercjio, que abrir o Dr. juiz de direilo do
Bonito, Julio Barbosa de Vasconcelos, senoo cri-
fi- me de responsabilidade, e que fra imputado a
mim comojuiz monicipal supplente ento em ej-
ercicio, e havendo eu appeltado desta pronuncia
para a egregia relaco do districto, apresso-me em
pedir aos meus .amigos e ao publico que suspenda
seu juizo a tal respeito, at que esta causa seja de-
i Unitivamente decidida. A coiitiaNCd'que tenho em
i minha defesa immensa : minha consciencia ota
: tranquilla. Recife 12 de setembro de 1864.
Joo Vieira de Mello e Silva.
Hospital Porluguez de BencGcencia cm Pe r-
nainbuco.
Tendo de celebrar-se no da 18 do correrte c
anniversario da fundaco do Hospital Porluguez,
como pro-ereve a sua lei regulameniar. emenden
a actual junta administraliva, a iinitacao do que
praticou a sua antecessora, que esse acto> se polle-
ra tornar mais solemne, senuindo-se-lhe a exposi-
go de prendas e joias, que a generosidade dos ha-
bitantes desta hospitaleira cidade se dignarem de
offertar-lhe, para em publico serem trocadas e
convertidas em benelicio dos pobres enfermos.
Neste intuito foi nomeada orna commissao espe-
cial para agenciar e arrecadar os diversos donati-
vos, a qual em desempenho do sna honrosa e ano-
ta msso dirigi humilde* supplicas a* pessoas de
que teve conheciment.
Nao sendo porm possivel que semelhante con
individualmente
vite fosso eiiderecadu individualmente todas as
bis de urnas, as s'btracoes dos livros das actas, as' seohoras e cavalheiros, nao s por falta de tempo,
nulliOcacoes de eleiet-s de parochiapelo simples como e prnicipalnwnte por sh ignorar *eus nomes,
facto de conhecer o governo, que a maioria lhes -
desfavoravel.
Condemnamos e lamentamos esses apunhalamen-
tos em inspectores de quarteiro, e ainda mais
condemnamos que sejam motivados pela compres-
sao exerrida sobre cidados, que quercm exercer
os seus direitos.
Condemnamos e lastimamos que na primeira ci-
dade do norte do imperio passeiem pelas roa* no- >
mensarmados de punbaes, vista e face das auto-
ridades, m> porque 0*808 homens so dizem seus
agentes eleitoraes.
Condemnamos e lastimamos quo nm filbo de
Pernambuco presida a todo esle speclaculo, sem
preferir antes pedir a sua demisso, imperiosa-
mente reclamada pelas depluraveis circuinstaucias
a que teni arrastado a provincia.
Como se degenera a>sim do da para a noite I
Terriveis sao as influencias do progresso I
Ofillio do Ypiranga..
a mesma junta e commissao se prevalecem do
nico meio que Ibes resia,para fazer ebegar a pre-
senta de lodos os habitante* desta capital as mes-
mas supplicas, como se especialmente e a cada om
de per si as livesse dirigido, pedindo que se dig-
ncm enviar qualquer offerla, que ser recebida
com o maior reconhecimento, como obulo de cari-
dade.
Recife, 5 de setembro de 1864.
Joaquim Fern-ira Meodes Guimares.
Io secretario.
Illm.Expor V. consideracSes para levar-
Ihe ao rorac/io nm incentivo de caridade, fra por
em duvida o espirito nimiam<*ute religioso e phi-
laotropico que tanto caracterisa a respeitavel pes-
soa de V.
Soj por demais conhecidos ossentimfrtosde
pura nenerosidade que V. tem manifestado em
favor da humanidade desvalida, e o Hospital Por-
tuguez da Beneficencia nesta cidade, por quem ho-
Hovlment da alfandega
Volumes entrado* com fazendas...'
t c com gneros.
Volnos saludos
com
eom
fazendas..
gneros..,
334
267
124
710
61
834
Descarregam no dia 13 de setembro.
Galera inL'leza//crni/oiicmercadorias,
Barca inslezaConnu/diversos gneros.
Barca inglezaLe/yr/wn-farinha de trigo.
Patacho nacional laboato -idem.
Barca americana-Tcmpesftaboado.
Patacho inglezUnid of Atkeus-corvan de pedra.
Patacho inglez Propontesmercadorias.
necebedorla e rendas internas
de Pernambuco.
geraes
Itendimerto do dia 1 a 10.
dem do da 11..........
8:3405602
2:8515950
ll:1985'52
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 10......... 18.4305322
Idemdodia 11................. 6:4175214
24:9265336
Hambiirgo, 90 de agosto de
18 4.
Relatorio commercial.
Apezar da mais favoravcl situacao poltica, o
commercio nao teve desenvolvimento maior por
causa da falta de dinhelro.
Caf.-Os supprimentos na quinzena foram de
cerca de 41 mil saceos, dos quaes 10,760 do Brasil.
Veoderam-se cerca de 22 mil saceos de caf brasi-
leiro, o do Rio e Santos a 6 3.4 7 3/4 scb., o da
Bahia 6 1/8 6 1/4 sch. As ultimas noticias do
Rio foram mais favoravet* do que se esperava, mas
o mercado flcou em posico especuliva per causa
do leilo hollandez ; quando entretanto se sou be
do resultado do mesmo, j.otico mais ou menos pe-
las laxas, mostrou-se maior vonlade |ara comprar,
sobreludo procurndose as i|ualidad>s mais linas.
Colamos a qualidado regular ordinaria do Rio :
7 1/8 7 1/4 sch.
Assucur. No mesmo estado l'rnuxo. Os precos
baixaram mais 8 12 scb. por 100 libras. De asqu-
ear brasileiro s se venderam 4o0 caixas, da qua-
Inl.ide mascava da Babia.
Tabaco.Sempre em boa aceitacao venderam-se
1,881 balas de tabaco da Baha, e en leUsw 215 ba-
las de dito avariado a 2 3/4 8 S/S sch. Preos co-
lados : 5 24 sch. Em er 4^00 bal* oVBaoia.
AlyodSo.'Slts procurado, sobindo os presos ;
nenhuma transaeco cm algodao brasileiro.
Couros.Invanavelmen'e llroies ; vonoeram-sc
7,507 do Rio-Grande e 1,738 do.Ceara. fim ser
6,500 do Rio-Grande. .
Jacaranda. Acbam-se muito procoraas as
qualidades finas. .,
Nos ultimo* quioze das eotraram do Brasil o
u.ivios "
Finn do Rio Grapdo do Snl.
-Auna., Tjesu e Markwell de Santos.
Parliram para o Brasil :
para o Rio de Janeiro Anne>.
dem o Sanios Hinrick.
Para a Bahia Vcniusi.
Paia Pernambuco e Cear Superb.
Para o Rio Grande do Sul Erstellioi t Tole-
gra|ib.

'
I
"
i






Dlar
I. e *
eruaboM Ttrf* flra 13 de Hetubi o 4e i 9*1.

fe
Para Bacei ^Regine>.
Acham-se carga :
Para Pernambuco cGalene e Veritas.
Para a Baha Prest e Johanna.
Para o Rio de Janeiro S. Luin e cJohann-
Gottried.
Cambios.Sobres, 3-m. d., 13 mateos 1 3/i sch.
b. pr S'prazo rurto, 13 5 3/1. b
Sobre Pars, :i m. d. 193 francos por 100 marco
b. prazu curt, W0 1/i.
Sobre Li*b>a, 3 m. d. 46 sch. b. por 1,5000.
Dcsconto.-6 6 i/i 0/0-
MOYIMEMTO 30 POMO.
Navio adrado no dia 11.
Bordeaux portos intermedios 16 das, vapor
rancei Guienne, de 1167 toneladas, comman-
dante A. de. la No, equipagem 115, carga di-
ferentes gneros.
Observaeao.
Nao houveram sabidas.
Navios entrados no dta 12.
JJahia 6 das, fragata ingleza Bombay. comman-
daote Brown ; eonduz o almirante.
Idem-curveta ingleza Alecto, commandante Blake.
dem crvela ingleza Carlew, commandante
Hadson.
Navios sabidos no mesm din.
Acaracn'palhabote na -ional Sbrateme, capito
Antonio Gomes Pereira, earga fazendas e cratros
gneros.
Babiabarca portugueza Minerva, capito Antonio
Jos Pereira, em lastro.
Montevideo pelo Hi<> de Janeirovapor inglez Rio
de la Plata, commandante A. Glen, em lastro.
Rio de Janeiro e Baha vapor fraucez Guttnne,
commandante A. de la No.
trcente, teve Iioje lugar o processo d abertura co do grao dmiue de Ferrara. O mesmo U fflo-
das cartas atrasadas pertencentes ao mez de agos- ment de sea incendio. a ponte dos suspiros ora"
to do anno de 1843, condemnadas a coasumo pelo Veneza.A capella de Santo Andr na Hespanha.
arl. 138 do regubmento do* crrelos de 21 de de- A nao Princesa em frente do porto de Marselha.
zembro de 18U, assistindo a esse processo o cora- A bella latada do jardim de aples.O mairni-
merciante Joaqun de Faria Machado. DesU aber- fleo corredor do palacio de Constahtinopla Urna
tura nao se hacend encontrado nem dinheiro o cidade da Saisaa, vista no ven. A mesraa era
nem documento, procedeu-se ao queitna dellas, de mudanca para o invern. Finalisando pelo qua-
que se lavrou o respectivo termo, qna o que so dro :
segu. f4Vlt Hlll
Crrelo do Pernambuco S setembro de 86t. | 0 ApAMAOO CACUOH DE LEOE3.
.. ,...'".rrV^?*V!Fi A pedido de umitas pessoas, era seguida, volve-
r ^ a ***^,d**mis M,randa- r por effe.los da circulaeo elctrica
Termo de consumo das cartas om ser per- Si,/vn rvf *r wnTiTAn
tencentes ao mez de agosto de 1863. OkS FOGOS DIAMANTINOS.
Aos cinco dias do mez de seterabro de 1864, na i vu X WKA VU *rff*Wi'ltl J"JlL1 V/U*
sala da administracao achandose presento os se- Finalisando o divertimento logo que seja aonun-
nhores administrador e thesoureiro e mai* empre- -.j,, B(,in ,,,:.. ri, nita
gados, procedeu-se em virtude do art. 138 do re-1C,ad0 pe' auj0 d2fc!^ A1It
gulamento dos correios de 21 de dezembro de 1844 .i*. ____. :i
o consumo de 328 cartas e 8 lornaes, sendo 175'. E c vana-
selladas e 153 e 8 jomaos nao sellados, na Irapor- i JM* prestidigitador dar principio aos seus.
tanciade 21fi070,que nesta data fica descarregada ^*ilhos neste lugar.
&SS&&Q &ot
DB
EDITAES.
A mesa parochial da freguezia de S. Frei Pe-
dro Goncalves do Recite, manda fazer publico que
sendo annullada pelo Exm. presidente da provin-
cia a eleicao que leve principio no da 7 do corren-
te para juizes de paz e vereadores, e em cumpri-
mento aos avisos de 26 de julho e 26 de selembro
de 1850, tem designado o da 13 do corrente para
proseguirem os trabalhos da eleico, devendo co-
mecar a fazer de novo a chamada dos cidadaos
votautes. Sao, pois, convidados os mesmos votan-
tes para no referido da o as nove horas da ma-
nhaa comparecerem na igreja matriz desta fregue-
zia, para entregarein as cdulas nos termos do avi-
so de 19 de outubru de 1848, 1." e 2." O que
para constar se fez o presente termo, que ser ali-
xado nos lugares >ais pblicos desta freguezia. e
publicado pela imprensa. E cu Antonio Teixeira
Peixoto, secretario o escrevi.
O juiz de paz presidente,
Jos Pedro das Nevet.
Antonio Teweira Peixolo,
Oetaviano de Souza Franca.
Augusto Fernandes da Siha Manta.
Annto os Pestaa-
ao mesmo >cnhor administrador e thesoureiro, co-
mo consta da factura.
E para constar se lavrou este termo era que as-
signou o relerido administrador e thesoureiro, &
empregados abaixo declarados.
E eu Eduardo Firminoda Silva, ajudante c con-
tador que o escrevi. t
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Os oflii-iae? papelistas,
Ismael Amavel Gomes da Silva.
Luiz de Franca de Oliveira Lima.
Vicente Ferreira da Porciuncula.
O praticante,
Agnello Heraclio A. Pernambuco.
Arrematadlo.
Pelo juzo municipal da 2* vara, e de residuos e
capellas, vai praca de venda no dia 17 do cor-
rente, depois da audiencia, reqnerimento do tes-
! lamenteiro o inventarame dos bens da finada Ma-
I ra Candida de Magalhet para pagamento dos le-
gados e sello nacional, e custas, o sitio denomi-
nado Zongu em Apipucos, eom casa de sobrado,
cozinha, estribara e urna grande olaria de fazer
lijlos e fumo, cora barreiro e grandes baixas de
capta de planta, em chao foreiro, avaliado por
6:0003009.
De ordem do lllm. Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda desta provincia, se faz publico
que a mesma thesouraria em v rtudo da ordem do
thesouro n. 113 de 13 do corrente, acha-se autori-
sada a pagar diversos credores de dividas de
ejercicios lindos. As pessoas interessadas, deve-
rao requerer a esta thesouraria o pagamento de
suas dividas.
Thesouraria de fazenda de Pernambuco, em 13
de agosto de 1864.
Servindo de official-maior.
Manel Jos Pinto.
Pela administragao do correio se faz publico
que as cartas abaixo mencionadas deixarara de se-
guir seus destinos por serem encontradas na
mala com sellos servidos.
Alexandrino Christiano de Oliveira.
Antonio Domingues da Silva.
Antonio Frnci>co Frtuso do Rosario.
O seu gabinete, priraeiro neste genero, sem
duvida o mais completo que tem vindo America
do sul e norte.
O nome do prestidigitador ja bastante cenhe-
cido, nao s no Brasil, onde sempre tem trabalha-
do em seus molhores theatros, como sejam o tbea-
tro lyrico da corle, S. Pedro e S. Januario, onde
sempre recebeu os maiores applausos, como tam-
ben em naizes estrangeiros, d'onde acaba de chu-
ar ha pouco lempo, leudo ulti mmenle trabalha-
do em Solis, em Montevideo e Colon, em Buenos-1
Ayres, theatros principacs destes dous paizes. Cer-
to, pois, do gosto que pelan arles se desenvolve no ,
publico desla cidade,espera que nao sero baldados I
os seus esforcos, tanto as grandes despezas que
I lie fui preciso fazer, como para o feliz resultado
de seus desejos. i
sa
AYISOS MABITIMOS.
Perante a cmara municipal desta cidade
estarlo em praca nos dias 14, 21 e 28 do corrente. Caetano Nogueira de Souza.
mez, para serem arrematados por quem mais drr,' Francisco Antonio Goncalves de Medeiros.
por lempo de uin anno, os impostos seyuintes, que Francisco das *.hagas de Araujo.
fazern parte do patrimonio e rendas da mesma ca- Elisiario Antonio de Oliveira Miranda,
mar : o arrendament) da casa no pateo do corno i CODSelhO ;l mi UlStrat I YO.
Santo, na cidade do ReeiJ, onde se acha a Asso-; 0 conseIno administrativo para lornecimento do
c.agao CommerciaJ, por 8065 dmmo do capim de arsPnal de puerra tera de comprar os bj ^
planta, p-.r 1:0015 ; afericao, 56i#, sendo o arre- euiales e K J
matante obrlgado a aferir'os pesos e medidas per-
tencentes a mesma cmara ; coqueiros, 402 ; 500
ris por cabeca de gado vaceum, 4795500 ; 100
ris por cabera de gado recolhido no carral, ris
48:400 ; casinhas da nbeira, 1345; m scates e
boceleiras, 305500 ; repeso do assougue, 105 i ga-
do Mino, 75 ; cargas de farinha e legumcs, ris
145744 : gado ovelhum, 25048 : os pretendentes
nodem com|arecer nos mencionados dias com seus
liadores, habilitados na forma da le, para pode-
ren laucar, sem o que deixaro de fazer.
Paco da cmara rannicinal de Olinda, 9 de se-
lembro de 8l!.Mun l Joiquim de Miranda
Lobo, pro-presidente.Marcolino Dias de Arajo,
secretario.
0,r. Trist.o de Alencar Araripo, ofHcial da impe-
guuiles
Para o 4" batalbiio de artilharia.
400 pares de sapatoes.
; 30 bonets.
30 mantas do 13a.
30 pecas de palatina.
214 covados de panno azul.
162 covados de hollanda de forro.
21 varas de aniagem.
1.075 varas de brim hranco.
1,000 varas de algodaozinho.
42 pares de clcheles pretos.
Ouem quizer veoder laes objectos aprsente
a sua |ini;iii.-r.-i em caria d-.-li.-i.l.-i na senrolaria do
conselho s 10 horas da manhaa do dia Ili do cor-
tembro prximo vindouro.
Sala das sessoos do conselho administrativo para
rial ordem da llosa, e jtuz de direito especial do fornPrmeni0 do arSenal de guerra 9 de selembro
commercio, por i>. M. Imperial e (.(institucional de 18(jt
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel-presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pijrrho,
Vogal secretario.
Crrelo geral.
Pela adininistra^ao do correio desta cidade se
o Sr. D. Pedro II, a qoem Deus guarde, etc.
Fai4'o saber pelo presente, que no dia 26 de se-
tembro deste anno, se ha de arrematar por venda
a quem mais der em praca publica deste juzo de-
pois da audiencia respectiva a escrava de nome
Mara, motila, com dale de 2o annos pouco mais
oo menos avahada em 700-3, a qual pertencente
Ferreira Lima e vai praca por execucao que
con>ta os meamos cncaminha D. Zefetina Mara de
Jess, e na falta de licitantes ser arrematada pelo
proco d'adjadicacao com o abatiinento da lei.
E para que chegue a noticia a todos, mandei
passar editaes, que serio affixados e publicad s.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-1
namburo aos 10 de selembro de 1864.
Eu, Manoel de Cjrvalho Paes de Andrade, es-!
criviio o subscrovi.
Tristiio de Alinear Araripe.
O Dr. Trislao de Alencar Araripe, official da im-
perial ordem da llosa, e juiz de direito especial
do commercio, nesta cidade do R-cife de Per-'
nambuco, por sua magestade imperial e consti-
tucional o Sr. D. Pedro II, a quem Dos guar-
de, ele.
Faco saber aos que o presente edltal virem e
d'elle noticia titerera que perante este juizo espe-
cial do commercio, promove urna execujao de sen-
tenca Joaqoim Elviro Altes da Silva Francisco
Santiago Ramo-;, e para seu pag i'.nento penhorou i
osle a quamia de rs 1:4905267, e sendo a mes- i
ma penhora acensada em audiencia, fra pelo pro- |
curador do dito eieqoenle reqoerido que fleassem
assignaJoi 10 dias aos credores incertos, passando-
se os respectivos edilaes, conforme se v do se-
guinte termo
faz pubbxo que em virtude da convenci postal,
celebra pelos governos braileiro e francez, se-
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperado
at o dia 14 do corrente, o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante
Alcanforado, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os
portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escrptorio de Au-
tonto Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte espera-
do at o da 16 do corrente o va-!
por Paran, commandante o ca- \
lilao de fragata Santa Barbara, o
qual depois da demora do costu-!
me seguir para os porto> do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a |
carga que o vapor poder conduzir, a qal dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-;
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escrptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C
COMPANHIA PBRNAMBUCANA
H
Vavega$o costelra a vapor.
laman 'ar, Barra Grande, Pona do Podras,
Camaragibe e Macei.
No da 24 do corrente expedir
esta companbia para os poitos ci-
ma o seu vapor Parahybo, com-
mandante Manins. Recebe carga
'siimente al o dia 23. Encom-
mendas, p.is-anciro e (Jiolisiru a truXa ali4 as 3 ho-
ras do dia da saluda : escrptorio no Forte do
Mallos n. 1.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DK .
Navega^io cosleira vapor.
Parabiba, Natal, liarn. Aracaty, Cear, e Acarucu'
No dia 22" do corrente expe-
dir esta companbia para os portos
cima mencionados o seu vapor
Mamangunpe, commandante Mou-
ra. Recebe carga somonte at o
. iVj!I I dia 21. Encommendas, passageiros e dinheiro a
Eurona no da lado fre,e at As 3 horas do dia da sahida : escriptorio
aOea;is*ras eom albo, 8 bar-
ra eom cognac. I o calxa eoin
cha.
Q11 rla-fcipM 14 do corrente.
O geme Pestaa vender por conta de quem
pertencer 30 cana-tras de eXceHentesf alhos em
mauncas e 10 caixas com cha da India e H jbarris
com cognac tudo em lotes : qoarla fcira 14 do
corrente pelas 10 horas da maullan, no armazem
do Aunes.
M,EII,AO
DO
8 ESCRAVOS.
l";ra-fciia 14 de setewbro.
i Hua da Cruz n. 38.)
0 leilo de escravos annunciado para o dia 12
do corrente por intervenco do agente Pinto, na
iraca do commercio, fica transferido para quarta-
eira 14 do corrente, no escrptorio do referido
agente rea da Crui n. 38. Por aquelle awiuneio
se poder saber as baliilidados dos ditos escravos.
Principiar s 11 horas.__________________
Feira semanal
DE
Trastes hoyos e usado?, relogios, crys-
tips e oulros amitos arligts.
Qnarfa-feii'a 14 do corrate
s 11 horas no armazem da ra da Cadeia
do Recire n. 48.
O agente Olympio vender era leilo no lugar
cima diversos objectos de marcinciria, crystaes,
pianos, relogios e outros artigos.
LEIJLAO
O ajenie Almeida competentemente autorisado
fara leilo das dividas activas da massa fallida de
Novaes & C, sommando em 187:4833200 rs., por
qnalquer preco cima da offerla de 1 por cento.
Quiu a-ieira 15 do crrente ao
meio _
Em seu escriptorio na ra da Cadeia n. 48, on-
de os pretendentes podem examinar a relacao e
os respectivos ttulos.
Aos10:0Otr$oHI).
Sexta-feira 16 do corrente mez, se ex-
! traltir a ultima parte da segunda e pri-
! meira da terecira lotera (IOS") a beneficio
do tbeatro de Sania Isabel, no consistorio
da igreja de Nossa. Senliora do Rosario da
freguezia de Santi Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 10:000,>000 at 1)5000
serao pagos urna hora depois da extraccao
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuico das listas.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
Aluga-se
urna grande casa e sitio confronte a povoacao do
Monteiro, a margem do rio Capiharib, com boa
baixa de capim, e lodos os cemmodos para urna
grande familia : a tratar na ra de Apollo 11.1,
segundo andar.
-
Aluga-se ou vende-sc a olaria dos Coelhos n.
5, onde esteve o Sr. Manoel Serra, o caes passa na
frente, fica em muito bom local para quem quizer
edificar, ou mesmo para quem queira por alguma
fundi'cao : a tratar na ra Direila n. 22, refinaco
de Francisco Jos de Araujo.
Precisa-se alugar um moleque : a tratar na
ra dp llu.-pi.-io d. 78.
Precisa-se de nina criada livre ou escrava.
que saiba cozinhar e engommar : na ra das Cruz
u. 42, primeiro andar.______________________
Precisa-se de urna ama de leiie, sadia e sem
filhos, |iaga-se bem : a tratar na ra do Mondego
numero 2._______________________________
Quem precisar de urna ama de leite, di rija
se ra do Ouro n. 43.___________________
Precisa-se de urna ama para cosinbar o com-
prar, em casa de hornera solteiro : ra do Quei-
mado n. 41, luja._________________
Francisco Antonio Martins, sendo aconselha-
do pelos fa :ultativos de ir Europa tratar de sua
saude, vende o seu estabelecimento de taberna da
ra da Imperatriz n. 34 ; e porque se acbe de ca-
ma e nao possa por esta razio ir procurar aos pou-
cos credores que tem, roga a estes de. comparece-
rem na mesma taberna para si-rem embolsados.
CASA \)\ rORTUNA.
AOS 10:000.000
BUbete garantidos
k' roa di Cretpe n. 23 e casas do costume
O abaixo assignado vendeu nos seus rauito feli-
zes bilbetes garanddos da lotera que se ac bou
de extrahir a beneficio da irmandade de Senhor
Bom Jess da Via Sacra, os seguintes premios:
N. 970 meio bilbele eom K):000,500O
I N. 2999 meio biluete com 2:000#)00
N. 719 dous quarlos com 2:0005000
N. 2399 meio bilhete com 004000
N. 194o bilhete inteiro com ft&m
E outras muitas de 2005, 10l, 40J e 20*.
Os possuidore.> podem vir receber sem os des-
cornos das leis na Casa da Fortuna rua do Cres-
po n. 23.
Acham-se venda os da ultima parte da segun-
da e primeira da terceira do theatro de Santa
Isabel, que se extrahir sexta-feira 16 do cor-
rente mez.
Preeoc.
Bilhetes inteiros..... 12,1000
Meios......... 6JO0O
Quartos........ 3*000
Para as pessoas quo compraren.
de 100$ para cima.
Bilhetes........ 115000
Meios......... 55500
Quartos......, 25750
_______________Manoel Martins Finza______
0 Dr. ftoeka Bastos
pode ser procurado das 7 horas da manhaa ao meio
dia, e das 3 horas da larde em dianle no
Caes i'i de \ovembro a. .
(POR CIMA 00 11ILHAR DOS AH0S.J
De meio dia s 3 horas da tarde
M. a n Ra da Crnz \. 1 s.
Cura radical e em poneos dias as molestias sy-
philiticas e as do apparelho genitourinario.
LEILO
ATTENCO.
DK
Diversas otuas de ou 0.
Qulota-feira 15 do correte.
O agenle Poslana vender por ordem do consu-
lado de Portugal di veras obras de ouro como se-
jam : trancelins, pulceiras, adereces, brincos etc
lodas pertencentes ao espolio do finado subdito
poriuguez Jos Fernandes Pereira Villa-rica ; o
leilo sera elfectuado por pegas e a relacao e ob-
jectos acham-se em mo do "agente I sendo eflec-
luado quinta-feira 15 do correte pelas 10 horas
da manhaa na ra do Vigario n. 13, primeiro
andar.
Importante leilo
Como sejam : -
1 piano forte com cadeira, 1 mobilia com 1 so-
f. 4 consolos-, 1 mesa redonda, 2 cadeiras de bra-
cos, 2 ditas de balaneo e 18 ditas de guarnico, ri-
cos jarros e vasos para liores, 2 cand'eirosde gaz.
1 exeellente secretaria eom 10 gavetas, 1 estante
envidracada rom escrivaninha,! mesa com forro de
panno para advogados, ti cadeiras do Jacaranda. 3
. i rnlugio MmrleMlOBj 1 cama Crance-
zaNle Jacaranda. I guarda louca envidracado, 2
grandes apparadores envidracado. 18 cadeiras, 8
mesas de diferenies lmannos, 2 guarda vestidos,
l_guarda roupa e amitos outros objectos que csta-
rao patentes ao ex.une dos concurrentes.
Sexta-feira 10 de selembro.
O desetnbargador D. Francisco IJaUhazar da
Silveira tendo de retirar-se para a corte, far lei-
lo por 'ntervencao do agente Pinto, dos movis
cima mencionados existentes na casa do sua re-
sidencia largo do Hospicio, primeiro sobrado ao
lado esquerdo, principiar as 10 horas.
corrente pelo vapor inglez Magdalena. As cartas
sero recebidas al 2 horas antes da que for mar-
cada para a sahida do vapor, e os jornaes at 4 ho-
ras antes.
Administracao do correio de Pernambuco 12 de
setembro de 1864.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
THEVTfcO
S
no Forte do Mallos n. 1.
Vt\fc%A
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegaco costelra a vapor
lina de Fernando de Noronha.
Esta companhia expedir no
dia 14 do corrente para o porto,
cima o seu vapor Jaguarihe. com- i
mandante Lobato. Recebe carga
at o dia 13. Passageiros o dinhei-
ro a frete al s 10 horas da manhaa do dia da
sabida : escriptorio no Forte do Mallos u. 1.
2
DA
EMPREZA
mXM A COMBRA.
Para a Rio Grande do Sul segu em noucos
dias o superior briguo brasi'ciro Sorpreza, de pri-
j meira marcha o classe : recebe ainda carga a fro-
tes commodos : a tratar com os consignatarios
i Amarim & Irmos, na ra da Cruz n. 3.
Para o Araca-y
Os empresarios querendo dar urna prova de que I pretende seguir com muita brevidade o velero
se acbam dispostos a acolherem todos os artistas i hiato Dous Amigos, tem parte do seu carregamen-
que chegarem esta capital, qur nacionaes, qur | to promplo : para o resto que Ihe falta, trata-te
Aos 5 de setembro de 1864, em publica audien-'estrangeiros, e isto para que o publico frequenta- com o seu consignatario Antonio Luiz de Oliveira
cia que dava o Dr. juiz especial do commercio, dor deste theatro, nao fique privado dos difieren- Azevedo <& C, ra da Cruz n. 1, ou com o capito
Tristo de Alencar Araripe, pelo solicitador Igna- ; tes gneros de divertimentos que por ventura pos- Francisco Martins da Costa no trapiche do algodo
ci Barroso de Mello, pjr parte do exequente, fra sam apparecer, acaba de contratar com o Sr. Julio ------^c------------~t-----r----=-------------------
dito, que ten lo procedido penhora em dinheiro dos Santos Pereira, prestlgitador brasileiro, urna | 17818 0 JaO Q6 J8BflF0
pretende seguir com milita brevidade o veleiro
brigue nacional Almirante, tem parte de seu car-
regamento prompto : para o resto que lhe falta e
escravos a frete, para os quaes tem excellenles
commodos, trata-se com os seus consignatarios An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da Cruz n. 1.
perleneente ao execulado, re pieria que ieassern serie de representaces que comejar
^^^^^^jf^^^^^^'*a- jQuarb-feira 14 de selcibro de 1864
do-se os respectivos editaes, do que lavrei o pre-
sante do protOCoUo das audiencias: eu Manoel
ilvino de Barros Falco, escrevente juramentado,
o escrevi. Eu Manoel Mana Rodrigues do Nasci-
mento, escrivo o subscrevi.
E em virtude do meu deferimento, o respeciivo
escrivo fez passar o presente, e pelo seu tbeor
chamo e cito aos respectivos credores do executa-
Quart
PROGRAMMA.
Primeira reprtsenlacao dada pelo prestidigitador
brasil eiro.
t'nllo dos Santos Pereira
Socio benemrito da sociedade. propagadora das Bel-
las artes no Kio de Janeiro e primeiro
mgico brasileiro.
do, a comparecerem neste juizo a allegarem o que Xovo, P.xTUAonDiN.vRio B vahiado divkutimeeto de
tor a bem de seu direito. AtnsKims jocos phvsicos, pecas mechanicas
E para que o presente chegue ao conheclmento verdadkiiia pestidcgitacao.
fe todos, sera publicado pela imprensa e atllxado Depois de urna escolbida ouvertura serao aber-
na forma do estylo. ___ i tos os trabalhos pelos invgmacos e inexplicaveis
effeilos que tem por titulo :
Cidade do Recife 6 de setembro de 1864.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivo, o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
DIELAEACOES.
Jnize des feitos da fazenda
uaciuual.
A SALA DOS SEGREDOS
MYSTERI08D0 DIABO.
PRIMEIRA PARTE.
A pndula aeria.A campainba do diabo e seus
admira veis elleilosLquidos de cores. -Misturas
e separacoes.Gabinete mgico. Pyramedes fei-
ticeiras.Ultima mystura.Grande susto.Objec-
* tos differentes. -Transformacao. Engao.Licor
Na qmnta-feira lo do corrente, pelas 10 horas fioo.Offerla. Apparco da Fada.-Resliluico.
da manhaa, na sala das audiencias, perante o lllm. _As uiu escolhidas. Effeitos de duvida.-Ar-
ar. Dr. juiz dos faltos da fazenda, se vender em Cabuz.-Prejuizo e o lindo festo de flores,
praca publica ura terreno de marinha, sito na ra j SEGUNDA PAR IE.
de Saoto Amaro n. 33 A, bensflciado e com caes, A garrafa feiticeira. A baralhacao das cartas,
pewhorado aos herdeiros de D. Silvana Mara Fer-. _Subida de urna. Nova baralhacao. Lgao de
nandes Eiras, cujo terreno perienco hoje a Anto- esgrima.-Escolha aeria.- O lenc incombustivel.
nio Jaciotbo Borges, avahado por 3:0;)0^oeo, e se _Crte duWdoso. Gabinete de Lucifer.^Moda
vende para pagamento dos foros dcvidos fazenda.
Recife 10 do setembro de 1864.
0 solicitador,
F. X. P. de Mte.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co aos devedores dos impostos cnbrados por lan-
-amento pertencente ao exercicio Ando de 1863
IttA, que no ultimo do setembro corrente finda-se
i praso marcado para o pagamento de seus debi-
Mi, licando sujeitos a serem executados os que
nao pagarem at aquelle dia.
M*> de consulado provincial de Pernambncs 1
de setembro de 18*4.
Antonio Carneiro Machado Ros.
Admmislrador.
w Pela vHktaaeia do correio deste cidade
s; faz publico que de conformidade com o decreto
de prata.Passagera.Visivel costara a vapor.
O cofre dos doentus. Fgida a vista. Contagens.
Escamotagera.- Passagera para o cofre de crys-
vaccas turmas.
Sexta-feira 16 de setembro.
O agente Piulo far leilo por conta de quem
pertencer de duas vareas turinas as quaes dao
bastante leite nao obstante urna nao ter cria, e j
estao aclimatadas ; o leilo ser effectuado 1
hora da tarde do dia 16, em frente ao primeiro
sobrado a esquerda do largo do Hospicio, or.de
haver leilo de movis anteriormente.

AVISOS M7E1SQS.
Praca da Independencia loja n. 12.
Albino Riptista da Bodia, irtuguez, relojoeiro e
dourador, tem a honra de participar ao respeitavel
publico desta cidade, ou mesmo com especalidade
aos seus amigos, que se acha com loja de relo-
joeiro c dourador, toma qnalquer concert por
preco com modo, e responsabilisa-se pelo seu tra-
bal lio.__________________________^____
Precisa-se de um caixeiro (pie d algoma
prova de sua conducta para tomar conla de urna
taberna por bataneo, na ra do Rangel n. 78, pois
o dono nao se importa dar bom ordenado : a ira
| lar na mesma taberna com Burnardino Jos da
Silva.___________________________________
No sobrado rxo n. 72 da ra de|S. Francis-
co precisa-se alugar mu preto escrayoou forro.
Na livraria n.lieS da praca da Inde-
pendencia existe tima caria de importancia
para o Sr. Antonio Fernandos Corredor.
Ha para alugar um primeiro andar um ter-
ceiro dito com soto, ambos na ra do Encantamen-
to ; una luja ua ra do Ainorim e urna casa ter-
rea na ra da Alegra : a tratar com Joo Ribeiro
Lopes, ra da Cadeia n. 33, loja.______________
Precisa-se de urna ama prefere-se escrava
para lodo serviee de casa de pequea familia : no
tes il<> l'.aoilianlm n. 10.
Precisase do nmescravo para o servir ex-
terno e interno de urna casa pagndose 18-3 por
mez : na na do Queimado n. 29.
Brecisa-so de um moleque para serviee de.
casa de rapaz solteiro : no escriptorio da compa-
nbia Pernambucana se achara com quem tratar.
Precisa-se de urna ama quo saiba coziuhar e
engommar na ra da Aurora n. 54, prefere-se sen-
do novata nesta praca, para nao ter grandes co-
nhecimeotos, a casa de hornera solleiro.
Quem tirio quer ser lobo nao lhe vista a pel-
le. Quem tanto rio tem compre o que trata, e
nao..- se.... soccorre de protestos c palanfrorios,
com o filo do palliar : assim pois, aconselha-se a
quem rouber a carannea. que o meluer partido
que deve tomar, nao dar margem gaiaiadas, as
quaes s se fizeram depois de esgulados os meios
pacficos, visto como os judiciaes seriam impro-
ticuos.-O Vergouhoso._____________________
~~ Pergunta-se ao S juiz da confraria de N. S.
do Livramento o dia, mez e anno, para o qual fui
transferida a festa da padroeira, ou se o senhor
nao quer largar a administracao em quanto nao
liver de atrancar o andamento de outra lotera pa-
ra fiear com su nome estampado 11 Meu amjgo,
procure outro oflicio. que as obras do choro nao
motivo para S S. querer ser administrador dous
annos ; faca a festa, snjeite-se as consecuencias da
eleicao, que bem pode ser reeleito, pois a dita-
dos saoseus amigos lhe bao de fazer a sua ul-
tima vontade, e depois haja cervpja___________
OITerece-se urna ama de boa conducta para
casa de homem sol eiro ou de pouca milia : na
ni i i o Sebo n. 37, a P3 sobradi .
O 1 O p -. p oo m m O P t> es
O P- o p Cu o luna ndas
O O 5 ffe P- i i
i tt 3 i p CD
B & 0 1 es po ~-P p p- a
i ev e er*-P P-P y1 o o-ert-P-O B 1 o p P-SP
as e-t-
I'recisa-se alugar urna ama que saiba ouH-
nhar, preferindo-se escrava : Bi ra da Impera-
triz i . 40.
0 escrivo de paz do primeiro distrjcr
I to da freguezia de Santo Antonio abaixaas-
I signado mudou o seu cartorio da ra de S.
Francisco para a ra do Imperador no {rv
meiro andar da propriedade n. 71.
0 escrivo.
Joaijuim da Silva llego.______
Copeiro.
Precisa-se de um bom copeiro estrangeiro : a
ra do Imperador n. 20, sobrado. ^^^^^^
Ve-cousulado d* llespnulia.
Havendo fallecido o subdito hcspanhol Bcnt>-
Amonio t.oulinhn, sao convidados todos os seus
devedores e credores a apresentarem neste vice-
consulado o< respectivos ttulos para proceder-se
lii|uidaco d-i seu espolio
jj t'ompauhia Udelldade de
seguros maritSmos e ter-
restres estabelecida no
Rio de Janciio.
AGENTES EM PEPNA.MIIUCO
Anlonio Lniz de Oliveira Azevrde & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
LEILES.
LEIL40
H04E
Terca-fera 13 de seembre raa i*
Cadeia n. 53 s 11 horas.
DE
Urna mobilia.de Jacaranda, urna dita de amareuo
(nova,"), duas duzias de cadeiras de ce reja, um
guarda roupa de raogno, grande, dous ditos de
amarello (de raiz) todos novos, urna commoda
de Jacaranda muito bonita, bercos de faia etc.
Por Intervenco do agente Euzebio se vendero
os objectos cima.

LEIO
DE
IMarrieas eom farrirfia de trigo.
IIOJE
O agente Pestaa vender por conta e risco de
tal.-Chegada experadT Caixa lacrada.Sor- qnem pertencer 40 hawieas com fennba de trigo
preza de Pars. Rozeira encamada. -Appaneao e,n, ***** mais lotes: terca-feira 43 do corrente
do aojo Grande veo l)elas '" "OTa tJa manhaa ua companhia Pernam-
TERCEIRA PARTE. Ibucana.
Esta parte ser preeuchida pelas admiraveis e
nbUmescombinaeJes, quo, apparentemenle, como
as vistas dissolntivas tem por denominaco:
OH IIIIIKK D0 .HKUAMCO-
PIO KGVPCIO
Patente quo seja aos espectadores o anjo das
vistas pitorescas ter iugar a apparicao das se-
guintes:
Urna aldea nos arrabaldes de Paris.0 moinho
d'agua nocastello de Lille em Plandres.O moder-
no edificio de encanamento das aguas em Londres.
Por coata de quem pertencer o agente Pestaa
vender calas cora uvas muito nova- JestinLar-
. cadas hontem do vapor francez hoje s 11 horas
o. 187 de 13 do maio de I8i51 c respectivas ios- -O palacio de Margarida de Borgonha. O pala- no armazem do Annes.
LEILO
DE
Caixas eom uvas.
HOJE
O diminuto preco de 55 porque se assig-
na o nosso Diario, deve ser pago dentro
de lo dias, do comego do trimestre, ou a
65 depois desta poca, devendo aquellesde
no-sos assignantes a quem nao agradaren)
estas condiees, avisar em tenipo para llies
ser suspensa a 'remessa, e assim poupa-
rem-nos conte>ta$5es continuadas sobre os
pagamentos, e identidade dos tiossos cobra-
dores, como muitcs allegam. A apresenta-
vir aos assignantes de documento compro-
batorio da identidade dos cobradores que
sao diversos, aitu de podaren conseguir
encontrar os nossos assignantes uas horas
vagaste sus occupacTies.
Instituto Arckeologico e Geo-
graphico Periiambucano.
llavera sesso ordinaria quinta-feira, 15
do corrente, s 11 horas da manh5a.
Secretariado Iastituto l de setembro
de 1864.
J. Soares d'Azevedo,
_____________Secretario perpetuo.
0 cirurgi&o Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ma das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharo como sempre
prompto a qnalquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fissao, chamado por escripia.
Deparando no Diarto de honlem com o anuun-
ci para ser vendido o engenho denominado d'A-
gua do Sr. bacharel Francisco Jlo Carneiro da
Cunha, o abaixo assignado declara que o dito en-
genho tamhem lhe est hypothecado, e obrigado
ao acabamente da capella do mesmo engenho, e
mais cumprimentos dos legados que foram deixa-
dos no testamento de Henrique Poppe Girao, se-
nhor que foi do dito engenho, os quaes nao estao
todos cumpridos, como demonstrei pelo Diario de
Pernnmbiicoic 18 de maio do corrente anno, e se
v no testamento de Giro, junto aos autos de in-
ventarlo e partilhas do mesmo engenho no carto-
rio do Sr. escrivo Baptisla, desta cidade; assim
pois os pretendentes examinem bem o negocio,
porque son um dos interessados para serem as
disposiges testamentarias cumprdas, por assim
pedir Giro sua sobrinha, minha esposa.
Marcelino Jos Lopes.______
l'EKIM
Perdeu-se nm indlsnensavel (sacco de brago) de
ecuro preto j usado, desde a ra Nova at o Ca-
chang, tendo-se dado urna volta desde a ra do
Aragao at o hospital militar ; continha 1 tengo de
tabyrintlw, 2 boloes de ponho de ceral, 1 volia de
coral com urna cruz, 1 lenco de linho de beira en-
carnada, e algum dinheiro em cobre : quem o
achou e o quizer entregar em casa do Dr. Sabino,
ra Nova n. 43, ser recompensado.
Na praca da Independencia, loja de ourives
n. 33, comprm-se obras de ouro, prata e podras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de eu-
commepda, e lodo e qualquer concert._______
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C
Alenlo- do Banco tnio do Porto.
Competentemente autorisados sacam por todo
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre Ranh o London.
Pars Frederic S. Ballin & C.
Hamburgo Joao Gabe Barcellona Francisco Rahoba A Ballisla.
Madrid Jaime Meric.
Cdiz Crdito commercial.
Sevilha Gonzalo Segoria.
Valencia M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Figueira.
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Rraga.
! Braganca.
Faro.
Oliveira d'Aze-
meis.
Penafiel.
Tavira.
Villa do Conde.
Villa Real
S. Antonio.
- llenriqueta da Silva Gusmao e seus filhos,
agradec.em cordealmento a todas as possoas que
se dignaram acompanbar aos reslosmortaes de seu
esposo e pa, para o cemitero, convidando de novo
a todos os.ses amigos e parentes paraassisUrem
a urna missa por sin alma, no dia 15 do correte,
pelas 6 horas da manhaa, no eemiterio publico.
Precisa-se de um forneiro que saiba Lui des-
empenhar o sen lugar : a tratar na ra larga do
Rosario o. 16, pactara. I
Alexandre da Costa Canto vende ou permuta
por predios na povoacao de Gameleira ou nesta ci-
dade, por escravos, a'sua propriedade denominada
Atalaia, sita junto da villa da Escada, margem do
rio Ipojuca, circundada pelo rio e a lioha de ferro,
e por isso livre de qqestoes de limites, nella existe
um cercado para manter 10 vaccas de leite, boas
baixas para capim, o terreno muito productivo
para plantar qualquer lavoura com um pomar de
larangeiras e diversas outras fracteiras, bastantes
bananeiras, em cujo terreno existe edificado um
sobrado a gosto moderno, com commodos para
urna familia, 10 moradas de casas terreas que es-
tao alagadas, e urna tal na muito afreguezada,
cuja propriedade paga foro a aldeia da Escada
124 por anne : quem pretender, procure o an-
nii iante rm sua propriedade, oo communique
ao Srs. Correia A Santos, na ra do Livramento
para ser procurado.
Angra Terceira.
Caminha.
Castello Branco.
Chaves.
Cambra.
Covilha.
El vas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa Nova do
Portiuio.
de Viaeu.
Guarda.
Guimares.
Lagoa.
Lagos.
tamego.
Leiria.
Moneao.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Via una do
tello.
Villa Real.
Mad.'ira.
S. Miguel.
Cas-
Faial.
No uirEKio.
Babia. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para. -
Qualquer somma prazo ou vista,pudendo logo
os saques prazo serem descontados no mesmo
Banco a razao de i por cento ao anno : a tratar
na ra da Cruz n. 1.
CHA11JH
Fabrica
DE

Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica
de alguma loja de fazendas, que qneira ir para a
provincia da Parahiba, villa de Bananeiras, dan-
do-so bom ordenado : na ma da Cadeia do Beci-
fe, na loja de Jos Joaquim Gomes tt C., que tem
com quem conversar.____________________
Precisa-se de um Poriuguez para feklor d
engenho : na praia do Caldeirciro n, is primeiro
andar.
Fogos de artificio daviuva
Kufino.
Nesta acreditadsima fabrica recebem-se en-
commen las de fogos de artificio para dentro ou
fra da provincia, garanlindo-s s pessoas quo se
dirigirem este estabelecimento acharera reunidos
os goslos perfoicao nos artigos abi fabricados,
As encommendas recebem-se no armazem da bola
amarella no oito da secretarla da polica.
Offerece-se um moco portuguea, o qual sibe
bem ler, escrever e contar, para caixeiro de taber-
na, p.iilarin, refinaco, deposito, ou mesmo para
armazem de carne secca, o qual j tem alloma
pratica de taberna : quem precisar, djrija-se a rna
de Santa Thereza n. W, que atl o .encontrara, ou
annuncie por este Diario para ser procurado.
Manoel Antonio de Carvalho e Silva acha-so
justo e contratado comprar a taberna do 8*.
Francisco Antonio Martins na ra da Impenlns
i. 84, pelo que roga a todas as pessoas que aJguroa
obleccao tenham a azer, o. bsequio do se apresen-
tar nestes oito dias rom suas rcclaraacoes. Becife
10 de setembro de 186i.




-


*
Diarto de PwnakiM verea Icin 13 deftz*tiubro *c ts4.

A molestia w infeocSo pecoe
lar cofrherida pelo nome de Es-
torofaUt mu dos malesim-o
"prevalecentae e universal que
lia envtoda a extensa lista -(lasj
nfermwkdes de que soft>&se
genero humano : disse bre escriptor da medicina que
mais de urna terca parle de
todos aqueles que morrem-aates
da velhiee-slo victimas, ou'wec-
ta ouindisMClamente 4a Etomfu-
la : por si nao ;to -des.
tuctiva, psrm a principal causa de lui-
rs outrae erifermidades que nao iue-sao ge-
ramente attribuidas.
E* urna causa directa da phykka pul-
monar, us molestias do figado, do estoma-
ge e affeccOes do-cerebro: Entre os 6608
numerosos symptomas acham-se os seguin-
tes: fctta de oppeiite ; o semblante fal-
lido e as cezes inohado, s vezes de ma
altura transparente e entra* corado < a-
marllem ao redor da bocea ; fraquem e
mollesa mos mugoulas: disgesto fr-am e
appetite irregular, falta de energa, entre
tachado e evacuacm irregular; quando o
mal lein -seu assento sobre os pulmoes, urna
cor azulada mostro-se em roda dos ollios;
quando ataca os igaos digestivos, os olbos
tornam-se avermelliados : o hlito ftia,
a lingm totrregada, dores de cabera, teiras etc.
as pessoas de disposicao escrofulosa ap-
parecem frequentemeate erupcoes na pelle
ASPBALT
OaspMItista Coelbe de Almeida pds ser pro-
curado 'iravessa do Carme n. 10,' luja, das 9 s
12 lwras4o dia, para os roisteres de-ana arte.
*a-se justo e contratada a taberna do p-
teo do'Faraizo o. 30, se alguem tiver algum em-
barac> a oppor a dita taberna hsja da apresen-
ta-le no prazo de 3 das a catar de lioie : na ra
das Ocies n. 42.
Aluga-se urna casa -com boes oemmodos e
trenca, em Sant'Aana de dentro : a tratar cm o
solicitador Manoel Luiz da Veiga, ra da Gloria
numero 94.
'Q Dr. Rocha Bastos mudou a sua residencia
para o caes Vinte e Dous.de Novembro n. 30, por
cima-o Bilhar dos Arcos. ___________________
ffaut-Cfalr
das Isas ou os desterrados a i I na da Barra, ro-
mance, digno de ser ludo pelas senhoras por seus
lances toteressanles posto* em oxecucio por urna
senhora, 3 voluntes em torochura aij : na livra-
rians. 6 e 8 dapraea da Independencia.
de oiii. .es de sapaleir pagando-se I1600
por cada um solado taxialo: na ra larga
doliosarlo n. 12, junto a-botica do Sr.
finio.
Precisa-se de urna ama para casa eetrangei-
ra, de pouea familia: na ra Nova, esquina da
cambo* do Carmo, segando andar n. 23.
Ama de leite.
Prek*-se de urna ama de leite : na ruado Im-
perador*. 50, segundo andar.
G autor de urna zombaria grosseira, estam-
pada no {Mario de 7 do correte, a proposito de
Ama de le>te
Preotsa-se d orna- na de leite jae-ssja moca e
sadia : na reta estrella do Rosario o.;82/|primero
andar.
Aeha-se fgido -Sesde o dia Tder4ereiro do
crreme aBo o esenavo de nome Faostmo de ida-
de de 40 annos, pooco mais ou menos, cor fula,
altura regular, t;rosso do corpo, fcem-espaduado,
barbado e ja com alfuns cabellos -broncos na bar-
ba, bracos e peruas grossas e bastante' cabelludas,
tein as pernas arqueadas, porm nao- omito, bas-
tante cabellos nos peitos, e costoma .quando quer
fallar mais apressado como que aguejar, porm
muito pouco, que'mal se percebe; costuma andar
em sambas, e as venes embriagase por gostar de
bebidas espirituosas; sujipoe-se que ele seguio
para o centro, e consta que elle est em Grvala:
perianto roga-ses autoridades policiaes que o fa-
cam apprehender-e conduzl-lo casa de seu se-
(OVSr.LHO
DE
RA 110 IMPERA-
\m\ N. 22
Grande annazem de tiritas.
Tem a venda :
1 Productos chirnicos mfldieinaes os
ais importantes em medtetaa.
. Productos chirnicos e utensis
para phetographia e outras industrias.
3. Tmlas as materias e uteasis
empreada na pintora a ehic e a col-
la para pintores, tintureiros, enver-
nisadores, douraderes e vidraceiros.
Joo Pedro das Jeves,
Gerente.
A Semana Ilustrada que se publica no Rio
^
Oew*i que os Hunos da civilisaco vos preguem
ecmiooiiapara os pstl E>ta parle do corpo
humano 6 por certo aquella que, ne;.te clima,
LOJA 1)0 BEUA FLOR.
Ra do Queimado ns. 63 % 69.
Cintos doorados.
Sao chegados os lindos cintos bordados a
nitor major Antonia da Silva Gusmao,, ra Int- de Janeiro iodos os domingos, asstgna-se em casa
penal, em Pernambuco, que satisfarr teda e qual-
quor despeza que por ventura faeam, e aos capi
lies de campe utferece urna boa grati6caeao.
Precisa-sftde nm menino para catxeiro que
tenna pratica de taberna : na ra do AJeerim nu-
mero 2.
Atteiiclo.
O abati assignado faz sciente a todos os ere-
dores do Sr. Dr. Francisco Joao Carnetre da Cu-
uha, que tem procuracao bastante di mesmo Sr. e
de sua senhora, D. Rermina Pupfe da SHvaCar
de /. Falque, roa do Crespo n 4 ; preco da assig-
natura, trimestre 6, semestre li, um anuo 185.
_N. B. Os asignantes da Semana Ilustrada te-
rao uo lim deste anuo um quadro com es retratos
de todo o gabinete do Imperador .e da cmara dos
deputados, oflerecido pelos proprietarios do jornal.
COMPBAS.
o e por certo aquella que, ne>te clima, ne- neto ^E^LTo^mi ?vthvC!^ '
ces.srta ae maiur a^asalho: pela humidade nos ps Ka,t>, ? iTSTm3*00* e*'flor
se ntroduz a grande ma.oria das molestias, e com d Uue,mad? 63 e 69.
estas a perda da saude e da vida 1! I Fra com as PK mellas para cintos,
botinas e sapatos velhos; reforma-Ios ujegaram tambem ricas flvellas douradas e de
ac para cintos a 1000 e 1*200 : no Beija-flor,
45~Rua Direita-45
Bopieguins francezes para hornero oJOOO
Ditos inglezes idem a 8& 7# e CJOOO
Ditos para senhora 15800
Ditos para menina 25000
Sapatoes esmaga cobra SfODO
Ditos de Nantes de duas solas .5*000
Ditos dito de sola e vira 4*000
Sapatos de borracha para senhoras 1*400
Ditos de dita para meninos 1*000
Ditos de tapete para homens e se-
nhoras a 800 e 1*000
Sapatos de lustre para senhora a 1*000
Ditos para casa 500
Chinelas rasas do Porto 1*600
da cabeca e utras partes do corno, saopre- f>usa muito seria, pode taivez llmgm mA tu
^^ feito.nr .os seus comparsas-, mas- deve tambem
disposlas s 'acodes dos pulmes, do figo-
do, dos rins & dos oreaos digestivos e ute-
rinos. Portanto, nao smente, aquelies
que padecem das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de pro-
teceo contra os seus estragos; todos a-
^uelles em cujo sangue existe o virus laten-
te d'este teirivel llagello (e s vezes 6 heri-
4tario) estao exposlos tambem a soffrer das
enermidades que elle esusa, que sao :
X phlhysica, idceraces do figado, do es-
tomago e dos rins : erapnles e en fertilida-
des eruptivas da culis ; rosa ou erysipela :
borbullas, pstulas nasudas, tumores, rh-
cumacaibunculos. ulceras e chagas, riten-
mutismo, dores nos ossos, as costas e na
cabeca, debilidades /^mininas, flores bran-
cas causada pela ulceraran interior, e en-
fe.rinidades uterinas, hydropesi, indiges-
tao, enfraquecimenlo e debilidad* geral.
Aos pulmes a escrfula produz tubrcu-
los e finalmente consnmpco pulmonar :
as glanulas ella produz indi.ices e tornam-
se ulceras: nos orgaos digestivos causa
desarranjos que protluzem indigesto, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz einpces e afecc3es cuta-
peas.
Todos estes males tendo a mesnia ori-
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa parrilha de Ayer
composta dos antdotos mais efficazes que
a sciencJa medica lem podido descobrir.
para esta m lestia assoladoi a e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
contera virtudes verdaderamente extraordi-
narias provado incontestavelmente pelas
curas nolaveis e bem conhecidas que tem
fetto de tumores, erupco-s cutneas, erysi-
pelas, barbullas, nascidas, chagas antigs,
ulceras, rheuma, saina, parchas, hgdropc-
sia, tosse quando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmoes. DehilMadc ge-
ral :Indigeslao, Syphilis constitucional c
molestias mercuriaes, molestias das mulhc-
res, nlceraces do tero, a nevralgia e con-
vuli.oes epilpticas e em summa, toda serie
de enfermidades que nascem da impureza
do sangue. Vede as cerlides no Alma-
nack e Manual de sade do Dr. Ayer que
se distribue gratuitamente nos lugares onde
se vendem os remedios.
Este remedio o fructo de tongas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes pravas
das suas \ irtu les: poslo que offerecido
ao publico sob o nome de Salsa parrilha,
composlo de diversas plantas, algumas das
qaaes sao superiores a melhor salsa parri-
lha no seu poder alterante.
PECTORAL HE CENEJA DE AYER.
Cuta promptamenle a asthma, bronebite,
tosse, delluxo, angina, coqueluche,
pbthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
molestias pulmo-
nares.
Allivia os etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
e dos |)ulmoes pdem ser curadas em pou-
co lempo pelo pectoral de cereja do dr.
AYER.
A' venda as principaes boticas e droga-
rias do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro ra ireita n. 15.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia franceza de
P. MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
convencer-se que as pessoas sensatas lhe fazem a
precisa justica, aquilatando seus eostumes pelo
mo acto que acaba de praticar, que ornele
merece dftipreso.
On'erece-se urna moca portugueza de'bobs
costumes para casa de poca familia ; quem.pre-
ci^ar, dirjja-se ra da Senzala Nova n. 178.
Perdeu-se hontem quinta-feira, 8 do corren-
te, urna pulseira de camapheu de coral, eomposta
deearinlias de dilferentes tamanhos, as 7 horas do
da, da ra das Larangeiras em seguimento do
("abug. Independencia, Cruzes, Ouvidor e ra do
tmiwrador : ajessoaque tiver achado, qu*reudo
restituir a seu dono, pode levar ra das Laran-
geiras n. 18, segundo andar, que se recompensar
NOVA
liquidadlo de fazendas de todas as qoa-
li'iades na lja eanuazem da Arara,
ra da imperatriz o. 56, ro Pereira Jtende (ioim^pes.
. daga-se bem: u leja de bilheles dapraea da Indej Attenca que se val principiar.
neiro da Cuaba, pm vender o sea engento d'A- pendencia n. 22. Vende->e pecas de panno de linho para lences,
gua, para pagamento dos mesmos seus^redores,.-------------pnmnra-BP PffPctlvimAntn------------- toalhas e fe =*> 1/2 varas por 8o00 ;
pudendo desdea dala desteannuncio ate realisar-se j ^omP' ** effec\ament I brin, ,iso por ^ ^ m vara K na rJ d '
dita venda, term.teda informacao do dito enge- Pfata em obras velhas papando-se bem : imperatriz loju da Arara n. 36, de Mendes Guima-
nho na ra do Appolto n. 39, primeiro andar a na rua larga do Rosario n. S't, lop de ounves
qualquer hora^ deolara mais o abaixo assignado! Compra-se couro de car neiro -
que a nypoibeca Mstente no engenho, nenhum do Rosario n. 10.
embaraco poe na dita venda, pois de aoeordo
rua do Queimado ns. 63 e 69.
Pentes de tartaruga-.
i2.dos-.2en,es de 'artaruga, gosto moderno, a
cf 'n W) fi WOOO : raa de Queimado ns.
OJ e 69.
Pentes .le travessa.
\endem-se peines de travessa de novogostopara
meninas a 600 e 800 rs. : s no Beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Pentes para atar cabellos.
Lindos pentes pequeos para atar cabellos, pro-
prios para se andar em casa a 400 e 500 rs. :
no Beija-flor, rua do Queimado us. 63 e 69.
Bolees de madreperofa.
Tendo receido um variado sorlimento dos de-
sejados boloes para abertura de roupo, vendem-
se a 400 rs. aabotuadura : no Bejaflor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Enfeites para senboras.
Lindos enfeites modernas a 2*000 e 2*400,
ditos de rede a 900 rs. : no Beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Talberes para meninos.
Chegaram novos sortimentos de talheres para
meninos a 280 e 320 rs., ditos cabo de balanco de
um botao a 400 : as lojas do Beija-flor, ns. 65
e 69.
na rua larga
raes.
A Arara vende sontembarque a I OS e 12$.
como possuidor dainesma hy'potheca. NoTpre-i Compra-se cobre velho : naruadoBrum no- ** A-iS*:-.d,u,s ,,re,os, de SJrosdenaplc lino
c f..n-----.------1, j. .,.'....- "rI mero 78. a z0#, zz5 e 2o ; capas pretas ricamente enfeita-
ciso fallar-se a respeito da bondade do engenho, I
dos me Inores
pretender dito
lia para bordar.
Vende-se laa de superior qualidade e de lindas
l de laazinhas enfeiTados S^ffSS^ : n Beija-flur' rua do Quei"
Papel de diversas qnalidadrs.
Vende-se papel
" I t%\7^^*f^?^tl BeSooT^^^
9 de setembro de 1864. I ------r^^.^ .--------------------------i-----t------- rara. __
Antonio da Rocha Accioly Lins.
Comprase um e.>eravo, que seja sadio e en
. tenda do oficio de earpina : a tratar com Antonio
AMA
Por traz da matriz de Santo Antonio n. 28, se-
gundo andar, preeisa-se de urna ama que cozinhe
e engomme.
I nio e Virtude.
Sessao boje as i horas da tarde.
O abaixo assignado tendo arrematado Do-! de -Moura Rolim, a rua do Queimado n. 31.
mingos Vaz da Costa Agr o engenho Thom e di-
versos escravos, e tendo' passadd letras correspon- L r^oT^Sde^EoS^Sl
dDundaarreem mi'de^1tSiA ^ "a a tTti'a"5 *SSX
gssLa^dndiA'saBs r2otuerSsadaa;raiar Datravessa iuSZ
letras, visto como o ajuste foi dependente de con-1 'enuro S2*L__________________________
dicoes, e nao tendo sido preenchido, nao corre' Compra-se urna taberna que seja em boa rua
obrigacao da parle do abaixo assignado, nao obs- ou eMra-se tante etistirem em poder de Agr letras na impor- *aoaae*e Pr este Diario.______________________
Unca de todo arrendamento. Compra-se para uaia encommenda urna mu-
Goncalo Gomes de Souza. latinha que sirva para mneamba, e um preto de
meia idade : a tratar na rua Augusta n. 24.
Corapram-se garrafas vasias : na rua do Im-
perador n. 40,
2-5OO.
Envelopes para tartas.
Antonio Joaquim de Mello advoga no civel e
crime, e perante os jurados ; e gratuitamente aos
pobres: na ruado Imperador n. 14, das 8 horas
da manhaa s 2 da tarde.
Precisa-se de um raixeiro que tenha pratica
de taberna : na rua Direila u. 23.
AVISO
ao respeltavel publieo.
Carlos Walter, relojoeiro na rua da Imperatriz
n. 18, avisa aos seus fregoezes e ao respeilavel
publico, que se acha enearregado para vender um
bello sorlimento de relogios patente inglez c chro-
nometro, tanto de ouro como de prata, do afamado
fabricante James Horuby, por precos mu ito com
modos, e debaixo de sua garanta.
AMA M LEITE
Precisa-se de urna ama de leite que seja livre ou
captiva, porem moca e sadia, agradando nao se
duvida pagar bem : a tratar na rua da Cruz do
Recife n. 33. ________
O abaixo assignado faz sciente s pessoas ~ Corr,Pi"a-se urna escrava que saiba engom-
ase pretenderen! pa.-sar a festa na cidade de lin- mar e cotinbar : ua rua do Crespo n. 18, segundo
da, que acaba de construir urna casa terrea na rua andar- ___________________________________
Compra-se urna casa al 500,8000 qUB seja
nesta cidade ou mesmo nos Afogados; a tratar na
rua das Larangeiras n. 7.
Compra-se urna balanca de Remito que saja
grande, com pesos ou sem elles : quem a tiver,
dirija-se rua do Hospicio n. 41, ou do Crespo,
loja n. 7 A
E
as notas da caixa filial.
ORDEN DO DIA.
O Baliza tildara que nao vota na chapados
panidarios que pregam a fallencia da caixa tilial.
O terror espa'hado nesta cidade passon de largo
pelo quartel do Baliza I
V'enhain todos trocar por gneros as notas da
caixa filial, que de preferencia a outro qualquer
dinheiro seraoaceitas na ruado Livramento nu-
mero 38.
SOCIEI>AI)K
NIAO BENEFICENTE
MARTIMA
Por ordena do Sr. presidente sao convidados to-
dos os Srs. socios para a reumao d'assembla ge-
ral do dia 18 do corrente s 10 horas do dia, no
salao de suas sessoes, alim de se proceder a elei-
(ao da nova directora.
O mesmo presdeme previne aos Srs. socios que
tem resol vido, dndose o caso de nao se reunir o
numero marcado no arl. 31 dos estatutos para po-
der funrcionar, tratar de dissolver a sociedade com
o DDirero de socios que se apruseolar quites nessa
occasiao, art. 64 dos estatutos.
O mesino presidente consejo de que tem sido
por demais condescendente com os Srs. socios re-
beldes, |pm o pezar de annunciar que ser esta a
ultima vez que os chama para a reuniao d'assem-
bla geral, pois tem resolvido mprelerivelmente
! dissolver a mesma no da cima iudicado, se o<
Srs. socios anda assim nao seapresentarem quites,
ein numero bastante para a eleieo.
Secretaria da Sociedade Uniao Bencficente Ma-
rtima, 7 de setembro de 1864.
Balthazar Jos dos Res.
Io secretario.
do Xavier de Sania Rosa, na quina da mesma rua,
com visla muito excellenle para todos os lados,
com bastantes commodos para familia, com recreio
ao lado e terrajo no fundo, muito boa posicao ou
local, construida a moderna e bom gosto, "muito l.llippa-se
perto do banho salgado, bom caminho e sem ladei- jornaes para embrulho a 140 rs. a libra :
ra : quem pretender, dirija-se ao largo de S. Pe- brica de cigarras, antiga rua dos Quarteis,
dro Apostlo, taberna que faz quina para o Carmo
______________Antonio Silvelra Lins.
Otferece-se urna ama para cozinhar e engom'
mar : na abobada da Penha n. 5o.
Na rua de S. Jos n. 24 ha una ama para
casa de poura familia, a qual sabe fazer todo o
preciso, e muito zelosa.
Ofloreco-se urna ama para comprar o coci-i
nhar para casa de homem solteiro : a tratar-a
rua do Nogueira n. 43. i
na fa-
n. 21.
Cortes de chita a _v... r- r-
Vende-se corles de chitas com 10 covados a ^ende-se envelopes de cores a 600 rs. a caixa,
itos de cambraia 5ll0 bancos a 640 e 800 rs. : no Beija-flor, rua
do Queimado ns. 63 e 69.
Penlg delirados para atar.
Vende-se pentes dourados para atar cabellos a
15000, '5200, 25800 e 35000 : no Beija-flor, rua
do Queimado ns. 63 e 69.
Pentes para marrafas.
Vende-se lindos pentinhos dourados com pedra
para marrafa a 15200 : no Beija-flor, rua do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Sapalos de tranca.
Vende-se sapatos de tranga muito bons a 15500,
ditos de tapete a 15600 : no Beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Balaios com sabo.
Lindos balaios com 6 sabonetes de varas frnc-
tas a 25500 cada um : no Beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Mas mesmas lojas se encontrar lindo sorti-
mento de perfumaras e variado sorlimento de
miudezas que se tornara enfadonbe mencibna-las,
porm afianca-se ser tudo bom e mais barato que
em oulra qualquer parle.
25400, ditas franceza a 35200 ; ditos
de salpicos a 25500 a peca, dita fina a 35500, if
e 55: na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara, de
Mendes Guima-riies.
Roupa frita barata.
Vende-se palitots preto de panno a 165, 145
125, 10 e 85, ditos de alpaka a 35 e 45, ditos de
brim brancoa 25500, 35, 35500; caigas de brim a
,5 e 25500, di las brancas a 35 e 35500 ; palitots
de casemira de cores linos a 105, 85 65, e 55 ;
seroulas a 25 ; camisas brancas a 25, 25500 e 35:
na na da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Colariubos econmicos a 610 a du/.ia.
Vende-se colariuhos eronomicos muito bem fei-
los a 640 a duzia : na rua da Imperatriz n. 56, lo-
ja da Arara.
Vende-se bramante de puro linho a 25500 e
25800 a vara, tendo 10 a 12 palmos de largura ;
i brim bramo para caiga a 15200, 15400 e 15C00 a
1 vara, dito pardo a 640, 800 rs., 1-3 e 15200 : na
rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Vcndem-se baloes americanos os melhores que
tem vindo, de todos os tamanhos a 25240, 5500,
A aguja branca da rua do Queimado n. 8 rece-
GOHPHA-SG
I um piano de armario que estoja em bom estado :
a tratar na rua de Santa There a n. 18.
VENDAS.
Quem precisar de urna
zinhar perfeilamcnte, para
de ponas para dentro, pode
Cruz n. 63, segundo andar.
VE1DGM-SE
na nesgas nmaMM.' ^~..- < i---------/<----- ^-, ;'"->! ''"o, nn a 113 e iza: aignu o re
ca/a de pouca familia f.8.^0'111" 0l'as Oarmer, Economa po- j dito fino carne de vacca a 65601), dito i
de diri ir se rua d u',oa V0l. por2000; Mackeldey, Uirei-I "5. dito slcupira a 85, dito pao ferro a
% c un* ar, ^..n, -ADEUEn0S DE MOSAICO
As laziuhas da Arara a 2i0 rs. o covado. .
9-K^!5aZtf Pafa VeS,1,0S d? ,Senhra-,a be ton tos aderecS de m
240,320, 400 e j00 rs, o covado, ditas muito
finas lisas 600 rs. o covado, dilas especiaes a 720
I e 800 rs. o covado : na rua da Imperatriz n. 56,
j loja da Arara.
Chitas baratas a 210 rs.
Vendem-se chitas de cores lisas a 240 e 280 rs.,
, o covado, ditas francezas finas a 320, 300, 400 e
j 500 rs., o covado, ditas percalas a 560 e 600 rs. o
! covado : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
II Arara vende madapolo baralo a COO, cortse
de vestidos a Hara Ha a I \ I -> < !>>.
Vcnde-se pecas de madapolo de 24 ardas, de
, marcas finas n. 7 a 75, n. 2 a 85100. -i- a 85500, -H-
|9& S a!05, 1IH a 115 e 125:lgidao regular a 5-3,
domestico a
Precisa-se de um homem para trabalhar em
um sitio c plantar : na rua Nova, armazem de lou-
ca n. 49, se dii quem quer.
. a peca
I)u Caurroil Itein "u Jardas: na lua Ja Imperatriz, loja n. 56.
Chales barates a 1-1:110.
Vndese chales de laazinba a 15600 e 25, ditos
de merino a 35, 45500, 65 e 75 : na rua da Im-
peratriz n. 56.
Corles de raigas a 1,-5000.
Vende-se cortes de calca para homem a 15600,
15800 e 25500 boa fazenda ; coi tes de casemira de
philos,phicas 1-vol. por U 8*^.1^1^
ty, CrearaO de bancos de deposito, i vol.! loja da Arara, na rua da Imperatriz u. 56.
to romano, 1 vol por 4
Coramentario do cdigo civil francez, 2 vol.
por 81000; Hacine, obras completas, 1
vol. por 8O00)S; G. Mass, Diccionario do
contencioso comraercial, 1 vol. por 0$;
OflVrece-se urna ama para engommado ou
Sfffflg eraSdNZnnlLl' ^ ^ ChabJ>( **". ^mmentario sobre n
-Antonio J> Candido de Suza, sua senhora C^' l l ** 1 A. Amaud, obras
e um filho menor reliram-se para Portugal tralar
de sua saude.
Precisa-sealugar urna escrava, paga-se bem:
na rua do Hospicio n. 62.
e fino dourado, e
os esta vendemio por prego razoavel.
Fitas
para a irmaodade do Bom Cunselho, e cartas de
hachareis. Vende-se na loja da aguia branca, rua
do Queimado n. 8
Leques de sndalo, madrepero-
la,osso, etc.
A aguia branca recebeu um bello sorlimento de
leques de sndalo, madreperola e osso, sendo elles
de diversos moldes e variadas cores, inclusive a
preta : agora, pois, quem comparecer com dinheiro
pode bem est olher um bonito leque, na rua do
Queimado l*ja da aguia branca n. 8.
Caixiahas para costara e outras
'flu perfumarlas
A loja da aguia branca, onde conslantemente se
vendem essas bonitas caixinhas com arranjos para
costura, acba-sc mu bem provida por ter agora
receido um bello $01 timento de ditas caixinhas ,
assim como outras com finas perfumaras, por isso
quem quizer fazer um bom presente, tendo dinhei-
ro dirha-se rua do Queimado loja da aguia bran-
ca n. 8 que ser bem servido.
Boa tlista para marcar roupa.
Vende-se na rua do Qiuimado loja da
branca n. 8.
aguia
Joao Caeano Gomes, Purluguez, vai
provincia do Cear.
para a
por 2$; Lotus Dlatc, organisacao dotraba-
Ibo, 1 vol. por 2;$; na rua do Cabug loja
n. 2 A._________________
Livro de oracoes.
A redes. Vende-se 160 res, na livraria ns. 6 e 81
No armazem da roa da Cruz n. 33, se dir da praca da Independencia, um livrinlio con-!
quem compra arges da companhia de seguros tendo 0 se"llillte
Utilidade Publica.
Casimiras para capa de senhora a 2$ e .''-.
Vende-so casemira entestada propria para capas
para senhora a 25 e 35 o covado, tambem serve
para costantes por ser de boa qualidade e lindas co-
res, vende-se a 25 e 35 o covado: na loja e arma-
zem da Arara, na rua da Imperatriz n. 56.
A Arara vende as percalas a .iGO rs.
Vende-se percalas finas para vestidos a 560
Irancezas finas a 360, 440, 500
Precisa-se de urna criada que saiba
enpommar : na rua da Florentina nume-
ro 20.
. louvor ao santo nome de: ^ rs- l-lli,,as
Deus, cora dos actos de amor de Deus, ora- f ? C0V:,(JI : na ,ua,(,a '"'i'- ',tl,i'- D-6.
ces e pelicoes, bymno ao Espirito Santo, co-!A fc'^ *tapas dirt2StoIa ^ c 30;>'
Za. j t?,.u_ ..- ', ', i vende-se ricas capas de grosdenaple preto para
roa do Seobor, aviso a qualquer alma de-1 senhoras a 255 e 305; soutembarques plos linos a
vota, desengaos da
Furlo.
Na madrugada do dia 11 do corrente
luga-se o segundo e tereeiro andares da ca-
sa da rua da Cruz n. 7, com muitos commodos pa-
ra familia : a tratar na mesma.
A viuva de Jacintho Silvestre Vicente mudou
a su residencia para o sobrado n. 1 sito no becco
do Abreu, qfie faz quina para o becco das Almas,
e ah contina com o mesmo estabelerimento de
seu tinado marido, dando jamares para fra, e nos
domingus e dia* santos haver mo de vacca, tan-
to para encommendas como em sua casa, tudo por
prego commodo e aceio: na mesma casa se preci-
sa de urna ama para o servigo de casa e rua.
Preaisa-se de um menino para caueiro de
taberna na cidade da Victoria, prefere-se portu-
gnez : a tralar na rua Direita, padaria n. 84.
Louise Carretn retira-se desta provincia
para a da Parahiha, levando em sua companhia
seu sobrnho menor Georges Boureau,
Anda est para alugar-se a boa casa
IjgJlB terrea n. 39 : a rua da Cnio.
Maques' sobre Portugal.
O abaixo assignado, autorizado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pragas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer summa vis-
ta, e a praso ; podendo, os que temarem
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 OjO ao anno: na
loja de chapos da rua do Crespo n. 6, ou
na rua do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
Precsase de urna ama para comprar e co-
zinhar para casa de rapaz solteiro : na rua de
Queimado n. 7.
Ama tie hite
Na rua Direila n. 89 precisase de urna ama de
leite, nao se duvida pagar bom ordenado, sendo
moga e sadia, preferindo-se branca ou parda.
Club Pernambucauo.
A reuniao familiar do corrate m
te ni ilutar na noi'e do dia \\.
%Wta<*
Precisa-se de urna ama para todo o servico de
urna casa de pequea familia : na rua da Soleda-
de n. 3^______________________
Precisa-se de um criado d- 10 16 annos :
na rua do Corredor do Bispo n. 24.
f Aluia-se urna escrava boa coziuheira e en-
gomma-ieira : a tratar na rua da Imperatriz, ar-
inazem de louca.
Aloga-se a casa n. 40 da
ras; oa rua da Aurora 0. 36.
rua das Trincher
Aluga-se a sala e quarios da parte de detraz
do primeiro andar da rasa n. 65 da rua do Impera-
dor com visla para o passeio, propria para escrip-
tono, e morada de pessoa solteira : a tratar na
mesma.
Precisa-se fallar ao Sr. Antonio Jos
Teixeira de Mendonca Belem: nesta typo-
graphia, ou na livraria ns. 6 e 8 da praca da
Independencia.
vida humana, bymno j 205. 225 e 255 ; na loja da Arara
de Santo Ambrozio Nossa Senliora, jacula- i arlalana de cores e brama a 800 rs. a >ara.
lorias ao Santissimo Sacramento, exercicio da 1 Vende-se tarlatana branca e de cores linas a 800
,via-sacra, commemoraco Nossa Senhora r: /!varra'tfii,de l,nll a m'J- *vara : ^ rua
An nnmn ce o ,. .: da Imperatriz loja e armazem da Arara, n. ob.
. furtaram do Larmo e ao SS. Sacramento, directorio o propnelario da loja e armazem da Arara re-
da ruada (incordia n. b2, um cavallo rodade pe- para a oracao mental, dividido pelos dias da co 1 menda toda a attencao aos Srs. freguezes que
^^^t^^Snt^^i semana' obse(uio ao coracr, d JtSUS> sau-: mandem ^ "**. h '?das a\faze"das 1"e
barSaeouta TqueSda" e eMe 1 c,J" inulto *tfhi devotas -'" ^ I annunca, promet.endo vende-las porb;
grande e muito esqulpador, bem feito, inteiro, tem ces Nossa
grande o os denles quebra- guarda, Deusem obsequio qualquer'san-
to e para a noute, e responso pelas almas
e os aenies
dos: roga-ses autoridades policiaes ou quem o
aprehender que traga dita casa que ser bem
recompensado.
Os Srs. Antonio Fernandos de Paiva,
Antonio Figuciredo de Paiva e Joo Pe-
reira Goncalves, tenham a bondade de vi-
rem i rua da Cruz n. 4, primeiro- andar,
com toda a brevidade para tratarem de ne-
gocios de seu interesse.
Precisase de urna preta para ""servigo de
casa de pouea familia; na rua do Padre Floriano
n. 7, sobrado.
Aluga-se ou vende-se urna canoa para trafico
de capim por commodo prego ; a mtender-se com
Mano I Barbosa no eslalero da rua Nova.
k i< erno-js <1p Chrioin' m-. anuncia, prometiendo vende-las por barato prego. se bonitos ; assim come
18 88 Cagas e t-bristO, 01 a-. p^w^C ,, ,,,.., A. u. 'Sn rs f v pode ser de melhor, o ma
Senhora, S Jos, ao anio da I cc? f S se 80U rLZ l*' e outros nos precos eonfo
is en. nhsPmn ,lnJ,1 ..75ff ?W d?.seda Pecluenos "? d" ratos em todo'o caso.
Bous, bonitos e baratos.
A aguia branca lem a satisfagan de communica
a sua boa freguezia que ha chegado mais urna oc-
casiao de provar a sua loovavel barateza, vista
da boa qualidade do objecto, por isso convido a
lodos que livercm dinheiro para se dirigirem
rua do Queimado n. 8, loja da aguia branca, afim
e de comprarem os objeclos seguiutes :
o Bonitos collarinhos bordados, e punhos com
boloes, tudo por 15500.
Outros lisos, mas de linli! e tamln-m com boloo*
por 15000.
Manguitos com gollnhas bordados por 25-
Ditos sollos por 15-
Gollnhas de cambraia bordadas, obra milito
boa, por 500 rs.
Ditas de traspasso, tambem bordadas, igual-
mente finas a 15.
Lindas camisinhas com pelo bordado, gollnhas,
manguitos e grvalas, ludo por 55.
Cm grande sorlimento de ntremelos moi lar-
bonitos ; assim como tiras bordadas, o que
ais perfeilo, variando uns
rme a largura, mas lia-
do purgatorio.
Sorvete dt; reme hoje ao meio uia: na rua
do Trapiche n 18.
Precisa-se de urna mulber eslrangeira de
bom coinportainenlo para se oct-upar em servigo
interno de urna casa do pouea familia; a tratar em
casa da vinva Carvalho, em S. Jos do Manguinho.
DENTISTA DE PARS
49Raa Nova-19
Fredenco G.utier, cirurgiao dentista,
faz todas as opuraces de sua arle, e col-
loca dentes artificiaf.s, tudo com superio-
ridade e perfeiglo, que as pessoas Aten-
didas lhe reconfeeeem.
Tem agua {>* dentificio.
"i

Pego emprestadas ou compro as carias de
Plia Dama, por Fr. Joaquim do Aor Divino
<.aera, e o Astro da Lusitana*, jiariedico do Lis-
boa.Antonio Joaquim de Mello.
O abaixo assignado taz sciriue ao publico e
especia I me ule as pessoas com quem nutre tra -
saegoes, que o Sr. Antonio Lepes de Carvalho foi
despedido nesta data de caixeiro de sua casa cora-
mercial.
Recife, 10 detembro de 186*. .
Jos Augusto de Araujo. '
Aluga-se um segundo andar na rua" da Pe-
nha, e a casa terrea na rua da matriz da Boa-Vis-
ta n. 36 : a tratar na mesma, das 9 horas do dia
s 6 da tarde. ^__^^_
O abaixo assignado faz sciente ao publico
3ue consenhor da propriedade denominada Prai
e Simo Pinto, c como constou ao mesmo abaixo
assignado que a Cxma. Sra. Baroneza de Ipojuca I
tenciona vender a dita propriedade, faz o presente
annuncio para que em tempo algum haja a menor l1''"1" sorlimento de cera
ignorancia, e como tambpm at o presente nao se vender
tem recebido arrendamento algum.
Manoel Jos Nones de Mello.
PEcmurrHA I
O dono do antigo estabelecimento do a
Passeio Publico n. 11, avisa ao publico 83
que recebeu um grande sortimento de I
chitas francezas e inglezas, e est resol- *
vido a vender por barato prego afim de i
adquirir freguezia e apurar dinheiro. SR
No Passeio Publico d. 11.
Vende-se chitas estreitas a 200 rs. o i
covado, dita a 260, dita larca a 280, dita a
a 320, dita a 360,-dita a 400, dita a VIO. I
S no Passeio Publico n, A i,
Vende-se chales de merino bordado a aS
65500, dito estampado a 75, dito liso a OB
i55oo. SR
No Passeio Publico n. II.
Vende-se brim brance pardo de listra I
pelo barato prego de 7i0 rs, a vara, ma- 55
dapolo fino a 95 com 20 varas, dito a W
75800, dito a 658IM), casemira preta a Og
15800 o covado, panuo fino a 35500, dito a
superior a 65500. JSS
S no Passeio Publico n. II %b\
Vende-se gravatas de seda a 200 rs., OB
ricos cortes de vestido de cambraia a 45, 2
lencos bordados capricho a 200 rs. as- fif
sim como oulras fazendas que s vista, W
lambem se do as amostras deixand 2
penhor.
No?as e lindas gaavalas brancas de fil, com
bonitos e difflreis bordados (mu proprios para os
vesiidos a liara Pia) obra inteiramente nova aqu,
e de ultimo gusto, a 25 cada orna.
Bonitos vestuarios broncos com lindos c delica-
dos bordadas para baptisados.
los grandes a 15 ditos broncos com barra do co
res a 200 rs. cada um ; meias cruas para homem a
25400. 35, 45 e 55 a duzia ; dilas para senhora a
i5 e 55 a duzia : na rua da Imperatriz n. 56.
Cassas francezas a 280 e 320 rs. o covado.
Vende-se cassas francezas finas para vestidos a
2morMrtLr^,'lTra,ri!n-56',Diversas obras de porcelana
Vende-se colchas de damasco para cama a 45.; (Imivul't
j ditas de fuslo a 55. dilas 'le chita a 25; ricas chi- uviu UUil.
i las para cuberas a 320, 360 e i'-0 rs., ditas aseti- A Aguia Branca acaba de receber um bello sor-
I nadas muito finas a 500 rs. o covado, ditas encar- tmenlo de amostras de diversas e bonitas obras
nadas a 500 rs. o covado : na rua da Imperatriz e porcelana dourada, algumas das quaes por sua
n. 56, lo]a da Arara.
Cera Juanea.
No armazem da rua da Ciuz n. 33 ha um eom-
braoca em vetlas para
Vcude-se superior vtutu de caj a 500 rs. a
garrafa; na rua Augusta n. 114, defronte do vivei-
Na rua da Cruz n. 59 precisa-se de urna ama ro do Muniz. ________
para o servigo interno e externo de urna casa.
Precisa-se de urna ama qne saiba cozinhar :
na rna de Apollo n. 19, segundo andar.
Na rua de Santo Amaro n. 18 recebe-se rou-
Venda de predios
em particular ou cm leilo.
Vendem-se duas propnedades de casas conti-
guas, de dous andares e sotao, com grandes arma-
zens oceupados actualmente peloSr. Feliciano Jos
Gomes, para o trafico de ssucar, sitos na rua de
Apollo ns. 34 c 36, edificados pelo actual proprie-
tario, com ptimos alicerces, superiores madeiras,
e acabados em 1861, tendo ambos 52 palmos li-
vres de paredes, do largura, e os altos do de n.
i 34, e o primeiro andar do de n. 36 215 palmos de
comprimento, o segundo andar do de n. 36 tem s-
mente 120 palmos de comprimento, com um ter-
rago, e os armazens tem 340 palmos de compri-
mento cada um. tendo ambos lambem frente paro
a rua do caes de Apollo, e o de n. 36 tambem para
' a travessa do antigo porto das canoas: os preten-
dentes estes valiosos predios queiram dirigir-se
ao seu proprietario Antonio Botelho Pinto de Mes-
quila na rua da Cadeia do Recit n. 64, segundo
andar, ou ao agente Oliveira na mesma rua n. 62
Goinma de mandioca.
Vende se na rua da Madre de Dos n. 38, ar-
nazem. ______________'_____________________
Vende-se um preto bom canoeiro : na rua
do Brum n. 35.
~ Vende-se urna arm.igo e os seus portences
de taberna, sita na travessa do Pombal, casan 20:
quem a pretender, dirija-se mesma.
novidade e bom gosto servem para o leilo no an-
iversario do Hospital Porluguez, e outras para
enfeites de mesa, etc. ; j se v pois quem tiver
dinheiro e-t habilitado a comprar qualquer des-
tas obras : na rua do Queimado, loja d'Aguia
Branca n. 8.
pa para lavar e engommar, por prego commodo : rior fazenda, a 75800. A elles antes que se a
quem precisar, dirija-se mesma casa, que acha-; bem; na loja de *uairo partas da rua do Quema-
r com quem tratar. Ido n. 10,
et'lllllr ha Vem!e-se a taberna atroz da matriz de San-
Vendem-se pegas do superior aigodao com um t Anton'', n- 18> com PO'"50* fundos, ou faz-se so-
pequeo toque de arara, com 20 jardas cada peca cied;,lle r0,n 1ue,n Queira entrar com alguma
a 55000, dito enm ft jarda, muito largo, supe- qn""-
Vende so qui'ijos do ultimo vapor 25 cada
um, e urna quantidade de travs de loaro ; oa rua
Di re ns. 99 e 100.
Vende-se um sitio no principio da
estrada de Joo de Barros, canto que
volta para o Pombal, em rajo fundo
lem de passar a nova rua, aberla pa-
1 al 'lia do Principe, tendo deste
modo tres faces proprias para edifleagocs, tein boa
casa de vivenda com qualro quartos, duas salas c
espagosa coznha, cacimba com boa agua de beber,
e ahrtms arvoredos. A largura do sitio de 238
palmos e fundo de 408 palmos; a largura da casa
de 31 palmos e meio e fundo 72 : a tratar rua
do Crespo n. 20 B, com Alvaro Augusto de Almei-
da, ou rua do Sebo n. 43, de manhaa at s 9
horas e tarde das 4 em dianle.
Gomina.
Muito superior em barricas, vende Francisco
Gomes de Mattos Jnior, na rua larga do Rosario
n. 24.
I
Potassa da Rnssia.
da mais superior daeinbareada hontem : vnde-
se no escriptoro de Manoel Ignacio de Oliveira t!t
Filho, largo do Corpo Santo n. 19.
Vende-se o sitio da travessa do Remedio
freguezia dos Afogados o. 2: quem o preb-nder
entenda-se com o seu proprietario Caelano Pinto
de Veras na roa de S. Francisco sobrado n. 10,
como quem vai para a rua Bella.
Cal de EJsbtM. ""-**
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris
no armazem de Manoel Teixeira Bastos, rua do
Trapioha n. 13, por prego razoavel.



j


otario le Perntuubuco Terca feira 13 de *eieiubro de 1844.
&
.
CL1
COMME
Rli IIO QUJBIHADO W. 45.
Passand o beceo da Congregarlo segunda casa.
NOV1DADE
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. io tim armazem de molhados- denominado Clarim Coromer-
ciali quaes sero vendidos por precos muilo resumidos como o r-ospeitavel publico ver pela tabella abaixo mencioneda; garante-se obom
peso e boa quaiidade dos gneros comprados neste armazen.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e Wras seccas muito novas a 600 rs. a libra. Cevadinba de Franca muito superior a 220
Patojo a 200 rs. a libra. rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de a*eile e Ervilbas portuguesas a 640 rs. a lata.
muito novo a 6iO rs. dem seccas muilo novas a 200 rs. a Vibra.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2->800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
100 rs. a libra e 3800, 20600 e 3*000
a arroba.
Ameixas francozjs em latas e em frascos a
15200 e13600, e era frascos grandes a
2*500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
cora ricas estambas no interior das cacas
a 10200,10400, 1*600e 2.
Ameodoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Arpista a 160 rs. a libra e a i$G00 a arroba.
Joote doce francez mnito Sno em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem/de Lisboa a640 rs. a garrafa,
Araruta verdadeira de malacaua a 320 rs. a
libra.
AvelfSas muito grandes c novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos ingleses de diversas marees a
1530" rs.
'Bolachinhas de soda, tatas grandes, a 2# rs.
a Uta.
'dem inglezas muito novas a 30000 s'iani-
quinha e a 200 rs. a libra.
'Banlia de porco refinada a 440 rs. a iibra e
em barril a 400 rs.
Cha hysson, hachin e perola a 10600. 20,
25300, 2|800 e 3S000 a libra,
dem prelo muito superior a 2-5000 a libra.
Cerveja prcta e branca, das melhores marcas
que veai ao mercado, a OO rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac itielez fino a 9ft'"> rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, 9o do pepino, a 72't rs.
dem, so de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
c especidmente da fabrica imperial (te
Candido Ferreira Jorge da Costa a 15800,
200 m, 23200, 205OU, 20S1IJ, 30009 e
3(5500 a cana.
Caf do -Rio muito superior 280 e 320
rs. a libra e 80$QO a 80800 rs. a arroba.
Cartes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito enfilados a 7O0e 600 rs.
Cbourigas e paios muito novas a 800 rs *
libra,
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor a
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinbas de Mants a 300 rs.
Sag muilo ivo e novo a 260 rs. a libra.
Tuucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
lijlos de mpar facas a 140 rs.
Vallas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem steerinas muito superiores a 6C'0 rs. a
libra.
Figos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 1*6*30.
Vinlto do Porto engarrafado o melhcr que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejwi: Veltio de 181, Duque do Porto,
Mk-ira, D Pedro, D. Luiz I. Maa Pa,
B(iue Chamtsso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e co caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 560 rs. a garrafa e30, 30500
e ?5 a caada
dem branco de Lisboa muito feo a 500 re.
a garrafa.
Idea de BordeauK, Medoc e S. Julien a-700
e 800 rs. a garrrfa, e 70000 a 7050o rs.
a duzia.
denMorgatixeClialeulumini do 1854, a 10
a jarrara.
dem muscateJ a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rj", a
l200rs. a caada.
garrafa
de oilo librase canastrinhasde 1 arroba a
50800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra,
dem de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
dem em garrafoes de 3 e 5 gales a 50500
e 70500 cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 1 MOo a dzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garris.
dem, quaiidade especial em garrafas muito
gFatides, a 1*800 a -garrafa,
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pera e romas de
\idro, a |O0O,-a a garrafa vale o di-
nheiro.
Hanteiga iugieza perfeitamente ilr, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda quaiidade a 800 ts.
dem francez muito nova a 64 rs. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tmales em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a'640 rs.
Mar melada imperial dos melhores conser\ei-
ros de Lisboa a 60o rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Macas linas-para sopa: estreilinha, pevide,
redhiba a aletria a 600 rs. a libra' e a 40
a Gaixinba com 12 libras.
Nezes muito novas a 160'rs. a libra.
e Pene em -tetas pregado.pea prirnehy arte
decoziuha a l-> a lata.
Patrios de dentes a 160 rs.-o maco.
Grande liquidadlo.
Rna da Imperatriz n. o.
Loja de fazendas do Pavo de tiaua & Siha.
Acha-se este eslabeleciraento com|ilctamente
sonido de fazendas inglezas, (ranceza?, allemaas e
suissas, proprias tanto para a praea como |>ara o
mallo, prometiendo vender-se mais'barato do <|tic
em oulra qualquer parte principalmente sendo em
porco, e de todas as fazendas do-se as amostras,
deiando flear penhor, ou maudam-se levar em
casa pelos caixeiros da loja do Pavo.
As chitas do Pavo.
Vendem-se chitas inplezas claras e escuras pelo
barato prego de 240, 200 c 280 rs. o covado, timas
seguras ditas francezas de cores seguras a 320,
340,360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
muito superior e bonitos padroes : s na loja do
Pavao.
la laiinuis da exposicio do Pavo.
Vendem-se lazinhas as mais modernas que
tera viudo ao mercado, proprias para vestidos e
soutembarqties por serein lisas o de cures muilo
debeadas 560 e 500 rs.; dtUs lisas com um lustre
que parece seda 640 rs. o covado, ditas com
quadrinhos de seda 300 rs. o covado, so para aca-
bar : na loja e armazem de Gama & Silva, ra da
Imperatriz n. 60.
Os vestidos 4o Pavo.
Vendem-se os mais modernos cortes de veslido gst0, Pinamente para qualquer mimo, que ac-
Attencao
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permiltido
deixar passar desapercebido sem que nao dssc o
seu canto, alim deannunciar ao rcspeitavel publi-
co o grande sortimenlo de galanteras do melbor
lindos vestidos a Hara Pia &fit0s''is
te com l.stas, e palminbas Rkfls pflrU jias
Cofre de muito gesto por
Cestinhas transparentes forradas
de laa, que vieran) pelo ultimo vapor, com ricas
barras de cor, corpinho e collete separado ; ditos
com lisias de seda e tambem com barras e enfei-
tes para o corpo, por prego mais barato do que em
oulra qualquer parte, e se qnizerem urna prova
do que se diz, mandem ver leja e armazem do
Pavao, na da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos 4 Mara Pia. So o Pavao i'S?>000i.
Vendem-se os mais
de laztnha transparente
*e seda pelo barato prego de 83 cada corte : s
na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Sirva.
As citssas do Pavo a 240, 280, 300, 320 e
360 rs.
S o Pavo vende as finissimas cassas persianas
imKago de la, com cores ixas, -'dio rs. o co-
vado j ditas francezas muito Anas 240, 280, 300
e 399 rs. o covado, islo para acabar : ra da
Imperatriz, loja de Gama & Silva.
Os mfepoles do Pavo
Vende-se pega de madapolo infestado com 12
jardas cada pega pelo barato prego de 4$, tfSOO e
6* cada pega, fazenda muito superior : so o Pa-
vo ra da Imperatriz n. 50, notando que a pega
leva urna eliqaeta com o Pavo pintado para nao
haver duvidas nem engaos: isto previne o Pa-
vo, de Gama Si Silva.
llramante de llnbo do Pavo
4, SfJMOO, 20OO
ba de chegar neste ultimo paquete, assiin como
muitos outros cujelos que recebe por diversos na-
vios, tanto de sua conta como de consignago que
est resolvido a vender por pregos muito baratus
para vender muito e gaubar pouco, e dar extrago
o grande deposito que lem, que espera merecer a
protecgo do respeitavel publico empregando para
isso todas e as melhores diligencias para que ti-
to s no Gallo Vigilante, ra do
de ma
dreperola por
Lindas jardineiras.
Ricos cofres com cimapheu.
Lindas caixinhas cun podras brancas.
Lindo balao com catangas dentro, tam-
bem para Joba.
Tambalier para ditas.
Cestinhas ditas.
Cosmorama ditas.
Urnazinhas.
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos
gos; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
lucos Millos
com bolcinhas aolado, a 103, I 'i 153, ditos sem
bolga purm do mesmo gosto, a 2331)0, 33, 33500
43000.
Kicas fvellas avulsas para sinto, o mellior que se
1630tK)
95000
tifiUOl)
63000
53000
e pre-
VendenTmelhor bramante de linho puro com pode encontrar, a 13500, 23, 23500 e 33 o par;
dez palmes-de largura per prego '" cmmn-, so no Vigilante, ra do Crespo n.
lrsk garrafas muito grandes a l:>S00rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-.dem deientes a 120rs.
mos grande ;pon;3o de outros que deix;.mos Idefli de" or a 200 rs.
de mencionar, e que ludo ser vendido por Araet!do3s:onfeitad)s a 000 rs. a'libra,
pecas e carnadas, lanto em.porces ooroo Doce degoiabaemtatasomelhor possivela
retalho- 2-^ e em caix5o a 640 rs.
(Jiiem comprar de 1OO?>0O) para otea te- Palitos do gaz a 2AOO a groza.
j-o ab.il porconlo. Paisascaulo novas a tSOrs. a libivi. 1
fiSkifi
SXQS&J&Q.I
Tf^^-%^'
NOTAS Rl C\l\\ FILUL
1MM]!I!MS DEPATENTE
de trabalbsa* mao para
desear*ear algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
spo I
Cabazes ou cestinhas.
At que chegaram as desojadas cestinhas ou ca-
bazes para meninas trazerem no brago, o mais rica
possivel a 236O0, 33300, 43. ->i, 73 o 103; s no
Vigilante, rui do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que se pode desejar, assiin como de arregacar ca-
em nello, tanto de borracha como do tartaruga com en-
ai^ura7omo"o"m"eorpo7prprir- para lentoes, ca- fejtes sem elle para menina; s no Vigilante, roa
misas de escravos, etc., ele, prego muilo coiumo- fl0 crespo n. 7.
do vista da fazenda; s o Pavo : ra da lm- j Peules
peratriz n. 60, de Gama & Silva. tambem chegaram os riquissimos ponto de concha
AteodMiinho fm *WHe de avaria a i.OOO ris de tartaruga e de massa lina, que se vende por 23-
i oaq 33 e 53; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
mnito comino
do, por ter de ai-abar" a factura, a vara por
2320O, 23400, e 23600 ; s o Pavo : ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Vaouo de linlio dn Pavo.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lenges e loalhas de mo pelo
baratissimo prego de 6*0,720 e 800 ts. a vara, al-
godoziaho com oita palmos de largura proprio
para lesges, pelo baratsimo reg de 15 a vara,
assim como tem o melhor algodozinho tanto
A
Trcense ditas notas por fazendas.
loja da ra do Crespo numero
17.
Quem comprar de cen mil res para omadar-se-ha ao comprador o lucro e cinco
,porcento.
Aproveitom todos. Aproveitem todos.
Fazendas de apurados gostos viadas de Par-.
Cepas pretas importanliss-
mas.
Casacoes pretos." pelerinas.
Basquina de cintura e pa-
liases.
Sotarnbarques d- caxemira
de cor com tintura.
Jaquetas de merino de cor
para enhoras.
Zuavos pn-tos de sida mui-
to bem enfeiados.
Corages, solambarques de
seda.
Cortes de seda de cor de
mnito gosto.
Colxas de seda para oivos
Sedas de quadro de muito
gosto a I520O o covado.
Moreanliques e grosdena-
pies.
Corles de organdiz com
barras.
Chapees de pal ha para se-
bora.
laloes de arcos e musse-
linas.
j&apete
BaUes do merino de cores.
Fazendas de linho e de al-
godo.
Selecias, esguioos e bra-
mantes.
Cassas, chitas carneas e
seroulas.
Peiios bordados para ca-
misa.
Camisas de iia de cor pa-
ra homem.
Madapolo a 75, 85,93 3
' 103 a pega,
de superior quaiidade com
Estas maehinap
;iodemdescarocar ,
qualquer especie i
e algedao sem ;
estragar o fio,
o.'.ndo bailante |
iuas pessoas para 1
o trabalho; .pode !
si
Esleirs para -forrar sal.i a 830 rs. a jarda.
seis palmos de largura a t^HOO-rs. o covado.
Na realidade, este estabelecimenlo ollerece pcande* vantagens ao eommercio.
Aproveitem todos a occasi&o de trocar olas da-coixa ganhando cinco por cont. ','<>
DE
de.warogar urna
awoba de algo-
dio em caroco
em 50 minutos,
oa 18 arrobas
por da ou ar-
rohT de algodo
limpo.
Esta machina
a nica que
possue &t, vantaceae de nao destruir o fio do al-
godo e da fazer render o deiiro de quelquer ou-
lra com menos trabalho, a sua introdueco para
as proviocias desle imperio ser de muito valor
para todos os interessados na tevoura do paiz.
Assim com machinas em ponto grande-do mes-
mo systeiiK,oraql serem movidas por aaimaes.
agua ou va^or, pas uae* podem esearogar 18 ar-
robas de algodo ampo por da.
O algodo descaroeade por estas machinas tem
muito mais^slimaga'anes mercados de Eurojaa e
vende-se por maior p reg. -
As machuus se acham 2. venda ucicamenie em
case de
Saoiidcrs Broiters k C.
3L II, j*L-a^a doiorpiisaulo
RECIFE,
Os unidos agestes neste pak.
Vende-se pega de algodozinho por ter um pe-
queo loque de avaria, mas que est em bom es-
tado, pelo barato prego de 43 e 43300 a pega ; s
o Pavo : ra da Imperatriz u. 60 de Gama &
f-Silva.
Os guardanapos cononiicos do Pavo e s do
Pavo
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda-
apos econmicos e todo linho, tonto para as casas
de familia como para notis, botequins, etc. etc.,
pelo iiaratissimo prego de 3p a duzia, isto s na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. -60, de Gama
A-Silva.
0 soiiteui barquea do Pavo
9 e viH,.
VoHdem-se os oais linos soutembarques que
teem vindo ao mercado, sendo de raxemira de co-
res peio diminulissimo prego de 123 cada um, di-
tos de inusambique pelo diminuto preco de 95, >
na loja do Pavo mas que se noenganem : roa | JS^J^^PJ^A*?.1? I'^':, da Imperatriz n.4i, de Gama &-Silva.
AtoaKiado do Pavo.
Vende-se panno de linho adamascado proprio
nara Utalhas de mesa, pelo diminuto prego de 25->00
rs. a vara, Bardanapos de linho a 55 a ouzia.
t-.:-.iii;:s de 11 ia ra da imperatriz n. 60, de Gama.A Silva.
32' so o Pavo (a 8&*tJO).
Queinteataloes por lal preco i
Vendem-se o halaos americanos, muito superio-
Leques.
Riquissimos leques de madreperola lauto para
senhoras como para meninas, pelo barato prego
de 123 e 5; s no Vigilante, ra Jo Crespo
n. 7.
Mais leques
com pequeo defeito, leques de sndalo com pe-
queo defeilo por barato prego de 83 e 15, ch-
neles muito bonitos tambem, pelo barato proco de
43 e 3, bentarallos muito bonitos, tambem por ba-
rato prego de 43 e 33, leques de chanto tanibeni
por 43, ludo isto para acabar, perdendo-se tai-
voz 80 por cento; so no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Piilseiras.
Lindas pulseiras de contas e de missanga, cores
muilo lindas c de muilo gosto a 15 o 15200.
Para segurar mamjuilos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de
paia se-
gurar manguitos por sor muito commodo e muito
I barato, a 320 o par; s no Vigilante, ra do gres-
I po n. 7.
Canelas.
a % 000::
Na ra do Queimado n. 40, leti^iro verde.
Superiores ebein armados baldes pelo diminuto prego de 25, adverlindo que vendem-ce por
tt pnco por ter-se comprado urna grande porgo e querer-se acabar.
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado n. 49, esta vendeudo muito
boas tazeneas e muito baratas, quem Quizar peder
vir ver ou mandar para experimentar, assim como
sejaro :
Gollinnas ibuio tinas para senhora a 300 rs.
Ditas ejotrabas de fustn muito bonitas a 640.
tartas de arfinete de cabega chata de todos os la-
manhos a 80 rs.
Resmas de papel de peso muito bom a 25-
Capachos redondas e compridos a 500 rs.
Ca xas com superiores obreias de colla e de massa
alOrs.
Cordio branco grosto que tem muia applicacao a
vara a 20 rs.
I.inhas de carriteis garante-se 150 jardas a 40 rs.
Cartes de linha-Pedro V com 200 jardas a 40 rs.
Grosas de pennas de. ac muito finas a 300 rs.
Varas de fraaja de laa |wra vestido a 40 rs,
Ditas de Iraoja branca larga para talls a 160 rs.
Pares de hotoes do punho a 120, .120 e oOO rs.
Tmtelros de vidre com tinta a ItO rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 n.
Grosaa de boioes de Jouca prateado a 160 e a du-
zia a 20 rs.
Tesoutas para costura a 80, 200, 400 e 300 rs.
Esovas para lropar denles, rapenores a 200 rs.
Libra de la para bordar da melhor quaiidade a
Caixat de phosphoros de seguranga a 160.
Caixas e pacotes de papel amizade superior a 6Q0
. ris.
'iCaxas com 100 eavelopes mnito finos a 800 ra. -
'Qoadefnos de papel pequeo azulado a 20 rs.
' Carriteis de linha Alejandre com 200 jardas a
1/JOrs.
BaraJhos para voltaretea iO-i mais finos a 300 rs.
Meiadas de linba frouxa para bordar a 20 rs.
Pares de sapafos de ti anea de todos os lmannos
a 15S00.
Grosas de botos de madreperola muito finos a 580
ris.
Canas e caixas de clcheles de superiores quali-
dades a 40 rs.
Massos de grampos superiores e limos a 30 rs.
Gro Libras de areia preU da melhor quaiidade a 120
ris.
Caixas redondas para rap e tem muito bonitos ca
Jungas a 100 rs.
Ra do Crespo, loja n. 20 II.
Alvaro Augusto de Almeida tem no seu estabe-
lecimenlo o mais lindo sortimento do fazendas que
tem vindo a este mercado, recebido pelo ultimo
paquete, como seja riquissimos cortes de vestido
de verdadeiro blonde com todos os pertenecs para
noivas, lindos e importantes cortes de seda de co-
res, elegantes chapelinas de palha de Italia, de ere*
pe e de ellna, chales e manteletes do renda de g'm-
pur, capas e soutembarques de grosdena Mos, borr
us de casemira, zuavos do laa, colchas de damas-
co de seda o de 1.1a para cama, e muitas outras fa-
z?n las de la, linho e algodo, que o mesmo ven-
der mais barato que qualquer outro.
Vende-ee urna carroga de dous hois, c bom
estado, por preco commodo : a tratar na roa dos
Pires n. 34.
320
500
100
RIVAL SM SEGUNDO.
Ra do Queimado n. 49 loja de miudezasde .lo-
se Uigodinbo, -.ciiha.n ver a pecbiurba que sa est
acabando certas qualidades de fazenda.
Pegas de fitas elsticas eom 10 varas a.. 240
Ditas de tranga branca lisa com 10 varas. 100
Ditas de trauga preta lisa a............ 60
Realejos para meninos, pechincha a... 120
Rodinhas com superiores altinetes a...,. 20
Caixasicom superiores agulhas e limpasa 200
Saboneles de familia, muito linos a 80 e.. 160
Pares de sa patos de la para enancas a.. 400
Varas de babado do Porto muitu" bom a
100, 120e.........................
Ditas de bico largo grosso a............
Potes de superior tinta tem mais de meia
gai rafa a..........................
Caixas com perfumaras muito bonitas a.
Frascos de oleo de macag muito tino a .
Ditos de oleo de babosa superior a 240,
320, 400e...................v......
Ditos de cheiros muilo superiores em quar
lidadea...........................
Ditos de agua de colonia muito boa a___
Ditos de dita dita grande a.............
Sabonetes de Iodo o prego 60,160, 200,
320 e..........................;..
Frascos de superior banha a 320 e.......
Caixas de p para limpar dentes muito
fino a#............................
Ditos de banha transparente a..........
Pares de ligas muito finas para senhnra a
Sabonetes inglezes da melhor quaiidade a
Frascos de agua dentrifice superior ga-
rantida a.......................... 13000
Massos com 25 euvelopes grandes azula-
do a.............................. 100
Varas de fita preta com clcheles a..... 100
Frascos de macaga perola muilo superior 200
Caixas com peonas grandes a......... 200
Grosas de botes para caiga preta, miudos 100
Libras de memento da roupa de lavar a.. 200
Carriteis de retroz de todas as cores e
tem meia nltava de retroz a......... 200
' Varas do bico de diferentes larguras a 00
r com 20 e 23 arcos pelo l^ratissimo prego de
25300 e 15, duos de ib, 30 c 33 arcos com fitas,
milito be:n armados e tambem tem cores escuras
pelo barato pree-ode 3f500 cada um : su na loja
do Pavao, ra da imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
*0 'avo vfndc para tolo.
Vende-se superiorsetim da China, fazeeda
de liasen lustre zendo 6 palmos de largura pro-
prio jtira vestidos, capas, paletnts, cajeas, etc.,
pelo baratissimo prego de 25, 252i O, 25306 e 35 o
covado, cassas protasisas, chitas pretas largas e
estrellas, manguitos, eotonnhos, puntaos, e eneiles,
tudo preto proprio para uto lechado, e mu toe ou-
tros artigos que se vendern por pregos maU em
conta do qu- ein nutra qualquer parte por .estar
liquidando : sj na luja do Pavo ra da Impera-
Uiz n. 60, -j.sGaua (c-Silva.
As pea'calasado Pavo..
A mais lindas percalas ijue tem vindo ao mer-
cado pelo ultimo vapor lem-aa loja do Pavo pelo
barato prego de.ftO rs. o avado ; ditas de listi-
nhas muito mindiahas proprias para vestidos e
roupes de senhuras, meninos e meninas, pelo ba-
ratisswio prego de 50j> rs. o.ecvado : gaiantem-se
as cores por serem do melhor fabricante que as
tem em Pars : lo m loja do Favo ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As chitas do JPavo '$-1OO e
ftsoo o oi-fc
Vendem-wj cortes de ehita com dez covado*
25400, ditos i 23800, cosu il 2 eo vados; sao chitas
malezas, m&; padroes bonitos e listas seguras;
asim tem as melhores chitas francezas e de tin-
ta seguras por precos commodos, a saber : 320,
340, MO, 400, 440, 500 rs. o ovado : na loja do
Pavo ra da Imperatriz n. 00, de Gama &
Silva.
Os tardados do Patn
Vendem-se canUsinhas com manguitos e golli-
nhas bordadas, pelo barato prego de 15 15280
eada um, manguitos s 500 rs. cada par, ditos
com golinha a 800 rs., golinhas 400 e 480 rs., de
Riqussimas caudas de madreperola proprias I i'3000.
I.OJUEMi(JliE7,4Sr|iViS
16Ra do Queimado16
Eufrites de calioga.
Bonilos conservadores prctose de edres. a 800 o
13000.
Ditos ditos pretos e de cores, com laco=, a IfiOQ
e 15600.
Ditos ditos do frocos decores, a 15800.
Ditos ditos de cores com lagos e vidrilho? a
Ditos ditos de cores com lagos e froros a i
Ditos ditos com cascarrilhas modernas a 50.
Ditos ditos com cascarrilhas e Irocos a .15000.
Cintos e (velas.
Cinios modernos com livelas douradas e de po-
drinhas, a 25, 23300 e 35
Bonitas (velas douradas para cinto a 15280.
Riqussimas ditas com pedrinhas, a 25 o .yjJ
litas e cascarrilhas.
Bonitas Blas de sarja e (rosdenaples, pretas,
brancas ed" tolas as cores proprias para lagos, dc{
2, 3, 4 e 5 dedos de largura, a 480, 800, I36OO o
23000 a vara.
Itiqnissimas filas de grosdenaples lavradaa,
pretas, brancas e de todas as cores proprias para
lagos, de i, 5 o 6 dedos de largura, a 15500,2*5 o
25 00 a vara.
Fitas de vetado preta c de cores, desde a mais
estreitinba al 3dedos de largura, a 100,120. 140,
160, 200, 240, 320, 480, 600, 700, 800, e 130CC .
var.
Pegas de fita branca do linho acolchoada par.v
deoruin de vestido, a 160 e 320.
Pegas de fita de laa acolchoada, preta e de todas
i-w\ 1 as Cljrts- r,nra debnim, a 800 rs.
I030OU i Pecas de cascarrilha de seda de todas as :0res c
,aftfin:aiirerf'nles larguras a 13280, 13000 e.23.
iMm ^gas de cascarrllia de la, cinzenla, a 13000.
*'{*"-;{ 1 Pecas de tranga preta, lisa e de caracol, a 80. rs.
IO3OO l>entp<
IfltiO
Bonitos pentes dourados com pedrinhas p-.r
marra fas. a 13280.
Dilos ditos sem ser dourados, de massa e iarU-
ruga, a 15 e 25.
Pentes de borracha, prelos e de coros para re
gago, 600 e 800 rs.
Ditos ditos dourados com pedrinhas dem, 'i$.
Peules de massa para atar cabello, proprio para
estar em casa, sendo com esmalte e s> m elle, dou-
rados, feiiios muito bonitos balo; lagos, etc. etc.
a 500,640, 800 e 130 0.
Ditos de coucha dourados pequeninos, para atan
cabello, a 25
Ditos de taboa, dourados, a 13280.
Ditos ditos muito lirios, a 33500 e '3
Ditos ditos com marraba dourada-, com pedr-
nhas linas e uvas, a 5 e 35.
Pentes de borracha para besombaragar, aGiOo
130.0.
Ditos ditos de baleia e unicorne, a 320 e 640 rs.
Ditos ditos marliin de Lisboa para piollio, a 1.5 o
280.
83Ditos ditos de martim para piolho, a 400, C00 i
100 rs.
Ditos ditos pretos para ditos, a 400, 500 e600 ri.
Voltas e pulseiras.
Bonitas veltas pretas grandes de contas grande::,
a Hara Pia, a 15600 25-
Ditas ditas mais pequeas, com cruz, a "20 rs.
Ditas de Coral, a 300e 25-
Ditas de aljofares cjtn cruz de pedrinhas, if.
Ditas de cuntas de eiie, brancas e de core**,
720 rs.
Bonitas pulseiras de comas de leil. brancas-,
azm sinhas e cor de bolla, a 720 rs.
Ditas de aljofares de cores, contas gratida?, ^
13000.
Ditas ditas do missanga, a 720 rs.
Perfamarias.
Pacotes de pos de arroz, a 400, 600, 700 S00
ris.
Saboneles de familia, .1 80, 160, 240, e 320 rs.
Ditos de bolla brancos e encarnados, a 400, o
f.U) rs.
Cosmetiques, a 100. 209. 300, 500, 800 e 13003.
Garrafas de legitima Agua Florida, a 13500.
Garrafinhas e rasquinhos de extractos Boy?, 1
160 e 200 rs.
Caixas com sei> frasquirjlios de extractos fiuo*<,
a 1-3000.
Fraseos de sndalo, a 1-3000.
Caixas com doze garraliubas de extracto? Gao."-',
a 15410.
Bahus com doze rasquinhos de extractos fine*",
a 3-3000.
Frascos de oleo Philocome, a 720 e 15000.
Frascos de oleo de babosa, a 400, 300, euJ.
Frascos do agna de Col uia, a 400, 300, SOOo
para qualquer presente, pelo baratissimo prego de
15300 e 25.
Sapaliulios.- meias de seda.
Riquissimos sapalinbos de seda e de merino en-
eitados, assim como mciaszinhas de seda, gorrazi-
nhas e louquiohas para as criancinbas se baptiza-
rem; s uo Vigilante, ra do Crespo u. 7.
Vollinlias.
Lindas voltinbas de perolas falsas comcruziuhas
Ongiudo brilliantes, assim como crozinbas avulsas
e voJtinbas, pelo barato prego de 15 e 15200, as
Ienues avuls asa 100 rs.; s no Vigilante, ra do
] Crespo n. 7.
fiafinbas.
Riqussimas golinhas e manguitos, o melhor gos-
to posicel, a 25, 2530O e 33; s 110 Vigilante,
ra do Crespo 11. 7.
Enlejes para senhora.
Riquissisios enfeites com ac e sem lago e de
outros muitos gostos a 15- 15300 e 33 so no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Trancelins.
Lindos IraneelM de cabello para relogie ou lu-
netas, pelo baralissimo preco de 13900, dilos de
relroz a 200 rs.
Babadinhos enlreiueios.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 13200, 13300, 23 o 33 i s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimenlo de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Fitas.
Grande sortimenlo de filas de diversas larguras
e qualidades, por pregos que adniiram aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiro* que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca
de 0 varas a 23; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Fitas de la.
Filas de la de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espelhos
Riquissimos espelhos com moldura dmala e
sem ella de 83, 105, 123 e 143, assim como com
columnas d
e
l-Y...-cos
15000.
Frascos
I3OOO.
Garrafas gi nides com t \'i ictos
33,43c
'.'
d til icio
l ar a 00. 600, 800 o
muilo fine., 'i
P?
ipi'i r- peanas.
Pacotes de papel aniisade branco, a de eii.,, -.
600 rs.
Caixinhas de papel pequeo azil pautado, a u40.
Caixinhas com cen euvelopes brancos e azuc.
a OtiO rs.
Caixinhas com cem euvelopes de edr adamasea
da, a 640 rs.
Caixinhas de pennns de maozinha, a 30) rs.
Caixinhas de peonas de lauca grandes e peo,,-
as. a 360 rs.
1 aixinhas de pennas caligraphicas, a I30P0.
Pedras de lousa para escrever, a 240, 32C. iC3
c 480 rs.
Lapis azues cu encarnados, a 100 rs.
Lapis de duas cores azul e encarnado, a 160 r".
Frasquin os de tinta azul ou encarnada, a 320 rs.
Bulhes de tinta preta ingleza, a 120 e'l60rs.
Duzias de creces de pedra, a 60 rs.
Buzias de pennas do lauca pequeas o grand-;*
a 100 rs.
Objectos diversos.
Dizias de raccas e garlos, a 35000.
Duzias de ditas cabo de balanga.a Gf> e tiS8tiO.
Duzias de colheres plateadas para cha, a 20J.
Duzias de comeres prateadas pura sopa, i
3-5200.
Escovas para dente?, a 1150, 320 p 480 rs.
Esc.-vas para runpa, a 800 e 13>X)j.
Luvas humeas !? algodo. a !!u.' f*
Luvas de Escocia branca, Bnas.'a 3000.
Luvas de Jouvin, a 1.300 c 23300.
Boioes de punho, a 100. 480, 15000
Ditos romas armas Impenaes, a 13U0O.
Gravatinbas com laco feto para
1-5280.
ifibdO.
).
eohera,
Ditas de passadnr e de lago, a 040, 800 a I50
louquinbas de blonde cideitadas para crianza, y
i fit 240 rs. cada gotinha bordada, romeira de
WO! cassa o de fil muito bem bordadas 23 cada columnas de dilferentes tamanhs a 23, 33,45 0$
***> 1 urna, manguitos que servetn para calcinha de me- e 63; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e Lindos jarros e liqui is
golas eom a competente grvala de seda fazenda RqolsataiO jarros e figuras de porcelana fina,
tina pelo barato prego de 35, e umitas outras para imfeite de sala, sendo omelho.-gosto que aqu
bordadas que se vendem por precos multo em :tm 3ppartCd0. so' D9 Vigilante, rua do Crespo
coma: so na loja do Pavao a rua da Imperatriz n# 7 B '
500
320
400
800
400
800
100
600
300
320
15a para menino, a 610, SOOo
as coro?, 1
n. 00, de Gama c Silva.
As milpas do Pave
Vende-se panno preto fino mnito superior pelo
barato prego de 25, 23500, 35, 35300 e 45, dito
mono tino 33 e 63 o covado, casimira preta de
urna s largura e muito fina a 13800,23 e 25300
e 35 o covado, cortes de casimira de cores a >5,
53500 e 63, casimiras enastadas de urna s cor
proprias para raigas, paletots. coletes, capas e para
roupas de meninos a 33300 o covado, isto na loja
do Pavao rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva._________________________________^_ ;
Charutos de Havana
de superior quaiidade vendem-se em casa
de Scbatleitlin o> C, rua da Cruz n. 42.
Fumo de Garanhuus.
Vende-se urna porcao de superior fumo verda-
deramente de Garanhuus : na rua do Queimado,
armazem n. 10._____________________________
- Vende-se uro fiteiro proprio para alfaiate ou
sapateiro: na roa osreita do Rosario n. 16.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bom ca para pos de arroz,
cousa de muito gosto a 13500 e 23, assim como
pacotes s eom os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimenlo de extractos e baubas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos eum ds-
Hoclivos e offerecimentos as sinhasiuhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Pars e Inglater-
ra, assim como as grandes copos de banha japoneza
a 25 e a 15, assim como ontros objeclos qile nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregue-
zes se fartodo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Luvas de pelica para se-
nhora 1/1000!
Garante-se a quaiidade, na rua Direita n. 104,
loja de miuiiezas.
VendH-sn urna oscrava moga soni habilida-
des : na ru3 da Praia, \ rimeiro andar n. 47.
lonqumiias de setim para bapti.-ado, a 2&K).
Toiiipiinhas de laa para menino, a 800 e 15005.
bapaiinhns de merino bordados para baplisado,
Sapatitihos de
15000.
Pecas de fitas de seda de todas
320 rs.
Fitas e cordoes para enflar espartilho, a 80 r*:
Filas com tres vara para dito?, a 100 rs.
Varas de aspas para balan, a 100 eJ20 r
Oculosde armagao prateada, a 640 e 13000.
Ditos de armagao de ac, a 13000 e 5280.
Ditos de armagao dourada, a 15000 e 13300.
Varas de labynntho, grade desde um dedo a
480 S gUr3' 3 100' 1G0' 200, m'm' QG
Varas de bico preto de linho desde um dedo at
seis de largura, a 100, 160, 200, 240, 320, 400 >
480 rs.
Varas de gallo branco lacrado, a 100 e 120 rs
^ ..nvras ,i"is-i"ias para unhas e costaras, t
300, 640, 800, 13000 e 13280.
Duzias do boles roligos dourados, a 320 r
Lslojos para barba com rimes, a 333t'
Gaitas de bonacha, a 120. 160 e 200 rs.
Duzias de anm-is de vidro, a 240 rs.
Ha livros de amostras e lovatn-se osobiecUs
casa dos freguezes.
Machinas para descaro^r
algodo dos mais acreditado^
fabricantes: na fundicito (fo
Bo^man, rua do Bram n, 38.





-^-^


9t4m
Terv IfIra 13 ale Nrmbio le fa.

ALLIANCA
NEM GROAS NEM MITRAS
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Paulo Ferreira da Silva \ Companhia
Grande sortimento de molhados em grosso e a retaiho. nico armazem que mais
antagens efferece ao publico.
Desenganem-se todo.
K

K
K

Alllaaea o verdadeiro hornera do progressso.
o AHtanca o verdadeiro e principal armazem de molhados.
o AI llanca o armazem que vende mais barato.
o AI llanca o armazem que vende o melberes gefteros.
Alllanca o armazem onde preside o mellar aceto.
Fiquem todos sabedores desta vwdade,
Venham todos ra do Imperador n. 57.
Venbam ver os gneros que temos expostos a venda.
AS FESTAS
DE
E S. PEDRO.
dem de Hollanda em garrafes com 24 gar-
IMH1
.

Ameudoas confeiUdas
S.
de
JOO
bonitas
cor
800 rs. a libra. I rafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
dem de casca muito nova a 3oo rs. a libra. Lentilbas excellente tegume para sopa e gui-
Arelaas a 2oo rs. a libra. I zados a 2oo rs. a libra.
Amainas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a 4,2oo, l,4oo e l,6oo rs. cada 800 e 4,ooo rs. as garrafas grandes.
ama. Manteiga iagleza perfeitamente flor a 800
dem em frasco de vidro com rolha do mes-1 e 96o rs. a libra.
moou de metal, a l,2oo e l,4oo rs. cada dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
um.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada
um.
dem em latas de 1 lJ% e 3 libras a 1,200 e
2,000 rs.
Arroz da India c Maranhao o melhor que se
a libra, e 58o rs. em barris inte iros.
Marmelada especial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, ba
latas de differentes tamanhos.
Massa de tomate em latas de 1 libra a 58o
rs. cada urna.
O

GlttXIIE
DE


NOVA EXPGSIQ&O DE GNEROS
NO
AHUVZITI
PRINCIPAL
DE

BA Ba IMPERADOR I*. IO
Junto at >bra do em qne mura e Sr. Gbeme,
Para a festa de Santo Antonio, S.JoaoeS. Pedro.
Duarte Alaieltla tk C, reeebcram de na proprla eneomnsen-
da o mala lindo e variado sor tmenlo de molhados, proprlos
da p rescate estaca.

'-pode desejar a loo e I2o rs a libra e dem para soda estrellinka, pevide e rodinha
,8oo a 3,ioo rs. a arroba. em caixinhas sortidasa 3,ooo 3,5oo rs.cada
A/eite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e urna e 5oo rs. a libra.
4,800 rs. a caada. : dem macarro, talharim e aletria a 4oo rs. a
dem francez clarificado em garrafas bran- libra.
cas a 9oo rs. cada urna, e i0,000 rs. a Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
caixa com I duzia. rs. cada tim
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li- Molho inplez em garrafinhas com rolhas de
bra.
Alpista a i60 rs. a libra e 4,6oo rs. a ar-
roba
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,000 rs. e de 3 "2 libras a l.Soo rs.
e em libra a 61o rs., estas bolachinhas
torna-se mailo recommendavel com espe-
cialidade para os doc-ntes.
Bscoitos e Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
* curar a 1,35o rs. a lata.
ftoios francezes em carios e de diversas
qualidades a 6o rs. cada um.
Banha de porco verdad o ira refinada a 4oo
' rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 16o rs. a libra.
B ilachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem viudo ao nosso mercado a
18,000 rs. o gigo e 1,000 rs. a garrafa
inteira, e 800 rs. as meias.
Uh uxiin o melhor que se pode desejar, e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra.
dem perola de esp-cial qualidade a 2,600 e
2,8oo rs. a libra, garante-se a qualidade
d'este cha.
'.Iem hysson o melhor que possivel encon-
trarle a 2,4oo e 2,600 rs. a libra.
dem do Bio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2oo e 1,400 rs. a libra.
.Mem prelo muito fino ;i l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
bespanhol e suisso a 1,000,1,2oo c I,loo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em */j caixas das seguin-
tes marcas: Parisienses, Suspiros, Dili-
eias. Mapoleos e Guanabaras a 2,3bo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muitos fabricantes e de dif-
ferentes marcas para I,fjoo rs. as meias
caixas, de suspiros a 1,600, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Mem franceza a 5oo rs.
Cognac ingle?, das melhores marcas a l.ooo
rs. a garrafa e to,ooo rs. a duzia.
Mam francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Contato e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a 1,000 rs. a libra.
Copos finos para agua a 0,000 rs. a duzia, e
too rs. cada um.
O.f do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 e 9,5oo a arroba.
i)cce fino de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem ceceas a 160 rs. a libra.
IJem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de ararula verdadeira a 320 rs. a
libra.
ftgos em caixinhas muito bem enfeitadas a
<,ooo rs. cada urna.
Mem em l?tas ermiticamente lacradas a
i,too e .ono rs. cada urna.
llera' em caixas de */j arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
lraixa muito nova a ioo rs. a lata e l,000
1 rs. a duzia.
Cenebra de Hollanda em frasqueiras com 121
vidro a 64o rs. cada urna.
Macrasquinho verdadeiro de Za l.ooo'a dja -
agarrafa, 10,000 rs. a caom I usi.xrc a
zia.
Nozes muilo novas a 160 rs a libra.
Prezunto de fiambre superior a 600 e 800
rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. 1 libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas,
outros a l,ooo rs. a latas.
Palitos para denfes a 14o e a 160 rs. o mas-
so dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos fiamengos chegados neste ultimo
vapor, a 3,ooo
dem prato muito fresco a 800 e 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que at ho-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes de vidro a ioo rs, \
cada um.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e 500 rs. a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nanles em quartos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muito nove e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
roba.
Traques de 1.a qualidade a 9,'ioo rs. a cai-
xa, e 2io rs. a carta.
Toucinho novo de Liiba a 2io e 32o rs. a
libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cadaum.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,800 rs. a caada, e
5oo rs a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando com-
composicao a 56o rs. a garrafa, e 4,000
rs. a caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Bordeaux era caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a l,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em 'caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e 10,000
rs. a caixae 9oo e l.ooo rs. a garrafa.
IdemMuscatel superior a l.ooo rs. agarra-
fa, e lo.ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
Idemem garrafes com 5 garrafas a l.ooo
rs. com o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Manteiga ingleza
da safra nova vinda neste vapor de 28 de
m?io a 800 rs. a libra.
Manteiga franceza
da safra nova a 860 rs. alibra, e em barril
a5O0Ts.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2*400, muito propios para mimos,
Cartoes
cora bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1(5300.
Chocolates
de todas as qualidades a 10000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs tambera
temos veaos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 26oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 2)5600 cada um.
tiieijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excdante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 90 rs, a retaiho.
Maeas brancas
para sopa a melhor que se pode desejar,
macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A eoutras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa
e de nutras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
* cantes da cidade do Porto aije i(J200
a garrafa ede 10 a t20 a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamtsso c* Filhe,
F. 4 M., Nctar oa vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 45000.
Bolachinha ingleza
a 1$800 a barrica da mesma que
vendem a 25000 e 25400.
Nozes
as mais novas do mercado a !20r* .di bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 45500 a 65500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Res e outros em
meias caixinhas a i $500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-
roba desses que vendem por 35400.
CAF
de 1.a e 2. sorte do Rio de Janeiro a 855f
Conservas inglezas
pescadinha eias mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas, e 85SOO a arroba, e
propnas para mimos ^a 900 e 15200.; G f-
On UXim com 4 l% garrafas com vinagre a 15000t#a
o melhor que se pode desejar, que outro; o garrafao.
qualquer nao pode vender por menos de' GENEBiu DE laraxja
35 a 25600. verdadeira a 15000 o frasco, e de 115000
dem perola a caixa-
especial qualidade a 25700 rs. a libra. I ,IDEM
dem hvssoa \em frasa,ue"'as lll! Hollanda a 55800 com
42 frsspos
o mais aromtico que tem vindo ao nosso : rnB,M .
mercado a 25600. UnH WLBRA,
Tin ti :de Honanda verdadeira em frasqueira a 6oo
Massas amarellas I rs. cada ama.
para sopa, macarro, talharim e aletria a PALITOS
480 rs. a libra. os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
COGVAC e2o rs. cada caixinha.
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo| LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas qualida- finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
M. 9 RA IIO ( Ui;si'0 IV. 9
Esquina ^ue volta para a roa do Imperador
li,-*** *i provavel riue nao seja bem aceita a verlade, quando a boa f de todos anda
illudida por esta epidemia de nauzeaticos annuncios de cornetas, tamborea corto* m;
tras, etc., que todo o dia enchem as paginas deste jornal. ""*
ALEKTA
Os annunciantes nao tem em vista seno garantirem ao respeitavel publico a
sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas subsistencias en5o para
assentarem fortunas a forca da regra de liga como outros annunciantes deste genero
PARA ol&OS
No armazem. principal vende-se a todos pelos precos marcados na seguinte ta-
bella, mas nao se vende por todo o preco fazendo-se peso de arroba hespanhola garan-
te-se as qualidades dos gneros trocando-se todo aquel le que nao seja do agrado do
comprador.
Lentilhas muito novas excellenifi legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades de
7oo e 9oo rs. a garrafa.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a8oo rs.
a libra, desnessesario mais elogios nes-
te genero que s se pode verificar com a
vista.
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
ou meios a 5oo rs.
Marmellada do I fabricante de Lisboa a 6oo
Amendoas confeitadas de diversas cores a
64o rs. a libra,
dem de casca dura a 24o rs. a libra,
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas, a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 '/* libra a l.loo rs.
Arroz do Maranhao e da India o melhor que
ha neste genero de 8o a loo rs, a libra, e
de 2,Soo a 2,8oo a arroba,
Azeitedoce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. caada,
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e lo.ooo
rs. a duzia.
Alfazema muilo nova e limpa a 32o rs. a
libra.
Azeitonas muito novas a 2;ooo rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. a libra, e 4,4oo rs. a
arroba.
rs. a libra, ha latas de 1, i1/* e 2 libras.
Ma?a de tomate em latas de urna e duas li-
bras, a 6oo rs. a libra.
dem para sopa estrellinha, pevide, rodinha,
etc. a 3,5oo rs. a caixa e t6o rs. a libra.
Macarro, talharim e aletria a 4oo rs. a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinhas com rolha de
vidro a 64o rs. cada urna.
a l.ooo rs.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato Marraschino verdadeiro de Zara
Antonio de diversas qualidades, em latas
de 6 e de 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a
lata, e 64o rs. a libra,
dem ingleza em latas de 2 e de 4 libras
das melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs.
a lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em caixas de 2 e de I arrobas a
l.loo rs. a arroba. *
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo
a garrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em bitas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro, ga-
rantindo-se a qualidade, a "oors. a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a libra, e
6,5oo rs. a caixa.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes qualidades, sabel, corvina, go-
rz, cavallinba e pescada a l.ooo rs. la-
ta,
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs. | Palitos para dentes fichadas a 14o rs. o ma-
as meias garrafas. co de 20 macinhos.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li- dem do gaz a 2oo rs. a duzia, e 2,1 oo rs
bra.
dem perola qualidade especial
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPOS
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e Soo.rs. cada um.
PAPEL
[almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me- j
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 25200 a resma,
PAPEL
azul c pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Gorinthias
lias muito nov;
podim a 8oo rs.a libra.
frascos por 6,ooo rs. e 560 rs. o frasco dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran- i cada urna,
des e ll.ooo rs. a caixa com 12 frascos. Velas de espermacete superiores a 56o rs.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada
orna,
dem em garrafes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafao.
a libra, e 52o em caixa.
dem de carnauba refinada e de composic3o
a 36ors. alibra, e de lo,ooo a H.ooora,
a arroba.
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e. outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
passas corinthias muito novas proprias para I VELAS
rwm > nn rS (j^f, de carnauba em caixas de arroba a9,3oo b
!*_,_,._' { caixa e 34o rs. a libra.
1 UT11C Batatas novas
o verdadeiro fumo americano em chapa a i em caixas de 2 arrobas a 55 a caixa e 60 rs.
l,4oo rs. alibra a libra.
\TnaTe Passas muito novas
PRRem ancoretas de 9^nadas a 15,ooo J^^fiS"! lE quart0 6 m
cada urna. | e^LLli.;.
a i ii Chocolate
Ue DOJiaS : portuguez o mais especial que se pode de-
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa seJar a ^^ rs- a 'bra e 140 rs. o pao.
e 1 ,ooo rs. o molho. Frutas em calda
Alrti 0 PiitiAA i chegadas ltimamente, pera, pecego, gima e
xipioui e l ttiiiyu outros muitos a C40 n a ,ata
0 ma'LnV0 d0 mercado a 14 rs. a libra, Dsce da casca da goiaba
e 40400 a arroba. ; a 600 e 15 o caixae.
Os propnetarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
rreguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
Dio e Commercio ra do Qneiraado b. 7
O Verdadeira Principal roa do Imperador n. 40
FRUCTAS
Hit. PERAS V. V-WH
chegadas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes lugares: Ra do Imperador n
40, Verdadeiro Principal-Rua do Queimado n. 7, Uniao e Commercio.
Vende-se
-!'*rna sita Da rua da Concordia n. 02, muito
l-2in areguezada, com os fundos aellas existentes:
a tratar na mesuia.
Rua da Madre de Dos.
Vende-se o segurte :
f. i ha do mandioca, saceos raudes, 42500.
* r.feHo, Saceos grandes, 33600 e 32800.
i-? |y>, saceos gra'ides, 32200.
*'ijao lulatinho, saceos fradcs, 72300.
't'haruto* dn Harnna.
feidQ-e supetiores charutos da Havana em
ftA-de Rabe Schmeltau & C.: rua da Cadei
Fumo imperial
Cortado igual ao francez muito proprio para ca-
chimbo, em tetas de 1 libra, quando nao seja me-
lhor igual ao americano por J2200 rs., para veri-
ficar a verdade os Srs. fumantes podera-se diri|rir
fabrica vapor de cigarros aatiga rua dos Quar-
teis de Polica n. 21.
Superior cal de Lisboa.
Sende-se supefar cal de Lisboa a mais nova oue
ha no meTcadp tanto em porcao como a retaiho,
por barato preco aflancando-se aos compradores a
superior qualidade : a tratar as seguintns ras :
Crespo n. 7,. [mj.cra.lpr n. 28, Forte do Matto ar-
inazein to Sr. \ illa defronte do trapiche do al-
godao.
Salitre refinado, superior qualidade, Tinho Bor-
deaux, differentes qualidades, mais barato que em
rlquer parte : no armazem de K. A. Burle A
roa da Cruz n. 48.
Fartura de sabonetes
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira qualidade a
i0# a lata : nos armazens da roa do Im-
perador b. 16 e rua do Trapiche Novo n. 8.
Attenco.
Vende se soperior vintw do Porto em caixas de
urna dezia : em easa de Johnston Pater & C, rua
do Vigario a. 3
a libra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4oo e 2,6oo rs. a fibra. *
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a i,3oo
rs. a libra.
dem preto homeopathico 2,ono rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, suisso e hespanhol a
i.ooo, l,2ooe I.4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furia
do de Simas e outros da Babia como se-
jam Regala, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l,6oo, 2,000,3,ooo e
4,000 rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a 5oo rs.
Cognac inglez e francez a l,ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Gravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.800,
5,ooo e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,5oo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,000 a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba a 600 rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 160 rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo rs.
cada urna.
Graixa nova a loo rs. a lata, l,Ioo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada urna.
dem em garrafes de i 6 garrafas a 4,800
rs. com o garrafao.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade soperior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem do laranja verdadeira a l.ooo rs. o fras-
co, e U.ooo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida Suissa a
l,8oo rs. a garrafa.
a groza.
a 2,7oo rs. Painco muito novo a 16o rs. a
libra,
e 4,5oo
rs.
rs. a arroba.
Queijos flamengos lo ultimo vapor.
dem pralo muito fresco r, 800 rs. a libra, e
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em pofes de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Sardinhas de Lisboa e de Xantes a 600
a meia lata, e 4oo rs. o quarto.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sardinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a I oors. alibra.
Toucinho de Lisboa a 24o c3oors. a libra.
Tijolos para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira das
marcas menos conhecidas a 4oo rs. a gar-
rafa, ea 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira expecialmente escolhido neste
lugar a 600 rs. agarrafa, e 4,5oo a caada.
dem Lavradio, Colares muito fresco sera
composicSo a 6oors agarrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a .*>6o rs. a garrafa,
e a 4,5oo a caada.
dem Porto fino em pipa a 060 rs. a garra-
fa.
dem engarrafados generoso?, Lagrimas do
Douro, Duque do Pono, D. Luiz I, D. Pe-
dro V, Nctar, velho secco, Malvazia, e
genuino particular de 9ooal,2oers. a gar-
rafa e a lo,ooo rs. a caixa com urna duzia.
dem Madeiralegitimo a l,2oo rs. a garrafa,
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a looo rs. a garrafa.
dem Bordeauv dos acreditadas marcas St.
Julien St. Estepa, chteau la Roze, chatau
Margoux e outros a 6,000 rs, a caixa e 56o
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida eslomacal a 2,ooo
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e l,4oo
rs. a caada.
Mem em garrames com 5 garrafas a l.ooors.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna,
dem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Vellas de espermacete superiores a 56o re.
a libra, e sendo em caixa a 52o rs.
dem de carnauba refinada e de composicao
a 36e rs. a fibra, e lo,5oo c 1 l,ooo rs. a
arroba.

A*Aguia Branca receben um completo sortimen-
to de sabonetes, e quer distribui-los com toda a sua
freguezia que compra a dinheiro vista, por isso
os est vendendo pelos baraiissimos precos de 15
OO, 1A500, 2, 2300 o 3 a duzia, sendo es-
tes da euros e com diversos moldes e figuras, e
outros transparentes a 2*300, 34 e 40000 a duzia. ja-Flor, rua do Queimado n. 63 *69.
Estes aceommodados precos servem bellamente,
para que lodos lavem suas maos, lencos, ele., etc.,
com cheiroso sabwnsie, e urna vez qua baja dinhei-
ro, dirijam-e rua do Queimado, loja d'Aguia
Branca n. 8.
Bichas hamburguezas.
Na rua Nova n 61 d.'fronte da Illma. cmara
municipal, vendera-se constantemente bichas novas
por meos 25 o cont que em ouira qualquer par-
te : reeebem-se por, lodos os vapore?.
Balaios para meninas
Lindos labios de varios gostos para meninas
trazerem no braco : s se encontra na loja do Bei-
eitnado n. ti e 09.
Extratos e sabfto em eai-
xinhas
Lindas cantabas com um carlao com a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco ou sa-
bao o mais fino qne passivel: na loja do Beiia-
Flor rua do Queimado n. 63 e 69.
Vcndora-ge duas negras, urna perfeita cuzi-
Bkeira e engomma alguma coasa, e oulra boa quiJ
audira Cincto: as Pomas d. 80.
XAROPE TNICO REGENERADOR
DE QUINA E DE FERRO
Preparado por tHiMAU.T e c\ pharmacentcos de S. A. I. o Principe Naoolea laaud
da Escola de pharmacia de Paria, roa de la Feuillade77.
Rata nova combinaco rene debaixo de om pequeo volme urna forma acradavel e um coito Mkhm.
Ha uuutu que o medicas eMjav&o udentemeote a reuoiao denles doui ^Ti, 2%, ^T; ,
dos maiores Mforcm, ncm a scicncia medica, nem os qumicos os mal. diatmctoi^'noderiS^iaaSur '
a aqu; graca* porcm i peneveranca humana achao-ie hoje asMctada' tai duas i^r^iSSS-
a. a q.l... o tnico, reetanndor por excelencia, o fer^, ibiTde^L^^^SSS-
rnente o reparador dos fwtag e da Mude alterada ou perdida aangue, "WP""-
a-^rfffSaSi^
pxr&d&^
pilcado o. h^eltaes ae Paria, t i elle
medicamento ferruginoso oonhecl das.
da Academia de Medicina a profeasarea
. conservador da sauda por exeeHencia.
preservativo das epidemlu. ~" Wta*-*^ P*" WUo ^IM V^^SSm
.^0; *J.el!^l!?.|e^, em P0"'*. Pharmacia snu c Vua de la VaadOhaX ,
em Usboa em caza do hnr .*h ct-cJrwl. rr.l e O, no>orto. na pharnucia do
SSa. V? n,L ***** >rt*ir; no io-de-Joaero, em casa da viava reiiato Mni>, roa da
Mcao.ii; na floftw, em easa do Sfir i >nr Joaqun de G.aoy, no Maranh, em casa dos So Forreara e O; em lernombuco, em can
i.- ?'I!L,"^UM""Fr^c,*e# "! em casa 4* SQrs simo e c, o bera assn as atta-
cipaea pharmaclai do Bratil e de Portugal. T
Deposito geral era Pernambuc* rua da Cruz n. 22 do emcasaCaroo di Bwbow.


ILEGVEL


M
H|ppaiHiv^VVM|p
Diario e PwMHbuao Terca lelra 13 e fteeiubro t 1 %*.
-i. ...
flO PUBLICO
Sen o menor constran-
glmenio se entregara o
Importe do genero que
u5o agradar.
ftTTEHClO
ARMAZEM UNIAO
Os preco da seguate
tabella para todos, po-
dendo asstm servir de pa-
se para o ajuste de contas]
con os portadores.
RCANTIL
RA DA CA1IKIA DO KECTFE 3tf. 53o
(Logo passando o arco da ConwifSo)
Cirande redueco de precos, equivalente a dez por cento menos io que outro qualquer
annunciante.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o preco da manteiga ingleza a I.ooors. a libra, Lem assim o de outros
mnitos objectos, etc., dando com islo ocasiao a todas as espeluncas acabarem porbom preco a manteiga de tempero, e gritaren) em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo!! 1 Oca, eu offendido com estas obscuridade* e receio>o em adoptar o mesmo
systbema que vim encontrar, des se vender com um por cento a carola, resolv finar esta grande redueco de precos, como veris,
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momnravel arniazem de molhados Uniao Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a n5o ser o de l,4oe a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redueco a que
est3o obrigados, encarando todos os dias de seus fregueses reclamacao de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mal informado deste novo estabelecimento. para lbe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu
to somonte obler a concorrencia de^eus freguezes.
Para Iicm de todos.
duarteIvimeida?
I No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coelho,
Itua do Qnaddo n. 19,
Vndese o seguate:
Atteneo .-,
Ricas laazinhas, fazenda a melhor que lem fo-
do ao mercado, tanto em gosn, rom,, em to-
do, pelo baratiss.mo preco de 560 rs o cuvado.
Hilas mmriinhas earmnSiw, |.ro[.rias para vesti-
dos de meninas e camisiuhas a 640 o covado. i
Cortes de laa com 15 covados, pelo barato preco
de 63. .- *
Cobertas de chita da India a 2.3:O0 e 3$.
Lences de panno de linho a ii e 24500. \
Pecas de cambraia de forro com 8 li2 varas
3,5200.
Toalhas alcochoadas proprias para nios a 53 a
du/ia. '
Ricos cortes de laa com barra Maria Pa al
185. *
Pecas il platilhas de algodao com 10 varas,
proprw para saia a i<3.
A'godao entestado com 7 1|2 palmos de largura
a 1*100 rs. a vara. I,
Esleir da India, propria para forro de safa da .
i, 5, e 6 palmos de largara, por menos preso do
que em outa qualquer parle.
Neste estabelecimento tamhem se encontrar .
um grande sortimento de roupas feitas, e per m-
dula.
Um confeito e especifico para
expellir os Vermes.
Acaba de receber de sita propria encomuienda um grande e variado .-.ui luuuiio
Senhores e Senhoras o aceio que presidie, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromplid5o e entei- de molhados todos primorosamente escolhidos, por Isso apressa-se o propietario em,
reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me dar3o a proteceo e preferencia na compra offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
dos gneros que precisarem, e quando n5o pocam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratices, pois \ resumidos precos, afiancando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
serao tao bem servidos como se viessem pessoalmente, bavendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao vSo em nutra parte, j mazem.
rs. e em barricas* 4 duzias se faz abat- Antonio de Lisboa em latas com 6 ibras Amendoas confeitadas de 8oo rs. a libra.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escomida a 8oo rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a ioo rs.
Cha bysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo. rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
oeste genero 2,6oo rs. .
dem preto homeopath ico por ser de superior
qualidade a 2,000 rs. a libra.
dem hysson, huxim e perola mai* proprio
para negocio o l,Goo, i,800 e 2,000 rs. a
libra, garante-se ser muito regu'ar, igual
ao que se vende emoulra parte por 2,4oo
e2,Goo rs.
Lioguicas, chouricas e palos em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a J.Soe rs.
garante-se serem superiores aos que vera
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e 1,000 e Goo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a 1,600 e I,8oors.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e lavas porluguezas em latasj pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo c 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
1,000 e I,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinhas contendo 6 libras
por 4.000 rs., carante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmo, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,000, 7,ooo c 8,000 rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco.
ment.
Caf do Rio a 26o e 28ors. a libra, e 7.8oo
e 8.5oo rs. a arroba.
dem lavado deprimeira qualidade a 3oors.
a libra, e 9,ooo rs..a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 2 io
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranho a loo rs. a libra, e 3ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loors. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tmale em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e lalberim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendareis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e cm caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas unperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de I e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deverses
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, el;8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 800 rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa om 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,000 a duzia.
Vassouras de escova para eeregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a ioo rs.
Lentilhas excellente legme para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a I.ooors. e 11,000 a duzia-
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o maco.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Manteiga inglesa perfeitamente flor, a 800 rs,
' libra.
dem franceza a 56o rs. a libra, e 52o rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras!
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,700,
Licores francezes e pertuguezes das seguin-:
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, araen-
ua amarga, percicot. de Tu^in, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja. cidra, gui-
ja, canella, cravo, ortela pime-na a 1 .ooo
re. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado, i
ias Vermfuga*
DE KEMP.
Os meninos a pedein :'i gritoe, porqi.
ellas so de choiro, sabor e cor agrada-
reis. A elegancia, a segundado de a*-
cao, o iuofl'ensivo das
*

?
I
*
4
t
?
I
*
Mera hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a PaoHIhaa TTarmfio-Qo A* Tcmn
dftseiar a t fion a A R lihras nara rima 9 nnn r n nnnrtn R Knn a caiv:. p Ano rl'luldE> VerHUlUgaS Qe ABfBfi
Vinho de pipa P01 to, Figueira, e Lisboa a.32o,'Cerveja branca e preta das marcas mais a-
aa A ^iiA re a n^irrafi im^iniHa n 'aa *..,!:* ,,1^ *,,,., <-,.r,-\ da TOnrn*dA f aaa t.
Genebra de llollanda a 56o rs. o frasco,
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Altona
4oo e5oo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
3,000 e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a ioo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3.000 rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio tino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs. e a 9oo e l,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor eonserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
frascos grandes a I.ooors. o frasco, c
U.ooo rs. a duzia.
c; Passas muito novas de carnada a 4oo rs., a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras,
cm;Figog de comadre a 2io rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
dem de Holianda em botijas grandes a 4oo: Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
5,8oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
r.harntKdotodososfahricantfts da Bahiaedas
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3/>oo,
3,ooo c 3,8oo a caixa de loo charutos,
das melhores marcas a
' .. Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
Doce da casca da guiaba em latas de Drut0 a 4>000. r8.
bras por 2,ooo; dito em caixoes a 600 rs. Mem jnie,.as em barricas amis nova do
Cognac
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a.ooo rs.
dem menos superior a 2,400 e de 8 libras
para cima a 2,3pors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a % %, 3.000 e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,800 rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a 1,5oo
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a i,000
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem prato es.melhores e mais frescos do
mercado a 800 rs. a libra sendo inteiro.
Gcnebiw marca gato a 1.7oo rs. a garrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguin tes
marcas: Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine eoutrasmui-
tas a l,3oo e I,ioo rs.
l'injno americano em chapa a 1,600 rs, a
libra.
Ararata de todas as qualidades.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 3$ a
caixa e 60 rs. a libra*
mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a \ Chocolate portuguez o mais especial que se
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba. pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa; pao.
e 4,8oo a caada. Papel de botica de excellente qualidade a
Banha'deporcorefinada a ioo rs. a libra! 21oors. a resma.
e 36o rs. em barril. I P('t<-S com sal refinado a 48o rs. cada um.
Capil de diversas frutas muito frescas a! Bicos frascos com frutas francezas em calda
6io rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e ilvo a. Fro,as m calda c|iegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a I2o rs. a
Por| lata de 2112 libras.
2,ooo. rs. Foijo verde em bages em latas a 64o rs. a
a melhor que se pode desrjar de l,4oo a
3,ooo o frasco.
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras
Cebollas soltas a 1,400 o cento ; ditas em
molbos com cento etantas por l,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
AGENCIA
DA
FUNGI LOW-AOMOOE.E
Ra da Senialla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
nm completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas pan
lavar roapa: em casa de S. P. Johnston 4 C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
Vinho do Porto superior
dm caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
cer Aotonie Luiz de Oiiveira Azevedu & C, no seo
escriptorio roa da Cruz n. t.
i*mwm mmmMwmm
Fabrica Concei$o da
Bahia. I
Andrade de Reg, recebem constante- 5
mente e tem venda no seu armazem n. j9
34 da ra do Imperador, algodao d'aqnel- ^
la fabrica, proprio para saceos de assn- *
car, embalar aieodao em pluma etc., etc., fp
pelo preco mais razoavel. <
ARHAZGM
FRONTEIRO
DE
ALVES COUTINHO 21Largo do Tergo21
Ao publico.
Chouricas muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a l,ooo rs. a libra;
ameixas idem ; alpista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do Maranho e da
India de 8o a ioo rs. a libra, e em a arroba de 2.6oo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a 1 ,ooo rs. a garrafa e cm porrao, menos; idem de barris a C io rs. a garrafa, e em cana-
da a 4,8oo rs. ; banha de porco a 4oo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
novas a io rs. a libra, e l,2o)rs. a arroba ; cha perola, bysson, miudinho a I,8oo, 2,4oo Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
lata.
Pozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 6oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca, Por-
to superior D. Luiz I, e ontras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo,ooo e
l.ooo rs. a garrafa.
dem branco de. uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs. a garrafa e 3,2o rs.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e ooo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
garrafa e 3,ooo rs. a caada.
m ^
le 2,ooo rs. a libra ; charutos des melhores fabricantes da Bahia de 2,ooo e 4,ooo rs. ;
cerveja branca e preta a 5oors. a garrafa ; cravo, canella, cominho eerva-doce, conser-
I vas inglezas em frascos e meios de 5oo a 9oo rs.; cognac injflez superior al,ooo rs. a
garrafa ; caf de 1.a,
; nha a -oo rs. a libra
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,
le em a arroba a 6,ooors ; genebra de laranja a l,ooo rs. o frasco; idem de Holianda
composico a 560 a garrafa e i,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana
a 240 rs. a libra.
2.a e 3.a qualidade de 8,5oo, D.ooo e 9,5no rs. a arroba ; cevadi- Ricas caixas com figos a l.ooo rs. cada urna,
ervilhas portuguezas em latas de I '/j libra a 7oo rs.; spermacete Ricos livros com figos -i,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Ciomma de mandioca
Vende-sc na ra da Madre ae Dos n. 38,
mazem.
ar
a libra ; uem iranceza a ooo rs. a uura, e em oams a 02o rs.; maca
de tomate a 6oo rs. a libra; marmelada dos melhores fabricantes a 6io rs. a libra ; ale-
tria, talharim e macarro a loo rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a I.ooors. cadafras-
Superior eal de Lisboa co; nozes mofa novas a 2oo rs. a libra ; passas a 4oo rs. a libra ; pataco a 16o rs. ; po-
Vende-e soperior ral de LUbna a mais nova ma(ia a 24o rs. a duzia; pimenta do reino a 36o rs. ; papel ahnaco e de peso de diver-
nneHa no nereado tanto em pygoewno a reto- sas marcas; pi,tlos 0 gaz a 2,2oo rs. a gr..sa e 2o rs. a caixinha ; ditos de securanca
SrJSSrSgSeTr^r. SS individua. ; 20 ^ 73* m rs. o maco ; queijos flamengos do vapor a%o S
tes mas: do Crespo n. 7. Imperador n. 28, Fort- cada um; cevadraha a 2oo rs. a libra; sardinhas de Nanles de 4oo a H4o rs. a lata; -sa-
do Mattos armazem doSr. A villa defronte do ira- |,0 massa muito supeii- r a 2oo rs. a libra; toucinho de Lisboa multo alvo a 3oo rs. a li-
pidie do algodao.
* a 6io rs., e ioo rs. a botija; graixa em latas a l,2oo rs. a duzia ; manteiga ingleza per- Garrames com 4 '/* garrafas de vinho supe-
fcita flor a 8oo rs. a libra ; idem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maca rior a 2,5oo rs. com o garrafo.
dem com 4 '/* ditas de venagre a 4 ,ooo rs. o
garrafo.
Vinagre PRR em ancoreUs de 9 caadas a
15,ooo rs. com a ancoreta
dem em pipa puro sem o batismo a 2oo rs.
a garrafa e I ,ioo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
dea fazenda muito especial a 6,8oo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
bra; vinho do Porto velho engarrafado a l,5oo rs; idem em barril-a 8oo re. a garrafa,
Ba da Senzalla n. 42. sendo porcSn fa/.-*e differenca eemeanada a 5,ooo re.; i-tem de Lisboamaitosuperior a
Vende-se, emeasa deS. P Johnston & C, 4no rs. a sellins e silhoes iuglezes, candieiros e casti- 3.6oo rs. a caada; idom do E^reito a 36o e 320 rs. a garrafa e em caada a 2,86o;
caes bconzeados lonas inglezas, to de vela,, idem Borteama Srtots. a garrafa ; em branco de Lisboa, proprio para mis
Chicotes para carrose montara, arreios para a garrafa; vinagre de'Lisboa muito superior a 2oo rs. a garrafa, e l,ioo rs. a caada ,
carros de um e orno patente ioglez. I ea.l.s a.ir rb outros muitos generes quedesnecessario menciona-los.
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem coriotbias proprias para podim a 8oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novaa 16o rs. a libra.
Grao de hico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra.
Chouricas e paios muito novos a64o a libra.
Caixas de traque n. 1 a 8500 cada urna. |
Massas para sopa macarrSo, talharim aletria
a ioo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e8oors. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven-
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranho a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da india muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty-a 9,5oo rs. ar-'
roba, e 36o rs. a libra,
dem de sebo muito dura fingindo esparmace.
te 36o rs. a libra,
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e em I
caixa a 52o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
Idemalmaco pautadoelisoa3,ooors. a resma,
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma,
dem a zul de botica ou fugueteiroa 2,oo rs.
a resma.
A PAK DA SA

f
i"
t
k
t
Composico exclusivamente Vegetal,
sao estas pois as suas melhores e mai
completas de todas as recominemlaccs
que se possa fozer e com justa razao a
colloco na categora d'nni favorito ttii
versal.
A superiorklade das
Pastilhas de Eemp
sobre todas as preparaces destnadaB i
para o mesmo lim c devido sna mm-
pies composico o 6eu aroma agradar
vel e rapidez e iufallibilidade cor *
que alcanca a destrnico total das
L O M B R I G A S.
venda as boticas de Caors & Barboza.
roa da Cruz, e Joo da C. Bravo de C, ra -
da Madre de Dos
CAO "^ Idememb.uIhodei,2ooal,4oore.areSma.:Heyimen,' pa' ,,a 'a,,eia d' "ft
V
libra a
Ameixas francezas em latas de 1
l,2oo e8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l,ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Molhos inglezes a 8oo e 1 ,ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 6oo rs. a garra/a.
Mem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,ooo rs. a duzia'e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas mnito novasal,ooo rs. o molho e
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a ioo rs.
dem em garrames de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs o macinhosa 12o rs. o masso.
Cominhos mnito novos a 32o rs. a libra e
1 o,ooo a arroba.
Saga muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Francas 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
uro b 3
Gomma a 28o rs. a fibra e 5,4oo a arroba.
Peixcs em latas al,ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a i,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 6oo e l,ooo rs. o
cai.i5o.
Vende-se um
seis liteiros c um
prego.
num-i'o 50.
balcao de amrHI muito bnq
registro de gaz, por eommB
Hoa da Senzalla Nova n. 42. >
Neste estabelecimento vendem-se:tachasd3
ferro coado libra a 110 rs., idem de Low
VJoor libra a 120 rs.
ESCRITOS FGIDOS.
SB'

Fugio na noite de 23 do corrente julho do
1864 o eseravo ua, preto, crioulo, de 26 anoos,
baixo, con>o regular, beic\>s grussus e e.-tu fados,
o>llias n'i|iirii;is, e rachaeo cnmaQ, pouca LkiLa
l'oniue lf io apenas na punta do (jueixo, levou duas
calcas, una hranra e outa de castur escuro qn
paiei e preio, de hstras, |ialetot preto, sem camisa
e rom oiiiii crfi-aiiur.i encarnada na cabcea, a lata
de marujo: quem pegar leve-o ra Direila a,
54, que ser generosamente recompensado.
O proprietark) do grande armazem Uniao e Commercio declara aos seos fregu
zea e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipidou
idem branco de Lisboa, proprio paca missa a lu iV I os mesmos precos nos Beguintes lugares: #
TJnilo e Commercio ra do Quemado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
Fugi.i na tarde do dia 16 do rorrenle nm
escravo pardo, de nome Marees, desenihari-ada
do hiate Si/a Arma, vindo do Aracaiy, -leudo
de idade 28 annos pouro mais ou menos, eos sig-
naes seguintes : altura regular, secro do eorvgi
pi-ura barlia, rabello cres.m, levou ramisa
calca de algodausinlio de risrado azul e-har
p> de pallia, leudo lerado romaigo urna tnuaa
com mais ronpa, e 6 rendido de urna da- verithas;
qiit-ii) o ai-preender queir^ leva-to a ra da Madre
de Deus n. 38, ou ra do Brum n. 53, que ser
recompensado
Fngio do enpenhn Guerra de luojuea m es-
cravo de nome Jos Mnniz, e>ialur > tiaixa, e
crioulo : qurm o apprt-hender on der noticia no
ditn engenho, oo na ra da Anroif em rasa thrSr.
Elias liaidi-ta da Silva, ser generosamente ra-
conipensado. _
No dia 5 do corrente setembro de lfW4 fngu
da asa de seu seiihor, o escravo H-n ulano, lard?
escuro, com 3o annos, alto, cabeJIns carapinhos,
olhos e orelha- pequeas, fui com a barba raspada o
mesmo quand est grande lem apenas noqnetxa
e-u*a enia.t de bignde, perna e an |n*ra-
manvue, tend o p esquerdo lorio t sabido i>an)
fra como pata de seri, c por isso pueha alguca
Cusa p> la i erna qnaivlo anda, levua v. stidoramfsl
de chita parda e cale de ra*tor salob-ari* di preto,
levando na cabeoa chapeo de iaiha i#nalmente pia-
lado de ureiu, sui>i'5e-se andar aqui mesmo na ci-
dade : quem o |ieur leve-e ra Direiu a. 51
que ser generosamenle recompensado..


" .. -----------:


niario de PenuaKtf Terea lelr H13 te UtieOrt de 1 I.
LITTERATORA.
IHtFALUAIt.
AO ME!! AMIGO DONNADIEf,
Guwda-bantkiiti dn na fuctntauro.
(Continuagao.)
Celcorava-se ah um casamento campestre
rm odia ora mal escolhido rara tal festa.
po-
Ti-
fazem Mordeille e Surcoaf; podes tambem recru-
tar em Bengala o qae por i resia de Francezes de
DupJeix, e conquistar o Mysore; podes fundar uraa
colonia e fazeres-te rei de alguma ierra. A Asia
grande como metade do mundo.
O que I falla nao sao reinos, sao reis brancos.
Ha res rr de cobre no Decan, cor de caf cm
Solo, cor de eslanho em Borneo, cor de bano em
Madagasrar : a cOr branca a nica excluida dos
lironos da India.
libara viudo trisles novas da batatha, e os Ilespa- E< m inHiho fetQ Europa el|es p5e de par_
alios, nosso:, bons alliados. quo tinham os seos lo os brancos como nos fazemos ao donWeWanc do
/lavijs era couimum cora os nossos, mteressavain- omin,
so como dos pela batalha de Trasigar. Imagine-
so o acolhimenio que os convidados da boda fa- E lempo de dar-se urna l.cao a esses selvagens.
fiara nos dous offieiaes da Buccutw.ro. Antes de W representar um papel nessas Ierras, ainda
lies Tazaran pergunta alguma, trataram de prodi- <> sei qual sera. Escolhers conforme as circuios-
Calisar-llies os cuidados que exiga o estado em tanc'a*> local.dadc te ha de inspirar.
sarfe tudo ; mas Donnadieu e Tonin nada aceita- disse Tonin nao me parece man o que me pro-
am, recusaiam ci beber um copo de xerez e poes. demais, gosto do mar, son apaixonado pe-
fKlT a ruupa mulhada, vestindo a que Ihes ofe- las viagens, e estou sempre sequlosode novidados,
e-ki a hospitahdade. Aceitaremos tudo, dizam sou curioso como um guwnn (urna verruma.)
ellos, c daremos noticias deTrafalgar, depois que Qual o risco qne corro? Nao me sahir bem I
#artrcm os barcos e os pilotos para socrorrerem Ora, se todo o mundo se deixasse levar por esse
jiara os vencidos.
A' sobremesa.os cerebros aeharm-se exaltados ao
ultimo ponto do enthusiasmo, sem distlncgo de
sexo. As sombras da noule corneja vara a descer
sobre as copadas acacias do jardlra.
O conde Marliani, talvez iniciado emalgum myfr
OS navios que se acham em perigo e que nao po-
C;m entrar no porto de Cdiz.
Inmediatamente os mais ageis e mais mocos
tomaran o caminho da cidade, para irem commu-
uucar o eccorrido a> capitiio do porto.
Donnadipu e Tonin vestirn entao as mapas
catalas, que servem em lodosos corpos, qualqucr
que seja a altura o a corpulencia : formou-se um
Circulo a roda delles, c Tonin, ainda qne mol
^oaco versado na liugua hespanhola, calisfez o
grande numero de perguntas que de todos os lados
fhe irigiam. A nWte do heroico almirante Gra-
*;;... causn profunda sensacao e fez derramar
ifrgri.nas. A conversa ter-se-hia prolongado at
amanhecer; mas tiveram pena aos dous mari-
. isheiros, exhaustos por tantas fadigas, e o dono da
. posada ievou-os para os dous melhores quartos da
cas-, oude com o maior prazer serviu-lhes urna
ceia, que por acaso, e por ser dia de noivaJo era
encllente : coura rara na Hespanha.em 180o. Po-
. ^f.T. como a necessdade de repouso e de somno
era mais imperiosa do que a de comer, nao fui
%on2 a sessao da mesa, eos dous amigos, cedendo
ao peso das palpebras, e febre que Ihes esclda-
la a eabeea, bem depressa adormeceram.
O cuidado, que agiiava o somno de ambos, fe-
. f acordar mais cedo. Apenas abriram os olhos,
r udngaram da sorle da sua querida Bncentuaro.
C 9jje se Ihes referiu, arrancou a ambos um grito
Srafalgar; dos quatro navios, retomados por Gos-
Jmao, s existiam os noracs; a furia do ocano os
precipitara de encontr aos rochedos, o a praia
CStava coberta dos seus destrozos.
Oh I exclamou Donnadieu, que desgrana
- norrnr Latonche-Treville no momento em que a
csqnadra levanta va a ancora Era um almirante
feliz, e na guerra assim como no jogo preciso
f.: felicidade para ganhar as partidas.
-^ Teus razo, disse Tonin ; Villeneuve va-
#eflM coi a espada de S. Paulo, mas o scu iodo
continuamente calda um De pro funds. Noh a tou-
4:< yiscas. (i)
Mea Deus proseguiu o guarda bandsira
t j: -nde na testa, a marinha da Franca est perd-
Ca por muito tempo I A proposito, disseste-
-cic que te lembrasse una cousa.....nao sei o
(ne.
&m___ verdade, esquecia-me disse To-
Ain...... Quero que me des um conselho I......
|w!p.".2iro que ludo tica sabendo que percebi hon-
4m urna tierau^a----
Avultada ?
t Nao sei___Deixa-mc fechar a porta cha-
Ve...
E ao passo que referia os promenores da morte
le Dervicux, desatou a cinta, abriu-a, e espalhou
*m cima da cama, urna grande quanlidade de
odas de ouro.
Sao oncas, disse Donnadieu.
Vamos conta-las sem fazer barulho, repli-
cou Tomn; e quanto vale urna ooca ?
Quatro labes poaco mais ou menos, creio
eu; nuuca possoi nem urna na minha algi-
%eira.
Quera dir que ha tanto ouro neste mundo !
lisse Toniu.
feos aqui 8 9,000 franco?, continuou Don-
cadieu depois de ter coDtado o dinheiro.
\ Entao posso declarar guerra ao grao-turco,
lsse Tonin.
E recommendaram-te que cora isso fizesses
tima obra til Franca ?
Sun, meu aspirante ;
Ciso dos leus conseluos-----
4e de Marselha, declarou
receio, nunca tentar-se-bia cous alguma ; a piro
ga nunca chegaria a ser um navio de tres cober-
tas, e a flecha, urna bala de trinta e seis. Pois, est
dito, dobro o Cabo.
Bravo I Tonin.
- Mas, esta, meu aspirante... eu nao sou ne
nhum palmipede ; preciso das azas de nm navio
para cortar o trpico. Se embarco sob pavilho
hespanhol ou francez, e arrisco-me a ser apprehen-
dido e levado ootra vez para os pontOes, a bordo do
navio inglcz nao me recebem como passageiro, que
dizes ?
A merenda transformou-se em um banquete da-
do pelo conde Marliani em honra da victoria de
Cosmao. Esgotaram-se os vinhos da Hespanha em
brindes ao hroe Breto, a Lncas, alnfernet, a Lan-
glade e & memoria dos marinheiros morios nesse
Caso-rae, e don os meo filhos para servirem
Franca, que agora mais do que nanea precisa de
defensores. i
Donnadieu soltou ama gargalhada.
Como arranjas isso I Pensas que procedendo
dia fatal e glorioso tanto para os vencedores con assim, correspondes s intencoes do pobre Der-
vieut ? Entendes que vingas a sua morte, casando
com urna moa bonita? E' nm sacrificio muito me-
ritorio t Ora reflecte... escuta a voz da tua cons-
ciencia, meu amigo, a tua consciencia de hornera
de bem, de official I... Nao me respondes ?
Tonin pegou na mo de Donnadieu, apertou-a, e
terio, veio sentar-se junto de Donnafen para tra- 1uando ia resPn e para Isso que pre-
0 Sr. Roux, negocian-
guerra Inglaterra,
e..
- Bem sei, disse Donnadieu interrompendo-o ;
as o Sr. Roux era o homem mais rico do univer-
so, possuia urna fortuna de tres milhoes.
E eu, sou pobre agora ? perguntou Tonin
com a maior ingeDuidade.
Tu nem conheces o valor do dinheiro, meu
smigo.
Nao posso conhecer aquillo que me desco-
tihecido, isso verdade ; nunca tive senao nma
tnoed de vinte e quatro sidos, que reservei de
cm vale de quinheulos francos quando ajustei as
niinhas comas com a repblica. Mas o que me faz
suppor que sou muito rico, que sempre ouvi di-
ter que o general Bonaparte, quando toraou o com-
mando do exprcito da Italia, s tinha em caixa mil
Juizes, e parece-me que nao ha grande differenga
entre a sua fortuna e a minha.
Espera I despertas-me agora nma idea, meu
Tonin... Nao pensas agora senao em batalhas ?
Oh I respowieu Tonin, dando um murro na
cama que a ta estremecer, estou damnado ; que-
ro todos os dias um Inglez para o meu almoco.
Quero comer dez mil francos de Inglezes : nma
bra til Franca. Se todos os nossos fizeram o
tnesmo, havero somente Francezes na Inglaterra,
c Trafalgar ser vingada I
Pois bem, Tonin... que edade tens ?
Vinte e quatro annos.
Es valenle 1
Como nm Torco.
Tens sade ?
De ferro.
Tens o pulso forte ?
Como um cabrestante.
Nao temes ?...
* Senao a vida.
E gostas do mar ?
< Gomo um tubaro.
Acharemos em Cdiz urna embarcacao neu-
tra ; encarrego-me de arranjar isso. Vamos pas-
suiar ao porto, conheco Cdiz, como Touion.
A cidade apresentava extraordinaria animagao.
Ouviase por toda a parte a palavra Trafalgar ; o
povo apmhava-se no caes esperando noticias. Sa-
ia-se que dous marinheiros francezes, depois de
terem feto prodigios de valor e do dedicaco, ti-
nham chegado trra a nado, para pedirem pilo-
tos da barra, e que brevemente ver-se-hiam em
Cdiz esses dous intrpidos hroes de Trafalgar.
Assim qoe elles appareceram, foram immedia-
meote reconhecidos e saudades com enthasiasticas
acclaraacoes ; Cdiz a cidade dos jardins areos,
lancou-lhes flores de todas as snas saccadas e ter-
rados, e as bellas Andaluzas deixaram os leques
para applaudi los com palmas.
As irresistiveis instancias das nobres hespanho-
las, Tonin repeta a narracao da vespera, como
Eneas o Dido iterum audire labores. Mas desta
vez o bello auditorio excitava a loquacidade meri-
dional do joven historiador, que nao se contentou
em esbocar o quadro, pintn exactamente a bata-
lha, animando a narracao com o gesto, com a en-
tonacao da voz, com a expressao de physionomia,
e com o fogo dos olhos.
Passava-se esta scena no pavimento terreo da
casa do conde de Marliani, um dos homens mais
notaveis de Cdiz nessa poca. Havia urna gran-
de multdao no vasto salAo, e mesmo no jardim,
porque as janellas abertas deixavam que de fura
se ou vis c ludo. Entre as senhoras de distineco
que ouviam Tonin com esse febril interosse que o
bello sexo de todos os paizes vota sempre ao heros-
mo, achava-se urna bella e joven viuva que, sem o
saber, representa va era Cdiz o papel de Dido.
Seu nome proprio era Fernanda, mas usava do ap-
pellido de seu marido, um ofilcial de marinha
francez, morto era S. Domingos em servico da nos-
sa repblica.
Urna dessas estravagancias ideas de viuva, fez
com que sbitamente concebesse o projecto de con-
tralor segundas nupcias com esse bonito e valen-
te mancebo a quem queria enriquecer.
Nos nossos dias de calma, quando o cu est lo
do azul e a linha do horisonte pura de qualquer
nuvem, al as paixoes seguem urna marcha regu-
lar e dobram-se a todo o rigor das conveniencias
socaes. Mas, nos dias de guerra e de exterminio,
quando ineerto o dia seguinte; quando a tormen-
ta do cu e a dos homens associam seus horro-
res ; quando urna cidade adormece com medo de
acordar antes do dia debaixo de nma chova de
ferro em braza, as paixoes julgam-se autorisadas
a ter em pouca conta as exigencias, os usos, as ron-
vencSes, que governam a sociedade cm tempo nor-
mal ; cada qual pergunta a si mesmo se vivera
ainda amanhaa, e na duvida, consola-se vivendo
hoje.
Donnadieu escapou-se para nao ouvir a longa
historia de Tonin, e para ir visitar algnns amigos
da marinha. Esleve ausente duas horas, e voltou
casa do conde de Marliani, muito contente por
ter erapregado o seu tempo em proveito do seu
amigo.
Abriu passagem por entre a multidao, manobran-
do com os cotovellos de bombordo a estibordo, e
procurando por toda a parte o seu camarada, des-
cobrio-o a final em um canto da sala, conversando
a sos com nma bella moga a quem provavelmeote
contava pela segunda vez a destrulcao do Iliom
naval, pois os grandes olhos de Tonin despediam
chammas como duas balas, e crozavamse com
dous lindos olhos hespanhes sahidos da mesma
forja.
Oh I meu Deus 1 disse comsigo o guarda-ban-
deira, est perdido o pobre raPz Vae sossobrar
uo porto de encontr a um parcel de setim I
Ouviu-se entao nma voz, aonanciando qoe os
refrescos e o chocolate estavam espera no jar-
dim. Precipitaram-se todos para a mesa, e Don-
nadieu agarrou no braco de Tonin, dizendo-lhe em
inglez : Est ludo promplo.
tonin deixousc levar para ara lado da sala, e
ah Donnadieu Ihe disse :
Em quanto tu fallas, em trabalho. meu ami-
go. Ha no porto um navio dinaraarquez que nave-
ga com o pavilho neutro, e qne est a partir para
o Cabo. Faz-se de vela depois de amanhaa ao rom-
per do dia -, j tomei passagem para ti; nao te cus-
la nada. Podes prestar algnns servicos a bordo ;
amanhaa ters tudo quanto te necessario, tanto
em armas como em vestuario de corsario ou de
lavrador indiano. Ests satisfeilo f
Estou, disse Tonin distradamente.
Parece que nao te agrada muito a noticia que
te dou, replicou Donnadieu.
Agrada-roe muito, disse Tonin com frieza...
Mas espera, aquella senhora pediu-me qae Ihe ds-
se o braco para conduzi-la ao jardim... viuva
de um official francez.
lar com elle de questdes urgentes, e a bella viuva
Fernanda, batendo de leve com o leque na mo de
Tonin, pergunlou-Ibe com affectada indifferenca :
Para onde pretende ir quando sahir de Cdiz?
Minha senhora, respotileu o marinhero-lodo
atrapalhado... vou para.... para en mesmo nao
sei.
Enlo fique em Cdiz. E" urna bella cidade;
o paraizo da Hespanha, com uraa primavera
eterna.
Mas, minha senhora, disse Tonin titublando,
sou homem domar... tenho nma profissao...
preciso que siga a minha carrelra.....se eu fosse
rico...
Ha de s-lo, disse Fernanda, com nm ar de
rainha.
De que modo, minha senhora ?
Fazendo nm bom casamento.
Tonin olhou lisamente para a bella viuva e elle,
que nao tremen era Trafalgar, levou a mao ao eo-
ragao para coraprimir-lhes as pulsagdes.
A palavra casamento assustou-o? perguntoo
Fernanda rindo-se.
Nao, minha senhora..... que... ha urna
cousa... en tenho uraa missao...
Pois bem, desempenbar a sua missao.....
Pde-se saber se essa missao iropede que o senhor
se case ?
Nao, nao impede... iso convm ser Ii-
vre... e solteiro para fazer ama cousa... til
Franga, e...
A mulher com quera casasse nao o impedira
de fazer isso, disse Fernanda interrompendo-o, pelo
contrario....
Ah! minha senhora... qoe se soubesse...
eu perco a cabega.... passel cinco anuos nos pon-
toes inglezes... nao conheco o mundo.. hoje
que comeco a vi ver... morri logo ao nascer
deve laslimar-me.
Nao, nao quero lastima-lo, disse a bella viu-
va com voz enternecida... quero fazMo feliz, vis-
to que nunca conhecea senao o infortunio.
O conde Marliani levaoton-se, e cora, elle le van-
taram-se todos os convivas para voltarem s salas.
A mais completa eseuxido reinava sob as arvores
do jardim.
Urna voz tmida e elisia de dogura mrmurou ao
ouvide de Tonin:
Aceita a mao qpe loe offerego ?
Aceito, responden o mogo.
E apertaram-se duas mos como que para uni-
rem-se eternamente.
Na sala, Donnadieu veiu ter com Tonin, e disse:
O conde Marliani dadnos hospilalidade por esta
noutev isso livra-nos de trabalho de procurar hos-
pedarla.
Eamanhaa ? perguntou Tonin reesioso.
Amanhaa, tu partes, responden- Donnadieu
ero tora multo secco. Vera agradecer ao conde.
taseasiveimente a. rauUil.i se dispersara, resla-
vam ainda alguns amigos ntimos, e osses prepa-
ravamse para retirar-se; Tonin, emquanto conver-
siva com o conde, viu sahir uraa raantilha e rece-
beo um adens de amisade que Ihe enviava nma
graciosa mao e om leque, bem conheeidos.
A's onze horas, esla-vam os dous amigos sos em
om bello quarto que Ibes destinou o conde de Mar-
liani.
(Continuar-se-ha. I
Tonin ja nao tinha esse soberbo deserabaraco do
hornero do mar que parece sempre correr abor-
dagem: achava-se entregue a urna inquieta triste-
za como a enanca que comraetteu uraa falta, e que
receia trahir-se pela hesilago das palavras, e pela
alleragao do semblante.
Doonnadieu disse-lhe com ar molcjador :
Tonin, conheces Gozo I
Gonhego... urna pequea ilha, ao lado de
Malta, disse o joven official, despindo a sua japona
de Barcelona, sem voltar o rosto para Donna lien
Pois Gozo ehamou-se ontrora ilha de Cafyp-
so... proseguiu Donnadieu. J leste Telemaco?
Nao: nanea li senao os cnticos do padre
Laurent, de Touion... Queres que cante o de San-
ta Mara Magdalena ?
Deixa isso para outro dia... Havia em Go-
zo urna moga, nympha de profissao, e ura rapaz
que corra os mares em ura navio em procura de
sen pae, por dever filial.
Vamos fumar o nosso cachimbo antes de nos
deitarmos, disse Tonin. O conde Marliani poz so-
bre esta mesa urna provisao de escolente lamo,
com cachimbos turcos, de biqueiras de mbar.
E' muia delicadeza!
Entao nao queres ouvir o que eu te digo, m-
sistiu Donnadieu.
Falla para ahi, se isso te diverte.
O tal tilho esqneceu o sen dever, o concebeu !
o projecto de casar com a menina Euchars, o pas-1
sar a sua vida nos encantados bosques dessa ilha.'
01 POLCO DE TC00.
Da Imprensa Acadmica transcrevemos o se-
guinte :
8E ELLAS SOUBESSEM !. .
Era um pequeo soto da ra do Nuncio viva
muito pacificamente os treseatos sessenta e cinco
dias do anno, ora rapaz chamado Albano. Digo
pacficamente porque "gastava um desses dias da
maneira seguinte : de manhaa nada fazia, de larde |
descansa va c nouteexcusado dize-tedor-'
mia.
la-lhe a vida em mar de rosas. Nascdo sob a
influencia de ura astro benigno, e fadado por ho-
rscopo feliz a orna existencia venturosa que mais
cedo ou mais tarde havia de sorrir-lhe, poucoou
nada se encommodava com o futuro.
O futuro, diza elle, a Deus pertence, e era
preciso que eu nao teraesse a Deus para intervir
nos seas projecfos.
Fatalista por eicellencia, attnbuia tudo ao des-
tino do homem e nada ao esforo superfino do
mesmo homem.
Quando Ibe rogavara muito, (o que aconteca
odos os dias), almocava com algnm- amigo caf
com lene ne Carcelfer e ia janlar casa dte; algum
prente ou prenla. Os seos prenles colateraes
diseemiaados por toda* a cidade, formaran) se se
reuoissem, orna extensa colonia. J se v que
quanto a certos respeilos nao poda soffrer priva-
goes.
Para pagar o aluguer do sotao, charotos; tilbn-
ry, etc., venda algum objcto. Scu pae, falleci-
do havia dous ou tres anuos, Ihe deixou boa co-
pia de objectos de prata, ouro. bons movis, etc.
D estes objectos deserta va todos os dias nm, de
sorte que ltimamente j iam rareando sensivel-
mente as fileiras, o que pouco sensibilisava ao
magnnimo > Ibano, que tudo esperava da boa
estrella.
Tinha elle um amigo de infancia que o visita-
va a niiudo, ex-companheiro de collegio e pre-
sentemente aspirante a addido de alguma legago,
Paulo, assim se chama va, dtfleria de Albano em
ser rico- e vi ver com os paes, No mais era um
segundo volunte de Albano.
Differiam-elles mais no seguinte : Albano fazia
versos, e Paulo fazia projectos. Um nao pensava
e escrevia; ootro pensava e nb escrevia.
Eslava um dia Albano sentado sua mesa de
escrever, e fazia justamente uns versos quando
entrn- Paulo e principiou assim-:
Consta-me, Alvaro, que andas fazendo a cur-
te a nma pequea I das bandas do Cattete: B"
certoisso?
-.
Urna lourasinha da ra da-Princeza
Sim.
Isaura, erafira ?
Exactamente.
A fleugraa de Albano quasi dl'sconeerlou-o, roas
prosegua :
Entao affirmas qne naraoras a Isaura ?
Afflrmo, mil vezes, se fr preeso. Mas isso
que tem ?
Tem qoe eu suspenda todas as garan-
tas da nossa amisade se insistes nisse. s-um
lonco.
Em que ?
Em arrastar a aza por aquella pequea ; era
dar-te ao destrute ; em fazer o papel de lulo em
im.
Mas qae- tem voc coro isso ?
Tenho muito namoro-a.
Quer dizer : arrastas a. aza por ella; ds-
te ao desfrute, e fazes o papel de tolo, om fim,
nao ?
Nada, nada I Comigo- a cousa difireme.
Ellacorresponde-me ostensiva e offenswamente,
e tenho c. minhas razoes para soppor quo.a pe-
quena bebe os ventos por mim.
Mas nesse caso porque que assim te in-
quietas cemigo ?
Paulo nao responde. Levania-se e piJe-se a pas-
sear pela casa. Ao passar pela mesa em que es-
tivera Albano escrevendo, toma o papel que est
sobre ella e exclama :
Oh I versos. A' Isaura!
Entao esta poesa era anda urna bomba que
proparavas para atacar o reducto fque contas le-
var a botes de endecasytlabos, nao ?
Tal vez.
E esperas?...
Ganhar aacgaosem embargo teu.
E porque o suppoes
Porque, alm de ter j magnificas esperan-
gas at aqui, vejo que tens raedo, e eu nao devo
temer um rival que tem medo.
Eu 1 medo de quem ? de voc ?
De meus versos.
Affirmo-te que nao.
Ora anda la, Paulo ; para que hade voc
querer negar aquillo que salta aos olhos ?
Paulo, perplexo por uns momentos, .muda de
Cala-te. Lembra-te que sou seu prente e que
me ofrendes em face desfazendo nella. Demais,
minha nolva..
Com franqueza : nao te gabo o gi
Oh! divina!
Pois entao casa-te com ella e'deixa Isau-
ra
E' divina, continuou Paulo illudndo a ques-
tao e llogindo-se desappercebido ; adoravel, se-
pirituosa, amavel como um cherublm. Tem du-
zentos contos de ris em apollces da divida pu-
blica.
Duzentos contos de ris exclamou Albano.
petrificado como se soffresse o choque de urna
batera elctrica,
Sim. Duzentos contos de ris, conlinuou
Paulo. Pesa bem o valor deslas palavras. Eu
cedo-t'a cora a condigno que rennnciars Isaura
Duzentos contos de ris, murmura va Albano
como se acerddsse de um somno profundo.
Cedo-la, ouvisle ?
Sim, sim, ouvi. Deixa-me abrarar-e, meu
nico e sincero amigo.
Depois de breve expanso, pergunta Albano
Paolo :
Mas como isto ? dizes qoe cedes-nra, E'
propriedade tua?
Urna conferencia com ella baslou,eu t'o asse-
guro, para por de accordo o gabinete Umbetioa
com o gabinete Paulo do Mendonca.
Nem de esperar que um prximo futuro di-
plmala nao o consiga.
Dize antes : ex-proximo futuro diplmala.
Por que ? Benundae carreir.
Renuncio desde que me case com Isaura.
Dizendo isto dingiu-se para a mesa, t'omou os
versos que aintn ali estavam.
Leu a prmeira estrophe que dizia assim :
Eu tenho zeles da furtiva- aragem
Que tarde passa desusando tmida
Por teus cabellos ;
E do regato qoe te espelha- a imagem
Ifa face lisa, crystalina, lmpida,
Eu tenho zelos.
Onde nao ha ama arvore, observou Tonin com
um sorriso forgado.
Hava muitas nesse tempo, replicou Donna-
dieu. Por felicdade desse fllho esquecido do seu
dever, um amigo, chamado Mentor, estava a sou
lado. Vamos passear aquella montanha, Ihe disse
Mentor.
Nao ha montanhas em Gozo, nem em Malta,
disse Tonin inlerrompendo-o... essas ilbas sao
planas como esta mesa.
Havia nesse tempo, retorqoio Donnadieu.
Cbegando ao cume da montanha, Mentor levantou
': tora, e responde
Bravo ptimo exclamoa dobrando o pa-
pel ; has de agora dar-rae esta poesa. Foi feita
para Isaura e est famosa.
Achas ?
Pots nao. E has de dr-m'a;
Pois nao posso !
Por que-?
Preciso della. Modo-lhe o litlo : em vez
deIsauraponhorobelina, e dedico-a tua
prima, qoe-por certo nao ha de aborrecer a poesa.
Nao sabe o que isso e por isse-eonserva-se
neutra. L- romance, no-folhetim do Jornal do
Commercie. Tem fama o Iliterata nos circuios
que frequeota, e quando a diseasso-versa sobre
os Mysterios- de aPris, TrttMosqueteiros, Tytires
do Diabo ou o Miseraveis, ella discorre como um
Cicero e roeita paginas inteiras de cr; mas, se
por desgraga- sua o theraa modifica-se ero alta llt-
teratura, era. poetas classicos e moderno;, ella es-
capa-se da questo cora urna subtileza que faria
inveja ao proprio Taileyrand.
De tudo isso, observou Albano, deve-se infe-
rir que ella um genio.
Sim, se a compararnos com aquellas que
mal sabem soletrar o frontispicio de qualquer mu-
sica ou escrever cartas de namoro.
Obras primas de grammatica e orthographia,
entre parenthesis.
E de calligraphia, accrescenta.
Mas, voltando aos versos, has de-dar-m'os,
sim! Em paga dsso apresenlo-te hoje mesmo
minha prima e pago o carro para nos sonduzir ao
Engenho-VeMx),
Pois est dito. Quando vamos t'
A's quatro horas da tarde.
Chegando em casa, Paulo-sentou-se a urna se-
cretaria e cepiou os versos. Depois assignou-se,
dobrou o papel e metteu-o no bolso uo paletot.
E' celebre, disse elle ao sea charuto, o que
me acontece I Ter eu de casar-me com Isaura por
um capricho, urna especie de vingangav.
Que me importavam os- elogios que ella fez
Albano na.minba presenga ? De certo-que em pre-
senga delle dria o mesmo pouco mais ou menos
de mira. Mas que importa? Caso-me com ella e
nao fago mal nisso. Tenho alguma cousa e ella
vistosa, tom boa e completa, edneacao e torna-se
por todos-os ttulos digna de um homem que quer
fazer ma boa figura na- sociedade. Isto satisfaz
ao meu amor proprio. De mais nao podia passar
impuna a ousadia della. Pois que ? Dizer-me que
Albano ura moco aroave I Diz-lo mim que
nunca soffri semelhante affronta Vingo-me as-
sim. Mas.....ella b&a menina ; cora o tempo v-
rela, una-la. Ella ha de dar-me a constancia de
que preciso para poder oceupar-me de urna s.mu-
iher. Est dito. Hoje mesmo- vou pedi-lu e, an-
nnnciar-lhe o prximo casamento de Albano com
Umbelma.
D'ahi oito dias segua pelas o horas- da tarde
urna longa fileira de carros ao longo do caes da
Gloria. No coup, que ia na frente, viam-se Isaura
e Umbelina, cujas frontes radiantes cingiam gri-
naldas de botoes de larangeira e alvissimos veos
de linho.
No carro inunediato conversavam, Paulo e Al-
bano.
Em que pensas, Albano ? na hia. de mel ?
Sim, mas pens tambem qoe tens o raelhor
favo.
As bodas estiveram esplendidas.
Nesse mesmo dia s 10 horas da noute dizia Pau-
lo Isaura :
Como te amo, Isaura! E como sou feliz !
E ao mesmo tempo dizia Albano Umbelina :
Como te amo, Umbelina t E como sou feliz !
ora homem que sabe precisamente qual o gol-
pe que vos ha de por orga tocar.
um homem que conheea a esoada que condaz
ao aposento de vossamnlher; qae sabe os momen-
tos de frieza, e os instantes que estaesfrae ahora
precisa da vossa chegada.
Ura amigo, Judith que vos adormece em seus
bragos, e vos degola no meio dos sonhos os mais
agradaveis.
Dal la que conhece o segredo de vossa fbrca,e
de vossa fraqueza.
Quando um hornera tem dous amigos, para
queixar-se alternadamente de cada um delles ao
outro.
Tomam-se amigos como um jogador loma car-
tas ; guardam-se os amigos em quanto te espera
giohar.
O homem que tem un? homem, que se assimla
ura outro hornera, aprsenla uraa superficie dupla
as golpes da desgraga.
Pde-se-lhe quebrar quatro bracos e Ihe fender
duas cabecns; carregaril uto de dous paes; sonrea
a amofinagao de duas mnlheres.
Enlre dous amigos ura s amigo1 do onlro.
Entre todo os inimigos,ornis prtgoso aquelle
de quem se amigo.
No flm da vida descobre-se que di- nlngwm se
soffreu tanto como doaroigo.
E no entanto seria urna bella e santa censa a ami-
sade Mas quam eomprehende a amisade'?' Cafe
qual quer ter um amigo, mas ninguem quer ser
amigo de um outroi
Irop5e-se as ideas- e os gostos aquelle qne se
chama amigo; marca-se-lhe o caminho que deve
seguir. Ha limites onde cessa a amisade. Se o
amigo abraga ura partido, antes de segui-Io.. -exa-
mina-se se elle tem razaoou nao. E o que sed-
veria fazer por ura indifferente; mas um amigo?
Se infeliz, deve-se ser infeliz cora elle; crimino-
so, devele ser criminoso com eMe. De tudo quanto
elle fas deve-se carregar- oom a responsabilidad,
como se carrega com responsabilidad das pro-
prias aegoes : dous amigos- devero-andar na vida-
unidos eomo se formasseni'um.
A amisade n5o deve ser um pacto, porm urna as-
smilago,- nao se deve tomar um amigo, deve-se
com elle :deulifjcar-e.
Tens razao. Teus versos fazom-me mal, devo
confessa-lo. A pequea louca por versos, e eu
por minha desgraga nem sequer um recitativo
sei de cor. Mas ouve, Albano ; voc nao ama
essa menina, nao assim ?
Amo-a.
Qual I Namoras Isaura por divertimenta como
namorarias outra qualquer. Entretanto eu enlou-
quego ior ella.
Pois eu tambem... Queres saber urna cou-
sa ? Faga cada um por seu lado por merecer-lbe
a alfeigSo. Ests de raelhor partido : s rico. O
nos bragos o man filho, precipitou-o no mar, e ati- vencido 8eia,de DS qUem ,fr' Pr mMS 3
Pois entao, imu Tonin, com essas qualidades Tanto peior disse Donnadieu.
fe este ouro, podes fazer urna cousa muito til Tonin deixou o amigo, e fol offerecer o braco
I' ranga. bella viuva, qne o esperava brincando com o le-
Varaos a saber, o qoe qUe.
Podes armar navios e fazer na India o qoe Donnadieu acompanhou Tonin e sentou-se ao la
<4) Phrase provengal multo usada : encaiporou do delle para servir de Mentor ao joven Telemaco
a lodos nos, no caso de haver perigo de desergao.
rou-se tambem atrs delle. Goraprehendes ?
Nao muito bem.
Vaes comprehender... Tonin, tu ests apai
xonando-te pela Sra. Femada : esqoeces o teu de-
ver, fieas em Cdiz, e eu, amanhaa, levo-te a bor-
do do navio dinaraarquez, e lango-te ao mar...
Comprehendes agora ?
Nao esquejo nennum dever sagrado, disse
Tonin.
E a heranga do pobre Dervieux I
Dou-a viuva do almirante Gravina, que
pobre.
E a cousa util a Franca qae promettestes
fazer?
Faco-a.
De que maneira ?
sereno, se adiar conveniente.
Nao me agrada o teu alvitre; tenho um pro-
jecto excellente.
Mas eu nada admiti. F.' preciso que Isau-
ra rae pertenga e nunca a outro. E, se acontecer
o contrario, mato-me.
Ests bem certo do que dizes ?
Certissimo, e assim o juro.
Mas o meu projecto, por outra, o que eu de-
sejava oflerecer-le, s um louco rejeitaria.
Vejamos emlim. O qne vem a ser ?
Vem a ser o seguinte : conheces a mi-
nha prima Umbelina, vinva do major Chagas ?
Sim.
E' um excellente partido, nao ?
Pode ser, mas nao sei cm qae. Bonita nao
, espirituosa qoe eu salba...
se ellas soubessem I
Transcrevemos do Cosmo Litterario a poesa
abaixo inserta, de Casimiro de Abreu, que foi des-
coberta pela vigilancia da redaego do supradito
jornal -. pois urna das inditas do mesmo poeta,
escripta no Rio de Janeiro 19 de margo de 1860,
NO LBUM DE NICOLAO VICKMTE PEREIRA.
Tudo muda com os annos 1
A drem doce saudade,
Na velhicea mocidade,
A crenganos desengaos I
Tudo se gasta e se afeia,
Tudo desmaia e se apaga
Como nm nome sobre aarea
Quando cresce e corre a vaga.
Feliz quem guarda as memorias,
As lembrangas mais queridas,
No livT d'alma esculpidas
Gravadas fundas em si 1
Essas duram; mas que vale
Um nome desconhecido
Se ha de ser logo esquecido
O nome que eu detxo aqni ? I..
De A. Karr, trancrevenos o seguinte sobre
OS AMIGOS.
Um amigo ora inimigo armado contra o qual
combateis sera armas.
Na Verdade l-se o seguinte-:
ALCAIDEmeirinho que se nao vende nem a
tiro.
ALMAprincipio da esistencia em' que entra
plvora e bala.
BABADOque est morrsudo por alguma pessoa
ou cousa, que se prega nos vestidos.
BALANC.Av-sino do zediaoo em que sopesa tou-
einho, etc.
CABECAa parte superior dos nomenedos
repolbos, inferior dos alhos edas ceblas-que se be-
b' e embriaga
CASOtermo grammatical -que nao i-j-faz de-ni-
nbarias.
CARACOLmollusco viscoso que se faz com fer-
ro quente.
CASCOa parte principal dos- navio.-ijue vemos
em varios antmaes.
CEBAhumor que se cria nos ouvids qne- b-
zem os operarios madragos.
CRAVOCr de teclas com que se-ierra-ea-
tulies.
ESTRELLA-r-corpo lumino&o que se v.M testa
de alguns animaes.
EST.V'.AOa quarta parte do anno-em que-se
para nos camrabos de ferro.
LOBOanimal carnvoro-que nasce nocerpouu-
ano.
macafrucia que se-eocontra ees-copos-das
espadas e no-rosto.
MARTYRIO flor que lacera es- socios- da
alma.
ML'LETA barco de pesca em que se apoiam
mancos e a'.eijados.
NAVEembarcacao qpe faz parte uas-egrejpe.
PALITOcom que se hmpa os d3ntes que paga
as despeza& do desfructa.
PARTElugar, que sempre menor que- seu
todo.
PERPETUAnome e mulher de que se loma
cha.
PORTK1RAcancella que abro-e fecha, as por-
tas.
POSaAnaco de carne ou pej& em qoese toma
cavallos para viajar.
POTROcavallo novo em qua na extioela inqui-
sigo torturavam barbara e cruelmente as victimas
daquoile execrando.tribunal.
POSTURAporgao de ovos-com que os senhores
vereadores brindara os seos municipos.
RENDArendimento de ierras ou easas com que
se enfeita toucados, etc.
SOLIMOimperador turco, Umo e nada mais.
SOPHIAmulher que naoA-endo a dinheiro.
TOURObezerroem cuja casastotra o sol nomez,
de abril.
VARREDOURAvella. de aavio com que se
pesca.
XADRE2jogo auygo.onde se recolhe crimino-
sos e deserdeiros.
O Maacenilheiro. urna arvore que se eaconUa
as praias das AotiJhas e de diversas paragpns. da
America. Pertence ao genero das plantas dicotely-
doneos, da familia das euphorbeaceas.
A especie typo urna arvore da tercena, grande-
za j e seu pone e folhagera semelhante&aosiama-
cieira.
Tem a casca pardaceota, e a nudeifa dura e
bella.
O sueco leitoso que mana de todas as partes des-
ta arvore muito alvo, muito abundante, muito
caustico e muito venenoso. Urna gola delle langa-
da as costas da mo, produz logo uraa empolla,
como faria urna braza.
Neste sueco raergulbam alguns Indios as pooMs.
de suas frechas, as qoaes conservara por muito
tempo depois propiedades venenosas.
Diz-se que o manceoilbeiro funesto nao socoro
a sua sombra, mas al com a agua da chuva, qae
eslivera em contacto oom as suas folhas.
Ora, deitem-se l a sombra de tal bicho.

A arvore do sebo originaria da China e do ta-
maito das cerejoiras ou dos tamarndeiros. Suas
folhas tera a forma de coragao, e sao de cor escar-
ate muito viva.
Produz pequeos fructos de qne se extrabe sebo'
que tem todas as qualidades do verdadeiro, como
sejam a consistencia, a cor e o proprio cheiro.
Deste sebo fazem os Chins vellas, que seriam
lio boas como as europeas, se elles soubessem pa-
rificar aquelle producto, como em varias partes de
mundo se purifica o sebo animal.

Dizendo-se em urna roda de litleratos qne nin-
guem fallara latira to correcta e elegantemente
como Cicero, observou om des circumstantestai-
vez aprende:se com os frades da Companhia, qoe
eram grandes latinistas.
-'1

PERNAMBUGO.-TYP. DE M. F. DK.F. FILHO
i
:--------:-------


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ESYOVU1E3_PHJ90O INGEST_TIME 2013-08-28T01:00:57Z PACKAGE AA00011611_10465
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES