Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10457


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^
iy***-*******
T**
mOU. NDMERO 201.
.1 f#f i



*
i
Por (res ezes adiautados
Por tres mezes vencidos
Porte ao correio por tres raczes.
5SO00
63000
730
SEXTA FEIRA 2 DE SETEMBRO DE 1864.
Por mdo aiantado.....49$00O
Porte* ao correio por me anno. 3$Q0O

INCARREGADOS DA SUBSCRiPgAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima';
Natal, e Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
8r. A de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SBSCRIPCAO NO SUL.
Alagdas, o Sr. Claudino Falcao Das; Bahia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino. j
PARTIDA DOS E3TAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os das.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruaru",
Altinho e Garanhuns as tercas eiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas eiras.
Serinhaem, Rio Formoso, Taraandar, Una, Barrei-
_. ros> Agua Preta o Pimenteiras as quintas eiras.
Ilha de Fernando todas as veres que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partera ao Vi dia.
EPHRMERIDES DO MEZ DE SETEMBHO.
1 La nova as 3 h., 48 m. e 8 s. da m.
9 Quarto cresc. as 3 h., 30 re. e 38 s. da m.
15 La cheia as 6 h., 40 m. e 20 s. da t
22 Qoarto ming. as 4 b., 34 m. e 14 s. da t.
30 La nova as 8 h., 23 m. e 10 s. da t.
PREAMAR DE BOJE.
Primeira as 3 horas e 42 minutos da tarde.
Segunda as 4 boras 6 minntos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEMOS.
Para o sal at Alagas a 5 e 36; par* o norte at
a Granja 'e22 decadamez; para Fernando nos
oas 14 dos mezes dejan, marg., maio, jul, set enow.
PARTIDA DOS MNIBUS.
[ Para o Recie : do Apipucos s 6 >/t> 7, 7 /, 8 e
I Vi da m.; de Olinda as 8 da m. e 6 da tarde; de
boatao s 6 Vi da m.; do Caxang e Varzea s 7
ta ra.; de Bemfiea s 8 da m.
Do Recie : para o Apipucos s 3 Vi, 4, 4 V* 4 Vi,
> A, 5 Vi e- 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 Vi da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cacnang e Varzea s 4 '/, da tarde; para
Bemfiea s 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do comniercio: segundas e quintas.
Relaco: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orpbios: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tarcas sextas ao meio
di a.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a 1 hora
da tarde
das da sxmana.
20. Segunda. Degolago de S. Joo Baptista.
30. Terca. S. Ilusa de Urna v. americana.
31. Ouaria. S. Raymundd Nonnato card.
1- Quinuu S. Enydio ab.; Ss. Gedeo e Josu
2. Sexta. S. ElevSo re de Hungra.
.'(.. Sabbado. S. Eufemia v. : S. Sndalo ni.
4.. Domingo. N. S. da Penha; S. Rosala v.
AS3IGNA-SE
no Recie, em a livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa da
Yztxx & Filho.
PARTE QFFICIAL
G01BRH0 DA PROVINCIA.
Kipediente 4o dia 30 de agosto de 1861.
Alucio ao Exm. conselheiro presidente do su-
premo tribunal de justiga.Communico a V. Exc.
que o juiz de dreito da comarca do Limoeiro, Jos
Quintino de Castro Leo, tendo deixado por moles-
tia o exercicio do seu cargo em 10 deste mez. o
reassumio em 24 do mesmo mez.Communicou-
se a thesouraria de fazenda.
Dito ao Exm. presidente da provincia do Para.
Nesta data faro embarcar no vapor Paran, a
disposigodc V, Exc, um caxo que ter a Don-
dade de fazer seguir para a provincia do Amazo-
nas na primeira opportunidade, a ser entregue ao
Exm. presidente daquella provincia, e bem assim
urna caria lacrada contendo 8805000 em notas que
para ter igual destino, V. Exc. se dignar de man-
dar receber na agencia dessa provincia, a qual
consta do incluso conhecimento.OlDciou-se neste
sentido a agencia dos vapores.
Dito ao Exm. Dr. vigario capitular desta diocese.
Para poder resolver sobre a materia do officio que
V. Exc. dingio-me em 25 do corrente, aguardo
solucao do queenderecei a V. Exc. em 25 deste
mez.
Dito ao commandanto das armas interino.
Ficam approvados os contratos que, segundo os
termos por copia annexos ao officio de V. S. n.
1,509 de 23 do corrente, celebrou o director do
hospital militar com Domingos Jos da Cnnha La-
ges e Thomaz Tavares de Moraes para fornecerem
ao mesmo hospital no trimestre a decorrer de se-
tembro a dezembro deste anno, os gneros alimen-
ticios e sanguesugas, sendo estas por aluguel : o
que declaro a V. S. para seu conhecimento.
Dito ao mesmo.Ordene V. S. ao commandante
da fortaleza do Brum que d a salva do estylo na
occasiao em que o vapor Paran demandar a bar-
ra do porto desta cidade, visto que nelle segu o
Exm. Sr. Br. Ambrozio Leilo da Cunha, presi-
dente da provincia do Maranhao.
Dito ao Dr. chefe de polica.Para cumprimento
do aviso circular do ministerio da Justina, de 23
de margo de 1858, faz-se misterque V. S. me faga
apresentar o mappa dos delegados de polica que
forem hachareis formados, relativo ao semestre de
Janeiro a junho do correte anno.
Dito ao mesmo.A' vista do quo expe o com-
mandante das armas nos offlcos de 25 e 27 do
corrente, constantes das copias inclusas d V. S.
as providencias necessanas afim de que seja su-
jeito a julgamento o processo que se iostaurou ao
soldado de. artfices Jos Ferro, pelo crrae de que
tratam os mesmos oflicios.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Communico V. S. que o bacharel Hsbello Flo-
rentino Correia de Mello reassumio em 17 deste
mez o exercicio do cargo de juiz municipal e de
Orpuausuv-..... -j- *
Dito ao mesmo.De conformidade com o dlspos-
to no aviso circular do ministerio da jusliga de 20
eilP .uez, recommendo V. S. que remeta para
."urte, logo que linde o semestre addicional que
esta correndo, o' halango da despeza do mesmo mi-
nisterio relativo ao exercicio de 1863 1864.
Dito ao mesmo.Participando Manoel Nicolao
Rigueira Pinto de Souza, que em 24 do corrente e
na qualidade de 30 supplente assumio o exercicio
do cargo de juiz municipal e de orphos do termo
de Serinhaem : assim o communico V. S. para
seu conhecimento.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
V. S. receber e guardar nesse arsenal, como re-
quisitou o commandanti das armas em officio n. I
1,556 de 29 do corrente, as boceas de logo de que se
compe o parque do 4 batalhao de artilharia a p. i
Communicou-se ao commandante das armas.
Dito ao mesmo.Itecummendo V. S. que faga
apromptar com a maior brevidade possivel, como!
solictou o commandante das armas em officio n.
1,551 de 27 do corrente, todos os objectos pedidos
pelo almoxanfado do hospital militar para uso dos
doentes em tratamento com especialidade lengos,
camisolas sapatos e louga.Communicou-se ao.
commandante das armas. {
Dito ao director das obras militares.Mande V.
S. abrir no quartel da Soledade, como solieitoa o'
commandante das armas em offleio n. 1,556 de 29
do corrente, o porlo que outr'ora servia para a '
entrada do parque do 4o batalhao de artilhana a
p e foi tapado Fizeram-se as necessarias com-
municages.
Dito ae mesmo.Providencie V. S. conveniente-
mente para que sejam substituidos ou concertados
cinco dos bMODS de gaz da illuminag.o do quartel
do 7U batalhao de infamara que se acham arruina-
dos, segundo declarou o commandante das armas,
em officio n. 1557 de 29 do corrente. Communi-
cou-se ao commandante das armas.
Portara.u presidente dajprovincia, attendendo
ao que informou o respectivo commandante supe-
rior em data de 27 do corrente sobre o requeri-
mento do alferes da 3* companhia do batalhao n.
20 da guarda nacional du municipio de Nazareth,
Manoel Jos Lopes de Albnquerqne, resolve conce-
der a este um anno de licenga para Iratar de sua
sade onde Ihe convier.
DitaO presidente da provincia conformndo-
se com a proposta do Dr. chefe de polica n. 1,079
desta data, revivo nomear a Presciliano Peres
Carnpello para o lugar vago de subdelegado do ds-
tricto de S. Lourengo da Malta, Io da freguezia do
mesmo nome.Communicou-se ao Dr. chefe de
polica.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes mandem transportar para a curte, por
conta do ministerio da guerra, no vapor que se es-
pera do norte, nao s ao pharmaceulico alferes do
carpo de sade do exercito, Benjamn) Cincinato
Utinguass, que vi servir na provincia do Paran,
mas tambem a familia delle composta de mulher e
3 filhos menores.Offlclou-se thesouraria de fa-
zenda para ajustar-lhe coalas al o tiiu de setera-
fcro e comraumcou-se ao commandante das armas.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes facam transportar para a corte, por
conta do ministerio da guerra, no vapor que se es-
pera do norte, ao 2 cadete Joo d Souza Barroso,
que se alistou nesta provincia com destino ao Io
batalhao de infamara em gu-rnigo na corte.
Communicou-se ao commandante das armas.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes mande dar transporte para a provin-
cia da Parahyba no vapor Paran, em lugar de
proa destinado passageiro de estado, Alexan-
drina Mara de Lima que consta ser desvalida.
Bila.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes vapor mandem dar transporte para
a provincia do Rio Grande do Norte, por conta do
ministerio da guerra no vapor Paran, ao ex-sol-
dado do corpo de guarnigo desta provincia Luiz
Ignacio de Jess.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira
de paquetes vapor mandem dar transporte at o
Maranhao no vapor Paran, em lugar de proa des-
tinado passageiro de estado, Manoel das Mer-
cas Araojo, que consta ser desvalido.
Expediente do secretario do governo do dia 30
de agosto de 1864.
Officio ao inspector da thesouraria de fazenda.
O Exm. Sr. presidente da provincia manda trans-
mitir V. S. a inclusa ordem|do thesouro nacional,
datada de 20 do corrente, sob n. 118.
SEDE VACANTE
DECLARACAO.
Declaro ao publifoqueas 17 dispensasque foram
apresentadas ao Exm. Sr. vigario capitular com o
nome deste substituido ao do Exm. bispo fallecido,
e das quaes trata o officio dirigido ao Exm. e
Rvm. Sr. internuncio, com data de 21 de junho pr-
ximo passado, e inserto no Diario de Pernambuco
a. 182, foram raspadas na chancellara da nuncia-
tura, afim de se aproveitar o despacho que j esla-
va lavrado, em ditas dispensas, quando all che-
gou a noticia do fallecimento do Exm. bispo desta
diocese.
Olinda, 26 de agosto de 1864.
O conego Joaquim Ferreira dos Santos,
Secretario do bispado.
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIAS BO OA
RIO DE PEHSAinXCO.
Hamburgo, 5 de agosto de 1861.
A paz entre a Allemanha e a Dinamarca acha-se
finalmente assegurada.
No dia Io do corrente teve lugar em Vienna a
assignatura dos preliminares de paz, e simultnea-
mente do um armisticio para a negociago da paz
definitiva, o qual nSo denunciavel at 15 de se-
tembro, e dessa data por diante s com aviso de
seis semanas. Em abstracto, tambem desta manei-
ra nao tica excluida a possibilidade que a negocia-
cao da paz definitiva nao leve a nenhum resultado,
e por aqui e por ali com effeito se fazem ouvir al-
gumas vozes pessimislas, prognosticando novas
complcagcs; em concreto, o negocio porm acha-
se em urna posigo que em nenhum caso de pen-
sar na reatiertura da guerra. Sobretudo as coodi-
goes do armisticio sao taes que a Dinamarca deve
ter o mais vivo interesse na prompta concluso da
paz definitiva, e nao pode adiar nenhuma vanta-
gem dedilala-la anda mais por meio de subterfu-
gios. Os alliados, a saber, dorante o armisticio e
at a concluso da paz verdeira, licaro em posse
do Jutland, conservando a administraco desse paiz
e dispondo dos impostos do mesmo para tratamen-
to das suas tropas ali estacionadas.
Por isso, s pela paz que a Dinamarca pode
rehaver para si o Jutland, e sendo esse paiz a me-
tade de todo o territorio que Ihe resta depois da
S.'M-irar.j ilns (liirartiw a.llfjm3os hom SO COmnre-
ende, quanto Ihe valera de assegurar-se o mesmo
quanto antes. Quanto aos preliminares de paz, os
mesmos cprrespondem inteiramente s exigencias
da Allemanha.
O re Clristiano IX, segundo os mesmos, renun-
cia a todos os ducados de Schleswig, Holstein e
Lauemburgo, o a negociago definitiva da paz ter
de oceupar-se principalmente da questo de in-
demnisagjo das despezas da guerra e dos enclaves
dinamarquezes no Schleswig.
Os preliminares nada dizem acerca da cessiio
desses Diurnos, e no caso que a Dinamarca se de-
cidisse a abandona-los na paz definitiva, so o faria
naturalmente em troco de outras concessoes de
parte da Allemanha, seja contra remisso das des-
pezas da guerra, seja contra a cesso de um dis-
tricto ao norte dos ducados.
Em todo o caso da parte allemaa nao se far
questo de cousas secundarias quanto possivel fr,
e como segundo dito o gabinete dinamarquez s
pode desejar urna prompta paz, tem-se todo o mo-
tivo para suppr que a realisago da mesma nao
deixar esperar por si.
Deiamos de entrar nos detalhes das negociarles
havidas em Vienna, que tiveram por consequecia
os preliminares de paz e o armisticio, porque urna
vez que temos agora presente o resultado, nao tem
ellas nenhum interesse essencial.
Como os nossos leitores sabem, a suspensao de
armas celebrada em 18 de julho para o fim das ne-
gocheoes s tinha principiado no dia 20. Mas as
conferencias em Vienna nao foram abenas formal-
mente senao no dia 25. Durante um momento pa-
reca que os plenipotenciarios procuravam fazer
dfliculdades, oppondo seguidamente s exigencias
da Austria e da Prussia, falta de iostruegoes dev-
das.
Esses pretextos porm nao foram de importancia
seria. Logo que os plenipotenciarios dinamarque-
zes se convenceram que tinham de tratar com urna
resolucao malteravel das potencias allemes, as
inslrucces necessarias nao faltaram de apparecer.
Essas demoras tiveram s urna consequecia.
Quando em 31 de julho meianoite fiodra a sus-
pensao de armas, os preliminares da paz e o ar-
misticio nao se achavam anda concluidos formal-
mente; e por isso foi necessario requerer-se urna
prolongagao da suspensao de armas. Esse foi con-
cedido por quarenta e oito horas, e assim a conclu-
so s se realisou rio dia Io de agosto tarde.
Anda as ultimas horas antes da entrada da
suspensao!de armas em 20 de julho, isto e, na noi-
te de 19 pra20, a esquadraalliada no mar do nor-
te consogiiio anda de dar um golpe s torcas de
mar d'mamarquezas que ali se achavam.
Na nossa ultima tivemos ainda tempo de parti-
cipar a tomada da ilh de Sylt em 15 de julho, as-
sim como fe oceupagao da ilha de Foehr no dia 18,
dizendo se ento tambem que a flotilha de canho-
neiras dinmarquezas as aguas dessas e das ilha-
visinhas, debaixo do commando do capitao Ham-
mer escapara e se salvara pela fuga.
Esta noticia porm nao fra fundada. O capito
Ilammer ijnha tentado a fuga, mas achara todas
as vas oceupadas pela flotilha austro-prussiana.
Entao elle esforcra-se de aproveitar para sua sal-
vaco a noticia da suspensao de armas, entretanto
concluida em 18, que recebera por intermedio do
governador inglez de Helgoland, e que o chefe da
esquadra austro-prussiana igaorava ainda, coramu-
nicando-lhla; mas oceultando o termo fixado para
O principio da suspensao. Mas lambem essa fineza
mallogrou, e finalmente nada Ihe restara do que
eniregar-se aos alliados, depois de haver medido
a pique o$ seus navios maiores. ezesete barcas
pequeas e cerca de 400 homens, entre estes o ca-
pitao Ilammer, e mais nove outros ofDciaes cahi- i
ram dessa mam-ira as mo dos Austracos ePrus-:
tinaos.
Mais do que deste resaltado final das armas al-
liadas, e mais do que- das negociagoes ae paz em
Vienna, fo a opioio publica preocenpada de um
novo conflicto entre a Prussia e a Confederago Al- j
lema. A ocurrencia foi a seguinte:
Na noite do da 17, em Rendsburgo, occapado
por tropas, hannoverianas, como parte do corpo de '
execugo federal estacionado no Holstein, e onde
se achava ao mesmo tempo um lazareto prussiano
com tropa prussiana, rebentaram ama rixa entre
soldados hannoverianos e prussianos por causa de
ma briga n'om salao de dansa, renovando-se es-
sas rixas no dia seguinte. O negocio por si n5o pa-
recia ser de importancia maior, e todo o mundo
nao olhava no occorrido outra cousa do que urna
daquellas brigas que nao sao raras na guarnigo de
tropas mixtas.
m Berln, porm, o negocio foi considerado de
oatra maneira, ou ao menos fingiram considera-te,
e tomaram-se as medidas as mais sorprendedom.
O commandante em chefe no Schleswig, o prnci-
pe Frederico Carlos, recebeu a ordem de fazer-se
senhor de Rendsburgo de bom modo ou por forga,
afim como se dizia, de cobrr as costas do exercito
prussiano no Schleswig contra as hostilidades que
o ameagavam de parte das tropas alliadas. O prin-
cipe Frederico Carlos m consequecia disso fez
immediatamente marchar contra Rendsburgo um
corpo de dez mil Prussianos, communicando ao
chefe das tropas de execugo ederaes a ordem re-
cetada e as medidas tomadas para cumpri-la, com
o convite de ceder de boa vaptade.
O general de Hacke, que nao tinha seno tres
companhlas sua disposigao em Rendsburgo, com-
prehendendo a inutilidade, e tambem a responsa-
bilidade de urna resistencia, qae poda levar a
urna guerra c ivil allemaa, retirou as tropas fede-
raes, dirigndo-se entretanto pelo telegrapho die-
ta allemaa, pedindo instruegoes ; ao mesmo tempo
dirigi ao principe um protesto contra os passos
pelo mesmo (endonados. A dieta approvoa o pro-
cedimento do general, designando o comportamen-
to dos Prussianos como illegal, e ordenando ao Sr.
de Hacke, no caso que as tropas prussianas com
effeito cumprissem a oceupagao ameagadadeRends-
burgs, de retirar o sea protesto contra esse facto.
Os Prussianos entraram realmente em Rendsbur-
go, e o conflicto ficou prompto. Seguiram-se na
dieta as scenas as mais tumultuosas. O Hannover
e a Saxonia como potencias de execugo, levanta-
ram as mais vivas queixas contra a violencia
prussiana ; na Prussia perceberam ter do de mais
adiante, mas nao queriam sem mais nem menos
confessar o erro, tentando pelo contrario todos os
subterfugios para em parte justificar o procedi-
mento, e em parte attribuir-lhe um carcter nao
capcioso, e contestando sobretudo a idea de repul-
sao as tropas ederaes de Rendsburgo e de querer
violar os direitos da confederago no Holstein, e
finalmente a Prussia declarou-se prompta a dar a
todo o lempo entrada em Rendsburgo s tropas
hannoveranas d'ali retiradas, a Saxonia e o Han-
nover porm insistem era urna satisfacao expressa
e a Baviera propoz a remogao das tropas prussia-
nas de Rendsburgo. A questo acha-se entretanto
ainda pendente as commissoes da .dieta, e s
nos prximos das se pode esperar urna resolugo
formal. A Prussia ao resto acha-se bastante so-
lada. A Austria, em consideragao da sua fratern-
dade de armas observa urna attitude reservada
para com o gabinete de Berlin ; mas nao dissimu-
la que decididamente desapprova o procedimento
da Prussia, segundo geralmente se pansa, ella se
encarregar por Ora da mediagao entre a Prussia
e a Confederago, e realisar um compromisso,
que poupando quanto possivel o Sr. de Bismack,
asseaure n (Hran a* i'..=i.j.rM..'..
Ha questo dasuceesso de Schleswg-Holstein
a decisao acba-se entretanto anda bem longe de
se realsar. Segundo um boato o granduque
de Oldemburgo apresentou ltimamente na dieta
a exposicao dos seus direitos de successao segun-
do outras noticias a mesma ; s de esperar nos
prximos dias. Sob proposta da Austria e da Prus-
sia, a dieta convidou agora tambem o principe de
Augustemburgo para do seu lado fundar as seus
pretengoes. Esse o estadio em que o negocio so
acha neste momento, e mesmo no melhor caso po-
derao decorrer mezes antes de haver urna deciso.
lano mais viva entretanto nos circuios do povo
allemaoa agitagao nessa questo. Em toda a par-
te reunem-se de novo assemblas do povo, condem-
naudo decidamente as reclaraacoes oldemburgue
zas, e declarndose pelo direito exclusivo do du-
que E rederico.
Com grande interesse segue-se as discussoes do
assim chamado processo dos Polonezes, que actual-
mente tem lugar em Berlin. Trata-se da partici-
pacao de um numero de Polonezes da provincia
prussiana de Posen na insurreigo na Polonia.
Hussia, sendo os mesmos aecusados de haverem,
juntamente com os insurgentes visinhos, trabalha-
do pelo restabelecmento da Polonia nos seus limi-
tes de 1772, commettendo dessa maneira o crime
de lesa-raagestade, por tencionarem a separago de
provincias prussianas do estado prussiano. A
aecusagao dirige-sc contra algnmas centenas de
pessoas, e s a leitura da acta da aecusagao reque-
reu nao menos de nove sessoes do tribunal. Os ae-
cusados confessam em grande parte de haverem
apoiado a insurreigo na Polonia Russa, mas ne-
gam todos qualquer intengao criminosa dirigida
contra a Prussia. Quanto at agora se pode fazer
jujzo das discussoes ainda em principio, parece que
nao se podera sustentar a prova de alta traigo.
fcm lugar disso as discussoes apresentaram escla-
recimientos mui singulares acerca do modo rejei-
ta\el, porque os orgaos do poder executivo se es-
lorgaram de obter os devidos meos comprobati-
vos, ou melhor dito de crear elles mesmos a alle-
gada conjurago de alta-traigao.
Nos ltimos dias teve lugar na Baviera urna
mudanga parcial do ministerio. O ministro do
culto de Zwehl e o da instiga, de Multzer, retira-
ram-se, sendo o primero substituido pelo presi-
dente da Franconia superior de Hoch, e o segun-
do pelo procurador regio, de Bomhardt. Acerca
dos motivos e da tendencia dessa mudanga as ideas
sao mu diversas. Todas as partes concordara, que
a demissao do Sr. Zwehl se acha em connexo
com certas exigencias do partido ultramontano,
como formuladas na ultima conferencia dos bispos
da Baviera em Bamberg ; porm segundo a opi-
niao de uns a nomeago do Sr. Hoch um passo
contra o estramontanismo, e outros a tomam por
urna concessao aos bispos. Quanto retirada de
Maizer e preponderante a opinio, que essa fra
smente a consequecia de motivos pessoaes. A
noticia, que corra ao principio, que tambem o
ministro do interior, o Sr. de Neumayer, o mera-
bro mais popular do actual gabinete, tinha dado a
demissao, nao se confirmou.
Fallamos^ cima da conferencia dos bispos da
Baviera; nao se pode ainda saber alguma cousa
de authentico sobre suas resolugoes.
M!Ld'SCUSS?e..s cnvo've',am-se no mais profundo
rtSSZZL HS0Dd0? passos qae mais tord da> os
c encaes da Baviera, poder-se-ha opportunamente
fazer Jateo do que se tratara em Bamberg. Por
ora o facto e, que a opinio publica na Baviera se
mostrou muito inquietada por causa da conferen-
cia suppondo em consequecia da mesma um novo
assalto do partido ultramontano sobre o Estado.
\v .dia, 23 de julho a cmara dos deputados de
Wurtemberg depois de urna discussao rnuitovva
durante tres dias, resolveu seu endereco de res-
posta a talla do throno do novo re.
Ainda que em termos moderados, o endereco
expoe todava com franqueza as exigencias de re-
formas para o paiz. No dia 24 de julho o endere-
go foi entregue ae reL. o qual o recebeu com mui-
ta affabilidade.
Em 26 teve lugar o adiaraeolo da dieta, a. qual
como se sabe s, tinha. sido, convocada por motivo
da mudanga o throno,. e eumprira suatarefa com
os enderezo* de respostai das duas. samaras e a fi-
xago dAtista civil pata o novo, soherauo..
PERNAMBUCO.
BEVISTA DIARIA.
Funcconou hontem o Instituto Archeologteo e
Geojraphico Pernambucano, sob a presidencia do
Exm. Sr. monsenhor Muniz Tavares, e com a as-
istencia dos Srs. Drs. Joaquim Portella, Aprigio,
Soares de Azevedo, Gervasio Carnpello, Manoel de
Figueiroa, Gusmo Lobo e Torres Bandera, padre-
mestre Lino e major Salvador Henriques.
Lida e approvada a acta da antecedente, o Sr. Io
secretario leu um officio do Sr. Justino Pereira de
baria, agradecendo a sua approvagao para socio ef-
fectiyo e partecipando que breve tomar assento.
O Sr. secretario apresentou diversos nmeros
da Constitucional Pernambucano, Brasil, Futuro e
Hrasil Histrico, offerecidos aquelles pelas respec-
tivas redaeges e estes pelo Dr. Manoel de Fi-
gueiroa.
O Sr. major Salvador Henriques partecipeu que,
as pesquizas que tem procedido em Olinda, des-
cubri urna escriptura de doago de Joo Fernan-
des Vieira e sua mulher seu filho padre Manoel
Fernandes, e que achando importante a vulgarsa-
gao das duas firmas entre os socios do Instituto
Rosa Maria da Conceigo Pernambuco, 30 annos,
solteira, Santo Antonio ; phthysica pulmonar.
Flix Barbosa de Preitafi, Pernambuco, 46 annos,
casado ; S. Jos ; gastfo intente.
CHRONICA CIARA
TItl lil\\ a li DO COMMERCIO.
EXTRACTO DA ACTA DA SESSO ADMINISTRA-
TIVA DO 1 DE SETEMBUO DE 1864.
PRESIDENCIA DO KXM. SB. DESEMBARGADOR
ANSELMO FRANCISCO PERETT1.
As 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. depu-
tados Rosa, Lemos, Alcoforado e Reg, o Exm.
Sr. desembargador presidente declarou abena a
sesso pelo toque da campainha.
Lda, foi approvada a acta da predecente.
Foi presente a cotago official dos precos cor-
rentes da praga, relativa ultima semana^ e que
nao foi mencionada na acta da sesso prxima pas-
sada.Que se archivasse.
Havendo o Sr. deputado Reg coramunicado que
nao poda por algum tempo comparecer s sessoes
do tribunal, foi resolvido que se cnamasse o depu-
tadosupplente para preencher a falta.
Nao havendo o que despachar, e dada a hora do
tinha mandado lythographa-las e esperava quo fos-1 estylo, o Exm. Sr. presidente encerrou a sesso.
se autorisada a commisso de que faz parte a man-'
dar preparar duzentos exemplares para serem reu-
nidos ao jornal do Instituto.
Consultada a casa resolveu-se favoravelmente.
O Sr. Dr. Manoel de Figueiroa comraunicou ao
Instituto que havia obtido do arrematante da de-
raoligo dos edificios em face do arsenal de mari-
nha, urnas pedras com
SESSO JDICIARIA EM 1 DE SETEMBRO
DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARCADOR
A. F. PERETTI.
Secretaria, Julio uimaraes.
As 11 -j horas da manhaa, o Sr. presidente abri
inscripgoes antigs, as a sesso, estando reunidos os Srs. desembargadores
quaes apresentaria na sesso seguinte, bem como Reise Silva, Suva Guimares, Accioli, e Oommgiies
;

o mais que all se podesse encontrar, conclundo
por mandar mesa a seguinte proposta :
Proponho que se nome urna commisso para
inspeccionar a demoligo dos edificios em face do
arsenal de marinha onde existirn) amigamente
trincheiras, obtendo as pedras e mais objectos que
all houverem, de datas remotas.
Sala das sessoes, Io de setembro de 1864.
Dr. Manoel de Figueiroa.
Sendo approvada a proposta, o Sr. presidente no-
raeia para dita commisso os Srs. Drs. Manoel de
Figueiroa, Gusmo Lobo e Gervasio Carnpello.
Nao havendo mais o que tralar, o Sr. presidente
levanta a sesso, marcando a seguinte para 15 do
corrente.
Na freguezia do Pogo da Paoella, em a tarde
de 31 do passado, pelas 6 e meia horas, Aotonio
Procopio dos Santos Correia e Cyrillo Gongalves
Ribeiro Gama, ambos pardos, depois de troca de
palavras, descarrega Cyrillo duas cacetadas em Pro-
como, sendo que nessa occasio a crioula Francisca
P f Ta do Carino, a presenta-se com urna faca de
F e passa-a Procopio. que nveste contra Cy-
rfS e descarrega-lhe tres facadas, as quaes derar-
Ihe a morte quasi que Instantnea.
A erinnia Prancicua foi presa ; Procopio evadio4-
se ; teve lugar o corpo de delicio ; conlinuam as
deligencias para a captura do criminoso e va ser
instaurado o competente suinmario.
Acha-se nomeado subdelegado de S. Louren-
co o Sr.Presciliano Peres Carnpello.
Eotrarara hontem em exercicio na Caixa-Fi-
Halo Sr. Miguel Jos Alves, director, e o Sr. Fran-
cisco Alves de Brto, thesoureiro.
O Sr. Jos Pereira Vianna nao acceitou o cargo
de director.
Acabamos de receber carta do Sr. Liberal
Morena Vidal, de S. Jos de Miplb, no Rio-Gran-
de do Norte, dizendo-nos nao ter recebido o Dia-
rio do Io 13 do passado, data em que nos escre-
veti.
Tendo nos feito remessa semanal dos nmeros
publicados, com a regularidade do costume, cha-
famos a attengao do Sr. administrador do correio
dessa provincia para essa falla.
No Cearense de 19 do passado, tratando-se
da companhia Pernambucana, nao foi esquecido e
merecimcnto do Sr. Justino Jos de Souza Campos,
que se acha funecionando ha algum tempo. na ge-
rencia, (no impedimento do proprietario, que est
na corte do imperio promovendo os interesses da
companhia), notando-se a actividade do referido
Sr. Justino Campos, que tem sabido, em sua inte-
rinidade, manter os negocios em corto ponto, gran-
geando de todos, as mais decididas sympathias pelo
seu zelo, soleitude e dedcago pelos interesses da
companhia.
Continu o Sr. Justino Campos a dedicar-se como
at aqui, ao bom desempenho de seu cargo, que
ser sempre credor do bem merecido conceito que
gosa, e os seus exforgos nao sero olvidados pela
companhia Pernambucana,
Repartujao da polica.
Extracto das partes do dia Io de setembro de
1864.
Foram recolhidos casa de detengo no dia 31
de agosto : .
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Hen-
rique e Alexandre, escravos, este de Jos Pinto Ri-
beiro, e aquello de Jos da Fonceca e Silva, ambos
como cumplices em crime de roubo.
A' ordem do de S. Jos, Jos Gomes da Silva,
por intrigas.
A' ordem do da Boa-Vista, Cosme Jos da Cruz,
por furto.
O chefe da 2* secgo
J. G. de Mesquita.
Movimento dacasa de deteneo do dia 31 de
agosto de 1864 :
Existiam....... 355 presos.
5'SESSODIA 1 DE SETEMBRO.
PRESIDENCIA DO SB. DR. JOAO ANTONIO D'ARAUJO
FRUTAS IIENIIIQES,
JUIZ DE DIREITO DA SEU.VDA VARA CRIMINAL.
fromtor publico, o Sr. Dr. Jos Paulino da
Cmara.
Escrho, o Sr. Joaruim Francisco de Paula
Esteces Clemente.
A s 10 horas da manhaa, feita a chamada, acha-
ram-se presentes 18 Srs. jurados.
Foram despensados da sesso por motivos de
molestias os Srs. :
Dr. Joaquim de Aquino Fonseca.
Luz de Azevedo Souza.
Jos Marcellino Alves da Fonseca.
Dr. Joo Jos Pinto.
Jos Ignacio de Lira.
Dr. Luiz Lopes Castello-Branco.
Joo Hermenegildo Borges Deniz.
Jorge Vctor Ferreira Lopes.
Foram despensados a bem do servigo publico os
Srs. :
Candido Casimiro Guedes Alcoforado.
Jos Francisco le Souza Leao.
Foi tambera despensado por ter servido na pri-
meira sesso do correte anno, o Sr. Dr. Jacintho
Pereira do Reg.
Foram multados em 20J cada um dos Srs. no-
tincados seguinles :
Luiz Pereira de Farias.
Dr. Fernando de S e Albuquerque.
Dr. Luiz de Albuquerque Martins Pereira.
Frederico Lopes Guimares.
Rufino Antonio de Mello.
Francisco Augusto de Araujo.
Dr. Sabino Olegario Ludgero Pinho.
Dr. Jos da Cunha Teixeira.
Dr. Francisco Joo Carniro da Cunha.
Dr. Ignacio Firmo Xavier.
Jos Ribeiro Bastos.
Sendo insuflicente o numero de 18 jurados para
haver sesso, o Sr. Dr. juiz de direito procedeu ao
sorteio de 30, e sahiram sorteados os Srs. se-
grales :
Antonio Gongalves Pereira Lima.
Affonso Jos de Oliveira.
Francisco de Miranda Leal Seve.
Antonio Cesar da Cunha.
Jos Rento da Cosa.
Joaquim de Almeida Pinte.
Dr. Antonio de Vasconcellos Menezes de Drurn-
raond.
Francisco Augusto de Oliveira Barros.
Jos Antonio Vieira de Souza.
Dr. Francelino Bernardo Quinteiro.
, e os Srs. deputados Reg, Lemos, Rosa e
C Alcoforado.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
Assignaram-se os acordaos proferidos na ultima
sesso entre partes :
Appellante, Luiz Antonio Goncalves Ferreira ;
appellados, Fraga & Cabral.
Appellante, Jos Rodrigues Ferreira ; appellado,
Antonio Jos de Castro.
Appellantes, Guimares & Oliveira ; appellados,
o presidente e directores da Caixa Filial doTlanco
do Brasil nesta Cidade.
Appellante, Francisco Antonio de Brito ; appel-
lados, Rocha, Miranda, Filhos & C.
EXPEDIENTE.
Foi apresentado o officio do Exm. Sr. conselhei-
ro presidente da relacao communicando haver de- i j0s Francisco" de S Leilo.
signado o Sr. desembargador F. Domingues da Sil Antonio Jos de Oliveira.
va, para rever o feito em que averbaram suspeigo
os Srs. desembargadores Silva Guimares e Res e
Silva, entre partes : Appellantes, os administrado-
res da massa fallida de Amorim, Fragoso, Santos
ci C.; appellados, Costa & Filhos.
Foi igualmente apresentado o officio do juiz de
direito j. a. de Frenas Henriques, em resposta ao
que Ihe foi dirigido 22 do corrente, communi-
cando haver dispensado de servir na presente ses-
so do jury o deputado deste trihunal C. C. G. Al-
coforado, como Ihe foi requisitado.
O Sr. deputado Reg participou nao poder com-
parecer por algum ternpo s sessoes deste tribu-
nal, e o Exm. Sr. presidente ordenou que se offi-
ciasse ao deputado supplente para preencher essa
falta.
JULCAMENTOS.
Appellante, Jos Fortunato dos Santos Porto; ap-
pellado, Joo da Silva Paria.
Foi reformada a sentenga appellada para se re-
ceber os embargos de terceiro : e passou tambem
que se lizesse urna advertencia ao escrivao.de con-
Dr. Francisco Gomes Velloso de Albuquerque
Lins.
Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior.
Pedro Celestino Mindello.
Dr. Antonio Jos da Costa Ribeiro.
Tejiente Jos Pedro da Silva.
Joo Joaquim de Figueiredo Varejo.
Luiz Amaro dAlbuquerque Jnior.
Sebasto Jos tiendes da Silva.
Francisco Serfico de Asss Carvalho.
Francisco Antonio da Cosa Cousseiro.
Dr. Julio da Silva Guimares.
Manoel Ferreira Antunes Villana.
Dr. Henrique do Reg Rarros.
Jos Joaquim da Costa.
Capito de mar e guerra Hermenegildo Antonio
Barbosa de Almeida.
Cactano da Costa Moreira.
Dr. Francisco do Paula Cavalcanti de Albuquer-
que.
Jos Joaquim Antunes.
Concluido o sorteio, o Sr. Dr. juiz de dreito
formidade com o que dispoe o art. 678 do reg. n. mandou proceder as necessarias notificages, e le-
7.J7 de 25 de novembrode 1830. vantou a sesso; adiando-a para o dia seguinte s
Appellante, o embargante terceiro Manoel da io |,oras ua nianha.
Silva Lopes; appellado, Joo do Couto Alves da '____
Silva
Foi reformada a sentenga appellada para se re- Caixa tiiiill do binCO to Brasil ei Per-
ceber os embargos de terceiro, cora o voto do Exm.
Sr. presidente.
Appellante, Joaquim Francisee Duarte como in-
ventarame dos bens de seu finado filho Maximia-
no Francisco Rigueira Duarte ; appellados, Mauoel
Joaquim do Reg Albuquerque e outro.
Foi reformada a sentenga appellada, julgando-se
valido o processado, e co'ndemnando-se os reos na
parle da letra, correspondente ao que tocou em
partlhaaos tutelados do autor.
Appellante, John A. Thora ; appellados, os admi-'
nistradores da massa fallida do Amorim, Fragoso, Com duas assigna-
Santos & C.
Adiou-se o julgamento requerimento do Sr.
deputado Rosa.
Appellante, Jos Goncalves Malveira ; appella-
dos, Vaz O Leal.
Adiou-se o julgamento requerimento do Sr. de-
putado Lemos.
Appellantes, Christiani & Irmo ; appellados, os
curadores liscaes da massa fallida do Joaquim da
Costa Maia e outros.
Adiou-se o julgamento requerimento do Sr. de-
putado Alcoforado.
DESIGNAgO DE DA.
Appellantes, os curadores fiscaes da massa fall- Saldo desta conta.
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellado, Contas correnta.
Dr. Joao Baptista Casanova. Saldo desta conta .
na iu buco
BALANCETE EM 31 DE AGOSTO DE 1864.
ACTIVO.
Accionistas do banco do Brasil.
Entradas nao rea-
lizadas de 10,006
acees local isa-
das na provin-
cia ........... 2:920J0O0
Letras descontadas.
turas residentes
no lugar do des-
cont....... 233:9395993
Com una s dita
dito ....... 10:5005000
214:4395993
Letras caucionadas.
Por ouro, prata e
ttulos commer-
eiaes.......
Por outros ttulos.
13:7675380
Letras a receber.
Entraram.
Sahiram.
A saber
Existem ... 355
Naconaes..... 292
Estrangeiros... 12
Mulheres...... 4
Estrangera.... 1
Escravos...... 42
Escravas...... 4
355
Alimentados custa dos cofres provincaes 149
Movimento da enfermara de dia 3t de agosto.
Teve alta:
Vicente Ferreira Lima.
Teve baixa :
Jos Francisco XavierDefluxo.
Obituario do cbmitbrio publico no da 31 de
agosto de 1864.
Theodora Maria da Conceigo, Pernambuco, 70 an-
nos, viuva, Boa-Vista ; enterite-ehromca.
Francisco Felippe de Santa Anna, Pernambuco, 40
annos, solteiro, Boa-Vista ; braneno-pneumonia.
Maria Mafalda da Conceigo, Pernambuco, 24 an-
nos, solteira, Recife ; phthysica pulmonar.
Vceocia Mara, l'arnambueo, 20 annos, solteira,
S. Jos; tubrculo-pulmonar.
Io de setembro
Rosa Maria dos Prazeres, A/rica, 37 annos, soltei-
ra, S. Jos ; anemia.
Agostinho, escravo, Pernambuco, 4 das, S. Jos;
espasmo.
Pedro Alfonso Rigueira, Pernambuco, 42 annos,
casado, Santo Antonio; phthysica larvngea.
Maria da Penha de Siqueira, Pernambuco, 40 an-
nos, ttera^S. Jos;. cougesto cerebral.
Diversos.
Saldo de varias con
tas........
Caixa.
Pelos seguintes va-
lores:
Em moeda de ou-
ro de 22 quila-
tes ........3,956:6425630
Ein notas do the-
souro dos valo-
res de 105000 e
superiores. .
Era uotas menores
de 105000.
Primero dia til.
PASSAGENS.
Appellantes, Jos Gongalves Malveira e outros;
appellados, James Crabtree & C.
Appellante, Augusto Frederico de Oliveira ; ap-
pellados, os directores da Caixa Filial do Banco do
Brasil nesta cidade.
Do Sr. desembargador Silva Guimares aoSr.
desembargador Accioli.
Appellante, Manoel Jos de Siqueira Pitanga ;
appellados, o Presidente e Directores da Caixa Fi-
lial do Banco do Brasil desta Cidade.
Do Sr. desembargador Res e Silva ao Sr. desem-
bargador Silva Guimares.
Appellantes, os administradores da massa fallida;
de Amorim, Fragoso, Santos & C. ; appellados, l Em moeda de tro-
Costa A Filhos. co........
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-, Em notas da pro-
gador Domingues da Silva. pria caixa.
AGGRAVOS.
Do juizo especial do commercio.
Aggravante, Ba/.iliano de Magalhes Castro ; ag-
gravados, Ges, Bastos & C.
O Exm. Sr. presidente negou provimento.
Do juizo municipal e do commercio do Cabe.
Aggravante, Manoel Barbosa da Silva; aggra-
vado, o tenente-coronel Feliciano Joaquim dos
Santos.
O Exm. Sr. presidente negou provimento.
De instrumento do juizo municipal e do commer-
cio da villa de Ipojuca.
Aggravante, Silvino Guilherme de Barros ; ag-
gravado, Francisco Antonio de Oliveira.
O Sr. desembargador Reis e Silva nao tomou co-
nherimento por nao ser caso de aggravo.
Carta testemunhavel vinda do juizo especial do
commercio.
Aggravantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.; aggravado,
Jos Francisco Barrote.
O Exm. Sr. presidente negou provimenlo.
Nada mais houve, e encerrou-se a sesso s i
horas da tarde.
13:7675380
4.645:4405125
509:5445862
1,368:4755068
295:0005000
12:0005000
95690
919:3205000
5,182:9725320
11,967:5595745
Passivo.
Banco do Brasil conta do capital.
Valor fornecido pe-
la caixa matriz. 2,000:0005000
Emisso.
Valor em circula-
dlo........ 7,940:6805000
Letras a pagar.
Por dinhero toma-
do a premio. 5
Por saques..... 71:4645653 71:4645653
Diversos.
Saldo de varias con
tas........
Ganios e perdas.
Lucros sujeitos a
lqudago. .
1,890:0355895
65:3795197
11,967:5595745
O guarda livros,
Ignacio Nunes Coma.
III !!<


-** .
litarlo -Se Persa',***!! Hexla felra <*e Melembro de lie i.
TARELA IX) RENDIMENTO DA AI.FAND1GA DE PERNAMBrCO NO MEZ DE AGOSTO DO
CBRENTE ANNO FINANCEIRO, COMPARADO COMO DE IGUAES MEZES DOS DOUS ASNOS
LTIMOS. -
Importuno.
Direitos de importar-So para consnmo. .
Dilos addicionacs d 5 %.......
Ditos addicionaes de 2 /.......
Ditos de baldeagao c reexportagao ....
Ditos de ditos e* reexportaeao para a Costa
d'Africa......"......
Expediente dos gneros eslrangeiros nave-
gados por cabaUgera ........
Ditos dos gneros do paiz.......
Ditos dos gneros livres........
Armazcnagens...........
Premio dos assignados ....,..
Despacha martimo.
Anroragein............
Ditos de 15 % das einbarcaedes estrangeiras
que passam a naeionaes.......
Ditos de 5 % na compra e venda das embar-
caees ............
Exportaeao.
Direitos de lo /0 do pao Brasil ....
Direitos de 7 % de exporlacao ....
Ditos de 2 % idea) .......
Ditos de 1 % de ouro ein barra ....
Ditos de '/ dos diamantes......
Expediente das capatazias......
Interior.
Mullas.............
Sello do papel lixo........
Dito do ||tel proporcional......
Emolumentos..........
Imposto dos despachante......
Extraordinaria.
Receita eventual.........
Dizimos da provincia das Alagas. .
Ditos da provincia da Parahyba ....
Ditos da provincia do Rio Grande do Norte.
Contribu cito de caridade.......
1864 a 1865
390:216^813
81:157*913
133586'
397*241
I
612*473
848*525
242*856
2:460*426
1:167*360
197*550
331*500
i
63:019*391
3
*
5
1:518*640
746*865
350*940
63*800
60*400
12*500
743:538*672
265*775
9:141*055
469*943
416*205
753:831*650
1863 1864
342:319*501
45:084*409
139*559
554*944
53t*482
1:055*630
202*050
7:897*021
861*810
1:206*000
300*000
22:949*079
*
704*340
601*990
427*800
81*020
52*000
17*437
425:011*072
164*341
795*128
50*500
251*693
426:272*734
18C2 1863
361:240*963
41:780*425
49*280
68*867
266*646
447*7:4
186*660
7:885*461
335*054
883*080
34*500
Dr. Joao los Pinto Jnior, lente e advogado.
Di. Joao Mari* Sevo, medico.
Dr. Joaqun d'Aquino Fonceca, medico.
Tenente-coronel Justino Pereira de Paria, proprie-
tarto.
Major los Antonio de Brito Bastos, agricultor.
Capitao Luit Cesario do Reg, proprietario.
Dr. Silvio Tarqalnio Villas-Bas, medico.
Para jutzes de paz.
Fregut'tia de Santo Antonio.
Capitao Luiz Cesario do Bego.
Capitao Antonio Augusto da Fonceca.
Tenente-coronel Manoel Camello Pessoa.
Capitao Flix Francisco de Souza Magalhes.
S. Jos.
Manoel Antonio Bibeiro, negociante
Joao Jos de Albuquerque, proprietario.
Tiburcio Valeriano Baptista, proprietario.
Juvenci Aureliano da Cunha Cesar, artista.
arroba
f
um
arroba
>
Aproxima-se o dia 7 de setembro em que temos
de eleger os uossos juizes de paz ; uiui e mui im-
portante sem duvida semelhanle cargo popular,
, e por tanto entendemos que nenhurn cidado de-
jju^uuu ve depositar na urna sua etapa, sem meditar bem
no mrito das pessoas a quem vai prestar sea vo-
21-9AU79; to neslas circumstaneias, pois, tomamos a liber-
" ,-|? r,u) da(le de apresentar aos nossos comparocbiaoos, o
ijz|uu bem conhecjdo nome do Sr. capitao Jos Luiz Pe-
; reir, como digno de oceupar taleucargo.
i I "9X7110! capitao Jos Luiz Pereira sendo eleilo juiz
.i. o- >u | de paz do tereciro anno na passada eleicao, nao s
mmi exerceu o seu anno, como grande parte do primei-
ionin iro e Sl'Kando. assim como os do primeiro, segunde
-turo e lerceir0 districiosdafregueziadaBoa-Vista quan-i
do por deliberacao da presidencia da provincia es-
tavam privados Uo
058(>0
25*000
14*622
439:16:1*390
3705350
1:4045089
100*000
669*720
de nano.......
Estol wcional.....
Parala de de mandioca. .
dem de aramia.....
Peija* de qualquer qudlidade.
Freehaes .......
Fumo em tolha, bom .
dem ordinario ou reslolbo..
dem em rolo bom.....
dem ordinario ou restolho .
Galbanas........ nma
Goinina......... arroba
Ipecacuanha (raiz)...... >
I.cnha em achas...... cento
Toros.......... ,
Li i das e esteios....... um
Mel oa melaco....... caada
Mili.......... arroba
Papacaras........ um
Pao Brasil........ quintal
dem de jangada...... um
Pedras de amolar..... urna
dem de liltrar...... .
dem de rebolo...... >
Piassava......... mollio
Pontas, ou chifres de vaccas ou
novilhos........ cont
Pranehoes de amarello de dous
costados........ um
dem de louro....... >
Rap.......... libra
Sahao.......... ,
Sal.......... alqueirc
Salsa parrilha....... arroba
Sebo em rama........
dem em velas....... ,
Sola em vaqueta..... urna
Taimas de amarello..... duzia
dem diversas....... >
cont 15J0M
arroba 1*800
alqueire 2*000
Os quaes foram penhorados por execucao do l
desembargador Joaquim Teixeira Peixoto d Abren 1
Lima, como cessionario de Manoel Arres Guerra,
t*O0C centra Manoel do Reg Barros e nao havendo lan-
'*800 cador que cubra o prego da avaliaio, arremala-
n cao ser feita pelo prego da adjudicacao na forma
da lei.
E
5*000
14*0)
8*500
8oao
5*000
600
2*000
25*000
2*000
11*006
8*000
240
900
3*000
5*000
5*000
840
4*000
1*200
120
3*500
20*000
10*000
1*000
120
400,
23*000
para que chegue ao con lien ment de todos
mandei passar o presente que ser publicado pela
imprensa, e afllxado nos lugares do costume. Re-
cife, 12 de agosto de 1864.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimento, es-
crivo, esubscrevi.
Trist&o de Alencar Araripe.
3E0LSACGES.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muia brevidade o vefeiro
brigue nacional Almirante, tem parte de seu car-
regamento prompto : para o resto que lhe falta e
escravos a frele, para os quaes tem excedentes
commodos, trala-se com es seos consignatarios An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da.Cruz n. 1.________________
Porto.
O brigue portuguez Esperanra, capitao Loo ren-
co Fernandos do Carmo, segu em poucos dias, po-
de admittir alguma carga miuda e passageiros :
tratase com os consignatarios Marques, Barros &
C, largo do Corpo Santo n. 6, ou com o capitao a
bordo.
Rio Grande doSnl.
O brigue Mondego, de primetra classe, recebe
carga, e segu com brevidade : trata-se com os
camento pertencente ao exen-icio lindo de ls63 consignatarios Marques, Barros S C, largo do Cor-
1864, que no ultimo de setembro corrente finda-se | P Santo n. 6.
Consulado provincial.
Pela mesa da consulado provincial se faz publi
co aos devedores dos impestos cobrados por
lan-
funecionar os juizes de paz da, _
quella freguezia, e por tal maneira se portou o Sr. 'aPlocas....... arroba
capitao Jos Luiz uo desempenho de suas fuoccoes. I Jatajuba..........quintal
que podemos dizer sem medo de errar, que captou 1
affeigoes, mesmo de pessoas afquem condemnava
Unhas de boi
o praso marcado para o pagamento do-seus dbi-
tos, licando sujeitos a serem executados os que
nao pagarem at aquello dia.
Mesa do consulado provincial de Pernambucs Io
de setembro de 1864.
Antonio Carneiro Machado Rios.
Administrador.
Tribunal de commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
-\m\ '>l'rna",mico se faz publico, que Joaquim Soares
Ufttf) '>'n, Correia e Jos Soares Pinto Crrela, Rrasi-
leiros, estabelecidos nesta cidade, lizeram registrar
nosta dala o seu contrato de sociedade que tem de
gyrar posta praga sob a firma Soares Irinao,
com o capital de 1:032* fornecido pelo socio Joa-
quim, o por tompo indeterminado.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
LEILOES.
140*000
80*000
25800
i.
65000
441:7075549
Altndola de Pe uambuco, 31 de agosto de 1864.
O 3* escripturario,
Joao Bernardo Uiniz Pessoa'
C0MMU1WCAD0S.
Postuque liressemos dilo que s voltariamos a
imprensa, quando houvessemos reunido todas as
informacoes .pedidas, todava, < onstando-nos que
muito se conta com a appellacSo, fundando-se as
esperanzas em razoes que nao'tem forca, mas com
que se procura imbair
i poder, como commandante do destacamento, assim
, como abusou como delegado I
Foi deaiiltido o subdelegado da freguezia de S.
| Lourenco. mas l lea como commandante do des-
tacamento 1 O mesmo succedeu com o infeliz capi-
tao Barros, delegado de Tacara t 1
N,io sabemos at onde chegar esta zombaria e
I escarneo com que vae o governo tratando esta so-
ciedade 1
o respectivo miz, vamos .
apresentar consideracao do publico oque passa-1. Raro e o da em que por este Diarto e outros
nios aexpr, erogamos ao IHm. Sr. Dr. Neivas Jorn;ies da provincia nao ap|.arecam aecusacoes
que se digne de lr o que escrevemos.
O subdito bespanhol Epiphanio Astudillo e Bus-
sams foi condemnado pelo Delegado de Polica
Jesta cidade, o Sr. Dr. Martina Pereira, por ter
usado do titulo de donto? que lhe nao compete, e
pretendem os seus defensores q
ciado, pode faz-lo, vistoque
nao estamos, essa denominacao corresponde de!
douter, o que nao exacto, e basoam-se na carta
de exameque elle aprsenla, na qual so lhe nao d
grao algum de formatura, como mostramos publi-
ando-a. Se fosse permitiido esperar pelas infor-
macoes qu^ pedimos de Madrid, com isto ganharia
anda mais a jusiica, poraoanfo estas imporiam
<-ompIelo silencio aos subterfugios, se que as pro-
vas aposentadas nao tem sido suffieientes para
destrui-los: mas, se nao sao. vamos apresentar o
que> ai n id mais corroborar o que havemos dito.
Tendo-se apresoniado a exame de sufllciuncia
jieraute a Faculdadc de Medicina di Rahia o Sr.
Astudillo e Russams, em Fevereiro de 1831, com a
carta de examo, em que se faz consistir seu direilo
ao titulo de doutor; mas nao sondo admittido, nos
dirigiles ao respectivo Director, o fcxm. Conse-
Ihciro Dr. Joao Baptista dos Aojos, pedindo-lhe que
nos ilesse a razio pela qual aquella Faculdade nao
havia querido admiitir o referido Sr. Astudillo e
Bussams ao exame que exiga a lei de 3 de Outu-
iiro de 1832, e cis o (|ue se encentra em sua res-
posta, datada de 27deste mez :
Quanto ao primeiro poni, cabo-me declarar
a V. S. que na sessao da Congregarlo de 12 de
Fevereiro de 1851 a FaculdadeT decidin unnime-
mente (|ue a verilicacao i|iie reqnerera o hospanhol I
Epiphanio Astudillo e Bussams de um pajiel que
aprsenlos, nao poda ter lugar, visto como estenoo
era um rcnladeiro titulo, o sim urna simples li-enca
de turar, conferida em Madrid em 1834 pelos mem-
bros da Junta governativa dos mdicos da Cmara
do Rei de Hespanba em ci nsequoncia de um exame
que elle fez perante a mesma Junta ; ollioiando-se
neste sentido ao Director da Escuta de Medicina do
Kio de Jaueira
J se v pois de de Medicina da Baha se acha conforme com a
que exposemos em um de nossos
riores.
Tendo-se
formaes contra individuos criminosos, revestidos
de autoridadu publica : quem ja vio ou leu alguma
portara da presidencia demitlindo, ou responsabi-
lisamlo algum dos aecusados, com a declaracao dos
motivos, como fazem os governos moralisados ? A
que elle sendo licen responde o governo provincial com amis fra
em Hesnanha, onde '<> o corre*nonde do i Estamos n um verdadeiro desamparo, em mate-
Vinagre.
caada
10*000
85000
6,5000
500
por forca da jusiica do cargo que exercia : suas i Vassouras de piassava.
decisoes foram sempre pautadas pela mais restric- i g*j e t,m,'
ta justica, perante o seu juzo, o rico nao supplan- l
tava o pobre, nem o grande ao pequeo ; assim
como as affeicSes particulares, ou espirito de par-
tido nunca flzeram S. S. desviar-seda senda da lei. i
. Muilas vezes S. S. eviiou. grandes demandas-
port)ae quando esgotava para com as parles os re-
cursos de juiz, empregava os ofllcios de amisade,
para as fazer conciliar, e nao poucas vezes conse-
guio, que dous inimigos rancorosos que compare- j
ciam perante seu juzo, sabissem quasi amigos
Os servidos prestados pelo Sr. capitao Jos Luiz: r,-
Pereira para com a populacao desu freguezia ja ttecefoedoril de rendas interna
Ci\rtt\ W)\ OVt.-l i-iai irt UU ti IWtHHH UU UUI1,
\(uuvm nambuco 31 e agosto de 1864.
Alfandega de Pornambuco, 27 de agosto de 186
(Assignados):
O 1." conferente, Antonio Carlos dePinho Bornes.
O 2. conferente, Jos Thomaz de Campos Qua-
resma.
Approvo. Alfandega de Pornambuco, 27 de
agosto de 1864..4. Eulalto.
Conforme. O 3. escripturario, Jo<7o dos Santos !
no lempo em que grassou o cholera-morbus, e j
no desempenho de sitas funecoes, do direilo a gra-
tidao ; e portanto qual ser o hornera do povo que
nao se delxando levar pelo ceg espirito de parti-
do deixe de prestar seu voto a tao distincto cida-
do ?
Cremas que nenhum assira proceder ; porque
a gratido o primeiro dever do hornera, como
porque devenios procurar o mrito onde quer que
elle se ache. Assim pensa
O volante, da freguezia de Santo Antonio.
PARA VEREADOB.
Dr. Prxedes Gomes de Souza Pilanga
ABacahuila peitoral de Keinp.
ra de garantas. Mata-se. rouba-se, prende-se, re-1 A celebre auacahuita peitoral de Kemp, de cu-
cruta se com o inaior desenfreio; niuguom por par-1 Jas virtudes especificas tantos annancios apparece-
le de el-rei acxKle os opprimidos 1 |ram em nossos jornaes urna composcao de vege-
0 Sr. marquez de Oliuda, se fosse susceptivel de; 'aos pectoraes e nao contera nenhum astringente
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1............ 784*775
Consulado provincial.
Rendimento do dia I............. 2:269*929
venenoso ou morlalmente narctico. E' prepara-
da em forma de um xarope delicioso o um |>ode-
dos pulmdes,
urna reconvencao com a propria conscienca deve-
ria boje horrorisar-se de sua propria obra I
Anda, porm, nao vimos a melado do que est roso e ellcaz remedio para irrilacao
para acontecer: no progresso de desatinos em que
vai o^roverno, dentro em pouco, seremos, nao um
povo, mas sim urna populacao, sem le, nem direi-
tos urna populacao, emliin, desherdada de todas
as vantagens da civilisacol
O indignado.
M0IMENT0 BO PORTO.
Navios entrados no dia 1.*
Penedo3 dias, hiate brasileiro Amalia, de 36 to-
neladas, capitao Antonio Jos Rodrigues Pinbei-
ro, equipa ge m 6, carga varios gneros; ao mes-
mo capitao.
Cardiff 47 dias, patacho inglez Maiel o( Atheus,
de 229 toneladas, capitao G. Sol, equpagem 10.
carga carvao ; a Willson 4 Hett.
Navio tahido no mesmo dia.
LisboaBarca portugueza Despique I!, capitao
Faustino Joao do Carvalho, em lastro de ara.
Observa^ao.
Apparece ao sul a.galeraingleza Hermione.
HDIT1ES.
angos ante*
apresentado a examo de sulficiencia o
referido subdito bespanhol Astudillo e Bussams por
vezes perante a Faculdade de Medicina do Rio de
Janeiro, quizemos saber com certeza do resultado
dessos oxames, e por isto nos dirigimos ao respec-
tivo Director, o Exm. Conselhciro Dr. Jos Martins
da Cruz Jobim, e eis o que ohtivemos por seu
intermedio baseado em certidoes authenticas :
Tenho a honra de informar que o hespanhol
Epiphanio Astudillo e Bussams foi admittido a
examo de tuffieiemokt nosta Faculdade (do Rio de
Janeiro) no anno de 1851. como bacharol em Me-
dicina pela de Madrid, e flcoa reprovado no exame
clnico, a que suliin.tieu-se no dia 31 de Marco
desse mesmo anno; que no anno de 1858, loman-
do a ser admittido, fui approvado Hmptesmente
em igual exame no dia 27 rio Mato, e reprovado no
de these no dia 13 de Julho do mesmo anno; Anal-
mente que no anno passado foi admittido a susten-
tar nova these, e teodo nella sido approvado sim-
jdesmente no dia 25 de Novembro, foi o seu diplo-
ma apostillado em data de 27 do mesmo mez e
anno.
J se v pois que o Sr. Astudillo e Bussams nao
tem titulo de doutor pela Faculdade deMadicina do
Rio do Janeiro, como attestou o Inspector de Sade
Publica, nem o mesmo titulo pela de Madrid, como
o disse o Sr. Camillo d'Andrade, vce-consul de
Hespanha nesta provincia, em communicaco ofi-
cial ; e postoque nessa informacae se sirva o secre-
tario da Faculdade de Medicina da Corte, que a
orneceu, da denominacao de bacharel, e diga que
a carta que aprsenla um diploma, todava con-
teslamos o valor dos termos, e esperamos pelas
informales que pedimos ao Exm. Encarregado
dos Negocios do Brasil em Hespanha. Pouco e
pouco chogaremos verdade, e, se procuramos
reunir informacoes, nao para que fiquem archi-
vadas. O que nos disse o Exm. Vice-Director
daquella Faculdade em sua informaco, da qual
extractamos o que foi pablicado no Diario de Per-
nambuco de hoje, mostra que elle nao afflrma que
o titulo que aprosentou o Sr. Astudillo e Bussams
seja de bacharel, o emane da Faculdade de Medici-
na de Madrid : nos vermos quem tem razo.
Aguardemos as informagoes pedidas de Madrid
Cdiz, Nillamarlim, Lisboa e Porto; mas desde j
fique eslabelecido que o Sr. Astudillo e Bussams
nao e doutor, e nao pode por consequencia servirse
desse titulo.
Pomos disposigao do Sr. Dr Neivas todas as
nlormacoes que ja existem em nosso poder, se ma-
mfestar o seu desojo aos dignos proprietarlos deste
Kmbaeadelas vergonhosas,
Um governo serio, grave e morabsado nao Ilude
ao paiz.
Os subterfugios sao armas Indignas as maos dos
particulares, e indignissimas as maos do governo
cojos actos devem ter o cuoho da honeslidade
boa f.
O Sr Domingos de Souza Leao tem adoptado um
systema de administrago pouco leal, e pouco fran-
ce. Accusado o delegado de Bio Formoso de de-
satinos, e arbitrariedades inauditas, o senhor pre-
sidente forcado pe s clamores da opinio a de-
mitli-lo: qual deveria ser a consequencia desse
acto? Betirar daquella comarca o homem que tem
posto em desasocogo os seus pacficos habitantes;
mas assim nao succedeu. Demillio-se o delegado,
mas conservase o destacamento, isto o mesmo
homem desaliado e turbulento, que abusar do
Est prximo o dia designado pela le, para que
ii povo uo exercicio de sua soberana eleja seus jui-
zes de paz.
Conviu que neste dia o partido conservador nao
cruze os bracos e desamparo o seu posto.
Elle deve se apresentar, com toda calma, concor-
rer as urnas liara ah depor o seu voto, livre e es-
pontaneo, o desi'arte preservar que a eleicao seja o
producto, uaoda expressao das urnas, mas da vou-
lade dos dominadores.
O partido conservador convidando a seus corre-
ligionarios a rom dar o seu voto, lembra parajui-j
zos de paz da freguezia do Santo Antonio, dos ci-.
dados abaixo transcriptos, em os quaes reeoubece
as habilitagoes para este cargo :
Dr. Angelo Henriques da Silva.
Capitao Jos Luiz Pereira.
Major Aulonio Bernardo Quinteiro.
Alteres Joaquim Francisco de Torres Galindo.
anginas, catarrho. tosse, resfuaraenlo, rouquido,
affecgoes calan haes, escarros de sangue, e todas
as innumeraveis molestias que affectan os orgos
da respirago. Cuidadosa e scientificamente pro- i
parada por Lauman & Kemp de Nova York. Acha-1 O Illm. Sr. inspector da thesourarin provin-
se a venda as I.jas de Caors & Barbosa ra da | cal, em cumprimenio da ordem do Exm. Sr
Cruz e joo da C. Bravo & C. ra da Madre de; presidente da provincia de 20 do correnlo, manda
Dos.
COMMERCIO.
Alfandega
Rendimento do dia 1............ 34:081^
nnvimenio da aifauac^a
fazer publico, que vai notamente praca, no dia
6 de setemhro vindouro, perante a junta de fozon-
da da mesma thesoorana, para sor arrematado a! these, 1 estojo portan
quem mas d*, o imposto do dizimo do gado vac- j ceteiro nontendo de 6 a 8 lancetas com" cabo de
cum na comarca do Bonito, avahado em 3:134*000 tartaruga, sondo urna para raceinacao, 1 scarilica-
annuaes. dur com 8 12 laminas e 2 aspiradores. Na falta
Julio Guimaraes,
Olficial-maior.
Arrematado.
Pelo juizo municipal da 2a vara e de residuos e
capellas o Dr. Francisco de Araujo Barros, vai
praca de venda no da 3 de setembro do corrente
anno, requer ment do tostaniontoiro e inventa-
rame dos bous da finada D. Mara Candida de Ma-
galhaes, para pagamento dos legados, sello nacio-
nal e custas.
Osilio denominado Zongo em Api pucos, com
casa do sobrado, cosinha, estribara o nina grande
olaria de fazer lijlos e torno, grandes baixas com
capim de plaa, ora chao foreiro, avahado por rs.
6:000*000.
O sobrado de dous andaros n. 39 da ra das
Cru/.es de Santo Antonio, com taberna na loja, ava-
hado por 10:000*000.
A escrava Anna, mulata, de idade de 12 annos,
avahada por 800*000.
Joao, crioulo, i2 anuos, por 800*000.
Rosa, crioula, 40 anuos, por 500*000.
Jos, crioulo, 50 annos, doeuie, por 50*000.
L'm palanqnim por 1005000.
;Mohilia o mais movis pbrtenceotes mesma li:
nada, constante do escript que so acha em poder
do porteo das audiencias : os preteudentes que
quizerem examinar o sobrado encontraro as cha-
vos do 2" anlar no 1.
Do ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazonda desta provincia se faz publico que
a mesma thesouraria ora vrtude da erdem do the-
souro u. 113 de 13 do corrento, acha-se autorisa-
da a iiagara diversos credoros de dividas de exer-
cicios lindos: as pessoas inleressadas deverao re-
querer esta thesouraria o pagamento de suas di-
vidas. Thesouraria do (azoada de Pernambuco em
13 de ago.-to de 1864.Servindo do ufhoial-raoior,
Manoel Jos Piulo.
Consclho admits! rativo.
O conselho administrativo para fornocimento do
arsenal de guerra lem de comprar os objeetos se-
guimos :
Para a enfermara militar de Tacaratii.
Una caifa cirurgica contendo os instrumentos
precisos para ampntagao, threpanagao, o para ceu-
' de pequea cirurgia, 1 lan-
Sc\la-feira 2 tle selembro, s 11 horas
roa da Ca eia n 53
DE
lina tasa terrea n. 9 sita ra da ma-
triz da Boa-Vista, chao ferciro a c-
mara de Olinda c paga 040 rs por
aneo, *
ELZEIIIO
vender naquelle dia por autorisacao, conta e or-
dem do quem pertencer a casa terrea sita no oitao
da matriz da Boa-Vista n. 9, tendo 3 janellas e
porta com 31 palmos do frente, 2 salas, 4 quartos,.
soto, copiar e cosinha fra, madeira de qualida-
de, fundo regula 75 80 palmos, alm de grande
quintal murado : sao convidados os pretendentes
ao previo exame, pechincha.
Fe ira semanal
DE
Movis e outros artigos.
HOJE.
OLYMPIO far lellao de diversos movis novos-
e usados, miudezas, cofres de ferro, um bom pia-
j no moderno, rologio de ouro e prata, santuarios,
Ijoias de ouro c outros miitos artisos de gosto que
se torna enfadonho mencionar Dar principio o
leilao s 11 horas no armazem ra da Cadeia do
Becile n. 48.
LEILAO
Volames entrados com fazendas..
t com gneros.
Voluraes saludos
cora
com
fazendas...
gneros...
232
387
------019
159
225
------384
Descarregam no dia 2 de setembro.
Barca francezaJean Baptisl marcadorias.
Barca americaa Trmnesttaboado.
Barca inglesaFaosurttecarvao de podra.
I Briguo i nglezZegri mereadorias.
1 Brigue portuguezConstanteII -diversos gneros.
Constando-me que alguns amigos e afer oados, gsenna dinamarquesa Hyalmfarnha de trigo,
influentes polticos da freguezia do Poco da Panel- Escuna dinamarquoza Levante diversos ge-
la, se di^naram incluir meu humilde norac om sua \ n,.r
chapa para um dos juizos do paz do I districto 'polaca liespanholaK daquella freguezia : sou forcado a vir por meio i charque
da impreosa agradecer a esses distinclos cavallei- Brigue inglezfJ^e-bacalho.
ros o subido aproen com que se dignaram honrar-1 Imnortaeo
me, suppondo-me capaz de dosemponhar o honroso _.:_., ..,*,... pniraiin" ,\0 pPnP(in enn-
exprime a vonl-de nacional, nao posso dar meu
consentmento para que o meu nome figure em
urna elei' o, sem estar em conlradiccao cora esses
meas principios ; e por isso, agradecendo do todo
o coragao a esses meus amigos a prova de conlian-
ea que me i|uerom dar, Ihos peco para que se dig-
nem substituir era sua chapa o meu nome por a1-
gum outro, que pelos seus servigos e merecimen-
tos se torne mais digno desse encargo.
Jos Domingues Codiceira.
PUBLICARES A PEDIDO.
gues Pnheiro, manifestoo o segunlo
De. Villa-Nova.
140 meios do sola ; ordem.
200 podras de amollar e 50 pegas de louga vidra-
da ; ao consignatario.
De Penedo.
1 ctanle para livros; Tertuliano Jos dos San-
tos Pal us.
17 meios do sola, 37 couros seceos e 33 ditos de
cabra com cabello ; Luiz P. da Cunha.
20 alqueiros de mlho a granel, 20 saceos farnha
| de mandioca, 100 meios de sola, 60 couros salga-
dos, 40 ditos seceos e 180 pelles cortidas; or-
dem.
doslos 6 vidros para tirar ventosas, 1 estojo com-
pleto e porttil para exlraccao do denles.
Quem qiizer vender taes objeetos aprsente
l.U l.. uu
ALFANDEGA DE PEBNAMBUCO.
FAUTA DOS PRECO DOS GNEROS SUJEITOS A DIREIT0 DE
KXPOnTAQO. SEMANA DE 29 DE AGOSTO A 3 DO
MEZ DE SETEMBRO DE 1864.
Morcadorias. unidades. Valores.
Temos vista um excellenle methodo de escrip-
tnracao mercantil sob o titulo de NOCES DE
PARTIDAS DOBRAUAS, cojo autor, Sr. Manoel
Fonceca de Medeiros, empregado de merecimento
na thesouraria da fazenda desla capital, tem-se es-
mera lo em tornar lucido e de fcil comprehenso
para todos; achamos o encadeamento das opera-
goes mercarais que elle figura, claramente de-
monstrado, pelo preceito e pelo exemplo, as 123
paginas que formam o pequeo volurae in 8* de
que traamos.
Cora esta resumida e bem organisada publica AJgodao era caroco
gao, o Sr. Medeiros tem, em nossa humilde opinio j^m PH1 rama ou ein lia!
prestado um relevante servico ao paiz, poupando Arroz com casca
seus jovens compatriotas, que se destinarem ao
commercio ou aos empregos pblicos de contabili-
dade, os embaragos e difflculdades que experimen-
tou pessoalmente e que elle sgnala em principio
de sua obra no capitulo Duas palavras .
Aproveitaraos essa occasiao para felicitar publi-
camente o Sr. Manoel Fonceca de Medeiros pelo
Abanos.......
Agurdente de cana.....
dem restilada ou do reino .
dem caxaca........
dem genebra.......
dem alcool ou espirito de. agua-
ardente.........
cento
caada
arroba
louvavel fim que teve em publicar seu livro, e de
sejamos sinceramente que seja devidamentc apre-
ciado e que te.nha prompta venda.
Infelizmente neste paiz os escriptos serios e de
ulilidade publica sao pouco procurados; trila an-
Idem descascado ou pilado .
Assucar raascavado.....
dem branco........
dem refinado.......
Azeite de amendoim ou mendo-
bim.........
dem de coco ....'...
dem de mamona.....
Batatas alimenticias.....
Bolacha o diara, propria para
embarque.......
dem fina........
caada
>
arroba
nos de experiencia tem-nos dado occasiSo de co- af bom
nhecer muitos autores de livros e oulras publica- Mem esculla ou restolho ...
goes de reconhecida ulilidade, que, alm do tem- idem torrado.......libra
po e vigilias empregados em pura perda na redac- Caibros ...... '. '. '. um
gao, tem perdido lodo, ou em grande parte, o di- Ca. .........' arroba
nheiro por elles pago ao impressor. dem branca'. '. ". ". ".
Fazemos votos para que o methodo NOCES DE Carne seera fxarnno^ >
PARTIDAS DOBRADA do Sr. Medeiros seja a ex- Carneiros ( Q f .'.'.) Um
cepgo de to inesperada e desacarogoadora (d- Carvao vegetal......arroba
courageante) regra.
Esta recommendavel obra acaba de sahir dos
prelos da typographia Commeraal do Sr. Geraldo
Henrique de Mira, e acha-se a venda na loja do
mesmo, ra estreita do Rosario n. 12.
Cavernas de sicupira .
Cera de carnauba em bruto,
dem idem em velas .
Cha.....,.....
Charutos .......
urna
libra

>
cento
(Do Brasil.) Cevados (porcos)......um
o ....... T. Cocos (seceos).......cento
Aos ToUntes do municipio do Recite. I Colla. -.....libra
m,?%* Pub'lc.arnos a chapa liberal para a proxi- Couros de boi, salgados ... t
rf ? n" ^ e ?rK?nisada, quanto aos juizes dem idem seceos espichados.
; cTni Lrc,omm,ss5e.s Parochiaes de aecrdo dem dem verdes
com os seus correligionar os votantes as resnec
Ovas parenlas, e quanto aos vereador"s por esto-
por cornmissoes de diversas freguezias.
Iha feita
Ei-la :
Para vereadores :
Francisco Accioli de Gouvea Lins, proDretario
Tenente-coronel Fernando Francisco de Atraiar
Monlarroios, agricultor. <"'
dem idem cabra eortidos. um
dem idem de onga .... i
Doces seceos....... libra
dem em gela ou mas-a.
dem em calda......
Espilladores grandes .... um
dem pequeos.......
Esleirs para forro de estivas
15500
800
8O0
500
800
900
73000
285000
1*500
2800
25700
45400
5*120
25000
15600
800
15200
35OOO
75000
85500
75500
440
360
280
300
45000
45000
I5O6O
85OOO
300
360
15500
25500
155000
35500
600
165
240
100
350
105000
15OOO
320
500
45000
25OOO
A arremataoSo ser feita por lempo de (res an-
nos a contar do 1" de julho do corrento ano 30
de junho de 1867, e de conformidade com o art 16
jto roulAiueulw Ou O !. o^vatu Oc iOfJ2.
A< pessoas que se propozereni a essa arremata-
do, comparegain na sala das sessoes da referida
junta no da Mima mencionado [icio meto dia,
competen tomento habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 22 de agosto de 1864.
O secretario,
A. F. d'Annuncinrao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumplimento da ordem do Exm Sr. pre-
sidente da provincia, de 20 do corrento, manda
fazer publico, que vai novamonle praca. no dia 6
de setembro vindouro, perante a junta da fazenda
da mesma thesouraria, para ser a-rematada a quera
mais dr, o imposto de 25300 do gado vacenm
consumido no municipio de Iguarassii, avahado an-
nualmenteem 1:6125000.
A arremalacao sera feita por tempo de um anno
c 9 mezes a contar do Io de outuhro do corrente
anno a 30 de junho do 1866.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
gao, comparecam na sala das sessoes da referida
junta, no da cima mencionado polo moia da, o
competentemente hahililada*.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 22 de agosto de 1864.
O secretario,
.4. F. d'Annunciacao.
0Dr. Tristo de Alencar Araripe, offiefa! d im-
perial ordem da Rosa, o juiz de direito especial
do commercio, nesla cidade do Recife de Per-
nambuco, por sua magestade imperial e consti-
tucional o Sr. D. Pedro II, a quem Dos guar-
de, etc.
Fago saber aes que o presente edital virem e
d'elle noticia tivorem que no dia 12 de setembro do
correnlo anno, se ha de arrematar por venda a
quem mais der em praga publica deste juizo o se-
grate : urna casa terrea na estrada de Apipucos
com porlo de ferro, porta e janellas, salas, gabi-
nete e quartos, cosinha tora, estribara, senzalla, e
quartos fra ; bem como urna otaria uo fundo da
casa de pedra o cal, cercado do lado do rio, e a
frento cora baxa para capim, era trras foreiras o vapor nacional Princesa que do norte espe-
aos herdeiros de Apipucos avahada por 6:0005000. rado no da 31 ou 1" de setembro, segu para o
A qual tora penhorada por execucao de Jos Octa- Rio do Janeiro no mesmo da de sua chegada.
viano Telles Saldanha contra o major Joao Fran-
IEMR
Sext-ft'ira 2 de sKcnibro sli horas
roa da Cadeia armazem 11 53.
Vender em leilao polo raaior prego que achar,
urna escrava crioula, cozinha bem, "e ganha 255
por mez, robusta c forte; e um escravo cor es-
cura (cabra), proprio para servico de campo.
LEILAO
conselho s 10 horas da maoha do da 5 de se-
tembro prximo vindouro.
Sala das sessdes da conselho administrativo para
fornecimento do arscual de guerra 30 de agosto de
1864.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel-presidente.
Sebastio Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
Tem de ir praga no dia 2 de setembro
porta do Illm. Sr. juiz de paz da freguezia de S.
Jos, o sognintfi : 6 cadeiras, I par de bancas, 1
cama de amarello, ludo em perfeit estado, cojo
escript existe em mirado porteiro Sorra Grande,
o cojos bens foram penhoradoa por execucao de
Mara Magdalena de Montes Carvalhc contra Ma-
noel Francisco Rodrigues.
Arreuiatacao.
No dia 3 do corrente, lida a audiencia do Sr.
Dr. provedor do residuos, eserivo Vasconcellos,
ser arrematado o sobrado do um andar e soto n.
14, sito na roa do Sauta Rila, com porlo para o
boceo que d sabida para o muro da Penha, era
terreno proprio, pertencente a testamentaria do
fallecido Sobastio Mauricio Wanderley, e vai
praga com o abale da lei 5:6005.
?IS0S MAMTMS.
COMPANiQA PERNAMBUCANA
DE
Xavega^ao eostelra a vapor.
Taman atv,Barra Grande, Piula de Pedras,
Camaragipe, Macei, Pendo e Aracaj.
No dia 5 do corrente segu s
5 horas da lardo para os portos
cima, o vapor Parahyba, com-
mandante Martins. Recebe carga
'al o da 3. Encommendas, passa-
geiro e dinhoiro a frele at 3 horas da tarde do
da da sabida : tescrptorio no Forte do Mallos
n. i.
DE
600 oa i vas rom sabo inglez
HOJE.
s II horas etn ponto
Rollic & Bidoulac, farao leilao por intervengc*
do agente Pinto, o por conta o risco de'quem per-
tencer, de 600 caixas com sabao inglez, vmdas de
Liverpool, no brigue inglez Diana : s 11 horas
do dia cima dito no armazem do Sr. Antunes, em
frente a alfandega.
LtilLAtT
DE
oO acedes da rompanliia Vigilante
Sabbado 3 de setembro.
O agento Pinto levar novamente a leilao, por
despacho do Illm. Dr. juiz de orphos e a requer-
monto de D. Clomenlina Thoodora da Silva, 50 ac-
ones da coinpanliia Vigilante, isto s 10 e meia ho-
ras"do dia supradito, a porta da Associagao Com-
mercial.
O referido leilao ser effectuado s 10 e meia em
ponto, visto que era conlinuaoo havera outro
leilao.
DA
armaro, balcao, bataneas e mais ob-
jeetos do estabelecimeiito do caes 22
de novembro n. 81.
Segunda-feira o de setembro.
O agente Pinto far leilSo a requerimenlo do Dr.
Doodoro Clpiano Coolho Calanho e por mandado
do Illm. Sr. J)r. juiz especial do commercio, da ar-
maco, baico, palancas e mais objeetos existentes
na loja do sobrado n. 81 sito no caes de 22 de No-
vembro, s 11 horas do dia supradito. na referida
loja.
LEILAO
DE
\ aeces da companhia Vigilante.
Sexia-feira 9 de setembro.
O agente Pinto far leilao per conta de diversos
de 54 acedes da companhia Vigilante em dous lo-
tes sendo o primeiro de 12 aegoes 9 o segundo de
42 ditas, s 11 horas do dia cima em frente da
associagao commercial.
AVISO.
cisco de Rogo Maia; e nao havendo langador que
cubra o prego da avahacao a arrematago ser fei-
ta pelo prego da adjudicgo na forma da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar o prsenlo que ser publicado pela
imprensa o afllxado no lugares do costume.
Recife, 20 de agosto de 1864.
Eu Mauoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
erivo, o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
O Dr. Hermegenes Scrates Tavares de Vasconcel-
los, juiz municipal da 1* vara desta cidade do
Recife do Pernambueo e seu termo per S. M.
Imperial etc.
Fago saber em como por este juizo se ha de
arrematar por venda, lindos os dias da lei e pra-
gas successivas, urna escrava do nome Firmina,
crioula, com 16 annos de idade, sadia, avahada
por 6005, cuja escrava foi penhorada D. Rila
Francisca de Carvalho Paes de Andrade, por exe-
cucao de Felippe Mcnna Callado da Fonseca.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei passar o presente, que ser afllxado no lu-
gar do costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Beclfe de Per-
nambueo aos 19 de julho de 1864. Eu Manoel
Jos da Motta, escrivao o subscrevi.
Hermogenes Scrates Tavares de Vasconcellos.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, official da impe-
rial ordem da Rosa, e juiz de direito especial do
commercio, por S. M. Imperial e Constitucional
o Sr. D. Podro II, a quem Deus guarde, etc.
Fago saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem que no dia 5 de setembro do
corrente anno se ha de arrematar per venda a
quem mais dr em praga publica deste juizo, os
escravos seguintes:
Guilherme, pardo, representa ter treze annes,
avahado por qninhentos mil ris: Diomedio, pardo,
representa ter quinze annos, avahado por seis cen-
tes mil ris.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
tfavega$5o costeira a vapor.
llla de Fernando de Noronha.
No dia 14 de setembro seguir
ao meto dia, um dos vapores da
Companhia para o presidio de
Fernando de Noronha, para onde
recebe carga al o da 13.- Encom-
mendas, passageiros e di nheiro a frele al s 10
horas do dia da saluda : escriptoro no Forte do
Mattos n. L_____________^__^______
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegado costeira vapor.
Parahiba, Natal, Jlaco, Araealy, Cear, Acaran' e
Granja.
O vapor PisintM/a, comman-
dante Batis, segu no dia 7 de se-
tembro prximo para os portos
cima indicados. Recebe carga
^ 'at o dia 5. Encommendas, pas-
sageiros e dinheiro a frete at o dia da sahida s
3 horas da tarde: escriptoro no Forte do Mattos
n. i. _____________
Para Lisboa
vai sahir al o dia 10 do corrente o brigue portu-
guez Constaute II, de excellente marcha; recebe
carga a frete mnilo commodo, e passageiros, para
os quaes tem boas accoramodagoes : trata-se com
Manoel Ignacio de Oliveira & Fjlho, largo do Cor-
po Santo n. 19, ou com o capitao na praga.
Para Lisboa
vai sahir at o dia 10 do corrente com a carga que
tiver, o brigue portuguez B no mesnic quizer carregar ou ir de passagem, di-
nja-se ao consignatario Euzebio Raphael Rabello,
ra da Cadeia n. 85, escriptoro.
36, pn-
cima do
AVISOS DIVERSOS.
0 cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n.
meiro andar, por
armazem Progressista, aon-
de o acharao como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fissao, chamado por escripta.
O abaixo assignado tendo arrematado Do-
mingos Vaz da Costa Agr o engenho Thom e di-
erses escravos, e tendo passado letras correspon-
dentes renda total dos referidos bens, que se ha
de Andar em maio de 1867, previne que ningnem
faga transaego com dito Agr sobre as referidas
letras, visto como o ajuste foi dependente de con-
dig5es, e nao tendo sido preenchldo, nao corrs
obrigaco da parte do abaixo assignado, nao obs-
tante existirem em poder de Agr letras na impor-
tancia de todo arrendamento.
Congalo Gomes de Souza.
Pede-se s autoridades policiaes ou quem de
direo competir, que faga remover para o grande
hospital dos alienados a douda que existe no so-
brado da ra Direita n, 6; pois essa nem s in-
commoda os visnhos com gritos e tambera vive
constantemente botando na rna ourina podre e
mais alguma cousa por rima de quem passa
Um ineommodado.
Na Capunga, porto do Lasserre, casa n. 5,
da viuva Gouveia, tem para se alugar um moleque
de 13 annos.

I
MUTILADOS
ILEGVEL
'


?la-lo de t*rm*mvncm Sela Mr* ie Setembro ie lat-
aos 10:0OO$O90.
Sexta-feira9 do corrente mez, se ex-
trahir a primeira parte da primeira lote-
ra (107a) a beneficio da irmandade do Se-
nhor Bora Jess da Via Sacra da igreja da
Santa Cruz desta cidade, no consistorio da
igreja de Nossa Senhora do Rosario da fre-
guezia de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
?enda na respectiva thesooraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 10:000^000 at 20WOO
serio pagos urna bora depois da extracco
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguate depois da distribuido das listas.
Servindo de thesouretro,
______ Jos Rodrigues de Souza.
Quem precisar de urna ama de boa conduela,
para lodo o servido de portas dentro, dirija-se
ra das Croa n. 42.__________________
Precisa-se alugar urna ama que saitia cozi-
nhar, preferindo-se escrava : na ra da Impera-
triz n. 40. ________
Urna professora aposentada competentemente
habilitada otferece-se para Mistar fra em algum
engenho ou mesmo dentro da capital primeiras
letras, as qnatro operacoes de arithmotica, gram-
matica da lingua nacional, e as prendas domesti-
cas : quem pretender dirija-se Soledade, casa n.
II, que achara cora quem tratar.
Procuradria
Pedro Alejandrino da Costa Machado, solicita-
dor de causas anto os auditorios desta cidade, se
encarregada procuradria de qualquer causa com-
mercial, civil, criminal e eclesistica; aceita de
partido a procuradria de qualquer casa commcr-
cial: pode ser procurado das 6 as ) horas da ma-
nha, edas 4 as 6 da larde, em casa de sua resi-
dencia na ra Imperial n. 124, sobrado e fra
dessas horas, na ra estreita do Rosario n. 34, es-
criptorio do Dr. Alfonso de Albuquerque Mello ;
as quntas-foiras, porm, em Ipojuca, e as sex-
tas feiras no Cabo, em cujos foros contina a tra-
balhar como d'antes.________________________
~Prcrisa^se~1iliisar um moleque : a tratar na
ra do Hospicio n. 78.________________________
AMA
Precisa-se de ama ama para casa de urna pessoa
s : na ra da Cruz n. 13, primelro andar.
TINTURARA.
Tnge-se com perfeicao para qualquer
cor, e o rnais barato possivel: na ra de
Rangel n. 38, segundo andar.___________
DO
Nao ha necessidade mais ge-
ral em lodos os paizes do que a
de um pnjante que seja ao
'mesmo lempo innocente, effiew.
c digno de toda a confianca.
As pi! ulas que ora offerece-
mos ao publico preenclicm estas
condices ; pois pdem ser to-
madas pelas pessoas mais fracas
sem perigo algum, nao tendo em
sua composicao mercurio nem
outro ingrediente nocivo i-au-
de, mas sendo composto de a
gentes vegetaes mui forte?, sito bastante
oflicientes e activas para purificar os corpos
mais robustos.
Estas pilulas exploram e purificam toda
o p\ipn*5o ilo ranal alimenticio, e do vigor
a todas as partos uo organismo, luingifiuu
sua ac^to viciada e fazendo recuperar sua
vitalidade-
Um remedio mestimavel contra w>r de
cabero nerrosn, enxaqueca, prisao do ven-
-, e, fiemorrhoidas, molestias do puado, fe-
bre gastro-hepatica, e todas as molestias
biliosas que teem sua origem no entorpeci-
mento do ligado que causa a escassez da
bilis na inflammacae d'este orgao que pro-
duz derramaniento da bilis no estomago ou
om um desarranjo geral dos orgos diges-
tivos.
A Ictericia
produzida pela absorpcSo da bilis no
sangue, dando pello e aos olhos urna cor
amarellenta : nao smenle dolorosa por
si, porm conduz aos mais serios soffrime-n
los.
Para cura-la toma-se de 1 fj pilulas to-
das as manhaas, isto bastante para mover
o venire smenle al que se recupere a ac-
fo saa do systcma.
Mal do ligado, febre gastro-hepatica,
diurrhea biliosa, indigesta, a neuralgia
ou tic doulcureux, sao todas molestias que
tem seu comeco n'um desarranjo da bilis.
A obsenaro dos ductos da bilis faz esta
volver ao sangue, com que circula ds-pois
em todo o corpo e causa estragos desas-
trosos saude e produz urna serie innu-
meravel de males.
Todos estes ncommodos sao curados com
as pilulas do Dr. Ayer.
Direcces minuciosas acompanham cada
frasco.
Vende-se na pharmacia franceza de Mau-
rer & C, ra Nova n. 18.
AGENCIA CENTRAL
15 Ra Direita 15
RIO i:.s a % i: uto.
Vende-se em Pernambuco:
na pharmacia franceza de
P. MAURER & C.
RA NOVA N. 18.
GASA D4 FORTUNA
AOS 10:000.000
Bilhetes garantidos
' ra do Crespa n. 23 e casas do costme
abaixo assignado venden nosseus milito (li-
tes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahr a beneficio da Santa Casa da Miseri-
cordia os seguintes premios:
H. 631 meio bilhete cora 10:000,5000
N. 1071 dous quartos com 2:000,5000
N. 3088 dous quartos com 2:0005000
N. 3300 dous quartos com 005000
N. S994 meio bilhete com 5005000
E ouiras maitas de 200, 4004, 40* e 205-
Os possuidores podem vlr receber sera os des-
coges das leis na Casa da Fortuna ra do Cres-
po n. 23.
Acham-se venda os da primeira parte da pri-
meira lotera da irmandade do Senhor Bom Je-
ss da Va-Sacra da igreja da Santa Cruz desta
cidade, que se extranir na seita-eira 9 do cor-
rente jaez.
Precos.
Billetes imeiro .-..-.. 12*000
Meio*......... 65000
Qtrnlos. ...... 3*000
Fara as pessoas qu* comprarem
efQOJ para cima.
Bilhetes........ 114000
Meto...... 7 55300
Quarto. ....,. 25750
ManoM Martins Fiuza
INJECTION BROU'
\
JARABE DE CORTEZAS DE NARANJAS AMARGAS
Be J.-I*. LAROZE, Qumico, Farmacutico de la Escuela uperer de Pars
Este Jarabe, al regularizar las funciones del estmago intestinos, destruye esas
indisposiciones proteiformes, y hace abortar las enfermedades de que son signos precur-
sores. Mdicos y enfermos han reconocido que restablece la digestin, haciendo desa-
parecer las pesadeces de estmago; que calma las jaquecas, pasmos, y calambres, que
son el resultado de digestiones penosas. Su gusto agradable, y la facilidad con que se
soporta, lo han hecho adoptar como el especifieco infalible de las enfermedades nervio-
sas, gastritis, gastralgias, clicos de estmago y entraas, palpitaciones, males de co-
razn, vmitos nerviosos. Su accin sobre las funciones asimiladoras es tal, que los
mdicos mas ilustres lo han adoptado por cscipiente real de los dos primeros agentes
teraputicos : el Ioduro de potasio y el Proto-Ioduro de hierro, habiendo
observado que bajo su influjo, el primero pierde su accin irritante, y el segundo
su efecto astringente.
JARABE DEPURATIVO
DI CORTEZAS LE MARAKJAS AMARGAS
CON IODRO DE POTASIO
El Ioduro de potarto, administrado en solu-
cin bajo forma slida, causa al enfermo una
gran repugnancia, determina accidentes que
lo obligan renunciar este eca remedio.
Unido al Jarabe de cortr-ias de naranjas, no
cauta ni gastralgia, ni desarreglo del estmago
intestino, y gracias te salvo-conducto,
las curas depuradas pueden seguirse sin inter-
rupcin en la? afecciones escrofulosas, tuber-
culosis, cancerosas, y en las segundarias ter-
ciarias, inelusas las reumticas, de que es su
mas seguro especifico. La dosis est definida de
tal manera que el mdico la varia como quiere.
4 fr. 50
JARABE FERRUGINOSO
DE CORTEZAS DE SARAJJAS AMARGAS
con PROTO-IODURO de HIERRO
La asociacin de la sal frrea con el Jarabe
de cortezas de naranjas es tanto mas racional
cuanto que este Jarabe, empleado solo para
estimular el apetito, activar la secrecin del
jugo gstrico, y por consiguiente, regularizar
las funciones abdominales, neutraliza los tristes
efeetos de los ferruginosos y de los loduros (pe-
sadez de cabeza, constipacin, dolores epigs-
tricos), al paso que facilita su absorcin. Di-
suelto en el Jarabe, se toma y soporta fcil-
mente por hallarse en el estado puro mas
asimilable; y asipuede seguirse la cura de tes
colores plido, prdidas blancas, anemia,
afecciones escrofulosas y raquitismo. El frasco:
4 fr. 50.
hl frasco
Los Jarabes de J.-P. LAROZE estn siempre en frascos especiales (jamas en medias
botellas ni frascos redondos). Expediciones: en casa J.-P. LAROZE, ru de la Fontaine-
Molicre, 39>i's. Depsito general: farmacia Laroze, ru Neuve-des-Pctits-Champs, 26,
y en casa de todos los farmacuticos antiguos de Francia y del Estrangero.
Desgnese en que lengua deben estar las instrucciones que acompaan cada producto.
Lixm dentitrico para corar inmediatamente
los dolores de muelas; el frasco 1 fr. 25
POLVOS dentfricos ROSADOS, ron base de
magnesia, para emblanquecer y consejar los
dientes; el fusco........i n. so
OPIATA DEirnnucA, para fortificar las encas y
evitar las ncvralgias dentales 1 fr. 50
CURATIVO dental para curar los dientes ca-
riados antes de la emploniadura, y evitar los abee-
so. y dolores; el frasco con el instrumento, ti fr.
AOVA LEDCODERMINA, para conservar la her-
mosura de la tez y las funciones de la piel; el
frasco.............* ''
espritu de Ans rectifig ado complemento
del locador de la boca despus de cada comida;
el irasco............1 (r. 25
JABN LENITIVO MEDICINAL, para el tocador ;
i la violeta, almendras amargas, ramillete, etc.,
el jabn............1 fr. 50
jabn lenitivo MEDICINAL, con yemas de
huevo, para evitar las grietas en el cutis, hendiduras
y enfermedades de la piel; i la violeta, ramil-
lete, etc.; el jabn.........2 fr.
CREMA B JABN LENITIVO MEDICINAL en
polvos. Es especial para la barba, como tambin
para el tocador de las mugeres y nidos; el
irasco.............2 f r.
PERFUMERA fflDICO-HYGIWICA
De J.-P. LAROZE, Qumico, FarBnrliw de la Escuela especial de Pars
Estos productos son el resultado de la aplicacin de las leyes de la higiene la per-
fumeria,que se eleva y convierte en farmacia de la belleza, encargada de atender la hi-
giene del culis, cabellos v dientes, que todos son rganos tan importantes; sirven para evi-
tar y destruirlas causas *de las enfermedades que su hermana primognita, la farmacia
propiamente dicha, est llarnada curar.
ASDA luStral para conservar y embellecer lo
cabellos, fortificando sus raices ; el frasco 8 fr.
aceite DE avellanas PERFUMADO, para re-
mediar i la sequedad y atona de les cabellos; el
frasco.............* *r.
viNACRB oa tocador so*ERriNO, renom-
brado por su suavidad y accin refrescante; el
frasco.............l'r.
cold orbam superior, para conservar el cutis
blanco, fresco, difano, y evitar lai consecuencias
del uso de Ins afeites; el bote. 1 fr. 50
acua db colonia superior coa mbar sin
el. La estabilidad de su pernane la hace buscar
para el tocador, barios locales y generales; el
F astillas orientales del doctor Paul Clment,
para quitar el olor del tabaco y neutralizar los hili-
tos fuertes; al caja........Iy2fr.
AOVA DB FLORES DB ALHUCEMA, cosmtico
muy buscado par destruir las comezones, fortale-
cer y retiescar ciertos rganos ; el frasco. 1 fr. 50
ESPRITU DB MENTA SUPERFINO. Es el mas
perfecto indispensable complemeuto del toca-
dor de la boca despus de la comida; el
frasco............i fr. 25
POMADA CONSERVADORA con quinina pura, para
fortificar los cabellos, hermosearlos y evitar que
se pongan canos ante de tiempo; el bote. S fr.
Depsito en todas las ciudades en casa de los farmacuticos, perfumistas, peluqueros,
mercaderes de modas y novedades. Venta por menor : En la rarmacla laroze, ru
Neuve-des-Petits-Champs, 26.
Expediciones: en casa de J.-P. LAROZE, ru de la Fontaine-Molire, 39 fns.enParts.
Desgnese en que lengua deben estar las instrucciones que acompaan cada producto.
3X ;3?is^B-g^igs-;
s=s:3;
,-B.V.
3;
5 'J.l
-. -> Ss = -r. l -s^ a -
:ill
52
(75
2."
5'
re
O
T, W
30 &c
,I|SoS3SfSg?2W-, aS8-8
-3
>
5
O

Hiai?11
r- ? i=.
Vende-se na ra do Imperador botica franceza n. 38.
A abaixo assignada, molker de Aiexandrino Ig-
nacio da Conceico, de novamente scieniitlca ao
respeitavel publico para n eonlralar nem em-
jiretitar dinheiro algum a aei> dito marido sobro
um pequeo sitio que possuem na estrada de Joo
do Barros, son pena de ser millo todo e qualipier
negocio que alguem flzer com seu predito mando,
nao s por se aehar ausente de sua companhia,
como aecladodo cerebro, em conseqnenciadeseus
diulurnos padecimentos.
__________ Igner Mara das Virgens.
Joaquim Gwmes Dourado pelo mo estado de
I sua saude nao pode despedirse de seus amigos,
i aos quaes pede desculpa ; e ao mesmo lempo ulTe-
| rece o seu pequeo presumo na cidade de Lisboa,
aonde tenciona residir.
O IMPORTANTE ESTABELECIMENTO
A ra do Crespo n. 17

DE

i Fugio do engenho l'ombal, no dia 18 de maio
i prximo passado um cabra do nome Mathias, com
os signaes seguintes: cir fula, corpo regular, com
j pequea barba no queixo, tem urna das pernas
mais grossa que a outra, de una ferida, e tem um
dedo do p por cima do outro : quem o pegar leve
i a seu senhor no mesmo engenho, ou em casa do
Sr. Manoel Alves Ferreira, nesta praca, que ser
.oem recompensado. No dia 30 de jnlho prximo
: passado fogio do mesmo engenho um cabra do
Dome Joao Canuto, este escravo beni conhecido
que fui doSr. Francisco Accioly de Gouveia Lina,
tem os signaes segnintes : cor cabra, corpo gros-
so, est bufando, tem as pernas um pouco gambe-
tas, ja foi visto em l'onle de Ucha o Monleiro :
"fiieni o apprehender pode entender-se com o Sr.
Francisco Accioly de Gouveia Lins, ou no e.-crip-
torio do Sr. Manoel Alves Ferreira, que ser bera
recompensado; o primeiro tera 30 auno?, poueo
mais tm menos, e segundo 20 annos.____________
O abaixo assignado faz sciente ao publico que
0 Sr. Victorino Lopes da Costa nao mais seu cai-
1 xeiro desde o dia 30 de agosto de 1864.
j______________Antonio Joaquim de Mello.
I Fugio namanhaadodia31 de agosto de 1964
, Miquelina, criouia, de idade 24 aunes, poueo mais
n menos, estatura regular, cor fula, tem o andar
\ pesado, e metle um olho por outro, levou vestido
: de la escuro, chales de merino matizado e novo :
I pede-se as autoridades policiaes e capilaes de ram-
: -.o a apprehenso da mesma, e a levem ra do
Arag.o n. 8 ou 15, que se gralilicar gcneosa-
mente._____________________^^
Ftigio na tiianliaa do dia 2fi de agosto prxi-
mo passado, do silio Jurenia do engenho Cajalniss
da freguezia do Cabo, um escravo por nome Uene-
; dicto, reprsenla ter 25 anuos de idade, e tem os
signaes seguintes : criotilo, cor fula, cabellos cara-
piuhos, altura regular, falla de denles na frente,
pouca barba, porque s tem na pona do queixo,
olhos grandes e esbranqoicados, tem urna cicatriz
no pesclo provenienie d um taino, e outra na
fonte provenienie de urna fcri'la, ps grandes, falla
bem desembaracado, loca viola, e quando anda
meneia o corpo : quem o pegar leve ao dilo enge-
nho, ou no Recite, ra Direita n. 6, Jos da Cos-
ta Carvalho (luimaries, que sera recompensado
generosamente. _____________
AVISO O$"SRS. 1EDIC0S.
Cura catarrhos, tosse$
coqueluches, irrilacei
nervosas seu dos bron-
c/it'os e todas as doeii'
(as do peito; basta ao
ioenle urna colhe rebdea deste xarope D' Fosen.
Dr. CHABJLB, em Paria, ra Viviendo, s.
Pars, 36,RuaVivienne, D'
JOE OOxflES VlliaLAU
Acaba de receber de Paris
O melhor sortimento de fazendas de gosio para as Exmas. senhoras, para assina
coniinuar melhor na sua liquidacao de fazendas, e para ir a Europa o mais breve possi-
vel comprar um bello e variado sortimento de mercadorias.
Capas pretas o que ha de melhor em Pars, casacoes prelos, basquinas de cintura,
pelerinas, pelisses, soutembarques, jaquelas pretas bordadas para senhoras, jaquetas de
merinos de cores ricamente enfeitadas para senhoras, chapeos de palha bem enfeltados
para senhoras, moreantiques pretos, gros pretos, cassas organdys, cortes de organdys
com barra o que lem vindo de melhor de Pars, bretanhas de linho, selecias de linho,
bramantes, madapoloes, chitas de minios gostos.
As sedinhas de quadros estao se acabando vende-se agora a 15200 o covado oh
que pechincha.
Tapetes para forrar sala, s este estabelecimento tem com G palmos de largura a
2sio00 o covado ; aproveitem antes que se acabem.
Protejara. Protejan* b:\iii;*. senhoras
E o publico em geral a importante liquidacao de fazendas
A toja da ra do Crespo numero 17.
Sirop du
DrFORGET
,Q LETREXRO VERX.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
S todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
9 rentes, para o que tem um dos melnores professores, assim como tambem tem um
H grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
|H homens e meninos.
M Casacas de panno preto, ZU e 30^000 Ditos de setim preto. .
"0. Sobrecasacas idem, 305 e 25f$000 Ditos de ditos e seda branco,
vi Paletos idem e de cores, 25J,
CHABLEmedecin
DASEOTERMIUADAS DSSEXUAES, AS AFFEO
QOES CUTNEAS. E AtTERAgOESDO SANGUE.
110 000 curas das impingens
limstulas. herpes, sarna
toomixoes, acrimonia,e at-
l'erf oes, viciosas do san-
___jue; virus, e alteracoes
do suwiue. (Xarope vegetal sem mercurio).Depu-
rativa .cetnir BASHO MEBAF.g
tomao-se dous por semana, seguindo o tractamento
Deimratino i emi^regado as mesmas molestias.
Este Xarope Citracto da
ferro de t'.llAI'.I.H. cura
immediatamentequalquer
puraacao, relaxacao,
e aebilidade, e igual-
mente os /litros e llores brancas das mulheres.
Esia njeccao Denigna emprega-se com o xarope da
Citracto de Ferro.
Hemorroidas, Pomada que as cura em tres dias,
POMADA ANTIHERPETICA
Contra: as affeccoes cutneas e comixocs-
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
do D' Chable, cada frasco vai accompahado de
um folheto.
Vende-se na ra do Imperador botica
franceza n. 38.
DEPURATIF
du SANG
PLUS DE
COPAHU
m
A NACIONAL
Companhia gerl hespanhola de seguros mutuos
sobre a vida
AUTORIS&DX PELO REAL DECRETO.DE 21 DE DEZEMBR0 DE 1859
Urna fianra em dinheir, depositado nos cofres do estado, garante a boa aj.
ministracao da companhia.
BAXQUBIR03 DA COMPANHIA j DIRECCO GERAL
O Banco de llespanha Madrid : Ra do Prado a. 19
Esta companhia liga pelo systema mutuo todaj as combinares de supervivencia dos seguros
sobre a vida.
Nella pode se tazer a subscripcio de maneira que em nenhum caso mesmo por morte do se-
gurado se perca o capital nem os juros correspondentes a estes.
Sao to eupreliendentes os resultados que produzera as sociedades da ndole deA NACIO-
NAL,que anda mesmo diminuindo urna tercx parte do interesse produzido em reeentes liquidares,
e combinando o com a mortalidade da tabella de Depareieax que c adoptada pela companhia para os
seus clculos e liqudagoes, em segurados da idade de 3 a 19 anuos, urna imporscao annual de 100
produz em eTecttvo metlico :
No fim de a annos.......1:1103100
de 10 a....... 3:9424600
O l)r. Carolino Francisco de Lima San- 2
tos, contina a residir na ra do Impe- SR
rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro- H
curado a qualuter hora do diae da noile S
para o exercicio de sua prolissao de me- 9M
dico : sendo que os chamados, depois de SM
meio dia al 4 horas da larde, devem sur S
deixadus por escripto. O referido Dr. SS
nao abandonando nunca o estado das '
molestias do interior, prosegue, com o ^
maor alBnco, no das mais dilliceis c deli- SPt
: >M cadas operacoes. como sejam dos ergaos ?M
^S ourinarios, dos olhos, partns, ele.
I mwmm mmmm mmmmm
Aluga-se ou vende-se a olaria dos Coelhos n.
S, onde esleve o Sr. Manoel Serra, o caes passa na
! frente, lica em muilo bom local para quem quizer
! edificar, ou mesmo para quem queira por alguma
fundicao : a tratar na ra Direita n. 22, relinajao
de Francisco Jos de Aratijo._________________
l'resisa-se de urna ama para casa de pequea
familia : na ra da Gloria n. 36. ,____________
Joao Antonio Alves tem justo e contratado a
taberna sita na ra do Jasmim nos fundos da igre-
ja de S. Gonzalo, com Manoel Soares de Moura &
C. : quem liver embaraco com a mesma taberna,
dirjase em tres das da" dala desle. Recfe31 de
agosto de 1864.___________
0 abaixo assignado faz ver ao Sr. Francisco
Jos da Costa Guiaraes que venha buscar o seu
relogio que mandou concertar desde o anoo passa-
do, e pagar tambem o concert do que Ihe empres-
t e que o senhor quebrou, no praso de oito dias,
do conirario sera vendido para emholso do annun-
ciante, e que assim declara para que nao allegue
ignorancia.Luiz Kissel._____________________
O tenentcMwronel Manoel Joaquim
do Reg e Albuquerque tendo de fazer urna
reuniao poltica em sua casa convida aos
conservadores e mesmo aquelles que estiva-
rem descontentes da actuatidade de compa-
recerem na imite de sabbado 3 do crrante,
cujo fim ser nao s tratar de fazer-se a
chapa, como tambem dos meios de entrar-se
na igreja e sabir em paz.



m
de la........11:2085200
de 20........30:2365000
de 2o .......80:331,5000
as idades menores de 3 anoos e maiores de 30, os productos sao mais consideravois.
Prospectos e mais informacoes serao prestadas pelo subdirector nesta provincia o Sr. Jerony-
mo Joaquim Fiuza de Olivera, ra da Cadeia n. 52, oa a Boa-Vista ra da Imperatriz n. 12, estabe-
lecimento dos Srs. Rayraundo, Carlos, Lete & Irmao. ,
A quem pode. ? Furtaram do Caldeireiro.sltio do Illm. Sr. D*-
> n a. r.._,ii. -,.. 'Jos Bernardo Galvao Alcoforado, um cavallo pre-
doft'1?lTs,r^r^ com nma ore,ha wtada, eoP ni-
do Rio n. 16, com 2 salas, 3 qtiarlfrs, cozml a rora, ^, d ^ 2f, corrBrJte neripnr-Mite ao
pria para passar a festa, e d-se muito em fonta
; a quero lhe faga um pequeo reparo, e tambem se
vende : a tratar na ra do- Aragao n. 8.
Antonio Joaqun'
retira-se para Europa^
tteS, subdita porrt*gfleiV
iqo sitio, ou ao engeoho Novo do lerrao.de Ijjua-.jfiosiaoccasiSo poder BPgocw a safra present,
rass, ser recompensado. Joaijuim dos San11
Teixeira da Motta Cavalcanti.
Preoisa-se tte urna a'ma
duas pessoas : na ra das Gnes, n.24.
Vende-se ou troca-se por pruj*riedades nesta
prara e seas suburbios, a metade'do engenho Tri-
umphante, sito na barra do rio Una, e fregttezia do
mesmo none, moeute, com tom cercado, 12 ani-
me* de epda, e assimenudo; assim como duas kria. SituaQao
partes era urna propredade aonexa, aonde tem
urna boa casa de telha na beira mar para ,-e passar
a fesla, e nais de 100 ps de eot|ueiros de frncto a*1
ooros.. Este propredade, alm dos melhores ter-
renos posilvei* para cana, algodao, e o mais, tem
quasi urna lgda'de costa para plantacito de coquei- [neniar.Monta
ros. Alm d* ludo sij tem un e&liaordioario vi*
veiro, que com urna pequea obra dar sem dvi-
da mais lucro em peixe do que (ualquer por maor
que d a mesma propredade, como est ao alean-,
ce Je quem a vir. Quem souber apreciar, ver
irabalho o Industria se
sai por sua nalureza, viste estar margeiu do
aineac- rio Una, e vista do rulado ocano que
lhe fea pelo nascente : quem. o pretender dirja-
se ao seu proprietario, o paroeho da me guezia-,. que fara todo e u>l tivos que apresentar ,a^ mesmo pretendente, que
m,lWe. ..... 105000
Dites de casemira, 20$, 15J,
KU, 105 e...... 7^000
Ditos de alpaca, U, i5 e 3-5500
Ditos ditos pretos, 95, 75,
55, 45 e......35500,
Ditos de brim e ganga de co-
res, 45500; 45, 35500 e. 35000
! Ditos branco de linbo, 65, 55 e 45000
! Ditos de merm preto de cor-
do, 105, 75 e..... 55000
i Calcas de casemira preta, 125,
I 105, 85e......75000
Ditas de cores, 95, 85 e.
Ditas de meia casemira de co-
res, 55000 e.....45000
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordao, 45500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 55, 45500, 45 e .
Ditas de ganga de cores, 35 e
Colletes de velludo preto e do
cores, 95 e......
Ditos de casemira preta, 55 e
Ditos de ditas de cores 55
45 e........
65
Ditos de gorgarao de seda
pretos e de cores, 65, 55 e
Colletes de fustao e brim bran-
co, 35500, 35e .
Seroulas de brim de linbo,
25400 e ......
Ditas de algodao, 15600 e. .
Camisas de peitos de linbo,
45, 35 e......
Ditas de madapolo, 25500,
25e........
Cbapos de massa, pretos fran-
cezes, 105, 95 e. .
75000 Ditos de filtro, 55, 45,35500 e
Ditos de sol, de seda, 125,
550OG^|
5500|
45090?
"25509
25000
15400
25500
15600
85500
25OOO
45000
25500
25500


115, 75 e......650^0
Collarinhos de linbo fino, ulti-
ma moda du/.ia. .
Sortimento completo de grava-
tas.
Toalbas para rosto, duzia, 115,
e........
75000 Cbapos deso, de alpaca, pre-
450OO tos e de cores.....
Lences debramante de linbo.
35500 Cobertas de chita cbineza.. .
publicado 1 literaria.
Sabio luz o opsculo intitulado
A LIBIKRDADE
POR
Affonso de Albuiusrque Mello
Convidam-se osassignantes a mandarcm receber j
seus exemplares na praca da Independencia ns. 6
B 8, que serao entregues vista dos recibos das as-
sigualuras; ahi tambem estao expostos venda a
3000 cada um. Sao sob os seguintes ttulos as
materias de que se oecupa:
Introduceo.Nocaoda liberdade.O Brasil co-
lonia.Kevolucao de 1817A IndependenciaA
constitulnteAconstluicaoA revolucao de 182i.
A expulsan ou abdicacao. A regencia livre. O
A ma.
Precisa-so de tima ama para todo o servco de
una casa : na ra larga do llosario n. 31, pnraei-
ro andar.______________
Leonbard Mettleokamp, subdito hamburgus,
vai ao Itio de Janeiro.
Precisa-se de um liumem casado ou soteiro
que saiba tratar do arvoredos e hurta, para um
quintal niio grande na povoar.lo dos Afogados, o
que tome conia dos movis existentes na casa, dan-
do-se um salario a proporcao do seu trahalho e a
morada : dirija-.-e ao cartorio do tabelliao Bap-
tista de Si. ___
Tem de ser entregue os carros, cabriole! a
cavallos annuncindosa venda pelo maor preco que
appareca, e assim como os Iraspassos dos siiios e
o arrendameulo da coebeira e a casinha junto, por
este ultimoanuiincio: no passeio publico n. 7.
Ama de le te
Na ra do Brum n. 8i precsa-se de urna ama
da dos linas. A rpwncia rorennda.Cansa dos lneze:>' Paga'sti "em-________________________
da dos livres. A regencia' corcunda.Causa dos
males da regencia livre.Regencia corcunda e
maiordade.Principios do reinado de D. Pedro.
Revolta do Minas e S.Paulo.Dominio da Praia
Luzia.O dominio liberal nao inquietava os cor-
t|ut! com o indispensavol trabaino o
tornar* urna propredade das mais bellas, e renio-ijeij. -flesorrax-A's cinco provincias pernamboca-
C4KT4S M \M
Maria Bartholcza da Conceico tera resoivido
cundas.Pellos do dominio liberal.-* A praia eChi- vender o resto das suas afamadas cartas de ABC
chorrosenatoria.A revolta e a revolucao de | a 80 rs., augmentadas pela annuncante, as quaes
tem 2o paragraphos e conlm lodos osnossos dyph-
tongos, e as aclttaes em uso s tem de 8 a 9, alm
de um grande numero de nomes de objectos mni
condecidos dos meninos, por isso Hies facilita mui-
to a leitura : defronte da matriz da Boa-Vista nu-
mero 84. ^_________________^^^^^^^
Precisa-se de offi-
ciaes de sapateiro.
Na ioja da ra larga do Rosario n. 13 junto a
botica do Sr. Pinto, recebe-se at 30 de setembro
do corrente anno, gratilicando-sede 55 105 por
mez conforme o trate que 4 vista se far.
IrmanHaile do Divino Espirite Santo,
erecta no convenio le Santo Autoui
desta cidade
De ordem da mesa regedora, convido a todos os
nossos irmos para comparecerem no domingo &
do corrente, pelas 9 horas da manhaa, cm o nossu
consist'Tio, alim de reunidos em mesa geral dis-
cutirmos o proiecto do novo compromisso.
Consistorio da irmandade do Divino Espirito San-
to, erecta no convenio de Santo Antonio, em i" de
setembro de 1864.
O secretario,
Jo.tu Walfredo de Medeiros.
6HAMDE
Fabrica
18i8 A constituinte.A constlunte.Derrota
da revolucao. Negociaciio de Honorio com os lbe-
raes : traidores.Venda da bandeira da cons-
tituinte.- O partido liberal durante os quatorze'an-
nos do chamado ostracismo.Os corcundas e os
liberaos durante os quatorze annos.Captiveiro re-
signado c voluntario dos liberaes durante os qua-
torze annos.0 povo corcunda, ou os vermelhos e
os sabios.A sltuacao propriamente poltica.Ios-
tituroes livres, e direitos polticos que tivemos
at o lim da regencia livre, e o qne actualmente
temos em lugar delles.Os representantes da na-
Slo e das provincias.Sitoacao administrativa.
que sao nella os Porlaguezes. Corno o gover-
no obrigado a corromper o paiz e a fazer-lbe
sempre maior mal.Como se multiplica e se paga
a clientella do governo para sustentarse o impe-
rio corcunda. O procnsul.O procnsul da co-
marca. Dos cargos, dos criraes e da punicao.A
jostica.Juizes municipaes.Juizes de direito.
Tribunaes.Os das Belacoes.Tribunaes do Com-
raercio.Supremo Tribunal de Justica.O jury.
Os advogados.Conclusao.Garanta dos direitos.
A moral publica.Dos crimes.As eleicoes.
Corollario da obra saquarema.-0 que a pa-
para com o exterior.Siluacao
financeira.As linancas do estado.A miseria
Perigo e salvamento dos carcundas.---A faga.
Como se congregam os elementos para ella.Coa-
sideraedes reirospectivas. A constituirte. Prepa-
ros antecedentes.-ConciliaQo e opposic3e parb-
a liga.O que Rao os liberae na
liga.Que bem laro os liberaes ao paiz.O pro-
gresso-Seu eito*-O que o progresso e que
far.Como se deve ti ver nesta trra e-ehegada
ao progresso-Porque o progresso s vea com-
pletar nossas desgranas e sem mais remedio.Se
ha salvago para dos qual seria o meia e btat la-
nas.-Histrico e pcHillc* corcyuda.De que pro-
vem a miseFia. Como se corrompe na elega&A
restricedn liberdade apar do progreseo daimmo-
ralidade.- Corollario.
Vende-se urna as terrea na ra da tioria
_ n. 55v outra oa ra dns- Cfiures 11. 9, ma escrava
para, ozinhai-paca 'de 6 annos, cozinhtira e qnitandeira 1 m roa da >ta Ferreira o sen estabeleeimi'.-t). de aj4hado&, silo.
Imperalriz n. 71 s* dir qpem vend; | aa saa. do imperador n. 14.
A ttengo.
Antonio Lope Braga faz puMco per este an~
unci. 11 tie traspassou ao Sr. Jo- Joaquim da Coa-
DE
Fogos de artificio da viuva
Rufino.
Kesta aereditadissima fabrica recebem-se en-
eommeRias de fogos de-artiGcio para dentro oa
flrada provincia, gafantindo-s s pessoas quo se
dtrigtrem este asteoelecimeato acharem reunidos
os gostos periwcao nos artigos ahi fabricados,
A* encommoedns rncaben-se no armazem da bola
u*rella t^oitao da secretaria da polica.
, ILEGfVELl
1------r


*\.
/


Mario c Pcraaofifrueo Sexta felra e Setembro e i
4.
SAHIO A LUZ
bstA a vknda na livraria do -Sa. Geraldo
AMMKSTRB1TA DO BOSAMO ti. 44 AS
NOCOES
O
DE
PARTIDAS COBRADAS
OFFKRECTDAS
AAssociaco Commercial Seueficenle
DE
PERNAMBUC*
POR
M. Fonseca de Medeiros.

! B.1 o 2. re1 D -4 R -SJ
g K 3 3 |5-| o-o. s B O s o ce -< vi O c i 5 o O" i .
" c 9 =r o C W V. I -1 P| s a ? O fe i
Joa da Siva llamos, medico pela Un
veraidade it Coimbra, di coosuius era
sua casa das 9 as 11 horas da mauhaa, &
das 4 s-6 4a tarde. Visita o doentes.
eas suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccerridos em qual-
quer ocoasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro IL
aonde encontrado diariamente das 3
s 8 horas da manliaa.
Tem sua casa de sade regularmente
Bjontadajpara receber qualquer doettte,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodes apropriados e nella
Uca qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Rsiraeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 25500
T*rceira dita.... 090 >
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
pr*-
OVSEMlo
DE
Custodo-Collaco Pereira Jnior faz ver ao
publico e com especialidade ao corpo do comroer-
cio, que deu sodedade no seu estabelecimento de
molhadosao^eu ex-socio o Sr. Antonio Caetano
Martins Marques, cuja sociedate gvrar
da Arma de Pereira & Marques.
C0.\SILT0W0 MEDIMInlllGICO
' DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO M0S0QSQ.
MIOO> **AI*TEIRO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, caga do Fundo 3
O Dr. Lobo Moscoso di consultas graluitai aos pobres lodos os dias das 7 s i
toras da manb5a, e das 6 emeia s 8 horas daiioite, exeepeao dos dias santificados
Pharmaeia especial homeopatlca
No mesmo consultorio ha sempre o maia appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos preces seeuiotes
Carteiras de .12 tubos grandes. 12*000
de 24 tubos, grandes. 18,5000
de 36 tubos grandef. 24*000
de 48 tubos grande*. 30*000
de0 tubos grandei. 35*000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
fue se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca 1*"00.
Sendo para cima de 12, costaro os precos establecidos para as carteiras
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS,
COMPBAS.
Compram-se diarios a 4
nha n. 6, fabrica de cigarros.
RIVAL SEM SEGUNDO.
I Ra do Queimado o. 49 luja de miudwas de Jo-
no pateo da Pe se Bigodinho, venham ver a pechincha que se est
__________ acabando certas qualldades d fazenda.
em obras velhas ?fas de fitas elsticas com 10 varas a..
Comprase ouro e prata
daga-se bem: na toja de bilhetes da praca da Inde Rilas dtranca branca lisa com 10 varas.
pendencia n. 22.
Compra-se eouro*de carneifo : na ra larga
do Rosario n. 10.
Compra-se effectivamente
ouro e prata em obras velhas pagando-se bem :
na ra larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Compra-se cobre velho : na ra doBrum nu-
mero 78.
Compram-se Diarios a
ra da Seozala Velha n. SO.
120 rs. a libra : na

Deixai qne os Hunos da civlisaeao vos preguem
economapara os ps 11 Esta parte do corpo
Sant-Cllr
das ilhas ou os desterrados ni ilha da Barra, ro-
mance digno de ser lido pelafc senhoras por seus
lances interessaates postos A melhor obra da homeopaiiiia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr Jahr
deas grandesvolumesiceniideario............ 20,S00
Medicina domestica do Dr. ffering .... inxririn
Repertorio do Dr. Melle Moraes. .....' .'.''' S\
Diccionario de termos de medicina........ 3^000
Os remedies deste estabelecimento sao por demais' conhecids dispensara
)r>te aquella &jBT daieiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode deseiar, globos de ver-
dateiro assucar deleite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acreditados
esabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparaco, e portante a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
n^60656"86 eSCraV0S para fratar de qualquer enfennidade ou fazer-se-lhe qualquer
operacao, para o que o aonunctante julga-se suficientemente habilitado
O tratamenlo o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funcionando a casa a mais de quatro anuos, ha muitas pessoas de cuio conceito se nao
doetfes qUfl P Ser Consultados Por a(luel,es que desejarem mandar seus
Paga-se 2,J000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 1*500.
As operacoes serao previamente ajustadas, se nao se quizerem suieitar aos precos
azoaveis que costuma pedir o annunciante.
Compra-se urna escrava de idade de 3o 37
annos, que saina ender ua ra e cozinhar : quem
a tiver pode dirigir-se Capunga nova, no entrar
da mesma, a esquerda, passando o primeiro por-
lao, do segundo, que achara com quem tralar.
Compra-se
jornaes para embrulho a If a arroba, sendo libra
a 120 rs. : no paleo do Terco n. 9.
Compram-se latas vasias de gaz : no arma-
zem da bola amarella no oilo da secretaria de po-
lica.
240
100
60
120
20
200
160
400
160
100
3-20
500
100
seo
VENDAS.
SS^XSSSAtSS&Si m ns- <8 da *"*da Infle
estas a perda da saudee da vida 111 Fra com as
botinas e sapatos velhos; reforma-Ios
45-Rua Direita-45
Borzeguins francezes para homem U000
Ditos inglezes idem a 8, 7$ e .JOOO
Ditos para senhora 45800
Ditos para menina 25000
Sapatoes esmaga cobra SJOOO
Ditos de Nantes de ditas solas 55000
Ditos dito de sola e vira 45000
a grande loja do sobrado de 2 andares
da travessa do Veras n. 15, muito pro-
pria para deposito ou taberna e por pre-
50 commodo ; a tralar no mesmo a qual-
quer hora.
Sapatos de borracha para senhoras
Ditos de dita para meninos
Ditos de tapete para horaens e
nhoras a 800 e
Sapatos de lustre para senhora a
Ditos para casa
Chinelas rasas do Porto
Piano
se-
15400 Vende-se um piano dos bem conhecids fabri-
15O00 cantes Blondel & Vigoes, em perfeilo estado e p-
timas vozes : na roa do Queimado n. 33 A, loja
da Esperanca.
15OOO
I5OOO
500
15600
Aluga-se a sala e quartos da parte de detraz
do primeiro andar da casa n. 65 da ra do Impera-
dor com visla para o passeio, propria para escrip-
torio, e morada de pesoa solteira : a tratar na
mesma.
Calxelro.
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica de
taberna e d fiador a sua conducta, d-se-lhe bom
ordenado ou mesmo sociedade : na ra do Amo-
rim n. 36.
DENTISTA DE PARS
19Ra Nova19
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaes, tudo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
s
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
i e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre e seguinte
Io molestias de olhos ;
2o depeito:
3o dos orgaos geniti j
urinarios.
Em seu escriptorip os doentes se-
r5o examinados na ordem de suas ]
entradas comecando o trabalho pelos i
doentes de olhos.
Dar consultas todos os das d sj
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
Cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes. i
Furlaram da casa n. i da ra do Cabral, do
capilao Antonio Bernardo Ferreira, o seguinte :
Um relogio patente inglez de ouro, com tranee-
lim, um passador com circuios de rubins peque-
os com dous sinetes de ouro com pedras no fun-
do, urna chavinha comprida de ouro e oulra dita
maior como chave de pona lambem de ouro.
Urna corrente de prata para suspensorio.
l ni castical de prata.
Um par de oeulos de ouro.
quantia de 3005 a 4005 em moeda de prata
de 500 rs., 15 e paiacoes.
Duas libras esterlinas.
Diversos penhores de ouro na importancia de
1005000. 1 a praca da Independencia, loja de ourives |
Qualro pares de bulos de aberlura e quatro do n- "* punhos. ; preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
Uma letlra de 1305 aceita pelo conego Joao commenda, e todo e qualquer concert._________
Bernenuvem Maciel, e oulra da quantia de 125 "- Aluga-se o sobrado amarello da Ponte de
aceita por francisco da Cruz Soulo, as quaes es- Ucha, concertado de novo e pintado, tendo o sitio
a tra-
DE
HKswi-B*ttaaI
Sr. Sebastio Jos Peixoto tem urna carta
na_praca da Independencia, iivraria ns. 6 e 8.
Aluga-se muilo barate urnas poucas de meias
aguas a pouco acabada? de edificar na entrada dos
portees da travessa das Barreiras, do bairro da
Boa-Vista : a tratar na ra do Cotovello n. 25.
Com'panhia fldeldade de
seguros martimos e ter-
restres estabeleclda no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEPNAMBUCO
Antonio Lniz de Oliveira Azevedo & C,
[ competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercadu-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
DE
J. VIGNES.
. W. 55. RA DO IMPERADOR N. 55.
us pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz conhecids para que seia necessario insistir nhrPi
sua super.or.dade, vantagens e garantas que efferecem aos Jmp^r^^S^lSSXS'-
veis que elles tem definitivamente quistadosobre tSoim^^^S^Ml^^S^
suindoum teclado e mach.n.smo que obedecen, todas as voatades e capricho disniS,'!
hl}?I> Por.serem fabricados de proposite, e ter-se feito m^S^me^iS^mn.
VEHDEH-SE
as seguintes obras: arnier, Economa po-
ltica, ivol. por 2000; Mackeldey, Direi-
to romano, 1 vol. por 40; I) 11 Caurroy,
Commentario do cdigo civil francez, 2 vol.
por 80000; Hacine, obras completas, 1
vol. por 80000; G. Mass, Diccionario do
contencioso commercial, I vol. por 60;
Chabot de VAllier, commentario sobre suc-
cessoes, 1 vol. por 60; A. Arnaud, obras
philosophicas, ivol. por 20; Satwage-lfar-
dy, creaco de bancos de deposito. 1 vol.
por 20; Louis Blanc, organisaco do traba-
lho, 1 vol. por 20; na ra doCabug loja
n.2A. J
COMPENDIO DOLOROSO
que conlem o oflicio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
ra, um setenario e mais outros exercicios
de piedade e devoco; ordenado pela ir-
mandade dos servos da mesma Senhora,,
que se acha erecta na egreja de N. S. da Grosas de peonas de ac muito finas a 500 rs.
Penha do imperial hospicio dosreveren.\1&t&&&E!^'mn
dos padres missonanos apostolicos.capn-1 Pares de botoes de punho a 120 320 e^OO rs
chmhos italianos de Pernambuco, approva- Tinteiros de vidre com tinu a 60 rs.
do por S. M. L, que Deus guarde; dado ?tos de. ''i"-1"? com superior tinu a 100 r*.
luz por devoco do muito reverendo
Ditas de tranca preta lisa a...
Realejos para meninos, pechincha a...
Rodinhas com superiores alfinetes a.....
Raizas com superiores agulhas limpasa
babonetes de familia, muito finos a80e..
lares de sapatos delaa para crianzas a..
.,^ .Lbabado doj.Porto muito bom a
100, 120 e............."............
Ditas de bico largo grss' '.'.".'.'.'.'.'.'.'.'.'.
l otes de superior tima tem mais da meia
garrafa a.................
Caixas com perfumaras muito bonlas a.
Frascos de oleo de macaca muito fino a .
?de, eo de Labosa snperier a 240,
jzu, wiu e............
Ditos de cheiros muiosupriar'es'emqu-
lidade a.................... '
Ditos de agua de colonia" muito boa a.'.'.'.
Ditos de dita dita grande a.
Sabonetes de todo o preco 60,' i,' 200,
J 6..............
Frascos de superior banha 320 e......
Caixas de p para limpar dentes muito
fino a-............................
Ditos de banha transparente a....!.'.''.'.'.
Pares de ligas muito finas para senhora
Sabonetes inglezes da melhor qualidade a
Frascos de agua dentrifice superior ca-
ramida a..........................
Massos com 25 envelopes grandes azula-
do a.............................
Varas de fila preta com clcheles a...."
Frascos de macaca perola moito superior
Caxas com pennas grandes a.........
Grosas de botoes para caiga preta, miudos
Libras de memento da roupa de lavar a..
Carrteis de relroz de todas as cores e
tem mea oitava de retroz a.........
Varas de bicos de differentes larguras a
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado n. 49, est vendeodo muito
boas fazendas e muito baratas, quem quizer peder
vir ver ou mandar para experimentar, assinTcorao
Gollnhas muito finas para senhora a 500 rs.
Ditas e punhos de fuslao muito bonitas a 640
tartas de allinete de cabera chala de lodos os ta-
manhos a 80 rs.
Resmas de papel de peso muito bom a 22
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Caxas com superiores obreias de colla e de massa
Cordao branco grosse que tem muita applicacao a
vara a 20 rs. *^
I.nhas de carrteis garante-se 150 jardas a 40 rs
linha Pedro V com 200 jardas a 40 rs.
320
400
800
400
800
100
600
500
320
15000
100
100
200
200
100
280
200
60
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
Iivro de" orajes.
Vende-se 160 res, na livraria ns. 6 e 8
Grosas de botOes de ioca prateados a 160 e a du-
zia a 20 rs.
Tesouras para costura a 80, 200, 400 e 500 rs.
Escoras para limpar dentes, superiores a 200 rs.
Libra de laa para bordar da melhor qualidade a
65500.
Caixas de phosphoros de seguranca a 160.
i Caixas c pacotes de papel amizade superior a 600
ris.
tissimos para o clima deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por is in-ada- -------r 7 V vi' T """' "> "" ^ o 1 ..
veis aos ouvidos dos apreciadores. pr ,bt0 muil agr^a- da praca da Independencia, um livrinho con- Ca,xas com 10 envelopes muito finos a 800 rs.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr Blondel de Pufa en>i
correspondente de J. Vignes, em cuja capital oram sempre premiados em todas as Ki^"8' S0CW
autores da Europa, assim como armnicos e pianos harmnicos, sendo tudo andido por
melhores
precos commodos e razoaveis.

GRANDE SOKTIHKMII
99
DE FAZENDAS
DE
Custodio, Carvalho & Companhia.
RIJA DO O! II M MO
coes e petices, hymno ao Espirito Santo, co-, Baralhos para voliarete a 240e mais linos a 300 rs
rea do Senhor, aviso qualquer alma de- JJeiadasde linha frouxa para bordar a 20 rs.
I.... -." l'3rP rtfl CinilA iln tronco ,1^ .f,.!-- .-^_

vota, desengaos da vida liumana, hymno
de Santo Ambrozio Nossa Senhora, jacula-
torias ao Santissimo Sacramento, exercicio da
via-sacra, commemoracao Nossa Senhora
do Carao e ao SS. Sacramento, directorio
para a oracao mental, dividido pelos dias da
Pares de sapatos de tranca de todos os tamanhos
a 15500.
Grosas de botoes de madreperola muito finos a 560
ris.
Carlas e caixas de colchetes de superiores quali-
dades a 40 rs.
Massos de grampos superiores e limpos a 30 rs.
Grosas de palitos de gaz a 25200.
semana, obsequio ao coracao de Jess, sao-(Libras de areia preta da melhor' qualidade a 120
dacoes devolas s chagas de Cbristo, ora-
?3 ^onfinrn
1^
co no ir\j/-
Na livraria n. 6 e 8 da praca da Inde-
pendencia existe urna cara de importancia
para o Sr. Antonio Ferna ides Corredor.
ivre ou escrava.
: na ra das Cruz
Precisa-se de urna criad;
que saiba cozinhar e engomm; r
n. 42, primeiro andar.
: Saques'sobre Portugal
O abaixo assigoado, autorisado pelo
Banco Mercantil Portnense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer somma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que temarem
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 OO ao aooo: na
loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou
na roa do Imperador n. 63, segando an-
dar.Jos. Joaquim da Costa Maia.
Na ra do Queimado o. 31 preeisa-te 4a om
sacerdote para capeilo em Barreiras na Parahiba:
para tratar al o dia 3 do corrente.
Quem precisar de una
portas dentro, cozinha, lava
na ra do Encantamento n. 3
a para o servco de
engomma : a fallar
segundo andar.
tavam dentro de urna carteira que tem um retra- murado e ptimos commodos para familia :
to de urna moca banhando-se. tar no largo do Paraizo n. 16.r
Urna caixa de prata para rap obra do Porto.
Dous massos de meias para homem.
Diversas gravatas.
Um paletot de casemira branca cem dous lencos
um de seda e outro para tabaco.
. Duas toalhas de labyrinto com bico.
Urna escova nova para escovar obra de panno.
Urna pistola de espoleta pequea toda de ferro
com o ouvido da espoleta quebrado de urna banda.
Urna porcao de lencos para tabaco encarnado.
Cinco lencos de seda sondo 3 encarnado e dous
de ramagens.
Um par de sapato de tapete todo encarnado, no-
vo, mais achinelade.
Urna carteira cr de ganga por fra e por dentro
de marroquim encarnado, com 55 em urna ola.
215 sendo urna nota de 205 e 15 em prata.
353 cm prata em moedas de 1$.
1005 pouco mais ou menos em urna boceta
comprida em moeda de 15 de prata.
Mais urna porcao de patacoes e moedas mudas
de prata que ignora-se a quantia, em urna boceta
de flandres redonda.
O roubo foi feito ao amanhecer do dia 27 de
aposto, entraram pelo lelhado da frente da casa
do lado do sal, destelhando tres ordens de tenas e
cortando duas ripas a faca por onde desceram pa-
ra a sala, aonde se achava urna mesa com duas
g velas, carregando esta pela porta do oitao para
o quintal debaixo de um p de jambeiro onde le-
varam urna gaveta com ludo quanto se achava
em ambas as gavetas, e foram ao quarte do lado
do sul abnram, o qual se achava com a chave oa
porta e liraram o que consta da relaco : roga-se
a quem souber queira dar noticias na mesma casa
ou na livraria ns. 6 e 8 da [iraca da Independen-
cia que ser recompensado -, assim como pede-se
aos Srs. ourives a quem fr offerecido qualquer
destes objeclos, os aprehendan] e participen, as
mesmas casas cima.
Alugam-se tres casas pequeas na Torre,
caiadas e pintadas, para se passar a festa com pou-
co dinheiro, e tambera se vendem todas juntas ou
cada urna em separado, em coma.
Pecas de entremetes bordados a 15.
Tiras bordadas a peca 25.
Cobertas de chita a chineza a 25200.
Lenccs de linho finos a 25200.
Toalhas de linho para mos duzia 45.
Sapatos de tapete para meninos, senhoras e homens pelo barato preco de 15600 o car
Toalhas de linho para mesa a 35500 e 45. w w p
Baldes de arcos para senhoras a 35.
Fil de linho liso vara 500 rs.
Grande sortimento de las para vestidos.
Superiores saias de fustao para senhoras a 55.
Antonio Lniz de Oliveira Aze-
vedo A C
Agente* do Banco l nio do Porto.
Competentemente autorisados sacam por
os paquetes sobre o mesmo Banco para o
Lisboa, c para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
todo
Porto s
Joroaes para fmuruluo
Compra-se na fabrica de cigarros, antiga ra dos
Qoarteis n. 21.___________f
LIVRARIA ECONMICA
Ra do Crespo n. 2
ao p do arco de $ant<> Antonio
Obras 111 lima me 11 le recebidas
LITTERAllRA.
Ir
55OOO
55OOO
95000
95OOO
Compram-se Diarios a 45 a arroba
leu da Penha n. 6, fabrica de cigarros.
no pa-
\a ra estro i la do Rosario n. 34
Advogado Alfonso de Albn-
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
teiras, porm, na villa do Cabo.
Historia da Fundacao do Imperio Bra-
silero por J. M. Pereira da Silva, pri-
meiro vol. 1 .
Calabar, historia brasileira do secute 17
por J. S. Mendes Leal Jnior, 1 vol.
ene.........
Theatro doDr. Joaquim Manoel de Ma-
cedo, 3 vol. ene......
Obras de M. A. A. de Azevedo, 3 vol. ene.
Suspiros Poticos, de D. J. G. de Maga-
Ibes, 1 vol.......3000
Mocidade de D. Joo V por L. A. Rabello
da Silva, 3 vol......85000
Um anno na corte por J. A. Corvo, 3 vol. 82000
Os Miseraveis, por Victor Hugo, 10 vol. 165000
Crimes espantosas, 2 vol.....65000
Marilia de Dirceo, ntida ediccSo, 2 vol. 65000
Histeria de Napoleo, cem estampas, 1
yo]- ..-'.......55000
Obras poticas de M. I. da Silva Alvaren-
ga, 2 vol. 65000
O Outono, poesias de A. F. de Castilho, t
vol..... 45000
Revelacoes, poesias de E. A. Zaluar, 1
vol.........55000
Peregrinarlo provincia de S. Paulo, pe-
lo mesmo, 1 vol. 65000
A morte moral, novella por A. D. de Pas-
cual, 3 vol.......65000
Agulha em palheiro por Gamillo Castello
Branco, i vol. 25080
Visao dos tempos, Antguidade Homrica,
Harpa de Israel, Rosa Mysiica, poema,
por Theophilo Braga, 2a edico, 1 vol. 15508
Cynismo Scepticismo e Crenca, comedia
por A. Cesar de Lacerda, 1 vol: 15000
nieta destas obras recebeu mais, de litteratura
franeeza, portuguesa e brasileira, as quaes vende
precos muito razoaveis.
Pars
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganca.
Faro.
Oliveira
meis.
Penafiel.
Tavira.
Villa do Conde.
Frederic S. Hall i n & C.
Joo Gabe & Filho.
Francisco Raboba & Bal lista.
Jaime Meric.
Crdito commercial.
Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
d'Aze-
Angra Terceira.
Caminha.
Castello Branco.
Chaves.
Coimbra.
Covilha.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pnhal.
Porte-alegre.
Thomar.
Villa Nova
Portimao.
do
Figueira.
Guarda.
Gnimraes.
Lagoa.
Lagos.
Lamege.
Leiria.
Moocao.
Moncorva.
Regoa.
Selubal.
Vanna do
te I lo.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No IMPERIO.
Bahia. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista.podendo logo
os saques prazo serem descontados no mesmo
Banco a razo de 4 per cento ao anno : a tratar
na raa da Cruz n. 1.
lian tetro
Albino Baptista da Rocha, establecido com loja
de reloioeire e doorador na praca da Independen-
cia n. 12, faz qualquer concert de relogios e dou-
rado mais barato do qne ninguem, e respoosabii-
sa-se pelo trabalho. f
- 'reeisa-se de urna ama para ser vico de casa
de Boaca/amiMa, ^re/ere-'Se escrava: na ra da
dmperalrica. 18. "-
ir
3--ROA ESTRBIT1 DO R0SARI0-3
Franeisco Pinto Ozorio continua a col-
tocar dentes artificiaes tanto por meio de
molas como pela'pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
fiquem a vontade de seus donos, tem pos
e oulras p re par ac es as mais acreditadas
paca oaoservacao da bocea.
PRIilEllhS
letras e lingua franeeza.
Mara Bartholeza da Coneeicao licenciada pelo
Illm. Sr. Dr. director da instruccao publica, tem
destinado abrir sua aula pailicular de prmeiras
letras, etc., assim como lingua franeeza, no Io de
setembro prozimo futuro por isso roga aos se-
nhores pas de familia a queiram honrar, confian-
do- he suas meninas afiangando-lhes a boa letra
e far todos os esforeos para que ellas obtenham
em pouco lempo o desejado aperfeigoamento ; as-
sim como far todo o possivel para que ellas per-
cam qualquer vicio patrio que possam ter : de-
fronte da matriz da Boa-VIsla n 84.
Precisa-se fallar ao Sr. Antonio Jos
Teixeira de Mondonga Belem: nesta typo-
graphia, ou na livraria ns. G e 8 da praca da
Independencia.
0 Sr. Sebastio Jos Peixoto, tem urna
carta nesta typographia.
coes Npj
guarda, a Deus em obsequio qualquer san-
to e para a noute, e responso petas almas
do purgatorio.
-'-i ^IJseaRta*"
LOJA ItO BEIJA FLOR.
ra qualidade j conhecdo : na camboa
n. 8 a 400 rs. a garrafa, garanle-se a boa quali-
dade.
i
A 15000 a lata com cinco galoes : no armazem
de loucas, vidros, etc. : na ra do Crespo nume-
ro 16.
Cherubino di Pietro
no, relira-se para fra da
Bandiere, subdito italia-
provincia.
Ama
Precisa-se de urna ama que tenha bom lete : a
tratar na ra Direia o. 91. _________________
A escola publica do sexo femenino, na Ca-
punga, principia a funecionar no 1. de setembro
droximo vindouro. A professora, Mara Salom
de Siqueira Varejo.
Precisa-se de um rapaz de 12 14 annos, ou
um homem de 30 40 annos, que saiba 1er : a
tratar na ra da Concordia o. 38, das 3 horas em
dianle.
ti
O
s
-
"a

s
o
' O ce en

O =
O _.
es
la ra

-3
rz
C
O
i ra ra
ff'i
73 .-ZS
n
re

la
ra
tOgT9
a o
o 0 u
'33
B
o
n
o
gjialftl
O re -
? 2 g o M
5fl2 g
.
a ra
P re
a
C3
_ re
1 S-a
ra 0 g
ryf*|
-CCS0'
So
*" "Q t- -, QJ
- o e Q"E "
S*o Q-,2 .1 o S o
31"9?!. "O O
f-iar e a-3
-/. W*- -) t; c/3
>^ S.g
en Sg-5
io de primei-! Rud (lO QlieimadO US, 63 f! Q
dotarmoj ... w^ \ju.
Ciatos dourados.
Sao chegads os lindos cintos bordados ouro,
I pelo barato preco du 25-100 e 35000: no Bcija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Fivellas para cintos.
Chegaram lamben, ricas fivellas douradas e de
ac para cintos a 15000 e 15200 : no Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Penles de tartaruga.
. Lindos pentes de tartaruga, gosto moderno, a
5500, 55500 e 65000 : ra de Queimado ns.
63 e 69.
Penles de travessa.
Vendem-se penles de travessa de novo gosto para
meninas a 600 e 800 rs. : s no Beija-flor. ra do-
Queimado ns. 63 e 69.
Penles para atar cabellos.
Lindos pentes pequeos para atar cabellos, pro-
prios para se andar em casa a 400 e 500 rs. :
no Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e 69.
Botoes de madreperola.
Tendo recebido um variado sortimento dos de-
sejados botoes para abertura de roupao, vendem-
se a 400 rs. abotuadura : no Bejaflor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Enfeilcs para senhoras.
Lindos enfeites modernas a 25000 e 25400,
ditos do rede a ,900 rs. : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
fallieres para meninos.
Chegaram novos sortimentos de talheres para
meninos a 280 e 320 rs., ditos cabo de balanco de-
um botao a 400: as lojas do Beija-flor, ns. 63
e 69.
La para bordar.
Vende-se laa de superior qualidade e de lindas
cores a 65800 a libra : no Beija-flor, ra do Quei-
mado, ns. 63 e 69.
Papel de diversas qnalidades.
Vende-se papel de beira dourada pautado a
15200 e 15300 o pacote.ditosseiuserdottradoe nem
paulado a 640, 800 e 5000 : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Envelopes para carias.
Vende-se envelopes de ores a 600 rs. a cala,
ditos brancos a 640 e 800 rs. : no Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Pentes dourados para alar.
Vende-se pentes dourados para atar cabellos a
15000,152OO, 25800 e 35000 : no Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Penles para marraras.
Vende-se lindos ppotinbos dourados com pedra
para marrafa a 15200 : no Beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Sapatos de (ranea.
Veode-se sapatos de tranca muito bons a 15300,
ditos de tapete a 15600 : no Beija-flor, ra do>
Queimado ns. 63 o 69.
Balaios cora sabio.
Lindos balaios com 6 sabonetes de varias frnc-
tas a 25500 cada um : no Beija-flor. ra do
Queimado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar lindo sorti-
mento de perfumaras e variado sortimento do
miudezas que se ternaria enfadonba menciona-las,
porm afianca-se ser tudo bom e mais barato qoe
em oulra qualquer parte. ______________'..
o a t
t
T3 c/5 re
re T3
a S
5.
H-g.SS-3
2 "3 a
o
o
ra ra
Cra
re
:=
r.
ra 'S'B'3'5
O p S re ra

- _"w >*' "^ 1 1 ^* ** w' -* ctj ^^a n'
S -. a a u < -'JO
Ra da Senzalla b. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston C,
sellins e silhes inglezes, candieiros e casti-
gaes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicles para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente nglez.
O baeharel
Francisco augusto da Cosa
Gneros Iiohs e baratos
Queijos frescos de mais de 4 libras a 25600 e
15600, mantelga ingleza flor a 800 rs., franeeza a
560 rs., cha miado aromtico a 25600, bysson a
25, caf a 260 e 280 rs., arroz a 100 rs., touci-
nho a 280 rs., stearinas a 560 rs., carnauba a
360 rs., sabo massa a 220 rs., alpista a 140 rs.,
aletria e macarro a 400 rs., ervilhas secas a 160
rs. a libra, palitos para domes a 140 rs. o massn,
sal refinado a 440 rs. o frasco, conservas a 400
rs., vinbo de Lisboa a 3-0 a garrafa e caada
25500, Figaera a 440 a garrafa e caada 35200,
vinagre a 2O0 rs. a garrafa, azeite doce a 600 rs.,
de carrapato a 260 rs, mlho a 35 a saca e cuia
a 180 rs. : no armazem da Estrella largo do Pa-
raizo n. 14.
ADVOCADO
Ra do Imperador numero 69..
Aluga-se a casa com pequeo sitio na traves-
sa de Joo Fernandos Vieira, em que morou lti-
mamente o Sr. Themaz Comber : no armazem de
SamuelP. Johnston C, ruada Senzala Nova nu-
mere 42.
Jos Antonio Marques, subdito portuguez, re-
tira-separa a Europa.__________________
Os sen ores redores de Oliveira Irmos &
C sao convidados ra de Apollo n. 32 alia, de
1 reeoberea um dividendo que se val proceder.
VENDE SE
um casal de moleqoes mni lindos, d idade de 10
annos, 2 escravos para todo o servco, 1 negra de
meia idade, excellente coznheira : na travessa do
(3rmo n. 1.
Attencao.
Vende-se a taberna da ra Direita n. 51, e tam-
bembe troca por outra, e tambera vende-se a ar-
majo s, e maitos perteacentes da ontr : a
Iratar na mesma.
As verdadciras brides de Ijiojuca.
Vende-se na ra do Queimado n. 32, loja da
ferragens de Azevedo & Irmos.______________
Acnco
Vende-se um terreno na travessa do Principe :
quem o gretender, dirija-se i tema de marcioeiro
na ra da aurora n. 58, que achara com quem
tralar. .....____________
Vendem-se 0 arrobas de velas de carnauba
a 95 a arroba, e a 340 rs. a libra : na taberna
atraz da matriz de Santo Antonio n." H.
Vende-se urna taberna sita nos Apipucos,
com poneos fundos, em lugar muito bom : quem
pretender, dirija-se mesma.




[ II FGVFn


.'.I
V
m
:.
Otario de Pernaiubueo sexla feira 9 de tteteiubro de stU.
AO PUBLICO
Senf o menor consran-
glmcnto se entregar
Importe do genero que
nao agradar.
ARMAZEM UNIAO
ATTENQAO
Os procos,da seguate
tabella para todos, po-
dcndo assim servir de ba-
se para o ajuste de contas
com os portadores.
CANTIL
RA DA CADEIA 1BO fiiECIFE N. M.
(Ligo passaudo o arco da Conceice)
.runde reduccao de precos, equivalente a dcz por ccnto menos So que outre qualquer
annunciante.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o preco da manteiga ngleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
uiuitos objectos, etc., dando com isto ocasio a todas as espeluncas acabarem porbom preco a manteiga de tempero, e gritaran em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo 11.1 Ora, cu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vira encontrar, de s se vender com um por cenlo a carola, resolv fazer esta grande reduccao de precos, como veris
pete seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Unio Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a i,600 rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduccao a que
estaq obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamacao de precos, e qualidades, vingam-se do um e outro portadores
mal informado deste novo estabelecimento. para Ihe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
tao smente obtor a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.

Senhoros e Senboras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromptidao e e&tei-
reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proteccao e preferencia na compra
dos gneros qe precisarem, e guando nao pocam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratices, pois
serSo tao bem servidos como se viessem pcssoalmente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que rilo vo em outra parte.
Manteiga ingteza (safra- nova) especialmente
escolbida a 800 rs. a libra, em barril se
faz aba timento.
dem franceza a mais nova que tere viudo ae
mercado a 56o rs. a libra, e en barril 00
meios-a 5oo rs.
..

Cha hysson de superior craahdade a 2,6oots.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
Deste genero 2(too rs.
dem preto homeepatliico porser de seperior
qualidade a .ooo rs. a libra.
Mem hysson, buKim e perola mais proprio
para negocio o -1,600, i ,800 e 2,000 rs. a
libra, garante-se ser muHo regular, igual
ao qHese vende emoutra parte por 2,4oo
e 2,6oo rs.
Linguicas, cbooricas e pw'os em latas de 8
libras, ermeticamente lacradasa 5.5oe rs.
garante-se screm superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e.paios em barris de nseia e urna
arroba a 8,000 rs. e I,Soo c 60c rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a 1,600 e J,8oo rs. '
dem londrkios os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se fazabatimentp.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra,
dem do Alentejo o que se podi desejar de
fresco e euperior a 800 rs. a 'libra, a el les
antes que se acabem.
Ervilhas e -lavas porteguezas ene latas j pre-
paradas a Ci rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de asa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre negado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados paras gua a 5/doo e 5,oo a
duzia,
(inoclate 'francez, suisso ehespanol a 9oo
4,00o e 1,2oo rs. a libra,
^ncele em caixinhas contendo 6 libras
rentoe^o rs.,garante-se serem transpa-
de 12 no^iPer'or Peixe em postaWP W**'
da, salro, ostral coj"v,na- ras- Pesca"lff
latas grandes a 800 e^rnee' vez?0 era iBolachinhas
Vinbe Bordeaux das marcad &: cada uma-1 "do a 2'8o r6' a barnca'
das 6,oo, 7,000 e 8,000 rs. a cisa. gfe a Bo,ach1,n,ha de s?*? em latas com diversas
se er de qualidade superior, que o^rl PmJ'^cs a i 00 rs
qualguer nao pode vender por este preco.'*G, franCez \ caixinlias Bllt0 propr,as
Genebra de Holianda a 56o rs. o irasco e' Pas1a m,m 7' a i
5,7oo rs. a frasqueira. I TbraTf novaS de camada L\? ^ *
Mam do brama vonioHaim ,1a Abo. n- \ooo rs. a caixa com 28 libras.
uros de co^rg a 2io rs a ibra e
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8.5oo rs. a rroba.
dem lavado deprimeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 2io
e 28e rs. a libra, 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz doMaranhao a loors. a libra. eS,eoo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a leovs. a
h'bra. e 3,ooo rs. a arroba.
dem e lava a 8o rs. a libra, e 3,300 rs.
a arroba.
Painco-e alpisla a 14o rs. a libra, c 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2ibras a
6oors. e del barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarrao c-talharim a 4oe rs. a li-
bra, e 9,oo rs. a caixa.
dem e lalhern branco a 32o ts. a libra,
oslas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas dontes.por serem propriamente
feitas para esse m.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino encllente qua-
lidade profiri;para engarrafar em appore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinlio de pipa Porto, Figueira, e Lisboa n'32o,
4oo c5oo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
("Vinho bramo de Lis boa de exccllente quali-
dade a 5o e'Pod rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo 0] 3,5oo rs.
Vinho brano para missa em caixa de I duzia
a 8.000 a 660 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, Duque Genuino,
D. Luz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de I duzia de 9,ooo a
Io,ooo rs. ca9oo el,000 a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 6io rs. a garrafa.
Sardinhasde fiantes em quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conssrveiro de Lis-
boa a 64o rs.
inglezas as mais ovas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barriea, e 24o rs. a
de Altona em
frascos grandes a l .000 rs. o frasco, e
II,00on. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a loo
Figos de
i,800 rs.aw com 8 |ibras>
Amendoas de casCvmoie a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d agua em^t da fabrica do Beato
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas oom o mes-
mo peso 2,5oo; ditasimperiaes emlatas
de 3 libras porl,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de I e meia libra
por I,2oo; ditas em caixifihas de deverses
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora Utoo, l,5oo, ei,8oors.
Azeitedoce refinado Penandl ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o ts. a libra e 2,000 a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a -75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de cscova para eefregarcasaa 32o
Nozes muito novas a !f6o rs. a lm.
Molho inglez em --ganda de A^dro com
rolba do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos elhores a1rcantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a loo rs.
Lenilhas expeliente llgame para sopa a-2oo
rs. a libre.
Marrasquinco verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a i.ooors. e li.ooo a duzia-
Palitos para denlcsa I4oe>i6ors. o maco.
Sai refinado em frasco de vidre com rolba do
mesmo n 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mtis a-
crediUdas qu<; vem ao mercado a.!', mu e
5,5oo-a duzia e'48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 34o rs. alifrra.
Sevadint de Franai mullo nova azoers.
Charutosdc todos osfabricaates da Bahiae das
mais acreditadas marcas conhectdas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de Coo chantos.
Cognac inglez das melhsres -marcas a
l,oo rs. agarrafa.
Doce da-rasca da ^oiaba era latas do 4 li-
bras por ,ooo; dito em caJxoesa joo rs.
cada um.
Farinha de ararute verdadeiro a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba.de 6 e Ai por libra a
32o (6. a libra e *o,ooo rs. a arrba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barntl.
Capil de diversas frutas muito frescas a
61o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2o rs. a greta.
Toucinho de Lisboa rauito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a-I,4oo-o cento ; ditas^m
molhos com cento etantas porl,2oors.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
GRANDE ARMAZEM
DE
JIOIiHAUOS


DE
EXTRAORDINARIA
I iquilla cao de fazendas le todas as qa-
li as ua l.ja e arnimiu da Arara,
ra da 'mpcratiiz 11. 56, deLoureu-
co Pereira lleodo buimaraes.
Atten Soiilimlianjiie a 10, 12;? e 15 peehineha.
Vcnile-s soutcmbarijnes muito lieui cnreiailof
e de ron'.-, para senhoras, a 10-5 125 e iol, ditos
prelos a u, l e ioH ; capas prclas do gros-
denaple a 205 o 2o>: ria ra da Imperatriz a.
06, loja da Arara,
Cotlfs df chila a 2iOO.
Vende-se corles de cintas de Cores lixas com 10
covados a UfaHM) e 15200, corles de camLraia de
barra a 25, ditos de salpicos a ^oOO : na ra da
Imperan iz n. C, loja da Arara, de Alendes Guima-
rSes.
! Fazemlas especiaos para scuhoras.
Vende-se pollinhas para senhoras e meninas
240, 320. manguios a 800 rs., camisinhas a 15,
15300, 25 e i5o00, eutre-meios e liras bordadas
para enfeilar vestidos branros a 15,15200 e 154CO
a peca, enfeites para casaveque a 15, gravatinhas
para ranhora, muiM linas a 15 e li00 : na ra
da Imperatriz n. 36, loja da Arara.
Vende-se palitots de panno fino a 165, 1*5 e
125, ditos saceos com litas a 125, 105 e 85, ditos
de casemira linos a 105- 85 e 65, dilos sem fita o
45300,55, ditos de brim a 25300, 35, 30806, v
. Acaba de receber de sua proprta encommenda um grande e variado sortimento \ aipaka a 35 e 35500, calcas, de brim e de gangao
fle molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em; 2|5,2,'i0<) e 3- dilas de nieia casemira a 35800 c
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros -! 'l&m',inas '6&' c5 c 75, coletes e ramisas fran'
ALMEIDA DUARTE
FRUCTAS
.Wacas. Ra do Queimado n.
Uvas. Ra do Queimado n.
Peras. Ra do Queimado n.
resumidos presos, afiancando
mazem.
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfectamente flor, a 800 rs,
libra,
dem franceza a 860 rs. a libra, e 000 rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
todo e qualque genero "vendido neste bera conhecidoV- i wm t PV ItKS Aw'rt^n
ra da Imperan iz n. 56, loja da Arara.
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos.-limao, caf, laranja, cidra, gin-i
ja, cauella, cravo, rlela pimenta a l.ooo
rs. a duzia i ,00o rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
dem hyssoo o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
desejar a 2,6oo e de 8 libras para "cima
a2,5oe rs.
dem menos superior a2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,000 e i .800 rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero 12,8oo rs.
dem menos saperior a esse que se vende
por, 2 e 2,oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo-bom para negocio a l,5eo
rs. a libre.
dem miudmho proprio para negocio a 1,500
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2^00.
Queijos chegados no -ultimo vapora 2,2oo rs
dem pFato es memores e mais frescos do
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marea gte a 1.7oors. agarrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborce, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machineeoutras mui-
tas^o l,3ooe l,4oors.
Fumo americano -em chapa a l,6oors, a
libra.
Aranita de tedas as qualidades.
Batatos novas cm caixas de 2 arrobas a &# a
caiga e 60 rs. a libra*
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a (,00o m.
dem inglezas em barricas ? mais nova do
morcado a 3,Sso rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portagnez o mais ^especial que se
ipt.de desejar
pe.
Pape! de botiica de exceHer.te qnalidade a
2ieors. a resma.
Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
Figos de comadre em Utas de 4 e 8 libras
laceadas hermticamente l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
AGENCIA
fMCO DE LOW-MOOL
Raa da Seozalla ora n. 42.
teete estabelecimento contina a haver
ron completo sortimento de moendas e meias
moeodas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
lamanhus para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roapa: em casa de S. P. Johnston & C,
ra da Seozalla Nova n. 42.
AHMAZEM
FRONTEIRO
DE
Esteiras do Aracaty
Vuidem-se aa iravessa da Madre de Dos n. 10.
Queima!
No largo do arsenal de marinba, loja de calca-
ios d. A, qoeima.se :
Marroquim preto de boa qnalidade,
adoziaa..................... 215000
Urna pelle por................... 15800
E ainados de toda a qualidade, assim'coro, bons
AliVES COUTIHIIO r* ARAMDiO
21Largo do Terco21
Ao publieou
.
Frutas em calda cliegadas ltimamente, pera,
pecego, gioja e outros mullos a 12o fs. a
l.itr.-le 21(2 libras.
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, >e
24ors. a libra.
AtMMtuIto novas, a 120 rs.. libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas coneitades a 6oo es. a libra.
dem de casca mole -a 32o rs.
Vinhos-eagarrafadosao Porto e Lisboa das
seguintes mareas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doees, vinho es-
pecial O. Pedro W- nctar superior de
1833, uque do-Porto de *834, vinho do
Porto, ^velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luir. I, e ouiras militas
mareas.rem caixa de-uaia duzia a io,oooe
1,ooo-rs..a garrafa.
dem branco de uva pura a 64ore. a garra-
fa e 4,ooo.a caada.
dem superior a 5oo rs, agarrafa-e;3,2oors.
a caada.
Mem em pipa Porto, Lisboa e Figaaira das
marcas mais.acreditadas .a 3,8oo a.caada
eSoors, agarrafa.
2,ooo rs o quarto, a 6,oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 8oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a I6o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes cora sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. i a 8)5500 cada urna.
Massas para sopa macarrao, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,ooo rs. a caixa
8oors. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a credilados a 1,800,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven-
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 2o rs. a bra.
Arroz do Maranbao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da india muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e em ,r;.?u?ov?.d.0v!,"-'as de """
caixa a 52o rs. com 25 libras. I,tes "ara "r,lnado
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaco pautadoe lisoa.3,ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,co rs.
a resma.
Vende-se colchas de chita a 25, de damasco a
45, de faslio a 35 : na ra da Imperatriz n. ',
loja da Arara.
Vende-se panno de linlio para lenees e sereu-
las a 640 rs. a vara, brim liso de Ha'mborgo a MO
e 360 rs., lencos di: sida a 800 rs. e 15 : na rua-
da Imperatriz n. 36, loja da Arara.
Bramante da Arara a 2.'i00.
Vende-se bramante do linlio com 10 palmo?
de largura a 25300, dito de 12 palmos a 258C0
a vara, chitas para cobertas a 320, 360 e idO rs.,
dita encarnada muito lina a 480 rs. o covado, chi-
tas para vestidos a 240, 2s0, 320 e 400 rs. o cova-
do : esta pechincha, tao barata, s se pode encon-
trar : na ra da Imperatriz n. 36, loja da Arara.
A Arara tena, r.o u-nde, queima.
Vendem-se baloes de 16, 20, 23 e 30 arcos a
25240,25300, 35, 35300 e 45, ditos de mnsgelina
a 45 e 45300 : ua leja da Arara, ra da Impera-
triz n. 56.
Vendc-se challes de laazinhaa 15600 e 25, ditot
de merino a 25300 e 45300, ditos finos a 65, diter
cllumpj'Ju.- a 7: : na toja da Arara, rua.da Impera .
triz n. 36.
As laaziuhas da har a 20 rs. o fovado..
Veadeni-e laaziuhas para vestidos a 2M), 320,
400, 300 e 360 rs, o covado, ditas muito tinas de
cores, lisas, de lyrio, de rosa, azul e enearnada
a 600 rs. o covado ; na ra da Imperatriz b. 56,
loja da Arara.
A Arara vende chitas a 2-iO.ra,-
Vendem-se chitas para vestidos do cores flrss ;.
240 e 280 o covado, ditas francezas a 320, 360 e
400 rs., cassas de cor a 280 e 320 o covado,org.'n-
dys a 320, 280 o covado : na loja da Arara, rua
da Imperatriz n. 36.
A Arara vende corles de la a SIaria[Pia.
Vende-se cortes do )a com barra a 85, ditos
finos a Mara Pa por 185000, laazinhas a Maria
Pia a 460 e 800 rs. o covado : na ra da Impera-
triz u. 36. loja da Arara.
A Arara \cade madapolaoa C)oOO, 1 $.>.
Vende-se madapolao fino de 24 jardas, n. oO a
65300, dito n. 7 a 75, dito n. 2, 85, dito de mar-
ca dnas cruzes a 95, dito S a 105, dito IIII a 115
dito 1$ b a l'5, todos estes madapoloes sao milito
linos ; algodao a 3'5 e 65, dito carne de var/\a a
fiS&'OO, di(o ineMiroa 7.-3. UI1 SK'Upia a 85,dltOllc
diversa qualidade a 85300, dito pao ferro 95 a peca
de 20 jardas, lodos estes algodoes sao de boa nqa-
lidade : na rna da Imperatriz n. 36, loja da Arar*
de Mendes duiniaraes.
A Arara vende Iirim trancado ile linlio a lifiO.
Vende-se brim trancado de linho branco para
calcas a 15200 15400 "e 15600 a vara, dito pardo
de inho a 640. 720, 800 e 15120 ; liretanha de
linho a 640 e 800 rs. a vara : ganga para calcas e
brim de cores a 300 e 480 o cavado, cortes de ca-
semira prea para caira a .'5300 c 45, ditas tinas
e de cores a 'i&, 35300 e 75 o corte : na ra da
Imperatriz n. 36, loja da Arara.
As percalas da Arara a 500, jfiOcCOO rs.
Vende-se linas chitas percalas a 300, 360 e 6C0
dem embrulhode l,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/ libra a
l,2oo"e8oors. a libra.
Mera em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Coaservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova
2oo rs.

Chouricas muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a l,ooo rs. a fibra
ameixas idem ; alpista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do Maranbao e da
India de 8o a loo rs. a libra, e em a arroba de 2,6oo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a 1 ,ooo rs. a garrafa e em porco, menos; idem de barris a 6io rs. a garrafa, e em caaa-
da a 4,8oo rs.; banha de porco a 4oo rs. a libra, e em barril a 36o rs. j batatas muito
novas a 4o rs. a libra, e i,2oors. a arroba ; cha perola, hyssoo, miudinhoa l,8oo, 2,4oo
e 2,5oo rs. a libra; charu,to$des me.lhpr.es. fabricantes da Babia de i/me 4,ooo rs.;
cerveja branca e preta a 5oo rs. a garrafa ; cravo, canella, cominbo e erva-doce, conser-
pa,aroeaIgutse,i,iiho6fi,vidracadoS;lilndo ^^^^V^ XV ^Vf- V 'S*1 SUper0r l5 fj
se venteril de graca visu d0 cofiador. garrafa ; cafe de 1.a, 2.a e 3.a qualidade de 8,5oo, 9.ooo e 9,aoo rs. a arroba; cevadi-
nha a 2oo re. a libra ; erviH*s portuguezai em latas de 1 '/* libra a 7oo rs. ; 6permacete
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,
o em a arroba a 6,ooors ; genebra de larinja a l.ooo rs. o frasco; idem de Hollanda
a 64o rs., e 4oo rs. a botija; graixa em latas a l,2oo rs. a duzia; manteiga ngleza per-
Vin4i do Perto Mperior j feila flor a 8oo rs. a libra; idem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maga
dm calas le nma e duas dorias: tem para veo-, de tomate a 6oo re. a libra; marmelada dos melhores fabricantes a 64o rs. a libra: ale-
e^riptro'radfc7? A2eved* ^ *, tria, talharim e macarrao a 4oo rs.} marrasquino de Zara verdadeiro a 1 ,ooo rs. cada fras-
iabnce (xmcei(#o da
. ^ahia.
*AndradB k Rejp rcebem constante-
mente e tem vet|a no sen armazem o-
34> da ra do Imper>dor, algodo d'aquel-
Ia fabrica, proprio e*a saceos da asqu-
ear, embalar aieudao q pluma etc., etc.;
pedo preco mais razoaw.
conytad'
Margas.
A' H500 i caixa ; em porco se ar batimen-
to na :ua nova n. 8, loja do Cha.
Perro para ur>es.
Na in larga do Rosarlo n., Id de fofas, ren-
dem-se tHc o ferros e utencljos f onrives.
,co; nozes muito novas a 2oo rs. a libra ; pisas a 4oo re. a libra ; painco a 16o re.; po-
mada a 24o re. a duzia; pimenta do reino a 36o rs. ; papel almaco e de peso de diver-
sas marcas; palitos do gaz a 2,2oors. a grosa e 2o rs. a caixinha ; ditos de seguranca
individual a 2o re. a ciixinha e 36o rs. o maco; queijos flamengos do vapor a 2,ooo re.
cada um; cevadinha a 2oo re. a libra; sardinhas de Nanles de 4oo a 64o rs. a lata ; sa-
bio massa muito superior a 2oo rs. a libra; toucinho de Lisboa muito alvo a 3oo re. a li-
bra; vinho do Porto velho engarrafado a l,5oo re; idem em barril a 8oo re. a garrafa,
sendo porco faz-se differenca eem caada a 5,ooo rs.; idem de Lisboa muito superior a
4oo rs. a garrafare 2,8oo rs. a caada ; idem da Figueira J. A. A, a 5oo re. agarrafa e
3.Coo re. a caada; idem do Estrato a 360 e 320 rs. a garrafa e em caada a 2,56o ;
idem Bordeaux a 56o re. a garrafa; idem branco de Lisboa, proprio para missa a 5oo rs.
a garrafa; vinagre de Lisboa muito superior a 2oors. a garrafa, e i,4oo re. a caada ;
soda, evada, alase*; gwrwtfjolode tnrpar facas a 14o rs, e outros muitos gneros que
desnecessario mencjona-los.
dem de marcas ,pouco conhectdas a A*o rs.
a garrafa e 3,ooo re. a caada.
Espacial vinho aveadio sem a a&is pequea
co*posic3o a &i a garrafa e 4,000 ,rs. a
catada.
Farinha de matarana 4 210 rs. a bra.
Ricas caixas. com figos a 1,00o re. cada .urna.
Ricos liwofi com figos 1,000 rs.
Pomada a 200 rs, a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. airara, e fc^eo a arroba,
arrafoes com 4 Vi garraas de vinho sope-
ri]r a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem com 4 '/$ ditas de venagre a I ,ooo re. o
gairafo.
Vinagre PRR emancoretas de 9 caadas a
l&vfoo rs. com a a neo reta
dem empipa puro eem o batisme a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo re. a caada.
Caixas com I duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8oo rs.
a raixa e 7oo rs. a garrafa.
Molhos inglezes a 8oo e l.ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 600 rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindasdoPorto a 32ors.
Cebollas muito novas a i,00o rs. o molho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000
e 56o rs. frasco,
dem em botas a 4oo rs.
dem em garraftes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o re. o macinhos a 12o es. e masso.
Cominhos muito aovos a 32o rs. a libra e
i0,000 a arroba.
Sag muito novo a 24o re. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o re. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Goinma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixesm Jatas al,000 rs. a lata j prompto
a comer-ce.
Farello de Lisboa marca N.-eBiato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e l,ooo rs. o
millo
20 varas a >5 : na luja da Arara, ra da Impera-
triz n. 36.
O proprietario da loja e armazem da Arara re-
commenda toda a alternan aos Srs. freguezes que
mandein ver a= amostras de ludas as fazenda* qut
annuncia, prometiendo vende-las barata, pois que
a Arara teima, nao vende, queima.
Machinas para descarocar
algodao dos mais acreditados
fabricantes: na fimdi$io do
Bowmau, ra doBrnmn. 38.
Xa livraria aeadeiulca, rna do
imperador n. 3?.*.
vendem-se lindos papis para forrar sala a 1500f)
a peca.
Roa da Senzalla Nova n. 42,
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado bbra a 110 rs., idem de Lo*
Moor libra a 120 rs.________.
MACHINAS DEPATENTE
de trabalhar mSo para
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & (L
OLDAJI
O proprietario do grande armazem Unio e Commercio declara aos seus frtgoe
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos eslipulou
os mesmos precos nos seguintes lugares:
Unio e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
(omita de mandioca.
Vende-se na ra da Madre de Dos a. 38, ar-
mazem.
Gomma
muito superior em barricas ;- vende Francisco Go-
mes de Maitos Jnior, na ra larga do Rosario nu-
mero 2i.
Saperior cal de Lisboa
Vende-se superior cal de Lisboa a mais nova
que ha no mercado lano em porrao como a reta-
lho pfir barato preco, alBangando-se aos compra-
dores a superior qualidade: a tratar as seguin-
te ras : do Crespo n. 7, Imperador n. 28, Forte
do Mallos armazem do Sr. Avilla defronie do tra-
IMChe do algodao.
Estas machinas'
podem descarocar'
qualquer especio
,do algodao sem
ostragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pode-
descarocar urna
arroba de algo-
dao em carogo
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por da ou a ar-
robas de algodo
limpo.
_ Esta machina
0 a nica n\u
possue as vantagens de nao destruir o fio do al-
godao e de fazer render o dobrode qualquer oa-
tra cora menos trabalho, a sua introduccac nafa
as provincias deste impeno ser de muito, va o
para todos os interessados na lavoura do naiz
Assim com machinas em ponto grande do mes-
mo systema,oraql serem movidas8 por anias
agua ou vapor, pas uaes podem descarocar 18 ar'
robas de algodao ampo por dia.
O algodao descarocado por estas machinas !-_m
muito mais estimacao nos mercados de Enrona e-
vende-sepor maiorpreco. v
As machinas se aciiam venda unicamenie
laSil Q6
Sauders Brolhers k C.
X. II, praca do Corpo Sanio
_ RECIFE.
Os nicos agentes neste pa.
em
ATTENjO.
\ende-se na ra do Imperador n. 14 vinho ver-
de a 560 rs. a garrafa, assim como urnas concha
para balanca, forradas de metal, e as competen"?
crreme?, c um moinho grande para caf.


i ii rrv/Fi l
TT


V
*.. .



DUrio te PgrawkBM %e\t* felra 9 rfc NeteiMfcrt ie f M4.

ALLIANOA
NEM COROAS NEM MITRAS
57 RA DO IMPERADOR 57
Paulo Ferreira da Silva b Companhia
Grande sortimento de molhados em grosso e a relao. Uaico armazem que mais
vantagens offerece ao publico.
Desenganem-se todos.
H O
O
o
o
i: o


Amendoas
800 rs.
PARA
S. JOO
de bonitas cor
Alli;iu4,a o verdadeiro homem do progressso.
A i lianza o verdadeiro e principal armazem de molhados.
Al!lan^a o armazem que vende mais barato.
Allian^a o armazem que vende os raelhores gneros.
Ailianca o armazem onde preside o melhor aceio.
Fiquem todos sabedores desta verdade.
Venham todos ra do Imperador n. 57.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
AS FESTAS
DE
E S. PEDRO.
confeitadas de bonitas cor dem de Hollanda em garrames com 24 gar-
libra. rafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
dem de casca muito nova a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
Avelas a 2oo rs. a libra. i zados a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a i,2oo, l,4oo e l,6oo rs. cada! 800 e l.ooo rs. as garrafas grandes.
uma. Mantoiga ingleza perfeitaraente 'flor a 800
dem em frasco de vidro com rolha do mes- j e 96o rs. a libra.
mo ou de metal, a l,2oo e 1, 'too rs. cada dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
um, a libra, e 58o rs. em barris inteiros.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada Marmelada especial dos melhores fabrican-
um. tes de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, ha
dem em latas de 1 '/j e 3 libras a I.2oo e' latas de diferentes tamanbos.
2,000 rs. Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o
Arroz da India Maranho o melhor que se' rs. cada urna.
pode desojar a loo e 12o rs a libra e dem para soda estrellinha, pevidee rodinha
2,800 a 3,4oo rs. a arroba. -I em camuas sorlidasa 3,ooo3,5oors. cada
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e urna e 5oo rs. alibra.
4,800 rs. a caada. 1 dem macar; o, talharim e aletria a 4oo rs. a
dem francez clarificado em garrafas bran- j libra.
cas a 9oo rs. cada urna, e 10,000 rs. a i Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
caixa com 1 duzia. rs. cadaura
Alfazema muito nova e limpa a 32u r. a li- Meno ingle/, m garrafinlias com rolhas de
bra. vidro a 64o rs. cada urna.
Alpista a I6o rs. a libra e 4,6oo rs. a ar- Marrasquinho verdadeiro de Za l.ooo'a dja -
O
E
GRAIDE
DE




roba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiacs em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e de 3 */j libras a 1,80o rs.
e era libra a 04o rs., estas bolachinhas
torna-se muilo recommendavel com espe-
cialidade para os doenles.
Biscoilos e olachinlias de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em cartoes e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 160 rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,000 rs. a bar-
rica. __
Champagne das marcas mais superiores que
at hoje lem vindo ao nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo e I,5oo rs. a garrafa
inleira, c 800 rs. as meias.
Cha uxiui o melhor que se pode desojar, c
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra.
dem perola de esp cial qualidade a 2,600 e
2,8oo rs. a libra, garante-se a qualidade
d'este cha.
Idemhysson o melhor que possivel encon-
trar-so a 2,4oo e 2,Goo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2ooe l,4oo rs. a libra.
dem prelo muilo fino a I,Goo rs. alibra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a l.ooo, l,2oo e l,4ou
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fol-
lado de Simas em '/*, caixas das seguin-
tes marcas: Parizienses, Suspiros, Dili-
cias, Napolees e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores ,a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de oulros muitos fabricantes e de dif-
ferentts marcas para ,Soo rs. as meias
caixas, de suspiros a l,6oo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas, inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a l,ooo
rs. a garrafa.e lo,ooo rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e9,ooo rs. a luzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 e 9.5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. ocaixo.
Ervilbas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
1,000 rs. cada nma.
dem em Utas ermiticamente lacradas a
l,5oo e 2,5oo rs. cada urna.
dem em caixas de *ft arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata c 1,000
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 560 rs. o frasco
dem de laranja a 1,000 rs. os frascos gran-
des e H,oo rs. a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a loo rs. cada
urna.
dem em garraoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
agarrafa, lo,ooo rs. a caom 1 usi.xrc a
zia.
Nozes muilo novas a 16o rs a libra.
Prezunto de fiambre superior a 600 e 800
rs.
dem do Porto para panolla a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. 1 libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
RA DO IMPERADOR M; 40
Junto ao srbrade en que mora e 8r. Otbftrne,
Para a festa de Santo Antonio, S. Jofto e 8. Pedro.
Duarte AI melda Se C, receberam de stia propria encommea-
la 0 mata liado e variado sortimento de mol ha do, proprios
da presente staeSo.
Macas brancas
para sopa a melhor que se pode desejar,
macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 4^500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2*800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 1)5 c 1(5200
a garrafa e de 100 a 12$ a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisso & Filho,
F. A M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muilo.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 1#800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 2#400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120f* A
NOVA EXPOSIQlO DE GNEROS
NO
y
ARMAZEUI
DE


tvit % m&&
V. 9 RA RO CRESPO Jtf. 9
.
Esquina que vtlta para a roa de Imperador
E provavel que nao seja bem aceila a verdade, miando a boa f de todos anda
Iludida por esta epidemia de nauzealicos annuncios de cornetas, tambores, coras, mi-
tras, etc., que todo o dia enchem as paginas deste jornal.


Manteiga ingleza
da safra nova vinda neste vapor de 28 de
imio a 800 rs. a libra.
Haatelga franceza
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril
a 300 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2/?400, muito propios para mimos.
CartOes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1(5300.
Chocolates
de todas as qualidades a 10000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2#6oo.
Queijos
ALERTA
Os annunciantes nao lem em vista senao garantirem ao respeitavel publico a
sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas subsistencias eno para
assentarem fortunas a forca da regra de liga como outros annunriantes deste genero
PARA TORO
No armazem principal vende-sc a todos pelos pregos marcados na seguinte ta-
bella, mas nao se vende por todo o preco fazendo-se peso de arroba hespanhoa, garan-
te-se as qualidades dos gneros trocando-se lodo aquelle que nao seja do agrado do
comprador.
bra.
Cervejas
Amendoas confeitadas de diversas cores a
64o rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas, a 1,2oo e 1,5oo rs.
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs.
dem era frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 '/i libra a l.loo rs.
Arroz do Maranho e da India o melhor que
ha neste genero de 8o a loo rs, a libra, e
de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libra.
Azeitonas muito novas a 2,ooo rs, a anco-
reta.
dos melhores fabricantesje de todas as mai
' cas de 4(5500 a fi;5500 a duzia.
chegados no ultimo vapor a 2#60O cada um.
Queijo C-ARUTOS
londrino o mais fresco que se pode esperar charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
e de excellante maree a 800 rs. a libra meias caixinhas a 500.
sendo inteiro e > 900 rs, a retalho. Arroz
Conservas inglezas do faranffo a 'OO rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2OO a 30000 a ar-
oulros a l.ooo rs. a latas.
Palitos para denles a 14o e a 16o rs. o mas-
so dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs, a.li-
bra, c a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a du/.ia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor, a 3,ooo
dem prato muito fresco a 8oo e 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que at ho-
je tem viudo ao nosso mercado a 8oo rs.
a libra.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs,
cada um.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
duzia, e 56o rs, a garrafa,
ardiuha de Lisboa e Nantes em quartos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sfag muilo novo e alvo a 24o rs. a libra.
kvadinha de Franca 18o rs. a libra.
loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
9,5oo rs. a cai-
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e I#200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
roba desses que vendem por 3(5400.
CAF
de 1.' e 2.* sorte do Rio de Janeiro a 8;>5f
e 8(5800 a arroba, e 280 a 300 rs. a lib?
Garrafdes
com 4 {'i garrafas com vinagre a 1;5000#
o garraf3o.
GENEBRA DE LARANJA
qualquer nao pode vender por menos de A^An-~.
M a 25600 verdadeira a 10000 o frasco, e de 11 #000
a caixa.
DEM
cm frasqueiras de Hollanda a 5,5800 c
12 frascos.
GENEBRA
,de Hollanda verdadeira em frasqueira a ooo
Massas amarellas rs. cada uma.
talharim e aletria a PALITOS
dem perola
especial qualidade a 700 rs. a libra'.
dem hysson *
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
morcado o GOO.
para sopa, macarrao,
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
vada a
roba.
Tiuques de. 1.a qualidade a
xa, e 2io rs. a caria.
Toqciriho novo de Liiba a 2o e 32o rs.
libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 6oo rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muilo fresco nao levando com-
composicao a 56o rs. a garrafa, e 4,ooo
rs a caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a l,2oo rs. a garrafa, ga-
ranle-se que por este raesmo preco d
preiuizo e so se encontra u'este arma-
zem.
dem do Porto era 'caixas com 12 garrafas
das feeguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio Dno, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e lo,ooo
rs. a caixae 9oo e l.ooo rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a 1 ,ooo rs. a garra-
fa, e o.ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs.. a caada.
dem em garraffis com 5 garrafas a 1 .ooo
rs. como garrafo.
Vassoura do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cadi uma.
dem de fscova para esfregar casa a 36o rs.
cada un la.
Velas de lespermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o era caixa.
dem de carnauba refinada e de composicao
a 36o rs. a libra, e de lo,ooo a il.ooors.
a arroba.
480 rs. a libra.
((m;\\( e2ors. cada caixinha.
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo' LICORES
rs. a garrafa e de outras muilas qualida- finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
desa l.ooo e 8oo rs. a garrafa. com uma duzia e a l,ooo a garrafa.
copos Marmelada
^^JMSi : lu n00 FS- a dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
dosa, e a 440 e 5oo rs. cada um. jam Abreu e mm rauil0s a 6oo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
RA DO QUEMADO NUMERO II
Loja de fazendas d* Augusto Frede^ico dos Santos Porto.
Liadas enapellnas e chapeo* para senboras.
Chegaram a este eslabelecimento as mais modernas chapelinase chapeos para sentars.
Superiores cortes de la de barra de 105 a 20. .
As mais superiores capas e soutembarquos de seda preta ecaseuiira de ires para senhoras de
94 al S0#.
Excellentes laas para vestido a 320. 500, 560 e 600 rs. o covado.
Cassas e organdys de cores a 40 e 320 rs. o covado.
Os melhores tapetes para sof com riquissimos desanos.
Lencos de canbraia de linho c fil bordados a \i> cada cm.
Superiores casemires mescladas de diversos goslos lano eia pegas como em corles.
E outras muitas fazendas como sejaiu: purcalles Gnlssimas, brolanha, ileeias, esqniio, silis-
trma preta muito flna, canto para vestidos do lulo, grosdouaole de bolitas cores e as superiores
Estclras para ala.
As pessoas que prelenderem forrar suas salas ou gabinetes, encontrar*) nesie eslabelecimento
melhor -aqualidade de esleirs de todas as larguras e pelo oai* mdico prego,
Ihor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 2#200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3(ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 5Go rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas aovas
em caixas de 2 arrobas a 5# a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas uiuii novas
em quartos e inteiros a 2,-> o quarto e 61500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 880 rs. a ubra e 140 rs. o pao.
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego,ginJae
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 1# ocaixe.
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
i ,4oo rs. a libra
Vinagre
PRRem ancoretas de 9 caadas a l.ooo rs.
cada uma.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e i ,ooo rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 4)5400 a arroba.
Os propietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declarara aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commod'dade de todos es-
tipularam os mesmos preces nos seguintes lugares:
Unio e Commercio na do Queimado n. 7
O Verdadeiro Principal roa do Imperador n. 40


.
'
FMJCTAS
mrii. PURA* B UVAS
chegadas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes lugares: Ra do Imperador n.
40, Verdadeiro PrincipalRa do Queinado n. 7, Unio e Commercio.
Salitre refinado, superior qualidade, vinho )Bor-
deaux, differentes qualidades, mais barato qne em
qualquer parte : no armazem de E. A. Burle &
C, ra da Cruz n. 48.
1 i i 111 r
Fartnra de sabonetes
A Aguia Branca receben um completo sortimen-
to de sbemete?, e quer distribui-los com toda a sua
freguezia que compra a dinheiro vista, por isse
os est vendendo pelos baratissimos preces de 15-
IJSOO, l#300, H, 2&W0 e 3j a dnzfa, sendo es-
tes de cores e cora diversos moldes e figuras, e
outros transparentes a 2500, 3 e-45000 a dazia.
Estes ccommodados presos serrem bellamente
para que todos laem suas mSo*, lencos, etc., etc.,
com cheiroso sabonete, e uma vez que haja dinhei-
ro, dirijam-se ra do Queimado, loja d'Aguia
Branca n. 8.
Bichas haiabargnezas.
Na ra Nova a. 61 delfonte tfs Itlms. cmara
municipal, veudem-se constantemente bichas novas
por menos i& o cento que^m outra qualquer par-
te : recebem-se por todos os vapores.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira qualidade a
IOjJ a lata : nos armeos da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
AUencM.
Vende-se superior vinlw do Forto em caizas de
urna duzia: em casa de Jobostoo Pater &. C, ra
do Vlgario n. 3 _____________
Scieacia aos cliarissimos i raaos ter-
eeif os de Sao Francisco
Na ra da Cadeia, loja n. 44, existen cordoes
do verdadeiro esparto para uso dos irmaos profes-
sos, preparados com toda a perfetgao seu prego
cotnmodo.
Predios venda
Vendo-se o sobrado de um andar e soto sito ba
ra do Foso n. 35, em chitos proprios, com quin-
tal, cacimba, etc., rende actualmente 47000 men-
saes ; uma casa terrea na ra da Gloria na Boa-
Vista, tambem em chaos proprios, e rende 20# :
os jiretendentes desde j poderao examinar os re-
feraos predios, e para informaijoes poderao enten-
der-se com o agente SimSes era seu escriptorio na
ra da Cadeia do Recife n. 48, primeir andar.
i ILEGfVELl
Lentilhas muito novas excellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades de
7oo e Ooo rs. a garrafa.
.Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo rs.
a libra, desnessesario mais elogios nes-
te genero que s se pode verificar com a
vista.
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
ou meios a ioo rs.
Marmellada do 1 labricante de Lisboa a 6oo
rs. a libra, ha latas de 1, 4/a e 2 libras.
Maca de tomate em latas de uma e duas li-
bras, a 6oo rs. a libra.
dem para sopa estrellinha, pevide, rodiaha,
etc. a3,5oo rs. a caixa e oo rs. a libra.
Macarrao, talharim e aletria a 4oo rs. a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a ioo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p a 6io rs. o frasco.
. .. *......o--------v... ^.z u um io. u uaaiu.
Alpista lunpo a 14o rs. a libra, e i/too rs. a Molho inglez em garrainhas com rolha de
i i' i-.-', 1 .-i ..!J..n ~ '_______ i
arroba.
Rolachinhas de Lisboa da fabrica do Reato
Antonio de diversas qualidades, em latas
de 6 e de 3 libras a 3,ooo c l,ooo rs. a
lata, e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e de 1 libras
das melhores marcas a (,3oo e 2,2oo rs.
a lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em caixas de 2 e de 4 arrobas a
1,1 oo rs. a arroba.
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e Ooo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li-
bra.
Ident'perola qualidade especial a 2,Too rs.
a libra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4oo c 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a l,3oo
rs. a libra.
Idempreto homeopataico 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, suisso e hespanhol a
l,ooo, l,2ooe l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos'; Furia
do de Simas e oulros da Rabia romo se-
jam Regala, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l,6oo, 2,ooo, 3,ooo e
4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de uma s quali-
dade de cada frasco a 5oo rs.
Cognac inglez e francez a l,ooo rs. a garra-
fa, e Io,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Gravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a l,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua c vinho a 4.8oo,
5,ooo e5,5oo rs. a duza, e 5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,5oo a 0,ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o c 3oo rs. a \>**>
c 8,ooo a 8,5oo rs. a arrolla.
Doce do goiaba a 6oo rs. o caix*0-
Ervilhas portuguezas em lata-> chegadas l-
timamente a 7oo rs. a ls*-
dem seccas a 16o rs. a '-ora.
dem j descascadas s "2oo rs. a libra.
Farinha de afaruta verdadeira a 32o rs. a
libra '
Fjtw em caixinhas bem enfeitadas a Ooo rs.
cada uma.
Graixa nova a loo rs. a lata, l,loo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda era frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada uma.
dem em garrufe*; de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l,ooo rs. o fras-
co, e H,ooo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida Suissa a
1,800 rs. a garrafa.
vidro a 64o rs. cada uma.
Marrascbino verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafa, c lo.ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro, ga-
rantindo-se a qualidade, a 7oo rs. a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a libra, e
6,5oo rs. a caixa.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes qualidades, sabel, corvina, go-
rz, cavallinha e pescada a l,ooo rs. la-
ta.
Palitos para denles lichadas a \ 4o rs. o ma-
go de 20 macinhos.
dem do gaz a 2uo rs. a duzia, e 2,loo rs.
a groza.
Painco muito novo a I6o rs. a libra, e 4,5oo
rs. a arroba.
Queijos flamengos do ultimo vapor.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra, e
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Sardinhas de Lisboa e de Nantes a 6oe rs.
a meia lata, e 4oo rs, o quarto.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sanlinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevadaa loors.alibra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 3oors. a libra.
Tijolos para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa c Figueira das
marcas menos conhecidas a 4oo rs. a gar-
rafa, ea 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira expecialmente escolhide^este
lugar a fJoors. a garrafa.e 4,5oe-iCanada.
dem Lavradio, Colares mui^iresco sem
composicao a 6oors. agar-'3e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em anc-as com 0 caadas mar-
ca especial a*-000 rs. a ancora.
dem bran~ uva Pra a 5Co rs. a garrafa,
e a a,jOO a caada.
Irle Porto fino em pipa a 56o rs. a garra-
13
dem engarrafados generosos, Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I, Pe-
dro V, Nctar, velho secco, Malvazia, e
genuino particular de Ooo at,2oo rs. a gar-
rafa e a lo,ooo rs. a caixa com uma duzia.
dem Madeiralegilimo a l,2oo rs. a garrafa,
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a looo rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marcas St.
Julien St. Esteph, chteau la Roze.chatau
Margoux e outros a 6,ooo rs, a caixa e 56o
rs. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2,ooo
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. agarrafa e l,4oo
rs. a "carida.
Idom em garrames com 5 garrafas a ,ooo rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cskla uma.
dem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada uma.
Vellos de espermacete superiores a 58o rs.
a libra, e sendo em caixa a 52o rs.
dem de carnauba refinada e dV composicao
a 36o rs. a libra, e lo,5oo e 1 l,ooo rs. a
arroba.
XAROPE TNICO REGENERADOR
DE QUINA E DE FERRO
Preparad por CBlMAUl/r e O, pharmaeeutcos deS. A. I. o Principe Wapoteo, laareadoi
da Estola de pharraaa de Pars, ra de la Feuillade, 7.
Est* nova combinaco rene debis* de ao pequeo volnme nma forma agradavel e um gorto delicio.
Ha multo que os mdicos deseja vao ardtntcmenle a reaniao destea doua iflIrMifwtfoi, todavl, apoar
doa malores aforeos, nem a (ciencia medica, era o* qumicos 01 mais diatincto o poderle congu-
at aqu; gracu orean i persevtranea humana aeho-se hoje asaociadas estaa dnas poderoiu autstan-
cias, a qniM, o tnico, reataundor por xeeUeneia, o ferr, a bata de nono sangue, e coMe/uinte-
mente o reparador dos forcaa e da saude alterada ou perdida.
Aa molestias contra a quaea o Xarope tnico regenerada; ae tem mostrado multo efflcax aao /* ataa-
norrheias, faltas de mcnstruacSo, dore* d'eatomago, fastio, dlgestoes penosas e tardta, lMIrrbraiicat,
menatruaedes dTiceis, o IvmpbaUamo, o empobrecimento do sangue, aa escrfulas, m etragorprodido#
pelas molesUas svphilitlcas.
Ha apenas um anno que o Xarope de quiaa e de trro foi appllcado nos b
boje o medicamento mais em voga, substituindo, por assim diier, os medicamentos
0 prospecto encer ra numerosos certificados de muitos nMtnbros da Academia de
da faculdade que attestu que este precioso medicamento conservador da s
6 o reconstituate da economa animal, indiapeosavel pessas que habttSo os
preservativo das epidemias.
Acka-se i veada no deposito geral, em Pars, aa pbannacla erlstumlt o, r*> de la Fenlade, 1
em Lisboa, em cata do Snr n4ri| cet-car*aiaM. Mni e c! no P/<, ateaaada,**
Sflr mi url /of *t sansa Ferreira no Rio-de-Janeiro, em casa da vlava W** *. na *
Sabfio, II; na Baha,em casado S6r Joa-curttnorcrrelra-Enplnhelrai nrno-Crond,emcasa do
Sr Jaaqula de Godoy; no afaranho, em casa do Sur Ferreira e C PrrnaaibiMi, em cata
do SAr Bartiioiamru franci.ro de souzaj em casa doa-Snrs shanm *, e bem assim aas prm-
eipaes pharmaeta do Braxtl e de Portugal.
s, e e elle
coaliecido.
profcaaoras
excaUencia, a
quentea, como



*3
Deposito geral em Pernambuc roa da Cruz n. 22 de emcasaCaros A Bar*oza.

i
PRINCIPAL <


9


Diarto t ratmtmbnf Sexta lelra t de Srcmhro 4e l 4.
Grande liquidadlo.
Roa Imperatriz n. O.
Leja de fweiidas de Patio de flama & Silva.
Acha-se este estabeleciment completamente
M" s o Pavo (a 0OO).
Quera tem bales por tal preco I
Vendem-se o baldes americanos muito superio-
res com 120 e 25 arcos pelo baralissimo prego de
2^300 e 45, ditos de 25, 30 e 35 arcos *om filas,
sortido de fazendas inglezas, francezas, allemaas e muito bem armados e tambem tem cores escuras
suissas, proprias tanto para a praca como para o pelo barato preco de 35500 cada um : s na I o i a
matto, prometiendo vender -e mais barato do que do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
em outra qualquer parte principalmente sendo em Silva.
Sorco, e de todas as fazendas dio-se as amostras,
eixando flcar penhor, ou mandam-se levar em
casa pelos caixeirosda loja do Pavao.
As caitas de Pavao.
Vendem-se chitas inglezas claras e escuras pelo
barato prego de 240, 260 e 280 rs. o covado, tintas
seguras ; ditas francezas de cores segaras a 320,
340,360, 400, 440, 480 e 500 rs. o covado, faz muito superior e bonitos padroes : s na loja do
Pavao.
As lazinhas da exposiro do Pavao.
Vendem-se lazinhas as mais modernas que
tem vindo ao mercado, proprias para vestidos e
soutembarques or seren lisas e de cores muito
0 Pavo vende para luto.
Vndese superior setim da China, fazenda toaa
de la sem lustre tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, capas, paletots, caigas, etc.,
pelo baralissimo prego de 25, 25200, 25500 e 35 o
covado, cassas pretas lisas, chitas pretas largas e
estreitas, manguitos, colannhos, pnnhos, e enfeites,
tudo preto proprio para lulo fechado, e mu i'.os on-
tros arligos que -se ven Je ni por precos mais em
conla do que em outra qualquer parte por estar
liquidando ; s na loja do Pavao ra da Impera-
triz n. 60, de Gama & Silva.
As percalas do Pavoi
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-
delicadasa 560ea00rs.; ditas lisas com um lustre cado pelo ultimo vapor tem na loja do Pavao pelo
que parece seda a 640 rs. o covado, ditas com barato prego de 600 rs. o covado ; ditas de listi-
quadrinhos de seda oOO rs. o covado, s para ac- i nhas muito miudinhas proprias para vestidos e
bar : na loja e armazem de Gama 4 Silva, ra da
Imperatriz n. 60.
Os vestidos do Pavao.
Vendem-se os mais modernos cortes de vestido
de laa, que vieram pelo ultimo vapor, com ricas
barras de cor, corpinho e collete separado ; ditos
com listas de seda e tambem com barras e enfei-
tes para o'corpo, por preco mais barata do qoe em
outra qualquer parte, e se quzerem urna prova
do que se diz, manden) ver leja e armazem do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Os vesdos Mara Pia. S e Pavo (8(50001.
Vendem-se os mais lindos vestidos a, Mara Pia
de laazinha transparente com listas, e palminhas
de seda pelo barato prego de 85 cada corte : s
na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
As cassas do Pavo a 240, 280, 300, 320 e
360 rs.
S o Pavo vende as flnissimas cassas persianas
a imitacao de la, com cores xas, 360 rs. o co-
vado 5 ditas francezas muito finas 240, 280, 300
e 320 rs. o covado, isto para acabar : ra da
Imperatriz, loja de Gama & Silva.
Os madapoles do Pavo
Vende-se pega de madapolo infestado com 12
Sdas cada pega pelo baralo prego de 45, 45500 e
cada pega, fazenda muito superior : s o Pa-
vao ra da Imperatriz n. 50, notando que a pega
leva urna etiqueta com o Pavo pintado para nao
haver duvidas nem engaos : isto previne o Pa-
vo, de Gama & Silva.
Diamante de linho do Pavao
-1$. '#400. 200OO.
Vende-se o mejbor bramante de linho puro com
dez palmos de largura por prego muilo coinmo-
do, por ter de acabar a factura, a vara por
25200, 25400, e 25000 ; s o Pavo : ra da
Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Panno (le linho di Pavao.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para leees e loalhas de mito pelo
baralissimo prego de 640, 720 e 800 rs. a vara, al-
godozinho com oito palmos de largara proprio
para lenges, pelo baralissimo prego de 15 a vara,
assim como tem o melhor algodozinho tanto em
largura como cm corpo, proprio para lenges, ca-
misas deescravos, etc., etc., prego multo commo-
do vista da fazenda; s o Pavo : rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Algodozinho cora loque de avaria a 1,000 ris
e 4,800
Vende-se pega de algodozinho por ler um pe-
queo loque de avaria, mas que esta em bom es-
tado, pelo barato prego de 45 c 45500 a peca ; s
o Pavao : rua da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Os gaardauapos econmicos do Pavo e s do
Pavo
Vendem-se os mais lindos e modernos guarda-
apos econmicos e todo linho, tamo para as casas
de familia como para notis, bolequins, etc. ele,
pelo baralissimo prego de 35 a duzla, isto 10 11a
loja do Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Os soutembarques do Pavo i
9 el2g.
Vendem-se os mais linos soutembarques que
ronpes de senhoras, meninos e meninas, pelo ba
ratissimo prego de 500 rs. o covado ; garantem-se
as cores por serem do melhor fabricante que as
tem em Paris : isio na loja do Pavo rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
As chitas do Pavo *400 e
3800 o corte.
Vendem-se cortes de chita com dez covados
25400, ditos 25800, com 12 covados; sao chitas
Attenco
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permittido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
sea canto, afim de annunciar ao rcspeilavel publi-
co o grande sortimento de galanteras de melhor
gosto propriamente para qualquer mimo, que aca-
ba de chegar neste ultimo paquete, assim como
muitos outros objectos que recebe por diversos na-
vios, tanto de sua conla como de consignacao que
est resolvido a vender por pregos muito baratos
para vender muito e ganhar pouco, e dar extracao
o grande deposito que lem, que espera merecer a
inglezas, mas padroes bonitos e tintas seguras ; protecgo do respeilavel publico empregando para
assim tem as melhores chitas francezas e de un- j isso todas e as melhores diligencias para que fi-
las seguras por precos commodos, a saber : 320,! quern satisfeitos; islo s no Gallo Vigilante, rua do
340, 360, 400, 440, 500 rs. o covado : na loja do Crespo n. 7.
Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Os bordados do Pavo
Vendem-se camlsinhas com manguitos e golli-
nhas bordadas, pelo barato prego de 15 e 15280 Lindas jardiheiras.
cada um, manguitos s 500 rs. cada par, ditos | Ricos cofres com camapheu.
com golinha a 800 rs., golinhas 400 c 480 rs., de Lindas caixinhas com pedras brancas,
fil 240 rs. cada golinba bordada, romeira de | Lindo balo com calungas dentro, lam-
Ricos porta-joas.
Cofre de muito gosto por
Cestinhas transparentes forradas de ma-
dreperola por
165000
185000
IO5OOO
105000
IO5OOO
cassa o de fil muito bem bordadas 25 cada
urna, manguitos que servem para calcinha de me-
ninas 640 rs. cada par, camisa com manguitos e
golas com a competente grvala de seda, fazenda
lina, pelo barato prego de 35, e muitas outra*
bordadas que se vendem por precos muito em
coma : s na loja do Pavao na da Imperatrfz
n. 60, de Gama & Silva.
As roiipas do Pavo
Vende-se panno preto fino muito superior pelo
barato preco de 25, 25500, 35, 35500 e 45, dito
minio tino 55 e 65 o covado, casimira preta de
urna s largura e muilo lina a 15800, 25 e 2500
e 35 a covado, cortes do casimira de cores a 65,
555OO e 65, casimiras enfestadas de urna s cor
proprias para raigas, paletots, coletes, capas e para
milpas de meninos a 35500 o covado, isto na loja
do Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva._________________________________________
Yenda de predios
em particular ou em leilo.
Vendem-se tinas propriedades de casas conti-
guas, de dona andares e solo, com grandes arma-
zens oceupados actualmente peloSr. Feliciano Jos
Gomes, para o trafico de assncar, sU>3 na rua de
Apollo ns. 34 e 36, edificados pelo actual proprie-
taro, com ptimos alicorees, superiores madeiras,
e acabados em 1861, tendo ambos 52 palmos li-
vres de paredes, de largura, e os altos "do de n.
34, e o primeiro andar do do n. 36 215 palmos de
comprimento, o segundo andar do de n. 36 tem s-
menie 120 palmos de comprimento, com um ter-
rago, e os armazens tem 340 palmos de compri-
mento cada um. tendo ambos tambem frente para
a rua do caes de Apollo, e o de n. 36 tambem para
a travessa do antigo porto das canoas : os preten-
dentes estes valiosos predios queiram dirigir-se
ao seu proprielario Antonio Botelho Pinto de Mes-
quila na rua da Cadeia do Recife n. 64, segundo
andar, ou ao agente Oliveira na mesma rua n. 62
165000
950OO
65000
65000
65000
e pre-
lllO
Vende-e tenas fl tijolhos pelos pregos que offe-
reeerem os compradores, sendo dinheiro a vista :
rua dos
teem vindo ao mercado, sendo de caxemira de co-1 "as otarias de Jos Carrceiro da Cunha,
res pelo dininussimo preco de 125 cada um, di- Prazcrcs, nos Colhos. _____________
tos de musamhiqie pelo diminuto, prego de '.'>. so
na loja do Pavo, mas que se noenganem : rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Atoalhado do Pavo.
Vende-se panno de lindo adamascado proprio
para toalhas de mesa, pelo diminuto prego de 25300
rs. a vara, guardanapos de linho a 35 a nuzia.
bem para joias.
Tambalier para ditas.
Cestinhas ditas.
Cosmorama ditas.
Urnazinhas.
S no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos poria bouqueles de diversos gostos
gos; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
lucos siiilus
com bolcinhas ao lado, a 105, 125 e 155, ditos sem
bolga porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35o00
45000.
Ricas fivellas avulsaspara sinto, o melhor que se
pode encontrar, a 15500. 25, 25500 e 35 o par;
s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Cabazes on cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-'
bazes para meninas trazerem no brago, o mais rica
possivel a 25500, 35500, 45, 55, 75 e 105; s no
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alizar como para atar cabello, os mais lindos
que se pode desejar, assim como de arregagar ca-:
neU.0, tanto de borracha como de tartaruga com en-
feites e sem elle para menina; s no Vigilante, rua
do Crespo n. 7.
Pentes
lambemchegaram os riquissimos pentes de concha
de tartaruga e de massa fina, que se vende por 25,
35 e 0$; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Leques.
Riquissimos leques de madreperola tanto para
senhoras como para meninas, pelo barato prego
de 125 e 145; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Mais leques
com pequeo defeito, leques de sndalo com pe-
queuo defeilo por barato prego de 85 e 105, ehi-
uezes^muito bonitos tambem, pelo baralo.preco de
45 e 5, bentarallos muilo bonitos, tamben) por ba-
ralo prego de 45 e 55, leques de eharo tambem
por 45, tudo isto para acabar, perdeudo-so tai-
vez 80 por cenio: s no Vigilante, rua do Rrmn
Sapathihos e mrias de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
fei lados, assim como meiaszinhas de seda, gorrazi-
nhas e louquinhas para as cnancinhas se baptiza-
ren ; s no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Voitinhas.
Liadas voitinhas de perolas falsas com crotinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avulsas
e voitinhas, pelo barato prego de 15 e 15200, as
cruzes avulsas a 400 rs.; s no Vigilante, rna do
Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquissimas golinbas'e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e 35; s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Riquissimos enfeites com lago e sem lago e de
outros muitos gostos a 15, 15500 e 35 : s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
Trancelins.
Lindos trancelins oe cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinhos eitrenieios.
Riquissimos babadinhos ntremelos com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15500, 25 e 35; s no Vigilante,
rna do Crespo n. 7.
Casearrilhas.
Grande sortimento de casearrilhas de diversas
larguras, assim como galozinbo e trancinbas pro-
prias para enfeites; s no Vigilante, rua do Cres-
po o. 7.
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e qualidades, por pregos que admirara aos com-
pradores, havendo fitas largas proprias para cin-
teiros que se pode vender a 300 rs. a vara, e pega
de 9 varas a 25; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Fitas de la.
Fitas de la de todas as quadades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a pega; s no Vi-
gilante, ruado Crespo n. 7
Rices espelos.
Riquissimos espelhos com moldura dourada e
sem ella de 85, 105, 125 e 145, assim como com
columnas de differentes tamanhos a 25, 35,45, 55
e 65; s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarres e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina,
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu
tem apparecido; s no Vigilante, rua do Crespo
n. 7.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonecla para pos de arroz,
cousa de muito gosto a 15500 e 25, assjm como
pacoles s com os pos a 320 rs. cada um; s no
Vigilante, rua do Crespo o. 7.
Perfumaras.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como de lindos copos ou vasos com dis-
tinctvos e offereciinentos as sinbasinhas dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Inglater-
ra, assim como os grandes copos debanha japoneza
a 25 e a 15, assim como oulros objectos que nao e
possivel por hoje annunciar, e vista dos fregu-
zes se far todo negocio; na loja do Gallo Vigilante,
rua do Crespo n. 7.____________________________
Vende-se urna taberna com poucos fundos,
propra para principiante, c tem muitos co.mmodos
para familia, e no melhor lugar de commercio, na
rna Direila dos Afogados, e vende tanto para o
malo como para a trra ; e- tambem se vend urna
carroga de vender agua na rua, urna canoa de
800 lijlos e um cavallo de cor rodado e bom an-
dador : quem pretender comprar todos estes ob-
jectos, dinja-se rua Direita dos Afogados, padaria
n. 66, que vista dos compradores se far todo o
negocio.
Farinha de mandioca superior,
em saceos grandes : vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C., no seu escrlptorio rua da Cruz
n. 1. _____
Um Ilescobi atfio Espantoso!
0 Jluudo Scimlijro imnnimnmentc o upprova.
Vende-se
n. 7.
um negro idoso proprio para sitio sem vicio nem
achaque, por prego comraodo, assim come duas
vaccas boas leiteiras: na rua Real n. 71 (sitio no
Manguinho.)
Pulsciras.
v<
noe
da
esAjtorio de
CiflTn. 23, 1
Potassa.
111?, por commodo prego;
Antonio de Almeida Gomes, rua
andar.
Lindas pulSCias I< -nlae a do miannri,
e de muilo gusto a 15 e 15200.
muito 11
s pul
noas
-j.
Vende-se urna propriedade de trras no lu-
gar Marapir, margem do rio Tapacuni.com nal
principio de casa deengenho para moer canas, boa
machina de ferro e bons vasos, sendo os terrenos
muito bons e commodos para o maneio ; e ven-
dem-se uns animaes de primeira sorlc para o mes-
mo servigo : a tratar com Joo Vieira de Albu-
toalhas e mo a 55 cada duza, m loja do Pavo, j querque Lyra em Alagoa Funda, freguezia de Bom
rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. 1 Jardm.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha que as senhoras tanto.precisam para se-
gurar manguitos por ser muito commodo e muito
barato, a 320 o par; s no Vigilante, rua do gres- i
po n. 7.
Caetas.
Riquissimas canelas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baralissimo prego de
15500 e 25.
cidade ou em seus arrehaldes mais prximos, um
sitio com casa de vvenda, contendo 6 quarlos, 2
salas, cozinha e senzala, na estrada de Joo de
Barros, o primeiro passando a capella, do lado do
poenle : a tratar na rua do Rosario da Boa-Vista
njj8.
Estotros para forro de sala a
85" rs a jarda
Na rua Nova de Santa Ttita armazem n. 19, e
na rua do Crespo loja n. 17.
A (oiiiposifao Anaraliifita
Vloral de Kciiip,
Tor espago tensamente cm Tampieo para a cura TSICA PULMONAR,
CATARREO, ASTHMA,
BRONCRTFE, TOSSE COHVLSA,
CRPO O GARROTUHO, e
Inflamma9des da Garganta e do Peito,
c isto coru um resultado to feliz e verdadei-
ramentc assombroso o pao ou madeira (Turna
arvore que cbaroao Anacahuite, c que s
se encoutra no Mxico.
A Composifo Anacahuita Peito-
ral de Kemp e' un Xaropt delicioso, intei-
ramente differente na sua componalo ele
todos os mais Pcitoracs e Expectorantes ma-
nufacturados de fractos astringentes, cascan
e raizes, Ac, o mesmo nao conten nenhum
Ai-ido Prusnico on outros quaesquer ingre-
dientes venenosos.
Todas as molestias c affeccocs da garganta
c dos pnlmocs dcsappareccm como por um
mgico encanto, mediante a accio leste in
comparare) e irresistivcl remedio.
A venda as boticas de Caors A Bar boza,'
rua da Cruz, e Joao da C. Bravo 4 C, roa
da Madre de Dos.
Empieza da illuminaco gaz.
Todas as vendas de apparelhos e recamages
(por escrpto dando o non, morada, data, etc.),
devem ser leitas no armazem da rua do Imperador
n. 41. Os machinislas mandados para attender a
estas, apresentaro um livro que os reclamantes
devero assignar logo depois de prompto o servigo
reclamado; islo para que a empreza lique scienie
de haverem os mesmos senhores sido devidamente
attendidos._____________
INJECCAO BROW.
Remedio infllivel contra as gnorrheas
antigs e recentes, nico deposito na bo-
tica franceza, rua da Cruz n. 22, pre-
co 35
ADEREJOS DE MOSAICO
A apuia branca da rua do Qacimado n. 8 rece-
beu bonitos aderegos de mosaico e fino dourado, e
os esta vendendo por prego raioavel.
Pitas
para a irmandade do Bom Conselho, e cartas de
hachareis. Vende-se na loja da aguia branca rua
. do Queimado n. 8
Leques de saudalo, madrepero-
la, osso, etc.
A aguia branca recebeu um bello sortimento de
leques de sndalo, madreperola e osso, sendo elles
de diversos moldes e variadas core?, inclusive a
preta : agora, pois, quem comparecer com dinheiro
pode bem eseolher um bonito leque, na rua do
Queimado I ja da aguia branca n. 8.
Caixinhas para costura contras
com perfumarlas
A loja da aguia branca, onde constantemente se
1 vendem essas bonitas caixinhas com arranjos para
costura, acha-se mui Imn provida por ler'agora
recebido um bello soitmenlo de ditas caixinhas .
assim como ontras com tinas perfumaras, por iss.
quem quizer fazer um bom presente, tendo diataet-
ro dirjase rua do Queimado loja da aguia bran-
ca n. 8 que ser bem servido.
Boa tinta para marcar ronpa.
Vende-se na rua do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
Bons, bonitos e baratos.
A aguia branca tem a satisfaglo de communiear
a sua boa freguezia que ha chegado mais urna oc-
casio de provar a sua lomavel barateza, vista
da boa qualidade do objerto, por isso convido a
todos que tiverem dinheiro para se dirigirern
rua do Queimado n. 8, loja da aguia branca, aflm
de comprarem os objectos seguintes :
Bonilos collarinhos bordado-, e punbos com
boles, tudo por 15500.
Outros lisos, mas de linhe e tambem com botes,
por 15000.
Manguitos com pollinhas bordados por 25.
Dil>s sollos por 15-
Gollinhas de cambraia bordadas, obra muito
boa, por 500 rs.
Ditas do traspasso, tambem bordadas, igual-
mente finas a 15-
Lindas cannsinhas com peito bordado, gollinhas,
manguitos e grvalas, tudo por 55
Um grande sortimento de entremeios mui lar-
gos e bonitos; assim como liras bordadas, o que
pode ser de melhor, e mais perfeito, variando uns
e ontros nos precos.. conforme a largura, mas ba-
ratos em todo o caso.
Novas e lindas gaavatas brancas de fil, com
bonilos e dilliceis bordados (mui proprios para 0:
vestidos a Hara Pia) obra inteiramente nova aqu,
e de ultimo gosto, a 25 cada urna.
Bonitos vestuarios brancos com lindos e delica-
dos burdados para baplisados.
Diversas obras de porcelana
domada.
A Aguia Branca acaba de reeeber um bello sor-
timento de amostras de diversas e bonitas obras
de porcelana dourada, algumas das quaes por sua
novidade e bom gosto servem para o ieilo no an-
iversario do Hospital Portuguez, e outras para
enfeites de mesa, etc. ; j se v pois quem ti ver
dinheiro e-t habilitado a comprar qualquer des-
tas obras : na rua do Queimado, loja d'Aguia
Branca n. 8.
Fumo imperial
Cortado anal a" '""o" muilo piuprio para ca-
iiiuiuo, em latas de 1 libra, piando nao seja me-
lhor igual ao americano por 15-00 rs., para veri-
ficar a verdade os Srs. fumantes podem-se dirigir
fabrica vapor de cigarros amiga rua dos Qnar-
teis de Polica n. 21.
Charutos de Havana
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schafleitlin A C, rua da Cruz n. 42.
Charutos da Havana.
Vende-se superiores charutos da Havana em
casa de Babe Schmeltau 4 C.; rua da Cadeia
n. 18._____________________
Vende-se cerca de oOO esleirs do eerto o I
4 arrobas de sebo em rama : no armazem n. 19, i
rua nova deSanta Rita, ribeira do peixe.
ESCRAYOS FGIDOS.
Fugio na noite de 23 do corrente julho de
18G'i o escravo Jos, preto, crioulo, de 26 anuos,,
baixo, corpo regular, beigos grossos e estufados,
oreihas pequeas, e cachago grosso, pouca barba
poique tem apenas na pona do queixo, levoadaas
calcas, una branca e oulra de castor eseuro que
parece preto, de listras, paletot preto, sem camisa
e com una carapuga encarnada na cabega, a laia
de marojo : quem pegar leve-o rua Direita n.
S., Fugio na larde escravo pardo, de nomo Marcos, desembarcado
do hiate Sonta Auna, vindo do Aracaty, t&yjQ
de idade 28 annos pouco mais ou menos, e os sl^
naes seguintes : altura regular, secco do corpo\
pouca barba, cabello crespo, levon camisa e
caiga de algodosinho de riscado azul e cha-
peo de palha, tendo levado comsigo urna trouxa
com mais roupa, e rendido de urna das verilhas ;
quem o appreender queira leva-lo a rua da Madre
de Deus n. 38, ou rua do Brum n. 55, que sera
recompensado.
Fugio do engenho Guerra de Ipojuca um es-
cravo de nome Jos Muniz, estatura baixa, e
crinulo : quem o apprehender ou der noticia no
dito engenho, ou na rua da Aurora em casa do Sr.
Elias Baptista da Silva, ser generosamente re-
compensado.
LISTA GERAL.
00a
3:
DOS PREMIO. I|A PARTEDA O. LOTERA A BENEFICIO DA SANTA CASA DA MISERICORDIA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 537 DE 21 DE JN1I0 DE 1862 PARA PAGAMENTO DF rFl?7 . COM O TRATAMENTO DE ENFERMOS POBRES REMETTIDOS PELA POLICA, EXTRAHIDA EM I DE SETEMBRO DE 18(54. ".^i^as ja fhllAb
NS. PREMS- NS. PREMS- NS. ..

6
8
H
14
105
'-'.
37
43
44
45
47
55
58
(I
61
63
76
85
87
91
96
104
6
18
U
3
56
33
39
40
42
43
30
52
66
72
74
78
79
87
90
93
94
99
202
3
405
105
205
105
205
105
0
206
!)
10
11
12
lo
17
20
21
22
29
30
33
36
36
39
42
44
47
48
57
62
64
70
75
76
81
8o
93
95
96
302
3
6
105
205
105
405
EMS.KNS. PREMS.
2005
105
358
61
63
66
67
72
81
83
66
86
87
89
90
402
4
8
10
15
16
20
22
24
25
30
31
33
38
40
41
42
46
47
48
50
53
56
61
62
63
71
76
79
Si
92
97
99
500
4
9
lu.
405
105

19
22
23
3i
39
41
43
46
47
49 97 205
50 99 105
51
n
54
escrivap, Jos Pedro das Neves.
1005
105
205
105
205
105
405
105
".25 105
o.
40
45
46
47 -
53 _
63
71
73 -
76 -
77 -
78 -
80 -
83 -
84
87
92
93
93
96
600
6
10
13
17
30 -
31 10:0005
34 105
36
37 -
38
46
49
52
53
55
56
59
60
61
62
64
69
72
73
79
84
87
88
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
205
105
105
689
91
93
95
-04
,
7
8
H
13
15
19
21
2 i
27
33
41
43
44
45
47
52
53
62
65
O
74
76
78
79
80
81
84
85
98
801
5
6
8
13
26
29
30
31
37
38
47
48
50
53
105
40
105
205
105
2005
405
105
854
57
o1.'
63
66
73
74
78
88
91
94
95
902
4
8
14
15
22
23
5
27
37
40
43
46
48
50
33
53
63
64
65
69
74
76
77
79
87
92
97
1000
6
10
17
19
32
33
35
38
39
105
205
105
1042
44
50
52
54
57
64
69
70
72
i%
74
79
84
92
96
1114
24
29
30
31
34
36
38
41
44
46
54
63
64
65
66
71
75
76
82
85
89
90
93
95
1200
1
4
7
9
11
13
14
15
105
2:0005
105
105
205
105
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.,NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.[NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS.
205
105
405
105
1221
23
24
25
29
33
34
41
43
57
64
67
69
71
*;
80
85
87
89
91
92
93
96
1301
3
4
6
7
9
11
14
15
16
23
31
40
45
49
56
57
59
65
66
70
79
82
84
91
92
93
205
105
405
105
1005
105
1394
98
99
105
1400
4
6
13
17
18
21
25
29
30
37
38
39
48
49
52
62 _
65
68
69
72 1005
80 105
84
90
92
96 1005
99 105
1503 _
5 _
15
16
17
20 _
21
23
24
27
28
30
31
32 _
33
44
45
51
52
54 _
1556
62
64
72
82
83
84
85
92
94
95
97
1600
1
5
7
8
10
31
32
34
36
38
40
41
42
44
47
49
32
53
58
64
65
69
74
79
82
83
89
92
%
98
99
1701
2
4
6
10
12
105
205
105
105
205
105
1005
1005
105
1005
105
405
105
20
105
1715
18
19
24
29
32
49
51
54
69
75
77
82
84
86
93
1800
6
12
16
28
31
35
35
%
41

46
52
;
55
5
61
64
67
68
70
76
80
82
86
91
92
98
1900
1
5
6
9
14
105
205
205
105
205
105
205
205
105
2005
105
1913
21
23
26
31
37
38
43
47
49
51
52
54
56
59
62
67
71
74
79
83
86
87
98
2004
11
14
21
22
24
32
33
36
38
42
45
49
52
55
56
58
61
62
65
69
73
75
83
88
87
105
205
105
1005
105
205
405
2095
2108
9
11
13
16
25
26
34
35
36
40
44
47
51
52
53
61
63
64
66
69
71
72
84
87
88
90
91
94
96
98
2201
7
11
14
15
18
24
30
33
38
39
40
44
46
52
54
59
67
2005
105
405
105
205
105
205
105
205
105
405
105
2272
76
78
79
82
85
90
94
99
2300
4
8
9
12
15
23
25
26
28
31
32
35
40
41
42
44
46
52
55
56
62
68
77
78
81
83
87
89
91
92
96
97
98
99
2400
4
8
9
10
12
105
405
105
205
105
2416
20
22
26
32
40
47
oO
51
57
59
60
65
70
73
77
80
81
98
2505
10
18
21
23
24
30
31
34
36
37
38
40
43
44
46
51
53
63
64
66
68
70
74
80
84
96
98
2603
7
8
Pern
405
105
205
205
105
205
105
105
205
205
105
2610
15
16
19
23
33
39
42
43
44
45
46
49
51
52
65
56
38
61
64
65
69
70
73
74
79
80
81
84
86
93
94
99
2700
1
4
6
15
16
27
33
38
42
47
60
62
64
66
67
72
105
1005
W5
105
205
205
105

2773
79
80
81
86
88
94
2801
3
4
8
9
10
13
17
19
22
30
31
37
39
40
42
43
47
49
64
69
73
73
76
81
83
92
96
99
2901
2
3
7
9
10
14
17
19
22
24
25
27
32
105
105
405
105
405
105
2934
35
38
41
'i 2
47
48
51
52
56
58
62
C8
75
80
81
83
90
92
94
95
3004
6
8
14
15
18
20
23
24
29
31
54
57
66
68
72
74
78
79
88 2
90
95
97
98
3103
7
13
14
15
105
PREMS. NS. PREMS.
3118
20
24
105
105
5005
2005
405
105
:0005
105
405
105
205
=Typ. de Manoel Fgueiroa de Paria & F
35
36
41
46
51
5'.)
61
63
85
86
88
90
93
95
96
97
3208
9
10
11
21
22
23
30
31
36
49
51
53
54
55
56
62
65
68
70
72
76
81
82
84
96
3300
2
3
5
ho=
405
105
40S
105
5005
105
1864.
3307
9
11
14
23
26
31
33
39
40
44
51
52
55
58
61
65
73
74
76
77
79
84
92
95
96
99
3403
7
12
23
27
29
33
34
39
41
49
52
54
56
58
63
66
70
77
82
85
94
99
105
205
10
205
205
105
205
20
10
20
105
X
IILEGIV EL


Diarlo de Pernambneo Helia lelra i t Heiemhm de i*4.

LITTERATHA.

Queslo jurdica.
Os exames dos preparatorios
exigidos para a matricula das
Facilidades do Medicina e de D-
reito do imperio, que liiiham
mais de dous anuos ao lempo da
publicacp da nova le, |ue Ihes
altern o prazo da validad*, so
eotendem cernprchendidos em
soas disposigoes f
iuquietos c solcitos por ahi nndan os nossos
eoliegas, estudantes de preparatorios, por sabcrein,
se os exames de preparatorio?, que ja tioham com-
pletado o bieiinio na data da publicagiio da lei re-
cente, que Ibes ampliou o prazo da validade, se
achara ou nao compreheudidos as suas dispo-
sigo es."
Dizem-nos, que acerca desta queslo as opniocs
ja tem partido, entendendo ans, que sim, e outros,
que oo. Aimla que nao tobamos autoridad) para
proferir uo caso, todava, como, ragas ao espirito
da poca, em que vivemos, a qualquer coocedido
expender as suas ideas nos dominios do pensamen-
to, tomamos a liberdade, para nao dizer atrevmen-
10, de enunciar o nosso juizo respeito.
As leis, segundo pensamos, (fallamos das leishu-
manas) outra cousa nao sao senao regras, que o
poder competente estabeleep, para reger as aeges
dos membros da sociedade em suas relages, quer
entre si, quer rom a autoridade ou o estado. D'aqui
so segu, que ellas nao podem exercer a sua accao
eno sobre os actos praticados depois da sua pu-
blicacao, e nunca jamis sobre osados anteriores;
porque do contrario fura lirmar o absurdo, que o
cidado no exercicio da sua actividade social deve
antever e tomar por norma o que a lei futura tem
de estatuir.
Tal o principio, que os juristas expressam por
esta formula sacramental que as leis nao tura
effeilo retroactivo, principio este, que tem o seu
fundamento na r.izo e no bom senso ; e que tanto
tem de simples e claro, quanto de justo e salutar ;
nas que todava na pratica multas vezes topa em
diQiculdades e ditliculdades bem intrincadas.
Dito isto, entremos no objecto da questao.
Tendo vista a lei de 4 de julho do corrate auno,
sobre que se controverte, notamos antes de tudo,
que revogando ella a dfeposieo do art. 30 do Tegu-
mento de 24 de fevereiro de 1835, dilata por quatro
aunos a validade dos exames preparatorios, que o
citado regttlamento tinha limitado ao prazo de um
biennio ; suppondo alera disto, o que mui prova-
vel, que o fallado regulamento, cujo nao vimos a
integra, no artigo allegado, se aeha concebido na
rnesma forma da lei nova, o que d'ahi inferimos ,
que o objecto directo e immediato, que tanto ura
como outro regulam, a duraeao da validade dos
exames, sendo que somente indirecta e immedia-
(amente, que ambas essas Ieiseutendem com a ido-
neidade dos candidatos matricula das Faculdades,
d'onde resulta, que o lapso de lempo nellas marca-
do, s por si e independente de qualquer acto sub
..squenle, produzia e produz immediatamente a n-
validacao dos examas.
Ora, supposto isto, argumentamos assim.
Se os exames de preparatorios, que a queslo fi-
gura, tanto que completaram o biennio, por Torca
do disposto na lei autiga, que entao vigorava, ipso
tacto prescreverara, isto sem dependencia de acto
algura posterior, enes se tornaram ncniiuns,ecomo
.,o nao existir!, a salvo ala do lo.ia contostacao,
que ellas nao podem soccorrer-se do beneficio da
o0* lei, visto como para isso nada menos fura
aister, que altribuir a esta mesma lei a virtude de
fazer reviver o que ja tinha perecido, o que por
ceno encontra e repugna ao principio supra men-
cionado, que as leis nao tem effeito retroactivo. As-
sim, pois, se o nosso modo de encarar a questao
nao nos Ilude, o argumento, que acabamos de de-
duzir, irrecusavel em sua concluso.
Tairfbcm se pode pprguotar se os exames, que
anda nao tinhara completado o biennio ao lempo
da publicaeao da nova lei, esto no caso de gozar
do favor della. Nos respondemos, que sim. Ver-
dade que se nos pode objeclar, que os alumnos,
que prestaran os ditos exames, ex vi da lei cntiio
vigente s adquirirn direito a utilisar-se delles
por espago de dous anuos; c que portanto para se
Ihes fazer extensivo o beneficio da lei actual, tor-
ga llie dar um effeito retroactivo.
Esta razio coni effeito de peso e substancia :
mas contra ella se oppoe urna outra, que, ao nosso
ver, de muita conta e ponderarlo ; e que, se
a lei vertente, como toda e qualquer lei, comeg.m
a ter vigor na daiadesuapubli;aeao, ella nao pode
deixar de comprehender todos e quaesquerexame?,
que d'ali em dianto se aeharom as condires de
validade, que ella requer, a menos que isto se
nao opponha o principio da prescnpgo, que no
caso de colliso, como na primeira hypothe?e, sem-
pre prevalece. Tal o que se presume da mente
do legislador e o que mais se compadece com o
principio da eqjidade, que de grande uso em ma-
teria de jurisprudencia summum jits sitmma in-
juria.
Padre Estanislao Partir de Carvalho.
As mes intimas de Jajue Lambert.
A fragata Magua, depois de urna curia estaeo
em S. francisco, eslava na vespera da sua sabida.
Ura dos seus jovens offlciaes, o qual parecer preoc-
cupado lodo o da, dirigiu-se noute a um dos
seus camaradas.
Meu caro Lambert, disse, teuho ao mesmo
lempo um segredo a conflar-vos e um favor a pe-
dir-vos.
Fallae, respondeu Lamben.
Pois bem hoje mesmo fago as minhas des-
pedidas urna mulher a quera muito amo. Seu
marido, que nao conheco, tem estado ausente at
agora ; mas urna carta recebida por ella annuncia
a sua chegada a cada momento. Protendi nao ir
esla entrevista, e acabei por ceder. Serei mui-
to prudente ; mas corremos risco de nos surpren-
"erern. Desojara, para que nao succedesse urda
desgraca pobre mulher, poder conlar comvosco.
Esperareis ao alcance da voz as iramediaces da
casa. Se nenhum inconveniente apparecc, como
rae proponho de Ilcar apenas alguns minutos nes-
te ultimo rendez-tous, ira enconlrar-vos na estra-
da, e vollararaos juntos para bordo.
Depois elle deu-lhe as indicaces precisas para
conhecer a casa.
Lambert respondeu a seu camarada apertando-
lhe a mo : socegae, acompanhar-vos-hei.
Jayme Lambert era um pouco mais velho do
i que Gerbaud. Pensou que o seu amigo amava
sera duvida pela prtnera vez, e que exaggerava o
'perigo da situago. Comludo preveniu-se para
qualquer acontecmento. A's dez horas, nao tendo
o que fazer, foi um monte (casa de jogo). Ves-
t u-se burgueza, adra de passar desapercebido,
: e assenlou-sc n'um canto. O espectculo que um
j monte offerecia ness.i poca, pouco tem de-
pois da dcscoberta do ouro, era verdadeira-
mente curioso. A febre de jogo era extrema e a
dcsconfianca excessva. Todos os jogadores sem
; excepgo estavam armados, e alguns, recebendo as
| carias, tinham ao lado de si o seu revolver sobre
a mesa. Paradas consideraveis, representadas por
montees de ouro, excitavara a cubica em todos os
olhos. Os lances do jogo occasionavam frequente-
raentesecnas de desordem ou violencia. Lambert
observava urna mesa que Ibe Gcava era frente na
outra extremidade da sala. Nella grupavatn-se
trinta horneas de todas as edades, condignos e cos-
turaes. Sem duvida a mo que se ia jogar era
decisiva, porque renava grande silencio entre os
jogadores. O olhar de Lamben abraeava todos
esses horneas em geral sem Atarse em nenhum
em particular. Elle comprazia-se com este quadro
de physonomias apai tonadas, urnas reflectidas e
concentradas em si mesmas, outras esbaforidas
e sobresaltadas. De repenle houve ura grande
ruido mistralo de gritos e imprecacoes. Os jo-
gadores arrojaram-se sobre o banquero, que ca-
hiu ferido de urna facada. Esta scena durou pou-
I co ; ella cessou a instancias dos circumstantes,
I os quaes queixavam-se de nao poder jogar em paz.
A mesa era que foi ferido o banquero flcou deser.
ta, e o infeliz estendido no chao sem que ninguera
se afRigisse por causa delle.
Lamber! que tinha tirado o seu relogio, viu que
era meia noute e sahiu pressa. A casa que Ger-
baud Ibe indicara, eslava alguma distancia do
mar, e urna legua de S. Francisco. A estrada
era bordada de pequeas arvores formando bos-
que. Posto que Lambert camintuftse dcpr.a
experimentava urna grande sansfacao. Depois
da scena do assassnato a que acabava de assstr,
seniia-se como que acalmado pela limpidez do ar,
transparencia da noute. bom que totea do oscuro,
silencio da hora e perfume das arvores. Elle
dslinguiu a casa; era urna pequea habilacao
branca de gelosias verdes, com galera exterior,
no genero das villas italianas. Nenhuma luz bri-
Ihava nasjanellas. Lambert sorrlu. Sem duvida,
nesse momento, o seu amigo despedia-se da sna
bella amante. afrontara a marcha, quando um
tiro cuja flamraa pode ver, partiu cincoenta
passos de si. Agitado por um sombro presenti-
mento, precpitou-se, e achou Gerbaud com o
rosto contra a trra e o peto alravessado de duas
balas. Lambert levantou-o, arrochoua-o, e chamou
por elle. Gerbaud, cornos olhos muto abertos,
mas com o suor da morie sobre a fronte, reco-
nheceu o seu amigo, fez um supremo esforco e
di.e-hc : E' o marido quem me malea, mas vos
me viigarcis.
Fez um ultimo movimenlo, cahiu para alraz e
expirou Lambert, que tinha-se curvado para
elle, licou firme. Tomado de um sbito terror,
pareca-lhe que um outro liro ia tambera aitingi-
lo; mas tudo estava em silencio. Elle cobrou
animo e a s perguntou o que devia fazer do cor-
po de seu amigo. N.o podia carrega-lo, e repug-
nava-!he abandona-lo. Ouviu longe um ruido ca-
denciado de remos. Pensou, o que era verda-
de, que Gerbaud tinha pedido um boto para
esse poulo do litoral, e que o bote chegava. Im-
mediatamente correu para a praia e chamou pelos
marlnhciros a grandes gritos.
Siles responderam-lhe forcando os remos, sal-
taram em trra, e, conduzidos por Lambert, di-
rigiram-se estrada. No instante em que galga-
vara o talud, avistaram um hornera inclinado so-
bre o cadver e que examinava-o.
Este homem cujas feigdes nao poderam ver, por
que trazia urna parte do sea ponche sobre o rosto,
fugiu sua approximagao. Persegulram-n'o, mas

FOLHETIM
VIHTE MORAS I3 LITE IRA
pon
GAMILLO CASTELLO BRINCO.
(Continuacao.)
XIV
Tomando o fio da historia do ermito, continou
assim o meu amigo :
Nuno de Mendanca encontrn as armas de
sua casa cobertas de crep. A esposa tinha falle-
cido, mezes ante?, n' ura mostero de Gallza, tao
compungida de suas culpas, que edicou mais com
sua morte do que poderiam faze-Io tres senhores de
vida santa. A contrieco do crme a mais cx-
pressiva e tocante homenagem s consciencias pu
ras. Os remorsos da vida peccaminosa valera mais
como exeraplo que a serena pratica das virtudes.
A gente repara mais as lagrimas da penitencia
que as alegras da alma innocente... Parece que
te enfadam estas mximas !..
Nao : en gosto muito de mximas ;respon-
dporm, quando as narrativas rae interessam a
curiosidade, antes quero ouvir as mximas no fim
da historia. No emtanto, se
Pois sim : eu vou direito ao ponto, visto que
. nao licito imitar-te na maoha com que tu, nos
teus romances, insartas axiomas, quando a imagi-
oacao te emperra.
Agradecido. Nao se pode ser Larochefou-
cauld sem ter-se a phantasia perra I.. Tu e os
leitores da tua laia 6 que afogam os embrides dos
-escriptores aphorismaticos era Portugal. Pois sabe
tu que a elernidade de muitos livros o estylo sen-
tencioso que lh'a d. Os romances vo a pique, s
Vale e quatro horas de navegacao, porquej levara
f-tos excepclonaes do curso ordinario da vida tem
para nos. Anda assim nao podia esquecer se. A'
noule, durante as suas longas horas de quarto, ou
quando descia sua cmara, a si perguntava quem
era o assassino, e como julgava mpossivel ja mais
descobr-lo, felicitava-se de Tiao temar ao serio
mais do que nao o fazia, o legado de vnganca do
seu camarada.
Na verdade elle nao admilthv que Gerbaud Ihe
debalde. Lambert, ajudado dos seus marinheiros, tivesse apparocido ; mas neste caso, ao menos, o
conduzu o corpo de Gerbaud para bordo da fra- espectro ameajador Ihe lefia furnocido os indicios
gala. O seu primeiro cu.dado foi informar o cora- SU^SS^T&^c^Z
mandante do triste acontecmento da noute. O na sua cmara, continnava o seu passeio ou dei-
commandante saltou em trra e fogou ao cnsul tava-se. Ora urna noule as suas meditacoes hab-
que dsse logo as providencias precisas. Foram !uae? i'nham-n/o mais vivamente absorvido ; e ello
no mesmo Inslanle a casa habitada pela mulher ,'^l%^A%^S&
que era a causa involuntaria desse drama; mas tente, luminosa, perfetamente aecusada, se ofTere-
esta tinha desapparecido. O commandante ape- ceu ao seu espirito. Foi urna viso de lodo interna,
as pode insistir junto ao cnsul para que prose-1 Por ('ue Do ''nna nad!> des'sas formas que criam-se
guisse as pesquizas j suas instruyes nao Ihe UCfflSl ^Lsi!.^l2.?e.?.?f?r.*^ni-
permittiam retardar a sua partida, e at foi deci-
dido, afim de nao perder lempo, que os funeraes
de Gerbaud se lizessem bordo.
Ao nascer do da, a fragata partiu. Durante as
horas que segufam a partida, os offlciaes conver-
saran! por rauto tempo acerca de Gerbaud, do seu
fim funesto e das circunstancias mysteriosas que
cercavam a sua morte.
A ceremonia da immerso devia- ter lugar ao
p6r-se o sol. Esta ceremonia simples e pathe-
tica.
O estado-maior e a equipagem reunem-se na ba-
tera para dizerem ao seu camarada um ultimo
adeus. O capellao recita sobre o corpo as oracoes
dos monos, depois, no momento ero que o sol de-
sappareee, o corpo, envolto em urna bandeira na-
cional e rpidamente arrastado 'por urna bala de
arlilheria que se prende aos ps, vae ter ao fund
do seu hmido tmulo. Alguns minutos antes da
hora convenconada, Lamber!, qne Gzera forte re-
commendacao para que fosse prevenido, estava so
na sua cmara e vestia-se. Acabava de por o seu
chapeo e a sua espada quando ouviu o ruido sur-
do de um corpo cahindo n'agua. Treroeu de co-
lera e de dr, porque duvidou que a ceremonia se
fizesse sem a sua presenga. Ao mesmo tempo e
por um movimento machinal precipitou-se para a
sua canhoneirinha aberta, como se por esta estrei-
ta abertura, podesse avistar o corpo ama ultima
vez ; mas antes que tivesse al canead o- a pequea
jauella, viu gruarem-se nella os cabellos ensopa-
dos d'agua, os olhos glaucos, um dedo sobre a fon-
te, a face lvida de Gerbaud. Os labio exclama-
ram-lhe :Lembra-te de vingar-me I
A terrificante visao desappareceu como um re-
lmpago. Jayme lancou-se para fura da sua c-
mara, e, a meio caminho da coberta, encontrou o
timoneiro que esquecera-se de avisa-lo. Vendo a
physionomia perturbada do offlcial, este homem
tremeu e desculpou-se balbaciando. Jayme nao o
punu. Para que ? O que estava feitonao podia re-
parar-se.
Durante a maior parte da noute, elle nao pode
reagir contra a impressa de terror que resentir
lio repentina e tao vivar; mas com o volver do
tempo irritou-se deste estado lastimoso. Jayme ti-
nha o espirito grave e qitii tomar conta, do seu
sotfrimento. Foi bem succeddo. Comprehcndeu
que, por urna rpida evolucao do seu pensamento,
a imagem do infeliz Gerbaud, tal qual a tinha vis-
to nos seus ltimos momentos, e como se Ihe tnha-
representado corretrdo ao fundo do mar, podera-ap-
parecer-lhe. ,
A canhoneirinha, o nico ponto claro da snai c-
mara, preslra-se, como ura panno de scenario,
esta lUSaO aus se ...iJo, O"*nlo s paguas
que crra oavir, era a aHucinacao do ouvid'.em-
pletando a aHucinacao da vista.
Tuuavia essas paiavras nao sahiam da sua me-
moria e impacientavam-n'o. De certo era natural
que Gerbaud morrendo Ihe exprmisse o desejo de
ser vingado ; mas de que modo podia elle confor-
mar-se com este desejo ? Aonde eslava o assassi-
no? Conheeia-o? J mais conhece-lo-hia t Pro-
vavelmente nao. Por tanto nao convinha dar a es
tas paiavras maior importancia do que mereoiam.
Por que, pois, estava preeceupado t A qa ellas
obrigavam-n'o ? Alera de que Gerbaud tinha sido
nicamente seu camarada. Nao era porsua.eulpa
que o infeliz fura assassinado no canto de um bos-
que. Com tudo neste ponto Jayme hesitava. Se
se tivesse apressado ao rendez-vous, talvez Hvesse
impedido que se commettesse o crime. Este- sem i -
remorso, que al entao nao tinha eonfessado-a si,
explicava-ihe como elle ouvira as paiavras que ator-
inentavam-n'o. Era o sentimento da sua bita in-
voluntaria que despertara-se repcnlinararate e que
Ihe havia recordado essas paiavras apresentando-
Ihe como urna exptacao possivel o cumpnmento de
um dever de vnganca ; mas, depois de ter reflecti-
do, pouco faltou a Jayme para agaslar-se com estes
excessivos escrpulos de consciencia. Em summa
elle linha pouca culpa, e, pensando que nao devia
responder para o futuro pelas consecuencias desta
trgica aventura, esperou repellir do seu espirito,
tanto quanlo Ihe fosse possivel, essas vi-5es e im-
portunas lembraneas que nao Ihe susctavam para
conjura-las nenhum expediente pratica
Passado dias, Jayme tinha coro effeito recobra-
do o seu anligo modo de viver. A existencia do
mar, com a sua grave regularidade e as enrgicas
resolucoes a que as circumstancias obrigam 6 o
melhor remedio contra a periurbacao da imagina-
cao. A poesa das ondas varonil e fortificante, e
d pouco lugar s chimeras. V-se muito de perto
o perigo real para conservar por muito tempo o te-
mor pueril dos phantasmas. Ao menos Jayme a
si o dizia, e se pensava anda em Gerbaud, era por
curiosidade, por csse attractivo inquieto que os ac.
lastro de sentengas. Entre nos, ha um exemplo da
duraeao de um romance, devido gravidade das
mximas : sao os romances do conselheiro Rodri-
gues de Bastos. E\ todavia, necessario que o es-
crptor seja maior de otenta annes para que os
leitores Ihe relevem o tora pedaggico dos axio-
mas...
Agora, o estafador da paciencia ests sendo
tuatalhou Antonio Joaquim.Afogando.como de-
vido respeito, os teus embrides aphorismaticos, di-
rei que Nuuo de Mendonca encontrou as portas de
sua casa fechadas. Como nao havia descendencia,
fallecida a reclusa penitente, os servos da infeliz
familia forara eutregar as chaves aos irmos de seu
amo, que residiara era ilragaoca.
Nuno, descoubecdo na sua propria trra, colheu
informaces, e foi caminho de Braganca. Pelo alto
sileucio da noute, baleu a pona dos seus, deu-se a
conhecer, e achou-se nos bracos de Christovo de
Mendonga, seu irmo, padre da companhia, o qual
avia sabido de Lisboa, da casa professa de S. Ro-
que, para urdir com os jesutas do Porto nio sei
que redes contra o conde de Oeiras. A resguardo
de criados, celebraran! os irmos com jbilos e la-
grimas o apparecimeoto de Nuno, que julgavam
mono, ou vagabundo por paizes remolos. O jesu-
ta, que trouxera por companbelro o padre Tnemo-
theo de Olveira, mais tarde desterrado pelo raar-
quez de Pombal,como amigo do padre ^Ualagrda,
que morrea queimado por ordena do mesmo subli-
me despostao jesuta, digo, entendeuse com o
seu companheiro ; e, no da seguinte, restirara urna
roupeta a Nuno de Mendonga, compozeram-lhe a
cara monsticamente, e sahiram de noute, monta-
dos em possantes muas, com destino Lisboa.
O condemnado forca entrou rom seu irraao na
casa de S. Roque, onde esteve at 1759, com nm
pseudnimo para as pessoas suspeitas compa-
| nhia. Nuno de Mendonca inscreveu-se na conjura-
gao contra o re D, Jos, O duque de Avero, ca-
bega dos conjurados, presava-o muto, e tnha-o era
sua mais intima confidencia, posto que resistisse
ao alvitre do conjurado, que se offereceu para ex-
purgar a nagao pertugueza do dragao purpurado.
Escuso dizer-te que o dragao vnha a ser, em 1ra-
guagem herldica, o marquez de Pombal.
Os romancistas de casa e de fura quando vestem
phantasticamente|a|regicida tentativa de 1759, aven-
tam que os cumes do conde de Athouguia respi-
raram pelos bacaraartes disparados contra a c;r-
ruagem do re. Esiou autorisado por meu biia-
v, que s ouv as paiavras evanglicas de mtu
av e de meu pac, a declarar ti e historia que
a honra marital do conde de Athouguia nao foi le-
vemente inquinada por D. Jos I. A razao ou sen-
razo da tentativa regicida est de sobra explicada
no rancor da conculcada nobreza ao valido do r.
A companhia de Jess bandeou-se cora a nobrea,
porque o marquez a molestou, com mais arbitrio
quejustiga, na influencia que ella exercitava Las
colonias. O clero, revestido da suprema grande
za pela inhabilidade e tarda devogao do re D. Joo
V., estranhou as cohibieses e reprimendas do re
nado successor. O marquez tinha por si o brago
Lamben, pensativo, conservara os olhos fe-
chados. O semblante do matador era pallldo e li-
geiramenle bilioso ; os cabellos abundantes e cres-
pos, o nariz bem tirado, o olhar sombro, lnguido
e meditativo, e nm sorriso de sarcasmo e raiva ran-
zia-lhe os labios. Alm disso, se estava diante de
Lambert, nao o encarava, e por assim dizer nao re-
parava na sua presenga. Passada a primeira im-
presso, Jayme nao se coramoven muito. Estas
avocagoes, ao approximar se o somno e quando o
pensamento fica intumescido, nao sao raras ; to-
mam-se, pela maror parte, emprestadas a nossas
lembrangas, que entao tradazera-sc de um modo
sensivel.
(Continuar-se-ha.)
UM POUCO DE TUDO.
LC-se na Revista dos uvas Mundos :
Napoleo que ligava extrema importancia fo-
pographia, pelos servlgos que presta s operages
militares e estratgicas, resolvea mandar executar
um mappa da Franga em grande escala.
Este projecto contrariado petos acontecimentos
poJiticos, ficoo adiado al 1817, poca em que o go-
verno- confiou a execugao de tao importante empre-
za a Hma commisso presidida pelo Ilustre La-
place.
Os trabalhos eemegados em 18I81 proseguirn!
sem loterrupeao de3de entao, ficando a triangula-
gao de primeira ordem, base primordial da obra,
terminada era 1845', levando por conseguinte 27
anuos.
As primaras folhas-gravadas sahiram' luz em
1833, e as ultimas, comprehendendo os fres- depar-
tamentos armexados, nao serao provavehnente pu-
blicadas antes de sete ou sito anuos.
Ter-se-ha de-gastar 50'anuos para executar a to-
pographia completa da Franca, apezar de estarem
empregados a maior partfr do tempo 80 efflciaes
neste irabalho.
Calculando o custo de cada folha em 40ou'50
mfi francos, pd-se fixar a- despeza total em 10
ou 12 milhoes.
O-peridico francs Figaw Programte falla-de
urna importante revolugo que ha poucos dias se
verificou no theatro'da Opera.
A Atice do Roberto do Diabo;* Bachel i Judia,
lem por mais do que urna vez desafiado as garga-
Ihadae-do publico com os arcos de ago, e nao me-
nos tem dado que rir as taes armagoes as freirs
do Roberto, as cigaaas da Trovador e as mulhe-
res- suiesas do Guilhtrme Tell.
Era urna cousa absurda no que dizia respeito
cor local f mas no momento das dknsas, quando as
nobres damas ou as aldeans estavam assentadas em
frente dos camarotes da primeira ordera, era cari
ratn
Sabe-se qual o effeito produado pelo indiscre-
to circulo. qu dofcrovom ac orinn!ino rt.1? actri-
zes ou coristas que se assentam.
Em consequencia disso,- foi prohibido o balao na
Opera, eom graves penas para quem usasse, e o
decreto administrativo comegou a cr execugo era
29 de jnlho;
Houve protestos, reclamagSes e principio de re-
volta.
Cinco coristas resistiram e appareceram no Io
acto com baldes ; no 2* aotos orna o levara ; no
30 estavaifeita a revolngao e reinara a ordem.
A historia nao diz se foi preciso-recorrer forca
armada.
pere-
Refere a folha hespaahola La$ Novedades, que-o
vapor Locust Pomt, sahindo de Nova-York em> 2
de julho abalroou no dia 8 com o vapor Matanzas,
que viha de Havana; alguns momentos depois
submergiu-se.
O Locust Point tiDha bordo 18 passageiros e
23 tripulantes.
Oito dos primeiros e 9 dos segundos
cerara.
Os outros salvaram-s agarrados fragmentos
do navio espedagado.
No momento do choque todos estavara dor-
mindo.
& Matanzas recebeu o. choque pela proa, e deve
a esta circumstancia o nao ter soffrido nada.
O Times of India, jornal de Bombaira de 23 de
juuho ultimo, escreve o seguate :
O Dr. Lirngslone chegou Bombaim no da 15
me e appcllidofoi o segundo que dsparou infes-
tamente.
O que eu sei que fugiram juntos; BWD ,a0
incrivel felicidade, que vieram dar ao ynho a casa
de meu bisav.
Nuno de Mendonga foi habitar choga desampa-
rada as visinhangas da cape-'fa de S. Goos. Poly-
carpo entrajou-se de trabalhador nos campos, e foi
cavar entre oulros ohreiros as trras de rainha
casa. Passarem ao estrangeiro era-Ihes mpossivel.
Todos os dias eram presos as fronteiras os vian-
dantes menos suspeitos. A cabeca de Polycarpo
estava a prego de quatro mil cruzados: pela cabe-
ca de Nuno de Mendonga nnguem dava nada. Este
nome tinha morrido na memoria dos horneo?* O
marquez de Pombal, depois de devassar na casa
jesuta de S. Roque, apenas soubera que desappa-
recera um familiar chaado Nola co deu noules de febril insomna omnipotente ca-
beca do valido.
Entreunto, o fldalgo de Villariga, devorando-se
de odio e anclas alllicti vas no seu asctico antro de
S. Gens, attrahiu novamente o povo das freguezias
subjacenles montanha. Dizia-se que elle havia
chegado da trra santa, e de Roma, onde beijara a
do correte, no vapor Lady Nyassa, vindo da
frica.
O vapor, periencente expedigao exploradora do
Zambeze. ser vendido aqu.
I
Ha pouco tempo publicava o jornal La France o
annunco seguinte : -
Um mancebo de 33 annos, de bom comperta-
mento e com bastante habilitacoes, offerece-se para
dar cumprimento a qualquer missao, por mais re-
pugnante ou pergosa ijue seja, e pelo resto da sua
vida, com tanto que Ihe abonera 25,000 francos, e
que nao seja incorapativel com a honra o que delle
exigirem.
Que niagoa, que especie de necessidade, que
decepgao, que horrivel infortuneo pode obrgar um
homem de 33 annos a fazer tal offerecimento ?
Que realidade se esconde naquelle annunco, e
que porvir est reservado a quem toma urna reso-
lugao tao estranha, to absoluta e to desespe-
rada?
o primeiro capitulo daquella existencia parece
ler passado alravez de negro mysterio que excita a
curiosidade compassva.
Quaes serao os captulos segrales ?
No Commercio do Porto l-se o seguinte :
Na deliciosa cidade de Ems, oihando para a ca-
beca de qualquer mulher, pode o viajante saber
em que estado ella tem o corarpo, isto se tem
dono ou se est livre, e se o dono vitalicio ou
temporario.
As mulheres de Ems prendem eom una flecha
de prata ou ouro, as trangas enroscadas na parte
posterior da cabega.
Se a flecha est cravada em linha horisontal, nao
ha para que aproximar-se um homem.
O corago da joven pertence a um mortal afor-
tunado que pode fazer-se indigno delle, mas que
tambern pode compra-lo para toda a vida pelo pre-
go do casamento.
Quando a flecha est pregada perpeodrctrlar-
niene significa que o coragao da joven nao pode
perteacer a ninguem.
As que nao trazem flecha sao almas virgens que
esto espera dos aoceios- idaes.
As que tem perdido um esposo adorado trazsm
era linha obiiqua urna flecha preta.

El-rei D. Joo IV no ultimo anno da sua vida de-
termino passar a noule do santo do-seu nome e o
dia seguinte na sua casa de campo em Alcntara,
e fez-se com este real divertrmento a enorme des-
peza que passamos a descrever :
Doze besugos fritos......... 160
Meia sanada de azeite.......... 60
Oito linguados fritos............ 550
Meia caada de azeite........, 60
Um cnerne assado............ 380
Meio quartilho de azeite........ 15
Doze sardintias fritas......... 32
Um quartilho de azeite......... 30
Trinta ovos doces ............. 125
Dous arralis e meio de assucar. 200
Um pao-------.................. 10
Um cesto de fructa............ 240
Azeitonas........................ 40
Um queijo^.................... 160
Dous arralis de perada....... 280
Um arratel de confeitos....... 120
Vintepos.................... 200
l Meio almude de vinho........ 336
Pucaros e quartas............ 110
Seis cosoeiras (raiudezas ? )----- |60
Urna quarta de facinha........ 55
Meia caada de .u..Si L- .'...... 20
Garretes...................... 50
Quatro. arralis de nev....... 160
Somraa a ceia. 30453
Com o jamar, diz o mecedor da casa real, An-
tonio Vaz, que se gaslou 40180 ris '.
Ora agora confroniem-se as pocas :
Era 1775,. no dia 6. de junho, por occasio da
inaugurago da estatua equestre, gastn o senado
a quantia de 40:72356io ris com urna ceia, afora
as seguintes-gratificagoes:
Aos offlciaes e soldados que assisti-
rara (anecio...........
Ao tenen Francisco-Roberto, do re-
giment de Albuqusrque, urna joa.
Ao alteres- Joao Pedro, de regiment
de Peniche....................
Aos guardas da alfaadega.........
A Eslevao Antonio de Montes, por-
que te ve quebras, urna joia........
A Macoel Rodrigues Bolonha.........
A Euzebio Francisco de Almelda, pe-
la revisao das obras poticas.....
Aos. criados que servirn s mesas.
4805000
655000
480000
3840000
400,5000
2iO0OOO
513200
206Sp
Somma.
.-.2373660
Quando apresentaram esta cw a0 mMVu* de
Pombal, dizeraque esteresponBra 1ue a acnarB
alguma cousa salgaba.
Com o litt1' Anthropoglossoses agora.em Lon-
dres ex^slt> M Publico um apparelho singular.
Ihe
aligeirasse a dearada agona
E' urna cabega de cera que contm nm machi-
nismo a- que se d corda cora urna ehave, e canta
como urna voz humana a msica e a lettra de seis
pegas, de que naturalmente faz parte o Goi lave
the queen
Na mesma sala ha mais duas cabegas, que an-
da nao esto acabadas. Logo que estejam conclui-
das, podero os visitantes ouvir daos e trios.

A ioflexivel eslatistica moslra o deploravel effei-
to da guerra sobre a marrana mercante dos Esta-
dos-Unidos.

Km 1860, o porte total dessa marinha era de
5,219:181 toneladas; em 186A de1,664:516.
Em quatro anuos tem, portanto, perdido a ma-
rinha 3,544:665.
Mais de 900 barcos que, em 1860, perlenciam
a cidados dos Estados-Unidos, vieram a ser pro-
priedade de cidados estrangeiros e navegam com
outras bandeiras.
S no anno de 1863, sescentos navios, que me-
dam 328:665 toneladas, foram vendidos a pro-
prielarios inglezes.
O frete e os passageiros sao monopolsados- pela
Inglaterra, Hollanda, Allemanba e Franga.
*
Os diversos recrutamentos de tropas federaes fet1-
tos pelo governo de Washington, desde o comego
da guerra civil, do o seguinte resultado:
18t>l.Recrutamento de abril, 75,000 horneas .
de maio, 64,748 ; de julho e dezembro, 510,000'
Total, 639,748 horruras.
1861Recrutamento de julho, 300,000; de agos-
to, 300,000. Total 600,000.
1863.Sorteio de julho 300,000.
1864.Recrutamento de 1 de fevereiro, 500,000
Tutal gerat 2,039,748 homens.
Desde a guerra entre o norte e o sal, mais de
um milho de soldados do exercitd federal encon-
trou a morte nos combales.
Apesar da eloqnencia destes algarismos, a emi-
grago irlandeza e allema, que centribue para ali.
mentar as espantbsas hecatombes humanas, nao
pradianle de tao dolorosa lico. A onda da emi-
graeao, pelo cootrario, augmenta sempre. Prova-
se isto no Correio dos Estados-Unidos. Era nu-
mero de 18 de junho lia-se o seguinte :
i Chegaram esla semana Nova-Yorck W89
emigrados enropeus, o que eleva o- numero total
desde i* de Janeiro de 1364, 81:128. No mes-
mo periodo de tempo, o anno passado, entraran
55:427 emigrados.

Conta a Union que na ierra feira, li, entre as 4
e :> horas da tarde, appareseu pouca distancia de
Chalons, um phenoraeno meteorolgico dos- mais
curiosos.
Alguns cultivadores, trafcalhando nos- terrenos
do conselho d'Odon, viranv urna nuvenr da franr
de um cone invertido, cuja base se perda no es-
pago e-de que o cume extraordinariamente delga-
do, pareca tocar o solo.
Repara, disse ura dos cultivadores para-o ou-
tro, ali est um bom regador:
Julgava, com effeito, que era urna tromba que
descia para aquelle lugar. Qual oo foi, porm, &
sua adrairago, quaodo virara que a nuvera.que es-
lava suspensa sobre o lago Gaudwiaux, Ihe tinha
absorvido toda a agua deixando-o inteiramente em
sceco !
A nuvem, ou antes, a columna nebulosa d cor
arroxeada e negra, contnuou no seu caminho, ar.
reuaiando, como redemoraho.de*vento, as eolheitas
ave achou na passagem, aterrando, e obri^ando a
fugir tedas as pessoas que andavam pelos campos^
Julgou-se que viera de Allerirt, passra sobre
Ulon, Lams, Epervans, e se dissipra depois de
ter percorrido pouco mais oo meos 8 kilmetros.
Passaodo sobre os (ios telegraphcos da linha de
Laul-d-Saulnier, dexou nelles-palhas de trigo.
Esta columna foi vista de Chalons e das eircum-
vsinhangas. Anda hoje d nsargem muitos prog-
nsticos. Este far.to, anda que raro, nao nem
exlraordnarionem maravillKiso. Nao ai primei-
ra vez que as trombas produzem eguaes resul-
tados.

Ha annos foi pae da patrie* em Portugal' um ad-
vogado que, pouco antes, tinha escrpto por sna-f'
umrequerimento que dizia asslra : ^
t Diz D. fulana de-tal, fallecida bontr ^.
___- jo oomiteno
que naodesejando ella ser sepulta11
publico, etc.
.._,.. **jnnho nltmo le-se qne
No Porto Lwrt de-!*de Jf.erta assembla do ner-
um fure preopuff^ projecIO de ,e .
te apresentou QjUtorisa(j0 0 g0verno a. faz urna
Art. i. j-0 Sordadost a qual sera commaodada
comPaa#argenlo, para capa todos os cao.
PJ"i! O sargento ser lirado d'entre un de
uds.
2. Todo aquelle cuo este sordado que deixa
fugir o cao depois de preso sem esta anda copado
ser preso e perder a atetado do sordo.
Era Horuigsburgo derara as irm3as Marchisio
algumas representaedes com a companhia Merelli,
c alcancaram extraordinario successe Represen-
taran! alternadamente- no Rigolleto, no Trovador'
no D. Joao, na Martta, no Tancredo, no Barbeiro,
etc.; e os applausosque as insignes cantoras teem
obtido, ta*m sido constantemente progessivos.
do povo, e o brago propriamente seu que era, di- mo Cleniente ^IV e talvez 0i0a da sua an"
garao-lo sem estranheza, brago para sustet o mais
formidavel Atlas, carregado com o peso das iras
do clero e da nobreza.
Tu sabes e sabe toda agente o mal logro da tentati-
va, e a jusliga barbara que soffreram os fidalgos no
terreiro de Belra, e os jesutas complicados, uas
no desterro, outros as masmorras, e aquelle po-
' bre do Malagrida na fogueira.
Ura dos conjurados, que desfechon contra a car-
ruagem do rei, foi Nuno de Mendonca. Os outros
' nunca elle os declarou ; mas haveraos de suppor
I que um familiar do duque de Avero, por nome
i Polycarpo das Neves,presumo que era este o no"
tecipadacanonisago pela bocea do dispensador das
coras immarcessiveis da glora eterna.
Polycarpo sabia de noute com meu bisav ao topo
da serra, e contavam ao ermito as uoticias chega-
das da capital.
Urna noute, Ihe levarara a nova do Simplicio do
duque de Aveiro.
E a duqueza? perguntou Nuno.
Foi tambera degolada.
Pobre santa I exclamou o dalgo. Morrea in-
nooentissima!... Eu nunca ousei na sua presenga
fallar contra o rei I
E rompen em altos gritos, pedndo misericor-
dia divina que
de sua vida.
tu nao sei se a fronte do Senhor se inelinou cle-
mente a preee do homieida, que mandara ura his-
po rogiao onde ha o estridor d denles e quizera
mandar provavelmente um rei mesma regao. O
certo que Nuno de Mendonga. peucos dia* depois
do supplicio dos seus- conjurados, morreu nos bra-
gos. de ura clrigo da minha aldea, com odor de
saitjdado nao ouso asseverar-t'o; consta-me, po-
rm, que se finsu com o mu chesro de todos os
deluntos, cujo corago e ais eotranhas se espaa-
cellaram corrodas pelas herpes, durante dez anos
de desgraga sem intercadeucia.
Aqu teas a historia do ermito. Queres agora
saber que fim leve Polycarpo das Neves,ecno-
mo da casa de Mascarenhas ? Julgavauvno Hlbo
natural de um lidalgo da casa Aveiro, onde se edu-
cara e ganhra Ilimitada contianga. Estava a en-
riquecer se quando se deu a catastroplie: esperava
abatido o marquez de Pombal, arredondar bens de
fortuna que o levassem s grandezas do seu nasci-
mento, reconbecido irmo do duque.
Todos os seus haveres foram confiscados: nao
tinha onde chr raorto; mas o que mais molesiava
era nao ter oude cahir vivo sem medo que algura
curioso, por escassez de recursos, Ihe tirasse a ca-
bega para a vender pelos quatro mil cruzados offe-
recidos.
Meu bisav conhca nos Padres da Teixeira,
perto de Mezo-frio, um seu anligo criado, que ali
abrir taberna. Foi ter-se com o homem, e com-
prou-lhe o estabeleciraento, com a condgo de ar-
ranja-lo em local mais lucrativo do Minho. Poly-
carpo das Neves seahoreou-se da taberna dos Pa-
drees da Teixeira, e ampliou-a, construindo urna
alpeodrada para recolher as arreatas dos almocre-
ves. Passados annos, casou, tendo elle quarenta
de edade, com urna rapariga de urna aldea do Ma-
ni. Teve um 5lho. que assistin a raerte do pae,
e, s na derradejra hora, soube do moribundo qual
era o seu nome-, e como vTera parar aquellas-ser-
ranas. Dlvuigou-se a noticia, quando o fllho e
riova j nao tinham (|ae temer a acgo da, justiga.
O marquez de Pombal e D. Jos I j s haviam
combinado, na presenga de Deus, em peidoar a Po-
t\-carpo das Neves.
Eu coaUego dous netos deste homtm de ferro,
que trabalhou quarenta annos para deixar un,fi-
lho abastado. Um delles abracei ou> bonlem era
Villa Real, onde delegado do procurador regio,
ura valenlc o gentil, e pundonoroso rapaz, que t
havas de conhecer, ba doze annos, no Porto, com
uas formosos olhos azues, e ura espesso bigode lou-
io: chama-se elloValeoiim de Mascarenhas.
Coahego: tambera hontem o abracei, disseeu-
Sou-lbe immensamente grato, porque fez o favor de
me nao prender....
Pois t ests em risco de ser preso ? ioler-
rompeu-me Antonio Joaquim grandemente espan-
tado.
Estou em risco de ser preso.... palavrade
honra I
Porqu? qual crme o ten?
Regicidio t Se anda existe a choga de Nuno
de Mendonca, permute que en rae faga ermito de
S. Gens, tirando a partido que t sers a pomba ali-
mentadora deste anachoreta, que te beija desde j
as candidas azas.
E, dizetfdo, beijei o segundo cabecao do capote
de Antonio Joaquim, e apeamos na estalagem de
Penafiel.

(Con/inuaf-e4a.)
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F- DE F. 4 F1LHO
ILEGVEL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBYFNJWCN_MP7X1I INGEST_TIME 2013-08-28T02:54:36Z PACKAGE AA00011611_10457
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES