Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10454


This item is only available as the following downloads:


Full Text


AMO XI. HOMERO 198.
Pr pm mtaes adiantados $000
Hr Irw mezes veicidos 6$000
Porte ao wrreo per tres mezes. 0730
t & f>l'->I *&. AJ

TERCA FEfflA 30 DE AGOSTO DE 1864. "
Per ame adiantado.....19S00O
Port ao crrelo por nm auno. 3S000
1NCARREGADOS DA SUBSCftlPCO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima';
Natal, 9 Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty o
8r.A.deLemos Braga; Gear, o Sr. J. Jos de
iiveira; Maranhao, o Sr. Jo&quim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & O A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
KNCARRKGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SL.
Alagoas, o Sr. Clandino Falco Dias; Bahia o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martin* & Gasparino.
(Uta* p ^PA DOS ESTAFETAS.
Onnda, Cabo e Escada todos os dias.
g!eSiya,ma 6 Parahybanas "I*** e
SaSHAhnrtt0,nravata' Be*"s( Bonito, Caruarn',
Pi SSb 6 aranhnns ^cas feiras.
rni^ flare,h' moeiro, Brejo, Pesqueira,
K82 F'ores'Vi"a Bella, Tacaraiu', cJrobo
Sr,ThZ^'D0alcaTy e Exu' nas partas feiras.
Sermbaem, Rk, Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
rma riiSa,,nHa,e/imen,6iras Bas iuintas W-
lina de Fernando todas as vezes que para a sahir
Ha vio.
Todos os estafetas partem ao *ft da.
IPHEMERIDES DO MEZ EE AGOSTO
2 La nova aos 13 m. e 12 s. da t.
10 Quarto cresc. as 3 h., 37 m. e 38 s. da t.
17 La cheia as 11 h., 16 m. e 44 s. da m.
24 Quarto ming. as 3 h., 44 m. e 30 s. da m.
PREAMAR DI HOJB.
'
Primeira as I horas e 18 minutos da tarde.
Segunda as 1 horas e 42 minutos da manha.
PARTE OFFIGIAL
PARTIDA DOS VAPORES COSTE1ROS.
, rw '"i a, A18oas a 5 e 25; par* o norte at
* f*** 7 e 22 de cada mei; para Fernando nos
oas n dos mezes dejan, marg., maio, jul, set. enov.
w PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipucos s 6 '/,, 7, 7 A, 8 e
Vt da m.; de Olinda s 8 da m. e da tarde; de
Jaboatao as 6/, dam.; do Caxang e Vanea s 7
a m.; de Bemfica as 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 '/,, 4, 4 A, 4 4
2 J*> 8,V e 6 da tarde; para Olinda s 7da
mannaa e 4'/, da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
te3 ianga e Variea 4 Vi da tarde; para
Bemfica as 4 da tarde. ,
I AUDIENCIA DOS TRIbUNAKS DA CAPITAL.
I Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relaco: tergas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas a sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 26 de agosto de 186 .
Offlcio ao comroandanle das armas uterino.
Remeti por copia V. S. para seu conheciraenlo o
officio que em 14 do crreme me dirigi o com-
mandante superior da guarda nacional da comarca
ue Mulo Antao, por occasiao de recommendar-lho
a vinda dos guardas Bernardo Pereira de Brilo, Ma-
noel Jos dos Sanios e Luiz Antonio de Andrade a
esta capital, como V. S. solicilou em seu offlcio,
ahm de deprem no conselho de investigado que
si* instaurou ao soldado do 7- balalhao Manoel
Mana.
Dilo ao mesmo.Informe V. S. sobre oque pede
o sentenciado Francisco Antonio da Silva, no in-
cluso requerimenlo.
Dito ao mesmo.Para queeu possa providenciar
sobre o que V. S. representa em seu offlcio n. 1,531
de 2o do corrente, faz-se necessario que me decla-
re onde foi perpetrado o crime por que tero de res-
ponder no foro commum o soldado da companhia
de artiBces Jos Ferro.
Diio ao inspector da thesouraria de fazenda.
Accusando recebide o offlcio de hontem, sob n.
400, em que V. S. me participou haver sido arre-
matada perante a junta dessa thesouraria a renda
atinual dos armazeos, proprios nacionaes, ns. 1, 3
e 22 sitos no Forle do Mallos, sendo a do ultimo
por Thomaz de Almeida Anlunes Irmo, pela
quantia de 1:300* e sob flanea de Jos Joaquim
Anlunes ; a do segundo por Joao Baptista de Me-
deiros, mediante a quantia de 206* e dando por
fiador Francisco Jos de Campos Pamplona ; a do
pnmeiro finalmente por Jos Honorato de Medciro<
pela quantia de 103* e flanea de Ignacio Ferreira
da Costa, sujeitando-se alm disto todos elles s '
ondiedes constantes dos termos de contrato que
Pr copia vieram annexas ao seu citado offlcio ;
tenno a dizer em resposta que anprovo taes arrema-
tacoes.
Dito ao mesmo.-Transmiti V. S. para o fim
conveniente, o atteslado junto em duplirata, que
me remetteu o commandanie das armas cun offlcio
de hontem, sob n. 1,527, e do qual consta haver o
sari-nto espingardeiro do 4 balalhao de artilharia
a pe, Sabino do Reg Barros, apprehendido o sol-
dado desertor do mesmo balalhao Roberto da Silva.
(.ommumcou-se ao commandante das armas.
,-, "? ao.mesmo.-A' vista da sua informacao n.
J/7, de 2o de julho ullimo, autoriso V. S. promo-
ver, pelo modo que Ihe parecer mais conveniente,
a compra de um novilho de boa raga, am de ser
remeitido para o presidio de Fernando, na primeira
opportunidade, como solicitou o respectivo comman-
dante em offlcio n. 52, de 18 daquelle mez.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Kestituo a V. S. as contas relativas s despezas
reitas com o sustento dos presos pobres da cada
,Ll ladS In?awira, dorante os mezes de abril de
1862 ale dezembro de 163, afim de que, de con-
lormidade com a sua informacao do 13 do corren-
te, sob n. 353, dada com referencia a da cootado-
na dessa thesouraria, mande indemnizar o delega-
do daquelle termo da quantia de 196*200, que an-
da se Ihe resta como saldo dos 200*000 que adian-
ou essa thesouraria por intermedio do thesoureiro
da reparlicao da polica, para occorrer-se a taes
despezas.-Communicou-se ao Dr. chefe de po-
lica. r
P't0 commandante superior da guarda nacio-
nal do Recife.Para cumprimento de aviso do mi-
nisterio da justica, remelta-me V. S com brevidade
um mappa da torga de todos os corpos do servico
activo e de reserva da guarda nacional sob seu
commando superior, com declarag.io daipie seacha
fardada, e um oulro do armamento e corrame por
elles deslribuidos.
Dito ao capito do porto.A' V. S. ser apre-
sentado o remita de marinha Alexandre Xavier
Ja silva, para que Ihe d o conveniente destino
oepois de inspeccionado. Communicou-se ao te-
nente-coronel recrulador.
Dito ao commandante do corpo de polica.
lode v. S. contratar para servir no corpo sob
seu commando o paisano Manoel Tliom Candido
v eiAS: qQe oi Julado apto para isso, segundo
v. 6. declarou em seu offlcio n. 223 de io do fr-
rente, a que respondo.
Circular aos juzes de direilo.-Para se poder
confeccionar o mappa semestral de Janeiro ju-
ntio ueste anno, em observancia do aviso circular
do ministerio da justica de 23 de marco de 1858,
S2!2S*WT'?C- ninislre com urgencia as iu-
rorni.ces exigidas por circular desla presidencia
de de fevereiro desie ahno, e as de que trata o
de 18'2 reu,a,lieut0 n- 120 de 31 de Janeiro
Iguaes exigencias se fizeram a todos os juzes
municipaes menos os da 1' vara, e aos promolo-
res pblicos das comarcas da capital, Xazareth,
i>anio Antao, Brejo, Flores, Taca raid, e Cabrob.
uno aojuiz de orphaos desla capital- Em ob-
ser ancia do que foi determinado em aviso do mi-
nisterio da justica de i do corrente, recommendo
j vmc. que de conformidade com o disposto no
decreto 1,303 de 28 de dezembro de 1853 ; e
J^XJ.^-^rr>a,constante do modelo por copia incluso,
ennnra cartas de emancipado aos Africanos livres
Chrislovao Benguella, e Luiz Congo, que segundo
"*?VI*se acham no presidio de Pernaa-
uoe a animando que regressem a esta capital.
n, ,',4S.sadas as referidas cartas as remeta ao
ur. cnete de polica, afim de serem entregues aos
emancipados depois de registradas, e aberta a
matricula com declaragao da nago, residencia e
=><.tvico om qae se lenham de oceupar, de que
iraia o mesmo aviso, declaracd*s que Vmc. de ve-
ra mencionar nas communicacoes que fizer esta
presidencia de haver conferido cartas de emanci-
pacao Africanos para serem transmiltidas ao
governo imperial.Fez-se o necessario expediente
a este respeilo.
Portara.O presidente da provincia, attenden-
ao ao que requereu o lente da 2 companhia do
* balalhao de infanlaria da guarda nacional des-
te municipio Jos Eleuterio de Azevedo, resolve
conceder-lhe 6 mezes de llcenca para tratar de sua
satine
Dita. -O presidente da provincia, tendo em vista
o resultado do concurso a que se procedeu no dia
12 do corrente, e a informacao ministrada pelo
director geral interino da instruccao publica em
32 de-te mez ouvindo o coaselho director, resolve
nomear prfessoras publicas das cadeiras de ins-
truccao primaria da villa da Escada a Mara
d'Assumpcao de Andrade Luna, e da cidade da
Victoria Cosraa Joaquina de Lima Nunes.Com-
muaicou-se ao director geral.
Despachos do dia 26 de agosto de 1861.
. Rupurimentes.
Administradores da massa lallida de AriMfcn,
l-ragoso, Sanios 4 C Informe o Sr. inspector da
thesouraria de fazenda.
Comm#ndador Elias Baptisla da Silva Remet-
ido ao Sr. inspector da thesouraria de fazenda
para mandar passar o titulo que requer o sup-
phcante.
J^q.ue lw Vieir* d8 SilvaRevalide os
rdo^ qUe Ia estao selladc volte que-
D. Isabel Mara de Barros Campello.- Informe
o Sr. desembargador provedor da Santa Casa de
Misericordia.
Capitao Jos de Cerqneira Lima Informe o
Sr. commandante do presidio de Fernando
Joao Bernardo Teixera.Informe o Sr. Dr. che-
fe de polica.
Joao Joaquim de Flgueiredo Barboza. J foi
prvida a cadeira de que trata o supplieante.
Tenente Jos Eleuterio de Azevodo.-Passe cor-
tara concedendo a llcenca requerida.
Manoel Jos Machado. Aguarde o supplicanle
que venha o crdito j requisitado.
Bacharel Pedro de Alcntara Peixote da Mi-
randa Veras.Dirija-se thesouraria de fazenda
que tem ordem para pagar ao supplicanle.
Commendador Thomaz de Aquino Fonceca.
tica expedida a conveniente ordem ao comman-
dante superior da guarda nacional para serem
despensados do servico os guardas caixeiros do
supplicanle, ate a prxima reuniao do conselho
de quahhcacao, a quem devem elles renuerer o
seu direito nos termos dos artigos 27 29 do de-
creto n. 722 de 25 de outubro de 1850.
DIAS DA SEMANA.
29. Segunda. Degolar-ao de S. Joao Baptista.
i Aer-a' s.,,osa de Lima v. americana.
, UUi.l,ta- S. lla\uiuudo Nonnaio card.
i. Quinta.oS. Egydio ab.; Ss. Gedeio e Josu.
2. Sexta. S. K-leva.) re de Hungra.
I. Sabl.ado. S. Kiifenna v. ; S. Sndalo m.
t. Domingo. N.S. da l'enha; S. Rosala v.
A3SIGNA-SE
no Recife, em a livraria da praca da Independencia
Farf l Filio3 propretarios rfanoel F'g"eiroae
interior:
HIO E IA\i:lHO.
,, 10 de agosto
Hontem nao houve sessao no senado nem na c-
mara dos deputados por falta de numero legal.
11 *
Entrou hontem em 1J discussao no senado o pa-
I!hrL .T""1 do offlcio do official-maor
.obre o estado de ruina do edificio em que est a
rH!/ha,vraram 05Srs-Ferraz, Penna e viscon-
de de Abaete, e ficou a discussao adiada.
I Froseguio a 2- discussao do orcamento no art. 3
rS d0 m,D's,erio da instiga) com as emendas
respectivas, e oram apoiadas as seguntes emen
tifi^^^2ac^scenle"se-flcand0 e|evada a gra-
4 80O*OO0S 'D,n'S,r0S d meSm tribunal *"
quantia8men,(,'Se na ifra resPec,iva a necessaria
anm 3 aumente-se tambem a cifra com a
somma necessaria, e diga-se-elevada a gratifica-
cao dos desembargadores 4:200*
2. 5a'S?r'1?u?1 a'Iera?ao no 5 e d.ga-se-ele-
vaaa a gratilicacao dos juzes de direito 2:4005
n 'e(v^5 a S jU'fs munic'Paes 600* de ordenado
a!^ri...-.grat,,te.a?i,0> Quesera de 2:000* quan-
Escrevem-nos de Cantagallo, em 4 do corrente :
As 6 horas e o minutos da tarde do dia Io do
corrente, desabou um furacao de S. O. que, por
duzar apenas uns 12 minutos, dexou de causar
males irreparaveis. Assinrraesmo em algumas fa-
zendas siias no valle do Riberao Dourado e do Rio-
brande se nao causn avultados prejuizos, nao
dexou de damnificar as habitagoes e as plantacoes
bimultancamenle actuadas pelo vendaval e pela
cnuva de pedra, as arvores despiram-se de grande
parte de sua folhagem, de sous ramos, troncos an-
nosos oram derribados ; as casas tiveram as le-
Ihas despedazadas, as paredes que faccam os qua-
drantes do S. e O. crivadas como por bailas de
mosquetaria, e os vidros das vidragas reduzidos a
estilhacos, As pedras variavam de volnme desde
o da ameixa at o da laranja ; algumas das maio-
res pesavam ora mais ora menos 1 libra,
i r> fazendas que mais soffreram foram, no val-
le de Dourado, a do Sr. Pinho, onde as pedras ra-
mram em tao grande copia, que os terreiros, a hor-
la e os terrenos prximos e eomigaos s paredes
dos edificios fronteiros aos quadrantes de S. O. fi-
caram perfuitmenle alastradas de pedras crvsta-
imas, e lao unidas e amontoadas que dir-se-hia
um extenso e largo lengol alvadio sobreposto a um
terreno accidentado.
Por bem dos fazendeiros, a colheita estando ja
a tocar o seu termo, foi pequeo o prejuizo.
i ->o valle do Rio-Grande soffreram do mesmo
modo os edificios e plantagoes das fazendas dos Srs
Manoel Antonio de Moracs, Jesuno de Castro 9 Go-
mes t\ Bernardo.
Faraco e chuva de pedra foram precedidos
de cerra de oitodias de chuvas continuas, nao mul-
to copiosas mas bastantes para difflcultarem a co-
Iheila do cafe.
As 6 horas e 20 minlos cessou o vendaval, e
dexou de chover, para, dous dias depois, recome-
gara chuva, ora mais, ora menos abundante. A
comeita (pouca a que resta) esl susoensa.
E bem provavel, quasi ceno, er o vendaval
qercorndo maior rea.
n 13
Depois de orar o Sr. Dantas, foi hontem appro-
>ado pelo senado em discussao, o parecer da !
a sobre a representacao do offlcial maior da
ifinn nn ...... 1 .1 .___!_ -_ .....A.-
n^'n.0^"1 naicipios da Boa-VisUe Ouricurv, da
p rovmcia de Pernambuco;
O capitao Jos Vicente Ferreira Netto, para tc-
nenie-coronel commandante do batalhao de Infan-
taria n. 21 da guarda nacional da provincia das
Alagdas.
Foram exonerados a pedido :
O bacharel Joao de Cerqueira Lima, do cargo de
subdelegado do chefe de polica da corte na fre-
guezia de S. Jos;
O Dr. Albino Moreira da Costa Lima, do mesmo
cargo na freguezia da Candelaria ;
Joao Antonio Lelte Jnior, do de 2 supplente do
subdelegado da freguezia de Santa Rila ;
Antonio Barroso Pereira do de subdelegado da
freguezia de Guarabira;
Bento Barroso Pereira do de 3" supplente do I
mesmo subdelegado. '
Foi promovido o tenente FelisbertoRabello Sam-
paio Jnior ao posto de capitao quartel-mestre do
commando superior da guarda nacional do muni-
cipio de Nazareth, na provincia da Bahia.
Foi reformado no posto de major Antonio das
Uiagas Pereira de Brilo, capitao do balalhao de in-
mutara n. 25 da guarda nacional da provincia do
Maranhao.
ca, que, achando-se debaino de um rgimen seve-1
ro imposto pela autondade, se desfazia sem embar-1
8 em descomedidos ataques e insultos ao Brasil. 1
Os dous exercilos contrarios conservavam-se vis-'
ta, continuando a observar-se sem nada enprehen-
derem decisivo.
Da repblica argentina nada ha de importancia.
Acreditava-se geralmente que o respectivo goveruo
estava de perfeito accordo com o brasileiro naques-
lao oriental.
Noticias do Pacifico referem que o Per conti-
nua va a aguardar o ulterior procedimento da Hes-
panna, procurando emrelanto apercuber-se para
qualquer evenlualidade. Dispostas a fazer com elle
causa commum em caso de guerra, organisavam
e augmentavam as suas torcas de mar e lena as
repblicas vizinhas, onde coutinuas demoustragoes
populares davam prova de um enthusiasiuo que
oala se nao desminta quando chegar a hora da
lula, se chogar por desgraga.
Teye merc Jos Augusto de Castro da serven-
ta vitalicia do offlcio de 2* labellio do publico,
judicial e notas, e escrivao do civel e crime do ter-
mo do Aracaty, na provincia do Cear.
Por decreto de 10 do corrente foi nomeado2
cirurgiao do corpo de sade do exercilo o doutor
em medicina Alvaro Moreira Sampaio.
Por portara de U do corrente foram nomeados :
Antonio Jos de Oliveira para e lugar de agente
ao correio de Itaporanga, na provincia de Ser-
g'pej
Joao Soares de Aguiar para o de agente do de
Mamanguape, na provincia da Parahyba, vago por
exoneragao de Francisco Pulcherio Goncalves de
Andrade Filho ;
Jos Joaquim de Carvalho para o de ajudante do
da villa da Batalha. na provincia do Piauhy.
ecretiri'T Partir depois d'amanha para o Rio da Prata a
rmaSesaSyf.n,e5.- de ru,na d P^dio canhone.ra Ilajahy, que va reunir-se aos nossos
ConiinninH ?hJI,repa.rl,a0- Vasos deuerra all estacienados.
uonunuando depois a 1- discussao da proposgo : _____
que manda extrahir urna lotera por mez em bene- Recebemos folhas do Ro Grande me alranrim
fino do monte-po dos servidores do estado, foi ap- 29 do passado
e entrou immediatamente em 2* dis-
do subsiituirem os juzes de direito.
riodo ePl$ d 3 accrescen,e-se o segunte pe-
Fieam annullados por contrarios constitu-
gao os decretos de 30 de dezembro de 1863.
B 2 e 3 incluam-se os vencmentos dos
quatro ministros do supremo tribunal e de dous
desembargadores, cuja aposentagao tica sem effeilo.
. l\.Mii>ttiba.
Orarara os Srs. Zacharias e Penna e tornou a
discussao a flear adiada.
A cmara dos deputados approvou hontem o pa-
recer da commissao de poderes acerca das eleicoes
primarias das freguezas de Santo Amaro das Bro-
tas de Nossa Senhora do Rosario de Cllete o de
Santo Antonio de Vlla-N'ova, pertencentes ao pri-
meiro districto da provincia de Sergipe
Occupou-se depois com a 2' discussao do proiec-
to que crea um collegio eleitoral na villa de Codo.
da provincia do Maranhao. Depois de serem lidas
e apoiadas diversas emendas, ficou a discussao
adiada pela hora.
Continuou em ultimo lugar a 2" discussao da
proposta do governo, com a emenda da commissao
de marinha e guerra, lijando as torgas de Ierra
para o exercicio de 1865-1866. Qraram os Srs.
ialusliano bouto e ministro da guerra interino, fi-
cando a discussfw adiada pela hora.
provada,
cussao.
Oraram os Srs. Paranhos, Ferraz, Manoel Feli-
zardo e marquez de Olinda, sendo approvado um
requerimenlo do Sr. Ferraz parase pedir cma-
ra aos deputados os papis que serviram de base
proposgo, com urna emenda do Sr. Paranhos,
para que o pedido de informacoos seja sera prejuizo
da 2* discussao ; e esta ficou'adada pela hora.
limo proseguio a 2* discussao do orca-
No da 21 sahira da capital para Pelotas o vapor
de guerra Fluminense, conduzindo um offlcial por-
tador de offlcios para o general das armas.
O mesmo vapor e o Continentista transportaram
grande copia de munigSes de guerra para prov-
roento da diviso que guarnece a frontera.
1 M-se no Diario de 28 :
grte 0S ar,aS dC Bas' S' Gabri8' e de Ale*
Nestas duas ultimas cidades nada ha occorrido
ment no art %>/a2ZL l .-r-""-" uy v~ 1 -. "D;"<" uuas uiuraas cidades nada haoccorr do
com'as emendas (adnoiPadaasd0 m",,Ster, da JUS"?a)'' tT.T'L,1ornal ^P* reappareceu no
da 2 do corrente.
^,'^m "f? haTa"i chegado pelas 10 horas da
manbaa no da 20 os batalhoes 4u e 12 de inan-
(ana.
Anda se conservavam naquella cidade os Srs.
generaes commandante das armas Joo Procopio
Menna Brrelo e Antonio de Souza Netto
SS. MM Impenaes dignaramse ante-hontem as-
sistir ao baile de reabertura do Cassino-Flunii-
nense, dansando S. M. o Imperador com as esposas
dos brs. presidente do conselho, ministro da Prus-
sia e de Portugal, deputados Pedro Mnniz e Dan-
tas e camarista Valle da Gama, e S. M. a Impera-
nz com os Srs. ministro de estrangeiros, ministro
de I ortugal, visconde da Boa-Vista, senador Para-
nhos e camarista Jos de Saldanha.
O baile, concorrido por grande numero das fa-
milias mais distinctas da corte, estove deslumbran-
te. O fausto e o luxo ostentaram todas as suas
galds.
A cmara dos dequtados d boje um jantar ao
Irnn?ad0-- ^^"^^ ^ hurtado, no hotel da
huropa, as o horas da tarde.
r 12
Continuou hontem no senado a i- discussao do
parecer da mesa sobre a representacao do ofJlci.il-
maior da secretaria, a res|ieito do estado de ruina
do edificio, em que est aquella reparlicao. Ora-
ram os Srs. Silveira da Molla e visconde de Jequi-
tmiionha, e ficou a materia adiada pela hora.
Prosegu* ;. 2 discussao do orcamento no art.
i ( despeza do ministerio da justica ) e oram os
srs. Ferraz e visconde de Jequitinhnha, tornando
a hcar adiada pela hora.
com as emendas apoiadas.
Oraram os Srs. Zacharias, Silveira da Motta e
visconde do Jequitinhnha.
A discussao tornou a ficar adiada pela hora
A cmara dos deputados adoptou hontem o pro-
jecto que autorisa o governo a conceder s corpo- -
lossurem Tens dPraVCenCa Pafa ad1uirirem eL A\ca;^ de"Brgfo7am rTcolhidos'osros ita-
pu3buirtm nens de raz. lanos Julio Rosa Fortes e Henrinne fineii o Ar.
deteersobnr,eSa?^a^ePaareCCr "i ^"l? F"'"10 An,0ni Sl%"?<%
ue poaeres.sobre as eleigSes das parochias de Goia-hraneo, pronuociados nelo Sr lr lato mnncinil
ao'27i^ic%^Saemt;Jartl,n' Per,enCBn,eS ? V'"U ^ *~ fiySJ^SSKC
n a,!,iricl0 dt Pernambuco. ram. como ncursos no art 1 S 2" Occnpouse depois com a discussao do parecer! de 18 de setembro de 1851 o orirneiro coino an-
da asgarasaa?a rwsda f^r? tor ^,res *E*mJBi
daviiia-llella, pertencente ao S-dwlncto de S. | j; Com aepegada all dos batalhoes de liuha, foi
Foram apresen lados :
-Na dgnidade de chantre da catbedral de Olinda,
o conego de prebenda inteira JosJoaqnim Camello
de Andrade ; na cadeira de conego de prebenda in-
leira da mesma catbedral, o conego de meia pre-
benda Jos Marques de Castilho, e na de mea pre-
benda, o padre Tranquillino Cabral Ta vares de
Vasconcellos.
Teve a merc do foro de mogo Ddalgo com exer-
co na casa imperial o bacharel Jos de Saldanha
da Gama.
Foram agraciados com a raedalha de 1 classe,
J2k p?'" decrel o. 1,579 de 14 de margo de
IS00, os imperiaes marioheiros do destacamento
da cauboneira Parahyba, surta no Ro da Prata,
Antonio Bernardo e Pedro Chaves, por lerem salva-
do, com risco de suas vidas, o 2" inariuheiro Ma-
noel dos Passos Gongalves, que cahira ao rio em
Paysand.
Foi jubilado, com mais de 35 annos de exerci-
cio de magisterio, na cadeira de rhetorica e poti-
ca do curso de preparatorios da faculdade de direi-
to de S. Paulo, o conego Fidelis Alves Sigmaringa
de Moraes.
Foram naturalisados cidados brasileiros os sub-
ditos porluguezes Joaquim Rodrigues dos Santos e
Antonio Rodrigues da Cunha.
Pelo ministerio da justica se expedio com data de
11 docorrente o segunte aviso ao juizo administra-
tivo dos Africanos livres :
Sua Mageslade o Imperador, a quem foi pre-
Appro vou em ultimo lugar o requerimenlo offe-
rendo pelo Sr. Jos Angelo sobre a preferencia
entre os dous projectos os. 142 e 193 acerca da fi-
xacao da torga naval para o exercicio de 1865 a
lSbb e conseguintemente comegando o debate so-
bre este ultimo, oraram os Srs. Ferreira da Veba
ministro respectivo e Junqueira, Jflcando a discus-
sao adiada pela hora. -
r 18 -
Lontinuou hontem no senado a 1 discussao da
proposigao autorisando o governo para conceder
cartas de naturalismo a Domingos Lazarv e ou-
tros, e depsis de orarem os Srs. Das Vieir, Pen-
na e ferraz, passou 2* discussao e desta, sem de-
bate, para a 3.a.
Foi adoptada em 3-discussao a proposgo que
concede a extraegao de urna lotera por mez ao
monte-po dos servidores do estado.
Proseguio a 1J discussao da proposgo que au-
torisa a reforma da secretaria da agricultura, com-
mercio e obras publicas, e tornou a ficar adiada,
tendo orado o Sr. Dias Vieira.
Por ultimo, continuou a 2- discussao do orca-
mento no art. 4 (despeza do ministerio de estran-
geiros). e oraram os Srs. Praenta Bueno, Ferraz e
0,33 'eir, ficando adiada pela hora.
A cmara dos deputados approvou hontem em
urna so discussao o prqjecto que approva a pensao
annualde 1:000* concedidi D. Constanca de
Faiva Lopes Gama, filha do fallecido conselheiro
l!dnv Man,D*naPe' com os seguintes artigos
1 O governo fica autorisado a mandar abonar a
y. Mainiide Emilia de Vasconcellos Pinto Lala
importancia do meio sold de seu finado marido o
nngadeiro Manoel Pexoto de Azevedo, sem pre-
juizo da pensao queja recebe.-FonsecaViauna.
O governo mandara pagar a D. Seraphna de
Arruda remara, viuva do Dr. Jos Franciseo de
Arruda (ornara, os ordenados que a este compe-
tiam como juiz de direito, dos annos decorndos
ia"dt0c1?dujaneiro(,e 1849 at 31 de maio de
leovSaldanha Marnbo.
O governo lica autorisado a mandar pagar a
. Joanna Ricarda Vieira de FreiUs, tilhado fina-
do capitao Jos da Cruz Frenas, o meio sold de
seu pai.-J. M. de Macedo.
Approvou-se cm seguida, tambem em urna s
discussao, o projecto que autorisa o governo a man-
dar passar carta de naluralisagao de cidadao bra-
sileiro ao subdito portuguez Bernardino Jos Per-
.----- seute o offlcio Jjue V.S me dirigi, em dala de 15 ngnes, residente na provincia da Bahia,
de julho proxi.no fiodo, acompanhando a informa- co,n s euinles emendas :
gao que Ihe, prestou o escrivao dos Africanos livres t!,,n(|a-se o mesmo favor aos subditos portu-
acerca dos emolumentos que percebe pelas cartas 5 .f /'acnar|as Alves de Araujo e Francisco Pe-
1 emancipago que por esse juizo sao passa-1 p e Allue|da, ambos residentes na corte.oos
ue emancipagao que por esse juizo sao passa-1 P uc A1,ueiua> amt>s residentes nac
Si ?S,T*2f18 Aricans em virlude do decreto ,:,\
a. 1,303 de 28 de dezembro de 1853 : ha por bem ', gual favorse faga extensivo ao s
tendo ouvido o conselheiro consultor dos negocios i"s"ez lS2d*n,e e,n Minas, Antonio
da insliea m-jiM I-, r A. ,..!... ir o_________.... LOSla. lllheirn fl-i I ni
---------. ..-.,viiu mii.-.iii.ii uu> negocios
aa justiga,mandar declarar V. S. que, nem o aviso
de 16 de fevereiro de 1852, por elle citado, nem o ,
regiment de custas,oautorisam a percebertaesemo- 1*iWft Candido Cordeiro, morador
luineatos ; devengo por isso V. S. fazer lavrar as co.rle-e a Ma"oel Caelano da Silva, reside
ditas cartas e expedi-Ias com promtidoao ebefe de | ,, e do Hl Grande do Sul.-Pereira de V
polica, isentas de todo e qualquer oous ou despeza,
a nm de serem por elle entregue aos referidos Afri-
canos.
Paulo 'a------"*"* i uus utuditiue:, ue iiuna, lu
OroianSr r-,rr f....,4 a- a- a ulsPB"sada. d servigo activo da guarda nacional,
pela hora 3 d,scussa0 adiada j Jjjj rau,(0 'empo faza a guarnico daquella c-
pramf^i 'SJS^ Hh discuss- JV dos Mf,os enlrados hontem- e loeIar"
proposia oo go.erno e projecto da commissao de gou da barra do Ro Grande no dia 4 d crreme
S^SSAU Ek.&% "SS S?" ',Ue vaPor G^cheSa am2,
^^ZTilUS'S^ S i q SC8Uira p;,ra 'SBf?a :i-
2KKf7?n** l'orna9hav',rn"'nero| 0 senado approvou hontem em 2' discussao
'. GSSS m conformidade do art .68 do I Hffl&SSSft StfflUSSl?
regiment da casa, se trate previamente da prefe- viso dos decretos relevos s coninanh as Babia
reacia entre os projectos ns. 142 e 193 sobre a li-: na e Pernambucana companhias Balna-
VSk%K i eXeTC, riflancer : pprovo.a em discussao, e rejeitou em 2, bem
o, ioj j 1866, dados na2J parte da ordem do como varas emendas aoresentadas a nronmieln
d a e qoo se decida a preferencia pelo projecto concedendo licenga a dousfuies de direTo e o'u
Acham se inscriptos com a pa.avra os Srs. Per- i SXRStTS} Sa %!StR
reir da Veiga, Junqueira, Hibeiro da Luz, Carro, Dantas. C S brb" l tnna' Souza Ramos e
ffleM^aStSl2,tSMS' Frbano,' Bo,,zf a r EmAn0 m l' discussao a Proposgo sobre re-
teUo%?!%7 Sampaio barao de S. Joao ; forma da secretaria das obras publicas, agricultu-
aoKio Claro e Nery, contra ; e a favor os Sr. Luiz ra e commercio, orou o Sr Silveira da Motta e ti-
f elippe, Casimiro Madurara, Carvalho Res, Mar- I con adiada.
L-se no Commercial de 30 de passado :
A parte da barra de hontem, refere o se-
gunte :
O capito da barca Fraternidade, entrada hoje,
procedente do Rio de Janeiro, coramunicou verbal-
meute ao Sr. inspector da barra, que no dia 17 do
S!!*/ a hora e 30 minutos da tarde, na lat. ,
24 43 8, elong. O., 43- 12' ao SE appareceu um Ilro JManoel Moreira de Azevedo, arr
bote com urna vea e bandeira ingleza icada, tendo' 6ue*-'s. eslabelecidos o prmero na ce
ecebeu a seu bordo, e entao gun ,? em ''""opolis.Saldanha Marn!
19 pessoas, que as recebeu a seu bordo, e entao
declararan! ser o capitn, 2" piloto e mariuheiros!
da galera ingleza Sea Park, que tinha ido a pique
em viagem de CardiD para Calho de Lima, e que !
haviam tres dias que andavara no bote.
Commuuicou mais que na segunda note do
desastre desappareceu oulro bole com o Ia piloto e
is o pessoas da referida galera
ubdito por-
.vuivui'j Moreira da
Costa.Ribeiro da Luz.
Estenda-se igual favor aos subditos portugue-
zes Agostinho Candido Cordeiro, morador nesta
ente na
cellos. >
I Igual favor ao subdito portuguez Jos de Sou-
za e Silva natural de Lisboa, prolissao martima.
Franco de Almeida. .
Igual favor seja concedido aos subditos portu-
gueses habitantes na provincia de S. Pedro do Sul,
Antonio de Sa Vianna, Jorge Jos Rodrigues, Joa-
quimiPmto de Faria e Silva, Sebast.ao Jos Dias
e Joao Mximo Piulo da Fooseca. Flores
Nery.
Igual favor a Francisco Antonio de Lima Cas-
Moreira de Azevedo, ambos portu-
corte e o se-
nho.
m Estenda-se o mesmo favor a Adolpho Curio,
residente em Pernambuco.-Luiz Feiippe.
Igual favor se conceda a Manoel Sarment, ci-
dadao hespanhol, negociante establecido nesta cor-
le.Pamplona.
Igual favor a Manoel Jos Duarte Guimaraes,
subdito portuguez.-Pinto Lima.P. Brandao.
O mesmo favor se faca ao subdito portuguez
Jos Angelo, Alvim, Esperidio e
JLhJT h 0s deP.atadS approvou hon lemas
2 22 en?d0 a ProD(>sigo que approva o
contrato celebrado com o visconde de Barbacena
Vl i ar asnm,nas de carvao de pedra nas mar-
S **%Passa:Dous 'rielo da Laguna na provin-
cia de Santa Catharina.
Approvou depois, em 3" discussao, o projecto que
dispensa o bacharel Domingos Gomes Ferreira Vel-
loso de restituir a quantia de 1:000*, que em 1849
recebera como juiz municipal e de orphaos do ter-
mo de Pilao-Arcado, na provincia da Bahia, para
auxilo das despezas da viagem que nessa qualida-
de teve de fazer.
Approvou mais, em 1* discussao, o projecto que
autorisa o governo a dspender at 200:000|1 com
a mudanga do matadouro publico.
Approvou tambem, successlvamente, os parece-
res da commissao de poderes sohre a elego das
parochias de s. Miguel de Barreiros e Un, penen-
cenes ao 3 dislricto de Pernambuco, e d*s fre-
guezas de S. Fre Pedro Gongalves, Santo Antonio,
da Boa-Vista, Poco da Panella, Santo Amaro do Ja-
boaiao. Munbeca, S Lourengo da Malta, G'ora do
Uoita e Luz, do 1 dstrcto da mesma provincia,
ficando adiada pela hora a discussao do parecer
da retonda commissao sobre a eleigao da parochia
de Villa-Bella, pertencente ao 1 distrleto de S.
Paulo, depois de orar o Sr. Nebias,
Approvou ainda em 2 discussao, depois de orar
O. Urbano, a preposta do governo sobre a fixa-
cao das torgas de trra para 1865 1866. com a
segunte emenda doSr. Junqueira : I
Fica o governo autorisado a conceder urna
etapa aos offlciaes que reqaererem, e que houve-
rem servido no exercilo durante a lula da inde-
pendencia. i
Occupou-se em ultimo lugar com a 3" discussao
do projecto que autorisa o governo a conceder s
corporales de mo-mortt lloenga para adquiri-
rem ou possulrem bens de rali. Ninguem pedindo
a palavra fioou encerrado a discussao, nao se votan-
do por falla de numero legal;
tim Francisco,
Raol.
No principio da sessao o Sr. Pamplona funda-
mentou o segunte requerimenlo, que foi appro-
Requero que ao governo se pega as segrales
intorinagoes :
1 Se das communicagoes do presidente do
Ceara consja lerem havido na capital da provincia
mamreslacoes populares, nas quaes se tinha insul-
tado ou desacatado a subditos porluguezes.
T No caso afflrmativo, qual o procedimento
que uveram as autoridades judiciaes ou poli-
Proseguio depois a 2* discussao do orgamento,
no art. j (despeza do ministerio da jusliga). e ora-
ram os Srs. barao de Muritiba e Penna.
foi apoiada a segunte emenda do mesmo senhor :
lac'uain-se no 2" os ordenados dos quatro
memores do supremo tribunal de jusliga aposenta-
dos por decreto de 30 de dezembro de 1863, e no
a ,S ^e desembargadores aposentados poi
decreto da mesma data, bem como o do deserabar-
dor Severo Amorim do Valle.
Na sessao de hontem havia sido apoiadas as se-
guntes emendas do Sr. Zacharias :
. *2,J <" secretarla de estadoem vez de
lzo:5J0*diga-se-138:370*000.
s \c im a !.*.?.?|J tribunal supremo de justiga-em vez
b. M. o Imperador, acompanhado dos seus sema-1de '^-^OS-diga-se 107:200*000.
lase dos Srs. general Cabral, chefe do 1 dis- Ao a relac5es-em vez de 288:493*335
neto naval e capitao do porto, embarenu hnntom d'8a-se-90:693*3:j5.
Ao 4o tribunae
Le-se na mesma folha de 10 do corrente : p mesmo favor se faca ao subdito portuguez
Naufragou o brigue brasileiro Hara das D- francisM de Salles Souza Tavares Caria, residen-
res, que 1a, de Paranagu com carga de herva no "a cidade da Haba. -Junqueira.
banco inglez, no dia 8 do corrente, salvando-se a : R.ual favor se conceda aos portuguezes Joa-
tripolagao, pelo promplo auxilio dos praticos que : '\am 1 IDl dt Souza- I?"acio Jos Martins, Theo-
andavam na catraia utiota em Montevideo loe LoPes- Antonio Correa de Mesquita, Ja-
---------- 1 cratho Pereira da Costa e Joao Pereira da Silva,
L-se no Diario do Rio Gratule de 6 : !odes .'"bidentes na provincia do Rio de Janeiro.
, A pane da barra de 4 d conla dos seguintes nnfinp Veiga.
simstros : 'goal favor se conceda ao subdito portoguez
O brigue nacional Prmctza, ao virar de bordo enlomo Jos Duarte da Silva Braga, residente ua
perto do patacho inglez corge E Le son, e depois ae A'ar(-'10. provincia das Alagas. Jos
de ter viradojcom a amura a estibordo, nao leve AngV,,.- .
distancia para arribar, foi com a proa ao dito pata- ',eam igualmente naturalisados os porluguc-
cho, rebentou-lhe a vela grande, e este parti o pao fes Joaquim Machado Cay res, Jos Joaquim da Cus-
ir para S 1"1,0 Narcizo Correa Machado, Manoel Joaquim
nano
tricto naval e capito do porto, Vmoarco^ntom
as j horas da manhaa no arsenal de marinha e
fo. visitar fortaleza de S. Joao. Dalli S. M pi?
son a barra e desembarcou em Imbuhv, cuja for-
Jaleza e obras examnou. J
Embarcando de novo, voltou fragata franceza
Astm, onde assistio ao exercicio de artilharia in-
famara e outras fainas, e visitn a corveta Imoe-
dlh'dacobVal3 CaQhnera ""^ e i^
se^de'ondXretS^655011881^-
1 meadrosdeCre,OS de 6 e 10 do <*nl on(iibaa,!!,arel A-nIon Joe de Afn,"-im, juz muni-
uo Cear" rPS term d Ic6' "* Provincia
O bacharel Manoel Joaquim Francisco de Moura
juiz municipal e de orphaos dos termos reunidos
&2EXS&;Taros'aprovinc,a doRio
O bacharel Jos Francisco do Reg Cavalcanli,
juiz municipal e de orphaos do termo de Jacuhv
na provincia de Minas-Geraes :
O altores Clementino Jos Ribeiro, para tenente-
coronel choto do esudo-maior do commando su-
perior da guarda nacional do municipio de Pastos
Bons, na provincia do Maranhao ;
O lente Quiaiino Rubim de Miranda Ozorio.
para capuao cirurgi&Mnr do commando superior
da guarda nacional do municipio da Parnahyba
na provincia do Piauhy ; '
Os eaptes Francisco Manoel Gomes e Andr
Nunes Braulio, para tenentes-coroneis chefes de
oslado maior do commanijo superior da g_uar4a pa-
. do commercioem vez de
-43:070* ^ Al8 pessoal e material da policaem ver
de-403:0l0*-diga-se 420:502*000.
* Sendo os augmentos nessas verbas para paga-
mento dos vencmentos dos lugares ora preenchidos
e que devem ser supprimidos logo que vagarem.
ncerrou-se a discussao, nao tendo podido osSrs.
Silveira da Motta e baro de Muritiba retirar as
suas emendas (menos a offerecida hontem) por nao
haver casa para votar-se.
Hontem nao houve sessao na cmara dos depu-
tados por falta de numero legal.
Por decreto de 6 do corrente foi concedido a
luiz francisco Delouche privilegio por dez annos
para labricar e vender machinas destinadas a ra-
lar, prensar e torrar mandioca.
de bujarrona : e por isso deixaram de sahir para
poderem reparar as avadas, e mesmo pelo vento
se tornar mui lorie, e a barra hcar brava .
17-
0 Sr. Candida Borges requereu hontem, no se-
nado, que ao governo fossem pedidas informagoes
sobre o occorrido entre o chefe de polica de N'i-
tberohy e o empresario que se propoz a esiabele-
cer diligencias para os arredores daquella cidade.
Pedmdo a palavra o Sr. presidente do conselho, fi-
cou a discussao adiada para sabbado.
Entrando em primeira discussao a proposieae
que autorisa o governo para conceder carta de
naluralisagao Domingos Lazari e outros, oraram
os Srs. visconde de Jequitinhnha e Ferraz, sendo
a discussao adiada.
Teve lugar a volago do art. 3." do orgamento
Fernandes Penna, J:>aquim Victorino da Bocha,
Francisco de Souza Santos Moreira, Antonio de
i Souza Santos Moreira, Domingos Gomes Ferreira.
Jos de Oliveira Guimaraes, Sebastiao Jos da los-
ta, Manoel Fernando dos Santos. Manoel Antonio
da Cunha, Francisco Gomes dos Santos, Joao Pin-
to de Ohveira e Souza, Joaquim Antonio Fiuza Li-
ma, Antonio Francisco Ribeiro Guimaraes, Jos An-
tonio Lopes Sampaio e Jos Bernardo Moreira Guer-
ra, negociantes da cidade da Bahia, e Jos Joaquim
Fernandes Sampaio, de Sergipe.J. Madurera.
Igual favor ao subdito portuguez Francisco Do-
mingues da Cruz, residente na Parahyba do Nor-
te.Joao Le te.
Igual favor a Manoel Jos Guimaraes, residen-
te em Nitherohy.-Costa Pinto
Approvou mais em i- discussao o projecto que
(despeza do ministerio da jusliga), com as emendas ^PPr0V011 mais em i- discussao o projecto que
da outra cmara e apoiadas Foi approvado o arli-1 m !a s.overno a cmitiir apolices da divida pu-
go, salvo o algarismo ; sendo rejeitados os s l |D1,ca d(; 6% no valor de 400:000,5 para paga-
2, 5", 6, 7, 8, 10 e 11 quanto aos algarisraos; ment0 da d!vida passiva da provincia de Matto-
apprevadas as emendas do Sr. Zacharias aos Sg 1 brss. Ja liquidada, anteriora 1827.
i e H annmvia .. mnj^ j...~... ji' Approvou-se ainda em 2* discussao o projecto
vndo do senado alterando o regulamento da ca-
xa da amortizago ; bem como em 3* discussao o
11 Pi 1 liSi < 11% lnr.ilwv> I..-.4.-. .1 _.____ 3 .____^_aa____>_ a
Por portara de 11 do corrente foi noraeado Joa-
quim Manoel de Oliveira Santa Rita para o lugar
de contra-mestre geral de carpinteros da directo-
ra geral das obras militares da corte e fortalezas.
- *s
Entrou hontem do Ro da Prata e portos do sul
do imperio o vapor Gerente.
As datas de Montevideo chegam 7 do corrente.
0 pr- Saraiva tioha reliado de BuenosAyres e
no da 4 dirigido ao governo oriental urna ola, cu-
jo coteudo era desconhecido, mas que geralmente
se suppunha ser um ultimtum cora prazo de seis
das, que deviam fladar a 10.
Aguardava-se com anxiedade a resposta do go-
verno da repblica, que nao deva ser mui sMisfac-
wria, a julgar pela linguagem. da imprens?. periQdi-
2 e 8o, approvadasas emendas da cmara dos depu
tados ao 1, na parte explicativa ao5 em ambas
as partes ao 6 igualmente : e ao 7.' tambem ;
ao 8 na parte explicativa; ao 10 em ambas as
partes; e ao 11 quanto ao algarismo ; approvados
os { 3, 4, 9, l, 13 e 14 da proposU ; julgadas
comprehendidas as emendas do Sr. Zacharias aos
S 3 e 4; eprejudicadas as da cmara dos depu- "v"" '.ZZZFK VSIIS" "eooui.A Bnaam, en-
lados aos 3 e 4, e a do Sr. visconde de Jequi-! ie da "d"ir* dt} ",nurgia do seminario archiepis-
tinhonha ao 7; approvadas as do Sr. baro de 1 p 2 Bahia>'eJ1m 1"e reclama centra o decreto
Muritiba aos H e 3, offerecidas a 13 do corren- Ve reduzl0fc ordenado de sua cadeira. Dpois de
te, e regeitadas as do mesmo senhor offerecidas a SE23 .er.v,S8f do Sr- "">>, Cima;flcou a
discussao adiada pela hora.
projecto tambem vndo do senado marcando o or-
denado dos empregados da referida repartigo.
Occupou-se depois com a discussao do parecer
da commissao de pensoes e ordenados sobre a pe-
tcao do conego Henrique de Souza Brandao, len-
le, e regeitadas as do mesmo senhor offerecidas a
10, e do Sr. Silveira da Motta offerecidas a 6.
Entrou depois em discussao o art. 4." do orga-
mento (despeza do ministerio de estrangeirosi fi-
cou adiada tendo oraoo o Sr. Paranhos.
A cmara dos deputados approvou hontem o pa-
recer da commissao de poderes sobre eleigao da
parochia de Villa-Bella, pertencente ao primeiro
dislricto da provincia de S. Paulo, ficando prejudi-
cada a emenda do Sr. Nebias.
Occupou-se depois cora a segunda discussao do
projecto que autorisa o governo a despender at a
quantia de 2:000* com a mudanga do matadouro.
fcuiirn 7^/e V j r ^r 7 T. Ui "" e uesae lemD0 de sua execugao, pelo que seu
S er/ar -Sr- Madurera, foi olferecido o requerimenlo deve ser remettido ao governo, para
Segunte reaiier lien n neln mtmn isnVinr m J,.r._ i.....i__. ... ,. '.K ,
segunte requerimenlo polo mesmo senhor, cuja
discussao ROO adiada pola hora.
Requero que o projecto v s commissdes de
Foi offerecida asegrate emenda:.
Conelua-se o parecer da segointe maneira :
Que nao podendo o decreto n. 3,073 de 22 de abril
de 1863 revogar a le o. 965 de 4 de agosto de 1858
que ele vou os ordenados dos professores de lith ur-
ga dos seminarios do imperio aos que venciam os
demais professores dos mesmos seminarios, visto
como nenhuma delegago poslerior foi conferida
ao governo a semelhante respeito, esl inconleste-
velmente o conego Henrique de Souza Brandao no
caso de receber seu ordenado na razo daquella
le e desde o lempo de sua execugao, pelo que seu
defer-lo na forma do direito que Ihe compete, de
haver nao s o ordenado de 1:000*, igual aos de-
mais lentes do seminario, como a indemni^ago da
e...;.Ml 1 H !iOT.y roMMiiiaws ue mais lenies ao seminario, como a indemni^agao da
estaiisica, de cmaras mumcpaes, de sade pu- differenga qne deixou de perceMir desde a execu-
bitca, de fazenda. e coSliluiejw para darem pa*! fio do decreto ciiado, urna vez que lenha preen-
recer' chido os deveres de seu cargo.Pinto Lina.
1
\.
M
rmmm


DUrto de rertumhm^m -- Terca felra AO t Agosto de lt4.
Continuou cm ultimo lugar a discussao do pro-
jecto sobre a lixaco da forra naval para o anno
liuanctiro de 1863 1860. Orarara os Srs. minis-
tro do imperio, Junqueira, presidente do conselho
e Ribeiro da Luz, Ikando igualmente a discussao
adiada pela hora.
Por decreto de 13 do corrente concedeu-se de
missao .lo servico do exercito ao 2 cirurgiao do
corpo de sade do mesmo exercito Dr. Francisco
da Silva Moraes.
Por portaras de 16 do corrente foram concedi-
das as demissoes pedidas, por Vicente Ferreira Di-
niz, do lugar de agento do crrelo da freguezia da
Prainha; e Heloodoro de Vasconcellos Cabral, do
de ajudante do da cidade de Macap, ambos na
provincia do Para.
19 -.
_Conltnuou hontem no senado, a primeira discus-
sao da proposicao (pue autoi isa a i eforma da se-
cretaria da agricultura; commercio e obras publi-
cas, e do correio.
Oraram os Srs. Manoel Felizardo, Ferraz e vis-
conde de Jequitinhonha, tornando a discussao a
ficar adiada com o seguinte requerimento do Sr.
Ferraz :
Que o projecto seja adiado para quando se tra-
tar do ornamento do respectivo ministerio.
Proseguindo depois a segunda discussao do or-
namento, no artigo 4* (despeza do ministerio de es-
trangoros) oraram os Srs. visconde de Jequilinho-
nha, Penna e Ferraz; :e foram apoiadas as seguin-
tes emendas :
No orcamento do ministerio de estrangeiros,
na emenda approvada pela cmara dos deputados,
a. verba secretaria de estado substilua-se a
quanlia de 116:100^ pela do 129:1195000. Dias
Vieira.
> Ao 2o accrescente-se incluida a gratifica-
rao de 8005000 ao vke-cousul em Londres.

. I
mezes, com sold
sade nesta corte.
Alferes-ajudanle do
quanlla de 8:0005 para elevarem-se os vencimen-
tos do ministro do Brasil junto a corte de Frailea.
Oraram os Srs. Prannos, Jobim e Dias Vieira, e
flcou encerrada a discussao.
A cmara dos deputados approvou hontem. de-
pois de algumas observares dos Srs. Carvalho
Reis e Pinheiro Machado, o projecto que autorisa
o governe a crear, na provincia do Rio Grande do
Sol, e as outras que se acharem em idnticas
cireumstancias, um procurador fiscal especial.
Continuou em seguida a discussao do parecer
da commissao de pensods e ordenados, acerca do
requerimento do conego llenrique de Souza llran-
do, lente da cadeira de lithurgia do seminario
archiepiscopal da Bahia, em que reclama contra o
decreto que reduzio o ordenado de soa cadeira.
Uepois de algumas observacoes dos Srs. VaWetaro,
Lulz Fclippe o Pinto Lima.'fieou a discussao adia-
da pela hora.
Foi offerecida a seguinte emenda :
Aehaudo-se o padre Tranquilino Cabral lava-
res de Vasconcellos as mesmas condados do co-
nego Henrique de Souza Brando, como se v de
sua petic.o apresentada esta cmara, seja o no-
ine do mesmo padre Tranquilino incluido no subs-
titutivo apresentado pelo Sr. Pinto Lima e conclu-
sao do parecer da commissao do pensos e ordena-
dos. Silvino Cavalcanti.
Occupou-se cm ultimo lugar com a lerceira
discussao do projecto sobre a fixacao das forjas' cias naquella
de trra para n anno linaneciro do 1863 a 1866.!-----!~
Orou o Sr.
hora.
Aos Sis.: capitao do 4." batalhao de artilharia a em soa seguraba individual e os cadveres
pe Jos Pedro Nolaseo Pereira da Cunta, tres ficar m insepultos.
e etapa, para tratar de sua
10.a batalhao de infanta-
O subdelegado, que tambem fabriqueiro,
mandou arrasar, verdade, as paredes levantadas
no chao em derredor das sepulturas, por nao ser
nao Aoterceiro escripturario da thesouraria de fa-
' zenda Francisco Jos de Moraes e Silva, tambem
ria, Henrique Carneiro de Almeida, tres mezes, ,fsso permittido lugares em que se achavam, e que
para tratar de sua sade na provincia de Pernam- contra ordem expressa haviam os pas dascriaucae
buco. escolhido; disto resultaram os insultos e ameacas.
Pbarmaceutico alferes do corno de sade, Fe-, O asfecho deste drama heLde opporlunamen-
licio Ernesto Malta, dous mezes, com venciraan- te levar ao publico cora os necessarios e positivos
tos, para tratar de sua sade.Em 7 dejulho esclareetaentos.
ultimo. _____
Condecoradlo.Foi nomeado eavalhelro da or- Recebemos folhas da provincia de S. Paulo que
dem de S. Bento de Aviz o Sr. capitao do rorpo de alcancam 19 do corrente.
goarnicao de Pernambuco Joo Mara Petra de L-se no Correio Paulistano :
Bittencourt.Decreto de 8, e diploma de 11 de ju- t Ante-hontem (16) fol o Sr.Dr. Raphael Tobas
nho lindo. t de Aguiar aggreddo por um seu escravo que Ihe
Anhfjnidade -de srrxnco militar Ao Sr. atieres arremedara nm rnartello com o intento do o ferr.
do 3. batalhao do infanUria Francisco da Lapa Felizmente o projectil nao acertou na pessoa que
Trancoso, se mandou contar como tempo de ser- Ihe era alvo. O preto foi recolhido casa de cor-
vico militar o decorrido de 3 de abril de 1846 6 reccao.
de dezembro de 1849, em que servio no corpo po- Ha mais um facto para engrossar o rol dos at-
lcial da provincia de Sergipe, visto achar-se com- tentados deque se fez theatro o lugar denominado
prehendido as disposirSes do art. !. do decreto Taipas, na estrada que segu para Jundiahy.
se concedeu 3 mezes de cenca com vencimentos
na forma da lei para tratar de sua saude onde Ihe
covier.
Sob proposta do procurador fiscal da thesoura- ni"dT Mor.
ra provincial, nomeou-se o Dr. Mendo de S Bar-; Improcedente.
Improcedente.
Appellante, o juzo ; appellado, Luiz de F/anra
Carvalho.
Improcedente.
Appellante, ojuizo ; appellado, Bernardo Anto-
n. 1,021 de 6 de julho de 1839.
- 21 -
reto.Sarapaio para o lugar vago de ajudante do
mesmo procurador fiscal na comarca de Palma-
res.
Foi demitlido do cargo de delegado de polica
dotermo do RioFormoso o alferes do corpo de poli-
ca Carlos Jos de Siqueira, e sob proposta do Dr.
chefe de policia,nomeou-sc paraesse cargo o major
da gsarda nacional Leandro Jos da Silva San-
tiago.
Da mesma forma exonerou-se o major Policia-
no de Barros Acciot Lins do cargo de subdelegado
do districto de Serinhem, prmeiro da freguezia de
igual nome, por nao querer continuar a exerc-lo,
o para o substituir nomeou-se a Manoel da Rocha
Cavalcanti Lins.
A directora do Banco do Brasil -esolveu sus-
pender definitivamente, dizem as noticias chegadas
O Portuguez Jos Cabral pralicra a mais en- hontem da corte-, as operacoes de descont da Cai-
sangrentada scena de homicidio na pessoa de Ma- \ xa Filial desta provincia, permittindo entretanto
o
Nery,
(cando a discussao adiada pela
e o emprezario que pretenda
cid
querimento.
estabelecor dilgen- trando com este ultimo faci, seno com o primei-1 Anda mais dizia-se que ser reduzdo o seu pes-
ade, sendo afinal retirado o re- ro, o quanto capaz o coragad do homem em mal-, soal.
vadeza e cynsmo. Na divsao dos recrutas que devem dar as
O criminoso foi felizmente preso pelo nspec- provincias para a mantilla, tocaram : 120 a Per-
Passou em 3.* discussao a proposicao sobre na-
turalisacao de Domingos Larazy e eutros: e, con-
---------- tnuando a 1.a discussao da proposito relativa
S. M. o Imperador, acompanhado dos seus se-1 companhia Unio e Industria, tornou a ficar adia-
manarios e dos Srs. general Cabral, commandante da, depois de orar o Sr. Dias Vieira.
do primero districto naval, inspector do arsenal: Procedeu se votaco do art. 4. do orcamento
de marnha e capitao do porto, embarcou naquelle (despeza do ministerio dos negocios estrangeiros.) tuaram no animo do homicida para o levar a se-
arsenal hontem s 9 horas da maimSa,edirigise eemendas tanto da cmara dos deputados como melhante attentado. Acha-se preso, c brevemente
a fortaleza de Santa Cruz, onde demorou-se assis- apoiadas no senaho, sendo approvado o artigo, sal- ser conduzido a esta capital
bala das sessoes, 18 de agosto de 1864.Vis- tindo diversos exercicios. D'alli subi ao Pico c vo o algarismo ; rejcilado o 1.a quanto ao alga- _______ _______^__
conde de Jequitinhonha. visilou a fortaleza. rismo, bem como a emenda da cmara dos depu-
Igual gratficaeao se conceda ao vice-consul Na oecasio de embarrar em Santa Cruz, Sua tad os a o mesmo paragrapho, sendo approvada a
de Marselha e a qualquer outro em iguaes circums- Magestade escorregou no limo da escada, mas fe- do Sr. Dias Vieira, rejeitado o 2. e approvada a
tandas.Silva Ferraz. lizmente pode segurar-se e apenas molhou-se li- emenda da cmara, quanto ao algarismo; rejeitada
-------- j jiramente do mar. Alguns minutos depois en- a parte da emenda additiva da cmara ao mesmo
A cmara dos deputados approvou hontem suc- trou na galeota, e, desembarcando no arsenal, foi paragrapho, e tambem rejeitadas as emendas do
cessivamente os pareceres da commissao de pode-1 visitar o quarlel do primero batalhao de infanta- Sr. visconde de Jequitnhonha, ejolgada prejud-
res sobre as eleicoes da freguezia de Nossa Seoho- ra no campo da Acclamacao, demorando-se em cada a do Sr. Ferraz ; rejeltados os 5 3. e 5.":
ade de Japacatuba do prmeiro districto | percorrer e examinar todas as suas divisSes. approvadas as emendas da cmara, quanto aos al-'
Consta-nos que em essao de hontem resolveu ; gansmos ; o approvados os | 4. e 6."
a directora do banco do Brasil.suspender definitiva- Na presenca do Sr. ministro da marinha
tor de quarteirao.
Na freguezia de S. Bernardo, prximo a es-
ta capital, Angelo Dias de Siqueira assassinou sua
mulher Anna Jesnna Pacheco.
Anda nao sao conhecidos os motivos que ac-
DIARIO DE PERNAMBUCO
ele-itera! de Sergipe, o de diversas parocliias do
municipio do Mar de Hespanha, do terceiro de Mi-
nas-Geraes.
Approvou depois em segunda discussao o projec-
to qne equipara a cathegora e vencimenlos do aju-
dante do procurador dos feitos da fazenda publica
a cathegora e vencimenlos deste.
Approvou tambem, depois de orar o Sr. C. Ma-
dureira, o projecto sobre a fixacao da forca naval
para o anno financeiro de 186o 1866.
Occupou-se em ultimo lugar com a lerceira dis-
cussao do projecto que declara que os passaportcs
para paizes estrangeiros sero regidos pela legisla
mente as operaroes do descont da caixa filial de
Pernambuco, cneedendo entretanto reformas das
letras que se forem vencendo, e qjie consttuem a
sua carleira, com urna aniortisarao gradual ate o
completo pagamento.
Como complemento indispensavel desta medida,
a directora resolveu tambern diminuir o pessoal
da caixa, para harmonisa-lo com o circulo redozido
de suas operacoes.
Assim procedendo, entendou a directora nao
fazer mais do que regularisar o estado em que as
rao que vigora sobre os passaporles para o interior! cireumstancias tinham ltimamente collocado a
do paiz, revogada assm a ultima parte do artigo j caixa, convencida de que nenhum inconveniente
118 do cdigo do processo criminal. trar esta dehberacao praca de Pernambuco,
Oraram os Sis. Costa Pinto, Junqueira, e C. Ma-i visto que contina o movimento de fundos enlre a
dureira, licando a discussao encerrada. nossa c aquella praca.
-------- A opportnnidade da medida funda-se na posico
Por decretos de 12, 13 e 17 do corrento, foram actual da caixa, cujacarteira activa apenas de
nomeados: ; cerca de tresentos contos, possando o estabeleci-
Paulo Jacintho Ferreira, capitao secretario geral' ment em seus cofres moeda sufflciente para o
do commaudo superior da guarda nacional dos mu- troco de suas notas, que se conservam em gyro
nicipios da Itnperalriz e Asseinbla, na provincia para satisfazer as necessidades daquella provincia,
asAlagOas. ledos que com ella entreteram relacoes commer-
0 capitao Jos Frederico de Andrade, tenente-' ciaes.
coronel commandante do batalhao de infantaria! --------
n. 22 da guarda nacional da provincia do Coar. Entrou esta manhiia do Rio da Prata o paquete
Foi removido ojuiz dedireito Jos Ascenso da francez Sainlonge com datas de Buenos-Ayres at
Costa Ferreira da comarca do Sobral, de segunda 113 e Montevideo 15 do corrente.
eqea uo sr. ministro oa marinha, con-
tinuou a 2a discussao do orcamento, no art. o-
(despeza do ministerio da marinha) com as emen-
das da cmara dos deputados ; oraram os Srs.
Ferraz, ministro da marinha e Prannos, e ficou
a discussao adiada.
nambuco, 40 a Parahyba, 30 ao Rio Grand, 40
ao Cuar, 80 ao Maranho, 30 ao Piauhy, 80 ao
Para e 20 ao Amazonas.
Escrevetn-nos de Pao d'Alho, em 2o do cor-
rente :
Deu-se aqui ha dias, l para a ra do Maracuj,
que a at de Pao d'Alho, una briga entre duas
camelias de que resultou salnr urna deltas com 2
facadas. Disseram-mo que se fez vesloria nos fe-
rimenlos.
Bate a porta o 7 de setembro. Os liberaes uni-
dos com os Uijueiros esperara vencer o pleito, e os
conservadores, que tambem estao trabalhando, di-
Temos vista jornaes do sul do imperio, trazi-1MD1 dos pelo vapor Paran, alcancando as datas : do i Da v'"a da Penha, no Rio Grande do Norte,
Rio de Janeiro i 83, da Bahia 27 e de Alagoas ; nos escrevem em 19 do corrente :
28 do corrente. As chuvas anda continuara, porm muito li-
Na parte Interior encontrarao os leitores o que as, Ellas produzram bom resultado as Catin-
ha de mais importante. 8as owUi haver boa safra de algodo e de mi-
Hontem nao hoove sessao na cmara dos depu-
tados por falta de numero legal.
-22-
S. M. o Imperador, em demonstrado do seu
profundo pezar pelo fallecimento de S. M. orei de
Wurtemberg, Guilherme I, resolveu tomar luto
com a sua corte, a principiar de 22 do corrente
entrancia, na provincia do Cear, para a da cap
tal da provincia da Parahyba, de lerceira.
Foi declarado avulso o juiz du dreito Francisco
da Costa Carvalho, e vaga a comarca de Tau-
bate.
Fui concedido mellioramenlo de reforma no posto
de m.ijor ao capitao reformado da guarda nacional
da corte, Luiz Jos da Costa.
Tiwram merc da serventa vitalicia :
Jos Joa tiini Fernaudris Badar, dos officios de
prmeiro Ubellio do publico judicial e notas e os-
crvao di orphaos e ausentes canellas e residuos e'
do jury do termo de Santa Isabel de Paraguass
Da provincia da Bahia.
JoSo GoncalVes Pedroso, do ollicio de prmeiro
Ubelliao do publico judicial e notas do termo de
Sao Luiz de Parahitinga, na provincia de Sao
Paulo.
Por decretos de 6 do corrente.
dos :
Primero escripturario da alfandega do Cear,
o segundo da das Alagoas, Joaquim de Oliveira Ca-
tunda.
Primero escripturario da thesouraria das Ala-
goas, o segundo da mesma thesouraria,! Ilerculano
Teixeira Alfredo de Bvar.
Era gravissima a nossa stuacao no Estado Ori-
ental. Ao ultimtum do Sr. Saraiva respondeu o
governo de Montevideo devolvendo-o por indigno
de ficar nos seus archivos, e propondo submetter
as reclamaroes a um arbitramento. O nossn en-
viado devolveu a seu turno esta nota, e declarou
que passava a expedir ordens aos commandaates
das forras de mar e ierra para tomar represa-
lias.
Feito isto, retirou-se primeramente para bor-
do da corveta Nitherohy e depois para Buenos-
Ayres.
At a sabida do paquete nao constava que por
parte do Brasil se tivesse praticado j qualquer acto
de represalia.
Enlre as ocourreneias da guerra intestina com
Floros, as mais importantes sao a tomada da po-
foacao da Florida por este general, a derrota de
algumas partidas delle em Tacuaremb e Salto, a
foram nomea- BUbstituicao do general Lucas Moreno no comman-
| do do exercito governista pelo mesmo Servando
Gomes, que antes o commandava, o a mudan-
ca do ministro da guerra.
A cidade de Montevideo eslava tranquilla. As
folhas peridicas faziam um ero de doestos c ca-
lumnias contra nos. mas o insulto nao descera da
imprensa para as ras.
Da ordem do di d. 412 expedida pela reparti-
rlo do ajndante-general em 19 do corrente consta
Por poriaria de 16 do rorrete foi nomeado Jos
Jorge Lucas Pinto para o lugar de meslre da oflki-
na de anneiros do arsenal de guerra da provincia ; seguinte :
da Bahia, e Manoel Martine Capella para o de con-1 Nomeacoet.Do3 Srs. : Dr. em medicina Alva-
tramestre da mesma offleina. ro Horara Sampaio, para 2." cirurgiao do cor-
-------- po de sade do exercito.Decreto de 10 do corren-
Pelo ministerio do imperio foi expedido ao da te mez.
juslica, em 16 do correte, o aviso seguinte : 2.0* cirurgioes do corpo de sade :
Illm. e Exm. Sr.Dgnese V. Exc. de expedir Dr. Jos .Nunes da Silva, para servir na pro-
as convenientes ordens para que os tabelliaes e es- vincia do Rio Grande do Sul.Em 10 do corrente
crivaes competentes nao lavrem esenpturas de
contratos onerosos feitos pelas ordens regulares,
sera que se Ihes aprsente a licenca do governo im-
perial, que devem solicitar para a celebracao de
taes contratos, nos termos di lei de 9 de dezembro
de 1830, e decreto n. 633 de 28 de novembro de
1849.
Deus guarde V. ExcJos Bonifacio de An-
drada e Silva. Sr. Sacharas de Ces e Vascon-
cellos.
Temos datas de S. Paulo al 13 do passado :
No dia II as associagoes Iliterarias instituto ju-
rdico e culto ciencia festejaram em sessao mag-
na o annivorsano da fundago das academias juri-1 pnlveda Ewerard, e do 9. da mesma arma
dicas do imperio. \ Joo Paulo de Miranda, para o batalhao do de-
L-e na Revista Commerctal de Santos j psito,
le 11: Tenente do 5. batalhao do infantaria Joo
O Sr. Dr. juiz de direto desta comarca tendo Luiz Tarares, para o corpo de guarnicao do Ma-
negado provinieuto ao recurso interposto pelos reos raniao.
pronunciados pelos crimes de morte de Nicolao 2." tenente do 1. batalhao de artilharia a p Igna-
Christ, e de ferimento grave na pessoa de Pedro co de Souza (ionva Jnior, para o 1. regiment
Chrisi, conirmou a sentenca proferida pelo Sr. sub- de artilharia a cavallo.
mez.
Dr. Joao Jos de Cerqueira Lima, para servir na
provincia das Alagoas.
Or. Manoel Alves Ferreira Scrrao, para servir
na provincia do Maranho.
Dr. Cicero Alvares Dos Santos, para 2." ci-
rurgiao do hospital militar da provincia de Per-
uambuco.
Demismo f!o serviro militar. Por decreto de
13 do corrente mez foi concedida ao Sr. 2." cirur-
giao do corpo de sade Dr. Francisco da Silva
Moraes.
Transferencias.Dos Srs.: tenentes do 8. ba-
lalho de infantaria Henrique Augusto de Se-
- eCas-
ro, para jufz de dreito da comarca do Saboero,
de 1" entrancia, na provincia do Cear;
Francisco Solano Rodrigues, para tenente-coronel
commandante do batalhao de infantaria n. 20 da
guarda nacional da provincia do Maranho ;
Jos Mara Vianna
is Mara Vianna, para major commandante dal ^*gTr?.J7XSrJXZ i'71"" fr),
seccao de batalhao d reserva n. 7 da guarda na- Hermenegildo Antn o Barbosa de Almeida-
cional da mesma provincia; A cawtao de ,ra2ala- camla0 ,enea,e Al
O capitao Jos Lopes da Rocha, para major com-
mandante do esquadrao de cavallaria n. 16 da
guarda nacional da provincia de Minas-Geraes.
Foi removido o juiz de dreito Joaquim Francis-
co de Faria da comarca de Vassoaras. de 2a en-
trancia, na provincia do Rio de Janeiro, para a
capital da mesma provincia de 3a.
Foi exonerado o juiz de dreito Luiz de Cerqnei-
cfa'o^'mzonr S ** P0"Ca PrV1D"
Foi declarado avulso o juiz de dreito JJo d^
Carvalho Fernandos Vieira e vaga a comarca do
Rio Grande, na provincia de S. Pedro do Sul.
Foram designadas as comarcas de Caraam, na
provincia da Babia, e de Vassouras, na do Rio de
Janeiro, para nellas terem exercicio os juizes de
direto Luiz de Cerqueira Lima e Daro Raphael
Calado.
Foram concedidas as demissoes que pedirara :
O bacharel Eusebio de Queiroz Maitoso Ribeiro
do lugar de juiz municipal e de orphaos do termo |
de Macah ;
CoNFEiBRAg\o Argentina.O congresso appro-1 Ih". ,.
vou a loi abolindo os acoulesdo exeretto, mas sup- i Depois d auianhaa se extrahira a 3a parte da
punna-se que outro tanto uo acontecera na ca- ,3J lotera, da Santa Casa de Misericordia (106) sen-
niara dos senadores. Aum de converter o meio do o maior premio 10:0005.
circulante o governo da provincia de Buenos-Ayres i Rei'aivtiqao da polica.
pedio autorisacao para ceatrahir um emprestimo. Extracto das partes dos dias 28 e 29 de agoslo de
: No congresso nnunciou-se urna interpellaco aoer- a^64.
ro recolhido casa de detenjo no dia 2 7
do correute :
A' ordem do subdelegado do Recife, Jacobus Be-
jasnam Lstrem, requisicao do cnsul de Ilanno-
ver.
28 -
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Sabino Bo-
lixabano, por disturbios.
A* ordem do da Vanea, Antonio, escravo de Do-
mingos Aotuncs Villaca, por crirae de roubo.
O chefe da 2* seccao
J. G. de esquita.
Passageiros de vapor inglez Paran, entrados
do Ro de Janeiro e portos intermedios :Francis-
co Alves do Brito, sua senhora^i llilio e 1 escravo,
D. Virginia Amalia Sleple e 1 criado, Jos Anto-
nio de Biltencourt, Firmo Candido da Silveira,
Francisco Gomes de Araujo Vasconcellos, Dr. Ma-
noel da Costa Honorato, Antonio Leito da Costa,
Francisco Ignacio de Mello e Aluuquerque, Jos
Francisco de Alencar Aleantarim, Dr. Arislides Jos
de Leo e 1 criada,, D. Anna Gomes de Leo, 1 fi-
Iho, 1 prima e 4 escravos, Alfredo e seu irmo r-
ea da queetio brasiloira.
Paraguay.Nada occorreu que mereca menead.
Santa Catuarina.Seguir para o sul a canho-
neira Mearim, e achava-se prompta para o mesmo
destina a Huracana.
Rio Ghande.O cambio regulara sobre Pernam-
to pesaao e iu ae luto alliviado. Veflderam-se tambera 30 pipas de agurdente de
Por decretos AtK*m ^rnrrpm. fAP,mnn.|Peroambuco.:305000..sprecosda carne va-
de 16 e 20 do corrente foram no-1 rjava O juiz' de direto Sebastao Cardoso, para thefe 1SS18-1*1- Bototo ffam OOM e v.os
de polica da provincia do Amazonas ; re,s Pr-arroba para Pernambuco.
O bacharel Miguel Joaquim de Almeida
por arroba para
Ro de Janeiro.Foram promovidos, por decre-
to de 20 :
A chefe de esquadra, o chefe de divisao Joaquim
Raimundo de Lamare;
A chefe de divisao, o capitao de mar e guerra
Francisco Pereira Pinto;
A capitao de mar e guerra, o capitao de fragata
Antonio
A capitao de fragata, o capitao tenente
Alves dos Santos, por anlguidade ;
A capiles lenles, os primeiros tenentes Auto- ; thur, Antonio Joaquim de Oliveira Manoel de Oli-
nio Luiz da Silva Souto e Salusliano Caelano dos, 'Cira Castro, Justiniano Fernandes de Souza, Fran-
Santos por anlguidade cisco Manoel da Silva lavares, Joao de Lampos,
A primeiros tientes, 'os segundos tenentes Jos; los Correa de Lima, Domingos Graca dos Santos
Pinto da Silva, por merecmonto, e Miguel Joaquim | padre Antonio Jos de Oliveira,
Pederneira, por anlguidade.
Por decreto da mesma data foi nomeado vec-
director da escola de marinha o capitao de fraga-
Pelo ministerio da guerra baixou o seguiule
denreto : i
t Commiserando-me das cireumstancias em que
se achara os militares dos differentes corpas do
exercito, e os da guarda nacional em destacamento,
que tiveram a infelicidade de desertar, apartndo-
se das suas bandeiras : hei por bera perdoar-llies o
crme de primeira deserco e o de segunda sim-
ples, 3prescnland-se os reos dentro do prazo de
tres mozo-, contados da pulilicaco do prsenlo de-
creto em cada das comarcas do imperio ; inclundo-
I se tambern ueste indulto os que ja estiverem sen-
Alfredo Magno de Souza Lobo do posto de alfe-1 *M ?JZZS!VS1> i
res da 3a companhia do Ia batalhao de infantaria ()s du an l*ural
da guarda nacional da c-^rte :
Luiz Corlez de Paiva, do posto de alteres da 4a
e Hypotheca-
delegado de polica e sustentada pelo'Sr. Dr. juiz
municipal.
Oulrosim e mesmo Sr. Dr. juiz ;dc direto con-
irmou, em recurso, a pronuncia sustentada pelo
Sr. Dr. juiz municipal, por crime de ferimento leve
eito por Jos Antonio Rebello de Amorim na pes-
soa de Domingos Jos Soares.
Diz a mesma folha de 13 :
Consta-nos que no dia 3 do corrente mez, s 4
horas da tarde, cm Mogy, o portuguez Antonio de
tal disparara um tiro de garrucha subre o peto de
Marcelino Rodrigues, brasileiro, e que o ferio gra-
vemente. ; guarnicao do Piauhy.
O criminoso evadio-se para o mato, e o offen- 8.a cadete, 2. sargento do 4. regiment de ca-
dido (o conduzido pelo inspector de quarteirao da- vallara ligeira Elov Rodrigues de Menezes e Al-
quclle lugar, o Sr. Augusto Lorena, para o hospital raeida, para o 3." regiment da mesma arma, como
da Sania Casa desta cidade, s 3 horas da noute do simples cadete, se nao houver vaga do posto que
mesmo da, onde se procedeu ao competente corpo oceupa.
de delicio no da seguinte : nSo tendo sido possi- 2.a cadete do 1.a regiment de cavallaria ligeira
vel saber verdaderamente o que deu lugar a este'Jos Pinto Freir, para a companhia de cavallaria
acontecimento, visto que o offendido apenas deca-! do Paran.
ra que o ofiensor encontrando-o cm urna porta dal- 2." sargento do 1.a batalhao de artilharia a p
le offendido, dizendo-lhe que all nao havia entrar 1 Raymuodo Jos da Costa Lima, para nm dos cor-
otitra vez, agarrando-so com elle offendido, tomou-(cos estacionados na provincia da Bahia.
Ihe urna garrucha que este traxa, e disparou-lhc Do anspecaa do *> batalhao de infernara, Ma-
Alferes do batalhao do deposito Luiz dos Res
Falco, para o 3. batalhao de infantaria.
Alferes do 10. batalhao de infantaria Candido
Rodrigues de Barros, e do batalhao do deposito
Manoel Alves de Azevedo Macedo, para o 4.a bata-
lhao de infantaria.
Alferes do 3.a batalhao de infantaria Galdi-
no Ramos de Jess, para o 6. batalhao da mesma
arma.
Alferes do 4." batalhao de infantaria Carlos Joao
Van Ns, para o batalhao do deposito, c Segisnan-
do Cicero de Alencar Araripe, para o corpo de
no peito. com drecrao de baixo para cima
" 20
Conlnuru honiem, no senado, a discussao do
requerimento do Sr. Ferraz, propondo q adajnen-
noel Vieira da Silva, para o asylo de invlidos da
corte.
Dos soldados do 1. batalhao de infantaria, Vi-
cente de Paula Hispo, para a companhia de caeado-
to da proposigo que autorisa a reforma da secrc- res de Sergipe: e Jos Lu da Rocha, para o cor-
tara de estado da agricultura e do correio para po do guarnicao do Cear.
mando se tratar do orcamento da respectiva re-! Da companhia de invlidos de Santa Catharina,
partico ; o foi apoiado um addilaraento do Sr.' Luiz Francisco de Carvalho, para o asylo de inva-
visconde do Jequitnhonha, para que o arliaruento | lidos da corte.
seja sem prejuizo da primeira discussao, sendo i Do 1. regiment da cavallaria ligeira, Franklin
approvado tanto o requerimento como o addita-1 Pereira da Silva, para a companhia de eavallaria
m?010- i de Minas-Geraes, como requeren.
Proseguindo onto a primeira discossao da dita i Remofes.Dos Srs.: 1.a cirurgtio do corpo de
proposicao, foi approvada para passar segunda sade, Dr. Olegario Cesar Cabuss, da provincia do
discussao, depois de orar o Sr. -Candido Borges. I Paran para a de Pernambuco; e Ia cirurglio Dr.
Entrou em primeira discussao a proposicao so-; Gustavo Balduino de Moura Cmara, desta para
bre novaeao dos contratos com a companhia i aquella provincia. !
L'niao e Industria; ortu o Sr. Ferraz, e ficon i 2.a cirurRiao do mesmo corpo, Dr. Antonio da
companhia do 4 batalhao da mesma guarda.
Foi aggregado ao 2 baialho de infantaria do
serviVo activo da mesma guarda o tenente do ba-
talhao de infantaria n. 20 da provincia do Rio de
Janeiro, Patricio da Cmara Lima.
Foi designado o capitao do 3a batalhao de in-
fantaria do servico activo da guarda nacional da
provincia de Minas-Geraes, Honorio Augusto uas
de Magalhaes, para exercer o lugar de major do
mesmo batalhao.
Foi reformado no posto do major o capitao do
1 batalhao da reserva da guarda nacional da pro-
vincia da Baha, Jos Antonio de Lima.
Tuve merc Jos Silverio de Oliveira da serven-
ta vitalicia dos oflii'ios de esenvao de orphaos do
termo de S. Sebastao, na provincia de S. Paulo.
23
Continuou hontem, no senado, a Ia discussao da
proposicao que autorisa a novaeao dos contratos
existentes com a companhia l'niao e Industria.
Oraram os Srs. Mendes dos Santos e baro de S.
Lourcnco, sendo apoiado um requerimento do ul-
timo destes senhores para ir a proposicao s cora-
missoes de fazenda e deemprezas privilegiadas.
Esta discussao ficou adiada, e continuou a 2' do
orcamento, no art. 5 (despeza do ministerio da ma-
rinha), com as emendas da cmara dos deputados.
Oraram os Srs. Pompeo. Penna, barao de Muriliba
e ministro da marinha.
A discussao licou adiada pela hora.
Antonio Jos de Oliveira, Pedro Cludino
Duarte, Adelino Cludino Duarlc, PradeoThemoth,
Anastacio Pires de Almeida, Domingos Ramos de
Araujo Pereira, Francisco Pereira Lyra, Antonio
Ferreira Prado, Austricliano Pergentine de Almei-
da, Jeaqum Jos Bezerra Montenegro, Emilia Be-
zerra, Justino Martias de Caslro, Clemente Jos do
Oliveira, Jos Duarte Ribeiro, Jos Candido Accioli,
Jos Mara Baptista Carneiro, Antonio Ribeiro Ca-
valcante, Autonio Augusto Pereira da Silva, Aran-
pe Antonio da Silva, Simplicio Silva Leo, Luiz F.
de BuIhCes, Gonfried Borim, Luiz Lucas Correa de
Araujo, Basilio M. da Costa, Francisco M. V. Pache-
co, Pedro d Silva Reg. 4 soldados desertores,
1 ex-iniperial iiiarinlieiio, 3 ex-prar.is do exer-
cito.
Seguem para o norte:
Dr. Ambrosio Leito da Cunha o 2 escravos. co-
nego Antonio P. de Mendonca s 2 escravos, padre
Raymundo F. Ribeiro o 1 escravo, Luiz M. da Sil-
va, cadete Joao P. Santos, cx-cadete Jnslinlano C.
da C. Araoha, Festel Flix, Wolff Abriham, Anto-
Leite Gooinhos, Jos Al^es de Oliveira Bastos e Jos nio William do Paco, sua senhora, 1 illio e 1 cria-
Manoel Rodrigues Torres. > M:"'^'' D.B Valle. Raymundo P. S. Coque I ro,
Acham-se incumbidos, os directores de eons-, 51an'1 Glara da Conceicao, l.uillierme de S. Bastos,
truccoes navaes e das oflicinas de machinas, de es- Clinslian Grostz, Dugald C. Limpson, Antonio G.
ludafem osraeios de apropriar-se navega^o | Drandao. _
vapor as crvelas Haitiana e Imperial liarinkeiro, i Movimenlo da casa de dotencao do da 2/ de
dando-se-lhes una veiocidade de 9 10 militas por I agosto de 186* :
hora.
Do Jornal do Commercio exlrahiraos as se
guintes noticias coinmerciaes.
Somma os saques fechados at hoje ( 22 ) :
sobre Londres 380.0000 a 2 1|4 e 27 3|8 ; so
bre Franca 1,300,000 frs. 343. 346, 347 o 348
sobre Hamburgo 400,000 m. b. a 660 reis ; e sobre
Portugal 98 102 0|(j de premio, conforme o prazo.
t As a plices genes de 6 0|o negociarem-se de
97 98 Oiq.
Os descontos mantem-se de 7 1(2 8 0|n.
- As arcoes da Caixa Filial de Pernambuco ven-
deram-se a 205000 de premio.
Chegou de Pernambuco, 22, com 48 dias de
viagem, o brigue Castro I, arribado por causa do
mo tempo.
c Sahiram para Pernambuco : 14, o brigue
bremense Clarissa e o palhabole Principe, tocando
este na Bahia ; 13, o brigue Trique ; e 21 o bri-
gue portuguez S. Manoel I.
Acha-se carga para Pernambuco o lugre por-
tuguez lulto.
Baha.Tomou posse do commando da divisao
no dia 16.
ra, fundamentou o seguinte requerimento, cuja
discussao ficou adiada por pedir a palavra o Sr.
Franco de Almeida:
Requeiro que se pega ao miuistero dos nego-
cios estrangeiros copia da resposta por essa repar-
tico dirigida aos signatarios da nota collecliva
acerca da iotelligencia das convengucs consulares.
Continuou depois a 3a discussao do projecto que
fixa as forjas de ierra para o anno financeiro de
1863 1866. Orou o Sr. Brando, licando a discus-
sao adiada pela hora.
vista jos navios da otarlo,
Falieceu, lo, o professor Francisco de Paula
Amor, cora 70 annos de idade e 37 de magisterio.
Veio de Portugal cora 13 annos, e cooperou muito
para a emancipado do Brasil.
O cambio regulara : sobre Londres 27 3|8 e
1|2 d. sobre Pars 330 res e sobre Portugal 96
100 Oo-
Sahiram para Pernambuco : a 1/, o brigue
barca Itamarac e a 20, a sumaca llortencia.
Chegou, procedente de Pernambuco, com 3
dias, a barca norueguense Dagma.
L-se no Diario :
Entrn hontem (16) arribada da Ilha de Baher
( mar Pacifico) a galera norte americana Princesa,
trazendo a seu bordo 8 pracas do vapor de guerra
norte americano Wucliusset, a qual tendo-o encon-
trado no dia 7 de agosto na lat. 19" S e long. 37"
O E com varios hoiuens de soa tripolaeo doenles,
dos quaes3 j haviam fallecido, o fez tripolar por
aquellas 8 pracas com ordem de trazer o navio a
este porta
< Dos doentes oito foram recolhidos ao hospital
da Santa -Casa aneciados de escorbuto.
Dos tres individuos fallecidos consta que um
suecumbira em resultado do una queda de alto do
mastro, um outro de phlhysica, e o terceiro de pan-
Temos datas da provincia do Paran at 13 do
corrente.
De Coritiba escrevem-nos :
Na freguezia de Campo-Largo deu-se em con-
flicto bem desagradavel, que pode para diante pro-
duzr males incaleolavels se a autondade compe-
tente nao providenciar com a energa que o caso
exige.
Entre s 8 e 9 horas da noile de 22 do passa-
do, um grnpo armado eercoo a casa do subdelega-
do e tentn entrar, vociferando injurias contra a
pessoa da nntoridade.
Approximando-se algumas pessoas, obstaram
a entrada forca na residencia do subdelegado, da
qal quebraram as tidraeas.
t A autoridade policial, nao se considerando em' cadas> Que receben do prmeiro piloto.
E^^^letla.,TSmL0U e.Prinvias SEaJP*.-0 coramendador Jos Narbone, cida-
devesas remaneceu nesla cidade no domingo. 0 fracez, oferereu um jamar aos seus amigos,
A tarde desse da che|aram alguns dos im-1 n0 dia 15 do corrente, aniversario do seu augusto
piteados no tumulto, trazendo os restos mortaes de' sobcraoo, ao qual assistiram as autoridades prinn-
duas cnan5as, urna sepultada ha onze mezes e a; paes. Houverain muitos brindes, que foram en-
outralia tres, mais ou menos tuusiaslcaraente applaudidos.
. N um requerimento dirigido aovlgano da va-1 Alagoas.-Falieceu o Rvm. vigario collado
ra, pedindopara que fossem sepultados no cemite-! Auadja joao de Souza Moreira, o decano dos
rio desta cidade os corpos dos dous innocentes, de- rocQOS actuaes da provincia,
claram os pas que o subdelegado do Campo Largo .
mandou destruir as catacumbas em que estavam
enterrados eos expez voragem dos abutres-l
Ah temosa pois, dous aconteciroeotos melin-
drosos.
Se o subdejegado pratcou o que referem os
pas das crianas no seu requerimento, um mons-
da
pa-
PERNAMBO.

REVISTA DIAWA.

Existiam.....
Entraran;____
Sahiram......
A saber
Existem.......
Nacionaes.....
Estrangeiros...
Mulheres......
Estrangeira----
Escravos......
Escravas......
338 presos.
1 >
331
292
4
11
1
39
331
cofres
Alimentados costa dos cofres provinciaes 143
Movimento da enfermara de dia 27 de a gosto.
Teve baixa :
Joaquim Francisco Leandro; ferimentos.
Movimento da casa de detenco do dia 28 de
agosto de 1864.
Existiam....... 331 presos.
Entraran)...... 2 ,
Sahiram ..... 3 >
Falieceu....... 1
Exislem....... 349 .
A saber :
Nacionaes..... 289
Estrangeiros... 4
Mulheres...... 11 >
Estrangeira ... 1 .
Escravos...... 40 .
Escravas...... 4
349
Alimentados custa dos cofres provincaes
Falieceu :
Antonio Francisco, Pernambuco -, pulmopite.
144
. cirurgiao do mesmo corpo,
aduja. Cruz Cordeiro, da provincia do Amazonas para a da! tro hediondo; mas, se ha na exhumacao e trasla-
Por ultimo continuou a segunda discussao do Parahyba, onde se acha. dacao tos orpos um embuste para cohonestar o Concedeu-sc ao segundo escripturario da thesc-n-
iireamcnio, no art. 4. (despezas do ministerio de; Ucenras concedidas.- Ao Exm. Sr.' brigadeiro desacato, qualifique quem poder tal prcedimenlo.' raria hrovincial Balduino Jos Tavares da Silva, 3
ostrangeiros), com as emendas, da cmara dos de- graduado de cavallaria Joo Antonio de-OtivenJa -* O qne, porm, jase sabe, por ter chegado o mezes de licenca com vencimenlos, na formado,
'BSf S;M fL^ ESZSf %?A trm n,ezes' com ml*) elapa' em pror^*'' ^e^d0 ineumWdo d syndicar das rtufrendas, artigo 49'do regramento d'aquella roparlijao para Appel;
seguinte emenda do Sr. Ferraz : Consigne-*; a cao da com que se acha, i oue o subdelegado /, deautorisado e ameacad tratar e sua saude ra da cidade. rj \|me
CHUHMU JBIGIARIA
TRtHtVAl, IA RKL.V^'.iU.
SESSAO EM 26 DE AGOSTO.
PRESI0KNC1A DO EXM. SR. CONSKLHE1BO
60UEA.
As 10 horas da manha, presentes os senhores
desembargadores Santiago, Lourenco Santiago, Al-
meida e Albuquerque, Assis, Molla, cha Caval-
canti, e Domingues da Silva, faltando com causa o
Sr. desembargador Gttirana, abrio-se a sessao.
O Sr. desembargador Guerra, procurador da co-
ra, nao compareceu.
Passados os feitos e entregues os distribuidos,
deram-se os seguintes
JLGAMENTOS
Aggravos de prlicu.
Aggravante, D. Joanna de Jess Quaresma Duar-
te ; aggravado, ojuizo.
Relator o Sr. desembargador Santiago.
Sorteados os senhores desembargadores Mola,
e Domingues da Silva.
Nao tomaram conheciinenU).
Appellaces crimes.
Appellante, ojuizo; appellado, Manoel Martius
Pereira.
A' novo jury.
Appellante, o juzo appellado, Francisco Joa
de Souza.
A' novo jury. i
Appellanto, Aloxandre Marnho da Costa : ap-'
pellado, Antonio Bodrtgues Aleixo.
A'novojuiy.
"ante, o juzo ; appellado, Pedro Celestino'
ida Cavalcanti.
Appellante, Antonio Luiz da Silva ; appellada, a
justica.
Nullo o processo.
Appellante, Laudarlo Jos de Barros; appella-
da, a justica.
Pererapta a aecusacao.
Appellante, o promotor; appellado, Francisca
Antonio de Moura.
A' novo jury.
Appellante,' juizo-, 8ppeHados, Theotonio da Sil-
va Vieira e outros.
Que se distriba como recurso.
DESIG.NACAO DE DIA.
Assignou-sc dia para julgamento dos seguintes
feitos :
As appellaqes crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Joao Ignacio de
Medeiros.
Appellante, Candido Alves de Barros ; appella-
da, a justica.
Appellante, o juizo ; appellado, Francisco Jos
da Silva.
Appellante, Feliciano Antonio da Silva ; appel-
lada, a justica.
Appellanles, o juzo e Antonio da Conceicao; ap-
pellado, Flix Jos Ramos.
Appellares citis.
Appellante, Jos Gabriel de Mello ; appellado,
Francisco Jos Pinto.
Appellante, o Dr. Joao Ferreira da Silva ; appel-
lado, Joaquim Jos Alvos Lima.
Appellante, o brigadeiro Gaspar de Menezes Vas-
concellos de Druinmond ; appellada, a junta de
Sauta Casa da Misericordia.
DILIGENCIAS CHIMES.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justica
As appella4}es crimes.
Appellante, o juizo; ajipellado, Sebastio Jos
de Azevedo.
Appellante, o juizo \ appellado, Manoel Vicente
Ferreira.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos de Souza
Lima.
Appellante, Manoel Gomes Jnior ; appellado, o
juizo.
Appellante, Manoel Gomos da Silva Jnior; ap-
pellado, o juizo.
NMAfflrM
O Sr. desembargador Caetano Santiago passou
ao Sr. desembargador Gitirana
A appellaco cioel.
Appellante, Jos Ignacio de Mello; appella-
do, Alexandrino Martns Correia de Barros.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Almeida e Albuquerque
As nppellafies crimes.
.-.ppellante, o promotor ; appellado, Francisco
da Costa Oliveira.
Appellante, o juizo; appellado, Candido Jos-
de Abren.
Appellante, o juizo ; appeliados, Leandro e Al-
berto, escravos.
Appellante, Antonio Xixi Cogominho appella-
da, a justica.
As appellacoes civeis.
Appellante, Felino Freir de Andrade : appella-
do, Joo Velho de Mendonca Furtado.
Appellanles, Rostron Rooker & C.; appellada, a
fazenda.
DoSr. desembargador Almeidae Albuquerque ao
desembargador Assis
As appellacoes civets.
Appellante, o cnsul portuguez ; appellada, D.
Anna Lopes Reis.
Appellante, Jos Ayres Branna appellado, Luiz
Antonio Penna.
/ippellante, Targinio Guedes Gomes Linhares :
appeliados, Antonio Teixeira Bastos e outro.
Ao Sr. desembargador Motta
As appellaces civeis.
Appellante, Francisco Xavier da Cunha : appel-
lado, Joo Damasceno Gomes.
Appellante, Josti Luiz de Andrade Lima appel-
lado, Gabriel Antonio de Castro Quintaos.
O Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desem-
bargador Molla
A appellarao crime.
Appellante, ojuizo ; appellafki, Antonio Louren-
50 de Lemos.
As appellacoes citis.
Appellante, Joaquim Coellio Cintra ; appeliados,
Figueiredo t lrmo.
Appellante, Manoel Monteiro de Macedo ; appel-
iados, llorges & Mello.
Appellante, Joaquim Francisco de Albuquerque
Santiago -, appellado, Joo ousley Jnior.
Appellantes, os herdeiros de D. Jacintha Maria
de Abreu ; appellado, Jos Peres da Cruz.
Ao Sr. desembargador Domingoes da Silva
A appellaco civel.
Appellante, Joaquim Jos Ferreira da Costa Re-
biinba ; appellado, Raphael Fernandes Porto.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Ucha Cavalcanti
Ai appellaces crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Sebastio Qur-
no Pereira.
Appellante, Francisco Alves Bezerra ; appellada,
a justica.
A appellaco civel.
Appellante, D. Anua Josepha Pereira dos San-
tos ; appellado, Domingos da Silva Campos.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao Sr.
desembargador Caetano Santiago
As appellacoes civeis.
Appellante, o visconde de Suassuna; appeliados,
os herdeuos de Sebastio Antonio Paes Brrelo.
Appellante, Jos Maria da Silva Ferreira ; ap-
pellado, Domingos Bernardino da Cunha.
Appellante, Gaspar Cavalcanti do Albuquerque
Ucha ; appellado, Antonio, por seu curador.
Appellante, a fazenda ; appellado, Anlcnio Joa-
quim de Oliveira Baduem.
Appellante, o juizo ; appellado, D. Joanua An-
glica Ferreira BasU?.
Appellante, Pedro Cavalcanti do Albuquerque
Ucha ; appellado, Joo de S Albuquerque.
Appellante, Felippe Gomes da Frota Jnior; ap-
pellado, Domingos Gomes da Frota.
Appellantes, os administradores da massa de.
Manoel dos Santos Pinto ; appellado, Manoel Jos-
de Carvalho.
Appellante, D. Mara Felicia da Conceicao Leile ;
appellado, Manoel Fernandes da Silva.
Ao Sr. desembargador Almeida e Albuquerque
A appellaco civel.
Appellante, Gaspar Cavalcanti de Albuquerque
Ucha ; appellado, Joe de S Albuquerque e ou-
tros.
A 1 hora da tarde encerrou-se a sessao.
COMMNICADOS.
Os calefrio.H Os gageiros da governanca estao assustados.
Nao sabemos que ponto negro enebergam no ho-
risonte. Receiam oue a mastreaco ligueira, j
bastante farpada, va de todo pique I
E* que as situagoes mrbidas se assemelham aos
itericos, que veem em lodos os objectos aedr ama-
relada da inferraidade que padecem; dahi as ap-
prehensoes sinistras, e as aulgura^oes de perigos
por toda a parle I
Quera melteu em cabega aos gageiros, que os
vermelhoa urdem allianras, esederretem em zum-
baias com os genumos i Ninguem, se nao os ga-
geiros, pensa nisto. Nao envidamos que algum
outro membro de ambos os partidas, animado de
indignaeao contra a actualidad?, se tenha lembra-
do de urna juneco momentnea, con o fim umeo
de escalar a muralha des inspectores de quartei-
rao, que forman o corpo principal da milicia li-
guoira, na prxima eleico. Este pensamento, alias
generoso, e muito justincavel, nao teve nunca o
asaenso collectivo de nenhnm dos partidos em op-
posigo : por que estes dous partidos teem bas-
tante juizo, e dignldade, para se eiporem aos
azares de urna allaBpi.-^oeaao t>oda ser estavel,
e durWora, seo 400 se irmasse oa mtlaraidade
de principies: caso em que nao oes achamus, e
bem suppomos que nos nao acharemos.
Cada qual ai seo caranbo, certejando-se
como leaes cavalleiros, as sea se abracarem
como alliados, embora collaborando ambos aa re-
generado do paiz, que se desmoralisa, e maogra
sob o fatal dominio da corrnpco governativa.
Eala a verdade nua, sem actavios, nem dis-
farces. Se os gageiros estao com receos, e cia-
mos, tranquillisem-se ; e podem, quaado qnize-
rem, renovar seus esponsaes com os genuino* \
v


III ...... >
I

Diarlo de PraaMfedO Terca felra 30 de Agobi de iti.
assini cHci aceguero, ou acr*dsiB aos protestos
do* voy oarwagt naae* r # 11 Jl JJ
No dlieis aue a oligotchia est morta 7 Quem
qOereri netaetar cora ama poteneia em ninas t
Os vossoe sustos, e terrores trahem a insinceri-
dade de vossas palavras t Vos bera conheceis o
terreno, m que voi acjiaej.... da vos interes-
se proefemar qnos ivMiWAoS'esfaomortos I
Os gagevos sao especies de vampiros, vivem
sempre a sonuar cora cemiterios t......
Atufo.
Im a correspondencia, desta provincia, pan o
Jrrnttl do Commerc do Rle-de Janeiro, e aHi pu-
blicada em 17 do correte, eneontrara-se duas- rinte.
iiwxatiddes a eiposicao dos (actos relativos ao
desfalque ltimamente dado na Caixa Filial do ban-
co do Brasil nesu cidade, as qoaes pareeera ter
sido elaboradas de proposito para melhor enVito
predazir a insinuado que alli se pretenden lanzar
ao director, a quera o Ilustro missivista, pela
amlsade que Ihe consagra, e peto seu carcter
attnbiliario nao perde occasio opporluua do o
morder.
Assim pois, disse o Ilustre corresponden [o, que
o desfalque sedera em um massodc sedulas, que
devendo conter 217:0005000 rs. (segundo o rotu-
le), apenas encontrou-se 197:0005000 rs. Nao
bou ve desfalque em. masso algum, pois que em
todo elles achou-se o qpe indicava o rotulo;
mas foi em una gaveta que se encontrn falta da
masso da rmnortancia de :000fiQ00 rs., era cuja
gaveta devendo achar-se em diversos raassos a Im-
portancia de d7:fJ09Jff)00 rs., apenas encontrou-se
Brigne portaguezConstante //- cotola* e batatas.
Polata liasptntola^-Kir : charqui.
linportacio.
Vapor nacional Paran, entrado doHio de Janeiro
e Macei, maufastou o. segrale : '
Do Ra de Janeiro.
Gneros estrangeiens:
4 caixotes medicamentos a T. Christiausen.
12 caixas cb a Marques Barros & C.
1 caixao chapeos do Cuite ;. a Joaquim Alves.
1 dito ditos; a Radia Lima i Guimares.
1 pacote impressos > ao harn do Livramento.
1 dito fazenrJas; a D. I.uiza Muniz d'Almeida
PMMB diversas mercadorias; a M. F. de Paria.
4 fardos diversos objectos; a Maia & Espirito
Santo.
3 anotes chocolate a Jeaqoira Fermmdes da
Silva (ampos.
3 cunhetezinhos laminas de chumbo; a Caors
A Barbosa.
Gneros nacwnaes:
i caixa chapeo; a Ferruira & Araujo.
1 caita rap | a Jos Joaquim de Lima Bairo.
1 caixote folliinhas; a Jote N. de Souza.
1 dito ditas; a Jos Barbosa de Mello.
i caixao fumo picado; a Joaquim Bernardo dos
Res.
1 dito cigarros; a Palme* e Belirao.
1 caixao charutos e fumo; a Jos Leopoldo Boor-
gard.
1 eahote cigarros; a Manoel B. de- Abren Lima.
(barrica (rseos com tinta; a Jas de Souza
Jeves Jnior.
da Cunha
a te 497:fJOOWWrs.
Este- Cacto posto pela forma porque se pastou -.canees qtwfjes; a Jos Perora
e tica dito, difere da maneira porque fot narra- 4l*!er;1 .,..._.. ...
do, e trio se presta a Interpretaco qoe pretenden S03 ?"*>' a-Candidoi A.-Sodr da Motfa.
o ilustre missivlsta copiando nm trecho da cor- ( V|0* dl Marones Barros & C.
respondencia aqui publicada pelo ex-cobrador.- 3 caixotes laminas de chumbo; a Mello Lobo 4
1 c ai xa rap; a Concalves & Cruz.
62 rolos fumo; a Antonio L. de Oliveira Azevedo
4C.
Si Iva Reg.
A segunda inexatidao, foi dixer-se que por oc-
casio de veriiear-se o desfalque, o presidente da
Caixa intimar* aos director* da emana craricu-
lares para quetom a.lheewreiro entrassem cora : -^ncommenaas
a importancia do desfalque, sob nena de Ihea se- J ba/iu e volme; a Marques Barros & C.
xem apencadas a* penas da M. | I ^^^ i Francisco Gomes de Olivera So-
E? falsa o oattimnlosa,**: exposieao. do facto M'n5- _
qu* p%f ss -firma smente- podfa ser descripto dito; a J. de Souza Res.
para farir-sa lia directores claviculares Ascir-I J dito; a Gutmaraes 4 OUveira.
cumstancias quse deram nessa occasio oram asi dlto; ao desembargador Agestinbo Morena
seguirrtes.: depois de examinado e verificado o r,ra*.
desfalque em proseaba de todos os directores da
Caiia, o respectivo presidente mandou lavrar um
termo slmpresmonte da verificaco d'aqoelle facto,
declarando no RbaJ de rnesme termo-que o the-
soureiro ticava tatiinado paca entrar nodiase-
!;uinte com os 0:0005000 rs. importancia do re-
elido desfalque, rujo termo foi aasignado peto
utesrao presidente, todos os directores e o proprio
ihesoareiro-
Foi no dia seguinte que diversos amigos dos
directores e do thwoureiro :chano-9e no estabele-
cimento, lembraram-se e propozeram para que
aquella importancia do desfalque, -fosse rateada
entre os dous directores claviculares e o tbesou-
reiro, no que- accordaram todos tres e verificou-se
immediatamente a entrada do dinheiro para o co-
fre lavrandose ura termo especial.
Parece-me ter ratificado convenientemente os
actos principaes da referida correspondencia des-
presando as mais msinuacSes nella comida.
Recife, 29 de agosto de 1864.
Jos Mamede ATves Ferretra.
Bahia com escara pelo Aracaf Escuna,nacional
Bella, capto Jos Francisco do NAsclmeuto, em
rastro.
Macer -Brigue inglez Marta Barris, aplt?o WDa-
monie,.eBiJasJxa. ______.
Obsenato.
Fundn na laraaro o brigua barca de guerra
Itamamcd.
9
EDIT1ES.

Pela inspectora da aKanlega se fatpnblic,
que no dia 30 do eetreate ao raeio da porta des-
u repartieio, se hSo de arrematar em hasta pu-
blica tres barricas com 573 libras liquido- oap
verificado de cnteio, viado do Porto no. brigue
portugitex HsptraHcit, abanduiiadas pelos dimitas
por Antonio da Silva Campes as quaes feram ava-
hadas em 9I680. A arremataeao Uvre de. di-
rei tos ao arrematante.
4' secen da alfandega de Pernambuco 27 de
agosto de IdfJ.O escripturario
Caelano Gomes d S.
io airee
em.
recto d

em que
mesnja
4W51O
do
32."5680
porteiro>
COtlPAVMIA
DAS
MESSAGERIES IMPERIALES
No dia 30 do
>
ra, a*L
0 dominio' airelo do solo.
assenta a casa n. 48 da
ru.% avadado-m.......
Opja escripiji se aeh,
Amaro Antonio de Farias.
CASA MNCARIA
i h\ Scaaffter C roa;do Trapiche a. <7,
recebem dinheiro *^rwiio pela taxa de 6
por cento ao aftoowipeanta corrente, sa-
tn qualquer 80m vista ou a prazo so-
hTe Lndon, Parts, Hambai-go, Rio de la-,
eiro, Bahia.irJiersas praas do Nurte do^i" BoEdeaut tocand.
corrente espera-
se dos portos eto
sul o vapor fran-
cez Ettrmmdure-
i-oriiin andan te
Enouto qnal de-
pois da demora
do costme se-
em S. Vicente e
A7IS0S DIVERSOS.
Brasil.
Poden ser retiralos os depsitos :
tAt_rs^ A.Qflft^ virta.
At rs. IfreoOjJ cotn 3 das de-prrw aviso.
At es. 30:OUi.COm8 i
DECLABAC5ES.

:000*0000
12IA20
364J370
PBLISAOOES A PEDIDO.
ao Br. Cosme de S. Pereira.
i dito; a Carlos Eduardo Wledel.
1 dito; ao Dr. Jos Pereira da C. Motta.
1 dito; a Manoel Jos Sexres de A vil lar.
i caixa; ae Dr. Jasados Anjos Vietra- de Amo-
rim.
1 caixa; a A. Villas Boas.
1 vol um e; a Johaston Paier A C.
A dito; a.Jomo Kell-r A C
l encapado; a Manoel C. de (Jlivetra Paseos.
1 dito; a Ferreira & Loureiro.
De Macei.
2 caixoes; a Joaquim da Cunba Meirelles.
10 barris; a Jos Bento da Camino.
1 caixa; a Jos Nuri es Gu maraes.
2 ditas; a Barbosa & Vasconcellos.
f ditas ; a Francisco Tavares da Costa.
4 caixes: a Joaquim da Costa Meirelles.
8 caixas; a Jos C. da SilvaTitara.
t dita; a Manoel F. Ramos.
3 ditas: a Claudino Falcao Das.
1 dita; a Jos Antonio Lourenco Souza.
1 volume; a Jos Antonio de Magalhaes Bastos.
1 dito i a Francisco Ferreira de Andrade.
1 dito ; a Thomaz D. Mout-moreney.
2 hurros; a Guilherme W.
1 besta; a Jos d'Almeida Monteiro.
Sumaca nacional Hortencia, entrada da Bahia,
consignada a Palmeira A Deltrao, manifestou o
seguinte:
Gneros estrangeiros:
2 caixas fazendas; a Moubara A C.
30 barricas cerveja; a Palmeira ; Beltrao.
70 ditas dita, 1 caixao chapeos do Chile; a
ordem.
Gneros naeionaes:
126,000 charutos em caixinhas; a Palmeira A
CHARA.
Banco Ailianca.
Previne-se aos respectivos socios que antes
de estabeleeerem definitivamente a ramifioacSode
sua associaco nesta provincia, \ o ou mandem ver
nesta cidade no escriptorio da agencia dos vapores
dacompanhia geral brasileira urna sedula d? 100r3
que se acha eneaxilhada. provenienle do frete de
em saceos de caf exportado por certo negociante
muilo honrado para o Ilio de Janeiro. Este aviso Beltrao.
feito para quedepois se nao admirem de em algum 3 caixoes cem 35,050 charutos; a Ferreira A
alanco encontrar porco das taes. Martina.
O sabio do norte. 2 saceos com 3 fi> e 15 de ticura ; a Marques
----- I Barros & C.
U-inrii 4114'inpa 3 saceos cola com 299 ?, e 87 ditos farinha de
uiinto aiTOncn. mandioca, 313 ditos e43 meias barricas assDCar
e aos membros dessa asociacao que pesando j i38 32 fardos de panno de algodo,
um negociante matnculado que falsa- 327/t-,0 ^ caixinhas; a ordem.
[ti na con nrnnrin irrrnrt ucrania or\n. i ,, r
Ilarca ingleza Con^fancm, entrada do Maranhao,
consignada a Wilson & llelte, mauireslou o se-
grale :
Pergunta-se aos membros
nome cabe a
mente denuncia de seu proprio irmo, agente con-
sular de urna nacao, avisando ao governo da mes-
an qne elle em o despacho de um navio havia ro-
bado 10l; obriganrto a victima da infame calum-
nia a exibir documentos e remette-los ao respectivo
governo.
O sabio do norte
Banco Ailianca.
Nesta praca infeliz um intrigante
Anglo-luso manhoso e mu ruim,
Que do secuto presente o Caim,
Se inculca de fiel commercianle.
Aht marreco!!... T s um traficante,
t um velhaco hssi e nao meirim,
Haja vista os 200que cauri*Itl
Que larapio, que ave rapiante!
Quem Ihe ouvir a filaucia com que diz
Minli.i firma a mais acreditada,
Nao suppoe que merece a flor de Itz.
Toma tent, que a gente acautelada
Na testa vai te por nm L com ciz,
No peseoco te pondo zencaixilhada !!!..
O sabio do norte.
(Do Cearense.)
198 toneladas de carvao de pedra; aos mes-
mos.
Brigue portuguoz Constante l, entrado domingo
de Lisboa, manifestou o seguinte :
25 barris toucinho ; a A. L. de Oliveira Azeve-
do fi C.
12 caixas vinho, I dita velas de cera, 1 dila dro-
gas ; a Itartholomeu F. de Souza & C.
2 fardos peneiras; a Caors & Barbosa.
10 barris p animal ; a Domingos Jos Ferreira
Guimariies.
50 caixas velas de cera ; a Domingos Bodrigues
de Andrade.
18 pipas e 21 barris vinho, 20 ditos azeite, 80
ditos toucinho, 32 caixas velas de cera, 20 barri-
cas alpista ; a Euzehio lUpliael Rabello.
54 barris vinho, 5 ditos vinagre, 2 ditos azeite,
2 surroes coniiiilios, 60 caixas batatas ; a Francis-
co Ribeiro Pinto Guimariies.
3i caixas e 8 barricas cera em grumo e velas ;
a Francisco Antonio Meirelles.
10 ditas vinho ; a Guilherme da Silva Guima
raes,
12 saceos cominos ; a Isaac. Esnaty.
10 volumes drogas \ a J. Martinho da Cruz Cor-
reia.
6 ditos ditas a Joaquim Jos Pereira Alhandra.
7 barricas cera em grumo ; a J. J. de Lima
Pastillias verniifus;s deKomp.
Todos os mdicos que especialmente se teem de-!.
dicado a cura das molestias das criancas. asseve-1 Mi"ra0:
ram que as pastilhas vermifagas de Kemp o re- \ .* eaixa droSas: a Jos Rapeta da Fonseca Ju-
medio o mus exccllente e cfficaz que at hoio tem | ni0/> .. ,. ... .... ,
sido conhecido. Acham-se ellas exclusivamente1 .." dl,as ervilhas, 2 ditas teijao, i dito rayas, 4
preparadas. O seu sabor delicioso, nao causara d,la* Pe,xe- ditas marmeiada ; a Marques, Barros
nauseas nem dores, etc., produzem seu effeito com-1 .....
pletamente sem que seja isso preciso logo imme-l nar,rica presuntos, i caixa queijos, 1 dita do
latamente usar de nenliuma especie de purgantes.
Tanto as mais come os proprios fllhinhos nunca
pleta confi*uca as pastilhas, estes ltimos as to-
niam com o maior prazer possivel. Desde que es-
tas admiraveis e incomparaveis pastilhas foram
Jescobertas, todos os demais vermfugos asquerosos
teem sido quasi inteiramente abandonados e des-
terrados por todos. As pastilhas vermfugas de
Kemp se acham lindamente acondicionadas dentro
de frasquinhos de crystal, nao s para sua boa ex-
nortaco como para sua conservado contra todas
as vkHssitudes dos tempos.
A* venda na loja de Bravo A C, e de Caors
Barbosa.
HMHEBGIO.
CAIXA FILIAL
DO
AMO DO BRASIL
EM PEUNAMBUCO.
A directeria desta caixa, em virtude de ordem
da directora do Banco de Brasil, avisa aos $rs.
accionistas que o respectivo thesoureiro est auto)
risado a pagar o dividendo das acedes da meema
caixa do semestre findo em 30 de junho prximo
passado, na razio de 8300 por aeco.
Hecife 14 de jtiibo de 1864No inpedimento do
secretario, Ignacio Nnnes Crrela.
Attandega
'iendimento dndial a 27........ 001:5455891
Wem do dia 29................. 36.9775270
698:5235161
novlmcuto da alfaadega
Volumes entrados com fazendas. -. 663
< c com gneros... 294
Volumes sabido com fazendas... 33
c com gneros... 528
937
11
Desearregara 'no dia 30 de agosto.
Ilarca franceza Jean Baptittmarcadorias.
Itrigue inglezZiv/r/'mercadorias.
Barca ingleza Favounte -carvo de pedra.
Barca americanaTrmprst^boa.o.
Escuna dinamarquezafft/^nfarinha de rrigo.
ce ; a Manoel de Mattos Mactiado.
2 pipas e lo barris vinagre ; a Manoel J. Ramos i
Silva & Genro.
40 ditas dito, 50 barris azeite, 250 ditos touci-1
nho, 20 ditos chouricos, 100 saceos arroz, 50 ditos i
pimenla, 584 caixas batatas, 408 ditas ceblas, 21
ditas cha ; a Manoel Ignacio de Oliveira & Filhos.
30 pipas e 30 barris vinho ; a Palmeira A Bel-
Irao.
5 barris carvao animal; a Miguel Joaquim da
Costa.
5 caixas pedra de cantara ; a Luiz de Oliveira
Lima.
5 barris toucinho, 5 ditos e 20 ancoretas chou-
ricos ; a Custodio Jos Alves Guimares.
4 meias pipas e 25 barris vinho; a Luiz. Jos da
Costa Amorim.
240 varas de lagedo ; ao baro do Livramento.
100 barris cal, i: caixas velas de cera ; a Tho-
maz Fernandes da Cunha.
51 pipas, 6 meias ditas e 65 barris vinho, 25
ditos azeite, 100 ditos toucinho, b ditos cera em
grumo, 107 caixas velas de dita ; a Thomaz de
Aqoino Fonseca.
100 barris chouricos, 100 ditos cal, 8 ditos cera
era grumo ; a Thomaz de Aqulno Fonseca Jnior.
ilecehcdorla de rendas Internas
ge raes de Pernamfonco.
Rendimento do dia 1 a 27........ 31:7325973
dem do da 29................. 2:1375584
-
33:8705557
Consalado provincial.
fllendimento do dia 1 a 27......... 48:588*!0
dem do dia 29................. 3(7415839
52.2995945
MQYIMETO DO PORTO,
Navio entrado no dia 29.
Rio de Janeiro e portos intermedios 5 dias e 21
horas, vapor brasileiro Paran, de 840 tonela-
das, commandante o capito de fragata Santa
Carhara, equipagem 57.
NaoLa sahidos no nusmo din.
GlasgowGaleota hanoveriana Eddo, capitao Fay-
en, carga algodo e outros genero.
Montevideo Sumaca nacional Prompta, capito
Aletandro Olesaa, carga a mesma que trouxe
de Barcelona.
Arremataeao.
Fiadas astros jjrimeira audiencias do Illm. Sr.
Dr. juic de orpnao, depois da- pabKeafao deste,
iro a praca por venda os segrales bens do casa*
do finado Dr. Jos Raymuodo da Costa Menezes.
A casa de sobrado de nm. andar sito
na ra do Imperador m 3t?avaha-
da por.........
O dominio directo do solo em que
asienta a casa, sita na roa Nova
desta cidade n. 1, avahado por
O dominio directo do solo em que as-
senta a easa sita na meen ra
n. 3, avahado em...... 1825200
O dominio directo do solo em qne as-
senta a casa sita na mesma ra n.
5, avahado ern".....
O dominio directo do soto em que as-
santa a-casa a. 7 da mosto ra .
avaJiado em........
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa da mesraa ra n. 9,
avahado em........
O dominio directo d' soto em que as-
senta a asa n. ti da mesraa ra,
avahado em........
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 13 da mesma ra,
avahado em........
O dominio directo do solo era que as-
senta a casa n. 15 da mesma ra,
avaJiado em........
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 17 da mesma rea,
avahado em........
Q dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 19 da mesma ra,
avahada em........
O dominio directo-do solo em que as-
senta a casa n. 21 da mesma ra,
avahado em........
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 23 da mesma ra,
avahado em........
O dominio directo do solo em que
asssenta a casa n. 25 da inesnu
ra, avahado em......
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 27 da mesma ra,
avahado em........
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 29 sita na. mes-
raa ra, avahado em.....
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 31 da mesma ra,
avahado em........
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 35 da mesma
ra, avahado em......
O dominio directo do solo um que
assenta a casa n. 37 da ine.-ma ra
avahado eni ....*.. .
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 39 da mesma
ma, avahado em......
O dominio directo do solo em que
asesuta a casa n. 41 da mesma
ra, avahado em......
O dominio directo do solo em qne
assenta a casa n. |43 da |mesma
ra, avahado em......
O dominio directo do solo em que
assenta a rasa n. 45 da mesma
ra, avahado em......
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 47 da mesma
ra, avahado em......
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 49 da mesma
ra, avahado em......
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 51 da mesma ra
avahado em........
0 dominio directo do solo em que
assonta a casa n. 53 da mesma ra
avahado em........
O dominio directo do solo em que
assenta a i-asa n. 55 da mesma
roa, avahado em.....f" 2415100
O dominio directo do solo em que
assenla a casa n. 57 da mesma ra
avahado em........
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 2 da mesma ra,
avahado em........
O dominio directo do soloem qu'e-as-
seta a casa n. 4 da mesma ra,
avahado em..........
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 6, da mesma roa,
avahado em..........
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 8 da mesma ra,
avallado em..........
O dominio directo do solo em que as*
senta a casa n. 10 da mesma ra,
avahado em..........
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 12 da mesma ra.
avahado em...........
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 14 da mesma ra,
avahado em...........
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 16 da mesma fu,
avahado em...........
O dominio directo do solo em que as-
seata a casa o. 18 da mesma ra.
avahado em...........
O dominio directo do soloem que as-
senta a casa n. 20 da mesma ra,
avahado em............
O dominio directo do solo em que as-
senta a rasa n. 22 da meema ra,
avahado em..........
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 24 da mesma ra,
avahado em............
O dominio directo do solo em qne as-
senta a casa n. 26 da mesma ra,
avaliadr* em............
O dominio directo do solo em que as-
seuta a casa n. 28 da mesma ra,
avahado em......... .
O dominio directo do solo em que as-
seuta a casa n. 30 da mesma ra,
avahado em...........
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 32 da mesma ra,
avaJiado em...........
O dominio directo do solo em qoe as-
senla a casa n. 36 da mesma roa,
avahado em............
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 36 da mesma ra
avahado em. .'.......
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 38 da mesma ra
avahado em...................
O dominio directo do solo em que
assenla a casa n. 40 da mesma ra
avahada em....................
O dominio directo do solo em que
assenta a rasa n. 42 da mesma ra
avahado em....................
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 44 da mesma
ra, avahado em..............
O dominio directo do solo em qua
assenta a casa n. 46 da mesma
Para o Rio de Janeiro
preteade seguir com multa brevidade o veleiro
brigue nacional Almirante, tem parle de seu car-
regamento prompto : para o resto que Ihe falta e
escravos a frete, para os quaes tem excellentes
coBiniedos, trata-se-com es set consignatarios An-
tonio bilis de (Mi ve ira Azevedo t C, no seu es-
criptorio ra da Cruz n. 1.
5355000
2594600
2755500
2635300
3485800
2675500
5285230
5135000
3615800
5925300
2015000
3605450
3895250
3915250
4095080
4915720
3335080
3815250
4095680
2495000
3415680
2995500
2515060
333-5680
2995130
1855380
1745180
1845180
2475420
3525420
3035330
1455750
4095680
4015680
1775750
2065840
3075820
2955930
1575750
5065410
com as usas coawwrciacs desta pra$a.
GtMtlfcQ adniuisliattvo.
, O conselUfl.afitoiflistraiivo para tornecmenlo do: Ccrpo Santon 4, prlmelfo andar.
srsflMi m gaerra- tea de comprar os objectos se
r'inies :
Para o carpo de guarmoao da Parahiba.
2W-booeb1
26* mamas.
1,785. cavados de panno axul.
1,920 cavad da pane azul para capotes.
2* cavados de-eawnura iot.
1,120 cuvados de baota verde.
1,338 co vados de bollanda de forre.
178 varas deaaiagatn.
4377 vaea de. beu branca.
3,477 varas de al^odiotinho.
4,998 boies gmades do metal amarillo lisos.
3413 ditos pequeos.
2^240 botoes para capotes;
077 pares de cottietes.
Para a enfermarla militar da villa de
Tacarat,
4 cassarolas de ferro forradas de porcelana de
diferentes tamaitos.
13 pares de chinelas da cauro.
15 colchoes.
Quem quizer lander taes oltfectos aprsente
a sua proposta en> carta fechada na secretaria do

Em S. Vicente ha um vapor era corresponden-
cia com Coree.
Para as. coadieoes, frates, o passagens trata-se
aa afeacia ra do Trapiche n. 9._____________
Pama Babia
Alu'ir-se-lia cnulkos em coala crrenlo pretende sahir com milita brevidade a releira su-
maca nacional Hort?urin por ter parte da carga
tratada.: para o resto que Ihe falla, trata-se cora1
os consignatarios Palmeira A Ileliro, largo do


Porto
O brigue porluauez Espumea, capitao Louren-
co Fernandes do Carino, segu era poneos dias, po-
de admittir algaraa carga mrada e passageiros :
lrala C, largo do Cerpo Santo n. 6, oucom o capito a
bordo.
AYISO.
O vapor aacionat Pnnceza que do norte espe-
no no dia 31 ou 1* dte setembro, segu para o
Rio de Janeiro no raesmo dia de sua etwgaa.
Para Lisboa
conselho as 10 horas d manhia do dia aOido- cor-, abrigue portngue* Bella Figneirense, capitao J. C.
rene- de Carvalb Sobrinbo, recebe carga e passageiros
Sala&TmXSu do conselho administrativo para paraos quaes tem excalienles commudo*, para
fornecimento do arsenal de guerra 24 de agosta de tratar com Eusebia. Rapliael Rabello, ra da Ca-
1864.
dla n. 55, escriptorio.

.
Rio de Janeiro.
5t
. Antonio Pfdro de S Barreto,
Coronel-presidente.
Sebastin Jos Basilio Pmrho,
Voirat secretario, W* Beluario segu com brevidade, recebe
t*MiM.. Vi;. :_:.,i:.,' carga, a escravos afrete: ttaU-se rom os conslg-
LansCInO aaminiSlrallVO. I natarios Marques Rarros i C, largo do Corpo San-
O conselho administrativo para fornecimento do \o n. 6.
arsenal de guerra tem de contratar o fornecimento -------^p-----~--------5------q;-----------
dos menores do arsenal us meces de setembro e [^JQ UTllMle O Mil.
^FtLT^i*!*?*' -, r,,n,^ oh-i1 O brigue Mondejo, de primeira clase, recebe
Pao de toncas, bolacha, mauteiga franceza, cha cir^ ^sej?U(j ^ bfJ^de ,rala.sc com n5
hysson, asaltear refinado de i1 sorte, cafe em grao,
carne fresca, dita secca, toucinho de Lisboa, baca-
llao, azeite doce, vinagre, farinha de mandioca da
trra, arroz do Maranhao, feijo preto ou mula-
tiaho.
Quem quizer contratar taes gneros, aprsente a
sua proposta em carta fechada na secretaria do
conselho, s 10 horas da manhaa do dia 30 do cor-
rente.
Secretaria do conselho administrativo para for-
necimento do arsenal de guerra, 2 i de agosto de
1864.
Antonio Pedro de. S Barreto,
Coronel presidente.
Sebastido Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
-* No dia 30 do corrente agosto, s 11 horas da
manila.1, finda a audiencia do Sr. Dr. juiz de or-
phios e ausentes, ter lugar a arremataeao dos I
bens, da heranca de Mara Lniza da Conceicao,
constando de movis, urna cscrava e nm pequeo
sitio com casa na Capuuga, ra das Pernambuca-
nas n. 23, segundo o esenpto e pelo cartorio do
escrivio Vasconcellos.
; No dia 30 do corrvnte mez de agosto se ha
df arrematar, por ser a uhima praca, perante o
Sr. Dr. juiz municipal da 1' vara, na sala das au-
diencias, um sitio 110 ligar dia Ibura, por exeeu-
C'io de D. Ainado do Mostciro de S. Rento de
Olinda contra Joaquina Rodrigues dos Santos.
lleSrandose o pregnenle que a 25 do cor-
rento arrematou a tangen e costura da roupa
deste eslabelecimento por lempo de quatro mezes,
a eonlardo l" de setembro ao ultimo de dezembro
do prsenle anno, do novo se convida aos preten-
dentes a apresentarem suas propostas por cartas
leciiadas na respectiva secretaria, pelas II horas
da manhia do dia 30 deste mez.
Hospital militar de Pernambuco 27 de agosto de
1864. Q escrivao interino,
Ju.io Tiburcio da Silva Guimares.
ilorreio.
Pela administraeac do correio se faz publico que ,
as malas que deve couduzir o vapor brasileiro Pn-
ran, chegado hontem dos portos do sul e com des- i
e segu com
consignatarios Marques, Barros & C, largo do Cor-
po Santo n. 6.
Quem tiver contas com o patacho hollandez
Adriana* Joannes, recentcmente comlomnado,
que ir a apresenta-las no escriptorio do consulado
hollandez, ra da Cadeia n. 58, para seren exami-
nadas e pagas at o dia 29 do corrente mez, pas-
sando desta data nao sero attendidas. Recife, 25
d* agosto de 1864.
LEUDES.
LEILO
DK
lina casa larrea cilicda de aovo
ra Velha n. 82, freguezia da
Boa-Vista.
Coi'deiro finios
levar pela segunda vez leilao requer ment
do inventariaste do tinado Joo da Cruz de Man-
donga e mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de orphaos,
a casa terrea cima mencionada.
Os pretendenles querendo examina-la podero
procuraras chaves na casa contigua sob n. 84
s II horas, lera lugar na ra da
48--Odeia do He ife48
pnmeiro andar.
vkwtA
Quarta-feira 31 de agosto s H horas
na da Cadeia n. b3.
Urna mohilia
DK
Pelo asente
' cima.
=*" Fe ira semanal
DK
tino aos do norte, fecham-se hojeJJO as 3 horas da ^ i(J de ^^'0*
arde em poou Os jornaes serao recebidos ate 1 ( eot.rir .nesa.^. e capachos d
hora da tarde, e as cartas admettidas a seguro ate
as 2 horas tanibem da tarde.
CORREIO Gf-RAL.
Relaro das carias sepias viudas do sul pelo
vapor para es seuores abaito de-
clarados :
Alferes Alexandrc Gomes de Argello Ferriio.
Dr. Felippe Franco de S.
Dr. Joaquim Francisco de Mello Cavalcanlt.
Joaquim Jos Raymundo.
Joaquim Leopoldino Barata Maciel.
loao Buarte Carneiro Montoro.
Joo Nupomuceno A. Maciel.
Jos Ferreira Dias dos Santos.
I). Marianna Mnna Ramos.
D. Margarida Candida de Albuquerqno Mello.
Luiz Corito de Almeida.
Mannel Tetxelra Basto*.
Dr. Marros Tfilio dos Res Lima.
Seraphim Alves da Rocha Bastos.
de Jacaranda e outra de amarello
novas.
carro e dito para
de raiz de esparto.
Euzebio se vendern os objectos
IIISOS M1BITIM0S.
' Movis, pianos, cofres de ferro, relo-
gios, min'iezas e onlros aHigos.
Inarta-felra 31 do corrente.
OLYMPIO far leilao de mobilias e outros mui-
: los objectos de marcinoiria .novos e usados, diver-
I sos pianos de armario e de mesa, burras de ferro,
i crystaes, candielro a gaz, espe los, relogios de al-
: gibeira, ditos de parede, camas de ferro, e outros
mullos artigos que se torna enfadonho mencionar.
Dar principio o leilao s II horas no armazem
ra da Cadeia do Recife n. 48.
Por ordem do consulado de Portugal o agen-
te Pestaa far leilao no dia 31 do corrente, pelas
10 horas, em frente a^ssociaco Commercial, das
I dividas activas pertencentes a espolio do finado
! subdito portuguez Fortunato Ferreira da Silva na
impertancta da 981,8180 rs., e constantes da rela-
cao que se acha em mirado dito agente para ser
examinada.
LEILAO
0E
COMPANHIA BEASILEISA
DE
i'AIJlT ETEN A VAPOR-
Dos portos do norte esperado
at o dia 31 do corrente o vapor 25 barHs COTH Vtlho brClilCO.
Princeza de lomrille, romman- rt ,
danle o primeiro tenente Araujo QBarH-fwra.il do COPrente.
o qual depois da demora do eos-, O agente Pestaa vende- por conta e risco de
turne seguir para os portos do sul. quera pertencer 25 barris de excelleate vinho bran-
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a co desembarcado ltimamente em um ou mais lo-
carga que o vapor poder condzir, a qual dever tes: quarta-feira 31 do corrente pelas 10 horas da
ser embarcada no dia de sua chegada: enconv | manhaa uo armazem do Annes.
mendas e dinheiro-a frete at o dia da sahida s 2 j
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de ]
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
LIJLIO
1705980
1993820
4505050
2563120
COMPANHIA PERNAMIHJCANA
DE
NavegacSo costeira a vapor.
Hhn de Fernando df Noronha.
No dia 14 de setembro seguir
ao mel dia, um dos vapores da
Companhia liara o presiuo de
.Pernando de Noronha, para onde
_ recebe carga at o dia 13. Encora-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at s 10
horas do dia da sahida : escriptorio no Forte do
Mattos n. 1.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DK
Xavegaco costeira vapor.
Parahiba, Natal, lacio, Araeity, O>r,i. Acara' e
Granja.
O vapor NrMHMfr, comman-
dante ilatis. segu no dia 7 de se-
tembro prximo para os portos
cima indicados. Recebe carga
___ 'al o dia 5. Encommendas, pas-
sa ge i ros e dinheiro afrete at o dia'da sahidas
3 horas da larde : eseriptorio mfForte do Mattos
3135680 *J_________________________________
O brigue nacional Coi'iimM sahir no da 31
do corrente para o Rio Grande do Sul com escala
444#o60 pelo Rio de Janeiro, podendo levar pava esle porto
i escraos a frete : quem pretonder, poder dirigir-
se i ra do Trapiche n. 4.
DE
5'i barris com linpuicas.
PELO AGENTE PESTAA. *
As quaes serao vendidas por conla de quem
pertencer em um ou mais lotes : quarta-feira 31
do corrente pelas 10 i|2 horas da manhaa, no ar-
mazem do Annes.
LE LIO
DA
Grande taberna da praca da
Boa-Vista n. 14.
Itiinta-feir I* ti Irrasto.
O agente Pestaa, legalmente autorisado pelo
proprietario, vender em leilao todos as gneros,
armacio, gaz e mais uteneilios existentes na ta-
berna sita na praca da Roa-Vista n. 14 : quinta-
feira de setembro.
Instituto Arckeolog-ico e Geo-
graphico Penuimbucano.
Iwvcr.t sasso ortlinacia quintarfeira I."
de selembro prximo futuro, is 11 liwas
da uianlia.
Secretaria do I*stituto 21) de agosto de
486 i.
J. Soares d'Aaevedo,
Secretario perpetuo.
0 cirurgio Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado. para a ra das
Cruzes sobrad n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, son-
de o acharao como sea^ie
prompto a qualquer hora p-
ra o exereieio d sua pre-
fissao, chamado por escripta.
Aos tO:OftttgWn.
Corre depois damanhi.
Quttitafeira 1* de setemhro do corrate
anno, se extrahir a torceira parte da ter-
ceira lotera (166*) era beneficio da Santi
Casa da Misericordia, no consistorio da igre-
ja de Nossa Senhora do Rosario da fregue-
zia de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos aeham-se
venda na respectiva thesoararia roa do
Crespo n. 15.
Os premios de 10:000^000 at 200000
sero pagos urna hora depois da extraerlo
at s 4 horas da tarde, e os ootros no dia
seguinte depois da distribuicao das listas.
Servindo d thesoureiro,
^^^^^^^ Jos Rodrigues de Souza.
CAS4 M fW\M.
AOS io:oo.(XK)
Hilhetes garantido
A' rna de Crespo n. 23 e casas do costame
O abaixo assignado venden nos seos miuto Mi-
zes bilhetes garantidos da lotera que so acibuu
de extrahir a beneficio da matriz do Ouricur^os
segulntes premios:
N. 3330 meio bilhete com iV.OOOOOO
N. 559 hilhete iuleiro com l:VH)-3iHin
N.2061 meio bilbele com 6Q0JO0O
E outras muitas de 2005, 1005, 40/j e 205.
Os possuidores podera vir receher sera os des-
con.os das leis na Casa da fortuna ma do Cres-
po n. 23.
Acham-se venda os da torceira parte da ter-
eeira lotera da Santa Casa da Misericordia que
se extralur na quinta-feira l" de setemhro pr-
ximo.
Preces.
Bilhetes inteiros..... 125000
Meios......... t5H>o
Quarlos........ 35000
Para as pessoas que coraprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 115000
Meios......... ;;5roo
Quartos......, 25750
Mano'.l Martins Fitiza
.vBiviyrE:
POKTUtilJEZ m UllURi EI PER-
iwnuuro.
Por ordem do Illm. Sr. director scientilica-se
aos senhores socios que a sessao ordinaria da di-
rectora c as seguniUs-feiras as 0 112 luas da
tarde.
Secretaria da directora do Gabinete Portngnez
de Leitura era Pernambuco aos 27 de agosto de
1864.
F. de Araujo Guimares.
1." secretarro.
O abaixo assignado, responde ao aviso que
fe/, publicar o Sr. Ignacio Jorge de Sorna, que,
com quanto esteja tratada a transferencia d<>. sua
taberna sita ra da Ventura n.'l, espora pela
importancia delta para pagar aos seos eredores,
que com scencta dos quaes foi que (ratn de rea-
lisar dita venda : pelo que o Sr. Jorge de Souza
pode declarar por esto mesnio jornal o da o hora
em i|ue preiomlo reaiisar o pagamento, para que
os Sis. rredores coinparecain para recebar, e Desee
mesmo acto ser-lhe pelo "abaixo assignado passado
o papel de venda.
Recife, 2! de agosto de 1864.
Jos Ignacio do Val.
Precisa-se a lugar urna ama que saiba coz.i-
nhar, preferndo-se escrava : na ra da Impera-
trit n. 40.
Dinheivo
Na ra do IJvrameato
100-3 1:0005.
a juros
n. JO, se dir quem d
Offerecu-se urna ama para casa de lamilla,
c muito boa conducta para todo o servico, excep-
to cozinhar e sahir ra : quem qnixe'r dirija-se
ao pateo do Hospital n. 3o.
LEILAO
DK
54 aeros da compnnhia Vigilante.
Sabbsdo 3 d setembro.
O agente Pinto far leilao per conta de diversos
de 51 acedes dacompanhia Vigilante em dous lo-
tes sendo o primeiro de 12 accoes a o segundo de
42 ditas, s 11 horas do da cima dilo era seu
escriptorio, ra da Crol n. 38.
= O abaixo assignado mudou a sua resi-
dencia do sobrado da ra,\Nova n. 30 para
o primeiro andar da mesma ra n. 15.
Jos Liiiz Pereira.
Alnga-se o primeiro andar da casa da ra
d.i Cadeia n. i, muito propria para escriptorio : a
tratar no armazem da mesma.
Precisa-se do urna ama de Icite sera filho :
ira ma' do Sol n. 35,
Alga-e urna casa em Blinda ra do Carnio
propria para banhos, com 5 quartos, salte, estri-
lara, quintal muito grande com arvoredus : a
tratar no pateo da matriz de Santo Antonio n. 8.
So largo do Corpo Santo n. 6, segundo an-
dar, deseja-so fallar ao Sr. Joo Evaogclista de S
Sonto Maior.
Aluga-se um primeiro a segundo andar na
raa da Penha, e as loja?, proprias para negocio,
juntos ou em separado, urna sala e urna alcova : a
tratar no mesmo.
** Aloga*e o seguirlo e o lem-irn andar da
casa da roa da Cruz n. 7, com muit js commodos
para famNa.
Antonio Bernardo Dias, subdito portuguez,
ratirarfe para fra do imperio.
O agento Siinoes pede ao Sr Joao Paulo de
Camino que venha em seu escriptorio retirar os
objectos que arrematou no leilao da ra do Sebo
n. 37, visto ignorar-se sua morada.
* Urna professora aposentada competentemente
habilitada oTerere-se para ensinar fra em algum
engcntio ou mesmo dentro da capital primeiras
letras, as qnatro operacocs de arirhmotira,- pram-
mauca da lingua nacional, e as prendas domesti-
cas : quem pretender dirija-se Soledad?, casa n.
11, qne achara com quem tratar. _
Procuradorm
Pedro Alexandrino da Cosa Machado, solicita-
dor de cansas ante os auditorios desta cidade, se
encarregada procuradoria de qualquer causa com-
mercial, civil, criminal e eclesistica; aceita de
partido a procuradoria de iiualqiwr casa commer-
cial : pode ser procurado das 6 s 0 horas 1 : ma-
nhaa, edas 4s 6 da tarde, em casa de sua resi-
dencia na ra Imperial n. 121, sobrado ; c fr.\
dessas horas, na rna eslreita do Rosario n. 34, es-
criptorio do Dr. Alfonso de Albuquerque Mello ;
as quintas-foiras, porm, em Ipojuca, e as sex-
tas feiras na Cabo, em cojos foros contina a tra-
balhar como dantos.


*
Mario c Peanmoto Terva Idra SO e Agosto 4c 184.
Companhia vigilante de vapores
de reboque.
Agencia' em casa ir Rolhe k Bidoulac.
Na confo/midade do que foi deliberado
em asaembla geral dds accionistas da com-
panhia vigilante, que se reuni no dia 18
de abril do coircnle anno, sao os Srs. accio-
nistas convidados a entrar com 40 por cen-
to sobre o valor de cada urna de suas ac-
coes at o dia 20 do corrente, e, se o nao fi-
zerem incorrero na perda daqoanliaj en-
trada e faz-se este aviso pela imprensa, o
qual ser intimado a cada um dos Srs. accio-
nistas em particular, os quacs lerao a bon-
dade de participar por escripto, que ficam
iu terrado e sua resolucao definitiva, para go -
verno da direceo. Recife, 8 de agosto de
1864.
Os directores
AssignadoHenry Forster & G.
Balito do Livramento.
_______________Sauaders Brothers & C.
A caixa tilia! do London e Brasilian
Bank saca sobre Lisboa e Porto, prazo ou
vista.
Aluga-se muito barata urnas poucas de meias
aguas pouco acabadas de diflear na entrada dos
portoes da travessa das Barreiras, do bairro da
Boa-Vista : a tratar na ra do Cotovello n. 2o.
BpffiM fwSis HH S83BH1
g Companhia Bdelidadc de M
seguros martimos e ter-
restres estabeleeida no
Rio de Janeiro.
AGENTES KM PNAMBUCO
Antonio Lniz de Olivara Azevedo C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
SALSA P.4RR1LH* DE AYER.
Tu a.nscre vemos aqui algUHS
dos mui tos, altestados que temos
recebido las virtudes da salsa
parrilha do Dr. Ayer.
Rhenmatlsi
DE JOAO JOS DOS SANTOS.
Ouro Preto.
Sffri rheumatismop'ormui-
KAIVDE
Fabrica
DE l f,t'\
Fogos de artificio daviuva
Rufino.
Nesta acreditadsima fabrica recebem-se en-
commen las de (ogos de artificio para dentro ou
"'Ia".'0"*" '"ni'ilft ^ora t'a provincia, garantindo-s as pessoas que se
las vezes, e vefiOO annunciaao dingrrem este estabelecimento acharem reunidos
em um jornal d'esta Cidade a os gustos perfeicao nos artigos ahi fabricados,
Salsa parrilha de Dr. Ayer, re- As encommendas recebem-se no armazem da bola
SOlv>me a comprar um frasco e fazer USO amarella no oitao da secretaria da polica.
d'ella ; e ames de concluir O primeiro fras- i Alugam-se tres casas pequeas na Torre,
co arhei-me forte i> spm spntir a mais leve caiadas e pintadas, para se passar a fasta com pou-
ou, auiu me lorie e sera sentir a mai?, leve codinner0i e Urabem se vendem todas juntas ou
dof nos joelhos; a parte do corno que es- cada uma em separado, em conta.
tava affectada d'esse terrivel encommodo
que roubou-me tantas noites de somno.
Crnpe5es. borbulhas, pstulas,!
ulceras, e todas, as molestias
da pe le.
DO .SI. JOO BAL* DE AHHKl' K SOVZA.-* \
Ra de S. Pedro.Rio de Janeiro.
Soffria mais de dous annos de uma
erupcao sjpliitica em todo o corpo, mos-
Uando-se sempre com mais violencia na ca-
ra, prove muitos medicamentos e consultei
mullos mdicos, e eslava quasi desanimado |
quando vi os annuncios da Salsa parrilha
do Dr. Ayer: comecei a fazer uso d'ella e j "^se aln, i preta escrava
nos primeiros das a empeo aggravou-se, j servico de urna pequea familia i na ra das Cru-
porm antes de acabar o segundo frasco ti- zes n. 28, primeiro andar,
Maques1 sobre Portugal.
O abaixo assignado, autorisado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer somrna vis-
ta, e a praso ; podendo, os que temaren!
saques a pra0,receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 OjO ao anno: na
loja de chapos da rna do Crespo n. 6, ou
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Mala.
Caixeiro.
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica de
taberna e d fiador a sua conducta, da-se-lhe bom
ordenado ou mesmo sociedade : na ra do Amo-
rim n. 36.
Aos meas amigos
Forcado a seguir para Lisboa tratar do minha
saude, que est asss comprometida, e nao poden-
do despedir-ma de meas amigos pessoal mente, o
faco pelo presante meio. Devo-lhes, elles bem sa-
bem, raeu coracao e minha eterna gratido.
__^___^^_ Joao Joaquim Seve.
4Juem quizer vender uma casa terrea at a
quantia de 1:4005 na freguezia de Santo Antonio,
sendo chaos proprios, dirlja-se ra do Rangel
n. 2, que se dir quem compra.
Alugam-se duas casas com bons commodos,
cozoha e quintal, na ra da Palma : a entender-
se na ra estreila do Kosario n. 23, segundo andar,
ou com o Sr. Leopoldo Ferreira Martins Ribeiro.
Francisco Sergio de Mattos convida aos seus
amigos e aos de seu finado filno Viriato Sergio de
Moura Mattos a ouvirem uma missa pelo repouso
eterno do mesmo seu filho na capella do cemiterio
publico desu cidade, as 7 horas da manha do dia
Io de setembro prximo vindouro, stimo de seu
fallecimento.
LOJA OBEUA FLOR.
Ra do Queimado ns. 63 e 69.
Joaquim Gomes Dourado retira-se para Por-
tugal a tratar de sua saude e deixa por seus pro-
curadores a seu irmao Jos Gomes Dourado, Joa-
quim Goncalves Salgado e Antonio Domingues de
Almeida Pocas.
Precisa-se de uma ama para lodo servico de
casa de pouc familia prefenndo-se escrava : no
pateo da matriz de S. Antonio n. 8.___________
Aluga-se a lu a da casa n. 40 da ra das Trin-
cheras : na ra da Aurora u. 36.
Na praca da Independencia, loja de onrfves
n. 33, compram-se obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como =e faz qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert.
H HT
ALUGA-SE
a grande loja do sobrado de 2 andares
5 da travessa do Veras n. 15, muito pro-
^ pria para deposito ou taberna e por prc-
9 c coinmodo ; a tratar no mesmo a qual-
0 quer hora.
Precisa-se de um pequeo para caixeiro de
uma taberna na cidade da Victoria, prefenndo-se
portuguez: a tratar na padaria da ra Direita
n. 8i.
O advocado Jos de Godo} Vasconcel- I5
los pode ser procurado na na estreita
do Rosario n. .'ti, das" 10 s 3 horas da
tarde dos dias uteis.
nha o mal desapparecido completamente de
todo o corpo.
Doctor Don Jos Valdes Herrera, profes-
son de medicina y cikuiuia, subdelegado ;
EM AMBAS AS FACULTADES DEL SESTO DIS- i
tbicto.Habana.
Certifico que he usado l "Zarza parr-
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
los casos de ulcera crnica, como asi mismo
ensayado las Pildoras catrticas del mismo
autor y
cuya accin ademas de ser segura, ha sido cocheira na ra da Sez'aia Velha e
^^TOWKi
Na ra Imperial n. 124, sobrado, precisa-se de
uma escrava que compre, cozinhe e engomme.
Precisa-se de um
da ra Imperial n. 39.
bom forneiro : na padaria
las ronsilern rnmn i inroanta Euabaixo assignado tenho ji^sto e contralado
nle- com o Sr. Antonio Goncalves Dias a compra de sua
- se alguem se
muy encaz en el Iralamento de las enfermi-Julgar com direito mesma tenha a bondade de
dades qae exsigeu el uso de los purgantes, i scapresentar no praso de tres dias desta data. Re-
y no vacilo en recomendar estas preparacio-
cife 29 de agosto de 1864.
rm
ri
O abaivo assignado previne a qualquer pes-
soa que nao faca negocio algum com a casa da
ra do Calabjuco n. 1, pertencente a Joao do Ro-
sario Azevedo, por quanto a mesma se acha hy-
pothecada pela quantia de 4005. Recife 26 de
agosto de 1864.
Joao Pedro Baptista.
Aluga-se o sobrado amarello da Ponte de
L'cha, concertado de novo c pintado, tendo o sitio
murado e o|itimos commodos para familia : a tra-
tar no largo do Paraizo n. 16.
Tendo ido um moco alugar um cavallo na
cocheira da praca do Gapim, oiliio da casa em que
morou o Dr. Sabino, na noute de 23 do cerrente, c
como at hoje ainda nao tenha apparecido, o pro-
prielario da mesma cocheira gratificar a quem der
noticias ou o entregar na mesma cocheira : o ca-
vallo tem os signaes seguintes: alasao claro, tem
a frente aborta, Jes quatro ps arregazados, as di-
nas 'grandes, o tpele regular, p direito
corla o p esquerdo, anda bem de baixo meio,
est ferido na bocea pela bride, meio doro de
queixo: foi sellado e enfreiado e levou um couro
de bode vermilho: quem o pegar pe levar
cocheira cima, e pede-se s auloridade poliches
suas pesquizas.
No hotel Vigilante precisa-sede um cozinhei-
ro e um escravo.
nes. Y para los fines que puedan convenir
doy la presente en Regla 7 de Setiembre
de 1860.
Doit. Jos V. Herrera.
Escrfula.
attestado do Illm. Sr. Francisco Ferraz
dos Santos.Ouro Prito.
Me acho ha quasi dous annos affectado I
Thomaz Pereira.
M0FIN4-^t
Precisa-se de uma rozinheirae outra engom-
madeira, sendo raptiva melhor : na ra do Hospi-
cio n. 36.
AJoga-se o sobrado de um andar com bas-
tantes commodos, ou mesmo segundo neslas con-
dicoes tambem servir o de dous andares mais pe-
queos com tanto que tenha quintal, cacimba, den-
tro desla cidade menos no Recife, fazendose van-
tagens ao proprictario : quem o tiver dirija-se
ra da Penba n. 5.
Manoel Azevedo de An-
drade, Antonio de Sonza
llego e Domingos da Silva
pampos, tendo comprado e
recebido em pagamento qua-
si toda a heranca que ficoa!***?*"" p,iaimacia*s
por fallecimento de Jos I Vende-se em Peroambuco:
Themotio Pereira Bastos, I
ultimo administrador do ex-
O ser Jadrao muito eio. Comer o dinheiro
alheio e nao dar conta da commissao de que se en-
carrega muito deshonroso um solicitador que
qur granjear crdito no foro. Oh I Sr. D. A. o
abuso de conflanca crime, Vmc. o praticou, por
conseguinte est sujeito s disposicoes do cdigo
de escrfulas, e tendo soffrido tanto que al-: "'"'131; ,raas C0?7 quero se,ru ainda mas es,a vez
gomas vezes quasi que chego a ^mmriSSTJ^iZj^S^^Z^-
da vida e maldi/.cr da minha infeliz sorte; trario succede-llie um mal maior do que Vmc.
tenho sido tratado por muilos mdicos d'es-, Pensa- Venha logo, a ra Nova n. 37, dous annos
la cidade, c nenlium pode vencer a tenaci- [azem ?ue Vmc-Mmeu esle dinheir,0'e ainda n5
dade de minha molestia, eslava sem pe-\^^Ul'S&^AS^
raneas de recobrar a minha saude ; quando, consciencia, o furto muito feio principalmente
ullimamente resolv fazer uso da Salsa par- Para um homem velho e que se diz honrado.
rilha do Dr. Ayer. Completam-se boje i Precisa-se fallar ao Sr. Antonio~Jos
i e sol dias que comecei com esie Teixeira de Mendonca Belem: nesla typo-
graphia, ou na livraria ns. G e 8 da praca da
Independencia.__________
0 Sr. Sebastiao Jos Peixoto, tem uma
carta tiesta typographia.________
Cherubino di Pietro Bandiere, subdito italia-
no, retira-se para fra da provincia. '
santo remedio, e tantas melhoras tenho
sentido que tenho conviccao de em breve
recobrar a minha saude, perdida ha tanto
lempo.
*yihlis c molestias mercuriaes.
o Illm. Su. Dr. Jackson.
Medico muito couhtcido as provincias do
sul-do Brasil.
Tenho receitado a Salsa parrilha do
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de. letras e llngua franceza.
Syphilis constitucional e sempre com OS Mara Dartholeza da Conceico leccionada pelo
mais felfees resultados ; o melhor alteran-: {,llm: Sr; Dr director d,a nstruc?5o publica, tem
\o uno conliPfn ,, destinado abrir sua aula paiticular de primeiras
ic que cuuueyu. i i letras, etc., assim como lingua franceza, no 1 de
Lcticorrlica C llores braneas. setembro prximo futuro ; por isso roga aos se-
Temos Caitas em que nos contam casos nhorespas de familia a queram honrar, contian-
inveleados que fotam radicalmente curados d0; h? suas meninas aancando-lhes a boa letra,
COmum OU dous fraSCOS d'esta Salsa par- e fara todos os esforcos para que ellas ob.enham
rilha,
O esnaco nao nos permilte transcrever
todos os atlestados que possuimos das vir-
tudes d'este extracto composto de Salsa
parrilha do Dr Ayer. Hasta declarar ao
publico que tem sido empregado ha mais
de vinte annos pela profissao medica tanto
Cintos dourados.
Sao chegadosos lindos cintos bordados ouro,
pelo barato preoo de iWOO e 3000: no Beija-flor,
ra do Queiraado ns. 63 e 69.
Fivellas para cintos.
Chegaram tambem ricas veilas douradas e de
ac para cintos a 1^000 e 1200 : no Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Penles de tartaruga.
Lindos pentes de tartaruga, gosto moderno, a
5OO 5too e 6*000 : ra de Queiraado ns.
63 e 69.
Pentes de travessa.
Vendem-se penles de travessa de novo gosto para
meninas a 600 e 800 rs.: s no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Penles para atar cabellos.
Lindos pentes pequeos para atar cabellos, pro-
prios para se andar em casa a 400 e 500 rs.:
no Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e 69.
Botoes de madreperela.
Tendo recebido um variado sortimento dos de-
sejados botoes para abertura de roupSo, vendem-
se a 400 rs. abotuadora : no Beja-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Enfeites para senhoras.
Lindos enfeites modernas a 2*000 e 2*400,
ditos de rede a :900 rs. : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Talheres para meninos.
Chegaram novos sortimentos de talheres para
meninos a 280 e 320 rs., ditos cabo de balanco de
um botao a 400 : as lojas do Beija-flor, ns. 63
e69. '
Lia para bordar.
Vende-se la de superior qualidade e de lindas
cores a 6*800 a libra : no Beija-flor, ra do Quei-
Quem for herdeiro encarregado da fazenda, mado, ns. 03 e 69.
do Umari de cima, no termo de Apudy, provincia Papel de diversas qualidades.
do Rio Grande do Norte, dirija-se ao armazem do Vende-se papel de beira dourada pautado a
Roano, na ra da Conceico da Boa-Vista, que 1*200 e 1*300 o pacole.ditossemserdouradoe nem
muito se Ihe deseja conversar.________________pautado a 640, 800 e 1*000 : no Beija-llor, ra do
Aluga-se a caja assobradada da ra da As- Queimado ns. 63 e 69.
sumpcao n. 60 : na travessa de S. Jos n. 22. Envclopes para cartas.
Vende-se envelopes de cores a 600 rs. a caixa,
ditos brancos a C40 e 800 rs. : no Beija-flor, ra
: do Queimado ns. 63 e 69.
Custodio Cotlaeo Pereira Jnior faz ver ao
publico e com especialidade ao corpo do commer-
cio, que deu sociedade no seo estabelecimento de
molhados ao seu ex-socio o Sr. Antonio Caetano
Marti us Marques, cuja sociedade gyrar de baixo
da lirma de Pereira & Marques.
CASA.
Aluga-se uma grande sala com 2 quartos, propria
para qualquer esenptorio ou aula de primeiras
letras por ser extraordinariamente grande : na ra
do Llvramenio n. 38 por cima do armazem do Ba-
liza.
MACHINAS DEPATENTE
de trabalhar nio para
desearoear algodie
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Estas machinas
podemdescarocar
qualquer especie
de algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas para
o iraballio; pode
descarogar uma
arroba de algo-
dao em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
L.-ta machina
a nica qne
possue as vantagens de nao destruir o fio do al-
godao e de fazer render o dobro de qualquer ou-
tra com menos trabalho, a sua introduccao para
as provincias deste imperio ser de muito valor
para todos os interessados na lavoura do paiz.
Assim com machinas em ponto grande do mes-
mo systema,oraql serem movidas por animaes,
agua ou vapor, pas uae podem descaroQar 18 ar-
robas de algodao ampo por dia.
0 algodao descansado por estas machinas tem
muito mais estimacao nes mercados de Europa e
vende-se por maior preco.
As machinas se acham venda unicamenie em
casa de
Sauudei'8 Brolkers & C.
\. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paix.
Sant-Clair
das ilhas ou os desterrados na ilha da Barra, ro-
mance digno de ser lido pelas senhoras por seus
lances interessantes postos em execucao por uma
senhora, 3 voluntes em brochura a 2* : na livra-
na ns. b e 8 da praca da ludependoucia._______
Piano
dos bem conhecidos fabri-
Vende-se um piano
cantes
timas vozes
da Esperanca.
Penles dourados para atar.
Vende-se pentes dourados para atar cabellos a
1*000, 1*200, 2*800 e 3*000 : no Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Penles para mar rafas.
Vende-se lindos pentinhos dourados com pedia
EXTRAORDINARIA
liquidara de fazendas de tedas as qua-
li'ias na loja e armazem da Arara,
a da imperatriz n. 36, deLoaren-
co Pereira MendesGuimares.
Atlendam freguezes t
Sontembarqae a i00, IU e *o pecbincha.
Vende-se soutembarques muito bem enfeilados
le de cores, para senhoras, a 10* 12* e 15*, ditos
pretos a 20*, 22* e 25* capas pretas do
ie-se un piano aos Dem conneciaos ianri-, nara narnb i s-Jim ,,,-, u .n.,,.^'!!, I5"""~." m%Zf^mw^Svw! caPas pretas do gros-
Blondel & Vignes, em perfeito estado e op-! SUSa! 69 Q Mfi 2,5 e "* : s na rua da IraPe'"z n.
'ozes : na rua do Queimado n. 33 A, loja aLM,nc a .,, Ja da "ra' ...
Cortes de chita a 2,510(1.
Vndese cortes de chitas de cores lixas com 10
Precisa-se de um caixeiro que telilla pratica
de padaria : na rua da Senzala Velha n. 84.
A pessoa que precisa de 800* a juros com
hypolheca em uma escrava com cria, dirija-se ao
caes do Ramos, armazem n. 4, ou annuncie a casa' las a 2*500 cada um
que queira.__________. ___________- Queimado ns. 63 e 69.
- Aluga-se a sala e quartos da parte de dutraz | *JJ ,mesi
Sapalos de tranca.
Vende-se sapatos de tranca muito bons a 1*500,
ditos de tapete a 1*600 : no Beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Balaios com sabo.
Lindos balaios com 6 sabonetes de varias frnc- raes.
no Beija-flor, rua do | Fazendas especiaes para senhoras.
.... .i Vende-se gollinhas para senhoras e meninas
lojas se encontrara lindo sort-, 240, 320, manguitos a 500 rs., camisinhas a 1.
perfumaras e vanado sortimento de; 1*500, 2* e *500, entre-meios e tiras bordadas
covados a 2*i00 e 3*200, cortes de camurafa de
barra a 2*, dilos de salpicos a 2*500 : na rua da
Imperatriz n. 56, loja da Arara, deMendes Guima-
do primeiro andar da casa n. 65 da rua do Impera-
dor com vista para o passeio, propria para escrip-! S2i <|Ue SC tornar'a cnMoohe menciona-las,: para enfeitar vestidos brancos a 15,1*200 e 1*400
torio, e morada de pessoa solteira : a tratar na ?r<: ?!, ?a'!?.Aer..t" e ma,s barat0 qoe ia Pera- endites para casaveque a 1*, gravatinhas
mesma.
Augusto Theodoro Monteiro, subdito portu-
guez, retira-se para o Para.
Creme.
Sorvet de creme boje ao meio dia : na rua
Trapiche n. 18.
do
Precisa-se de um Portuguez para trabalhar
com uma carroca : a tratar na rua das Cruzes nu-
mero 1.
em outra qualquer parte.
m confeito e especifico para
expelr es Vermes.
f c

pmlLk I
em pouco lempo o desejado aperfeicoamento; as-
sim como far todo o possivel para que ellas per-
cam qualquer vicio patrio que possam ter : de-
fronte da matriz da Boa-Vista n 81.
CABAS i)E ABC
Maria Bartholeza da Conceico tem resoivido
vender o resto das suas afamadas cartas de ABC
das mericas como da Europa, sem minea a ^ [*> augmentadas pela annunciante, as quaes
dp^roentir a sua alfa romilaran tem paragraphos e contm todos osnossos dyph-
ueMiitnir a sua ana repuiacao. longoSj e as acluaes em uso s tem de 8 a J" ^
de um grande numero de nomes de objectos mui
Para a cura radical de escrfulas o affeccoes conhecidos dos meninos, por isso Ihes facilita mui-
Os abaixo assignados fazem sciente ao Sr.
Jos Ignacio do Valle que nao podem vender sua
taberna da Capunga sem que primeiro nao reali-
sem os dbitos com os abaixo assignados. Recife
29 de agosto de 1864. Ribeiro & Braga, em li-,
quidago.Joao Antonio Carpinteiro da Silva & C.
Precisa-se de dous amassadores : na rua do
Rangel n. 9.
? S

mw
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilhetes da praca da Inde I
pendencia n. 22.
'
vimtillim Vermil
DE KBMP.
i.-i
RKlS
Os
moiinKH
1
Compra-sc couro de carneiro : na rua larga
do Rosario n. 10.
Compra-se effectivamente
ouro e prata em obras velhas pagando-se bem :
na rua larga do Rosario n. 24, loja de ourives.
Compra-se cobre velho : na rua do Brum nu-
mero 78._____
Compra-se porcao de caibros j servidos de
andaimes e tambem novos de qualidade para co-
berta, assim como travs de qualidade : na rua da
Penha n. o.
- Comprase uma mobilia de amarello que te-
nha pouco uso, quem a tiver e queira vender diri-
ja-se rua dos Quarteis loja de calcados n. 22, ou
annuncie aonde se pode ir ver.
escrofulos, syphilis e molestias syphi-
liticas. ulceras, l'eridas, cliagas,
erupces cutneas e todo e
qualquer incommodo que
provm d'um estado
impuro de sangue,
TOMEM A
SALSA l'ARKiLHA !: AYER.
A' venda na rua Direita, ns. 12, 26 e 76;
rua da Quitanda n. 51 ; praca da Consti-
tuico, n. 30 e Hospicio, n. 40. E as
c drogaras do im-
i qerio
to a leilura :
mero 84.
defronte da matriz da Boa-Vista nu-
Ama
Precisase de uma ama que tenha bom leite :
tratar na rua Direita u. 91.
tineto morgado de Alagoas
ou de S. Francisco, commu-
nicam aos foreiros dos so-
los perteucentes ao refirido
extiiicto morgado que o cou-
senhor da heranca Manoel
Azevedo de Andrade se a-
cha autorisado areceber os
foros e laudemios, bem co-
mo as rendas dos predios,
e o competente para pas-
sar recibo.
Hermann Koesing, cidadao bremense, val a
Europa.
P. MAURER & C.
HUA NOVA N. 18.
encao
Precisa-se de uma criada livre ou escrava
que saiba cozinhar e engommar : na rua das Cruz
n. 42, prifieiro andar.
Precisa-se de uma ama forra ou escrava. e
que tenha boM costumes, para todo o servico de
uma* casa de familia : na rua do Aragao n. 25.
Aluga-se a caa com pequeo sitio na traves-
sa de Joao Fernaudes Vieira, em que morou ulti-
niamenie o Sr. Thomaz Comber : no armazem de
Samuel P. John.ton& C, ruada Senzala Nova nu-
mero 42.
Manoel Puema Querol, subdito peruano, na-
tur.il de Lima, retirase para o Para.
Na rua da caixa d'agua appareceu agora um
instrumento de som anglico, muito cima do forte
piano, elle tem corda* e se alia por um pislao de
cylindro que da 10 tous em si b.; o habilidoso que
toca d Iic5es gratis porque vejo tanta gente junto
porta a ouvir, que priva andar-se na calgada:
bello, nao ha duvida, e se canta o joven cora a sua
bocea bamba e o pislao no agudo, entao ninguem
dormel que tal o da msica, e o nosso theatro
vasioll porlanto, pedimos ao inspector da rua
que faja os taes jovens fazerem os seus ensaios na
detencao, pois o lugar bem fresco e os accommo-
dar bem.At logo. _______
Desappareceu da villa de S. Bento, fazenda
do Acude Novo, duas burras, sendo uma preta e
outra caslanha escura, e aquella maior do que esta,
e ambas tem a marca A ; rogase pois a quem as
achar ou a quem deltas tenha noticia, de dirigir-se
mesma villa Luiz Paulino de Valenca : na ci-
dade do Recife ao Dr. Fenelori Alcoforado, ruado
Imperador n. 4 ; ou a Antonio dos Santos Siqueira
Cavalcanti no engenho Bellomonte, que ser re-
compensado. O mesmo aviso se faz s autoridades
policiaes para que as apprehendam.
Na livraria n. 6 e 8 da praca da Inde-
pendencia existe uma caria de importancia
pata o Sr. Antonio Fernandes Corredor.
0 Sr. Sebastiao Jos Peixoto lem urna carta j B'MKB H"8
na_praca da Independencia, livraria ns. 6 e 8. g Hf NTiQTA flC PK RIQ
19Rua Nova -i9
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operacSes de sua arte, e col-
loca dentes articaes, tudo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecera.
Tem agua e pos denuncio.
s

m
s
mwmvwm-wmmmm
Pr?eisa-se de uma ama, prefere-se escrava,
para todo o servk"o de duas pessoas : na rua estrei-
ta do Rosario o. Ii\ primeiro andar.
Portaram da casa n. 1 da rua do Cabral, do
capitao Antonio Bernardo Ferreira, o seguinte :
Um relogio patente inglez de ouro, com tranee-
lim, um passador com circuios de rubras peque-
nos com dous sinetes de ouro com pedras no fun-
do, uma chavinhacomprida de ouro e outra dita
maior como chave de porta tambera de ouro.
Uma corrente de prata para suspensorio.
Um castical de prata.
Um par de oculos de ouro.
a quantia de 300 a 400 era raoeda de prata
i de 500 rs., 1 e patacoes.
Duas libras esterlinas.
Diversos penhores de ouro na importancia de
100*000.
Quatro pares de butoes de abertura e quatro de
puubos.
Uma lettra de I30J aceita pelo conego Joao
Bernenuvem Maciel, e outra da quantia de 12
aceita por Francisco da Cruz Soulo, as quaes es-
tavam dentro de uma carteira que tem um retra-
to de uma moca banhando-se.
Uma caixa de prata para rap obra do Porto.
Dous massos de raeas para homem.
Diversas grvalas.
Um paletot de casemira branca cem dous lencos
um de seda e muro para tabaco.
Duas toalbas de labyrinto cora bico.
Urna escova nova para escovar obra de panno.
Urna pistola de espoleta pequea toda de ferro
com o uiivi.io da espoleta queiirado de urna banda.
Uma porcao de lencos para tabaco encarnado.
Cinco lencos de seda sendo 3 encarnado o dous
de ramagens.
Um par de sapato de tapete todo encarnado, no-
vo, mais achinelade.
Uma carteira cor de ganga por fra e por dentro
de marroquim encarnado, com i>$ em urna nota.
21* sendo una nota de iO e i& em prata.
359 em prata em moedas de 1J.
100 pouco mais ou menos em uma boceta
coraprida em moeda de I* de prata.
Mais uma porcao de patacoes e moedas miudas
de prata que ignora-se a quantia, em uma boceta
de (landres redonda.
O roobo foi feito ao amanhecer do dia 27 de
agosto, entraram pelo telhado da frente da casa
do lado do sul, destelhando tres ordens de tenas e
cortando duas ripas a faca por onde desceran) pa-
ra a sala, aonde se achava uma mesa om duas
gavetas, carregando esta pela porta do oito para
o quiutal debaixo de um p de jambeiro onde le-
varan) uma gaveta com tudo quanto se achava
em ambas as gavetas, e foram ao quarle do lado
do sul abnram, o qual se achava com a chave na
porta e tiraram o que consta da relaco : roga-se
a quem sonber queira dar noticias na mesma casa
ou na livraria ns. 6 e 8 da praca da Independen-
cia que ser recompensado ; assim como pede-se
aos Srs. ourives a quem fr offerecido qualquer
destes objectos, os aprehendam e participen! as
niesmas casas cima.
Compram-se Diarios a
rua da Senzala Velha n. 50.
120 rs. a libra : na
YENDAS.
ni ;i gritos, porque
olla.-; silo d clu-ii-.i, sabor c cor agrada-
veis. A Pii'jpuici.'i, :i wgnri'huic de ic-
cao, < iik>ftu!isiv Pastilhas Vermfugas de Kemp
A l>.\tt DA -C'\
CoiDposifSo exclusivamente Vegeta!,
Rao cetas |js :is suas mcllioros o mais
completas de todas as recnmmcndaccs
que se possa fazer o. com justa razan as
collocfio na categora d'um favorito uni-
versal.
A 6Uperiordade das
Pastilhas de Kemp
sobre todas as preparaces destinadas
para o mesmo liin devido sua sim-
ples composieSo o sen aroma agrada*
vel e rapidez e infaUibilidade com
que alcanca a dcstruicSo total das
LOMBRIGAS.
A venda as boticas de Caors 4 Barboza,
rna da Cruz, e Joo da C. Bravo dt*C, rua
da Madre de Dos.
daz.
Vende-se latas de cinco galoes 11500 e gar-
rafa 300 rs. garante-se a qualidade : na rua Di-
reita ns. 99 e 100.
Vendem-se saceos grandes com muito bom
Milho'o mais novo que ha
no mercado a 3$ o sacco
Na rua de Santa Rita n. 1, taberna.
\m% se
Chocolate de musgo Islndico
Pharmacia franceza
DE
P. MAURER & C.
_____18 Roa Xov.i-18
Esleirs para forro de sala a
850 rs a jarda
Na rua Nova de Santa Rita armazem n. 19, e
na rua do Crespo loja n. 17._______
Vende-se a fabrica de sabiio da rua do Ran-
gel n. 3i, propria para qualquer principiante por
ter poucos fundos, e ser negocio de vantagera ; o
fabricante obriga-so a ensinar gratuitamente a milho a 4>, muito proprio para retalhar na ribei-
quem a comprar a maneira de fabricar o sabao,! ra : nj armazem do Teixeira defronte da escadi-
garantindo-se o aluguel da casa : a tratar na nha da alfandega.
mesma. i ------------------------------------;-------------------
rerros para orives.
Na rua larga do Rosario n. 24, loja de joias, ven-
dem-se lados os ferros e utencilios de ourives.
Fabrica Conceicjo da
Baha.
Andrade Reg, recebem constante- S
mente e tem venda no seu armazem n. ffe
34 da rua do Imperador, algodao d'aquel- 2j|g
la fabrica, proprio para saceos de assu- H
car, embalar algodao em pluma etc., etc., Pf
giK pelo preco mais razoavel.
Fumo imperial
Cortado igual ao francez muito proprio para ca-
chimbo, em latas de 1 libra, quando nao seja me-
lhor igual ao americano por 1,5200 rs., para veri-
ficar a verdade os Srs. fumantes podem-se dirigir
fabrica vapor de cigarros antiga rua dos Quar-
teis de Policia n. 21.
Cyllndros para padaria.
Na padaria da rua Direita n. 84 ha para vender
os conhecidos e acreditados cylindros para pada-
i ra, ullimamente chegados d America.
A Aguia Rranca acaba de receber um bello sor-i Sciencia 808 cliai'isshllOS iriliaos ter-
timento de amostras de diversas e boaitas obras
de porcelana dourada, algumas das quaes por rua
aovillado e bom gosto servem para o leilao no an-
iversario do Hospital Portuguez, e outras para
enfeites de mesa, etc. ; j se v pois quem tiver
dinheiro e-t habilitado a comprar qualquer des-
tas obras : na rua do Queimado, loja d'Aguia
Branca n. 8.
geaebra fina hollandeza em caixas de lo frascos :
no esenptorio de Brender a Brandis & C, rua da
Cadeia n. 58.
Feljo.
Vende-se feijao molatinho mnito novo pelo ba-
rato preco de 8, saceos com 22 cuias garantidas
pelo vendedor: na rua da Madre do Dos n. 9.
Farinha de mandioca
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
Alves no seu escriptorio, casa n. 19, na rua da
Cruz. ________
Charutos de Harina
de superior qualidade vendem-se em casa
de Scbaleitlin dr C, rua da Cruz n. 42.
Diversas obras de porcelana'
dourada.
ceiros de Sao Francisco
Na rua da Cadeia, loja n. 44, existem cordes
do verdadeiro esparlo para uso dos irmos profes-
preparados com toda a perfetco ; seu preco
sos
commodo.
Bichas haiuburgnezas.
Na rua Nova n 61 delronte da Illma.
cmara
para senhora, muito linas a l e Io00 : na rua
da ImperatDz u. 56, loja da Arara.
Vende-se palitots de panno fino a 16& lifi e
125, ditos saceos com litas a 12,5, 10 e 85, dilos
de casemira linos a 105. 85 e 65, dilos sem fila e
45500,55, dilos de brim a 25500, 35, 35500, ds
alpaka a 35 e 35500, calcas de brim e de ganga
25, 25500 e 35, ditas de ineia casemira a 35500 c
45500, finas a 55, 65 e 75, coletese camisas fran-
cezas a 25 e 2550o e 35, seroulas de algodao a
15600, de I10I10 a 25, e colarinhos a 400 rs. : na
rua da Imperatriz 11. 56, loja da Arara.
Vende-se colchas de chita a 25, de damasco a
45, de fasio a 55 : na rua da Imperatriz n. 56,
loja da Arara.
Vende-se panno de linho para lences e serou-
I las a 640 rs. a vara, brim liso de ila'mburgo a 500
I e 560 rs., lencos de seda a 800 rs. e 15 : na rua
I da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Bramante da Arara a 20500.
Vende-se bramante de linho com 10 palmos
de largura a 25500, dito de 12 palmos a 25800
a vara, cimas para cuberas a 320, 360 e 4t/0 rs.,
dita encamada muito lina a 480 rs. o covado, chi-
tas para vestidos a 240,2M), 320 e 400 rs. o cova-
do : esta peclnncha, tao barata, s se pode encon-
trar : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A Atara (cima, nao vende, qiieima.
Vendem-se balos de iO, 20, 25 e 30 arcosa
25240,25500, :5, 35500 e 45, ditos de mnsselina
a 45 e 45500 : na loja da Arara, rua da Impera-
triz n. 56.
Vende-se challes de laazinha a 15600 e 25. dilos
de merino a 25500 e 45500, ditos linos a 65, dilos
estampadora "5 : na loja da Arara, rua.da Impera-
triz 11. 56.
As laaziulias da Arara a 210 rs. o covado.
Vendem-se laazinhas para vestidos a 240. 320,
400, 500 e 560 rs, o covado, ditas muito finas de-
cores, lisas, de lyrio, de rosa, azul e encarnada
a 600 rs. o covado ; na rua da Imperatriz u. 56,
loja da Arara.
A Arara vende cliilas a 210 rs.
Vendem-se chitas para vestidos de cores fixas a
! 240 e 280 o covado, ditas francezas a 320, 360 e
; 400 rs., cassas de rr a 280 e 320 o covado.organ-
dys a 320, 280 o covado : na loja da Arara, rua
da Imperatriz n. 56.
A Arara vende corles de la a Maria'I'ia.
Vende-se cortes de la com barra a 85, ditos
linos a Maria I'ia por 185000, laazinhas a Maria
Fia a 460 e 800 rs. o covado : na rua da Impera-
triz n. 56. loja da Arara.
A Arara vende uadapolo a 6,->o00, 7$, 8$,
m e m.
Vende-se madapolao fino de 24 jardas, n. 60 a
65500, dito n. 7 a 75, dito n. 2, 85, dito de mar-
ca duas cruzes a 95, dito S a 105, dito H H a 115
dito B b a Hi, todos estes madapoles sao mu Mo-
linos ; algodao a 55 e 65, dito carne de varea a
65500, dilo mestieoa 75, dito sicupira a 85,ditode
diversa qualidade a 85500, dito pao ferro 95 a peca
de 20 jardas, lodos estes algodoes sao de boa qua-
lidade : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara
de Mendes Guimares.
A Arara vende brim trancado de linbo a 1^200.
Vende-se brim trancado de linho branco para
calcas a 15200 15400 e 15600 a vara, dito pardo
de linho a 640, 720, 800 e 15120 ; bretanha de
linho a 640 o 800 rs. a vara ; ganga para calcas e
brim de cores a 500 e 480 o covado. cortes oV ca-
semira preta para calca a 35500 e 45, dilas tinas
e de cores a 55, 55500 e 75 o corle : na rua da
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
As percalas da Arara a 500, 560 e 600 rs.
Vende-se finas chitas percalas a 500, 560 e bOO
rs. o covado, pecas de carabraia finas a 35, 35500
45500 e 550OO a pera, ditas para cortinados com
20 varas a 95 : na loja da Arara, rua da Impera-
triz n. 56.
O proprielario da loja e armazem da Arara re-
commenda toda a attencao aos Srs. freguezes que
mandem ver as amostras de todas as fazendas que
annuncia, prometiendo vende-las barata, pois que
a Arara teima, nao vende, queima.
Tiiua, volantes e galoes.
Vende-se trina, volantes e galSes de todas ae-
larguras |>or precos muito barato: s no vlgilants
rua do Crespo n. 7.
hartura de sabonetes
A Aguia Branca recebeu um completo sorlimen-
to de sabonetes, e quer distribui-los com toda a sua
freguezia que compra a dinheiro vista, por isso
os est vrndi-nJo pelos baratsimos precos da 15,
15200, 15500, 25, 25TO0 e 35 a duzia, sendo es-
tes de cores e com diversos moldes n figuras, o
outros transparentes a 23300, 35 e 45000 a duzia.
E>tes accommodados procos servem bellamente
para que todos Isvem suas raaos, longos, etc., etc.,
com cheiroso sabuuete, e una vez qae baja dinhei-
ro, dirijam-se rua do Queimado. loja d'Aguia
Branca n. 8.
Vende-se uma taberna sita na rua de S. Mi-
guel nos Afogados, cora bastantes freguezes, n. 68,
achara cora quem tratar.
Vendem-se dous caixoes grandes parad'po- municipal, vendem-se constantemente bichas novas
sito ou outro qualquer estabelecimento, tudo en- por menos 25 o cont que em outra qualquer par-
vidracado : a tratar aa rua das Cruzes a.!. i te : recebem-se por todos os vapores
Caibros.
V


Vendem-se 200 caibros de embiriba e rocon : a
tratar na rua do Traplbhe, armazem n. 9.
i


I
>v


DUrlo de Peraambueo Terca elra i O c \ gasto de 184.
,K.K) 1/"
RIJA DO QUEIMADO W. 45,
Passando o becco da CongregacHo segunda casa.


i
NOF1DADE.

Pereira Rocha A C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Claritn Commerciai,
onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
aerio vendidos por procos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se obom peso
e boa quadade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do MaranhSo, da India e Java a 60, 80 Cevadinba de Franca muito superior a 2201 Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra-
e 100 rs. a libra e 1800 a 20600 e 3 rs. a libra. Pamco a 200 rs. a libra.
a arroba. Cevada a 80 rs. a libra.
Ameixas frncezas em latas e em frascos a' Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
liOO e 4 600 emfrascos grandes a dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
2,5500 i Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem em' caixinhas elegantemente enfeitadas de pito libras e canastrinhas de 1 arroba a
com ricas estampas no interior das caixas i if800, 5500 e 280 rs. a libra.
a 120000,15400,10600 e 20. Farinna do Maranho a 160 rs. a libra.
Amendoas com casca muito uovas a 280 rs. \ Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
Geocbra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Atete doce francez muito fino em garrafas dem em garrafoes de 3 e 5 galoes a otfoOO
irmnriK a 960 rs a carrafa e 70500 cada um com o garrafo.
lff S Li boa a 640 ?s. a garrafa. Graixa a 100 a lata e 101OO rs. a duzia. lijlos de limpar facas a 140 rs
Amuta verdadeira de matarana a 320 rs. a Licores inulto finos a 700 rs. a garraia. | Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor b
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra,
libra.
Avetas muito grandes e novas a 180 rs, a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, 20 rs.
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 30000 a barr-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor efinada a 440 rs. a libra e
e em barril a 4C0 rs.
dem, qualidade especial e garrafas muito dem stearinas muito superiores a600rs. a
grandes, a 10800rs. agarrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi-
dro, a 10000 rs., s a garrafa vale o d-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a libra.
I dem de tempero a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, Massa de tomates em barril a 480 rs. a libra.
20500, 20800 e 30000 a libra. dem em lata a 640 rs.
dem preto muito superior a 20000 a libra. Marmelada imperial dos melhores conservei-
Cerveja preta e branca, das memores marcas i ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
que vem ao mercado, a 500 rs-. a garrafa Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
e 50800 a duzia. 800 rs.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa. dem regular a 500 rs.
Conservas a 720 rs. o frasee. Masas finas para sopa : cstrelhnha, pevide,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s deazeitonas, a 750 rs.
rodinhas e letr'anhas a 600 rs. a libra e a
40 a caixinha com 12 libras.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
e especialmente da fabrica imperial de Peixe em latas preparado pela primeira arle
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 10800, de cozinha a 10 rs. a lata.
20000,20200, 20500, 20800, 30000 e Palitos de dentes a 160 rs, o masso.
30500 a caixa. Palitos de dentes a 12Q rs.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320 dem de flor a 200 rs.
rs. a libra e 80500 e 80800 rs. a arroba.; Amendoas confeitadas a 300 rs. a libra.
Cartoes fie bolinhos franoezes muito nevos e Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
muito bem enfeitados a 700 e 600'rs.
Chouricss e paios muito novos a 80G rs. a
libra.
20 e em cabrito a 64U rs.
Palitos do gaz a 20200 rs. a grosa.
Passas muito novas a 480 rs. a libra.
libra.
Figos em caixinhas emticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D.Pedro, D. Luiz I, MariaPia,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
Mem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada.
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs.
a duzia.
dem Morgaux eChateauluminide 1854, a 10
a garrafa.
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
10200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porcSo de outros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porcoes como
retalho.
Quem comprar de 1000000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
SENTIDO!
O BAL1
VAI FALLAR
N. 38 Ra do Iivraniento N. 38


(Defronte da grade da igreja)
GRANDE '
Os souteanbaraucs do Pavo
f#e 12#.
VeEdem-se os mais lindos soutembarques que
teem vindo no mercado, sendo de caxemira de co-
res pelo baratissimo preco de 12-3 cada um, ditos
de mnsaoabique pelo diminuto prego de 93, s na
loja do Pavao, mas qne nao se enganem : a ra
Quem tem bales por tal preco l
Vendem-se os baloes americanos muito superio-
res com 40 e 2o arcos p\lo baratissiino prego de
25*00 rs.; ditos de 25, 30 e 3o arcos com fitas
malte bem armados, e tambem lem <*Jr escura pe-
lo barato preco de 3 330 e 15 cada um : s na lo-
la do Pavo, ra da Impertirte, n 00, de (ama i
Silva.
0 Pavo r-'de para luto.
Veade-se superior setim da China hienda toda
de laa sem lustre tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, capas, paletots, clcasele., pele
baratissimo preco de 90,2*200, 23500, e 33 o co-
vado, cassas pietas lisas, chitas pretas largas e
Grande lkjuidacao
Ra da Imperatriz a. O.
loja de fazendas do Pavo de (ama k Silva.
Acha-se este estabelecimento completamente sor-
tidode fazendas inglezas, frncezas, alleaies e
suissas, .proprias tanto para a piaca como para o
mato, prometiendo vender-fe mais barato do que da Imperatriz n. 00 : de Gama s >,iva-
em outrx qualquer parte principalmente sendo em JB' s O Pavao (a |paJUj.
porcao e de todas as fazendas do-se as amostras
deixandc bear penhor ou niandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavao.
As chitas (k Pavo.
Vcnden-se chitas inglezes claras e escuras pelo
barato pr-eco de 240, 200 <; 280 rs. o eovado, tintas
seguras;; ditas franrezas de (ores seguras 320,
340, 360, 400,440, 480 e 800 rs. o eovado, fazenda
muito superior e bonitos padres : s na loja do
Pavao.
As laazinhas da expeeifo do Pavo.
Venderc-se as laazinhas as mais modernas que
tem vindo ao mercado, propinas para vestidos e
soutembarques por serem lisas e de cores muito
delicadas 360-600 rs.: ditas lisas com un lus-
tre que parece seda 640 *s. o eovado, ditas ma-
tizadas 320, 400 e O r-s. o eovado, ditas com
quadrinhos de seda a 300 rs. o eovado, s para
acabar : na loja e armazem do Pavo de Gama &
Silva, ra da Imperatriz n. 00.
Os vestidos do Pavo
Vendem-se os mais modernos cortes de vestido
de la, qus vieram pelo ultimo vapor, com ricas
barras de cir, corpinho e coliete separado; ditos
com listas de seda e tambem com barras e entortes
para o corpa, por preco mais barato do que em ou-
ra qualquer parte, e se quizarem urna prova.do
que se diz, mandem ver loja e armazem do Pa-
vao, ra da Imperatriz, n. 60, de Gama & Silva.
.Os vestidos laria Pia. S o Pavo (8.000 rs.)
V-eodein-se s mais lindo? vestidos Marta Pia
deliiazinha transparente com lisias, e palminhas
de -seda pelo barato preco de 83000 cada corte :
s a loja de Pa.vao ra' da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
As cassas do Pavas a 210, 280, 309 220 e 3G0 rs.
& a Pavo vende as finissims cassas persianas
ataco de la, eom cores fxas, 60 rs. o eo-
vado ^ ditas frncezas muito finas a 240. 280,300
e 320 r& o cavado, kto para acabar : ra da Im-
peratriz, loja de Gama & Silva.
As percalas do Iav5-
As wai- lindas percalas que tem vlado ao mer-'
cado pelo ultimo vapor tem na loja do Pavao pelo
barato prei;o de 600 r. o eovado; ditas de listi-
nhas muito intudiDfaas proprias para vertidos e
roupoes de 6enhoras, meninos e meninas, pelo ba-
ratissimo preeo de 500 rs. o eovado, garantem-se
as cores por serem do melhor fabricante que as
tem em Pars : isto na loja do Pavo ra da im-
peratriz d. 60, de Gama & Silva.
Hramante de I jubo do Pavo a
.OO. JS.JOO. e'.tiOO.
Vndese o melhor bramante de linho puro com
ez palmos de largura por precs muito commodo.
par ter de acabar a factura, a vara por25200, 23 iOO
e 600, s o f avo : a ra da Imperatriz n. 60 de
Garaa & Silva.
Panno de limbo de Paro.
Veade-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lencoes e toalhas de mo pelo
baratissimo preco de 640, 720, e 800 ris, a vara,
algodozmbo com oito palmos de largura proprio
para lencoes pelo baratissimo preeo de 13 a vara,
assira como tem o melhor algodozinho tanto em
largura como em corpo, proprio para lences, ca-
misas 4e eseravo3 etc., etc. prego muito commodo
a vista da tabeada s o Pavo : a ra da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Ufedfeziihe ora taque de arara a .000
e 1,800
Vende-se peca de algodozinho por ler um. pe-
queno toque de avaria mas que est em bom esta-
do pelo barato preco de 43 e 43800 a peca s o
Pavo : a ra da "imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Os guardoapos economices do Pavo e s do
Pave.
Vendenxe os mats liados e modernos gnardaoa-
po econmicos e todo iioiio, tanto para casas de
famjia como para hoteis,botequins etc., etc., pelo
baratissimo preco de 33 a duzia, isto s no Pavo :
a ra da wperatriz c 60, de Gama & Silva.
No armazem de fazmdas ba-
ratas de Santos Codho ra
do Queimado n. 19
Veade-se o seguate:
ATTENgAO.
Ricas lazinlias para vestido, /azenda a melhor
que tem vindo-ao mercado, tanto em gosto como
em qualidade pelo baratissime preco de 560 rs.
o eovado.
Laazinhas miudinhas carmezins proprias para
vestidos de meninas e camisinhas a 640 rs. o co-
vado.
Cortes de Isa com lo covados pelo barato preeo
de 63.
Cobertas de chita da India a 23300 e 33-
Lences dejianno de linho a 23 e 23300.
Pecas de cambraia de forro com 8 1|2 vara a
3320).
Toalhas alcechoadas proprias para mos a o i
duzia.
Ricos cortes de la com barra a Mara Pia a
estreitas, manguitos, ularinhos, punhos e infeites .2S5.
n.6t, de Gama & Silva.
Os madapeJes do Paute.
Veade-se pega de madapolo infestado com 12
jardasada peca pelo barato preco de 43, 43500 e
53,-cada peca, fazenda muito superior, s o Pavo
a ra da Imperatriz n. 60, notando que a peca leva;
urna etiqueta com o Pavao pintado para nao haver
duvida nem engaos, isto previne o Pavao, de
Gama .& SiLva.
As ebltas do Pavo 400 e
$800 corte.
Vendem-se corles de liita com dez covados a
23400, ditos a23800 com doze covados sao chitas in-
glezas, mas padroes bonitos e tintas seguras assim
tem as melhores chitas frncezas e de tintas segu-
ras por precos cmodos a saber 320, 340,360, 400,
WO, 500, -neis o eovado : na loja do Pavo a ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os bordados do Pavao.
Vendem-se camisinhas com manguitos e golinhas
bordadas pelo barato preco de 13 e 13280 cada
um, manguitos s a 500 ris cada par, ditos com go-
linha a 80 ris, golinhas a 400 e 480 rs., de fil a
240 ris cada golinha bordada, romeira de cassa
e de fil muito bem bordadas a 23 cada urna, man-
guitos que servem para calcinita de meninas a
640 ris cada par, camisa com manguitos e golas
com a competente grvala de seda, fazenda fina
pelo barato preco de 33 e moitas oulras bordadas
que se venden) por preco muito em eonta : s na
loja do Pavo a ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva
As ronpas do Pavo.
Vende-se panno preto fino muito superior pelo
barato preco de 23, 2*500,33, 33500 e 4, dito
muito fino a 53 e 63 o eovado, casimira preta de
urna s largura e muita fina a 13800, 23, 23500 e.
33000 o eovado, cortes de casimira de cores a 55
53500 e 63, casimiras enfesladas jle urna s cor
proprias para calcas, paletots, coletos, capas e para
ronpas de meninos a 33,33500 o eovado, isto : na
loja do Pavo a ra da Imperatriz n. 60, de Gama
4 Silva.
Atoalhado do Pavao.
Vende se panno ae linho adamascado proprio pa-
ra toalhas de mesa, pelo diminpto preco de 2-3500
rs. a vara, guardanapos de linho a 55 rs. a duzia,
toalhas de mo a 55 rs. cada duzia, na loja do Pa-
1 vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
BalaU para meninas.
Lindos balaios de varios jostos para meninas
trazerem no braco : s se encontra na loja do Bci-
ja-llor, roa do Queimado ns. 63 e 69.
Extracto* c salmo em cixnhas*
Lindas caixinhas com um carto com a familia
, a 13100 avara.
Esteira da India propria para forro de sala de
4, 5 e 6 palmos de largura por menos preco que em oulra qualquer parle.
Neste armaaem tambem se encontrar um gran-
de sortimento de roupas feitas e por medida.
53-as u a o o n rr-<.as P p o

5. -.
e
o a.
cp
en
g g-g-c-S 5 8-g a S
sS-go.sgg-g.s

g.g.8

u
te as Q
. O O
< o cr
e>|
a
o
. O B
-s
~ en
;
5~ v o c- w o
pe
g i 3 r- B
fe 2 S
5 g
i!S^iJ#ir&Kllis
B g. o g
- O CD V
Q""' S o.
_ 0.0
3 p-'
o.'
05 _
i
O
a
03
p

&- =
3
a>
oq 2
a?c3 ~
-1 oj
a. 9
-O w o
f S n
u K
O
H
3
2 B O o
o 53*r
__
?|
AW1KI5A
O Vigilante est alert, nao Ihe era permettido
deuar passar desapercibido sem que nao dsse o
seu canto aflm de annonciar ao respeitavel publico
o grande sortimento degalantarias do melhor gosto
propriamente para qualquer mimo, que acaba de
chegar neste ultimo paqnete, assim como muitos
outros objectos qne recebe por diversos navios,
tanto de sua cont como de consignacao, que esta
resolvido a vender por precos muito baratos para
vender muito e ganhar poco, e dar extraccao ao
grande deposito que tem, que espera merecer a
proteccao do respeitavel publico, empregando para
isso todas e as melhores diligencias para que fi-
Juera satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, ra
o Crespo n. 7.
Ricas perta-joias.
Cofre de muito gosto'por I63OOO
Cestinhas transparentes, forradas de madre-
perola por 183000
Lindas jardineiras 103000
Ricos cofres com camapheu 105000
Lindas caixinhas com pedras brancas 105000
Lindo balo com calunga dentro tambem
para joias 163000
Tambalier para ditas 95000
Cestinhas idem idem 65000
Cosmorama idem idem 65000
Urnazinha 65000
S no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sintos
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e 155, ditos sem
bolea, porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35500
e 45, ricas fivelas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 :
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabaies on cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 25500, 35500, 4, 5, 7 e 10* : s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Penles.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alisar como para atar cabello, o mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sem elle para meninas : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Pentes
Tambero chegaram os riquissimos pentes de
concha de tartaruga e de massa lina, que se vende
por 25, 3 e 55 : s no Vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Leqoes.
Riquissimos leques de madreperola, tanto para
senhora como para mocinhas, pelo barato preco de
12 e 145 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Mais leques.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ba-
rato preco, a 85 e 105, chinezes, muito bonitos,
tambem por barato prego de 4 e 55, bentarallas
muito bonitas tambem por barato preco de 4 e 55,
leques de charo tambem por 45, tudo isto para
acabar, perdendo.se taivez 80 0(0 : s no Vigilan-
te, rpa do Crespo n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de contas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto a 13 e 15200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as Iiguinhas estreitinhas de
borracha que as senhoras tanto precisam para se-
gurar os manguitos por ser muito commodo e mui-
to barato, a 320 o par: s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
, Carretas.
Riquissimas arretas de madreperola proprias
para qualquer presente,, pelo baratissimo preco de
15500e25. v
Volliufcas.
Lindas voltiohas deperolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avulsas
e voltinhas, ipelo barato preco de 15 e 15200, as
cruzes avulsas a 400 rj. : so no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Sapanhos e meias de seda.
Riquissimos sapanhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorra-
zinhas e touquinhas para as crianembas se bapti-
sarem : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e 35 : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Eofeiies para senhora.
Riquissimos enfeites oom laco e sem lago e de
outros muitos .gostos a 43, 15500 e 3 : s no Vi-
gialnte, ra io Crespo n. 7.
Trawlins.
Lindos tranoelins de-cabello para relogie ou lu-
netas, pelo baratissimo preco de 15500, ditos de
relroz a 200 rs.
B;t b idiiiliss entremetes.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
preco de 15200, 15500, 5 e 35 : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrinas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites : s no Vigilante, ra do Cres-
pa n. 7.
Fitas.
VKKIIAIIEIKO P1\C IPAIi
Ordein do dia.
Est cm discusso a tabella dos pregos que o BALIZA tem a bonra de ofere-
cer ao respeitavel publico tanto da cidade cono do centro.
Se por esta publicarla qualquer um dos nobres collegas entender necessarie
fazer alguma alteracao em seus anriuncios, digne-se mandara sua emenda para o jornal,
que o incansavel Baliza n5o lhe pora peias nem o embancar de forma alguma a benefi-
ciar o povo.
Amigo de vender barato o Baliza nao expe a venda senao os gneros bons.
Elle se julga no caso de vender tao mdicamente como oulro cao o exceder


Soldado soprador toma o clarim
E firme como a rocha fica assim
Nao toques nesse pessimo instrumento
Do Ba&a ollia s o moviraento.
i ta que dos mitrados tensascoras
De tudo vendedor de propria eonta
Xo pasmes vendo como sobranceiro
Do regresso o Daiisa a ira al irona.
abaixar seus presos,
ste genero, entre pipas,
Lingoas americanas muilo novase muito gran-
des a l.ooo rs. onda urna.
Linguicaspromptasem latas a l,ooo cada teta.
Manteiga ingle/.a flor a 800 rs. a libra nestt
genero ha mais de 10 baris abertos afim de
serem satifeilos os compradores.
dem menos superior a Co rs.
Manteiga ingleza a ouo, ioo e 32o rs. a libra.
O grande depesiio que temos de vinho nos obliga a
achando-se vista dos compradores cerca de 35" a 40 pipas desk
barris e ancoretas.
Amendoas confeitadas em lindos frascos a 800
rs. a libra
dem com casca a 32o rs. a libra.
Ameixas frncezas em caixinhas e frascos a
l.oo, i,5oo e 2,ooo rs.
Alpista a IGo rs. a libra e 4,6oo a arroba.
Arroz do Maranho, Java e do Penedo a 80,
loo e 12o rs. a libra, em arroba a2,ooo,
2 800 e 3 2oo. Idem franceza a iiCo, Goo e 64o rs. e emhar
Azeite doce refinado a 800 e loo rs. a gar- ril por menos.
rafa_ Mas* de tomate a Go rs. a libra,
dem idem em barril a 64o rs. a garrafa e. Marmelada dos melhores fabricantes a 64o
4,800 rs. a caada. rs. a libra.
Ancoras com vinho do Porto, encommenda' Mullios inglezes a 4ooc6io rs. a garrafinha,
feita pelo proprictario do Baliza a 3o,ooo Mostarda preparada a 4oo c 64o rs. o frasco.
rs. a ancora com 7o garrafas. Massas para sopa a loo rs. a libra das de ta-
Ancoreta americana com seis garrafas de! lharim, aletria e mararro.
vinho Figueira a 3,ooo rs. dem finas estrellinha epevide a 3,ooo r D
Bolaxinhas de Lisboa, ingleza e americanas! caixa.
em latas a I.4oo, i,ouo, 2,000 c 3,ooors. Milhomiudo para passaros a 16o rs. a nora
c americanas em barricas a 3,ooo rs. a e 4.8oo a arroba.
barrica. Marrasquino de zara do verdadeiro a l,5iooo
Boioes com 10 garrafas de azeite
Grande sortimento de fitas de diversas larguras
e qualidade, por precos que admiram aos compra-
doce de
Lisboa a 5,ooe rs.
Banha de porco a 4oo rs. a libra e em barril,
a 36o rs.
Batatas em gigos a 1,000 o gigo.
Cha perola a 3,000 W. a libra,
dem uxim a 2,6oo e 2,800 a libra,
dem hysson a 2,ooo, 2,4oo e 2,800. a libra,
dem do Rio a 1,600 rs. a libra,
dem preto a i.Soo e 2,000 rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
ajtio de Janeiro a 800 rs. e l.Soo, 2,ooo,
2,4oo, 3,ooo, 3,ooo, 4,000 e 0,000 ra. o
cento.
Chocolate dos melhores fabricantes de Paris,
Allemanha, Hamburgo e Lisboa
Copos lapidados para vinho a 2,800 a duzia.
dem idem para agua a 0,000, o,5oo e 6,000
rs. a duzia
Cerveja das melhores marcas a 4,000, 5,000
e 6,000 rs. a duzia.
Cravo canella e cominhos.
Ceblas em molhos resteas e soltas.
Conservas inglezas a 800, 9oo e 1,00o rs. o
frasco.
Dittas frncezas a 000 e 64o rs. o frasco.
Cognac inglez e francez a l,ooo rs. a garrafa.
Caf de 1.a, 2.a e 3 a qualidade a 8000 9,ooo
e 9,?>oo rs.
Cevadinba de Franca a 24o rs. a libra.
Champagne de muito boa qualidade a 12,ooo
e 2o,ooo rs. a duzia.
Doces da casca da goiaba em latas preparadas
com muito aceio, propria para memoziar
algum amigo na Europa, por ser inaltera-
vel por mais de um anno, a 3,ooo rs. a lata
com 7 libras.
JDittos em caixoes a 060, Go, 800 e l,ooo
rs. o caixo.
cr
tu
s

Empreza gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamacoes
(por eseripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem da ra do Imperador
n. 31. Os machinistas mandados para attndera
estas, apresentaro um livro qne os reclamantes
devero assignar loco depois de prompto o servico ,
reclamado ; isto para que a empreza fiqne sciente j le/,r. m co.m. os g-andes copo,s de b^nh,alaP0-
de haverem os mesmos senhores sido devidamen- n!a **?*#; ssim como outros oMaefaa que
nao possivel por hoje annunciar, e a vista dos
freguezes se far todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
dores, havendo litas largas proprias para sinteiros
que se pode vender a 300 rs. a vara, c peca de 3
varae a i& : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Fitas de la.
Fitae de lia de todas as qnalidades, proprias para
debrum de vestido a 700 rs a peca : s no Vigi-
lante, roa do Crespo n. 7.
Ricos espelhos,
Riquissimos espelhos com moldura donrada e
sem ella de 85, 10,12 e 145, assim como cora co-
lumnas de differentes lmannos a 25, 3, V, e (5:
s no Vigilante,rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui
tem apparecido : s no Vigilante.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com noneca para pos de ar-
roz, cousa de muito gosto a lo00 e &, assim co-
mo pacoles s com os pos a 320 rs. cada um : s
no Vig.lanle, ra do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como os lindos copos en vasos com dis-
tinclivos e offerecimentos s sinhazinbas, dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Ingla-
te attendidos.
Hea da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston A C,
sellins e silh5es inglezes, candieiros e casti-
imperial, e dentro d cada caixa um frasco ou sa-. Caes broozeados, lonas inglezas, fio de vela.
bao o mais fino qne possivel: na loja o Beija- chicotes para carros e montara, arreios para
flor, roa do Queimado ns.63e69._____________ [eaiTos de um e dous cavallos, erelogiosde
Vndese o sitio da travessa dos Remedios ouro patente inglez.
frcgueza dos Afogados, n. 21 : quem o pretender, .----------------------------_--------------------------------
entendase com o spu proprietarlo Caelano Pinto j Charutos da Ilavana.
de Vera, na rea de S. Francisco, sobrado n. 10,! Vende-se superiores charutos da Havana em ea-
como quem vai para a ra Bella. seda Rabe Schmellau & C.: ra da Cadeia n. 18.
Farinha de mandioca superior
em saceos grandes : vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, no seu escriptorio ra da Cruz
numero 1.
A Henean.
Vendem-3e tenas e lijlos pelos precos que offe-
reccrem os compradores, sendo dinhoiro vista :
as otarias de Jos Carneiro da Cunha, ra dos
Prazeres nos Coelho?.
Ervilhas portuguezas em latas com i */ li-
bras por 7oo rs.
dem frncezas em latas a 5oo rs.
dem seccas a 2oo rs. a libra.
Espermaceteamericano primeira qualidade a
L2oo rs. a libra,
dem francez a 060 rs. a libra, e em caixas
a 52o rs.
Farinha d'araruta verdadeira a 18o rs. a libra.
Farinha de trigo a 12o, 14o e 16o rs a libra.
Farinha de milito a 16o rs. a libra.
Figos em caixinhas e em latas lindanmente
enfeitadas a 800 e 1,000 cada um.
Fumo americano em latas para cigarros a
1,800 rs.
dem em pacotes a 2oo rs.
dem em pasta a 1,2oo rs. a libra.
Genebra de laranja o 1,00o rs. o frasco,
dem ingleza marca Gato a 1,00o rs. a garrafa,
dem de Hollanda a 64o e I,6oors o frasco
pequeo e grande,
dem de Hamburgo, a 060 rs. o frasco e 6,000
rs. a frasqueira.
Graixa em latas a 1,200 rs. a duzia.
Limonadas de diversas fructasa 1,000 rs. a
garrafa.
Licores, inglezes e francezes a 1,000, i.5oo
e 2,ooo rs. garrafas grandes e pequeas.
fiasco.
dem menos superior a 800 e l,ooo rs. o
frasco.
Nozes a 2o r?, a libra.
Prez unto poriuguez de superior qualidade a
64o rs. a libra e inteiro por 000 rs.
dem inglez para fiambre a 64o rs. a libra,
nao agradando mesmo depois de preparado,
poder sor devolvidu, que se trocar por
ouUO ou ser restituido seu importe.
Passas novas a 4oo rs. a libra.
Polvo a 16o rs. a libra.
Pamco a IGo rs. a libra.
Pomada a 2io rs. a duzia.
Pimenta do reino a 36o rs. a libra-
Peras seccas a 64o rs. a libra.
Peixe cm latas a l,ooors. a ala.
Papel almasso e de peso, de diversas fina-
lidades e precos deferentes.
Palitos do gaz a 2,2oo a groza.
dem para dentes a 80,1 (5o e 24o rs. o ma-
co com vintc macinhos.
Gtteijos flamengos a 2,6oo, do ultimo vapor
dem prato a 64o rs. a libra.
dem londrino a 800 rs. a libra.
Bap Meuron a l.ooo rs. a libra.
Saceos com milito muita novo com 2o cuias
a 3,Soo e a 2oo rs. a ctiia.
Sevadinha a 24o rs. a libra, ( nova).
Sag a 28o rs. a libra.
Sardinhas do Nantes a 6io, 56o e 36o 1 a
lata.
Sablo massa a 12o, 19o, 2oo e 24o rs. i- -
bra.
e em caixes por muito menos.
Sai refinada a 600 rs. o pote de vidro.
Toucinho de Lisboa, de Santos e americana-
a IGo, 24o e 32o rs. a libra, e emanoba
a 5,ooo, 7,000 e 9,ooo rs.
tijollo para limpsr facas a 16o rs. cada um.
Vinho do Poi>to em caadas a 3,Soo, 4.000 e-
0,000 rs. e em ancoras com 7o garrafas por
3o,ooo rs.
dem de Lisboa sem confeiceo, (de encomen-
da) por 5o,ooo rs. o barril com 17 cana-
das.
dem de Lisboa mais baixo a 45,ooo rs.
dem em pipas a 3,ooo, 3,5oo e 4,ooo rs. a
caada,
dem em barril de Bordeaux com 13o gar*
rafas por 00,000 rs.
dem idem de Bordeaux com 70 garrafas por
3o,ooo
dem em caixas por 5,ooo rs. a caixa com 42-
garrafas da melhor qualidade que vem ao
nosso mercado.
Vinho branco para missa de Lisboa e Porto
em pipa, barril e ancoras a 4,000 e S.ooo
rs. a caada.
Vinagre de Lisboa, Porto, tinto e branco a
1,600 e 2,ooo rs. a caada
dem em. ancoras por 6,000 rs.
Velas estearlinas a 56o. rs. o maro, c em cai-
xas 52o rs.
Vassouras americanas a 64o rs. urna.
At que ehegon
um grande sortimento de bico e renda preta de
novo modelo chamado fgnip) o melhor qne se
pode desojar nesle artigo e qne se vende muilo ba-
rato : na !oia do gallo vigilante ra de Crespo
n. 7.
As verdadeiras brides "de
Ipojuca,
Vende-se na ra do Queimado n. 3f, loja de er-
ragens|de Azevedo t IrmSo.



m
~ Ter?a leira Mi de Agosto de 1
GRANDE ALUANCA
57 RA DO IMPERADOR 57
NEM C0R0A8 NEM MITRAS
DE
Paulo Ferreira da Silva- S Companhia
Grande sortimehto de molhados em grosso e a retaiho. nico armazem que mais
vantagens efferece ao publico. ?
Desengenle todos.
n i
K
K
K O
J o

Al llamea o verdadeiro homem do progressso.
Alllasea o verdadeiro e principal armazn, de molhados.
Alllanea o armazem que vende mais barato.
Alllanea armazem que vende os ndoros generosr -'
Alllanea o armazem onde preside O'melhor aceio.
I


Fiquem lodos sabedores desta verdade,
Venham todos ra do Imperador a. %1.
Venham ver os gneros que temos expestos a venda.
PAHA AS FUSTAS
S. JOAO E S. PEDRO.
Amendoas confeitadas de bonitas cor IHem deWoflanda em garraoes com 24 gar-
8oo rs. a libra. rafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
dem de casca muito nova a 3oo rs. a libra. Lentilhas escolente legume para sopa e gui-
Avelas a 2oo rs. a libra. zados a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de toda* as qualidades a
estampas a l,2oo, l,4oo e i,6oo rs. cada 8oool,ooo rs. as garrafas grandes.
urna. Manteiga inglesa perfpilwaate flor a 8oo
dem em frasco de vidro com rolha do mes- e 9fio rs. a libra.
mo ou de metal, a l,2oo e i,4oo rs. cada dem-franceza nova j deste aneo a 6oo rs.
m* a libra, e 58o rs. em bawk inteiros.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada Marraelada especial dos melbores- fabrican-
um- I tas do- Lisboa a Ooo e 64o rs. a> libra, ba
dem em latas de i y2 e 3 libras a 1,200 e' latas d diferentes tamanhos.
2,ooo rs. 'Masa de tomate era latas de 1 libra a 56o
Arroz da India e Maranho o melbor que se rs. cada-urna.
pode desejar a loo e 12o rs a libra el dem para soda estrellinha, pevideerodinha
2,8oo a 3,4ob rs. a arroba. em caixinhas sorlidasa3,ooo3,5oo rs.cada
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e urna e 5oo rs. a libra.
a
CSiftMIlE
ARMAZElf
DE

NOVA EXPOSICiO DE GNEROS
NO
armazejh
PRINCIPAL


be





.-
TX. RA DO CRESPO If. 9
Esquina qae volla para a rna d Imperador
i! *+ prov^el quejiao soja bem aceito a verdade, quando a boa f Ha tn a
S^^L^*^ de. *~ ios ^ 'corneta, tambor^^S "
NA
RA DO IMPERADOR \. 40
Jaita m sebrado eni qae mera o Sr. Osboi ne,
Para a festa de Santo Antonio/S. Joao e S. Pedro.
finarte Uncida ., reeeberam de aua propria ru< ouiuieu ItraSj etc" ^ue todo dia enchenfas paginas deste jorna.
ZS&ZSSr**- "'""< olEadoa, proprlW llKltTl
! ir n. I O-anouKuotes nao tem em vista seno, gamlkm ao rmm~*-*jL
MaPAA hranfa sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para s SS3E2K5 .
assentarem fortunas a forcada regra de liga como outros 55SSTO2^
PAMA TOOS
tambores, coras, mi-
I Figoeira J A A e ootrtfi murtas marcas acre-
4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e lo,ooo rs. a
caixacom I duzia.
Alfazema muito nova e Hmpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o rs. a libra e 4,6oo rs. a ar-
roba
Bolacbinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: agua e
sal doces,.e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e de 3 Va libras a l,5oo rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinbas
torna-se muilo recommondavel com espe-
cialidade para os doentes.
Biscoitos e Bolachinbas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Boios francezes em caribes e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 16o rs. a libra.
Bolachinbas inglezas intimamente desembar-
cadas
rica.
a io rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
-Cbampagne das marcas mais superiores que
at buje lem viudo no nosso mercado a
!8,ooo rs. o gigo e I,ooo rs". a garrafa
inteira, c 8oo rs. ;is meias.
Ci uxim o mellior ijue se pode desejar, e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,_7oo rs. a libra.
dem perola de'espacial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
d"este cha.
dem hysson o mellior que possivel encon-
trar-se a 2,4oo e 2,Goo rs. a libra.
dem do Bio cm latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2oo e l,4oo rs. a libra.
dem preto muilo fino a l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melbores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a l,ooo, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Por-
tado de Simas em \!i caixas das seguin-
tes marcas: Parisienses, Suspiros, Dili-
cias, Napoleoes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muitos fabricantes c de dif-
ferentes marcas para 1,3oo rs. as meias
caixas, de suspiros a l,6oo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o fraseo.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac mglez das melbores marcas a I,ooo
rs. a garrafa e lo,ooo rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 8oo rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
I lominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Gravo da India a Goo rs. a libra.
Canellaa l,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
ioo rs. cada um. >
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,8oo e 9,3oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 6oo rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata,
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muilo bem enfeitadas a
l.ooo rs. cada urna,
dem em l?las ermiticamente lacradas a
l,5oo e2,.">oo rs. cada urna,
dem em caixas de '/* arroba a 2,too rs.
cada lira, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e I,ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,ooo rs. e 560 rs. o frasco
Mem de laranja a
dem macarrao, talharim ealetria a 4oo rs. a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oa
rs. cada um
Molho inglez em garrafionas eem rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinbo verdadeiro de Za l.ooo'a dja -
agaerafa, loiooo rs. a caom 1 usi.xrc a
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Prezuoto-de fiambre superior a 600 e 800
rs.
dem do Porto para panel la a Bao rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas,
oulroea- l.ooo rs. a latas.
Palitos para dentes a 14o c a 16o rs. o mas-
so dos melhores.
Painoo oiraais novo-e limpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do'gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia. e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor., a 3,000
dem prato muito fresco a 800 e 9oo rs. ai
libra;
dem suisso a mellior qualidade que at ho-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs, 1
cada um.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
dujiia, e 56o rs, a garrafa.
Sardinba de Lisboa e Nantes em quartos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muilo nove e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo ns. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
roba.
Traques de 1.a qualidade a 9,5oo rs. a cai-
xa, e 24o rs. a caria.
Toucinhoadro de Liiba a 24o
libra.
da presente estaeao.
Manteiga ingleza laeas brancas
da safra nova vinda tale vapor de l de para sopa a melhor que se pode desejar,
mio a86 rs. a libra. macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
flnntelga franceza libra e 45500 a caixa.
da safra nova a NOts. aliDra, e em barM! Yinhl
a 500 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimaa cores a 800 rs. a
libra.
Ameixa
em frascos de vidro com 3 libras liquido
2)5400, muito propios para mimos.
Cartees
com bolos francezes a 300 rs. cada um.
Latas
com bolartiinhas de soda de todas as qua-
lidades a 10380.
(jmmUfo
de todas as qaaiidades a ifdOO a libra.
Presunto mgleze
dos melbores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos-para 500 rs.
Qneijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 256oo.
tne1|os
chegados no ultimo vapor a 2560O cada um. ca& 4iS500 a fi500 a duzia.
. JP*# ,, C-ARUTOS
l0rr!li0 ISL2?8. Si* efp.eLrar i Owratos Thom Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a 1($500.
Arroz
dHdas a.KOO'rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de ootras marcas a 400 rs. a garrafa, e
24800 a caada. .
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da clade do Porto alje 1)5200
a garrafa e cas so as seguimos: Chamisso Filho,
F. & M:, Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do fiooro e outros muito.
latas
com 10 libras df banha a 44000.
Bolachinha ingleza
a 1)5800 a barrica da mesma que
vendem. a 2^000 o 2^400.
Nozes
as mais nonts do mercado a ISOf** M bra.
I Cervejas
dos melhores fabricantes|o de todas as mai
te-se
comprador.
No armazemprincipal vende-se a todos pelos precos marcados
e arroba, hesf
W nao. saje do agado do
! bella, mas nao se vende por too "o"^ .KSI^Eff^
as qualidades dos gneros trocando-se lodo aques n.^T *T**.

do Maranho a 100 rs. a libra.
r. n a
ar-
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sondo inteiro e a 900 r% a retalbo.
Conservas inglezas
pescadialia e as mais novas que se pode esperar a 760 rs. I
o frasco.
Cha
a 80 rs. a libra, e 2;?500 a 3;$000 a
roba desses que vendem por 3)5400.
CAF
Amendoas confeitadas de diversas cores a
64o rs. a libra,
dem de casca dora 2* rs. a libra,
dem de casca mel a 32o r. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas, a l,foo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs.
dem em fraseos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 '/s libra a l.loo rs.
Arroz do MaranhSo e da India o melhor que
ha neste genero de 80 a loo rs, a libra, e
de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
Azeite doce de. Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada,
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema nniito nova e limpa a 32o rs. a
libra.
Azeitonas muito novas a 2.000 rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14o rs. a libra, o 4,4oo rs. a
arroba.
Bolacbinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades, em latas
de 6 e de 3 libras a 3,000 e l,5oo rs. a
lata, e 64o rs. a libra.
e da India | dem ingleza em latas de 2 e de 4 libras
uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3 a 2)5600.
I lena perola
especial qualidade a 2#700 rs: a libra.
Mem hysson 1
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
talharim e aletria
Ciarrafdea
\ com 4 '/i garrafas com vinagre a 1 000 con
o garrafo.
GENEBIU DE LARANJA
verdadeira a 1,5000 o frasco, e de 11 5000
I a caixa.
DEM
em frasqueiras de Ilollanda a u800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada
urna,
para sopa, macarrSo, talharim e aletria a PALITOS
480 rs. a libra. I os rerdadeirospalitos do gaz a 2,2oo a groza
(OtVK e 2o rs. cada caixiolia.
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas qualida- finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
des a l.ooo e 800 rs. a garrafa. com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
copo MnrTYiAlqflfl
lapidados para agua a 4,5oo e 5,-oeo rs. ^wu k 7 ...
duzia, e a 440 e Soe-rs. cada um. 1dos meU,A/e6 fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e oulros muitos a 600 rs. a
PAP1X libra.
e -&n r-? n ,.aIm.a reve Peso e de>outras muitas qua- PrP/iiiitn
e 32o rs. a ll(]ades de 2 2 ^^ % ^^ i n e/UntO
T-n,n F \ Ihor. Io >erdadero prezunto de Lamego a 52o rs.
Tyolo para limpar facas a 5o rs. cada um. ,_, j k^,f a libra.
Vinbo em pipa Porto. Lisboa e Figueira das
melhores| maircas a 3^8oo rs. a caada, e
5oo rs. a garrafa.
gar-
Idem;dO' Porto Lisboa e Figuera de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa,
2,8oors. a cacada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando cora-
compofiifo a 56o rs. a garrafa, e 4,000
rs a caada.
dem Uranco.de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada.
dem.mais baixo a 4oo rs. agarrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Boceaux emcaixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1.2oo rs. a garrafa, ga-
raate*se: que por esto mesmo preco d
prejuho e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em 'caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e lo,ooo
rs. a caixa e 9oo e i,000 rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a 1,00o rs. a garra-
fa, e lo.ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.'
dem* gprraBes com 5 garrafas a 1.000
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porta de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
i dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
Papel de botica
de excellente quabdadea 9*80 a resma, (MarannJ?0> Java e gg tQQ ,.s Ijbra fi
,,i n ,.,in 1, n j de 3'000' a 3'2o rs- a arroba,
azul e pardo para embrulbode l,4oo a 2,2oo VELAS
rs. a resma. ^ espermacete de diversas marcas a 56o rs.
GrintlliaS a llbra e em caix tr abaUmento.
passas corinthias,muito novas propiias para A YELAS
podimra 800 rs. a libra, H8 carBauba ** caxs de arroba a 9,3oo e
,]TTlv cs"a e 3*e rs. a libra.
americano em chapa a
Batatas dotas
em caixas de 2 arrobas a 5,5 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passts biiio novas
o verdadeiro fumo
l,4oo rs. a libra
Vina,Te
PRRem ancorelasde Ornadas a 15,ooo ifcl'TSfiaaS!?! **"* m
cada urna. u 1^ '
Oe bollas portugnez o mais especial que se pode de-
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa ^J31"a ^ rs- a 'ihra e 140 rs. o pao.
e l,ooo rs. o mol lio. Frutas em calda
Alista e PaiTICO chegadas uKimamente, pera, pecego, ginja e
n mQ;c Z?A Tt" ou,ros "W'tos a 040 rs. a lata.
iiS?8 do rrcado a {i0 rs-a ubra- Dscc da f 3""ba
6 4,5400 a arroba. a 600 e 1^ o caixe.
frO(r,Sflpr0-prie,ari0S (1I0,.grande armazem o Verdadeiro Principal declarara aos seus
SE ami08 e ao Pub,^ em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
Unio e Commercio roa do Qaeieado n. 7
VenIadir Principal ra do Imperador n. 40

FltUCTAS
ma^Aa, pera u iva
I.ooo rs. os frascos gran-! cada urna.
Il,ooo rs. a caixa com 12 frascos. Velas de espermacete superiores a 56o rs.
botijas a 4oo rs. cada
dem de Hollanda em
urna,
dem em garraoes de 16 garrafas a 4,8oo
r. cora o garrafo.
e 52o em caixa.
a libra,
dem de carnauba refinada e de composico
a 36o rs. a libra, e de lo,ooo a H.ooors.
a arroba.
chegadas neste ultimo vapor, vende-se nos seguintes lugares: Ra do Imperador n
40, Verdadeiro Principal-Rua do Qocimado n. 7, Unio e Commercio,
RA DO QUEIMADO NUMERO 11
Lo ja de fazendas d? Auyusto Frederia dos Santo* Pwta.
20J
Liadas chapel loas e chapeos para sen horas.
Chegaram a este estaljeleeimento as mais modernas chaiielinas e chapeos para senhor
Superiores mies de laa do barra de 10$ a 20$.
,-s's suPcriores capas e soutembarjMes de seda preta ecasemira de cores para senboras de
Excellentfs laas para vestido a 320, 500, 560 e 600 rs. o covadp.
Lassas o organdys de cores a 240 e 320 rs. o covado.
Os melhures tapetes payt sof com riquissimos desenhos.
Lencos de camhraia de linho e fil bordados a i& cada um. p '
Superiores casem i res mese todas de diversos gostos tantoem pac>6 como em cortes.
E outras muitas fazendas como sej.im: pereallos flnlssimas, brolanjias, silecias, esfiniao, silis-
inna preta muito fina, cantao para vestidos de luto, grosdeoaple de bonitas cores e as superiores
Estclras para salas.
As pessoas que pretenderem Torrar suas salas ou gabinete?, ertcontrarao neste estabelocimento
K'-ihor aqualidade de esleirs de todas as larguras c pelo mai.s mdico preco,
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor-
deaux, differentes qualidades, mais barato que em
qualquer parte : no armazem de E. A. Burle A
t, ra da Cruz n. 48. *
Venste-se urna taberna a berta ha poueos dias
por causa de haver desavengas com um dos socios
a ruado Jasmira, atraz de S. Goncalo, com os
gneros a vontade do comprador : a tratar com
Antonio do Bego aWekoa, em Santo Amaro, coa-
fronte ao chafariz. No mesmo se vnde urna ca-
noa de carreira propria para familia.
Vinho do Porto superior
dm caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
per Antonio Luiz do Oliveira Azevcdo & C, no seo
escrptoro ra da Cruz n. i.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira qualidade a
10$ a lata : nos armazens da ra do Im-
perador n. 16 e ruado Trapiche Novo n. 8.
das melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs.
a lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra c
em barril a 36o rs.
Batatas em caixas de 2 e de i arrobas a
l.loo rs. a arroba.
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e Ooo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possive! a 2,7oo rs. a li-
bra.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a libra.
dem hysson o melhr.r que ba neste genero
a 2,ooo, 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a l,3oo
rs. a libra.
dem preto homeopathico 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, suisso e hespanhol a
l.ooo, l,2ooel,4oo rs. a libra.
;Charutos do afamado fabricante Jos Fua-
do de Simas e oulros da Rahia como se-
jam Regala, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l,6oo, 2,ooo,3,ooo e
4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a "oo rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a 50o rs.
Cognac inglez e francez a l,ooo rs. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a l,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.8oo,
o,ooo e 5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,5oo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,ooo a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba a 6oo rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos era caixinhas bem enfeitadas a Ooo rs.
cada urna.
Graixa nova a loo rs. a lata, l,loors. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs. cada urna,
dem em garraoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a l.ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a I,ooo rs. o fras-
co, e H,ooo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch VVasser. exceueate bebida Suissa a
l,8oors. a garrafa.
Lentimas muito novas excellente leiume na-
ra sopa a 2oo rs. jifera. l
Manteiga ingleza peritamente flor a8oo rs.
a ttbra, e desnessesario mais elogios, nes-
te genero que s se pode verificar com a
VlSld.
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
ou meios a 5oo rs. "111
Marmellada do 1.fabricante de Lisboa a 600
rs. a libra, ba latas de 1,1 A eVlibV
Maga de lmate eoHatas d SjffE
bras, a 600 rs. a libra.
dem para sopa estrellinha, pevide, rodinha,
etc. a 3,5oo rs. a caixa e 060 rs. a libra
Macarrao, talharim e aletria a oo rs a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a loo rs. o fras-
Idem ingleza em p a 61o rs. o frasco.
Molho mglez em garranhas com rolha de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrascbino verdadeiro de Zara a l,ooo rs.
a garrafa, e lo,ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a la la
6,5oo rs. a caixa.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
segrales qualidades, sabe!, corvina, go-
rfe, cavallinha e poscada a i,000 rs. la-
ta.
Palitos para dentes fichadas a lo rs. o ma-
co de 20 macinhos.
dem do gaz a 2oo rs. a duzia, e 2,100 rs
a libra, e
i,5oo
a groza.
Painco muito novo a 16o rs.
rs. a arroba.
Qneijos flamengos do ultimo vapor.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra e
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em poles de 'vidro a 3oo rs. ca-
da um.
Sardinbas de Lisboa e de Nantes a 60 rs
a meia lata, e 4oo rs. o quarlo.
Sag mn.to novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sardinba de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loors.alibra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 3oors a libra
Tijolospara limpar facas a 15o rs. cada um".
Vinho em pipa. Porto, Lisboa e Figuera das
marcas menos conbecidas a 4oo rs a car-
rafa, e a 2,8oo rs. a caada.
dem i igueira especialmente escolnido neste
lugar a 600 rs. a garrafa, e 4.3oo a caada.
dem Lavradio. Colares muito fresco sem
composirao a 6oors. agarrafa, e 4,000 rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a 56o rs
e a 4,5oo a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a
fa.
dem engarrafados generosos, Lagrimas do
Douro, Duque do Porlo, D. Luiz I, D. Pe-
dro \, Nctar, velho secco, Malmia, o
genuino particular de Ooo al,oo rs. a gar-
rawe a lo#ooo rs. a caixa com urna duzia.
dem Madetrajegilimo a l,2oo rs. a garrafa,
ea 12,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a loo rs. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marcas St.
Jnlien St. Esteph, chteau la Roze.chatau
Margoux e outros a 6,000 rs, a caixa e 56o
rs. a garrafa.
Vermoulh a melhor bebida estomacal a 2,000
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa o Meo
rs. a caada,
dem em garrafdes com 5 garrafas a t.ooo rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
dem de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada urna.
Vcllas do espermacece superiores a 56o rs.
a libra, e sendo em caixa a 52o rs.
Mem de carnauba Simada-e de composiclo
a 36o rs.
arroba.
a garrafa,
garra-
a libra, e lo,5oo e H.ooo rs. a
Machinas para descargar
algodao dos mais acreditados
fabricantes: na nidi<#o do
Boraann, ra do Brum n. 38.1
w fi"
o O
m
i 3
8 M
f* P
INJECCAO e CAPSULAS
VEGETAES ao MTICOS
GRIMAULT E C'_A PHARMACEUTICOS EM PARTS
Noo trttam!!tpr*w*do rom M ft.li... e ilev.rr.rc do Per,p,ra a ir. rldetofalUpel
da booorrhea ton receto algum da contraecio do canal ou da inflammaco daa nteatinua. O celebra
doutor Rirvrd, de Pars, ter renonciade, desde ana apparicSo
Emprega-se iajec^m na comco do fluxo. as capsulas em
ao emprge de qualquer oon> traUmaato.
todos os casos coronices e imrateradot, que
aps
i *s prepareetes do copaku, cubeba e s ln}eccoes com base metaHca"
OepsHo geral: em Pans, em casa de mil. Grlmault e c, pharmareuUeos, 7, ma de la FulIIadei
en Luboa, e-AK..tiak. 4a c-crih jnior no Perla, mri jnAMMI'm
reir; em o Kto-de-Janexro, 6eatM, 10, rna S. Pedr; em Bahia, jo.-cr- rerrrtr-E.iii-
heira; em Jho-Craai, Mabita *t> c.d.y, em Maranho, Ferrara c; n Pmruamlmm,
Sha um e c, ma da Crus. 22 jBansa, e as prlncipaes pharmaclas do Brasil.
Deposito geral em Pemambuce ra da Cruz n. 22 de emcasaCaros & Barbo.
Vende-se urna, taberna com poueos foidos, |
proj)ra para principiante, e tem muitos commodos i
para familia, e no melhor lugar de commercio, na '
ra Direita dos Afogados, e vende tanto para o
mato como para a trra ; e tambem se vende urna
r-arroca de vender agua na ra, urna canoa de
Fardo, milito, farinha e feijao.
No arinazcra da Aurora Brilhante ao largo da
Santa Cruz n. 81 ha trelo em saceos com 110 li-
bras a 5, niilhu novo a 2800, farinha a .'000, e
saceos com 25 euias do feijo molalinho nove a
800 lijlos e um cavallo de cor rodado e~bom -, 0g. ^ecos con arroz de casca .'#._______
dador: quem pretender comprar todos estes ob- Em casa de Joao da Silva Paria ra da Cruz
jectos, dinja-se ra DireUa dos Afogados, padaria n. 66, vende-se vinho tinto Bordeaox em bacra e
n. 66, que vista dos compradores se far todo o em caixas, bem como branco SAtiternes, absinth,
negocio. kirsk, das melhores qualidades.



***'
(i
-.-*
DlaHo
-fe-- T>r?a fclra Irj de Aforto de 1 S4
ftO PUBLICO
8em o menor consran-
glmento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ARMAZEM KIAO
ATTENQJto
Os precos da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de eontas
com os portadores.
RCANTIL
KUA DA CAIIE1V DO ItECIFE I. 53.
i Logo passndo o arco da ConceicSe)
C'rande reduccao de precos, equivalente a dez por cento menos uo que outro qualquer
annunciante.
m i- ^oUe*a8*Nao posso por mais tempo sustentar o preco da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
muiios ojectqs, etc., dando com isto ocasio a todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podan vender pelo preco que en vendo I!I Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
bystneraa que vun encontrar, de s se Tender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reduccao de precos, como veris
pea segmnte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molbados Uniao Mercantil nao
se sana de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de 1,406 a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduegao a que
esuo onngados, encarando todos os dias de seos freguezes reclamaeao de precos, e'qualidades, vingam-se de um e outro portadores
m informado leste novo estabelecimento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fin
tao smente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromplido e entei-
reza com que sero tfalados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proteccao e preferencia na compra
dosgeneros que preeisarem, e qnando nao pocam vir podero mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticas, pois
serw rao bem servidos como se viessem pessoalmente, havondo para com estes toda recommendaco, afim de que nao vSo em outra parte.
IffiO 15
GRANDE ARMAZEM
DE
UOLIlillOS
DE
ALMEIDA DUARTE
FJRUCTAS
.tlacas. Ra do Queimado n. 7.
Vwvlb. Ra do Queimado n. 7.
Peras. Ra do Queimado n. 7.
Acaba de reeeber de sua propria encommenda um grande e variado sortiment
de molbados todos primorosamente escomidos, por isso apressa-se o propretario em
Potassa.
Vende-se potassa em barris, por enramado prego i
no esrriptorio de.Antonio de Abatida Gomes, ra
da Cruz n. 23, 1* andar.
Queima!
loja de caica-
Mauteiga ingleza (safra nova) especialmente
e.scijJbida a 8oo rs. a libra, em barril se
la/, abaiiniento.
dem franceza a mais nova que tena vindo ao
mercado a 5(o rs. a libra, e em barril ou
raeios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem buxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rsi
dem preto homeopathico por ser de superior
qnalidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, huxim e perol mais proprio
para negocio o l,6oo, I,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao qnese vende em outra parte por 2,4oo
e2;.6oo rs.
Liogmgas, chouricas e paios em latas de 8
libras, emticamente lacradas a 5,008 rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chourigas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e l,3oo coo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos ebegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. edo vapor
passado a l,6oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem pealo muilo fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a riles
antes que se acabem.
Ervilhas e lavas porluguezas em latasj pre-
paradla a io rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Preznnto do ruino Virados de casa particular
a 5fio rs. a libra, o a Soo rs. inteiro.
dem nglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a ;i,ooo e 5,5oo a
ostia,
Choculate francez, suisso e hespanol a 9oo
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espennacete em caixinhas contendo 6 libras
por i.ooo rs.,garanle-se sercm transpa-
rente e de superior qualidade, lamben tem
de 12 por libra propria para carro.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abat- f
ment.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.800
e 8,5oo rs, a arroba,
dem lavado deprimeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Ceai de superior qualidade a 24o
e 28o rs. s libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Marjmhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India hiuito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,opo rs. a arroba,
dem de Javaja 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Paingo e alpisfa a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de toma e em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e d 5 barril muito superior a oo
rs. a libra.
Alelria, macarro e talharim a loo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libia.
estas massas
tornam-se recomendareis as
propriamente
pessoas doe; ites por serem
feilas para c;sc fim.
Estearinas a >i)0 rs. a libra, e em caixa com
52o rs.
) muito fino cxcellente qta-
0 para engarrafar em ancore-
25 libras a
Vinho do Port
lidade propr
tas com 9 caadas por 4a,ooo rs.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de I e meia fibra
por 1,2oo; ditas em caixinhas de deverses
tamanbos com bonitas estampas na caixa
exteriora I,2oo, I,5oo, e I,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 800 rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 3o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 79o rs. o frasco e
8,5oe a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a I6o rs. a libra.
Motho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo re.
Lentilhas excellcnle legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e II,000 a duzia.
Palitos para denles a 14o e Hto rs. o maco.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a Soo rs.
No largo-do arsenal de.marinfla.
dos n. 8, queima-se :
Marroquim prelo de boa qualidade,
a duzia a..................... StJOOO
Urna pelle por................... i$j(}ii
E calcados de toda a qualidade, assim como bons
passaros e alguns caixilbos envidracados, que ludo
se vender de grapa vista do comprador.______
AGENCIA
FlIIUCiO DE LGW-MOGE,
Ra da Sf niaila iiora d. 42.
Neste estabelecimento contina a ha ver
am completo sortimento de moendas e meia*
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C.
ra da Senzalla Nova n. 42._____________
RIVAL SEM SEGUNDO.
Ra do Queimado n. 49 loja de miudezas de J..-
offerecer aos seus freguezes e ao pubco em geral a seguinte tabella dos seus gneros e .1M[nl!f'.Ienba?J6/aJM?,nc!? qiu'se esu
resumidos preeos, afiancando todo e qualquer* genero "vendido neste bem conhecido ar- tt&SJBSfSS J 5S. M
too
Hi
120
20
200
160
40(1
161)
too
3SO
SOO
4 00
mazem.
Amendoas coneitadas de 800 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 rs,
libra.
dem franceza a 56ore. a fibra, e 5oo rs. I
sendo em barriL
Cha uxim a 2,7o rs. a fibra, e de 8 libras'
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
Ditas de tranca branca lisa com 10 Taras.
Licores francezes e portuguezes das secuin- Ri,a.sde ,raD-a preta Ksa
?o^ n,.,.-.-,r ..,.... a* ...i.... _..._ Realejos para menino:
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro- .^IXs'com super.oresa.nne.es.,
Realejos para meninos, pechincha a
I Rodinhas com superiores alfinetes ?
m, aosmto vespeiro, imor perfeito, amen- Caixa? com superiores arribas e limpas a
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim, Sabonetes de familia, muito tinos a 80 e..
morangos, limlo, caf, laranja, cidra, cin- E.ares d? ?ap?!or dJela para cianeas a..
ja, canella, cravo, ortell pimenta a 1,000 ^"m. floe *** ^ *
rs. a duzia 1,00o rs. a garrafa, garante-se Ditas de bico iargo grsso a'.'.'.'.'.'.'.'.'.'.'.!
que os melbores que temos tidono mer- Ple*de soperior tinta tem mais de meia
cado. garrafa a
dem hysson ornis superior que se pode Passasmuito novas em (fuartos einteiros a SiXTofeK
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima >" *.....------ wweqoe m
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocie a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 fibras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata.
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,800 rs.
dem menos superior a esse que se vende
per, 2 e 2,4oo, a 4,800 rs. a libra.
dem mais baixo bom para negoeio a I,5oo
rs. a fibra.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o, iflfl pMnn ra.la mrnl'i Minn 4oo e5oo rs.|a garrafa, em caada a 2,ooo,
3,000 c 3,8ob rs.
Vinho bianc d Lisboa d excellcnle quali-
dade a loo e 000 rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,Soo rs.
Vinho branco p
a 8,000 e a 6
Vinho do Portfl|
duzia
ramissaem caixa de 1
80 rs. a garrafa.
das melbores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DmiueGentirno,
I). Uliz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em (aixa de 1 duzia de 9,ooo a
19oo e 1,00o a garrafa.
o mais superior que tem
vindo ao mercado a 6io rs. a garrafa.
Sardinhas de Naritesem quartos e meias latas
a 3(5o e 5(5o rs. cada urna.
Sardinhas port guezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
10,000 rs. e
Vinho Colares
zas as mais novas do mer-
s. a barrica, e 24o rs. a
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-1
dn, salmo, ostras e chernee, vezugo em Bolachinbas ingl
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna. cado a 2,8oo
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- fibra,
das (pie tem vindo ao nosso mercado a Bolacliinha de sbik em latas com diversas
6,000, 7,ooo e 8,000 rs. a caixa, garante-' qualidades a j,3oo rs.
so ser de qualidade superior, que outro Bolo francez e(u caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco. | para mimo a f4 rs.
Iloltanda a 56o rs. o frasco, e Passas muito novas de carnada a ioo rs. a
Genebra de
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Altona efn
frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e
11,00o rs. a duzia.
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra
I,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de capea mole a 32o rs. a libra.
dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo Bolachinbas d'agria em sal da fabrica do Beato
ADEREMOS DE MOSAICO
A aguia branca da ra do Queimado u. 8 rece-
beu bonitos aderecos de mosaico e fino dourado, e
os est vendendo por prego razoavel.
Bolsas para caca.
Esse ohjecto aqui lio custeso de encontrar-se, e
tao preciso aos apreciadores da caca, acha-se hoje
a venda na ra do Queimado loja da aguia branca
n. 8, onde o comprador ser servido conforme o di-
nheiro que qnizer dispr para tal lim.
Esseneia de rosa.
Em pequeos frasqninhos a lJiOOO. Vende-se na
ra do Queimado n. 8.
Tontos para volarele
A aguu branca na ra do Queimado a. 8 rece-
bcu caixinhas com tentos de marm e madrepero-
la para voltarete, havendo dinheiro cheguem-se a
lies antes que se acabem.
Chogou novo sortimento dessa boa graxa, e con-
tinua a ser vendida na ra do Queimado loja da
aguia branca n. 8.
Fitas
para a irmandade do Bom Conselho, e cartas de
creditadas que vem ao mercado a 0,000 e
5,5oo a duzia e (80 rs. a garrafa.
Sag muilo novo e alvo a io rs. a libra.
Sevadinlia de Franca muito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Baha e das
mais acreditadas marcas conhocidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,080 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de i li-] Papel de botica de excellente
bi as por 2,ooo; dito em caixes a 600 rs. loo rs. a resma.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a fibra,
Queijos do reino ebegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos ebegados no ultimo vapor a 2,2oo rs
dem prato os melbores e mais frescos do
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a I.7oo rs. a garrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas: Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
tas a I,3ooe I,4oors.
Fumo americano em chapa a I,6oors, a
libra.
Araruta de todas as qualidades.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a S-S a
cajxa e 60 rs. a libra-
BalaChioba de Craknel em latas de B libras
bruto a 4,000 rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 3,000 rs, a barrica e 24o rs. a
libra.

Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao
qnalidade a
Mu
320
400
800
800
400
600
300
320
2,000 rs. o qtiarto, a 6,5o a taha O 400 Ditos de oleo de babosa' superior a 240.
rs. a libra. 390, 400 e.........................
dem coriothias proprias para podim a 800! Dios dc cheiros muiI 3Ul'eores em (pu-
ra, a fibra Ildadea...........................
..__' j ... Ritos de agua de colonia muito boa a___
Marmeladas dos maisafaroados fabncantes de > Ditos de dita dita grande a.............
Lisboa a 64o re. a libra. Sabonetes de todo o preco 60, 160, 200,
Ervilhas secas muito novas a 16 rs. a fibra.
Grao de bico muito novo a 46on. a fibra.
Ervilhas francezas em latas a-6-lo rs.
Potes com sal refinado a 48 rs.
Fumo de chapa americano a 1,60 rs. a fibra
fazenda especial.
Presunto para fiambre mgtezes a ?oo e 800
re. a libra.
Cbouricas e paios mnito rovos a 64 a fibra.
Caixas de traque n. i a 850 ta4ma.
Masaas para sopa macarrio, talhamn aletria Caixas com pennas'grandes a
a 400 rs. a libra. Grosas de botoes para calca preta. miudos
Cognac verdadeiro iurfeza 8,5o rs- a caixa Jit,r:?s ?e memento da rou'ra de lavar a..
eHoors a ffarrafa Larnteis de retroz de todas as cures e
e roo rs. a garran. tem meia 0tava do n;troz a.........
dem francez a 7,000 rs. a duzia 7o rs. a Varas de bicos de differentes larguras a
garrafa. I Tf--------p------r^------------------
Charutos em grande quantidade edo todos os \ -^ ^VA lUJllKll^HO.
fabricantes mais a -editados alafML l. Pecas de a|gd5 superior com um pequeo de-
2 000 2 fino nnn t> 4 nvt rs a caixa : 'e" H ** dit0 com0 Jardas 6*. dw cora 2*
z,ooo, z.ooo, 0,000 e ,ooo rs. a caixa, dilaj la muj|0 snparior a Gioo d
os mais baixos sao dos que por ah se ven cassas para habidos ou cortinados, em bom esu-
dem a 2,000 e 2,500 rs. | do, e com 10 varas a 2,5, toailias brancas adamas-
. ,., 1 cadas e quadiadas de cambraia a jOO rs estoupa
Cafe de premeira qualidade a 8.300 e 9,ooo larga a 4i0 rs. a vara : ebeguem a esms pechin-
Frascos de superior banha a 320 e.......
Caixas de p para limpar dentes muito
fino a-............................
Ditos d'' banha transparente a..........
Pares de ligas muito finas para senhora a
Sabonetes inglezes da melhor qualidade a
Frascos de agua dentrifice superior ga-
rantida a.......................... 1*000
Massos com 25 envelopes grandes azula-
do a..........................*.... ion
Varas de tita preta com colchetes a..... 400
Frascos de macaca perola muito superior 200
200
IOO
800
200
60
chas antes que se acabem, na loja do barateiro,
ra da Madre de Deus n. 16. defronte da suarda
da alfandega.
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranh5o a 12ors. a libra, 3,ooo
a arroba.-
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a fibra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra. I A aguia branca tan a satisfaga de ommMieaf
dem da India comprido a -2, ioo rs. a arro-. a.su.a l,a freguezia que lia chegado mais orna oc-
rs! Esleirs do Aracaty
_ Vendem-se na travessa da Madre dc Dos L
Bous, bonitos e baratos.
ba, e 80 rs. a libra.
garrafa
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de G e 12 por libra a
32o rs. a libra e 1o,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a
e 4,8oo a caada.
Banha de poico refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,Soo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 fibras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento; ditas em
molhos com cento e tantas por 1,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
Figos de comadre em Utas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a I,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
AKUi/IH
ONTEIRO
DE
%JL! S COUTINHO 21Largo do Terco21
Ao publico.

.
Chouriejas muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a l,ooo rs. a fibra;
ameixas idern'; alpista a 46o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do Mar animo o da
India de 8o a loo rs. a libra, e em a arroba de 2,6oo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a l ,ooo rs. a garrafa e em porgo, menos; dem de barris a 64o rs. a garrafa, e em cana-
da a 4,8oo rs. ; banha de porco a 4oo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
novas a 4o rs. a libra, e l,2oors. a arroba ; cha perola, hysson, miudinboa l,8oo, 2,4oo
e 2,5oo rs. a libra; charutos dos melbores fabricantes da Baha de 2,ooo e 4,ooo rs.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros rauilos a 12o rs. a
lata de 2 Ir; libias.
dem em caixinhas de 8 libras a I,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 6oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca, Por-
- to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo,ooo e
l,ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa eFigueiradas
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a ioo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composicao a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Bicas caixas com figos a I.ooo rs. cada urna.
Ricos livros com figos l.ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafoes com 4 '/ garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafo.
dem com 4 y ditas de venagre al,ooo rs.o
garrafo.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingihdo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 56o rs. a fibra, e em:
caixa a 52o rs. com 25 fibras.
Papel o melhor que se pode desejar para os j
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se venden por 7.ooo rs.
dem amaco pautado e liso a 3,ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo rs.
a resma.
dem embrulho de l,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/* libra a
l,2oo e 8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l4ooo rs. tambem temos em
frascos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Bor-
ba i mIIhm d i..i.!.. .....w..,..,. vas 8leMS em frascos e meios de Soo a 9oo rs.; cognac inglez superior a l.ooo re. a
meques ae sauoaio, madrepero- gaprafa ^ 4e u 2 a e 3 qualidadc de 855o0) 9 000 e 95oo n arroba cevadi., y^- .ncorpJ8 dft q .._.., :
A aguia branrSn^nuSio sortimento de <* ^ ]*"* \ tfis PJrtagaeas em latas de 1 libra ,. 7po rs. spermacete I i & rs. Z aSSL
Jeques de sndalo, madreperoia e osso, sendo elles a 5bo rs. a libra, e em caixas a S2q rs.: farinha de araruta rerdadoira a 2oo rs. a fibra,! Idem em n:na _.. n hati.ro a 9nA _.
de (versos moldes e vanadas cores, inclusive a e em a arroba a 6,000 rs ; genebra de laranja a l.ooo rs. o frasco; idem de Hollanda 1 OTrr,f'1' i i-T* ""i
preta ; agora,pois,guemcMiparecercomdwheiro a 64o rs., e 4oo rs. a botija ; graixa em latas a l,2oo rs. a duzia ; manteiga ingleza per-!r..S' **'.7}'*?,H ??; ,.nKn
pode bem cscolher um bonito leque, na ra do /;. Queimado k-ja da aguia branca n. 8.' n3.ta flor a 800 rs. a libra dem franceza a 36o re. a libra, e em barris a 52o rs.; maca deaUi brab mL oe^M a fi n
ilvinha para costura contras de t001816 a 600 rs. a fibra; marmelada dos melbores fabricantes a 64o rs. a libra ; ale-
om perftimar las Iria' **lharim e macarroa 4oo rs. marrasquino de Zara verdadeiro a l,ooo re. cada fras-
A loja da af oa braoca, onde coBstantemente se .' nozes muito novas a 2oo rs. a libra ; passas a 4oo rs. a libra ; painco a 16o rs. ; po-
vendem essas bonitas caixinhas com arranjos para mada a 24o rs. a dozia; pimenta do reino a 36o rs.; papel almaco e de peso de diver-
cosiura, acha-se mui bem provida Pr 'er jf" sas marcas; palitos do gaz a 2,2oo rs. a grosa e 2o rs. a caixinha 5 ditos de segoranca
S^^^^tX^^ ,ru!iviIua, a *WM** e ^- TC0; *u6ij08 flaraeng08 d0 "* a 2'0 "
quem quier fazer um bom presente, tendo dinhei- cada um; cevaduiba a 2oo rs. a libra; sardmhas do flan les de ioo a 64o rs. a lata \ sa-
-~ dirnase ra dofiucimado loja da aguia bran-1 bao massa muito superi' r a 2oo rs. a fibra; toucinbo de Lisboa muito alvo a3oo rs. a -
n. 8 nuecera bem servido. bra; viabo do Porto seibo engarrafado a looo rs.; idem em barril a 800 rs. a garrafa,
pa/"VBar!ar r^nEf'. sendo P01^30 al-'Se differeoca eem caada a frjooon.; idem de Lisboa muito soperior a
do Queimado loja da afma 4oQ ^ a garrafa g ^^ r$ a amda] im a gmin j. A. A. a 5oo rs< afarrrfa e
_-------------------,-------- 3.6oo rs. a caada; idem do Estreito a 36o e 328 rs. agarrafa eem caada a 4; 56o;
(1 iA\\ IV 07 idem BfirJeaux a 56o rs..a garrafa ; idem branco de Lisboa, proprio para missaa 5oo rs.
Molhos inglezes a 800 e l.ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 600 rs. a garrafa..
Mem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia e 5oo rs.a.garrafa.
Vassouras de piassava eom 2 arces de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a 1,000 rs. o molhoe
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a grosa o 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o s. o masso.
Cominhos muito novos a32ors. a libra e
lo.000 a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a iibra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e ->,4oo a arroba.
Peixes em latas a 1,000 rs. a Jala j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. Biato saceos
grandes a i.ooo rs.
Doce da asea da goiaba a 600 e l,ooo rs. o
caixau.
casiao de provar a sua louvave barateza, a vista
da boa qualidade do objecto, por isso convido a
todos que liverem dinheiro para se dirigirem a
na do Queimado n. 8, loja da aguia branca, afim
du compraren) os objectos seguintes :
Iionitos collarinhos bordados, e puubos com
botoes, tudo por 15500.
Outros lisos, mas de linbe e tambem com boloes.
por 15000.
Manguitos com gollinhas bordados por 2.
Ditos solios por l.
Gollinhas de cainbraia bordadas, obra aiuitc
boa, por oOO rs.
Ditas de traspasso, tambem bordadas, igual-
mente tinas a 1,3.
Lindas camisinhas com peilo bordado, gollinhat",
manguitos e grvalas, ludo por 5.
Um grande sortimento de entremete mui lar-
gos e bonitos; assim como liras bordadas, o que
pode ser de melhor, e mais perfeito, variando uos
e outros nos precos.. conforme a largura, mas ba-
ratos em todo o caso.
Novas e lindas gaavatas brancas do fil, com
bonitos e diflkeis bordados (mui proprios para o
vestidos a Mara I'ia) obra iqteiramente nova aqu,
e de ultimo goslo, a 23 cada urna.
Bonitos vestuarios brancos com liados e delica-
dos bordados para baptisados.
Maclas.
A' 255OO caixa ; em porcao se far abaiirnen-
to : na ra -Nova n. 8, loja do Cha.
Vende-se urna negra de 19 annos por preco
cornmodo : no pateo da matriz de Santo Antonio
n.J.__________________________________
Na livrarii acadmica, ra do
imperador n. 99,
vendem-se lindos papis para forrar sala a 15000
a peca.
Rala Senzalla tYt n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado fibra a 110 rs., idem de Lev
Moor fibra a 120 rs.
ESCBAVOS FGIDOS.
ro
ca
Boa tinta
Vende-se na ra
branca n. 8.
deaux fazenda muito especial a 6,800 rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
O proprietario do grande armazem Uni5o e Commercio declara aos seos fregu
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commoddade de todos estipulou
os njesmosprepos nos seguintes lugares:
Uniao e Commercio ra do -Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
Vende-se a verdadeira graxa ingleza n.
armazem de I. A. Mereira Dias na ra
numero 26.
' -
a garrafa; vinagre de Lisboa muito superior a 2oo rs. a gacrafa, e l,4oo rs. a caada
Gomma de mandioca.
Venda-sa na roa a Madre ae J?08 n. 48,
mazem' :"_____________________________
;J:
Superior cal de Lisboa
Gomma

d.9 CrS, fd3' cevad3' a.lfasema.> *" tyok) de limpar facas a i 4o rs. e outros rito geros que SeTde STluio^aTuilrgWKo Sf
desnecessajo e menciona-los.
cero i.
Vende-se superior cal de Lisboa a mais, .nova
que lia no mercado tanto em poroSo cerno a reta-
ltio por barato preco, jtfBaneaodo-M aos cwtipra
dores a superior qualidade: a tratar as sejarin*
les mas ; do Crespo n. 7,Imperador n. 28, Forte
do Mattos armazem do Sr. Avilla de/ronte ao tra-
piche dt> algotfSo.
Fugio na noite de 23 do correte julho de
1864 o escravo Jos, preto, crioulo, ae 26 annos,
baixo, corpo regular, beicos grossos e estufados,
orelhas pequeas, e cachaco grosso, pouca barba
porque tem apenas na ponta do qneixo, levou duas
calcas, urna branca e oulra de castor eseuro que
parece preto, de listras, paletot preto, sem camisa,
e com urna carapuca encarnada na cabeca, a lai
de marojo: quem pegar leve-o ra Direila n.
54, que ser generosamente recompensado.
Fugio na tarde do dia 16 do correte um
escravo pardo, de nome Marcos, desembarcado
do hiato Santa Auna, viudo do Aracaty, tendo
de idade 28 annos pouco mais ou menos, e os sig-
jiaes seguintes : altura regular, secco do corpe,
pouca barba, cabello crespo, levou camisa e
calca de algodaosinho de riscado azul e cha-
peo de palba, tendo levado coinsigo ama irouxa
com mais roupa, e rendido de urna das venluas;
quem o appreender queira leva-lo ra da Madre
de Deus n. 38, ou ra do Brum n. 55*, quesera
recompensado.
Fugio do engenho Gnerra de Ipojnca Um es-
cravo de nome Jos Muniz, estilara baixa.ee
crinlo : quem o apprehender ou der noticia no
dito engenho, ou na roa da Aurora em casa do Sr.
Elias Raptista da Silva, ser generosamente re-
compensado.________
'Fugio na manh3a do dia 18 do mez prximo
passado a preta escrava de nome Mara, crionla,
de meia idade, altura regular, cheia d corpo, fal-
ta de um dedo na mao esquerda, nadegas empina-
das, tem algumas marcas as cosas, que parece
de chicote, levou vestido de chita, saia preta e pan-
no da Costa, julga-se ter ido para o mato : roga-
se s autoridades poliriaes e aos capitaes de campo
que apprehenda-a e levem-na ra da travessa do
'Caldeireiro D. ti, que soro gratificados.
npfa


m
Diarlo m Peratam~a< Ter?a lelra 34 de Agosto de l4.

LITTERATM.
0 QUE VAE PELO MUNDO
A Gazeta de Vienna publicoo o texto oflicial
dos preliminares da paz, assim como do armisticio
concluido entre as tres potencias beligerantes :
Os preliminares da paz sao :
1." O rei de Dinamarca renuncia a todos os
Hake, em relacao a rixa que teve lagar em Rends-
burg:
Tenho a honra de levar ao conhecimento de
V. Eic. qne os excessos eomroettidos ha alguns
das pelos soldados da guambio federal contra ot
portas e lazaretos prussianes em Rendsburg, re-
claman) com urgencia, urna garanta contra a re-
Nesse intervallo foi occapada a praga de Ren-
dsburgo, de ordem deS. A. R. o principe Frederi-
co Carlos, por 6,090 homens do exercito prasslano,
e o teneate-general de Hake, protestando contra
esta oceupago, fez sair as suas tropas da fortaleza
para as fazer acantonar as povoagoes immediatas.
E' intil dizer que acerca deste ne gocio deve haver
peticao de insultos e de perigos anlogos, e talvez | a mais minuciosa indasrago ; temor a satisfacao
mais graves, nos ponto contraes e deposito do i de poder mostrar desde ja, que as nossas tropas
exercito alhado.
seus. direitos aos ducado? do Schleswig-Holstcn c o M _,, .. ,,
.... ,_ j. s- M-> meu re e senlior, viu-se pois obrigado
Laumburgo a favor do imperador d Austria e do '
a aur-me ordem para tornar posse de Rendsburgo,
negociares diplomticas.
*
O mesmo jornal publicou tambem a resposta
do general Hake ao principe Frederico Carlos. E'
como segu:
A carta de V. A. R. de 20 deste mez foi por
mim receblda no momento em que o coronel Fa-
brice era por mim mandado junto de vos. Em
presenta das explicages exactas que o meu coro-
nel vos houver dado sobre os excessos militares
eommettidos em Rendsburgo, deve manifestar a
profunda couviccio que tenho, de que medidas mi-
litares surprehendeates, deixem de ser ordenadas
se V- A. R. livor previamente recebdo o relatorio
verbal do meu coronel.
Nao posso, pois, adherir absolutamente oc-
eupago de Rendsburgo.pelas tropas prussianas.
Todava, em presenta da oceupacao de Rendsbur-
rei da Prussia, obriganda-se a reconhecer as dispo-
.i.oes que suas di as majestades lomara... a res- '-^J-egando-me das funegaes dechefe da p ag
pcito dos ducados; | Por wnscqaencia o general de Goeben, ha de
1 achar-se no da 21 deste mez ao meio da, proviso-
t A separacao do ducado do Schleswig com- riamente com 6:000 homens e duas bateras, junto
prebende tanto as ilhas que delle dependen., como de Rendsburgo, prompto a verificar a oceupago
as provincias da trra firme. Para simplificar a ; dos portos militares.
maneira de determinar as fronteiras, e para aftas-! Depender da moderago que mais urna vez
tar as diflculdades que se podem derivar da parle iomardes, c da vossa energa acompanhada da tac-
o territorio jutlande, eucravado no territorio doi ,ica> quc csle |)rocedroento, resolvido c inevitavel
Schleswig. o rei de Dinamarca cede as possessoes | para honra do exercito prussiano, possa levar-se
jutlaudezas situadas ao sul da frouteira meridional ] a effei(0 de maQeira que um completo accordo da
do districlo de Ribo, assim como a que est indica- qUestao possa mais tarde ultimarse por meio de
da as cartas geograrmica?, a saber:
t Os territorios jutlandezes de Mogel, Tondern,
a ha de Araron, a parle jutlandeza das Ibas de
Fohr, Syll, do Romo, etc.
i Pelo contrario, os soberanos allemaes, obn-
am-se, a que urna parle equivalente do Schles-
wig, que comprehende, alm da ilha de Arro<3)
Ujs territorios limitrophes do districto de Ribe e
determinando, do lado de Kolding, a fronteira en-
tre a Jutlandia c o Schleswig, seja separado do
Schleswig, e encorporado na Dinamarca.
t A llha d'Arro nao se comprehende nesta
compensado senao em Tfrto.de de sua extengo
geographica.
i Os pormenores dos limites da fronteira seo
regulados no tratado de paz definitivo.
f 3. Os emprestimos conirahidos por conta par-
ticular ou do reino de Dinamarca, ou de qualquer
dos tres ducados, iam cargo de cada um do?
paites a que dizem respeito. As dividas contra-
tadas por conla da monarclua dinamarqneza, serijo
repartidas entre a Dinamarca de um lado, e os du-
cados do outro, tomaudo-se por base a populacho
de cada urna das partes.
Ficam exceptuadas desta repartieao :
A. O emprestimo contrahido em Inglaterra
pela Dinamarca em 1863, que ca cargo da Di-
namarca.
< B. As despezas da guerra fcitas pelos alliados
devem ser salisfeilas pelos ducados.
i i. O armisticio, sob a base miiiar da uti pos.
adetis, comee a 2 de agosto.
5." Logo depois da assignatura dos prelimina-
res da paz, as parles contratantes bao de reunirse
sm Vienna, para negociar o tratado da paz defini-
tivo.
Os artigos do armisticio sao os seguintes :
1." O armisticio por mar c por trra durar
at concluso da paz. No caso que as negocia-
res da paz, o que nao de esperar, nao cheguem
a concluir at li> do setembro, as partes contratan-
tes tero, desde esse praso, a faculdade de denun-
ciar o armislicio n'um espaco de seis semanas.
< 2. O bl queio Pira definitivamente levantado
desde 2 de agosto.
o 3." A oceupago da Jutlandia continuar, mas
as potencias allemaes esto promptas, a nao deixar
ali senao o numero de tropas que so julgar neces-
ario para a consideragio puramente militar.
i 4. A percepgo das contribuicoes, ser SOS-
' peasa, na parte em que se nao liver ainda effec-
tuado. As mercadorias e outros objectos appre-
liendidos por trra, que se dieta de 3 de agosto
ainda nao esliverem vendidos, serao entregues.
Nao se imporao novas contribuyos.
5.- A manutengo das tropas alliadas ser fei-
ta custa da Jutlandia.
t 6." O excedente dos rendimentos da Jutlandia,
deduzidos os fornecimentos e as preslacoes neces-
arias para a manutengo das tropas, ser restitui-
do ao governo dinamarquez, guando a Jutlandia
fr evacuada.^
7." O pagamento do sold regular, e do sold
upplemenlar da guerra, das tropas alliadas nao
fica comprehendido as despezas que estao cargo
da Jutlandia.
t 8. Os prisioneiros de guerra e as pessoas pre-
sas por motivos polticos, serao postos em liber-
dade.
t 9.a Os soldados jutlandezes despedidos do ser-
vico, durante o armisticio, podero, no caso de
recomegarem as hostilidades, reunir, ao primeiro
chamamento e sem obstculo, ao exercito dina-
marquez.
hanovorianas nao sao dignas das graves censuras
que contra ellas se lem dirigido.
UM POLCO DE 1L1).
Traduzimos do Petil Journal pour tve o se-
gulnte :
AS PITADAS DE TABACO.
(Peca militar em uso no Chatelel.)
Personagens.
Napoleao I.
O raarechal Bertrand.
Um veterano.
(A scena tem lugar em um dia de revista no pa-
teo do Carrousel.)
Scena I.
O imperador passa pela frente de urna compa-
nhia de sua velha guarda, onde o percebe um sol-
dado raso decorado e ornado de tres filas. Sua
physionomia enrgica nao Ihe desconhecida.
O imperadorEu te conheco ?
O soldadoUm pouco, sire.
O imperadorEu te vi no Egypto ?
O sgldadoOae fazia um calor.
0 imperador -E na Russia ?
O soldadoOao fazia um fri.
O imperadorE nao foste promovido 1
O soldadoNao tenho sido feliz, slre.
O imperador tomando urna pitada de tabaco na
caixa de BertrandEu te fago cabo de esquadra.
(Napoleao retirase.)
Scena II.
O imperador tendo passado pela frente da ban-
Sim, tudo est bem. Para ser um bonita cor-
cunda o que preciso? Urna bella corennda... a
vossa soberba... Para um corcunda vos sois
muito bem feito.
>a ul> A?
A semana passada um mestre-escola dos Calva-
dos leu esta phrase no su jornal:
< Quando bezerro ebega a csle ponto, torna-se
adulto I >
Adulto I adnltol
Esta palavra fez especie ao mestre-escola. homem
muito simplorio.
O filho tlnha um diccionario, vae a elle, abre-o
procura adulto, e l :
< Adulto... que ebegou a edade da razao. >
Hontem o bom homem annnnciando a venda de
algara gado, redigiu o annuncio desla forma :
Vendem-se dous bezerros que chegaram a eda-
de da razao.

Um senhore urna rapariga, depois de terem jan-
ado saiisfacao, pedem champagne da viuva Clig-
not, que reputado o melhor.
L A adega d botequineiro-nao tinha delle, e o cria"
do traz um outro qualquer.
O que nos traz este imbcil ? diz o homem.
O qne ped.stes, da vluva Clignot.
Por quem me lomas tu? Olha que entendo da
materia.
Perdo, replica o criado em tom concillante.
Se ha mudanga, que a viuva casou-se.

go, apenas por quatro companb.as federaes, nao
pens em me oppr com as minhas iropas, fazendo; **"*' volve/0 ve'h.0 soldado-
O imperadorNao estiveste na ponte d Arcle ?
O soldadoFerido ao vosso lado.
Do Journal de Dresde extrahimos a carta que
o principe Carlos da Prussia dirigiu ao general
a abstracoao completa de qualquer outro motivo
importante.
< Conseguinlemente, registo toda a responsabili-
dade a este respeito, abandonando todas as conse-
cuencias a V. A. R.Se porm V. A. R. presistir
as ordens que acaba de dar, relirarei as tropas
de Rendsburgo, alim de evitar conflictos. >
A Gazela do annover diz que os acontec-
mentas de Rendsburgo foram representados por
algumas folhas publicas com iucxaclido. Eis a
narraco que dos factos faz o mesmo jornal :
t Na noute do dia 18, teve lugar em Rendsburgo
urna rixa entre os artilheiros prussianos e os sol-
dados hanoverianos. Em consecuencia de boatos
que foram provavelmente espalbados por campo-
nezes, ocoinmaniaute dos depsitos prussianos, o
major Hake, na sua solicilude pela seguranga dos
l.ospitaes prussianos, que nenburaa relagoes tive-
ram com a mencionada rixa, fez entrar duas com-
panhias prussianas na fortaleza, alim de protege-
rem os hospitacs.
c O commandante da praga, o tenonte coronel
hanoveriano Dammers, toraou logo as med idas ne-
cessarias para fazer cessar a rixa, expediBdo para
todos os pontos olflciaes e inferiores com ordem
para fazer entrar nos seus quarteis todos os sida,
dos hanoverianos c saxonios. Comquanto esta or-
dem fosse completameute executada, s nove horas
e raeia da noute um atirador hanoveriano, que es-
tava sentado diante do seu quartel, depois de ter
sido feita a competente visita, foi atacado e ferido
pelos prussianos que das nove horas e meia para
as dez alravessavam as ra; em pequeos grupos.
t ua parte do commandante em chefe das tro-
pas federaes, foi logo mandado a Rendsburgo o
major general Knesebeck para prevenir a repetico
daquelles acontecimentos, e para dar principio ao
mais severo inquerito a respeilo daquelle negocio
e das causas que o provocaran). O general de divi-
sao prussiano tambem foi convidado a mandar a
Rendsburgo um oflicial superior com egual missao.
Finalmente, no dia 20, o chefe de estado maior das
tropas federaes, o coronel Fabrice foi mandado ao
quartel general do exercito alliado para dar conta
a S. A. R. o principe Frederico Carlos sobre os es-
clarecimentos sobre os factos. e sobre o alcance
peuco consideravel das desordens que haviam tido
lugar.
E' pois evidente, que todo este negocio foi repre-
sentado com muita exagerago, e que se quiz fazer
de urna rixa, ordinaria, tal como as que ha muitas
vezesem guirnigoes mixtas, como por exemplo em
Francfort c Majenca, um aconlerimento impor-
tante. K' sabido que se nao tentou [i >r parte dos
soldados hanoverianos, ataque algum contra os
hospitaes prussianos, e que apenas se conceberam
recetas a este respeito, em consequencia de alguns
boatos mal fundados.

O imperador tomando urna segunda pitada na
caixa do marechal.Eu te fago sargento.
(Napoleao retirase.)
Scena III.
O imperador pensativo volta ao velho soldado.
O imperadorEras dos meus companheiros da
ilha d'Elba ?
O soldadoFui eu, sire, que vos carreguei no
desembarque.
O tmperador tomando urna terceira pitada de ta-
bacoPromovo-te alferes.
(E retirase a galope.)
O soldado, ao marechal BerlrandMeu mare-
chal, offerecei-lhe ainda urna pilada.
Desta vez o imperador nao voltou mais, e a ul-
tima pitada que oceupou o folgazao foi a tomada
de um estandarte inglez, que foi tambem a sua ul-
tima presa.
Enlerraram-no em Walerloo envolvido ne estan-
darte conquistado.

Quem nao conhece a tranquillidade, a placidez-
a calmaimperturbavel do actor NumaT
A calma que elle mostra em scena, c a mesma
que lera em casa.
Eis urna ancdota que se conta a este respeito no
lar do iheairo. .
Um seu antigo cantarada vae para fallar-lhe, e o
encontra descendo pausadamente a escada da casa
com um guarda-chuva sob o braco e um cofrezinho
na mao.
Continuamos a Iranscripgao das cartas sobre o
Maranhao com a seguinte:
Nao foi esquecimento, menos vontade de nao
cumpnr as leis da cortezla para com V. Exc. o que
me levou a nao escrever a V. Exc mas o intenso
calor, qae se ha desenvolvido de modo incrvel.
Quem viveu sob o ameno cu da Parahyba, quem
se affez s doces brisas, que desalteram ah a gen-
te, nao pode costumar-se ao clima de S. Luiz onde
ao meio dia, j 30 grus do centgrado enfraque-
cem os corpos! Nao sei, minha senhora, como aqu
se estuda, como se desenvolvem indiligencias col'
lossaes quaes as de um Solero dos Res, Odorico
Mendes, Goncalves Dias e tantos outros, que fazem
honra a esta provincia.
Os meus dous cabries sao pois a poltica e o ca-
lor ; daquella livro-me e a cotento, deste que
nao sei como possa livrar-me, urna vez que todo o
meu prazer c viver aqui, pois vejo em S. Luiz, pe- as nmlheres
quena cidade, certa, tudo quanto se pode adiar: '
era urna cidade civil.sada, accresccndo em faror
dos extranhos a mais decidida hospitalidade 1
Fatleceu o velho senador Joaquim Vieira, e vi
ainda urna vez quanto bom ser bom : o Maranhao
seniio em geral a per Ja desse bom cidado, que
leve a dita de vir da corte acabar entre os seus.
Tambem tem sido bem pranteada a perda do Dr.
Ole, que 6 isto ? fez Numa.
Venho te fallar.
E' i ni ms si ve I neste momento.
Mas como vas
Um honesta cidado raqui director de um colle-
gio (o de Nossa Senhora dos Remedios) de instruc-
gao I i iterarla.
Hontem (24) teve lugar a destribui^e de pre-
mios aos alumnos que mais se dislingutram no an-
no lectivo. Os premios cram medalhas de onro ene
prala
O director, homem eslimado pelas suas virtudes,
vio o seu estabelecimento com mais de seiscentas
pessoas das mais gradas da capital, que acudiram
ao seu convite para o banquete das letras, notndo-
se as differeutes commissoes das diversas socieda-
des de que j fallei.
A's onze horas toraou assento como presidente do
acto o prelado diocesano, oceupando a mesa a con-
gregagao dos lentes, e por sua ordem aquellas com-
missdes.
Neste interim vejo virera de urna sala visinha
cerca de cincoenta senhoras, as quaes estavam des-
tinadas differentes fileiras de cadeiras.
Ento comegou o acta ; houve judiciosos discur-
sos, seguind-se a dcstribuigao dos premios peloSr.
hispo, (indo o acto essas senhoras langaram flores
sobre os felizes filhos de Minerva, que to digna-
mente aproveitaram o anno.
D'ahi passou se a urna sala onde foi offerecido
um copioso copo d'agua, tomando mesa o lugar
de dislincgo o venerando pastor da egreja mara-
nhense, e o inspeclor da fazenda, como presidente
da sociedade Iliteraria Alheneu Maranhense.
E' escusado dizer que assenharas abrilhantaram
a mesa.
As mulheres,.aqui, minha senhora, educadas para
a sociedade, nem se quer tem no pensamento a
possibilidade da existencia de um malcreado |Xas
reunioes tanto se mes d que o sujeito seja ou nao
seu primo ou seu to; costumadas ao respeilo e
veneragao. entra... e apparecem com a consciencia
do que valem, do que merecem, e sao a da e a
alma de todas as reuni5es.
Nem me venham os fatuos de outras grandes
provincias blasonar de educacao sublime, nem os
carrancas das pequeas aturdir-nos com o seu sys-
ie.ua dos los e dos primos, porque mulher deu
Deus a grande missao de civilisar o homem, e nao
ha de ser l da cosinlia que ella ha de cumprir a
sua missao.
Pobres ginjas I Vinde S. Luiz do Maranhao ,
estudae a historia de seus saloes; procurae para
citardes em abono ao vosso syslema de aferrolhar
um simples acto se quer de descor-
Nao sendo eu maranhense, mas brasileiro, e cc-
nhecedor da nossa vida intima, posso dizer sem
suspeigo que o Maranhao urna das nossas mais
civilisadas provincas.
J tenho pejo de dizer V. Exc- o bem que aqui
tenho achado na geral estimagao ; mas o dever que
me impoe o reconhecimento nao me deixa estar
Joaquim Gomes de Souza, que era urna das glorias callado,
litterarias do Maranhao e do Brasil.
Ainda no dia 21 fallecen de febre typhoide o Dr.
Joaquim Vianna Bayma, que chegara a das de
Franca onde fra aprender o curso de agricultura
na escola de Grignon. E' urna dr, lastima ver
a morte ceifar pessoas de que Maranhao cora razio
se ufanava.
tu.
E detem o amigo no patamar da escada.
Menos mal. jmente minha filha mais ve.
Iha esl desarampo... Eu vou te contar como
apanhou-o ; subamos.
J Uve a honra de dizer-te : E' impossivel
neste momento.
Botas-me para fra entao ?
Sim, senhor.
E porque 1
E' bem simples, replica o leugmatico actor ;
vou ver os bombeiros, com o meu cofrezinho de
| valores na mo. porque ha mais de meia hora
que tenho fogo l em cima.

Um pregador acaba va de pregar, que tudo eslava
o melhor possivel no melhor dos mundos; um cor-
cunda chega-se a elle, e diz-lhe :
Vos acabaes de pregar que ludo esl bem ;
reparae na minha corcunda.
O pregador sorriu-se, e respondeu-lhe :
FOLHETIM
vivrs: iioiia* de liti:ira
POR _
CAMILLO CASTELLO BRANCO.
(Contmuaco.)
Xll '
Joo da Quintam, marido de Jesepha, proce-
da de um Jeronymo Carvallio, que foi enforcado
em Lisboa ha duzentos annos.
Enforcado ha duzentos annos I exclamei eu,
preparande-me paraouvir a tragedia de um homem
digno de mais Ilustre posteridade. Entao, vaes
contar-mc urna historia em que ha tarca I. .. Fal-
lava esse tom da elega romntica. Enforcado ha
duzentos annos I Provavelmente conspirou contra
o throno restaurado do Senhor D. Joo IVI. -
Nao foi isso : era guarda da alfandega Jero-
nymo Carvalho. Roubou dos armazens fazendas
que estavam a despacho. Os negociantes roubados
citaram-no juizo, e levantaram-lhe o triangulo so-
bre o livro 5 das ordeoagoes. Naquolle lempo era
to fcil enforcar um ladrao, como fcil hoje apre-
silharlhe urna venera na lapella da casaca. Tem-
pos escuros em que as tarcas eram uns como pos-
tes dos larapeoes, com que a Justina allumiava a
estrada do dever. Hoje a tarca nao passa de um'
pretexto para clamoroso discurso, e chora deiras de
romances, em que o bom siso perneta estrangula-
do as vezes. Eu sou dos que opinam pela necessi-
dade da tarca.... Se queres, vamos discutir esta
questo.
Eu antes queria a historia, meu amigo.
Pois como qutzeres : certa que Jeronymo
Carvalho foi enforcado.... (I) Tinha elle mulher
(i) Esia execucao parece-nos verificada as se-
guintes palavras de Thom Pinheiro ou de Antonio
Vieira, Arte de furtar, cap. LXV : JFuriar o
que vos nao de demandar e fazer pagar, em que vos
pez, a maior tolice de todas, como se viu no que
succedeu a Carvalho, na semana em que componho
este capitulo. Era guarda da alfandega de Lisboa,
c guardava as fazendas alheias muito bem, porque
as punha em sna casa, como se foram suas: foi
demandado por isso ; e porqne nao den boa razao
de si s partes, o puzeram por portas repartido :
pretenden levantar cabeca custa albeia, e levan-
taram-lh'a dos hombros sua custa...
e filhos que sahiram de Lisboa, a esconderem nos
desembargo do pago; e, ao mesmo tempo, um
sertoes do Minho a sua ignominia e muilo dinheiro i Brasileiro, apparentado com os successores da viu-
qne poderai sonegar ao sequestro dos negociantes va, dispendia dinheiro a mos cheias para se en-
desbalisados pelos guardas de armazens. Convida-1 treter com a demanda, por nao saber em que exer-
da pela brandura e amenidades do local, a familia
do enforcado parou as margens do Cavado, e edi-
(icou urna chora que meu av ainda viu, na orla
de um outeiro, chamado a Quintam. A viuva do
Carvalho viveu ainda muitas annos com exteriores
de penitente pobrera ; e, morrendo, deixou um fi-
lho, que ataron os montados visinhos, e fabricou
melhor alojamento na assomada das suas gandras.
citar a sua ociosidade. Ou porque a justica esti-
vesse com o Brasileiro, ou porque o dinheiro e ac-
tividade creassem urna justica de proposito para
elle, ou, e o mais provavel isto, porque no tribu-
nal da Providencia se decidisse afinal o pleito, o
certa jue Joo da Quintam perdeu a causa reco-
megada em todas as instancias, e ficou esbulhado
de lodos os bens, sem poder salvar as bemfeitorias,
Deixeraos as scenas lutuosas, e vamos ver a nossa
bella capital por outro prisma.
O theatro S. Luiz abriu-se, mas a companhia a
testa da qual esteve o Sr. Germano, deu fundo por
falta de concurrencia! V. Exc. ha de lembrar-se
de que era minhas anteriores cartas demonstrei
que no tempo do Sr. Coimbra o S. Luiz liaba en-
dientes, sendo que os beneficios at abundavam :
bem se v, pois, que a questo nao de falta de
gosto, actuaram outras eausas, que como extranho
nao' sei definir : o certa que o theatro est fe-
chado.
Aborrego o cynismo, nem sou egosta; mas
posso dizer, quanto a mim, que nao lhe sinto a
falla.
E que e importa a mim ver em repetido mas-
sante o Bento dos pontinhos, quando nos saloes da
mais alegre sociabilidad? vou encontrar a urbani-
dade, a singeleza, a limpeza as aec5es?
Sabe V. Exc. quanto aprecio as reunioes domes-
ticas ; pois bem, minha senhora, as do Maranhao
,cho o encanto da vida, faltndome nellas apenas j
Supponha a minha senhora que em todas as fa-
milias onde tenho a honra de ser apresenlado, acho
o acolhimento, a cortesa e a benevolencia que
achei na de V. Exc. Como poderei ser indifferen-
te ? Pois o facto d-se.
J fallei V. Exc. em tantas, e quando Iratei da
lamiha Braule nunca pensei que V. Exc. me hon-
rasse tanto mandando dar publicidade s minhas
cartas de 7 e lo de junho, em as quaes descrevi urna
festa de Santo Antonio em familia. A Situacao as
extrahio do Publicadar; foi mais urna honra ao
mrito desta digna familia : estimei em parte.
Tambem j signifiquei a gratiao e obrigago em
que me vejo para com a distincla familia do Itlm
Sr. C. T., cujas virtudes, honradez e cavalhei-
rismo descrevi, bem como de sua digna esposa e
filhos. Lendo-lhes eu a carta de V. Exc. foram mu-
sensiveis Idea que V. Exc. delles forma.
Obtive permisso de enviar V. Exc. o retrata
do Illm. Sr. (1T., o de sua senhora e o de unta
de suas filhas, fallando os de duas e o de um me-
nino, os quaes iro mais de espago.
To instruida c sensata como V. Exc. revelar
o silencio que guardo sobre es paes, deixando-me
apenas tratar dessa creanga de onze annos.
Esta menina recebe no collegio de Nossa Senho-
ra da Gloria escollada educacao, que a sabeui dar
as Exmas. senhoras Abranches mui dignas direc-
toras ao collegio. Este estabelecimento notveil
Srelta, engragada, o typo da brasileira do
norte.
Nimiamente viva, com essa agilidade dos onze
annos, v-la dancar, ver i propria Therpsicore
cadenciando a msica I
Nao sei o que pense desta bella creatura. Deus
as vezes, como que se descuida, deixa baixar trra,
em forma de urna menina, um desses sens anjos,
qne lhe entoam hosanas no cu.
Velho e alquebrado, custumado a ler no futuro,
ja prevejo as alegras que causar d'aqul cinco
annos a menina de quem venho de tratar.
Nao na educassem com o esmero com que o fa-
zem seus paes; aferrolhassem-na para que s fosse
vista pelos tos e pelos primos; mas deixassem-na
ter consciencia da sublimidade de seus dotes natu-
raes. Ahi teamos urna faina, ignorante, urna ca-
bezuda, um brilhanle por lapidar, ao passo que
desde j a alegra de seus paes, que se inebriara
com a veneragao e respeito de que a vem cer-
cada.
E s senhoras Abranches cabera a gloria de for-
maren) o corago e pulirem o espirita daquella que
foi confiada ao sen saber, s suas virtudes.
Os salces saudarao a jh mansos como cordeiros, abaixarao a juba; a fa-
milia receber o seu anjo, e a patria abrir os
bracos futura mae de familia, que saber dar a
seus filhos a seiva da vrlude e da boa educago
que lhe proporcionaran) seus paes, que lao cario-
samente lhe escolheram lo dignas preceptoras.
Estes, minha senhora. os votas que fago pela
amiguinha que amo, como a filha.
Sei queV. Exc. enriquecer o seu lbum com os
retrato?, que a esta acompanham.
Permitta-me o poder eu sempre subscreverme
de V. Exc. amigo muilo obrigado.
L-sa no Jornal de Lisboa o que segu :
O juiz criminal encarregado de informar a res-
peilo do processo dos advogados, decrelou que os
Srs. Garnler, Pages, Carnot e mas dez compare-
cer no tribunal da polica correcional por terem.
nos annos de 1863 e 186', formado parte de urna
associago composta de mais de vinte pessoas.

Foi grande a aclividade desenvolvida pela Ope-
ra real de Berln, na poca theatral que findou ha
pouco.
Houve cento e trinta e tres representag5es, das
quaes vinte e seis foram operas, trinla e sete ope-
ras cmicas (compostas pela maior parte por Mo,
zart, Gluck, Weber, Mebul, Mererbeer, Cherubini-
Auber, Nicoiai -c Gounrd). e sessenta bailes.
Entre as primeiras tornaram-se notaveis : a Re-
ble de Schmid*;*a Roze Ambassadriee, de Anber ; e a Olypia, de Spon-
lini, novamente instrumentada.
As despesas feitas com o reporlorio das scenas
lyricas taren, reembolsadas, na semana linda em
16, principalmente pelas Noce de Fgaro, Jean
de Pars, CendrHlon, de Nicolo, \tartha, Lucia, e o
Armariez, de Lotizing.
Com quanto est fechada actualmente a opera re-
al, nao deixa de haver represeniaeoes de operas e
operetas, em quatro theairos. As mais notaveis
sao as que esto dando extraordinarios lucros s
companhias de Vienna c de Koenigsburge.
Continua-se a tratar dos preparativos para a gran-
de festa, destinada a snlemnisar o anniversario
natalicio de Meyerbeer.
etc. e em todas encontramos
des do dia, que empregamos no trabalho.
pela reconhecida o apreciavel honestidade de suas
a presenca de V. Exc cuja,Uhardia e bella edu-: j^^ > c
cacao empre tenho na lembranca. ^ ^ ^^^
Temos aqui diversas sociedades, as quaes se; ....
discutem questSes luteranas, de beneficencia, etc..' f'raccao 'obusla, moral e religiosa a que al.
muita diversa as li-seda: PedaB"sm<> nao impera nesse collegio
onde a toda e qualquer hora pode fazerse um exa-
me sem dezar do estabelecimento, onde as mara-
Os habitantes do Maranhao, somos, a meu ver os nncnses Debem essa educago que as loma urnas
mais felizes do Brasil, porque irabalhamos de dia e senhoras dignas dl! veneragao.
brincamos noute, E- an qUe esla edacando-se a Exma. Sra.
Nao ha 30 horas que assis a um acto grandio- \ p
so, de que quero fazer especial menso para que V. j Esla menioa um dcstes enlcs Miados por Deus
Exc. veja qual a posigao brilhante da mulher no: para oslentarem uma forca de indiligencia admi-
Maranho. rave|,
vs
ciaes da justica p-Io fra de casa. Ajuntou que, tinna sulIra{ios do uma missa; e uin tQae a de_
Casou o filho do enforcado com uma cigana, tara- j absorvidas nos rendimentos de oitenta e cinco
gida as penas horriveis da ordenago do reino, e annos.
perseguida pelos quadrilheiros do corregedor de
Braga. A cigana, que se acontara choca do filho
Esta queda dos soberbos, vaticinada pelo meu
abbade, coincidiu corfi a elevago de Luiz engeita-
do supphciado, para haver de casarse, fez publica do ao degru convlslnho do fastigio humano-
conQsso dos seus pactas com satanaz, e entrn no
gremio da egreja. Deste malrimoniamento gera-
ram-se filhos e Albas. Cem annos depois, a casa da
Quintam era uma das primeiras da comarca. O pe-
culio de Jeronymo Carvalho desenrolava-se em
fertilissimas campias, pradarias e florestas.
Os bisnetos, porm, do filho do enforcado foram
grandes disipadores, e esbanjaram o principal do
grande casal. Mbrreram estes e ficou um clrigo
herdeiro das reliquias do espedagado theseuro do
guarda de armazens. Este padre era o terror do in-
ferno. Mulher possessa que lhe cingisse a estola,
ou experimentasse o tacto das mos deraonifugas,
fica va saa. Entre as suas energumenas, teve elle a
dita de (impar uma das sugidades da sevandija
infernal. Era esta uma rica viuva, sem filhos, que
to reconhecida lhe foi, que o deixou seu herdeiro.
O padre Antonio da Quintam, que meu pae ainda
conheceu, refez a casa desbaratada de seus avs, e
chamou a si am sebrirho para Ih'a deixar. Porm
os presuniativos berdeiros da viuva puzeram de-
manda ao successor do clrigo, allegando a denun-
commenda da ordem de Christo !
Tinha cinco filhos o lavrador despossado repen-
tinamente dos seus casaes. Chamou o mais ve-
lho, deu-lhe uma davina, e ordenou-lhe que pas-
sasse com uma bala o peito do Brasileiro vencedor
do pleito.
O filho entendeu que lhe era menos penoso vi-
ver simplesmente pobre, que pobre e assassino ao
mesmo tempo : resistiu s ordens do pae, e fugiu-
Foi terse com a lia Therexa, e conlou-lhe em
lagrimas a desventara de sna familia. O commen-
dador Luiz Ferreira assistu exposigao do so-
brinho.
Fica em nossa casa, mogo,disse Luix e
vae fallar com teus paes e teus irmos, e diz-lhes
que venham para aqu, onde ha pao em abundan-
cia e graga de Deus.
Eu irei com o mogo, se tu das licengadisse
Thereza.
Pois, s fu vaes, iremos todosacudiu o com-
mendador.
E sahiram todos era busca da familia pobre, que
cia da testadora, e as pas fraudes com qne o padre morava a distancia de tres leguas.
lhe conturbara o espirito. Este letigio tinha oiten-
ta annos de duragSo, enredado as trapagas da ju-
risprudencia, quando casou Josepha Ferreira, a cu-
nhada do Luiz togeiado. Joio da Quintam, sexta
neto por varona do enforcado, despresra o pro-
cosso, que desde 1830, se enterrara as estantes de
Quando chegaram vista da aldela de Jlo da
Quintam, dobrava finados o sino da parochia da
freguetia. Um lavrador, qie gnardava ama leira
na quebrada do monte, sahiu-lhes ao caminho, e
conlou qne o JoSo da Quintara matara com um tiro
o Brasileiro de Villar, quando elle a cora os offl-
o homicida se dera logo priso, e pedir que o
deixassem despedir-se dos filhos. Era urna dr de
coragoajuntava o informadorveloabragado
mulher e ao filhinho de dous annos, que ella tinha
ao peito.
Luiz Ferreira tai indo seu caminho at casa
da Quintam. Encontrn uma cunhada no quin-
teiro, rodeada de povo, eom a creanca nos bragos,
e tres meninas entre dez e quinze annos, sentadas
ao p de si. Josepha lavava de lagrimas o rosta
do filho. As meninas, com as maos na cabega, e
o rosta sobre os joelhos, parecan, empedernidas
e fulminadas pela desgraga.
Luiz levantou sua cunhada por um braco e
disse-lhe :
Venha d'ahi com as suas filhas.
A desgranada ergueu-se, e disse s meninas que
a seguissem.
O coramendador deu ao sobrinho o dinheiro que
trazia, e roandou-o ir no seguimonlo do pae, que
caminhava para a cadeia de Braga.
Quando Luiz Ferreira sahia da aldeia com a fa-
milia de seu cunhado, encontrn um clrurgio,
que lhe disse :
O homem nao morre.
Qual homem ?- perguntou o comraendador.
O Brasileirorespondeu o cirurgie-
Gragas ao Altissimo !exclamou Thereza.
Tu devias tambera exclamar alguraa consa I
me disse Antonio Joaquim Bem se v que tens
calo no sent menta I Nao ha surpreza que com-
mova um romancista, vezado a inventar surprezas,
que transcedem os limites do disparate.
Estou pasmado ; mas nlo exclamodisse eu.
O Brasileiro,continuou o meu amigo -assim
que se viu ferido n'uma espada, doclarou que es-
lava mono, e cahiu sera sentidos. Os homens da
justica levaram-no para a casa com repulago de
deunto, e ..
E os sinos,- ajuntei eu que nao tinbara ra-
zao para seren mais entendidos em ferimentos
que os offlciaes de jusliga, comegaram espantosa-
mente a badalar finados.
Nao foi tanta assim. Os sinos dobraram por
uma velba que morrera na freguetia visinha ; e,
como ella era irma de uma confraria da outra*
fuios. Tanta pergunla E' costume teu amia*
dares assim s explicacoes aos teus leilores ?!
E' quando os sinos tocam defuntos por pes-
soas que nao morreram. E depois ?
Depois, o commendador deixou em sua casa
a familia, e foi para Braga com sua cunlmda. Joo
da Quintam estava suecumbido de remorsos e sau-
dades. Medilava em suicidar-se, quando o com-
mendador lhe disse que o Brasileiro viva, e o ad-
mocstou a ter esperangas em salvarse.
O ferido esteve uns tres dias de cama com o bra
go ao peito, e parliu logo para Braga a instaurar o
processo contra o criminoso. Pessoas da amisade
do commendador diziam-lhe que nao receiasse o
resultado da querella, porque no jury se haviam
de preparar as censciencias de fetio que as cir-
cunstancias attenuantes rednzissem a pena de pri-
so temporaria o delicio de seu cunhado.
O commendador, porm, recusou-se a cooperar
no silbme da consciencia dos jurados : parecia-
lhe impossivel e Impraticavel a salvago de sou cu-
nhado, acensado de tentativa de morte premedita-
da e resistencia aos offlciaes de jusliga.
Pouco temp antes do julgamento, mandn elle
vestir de lucio as suas tres sobrinhas e a cunha-
da, e o sobrinho mais velbo, e a creancinha de
dous annos e meio.
Estava o aecusador em Braga, na a Hospedara
dos Dous Amigos quando o coramendador Ibe
entrou ao quarto, em frente da luctuosa familia, e
levou as meninas pela mo a ajoelharem diante do
estupefacto Brasileiro. Pouco mais ou menos, fo-
ram estas as suas palavras :
Esta gente a familia do infeliz Joo da Quin-
tam. O pobre homem tinha creado estes filhos na
Em Cdiz esla Nicolni produzmdo, litteralmen-
te fanatismo; famosa romanza ta Dona e motile,
do Rigoletto, tem sido biste no meio de entusi-
sticos applausos, Mademoiselle- Sonnieri a que-
rida do publico; na parte de Gtlda, da mesma
opera, nao tem tido nunca menos de tres chama-
das.
Na Slartha obteve maior triumpho ainda.

Para Milo est escripturada madama Talvo
Bedogni, que deve estreiarse na parle de Olym-
pia. do Herculanum.
Em Madrid tem feito furor o tenor Mongini; na
prxima poca vae para o ihcairo italiano de Vien-
na. Qnanlo ao mez que Mongini passa em Ma-
drid, alm do tempo da escriptura, lhe pago a
razao de 430,5000 ris cada representago.
Em Londres nao tem agradado a Mrelie, de
Gonnrd. Quanto ao Fau lera embreve uma nova Margarida : prepara-se pa-
ra cantar este papel mademoiselle Artot.
O mais brilhante successo d'esta cantora, en Co-
venlCarden, tai na Trattata.
A Paiti, contina sendo a favorita do publico,
que nao se cajiga de lhe fazer ovages.
Mademoiselle Traeos foi pouco presenteada
com um magnifico bracelete e um par de brincos,
de bnlhantes. l'ma inscripgo gravada no brace-
lete recorda a occasio em que tai feito o presen-
te, e o noincs dos que lbe o nzeram.
l'ma deputago d'estes ltimos dirigiu-se ha-
bilaco da celebre cantora, em Regenl's Park. A
condessa de Lincoen, que a frente da deputago,
dirigiu grande artista, na occasio de lhe apre-
sentar a offerta, algumas palavras exprimindo a
admirar o que o seu distincto talento inspirava..
Entre o's nomes das pessoas que fizeram lao valio-
so prsenle figuram os mais distinctos da alta so-
ciedade de Londres.
meninas, c desta creancinha, que lhe vae pedir
o perdo de seu pae.
E, dizendo, tirn -o menino dos bracos da n.,
e o pz nos bragos do Brasileiro.
Aqui tens mais um Brasileiro bom e sensiver da
serie das minhas historias, ((homem tinha j os
olhos innundados de lagrima*, e a balbuciaeao da
palavra misericordiosa nos labios.. A creancinha,
cuidando que elle era e pae, atbgou-lhe as faces
mui de leve com as pequeninas mos, e proferid
como em vagido supplicante, a palavra fap. Pa-
reca indo instinclo do cu naquelle menino I O
Brasileiro, banhado de pranta, exclamou :
Est perdoado teu pae-! Vae-he levar a boa
nova cadeia.
Vamos todos I disse o jubiloso commenda-
dor, abragando o commovido Brasileiro pelos joe-
lhos.
Sabiu, passados das, Joio da Quintam do c&r-
cere, depois que o ministerio publico desistiu da
aecusago por parte da moral publica, e dos offl-
ciaes da jusuga ultrajada. Nisio que parece que-
o commendador empregou mais dinheiro que eto-
quencia. Em vez de mandar vestir os sonrinos
de negro, encheu elle as algTbeiras de eousas de
cor alegre e garrida.
Nao ficou aqui a vinganga de Luiz eageilado.
Enlendeu-se com e Brasileiro, sen amigo desde
a hora em que choraram junios.* Den-lhe em di-
nheiro o valor das propnedades pennoradas. Res-
tituiu a casa da Quintam a seu cunhado; e no mo-
mento de lhe entregar os ttulos, pagas e quitaro
do Brasileiro, disse-lhe :
Entrego-lhe raetade do que herdei do nosso
cunhado. Rezem muito por alma delle, que nos
deiibu a felicidade de todos. Ensrae Vmc. os seus
abundancia, e nonca penson em ir por essas ter-1 Olhos a serem humildes, e a nao despresaren, os
ras fra a pedir esmola com ellos. Quando se viu i engeiladinbos, que sao os filhos adoptivos de Nosso
de todo em todo desgragado, perdeu a mo, e a! Senhor.
f em Deus. O castigo do sen crime elle ter es-
ta familia a cerner do meu pao, tendo eu sido o
Luiz engeitado que elle despreson a ponto dme
nao querer baptisar um filho. Pois sou eu, o Luiz
engeitado, e nao o homem rieo, quem vem pedir I '
Vrac. caridade e rolertcordi* para o pae destas! PERNAMBUCO.-TYP. DK M. P, DE F. di FILHO
Aqui termina a historia do Lua engeitado, con-
cluiu Antonio Joaquim.
(Ctnttnuarse-ha.)
V


'
.. ..*---


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEEEO4OAO_FOVB21 INGEST_TIME 2013-08-27T22:13:04Z PACKAGE AA00011611_10454
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES