Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10452


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i


AMO XL, flUMEBO 196.
Pp trw Mezes adiantados SgOOO
Por tres mezes vencidos 6Jf00
Porte ao correio por tres mezes. 3750
.** *h iv./ *>
**"> %
SABBADO 27 DE AGOSTO DE 1864.
Por amo ada litad o.....19S00O
Porte ao correio por uai auno 3x000
1NCARREGADOS BA SBSCRQ?ClO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima';
Natal, 9 Sr. Antonio Marques da Silva; Araeaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; CJar, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SCL.
Alagas, o Sr. Claadino Falco Dias; Bahia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe
riera Martins & Gasparino.
>
n r PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Gabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao Gravat, Bezerros, Bonito, Garuara',
d '-T? e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d Alho, Nazareth, Lirnoeiro, Brejo, Pesqueira,
Digazeira, Flores, Villa Bella-, Tacaratn', Cabrob
Boa Vista Ouncury e Exu' as quartas feiras.
Serrahaem, Rio Forraoso, Tamandar, Una, Barrei-
n?SJ ^"a Preta e Pirienteiras as quintas feiras.
una de Fernando todas as vezes que para ali sahirl
T "T10- fc Primeira as 10 horas 34 minutos da manhaa
Todos os estafetas parten, ao /, da. JSegunda as 11 horas 18 minutos da Urde.
EPHEMERIDES DO MEZ EE AGOSTO.
2 La nova aos 13 m. e 12 s. da t.
10 Quarto cresc. as 3 h., 37 m. e 38 s. da t.
17 La cheia as 11 h., 16 m. 44 s. da m.
24 Quarto ming. as 3 h., 44 m. e 20 s. da m.
PREAMAR DE HOJI.
PARTIDA 1503 VAPORES COSTELROS.
, 2?i at i>*iis a o e 25; ps.- o norte at
!r i? j* e22 decadamez' PLTiFernando nos
oas lt dos mezes dejan, marc., maio, iul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS,
a u Recie : d0 Apipncos s 6 Vi, 7, 7 %h 8 e
m V da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 61/2 da m.; do Gaiang e Varzea s 7
Ida m.; de Bemfica s 8 da m.
L V. Recie : para o Apipucos s 3/, 4, 4/- 4 Vi,
5, Vi. o Vi e 6 da tarde; para Olinda s 7da
manhaa e 4 / da tarde; para Jaboato as 4 da tar-1
de; para Gachang e Varzea s 4 '/ da tarde; para
Bemflca asida tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal docommercio: segundas quintas.
Relaco; tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juio do commercio: sogundas s 11 horas.
Dito da orphaos: tercas sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas a sabbados a 1 hora
da tarde
PARTE 0FFIGIAL
fiOVBMO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 24 de ayusto de 1861.
Oflicio ao commandaute das armas interino.
Mande V. S. alistar nos corpos de guarnicao nosta
provincia os recrujas Jos Guilherme da Silva Du-
arte, Manoel Joaquim de Oliveira e Jos Juvenal
Das Brrelo, que foram julgados aptos para o ser-
vio em inspeceo de saude, como V. S. declarou
em seu oflicio n. 1502 de 22 do corrente, remet-
iendo V. S. ao capitao do porto o de nome Bonifa-
cio do Nascimnto, aflm de servir na marinlia. -
Goniinunicou-se ao capillo do porto e ao lente
coronel recrutador.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Estimado senhor.Acabo do receber do Sr.
Tornlon a nota conlidencial, de que remello inclu-
sa a iraduccao, rogando V. Exc. que me faca e
favor de leva-la ao-conhecimento do Sr. presideule
e comniunicar-me sem demora, qual a opinlao
que S. Exc. forma sobre o assumpto de que ella
trata. '
Sou, etc.
,lnn W. G. Lettsom.
A S. Exc. o Dr. Joo Jos Herrera.
DLAS DA SEMANA.
22. Segunda. S. Fabriciano m.; S. Anlhuza m.
23. Ten-a. S. relippc Benicio; S. Davina.
I-i. (hurta. S. Iiartholomeo ap.;S. urea v. m.
28. Quinta h. Luir, rei de Franca.
S s ,\ '''?"00 M s- Constancia m.
27. Sanbajlo. S Jos de Calazans fundador.
28. Doinmgo. S. Agoslinho b. e dout. da egr.
ASSIGNA-SB
no Recife em a lirraria da praca da Independencia
Faria&FUho! propne,anos lian(H,1 Fneiroad*
2 de junho de
por suparte toda a operacao de guerra aggressi-
va, stlio promptos aemprehender a viagem em
companhia de V. Exc, e dos Exms. Srs. Dr. Eli-
salde e conselheiro Saraiva.
E'-me grato reiterar V. Exc. a alta considera-
gao com que lenho a honra de ser, etc.
. Joo Jos Herrera.
a b. fcxc. D. Eduardo Thornton. ministro pleni-
potenciario de S. M. B.
Montevideo, H de junho de 1864.
Senhores. O governo nomeou VV. para
transladarem-se ao campo de D. Venancio Flores
com o objecto de fazer-lhe conhecer e explicar-lhe
e quantos o acompanham, em armas contra a au-
toridade, o decreto dictado com data de hontem,
que junto remeti em copia authenlica.
A letra e o espirito do mencionado decreto sao
rr-~~ .~.uran.MM uc i Mande V. S. adan lar ao alteres Vicente Ferreira pessoalmente, anda que privadamente, com o pre- penho da commissao nu? o^avernoconfia isua
deLoreoa, a importancia de tres mezes desold denle e os ministros. Espera e er que o .cava- discriwao eSotEmn 8overno confla a SU
para Ihe ser descontada pela quinta parto des \hei<~o a/ludido chegar promptamente a urn arran-'
vencimento, visto estar comprehendido na disposi- J conlidencial das dilllculdades, que causaram o
xfSo*1 "}' 28 da ,ei n- 31i de de ou'ubro de rompimento temporario das relacSes entre os dous
i48. Gommunicou-se ao commandante das at- j governos, e que neste caso pode, sem duvida al-
Confidencial.Buenos-Avres,
1864. '
Meu caro Lettsom.O governo argentino conti-
na desejoso de chegar a um accordo das suas di-
vergencias com o de Montevideo.
Por isto resolveu enviar um Sr. queoecupa aqui
elevada posicao, Montevideo, em carcter ,
S *0Uver SSfS&SS^ 13"06' Igna' Cfer qU8.e,ie n0 ,uiz rnos,rar ua caPi,al d0 if"Pe-
KliStefC inlS22L.de?22S qU' qUC ll"-hai"ei0 de Mef ^-^l'Preeer a p.hysi-
.rn.tKffi.,nSH fasas* e ,sentos-1 .?.s i ca-Para nao desmentir todos esies que se letndo-
qne nulas flguraww, de qualquer responsab.li- dicado ao estudo dessa afTecc> e por-se com elle.
e-- ;. em desacord. Seja o que fr:
lenao iranstendo sua residencia para o Re- ''
cite o alteres da seccao de reserva n. 1 da guarda :
naciooal de Olinda, Benjamn Constan! da Cunha
aaiies foilhe mandada passar a guia competente.
A Jeronymo Duarte Rodrigues e Abrahan
res e Castro e indignada por E. Astudillo para a
preparaeao de suas formulas, llecolhemos taes
rormulas por nao constar-nos que seu i,u!or se
acliasse aompetenteimmte habilitado para faze-las
bem7azao"'tnha7sr. DXsan^^iMndo,escre?, denuS ,*?l *!X,rav"aa"'f/wc5o,'Tqu7i
vendo a vida fallecido Dr. Jos Eustaquio Gomes, e !!? ,r i S de caPaeidade medicada seu
reraontando-se ao anuo de 18l7.assim dizia t ?.' e p'.r ol,i,sI ve.ra ^onselho que elle segu
mas.
Dito ao mesmo.Expega V. S. suas ordens para
3ue o inspector da alfandega, entregue ao comman-
ante do segundo balalho de infamara um ca
guma, converler-se esse resultado em urna nego-
ciago offlcial.
O general Mitre e seus ministros manifestaran}-
a eenflanca que nutrem de que o governo
xao com nove livros mestres viudos da corte no oriental otilara para esso gaseo como urna prova
---- n ---- v* lm,llH luuus ua cune uu
vapor Prmceza de Jomvillt, com desuno ao mesmo
atalnao. Comraunicuu-se ao commandaute das
armas.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Recommendo V. S. que por conta das eveutuaes
no corrente exercicio mande entregar Henrique
Augusto Milel, a quantia de 1:500*000, que lem
direilo em virtude do conlrato constante da copia
junta, celebrado com esta presidencia para execu-
tio de um reconhecimenlo geral da actual zona de
actividade da estrada de ferro.
Dito ao desembargador provedor da Santa Casa
de Misericordia. Expeca V. S. suas ordens para
que saja recebido no hospital da cidade de Olinda,
o alienado Andr crioulo, que por parte da repar-
ticao da polica ser enviado para aquelle eslabe-
lecimento. Communicou-se ao Dr. chefe de po-
lica.
Dito ao director das obras militares.Mande V.
. fazer com urgencia, os concertos de que necessi-
ta o chafariz do quartel do segundo batalho de in-
famara que nao deita a agua necessaria para o
mesmo batalho.Communicou-se ao commandan-
te das armas.
Dito ao mesmo. Fica approvado o ajuste que
\inc. segundo o seu offlcio n. 127 desta data, fez
com JosPereira de Alcntara do "O-, para execu-
far os trilhos de pedra necessario no quartel do
nono batalho de infaotaria, mediante quanlia de
260*400.Gommunicou-se ao inspector da thesou-
raria de fazenda.
Circular a lodos os vigarios, menos os das fre-
guezias dos Afogados, Muribeca, Caruar, Rio For-
raoso, Barreiros, Tejucpapo, Altinho, Villa-Bella,
Sanio Antonio e Curato da S de Olinda.Cumpre
que Vmc. remetta-me com a possivel brevidade
um mappa dos bitos havidos nessa freguezia du-
rante o anno prximo passado, organisado de con-
ormidade com o modelo junto, devendofazer igual
remessa nos mais annos, como se Ihe recommen-
*>j em circular datada de 27 de novembro de
1862.
Oflicio ao conselho de compras navaes.Appro-
vo os contratos que celebrou o conselho de com-
pras navaes com dierentes pessas, como me par-
licipou em oflicio de 22 do corrente, para fornecer
ao almoxanado do arsenal de marinha por venda
os objeclos mencionados no citado oflicio.Com-
mumcou-se Ihtsouraria de azenda.
Porlaria. O presidente da provincia, confor-
mndole com a proposta do Dr. chefe de poli-
ca, numero 1026 de 19 do corrente, resolve no-
mear a Manoel Teixeira de Mello, para o lugar
vago de subdelegado do districlo de Una, primei-
ro da freguezia do mesmo nome, e para primei-
ro suppleute do mesmo nomeia Joo Antonio Al-
ves da Silva.Communicou-se ao Df. chefe de po-
lica.
Dita.O presidente da provincia, conformndo-
se com a proposta do director geral dos Indios, da-
tada de 22 do corrente, resolve nomear de confor-
midade com o artigo segundo do decreto n. 426 de
24 de julho de 1845, o capitao Pompen Capistrano
do Reg Lobo, para o lugar de director parcial dos
indios daaldea de Panema na freguezia de Aguas
Bellas, comarca de Garanhuns. Communicou-se
ao director geral dos Indios.
Dita.O presidente da provincia, conformando-
n a proposia do Dr. cnefe de polica, n. 1030
. .----------- i---------* r...-^v t.<_. v una |IUY.
do vivo desejo que tem de realar as relacoes ami
gaveis com a repblica do Uruguay, e que em vez
de querer offender sua dignidade, sao os primei-
ros a adiantar-se na esperanza sincera de renovar
as boas relacoes.
O presidente pediu-me que acompanhasse o ca-
valheiro que ser enviado por parte do governo da
repblica Argentina, e eu acced a esse desejo na
plena confianca deijue o Sr. Aguirre e seus mi-
nistros nos recebero com toda a consideraco, e
nos ajudarao a conseguir o fin da nossa misso,
que nao para o governo oriental de menor ira-
_Os documentos tambem juntos em copia instrui-
rlo VV. do que S. S. Excs. os Srs. ministros
. Eduardo Thornton, D. Jos Antonio Saraiva e
D. Rufino Elisalde, devem trausladar-se ao mesmo
lempo que VV. pelos motivos e para os los esta-
blecaos no decreto e documentos que acompa-
nham, ao ponto onde se acha D. Venancio Flores.
A vista da amigavel intelligencia que existe en-
tre os mencionados Srs. ministros e o governo da
repblica, VV. devero encontrar nelles a maior
cooperacao para chegar ao favoravel resultado da
commissao de que eslo VV. encarregados.
Com a maior consideraco e apreco sou de V.
V. etc. v
Octavio Lapido.
A S. Excs. os Srs. D. Andr Lamas e D. Flo-
rentino Castellanos.
Montevideo, H de junho de 1864.
Sr. general.O governo tem resolvido que por
** ------- O w >v ,(. IKJWHIUU lilii WV1
iLi,o nesta aata ao capitao Crofton que enve pa-' ti dades contra as forrat dp n Vonanrin pa.
ZJ8H ra=i 'TI* &JS*~~9!& i Permanecer'5 elerco 1SffL sel
Eustwoosd mandon-se passar carta de terceiros
inaetiinistas, de conformidade com as inslruccoes
de 2 de julha de 1850.
O mao habito que lem alguem de mandar
reraontando-se ao anno de 1817, assim dizia :
Naquelle lempo anda se tomava ao serio o
exercicio da medicina, rinda era elle sagrado direi-
lo, e rigoroso dever dos que haviam consagrado a
sua existencia ao estudo da mais ardua de todas as
sciencias. >
Anda nao era chegada a epocha venturosa do
l < I I l mn l ^ ^ \ ___ 1.1 a A
nasiar ravain!. u.'r ~iZE"a n anaar t. nao era che*da a enoch venturosa do
Kvlcr 1^* n0oCamP da? Pnnceas, charlalan.smo, na qual todo aquelle que por inopia
ueve ser castigado com as penas da le, por quan- de habli acoes nao acha em nue trnlic hnn.-sia
toessecostumepdei r mos resultada. Cl.a- mente a viua, ou por mLTos'.umes perde"us
mamos a atlencao da autoridade para esse abuso.
A sociedade Corybantina da urna partida no
dia 7 d inmi7 T. n ""*"'"" "" "urt "u i" "'"'"lWfe> iM Oolsa e a saude do
ver/ao SISTS *2tA 'J 2L&f "&*!* W e "
versano da mudanca daquella sociedade para t
predio em que se acha, e onde no decurso desse
lempo, So boas distraccoes tem proporcionado
seus couvidados e socios. E'natural que seja a
partida do dia 7 tao concorrida como as demais, e
que a aireegao, conservando a boa ordem costuma-
da, se tornar anda desta vez digna de louvores.
Angelina Maria de Jess, parda, que repre-! ou da sade
senta ser maior de vnte annos. moradora em a trafico. >
ra da Guia, casa terrea n. 27, freguezia do Reci-
te, depois de recolhida em seu quarlo e deitada,
teve necessidade do bario, e mesmo na cama sa-
tisfaz a precisao natural que na occasio senta,
moas II horas pouco mais ou menos, da noite de
25 do corrente-
Aodeitar o vaso no chao junto cama, escapou-
se-lhe o mesmo das raaos, que ficou em pedaco*,
derramando se o liquido que dentro exista.
Quasi que immedatamente Angelina d urna
ic setue
a anliquada e obsoleta polypharmacia, que des-
eonnece no todo os mais trivaes preceitos de chi-
, mica, poisque une substancias inompativeis ou
que nao podem estar juntas sem desfazerem suas
propiedades e composicao : e ., que mais precisa
anda sua ignorancia que, sendo avultado o nume-
ro de sua, formulas, nenhuma mostra que seu au-
tor eonneca, ou empregue as mais puras, enrgi-
cas e modernas preparares llierapeuticas, ev-
cepedo do sulphato de quinina: e demais, algumas
sao tantas vezes repetidas, que parece aellas ter
seu autor depositado todo seu saber, e toda soa
contian?a ; n sao oslas mesmas o melhor padrao de
sua crassa ignorancia. Pelo exame destas for-
mulas concluio a Commissao que E. Astudillo
mTdicma^nH-'ir'"^0 fra ?er,:ipi0 da
grosseiras do interesse pessoal ero repellidas com! n: on>elno e la,nuem do mesmo pen-
penas severas, e ainda t.nha justo castigo a ; '{** q"c nin8uem julgue, que se excedeu
sem-conscencia homicida daquelles que da vida I m,,. 2"'o0'.'rauscr da seus semelhantes linem infame ^iS6"SS" Ina,s Vezos "P'"-S
I provav.lmente p.r que o seu autor millas mais
confianca deposita, e mais pratico nellas se acha :
meios de existencia, se imlara medico 'de sua pro-
pHU autoridade, e se atku bolsa e saude do
opponham dique efllcaz a tao inmunda corrente,
reduzmdose a proteccao da sociedade em artigo
tao importante, a leis sem execueao, a vaas pala-
vras. Entao anda as artimanhas mais ou menos
Dissemos que foram os protectores do Sr. Aslu- ,? If '??aeV1^ ma|s pratico nellas se acha ;
dillp e Bussams que Ihe emmaranharam a causa ej iV^'i0, ^T q'e. 5 transcriPv30 de taes docu-
mais o comprometieran!, e vamos mostra-lo. | "\ SJS^S0 e .,nlPPor,u,>a (tanta hon-
Se o Astudillo e Bussams, quando fot rilado para
comparecer perante o Delegado de Polica desta
cidade, se houvosse apresentado e tivesse dito que,
se usou do titulo de doutor, foi porque estava per-
suadido que poda faz-lo, visloque tinha a carta
de exarae que exhiba, podendo mesmo por bons l^STA^lTS^n '"*' i
""'"'Vm o urna modos procurar fazer crer que a denomnaco de {Jz*** e IMCeUa-
queda, o tao infelizmente foi ella, que um estica- licenciado Ih'o permitta na lespanlia : se houvesse V J? S?*"
Zl7,3.C' Pene'rou na regiao anterior do pes-; dito que, se exercia a arte, nao obstante ter sido \ M'kn,rf t^L mS.tM
coco, lado esquerdo, corlando a arteria cartida, o reprovado em 31 de Margo de 1851, era porque ., rf if-raislu ..
que produzto urna heraorrhagia fulminante, se- tmha sido approvado en Novembro de 1863 em rSSSil? mace,,a e "tafc
goindo-se amorte quasi que insumanea. | novo exame de suftlciencia. como prova va com a ',! ,aP*
Angelina dorma so era o quarto, cuja porta foi. apostila que se achava no verso de sua caria, pro- u i\,J1
I ra nao merecern ellas), e tal vez que com isso
roubar o lempo a V. Ex.: com tildo o faz tamo par
que serve do prova do que diss, como porque
devem ollas passar para o dominio do publico, para
que este tenba cabal conhecmento desta, e de ou-
iras quejandas importac. es.
1
V,*
..-j--------,. >- .ra huc csiaicnms c-fii won- res, perraanecentes q pTori-in (, 5n M ~ ".: ;. ~1^ii.iim, ......">"": uo auincieacia, como pruvava com a
tevideo no dommgo ou na prxima segunda-feira. mando, na posicao em ouc^o encontren? esta d ^kT dormia ^ era 3"3.0. coja porta foi apostila que se achava no verso de sua carta, pro-
r,WVUe- 3?a conhecer ass""'P'o desta posicao nSamSN^S^Srff SXSf!' 22^ "l?*S pesseas da casa, vavelmenie nao teria seguimento o processo,e o
carta confidenc.al ao governo de Montevideo da S *L.7wEXL RSX^t ft *? ?" a yontraram banhada em seu proprio Sr. Astudillo e Bussams sahira trumphante, sera
maneira que he nareca mais mnnni.nto i h,a i. '... .* s no..caso,le q"e 0b brs- Br ** sangue ; sendo aue urna das nessnas da casa A m* nrecisar da w ,h>.^,.i^ m,c ,.. s..
8 graos
1 ooca
1 tf
9 graos
1 onca
Crea-me seu verdadeiro amigo
Eduardo Thornton.
carta; confldenciai" ao g7vem d"e uSSSuE da i Kcia a'efia.^Mas'no'caso de'aueT s," B n' 111 qUaeS a'econ.raram ^banhada iTSo^prio! ^st^toTstas^^S^riSmpt^ tuSf SSSKS ca'onie,a,nof ><"> se mis-
"l-^ffl**Pi teniente. dr Lamas e D. ^ffXS SA
J& S *IC sa,Cced(0 fac,- eompareceu \ Impedido por suggesloes, e suppondo que nin- JS!!n1Z!^U* deStas ; ellas indicam cora-
ao lugar o subdelegado respeclivo, e na manhaa gnem o havia conhecido no Porto e Lisboa apre- r^nlt.n X,r, ,,., <
de hontem o Dr. delegado, que presidio ao exarae sentou-se arrgame, e quiz snslentar que lnha o ^iXt^JS*^ h Ml
medico que foi precedido pelo Dr. Jos Joaquim grao de doutor, offerecendo consideraco da au- n ^TJSSf*8. as rrmuhs deta naiureza.
deSouza o cirurgiao Joaquim, Jos Alves de Aibu- toridade policial um esempnr de sua these, em..R- F irarm d'^hf.X "'
querque, os quaes depois de exame e averigua- f na nana la ..m ..i...... .;.-.___..------:..'.:.
' Ces, declarar.im haver sido o ferimenlo encontra
,. r i*.,*----------....----- .
nados do governo junto do citado Flores, commn-
mcarem a V. Exc. o rompimento da misso de que
iido a honra de oufir a co-mmunicaso confiden-1 n(V1. Ijtnat
t%^Tsr%rt^^Zdrit:r^ E-xra- *^*?JS*w
^nnWi
^IS&X! ,r -^et'pTret^: "
repblica, receb igual communicatao por escripto I
e tendo-a levado ao conhecimento de S. Exc, o
Pendente da repblica, recebi o.dem para mani- i
testar a S. S. para que o transmita a seu digno
collega, em Buenos-Ayres, que este governo acei-
la com prazer o meo que se indica como capaz de '
ajustar as divergencias internacionaes existentes,!
e fara da sua parle todo o possivel para alcancar
os amigaveis resultados, que ha tanto lempo dse
i;i o (Pin ni-j ni i*.., t-i ,1.,
PERAMBOCO.
REVISTA DUBL4.
ja e tem manifestado.
Com este motivo -me grato reiterar S. s. os
preteslos da consideraco com que, etc.
* c Jo" Jos WW*
A b. S, D. Guilherme G. Lettsom, encarregado
de negocios da Inglaterra.
Confidencial.Montevideo. 10 de junho de 1864.
i>r. mmslro.O governo da repblica, resolvi-
do a dar o mais solemne carcter aos seus inten-
tos de sincera e verdadeira pacificaejio, consultan-
do ao mesmo tempo mu serias considerantes de
ordem interna, que nao Ihe possivel desattender,
ornete o decreto de que tenlio a honra de remet-
tot' V. fcxc. urna copia authenlica.
Esse decreto encerra as bases da pacificacao in-
terna, que V Exc, tamo como SS. Excs. os Srs.
Saraiva c Elizalde, consideravam essehcialmente
sulhcienles para obter a desejada pacificacao.
O governo, cerlo de que, assim procedendo,
com sincendade e lealdade, e empregandb ludo o
que lne permttdo para alcancar a pacificacao
interna, confia em que, por este meio, ieam igual-
mente confirmadas as bases j convencionadas em
presenca de V. Exc, para o ajuste das uucstoes
argentina e brasjileira.
Ao fazer V
cao, e rogando-
Excs. os Srs. D
lenho ordem pa
Apezar da boa vontde que tinhamos desde
muito de visitar o Hospital Portuguez de Benefi-
cencia, em um dia ordinario, s ante-hontem po-
demo-lo fazer, e convm contessar que encontra-
; mos all asseio e regulardade na marcha do ser-
| vico, devdo isso dedcaco da actual junla ad-
ministrativa e ao zelo e'cardade evanglica do
Rvm. padre Caetano Pereira Pinto de Lemos, mui
: digno regente daquella casa.
E' incrivel quantose ha all executado, de algum
tempo para c. e mais sorprendente ainda a obra
importante de urna nova e espacosa enfermara
que se comegou ha vinte dias, e'que deve icar
rompidamente prompta para o aniversario,quan-
do se sabe que sao apenas os bolos dos socios que
formam o patrimonio dessa casa, impellidos pelo
amor do prximo desvalido.
Visitamos com minudencia, gracas obsequio-
sidade do Sr. Joaquim da Silva Costa, mordomo de
semana, e do Rvm. padre Caetano, as tres bellas'
o Croduzldo por um esticalho do bacie.
-^ Rkpahticao da polica.
Extracto da parle do dia 26 de agosto .,
Foram recolhidos casa de detenco no dia
do corrente :
A' ordem do subdelegado de S Jos, Lourenc
Tarares, por disturbios.
A" ordem do do Peres, Jos Bernardo do Nasci-
mnto, para averiguacoes.
O chefe da 2* secgao
J. G. de Mesouita.
Movimento da casa de detenco do dia 23 de
cuja capa se i em abreviatura essa denominacao;! rimi.hnrs
representou contra e*sa autoridade ao Tce-ca*ol MistVir^
P^S n\Sr^^nEldedumrSl&SSi', ""* otmah* se -be de ^ cera
fie 1864. de um hornera, rSHBShtKtffS tft^IfflVSM 2* fi *""
25 vados, constituiran! crimes; envoIreaoSr Camillo aZr S& %' f 2uan,,dade <*ao 39
d'Andrade nessa queslo, e esse moco brasileiro, quer- bM mu,tas as frmulas desle Iheor.
supjwndo estar revestido do carcter de ministro, e R. Aguadstlada.
achar-se apoiado sobre alguma esquadra fundeada Sulphate de quinino.
em nosso porto, dirigiu queixas sobre queixas ao Crmor de trtaro,
fcxm. 1 residente da Provincia; e por fin o Inspec- Serope de casca de cidra
lor de saude publica atteslou que o Sr. Astudillo e Misture.
Bussams tinhaseu diploma de douctor em Medici-
na pela Faculdade do Rio de Janeiro, e que esse K-
Existiam..... . 351 presos
Entraram___ 2 .
Sal iran...... 2 >
Existen)...... . 351
A saber :
Nacionaes___ 292
Estrangeiros.. 12
Muflieres..... 3 <
Estrangeira... 1 >
Escravos ..... . 39 .
4 >
1 libra.
24 graos.
1 oitava.
1 onca.
enrermanas, onde ouvimos dirersos doentes louvar
o bom servigo o o carinho com que sao trata-
dos, mas tambem a botica, o jardim, a horta, a
cas de banhos, o viveiro de peixes, a cozinha e
mais dependencias, onde reinava boa ordem e asseio
condigno com o estabelecmento.
Na capella, que simples mas preparada com
gosto e espirito religioso, notamos a naturalidade e
II HtllP'ull (i,\ rrtholhfi At ;,,,,,-,, A, O sL.Z. 1_
fcxc. esta agradavel communica- o delicado do trabalho da imagem de S. Joo de
n iS"fl u gne lransm'"'-,a a ss- Deus, que bem demonstra o ter sido exeeutada por
. r. ensarne e conselheiro Saraiva, mo de mostr.
reguezia de Una. por ter o que havia sido nomea-1 Tenho a honra de ser etc MBU0 r,ores- ?" *ror50S Para 1ue se colloque a par de seus
se ao Dr. chefe de nnlit-ia jouo josi iienea. Pedem-nos a transenpeao da segrale dispo-
la ser desvalida.
Expediente do secretarle do governo do dia 2 i
de agosto de 1865.
Oflicio ao commandante das armas.De ordem
de S. Exc o Sr. presidente da provincia, cornmu-
nico a Y. S. que nesta data autorisou-se o director
de arsenal de guerra satisfazer o pedido do com-
mandante do nono batalho de infamara, que al-
lude o offlcio de V. S. numero 1510 de 23 do cr-
reme.
Despachos do dia 2 i de agosto de 1861.
Requer intentos.
Francisco Malaquias Soares.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Gertrudes Mara da Conceico.D-se passagem negociacao.
"aria MinervinVdfjesus -Nao tem iuear o uue v^T-t *** 0PPrtu.nidade Pa offerecer V.
quer a Duplicante 8 Q I a exPre.SSi da mais alta e distincta conside
apresentar, na primeira sesso do anno seguinte
urna MEMonu histoiiica-acadbmica, em que se re-
latera os acontecmentos nolaveis do anno findo.
Vamos n'ura espantoso progresso era mate-
requer a snpplicanle.
Manoel Baptista Barliosa.Em vista da informa-
':v> nao ha que deferir.
Trajano Justino de Oliveira. Dirija-se ao Sr.
gerente da companhia Pernambucana.
IBTERIOR
RIO DE if AXI2IIIO.
M dejlhede 1S6.
Julgamos conveniente publicar os documentos
relativos mallograda nefociaco, entabolada pe-
de V. Exc, datida de hoje, e prescindindo dos an-
tecedentes a que se refere, e da forma que envol-
ve o pensamento do governo de V. Exc, preoecu-
pando-me tao smenle cora o grandioso intuito da
pacilicacao do Rio da Prata, e vendo nosdocuraen- ,h dp /,,,,,;,":
tos que V Exc digoou-se remelter-ine o nobre T^Thr,
proposito de erpregar, quanto cabe as atlribui- auda,C1'4 s 'arapios ja nao respoita os objec-
Soes do governo e da alta policaf p"?a alcancar ; ^n*8,?^*' "0S EW" ,emP|os sarados-
essa pacificacao, recebo essel documentos coS LWf pSl-t^^S rUbadaS *
urna generosa resolucao que pode conduzr ao re- SSSjIiS "ncisco duas primorosas iraagens,
sultado que todos desejamos, e rogo V Exc sir-' SS!? ?e Jesus 'Wf e.0U,ra de San,a Anna- e
va-se nomear ama pesoa q'uo posfa faze-la conhe- ^"SMg de a,t0 W e va'a. "5o obs-
cer e explica-ll e que un da as Exms Srs mi- reconhecida vigilancia do respectivo guar-
nistros conselhf Iro Saraiva eDrEl salde' se dihja ^ P,adre mcs,r? fre' Joa.? Baplista I De modo
comnosco ao lugar, onde de vemos encontrar-nos JtoV ftif (St f^fLI!?1^ 8acrile
coni o
narmos
commette sacrilegio ou tirando-se a cousa sagrad*
do lugar sagrado, ou a cousa nao sagrada do lugar
sagrado, ou a cousa sagrada do lugar nao sagrado
sacnlegmm commillitur, auferendo sacrum de sa-
cro, non sacrum de sacro, sacrum de non sacro,
E, |wis, a subtracao de objectos sagrados furto,
porque tira-se o alheio contra a vontade de seu do-
**'*, 1. de junho de 1864.1 R US^JSBgF^^S ft2
. mimsIro.-T.ve a honra de receber c de le- de oracao e nao espelunca de tmlroes Domas mea
seo ao lugar, onde devemos encontrar-nos HV* Kffi ?*2r,&I0r*" sa.crile-
general D. Venancio Flores, afta de comb- fZJiJ thLgu,a M ,grejaJ. segundo os
s rom elle nos meios prancos de eflectuar a 2JS2? *rKLtetSJK? d"'em que
acao. i J-0,n"le|ie sacrilegio ou tirando-se a cousa sagrada
... 351
Alimentados custados cofres provinciaes 148.
Movimento da enfermara na dia 26 de agosto.
Tiveram baixa :
Bernardino Jos Patricio, sarnas.
Manoel Rodrigues do Nascimnto, defluxo.
Obituario do ckmiikrio publico xo da 23 de
agosta de 1864.
Joaquim Martniano de Farias, Pernambuco, 43 an-
nos, casado. Boa-Vista ; catharro pulmonar.
Gosmej escravo, Pernambuco, 2 annos, Recife: con-
gestao cerebral.
Antonio, liberto, frica, 50 annos, solteiro, Boa-
vista: enteritechrnnica.
Mana Joaquina do Sacramento, Tambad, 32 an-
nos, solteira,Recife; bexigas.
Ju*nna Au8"sta Dorothea daFonseca, Pernambuco,
40 annos, solteira, Afogados : molestias de peito.
Solero Calo de Medeiros, S. Paulo, 40 annos, soltei-
ro, Boa-Vista ; ascte.
Luza Maria Francisca, Pernambuco, 42 annos, sol-
teira, Recife; phlvsica pulmonar.
Josepha Paulina Coelho, Pernambuco, 50 annos,
casada, Sanio Antonio ;. entorile chronica.
Maria da Conceico Paiva, Pernambuco, 60 annos,
viuva, Santo Antonio; catharro pulmonar.
Clara Mara das Mercas, Ro Grande do Norte, 40
annos, solteira, Recife ; varilas.
Maria da Penha Paes Barreto, Pernambuco, 16 ca-
sada, Boa-Vista ; phtvsica pulmonar.
----------------*, uw mu uu Jciun", C i|i.it; C5.1C
diploma achava-se registrado pela Junta Central de,
Hygiene Publica, e quiz, dirigindo-se, segundo di-,
zem, presidencia que se sustasse o processo,
allegando que era a elle que compettia a iniciativa
da infracfo, talvez por suimr materia que dizia
respeito sade publica.
Estando neste p as cousas, a queslo nao poda
deixar de ter desenvolvimento. O Sr. Astudillo e
Bussams nao tem diploma, que o autorise a servir-
se do titulo de doutor, o vce-concul de Hespanha,
que atlirmou que elle era doutor em medicina pela
faculdade de Madrid, nao pode prova-lo e allega I
que ro lapso de penan de seu copista em escre-'
ver doutor em vez de dom e o inspector de sau-
de publica parece estar-se vendo em diffleulda-
aes para haver urna copia authenlica do diplomn de dem su;
doutor em medicina pela faculdade do Rio de Ja- tosas.)
neiro que atteslou ter o Sr. Astudillo e Bussams,
porquanlo esse diploma nao existe, nem pode exis-
tir a vista da apostila que se le no verso da car-
ta que apresentou o referido subdito hspanhol ;
mas esse individuo de nome......que, levado
por intrigas pegueninas, e por meios frivolos e re-
provados, prnalecendose de algum crdito de que
gosa nesta cidade, persegu! no exercicio de funecoes I
Agua commum.
Sulphate de quinino.
Crmor de trtaro.
Serope de gomma a ravica.
Misture.
>i libra.
12 graos.
1 oitava.
1 onca.
NesUs formulas, urna com agua destilada, e ou-
ira com agua commum, nao se dissolve o sulphato
de quinina ; pessimo uso.
Para cozmhar.
Alecrra, afazema e salva (quanto
nao diz.)
Sal de chumbo. j oitava.
Raz de ansloloquia redonda. 1 onga.
(bo D. Astudillo sabe cozinhar sal de chumbo.)
alecrim, a alfazema, a salva coziuhados per-
propriedades essencaes e medicamen-
R. Infusao de sene tartarisado.
Callme!.
-Misture.
R. Cozimento de valeriana,
Sulphate de quinino.
Crmor de trtaro.
Serope de casca de cidra.
5 oncas.
4 graos.
1 libra.
24 graos.
1 oitava.
1 oni;a.
COMMNICADOS.
recio com que lenho a honra, etc.
Eduardo Thornton.
Ao Exm. Sr. Dr. D. Joo Jos Herrera.
var ao conhecimento de S. Exc. o presidente da re
publica a resposta que V. Exc. servin-se dar mi-
nha confidencial de hontem, e recebi ordem para
domus'orationis etc. (S. Malheus 21).
As consumieses do arcebispado reservan e pu-
nem com excoraraunho maior o furto de igreja
.:> -... u ucgmiavdu, Duuuv...ua ye- m uriemai, e como urna generosa resol
los ministros do Brasil, da confederajao Argentina i pode conduzr ao resultado que se desoja
e da Graa-Breunha, no intuito de celebrar um i Em virtude do que determina o decreto V
convenio de paz entre o governo da repblica Exc. hornera communicado, foram nomeados em
oriental do trngoay e o general D. Venancio Fio-; commissao S. Exc o Sr. D. Andr Lamas e o Dr
"i' ttn =.. u .,- I DF,oren,ino Castellanos para que se transporlem
m->r m -^ deMM ^^ hamllta Publ,co a for- p<>nto onde acha D- Venancio Flores, com o
era si ^mn IS??" a" ? Z**'0 a neKociacao ilM,|hS respoodida a parte final da communicaco
era si como sobre as difflcnldades que, hoje como e V. Exc. ^
S-^'am a diPIomaria-nessas paragens. Os mencionados senhores, munidos de instrnc-
Nou reWadSfI'TiTO m 0VRS7'M oMtartAL. cSes adequadas ao objecio qoe se propSe o gover-
de'ianhn dTm confldencal.-Montevido, 3 no, e portadores de urna ordem para o general em
ae jonno de 1W4. I chefe do exercito naciODal afim de saspeoaa
manifestar a V. Exc. que o governo da repblica que excede de um marco e rala e
senlioamais viva satisaco ao ver apreciada a; ou prata pertencente ao altar em ualqSer nuan^
sua resolucao do da 10, tendente pacificacao in-; lia....(Const. lv. 1 1,1 44 ele) (,ualquer 1uan'
Posto isto, evidente que se achara inenrsos na
excommunhao maior os ladroes ou ladro das ima-
gens e calix.
------------------*------- "^ %.MWVMV j'd lili III mi lli"
terna da nagao, corno o testemunho do nobre pro-
posito em que se acha e da alta poltica do gover-
no oriental, e como urna generosa resolucao que
Madama Ferro, que ha bastantes annos pre-
para e tornece comidas casas particulares ou em
sua casa, acaba de dar maior impulso sua in-
dustria, estabelecendo um asseiado e conforlavel
hotel, na ra do Trapiche o. 5, sob o titulo de Ho-
tel Italiano, onde poe disposico do publico bons
commodos, lauta e profusa mesa, par de sua
alfabilidade e Ihaneza.
Em additamento noticia que demos acerca
das letras que foram descontadas na Caixa Filial,
m as Armas dos Srs. N. v. Bieber & C. e J.
Keiter (.. e por cojas sommas vSo ser acciona-
Tundo nos citado these. que apresentou Fa-
culdade de Medicina do Rio de Janeiro o subdito
hspanhol Epiphano Astudillo e Bussams, doze
annos e oito mezes depois de sua reprovaco, isto
e, em novembro de 1863, nao podemos de'ixar de
tazer publico que elle, quando all se oceupa do
tralamento do plkysica, assim se exprime :
Dissemos que nao era mpos pthysica no primeiro periodo da molestia; mas
devemos confessar com toda a sinceridade que a
t n<7o posstte meio algum seguro de conseguir
este resultado, e nisto eslo conformes lodos os que
se tem dedicado ao esludo desta enfermidade.
E mais adianto:
t Anda que seja quasi impossivel curar a pthy-
sica, todava a arte possue recursos para acalmar
os padecimentos etc.
Entretanto dizem os protectores do Sr. Astudillo
e Bussams que elle cura a pthysica era qualquer
periodo ou grao, e esla urna das minas exploradas
desde mnilo, como o tem sido o da cura radical de
qualquer hernia. E" verdade que o Sr. Astudillo
c Bussams, apresentando sua these, nao fallava aos
doentes, mas aos lentes da Faculdade de Medicina
do Rio de Janeiro, e foi sem duvida por isto que
quiz ser franco e exprimia-se na introduecao dessa
these por este modo :
Observando o qnadro nosologico do obituario
do Rio de Janeiro se ver que a molestia qne mais
vidas rouba sua populante em todas as estaedes
do anno a pthysica, sem que at hoje se tenha
podido achar um remedio que a cure, apesar dos
rautos que. se tem preconisado como infalliveis,
mas que s tem aproveilado a muilos especuladores
e charlataet.
Nsto com eTeito foi sincero o Sr. Astudillo e
Bussams, e den um desmentido qoelles que propa-
lam que elle cura essa enfermidade; entretanto, se
seus protectores dizem a verdade. enlao devemos
officiacs a innocentes, nao gostou da calumnia, e por! / T-XL.icascaJde Cldra- \ onfa-
isto ja pedio informacoes Rabia, Ro de Janeiro, 7U,? naDa perde suas Ppriedades pelo co-
ceara, Maranhao e Madrid 0 va pedir Lisboa, umemo>
ha de exigir que-o Sr. Gamillo d'Andrade exhiba Para'papas.
\ -Ti.T il"1 de 252 Sr ,Htudl,!? S Bss'1ms Alta cicu,a rosas em P edoutor em medicina pela Faculdade de Ma- deque?)
drid, nao estando muito pelo lapso de penna, pois-
que nao admiravel, visloque nao se hdom
em Medicina pela Faculdade, etc., levar consi-
derado do governo imperial o attestado do inspec-
tor de saude publica e a prova da nao existencia
do diploma de-doutor em medicina pela Faculda-
de do Rio de Janeiro, se o contrario se nao pro
Cozimento de quina.
Extracto de chumbo.
Extracto de belladone.
Campliora.
Misture.
libra,
oilavas.
oitava.
oitava.
ua belladona, prova de consumada ignorancia.)
(Mandar misturar um sal de chumbo com cozi-
var, e por fim ajustar contas com o Sr. Astudilloe;meut dB 1uina- e misturar campliora com agua
Bussams por ter no carcter particular, escripto : S8 Ul" cozimento : unir as propriedades therapeu-
aquellas amabilidades. 'Jcas do chumbo, da quina e da camphora com as
E' verdade que consta que os protectores do Sr.
Astodillo e Bussams Ihe metiera na cabega ijue
elle, raesrao nao provando que doutor, e reco-
nbecendo que foi reprovado em exame de suIHclen-
cia passado em 31 de Margo de 1851 perante a
raculdade de-Medicina do Rio de Janeiro ele-
vando doze annos e oito mezes sob a accao da re-
provaco, embora em annuncios publicados no
Diario de Pernambuco de 5,6 e 7 de Agosto de
1851 tivesse alarmado que sua carta havia sido
verificada por aquella Faculdade, tem direilo a \c u urna 1
exigir desse-mdividuo-ou do governo brasileiro i lycresle ou de Rochelle, oa de Glasser e sao di-
uns cincoenta 011 sessenta contos de res de indem- terenles: aquelle lartrato de soda, e este sul-
nisagao por causa da injuria, e prejuizos soffridos phalio de soda; porm a ignorancia do autor faz
em sua immensa clnica, como elle disse ao vice-1 com que elle so contente cora tudo que o botica-
cnsul de sua nacao ; mas ludo sto prova a juris-; rio quizer. Ha desla especie quasi 2i3 : a sua
prudencia desses protectores, que se persuadem predilecta panacea.)
R. Crmor de trtaro.
Sal catrtico.
Magnessia calcinada.
Escamonea.
Jalapa.
Sal polycreste.
Ruivarvo.
Misture e divida em
1 onca.
2 oncas.
2 oilavas.
2 oilavas.
1 oitava.
2 oilavas.
1 escropulo.
12 papis.
( E' um misto que se nao comprehende; sal po-
que isto o mesmo que fazer funis de folhas ou
penetrar mascarados em seus proprios eslaheleci-
mentos para rouba-los, e mostra que um enfermeiro
affouto pode pretender a muito, mesrao a algum
lugar na casa de detenco, se se provar aquillo
de que sesuspeita.
Basta : esperemos pelas informacoes ; mas em
quante estas nao chegao, toga mos redaeco desta
Revista que se digne de mandar admiltir as co-
lumnas desle jornal a parte do relalorio, escripto
pelo secretario do extiocto Conselho de Geral de
Salubridade Publica e dirigido ao ex-Presidente
desta provincia o Exm. Sr. Dr. Vctor d'Olivcira,
em 10 de Julho de 1851, relativo ao Sr. Astodillo e
Bussams.
Extracto do relatorio dirigido pelo extmeto Con-
selho Geral de Salubridade Publica desta pro-
vincia ao ex Presidente da mestna, o Exm. Sr.
Dr. Vctor a" Olivara, em 10 de Julho de 1851-
Os Membros do Conselho encarregados de vi.
sitar as boticas de Sanio Antonio, e S. Jos apre-
sentaran ao Conselho 61 rcceilas com a firma E.
Astudillo,e dando conta de seus trabalhos, expri
O que acaba de expr o Conselho bastante
para provar a nenhuma instruccao desse charlatn;
todava para que nao pare?a 6xageraco e s6
possa precisar toda sua ignorancia, diria ainda
V. Exc. que o dito Astudillo lem prescrpto em
forma de cataplasmas escremento de boi, como
atiesta um de seus membros.
as obras medicas que tem lido o Conselho es-
criptas desde Hippocrates al hoje, nao encontrn
eslylo algum e formulas que podessem ser compa-
rados com o de D. Epifanio Astudillo e Bussams;
tal o seu desarrasoamento, que mesmo as ori-
gens da sciencia nao se encontra cousa com que
possa ser comparado.
Nao ha termos bastante polidos com que o Con-
selho possa nomear esse enlilalado medico hspa-
nhol, qne em tudo se parece ao medico da fbula
(ex sutore medcus); e de certo que idea se pode-
ra fazer de um hornera que educado em Hespanha.
to visinho da Italia, perto da Franca e Inglaterra,
e nao longe d'Allemanha, moradas do antigo e
moderno saber, apresenta-se no Brasil apregoan-
do se, e dando por prova de seu saber taes parvoi-
(VlliaS SP'lA fina alia um cinnlnirA wnmnnA^t*.
...--------- _,, Wllia UD u.,,, .,.-., oa|iii-|uw-sd, c uanoo por prova oe seu saner iaes parvo,
raem-se assim em seu relatorio. Era alguns des-1 cadas, seno qne elle um sapateiro remendist*
ses eslabejecimentos encontramos por entre o re-: impossivel que este homom se nao conheca ; e
ceiluano formulas medicas com a firma de E. As- como explicar sna animosidade que o leva a apr--
tudiiio. urnas cora data, oulras sem ella, e algumas seolar-se perante duas Faculdades Medicas ( a da
sem lirma; seu numero se elevava consideravel-, Bahia, e do Rio) que desconheceram seu titulo
mente na botica de Torres e Castro, e este facto e reconheceram soa incapacidade para ser exa-
vem justificar a voz publica de que a casa de Tor-1 minado? senSopelo etemplo que tem dado Iota
-*


blarlo de Per^*aba* ... Sabbado J 4c Agt e II4.

Vrente MSrt'ln?, Santos Jnior, Chidloc, e Bt-! reduzda 13 on ti rontos que destes j se gas-
ttitthL etc. : c a tanto ter chegado o pouco taram G romos; que todo quanto resta nao che-
caso que os europeus tazan dos brasileiros:
quem sabe ? pois bem : conh-caro elles, ao menos
no futuro, i]uo aqu houve quem os soubesse petar.
e medir.
O Consellio ten sempre vivamente lembrado
cantara municipal desta cidade estes cavalheros
de industria; mas suas lembrancas tcm do bal-:
dadas; elles coulinuam em suas exploracoes, zom-
bando das leis muuicipaes, e do seu cdigo, cuja
ga para pagar o dote da minha mulher. Quereria
eu prejudicar a minha muilier t Ninguem o acre-
ditar.
Voltarei a tratar dos meus negocios d aqu em
dtante, sempre que fr necessario,
Sou de Vs. Ss. atiento venerador e criado.
Jos Antonio da Silva Araujo.
parte penal esta reconhecida iraca para reprimir PBLI^ICOES 1 PEDIDO.
taes abusos; c de mais sua pulicia demasiada- nafn^mymju m aw-i-w-
mente indolente, seno negligente.
Em quanto as autoridades do Brasil consentem Como permitlido a todos dar o seu voto ao
que a vento re rus desta laia se locupletem eaplo- adhesao quelles, que mais Ibes inspiram conflan-
ranio a credulidade de povo, j tao misero e tao ca, e que por suas qoalidades se tornam Fecem-
inal conceituado, o governo da Bavera, de cujo es- utendaveis, eu vou tambora apresentar Mi nw>
tado alguns sanirain, envergonhado com tantos que deve com justica ser contemplado na lista, que
escndalos e t:lo repetidos procede de oulro tem de compor a futura cmara municipal desta
mo,'l0 cidade, uome que ncerra em si os requisitos cs-
Sanios Jnior, e Chidlee sao dootonidos em un- senciaes para o bom cumplimento de urna tal mis-
versidades da Allcmanha, e por causa de un des- sao, e este o Sr. niajor Francisco Martms Baposo.
te* a Faculdades de Medicina de Erlangen foi cha-! Este distincto cidado, com quanto nao seja urna
mada a pouco responsabilidade. destas intelligencias que grandemente avulte. com-
Aquelles que se tem aproveitado destas escando- tudo esta lacuna accidental nao motivo bastante
losos proeedinientos viveram na Europa sempre para alterar-lhe as consideracoes e respeitos, que
despresados : entretanto que no Brasil, progridem Ihe vntam caracteres desinteressados; porque, do-
desassombrados, som se importaran com a le que i udo de urna independencia de carcter e posicao,
ultrajara, nem com a humanidade de quein zom- i de um espirito enrgico e alteocioso, e mais que
Dam ; ludo, de um genio eminentemente brasileiro, resu-
--------- me em si o que ha de essencial para o bem desem-
# j penho de um tal cargo; e muito folgariamo de
Milita altCDCO. contente, se o su nomo fosse lembrado c eonlem-
O Sr Furtado Coclho, por suas proprias maos; piado na lista, porque sou Brasileiro c Pernamhu-
eudeosado, acha urna vergonba lutar com asjusti- .cano, e avaho que de beneficios nao resultaran!
cas da Ierra, e quer a todo trauce dar um- homem para esta cidade, com a acquisigao de um tal cida-
uor si: para isso < mbirrvu solemnemente com o Sr. 'dao, cujo tnteresse e ardor em bem servir ao paz
mais de urna vez o tem manifestado.
Recife, 26 de agosto de 1844.
O pacifico e imparcial Boa-Vistano.
O perfume do henitsphcrlo oc-
cidental.
KXTHAHIDO DA GAZBTA MENSAL DAS MODAS..
Existe por certoi urna quahdade. altamente sa-
N. 481.Urna caixa vmda de Hamburgo na es- j Paode-iooca, bolacha, manteiga franceza, cha
cuna dinamarqueza Speni, entrada em 18 de hysson, assucar refinado de P sorle, cafem grao,
Ouarle Coimbra.
Ora que lem juilas com us almas dos pobres, f
Que tem o Sr. Uuarte Coimbra com o ci me do
Sr. Furtado Coeibo 1 Que tem mesmo com o pro-
cesso que a polica julgou defM instaurar ao indi-
gnado criminoso ?
Que o incendio intentado no tbeatro de Santa Isa-
bel fui aleado do proposito, nao ha a menor duvi-
da, por isso que todas as invesligacoes e pravas ni|aria*"suave e deMiavefna deiicios-, fragrancia
o demonstrara. A auloridade competente tomou
Cuiilicci ment do facto, e depois das pesquizas con-
veuieules fez prender o Sr. Furtado Coelho como
autor do ademado denunciado pelo seu proprio
cmplice.
Que tem o Sr. Coimbra que ver com isso ? Ne-
nhunu das circunislanria oceorridas no andamen-
desta agua popular que de tao grande ornamento
serve ao toucador.
Ella como por encinto nos faz lembrar o dulcis-
simo incens lloiido do vero, ou mlago de
um favorito tom de musida antiiro.o qual por ven-
luranos faz recordar aquellas scenasj passadas,
recorridas no anoamen-1 durante as quaes 0uimo-lo pela vez primeira.
to do processo iudica, nem de leve, ter o 5>r.uim-; E- espiritualmente delicado como o aroma da
bra parte no crinie cemmettido. Porque, carga i genuna agua de Colonia, e com tudo o seu perfil*
agua hade o Sr. Furtado Coelho pretender que o me ,nas profundo e duradouro, e a suave fra-
Sr. Coimbra se envolv em um negocio que e pu-1 pram.a nunca mu nein enfraquece, como acn-
rameute seu Desaa-o para urna discussao ; tece (.om os maj.. per-ulues extrahidos e compos-
de que ? Julga acaso o Sr. Furtado Coelho que ,os de o)eos vo|atis
-
os criines desfa natureza sao aqui punidos com :
discussoes ? ,.___, res nervosas da cabera Ihe do a preferencia lo-1
Que e heno a quein so julga habilitado a discu- da e qualquer urna outra applicacao local, coma |
pedagogoVamos a uiscussao r i e aeradavel.
Nao acha o Sr. Furtado Coelh> que isto abusar, Rcforin)U.'nos ,a0 smente quanto agua florida
muilo da moralidade do paz que ohospedou, e que > ^ Murrav & Lanman.
de ba muito tem em silencio suportado suas genti- Quanto's imitacoes' sao ellas dcsprezlveis e nao
leas eestravagancias ? Reflicta bem o Sr. burla- mereeem a ^^ |eVt Biengio.
do Coelho, e veja o abysmo que est cavando de-
baixo de seus ps.
Aillia da Fernando de N'oronha tem hospedado
muitos que o nao tem imitado, e a coulinuar nessa
earreira desenfreada, agouramos-lho que ir all
osbarrar.
A opinio publica se levanta contra o Sr. Coim-
bra, diz o Sr. Furtado Coelho ; mas que opinio
publica essa, perguntamos ? Temos presenciado
que o Sr. Coimbra, gesa da mesma estima e repu-
tadlo que outr'ora, e se algumas vozes tem pro-
nunciado seu nome nao acham eho. Tumbein
temos ouvido dizer que o incendio parti da ra
d'Aurora por que o tbeatro Ihe lirava a vista de
palacio ; que o Sr. administrador do theatro Itie ti-
nha deitadb fugo por que lite haviam tirado o lu-
gar.; mil oulros deseonchavos desta orden tem
appaiecido, e ale que o negocio linha vindo tangido
do Maranho !
Eis aqui a opinio publica a que o Sr. Portado
Coelho se refere. Eslenda, pois a seu convite ou
desali a todos esses de quem fallam, discuta com
todos elles a que entender a bem de sua innocen-
cia, se que a tem, e assim 'icar satisfeito. "
Mas, a pertinacia de querer a forctort arrastar
ao mesan banco em que se assenla o actual em-
prezario do theairo, escapo, felizmente ao incendio.
alm do mamfesta malvdez o cumulo de inveja
que o induzio, talvez, a perpetrar urn crale tao ho-
diondo.
E' esta a nossa opinio, e a opioiao do publico
que tem acompanhado o Sr. Furtado Coelho em
todos os seus desvarios e miserias.
Ao Sr. Duarte Coimbra aconselliamos-lhe, e a
opinio publica igualmente, que nao desga ao ni-
vel do seu detractor, que gosar como sempre da
estima o consdcrac,ao de homem de bem, como
publico e notorio.
Recife, ii de agosto de 1864.
Acha-se
martas.
venda em todas as lojas de perfls>
CMME1GI0.
CA1XA FILIAL
DO
K fL\< O DO BRASIjL
EM PEKNAMBUCU.
A directora desta caixa, em virtude de ordwn
da directora do Banco do Brasil, avisa aos Srs.
accionistas que o respectivo thesoureiro esta autoj:
risado a pagar o dividendo das acedes da meema
caixa do semestre lindo em 30 de ion lio prximo
passado, na razo de 8500 por aego.
Recife 14 de julho de 1864No impedimento do
secretario, Ignacio opas Correa.
agoste de 1863, consignada Linden Wildeu A C.
N. I08.-Oito barris com oito galoes de salitre
preparado, vindo de Liverpool, no brigue inglez
Zi-ini, entrado em il do novembro de 1863, cou-
iignado a S. P Johnsion & C.
N 1013.Treze barris de forro com chlorlde
ealcuim vindo de Liveriiool no brigue inglez Zizi-,
ni, entrado em 19 do novembro de 1863, consigna-
do a S. P. Johnston & C.
Quarta seccao da alfandega de Pernambuco, 26
de agosto de 4864.0 segundo escripturario,
Caetano Gomes de S.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria pro?in-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr
presidente da provincia de 20 do crrante, manda
fazer publico, que vai novamenle praca, no da
6 de setembro vndouro, perante a junta de fozen-
da da mesma thesouraria, para ser arrematado a
quem mais dr, o imposto do dizimo do gado vac-
cum na comarca do Bonito, avahado em 2:1345000
annuaes.
A arremaiac-io ser feita por lempo de tres an-
uos a contar do 1" de julho do corrente anno 30
de jonho de 1867, e de conformidade com o art 16
do regnlamento de 3 de agosto de 1852.
A> pessoas que se propozerem a essa arremata-
gao, comparecam na sala das sessoes da referida
junta no da cima mencionado pelo meio dia,
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretarla da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 22 de agosto de 1864.
0 secretario,
A. F d'Annnnciaeao.
0 lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, de 20 do corrente, manda
fazer publico, que vai novamente praga, no dia 6
de setembro vindouro, perante a junta da fazenda
da mesma thesouraria, para ser arrematada a quem
mais dr, o imposto de 2^300 do gado vaceum
consumido no municipio de Iguarassii, avahado an-
nnalmente em 1:6125000.
A arrcmalaro ser feita por tempo de um anno
e 9 meses a contar do Io de outubro do corrente
anno 30 dejunho de 1866.
As pessoas que -se propozerem a essa arremata-
gao, comparecam na sala das sessdes da referida
junta, no dia cima mencionado pelo meia da, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o preseute
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 22 de agosto de 1864.
O secretario,
A. F. d'Annunciarao.
De ordem do lllm. Sr. inspector da alfande-
ga se faz publico que no dia 29 do corrente, ao
mcio-dia, porta desta reparticao, se hao de arre-
matar 4 caixas contendo 100 caixiohas com 8 li-
bras cada urna de-ameixas seccas, avahadas cm
10050rX), as quaes vieram de Lisboa no navio por-
inguez Bella Figueirense, entrado em 16 do cor-
rente, e foram abandonadis por.Thomaz de Aquino
Fonseca Jnior. A arrematacao livre de direi-
tos ao arrematante.
Quarta seccao da alfandega de Pernambuco, 26
de agosto de 864.
O 2 escripturario,
Caetano Gomes de S.
Hoje, 27 do corrente mez, depois de finda a
audiencia do lllm. Sr. Dr. joiz municipal da segun-
da vara, tem de ser arrematado em praga publica
urna relago de dividas para de seu producto ser
deduzido o sello de heranca da fazenda provincial.
Os autos de inventario pelo escrivo Baptista.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-'
sidente Ja provincia de 30 de jonho ultimo, manda i
fazer publico, que no da 13 de outubro vindouro, i
perante a junta da fazenda da mesma thesouraria i o dominio directo do solo em que
se ha dearreraatar quem por menos fizer, a cons- \ asesuia a casa n. 41 da mesma
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 2"........
dem do dia 26..................
CORRESPONDENCIAS.
636:262,5144
12:9845194
649:2465338
.Hovlnicnto da alfandega
Volames entrados com fazendas...
t t com gneros... 437
(rcelo de 69 bracas de caes de cada lado do ca-
nal da ra da Aurora, avahado em 15:9145000.
A arrematacao sera feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
clausulas especiaes abaixo declaradas :
As pessoas -que se propozerem a essa arremata-
gao comparecam na sala das sess5es da refedda
junta no da cima mencionado pelo meio ina, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 9 de julho de 1864.
O secretario
Antonio Ferreira da Annunciarao.
ra, avahado em......
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 43 da mesma
ra, avahado em......
O dominio directo do solo em que
assenla a casa n. 45 da mesma
ra, avahado em......
O dominio directo do solo em que
assenla a casa n. 47 da mesma
ra, avaliado em.....
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 49 da mesma
ra, avaliado em......
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 51 da mesma ra
Volumessahidos com fazendas...
t c com gneros...
------ 437
19
972
------991
Descarregam no dia 27 de agosto.
Barca ioglesaSilwr Craigfarinha de trigo.
Brigue inplezZeqrimercadorias.
Itarra inglezaFacjunlc -carvao de pedra.
patacho inglezMaru Blockrarvao de pedra.
Barca americana- Tcmpesttaboado.
Brigue portoguezEsperanrao resto.
Polaca hespanholaVvgem del Carmocarne de
charque.
Srs. Redactores Desde que, pelos adversos ra- ImportacaO.
sos da fortuna, se dcsconcertaram os meus neg-1 Bregue nacioual Princesa, entrado do Rio
cios, e me vi cabido em estado de fallencia, leudo Grande do Sul, consignado a Antonio Henriques
por mais imptacaveis perseguidores os meus m;iis! Rodrigues, mauifestuu o segninte :
anotados amigos de outr"ora, lomei a (irme resolu-1 9,782 arrobas de charque, 50 couros vaceuns
/o de couservar-me silencioso diante da infinita seceos, 50 saceos farinha de mandioca, 16 barri-
srie de torpezas, de que uo cessavam de fazer cas com 104 arrobas de sebecoado, 90 arrobas de
uso contra mim, por todos o< raeios que a perver- dito em rama ; a ordem.
sidade pule imaginar e pr em ortica. Era o : Barca americana Tempest entrada do Bangor,
concert infernal de minios contra um, quelles consignada a Henry Forsler & C, manifestou o
ampirados com o favor da posign, do dinheiro e segiunte :
dos amigos, en sem posiefia, sen fortuna, seiii aini- 3,263 pegas de taboado de pinito com 180,684
avahado em ._ .. ...
CLAUSULAS especiaes PAA a AniiKMATACAO. I q dominio directo do solo em que
1" A obra do caes margem do canal da rna da i assenta a casa n. 53 da mesma ra
Aurora, ser executada de conformidade com oor- avaliado em........
carnete e planta respectiva apresentados pela di-! o dominio directo do solo em que
rectora das obras publicas na importancia de
15:9145.
2 Oempreiteiro daraexecugao aos trabalhos no 0 dominio directo do solo
assenta a casan. 5o da
ra, avahado em
gos, desprolegido, d -samparado s furias desses
implacaveis e gratuitos adversarios. A lucia, n'es-
tas circumslaocias, sobre ser desigual, seria im-
prolieua. Defendi-me, pois, em juizo, e deixei que
a acgo corrosiva do tempo delisse perante o pu-
blico as calumnias, de que era victima, e pozesse
descoberto e bam em relevo os motivos reprova-
dos e indecorosos de tao inqualicavel e pertinaz
ps dos mesmos..
Escuna dinamarqus, ijalm. entrada de N'ew-
York, consignada" a Theodoro Christiansen, ma- i
nif-'.-tuii o seguiule :
1,300 barricas farinha de trigo; a ordem.
Recebedorla de rendas Internas
geraes de l'eruaiukuco
mesma
I
em que
assenla a casa d. 57 da mesma ra
avahado, em........
O dominio directo do selo em que
assenla a casa n. 2 da mesma ra,
avaliado em........
0 dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 4 da mesma ra,
avahado em...........
0 dominio directo do soloem que as-
senta a casa n. 6, da mesma ra,
avaliado em..........
0 dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 8 da mesma ra,
avaliado em..........
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. K > da mesma ra,
avaliado em..........
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 12 da mesma ra,
avaliado em...........
j O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 14 da mesma ra,
avaliado em.........
IO dominio directo do solo em que as-
A. Scliaffler & C rita do Trapiche n. i7^ senla a casa n. 16 da mesma ra,
recebem dinheiro a premio pela taxa de 6| avahado em
prazo de 20 das, e os terminar nos de OOdias,
contados na forma da lei.
3* O pagamento sera effectuado cm prestagocs
mensaes, de valor correspondente ao trabalho exe-
cutado, em cada mez, deduziudo-se um dcimo,
que ser entregue seis mezes depois da conclusao
da obra.
4' Oempreiteiro nao poder sob qualquer pre-
texto exigir ndemnisaco alguma que nao seja
fuudada no excesso de trabalho previsto no orea-
mente.
5* O empreiteiro na execnco dos trabalhos ob-
servar as prescripgSes dadas" pelo engenheiro fis-
cal da obra.
6* Para tudo quanto nao se adiar aqu disposto,
observar-se-ha o que dispSe a le n. 286.
Conforme.Antonio Ferreira da Annunciarao.
DECLARARES.
CASA BANCARIA
perseguigo, na qual a perversidad, para requin-; Rendimento do dia 1 a 25........
tar meus sdffrimentos, nao duvidou involver mi
nha sogra, senhora septuagenaria, ioffensiva e dig-
na fie respeito e consideragao.
E com effeito, do lempo tenho eu conseguido es-
te resultado : os pretenciosos homens de bem eslao
mais que muito condecidos, c ja muita gente nao
ignora o zelo com que se pretenda que *u expiar-
se o crime de ter sido infeliz em meus negocios, e
do nao Ibes poder dar todo o dinheiro que queriam
com detrimento de meus credores.
Entretanto a sanha de perseguirme contina.
Nao estou resolvidn a soffrer resignado por mais
tempo : nao ha resignago e paciencia que baslem
contra tanta aleivosia. E os meus iminigos gra-
tuitos sabem que a victima pde-se cenverter em
algoz.....
Por agora contento-me em fazer a seguinte de-
clarago.
dem do da 26...............*.
30:4004225
7585239
31:1585464
Consalado provincial.
Rendimento do dia i a2o......... 45:7285664
Idemdodia 26...:............. 1:0425888
46.7715552
MOTIMENTO BO POBTO.
Navios entrados no dia 26.
Barfgor34 das, barca americana Tampest, de 330
toneladas, capitao G. P. Henckb-y, equlpagem 9,
carea madeira ; a Henry Forstrr & C
arrematante ostensivo das mercadorias e das divi
das. Ha alguns mezes, quando me achava anda
desempregado, procurou-me o Sr. Joo Luiz Viao-
oa> e pedio-me que, mediante urna commisso,
me encarregasse da cobranga das dividas de mi-
nha massa fallida. Recusei-me a isso por mais de
urna vez, o sao disto testemunha os Srs. capiles
Jos Mariann) de Albuqaerque, escrivo de appel-
lagoes coiumerciaes, e Joaijuim de Albuquerque
Mello, sollicitador e procurador dos administrado-
ros de minha massa fallida, alm de ouiras pessoas
quem, e parece, se achavam presentes. Accaitei.
por liin, esta commisso ; mas, consultando depois
o Sr. Dr. Campos, que linha sido meu advogado,
c que era de minha mulher, este me aconseihou
que nao lomasse semelhante encargo, pelo que o
deixei logo, sera ter cegado a reahsar cobranga
alguma, como o poder declarar o Sr. Joo Luiz
Vianna.
E' falso, portante, que eu esteja mancommuna-
do com o Sr. Joao Caetano de Magalhes. a quem
nao conhego, e como Sr. Joao Luiz Vianna, com
quem nao tive outro negocio alm do que cima
expuz. E com que fim maocommunar-me-hia en
com esses senhores ? Para prejudinar a massa ?
Mas bem sabido quo a massa foi de 86:0004000
**> tres dia que lomos o ppente cummoni-
Cj "," ueisadi) de ser Hiblicado
cado em nosso pou*.., "-ao.
hontem por esquecimento da pa......
(A redacuo,)
Ne"w-Ynrk42 das, escuna dinamarqueza Ityalm,
de 165 toneladas, capilo Joansen. equipagem 7,
carga 1,300 barricas com farinha de trigo ; a
Theodoro Christiansen & C.
Barcelona47 iHas, sumaca Prompta, de 147 to-
nolada-i. capitn Alexapdro Olesa, equipagem 13,
carga vinho _e outros gneros ; a Baltar & Oli-
veira.
Navios sahidos no mesmo dia
Buenos-Ayres pelo Rio de Janeiro Vapor nelez
Iron Kinq. commandantc Wichb&ld, em lastro.
ParahibaBrigue inglez Ullsuater, capitao B. New-
ton, em lastro.
Ohservago.
Fundeou no lamarao um brigue breraense, mas
nao leve communicago com a ierra.
EOITAES.
Coutlauaco do edltal paMIea-
do pela inspectora d alfan-
dega, em 93 do corrente.
N. 30.Urna paii com esencia de annilvinda
do Havre na barca fr.mceza Bertha, entrada em
23 de agobio de 184), consignada GuiInerme
Carvalho; C.
N. 41.Um barril vindo na galera franceza
SqlfrrinOf entrada nm 26 do margo d", 1863, con-
signada a P- Menron & C.
por cento ao anno em conta corrente, sa-
cam qualquer somma vista on a prazo so-
Te London, Pars, Hamburgo, Rio de Ja-
neiro, Baha e diversas pracas do Norte do
Brasil.
Podem ser retirados os depsitos:
At rs. 3:U005 vista.
At rs. 10:000(5 com 3 dias de previo aviso.
At rs. 5O:UOi0 com 8
Abrir-se-ha crditos em cohta corrente
com as casas eommerciaes desta praca.
Cousdho adminislraliv.
G conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
guintes :
Para o corpo de guarnigao da Parahiba.
288 bonets.
262 mantas.
1,785 covados de panno azul.
1,920 covados de panno azul para capotes.
22 covados de casemira verde.
1,120 covados de baeta verde.
1,338 covados do hol lauda de forro.
178 varas de aniagem.
3,377 varas de brim bronco.
2,477 varas de algodoiinho.
4,998 botoes grandes de metal amarello lisos.
3,213 ditos pequeos.
' 2,240 boles para capotes.
677 pares de clcheles.
Para a enfermara militar da villa de
Tacaran!.
4 cassarolas de ferro forradas de porcelana de
differenles lmannos.
15 pares do chinelas de couro.
15 colchoes.
1 Quem quizer- vender taes objectos aprsente
a sua iiroposta em carta fechada na secretaria do
conselho s 10 horas da manhaa do dia 30 do cor-
i rent.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arseual de guerra 24 de aeoslu do
1864.
, Antonio Pedro de S Barreta,
Corontd-presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
ConseUio administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de contratar o fornecimento
dos menores do arsenal nes mezes de setembro e
ontuhro prximo vindouro.
carne fresca, dita secca, toucinho de Lisboa, baca-
lho, azeite doce, vinagre, farinha de mandioca da
trra, arroz do Maranho, feijao preto ou mula-
nnho.
Quem quizer contratar (as gneros, aprsente a
sua proposta em carta fechada na secretaria do
conselho, s 10 horas da manhaa do da 30 do cor-
rete.
Secretaria do conselho administrativo para for-
necimento do arsenal de guerra, 24 de agosto de;
1864.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pyrrko,
Vogal secretario".
Ammata^to.
Fiadas as tres primeiras audiencias do lllm. Sr.
Dr. juiz de orphos, depois da publicago desle,
iro praga por vendaos seguales bens do casal
do finado Ur. Jos Baymundo da Costa Menezes.
A casa de sobrado de um andar sito
na ra do Imperador n. 32, avaha-
da por :........5:00050000
O dominio directo do solo em que
assenta a casa sita na ra Nova
desla cidade n. 1, avaliado por 1215320
0 dominio directo do solo em que as-
senta a casa sita na mesma ra
n. 3, avaliado em...... 1825200
O dominio directo do solo em que as-
senla a casa sita na msma ra n.
5, avaliado em....... 3645370
0 dominio directo do solo m que as-
senta a casa n. 7 da mesma ra .
avaliado em........ 3355000
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa da mesma ra u. 9,
avahado em........ 2595600
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 11 da mesma ra,
avaliado em........ 2755500
0 dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 13 da mesma ra,
avaliado em........ 2635300
0 dominio directo do solo om que as-
senta a casa o. 15 da mesma ra,
avaliado em........ 3485800
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 17 da raesraa ra,
avaliado em........ 2675500
0 dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 19 da mesma ra,
avaliado era........ 3285230
0 dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 21 da mesma ra,
avahado em........ 5155000
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 23 da mesma ra,
avallado em........ 3615800
O dominio directo do solo em que
asssenu a casa u. 25 da mesma ftasom
ra, avaliado em ..... 592s>300
O dominio directo do solo em que
assenla a casa n. 27 da mesma ra,
avaliado em........ -045M0
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 29 sita na mes-
ma ra, avaliado em..... 3605o0
O dominio directo do solo era que
assentaa casa n.31 da mesma ra,
avaliado em........ 3895-50
0 dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 35 da mesma
ra, avahado em...... 39152o0
O dominio directa do sola em que
assenta a casa n. 37 da mesma ra ,
avaliado em ........ 4095680
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 39 da mesma fn..-A
raa, avaliado cm...... 915/-0
tas sero recebidas at tres horas antes da que for
marcada para a sabida do vapor, e os jornaes al
qoatro horas antes.
Adminstraco do crrete de Pernambuco 4 de
agosto de 1864. O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
VISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIBA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portes do sul esperado
at o dia 30 de agosto o vapor
Paran, eommandaut o capitao
de Trgala Santa Barbara, o qual
depois da demora do costume se-
guir para os portes do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escripterio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
L.E1LAO
3335680
3815-30
4095680
2495660
3415680
2995300
2515060
2415100
3335680
2995130
1835380
1745180
1845180
24754-0
3325420
3035330
1455730
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portes do norte esperado
at o dia 31 do correte o vaper
Princeza de ipinvitle, comman-
dante o primeiro tenente Araujo
o qual depois da demora do cos-
tume seguir para os portes do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada v$ dia de sua chegada: encom-
raendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo cv C.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o veleiro
brigue nacional Almirante, tem parte de seu rar-
regamento prompto : para o reste que lbe falla e
cscravos a frete, para os quaes tem excellentes
commodos, trata-se com es seus consignatarios An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da Cruz n. 1. __________________
Para Lisboa.
Sane impreterivehnente at o-di 30 do corrente
para o mencionado porte a barca portugueza Des-
pique II, quem na mesma quizer carregar ou ir de
passagem para o que tem excellentes commodos
entenda-se com Ferreira & Loureiro .na travessa
da Madre de Dees n. 10.
Porto.
O brigue porluguez Esperanra, capilo Lourcn-
co Fernandos do Carmo, segu em poucos dias, po-
de admittir alguma carga liuda e passageiros :
trata-se com os consignatarios Marques, Barros &
C, largo do Corpo Santo n. 6, ou com o capilo a
bordo.______________________________________
Para Lisboa
o brigue porluguez Bella Figueirense, capitao J. C.
de Carvalho Sobrinho, recebe carga e passageiros
paraos quaes .tem excelientes commodos, para
tratar com Euzebio Raphael Rabello, ra da Ca-
deia n. 55, escriptorio. ___^____^_^_
COMPANHA PERNAMBUCAflA
DE
Navcga^o coste! ra vapor.
Parahiba, Natal, Maco, Aracaly, Cear, Acaracu' e
firanja.
O vapor Persmamja, comman-
dante Bats, segu no dia 7 de se-
tembro prximo para os portes
cima indicados. Kecebe carga
.'at o dia 5. Encommendas, pas-
sageiros e dinheiro a frete at o dia da sahida s
3 horas da tarde : escriptorio no Forte do Mallos
n. 1.
DE
Fazendas avariadas.
1IO-IK
Sabhatio 27 de ajtostt 1 hora em
1119,
E. A. Burle 4 C. farao leilo por intervengo
do agente Pinto e por conta e risco de quem per-
tencer de difteremes fazendas inglezas como se-
jam : algodoziohos, chitas e sargelins avariadas
d'agua salgada a bordo do brigue inglez Mary
Burriss, i hora do da cima dito em seu arma-
zem ra da Cruz n. 48._____________________
Por ordem do consulado e 4>rtugai o agen-
te Pestaa far leilo no dia 31 do corrente, pelas
10 horas, em (reble a Associacao Commfrcial, das
dividas activas perten/cntes a espolio \o finado
subdito porluguez Fortunato Ferreira da Silva na
importancia 9815180 rs., e constantes da rela-
go que se acha em mo do dito agente para ser
examinada.
LEILAO
DR
L'ma casa terrea edificada de novo
ra Velha n. 82, freguezia da
Boa-\isla.
Cordelro Simes
levar pela seguuda vez leilo requer ment
do inventarame do finado Joo da Cruz de Mon-
donga e mandado do lllm. Sr. Dr. juiz de orphos,
a casa terrea cima mencionada.
Os pretenderles querendo examina-la podero
procurar s chaves na casa contigua sob n. 84
Ttrga-feira 30 do corrente
s 11 horas, ter lugar na ra da
48--Cadeia do rfe primeiro andar.
AVISOS DIVERSOS.
S0CIED4DE
Recreativa Juventude,
De ordem do lllm. Sr. presidente da socieda-
de Recreativa Juventude, sao convidados todos os
socios da mesma, para que no dia 28 do corrente'
s 10 horas da manhaa, comparecam na sala das
sessoes, alim de em assembla geral serem appro-
vados os estatutos.
Sala da sociedade Recreativa Juventude, 24 de
agosto de 1864.
Al ves Ferreira,
Io secretario.
Constando ao abaixo assignado que alguns
dos seus amigos e homens do povo desejam que o
mesmo abaixo assignado seja um dos quatro cida-
dos votados para juiz de paz da freguezia de Santo
Antonio desta cidade, no dia 7 de setembro prxi-
mo futuro, vera por meio desle agradecer-lhes es-
tes seus desejos, e pedir-lhes que votem sem a me-
nor descrepancia nos ridadaos qne forem apresen-
tados para os quatro juizes de paz da mesma fre.
guezia pelo partido liberal progresssta, ao que o
mesmo abaixo assignado tem a honra de perten-
cer Caetano Pinte de Veras.
Rio de Janeiro,
O brigue Belisario segu com brevidade, recebe
carga e escravos frete : tratarse com os conslg-1
Datarias. Marques Barros & L, largo do Corpo San-
(O n. 6. ______________ ^^___________ i
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
."-avega^o costelra a vapor.
liba de Fernando de Nnronha.
No dia 14 de setembro seguir
ao meio .dia, um dos vapores da
Companhia para o presidio de
Fernando de Nnronha, para onde
_ recebe carga at o dia 13. Encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frele at s 10
horas do dia da sahida : escriptorio no Forte do
Mallos n. i.
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 18 da mesma ra,
avahado em...........
O dominio directo do soloem que as-
seuta a casa n. 20 da mesma ra,
avaliado em............
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 22 da mesma ra,
avaliado em..........
0 dominio directo do solo em qne as-
senta a casa n. 24 da mesma ra,
avaliado em.............
O dominio directo do solo em que as-
senla a casa n. 26 da mesma ra,
avahada em............
O dominio directo do solo em qne as-
senta a casa n. 28 da mesma ra,
avaliado em............
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 30 da mesma ra,
avahado em. -.......
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 32 da mesma ra,
avaliado em...........
O dominio directo do solo em que as-
senta a casa n. 36 da mesma ra,
avaliado em............
O dominio directo do solo em qne
assenta a casa n. 36 da mesma ra
avaliado em. ........
0 dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 38 da mesma ra
avahada em...................
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 40 da mesma ra
avahada em....................
O dominio directo do solo em'que
assenta a casa o. 42 da mesma ra
avaliado em....................
O dominio directo do solo em que
assenta a casa n. 44 da mesma
ra, avaliado em..............
O dominio directo do solo era que
assenta a casa n. 46 da mesma
ra, avaliado em.............._.
O dominio directo do solo cm que
assenta a casa n. 48 da mesma
ra, avaliado em............'...
Cojo escripto se acha em mao do
Amaro Antonio de Farias.
Crrele geral.
Pola adminisiragao do correio destacdade se
faz publico que em virtude da convenci postal,
celebrada pelos governos brasileiro e fraticez, se-
ro expedidas malas para a Europa no dia 30 do
corrente pelo vapor francez Ejitretmdwe. As car-
o
4095680
4015680
1775750
20658 Vi
3075820
2955930
1575750
5065410
1705980
1995820
4505050
2565120
3135680
4445560
4465120
3255680
porleiro,
Rio Grande doSnl.
O brigue Mondego, de primeira classe, recebe
carga, e segu com brevidade : trata-se com os
consignatarios Marques, Barros & C, largo do (lor-
po Santo n. 6.
MESSGERIES IMPERIALES
No dia 30 do
torrente enera-
se dos portes do
sul o vapor fran-
cs Eslramadure
com mandante
Enout, o qual de-
pois da demora
do costume se-
guir para Bordeaui tocando em S. Vicente e
Lisboa.
Em S. Vicente ha um vapor em corresponden-
cia com Goro.
Para as condicoes, frotes e passagens trata-se
I na agencia rui do Trapiche n. 9.
LEILOES.
LEILJLO
DE
0 aeces da companhh vigilante.
-- *^2
O agente Pinto far leilo requerimento de
D:Cleinentina Theodora da Silva, inventarame
dos bens de seu casal e por despacho do lllm. Sr.
Dr. juiz de orphos, de 50 accoes da companhia
vigilante no valor de 1005 cada urna e perlenccu-
tes ao mesmo casal, s 11 horas do dia cima dito
em frente a Associago Commercial.
LEILAO
DE
Papel al maco.
Sabbado 27 do corrente as 10 l|2 horas no arma-
zem do Annes dcfronle da alfandega.
0 agente Olimpio, no dia, hora e lugar cima
vemlor em leilo por conta e riscede quera per-
lencer, em presenga dolllm.Sr. cnsul da Austria
13 caixas com papel almago avanado a bordo da
Maria Burriss, na sna vlagem de Liverpool a ente
porto.
LtILAO
Por ordem do consulado de Portugal iro a lei-
rao por intervengo d agente Pestaa os bens
abaixo declarados pertencenles ao espolio do lina-
do subdito po toguez Jos Fernandes Pereira Vil -
la-rica, a saber:
I A armago e mais gneros existentes na taher-
! na perteneente ao mesmo finado, 3 bol da carro,
II cavado de carga, 1 carroga em hora estado, 1
dita quebrada, 1 dita nova por acabar, 9 canoas
de earreira, sendo urna deteriorada, 1 plantago
de capim ira ra do Baldo.
* O leilo ter lugar em Olinda sabbado 27 do
! rorrenie pelas 11 horas da manhaa.
Aos 10:0i'$00.
Quinta-feira Io de setembro do corrente
anno, se extrahir a tercera parte da ter-
ceira lotera (106a) cm beneficio da Santa
Casa da Misericordia, no consistorio da igre-
ja de Nossa Senltora do Rosario da fregue-
zia de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se h
venda na respectiva thesouraria ra de*
Crespo d. 15.
Os premios de 10:000,OOO at 200000
serao pagos urna hora depois da extracto
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuico das Hstas.
Servindo de theseureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
ma U FORTUNA.
AOS 10:000.000
Illlhetes garantido
A* ra do Crespo n. 23 e casas do costume
O abaixo assignado vendeii nos seus muito {pif-
ies bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a bendicio da matiiiz do Ouricury os
seguintes premios:
N. 3330 meio bilhele cora 6:0005000
N. .YV.i bilhele inleiro com 1:4005060
N. 20(51 meio bilhele com 6005000
E outras mui|as de 2005, 1005, 40* e 20$.
Os possuidorc podem vir receber sera os des-
con.os das leis na Casa da Fortuna ra do tres
pe n. 23.
Acliam-se venda os da terceira parte da ler-
rera lotera da Santa Casa da Misericordia qne
so extrahir na quinla-feira 1 de setembro pr-
ximo.
Presos.
Bilhetes intiros ..... 125000
.Meios......... 05000
Quartos........ 35006
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 115000
Meios......... tfOO
Quartos......, 5750
Manool Martitu FiHza______
"Freguezia dos Afogados
Escola pub iea Mo sexo 111 snilino
O abaixi asignado faz .cente aos pas dos^
alumnos que achara no exerccio de seu ma-
gisterio do da 26 do enrrente em diante, na mes-
ma casa em que funecionou seu antecessor.
O professor,
Vicente de M. Mello Jnior.
17Ra da Imperatriz-17.
Na offieina de Manoel Joaquim do NasciniPnto
precisase de oftlciaes de alfaiate para obras gran-
des.
Losinio Nicolao, Rebeh Guiseppe, Carmellt
Guisepe, Lando Guhepe. sundilos italianos, roti-
ram-se para fra da provincia.
Irmantlaile das Almas do Recife.
Nao tendo havido numero sofflcienle para a reu-
niao do mesa geral que fd annnnciada no dia 22
do corrente, de novo convido aos nossos jrmaos
para so retinirem no dia 28 H da manhaa, no
consistorio da mesma Irmandade. Recife, 25 de
agosto de 1864.
Jos Joaquim Lopes de Almeida,
Escrivo.
Alnga-se o segundo e o teroiro andar da
casa da rua da Cruz n. 7, com rauit.is commodos
para famila.
Antonio Bernardo Dias, subdito porluguez,
raiira-se para fra do imperio._______________
Na rua de Hurlas n. 66 na urna ama. de leite
sem filho. __________________
Cherubno di Pietro Bandiere, subdito itaa-
no, retra-se para fra da provincia.
Urna pn.fessora aposentada competentemente
habilitada olferere-se para ensnar (ara em algum
engenho ou mesmo- dentro da capital primeiras
letras, as qnatro operacoee de arithmntica, gram-
matra da lingna nacional, e as prendas domesti-
cas : quem pretender dirija-se Sofedade, casa n.
II, que achara com quem tratar.
Fugio na manhaa do dia 18 do mez prximo
nassado a preta ascrava de nome Maria, crioola,
de itip Mada, altura reputar,.cheia do corpa, fal-
ta de um dedo na mi esquerda, nadegas empina-
das, t-m algumas marras as costas, que parece
de chicote, levan vestido de chita, saia preta e pan-
no da O'Sta, jnls* se ter ido para o mato : roga-
se s autoridades pollciaese aoscapiSes de campo
que apprehenda-a e levem-na rua da travessa do
Caldeireiro n. 12, que soro gratificados.


-__*..


'
Barlo de Periaaborn Manbado f Je 44Mi de 1944.
A1IA.
Preeisa-sa de uma-coiinheirae outra engom-
HuJcira, sendo captiva melhor : na ra do Ilospi-
co n. 36: _______________________________
Ataga-se o sobrado de um andar cohj bas-
tantes commodos, oti raosmo segundo neslas con-
dicoes tambem servir o ae dous andares tnais pe-
queos com (amo que tenha quintal, cacimba, den-
tro desta cidade menos no Rerifa, fazendo-se van-
tagens ao proprietario : quem o tiver dirija-se
ra da Peoha o. 5.
t/>
ALUGA-SE
a grande loja do sobrado de 2 andares
da travessa do Veras n. 15, muito pro-
pria para deposito on taberna e por pre-
o eonmodo : a tratar no mwmo a qnat-
qner hora.
fmtiKIM
-T-T-
e
ATTENCAO.
O abaixo assignado declara quo por sentcnca-
proferida peia relacio desta cidade, se arha conso-
lidado o prazo constituido no terreno en que se
acha edificada a casa da ra das Cinco Pontas n.
lOi, de propriedade do padre Jos Antonio dos San-
109 l-iwsa, e que nao Jne cenvindo renovar o foro,
contina a ser o nnnuncante senhor dos dominios
directo e KM 'sobre dito terreno, que de modo al-
gum |*oderser vndido pelo referido padre quan-
do tenha de alienar as bemfeitorias nelle existen-
tes. Herife. i de agosto de 1864.
Joagnlm Tettetra Pmoto.
Precisa-so de um pequeo para caixeiro de
orna taberna na cidade da Victoria, prefenndose
portuguez : a trotar na padaria da ra Direita
n. SI ________________
_ Aluga-se o ."obrado amarellu da Ponte de
Ucha, concertado de nejro o pintado, toado o sitio
morado e ptimos comtnodos para familia : a tra-
tar no largo di Pn raizo n M.
3-M11 KSTKaTA DO ROSARIO-3
Franeiseo Pinto Oiorlo contina a col-
locar dentes artificiaos tanto por meio de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
tquem a vontade de seus donos, tem pos
e outras preparaedes as mais acreditadas
para conservaba da. bocea.
Oeixai que os Hunos da civillsacaa vos preguem
ieeonoimapara os psii Esta parte do corpo
1 humano por certo aquella que, neste clima, ne-
eessila de maior agasalho: pela liumidade nos pea
se inlroduz agrande roaioria das molestias, e cora
estas a perda da saode e da vida I! 1 Fra com as
botinas e sapalos velhos; reforma-Ios
45-Rua Direita-45
Oorzeguins francezes para hornera 5J0OO
Ditos inglezes dem a 85, 75 e 65000
Ditos para senhora 45800
Ditos para menina 5000
Sapatoes esmaga cobra 55000
Ditos de Nantes de duas solas 5000
Ditos dito de soja e vira 45000
Sapatos de borracha para senhoras 1540o
Ditos de dita para meninos 15000
Ditos de tapete para homens se-
nhorasa 800
i Sapatos de lustre para senhora a
Ditos para casa
Chinelas rasas do Porto
publicaba lltterarifl.
Sabio Ui o opsculo intitulado
i.iiti:iuAni
NO
TOR

15000
500
15600
,coinp.ialtla vigilante de vapores
de reboque.
Agencia en rasa de Rolde A ftftoiie.
Na conformidade do quo foi.erado
em assembla geral dos accionistas da com-'
panhia vigilante, que se reuni no dia 18'
de abril do crtenleanno,sao osSrs. accio-'
nistas convidados a entrar com 40 por ceu-'
to sobre o valor de cada urna de snas ac-
I oes at o dia 20 do corrente, e, se o nao f-1
zerem incorrero na perda daquantiaj en-1
setis ejemplares na praca da Independencia ns. 6 i 9ual sera intimado a cada um dos Sft. accio-
''. 8, que serao entregues vista dos recibos das as-! nistas em particular, os quaes tero a l>on-
^snaturas 5 ah tamben esto exposto* venda a I dade de participar por wcripto, que ficam
litroiicCag..^^o> lwdade--ORra>ilco-vern,? da direcriio. Recife, 8 de agosto de
Revolucao de 1817A Independencia-..A 1864.
Os directores
AssignadoHenry Forster & <.
Baro do Livramento.
____ Saunders Brothers & C,
S4HI0 A LUZ
KSTa A VEXDA
*A LIVBARU DO Sr. GffRAUM
A M.A BSTIUWTA DO RoSAIUO I, i"2
AS
NOCOES
M
PARTIDAS OOBRADAS
DFFERKCIDAS
ssociaes Cammervial BenefceBte
DR
PI'lRX.iniHTO
POR
M Fonseca de Mcdeiros.
lonia.-
, "titulnteA constituida.-A revolucio de 1824.!
A expulsa 011 abdicaca A regencia livre. O
Aluga-se o primeiro andar da casa .
da Cadeia n. 4, muito propna para escriptorio: a Luzia.o dominio
tratar no armazem da mesma.
....acaa A regenta
iTmm i'a fegressiifiL-Ameaca dos corcundas e que-
55 da des livies, A regencia ourcunda.-Causa dos
males da regencia livre.-Regencia eorcunda e
uiaioriJade.-Principios do reinado de D. Pedro.
da ra Revolu le Mmas e S.Paulo..-Doraimo da Praia-!nn preferindo.ae
liberal nao iojuieUva os cor-;lrjj j,-jq ,"u:,c
Manoel Pueina Qurol, sutnlito peruano, na-
tnr. de Lima, wtira se pnea o Para.
."Sa ra estreila do Rosario a. 2, segundo an-
dar, precisa-se de wma ama.
~ Fu?io ndift 30 do pausado a escrava l.uiza,
con os gpaes seguintes : Baixa, secca, rosto
bastante descarnado, representa 40 annos crioula, c6> bem prela, falla fino, tem um pequeo
signal abaixo do quero, oojo signal tem um cabel-
linho, tem um dedo miriimo endurecido, juiga-se
ser da mo direiu, anda acontada pelos mucam-
bos e pelas beiras do rio lavando roupa : roga-se
polica ecapites de canino o favor de a marra-la
e nao altender a reclamanjes algunas della, por-
que ella diz que nao est fgida e assira tem sido
sola, como foi em Caxang : qnen a pegar leve-a
ao paleo do Livramento n. 36, segundo andar, que
ser b^m recompensado.
Quem precisar de um homem que entenda
de todo o servico de urna padaria dinja-se ra
da Sfuzalla Velha n. 90, padaria.
Joo Vasques Hespanhol protesta contra o fi-
gurado debito inserto no edital publicado neste
iarw em 18 do corrate, que contm as dividas
activas de Rento Antonio Carpinteiro da Suva, pe-
ulioradas por xecucao dos Sr>. Tasso irmaos, vis-
te que nada deve ao indicado Rento.
Desappareceu no sabbado, 20 do corrente,
um menino de cor parda, cabellos corridos e ver-
melhos, bastante amarello, gaguejando no fallar e
con falta, de um dente na frente, levou eamisa
vermelha, e livre, sendo que tem 8 anuos de
idade : quem o encontrar queira leva-lo sua
rai na ra Augusta n. 59.
Aluga-se a casa "terrea na ra Imperial n.
270, caiada e pintada de novo, quintal murado
at a beira do rio, com banbo : a trtar-se junto
ou na ra da Roda p. 6. __________
Um oco portuguez se offerece para criado,
dando fiador a umo necessitar, dirija-se ra das Cruzes n. 42,
taberna
Alufja-se nm primeiro e segundo andar na
ra da Penha, e as lojas, proprias para negocio,
juntos ou em separado, una sala e urna alcova : a
tratar no mesmo.
O advogado Jos de Godoy Vasconcel-
os pode ser procurado ua ra oslreita
do Rosario n. 34, das 10 s 3 horas da
(arde dos dias uteU.
cundas.-Feitos do dominio liberl.-A praiaeChi-j
chorro-senatoria.-A mulla e a revolucao de!
***8 A comituintc-A ironsliluinte.-Derrota
da
Precisa-se alugar urna ama que saiba cozi-
escrava: na roa.da Impera-
da revolucao. Negociacao de Honorio con os libe-! tf T-Uf Sf
r*es.:-traid^ret-Venda da banleira ^ com-I 100 a i0IK)^
Dinheiro a juros
Na ra do Livramento n. 20, se dir quem d
lili g m g Sga! O W r- B m "i ex 0 X 3 5 0
V i % -1 : 3 51 5t 1 s 3 l 5 3 =7 0 -l O 2 3 > m 1 1
titmnie.- o partido liberal durante os quaiorze^au-! OtTerece-se urna ama para casa de lamilia
M| do. ctunwdo ostracismo. Os corcundas e os de muito boa conducta para todo o servico, excep-
nnerae* durante os qoat&ne annos.Captivejro re-! to cozinhar e sahir ra : quem quizer dirija-se
signado e voluntario dus liberaes durante os qua-' ao pateo do Hosi
AJuga-se um bom sitio na Soledade, ra da
Lsperanca n. C8, todo murado, com portau de fer-
ro, t ba ca.-a de morada para familia : a tratar
na mesma.
ns flBHM BWaiaa^ejMW s"i,nauo e voluntario dus liberaes durante os qua- ao pateo do Hospital n. 35.
assignado previne a qualquer pes- torzeaanos.-0 povo eorcunda, eu os vcrinelhos e 7!7J------'f:-----i7TT-------'-----
i?a negocio algura com a casa da sabios.-A siluacao propriamentepoltica.ini-j^*WlOJl'lO LU.%$ 116 (JllVeira
fio n. 1, pertencerte a Joo do Ro- titincoes livres, e direilos politicos que tivemos! motn M, r
..." HHn.l .,_____.. '__...1. V... Utt* \ lim Ja -....-----:- B^.. _.. ? ... II All GL I
0 abaixo
soa que nao laca 1
ra do CaJabouco
sario Azevedo. por quanto a mesma se acba hy-1 at o lim da regencia livre, e o que actualmente [
pothecada pela, quamia. de 4005- Recife 26 de tnos em lugar delles.-Os represenUntes da na-1
agosto de 186. iJ e-dai proviucias.Situaco administrativa.
Joao Pedro Baptista^ W "'
Aze-
vedo A C
agente^ do Banco Iniao do
por todo
Porto s
Roga-se a pelleta
a apprehensao de um mulato escravo de no
Paulo, cheio de corpo, cabellos crescidos, idade 30 rio eorcunda. -O proconsl.-O procnsul da co-
annos.andava vendendo miodezas e fazendascom niarca. Des cargos, dos crimes e da p'unican.A
1 um caixeiro pelos arrabaldes desta cidade e cons- justica. -Juizes municipaes.Juizes de dircito.
ta andar pelo bairro da Boa Vista : quem oVpegar Trihunaes.Os das Relacdes.Tribunaes do Com-
leve-o a ra do Livramento n. 19, que ser recom- meici. Supremo Tribunal de J11-tica. o jury.!
! Pensado. _____________________ j Qs advogados--Couclusa Garanta dos direitos. i
Aluga-se 11 m casa em Oh'nds
propria para banhos, com 5 quarlo
baria, quintal muito grande com arvoredos : a
tratar no pateo da matriz de Santo Antonio n. 8.
M rogados.Couclusaa Garanta dos direilo?.
\ ra do Carme 7 "01?1 Publca.-Dos crines.-As eleicoes.
! "|S 3 ?rollario oh saquarema.-<) que a pa-'
armntdnc lria-~ Situacao para com o exterior.-Situacao
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Amarantes.
%VISO
Quem tivi>r comas com o patacho hollandez
Adriamis Joanurs, recentcmente condumnado,
jueira apresenta-las no escriptorio du consulado
hollandez, ra da Cadeia n. 58, para serem exami-
nadas e pagas al o dia 29 do corrente mez, pas-
sando desta data nao s?rao attendidas. Recife, 25
do agosto de 1KG4.
*= 0 abaixo assignado mudou a sua resi-
dencia do sobrado da ra Nova 11. .'{!) para
o primeiro andar da mesma ra n. l.'i.
_______________tosLoiz Pereira.
= 0 jui/. da tnandade de N. S. da Boa-
Viagsm, convoca a mesa regadora para
amanhSa 8 (domingo) as 9 horas da ma-
ub5a, e espera que seus dignos memliros
com fia recan.
o hrigui! nacional Corumb sabir no dia 31
do corrente para o Rio Grande do Sul com escala
pelo Rio de Janeiro, pudendo levar para este porto
escra . OTerece-se para administrador de qualquer
engenhouin moco solteiro e desapencionado, com
habilitaces de agricultura e de carapina : quem
o pretender, dinja-se ra da Palma n. 68, que
achara eom quem tratar.
ROUPA
m
ABI1ZEI
DE
tuacao Arcos de Val do
.mancara.-As nanfas do estado.-A misma.- 1 Vez
rengo e salvamento dos corcundas.A liga.- Avaro
Como se congregara os elementos para ella.ton- Barcellos
sideraces retrospectivas. A conHituiute. Prepa- Bastos. '
ros antecedontes. Conciliacao e opposicaa parla- Beja
mentar.Monta a lisa.-O que sao os liberaes na Braga
liga.Que bem faro os liberaes ao paiz.O pro- Bracanea '
gressn.-Seus feitos.0 que o progresso e que Fara
; tara.-Como se deve viver nesta trra echegada Oliveira d'Aze-
ao progresso.Porque o progrusso s vem com- meis.
i piular nossas desgracas c sem mais remedio.Se Penafiel
I ha salvacao para nos qual seria o meio e bem fa- Tavira
cil. Resumo. -A's cinco provincias pernnmbuca-; Villa do Conde
as. Hi.-tiirico e poltica eorcunda.-De ijiir pro| Villa Real
Joao Gahe. Filho.
Francisco Rahoba Ballista.
Jaime llene.
Crdito commercial.
Gonzalo Segora.
M. Perera Y. Hijos.
Em Portlgal.
Figueira.
IUm % ^%k%\%M
vni a miseria. tomo se corrompe na eleicao.A',
restrigo da liberdadc apar do progresso d immo-1
raiidade.- Corollario.
>m
m IHMI M QVSliUIiW'
m I.STBKXRO VBI>E.
m Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de w
ftg todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor- i
m rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um J
M grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras, m
fQ homens e meninos. ^g
30)9000 Ditos de setim preto. .
25,5000 Ditos de dttos e seda branco,
Precisa-se di urna ama
na ra do Sel 11. 33,
de leite sem li 1 lio
Na ra de Santo Amaro n. 8 se dir quem
precisa da quantia de 2005000 a premio de 1 1|2,
landu por garanta urna casa.
Os abaixo assignados, cncarregados da festa
d Jess Mara Jt>s no convento do Carino desta
cidade, avisan ao respeitavel publico e particular-
mente aos devotos que deram suas estillas, que a
referida festa ter lugar inpreterivelnente no dia
18 de setemhro prximo futuro, deixandode ter no
da annunciado por.motivos valiosos.
loaqtiim Innocencio (ornes.
Nilo Kleuterio de Macedo.
Francisco Jos de Almcida Pernambuco.
-;.t* r CS! (fflBft
a:
mam
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
1 e Sf andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua prois-
so medica, e com especialidade
sobre a seguinte
Io molestias de olhos ;
2a de peito:
3 dos orgaos geniti
urinarios.
^ Em seu escriptorio es doentes se- i
rao examinados na ordem de suas i
entradas comecaudo o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d s
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
c5o que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes. j
S esf c-svjao e*v csi osai
jp Casacas de panno preto, 35$ e
!$* Sobrecasacas idem, 30^ e .
mt Paletos idem e de cores, ->:'>$,
204:, i'fi e......
B Ditos *de casemira, 20J, lo,
M 125, 10,5 e......
P Ditos de alpaca, 55, c .
^ Ditos ditos pretos, 9#, 7<|,
gg 5^, 45 e......
5 Ditos de brim e ganga de c-
m res, 45500, 45, 35500 e. .
m Ditos branco de linho, 65, 55 e
SI Ditos de merino preto de cor-
6 dio, 105, 75 e.....
fe* Caigas de casemira preta, 125,
ij 105, 85e.....
* Ditas de cores, 95, 85 e. .
S Ditas de meia casemira de co-
res, 55000 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordao, 45500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 55, 45500, 45 e .
Ditas de ganga de cores, 35 e
Colletes de velludo preto e. de
cores, 95 e. .
Ditos de casemira preta, 55 e
Ditos de ditas de cores 55
45 e.........
550OOM
i
m
m
m
1 65 e.......
1050OO ( Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, (55, 55 e
75000 Colletes de fusto e brim bran-
35500 co, 35500, 35 e .
Seroulas de brim de linho,
3*800 2oO e......
jnnn Ditas de algod5o, 15600 e. .
.T^. Camisas de peitos de linho,
WO 4^3,5, 8. .... !
Ditas de madapolo, 25500,
55000 25 e........
Chapeos de massa, pretos fran-
75000 cezes, 11)5, 95 e. .
75000 Ditos defltro, 55, 45,35500 e
Ditos de sol, de seda, 125,
45000 115, 75 e......
Collarinhos de linho Ano, ulti-
45000 ma moda duzia. .
Sortimento completo de grava--
25500 tas.
2'5500 Toalhas pararosto, duzia, 115,
le........
75000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
45000 tos e de cores.....
Lences de bramante de linho.
35500 Cobertas de chita chineza.. .
sjooejB
WOOOffl
25500 ^
250OO
15^-00
25500
15600
85500
25OOO
650^0
i
65000
65000
45000'
35000
25500
B__
Joab1 -la Silva Ramos, medico "pela Uni
versidadede Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em sua casas regularmente as horas
para iss^ designadas, salvo os casos ur-
|Sfi gentes, que sero soccorridos em qual-
quer oceasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Trm sua casa de 'sade regularmente
montada para receber qualquer doents,
ainda raesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
lica qualquer operacao rirurgica.
. Para a casa de sade.
Primeira classe :!^0(iOdiarios.
Segunda dita.... 25500 >
Terceira dita.... 25000 >
Esto estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem tires-
tado.
O proprielario espera que elle conti-
nu a merecer a conllanca de que sem-
pre tem gozado.
Na pra^a da Independencia, loja de eurives
n. .i, comprara-se obras de onro, prata e pedras
preciosas, assim eomo se far. qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert.
Platicara* Iliteraria.
00 PODER MODERADOR
F.NSAJO DR MUSITO CONSTITCCIONAI.
Contendo a annlyse do Tit. V Cap. Io da
Cotistiuiiciio do Brasil
TKLO
Br. Braz Florcntine lien piques de Souza
Isnte de direilo ciiil na FotttUmde de JJireit
du ircif,:
A raridade e importancia da discussao ultima-
mente levantada na corte acerca da natnreza e
limites do Poder Moderador, e particularmente
[acerca da resnomabitidade dos ministros de esta-
do pelos actos proprias desse Bder, despertaran
no autor o desejo de cmittr tambem a sua humil-
de opinlaa a respeito de um as>umpm t-i mo-
mentoso. Nao querendo porm fazer iiteiramente
' urna obra de circumstancia, e persoadido por ou-
tro lado de que o bom teoso dos Brasiniros salie-
r guardar anda por mnilus anuos a bella consti-
tuidlo poltica, a cuja sombra tem prosperado o
I imperio, entendeu (|"ue prestara melhor servico as
I leltras, o sera mas mil em particular mocid-
Cas-1 de esperancosa do paiz dando urna analyse ou
commentario aprofundado de todo o Cap. t 4/>
Tit. V da ConstituicSo do Brasil, trabalho esto
para que o tinham habilitada a sroa estaoWeV-
mo lente da 1- cadeira do anno da F;iculdade
1 de Diruto durante quasi drns annos.
Maranhao. Deste modo s depois de aoalysado o relerido
*ra. capitulo chepa o autor a tratar d.i grave nuesto
qner somma a prazo ou a vista.podendo logo cima indicada, devendo snn dnvida este m. thodo
Angra Terc
Carninia.
Castello Branco.
Chaves.
Coimbra.
Covilhaa.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre".
Thomar.
Villa Nova
Porlimiio.
de Titeo.
du
Faial.
No IMfElllO.
Baha.
ltio de Janeiro.
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa. .
Lagos.
Lamego.
Lelria.
Monjao.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
os saques prazo serem descontados no mesmo
Banco a razao de 4 por cento ao anno : a tratar
na ra da Cruz n. 1.
O Dr. Carolino Fraucsco de Lima San- <^
tos, contina a residir na ra do Impc- ff^
rador 11. 17,2" andar, onde pode ser pro- ^5
g curado a qualquer hura do dia o da noite **
0$ para o exercicio do sua profisso de me- Wt
W dicu ; sendo que os chamados, depois do
S meio dia at 4 horas da tarde, deven ser
..^ deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o esludo das *
molestias do interior, prosegoe, com o
maior alllnco, no das mais difflceis e deli-
cadas operacSes. como sejam dos igaos >s
ourinarios, dos olhos, parto?, etc.
mei
eoneorrer para habilitar o Nitor a conherer muito
melhor a natureza do Poder que se d.-cule, e a
formar com seguranga um juizo acerca da r'-spao-
sabildade ministerial, pelos actos delle.
Alim de dar ao publico tuna idea da obra, juqxa-
mos conveniente Iranscrever aijui a somma dos
diversos captulos que a compSem.
De,,ois do compleme Prefacio, srgue-scC
1-' Da necessidade e importancia poltica do I
Moderador.Cap. 2." Do Imperador como oiga
do Poder Moderador.Cap. :t. Da inviolabilidad^
dapessoa do Imperador.Cap. 4.* Das atttliui-
coi's do Poder Moderador.Cap. .*i. Do di-
reitode escolher os Senadores.Cap. ii. Dr, direilo
de convocar cxtraordioariameulu a Assemble (Se-
ral. Cap! 7.1 Do direilo de saneco.Cap. 8." I)#
( direilo de apurovar >: suspender as resoluyoes das
fr As embicas Legislativas Provlnciaes.Cap. Do
>jj$. direilo de prorogar pu adiar a Assembla Geral, e
dissolver a Cmara dos Depulados.Cap.
noncar e demitlir livremente os
I
Vi'
m
'tSl'S?? ^^^JsSy^>< "'-'?"" *-"" oo> nepuiaiios. i.ap. 10. D
*basw>^*x?*->b< JKJBlSSSiSR wWltti&Wi (lirt'"" '''; noniear e demitlir livremente os minis-
Aluga se a loja do sobrado da roa Velha n. [ro de Estado. Cap. n. t),i direito de suspender
93, a qual bastantemente grande, e se aluga por'os malPSlrados. Cap. li Do direilo de perdoar e
preco eonmodo : quem a pretender, dinja-se mowaras penas.Cap. 13. Do direilo de conoe-
proprielaria que reside no sohredito sobrado. |der amnistas.-Cap. 14 e 13. Da irres|>onsabildade
------------------------------------------------------------------absoluta dol'oder Moderador.Concluso
Minoel Azevedo dte An-L^A^a^Sf-Xff
i EC0N01C4 lrade' -\llt,,]!i (le S(,,lza ^'-^
Huvuvmua KfigQ ft DoillillO'OS (la Sil Vi veira' pel mo,ll(" Prt;Co de G5000.
o Crespo n 2 f^l" T^I^Ja,^HHN lIIi
LIVRARIA
llin),JiUa,l0Y7:1" lampos, tendo"comprado eli
no pe do arco de Sant A ntomo^m Qm pgaffieifto |
si toda a hei-ancji que ncoa 1
por fallecimento de Jos .
Thomotio Pereira Bastos, W
Obras lUimamcnte recebidas
LITTEHATURA.
Historia da Fundacao do Imperio Bra-
O bach.irel
Francisco Au.austo da Cosa
A1IVAGA00
m
3,5000
mmmmmmm
CONSULTORIO MEDKMIRURGIGO
0 cirurgio Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
ruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharo como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fiss^o, chamado por esenpta.
MELOdlOS;


DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
lli:i>l< O. IMIlTi:il5 K OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundo 3
0 Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s 1
horas da manh5a, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepeo dos dias santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteira
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos preces seguime
Carteiras de 12 tubos grandes. 12,5000
de 24 tubos grandes. 18,5000
de 30 tubos grandes. 24,5000
de 48 tubos grandes. 304000
de 60 tubos grandes. 35(5000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que sefizer, e com os remedio'
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca i#"00.
Sende para cima de 12. custaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS*
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Horaeopathico do Dr Jahr
doas grandes volumes cem diccionario ........... 205000
Medicina domestica do Dr. Hering,......... 10,5000
Repertorio do Dr. Melle Moraes.............. BflOOtT
Dicckioafip de terujs de medicina ...... ; 3^000
sileiro por J. M. Borei/a da Silva, p-
ineiro vol. .......
Calabar, historia Brasileira do scalo 17o
por J S. Mondes Leal Jnior, 1 vol.
ene.........
Thealro do Dr. loaqnim MaBOSl de Ma-
cedo, .i vol. ene......
Obras de M. A. A. de Azevedo, 3 vol. ene.
Suspiros Poticos, de D. 1. G. de Haga-
llians, 1 vol.......
Mocidade de D. Joao V por L. A. ltaht'llo
da Silva, 3 vol......
Um anno na corle por J. A. Corvo, 3 vol.
Os Miscraveis, por Viclor Hugo, 10 vol.
(.rimesespantosos, 2 vol. ....
f Malilla de Drceo, nitida ediccao, 2 vol.
j Historia de .Napoleao, com estampas, 2
! Vl.........
Obras poticas de M. I. da Silva Alvaren-
pa, 2 vol.......
O Outono, poesas de A. F. de Castilho, 1
rol.....
Hevelacoes, poesas de
vol.....
Peregrinacao provinria de S. Paulo, pe-
lo mesmo. 1 vol......
A morle moral, novella por A. D. de Pas-
cual, 3 vol.......
Agullia em palheiro por Canuilo Castello
Branco, 1 vol......
Visito dos lempos, Aniignidade Homrica,
Harpa de Israel. Rosa Mystica, poema,
_ por Theophilo Braga, edijao, 1 vol.
Cynsmo Sceptirismo e Crenga, comedia
por A. Cesar de Lacerda, 1 vol. .
lm distas obras recebeu mais, de liiteralura ;
franceza, iiortugueza e braseira, as quaes vende
a precos muito razoaveis. i
*MWM?
ultimo administrador do ex-.S,;^1" ^^
Ra do Imperador numero Gf).
m wmm mmmm
5000 tincto morgado de Alagoas
90OOO ou (le S. Francisco, commu-l
nicam aos breiros dos s-1
iien cao
30P0 T,rt+rt.,,lrt+rt, -i I. a* r,,a aa caixa daptia appareceti apora um
UM, IOS perteiiCenteS aO rendO ^'r""""odesomanKel.co, muito cima do Ibrle
piano, elle tem cordas e se atina por um pi.-lao de
E. A. Zaluar, I
16*000
6*000
65000
55000
65000
45000
SIMO
65000
65000
i Urna pessm que tem conhecmento de escrp-
25000 turai-ao por partidas dobradas se offerece para es-1
crever em alguma casa de commerc.io: quem pre- !
cisar alinunce ou dirija-se ra dos Pires n. 3!).
que
tito

w.f.nA o-^--;,.rt+^___________1 l'iano, eueiein coroas e se ana por um pi.-lao
8SJ extmeto morgado que o con- m-fi qne d io t,.ns em s i,;' babuidoso q
uv o-,l%rv J, 1 Tir 1 'w-i da Iio-'s gratis porque vejo tanta gente jui
www senhor da lieranca Manoel poma%oTir;qoe!ivaandar-soaS^:
Ar,r/vrl^ 1 A J i ""V *> dida, o ae eanla o Joven eom a soa
Azevedo de Andrade se a-,|iw,,;i o P.sia0 no agudo, mao ningucm
^lv ..i.- 3 i jdormel que tal o da msica, e o nosso thealro
cna autonsaao a receber os vas,on prla," Pa^^ ~ 1,.J____ 1 que faga os laes jovens fazercm os seus ensaios na
IOrOS e laUdemiOS, bem CO- ""te, P^ Pr bem fresco e os accommo-
mo as rendas dos predios,
ie o competente para pas-
sar recibo.
dar bem.Ate logo.
15500
15000
Aluga-se urna preta que taz lodo servigo de
urna casa menos enjrommar : a tratar na ra da
Cruz do liecife n. 29.
Preeisa-se alugar um preto para o servico de
casa : na ra da Cadeia do liecife n. 20.
Hennann Koesing, cidado bremense, vai a
Europa.
Na Uvraria, n. e 8 da praca da Inde-
pendencia existe urna carta de importancia
para o Sr. Antonio Fernandos Corredor.
Que precisar de nina criada(portuijueia)para
Vende-so em casa, de Jobosi od P {er &\ Os remedies deste estabelecimento sao per lemais' cobecidos dtpesam Dortn-
' "i"* a ,8'n.r|li' n,' 3l um oe,f() sort-,to de serem nevamente recommendados aspessoa* que quizerem usar'de remedios ver-
snto de relogjos de ouro patente io-, dadeiros, enrgicos e duradores: ha todo do- melhor que se pode deseiar, globos de ver-
! fabricantes dadeiro assijcar de leite, notaveis pela sua boa conservap, alan-dos mais acreditado
'* (estabelecimenlas europeos, a t
gia e certeza-em seus effeitos.
Casa de sade para escraixos.
J^ebe-6e;rav^;para atar le Liverpool, e Umbem 'urna variedade de eslabeleciments europeos, a mais'exacta e aecurada preparaco. e oortnToa mainr pn*.r!
ibonoettrafielfos para os msmosM ;> a ^a-,*.am e. <,*.
~ ~ TTVftAfA. ,
Tlnge-se im perfeico para qoalquer
o mais barato possivel: na ra do
Hangei n. 3H. segundo aBdar.
.
flnVIvil
umero 8 B.
BROW.
Hamedo infaUivei- contra as gnorrheas
antipas e reOente, iwic* deposito na djfr
tied'-francs, rila da erar n. ,
.Precisa-** de orna amapatodo serviode
operacao, para ixtuevOaBaunciantijulga-se sufficentemente habilitado.
Otratamt-nio nehW possiver, tonto na parle,.\m&f, ofnarfnerlica, e mexo ^i
fueeioain(Jo a oa.sa a. mais do r^uafroanrlns, Jia muiUs^ pessoae familia, prefanpd-Ve esoraya'"' no
poae tluvidar, que podera ser consultados por aquelte* que desejarera mandar eu'<,re P*n,*0,na*-M*** nrofcra-se eioava- -. PateP da m*tm de S. Antonio rr. *:.
doente* ra db Quima** i. 41, loja. I' Precisa-se de unra-anfpana casa
co
^
'
i pre-
Pags-se2aG00 por dia.durante 60 dias e/d'ahi emdiante.45Q0i
& operaci^ ser3o previamente-ajustadas, se- adesequieeretasofeitar. precos ET! eoorti
I azoavels que costoo pedir o annunciante.
serv
se na
'ir em casa de algnrn homem sol
la Capunga ao sitia do Sr. Atbuq
Heiro : dnja-
uerqde.
O Sr.. Sbastiao Jos Pejxoto tem urna carta
na pra^a ca Independencia, livrxria ns. 6 a a
u
Conpauhfa fldc!la segnroa niaritlinos e ter-
restres estabeleclda no
li io de Janeiro.
AGENTES EMPEPNAUaUCO
Antonio Lniz dr Oliveira Azevedo i C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomara seguros do aawos, mercado- 1
rias e predios no seu escripterio ra da 2
Cruz o .1.
r- Precisa-se da um menino dos cnegados *o
Maques' sobre Portugal.
O abaixo assignado, autorisado pelo
I Banco Mercantil Portoense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
ectivamente por todos us |i;quete.s sobre
as praca de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por quakjuer somma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que lomarem
saques a praso.recehcrem avista, no mes-
mo Vaneo, descontando 4 OjO ao anno: na
loja do chapos da ra do Crespo n. 6, ou
na ra do imperador n. C3, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Mala.
Precisa-se alugar urna prrta escrava para o
servido de urna pequea familia : na ra das Cru-
zas n. W, primeiro andar.
*' \&F*Tans para ,aberna: pa ru*da Guia
qHe saiba cozinhar e engommar : na ra das CiD
n. M, primeiro andsr.
a casa n. 3, sita na ra do Arago, coziDha-
se rom pefei^ao.
Precrsa-e d urna ama para mojo solteiro :
na na-do Imperador n. 13.
A tt&n Offerece-se urna senhora porlit-
gueza para tratar da edueatto de
meniws em alguma casa de fa mi-
fia : na nn da Cadeia do liecife n.
3*, primeiro anda*.
Joaquim Gomes Dourado r-frra-se para Por-
tugal tratar de sua (ande e d-i\ oor seus p:o-
curadx)r*iia seu irmo Josa Gomes Dourado, Joa-
(Hiun.oBcalves Salgado e Antonio Domingues de
Precisa-se V luna ama forra ou serava-, e
1 qu tenha IteOfi eostmnes, liara DdBM MMMa
nma casa de familia : na ra do AragAp ,n. 25.
^ AljjgikSB a.qasa-com pequeo sitjo aa travo-1 -** *?** s*1 m'tetohn andar e soab'-'rom Alrrteld Poyas.
sa'deuaoPtrnahos'VeiraV.eju 'qu munou u'Uif do*nttdo*ip Shlo ha pou- Precisase de um escravo' para o servico in-
cXWifMki^mnHpV| -a wtar navfba.do Crespo tertro e exferdft de urna casa, paanoW tS^OOO
I______l_______._+ por ntei: tit mt) db Qnima*) n. 19:
'iiyunenO! o,JSrTTUoinaz,Cuinher.: .no annazew de
:SamtH p; Joliftsti iC, ruada Senzafa Nova na-
'P'reci$a-s^''m t?m criado' para tratar d 'ftmilia- que saiha laar e enjtmiar
' B''ontm fajm <}m unta tka estrangi- t-o^ca Trancha, ra mvCrut n. tj.
-a-se^enr9*.-da ftfa da Ciulefl vk> Recife n.' Alnga-se ato'dbcasa ri.'40 da ra
40, loja de retajoeiro. 1 cheiras: na na d Aorora n. 38.
de pouca
tratar na
dasTrin-
M ra estrella do Hosai io u. 31
AdvogadOfcA)H^ii( Albu-
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
teiras, porm, na villa do Cabo.
ilLEGVL1
L-J


Diario de Per
* ''
bneo ... Kabbado 13 de Agosto de 184.
..i
I
PIULAS CATHARTICAS DE IYIE.
5 Estas pilulas vegetas sao a-
daptadas a todos- os.usos de um
purgante as familias, pois sao
'perfeitamente innocentes, e em
rpianio milhares de pessoas con-
fessara coa graiido que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha
um s caso em que naja su?pei-
tas do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqu alguns dos
attestados que temos de curas
notaveis feitas ltimamente.
Um caso notavcl de
AOfffio ehrenea do ligado. ;
Illm. Sr<
Juiz de Fra, 17 de fevereiro de f864.
Tendo feito uso das pilulas catharticas i
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-!
dro, tendo tirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais de doze annos en-1
fermidades do ligado e baco, cooa o uso
das pilulas posso lhe assegurar que estou
bom, pois ten lo desapparecido um grande
engorgitamento que solTria, muitas dores
sobre a rogiSo do ligado e costas, dores de
cabeca, inchago do venlre, nao podendo
deitar-me seno do lado dreito, isso mes-!
mo procurando posicao para ter socego, lo- \
je mo acho livre d'esse padecimento ; como,
por aqui ainda as nao haja, eu como tenho'
este proprio que de casa, lhe rogo man-;
dar-me alguns videos, e o costo elle lhe sa- j
tisfar, ssim bem como do charope de j
cereja, que tive occasiao de experimentar ;
em um ataque de guellas que teve urna
preta que com elle curei, faco" uso d'elles
cas tosses em minha familia sempre em
bom resultado, e por isso que pego para
mandar alguns frasqoinhos, e mesmo as p-
talas pode montar a doze, porque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
gumas pessoas, todas teem lirado grande
resultado; sou
De V. S. attento abrigado,
Francisco Ferkehia Paes.
. Precisa-se
de 8005 a juros dando- hynotheca era urna es-
crava moca eom nma trtif: qtfera quizer oar an-
nuncie para ser procurado;_________*
Joao. Antonio Carpinteiro da Silva, por seu
procurador nesta cidadc, vera declarar publica-
mente que nada dcve a liento Antonio Carpinteiro
da Silva, ao contrario c credor, pelo que j proles-
tou contra a inelusao de seu nome na relagao de
devedores que foi em edital extrahido dos autos
de execuco dos Srs. Tasso Irmao?, publicado no
Diarto de Peruambuco de 18 do correte.
Manoel Carpinteiro da Silva tendo vislo seu
notnc incluido no numero dos credores do Sr. lien-
to Antonio Carpinteiro da Silva, declara nada de-
ver a este senhor, tanto que contra scmelhante de-
bito imaginario protestou perante o Illm. Sr. Dr.
juit do commercio na respectiva execcao.______
Jos Fcrnandes Moreira nada deve a Bento
Antonio Carpinteiro da Silva, pelo que falsa a
verba que no edital publicado neste Diarto no da
18 do corrente se refere ao annunciante, e por cu-
ja falsidade protesta na execugo a que se refere
o mesmo edital.
Precisase de urna ama escrava para engom-
mar e cozidhar para pouca familia : na roa do
Brum n. 70, segundo andar._____________
Sr. Jos Ferreira Pinto de Magalhaes te-
nha a bondad de mandar ou vir ra da Cruz n.
4 recetor urna carta vinda da Parahiba, a qual
nao se lhe tem entreguo por ignorar-se sua mo-
rada.
Jos Denis, subdito portuguez, retirase para
fra da provincia.
"^Precisa se alugar urna escrava de meia ida-
de para o servigo de urna casa de duas pessoas:
a tratar na ra Oireita n. 54, loja.
A caixa filial do London e Brasilian
Bank saca sobre Lisboa e Porto, prazo ou
vista.
Entino de preparatorios
O bacna'rel A. B. de Torres Bandeira,
professor de gcographia e historia ami-
ga no Gymnasio desta provincia, conti-
na a ensinar philosophia, geegraphia,
rhetorica e as linguas franceza e ingie-
ra. Offercce o seu presumo especialmen-
te aquelles mogos que se qoizerem pre-
parar em qualquer destas disciplinas para
os exames em novembro do corrente au-
no, ou em marco do anno futuro.
O ensino dado pelo annunciante na
casa de sua residencia, ra das Cruzes
n. 9, segundo andar.
Iivro #e orajes.
Vende-^ 160 reis, na livraria ns. G e 8
da praca da Independencia, um Hvrinho con-
tendo o seguinte : louvor ao tanto nome de
Deus, cora (los actos de amor de Deus, ora-
coes o peliees, hymuoao Espirito Santo, co-
ra do.Senhor, aviso qoalfuer alna de-
vola, desengaos da vida humana, hymno
de Santo Ambrozio Nossa Senhora, jacula-
torias ao Santissimo Sacramento, exercicio da
via-sacra, commemoraco Nossa Senlwra
do Carmo e ao SS. Sacramente, directorio
para a oraco mental, dividido pelos das da
semana, obsequio ao coracao de Jess, sau-
daces devotas s chagas de Christo, ora-
coes Nossa Senhora, S Jos, ao anjo da
guarda, Deus em obsequio qoalquer san-
to e para a noute, e responso pelas almas
do purgatorio._____________________
Vende-se das seguintes marcas:
(K Kj
Semitli (A I)
P N & C de FF o barril por 155-
P diamante deFF o baml por 145500.
De superior qualidade FF i espingardas o barr 1
por 16*.
Chumbo de raunigao de toda a grossura arroba
tuna
Mo arrnazem de J. A. Moreira Das ra da
Cruz n. 26, onde encontrarao as amostras.______
Esteiras para forro de sala a
85*i rs a jarda
Na roa Nova de Santa Rita arrnazem n. 19, e
na ra do Crespo loja n. 17.
Ruetimalisuio e ataques lieiuorrhoiilaes.
Illm. Si.
Ouro-Preto, 30 de marco de 1864.
Posso certificar-lhc que as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois
que soffrendo eu dores pelo corpo, e que
suppunha ser rheumatistno, (molestia esta
que j havia soffrido ha annos} e soffrendo
tambem desataques hemorrhoidaes, e del
um ouvido, pois que at j pouco ouvia, e;
acompanhado de urna dr no queixo, con-
sultei a um dos nnssos mdicos, e este me
disse que devia fazer uso da salsa ; porm!
lendo eu o almanack do mesmo doutor,
comprei em sua casa um vidrinho das mes-
mas pilulas e por minha conla priocipiei a i
toma-las, e sem as finalisar acho-me sem as
dores pelo corpo; e sem sentir, sarei do
ouvido, e mesmo dos ataques hemorrhoi-;
daes: perianto sao para mim as taes pilu-j
las as melhores que.tenho experimentado;
isto em abono da verdade. Sou
De V. S.
Amigo corto, venerador e obligado,
0 brigadeiro
Joo HoDuictEs Feo de Carvalho.
Aluga-se muito barato amas poucas de meias
aguas pouco acabadas de edificar a entrada da
travessa das Barrenas, do bairro da Boa-Vista :
a tratar na ra do Cotovello n. 2a.
DENTISTA DE PARS
19Ra Nova-19
Frederico Gautier, cirurgio dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaes, tudo cem superio-
ridade e perfeigao, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos denuncio.
Vende-se massa de mandioca muito fina pa-
ra bolo e papa a 500 rs. a tibra : na ra da Sai#a
Cruz n. 81.______________________________
Vende-se um sitio no principio da estrada de
Joao de Barros, na proximidade da nova ra que
se abri, com duas frentes, proprias para edifica-
res : a tratar na ra do Crespo n. 20 com Alva-
ro Augusto de Almeida.
Vende-se a fabrica e sabio da ra do Ran-
gel n. 34, propria para qualqner principiante por
ter poucos fundos, e ser negocio de vantagem ; o
fabricante ohriga-se a ensinar gratuitamente a
qnem a comprar a mant-ira de fabricar o sanan.
garantindo-se o aluguel da casa: a tratar na
inesma._________________________________
Vendem-se duas casas terreas na travessa
do Pocinho ns. 5 e 7 : quem pretender, dirija-se
Boa-Vista, ra Velha n. 52, que dirao quem os
vende.
GAZ 6AZ GAZ
Vende-se gaz de primeira qualidade a
1<);> a lata : nos armazens da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
LOJA 1)0 BEIJV FLOR.
Ra do Queimadons. 63 e 69.
CIhUs dwrados.
Sao chegados os lindos cintos bordados ouro,
pelo barato prego de 2,8300 e 35000: no Beija-tlor,
ra do (Jueimada ns. 63 e S9.
Fucilas para cintos.
Chegaram tambem rioaa livellas douradas e de
ac para cintos a l0O0 e 1200 : no Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Peales it Urtamga.
Lindos pentes de tartaruga, gosto moderno, a
5200, 5500 e 6#000 : ra do Queimado ns.
63 e 69.
Peiiles de travessa.
Vendem-se pentes de travessa de novo gosto para
meninas a O0 e 800 rs. : s no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Pentes para atar cabellos.
Grande liguidacto
Ra da Imperatrfz n. O,
loja de (aieudas- do Pavo de Una & Silva.
Acha-se este estabelciment completamente sor-
lido de fazendas inglezas, francezas, ailemes e
suissas, proprias lano para a pra^a como para o
mato, promettendo veoder-se mais barato do que
em outra qualquer parle principalmente sendo em
pofco e de todas as. fazendas dao-se as amostras
deixando ficar penhor ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavo.
As chitas do Paviio.
Vundem-se chitas inglezas claras e escuras pelo
barato preco de 240, 260 e 280 rs o covado, tintas
seroras; ditas francezas de rores seguras 320,
340, 360, 400,440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
muito superior e bonitos padroes : s na loja do
Pavio.
As lazinhas da exposicao do Pavlft.
Vcndcm-se as lazinhas as mais modernas que ,
tem vindo ao mercado, proprias para vestidos e
Lindos pentes pequeos para atar cabellos, pro- soutembarques por seren lisas e de cores muito
prios para se andar etn casa a 400 e 500 rs.: delicadas a 300-600 rs.: ditas lisas com um ls
no Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e 69.
tre que parece seda 640 rs. o covado, ditas ma-
tizadas 320, 400 c 300 rs. o covado, ditas com
quadrinhos de seda 300 rs. o covado, s para
sejados botoes para abertura de roupao, vendem- |uavbaarruaD3a ll"*mJ Pava de Ga,M *
se a 400 rs. abotuadura : no Beja flor, ra do; s"va' rua aa W*?
Queimado ns. 63 e 69.
Ilotes de ndreperola.
Tendo recebido um variado sortimento dos de-
Enfeiles para seuboras.
Lindos enfeites modernas a 2O00 e 2400,
ditos de rede a 960 rs. : no Beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Talberes para meninos.
Chegaram novos sortimentos de talheres pira
meninos a 280 e 320 rs., ditos cabo de balaneo de
um botao a 400 : as tojas do Beija-flor, ns. 63
e69.
Lia para bordar.
Vende-se liia de superior qualidade e de lindas
Os vestidos de Pavo
.HACHINASLKMENTE
de trabaIhar mo para
descarocar algodSe
FABRICADAS
for Plant Brothers & 0.
OIDAN
Estas machinas
podem descarocar
qualquer especie
de algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoaspara
olrabaliio; pode
desear<*;ar -tuna
arruba de algo-
dao em carolo
etfl 40 minlos,
01 18 arrobas
per dia OU 5 ar-
robas de algodao
limpo.
Esta madrina
a nica que
possue as vantagens de nao. destruir o fio do al-
godao c de fazer tender o dobrode qualquer ou-
Vendem-se os mais modernos cortes de vestido cl^ ilsrab fiS&SjttEK! K2
de la, qua vieram pelo ultimo vapor, com ricas JK2?5 itJ2S^*EL niuito valor
barras de cor, rorplnho e collete separado ditos I parAa ^L0' '"fZS!T,J> VV1'
i com l.stas de seda e tambem com barras e enfeites J^JSSJSfSSfVSZ grande d- mS"
'naraocorno oor neo mafetant do maem n- W ywMiW serem movidas por animaos,
S SA SSEX 6!0JdVGZairSi1vaPa- i SpK^PRr% machinas tem
9SSS Imran- &SX$Eti, s^SSmercados de Eropa e
As machinas se acham venda unicamenie em
Vendem-se os mais lindos vestidos Mara Pia
de laazinha transparente rom listas, e palminhas
de seda pelo barato preco de 8000 cada corte :
cores a 65800 a libra : no Beija-flor, rua do Quei-: s na |0ja do Pavao rua da Imperatriz n. 60, do
mado, ns. 63 c 69.
Papel de diversas qnalidades.
Vende-se papel de beira dourada pautado a
l200e 15:i00 o pacote.ditossemserdouradoe nem a mita^ao de laa, com coros fixas,
pautado a 640, 800 e S5000 ; no Beija-flor, rua do va,i0 ditas francezas muito finas
Queimado ns. 63 e 69.
Envelopes para cartas.
Vende-se envelopes do cores a 600 rs. a caixa,
ditos brancos a 640 e 800 rs. : no Beija-flor, rua
do Queimado ns. 63 e 69.
Pentes dourados para atar.
Vende-se pentes dourados para atar cabellos a
15000,15200, 25800 e 35OOO : no Beija-flor, rua
do Queimado ns. 63 e 69.
Pentes para marraras.
Gama & Silva.
Aseassas do Pavo a 210, 280,300 320 e 360 rs.
S o Pavao vende as finissims cassas persianas
360 rs. o co-'
a 240,280,800
e 320 rs. o covado, isto para acabar : rua da Im-
peratriz, loja de Gama & Silva.
Ah percalas do Pavo.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-
cado pelo ultimo vapor tem na loja do Pavao pelo
barato preco de 600 rs. o covado; ditas de listi-
nhas muito miudinhas proprias para vestidos e
roupdes de senhoras, meninos e meninas, pplo ba-
ratsimo prego de 500 rs. o covado, garantem-se
as cores por screm do melhor fabricante que as
tem em Paris : isto na loja do Pavo rua da Im-
AVISO.
Gaslrile.
Ouro-Preto, 29 de marro de 1864.
Atteslo que tendo feito uso, aconselhado
por um amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
fiqoei perfeilameotc botn de urna gastrite
que solTria c que privava-me de andar aper-
lado, hoje felizmente nada sintp.
Augusto Goli.ati.no de Mello.
Falla de apetite.
Ouro-Preto, 24 de fecereiro de 1804.
Sendo eu affectado do ligado lia nimios
annos, e ltimamente solfri falla de apetite,
hoje dou gracas a Deus por acliar-me sao
e perfeito com o uso das pilulas catharticas
do Dr. Ayer.
Antonio Rento Vieiua.
O consulado dos Estados Unidos acha-se mudado
da rua do Trapiche n. 8 para a rua do Imperador
n. 63, primeiro andar. Para a verificaejio de fac-
turas, deverao as mesmas ser apresentadas 24 no-
ras antes da partida do navio.
W. li. Me. Grath,
Cnsul interino.
Mara Jseina Candida Moreira, subdita ppr-
tugueza, relira-se para a Europa, levando em sua
companhia i sua filha Adelaida Francisca Moreira,
menor de 4 anuos.
Desappareceu da villa de S. Bento, fazenda
do Agudo Novo, duas burras, sendo urna preta e
outra castanha escura, e aquella maior do que esta,
e ambas tem a marca A -, rogase pois a quem as
acbar 011 a quem dellas tenha noticia, de dirigirse
a mesma villa Luiz Paulino de Valenca ; naci-
dade do Recife ao Dr. Fenelon Alcoforado, rua do
Imperador n. 4 ; ou a Antonio dos Santos Siqueira
Cavalcanti no engenho Bellomonte, que ser re-
compensado. O mesmo aviso se faz s autoridades
policiaes para que as apprehendam-
Nova liquidadlo.
Pegas de algodao superior com um pequeo de-
feito a 3&, dito com 20 jardas a 65, dito com 24
ditas, largo, muito superior a 65^00, pecas de
cassas para habidos 011 cortinados, em bom esta-
do, e com 10 varas a 25, toaihas brancas adamas-
cadas e quadradas de cambraia a oOO rs estoupa
larga a 440 rs. a vara : cheguem a estas pechin-
chas antes que se acabem, na loja do barateiro,
rua da Madre de Deus n. 16, defronte da guarda
da alfandega.
Gaz
Vende-se lindos penlinhos dourados com pedra
para marrafa a 15200 : no Beija-flor, rua do Quei- prratriz n. 60, de Gama & Silva.
mado ns. 63 c 69. Bramante de llano do Pavao a
Sapalos de tranca. '.'OO. 2.400, e 9,600.
Vende-se sa patos de tranca muito bons a 15500, i Vende-se o melhor bramante de linho puro com
ditos de tapete a 15600 : no Beija-flor, rua do dez palmos de largura por pregs muito commodo,
Queimado ns. 63 e 69. por ter de acabar a factura, a vara por25200, 25400
Balaios com sabio. fi 25600, s o Pvao : a rua da Imperatriz n. 60 de
Lindos balaios com 6 sabonetes de varias frnc- Gama t Silva.
tas a 255OO cada um : no Beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar lindo sorti-
mento de perfumaras e variado sortimento de
miudezas que se tornara enfadonho menciona-las,
porm afianga-se ser tudo bom c mais barato que
em outra qualquer parte.
0 Perfume da Moda.
tefi^
Na fabrica de sabo da rua do Bangel n. 34,
vende-se a 500 rs. a garrafa e 125 a lata._____
Vendem-se caixoes vasios a 1:760
cada um : na rua das Cru7.es n. 44.
COMPEAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
dapa-se bem: na loja de bilheles da pragada Inde
pendencia n. 22.
Constiparn, dores de caliera.
Ouro-Preto, 28 de marco de 18(54.
Atiesto que achando-me atacado de urna
forte constipacao que trouxe-me dores por
todo o corpo e na caneca, solri liorrivel-
mente por espaco de quatro dias; entilo
um amigo aconselhou-me que tomasse pi
lulas atliarticos do Dr. Ayer : com ellas i-
quei sfw e completamente restabellecido em
tres dias, de sortc que estou no ffirme pro-
posito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que forem affectadas de
constipaces.
Aoostiniio Jos da Silva, negociante de fa-
zendas.
--------------------_
Irritara o do estomago.
Ouro-Preto, 2) d marco de 1804.
Atiesto e juro, se necessario fr, que. sof-
frendo ha muito tempo excessiva irritaco
de estomago, pouco apetite e difficil difjes-
to, del la tenho experimentado sensiveis
melhoras depois que tenho feito uso das pi-
lulas catharticas do Dr Ayer.
Antonio Hkwmogenes Pkrkira Rosa.
Compra-se couro de carneiro
do Bosario n. 10.
na rua larga
Compra-se effectivamente
ouro e prata em obras velhas pagndose bem :
na rua larga do Bosario n. 24, loja de ourives.
Comprase cobre velho: na rua do Brum nu-
mero 78.________________________________
Compra-se
As seguintes obras de Macedo :o Mogo Louro,
a Bosa, os Dous Amores : que as ti ver annuienc
para ser procurado.______________________
Compra-se porgo de caibros j servidos de
andaimes e tambem novos de qualidade para ro-
bera, ssim como travs de qualidade : na rua da
Penha n. f.
a-
II
bd p-
o
i
g
t3
td
s
i
p
co
00
3*
B
p^>
> td
2 ^
p- P
o
g as
O
e-t-
es
9
p-
I
p
p-
co
B
p, ce
o
p-
o
i
o
i.
I'

(X-
B
B
AGITA FLORIDA
De Murrav Machinas para descaro(?ar
algod&o dos mais acreditados
fabricantes: na fundicao do
Brum n. I
Milho o mais novo que ha
no mercado a3|osacco
Na rua de Santa Bita n. 1, taberna.
Vende-se urna negra de 19 annos por prego
commodo: no pateo da matriz de Santo Antonio
n. 8.
Este raro quilo doliendo perfume 6
qnasi que incxtinguivel e tio elieio mimosa fragrancia e frescura como o
delicado cheiro das proprias verdecen-
tes flores. Diante us mezes caloren-
tos do vero o teu neo torna-se minen>
teniente aprazivel e descjavel era con-
eeqncncia da influencia refrigrante e
suave que ella pioduz sobre a pelle:
ein quanto que tizada 110 banho ella
imparte o corpo lnguido c caneado
urna certa elasticidade de vigor e forca.
Ella imparte transparencia us feicdes,
saidan e heiioejas ih
Panno de linho do Paio.
Vende-se panno.de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lencoes e toaihas de mao pelo
baratissimo prego de 640, 720, e 800 ris, avara,
algodaozinho com oito palmos de largura proprio
para lencoes pelo baratissimo preco de 15 a vara,
assim como tem o melhor algodozinho tanto em
largura como em corpo, proprio para lenge?, ca-
misas de escravos etc., etc. prego muito commodo
a vista da fazenda s o Pavao : a rua da Impera-
triz n. 60 de Gama & Silva.
Algodaoziklio com (oque de avaria a 4,000
e i,800
Vende-se pega de algodozinho por ter um pe-
queo toque de avaria mas que esl em bom esta-
do pelo barato prego de 4 e 45800 a pega s o
Pavao : a rua da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Os guardanapos econmicos do Pavo e s do
- Pavo.
Vendem-se os mais lindse modernos guardana-
pos econmicos e todo linho, tanto para casas de
famiia como para hoteis, boteqoins etc., etc., pelo
baratissimo preco de 33 a duzia, isto s no Pavo :
a rua da ImperaIril n. 60, de Gama & Silva.
Os soiiteanbarqnes do Pavo
90 e 19 #.
Vendem-se os mais lindos soutembarques que
teem vindo no mercado, sendo de caxemira de co-
res pelo baratissimo prego de 1 -o cada um, ditos
de musambique pelo diminuto prego de 95, s na
loja do Pavao, mas que nao se enganem : a rua
da Imperatriz u. 60 : de Gama & Silva.
1: so o l'avo ( SgoOO).
Quem tem baloes por tal preco 1
Vendem-se os baloes americanos muito superio-
res com 20 e 23 arcos pelo baratissimo prego de
2>o00 rs. ; ditos de 25, 30 e 3o arcos com lilas
muito bem armados, e tambem tenr cor escura pe-
lo barato prego de 35500 e 45 cada um : s na Io-
ta do Pavao, Vua da Imperatriz, 11 60, de Gama &
i'ilva.
0 Pavo vende para luto.
Vende-se superior selim da China fazenda toda
de la sem lustre tendo 6 palmos de largura pro-
casa de
Saunders Brothers k C.
M. II, prava do Corpo Manto
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz. ______________
EXTRAORDINARIA
liqmdacao de fazendas de todas as qua-
li uis na lja e arrnazem da Arara,
rua da imperatriz n. 56, deLouren-
co Pereira MendesGui maraes.
.1 tendam fregnezes!
Soutembarqne a 100, 120 e WS perhincha.
Vende-se soutembarques muito bem enfeitados
e de cores, para senhoras, a 105 125 e 155, ditos
pretos a 205,225 e 255 ; capas pretas do gros-
denaple a 205 e 255 : s na rua da Imperatriz n.
56, loja da Arara,
Cortes de chila a 2i00.
Vndese cortes de chitas de cores fixas com 10>
covailos a 254OO e 35200, coites de cambraia de
barra a 25, ditos de salpieos a 25500 : na rua da
Imperatriz n. 56, loja da Arara, de Mendes Guima-
riies.
Fazendas especiaes para senhoras.
Vcnde-se gollinhas para senhoras e meninas a
240, 320, manguitos a 500 rs., camisinhas a 15,
15500, 25 e 455OO, entre-meios e liras bordadas
para enfeitar vestidos brancos a 15,15200 e 15*00
a pega, enfiles para casaveque a 15, gravatinhas
para"senhora, muito finas a 15 e 15500 : na rua
da Imperatriz n. 50, loja da Arara.
Vende-se palitots de panno lino a 165,1*5 e
125, ditos saceos com litas a 125, 105 B 85, ditos
de casemir linos a 105- 85 e 65, ditos sem fita e
45500, 55, ditos de brim a 25300, 35, 35500, ds
alpaka a 35 e 35500, calcas de brim e de ganga
25. 25500 e 35. ditas de meia casemira a 35500 e
455OO, finas a 55, 65 e 75, coletes e camisas fran-
cezas a 25 e 25500 e 35, seroulas de algodao %
15600, de linho a 25, e colarinhos a 400 rs. : na
rua da Imperatriz 11. 56, loja da Arara.
Vende-se colchas de chila a 25, de damasco a
45, de fasto a 35 : na rua da Imperatriz n. 56,
lo)a da Arara.
Vende-se panno de linho para lenges e serou-
las a 640 rs. a vara, brim liso de Hamburgo a 500
e 560 rs., lengos de seda a 800 rs. e 15 : na rua
da Imperatriz 11. 56, loja da Arara.
Bramaote da liara a 2300.
Vende-se bramante de linho com 10 palmos
de largura a 25500, dito de 12 palmos a 2580O
a vara, chitas para coberlas a 320, 360 e 4(.0 rs.,
dita encarnada muito lina a 480 rs. o covado, chi-
tas para vestidos a 240, SbO, 320 e 400 rs. o cova-
do : esta pcchincha, tao barata, s se pode encon-
trar : na rua da Imperatriz n. 36, loja da Arara.
A Arara (rima, nao vende, qnrinia.
Veudem-se baloes de 16, 20, 25 e 30 arcos a
'25240,25500. 35, 35500 e 45, ditos de musselina
1 a 45 e 45300 : na loja da Arara, rua da Impera-
triz n. 56.
Vcnde-se challes de laazinha a 15600 e 25, ditos
de merino a 25500 e 45500, ditos linos a 65, ditos
estampados a 75 : na loja da Ai ara, rua.da Impera-
triz n. 56.
As laziuhas da Arara a 210 rs. o covado.
Vendem-se lazinhas para vestidos a 240, 320
400, 300 e 560 rs, o covado, ditas muito linas de
cores, lisas, de lyrio, de rosa, azul o encarnada
a 600 rs. o covado ; na rua da Imperatriz n. 56,
e remoce jjannon,
sobre apelle.
vende chitas a 240 rs.
tas para vestidos de cores fijas a
tudo preto proprio para lulo rochado e multes ou-124c 28 >**. ***** | tros a, tiges que se vendem por precos ma.s em con- 0 rs cassas de cor a 280 e 320 c. eovade^organ-
YENDAS.
Chocolate de musgo Islndico
Pharmacia franceza
DR
P. MAURER & C.
18 Rua \ova-I*
Umbrfas.
Ouro-Preto, 28 de marco de 1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram empregadas cotn grande vantagem por
mim em urna menina de dez aonos, que
softria de vermes intestinaes, notando-se
que o symplomas que entlo apresentava
eram de molestia bastante perigosa.
Ratmundo Nonato S. de Thiaco, pharma-
ceutico. ___________ ""
Nerrahjia.
Urna carta do Jllm. Sr. Francisco AI va-
renga de Azevedo.
Ha mais de sete annos que solTria dores
no hombro e as costas, tomei urna inlini-
dade de remedios sem adiar alivio algum.
Dr, angustia, tormento sao palavras for-
tes, porm nao exprimen o que tenho sof-
frido: ltimamente tomei as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, e. es-
tou completamente restablecido ; ha tres
dias que nao sinto a mais leve dr no hom-
bro nem as costas.
. Estas pululas acham-se x venda as prin-
cipaes boticas e drogaras do Imperio, e no
Rio de Janeiro, rua Dineita n. 13.
Teiide-se em Pernambuc
na pbarmacia francesa de
YKVEH-SE
as seguintes obras: Garmer, Economa po-
ltica, Ivol. por 2,5000; MackeUey. Direi-
to romano, 1 vol por tf; Du Caurroy,
Gommentario do cdigo civil francez. 2 vol.
por 8(5000; Hacine, obras completas, 1
vol. por 8000)J; G. Mass, Diccionario do
contencioso commercial, l vol. por 6fo
Chabot de l'Allier, commentario sobre suc-
cessoes,'i voL por 6#; A. Arnaud, obras
philost'phicas, 1 vol. por 20; Sauvag$-Har-
dy, crcacao de bancos de deposito. I voj,
por 20; Lotus Bkiuc, organisacao do traba-
lbo, 1 vol. por 20; na rua doCabug loja
COIPMDIO DOLOROSO
que contera a officio de Nossa Senhora das
Drese omodode resar e orerecer a co-
ra, um setenario e mais outros exercicios
de piedade e devoco; ordenado pela ir-
mandade dos servos da mesma Senhora,
que se acba erecta na egreja de N. S. da
Penha do imperial hospicio dos reveren-
dos padres misslonarios apostlicos capti-
rhinhos italianos de Pemambaco, approva-
do por S. M. !., que-Deas guarde; dado
luz por devogao do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 320rs. n IfyrariaTiS. 6e8
da praca da Independencia
mm se
genebra fina hollandeza em cai jas de 15 frascos :
no esenptorio de Brender a ltrandis A C, rua da
Gadeia n. 58.____________________________
Superior cal de Lisboa
Vende-se superior cal de Lisboa a mais nova
que ha no mercado tanto em porgao cerno a reta-
lho por barato prego, aulangando-se aos compra-
dores a superior qualidade: a tratar as seguin-
tes ras : do Crespo n. 7, Imperador n. 28, Forte
do Matlos arrnazem do Sr. Avilla defronte do tra-
piche do algodao.___________________
ta do que em outra qualquer parte por estar liqui
! dando, s na loja do l'avo : rua da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Os mailapoles do Pavo.
0Tl\ l ti ll>irVT SI IU7 ]rWP Vende-se peca de madapolio infestado com 12
JiMl Flllftli Lili Mi IVUllI jardas cada pega pelo barato prego de 45, 45500 o
55, cada pega, fazenda muito superior, s o Pavao
a rua da Imperatriz n. 60, notando que a pega leva
una etiqueta como Pavao pintado para nao haver
duvida nem enganos, isto previne o Pavao, de
Gama & Silva.
As chitas do Pavo a 8400 c
SHQO acorte.
Vendem-se cortes de chila com dez covados a
25400, ditos a258O0 com doze covados sao chitas in-
rua da Cruz, e Joao da C. Rravo & C, rua I elezas, mas padroes bonitos e tintas seguras assim
A* Kii,fra Aa T\ane I W*l as melhores chitas francezas e de tintas segu-
qa Maore oe ueos.____________________| ras por pre?ns comotlos a sa|)er :j20i 3i0,360,400,
Machinas para descarocar algodao dos mais 440, 500, ris o covado : na loja do Pavao a rua
na fundigao do Bowman, | da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
liHl UliHWLlU m RL/Hl
PARA OS CABELLOS,
una pi-cparuco adiniravel para lim-
par, at'orinosoar, coueervar e restabele-
ccr os cabellos.
A venda as boticas de Caors 4 Barboza,
. acreditados fabricantes
! rua do Brum n. 38.
Bichas hainhiirgaezas.
Na rua Nova n 61 detronte da Illma. cmara
municipal, vendem-se constantemente bichas novas
por menos ti o cento que em outra qualquer par-
te : recebem-se por lodos os vapores.
Vende-se urna taberna aberta ha poucos dias
por causa de ha ver desavengas com um dos socios,
ni rua do Jasmim, atraz de S. Googalo, com o
gneros a vontade do comprador : a tratar com
Antonio do Rogo Medeiros, em Santo Amaro, con-
fronte ao chabriz. No mesmo se vende urna ca-
noa decaireiraprtmriaparabmilia.______
Em casa de Joioaa Silva Para rua da Cruz
n. 66, vende-se vinbo nulo Bordean em barr e
em cai xas, bem c imn branco san ternes, ahsinth,
kirsk, das melhores qualidades.
Vende-se nma taberna com poucas fundos,
propria para principiante, e tem muitos commodos
para familia, e no melhor lugar de commercio, na
rua Dreita dos Afogados, e vende Unto para o
mato como para a trra ; e tambem se vende urna
carroga de vender agna na rua, urna canoa de
800 lijlos e um cava I lo de cor rodado e bom an-
dador : quem pretender comprar lodos estes ob-
jectos, dinja-se a rua Direita dos Afogados, nadara
n. 66, que vista dos compradores se far lodo o
negcio.

Caibros.
Vendem-se 200 caibros de embirba e cocn ; *
tratar na rua do Trapiehe, arrnazem n. 9.
;>i
Velas de eomposteo
Vendem-se velas de composigao de superior
qualidade, sendo a luz superior s stearinas, pro-
trias para casas particulares: na rua do Vigano
abrica n, 26..__________________________

Os bordados do Pavo.
Vendem-se camisinhas com manguitos egolinhas
bordadas pelo barato prego de 15 e 15280 cada
um, manguitos s a 300 ris cada par. ditos com go-
linha a 80O ris, golinhas a 400 e 480 rs., de fil a
1240 ris cada golnha bordada, romeira de casta
e de fil muito bem bordadas a 25 cada una, man-
guitos que scrvem para caleinha de meninas a
640 ris cada par, camisa com manguitos e golas
Vende-se latas de cinco galSes II55OO egar- com a competente grvala de seda, fazenda lina
(taz.
pelo batato prego de 35 e inultas outras bordadas
que se vendem por prego muito em conta : s na
loja do Pavao a rua da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva
As mas it Pavo.
Vende-se panno preto fino muito superior pele
barato prego de 25, 25500,35, 35500 e 4a, dito
muito fino a 55 e 65 o covado, casimira preta de
urna s largura e muita fina a 15800, 25,25500 a
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos 330OO o covado.cortes de casimira de cores a 55
55500 e 65, casimiras enfestadas
rafa 500 rs. garante-se a qualidade : na rua Di-
reita ns. 99 e 100.
Vendem-se saceos grandes com muito bom
milho a 45, muito proprio para retalhar na noci-
r : n.) arrnazem do Teixeira defronte da escadi-
nba da alfandega.
Farinha de mandioca
Alves no seu
Cruz.
scriptorio, casa n. 19, na rua da


Sciencia aos ctiarissirao* iruiaos ler-
ceirofteSio Francisco
Na rua da Cadeia. loja n. 44, existen) cordoes
do terdadeiro esparto para oso dos irmos profes-
as, preparados com toda a perfetgao ; sen prego
commodo_______________________-^^
Farelo, milho, farinba e feij.
No arrnazem da Aurora Brilhante ao i arco da
Sania Cruz n. 84 ha farelo em saceos rom 120 li-
bras a 55, milho novo a 25800, farinha a 55000, e
saceos com 25 cujas de feijao mulatinho novo a
105. saceos co arroz de caica 55.
Vende-se cal de Lisboa.muito superior e a
mais nova que ha no mercado : no trapiche do Cu-
1 nha, rua da Moeda n. I.
Esteiras do Aracay
Vendem-se na travessa da Madre de Dos n. 10.
Charutos de Havana
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schafleitlin dr C, rua da Gruz n. 42.
IHa Uvraria acadeaalea, rua do
imperador a. 79,
vendem-se lindos papis para forrar sala a 15000
a peca.________ :.
dys a 320, 280 o covado : na loja da Arara, rua
da Imperatriz n. 56.
A Arara vende cortes de la a Mara'Pia.
Vende-se cortes de la com barra a 85, ditos
finos a Alaria Pa por 185000, lazinhas a Mara
Pia a 460 e 800 rs. o covado : na rua da Impera*
Iriz n. 06. loja da Arara.
A Arara vende madapolo a li;>.')00, 7-\ 85,
m e IH.
Vcnde-se madapolo lino de 24 jardas, n. 60 a.
65500, dito n. 7 a 75, dito 11. 2, 85, dito de mar
ca duas cruzes a 95, dito S a 105, dito IIII a 115-
dito B b a lz5, todos estes madapoles sao muito-
finos ; algodao a 55 e 65, dito carne de varea a
65500, dito Biestifoa 75, dito sicupira a 85,ditodc
diversa qualidade a 85500, dito pao ferio 95 a pega
de 20 jardas, todos estes algodes sao de boa qua-
lidade : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara-
de Mendes (oimaraes.
A Arara vende brim trucado de lina* a lr>O0_
Vende-se brim trangado de linho branco par
calcas a 15200 15400 e 15600 a vara, dito pardo-
de inho a 640, 720, 800 e 15120; breUnha de-
linho a 640 e 800 rs. a vara ; ganga para caigas e-
brim de cores a 500 e 480 o covado, cortes oc ca-
semira preta para caiga a 35500 e 45, ditas finas
e de cores a 55, 55500 e 75 o corte : na rua da
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
As perca I as da Arara a 500, 560 e 600 rs.
Vende-se finas chitas percalas a 800, 560 e bOf>
rs. o covado, pegas de cambraia finas a 35, 35500>
45500 e 550OO a peca, ditas para cortinados com
20 varas a 95 : na loja da Arara, rua da Impera-
triz n. 56.
O proprietario da loja e arrnazem da Arara re-
commenda toda a attengaoaos Srs. freguezes- que;
mandem ver as amostras de todas as fazendas que
annuncia, promettendo vende-las barata, pob qtta-
a Arara teima, nao vende, gueima._________ ._
Trina, volantes e aloes.
Vende-se nina, volantes" gaWts de todas #.
largura* por pregos muito barato: s no vigilan!*
rua de Crespo). 7. '"' '
Vovllho tourlaio.
Vendo-se um novillio novo, bastante gordo, Blho
de uma vaeca vinda re Inglaterra, com novilho
puro da mesma raga; e vende-se por o dono ter
outro da mesma raga que se vai formando : na
rua do aterro de Yaradooro, casa de quatro fren-
tes junto a porte e achara com quem tratar.
de nma so cor
proprias para caigas, paletots, coleles, capas e para
roupas de meninos a 35,35500 o covado, isto : na
loja do Pavao a rua da Imperatriz n. 60, de Gama
*Silv Acamado do pav5. "Venda de predios
Vende se panno de linho adamascado proprio pa- j f m particular OU em leiliO-
ra toallas de mesa, pelo diminuto prego de 25500 Vendem-se dua< propnedades de casas conl-
rs. a vara, guardanaoos de linho a 55 rs. aduaU, gu fc dous andare ^(a Jm.des arma-
toalhas de man a 55 rs. cada dusia, na loja do Pa-. zeM 0ccnpados actualmente peloSr. Feliciano Jos
v.no, rua da Imperatriz n. <>0, de Gama h Silva, Gomes> ^ 0 ^^ rte ^car, tos na rua He-
~" Apollo nsi 34 e 36, edificados peto actual #r*Pr<-
terio, com ptimos alicerces, superiores madeiras,
e acabades em 1861, lepdo ambos. 52 palmos tt-
traterem no braco : so se encontra na loja do Itoi- vres de paredes, de largara, e os altos do do n.
ja-Qor, rna do Queimado ns. 63 e 69. 34, e o primeiro'andar do de n. 36 tt5 palmo* de
ExtraClOs e salla* en C-1\ llhas* cooj>riment, o segundo andar de de n. 36 tea *(
travessa do antigo portd &m canoas os prnen-
Balaie* para meninas.
Lindos balaios de varios fosios para meninas
flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Cyllndros para padarla.
Na nadara da rua Direita o. 84 ha para vender
dentes i estes valiosos predios ^jiieiram 'irigr-sr
aasen proprietario Aniar ftoteibe Pidi de 'Nas-
os condecidos e acreditados cylindros' para'pada- quita > da Cadeia do Recie n. 64, segundo
ra, ltimamente chegados d America. andar, ou ao acento Oliveira ni mesma rua a. 6*
J



)
i


Diario de rernambuco sobfeado %% A>w<<
*

V
\
t li
G LA-RUI
i/i AOMj
s)
RIJA DO QLEOI AMO W. 45*
Passando o becco da Congregacao segunda casa.

&mmu w
NOVIDADE.

Pereira Rocha & C acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de tnolbados denominado Clarim Comtnerat,
onde o resDeitavel Publico encontrar semproum completo sortimento dos melhores gneros que vena ao nosso mercado, os quae
aerao vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se obom peso
e boa qalidade dos gneros comprados neste armazem
Arroz do Maranhao, da India e Java a 60, 80 Cevadinha de Franca muito superior a 220
e 100 r*. a libra e 10800 a 20600 e 301 rs a libra.
a arroba. I Cevad* a 80 rs. a libra.
Ameixas frncezas em latas e em frascos a Ervilhas portugoezas a 640 rs. a lata.
10200 e 10600 emfrascos grandes a dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
^^oq Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem em'caixinhas elegantemente enfeitadas de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
com ricas estampas no interior das caixas j 10800, 50500 e 280 rs. a libra
120000 10400, 10600 e 20. Farinha do Maranhao a 160 rs. libra.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Farinha de trigo a 120 rs. a liBra.
Genebra de Hollanda verdadejra marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
Alpiste a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba, a oou rs. u u bwmj w*~ i 4
Azeite doce francez muito fino em garrafas dem em garrafes de 3 e 5 galSes a 50500
grandes a 960 rs. a garrafa.
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
Ditas inglezas mnito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor efinada a 440 rs. a libra e
e em barril a 4C0 rs.
Cha hyssoo, huchin e perola a 10600, ,
20500, 208O e 30000 a libra.
dem preto muito superior a 20000 a libra. I
Cerveja preta e branca, das melhores marcas i

Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra-
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor b
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
e 70500 cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 rs. a duzia. Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa,
dem, qalidade especial e garrafas muito
grandes, a 10800 rs. a garrafa,
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e'rolha de vi-
dro, a 10000 rs., s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qalidade a 800 rs.
dem franceza muilo nova a 640 rs. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. a libra,
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
Marrasquinbo de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Massas finas para sopa : estrellinha, pevide,
rodinhas e letr'anhas a 600 rs. a libra e a
40 a caixinha com 12 libras.
Charutos dos" menorsfabricantes da Babia Nozes muito novas a 160 rs, a libra,
e especialmente da fabrica imperial de Peixe em latas preparado pela primeira arte
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 10800,1 de cozmha a 10 rs. a lata.
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
30500 a caixa. I Palitos de dentes a 120 rs.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320 dem de flor a 200 rs.
rs. a libra e 80500 e 80800 rs. a arroba.! Amendoas confeitadas a 900 rs. a libra.
Cartoes de bolinhos francezes muito novos e Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
muilo bem enfeitados a 700 e 600 rs. I 20 e em caixao a 64 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a Palitos do gaz a 20200 rs. a grasa
libra. 1 Passas muito novas a 480 rs. a
quevem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
libra.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
libra.
Figos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias mareas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Maria Pia,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000 e100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e30, 30500
e 40 a caada.
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs.
a duzia.
dem Morgaux eChateauluminide 1854, a 10
a garrafa.
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
10200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porc5o de outros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porcoes como a
retalho.
Quem comprar de 1000000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
O

SE NT I ItO!
VAI FALLAR
N. 38 Ruado Livramento N. 38
(Defronte da grade da Igreja)

di KAN 1112
...
APROVEITEM APROVEITEM
Vos
7,150 COVADOS
de sedas de cores de todas as cualidades.
Na loja da ra do Crespo nunijero 17.
Importante compra de 7130 covados de seda de todas as (Vialidades, proprias para
vestidos de senhoras e de meninas, e vende-se por precos admira veis.
Outros milites objectos de apurados gastos para senhoras, ve;lidos de lilonue para
casamento a 905 da um, capas pretas, soutambarqoes decores e pretos, chapeos ele.
Fazendas de linho e de algodao as melhores que existan 00 mercado.
O propietario deste importanteesubelecimento vai a Euripa muito breve com-
prar fazendas de apurados gostos, presentemente vende as suas iijercadorias por precos
baratsimos para liquidar.
Protejan todos. Prolejam todos a Suportante
LIQUIDACAO I
A loja da ra do Crespo n 17.
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coelho ra
do Queimado n. 19
Veode-se o seguate:
ATTENQAO.
Ricas laazinhas para vestido, fazenda a melhor
que tem viudo ao mercado, tanto em gosto como
ein qalidade pelo baratissimo preco de 360 rs.
o covado.
Laazinhas miudinhas carmezins proprias para
vestidos de meninas e camisinhas a 610 rs. o co-
vado.
Cortes de laa com la covados pelo barato preco
de 65.
Cuberas de chita da India a 2,8500 e 35.
Leuces de panno de linho a 25 e 25300.
Pecas de cambraia de forro com 8 1|2 varas a
35200.
Toalhas alcochoadas proprias para maos a 35 a
duzia.
Ricos cortes de laa com barra a Maria Pia a
185000.
Pegas de plalilhas de algodo com 10 varas
proprias para saia a 45-
Algodo enfestado com 7 li2 palmos de largura
a 15100 a vara.
Esleir da India propria para forro de sala de
4, 8 e 6 palmos de largura por menos preco do
que em oulra qualquer parte.
Neste armazem lambem se encontrar um gran-
de sortimento de roupas feitas e por medida.
IRMAZEUf
FRONTEIRO
DE
ALAES COUTIATIO 21Largo do Terco21
.4o publico.

i
Chouricas muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a i ,000 rs. a libra;
ameixas dem ; alpista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do Maranhao e da
India de 80 a loo rs. a libra, e em a arroba de 2.6oo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a 1,00o rs. a garrafa e em porco, menos; dem de barris a 6 lo rs. a garrafa, e em cana-
da a 4,800 rs. ; banha de porco a 4oo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
novas a 4o rs. a libra, e l,2o->rs. a arroba ; cli perola, hysson, raiudinlioa i,8oo, 2,4oo
e 2,5oo rs. a libra; charutos (tes melliores fabricantes da Babia de 2,ooo e 4,ooo rs.;
cerveja branca e preta a 5oo rs. a garrafa ; cravo, canella, cominlio e erya-doce, conser-
vas inglezas em frascos e meios de 5oo a 9oo rs.; cognac inglez superior a l.ooo rs. a
garrafa ; caf de 1.a, 2.a e 3.a quaHdade de 8,5oo, 9.oooe9,5oo rs. a arroba; cevadi-
nba a ioo rs. a libra ; ervilhas portuguezas em latas de 1 libra a 7oo rs.; spermacete
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de ararutt verdadeira a 2oo rs. a libra,
e em a arroba a 6,000 rs ; genebra de laranja a l.ooo rs. o frasco ; dem de Hollanda
a 61o rs., e 4oo rs. a botija; graixa em latas a l,2oo rs. a duzia ; manteiga ingleza per-
feita flor a 800 rs. a libra; dem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maca
de tomate a 600 rs. a libra ; marmelada dos melhores fabricantes a 64o rs. a libra; ale-
tria, talharim e macarrao a 4oo rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a 1,00o rs. cada fras-
co ; nozes muito novas a 2oo rs. a libra ; passas a 4oo rs. a libra ; painco a 16o rs. ; po-
mada a 24 rs. a djiz; pioaenta do reino a 36o rs.; pape! almaco e de peso de diver-
sas marcas; palitos do gaz a 2,2oo rs. a grosa e 2o rs. a eaixiRB; ditos de seguranca
individual a 2o rs. a cnxinha e 36o rs. o maco; queijos flamengos do vapor a 2,ooo rs.
cada um; cevadinha a 2oo rs. a libra; sardinhas de Nantes de 4o a 64o rs. a lata ; sa-
bio masa muito sopen* r a 2oo rs. a libra; toucinho de Lisboa muito alvo a 3oo rs. a li-
bra ; vinho do Porjo velho engarrafado a l,ooo rs.; idera em barril a 800 rs. a garrafa,
sendo poreSo faz-se differenca e em caada a 5,ooo rs.; den de Lisboa nwiw superior a
4oo rs. a garrafa e 2.8oo rs. a caada; idem da Figueira J. A. A. a 5oo rs. a garrafa e
3.6oo rs.acaaada; idem do Estreito a 36o e 320 rs. a garrafa e em caada a 2,56o;
idem Borieaux a 56o rs. a garrafa; idem branco de Lisboa, proprio para missa a 5oo rs.
a garrafa; vinagred Lisboa tooito superior a 2oors. a garrafa* e lbfaw:n. a caada ;
soda, cevsda, alfasema, gar e tijolo de limpar facas a 14o rs. e outros mullos generes que
desnecessario meacMua-los. ^
2=5"2tcOO-j r** w o o as 0
2^3 fe
s-I
2
V.
VI
!
m

B
a.
0,8
ce > a>
EL
u 3 &} v Q<
9 Q.o> w O b1 O- _
O.Q5- 3--5=3
o
2" o S ts S- o.
5 "2.a??;0
a
C
O."' 05
O o."
< O B S "2 &T3
< crP a 2 "5
a
9
es
S
z
ai O


^Q.Q.0 Sfid
m
V5
2 2 s>n
Mili
- g o s *
S.o 2.9S.SB
rs
&
S
[!|
o S
3 &!
5 1 I
o. a
09
i"
O OJ
n
13^
S W X
|| te p
O
03
0,a o o
825g
oS>P
o r*

z


'
o
s
s
Empreza dailluminacSo
gaz.
Todas as vendas de apparelbos e reclamacoes
(por eseripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem da ra do Imperador
n. 31. Os machinistas mandados para atlender a
estas, apresentaro um livro que os reclamantes
deverao assigoar lf>po depois de prompto o serrico
reclamadn ; isto para que a empreza fique sciente
de baverem os mesmos senhores sido aevidamen-
te atteudidos.
Ra da SeazalU 41
Vende-se, em easa de S. P. Johnston A C,
sellins e silhoes Inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para sarros e montara, arreios pan
carros de um e dous cavailos, e relogios t
opto patente inglez. _____
Charntofi da fiavaaa.
Vende-se superiores enarutos da Ha vana em ca-
sida Rabe Schmetuu & C. : roa d* Cadela n. 18.
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permettido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
sen cauto afim de annuuciar ao respeitavel publico
o grande sortimento degalantarias do melhor gosto
propnameute para qualquer mimo, que acaba de
chegar neste ultimo paquete, assim como mnitos
outros objectos que recebe por diversos navios,
unto de sua conta como de consignacao, que esta
resolvido a vender por precos mnito baratos para
veD j .muit0 e Banbar pouco, e dar extraccao ao
grande deiiosit que tem, que espera merecer a
proteccao do respeitavel publico, eropregando para
isso todas e as melhores diligencias para que fi-
quem satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Ricas porta-joits.
Cofre, de muito gosto por 16000
Cestinhas transparentes, forradas de madre-
perola por 18000
Lindas jardineras 105(100
Ricos cofres com camapheu 105000
Lindas caixinhas com pedras brancas IdjOOO
Lindo balo com calunga deutro tambem
para joias 165000
Tambalier para ditas 95000
Cestinhas idem idem C5000
Cosmorama idem idera 65000
rnazinha 65OOO
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricas sintes
com bolombas ao lado a 10, 12 e 155, ditos sem
bolea, porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35500
e 45, ricas fi velas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 :
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabaics 011 ce.stiiilias.
At que chegarara as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 25500, 35500, 4, 5, 7 e 105.: s
no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Pentcs.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alisar como para atar cabello, o mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sem elle para meninas: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Pentes
Tambem chegaram os riquissimos pentes de
concha de tartaruga e de massa fina, que se vende
por 25, 3 e 55 : s no Vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Leques.
Riquissimos leques de madreperola, tanto para
senhora como para mocinhas, pelo barato preco de
12 e 145 : s uo Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Mais loques.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ba-
rato preco, a 85 e 105, chinezes, muito bonitos,
tambera por barato preco de 4 e 55, bentarallas
muito bonitas tambem por barato preco de 4 e 55,
leques de cbaro tambem por 45, ludo isto para
acabar, perdendo-se taivez 80 0(0 : s no Vigilan-
te, ra do Crespo n. 7.
. Pulseiras.
LindBs pulseiras de comas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto a 15 e 15200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as-liguinhas estreilinhas de
borracha que as seuhoras tanto precisam para se-
gurar os manguitos por ser muito commodo e mui-
to barato, a 320 o par: s no Vigilante, roa do
Crespo "n. 7,
Carretas.
Riquissimas carretas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baratissimo preco de
15500 e 25.
Volliulias.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhanles, assim como cruzinhas avulsas |
e voltinhas, pelo barato preco de I-i e 15200, as
rrnxes avulsas a 400 rs. : so no Vigilante, roa do
Crespo n. 7.
Sapatinbes-e me as de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorra-
zinhas e touquinhas para as criancinhas se bapti-
sarem : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Golinnas.
Riquissimas goiinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e 35: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeilrs para senhora.
Riquissimos enfeites com laco e sem laeo e de
outros muilos gostos a 15, 15500 e 35 : s' no Vi-
gatele, ra do Crespo n. 7.
Tiaiitclins.
Lindos trancelins de cabello fiara relogie ou la-
netas, pelo baratissimo preco de 15500' ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinhos entremetas.
Riquissimos habadinhos enlremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15500, 25 e 35 : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para eufeites : s no Vigilante, ra do Cres-
po n. 7.
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e qalidade, por precos que admiram aos compra-
dores, havendo filas largas proprias para sinteiros
que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca de 3
varas a 25 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Fitas de 1:1a.
Pitas de laa de todas as quatidades, proprias para
debrum de vestido a 700 rs a peca : s no Vigi-
lante, roa do Crespo o 7.
Ricos eapellios,
Riquissimos espelhos com moldura dourada e
sem ella de 85,10,12 e 145, assim como com co-
lumnas de djfferenles tamaitos a 25, 3, 4, 5 e 65:
s no Vigilante,ra do Crespo n. 7.
Liados Jarro e figuras.
Riquissimos jarros e figuras' de porcelana fina
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui
tem apparedd-: s no Vigilante.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonera para pos de ar-
roz, colisa de muito gesto a 15500 e 25, assim to-
mo paroles s com os pos a 320 rs. cada um : s
no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimento de extractos e banha?, poma-
das, assim como os lindos copos ou vasos com dis-
tinctivos e onerecimentos as sinhazinhas, dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Ingla-
terra, assim como os grandes copos de banha japo-
neza a 25 e a 15 S assim como outros objectos que
nao possivel per boje aonnnciar, e vista dos
freguezesse far todo negocio : Da loja do Gallo
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
fariika te mandioca superior
em saceos grandes : vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo 4 C, uo seu eseriptorio ra da Cruz
numero 1.
DI
S
l I It I t lll I ICO i; PRINCIPAL
Ordem do dia.
Est em discusso a tabella des precos que o BALIZA tem a honra de offere-
cer ao respeitavel publico tanto dacidade como do centro.
Se por esta publicaca qualquer um dos nobres eoltegas entender necessarie
fazer alguma alteracao em seus annuncios, digne-se mandara sua emenda para o jornal,
que o incansavel Baliza nao lhe pora peias nem o embaraar de forma alguma a benefi-
ciar o povo.
Amigo de vender barato o Baliza niio expe a venda seno os gneros bons.
Elle se julga no caso de vender tao mdicamente como oulio nao o exceder
Soldado soprador toma o clarim
E firme como a rocha fica assim
Nao toques nesse pessimo instrumento
Do Balisa olha s o movimento.
E t que dos mitrados tens as coras
De tudo vendedor de propria conta
Vio pasmes vendo como sobranceiro
Do regresso o Dalisa a ira affronta.
O grande depesiio que temos de vinho nos obliga a abaixar seus precos,
achando-se vista dos compradores cerca de 35 a 40 pipas deste genero, entre pipas,
barris e ancoretas.


AtteitCo.
Vendem-aetelhas e tijols pelas precos que offe-
recerem os compradores, seudo dinhoiro vista :
nasolarias de Jo Camlro*Jda CoMu^-raa dos
rrazeres nos Coelios.
Amendoas confeitadas em lindos frascos a8oo
rs. a libra
dem com casca a 32o rs. a libra.
Ameixas frncezas em caixinhas e frascos a
i.2oo, l,5ooe 2,ooors.
Alpista a IGo rs. a libra e i,6oo a arroba.
Arroz do Maranhao, Java e do Penedo a 8o,
loo e 12o rs. a libra, em arroba a2,ooo,
2,8oo e 3,2oo.
Azeite doce refinado a 8oo e loo rs. a gar-
. rafa,
dem idem em barril a 64o rs. a garrafa e
4,8oors. a caada.
Ancoras com vinho do Porto, encommenda
feita pelo proprielario do Baliza a 3o,ooo
rs. a ancora com 7o garrafas.
Ancoreta americana com seis garrafas de
vinho Figueira a 3,ooo rs.
Bolaxinhas de .Lisboa, ingleza e americanas
em latas a 1.4oo, l.ooo, 2,ooo e 3,ooo rs.
e americanas em barricas a 3,ooo rs. a
barrica.
Boies com 10 garrafas de azeite doce de
Lisboa a 5,fioe rs.
Banha de porco a 4oo rs. a libra e em barril,
a 36o rs.
Batatas em gigos a l.uooo gigo.
Cha perola a 3,000 rs. a libra.
dem uxim a 2,6oo e 2,8oo a libra,
dem hysson a 2,ooo, 2,ioo fi 2,8oo. a libra,
dem do Rio a 1,6oo rs. a libra,
dem preto a l.ooo e 2,ooo rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
e Rio de Janeiro a 8oo rs. e I,too, 2,ooo,
2,ioo, 3,ooo, 3,5oo, i,5oo e 3,ooo rs. o
cento.
Chocolate dos melhores fabricantes de Paris,
Allemanha, Hamburgo e Lisboa
Copos lapidados para vinho a 2,8oo a duzia.
dem idem para agua a 5,000, 5,5ooc 6,ooo
rs. a duzia.
Cerveja das melhores marcas a 4,ooo, o,ooo
e 6,ooo rs. a duzia.
Cravo canella e cominos.
Ceblas em molhos resteas e soltas.
Conservas inglezas a 8oo, 9oo e 1 ,ooo rs. o
frasco.
Dillas frncezas a 5oo e 64o rs. o frasco.
Cognac inglez e francez a l,ooo rs. a garrafa.
Caf de 1 .a, 2.a e 3 a qalidade a 85oo 9,ooo
e 9,5oo rs.
Cevadiuha de Franca a 24o rs. a libra.
Champagne de muito boa qalidade a 12,ooo
e 2o,ooo rs. a duzia.
Doces da casca da goiaba em latas preparadas
com muito aceio. propria para memoziar
algum amigo na Europa, por ser inaltera-
vel por mais de um anno, a 3,ooo rs. a lata
com 7 libras.
Dittos em caixes a 56o, 64o, 8oo e l.ooo
rs. o caixo.
E. vilhas portuguezas em latas com I V* '
bras por 7oo rs.
dem frncezas em latas a 5oo rs.
dem seccas a 2oo rs. a libra.
Espermacete americano primeira qalidade a
1.2oo rs. a libra,
dem francez a 56o rs. a libra, e em caixas
a 52o rs.
Farinha d'araruta verdadeira a 18o rs. a libra.
Farinba de trigo a 12o, 14o e 16o rs a libra.
Farinha de milho a 16o rs. a libra.
Figos em caixinhas e em latas liwlanmente
enfeitadas a 8oo e l,5oo cada um.
Fumo americano em latas para cigarros a
l,8oo rs.
dem em pacotes a 2oo rs.
dem em pasta a 1,200 rs. a libra.
Genebra de laranja a l.ooo rs. o frasco.
dem ingleza marca Gato a 1,000 rs. agarrara,
dem de. Hollanda a 64o e i,600 rs o frasco
pequeo e grande,
dem de Hambugo, a 56o rs. o frasco e 6,000
rs. a frasqueira. \
Graixa em latas a i,2oo-r?. a duzia.
Limonadas de diversas fructasa 1,000 rs. a
garrafa.
Licores, inglezes e francezes a 1,000, t.5oo
e 2,ooo rs. garrafes grandes e pequeas.
Lingoas americanas muito novase muito gran-
des a l.ooo rs. cada urna.
Linguicas promptasem latas a l,oo cada iata.
Manteiga ingleza flor a 800 rs. a libra neste
genero ba mais de 10 baris abertos afim de
serem satifeiios os compradores.
dem menos superior a 64o rs.
Manteiga ingleza a o'oo, 4oo e 32o rs. a libra.
dem franceza a 56o, 600 e 64o rs. e em bar-
ril por menos.
Massa de tomate a 64o rs. a libra.
Marmelada dos melhores fabricantes a 6ic
rs. a libra.
Molhos inglezes a 4oo e 64o rs. a garrafinha.
Mostarda preparada a 4oo e 64o rs. o frasco.
Massas para sopa a 4oo rs. a libra das de ta-
lharim, aletria e macarro.
dem finas estrellinha e pevide a 3,ooo rs. a
caixa.
Milho mindo para passaros a 16o rs. a libra
c 4.800 a arroba.
Marrasquino de zara do verdadeiro a l,fiooo
frasco,
dem menos superior a 800 e l.ooo rs. o
frasco.
Nozes a 24o rs, a libra.
Prezunlo portuguez de superior qalidade a
64o rs. a libra e inleiro por 5oo rs.
dem ingle/, para fiambre a 64o rs. a libra,
nao agradando mesmo depois de preparado,
poder ser devolvido, que se trocar por
oul.10 ou ser restituido seu importe.
Passas novas a 4oo rs. a libra.
Polvo a 16o rs. a libra.
Painco a 16o rs. a libra.
Pomada a 24o rs. a duzia.
Pimenta do reino a 36o rs. a libra.
Peras seccas a 64o rs. a libra.
Peixe em latas a l.ooors. a lata.
Papel almasso e de peso, de diversas qua-
lidades e precos deferentes.
Palitos do gaz a 2,2oo a gioza.
dem para dentes a 80,16o e 24o rs. o ma-
co com virile macinhos.
Gueijos flamengos a 2,6oo, do ultimo vapor.
dem prato a 64o rs. a libra.
dem londrino a 800 rs. a libra.
Rap Meuron a l.ooo rs. a libra.
Saceos com milho muita novo com 2o cuiaa
a 3,3oo e a 2oo rs. a caa.
Sevadinha a 24o rs. a libra, ( nova).
Sag a 28o rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a 64o, 56o e 36o rs. a
lata.
Sabo massa a 12o, 19o, 2oo e 24o rs. a li-
bra,
e em caixoes por muito menos.
Sal refinada a 600 rs. o pote de vidro.
Toucinho de Lisboa, de Santos e americana
a 16o, 24o e 32o rs. a libra, e em arroba
a 5,ooo, 7,ooo e 9,ooo rs.
Tijollo para limpar facas a ICors. cada um,
Vinho do Porto em caadas a 3,5oo, 4.000 e
5,000 rs. e em ancoras com 7o garrafas por
3o,ooo rs.
dem de Lisboa sem confeiceo, (decncomen-
da) por 5o,000 rs. o barril com 17 cana-
das.
dem de Lisboa mais baixo a 45,ooo rs.
dem em pipas a 3,ooo, 3,5oo e 4,ooo rs. a
caada.
dem em barril de Bordeaux com 13o g-
rafas por 5o,ooo rs.
dem idem de Bordeaox com 70 garrafas por
3o, 000
dem em caixas por 5,000 rs. a caixa com 12
garrafas da melhor qalidade que vem ac
nosso mercado.
Vinhcbranco para missa de Lisboa e Porto
em pipa, barril e ancoras a 4,000 e 5.000
rs. a caada.
Vinagre de Lisboa, Porto, tinto e branco a
l,6oo e 2,000 rs. a caada
dem em ancoras por IG.ooo rs.
Velas eslearlinas a 56o rs. o maco, e em eai-
xas a 52o rs.
Vassouras americanas a 64o rs. urna.
At que ehegon
um grande sortimeno de beo e rena prel* de
novo modelo chamado (guip) o meftor im *e
pode desejar neme artigo e que se vende muilo ba-
rato : na loja do gallo vigilante ra i Crwpo
n. 7.
As verdadeiras brides de
Ipojuca,
Veode-se na roa do Qnei.mado n. 02, loja de Or-
ragens de Azevedo & Inuao.





SaMtade 99 e Agosto de **.
GRANDE ALLIANOA
57 RA DO IMPERADOR 57
Di
Paulo Ferreira da Silva & Companhia
Grande sortimento de molhados em grosso e a retafte. nico armazem que mais
vantagens fferecc ao publico.
Deseiiganein-se todos.
K o Alllaaea o verdadeiro homem do progressso.
o Allian? o verdadeiro e principal armazem de molhados.
K o Alltaae* o armazem que vende mais barato.
0 Jtiiimca o armazem que vende os memei-es gneros.
o AlliaBea o armazem onde preside o melhor aceio.
0
NEM COROAS NEM MITRAS

NOVA EXPOSIQAO DE GNEROS
NO
ARMAXEM

<^tt\s*i;
'&
.
AlliXEH
DE

Fiquem todos sabedores desta wrdade,
Vcnham todos ra do Imperador b. 87.
Venliam ver os gneros que temos expostos a venda.
PARA
Amendoas
8oo rs.
S. JOAO
de bonitas cor
AS-
DE
FKSTAS
.
.
E S. PEDRO.
confeitadas de bonitas cor IMaideHottanda em garraloes cora 24 gar-
libra. i rafas a 7,2oo rs. cora o garrafao.
dem de casca milito nova a 3oo rs. a libra. \ Lentimas excellente legume para sopa e gui-
Avelaas a 2oo rs. a libra. zados a 2o rs. a libra;
Ameixas francezas em eaixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a 4,2oo, l,4oo e l,6oors. cada 800e 1,000 rs. as garraasgrandes.
urna. ..Mantua ingleza perfeitattenfe flor a 800
dem em frasco do vidro com rolha do mes- j e 96o rs. a libra.
moou de metal, a l,2oo e l,4oo rs. cada Idem iranceza nova j deste auno a 600 rs.
un. a libra, e 58o rs. em barris inteiros.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs, cada Marmeiada especial dos memores fabrican-
una, tes de Lisboa a 600 e 64o r a-libra, ha
dem em latas de 1 V* e 3 libras a l,2oo e'' latas d "d Aferentes taraanhos.
2,000 rs. j Massa de, tomate em latas de 1 libra a 56o
Arroz da India e Maranhao o melhor que se; rs cada-urna.
pode desejar a loo e 12o rs a libra e dem para soda estrelbnha, pevide e rodmha
2,8oo a 3,4oo rs. a arroba. em eaixinhas sorlidasa 3,ooo 3,5oo rs. cada
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa., e: urna e 5oo rs. a libra.
4,800 rs. a caada. dem macarro, talharim.e aletria a 4oo rs. a
dem francez clarificado em garrafas bran- i libra.
RITA lio mPERABOR W* 4
Junto aa sobrade em que mora o Sr. Gbeme,
fm a fiesta de Santo Antonio, S. Joao e S. Pedro.
j'
DE
3f. 9 RA DO CRESPO 3.
Esqnina que valla para a roa da Imperador
o

provavel que nao sqa fcem aceita a verdade, quando a boa f de todos anda
. aiuid* por esta epidemia de nafczeaticos anmincios de cornetas, tambores, coras mi-
Duarte Almelda C, reeeberam de ana propria ra.o.mf.- tras' etc" todo dia enchem as Panw deste &**
loltiutos. proprlos
Maeas brancas
cas a 9oo rs. cada urna, e 10,000 rs. a
caixa com I duzia.
Alfazema rauito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o rs. a libra e 4,6oo rs. a ar-
roba
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio das seguinles qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas d 6 libras
a 3,ooo rs. e de 3 lfa libras a 1.5oo rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinhas
torna-se muilo recomrandavel com espe-
cialidade para os doentes.
3scoitos c Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em carines e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Hanha de poico verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 16o rs. a libra.
Bolachinhas inglezas Diurnamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje lena viudo ao nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo e 1,000 rs. a garrafa
inteira, e 800 rs. as meias.
Ola uxitn o melbor que so pode desejar, e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra,
dem, peroia de esp eial qualidade a 2,6oo s
2,8oo rs. a libra, garante-se a qualidade
d'esle cha.
idemhysson o melhor que possivel encon-
trar-se a 2. ion o 2,0oo rs. a libra.
Jdem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a 1.200 c 1,400 rs. a libra
I lem prelo muilo lino a 1,600 rs. a libra.
Chocolate das melhores quadades, francez,
hespanhol e suisso a 1,000, l,2oo o l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em */j caixas das seguin-
les marcas: Parisienses, Suspiros, Dili-
cias, Napoledes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
Jem de oulros mu tos fabricantes e de dif-
fereotes marcas para 1.5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a l,6oo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco,
idem franceza a 5oo rs.
Cognac ingle/, das melhores marcas a l.oo
rs. a garrafa e lo,ooo rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 e O.'ioo a arroba.
Doce fino de guiaba a6oors. ocaixo.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Frinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos' em caixiuhas muito bem enfeiladas a
l,ono rs. cada urna,
dem em I? las ermiticamente lacradas a
l,5oo e.2,5oo rs. cada urna,
dem erar caixas de */t arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Craixa muito nova a loo rs. a lata e l,ooo
rs. a dnz'm.
enebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e K60 rs. o frasco
dem de laranja a l,ooo rs. os frascos gran-
des e 41,ooo rs; a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada
ema.
,> dem em garrafbes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafao.
--------i-------- !l .____________________ -" K....(., ___1_____m___._
Mostarda franceza preparada em'frasco a 4oo
rs. cada um
M0U10 inglez em garrafias com rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeira de Za l,"ooo*a dja -
" agarrafa, 10,000 rs. a caom 1 usi.xrc a
zia.
Noces muito novas a 16o rs a libra.
Preznnto do fiambre superior a 600 e 800
rs-. .
dem do Porto para panella. a 5oo rs. a libra.
Passasnovasa 48o rs, r libra.
Peixe em latas de differentcs qualidades co-
mo^savel, corvina, govas, pescadinha e
oulros a l.ooo rs. a latas.
Palitos para dentes a 14o e a 16o rs. o mas-
so dos melhores.
Pataga o mais novo e limpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos, do gaz a 2,loo rs. a grasa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor, a .'(,000
dem prato muito fresco a 800 e 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
dem lnndrmo a 800 rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs, 1
cada um.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, c 56o rs, a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos c
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag-muilo novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha do Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
roba.
Traques do 1 .* qualidade a 0,5oo rs. a cai-
xa, e 94o rs. a carta. .
Toueinho novo de Lirba a 24o e 32o rs. a
libra.
Tijolo para limpar facas a loors. cadaum.
Vinho cm pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,800 rs. a caada, e
da mala Hado e variado sortimento de m
da presente estaca o.
Manteiga inglza
da safra nova vinda neste vapor de 28 de para sopa a melhor que se pode desejar.
m?io a 800 rs. a libra. macarro, talhar'un ealeiria a 400 rs. a
Manteiga franceza libra e oO a caixa.
da safra nova a 560 rs. a libra, e em barril! Vinlm
a 500 rs I tiiihv
a__a" a^m I Figaeira J A A e outras militas marcas acre-
Ajn^OaS j ditadas-a;5D0 r. a garrafa,
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a dem de Lisboa
I*"* '. e de outras marcas a' 400 rs. a garrafa, e
AmeixaS VW> a caada,
em frascos de vidro com 3 bras liquido a M dem do Porto
2^400, muito propios para mimos, generosos engarrafado des melhores fabn-
fVnrftla cantes di,a,W do ^ortoa i& e 1|J200
uariOGS a garrafa e de 105 a 125 a caixa, as mar-*
com bolos francezes a 500 rs. cadaum; cas sao as seguinles: Chamisso AFilho,
LataS *"" **"' ^eclar ou vin'10 dos Deuzes,
u 1 u-u j a i x > lagrimas do Douro e oulros mu toa.
com bolachinhas de soda de todas aS qua- ^^ -? V
iidades a 1300. IMlS
Chocolates com *^ w*w|D3Bna a 45000.
de todas as qualidades a 15000 a libra. BoLlCllinha llgleza
Presuntos inglezes a \%m^a^o Sa que
dos melhoresiabricantos a 800 rs tambem vr
temos relbs para 500 rs. liOZeS
Queijos flamengos b mais novas A raerrcad0 a ,20rf ^ bra-
chegados neste ultimo vapor a 25Coo. ? ^"^ "J'*"
chegados no ultimo vapor a 25600 cada um. cas de 4550 a 65500 a duzia.
tlneijo CHARUTOS
londrino o mais fresco que se pode esperar charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
''Dra! meias eaixinhas a 15500. -
Arroz
ALERTA

do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-
roba desses que vendem por 35400.
CAF k
de 1.a e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 8581
e de excellante maree a 800 rs. a
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e eaixinhas ricamente douradas, I e 85600 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
proprias para mimos a 900 e 15200. -~-
rww iwarraioes
U& UXlffi com 4 l't garrafas com vinagre a 15000a
o melhor que se pode desejar, que outro' garrafao.
qualquer nao pode vender por menos de! a ^ GENEBRA de lahanja
35 a 25600. verdadeira a 15000 o frasco, e de 11500C
dem peroia a caixa-
especial qualidade a 25700 rs. a libra. ,IDE
dem hvssou em fras,luo,ras de Hollanda a 55800
con
o mais aromtico que
mercado a 25600'.
tem vindo
Massas amarelias
ao nosso
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a Ocio
rs. cada urna,
para sopa, macarro, .talliarim e aletria a PALITOS
480 rs. a libra. os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
COCJ!VAC e 2o rs. cada caixinha.
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo LICORES
rs. a garrafa e de outras militas qualida- finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
Os annunciantes n5o tem em vista seno garantirem ao rospehavel puWieo a
sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas subsistencias c nao para
assentarera fortunas a forca da regra de liga como outrs annunciantes deste genero.
PARA TODOS
No armazem principal vende-se a todos pelos precos marcados na seguinte'la-
bella, mas n5o se vende por todo o preco fazendo-se peso de arroba hespanhola, aran-
te-se as qaalidades dos gneros trocando-se lodo aquello qoe n5e se/a do agrado do
comprador.
Amendoas confeitadas de diversas cores a Lentilbas muifo novas excelleate legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de tedas as qaalidades de
7oo e 9oo rs. a garrafa.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo rs.
a libra, desnessesario mats elogios nes-
te genero que so se pode verificar com a
vista.
dem franceza a 56o rs.a libra, e em barril
ou meios a 5oo rs.
Marmellada do 1 ." fabricante de Lisboa a 6oo
rs. a libra, ha latas de 1, l/, e 2 libras.
Maca de tomate em latas de urna e duas li-
bras, a 6oo rs. a libra.
dem para sopa esliellinha, pevide, rodiaha,
etc. a 3,5oo rs. a caixa e 56o rs. a libra.
Macarro, talharim e aletria a 4oo rs. a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a loo rs. o fras-
desa l,ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPO
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
5oors a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a Coo rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muilo fresco nao levando com-
composicao a 56o rs. a garrafa, e 4,ooo
rs a caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada,
dem'mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Bordeanx em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mc.iv.ndo a l,2oo rs. a garrafa, ga-
raote-se que por este mesmo preco d
prejaizo e s se encontra- n'este arma-
zem.
dem do Porto em 'caixas com 12 garrafas
das seguinles marcas Lagrimas do Dou-
ro, Difqoe do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e lo.ooo
rs. a caixa e Ooo-eivoot rs. a garrafa.
IdenrMnscatet superior a 1 ,ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo a caixa com 4 duzia.
Vinagre poro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
Idewaih'gawaies com 5 garrafas a l.ooo
Mtal o garrafao.
Vassouras do Ponto de arcos de ferro a. 32o
rs. cada mma.
dem de escora para esfregar casa a 36o rs.
cada-urna.
Velas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o em caixa.
dem de carnauba retinada.a de composiea
a 36 rs. a bra, e de lo,ooo a U.ooors.
a arrotafc
^. i.il : ,. .ti i i i......,
PAPEL
; almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
,' Iidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
I Ihor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 25200 a resma,
PAPI2L

#)
RA DO QUEIMAD NUMERO' 11
Loja de fazendas d* Augusto Fredcric> dos Santos Porto
Uads cliapeliua.s"e chapeos para senhors.
Chegaram a este estaljeleciment as mai modernas chapetonase chapfos ipa ienhora?.
Soperiores cortes de laa de barra de 40$ a 20#.
As mais soperiores capas e out-mbarques de sato.ptetaeoaleniira,4e cores para senborw de
al 50)5- i (B.(
Eicellentes lSas para vestido a 320, 300, 5G0 e 600' rs. o corado,
Cassas e crgandys de cores a 840 e 320 n. o eovado.

<>s melhores lapptes pa,ra sof com riquissimos desentro?.
liiftlioflfll btr
Superiores casemires mesrldas de (liverso^-gostoa'taoiumVaayig coateiea corte*.
Langas de eamhrala de linhufl fil btrdadiA a t cada um.
E outras muitas acendas como sejnm: perealles *niaimalretooiak .iieciat, es(jftiw, tiiis-
(rna preta muilo lina; canta para vestidos de luto, groaiaafe deiwmt.is cares as speriora .
I?*telra* para aala.
As pessoas que pretenerem forrar susssMasou gabinetes, encntraro neste estabelecimento
molhor ajualidade de esteiras de todas as larguras e pelo mU mdico preco,
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmeiada
dos melliores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 6oo rs. a
libra.
Pregunto
! o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
I Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
V 4o rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem d casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em eaixinhas com lindas
estampas, a4,2oo e 4,5oo rs.
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 '/libra a l,4oo rs.
Arroz de Maranhao e da India o melhor que
ha neste genero de 8o a 4oo rs, a Fibra, e
de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e 4o,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
- libra.
Azeitonas muito novas a 2.ooo rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. a libra, e 4,4oo rs. a
arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades, em latas
de 6 e de 3 libras a 3,ooo e 4,5oo rs. a
lata, e 64o rs. a libra,
dem ingleza em latas de 2 e de 4 libras
das melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs.
a lata.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em caixas de 2 e de 4 arrobas a
I loors. a arroba.
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e )oo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a IJ-
bra.
dem peroia qualidade especial a 2,7oo rs.
a libra,
dem hysson o mellior me ha neste genero
a 2,ooo, 2,4oo e 2,6oo rs. a libra,
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a l,3oo
rs. a libra,
dem preto homeopathico 2,ooo rs. a libra.
Ceneja das melhores marcas a 6,ooo rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Corintliias
azul e pardo para embrulho de 1,4oo a 2,2oo VELAS
i de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa lera abatimento.
passas corinthias muito novas proprias para VELAS
nnitim o r.n re o lih-, de caftMttdN em caixas de arroba a9,3oo i
j caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 55'3 caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito novas
era quartos e inteiros a 25 o quarto e 65500
a caixa e 400 rs. a libra,
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
'rutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a tala.
D.sce da casca da guiada
a 609 e 15 o caixae.
podim a 8oo rs. a libra.
Fume
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. a libra
Vinagre
PRR em ancretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l.ooo rs. o molho.-
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 45400 a arroba.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de lodos es-
tipularan! os mesmos precos nos seguinles lugares:
Iniao t (lommercio. roa do Queimado n. 7
O Yrrdadeir Principal ma do Imperador u. 40

GIUMIE SORTIMENTO DE F.\ZEM).\S
:
DE
Custodio, Carvalho & Companhia.
99 RA 1IO QU.OIADO
**

oftyifajiisi
4-
Pegas de entreoalos bordados a 1.
Tiras bordadas a pega 2.
Cobertas de hrta a chieza a $fOO.
. LenQes de Huno tinos a 5200.
Toalhas de linbo para mies duzra 4.
Savatos de tapete para mearnos,, sentmr&s e borneas pelo barato probo fe'itioo o par.
Toalhas de linho para mes a 33500 e 4J.
Baldes de reos para seMwras :j,J.
Filo de linho liso vara m rs.
Qraadesortimento de Um para testidos. lis sis*.
Soperiores w*is de fotao para senhors a Sf:
**>
-----------r.-. -r------1------n
'i1
M
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor-i r
deaux, differejites qualidades, aiais barato que em | ''
qnalauex parte i ao armazem de E. A. Burle A,
C., ra da Cruz n. 48.
Vende-se fejao molatinno muito novo Wk> ba-,
raa proy> *" M na da Madre de Dos n. 9.
_
'.. ..
U) "
Sabo.
Vende-se ronstantemeiabipma3sa, tanto em
raixas como a'retalho, a iOO e ?\0 rs. a libra : na
fabrica da na do Ranfeel n. 34.
eaaaui e MMuadtca
. i
n Vendc-se na ra da Madre
mazem.
de leos n. 96, r-

a pe,
Superior rap de Lisboa, idem Paalo C^isfeiro,
ideni dilu viajada, ideui ga*se grosso, moto g^os-
o, Tino e Mou*n : tufe-as oMiouanaatt, lano
era libra doma rj'ialho ; |uranie-se< ao eompra-
dor a boa aadada.: na prafa dalndependeacia
a. 5, loja de violas.
Chocolate francez, suisso e hespanhol a
l,ooo, l,2ooe 1.4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furia
lo de Simas e outros da Baha como se-
jam Regala, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l.Goo, 2,ooo, 3,ooo e
4,noo rs. a caiva.
Conservas inglezas a 7;o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a oo rs.
Cog'nac inglez e francez a l.ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4no rs.- a libra.
Cravo da India a Goo rs. a libra.
Canella a I,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua o vinho a 4.8oo,
5,ooo e 5,r>oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oO rs. a libra,
e 8,;ioo a 9,001.1 rs. a arroba.
dem do Cear.i a 26o, 28o e Seo rs. a libra,
e 8,ooo a 8.5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba a Coo rs. o caxao.
Ervilhas portuguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o.rs. a
libra.
Figos em eaixinhas bem enfeitadas a Doo rs.
cada urna.
Graix aova a loo rs. a teta. I,loo rs. a
duzia.
Genebra de Hollanda em fcasqueiras de 12
"frascos a 5,8oors., e SCo rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo rs. cada urna.
dem em garrafes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafao.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a 1,000 r* a garrafa.
dem'de laranja verdadeira a l.ooo rs. o fras-
co, e H,ooo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida Suissa a
1,8oo rs. a, garrafa.
t*"
co.
dem ingleza em p a C4o rs. o frasco.
Mollio inglez em garrafinhas com roiha de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marraschino verdadeiro de Zara a^iooo rs.
a garrafa, e lo,ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 166 rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro, ga-
rantindo-se a qualidade, a 7oors a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a libra, e
6,5oo rs. a caixa. *
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguinles qualidades, sabel, corvina, go-
rz, cavallinha e pescada a l,ooo rs. la-
la.
Palitos {.ara dentes licbadas a 14o rs. o ma-
co de 20 niacinhos.
dem do gaz a 2uo rs. a duzia, e 2,loo rs.
a groza.
Painco muito novo a 16o rs. a libra, e \,:oo
rs. a arroba.
Queijos flamengos do ultimo vapor.
Idem pi alo muito fresco a 8ou rs. a libra, e
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a ooo rs. ca-
da um.
Sardinhas de Lisboa *e de Nantes a Coo rs.
a nieia lata, e ioo rs. o quarto.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sardinha de Franca a I8o rs. a libra.
Sevada a loors. a libra.
Toueinho de Lisboa a 24o e Soors. a libra.
Tijolos para limpar facas a 15o rs. cada um".
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira das
marcas menos conhecidas a 4oo rs. a gar-
rafa, ea 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira especialmente escolhido neste
lugar a 6oors. agarrafa, e 4.5oo a caada.
dem Lavradio, Colares muito fresco sem
COmposicSo a 6oors agarrafa, e 4,5oo rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a 56o rs. a garrafa,
e a 4,5oo a caada.
dem Porto lino em pipa a 56o rs. a garra-
fa.
dem engarrafados generosos, Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, D. Luiz I, D. Pe-
dro Y, Nctar, velho secco, Malvazia, o
genuino particular de 9ooal,2oo rs. a gar-
rafa e a lo,ooo rs. a caixa com urna duzia.
dem Madeir;legiiimo a i,2oo rs. a garrafa,
ea 18,ooo rs. afluzii.
dem Muscalel a looors. a garrafa,
dem Rordeaux dos acreditadas marcas St.
Julien Si. Estepb, chteau la Ro/.e, chatau
Margoux e oulros a 6,000 rs, a caixa e 56o
r*. a garrafa.
Vermorith a melhor bebida estomacal a ,ooo
rs. a garrafa.
Vinagre de %Lisboa i 2oo rs. a garrafa e 1,4oo
rs. a caada.
Idefi en garrafes com 5 garrafas a l.ooo rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada urna,
dem a? escovas para lavar casa a.36a rs.
cada, urna.
Vellasde'espermacew superiores a 56o rs.
a libra, e sondo em caa a 52o rs.
dem de carnauba refinada e de composcSo
a 36o rs. a Kara, e* lo,5oo e H,ooo rs. a
arroba, r.-ci
-----------------1------.-------------rr-4--------------------------_-----------.
.-
Ra d Senzaila 5ova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado. libra a
MoorUbra a "120 rs.
110 rs., idemdeLon
Fumo imperial
Cortado igual ao Trancez muito proprio para ca-
chimbo, enralas de 1 libra, qiando nao srja me-
lhor igual a o americano pe* SOO fifpra Vet-
lirar a verdade os Srs. fumantes podem-s dirigir
7 fabiicS vapor de ci^rpsaoijganM do, aler-
tis de Polica n. zl. .!..
Para pasmr^se afesis.
Vendc-ae a melhor casa terrea "nova aue ba
nn BoS-vIgm, sft* bofra da estrada, tdo de
frente 30 pateos, i janellas e porta, S salas, 4
F. ohe.-ado um grade sortientode fumo capo-{ quarios, soiau e conha lora, opiaf raid, ca-
. *7* Arados americanos e machinas para
lavar r o upa: em casa do S. P. Jonston dV C
ra da Swzalla Nova n. 42.
Fabricq, e chapeos de sol de
Frau^iseo Maestrali, ra
1
doQuipimiidQiL^.

ral, cacbiiubos, e chopeas para cbarutos. e tam-
bem bengalas e chicotes para montera, de todas
a quatidae.e sempre ft acaa nesa fabrica' nm
6
cimba com exceUegle apjw, diyarsps arvor.edo*
ane'sojcolhcm bons Truc
Srd* Wpalmos *obrt"
indo este terr
"" idp : os ].
lendoe
de fon
fraede twriMento de obapeos de sol da tod^s ac| qualidade* tambara se^ibaem eb^peos e ae con-
certam. e se Tai ,tud> perWnc^nle esta ar>e.
muito superior em'barrl&s "vende Frnefsiro (lo-
mes de Maitos Jnior, na ra larga do Rosario nu-
mero 14.
arauBum do geaje BacefaV qu& ost aitorisado!
- a bfted HamJflB* m tura *$Dm 1*
rinh d manto aw. d^^^au^e, do
Santa Haihann, retalha^e ^^V modos :
para tratar, a bordft*mewWfto,' 0*^6 escfip-
torio de Araorirn Irmaos, ru* da, Cr*z. X
PRINCIPAL
'





-


abfcadk ** *e Agotffc te 999*.
fiO PUBLICO
Woin o menor cousran-
gimeai* se entregar o
Importe -do genero que
nao agradar.
ARMAZ
ATTENQO
Os precos da segnfitte
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de contas
cora os portadores.
Cirande redueco de precos.
JA DA CAMBIA DO RECIFE 1. 53.
(Logo passaudo o arco da Conceico)
equivalente a dez por cento menos ao que outro qualquer
annnnciante.
Collegas.Nao posso por raais lempo sustentar o prego da manteiga ingleza a l,ooors. a libra, bem assim o de outros
tauitos objectos, etc., dando com islo ocasio a todas as espeluncas acabaren) por bom preco a manteiga de tempero, e gritaren) em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo!! 1 Ora, eu offendido com estas obscuridades e receloso cm adoptar o mesmo
systhema que vim encontrar, de s se vender com ana por cento a carola, resolv-fazer esla grande reduccSo de precos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a aberturado momoravel annazem de molbados Unio Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a .,600 rs. a libra. Boje porem, resentidos da redueco a que
esto obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamaco de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mal informado deste novo estabelecimento. para Ihc vender goneros nao proprios de um estabelecimento tiesta ordem que o seu nm
. tao smenle obler a concorrencia de seus freguezes.
t
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento., c mate que tudo apromplido e entei-
reza com que serio tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proteegao e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratices, pois
serao tao bem servidos como seviessem pessoamente, havendo para com estes toda recommendacao, afim de que nao vo em outra parte.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati- Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolbida a 8oo rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem francezaa mais nova que tem vindoao
mercado a 5(o rs. a libra, e em barril ou
meios a Soo rs.
Cha liysson de superior qualidade a 2,Goo rs.
a libra,
dem perela o mais superior do mercado a
2,8o rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l.oo, l,8oo e 2,ooe rs. a
libra, garante-se ser muito regu!ar, igual
ao que se vende em outra parte por 2,4oo
e2,oo rs.
Lingincas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticainente lacradas a 5.5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia c urna
arroba a 8,ooo rs. e l,5oo e oo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor 2,2oo rs. e do vapor
passado a l,0oo e I,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abalimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
IJem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e siii)erior a Soo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Emilias e favas porluguezas em latasj pre-
paradas a G4o rs.
MarmelaJa imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Prezunlo do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a ">,ooo e 5,5oo a
du/ia,
Choculate francez, "su?o e hcspanol a 9oo
I.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacele em caixinhas contendo G libras
por i.ooo rs., garante-se serem transpa-
mento.
Caf do -Rio a 26o e 28ors. a libra, e 7.8oo
e 8.5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,eoo rs. a arroba. "
dem do Cear de superior qualidade a 24o.
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranho a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de i e 2 libras a
6oo rs. c de barril muito superior a ooo
rs. a libra.
Alelria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e l>,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
leitas para esse lim.
Estearinas a .jGo rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Purto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
por 2,oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas iaiperiaes em latas
de 3 libras por I,Soo rs.
Ameixas francezas em latas de i e meia libra
por I,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, I,5oo, el,8oors.
Azeite doce refinada Kenanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolba do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes ja preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legurae para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a 1 ,ooo rs. e H ,ooo a duzia.
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o, Ceneja branca e preta das marcas mais a-
crediUdas que vem ao mercado a 5,ooo e
4oo e5oo rs. a garrafa, emcariada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a loo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores man-as, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Dnuro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
1 o,ooo rs. ea9oo e l.oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
viudo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
rente e de superior qualidade, tambem tem, Sardinhas portuguezas cm latas grandes
de 12 por libra propria para carro. preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-: boa a 64o rs.
da, salmo, ostras e chernee, vezugo em! Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
latas.grandes a 8oo e l,ooo rs. cada urna. cado a 2,800 rs. a barrica, e 246 rs. a
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita- libra,
das que tem vindo ao nosso mercado a Bolachinha de soda em latas com diversas
6,000; 7,ooo e 8,000 rs. a caixa, garante-j qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco. para mimo a 64o rs.
Gencbra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Alfona em
frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e
11,00o rs. a du2ia.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa c > -i 28"libras.
Figos de comadre a 2io 1, a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
] Ameudoas de .'asea mole a 32o rs. a libra.
dem de Hollanda cm botijas grandes a 4oo' Bolachinhas d'agua em sal di fi'-.rica do Beato
Acaba de leceuer de sua propria encomnieuGa um grande e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por.isso apressa-se o propietario em I
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e,
resumidos precos, a flaneando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-;
mazem.
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra. I Licores francezes e portuguezes das sgguin-1
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 rs,! tes marcas creme de violetas^ gerofles, ro-;
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e Soo rs.
sendo em barril.
Cb uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,800 rs. e de 8 libras para'
cima a 2,7oo,
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen- j
dna amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limao, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, ortel pimenta a I.ooo
rs. a duzia 1,000 rs. a garrafa, garante-se1
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e irteirps a
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutos de lodos os fabricantes da Babia c das
mais acreditadas pureas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
l,oo rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-j
bras por 2,ooo; dito em caixes a Goo rs. *
cada um.
Earinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e'lo.ooo'rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4op rs. a libra >
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,noo. rs,
Cebollas solfas a l,4oo o cento ; ditas em
mollios com cento etantas por I,Soo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
ADEREgOS DE MOSAICO
A aguia branca da ra do Queimado n. 8 rece-
ben bonitos adrenos do mosaico e fino delirado, e
os est vendando por Btcjb. razoavel.
Bolsas para o.ua.
Esse ohjecto aqu to custoso de encontrar-se, e
tao preciso aos apreciadores da cafa, aclia-se hoje
a vn-!:i na ra do Queimado leja da aguia branca
d. 8, onde o comprador ser servido conforme o di-
nbeiro que quizer dispor para lal fim.
Ksseneia de rosa.
Em pequeaos frasquinbos a i000. Vende-se na
ra do Queimado n. 8.
Truios para voltiaree
A aguia branca na ra do Queimado n. 8 rece-
beu caixinhas.com lentos de marfim e madrepero-
la para vol.larele, havendo dinheiro cheguem-se a
elles antes que se acabem.
Craxa econmica.
Chegon novo sortimento dessa boa graxa, e con-
tinua a ser vendida na ra do Queimado loja da
aguia branca n. 8.
Fitas
para a 1 mandado do Bom Conseibo, e cartas de
hachareis. Vende-se na loja da aguia branca, ra
do Queimado n. 8
Leques de sndalo, madrepero-
la,osso, ete.
A aguia branca receben um bello sortimento de
leques de sndalo, madreperola e osso, sendo elles
de diversos moldes e variadas cores, inclusive a
preta : agora, pois, quem comparecer com dinheiro
pd bem esclher um bonito leque, na ra do
Queimado loja da aguia branca n. 8.
Caixinhas para costura contras
com perfumarlas
A loja da aguia branca, onde constantemente se
vendem essas bonitas caixinhas com arranjos para
costura, acha-se mui bem provida por ter agora
recebido um belfo soimento de ditas caixinhas ;
assim como ontras com finas perfamanas, por isso
quem quizer fazer um bora presente, tendo dinhei-
ro dirija-se ra do Queimado foja da aguia bran-
ca 8 que ser bem servido.
Boa tinta para marcar roupa.
Vende-se na ra do Queimado Jeja da aguia
branca n. 8.
3^ftiftttt
DE
J. VIGNES.
S. 55. RA DO IMPERADOR K. &*.
' Os pianos desta antiga fabrica sao hoje ass:.z conhecidos para que seja necessario insistir soLie o
su superioridade, vantagens e garantas que oflerecem aos compradores, qualidades estas mcontest-
veis que elles tem definitivamente con(|uisUdo sobn iodos os que tem apparecido nesta pra^a ; pos-
! suindo um teclado e machinismo que obedecen todas as vontades e caprichos das pianistas, sem-
nunca faihar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importan-
' tissimos para o clima deste paiz ; quanlo s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
: veis aos onvidos dos apreciadores. .
Fazem-se conforme as cncommendas, unto nesta fabrica como na do Sr. Btondel, de Pans, socio
correspondente de J. Vienes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expesicSes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
: melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendide por
i preces eommodos e razoaveis.
Mm
NTco HOSP. dos VENEREQSiotPAiS*^ PREMIO 1854
' Ble.-tnorrbacias as mkis inlensaa* rebeldM.
Sunerior8 a lodu as preparaOes conhecidas ril boje conirn ti onorrhea t
Bffeilo seguro e prorapio.icm nauseas, era clicas, nem tremor. Facen a lomar em se^redo sem usara.
Injecgo curativa ,e preservativa
InfaUlT*!, cura com rapideurm Hora os escorrimenlos contagiosos de amhoi setos. riores brancas. AJsIringenle i
balsmicaim caunUiHade. foriiOca os legumenia' e os preserva de .|uaigvier alleratf" """' s '" *> nr,he-Si-H-tord.
Deposito geral em Pernambuce na da Cruz n. 22 de emcasaCaros & Barboza.
Fbrica Concedo da
Bahia.
Andrade t Bego. recebem ceostante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algodo d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar ateodao empluma etc., etc.,
pelo prego mais razoavel.
AGENCIA
DA
GRAXA N 97
Vende-se a verdadeira graxa ingleza n. 97 no
arroazem de J. A. KUreira Dias na ra da Cruz
numero 86.
FUNDICAO BE LOW-MOO!.
Ra da Senulla uotj n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
nm completo sortimento de moendas e metas
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.
Vinho do Porto stptrior
dm raizas de urna e duas duzias : tem par* Ten-
Na ra larga do Ro'sar'io n. 24, loja de joias, ven- eer Antonio Luiz de Oliyeira Azevedo & C. no seu
dem-se todos os ferros e utencillos de ourives. I escriptorio ra da truz n. 1.
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocie a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,800 rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,800 rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a. 1,800
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,2oo rs
dem prato s melhores e mais frescos do
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a i.7oo rs. a garrafa.
BtsooMs em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Oshorne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine eoutras mu-
tas a l,3oo e i/loo rs.
Fumo americano em chapa a 1,60o rs, a
libra.
Araruta de todas'as qualidades.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 5,j a
caixa e 60 rs. a libra-
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,000 rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 3,Soo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
21oors. a resma.
Potes com sal retinado a 48o rs; cada um.
Figos de comadre em latas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 12o rs. a
lata de 21 [2 libras,
dem em caixinhas de 8 libras .a l,8oo, e
24o rs. a libra,
rozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 600 rs. a libra,
dem de casca mole.a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior,, madeira secca, Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a 10,000 e
l,ooo rs. a garrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,000 a caada.
dem superior a Soo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e Soo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composc3o a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l.ooo rs. cada urna.
Ricos livros com figos 1,00o rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5eo a arroba.
Garrafoes com 4 Vs garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem com 4 7 ditas de venagre a 1,00ors. o
garrafao.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com aancoreta
dem em pipa puro sem o balismo a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a cacada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,800 rs.
Ferro? para orives.
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a eaixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 800
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
.Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8001
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.!
Caixas de traque n. 1 a 8#500 cada urna. |
Massas para sopa macarrao, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa \
800 rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os!
fabricantes mais a creditados a i,Soo,
2,ooo, 2,Soo, 3,ooo e 4,000 rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por abi se ven
dem a 2,000 e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo,
rs. a arroba e 28q a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e26o rs..a ii)ra.
Arroz do Maranho a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a 1
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra. |
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra,
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. a libra,
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e em
caixa a 52o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os I
Srs. empregados pblicos a S.ooo rs. a res- j
ma, j se vendeu por 7.000 rs.
dem aimacopautadoe liso a 3,ooors. a resma. |
dem de peso paulada e liso a 2,5oo rs. a
resma,
dem a znl de botica ou fugueteiro a 2,oo rs.
a resma. [
dem embrulho de l,2oo a l,4oo rs. a resma. |
Ameixas francezas cm latas de 1 '/* libra a
l,2ooe8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,Soo rs., s o i
frasco valle l,ooo rs. tambem temos em
frascos para I,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Molhos inglezes a 800 e 1 ,ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 600.rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia e Soo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com1? arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a !,ooo rs. o mblho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frase,
dem em botijas a 4'oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
eom 2o rs. o maciohos a *2o rs. aasso.
Cominhos muito novos a32e*s. a libra e
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cvadinha de Franca a 18o rs. a Hbrt.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 45oo*rs. a
arroba. .
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas a l,ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,000 rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e .,000 rs. o
caix'do.
RIVAL SEM SEGUNDO
tina do Queimado n. 49, esta vendrado metilo
boas fazendas e muito baratas, quem uMler bfter
v.r ver ou mandar para experimentar, assim tomo
sejam :
Gollinhas muito linas para senhora a 500 rs.
Dias e punlios de fusio muito bonitas a G4U
tartas de allinete de cabeca dala de todos os ta-
manhos a 80 rs.
Resmas de papel de peso muito boma 2.
Capachos redondos e COOlpridos a 500 rs.
Caixas com superiores obreias de colla e de mas-u
a 40 rs.
Cordao branco grossa que [en muita applicaco a
vara a 20 rs.
Manas de carriteis garante-se tiO jardas a 40 rs.
Candes de linha Pedro V com 200 Jardas a M) r.
rosas de peonas de ac muflo linas a 500 rs.
Varas de franja de 19a para ve.-tido a 40 rs,
Ditas de fr.tnja Inania larga para fallas a i60 rs.
Pares de botos de punho a 120,320 e o' rs.
Tmteiros de vidro eom tinta a ICO rs.
Ditos de barro eom superior tinta a 100 rs.
Grasas de botdes de luuea plateado a 100 e a du-
zia a O rs.
Tesouras para costura a 80, -200, 400 e oOO rs.
Escoras para limpar denles, superiores a 200 rs.
Libra de laa para bordar da melhor iiualhladc a
65500.
Caixas de phospboros de seguranca a 160.
Caixas p pacotes de papel amizade superior a OW
n'-is.
Caixas com 100 enyelopes muito finos a 800 r*.
Quadernos de papel pequeo azulado a 20 r/.
Carriteis de liha Alexaudre com 200 jardas ;i
100 rs.
Baralhos para vollaretea 240e mais linos a 300 rs.
Meiadasde linha frouxa para bordar a 20 rs.
Pares de sapalos de tranca de todos as lmanlos
a l'OO.
Grosas de botos de madreperola uiuilo fiDOs a. j)
ris. .- p*.
CaNas e caixas de eolebetes de superiore* quali-
dades a 40 rs.
Massos de grnipos superiores e limpos a 30 rs.
Grojas de palitos de gaz a 2rj200.
Libras de areia preta da melhor qualidade a 120
ris.
Caixas redondas para rap e tem muito bonitos ea
Jungas a 100 rs.
RIVAL SEM SEGUNDO,
Roa do Queimado n. 4!) loja de miudezas de Jo-
s Bigodinho. venham ver a pechinrhl que se e>ta
acabando certas ijualidades de fazenda.
Pecas de Otas elsticas coni 10 varas a.. 240
Hilas de tranca branca lisa com 10 varas. 100
Ditas de tranca preta lisa a........... tiO
Realejos paraineninos, pechincba a... 150,
liodinhas com superiores allinetes a..... iOi
Caixas com superiores agulhas e limpas a 300
Sbemeles de familia, muito finos a 80 e.. ICO"
Pares de sapatos delaa para enancas a<. 400
Varas de babado do Porto muito bom a
100, 120 e.......:..................1.60
Ditas de bico largo grosso a............ 100
Potes de superior tinta tem mais de meia
garrafa a.......................... 3O
Caixas eom perfumaras muito bonitas a. tijO
Fraseos de oleo de macaca muito lino a 100
Ditos de oleo de babosa superior a 240,
320, iOOe......................... tOC
Ditos de cheiros muito superiores cm qua-
lidade a..'......................... 3-0
Ditos de agua de colunia riiuito boa a 410
Ditos de dita dita grande a........... w)
Sabnnetes de todo o preco 00, 160, 2C0,
320 e............................. 400
Fraseos de superior banha a 320 e....... fcOO
Caixas de p para limpar dentes muito
fino a-............................ 100
Ditos de bsnha transparente a.......... Q(H>
Pares de liga* muito linas para senhora a 500.
Saboneles inglezes da melhor qualidade a 320
Fraseos de agua dentrifiee superior ga-
rantida a.......................... IJCOO
Massos com 23 envelopes grandes azula-
do a.............................. 400
Varas de fita preta com clcheles a..... 100
Fraseos de macaca perola muito superior SCO
Caixas com penuas grandes a......... 200
Grosas de botdes para cale preta, miados fo
Libias de memento da roU|ia de lavar a.. 200
'Carriteis de retroz de todas as cores e
tem meia oitava de retroz a......... 200
Varas do bicos de differentes larguras a 6f>
Maceas.
A' 25500 caixa ; em pnre.lo se fara abatimen-
to : na ra ftova n. 8, loja do Cha.
Vende-se o sitio da trivessa dos Remedio*
freguezia dos Afogados, n. 21 : qtifni o pretender
entendase com o seu proprietario Caetano Piulo
de Veras,- na ra de S. Francisco, sobrado n. 10,
como quem vai para a ra Bella.
^______________________^^-_^
A ttencao
Vende-se urna taberna na ra Direita n. 50, o
muitos pertences da inesma : a tratar na mesti.a.
Sr bolas
Vendem-se sebolas novas em resteas a 15000 r>
rento:-na esradinha da alfaodega, armazem da
viuva Paula L>pes.
Bous, bonitos e baratos.
A aguia branca leiu a satisfago de commuin'uar
a sua boa freguezia que ha chegado mais urna i.o-
casiao de provar a sua lonvavel baratota, vista
da boa qualidade do'ubjerlo, por isso convido ti
todos (jue tiverem dinheiro para se dirigirein i
ra'do Queimado n. 8, loja da aguia branca, aflm
de eoniprarem os objectos seguintes :
.Bonitos collarlnhos bordados, e punhos com
botdes, tudo por 15500.
utros lisos, mas de linhe e tambem com botos.
por 15000.
Manguitos com gollinhas bordados por 25-
Ditos sollos por 15-
Gollinhas de cambraia bordadas, obra muito
boa, por 500 rs.
Ditas de traspasso, tambem bordadas, igual-
mente linas a 15-
Lindas camisinhas com peilo bordado, gollinhas-,
manguitos e grvalas, ludo por 55-
Um grande sortimento de ntremelos mui lar-
gos c bonitos ; assim como tiras hordadas, o qae
pode ser de melhor, e mais perfeito, variando nns
e outros nos precos. conforme a largura, mas ba-
ratos ein todo o caso.
. No'ase lindas gaavatas brancas de fil, com
bonitos e difflreis bordados (mui proprios para cj
vestidos a Maris Pia) ubra inteiramente nova aqu,
e de ultimo gosio, a 25 cada una.
Bonitos vesiuarios branros com lindos e delica-
dos bordados para baptizados.________________
Vende-se urna preta propria para todo o ser-
vico : a ti alar junto a matriz de S. Jos com Ber-
nardo Jos da Rocha.


a caixa e 7oo rs. a garrafa.
O proprietario do grande armazem UniSo e Commercio declara aos seos fregu
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos Mtfpmou
os mesmos precos nos seguintes lugares: j
TJnilo e Commercio ra do Queimado n. .7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
ESCEAYQS rGIDQS.
Fugio na oite de 23 do correle jnlho de
1864 o eseravo Jos, preto, crioulo, de 26 annos,
baixo, corpu regular, Dee*S gi'>ssos e estufados,
or.lbas pequeas, e cacbac,o grosso, potica barba
porque tem apenas na punta do queixo, levo duas
calcas, orna branca e oufa de castor eseuro qOe
paieie preto, de listras, paletut preto, sem camisa,
e eom urna caraouya encarnada na cabeca, a laia
de'manijo: Ufm pegar leve-o ra Direita n.
54, que ser generosamente recompensado._____
""^~FugL> na tarde do dia 16 do eorrentn um
eseravo pardo, de nome Marcos, desembarrado
do hiate Santa Auna, vindo do Aracaty, tendo
de idade 98 annos pouco mais ou nienos, eos sig-
liaes seguintes : altura regular, secco do rori>o, -
piiuca barba, cabello crespo, levou camisa e
calca de algodaosinho de riscado azul eiha-
peo de palha, tendo levado conwigo uina trouxa
com mais roupa, e rendido de urna das venlhas;
quem o appreeuder qneir^ leva-lo ru da Mudre
de Deus n. 38, ou ra do Brum n; 55, que ser
recompensado.
~^~Fngio dti engenho Guerra de Ipojuca nm es
cravo de nome Jo Moniz, estalnn hara, tr
crioulo : -quem o apprehender ou der noticia 1
dito engenho, on ng roa da Aurora emra Elias Baiitista da Silva, ser generosamente re-
compensado.

i

+r>m~+.
ifimiM ...


*
*BF*^*m*m*m
abbado t de Agosto de ti4.
LITTERATK.
laflaencia benfica do sacerdocio, sermo pelo
I Jm. Ir. conejo Joaquim do Honle-Garmcllo,
era & Paulo.
-uadwcese, e, sem mais ootras armas que orna tregnem a homens religiosos (16). E a quem me-
crux; em Nome de Deus que aella morrn para Ihor qae aos filtras de Ignacio cctovem esse carac-
salvar-oos, consegua reiizraente chamar ao im-
perio Has leis homens que se julgavam ja perdi-
dos (II) I Oh I e quaolo bella esta reli^So qoe
confunde assim os fortes, e faz com o ministerio
a vez imperceplivel de um no- j ind|genas, rcdozWos Unta vez ao captiveiro pela
" espadas, nem avidez de barbaros colomsadores, que mais crueis
ter (17) ?
Falla-se muito de liberdados publicas, de diri-
tos do honren : mas, quem raelUpr e mais deno-
dadamente os tem teito valer em favor de miseros
a -,- ,n tu ,< mem' qtte nao faria e relinir das
PerS/STp^JcV'>am *' tambores, nem o a.roar dos ca-
edificubo eccl.siam meam. nhes ?
i^ti ip iii'To um> ni s Pedro, o
sobre esta podra edihearei a mi- >m. nao vos lembrarei
n!a egreja.
(S. Math. 1C.
que os antigos Pharas sobrecarregavam-os de tra-
balhos, e os matavam fome ? quem esquecer ja-
mis as perigosissimas viagnyquefizera para isso
E como, uao vos ietn!>rare tamben) os inces-
.-antes esforgos do distinolo metropolita, que ha !o Bossuet portuguez (18) esse genio admiravel, es
pouco perdemos, para chamar a observancia das se padre vcrdadeiramenie apostlico, que trocou
(ConclusoJ leis os iusurgidos da Baha, de Sorgipe e do Para ?! generoso os encantos que Ihe offereceram as mais
. Quando os preceptores do povo, diz um pro- Quem nao ter lido os elojucatissimos discursos famosas e opulentas cortos da Europa pela humilde
f.indo estadista
curavara destaca
var aos ceus seuD uoJu^**.,^Z'"r'7\~ 'dependencia e de vertigera, que produzio na dade eterna sekagens desconhecidos (19) ? Quem
ubiam aue aqu nao ha meios de satisfaze-Ios. i_____ l""uu"" i ,' .
Minan 4 h j.ranca os las c J[ho jfUjM0J nao sabo das an., na0 saoe 0 qUe soffreram nesta mesma cidade seus
Os doulores populares de boje pensara de ou- madoras e paternaes palabras, que por essa occa-! incansaveis fundadores, por se opporem intrpidos
tro modo e fallam ao povo outra linguagera.... | sjjj0 n,c dirigir o chefe supremo da christandade,' esse iniquo e revoltaote captiveiro (20) ?
Ellei dizem-lhe que o mudo tem ludo o que o |>de! decorandoo com o titulo de-Benemrito da Or-! Fallase muit0 de*alor e de Patriotismo ; mas,
C
(
fazer feliz, e se o povo nao o a culpa 6 de alguns
lioraens que usurpam sen liem estar (1) E' que
ceses doutores, em sua prevengao injusta contra as
ideas christas, cegamente confiados nos fracos re-
cursos da raz*D humana, despresam a nica fonte
pode assegurar (2).
Aquelle, diz- o grande apostlo a quem hoje fes-
tejamos, aquello que quer amar a vida e ver os
**m Lons, refree sua lngua do mal, e os seus la-
, nao proliram engao. Aprtese do mal e fa-
ca o bem ; porque os olhos do Senhor esto sobre
os juntos. E se alguma cousa padecis pela just-
ea ieis bemaventurados. Qui enim volt vitam de-
ere,esl dies viderebonosexerceal linguam snam
;'t malo, et labia ejus ne loquentur dolum..... Do-
cknel malo et (acial bonum... quiaoculi Domini
s-uperjustus.... Sed et sid et si quid patimini
propterjastitiam. beati (3).i Obi e quem pode cal-
cular os beneficios de semelhante dou'rina E em
que outra parte a encontrareis senao nesta religiao
de perdo. de amor, de caridade, que desprende o
hornera das affecgoes terrestres para devalo at
o cea ; que mistura por assim dizer, a Diviniaie
.ifi todos os seiUimentos humanos para torna-Ios
Sis sublimes e mais puro? (4) ; que ajuda-nos to
cazmente extiuguir os odios, as dissenroes, as
malaaerencas i que nos rene pelo mesmo pensa-
mento em Deus ; que nos d torga para soportar-
mes com heroica resignaco as offensas de nossos
mimigos; que obriga-nos ama-Ios como raos e
.\ fazer todo o bem qnelles mesmos que nos pro-
curan) perder (o). Eis o que faziam os christaos
nroprios gentios. Eis o que os fazia exclamar ca-
lla passo : Como se amam os christaos entre si!
Gomo se tratam mutuamente de irmos! Como
cstao promptos morrer uns pelos outros (6).
\. com que terna solicitude nao tem sompre o sa-
iwdocio catholico procralo manter entre os po-
ros esse espirito admiravel de paz, de uniao, e de
confr.iternidade, com que zelo incangavel nao tem
os pontilices, os hispo*, simples sacerdotes, exposto
tanta* vezes suas vidas para salvarem a dos outros
homens! Apenas infrmalo das dissenedes que di-
"iJum os ehristo? de Coriniho, Clemente I, diri-
g-i-lhes estas memoriveis patarras: Quem nao
presava vossa virtude de outr'ora e a firmeza de vos-
a la? quem nio almirava o fervor de vossa? Vos
aa-liveis segundo a le de Deus----Estaveis todos
nos sentiraentos de urna hurnildade sincera, mais
inclinados a obedecer que a mandar .. Porm, os
clames, as contenas, a desordem ninam agora
Mire vos eatrosl Porque, pois, semelhaates divi-
nos? Por ventura nlo tendes um mesmo Deus.
ara mesmo Christo, um mesmo Espirito de graca,
a mesma submissao Jess Christo ? Porque dos-
HOdagaes assim seus membros ? porque fazeis a
guerra ao vosso proprio corpo ?.... Esquejamos
este escndalo, lancmonos aos ps de Jess Chris-
to, e pecamos-lhe com lagrimas de arrependimento
que nos restitua a caridade fraterna (7).
. Senhor, dizia o Ilustre cardeal d'Alsace e ar"
cebispo de Malliuas a Luiz XV, depois da tomada
de Uruxellas, Senhor, o Deus dos exercilos tam-
bem o Deus das misericordias. Emquanlo V. M-
(he faz entoar accoes de gragas, pelas victorias al-
cangadas. nos lhes pedimos humildes que as acabe
por urna paz prompla e duradoura. O singue de
Jess Christo o nico que corre em nossos alta-
res era proveito dos homens : qualquer outro nos
asosla; eum principe da egreja deve ter coragem
para confessar este medo perante um re christia-
nissimo (8).
Entretanto, christaos, esse medo nunca obstou
que os principes da egreja dissessem, com heroica
intrepidez o que disse o humilde Beunnemeyer ao
couimandaote de sua cidade episcopal, qunnde-este
communicou Ihe a ordem que tinha de massacrar
os protestantes ali existentes. Nio, Senhor, vos
nao executareis essas ordens, ou entilo comecareis
jior mira. Eu sou o pastor desta egreja, c qnelles
a quem pretendis tirar a vida sao tambem minhas
ovelbas. E' verdade, que sao ovelhas desvairadas ;
mas, eu nao perdi ainda a esperanza de recondu-
zl-fas ao aprisco do Salvador. Nunca se viu no
Gvangelho ; que o pastor conseutisse no derrama-
ment do sangue de suas ovelhas: pelo contrario,
elle o primeiro que deve sacrificar-se para salva-
las (9).
< O lobo, disse o dignsimo actual successor de
Pedro, o venerando Pi IX, o soberano de Boma,
qnando bispo de I mola, langando ao fogo urna lista
de compromettidos polticos de suadiocese, que Ihe
chegara as maos, o lobo que pretende assallar o
rebanho nao avisa ao pastor (10). Oh 1 e qnantas
lagrimas nao pouparia este acto de verdadeira ca-
ridade quantas familias nao contariam nelle a
paz e a tranqnillidade de seus das I
Taes sao, pois, os ttulos de gloria que em to-
dos os tempos e lugares, ho ennobrecido o' sa-
cerdocio catholico ; e a nossa propria historia
assas rica de factos semelhantes. Antes mesmo
que o santo arcebispo de Paris se ostentasse mar-
(yr da caridade, apostlica, j o finado bispo de
l'ernambuco a excmplo de D. Marcos Teixeira scu
aotigo collega da Bahia, havia arriscado egual-
mente a sna vida para salvar a de suas ove-
lhas.
Elle tambera apparecou entre os revoltosos de
l) Guizot, Meditations et Eludes Morales, pag.
29, Paris, 1852.
(2) La religin christiane, qui me semble avoir
liur objet que la felicit d'outre vie, fait encor
uotre bonheur dans celle-ci. Dict. des Mximes.
Art Bonheur.
(3) S. Petr. 1,3,10 e seg.
(4) Boologne, serm. sur la charit ebretienne.
(5) S. Math. o, 44.
(6) Ten. Apol. c. 39, p. 74 : Minuc. Felc, Oetav.
9, 82 ; Orig. Conl. Ce. 1, p. 319.
(7) Lhomond, Histoire abrege de 1'Eglise. oae.
O, Paris, 1845.
(8) Nouvelle Biographie Universelle, art. Alsace.
I'aris, 1832.
(9) Madroile, Le Pretre devant le siecle, pag. 113,
Paris.
(10) Edmond Lafond. La Voie douloureuse des
l'apes. pag. 191. Paris, 1860. -
dea) Ecclesiastica-(12) ? Quem nao ter visto n.!|nem me,hor os ,em desenvolvido, que essesmes-
nalmente, as palavras, Jao repassadas de patrio-" m6s Pa'dres' quando pela V,r,a"0 Prodi8iosa de sua
tismo e de unegao, com que o dino arcebispo se: Palavra (2,)' peI Presll6io semPrc fecundo de sua
dirigir provincia de (eu Lergo, quando devas-, P'eseBa. conseguiram desallojar de nossas plagas
lato pelos horrores da gilerra civil ? i bataTO soberbo' a'entureiro franco, que eonta-
1 vam j segura a conquista deste solo abencoado,
be evangelista paz. dizia elle, se conciliar os: que certamcnte nunca lhes tora promettido?
unos e persuadir a uniao e a concordia foi sem- i
Falla-se de artes, de sciencias : mas quem fun-
dn nossas cidades ? quera descortinou as nossas
matas ? quem abriu nossas estradas ? quem cana
nimos
pre urna das mais preciosa funecoes do episco-
pado, e cujo exercicio mcreceu aos bispos e ponti-
lices, ainda sob o roinado I da Cesares, o glorioso
titulo deDefensores dasi Cidades, em reconhe-
ciineolo do zelo com que lies se constituan! me-
dianeros entre os povos ej os imperantes, j para
solicitar a clemencia e os beneficios destes, e j
para atlrahir a submissao [d'aquelles, extinguindo
pelo maravilloso ascendente da religiao fataes des-
avengas, iovcteralos resejitimentos : quanto nao
devemser mais imperiosos e dignos do alto posto
que, sem mrta*algum oceupamos na egreja de
Deus, os offlcios desta pacifica nterveucao para
com os habitantes do paiz, onde vimos a luz do
dia ?... Ah I que nao possamos nos voar at jun-
to da vos e fallar-vos ao vosso proprio corago
para palentear-vos a intima ddr e amargura de
que o nosso se acha profundamente repassado
vista da cruenta discordia que vos dilacera I___
Depois de pintar com religiosa fidelidade o bel-
lo carcter dos Paraenses,1 e o quanto os deslus-
trava o nefando estandarte i da revolta, cujos fu-
nestos resultados seriam o I apparecimento dety-
rannicos caudilhos, a perda, da propria considera-
gao e ojugo vergonhoso e aviltante do estrangeiro
audaz que, primoiro abusasse da sua triste sorte :
depois de lembrar-lhes a santa religiao do jura-
mento, e o quanto este os obrigava permane-
cerem sempre unidos grande Tamilia brasileira,
em cujas iustiluigoes ha remedio para todos os
queixumes : depois de exhorta-los era nome de
Jess Christo a que voltasserh do abysmo em que,
com tanta cegueira, se haviim precipitado, o Sr.
D. Romualdo conclue assinj sua editlcante pasto-
ral : tEis aqui, amados patricios e irmaos, os
saudaveis dictaraes que, pulsos do amor do
patrio solo que palpita em npsso pello, e om des-
erapenho do nosso sagrado1 ministerio, que nao
poda ser inlifrereite s tribulagas e angustias
deesa Ilustre porgo da egreja brasileira, nos
consideramos obrgados a dirgir-vos na effasao
da singular ternura cora que vos amamos.....
amae-vos uns aos outros como fllhos do mesmo
[iae celestial, e remidos por aquelle sangue ado-
ravel que destruio o muro das iniraisades, para
unir o que jBStafa longe e dividido (13).
Ah I christaos, quera n> almira aqui as raes-
mas ideas, os mesmos sentim.entos, a mesma unc-
co de que abundara as palavras do zeloso disc-
pulo e successor de Pedro, M quem ha pouco vos
fallei ? Tanto corto, que espirito, que em to-
dos os lempos tem animado o sacerdocio cathol ico
lisou os nossos ros ? quem penetrou o fundo de
nossas florestas e conseguiu do estupido selvagem
to bellos e inimitaveis artefactos, que ainda hoje
se admira nesses templos magestosos, que nem ao
menos sabemos conservar ?
Falla-se, finalmente, de philantropia, de huma-
ndade, de civilisago : porm, quem mais se em-
brenhou por esses bosques, para chamar vida so-
cial tantos milhares de indgenas que ah vivera
completamente abandonados, quando nao sao mas-
sacrados por deshumanos reguos f
E' que, na ausencia do zeloso sacerdote, com a
falta desses homens, que to assiduaraente nos fal-
lavam dos interesses do cu; os da trra, isto ,
esse amor do torpe lucro, tao altamente reprovado
por S. Pedro (22, te m-se de tal sorte apoderado do
corago humano, que o torna to incorapativel com
essas dedcagoes generosas, com essas emprezas
evanglicas, com esses prodigios de caridade, como
a luz com as trevas, a verdade com a mentira, a
virtude com o peccado.
E o santo ministerio desses homens, o divino
sacerdocio de Jess Christo, que se ousa acoimar
de prejudicial ou intil sociedade em que vive-
mos Porm, que muito que cegos declamado-
res, no mo goslo de tudo censuraren), de reprova-
rem tudo o que nao sabe de suas raaos, levaotem-
se contra verdades de pura inluigo? Por ventura
nao sao elles os mesmos homens, de quera S. Pedro
diz que negaram at o proprio Senhor que os res-
gatou ? (23)
Voltando jurera ainda ao simples sacerdote no
desempenho de sua missao de paz, permtti, chris-
taos que vos repita o quj disse o digno admnistra-
dor de Pernambuco ao ministerio do imperio nos
das difllceis que preludiaran) o luctuoso mez de
fevereiro de 1849 : Constando-me que as povoa-
gdes do Pu d'Alho, Cursahy, Taraataup e Naza-
reth achavam-se em armas, exped para l torga
que as pacficasse, o que felizmente eonsegnio-se.
Sabo, porm, V. Exc. de que torca laocei vao ?
De dous pobres e humildes capuchinhos FrV Pa-
cfico e Fr. Caetano de Messiaa toram os soldados,
que, pelo prestigio de sua palavra e efneacia de
seus apostlicos esforgos. poderam pacificar aquel-
es povos (24). isto mesmo, christaos, experimen-
tou-se anda naquella mesma provincia, por oeca-
sio do famoso mov ment causado pela le i do
Censo. E o que nao poderamos dizer tambem dos
nossos incansaveis pa roe los, sob retinto nessa qua-
dra egualmente luctuosa porque passoulia pouco
6 sempre o mesmo, como a mesan a sua f, seus ,,uas ,0(i0 o norte do imperio, invadido pelos ter-
dogmas, seus sacramentos;. Deveremos, porm, |riveis tlagellos da-febre amarella e cholera-mor-
fallando-vos do episcopado brasileiro, esquecer por bus? que rasgos de heroica dedicago, que exem-
ventura o clero inferior, que tantas vezes e sem- p!os SUblimes de caridade nao se virara entao por
pre, se ha mostrado credor da estima, do respeito l0l]a a parte ? I E' assim, pois, que levado pela con-
e do reconheciracnto publico pelo tiel desempenho, derago de factos semelhantes, em vista dos glo-
de sua missao santa ? Oh I tora preciso ignorar riosos resultados colhidos de tao santo ministerio,
absolutamente a nossa historia para nao saber os' exc|amou outrora um celebre politico : Eu nao
factos gloriosos que ella consigna do simples pa-: conheCl) homens que facara mais honra humani-
dre, do parodio obscuro, do franciscano humilde, dade do que os parochs (23).
do benediciino e carmelita, e, com especalidade,
dos filhos do hroe de Najara, que toram para o
Brasil oque toram para a Irlanda os discpulos de
S. Patricio, os de S. Patricio, os de S. Agostioho-
para a Gra-Bretanha, os de S. Bjnifaco para a
Altanaba.
Sim, sao innegaveis, e dignos dos nossos lou-
vores mais sinceros, os sacrificios de fadigas, de )
sangue c de vidas, que, a bem de nossa trra,
fizeram outr'ora os membros dessa Ilustre com-
panhia, contra a goal vociferara hoje alguns cgos
ou ingratos que ousam negar, ou nao encher-
IM POUCO DE TUDO.
Exlrabimos o seguinte das cartas de Julio Casti-
Iho:
Concluiremos com outro assumpto, que tambera
interessa ao Brasil.
E' a familia da Sr.' marqueza de Cantagallo,
urna das mais eslimadas do circulo aristocrtico
desta corte. Urna filha da Sr.' D. Maria Carlota
Berqu, pedio ao mavioso poeta da moda, o Sr. Tho-
maz Bibeiro,que Ihe escrevesse alguns versos n'um
T-
gam, o que encherga e confessa todo o mundo que album' e logo lhe deu tnste assumpto delles.
visita as vastas campanhas do sul, os serles donha esta senhora ( al6m de ou,ra } duas ,rmas
Cear, todo o territorio do Para, do Maranho, de muit0 amigas : a Sr/ D' ^nstAD(^ morreu no an"
Pernambuco, da Bahia, do Rio de Janeiro, desta n'versario natalicio da Sr.' D. Amelia. Foi esta
provincia, do Brasil todo, aonde as pecadas dos melanclica materia entregne pela joven fidalga
Anchielas,dosPontes, dos Nobregas, dos" Vascon- '>ra de Thomaz Bibeiro.
cellos, dos Vieiras e mil outros deixaram vestigios Monitor vulgansou esta sentida poesa, com a
verdaderamente duradouros, que nunca mais se re?Pcc1'va exposicao.______________________
ho de apagar. (\\ Fravssinous, Defense du Chnstianisme, tom.
_ i 3, pag. 357, Paris, 1833.
rana-sede aducagao hoje como nunca : maso (17) o Os philosophos imposquerem serosuni-
teem inventado por ventura os doutores populares eos mestres do genero humano, que o pretendem
de hoje, que proveito temos nos experimentado de reformar estabelecendo sobre o resto de todas as
cn,c f,mn-.,c ik^;., q i .. antigs crencas seu systema de atneismo, de re-
suas famosas theonas ? Ah christaos, responda o vol[*e de c*vm*o; a os jesutas teem entre as
rpido declive em que vae-se visvelmente abys- mos o elito brilhante da mor.idade que elles amol-
raando a sociedade brasileira, pela falla do ele- dam cuidadosos todas as virtudes religiosas e so-
ment religioso de que se resente o seu ensino i'.res' ensinando-lhe que o amor, o respeito e a obe-
,.v u ^.. diencia devidos aos autores de seus das e a auto-
(14) I Queris, saber, christaos, quem causou em ridade qu a g0verna sao inseparaveis do amor,
Kranga os horrores de sua revolucao, quera espo- do respeito e da obediencia que se deve Deus ;
liou sohs templos, quem os reduziu montdes de. que a sciencia humana nao pode ser til se nao
ruinas, quem massacrou seus sacerdotes auem ar- unida sc'encia da salvacao ; que ao lado dos
.ni. j. _,,. n^ ...i___ ai monumentos erguidos as artes e sempre necessa-
rojou de seus pacficos asylos candidas e innocen- no ,evantr alt|res as virtudes evanglicas ; que
tee virgens, quera as fez soffrer toda a sorte de ig- a vida presente urna passagem, urna preparago
nominias e martyrios, quem levou ao cadafalso o para a vida eterna. Tableau des Trois Epoques,
virtuoso nete de S.Lo, quem voton, emfira, esses* "fySffi vida, pelo
assassio.os em massa, cuja consideragao nos faz Barros. Lisboa,1746.
tremer anda agora T I t Foram, diz o sabio car-; (19) Chateaubriand, Genie
deal de La Luzerne, toram mocos que em sua in- tom- 4- P*g- 163. Pars,' 1823.
fancia tiveram mestres negligentes ou corromp-1 ,20^ Foram m!' de u,na. v?z 5P*" de se-u
._________1.TLJ77. ... ." collegio do qual ficaram privados dez annos, nao
dos,queosnaoimbuiram dos principios rel.g.o- obstante orden em contrario I Justa recompensa
sos (15). Tao certo e que a felicidade das na- de haverera a.iu aberto a segunda escola de Ilu-
goes, como bem diz outra gloria do episcopado inanidades que teve o Brasil. Veja-se a vida do
francez, depende esencialmente da boa educacao padr,?.Jos. de Anchiela por Simio de Vasconcetlos
. *fll. ,, V e a Historia do Brasil pelo Sr. Wargoagem, tom. 1
de seus fllhos, que essa educacao para ser boa de- pag. 414. Madrid, 1454T
ve ser religiosa, e que para isso importa que a en- (21) Vida do padre Antonio Vieira, 1.1, g 177.
---------------------------------------*----------- E' bem conhecido o sermo deste insigne orador
(1IJ Alludimos revolta de Panellas, cuja ex- na capella d'Ainda da Bahia.
tinccao deve-se ao zelo apostlico do finado bispo (22) Epist. 1,5 2.
de Pernambuco. | (23) Epist. i, % I.
(l) Breve do SS. Padre Gregorio 16, de 20 de (24) tViva a Divina Misericordia I Esta manha
junho de 1835. 1 pelas nove boras do dia, viajando de Pu d'Alho
(13) Carta pastoral do i*de maio de 1835. cheguei neste engenho do Sr.... Apenas Ihe dei o
(14) Veja-se o bello trabalbo do Sr. Dr. Aprigio nome da paz do Senhor, rorrespondeu-me coma
padre Andr de
du Christianisme,
Tecer elogios a Thomaz Ribeiro tora de certo sn-
perfluidade. A sua reputaeao est j asseote era
base to soKda, rodeia-o ama tal aurola de popu-
laridade, que tudo, quanto nos pudessemos dizer,
perdia-se no concorlo unnime de elogios, que par-
te de todos os pontos de Portugal. A grande voz do
publico abafa a nossa humilde voz.
Nao podemos com ludo deixar de nos espantar da
prodigiosa fecundidade do nosso grande poeta. De-
pois do D. Jayme quantas novas producgdes nao
tem sido para Thomaz Ribeiro a occasio de novos
e cada vez mais esplendidos triumphos!
Depois da finta e Caridade a Judia ; depois da j
7/ia as Novas Conquistas ; depois das Novas Con-
quistas os primeros cantos da Thereza do Mal. E'
muito em dous annos, nao verdade ? quando se
nao podo escrever se nao as breves boras, que a
musa risonha rouba poltica, sua impertigada ri-
val.
Pois bem, isto ainda nao ludo, e as provas
principaes desta fecundidade incancavel nao as co-
nhece o publico.
Os leitores tem ouvida fallar nos albuns t E'
muito provavel que a leitora tambem possua um.
Nao se zangue com tudo que eu lhe diga, que se
Bocage resussitasse, e como natural, fosse saltea-
do por urna cohorte destes lerriveis inlmigos, que
disfarcam com as mais risonhas apparencias, as
mais ferozes intengoes pedia a grandes brados que
o mettessem de novo nos carceres da inquisgo,
mas que o livrassem destes senhores I
O albura o inimigo da inspirago I Quando
elle entra pela porta, a musa sahe pela janella, e o
poeta, a fallarmos a verdade, tem as suas tenta-
coes de o fazer tomar o mesmo camnho.
Diz Theophle Gautier na Croix Berna, que s
cenhece urna cousa peior do que um albura. Vem
a ser dous albuns.
Imaginen) o que ser urna alluvio desses meni-
nos de capa dourada.
Pois o Sr. Thomaz Ribeiro nao se deixa intimi-
dar por essa chuva de perseguidores. Acolite ca-
da novo album cora um sorriso affavel, para cada
um d'elles acha urna idea graciosa ; nenhum se vae
embora descontente, todos levara urna poesa pri-
morosa.
O sorriso do poeta trahir algumas vezes cons-
trangimento, a poesa nunca.
A produego com que hoje mimoseamos os nos-
sos leitores pertence a um album. A sua historia
interessante.
A Exm.* Sr." D. Maria Carlota Berqu da Cma-
ra Cantagallo, filha mais velha da Exm.-1 Sr.' mar-
queza de Cantagallo, offereceu o seu album a Tho-
maz Ribeiro pedindo-lhe que escrevesse urna poe-
sa, cujo assumpto Ibe ia marcar.
Urna de suas rmas fazia annos no da era que
outra rnorrera. A poesa devia ser a coramemora-
co deste duplo acontecimento.
Thomaz Ribeiro accedeu como de costume. Fe-
lizmente desta vez o assumpto era inspirador ; a
musa flcou, e ficou de boa vontade.
A poesa a seguinte :
CYPHKSTK E ROSAS.
Assim o pedes, senhora I
Um canto triste, to triste
Como a saudade que existe
Dentro des'alma que chora
Quando o rosto enxuto e ledo
Mostras ao mundo contente,
Para esconder-lhe o segredo
Da dor que elle ouve e nao sent.
Ob t tens raze no mais fundo
Do peito, resguarda as dores t
Nao sabe o que sao amores,
Nao sabe ter pena, o mundo !
D'um corago que padece,
As profundas tempestades
Nao sonda ,que nao conhece
Prantos, martyrios, saudades !
Que penas que me dissestes !....
Festa atiaga t Infausto dia,
Quando as rosas da alegra
Veio enlacar-se o cypreste !...
Ai t que tristeza as salas !...
Ai quantos prantos vertidos !...
O crep, ensombrando as galas I...
Em vez de cantos, gemidos.
Frustado o doce agazalho
De me !... vos emdr inmersas !...
Por sobre as llores dispersas,
Lagrimas, em vez d'orvalho !...
Em vez da orchestra, os plangentes
Cantos, nuncios de martyrios ;
E por lustres esplendentes,
Da morte os paludos cyrios !...
Comprehendo essa dr, senhora ;
Se como a formosa Amelia,
Candida, como a camelia
Que se abre aos risos d'aurora,
No seu dia anniversario
Se ergueu risonha do esp'ranga,
K foi topar co'o sudario,
Em que era involtaConstanga !
Conslanga I a doce a formosa !
Que na aurora da existencia
Sentiu roubarem-lhe a essencia
Da vida Tal como a rosa
Que ostenta os seus esplendores,
Luz, matiz, perfumes, gala.
E aps um'hora d'amores
Vem um tufo arranca-la!
Triste triste anniversario!...
Que infausto da foi este !!
Croas, ramos...de cypreste I
Sedas brancas...d'um sudario I
Bnlhantes...los de prantos !
Msica...os ais dos martyrios !
Poesa...a dos psalmos santos l
Luzes...o claro dos cyrios !
Que dia d'annos, senhora!
Que festa Inste I tao triste
Como a saudade que existe
Dentro dess'alma que chora !...
O' minba lyra plangente I
Cala os sons I por que persistes,
Se para dor tao vehemente
Nao achas notas bem tristes ?!
IV
Dias depois Carlos eslava encerrado em um car-
cere como assassino, amaldgoando a hora em que
tinha nascido, e recusando receber a bengo de
um pobre .velho coberlo de caes, que j estava
prestes descer a um tmulo.
Pobre Gregorio, hontem chorava a perd de urna
E' do Sr. S. a seguinte narrativa :
UM CANCERE E IM CLAUSTRO.
I
Carlos amava cora todo 0 fogo de sua alma
Carolina ; era ella a bussola'que o guiava no ca-
rainho da vida, a flor que com o sen puro aroma
embriagava a sua existencia fadada talvez por
Deus miseria e ao martyrio. Carlos despresaria esposa, hoje chora a sorte de um tilho que o crime
talvez o mundo, renegara amor de pac e mae se tinha arrastado para a ^scurido de um carcere.
isto lhe fosse exigido, pelo santo amor que tributa- L'ma tarde, era a hora do crepsculo, todos os
va Carolina, a flor de sua moeidade e o anjo en- s'Qos tocavm a Ave-Mara, Carolina vestida de
cantador de todos os seus sonhos dourados. prcto dirigia-se para o carcere de seu amante ; fa-
Gregorio, pae de Cirios, era pobre ; porm nao zer o que ? Consola-lo com as las palavras.
pactuava e nem transiga com a sua rnoraldade e
honra para adquirir dinheiro, alma do mundo, vir-
tude c belleza das mullieres no pensar de muitos ;
era probo e honestamente trabalhava para passar
a sua vida na paz e no socego ; era verdadeiro
pae de familia, porque plantava no corago de seu
Ribo principios de religiao, base da vida social, aaes d'um tmulo parabradares aos meus ouvidos :
assassinoassassino I
Oh meu Deus I Esquece-te disto, eu te amo
Abnegago estrauha!
O saugue de seu pae nao tinha apagado o fogo
do amor que anda arda com a mesma torga em
seu corago t
Nao me conheces, Carlos ?
Sm, conhego-te, sel que s ama visao, que
remorso acabe de roer esta alma enferma
A donzella sahiu.
Justinianoda Silva Guimaies,Estudos sobre o
Ensino Publico -publicado no Recito era 1860.
( 5) De La Lazme, Dissertaiion sur la necessi-
t de feducation religieuse. Oeuvres, tom. 3 Pa-
r, 1848.
maior satisfago, e fazendo chegar todos que em
punhavam as armas minha presenga as depuze
rara .. Carta de Fr. Caetano ao presidente de
Pernambuco, datada de 8 de maio de 1848.
(25) Madroile, obr. cit.r pag. 199.
Poraba. acolhe no leu seo
Meu pobre canto.
Dlsseste
Quando o teu livrb me deste :
t Vou dar-te o assumpto.
Acceitei-o.
Nao falles a"amor, tfesp'ranca,
Mas da dr que me contorne >
Possa o nome eConslanca
Fazer-te lembrar meu nome.
Thomaz Rtbrro.
Lisboa, 26 de maio de 1864.
Aps semelhantes versos, tenharaos ao menos o
bom gosto de nos condemnarmos ao silencio.
principal condico para a felicidade.
Viva, pois, Gregorio satisfeito na obscurdade,
contentando-se comaquillo que Deuslhe havia da-: ainda '
do porm, comodizem, a felicidado n> leve e nem Foge- nao te 1uero ver I nao oves urna voz
tem historia, a morte, cruoJ flagello da humanida- 1ue brada : assassil>0, assassino.
de, lei cujo cumprmento infallivel, veu enlutar I Carlos' meu anjo faz-me feliz f
o corago do pobre Gregorio, arrancando de seus 'mpossivel! a tua capella est manchada
bragos a sua companheira querida, a quem elle com san*ue de ,eu Pae-
amava com santa abnegnago. I ~" Desgragada do mim !
Foi grande e cruel a dor que soffreu, vendo se I Foge> fge' demonio do inferno I deia 1ue
privado daquella que partilhava de toaas as suas
angustias e afflicgoes que oco nsolava-com as suas
palavras chelas de religiao e amor. Lm deP,s> crolina estava em um claustro.
Era tocante ver-se o infeliz esposo abragado i Prm sea coraao eslava na lgubre escurido
com o idolatrado fiiho, nico fruclo de seu amor, um carcere-
chorar e exclamar como um louco. < -----
- Carlos, meu fllho, eu nao quero mais vi ver! ; Use na rVrdafe o seguinte :
Apoderava-se enlo de um torro para perpetrar | No lelnPO da antiga revolugo franceza a conven-
0 crime o mais sinistro e e mais abominavel; Car-! ao nacional decretou a immortalidade da alma,
los lhe arrancava das mos o ferro e pedla-lhe que
se lembrasse de Deus, que lhe havia de dar um Era um dos innmeros clubs que tormigavam
balsamo santo para todas as suas feridas ; porm .era Pars, propoz um grande gastrnomo que se
nada o consolava, entregue durante o dia lamen-! mudasse o porto do Havre para perto da capital,
tagdes, queixas, ao anoutecer quando a la co-|afim d'ali liaver oslras frescas-
megava a esparsir os seus raios sobre a trra en-1
caminhava-se em completo desalo! para o ce- i Em oulro club PrODOZ am dos seU: membros (era
milerio ; ah ainda era mais tocante o quadro; o' Prleiro) uue d'al' em dianle tossem os alugueis
sussurrar do vento por entre os tmulos, o cciar \das casas repartidos, em partes eguaes, pelos pro-
das folhas dos cyprestes, o paludo claro da la: Prie,arios dellas e Pelos seas respectivos por-
reflectindo-se sobre as figuras de marmore, as la-,te,ro>- m #
mentagoes, os ais e os solucos do pobre Grezorio ._____ .. ..
, J a ; Tratando-se de organisar certa esu istica, o com-
faziam chorar a mais dura tora. ..... .
_i.1 ptente ministro de estado exigiu dos sens imme-
Se de um lado via-se um homem inconsolavel, ;. ,.
pelo golpe que tinha receido, e se isto era tocante, \diatos **>* que informassera, entre rau.tas
do outro via-seuin amante chorar, blaspheraar,;outras cousas, quantas fabncas havura as proviu-
. i cas por elles presididas; que materias primas
porque urna imraensa barre.ra o separava do ob- j consumiam e 0Fue manafacluras produziam taes
jecto de seu amor, e isto ainda era mais terrivel e fabricas,
tocante.
11
Oh I Carolina amava Carlos com toda a abne-
gacao, com todo o delirio de urna alma de dezoiot
annos porm o seu amor e futuro eram offusca-
dos por urna nuvem negra que se chama orgulho,
serpele que com a sua pegonha sinistra e malfi-
ca envenena os coragoes os mais puros. O pae de
Carolina oppunha-se realisago dos seus sonhos,
nao anauia o seu casamento com Carlos ; e por-
que? porque elle era artista, porque elle era
pobre.
Miseravel, que quera vender o corago, os affa-
gos e as doces meguices da filha por um punha-
do de ouro que nada vale, quando nao ha honra,
virtude e caridade!
Miseravel, que nao ouvia os rogos da fibra que
lhe devia ser mais chara !
Miseravel, que pela sede do dinheiro nao lem-
bra-se de Deus, se nao na hora do perigo, e mes-
mo nesta hora est com os olhos fixos e pregados
em sua imagen), emquanto que o corago salta por
cima dos saceos de ouro, queesto amontoados no
seu armazem.
Mauricio era desta especie de homens, dos quaes
est Chola esta infeliz sociedade, malfadada nu
que ha de sossobrar-se pelo orgulho e vaidade dos
homens, pela corrupgo e falsidade dos grandes,
que collocados no apogeu de sua grandeza, mofam
da pobreza, escarnecen) dos amigos e surriem do
mundo nteiro como se mundo se o oceupasse em
sornr dalles.
III
Carolina era o typo da bondade e da candura ;
era orpha, nao linba me, nao tinha pae, porque
Mauricio representavao papel de brbaro c cruel CHada com ehapelleiro.
Estes officiaram no mesmo sentido aos seus res-
pectivos subalternos. Um delles responden, entre
varias cousas muito aproveitaveis para a estatistica
em questo, e seguinte :
t Quanto a manufacturas temos as que nos vem
de tora e que compramos com o nosso dinheiro :
nao da conta de ninguera. E pelo que respeita
a primas ha por c muito disso : eu mesmo tenho
algumas ; mas, Deus louvado, nenhuma dellas tem
materia.
Ora sejam l juizes cora taes mordpmos !

PARODIA.
ARGUMENTOraciocinio lgico do que contera
um livroou canto.
BOl'Eembrulho de rap em que se embarca
vella ou remo.
CAMPApedra sepulchral que se tange nos con-
ventos.
CAOanimal domestico dos fechos d'armas de
fogo.
CAPELLApequea egreja com que se enteita
as cabegas de anginhos.
CARPLNTEIROvento que faz casas e navios.
CARTUXOfradeem que se deita'confeilos e di-
versas cousas.
CARVOEIRAconsorte do.carvoeiro em que se
guarda carvo.
CASAque se faz jogando o gamo que segura
os bolees.
CARVALHOappellido que d landes e ba-
galhos.
CHAGAflor que se cura.
CHAPELLEIRAcaixa para guardar chapus
padrasto I
Ah se ella tvesse me talvez nao visse um
obstculo sua felicidade !
Cuitada privada dos carinhos daquelle que lhe
era to charo, nada mais fazia do que encaminhar-
se para o seu jardn), e ah sombra de alguma
arvore, chorar em silencio as suas dores e ma-
goas.
Minha me, dizia ella desfeila em lagrimas,
para que nao vens l do cu felicitar tua filha ?
Sentavase ao tronco de alguma arvore e ador-
meca docemente embalada pela viraco e pelos
doces cantos dos passarinhos.
Era urna destas occasioes em que a infeliz or-
pha estava embebida em tristes pensamentos, e
era que as lagrimas em borbolo eahiara-lhe dos
olhos, ao pronunciar o doce nome de scu amante,
Carlos de sbito appareceu, ouvindo de seus la-
bios lamentagoes e queixas que faziam abrandar o
mais endurecido corago.
E's tu, Carlos ?
Sim, advinhei que estavas aqu e vim verle,
para gozar a teu lado estes momentos que rae sao
to preciosos e entretanto sao to breves !
E meu pae, se le visse aqui a sos comgo ? !
disse Carolina tremendo como prevendo o que ia
acontecer.
Oh cala-te ; teu pae nao urna tora, um
christo, que tem urna alma e ura corago como
eu !
Ah meu Carlos, como eu soffro, por ver 1-
ludidas todas as minhas fagueiras esperangas !
Nao desesperes, meu anjo, ainda poderemos
ser felizes ; confia em Deus; irei ajoelhar-rae aos
ps de teu pae. e elle ouvir minhas supplicas !
Elle inabalavel t
Pois bem, se nao te attendeu, se nao me ou-
ve, vem, foge comlgo para bem longe d'aqui!
Oh nao, isto um sacrificio
Eu por ti sacrifico-me, retorquiu o maucebo
resoluto.
Carlos, a maldicao de meu pae pesar sobre
mira e Deus me abandonar, disse Carolina abra-
gando-se com o seu amante.
Amo-te mais que teu pae, retorquiu ainda
Carlos dando-lhe um sculo na fronte.
E o mundo que dir da filha que abandona a
casa de seu pae ? !
Que nos importa o mundo, esta horda de
bandidos aventureiros ?
Urna chicolada era vibrada na cara de Carlos,
qnando elle pronunciou esta ultima palavra; o
mancebo vendo-se ferido arranca de ara punbal e
crava no corago daquelle que Ihe tinha vibrado a
chicolada.
Carolina cae desfallecida em prantos.
Mauricio j nao exista !
COMPASSOinstrumento de matheraatica, artes
e offlcios sem o qual nao se toca nem dansa per-
fcitamente.
CON'STITUICOcomplego das creaturas a que
se d muitos vivorios e se deita muitos foguetes.
mas de que ninguem faz caso seno quando isso
lhe convm.
CONThistoria que vale dez vezes cem mil
res.
DAMAsenhora de qualidade que come pe-
dras.
ESPORAflor com que se avvenla o movmento
dos cavallos.
FRESCOsorte de pintura que se vae tomar em
tempo de calor.
GUINCHOgrito atordoador que se nutre do pei-
xe que pesca.
M1LHElROpequeo passaro que se compoede
dez ceios e da espiga de milho.
MO->TEelevago de trra que se joga com car-
las e tem sua porta.
MUGEMpene d'agua doce do verbo mugir.
NOSpronome pessoal que se encontrara as
taboas e madeira e que sendo cegos custa muito a
desatar.
PAPELqualidade de queijo muito saboroso
producto de trapos e farrapos.
PASTELsorte de pintura que se come.
PINHAqueijo que produzem os pnheros.
PORTARAporta de conventos ou palacios que
se lavra as secretaras de estado.
PERAfructa saborosa que se deixa crescer na
pona da barba.
ROCAroebedo em que se fia linho, algodo*
etc.
RODAedificio onde se recolhe e cra expostos
d'onde se lira os nmeros das loteras nos conven-
ios de freirs.
SABOIA provincia dos estados da Sardenha, que
se cosinha e come, como repolho.
SENTENCArnoraldade que tem deixado muita
gente a paz de pirlo, e mandado innocentes para
a torca.
TEMPORAL poder que disputara ao papa que
causa grandes prejuizos e transtornos no mar e na
trra.
TURCOSnaturaes da Turqua, qae a bordo dos
navios segurara ancoras, botes e escaleres.
TALHAoperagao por meio da qual se extrae
a pedra da bexiga onde se guardara lquidos e agua
para beber.
VOLTArio da Gui septentrional qae inven,
tou o famoso apparelho conhecido pelo nome de
pilha de volta, que os padres usam em vez de gr-
vala.
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. 4 FILHO
f






, MUTILADO i
r-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EER71CJY6_QVQ0V7 INGEST_TIME 2013-08-28T02:17:05Z PACKAGE AA00011611_10452
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES