Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10463


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
I
J

A JHO II. JUIEBO 207.

w i.ij .......www
Itllll lrf V

Par tra mtzes adiantados $$000
P#r tres aeres reneidos ... J00O
Porte ao correio por tres mezes. 750
SABBADO 10 DE SETEMBRO DE 1164.
Por amo adiaotoda.....19S00O
Porte ao corre ropor nra a a no. 3 $000
\
INCARPJtGADOS DA SBSCRIPCO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima';
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & d; A-
mazonas, o Sr. Jeronrmo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SL
Alagas, o Sr. Claudino Falco Dias; Baha, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins di Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Grvala, Beierros, Bonito, Caruaru'
Altraho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Aiho, Nazareth, Limoeiro, Breio, Pesqneira.
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob
Boa \ ista, Ouncury e Exu' as q-artas feiras.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros> Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
lina de Fernando todas as vezes que para aJi sabir,
navio.
Todos os estafetas partena ao Vj da.
EPHBMBRIDBS DO MEZ DE SETEMBRO
PARTE QFFICIAL
60TIM0 DA PROYIMIA.
Coulinuacio do espediente do dia 3 de seiembro
de lSfi.
Offlcio aoExm. Dr. vigario capitularConvido V.
Exc. para assistir no palacio da presidencia ao cor-
tejo que se tem de fazer effigie de S. M. o Impe-
rador, s 5 horas ua tarde do dia 7 do corrente,
anniversario da independencia do Imperio. Pize-
ram-se os demais convites.
5
Offlcio ao inspector da thesonraria provincial.
Restituo ja visados pelo respectivo fiscal, conforme
V. S. solicitou em seu otlicio de 13 de agosto ulti-
mo, sob n. 351, as 3 inclusas contas das despezas
feitas cora o sustento dos presos pobres da cadeia
de Nazareth, durante os mezes de abril junlio
deste anno, afta de que a quantia de 195600 em
que importara taes comas seja paga a Antonio Do-
mingues de Almeida Pocas, de conformidade com
o meu ofucio de 26 de julho prximo lindo.
Dito ao desemhargador provedor da Santa Casa
de Misericordia.Concedo a autorsacao que V. S.
solicitou em seu offlcio de 3 do corrente, para ex-
ceder as verbas consignadas para a obra do Hospi-
cio de alienados em Olinda, e despezas judiciaes
tudo no anno econmico prximo (iodo, atim Je se
etTectuarem os pagamentos que perlencendo ao re-
ferido anno nao couberam as consignacoes conce-
didas.
Dito ao commandante do corno de polica.Pode
V. S. contratar para servir no corpo sob seu coro-
nando o paisano Domingos Hamos de Oliveira,
visto que segundo a sua iotormacao n. 393 de 3 do
corrente, foi considerado apto para o isso em ins-
peccao de sade.
Dito ao raesrao.Em deferimento ao requer-
ment do guarda da secco urbana do corpa sob
seu commando Manoel Bezerra de Vasconcellos,
sobre que versa a sua informacao n. 392 de 3 do
corrente. autoriso V. S. a mandar dar-lhe baixa
visto que tendo nalisado o seu engajamento, nao
quer continuar no servico.
Portara.O presidente da provincia, altenden-
do ao que requereu o tabellio de notas desta ci-
dade Francisco de Sales da Costa Monteiro, resol-
ve prorogar-lhe por 3 mezes a licenca com que se
acha para tratar de sua sade.
Despachos do dia 3 de setembro de 186 i.
Hequerimentos.
Anselmo Jos Duarte CedriraInforme o Sr.
inspector do arsenal de marinha.
Henrique Jos Vieira da Silva.Informe o Sr.
director do arsenal de guerra.
Jos Domingues Codeceira.Concedo a licenca
para o fim que requer o supplicante pagos os di-
reitos nacionaes.
Jos Rodrigues de Olivara Lima Jnior.Infor-
me o Sr. engeoheiro chefe interino da reparlicao
das obras publicas.
Manuel Jos de Souza Nunes. Informe o Sr.
inspector da ihesouraria de fazenda.
1 La nova as 3 h., 48 m. a 8 s. da m.
9 Quarto cresc. as 3 h., 30 m. e 38 s. da m.
15 La cheia as C h., 40 m. e 20 a. di t
22 Quarto ming. a 4 ta., 34 ni. e 14 s. da t.
30 La nova as 8 h., 23 m. e 10 s. da t.
PRBAMAR DB HOJR.
Primeira as 10 horas e 54 minutos da manha.
Segunda as II horas 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIHOS.
****1 AJfoas a 5 e 38; para o norte at
i W* J decadamez; para Fernando nos
das i* aos mezes dejan, marc., maio. jal. set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
I.., ^ Recife : d0 Apipucas s 6 V* 7, 7 >/, 8 e
18 /i da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6/t dam.; do Caxang e Vanea s 7
da m.; de Bemflca s 8 da m.
k ?i/ReCei P"aa AP'Pueos s 3 Vi, 4, 4 A, 4 i/j,
5, 5 '/i, 8 y, e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
mannaa e >/i da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de j para Cachang e Vanea s 4 /i da tarde; para
iBemflcaasidatarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal docommercio: segundas quintas.
Relaco: tercas e sabbados s 10 horas.
Faienda: quinta* s 10 horas.
Juio do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas sextas s 10 horas.
Primeira vara do civei: tercas sextas ao noio
dia.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a l hora
da tarde
DIAS DA SEMANA.
3. Segunda. S. Iferculano m.; S. Arsencio.
b. Terca. S. Libania v. : S. adiaras prof.
/. Quarla. S. Regina v. m.;S. Parophilo b.
8 Quinta. A A Natividade de N. Senhora.
. Sexta. S. Sergio b.; S. lUikio m.
11). Sabbado. S. Nicolao Tolunlino ; S. Salvio m
11. Domingo. S. Tla-odura penitente.
ASSIGNA-SE
no Recito, em a lirraria dapraca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietario3 Manoel Figueiroade
Faria o Fllho.
Joao Garcia de Souza e Isabel Antonia da Trin-
dade.
Felippe Jos de Santiago, c Joanna Mara da Con-
ceicao.
Manoel do Bomfim, erara Rosa do Rosario.
Joao Jos Ramos, e Rosalina Mara de Jess.
Manoel Gnncalves Santiago, e Mara Joaquina da
Conceicao.
Victoriano Jos dos Santos, c Donara Mara da
Conceicao.
Joaquim Jos da Silva, e Cuilhermina Maldira
de S.
Theodoro Roberto da Cruz, c Maria Jos do Espi-
rito Santo.
Apoluaario da Rocha Marinho, e Mara Rosa da
ConeeiQao.
Francisco da Trindade Dantas, c Claudina Francis-
ca do Espirito Santo.
Loii Marco de Azevedo, e Maria da IVnha da Con-
ceicao.
Firraino Jos Gomes, e Thereza Maria Gomes.
Hermino Hispo dos Sautos, e Fiancisca Leocadia
da Conceicao.
Joao Lourenjo de Mello, e Maria Francisca da Con-
ceicao.
Joao Gomes Honorio de Mello, e Maria Gomes da
Silva.
Manoel Figuciredo Rocha, e Josopha Maria.
Manoel Ferreira dos Santos, e Francisca Ludgera
Cavalcanti.
Joao Felippe deOlivera, e Generosa Rosa de Me-
deiros.
Bento Jos das Noves, e Alexandrna Mara da
Conceicao.
Ludgero Jos das Neves. e Thereza Francisca da
Conceicao.
Jos Francisco Dantas, e Maria Francisca de Jess.
tas estavam empenhados no desempenho de seus
dilTerentes papis.
A Sr. D. Antonina, a flor da compaoha I
Semprc que appareco divisa-se a satisfacao no sm-
blante de todos os espectadores. O seu toilette
A' ordem do dos Affogados. Joaquim Gomes de
Souia i por trirae de morte.
O chefe da 2* seccao
_ J. G. de Mesqua.
I assageiros do vapor brasileiro Persinungn,
sempre variado e de bom gosto, faz realcar o seu sabido pan o, poto 7% mvZ -Dr IrSes
be lo porto, e com elle o verdadeiro talento de ar- Jos de Leao, sua senhora Tfllh 4 ecraos e
tista, que possoeem grande escalla. No papel de criada. HWfar, 2SS \E2lXEr L\
Noemiabrilhou
papel de criada, Henrique Joaquim' dos Santos Pinto, Joa-
, rBfJfJPW,,daa.pobre nmmr' qam Manoel de Mira Wanderlev. Alfonso Luiz
tcame f\JtSmPm 'm ara!?' Pereira daSilva-Jftsuino Alves Fernandes, Amaro
nm^m?niiftinT.,C,rt'Z desemPenhou de Brrelo de Albuqucrque Maranhao, Francisco Luiz
O v?hnMnilt 'L d W f5^3& Gomes da Silva, Antonio
elhoaMM*ef que voltava a Pars, para re- Jos MeloeSouza Jaao Freir de Amorim Jos
cordar-se do lempo de sua mocidade, o Sr. Germa- Correa dos UmhjXTaosM FerSe^S
no fez d'elle o que costuma fazer de todos os papis escravos do Dr.0. loS Metra Luiz Soares R da
tisesEBt jss's e;ida'e so- ?ama.r,a'Manoei Mar^ SStfSSSfiS
^SSSuliiS6'?!*?E!!PIS*"para 'fs01Juan BuSioa s Maaoe Gomes.
Passagelros do vapor brasileiro Jamuribe,
sahido para o Acarac e portos intermedios :
Manoel Antonia da Rocha Jnior e sua senhora,
Dr. Joaquim Antonio Alves Ribeiro, Jos Joaquim
doras.
A coinpressao
fructos.
a maestra que possue, e que todos Ihe reconhe
cem.
O Sr. Coimbra nao Ihe flcou atraz no seu papel
de fobineau. Desempenhou-o com perfeito conhe-
cimentoda arte, e satisfei completamente.
Resta accrescentar que a companhia est mui
da Silva Matulo, Firroino Herculano da Silva, An-
dr Rosas, Vicente Frederico e 1 escravo, Domn-
PERJAMBGO.
COVERXO DO ltl*lAI0 Ii:
Pi:it\iHiii(o.
SEDE VACASTE
Fa^o publico que o Exm. e Rvm. Sr. internun-
cio apostlico concedeu licenga para seren dispen-
sados do impedimento de afflnidade licita em 1
grao igual da linha lateral ; bem como do impedi-
mento de consanguinidade em 2 grao attingente
ao primeiro da linha lateral, os oradores constan-
tes da relacao abaixo transcripta. As pessoas por-
tanto que estiverem encarregadas de procurar es-
tes requerimentos, podem dirigir-se em Olinda,
secretaria do bispado, no seminario episcopal; e
no Recife casa do Illm. Sr. conejo da capella im-
perial Francisco Jos Tavares da Gama, na ra da
Cruz n. 56, junto matriz do Corpo Santo.
Cidade de Olinda, 6 de setembro de 1864.Co-
neg Joaquim Ferreira dos Santos, secretario do
bispado.
Lista dos oradores que se acham ligados no impe-
dimento de afpnidade licita em Io grao igual da
linha lateral, dos guaes trata a declarando cima.
REVISTA MAMA.
Tendo hontem sido sellada urna peticao do Dr.
Luiz Carlos Douarche Mavignier, segundo nos in-
lormam, requerendo a fallenca da Caixa Filial do
Banco do Brasil, sob o pretexto de que tem esse
eslabelecimento em circulacao maior quautia do
que a que possue em moeda metlica e notas do
governo, espalhou-se o pnico entre a populaeao.
que correu ao eslabelecimento a trocar as suas
notas, sendo satisfeita em quanlia superior tre-
zentos contos de ris. at 6 horas da tarde, quando
all cessou o expediente; e devendo hoie continuar
a troco.
Apezar de ser a moda papel da Caixa Filial em
circulacao, em rentadle em altama maior da me-
tlica, aom tudo nenhum prejuizo podem soffrer os
seus possuidores. nao s porque, alm desses va-
lares, tem ella anda o importe das letras a vencer
e mais que tudo tem a responsabilidade do Banco
do Brasil at a concorrencia de toda a sua emis-
so.
Consta-nos que algumas casas commerciaes im-
portantes de nossa praca foram offerecer ao Sr.
presidente da Caixa Filial depositar all quantias
diversas em ouro, para ajudar ao estabelecimento
na presente conjunctura, nao sendo aceitos seme-
jantes offerecimeiiDs, por emquanto, visto que
possue o eslabelecimento fundos sufficientes para a
troca de roais de quatro mil contos de res.
Na publicacao hontem feita em no pelo Rvmd. Sr. conego reitor do seminario, res-
peito do saldo rerebido pelos ecnomos da mitra,
deu-se
adiados os trabaihos eleitoraes da freguezia de San-1 Constancio Jos do Silva, Gregorio J i Ferreira
J^'B^ssa -r r! s^ftssiSH^
eHtos **&>.* sua nova directora, sah.ndo va Braga, Clemente Fredar.co Grap, Jooqu.m Mar-
C.VvAlhn -"P en,e' Padre EsUn,s,ao Ftrre,ra de Jos de Lima, Joao Jos Henriques Jnior, sua mu-
Iher e 1 criada com 1 fllho menor, Primo Pacheco
2. Dito, Antonio Paulino Cava.canli de Albu-
qoerque ;
1." Secretario, Joao Baptista Rguera Costa ;
2. Dito, Jos Vaz Lordello ;
Orador, Aristides Augusto Milton ;
Adjunto do dito, Manod de Araujo Ges ;
Thesoureiro, Nicolao Rodrigues da Cunha Lima.
ORvm.vigariodeSanto Antonio, emquanto du-
rar o interdicto da igreja matriz, celebrar na igre-
ja matriz do Espirito Santo a missa conventual, e
mais actos do seu ministerio.
O advogadodo reo Manoel do Nascmento de
Siqueira Barbosa Cavalcanti, submettido julga-
menlo e absolvdo em sesso de 6 do corrente, foi
o nosso collega e amigo Dr. Americo Netto de Men-
donca.
O vapor Persmumja, entrado hontem dos por-
tos do norte, nao foi portador de noticias do Cear
c Rio Grande:
Da Parahyba nos escrevem cm 6 do cor-
rente:
>"o termo de Plane do dia 23 de julho passa-
do na povoac.o de Santa Cruz, foi encontrada mor-
a dentro de sua propria rasa Manoela de tal, cujo
marido achava-se na Villa-Bella de Pernambuco.
Feita a vestora reconneceu-se que tinha Ma
Borges, Jos Rufino de Souza Ragel, Antonio Jo-
s Henriques de Vasconcellos, Dorino Alfredo Ta-
vares Franco, Cledon Clementno Pereira, Joao
Barroso de Carvalho, Jos Joaquim Peixoto, 3 de-
sertores, 1 criminoso c 5 pragas.
Movimento da casa de detencao do dia 8 de
setembro de 1864 :
Exista ra....... 365 presos.
ft *,.. ... ;AS, elfie6es- da responsabilidade do presidente da caixa pelos
ir arama eieiloral grada em peripecias assnsta- atrazos, erros e omissoes no expediente geral, es-
cripturacao e emissao, e basta a appicacao das
governativa vai produzindo seus mais obvias regras de hermenutica para se che-
gar a conclusao de que- essa responsabilidade nao
u sangue brasileiro era indispensavel a fecunda- se extende ate a mdemnisaeo dos cofres ouando
cao das ideas progressistas. nelles se der desfalque por negligencia'dos clavi-
Corra o sangue. O sangue corre. cularios, aos quaes, na forma dos estatutos do es-
u governo quer a victoria, ainda que cada tro- tabelecimento approvados pelo decreto n 1570 de
pho custe a vida de um cidadiio. 3 de marco de 1833 incumbe a guarda exclusiva
A freguezia dos Afogados offerece o aspecto do, dos dinheiros que Ihe sao confiados.
!?" jAs ,urbas do Progresso se arrojam desen- As instruccoes do banco do Brasil nao podem al-
cadeadas sobre o vario forte, que braceja com 3 terar nem oppr-se lei orgnica das naixas flhaes
anarchia em pro dos seus direitos. i e quando mesmo a ordem alludida tivesse o senti-
Manoel Joaquim do Reg e Albuquerquc- um Jo que se quer attribur, nao prevalecera contra
dos ltimos brasdes da heroica familia pernambu- 'os estatutos.
ca"a- Quanto a resjionsabilidade moral, nao declino da
U seu esforz e torga de espirito desdi? do que- Par'e Que nella me possa caber. Creio, porm, que
brmenlo moral, em que jaz esta sociedad. o Sr. Dr. Mamede nao achara na consciencia pu-
t. justo que contra elle se assestein todas as ba-, W<-a quanto a esse ponto era se quer um echo
terJas- enfraquecklo do brado que alevantou contra mim.
progresso nao quer papoulas no campo que TranquiHo.com o uonceito que tenho tido a hon-
ro'ea-. ra de merecer da parte sensata e Ilustrada do paiz
Abano a grande influencia dos Afogados. proseguirei meu caminho tendo em mira o cura-
Seus reclamos contra a licenca desenfreada primento de meu dover, ante o qual nao rae farao
perdem-se as concavidades dos ouvidos de quem recuar quaesquer tropeos que me suscitem aquel-
exulta com sua perda. les que elevam um grao de areia as proporcoes do
Seus amigos sao aflrontados, espancados, apu- Hymalaia.
nhalados. ; Estou acosltimado a debellar obstculos reaes, e
Em qunto tudo isso se passa, o presidente, folga nao me servirlo de embarace as teas de aranha da
ene danca, e, como Ballhasar se banquetea com intriga,
seus amigos. i Para salvar qualqner interpretac.o desfavoravel
iSa freguezia da Vanea o juz de paz, a primei- declaro que nsto nao ha a menor alluso ao Sr.
ra influencia local, encontra a matriz assediada de Dr. Mamede.
Entraran)......
Sahiraro.......
A saber
Eiistem....... 368
Nacionaes.....
Estrangeiros...
Mulheres......
Estrangeira-----
Escravos......
Ejcravas......
306
4
10
1
u
5
368
Aliriita.!*.-. casta dos cofres provinciaes 158
OrtTUARIO DO CmiTKniO PUBLICO NO DIA 7 DE
SETKMDnO DE 1864.
Joanna M.ir'ia da Cmiaja, Pernambuco, 19
brea publica, disposicao do subdelegado. Pro-
testa e recua. Val facer a eleico na capella do
engenho S. Francisco. Obrou com uizo e pru-
dencia.
A memoria das sconas de 9 de agosto ainda
mu viva. Teimar em fazer a eleico na matriz,
sob tao oppressiva coaccao, seria expr-se a s e
seus alliados.
Em S. Lourenco da Matta comeea a eleico por i
ser expellido violentamente da matriz o capitao!
Jos Francisco de Barros Reg, cunhado do presi-
dente, mas oleoso poltica do presidente. Quem
o expelle o alferes do destacamento s ordens do'
delegado de polica e do juiz de paz : aquello ir-
mo do presidente, este cunhado do presidente e;
irmio do expellido, que com os seus amigos pro-1 O abaixo assignados, membros da comrasso
teslam, e abandonam a eleico do partido liberal nesta freguezia, encarregados de
Na freguezia de Santo Antonio desta cidad cor-1 promover por parte do mesmo partido a eleico
ra a eleico desfavoravelmente ao governo. Era' de vereadores e juizes de paz, julgam de seu de-
preciso quebrar a urna. Quebrou-se a urua. Hou- ver fazer urna exposicao minuciosa dos tristes
ve lucta e ferimentos. O sanctuario. onde reside a! acontecimentos une se acabam da dar em relaco
Concluire sustentando que o relatono da com-
misso d descontos n.o foi lulo em sesmo e que
elle nao fez objecto de discusso da directora ; e
que trate ao Sr. Dr. Mamede at o ultimo dia do
exercicio do suas funecoes de director com a mes-
ma franqueza e cordialidade que antes.
Recife, 9 de setembro do 1864.
Joao Cardosa de Menezes e Souza.
PUBLICARES 1 PEDIDO.
Ao publico.
ve lucta e ferimentos. O sanctuario, onde reside a! acontecimentos que se acabam de
plenitude do Dos vivo, foi manchado de sangue.! mesma elelcao, atim de que todo o paiz conhca
U Santissimo Sacramento foi mudado. o grao de desmoralisaco do governo a que estao
t assim se deshonra e envilece o acto mais au- entregues os destinos da proviuca.
gusto, e solemne da tao exaltada e preconisada so-) Das antes do designado para a eleico, passou a
berania nacional I | exercer como suppleute a subdelegada desta" fre-
su freguezia de s. Joe, o governo tambera sen-: guezia e Sr. Severano Jos Moura, partidista in-
te-se perdido. E necessario evitar a perda. Fer-: frene da actualidade e o menos idneo para auto-
s tentativas de quebramento da urna. Ha ndade policial da freguezia principal da provincia,
manchas no pescoco.
Recahiram suspetas contra um primo da in- I
reliz de nome Manoel Flor, o qual depois de preso
e examinado, foram encontrados em seu pescoco
diversos arrannoes da lucta que tivera com sua
victima, Manoel Flor foi rerolhido a cadeia para ser
processado.
Eu julho passada na povoacao de Santa F, |
uro sensivel erro na qoant.a, que foi de JJS ^SfTiSSA^S*0 SL'2er01
0*110 rs..cnao de 6:080*110 rs. como sa- | !Sep^'^ fePO's de preso, um negociante
w (jue ain se achava disse ter sido esenvao na povoa-
mezes, S. Jos
Luiza,
intente.
Francisco, Pernambuco, 18 mezes, Santo Anto-
nio ; bronchite.
Barbara Joaquina de Jess, Portugal, 26 annos.
solteira, Boa-vista ; tubrculo pulmonar.
de quebrar-se.
onde abundara pessoas aptas para esse cargo por
Na freguezia da Boa-Vista contou sempre o go-1 sua posieo, ca racter e moralidade conhecidas.
rno cora a victoria. Nao obstante, roaodou pos- Immediatan
COMMNIGADOS.
IllO.
Correram hontem, som grandes occorrencias
os trabaihos eleitoraes as freguezias de S. Jos e
Boa-Vista.
Na do Recife, porm, quando o juiz de paz con-
duzia a urna, do cofre era que encerrada quando
se fechara os trabaihos do dia antecedente, para
sobre a mesa, Manoel Vicente do Espirito Santo
procurou arranca-la e quebrar atirando-a no chao,
o que nao logrn por ter sido em continente preso
por pessoas presentes, emquanto outras com o juiz
de paz encerravam de novo a urna nc cofre.
Depois de discusso renhida, foi o preso entre-
gue ao respectivo subdelegado, que, conduziado-o
raeio de urna escolta para a casa de detencao.
cao de Jacuipe de Alagas, onde funecionou 'como As *ldes.
tal em um processo instaurado contra aquelle en- Cheamos aos ntfimna oiromn- -, ,, ,
minoso, cujo nome verdadeiro era Manoel Sabino Verno imnl^r,- Tk T ''' Q *
da Silva, e eslava pronunciado no art. 205 do codi- impopulares, e obstinados costumatn arras,
go penal, o que tivera lugar de 1858 a 1859, de- lar as naCl,es. a quem flagellam.
clarou mais aquelle negociante que aquelle crimi-
noso depois daquelle facto commettido em Jacuipe,
Arsrde:umm-' ^"^""" 5- ms' k 's^S
para sua nova captura.
Em S. Pedro Martyr de Olinda concluio-se o tra-
balho. sendo eleitos:
e Anna Magdalena da
Valcacer do
Joaquim Jos de Sant'Anna.
Fonseca.
Antonio Jos Victoriano, e Cordolina
Amor Divino.
Jos Luiz do Nascimento, c Maranna de Jess.
Jos Felippe Cardozo, e Anna Maria da Conceicao.
Jaaquim Roberto da Costa, e Maria Ignacia do Es-
pirito Santo.
Manoel da Costa Jnior, e Eufrazina Maria da Con-
ceicao.
Joao Silverioda Silva, e Joaquina Mara da
ceico.
Cosme Jos de Lima, e Josepha
cao.
Juizes de paz dessa freguezia.
Dr. Jos Cardoso de Queiroz Fonseca....... 182
Manoel N'unes de Mello................... 180
Cbristovo Pereira Pinto................. 179
Luiz Jos Gonzaga....................... 178
Ditos da de Beberibe.
Hemeterio J. Velloso da Silveira........... 5
i Jos Joaquim Antunes..................... 4
^on- ; Dr. Aureliano Pereira de Carvalho........... 3
Antonio d. Allemao Cisneiro.....
itana da toncei-; 0 rcsU|ladu para vereadores foi o seguinte
Jo^Teixeira de Araujo, e Januaria Maria da Con- \ fgfcSffg ^'T:!!!."! i
Manoel do Carmo e Silva, FUmu^i, ,ra H!!,a0 Fnci8co:da Lapa
Jess.
Manoel Severino da Silva, e Anna Joaquina do Sa-
190
187
187
arha-se recolhido na cadeia de
baria feito urna morte e,n Agua-Preta fregueziada
Barreiros, e outra em Buiuue, ludo de Pernam-
buco.
O criminoso
Potn pal.
i Pelo subdelegado do districto de Itabaiana fe
preso Gabriel Octaviano de Medeiros, condemnado
a dous mezes de priso por crime de injurias, e
pelo delegado do termo do Pilar foi preso Luiz de
Barros da Silva desertor do exercito.
A lgica da ambifao inllexivel.
Quando urna situacao toraou como proposito fir-
me, e deliberado o manter a sua influencia por to-
I dos os meios, ainda os mais indignos, e reprovados-
o abysmo de hoje invoca o abysrao da amanhaa
! Das blandicias fcil o caminho para a corrupcao
Os que se nao abrandam cora a adulaco, pre!
ciso compra-Ios pelas promessas, c dadivas.
Os que resstem munificencia do poder, e ne-
cramento.
Manoel Theolonio de Paula, e Francisca Maria de
Jess.
Antonio Jos Cardozo, e Manoella Mana do Nasci-
mento.
Thoraaz Jos Casemiro, e Germana Maria da Con-
ceicao.
Antonio Ferreira Lima, e Maria Delfina do Espiri-
to Santo.
Antonio Vicente Ferreira, e Joanna Maria da Con-
ceicao.
Joo Ignacio de Ahreu. e Maria Rosa de Jess.
Manoel Vieira de Carvalho, e Claudiana Maria da
Conceicao.
Antonio Galdino de Oliveira, e Josepha Mara de
Jess.
SebasUo Jos Pereira, e Mana Ignacia da Con-
ceicao.
Joao Jos Sobral, e Felcidade Maria da Conceicao.
Vicente Ferreira de Almeida, e Joaquina Maria da
Conceicao.
Manoel Chhsostomo de Moraes, e Isabel Firmina
de Jess.
Jos Faustino, e Victorina Maria da Conceicao.
Mamede Ferreira da Silva, e Acacia Martha de
Jess.
Francisco de Paula Leite, e Josepha Carneiro de
Sarapaio.
Lista aos oradores que estao ligados no impedimen-
to de consanguinidade em 2o grao mixto da linha
lateral de que trata a mesma declararan cima.
Jos Antonio Egypto, e Francolina Maria da Con-
ceicao.
Belarmino Nogueira da Silva, e Isabel de Oliveira
Mello.
Eduardo Machado Silva, e Joanna Mara da Con-
ceicao.
Roberto Ferreira de Menezes, e Minervina Guedes
de Moura.
Manoel Alexandre da Silva, e Maria da Silva.
Jos Francisco do Nascimento. e Anglica Maria de
Moura.
Clemencia Maria de | Hemeterio Jos Velloso da S............... 187
Jos Geraldo de Lima...... ............ 187
Braz Machado Pimentel................... 187
Joaquim da Molla e Silva.................. 187
Dr. Pelippe Jansen de C A................ 187
Manoel Dionizio Gomes do Reg........... 187
Chegou hontem procedente de Glascow por
Lisboa e S. Vicente o vapor inglez Iliter del Plata,
de 3>6 toneladas.
Reabrio-se no dia 7 do corrente, o nosso San-
ta Isabel, depois dos reparos e pinturas de que j
demos noticia.
O drama escolhido pela empreza foiAs recor-
dacoes da mocidade. Antes, porm, da represen-
tado do drama, a Sr. D. Antonina Marquelou re-
ciura urna poesa dedicada ao dia, perante a esta-
tua equestre do hroe da Independencia. Temos a
notar que o scenographo do theatro nao foi maito
escrupuloso com a sua obra, ao menos pelo que nos
pareceu. A estatua do Sr. D. Pedro I, de saudosa
recordafao, devia merecer-lhe mais attencao e nao
ser tao bruscamente acabada.
O Sr. Veneri que lem urna reputacao artstica
bem firmada, nao devia apresentar um irabalho
seu, pelo qual tem a censura por nica recompen-
sa ; e a nao ser a poesa que em verdade faz honra
ao seu joven autor, e a maneira por que foi ennun-
ciada pela Sr.* D. Antonina, esse quadro que devia
inspirar o mais profundo respeito e admiraeao, s
seria visto coro indifferenca.
A' Sr.' I). Antonina cabe as honras dessa pri-
meira parte do espectculo. Os versos por ella de-
clamados ganharam vida, ponto de enthusiasmar
e os bravos de alguns espectadores soltados com
verdadeiroemphase, demonstran) oapreco em que
tida adistincta artstica, que cada vez mais se ele-
va e engrandece peraote o-nosso publico que a fes-
teja, admirando o seu incontestavel talento I
O dramaAs recordacoes da mocidade -satisfaz
completamente o Orn para qnc foi creado o theatro:
deleita, o instruefaz rir e chorarcausa prarer
e dr ao mesmo tempo. Tal a variedade da sua
concepcao.
A eiecucao correu perfeitaraenie. todos os artis-
< O subdelegado do districto de Fagundes pren-' cessario... fuzila-los.
. aiSffl/S-0 des"lor d0 xercit0- Um eovreri>o periclitante, que vive fra dos prin-
+ &!Stt*J^1^ GraD- i *V os -J- maria sua desnortead na-
Jos Felippe de Souza condemnado a 7 annos "PW fIue s tem por mira conservar-se, e en-
de pnsao por crime de morte ; feudar em si a dominacao indefinida, procura na
u'J/aDOel Luiz Soa/es' condemna ae pnsao por crime de defloramento; I cnTnnAj ...
Antonio de Souza, condemnado a 5 annos e 4' ^e na0 ^.^ 8?Vrnar. '"Inga,
mezes de gales por crime de roubo ; i Se a intriga nao basta, vira o trafico infame das
Roberto Carlos de Moura, condemnado a gales consciencias.
''Tr^jfeSrinde* a gli ,, ""f^ S T" '
petua, e protestou para novo julgamento, cujo pro- Pra5a' e ser taxadas pelos almotacs polticos, ha-
testo foi tomado por termo, o que nos parece inca- ver urna autoridade prepotente, que destribua tra"
da lei de 10 de junho de bucos urna horda de sicarios, e que os mande
fazer alas no cortejo fnebre da liberdade ele-
verno
tar 50 pracas em frente da matriz.
Em Sanio Antonio e S. Jos, onde se achava ero
completa minora, nao mandou por um soldado.
O intuito no desequilibrio desta distribuicao
obvio. Era necessario facilitar a execucao de pla-
nos combinados. A presenca da torca o obstava.
Este estado de cousas lastimoso. Condemnao
a severa moral da razio publica. Condemna o a
indignacao das convicencias escandalisdas contra
essa poltica intolerante, que visa a perpetuado de
seu predominio na perverso das leis moraes, no
desprezo da oDinio, na sophsmacao da urna, e na
violacao de todas as condieoes d um rgimen re-
gular.
Recife,'9 de setembro de 1864.
O filho do Yptranga.
bvel
toral
O que estamos nos vendo ? a urna violada :
repellidos bayonetas os cidados, que quercm
usar dos direitos que a eonstituioo Ibes confere.
Vemos, sim, um governo faccioso armar citadas
ao povo j prometter-lhe garantas, e asphixia-le pela
mo do policial 1
Vemos o aspecto insolente da torca no lugar,
onde devia presidir a raagestade pacifica da lei.
1835, explicado peto decreto n. 1310 de 2 de janei-
J3 de 18V4, e assim lem julgado por diversas vezes
o tribunal da relaco.
Constando ao subdelegado de Santa Rita, que
cenes influentes da mesma localidade se prepara-
vam para perturbaren) a tranquillidade publica por
occasiao da eleico de 7 do cnente, e que para
este lim preparavam armamento, cercou e varejn
a casa de Amaro Jos de Sant'Anna e de seu ir-
mao Alexandre Jos de Sant'Anna, no dia 2 do
corrente, e apanhou dentro della diversos clavino-
tese pistolas, que foram entregues aeDr. chefe de
polica.
m^^J^StttSiStl -VeraS -dUpUd0r subs'itui^a8ravidade,e
mente desfeichou um tiro de espingarda era outro circumspecao as decisoes governaraentaes.
menor de nome Jos de Deus, filho do major Deus I P0**"* uma na5ao u"e Prese a sua digoidade
esqoerSo-**" "* carOS de cnumb0 no Peit iue respeite os seus foros, que se interesse peto
Ooffendido foi logo soccorrido pelos mdicos ^T"' prese1fcear 'P^ivel esta audaz vio-
que extrahiram alguns carocos de chumbo do pe- laca0 de quanl ha mais s8rado as garantas po-
to, e fica em trataraento, havendo esperaDcas de P^^es!
'-TKa^TS^r0 daSegU'D,e-' P0der Brasil tolerar P<>^ *"> "n v
Extracto das partes dos das 7 8 e 9 de se- verno' que deshonra su poltica, que deslus-
tembro de 1864. tra o seu carcter nacional, e mata suas lber-
roram recollndos casa de detencao no dia 6 dades ?
do corrente: i
A'ordem do subdelegado do Recito, Antonio -" ? Imperador' "Unella suprema da go-
berreira Alves da Silva ; por briga. vernacao do Estado, consentir que se rasguero uma
Di'.u^l.di0ide- ? i0^' ^"'oJos de Barros a uma as paginas do testamento poltico do immor-
RsaK^ssafaiaescravo ,ai fundador da monarchia b1
LZ\?> tllfJl Joao^Loureoo de
Calamnion-rae despejadamente a gazeta do go-
verno, quando disse em seu numero de hoje, que
entre os agitadores da eleico de S. Lourenco figu-
ruca o bacliurel S.
Eslive all, verdade, mas nan tome parte os-
tensiva no processo eleitoral, e nem houve agtacao
alguma durante a minha assstencia na matriz. O
fin que rae levou aquelle lugar foi o contrario do
que a gazeta do governo altnbuio-me ; o de inter-
vir para evitar desordens e conflictos desagrada-
veis
Invoco o testemunho nao suspeito dos Srs. te-
ncntc-coronel Luiz Francisco de Barros Reg e Dr.
Augusto de Souza Leao, para que digam, como ca-
valleiros que prezara a verdade, se ou nao ale-
vosa o que disse a menciouada gazeta meu res-
peito.
Nao me confundam os esenplores palacianos
com aquelies que mesmo as assemblas se acer-
cam de capangas para Ihes darem ovaedes das ga-
leras c insultarem aos seus leaes adversarios
nao me con
vez aconselhando nos clubs ofllclaes o quebrameu
to da urna de Santo Antonio, vera hoje na mesma
gazeta com ares hypocritas lamentar o facto e at-
tribui-lo aos seus contrarios.
immediatamente vio o publico na entrada do Sr.
j Moura para o exercicio da subdelegada o proposi-
to de conquistar-se a eleico para o governo; boa-
tos espalharam-se neste sentido, os quaes nao tar-
daran! em ser confirmados pelo procedimento do
subdelegado, que andou de porta em porta a solici-
tar votos para a chapa do governo, da qual era elle
ura dos candidatos, como subdelegado; o que ob-
serva-se em quasi todas as freguezias deste muni-
cipio.
Chegado o da da eleico, e logo que a maiora
que contaraos entre os eleitorcs e supplentes deu-
nos completo triurapho na organisacao da mesa,
apezar do empenho empregado em arredar de nos
alguns de nossos amigos que sao eleitores e sup-
pleoles, boatos atterradores comecarain a espalhar-
se ; os coripheos da caballa ero "favor da chapa
governsta diziam de tiublico que em caso nenhum
venceramos a eleico.
Taes boatos coincdiaiu cora a circumstancia
Lem notavel de alguns partidistas da actualidade
que se achavam hontem presentes na igreja na oc-
casio em que se procedeu a primeira chamada
do primeiro districto, n.o queierem volar, aguar-
dndole para o fazerem as chamadas subsequen-
tes, o que revelava estarem elles possuidos de al-
gum plano estratgico ou smistro.
Entretanto correu a eleico regular e pacifica-
mente sera haver absolutamente a mimma contes-
taco ; tendo nos o prazer de observar que quasi
a totalidade das listas recolhidas eram das nossas.
A' noite (vemos denuncia de que nossos adver-
sarios estavam munidos de chaves com que podes-
sein abrir o cofre e violar a urna.
Nossos receios augmentarain-se ao observar-se
que o Sr. tenenie Lagos, commandante da torea, a
quem foi entregue a guarda da urna, foi depois de
aaoutecer substituido pelo alferes Joaquim Militam
Souza Rabello, sem declarago do motivo. .
A ordem do da Capunga, Benjamn Dionisio des
Santos, por uso de armas prohibidas.
A' [ordem do subdelegado de Sanio Antonio,
Antonio Nunes da Silva; por briga.
-8
A ordam do subdelegado da Boa-vi5ta, Lou-
renco Antonio Ribeiro; por briga.
A ordem do da Capunga, Pedro da Costa, para
corrcccao. H
Nao I O Imperador grande patriota, presa, e
ama esta naco, que o proclamou, e reconheceu
por dfensor perpetuo: digamoslhe a verdadd
raostreraos-lhe os perigos que corre a barca das
instituiedes, sob o dominio desta gente, sem f, e
sem le.
Instruamos o Imperador!
Recife, 8 de setembro de 1864.
O fllho do Ypiranja.
.....
Alves Lima, eleilor desta freguezia, nomeado alfe-
fundam tambera com aquellos, que tal- < r?*ld1 corpo de Polica depois da eleico senato-
tiando nos clubs ofllclaes o quebramen- nal d0 anno Pas-ado as proximidades da outra
a que se procedeu c.-te anuo.
^ Observou-se anda que depois da substituido do
I Sr. Lagos pelo dito alferes, recebeu este um bilhe-
te das maos de um filho do Sr. Dr. Feitosa.
m face de taes receios, diversos amigos nossos
pozeram-se em vigilancia at o amanhecer.
Hoje, continuando a primeira chamada, por par-
te dos sectarios da actualidade desenvolveu-se a
maior cabala, tendo elles sua frente o proprio
subdelegado, que, collocado ao p da mesa, distri-
bua chapas entre os votantes, fazendo as vezos
substituir por outras as que estes trazam.
Concluida a primeira chamada, notou-se que as
pessoas mais influentes entre os nossos adversa-
rios, como o Sr. Luiz Jos Pereira Simoes e tani-
bem outros que estavam sentados ao lado da mesa
a tomarera notas das stdulas que eram recebidas,
como se costuma praticar atim de se poder calcular
o resultado da eleico, haviam abandonado o sea
posto, certameote porque pelas cnapas recebidas j
nao poda restar duvida sobre o nosso triurapho, e
era necessario promover o conflicto que tarde
se deu.
Procedia-se a segunda chamada do 1 districto e
tudo at ah hava caminhado na mais profunda
paz, quando sendo chamados os votantes do dci-
mo primeiro quarteiro do Io districto, e procla-
mado o nome do Sr. Jos Geraldes Gomes dos San-
tos, artista bem conhecido nesta freguezia, diversos
homens do povo conhecidos como exaltados, reuni-
dos a outros que nos pareciam estranhos fregue-
zia, apresentando outro individuo descoohecido, di-
ziam ser o proprio qualificado, sem darem tempo
a que a mesa conhecesse da identidade, prorompe-
rara em gritos, distnguindo-se nessa exctaco o al-
teres de polica cima mencionado, o qual gritou
3ue o hornera votara ou tudo se acabara ; proce-
mento este tanto mais inslito, quanto a mesa
ainda nao hava proferido a sua deciso sobre a
reclamacao que era alias a primeira que se fazia
sobre centenas de cidados que j haviam votado.
Nao se fez lardar qne esse grupo arrojando-se
contra a mesa, podessem arrebatar a nrna, nao
obstante os estorgos dos msanos para defende-la,
e a arrebentassem derramando se as sedulas, sen-
do tambera dilacerada a authentica pela qual o juz
de paz fazia a chamada.
No meio desse horrendo tumulto, algons dos
seus autores arreraessaram-se contra o membro da
Recife, 9 de setembro de 1864.
Francisco Teixeira de S.
Senhores redactores.Em resposta ao commun-
cado do Sr. Dr. Mamede, publicado no Diario de
hoje, limitar-me-hei a dizer :
1." Que nao ha de minh.i parte falta de memo-
ria no asseverar que nao vi aquelle cavalheiro en-
tregar a chave do cofre ao seu collega da comms-
so de descontos. Tenho direito a ser acreditado
na minha asseveracao, tanto mais quanto ella
confirmada pela confissao explcita do Sr. Amorim,
que no seu incisivo laconismo nao d lugar a equ-
vocos, nem pode de forma alguma ser tomada co-
mo evasiva.
O testemunho do proprio Sr. Fernandos, quando
fosse preciso invoca-lo, estara por ceno em har-
mona com o Sr. Amorim.
2. Que eu nao soube aliunde do facto de ter a
Sr. Dr. Mamede confiado a chave.
O facto da tirada do dnheiro podia ser anterier
ao da minha chegada sala da coraroisso de des-
contos, onde pouco me demoroi, e o Sr. Amorim
podia estar na sala a espera de que fossera conta-
dos os cera contos de res.
3." Que nao disse em meu artigo de 5 do corren-
te, como inexactamente assevera o Sr. Dr. Mame-
de, que nunca soube e nem m constou que directo-
res deste eslabelecimento costumassem confiar suas
chaces a companheiros em oceasido da abertura dos
cofres, porque, zeloso como sou, jamis consentira
em semelhante infracco (como hoje a denomino)
O que eu disse foi, que em nenhuma circunstancia
fui, com conhecimenlo de causa, testemunha ocular
de idntico abuso, platicado por qualqner outro Sr.
director da caixa, sem que Ihe ponderasse a trregu-
laridade de tal modo de proceder.
De uma assercao outra inmensa a distancia
e se o Sr. Dr. Mamede houvesse pesado o alcance
de minhas palavras poupar-se-hia ao trabalho de
citar-me o facto do 1 de julho.
O que eu neg que deixasse passar tactos des-
tes sem as convenientes observaces e adverten-
cias.
4." Que o officio n. 534 s estabelece a doutrina
*l
I***
*-
atavia
j*,.


V


*
____
I

?_-

-
'i
Mari* e rcruabie sobado IO 4c K Hembra ic t s 4.
" *r vw V V

____.
mesa, o cidado Jos Francisco Carneiro, o qnat coroposicao, para que V. S. disto tenha conheemen-
corajosameiilo Intou contra os ag-ressores, que lo; e o rcspeitavel publico proveito. Desde IttoS
Ihe lerian roubado a existencia se o >lpe de urna que soflria as maiorci dores rheumaticas, campl-
faca que Ihe foi desfectiado por nm dalles, nao Tos- cadas com o que a medicina denomina siphilis,e a
se aparado pelo cidado Jos Mara Acciole, o qual nm anno que sofTria de ulceras na garganta. Da-
acha-se ferido em urna das maos. uiro homem quella poca para c semnre viv em uso de jeme-
do povo do nosso lado tambem sahio contuso e dios, de que nao tirei resultado algum a nao ser
abaixo publicamos ios respectivos autos de carpo | alivios momentaes, e lempos havia que de todo me
de delicio. v|a impossbilitado de me levautar de urna cama,
E nao obstante multas vozes denunciarem na soffrendo sempre tanto no vero, como no rigor do
occasio qual o que havia desfechado o golpe con- Invern; persistindo porm no uso de remedios j
tra aquelle nosso amigo, e quaes os outros daquel- applicados pelos conhecedures da arte, j de outros
le mesmo grupo que haviam uo acto do conflicto que via aununciados nos jornaes com apphcaeo
puchado de lacas e puntes, ninguem absoluta- aos meus padecimentos, e destes um sem numero,-
mente foi preso, apezar de ter o subdelegado ap- continuando sempre a sofTrer como muitas pessoas
parecido quando eslava em mcio o conflicto ; sen- desta cidade sabem, e sao testemunhas de me ve-
do certo que em seucomeco j nao eslava ao p rem andar na ra raais para morrer do que para
da mesa, onde alias se conservara quasi continua- viver
mente at poucos momentos antes. Aci
Terminado o conflicto no meio desses que acaba- caram-me de forma que levei dous metes de cania,
vam de comraetter tao giave aitentado, era visto o sem que me podesse sentar, pelo que tive occasio
subdelehado a rir-se, como quem applaudia um de desesperar da vida, taes eram os meus sollri-
acto meritorio mentos. Neste lempo lendo o Diario de Pernam-
Os quatro mesarios e alguns dos abaixo assig- buco, deparei com um aviso do xarope alcoolico
nados dirigiram-se ao Sr. presidente da provincia, de vellame, manipulado em sua pharmacia, li este
a quem verbalmente fizeram aexposicao do que vai aviso, e tomei-o como um aviso de nm anjo; pude
aqu relatado. a muito custo eserever meu filho, que entaoja
S. Evc. promelteu-nes providencias; aguarda- eslava nessa cidade, pedi-lhe que me mandasse
las-hemos, se lautos e Uo significativos litles que atgumas garrafas acompanhadas das pilulas, mas
se teem dado e TO dando entre nos ain- logo depois vi que nesta cidade ja havia o xarope a
da permitteni a esperanca de enconlrar-se algum venda em casa do Sr. Raymundo Jos Pereira de
resto de reclido da parte de S. Exe. para com Castro, e logo me aprsente! ern mandar comprar
aquelles que se nao tem querido alistar na bao- duas garrafas. Fazendo uo dellc, no fim de das,
deiras desse novo partido que se pretende erguer j andava em casa pegado duas bengalas, e no
na provincia. n"m de quinze dias sa/na ra. Quando acabci de
io acreditamos que S. Exc, cgo, como se Pomar duas garrafas senli-me complelamente bom,
acha, por um espirito partidario, d a mnima de- andando coai todo desembarace, restando-mo as
monstracao de reprovaco quanlo ao procedimento endas na garganta, para o que empreguei outros
do subdelegado e do alferes de polica de quem remedios, mas nada me aproveitou ; foi quando
temos fallado, pois os antecedentes demonstran a recebi as garrafas que havia pedido meu lilho, e
reucae em que elles se acliam para com S. Exc. continuei com a terceira, que, no im de poucos
Se nos iwdcsse aproveitar, fariam.is aqui un ap- dias, fui mclhor. Hoje me acho completamente
pello para o Sr. Ur. chefe de polica, que nao que- bom. Portanto, sirva-se V. S. aceitar meus since-
rer partilbar da responsabilidade pelo derrama- ros acradecimentos, e o publico que tiver a infel-
mento do sangue pernamliucano e que jamis pode- cidade de sofTrer taes padecimentos que aproveile
mos suppor dominado dos odios que obsecam o com este meu testemunho.
animo do Sr. presidente da provincia. | Sou com apreeo do V. S. muito atl. ven. e cria-
do, Bento Jos Antunes.
Maranhao, 11 de agosto de 1864.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a t.......
dem do dia 9................
!ol:939J658
2i:6JU*553
174.369.HH
noviuieno da alfaadeca
Volumes entrados com fazendas...
e com gneros...
Volumes sabidos com
c com
fazendas ..
gneros...
tfi
271
----- 49o
463
598
Descarregam no dia 10 de selembro.
Galera inclezaHeruUonemercadorag.
Barca inclezaConradcarvao de pedra.
Patacho inglezilaid af Alheuscarvo de pedra.
Barca americanal>npftaboado.
Acontecen que em abril deste anno as dores ata- B portuguez-CoMsrnte/f -diversos gneros.
1 Patacho nacionalJaboatuodem.
Recebedorla de rendas Internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia I a ti........ 3ti24J246
dem do da 9................. 994Jt29
Pela administradlo do correio se fai publico ni YMQID
que as cartas abaixo mencionadasdeixaram de se- : U L I III l I U
guif 4 seus destinos por serem encontradas na rai_ ie|0 ,je diversas obras de
mala com sellos servidos.
Alexandrino Christianodc Oliveira.
Antonio Domingues da Silva.
Antonio francisco Frutuso do Rosarlo.
Caetano ogueira de Souza.
Francisco Antonio Goncalves de Medeiros.
Francisce das (.'hagas de Araujo.
Ellsiario Antonio de Oliveira Miranda.
Pela administraco do correio desla cidade,
se faz publico que no dia 11 do correte, as ( ho-
ras da tarde fechar-se-ho as malas que tem de
conduzir o vapor inglez Iltver del Plata, com des-
tino ao Rio de Janeiro.
*^___.
marcineina novas
A provincia e o paiz, ue decidain quem propug-
na pelo verdadeiro liberalismo : se nos, ou se es-
ses que pela violencia arrebataram-nos e inutilisa-
ram o triumpho que nos havia dado o concurso da
maioria dos nossos comparochianos.
Nao nos estranho esse prneedimento da parte
doSr. lomingos de Souza Leao e dos da sua ca-
marillia procedem deaecrdo com os seus prece-
dentes : o que nos de ver que alguns homens
rDo Paiz.)
HOSPITAL
Portugiicz de BeoeUcencia em
Pernambuco.
Tendo de celebrar-se no dia 18 do correnle o

6:61887
Consalado provincial.
Rendimento do dia 1 a 6......... 14.4073:i6
dem do dia 9.................. l.930987
16-338*31
TIIEATKO

DE
MOYIMENTO DO POMO.
S. ISABEL.
EMPREZA
I.KIM.WO k C0IHBR4.
AmanMa, domingo 11.
A orchestra dirigida pelo Sr. Colas Filho, execu-
lar a nova e lida ouverlura
GJLRIBAlDI
je usadas, miudezas, crystaes, reiogios, pianos e
| outros muitos artigosde gosto.
No armazem ra da Cadeia u. 48, dar prin-
cipio o leilao as 11 horas.___________________
JLH.AO
DE
S3gunda-feirn 12 de setembro.
O agente Pinlo far leilao por conta de diver-
sos de urna prcta cnoula de 17 annos de idade,
urna dita de 18 20 annos, as quaes cosinham e
engommam. um preto erioulo de 30 annos proprio
para o servico do campo : s 11 horas do da ci-
ma dito em frente a Assoeaco Commercial.
guintes premios:
10:0005000
2:0005000
2:0005000
3005000
5005000
LEILAO
Navios entrados no dia 9.
Glasgow, Lisboa e S. Vicente 29 das do 1." por-,
to e 6 do 2., vapor inglez Moer del Pialado 356 nttima e recente comnosicao do maestroi Merca-
toneladas, commanJant A. len, equipagem 28, fante ; em seguida tera lugar a representacao da
em lastro ; ordem. : cellente comedia-drama c.n 3 actos do Sr. Er-
Acarac e portos intermedios 8 dias, vapor bra- Bw
sileiro Jaguaribe, de 442 toneladas, commandan- ] k
te Manoei Joaqumi Lobalo. j 1 "* >-"H fel^SlU 11 l|2 horas7o7ia"supradTto\Mn frente a Asso-
Observado iJ"!?.^! S^SSS!!1^ ^S^TO cia^ Commercial. Cfe pretendemos poderlo des-
Fundeou no lamarao urna barca mgleza, mas, Porto, e as Sras.D. Antonina, D. Camilla e 1. Je- dej exarninarem a dita rasa
nao leve communicaco com a trra. suina.
Nao bouveram sahidas. Depois representar-se-ha o muito applaudido dra-
. uta em 4 actos ornado de msica
EDIT1ES.
das quaes algucm pretende manter urna popula- a actual junta administrativa, a imilacao do que
ridadeque todos os dias Ihe escapa, accommettam praticou a sua antecessora, que esse acto se pode-
com facas e punhaes aquelles nesmos que outr'era ra (ornar mais solemne, seguindo-se-lhe a expo-
todos os sacrificios fueran pela causa popular, sj^0 de prendas e joias, que a generosidade dos
quando o Sr. Domingos de Souza e os actuaes do- habitantes desta ko.-pitaleira cidade se dignarem
minadores da provincia partiihavam do gozo do de offertar-lhe, para em publico serem trocadas e
convertidas em beni licio dos pobres enfermos.
Neste intuito foi nomeada urna commissao espe-
cial para agenciar e arrecadar os diversos donati-
vos, a qual em desempenho de sua honrosa e san-
poder e concorriam para a oppressao e ostra-
cismo do partido liberal nesta provincia.
Resta-nos manifestar o nosso profundo agrade-
cimento para condos nossos dignos comparochianos
que nos prestarao seu valioso concurso e apoto, o
qual muito apreciamos e esperamos continuar a
merecer-lhes.
Freguezia de Santo Antonio, 8 de selembro de
1864.
Laiz Cesario do llego.
Antonio Jos da Costa Ribeiro.
iodoro Vlpiano C. Catanho.
Antonio Jos Altes Ferreira.
Antonio R. de T. Bandeira.
Manoei Camello Pesson.
Antonio Augusto da Fonseca.
Flix F. de S. Magalhdes.
Jos Francisco Cameiro.
luto de corno de delirio.
Aos 9 dias do mez de selembro do anno do as-
cimento de Nosso Senhor Jess Christo de 1864,
nesta cidade do Recife de Pernambuco, na saladas
audiencias onde se aihava o I)r. juiz municipal
da primeira vara Hermogenes Scrates Tavares de j
Vasconcellos, romigo e>ctivo de seu cargo abai-
xo nomeado, os peritos notificados Alexandre Pe-
reira do Carmo. e Eslevo Cavaleanti de Albu-
querque, doolores em medicina, moradores nesta
cidade, as testemunhas Francisco Manoei de Al-
roeida, e Francisco Jlo Honorato Sena-Grande,
moradores nesta cidade, o juiz deferio aos peritos Os Illms. Srs
o juramento aos Santos Evangelhos de bein e fiel- |)r. Francisco de Paula Salles,
mente desempenharem a sua mis>ao, declarando; Ncoio Hayt.
com verdade o que descubrissem e enconlrassem,! Ilvmd. conego Joaquim Pinto de Campos.
e que em suas consciencia< cntendessem ; e en-! Tenenle-coronel Jos RoJrignes de Senna Santos,
carregou-lhes que procedessem exame em Jos Juizas por devoc/io.
Mara Accioli, e que respendessem aos quesitos As Exmas. Sra. :
seguintes : 1. Se ha ferimenro ou olTensa physi- u. Custodia Eugenia de Carvalho Poggl.
A mesa parochial da freguezia de Santo An-
do povo, ainda que poucos. talvez impellidos por anniversario da fundac-o do Hospital PortOgoez, \*po Umliktur gOD"^^8 JSn^JSS;
ideas ate perigosis.in.as da orden, social cusa como prescreTea sua lei regulamenlar, entendeu *> os trabalhos da respect ele cao qne ttWral
> cometo no da 7 do corrente para juizes de paz e |
yereadores, em virtude de haver um grupo que-
brado a orna r derramado as sedulas j recebi-
das, que dentro della se achavam, de conformida-
de cem o art. 60 da le regulamentar das ele.oes
de 19 de agosto de 1846, e de aceordo com a de-
cisao do EXm. presidente da provincia, enjo co-
nhecimento foi levada aquella occorrencia, tem
adiado os trabalhos da mesma eleicao e designado
,. o dia 11 do corrente para proseguirem devendo
la missao dirigi humildes supplicas s pessoas de 1 comecar-se a fazer de novo a chamada dos cida-
qe teve conliecimento. daos voUntes. Sao pots convidados os mesmos
.Nao sendo porm po>sivel que semelhante convi-: votantes para no referido da e as 9 horas da ma-
te fosseenderecado individualmente todas as se- nha comparecerem na igreja matriz desta fre-
nlioras e cavall.eiros, nao s por falta de lempo,: guejia para entregarem as snas sedulas, nos ter-
como e principalmente por se ignorar seus nomes,' nos do aviso de 19 de outubro de 1848 e % 1 e
a mesma junta e commissao se prevalecen do uni- j 2. O que para constar se fez o presente que sera
co meio que Ihes resta, para fazer chegar pre- aflixado nos lugares mais pblicos desta fregue-
senca de todos os habitantes desta capital as mes- me publicado pela imprensa
; mas supplicas, como se especialmente e a cada um Recife, 9 de selembro de I
de per si as tivesse dirigido, pedindoque se dignem'
enviar qnalquer offerta, que ser recebida com o
maior reconhecimento, como obulo de caridade.
Recife 5 de setembro de 1864.
Joaquim Ferreira Mendes Guimaraes.
Io secretario.
Eleico por devAcao dos juizes, juiza*
c m.iis mordonos que lem de feste-
jar a lirgem Senhora do Terco na
Hllima
rente anno.
Juizes por devocao.
dominga de outabro do cor-
ea ; 2." Se mortal ; 3." Qual o instrumento que
o orcasionou ; 4." Se houve. ou r.-suUou mutila-
cao de algum membro ou orgo ; $' Se pode ha-
ver ou resultar mutilaco ou destruicao 6. Se
pode haver ou resultar inliabilitacao do membro
ou orgo sem que seja elle destruido ; 7." Se pode
haver ou resultar algoma def..rmidade, e qual ella
seja; 8. Se o mal resoltante do ferimento ou
olfensa physica produz grave ineommado de saii-
de; 9. Se inhabilita do servico por mais de 30
das, e 10." finalmente qual o valor do damno
causado.
Em con-equencia passaram o peritos a fazer os
enanos e averiguaces ordenadas, concluidas as
da Silva Reg, escrivao que o escrevi.
O juiz do paz,
Joaquim Antonio l^arneiro.
Jos Francisco Carneiro.
Antonio Augusto da Fonseca.
Francisco de Souza Reg Monteiro.
Francisco da Silva Reg.
Tendo a cmara municipal desta cidade de
proceder no dia 10 do corrente a apuracao geral
de votos para um sanador por esta provincia afim
de preencher a vaga deixada no senado pelo fal-
lecimento doExm. conselheiro Francisco Xavier
Paes Brrelo, convida, conforme determina a ulti-
ma parte do art. 85 cap. 3 da lei n. 3^7 de 19 de
agosto de 1846, .aos cidndos qne qoizecem assistir
a dita apuracao.
Paco da cmara municipal do Hecifeem sessao
de 5 de setembro de 1864.
Manoei Joaquim do Reg e Albuquerque,
P. presidente.
Francisco Canuto da Boaviagem,
Secretario.
AS RECORDARES
MOCIDADE.
Com o qual terminar o espectculo.
Comecar s 8 horas.
VISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navega^o costeira a vapor.
Hha de Femando de Noronha.
No dia 14 de setembro seguir
ao meio dia, um dos vapores da
Companhia para o presidio de
Fernando de Noronha, para onde
recebe carga at o dia 13. Encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at s 10
horas do dia da sabida : escriplorio no Forte do
Maltes n. 1. _________________
"companhia" pernambucan a
DP.
Kavegaco cosleira i vapor.
Parahvba, 'Natal, Mace, Aracalj e (tari.
No da ii do corrente seguir
para os portos cima indicados
um Ais vapores da Companhia
.Pernanibucana. Recebe carga at
'o dia 21. Encommendas, passa-
geiros e dinheiro a frete at o dia da sabida s :
horas da tarde : escriptorio
n. 1.
GASA DA FORTUNA.
AOS 10:000.000
III Ihe tes garantidos
A' roa do Crespo n. 23 e casas do costme
O abaixo assignado venden nos seus muito felf-
zes bilheles garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a beaellcie da irmandade do Senhor
Bom Je N. 970 meio bilhete com
N. 2999 meio bilhete com
N. 719 dous quartos com
N. 2399 meio bilhete com
N. 1945 bilhete inteiro com
E outras muitas de 200fl, 1005,10* e 205-
Os possuidores podem vir recebar sem os des-
con.os das leis na Casa da Fortuna ra do Cres-
po n. 23.
Acham-se venda os da ultima parte da segun-
da e primeira da terceira do theatro de Santa
Isabel, que se extrahir sexta-feira 16 do cor-
rente mez.
Preces.
Bilhetes inteiros..... 12*000
Meios......... 6J000
Quartos........ 3*000
Para as pessoas que compraren!
de 100* para cima.
Bilhetes........ 11*000
Meios......... 5*500
Quartos........ 2*750
Manoei Martins Finta
Escriptorio de advocada.
Os advegadot Jos Ladislao Pereira da Silva,
Antonio Justino de S*uza, e Pedro Affonso de
Mello, teem o seu escriptorio na ra do Livra-
mento n. 38, 1 andar, por cima do armazem do
Baliza, e ah podem ser procurados para os inys-
leres de sua profisso Mo i os dias utei s das 9
horas da manha s 3 da larde.
l'reclsa-se de um moco para caixeiro : na
nn do Rangid n. 9, que teuha pratica de padaria.
O Dr. Rocha Bastos inuduti a a residencia
para o caes Vinte e Dous de Sovembro n. 30, por
cima do Bilhar dos Arcos.
Precisa-se de um rapaz de 14 a 16 annos,
ou um homem de 30 40 annos : a tratar na ra
da Concordia, casa n. 38, das 3 horas em diante.
Do sitio Serapi, freguezia de Tijucupapo,
desappareceu a cscrava Francisca, crioula, idade
1 de 3-i annos, estatura regular, cor preta, ps um
I pouco apalhetados, e alin destes signaes apresenta
do Sr. Claudio na ra do Imperador n. 43. o de j bem adiantada gravidez : quem a appre-
0 agente OLYMPIO no da, hora e lugar cima bender, pode leva-la a ra da Roda n. 54, ou ao
I vender em leilao publico os animaos cima men- i mencionado sitio a seu senhor._______________
Perdeu-se
' urna ataca de casaca a qual era de louca tendo
cada una duas mocas pintadas sendo encasluada
em ouro : pede-se o favor a quem a achou entre-
ga-la nesta typographia ou ra de Sania Rita a
13, que sera gratificado.
DR
8 'na easa terrea no l*oco da
Panella.
Scgnnda-feira 12 de setembro.
O agente Pinto far leilao precedida a compe-
tente autorisaco, da casa terrea n. 4 da ra do
Rio na povoaco do Poco da Panella, edificada
em chaos proprtos a qual torna-se recommendada
por ficar com a frente para o rio : s II 1(2 horas
do dia snpradito em frente a Associacio Commer-
cial.
LEILAO
Ima casa lerrca cm Olinda.
Segunda-felra 19 le setembro.
O agente Pinto far leilao precedida a compe-
tente aatorisacao de urna casa de porta e 2 janel-
I las, edificada em chaos proprios, na esquina da
rlllYlAVEnH ETEnllA. nK1 '" ?" *>-1 H.lla na rir1;nl,, d.- Olinda,
DE
Urna meca, 2 garrotes e 1 bezerro.
Scgunda-feira 12 lo corrente s 10 ii2
lioras na porta da coxeira do carros
no Forte do Mallos
I). .1 .auna do Rosario (uimaraes Machado.
I). Anna Machado dos Prazeres.
1). Maria da Ptiriticaco Pereira de Gusmao.
Escrivos por devocao.
Os Illms. Srs. :
M-iuoel Machado Portella.
Ur. Jos Roberto da Cunha Salles.
Escrves por devocao.
As Exmas. Sras. :
D. Dionizia Lucia de Oliveira Lopes.
1). Maria Isabel Barral da Fonseca.
Mordomos.
Os Illms. Srs.:
Florencio Tertuliano do Reg Costa.
Manoei Caetauo Borges.
DEOLARACOES.
quaes derlararam "o seguinte : Que apresentava
urna soluco de continuidade na parte dorsal su-1 Augusto Frederico do> Santos Porto.
perior do dedo medio da mo esquerda correspon- Jo? dos Santos Ramos de Oliveira.
dente segunda pnalangc, dirigido transversal- Theotonio Flix de Mello.
mente, tendo interessado a i elle e de bordos irregti- Jos Joaquim ila Cunha.
lares, indicando ter sido produzido por instrumen- Antonio Doarte Carneiro V'ianua.
to cortante, e por isto respondan ao priroeiro que-; Antonio Jaciullio Borges.
sito, que sim ; ao segundo, que nao; ao terceiro, Joo Azevedo Prreira.
que deveria ter sido produzido por instrumento Jos Malaquas da Fonseca.
que deveria ter suio inoauzuo por
cortante ; aos demai* quesitos res|ionderam nega-
tivamente. E por nada mais haver, deu-se por
concluido o exame ordenado, e de tudo se lavrou
o prsenle aulo, que vai por mim eseripto, rubri-
cado pelo juiz, e assignado pelo mesmo, peritos e
testemunhas, comigo escrivao Joae Saraiva de
Aranjo Galvo, que o fiz e escrevj, que de tudo
dou fe.Hermogenes Scrates Tavares de Vascon-
cellos.-Dr. Alexandre de Souza Pereira do Car-
mo.Dr. Estevao Cavaleanti de Albuquerque.
Francisco Manoei de Almeida.Francisco Joae
Honorato Serra-Grande.
N. B.Q corpo de delicto feito na pessoa de
Cosme Jos Cypriano de Sonza demonstra o se-
guinte. : a existencia na parte media da regio
ronial urna soluco de continuidade dirigida de
cima para baixo e de fra para denlro, tendo de
extensao urna polegada e men, interessando ligel-
ramente a pelle ; mais duas soluedes sitas na parte
superior da regio nasal de forma quasi angulosa,
e tendo de extensao de quatro cinco linhas cada
urna, interessando toda aexpessura da pelle, tendo
seus bordos irregulares e unidos por cogulos san-
guineos e mais urna ligeira escoreacao na regiao
maxilar esquerda,
Apresentamos para juiz de paz de Santo Anto-
nio o Sr. commeBdador Antonio Joaquim de Mel-
lo, se se quer iotelllgeRcia, servijos, representa-
cao de pessoa, patriotismo e desinteresse -, fallan-
do desapalxonadamente.
Para Juizes de paz da fregnezla
de Santo Antonio.
Capito Luiz Cesario do Reg.
t^apitao Antonio Augusto da Fonseca.
Capito Flix Francisco de Souza MagalhSes.
Tenente-coronel Manoei Camello Pessoa,
Para rereadores.
Proprietario Francisco Accioli de Goueia
Los.
Teaeme-corouel Femando Francisco tle
Aguiar Montarroio, agricultor.
Dr. Jo3o Jos Pinto Jnior, lente e advo-
gado.
Dr, JoSo Maria Seve, medico.
Dr. Joaquim de Aquino Fonseca, medico.
Tenente-coronel Justino Pereira de Faria,
proprietario.
Major Jos Antonio de Brito Bastos, agri-
cultor.
Capito Luiz Cesario do. Reg, proprietario.
Dr. SilvioTarquinio Villas-Boas, medico.
Illm. Sr. Jos da Rocha Parauhos.^-Com a maior
satisfacao lauco mo dapennapara Ihe dirigir estas
linhas em agradecimento ao proveilo que Uve do
uso que fiz do xarope acoolico de vellame, da sua J
JOI
Joaquim Manoei da Silva N'eves.
Joaquim Francisco Pinto.
Juvencio Aureliano da Cunha Cesar.
Manoei Pontos Gomes.
Mordomas.
As Exmas. Sras. :
D. Leviua Martins Ferreira dos Santos.
D. Maria Francisca de Mello Tavares.
D. Gertrudes Xorberta Castello Branco.
D. Maria Francisca de S Brrelo.
D. Constancia C. Butelho.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
' co aos devedores dos mpestos cobrados por lan-
camento pertencenle ao exercicio Ando de lMiil
18G4, que no ultimo de setembro corrente finda-se
I o praso marcado para o pagamento de seus debi-
I tos, licando sujeilos a serem executados os que
' nao pagarem at aquelle dia.
Mesa do consulado provincial de Pernambucs Io
de setembro de 1864.
Antonio Carneiro Machado Ros.
Administrador.
Consclho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
guimos :
Para a enfermara militar da Parabiba.
Baca de rame 1, bules de louca 7, barretes de
113a 118, calder5es 4, cassarolas 2, caivete de
aparar penna 1, chicaras de louca 60, copos de vi-
dropara agua 12, ditos de dito pequeos para dar
1 remedio 6, calix 4, colhcres para sopa 48, ditas
I para cha 44, casticaes de lata 2, cobertores de 13a
1 50, camisas de Banella 14, colchoes 60, chaleira"
4, esptula de ferro 1, dita de osso 1, fogareiro de
i ferro 1, facas e garios 50, lalha de barro 2, man-
tegoeiras de lonca 2, meias de laa 14, ditas de
dita compridas 2 pares, mangotes 1 par, oorinoes
pares, mangotes i par,
de looea'JJO, oleado para camas 2, pratos de louQa
180, pires de lougaoQ, pedra de aliar 1, quartinha
E S^posa dTnZo irmao Henrique da Sil- j e barro?, raspadeira 1, rede de .aparara 1 chi-
va McirMpa nellas 10 Parcs' i"">vcseiros 50, candieiro de gaz
l.chila de co berta 600 novados, brim branco
D. Joanna, e D. Antonia Maria da Silva.
D. Maria Rosa de Menezes Amorim.
D. Francisca, lillia do nosso irmao Francisco Jos
de Araujo.
O vicario interino,
Fr. Antonio de Santa Rita.
0 perfume do Hemispherio Occidental.
(Extracto do jornal A chrovica de 23
DI junho de 1858.)
Agua Florida : No meio do oppressivo calor que
nos cerca e debitila e de que nos todos mais ou me
nos soffremos; consideramos aquelle que nos pode
proporcionar qnalquer um meio de all vio consola-
dor e de mitigacao suave para nossos sofTrmentos
como um grande bcmfeltor.
Os Srs. Lanman & Kemp residentes era Water
Street n. G9, fabricantes da agua Florida tornam-sc
pois com justa razao, em summo grao dignos deste
ouvor : e o seu annuncio pdu ser visto em urna
outra columna desta edicao de hoje.
Esla exccllente agua ou admiravcl liquido o usa-
do para os usos ordinarios de banho por sem du-
vida um dos cosmticos o mais agradavel, assim
como o mais delicado e delicioso perfume que
jamis temos usado. A' venda as boticas e lojas
de perfumaras.
SMMEHCIO.
HOYO RIMO DE PERNAMBUCO.
0 boyo banco paga o 13 dividen
na razo de 8$000 por aeco.

NOVO BANCO
DE
PERNAMBUCO
EM 8 DE SETEMBRO DE 186 i.' u
O banco desconta na presente semana a oito poj
cento ao anno at o praso de quatro mezes, e nove
por cento al o de seis mezes, e faz emprestiraos
sobre titalos commerciaes.
COMPANHIA BRASILEIEA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos porlos do sul esperado
at o dia 14 do corrente, o vapor
Cruzeiro lo Sul, rommandante
Alcanforado, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os
portos do norte.
Desde ja, recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no da de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriplorio de Au-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA BRASILEIBA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte espera-
LEHjAO

autorisado
fallida de
O agente Almeida eompeteatemenie
far leilao das dividas activas da inassa
Novaos & C, sommandocm 187:481.5200 re., por
(|ualquer pree cima da ollera de 1 por cento.
Qiiiira-lcira lii do carrate ao
mcio dia
Em seu escriplorio na ra da Cadeia n. 48, on-
de os pretendentes podem examinar a relacao e
os respectivos ttulos.
Importante leilao
DE
w
Como sejam :
1 piano forte com cadeira, 1 mobilia com 1 so-
f. 4 consolos;, 1 mesa redonda, 2 cadeiras de bra-
cos, 2 ditas de balance e 18 ditas de goarnico, ri-
cos jarros e vasos para flores, 2 candieiros de gaz,
i excedente secretaria com 10 gavetas, 1 estante
envidracada comes.rivaninha.l mesa com forro de
panno para advogados, 6 cadeiras d^ Jacaranda, 3
commodas, 2 fetogios americanos, 1 cama franee-
za de Jacaranda. 1 guarda louca envidracado, 2
grandes apnaradores envidracado, 18 cadeiras, 8
mesas de differentes lmannos. 2 guarda vestidos,
I guarda roana e minios ontros objectos que esta-
lo patentes ao exame dos concorrenles.
Sexta-feira \Hdc setembro.
O desembargador D. Francisco Baithazar da
Silveira tendo de retirar-se para a corte, far lei-
lao por 'nterveneao do agente Pinto, dos movis
cima mencionados existentes na casa de sua re-
sidencia largo do Hospicio, primeiro sobrado ao
lado esquerdo, principiar s 10 horas.
Mant-Clalr
das ilhas ou os desterrados na ilha da Barra, ro-
mance digno de ser lido pelas scnboras_ por seus
lances interessantes postos em execuclo por urna
senhora, 3 volumes em brochura a%: na livra-
ria ns. 6 e 8 da praca da Independoncia._______
PKECISA-SE
AVISOS BIYESQS.
3
O diminuto preco 3 porque se assig-
do at o da 16 do correnle ova- na 0 nosSl) j)uri0 jeVe SOr pa'o dentro
de 15 das, do cometo do trimestre, ou a
6# depois desla poca, devendo acuelles de
nossos asstgnantes a qoera nao agradarem
estas condicoL's, avisar em lempo para Ihes
de olliciaes de sapateiro pagando-se 1^600
por cada um solado faxiado : na ra larga
do Rosarlo n. 12, junto a botica do Sr.
Pinlo^___________________________________
PrecL-a-se de urna ama para casa estrangei-
ra, de ppuea familia : na ma Nova, esquina da
camboa do Carmo, segundo andar n. 23.______
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite : na ra do Im-
I i'rad'T ii. 50, segundo andar._______________
O autor de urna zombaria grosseira, eslam-
pada no Diario de 7 do corralo, a proposito de
cousa muito seria, pode talvez lisongear-se de ter
feito rir os seus comparsas; mas deve tambem
convencer-se que as pessoas sensatas Ihe fazcm a
precisa justica, aquilatando seos costumes pelo
mo acto que acaba de praticar, e que somente
merece despreso.
Offerece-se una moca portngueza de bons
costumes para casa de penca familia : quem pre-
cisar, dirija-se ra da Sepia la Nova n. 172.
- Perdeu-se hontern quinta-feira, 8 do corren-
te, nma pnlseira de camapheu di coral, composta
decarinlias de differentes lmannos, as 7 horas do
da, da ra das Lacaagelras em seguimento do
Cabng, Independencia, Crnzes, Ouvidor e ra do
Imperador : a pessoa que tiver achado, qu^reudo
restituir a seu dono, pdc levar ra das Laran-
geiras n. 18, egundo andar, que se recompensar
AMA
por Paran, commandante o ca-
pito de fragata Santa Barbara, o
'qual depois da demora do costu-
me seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida s 2
28, 36-
cozinhe
Por traz da matriz de Santo Antonio n.
guudo andar, precisa-se de urna ama que
e engomme.
I nio c Virtnde.
Se^sao hoje as 4 horas da tarde._____________
Aluga-se um preto escravopara padaria, em
ser suspensa a remessa, e assim poupa- Santo Amaro, estrada de Olinda : a tratar na
rem-nos cuntestacoescontinuadas sobre os"
Precisa-se de um caixeiro que leuha pratic
1 de taberna : na ra Dimita n. 23.
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriplorio de i pagamentos, e denlidadti dos nossos cobra-
Antonio Laiz de Oliveira Azevedo & C.________ (|0re; como nuiites allegam. A aprsenla- j'_
Para o Aracalj 'cao de recibo por nos rubricados, deve ser- SOCIEDADE
sahe com toda a brevidade a bem contienda barca- \ vir aos asignantes de documento compro-1 TYiwimafAQ MIIPl*Vil Ppmllll-
ca Mara Amelia -. para_carga, trata-se na ra da!balorio da identidade dos cobradores qae lum,lu", rmaudui
Cadeia n. 57, ou com o Sr. Quintal no trapiche do
algodao.
Para a Kio Grande do Sul segu em poucos
dias o superior brigue brasileiro Sorpreza, de pri-
meira marcha e classe : recebe ainda carga a fre-
tes commodos: a tratar com os consignatarios
Amarim & Irmos, na ra da Cruz n. 3.
Para o Aracaiy
pretende seguir cem muita brevidade o vele o
hiate Dous Amigos, lem parle do seu carregamen-
to prompto : para o resto que Ihe falta, traia-se
com o seu consignatario Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo dt C, ra da Cruz n. I, ou com o capito
Francisco Martins da Costa no trapiche do algodao
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o veleiro
brigue nacional Almirante, tem parte de seu car-
regamento prompto : para o resto que Ihe falta e
escravos a frete, para os quaes tem excellenles
commodos, trata-se com os seus consignatarios An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C., no seu es-
criptorio roa da Cnrz n. 1. _______________
AraeaU
Tem de sahir para o Aracaty at o meiado da
semana, com a carga que tiver, o hiate Graciosa :
para carga a frete e passageiros trata-se na ra
da Madre de Dos n. 2, ou no trapiche do algodao.
sao diversos, afim de podercm
encontrar os nossos
vagas de suas occupacocs.
asstgnantes
qoe
conseguir
as horas
bucana.
1,083 varas, algodaozinho 775 varas.
Quem quzer vender taes objectos aprsente a
sua proposta em carta fechada na secretaria do
conseibo, s 10 horas da manhaa do dia 12 do cor-
rate.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 5 de setembro
de 1861.
Antonio Pedro de S Barreto,
coronel-presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pyrrho,
vogal secretario.
Pela administraco do correio se faz publico
que as cartas abaixo mencionadas deixaram de se-
guir o seu deslino por se acharen com sellos ser-
vidos.
Jos Targino Goncalves Fialho (2).
Manoei uarte Vieira Jnior (2).
Acha-se depositado pela subdelegada do 1*
districto da polica da freguezia da Boa-Vista, um
burro que na manha de 5 do corrente mez vaga-
Va pela fna do Sebo quem se julgar c om direit
ao mesm, provando, Ihe ser entregue.
O subdelegado,
Queiroga.
GoDselbo admioistrali yo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se
gutotes :
Para o 4 batalhao de artilharia.
400 pares de sapaioes.
30 bonets.
30 mantas de la.
30 pecas Se palatina.
254 covados de panno azul.
162 covados de hollauda de forro.
21 varas da aoiagem,. ,
1,075 varas de brim branco.
1,000 Varas de algodaozinho.
42 pares de clcheles pretos.
Quem quizer vender taes objectos aprsente br& leilao de um forte plano de armario autor
a sua proposta em carta fechada na secretaria do francez Vignes, outro dito hamburguez autor
conselho s 10 horas da mnhaa do dia lGdecor- Tranmann, todos em Iwm estado tendo pouco uso,
embro prximo vlndonro. | ^ --.. .
Sala das sessoes do conselho adminlstrativ^para Wr i lf^X SCTIlttfMll
fornecimento do arsenal de guerra 9 de setembro
de 186i. L ..
Antonio Pedro de S Barreto, I Al'tlgOS de casa no VOS C Usadas e OH-
IEIL5ES.
LEILAO
DE
Dous fortes pianos modernos.
HOJE
Sabbadn 10 do corrente s II horas.
No armazem ra da Cadeia do Recife
numero 48
Coronel-presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
tros muitos objectos.
HOJE
Ao5i0:0h$OUO.
Sexta-feira l do corrente mez, se ex-
trahir a aftina parte da segunda e pri-
meira da terceira lotera (108') a beneficio
do fheatro de Sania Isabel, no consistorio
da igreja de Nossa Senhora do Rosario da
freguezia de Santo Amonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 13.
Os premios de 10:000,5000 at 2OJOO0
serlo pagos urna hora depois da extraccSo
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuico das fastas.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
SOCIEDADE
NIAO BENEFICENTE
MARTIMA
Por ordem do Sr. presidente sao convidados to-
dos os Srs. socios para a reumo d'asscmbla ge-
ral do dia 18 do corrente s 10 horas do dia, no
salo de suas sessoes, afim de se proceder a elei-
cao da nova directora.
O mesmo presidente previne aos Srs. socios que
tem resolvido, dando-se o caso de nao se reunir o
numero marcado no art. >'1 dos estatuios para po-
der funecionar, tratar de.dissolvura sociedade com
o numero de socios que se apreseniar quites nessa
occasio, art. 64 dos estatuios.
O mesmo presidente conscio de que tem sido
Enr demais condescendente com os Srs. socios re-
cides, tem o pezar de annunciar que ser esta a
ultima vez que os chama para a reunio d'assem-
bla. geral, pois tem resolvido impreterivelmente
dissolver a mesma no da cima indicado, se os
Srs. socios ainda assim nao se apresentarem quites,
em numero bastante para a eleieao.
Secretaria da Sociedade Unio Denccente Ma-
rtima, 7 de setembro de 1864.
Balthazar Jes dos Res.
___________________I* secretario._________
Precisase de um menino para caixeiro de
laberna na cidade da Victoria, prefere-se porlo-
guez : a tratar na ra Dlreita, padaria n. 84.
De ordem do Illm. Sr. Dr. director interino con-
! vido aos senhores socios para comparecerem no
'dia II do corrente, pelas9 horas do dia, na sede
da mesma sociedade, afim de em assembla geral
dar-se posse a nova directora.
Secretaria da sociedade dramtica Minerva Per-
nambucana 9 de setembro de 1864.
P. de Oliveira Pimentel.
Io secretario interino.
\TTEN(A0
i
Praca da Independencia, hija m. 12.
Albino Ilaptista da Rocha, Portuguez, relojoeiro
e dourador, lem a honra de participar ao respeita-
vel publico desla cidade, ou mesmo com especiali-
dade aos sens amigos, que se acha com loja de re-
lojoeiro e dourador, toma qnalquer concert por
preco cotnmodo, e responsabilisa-se pelo seu tra-
ballio._________________________^
AVISO
ao rcspeltave! publico.
Carlos Waller, relojoeiro na ra da Imperatriz
n. 18, avisa aos seus freguezes e ao respcilavel
publico, que selacha encarregado para vender um
bello sortimento de reiogios patente inglez e chro-
nometro, tanto de ouro como de prala, do afamado
fabricante James Horuby, por precos muito com-
modos, e debaixo de sua garanta.
Precisase de urna ama para comprar e co-
zinhar para easa de rapaz solteiro : na ra do
Queimado n. 7.

Ama de leite
Na ra Direla n. 89 precisa-se de urna ama de
leite, nao se duvida pagar bom ordenado, sendo
moca e sadia, preferindose branca oa parda.
O senhor que nao gosleu da gaiatada, di fl-
cenca oue 6 tal individuo transcreva neste Diario
suas ca'rtinhas, em que confessa que.... mas {lite....
por falta de reeebimemo de soas me adas? D It-
cenca? Se Si, ver S. S. tim tlm por tim tm em
letra bem redonda, qne nao tem razio m se a'gas-
^feora^-^rgotihoso._____________________
__ Ijouise Carretn relira-se desta provincia
para a da Parahiha, levando em sua compctala
seu sobrinho menor Geerges Ronreau,
Precisa-se de urna ama para todo o servico :
a tratar na ra de Hortas n. 1.8, sobrado.
Anda est para alugar-se a boa casa
terrean. 39: ra da Uno.

- .

___


mmmmm
Alarlo te Peraaavbaeo tobado o 4e ermbro 4e iftVi.
(f ifcpblicaeao Iliteraria.
Sabio lux o opnscnio iotiMlado
% i.iki:ri>aim


POR
Affonso de Albuquuque Mellu
Convidam-se os assignanies a mandarem r.'ceber
seus exemplares na praca da Independencia ns. 6
e 8, qae sero entregues vista dos recibos das as-.
siRnaturas ; alii lamliem esto expostos venda a
3J000 cada om. Sao sob os seguintes ttulos as
materias de que se oceupa:
Introduce*). Xocaoda liberdade.- O Brasil co-
lonia. Revolucao de 1817A Independencia A
constitulnteAconstiluicaoA revolucao de 1831.
A expulsao ou abdicagao. A regencia livre. ^-0
partido regressista. Ameaca dos corcundas e que-
da dos livres. -A regencia corcunda.Causa dos
males da regencia livre. Regencia corcunda e
maioridade.Principios do reinado de D. Pedro.
Ilevolla de Minas e S.Paulo.Dominio da Praia
Luxia.O dominio liberal nao nquietava os cor-
cundas.Feitos do dominio liberal. A praiaeCh.>
chorrosenatoria.A revolta e a revolucao te
1848 A consiituinte.~A constitunte.Derrota
da revolupiio. Negocia;) do Honorio rom os libe-
raes : Ifaidores.Venda da bandeira da cons-
tituirte.- O partido liberal durante osqnatorw an-
nos do llamado ostracismo.-Os corcundas e os
liberaes durante os qnatorze annos.Captiveiro re-
signado e voluntario dos liberaes dorante os mia-
torxe anuos.-O povo corcunda, ou os vermelhos e
os sabios. A situacio propriamente poltica.Ins-
titicoes livres, e direitos politlcos que tivemos
at o fim Ua refrenda livre, e o que actualmente
temos em lugar dellcs.Os representantes da na-
ci das provincias.Situacao administrativa.
O qae so nella os Portugueses. Como o gover-
no e obrigado a corromper o paiz e a fazcrlhc
sempre maior mal.Como se multiplica e se paga
a clfentella do governo para susteutar-se o impe-
rio corcunda. O procnsul.O procnsul jla co-
marca. Dos cargos, dos crimes e da punigao.A
justiga.iuies munieipnes.Juzes dedircito.
Trlbubaes.Os das Relagoes.Tribunacs do Com-
mercio.Supremo Tribunal de Justica.O jury.
Os advogados.Couclusao.-Garanta dos direilos.
A moral publica.Dos crimes.As eleicoes.
Corollario da obra saquarenia.-O que a pa-
tria. Siluagiio para com o extenor. Situagao
financeira.As (nangas do estado.A miseria
Perigo e salvamento dos corcundas.A liga.
Como se congregara os elementos para olla.Con-
siderantes retrospectivas. A constituinte. Prepa-
ro? antecedentes. -Concihacao e opposicao parla-
mentar.Monta a liga.O que sito os liberaes na
liga.Que bem farao os liberaes ao paiz.O pro-
gresso.Seus feitos.O que o progresso e que
far.Como se deve vi ver nesta trra echegada
ao progresso.Porque o progresso s vem com-
pletar nossas desgragas e sem mais remedio.Se
ha salvagao para nos qual seria o meio e bem f-
cil. -Resumo. A's cinco provincias pernambuca-
nas.-Histrico e poltica corcunda.Deque pro-
vm a miseria. Como se corrompe na eleigao.A
restrigSe da liberdade apar do progresso da" inmo-
ralidad^Gordiano.______________________
Innandade do Divino Espirito Santo
erecta no convenio deS. Antonio do
Recifc.
De ordeni da mesa rogedora convido a todos os
nossos raos para comparecerem no domingo
11 do corrente pelas 3 horas da tarde, na gro-
ja do mesmo convento, aim de encorporados
acompaoliarmos a procisso do N. S. do Bom
CoDselho
Consistorio da irmandade do Diviao Espirito
Santo, 6 de setembrs de !84.
O secretario,
Joao Walfredo de Medeiros.
Amn de leite.
Precisa-se de urna boa ama de leite para urna
menina do C mezes : na ra do Imperador a. 8ff,
primeiro andar.
O Dr. Cosme de S Perora conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
1 e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
sao medica, e com especialidade
sobre o seguinte
i molestias de ollios ;
2o de peito :
3o dos orgaos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o traballio pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os das d s
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
co que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus 1
doentes. }B(
^s*m^i m mm m n wm
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C
Agente* do Banco Iniao do Porto.
Competentemente autorisados sacam por todo
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh o London.
Paris Frederc S. Ballin & C.
Hamburgo Joao Cabe ex Fillio.
Barcelloua Francisco Rabota 4 Ballista.
Madrid Jaime Meric.
Cdiz Crdito commercial.
Sevilha Gonzalo Segoria.
Valencia M. Pcrera Y. Hijos.
Em Portugal.
Amarantes. Angra Terceira. Figneira.
Arcos de Val de Caminlia. Guarda.
Vez. Gastello Branco. Guimaraes.
Aveiro. Cliaves. Lagoa.
Barcellos. Coimbra. Lagos.
Bastos. Covilhaa. Lamego.
Beja. Elvas. Leiria.
Braga. Extremos. r
Braganga. Evora. ""P0"
Faro. Fafe. Moncorva.
Oliveira d'Aze- Pinbal. Regoa.
meis. Porto-alegre. Selubal.
Penael. Thomar. Vianna do Cas-
Tavira. [Villa Nova do tello.
Villa do Conde. Portimo. Villa Real.
Villa Real de Vizeu. Madcira.
S. Antonio. Fafal. S. Miguel.
No IMPERIO.
Bahia. Maranho.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma a prazo ou vsla.podendo logo
os saques praxo serem descontados no mesmo
Banco a razo de 4 por eento ao anno : a tratar
ua ra da Craz n. 1.
Irmandade acadeiicu
de Nossa Senhora do Bom c ou
seibo.
Pfogramma da festa.
A's 12 hars do da 10do correte ser annun-
ciada por urna banda de msica marcial a festivl-
dade, que ter lugar da maoeira seguinte :
A's 7 horas e raeia da noite do da 10, haver Tes-
peras e illuminacSe no exterior do templo.
No da 11 reunida; a irmandade, para o que sao
convidados todos os raaos, o nosso irmao o Rvm.
Sr. padre Dr. Manoel da Costa Honorato celebrar a
sua mista nova, sendo ar.ouipanhado no ceremo-
nial do santo sacrificio pelo pregador da capella
Imperial o Rvd. Sr. padre Liuo do Monte Carmello
Luna, representando o Exm. e Rvm. Sr. arcebispo
metropolitano ; e pelo Kvm. conego Joaquim Per
SALSA PlBlLU DE 1Y4U. L^J^^^^^^^^^
~.
Transciievkmos
"**' I mingos Va 4>.&H*~Agt% o engenho Ti
aaui; lluns \tTS0$ **m% cfctdC Pasado lelra i
jJl.&m(1i'denles a rend* toM dos referidas benn, dos miutos attestadw qse *moa ^ fiQdar enj Ba0 de ^7 prevne qlie*nB8U
recebido das virtudes da Salsa faga rransacgfo com lito Apra sobre as refer
parrilba do Dr. Ayer.
minimalismo.
DE laD JOS DOS S4KT0.
6uro Prelo. ,
c SolTri rlieumalisind por mili-
tas uves, e vendo aanunciado
em um jornal d'esta cidade a
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re-
reira "dos Smtoi, representando o ExnY e Rvm. solri-me a comprar tim frasco e fazer uso
Sr. conego vigario capitnlar desta dlocese, e pelos d'ella ; e antes de concluir o primeiro fras-
correspon-
qoe se ha
uem
idas
letras, visto como o ajuste foi dependente de coa-
dig5es, e nao tendo sido preenchloo, nao corre
obngagae da parle do abaixo assigna.<, nao obs-
tante existirem em poder de Agr letras na impor-
tancia 4o _____________' Gongalo Gdhies de Scuiia.
AM\ l)E LEITE
l'recis-se de urna ama de leite que seia livre ou
captiva, poreo mofa e sadla, agradando nao se
dm-ida paitar bem : a tratar na ra da Cruz do
Ricife n-13.
Ama
A Sentina lllnslrada qae se publica no Rio
Rvms. padres-Dr. Jquim Graciliano de raujo e ^ iC^.m forle Cse sentir a mais leve g?"*SZn T'^SS aTalsu
^S^'^^s^^l^r^ffZ JJr nos joethos ; a parle do corpo que TVnSSatK?
gure.ro, V.cen.e Pereira do Reg e Nicolao Bar- tava affeclada d'esse ternvel enfinunodo,Vitadtf^uqn^0D?S.5
try- ' Aorchestra do Sr. r*are Primo dirigida pela irHpc6ea, raorbulliH*, pmtmin^li^Z^^iZ^AStaTStM.
maestro Innocencio Smollz acompanbara a missa. _ii2_ m ,i.1k i.ilesHu -- _"u V^"' ww*"ww wiw
Tocarao, por occasiao do Gloria, os IHms. Srs. Dr f 5 **?' OaS aS moetla8
Pedro de Atluyds Lobo Moscoso e o acadmico j d> pell*. ^^
fos Vicente da Costa Bastos, e o maestro do sr. joo paita de abrei: e souza
Steuber, este rabaca e aquello (lauta, e cantar m Ra de S. Pedro.Rio de Janeiro.
WlooSr. Manocl Pinto amaso; e uemasum se, s j-.- ^
tfestiibuir um folheto cootendo a memoria bistori- 0lir'a J .m?iS ae aouf annS M oiim
ca da devogao e undagilo da irmandade academ- erupgao sypbililica elli todo 0 corpo, mos-
ca de Nossa Senhora do Bom Consciho. trando-se sempre com mais violencia na ca-
sera orador o Exm. e Kvm. Sr. monsenhor co-' r3j nrovei muitOS medicamentos e consultei
TlatrESurdra'imagemdamesma -? mdicos, e eslava quasi desanimado
Padroeira sabir em prociss.o, e percorrer as quaudo Vi OS annunctos da Salsa parrilha
mas :Campo das Princezas, ponte Nova,, ra do Dr. Ayer : comecei a fazer USO d'ella 0
d'Aurora, tntiga ponte da Box Vista, raa-ffova, nos primeiros das a ernoco acgravou-se,
ruado Cabugiyrua larga do Rosario, w* do ^ mles de acabar o Segundo frasco ti-
Queimado, ra das Cruzes, travessa wu.>
e ra do imperador para recoiher-sc, tendo sido nna o mal dcsapparecido completamente de
para este acto convidanas diversas irmandades, todo O corpb.
contrarias e ordens religiosas, que se espera se
dignem comparecer.
A's 7 horas da noite eomeear o Tc-Deum, sen-
do orador o Rvm. pregador da capella imperial
frei Joaquim do Espirito Santo.
Terminar com variadas pegas tocadas pela
musica do nono batalbo.
IIIA 1)0 IMPER4
DOR N. 22
Grande armazem de tintas.
Tem a venda :
i Productos chimicos medicinaos os
mais importantes em medicina.
2. Producios chimicos e utcnsis
para photographia eoutras industrias.
3. Todas as materias c utensis
erapregada na pintnra a oleo c a cel-
ia para pintores, tintnreiros, enver-
nisadores, donraderes e vidraceiros.
Joo Pedro das ISeves,
Gerente.
Oh*erece-se urna ama de boa conducta para
Doctor Don Jos Valdes IIkkheha, iuiofes-
SOR DE MEDICINA Y CIlintJIA, SIBDELECADO
EM AMBAS AS FACULTADES DEL SESTO DIS-
IRICTO.Habana.
Certifico que be usado l Zarza parril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ^[^SSS&StSS^ ^ ^ '
& m
O P5
A mesa regedora da irmandade aproveita-se da ,
occasiao para pedir aos moradores das diversas tenido de ella los mas felices resultados en 0
ras por onie tem de pxssar a proilssao, o obsc-, los casos de ulcera crnica, como asi mismo
quio de limparem atestada das suas ea&as, bem e ensava,]0 ias Pildoras catrticas del mismo
como aos moradores da ra do Imperador para Pnn illuminarem as suas casas as noites dos dias,autor > .,as cpnMdero como um pui gante,
10 c 11 do corrente, o que muito agradecer a ir- cuya accin ademas de ser segura, ha sido
mandade.
Club Pemaiiibucaiio.
A minino familiar do eorrente ni
ter luiar na noilc do dia 14.
Aluga-se a sala e quarlos da parte de detrax
do primeiro andar da casa n. Go da ra do Impera-
dor com vista para o passeio, propna para escrip-
torio, e morada de pessoa solteira : a tratar na
mesma.
Companhia fldelldade d
seguros niarltlnios c ter-
restres estabelecida no
Rio de Janeiro.
Af.E.NTES EM PEPNAMBCCO
Antonio Lnix de Oliveira Azevedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios uo seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
;muy efiatz en el tratamento de las enfermi-|
dades que exsigeu el uso de los purgantes,
y no vacilo en recomendar estas preparado-
: ncs. Y para los fines que puedan convenir
! doy la presente en Regla 7 de Setiembre
de*18G0.
Don. Jos Y. Berrera.
Escrfula.
ATTESTADO DO ILLM. Sil. FRANCISCO FlMlRAZ
dos Santos.Ouro Prto.
i Me acbo lia quasi dous annos affectado
de escrfulas, e tendo soffrido tanto que al-;
gumas vezes quasi que cliego a desanimar
da vida e maldizer da minba infeliz sorte; BraeisMe atiuar osa ama que saibacoz-
tenho sido tratado por muitos mdicos d'es- nhar, preferindo-se escrava : na ra da Impera-
la cidade, e nenbum pode vencer a tenaci-. riz n. 40.____________________________
dade de minba molestia, eslava sem espe-j \lll<>"l-SP
rangas de recobrar a minba saude ; quaudo'
W

Quem preciaw e ou ama de leila, drija-se- ao
becco do Rosario, loja do sobrado n. 5. >
Ama de le te
Precisa-SR de urna ama de leite que seja moga c
sadia : na ra estrella do Rosario n. 3, primeiro
andar. _______
Cozinhrire.
Precisa-se de um corinheiro no collegio de S.
Joaquim, na rna dos Coellios n. 8.
Acha-se fgido desde o dia T de fevereiro do
corrente anno o escravo de nome Faustino, de ida-
de de 40 annos, pouco mais ou menos, cor fula,
altura regqlar, rosso do cotjk), bem espaduado,
barbado e ja com algnns "cabellos brancos na bar-
ba, bracos e peroas grossas. e bastante cabelludas,
tem as pernas arqueadas, porm nao muito, bas-
tante cabellos nos polos, e eostnma quando qoer
fallar mais apressado romo que gaguejar, porm
muito pooco, que mal se percebe ; costuma andar
em samba, e as vetes embriaga-se por goslar de
bebidas espirituosas; suppoe-se que elle seguio
para o centro, e consta que elle est em Gravat :
portanto roga-se s autoridades policiaes que o fa-
gam apprebeuder e conduzi-lo casa de seu se-
nhor major Antonio da Silva Goimo, M ra Im-
perial, em Pernambuco, que satisfar toda e qual-
quer despeza qne por ventura fagam, e aos capi-
tes de campo offerece una boa gratideago.
Aluga-se a casa da ra Augusta n. 22, com
grandes commodos e grande quiutal : a tratar na
ra da Senzala, padaria n. 04.
Precisa-so de uina ama que saiba cu/.iului.
e engommar : a tratar na na da Lingoeta n. 10,
primeiro andar.
Precisa-se de um menino para cnixeirn que
tenha pratica de taberna : na ra do Alecrim nu-
mero 2^________________________________
Os abaixo assigoados fazem sciente ao res-
peitavel publico que tem justo c contratado mm o
Sr. Joo Manocl da Cunh Araujo a compra da la-
tierna dama larga do Itosario n. 31, livre e de-
sembaragada. Beeife C de setombro de 1864.
Manoel de Araujo.
Joaquim Rodrigues da Cosa Santos.
Precisa-se de urna ama de leite, sadia e sem
filhos, pagase bem : a tratar na rna do Mondcgo
numero 2.
Compra-se couro de carneiro : na ra larga
do Rosario n. 10.
Compra-sp cobre vellto : na rna do Ilrum nu-
mero 78.
Compram-sc latas vasias de gaz : no arma-
zem da bola amarella ao oitio da secretaria de po-
licia.______
i iompra-se,
jornaes para embrullio : na fabrica amiga de ci-
garros, ra dos Quarleis n.21, paga-se bem.
Compra-se um escravo, que seja sadlo e en-
feuda do ollcio de carpina : a tratar com Autoniu
de Moura Kolim, a ra do Queimado n. 31.______
~~^ Couipra-se urna escrava moga que saiba fazer
o servigo de urna casa de familia, e qne essa tenha
urna lilha de dous tres aonos de idade |>ouco
mais ou menos : a tratar na travessa das Cruzes
ii. 12, terceiro andar.
Compra-e nma taberna qne seja em boa ra
ou entrase de socio com capital : quem quizer.
annuneie iw este Umrio.__________________
Comprase para una encummenda urna rau-
latinba que sirva para mucamba, e um preto de
meia idade : a tratar na ra Augusta n. 24.
Ccmpram-se garrafas vasias : na ra do Im-
perador n. lo.
YENDAS.
as seguintes obras : Ganiier. Economa po-
ltica, lvol. por 2*000: Mackeldey, Direi-
to romano, 1 vol por 45; Du Canrroy,
Commentario do cdigo civil francez, 2 vol.
por 8*000; Hacine, obras completas, i
vol. por 8000*; G. Mass, Diccionario do
contencioso commercial, i vol. por O*;
Cltabot de l'Allier, commentario sobre suc-
cesses, 1 vol. por t*; A. Arnaud, obras
philosephicas, lvol. por 25; Saiwni/e-Har-
por 2*; Lotus Blanc, organisacSo do traba-
ndo, i vol. por25; na ra doCabug loja
ii. 2 A.
P-
5
S5
3
O
B
GO
B
o
p
p-
pe
CO
P-
<
O
IMin. t.' UV t t_V-''l'lll ti lili III MI L'tlllUl uuiiuu *-^ *
nUimamAnlA rAonlvi faiop ma a SnlZt ,.. urna grande casa e sitio confronte a povoacao do
ltimamente ilsoiw tazer uso ua salsa pat-, Moilleiro a Inarg,.ni do r0 capiharibe, rom boa
nlha do Dr. Ayer. Completam-SC boje baixa de capim, e todos os commodos para uina
trinla c sote dias que comecei com esle grande familia : a tratar na ra de Apollo n. 1,
sanio remedio, e tantas memoras tenho --"e""1^ andar.________________________
Na praca da Independencia, loja de ourves sentido que tenho conviccao de em breve Precisase alugar urna perfeita engommadei-
n. 33, compram-se obras de ouro, prata e podras reCobrar a minba saude,'perdida lia tanto ra e costurara, preferindo-se escrava: a tratar
' em Santo Amaro, casa de L. S. Lambroune.
tempO, >- I -----jr-----;-----'^------=----------j
Sfphlltoc molestias nierciirlaes. (J ClTlirgiaO Leal mUuOll
o ku. Sr. Dr. Jackson. rpdflpTipiq fin rna Hn
Medico muito conheade as provincias do i
sul do frasil.
Tenho reeditado n Salsa parrilha do .
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de CrUZeS SOMftOO D.. b, $Tl-
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
coiiimonda, e lodo e qualquer concert.
Na livraria u. t e 8 da praca da Inde-
pendencia existe tima caria de importancia
para o Sr. Antonio Fernandos Corredor.
Alnga-se o sobrado amarello da Ponte d<;
Ucha, concertado de novo e pintado, sendo o si-
lio murado e ptimos commodos para familia : a
I tratar no largo do Paraon. 1G.
Ha para alazar um primeiro andar um ter-
i cciro dito com solao, ambos na ra do Eucantamen-
ito ; una loja na rna do Amorim c urna casa ter-
! rea na ra di Alegra : a tralar com Joao ltbcro
Lopes, ra da Cadcia n. 33, loja.
, inii.uiil. de acadmica de Xossa Senlio-
ra t!o II un Couse.lho.
Em nome da mesa regedora convido a lodos os
| Srs. acadmicos aacoaipanharem a procisso que
j a mesa preteade apresentar aos fiis no dia 11 do
corrente s 3 1|2 horas da tarde.
J. Corroa de Araujo Jnior,
Qiieimado para a ra das
i sobn
andar,
cima do
Syphilis constitucional e sempre com os yi
mais felizes resultados ; o mclhor alteran- mtJllu dilUM, pul ^
te que conocen. armazem rrogressista, aon-
l.eiu on !ia c ores brancas, j nnhnrn pnmft iAmnrp
Temos cartas em que nos coniam casos W u atUdiHU LUlliU BVlJJrc
Precisa-se alugar um muleque
ra do Hospicio n. 78.
cartas em que nos coniam casos
inveterados que foram radicalmente curados nf ODiptO a OlialoUGr llOra a-
com um OU dous frascos d'esta Salsa par- ^ j
,-iiha. ra o exercicio de sna pro-
O espaco nao nos permitte IraBScrever, fiaoSa pliQiiiidn imvp A^priiYrn
lodosos atlestados que pos.st.imos das vr- n^tlQ CaillAaO P0r ebCripta,
tudes d'este extracto composto de Salsa1 Precisa-se fallar ao Sr. Antonio Jos
parrilha do Dr. Ayer. Basta declarar ao'Teixeira de Mendonca Belem: nesta typo-
publico que tem sido empregado ha mais graphia, ou na livraria ns. C c 8 da praca da
ndependencla.
Secretario.
: a traiar na de vinte anuos pela profisslo medica tanto
das Americas como da Europa, sem nunca
0 escrivio de paz do primeiro distric- desmentir a sua alta repulaco.
to da fregue/Ja de Sanio Antonio abaixo as-' ------
signado mtidou o seu cartorio da ra de S.
Francisco pan a ra do Imperador no pri-
meiro andar da [iropriedade n. 71.
O escrivao.
Joaquim da Silva Reg.
Copeiro.
Precisa-se de um bom copeiro estrangeiro
ra do Imperador n. 29, sobrado.
na

profissao, ou outro qualquer negocio. B 'r. s -1 CB 'J. T. ? o. -5 -i V ~ CA B n V c Si rt f 9 3 c s 0 a ai a = R T. i g c -* 1 '-> 3 v. o 2 I 11

Para a cura radical de escrfulas e affecedes
eserofulos, syphilis e molestias syphi-
liticas, ulceras, ferelas, chagas,
cruptes cutneas e todo e
qualquer incommodo que
provm d'um estado
impuro de sangue,
TOMKM A
HJkJUHA PARRILHA DE Wlirt.
jg-as
Bft
DENTlST DE PARS
19Roa Nova-19
Frederico Gautier, cirurgiao dentista, |
faz todas as operacoes de sua arte, e col- |
loca dentes artificiaos, tudo com superio-
ridade e perfeifiio, que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
Hii-sitmi
Peco emprestadas ou compro as cartas de
Pitia Damao, por Fr. Joaquim do Amor Divino
A venda na ra Direita, ns. 12, 2b e /O; caneca, e o Astro da Lusitania, peridico de Lis
ra da Quitanda n. 51 ; praca da Consti- boa.Antonio Joaquim de Mello,
tuicao, n. 30 e Hospicio, n. 40. E as
piincipaes pharmacias c drogaras do im-
qerio.
Vndense em Pernambuco:
na pharmaeia franceza de
P. MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
No dia do setembro, pelas 6 horas da tar-
de, appareceu no hotel do abaixo assgnado, na
fregueziade Jaboatao, um individuo que se intitn-
lava major Honorio Leite com palelot de panno,
cal^a e collete de casemira, chapeo do Chile, pare-
cendo ser branco, e pedio hospedagem at o dia
seguinte, pois que tinha de esperar pelo capitao
Miguel, de Santo Antao, com quem estava justo
para aquelle encontr, adm do mesmo ir tomar
coma de 50 bois que elle tinha de receber do I la-
no de Vera-Cruz, de volla da troca de urna fazen-
da que tinha feto com o mesmo Bario, e do que
moslrou ao abaixo assgnado urna carta de ordem
do mesmo Bariio : au tendo at 7 horas do da
seguinte apparecido o Sr. capitao Miguel, o mes-
mo individuo alugou ao abaixo assgnado um ca-
vado mellado baia, dina o cauda curtas e pretas,
andador baixo, e bastante carnudo, sellado e en-
0 Dr. Rocha Bastos
pode ser procurado das 7 horas da manhaa ao meio j
dia, e das 3 horas da tarde em dianle no
Caes 93 de Wovembro u. SO.
(POn CIMA DO BILIIUl DOS ARCOS.)
De meio dia s 3 horas da larde
M. i -IIiia da Cruz-X. 18.
Cura radical e empoucos dias as molestias sy- J
philiticas e as do apparellio genito-urinario.
Joaquim Manoel Perera Bitetes, subdito por-
luguez, retira-se para lora do imperio.
AMA.
Precisa-se de urna ama para comprar e cozinhar
para seis ou mais pessoas, e que saiba cozinhar o
O bacharcl
Francisco Angosto da Costa
ADVOCADO
Ra do Imperador numero 69.
freado ; duendo que ia a Santo Antao em busca {}iario Prefere-se escrava e parase
do referido capitao, e que voltaria no mesmo da, j ,51lari0 : Da rua do Llvramento n. 22, loja de ,
e como at o presente nao tenha voltado, o abaixo
assgnado roga s autoridades policiaes a captura
de seu cavallo.Luiz Pereira de Mell*.
Joao da Silva Ramos, medico pela l'ni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s II horas da manhaa. e
das 4 as 6 da tarde. Visita os doentes
en suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em qual-
quer occasiao. D consultas aos pobres
qne o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manh-..
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirorgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3JJ000 diarios.
Segunda dita.... 2*500
Terceira dita.... 2|000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O propietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
Paale Pinto da Fonseca e Souza, subdito por-
'tugaez, vai capital do imperio.
lltenco
VerguntT-se ao Sr. E. B. de A. quando faz teneSo
de pagar os 550J qae toraou emprestado em dias
de fevereiro, prometiendo dar no fim do mez, e
*i boje aiida no pagou t Ao menos pague os
juro*. _______^^
' Precsa-se do urna criada livre ou tjcrava.
que saiba cozinhar e engommar : na rna das Cruz
i. 42, primeiro andar.
FaLLENCIA
DE
Jos Marques dna Santos AguUr k C.
Sao convidados todos os senhores credores da
massa fallida de Jos Marques dos Santos Agotar &
C para comparecerem na sala das audiencias, s
11 horas da manhaa do dia 19 do corrente, em que
ter lugar a rennio para se tratar do prejecto de
concrdala ou do contrato de uniao._ Os senhores
credores que nao comparecerem serio considera-
dos como adherindo a qualquer concordata que for
apresentada. Reciftfffde setembro do 1864.
O procurador, .
__________Leopoldo Ferreira Martins Rjbejro.
Vir*-tonsalad de rtespanlia.
Havendo falleeido o snbdlto hespffnnol Betlttf
Antonio Coutinh, sao convidados todos os seiw
devedores e efedores apreseotarem neste vice-
ASPIIALTO
O asphallista Coelho de Almeida pode ser pro-
curado travessa do Carino n. 10, loja, das 9 s
12 horas do dia, para os misteres de sua arte.
Precsa-se de um menino dos ltimos che-
gados para caixeiro de ama taberna : no paleo do
Tergo n. 141.
Contraria de Sania Rita de
Cassla.
Em nome da mesa regedora convido a todos os numero 94.
charisimos irmaos aHm de reunidos em o dia 11
Aluga-se ou vemle-se a otaria dos Coeihos n.
S, onde esteve o Sr. Manoel Serra, o caos passa na
frente, fica em muito bom local para quem quizer
edificar, on mesmo para qocm queira p8r alguma
fundlcao : a Iratar na rua Direita n. 22, reflnaco
de Francisco Jos de Araujo.
Precisa-se do um moleque para servico de
casa de rapaz selteiro : no escriptorio da coinpa-
nhia Pernambucana so achara com quem tratar.
Aluga-se uma casa com bons commodos e
i Irese, em sant'Ann i de dentro : a IraUr cm o
! solicitador Manoel Luiz da Veiga, rua da Gloria
&T:aaarsr^^
Hm-desahir do eonvenlo de S. Francisco desta ci- fac* da Capibarlbe n. w. ,----------r__---------
4ade. Ilecife 9 do setembro dte 18G4.
Joao da Marta BeltrSo.
Secretario.
Precisase de um escravo para o servico ex-
tefno e interno de nffl a pgando-se !8J por
mtz : n roa do Queimido n. 29;_____________i
- Aluja-se uma grandr eftea qa Opunga com Acha-se justa e contratada a taberna do p-
consulado os respctifM tHolos par* procedsr-sC, eowmodoT para rande- fmiti e muito resea, leo do Pnrao fi. 30. se algoemtiver algum ife.
a liquiflicao-tfv seu espolio ^ ^ frenW ^ t rift ^^^^-^ ir;i,^ com 0, biraQ9 a oppor a dita taberna .baia de apresen -
Precis-se de urna ama para cozint^r na Br. Jos dos Santos IS'nnes- de (Sivera, na rua A-1 ta-la n prazo de 3 dias a contar de noje : na rua.
rua do Rnngel n. SO. Impcratrz n. 1. I das Cruzes n. 42.
Precisa-sc de um cozluheiro, o paga-se bom
ordenado, sendo perfeito na sua prossSo : no ho-
tel Trovador, rua larga do Rosario n. 44.
Precisa-se de urna ama forra ou escrava pa-
ra casa de punca familia : na rua dos Pires nu-
mero 24.
SASBIJE
Fi.li
rica
DE
Fogos de artificio da vi uva
Rufino.
Nesta acredilatlissima fabrica recebem-se en-
commen las de fogos de artificio para dentro ou
rada provincia, garantindos s pessoas que se
dingirem este estabelecimento acharem reunidos
os gostos perfeieSo nos artigos alii fabricados,
As encommendas "recebem-se no armazem da bola
amarella no oito da secrelaria da polica. ____
m
m

Alugase o segundo e terceiro andares da ca-
sa da rua da Cruz n. 7. com muitos commodos pa-
ra familia : a tralar na mesma._________
A viuva de~Jacintho Silvestre Vicente mudou
a sua residencia para o sobrado n. I sito no becco
do Abren, que faz quina para o becco das Almas,
e ah conlina com o mesmo estabelecimento de
son tinado marido, dando jamare? para fra, e nos
domingos c dias santos haver mo de vacea, lan-
o para encommendas como em sua casa, todo por
proco commodo e aceio; na mesma casa se preci-
sa de uma ama para o servico de casa e rua.
mmmwbm wmm mMmm&M
B O Dr. Carolino Francisco i)o Lima San- S
t los, contina a residir na rua do lmpe- ^
rador n. 17, '2 andar, onde pode ser pro- *^
curado a qualquer hora do diae da noile i^i
para o exercicio de sua profissao de me- ''?&
dico ; sendo que os chamados, depois de '#
meio dia al 4 horas da tarde, devem ser ^i
deixados por escripto. O referido Dr. fl|
nao abandonando nunca o estado das SB>
molestias do interior, proseeue, com o ^
maior alllnco. no das mais dlliceis e deli- *W
cadas operacoes. como sejam dos orgaos ^
ourinarios, dos olhos, partos, etc. yj
Na m estrella do Rosario n. 34
Advogado Affonso de Albu-
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
teiras, po/m, na villa do Cabo.
l^!llilil MiSI 33! iMSMi^}
M Maques'sobre Portugal.
j3| O abaixo assignado, autorisado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-;
res do reino, por qualquer somma vis- |
ta, e a praso ; podendo, os que temarem i
saques a praso.receberem avista, no mes- !
mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na j
loja do chapos da rua do Crespo n. 6, ou i
na raa do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
Atten$to.
O abaixo assignado faz sciente a todos os cre-
dores do Sr. Dr. Francisco Joao Carneiro da Cu-
uha, que tem procuracao bastante do mesmo Sr. e
de sua senhora, D. Hermina Puppe da Silva Car-
neiro da Cunha, para vender o seu engenho d'A-
gua, para pagamento dos mesmos seus credores,
pudendo desde a data desteannuncio at realisar-se
dita venda, torem toda inforinacao do dito enge-
nho na rua do Appollo n. 39, primeiro andar a
qualquer hora; declara mais o abaixo assignado
que a hypolheca existente no engenho, nenhum
embaraco p5e na dita venda, pois de accordo
como possuidor da mesma hypotbeca. Nao pre-
ciso fallar-se a respeilo da bopdade do engenho,
pois elle um dos melhores da provincia ; quem
pretender dito engenno, appareca quanto antes,
pois nao se pode demorar muito a venda. Rccife,
9 de setembro de 1864.
_________Antonio da Bocha Accioly Lins.
O llaro de Vera-Cruz lendo no Diario de
hoje nm annuncio do Sr. Luiz Pereira de Mello, em
que traa do furto de um cavallo feto por Honorio
Leite, que disia haver-lhe comprado 50 bois, decla-
ra ser islo incerto. Nao conheco Honorio Leite,
com elle nuuca tevo negocio nem den ordem al-
guma para ser-lhe entregue gados. E certo que
foi procurado por um individuo que se dizia ser o
major Manoel Joaquim Ferreira Leite, e trazia
carta do Sr. Joo Leite Ferreira, de Pianc, em
que quelle o tratava por neto, e propunha com-
pra de fazendas de gados que tem em Cariris ; e
pof is'so deu ao mesmo Manoel Joaquim uma car-
ta para o administrador daquellas fazendas deixar
que elle as visse ; mas com elle nao leve nem
irafeu negocio algum.
Livro de oracoes.
Vende-so IGO reis, na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia, um livrinhocrm-
tendo o seguinte : louvor ao santo nome de
Deas, corda dos actos de amor de Deus, Ta-
ces c petices, hyinnoao Kspirito Santo, co-
rea do Scohor, aviso (|ualquer alma de-
vola, desengaos da vida humana, liymno
de Santo Ambrozio Nossa Senhora, jaola-
torias ao Sanlissimo Sacramento, exercicio da
via-sacra, commemoracHo Nossa Senhor3
do Carmo e ao SS. Sacramento, directorio.
para a oraciio mental, dividido pelos dias da
semana, obsequio ar> coracao de Jess, sau-
daroes devolas s chacas de Christo, ofa-
p6es Nossa Senhora, S Jos, ao anjMda
guarda, Deas om obsequio qualquer sau-
lo e para a noute, e responso pelas almas
do purgatorio.
IMPENDI DOLOROSO
que conlem o ofllcio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de rosar c oferecer a ce-
ra, um setenario e mais outros ejercicios
de piedade e devoco; ordenado pela ir-
mandade dos servos da mesma Senhora,
que se acha erecta na egreja de N. S. da
Penha do imperial hospicio dos reveren-
dos padres missonarios apostlicos capo-
chinhos italianos de Pernambuco, approva-
do por S. M. I., que Deus guarde; dado
luz por devoco do muito reverendo-
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 'MO rs. na livraria ns. 6 e ft
da praca da independencia.
'jintjAJjT"
Vende-se bom gaz : na rua Formosan. 10, atDan-
ca-se a boa qualidade.________
Vende-se um sitio no principio da
estrada de J fio do Barros, canto qne
' volla para o l'ombal, em cujo fundo
lem do passar a nova rua, aberta pa-
ralella ilo Principe, lendo deste
modo tres faces' proprias para ediflceees, tem boa
casa de vivenda com quatro quartos, duas salas e
espa^osa cozinha, cacimba com boa agua de beber,
e algnns arvoredos. A largara do sitio de 238
palmos e fundo de 408 palmos: a largura da casa
de 31 palmos e meio e fundo 7 : a tralar rua
di Crespo n. 20 I!, com Alvaro Augusto de Almei-
da, ou rua do Selio n. \:\. de manhaa at s !
horas e larde das i em dianle.______________
Fumo imperial
Corlado igual ao francez niuilo proprio para ca-
chimbo, em latas de 1 libra, quando nao seja me-
Ihor igual ao americano por l^lO rs., para veri-
ficar a veruade os Srs. fumantes podem-se dirigir
fabrica vapor de cigarros autiga rua dos Quar-
leis de Polica n. -' I.______________________
Vende-se uma excedente nrmaco de amarel-
lo toda envidracada e um bom balean proprio pa-
ra qualquer estabelecimento, na rua da Impera-
iriz n. 6 : na mesma t-m para vender urna grande
mesa de amarello propria para hotel.
Machinas para descarocar
algodfto dos mais acreditados
lubricantes: na fundi$io do
Bowman, rna do Bru n. 38.
Vende-se uma escrava moga com habilida-
des : na rua da Praia, primeiro andar n. 47.
Vende-se um lteiro proprio para alfaato ou
sapateiro : ni rua estreila do Hosario n. 16.
Vende-se una carroca de dous bois, em bom
estado, por preco commodo : a tratar na rua dos
Pires n. 3t.__________________________
l*otassa da Kussia.
da mais superior desembarcada hontem : vende-
se no escriptorio de Manoel Ignacio de Oliveira &
Filho, largo do Corpo Santo u. 19.
"
COMPBAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhae
*ig-se bem: fia loja de birhetes daprafada Isde
pendencia n. 22.
Compra-se erTecttvamente
ouroepfata em obras relbas pagndose Uem :
na roa larga do Hosario Si i\, loja de oariNBi
%ii>ia/;i n
JIo vi monto, ra da ladeia do Rocifr
numero Su.
Vende-se um balcao de amarello muito bom,
seis fiteiros e um registro de gaz, por commodo
Pleca.
Lnvas de pelica para se-
nhora 10000!!!
Garntase a qualidade, na rua Direita n. 104,
loja de miudezas.
Charutos la llavaua.
Vende-sel superiores charutos da Ha vana em
rasa de Rabe Schmettau c C.; rna da Cadeia
n. 18.________________________
cal de Usboa.
Ha para vender a mais nova, e ltimamente che-
gada ao mercado, em bem acondicionados barris :
no armazem de Manoel Teixcra Bastos, rua do
trapiche.n. 13, por precoj-azoavel.
Eua da Madre de Dos.
Vende-sc o seguinte :
Firi ha de mandioca, saceos grandes, 4JJ500.
Farello, saceos grandes. :tJ600 e 3/J800.
Milho, saceos grandes, 300. -tiUi.
Feijao mulatnho, saceos grandes, 755U0.
"^Tv'eudem-se doas negras, uma perfeiii com-
nheira e engomma alguma cousa, o outra boa qiu.
laudeira : as Cinco Poutas n. 85.




V
' I I flt-
^ai^a^MHnpHIMMNMl
Urlo 4e PerujBbaeo Subtudo i O tfc Seeiufcro 4e 1S4.
AO PUBLICO
%em menor constran-
glmento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ATTENCO
Os presos da seguate
tabella c para todos, po-
dendo assfm servir de ba-
se para o ajaste de eontas
com os portadores.
u 11*A *"'
ARMAZEM UNIAO MERCANTIL
RCA DA CAEIEIA IIO RECIFE 53.
nos do que outro qualqaer
i. eso jiassando 0 arco da Coneeieo)
Cirande redueeo de precos, equlralente a dez por eento
annunclante.
Collegas.Nao posso por mais lempo sustentar o prec da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bera assim o de outros'
utios objeetos, etc., dando com isto ocasiio a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo 11! Ora, eu offendido com estas obscuridades e reeeioso em adoptar o mesmo
systhema que vn encontrar, de so se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande redcelo de precos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu berro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Unio Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga inglcza a nao ser o de l,4oe a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduccao a que'
esto obngados encarando todos os das de seus freguezes reclamacao de precos, e qualidades, vingam-se de um eoutro portadores'
mai mrormado deste novo estabelecimento. para Ihe vender goneros nao proprios de ura estabelecimento desta ordem que o seu fim
tao somente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de
Senhores e Senhoras o aceio
reza com que sero tratados
dos gneros que precisarem
serio to bem servidos
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 800 rs. a libra, em barril se
faz abalimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 5(o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem buxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem pretohomeopatliicoporscrde superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem bysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o 1,600, 1,800 e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito-regular, igual
ao que se vende emoulra parte por 2,4oo
e 2,6oo rs.
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5,5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e 1,5oo c Goo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. edo vapor
passado a i,6oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abalimento.
dem pralo muito fresco a 8oo rs. a libra,
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portuguezas em latas ja pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculat francez, suisso e hespanol a 9oo
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacete em caixinbas contendo G libras
por 4,000 rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-1
da, salmao, ostras e ehernee, vezugo em,
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna, i
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,000, 7,000 e 8,000 rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro j
qualquer nao pode vender por este preco. I
Genebra de Hollanda a 56o
5,7oo rs. a frasqueira.
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coelho,
Uva Marine** 19,
Vende-se o segulnte:
Allencao II
Ricas laztnhas, fazeoda a melbor que tem vio-
do ao mercado, lano em gosto como em tjualida-
de, pelo Laraiissimo preco de S6 rs. o vado.
Hilas miudinhas carniezins, proprias paa vesti-
dos de meninas e ramisinhas a 640 o cora*).
Cortes de laa com 13 corados, pelo barato preco
de t>5.
Cobertas de chita da India a 2,5500 e 3*.
Lences de panno de linho aije 25-TOO.
}*a^?s de cambra'a de forro com 8 1|S varas >
Toalhas alcochoadas proprias para mitos a i5 a
Ricos cortes de laa com barra Maria Pia a.
algodao com 10 varas,
1(2 palmos de largara
Pecas de platilhas de
proprias para saia a 45.
Algodao enfestado com 7
a 15100 rs. a vara.
Esleir da India, propria para forro de sala de-
*, o, e 6 palmos de largara, por menos preco do
que em outa qualquer parte.
Neste eslabelecimento tambem se encontrar
um grande sortimento de roupas feitas, e por me-
dida.
O Perfume da Moda.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abali-
mento.
Caf do Rio a 2Go e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba,
dem lavado deprimeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz doMaranhao a loo rs. a bbra. e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a -loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco ealpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. (3 de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse fim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 48,000 rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo eoo rs. a garrafa, era caada a 2,5oo,
3,ooo c 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a too e ooo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de I duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., AJadeira secca, Malvazio fino,
Fcitoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs. e a 9oo e l,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinbas muito proprias
para mimo a 64o rs.
* liSS\ a receb?r de sua Propia encommenda um grande e variado sortiment
5J?2? todD! PnmoroSiamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
'SSE eS fr^ueze* e ao publico em geral a seguinte tabella dosseus gneros el
arte. mIS Pre Antonio de Lisboa em latas com 6 libras Amendoas confeitadas de 8oo rs. a libra,
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes- "anteiga ingleza perfectamente flor, a 8oo rs,
libra.
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por i .oo; ditas em caixinbas de deversos
tamanhos com bonitas eslampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molbo inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a ooo rs.
Moslarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e 11,000 a duzia-
dem franceza a 56o rs. a libra, e 52o rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,800 rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
Licores francezes e pertuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limao, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, rlela pimenla a l.ooo
rs. a duzia l,ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros
desejar a 2,6oo e d 8 libras para "cima
a 2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a i,5oo
rs. a libra.
AGUA
De Murray & Lanman.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
tSSJS tS^S^^lSK ftff" gados no ultimo vapor a 2,6oo rs
dem prato es melhores e mais frescos do
mercado a 8oo rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a I.7oo rs. a garrafa.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
crediladas que vem ao mercado a 5,ooo e!
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa. Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra. marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
Sevadinha de Franca muito nova a 2oo rs. ra> Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
CharutosdetodososfabricantesdaBahia^das tas a Mpo e l,4oo rs.
mais acreditadas marcas conhecidas no Fumo americano em chapa a 1,6oo rs, a
cosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo, libra.
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos. Araruta de todas as qualidades.
Cognac inglez das melhores marcas a, Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 3$ a
l.ooo rs. a garrafa. caixa e 6o rs. a libra-
n ,Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
Doce da casca da goiaba em latas de 4 h- j jjruto a 4,ooo rs.
Este raro quo delicado perfume
qnasi que inextinguivcl e to cheio de
mimosa fragrancia e frescura como o
delicado cheiro das proprias verdecen-
tes flores. Durante os mezes caloren-
tos do verso o seu uzo torna-se minen-
teniente aprazivel e desejavel em coa-
Eequencia da influencia refrigrante e
suave que ella produz sobre a pelle:
em quanto que uzada no banho ella
imparte o corpo lnguido c cangado
urna certa elasticidade de vigor e forca.
Ella imparte transparencia as feicoes,
e remove panno*, sardas e hertoejas di
sobre a pelle.
4 li-
0G rs- dem inglezas em barricas amis novado
mercado a 3,5oo rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
bras por 2,ooo;
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
i Papel de botica de excellente qnalidade a
' 21oors. a resma.
! Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
frutas muito frescas a Bicos frascos com frutas francezas em calda
a melhor que se pode desrjar de l,4oo a
3,ooo o frasco.
rs. o frasco, e i Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
dem de laranja verdadeira de Altona em Figos de comadre a 2io rs. a libra e
frascos grandes a l.ooors. o frasco, e l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
ll.ooo rs. a duzia. Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
dem de Hollanda em botijas grandes a loo Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
Capil de diversas
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas sol tas a 1,4oo o cento ; ditas em
Fruas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginjaeoutros muilos a 12o rs. a
laude 2112 libras.
Foijao verde em bages em latas a 64o rs. a
lata.
2,ooo rs. o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 8oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a Hbra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. 1 a 8$500 cada urna.
Massas para sopa macarrao, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 8oo rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo} 2.5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos s5o dos que por ahi se ven-
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranho a 12ors. a libra, 3,ooo rs. lilla CO UlieimadO US. G3 Q 69
a arroba,
dem da India muito superior
O TOMO OIBiVlL DE MP
PARA OS CABELLOS,
E urna preparaeo admiravel para lim-
par, aformosear, conservar e restabele-
cer os cabellos.
A venda as boticas de Caors & Barboza,
ra da Cruz, e Joao da C. Bravo C. ra
da Madre de Dos.
LOJA 1)0 BEIJA FLOR.
moluos com cento etantas porl,2oors. Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
itte excellente chn
a 2oo rs. libras.
Malte excellente cha para os navegantes a i rSi ^no
AGENCIA
FUNGI L0W-0M001.E
Roa da Senxalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roiapa: em casa de S. P. Johnston & C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
Vinho do Porto superior
dm caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
err Antonio Luiz de Oliveira Azevedo& d, no seu
eseriptorio raa da Crnz n. 1.
Fabrica Conceicao da
Baha.
Andrade k Reg, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algodao d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assn- ^
car, embalar algodao em pluma etc., etc., U
pelo preco mais razoavel.
ARMAZEM
FRONTEIRO
DE
VliYEK COUTINHO 21Largo do Tergo21
Ao publico.
Chouricas muito novas a64o rs. a libra ; chocolate francez a 1,060 rs.-a libra;
ameixas idem ; alpista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do Maranhao e da
India de 8o a loo rs. a libra, e em a arroba de 26oo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a 1 ,ooo rs. a garrafa e em porcao, menos; idem de barris a 64o rs. a garrafa, e em cana-
da a 4,8oo rs.; banba de porco a 4oo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
novas a 4o rs. a libra, e l,2oors. a arroba ; cha perola, hysson, miudinho a l,8oo, 2,4oo
e 2,5oo rs. a libra; charutos des melhores fabricantes da Babia de 2,ooo e 4,ooo rs.;
cerveja branca e preta a 5oo rs. a garrafa ; cravo, canella, cominho e erva-doce, conser-
vas inglezas em frascos e meios de 5oo a 9oo rs.; cognac inglez superior a l.ooo rs. a
garrafa; caf de 1.a, 2.a e 3.a qualidade de 8,5oo, 9.ooo e 9,5oo rs. a arroba; cevadi-
Amendoas confeitadas a 6oo rs. a libra,
i dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo.ooo e
l.ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a canada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composic3o a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l,ooo rs. cada urna.
a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2, loo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
dem de sebo muito dura Gngindo esparmace-
te 36o rs. a iibra.
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, c em
caixa a 52o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaco pautadoe lisoa 3,ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo rs.
a resma.
dem erabrulho de 1,2oo a I,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 Vj libra a
I,2oo e8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
d ouro.
nha a 2oo rs. a libra ; ervilhas portuguezas em latas de 1'/libra a 7oo rs.; speriacete: R>>s vros com figos l.ooo rs.
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra, Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
a l.ooo rs. o frasco; idem de Hollanda
c;oinma de mandioca
Vende-se na raa da Madre de Dos n. 38, arr
mazem.
Attenco
Vende-se telhas e tijolhos pelos precos que offe-
recerem es compradores, sendo dinheiro vista :
as olarias de Jos Caaeiro da Cunha,
Prazere, nos Colhos.
K WiKWW e em a arroDa a 6,000 rs ; genebra de laranja
ja 64o rs., e 4oo rs. a botija; graixa em latas a l,2oo rs. a duzia ; manteiga ingleza"per-
| feila flor a 8oo rs. a libra; idem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maca
de tomate a 6oo rs. a libra; marmelada dos melhores fabricantes a 64o rs. a libra; ale-
tria, talharim e macanoa 4oo rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a l,ooo rs. caria fras-1
co; nozes muito nevas a 2oo rs. a libra.; passas a 4oo rs. a libra ; painco a 16o rs
STliS rn.d,fa; P? d reD a i"' '' Papel a,mC e,-e *T de divr- i 5>ooo rs. com a ancoreta
sas marcas; palitos do gaz a 2,2oo rs. a grosa e 2o rs. a camnha ; ditos de seguranca! Idem em pipa puro sem o batisme a 2oo rs
individual a 2o rs. a cuxinha e 36o rs. o maco; queijos flamengos do vapor a 2,ooo rs.'
cada um; cevadinha a 2oo rs. a libra; sardinhas de Nantes de 4oo a 64o rs. a lata ; sa-
bo massa muito superior a 2oo rs. a libra; toucinho de Lisboa muito alvo a 3oo rs.'a li-
bra ; vinho do Porto velho engarrafado a l,5oo rs.; idem em barril a 8oo rs. a garrafa,
Superior cal de Lisboa sendo P01*^0 ^P*8* differenca e em caada a 5,ooo rs.; idem de Lisboa muito superior a
Vende-se superior ral de Lisboa a mais nova | K- a g^3'3 e 2,8oo rs. a caada ; idem da Figueira J. A. A. a 5oo rs. a garrafa e
que ha no mercado tanto em porcao como
Iho por barato preco, afflangando-se aos
dores a superior qualidade: a tratar as
tes mas : do Crespo n. 7, Imperador n. 28, r
cevada, alfasoma, gaz e tijolo de limpar facas a i 4o rs. Presuntos de Lamego a 5oe
piche do algodao. ea.l|s a.ir rb outros muilos gneros quedesnecossario mencioo-los.
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrames com 4 '/ garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafo.
dem com 4 / ditas de venagre a 1 ,ooo rs. o
garrafSo.
P-1 Vinagre PRR em ancorelas de 9 caadas a
a garrafa e l,4oo rs. a canada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8oo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
O proprietario do grande armazem Uniao e Coauaercio declara aos seus fregu
reu- 3.6oo rs. a canada; idem do Estreito a 36o e 320 rs. a garrafa e em canada a 2,56o; zes e am,g0s e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos eslinulou
lora-: dem Rni-itpaiii a ttfn r a oarraf-i iAam hrimn Aa i isU. nnn:n M --- v____. n mpsmns nrpens nn Molhos inglezes a 8oo e l.ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 6oo rs. a garrafa.
Mem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,ooo rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava cora 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. o molhoe
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrames de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. e masso.
Cominbos muito novos a 32o rs. a libra e
1 o,ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas a l.ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 6oo e l.ooo rs. o
caixao.
Cintos dourados.
Sao chegados os lindos cintos bordados a
pelo barato preco de 25-500 c 35000: no Beiia-tlor
ra do Queimado ns. 63 e 69.
FTcllas para cintos.
Chegaram tambem ricas fiv'llas douradas e dc-
aco para cintos a 15000 e ifiOO : no Beiia-flor
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Pentrs de tartaruga.
-rid0S-S-Sfs d!;',rIaru?a. gosto moderno, a
M20O, o&MO e 6*000 : ra de Queimado ns.
oj e b9.
Pentes de tmessa.
Vendem-se penles dotravessa de novo gosto para
meninas a 600 e 800 rs. : s no Beija-llor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Penles para atar cabellos.
Lindos pentes pequeos para atar cabellos, pro-
prios para se andar em casa a 400 e 500 r
no Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e 69.
liiiics de niadreperola.
Tendo recebido um variado sortimento dos de-
sejados botoes para abertura de roupao, vendem-
se a 400 rs. aboluadura : no Beia-flor. ra dc-
Queimado ns. 63 e 69.
Enfeites para senboras.
Lindos enfeites modernas a 25000 e 25400
daos de rede a 900 rs. : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Talberes para meninos.
Chegaram novos sortimentos de talheres para
meniBos a 280 e 320 rs., ditos cabo de balanco de
um bollo a 400 : as lojas do Beija-flor, ns. 63
e 69.
compra-1 jdem Bordeaux a 56o rs. a garrafa ; idem branco de Lisboa, proprio para missa a 5oo rs.
ttTRrta,a f?arrafa; vin!,|?re de Lisboa ?uit0 suPrior a 2oo rs. a garrafa, o l,4oo rs. a caada;
os mesmos precos nos seguintes lugares:
Uniilo e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n, 40.
La para bordar.
Vende-se laa de superior qualidade e de lindas
cores a 65800 a libra : no Beija-flor, ra do Quei-
mado, ns. 63 e 69.
Papel de diversas qualidades.
Y^nde-se papel de beira dourada paulado a
1520e 15300 o parote.ditossemserdouradoe nem
paulado a 640, 800 e '.5000 : no Beija-flor, ruado
Queimado ns. 63 e 69.
Envelopes para cartas.
Vende-se envelopes de cores a 600 rs. a caixa
ditos brancos a 640 e 800 rs. : no Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Pentes dourados para atar.
. .YSnde'se pames dourados para atar cabellos a
15000,15200, 25800 e 35000 : no Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Penles para arrala*.
Vende-se lindos pentinhos dourados com pedra
para marrafa a 15200 : no Beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Sapitos de trasca.
Vende-se sapatos de tranca moito bons a 15500,
ditos de tapete a 15600 : no Beija-flor. ra do-
Queimado ns. 63 e 69.
Ilalaios con sabio.
Lindos balaios com 6 sabonetes de varias imi-
tas a 25500 cada um : no Beija-flor, roa da
Queimado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar lindo sorti-
mento de perfumaras e variado sortimento do
miudezas que se tornara enfadonhe menciona-las,
porm afianca-se ser todo bom e mais barato floe-
em outra qualquer parte.
Balaios para meninas
Lindos balaios de varios gostos para meninas
trazerem no braco : s se eneontra na toja do Bei-
ja-Flor, ra do Queimado n. 63 e 69.________
Extintos e sab&o em eai-
xinhas
Lindas camuas com un carto com a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frase* ou sa-
bio o mais fino que passivel: na toja d Beijai-
Flor roa do Queimado d. 63 e 60.



i



Diario de rcruaiubuco Sabbado O de Seiwbi o de IHU4L.

-*
i
'.ARIlf

COMMERCIAL.
RA llO gLAXH A1MI X. 4*.
Passand o becco da Congregacao segunda casa.
'
r,ij brande liquidacao.
Roa da Emperatriz n. SO.
Loja de faieudas do Pavao de Gama & Silva.
Acba-se esle estabeleciraento completamente
sonido de fazendas inglezas. francezas, allemiias e
sussas, proprias tanto para a praea rumo para o
matto, prometiendo vendr-so mais" barato do qoe
am outra qualquer parte princi|ialmente sendo em
porco, e de todas as fazeutlas dfto-se as amostras,
deuando ficar penhor, ou mandam-se levar em
casa pelos caijeiros da loja do l'avao.
A ebrias de Pavo.
Vendem-se chitas inglezas claras e escuras pelo
barato preco de 240, 260 c 280 rs. o covado, limas
seguras ; ditas francezas de cores seguras a 320,
34, 3*), 400, 440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
moilo superior e bonitos padrcs : s na loja do
Pavao.


NOV1DADE
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 43 ura armazem demolhados denominado Clarira Commer-
cial, onde orespeitavel publico encontrar sempre um completo sorlimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercada os
quaes sero vendidos por precos muilo resumidos como o respeilavel publico ver pela tabella abaixo mencioncda; garante-se obom
peso boa quaiidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, India e Java a 60, 80 e! Peras seccas muilo novas a 600 rs. a libra. Cevadinha de Franca muito superior a 220
100 rs. a libra, e 1800, 20600 e 30000 Painco a 200rs. a libra. i rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra. Cevada a 80 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeile e Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
muito novo a 640 rs. j dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Qucijos flamengos do ultimo vapor a 20800 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
a arroba.
Xmeixas francezas em (atas c em frascos a
10200 e 10600, e em frascos grandes a
2*500.
dem em caixinhas elegantemente cnfettadas
com ricas estambas no interior das caixas
a 1*200,10400, 10600 e *.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez mntto fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
Merath; Lisboa a640 rs. a garrafa.
Aramia verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avellaas muito grandes e novas a 180 rs. a
kbra.
Bisooutos inglezes de diversas marcas a
10300 rs.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs. i
a lata,
dem inglezas muito novas a 30000 a barri-
qninhae a 200 rs. a libra.
Banba de porco refinada a 4iO rs. a libra e
em barril a 400 rs.
Cha hvsson, huchin e perola a 10600, 2;?,
20300, 25800 e 38000 a libra.
dem preto muilo superior a 20000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 300 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 96 A rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas. a 730 rs.
Charetos dos melhores fabricantes da Babia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Cosa a 10800,
20000, 20200, 20300, 20800, 30000 e
30300 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a Kbra e80500 a 80806 rs. a arroba.
'Cartes de bolinhos francezes muito novos e
bem muito afeitados a 7O0e 600 rs.
Chouricas e ipaios muito novos-a 800 rs a
libra,
ultimo vapor a
600 rs
dem prato.
dem londrino chegado no
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a
cada"um.
Sardinbas de Nantes a 300 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Tunando de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 6C0 rs. a
libra.
Figos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste peero e de varias marcas, como
sejam : Veliio de 1813, Duque do Porto,
Madeira, Pedro, I). Luiz I. Hara Pa,
Bocage Cbamisso e outros a 800, 900 c
10000 a garrafa, e era caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500e 360 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada.
dem branco de Lisboa muito fino a 300 rs.
a garrafa.
Idem'deBordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrrafa, e 70000 a 70500 rs.
a duzia.
IdemMorgauxeChateauluminide 1834, a l>
a garrafa.
dem muscatel a 800 rs. a garrafa.
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Macas linas para sopa: estrellinba, pevide,
rodinba a aletria a 600 rs. a libra e a 40
a caixinha com 12 libras.
Nezes muito novas a 160 rs. a libra.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e Peixe em latas preparado pela primeva arte
10200 rs. a caada. de cozinha a 10 a lata,
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs. i Paliiosde dentes a 160 rs. o maco,
Alrn dos gneros cima mencionados te- dem de tientes a 120 rs.
mos grande porco de outros que deixamosi dem de llr a 200 rs.
de mencionar, e que tudo ser vendido por Amendoas confeitados a 900 rs. a libra,
pecas e carnadas, tanto em porcGes como a | Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
retamo- 20 e em caiao a 640 rs.
Quem comprar de 1000000 para cima te- Palitos do gaz a 20200 a groza.
r o bate de 5 por cento. Passas muilo novas a 480 rs. a libra.
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinha do .Maranhao a 160 rs. a libra,
dem de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
dem em garrames de 3 e 5 galoes a 50500
e 70500 cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa,
dem, quaiidade especial em garrafas muito
grandes, a 10800 a garrafa,
dem em garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, em garrafa forma de pera e rolhas de
vidro, a 10000, s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manleiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem francez muilo nova a 640 rs. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Maca de tomates em barril a 480 rs. a libra,
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 60 rs. a lata.
M-H-raviiiinlin t\e 7-in fraecns onndM i Sura ProPr'0 P lencoes e toalhas de mao pelo
/fu. de ara, irascos gl andes, a baratissimo preco de 640, 720 e800rs. avara, al-
godozinho com oito palmos de largura proprio
n i"-t
SUYIEIO

N.
VAI FALLAR
38 ra do Livrameiito N. 38
(Defronte da grade da igrja)
GRANDE AK1AZEM
DE
ILN
c\
As laiiuhas da evp oaifo do l'avao.
Vendem-se lazintias as mais modernas que
tem vindo ao mercado, proprias para vestidos e
soutembarqnes por seren lisas e de cores muilo
delicadas 560e500rs.; ditas lisas com un lustre
que parece seda 640 rs. o covado, ditas com
quadrinhos de seda 500 rs. o covado, s para aca-
bar : na loja e armazem de Gama 4t Silva, ra da
Imperatriz u. 60.
Os vestidos do Pavo.
Vendcm-se os mais modernos cortes de vestido
de la, que vieran) pelo ultimo vapor, com ricas
barras de cor, corpinho e cohete separado ; ditos
com listas de seda e tambem com barras e enfei-
SS^^JSJ!7a^^SS^S ,ue incansavel ** nr,lhe Pora peias nem o embancar de forma alguma a beneT.
e se diz, mandem ver a leja e armazem do c,ar O povo,
Verdadeiro e principal
ORIIEM llO 1>I %
Est em discussao a tabella dos precos que o BALIZA lem a honra de oiicrt-
cer ao respeitavel publico, tanto da ciaade como do centro
Se por esta publicaco qualquer um dos ttbres collegas entender necessano
fazer alguma alteracao em seus annuncios, digne-se mandar a sua emenda para o jornal-
do que :
l'avao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Os vestidos Hara Pia. S o Pavio (80000).
Vendem-se os mais lindos vestidos Maria Pia
de lazinha transparente cora listas, e palminlias
de seda pelo barato preco de 85 cada corte : s
na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
As eassas do Pavio a 240, 280, 300, 320 e
360 rs.
S o Pavo vende as finissimas eassas persianas
imitaco de la, com cores fitas, 360 rs. o co-
vado ; ditas francezas muito tinas 240, 280, 300
e 320 rs. o covado, sto para acabar : ra da
Imperatriz, loja de Gama & Silva.
Os madapoioes de Pavio
Vende-se pega de madapolao infestado com 12
jardas cada peca pelo barato prego de V5, i&HOO e
o cada peca, fazenda muito superior : s o Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, notando que a pe;a
leva urna etiqueta com o Pavo pintado para nao
haver duvidas nem engaos : isto previne o I'a-
vo, de Gama & Silva.
Bramante de llano do Pavo
2*. S04OO, 20GOO.
Vende-se o melhor bramante de linbo puro com
dez palmos de largura por prego muito commo-
do, por ter de acabar a factura, a vara por
25200, 25O0, e 25600 ; s o Pavo : ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
ramio de I i 11 lio do Pavo.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
Amigo de vender barato o Baliza nao expoe a venda seno os gneros bons.
Elle se julga no caso de vender lo mdicamente como outro nao o exceder.
Soldado soprador toma o clarim
E firme como a rocha fica assim.
com oito palmos
para lenges, pelo baratissimo prego de 15 a vara,
assim como tem o melhor algodozinho tanto em
largura como em corpo, proprio para lenges, ca-
misas deescravos, etc., etc., prego muilo coinmo-
do vista da fazenda; s o Pavo : ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Algodiozioho com tuque de avaria a .000 res i
e 4,800
Vende-se pega de algodozinho por ter um pe-1
queno toque d avaria, mas que est em bom es-
Nao toques nesse pessimo instrumento-
Do Baliza olha s o movimento.
t'. t que dos mitrados (cus as eoras
De tudo vendedor de proprla eonta
\5o pasmes vendo como sobranceii'o
Do regres so o Daliza a Ira affronta.
RIVAISEM SEGUNDO | ADEEEgosde MOSAICO MACHINAS DEPATE1NTE
iua do tjueiraado n. 411, est vendendo muito A aguia branca da rua do Queimado n. 8 rece- i,MJ*^"i 11^ mjmjm. ern^m. mji mj
Ra do Quemado n. 411, est vendendo muito
Iboas fazendas e muito baratas, quem vuizer poder
vir ver ou mandar para experiuenlar, assim como
sejara :
Goilinhas muitc linas para senhora a 300 rs.
Ditas e punhos de fusto muito bonito.* a 640.
Cartas de alfinete de cabega dala d todos os ta-
manhos a 80 rs.
'Resmas de papel de peso muito bom a 2.
Capachos redondos e. compridosa^OO'Fs.
Caixas com superiores brelas de colla e de massa
a 40 rs.
Cordo branco grosso que tem noita appiieagao a
vara a 20 rs.
J.inhas de carriHs garante-se iO ^.rdas a 40 rs.
Cartoes de liaba Pedro V com 200 jardas a 40 rs.
Grosas de pennas de ac muito tinas a'500 rs.
Varas de franja-de la para vertido a 40 rs.
Ditas de franja branca larga para toa Ibas & 160 rs.
.Pares de botes de punho a 12O,:J20 e 5'K) rs.
Tinteiros de vidro com tinta a 1.60 rs.
Ditos de barro cem superior tinta a 100 rs.
Grosas de botes^e louca prateados a 160 -e a du-
zia a rs.
Tesouras para testara a 80, 200, 400 e 500 rs.
Escovas para limpar denles, superiores a 208 rs.
Libra de la para bordar da me-ior quaiidade a
65500.
Caixas de phosphoros de segurancaa 160.
superior a 600
de (ral)ulliar nao para
descaroear algodo
FAItlCADAS
V<&> Plant Brothers & C.
LDAI
Cai.\;is <" pacotcs de papel amizade ru.v..- w^ .
Ca com .00 acopes muito fi^os a 800 }* ^^OS 6 totOS.
.Quadernoc de papel pequeo azotado a-20 rs. A agota .branca tem a satisfagao de communifar
.Carritois de linha Alexandre com 200 jardas a 'a Slia ^ 'regueaa que ha chegado mais urna oc-
,100.rs i casiao de provara sua lotivavel barateza, a vista
Earalhos'para voltarel3a 240e maisrfmosa 300rs.' ,da.l,oa objecto, por ism convido a
Meladasdeltnha frooxa para bordara 20 rs. i iodos que verem djnheiro para se dirigirn
iPares de -snalos de Moca de todos -os lmannos: ^ua do Queunado.ii. 8, loja da agrca branca, afn
a 4A500 de comprarem os oujeclos seguintes :
oroiasde.boi3esdeinalreperolaiiiuitonosao6l. Bonios eollarinlios bordados, e punhos com
r^ bolees, tudo por U'JtO.
Cartas e caixac de clcheles de superiores quali-, u'?'ii06',nas de linhe e tambem.com botr.es,
dods a 0 r-s '" dww.
auaaw de graanos superiores e limposa.30rs. Manguitos com.gollkhas bordados por 2*.
Grosas de palitos de gaz a 5200. rltvJ?, f 1 t. a a
Libras de roia pela da melhor quaiidade a 120 ?ollinn* d camuraia bordadas, obta muito
twa, por ou r^.
Ditas de traspassq, tambem bordadas, igual-
mente finas a i&.
Lindas camisinhas com peito bordado., golfcmhas,
manguitos e grvalas, ludo por 55.
Lka grande sorumeato de ntremelos mai lar-
do bonitos aderecos de mosaico e fiuo-doui ado, e
os est vendendo por prego razoavel.
Fttas
para airmandade do Bom Conselho, c carias de
hachareis. Vende-se na loja da aguia branca, ra
do Quemado n. 8
i.c;m s de sndalo, madrepero-
la, osso, etc.
A .ngni.-. branca receben um bello sorlimento de
leqaes-de sndalo, madreperola e osso, sendo elles
de diversos moldes e variadas cores, inclusive a
preta -. agora, pois, quem comparecer com dmheiro
IKJde bem escolhcr um bonito loque, na ra do
Queinradc'luja da aguia branca n. 8.
Caxinlias para costura eoutras
rom pcrfnmarlas
A ii.ja da aguia branca, onde constantemente se
vendern essas bonilas caixinhas com arranjes para
costura, aebn-se mui bem prvida por tor agora
recefeido um k-llo sorlimento de ditas caixinhas ;
assim como-ostras com finas .perfumaras, por isso
'juernquizerifazer 11 m bom pmsente, tendo dinbei-
rodirija-se ra do Queimado loja da aguia bran-
ca n. ts que .-.era bem servido.
Boa tinta para marcar roupa. .'possueas vanlagens de uao destruir o fio doal-
Vcode-se na-rua do Queimado loja da aguia godo ede azer rendero dobrode quaiquer ou-
branca n.-8. I tra com menos trabalho.a sua introduccio para
i as provincia* deste imperto ser de mutto valor
para todos os nieressados a lavoura do paiz.
Estas machinas
podemdescarogar
ooalqnar especie
de algedao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duaspessoaspara
o trabalho; pode
dencarogar urna
arroba, de algo-
do em carogo
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
pordJaou 5 ar-
robas de algodo
limpa.
Esta machina
a nica que
lado, pelo barato prego de 45 e 45500 a pega so
o Pavo : ra da Imperatriz u. 60 de Gama &
Silva.
Os guardanapos econmicos do Pavo r s do
Pavo
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda-
napos econmicos e todo linbo, tanto para as casas
de familia como para hoteis, botequins, etc. etc.,
pelo baratissimo prego de 35 a duzia, isto s na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60, do Gama
ASilva.
tos soutembarques do Pavo
el#.
Vendem-se os mais linos soutembarques que
teem vindo ao mercado, sendo de caxemira de co-
res pelo diminutsimo prego de 125 cada um, di-
tos de musarabique pelo diminuto prego de 05, s
na loja do Pavo, mas que se nao engauem : ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
n Minado do Pavo.
Vende-se panno de linho adamascado proprio
para toalhas de mesa, pelo diminuto prego de 25500
rs. a vara, guardanapos de linho a 55 a duzia,
toalhas de mao a 55 cada duzia, na loja do Pavo,
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
12' so o Pavo (a 2500).
Quem tem baloes por lal preco !
Vendem-se os baloes americanos muilo superio-
res com 20 e 25 arcos' pelo baratissimo prego de
255OO e 45. dilos de 25, .10 e 33 arcos com titas,
muito bem armados e lambem tem cores escuras
pelo barato prego de 35500 cada um : s na loja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 Pavo vende para luto.
V-ende-se superior setini da China, fazenda tooa
de la sem lustre tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, capas, paletots, caigas, etc.,
peloiaratissimo prego de 25, 25200, 25500 e 35 o
covado, eassas pretas lisas, dulas pretas largas e
estreits, manguitos, colarmhos, punhos, e eofeites,
tudo preto proprio para luto fechado, e muitos ou-
A'arutn verdadeira a 320 rs. a libra.
Arroz do Maranhao, Java e do Penedo a 80.
100 e 120 rs. a libra, e a arroba a 1800.
25300 e 25800.
Amendoas a 280 rs. a libra.
Ameixns francezas a 15200, 15400 c 15000
em latas, Irascos e lindas caichinhas muito
proprias para memosear alguem,
Amendoas em frascos de vidro a I0OCO o
Irasco.
Alpista a 100 rs. a libra e a 4$300 a arroba.
Azeite doce francez a 900 rs. a garrafa.
Azeile de Lisboa a 040 rs. a garrafa e 40800
a caada.
Azeite doce em boioes cora 9 garrafas a 5)5300
com o boio.
Azeitonas por todo o preco.
Biscoitos inglezes de diversas marcas a 1 >300
a lata.
Bolacbinlias de soda, oval e lunch a 25000
a lata com 5 libras,
Bolachiohas americanas em barricas mea 2<">
libras a 25000.
dem em botija a :6( c 400 rs. a botija.
Graixa em laUsa 15200 a duzia.
Limonadas de diversas fructas a 15000 o
frasco.
Licc/esinglezes e francezes a 15000, 10500
e 25 a garrafa.
Lingoas americanas a 800rs. cada urna.
Lingnicas promptas em latas a 15200 alafa.
Manleiga ingleza neste genero o que ha tic
melhor a 800 rs. a libra e em barril a 700
rs.
dem mais baixa a 040 e 720 rs. a libra.
Manteiga franceza a 480 rs. a libra, em barr!
e a 340 e 300 rs a libra em relalho.
Massa de tomates a 040 rs. a libra.
Marmelada muito nova aOO rs. a libra.
Molhos inglezes a 400 e 040 rs. a garrafinha.
Mostarda preparada a 400 e 640 rs. o frasco.
Massas para sopa macarro, talharim e aletria
a 400 rs. a libra,
dem linas em caixinhas a 3 M300 a caixinha.
Marrasquino de Z;.ra verdadeiro a 15300 o
frasco.
Banda de porco da melhor quaiidade a 300 dem mais baixo a 800 rs. e 15000 o ira
Assim oci machinas em ponto grandevo" mes-!tros.arIos 1ue vendern por pregos mais em
ola d9 que em outra qualquer parte por estar
mo systema,oraql serem movidas por animaes,
agua ou vapor, pas uaes podem descarogar 8 ar-
robas de algodo ampo por din.
O algodo doscarogado por estas maehinas tem
muito inat6stirna$o nos mercados de Europa e
vende-se por .maiorprego.
As machinas se acham venda nicamente em
casa de
Saandeps Brothers &. C.
V 11. pra BECFE.
Os nicos agentes este paiz.
ras.
Caixa* redondas para rap e tem muito bonitos ca
luagaca JODr-s. _______
t
Vecde-se ou toca-se por propiedades aesa
praga e seus suburbios, a roelaie do engenta) Tri-
umphante, so na baa do rio L'na, e fregueaia do i gosT bonos s assim canTWTbordadasTo M
mesmo aoue, moente, cora bom cercado, It ani-; pje.er de melhor, e mais perfeito, variando uns
naes de roda, c assimentado; asim como duas c onlros nos preos. eooojiae a largura, mas toa-
como duas
jpartes em urna propriedade annexa, aonde tem
,uma boa casa 4etelha na beira mar para se passar
jatos.en todo o caso.
Noras lindas gaavatas Jirancas de 6l,
rom
dourada.
a fesU, e mais ie WO ps de coquetros de fructo!fcor,jtos.e4ifflcejs ^^^oe (mui propri
toovos. Esu propriedade^ alem dos melhores ter-, vestidos a Jlaria Pia) obra iateiramente nova aqu,
renos possiveis para cana, algodo, e o mais, tem a 2 cada ^
quasi urna legoadeeosta para planUgao de coquei-; Bonitos vestuarios brancos com lindos e delica-
ros. Alm de tudo ttem n eitraordinano vi- ^ tordadespara baptisados.
"tZttmUSBttXSSSSSSl Diversai obras de porcelana
qued a mesma propriedade, come est ao alcan-
ce ie quem a vir. Qoato souber apreciar, ver
que eoa o iadispensavel trabalho e industria se
tornar ama propriedade das mais bellas, e recdo-
sas por ua natureza, visto
ameno rio (Joa, e vista do
lhe tica peio nascente : quem o pretender dirija-1 niversario do Hospital Portuguez, e ontras para
se ao seu proprietario, o parocho da mesma fre- enfeites de mesa, etc.; ja se v pois quem tiver
guezia, que far todo e qualquer negocio pelos mo-! dinheiro et habilitado a comprar qualquer des-
tivos que apresenra ao mesmo pretendente, que; las obras : oa ra do Queimado, loja d'Agaia
nesU occasio poder negociar a safra presente. Branca n. 8.
240
100
00
120
20
200
160
A Aguia Branca acaba de receber um bello sor-
timento de amostra* de diversas e bonitas obras
estar margem de, ae porcelana dourada, algumas das quaes por na
azulado ocano que novidade e bom gosto servem para o ieo no an-
JOO
Roa do Crespo, loja n. 20 B.
r Alvaro Augusto de Almeida tem no seu estabe-
iecimento o mais lindo sortimento de fazendas que
tem viodo a este mercado, recebido pelo ultimo
paquete, como seja riqusimos cortes de vestido II l|J| vlilfjl
de verdadeiro blonde cora todos os pertences para J J
noivas lindos e importantes cortes de seda de co-1 A i0000 aflata com cioco galoes: no armazem
res, elegantes chapelinas de palba de Italia, de ere-; de Iougas, vidros, etc. : na ra do Crespo nurae-
pe e de dina, chafes e manteletes de renda de gui-, ro 16-
par, capas e soutembarques de grosdenaple?, bor-, Vndese o sitio da travessa do Remedio
nos de casemira, zuavos de laa, colchas de damas- freguesa aos Afogados n. 21: quem o pretender
co de seda e de lia para cama, e muitas outras fa- entenda-se com o seu proprietario Caetano Pinto
de Veras ua ra de S. Francisco sobrado n. 10,
3 mo quem vai para a ra Bella.
lar raba d aadioea superior, Vende-se urna escrava mulata de boa"ldade
em saceos grandes : vende Antonio Luiz de Olive!. mito boa para o servigo interna de urna casa :
ra Azevedo A C no seu escriptorio roa da Cruz na rtw de Hortas n. 68, se achara com quem
n. 1. .raort
zenlas de la, linho e algodo, que o mesmo ven-
der mais barato que qualquer outro._____
RIVAL SEM SEGUNDO.
Rija do Queimado n. 49 loja de miudezas de Jo-
s Jtgodinho, venham ver a pechincba que se est
acabando certas qualidades de fazenda.
Pegaste fitas elsticas cvn 10 varas a..
Ditas de tranga branca lisa com 10 varas.
Ditas de tranca preta lisa a............
Realejos p;ira meninos, pechincha a...
RoJinhas com superiores alfinetes a...,.
Caixas cos superiores agulhas e limpasa
Jabonetes le familia, muito unos a 80 e..
Pares de sapatos de la para criangas a..
Varas de babado do Porto muito bom a
m, 120e............."............
Ditas de bico largo grosso a............
Potes de superior tinta tem mais de meia
garrafa a..........................
Caixas eom perfumaras muilo bonitas a.
Fraseos de oleo de macag muito fino a .
Ditos de oleo de babosa superior a 240
320, 400 e.........................
Ditos de cheiros muito superiores em qua-
iidade a...........................
Ditos de agua de colonia muito boa a___
Ditos de dita dita grande a.............
-Sabonetes de todo o prego 60, 160, 200,
320 e.............................
Frascos de superior ban ha a 320 e.......
Caixas de p para limpar dentes muito
fino a-............................
Ditos de banha transparente a..........
Pares de ligas muito linas para senhora a
Sabonetes inglezes da melhor quaiidade a
Frascos de agua dentrifice superior ga-
rantida a.......................
Manos com 2> envelopes grandes azula-
do a..............................
Varas de fita preta com clcheles a.....
Frascos de macaga perola muito superior
Caixas com pennas grandes a.........
Grosas de botoes para calca preta, miudos
Libras de memento da roupa de lavar a..
Carriteis de relroz de todas as cores e
tem meia oitava de retroz a.........
Varas de bicos de dfferentes larguras a
liquidando ; s na loja do l'avao ra da Impera
triz n. 88, de Gama 4 Silva.
As percalas do Pavo.
As mais lindas percalas que lem vindo ao mer-
cado pelo utmo vapor tem na loja do Pavo pelo
barato prego de 600 rs. o covado ; ditas de listi-
nlias_ muito miudinhas proprias para vestidos e
roupoes de seoiioras, meninos e meninas, pelo ba-
ratissimo prego de 500 rs. o covado ; garantem-se
as cores por serem do melhor fabricante que as
tem em Pars : isto na loja do Pavao ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As chitas do Pavo '$ iOO e
108OO o corte.
Veodem-se cortes de chita com dez covados
2$400, ditos 2800, com 12 covados; sao chitas
inglezas, mas padres bouitos e tintas seguras -,
assim tem as melhores chitas francezas e de tin-
tas seguras por precos eommodos, a saber : 320,
340, 3SO, 400, 440, 500 rs. o covado : na loja do
Pavio ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Os bordados do Pavo
Vendem-se camisinhas com manguitos e goili-
nhas bordadas, pelo barato prego de i e 1,8:280
cada um, manguitos s 500 rs. cada par, ditos
rs. a libra.
Batatas em gigos e caixas por todo o preco.
Caf moido a 103000 ou 8/>O00 a arroba.
Caf superior a 7->:0O, 80000 e 8/J500 a
arroba.
Cb nesto genero temos o que h de melho-
assim como tambem temos baixo pelos pro- i Passas novas
eos seguimos: IM'H), i$600, 1/5800, '
25400, 2^600, 2800 c 35QGOo fino.
Charutos de todas as melhores e peores mar-
cas do mercado a 800,10000. I0GOO, 2.
20800,30000, 40000. 50000, 50300660
o cento.
Chouricas as mais novas do mercado a 12
o barril com 1 arroba e 480 rs. a libra, a
ellas que pechincha.
Chocolate magnifico a 10000 o 10200 a libra.
Cerveja marca a mais acreditada que tem
vindo a 300 rs. a garrafa, emeia garrafas
por 320 rs. branca e preta.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco fazenda
chique,
dem francezas a 3(0 rs. o frasco.
Cevadinha de Franca a 240 rs. a libra.
Champagne da melhor marca que aqui lem
vindo a 200 c 240 o gigo.
Cognak inglez e francez a 800 rs. e 15000 a
garrafa.
Ceblas por lodo preco.
Copos lapidados que sempre se venderam e
se vendern em muitas partes a 80 e i0.->,
vendemos a 30500 e 60000 a duzia.
Copos para vinho a 30000 a duzia.
Doces de calda vindos de Lisboa neste ultimo
vapora 640 rs. a lata das melhores fruc-
tas da Europa.
Milito em saccascom 20cuiasa 30500.
Prezunto inglez para fiambre vindo no ultime
vapor a 800 rs. a libra.
dem mais atildo a 640 rs. a libra,
dem do Porto a 040 rs. e sendo inteiro a
500 rs. a libra.
a 400 rs. a libra.
Polco a 160 rs. a libra.
Painco a 160 rs. a libra.
Pomada a 240 rs. a duzia.
Pimenla do reino a 320 rs. a libra.
Peixe em latas a 10000 a lata, savcl,
vina, pargo e outros.
Papel de peso a 20000 a resma.
,)(.
400 j com golinha a~800 rs., golinhas 400 c 480 rs., de
i fil 240 rs. cada golinha bordada, romeira de
1601 cassa o de fil muito bem bordadas 2> cada
100. urna, manguitos que servem para calcinha de me-
I ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e
390, golas com a competente grvala de seda, fazenda
2!'aa' pe' barat0 Pre5 de 3 e muitas outras
0 bordadas que se vendern por precos muito em
conta : s na loja do Pavao ra da Imperatriz
o. 60, de Gama & Silva.
320
400
800
As roupas do Pavo
Vende-se panno preto fino muito superior pelo
barato prego de SJL 2*500, 3*. 30500 e 40, dito
muito fino 5j> e 6 o covado, casimira preta de
^ urna s largura e muito fina a 10800, 24 e 20000
00!?'- "N*. co""* de casimira de cores a bi,
50500 e 60, casimiras enfestadas de urna s cor
proprias para raigas, palelots. coletos, capas e para
roupas de meninos a 30500 o covado, isfo na loja
do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
dem da goiaba e da casca o melhor que
possivel por diversos precos, e conforme
otamanho doscaixoes.
Ervilhas em latas a 640 rs. a lata,
dem seccas a 200 rs. a libra.
Espermacete americano a I02OQ a libra-
dem francez a 560 rs. o masso com 6 velas.
Figos de comadre em caixinhas muilo lindas
a 800 rs. a caua.
Farinha de trigo a 120 c 140 rs a libra.
Farinha do Maranhao a 240 rs. a libra.
Fumo do Para a 10800 a lata grande.
Fumo americano a 10400 a libra.
Fumo em macinhos para sigarros
rs. o maco.
Farelo em sacas de 80 a 90 libras a
Genebra de laranja 10 o frasco,
dem de Hollanda a 300 rs. o frasco.
a 200
dem idem muito lino a >000 e 30500.
dem maifun a 4-vi1 0,
dem almasso a 30000, 30500 e 40000.
dem para embrollio a 10200 a resma.
Paulos para dentes macos com20 macinhos
a 80,120 c 200 rs. o maco.
Palitos do gaz a 20000 a groza.
Queijos llameogos to ultimo vapor a 20600.
dem londrino a 000 rs. a libra.
dem prato a 640 rs. a libra.
Rap Meurona HOOO a libra-.
Sag e sevadinha a 240e 280 rs. a libra,
Sardinbas de Nantes a 640, 360 e 360 r. a
lata.
SabSo massa a 120, 180, 200 e 240 rs. a
libra, e em caixoes por menos.
Sal retinado a 600 rs. o vazo (pote de vidro.)
Toacinhode Lisboa, de Santos e americano
a 160, 240 o 320 rs. a libra e em arroba
a 5, 7,c 90000.
Tijolos para limpar facas a 160 rs. rada ura.
Vinho do Porto em ancoras com 70 garrafas
a 300000.
Vinhos de Lisboa e Figueira qualidades mag-
nificas a 30000, 305OO e 40000 a caada.
Vinho do Porto em pipa a 5 e 00000 a caada
Vinho branco de Lisboa e Porto em ancoras,
barris e pipas a 40000 e 50000 a caada.
Vinagre de Lisboa a 10600 e 20000 a can.%
da.
Vinagre em garraoes por 10000 com o gar-
rafo.
Vinagre em ancoras para 10600 com a ancora
de 9 caadas.
Vassouras americanas a 640 rs. cada urna.
Vinho deBordeaux neste genero temos grande
porco e das qualidades melhores que lem
vindo ao nosso mercado em garrafas, em
ancoras, em barris e quartolas o qual ven-
demos por procos muito baixos.
100
600
500
320
10000
100
100
200
200
100
200
200
60
Charutos de Havana
de superior quaiidade vendem-se em casa
de Schafleitlin A C, ra da Cruz n. 42.
Fumo de Garauhuus.
Vende-se urna porco de superior fumo verda-
deramente de Garanhuns : na ra do Queimado,
armazem n. 10.__________________________
Vende-se um molequa de idade de 15 anuos*
erioulo : na ra Direita n. 3.
PECHINCHA
Empreza de illuniinacao
gaz.
Todas as vendas do apparelhos e reclamagOos
(por escripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem da ra do Imperador
I d. 41. Os machimslas mandados para attender a
Na loja do Passeio Publico n. 11, vendem-se as estas, apresentaro um livro que os reclamantes
segnintes fazendas, por menos do que em outra devcio assignar logo depois de prompto o servigo
qualquer parte, chitas estreitas e fixas a 200 rs. o. reclamado; isto para que a empreza fique seiente
covado, dita a 260, dita larga a 280, dita a 320, de baverera os mesmos senhores sido devidameme
dita a 360, dita a 400 rs., assim como outras fazen-, altendido?.
das que s vista dos compradores, e tambem se
do as amostras doixando penhor.
Esteiras do Aracaty
Vendem-se na travessa da Madre de Dos M n.
Gomma

muito superior em barricas : vende Francisco Go-
mal de Maitos Jnior, na ra larga do Rosario nu-
mero 24.



Diario 4trern*liN Saftftadft O ie ftetcmbro e t 4.
GRANDE
57 RA DO IMPERADOR
DE
PfEM COROAS NEM MITRAS
J
Paulo Ferreira da Silva & Companhia
Grande sortimento de molhados em grosso e a retalho. nico armazem que mais
Tantagens offerece ao publico.
Deseuganeni-se todos.



K
B
Amendoas
Alliauca o verdadeiro hornera do progressso
AllinH^a o verdadeiro e principal armazem de molhados.
Alllan^a o armazem que vende mais barato.
% liLiuc o armazem que vende os melbores gneros.
All,an?a o armazem onde preside o mellior aceio.
Fiquem todos sabedores desta verdade.
Venham todos a raa do Imperador n. 37.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
PARA AS FESTAS
DE
S. JOftO E S. PEDRO.
confeitadas de bonitas cor dem de Hollanda em garrafes com 24 gar-



4.k\mf:
ARMAZEM
DE

NOVA EXPSITO DE GNEROS
NO
ARMAZCI9I
PRINCIPAL




RIJA DO IMPERADOR \. 40
JbbU ae sf brado em que mora e Sr. Otboroe,
Para a festa de Santo Antonio, S. Jofio e 8. Pedro.
Uarte Almelda A C, recebcram de su a proprla eocomuien-
da o mala lindo e variado sortimento de molhados, proprlos
da presente estacSo.
Manteiga ingleza Macas brancas
da safra nova vinda nesle vapor de 28 de para sopa a melhor que se pode desejar,
DE
.


ff. 9 RIJA DO CRESPO V. O
800 rs. a libra.
Idom de casca muito nova
Avelaas a oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a i,2oo, l,4oo e i, 600 rs. cada
urna,
dem em frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a i,2oo e l,4oo rs. cada
um.
rafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
zados a 2oo rs. a libra.
Licores frahcezes de todas as qualidades a
8ooe l.ooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800
e 96o rs. a libra.
dem Xranceza nova j deste anno a 600 rs.
a libra, e 58o rs. em barris inte iros.
!d*mi em fiasco grandes a 2,5oo rs.
um.
dem em latas de 1 '/* e 3 libras a i,2oo e
2,000 rs.
4rroz da India e Maralo o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,4oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,800 rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e 10,000 rs. a
caba com I duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 10o rs. a libra e 4,6uo rs. a ar-
roba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: agua e
sal doces, e imprtaos em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. c de 3 / libras a l,5oo rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinhas
torna-se muito recommendavel com espe-
cialidade para os doentes.
Blscoitos e Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em cartes e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 16o rs. a libra.
Bolachinhas nuezas Diurnamente desembar-
cadas a 2lo rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem vindo ao nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo e l,5oo rs. a garrafa
inteira, c 800 rs. as meias.
Cha uxim o melhor que se pode desejar, e
que mitro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra.
dem perola de esp cial qualidade a 2.600 e
2,800 rs. a libra, garanle-se a qualidade
deste cha.
dem hysson o melhor que possivel encon-
cada Martrjclada especial dos melhores fabrican-
tes'd'e Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, ha
latas de diferentes tamanbos.
Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o
rs. cada urna,
dem para soda estrellinha, pevide e rodinha
em caixinhas sortidasa 3,ooo 3,5oo rs. cada
urna e 5oo rs. a libra,
dem macarrao, talharim e aletria a 4oo rs. a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um
Momo inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Macrasquinho verdadeiro de Za l.ooo'a dja -
agarrafa, 10,000 rs. a caom 1 usi.xrc a
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Prczunto de fiambre superior a 600 e 800
rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
tiar-se a 2,4oo e 2,0oo rs. a libra.
libras
dem do Bio em latas de 2, 4, 6 c 8
a l,2ooe l,4oo rs. a libra.
dem preto muito fino a l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
bespanhol e suisso a 1,000, l,2oo c l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em caixas das seguin-
tes marcas: Parisienses, Suspiros, Mili-
cias, Napalees e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem do outros muitos fabricantes e de dif-
ferentes marcas para i,5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a l,6oo, 2,000 e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 000 rs.
Cognac ingle/, das melhores marcas a l,ooo
rs. a garrafa e Jo.ooo rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Coaiinho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canellaa l,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Bio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas ultimameule chcgadas
a 7oo rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito hem enfeitadas a
.ooo rs. cada urna.
dem em tetas emticamente lacradas a
l.ooo e .ooo rs. cada urna.
dem em caixas de '/a arroba a 2,5oo rs.
cada nma, e 2oo rs. a libra.
liraixa muito nova a loo rs. a lata e l,ooo
rs. a duzia.
enebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 560 rs. o frasco
dem de laranja a l,ooo rs. os frascos gran-
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
outros a l.ooo rs. a latas.
Palitos para denles a 14o e a 16o rs. o mas-
so dos melhores.
Painfo o mais novo e limpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,100 rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamcngos chegados neste ultimo
vapor, a 3,ooo
dem pralo muito fresco a 800 e 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que at ho-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs,
cada un.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e 56o rs, a garrafa.
Sardinba de Lisboa e Nanles em quartos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, c 2,8oo rs. a ar-
roba.
Traques de l.'1 qualidade a 9,5oo rs. a ca-
xa, e 24o rs. a carta.
Toucinho novo de Liiba a 2 lo e 32o rs. a
libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cadaum.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira demarcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando com-
composicao a 56o rs. a garrafa, e 4.000
rs a caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada,
dem mais ba'uo a 4oo rs. a garrafa, a 3,000
rs. a caada.
Mera Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras veces vera ao
nosso mercado a 1.2oo rs. a garrafa, ga-
ranle-se que por este mesmo preco d
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em 'caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e 10,000
rs. a caixae 9oo c l,ooo rs. a garrafa.
IdemMuscatel superior a l.ooors. agarra-
fa, e lo,000 a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
dem em garrafes com 5 garrafas a 1.000
rs. com o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
cada urna.
macarrao, talharim ealeiria a 400n. a
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira i A A e otitras mu itas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
Idom de Lisboa
e de mitras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 10 e 1)5200
a garrafa e de 10)5 a 12# a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisso dcFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 4(5000.
Bolachinha ingleza
a 1(5800 a barrica da mesma que
venden a 2(000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120^ j bra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mai
cas de 40500 a (0500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Beis e outros em
meias caixinhas a 105OO._
Arroz
do MaranhSo a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1 ." e 2.* sorte do Bio de Janeiro a 83f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libp
Garrafoes
com 4 '/ garrafas com vinagre a 1 -5000
o garrafao.
GEXEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 cora
12 frascos.
GENEBRA
[de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
i os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8ooj LICOBES
rs. a garrafa e de otitras militas quada- finos de todas as qualidades, a 10,000 a caixa
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa. com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
copo* ; Marmelada
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a do$. ^^ fabricinles ,,e Lisb6 a COffi0 se.
duzia, e a 440 e 000 rs. cada um. jam Abreu e oulros ffiukos a Qm f$ a
PAPEL libra.
almaco, greve, peso e de ouras militas qua- ( PrCf UlltO
liilades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
m?io a 800 rs. a libra.
Manteiga franceza
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril
a 500 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos.
Cartees
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 10300.
Chocolates
de todas as qualidades a 10000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambera
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 206oo.
Qneljos
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
Queijo
londrino o mais fresco que se pikie esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600. J
Massas amarellas
para sopa, macarr3o, talharim e aletria a
480rs. alibra.
COC VA C
Esquina que volta para a raa do Imperador
E provavel que nao seja bem aceita a verdade, qaando a boa f de todos anda
Iludida por esta epidemia de nauzealicos annuncios de cornetas, tambores, coras, mi-
tras, etc., que todo o dia enchem as paginas deste jornal.
ATjERTA
Os annunciantes nao tem em vista seno garantirem ao respeitavel publico a
sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para saas subsistencias e n3o para
assentarem fortunas a forra da regra de liga como outros annunciantes deste genero
PARA TODOS
No armazem principal vende-se a todos pelos procos marcados na seguinte ta-
bella, mas nao se vende por todo o preco fazendo-se peso de arroba hespanhola, garan-
le-se as qualidades dos gneros trocando-se lodo aquelle que n3o seja do agrado do
comprador.
diversas cores
libra.
Amendoas confeitadas de
64o rs. a libra,
ilem de casca dura a 24o rs. a
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas, a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 /s libra a l,Ioo rs.
Arroz do Maranho C da India o melhor que
ha neste genero de 80 a loo rs, a libra, e
de 2,5oo a 2.8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,800 rs. a caada,
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa el 0,000
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libra.
Azeitonas muito novas a 2..000 rs, a anco-
" reta.
Alpista limpo a liors. a libra, e 4,4oo rs. a
arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades, em latas
de 6 e de 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a
lata, c 64o rs. a libra,
dem ingleza em latas de 2 e de 4 libras
das melhores marcas a l,3oo e 2,200 rs.
a lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em caixas de 2 e de 4 arrobas a
1,100 rs. a arroba.
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo
i Lentilhas muito novas excellente legumo pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades de
7oo e 9oo rs. a garrafa.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 rs.
a libra, desnessesarie mais elogios nes-
te genero que s se pode verificar com a
vista.
dem franceza a 56o rs. a libra, e era barril
ou meios a 5oo rs.
Marmelladado 1." fabricante de Lisboa a 600
rs. a libra, ha latas de I, !*/ e 2 libras.
Maca de tomate em latas de urna e duas li-
bras, a 600 rs. a libra.
dem para sopa estrellinha, pevide, rodinha,
etc. a 3,5oo rs. a caixa e 56o rs. a libra.
Macarrao, talharim e aletria a loo rs. a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinhas com rolha de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marraschino verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
a garrafa, e Io,ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Preznnto para fiambre inglez verdadeiro, ga-
rantindo-se a qualidade, a 7oors. a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a libra, e
6,5oo rs. a caixa.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes qualidades, sabel, corvina, go-
rz, cavallinha e pescada a l,ooo rs. la-
la.
rs. o gigo. l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.! Palitos para denles fichadas a 14o rs. o ma-
as meias garrafas. co de 20 macinhos.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li- dem do gaz a 2oo rs. a duzia, e 2.loo rs.
des e ll.ooo rs. a caixa com 12 frascos. Velas de espermacete superiores a 56o rs.
'idem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada I a libra, e 52o em caixa.
urna. i dem de carnauba refinada e de composic3o
Idom em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo a 36o rs. a libra, e de lo,ooo a 11,000rs.
rs. com o garrafao. a arroba.
RA DO QUEMADO NUMERO 11
o/a de fazendas d* Augusto Fredericn dos Santos Porto
Liadas cliapellnas e chapeos para senhoras.
'.hegarara a este cstahelcclmento as mais modernas cliapelinas e chapeos para senhoras.
Superiores cortes de laa de barra de 10$ a 20.
As mais superiores capas e soutembarques de seda preta c casemira de cores para senhoras de
504 al 305- M
Excelleutes laas para vestido a 320, 300, 360 e 600 rs. o covado.
Cassas e organdys de cores a 240 e 320 rs. o covadd: '
Os melhores tapetes para sof com riqaissimos desenos.
Lenco* de cambraia de linhoe fil bordados a 15 cada nm.
Superiores casem i res mescladas de diversos gostos lano em pegas como em cortes.
E outras muilas fazendas como sejam: pereallesflnlsstmas.bretanhas, sitecias, esqniao, silis-
urna preta muito Una, canto para vestidos do luto, grosdenaple de bonitas cores e as superiores -
Esleirs para salas.
As pcssoM que pretenderen) forrar suas salas oaabinetes, encontrarlo neste eslabelecimento
ethor acaudado de esleirs de todas as larguras e pelo mais mdico preco,


Ihor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 2200 a resma, Maranho, Java e India, a loo rs. a
PAPISE. de 3,000, a 3,2oo rs. a arroba,
azul e pardo para embrulho de 1,4oo a 2,2oo: VELAS
rs. a resma. ^ de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
Corflth.fl.S a *'kra e em caixa ter abatimento.
passas corinthias muito novas proprias para k ybLAS
___. i:._. ide carnauba em caixas de arroba a>,3oo e
i caixa e 3o rs. a libra.
Batatas novas
a em caixas de 2 arrobas a 5$ a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas mullo notas
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs. r ":
a ||jra r Cominho e erva-doce a 4oo r>
bra.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a libra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2.000. 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Ri em latas de 2 a K libras, a l,3oo
rs. a libra.
dem preto homeopathico 2,ooo rs. a libra.
Ceneja das melhores marcas a 6,ooors. a du-
zia, c 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, suisso e bespanhol a
l.ooo, l,2ooe I.4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furta -
do de Simas o oulros da Rabia como se-
jam Regala. Trovadores, Guanabaras. De-
licias e Suspiros, a l.Goo, 2,ooo, 3,ooo e
4.000 rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a 50o rs.
Cognac inglez e francez a I,ooo rs. a garra-
fa, e 1 o.ooo rs..a duzia.
a libra.
,5oo
em quartos e inteiros a & o quarto e 6#500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa
l,4oo rs. alibra
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa seJar a 80 rs- a llDia e *f> Po-
e l.ooo rs. o molho. L a Frutas em calda
Alnkfi A Pflnftn chegadas ltimamente, pera, pecego, ginjae
LiyiSlxl t? ruiliyo outros muitos a 640 rs. a lata.
0 mais novo do mercado a 140 rs. a libra, Dsce da casca da guiaba
e 45400 a arroba. a 600 e 1$ o caixe.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularan! os mesmos preces nos seguintes lugares:
l niao e Commercio raa do Qiieimado n. 7
0 Verdadeiro Principal raa do Imperador n. 40
FRUCTAS
M li, Ai. PERA I. ITVAM
chegadas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes lugares: Ra do Imperador n.
40, Verdadeiro PrincipalRa do Queimado n. 7, Uniao e Commercio.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a 1,000 rs. a libra.
I Copos finos para agua e vinho a 4.800,
5,ooo e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,5oo a 9,ooo rs. a arroba,
dem lo Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a libra,
e 8.000 a 8,.rioo rs. a arroba.
Doce de goiaba a 600 rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas em latas, chegadas ul-
timamentca 7oo rs. a lata,
dem seecas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo rs.
cada urna.
Craixa nova a loo rs. a lata, l,loo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs. cada urna.
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garralao.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. rada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a 1,000 rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l,ooo rs. o fras-
co, e ll.ooo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida Suissa a
1.8oors. a garrafa.
rs.
WM(g(Q
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor-
deaux, differentes qualidades, mais barato que em
qualquer parte : no armazem de E. A. Borle i
C, roa da Cruz n. 48.
Fartura de sabonetes
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira qualidade a
40)5 a lata : nos armazens da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
AUencao.
Vende-se superior vinlw do Porto em caixas de -
urna dezia : em casa de Johnston Pater & C, ra
do Vigario n. 3
Predios venda
Vendo-se o sobrado de um andar e solio sito na
roa do Fogo n. 33, em chaos proprios, com quin-
tal, cacimba, etc., rende actualmente 475000 men-
as transparentes a 25O0, 3| o 44000 a duzia. saes; urna casa terrea na rna da Gloria na Boa-
accommodados procos servem bellamente Vista, tambem em chaos proprios, e rende 20 :
A Aguia Branca recebeu um completo sortimen-
to de sabonetes, e quer distribu-tos com toda a sua
freguezia que compra a dinheiro vista, por isso
os est vendendo pelos baraiissimos precos de 13,
15200, loOO, 25, 24300 e 35 a duzia, sendo es-
tes de cores e com diversos moldes e (guras, e
outros '
Estes
para que todos lavem suas mSos, lencos, etc., etc., | os preiendentes desde j n'sderao examinar os re-
feraos predios, e para infrinacoes poderao enten-
derse com o agente SimScs em sea escriptorio na
ra da Cadeia do Recife u. 48, primeiro andar.
da Senzilla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a HO rs., idem de Lo*
Sfor libra a 120 rs.
com cheiroso sabonete, e urna vet que naja dinhei-
ro, dirijam-se ra do Queimado, loja d'Aguia
Branca n. 8.____________________
Bichas hamburguezas.
Na ra Nova n Ct defronte da Rima, cmara
municipal, vendem-se constantemente bichas novas
[por menos 25 o cont que em outra qualquer par-
te : recebem-se por lodos os vapore?.
a groza.
Painco muito novo a 16o rs. a libra, e
rs. a arroba.
Queijos flamengos do ultimo vapor.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra, e
sendo inteiro a 72o rs.
Sal reinado em potes de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Sardinhas de Lisboa e de Nanles a 600
a meia lata, e 4oo rs. o quarto.
Sag muito novo o alvo a 24o rs. a libra.
Sardinba do Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loors.alibra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 3oors. a libra.
Tijolos para impar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira das
marcas menos conhecidas a 4oo rs. a gar-
rafa, ea 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira expecialmente escolhido neste
lugar a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo a caada.
dem LavradiO, Colares muito fresco sem
composico a 6oors. agarrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a22,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a ;i6o rs. a garrafa,
ea 4,5oo a caada.
dem Porto tino em pipa a 56o rs. a garra-
fa.
dem engarrafados generoso?, Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luizl, D. Pe-
dro V, Nctar, velho secco, Malvazia, 0
genuino particular de t)ooal,2oo rs. a gar-
rafa e a lo,ooo rs. a caixa com urna duzia.
dem Madeirajegitimo a l,2oo rs. a garrafa,
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Meseatel a looo rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marcas St.
Julien St. Esteph, chteau la Itoze.chatau
Margoux e outros a 6,000 rs, a caixa e 56o
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2,000
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e I,4oo
rs. a caada,
dem em garrafoes com garrafas a 1.000 rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada nma.
dem de cscovas para lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Vcllas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e sendo em caixa a 52o rs.
dem de carnauba refinada e de composico
a 36o rs. a libra, e lo,5oo e 11,000 rs. a
arroba.
INJECCO E CAPSULAS
VEGETAES ao MATICO.J
GRIMAULT E C'_A PHARMACEUTICOS EM PARS
Novo tintamente preparado rom as folhaa 4e Matlea.rrmre > rern, para a cura rpida einfallivai
da Gonorrhea sem receio algum da contraccio do canal ou da nflammacao do* intestinos. 0 clebre
doutor Meard, de Pars, ter renonclado, desde sua apparii^ko, ao emprgo de qualquer outro t ratamente
Emprega-se lajrrra* no romco do floro, as capsulas em todos os casos chronicos e Inveterados, q
resistirSo s preparaces do eopahu, cubeba e s injecc,5es com base metalllca.
Orpsito geral: era Taris, em casa de MM. Griaiaut e C, pharmaceuticos, 7, na de la FeulUaae;
em sboa, Jaa-Asoatlaha da Cota-Cralh Juntar; no Porto, Misad laa *e m% Fer-
reira; em o lio-d-Jonetro, Gratas, 101, roa S. Pedro; em Bakia, Jaa Cataaa rarrclra.Eli
halra; n Rio-Grande, Jaaqula de Oadoy; em Maranho, Fcrrrlra O; em Ptrnsmbuco,
iaaua e C". raa da Crut, 25 ; soma, e as priBClpaea pharmacias do Brasil.
Deposito geral em Rernamboce ra da Cruz n. 22 de emcasaCaros 4 Barbosa.
BALOES DE ARCOS
A S$O0O
Na ra do Queimado u. 40, letreiro verde.-
que vendem-se por
(



Superiores e bem armados baloes pe
esle prejo por ter-se comprado urna grande
lo diminuto preco de 2. advertiodo
porvo e qoerer-se acabar.



mr-w
m*
*m

Diarlo r reruabaeo Sahbad* de eOntfero t 19S4
Attenco
0 Vigilante est alerta, nao lhe era permittido
deixar pausar desapercebido seni que nao dssc o
seu canto, aQm deannunciar m respeitavel publi-
co o grande sortimeato de galanteras do mellior
gosto propiamente para quaiquer mimo, que aca-
ba de cbegar neste ultimo paquete, assim como
muitos outros objectos que recebe por diversos na-
vios, tanto de sua conla como de consignacao que
est resolvido a vender por pregf* milito baratos
para vender muito e ganhar pouco, e dar extracao
o grande deposito que tem, que espera merecer a
proteeco do respeitavel publico empregando para
isso todas e as melhores diligi'iicias para que li-
quem satisfeitos; isto s no Gallo Vigilante, ra do
Crespn. 7.
Reos porta-joias.
Cofre de muito gosto por 165000
Cestinhas transparentes orradas de ma-
dreperolapor 185000
Lindas jardineiras. 105000
Kicos cofres com camapheu. 105000
Lindas caixinhas com pedras brancas. 105000
Lindo balito com calungas dentro, tam-
bem para joias. 163000
Tambalier para ditas. >5000
Cestinhas ditas. 65000
Cosmorama ditas. 65000
l'rnazinhas. 65000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta bouquetes de diversos gostos e pro-
cos ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Rices sintvs
com bolcinhas aolado, a 105, 1-5 e 155, ditos sem
bolea porm do mesmo gosto, a 25300, 35, 35300
45000.
Ricas fivellas avolsasparasinto, o mellior que so
pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 o par;
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes ou cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para meninas trazerem no braco, o mais rica
possivel a 25500, 35500, i5, 55, 75 e 105; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar calillo, os mais lindos
que se pode desejar, assim como de arregacar en-
cello, tanto de borracha como de tartaruga cmen-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante, ra
do Crespo o. 7.
Pentes
lamben chegaram os riquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massa fina, que se vende por 25.
35 e 55; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Leques.
Riquissimos lequps de madrcperola tanlo para
senhoras como para meninas, pelo barato preco
de 125 e 145; s no Vigilante, ra do Crespo
u. 7.
Mais leqnes
com pequeo defeito, leques de sndalo com pe-
queo defeito por barato preco de 85 e 105, chi-
nezes^muito bonitos tambem, pulo barato prego de
15 e 5, bentarallos mnio bonitos, tambem por ba-
rato preco de 45 e 55, leques de citarlo tambem
por 45, tudo isto para acabar, perdendo-se lal-
voz 80 por cento; s no Vigilante, ra do Crespo
D. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de contas e de missanga, cores
muito lindas e de muitu gosto a 15 e 15200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitiuhas de
borracha que as senhoras tanto precisarn para se-
gurar manguitos por sor muito commodo e muito
barato, a 320 o par; s no Vigilante, ra do 'jres-
po n. 7.
Canelas.
Riquissimas canelas de madreperola proprias
para quaiquer presente, pelo baralissimo preco de
15508 25.
Sapalinhos e meias de seda. !
Riquissimos sapalinhos de seda e de merino en-
tenados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
nhas e louquinhas para as cnancinhas se baptiza-
ren) ; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Aullabas.
Lindas voliinhas de perolas falsas com cruzinhas {
Ongindo brilhanles, assim como cruziobas avulsas I
e voltinhas, pelo barato preco de 15 e 15200, s
cruzes avuls asa 400 rs.; s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, omelhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Riquissimos cnfeites com laco e sem laco e de i
outros muitos gostos a 15, 15500 e 35 : s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Trancelins.
Lindos trancelins ue cabello para relogia ou lu-
netas, pelo baratsimo prego de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
Bahadinhos cutremeios.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos |
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15500, 25 e 35; s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, ra do Cres-
po u. 7.
Filas.
Grande sortimento de fitas de diversas larguras
e qualidades, por preces que admiram aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se pone vender a 300 rs. a vara, e. peca
de 9 varas a 25; s no Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Filas de 13a.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, ra do Crespo n. 7
Ricos espelhos.
Riquissimos espelhos com moldura douraJa e
sem ella do 85, 105, 125 e 145, assim como com
columnas do difTerentes lamanhos a 35, 35,45, 55
e 65; s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo omelhor gosto queaqui
tem apparecido; s ne Vigilante, ra do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim como
pacotes s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
tinctivos e ollerecimentos as sinhasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
ra, assim como os grandes copos de banha japoneza
a 25 e a 15, assim como ontros objectos que nao e
possivel por haje annunciar, e vista dos fregue-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
ra do Crespo n. 7. ____
3 as *
- g
c gg-g
o =,
sr -o "
V
O.2 ==
V3 *" 5
2 a
a. as
c
Ci. V.
'-' U
Cfl v O
O 'si g
B
.__SB p c do
ras
S B
fll
~__

o o
feg

e-3
o -
~ 3
S* 5

& (T>
n
^3
"3 b
o _
2 3 f s
a u -
^ ~ M
t-
_ B--
3 3 2
1*2 3
i r
* ZL O
ce
o
S'S 3
8.8 I
<--. 5 o
es -a
o*
a *
~ El
o-a
M
as O
X CD
as a
c?
o IJ
s
g
2
6??
_ n
as -^

"
oq
i*
Vende-se urna taberna suana ra de Aguas-
Verdes n. 48, bcn afreguezada para a trra, pro-
pria para principiante por ter pouco? fundos.
NOVA ,
liqmdaco de fazeudas de tedas as qaa-
iidad'cs la luja e armazem da Arara,
ra da imperatriz n. 56, de Louren-
co Pereira Hiendes Gaimares.
Atlleuvo que se val principiar.
Vtnde->e pecas de panno de linho para lences,
toalhas e seroulas, com 13 1/2 varas por 85500 ;
brim liso por 500, 560,640 rs. a vara : na ra da
Imperatriz loja da Arara n. 56, de Mendes Guima-
raes.
A Arara vende soutembarqne a 106 p 125.
Vende-se soutembarques de lazinhas enfeitados
a 105 e 125, ditos pretos de grosdenaple fino
a 205,225 e 255 ; capas pretas ricamente enfeita-
das a 255 R 3M; camisiuhas para senhoras a 25
e 35 ; golinhas 240, 320 e 500 rs ; manguitos a
500 rs. e 15 : na ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
Cortes de chita a 2 100.
Vende-se cortes de chitas com 10 covados a
25400, ditas franceza a 35200 ; ditos de cambraia
de salpicos a 25500 a peen, dita fina a 35500, 45
e 55: na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara, de
Mendes Guima-raes.
Roupa frita barata.
Vende-se palilots preto de panno a 165, *W.
125, 10 e 85, ditos de alpaka a 35 e 45, ditos de
brim brancoa 25500, 35, 35500; calcas de brim a
25 e 25500, ditas brancas a 35 e 35500 ; palitots
de casemira de cores liuos a 105, 85 65, e 55 ;
seroulas a 25 ; camisas brancas a 25, 25500 e 35:
na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Coiaribes economices a 650 a duzia.
Vende-se colariuhos econmicos muito hem fei-
tos a 640 a duzia : na ra da Imperatriz n. 56, lo
ja da Arara.
Vende-se bramante de puro linho a 25500 e
25800 a vara, tendo 10 a 12 palmos de largura ;
brim branco para calca a 15200, 15400 e 15600 a
vara, dito pardo a 640, 800 rs., 15 e 15200 : na
ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Vendem-se baloes americanos os melhores que
tem vlndo, de todos os lamanhos a 25240, 25500,
35, 45 e 45300: s o Arara na ra da Imperatriz
n. 56.
As liazinhas da Arara a 2W rs. o tovido.
Vendem-se laazinhas para vestidos do senhora a
240, 320, 400 e 500 rs, o covado, ditas muito
linas lisas 600 rs. o covado, ditas especiaos a 720
e 800 rs. o covado : na ra da Imperatriz n. 56,
loja da Arara.
Cbitas baratas a 210 rs.
Vendem-se chitas de cores flxas a 240 e 280 rs.,
o covado, ditas francezas linas a 320, 360, 400 e
500 rs.. o covado, ditas percalas a 560 e 600 rs. o
covado : na ra da Imperatriz n. 66, loja da Arara.
A Arara vende madapolao barato a 6>>0*L cortes
de vestidos a Hara Pia a 1-J;\ i :> e 48.
Vende-se pecas de madapolao de 24 jardas, de
marcas finas n. 7 a 75, n. 2 a 85100, jr a 85500, -f+
95, S a!05, HH a 115 e 125; algodSo regular a55,
dito fino carne de vacca a 65500, dito domestico a
75, dito sicupira a 85, dito pao ferro a 95 a peca
tem 20 jardas : na ra da Imperatriz, loja n. 56.
Cbales baratos a i 600.
Vende-se chales de lazinha a 15&00 e 25, ditos
de merino a 35, 45500, 65 e 75 : na ra da Im-
peratriz n. 56.
Curtes de calcas a 1600.
Vende-se cortes de caira para homem a 15600,
15800 e 25500 boa fazenda; cortes de casemira de
j cores finas a 55,55500 e 75; casemira para palitots,
i calcas e coletes enfestadas a 35 o covado: s na
loja da Arara, na ra da Imperatriz n. 56.
Casemiras para capa de senhora a 2;> c 3;>.
Vende-se casemira enfestda propria para capas
para senhora a 25 c 35 o covado, tambem serve
para costumes por ser de boa qualldade e lindas co-
res, vende-se a 25 e 35 o covado: na loja e arma-
zem da Arara, na roa da Imperatriz n. 56.
A Arara vende as percalas a ii60 rs. .
Vende-se percalas finas para vestidos a 560 e
600 rs.; chitas Irancezas linas a 360, 440, 500 e
J560 o covado : na ra da Imperatriz n. 56.
j A Arara vende as catas de grosdenaple a 2.'i5 e 30 -S.
Vende-se ricas capas de grosdenaple orate para
sonhonis a 255 e .105; snutcnibarques pretos finos a
205, 225 e 255 : na loja da Arara
Tarlatana de cerne branra a $00 rs. a vara.
Vende-se (arlatana branca e de cores finas a 808
rs. a vara, fil de lintio a 800 rs. a vara : ra ra
da Imperatriz loja e armazem da Arara, B.86.
O propnetario da loja e armazem da Arara re-
eo i menda toda a atletujao aos Srs. frejjuezes que
mandem ver as amostras de todas as fazendas que
annuncia, promftlemlo vende-las por barato preco.
Pecbuclia de lencos de seda a 800 rs. e I .>.
Vende-se lencos de seda pequeos a 800 rs.; di-
tos grandes a 15 : ditos trancos eom barra de co-
res a 200 rs. cada um ; lucias croas para homem a
25400. 35, 45 e 55 a duzia ; ditas para senhora a
45 e 55 a duzia : na ra da imperatriz n. 56.
Cassas fratoaus a 280 e 320 rs. t cevade.
onendes*c*ssas franoeza* Anas para vesiidosa
280 e 326 r. o corado: na rna da Imperatriz n. 56.
*2 Colchas de damasco a $.
HVendese colchas de damasco para cama a 45,
ditas de frmao a 65, ditas de chita a 25; ricas cbi
Caixas com doze garraliahas de oitractos tino.-.
a 15440.
Babus eom doze frasquinbos de extractos Anos,
a 35000.
Frascos de oleo Philocome, a 720 e 15000.
Frascos de oleo de naboa; a 400, 590, e,1it-;
COX8ELIIO
DE
Deixai que os Hunos da eWUiaacao vos preguen
tas para cobertasT320, 360 e 4t0 rsTditas aseti- ,vAArSCOS de agua ^ Colonia, a 400, 500, 800e -economa-para os pe*11 Rsta parte do orpo
tud.i raium II..,,.. .;no ... ..........,-i jn^ .,.. ; *ww. humano e DOr ceno auuella ana mu .im ^_
nadas muito finas a 500 rs. o covado, ditas encar-
nadas a 500 rs. o covado : na ra da Imperatriz
n. 56, loja da Arara.
de banha franceza, a 400, 500, 800 e
de extractos finos, a 400, 600, 800 e
com extractos mnito finos, a
Frascos
15000.
Frascos
15000.
Garrafas grandes
35,45 e 55.
Papel e peonas.
Pacotes de papel amisade branco, e de cores, a I Ditos uglezes idem a 85, 75 e
600 rs. ; Ditos para senhora
I.OJa DE HIUDEZAS FINAS Caixinhas de papel pequeo azul paulado, a 640. Ditos para menina
i/ tv i rk i -ir. Caixinhas coiu cem euvelopes brancos e azues, Sapatoes esmaga cobra
10Klia CIO UlieimadOID Wn. [Ditos de.Nanies de duassolas
Caixinhas com cem envelopes de cor adamasca
da, a 640
i humano por certo aquella que, neste clima, m-
cessita de maior a,rasallio: pela humidade nos pea
! se introduz a grand< maioria das molestias, e com
estas a perda da saude e da vida 1! I Fra com as
botinas e sapatos velhos ; reforma-Ios
45-Eua Direte-45
Borzeguins francezes para homem
Enfeites de caliera.
Bonitos conservadores pretos e de cores, a 800 e
15000.
Ditos ditos pretos e de cores, com lacos, a 15400
e 15600.
Ditos ditos do frocos decores, a 15800.
Ditos ditos de cores com lacos e vidrilhos a 25-
Ditos ditos de cores com lajos e frocos a 25-00.
Ditos ditos com cascarrilhas modernas a 25500.
Ditos ditos com cascarrilhas e frocos a 35000.
Cintos e u'velas.
Cintos modernos com fivelas douradas e de pe-
drinhas, a 25, 25500 e 35-
Bonitas flvelas douradas para cinto a 15280.
niquissimas ditas com pedrinhas, a 25 e 25500.
Fitas e cascarrilhas.
Bonitas filas de sarja e grosdonaples, pretas,
brancas e de todas as cores proprias para laces, de
2, 3, 4 e 5 dedos de largura, a 480, 800, 15600 e
25000 a vara.
Biquissmas fitas de grosdenaples lavradas,
pretas, brancas e de todas as cores proprias para
lacos, de 4, 5 e 6 dedos de largura, a 15500,25 e
25)00 a vara.
Fitas de vellido preta c de cores, desde a mais
estreitinha al 3 dedos de largura, a 100,120, 140,
160, 200, 240, 320, 480, 600, 700, 800, e 15000 a
var.
Pecas de fita branca de linho acolchoada para
debrum de vestido, a 160 e 320.
Pegas de fita de laa acolchoada, preta e de todas
as cores, para debrum, a 800 rs.
Pecas de cascarrilha de seda de toda%as cores e;
dierentes larguras a 15280,15600 e 25.
Pecas de cascarrilha de laa, cinzenta, a 15000.
Pe^as de tranca preta, lisa e de caracol, a 80. rs.
Pentes.
Bonitos pentes dourados com pedrinhas para
marraras, a 15280.
Ditos ditos sem ser dourados, de massa e tarta-
ruga, a 15 e 25.
Pentes de borracha, pretos c de cores para re-
gaco, 600 e 800 rs.
Ditos ditos dourados com pedrinhas idem, a 25- j
Pentes de massa para alar cabello, proprio para ,
estar em casa, sendo com esmalte e sem elle, dou- i
rados, feitios muito bonitos balo; lacos, etc. etc.
a 500,640, 800 e 150 0.
Ditos de concha dourados
. a eiu rs.
Caixinhas de pennas de maozinha, a 500 rs.
Caixinhas de pennas de langa grandes e peque-
as, a 560 rs.
taixinhas de pennas caligraphicas, a I50C0
Pedras de lousa para escrever,
e 480 rs.
Lapis azues ou encarnados, a 100 rs.
Lapis de duas cores azul e encarnado, a 160 rs.
Frasquinlios de tinta azul ou encarnada, a 320 is.
Bulhoes de tinta preta ingleza, a l0 e 160rs.
Duzias de credes de pedra, a 60 rs.
Duzias de pennas de lauca pequeas o grandes,
a 100 rs.
Objectos diversos.
Dizias de faccas e garlos, a 35000.
Duzias de ditas cabo de batanea, a 65 e 655U0.
Duzias de collieres prateadas para cha, a 25000.
Duzias de colheres prateadas para sopa, a
35200.
Escovas para denles, a 160, 320 e 480 rs.
Estevas para roupa, a 800 e 1500'.
Luvas brancas de algodao, a 160 rs.
Luvas de Escocia branca, linas, a 15009.
Luvas de Jouvin, a 15000 e 25500.
Boles de punho, a 160, 480, 15000 e 15300.
Ditos comas armas imperiacs, a 15600.
Gravalinhas com lago feilo para senhora, a
15280.
Ditos dito de soia o vira
Sapatos de borracha para senhora>
Ditos de dila para meninos
Ditos de tapete para homens e
; nboras a 800 o
. Sapatos de lustr para senhora a
a 240, 320, 400- Ditos para casa
Chinelas rasas do Porto
S-
55000
65000
45800
23000
."50W
,i5 '.5000
l40t
150HX
15060
15000
500
600
Ba da Senzalta 11. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston C,
'sellise silfioes inglezes, candieiras e casti-
ces bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
.chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dotas cavalios, c relogios a*
otiro patente inglez.
ESCRAYOS FGIDOS.
i Fugio na noite de 23 do corrente julho dt<
11864 o escravo Jos, preto, crioulo, ue 26 annos,
baixo, corpo regular, beicos grossos e estufados,
orcinas pequeas, e cachaco grosso, pouca barba
I porque tem apenas na puna do queixo, levouduas
I calcas, urna branca e oulra de castor escuro que
I parece preto, de listras, paietot preto, sem camisa
na i-ab.'ca. a laia
! e com una carapug. encarnada na cabeca, a
Ditas de passador e de lago, a 640, 800 o 15280. c marujo : quem pegar leve-o ra Direita u.
Touquinhas de blonde enteitadas para crianga, a yt qt sera generosamente recompensado.
15600.
Touquinhas de setim para baptisado, a 25500.
Touquinhas de laa para menino, a 800 e 15000.
Fugio na larde do dia 16 do corrente um
escravo pardo, de nome Marcos, desembarcado
do hiate Santa Auna, vindo do Aracaty, tendo
tXStX*1* brdad0S Par* bap,Sad' I de idade 28 annos pouco mais ou menos, eos s.g-
nacs sepuintes : altura regular, secro do corpo,
pouca barba, cabello crespo, levou camisa m
calca de algodaosinho de riscado azul e cha-
peo de palha, tendo levado comsigo urna trouxa
peqaeninos, para atar
cabello, a 25.
Ditos de taboa, dourados, a 15280. seis de largura, a 100,
Ditos ditos muito finos, a 35500e 45 480 rs.
Ditos ditos com marrfas douradas, com pedri-' ^"s de galao branco lavrado, a 100 e 120 rs.
nhas finas e nvas, a 45 e 5*. 1 Tesoura nissinias para nnhas e costuras, a
Pentes deborraeha para besembaragar, a 640e 500, 640,800,15000 e 1528
a 15600 e 25000.
Sapalinhos de laa para menino, a 640, 800 e
15000.
Pecas de fitas de seda de todas as cores, a
320 rs.
Fitas e cordoes para enfiar espartilho, a 80 rs.
Filas com tres varas para ditos, a 160 rs.
Varas de aspas para balo, a 100 e 120 rs.
Ocuios de armacio praieada, a 640 e 15000.
Ditos de armagao de ac, a 15000 e 15280. Fugio do engenho Guerra de Ipojuca um es-
Ditos de armagao dourada, a 15OOO e 15500. cravo do nome Jos Muniz, estatura baixa, e i<
Varas de labyrintho, grade desde ura dedo at ; crioulo : quem o apprchender ou der nolicia.no
seis de largura, a 100, 160, 200, 240, 320, 400 e dilo engenho, ou na na da Aurora em easa do Sr.
480 rs. Elias Baptista da Silva, ser generosamente re-
Varas de bico preto de linho desde nm dedo at, compe&sado.
160,200, 240, 320, 400 e I
com mais roupa, e rendido de urna das veninas ;
quem o appreender qneira leva-lo ra da Madre
de Deus n. 38, ou ra do Brum n. 55, que sera
recompensado.
15O0O.
Ditos ditos de balcia o unicorne, a 320 e 640 rs.
Ditos diles marlim de Lisboa para piolho, a 15 e
15380.
Ditos ditos de marlim para piolho, a 400, 600 e
800 rs.
Ditos ditos pretos para ditos, a 400,500 e600 rs.
tollas e pulseiras.
Bonitas veltas pretas grandes de contas grandes,
Mana Pia, a 15600 e 25.
Ditas ditas mais pequeas, com croz, a 720 rs.
Ditas de coral, a 500 c 25.
Duzias do bolees rocos dourados, a 320 rs.
Estojas para barba com divisoes, a 35500.
Gaitas de borracha, a 120, 160 e 200 rs.
Duzias de annois de vidro, a 240 rs.
Ha livros de amostras e levam-se os objectos mi>ro jj'
casa dos freguezes.
Fugio na noite do 22 do mez prximo passa-
do urna escrava mulata clara, de nome Suzana, de
idade 35 annos, baixa, corpolenta, com alguns pan-
i nos pretos Dlo rosto, cabellos crespos e cortador,
costuma inlitular-se forra, e procurar servico co-
mo ama de casa particular : roga-se a quaiquer
! pessoa, aos capiles de campo e polica que da
j mesmaderem noticia, serao recompensados na ra
da Praia, armazem n. 55, ou na ra Imperial nu-
^SUSSSti^
Ditas de contas de le te, braucas e de cores, a
720 rs.
Bonitas pulseiras de contas de leite, brancas,
o dia 5 do corrente setembro de 1864 fugic
! da casa de seu senhor, o escravo Herculano, pardo
I escuro, com 35 annos, alto, cabellos carapuchos,
i olhos e oreihas pequeas, foi com a barba raspada e
, mesmo quando est grande tem apenas no queixo
propnedades de casas conti-: e u
'orto e saludo para
isso pucha alguUt
^ "cousa pela perna quano anda, levou vestido camisa
mrda e caiga d.: castor salpicada de prcio,
Venda de predios
era particular ou era leilo.
Vendem-se duas
na
auesiulias c cor du bolla, a 720 rs.
vDitas de aljofares de cores, contas gradas, a
15000.
Ditas ditas de missanga, a 720 rs.
Perfumaras.
Pacotes de pos de arroz, a 400, 600, 700
ris.
Sabonetes de familia, a 30, 160, 240, e
Ditos de bolla brancos e encarnados, a
640 rs.
Cosmeliques, a 100, 209, 300, 00, 800 e 1*000.
Garrafas de legitima Agua Florida, a 15500. a06eu propnetario Antonio Botelho Pinto de
Garralinhas e frasquinhos de extractos linos, a 160 e 200 rs. i andar, ou ao agente Oltvcira na mesma ra n. 62
Caixas com seis frasqnmhos de exlractos finos, i Vendem-se saceos feitos para assucar, mlho
a 15000. I ou feijo : em casa de Mills Lasharn C, ra da
Frascos de sndalo, a 15000. Cruz n. 38.
zens oceupados actualmente pe
Gomes, para o trafico de assucar, sitos
Apoll
tario
e
vres de paredes, de largura, e
34, e o primeiro andar do de n. 36 215 palmos de que sera generosamente recompensado.__________
Fugio no 1." do corrente o mnlato Francisco.
comprimento, o segundo andar do deji. 36 tem so-
900' mente 120 palmos de comprimento, com um ter-
Iraco, e os armazens tem 340 palmos de compri-
320 rs I ment0 cada um- 'end ambos tambem frenle para
400 ia rua do caes de Apollo, e o de n. 36 tambem para
] a travossa do amigo porto das canoas : os preten-
' denles estes valiosos predios queiram dirgir-se
Mes-
coin os si^naes seguiutes : representa ter 14 15
annos de idade, seceo do corpo, cabeca grande e
redonda, na cora urna marca grande de ferida
sem cabello, alin de outras mais pequeas, so-
branceras e faces alias, nariz um tanto chato,
bocea grande, beicos estufados, espaduas largas,
cintura fina com marcas de logo at urna das nar
degas,' ps grandes e chatos. Levou chapeo de pa-
lha grossa, camisa de laa escura e de mangas curta*
e calca de algodao azul. Gratifica-se bem quem
o levar a seu senhor nesta cidade, rua Nova de
Santa Fta n. 35.

GERAL.
107 a
I
I

DOS PREMIOS DA 1. PAUTE DA 1. LOTERA CONCEDIDA POR LE PROVLNCIAL N. 472, A BENEFICIO DA IR.MANDADE DE S. ROM JESS DA VIA SACRA DA IGREJA DA SANTA CRUZ, EXTRAHIDA EM > DE SETEMBRO DE 1864.


>'S. PREMS- N8. PREHS-lKS. PREMS. NS. PREMS. .NS. PREHS.|NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. XS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.INS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
I 105 168 105. 338 105 506 105 657 105: -97 105 946 105 1133 105 1310 105 1488 101 1687 105 1884 105 2018 105 2265 103 2422 105 2897 205 2767 105 2919 105 3092 10-5 3234 105
S 69 KM I i 9 2005 62 800 405 47 36 14 89 97 88 52 70 23 '2603 205 70 405 20 93 55
: 71 i 62 11 105 63 ____ > 105 48 _ 37 405 22 90 ; 99 91 34 71 28 "I * 105 78 405 32 93 36
15 73 13 64 _ 4 50 _ 38 105 26 1500 1701 92 64 72 32 ! 6 80 105 36 0 97 58
18 20 77 -( 65 1 66 14 405 105 69 5 59 .. 41 29 5 14 99 65 82 205 33 405 9 82 - 37 3106 66
__ 80 20, 69 405 16 76 10 60 48 33 6 15 405 1900 76 86 105 35 105! 12 89 3! 8 69
22 __ 84 105 70 105 17 80 _ 17 67 _ 49 41 30 16 105 1 78 87 40 13 90 40 1005 n 85
29 _ 86 71 18 82 ; 22 68 40* 52 43 34 17 7 86 91 205 43 16 91 44 105= 12 86
30 _ 90 73 205 21 _ 83 -1 27 405 70 10:0005 56 47 35 19 12 91 97 105 43 17 96 - 48 "1 i 90
33 ,__ 9i 86 105 22 __ 84 __ 30 105 71 105 57 4 43 26 13 92 2303 46 - 18 t 97 51 205 20 91
36 205 203 1005 92 30 ._ 89 . _ 31 74 71 53 45 30 1005 14 96 4 48 - 31 2802 - 32 105 28 93
41 105 4 105 93 ^H 33 __ 90 ^_ 32 76 74 54 405 47 34 105 16 2107 7 50 35 3 54 29 94
42 6 96 __ 34 __ 92 _j 33 79 79 55 105 53 39 17 10 8 60 " 38 4 00 33 96
45 _ 11 ' 98 _ 36 ^^ 97 J 37 __ 86 _ 82 58 54 41 18 12 10 61 39 5 67 36 97
47 17 403 4 10 13 18 21 24 25 27 37 _ 98 - 4l __ 87 _ 83 59 55 46 28 16 11 63 42 10 - 72 40 3301
49 19 1 39 700 J 45 ___ 88 un 84 63 57 54 -* 31 205 18 17 - 64 44 16 - 73 43 20 4
57 20 41 3 -' 46 205 97 __ 85 65 58 57 33 105 23 25 71 45 405 19 75 - 47 105 7
58 , 21 405 105 42 _ 6 _j 48 105 1003 __ 88 66 65 5 37 30 29 72 48 105 21 - 81 48 14
S 23 28 45 50 7 12 i 50 52 4 7 205 105 95 1201 ^^ 69 76 ^Im 68 72 ~~~ 61 66 ^~ 39 40 "*" 36 40 ^m 36 38 75 79 _ 34 57 z 24 -25 83 88 49 53 _ 17 20 z
66 ^ 31 51 -205 16 ofi ^^ 16 6 205 81 73 69 42 43 39 80 58 28 - 91 57 40
69 mmm 35 53 105 18 63 405 19 11 105 84 405 77 70 45 5005 44 41 81 62 -1 32 98 58 42
71 ^_ 37 55 19 -mus 64 105 21 _ 16 90 105 86 72 48 105 45 4b ^ 86 63 ' 33 99 2:0005 72 46
7 __ 38 30 50 _ 21 105 205 105 205 105 67 24 20 1401 _ 88 73 54 59 205 46 87 71 34 3003 105 78 * 48
81 W 3 50 51 61 39 40 42 61 69 70 24 28 30 69 .7(6 77 -~ 26 30 34 : 23 28 31 J 4 6 8 92 96 98 75 76 96 57 58 60 67 70 75 105 48 51 52 IOO5 105 89 99 2505 205 105 73 74 75 36 39 40 - 5 7 8 81 83 85 51 52 59 205
86 62 44 72 31 80 _ 43 H 35 10 __ 1601 _ 1802 65 76 54 205 8 2005 79 41 - 11 89 --- 60 105
91 .. 66 47 79 33 81 _ 50 36 14 ._ 7 405 3 70 87 205 55 105 11 105 88 48 16 92 mm 63
96 67 70 52 53 205 105 80 82 40 42 - 85 86 52 56 42 44 m^ 24 26 --- 11 16 405 10 6 ~ 83 83 z 90 94 105 57 38 12 20 205 89 97 50 52 - 1/ 18 96 97 405 69 75 205
m " - 73 75 55 59 62 85 87 44 46 87 89 90 70 76 2005 47 48 ^^ 33 36 --- 23 26 9 12 z 91 92 M 97 99 405 59 61 27 28 105 2710 li 205 53 4 19 21 98 3202 105 205 78 79 105
4 "* %l 95 54 _ __ 81 105 49 38 ^ 27 __ 15 3 aoAn 105 64 " 29 13 4Q5 57 - 17 S IOS 81
9 ~" n 63 98 56 205 91 _- 87 57 40 1005 30 _- 20 95 8 2O05 68 ^~ 30 14 105 60 - 29 *^ 5 "~ 82 -"-
10 13 14 301 66 602 57 105 99 205 88 .--- 58 205 43 105 33 21 97 10 105 79 ~ 37 -~ i; i\ 69 36 6 87 -"
7 9 li 14 17 69 70 72 75 76 - 7 8 9 12 13 17 26 28 36 38 1005 105 58 59 61 62 64 69 73 902 3 105 90 93 ' 74 75 105 45 46 36 43 205 105 25 28 405 99 2004 11 14 ^" 77 78 44 48 20 21 M 71 74 37 39 8 11 90 94 205
15 g 1400 79 ^um 47 ^^ 48 34 105 7 15 40* 79 205 50 22 1 81 45 16 3408 108
19 1005 14 6 81 _ 49 _ 49 lt^m 36 12 ' --- 16 m 81 105 56 24 ~ 83 1 - 50 17 15 __
SI 105 _ 16 20# 105 12 ^ 85 _ 50 __ 55 ' 38 205 13 18 , 84 405 59 28 84 - 51 19 22 _
78 17 13 ^^ 86 53 _ 56 40 42 105 15 - 19 - 86 105 00 205 40 : m 52 23 V _
JO 79 82 84 85 93 95 18 17 _ 93 1005 57 U 57 ros 45 20 20 12 68 105 41 88 - 55 27 33
35 39 41 18 20 12 205 10* Mi 105 205 1(4 -**r 74 77 78 80 81 90 22 23 28 - 19 21 22 --- 96 99 1300 105 60 5 70 " 60 62 65 52 57 59 26 28 31 205 205 31 34 38 98 99 2401 5005 105 71 73 76 48 49 30 92 93 -98 56 57 61 30 33 37 35 47 62 _ _
50 25 205 40 41 47 48 'pipha 29 32 26 1 _ 72 _ 70 . 73 2005 32 m 40 3 81 56 2900 64 39 64 -__
54 *- U 105 1 29 2 ^ 76 ._^ OT ^ 73 105 34 M 48 8 88 205 59 9 - 65 40 82 m
96 aH 32 * 35 41 31 6 - 78 ^H 8i w^ 80 __ 35 205 53 . 15 1005 91 105 60 - 11 1005 68 44 205 83 lOf
58 No mpedi 35 3 nento 20* de esc 99 500 rivo, Lu: E ieo M( 93 mricea. 1 32 1 7 * 81 84 81 - 44 10 64 16 105 fern.- 94 =Typ. de Ma 62 noel F gutiri 17 105 Hidt Paria 91 frfiMos-18 46 64. 10* 88 \


Diarlo de PeraaMfeneo SabharlA te 4e etembro de 14.
I pela radiarao do que os oatros. 0 que ioflue so-
bre a radiaao a superficie dos corpos, porque
por ella que as vibragoes se communicam aoWnrr
i>a nELAgio entue as torcas !'iiYsig\s.-MoviMKXTos aae a circunda. As superficies metallicas perdem
tn ima bala atibada dk baixo paiia cima.accao menos calor do que as das ontras substancias ; e a
dagbavidaoe.leis da fok;a attoai-.tiva estiie perda oanlo menor quanio mais polidas ellas
OS CORTOS.UMA HALA CUNDO COM TOKC\ SOBRE 0 sa0
UAO DORO. E RESISTENTE AOUF.et:.A PEBCUS3A0 E
AtRicgAODAO ,\i. ;i.- i-.oi.ivAi.KNTi; hbchanico oo As substancias que deixam sahir de si com faci-
caluh -u m i, i U m uaiK* dbA. comose daJe as vibragoes do calor, comrnunicando mor-
to^^
pbjeda&es do oaiur explicabas pob ksta theo- que maistecebam do ether os impulsos vbralo-
boa.dilatacao dos cortos, b mudancas de es- ros ; a razio indica dever dar-e reciprocidade
^^-D8SDOBHAMENTopocALOK-NOA^B^E.NTO entre o poder de radiar calrico e o de absorver
DE CM CORTO.CONDOCCAO DO CALOR.CALO HA- "",,'
oante.cortos DIATHBRIIAKOS.BXISW o k- ""'"o. oao a superficies metallicas, sobretudo
t:ier ?-os cortos radian mvkusamente calor quando polidas, as que menos radiam calrico; sao
SEQOXDO AS SCAS SLTBRPI01BS. ABSORPCAO E RE- esas as qe ineft0. absorvem 0 ca|orjco radiante
i ,exao do ^''",-f V:XT f'"e in"ie *"> superficie.
4} A O DO CALOR.CALOR 0B8CBB0 B CALOR LCMIHO- '
lio.wvbbsas qiai.idai.es k calor.di as i-a-1 A parte das ondulares calorficas, que incidindo
LAVRAS i>o redmtor sciestifico da t gazbta de sobre a superficie de um corpo, nao sao absorvidas
ortigal. ncm o podem atravessar, sofTrem urna reflexiio,
_ (ConclusSo.) isio voam para traz, formando ondulac5es no-
Ainlerrupcao .la marcha das ondas calorficas v*s, como se do lado opposlo quelle em que ellas
faz-se no interior do corpo. que, por analoga com em.onlraram 0 ^^ que ^ ol)slaciI,0 a sua
i luz, denomioamos opacos para o calor; o pane- paga^0> houvesse um novo centro de radiaco ca-
ennento desse enrpo dernonstra-o. dando ao mes-1 |orifca. g> st0 mesmo que succede com as'ond-
mo tempo mais urna prova do valor scientifico da \3c6es do ar qtc transmittem o som. Todos conhe-
theoria das ondulagoes. I cera o cl.o, e sabem que elle devido reflexo
Ima experimoBtacao curiosa mostra que a me- do som n.,ima superficie que M opp5e m ppo_
noi alinelo nas partculas qw as ondulagoes do pagacao nalura! em ,nha reda e pm toda, as d
calor tem a atravessar, sufflrieme para pertor-1 rcc-3lis
tiar de um modo extraordinario a sua marcha.
& ar perfectamente secco, e purificado de acido poder de absorpgao de um corpo est na razo
carbnico, deixa passar o calor qoasi do nesmo inversa do seu poder de reflexo. Quando urna
mudo que passa no vacuo produzido pela machina i cer'a quanlidade de movimento calorfico incide
pneumtica; mas para interceptar urna parte con-1 sobre a superficie de um corpo ao mesmo tempo
ideravel do calor na passagem pelo ar. basta mis- absorvente c reflector, claro est que o movimento
turar-lite urna parle quasi inapreciavel em peso de se reparte para produzir dous effeitos principaes :
um perfume. um> excitar vibracoes nas partculas do corpo, a
f ,......parte absorvida ; outro, desenvolver novas ondula-
os perfumes sao refrigeran tes, interceptan) a 1% ,_ e,,. ,_
. goe> no elner em sentido contrario ao do movimen-
najsageni do ca or de um modo ex remaniente sen- ;:: rra__. ..
to inicial a somma destes dous efeitos e quasi
; egual intensidad! do movimento calorfico inci-
oe o calor dos corpos pode radiar, o ir n distan- dente sobre o corpo. E" quasi egual, e nao perfei-
cia actuar sobre os outros corpos. airavessando o tamente egual, porque urna parte do movimento
espago, e penetrando por entre as partculas dos irregularraente reflectida, e nao se pode por isso
corpos diatkermanos ; se o calor do sol atravessan-! medir. Isto que a theoria indica larabem o que
) urna distancia enorme, vem anda exercer Prova a experiencia bem interpretada.
superficie da t.-rra um aquecimento, tal. pie bas-
LITTERATRA.
Poesas de Anloaio Augusto de MeuJonra, e Harpc-
jos da moridadeper Antenio de Strnza Pinto.
VII
(Concluido.)
A mesma suavidade e doenra se nota no seu
Anjo Lauro :
Nao creio, digam embra,
tjue pode haver mais belleza
Mais encanto e singeleza
N'uma fronte de mulher !
Ha multas per'las no mundo,
Multas formosas conheco,
Mas assim... d'aquelle prego
Nao pode o mundo conter I
Antes de (indar este artigo que j vae longo de
mais, e tal vez aborrecido, citaremos alguBs versos
da poesaSaudadeem que o Sr. Souza Pinto,
pungido pelas lembrangas do seu Portugal articula
os gemidos de suas sandades intimasem pbrase'
mimosa e elegante. Ei-los.
Foi como esta, n'uma tarde amena
Que eu a patria deixei dos meus amores!
que a historia. Vers que Dada esqueci do que
me disseste, e do que ouvi a Infern! e a Cosmano
muitos annos depos de Trafalgar.
E s urna reliquia viva, que o sol nos ha de con-
servar ainda muito tempo no seu cofre de lumi
ra os passos, como se vira a imagem que a men-
te Ihe ideara, e por quem inspirava o corag3o.
Era meio de tantos esplendore?, era raeo da na-
toreza que se revesta de galas, elle sentia-se s :
noaos raios. E demais, os homens como t nao quera outro ente como elle, a quem communicas
morrera. A alma nao acha urna brecha por onde
escapar-se nessas epidermes de bronze. Taes ho-
mens n3o sabem o que a agona do burguez,
nem o enfraquecimento da edade : o que acont-
se os pensamentos que Ihe turbilhonavam na men-
te, as sensagocs que experimenta va; quera queon-
trem contemplasse cora ella a belleza daquellc cu

ce que la vem um da em que se esquecem de I assetinado, asptrasse o perfuni daquellas flores,
acordar Aonibal Camou, teu eottpairiota, lilho sc embalasse ao murmurar suave da
uo Mediterraueo, essa azulada fonte de inoculado.
viveu eento e vinte e tres annos : dizia-so em
Marselha, por gracejo, que elle combatir contra
os romanos em Canoas. E tu, nao estiveste com o
aguas pla-
cidos e lmpidas do rio...
Ah fra Ihe pareca a felici lade de que (rosara,
quando nao a poda partilhar; palpilava-lhe estro-
vent?nSVa lfl*' ,em 178^' S5SBSll,,aWo eon^ e "8 ouva Palpitar'do outro
venceu o commodore Johnston, em frente de Pon- que respcnuesse ao ,
E a melancola se apoderava do coracao do ho-
mem !
Compadeceu-se o Eterno dessa anciedade e re-
sol ven realisar esse sonlto de todas as nonios, essa
aspiragao de todas as horas.
Era legitimo o despjo de seu coracao : e o ha-
i'or ultimo, diremos poucas palavras acerca de
; algumas importantes propriedades, que mostram as
estreitas relagoes do calor com a luz. O calor, ao
passar de um corno de certa densidade, o ar por
exemplo, para outro de densidade diversa, soffre
um desvio na sua direegao, quando a passagem do
po vibrante un, movimento de ondulacao, e o trans- ^ ^.^ je do
porta com veloc.dade as distancias var.ave.s, se- C0DUc,0 dos d0M mejo._
arla para fundir urna prodigiosa massa de gelo,
porque existe urna substancia que o transporta.
Ss nos ouvimos os sons produzidos por ura cor"
po ou vibragiio, porque entre elle e os nossos or-
t;ao: auditivos se interpoe o ar. que recebe do cor-
gundo a velocidade e iutensidade das vbraees do
corpo sonoro.
Se nos ituprosiouain n'um jardim os porfumes
das flores porque estas emitiera efluvios, que
nao podemos pesar, nem sujeitar a urna observa-
gao directa, mas que vem, apesar disto, irapressio-
E' fcil verificar esta propriedade do calor, por
meio de urna lente convexa formada de urna subs-
tancia que deixe passar o calor, de urna substancia
dinthermana; todos sabem que recebendo n'uma
lente os raios calorficos que vem unidos aos raios
nar-nos o olfato, e teem mesmo o poder, como vi- luminosos do sol, estes se desviam ao atravessar a
mes, de interceptar a passagem de parte das ond-' 'en,e> c se jnnlam depois n'um ponto, onde o calor
lardos calorficas. i se torna bastante intenso para incendiar um corpo
A transmisso do calor atravez do espaga foi combustivel.
.or muito tempo attribaida, como o leitor sabe, a um corpo aquecido, urna barra de ferro por exem-
emissao de um fluido mponderavel, na theoria das p|0, pode radiar urna grande quanlidade de calor,
ondoucAes, o calor c ura movimento vibratorio SCm que possamos ver que est quente o melal.mas
das partculas dos corpos: ora; para este mov- se por um fogo de forja aquecermos mais a barra
ment atravessar o espago, passar atravez de al- de ferro, ve-la-hemos ao cabo de algam tempo tor-
(zuns corpos sem os aquecer, isto sera |H>r em nar-se luminosa ao principio apresentando a luz
rnjvimento as suas partculas, indispensavel ad-!urna cor vermelhoescura, e depois tornando-se
inittir que existe urna substancia no universo, pe-' cada vez mais brilhante, mais clara, at chegar a
i ico, como o sao pelo ar as ondularles do som. Assim, pois, v-se que lia calor obscuro, calor que
Ksta um corpo em vibraco dentro de urna campa:; nao podemos ver, e calor luminoso, calor que se
nula choia de ar, e nos ouvimos o som produzido manifesta reunido a luz.
tira-se da campnula o ar. forma-se o vacuo, e A cxperiencra mos.rou ao celebre astrnomo
gMn de.xa de ser percept.vel. ; mfm Hwschel que Q ^ aQ passQ qM radj;
Posto, o vacuo no que chamamos um corpo ra- ania grande quanlidade de calor luminoso, radia
dia calor, e Impressiona os objectos que o cercam iambem minio calor obscuro ; este, porm, em
isto c, as vibragoes calorilicas das [.articulas do. raDde parte n,erecptado pela athmosphera. EsU
corpo, transportam-sc a distancia, com as suas cbserWl( interessanie, e notareis trabalhos do
propriedades especacs; o mesmo se observa era physico MeI|onj( qae 50brc Q ca]or ^ as mas de.
ro'.ago ao calor do sol que atraressa os espacos in- j |icadas experjmentilr5eS) provam que subslancias
ter-planetares; a conclusao a tirar, admittida a \diathermanat para os ralos de calor luminosos, sao
theoria das ondulaeoes para o calor, assim como! bs|a.u,0 passagem dos raios obscuros ^^
liara a luz, e essa nao e possivel no actual estado c ou(rag eKpcriencias de|jcadissmas COQcluiu Biel-
da sciencia deixar de a admittir, que existe urna ,on, naverdiVers;)S qualidades de calor, assim como
obstancia que transmitte, segundo certas leis, as ka diversas qualidades de luz, que se distinguem
pela cor, urnas das outras. Experiencias curiosas
ondulaeoes velocsimas do calor, a qual nos co-
onecemos pelos seus elfeitos. Essa substancia
denominada o ether.
O ether! (dir o leitor mas o ether au existe :
viinguem o pude ainda pesar nem medir, nem do-
krminar as suas propriedades.) E' corto que o
ether ainda nao foi nem pesado, nem medido, nem | diversas substancias aprsenla propriedades que o
analvsado; mas tambero nos nao podemos ainda distinguem.
do prefessor Tyndall, cujo norae j citamos nesta
noticia sobre o estado actual da qnestlo importan-
tissima da homogenedade das forgas physieas, con-
firmam inleiramente as conelusoes de Mellon : o
sabio inglez leconheceu que o calor emiltido por
ci.egar aos limits da divisao da materia, e comtu-
do, em vista de numerosos c bem observados phe-
nomenos, a sciencia admiti a existencia dos to-
mos ; tainbem nos nao podemos pesar, nem medir
o perfume de una rosa, e comtudo ninguem poe
um duvida a sua existencia material ; tambera nos
ci sabemos medir nem analysar esso modo de ser
do systema nervoso, que em cortos casos produz os
ril.enomenos variados da sensibilidade c n'outros
deixa de os manifestar, o comtudo nao jiodemos
negar a existencia de urna causa productora de
j'henomenos, de que temos a cada instante cons-
ciencia. O ether para nos a materia universal, a
materia csmica, a materia que enche os espacos
interestellares, e os intervallos entre as partculas
dos corpos, de urna tenuidade extrema, de urna ex-
trema mobilidade. susceptivel de receber e trans-
xniltir os movimentos vibratorios da luz, do caler,
da electncidade, e de os coaimunicar com pasmosa
i olocidade a enormes distancias. A existencia do
ether apenas urna liypothese, observar anda o
leitor. E' urna hypolhese, sem duvida ; mas urna
fcypothese, que explica muitos fados, que sem ella
sejam incomprehensiveis; urna hypolhese que poe
era harmona es phenomenos ; da luz c de calor,
com os phenomenos custicos, perfeitamente rane-
ados e esludades, una hypolhese emfira a que os
no vos desxobrimcotos estao cada dia dando maioi
plansibilidade.
Prosigamos no rpido cstudo que estamos fazen-
do das principaes manifestaedes do calor, e das
suas relagoes cora os sons. Admttida a existencia
do ether, temos logo a explicago do calrico rttm
diante, j dos corpos uns para os oulros superii.
ce da trra, ja dos astros entre si.
As partculas da materia em vbracao communi-
cam ao etber que as cerca o seu movimento, e as
ondulaeoes, por esta forma produzidas, transpor-
tan) ao longe o calor ; sendo assim, a natureza e
jiiiensidade das ondulagoes do ether dependente
dos caracteres das massas vibrantes, dos tomos dos
corpos, on dos grunos de tomos que constituem as
partculas componentes do corpo quo radia calri-
co. Do mesmo modo que entre os corpos elsticos
lia difTerenca de sonoridade, assim entre as part-
culas vibrantes dos corpos, deve haver differenea
relativamente prodocfao de calor radiante. De
facto, succede assim.
Vasos de diversas substancias, cheios de agua
quente a mesma temperatura, e collocados nas
mesmas circumstancias, esfriam uns mais depressa
do (na os outros; isio perdem uns mais calor
Se soub.nios interessar o leitor na questao sci-
enliScade iraaeedente importancia, que Ihe esta-
mos expoado com a brevidade exigida pela natu-
reza desla Revista e que a coraplexiJade do as-
sumplo mal pode permittir, julgamos haver-lhe de-
monstrado : que o esforco mechanico produz o
movimento, e este se podo em dadas circumstan-
cias transformar em vibracoes sonoras, ou em
calor; que entre o calor e as acodes mechaoieag
existe urna relagao constante e definida, de modo
que urna cousa se pode transformar na outra sem-
pre nas mesmas prnporgoe* : que assim como o
som o resultado dos movimentos de corpos vi-
brantes, communicados ao ar em ondulagoes suc-
cessivas e mais ou menos rpidas, assim o calor
produzido pelas vibragoes das partculas dos cor-
pos, communicadas ao f//iT/Junto(hypofliese mui-
to plausivel) de extrema tenuidade e mobilidade,
que enche os espagos e penetra por entre as par-
tculas dos corpos; que as propriedades do calri-
co todas se explicara racionalmente por esta theo-
ria das vibragoes e ondulagoes ; finalmente, que,
o calor se pode unir luz, ou estar separado delta,
ou nella transformar-so, e que entre estas duas
manifestaedes da energa da natureza existem in-
timas relagoes.
Desenvolver este ultimo ponto, c dar conheci-
mentoao leitor das relagoes que ligara o calor e a
luz eleclricidade e ao magnetismo, alongara este
artigo demasiadamente. Delxaremos pois esla
parle do nosso estudo para urna prxima Revista.
A extensao deste artigo impede-nos tambera de
responder hoje as reflexoes criticas que o redactor
scientifico da Gazeta de Portugal fez sobre nossa
anterior Revista scienti/ica. A sympathia que te-
mos e sempre tivemos por tados os que, nesta
nossa ierra de preguigesos, trahalham com zelo e
intelligencia, e buscam Ilustrar a nagao com o
fructo de seus estudos, fez que lessemos com pra-
zer a critica do nosso trabalho feita pelo Sr. Ozo-
no de Vasconcellos. O artigo do Sr. Ozorio nao
foi evidentemente inspirado por sentimentos de
benevolencia para comuasco. Que importa ? E'
s durillos e reparos do laborioso e intelligente
cscriptor que responderemos, e nao aos sentimen-
tos que influiram talvez no seu animo. Estcnde-
i De pranto as faces minhas inundadas,
Oppresso pela dor raeu pobre peito,
Ao derradero adeus corresponda
De mioha me no agitar do lenco.
Das nuvens alravez que nos meas olhos
As lagrimas choradas Ihes leceram,
Saudoso con templa va esses lugares
Onde ledo passei a mmha infancia.
Era qnanto que o baexel enchendo as velas,
O vento saejdia pro mar alto,
Que era de rosas nessa tarde amena,
Em que a patria deixei dos meus amores f
Nao se pode, por ventara, dizer vista destes
raaviosos e sentidos versos, que a poesa nm sen-
timento intimo, qne se extasa ardente nas impres-
sdes do amor e das sandades?
Se a musa do Sr. Souza Pialo nao se entregou
ainda a trabalhos mais provetosos, e mais subli-
mes, lambem ninguem poder negar, que desses
trabalhos seja capaz.
Mavios e sentida, espirituosa e elegile, ella
se nos revella nesses poucos versos que ahi deisa-
mos transcriptos.
VIII
Eraquanto os espiritos prevenidos, ou anti-poo-
tico*, apalpara, hesitam e balbuciam em lingoa-
gem spera, as producgSes erradas dos clcalos,
das cifras e do interesse; ou bruscos artlgos de
virulentas paixoes, sob a capa da poltica; as or-
ganisacoes fadadas ao sentimento do bello e da
poesa, como as dos Srs. Augusto Mendonca e Sou-
za Pinto, langam-se aventurosas pelo caminho re-
ligioso da fe e da esperanga, ao vasto thealro das
glorias Iliterarias, imprimindo assim sociedade
moderna ura movimento salutar e civilisador.
Sim, esses dous Jovens poetas, cajos perfis tanto
se assemelham, e cujas iospiragoes tanto se har.
monisam, inventam, ideallsam, e cantara o amor,
as aspiragoes vagas e infinitas da patria, assim
como gemera com ella os seus infortunios.
Que suave tristeza; que profundo sentir; que
magia envolve o canto do Sr. Souza Pinto, lamen-
tando com a pat ria a perda do seu primeiro parla-
mentar Jos Estevo I
Da mesma manera o Sr. Augusto de Mendonca
traduz fielmente as impressSes pungentes de qiW
as vezes se possue, quando encara a tristura da
patria no meio das evolugdes polticas desses an-
nos passados.
E algumas vezes assim o ouvimos na Baha, re-
citando no meio do povo, nesses festins patriticos
de julho, e dos quaes hoje temos bem doces recor-
dagoes e saudades.
Quem poder abafar sob o peso do materialismo
e de mesquinhos interesses o tanger dessas lyras,
que nasceram para cantar e percorrer o circulo
inevilavel de sua vocaco, ainda que os poetas e
trovadores morram no hospital como Gibost; na
ra como Camoes; ao fri por falta de urna capa
como Ariosto ; ua masmorra como Tasso ; no sui-
cidio para evitar as privagoes como Chatherton; e
na miseria como Drydem, Cervantes, Bocage,
Malfilatrc e Gilberl.
Sim, a estrella m do genio, que assim se apaga
neste mundo; mas elle obrigado a levantar-se
antes desse funesto lim, cheio de enthusiasmo para
obedecer as tendencias do seu seculo, e para a
regenerago do futuro, como ainda o vae fazendo
o primeiro poeta da Franca e da actualidade l
n'um canto de Jersey, onde triste, vae cumprindo
o seu desterro!
Que importa I Se o poeta soffre afinal o inarty-
rio neste mundo, tambem ninguem lem emocoes
agradaveis, e momentos de xtasis, como elle. Quem
leuLaurence de Lamartine, nao pode deixar de
sentir urna lagrima escapar-se-lhe do cora-
gao I Quem leu nas confidencias desse mesmo
poeta o episodio deGrasiella; nao pode deixar
de aspirar a gloria que Ihe coube de sentir e res-
pirar a fragancia suave dos cabellos dessa creatu-
ra anglica, desatados pelo soprar dos ventos, ao
resvalar da gndola nas serenas aguas da baha
de aples.
E, pois, a poesia anda urna vez o repetimos,
esse sentimento delicado e fino, que tressua das
fibras nervosas do coragao, com meloda e cadencia,
para as regioes ethereas do infinito.
E esse sentimento nato nos coragoes dos Srs.
Augusto de Mendonca e Souza PintoNada mais
elles precisara para eleva-lo grandes alturas, se
nao a continuagao do cultivo das lettras. Avante
pois.
Parahyba, 24 de agosto de 1864.
Dr. A. C. Cordeiro.
(Do Pubticador da Parahyba.)
dichery ? E' possivel. O ocano tem o privile-
gio de salgar em vida os seus predilectos, e de
reduzi-los ao estado de conservas da casa Colin de
Nantes. Em paga das tuas recordagoes, recebe
estas palavras de animacao.if......
i
A BATALHA.
Perto de Cdiz, no campo de hatalha do Ocano,
| encontraram-se a Inglaterra e a Franga em uraa I
bella manhaa de outubro do anno de 180o. mem nao Podia VIVPr so> em meio dos cxplendores
A victoria imperial cobria a Europa cora suas! que o rodeavam.
azas ; Napoleao marchava sobre Vienna, e punha Infundiu-lhe, pois, somno profundo e miando dor-
em execugo o poema de brome que a espiral da rt -i0ii,
Columna Vendme t.nha de conservar eterna- mia' "" ,de,suas eo'tellas a mulher, a
mente. companheira do homem, a doce e terna socia de
Quando se joga com duas probabilidades deve : seus prazeres e de suas dores.
se contar que se perde urna das duas. Ao despertar do somno era que ana. viu-a o ho-
O vento da Ierra e sempre propicio a Franca, o: _m .,,-___.,. ..
vento do mar inglez. f*r* Vl*w I"? Ianlas VPZes a*.- a aspira-
Nesse dia, soprava elle como amigo nas velas:cao de seQS desejos, a companhia porque suspi-
de Nelson. j rava.
A esquadra ingleza, disposta em ngulo, agudo e de seus labios proromperam esta* vozes-co-
avangava em boa ordem, para corlar a linha de I n n onl. n nn. .
Villeneuve Bas aguas da Bucentamo, wu almirante mo canllC0 tfe a?" franceza. A Viclory, commandada por Nelson, I du enragao satisfeiJo.
formava a ponta do ngulo, e soltava do alto da E's tu por quem mioha alma suspirava, tu
sua viga esta sublime proclamagao : A fajaierraU carne de mmha carne-, tu, como eu, manera e
contu que coda homem {ara o seu dever. Emjlond in(,|han(.a do Etnrm t
expeets evertt man to do his duty. () | semeiiianga ao tterno .
Era um desses das em que se sent que doce' *M* seJ* Sehi-> que deu-te a- minha
o viver. A brisa que soprava dos jardins de Ca- solidao ; bomditoeller que poz o remate ebra de Esses rus tropicaes allumiando.
S Sr.a%aS! vP/grafsU"oV^anoh0rro: ~f"^ frmand,>a ,nai9 be"a de tdas -"""! *r a ^ *.
lavam pequeas palhetas douradas pelo soF; pelos l*ras' | T nos amas.-a-todos : conderanado
olhos coBtemplavain o mais tocante espeetacolo,' vem I percorramos-juotos as campias esmal-1 Para sj( pude estar teu filho errante,
o cu da^Ilespanha mistur?ndo o seu^ azul ao azul tadas de flores; contemplemos o azul diaphanc-dos jamas ser per t abandonado.
Icus, eno arroubo de nossoenthusiasmo, ena-ef-; _. .
; foso de nossa alegra cntoemos um hvmno ao Se- .Tdas as almas le ^ncem, todas
nhor, ioiirao, profundo, intenso, con. a felcidaderme I Nin*uem aB,sU'oh ^us Omnipotente,
00 ., De leus olhos. nas azas matutinas,
nes doura a vida. _, .... ,s .. _____,
, ,, ... ,. Pois ate la no inferno estas presente.
Arvores das llorestas, brrsas da noute, orvalho
da manba, llores das campias, aguas do rio, aves APezar u0 P***0- da nwdl'
Jogava-se o voMarete en uraa casa do grande I que gorgeiaes nos ares, animaes dos bosques, vin-
tom, eum dos pareeiros-(homem palaciano) sentia-! de todos, contemplae a raiclia dacreago, a com
se rauto incommodado por um imrom de vistacur- panheira do homem!!
ta e nariz comprido, que sendo rauto apaixonadoj t Foi o Senhor quera m'a-oulborgou... Bemdi-
dc tal jogo, quasi se deitava sobre as cartas que o | to seja o Senhor.
dito cavalleiro tinba na mo. ----------
L-se no Civilisador seguate :
UMA MULHER 0UEO4DRMOBHER.
O doutor U. chamado a toda
Agita o viajor, cora som tao trbte
De medo, do andar da extrema Iota,
Que o coracao Ihe para nesse instante
E no seu peito, como ouvido, escuta.
Como si o sino alm tocasse a morios,
O Ruja estaca, o remo que segura
Deixa entregue a piroga, e se benzendo:
E una alma perdida elle murmura
Senhor, conhecoaquillo. Nao passaro.
li alma da infiel que anda penando,
Ou entao 6 de herege condemnado
Que do fundo do inferno esi gritando,
t Pobre lonca! Mofar er que ainda pode
Da perdicao; meia-noute grita,
Errante, a humana compaixao pedindo
Ou dos ehristiies urna oragao bemdita.
i Os santos, em castigo, a tornem muda!
A me do cu nenhuma reza ensina
Para quem, no mortal peccado, arde
Na fornalha da colera divinal
Sem replicar, o viandante escuta
Do pagao baptisado essa mentira,
To cruel que de novo horror enema
O grito amargurado que se ourira.
Frooxamente arde o fogo da canoa :
Km torno augmenta a sombra da espessura
Dos altos troncos cora cipos nodesos;
Silenciosa corre a agua escura.
Porm no coragao do viajante,
Secrel sentimento de bondade
Que a natureza di, e a f constante
Do Senhor na infinita piedad.;.
Levam sus clhos na estrellada estancia :
E ali! os grilos impos censurando
Por toda a ierra -a Cruz do perdo brlha
do cu africano, sob a abobada do infinito.
(Ccntinuar-se-ha. >
DI POICO W TUDO. .
Da Verdade traaecrevemos oque segu :
E qaereudo este por termo a- to iacommoda
sem ceremonia, tirou do bolso o lenco c assoou o
nariz do tal sugeito, exclamando :
Ah meu charo senhor, queira desculpar-me ;
pois julguei que assoava-o meu narie.
Um Parisiense atlirma que toda a pessoa que de
aouto entrar nos cemilerios, Jarda- ou cedo vira
tambem a morrer.
a pressa no meio
do seu janla?. Elle eorre. Trata-se de urna mulher
da visinhanga que se envenenara. O doutor in-
troduzco U0' seu quarto, mais sumptuoso do que
elegante, onde ludo indica luxce-riqueza, e nada
gostoje elegancia; interroga-a, rcceila, salva-a.
Dous dias depois, um homem de cabellos bran-
Do crime, da ve?gonhaeda amargura.
Da duvida, e do mal-sempre Ilumina
Teu meigo olhar atua creatura.
Em teu ser, oh Principe eFim Eterno!
Beata o fio dessa triste- vida;
Oh! muda, muda em catico de gracas
Usse grito infeliz (te-alma perdida.
Na Revolucao de- Stembro. l-sc o que segu:
Succedeu poueo em Berlin urna aventara
engragada.
Foi ura guarda do-cona>ercio enearregado de
prender certa mulher.
Acompanhado do oredor. e munido daordenvde-
Um naturalista da Dinamarca descubriu que as
lombrigas maritimas se mantera de rea.
Um outro sustenta qae grande porco de nuvens
brancas espalhadas no cu, ao por do sol, anuun-
ciaui chava ou vento, ou outro qualqu*r tempo.
Ha quera ponha os ps parede que, para pou-
par os sapatos, nao ha nada melhor do- que andar |
de botas.
ANDAR estar quieto. Os andares das casas
nao se mexem.
BALAfardo de fazendas com que se carrega.
pegas e espingardas.
eos, e de agradavel figura se aprsenla era casa do prisao, metteu-se n'uma emboscada prximo ao
medico B. | canal, e d'ali a agarrn no momento era que sahLi
Doutor, diz, salvastes urna mulher pela qual | de-casa.
linha uraa profunda e sincera affereao, e ao mesmo
lempo rae poupastes as penas eremorsos que en-
venenariam o resto de meus dias.Eu fui real-
mente injusto, cruel, avaro. A pobFe rapariga qae-
riaum coup para ir dar os seus passelos; e como B
eu.lh'o recusasse, eatendeu que era porque janao
araava e iraiz morrer.Eu vos agrdego, doutor, os
vossos euilad'is. em arranca-la morle, e conside-
rae-me sempre vosso devedor.
E o velho retiron-se depois de ter deixado so
bre a pedra do fogao um montezinho de ouro.
No da seguinto, hora em que o doutor abre o
A pobre mulher aae resistiu, mesmo porque nao
Unha outro par ti de a tomar. D'ali priso que
Ikava da outra banda-do canal, era mister transpdr
a ponte, e at l ia>. nao pequea distancia eum.
A victima era barqueira, e assim lembrou-sade
propor, para maior brevidade, a passagem para a
outra banda bordo da sua catraia. O officiit de
ju poucos instautesr ei-los lodos ires bordo. A
mulher lancou mao-dorunao deu um salto para
cuna da praia e irapcihndo a barca com a nado
BALAOcorpo espherico que so fez para subir! oonsultorio, apparece um hornera' de 50 annos, alto remo para o meio do rio, desatou a fugir. por
ao ar, c hoje na Ierra anda atado ciara.
BAIXOinstrumento musical em que tocara o&
navios debaixo d'agui
CAVAClasca de-pu qae dao pessoas de pon-
ca feicao.
CONTASum dosmeios deque nos servimos
para pedir Deus o- que elle nos nao. deve; e aos
homens aquillo de que elles nos sao devedores.
CRUSADOguerreiro christao que vale quatro-
centos ris.
DUCADOttulo de um duque eunhado de curo
ou de prata.
ESCUDOmoeda estrangeira, de ouro ou prata,
com que se paravam golpes e freehadas.
LIBRAsigno zodiaco que pesa dezeseis oncas.
MEMORIA-monumento que se levanta para
commemorar algoma pessoa, ou aconteciraento no-
tavel que se enfia no dedo.
PAPAGAIO passaro trepador que s tem cabe-
ca e rabo, e que atado por um negalh, s se sus-
tenta com o vento.
PISTOLA moeda estrangeira que tem um ou
mais canos.
TINHAmolestia do verbo ter.
VAPORestupenda forga motriz medida por ca-
rallos.
Da Cruz transcrevemos :
O samo de Aao.
Linda era a trra, ainda palpitante das raaos do
Eterno, e o sol, em meio do cu, dourava-lhe os
cimos das montanhas o os ricos e luxuriantes
valles.
A brisa embalsamada pelo perfume das dures,
sussurrava por entre a folhagem das arvores, e seu
murmurar suave semelhava um hymno de amor
ao cu.
Melodiosos eram os gorgeios das aves, como as
notas do bandolim tangido oo silencio da noute.
Era um paraizo a trra, ainda palpitante das
de rosto corado e enorme abdomen, e que usa dia-' aquelles campos lera.
mants no peito da camisa, nos punhos e nos de-
.los, assim como uraa grossa cauta de ouro no co-1
lele.
O beleguira e o-oredor f arara boquiabertos, a
dizerem mal do si i sua vida, e a luctarem cora a
difliculdade de tocaren em trra.
Meu caro doutor, diz elle, nao poda deixar de -.-
Pelo que respeUa. a fugitiva, diz a Fraw&**lle-
eourt eacor '.
vir testemi!har-vos a minha gratido por terdes
salvado a vida a essa rapariga que se envenenara.
Eu tinha-lhe armado urna sceoa- de sorpresa em ra-
tao de curaes.... injustamente-ao que parece por
causa de um petil-maitre que-ella diz ser seu pri-
mo. Ei sou arrebatado: ameacei-a de abandona
A.existencia de moustros raarinhos 'oi.sempss
considerada coujo ineoiira.
O Momteur Soxulifique encarrega-se-de des-va-
la; e nunca julgnei que a rapariga me tvesse tan- i "^ as duvilia cora seguite "mplo-:
to amor!' Seria urna calanadade- se o seu intento-! Km Iras de maio de 1861 sahiu o visoonde On-
tivesse vingado, porque teria sido a terceira mu- frey de Choron, antigo coronel de eDgeolieiros do
Iher mora- por minha causa. Mas como justo*] Per, da ilha de Tumaio, siluada no Pacfico^ e ao
que cada-um viva conforme o seu mister, cu quero : encontrar-se a sete milhas da costa viu de repente
recompensar os vossos cuidados. elevar-se do fundo do ocano um monstro tcarinho
Eo desconhecido collocou tres montes de pegas, que se foi acercando da erabarcagao.
de 5 francos sobre a b:nca dr> doutor, que ficou
erabaragado, por nao saber o que pensar dos dous
extraordinarios personagens.
e- de
t Eis a dlscripcao do dito animal chamado man.
ta, linha bracos de forma humana, brancos, de um
metro de comprido, com articulaces nos pulsos. As
maos peipwnas e corcovadas, eram cor de perga-
minho veibo. Os dedos eram pegados uns aos ou-
tros. A cabega era chata em sentido horisontal,
triangular, e na base linha mais de dous ps de
largura. O corpo de quatro ps de largo tinh;>,
apenas alguns centi niel ros de espessnra.
O resto do corpo esta va inmerso nas vagas.
Um rapaz bem vestido, frisado, de bigode
poslgoes estudadas, eolra d'ahi a pouco.
Nao sois o doutor B.? perguntou elle.
Sim, senhor.
Pois eu venho agradecer-vos os bons cuidudos
que prodigahsastcs a urna rapariga da visinhanga,
uraa encantadora joven, que me honra cora algoma
attencao c que fiz desesperar por causa de urna in-
fidelidadeA rapariga tomou o caso a serio. In-
, .. M. das foi tiradoda csB/w, em Berln, o cadver
nocente Eu nao estou presenlemenle endraheira-1
., v ... de urna formosa rapariga,
do, porque o lasamneUe me nao tem sido favora-. P .. ,..,, -fc .
, ___ Foi-lhe encontrado aa aJaibeira do vestido n
vel, mas por eraquanto podis contar cota um ami-' ., """
' segrate bilhete :
go sincero.
E depois de estendar a mo ao doutor olha-se a j
IHUALtllt.
Morro porque nao- posso viver sera bonra. En-
gaada no meu amor, illudida nas miabas espe-
raneas, prefiro a morte a deshonra. ET-mo impos-
sivel ser m.e de urna creanca que nao. pode profe-
Senhora. Ihe diz elle, o reconliecimentoque rir o nome de seu pae. Queira Deus, perdoar-rae
a mintii morte, e que ella possa servir de exemplo
um espelho, compe a grvala e sabe.
O doutor B. vae d'ahi a pouco visitar a en
ferma.
me quizaste consagrar pelo pequeo servigo que
vos fiz. manfestou-se-rae de urna manera inexpli
maos do Eterno, e quando noute despsntava a carel. Considerar-me-hei pago do meu trabalho
AO MEC AMIGO DONNADIKC,
Guardabandeira da nu Bucentauro.
E's um desses velbos marinbeiros, crestados
pelo ar do mar e pelo sol, que abrigara a sua mo-
cidade octogenaria em baixo de urna verde latada,
a beira do golfo indiano do departamento do Var. I ta, era o rei da creacao e
As murmurantes vagas vem morrer a teus ps,
referiodo as tuas epopas martimas, com as har-
moniosas desinencias de Aboukir e de Trafalgar.
Ouves anda essas vozes amigas nonte, por entre
OS sonhos, e o somno te leva de novo aos iramor-
taes das de tua gloriosa aotgaidade. Quantas
vezes ters ouvido nos teus sonhos, esta allocitcao
do general Villeneuve : Oonoadieu, ahi temos
Nelson e a Viclory ; vem cortar-nos a linha nas
aguas do Bucentauro. Toma esta aguia, que o
imperador nos mandn de Cdiz; atira-a bordo
da Viclory, e depois iremos todos busca-la com as
machadinbas de abordagem em puoho.
J vs que le o nos teus sonhos e que me lem-
bro de tudo o que me dizias, nos das da minha
raos cordealmente a mo ao nosso antigo discpulo adolescencia, no caes de Toulon, quando todos cur-
despedrado-nos delle at nm dia prximo.

i. DA. CORVO.
(Jornal do Conmerci-i, de Lisboa-)
vavam a cabega diante de dous hroes, teus amigos
dous Ajax do mar, qae supplantavam todos os
Ajax de trra, o Infernet provencal e Cosmano o
brelao.
Envo-te este li vro, cojo primeiro capitulo es-
eripto com as taals recordagoes. mais exactas do
la paluda e meiga por entre as cumiadas dos
montes, como a virgem da saudade, e que seus
raios de prata se espalhavam nas aguas crystali-
nas do Phison, pareca qae tudo emudecia para ad-
mirar a rainha da noute nas campias azues do
cu.
E j o homem existia e o Creador dos mundos
Ihe havia dado a supremaca sobre os habitantes
da trra.
O limo animado pelo sopro do Senhor, o barro
da trra vivificado pelo espirito da Trindade San-
a maravilla da natu-
reza.
E ao sea aceno obedeca tudo ; os ventos emu-
decam nas cavidades dos abysmos; o zephiro Ihe
soprava faguero, embalando-a suavemente quando
cerrava as palpebras e se entregava ao somno, e
os animaes, reeonheceodo-o como senhor, vinham
lamber-lhe os ps, submi3sos e respeitosos.
Mas a despeito de tanta fclicidade, de tanta cal-
ma, nao era feliz o homem. Sentia a anciedade, a
aspiragao do desconhecido, faltava-lhe como urna
parte do seu eu, e mu tas vezes, quando o vento
com oque rae dexou o primeiro dos individuos
que me forara visitar; mas nao posso aceitar o di-
nhelro do segundo.Esse vos pertence. Quanto ao
terceiro, se vos tem algoma vez engaado, por
causa do lasquenette. Todava, lende a certeza de
que todos tres vos amara.
Ah sim. Mas se elle me amasse tanto como
esses, nao me teria deixado ir at a desesperago c
d'aqui ao suicidio I
Como IT Elle?
Sim, o ingrato qae me abandonou, aquello
a todas as mulheres, a quem as promessas engao-
sas dos homens quizerem preparar urna sorle egual
a minha.
*
Vimos hoje na acreditada casa do leiloes perma-
nentes do Sr. Freir, na ra nova do Carmo. n. 28
e 30,-utna obra engenhosissima e digna de admi-
rar-se.
Sobre ura pedestal da madera, no qual est um
rekigio, assenta urna grata, eavada n'ama rocha, a
qual serve de celia a ura monge branco. O mooge
est sentado sobre urna pedra, em ar medilali-
por cansa de quera en qalz morrer, um actor que v0' TCauu-se um mo\h, comeca a ouvir-se uraa
acaba de partir escriturado para Nova-York. musica suave> semelhando a cnticos religiosos, e
------ um sino dobrar. O monge levanta-se lentamente,
Do Diario do Rio transcrevemos a segu nte poe- ajolha se, benze-se, bate no peito e fica-se moraen-
sia, traduzida do poeta norte-americano Whitlier
pelo poeta fluminense Dr. Pedro Luiz. O titulo
dessa poesia o modo porque os Indios designam
o grito melanclico de ura passaro que se ouve a
noute nas margens do Amazonas:
O GRITO DE I.MA ALMA PERDIDA.
Quaodo, tardinha, na floresta negra
Resvala o Amazonas qaal serpente,
agitava as folhas, ou o fruto pendente da arvore ISombrio desde a hora em ue so1 "rre
calila no chao, o homem estremeca, como se ouvi- A,e 1ue "sp'^ece no oriente.
() A phrase ainda mais bella era inglez, na
sua maravilhosa concisao ; England, sem artigo,
de um orgulho sublime, e a rappresso do que,
imitando o latim completa a energa da concisao.
Um grito, qual gemido angustioso,
Que o coracao do mallo soltara
Chorando a solidao. aquellas trevas
O nao haver ali urna alegra.
tos de bragos abortos, em signal de oragao. Depois,
torna a persignar-sc com toda a naturalidade, le-
vanta-se de novo e volve assentar-se no lugar em
que se acbava.
E' realmente engenhosissimo o mechanlsmo por
meio do qual se opera esta scena to cheia de
verdade.
Esta pega estere n'uma das exposiedes de Lon-
dres e ouvimos que fura ali comprada por 100
libras.
O Sr. Freir vae vende-la, de manera qne fique
compensado do prego qne ella ihe costn e do que
cora ella despendeu em concertos.
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. k FILHO






.*-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETBVB5OQU_BYKFL8 INGEST_TIME 2013-08-28T00:19:05Z PACKAGE AA00011611_10463
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES