Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10451


This item is only available as the following downloads:


Full Text


AMO XL. HOMERO 195.
Ptr tres Mezes adiaiiidos 5$O00
Por tres aiezes veicides 68U00
Prle ao rreio per tres mezes. 0750
I. >b >iu
' < ,
SEXTA FfRA 26 BE ACOST DE 1864.
Per aiM ad'untado.....49S00O
Parte ao correi por unt aona 3S000
NCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO NO NORTE
ParahYba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima';
Natal, Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
8r. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C.; A-
mazonas, o Sr. Jeronynio da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRTPCAO NO SCL.
Alag6as, o Sr. Claudino Faico Dias; Babia, o
nr. Jos Martins Al ves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins <& Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sexUs-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruanf,
Altinho e Garanhons as tercas feiras.
Pao d Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Beila, Tacaratu', Cabrobo
oa Vista, Ouricury e Exu" as quartas feiras.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
in.5 iPa e Piraen'eiras as quintas feiras.
una de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/i dia.
PHBMERIDFS DO MEZ E AGOSTO
2 La nova aos 13 m. e 12 s. da t.
10 Quarto cresc. as 3 h., 37 m. e 38 s. da L
17 La cheia as 11 h., 16 m. 44 s. da, m.
24 Quarto ming. as 3 h., 44 m. e 50 s. da m.
PRBAMAR DI HOJH.
parte ornciAL
C0V8RN0 DA PROVECA.
Citnlinnafo do expediente do dia 22 de agesto
de 1861
^ Officio ao inspector da thesouraria provincial.
Cousideraudo a impralicabilidade da inteira exe-
cueo dos arts. 8 e 9 da lei n. 384, relativamente
ao modonelles estabelecido para o pagamento das
despezas foilas aun as obras provinciaes, segundo
as raforraacoes que me ferm ministradas por V.
S. e pelo engenheiro em ehefe da repartico das
bras- publicas; considerando igualmente que
de urgente necessidade para obviar as Jifflculda-
des praticas ja reconhecidas, que se adoptem re-
gras mais adaptadas s circumstancias e conve-
niencias do servico publico, resucitando tanto
quamo fr possivel o espirito da citada lei, tenho
reso^ido :
1.* Que, mediante pedido semanal da repartico
das obras publicas, pode V. S. raandor entregar ao
agente tlel a quantia necessaria para o pagamente
das folbas de ferias dos agentes e operarios da
mesma repariieo, comtaato que nao exceda o va-
lor de 2:000 somma garantida thesouraria pro-
vincial pela banca de 5:000,5 prestada pelo referi-
do agente ;
2." Que, os pagamentos concernentes acquisi-
$o de maieriaes derem ser feitos de conformida-
de com o disposto ua citada lei; de surte que o
agente fiel nao effectue pagamento algum, siugular
excedente de 2OA, e nem o de diversos documen-
tos de fornecimentos, que reunidos importem em
Primeira as 10 horas e 6 minutos da manbaa.
Segunda as 10 horas 30 minutos da Urde.
PARTIDA '.O* Vit-ORE-S COSTKJRiK
Para o sol at Aiagas a 5 e 23; par* o torta at
* ?* 7 e S2 de cada me?:; para Fernando nos
ias 14 dos mezes dejan, marc., maje,jai, set. enov.
PARTIDA DOS OMNiRUS.
lo ti a Reciffl : *" Apipucos s 6 '/, 7, 7 /, 8 e
8 / m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6 '/i da m,} do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 /,, 4, 4 /,, 4 A,
o, A, o >/ e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manbaa e 4 /, da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cachanga e Varzea s 4 /. da tarde: para
Bemflca asida tarde.
I AUDIENCIA OS IR-fcUNAES Da CAPYaL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sacados s 10 horas.
Fazenda^: quimas s i horas.
Jnizo do commereio: segundas s II horas.
Dito de orphos: tercas sextas s id horas.
Primeira vara do civel : tergas sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sachados a 1 hora
da Urde
DIAS DA 8EMANA.
22. Segunda. S. Fabririano m.; S. Anthuza in.
23. Terca. S-. Felippe Benicio; S. Davina.
j2i. Quarto. S. Barlhoiomeo ap.; S. urea v. m.
2>. Quinta, s. Luiz rei de Franca.
,' o''."J* s- ^ferino p. m.; S. Constancia m.
27. hablado, s. Jos de Calmos fundador.
. Dommgo. S. Agoeoho b. e doul. da egr.
ASSIGNA-3E
uo Recife em a linaria da praca da Independencia
Krl Filo! propnetrios anoel Fiaueiroa J5
Claudino Vieira de Moraes. Communicou-se ao
: Dr. chefe de polica.
Dita.-O presidente da provincia, conformando-
; se com a proposia do Dr. chefe de polica u. 1027
de 19 do corrente, resolve nomear a Tiburcio Va-
leriano da Costa Duro para o lugar vago de l.
supplente do subdelegado do districio do Altinho,
1." da freguezia do mesmo, nome.Communicou-
se ao Dr. chefe de polica.
Dita.O presidente da provincia, altendendo ao
que requereu o juiz municipal e de orphos do
termo do Buique bacharel Antonio Fernandes Tri-
go de Loureiro, resolve conceder-lhe 2 mezes de
licenca com vencmentos na forma da lei para vir
a esta capital tratar de sua sade.
Dita.O presidente da provincia, conformndo-
se com a proposta do Dr. chefe de polica n 1028
de 19 do corrente, e a bem do servico publico
resolve demillir a Antonio Bezerra de Andrade, do
cargo de subdelegado do districto de Bebedor, 2.
da freguezia do Altinho, e para o substituir nomea
o qdadao Augusto de Barros Corra.-Communi-
cou-se ao Dr. chefe de polica.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu o bacharel Antonio Fernandes Trigo
de Loureiro, resolve prorogar por 3 mezes o prazo
3ue Ihe fo concedido para apresentar a sua carta
e juiz municipal e de orphos do termo do Bui-
que.
.Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
gue requeren o 2. cadete sargento ajudante do
2. batalhao de infamara Basilio Rodrigues de
Seixas, e lendo em vista o parecer da junu mili-
tar de sade, resolve conceder-lhe 3 mezes de li-
cenca na forma da le para tratar de sua sade
nesla provincia.
Dita.O presidente da provincia, resolve con-
mator somma que aquella quantia ; Meando neste ceder a exooeraco que soliciten Lourenco Bezer-
easo reservado thesouraria provincial a efectua- ra Albuquerque Maranhao, do lugar de director
dMtot naaampoin. rt< inA.^ a. .,a:. panema na freguezia de
cao destes pagamentos.
Tenho por este modo evitado os inconvenientes
que allega V. S. na parte do servico publico a que
al lude o seu officio de 10 de corrente, sob n. 347,
qual Oca assim respondido.Communicou-se ao
director das obras publicas.
Dito ao vice-consul interino de Hespanha.Das
iuformacoes recebidas e que por copia remetto in.
elusas, ver o Sr. D. Leandro Sanchos, vice-consul
interino de Hespanha nesta provincia, que carece
de fundamento a saspeita >|ue segundo o officio de
10 do corrente, fez o Sr. vice-consul Gamillo de An-
drade recahir sobre o delegado do primeiro dis-
tricto deste termo, de cuja descripcao e acatamen-
to dos seus deveres e s conveniencias sociaes nao
tem esta presidencia razo para davidar.
Tenho assim respondido ao predito officio, e
aproveito a occasiu para apresentar ao Sr. vice-
cnsul interino meus protestos de estima e consi-
derado.
-23-
Oflicio ao coramandante das armas interine.
Va.,ninio o roqattrimeml do Umavei l'honuu d
Albuquerque Cavalcanti, sobre que versa a sua
informarn n. 1511, desta data, autoriso V. S. a
mandar eximir do serv,o ao soldado do segundo
batalhao de infantaria Manoel Francelino Caval-
canti filho do supplicanie, urna vez que este mostra
dos Indios da aldeia de .
Aguas Bellas, comarca de Garanhuns.Fizeram-se
as necessarias communicaedes.
Expediente do secretario do goveriH do dia 23
de agosto de 1804.
Officio ao commandanle superior da guarda na-
cional de Recife.-O Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, manda declarar V. S. que nesta dato au-
lorisou-se o inspector da thesouraria de fazenda,
a mandar abrir os assentamenlos de praca dos
cornetas e corneta-mr que segundo o seu officio
n. 114 de 20 do corrente, contrataram-se para ser-
virem no 3. batalhao de infantaria da guarda na-
conal, sob seu enramando superior.
Despachos do dia 22 de agosto de 1861.
Requerimentos.
Benjamn) Canuto dos Santos Lima.Informe o
Sr. commandante superior da guarda nacional de
municipio do Recife.
Al/eres Ctamoatv Prtmailio Tarare*. Paase do
que constar.
O mesmo.Remedido ao Sr. inspector da the-
souraria de fazenda, para attender ao supplicante
como fr de Justina.
Joo Baptista \ ieira Ribeiro.Aguarde que ve-
ter recolhido thesouraria de fazenda a quantia nn o crdito que j foi pedido.
de que traa o 3. do art. 3." da le n. 1220 de 20 Alferes Jos Placido Lucas Bion.Dirija-se lue-
dejulho ultimo. -Otuciou-se thesouraria de fa- souraria de fazenda.
zenda. Jos Antonio dos Santos Coelo. Aguarde que
Dito ao Dr. chefe de polica.Remeta V. S. para venh o crdito que j foi pedido,
a capital da Parahyba na primeira opportunidade ; Liberato Tiburtino de Miranda Maciel.Informe
o sentenciado de justica daquella provincia Lou- Sr. inspector da thesouraria provincial,
renco Bento da Rocha, visto que por ter vindo Mara Isabel Lins.Informe o Sr. inspector da
d'alli sem gua, nao pode ser posto em liberdade thesouraria provincial.
nesu provincia segundo declarou-me o juiz mu- Maria Thereza de Jess.Os filhos da suppli-
cipal da primeira vara desta cidade no otficio por cai" s podem ser admittdos na companha de
copia incluso. Officiou-se aquello juiz para por o
sentenciado de que se trata disposico do Dr.
chefe de polica para essu fim, e communicou-se
ao Exm. presidente daquella provincia.
Dito- ao inspector da thesouraria de fazenda.
A' Jos Placido Lucas Bion, que foi promovido ao
posto de alferes do exereito por decreto de 29 de
jullio Ultimo, mande V. S. adiaotar a importancia
de 3 mezes de sold para Ihe ser descontado pela
aprendizes marinheiros*
PERNAMBGO.
REVISTA DIARIA.
Aeham-se concluidos os reparos e pintura do
XUGPmiT* venr-,,nlentos' I^ e*tar com- theatro de Santa Isabel, que hartan sido contrala-
prehendido na disposico do art. 28 da lei n. 614
de 28 de outubro de 1848. Communicou-se ao
commandante das armas.
Dito ao mesmo. Em deferimeuto'ao requer-
mente do capillo do exercito Augusto Leal Ferrei-
ra sobre que versa a sua informacao n. 447 de 20
do corrente, autoriso V. S. a mandar adiantar-lhe
a importancia de 3
Ante-hontem teve lugar o levanumento da
bandeira de Nossa Senhora da Penha, no seu hos-
picio.
Acaba de chegar ao nosso porto na barraca
Conceiqao de Cururipe, a tripolacao do brigue ha-
noveriano Metta, que naufragou nos baixos de Ja-
c, as Alagoas, como noticiamos. O navio vinha
do Kio-Grande do Sul para o nosso porto, com
12,856 arrobas de carne secea. I>o earregamento
apenas salvaram-se 2,304 arrobas de carne, e do
navio o veame, pannos e parte da mastreacao.
Consta-nos que, cartas vindas de Tacaratu,
dizem ter ali sido assassinado o alferes, que ficou
commandando o destacamento aps amorte doca-
pitao Barros, em consecuencia de prisoes que rea-
lisou, afim de ver se descobria o lugar de residen-
cia do Sr. Valpasso, entre as quaes alguraas se-
nhoras de importancia da localidade.
Envam-nos o seguinte
Chamamos a attenco do Sr. fiscal da fregue-
zia da Boa-vista para o deposito de inmundicias
em que se ha constituido o largo do Hospicio com
manifest detrimento dos moradores daquelle lu-
gar. E' pois conveniente que attendendo a to justo
reclamo faga com que seja removido lodo aquel le
lixo para evitar que aquellos moradores sejam de-
vorados por moscas, bixos, pulga, etc.
Tendo sahido hontem na lista do Diario al-
guns engaos nos nmeros des bilnete premiados,
emendamos hoje da maneira seguinte : em lugar
de 602 com 200*000, 605, 606, com 6000, e 607
CT 74i2nfmfa*Se 6l2' 200*000'6,S' 6,6>6^000'
Rkpahticao da polica.
Extracto das partes do dia 25 de agosto de 1864.
Foram recolhidos casa de detencao no da 24
do corrente :
A' ordera do subdelegado do Recife, Joo Estevo
de Souza, por ferimento leve.
A' ordem do de Sao Jos, Amaro de Souza Bar-
bosa, por crme de furto ; Ignacio Jos Gomes, por
briga e resistencia ; Manoel Flix do Sacramento,
por briga.
A' ordem do da Varzea, Joaquim Rodrigues dos
Passos, ou Joaquim Jos Theodoro, por furto de ca-
vallos, % Francisco Gomes Carnero, por suspeito.
O chefe da 2* seccao
/. G. de Mesquila.
Movimento da casa de detencao do da 24 de
agosto de 1864 :
Exstiam....... 354 presos.
Entraran]...... 7
Sahiram....... 10
A saber
u!m ? 1ue se ohrigou a fazer no Forte do Res e-Silva, Silva Guimares e Awiol, eos Srs.
itZ; em d,,SCUS!iSo o Sr- Ra"* Pedi a Depurados Reg. Lemos, Rosa e C. Alcoforado.
K Maii'A,'?nilp'3ndo a fa,lar ?obrH a mirteria, o I Lida, foi approvada a acia da sesso autece- -----
or. neiio peaindo tambem a palavra pela ordem, denle.
^nSES'J0 n;i UlPo a"'da dad0 seu Parecer Assignaram-se os Accordos proferidos ua ultima
tuinuiissao nomeada, e apenas o engenheirn, re-! sessao- entre panes :
o"nh!rnU,ej?f; ul5?_io_do mesmo en- J_ Appellante, o embargante 3" Joaquim Jos Fer- ''
appelado, Joaquim Elviro Alves da Silva.
Appellanles, os curadores fiscaes da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Sanios 6> C : appellados,
a vwva Nevos 6t Cantoso.
351 > >
Eslrangeiros... Estrangeira___ Escravos...... Kscravas...... 292 12 3 1 39 4 i i B
mezes de sold prra Ihe ser esses reparos, ja se pode entrar
mta parte desse vencunenio, corre-lo todo, tem que se lamei
descornado pela qn
visto e 28 da lei n. 548 de 28 de outubro de 1848.Com-
uiunicou-se ao commandante das armas.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Annuindu ao que solicilou o chefe interino da re-
partico das obras publicas no officio junto por
copia, datado de hoje, e sob n. 225, recommendo
V. S. que, em vista dos certilicados de que traa o
citado officio, mande pagar ao empreitelro da con-
servado do terceiro termo da estrada da Victoria,
a quantia de 2393290 rs. que tem elle direito,
proveniene das prestaedes relativas
351
Alimentados custados cofres provinciaes 147.
Movimento da enfermara no da 26 de agosto.
Tiveram baixa :
Agostinho Moreira da Silva, defluxo.
Vicente Ferrera de Lima, dem.
Flix Rodrigues, anemia.
Tiveram alta :
Manoel Ignacio do Reg.
Urculino Francisco de Castro.
Passageiros que seguiram no vapor nacional
Mamnnguiipe para o Penedo e portes intermedios :
Jos Carlos Goncalves, Luiz Candido Furlado
Coelho, Antonio Avelino Leite Braga, Dr. Balbno
Cesar de Mello e um filho, Joaquim Xavier da Gra-
ca, Thomaz Antonio de Oliveira, Rosa Maria da
Lonceco, Major Fernando Machado de Souza, sua
senhora e tres filhos, lente J. Antoni9 da Silva e
um filho, alferes Jos Ignacio Ribeiro Roma, sua
senhora e um lilhn, alferes Bernardino Candido de
Araujo, alfrez Francisco do Reg Barros, alferes
Joaquim Pedro do Reg Barros, alferes Joo Bap-
tista de Menezes, sua senhora e dous filhos, 6 ca-
detes 83 pracas, lOmuIheres e 6 filhos, Trajano
Jos de Campos, sua senhora e 3 Glhos.
Obituario do obhitebio publico no da 24 di
aoosto de 1864.
Vicencia, Pernambuco, 1 dia. S. Jos; ttano.
Cerina Mara da Conceico, Pernambuco, 30 annos,
soltera, S. Jos ; gastrile.
Manoel, Pernambuco, 3 horas, Recife, apoplexa.
birmina, Pernambuco, 9 mezes, Boa-vista convul-
coes.
genheiro a dita cominissao para dizer a sua opiniao r
a respeiio, e depos a cmara resolver.Assim se
deliberou.
Outro do contador, pedindo cmara que Ihe
mandasse fornecer os livros para a escriplurac.o
do ewrclcio de 1864 1865-Mandou-se ordem
ao procurador para fornecer.
Onlro do fiscal da rogueza de Santo Antonio,
rommunicando era obwrvaada da ordem que Ihe pelldo, Joo Paulo de Oliveira.
Jora dada na sesso ultima, rom referencia ao le-1 Foi confirmada a sentenea appellada.
Vr "pJrXISle.nI" no caes *> "amos, perlenrenle ao Appellante, o visconde d'e Soassuna ; appellados,
ur. relippe Lopes Nato declara que e-se telheiro Paln Nash 4 C.
presta-s a guarida de mendigos, ebrios, vados, Foi reformada a sentenra appellada.
escravos e todos em geral nelle se praticam os Appellanles, os curadores Oseaos da massa lalli-
mais ofensivos actos
PUBLICARES A PEDIDO.
PARA VEllEADOR.
Dr. Prxedes Gomes de Souza Pitanga.
Muilos rotantes.
FHEUSZIA DA BOA-VISTA.
Convida-se a todos os membros do partido libe-
rat-pngtiessuta, residentes nr. freguezia da Boa-
Appellante, Joo Flix de Mello-; appelado. Jos I LJffi JSL5S l,ojetas,6 l,oras da ,ardt;
Pedro Velloso da Silveira. ?, ?efund0 andar da casa n. 84 da ra da Aurora,
m de confeccionar-so as chapas para juizes de
WUUMGMTOS.
Appellante, Antonio Vicente dt- Magalhes ; ap-
paz da mesma freguesa.
loa-Vita, 24 de agosto de 1861.
Sis. Redactores;Confiado na proverbial impar-
cialidade de Vv. Ss. o na bondadeeon ooe me tem
sempre acolludo, dando publicidade em seu con-
ceituadissnrio jornal a escriplos, que somente le-
vado por somma necessidade. son constrangido a
moral publica, mesmo em da de Amorim, Fragoso, Santos & C : appellados I vaJo Por snni
lenn.. ,a' sem. rnenor respe't< as familias resi- i Ramos, Duprat A C, representados por Daniel dt I w,c_ommodar com elles as attencoes do respeitavel
nos sobrados que Ihes flcam em rrentc, e' Guimares. pnb'ico, e de Vv. Ss. pois que sou o primeiro a re-
mesmo aos viandante que oonslantenfAnte ali pas-
saoi: que no mesmo telheiro existe um mneambo
rodeado de pannos, e nelle mora um mendigo,
bem romo acha-se no referido telheiro urna grande
poroa* de madeira deponUda, a qual concorre pa-
ra o aposento dos vagabundos: que ser urna pro-
videncia muilo necessaria inutilisar-se semelhante
telheiro, que alera de ser prejudicial ao publico,
concorre para o pessimo coslume de se laucar lixo
e immundicias junio a elle, e oor mas cuidado
que tome o mesmo fiscal na lmpeza, nada tem po-
dido conseguirPosto em discusso, resolveu-se
levar ao eonherimento do Exm. presidente da pro-
vincia, mencionndose tudo quinto tem occorrido
a respeite da obra do dito telheiro.
Outro do mesmo, informando favoravelmente a
peticao de Jos Pedro Velloso da Silveira Jnior,
que pede para ser desonerado de pagar impostes
atrasados que ficou devendo o inquilino que oceu-
Para o andar terreo de sua casa n. 30 do largo do
araiso.Differiu-su.
_Outro do fiscal da Boa-Vista, informando a peti-
cao, na qual Souza i Sanios, pedem lcenca para
construir na casa ji. 25 da ra do Sebo um torno
de tadana, diz nao haver inconveniente na per-
missao requerida. Ceocedeu-se.
Outro do mesmo, informando a peticSo de Aga-
pito Antonio de Barros, na qual pede para ser
transferida a colineta da casa n. iTda ra da Im-
perairiz que se acha em seu nome, para o de Jos
Mana da Motia; diz que quando procedeu o lanca-
mente foi em nome do referido Agapito, pois as-
sim se !he declarara, e o imposto tem sido sempre
papiem nome delle.-Differiu-se a pelcSo, man-
dando-sc que Agapilo juntasse documento provan-
00 esur de accordo com MotU para essa mudan-
'."' { rim, Fragoso,
Om^o do fiscal de S. Jos, nedndo o pagamento Filhos
da quantia de 45501 que dispendera com o des-
""d da cerca le havia felo Jos Elias Ma-
chado Freir, no terreno pertencenle cmara. -
Mandou-sc pagar.
Outro do fiscal da Varzea, eommunicando o mu
estado em que se acha a estrada municipal que da
do Pao rl All., m ,. .-, .........t. j-_____Ti. ti____
Foi confirmada a sentenc appellada.
Appellanles, os curadores fiscaes da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C.: appelado,
Henrique Jos Alves Remira.
Fui confirmada a sentenea appellada.
Appellante, Vicente Alvos Machado ; appelado,
Jos Baprisla da Fonsera Jnior.
Foi reformada a sentenea appellada.
Appellante, Beato Jos da Costa : appelado, Joo
Frederico de Abreu Reg.
Foi confirmada a senlenca appellada.
Appellanles, Prenle Vinna & C.; appellados,'
os administradores da massa fallida de Joaquim :
Jos Silveira.
conhecer mmha inaplido para escrever para am-
bos ; vou mais este vez rogar-lhes, se dignem acei-
tar estas liabas, iracadas por mim em defeza de
mmha honra ultrajada em urna nota publicada em
seu Diano de 20 do corrente, com a qual um mi-
seravel, acoberlado com o anonymo, pretendeu
marear uiintia reputacao, que nao teria passado
por tal forca candna, seno me atrevesse a pro-
por-me ao concurso de 30 de novembro do anno
prximo passado, sem haver concurrido ao simo-
maco leilao, que previamente ao concurso, teve lu-
gar no lorreo daSoledade.
E' em consequencia dessa nota Srs. Redactores,
nota monstruosa, na qual sem candade, e sem do-
Declarando suspeioao os Srs. llego, Lemos, e C i cumenlos authenticos se langa um estigma na vida
Alcoforado, o Exm. Sr. Presidente adiou o julga-! I,ublica de dezeseis sacerdotes, que, sendo legal-
raento, e ordenou que se convocasse supplenles. mente admittidos ao concurso e approvados, nao
Appellante, Jos Moreira da Silva; appelado, roram apresenlados escolha imperial; sobre essa
Joaquim da Silva Lopes. no,''i 1uo 'enho de fazer algumas rellexoes.
Desprezada a preliminar de uullidade, foi con- lNao d"vo fazer o histrico da proposla a que
firmada a sentenea appellada. ella se refere, nao devo fallar mais nessa bachanal,
dksicnacao dk da. engendrada pelo padre mais miseravelmente si-
Appellante, Jos Goncalves Malveira ; appella-, Mmaco ; porque o publico, toda a provincia esta
dos, Vaz a Leal. mieiramente instruida de toda a sua hediondez :
Appellante, John A. Thom ; appellados, os admi-! apenas direi, que, quera nao adulou, ou saciou a
nistradores da massa fallida de Amorim, Fragoso,! ambicao de ouro desse monslro de simona, nao
Santos & C. j'?' proposto; cumprindo-ine notar, que par da
Appellanles, Gumaraes & Oliveira ; appellados, simona tambem caminhou a vnganca, sendo eu
o presidente e Directores da Caixa Filial do Banco : urna das victimas desta. por sir filho (o que muito
do Brasil nesla Cidade. Pr<*o) do Redactor da Ordem, que nunca deixou
Becorrenle, o coramendador Joo Paulo de passar desapercebidas do respeitavel publico as
Azevedo ; recorrida, a companhia de seguros Fe- ma'versacoes, que se davain no palacio da Sole-
iz Lembranca.
Primeiro dia til.
PASSAGENS.
App(>llantes, os curadores da fallencia de Amo-
cantos de C.:
por seu procurador.
Do Sr.Dosembargador Ruis e Silva ao Sr. Desem-
bargador Silva Guimares.
Appellanles, os curadores da fallencia da fiara
Amorim dt Filhos : appellados, Henrique Ucha
Ilijo&C.
AppellaHle, Luiz Antonio Gongalves Ferreira ;
do Pao d'Alho vai ter povoacao d'aquella fregu- appellados, Fraga & Cabra!.
zia.Que o engenheiro iiiforniasse.
Outro do administrador do cemiterio publico da
freguezia de S. Lourenco da Malta, remetiendo
um mappa dos enlerramenlos feitos no mesmo es-
tabelecimento desde II 20 do corrente.Ao pro-
curador.
Foi remettido commissao de edificacoes (Srs.
Mello e Gameiro,) o officio do engenheiro cornea-
dor sobre a pretenco da viuva e herdeiros do fi-
Appellante, Jos Rodrigues Ferreira ; appelado,
Antonio Jos de Castro.
Appellante, Joaquim Marlinho da Cruz Correa ;
appellados, D. Felicia Relaves e a fazenda provin-
cial.
Appellante, Lourenco Puggi; appellados, Schaf-
feillin C.
Appellanles, Cliristiani & Irmo ; appellados, os
curadores fiscaes da massa fallida de Joaquim da
Appellantes, I). Josepha Justina de Jess Gon-
calves e oulros (embargantes.'!''); appellados, Isaac
Curio iV C.
Do Sr. Desembargador Silva Guimares ao Sr.
Desembargador Accioli
Appellante, Manoel Jos de Siqueira Piianga
dos com o actual emprezario dramtico o Sr. A. J.
Duarte Coimhra, e forcoso confessar que elles
melhoraram muito o material do edificio que, alm
de pouco aceto, ameacava ruina no forro do tec-
lo do salo nobre ; mellioramenlos estes que foram
executado*, s-m lucro para o arrematante, mas
com verdadeiro gesto e dedicaco. Hoje, gracas
no theatro e per-
lamente o pouco apreco
que se dava a tiio importante edificio.
Alm da pintura externa e da lavagem do mar-
more da fachada do edificio, substituirara-se diver-
sas travs do salan, que estavam carcomidas, fez- SESSAO EXTRAORDINARIA EM 27 DE JULHO
se um novo estuque e guarneceu-se o salao decen-1 DE 1864.
temente, e finalmente prcedeu-se pintura inler-' pbesidencia do sn. beso f. albi qukiique
na de todo o edificio, desde a sala de espectculos Presentes os Srs. Barata de Almeida Gustavo do
ate aos camarms desde o andar terreo at a quar-' "ego. Henriques da Silva, Seve, Mello e Gameiro
ta ordem : presidindu a tudo o raelhor gosto pos-' Abre-se a sessao, e lida e approvada a acta da
CMARA MUNICIPAL.
. aos mezes de
S2? ilj!! d4tS on. Ppur 'er. de descontar-se, ,
alm da mulla de lo que Ihe foi imposta pelo re- de Paula, que muito o honra.
i como se v de tal officio, os 10 por
as pinturas sobresahe a bella e sumptuosa bar-
ra da sala de espera do theatro, devida ao hbil
pincel do nosso comprovinciano o Sr. Joo Nicolao
- approvi
antecedente.
L-se o seguinte
EXPEDIENTE:
Una officio do Exm. presidente da provincia,
eommunicando ter designado a igreja de S. Jos de
!!T,wy o? ta' olcio, os 10 por, Ao pesado e exquisito estuque do salo nobre 1-a-mar para a reunio da mesa oarnrhiai da fre-
/eXfroft ',0-~COmrnUn'COU-Se a Pred,, en" SfiW "m oulro de modelo e de gosto de-; uez.a de i Jos no dia 7 de sL'mbro vindouro.
genheiro chefe.
u vindouro.
Iido em tres partes, havendo no centro ,IS'9 achar-se em concertos a de Nossa Senhora do
dewVrllrnT'T P^ed0r da SanlaCasa becada urna dellas um emblema, donde" "descera Terco que serve de matr.7 dVmesmTfrTcezia -
alienada que se acha na cadeia da mesma cidade.
Communicon-se ao Ur. chele de polica.
Dito ao mesmo.Em vista da certido junta ao
nado Dr. Pedro Ignacio da Cunha, para a suppres- CostaMaia e oulros.
sao da travessa que tem de ser aburta junto ao so-
brado dos peticionarios, n. 6, ra d->s Martirios,
addiada na sessao do I do corrente.
Despacharam-se as peligoes de Antonio Ignaj'io
Pereira llosa, Antonio Francisco de Santa Anua,
Agapito Antonio de Barros, Anna Joaquina do Ro-
sario, Alexandre Marques da Silva, Antonio Joa- appellados. o Presidente e Directores da Caixa Fi-
quim de Sama Anna, Francisco Simes da Silva lial do Banco do Brasil desta Cidade.
afra, monsenhor Francisco Muniz lavares, ir- Appellanles, os administradores da massa falli-
mandade de Nossa Senhora Mi dos Homens, (2) da de Pacheco i Mendes: appelado, Francisec Jo-
irmandade do Sanlissimo Sacramento da freguezia s da Costa Barros.
de S. Lourenco da Malta, Jos Joaquim dos Santos, Do Sr. Desembargador Accioli ao Sr. Desembar-
gador Res e Silva.
DISTRIBl IQOES.
Appellantes, o Presidente e Directores da Caixa
tetin unnelly, Manoel Marques de Oliveira 4 C, Filial do Banco do Brasil, nesta cidade ; appelado,
Manoel Tavares Lima Jnior, Manoel Antonio da Joaquim Juvencio da Silva,
silva Hios, Vicente Herculano de Lemos Duarte, e i Ao Sr. Desembargador Reis e Silva
bb"** a sessa- Appellante, Francisco Gomes de Oliveira ; ap-
fcu Francisco Canuto da Boa-Viagem, secretario pellados, os administradores da massa fallida de
^nlKl-l'uiri 1>_____^ ii___ .. ... ... n___ -
ae a. Lourenco da Malla, Jos Joaquim dos Santos, D
Joaquim Caeano de Carvallo, Jos Peres da Cruz, gad<
Jos Pedro Velloso da Silveira Jnior, Joo Mar-
li"!S Joaquim Manoel Ferreira de Souza,' A
a subscrevi.Barros llego, presidente.Reg e
Albuquerque.Henriques da Silva.Reg Maia.-
Leal Seve.-Barata d'Aliueida.-Mello.Gameiro.
Reg.
IHRUM JUIHC1AKI4
Seve, Filhos & C.
AoSr. Desembargador Silva Guimares.
Appellante, J. F. Coz ; appelado,- Joo de S
Cavalcanti de Albuquerque.
Ao Sr. Desembargador Accioli.
Nada mais |se pode tratar, e encerrou-se a ses-
so s 2 horas da tarde.
TRIBUNAL UO C OII TI MU O.
EXTRACTO DA ACTA DA SESSO ADMLNTSTRA-
TIVA DE 25 DE AGUSTO DE 1864.
PUESIDEtCIA DO KXM. SR. DESEMBARCADOB
, ANSELMO FRANCISCO PKIIETTI.
As 10 horas da manha, reunidos os Srs. Depu-
i> SSE1 *&" fRtg0' oEf-m- Pdica sobre seus candidatos, julgando ass.rafa-
ar. uesembargador Presidente abri a sessao. I.....~.....>------------
CQMMNICABS.
Como se approxima o dia 7 de setembro, convi-
damos aos nossos concidados a votaren) na chapa
ecclellca de vereadores. lemos iguaes direitos
aquelles que nos precederam chamando a attenco
nicho, guarnecido por urna grade de ferro com
vinte e urna estrellas, svmbolisando as provincias
requerimento de Maria Bemvinda Cavalcnte que SeSgSif" de "" C'ardade S Ca'narim da
incluso devolvo, mande V. S. admittir no collegio Achando-se mal collocada a llluminaco da sala
das orphaas nos termos de sua informacao de 6 de especlaculos, procedeuse transferencia della
ue julho ultimo, a filha do supplicanie, de nome
^h ranaixo aa amiga llluminaco
Mo ao director do arsenal de guerraMande reunidas s 90 desta, prefazem 120, e sao sufficien-
ternecer ao 7. batalhao de infantera como tes para darem a luz necessaria. Nenhum obstacu-
a cmara informar, sobre o que expoz o mesmo
capitai do pono, relativamente a queixa que deu
Kuf"as k'0"^0 Frtirt'- con,ra Mane' Jos
ft ''or ,naver depositado em seu terreno ra
S f'T R,,a lastro de Pedra.-Que se infor-
nasse a &. t,xc. com o que tem havido acerca do
para um elegante lustre em meio do theatro, pouco 'erreno em queslo.
^abaixo da amiga illuminago com 30 luzes que. Oulro do engenheiro cordeador informando o
requerimento no qual D. Joanua do Rosario Gui-
mares Machado, proprietaria do sobrado de um
andar n. J6, sito a ra das Trincheiras pede para
que Ihe seja permiltido fazer urna sota no mesmo
-----sobrado; diz nao ter elle as dimensoes marcadas
vwiah, ..l a ^ i Inas Ps'ura.s em vigor, mas que nestas mesmas
U.iecte da sala de espectculos tambem teve um circumstancias ja se tem permiitido a outros o que
desse arsenal igual numero de espingardas do
mesmo batalhao. que se achara arroinadas.Com-
Innn^0^i^,r?rmmadantedafarmas- pequeo reparo, que produz bom elfeito, e foi a
v ^ imbras lar9S-.7,A ,isi d0 pintura das fachas que cercara os camarotes e a
que V. S. ponderon em seu officio n. 124 de 20 do claraboia
corrente, "autoriso a contratar a execncao do A' tudo isso se reuni a execaco de tres novas
inlhoi de pedra de que necessita o quartel do 9.' vistas, pintadas pelo destnelo scenographo o Sr.
batalhao de infamara^ nao excedeodo a respectiva Veneri, entre as quaes urna sala rica, de bello ef-
despeza a quantia de 260*400 rs., em que foi por feto.
V. S. oreada.Fizeram-se as necessaras commu- Terminando seu contrato, anda que com pre-
nieacoes. 'jnizo, o Sr. Coirabra provou que nao foi q amor de
Olio ao promotor publico de GaranhunsRe- enthesourar que oattrahio para urna tal obra, mas
metto Inclusa a peticao de queixa que me dirigi sim a afleicao que Ihe merece o theatro de Sania
Uumtilliano Ferreira Callado, afim de que Vine. Isabel, e mais anda poder ollerecer aquelles que
proceda como fr de lei acerca do facto de que elle ah vao assistir aos especjaculos, urna casa digna
"au. | de estar-se.
Po'taria.-O presidente da provincia, conforman-! Felicilamo-lo pela concluso de seus trabalhos.
do-se com a proposta do Dr. chefe de polica n.' Foram nomeados :
1029 de 19 do corrente, resolve considerar vago o I Subdelegado de Una, Manoel Texera de Mello:
lugar de subdelegado do districto do Abreu, 2.* da supplente do mesmo, Joo Antonio Alves da
fregnetia^deBarreiros, por ter o capitao Jos Fran- Silva :
2 dito do subdelegado de Tamandar, Jos Pe-
reira Lima;
cisco de Mello deixado de prestar joramento; e
para o substituir nomea o l. snpplente major
Jranciseo Antonio Pereira dos Santos, e para o
lugar que este oceupava nomea o cidado Antonio Caplstrano do Reg I,obo.
Director da aldea de Indios de Panema, Pompeo
a peticionaria requer. Concedeu-se.
Outro do mesmo, eommunicando ter-se dirigido
a povoacao dos Abogados para ver se era possivel
mudar a collocarao da bomba que na travessa do
Quiabo da esgolo as aguas das chuvas para a ma-
re, conforme observara cmara o respectivo pro-
curador, encarregado de tratar com o tenenteco-
ronel Francisco Larneiro Machado Rios. a desapro-
pnacao do terreno que na dra travessa tem de ser
aterrado, para dar livre transito aos passageiros;
observou que o lugar onde se acha a dita bomba
o mais conveniente para o fim que ella se presta,
e que consegninlemenle nao admissivel a sua
deslocaco :Communica mais o engenheiro que
cntendendo-se com o filho do respectivo proprieu-
rio, e seo procurador bastante, conseguio que elle
cedesse o terreno preciso pela quantia de 2003000
em vez de 4003000 que havia pedido.Mandou-se
coinmunicar ao procurador para tratar de effectuar
a desapropriaco, o poder assim ser continuada a
obra.
Outro do mesmo informando sobre a difflculda-
de encontrada pelo barSe. do I.ivramenlo. na aber-
Leal.
Despachante, Jos Anaslacio d'Albuquerque.
Os 'cabalistas.
Hi ,,,." ~ zer um servico ao nosso municipio.
Lida e approvada a acia da precdeme, deu-se co- Os senhores :
meco ao Dr ^UgUst0 Garnejro Monteiro da Silva Santos.
Foram .! k 5xreDIEKTE- Capitalista, Francisco da Suva llego,
roram despachados os segrales reqiier.men-|Pr0priet;fri0) hho Jos Henriques.
nini, ., r-, r- Negoeiaiile,Gregorio Aotnoesd'Oltveira.
Jrrial iL v m u'eira.' ngeren.te %" Cr: i ^pregado publico, Francisco Goncalves Servia*.
ESh? "ca Mnanoel ,Gouca|veda Silva, a Artista, Joo Ferreira Villela.
SStor. P, ,Sn Dezembargador Fiscal) enire- Proprietario, Jos Thomaz de Campos Quaresma.
2?2u^ a de Rastro do Bngue Algrete, por Empregado publico, Manoel Symplicio Correia
ter sido vendido.Archive-se fasendo-se as anuo-
lacoes necessarias.
De Antonio Botelho Pinto de Mosquita Jnior,
por seu preposto, apresentando para ser registrado
o conhecimenlo de haver pago o imposto annuo de
seu officio de Corretor Geral.Registre-se.
De Alexandre Jos da Silva, para que se admita
registro a procuraeao que aprsente, em que
constituido procurador de Albino da Silva Leal,
durante a sua viagem Europa.Registre-se.
De Joo Frederico Jorge Kladl, pedindo por cer-
tido o despacho, que este Tribunal proferir em
15 de Junho de 1853, na pelico de Gabriel Anto-
nio.Dse.
De Carvalho & Nogueira, para que osse regis-
trada a procuraeao que juntara, pela qual Resende
& Companhia os constituirn) seas procuradores.
Registre-se.
O tribunal resolveu que se soliettasse da The-
souraria Geral urna relacao dos Trapiches alfande-
gados exigentes nesla Cidade.
Nao havendo mais que iraur-se, o Exm. Sr. Des-
embargador Presidente encerron a sessao.
SESSAO JUDICIARIA EM 25 DE AGOSTO
DE 1864.
fRESIDKNCIA DO KXM. SH. DKSSMBARGADOR
A. F. PERETTl.
Secretario, Julio CLuimaraes. '
As 11 !4 horas da manhaa, oSr. presidente abri
a sessao, estando reunidos, os Srs. Desembargadores
CORRESPONDENCIAS.
Senhores redactores.Sendo votante e tendo d
dar o meu voto para juizes de paz da freguezia do
Recife e para vereadores, lembro a quera estiver
no meu caso de votante os Domes seguintes :
Para juizes de paz da freguezia do Recife.
Os senhores :
Proprietario Jos Lourenco da Silva,
dem Manoel Pereira Caldas.
Negociante idem Joo da Cunha Magalhes.
Capitao Ignacio Antonio Borges.
Par vereadores.
Os senhores :
Advogado e depuUdo Dr. Antonio Jos da Costa
Ribeiro.
Proprietario Bento Jos da Costa, Pai.
Advogado Dr. Manoel Jos Pereira de Mello.
Doulor em medecina Joo Maria Seve.
Padre-mestre Agostinho Cavalcanti. de Lacerda.
Proprietario e negociante Gongato A|ves Tavares.
Proprielario Manoel Ferreira, Antnnes Yillaca.
Negociante Angelo Custodio, dos Santos.
Artista e proprietaricwZaqarias de Santa Isabel.
{;%. agtnte lint da poftrfa.
dade.
Nessa monstruosa nota que, apezar de ter
sido reconhecida pelo Sr. Ukeliao Porte Carreiro
como propri do punho do Exm. e Rvm. Diocesano
appellados, Costa & i jal'ecido. embora este uo a livesse firmado ; eu,
(anda por amor das cinzas desse venerando pre-
lado, a quem sempre respeitei) quero duvidar, por
que nao praxe, que tablies reconhegam letras,
mas assignaturas^digo em lo monstruosa nota
dezeseis sacerdotes, inclusive eu, foram excluidos
da proposla, t era consequencia das ioformacoes
ofendas em dezembro de 186:1, (o concurso foi em
30 de novembro do mesmo auno,) pelas quaes j
mais podero ser admitlidos a exercer o minis-
terio parochial ; tendo sido essas informacoes so-
licitadas com o maior segredo, e imparcialidade.
Em segredo, confirmo eu, foram dadas taes in-
formacoes, ponjue do informante ao informado
apenas mediaiam os sal oes daSoledade. Por.'-m,
em quanto a imparcialidade, neg que liouvesse,
porque houve muito escndalo, inuila injuria, para
serem arredados uns, e admiltidos outros na tal
proposla, i|ue a dez mezes est'alfecta ao governo
imperial.
Sim, houve muita parcialidade, exercida pelo
Informante, que um padre ambicioso, e que do-
minav o animo, a vonlade, e at....a consciencia
do informado, que era um prelado decrepito, e
doenle, e que no ultimo quartel do existencia dei-
xou-se avassalar pelo informante, oue sendo ar-
rancado por aquelle a misera posico de vendedor
de peixe, e elevado ao sacerdocio, utregou-lhe de-
pois o bispado sua diserpeao.
Foi a lo alio grao exercida a parcialidade que,
o padre Calisto Correia "Nobrega, que tinha de
propor-se a freguezia de Maeei, para permuta-la
com a de (lampinas, da qual parodio o R*d. Ga-
millo de Mendonea Portado ; estando aquelle pro-
cessado, e nao querendo o Rvd. vigario geral Sr.
Antonio da Cunha Figueiredo despronuncialo, ou
absolve-lo contra as mais inconcassas pruvas ; foi
o Rvd. Gamillo nomeado juiz ad hoc para julgar o
seu amigo coadjuctor, e futuro trocador de benefi-
cio ; e de feilo, foi o reo absolvido, e admiltido ao
concurso, e ^presentado em primeiro lugar para a
freguezia de Maeei !
Houve muita parcialidade, muito escndalo, tor-
no a dizer, porque o padre Renovato Pereira Feij,
que eslava pelo juizo secular condemnado pri-
so, foi admillido ao concurso, e proposto 1 1
Houve muita parcialidade e muia miseria, ler-
ceira vez digo, porque o padre Joo Soarcs de Al-
buquerque lendo respondido ao jury por crime de
morie, entrou no concurso, e foi proposto I I
Houve muita parcialidade, muita infamia, pela
quarta e ultima vez repite, porque o padre
Joo da Costa Nunes cont a quera exista perante
o governo imperial, e o fallecido bispo urna queixa,
dada por outro sacerdote, por ter o primeiro se-
duzido e raptado urna irma; foi admiltido ao con-
curso, e proposto para a freguezia do Penedo. E*
preciso observar, que, neste caso ajunteu-se a vio-
ganca parcialidade, por ser o informante inimi-
go hgadal do padre que foi to infamemente des-
honrado pelo vigario proposto para o Penedo! I
Srs. Redactores, quinte, sexta, e mais vezes eu
teria factos para apresentar, que provassem a par-
cialidade, o escndalo, a simona que se deram na
proposta de 30 de dezembro. Porm, para que
repetir o que to sabido?
PermitUm pois, que, deixando a parte essa de-
cantada proposta, esse hediondo parlo de simona,
diga mais algumas palavras sobre a uta.
Declarando ella, que, os padres que menciona
t jamis podero exercer o ministerio parochial,
cabe na mais miseravel contradico, porque a
materia dos excluidos eram panchos encommen-
dados, e foram conservados pelo informado no re-
gimen das freguezias ; tornando mais palmar dita
contradico por serem os Rvms. Srs. Manoel Cor-
deiro da Cruz e Jos Alexandre Gomes de Mello,
que foram excluidos, parochos collados, e estarem
gozando de seus beneficios II
Diz Umbem, a mta que as informacoes tacana
solicitadas em dezembro de 1863, te'ndo sido o
concurso em 30 de novembro do mesmo anno.
Admira, espante, assombra, que laes informacoes
podessera ser solicitadas, e dadas contra alguns
dos sacerdotes que morara centenas de leguas dis-
tantes desta capital t
Talvez o informante tivesse em seu torrean um
telegrapbo elctrico sua disposico.
Sendo eu filho desta provincia, tendo nesta dio-
cese receido as ordens menores e sacras, da mo
do fallecido bispo, (era religioso franciscano, quan -
do ordenei-me,) tendo de exercicio sacerdotal qua-
torzr annos, e em to longo periodo nao tendo sido
nunca suspenso (tanto nao pode dizer o informan-
te) reprehendido, ou soffrido qualquer pena eccle:
slastica, por dlminuu que Ibsse ; como que de-
/ '
/


^nl *>p-
DUH* de PfkM sexta felra 8 e Agosto de t C4.
paro com mea ame toncado em urna unta qne dc-
clara-me iut-.ipaz, lo ser em qualquer tempo pa-
rodio 1
E' esta a mais obvia, e verdadeira resposta Ja
questo : fui, porque pretend ser vigario, sendo
Mlho do KuJactor da Ordem ; e porque assignei
com restriccao ireze freguezias das melhores, s
quaes linlia direito por meus servcos ; embora
alguem tivesse decrelado para as mesmas os seus
afithados ; aquelles que para conseguirem um be-
Defini, nao davidrara curvar a cerviz ao enle
mais aujcelo, simoniaco, vlngativo, e mais misera-
vel, que ja irais eonstou dos annaes da Igreja ;
mesmo naquelles tenebrosos seculos em que appa-
reeeram Simoes magos, iSc.
Eis, Sis. Redactores, o que tinhaa dizer em de-
fteza de minha honra sacerdotal, ultrajada na ins-
lita ola, que moveu-me a cncommoriar a Vv Ss.
Em eoncluso direi, que se nao fossem certas
conshleracoes, das quaus nao pude prescindir ;
deixaria tal ola e sen puhlicador sem resposta,
entregari-as ao mais profundo despreso, porque
cima de ambos estou cu, que nao tuuho em minha
vida actos semelhantos aos do informante, que me
deslostrem.
Desali ao imprudente puhlicador deto asque-
rosa peca, que assigne-a, que assuina a responsa-
bilidade das infrmacoes ; que entao vizarei o ne-
gocio por outr face, entao, talvez seja obrigadn a
ser ochronisla do padre mais devasso c despresi-
vel desia diocese.
Queiram, Srs. Hedaclores, publicar esta dceza
do seu amigo e constante leilor.
Recife, 24 de agosto do 1861.
Padre Loumico de A. I/tijolla.
Relaco das esmolas obtidas por
H. i:\oa. Revnia. para as obras
da nova matriz de S. lose do
Recife, desde dezeuibro de
BHSS at malo de 1851, ja pu-
blicada pelo Miarlo de Pcr-
nanibaco.
srBscmrco pelo senicoh thomaz heywod, a PE-
DIDO DE S. EXCX. UEVM.V.
Voucfnso.)
Os senhores :
Niculu llai ten................... 1003000
George Fu/ness................... 1005000
James Crahlree & C-................ 503000
Roslron Rooker & C............... 503000
Jobnslon Palor & a,............... 5030.0
Aranaga A Mrvan................. 503000
Thomaz H^vawod.................. 505000
.V. O. Hiebe'r fe C.................. 503000
Michl M. Rooker.................. 305000
Saunders Brothers c\ C............. 505000
P. Furhy.......................... 505000
Jes Edwin Roberto................ 405000
C J. Astlev 4 <;................... 405000
James Ryder & 0................. 405000
Paln Nash 4 C.................... 305000
Southal M.'llor4 C................. 305000
H. H. Sevift..................... 235000
Setenan wiuieiev & C............ 255000
John Roslron..................... 235000
H. Angostas Cooper................ 205000
David William minan........... 205000
S. P. Johnslon 4 C.................. 205000
Henrv Gibson..................... 205000
Anonymo......................... 205000
Adamson llowie 4 C............... 205000
Joao de I'inho Itoryes.....;......... 205000
James Hallidav 4 C,............... 205000
J. Fucker......................... 205000
E. II. Wyall........................205000
Eduard P. Wilson Jnior.......... 2050O
Dr. May............................. 205000
Timn Mousen & Vinassa........... 205000
W. Grainger........................ 105000
J. O. C. Doyle..................... 105000
Frederick Hobiliard............... 105000
l'm anonymo-..................... 105000
13:3295900
Estillas recadadas pelo Sr. Manoel Bezerra
Cavalcanti de Alhuquerque, por aulorisacao de S.
Exea. Revma.
Os senhores:
Dominios Francisco de Souza Loan.. 1005000
Antonio do Souza Leo.............. G05000
Barn de tpojuea................. 305000
Jos Maximino Pereira Vianna....... 505000
Antonio Pereira da Cmara Lima ... 505000
Padre Polis Jos Moreiig da Cosa.. 5000U
Manoel Lucas de Araujo Pinheiro &
C................................ 505000
u. Caetana Pereira de Moraes...... 505000
D. Catliarina Pereira de Moraes..... 305000
Urna asmla....................... 20500.1
Manoel da Vera-Cruz Lins e Mello... 205000
Theotonio da Silva Vieira........... 20-5000
Felippe de S. Thiago Lins.......... 20500o
Jos Flix l'imenlel................. 205000
Francisco Elias do Reg Dantas...... 20-5000
JoaqnifH de Souza Leao............. 205000
Pedro Vctor Uouletrau............. 205000
Migud Mondes da Silva........... 205000
Manoel Ignacio de Albuquerque Ma-
ranho......... .,................ 205000
Joo de Azevedo de Antojo Pinheiro. 205000
Manoel dos Prazeres Llanos Corroa. 255000
Jos de Barros Crrela_____...... 235000
Ildefonso Manoel Guedes dos Sanios. 165000
Jos Cavalcanti de Alhuquerque Wan-
derley.......................... 1(55000
Manoel Francisco Souza Leao....... 165000
Liumieo de S e Albuquerque..... i05000
Fernando Francisco de Aguiar Mon-
larroios......................... 155000
, Jos Mendes Carneiro da Cunha___ 125000
Virginio Carneiro Lelo.............. I1500
Padre Joao liento Alvares Ferro___ 105000
Francisco Xavier Mendes........... 105000
Antonio de Siqueira Cavalcanti...... 105000
Manoel Xetto Carneiro Leao......... 105000
Manoel de Souza Leao Jnior....... 105000
Joo Xavier Carneiro de Alhuquer-
que .......................... 105OO0
Manoel de Souza Leao............. 105000
Antonio Francisco Paes de Mello Bar-
r*lto........................... 105000
Lourenco de S Albuquerque Jnior 105000
Miguel Felippe Souza Leao.......... 105000
Amonio de Paula Son Leao........ 105000
Jos Antonio da Rocha............. 105000
Antonio Bandeira Carneiro Lefio___ 105000
Jos Carlos Teixeira................. 105000
Joo Carneiro de Araujo............ 105000
Joaquun Correa de Araujo.......... 105000:
Jo- Ferreira Gomes da Silva....... 103000
Cbrstovao Dionizio de Barros...... 105000
Jos Joaquim da Costa.............. 105000 I
Manoel Ignacio de lesos.......... 95000
Joo Paos Barreno de Laeerda...... 105IKK)
Francisco Cavalcanli de Souza Leo.. 05000
Joto Evangelista da Silva Tavora____ 35000
Joo Francisco de Arruda Falcao .. 550'rt) I
Antonio Soares de Freitas.......... 35000 i
Pedro Alexandnno da Costa......... 3500o
Antonio de Siqueira Cavalcanti Jnior 55000
Silvestre Danies Lima.............. SfoO
Manoel Joaquim da Costa Figueira... 55000
Jos Thom....................... 1,501)0
Francisco Paes Barreto............ 45000
Antonio da Costa Nogneira......... 25000
Antonio-Lnw Goncalves Ferreira____ 2-5000
Vigario Antonio Higino de Hotlanda
Chaves............................
Julio Cesar Pinto de Oliveira.........
Um anonymo........................
I). Joaquina Pereira Vianaa...........
L. V. V..............................
Vigario Dmaso d'Assumpfo...,.....
D. Justina Mana de Souza............
Jos Goncalves da Cruz...............
Alferes Manoel Erasmo de Carvalho
Moura..............................
Manoel de Souza e Silva.............
Cear.
Vigario Carlos Augusto Peixoto Alen-
car.................................
Manoel Antonio de Oliveira..........
Vigario Francisco Xavier Xogueira...
Padre Joo do Nascimmio e S......
Antonio Prudente de Almeida e Braga.
Vigario Mathias Pereira de Oliveira..
1 Joaquim omingues Carneiro.
Padre Ambrosio Rodrigues Machado..
Manoel Viceiites Collares......
Hcnrique Jos Giro.......;........
' Antonio Jos Giro.................
Francisco das Chafas d'Araujo......
Joo Carlos de Sabova..............
Tenente-coronel Joao Baptista Vieira.
Coronel commandaue-superior Fran-
cisco Tavares Quintal............
Padre Antonio Pereira de Vascoooellos
Major Joo Bernardo da Cunha......
Jos Antonio Rodrigues Machado.....
Gonoalo Nunes Leito..............
Dr. Francisco de Farias Lemos.......
Dr. padre Antonio Elias Saraiva Leo.
Padre Jos Jacintho Bezerra........
Jlanoel Vicente da Silva......
Joaquim de S Rarrelo.......
Vigario Diogo Jos de Souza Lima___
Joo de Paula Fernandes Vieira..*...
Francisco de Paula Fernandes Vieira.
Commendador Antonio Telles de Me-
nezes..........................
Antonio Francisco da Silveira.......
Antonio Francisco da Silveira Jnior.
L'm aoonymo da serra do Pereira____
i Padre Jeronymo Pereira da Silva.....
Luiz Barbosa Moreira........
Joo Chrisliano d*Oiiveira Freir
Joaquim Raymundo Lopes do Biihar..
Capitao-rar Antonio Marlins Chaves.
Leonardo Martins Chaves...........
Vigario Manoel Thomaz Rodrigues
Campo.........................
Vigario Francisco Manoel de Lima e
Alhuquerque....................
Capito Ludovico Pinto de Mesquita..
Vigario Pedro Jos de Castro e Silva.
Padre Antonio da Silva Fialho.......
> Justino Domingues da Silva...
Vicente Jorge de Souza........
Capito Jos Rodrigues Lima..........
lio-Gratule do Norte.
Vigario Manoel Jacome Bezerra cava I-
eante..........................
Parah yba.
Vigario Alvaro Ferreira de Souza____
Padre Jos Ferreira de Souza........
Bernardo Jos Goncaives......
Vigario Gamillo de Mendonca Fur-
tado...........................
Jos do Reg Barros...............
Vigario Jos Goncalves Orgenes e Vas-
concellos........................
Padre Mathias Leal de Lemos........
Alugas
Tenente-coronel Jos Ignacio de Men-
donca ..........................
Joaquim Antonio de Cerqueira Torres.
Pcrv.ambuco.
S. M. o Imperader................. 3005000
Padre Ricardo Jos Machado........ 1385000
Antonio de Souza Leo............. 95000
Manoel Lourenco Correa de S...... 305000
Esmolas obtida* pelo Sr. tenente-coronel Joaquim
Lucio Monteiro da Franca.
A saber:
Jos Francisco Cecilio..............
Alexandre Jos da Silva............
Joaquim Antonio da Silva..........
Antonio Moreira de Mendonca.......
Jos Ignacio d'Avila................
Antonio Joaquim Rabllo Bastos.....
Amaro Benedicto do Souza..........
Adelo Antonio Ferreira..........
Joaquim Jos d'Arruda.............
Francisco Sern de Assis Carvalho.
405000
205000
55000
5005000
235000
205000
35OOO
125000
75000
I25OOO
305000
1005009
205000
105000
105000
255000
305000
305000
20:000
105000
105000
105000
105000
505000
505000
405000
IOO5OOO
235000
205000
205000
205000'
205000'
155000
255000
24jOOO
305000
605000
5O5OOO
505000
505000
205000
20i 4050 0
255000
1005000
805000
405000
3O5OOO
205OOO
105000
305000
205000
205OOO
105000
55OOO
1005000
1005000
105000
305OOO
2005000
205000
305000
1005000
2005000
1005000
Joaquim Antonio de Oliveira........
Jos Joaquim Soares...............
Miguel Jos da Sdva...............
Manoel Ignacio da Arruda.........
Joao Jacintho de Medeiros Resende..
Januaria Carolina dos Anjos.........
Tenente-coronel Francisco Rodrigues
Carduzo............
Francisco de Paula e Silva.....
Joo Antonio do Mello........
Luiz de Souza Bandeira......
Bernardino Pere'ra Ramos......
Antonio Moreira de Mendonca. .. .
Feliciano Jos Gomes.........
Francisco Antonio de Medeiros .
Miguel Jos Al ves.........
Joo da Costa Lima Jnior.....
Antonio da Silva Pavolide......
Jos Joaquim de Lima Bal rao. .
Joo da Silva Farias........
Antonio Lopes Pereira de Mello .
Francisco Jos dos Passos Gimares.
Jos Martins de Siqueira......
Joo Pedro Maduro da Fonceca .
Chrisiovo Ferreira Campos.....
Jos Joaquim de Faria Machado. .
Antonio Manoel Bastos.......
Jese Pedro das Heves.......
Manoel Francisco .Marques.....
Paulo Jos Gomes.........
Francisco Jos da Silva Mayer. .
Jos de Almeida Nunes Lima ....
Domingos Jos Ferreira Gimares. .
Jos de Azevedo Maia........
Joaquim Ferreira de Araujo Gima-
res ..............
Manoel Jos da Silva Oliveira. .
Manoel Antonio de Jess Jnior. .
Jos Joaquim da Silva Gimares .
Agostinho Jos de Oliveira.....
Manoel Jos de Oliveira.......
Jos Firmo Xavier.........
Finuino Jos de Oliveira......
Jos Mara de Albuquerque Oliveira .
Jorge Rodrigues Machado......
Joo Ignacio Firmo Xavier.....
Joo Antonio do Reg.......
Manoel Fonceca de Medeiros ....
Joo Jos de Carvalho Jnior ....
Jos Azevedo de Araujo.......
Doaco por Wanderley.......
25000
25000*
35OOO
35060
65080
25OOO
25OOO
45000
25000
45000
45000
25000
55000
65000
04000
35OOO
55000
55000
35000
35OOO
35800
35000
55000
35000
35000
35000
35000
35OOO
35000
35OOO
350&O
35000
35OOO
35000
15000
15000
25000
15000
55000
25000
15000
15000
65000
55000
55000
35000
1:0005000
21.5305IOO
A arrematacio ser feita por tempo de um anno
e 9 metes a contar do 1 de oulubro do crtente
anno a 30 de j nato de 1866.
As pessoas qoe se propozerom a essa arremata-
cao, comparceam na sala das sessoes da referida
junta, no da cima mencionado pelo meia da, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandn publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
boco, II 4e agosto de 1864.
O. secretario,
A. F. d'Annunciacao.
Eio de JaiieirqJ
O brigue Beluario segu com brevdade, recebe
carga e escravos frete : trata-se cora os consig-
natarios Marques Barros & C, largo do Corpo San-
to n. 6.
DECLARivOES.
Recife, 12 de agosto de 1864.
D. Jos Antonio dos Santos Isssa.
A na calmita pntorul de Kemp.
Urna simples tosse pode chegar a ser mortal seno
se at*lhar a tempo, porm evitar-se-ha completa-
mente o perigo fazendo-se uso immediato da ana-
cahita i'kitoiiai, de kemp, a qual mediante a sua
benfica influencia faz ceder rpidamente a irrita-
cao dos pulmoes e garganta, e restabeleca sua ac-
(o vigorosa, regular e saudavel.
Os que dizem que a astnma incuravel muito se
enganam.
Csta fortificante composcjio vegetal subjuga essa
afflictiva molestia anda roesmo quando defoaixo
das formas as mais obstinadas e aggravantes. As
anginas nunca lerminaro em broochitesa tosse
em phtysicanem a rouqudo em asthma se des-
de logo de seu principio forem atalhados com este
balsamo vegetal, suavisadore sedativo; seus ben-
ficos effeitos sao promptamente notados as enfer-
midades dos pulmoes, dos vasos breadnos e da
pleura.
Pode se adiar venda era todas as boticas e le-
jas de drogas.
GOMMEESIO.
105000
35000
5-5000
55000
105000
CA1XA FILIAL
DO
fil 1\< O DO BRASIL
EM PERiNAMBUCO.
A directora, dcsta caixa, em virtude de ordem
da directora do Banco do Brasil, avisa aos Srs.
accionistas que o respectivo thesoureiro est autoi
. rsado a pagar o dividendo das aecoes da meema
;(m caixa semes,re flndo em 30 de junho prximo
inSflnn pass:ll). na 'a*50 de 85809 por aeco. i
Hecifo 14 de julho de 1864.No impedimobto do
secretario, Ignacio Nunes Correia.
Joo Jacintho de Medeiros Reg......
1). Luiza Thereza de Jess..........
Antonio Egidio da Silva...... ......
Manoel Ferreira Gasnio.............
Jos Jeronymo da Silva.............
Maria Joaquina Mello Silva........... 45000
Jos Luiz Ferreira de Souza........... 105000
I). Clara tlerininda da Silva.......... 105000
Joo Pedro da Rocha............. 35000
Jos Francisco de Lima............... 35000
Francisco Jos de Araujo............ 20-3000
0 Sr. tenente-coronel Franca por si.. 675000
Esmolas oLtidas pelo Sr. Luiz Antonio Prata.
A saber:
Padre Luiz Jos de Figneirdo........ 505000
Vigario Domingues Al ves Vieira..... 235000
Antonio Rufino Severiano da
Cunha............................. 265000
Padre Ricardo Jos Machado......... 505000
55000
55000:
2050OO ...___,____
105000 .Ufandega
55000 Rendiraento do dia 1 a 24........ 613:1305012
105000 Mera do dia 45................. 23:1235332
-030 036:2025144
14:4735900
ISsmolas
Cruz.
A saber :
Jos Joaquim Rocha Faria........
Padre Vicente Ferreira Guedes.......
i). Antonia Eugenia do Espirito-Santo.
Antonio Francisco Pereira............
Padre Luiz Jos de Figneirdo......
Vigario Domingo* Alvares Vieira____
Subscripto pelo padre Agostinho. ...
Dita ielo padre Jos de Jtsus Alaria de
Vasconeellos ..................
Esmolas obtidas icio Sr. Antonio
Costa Cavalcanti, a suVer
Bernardo Jos da Rocha...........
Manoel Joaquim Ferreira Bsteves___
Manoel Ferreira Lima...............
Joaquim Jos Leito..... ..........
I.aurindo Pereira Simoes..........
Anl mi Goncalves IVreira Lima....
Marcellino Ferreira da Luz......
Miguel de Millos da Silva Paula.....
Salustiano Meroz..................
Jos Xavier Coelho.................
Joo de Medeiros Raposo............
Joaquim Jo- da Silva...............
Manoel Albino lli-zerra..............
Manoel Joaquim da Silva..........
Manoel de Almeida Lima...........
FreJorico <1a Silva Gomes..........
Mauoel de Paula Correa.!..........
Capitao Miguel Jos Teixeira........
Joaquim Gomes DouradOtV. Irnio...
Jos Rufino Coelho................
Francisco de Moraes Pimentel.......
Manoel do Nascmento da Silva.....
Paulo Gomes de A Imcida...........
D. Joanna do Rosario Goncalves Ma-
chado ..............j...........
Joaquim Jos de Oliveira Tavares ...
Jos Francisco de Souza Lima......
Amaro Jos dos PrazeresL..........
Sehaslio Jo.-
obtidas pelo Sr. Jos Concalves da
405000
205000
205000
1005000
1005000
205000
1535000
1105000
Ildefonso da
55000
45000
25000
35000
25000
65000
45000
35000
35000
250OO
45000
35000
05000
15000,
15000
350001
lo violento da alfandega
Volumes entrados com fazendas...
com gneros... 309
Volumes saludos
cora
com
----- 309
fazendas... 131
genero*s... 511
-----042
Descarregam no dia 26 de agosto.
Barca inglezaSilcer Craiijfarinha de trigo.
Barca inglezaFivowic carvo de pedra.
Patacho inglezJfaru Blockcarvao de pedra.
Brigue porluguezEsperanradiversos gneros.
Polaca hespaoholaVirgem del Carinocarne de
charque.
Brigue porluguez Bella Figueiwnse sal.
fteeebedoria de rendas Internas
geraes de Pernambnco.
Rendimento do dia 1 a 24......
dem do da 25...............
No dia 26 do corrente mez, depois de Onda a
audiencia do Illm Sr. Dr. juiz municipal da Ia va-
ra, teem de ser arrematados era praga publica a
armacao e mais utensilios para fabricamento de
calcados, e urna grande por;o de calcados para
homens e senhoras, na lo|a sita na ra Direita n.
49, penhorados por execucao da irmandade das Al-
mas do Recife contra Manoel Joaquim de Souza
Vianna, pelos alugueis que se acha a dever : os
pretendemos podem examinar o esenpto ediial em
poder do porteiro.
Findaa audiencia de hoje do Sr. Dr. juiz de
orphos e ausentes ter lugar a arrematado dos
bens da heranca de Maria Luiza da Concei^ao,cons-
tando de movis, urna escrava e um pequeo sitio
I cora casa na Capunga, ra das Pernambucanas n.
32, segundo o escripto e pelo cartorio do escrivo
Vasconeellos, s 11 horas.
Hoje se ha de arrematar por ser a ultima
praca, peranle oDr. juiz municipal da 1* vara um
sitio e trras no lugar da Ibura, penhorado Joa-
quina Rodrigues dos Santos por execucao do D.
Abbade de S. Bento de Olinda.
Couseiho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra lem de comprar os objectos se-
guintes :
Para o corpo de guaruico da Parahiba.
4S8 bouets.
262 mantas.
1,783 covades de panno azul.
1,920 covadus de panno azul para capotes.
22 covados de casemira verde.
1,120 covados de baeta verde.
1,338 covados do hollaoda de forro.
178 varas deaniagem.
3,377 varas de brim branco.
2,477 varas de algodozinho.
4,098 botoes grandes de metal amarillo lisos.
3,213 ditos pequeos.
4,240 botoes para capotes.
677 pares de clcheles.
Para a enfermara militar da villa de
Tacaran!
4 cassarolas de ferro forradas de porcelana de
diferentes lmannos.
15 pares de chinelas de couro.
15 colchoes.
(Juera quizer vender taes objectos aprsente
a sua proposta em carta fechada na secretaria do
conselho s 10 horas da manba do dia 30 do cor-
rente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 24 de agosto de
1864.
Antonio Pedro 4e S Brrelo,
Coronel-presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
Coiisellio administrativo:
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de contratar o fornoaimento
dos menores do arsenal nos mezes de setembru e
outubro prximo vindouro.
PSo de 4 oncas, bolacha, manteiga franceza, cha
hysson, assucar refinado de 2" sorte, caf em grao,
carne fresca,'dita secra, toucinho de Lisboa, baca-
Iho, azeite doce, vinagre, farinha de mandioca da
trra, arroz do Maranho, feijo preto ou mola-
tinho.
Quem quizer contratar taes gneros, aprsenle a
sua proposla em carta fechada na secretaria do
conselho, s 10 horas da manha do dia 30 do cor-
rente.
Secretaria do conselho administrativo para for-
necimento do arsenal de guerra, 24 de agoslo de
1864.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
Vai praca sexla-feira 26 do correnle a casa
de tres andares da ra do Trapiche n. 40, por ar-
lendamento trienal e pela quantia de 1:5005000 :
quem na mesma quizer lanzar, compareca na pra-
ca do juizo de orphos que achara o escnpio cm
mo do perleiro.
Crrelo geral.
Pela administrao do correio dcslacidade se
faz publico que em virtude da convenci postal,
celebrada pelos governos brasilciro e fraucez, se-
rio expedidas malas para a Europa no dia 30 do
corrente polo vapor francez Exlremadure. As car-
tas sero recebdas at tres horas antes da que for
marcada para a sabida do vapor, e os jornaes at
quatro horas anlcs.
Administracao do correio de Pernambuco 44 de
agoslo de 1864. 0 administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Para a Babia pretende sahir com
moita brevidade o veleiro patacho t.
Luiz, capitao Jos Teixeira de Azeve-
do, por ter parle da.carga engajada
para o resto que lhe falta, trata-se
com os consignatarios Paimeira 5 Beltro, no largo
do Corpo Santo n. 4,Jprimeiro andar. _______
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
."Vaves;;:cao coste!ra vapor.
PanAfta, Natal, laco, Aracaly, Cear, Acaracu' e
Granja.
O vapor Persinutuja, comman-
danle Ralis, segu no dia 7 de se-,
tembro prximo para os portos
cima indicados. Recebe carga
_ 'al o dia 5. Encommendas, pas-
sageiros e dinheiro a frete at o dia da sahida s
3 horas da tarde : cscriptoro no Forte do Mallos
n. 1.
I). Clementina Theodora da Silva, inventarame
dos bens de seu casal e por despacho do Illm. Sr.
Dr. juiz de orphos, de 50 acedes da companhia
vigilante no valor de 1005 cada urna e perlencen-
tes ao mesmo casal, s 11 horas do dia cima dito
em frente a Associao Commercial.
Papel
LEILAO
BE
almaco.
Sabbade 27 dt cerreatc as 10 1|2 horas no arnta-
zeui de Ames efreote i alfandi ga.
O agente Olimpio, no dia, hora c lugar cima
vender em leile por conta e riscede qnem per-
tencer, em presenca do Illm.Sr. cnsul da Austria
13 caixas com papel almaco avanado a bordo da
Maria Burriss, na sua viagem de Liverpool a esle
porto.
COMPANHIA PEHNAMBUCANA
DR
Savegaeao costelra a vapor.
O vapor Mamanauape que se-
gu no dia 25 para os portas do
sul, ir at Penedo, para onde re-
cebe carga at o da 23. Encom-
'mendas, passageiros e dinheiro a
horas da tarde do dia da sahida :
Forte do Mallos n. I.
LEILAO

frete at as 2
escriptorio no
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegaeao eostelra a vapor.
liha de Fernando it .Noronha.
No da 14 de seterabro seguir
ao mel dia, um dos vapores da
Companhia para o presioio de
Fernando de Noronha, para onde
'recebe carga at o dia 13. Encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at s 10
horas do dia da sahida : escriptorio no Forte do
Mattos n. 1.
Couipanhia Pernambecasa
DE
Navegaeo costelra a vapor.
Tamandare, Barra Grande, Porta da le-
dras, Camaragibe, Macei, Penedo e
Aracaj.
No dia 5 de setemhro s 5 ho-
ras da tarde seguir para os por-
tos cima mencionados o vapor
Paraliyba, cornmandante Martins.
_ Recebe carga somente at o dia 3.
passageiros, encommendas e dinheiro frete at
s 2 horas da tarde do dia da sahida : escrip-
torio no Forte do Mattos uumero 1.
LEILES.
LEILA
PREDIOS
ma casa terrea na ra do Pilar n. 3.
Umaquarta parte da casa terrea da mesma
rna n, 7.
Um sobrado de um andar e soto na ra do Se-
bo n. 37.
Um sitio de trras denominado Londin do Bo-
queiro na Ibura freguezia dos Afogados, com
grande casa e diversos arvoredos.
O agente Almeida far leito requerimentodos
administradores da niassa fallida de Amorim, Fra-
gozo Santos di C. e por despacho do Illm. Sr. Dr.
juiz do commercio, dos predios cima perlencen-
tes mesma rnassa.
BOJE.
As 11 horas do dia porta da Associacao Com-
mercial.
S5>,
Sabbado 27 do corrente.
Por ordem do consolado de Portugal irlo a lei-
to por inlerveneao do agente Pestaa os bens
abaixo declarados pertencenlc^ ao espolio do.fina-
do subdito po luguez Jos Fernandes Pereira Vil-
la-rica, a saber:
A armacao c mais gneros existentes na taber-
na perteneente ao mesmo tinado, 3 bois de carro,
1 cavallo de carga, 1 carroca em bom estado, 1
dita quebrada, 1 dita nova por acabar, 9 canoas
de carreira, sendo urna deteriorada, 1 plantacao
de capim na ra do Baldo.
O Icilo lera lugar em Olinda sabbado 27 do
rente pelas II horas da manha.
LEILAO
N
Fazendas avariadas.
Salibado 27 de agosto i hora em
puni,
E. A. Burle & C. faro leilo por iotervenco
do agenle Pinto e por conta e risco de quem per-
tencer de differentes fazendas inglezas como se-
jam : algndozinhos, chitas e sargelins averiadas
d'agua salgada a bordo do brigue inglez Manj
Burriss, 1 hora do da cima dilo em seu arma-
zem roa da Cruz n. 48.
Por ordem do consulado de Portugal o agen-
te Pestaa far leilo no, dia 31 do corrente, pelas
10 horas, em frente a Asocacao Commercial, das
dividas activas pertenpentes a espolio do finado
snbdilo portuguez Fortunato Ferreira da Silva na
imporlancta da 981,5180 rs., e constantes da rela-
Co que se acha cm mao do dito agenle para ser
examinada.
AVISOS DIVERSOS.
Recreativa Juventude.
De ordem do Illm. Sr. presidente da soeieda-
de Recreativa Juventude, sae convidados todos os
socios da mesma, para que na dia 28 do corrente'
s 10 horas da manha, comparegam na sala das-
sessoes, afim de em assembla geral serem appro-
vados os estatutos.
Sala da sociedade Recreativa Juventude, 24 de
agosto de 1864.
Al ves Ferreira,
___________________Io secretario._____
Constando ao abaixo assignado que atguns
dos seus amigos e homens do povo desejam qne o>
mesmo abaixo assignado seja um dos quatro cida-
dos votados para juiz de paz da freguezia de Santo
Antonio desla cidade, no dia 7 de setembro prxi-
mo futuro, vera por meio deste acradecer-lhes es-
tes seus desejos, e pedir-Ibes que votem sem a me-
nor descrepancia nos cidados que forem aposen-
tados para os quatro juizes de paz da mesma fre.
guezia pelo partido liberal progressista, ao que c-
mesma abaixo anrgnatl lem a honra de perten-
cer.Caetano Pinto de Veras.
HOJE
Seit*feira 26 de agoslo s ti lloras
ra da Cadeia armazcni n. 53.
DE
Urna porco de tapetes de la, oleado
para carro, e dito para coiierta
de mesa.
vender em leilo os objectos cima pelo maior
preco que se achar para ultimar contas, e por or-
dem e conta de quem pertencer.
AVISOS MARTIMOS.
29:7505050
50A175 I
30:4005225;
LEILAO
Consulado provincial.
ttendimento do dia 1 a 24........: 44:3863064
dem do dia 25................. 1:1423000
45:7283004
4-5000
MOVIMENTQ 30 PORTO.
Navios entrados no dia 2o.
Rio Grande do Sul20 dias, brigue nacional Prtn-
ceza, de 181 toneladas, capito Joaquim da Cos-
ta Cardoso, equipagem 10, carga 9,000 arrobas
de carne ; a Francisco Jos da Costa Araujo.
Liverpool 43 dias, brigue inglez Zegri, de 110
toneladas, capito R. J. Warre, equipagem 8,
carca fazendas e outros gneros; a Grenop
Schwnd.
Navios sahidos no mesmo dia
BahaPatacho brasileiro D. Luiz, capitao Jos
Teixeira de Azevedo, carga azeite e outros g-
neros.
Penedo e portos intermedios Vapor nacional
Mamanguape, commandanle Manoel Rodrigues
dos Sanios Moura.
3|000
43000
23000
33000
.430(10
43000
:1300o I
43000, -----------------------------------------------------------1I
7r?|* i O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-'
'sl.xxi cial> em cumprimenlo da ordem do Exm. Sr!
EDIT1ES.
Peraambuco.
Coniinuaco das esmolas obtidas por S. Exea.
Revma, coadjuvado pelo padre Jos Antonio
dos Santos Lesea, de junho de 1857 30 de
abril de 1864, anda nao publicadas, as secun-
tes :
Manoel Xavier Paes Brrelo-....... 1003000
A guarnicu desla cidade entregue
pelo general Coelho...............
Joo Miguel Teixeira..............
Padre Vicenle_ Pereira da Silva Gi-
mares.........................
Vigario Jos Modesto Pereira de ri-
to ............................
Vigario Firmino Jos de Figneirdo..
Dr. Felippe Lopes Netto............
Antonio Venancio Cavalcanti de Al-
buquerque....................
Joio de Brillo Correa ..........".'.'.',
Bento Jos Ferreira Rabello..........
Coronel commandante-superior Joo
Joaquim da Cunha Bego Barros....
\ senhora sua irma...........r.....
Joaquim da Silveira Saldanha.........
Ignacio Ferreira da Costo.............
L'ma devoto por njao do Rvra. Fr. Se-
raflm.......... ..............,'... 30OJW00
813600
I03OOO'
103009
1003000
50,3iif
1003000
103000
53OOO
33000
IOO3OOO
503000
50311OO
103000
SnKtlSSr^irt.......... ffi P^SJ* *"** e 20 do corrente; mana
rmaos................. 43000
Jos Jeronymo da Silva............. 33000
Joaquim Lopes Machado........... 33000
Jo:- Martins da Silva Borges........ 43000
Angelo Romeiro Pinheiro........... 33000
Joo Baptista...................... 1,3000
Jos de Azevedo Maia e Silva
Tiburcio Valeriano BaplHa..
Manoel Gosuie de Moraes____
llenrique Jos dos Santos.....
Joo Ferreira da Silva..........
Manoel Antonio Torres (a.viuva).....
Ignacio Pessoa Estoves da Silva.....
Manoel Jos Carneiro... I..........
Antonio Jos Goncalves Peixe......
Theodoro Antonio"de Jesus Borges...
Ur. Isidio Henriques da Silva.......
Luiz da Fonseca de Maoedo.........
llenrique da Silva Moreira..........
Manoel Jos da Silva..............
Joo Jos de Carvalho Jnior........
Joo Baptista de Barros Machado....
Candido Jos da Fouseca.T..........
Joo do Aroaral Raposo .,..........
Joo da Costa Campos____...........
Prancelino Americo de A|buquerque.
Francisco Goncalves Aleixo........
Godofrodo llenrique de Miranda.....
251HK)
23000
13000
23000
43OOO
05000
13000
25000
23000
15000
40O
43000
53000
43000
43000
43000
33000
123000
23OO0
23000
13000
23000
0 de setembro vindouro, peranle a junta de fozen-
da da mesma thesouraria, para ser arrematado a
quem mais dr, o imposto do aizimo do gado vac-
cum na comarca do Bonito, avaliado em 2:1345000
annuaes.
A arreraatacao ser feila por lempo de tres an-
nos a contar do 1 de julho do corrente anno 30
de junho de 1867, e de conformidade com o art 16
do regulameoto de 3 de agosto de 1832.
A- pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao, comparecam na sala das sessSes da referida
junta no da cima mencionado pelo meio dia
competentemente habilitadas.
E para constar se raandou publiear o presente
pelo jornal.
Secretarla da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 22 de agosto de 1864.
O secretario,
A. F. d'Annunciarao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimenlo da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, de 20 do corrente, manda
fazer publico, que vai novamente prac,a, no dia 6
de setembro vindouro, perante a junta da fazenda
da mesma thesouraria, para ser a-rematada ajiuem
mais dr, o imposto de 23500 do gado vaceum
consumido no municipio de Iguarass, avahado an-
nnaloioMe em 1:6123000.
COMPANHIA BRASILEIBA
DE
PAQUETES A VAPOR-
Dos portos do sul esperado
m^A a, dia a0 ae aposto o vapor
i J^ commandanle o capito
.'.-yL -ai de fragata Santa Barbara, o qual
^SaSssSSF depois da demora do costume se-
guir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder couduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o da da sahida as 2 ho-
ras : agencia, rna da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo e' C.
COMPANHIA BRASILEIBA
DE *
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte esperado
at o dia 31 do corrente ovapor
Princeza de loinville, cornman-
dante o primeiro tenente Araujo
o qual depois da demora do cos-
tume seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com moita brevidade o veleiro
brigue nacional Almirante, tem parto de seu car-
regamento prompto : para o resto que lhe falta e
escravos a frete, para os quaes tem excellenles
commodos, trata-se com es seus consignatarios An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo c C, no seu es-
criptorio ra da.Cruz n. 1.
Para JLisboa.
Sahe mpreterivelraente at o dia 30 do corrente
para o mencionado porto a barca portugueza Des-
pique II, quem na mesma quizer carregar ou ir de
passagem para o que tem excellenles commodos
entenda-se com Ferreira & Loureiro na travessa
da Madre de Dos n. 10.
DE
Predios e aegoes
1 caixo de pedra e cal em altura de receher
i ta vejamen to na ra da Concordia de n. 07 e 60,
com 61 palmos de frente e 120 de fundo, em cujo
i terreno esto collocadas cinco casas que rendem
! 83 mensaes cada urna, forciro inarinha e paga
! 23100 por anno.
8 meias aguas na travessa da Palma de ns. 4
11, que rende cada urna 103 mensaes, foreiro
I marraba.
15 acepes da estrada de ferro.
iio.ii;
Sexta-feira 20 do corrente s 10 li horas,
aparta da Asssciacao Commercial.
O agente Almeida far leilo por aulorisacao do
Sr. Antonio Joaquim dos Santos Andrade, dos
prediose aecoes no dia e hora cima.
Aosl0:0o$OQ.
Quinla-feira 1" de setembro do corrente-
i anno, se extrahir a terceira parte da ter-
ccira lotera (106a) em beneficio da Santa
. Gasa da Misericordia, no consistorio da igre-
' ja de Nossa Senhora do Rosario da fregoe-
j zia de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 10:000sO00 at 200000
sero pagos urna hora depois da extraeco
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuicao das listas.
Servindo de thesonreiro,
Jos Rodrigues de Souza.
LEILAO
DI
Porto.
O brigue portuguez Esperanu, capitao Louren-
Sa Fernandes do Carmo, segu em poucos dias, p-
e admiltir alguma carga miuda e passageiros :
trata-se com os consignatarios Marques, Barros &
C, largo do Corpo Santo n. 6, ou cora o capillo a
bordo.
^^%JlW;
1 sobrado de um andar e sotad na ra do Apol-
lo n. 8.
1 casa terrea na ra Imperial n. 260 dividida
em duas rende 223-
7 casas meia-agua< na ra dos Prazeres fregue-
zia da Boa-Vista rendem 403 (solo proprio.)
HOJE.
0 agente Almeida far leilo por conta de di-
versos dos predios cima.
As 10 1|2 horas do dia porla da Associacao
Commercial.
** Feira semanal
DE
llo>eis, crystaes, relogios e outros ap-
tigos novos e usados.
UOJU
O agente Olympio far leilo de diversos "trastes
novos e usados, relogios e.outros muilos artigos.
oarmazcm rua da Cadeia n. 48, dar princi-
pio s 11 horas.
0 cirurgiao Leai mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Oruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acliarao como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fissao, chamado por escripia.
Para Lisboa
o brigue portuguez Bella Figueirense, capilao J. C.
de Carvalho Sobrinho, recebe carga e passageiros
para os quaes tem excelienles commodos, para
tratar com Euzebio Raphael Rabello, ra da Ca-
deia n. 55, escriptorio.
Sexta-feira 20 de agosto s II horas ra
da Cadeia n. 53.
DK
Dous burros e um cavallo j acostumados ao
servico.
PELO AGENTE* EUZEBIO,
Se vender em leilo pelo maior preco que se
achar os animaes como cima: os prelendentes
aproveitem a pechindia.
LEILAO
DE
ol) aecoes da compauuU vigilante.
Sabbado 27 de agosto.
O agente Pinto far leilo requer ment de
CASA A FORTUNA.
AOS 10:000.000
Sil I hete garan.1 Idos
1' rna do Crespo n. 23 e casas do costume
O abaixo assignado vendeu nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acaboa
de oxtrahir a beneficio da matriz do Ouricury os-
seguintes premios:
X. 3330 meio bilhete com 6:0003000
N. 559 bilhete iiiieiio-coin 1:4003000
N. 2061 meio bilhete com 6003000
E ..miras muitos de 2003, 1*5, 403 e 203.
Os possu dores podem vr receber sem os des-
con.os das leis na Casa da Fortuna ra do Cres-
po n. 23.
Acham-se venda os da terceira parte da ter-
ceira lotera da Sania Casa da Misericordia que
se extrahir na quinia-feira 1 de setembro pr-
ximo.
I'reco.
Bilhetes inteiros ..... 1230OO
Meios......... (jooo
Quartos........ 33000
Para as pessoas que comprareis
de 1003 para cima.
Bilhetes........ 113000
Meios......... 53500
Quartos........ 23760
Maaoei Martins Fiuza
Irmandade das Alnas do Recife.
Nao tendo havido numero suficiente para a rea-
nio do mesa geral que fui annnnciada no dia 22
do corrente, de novo convido aos nossos irmaos
para so reunirem no da 28 s 11 da manha, no
consistorio da mesma Irmandade. Recife, 23 de
agosto de 1864.
Jos Joaquim Lopes de Almeida,
Escnvo.
Aluga-se o segundo e o tem-iro andar da
casa da ra da Cruz n. 7, com mnitjs commodos
para famila.





Aluga-se por 203 mensaes urna escrava pa-
ra cozinhar e eogommar em casa de poaca fami-
lia : na ra das Cinco Pontos n. 62.


** nal
Sexto letra de ,4goio 4e lft4.
C'OXNKIjIIO
DE
Deix.i que os Hunos da eivlisacao vos preguen
ecoooaaipan os psl! Esta parte do corpa
humano por ferio acuella que, neste clima, ne-
cessita de maior ajasalho: pela humidade nos ps
se introduz a grande maioria das molestias, e com i
estas, a perda da saude e da vida t! 1 Kra coa as
botinas e sapatos velhos ; refrmalos
45-Rua Direita-45
_>iibHeaco 11< erarla.
Sakio luz o opsculo intitulado
A i.im:iu \ni:
BRASIL
Rorzegnins franee_e para homem
Ditos inglezes dem a 84, TJk e
Ditos para senhora
Ditos para menina
Sapal.es esruaga cobra
Ditos de Nantes de dnas solas
Ditos dito de soia e Yira
Sapatos de borracha para seaboras
Ditos de dita para meninos
Ditos de tapate para homtBs e
nhoras a 800 e
Sapatos de lustre para senhora a
Ditos para casa
Chinela* rasas do Porto
5JO00
000
41800
1000
3*000
MOOO
13000
se-
Affonso i* AHm^u*f Coandan-se os assignaates a mandaren reeeber
seus eienplares na praca da Independencia ns. 6
e 8, que lero entregues vista dosTeeibos das as-
signaturas ; ahi Umbem estao exposlos a venda a
.15000 eada sai. Sao sob os seguintes ttulos as
materias de que se diruna :
lottauAjcio. Pee*odaUber Jxx lonu.Bevolucaad 1817A IndependenciaA
l#uuo)Coni4tiilte^Acoslituicao-A revolue3e de 1824.
non A exPulsia *" abdicacao.-- A regencia livre. O
rUSv _*rt_ rrcT-S4sla.-Aaeaca das carcu-das a que-
wS1 >** vr'**' A "I*-* eorcuoda.-Causa dos
icSima,e8 "IJHN* livre,-Regecia corcunda e
i*WW. maioridade.-Prncipios do reinado, da D. Pedro. *-
O Dr. flerrnegenes Scrates Tavares de Vasconcel- Revolta de Miua e S. Paulo.-Dominio da Praia
jos, tan municipal da i* vara desia eidade do Luzi.-0 dominio liberal nao inquieten eor-
Recij de Pernarabuco a sao tarreo ior i. M.. cundas.Feitos do duminio liberal.-A praiaeChi-
Imoexialelc j cborro-senatoria.-A reveja a a rerclucite a
Faca saber emcomo por este junse ba de 1848 A constituinlc-A constituate.-errota
arrematar por venda, lindas os das da le e-ora- da revolucao. Jegociacao de Honorio core os linc-
eas successiva-, mu* eeera-va de orne Firmioa,! raes : traidores.-Venda da bandeira da con-
criouli, com 16 aojfS de dade, jia, avahada: Utiiiple.- O partido liberal durante osqnatocza'au-
por 600*. cuj> escrava ot ponborada D. Rita nos do chamado ostracismo.^ Os corcunda* a os
Francisca de CarvaUtu Paes da Andrado, por exe- liberaes durante os quatorze annos.-Captivejro re-
amo de Felippe Menna Callado da rouseca. | signado e voluntario dos liberaes durante os qua-
E para wandei passar o presenta, que sera afflxado no lu- os sabios.-A situaco propiamente poltica.Ins-
tar *> costure e publicado peU iroprensa. tituicoes livres, e direitos polticos que tivemos
Dado e pastado nesta eidade do Recife de Per-. at o flm da regencia livre, e o que actualmente
iarnboco aaa *0 de jolito de Mt4. Eu Manoel temos en lugar delles.-Os representantes da na-
jse da Motta, escnvjo o subscrevi. | o a das provincias.Situaco administrativa.
Hermogenes Scrates Tavares de \ asconcellos. Q ,,,. Sao nella os Portuguezes. -Como o gover-
no obrigado a corromper o paiz e a fazer-lbe
sempre maior mal.Como se multiplica e se paga
a rlienleIJa do govsi no para sustentarse o impe-
rio corcunda. O procnsul.O procnsul da ee-
marca. Des cargos, dos crmes e da punir ao.A
jusliya. -Juizes municpaes.Juizes dediroito.-
Tribunaes.--Os das Relacoes.Tribunaos do Com-
morcio.Supremo Tribunal de Justica.O jurv.
Os advogados.-Coicluso.- Garanta dos direitos.
A moral publica. Dos crmes. As eleicoes.
Corollario da obra saquarema.-O que a pa-
, tria. Siluagao para com o exterior. Situaco
linanceira.-As flnancas do estado.-A miseria.-
Perigo e salvamento dos corcundas.A liga.-
| Como se eongregam os elementos para ella.Con-
sideracSes retrospectivas.
A M0UST14 oa if*Ke*) peou-
liar conbecida p^o neme re Es-! N0V>
crofula ura tes rtlesr ais: qiij
prevalecatiMs e universaus que!
ha em toda a extensa lista das
enfenmdau>s de que soffre o
genero humano: disse um cele-
bre escriptor da medkut que
mais de urna terca parte de
todos aquejles que morrem antes
Airea peninsuLir.
rA#nr.A m Lia>;s nt todas as
(M\m\Ki,t;nesu, aguar-
IGESEROS.
SAHIO k LUZ
W A VISM IC* UVHARIt do Ss. Gbbaldo
A BA E8TBE1TA DO ROSAJUO S. 12 *S
NOCOES
u
PK
WBTtDIS MBflADAS
OKKKIIKCIUAS
DE
M
PIIIXASIUI (O
POO
Fonseca de MrJtiros.
No da 19 do correntr, s 8 horas da raa-
Hh;ia. celebrar-se-ha urna missa na groja
de S. Francisco nesta capital, pelo eterno
oVcaaco da virtuosa baroneza de Cotegtpe,
falleeida na Rabia no da 27 de julho ultimo.
Ro^a-se a todas as pessoas qua tiveram
oicasiSo de conhecer as raras qualdade-s da
illustre finad, assim oomo todos os ami-
gos do prestimoso harao de Cotegipe, quei-
raiu assistir esse carideso acto.
Hitoe| HUrKjMX4 e4Mlve|ra etc.
Kan dos Burgos* i slMte t*b mil
4* iBMn.
Ne^a eMatetrimetrto, se enaontra toda a quali-
da vethice sao nctunas, ou dtrec- dade e> rmeroe aciipa mencionados, fejtas com, e
Vi ou indirectamente da E&erefu- Pf fefo, wmade da materias primas com aparo' WtC18Ca# t BBAFCIftl BBIejpCfiRlf
la :por si nao tao des- d \r'*tr um Preparador habiliudissiimo.
r Asasi coma s*Tec*befn encotrtaKadas tatrtn para
tuctiva, porm a principal causa de mu- Pro*nria comoDarao csirangeiro, em tyaade e
ras outws enfermidades que nao toe m e- !'',,u2^c*li*' ial u**&m*ite "
,-.i.,,.,i ,.^;i,..: i_ ",or "TB* posjvel, aor oraros mu diminutos, os
ramente attnbu.das VU^JmrnanjmlJnS^ SweWs!
t- urna CWSa directa da pAyfiisica pul- Conv^ajpsaorespeftavelputiticoavisitaronossq;
manar, das molestias go e affectfes do cerehro:Entre os seps tJtlv!?8. *!" "w aef,Mem- Hf I" s- <
numerosos ^mptoaus acbampe os seguin- IpreslV' ** *T *" *"* *
tes : -falta de apprtilc ; o seuiUnte pal- ^oiiiSiiAl 'vtelWdevres
ido e s vezes iwhado, w vi** d* urna v ^**w'?^jJ"*nie ae *
ultmra Iransparcnt* e ontras corado-e a- L,*, .. ?a?V mu
mareento aZedor da bocea ; fraguaa e Affi ^ w'SS^
?f#J! trr'9*iai. [M* ** cntrgia, tentre h ^^^g ^ $e 4 d f8
mchado e evacuacao irregular; iiuandu o Ju abri lTTizr.yr.__. X Z. ;_!A
mal tem soa assen'to sobre os su mus urna rP Wfn-ente anuo, sao .ra. aeeie- \ Aluj^^e I****,,&M>, ra da
Br MrtTrTjih i i 1 iM l 7 n,sUcottvAd4dsiaemrafwm 40purcwi- E^.b^V JTU. urau-, c, poni de rr-
roda do. olhos t g^ vul-jr dceada ma de sms ac- "*?- boa casad* morada para famHja : a iratar
CASA MNCARIA
A. Schaffler A C na lo Trapiche n. 17,
recebem dinheiro a premio pola tasa de 6
|.por cento ao anno em conta conente, sa-
ean qualquer somma i vista ou aprazo so-
bre London, Fans, Hamburgo, Rio de Ja-
neii'o. Babia e diversas pracas do Norte do
Brasil.
l'odem ser retirados os depsitos:
At rs. ."irOOCJ vista.
At rs. lO:Of)O0 coia 3 dias de previo aviso.
Al rs. 50:U(M> com 8
Abiir-se-l-,4 crditos em conta crrente
com as casas commerciaes desta pra^a.
losa Kleuifrio Carneiro da Cunda faz veFpor
meio deste aunjincio lodos os lllms. Srs.que Ibes
honraram ere assignar par a publcacao do dic-
cionario de plantas, qu* tem de dar luz, que por
impedimento physico nao pode sempre bier a co-
braitca pessoalmente, p^ra isto ronstiluio o Sr.
Joaquni Jeroiiyun da Cooceicao pjra ir rcebeudo
a primeira prestacao (coma diz o prosj'eeio) .|ue
; munido este eenhgr do doeumeBln da Ifpographia,
recebord asentas a pasMM-i recibos ans respecU-
vos senboies. KuiOlinJa ser o f. Eleuterio Ro-
hwtt do Espirito Santo.
lo) rene porlugaez e ferare para criado,
dando fiador a hm fuete : ta HeeessKar, dinja-se roa das Onz.s n. 4
|e tierna
Precisare
as pessoas de disposiC3o escrofulosa ap- K^m^^ar &&: TTrSStie wd0 '^w conc-rto-
^mfreqoenteme'nteerupcSus na pe?, SfCg%S^ l'to ***** """""
a rabera i' ijiitras nartis do cornn. sao un'- :......__T ^! ^^'f*f% nAltrn n^nrm
Freguezia dos Abgados
Escola pnb'ica do
O abaixi .issignado faz
A consmuinte." Prepa-
m .iMiliiin i ros antecedentes. -ConciliacAo e opposcae parla-
c.vo ni itcuilliu. mentarMonta a lisa.-O que sao os liberaos na
.^signado raz sciente aos pas dos; liga.Que Iwtt farao os liberaes ao paiz.-O pro-
-alumnos que s. achara no exercem da seu ma-: g?esso--Sus feito.-0 que o progresso e e
gisteno do da 26 do corrate em d.ante, na mes- fot-Como se deve viver nesta trra e-cheCada
i ao progresso.Porque o progresso s vem com-
pletar nossas desgracas e sem mais remedio.Se
:na casa em que tunecionou seu antecessor.
O professor,
Vicente de M. Mello Jnior.
Precsa-se de um lorneiro para V. S. do O'
Jelpojuca ; a Iratar na ra do Rangel n. 9.
ha salvacao para dos qual seria o meio e bem fa
cil.-Resumo.-A's cinco provincias pernambuea-
nas. Histrico e poltica corcunda. Deque pro-
- Precisa-se de urna ama que cozinhe el^ !?m a -mis,eri?" _*_ corrompe na eleicao.-A
omme para casa de pouca familia : na ra do _!fSS? <, li,,f1rdade i|"H Pogreg-0 immo-
morim n. 41, segundo andar.________________ '
.ilberl (^allier, subdito belga, relira-se para o
Rio da Janeiro.
Na casa n. 3, sita na ra do Aragao, cozioha-
se com perfeicJio.
Precisa-se -lugar um moleque para o serv-
co de orna casa de paste : na ra das Larangeiras;
numero 10.
Antonio Lourengo Teiieira Marques, subdito, I
portuguez, vai Europa.
Dugald C.
Rahia.
Smpsom, subdito inglez, vai
Afi. I.Kii.i /). rnt I cont um flhu moaof rvtir.t
se para Franca.
Precisase de um caixeiro para um deposite
DO pateo do Carino n. 43, que de fiador a sua con-
ducta : a tratar na ra Imperial, padaria n. 51. i
I'recisa-se de una ama para comprar o ce-
'inliar para RtM de rapaz solteiro : na ra do
Queimado n. 7.
Existe na ra .1o Fugo n. 'te urna carta para
loaquim Francisco da Silva, vinda no brigue Es-
pnranra.
Precisa-se de urna ama para moco solteiro : i
na ra do Imperador n. 13.
Aiu;.m se um segando andar e solio com
commodos para grande familia, tendo sido ha pou-
numero 8 I!.
Precisa-se de urna ama para todo servieo de
casa de pone familia prefenndo-se escrava : no i
pateo da matriz de.S. Antonio n. 8.
de pouca! oo p (lo arco de Sant i Antonio
tratar na
Joao da Silva Ramos, medico pela Un
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
en suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serlo soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem* no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de sade regularmente
ioqiaJm pmra roccljor i|ua|fjuwr doeale,
anda mesmo os altanados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquor operaco cirurgica.
Para a casa de sadde.
Primeira classe 3O00 diarios.
Segunda dita.... _500 >
Terceira dita.... _5000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bous servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianza de que sem-
pre tem gozado.
parecem
dai cabeJpa e ontras partes docrpo, *p iuMfWi *w5w3p^ m;
dispostas 9affec(u mw*"**4 tef vera da diSi Ke 2 a_to4
do. dos r*m e dos orgias gqstivos e ule- 486: u"^- "l<>. o
rinos. Portante, nao smente, aquehes /j j-jw^-^
que padecetn das formas ulcerosas e tuber- _-o_-__ ______!_! t,.if
cablas da escrfula que necessitan t pro- Asstf^o^Henry M :P
teceo con.ra S se35 estragos; todos,- S^lZ C
quelles em cujo sangue mista o virus laten-: -j
te d'esle tuirivel fl
ditario) estSo expo:
enfermidades que elle causa, que sao :
de 800$ a juros, dndose hvi*l>ec em tima es-
fndependencia, loja de ounvee erava mor. com urna cria :'u.e,n liirer dar an-
sa obras de uuro prtft pedrae nMW ,,av_ ^ profIIfadl 4' l^u,u,
preemsas, assnq eone se faz qnalnoer obra de en- -------^----- ___________. _
O abaixu assignado rnudou-se para a ra do
SeK> ao virar para a feledada a. _7, aonde \ie
Mp procurado, e para ana ch#iru ao omheciwcnto
do Sr. Marcelino Jo> L^|>e.s facu v pretote era
qur- me assigno, e quando ca>o qtieira, l'.l<-. man-
dar buscar a relogi.i de que irala, e maadaadu
competente recibo que a acha de pesvui dHIe. Re-
cif-- ti de agosto de 18t5.
Caelano Uoretra P^nti.
00 PODER MODERADOR
llaccllo (e s vezes hpri- "e*wa' *ePr ama que saiba coz-
iidgtiio (e as ve-es. c neii nhar, |reteriBdo-e escrava : na ra da .tpen-
oslos tambem a solrer das triz n. 40.
iHnkeirit a juros
A phthysica, ulceracOes do figado, do es-
tomago e dos rins : empees e enfermida-
des eeuptivas da cutis ; rosa borbulhas, pstulas nasudas, tumores, ?7<-
H.NSAIO DK DUIKJTO CONSTITCCIONAl.
Contendo a analysc do Til. V Cap. V da
Consti.tuit;ao do Brasil
..rEL", 1,o Antonio Carpioteiru di Srtv, wv seu
W*. Paz HmHlttM Heur't|_esieSUZa procurador nesta eidade. vete declsrw jMica-
l**iee 4ireito citii na Faiuldatte de Bkeilo _le_!f (l,ie nad;* **re a B,,|lt" Antonio Ciri.iio.-iro
ilo feciff. rta 8|,V*' ao contrario eredor, poto qoe j.i proles-
A randada e importancia da discussao ultima- _* c,inlr* :i mriusoo de sen nome t:i ndftrio de
ante levantada na corte acerca da nalureza e devedores que foi em edital .ixtrahido tl>> utos
liasites do Poder Moderador, e partleularraeuleI. OT.ecov* *o$ Sr*. Tasso Irmao<; publieado no
acerca da responsabilidade dos ministros de esta- D'"r' "" feruninhuco d^ 18 do curren!.
Na ra do Wvramento n. 20, se dir quera d io P*,os acUw Pfoprios desse Poder, desporlaram
H)J 4 1:0005. no autor o desejo de emittir lamben a sua humil-
de ofHiia a respt'ito de um assumpto tao 1110-
meotoso. Nao merend porm faeer inteirainente
ieoj
OfTerea-se uem aaia par cas de tamila,
cumacarbunculos. ulceras e chuga. rkeu- X T$?r^*- SV^ef_ .l *- *
matismo, dores nos ossos, as costas e na ao
,cZ 1 Ft > nu-,1 T(" q *m qW d4",a'Se lw lad0 'at **** rasileiros sabe-
pateo do llo>pual i. ...___________________ r_ cardar aluda por nimios annos a bella consti-
cabeca, delnlulades fewwws. flores bran- Anfkni(\ Ltt lie 01 inpira A re- tui?So HHica, a cuja sombra tem prosperado o
cas causada pela ulceraco interior, e en- /iluu,llu ^*- ,iC UUOCtia AZG imperi .
vedo & C
As^le. do Banco tnio do
ferinidades uterinas, hijdropesta, indiges-
to, en Iraqueament c debilidade geral.
Aos pulrnes a escrfula uroduz tubrcu-
los c finalmente consumpeao pulmonar : os paquetes sobra o mesmo Banco para o P
as glanulas ella produa incbaces e tornan,- ** ?ffi Tt^L
Competejiteiueute autorisados sacam
Porl.
por todo
Londres
Pari
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevillu
Valencia
39
&
LIVRARIA ECONMICA
Ra do Crespo n. 2
Precisa-se de una ama para casa
i'amilia, que sailia lavar e engommar : a
botica franceza, ra da Cruz n. ii.
Obras u i lima ni piiIp ir -eludas
UTTERAJRA.
Que precisar de urna criada(portugueza)para
servir era-casa de al^um tienten] solteiro : dirja-
se na Capunya ao sitie do Sr. Alhiiquerqne. Historia da Fundacao do Imperio Bra-
luga-seo 2 andar do sobrado n. 71; na ra : sile.iro P* J- M- Wcira da Silva, pi-
do Imperador : a tratar na ra do Crespo n la. I ",eiro v'.......
------r-=r-_;53;t-tt-.:-------------------1 Calatiar, historia brasiletra do seculo 17
ti Sr. Sehastiao Jos Peixoto tem urna carta' or J S.
se ulceras: nos orgaos digestivos causa
desananjos que produzem indigestio, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz erupcoes e affecces cuta-!
ueas.
Todos estes males tendo a mesilla ori-
gem, carecem do mesmo remedio: a sa-
ber_: purificar e fortalecer o sangue. A^osTval de
A salsa parrilha de Ayer Vez.
composta dos antdotos rnais efficay.es que t^"f
a sciencia medica tem podido descobrir, ^S0**
para esta m lestia assoladora e para a cura Befo '
de todos os males provenientes d'ella que Bra*.
contera virtudes verdadeiramente extraordt- Hraaanea.
narias piovado inconiestavelmente pelas 0"^
cutas nolaveis e bem conbecidas que tem meis.
feilo de tumores, eruped^s cutneas, ert/si- PeoailejL
pelas, borbulhas, nascidas, chagas antigs, Tav'ra'
. entendeu que prestara melhor servicoas
letlras. e seria mais til em particular J mocida-
1 de esperanzosa do p_iz dando una analvse ou
, commentano aprofundado de todo o Cap.' 1- do
Til. V da Constituicao do Brasil, Irabalho este
5 para que o tinham habilitado os seos estudos co-
mo lente da Ia cadeira do 2" anno da Faculdadc
sebre Bauh of f/indon. de Direito durante quasi dous annos.
Frederic S. Balliu & C. Deste modo so depois do analysado o referido
Joao Cabe & Filliu. i captulo chega o autor a tratar da grave questo
Francisco Ralioba & Baliista. | cima indicada, devendo sem duvida esle metliodo
Jaime Meric
Manoel Carpinleiro di Silva te lo vi^ seu
nome Incluid 1 no numero dos credoresdo Sr.lien-
to Antonio Carpoiteiro da Silva, dectara naia de-
ver a esle senhor, tanto qu^ contra snmalbmil de-
bito imaginario protestou peratia o l'Hm. Sr. Dr.
jujz do cumiiiercii) na respectiva eseenru.
" ~ 'f0^ '"ernand.-s Morciri nada d-.v ;i sVoto
Anlonio Carpinleiro da Silva, pelo que ialsa a
verba que no edital inihlicado oeste Din .> 110 du
18 do correte se. refere ao .loiiiiuciante,. e |>ir cu-
ja falsidade protesta na execuc/io a que .-~ fidjc
o inesuiA edital.
PrecUo-sa da una ama Mcravii par mfom-
roar e rozinhar para pouca familia : na na do
Brum 11. 70, segundo andar.
O Sr. Jos Ferreira
nha a inndaded'1 mandar
nlo de Magalrraes te-
IU vira rna dCrui|i.
d'A/.e-
Credito commercial.
< Gonzalo Segoria.
< M. Perera Y. Hijos.
Em PonTcr.AL.
Angra Terceira.
Caminba.
Casi.-ll^ Bramo.
Chaves.
concorrer para habilitar o leilor a conhecer muito '/fT' "ma ('am vm,h *? Pa"hiba:, a qual
melhor a nalureza do Poder que >e discate, e a : mo.s'*lhp tm *a**SM Por ignorarse soa mv-
uleernf, rlieuma, sarna, prelas, hijdrope-. yffo %
sia, tosse quando cansada por depsitos tu-
berculosos nos pulmr.es. Debilidade ge-
ral :ludigslO, Syj'liilis constitucional e
molestias mercuriaes, molestias das muje-
res, Orceraces d(. tero, a nevralgia e con-jo
Vlces epilpticas e em Sltmma. toda serie i Banco a razao de i por cento ao anuo :
Coimbra.
f.ovilha.
Efaras.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinlial.
I'orlo-ahgre.
Thoinar.
Villa Nova do
Piirtiinao.
de Visea
S. Antonio. Faial.
No lilfKIllO.
Babia. Maranhao.
un. de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo on vsta,podendo logo
saques prazo serem descontados no mesmo
Figueira.
Guarda.
Gnimares.
Lagoa.
La^os.
Laiiieiio.
I."i 1 .
Moncao.
Moncorva.
Repoa,
Sel u bal.
Vi.-uina do
te I lo.
Villa peal.
Madeira.
S. Miguel.
rada.
Jos Denis, subdito portuguez, retirase para
formar com seguranca um juizo acerca da respon-
sabilidade ministerial, polos actos delle.
Am de dar ao publico uma idea da ol.ra, alga- fora ',' 'nr'o'iic'ia^"
mos conveniente Iransorever-aqoi a somma dos .__.!________________________
diversos captulos que a compem. Precisa se aiugar uma escrava de ntem ide-
Depole do competente Prefacio, segue-se-Cap. 'de para o servico de uma ca-a de duis pes-soas:
1" Da necessidade e importancia poltica do Poder. a tratar na ra Direita n. 84, luja.
Moderador.Cap. 2." o Imperador romo orgo --------------:------------------------------------------
do Poder Moderador.Cap. 3." Da nvioiat.ilidade A Ca 1X4 filial do Loildoilt BradMiM
dapesso do imperador.Cap. .. Das atiribul- '; Bank saca SObre I.ishoa e Porto, ;i |il'.lv.>OU
(oes do Poder Moderador.Cap. a." Do di-' ysja
reito de escolher os Sensdorps.Caj. G. Do direito
de convocar extraordinariamente a Assembla Ge- f^MlWimiml te'5alliiS5^?l _?S:"^__}Ra33
04000
na praca da Independencia, livraria ns. 6 e 8.
jior J
ene.
Meudes I-eal Jnior, 1 vol.
- Alugase a lo adacasa n. 40 da ra das Tri-1 Tbeatro do Dr. Joaquina Manoel de Ma-
cheiras : na ra da Aurora n. 36. cedo, 3 vol. ene......
Obras de M. A. A. de Azevedo, 3 vol. ene.
Precsase de uma ama forra ou
que lonha bons co-tumes, para lodo
uma casa Je familia : na ra do Ar
escrava. e
"2^nsM_^*fc*G-deMaga'
,,.j *; Hatee, 1 vol.......
-" i Mocidade de I). Joao V por L. A. Rabello
Mtio na travs-! da Silva ,3 vol......
.-vluga-so a casa com pequeo sitio na travs-! da Silva, 3
a de Joao Fernandes Viera, em que morou ult-1 Vm anno a corte por J. A. Corvo, 3 vol.
Os Miseraves, por Vctor Hugo, 10 vol.
Crimesespantosos, 2'vol.....
Mariha de Dirceo. ntida ediccao, 2 vol.
mmente o Sr. Thomaz Cmilier : no armazem de
Samuel P. Johnston o, C, ra da Senzala Nova nu-
mero 42. ____
Frederiro Fierre, Vicenso Thader, Demetrio; Historia de Napoleo, com esUiapas, 2
de Giovani de Francisco, subditos italianos, reti-j vo'.........
ram-se para fra da provincia.
5000
95000
9*000
3|O00
8*000
85000
16*000
6*000
6*000
Cozinheiro.
Precisa se alugai um cozinheiro, prefenndo-se
livre : na loja d ra do Crespo n. 18.
Quera precisar de uma ama para casa de
bornem solteiro, procure na ra de S. Bom Jess
Jas Crioulas n. 23.
- Francisco Deblages e Genasio Marcicaao.
subditos italiano-, vao ao Maranhao.
1*500
1*000
Precisase de uma ama que cozinhe e com-
pre para hornera solteiro, prefere-se escrava : na
ra do Queimado, n. 41, toja.
Precisase de um hora criado para tratar de
v.avatlos e outros servicos em uma casa cstrangei-
ra, e pagase bem : na ra da Cideia do Becife o.
10, loja de relojoeiro.
17Ra da Imperatriz-l?.!14.
,. 1 t 1 I Alugase o rimeiro andar do sobrado da ra
JS-S-teJE MaT' Su?*? d J!asc""en, Direila n. 82, com bons commodos para -pouca fa
precisase deoBlnaes de alfaiate para obras gran-
Obras poticas de M. I. da Silva Alvaren-
ga, 2 vol.......
0 Outono, poesas de A. F. de Castilho, 1
vol.....
Bevelacoes, poesas de E. A. Zaluar, i
vol.....^
Peregrnacao provincia de S. Paulo, pe-
lo mesmo, 1 vol. .
A morte moral, novel la por A. D. de Pas-
cual, 3 rol. ......
Agulba em palheiro por Gamillo Castello
Branco, 1 vol......
Visao dos tempos, Aniiguidade Homrica,
Harpa de Israel, Bosa Mystra, poema,
por Theophlo Braga, edicao, 1 vol.
Cynismo Scepticismq e Crenca, comedia
por A. Cesar de Lacsrda, 1 vol. .
ilm dtslas o', ras recebeu mais, de litteratura
franceza, portugueza e braseira, as quaes vende
precos muito razoaveis.
5*000
6*000
4*000
5*000
0*000
6*000
2*000
des.
Losioio '(cotao, Hebeh Guiseppe, Carmelli
Juisepe, Lando Gui*epe, subditos italianos, rcti-
ram-se para fra da provincia.
Uma pessoa que lem oeaheeimento de escrip-
iiraro jior partidas dobradas se oftarece para es-
orever em alguna casa de comraercio i quem pre-
eisar annuooe ou ililije-se rua das Prr-s n. 39.
Aluga-s* uaHa' 1 reta que Uz lodo survico de
milia : a tratar na padaria o. 84.
Precisa-se aiugar nm preto para o servico de
casa : na rua da Cadeia do Recife n. 20.
de enfermidades que oascem da impureza
do sangue. Vede as cerlides no Alma-
nack e Manual de sade do Dr. Ayer que
se distribue gratuitamente nos lugares onde
se v.endem os remedios.
Este remedio o frocto de lorigas e labo-
riosas experiencias, e ha abundantes pro vas!
das suas virtu les: poslo que offerecido
ao publico sob o nome de Salsa parrilha,
composio de diversas plantas, algumas das!
quaes sao superiores a melhor salsa parri-
llia no seu poder alterante.
PEIT0R.U. DE GEREJ.1 K AVKK.
I
Cura promplamenle a astbma, bronebite,
tosse, defluxo, angina, coqueluche, j
phthysica primaria, tubrculos
na rua da Cruz n. 1.
w.mmmmm
m
0 Dr. Carolino Francisco de Lima San-
! tos, contina a residir na rua do Impe-
rador o. 17, _" andar, onde pode ser pro- )
curado a qualquer hora do diae da noile S
para o exercicio de sua prolissao de me- 9j
dico ; sendo que os chamados, depois de )
meio da at 4 horas da tarde, devem ser'S
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o esludo das 1
molestias do interior, prosegoe, com o ^
maior allinro, no das mais dilliceis e deli- jS{*
cadas operar;oes. como sajan dos.orgaos mt
ourinanos, dos olhos, partos, ele.
: ral. Cap. 7." Do direito do sanicao.Cap. 8."
direito de approvar e suspender as resolm-oes das
Cas- As/emblas Legislativas l'rovnciaes.Cae.'9." Do
direilo de prorogar u adiar a Assembla Geral. e
dissolver a Cunara dos Depulados.Cap. 10. Do
j direito de noniear e deniitiir livremente os Oiinis-
, tros de Estado. Cap. II. Do direito de suspender
os magistrados. Cap. 12. Do direito de perdoar e
moderaras penas.Cap. 13. Do direito ile conce-
der amnistas.- Cap. 14 e 13, Da 1 responsabilidade
absoluta do Poder Moderador.Coiiclusio.
Acaba de sabir a Incesta inleressanti publicaeo,
a tratar j em ura velume de litio paginas, e adiase renda
I as livianas de J. NogueiradeSouza junto ao arco
de Santo Antonio, e dos editores Guimaies & Oli-
veira, pelo mdico puco de 6*000.
>fi(__n_K-K_Bri_: aae. _
- mmMm
"' ron it
husmo
BSBft
O hachare!
d*j.'prv.Hiruturios
Obacharel A. R. da Torres Bandeira,
professor de gcographia e historia ami-
ga no Gymnasio desti provincia, conti-
nua aensinar philosoplua, geo_rapliia,
rhetorira e as linguas franceza e ingie-
ra. OTercce O seu presumo especialmen-
te aquelles moros qoe si- qnizerem pre-
parar em qualquer dess disciplinas para
os exames em novembro iio corrente au-
no, ou em marco do anno futuro.
Oen>ino dado pelo annanrianle na .
casa d.f sin residencia, rna d i< Cruzes 1
n. 9, segundo andar.

Francisco Angu-toda Costa
ADVAGABO
no Imperador numero
** >_.
6"J.
99g
m
*Mf.
Wlmtmcswtmt
Precisase de um caixeiro de idado de I.
13 anuos, que lenlia platica de taberna e que dd
fiador a sua conducta : a trelar na rua da Praia
numero 13.
pulmonares e todas as
moiesas puimo-iAdvogado Alfonso (le'Aibu-
Alliuia os etbicos declarados. querque Mello,
Todas as molestias da garganta, lio peito; pode ser procurado a qualquer hora; as sextas*
e dos pulrnes pdem ser curadas em pon-1,eiras porm, na villa do Cabo,
co lempo pelo peitohai. dk cehkja uo dr.
Aluga se a loja do sobrado da rua Velha i.
\a Pila esli'Cltd 00 OSariO II. 34 !,:l-a 'lual bastantemente grande, e se alega por
prego commodo : quera a pretender, dirija--
propietaria que reside no sobredito sobrado.
Wm. Dugle, subdito britaumeo, retif-se des-
la provincia.
AVISO.
O consulado dos Estados ('nidos acha-se mudado
da rna do Trapiche n. 8 para a rua do liiqicr.vlor
n. 3, priiKciro andar. Cara a verifieacau de fac-
turas, devero as mesmas ser .presentadas _i ho-
ras antes da parlidado navio.
II'. //. Me. Grath.
Cnsul interino.
Hara Josefina Caudida Morcira, subdita por-
tugueza, relira-se para a Europ.i, levando em soa
companhia a sua filha Adelaida Francisca Uoreira,
menor de h anuos.
uma cas tnaao* e*nroi*isar
Cra* do ttt*rfe i.
a tratar na roa da
CoMpaabla fl HCgnros maritimos e ter-
restres eittabeleelda no
Hla de *aaelro.
M-EMKS RM FUgriUIMflOO
Aatenio Loiz de Otiveira Aievedo A C,
cowpetentemente autorisados pela direc-
teria da cowpannia de seguros Fidelida-
de,-iomam-,)wsjteos desvos, mercado-
pr-diVainVi^u escfpforjp rua da
r. n .1.
- Pre.;iai-ac:itV!l_^i nienno 4os cliegados o
Nrijfue F.pft*ar-i poca taberna : na rua da Guia
aurnero Vi.
AVER.
A' venda ras principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro rua Direita n. 15.
Vende-se. em Pernambuco:
na pharmacla franceza de
P. MAURER i C.
RUA NOVA N. 18.
Manoel Azevedo de An-
drade, Antonio de Sotiza
Eego e Domingos da Silva
pampos, tendo comprado e
reeebido em pagamento qna-
h toda a heraneu que fleo
por allecimento de Jo:s
E-pl.erraannKoesing,cidado bremeos,, v^U,^emoti() p^^ Jj^^
4Tn lie hite ultimo administrador do ex-
aua^^Ze%T!u^^ morgado de Alagoaa
Na livraria n. Ii e 8 da praca da Inde- OU de S. FrailCSCO, COnimU-
pendenna existe urna carta de importancia fnroiPnc An* oA-
ii.anoSr. Antonio Fernandes Corredor, niiam dOb IOreirOS (IOS S*>
Permutase p ir qualquer dos lugares desla 108 pe_*t^UCenteS fl-0 rfindO
^rdS&lu^ morgado que o con-
>edra e ral, urna na v "
.ivramento n. 18, com
encio
A
Quera precisar de urna aun estrangeira de
boa couduct para engommar e lavar roupas linas
e tratar de meninos : em Fra de Portas, roa do
Pitar n. 111.
Alujase muito barato antas poucas de ineia*
agnas pouco acabadas de edificar na entrada d;
I travesea das narraras, do bairro da Boa-Tislj
! a iratar na rua do Qotovello n. io.
Frecisa-se de uma rriada livre ou esowva
que saiga coziutar e engomuar : M rpa das CU Na rua da caixa d'agoa appareceu agora um
n. 2,jjfjijejFo andar. j nslrumtnio de som anglico, muito cima do forte
piaflp, elle tem cordas e se aliaa por um pslao de
I cylindro que d 10 tons em s b.; o habilidoso que.!
- toca ri hcxjes jjratis porque vejo tanta gente junto
Ascurja de p*ij>rte.
ClaudiM do lleuo Lima, despaitbanV? de passa
porte, lira-os para dentro fofa W wairfo ftpt \ porta a ouvir, que priv'a"andr-se na rateada?
commwlo prej e prevteza : na rna % Praia n. beo, nao ha duvla.e se canta o joven com a sua |
\l, prnteiro awar. bocea lamba e o _yp no agudo, ento ninguem
dormel que tal o da msica, e o uosso theatro
pedimos ao inyector da na
I
eidade do
Vista, por
'^^^Me^^M%o^Swenhor da heranc Manoel
^r^T^l^X&^^Ti iV^evedo de Andrade se a-
margwn do rio. Outra na eidade de Olind* ua
ruado Amparo n. 9, con ame boa sala, dous
quartos, coziuha e quintal pequeo, por outra que
f-tenha iguaescommodos, anda que venita-o anniin-
arrte a voltac atguma cousa, moslrando-se esta
cha autorsado a receber os
foros e laudemios, bem co-
voltaj atgum_a cousa," mosrando-se esta Tnf. flSJ /.../I. A nvaAi\i \
permuta fifre e desenmaraada de. hypotheca: mU ab ItiillUS UOS prefllOA,
Vjaem tiviT (i W ca* em nm dos lugares mencio- a fk /aimiaAn t t_ > i vi,.
nados, Hrija-se roa do Sol n. VI, nrintefro andar. V *} O IjUljWl^lirie ^UM [Mltr
que achara com quem tratar, e se dir a rszo por env t*Ap}a
.que ce faz esta permuta. ^H l cuiut^.
- freciHAbi9v- um* amaina co?wr
em casa de pouca familia e lmbelo um uioleuue: ^amv' ***""""..
na rua do (* t 4MWU' Uf" que faca os (aos jovees azert-ui os seus ensaios na
^z*^7'--' .. -t detenco, pos o lugar bem fresco c os accomino-
1'ii'i'i iliiifiiwtiwi. escrava para o dar bem.At logo.
DENTISTA DE PflRIS
49Rua .Nova -1.
Frederieo Gautier, cirurgije degista,
faz todas as operacoes de. sua arle, # cu\,
loca dentes artificiaes, tudo com superio-
ridade e perfico, que as pessoas enten-
Ididas lhe recouluiccra.
Tem agua e pos deotificio.
servierti moa p|uena familia
r.a n. W, primero amlar.
na- rua das Cr-------
tenavi.
Oferece-e uma senbota portal*
guna para \fiXjit da educaco de
iutfiniu. eta aiguina casa de l'aini-
nn: n?.nn da Ci'leii do Recife n.
'i*, ix'iueeii'u ulular.
soaquifn Gomes Deur*4e fetira-se pata Por-
bigal iijfalar de sqa saude e r)ei"^a po/ seus nnjr
curadores a sT jijliotfiomes _foj_raiL_. Joa-
qun Concrfves fidlcadn
Ahneida Tocas.
qtiira Conc-fves fj_lada e Antoaio' Sorgus ^e
f^?-'s'4"toi escravs. pT? OJSC.V
terno e externa ae urna casa, pagando-s "
por roez : ry rua do Queimado n. J9.
>5oVi-ques Uesinli gurado d-bito inserto no o liial publicado neste
Diiin a eoi 18 do correle, que conten as divida
activa- de Uo.'ito An'oaio Carp-mt-ira i da Silva, pe-
nboradas por exeuucao dos Srs. Tasso Inicios, vis-
to 'pie 114.1.1 d.-vo a i indicado Rento.
Heoa||iareceu Bo sahtiado. 'iO do correte,
nm menino de cor parda, cabel-os enrrid-w e ver-
melho-, bastante amaretlo. ^agejando no faltar e
Aluga-se a casa da rua AugUla n. 22, com
i grandes commodos, soto e grande quintal com
porlo : a tratar na secunda casa nova e sem nu-1
mero em frente ao porto do gaz.
Trocain-se lelhas por lijlos de alvena'ria
grossa, faz-se bom negocio : a iratar na rua do [
Mondego, olaria n. 13. __ _____
Quem annuoeiou querer comprar um braco
e conchas de batanea, dirija-so rua do ilondeg'o. | ''
olaria n. 13.
mmmmm mmm mmwmm
Maques avofere i'oriugal.
O abauo assignado, autorsado pelo
Baes Meccaulil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca of-
hc va mente por' todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer somma a vis*
f,.e a prasj; podendo, os que taimaren
saipies a prso,re(vberem avista, no mes-
mo Raneo, descontando i OjO ao anno: na j
loja de chapos da rua do Crespo n. 6, ou 1
na rua do Imperador n. 63, semno ao- 1
dar.Jos Joaquim da Cosa m
_iS23<_
t^/iTi)
o Is
w 1^
O
Joao l.uz Gonr^nve/verlo rm *D.oo n. 188
no eddal do llbn. Se. juiz. especial docommeme
3--RCA ISTB-TTA DO ROSAR--?
Francisco Pinto zorio coataa a col-
! iocar denles aHificia s unlo por nieiu de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cele paga atguma seu que as obras nao
firmem a vontade de seus donos, Una ij>
outras praparacoes as mais acreditada a
para conservjfo da bocea.
RELOT.IOS,
anMMeimd a ma das vtidoi ,d fallido lien-
to Antonio Carpinleiro da Silva, oara o dia _t do
com falta de um dente na frente, terca ramisi iu',^en,,' 5 .c? '44WP ,*e..ro!'rJe v.isse
e,rmdba, e livre, sendo que IH annos de ^>u noifte debitado |>clajjuanlu de'1,0*480, declara
idte: quem o encontrar queira leva-lo sual-*,,^em P0888 """*>*** q* nada deve ao dtto f Viri<, I. 3. um lie.lt swrti-
rMmAwhtW- ... L^rZS^M^m,n ui>eri --r.-^. _Tc_n--------- g4ez, de nm dos,niais afamados tal.nicaflles
VentLe-se. ra casa
d J>istn Patr 4
fmt>erial n.
270, caiada e pintada de n >v), quintal mralo
at a beira do rio. com hanho : a tr*d9r*se jnnte
ou na roa da Roda n. G.
I!. Grosz vai para Ratea.
-Ategwe.Wa s^oln^tea da'rua'daTs- je Liverpool, o tambe ;Ma variedade do
| suropeao n. 60 : na travessa de S. Jos n. 2*. I boninsttrancelins para OS mesmoslt

.-te
di
ILEGVLV
"--te
jsssa**-**'"^


Diarlo de Prrnaafcuto ... sexta lelra Msfle Agosta 4c 184
COMPRAS.
--------------------" T ---------'------------------------------------
Compra-se ouro e prala em obras velhas
daga-se bem: na leja de Lilheles da praga da Indt
pendencia n. 22.______ ^^____^__
Compra-se couro de carneiro : na ra larga
do Rosario ri. 10.____________________________
Compra-se eflecti va mente
oaro e prata em obras velhas pagndose bem :
na ra larga do Rosario n. 24, loja de onrivcs.
Compra-se cobre velho : na ra do Brom nu-
mero 78.
Compra-sc
As seguintes obras de Maredo :o Mogo Louro,
a Rosa, os Dous Amores : que as tiver annuncie
para ser procurado.
VENDAS.
30
!Z.1UI!4J |.)!HI.Il|,|
ODipUVJSJ Ofsnut 9y 9]V\00Ml'J
P. MflURER & C.
18-Roa ^ova-IW
vi:.\ni:.u-st;
as seguintes obras: Garnier, Economa po-
ltica, i vol. por 2#000; Mackeldey, Direi-
to romano, 1 vol. por 4; u Camroy,
Commentario do cdigo civil francez, 2 vol.
por 8(5000; Racine, obras completas, 1
vol. por 8000,5; G. Mass, Diccionario do
contencioso commercial, 1 vol. por 6$;
Chabot de VAllier, commentario sobre suc-
cessoes, i vol. por 6$; A. Arnaud, obras
philospphicas, i vol. por 2^: Sanvage-Har-
dy, creacJio de bancos de deposito. 1 vol.
por 2; Loms Mane, organisacao do traba-
Iho, 1 vol. por-2)5; na ra doJCabag loja
n.2A._________
COMPENDIO DOLOROSO
que conlem o ofllcio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e olerecer a co-
rda, um setenario e mais outros exercicios
de piedade e devoco ; ordenado pela ir-
mandade dos serves da mesma Senhora,
que se acha erecta na egreja de N. S. da
Penh do imperial hospicio dos reveren-
dos padres missionarios apostlico* capu-
chinhos italianos de Pernambuco, approva-
do por S. SI. L, que Deus guarde; dado
luz por devoco do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
---------------------------------------------------------------------------------
Livro de oracoes.
Vende-se 1G0 reis, na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia, um liviinhocon-
tendo o seguinte : louvor ao santo nome de
Deus, corda dos actos de amor de Deus, ora-
ces c petices, hymnoao Espirito Santo, co-
ra do Senlior, aviso qualqucr alma de-
vota, desengaos da vida humana, hymno
de Santo Ambrozio Nossa Senhora, jacula-
torias ao Santissimo Sacramento, exercicio da
via-sacra, commemoracao Nossa Senhora
do Carmo e ao SS. Sacramento, directorio
para a oraco mental, dividido pelos dias da i
semana, obsequio ao coracao de Jess, sau-
(Jaces devolas as chagas de Chrislo, ora-;
cues Nossa Senhora, S Jos, ao anjo da
guarda, Deus em obsequio qualquer san-
to e para a noule, c responso pelas almas
do purgatorio.
Vende-e das seguintes marcas:
(E El
Semth< C e C }de FF o barril por 155.
v.uuu-.-9 tino
(E El
.IhjCeC >c
P N i C. de FF o barril por 15?.
P diamante de FF o bal ni por 145300.
De superior qualidade FF 2 espingardas o barril
por 165-
Chiimlm de municao de toda a grossara arroba
35300.
No armazem de J. A. Moreira Dias a ra da
Cruz d. 20, onde encontrarn as amostras.
Esteiras para forro 85"i rs janla
Na ra Nova de Santa Rita annazetn n. 19, e
na ra do Crespo loja n. 17.
Vndese massa de mandioca muito fina pa-
ra bolo e papa a 300 rs. a libra : na ra da Santa
Cruz n. 21.
Vende-se um sitio no principio da estrada de
Joao de Barros, na proximidade da nova ra que
se abri, com duas frentes, proprias para edifica-
res : a tratar na ra do Crespo n. 20 com Alva-
ro Augusto de Alineida.
Vende-se a fabrica de sabo da ra do Ran-
gel n. Hi, propria para qua'qner principiante por
ter poneos fundos, e ser negocio de vanlagem ; o
fabricante obriga-se a ensillar gratuitamente a
quem a comprar a maneira de fabricar o sabio,
garanlindo-se o aluguel da casa: a tratar na
mesma.
Vendem-se duas casas terreas na travessa
do Pocinho ns. 5 e 7 : quem pretender, dirija-se
Boi-Vista, ra Velha n. 52, que dirao quem os
vende.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz de primeira qnaUdide a
105 a lata : nos armazens da ra do Im-
perador n. 16 e roa do Trapiche Novo n. 8.
Nova liquida#io.
Pegas de algodao superior com un pequeo de-
feito a 55, dito com 20 jardas a 65, dito com 24
ditas, largo, muito superior a 65500, pecas de
cassas para tobados 011 cortinados, em tora esta-
do, e com 10 varas a 25, toaihas brancas adamas-
cadas e quadradas de cambraia a 500 rs estoupa
larga a 440 rs. a vara : chcguem a estas pechin-
chas antes que se acabem, na loja do barateiro,
ra da Madre de Dens n. 16, defronte da guarda
da alfandega.
INJECTION BROIf
PERFUMERA mdico-hyginica
De J.-P. LAROZE, Qulnico, FanucitiM t la lesela Miecial e Para
Estes productos son el resultado de la aplicacin de las leyes de la higiene I la per-
fumera, que se eleva v convierte en farmacia de la belleza, encargada de atender ala hi-
giene del cutis, cabellos y dientes, que todosson drganostan importantes; sirven para evi-
tar y destruir las causas de las enfermedades que sn hermana primognita, la farmacia
propiamente dicha, est llamada curar.
"f DcrnrRico para carac inmediatamente
los dolores de muras; el frasco 1 ir. 25
roLvot DBirrmucos robados, ron base de
magnesia, para emblanquecer y conservar los
dieut'-s; el fraseo........t fr. M
oriATA DBamnuoA. para forBcar las encas y
evitar las rtarralfias dentales 1 fr. N
ocalaTrro MIUX, para corar los dientes ca-
riados antes iW la emplomadla, y evitar los akce-
aos y dolores; el frasco coa el instrumento, a (r.
ASMA liooodbjiibA, para conservar la ker-
narara de la tea y las funcionen de la piel; el
frasco.............S fr.
bsfibitu asi ans xcmriGADO, complementa
del tocador da la boca despus de cada cornada;
el frasco...........1.1 r. 2 5
jaso* Lttnnvo medicdial, para el tocador;
a la violeta, almendras amargas, ramillete, etc.,
el )aboa............1 fr. 50
jABoar lenitivo medicinal con yemas de
huevo, para evitar las grietas en el cutis, hendiduras
y enfermedades de la piel-, i la violeta ramil-
lete, etc.; el Jabn.........a fr.
oBiatA a* ja UaOTrvo MiBionu en
polvos. Is especial para la barba, como tambin
para el tocador de las mugeres y nlfios; al
aooa LOtTmAl, para conservar y embellecer sm
cabellos, fortificando sos raices; el frasco S fr.
a cene di a vx llamas nanuao, para re-
mediar a la sequedad y atena de tos cabellos; el
frasea.............* fr.
vixasu dsi tooado icrunio, renom-
brado por su suavidad y accJoa refrescante; ai
frasco............ I fr.
col csuiAaa mnrnmtom, para caasarvar al cdUs
Manes, fresca, difano, y evitar las coaaecuencias
del uso de tos afeites; I bote. 1 fr. M
ACDA DE COLONIA llKWO coa mbar ato
l. U estabilidad de su perfume la hace buscar
Ka si tocador, safios locales y generalas; el
sea.......''....... 1 fr.
r as tilla o suxjrTALBA) SM doctor Paul Ciernen t,
para quitar el olor del tabaco y neutralisar tos hili.
tos fuertes; al caja........1 y 1 fr.
AflUA DI i-LORBfi BU ALMDCBStA, cosmtico
muy buscado par destruir las comezones, foriale-
eer y refrescar cim-toa rsranna ; el frasco. 1 fr. 5f
BSPtsUTV mixta piRriao. Es el mas
perfecto t indispensable compleauento del toca-
dor de to beca despus de Is comida; el
frasco............1 fr. IS
rlMADl COKSERVADOBA con quinina pura, para
fornicar les cabellas, hermosearlos y evitar que
se pongan canos antes de tiempo; el bote. S fr.
Depsito en todas las ciudades en casa de los farmacuticos, perfumistas, peluqueros,
mercaderes de modas y novedades. Venta por menor : En la Farmacia l*ros*, roe
Neuve-des-Pets-Champs, t6. .
Expediciones: en casa de J.-P. LAROZE, roe de la JFonUine-Molierc, 39 bu, en Pars.
Dtlgnttt en que Ungua deben estar at inttntecionet que acompaan ri cada producto.
JARABE DE CORTEZAS DE NARANJAS AMARGAS
De J.-P. LAROZE, Qassict, Farmacutico de la Escuela sipcrw se Paria
Este Jarabe, al regularizar las funciones del estmago intestinos, destruye esas
indisposiciones proteitormes, y hace abortar las enfermedades de que son signos precur-
sores, mdicos y enfermos han reconocido que restablece la digestin, haciendo desa-
parecer las pesadeces de estmago; ojue calma las jaquecas, pasmos, y calambres, que
son el resultado de digestiones penosas. Su gusto agradable, y la facilidad con que se
soporta, lo lian hecho adoptar como el especifceo infalible de las enfermedades nervio-
sas, gastritis, gastralgias, clicos de estmago y entraas, palpitaciones, males de co-
razn vmitos nerviosos. Su accin sobre las funciones asimiladoras es tal, que los
mdicos mas ilustres lo han adoptado por escipicnle real de los dos primeros agentes
teraputicos : el Ioduro de potasio y el Proto-Ioduro de hierro, habiendo
observado que bajo su influjo, el primero pierde su accin irritante, y tegundo
su efecto astringente.
JARABE DEPURATIVO JARABE FERRUGINOSO
Ot CORTEZAS BB RSRSBJS SHROlS
con PROTO-IODURO de HIERRO
La asociacin de la sal frrea con el Jarabe
de cortezas de naranjas es tanto mas racional
cuanto que este Jarabe, empleado solo para
estimular eJ apetito, aclivar la secrecin del
jugo gstrico, y por consiguiente, regularizar
las funciones abdominales, neutraliza los tristes
efecte de los ferruginosos y de los loduros (pe-
sadez da cabeza, constipacin, dolores epigs-
tricos), al paso que facilita su absorcin. 1)1-
suelto en el Jaralia, se toma y soporta fcil-
mente por hallarse.ea rj estado puro mas
asimilable: y asipuede seguirse la cura de los
colores plidos, prdidas blancas, anemia,
afecciones escrofulosas y raquitismo. El frasco:
4 fr. 50.
de conri:zts m. maraas abarcas
CON IODURO DE POTASIO
El Ioduro de potasio, administrado en solu-
cin bajo forma .-olida, causa al enfermo una
gtan repugnancia, n determina accidentes que
lo obligan renunciar este eficaz remedio.
Unido al Jaralie ile coitezas de naranjas.no
causa ni gastralgia, ni desarreglo del estmago
intestinos, y gracias este salvo-conducto,
las curas depuradas pueden seguirse sin inter-
rupcin eii la* afecciones escrofulosas, tuber-
culosas, cancerosas, y en las segundarias ter-
ciarias, inclusas las reumticas, de que es su
mas >eguro especifico. 1.a dosis est definida de
la manera que el mdico la varia como quiere.
Kl frasco : 4 fr. 50
Los Jarabes de J.-P. LAROZE estn siempre en frascos especiales (jamasen medias
botellas ni Irascos redondos). Expediciones: en casa J.-P. LAROZE, ru de la Fontaine-
Molicrc, 39bis. Depsito general: farmacia Laroze, ru Neuve-des-Petits-Champs, 86,
y en casa de todos los farmacuticos antiguos de Francia y del Estrangero.
Desgnese en que lengua deben estar las instrucciones que acompaan cada producto.
ri
s
> -a
-n S
m

o
a T' -S y *" -
lB5>,g
- 3 5 rr?'
tP2- ." = =';'
ES rr !
= r=-s-2^-. i
-HfiitgSs
Vende-se na ra do Imperador botica franceza n. 38.
Bons, bonitos e baratos.
A agu* branca tem a fatifaeao de communicar
a soa b.ia freguezia que na chegado piis urna oc-
easiiio de provar a sna louvavel baratera, vista
da boa qualidade do objecto, por isso convido a
todos qoe liverem dinheiro para se dirigirem
ra do Queimado n. 8, leja da aguia branca, alim
de comprarem os objeclos seguintes :
Bonitos collarinlios bordados, e punbos com
botcs, tndo por 1*1900.
obtros lisos, mas de linhe e tambem com botoes,
por 15000. '
Manguitos com gollinhas bordados por iV
Ditos solios por t*.
Gollinhas de cambraia bordadas, obra muito
boa, por 500 rs.
Ditas de traspasso, tambem bordadas, igual-
mente finas a i>.
Lindas camisinlias com peito bordado, gollinhas,
manguitos e grvalas, Indo por 5\.
Um grande sortimento de eutremeios mui lar*.
gos c bonitos ; assim como tiras bordadas, o qne
pdc ser de raelhor, c mais perfeito, variando ons
e ontros nos precos, conforme a largura, mas ba-
ratos em todo o caso.
No/ase lindas gaavatas brancas de l, com
bonitos e difflceis bordados (mui prophos para ni
vestidos a Mara l'ia) obra inteiramente nova aqu,
e de ultimo gosto, a 2*> cada urna.
rtonitos vestuarios braneos corn lindos e delica-
dos bordados para baptisado.
Esteiras do Aracaty
Veiidcm-se na travessa da Madre de Dos n. 16.
Charutos de Havana
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schafleitlin & C, ra da Cruz n. 42.
Na livraria acadmica, ra do
imperador o. 99,
vendem-se lindos papis para forrar sala a 1*5000
: a pega._____________________________^^^
Vinho do Porto superior
dm calzas de urna e duas duzias : tem para ven-
eer Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C., no seu
escriptorio rna da fruz n. I.__________________
Gaz
Na fabrica 'de sabao da ra do Rangel n. 3&b
vende-se a oOO rs. a garrafa e 12 a lala.
AVISO AOS SRS. MDICOS.
Cara ca'orroos, toji
coqueluches, irrilact*
nervosas $at (Uu bron-
chiot e toda* a* doen-
I cas do ptito; basta at
doenta urna colhe rchdea desn xarope D* Foaen,
Dr. chsblk, em Pars, Ttvt>, rae.
Pars, 36,RuaVivienne, D*
Sirop du
DrF0RGET
CHABLEmdecin
Mac?
uuvaas.
A' i|500 c.ma ; em porco se far abatimen-
to : na ra ggp n. 8, loja do Cha.__________
Vende-se o sitio da travessa dos Remedios,
freguezia dos Afugados, n. 21 : quem o pretender
entenda-se com o seu (iroprietario Caetano Pinto
de Veras, na ra de S. Francisco, sobrado n. 10,
como quem vai para a na Bella.
\ovillio tourlao.
Vende-se um novilho novo, bastante gordo, filho
de tuna vacca vinda de Inglaterra, com novilho
puro da mesma raca; e vende-se por o dono ter
outro da mesma raca que se vai formando : na
ra do aterro do Varadouro, casa de quatro fren-
tes junto a ponte se achara com quem tratar. %
Attenco
Vende-se urna taberna na ra Direita n. 50, e
muitos pertences da mesma : a tratar na mesaaa.
Soblas
Vendem-se sebeUs novas em resteas a I 1000 o
rento: na escadintu da alfandega, armaceM da
viuva Paula Lopes. _________________________
Vendem-se caates vastos a i:Jtto
cada um : na ra das Cruzes n. 44.
U
DEPURATIF
m SAIVG
PLUS DE
COPAHU
LWIDOBEUAFLOR.
Ra d@ Queimado ns. 63 e 69.
l'iulBs doorados.
Sao chegados os lindos cintos bordados ouro,
pelo barato prego de 2,1500 e 3itt00: no Beija-flor,
ra do ^neimado ns. 63 e 69.
Fivellas para cintos.
Chegaram tambem ricas fivellas douradas e de
aeo paca cintos a 1.J0O0 e 1*0 : no Beija-flor,
ra do-Queimado ns. 63 e 69.
Pentes de tartaruga.
Lindos pentes de tartaruga, gosto moderno, a
0*200, 5,5500 e 6*000 : ra de Queimado ns.
63 e 6S.
Pentes de travessa.
Vendcm-so pentes de travessa de novo gosto para
meiiin;;- a 600 e 800 r?. : s no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Pentes para atar cabelles.
Lindos pentes pequeos para atar cabellos, pro-
prios para su andar em casa a 400 e 500 rs.:
no Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e 69.
Ilotops de inadrcpenila.
Tendo recebido um variado sortimento dos de-
sojados botes para abertura de roupae, vendem-
se a 40tt rs. abotuadura : no Beja-flor, ra do
Queimado us. 63 e 69.
Enhiles para senuoras.
Lindos enfeites modernas a 2*000 e 2**00,1
ditos de rede a 900 rs. : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Talhere para meninas. (
Chegaram novus sortimentos de tulheres para i
meninos a 280 e 320 rs., ditos cabo de balanco de
um botao a 400 : as lujas do Beija-flor, ns. 6:1
e69.
La para bordar.
Vende-se laa de superior qualidade e de lindas
cores a 6*800 a libra : no Beija-flor, ra do Quei-
mado, ns. 63 e 69.
Papel de diversas qualidades.
Vende-sc papel de beira dourada pautado a
1*200 e 1*300 o pacote,ditossemserdouradoe nem
pautado a 640, 800 e 1*000 : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Envelopes para carias.
Vende-se envelopes de cores a 600 rs. a caixa,
ditos braneos a 640 e 800 rs. : no Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Pentes doorados para alar.
Vende-se pentes dourados para atar cabellos a
1*000,1*206, 2*800 e 3*000 : no Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Penles para marrafas.
Vende-se lindos pentinhos dourados com podra
para marrafa a 1*200 : no Beija-flor, ra do Quei- \
mado ns. 63 e 69.
Sapalos de tranca.
Vende-se sapatos de tranca muito bons a 1*500, '
ditos de tapete a 1*600 : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Balaios com sabao.
Lindos balaios com 6 sabonetes de varias frnc-
tas a 2*500 cada um : no Beija-flor, roa do
Queimado ns. 63 e 69.
as mesmas tojas se encontrar lindo sorti-
ment de perfumaras e variado sortimento de
miudezas que se tornara enfadonhe menciona-las,!
porm afianca-se ser tudo boro e mais barato que
em outra qualquer parte.
Um Degeobrimciilo Espantoso!
Hundo Nriciilifiru miuitiuiaurutc o approva.
A Com|ios('ao Anacahuite
Peitoral de kemp.
Tor espaqo le muito tc-mpo se ha tizado c
ti-nsnnicntc em Tampieo para a cura de
TSICA pulmonar,
CATARRHO, ASTHMA,
BRONCHITE, TOSSE CONVULSA,
CRUPOOUGAEROTILHO.e
Inflammatjes da Garganta e do Peito,
c isto com um resultado t-lo feliz e verdadei-
ramente assombroso o pao ou madeira d'uma
arvore que cbaraao Ahaoauuita, c que s
se cncontra no Mxico.
A Compos9o Anacahuita Peito-
ral de Kemp e' um Xarope delicioso, intei-
ramente dift'erentc na sua composico de
todos os mais Peitoracs c Expectorantes ma-
nufacturados de frnctos astringentes, cascas
c raizes, Acide Prvtneo ou outros qiiacsqucr ingre-
dientes venenosos.
Todas as molestias c affeccoes da garganta
c dos palmos dcsappareccm como por um
mgico encanto, mediante a acco dcste in
nparavel c irrcsistivel remedio.
A venda as boticas de Caors de Barboza,
roa da Cruz, e Jlo da C. Bravo C, roa
da Madre de Dos.
DAS ENFERMIADAS DES SEXUAES, AS AFFEfl.
gOjg CUTNEAS, E ALTERACOESDO SANGUE.
10 000 curas das impingan*
'Histula*. herpe*, sorn*
comixoei,acrmonia,e*l.
'ercoet, viciosas de san-
_jue; virus, e alteracoM
ato sangre. (Xarope vegetal sam mercurio), avesta-
rattivaM .rirlar. MAKMASi MaU>EBIAB
tomao-se dous por semana, seguindo o traeUaaeate
nurnlivo : emi. regado as mesmas mole ti a.
Este Xarope Curado it
ferro de ('.HABLE, cura
hnmediatameaUqBalqiar
atente os fluarus e flores brancas das auurheraa..
Esta injeceao benigna emprega-se com o Xartpe i*
Citracto de Ferro.
HcBaan-aiaiata, Pomada qae u cura tai tres dita.
POMADA ANTIHERPETICA
Contra: aas afftccoes cutneas e comixots-
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
4o av ChBfcle. eeda frasco vai aeeempahade a
feihflU.
Vende-se na ra do Imperador botica
franceza n. 38.
Farinha dr, mandioca
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
Alves no seu escrlpturio, casi n. 19, na ra da
Cruz.
Vtude-se um escravo de 28 annos, perito co-
aiuueiro, e com especialidade de massas e doces,
que e d a contento : na ra das Lnrangoiras n.
18, segundo andar, das 7 s 9 horas da manhaa,
achara c Vende-y cal de Lislwa muito superior e a
nais nova queAt no mercado: no tr^piiie do Cu*
iitlia, ra da Moe n. i.
AGENCIA
DA

FUNDICiO DE L0W-H001.
Rna a Senialla nova u. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
om completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenbo, macbinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos ot
tamanhos para ditos.
WMmmmm mmmmwmi
Fabrica Concei<#o da
Baliia.
Andrade A Kego, rece-hem constante- J
mente e tem venda no seu armazem n.
31 da ra do Imperador, algodao d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar algodao empluma etc., etc.,
pelo preco mais moa ve I.
Alten tito.
Vende-se superior vinho do Porto em caifas de
urna duzia : em casa de Johnslon Pater & C, ra
do Vigario D. 3
Vende-se latas de cinco galocs 1 lA'OO e gar-
rafa SOO rs. garante-se a qualidade : na ruaDi-
reitans. 99 e 100.
i
Vende-se urna armacao de amareflo para es-
criptorio, com balaustre e cora porta, obra de gos-
to : a tratar na ra do Mondcgo, olaria n. t3.
Uadunas para descaro car algodao dos mais
acreditados fabricantes: na fanoMcao do Bowman,
ra do Brnm n 38.
Vende-se urna preta propria para todo o ser-
vico : a tratar junto a matriz de S. Jos com Ber-
nardo Jos da Mocha.
l
Grande liquidaco
Rna da Imperalrlz n. o.
loja de Cateadas do l'avifo de Gama k Silva.
Acha-seesle estabelecimento completamentesor-
lidode fazendas inglesas, francezas, allemes e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
mato, prometiendo veiider-se mais barato 4o que
em outra qualquer parte principalmente sendo em
porcao e de todas as fazendas dao-se as amostras
deixando flear penhor ou maudam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavao.
As chitas do Pavo.
Vendem-se chitas inglezas claras e escuras pelo
barato preco de 240, 260 c 380 rs. o covado, tintas
seguras; ditas francezas de cores segaras 320,
340, 360, 400,440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda
muito superior e bonitos padroes : s na loja do
Pavao.
As laazinlias da etposieo do Pavo.
Vendcm-se as lazinhas s mais modernas que
tem vindo ao mercado, proprias para vestidos e
soutembarques por seren lisas e de edres muito
delicadas a .*>60-600 rs. s ditas lisas com um lus-
tre que parece seda 640 rs. o covado, ditas ma-
tizadas 320, 400 e 500 rs. o covado, ditas com
quadrinhos de seda 500 rs. o covado, s para
acabar : na loja e armazem do Pavao de Gama &
Silva, ra da lmperairiz n. 60.
Os vestidos do Pavo
Vendem-se os mais modernos cortes de vestido
de laa, qna vieram pelo ultimo vapor, com ricas
barras de cor, corpinho e collete separado-, ditos
com listas de seda e tambem cora barras e enfeites
para o corpo, por preco mais barato do que em ou-
tra qualquer parte, e se quizerem urna prova do
que se diz, mandem ver loja e armazem do Pa-
vo, ra da Imperalriz, n. 60, de Gama Silva.
Os vestidos Mara Pia. S o Pav3o (8,000 rs.)
Vendem-se os mais lindos vestidos Maria Pia
de lazinha transparente com listas, e paiminhas
de seda pelo barato preco de 85000 cada corte :
s na loja do Pavao ra da Imperalriz n. 60, de
Gama & Silva.
As cassas d Pavo a 210, 280,300 320 e 3G0 rs.
S o Pavo vende as linissims cassas persianas
imitaco de la, com cores fixas, 360 rs. o co-
vado ; ditas francezas muito finas a 240, 280,300
e 320 rs. o covado, isto para acabar : ra da Im-
peralriz, loja de Gama A Silva.
As percalas do Pavo.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-
cado pelo ultimo vapor tem na loja do Pavo pelo
barato preco de 600 rs. o covado; ditas de listi-
nhas muito miudinhas proprias para vestidos e
roupoes de senhoras, meninos e meninas, pelo ba-
ratissimo preco de 500 rs. o covado, garantem-se
as cores por serem do melhor fabricante que as
tem em Paris : isto na loja do Pavo ra da Im-
peralriz n. 60, de Gama & Silva.
Bramante de lio ho do Pavo a
S,SOO, 8.400, eCOO
Vende-se o melhor bramante de linho puro com
dez palmos de largura por pivcs muito commodo,
por ter de acabar a factura, a vara por25200, 25400
e 2600 s o Pavo : a ra da Imperalriz n. 60 de
Gama & Silva.
Panno de linho do Pavo.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lencoes e toaihas de mo pelo
baratsimo preco de 640, 720, e 800 ris, a vara,
algodozinho cora oito palmos de largura proprio
para lencoes pelo baratsimo preco de 15 a vara,
assim como tem o melhor algodozinho tanto em
largura como em corpo, proprio para lencoes, ca-
misas de escravos etc., etc. prego muito commodo
a vista da fazenda s o Pavo : a ra da Impera-
lriz o. 60 de Gama & Silva.
Algodozinho com toque de amia a i,000
e 4,800
Vende-se peca de algodozinho por ter um pe-
queo toque de avaria mas que est em bom esta-
do pelo barato preco de 4A e 45800 a pega s o
Pavo : a ra da Imperalriz n. 60 de Gama &
Silva.
Os yuardaoapos econmicos do Pavo e s do
Pavo.
Vendem-se os mais lindse modernos pumdaua-
pos econmicos e todo linho, lano para casas de
famiOa como para hoteis, botequins etc., etc., pelo
baratissimo preco de 35 a duzia, isto s no Pavo :
a ra da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Os soiiteanbarques do Pavo
e ti*.
Vendem-se os mais lindos soutembarques que
teem vindo do mercado, sendo de caxemira de. co-
res pelo baratissimo prego de 125 cada um, ditos
de musambique pelo diminuio prego de 95, s na
loja do Pavo, mas que nao se enganem : a rna
da Impcratriz n. 60 : de Gama & Silva.
i: s o Pavo ( ,*.oo).
Quem tem balos por tal preco 1
Vendem-se os baldes americanos muito superio-
res com 20 e 2o arcos pele baratissimo prego de
25500 rs.; ditos de 2o. 30 e 3o arcos com" litas
muito bem armados, e tambera lem cor escura pe-
lo barato prego de 35500 e 45 cada um : s na lo-
la do Pavao, roa da Imperalriz, n 60, de Gama &
Silva.
0 Pavo vende para luto.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de la sen lustre lendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, capas, paletots, cagasete, pelo
baratissimo prego de 25,25200, 25500, e 35 o co-
vado, cassas pretas lisas, chitas prelas largas e
I estreitas, manguitos, colarinhos, punhos e infeites
tudo pelo proprio para luto fechado c muitos ou-
tros ai ligas que se veiidem por precos mais em con-
ta do que em outra qualquer parle por eslar liqui-
dando, s na loja do Pavo : ra da Iinperatriz
n. 60, de Gama A Silva.
Os niadapoles do Pavo.
Vende-se peca de madapolo infestado com 12
jardas cada pega pelo barato prego d*e 45, 45500 c
55, cada pega,"fazenda muito superior, s o Pavo
a ra da Imperalriz n. 60, notando que a pega leva
urna etiqueta com o Pavo piulado para nao haver
duvida uem engaos, isto previne o Pavo, de
Gama & Silva.
As chitas do Pavo # loo e
208OO o corte.
Vendem-se cortes de chita com dez covados a
25400, ditos a25800 com doze covados sao chitas in-
: glezas, mas padres bonitos e tintas seguras assim
| lem as melhores chitas francezas e de tintas segu-
ras por precos cmodos a saber 320, 340,360,400,
440, 500, ris o covado : na loja do Pavo a ra
da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva.
Os bordados do Pavao.
Vendem-se camisinhas com manguitos e golinhas
bordadas pelo barato prego de 15 e 15280 cada
um, manguitos s a 500 ris cada par, ditos comgo-
linha a 8o0 ris, golinhas a 400 c 480 rs., de fil a
240 ris cada golmha bordada, romeira de rassa
e de fil muito bem bordadas a 25 cada urna, man-
guitos que servem para calcinha de meninas a
640 ris cada par, camisa com manguitos e golas
com a competente gravata de seda, fazenda lina
pelo barato prego de 35 e multas outras bordadas
que se vendem por prego muito em cunta : s na
loja do Pavo a ra da Imperalriz n. 60 de Gama &
Silva
As roupas de Patio.
Vcnde-se panno preto fino muito superior pele
barato prego de 25, 25500, :t5. 35500 e 4, dito
muito fino a 55 e 65 o covado, casimira preta de
urna s largura e. muita lina a 15800, 25, 25500 e
35000 o covadn, corles de casimira de cores a 55
55500 e 65, casimiras entestadas de urna cor
proprias para caigas, paletots, noletes, capas e para
roupas de meninos a 35,35500 o covado, i.-to : na
loja do Pavo a ra da Imperalriz n. 60, de Gama
& Silva.
.AUoalhado do Pavo.
Vende se pairan ao linho adamascarlo proprio (ta-
ra toaihas de mesa, pelo diminuto prego de 25500
rs. a vara, guardanapos de linho a 55 rs. a duzia,
toaihas de mo a 55 rs. cada duzia, na loja do Pa-
vo, ra da Imperalriz n. 60, de Gama A Silva,
llalfiws para meninas.
Lindos balaios de varios gostos para meninas
trazerem no braco : s se encontra na bija do Bei-
ja-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Extractos e sabao en f'ixiiihas-
Lindas canillitas com om carian com a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco ou sa-
bio o mais tino que possivel: na loja lo Beija-
tlor, rna do Queimado ns. 63 e 69.
Cyltndros para padarla.
.Na nadarla da ruaOuvita n. 84 ha para vender
os conhecidos e acreditados cylindros para pada-,
ria. Diurnamente chegados d America.
M4CH!\4SEPaTENTE
de trabalhar mo para
descaroear algodao
MBRICADAS
Por Plaiit Brothers & G.
0LD1M
Estas machina
podero descaroear
rjuatqner especie
de algodao sera
estragar o or
sendo bastante
duaspessoaspara
o trabalho; pode
descaroear urna
arroba de algo-
dao em carogo
em 40 minutos,
on 18 arroba*
por da ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
H-ta machina.
a nica que
possue as vantagens de nao destruir o fio do al-
godao e de fazer render o dobro de qualquer ou-
tra com menos trabalho, a sna introdoeco para
as provincias deste imperio ser de muito valor
para todos os interessados na lavoura do paiz.
Assim com machinas em ponto grande do mes-
mo systema.oraql serem movidas por animaes,
agua ou vapor, pas uaes podera descaroear 18 ar-
robas de algodao ampo por da.
i O algodao descarogado por estas machinas tem
muito mais estimaco nes mercados de Europa e
vende-se por maiorprego.
As machinas se achara venda unicamenie em
casa de
Sauntlers Brothers k G.
V. II, praca do Corpo Manto
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.___________
EXTRAORDINARIA
liquidara de fazendas de latas as qua-
lilas na lja e armazem da Aran,
roa da impcratriz n. 56, de Loui cu-
ro Pereira Nendes Guimare.
\ (lo 11 la 111 freguezes 1
Soutembarque a I0& 12,5 e V& pechincha.
Vende-se soutembarques muito bem enfeilados
e de cores, para senhoras, a 105 125 e 155, ditos
pretos a 205,225 e 255 capas pretas do gros-
denaple a 205 e 255 : s na ra da Imperalriz n.
56, loja da Arara,
Coi les decbiU a 2400.
Vndese cortes de chitas de cores fixas com 10
covados a 25400 e 35200, cortes de cambraia de
barra a 25, ditos de salpicos a 25500 : na ra da
Imperalriz n. 56, loja da Arara, de Mendes Guima-
res.
Fazeudas especiaos para senhoras.
Vcnde-se gollinhas para senhoras e meninas a
240, 320, manguitos a 500 rs., camisinhas a 15,
15500, 25 e 45500, entre-meios e tiras bordadas
para enfeilar vestidos braneos a 15,15200 c 15'>00>
a pega, enfeites para casaveque a 15, gravatinhas
para senhora, muito finas a 15 e 15500 : na ra
da Imperan i/, n. 56, loja da Arara.
Vende-se palilots de panno fino a 165, 145 e
125, ditos saceos com litas a 125, 105 e 85, ditos
de easemir.' liuos a 105- 85 e 65, ditos .-un fita e
45500,55, ditos de bnm a 25500, 35, 35500, ds
alpaka a 35 e 35500, caigas de brim e de gangas
25, 25500 e 35, dilas de niela casemira a 35500 c
45500, linas a 55, 65 e 75, eoletes e camisas fran-
cezas a 25 e 25500 e 35, seroulas de algodao a
15600, de linho a 25, e colarinhos a 400 rs. : na
ra da Imperalriz n. 56, loja da Arara.
Vende-se colchas de chita a 25, de damasco a
45, de faslo a 55 : na ra da Imperalriz n. 56,
loja da Arara.
vende-se panno ae nnno para lencoes e serou-
las a 640 rs. a vara, brim liso de Harahurgo a 500-
e 560 rs., lencos de seda a 800 rs. e 15 : na ra
da Imperatnz n. 56, loja da Arara.
Bramante da Arara a 2.-55II0.
Veride-se bramante de linho com 10 palmos
de largura a 25500, dito de 12 palmos a 258(10
a vara, chilas para cobertas a 320, 360 e 400 rs.,
dita encarnada muito fina a 480 rs. o covado, chi-
tas para vestidos a 240, 2^0, 320 e 400 rs. o cova-
do : esta pechincha, to barata, s se pode encou-
Irar : na ra da Impcratriz n. 56, loja da Arara.
A Arara (rima, nao vende, queima.
Vendem-se baldes de 16, 20, 25 e 30 arcos a
I 25240, 25500, 35, 35500 o 45, ditos de musselina
; a 45 e 45500 : na loja da Arara, ra da Irapera-
I triz n. 56.
Vende-se challes de lazinha a 15C00 e 25, ditos
! de merino a 25500 e 45500, ditos linos a 65, ditos
j eslampado-a 75 : na luja da Arara, rua.da Impera-
lriz n. 56.
As laziulias da Arara a 210 rs. o fovado.
Vendem-se lazinhas para vestidos a 240, 320,
400, 500 e 560 rs, o covado, ditas muito finas de
cores, lisas, de lyrio, de rosa, azul e encarnada
a .600 rs. o covado ; na ra da Imperalriz n. 56,
i loja da Arara.
A Arara vende cbilas a 210 rs.
Vendem-se chitas para vestidos de cores fixas a
1240e 280 o covado, dilas francezas a 320, 360 c
i 400 rs., cassas de cor a 280 e 320 o covado,organ-
, dys a 320, 280 o covado : na loja da Arara, ra
da Imperalriz n. 56.
A Arara vende cortes de la a MariajPia.
Vende-se cortes de la com barra a 85, ditos
linos a Maria Pa por 185000, ISazinhas a Mari
I l'ia a 460 e 800 rs. o covado : na ra da Impera-
l triz n. 56. loja da Arara.
A Arara vende juadapolo a G-\00. 7,->, V\
100 e iH.
Vende-se madapoln lino de 24 jardas, n. 60 a
65500, dito n. 7 a 75, dito n. 2, 85, dito de mar
ca duas cruzes a 95, dito S a 105, dito IIII a 11,5"
dito B b a 125, lodos estes inadapoloes sao muito
linos; algodao a 55 e 65. dito carne de vacca a
65500, dito mestigoa 75, dito sicopira a 85,ditode
diversa qualidade a 85500, dilo pao ferro 95 a pega
de 20 jardas, lodos estes algodes sao de boa qua-
lidade : na ra da Imperalriz n. 56, luja da Arara
de Mendes Guimares.
A Arara vende brim Ira arado de linho a 1-SrOO.
Vende-se brim trancado de linho branro para
caigas a 15200 15400 e 15600 a vara, dito pardo
de linho a 640, 720, 800 e 15120 ; hretanha de
| linho a 640 e 800 rs. a vara ; ganga para caigas e
| brim de cores a 500 e 480 o covado, cortes de ca-
semira preta para caiga a 35500 e 45, dilas finas
; e de cores a 55, 55500 e 75 o corle : na roa da
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
As percalas da Arara a 500, afiO 600 rs.
Vende-se finas cbilas percalas a 500, 560 e t>00
i rs. o covado, pegas de cambraia finas a 35, 35500
45500 e 5500O a peca, ditas para cortinados com
20 varas a 95 : na luja da Arara, ra da Impera-
triz n. 56.
O proprielario da loja e armazem da Arara re-
coinmeuda toda a attengo aos Srs. freguezes que
I mandem ver as amostras de todas as fazendas que
^ annuncia, prometiendo vende-las barata, pois que
' a Arara teima, nao vende, queima.______
Trina, volantes e gales.
I Vende-se trina, volantes e' gales de todas ae
larguras por precos muito barato: s no vigilants
rna do Crespo n. 7.
Venda de predios
em particular m em leila. .
Vendem-se doa* propriedade* de cavas conti-
guas, de dous andares e solio, cora grandes arma-
zens orcopados actualmente peloSr. Feliciano Jos
Gomes, para o trafico do assucar, sitos na ra de
Apollo us. 34 e 36, edificados pelo actual proprie-
lario, com ptimos alicerces, superiores madeiraa,
e acabados em 1861, tendo ambos $i palmos li-
vres de paredes, de largura, e os altos rio de n.
34, e o priuieiro andar do de n. 36 215 palmos de
comprimento, o segundo andar do de n. 36 tem s-
mente 120 palmos de comprimento, coro od ter-
raeo, e os armazens tem 340 palmos de compri-
ment cada um. lendu arabos larabem frente para
a roa do caes de Apollo, e o de 1. 36 tamltem para,
a traves.-a do antigo porto das canoas: os [inten-
dentes este valiosos predios queiram dirigir-se
ao seu proprielario Antonio Botelho Pinto de lies-
quila na ra da Cadeia do Reeife n. 64, segando
andar, ou ao agente Oliveira na mesma ra n. 02

-.

'


1
?r
!"
Diario Ir l'crnambueo *c\a feira W t Agosta de la4.
t
C L.- KIM

1
L
.
1/
ICA DO QUEOIADO IV. 45.
Passando o becco da Congregac&o segunda casa,
? pi
NOVIDADE.
Pereira Rocha 4 C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clam Commtrciat,
onde o respeitavel publico encontrara sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os qnaes
aero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se obom peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroi do Maranhao da India e Java a 60, 80 Cevadinha de Franca muito superior a 2201 Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra-
100 rs. a libra e l$800 a 2600 e 30 rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
Ervilhas portuguesas a 640 rs. a lata
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em oaixinhas
de oito libras e canastrinhas de i arroba a
e
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
i5200 e i^600 emfrascos grandes a
2#500. !
Wkm em caixinfeas elegantemente enfeadas
com ricas estampas no interior das caixas
ai%J00O,'i#4OO, l*600etf.
Amendoas cato casca muito uovas a $80 rs.
a libra.
Alpista a 109 rs. a libra e a 4J60 a arroba.
i($800, 5#00 e 280 rs. a libra.
Farinhado Maranhao a 160 rs. libra.
Farinha <*e trigo a 120 rs, a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 6)5200 a frasqueira.
Azeite doce francez muito fino n garrafas, dem -em garrafoes de 3 5 galSes a 5$50
grandes 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de mataran* a 320 rs. a
- libra.
Avelaas muito grandes novas a 180 rs. a
litwa.
Bisoootes inglezes de diversas marcas a
1^800 ris.
Boilachintias de soda, tatas grandes, a 20 rs,
lata.
Ditas inglezas muito novas* 35000 a bam-
quinba e a 200 rs. a 'libra.
Banha e-em barril a 410 rs.
2*800, 25800 e 3(5(060 a libra.
e 75300 cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e $100 rs. a duna.
Licores muito Anos a 700 rs. a garrafa.
1 Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs,
Queijosflamengos do ultimo vapor a 25800
dem pato.
dem londrino chegado no ultimo vapor e
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a600rs
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs, a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
Mes, qualidade espeoial e garrafas mato dem stearinas muito superiores a 600 rs.
grandes, a I5800rs. garrafa.
Mem garrafas mais pequeas a 800 rs.
Wcm, garrafa forma Sa pera e rolbafle vi-
dro, a 15OOO rs., s a garrafa vate o di-
nheiro.
RSanteiga inglesa .parfeitamente fl&r-, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a tibr, e da
de segunda quahiade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 6*0 ts. a libra.
^dem de tempero a 400 rs.
Massa de tmales-cm barril a tSQ>rs. a libra,
dem em lata a'40 rs.
Idem.preto muito superior a 25000 a libra. Marmelada imperial dos melhores conservei-
Gerveja preta e branca, rhs melhores irtarcas i ros, de Lisboe a 600 rs. a lata,
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafe' Marrasquino >6e Zara, fraseos grandes, a
e 54800 a duzia. 800 rs.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa, dem regular e 500 rs.
Conservas a 720 rs. o'frasco. Massas finaspera sopa: esfrftllhiha, pevide,
dem, s de pepino, a7r20 rs. rodinhas e letr anhas a 660rs. a libra e a
dem, s de azettonas,e 750 rs. 45 a caixiriha com 12 libras,
haiatos dos memores fabricantes da Btate Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
e especialmente do fabrica imperial de Peixe em latas preparado pete primeira arte
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 15800, j de cozinha a 15 rs. a late.
5)9000,25200, 25500, 25800, 30680* Palitos de demos a 160 rs.'0-masso.
35500 a caixa. Palitos de dentes a 120 rs.
Caf do Rio muito superior a 280 e G20 dem de flor e 200 rs.
rs. a libra e 85500 o 85800 rs. a arroba. [ Amendoas coafeitadas a 900-rs. a libra.
Carloes de bolinhos francezes muito noves-e, Doce de got'sa em latas o melhor possivel a
muito bem enfeilades a 700 e 600 rs. j 25 e em caixo a 64U rs.
hourcas e paios muito novos a 800W. a Fainos ao ase a 20200 rs. e grosa.
libra. Passas muito novas a 480 ps. a libra.
OB
SENTIHO!



VAI FALLAR
N. 38 Eua do Livramento X 38
(Hefronte da grade da Igreja)

libra.
Figos ora caixnhas emticamente lacradas
a imo.
Vinho o Porto engarrafado o melhor que
ha ueste genero e de varias marcas, como
sejam: Velbo de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Tjuz I, Maria Pia,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 ,
15000 a garrafa, e cm caixa com urna du-i
zia a 95000 e 105000.
dem em pipa, Porto, lasba e Figueira a
480, 500 e 560 ts. -a garrafa e 35, 35500
e 45 a caada.
dem branco de Lisboa muito fino a 800 re.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Meoc e S. Julicn a 700
e 800 rs. a garrafa, e 75000 e7#800ips.
a duzia.
Wem Morgauv eChatetuluminide 1854, ifi
a garrafa.
dem moscatel a 8G0?s. a garrafa.
Vinagre de Lisboa -a 200 rs, a garrafa e
15200 rs. a caada.
Kirsk garraas multo grandes a 10860*8.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porcao ele outros que deaemos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em poreoes eomo
retalho.
Quem comprar d 1005000 para ciraa te-
r o abate de 5 por cento.
O Vigilante est alerta, nao lhe era permettido
deixar passar desapercetiido sem que nao dsse o
seu canto afim de annuuciar ao respeitavel publico
o grande sortimento rie plantaras do melbor gosto
propriamenie para qualqner mimo, que acaba de
chegar neste uitimo'paqnete, assim como muitos
outros objectos que recebe por diversos navios,
tanto de soa conta como de consignaban, que est
resol vido a vender por preoos moito baratos para
vender muito e ganhar pouco, e dar extraeco ao
grande deposito que lem, que espera merecer a
proteceo do respeitavel publico, empregando para
sso todas e as melhores diligencias para que h-
quem satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, ra
o Crespo n. 7.
Rifas parta-jiiiis.
Cofre de muito gosto por 165000
Cestinhas transparentes, forradas de madre-
perola por 18,5000
Lindfcs jardineiras 10^000
Ricos cofres com camapheu 10*000
Lindas caixnhas com pedras brancas 105000
Lindo balao com calunga dentro tambem
para joias 165000
Tamlwlier para ditas 9000
Cestinhas hem dem 65000
Cosmoraroa dem idem 65000
Urnarinha 65000
S no Vigilante, ra do Crespo a. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
ces : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos Mil*!*
com fcsteinhas ao lado a 10, 12 e 155, ditos sem
bolea, porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35300
e 45, ricas fivelas avutsas -para sintos, o mefitor
que se pode encontrar, a (5300, 25, 25500 e 35 :
s so \ igilante, ra 4o Crespo n. 7.
Catees n mimis.
At que chegarwn as desejadas cestinha-s ou ca-
bazes para as meninas traaerem no braco, o mais
rico possivel, a 35500, 35500, i, 5, 7 'e '905 : s
r.o Vigilante, roa do Crespo n. 7.
fea tes.
Neste artigo tem um grande sortinwnto, tanto
para alisar como para atar cabello, o'mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sen-elle para meninas : s eo Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Pentes
Tamben* chegaram os riquissimos pentes de
concha de tartaruga e de massa lina, i-ue se vende
por 25,3o5:-ss no Vigilante, vua do Crespo
numero 7.
Lcqoes.
RiquissimoS'leqaes de madreparrtia, tanto para
senlwra como: paca mocinhas, pelotbaratopreco de
12 e 145 : -s-no Vigilante, ra 4o'Crespo n. 7.
Mis leques.
Com pequeo'defeito, leques de-audalo, por ba-
rato preoo, a'SS e 105, chinetes, muito bonitos,
tambem por barato prego de i e'55, bentarallas
muito Militas tambem por barato.preco de 4te 55,
les 4e cbario tamben por if>, tudo isto para
VERUADE1RO D IIU\C I1MJ.
Ordem do da.
Est em discuss3o a tabella dos precos que o BALIZA tem a boma de offere-
cer ao respeitavel publico tanto da cidade cotto do centro.
Se por esta publicacaa qualqner unt dos nobres collegas entender nvcessarift-
fazer alguma alteracao em seus annuncios, digne-be mandar a sua emenda para o jornal,
que o incansavel Baliza nao lhe pora peias nem o embarazar de forma alguma a benefi-
ciar o povo.
Amigo de vender barato o Baliza nao expe a venda seno os gneros bons.
Elle se julga no caso de vender tao mdicamente como outro nao o exceder

Soldado soprador toma o elarim
E imie como a rocha flea assim-
Nao toques uesse pessimo iustrumento
Do Balisa olha s o movimento
i; tu que dos inltr'atlos tons as ooroas
De tudo vendedor de proprla conta
Xo pasmes vendo como sobrancelro
Doregi*esso o Balisa a ira affronta*
O grande depesiio que temos de vinho nos obliga a aboixar seus precos,
achando-se vista dos compradores cerca de 35 a 40 pipas desle genero, entre pipas,
barris ancoretas.
APROVEITEM APROEITEM
Vos
7,130 COVID0S
de sedas de cores de todas # qiialidades.
Na loja da ra do respo numero
17.
Importante eortpra de 7130 covados de seda de todas as iualidades,,propras para
Vertidos de senhoras.e de meninas, e venlie-se por precos adnauraveis.
Outros muitos ofejectos de apurados gostos para senhoras, .vestidos de btonde para
casamento a 905 caa um, capas pretas, soutambarques decrori-e pretos, chapeos etc.
Fazendas de linfa) e de algodab as melhores que existem no mercado.
O proprietono deste importante estabeleciment vai a Eurepa muito breve com-
prar fazendas de apurados gostos. presentemente vende as suas marcadorias par precos
iac&ssimos para liquidar.
tt)04'tane
Protejant iodos. Protejam todos a
LIQUIDACAO
A loja da ra do Crespo n 17.
No armazem de fazendas 'ba-
ratas 4c Santos Coelho ra
do Queimado n. 19
Vende-se o segniU::
TENQAO.
Ricas liasiafcaa para vestido, fazenda a -Hielhor
que tem vitwlo ao mercado, tanto em ^osto como
em qualidade pelo .baratissimo prego-de'dSO rs.
o covado.
Laazinhas sxudiobas carmezins propri>ac para
vestidos de RteDiuaS'C'caniisialias a GiO- ps. o co-
vado.
Curtes de lia ocmit covados pelo Imrac preco
de 65.
Coberlas de l)iu> da india a 25500 e 35.
Lences de panno*ds linho a 25 e 25500.
Pecas de eaintoraia de forro com 8 11 -varas a
3520.
'roalhasalcocbQadas proprias para mes a35 a
duz|a.
Ricos cortes de 4a :!33000.
Pegas de platillias de algodao com M) -veras
.proprias para saia a l4'5-
Algodao enfestado a5I00 a vara.
Esleir da India preprir. para forro de 6ala de
,'..','() palmos de largura por menos pr-ogo .o
quem outra qualquer .parte.
Noste armazem tto*em-6e encontrar ubi ^cas-
de -sortimento de roupas feiias e por medida.
Amertdoas confeitadas em lindos frascos a 800
rs. a libra
dem com casca a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixnhas e frascos a
4,2oo, I.ooo e 2,ooo rs.
Alpista a IGo rs. a libra e i,6oo a arroba.
Atoz do Maranhao, Java e do Penedo a 8o,
loo e I2o rs. a libra, em arroba a2,ooo,
2,8oo e 3,2oo.
Azeite doce retinado a 8oo e loo rs. a gar-
rafa.
dem idem em barril a 6io rs. a garrafa e
4,8oors. a caada.
Lingoas americanas muilo novase muito gran-
des a l.ooo rs. cada urna.
Linguicas promptasem latas a 1,5oo cada iata.
Manteiga ingleza flor a 8oo rs. a libra nesie
genero ba mais de 10 baris abertos afim de
serem salifeilos os compradores.
dem menos superior a 6lo rs.
Manteiga ingle/a a ooo, 4oo e 32o rs. a libra.
Idem franceza a 56o, Ooo e Gio rs. e em bar-
ril por menos.
i Massa de tmale a 64o rs. a libra.
Marmelada dos melhores fabricantes a 64o
rs. a libra.
Imi
atibar, .ptrdeDdo.se talvez 80 0|0:: s no Vigilan-
te, ra do;Grespo n. 7.
I'III se i ras.
Liadas polisiras de contas e de missanpa, coree
muito Modas e de muito gosto a '5 e 15200.
f'ira segurar nwiij'i'.los.
Tamhemchegaram as liguitrhas estreilinhas de
borracha que as senhoras Unoiprecisam para se-
gurar os 'manguitos por ser muito-eommodo e mui-
to barato, a 220 o par: s bc "Vigilante, ruado
Crespo b. 7.
Canelas.
Riquissiraes carretas de madjsperola proprias
para qualqusr presente, pelo baratissimo praeo de
15500e25. ^
Yoltiulias.
Lindas valnhas de perolas falses com cruzinhas
Boioes com 10 garrafas de azeite doce de
Lisboa a 3,ooe rs.
Banha de poico a 4oo rs. a libra e em barril,
a 36o rs.
Batatas em gigos a l,oooo gigo. .
Cha perola a 3,ooo rs. a libra,
dem uxim a 2,6oo e 2,8oo a libra,
dem hysson a 2,ooo, 2,4oo c 2,8oo. a libra,
dem do Bio a I,6oo rs. a libra.
, dem preto a I..loo e 2,ooo rs. a libra.
S^S^^^J!S,lS^'^Dh,.8i2?,W8 Cbarulosdos melhores fabricantes da Babia
e volunuas,.pelo barato preco.de 45 e 15200, .as
Ancoras com vinho do Porto, pncommenda i Mlhos inglezes a 4ooeG4o rs. a garrafinha.
feita pelo proprietario do Baliza a 3o,ooo Mostarda preparada a loo e 64o rs. o frasco.
rs. a ancora com 7o garrafas. Massas para sopa a 4oo rs. a libia das de ta-
Ancoreta americana com seis garrafas de Iharim, alel ia e macarriio.
vinho Figueira a 8,000 rs. dem linas estrellinha epevide a 3,000 rs. a
Bolaxinhas de Lisboa, ingleza e americanas i caixa.
em latas a 1.4oo, I,5oo, 2,ooo e 3,ooo rs. Mimo miado para passaros a I6o rs. a libra
e americanas em barricas a 3,ooo rs. a e 4.8oo a arroba.
barrica. Marrasquino de zara do verdadeiro a l,5ooo
frasco.
dem menos
frasco.
superior a 8oo e I,ooo rs. o
s do Sigilante, ra do
AKHAZn
FRONTEIRO
DE
A IV US VO l TI VIIO A: ]fiRA \AO
21Largo do Terco21
Ao publico.
Chouricas muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a i,ooo rs. a libra;
ameixas idem ; alpista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do Maranhao e da
India de 8o a ioo rs. a libra, e em a arroba de 2,6oo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a I .ooo rs. a garrafa e em porco, menos; idem de barris a 64o rs. a garrafa, e em cana-
da a 4,8oo rs.; banha de porco a 4oo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
novas a 4o rs. a libra, e 1,2o) rs. a arroba ; cha perola, hysson, miudinhoa l,8oo, 2,4oo
e 2,5oo rs. a libra; charutos dos melhores fabricantes da Babia de 2,ooo e 4,ooo rs.;
eerveja branca e preta a 5oo rs. a garrafa ; cravo, canella, cominho e erya-doce, conser-
va* inglezas em frascos e meios de ."oo a 9oo rs.; cognac inglez superior a l,ooo rs. a
garrafa; caf de 1.a, 2.* e 3.a qualidade de 8,3oo, O.ooo e 9,5oo rs. a arroba ; cevadi-
nha a 2oo"rs, a uhra ; ervilhas portuguezas em latas de 1 libra a 7oo rs.; spermacete
a 56o rs. a libra, e em caixas a 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,
e em a arroba a 6,ooors ; genebra de laranja a l,ooo rs. o frasco ; idem de Hollanda
a 64o rs., e 4oo rs. a botija; graixa em latas a l,2oo rs. a duzia ; manteiga ingleza per-
feita flor a 8oo rs. a libra ; idem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maca
de tomate a 6oo rs. a libra; marmelada dos melhores fabricantes a 64o rs. a libra; ale-
tra, talbarim e macarroa 4oo rs.; marrasquino de Zara verdadeiro a I,ooo rs. cada fras-
co ; nozes muito novas a 2oo rs. a libra ; passas a 4oo rs. a libra ; painco a 16o rs. ; po-
mada a 24o rs. a duzia; pimenta do reino a 36o rs.; papel almaco e de peso de diver-
sas marcas; palitos do gaz a 2,2oo rs. a grosa e 2o rs. a caixinha; ditos de seguranca
individual a 2o rs. a ciixioha e 36o rs. o maco; queijos flamengos do vapor a 2,ooo rs.
cada um; cevadinha a 2oo rs. a libra; sardinhas de Nantes de 4o a 64o rs. a lata; sa-
bao massa muito sujieri' r a 2oo rs. a libra; toucinho de Lisboa moito alvo a loo rs. a li-
bra ; vinho do Porto velbo engarrafado a l,5o5 rs.; idem em barril a 8oo rs. a garrafa,
sendo porcao faz-se differenca eem caada a 5,ooo rs.; dem de Lisboa muito superior a
4oo rs.a garrafa e 2.8oo rs. a caada; idem da Figueira J. A. A. a 5oo rs. a garrafa e
3.6oo rs. a caada; idem do Estrello a 36o e 320 rs. a garrafa e em caada a 2,56o;
idem Bordeaux a 56o rs. a garrafa; idem branco" de Lisboa, proprio para missa a 5oo rs.
a garrafo; vinagre de Lisboa muito superior a 2oo rs. a garrafa, e, 1, ioo rs. a caada ;
soda, cavada, alfasema. gaz 6 tijojo de limpar facas a 14o r, e ottrOs muitos gneros que
desnecwwrlo menciona-los.
n
O O n < O 5C 50 >> OSWflHg
2-^ S S 3 bT S-Sa erg g H
O Sf.5.5' I SM-5""g-

(
a
EifnrilSli
rfiia81
S'E le

s>
~ z-
s
9 a S r -?>.
Ji!*K[l
^ 3 a,
ts S 2. S r,1?
j*8' ^33
El CD
' 8

ca

'"O
' 5
i 09
ni 2
5
2.
P -r- Q.
6
o
9 m
cruzes avulsas a 400 rs.
Crespo n. 7.
Sqsalinhos e meias mi.-'la.
Riquissicaor, sapatinhos de seda -c de merino .en-
feitados, assim como meiaszinlia* 4e seda,g;orra-
zinhas e touquinhas para as criaocinhas se bapti-
sarem : s uc Vigilante, ra doiGrespo n. 7.
Gol i n has.
Rlquissimaspoiinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 2J, 2,8^00 e "
ra do Crespo a. 7.
Eiriifs para senborc.
Riquissimos eafeites com layo ee layo e de
outros muitos gostos a 1$, 1300 e 3$ : s no Vi-
gialnle, ra do Tmiieelins.
Lindos tranceliits de cahello para rog ou lu-
netas, pelo baratismu nreco de 1*S00, ditos de
retroz a 200 rs. ^^
Babadifaos enli'emci6.
Riquissimos. hahadtuhos entremeios com lindos
.deenhos tapados e transparentes, pelo Itaratissimo
|*oo de i^ioo, Itm, i& e 34 : s no Vigilante,
r* do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de cascarrinas de diversas
ce 2.^ i '^IWas, assim como gatiozinho e trancinhas pro-
&h~ P"aspara eufeites : s bo Vigilante, ruallo Cres-
-#' 110 B. '.
FiUfi
Nozes a 24o rs, a libra.
Prezunlo portuguez de superior qualidade a
64o rs. a libra e inleiro por Soors.
dem ingle/, para fiambre a 64o rs. a libra,
nao agradando mesmo depois de preparado,
poder ser devolvido, que se trocar poi
out.io ou ser restituido sen importe.
Passas novas a ii.o rs. a libra.
Polvo a 16o rs. a libra.
Painco a 16o rs. a libra".
Pomada a 24o rs a duzia.
Pimenta do reino a 36o rs. a libra.
e Rio de Janeiro a 8oo rs. e 1,500, 2,ooo,
2,4oo, 3,ooo, 3,5oo, 4,5oo e 5,ooo rs. o
cento.
Chocolate dos melhores fabricantes de Pars,
Allemanha, Hamburgo e Lisha
Copos lapidados para vinho a 2,8oo a duzia.; ^e.,as sccf f a l, rs- a "bra.
dem idem para agua ao.ooo, 5,5ooe 6,000 Pe,xeem ,atas a '-ooors. a lata.
rs. a duzia i Papel almasso c de peso, de diversas
oo Vigilante, i Cerveja das melhores marcas a 4,000, 5,ooo I lidades e precos deferentes.
e 6,ooo rs. a duzia. ; Palitos do gaz a 2,2oo a groza.
ana-
SgB
H
9

-
o.
Jr
B

-

s
Gnaie sortimento de filas de diversas larguras
i e qualidade, por precos que admiram aos compra-
j dores, haveodo filas largas proprias para sinteiros I Ervilhas portuguezas em latas com
i que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca de 3 faras por 700 rs.
Cravo canella e cominos.
Ceblas em molhos resteas e soltas.
Conservas inglezas a Soo, 9oo e 1 ,ooo rs. o
frasco.
Ditas francezas a ooo e 64o rs. o frasco.
Cognac inglez e francez a 1,000 rs. a garrafa.
Caf de 1 .a, 2.a e 3 a qualidade a 8500 9,ooo
e 9,5oo rs.
Cevadinha de Franca a 24o rs. a libra.
Champagne de muito boa qualidade a 12,ooo
e 2o,ooo rs. a duzia.
Doces da casca da goiaba em latas preparadas
com muito aceio, propria para memoziar
algum amigo na Europa, por ser inallera-
vel por mais de um anno, a 3,ooo rs. a lata
com 7 libras.
Ditlos em caixes a 56o, 64o, 8oo e l,ooo
rs. o caixao.
1 Vi 1'-
Je
Empreza dalumina$o
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamayoes
fnpr eseripto dando o nome, inorada, data, etc.),
devem ser feiias no armazem da ra do Imperador
d. 31. Os marhinistas mandados para aUander a
varas a 2J>: s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Fitas le lia.
Fitas de lia de todas as qua lidades, proprias para
debrum de vestido a 700 rs a |>eca : s no Vigi-
lante, ra do Crespo a. 7.
Ricos espelhas,
Riquissimos espellios com moldura donrada e
sem ella de 84,10,12 e 144, assim como con co-
lumnas de ditferentes tamanhos a 24, 3, 4, Se64:
s no Vigilante.rua de Crespo n. 7.
Lindos jarras e figura*.
dem francezas em latas a 5oo rs.
dem seccas a 2oo rs. a libra.
Esper mace te americano primeira qualidade a
1.2oo rs. a libra,
dem francez a 56o rs. a libra, e em caixas
a 52o rs.
Farinha d'araruta verdadeira a 18o rs. a hbra.
j Farinha de trigo a 12o, 14o e 16o rs a libra,
i Farinha de milho a 160 rs. a libra.
lqulssimo jarros e figuras de porcelana fina Figos em caixnhas e em latas lindanmente
para enfeite de sala sendo o melhor gosto que aqui enfeiladas a 8oo e 1,5oo cada um.
"T tS 3fS^ I Fumonmc, c,, c> UaS para cigarros a
Riquissimos vasos com lionera para pos de ar-!,. ^ rs" ,
ro, cousa de muito gosto a 14500 e 24, assim co- dem cm pacotes a 2oo rs.
mo pacotes s com os pos a 320 rs. cada um : s | dem em pasta a 1,2oo rs. a libra,
no Vigilante, ra do Crespo n. 7. i Genebra de laranja a i,ooo rs. o frasco.
dem ingleza marca Gato a I ,ooo rs. a garrafa.
dem para dentes a 8o, 16o e 24o rs. o ma-
co com vinte macinhos.
Gueijos flamengos a 2,tioo, do ultimo vapor.
dem prato a Co rs. a libra,
dem londrino a 800 rs. a libra.
Rap Mearon a 1,000 rs. a libra.
Saceos com milho muila novo com 2o ctiias
a 3,5oo e a 2oo rs. a cuia.
Sevadinha a 24o rs. a libra, ( nova).
Sag a 28o rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a 64o, 56o e 36o rs. a
lata.
Sabio massa a 12o, 19o, 2oo e 24o rs. a li-
bra.
e em caixes por muito menos.
Sai refinada a fioo rs. o pote de vidro.
Toucinho de Lisboa, de Santos e americana
a 16o. 24n e 32o rs. a libra, e em arroba
a 5,000, 7,ooo e 9,ooo rs.
Tijollo para limpar facas a 16o rs. cada um.
Vinho do Porto em caadas a 3,5oo, 4.000 e
5,ooo rs. e em ancoras com 7o garrafas por
3o,ooo rs.
dem de Lisboa sem confeiccao, (deencomen-
da) por 5o,ooo rs. o barril com 17 caa-
das.
dem de Lisboa mais baixo a 45,ooo rs.
dem em pipas a 3,ooo, 3,5oo e 4,000 rs. a
caada.
dem em barril de Bordeaux com 13o gar-
rafas por 5o.000 rs.
dem idem de Bordeaux com 70 garrafas por
3o, 000
dem em caixas por 5,ooo rs. a caixa com 12
estas, apresenlaro um livro que os reclamantes ..
deverao assignar logo depois de prompto o servic! nores e afamados autores de Pars e
garrafas da melhor qualidade que vem ao
nosso mercado.
iSSt!SS^do?!SmM Sacomdis'IWemde Ho,lan,,a a 6i0 e ,>6o" frasco.vinh0 branco para missa de Lis,)a e Porto
tiuctivos e oflerecimentos s sitiazinhas, dos me- pequeo e grande. em pipa, barril e ancoras a 4,ooo e b.000
dem de Hamburgo, a 36o rs. o frasco e 6,000 rs. a caada.
Ingla-
rec la mado ; isto para qu a empreza fique se i en te
de haverem os mesmos senhores sido devidamen-
te altendidos. ___________________
Ra da Senzalla a. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C.,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios pan
carros de um e dous cavallos. e relogios de
ouro patente inplez.
Charatas da Haraa.
Vende-se superiores charutos da Ha vana em ca-
seda Rabo Schmettau A C.: ra da Cadeia n. 18.
trra, assim como os grandes copos de banha japo-
rs. a frasqueira.
neza a 14 e a 141 assim como outros objetos que firaiia pm i-.nq a I 2no r a duzia
n5o possivel per boje annunciar, e vista dos <\,aixa m lala*.a .".* auz,^
regunsesse fara todo negocio : na loja do Gallo Limonadas de diversas fructasa 1,000 rs. a
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Faria de mandioca superior
em saceos grandes: vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & 6-, no seu escriptorio ra da Cruz
numero 1.
garrafa.
Licores, inglezese francezes a l.ooo, I.Soo
e 2,ooo rs. garrafas grandes e pequeas.
Vinagre de Lisboa, Porto, tinto e branco a
l,6ooe 2,ooo rs. a caada
dem em ancoras por 16,ooo rs.
Yelas estearlinas a 56o rs. o maco, e em cai-
xas a 52o rs.
Vassouras americanas a 64o rs. urna.
At que hagan
um grande sortimento de bico e renda rei* de i
.tftnco.
Vendein-> tenas e lijlos pelos precos que offe- j novo-modelo chamado (guip) o matar Jtie se
Piano
recerem os compradores, sendo dinhoiro vista
as olarias de Jos Carneiro da Couha, ra dos
Prazeres nos Coelhos.
Vende-se um piano dos bem conhecidos labri-
pode desejar neste artig eqde se veste muito ba- cantes Blondel & Vignes, em perfeito estado, de
rate : na loja do gallo vigilante roa de Urespo oplimas vozps : na ra do Queimado n. 33 A, loja
n. 7. da Esperan.a.
i,



'-
"^P"-*

Otarte 4e
* cita felra *a de tgosto 4r ns4.
GRANDE ALLIANCA
57 RA DO IMPERADOR 57
Paulo Ferr ra da Silva \ Companhia
Grande sortimento de molhados em guaseo e> retalho. nico armazem que maia
vaAtagens offerece ao publico.
NEM COROAS NEM MITRAS
Desenganenvse todos.
i
K o Alllaa^a o verdadeiro hornera do progressso
o Allianca o verdadeiro e principal armazem de molhados.
15 o Alllanca o armazem cpie venite mais-ftarato.
K o AI llanca o armazem que veae os eftores gneros.
K 0 Alliauca o armazem onde preside o mellior aceio.
0
ARMAZEII
DE
NOVA EXPOSICAO DE GNEROS
NO
ARMAXEM
Fiquem todos sabedores desta verdade,
Venham lodosa ra do Imperador n. 7.
Venham ver os gneros que temos expostos a renda.

ra do imperador \, 40
Justo m sorada eu qae ora o Sr. O^trae,
Para a festa de Santo Antonio, S. Joao e 8. Pedro.
PRIN
DE
I


PARA
S. JOAO
de Bonitas
AS
DE
FKSTAS

E S. PEDRO.
Amendoas confeitadas de bonitas cor dem de'Mollaiida em garrafoes com 2 i gar-
800 rs. a libra. rafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
dem de casca muito nova a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gu-
Avelaas a 2oo rs. a libra. I zados a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a l,2oo, l,4oo e l,6oo rs. cada 800 e .ooo. rs. as garrafas grandes.
urna. Manteiga inglesa perfeitamente flor a 800
dem em frasco de vidro com rolha do mes- e 96o rs. a libra.
mo ou de metal, a l,2oo e l.ioo rs. cada dem francesa nova ji deste anno> a 600 rs.
um. a libra, e 58o rs. em barris inteiros.
dem em frasco grandes a 2,oo rs. cada Marmelada especial dos melbores fabrican-
m. j tes de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, ha
dem em latas de 1 '/ e 3 libras a l,2oo c latas de differentes tamanlios.
2,ooo rs. ; Massa de tomate em latas de I libra a 56o
Arroz da India e .Maranho o melhor que se rs. cada- urna.
pode desejar a loo e 12o rs a libra e dem para soda estrellinha, pevidee rodinha
2,8oo a 3,4oo rs. a arroba. em caixinhas sorlidasa3,ooo3,5oors. cada
Azeite doce de Lisboa a 600. rs. a garrafa., c urna c 5oo rs. a libra.
4,800 rs. a caada. dem macarrao, talharim e aletria a 4oo rs. a
dem francs clarificado em garrafas bran-1 libra.
cas a !)oo rs. cada urna, e 10.000 rs. a Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
caixa com I duzia. rs. cada um
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a 1- Molho ingle/, em garrafinhaa com rol has de
bra.
Alpista a 16o rs. a libra e 4,600 rs. a ar-
roba
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,000 rs. e de 3 'i libras a !.5oo rs.
e em libra a 64o rs., estas boachiuh;is
torna-se omito recommendavel com espe-
cialidade para os doentes.
Biscoilos e Uolachnhas de soda cm latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em cartoes e de diversas
qualidades a 61o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a loo
rs. a libra e em barril a 3tfo rs.
Batatas novas a 16o rs. a libra.
Bolachinhas inglesas ltimamente desembar-
cadas a 2 lo rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem vindo aonosso mercado a
8,ooo rs. o gigo e l,5oo rs. a garrafa
inteira, c 800 rs. as nieias.
Cha uxim o melhor que se pode ilesejar, e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra.
dem petla de esp cial qualidade a 2,600 e
2,800 rs. a libra, garante-se a qualidade
d este cha.
Idemhysson o mellmrque possirel encon-
trar-se a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio cm latas fie 2, 4, G e 8 libras
a l.2ooe I,loo rs. a libra.
dem prelo muito fino a l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melbores qualidades, franeez,
hespanbol e suisso a l,ooo, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em '/a caixas das seguin-
tes marcas: Parisiense?, Suspiros, Di-
cias, Napoleocs e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas intoiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de oulros inultos fabricantes e de dif-
ferentes marcas para l,5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a i,600, 2,000 e3,ooo
rs. as caixas inleiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 000 rs.
Cognac ingle/, das melbores marcas a 1,000
rs. a garrafa e 10,000 rs. a duzia.
dem franeez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e D.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Miarte AImelrfa A ., reerheram de sisa prtapria rortun
la o maiw lindo e railudo sor*iniento de Molhados, proprlo*
da presente estadio.
Manteiga ingeza Maeas brancas
da safra nova viuda neate vapor de 28 de para sopa a melhor. que se pode desecar,
nwio a 800 rs. a libra. macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
Manteiga ffraneeza libra e 45Q0 a caixa.
da safra nova a 560 rs. aiibra, e em barril i Vllho
A TOftiJAnci Figueira J A A c outras multas marcas acre-
AmeUClOaS f atadas a m rs. a garrafa.
confritadas de lindissimas cores a800 rs. a Mein de Lisboa
l,bra- e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-
cantes da ctdade do Porto aloe 14200
a garrafa e de 400 a 125 a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisso AFilho,
F. & M-, Sectar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de btmba a 4K)00.
Bolachinha ingeza
a 1)5800 a barrica da mesraa qm
vendem a 20000 e 2^400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120C- ul bra.
Cervejas
V. IUI ]0 CRISPO M. 9
Esquina qae rolla para a roa do Imperador
prowvet que naoseja bem aceita a verdade, quando a boa f de todos anda
tUuduIa por esta epidemia de nauzeaticos anauncios de corneta*, tambore* coras mi
_ tras, etc., que todo o dia enchem as paginas deste jornal. '
1LLRT1
m em vista seoo garantirem ao re&peiUval nubii a
sua palavra de honra, vendando com o lucrp suficiente para suassubsistencias \/H!7ZZ
assentarem fortunas a forca da regra de liga como"oiitros ann"uncante's dest?gemroPar

Araeixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
25400, muito propios para mimos.
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs cada ora.
Latas
com bolachmhas de soda de todas as qua-
lidades a 15300.
Chocolates
de todas as qualidades a I#000 a libra.
Presuntos ingfezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambera
temos velitos para 500 rs.
Queijos flainengos
chegados neste ultimo vapor a 2|J6oo.
PARA TODOS
No armaaem lrineipal veode-se a todos pelos preces marcados ua lefefa ta-
bella, mas n5o se ve te-se as qualidades dos gneros trocatulo-se-lodo aquelle uue n3o mi t.^/L
comprador.
vidro a (Wo rs. cada urna.
Mrrasquinho verdadeirode Za 'f.ooo"a dja -
a garrafa, 10,000 rs. a caom 1 usi.xrc a Qneljs dos melhores fbricantes|e de todas as mai
No/'es muito novas a l(k> a libra. ChegadS D0 ultim 2 m ^ um- "* de 4*W0; f a W**
Prezunto ds fiambre superior a 600 e 80o londri f Jg g de esperar Charulos bJKJ^ oulros eM
e de mellante maree a 800 rs a libra raeias sendo mteiro e a 900 rs, a retalho. lrroz
Conservas inglezas do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
govas, pescadinha e as mais novas que se pode esperar a 760 rs. a ? rs- a ^'Dra' e 25500 a 31000 a ar-
0 frasco. I reDa desses que vendem por 30400.
am ik T de I. e 2.s sorte do Rio de Janeiro a 8r>:^
em bbi as e camotas ricamente douradas, e 8^800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
propnas para mimos a 900 e I5200. ... f_ aovu,s-dUU'
UJia UXim | com 4 *fa garrafas com vinagre a i-!)OO0i*a
o melhor que se pode desejar, que outro o garrafao.
qualquer nao pode vender por menos de; exebra de laranja
3 a 2#600. verdadeira a 1,51000 o frasco, e de M^OOf
dem (erla a l';i'x;t-
especial qualidade a 2^700 rs. a libra J IDEM
dem hvssou em 'ras1uciras de Hollanda a >.>800 com
J 12 frascos.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. i libra.
Feixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina,
outros a l.ooo rs. a latas.
Palitos para dente a i 4o c a 16o rs. o mas-
so dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o r, a li-
bra, e a 4,5oo ts. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos ebegados neste ultimo
vapw, a 3,ooo
dem piala muito fresco a 8oo e 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que at lio-
je tein viudo aonosso mercado a 8oo rs. 0 mais aromtico que tem vindo ao nosso
nL i a- n mercado a 24600.
dem londnno a 9oo rs. m n
Sal refinado em potes de vidro a 500 rs, MaSSaS amareiUlS
cada um. para sopa, macarrao, talharim e aletria a
Ceneja das melhores marcas a 6,ooo rs. aj 480 rs. a libia,
duzia. c 50o rs, a garrafa. COIS %jk C
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo
aqueHe que nao seja do agrado do
Amendoas confcltadas de diversas cores a! Lentilhas muito novas excellente le"
meias latas a 38ueoKo rs. cada urna.
Sag muito novo e ^Ivo a 2o rs. a libra.
Sevadinlii de Franfa. 18o rs. a libni.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
roba.
Traques de 1.a qoal dade a 9,';oo rs. s
xa, e 24o rs. a csrta.
Touc
GENE !i R A
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada una.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e2o rs. cada caixinha.
LICORES
64o rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixiubas com lindas
estampas, a i,2oo e i,5oo rs.
dem em frascos de vidro a l,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,000 rs.
dem em latas de I '/ libra a I,loo rs.
Arroz do Maranho e da ludia o mellior que
ha neste genero de 80 a loo rs, a libra, e
de 2,5oo a 2,8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a casada.
dem franeez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e 10,000
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libia.
Azeitonas muito nova a 2.000 rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. a libra, e 4,4oo rs. a
arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades, em latas
de 6 e de 3 libras a 3,000 e I,5oo rs. a
lata, e 64o rs. a libia,
dem ingeza em latas de 2 e de 4 libras
das melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs.
a lata.
Banha de porco reinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em caixas de 2 e de 4 arrobas a
l.loo rs. a arroba.
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o moiltor poasfrcl n 2,7oo ra. a li-
bra.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a hora.
dem bysson o melhor que lia nesle genero
a 2.0(io. 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
; dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a I,3oo
rs. a libra.
I dem pelo homeopathico2,000 rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a du-
rs. a garrafa e de outras omitas quaida- finos de todas as qualidades, a 10,000 a caixa zia, e 56o rs. a garrafa.
000 rs. ca-
rs.
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa.
COPO*
lapidados para agua a 4,5oo e 5',000
duzia, e a 440 e fjoo rs. cada um.
PAPEL
rs. a
com urna duzia e a 1,000 a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abren c outros muitos a 600 rs. a
libra.
'"i'1- i n.r ,0 veri
Tijolo para limpar facas a lio i. cada um. j
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das |
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
Roo rs n garrafa,
dem do Porto LishAL e Figueira de manas
menos condecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caad;
vinho a 600 rs. a gar-
h
Cfavo da ludia a 600 rs. a liara.
Canellaa I,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5*,ooo rs. a duzia, e
Son rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 e 9,.*oo a arroba.
Doce fino de goialw. a 600rs. ocaixo.
Li'vilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata,
dem ceceas a IGo rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinlia de aramia verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito hem enfeitadas a
l.ooo rs. cada urna,
dem em lilas ei'mticamente lacradas a
l,5oo e2,800 rs. cada urna.
' dem em caixas de '/ arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e l,ooo
rs. a duzia.
Cenebra de Holanda em frasqoeiras com 12
frascos por ti,000 rs. e 560 rs. o frasco
dem Colares especia
rafa.
IdemLavradio muitofresco nSo levando com-
compehivao a 56o rs. a garrafa, e 4,000
rs a caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4.5oo rs. a caada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a cariada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial qoe raras vezes vem ao
eosso mercado a l,2oo rs a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d
prejimo e so se encontra n'este arma-
zem.
dem do Petto em caixas com 12 garrafas
das" seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Dwcpie do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, .
Luiz I. Nctar e outros a 9,ooo e i 0,000
rs. n caixa e 9o e l.ooo rs. a garrafa.
dem Moscatel superior a 1,00o rs. a garra-
fa, e 0,000 a caixa com 1 duzia.
Vinagre poro de UfeM a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
Idem-em garrafries com 5 garrafas a l.ooo
rs. coto o garrafao.
Vassoui as do'Porto de arcos de ferro a 32o
rs. rada nina.
I dem de escova para eifregar casa a 36o rs.
Ihor.
Papel de bolica
de encllenle qualidade a 2^200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulhb de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corintliias
rdadeiro presunto de Lamego a ri2o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa tari abatimento.
passas corinthias muito novas proprias para ., VELAS
podim a 800 rs. a libra de carnUha m caixas de arroba a 9,3oo
Rlim/ caixa e 34o rs. a libra.
r UIO Batata novas
o verdadeiro fumo americano em chapa a em caixas de 2 arrobas a 5?5 a caixa e 60 rs.
a libra.
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran- cada orna.
des e II,non rs a caixa com 12 frascos. | Velas de espermacete superiores a 56o rs.
"dem de Hollanda em botijas a loo rs. cada \ a libra, e 52o em caixa.
urna. i U,;m de carwiiba retinada e de composicio
Jdem em garralbes de 16 garrafas a 4,8ooi a 36ors. a libra, e de lo,ooo a H.ooors.
1,4oo rs. a libra
Vinagre
PRR em ancorelas de 9 caadas a 15.ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,000 rs. a caixa
e l,ooo rs. o molho.
Alpista e Paiupo
o mais ffovo do mercado a 110 rs. a libra,
e49i00 a arroba.
Passas muitft nnvas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 6I500
a caixa e400 rs. a libia,
Choeolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140rs. o pao.
Frutas em ealda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginjae
outros muitos a 640 rs. a lata.
sc' da casca da guiaba
a 600 e 1$ oeaixae.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram sos san*
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularan! os mesmos preces nos seguintes lugares:
l'niao e Commerelo ra do Qcima<1o n. 7
____________ Veftladcire Principal ma do Imperador n. 40
GR4NDE SORTIMENTO DE FAZEM)4S
OE
99
rs. com o garrafao.
a arroba.



RA DO QUEMADO NUMERO II
'k*ja de fnzendas d ii/yuslo 1redede > dos Santos Porto
Ar.s i-hapelluas e chapeo para senhors.
;hegaram a e-t eAlabelueimcnlo as mais moderna* chnclihas e hi^os rHiru .i-nhora.
Saperiorf COrKM lo (iile barra di! 105 a 90J.
As iiviis superiores capas e smiimbaniut*s de ;eda pr<-in-&efmira -de crfls im fihoras de
m al 3rtfi. : .. .
Rxolk'rtl*- filas para vcsiilo aH20, -"00, :>C0 e 600 t. ocotaifo.
Passas o. i,';m.|ys 0> methnrrs tapetes para -ofa roni riipii-simos desenlio*.
Lenco* il cainliiaja' (le Hriho c lil Iwrdados a 15 cada un. roji*i' 9(>p 4|#
Supi'riorr. casiiiiri's mesrladis de dwrsi i-t-tos laninwii.fmi;* eonxi cu corles.
Ecntfs,iiHUs"(aondas copw s-"imi: vrc...--- fifiisMiiia.nxilanhas, silttcias, eaijnuo, *lis-
U-iiia pr>'?a iiui < fina, canta .ara 'i-!.is *\- loli', t'rc>Hlc'fli44i?*WMl',s cores as superiores
lslelaa p:ira si!i*.
\r peMoas qne prci^nderem ferrar mtfi-ftmtQO galMiwt**, encontrarao nfte eslabelerinienlo
si 'Ihor *'. laudado da cieit4U de utas a- larguras peio mais mdico Qt***>,
-
Custodio, Carvallio & Companhia.
ttUA 1IO ifMJEIMA1IO
I'ecas de ntremelos bordados a t.
Tiras bordada a peea.aji.
Cuberas "de chita a chura* a 25200,
Taers de linhe Anos a 2520o.
Tualhas de linlm para maos duzia i.
Sapatos de tapete para me-iiinos, enhoras e horneas fha barato preco de IfiGOO o par.
Toalhasde hnbo para t%jsa a 35500 e 4,} ^UF
llaldes de arcos para senlioras a .'tj.
Ri de linlio liso vara 500 rs.
franrfesdrftmenlo-de Has pira vestidos
Saperiofes tas de rosti para seflboras 1 51
JaTlTi^KOA
II .1 V-------------1------------------1_____1_____I______________________________i
Veijjo.
Veode-se feijao aolalinho muito novo pelo ba-
rato ptn;n de 85, saceos c.d'i 22 cuias Bajanlidas
Chocolate franeez, suisso e he^panhol a
l.ooo, l,2ooe 1.4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furta
do de Simas e outros da Babia como se-
jam Regala, Trovadores, Guanabaras. De-
licias e Suspiros, a I,6oo, 2,ooo,3,ooo e
4,000 rs. a caixa,.
Conservas inglezas a 78o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a 000 rs.
Cognac ngleze franeez a l,ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.800,
5,000 e5,5oo rs. a duzia, e 000 rs. cada
um.
Cafe do Rio superior 28o o 3oo rs. a libra,
c 8,5oo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o e 800 rs. a libra,
e 8,000 a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goaba a 600 rs. o caixo.
ErviIhas portuguezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 10o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta -verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a 9oo rs.
cada urna.
Graixa nova a loo rs. a lala, l.loors. a
duzia.
Genebra de Hollanda em frasqneiras de 12
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco:
dem em botijas a 4oo rs. cada urna.
dem em garraioes de 16 garrafas a i,8oo
rs. com o garr.-do.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingeza em garrafas brancas bor dadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a 1,000 fs. a garrafa. ,.
dem de laranja verdadeira a 1,000 rs. o fras-
co, e 11,ooq a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wass.er excellente bebida Suissa a
1.800 rs. a garrafa.
.ra sopa a 2oo rs. a libra. *****
Licores franeezes de todas as qualidades de
7oo e 9oo rs. a garrafa.
Manteiga ingeza perfectamente flor a 8oe rs
a libra, desiiessesario mais elogios nes-
te genero que s se pode verificar com a
dem franceza a 56o rs. a libra, e era barril
ou meios a 5oo rs.
Marmelladado 1. fabricante de Lisboa a 600
rs. a libra, ha latas de 1, f% e 2 libras.
Maca de tomate em latas de urna e duas li-
. bras, a 600 rs. a libra.
dem para sopa estrellinha, pevide, rodinha,
etc. a 3,5oo rs a caixa e 56o rs. a libra.
Macarrao, talharim e aletria a 4oo rs a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a 4oo rs. o fras-
co.
dem ingeza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinhas com rolha de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marraschino verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
a garrafa, e lo,ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a la la.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro, ga-
rantmdo-se a qualidade, a 7oo rs a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a libra, c
6,5oo rs. a caixa.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes qualidades, sabel, corvina, go-
raz, eavallmba e pescada a 1,000 rs. la-
ta.
Palitos para dentes fichadas a lio rs. o ma-
co de 20 macinhos.
Mem do f, a 200 r. a duzia, e 2,1 oo rs.
a groza.
Pataco muilo novo a 16o rs. a libra, c i,5oo
rs. a arroba.
Queijos flamengos do ultimo vapor,
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra, e
sendo mteiro a 72o rs."
Sal refinado em potes de vidro a
da um.
Sardinhas de Lisboa e de Nantes a 600
ameia lata, e toors.o quarto.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra
Sardinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a loors.alil.ua.
Toucnho de Lisboa a 24o e3oors. a libra.
Tijotospara limpar facas a loo rs. cada um.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira das
marcas menos conhecidas a 4oo rs a gar-
rafa, ea 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira especialmente escolhido neste
lugar a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo a caada.
dem Lavradio. Colares muito fresco sem
composico a goofs agarrafe, e 4.500 rs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a 56o rs. a garrafa,
e a 4,5oo a caada.
dem Porto fino em pipa a 060 rs. a garra-
fa.
dem engarrafados generosos, Lagrimas do
Douro. Duque do Pono, D. Luiz I. D. Pe-
dro V, Nctar, velbo secco, Malvazia, o
genuino particular de 9ooal,?oo rs. a gar-
rafa e a 10,000 rs. a caixa eom urna duzia.
dem Madei^legitimo a i\2oo rs. a garrafa,
ea l2,ooo rs. a duzia.
dem Muscatel a leoars. a garrafa.
dem Bordeaux dos acreditadas marcas St.
Jalten St. Fsteph, chteau la Koze,chafan
Margos e outros a 6,000 rs, a caixa e 56o
r*. a garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2.000
rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e l.ioo
rs. a caada.
Moni em garrames com 5 garraTas a 1.000 rs.
Vassouras do Porto com arcos de feri o a 32o
rs. carta time,
dem de estovas para lavw casa a 36o rs.
cada nina.
Vellas de espermac-te superiores a 56o rs.
a libra, e sendo ro cajxa a 52o rs,
dem de carnauba refinada o de composifo
arroba.

Boa Ja SftnzalU Xova i. 42.
N&ste estabeiecim*nto veadem-se: tachas de
ferro ooado libra a 110 rs., idem de Lov
Moor fibra a 120 rs.
Fumo imperial
Salitre refujado. superior quatidad-, vinho.Bar-! pel ven,kri(>r' a."1* M^rt "
Corlado igual ao franeez amito propr para ea-
rhimho, em latas de 1 libra, nuando io si^ b-
ihor igual ao americano por 12200 r&, 4ara. veri-
Arados americanos e machinas par car a verdaUe os Srs. rbmatiles podem-i! dlrifir
lavar roupa: em asa de S. 9. Johnsten de C. frhrica aor ae ciarvoe;ioiiga rea dos ^au-
ra daStenrafia Nova n. 42. I,dls MWl *<
------" Mili |i 1 ni > ..........''" '> -
Para passaf-se a fes la
Veode-se a melhor osa Ierres nova qae ha
na Roa-viaj!im. .-ita beira da estrada, Vntlo de
fabrica de chapeos de sol de
Francisco. Maestrali, run
do Queiniado n. 22.
de.iux, dinVreiiles ipualidade, mais barato que em
qualquer parte : ho armazem de E. A- irle & '
C, ra da Cruz n. i8.
--------

_
Su bao.
)


roazem.
Veode-se constantemonle aUbY ma.a, lano em
faixas como a retalho, a iOO e W) rs. a libra na Superior rape de Lisboa, dem nlo Cordel ro,.
fabrica da ra db Rangel n. 34. <>em ditr< vtajadn,.tdem pissr trros?o, meio ero?-
--------^-^ -jm^m^m.ji---------u"^- so, fmoe Mi-arcHT Ven*'-rcnnrniamcmc, cuito
* *** Haimafoca. ?m hrn como a refalho ; grante-e ao compra-
\ende-=e na roa da Madre de Dos n. 38, ar- 4or t)c4 qualidade : n pracs da Indepenfl-oria
if', >|.
K che aflo -um %ritf. sorthnento ife fomo rapo
ral, raehtmbtie, b rheftna* r** c*arus, e laro-
hem bengalas e chicotes para moniaria, de todas
as ipialidades, e sempre se acba nesla fabrica nm
grande sorlimenio de chapos de'sor de todas as
qualididos. tambem se-enhrem apeo*-e se wo-
certara, o se m tudc (n^-tencenie a eMa arle.
o. 5, toja de violas.
Gorama
mitito superior em barricas
fronte TO patinos, i ianellas e porta, 2 salas, 4
-'Tinnrtos, sotao e enrinfla fon, rnpfnr grande, ca-
cimba com exrelleMe (roa, di\-er*o$ arvoredos
que se collietn bons fruelos, leudo Me lorreno di*
(iradu 70 palmos sol re SSO de fundo ; ns prolea-
dentcs qtieiram rtiripir-se ra da Cadu'a n. 3,
.irmittom do tfeme Enzebin, que est antorisado.
k berdeTU (mire Rmlia ha para vtwdtfli.
i rinha e mandittea nova e de b qualUado. de
vende Francisco 6o-' Santa Catharina, retalbaijM a preoos "fmmnh :
mes de Mattos Jnior, na ma larga do Ra?aru nu-. para alar, a bordo do mesmo navio, ou no cscrip-
roerf *- tono de Amorim lrmao, ra da Crnz n. 3.
.
i
-



Diarla le
ieo e\t felra de Agosta 4e l 4.
ao PUBLICO
Sen. o ineaor constran-
glmento se entregar
Importe do genero que
nao agradar.
ATTEHC&0
Os prccos da segnlnte
tabella para todos, pe-
dendo assfnt servir de ba-
se para o ajaste de conlas
con os portadores.
ARMAZEM UNIAO M
RIJA IIA CADEIA DO ItKCIFE W. 53.
i Lw|o nassaudo o arco da Concetfo)
Grande redneeSo de preeos, equivalente a dez por ccnto menos o que oiilro qualquer
annunclaate.
Collegas.Nuo posso por mais tempo sustentar o prego da manteiga ingleza a l,ooors. a libra, bem assim o de oulros
rauitos objeclos, etc., dando com islo ocasio a todas as espeluncas aeaban>m porbom proco a manleiga de tempero, c. gritaran em
alta voz, que podem vender pelo preco que ea vendo!! 1 Ora, cu offendido com estas obscuridades e recekteo em adoptar o iwsmo
systliema que vim encontrar, de so se vender com um por cento a carola, resolv fazer esla grande redueco de preeos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca peto meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molliados Uniiio Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redueco a que
esto obrigados, encarando todos os das de seus freguezes reclamacao de preeos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mal informado dcste novo estabelecimento. para lhe vender goneros nao proprios de um eslabelecimento desta ordem que o scu fin
. to sement obter a concurrencia de seus freguezes.
e
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, c mais que ludo apromplidto e entei-
reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteccao e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir poderao mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos, pois
sero to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendacuo, afim de que nao vio em outra parte.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz 'abat- Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolrmla a 8oo rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tcm viudo ao
mercado a 5(!o rs. a libra, e em barril ou
Bris a oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6o rs.
a libra.
dem puerto o mais superior do mercado a
2,8c rs.
dem iiuKim o melhor que se pode desejar
nesle genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathico por ser de superior
animen a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o I.Goo, l,8oo c 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser multo regu'ar, igual
ao que se vende em outra parle por 2,4oo
e2, Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a u.ooe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas c paios em baiTis de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e I,oo e too rs. a libra,
ijueijos flamengos muito frescos ebegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a I,6oo e I,8oo rs.
Idea Inndrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
io se faz abatimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
Uem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Er vilhas e favas porluguezas em latas ja pre-
paradas a Oto rs.
Macmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a Goo rs. a libra.
Prezunlo do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado nesle
vapor To rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,000 e 5,oo a
duzia,
ment.
Caf do Rio a 2Co e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,500 rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9>ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz doMaranho a loors.a libra. e3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
Jdem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpisla a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate om latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a ooo
rs. a libni.
Aletria, macano e tamarim a ion rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e lalherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornara-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
'eitas para esse im.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
23 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excedente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
las com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinbo de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o, i Cerveja branca e preta das marcas mais a-
por 2,oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes emlatas
de3 libras porl,5oo rs.
Araebcas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinbas de deverses
tamaubos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, I,5oo, el,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 6o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rollia do mesmo a aoo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e 11,ooo a duzia.
Palitos para dentes a l4oe 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
4oo e 5oo rs. a garrafa, em'canada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinbo branco de Lisboa de excellente quali-
dade a loo c 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,Soo rs.
Vinho branco para miss.i cm caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lacrimas do
DouTO, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs. e a 9oo e l,ooo a garrafa.
Choculate francez, suisso e hespanol a Ooo Vinho Colares o mais superior que tem
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
viudo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Espermaccte cm caixinhas contendo 6 libras ,Sardinhas de Nantesem quartose mciaslatas
por l.ooo rs., garante-se serem transpa-: a 36o e 56o rs. cada una.
rente e de superior qualidade, tambem tem I Sardinbas portuguezas em latas grandes
de 12 por libra propria para carro. preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca- boa a 64o rs.
da, salmo, ostras ecbernee, vezugo em Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
latas grandes a 8oo e -I,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaos das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,ooo, 7,ooo e 8.000 rs. a caixa, garante-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bclachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qaalquer nao pode vender por este proco.
Genebra de lollanda a 56o rs. o frasco, c
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Aliona em
frascos grandes a* I .ooo rs. o frasco, e
H,ooo rs. a duzia.
para mimo a 64p rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra c
l,8oo rs. acaixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
dem de lollanda em botijas "candes a loo lolachinhasd'agua em sal da lubrica do Beato
crediUdas que vem ao mercado a 5,ooo e
5,5oo a duzia e Uto rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova aoors.
Charutosde todos os fabricantes da Babia e das
mais acreditadas marcas conbecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5<.o, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores. marcas a
I,oi90 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba em ratas de 4 li-
bras por 2,ooo: diloemcaixoesa6oers.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e 1o,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Basta de poico refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a grata.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra c 8,300 a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o ccnto; ditas em
molhos com cento e tantas por l,2oo rs.
Matte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
Acaba de recener de sua propria encommenda um grande e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o propietario em
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus .gneros e
resumidos preeos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem coouecido ar-
mazem.
Amendoas confeitadas de 8oo rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 8oo rs,
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e 5oo rs.
sendo em barril.
Cha nxim a 2.7o rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oors. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limlo, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, rlela pimenta a 1 ,ooo
rs. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores qoc temos tido no mer-
cado.
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
ADEREgOSDE MOSAICO.
A agnia branca da ra do Queimado n. 8 rece-
Leu bonitos aderemos de mosaico e fino dourado, e
os est vendendo por preco razoavel.
Bolsas para cara.
Esse olijecto aqu lio cusloso de enconlrar-se, e
tao preciso aos apreciadores da caca, acha-se hoje
a venda na ra do Queimado loja daaguia branca
d. 8, onde o comprador ser servido conforme o di-
nheiro que tpriker dispr para tal fim.
Usscneia de rosa.
Em peqneuos frasquinhos a t3000. Vende-se na
ra do Queimado n. 8.
i cutos para voltarete
A aguia branca na ra do Queimado o. 8 rece-
beu caixinbas com lentos de marfim e madrepero-
la para voitarele, havendo dinheiro cheguem-se a
elles antes que se acabem.
Cira xa econmica.
Chego novo sortimento dessa boa graxa, e con-
tinua a ser vendida na ra do Queimado loja da
aguia branca n. 8.
Fitas
para a Lrmandadc do Bom Conselho, e cartas de
Lachare* Vende-se na loja da aguia branca, ra
do Queimado n. 8
-.equcs de sndalo, uaadrepero-
la, osso, etc.
A aguia branca recebeu um bello sortimento de
Jeques de sndalo, madreperola e osso, sendo elles
de diversos moldes e variadas cures, inclnsive a
preU : agora, pois, quem comparecer rom dinheiro
pode bem escolher um bonito leque, na ra do
Queimado loja. da aguia branca n. 8.
Caixinhas para costura eoutras
com perfumarlas
A loja da agnia branca, onde constantemente se
vendem essas bonitas caixinhas com arranjos pra
costura, acha-se oiui bem provida por ter agora
receido um bello sortimento do ditas caixinhas ;
assim como outras com finas perfumara, por isso
quem quier fazer om bom presente, tendo dinhei-
ro dirase ra do Queimado loja da aguia bran-
ca d. 8 que ser bem servido.
Boa tinta para marcar roupa.
Venfle-se' na ra do Qaeimado loja da aguia
branca n. 8.
GRAXA N. 97
Vende-se a verdadeira graxa ingleza n. 97 no
armazem de I. A. Mereira Dias na ra da Cruz
numero 26,
DE
J. VIGNES.
X. 55. RA DO LlirtEHADOR Vi. &&.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz conhecidos para que seja necessar insistir sobre o
sua superioridade, vantagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas ncontestt-1
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca 5 pos-;
guindo um teclado e maehinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem-
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importan- >
tissimos para o clima dcste paiz; canato s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicSes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido e variado sortimento de mnsieas dos I
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por !
preces commodos e razoaveis.
MDAi)r.LEOmiFIGbi)i li V.CALH \()
XAROPE DE RBANO IODADO
Segundo os attestados dos medico* dos hospilaes de Parii, consignados no Prospecto, e a approTacSo
de varios Acadmicos, este Xarope emprega-se com o maior successo, em lugar do OLEO DE FIGADO DE
BACALHAO, ae qual ellerealmente superior. Cura as molestias de peito, as escrfulas, o lymphatismo, 1
pallidei e mollea das carnes, ai pedas tf appetite, e regenera a consUtuicao parificando o sangue. Em
summa o mais poderoso depurativo conhecido. Elle nunca canea o estmago ou os intestinos como o
ioduro de potassium e o ioduro de' ferro; e administra-ee com-a maior eflicacidade aos meninos sujeitos
aos humores ou ao entupimento das glndulas. O Dootor Caaeamve, do hospital de San' Uiii de Pars,
o recommenda d'um modo inleirameote particular as moleitias da pelle, conjunctamente com as pilulu
que teem seu nome. -
Depsito geral: em Parit, en casa de MM. Grlanaalt C>, pharmacenUcei, 7, ra de la Feuillade ;
em Lisboa, en casa de Rodrigo da CasU-Carvalh*; no Porto, en casa (U Miguel frm de Saua-
rerrelra; em o Mo-de-Jancira, lava Pcixoio e uinU, ra do Sable, 11; em Baha, en casa de
Jaa-Caetaao Ferrclra-Ea^lahetrat; em Rio-Grande, en casa de Joaaala 4e Godoy ; em Maran-
hdo. en casa de Ferrelra e0a; em Pernambuco, sbouaa r ', ra da Crus, 23; Saaaa, eBal prindpaes
pharmacias do Braiil.
Deposito -geral em Pernambuce ra da Cruz n. 42 de emcasaCaros 4 Barboza.
Vendem-se saceos grandes com muito bom'
milho a 45, muito proprio para retalhafna ribei-
ra : no armazem do Tejxeira
nba da alfandega.
Velas de composleio
Vendem-se velas de composicao de superior
desejar a 2,6oo e de 8 -libras para cima
a 2,ooo rs.
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oots.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de i, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 8,3,5eo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
oeste genero a 2,800 rs.
dem menos superior esse que se vende
por, 2 '2,400,-a 4,$oots. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a i,3oo
xs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a i,5oo
rs. a libra.
Qneijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,2oo rs
dem prato es melhores e mais frescos do
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a 1.7oo rs. agarrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Crakntl, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mul-
tas a Ir'Jooe l,4oo rs.
Fumo americano cm chapa a l.Goors. a
libra.
Araruta de todas as qualidades.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 5$ a
caixa e Co rs. a libra*
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,000 rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 3,5oo rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portugticz o mais especial que se
pode desejar" a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
loors. a resma.
Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
Figos de comadre em Utas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a Moo e 2,2oo
rs. a lata.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 12o rs. a
lata de 21|2 libras,
dem cm caixinhas de 8 libras a 1,80o, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,000
rs. a arroba.
Amendoas confeifdas a 600 rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a 10,000 e
l,ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,000 a caada.
dem superior a 5oo-rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,000 rs. a casada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composico a 560 a garrafa e 4,000 rs. a
caada.
Farinha de malarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l.ooo rs. cada urna.
Ricos livros com figos l,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafoes com 4 '/ garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafo.
dem com 4 '/a ditas de venagre al.ooo rs. o
garrafo.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com aancoreta
dem em pipa puro sem o batisme a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,800 rs.
2,ooo re, o quarto, a 6,000 a aixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 800
rs. a libra.
Marmeiadas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a*84o rs. a libra.
Ervrtoas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico mnito novo a 16o rs. a libra.
Ervirhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal 'refinado a 48o rs.
Fumo (le chapa americano a f$00 rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 800
rs. a'libra.
Chouricas e paios mnito novos a (fio a libra.
Caixas Massas para sopa macarrao. tarharrra aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro iuglez a 6,500 rs. a caixa
eSoors. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,000, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos s3o dos que por ahi se ven
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a fibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,600 rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 060 rs. a libra, e em
caixa a 020 rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,000 rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaco pautadoe lisoa 3,ooors. a resma.
dem de peso pautada e lise a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,co rs.
a resma.
Idemembrulho de l,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 -/ libra a
l,2oo e8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l,ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Molhos inglezes a 800 e l.ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 600 rs. a garrafa.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
c 6,000 rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
viadas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. o molho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a 32o rs. a libra e
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas a 1,000 rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e l.ooo rs. o
caU-So.
RIVAL SEM SEGUNDO
Hua do Queimado n. 49, est vendando muito
boas fazendas e muito baratas, uuem quizer podera
nr ver ou mandar para experimeniar, assim como
sejam :
Gollmiias muito linas para senhora a 500 rs.
Ditas e puntos de fusto muito bonitas a C4.
(.artas de alfinete de caneca chata de todos vs l-
mannos a 80 rs.
Resmas de papel de peso muito bom a 2,3.
Capachos redondos e compridos a oOO rs.
Caixas com superiores obreias de colla e de maa
a 40 rs.
Cordiio braneo grosso que tem multa applicacao a
vara a 20 rs.
Lindas de carriteis garante-se USO jardas a 46 rs.
arldes de liona Pedro V'com 200 jardas a 40 rs.
(irosas de pennas de a^'o muito linas a oOO rx
Varas de franja de la para vertido a 40 rs,
Ditas de franja branca larga para loallias a it) rs.
Pares de botes do punlio a 120,320 e 'OO rs.
ftTinteiros de vidro com tinta a 100 rs.
Ditos de harro com superior tinta a 100 r.-.
(irosas de boloes de louea prateado a 100 e a du-
zia a 20 rs.
Tesouras para costura a 80. 200, 400 c 'OO rs.
Kscovas para limpar dentes. superiores a 200 x.
Libra de la para bordar da melhor qualidade a
G500.
Caixas de phosphoros de seguranca a ICO.
; Caixas c pacotes de papel ainizade superior a GOO
res.
Caixas com 100 envelopes muito finos a 800 rs.
Quadenios de papel pequeo azulado a 20 rs.
Carriteis de liuha Alejandre com 200 ardas a
100 rs.
Barallios para voitarele a 240 e mais lino? a .100 rs
.Viciadas de liona irona para bordar a 20 rs.
Pares de sapalos de tranca de lodos os tamanlios
a 1,3500.
Grosas de boloes de madreperola muito finos a SCO
! reas.
Carlas e caixas de clchete de superiores quah-
I dades a 40 rs.
Massos de grampos superiores e limpos a 30 rs.
Gr&sas de palitos de paz a 2-5200.
Libras de areia preta da melhor qualidade a iSO
| ris.
j Caixas redondas para rap e tem muito bonitos ca
lungas a 100 rs.
i RIVAL SEM SEGUNDO.
Itua do Queimado n. 49 loja de miudezas de .!-
I s Bigodinho. venham ver a pechincha que i acabando certas qualidades di? fazenda.
Pegas de litas elastieas com 10 varas a.. |Ml
' Ditas de-tranca branca lisa com 10 varas. Wtl
Ditas de tranca preta lisa a............ 60
[ Realejos para meninos, pechincha a. 120
j Rodinhas com superiores alfinetes a..... ?f!
Caixas com superiores agnlhas e limpus a 2(.i>
| Sabonelcs de familia, muito linos a 80-e.. ICO
i Pares de sapatos delaa para changas a.. 400
, Varas de babado do. Porto muito bom a
100, 120 e......................... ICO
Ditas de bico largo grosso a............ 100
Potes de superior linta tem mais de meia
garrafa a.......................... 380
, Caixas com perfumaras muito honilas a. 500
, Frascos de oleo de macag muito fino a 100
: Ditos de oleo de babosa superior a 240,
320, 400 e......................... -500
Ditos de cheiros muito superiores em qua-
lidade a........................... 320
Ditos de agua de colonia muito boa a----- W
Ditos de dita dila grande a........... **00
Sabonetes de todo o prego 60, 100, 200,
320e............................. 400
Frascos de superior banha a 320 e....... 600
Caixas de p para limpar dentes milito
fino a-............................ fOO
Ditos de banha transparente a.......... tO
Pares de ligas muito linas para senhora a 500
Sabonetes inglezes da melhor qualidade a 320
Frascos de agua dentriOce superior ga-
rantida a.......................... 1{C(X>
Massos com 25 envelopes grandes azula-
do a.............................. 100
Varas de fila preta com clcheles a..... iOO
Frascos de macaca perola muito superior 200
Caixas com pennas grandes a......... ft
(Irosas de boloes para calca preta, miados ico
Libras de memento da roopa de lavar a.. 300
Carriteis de retroz de todas as cores e
tem meia oitava de retroz a......... cii
Varas de bicos de differenies larguras a (o
S
As verdadeiras
Ipojuca.
s de
Vende-se na ra do Queimado n. 32, loja de l'er-
ragens de Azevedo & Irmao.
MIMA
Vende-se urna excellente padaria com lodos c~-
! perlences, e que se acha trabaihando, sita na roa
do Varadouro cm Olmda, ou mesmo se faz socio-
i dado com pessea que para este fim icnba bal ilia-
: cSes ; o motivo da venda por seu dono nao -
tender do fabrico : a tratar no pateo do Carmo i.'i-
mero S.
| _- '-#.
defronte da escadi- qualidade, sendo a Inz superior s stearinas, pro-
: prias para casas particulares : na ra do Vigano
; fabrica n, 26..
Ferros para Orives. Vendem-se tres parles do predio de dous an-
Na rna larga do Rosario n.i, loja de jolas, ven- dares sito ra da Lapa n. 6 : a tralar na rna
dem-se ledos os ferros e utencillos de ourives. Velha n. 57.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
O proprietario do grande armazem Uniao e Commercio declara aos seas fregu
ze e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estiptllou
os mesmosprecos nos seguintes logares:
tfnilo e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
jsaurog FGIDOS.
Fugio na noite de 23 do corrente julho di
1804 o escravo Jos, preto, crioulo, ae 26 annos.
' baixo, corpo regular, beicos grossos e estufadoL-,
orelhas pequeas, e cachaco grosso, pouca barba
porque tem apenas na ponta do queixo, levoo. duas
caigas, urna branca c outra de castor escuro que
paiece preto, de listras, paletot preto, sem camisa,
e com urna carapuga encarnada na cabega, a laia
de marujo : quem pegar leve-o ra Direila n.
54, que ser generosamente recompensado.
Fugio na larde do dia 16 do corrento um
escravo pardo, de nome Marcos, desembarrado
do biate Sania Anna, vindo do Aracaiy, leudo
de idade 28 annos pouco mais ou menos, e os sig-
naes seguintes : altura regular, secco do corpo,
pouca barba, cabello erespo, levou camisa p
calca de algodaosinho de risrado azul e cha-
peo de pallia, lendo levado comsigo nina trouxa
rom mais roupa, c rendido de urna das venlhas;
quem o aopreender queira leva-lo roa da Midr
de Deus b. 38, ou a ra do Bram n. 53, me
recompensado.
Miiila altearn.
Ha dias fugio o escravo africano, de nome An-
tonio, levando calca e camisa de bata azul es-
cura : quem o'encontrar e levar sua senhora a
barooeza da Victoria, ra do Hospicio, ser bem
gratificado._________________________________
Desappareceu da villa de S. Beolo, fazenda
do Acude Novo, duas burras, sendo urna preta e
outra caslanba oscura, e aquella maior do que esla,
e ambas tem a marca A ; rogase pois a quem as
acbar ou a quem dellas tenha noticia, de dirigirse
mesma villa Luiz Paulino de Valenca ; na ri-
dade do Recife ao t)r. Fenelon Alcoforado, roa do
Imperador n. 4 ou a Antonio dos Santos Siqueira
Cavalcanti no engenho Bellomonte, que ser re-
compensado. O mesmo aviso se faz s autoridades
pobciaes para que as appreberidam.
Fugio do engenho Guerra de Ipojuca um es-
cravo de nome Jos Muniz, estatura baixa, e
crioulo : quem o apprehender on der noticia no
dito engenho, ou na ra da Aurora em casa do Sr. ,
Elias Baptista da Suva, ser generosamente re-
compensado.-

^^ /


/

Diario 4c Peroamhneo ftexta letra de Agosto de t !,
-
LITTEMTDM.
A 1LUA DE CRETA.
Recordares de viagem.
II
Os habitantes : Turcos, Gregos e Sfakotas.A ilha
dcpois da guerra da independencia.
(Contmnacao.)
Alguns dos ine'lioramentos proyectados revealo
mesmo urua (riste ignorancia Jo estado em que se
acaasao paiz. Citaremos apenas um exemplo:
o pacha quera abrir cnire Canda o Canea urna
strada de carro taolarga como as nossas estradas
inipcriaes, quando na ilha nao havia sanio o seo
talache francez, quando as veredas das montanhas
nicas vas por onde os gneros do interior po-
dem vir ter aos portos de embarque, tornavam-se'
de da em dia mais perigosas e intransaveis. Me-
liior soria, como diziam todos, que cuidasse do
nais urgonte, reparasse em alguns lagares as
calvadas, concertasse as pontes venezianas, que
ora cada invern perdiam um pedaco : mas qnem
fallara no Occidente em to modestas obras ? Te-
abo pena de nao poder semprc fallar bein do ho-
rnero que atn Creta fez a mim e ao meu corapa-
nheiro um encllente e quasi pomposo acolhimen-
10, mas, visto ter de fallar de factos que nao posso
passar inteiramente em silencio," devo confessar
>jue Veli, sein ter commettido todos os crimes que
a imprensa de Alhenas lite attribue, foi justamen-
te castigado por aquillo em que tiuha peccado. O
e elogios de Pars : reeeperat mercedem suam, tu-
mis vanum.
E.sa sublevado da ilha de Creta, da qual nos
contentaremos em indicar aqu os principaes ep-
odios, teve cometo no mez de maio de 1838, com
a revolta de duzcntos hornens. que pegaran em
armas e se reuniran em Perivoli, peno de Canea.
Dah, sem pralicarem o menor acto de hostilidade
nem de depredago, enviaram aos cnsules um pro-
testo contra todas as medidas do governador geral,
rogando-Ins que o lzessem chegar Constanli-
nopla. Veli Pacha ameagou-o<, augmentou o
ajuntaraento, no qual em pouco lempo cootava-se
7 8 mil horaens. u commandante de algumas
rropas de que o governador dispunha, reeusou-se
t atacar individuos que se declaravam fiis sub-
ditos do sultao, e que somonte se revoltavam con-
tra o pacha.
A principio, os Turcos tinham-se associado, pelo
menos de coracao e de iotengoes, resistencia dos
Gregos ; porm assustou-os essa concentrago de
forjas : altn deludo, instigados por Veli,que,para
vingar o .-eu orgulho offendido, quera levar as con-
gas ao extremo, retiraram-se das aldeas e affluiram
com suas mulheres, filhos e parte do gado, para as
cidades fortificadas.
Ahi, esse povo ocioso e vadio, que essas desordcns
irritavam ao passo que o empobrecan!, por vezes
estevc a ponto de romper ern excessos contra os
christaos, excessos que fariam immediatamente
atoarse urna vio'enta nsurreiciio em toda a ilha.
Militas vezes os christaos julgaram que era chegada
a hora de urna carnificina geral : grande numero
de familias frogas a procurar relugio na Syria
outras, quando o< Turcos se tornavam mais amea-
cadores, que percorriam as ras soltando orados de
niorlo e descarregando armas de fogn.. precipita-
vam-se nos consulados, que todos, excepto o da In-
glaterra, Ihes abrum as portas.
Em Canea, a leal e firme atlilnde que'conservou
Mr. erch, enlo gerente do consulado da Franca,
coatribuiu muito para conter os Turcos em respe-
tosa distancia ; em Megalo-Kastro, o nosso agente
consular, um velho, Mr. Itard, prestou servidos an-
logos.
A' 21 de junho,espalhou-sea noticia da demissao
de Veli-Pach. A commisso enviada pelo divn,
logo que Ihe constou as desordens de Creta, com o
f!m de examinar a questao, conferenciara com os
cheles dos revoltosos, e seu presidente, o almirante
Achmet-Paeh, pronuncira-se contra o governador
geral ; mas Sami-Pach, o novo val de Creta, fa-
m-se esperar, e Veli-Paeha, nao se decida a de-
Kar Canea, onde a sua presenca e os embustes dos
seus partidarios entretinham urna teniivel agitaco.
Achmel-Pacb, de seu lado, apezar de toda a mo-
deragao e prudencia de que era dotado, lutava com
as Daturas difliculdades para conter os odios que
c evasperavam cada vez mais, e previuir a expo-
sao que tanto se tema.
Bespiraram todos livremente quando, 21 de
junho, chegou finalmente Sami-Pach, e ainda mais,
quando, no dia seguinte, consegua elle fazer em-
barcar, como que por sorpreza, o seu infeliz ante-
cessor, que nao se resolva a sabir como banido,
como vencido, dessa trra, onde tres annos antes,
elle desembarcara em triumplio, apregoado c sau-1
dado por todos os ciaras da fama.
Sem um tiro de espingarda os enlistaos Obtive-
ram o que pediam, e at aproveitaram a oceasiio
para fazer com que fessera attendidas algumas ou-
tras reclamaces relativas ao imposto e formacao
dos conselhos provinciaes ou medjites. A excellen-
te disciplina que ellos souberam observar durante
tres mezes, sob as ordens de chefes improvisados,
era urna sitaagao cheia de perigos, o cuidado com
que evitaran) ferir os commssaros imperiaes e
.darcm aos Turcos o menor pretexto para comega-
rem a luta armad-), ludo sso razia honra ao seu
tino poltico e tctica dos seus capitaes.
Assim que Veli parti, dispersaram se, voltaram
para suas casas, foram tratar das searas e colher
as azeitonas. Foi mais dilfleil fazer com que os
Turcos se recolhessem as suas aldeas; foi necessa-
rio que o ex-governador da ilha, Mehemed-Ali-Pa-
cha, ento ministro da polica em Constantinopla,
viesse auxiliar Sami com seus conselhos e sua in-
fluencia. Nao, porque os Turcos tivessem apego a
Veli e senlissera a sua falta ; mas nao podiam dei-
xar do estar interiormente magoados e terem ap-
prehensoes pelo futuro, visla desse aovo trium-
pbo dos christaos, dessa victoria que os Gregos sou-
beram alcangar sem quemarem um cartuxo de
.plvora.
Sob o governo de Sami-Pach, homem sagaz e
hbil, e sob o do seu successor Ismail-Pach, que
actualmente o governador geral de Creta, a ilha
tera estado pouco mais ou menos socegada. Em
1863, fez-se urna pequeoa expedicao militar contra
Sfakia, por ordem do governador, afim de punir os
roubos e raptos commettidos por alguns Sfakiotas.
as ierras baixas e as cidades, a opinio publica,
mesmo entre os Gregos, iocitava o governador a
usar dessas medidas rigorosas, e se por ventura o
ceusuravam, tra por poupar os Sfakiotas.
Estes, depois de raaitas discussdes que deram
deram afiaal, deixaram atravessar os seus desflla-
deiros e oceupar as tropas algumas aldeas, e depois
restituirn alguns dos objectos roubados. Sfakia,
6 forgoso confessar, vae em completa decadencia.
Suas escarpadas monuohas, suas frias e pedrego-
sas planicies, a muito cusi dao, aos lavradores que
uo poupam o suor para caltiva-las, um mesquoho
c iosufficiente sustento.
Em outros lempos, os Sfakiotas juntavam ao pro"
ducted*>6uas Ierras e-fructo da pilhagem em ama
sociedade sempre perturbada por guerras publicas
ou particulares. Hoj que reina na ilha de Creta
urna ecusa que se assemelha ordem, os Sfakiotas
j nao poderiara, sem se eiporem grandes peri-
gos, contar corn esse genero de rendmentos.
Por isso muilos conroram campos de trigo e oli-
vaes em Selioo, em Kissamo, Apocorona ou Mylo-
1 potamo, c acabam por fixar a sua residencia as
planteis e dos lugares beira-mar, sem tornarem a
subir s suas montanhas, nem mesmo no veri.
essa a razao de haverem militas casas Techadas as
aldeas de Askyfo, de Hgehia-Romeli e de Anopo-
lis ; Sfakia est meoniestavelmente muito menos
povoada do que antes da guerra da independencia,
e em caso de insurreigao, j nao poderia concorrer
para o combalo com um lo grande numero de ho-
rneas armados como d'antes.
Em compeosagao, em todo o resto da ilha, a po-
pulago christa augmenta sensivelmente, tanto em
numero como em riqueza. Em 1831, M Pashley
calculava a populago de Creta em 129:000 almas,
das quaes 40,000 eram Musulroaaos ; em 1817, um
! dos nomens que meltior estudou o estado actual de
I Creta M. Hitier, entao cnsul da Franga em Kha-
| na, avaliava a populago em ltt,000 almas, entre
| as quaes nao havia aioda mais de 40,000 Musul-
{mauos.
O augmento, como se v, s se lem dado em fa-
vor dos christaos. A' vista de um receuseamento
eoiuegado eiu 1857 por ordem de Veli-Pacb, tra-
se publicado os resultados parciaes (1) oblidos ua
provincia de Khaaia.
Dado que sejaui exactos esses clculos, e admit-
tiudo que as outras provincias o augmento da po-
pulagau tenha sido na mesma proporgao, v-se em
resultado que em toda Creta, depois do calculo ap-
proxiiuaiivo de M. Hitier, a populago total de
172.000 almas. Suppondo agora, as oulras pro-
viucias da ilha, a mesma differeaga aumerica rela-
tiva entre os Turcos e os Gregos, haveria, em 1838,
123,000 chnstos para 49,000 Musulmanos. As-
sim. em 2 anuos, a populago grega escrava te-
na chegado de 90,000 123,000 almas teria pois
augmeutado mais de um terco, ao passo que os
Musulmanos, que pelo meaos de nome sao ainda
os seuhores, nem sequer tiveram o augmeoto de
um quarlo, de 40,000 para 49,000 (2).
A propriedaue do solo e.- capa das raaos dos Tur-
cos, assim como a proporgao aumerica vara em
sua desvaulagem.
Desde 1829, uao houve na Iha, propriameute
fallaodo, guerra aberla, luta armada, aera effuse
de saugue ; roas depois da paciticagao os Gregos
lera continuado a guerra cora ardor : o que fize-
ram smente foi mudar o atetando e a frraa. A
aova arma, que sabem maaejar melhor do que a
amiga, odinheiro. Ahi, como em todas as par-
tes do imperio, onde os raias sao em grande nume-
ro e gozara de certa liberdade, os Turcos vendem
sempre e nao comprara nunca.
Depois de 1829, grande parte das trras que ou-
tr"ora perteocia aos Musulmanos as mais feriis
planicies, passaram para o poder dos christaos. A
completa desapropnagao dos Turcos por meio dessa
revolugo pacifica e gradual oao mais que urna
questo de tempo.
Os agas e os beys, despojados de seus hens por
meio dessas vendas, que quasi sempre sao fetas
em ocrasio de apuros e por mui baixo prego, af-
lluem para as cidades onde procuram vi ver de al-
guraa dessas siocuras que a admoislragao turca pro-
digaliza aos Musulmauos sem poder satisfazer to-
dos os ociosos que as solcilam (3) Quando urna
raga se acha reduzida a taes extremidades, nao se
reproduz mais, vae dimiuuiodo pouco pouco, e
por fim extingue-se.
Os preprios turcos cretenses tmeonscincia des-
sa inferioridade e decadencia, eouvi asseverar que
muitos delles estaran) promptos a procurar reme-
dio para esse mal em urna conversao ou antes
abragando o chrislianismo. Em 1830, depois da
proclamagao ohat-humtiionn e da chegada de Ve-
li-Pacha, que fuera os mais bellos protestos de to-
lerancia religiosa, no disincto de Megalo-Kastro,
uns seisceutos Musulmanos converteram-se ao
christianismo. Na eparchia de Pedada, urna aldea
nteira, Piscopi, irocou o Alcorao peloEvangelho.
Veli-Pach deu signaos de descontenlamento, e pa-
rouahi esse movmento; porm muitosoutros Mu-
sulmanos, segundo dizem os Gregos, achavam-se
dispostos a seguir esse exemplo e o fariam se. nao
tivessem medo da autordade que ve com mus
olhos taes conversoes, e que sempre descobre
tre todos os demais apostlos.
quia tu es Pttrm, ete Po..
nos viria ainda hoje do pomposo deseovo"vroeato .
desses ttulos ? Acaso accresceotaria elle alguma :
,. Porm^noTOit' 'f,raC'erSaVa .nteresseirase desproporcionadas Em conlaeate comegou o baile. Chegavara de
.poso desenvoKnra a,l,anM <*>* *> nso lempo.
j loda a parle os coovdados. Embora a cadencia da
Urna mogf de viole anuos casada com um ho. msica oem sempre estivessede accordo cornos
rTp^^^'^nrarSraTjl ~ mjou l Urna aurora da primavera, S"%^,*' ansarinos, que importa-
mosem seu amor immenso apesga de seu Divino fre8"' , v,brDte de e de harmonas, va isso ? Dansara-se, daosavase, sem descauso,
chela de perfumes, de sensagfles desconhecidas, de sem lreoas. ^ n5o poder mais, al cahir roudido
voluptuosos desejos, despostando em um dia inver- ou rendida-
Mestre ?
Nao, que esse amor nao tem imitadores, oem
mesmo entre os apostlos (I). Nem a devocao de
que vos vejo ora animados poderia ser por mim
mais estimulada, qoando mesmo me sobrassem os
tlenlos e o genio dos Ilustres panegyrislas do
apostlo supremo, que, em otrcumstancias idnti-
cas, me bao precedido nesta cadeira.
Dexando, pois, de parle o quadro, que por elles
lao brilhanle e vnMjosamento vos lem sido offere-
cilo, passemos a considerar apenas a gloriosa mis-
sao do nosso hroe, perpetuada no sacerdocio ca-
tholco. Sim, vejamos a benfica influencia desse
divino sacerdocio, o qnanto elle concorre para a
felicidade do homem em suas relacoes <-om os ou-
tros hornens.
Deus omnipotente ( Dae forca aos meus racioci-
nios, unecao as minhas palavfas, para que calem
no coracao de meus ouviates e os fagam amarem*
vos cada vez mais, como fonle e principio nico de
todo o bem.
MHNCIPI0.
O espirito de impiedade que se ha tamas vezes
manifestado, e sempre teoaz, oao pode tal ponto
esquecer as ligues do passado que uegasse absolu-
tamente a influencia do ministerio sacerdotal sobre
a prosperidade e o dosenvolvimento moral do ho-
mem.
Mas, ochado de orgulho, elle grita queas ns-
tituigdes religiosas na actnalidade s vivem pela
forca dos hbitos, e nao podem exercer una acgo
real dos destinos da humanidade. Urna escola de
philosophos, prevenida contra o imperio das for-
mulas, aprega urna pretendida substituigo da re-
ligiao pela phlosephia 1
Nos diremos, christaos, que a impiedade delira,
qne a phlosophia mente I
Qaalquer que seja o estado que possa chegar
o homem pelo feliz desea volv meato de suas facili-
dades, nunca poder prescindir da religio, que
constitue urna parte integrante de sua oatureza
moral.
A historia nos olTereceria urna alluviao de fac-
tos para comprovar esta verdade, si por ventura el-
la precisasse de outras provas que oao fosse o les-
temunho de ndssa conscieoca. a voz de nosso sea-
so intimo. E com etfeito, que homem, que povo,
que nae.-o pode jamis subsistir sem essas doces
relagoes que aos ligam ao Eole Supremo, Aquel-
[o Ser, que, por um prodigio de sua omnipotencia
e de seu amor, formou-nos de urna vil materia, de
um barro frgil, para elevar-nos dignidade de
seus nihos, para imprimir em nossa fronte a sua
imagen), para derramar sobre us taotos e lio co-
piosos favores, tantas granas, to assignalados bene-
ficios ?
Nao vae muito longo de nos a triste poca em
que o peiisamento miquo da proscripeo dos mi-
nistros do santuario realisou-se em toda a sua ple-
nitude : nao faz ainda muito tempo que se quiz
mostrar pela lgica dos factos qnanto a religio era
superflua, quaato erara inuteis seus ministros.
Quaes foram, porm, as desastrosas consequencias
deste passo encelado pela Franga na effervecencia
de sua espantosa revolugo ? A ti! todos nos temos
sido assombrados em nossas noutes de vigilias e de
medilacao, por esse quadro de horrores e de cri-
mes, que tiveram lugar aparle mais civihsada
da Europa e do mundo I... Esses raesmos padres,
que pouco antes haviara sido desapiedadameote
despojados de suas vestes sagradas, e arrojados
trras extranhas foram chamados para salvarem a
sociedade franceza do brutal aniquilameolo.
Tai a saudavel influencia que a religio exerce
sobre os corpos polticos I Nao, sem ella, as nages
jamis podero subsistir.
Nem se me diga, que bem porto de nos existe
um povo, e, sem duvida, urna das mais prosperas
naroes do universo, em cuja constituigo urna s
palavra nao se encontra relativamente a Deus, nem
ao culto exterior que Ihe devemos. (2)
E quera i nvejar a sorle desse povo ? E' certo,
que ahi v-se ura espantoso crescimento de inte-
resses matenaes pelo concurso de todas as artes e
scibncias: certo, que admira-se um grande com-
mercio, riquezas fabulosas, niachiuas e inveoges
de todo o genero, ludo o que pode constituir com-
modos para a vida material dos iudividuos : mas,
tambera certo, que, dividido por jaleresses op-
postos; sem essa unidade de creogas, que rene
os povos era um raesiuo templo, e unto concqrre
para sua harmona e eslabilidade poltica, esse po-
vo tem vicios que ameacam suas instituicoes faa-
damentaes; (3) lambem certo que o vemos ac-
tualmente empenhado em urna guerra de gigantes,
dando o triste e deploravel espectculo decidados
da mesma patria, membros do mesma familia, fi-
lhos do mesmo ventre, odiaado-se mutuamente,
despedagando-se como ras, procurando exiermi-
narera-se uns aos outros, sera proveto de nem um,
com manifest prejuizo de todos I (4)
Christaos, os povos, como os individuos de que
elles sao composios, teem todos urna necessidade
indecliuavel de quero Ibes falle em nome do autor
de sua existencia, de quem Ihes mostr em nome
do cu a sanegao eterna das leis, que regulara seus
destinos sonre a trra. Percorrei a vasta extenso
do universo, visitaeas nagoes mais barbaras, como
as mais civilisadas do mundo e cm todas acharis
ura culto publico, urna religio autorsada e manti-
lla pelo estado; e o que abrir urna excepgao es-
ta regra, encontrar necessariamente mil tropecos
ooso, descorado, fri, enrollo as brumas, e expos-
to aos ltimos vendavaes'da vida, como a arvore
despojada, no encost da serrana., ao glido sopro
da ultima eslago d anno !.... Quera podo com-
prehender esta anomala das conveniencias sociaes,
Nao sei a que horas nem de que modo termioou
a fuocgo. Fui deilar-me, e (iz ainda varias con-
siderages acerca da festa que acabava de presen-
ciar. Occorreu-me oataralmente o parallelo que
se devo formar entre esta e as festas parvas, cere-
... ,, commeraorava, o vinculo social a que todos ren-
frelizmeote para ella, o casa- dian, cu|to-
nao
meto de punir a desercao apezar do hat .mpenal no cab(ni;ino escabroso da vi(la> aonae 0 nomerain.
e de todas as declarages offlciaes. Diversas pes-
soas me afOrmaram que a esse respeito tem rece-
bido grande numero de confidencias; mas em taes
materias convm desconfiar um pouco dos Gregos,
tao promptos para a exageraco e sempre propen-
sos a acredilarem, como certo, aquillo que de-
sejam.
(Continuar-se-ha.)
divdual ou collectivo, deve ter de continuo pre-
sente a idea de Deus, e de sua justiga. (5)
(Continar-se-ha.)
UM POUCO DE TUDO.
OH CASAMENTO NA ROfiA.
(Conclusao,)
mos receidos
toda a parte reina no interior & paiz.
As senhoras oceupavam quasi todas as caderas
que vo de encontr a todas as eis da natureza. momosas e montonas da corte,
propra dignidade da conscencia humana, e ainda APezar de ser um velho que casava cora urna
aos mais sagrados preceltos da doutrina reli- ,noCa. i>' nao nfluia as boas disposiges dos con-
giosa? j vidados. Soleranisava-se o fado. Era a idea que se
Pobre inaocente
srSeSvVS ss's&esz 'casamf'"deve -fc- j*e t
tancia,corao a realisago de ,ra concho aueuor eSpme *.J[ 'S^re capaz de afu-
ventnra seus na ,. consul, 1 V gentar os mais infelizes celibataros.
za e de todas a* nrnm* 1 BW"i aa nque sub|,me ; mas aceilemo-la com seus nstinctos na-
7XJSE^aaasi scmpre se' r?ae ***rmodir,car os cs,u,nesre'
v ^ju.cu.s. duzindo-nos ao movmento cadenciado dos automa-
Sabemos que ha hornens de edade capazes de los as horas solemnes das grandes alegras da vi-
coocorrer para a felicidade deuma moga, com mais da, uos das mais meraoraveis da existencia !
elementos de bom xito de que alguns horaens mais No meio de ludo islo quanto me fez rir e pensar,
novos ; porm nao podemos deixar de conderanar confesso-o, prefiro a franca jovialidade do rocei-
a desproporco das edades nestas alliangas, que ro impertinente etiqueta dos casaraentos bur-
soa base e o esteio da Iranquillidade domestica, e guezes de nossas grandes cidades.
o fundamento da moralidade social. -----
Acompanhamos o ceremonial em todas as suas' Da Remta L"s^rasileira transcreveraos a se-
formulas riluaes. Trocaram-se, depois da bengo ( uinle otiSU do Sr" An,onio Daarte Goraes Leal
do sacerdote, os anneis de despoosal; e o acto mais as Rumas
solemne da vida lign desse momento em diante Na ermida deserta que ao longe campeia
dous entes a quem a edade, os hbitos, as propen- o bronze dez vezes, soturno bradou
soes, o Densamente-, o coragao e a alma distancia-; As aves funreas as azas bateram
vam de quasi meio seculo I E 0 moho rouquenho das grutas piou.
Talvez tenham sido felizes; sou eu um dos que 0 bosque ,ranqui,|0. a rainha da noule
mais fazem rdanles votos para que o sejam po- Deslisa seus raiosem de
rem, costumado a ver o resultado desles enlaces
condemnaveis, nao posso deixar sem protesto pas-
sar estes acoatscimeatos, que poucas vezes podem
ser justificados com razoes que os ponham ao abri-
go de severa protligago! As excepgoes, longe de
alterar, cooflrmam as leis, que sao immutaveis e
eternas.
ra lauto banquete esperava, terminado este ac-
to, os uoivos e os convidados, Mais de oitenta pes.
soas rodea vam a mesa e se preparivam para o as-
salto gastronmico, que sem duvida mereca bem 0u triste insano fiue gerae ali s !
a pena de ser recebido, a olhar-se para a variedade -Nao sabes ai louco, que oulr'ora o mosteiro
das iguarias e appetite dos convivas, que mutua- J foi habitado por monges deseridos
mente se provocavam. I Que vim medonhos voz de Salan
Os jamares da roga j hoje devem merecer seria Quebrar os sepulchres, de novo surgidos ?
attengo dos que se dedicara, ao Brasil, ao estudo Na0 sabes que bronie ave sjnjstra
e progresan da arle calmara. As innovares da Que )ugubre eBloa t6 can^ a ,
costaba franceza, propagada cora to loovavel es- a "K"ueiro
crupulo pelos botis da corle, j de ha mu,lo lera- V^JSlTJ^Z T,"??
potranspuzerara as barreiras da capital, e se ho Eao mund d^a> aleus devradelro !
aclimatado, com grande desgoslo dos pachorrentos Nao sabes a lenda do nobre GarJmgo
rotineiros, uos dominios do succulenlo e gorduroso Que em Par1ue sombro perdeo(to- O bronze tangt'jra com voz dolorosa
E era breve enlre as campas um corpe caia ?
O vento assobia por entre as ruinas
E ao longe as penhas murmura a cascata.
Que noute lo calma I que doce murmurio,
Que maga harmona fallando d'auor,
Se ao longe as ruinas e as alvas morialhas
A mente nao Criasen) com scenas de horror t
Que vulto aquelle que as horas dormidas
Impvido tulla das ruinas o p ?
Ou um phantasma que surge das sombras
caldeiro dos lempos patriarebaes.
O classicc-leto o nico que ainda nao foi pre-
tendo entre as escandalosas promogoes dos outros
assados. O leilo um prato ndispensavel em jan.
tares de certa importancia, e goza dos foros e ira-
munidades de certas tradiceoes innocentes na mar-
cha dos grandes progressos sociaes, como por exem-
plo, o chapu afarolado, ou a casaca de gollo alta,
que se estraabam, mas tolerara, mesmo entre os
rigoristas da moda, que sao iaflexlveis crea-
luras.
O leilo urna especie de autordade symbolica
influinao de ceno trausitoriamente entre as ten-
dencias de passado e os impetos incontineotes do
presente, que. sem este obstculo, fariam do mun-
do urna verdadeira mayonnaise poltico-social.
Honra, pois. aos leites, e aos penis, nao meaos
dignos do reconhecimenloda poslendade!
O primeiro quarto de hora de exercicic- maudi-
bular passou-se quasi em ura estado de vergoohoso
sileocio. N9 se ouvia mais que o som estrideote
dos talheres balendo nos prato-, e o respirar dse-
gual de alguns convivas mais obeso?, a quem o bo-
la digestivo obliterava momentneamente a livre
circuiago das vas respiratorias.
O bronze nao sabes que harpa quebrada
Que a voz consonante ao sola jamis,
E quando das torres despede os seus dobres
Os eelios sao tristes e os sons tuoeraes I
E eu solt do mundo, da trra esquecido,
Da noule gozando, a saudosa harmona
Vagava em elherea douradas maasdes
E a magos enlevos mrah'alraa suba.
Mas d'entre as ruinas o ttrico bronze
Tangeu onze vezes com voz to pausada,
To lgubre e triste que eu cri que se abra
Em frente meu& olhos a campa gelada.
E mete volveu-me que o bronze taes horas
S tristes mysterios poda augurar
Lembrei-me das lendas que outr'ora a larera
s velhas matronas ouvira contar.
E a la serena e a noute to caima
Perderam pr'a mim poesa e frescor :
Par'ciaiu-measarv'res medonhos phantasmas
E o doce murmurio raetlia-me horror !
Achando-me em frente d'estreita avenida,
L onde al veja va partida urna cruz,
Passado, porm, este caloroso afn, cahiu a mas- Par'ceu-me que ao long* por entre os salgueiros
cara incomraoda da ridicula seriedade das casacas
e comegou a jovialidade, aventurando os seus epi-
grammaticos tiroteios. Em breve a mais franca e
completa alegra reinava de um extremo a outro da
sala, como se o licor da vida fosse a palavra sagra-
da daquelle congresso cosmopolita, onde os produc-
tores eram ao mesmo tempo consumidores dos pro-
ductos do mercado.
Ao passo que o jantar se adiantava, comegaram j Fitou-rae qual agllia-e n*um esto medonho
a chover as sades. Todos se julgavam com direi-1 Mosirou-me o destrogo que em torno se va-
lo de subir tribuna, e, invocando a eloquencia do
copo, espalhar aos quatro ventos da sala a expo
Incerta trema, notava urna luz.
E a luz avam; iva, parava, trema,
E o sopro do valo corra gelado;
Por Dm apagou-se, e ao luar scntillante
Vi ante meus olhos um monge finado.
A branca morlalha o vento ondeava.
E os olhos cavados to tunos volva !.....
Influencia benfica do sacerdocio, sermo pelo
Hvilm. Dr. coueyo Joaquim do Monte-Caruiello, i
em S. Paulo. da sala, e os hornens passeavam, a maior parte del-
----- les, preoecupadissimos com o lerrvel em|>enho de
El ego dico Ubi, guia tu s1 calcar luvas de pellica brancas, cujos fabricantes.
edlfiUbolceuZi ?*-T ^ rd;,nCe' na "^ haVam dad
Eu te digo que tu s Pedro, e a natural elaslicidade de residencia. No fim de um
sobre esta pedra edilicarei a mi-: quarlo de hora deste ncrivel trabalho, cada luva
nha egreja. tinha mais buracos que o numero dos dedos de ca-
Quem tivesse de fazer simplesmemeo panegy-da m5 >ullplicado por cinco,
neo do glorioso apostlo, cuja solemnidade nos re-! a noiva, como senhora, como moca, como boni-
^S&^aS^S^^ZA1^ I,a- er <*?? riVtS -**> me'rece uma des-
pouco se canlou? Com effeito, chtistos, ser esco- j criPcao especial. Era uma linda e eogragada mo-
lliido pelo pcoprio Filho de Deus para ser represen- renioha, de dezoaove a vnte annos de edade. Bem
ronnea!.mllnrh.,^r,ia cT S "!^! ^' pealeada- V0Stda COm sto. envolvida no vu va"
ro pescador, o arbitro dos favores celestes, o dis- ____ .. .,.....
pensador das gragas do Altissimo : achar-se, final- poroso de "l0 branco- e coroada pelo diadema vir-
ulenta, indignado por Deus mesmo para a pedra 8'oal de flores de larangeira, attrahanaturalmeote
angular desse edificio magestoso que deve durar a allengao e a cunosdade de lodosos espectadores.
'nnchftnH.arnrrAoCUHe S"!? I M ^ Nn esteva triste oem alegre. Tirrha um sorriso
enchente extraordinaria de mritos naorevella se- mo. mo,-. j,, -, -
melhante destino ?f mais malicioso do que tmido. A explicagao era
Mas, quera ha ahi que noconhega os feitos estu- facil de encontrar, olhando-se para a pessoa que
pendos de S. 'cdro ? quem nao ter admirado o Ihe eslava destinada por marido. Era este um res-
Fomos receidos com essa cordialidade que por sao de seus discursos, em que mullas vezes a gram-
matca e o bom senso foram as verdadeiras vic-
timas.
O vigario fez uma sade aos noivos to cheia de
comparages lgubres acerca de seus novos deve-
res, que o auditorio ficou com cara de choro.
O Sr. delegado, creo que disse, na invocagSo d
seu argumento, que deste dia em diante seria o
Argus da seguranga e da propriedade individual.
Terminado e discurso, deixou cahir o copo.
O caf, o milho, a mandioca, de envolta com a
liberdade bancaria, o triumpho da opinio progres-
sista, e as novas machinas de despolpar o algodo,
tudo mereceu uma sade, um brinde, um grito de
enthusiasmo, uma acclamago ruidosa.
Seguiu-se depois uma longa resenha de nomes
proprios, em que at tiveram parte alguns morios,
a quem se desejou que vivessem muito tempo.
No meio desta confuso toda, os donos da casa
levantaram-se e convidaram seus amigos a acoro-
panha-los sala, onde os esperava a sobremesa.
Foi uma sorpreza agradavel para nos todos. En-
tramos em uma grande quadra, cujas paredes c
zelohero.co, a decidida intrepidez, cora'querelle Z .ZTZZZL 'ZZLtZZZZl'Z *?*"?*. ^"ecidos de ramos de arbustos
encetou a sua missao, os esforcos com que sempre Pe,lavel major ae 8uaraa nacional, cuja edade, co- ta0 entrelagados e espessos, que formavam am ver-
afsentou, a coragem, emlim, com que derramoa mo as dragonas, indicavam que-ttnha a sua origem dadeiro caramauchao. Algumas pequeas arvo-
at a ultima gotta do seu sangue, em testemuuho uos ltimos limites do seculo dcimo oitavo. Lem-
dessa mesma fe com que, primeiro entre os aposto- bravam a revolugo franceza, e portanto a guerra
los proclamou a divindade do Salvador do muodo? _,_, 6
Sim, christaos, foram estes os ttulos de gloria, Penm-U,ar-
que mereceram ao nosso illustre padroeiro a honra Deus nos livre de zombar de gente tao resneita-
anteclpada com que Jess Quisto o distinsrniu en- tti ,.,u. ._____. t -. ,., >
-----------------2-----------------------------s vel, e irahir a generosa hospitalidade dmeos hos-
(1) A verdade sobre os acontecimentos de Canda, pedes; mas forga que o confesse, lomou-meuma que de todos os ramos, galhos troocos e hastes da
fofredgiS' pofura eT2S3arTd^Y5jw^,, e>pccie de riso interior-ver esta scena, que tamo ramagem e do arvoredo pendiam deliciosas fruas
(2) Esles clculos e os resultados que delles i (1) S. loio 21, 15.
colho, tiroos)(da obra de M. V. Raulm, sabio fraa-i (2) Quando assim fallamos dos Estados-Unidos,
cez que explorou a ilha de Creta era 1845, por con
res, cujus troncos esta vam pregados ao soalho, com-
pletavam esta deliciosa e agradavel illuso. Tudo
eslava combinado, tecido e enfeitado com admira-
vel gosto artstico.
Accrescente-se ao curioso effeito desla scena,
elegantes caixinhas e cartuchos de confeitos, doces
seceos envolvidos em papis rendados ; o sobre
nao pretendemos apuntados como uma naco de duas ou tres mesas rusticas, em harmona com o
la do Mnseu de historia natural. Elle publicou em atheus. Pelo contrario, ha ali muita piedade e o adorno da casa, havia loda a qualidade de doces
I8BB uma Descnpcao physica da ilha de Creta catholicismo faz ahi lodos os das novas conooistas I --**______-____ .
(Bordeaux, ia 8, 29 pginas), que conlem ramios Porm muito seosvel a falla de uma religiio of- que P^e/PPe'ecer o estomago mais goloso. Era
factosinteressantes, mesmo para as pessoas alheias Acial. E' certo que o goveroo da Uniao decreta ac- ama verdadeira exposigao de productos succarioos,
sciencia propnaraenle dita. ?6es de gragas e jejuns; mas, que missao leem os' variados sob todas as formas que a phantasia e a
(3) Eis o que diz uma correspondencia de Ca- governos da trra para fallaren) aos povos em no- pacicociadas engenhosas doceiras tinham inventa-
sa dirigida ao Cournr iOrunt de 25 de julho me do con? \\ ,...* ,Am-__ ui lutoui
(3) Veja-se o bello artigo Annuaro dos dous ^ para nos fazer admirar o seu talento,
mupdos de 1850, sobre os Estados-Unidos, e a e A'1UI fezse com vinno de Champanha uma es-
cellente obra de Mr. HuetLa Scieoce de l'Bsprl, trondosa sade aos uoivos. A ovacao tomou quasi
^iV^^r^A861,- a i prooorc38do delirio. Ura dos convivas deu um
(4) A guerra dos Estados-l nidos, disse ha non. .- _
co ura peridico, vae-se tornaodo uma guerrade abra?0 n n 'qae es,e leve de concer"
carnalicina. -. tar as dragonas, e endireitar o pesclo enlajado na.
(5) liet, obr. cit. golla dourad da farda.
nea
de 1863.
< A proposito disso, far-lhe-hei notar que antes
de 1830 os Gregos oao possuiam ura palmo de Ier-
ra na oossa provincia ; boje Ihes pertence a maior
parte dos nossos campos. Assim que um Turco
maoifesla o deseju de vender am pedaco de terre-
no, apresenta-se logo um christao como compra-
dor.
Parando no meio d'ossadas puidas,
L sobre uma campa feral se assentou,
Moslrou-me outra lage, e com voz sepulchral
O sangue as veas d'horror me gelou 1
Aqu as ruinas, entre ossos e campas
a O pranto loucura, baldado o gemer ;
t Nos somos precitos sem dor e sem crenga
t Que atrozes nos rimos d'um longo soffrer.
E a campa marmrea que fra e pesada
c Suffoca do peilo gemidos e ais.
t Oh vera e nao lemas as nossas folias
Que ao mundo prejuro nao volves jamis.
Nos, posto que monges, amamos a orgia
Presamos folguedos e leda harmona
t E agora surgimos voz d'esse bronze
P'ra juntos cantarmos folia folia !
t Ai, vern e nao e temas, que embora finados
< Rompemos mortalhas, bradamos orgia !
i Ai, venie nao temas, queas lousas se quebram...
Entoa gritando comnosco, folia !
E um rir desvairado
Do monge finado
Ao longe echoou;
N'um lora sepulchral
As campas rangeram.
s mochos gemeram
E o vento ululou
No fundo do val !
E a paluda la
laceria flucta
as roupas to alvas
Dos mongas tinados,
Que surgem dos leitos
Em sombras desfeitos
Com tristes aspectos
E os bragos myrrados '
L descem escadas,
L passara arcadas
Arcadas escuras
Debaixo do chao t
Um hymno distante
Da morte inconstante
Eotoam rouquenhos
Com voz de trovo '
Acceudem-se lutes
Derribam-se cruzes,
La bradam orgia!

L partera crystaes
E as soltas risadas
Por entre as arcadas
Echoam sotornas
Quaes soos ioferoaes!
Co'os punlios erguidos
Em loucos rugidos
Red obra ni a orgia
Com mais phrenezim t
Agora entogados,
Com passos pausados
Divagam soltaodo
Murmurios sem fim.
E a dansa j cansa,
J cessa a folganga,
J reina o silencio
Da festa esquecida.
J morrem brandos
E rubros liges...
Soou raeia noute
Na torre da ermida I
E as campas partidas
Por si reunidas
Fecharam-se horrveis
Com surdo fragor;
Por entre a ramagem
Que treme na aragera
Instantes ainda
Se ouviu um rumor.
E anda hoje digo que o vulto que noute
Impvido trilha das ruinas o p,
Ou um phantasma que surge das sombras,
Ou triste insano que gerae ali s.
Da Verdade transcrevemos o seguinte :
A AHV0AE DO LEITE.
Mr. Laet foi o primeirj que fez conhecer na Eu-
ropa uma das_ mais curiosas produegoes vegetaes
aas regies equinociaes : urna arvore que produz
certa especie de leite, mui aoalogo ao da vacca.
Este sueco siogular, que o baro de Humboldt
viu empregar nos usos domsticos na herdade de
Barbilla, ha sido admirado pelos vajaotes.
Possue todas as propnedades physicas do leite
animal, e s difiere em ser menos denso. Mistura-
se fcilmente com a agua e tambera araarellece e
engrossa na superficie semelhanga da nata. Fr-
vido nao coagula, porm forma uma gressa pelli-
cula amarella. Os cidos nao fazem coagulago
com este leite, como acontece com o de vacca.
Se o sueco desta apreciavel arvore agradavel e
nutritivo aos iodigeoas, quaoto mais o ser para o
viajante que penetra naquellas elevadas moota-
nhosas regioes, exhausto de fadga, forae e sede !
Na estrada de Patito para Puerto-Caballo, todas
as arvores desta especie que orlara o camiuho, es-
lo cheias de incisoes feitas pelos sequosos viajan-
tes que anciosos os procuram durante o transito.
Nao porm, s por este leite nutritivo que a
dita arvore tem aprego to subido. A natureza,
sempre liberal, dotou-a com oulra propriedade nao
menos til; uma especie de cera, que se extrahe
egualmente com muita facilidad?,
lista arvore parece pertencer familia sapoa?
abundante na estrada de Ourmase para o nordeste'
de Maracovy, no declive norte dos Andes, e Ame-
rica do Sul.
Quaudo este leite vegetal se expoe acgo do
ar, altera-se e adquire um cheiro desagrada vel,
semelhanle ao de leite azedo : se acaso, porm,
se Ihe juntara algumas gotas de qaalquer acido',
pode Bear exposto ao ar por muito tempo sem al-
te rago.
Se se conserva u'uma garrafa sem rolha de
crystal nao se decorapoe, porm torna-se mais
grosso ; a addicionaaio-se-lhe ama porgilo d'agua
recobra suas propriedades uaturaes. Assim pode
conservar-se por muito lempo inalteravel.
Quaodo este liquido posto ao fogo apresenta
exactameote a mesma apparenca do leite de vac-
ca, e forma na superficie uma pellicula que obsta
expanso dos vapores aquesos.
Repetindo-se a fervora deste leite vegetal com o
alcool, produz-se uma substancia branca e fibrosa.
Ha pouco se descobriu lambem que a carcea pa-
paya d uma substancia mui semelhanle ao leite
produzido pela arvore de que acabamos de fallar.
A ambigo varia as differentes edades do ho-
mem : na puericia satisfaz-se com maravlhas e
ninharias, na adolescencia quer liberdade, e pra-
zeres ; na virilidade busca dignidades, condecora -
goes e gloria; na senectude aspira a foros de
sciencia e virtude; e de ordinario contrahe allian-
ga com a avareza.

Desviar o amigo do trilho do vicio 6 a funegao
mais nobre da araizade.

Nao ha insignificancia, que nao possa ter valioso
presumo.
Quem retribue injuria com injuria, quer castigar
o crinie alheio com o proprio crirae.
a
O homem de bem nunca completamente dos-
gragado.
O Commercio do Paran publica o seguint sob
o Ululo de
OBJECTOS DA CHINA.
Agulba.Pequeo instrumento de fazer cami-
sas, cora que os navegantes atr.ivessam os- mares
procellosos.
Bolsa.-Saqumho de guardar dinherc-, onde se
fazem transaegoes commerciaes.
Conservador. Homem poltico que Mauro*
dores.
Diario.-Gazeta que os negociantes fazem apon-
lamentos.
Espirito.Viveza de engenho de trinU e seis
graus, engarrafada.
Fiado.Algodo tecido que faz os mercado/es
arreoegarem do diabo.
Genebra.Cidade na Europa que se vende em
frascos.
Herauga.Contrapeso para os grandes pesares,
Inferno.Buraco de monjolo onde se refrescara
as almas dos cobradores o offlciaes de justiga.
Jornal.Ganho dos trabalbadores imprsso em
letra redonda.
K.Invalido do alphabeto.
l.inlia. Comieira de casa com que se costura.
Mlneiro.Homem na provincia de Minas que
faz buraco na trra.
Nada. Folha de partilha do que nos toca em
quasi todos os inventario?.
Ovo.Contingeote que prestou a galiaha para o'
poblema de Chnsiovo Colomba
Ponto. serve nos Ihealros para mostrar o fim
da oracao.
Quadrado.-Respeitavel salo de onde se despa-
cham os soldados para alraocarem com S. Pedro.
Hede.-.Mallia de cagar peixeonda-as velhas re-
tan) a coroiiiha.
Sellado.Animal cora arreos que paga direitos
na collectoria.
Tijollo.Namoro com que se faz calcadas.
Uoha.-Instrumento que se pasta por cima de
qoalquer parceiro, deliando-o Impo como Deus
buer as almas.
Viuva.Mulber que perde o marido e eoxerga
uvas.
Xnello.Sapaloho casero oude as mogas bo-
oitas metiera as feias.
Y.-Soldado de reserva.
ote.Diploma que se offerece a todos os indi-
viduos qae ao gostarem dos objettos da China.
<
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. & FILHO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5IWRFFNE_XE9M8F INGEST_TIME 2013-08-28T01:07:40Z PACKAGE AA00011611_10451
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES