Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10450


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-'"^T*
AMO. II. NUMERO 194.
Por tros mezes aflautados 5JO00
Por tres mezes veacidos 6$00
.7 tb 01*1*3 # fcv*
'. .
QUINTA FEIRA 25 DE AGOSTO DE 1X64.

UNCARREGADOS DA SUBSCRTpgO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima";
Natal, s Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
8r. A. de Lemos Braga; Gear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maraahao, o Sr. Joaqnim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoei Pinheiro-r-C.; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SL
Alagoas, o Sr. Clandino Falco ias; Baha, o
rr. Jos Martina Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Marti ns & Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os das.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextes-feras.
Santo Antao, Gravat, Beierros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhnns as tercas eiras.
Pod'AJho, Nazareth, Limoeiro, Breio, Pesqueira
taguara, Flores, Villa Bella, Tacaratu' Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sertnhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
nur0j i?"* Preta e PDienteiras as quintas eiras.
lina de Fernando todas as vezes que para ali sahirl
navio. I Primeira as 0 horas a 18 minutos da manha.
Todos os estafetas partem ao y, dia. J Segunda as 9 horas e 42 minutos da tarde.
EPHKMERIDES DO MEZ TE AGOSTO
2 La nova aos 13 m. e 12 s. da t.
10 Quarto cresc. as 3 h., 37 m. e 38 s. da t.
17 La cheia as 11 h., 16 m. 44 s. da m.
24 Quarto ming. as 3 h., 44 m. e 20 s. da ra.
PRBAMAR DI BOA
PARDa DOS VAPORES COSTEMOS.
Para o sul at Alagoas a C e 2ff; papa o norte at
Sr*ft e 22 de cada mez; para Fernando nos
tilas 14 dos mezes dejan, marc., maio,jal. set. enov.
. PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife: do Apipucos as 6 /a. 7, 7 % 8 e
8 Vi da m-; de Olinda as 8 da m. e 6 da Urde; de
Jaboatao as 6 y, dam.; do Caxang e Varzea s 7
da m-; de Bambea s 8 da m.
Do Recife: para o Apipucos as 3 y,, V 4 ty, 4/,,
' 1!*. t" e 6 ** Urde I P*ra 'inil} s 7 da
manhaa o 4 y, da tarde; para Jaboatao 3 4 da tar-
de ; para Cachang e Vanea s 4 y, da arde; para
Bemfieaasidatarde. |
AUDIENCIA DOS 1R1BUNAES DA CAPITAL.
Tribunal docommercio: segundas a quintas.
Relagao: tercas e sabbados s 10 horas.
Pazenda: quintan s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 41 horas.
Dito'de orphos: torcas e sextas s i& horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda varad* cival: quartas e sabbados a i tora
da Urde

PARTE OFFICIAL
GOYERiHO DA PROVINCIA.
Conlinnaca do eipedientf do dia 1S de agosto
de isi
Offlcio aojuiz de direito da primeira vara desta
capital.to offlcio que em data de 13 do correte,
me dirigi Vmc, vejo que entra em duvida para
deferir o juramento que devo prestar perante esse
juizo Antonio Joaquim de Oliveira, nomeado para
temporariamente substituir a Jos Joaquim de Oli-
veira, serventuario dos offlcios de destribuidor e
contador geral desta comarca.
Offerece Vmc. como fundamento dessa duvida a
disposicio da segunda parte do artigo Io do decreto
n. 1294 de 1853, da qual infere a necessidade de
audiencia previa e eolleciiva de todos os magistra-
dos perante quem tem de servir o nomeado, espe-
cialmente o desse juizo, pela circunstancia de ser
elle a quem compete deferir o juramento, julgando
insufficieote a informacao singular de um dos ma-
gistrados econcluindo pela illegalidade da noraea-
aoedos actos em virtude d'ella praticados e flnal-
. mente pela declinacao da responsabilidade que Ihe
pode irrogar o cumprimento de minha deliberacao.
Em resposta s ponderacoes que rae apresenta
Vmc. cabe-toe dizer que menos congruente cora
a hermenutica jurdica a intelligencia que presta
ao citado decreto, por que empregando elle em to-
das as suas dlsposc5es a formula geral que consa-
gra o direito singular na segunda parte do artigo
Io que o ponto duvidoso, referndo-se ao modo de
substituido dos empregados de jnstica, tambem
usou da mesma formula genrica sem que se ser-
visse do articular todos expresso necessaria
para se considerar laxativa a condicao da audien-
cia collectiva.
Alm de que na hypolhese de ser esta observada,
pudendo um dos magistrados separar-se das infor-
macoes de seas collegas, e a essa informacao sin-
gular cragr-se a presidencia no exerciclo legitimo
.1 i .11-1 -tt InhnUn kS* ..i^t. -l_______________ *_
ajuste de comas do fardamento do anno de 1863.
Communicou-se ao commandante das armas.
Dito ao director das obras militares.Considere
V. S. desligado dessa reparticao o capitao docorpo
de engenlieiros Domingos Jos Rodrigues, que se
acha empregado como fiscal das obras da ponte do
Reclfe.Fizeram-se as necessanas communica-
goes.
Dito a cmara municipal da Escada.Recom-
mendoa cmara municipal da Escada qne mande
exlrahir do livro competente, e remelta-me com
toda a urgencia, copia das actas da installacao e
apuracao do collegio eleiloral dessa villa para a
DIA8 DA SEMANA.
22. Segunda. 8. Fabriciano m.; S. Anlhuza m.
23. Terca. S. Felppe Benicio; S. Davina.
24. Quarta. S. Rariholomeo ap ; S. urea v. m.
2>. Quinta, s. r.uiz rei de Franca.
26. Sexta. S. Zrforno p. m.;S. Constancia m.
27. Sabbado. S. Jos de CaUzans fundador.
28. Domingo. S. Agostinho b. e dout. daegr.
ASSIGNA-SE
no Recife em a Traria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoei Figueiroa d
Faria & Filho.
confiada pelo ordinario, do destino que dra as
grandes sommas, que recebra, e aos milites e va-
riados objectos vindos da Europa para a referida
matriz, e a outros, aqui oiTertados por almena, e
que Ihe foram entregues, etc. Eu as exigi ; tinha
o direito de o fazer como ordinario, e mandante por
consegrante, e elle, o Rvm. Lessa, o dever de pres-
ta-las como mandatario, nao s por ser esse dever
inherente a todo o mandato, como mesmo por sua
honra, afim de desvanecer suspeitas, e as gravsi-
mas arguc5es que se Ihe tem feito
- em alguns jor-
naes da capital de ter extraviado alguns dos referi-
.. dos objectos, emprestado uns, que se achara por isso
eteicap de um senador a que ah se procedeu no arruinados, vendido outros etc
da.10 de julho ultimo. | Sabe o publico igualmente a reluctancia que o
Dito a cmara municipal do Recife.Uespon- Rvm. Jos Antonio dos Santos Lessa tem mostrado
dendoaos offlcios da cmara municipal do Recife em prestar essas contas perante mim, sem que eu
de el 7 do crrente, sob ns. 33 e 34, cabe-me possa atinar com a razao, visto como sempre o tra-
dizer-lho que tendo smo incompetentemente feita tei com atteneao e bondade, desde as contas da sua
por essa cmara a divisao dos districtos da fre-; mordomia, como notorio, deixando-o de posse de
gueziaua varzea, visto que so a assembla Iegis- palacio episcopal por espaco de um mez, sera que
lat va Provincial cabe o direito de divisao civil, tomasse medida nenhuma de reprcsso contra elle,
an. io | i do acto addicional a conslituicao do apezar de ser argido pela voz publica e pelos ior-
imper.o explicado pelo aviso n. 395 de 19 de se-, naes de subtrahir clandestinamente varios objectos
tenibro de 1860 cumpre que expeca as suas or- do palacio ; e consentira at que continuasse a re-
dens para que fique de nenhum efieito aquella di- sidlr nelle, se nao fosse o clamor publico, que o
visao que tao irregularmente se fez. | aecusava (nao sei se bem ou mal) de haver aban-
Heduzda assim a freguezia da Varzea a um so, donado o virtuoso prelado, seu generoso bemfeitor,
distnc o, cesta a primeira duvida offerocida pelo no leito da dor, j assistindo no proprio palacio a
respectivo juiz de paz mais votado. pomposas nupcias as ultimas horas de mortal ago-
Uuanto a segunda parte, a lista a que se refere nia do moribundo prelado, j estando fra do pa-
MM juiz, deve ser-lhe fornecida pela cmara e nao lacio no momento solemne e extremo do seu Dassa-
pelo segundo juiz de paz da freguezia de S. Lou- ment. Concedi-lbe os prazos que pedio ; depois
renco, que todava podera ser ouvtdo acerca das: de esgotado esse recurso, officiou-me dizendo que
nonderaco_utti ^upracOada lisU. eslava na dispoti^ao de prestar as contas judicial-
i.amh- de paz mais votado da freguezia de; mente ; requereu ao juiz municipal da segunda
7. r?esp**deBd<> *2 $ea mm de ,2 ? cor" vara da c*l>iul i e s d*P>'s 1"e este magistrado,
rente, tenno a flizer qne devem votar nessa fregu-; Ilustrado como Ihe deu por despacho que ao
fitl pr0XJ"\-S eleic?fs de Juizes de Paz e v.era- v'gario capitular e nao a elle competa tomar Ues
Sl^r "^m n?ul,wJn^io a flla conla8' folque seresolveu presta-las, como
restituido pela le. provincial n. 581, de 30 de abr.l consta de seu officio de 17 do crrenle.
rinT^SSJjfft T' de 'luelunes,a da,a ra- Sabe o Publico finalmente com que docilidade,
* SUktSLTSTSSfl Pfra *5 lhe nemeU.a ?m' Prudencia- Paciencia mesmo, me tenho comportad,
de sua altribaico nao se poderia dizer menos le- SSSffiiSSi T aquelles cidadaos; nesse negocio, para que tiveise um desenlace pac-
gal urna tal nomeacao por quanto incontestavel a SniHri! S > frrente anno. IJeste fico, mas sem dezar de minha autoridade,
f.icnldade da presidencia para se inspirar do
prio juizo.
sentido offlciou-se predita cmara municipal.
*"" Dito ao superintendente da estrada de ferro.
| Representando-me o engefhero fiscal da estrada
, e sem
lesao dos interesses da matriz de S. Jos e do mes-
mo Rvm. Lessa. Mas infelizmente este nao o quiz
1 abusou de tudo isto ; e depois de esgoiar a
r SLSa. k f^ 2TT ,con,rato' v"se 1ue Id0 vender l^nceiin na luja deourivas-du Sr. V-
VrlfdS u!r,.!fi>Ulhid8a ?el pr"er "!# con" f?nte Anton d-) Espirito Santo no aterro da So-
"'t kf&SSrW P^., asemoatura o Vista, suspeitaram dolle e procuraran!, prende-k),
icw que dava a un contrato bilaileral. que se! mas o cscrav pd evadir-se, deiundo frtran
era v
alido
aessa parte de lempo, nao poda deixar celin.
de s-Io na continuagao.
por certo se nao ad- o.furto, declarando entao o escravo aonde havia
miturao a> doulnuas onginaes com que se apoiou ; deixado o tranceln, alias j po ^?^SS-i*^ nada lals sa0.do ,'ue a consagra- aquelles que tiveram suspeitas do sscravo quando
Cao do principio estravagante de ser juiz era cau- este pretenden vender o trancelin ah no Recife
sa propna.
Saiba-je pois, qne no dia dessa decisao estavam
na casa zj membros, dos quaes votaram pela per- i da morte do preto Benedicto, escravo de Jos Bap-
?"?".*, ui. :.on'ral0' .de P'opria inspiracao, os | lista, esta noticia igualmente falsa..
w' Z\ul ,^""^.facobina, Aquioo Fonseca, Dio- O subdelegado nao se abaluu dfr casa por occa-
? .h Nabor, Campello, Manoei Netto, siao desse facto, e apenas contentou-se em man-
(.aspar rummond.Baptista e Buarque; aos quaes dar que o cadver do preto, quando tivsse de ser
SfffnwSIDa ra* .se ?nftS!ia ? Propietario | conduzklo para o cemiierio, fosee levado, como
nfr,m ln, m a^H e /t!liio- Igualmente foi sua presenca ; oque deveria ser bem encom-
2?22S?t2 Srs. Goncalves da Silva, Arm.- modo aos cunductures, pois que Osando eemiterio
S!i^.^*,^A^^"a^IlWl^^HMi^,*,' tiTeram de vencer grande distancia
'i, SL o Kco Barro,s. Ay"*s Gama, Joaquim para chegarem casa do subdelegado, que na
do itego narros, Demoslhenes, Francisco Pedro e povoacao do Poco.
Silva Barros. Poderiaraos em
Fcm nomeado segundo supplente do subdele- quaes se procura deduzir motivos
gado de Ponta de Pedras, l>alix Pereira Simas. ; tontear outros muitos
-r- Lmnosso assigoante pergunta aos entende- tal, j como juiz de
dores : se urna procuracao passada pela mulher exercicio.
ao marido, para venda de beta* de raz, rewdindo I O Padre est como quer....
ambos em paz estrangero, pode servir para taes Coitado do infeliz que para poder satisfazer-lhe
lo a procuracao legalisada pelo urna diminuta divida, ve-ee toreado 3 chamar ou-
tro conciliacao peranto o sou'nuvo amigo, para
parlico, conferir a referida le com o respectivo
aaihograpbo, afim de saber quaes as alteracoes al-
udidas e poder responder convenientemente.
.Nesse interim, porm, appareceu o mesmo cor-
respondente declarando do Diario de Pernamhuco
de 8 do mesmo mez que as aeracoes, de que falln
em seu primeiro escripto, nao furao feitas na secre-
taria da presidencia, mas suri na lypographia, por
occasiao da impressao da predita lei.
Em vista disto pareceu-mo desnecassario vir em
publico protestar contra sefaelhaole arguico :
Mas os jornaes, que fazem opposic'w adminis-
tracao da provincia, transcrevendo immcdiata-
mente aijuella primeira correspondencia, sem fa-
zerem o mesmo acerca do segundo comiaunicado,
obrigam-me a declarar pela imprensa qoeoau-
tographo em questo nenhuma alteraco tem, como
ha de reconhecer a assembla provincial, quando
Ihe or devolvido com a sancc'io ; e que as nicas
alteracoes verificadas na publicacao da lei muni-
cipal coasistem apenas em ter sido substituida a
palavra Diario por Jornal Official, s> que se est
agora corrigindo.
Devo, porm accrescentar que no autoarapho
I acham-se escripias aquellas duas denorainacoes';
era contestaco a esses factos, dos | S0 id!13 Pe' TO deuni^m'-
de elogio pa- ^ compositor, na revisao das ultimas
Quanto ao comparecimeuto do sabdulegado no
lugar de Apipucos. a lim de averiguar das causas
deduzir ntivr do eWi u ''. c,mP0s't'r, na revis; das ultimas
tos o ^JS rate f como P/T*' ,eZ a fto7lB do ?na r,llou <=o"-respon-
Recife, 20 de agosto de 1864.
Dr. Francisco de Paula Safes.
na quanlia neces-
er condemnade infallivelmente
sariaaoseu pagamento.
O que nos temos de accrescenUr por hoje que
o mesmo subdelegado nao cessa de cabalar man-'
dando chamar sua presenca pobres matulos, a
quem intima a ordem de votiirem na sua chapa e
de publico
CORRESPONDENCIAS.
Srs. redactores
cidado brasileiro
rem, como tal tenho direito
do Dtariode Pernambuco.Son
ivre em quanto me nao prende-
a fazer a minha cha-
D aqui se deduz lgicamente a dsposicao da au- .. rrfi .
diencia de todos os magistrados e eonseguintemente ,>,?f r s ouUs de desPeza do n"003 prudencia e a minha paciencia, inspirando-
a improcedencia da opinio que julgue obrgatoria |Z22S?f!A fam aPrese.D,ads a se talvez das reminiscencias do passado, tomou a
essa condicio, cuja observancia em nada entende E a, ? ? iS0 1 mesmos locumentos justifica- triste resolucao de mandar-me um offlcio com data
com a seguraoea e garanta das partes. i 2! ,*" rtfer,das despezas que na liqaidacao pas- de 20 do corrente, no qual, depois de tratar-me com
Cabe-me anda dizer Vmc. que em nenhum : ^ 'oran regeitados como irregulares, mas tara- inslita descorteza, teve a audacia de reprehender-
dos artigos do decreto e que que regula o ponto ?!=,,*\ nif as coudicoes: chamo a alten-1 me em actos da autoridade que exerco, e actos le-
controverso, se encontra dsposicao que outorgue a ^superintendente interino para esse rae- gaes e dictados pelo mais puro sentimento do de-
esse juizo a preferencia que julga competir-lhe na- : S lP,!Ilce ,er poT "m contrariar a inspeccao; ver : sendo para notar-se, que os actos (ao menos
quenas audiencias. |d0 8Tf r";racumpr e, quenas l.qu.dacoes, que se; esta a causa apparente) que provocaram o des-
rirmaodo assim a intelligencia do referido de-1 ?w",stJin,081 docamen,os ^ue ie hibirem, pe- respeitoso proceder do Rvm. Lessa fossem : f ha-
creto, condue esta presidencia recommendando d ma ad*tada *f mez de abr!1 Prox,mo u-: ver Ihe eu ordenado que, sem perda de lempo, me
Vmc. que para execucao da portara pela gualfoi.^.6 como ,De "> a supracitada commis-, remettesse as comas, com os competentes documen-
nomeado temporariamente para os offlcios de des-! i.orUria (u-tili.l.j..;rf. m. os, os quaes deviam vir namarados rubricado
tnbuidor e contador Antonio Joaquim de Oliveira, rt "" Prft>'<,e8 provincia, conforman- por elle, mandando cu dar-ihe devtda resaiva ;
delira a este o respectivo juramento na forma da !&rtomft a, PrPs,a do Dr- chef, de .Vg$\n- 2 nao o ter tratado por dora, e como camarista ho-
lei. l:ib ace. 20 d0 corrente, resol ve normar a Flix Pe- norario de sua sanlidade. Sendo para notar-se,
- 22 "* *W Para 'ugar vago de segundo sapotea- digo, porque em nenhum destes casos lhe fiz offen-
Offlcio ao Exm. presidente da provincia do Cea- ,,> ,e,e,aado do d5trctoI de Ponta de edras' nem lne faltei com o que lhe devdo : nao no
ra.-Era resposta ao offlcio de V.Exc. n. 13, do i v"lt0 da freguezia de S. Lourenco de Tejucu- primeiro, porque ninguem, que souber o que
lOle julho prximo passado, cabe-me dizer que i PaP0-'-onimuuicou-se ao Dr. chele de polica ; offensa. dir que a faz urna autoridade superior,
ja foi preenchda, segunde declarou-me o director' aJ^O^Z .I^&Sa comPauma "rasileira que exige do subalterno o cumprimento de um de-
do arsenal de guerra, na informacao por copia in-: L'SSfS maiM,em_dar transporte para a Babia, ver sem perda de tempo, e com as cautellas con-
a de brim que se encon-! K^J*5?2 da fuo-rra n F"1'".^-' venientes gravdade do caso ; nrmenle M
Z RlTB?.d*f!!Z56fS Francsc,da Si,va* ~ttttSZ\ZB ^r^dnm,
que teve ba.xa do exercilo no corpo de guarn- que estavam promptas ditas contas, as quaes exs'
ta contra a matriz de S. Jos o saldo de 8:402,5626;
nao no segundo, porque, alm de nao me ter elle
a taXKK n\ Pa h1-'",6"10 SeU dip,oma- COm0 ,he CUn,Pria- na0 lhe prPraS Para ]l"^ fis etc. .
itWtiSeH^ informado de que lhe nao que esses objectos ampara um,
TrJZXL ,\u '^nLtT' ?. a! i e?mPc,e; St!Pd0 1u.e' I'e'as ltl's d" pai. Ih'o pos- Cumpre que a polica empregue as
clusa, a falta de urna calca
trou na remessa de artigos de fardamento, de que
trata o raeu offlcio de 3 de junhodoanno corrente. I ^
Dito ao mesmo.Acenso a recepcao do offlcio -'n;,.
de V. Exc. de 12 do corrente, com um exemplar P:i',a;~,0I,Sr-|ger,ente *, companliia Pernambu-
da estatistica dessa provincia, organisada pelo se- na, mande dar transportes at Peni-do
nador Thomaz Pompeo de Souza Brasil. SEfc Ti
Dito ao commandante das armas interino.Sr- ;,'", A r
va-se V. S. de informar acerca do que pede no a ,ana da, Col,c,;'o e Mana do Rosario, que |
incluso requermento Manoei Thomaz de Albu- crls a serem desvalidas,
querque Cavalcanti. I "a.-Os Srs. agentes da
Dito ao mesmo.-Mande V. S. apresentar ao Dr. ?e Pa9etes a vapor, raandem .
chefe de polica, com urgencia, 2 pracas de pret a ,{a,"a' por conla do ministerio
pa-a escoltarem um criminoso que tem de ser en- ''ieiro ,vapF 1,u- pf s.arrPara.
viado huje para a provincia da Parahyba no vapor t-gu ba,?,hao.de 'nfantar.
da companhia de Xavegacao Costeira.Commuai- "-'l,ue pula ordem do dia 0
cuu-se ao Dr. diere de polica.
Dito ao mesmo.Mande V. S. postar no ce
no publico hoje s 5 horas da tarde, urna guarda .
para fazer as honras hinebres do estvlo. ao finado Despachos do da 22 de agosto de 1861.
commissario de classe da armada, lente .... ., Requerimentos. i ventura izesse minha humilde pessoa; mas o d'es-
Mlvestre Ignacio do Bom Successo.-Commun-. .Aore de Abren Porto. Em vista da informa-' acato foi feto autoridade que me ro confiada e
se ao commandante do vapor Paraensr. C"0 nao tem lugar o que requer o supplicanle. que eu tenho o rigoroso dever de manter e zelr
Dito ao mesmo.Mande V. S. alistar nos corpos > Antonio Fernandes de Castro. A thesouraria alim de transmiti-la pura e intacta a quera quer
cnsul brasileiro, no lugar de onde emanou a pro-
cuFacao ; e se nao pudendo servir a. procuracao
por falt dessa legalidad-!, terao responsabilidade
os tabelnaes que lavrarem as escripturas ?
Tendo noticiado hontem haverem sido cha-
mados juizo os Srs. Jos Pereira da Cunha e Ma-
noei Ignacio de Oliveira, para entrarem com os
cincoenta contos de ris da lettra descontada na -
Caixa Filial, completamos hoje a noticia declaran- derem di
do que essa lettra a que com as firmas dos Srs. nao perder
N. O. liielx'r A C, e J. Keller & C, foi descontada que seja misiei
em 1837 ou 18o8, e que foi intentada essa acSao Sabemos quanto o ex-raord^mo do Gvmnasio rwl^ilfSS! plS5nf ar! negociante,
por ordem da directora do banco do Brasil. frtil em bravatas, toda4Tora f que o Sr! Dr I ^SS Wa P"CeCa' r
^lnt^am,rndrade, subde.egado J'Sa^SfTffSAr9^ "Ss*141 Nascimento Costa Monteiro, pro-
Bebedor, e Jos Francisco de Mello, de dito de I Constan que osliberaespreparam.se para DrP So ios da Costa, proprietario.
^Foramnomeados : ^SZZ^^^l^^^^ A^o '* ^ S^- 6
Augusto de Barros tarrea, subdelegado de Be- MMi&lJNiM desta freguezia i AS0 Jos de Cas(r0) negociante.
Francisco Antonio Pereira dos Santos e Antonio' DSde;^^^
praprie-
rrancisco AntonioPereira dos Santos e Antonio Dr. chefe de polica e o Sr. presidente da pro vi n-
uaudino Vieira de Moraes, para subdelegado e 1 cia anda conservera no cargo o mesmo subdelega-
supplente de Abreu de Una; : do depois dos precedentes havidos a respeito da
l murcio Valeriano da Costa Bur, Io supplente ultima qualieacSo de votantes desta freguezia.
0 imparaal.
do subdelegado do Altinho. I qualiticaco do "qual o mesmo subdelegado foi e\-
i JL Jf Pe<,ido' fl" e*onerado de director dos cluido por ralla da renda legal, visto como nao a
^*?, m "-poma, Lourenjo Ber.erra de Albuquer-; tem cerlamente por bens, emprego ou industria
quc.M..,..,tM aiguma conhecida, e que tendo sido anfiullada pela
~, Ve^'t. das casas de tabolagens da fre- Sr. presidente da provincia, foi mandada vigorar!
guezia da oa-vista tinhamos promettido publicar a pelo governo imp-rial
d'edicc5oqueeraadeclaracodosnomesdosdo-| Conservar urna autoridade nessas conHcSesJ
nos de tees casas e dos jugadores: mas, tendo aug- urna autoridade vivamente empenhada no pleito
mentado o numero das que ja existiam com as que eleitoral (era que pretende tomar urna desforra ou
m, promettemos brevemente publicar a, vinganca daquelles que tiveram a grande ousadia
PUBLICARES A PEDIDO.
PARA VEREADOR.
Dr. Prxedes Gomes de Souza Pitanga.
Muitos votantes.
ediccao dita, que ser entao a 4a e ultima.
Ra do Hospicio (sobrado).
Ra de S. Goncalo (idem).
Ra da Aurora (dem).
Soledade.
Consta-nos que hontera fura apprehendido pelo
subdelegado de dita freguezia caixas com cartas
e em eccasio
i dessas casas.
deligencias ne-
mi(e. ui.ipaoiuaut pnysica. ^ (tamento de senhoria, que lhe as compete. Reparticao da polica.
De bom grado perdbarta ao Rvm. Jos Antonio
dos Santos Lessa essa e outras olfensas, que por
emguarnicao nestaprovincia, seroremjulgados'ap- de lazenda tem ordem para vista da guia junta
tos para o servio em inspecca de saude.os recru- a este requprimento pagar ao supplicante a qoao
tas Boniraco do Nascimento Oas, Jos Gnilherme ta de 1875500 como indemnisacao da rahnha de
da Silva uarte e Manoei Joaquim de Oliveira, que (iue se trata.
se acham deudos no quartel do Hospicio.Com- Companhia de vapores brasjleros nesta cida-
municou-se ao tenente-coronel recrutador. de.Ioforme o Sr. inspector da thesouraria de la-
Dito ao mesmo.Informe V. S. sobre o que pe- zenda.
de Mara Mnervina de Jess, no incluso requer- Jos Francisco da Silva.Dirija-se agencia da
ment. companhia Brasleira de paquetes.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. .. Manoei Luiz Coelho de Almeida.Infrmc o Sr.
Autoriso V. S. de conrurmidade com a sua inror- i inspector da thesouraria de fazenda.
macao de 20 do corrente, seb n. 44o, a mandar Miguel Joaquim dos Santos.Dse passagem de
pagar a Antonio Fernandes de Castro a quanlia de P^a havendo vaga.
Maria Joaquina da Conceicao.Informe o Sr. de-
sembargador provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia.
Manoela Alexandrina da Ressorrelcao,Indefe-
DtlItMI |>0 IIISI im> ii;
*l lt\ tVUtl 4 O
SEDE VACASTE
Agosto de 18M
Expediente do dia 22.
Portara.Sabe o publico que o meu primeiro
1875j')0,como indemnisacao de 60 alqeires de
arinha que lhe I comprada pelo commandante
do presidio de Fernando para o consumo daquello
presidio, onde se dava ralla desse genero, e consta
da gua que ser apresentada pelo supplicante nes- rido
sa thesouraria.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Nao havendo inconvonieute mande V. S. pagar a
Francisco Ludgero Nunes Vianna, conforme soli-
citea o chefe de polica em offlcio d.- 20 do corren-
te, sob n. 1,031, a quanlia de 70J600, despendida
como se v da conta junta, com o sustento dos ;
presos pobres da cadea da cidade de Olinda, du-
raute os mezes de maio a julho deste anno.Com-
municouse ao Dr. chefe de polica. m \ empenho, desde que entrei no governo desta dio-
uno ao mesmo.-Tomando em consideracao o; ceso foi, com a pequea, mas generosa subvencao,
que expoz o chefe interino da reparticao das obras dada neste anno pela assembla legislativa desta
publicas, em offlcio de 19 do corrente, sob n. 224, provincia, concluir as obras da nova matriz de S
recommendo a V. S. que mande entregar ao fiel Jos da cidade do Recife, o que nao se con^uio
pagador daquella reparticao a quanlia de 120*001), no espaco de 20 annos, inclusive os da longa adm-
para as despezas miudas cora o expediento da rastrado do Rvm. Jos Antonio dos Santos Lessa
mesma reparticao, visto nao estar esta despeza apezar de se ter gasto grandes sommas, provemen-
comprehendida na dsposicao do artigo 8 da le n. tes de subsidios da mesma assembla provincial
o84, a qual so se refere aos pagamentos relativos de beneficios de loteras, nao s provincaes como
as obras.Communicou-se ao predito chefo. geraes, c liberalidades do finado prelado, e dos liis
Dito ao mesmo.De conformidade com o que da diocese, de quem se obtiveram avulladas quan-
sohcitou o Dr. chefo de poBcia, em 20 do corrente, tas, e apezar do mais vivo e ardeote desejo da po-
mande V S abonar 10 das de elape a um cabo plalo, mormente dos parochianos de S. Jos, e
e um soldado da guarda nacional, que vieram da, do venoravel prelado, que depois de muito esperar
provincia das Alagoas, escoltando 2 criminosos, chegou a desesperar de ver concluida a obra de
afim de poderem regressar para all no dia 25 do sua mais pronunciada predileccao : e de cujo ge-
corrente.-Fizeram-se as necessanas communica-! neroso pcito mais de urna vez sanio esta sentida
S0?: expresso: t Quando eu celebrar a primeira mi sa
Dito ao desembargador provedor da Santa Casa na matriz de S. Jos, Deus pode chamar-me d si .
de Misericordia.Ao seu offlcio de 19 do corrente empenho que de minha parte nao tem outro fim
respondo, declarando que nao so approvo a provi- senao cumprr o meu dever, como ordinario d
dencia que toraoa a jante administrativa dessa diocese.'zelar os interesses da igreja, realizar os
santa Casa de encarregar o medico do collegio dos votos do piedoso fondador de gloriosa memoria sa-
orph;ios e hospital dos Lazaros de visitar os aliena- tsfazer o detejo dos fiei, evitar que os dourados,
dos do hospital de Olinda, mediante a gratificaco j sensivelmente embaciados pela accao do temno,
annual de 200,5, mas tambem o autoriso a efTectnar": tlquem de lodo degenerados antes de concluida a
eSni.spea' ,obr?' fttCnar Mta font8 inexaurivel de despezas,
v < i Zt d0 arsenal de guerra. Mande abrir a nova igreja ao culto publico, inaugurara
,tS^4batelhao de artilharia a p. nova matriz, prestar, em urna palavra, um pequeo
como mI toa o commandante das armas em offi-' aervico a rehgiao e sociedade.
'rm corrente, ?57 boneis do um-1 Sabe o publico tambem que, para isso era indis-
nZSZVJE? usa 1n?esm, balalhao, fazendo re-, pensavel que o mencionado Rvm. Lessa dsse con-
Za- nf,^r 2S2?* 'ual numero de bonels re-; tas de sua longa admioistracao, do modo como des-
oonaob que roram fornecidos quelle corpo por, empenhra a melindrosa comraisso que lhe fra
que me succeda ; e em tal caso a tolerancia" e o
perdi, longo de ser una virtude, seria em mim
urna grave falta. Quem governa deve procurar
sempre equilibrar a docura e a prudencia com a
resolucao e a energa : a energa sem prudencia
degenera em arrogancia e dureza iusupportaveis :
a prudencia sem energa produz a relaxacao, o des- como indiciado em crime de morte.
prestigio da autoridade, acoroeda a impuidade eo A' ordem do da Capunga, Manoei
Oliveira, para averiguacoes [toliciaes.
O chefe da 2* secciio
J. G. de Mamla.
Movimiento da casa de detencao do da 22 de
agosto de 1864 :
Existiam.......
Entraram......
Sabiram.......
Falleceu.......
356 presos.
crime.
Em face, pois, do expendido, e dos graves moti-
vos, que actuam em minha consciencia, tenho re-
somdo suspender, como pela prseme suspendo ao
Rvm. Jos Antonio dos Santos Lessa do exercicio
de todas as suas ordens, em quanto o contrario nao
for por mim determinado.
Pelo que deno ao Rvd. escrivao da cmara ec-
clesastca intme-lhe a suspensao, e passe ao p I
desta a competente certido.
Offlcio ao vgario de Santo Antonio do Recife.
Tendo eu nesta dala suspendido do exercicio de to-
das as suas ordens ao padre Jos Antonio dos San-
tos Lessa, assim o commonico V. S., para sua
intelligencia, afim de nao consentir que o dito sa- ;
cenlole exercile acto algum de seu ministerio sa-:
cerdctal na rregueza de que V. S. digno parodio.
Igual aos Itvrns. vigarios de S. Pedro Goncalves,
da Boa-Vista e S. Jos.
Dito ao prefeito do hospirio de Nossa Senhora da
Penha.Tendo eu nesla data suspendido do exer-,
cicio de todas as suas ordens ao padre Jos Antonio
dos Santos Lessa, assim o commonico V. pater-
nidade Rvma., para sua intelligencia, afim de nao
consentir que o dito sacerdote exercite acto algum
de seu ministerio sacerd tal no mosteiro de Nossa
.Senhora da Penha, de que V. paternidade Rvma. Freguezia do Poco da Panella,
digno prefoitoIgual aos Rvms. superiores dos | O de agoste de I8S4.
nhora do | Havendo o Diario de Pernambuco, era sua Re-
;rp
vida e forme depois o seu juizo acerca da capaci-
dade desse subdelegado. Visite oSr. Dr. chote
Extracto das partes do din 211 de agosto de 1864. de polica esta freguezia, estude-lhe o pessoal e
Foram rccolhidos a casa de detencao no dia 23 veja se aqui nao conten, bornees que estejam no
ao corrente j caso de bem exercer aquellc cargo.
A ordem do Dr. delegado da capital, Francisco Concluindo por hoje devenios dizer-lhes (iuc os
\le|ra da Silva por injurias; Joaquim, escravo de progressistas, cujos chufes aqu sao o subdelegado,
Jos Marcelino da Rosa, para correccao; e Bento, o Padre e o Lobo, ex-inspector da thesouraria pro-
escravo, cujo senhuno ignora-se, por mfraccao de vincal, j organisaram as suas chapas para juizes
posturas. ,,,,, de paz do primeiro dislriclo. a qual compoese da-
A ordem do subdelegado de Santo Antonio,; quelles tres senhores e do Sr. Nicolau Machado
francisco, escravo do Dr. Maduro, por espanca- Freir.
mo.n.10' ,w gloria nao deve ter um partido que posue
o da Boa-visla, Francisco de Souza, para juizes de paz candidatos taes !
' I'or ah j se pode tirar algunas deducoes acer-
Aniceto de ca da procedencia de tudo quanto iica cima e\-
FREGL'EZIA DA BOA-VISTA.
Convida-se a todos os membros do partido ihe-
- ralprogressista, residentes na freguezia da Bda-
rda ^Sm6 "t1" T ,^,meD,% d? ?fe- Vi SJKSfi0) Uma autondade 1 dt Wtoi no segundo andar da casa n. 84 da ra da Aurora.
, efJ')adarain e. ameaC ecoage, na verdade alim de confeccionar-se as chapas para juizes de
ura facto bem triste para a administracao publica. paz ja mesma freguezia
pois revela que tudo quanto o ^subdelegado faz, e Boa-Vista, 24 de agosto de 1864
ludo quanto luer nao tera senao por mandado ou' _____
conseritiniento das primeiras autoridades da pro-, PAHA VEREADORES.
V"ril!m,n^ ,. a o t t ,- Commendador Antonio de Souza Lea'o.
llamando a atteneao do Sr. chefe de polica Manoei Pire* Ferreira
para essa autoridade, nao temos por lim dirigir ao Commendador Thomaz de Aqoino Fonceca.
i tenga.
do Nascimento.
'osla Monteiro.
obina.
ogressista.
| pendido.
Basta por hoje,
Exislem....... 354
A saber :
Nacionaes.....
Estrangeiros...
Mulheres......
E.-trangeira___
Escravos ......
Escravas......
289
13
3
i
44
4
eporoutra vez proseguiremos.
O malulo do Arraial.
conventos de S. Francisco e de Nossa
Carino.
PERAHBGO.
(y Jornal do Recife de hontem em sua Gazetilha
dando noticia do risco em que esleve anle-hontem
ao sabir da barra a barca franceza Coligny, pare-
ce contar o focto com pouco conhecmento; porque
diz soniente aquillo que justamente nao se pas-
sou.
Se com efieito o navio esteve em risco, nao foi
por imprudencias nem por manobras inuteis do
pratico como quer a Gazetilha; mas somente pelo
mo tempo que reinava e que nfn? era possivel fos-
se previsto.
A Gazetilha mal informada conta a historia in*
. teiramunle contraria, porque nao houve vento su-
| duesle : o vento que ante-hontem reinou era sues-
; te, nem houve o terral com o qual diz ter saludo a
barca.
pratico fez ludo que esleve a seu alcance, e
, que era possivel fazer-se em taes circunstan-
cias.
A barca nao ficou distando das pedras quarenta
bracas como diz a Gazetilha, e sim oitenta ou
mais, e fondeada em 7 bracas d'agua.
E a razo porque se fez preciso largar-se os fer-
ros, por demais justifica o procedimento do prati-
tiia Diarta dos das 16 e 17 do correte, folio" o 5 : 0S "ncttei linda.e Srande "a[ iue
| elogio do subdelegado desta rreguezITcoino auto- "?!5 e'neLTclr,curads0,ancrars m fSe
ndade muito activa e pontual no cumprimento de K^^LlS^SSS^SS^LSiZJZ
Apresentamos os nomes dos cidadaos 'seguintes
para juizes de paz da feeguezia de S. Fre Pedro
Goncalves.
Empregado publico Joo Marques Correa.
2" lente Constancio da Silva News.
Capillo Caetano Cyriaco da Costa Moreira.
Major Alexandre de Frias Villar.
Apresentamos para um dos nossos juizes de paz
o Sr. commendador Antonio Joaquim de Mello
Alguns membros do partido progressista da Ire-
guezia de S. Jos, teera a honra de apresentar aos
seus correligionarios para juizes de paz, os se-
nhores :
Joao Pacheco Alves.
Juvencio Aureliano da Cunha Cesar.
Jos Francisco de Souza Lima.
Antonio GonQalves Pereira Lima.
354
Alimentados costados cofres provincaes 149.
COMMUNICADOS.
REVISTA DIARIA.
seus deveres, a proposito da noticia da prisao do
preto Francisco, escravo de Joao Leite por causa
se devia e se poda lazer para maior seguranca da
barca, portante nenhuma ncrepaco rasoavel po-
como de outra na
zir dahi motivos para o efogio do mesmo suide-
Com o fim Lo smente de desfazer suspeitas,
que por ventura possam ter-se implantado em al-
guns espirites, corre-nos de presente o dever de ..
declarar, que o proprietario deste Diario por si ou legado.
por interposta pessoa, nao soliciten voto algom pa-1 Estemos certos dos desejos que a redaeco do
ra a Subsistencia do contrato do apanhamenlo por Diario de Pernambuco ootre de dar noticias exac-
tacii\graplios e publicacao dos debates, que havia; tas aos seus leitores: a inexaclido que procura-
entre si e a assembla provincial. i mos rectificar sem duvida devida a algum infur-
t proprietario deste Diario nao foi ouvido nessa mante offlcioso com o fim de tornar recommenda-
rescisao, e a assembla como parte contratante nao: vel aote o novo chefo de polica esse subdelegado,
poda decreta-la, apezar de telo feito. que talvez mais do que ninguem siota a necessida-
Lom elteito, reconhecdo como perante a le-1 de de recoramendar-se.
gjslacao do palz, que os contratos em sua dissolu- j Nao foi o subdelegado
&fiVmdVnmi, "VT pw da lancar sobre o pratico : as crcumstancias do
Sa?*g JJ'y** g"hg. W*** 4* mo tempo onicamente a que se deve atthbuir
JoirL.su ,u, dr PyJKEfft e.SCraV de 'a' facto, que quasi todos
f h,. P r }bCA dB h'l13' qUal eSCraV0 "5n s neste w Mn ni
se hana afogado, devemos dizer
os dias se est dando
nao s neste cemo em outros portes.
tanto a resp.ito^-nS i ve^Sr.^or^S^ procuren
parte em que se procura dedu-1 mformar-se dos factos e nao queri enchergar res-
ponsabilidade onde realmente nao ha.
Recife, 25 de agosto de 1864.
O pratico.
A lei do orcamente municipal.
Quando o Diario de Pernambuco, de 5 corrente
! inseno urna correspondencia assgnada pelo inmi-
go dos infames na qual se dizia quo a lei do orea-
quera preodeu o escravo mente municipal, publicada na eollecco das leis
S?. -recT' 3" as par,os se Dao accOTdan, do Jo3o Leite e quem conseguio descobnr o tran- deste anno, coalinha diversas alieracoes, e pare-
?n SJgy.rT!g?iffff? "iesmas P\rte51Qe is- ce,m mr,ad0- A verdade que, dado o lurte, o cendo-me que o correspondente s* diriga secre-
to legitime pela effectividade das estipulaos con-! seu autor largou-se ahi para o Recife, e procuran-. taria Salsa parrllha de nrlstol,
Poucos remedios, ha que tenham produzido tan-
tos beneficios no mundo como este. E' a nica
preparacao que ataca invariavelinente no sangue
a origem das enfermidades ulcerosas e eruptiveis,
extlnguindo ao mesmo tempo a causa e o effeito.
Podemos pois confiadamente atrancar, que com sua
purificadora influencia, a corrupeo se transforma
em incorruptibilidade. As chagas escrofulosas e
todas as molestias externas, glandulares e cut-
neas, communs aos paizes trpicos cedem promp-
tamenie sua poderosa agencia. Seus effeitos
curativos as affoccdes do figado e do iheumalismo
nao sao menos sorprendentes.
Acha-se venda as boticas de Caors fl- Bar-
bosa e J. da C. Bravo & C.
Os abaixo assignados, gratos como sao ao
digno professor o Sr. Seraphim Pereira da Silva
Monteiro pelo bom tratamento que delle receberam
quando seus discpulos, cujo magisterio oxerceu
por lempos Hesta povoacao, nao podem deixar de
vir perante o respeitavel publico manifestaren! a
sua gratido aquello fonecionario, que tanto soube
cumprr os seus deveres, tanto publico como par-
ticular, deixando amigos aonde habita.
Landelino Manoei de Albuquerque.
Antonio Bertino Rodrigues de Moraes.
Maxi miao Antunes Tavares.
Joaquim Gerino da Silva.
Severiano Francisco de Souza Jnior-
Jorge de Paula Piolo.
Joaquim Quintilho Rodrigues Moraes.
Francisco de Paula Carneiro.
Diario de Pernambuco n. 205 de 3 de setembro
de 1861
3" seccao.Rio de Janeiro.-Ministerio dos ne-
gocios do Imperio, em 16 de agosto de 1862. -lllra.
e Exm. Sr.Sobre os actos legislativos dessa pro-
vincia, promulgados no anno passado, foi ouvida a
seccao do imperio do conselho de estado, e Sua Ma-
gestade o Imperador tendo-se conformado por in-
mediata resolucao de 29 de julho prximo lindo,
com o parecer da mesma seccao, exoarado era con-
sulta de 15 do referido mez, manda declarar V.
Exc. o seguinte:
i*. A resolucao n. 373 do 5 de julho, (postura da
cmara municipal da villa do Porto da Folba), de-

-
^MUIlLADQi


-i----------__

_____
- -----------------~
Diarlo e rersank^e ... Quinta felra t& ic Agosto de fg4.


|
termina nos artt. 1 e 9", que na villa e povoacoes
Jo munici[>io, estejam fechadas nos domingos e
das sanios as oficiuas u as casas de negocio coi
cios.
Esta disposicao exhorbitante das facilidades
das cmaras municipaes e impropria de postaras,
sendo o seu objeclo privativo do poder eeclesiasti-
co e do governo geral; quando admitte no imperio
os decretos das igrejas.
Jos Candido de Barros............
Vicente Alvos de Souza Carvalho-----
Padre Tbomaz CoeHw Esliaia.......
Major Antonio Alvares Maefe........
D. Monica Ferreira da Silv........
D. Mana Candida Ferreira.........
Dr. Tbomaz Pompeu Souza Brasil___
Jos Gonealves da Crnz............
Padre Joo Francisco do Espirito San-
to.
A mesma observadlo applicavel ao arl. 6o da Luiz Vieira da Costa Delgado Perdi-
resoluco n. 381 de 27 de julho, que prohibe pesar
e ensacar algodo nos domingos e das santos.
KelueSo das esmolas ob Idas por
S. Exea, llcvma.'paru as obras
da nova matriz de *. Jos do
Reeife, desde dezembro de
Es.. at malo de I8&9, j pu-
blicada pelo Diario de Per-
nambueo.
D. Mara Libania de Queiroz........ 1:000-5000
Luiz Marlins Pereira Monteiro..*.... 1:0005000
Antonio. Alves da Silva............. 1:0005000
Jos Marlins Pereira Monleiro...... 300-3000
Um devoto da Ponte de UehGa....... 3005000
Um dilo de Sanio Antao............. 300-3000 |
Manoel Alves da Silva............. 2005000
Padre Jos de Je.-us Maria Vasconcel-
gao.
Jos da Silva Oliveira..............
Ignacio de Amorira Lima..........
Manoel Jos da Silva Braga......
Jos Gonealves de Albuquerqae____
Jos Moreira da Siiva.............
Joaquim Luiz Vieira...............
Francisco Brandan Cuerno.-.........
Jos Alves Lima...................
Duarle Bordes da Silva.............
Joao Manoel Hibeiro do Canto.......
Joaquim Luiz dos Santos Villa-Verde.
Antonio da Silva Loyo..............
1A50O0
105000
10*000
101000
10*000
105000
105000
105000
10*000
8*000
35000
5*000
35000
35000
55000
5000
3*000
35lM>0
5*0OOi
5*000
O0O
2*000
12:1245960
(Continuar-se-ha.)
los
2005000
2005OO0
D. Maria Libania Monteiro........
u. Joanna Maria de Dos da Silva Fer-
rao............................ 9005000
D. Marianna oiothea Joaquina..... 200*000
D. Anna Delflna Pacs Brrelo....... 2005000
Dr. Gabriel Soares Bapozo da Cmara 200*000
Conego Manoel Jos Feroandes...... 200*IK)()
Joaquim Jos Ferreira da Cosa...... 2005000
Vigario Francisco Vital da Silva.....
Francisco Accioli de Gouveia Lins...
Joaquim Biheiro Poutes............
Barao de Cymbres................
Manoel Thom de Jess............
Jos Rufino Barboza da Sil va .......
Antonio Alves da Silva.............
JoSo refeira de Araujo Cardozo.....
Alferes Manoel Jos de Oliveira Mello
Coronel Jacimho Paes de Mendonca.
Coronel Antonio Alves Vianna......
Major Manoel Buarque Machado Liina
Commendador Jlo Piulo de Lemos..
Jos Antonio Bastos...............
Jos Antonio de Araujo (alm do ci-
mento e canoas)................
D. Julia Anglica Pires Ferreira____
Padre Francisco Juslino Pereira de
Bn'to.......................... 1005000
Bernardo Antonio de Miranda....... 1005000
Jos Velloso Soares................ 100*000
Joo Jos de Miranda (Macei)..... 1005000
Jos Jacomo Tasso Jnior.......... 100*000
Commeodadur Manoel Gonealves aa
Silva.......................... 100*000
COMHIIGIO.
rente mez depois da audiencia. Recito 13 a agos-
to de 1861.Alencar Araripe.
Seguindo o que assim se coanha a dito des-
pache, por torca do qual fura a distribnicio ao es-
crivao deste juizo Manoel de Camino Paes do Ah-
drade, o qual em .observancia do dito meo despa-
cho lavrou o termo de protesto do tbeor seguin-
te protesto :
Aos 16 das do mez de agosto, em raeu
cartono o solicitador Flix Francisco de Souza Ma-
galhaes, procarador do supplicaie, e peraute mim
e as testemunhas infra assignadas dissf qu nos
termos de sua peticao retro que (lea sendo parte
da presente protestara por todo a seu cometido, e
de como assirn o disse e profesin ftz este termo
no qual se assignoa com as mesmas leslermi-
nhas.
Eu Faustino- Jos da Foeseca, esereveate jura-
mentado o escrevi.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vao o subscrevi. Flix Francisco de Sonza Ma-
galhesAntonio Alves da Fonseca Jnnior.Al-
varo Paulo .Voblato.
Seguindo o qne assim se conlinha em dito termo
de protesto, depois do qual tendo o supplicante
produzido snas testemunhas que depozeram con-
venientemente acerea da ausencia dos supplicados
Pedro Soares da Silva, Joo Pedro de Plgueiredo,
eDiogo Soares Carneiro Jnior, depois do que o
respectivo escrivao fazendo sellar o preparar os
autos, me os fez conclusos, e nos quaes dei a sen-
tenca do theor seruinte
Hei
Goiselho administrativo.
O eonselho administrativo para tornecimento do
arsenal de guerra lera de comprar os objectos se-
gumtes :
. P*r* 8 corpo de guaroicao da Parahiba.
38 bonets.
961 mantas.
1,783 covados de panno azul.
1,920 covados de panno azul para capotes.
22 covados de casemira verde.
1,120 eovados de baeta verde.
1,338 covados de hollanda de forro.
178 raras de aniagem.
3,377 varas de brim branco.
2,477 raras de algodozinho.
4,998 boioes grandes de metal amarello lisos.
3,213 ditos pequeos.
9,940 botos para capotes.
1005000
100*0.10
005000
100*000
1005000
100*000
100*000
1005000
1005000
1005000
100*000
'" 4IV I I?!I Mei Pr Justificada a ausencia de Pedro Soares
LVIVY FILIAL da Silva, Joo Pedro de Figueiredo e Drogo Soares
DO Carneiro Jnior, que se mostrou estarem em lugar
Ba %. g ik<( n* 4 G2TW 'ncert0> e mando que sejam citados por editos de
--*-*\&tJS5xtM3rA**4 30 dias para o flra requerido. Recife 92 de agosto
EM PERNAMBUCO. de 1864. -Trisito de Alencar Araripe.
A directaria desta caixa, em virtude de ordem Seguindo o que assim so conlinha m dita sen-
da directora do Banco do Brasil, avisa aos Srs. i tenca, depois da qual o respectiva escrivao Manoel
accionistas que o respectivo thesoureiro est auto) i de Carvalho Paes de Andrade, qne este sdbscreveu
das acedes da meema; fez passar o prsente com o prazo de 30 dias, pe-
de junho prximo le qual e sen theor chamo, cito e hei por citados
aos mencionados justificados ausentes Pedro Soa-
2005000
200* 001 risado a pagar o dividendo
2005000 caixa do semestre lindo em 30
passado, na razo de 8*300 por accao.
Recife 14 de julho de 1864No impedimento do
secretario, Ignacio Nunes Correia.

NOVO BANCO
DE
PERNAMBUCO
EM 23 DE AG0ST6 DE 1864.
O banco descoma na presente semana a oito poi
cento ao auno at o praso de qnatro mezes, e nove
10050001 pur cenio at o de seis mezes, e faz empreslimos
100*000 sobre ttulos commcrciaes.
Jos Amonio de Mendonca (Macei).
Vigario Antonio Rufino Severtano Cu-
nha...........................
D. Aonunciada Camilla Aires da Silva
Visconde do Ico..................
Barao do Rij Formozo..............
ViziUdor Antonio Pinto de.Mendonca
Manoel Jos Pereira Pacheco........
Tenenle-coronel Joaquim do Reg e
Albuquerque...................
Urna devola da freguezia da Boa-vista
Antonio Pedro das Noves..........
Dr. Vicente Pereira do Bego........
Francisco Anlonio Pereira da Silva..
Amonio (raaos...................
Cirios Frederico da Silva Piulo.....
Vigario Francisco Vital da Silva____
Dr. mousenbor Antonio Jos CoelhQ.
Senador Francisco de Paula Pessoa..
Viuva Aiiiontn & Film)............
Bernardiuo Jos Monteiro 4 Irmao..
Dr. padre Antonio da Cunlia e Figuei-
redo ...........................
D. Maria Carolina Alves da Silva____'
D. Maria Annnnciada Alves da Silva.
Vigario Jernimo Jos Pacheco de Al-
buquerque Maranh.io.............
Antonio Soares de Macedo.........
D. Maria das Nevos Vieira Carneiro
da Cunha ......................
Jos Joaquim de Oliveira........:.
Estero uavalcaale de Albuquerque
D. Henriquela Paula Freir.........
Dr. Ignacio Jos do Mendonca l'chda
D. Maria Joaquina Cavalcanle de Al-
buquerque .....................
Dr. Silvino Cavalcanli de Albuquer-
que............................
Joao Ignacio de Medeiros llego......
Joaquim Manoel da Silva..........
Vigario Jos Anlunes de Oliveira (A-
racaty).........................
Bernardo Ferreira da Silva.........
Capito Manoel Pereira Monteiro___
C. Slarr & C......................
Luiz Anlonio de Siqueirn..........
Vigario Francisco Xavier dos Sanios
Commandante superior Manoel Mon-
teiro Mariz).....................
Joao Baplista dos Sanios Lobo......
Andr Dias de Araujo..............
Joao Evangelista da Cosa e Silva...
Domingos Anlunes Villaca.........
Padre Anlonio Jo-c da Costa........
I). Joanna do Rusario Guimaraes Ma-
chado ..........................
Ignacio de Albuquerque Maranhao..
Lourenco Cavalcanli de Albuquer-
que ............................
Asaiias Carlos de Carvalho Gama...
Domingos Marlins Pereira Monteiro..
D. Francisca Eugenia de Mello.....
Joaquim Mendes da Cruz Guimaraes
(Coar) .........................
Luiz de Moraes Gomes Ferreira.....""
1). Emereiiciana Maria da Soledade.
D. gnea Maria das Noves...........
Jos Heiirique de Moraes...........
Brigadeiro Joaquim Bernardo de Fi-
gueiredo ........................
Domingos Rodrigues do Andrade...
Fontes Irmaos....................
Padre Jos Leite Pila rtigueira___
Sebastiao Jos da Silva Barros......
Joao da Cunha Magalhes.........
Major Luiz Jos Pereira Simoes....
Tenenle-coronel Bernardo Jos da C-
mara ...........................
Jos Francisco Ferreira Catas;......
Jos Joarjuim Pereira..............
Antonio Jos Dias..................
Joaqpim Jos de Miranda...........
Joaquim Ignacio Ribeiro...........
Joao Baplista Fragoso.............
Baroneza de Beberibe..............
Tiburcio Antunes de Oliveira.......
Antonio Bernardo de Vaz Carvalho..
Antonio Lopes Pereira de Mello____
Capilao Manoel Luiz Viraes........
llenrique Pereira de Moraes.......
Manoel Antonio Goucalve s.........
Siqueira & Pereira............____
Dr. Jos Joaquim de Moraes Sermento
Antonio de Azevedo Villarouco......
Manoel Antonio de Jess..........
D. Maria Xavier Cordeiro de Brito...
Manoel Joaquim Ramos e Silva.....
Antonio Luiz Gonealves Ferreira____
Major Manoel do Nascimento da Cos-
ta Monteiro.................. ,
Hercalano Cavalcanli de S e Albu-
qnerqac........................
Tenente-coronel Vicente de Paoo Car-
valho..........................
Dionizio Rodrigues de Mello .Castro.
Dr. Miguel Fernandes Vieira.......
Joaquim Jos da Cruz Saldaoha.....
Tenente-coronel Manoel Garca de Me-
deiros..........................
Joao Manoel Pinto Bastos..........
Lourenco Bezerra Cavalcanli de Albu-
guerque Maranhao..............
Joao Leite Pitta Ortignelra..........
Joaquim Jos de Amorim............
Luiz Jos da Costa Amorim.......
Antonio Ricardo do Reg..........
100*000
100*000
100.5000
1005000
1005000
1005000
30*000
305000
505000
30*000
305000
505000
30*000
30*000
50*000
3OJ0O0
50*000
305000
30*0JO
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 92........ 589:0985368
dem do dia 23................. 24:0383044
613:136*612
Movlmento da alfandega
Volumes entrados com fazendas...
t t com gneros... 435
Voluraes sahidos
cora
cora
fazendas...
gneros...
142
861
435
res da Silva, Joao Pedro de Figueiredo e.Diogo
Soares Carneiro Jnior, para que dentro do referi-
do prazo comparecam ante este juizo aftegando e
provando o que for a bem de seu direito e Justina
pelo que toda e qualquer pessoa, prente,' amigo
on eonherido Ihes podero fazer sciente de todo o
expendido, son pena de revelia.
E para que chegoe ao conheciraento do todos
mandei fazer o presente edital com o prazo de 30
dias que ser afflxado nos Ingeres do costume e
publicados pela imprensa.
Dado e passado Desta cidade do Recife de Per-
uambuco, aos 24 dias de agos to.
En Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vS o subscrevi.
Tnstao de Alencar Araripe.
DECLARARES.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
Descarregam no dia 25 de agosto.
Barca nglezaSitver Craigfarinha de trigo.
Brigue portuguezEsp Barca inglezaFavourtte carvo de pedra.
Patacho inglezJzm'j/ Blackcarvao de pedra.
Polaca hespanholaVirgem del Gormocarue de
charque.
Recebedoria de rendas internas
geraes de l'ernambuco.
Rendimento do dia 1 a 93.......
dem do di 24................
Consulado prorinclal.
305000; Rendimento do dia 1 a 23......... 43:311*1921
30*000! (dem do dia 24.................
30*0001
44:586*664
A Illm.* junta administrativa da Santa Casa da
1 003 Misericordia do Recife, manda fazer publico que
no dia 25 do crreme pelas 4 horas da tarde na
I sala de suas sesses tem de ir praca as rendas
das casas em seguida declaradas por tempo de
um tres annos.
Os pretendenles devera comparecer acompa-
sados de seus fiadores ou munidos de carias
desles.
Patrimonio de orphos.
Ra da Imperador.
99087*384 N- paruxuiar e 81 publico i andares. 1:209*000
66**6<>! Ra de S. Goncalo.
__________j N. 10 particular e 2z publico casa ter-
99:750*030 rea- 183*000
______ I Ra dos Pires.
N. 13 particular e 39 publico casa ter-
rea. ..-..,
305000
50*000
50*000
30*000
505000
505000
305000
50*000
305000
305000,
30*000
305000
605000
00*000
48*900
405OOO
40*000
MOYIMENTO BO POETO.
ffavto tmulo no da Vk>
Xew-Zealand33 das barca ngleza lsele, de 294
toneladas, capilao Stephem, equipagem 12, car-
ga azeile ; ao capilao.. Veio refrescar e seguio
para Londres.
Navio sabido no uic.suio dia.
AsspalhoboUt nacional Umlo Paquete, capilao
t'Vflt&s liua do Vigario.
1-/g*/- N. 72 parlicular e 27 publico 2 anda-
res........
Ra da Senzala Velha.
N. 80 parlicular e 132 publico 2 anda-
res........
N.82 particular e 10 publico casa ter-
rea. ,.....
11 1.1 do 111.11.
N. 91 particular e 103 publico casa ter-
rea........
Becco das Boias.
N. 39 parlicular e 18 publico 2 anda-
resv.......
Ra do Amorim.
40*000
405000
305000
30*000;
Antonio Maria da Cosa e Silva, era lastro de sal.
Cabo Verde.Brigue porluguez S. Jerye de Aveiro,
capilao Carlos Jos dos Santos, em lastro.
N. 36 particular e 26 publico casa
rea......
Mirueira.
N. 4 particular silio.
ler-
104*000
603*000
410*000
- 'y*?
163*000
360*000
120*000
213*000
EDIT1ES.
Eslabelecimenlos de caridade.
Ra Direita.
N. 3 particular e 8 publico, 2 andares. 1:067*000
n ... ,. Rna do Padre Floriano.
- O Illm. Sr. inspector da tbesouram provn-, N, 6 par!icalar e 47 publico casa ter-
rea........186*000
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr
presidente da provincia de 20 do crrante, manda I &B particular' e 43 publico 'casa ter-
fazer publico, que vai novameote a praga, no da rea>
6 de setembro vindouro, perante a junta de fozen-
da da mesma thesourana, para ser arrematado a
30*000! 'Iuein ma's ^"r> 'inl,osto do iziino do gado vac-
305000' c"m Da coinarca J Bonito, avallado em 9:134*000
rea........169*000
Becco da Carvalha.
N. 5 particular e 10 publico casa ter-
rea........ 149*000
Ba do Faguntles.
1 !,rL- fa,,a N.. II particular e 39 publico casa ter-
30*000 i A arrematac.io sera feta por lempo de tres an-, rea. l 155*000
30*000! VJSfff &**&& 3L!5!*5f_a. ?9 i Becco do Calabouce.
N. 39 particular e 2 publico casa ter-
305000
305000'
235000
235000
23*000^
'20*000'
205000
205000
2050UO
20*000
20*000
205000
20*000
205000
2050011
205000
de junho de 1867, e de conformidade com o art IC
do regulamento de 3 de agosto de 1832.
_A> pessoas que se propozerem a essa arremata-
ban, comparecam na saia das sessoes da referida
junta no dia cima mencionado pelo meio dia,
competentemente habilitadas.
E para constar se mandn publicar o presente N< 36 particular e TpubUco "casa ter-
pelo jornal. rea
Secretarla da thesonraria provincial de Pernam- N, 92'parlicular e publico'casa tr-
mico, 22 de agosto de 1864.
O secretario,
A. F, d'AanunctarSo.
rea ... 196*000
Ra de Santa Thereza.
N. 31 particular e 7 publico casa ter-
rea........ 197*000:
Ra da Roda.
677 pares de clcheles.
Para a enfermara militar da villa de
Tacarat.
4 cassarolas de ferro forradas de porcelana
differentes taannos.
lo pares de chinelas de couro.
15 colchoes.
Quem quizer vender taes objectos aprsente
a sua proposta em carta fechada na secretaria do
eonselho s 10 horas da manhaa do dia 30 do cor-
rente.
Sala das sessSes do eonselho administrativo para
forneeimento do arsenal de guerra 24 de agosto de
1864. 8
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel-presidente.
- Sebastiao Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
Consellio administrativo:
O eonselho administrativo para forneeimento do
arsenal de guerra tem de contratar o forneeimento
dos menores do arsenal nes mezes de setembro e
outubro prximo vindouro.
Pao de 4 ongas, bolacha, raauteiga ranceza, cha
hysson, assucar refinado de 1' sorte, cafem grao,
carne fresca, dita secca, toucinho de Lisboa, baca-
Iho, azeite doco, vinagre, farinha de mandioca da
trra, arroz do Maranhao, feijao preto ou mula-
tmho.
Quem quizer contratar laes gneros, aprsente a
sua proposta em carta fechada na secretaria do
eonselho, s 10 horas da manhaa do dia 30 do cor-
rente.
Secretaria do eonselho administrativo para for-
neeimento do arsenal d guerra, 24 de agosto de
1864.
Antonio Pedro de Sa Brrelo,
Coronel presidente.
SebastiOo Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
Gttnselho ailmiuistiativo.
O eonselho administrativo para forneeimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
grales :
Para o 4 baialhao de ai lilliaria.
Cordoes para os canudos dos inferiores16
Para provimento do arsenal de guerra.
Boioes grandes brancos de osso grosas 1000,
ditos pequeos brancos grosas 1000, ditos preto
grosas 1O00, vassonras de palha 1000, ditas de
piassava 1000, ditas de junco 1009, fio de algodao
(B 3.
Para o haiamao n. 10 da guarda nacional.
Cornetas de toque 6.
Para a fortaleza do llrum.
Bandeira grande imperial de filete 1, dita peque-
a dito ditoI, adrizas para ditas 2.
Para o corjw da guaroicao desta provincia.
Papel almassoresmas 2, pennas caligraphicas
caixas 2, caetas duzias 2, eanivetes 1, tinta
pretagarrafas 2, lapts de pao dozias 9, area
preta-libras 9, cartas de a b c 19, tabeadas 12,
grammatieas 3, aritlimetcas 3, pautas 3, traslados
12, pedras de lousa 9, creioes 6.
Quem quizer vender taes objectos aprsente a
sua proposta em carta fechada na secretaria do
eonselho, s 10 oras da manhaa do dia 96 do cor
Fente. ,
Sala das sessoes do eonselho administrativo para
forneeimento do arsenal de guerra, 19 de agosto
de 1864.
Antonio Pcrfro de S Barrito,
coronel-presidente.
Sebasao Jos Basilio Pyrrho,
vogal secretario.
Vai praca sexia-feira 26 do eorrente a casa
i'n-. u es Mudaran i ua u Trapiche n. 40, por ar-
endamento trienal e pela quantia de 1:5005000 :
quem na mesma quizer langar, compareca na pra-
ca do juizo de orphaos que achara o esenpto em
mao do portero.
Crrelo geral.
Pela administracao do correio desta cidade se
faz publico que em virtade da convencao postal,
celebrada pelos governos brasileiro e fraucez, se-
rao expedidas malas para a Europa no dia 30 do
correte pelo vapor franeez Extretmdure. As car-
tas sero recebidas at-tres horas antes da que for
marcada para a sahida do vapor, e os jornaes atC-
quatro horas antes.
Administracao do correio de Pernambuco 24 de
agosto de 1864.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
torrei.
Pela administragao do correio se faz publico que
hoje 25, pelas 3 lloras da tarde em ponto fechar-
se hiio as malas que tem de conduzir o vapor cos-
tero tMamaiiyuupe com destino ao porlos do sul
al Penedo.
Rio d Janeiro/
O brigue Belisar segu com brevidaae, recebe
carga e escravos frete : trata-se com os consig-
natarios Marques Barros & C, largo do Corpo San-
to n. 6._________.________________^^^
Para a Babia pretende sabir com
muila brevidade o veleiro patacho B.
Luiz, capilao Jos Teixem de Azeve-
do, por ter parte da carga engajada;
para o resto que Ihe falta, traase
com os consignatarios Palmeira & Beltro, no largo
do Corpo Santo n. 4,|primeiro andar.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Ka-vegae eo.selra vaior.
Parahiba, Natal, Mario, Aracaty, Cear, Acaraco' e
Granja.
O vapor Persinunga, comman-
dante Bats, segu no dia 7 de se-
tembro prximo para os portos
cima indicados. Recebe carga
_ 'at o dia 5. Encommendas, pas-
sageiros e dinhero a frele at o dia da sahida s
3 horas da tarde: escriptorio no Forte do Mattos
n. 1.
Feira semanal
DE
Movis, crystaes, relogios e otros ar-
ligns novo e usados.
Sexta-feira 26 do eorrente.
O agente Olympio far leilo de diversos trastes
novos e usados, relogios e ontros moitos artigos.
No armazom ra da Cadeia n. 48, dar princi-
pios 11 hora.___________________
Sexta-feira 26 de agosto 11 horas ra
da Cadeia n. ."3.
M
Dousburros e um cavallo j acostumados ao
servico.
PEI.0 AGENTE EUZEBIO,
Se vender em leilo pelo maior preco qne se
ludir os animaes como cima : os pretendenles
aproveitem a pechincha.
LEILO
DE
50 aeros da companhia vigilante.
Sabbado 27 de agosto.
O agente Pinto far leilo reqaerimento de
D. Clementina Theodora da Silva, inventariante
dos bens de seu casal e por despacho do Illm. Sr.
1 Dr. juiz c orphaos, de 50 acc da companhia
vigilante no valor ue 1005 cada orna e pertenecn-
tes ao mesmo casal, s 11 horas do dia cima dito
I em frente a Associacio Commercal.
LEILO
DE
Papel almaeo.
No dia 14 de setembro seguir I Sabbado 27 do torrente as 10 i{2 horas no arma-
mu do Amifs defroite da alfaudeja.
O agente Olimpio, no da, hora c lugar cima:
vender em leilo publico em presenca do Illm.
Sr. cnsul da Austria 13 eaixas com papel alnuco-
avanado a bordo da Afana Burriss, na sua vi'a-
gem de Liverpool a este porto.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegacao costeira a vapor.
O vapor Mamanguape que se-
gu no dia 95 para os portes do
sul, ir at Penedo, .para onde re-
:ebe carga at o da 93. Encora-
'mendas, passageiros e dinheiro a
frete al as 2 horas da larde do dia da sabida :
escriptorio no Forte do Mallos n. 1.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
IVavegaco costeira a vapor.
Hlia de Fernaud de Norouba, *
Companhia para o presidio de
.Fernando de Noronha, para onde
_ 'recebe carga at o dia 13. Encom-
mendas, passageiros c dinhero a frete al s 10
horas do;dia da sahida : escriplorio no Forte do
Mattos n. 1.
Companhia Pcrnambocarra
DE
Navegaeo costeira a vapor.
Tamandar, Barra Grande, Porto da Pe-
dras, Camaragibe, Macei, Penedo e
Aracaj.
No dia 5 de setembro s 5 ho-
ras da tarde seguir para os por-
tos cima mencionados o vapor
Paraliyba, commandanto Marlins.
'".ecebe carga somente al odia 3,
passageiros, encommendas e dinheiro frete al
s 2 horas da tarde do dia da saluda: escrip-
lorio no Forte do Mallos numero 1.
mutmgum ni
LEtlO
LEILOES.
AVISOS MARTIMOS.
Importante leilo
DE
Mobilias completas, pianos, guarda roupa,
apparadores, crystaes etc., etc., jotas de
011ro e prata e
Escravos de versos sexes.
COBDEfRO SIMOES
far leilo requerimento dos administradores da
massa fallida de Amorim, Fragoso, Sanies & C, e
despacho do Illm. Sr. Dr. juiz de direito especial
do commercio dos objectos existentes no sobrado
ra do Sebo n. 37, pertencente ao fallido Joao
Baptista Fragoso.
l'ma folba avulsa destribuida na vespera dar o
detalhe deste importante leilo.
HOJE.
s 10 horas em ponto.
37 IUIA DO SEBO 37
Sabbado 27 do eorrente.
Por ordem do consulado de Portugal rao a lci-
rao por inlervencao do agente Pestaa os beus-
abaixo declarados pertencentes ao espolio do fina-
do subdito po'tuguez Jos Fernandes Pereira Vil-
la-rica, a saber:
A armacao e mals gneros existentes na taber-
na pertencente ao mesmo finado, 3 bois de carro.
1 cavallo de carga, 1 carrosa em bom estado, 1
dita quebrada, 1 dita nova por acabar, 9 canoas
de carreira, sendo urna deteriorada, 1 plantaco
de capim na ra do Baldo.
O leilo ter lugar em Olinda sabbado 27 do-
rorrente pelas 11 horas da manhaa.
AVISOS MTEBS8S.
Constando ao abaixo assignado' que alguns-
dos seus amigos e homens do povo desejam que o
mesmo abaixo assignado seja um dos quatro cida-
dos volados para juiz de paz da freguezia de Santo
Antonio desta cidade, no dia 7 de setembro prxi-
mo futuro, vem por meio deste agradecer-Ibes es-
tes seas desejos, e pedir-Ibes que votem sem a me-
nor descrepancia dos ridados qne forem aposen-
tados para os quatro juizes de paz da mesma fre.
guezia pelo partido liberal progressista, ao que o
mesmo abaixo assignado tem a honra de perlen-
cer.Caetano Pinto de Veras.
LEILO
DE
3$ barris com
iirarjl
liusuicas.
O agente Pestaa por conta e risco de quem per-
tenrer e para fechamento de contas vender em
leilo 38 barris com lingnicas ltimamente de-
sembarcadas, as quaes sero vendidas hoje em
lotes a vontade dos compradores s 10 horas da
manhaa na porla do Annes.
rea.
ter-
ter-
-200OO
20000
205000
2050OO
905000
205000
205000
205000
205000
205000
205000
905000
2050OO
205000
205000
205000
205000
20500Q
20,5000
205000
905000
205000
205OOO
905000
205000
205000
205OOO
165000
115000
105000
105000
105000
I050H0
105000
10-5000
105000
IO5OOO
Ra da Imperatriz
N. 47 particular e 08 publico casa
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-! rea.......
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-! Becco do Quiabo.
sidente da provincia, de 90 do corren'e, manda jN- 49 particular e 8 publico casa
fazer publico, que vai novamente pra^a, no dia 6 I rea......
de setembro vindouro, perante a junta da fazenda Ru,a ^a Gloria.
da mesma thesonraria, para ser arrematada a quem H particular e 65 publico casa ter-
mais dr, o imposto de 95500 do gado vaceum rea........
consumido no municipio de Iguarass, avaliado ao- Rua ^e S. Itom Jess das Crioulas.
nualmente em 1:6195000. N. 61 particular c 8 publico casa ter-
965000
1205000
3065OOO
15000
1445000
rea.
1315000
A arremataco ser feila por tempo de um anno
e 9 mezes a contar do Io de outubro do eorrente' Raa anno 30 de junho de 1866. N. 66 particular e 63 publico casa ter-
As pessoas que se propozerem a essa arremata- i rea- ......1445000
cao, comparecam na sala das sessoes da referida : Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
junta, no dia cima mencionado pelo raeia da, e Recife, 22 de agosto de 1864,
competentemente habituados. O escrivao.
E para constar se mandou publicar o presente, f. A. Cavalcanli Cousseiro.
pelo jornal. -7 No dia 26 do eorrente mez, depois de finda a
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam- audiencia do Illm Sr. Dr. juiz municipal da 1 va-
buco, 22 de agosto de 1864. i ra, teem de ser arrematados em praca punlica a
O secretario, I armacao e mais utensilios para fabrcamento de
A. F. d'Annunciaro. j calcados, e urna grande porcao de calcados para,
I homens e senhoras, na loja sita na ra Direita n.
o ur. Tnstao de Alencar Araripe, offlcal da im- 49, penhorados por execuco da irmandade das Al-
perial ordem da Rosa, e juiz de direito especia- mas do Recife contra Manoel Joaquim de Soaza
do commercio desta cidade do Recife de Pernam- \ Vianna, pelos alugueis que se acha a dever: os
r?-i-.sea- lermo-c. PH Sita Magestade Imperial pretendenles podem examinar o esenpto ediial em
e Constitucional o Sr. D. Pedro II, a quem Deus poder do portero.
|na5 ?'c- .. Pela administracao do eorreio se faz publico
MkU^fiSLSr.2 Pusen'f ,ed,ta vi!?m e ^ue noe> *). pe'35 ll noras d0 dia em ponto, fe-
m, M tiverem, qae Manoel Joaquim Rodri-; char-se-ho as malas qae teem de conduzif o va-
S^S22'J adv0^ad0' me *'"go a pe- por inglez Iron-lng eom destino Buenos-Ayres
ticao do theor segrate : : pei0 Rio de Janeiro J
. '"m-Sr. Dr. juiz de direito especial do comraer- -- Finda a audiencia do Sr. Dr. jaiz de orphos
nlI'^M,a-eJ Da niol.quidajario de Rodrigues iRibeire, que a es-; horanca de Maria Luiza da Conceicao, constando
2? AmB&SH0 Soa.res da Silva' pela e moveis' uma escrara e am Pequeo sitio com
quantia de 185390, saldo de malores somraas pro- -
veniente de uma letra vencida em 94 de julho;
Joao Pedro de Figueiredo por 795500, importancia
de urna letra vencida em 38 de agosto; Diogo Soa-
res Carneiro Jnior per 7365300, importancia de
uma letra vencida em 13 de dezembro, todos do
anno de 1859. E porque o supplicante queira
Eduirdo Frederico Banck..
Francisco da Costa Amara!........"
I). Rosa Mara Monteiro de Paiva....
Narciso Jos da Costa............. 105000
Joo da Cosa Lima Jnior 4 C..... 105000
".abrid Alfonso Reguelra..........
Francisco das Chsgas Ferreira Duro.
D. Isaliel Faria Guimaraes.........
I). Candida Agoslinho Barros.......
IO5OOO
105000
IO500O
105000
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperado
at o dia 30 de agosto o vapor
Paran, commandante o capito
de fragata Santa Barbara, o qual
depois da demora do costume se-
guir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga qne o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 9 ho-
ras : agencia, roa da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo , casa na Capnnga, segundo o escripto
I rio do escrivao Vasconeellos.
e pelocarto-
Iitspccco do arsenal de marinha.
Faz se publico que a commissao de peritos exa-
minando na forma determinada no regulamento
atmexo ao decrete n. 1394 de 5 de feverelro de
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o veleiro
brigue nacional Almirante, lem parle de seu ear-
regamento prompto : para o resto que Ihe falta e
escravos a frete, para os quaes tem excellentes
commodos, trata-se cora es seus consignatarios An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da.Cruz n. 1.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte esperado
at o dia 31 do eorrente o vapor
Princeza de lohwille, comman-
dante o primeiro tenente Araujo
o qual depois da demora do cos-
tume seguir para os portos do sol.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua cnegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 9
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C
Para Lisboa.
Sahe impreterivelmente at o dia 30 do corrale
para o mencionado porto a barca portugaeza Des-
pique ll, quem na mesma quizer carregar ou ir de
passagem para o que tem excellentes commodos
entenda-se com Ferreira & Lonreiro na travessa
da Madre de Dees a. 10.
protestar contra osdilos devedores a8m de ioter- 1854, o casco, machina, caldeiras, aooarelho mas-
romper a prescripcao nos termos do artigo 453 8 3" treacao, veame, amarras e ancoras do vapor Ha-
do cdigo commercal, e sejam os mesmos residen-'------------- -1' -
tes em lugar incerto e nao sabido,
se digne mandar tomar, por termo o seu projeslo,
e intimado por carta edital depois de admetlida e
jalgada por sen tenca a respectiva justificaco da
ausencia dos supplicados ; pede V. S. deferimen-
to.E R. M.-Costa Ribeiro. .
Seguindo o qae assim se conlinha em dita peti-
co depois da qual eslava o despacho do theor se-
guale :
Sim, e para ajostifieacao marco o dia 16 do cor-
mangnnpe da companhia Pernambacana de nave-
requer a V. S. gaco costeira, achou indo em regular estado.
Inspeccao do arsenal de marinha de Pernambu-
co, 93 de agosto de 1864.
O inspector,
.. H- A- Barbosa de Almeida.
Xo da 99 do eorrente mez tem de ser arre-
matado em praca publica, depois da audiencia do
Sr. juiz de paz do 2 districto da Boa-Vista, um
cavallo que foi nenhorado Jos Jaciotho de Sou-
za, por execuco de Firmrao Pacheco Gomes.
Porto.
O brigue portugoez Esperanca, capitao Louren-
co Fernandes do Carmo, segu em poneos dias, po-
da admittir alguma carga miada e passageiros :
trata-se com os consignatarios Marques, Barros &
C, largo do Corpo Santo n. 6, ou com o capilao a
bordo. _____________
Para Lisboa
o brigue portuguez Bella Figneireme, capito J. C.
de Carvalho Sobrinbo, recebe carga e passageiros
paraos quaes tem excelienles commodos, para
tratar com Euzebio Raphael Rabello, raa 4a Ca-
deia n. 55, escriptorio.
LEILO
PREDIOS
Uma casa terrea na ra do Pilar n. 3.
Umaquarta parte da casa terrea da mesma
raa n, 7.
Um sobrado de um andar e soto na ra do Se-
bo n. 37.
Um silio de trras denominado Londin do Bo-
queiro 11a Ibura freguezia dos Afogados, com
grande casa e diversos arvoredos.
O agente Almeida far leilo requerimento dos
administradores da massa fallida de Amorim, Fra-
gozo Sanios & C. e por despacho do Illm. Sr. Dr.
juiz do commercio, dos predios cima pertencen-
tes mesma massa.
Sexta-feira 26 do eorrente.
As 11 horas do dia porta da Associaco Com-
mercal.
' & i
ios 10:00$000.
Quinta-feira 1" de setembro do torrente
aDiio, se extrabir a terecira parte da ter-
ceira lotera (106a) cm beneficio da Sania
Casa da Misericordia, no consistorio da gro-
ja deNossa Senhora do Rosario da fregue-
zia de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se i
venda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 10:000^1000 at OjJOOO
serao pagos uma hora depois da extraerlo
at s 4 horas da tarde, e os ontros ao dia
seguinte depois da distribuiejio das listas.
Serrando de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
USA 1)4 FOKTiM
AOS 10:000.000
IHieles garantidos
A' rna do Crespo n. 23 e easas de costnme
O abaixo assignado vendeu nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se ac bou
de exirabir a benetcio da matriz do Ouricurv os
segulntes premios:
N. 3330 meio bilhele com 6:00041000
N. 539 bilhetc inteiro com 1:4O0000
X. 9061 meio bilhete com 6OO400O
E uutras muitas de 005, 1005, 40J e 205.
Os possuidores podem vir receber sem os des-
Se\ta~feira 26 de agosto s 11 horas
ra da Cadeia armazem u. 53.
DE
i na porco de tapetes de la, oleado
para carro, e dito para coherla
de mesa.
vender em leilo os objectos cima pelo maior
preco que se acfcar para ultimar contas, e por or-
dem e conta de quem pertencer.
Cres-
LEILO
M
Predios e ac^oes
1 caxao de pedra e cal em altara de receber
travejamento na ra da Concordia de n. 67 e 69,
com 61 palmos de frente e 190 de fundo, em cujo
terreno estocollocadas cinco easas que rendem
85 mensaes cada um?, foreiro marinha e paga
951OO por anno.
8 meias aguas na travessa da Palma de ns. 4
11,que rende cada uma 105 mensaes, foreiro
marinha.
15 acedes da estrada de ferr.
Sexta-feira 26 do crtente s 10 1/2 horas,
aporta da Asssciaco Commercal.
0 agente Almeida far leilo por aulorisaco do
Sr. Anlonio Joaquim dos Santos Andrade, dos
predios e acc,ocs ne dia e hora cima.
LEILO
1 sobrado de um andar e soto na ra do A Dol-
i n. a ^
1 casa terrea na raa Imperial n. 960 devidida
em duas rende 995.
7 casas meia-aguas na raa dos Prazeres fregue-
zia da Boa-Vista rendem 405 (solo proDrio.)
SEXTA-FEIRA 96 DO CORRENTE.
O agente Almeida fari leilo por conta de di-
versos dos predios cima.
As 10 112 horas do dia porta da Associaco
Commercial.
con.os das leis na Casa da Fortuna ra do
pe n. 93.
Acham-se venda os da terceira parte da ter-
ceira lotera da Santa Casa da Misericordia que
se extrahir na quraia-feira Io de setembro pr-
ximo.
Presos.
Bilhetes inteiros..... 195000
Meios.....'. 65000
Qaartos........ 3^000
Para as pessoas que comprarem
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 115000
Meios......... 3X500
Qnartos. ....... 25759
Manoel Martins Fiuza
JBHi
Ensino de preparatorios |
0 bacharel A. R. de Torres Bandeira. jE
professor de geograpbia e historia anti- S
ga no Gymnasio desta provincia, conti- 5
na a ensinar pnilosophia, geograpbia. jg
rhetorica e as linguas ranceza e ingie-
ra. Ofterece o seu presumo especialmen-
te aqueiles mogos qne se qnizerem pre-
parar em qualquer destas disciplinas para
os exames em novembro do correte an-
no, ou em marco do anno futuro.
O ensino dado pelo annuociante >na
casa de sua residencia, ra das Cruzes
n. 9, segundo andar.
AVISO.
O consulado dos Estados-Unidos acta-se mudado
da ra do Trapiche n. 8 para a raa do Imperador
n. 63, primeiro andar. Para a verificieao de fac-
turas, deverao as mesmas ser apresentadas 94 ho-
ras antes da partida do navio.
W. H. Me. Gratk,
Cnsul interino.
Precisa-se de ama ama que saina cozinbar e
engommar, e qae tenha bons coslumes para casa
de familia: na roa da Imperatriz n.23, primeiro
andar.
Precisa-se de um menino dos ehegados no
brigue Bsperan^a para taberna: na roa da Guia
numero 49.
Associaco BibliothecariaPer-
atpbBeana.
Hoje ha ver sessao as 3 1(9 horas da tarde.
Secretaria da Bibtiotheearla Pernambacana 94
de agosto de 1864.
Jos Paulo do Rogo Brrelo Filho.
9 secretario.

JMUTILAD
.
*' tt





Diarlo t)0W3>Tp**'
-------
j
i >
Deixai que os Hunos da ci vilisacao ros preguem
economapar* os ps1! Esta parle do corpo
humano por certo aquella que, oeste clima, ne-
eessita de maior agasalho: pela humidade dos ps
se iotreduz a graadd maioria das molestias, e eom
estas a perda da saude e da vida 111 Fofa eom as
botinas e sapatos velos s reforma-Ios
45-Rua Direita-45
"- -'-------------------'~<-----------------------------
publicado Iliteraria.
Sabio luz o opsculo intitulado
A LBERADE
NO
Boriegains rancezes para homem
Ditos inglezes idem a 84, 7# e
Ditos para scnhora
Ditos para menina
Sapatoes esmaga cobra
Ditos de Nautas de duas solas
Ditos dito de sola e vira
Sapatos de borracha para seohoras
Ditos de dita para meninos
Dito* de tapeto para borneas e
nlieras a 800 e
Sapatos de lustre para senhora a
Ditos para casa
Chinelas rasas do Parto
S*00Q
64000
POR
86-
Afenso de Aibuqutruw Meti
CoDTidanwe os assujnantss a naudarem reeafeer
seos exam|>ta-es na praca da lodejendincia ti*. 6
Sin e 8' qae ieno enlrePu',s vista dos recibo* das as-
2*000 signaturas ; ahi tambem stao postes venda
?!m 3*>00 cada U1*- S5 Sb 3eifU'its ttulos as
ojooo: materias de que se orcupa:
45000 lutroduccie.ajocoda Irber4ae,-Q Urasil eo-
J** lola.-Revolucaa/e 18I7-A sBOaaendencia-^A'
1*000 constitumte-^AcnWuco-Arewjlaeao de 18*4.
i ruift ~~A MPu,so abdicajao. A regencia lwe. 0
SIS i j}**"10 regressista-.-^hneaca dos carcundas e ooe-
t*W j da dos Hvres. A regencia orcaoda.Caa*a os
..SS""^-?*, Te**1** vre.-fteg^fia eorcuad* e
OeOOj naioridade.-Principios do muida de D, Pedro
O Dr. Hermegenes Scrates Tavares de Vasconcel-JUaMolta de Minas e S. Paulo -Dominio da Trte-
los, msinuaicpal da vara desla cidade do 1^3.-0 dpamrfo mena ao inquietaba os eor-
Recife de Peraambuco e seu termo por S. M. eabdas.--r*eitos do dominio liberal.-A pxaiaeO-
Impenal etc. i *# ro^senatoj* .-A malta e a revolucSo de
raco saber acorn por estejuizose ba de Ifi A constlute.-A o06ttui4-Drr|a
arrematar per venda, fiudos os das da H e pra- da revolucao. Ne^aafco de flotara >m os liae-
cas successivas, una eneren de nome Firmioa, raes : -traidores.-Glida da feandeira da coos-
criou'^c,om g annos def '.dadt\ sad'a'. V-!*1* Htnjnte.- O partido liberal durante osqnatarzp-an-
por UXtf, ema scrava fui peuborada a D. Rita-ues do chamado ostracismo. Os corcundas e m
Francisca de Car va I bo Paes de Andrade, -
cuciio de Felippe Menoa Callado
E para que chegue ao conhecimento
mandei passar o preseau, que ser aflixa
gar do costume e publicado pela iraprensa. j tiiuires wes, e'direites prfttieos" que t vemos
Dado e fossado nesta cidade do Recife de Per- at o flm da regencia Ijvre, e o que Ictwsimeirte
nambuco aos 19 de julho de 1861. Eu Manoel! temos ero lugar delles.-Os representantes da na-
Jos*.da Moua, eeerivao o subscrevi. caoedas provneias.-Siloarao administrativa.-
Herraogenes abates Tavares de Vasconcellos. O que sao nella os Portuguazes. -Como o gover-
no obrigadu a corromper o paiz e a fazerlhe
SALSA P.ARMLH1- Df AYEK.
Transcrevemos aijui lguns
dos muitos attesiados que tutos
recebido das .virtudes u Misa
pautilha do Dr. A>er.
Ilhcinualism..
DE JOAO tOti: DOS SANfOS.
\ CW Preto.
Mnsular.
ES Di TOUAS AS
^"OADES, GENEBRAS, COGNACS, AGUR-
DENTE E MA1S GNEROS. *
Pelo svstcina fraueez
Waaofl Marques de OH reir fcC.
Roa dos Burgos n.31 entrada pela na
4o Amorim.
Neste esiaJiftiiBaiep^ ^ %m09u^ u>(h a quali-
. daue de gneros acuna mencionados, feitos com
t Soffn rheumaiiino p*rwui- perfeicao, bondadc de materias primas cmn apuro
Us vezes, e veuV) anmneiadi) d arie'. '"'r um Preparador habilitadissiimo.
em um iornal ifesta rifata a ^ ^omo M rc*'rn eacomnsendas uato para
SJ^rlAn f2 XrL ifnta* "<> Pareoestrangeiro.eai grande e
M famlha de Dr. Afrt re- pequea escalla, iodo bem aeondieioiadas da o-
soln-me a comprar itm frase e fajar so ihor rorma possve, por prejns mu diuinutos, os
d'etia ; ea&tesrfe Concluir o prnjeifo itis- S'Wflr^vem aRr Mr uos jctoos ; a parW a corpo *U es- Niio pedimos quS nos aSSm, minViii!\
ta*a afectada d'esse 'irrlvel ericottttMldo ja i f yi^ta das provas qtte temos a. iioara
ge rou*ou-n (.anttffeoiies de sorart.
KnjtSw, t*rbultiaa. pnsMis,
leers, e todas as uiolCBtias
da prlle. .. .^^
aoan. oo paula de Armrv e soiza.
*uadS. Pedro.Rio'te Janeiro. ?
< Sofria | raais (ie a*cs anno6 da ama
SAHIO A LUZ
BST A VENDA NA tlVRARIA 00 Sr. GKB.VLD0
A RUA.ESTREITA DO ROSARIO N. i AS
NOCES
da
DE
PARTIDAS DOBRADAS
OFFERBCIDAS
A Assatiaea Coamercial BcnefieeaU

Urna p*soa qno tern conhecimento de escrip-
turacao por partidas dobradas se olferece para es-
crever em aljunia eas*ite oommerota: quem pre-
cisar annuncie ftn dirija-i.! nn dos-air^s n. 30.
Aluga-se uuia|ireta que laz todo servico de
urna casa menos engommar : a tratar a ra da
Cruz do Recife n. 29.
em
I. .JLJ-_..L1
as
COMPRAS.

No dia 27 do correte, s 8 horas da ma-
obfia, eWebra-**-ha tuna missa na igreja
de S. Francisco esta capital, pelo eterno
descaoco da virtuosa baroneza de Cotegipe,
fallecida na Baha no dia 27 de julho ultimo.
Roga-se a todas as pessoas que tiveram
occasio de conhecer as raras qualidades da
illustre finada, assim como todos os ami-
gos do prestimoso bario de Cotegipe, quei-
ram assistir i esse caridoso acto.

Freguezia dos Afbgados
Escala piB'fca do sexo masculino.
a corromper o paiz e a
sempre maior mal.Como se multiplica e se paga
a clientella do governo para sustentar-se o impe-
rio corconda. O procnsul.O procnsul da oo-
. marca. Dos cargos, dos crimes e da puoico.A
ustica. -Juizes municipaes.Juizes dedireito.
Tribunaes.-s das Relacoes.Tribunaes do Com-
mercio. Supremo Tribunal de Justica.O Jorv.
Os adrogados.Conclusao. Garanta dos direitos.
; A moral publica.Dos crUaes.As eleigoes.
; Corollario da obra saquarema.-O que a pa-
tria.- Situacao para com o exterior. Situacao
financM'ra.- As rmancas do estado.-A miserial
Perigo e salvamento dus corcundas.A liga.
Como se congregam os elementos para olla.Con-
sderacoes relrospeciivas. A constituinte. Prepa-
ro? antecedentes. Conciliacao e opposice parla-
mentar.Monta a liga.0 que sao os liberaos na
apresentar.
Companbia rlgilnnte de vapore*
de rebofjne.
Agencia em casa de Rolke A Bidonlac.
Hi conforroidade de que foi deliberado
em assembla geral dos accionistas dacom-
panhiarigilante, que se reuni n dia 18
eruf caO sjrpiuatica im tado o corix^ mis- de abril do corrente anno, so os Srs. accie-
rado-se sempre com mas violencia nata- nistas convidados a enlrar com 40 porcen-
ra, prerei nwiios medicamentos e caasutei to sobre o valor de cada urna de suas ac-
DE
t
P1U\AMBI(0
poa
Fonseca de Medeiros.
Compra-se ouro e prafa em obras velhas
daga-sc bem: na toja de bilheles da praca da Inda
pendencia n. 22.
Compra-se couro do earneiro : na ra larga
do Rosario n. 10.
Compra* effectivainante
ouro e prata em obras velhas pagando-so bem :
na ra larga do Rosario p, 24, loja de ourives.
Compra-se ebre velho : na ra do linim nu-
niaro 78.
VENDAS.
fm priawroe diM a eup$ at^raTOwe, qual ser intimado a cada um dos Sr*. accio-
perftia aaf3 4 aeabar < egua nha o mal desapparecido completamente de' dade de participar por escripto, que ficam
todo o corpo. iuteirado e sua re.sotuQ3o definitiva, para go -
Doctor Do.n Jos Valdes HchRERA, phokes vemo da direccSo. Recife, 8 de agosto de
SOR DE MEDICINA Y CIRITRJIA, SIBDEI.EGADO 9Gi.
abmn^'uesratt ?^2S2 f ** ^|*^*^*35T5^*
alumnos que se adiara no exercicio de seu na
glsterio do dia 28 do corrente era diante, na mes-
:na casa-em que ftmceionou seu antecessor.
O professor,
_______________Vicente de M. Mello Jnior.
l'recisa-se de um lorneiro para N~8. do 6'
- Precisase de urna ama -^ue eoiiobe e en-
RMnme para casa de pouca familia : na ra do
Amorim n. 41, segundo andar.
-- ilberl (Muer, subdito belga, retira-se para o
Rio de Janeiro.
gresso.Seus feitos.O que o progresso e que
far.Como se deve viver nesta trra echegada
ao progresso.Porque o progresso s vem com-
pletar nossas desgranas e Sefli mais remedio.Se
ha salvacao para nos qual seria o meio e bem fit-
cI.-Rhsuiiio.-A's cinco provincias pernambuca-
nas. Histrico e poltica corcunda.De que pro-
vein a miseria. Como se corromp; na eleieao.A
restricao da Hberdade apar do progresso da'immo-lili
rahdade.-Corollario.
Na casa n. 3, sita ua ra do Aregio, cozioha-
se com perfeicao.
l'recisa-se alagar um moleqne para o servi-
do de urna casa de pasto : na ra das Larangeiras
numero 10.
Os directores
Assignadorlenry Forster & .
llar fu i do Iivrnmento.
____ Saunders Brothers 4 C.
KM AMBAS AS FACULTADES DEL SESTO DtS- !
tricto.Habana,
Certifico que he usado l Zarza parril-
la del Dr. Ayer, y como depurativo he ob-
tenido de ella los mas felices resultados en
los casos de ulcera crnica, como asi mismo
ensayado las Pildoras catrticas del mismo lr" g
autor y las considero como um purgante, I inheiro a juros
cuya accin ademas de ser segura, ha sido Na ra do Llrramento n. 20 se dir
ENSAIO 0E
Couteodo a analyse do Til. V Cap. Io da
Constituirlo do Brasil
TELO
Dr. Itraz Florentino Hcni'iqnesdeSouza
Lnt(e ie dtrerto civil nn Faculdadc de Direilo
Precisa-se alugar urna ama que saiba eozi- i do Recife.
nhar, pre mente levantada na corte acerca da nalureza e
limites do Poder Moderador, o particularmente
acerca da responsabilidade dos ministros de esta-
do pelos actos proprios desse Poder, despertaran!
i:\iii:n-si:
; as segumtes obras: Garnier, Economa po-
ltica, Ivol. por 2^000; Mackcldey, Direi-
to romano, i vol por K& ; )n Caiirrou
n, e boa casa de morada para familia : a tratar I r *ww! Hacine, obras completas, 1
ntjnesiaa^^ vol. por 8000*; G. Mtus. Diccionario do
Na praca"3a~"rndepehdenria, loja de ourives contencioso commercial, 1 vol. por 6$;
. 33, eempram-se obras de ouro, prata e pedras Ckahot, de l'AUier, comm<>ntario sobre StMV
preciosas, assim eomo se faz qualquer obra de en- cmsAmc I itnl n,^- aa i Zl, l
commenda, e todo e qualquer concert. ES'J ,V*, G{>' m Arnm"1' obrS
DO PODER 180010011 WJT^KffSttt
DIHEITO CI.NSTITCCIONAL II. A.
| a)MFMDIOTOL01OSO~
que contem o officio de Nossa Senhora das.
Dores; o modo de resar e oiferacer a co-
fflU) eficaz en eJ tratameiltO de las enfermi- tOOfl 1:00b'-""........ """ djno autor o desejode emitlir lamber a sa humil-
dades que exsigcu el uso de los purgantes, GKcaa SE ama para casa de (Sha JSftj-*?!^? ,dB u^ \amt>l'> .lio m-;
V no vacilo en recomendar estas preparado- de mui.o boa conducta para Me o servb o, 32f I 2feT,.felB "rem fazer ""-'"-""'en.
nes. Y para los fines que puedan convenir t0 cozinna/ es;tt"r a >""a : quem quizer dirija-se
doy la presente en Regla a 7 de Setiembre ao pa,ea ***** "33-___________________
le 1860. Antonio Luiz de Oliveira Aze-
Dor. Jos: V. Herrera. fa 4 Q
lEscrofiila. i i. -. m
ATTESTADO DO ILLM. Sr. FbAXCISCO FeRRAZ ? MStMllt i| TOlla.
urna obra do circunstancia, e persuadido por ou-'
tro tado de que^i bom senso dos Urasileiros sabu-
r guardar ainda por muitos annos a bella consti- i
tuicao poltica, a cuja sombra lem prosperado o
roa, um setenario e mais otitros ejercicios
de piedade e devoco; ordenado p,-la ir-
mandade dos servos da mesma Senhora.
me se acha erecta na egreja de N. S. da
l'enha do imperial hospicio dos reveren-
dos padres missonaries apostlicos cap^j-
chinhos italianosilc Pernambuco, apjnova-
ilo por S. M. I., que Deus guarde; dada
luz por devoco do limito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. C e ^
imperio, entendeu que prestara mellior servico as [ da prafa da Independencia.
til em particular | mecida- j~r------------j---------------
Campotenteineuie auMrisados sacam
Joao da Silva Ramos
versidade de Coimbra,
Antonio Lourtnco Teixeira Marques,
rluguez, vai Europa.
porlu
subdito:
Dugald C.
Balda.
Simpsom, subdito inglez, vai
.Madama Bernel com um fllho menor
se para Franca.
retira-
Precisase de umcaixero para um deposito
DO pateo do r'arrin; n. *;*, que di llndur a sua c.oa-
dncta : a tratar na na imperial, padara n. SI. '
Precisa-se de urna ama para comprar e ca-
staar para casa de rapaz sotteiro : na ra do
Qneimado n. 7._____________- ,J
Existe na ra do Fogo n. .12 una carta para
oaquim Francisco da Silva, vinda no brgue Es-
peranto,
Precisa-se de urna ama
ua ra do Imperador n. 13.
para mogo solteiro :
medico pela Un
d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da mantisa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os detentes
eai suas casas regularmente' as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualijaer o|)i>ra(o firiirgie*.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3fi000diarios.
Segunda dita.... 2-5300
Terceira dita.... JOOO
Este eslabelecimento j bem acredi-
te tado pelos bons servicos que tem pres-
I tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianza de que sem-
pre tem gozado.
Londres sobre Itanh of London.
Pars
Ilamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Aiugase um segundo andar e nao com
commodos para grande familia, tendo sido ha pou-
-.'3 caiado e pintado : a tratar na ra do Crespo
numero 8 li.____________
Precisa-se de urna ama para todo servico de
casa de pouc famHia prefefindose escrava : no
pateo da matriz de S. Antonio n. 8.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca: GO p familia, que saiba lavar e engommar : a tratar ua
botica franela, ra da Cruz n. .
Que precisar de urna criada (portugueza) para
servir era casa de algum homem solleiro : dirja-
se na Capunga ao sitie do Sr. Albaquerqne. Historia da Fundacao do Imperio Bra-
Aluga-se o_2 andar do sobrado n. 79, na ra sileiro p0l[ J" M" >ert'ra da Silva. I""''
;lo Imperador : a tratar na ra do Crespo 15. J ***
LIVRARIA ECONMICA
Hitado Crespo n 2
Antonio
Obras ltimamente recebidas
UTTERATHA.
historia brasileira do seculo 17-
S. Mondes Leal Jnior, 1 vol.
Ma-
Calabar
por J
ene.
Theatro doDr. Joaquim Manoel di
cedo, 3 vol. ene......
Obras de M. A. A. de Azevedo, 3 vol. ene.
Suspiros Poticos, de I). J. G. de Maga-
Ihes, 1 vol.......
Mocidado de D. Joo V por L. A. Rabello
da Silva, 3 vol......
que morou ulti- j L'm anno na corte por J. A. Corvo, 3 vol.
no.irmazem de Os Miseraveis, por Vctor Hugo, 10 vol.
O Sr. Sebastio Jos Peixoto tem urna carta
na praca da Independencia, livraria ns. 6 e 8.
Aluga-se a lo a da casa n. 40 da ra daTfri-
cheiras : na ra da Aurora n. 36.
Precisase de urna ama forra ou esoravaTe
que tunba bons cosluraes, para todo o servico de
urna i-asa de familia : na ra do Arago n. 25.
Aluga-se a eaa com pequeo sitio na traves-
a de Joo Fernaudes Vieira, em que morou ulti-' Ui
mmente o Sr. Thomaz Comber .
Samuel_P. Johnston i C, ra da Senzata Nova nu" Crimes espantosos, 2 vo."
Marilia de Dirceo, nitida
Historia de Napoleo,
vol.....
Obras poticas de M. I. da Silva Alvarcn-
, n g. 2 vol.......
C OZinllCirO. <>utono, poesas de A. F. de Castilho, 1
Precisase alugni um conheiro, prefenndo-seLjSLjt.' '; a' v i "
livrej na lujada ra do Crespn. 18. | Revelacoes, poesas de E. A. Zaluar, 1
Peregrinaco provincia de S. Paulo, pe-
mero 42.
Frederico Pierre, Vicenso Thader, Demetrio I
de Giovan de Francisco, subditos italianos, reti-1,
ramse para fra da provincia.
edicciio, 2 vol.
com eslampas, 2
Quem precisar de urna ama
lomem solteiro, procure na ra de
das Crioulas n. 23.
para casa de
S. Bom Jess
Francisco Beblages o Genasio Marcicano,
subditos ilaliauos, vao ao Maranhao.
Fugio do engenho Guerra de Ipojuca um es-
cravo de nome Jos Muniz, estatura baixa, e 6
erioulo : quem o apprehender ou der noticia no
dito engenbo, ou na ra da Auror em casa do Sr.
Elias Baptista da Silva, ser generosamente re-
compensado.
000
5,5000
95000
95000
35OT0
8*000
85000
165000
65000
65000
55000
65000
45000
55000
65000
65000
25000
*\z-
Jaime Meric.
> CrefJito commefcial.
Gonzalo Segoria.
> M. t'erera Y. Hijos.
E.M PORTfCAL.
Angra Terceira.
Caminha.
Caslello Branco.
Chaves.
dos Santas__urh PtU* uaii iwtm aonaaai sacam iwr
. Mfl ShnJhTmLi a tt a Me acho ha quasi dous annos affectado Lisboa, e para as segnintes agencias.
escrfulas, e tendo soffrido tanto que al-
gomas vezes quasi que diego a desanimar
da vida e maldizer da minha infeliz sorte;
tenho sido tratado por muitos mdicos d'es-
la cidade, e nenhum pode vencer a tenaci-
dade de minha molestia, eslava sem espe-!
rangas de recobrar a minha saude ; quando:
ullimamenle resolv fazer uso da Salsa par-'' Amarantes.
rilha do Dr. Ayer. Completam-se hoje reos de Val de
trinta e sete dias que comecei com esle Vez-
santo remedio, e tantas raelhoras tenho aVceHos
sentido que tenho conviccao de em breve Bastos.
recobrar a minha saude, j>erdida ha tanto Hel*.
lempo, Braga.
w.vjihlliM e molestiasmermriaes f"fnca
Do Ii.lm. Sn. Dr. Jacksov. ni,ra
Medico midi cot/mido as provincias do maja-
sul do Brasil. PenaOel.
i Tenho rece! tado a Soba par rilha SE do Cond
Dr. Ayer nos casos mais inveterados de
Syphilis constitucional e sempre com os
mais felizes resultados ; o menor alteran-
te que conbeco.
L.eiieorrha e flres brancas.
Temos cartas em que nos conlam casos
lettras, c seria mais uti
de esperanzosa do paiz dando una analyse ou
commentario aprofuudado de todo o Cap." 1 do
todo Tit. V da Constiiui<;,io do Brasil, tral.albo este
Porto s para que o tinham habilitado os seus
mo lente da l1 cadeira do 2" anno da Fnculdade
de Dreito durante quasi dous annos.
Frederic S. Ballin & C. Oeste modo s depois de
Joao Galie & Filho. capitulo chega o autor a tratar Ua grave
Francisco Rahoba i Ballista. cima indicada, devvndo sem duvida este uitthodo
Livro de oracoes.
Vende-se 1(50 reis, na livraria ns. Ce %
..da praca da Independencia, um ijvrinhocon-
; tendo o seguinte : louvor ao santo nome da
Deus, cora dos actos de amor de Deus, era-
do
Cas-
Coimbra.
Civilhaa.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Piuhal.
Fono-alegre.
Thoniar.
Villa Nova
Portimao.
Villa Real de Vi/.eu.
S. Antonio. Faial.
o IMPEHK).
Babia. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vsta.podendo logo
os saques prazo seren descontados no mesmo
ie.
Figueira.
Guarda.
Gnimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Ia mego.
Leiria.
Moncao.
Moncorva.
Re^oa.
Sclubal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madcira.
S. Miguel.
ttS'So C?es e peliroes. hymnoao Espirito Sanaco-
i do Senhor, aviso i qualquer alma de-
concorrer para habilitar o leitor s cotfliecer muito vola, desengaos da vida itiinana hvmna
melhor a aofarvM do Poder que se discule, -
formar com scgi
sabilidade mir
AGm de dar ao puhbco urna ideada obra, julga- va-sacra, eommemoracao Nossa SenJiora
mos conveniente transcrever aqu a somma dos do Carmo e ao SS. Sacramenti, directorio.
iVtfW!!EtZ2; seno cp_f : I=>ra a oraran mental, dividido pelos dias da
publicado Poder mana, obsequio ao corara.) de Jess, sau-
mtiirna do Poder que se discule, e a de Santo Amhrozio Nossa Senhora iacufa-
s.'giuanca um juizo acerca da respon- .,.:..,. a .. Kl' A**";
linistmal, pelosfictos delie. lni |;,S ao Sanlissiino Sacramento, exerciejb da
dacBes devotas s chagas
Ces Nossa Senhora, S
1' Da necessidade e importancia
Moderador.Cap. 2." Do Imperador como org.io
do Poder Moderador.Cap. 3." Da inviolabilidad!'
da pessoa do Imperador.
cues do Pftde
reito de escolhi.. .
de convocar exlranrdinailamento a Assembla G,:- do purgatorio.
ral.-Cap. 7.* Dodircilo de sanecao.Cap. 3." Do
direilo de approvar e suspender as resolue/5s d
As:embicas Legislativas Provinciaes.Cap. 9.a D
de Christo, ora-
Jos, ao anjo da
ttsss sret rr^h Deos ***** v^saa-
ierosSenadores.-Cap.." DodirrUo '{'e Parn BOOte, e responso pelas almas
inveterados que foram radicalmente curados ,JanC0 J**<1e 4 P01" cen, ao anno : a f'3'"
com um ou dous frascos d'esta Silba par- 2? rua da Cru7' n' '
rilha.
m
lo mesmo, 1 vol.
A morte moral, novella por A. D. de ras-
cual, 3 vol......
Agobia em palheiro por Gamillo Caslello
Branco, 1 vol......
Viso dos temos, Anlguidade Homrica,
Harpa de Israel, Rosa Mystca, poema,
por Theophilo Braga, 2* edicSo, 1 vol. 15500
Cynismo Seepticismo e trenca, comedia ,
por A. Cesar de Lacerda, 1 vol. 15000
Alm dtstas obras recebeu raais, de I literatura
O espaco nao nos permute lianscrever
todos os attestados que possuimos das vir-
tudes d'este extracto composto de Salsa
parrilha do Dr Ayer. Hasta declarar ao '15
publico que tem sido empregado ha mais Wi
de. vinte annos pela profisso medica tanto &
das Americas como da Kuropa, sem nunca f^
desmentir a sua alta repntaro. %$
Para
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na rua do Impe-
rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro-
corado a qualquer hora do diae da imite
para o exemicio de sua prolissao de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia at 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca a estado das
molestias do interior, prosegne, com o
maior alfinco, no das mais dilficeis e deli-
cadas operacoes. como segara dos ergaos
ourinarios, dos olhos, parto?, etc.
,s W
Jo '.S
direilo de prorogar ou adiar a Assembla Geral. e
dissolver a Cmara dos Reputados.Cap. 10. Do
direilo de noinear e deniinir livremerite os minis-
tros de Estado. Cap. H. Do dimito de suspender
os magistrados. Cap. 12. Do direito de perdoar e
moderaras penas.Cap. 13. Do direilo de conce-
der amnistas.-Cap.H e 15. Da irresponsabilidade
absoluta do Poder Moderador.Conclusao.
Acaba de sabir a luz esta interessantj publicacio
em um vtame de 600 paginas, e acha-se venda
uas livrarias de J. Nogueira de Souza junto ao arco
de Santo Antonio, e des editores Cuimares & Oli-
veira, pelo mdico preco de 6-5000.
iiir
r^*:
\ ende-se das seguintes marcas:
(E El
Senutb' C e C de FF o barril por 155.
P N & C. de FF o barril por 153.
P diamante deFF o barril por 115500.
De su|ierior qualidade FF 2 espingardas o "barril
. Pur 165.
Chombo de munico de toda a grossara arroba
'>5o00.
No armazem de J. A. Moreira Dias a rua da
Cruz n. 26, onde enconlrarSo as amostras.
mm
\m
i
i
O bacharel
Francisco Augusto da Costa
mi
Anvsovno
las >a

Wh*
a cura radical de escrfulas e alTecc5es|S
escrofulos, syphilis e molestias syphi-'S
liticas, ulceras, feridas, cliagas, 3
erupcoes cutneas e todo e' 1
qualquer Bcommodo que
provm d'um estado
impuro de
TO.MKM A
SALSA I*AltIt11,11 A l<: AVER.
A' venda na ru;i Direila, ns. 12. 2G e 7(i:;
rua da Qmlanda n. 51 ; praa da Cons.- P^e ser procurado a qualquer hora
1
Rua do Ira pecador numero 69.
Precisa se de um caixeiro de
i 13- annos, que leona ortica de taberna
tiador a sua conducta : a tratar na rua
numero 13.
Esleirs pura forro de sala a
85'' rs a jarda
K; Na rua Nova de Santa Rita armazem n. 19, e
g na rua do Crespo loja n. 17.
5| Chocolate da musa o Islndico
jg Til a rm a ti i ue
m\ P. IV3AURER & c.
idadedel2 !S Kn .\(r:j !H
e que de-
da Praia
i\a rua estrcila do Husario h. 34
sangue' Advog-ado Afimso de Albu-
querque Mello,
Aloga se a loja do sobrado da rua Velha n.
93, a qual bastantemente grande, e se aluga por
preco commodo : quem a pretender, dinja-se
proprietaria que reside no sobredito sobrado.
Wm. Dugle, subdito britannico, retira-se des-
1 ta provincia.
teiras, porm, na villa do Cabo.
as sextas-
n. 42, primeiro andar.
Precisase de urna ama que coznne e com- franceza, portugueza e brasileira. as quaes vende
ore para homem solteiro, prefere-se escrava : na precos muito razoaveis.
rua do Quemado, n. 41, loja.
Precisa-se de um bom criado para tratar de
<;avallos e outros servicos em urna casa estrangei-
ra, e paga-se bem : na rUa da Cadeia do Recifo n.
40, loja de relojoeiro.
Maria J^seQoa audida Moreira, subdita por-
tugueza, retira-se para Europa, levando em sua
Miicinliia a sua lilha Adelaide Francisca Moreira, I'
menor de 4 anuos.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da rua
Direila n. 8i, coqi bons commodos para pouca a-
milia : a tratar na padaria n. 84.
Precisa-se alugar um preto para o servico d
casa : na rua da Cadeia do Recife n. 20.
qerto.
Vende-so era Pernambuco:
na pharanacia franceza de
P. MAURER i C.
RA NOVA N. 18.
WlTinPi A 7PYprin da A n ~~ Vn^SK aingar^uma ama para rosfcihar
IflrtllUtJl 1\./jV\ eUU lie AIl- em casa de pouca fmm* e tambem um moleque:
tode, Antonio de V^^SSS^t^'^ M.
Eego e Domingos ^Y^^^^S^^'Mni>s^
Aiii'.ur.w tt pasea parte.
Glaudino do Reg Lima, despartante de pasa-
porte, lira-os para dentro e fra do imperio por
i commodo preco e presteza : na rua da Praia n.
I 47, primeiro andar.
en en o
Na rua da caira d'agua apparereu agora um
Instrumento de som anglico, muito cima do forte
piano, eHetem cordas e se afina por um pistao de
Gaz
Na fabrica de sabio da rua^ do Rangel
vende-se a 00 rs. a garrafa e l# a lata.
n. 34,
Vende-se um sitio no prfecipio da estrada de
Joio de Barros, na proximidade da nova rua que
se abri, com duas frentes, proprias para edifica-
foes : a tratar na rua do Crespo n. 20 com Alva-
ro-Augusto de Almeida.
Vi livraria acadmica, na do
imperador n. ??.
vendem-sc lindos papis para forrar sala a I000
a"peca.
Vendem-se caixoe vasios a i :7SO
cada um : na rua das Cruzes n. 4 .
cylindro que d 10 tons em si b. ;*o habilidoso que', Vende-se um casal de escravo* do servico de
toca da ligdes gratis porque vejo tanta gente junto campo : na rua Augusta n. 4, das 7 s 10 lloras
ajjprlaa ouvir, que priva andar-se na calcada: | da manhaa, e das 3 s 5 da tarde.
Deos n. 14 vende-se
2 annos, que cozi-
tem vicios, com urna
Qampos, tendo comprado e
recebido em pagamento qua-
si toda a heranca que ficou
por faecimento de Jos
Offerece-se urna senhora
gueza para tratar da educacSo de
ciu uluma casa de fami-
ia : **M*nMm* Kec4e a.
3 |>i>#oia> ufOir
No dia 23 do corrente desappareeeu da roa
T^dTfX^tZZ teno^m '
dous cavados, sendo nm ruco sojo e ootro rozilho
oreiro : pede-sc a quem souber do mesmo meni-
no e dos cavados, que por favor d parte na mes.
ma taberna, rua das Cruzes junto desla typogra-
phw.
0 abano as.snado declara nao ter pleito al-
um judicial, qua Ihe seja proprio, no qual hou-
vesse mlerposio recurro de agravo, como erra
"Tliemotio Pereira Bastos,
e i ultimo administrador do ex-
-o[Hermann Koesing, cidadao bremense, vai a tiCtO mOrgadO de AlagOOS,
]w de S. Francisco, commu- lit^Ja^ft
ftihos nicam aos foreiros dos sO-'it;'"
detengao, pois o lugar bem fresco e os accommo-
dar bem.At logo.
Aluga-se a casa da rua Augusta n. 22, com
grandes commodos, solio o grande quintal com
porto : a tratar na segunda casa nova e sem nu-
mero em frente ao portao do gaz.
Trocatn-se telhas por lijlos de alvenaria
grossa, faz-se bom negocio : a tralar na rua do
Mondego, olarian. 13.
qcm annmreiou mierer comprar w%rco
e concas de balanza, dtrija-se ro .do-oiidecb
.olarian. I* .
17Bft- da Iniperatriz-17.
Na officina de Manoel Joaquim do Nascimento
precisa-se de ofrkiaes de alfaiate para obras gran-
des.
A ma de hite
Quem prcor de urna ama de leitc sem
- Na livraria n. 6 e 8 da pra rinde"- IOS perteUCCUteS aO refirdO!
pendencia existe urna carta
para o Sr. Antonio
tgS%P extincto morgadoqueo uaiquer nOT Wres a-^ s,enQr da bmm Mauoel t-
Jtatrl k r*>n-m para P*r
a por sea* pro-
t winraifo, Joa-
GoDcalves Salgado e nleilHj Domlnjues de
eida fijyas.______"' ________
WeHsa-se A mu escravo para o servtc w-
tercio o externo de urna casa, pagndose 180080
roa do flaeimado n. W.
"Mitre
utowa
lo
,nU)JC"2 Azevedo de Andrade se &J
lamn(e sejiublicpu no u-aJia5^~oo'a-lba 3(UiO^ieafl0 ft reCeOer OS pw COflto ao anno en conta
Visia, por om das duas canes que .
Bmbas de pedra e cal, urna na villa
Jairtar;i'frOS 6 lattdfmS hPTTl fifi- cam flua,1lu!*>*tu**.U a prazo so
a#a lwuo lauucmios, WCU1 W~ hie i.ojduo, Pars, Hamburgo, Rio da Ja-
tica franceza,
co U
rua da Gru n. 22, pre-
*>m$a baneara.
A-SrlriITler 4.L-, uJ Jiimhtu,
recehom djfll coi-rente, sa-
cada, com ama sala, dous q'nartos, sala de
rozinha fra, urna pequea estribara, quinul m
r"XV^ TWZ u\V ?^Volm0 ^ l^ndaS dOS predios, nm.-aalii diversas pracas do Norte da
2^*-^*^f^^^ paM F^.'1^M^^.4ifla.:
f Utrs. 3:'HlM*vij/Xl
'V.i.i ____' At rs. i():0f)0a pm 1 'da* di |revio aviso.
n.T|*>l^dfr;r*ae^Tnt.^Prr.o"^^X* mllfn^-* At ra. 50:001^ 8 a -. N
que achara com quqm tratar., e s^dira a razao por zem con tres portas na frente-a talar rom Hn Abrir-S*-ha trtOltM fia conta correte
i que ce fai esta permuta. | riqne Jorge. com | >, ^ easas commerciaes desta praca.
f-
V
Bms*t<
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca
feetiviniente por todo* os paquete sobre
as prai;as de Lisboa e Porto, e ais I ag
res do reino, per qualqoar samma vis-
ta, e a praso ; podeado, es que tomarem
saques a praso,receberem avista, no mes-
mo Ka neo, descontando 4 OjO ao anno: na
1<4 d (mma 4a rua do Crespo n. 6, ou
na rua do iwiierador n. 63, segundo a#-
4ae>MdeatJaeaaak4ejUaaa^faak>
r.'|aCjao.^-Maooel J->s Pereira de Mello.
-1.i*m Nicolao Hebeh Guisepno, Carmelli
isopt!, Lando Uuisepe, subditos italianos, ret-
ram*se jura tora da provincia. '
IN.IECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnorrheas
antigs e recentes, uniOO deposito na a -!?d0_^^?*!.^N-*T^^ /.Q porto dembaM. ,om arZ-
Precisase de urna ama
Verdes n 92.
oh
na rua das Aguas
enha iguaes commodos, ainda que venhao annun-
tiante a yol lar aiguma cansa, mostrando-ser esta Rflr'ffifimO
permuta livre e dseart#aida ByiiMica f ?ai *VV'
Joo Luiz atOfafaV; *ado ni Diario n. 188
.no edital do.lllm. Sr. juiz especial do commercio
anoaaetaadn a venda daa dirMK do fallido Ben-
loAwtoaio CarpinleirdaSiWa. nadia 394o*
correnie ; como mu relacao a qne rMeite-wB
sen non debitado peln-quaniia de 104480. declara
quem possa inleresnar que nada deve ao dita
en, e para me ehegue ao conhecimento deIO-j
dos faz o presente
R. Grosz vai para Hahia.
Magnas.

A' 24500 a caixa ; em porcao se fara abatimen-
to : na rua aova n. 8, loja do Cha.
Vende-se o sitio da travessa dos Remedios,
freauetla dos Afolados, n. 21 : quem o pretender
erHenda-se eom o seu proprietario C. u-tano Piolo
de Veras, na rua de S. Francisco, sobrado n. 10,
canao quera vai para a roa Bel I a.
\OTilko towriao
Vende-se em ooHbo novo, bastante gordo, gibo
de urna vacca nada de Inglaierra, com novUh
puro daanesma rac ; e vende-se par o dono K-r
outro da mesma raca que se vai firmando: na
rua do aterro do Varadenro, casa da quatro frea-
les junto a ponte se achara com quera tratar.
-"Wld^-Se iha*' de man**ra nwiifo Im pa-
ra bolo e papa a 50 r*. a libra : arua da Santa
Cruz a. 24.____________________
^4 tleco
a
Vejide-se urna taberna na rua Oireita n. 55, e
muitospertcnc-s da m-s.na : a tr.i'ir na mesma.

.

Vandanoa ataste nwrarqra resta \m**
cunte.: na oscadinlia da afaudega. anuazwu da
viuva Paula f^opes.
v
____________/:..
Vende-se afaliricadeaahary-t-i-rua dn RaTr-
gel n. .14, pr'djai paV/quateoft fiWfi^nte por.
lerj oucos futioip, tes naifooa m-vlnla!''m ; o
fabricante ohrila.sa a eittiear- trUHifamente a
TfUBm a fffmpraT a maneira do fWirlcar saltao.
arantindo-se o alugucl da casa : a tralar a%
mesma.

------------



I
Mario c renuifeac* ulnta felra 15 de \gu e H84.
110 PUBLICO
Stem o menor eonstra-
glmento se entregar* o
importe do
nao agradar.
genero que
, Os oreos da segnlnte
ol 1
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de t>a-
se para o ajuste de contas
os portadores.
eo
- -
ARMAZEM UNIAO MERCANTIL
RIJA DA CA1IE1A DO RECIFE W. 8.

i Logo passando o arco da dueeico)
-*
Grande redneeo de precos,
equivalente a ez por eento menos do que nutro qualquer
annunclante.
tu)
GoIIegas.Nao posso por mais lempo sustentar o preco da manteiga ingleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
rauitos obiectos, etc., dando com isto ocasioja todas as espeluncas acabarem por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu vendo!! I Ora. cu offendido cora estas obscuridades e receloso em adoptar o measo
systkema que vira encontrar, des se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reduccao de precos, como ^eris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Umao Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a 1,600 rs. a libra. Boje porem, resentidos da reduccao a que
estao obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamacao de precos, e qualidades, vingam-se de ume outro portadores
mal informado deste novo estabelecimento. para lhe vender gneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que p scu nm
t5o smente obter a concorrencia de seus freguezes.
, Para pem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromplido e entei-
reza com que serio tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me dar5o a proteceo e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratices, pois
serlo Uto bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaco, afim de que nao v5o em outra parte.
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado n 49, est vendendo muito
boas fazenda e n>uto baratas, quem quizer podera
vir vr ou mandar paia experimentar, assim como
sejam*:
Gollmnas muito linas para senhora a 500 rs.
Ditas e pnnhes de fuslao muito bonitas a 640.
Cartas de alflnete de caneca chata de todos os ta-
manhos a 80 rs.
Resmas de papel de pese muito bom a 2.
Capachos redondos e compridos a 500 r.
Caixas com superiores obreias de eolia e de massa-
a 40 rs.
CordSo branco gross que tem multa applicacao a.
vara a 20 rs.
lnhas'de carriteis garante-se 150 jardas a 40 rs.
CartQes de linha Pedro V com 200 jardas a 40 rs.
Grosas de peonas de .ico muito linas a 500 rs.
Varas de franja de laa'para vestido a 40 rs,
Ditas de franja branca larga para toalhas a 160 rs.
Pares de boloes de punho a 120.320 e 500 rs.
jiTInteiros de vidre com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de botoes de louca prateado a 160 e a du-
zia a 20 rs.
Tesouras para costura a 80, 200, 40 e oOOrs.
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
Libra de laa para bordar da melhor quaiidade a
6J500.
Caixas de phosphoros de seguranca a 160.
Caixas e pacotes de papel amizade superior a 600<
ris.
Caixas com 100 envelopes muit j finos a 800 rs.
Quadernos de papel pequeo azulado a 20 rs.
Carriteis de linha Alexandre com 200 jardas a.
100 rs.
Baralhos para voltaretea 240e mais hnosa 300 rs.
Meiadasde linha frouxa para bordar a 20 rs.
Pares de sapatos de tranca de todos os lamanhos
a 1A500.
Grosas de botoes de madreperola nioito finos a 560
ris.
Carlas e caixas de eolebetes de superiores quali-
dades a 40 rs.
Acaoa de receer de sua propria eiicuuuuenda um grande e variado sorttmento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em. Massos de grampos superiores elimpos a 30 rs.
offerecer 30S seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, aGancando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8oo rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
Mem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior quaiidade a 2,Coo rs.
a libra.
Hem perela o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto homcopatliico por ser de superior
quaiidade a 2,ooo rs. a libra.
Mem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o 1,6oo, l ,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende emoulra parte por 2,4oo
e2,6oo rs.
Linguicas, chourigas e paios em latas de 8
libras, ermeticamenle lacradas a 5,5oe rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chourigas e paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e l,5oo e 6oo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a l,Goo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra-entei*
ro se faz abalimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a ellos
antes que se acabem.
Emitas e favas porluguezas em latasj pre-
paradas a G4o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Prezunlo do reino vindos de casa particular
a 5Go rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
Idemjnglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a o,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso c hespanol a 9oo
l.ooo c l,2oo rs. a libra.
Espennacete em cnixinbas contendo G libras
por V.ooo rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior quaiidade, lambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovcl, corvina, gors. pesca-
da, salmao, ostras e chernee, vezugo em
latas grandes a 8oo e l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garante-
rs. c em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 2Go e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8.5oo rs. a arroba.
dem lavado d primeira quaiidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior quaiidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranho a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem dalndia muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpisla a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
6oo rs. c de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Alelria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e taUerim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propiamente
feitas para esse fim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
iidade proprio para engarrafar em ancore-
las com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quaii-
dade a 4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores mareas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
lo.ooo rs. e a 9oo e l,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, e 2io rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
se ser de quaiidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este prego.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Altona em
frascos grandes a 1 ,ooo rs. o frasco, e
H,ooo rs. a duzia.
para mimo a 64o rs.
Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6ooo rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
dem de Hollanda em botijas grandes, a loo Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo;'ditas imperiaes em latas
de 3 libras porl,5oors.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exterior a 1,2oo, 1,5oo, e 1,8oo rs.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e H,ooo a duzia.
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
o,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Saj? muito novo e alvo a 24o rs. libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutos de todos os fabricantes da Baha e das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,ooo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
I,OSO rs. a garrafa.
Doce da casca da guiaba em latas de 4 \\-\
Amendoas confeitadas de 8oo rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 8oo rs,
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e 5oo rs.
sendo em barril.
Cb uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicut. de Turin, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, rlela pimenta a l.ooo
rs. a duzia l,ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
Libras de areia preta da melhor quaiidade a 120
ris.
Caixas redondas para rap e tem muito bonitos ca
lungas a 100 rs.
RIVAL SEM SEGUNDO.
desejar a 2,6op e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata.
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por i 2,2oo.
Queijos ghegados no ultimo vapor a 2,2oo rs
dem prato es melhores e mais frescos do
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a 1.7oo rs. a garr.tfa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine eoutras mui-
tas a l,3ooe l,4oors.
Fumo americano em chapa a I ,Goo rs, a
libra.
Araruta de todas as qualidades.
Btalas novas em caixas de 2 arrobas a 5$ a
caixa e 6o rs. a libra-
{Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
bras por 2,ooo; dito em caixes a 6oo rs. dem inglezas em barricas a mais nova do
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banba de porco refinada a loo rs. a libra
c 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,noo. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
mollios com cento e tantas por 1,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
ADEREgOS DE MOSAICO
A aguia branca da ra do Queimado n. 8 rece-
beu bonitos aderecos de mosaico e fino dourado, e
os est vendendo por preco razoavel.
Bolsas para ca^a.
Esse objecto aqu lao custoso de encontrar-se, e
lio preciso aos apreciadores da caca, acha-se hoje
a venda na ra do Queimado leja da aguia branca
n. 8, onde o comprador ser servido conforme o di-
nheiro que quizer dispor para tal fim.
Essencla de rosa.
Em pequeos frasquinhos a 15000. Vende-se na
ra do Queimado n. 8.
Tent para voltarete
A aguia branca na ra do Queimado n. 8 rece-
beu caixinhas com tentos de marfim e madrepero-
la para voltarete, havendo dinheiro cheguem-se a
tiles antes que se acabem.
Craxa econmica.
Cbegou novo sortimento dessa boa grasa, e con-
tinua a ser vendida na ra do Queimado loja da
aguia branca n. 8.
Fitas
a irmandade do Rom Conselho, e cartas de


DE

DE

J. VIGNES.
N. 55. RA DO IMPERADO W. *.
Oa pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz conhecidos para que seja Hecessano msisur sobre o
sua superioridade, vantagens e garantas que encreeem aos compradores, qualidades estas jncontesU-
veis que elles lera definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nestt praca ; pc*-
suindoum teclado e machinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem-
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importaa-
tissimos para o clima deste paiz; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas, e por uto muito agraoa-
veis aos ouvidos dos apreciadores. _. t ..
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como nado Sr. Dlondel, dePans, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital oram sempre premiados em todas as exposicoes.
N mesmo estabelecimento se acia sempre um explendido e variado sortimento de msicas do
melhores autores da Europa, assim como harmonices e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodds e razoaveis.
para
ra
Lachareis. Vende-se na loja da aguia branca,
do Queimado n. 8
Leqnes de sndalo, madrepero-
la, osoo, ele.
A aguia branca receben um bello sortimento de
leqoes de sndalo, madreperola e osso, sendo elles
de diversos moldes e variadas cores, inclusive a
preta : agora, pois, quem comparecer com dinheiro
pode bem escolher um bonito leque, na ra do
Queimado loja da aguia branca n. 8.
C ai\intias para costara eoutras
eoaa perfumarlas
A loja da aguia braoca, onde constantemente se
vendem essas bonitas caixinbas com arranjos para
costura, acha-se rruii bem prvida por ter agora
rerebido um bello sorliiuento de ditas caixinhas ;
assim como outras com Unas perfumarla*, por isso
quem quizer fazer um bom presente, tendo dinhei-
ro dirija-se ra do Queimado loja da aguia bran-
ca n, i qie ser l;em servido.
tinta para marcar ronpa.
Vende-se na ra do Queimado toja da aguia
branca n. 8.
INJECCO E CAPSULAS
VEGETAES ao MATICO.
GRIMAULT E C'.A PHARMACEUT1CQS EM PARS
nleec* no rniQO do lluxo. It piula* m loao o. catas cu
ia coDahn cubeba e slSecc com base meUllica.
...im-C-rT-lli. J't; no Porte, Mlasael ael*Mar to iiJ oiroa 8. Pedro; em Bohia, Jrti Ferrelt-MH-
^^ SUZ tot STsCA nrmelpM. phamucU. do BrasU. ______________(
rilrIo i preparace do copan
Depsito geral: em t*ri$, em
m LUboa, a-Amtlm* *m
" -
Deposito geral em Peraamboca ni da Crui n. ti de emcasaCaroa & Barbo.
riDUIA
Vende-se ama excellente nadara com todos oo
peiieneea, e que se acha irabamando, sita na rea
do Varadouro em Olinda, ou meleno se faz socie-
dade com pessso que para este fim lenha hal-ilila-
coes; o motivo da venda por sen dono nao en->'
Vinho 4o Porto sooerior
dnr caitas de urna e duas duzias : tem para ven-
eer Antonio Luiz de Oveira AzeveduSt C, no seu
escriptorio ra da Cruz n. I.
mercado a 3,5oo rs, a barrica c 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o fs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
2ioo rs. a resma.
Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.'
Figos de comadre em htas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a i,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
Fruas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 12o rs. a
lata de 21|2 libras,
dem em caixinhas de 8 libras a 1,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 6oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo,ooo e
1 ,ooo rs. a garrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs. a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a canada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composicSo a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com lgos a l.ooo rs. cada urna.
Ricos Uvros com figos 1 ,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafoes com 4 '/ garrafes de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem com 4 '/ ditas de venagre a 1 ,ooo.rs. o
garrafao.
Vinagre PRR em ancorelas de 9 caadas a
15,ooo rs. com a ancoreta
dem empipa puro sem o batismo a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8oo rs.
VR!\DB SE
GBAXA N. 97 b
^^VhVmSrTlSs fri/** (^iV^i^\^VMH^^4oC^w\Ad^iom^ do Carme n. 8 junto a botica,
man3T jwm. ru mero a. coni ponw fundos:

.>' i.
a tratar no mesmo. i
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra.
dem corinthias proprias para podim a 8oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,6oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. 1 a 8^500 cada urna.
Massas para sopa macarro, talharim aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 8oo rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2.000. 2.000. 3.000 e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira quaiidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda quaiidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranho a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a Jibra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e em
caixa a 52o rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaco pautado e liso a 3,ooors. a resma
dem de peso pautada e lisa a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo rs.
a resma.
(demembrulho de l,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 / IDra a
l,2oo eSoors. a libra.
dem cm frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l,ooo rs. tambem temos em
frascos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Molhos inglezes a 8oo e l.ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae-6oo rs. a garrafa.
Mem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,ooo rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
CeboJIas muito novas a l,ooo rs. o molho e
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. 0 rnasso.
Cominhos muito novos a 32o rs. a libra e
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milbo alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas a l,ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casa da goiaba a 6oo e i.ooo rs. o
caixao.
Ra do Queimado n. 49 loja de miudezas de Jo-
s Bigodinho, venham ver a pechincha que se esta
acabando certas qualidades de fazenda.
Pecas de Otas elsticas com 10 varas a..
Dilas de tranca branca lisa com 10 varas.
Ditas de tranca preta lisa a............
Realejos para meninos, pechincha a...
Rodinhas com superiores alfineles a.....
Caixas com superiores agulhas e limpas a
Sabonetes de familia, muilo finos a 80 e..
Pares de sapatos de laa para chancas a..
Varas de babado do. Porto muito bom a
100, iOe............."............
Ditas de bico largo grosso a............
Potes de superior tinta tem mais de meia
garrafa a..........................
Caixas com perfumaras muito bonitas a.
Frascos de oleo de macaca muito fino a .
Ditos de oleo de babosa superior a 240,
330. 400 e.........................
Ditos de cueiros muito superiores em qua-
iidade a.........................
Ditos de agua de colonia muito boa a
Ditos de dita dita grande a............
Sabonetes de todo o preco 60, 160, 200,
320e.............................
Frascos de superior banha a 320 e-----
Caixas de p para limpar dentes muito
fino a ............................
Ditos de banha transparente a..........
Pares de ligas muito finas para senhora a
Sabonetes inglezes da melhor quaiidade a
Frascos de agua dentrifice superior ga-
rantida a..........................
Massos com 2o envelopes grandes azula-
do a..............................
Varas de lita preta com colchetes a.....
Frascos de macaca perola muito superior
Caixas com peonas grandes a.........
Grosas de botoes para calca preta, miudos
Libras de meincmo da roupa de lavar a..
Carriteis de relroz de todas as cores e
tem meia oitava de relroz a.........
Varas de bicos de differentes larguras a
240
100
60
120
20
200
160
400
160
10f>
320
500
100
500
320
400
800
400
800
100-
6(K>
500
320
100O
100
100
200
200
100
200
200-
60
O
O
fcd
o
i

B
es
GO
h
p
O
35
B
<-.
p
o
Cfi
o
p-

p-

Co
P
P-
P
&
P-
LO
o
es
p-
o
&
ir.
P-
o
o-
er+-
P-

O
m
o
p
pd
ce
M
P
m
p
P
P-

y:
B
o
<
I
p-
*T3
~t
As verdadeiras brides de
Ipojuca.
Vende-se na ra do Queimado n. 32, loja de fer-
ragens de Azevedo & Irmo.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
O proprietario do grande fniazem UniSo e Commercio deelara aos seos fregu
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulou
os mesmos precos nos seguintes logares:
TJniHo-e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n, 40.
Fabrica Conceicao da \
Babia.
Andrade & Reg, recobem constante- E
mente e tem venda no seu armazem n. 5p
34 da ruado Imperador, algodao d'aquel- jjjf
la fabrica, proprio pra saceos de assu- B
car, embalar aleodao empluma etc., etc., ff
>j pelo preco mais razoavel.
mmmmmm mwm wmmwm
Ra dacadeia doRecife
numero 50.
Vende 1 balcao muito bom, 3 fiteiros, 3 caixoes'
1 registo de gaz, ludo por preco commodo.
Vendem-se tres partes do predio de dous an-
dares sito roa da Lapa n. 6 : a tratar na ra
Velha n. 57._______________________________
Vendcm-se saceos grandes com muito bom
milho a 45, muito proprio para retalhar na ribei-
ra : no armazem do Teixeira defronte da cscadi-
nba da alfandega. ________________
Trina, volantes e ples.
Vende-se trina, volantes e'galdes de todas ae
larguras por procos muito barato: s no vigilan!.-
ra do Crespo n. 7.
Venda de predios
em particular ou en le i lao.
Vendem-se duas propnedades de casas mti-
guas, de dous andares e solo, com grandes arma*
zens occopados actualmente peloSr. Feliciano Jos
Gomes, para o trafico de assucar, sitos na ra de
Apollo ns. 34 e 36, edificados pelo actual proprie-
tario, com ptimos alicerces, superiores madeiras,
e acabadas em 1861, tendo ambos 52 palmos li-
vres de paredes, de largura, e os altos do de n.
34, e o primeiro andar do de n. 36 215 palmos de
comprimento, o segundo andar do de n. 36 tem s-
mente 120 palmos de comprimento, com um ter*
rayo, e os armazens leui 340 palmos de compri-
mento cada um. tendo ambos tambem frente para
a ra do caes de Apollo, e o de n. 36 tambem para
a travessa do antigo porto das canoas : os preten-
dentes estes valiosos predios queiram dirigir-
ao seu proprietario Antonio Botelho Pwio de Mes-
quita na ra da Cadeia do Reeife n. 64, segundo
andar, ou ao agente Olivcira na mesma roa n. 62.
Aiimco.
Vendem-so temas e lijlos pelos precos que offc-
recerem os compradores, sendo dinhoiro a vista :
as otarlas de Jos CarneIro tf Cunha, ra dos
Pra/eres nos Coeibo.
/
;
ti
>


-" '"
--------


Diario de Pcraambueo ulula eira 5 de Agosto de !*.
Z'A

3 y
"TOBfltlll
jTI
1 c

T^
RA DO QUEJO! ADO IV* 4**
Passando o becoo ,da Congregado segunda casa.
ritfiai

- V. _


'

NOFIDADE.

(

Pereira Rocha & C acabam de abrir na ra- do Queimado n. 45 om armazem de molhados denominado Clarim Commertial,
onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sormento dos melbores gneros que vem ao nosso mercado, os qoaes
Sfe veKTpor-procos muito resumidos como o respeitavelpubHco ver pela tabella abauo mencionada ; garante-se obom peso
e boa qualidade dos genero* comprados neste armazem.
Java a 60, 80 Cevadinba de Franca muito superior a 220! Peras seccas muito novas a 600 re. a libra-
O
SENTIDO!
VAI FALLAR
N. 38 Ba do Livrameno N. 38


KM
(Defronte da grade da Igreja)
GUINDE
V


Arroz do Maranho, da India e
e 100 rs. a libra e 10800 a 20600 e 30 rs. a libra.
a arroba Cevada a 80 rs. a libra.
Mneixas frncezas em latas e em frascos a: Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
44200 e 10600 emrascos grandes ai dem sectas muito novas a 200 rs. a libra.
oijtSQQ I Figos de comadre e do Douro em caixinhas
Idom em' caixinhas elegantemente afeitadas! de oito libras e canastrinbas de 1 arrota a
com ricas eslampas no interior das sanias
a 120000,10400, 10600 e 20.
Amendoas cera casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a IGO ts. a libra e a 40000 a arroba.
Azeite doce francs muito fino e garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem 4e Lisboa a 640 rs. a garrafa.
10800, 50300 e 280 rs. a libra.
Farmha do Maranho a 160 rs, a libra,
Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
Geoebra de HoRanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
Idem em garrfoes de 3 e 5 gales a 50500
e 70500 cafa um cora o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 rs. a duzia.
Licores muri finos a 790 rs. a garrafa.
Painco a 200 rs. libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito aovo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato,
dem londrino chegado no ultimo vapor e
900 ts. a libra.
Sal refinado em frascas de-video a600rs.
oadaum.
Sardnhas de Narrtes a 360 rs.
Saga muito alvo novo a 260 rs. a libra.
Toacinho de LisiMa a 320 rs, a libra.
Kjolos de lrrapar facas a 1*0 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs, a libra.
a muta verdadera de matarana a 320 rs.* Licores muri finos a TTOrs. a garrata. | -mas ue uhimuim Fui ouv '-""-
Ararla veraaoora ae maiarana a ozu n. qaaWade especial e garrafas muito dem stearmas muito superiores aOOOrs. a
grandes, a 10800 re. a garrafa.
Avelaas multo grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
40300 ris.
Belachinhas de soda, latas -grandes, a 2* rs.
a lata. ,
Ditas inglezas muito novas a 30000 atarri-
quinbaea 200 rs. a'Hbra.
fiatha de percor efinada-a 440 rs. a itfbra e
e em barmi a 4C0 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10608,
20500,$#80 e 30000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra,
{veja pteta e branca, dis memores marcas j
que vem ao mercado, i "
e 50800 a duzia.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, gerrafa forma de,pera e rolh de n-
dro, a 10000 rs., s a garrafa vale odf-
nh3ro.
Manteiga ingleza perfeltamente flor, desem-
barcada de ponco a 900 rs. a libra, >e da
de!gunda qusfiidade a'800 rs.
Wem franceza maito nova a 640 rs. a'libra.
dem de tempero a 460'K.
libra.
Figos em 'oaxinbas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do tVsrto engarrafado o melhor que
ha nete genero e e varias marcas, como
sejam--: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Maria Pa,
Bocage, Chamissoe outrosa 800, 900 e
10OSO a garrafa, e em caixa com urna do-
l zia Mansa de tomates em barril a 480 rs. aHbra.tldem-em pipa, Porto, Lisba e Fumarai a
Meta em lata 440 rs.
Marmelada imperial dos'melhores cooservei-
-ros de Lisba a 60re. a lata.
500 rs. a garrafa iMsrrasquinho de Zara, frascos grandes, a
I 00 rs.
Cognac inglez fino a 908 rs. a gamfa.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, s de pepino, a"720 rs.
-dem,sdeazeitonas,a750 rs.
Charutos dos melbores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 10800,1
Mem regulara 500 rs.
Massas finas'.para sopa:: estrellinha, pevide,
rodinhas e'letr'anhasa 600 rs. a libra e a
40 a caixinha com 12 libras,
tfozes muito novas a 166 rs. a libra.
fPeixe em latas preparado pela primeree arte
de cozinha a 10 rs. e lata.
20800, 30000 e ^Palitos de dentes a 160-rs. o masso.
FPalitos de dentes a 120ts.
20000,30200, 20503,
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 80 e 320 ^Idem de flor a 200 rs.
ts. a libra e 80500 e 80800 rs. a arroba. 'Amendoas onfeitadas a 900 rs. a-libra.
iCartes de>olnhos francezes muito novos e 'itoce de goiaba em latas o melhor poecivel a
muito bem enfeitadosa 700 e'60 rs. 20 e emcaixo a 64 rs.
Ghouricasfe.paios muito novos 800 rs. a -Palitos do gaz a 20200 rs. a grosa.
;Ii-jra iPassas muito novas a 480 rs. a libra.
480, 500 e 50 rs. a garrafa e 30, 80500
e '40 a caada,
dem branco de Lisboa rauto fino a-'tfOO rs.
agarrafa.
Idera de Bordeaax, Medoc e S. Jlien a 700
e 800 rs. a garrafa, e70OOO eTPOOrs.
s duzia.
dem Morgaux'cChatealwninide't&tt, a 10
a garrafa.
Id Vinagre de Lisboa a 300 rs, a garrafa e
10200 rs. a caada.
Kirsk garrafac muito grandes a 1)5800 rs.
Alm dos-generos cima mencionados te-
mas grande percao deoutros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porces como^
realho.
Ouem comprar de 1000000 para cima te
rao abate de 5 por eento.
APBOTEITEM APROVEITEM
AOfi
i,m COLADOS
de sedas de cres de todas as qualidades.
M loja da ra do Crespo Damero
17.
para
importarte compra de 7130 cavados de seda de todas as qualidades, proprias
ve#t4ot; de-setiboras e de meninas, e vende-se por precos adircraveis.
Outros muitos objectos de apurados gostos para senhoras, vestidos de uoiwe para
casaeotta 90}cada um, capas pretae, soutambarques decores e pretos, ctupeoGtc.
Faiendas do linho e de aJcodao as melhores que existem no mercado.
O proprieUflo deste importante estabelecimento vai a Jiuropa muito breve com-
prar fazeadas de apurados gostos, presentemente veede as snae Rjereadonas por iprecos
baratisiB)o para quidar.
Protejam todos a importante
ProOjaita todos.
LIQIDACAO
A loja da ra do Crespo n
17.

No armazem de fazendaa boA
ratas de Santos Coelko ruc
do Queimado n. 19
Vende-se o eguini::
AITENgAO.
Kcas lazinhasfpara vestido, fazenda a mellwt
que ten vindo ao mercado,- tacto em gesto eomc
emqualidade pftic baratissDO preco tle S60>F&
o covado.
Laasinhas miudiobas carwesins propinas para
vestides de meniaace camisiofcas a 6i0 o co-
vado.
Cortes de laa coa: -'J covados pelo liaraw precc
de 0.
Cobertas de chita'da India a-ifioOO e :j.
Leocies de panno.de liOhaaJf e 25500.
Pecas de cambraia.de forro coc 8 1|2 ras a
3> ToalhacalcochoadaE.proprias para maos fi .a
duzia.
Ricos cortes de la.ccm barra t Maria Pia a
185000.
Pegas de platilhas de algodao aiva 10 varas
proprias pata saia a 4J>.
Algodao eofestado cok.7 1(2 palmoc de largara
:: lo 100 a vara.
Esleir daIadia propria para Torro 'de sala de
i... e ti palmoo de largura por menot prego Ao
que em uulra rualquer paiils.
^este armazn tambembe encontrar*, um gran-
de sort i ment de roupas fertas e por medida.____
AKUAZn
FRONTEIRO
DE
AliVES COUTIMHO A BRAIDAO
21Largo do Terco~1\
rr w o, p o o -; srS. S 2 S
oSl-iie
5
ce-
5V5
03 /:

si. ar-ts
VI
'
?.
< o o-r5 8
Bs S O.
Ilii
> ? v o
' C
g^
9&S
a
%
S2
0 Vigilante est alerta, nao Ihe era permettido
deixar passar desapercibido sem que nao dsse o
seo canto alim de annunciar ao- res|eilave] publico
o grande sormento de galanUriu do melhor gosto
propriamenle para qualquer mimo, que acaba de
chegar neste ultimo paquete, assim como muitos
outros objectos que recebe por diversos navios,
tanto de sua conta como de consignagao, que est
resolvido a vender por precos mnito baratos para
vender mullo e ganhar pouoo, e dar extraeco ao
grande deposito que tem, que espera merecer a
protecco do respeitavel publico, empreando para
isso todas e as melhores diligencias para que li-
3uem satisfeitos: isto s no Gallo Vigilante, ra
o Orespo n. 7.
Meas porta-joiis. i
Cofre de muito gosto por 165000
Gestinhas transparentes, forradas de madre-
perola por 185000
Lindas jardineras 105000
Ricos cofres cora camapheu 105000
Lindas caixinhas com pedras brancas 105000
Lindo bailo com calunga dentro tambero
para joias 165000
Tambalier para ditas 95000
Cesiinhas fdeui dem 65000
Cosmorama dem dem 65000
Uroaanha 65000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos pona-bouqueles de diversos gostos e pre-
ces : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos siatos
com bolombas ao lado a 10, 12 e 155, ditos sem
bolga, porm do mesmo gosto, a 25300, 35, 35500
e 45, ricas fivelas avulsas para sintos, o meltior
que se pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 :
sno Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Caltaws t eeslmtvas.
At que chegaram as desejadas cestinhas u ca-
bazes para as meninas trazerem oo braco, o mais
rico possivel, a 25909, 35500, i, o, 7 'e 1*5 : s
no Vigilante, na -e Crespo o. 7.
Tentes.
Ueste artigo le ra granflu sortimerSo, tanto
para alisar como para atar cabello, o 'mais lindo
que se pode desojar, asstm como de arregacar ca-
bello, tanto de'borracha como de tartaruga, com
afeite e senvelie para mentaas: s na Vigilante,
ra do Crespo'-m. 7.
Pentes
Tamben -ebsgaram os riqoissimcs pentes de
concha de'artaruga e Vmassa fina, por 25, 3 e 55 : sno 4Q^laot,'tBa do Crespo
numero 7.
tapes.
Riquissnos leques de madreperla, tanto para
senhoracomo para mocinhas, .pelo jarato preco de
12 e 145 : s no Vigilante, rua'do-Crespo n. 7.
His if ques.
Com pequeo defeite, leques de sndalo, por ba-
rato prego, a 85 e 1U, chinezes muito bonitos,
lamben por barato pro^o de 4 e 55, bentarallas
muito feoofas tambei -por 'barate preco de 4 e 55,
leque&de-cnaro'tatfifeem por 45. tudo isto par
acabar, pordende-se tatvez 80 0(0 : s no Vigilan-
te, roa de Crespo -ii.T.
hiteeiras.
Lindas ^ulseiras deponas e de missanga, coros
muito liBas e de-iutto gosto a e 1500.
Para eferar maigtHlos.
Tamben chegaram as ligmnbss estreitinhas-de
borracha ^ue as seaboras tatHo:precisam para se-
gurar es'2iaoguite&pr ser muri commodo e mui-
to barado, a 320 o par: s no 'Vigilante, ruado
Crespo- a. 7.
idrwlao.
Riqwsaimas carretas de madreperola proprias
para qaa^uer.preeente, pelo baratissimo preco de
15-500 25.
VkSuluis.
Linda? oltinhasdepsrolasfalsae com cruzinhas
fingindo'fcrilhantes, asihn como cruzinhas avulsas
e voltinfaa, pelo barato preeo de ;I5 e 15200, as
cruzes avrlsas a 400.rs. : s,no Vigilante, ra do
Crespo n.,:7.
Sapankos Riquisftios sapatiohos de seda e-de merino en-
feilados, asstm como traetaszinhas de seda, gorra-
/zinhase touquinhas para as criancinhas se bapti-
arem : ai ao Vigilante,sua doCresjJO n. 7.
GeHirhas.
RlquissiuKS goiinhas o.isanguilos, omelhor gos-
to possi ve), a 25, 25500 .e 35 : -s no Vigilante,
ra doiGrespo n. 7.
nfeites para -seuhora.
tRquissimos enfeites cok Ja?o .esem>lco e de
outras.muitos gostos a 15, |n00 e 35 : no Vi-
giairte, ra do-Crespo n. 7.
TreteeliM.
Lindos tranciii'.os de calielio para relogio-ju lu-
netas,,palo baratsimo preco de 15500, dti.s de
retrae* 400 s.
Bahadialios enli-enteds.
VERDADE1RO G PRIMClPAIi
Ordem do dia.
Est em discussSo a tabella dos precos que o BALIZA tem a honra de oflere-
cer ao respeitavel publico tanto da cidade corto do centro.
Se por esta publicaca qualquer um dos nobret coliega entender necessano
Cner alguma altei-acao em-seus aobuncios, digne-so mandar a sua emenda para o jornal,
qiie o incansavel Baliza nao llic pora pelas ncm o embaracara de forma alguma a beneli-
ciar o povo. .
Amico de vender barato o Baliza nlio expe a venda seno os gneros bons.
Elle se juiga no caso de vender tao mdicamente como outro nao o excedan
Soldado soprador toma o elarim-
E firme como a rocha fica assim
Nao toques nesse pessimo instrumento
Do Balisa olha s o movimento.
E t que los mitrados tens as coroas
De tudo vendedor de proprla cosita
!o pasmes vcado como sobrancelro
Do regresso o Dalisa a ira afronta
O grande depesiio que temos de vinho nos obliga a abaixar seus precos,
e vista dos compradores cerca de Z'J a 40 pipas desle genero, entre pipas.
achando-se vista dos compradores cerca
barris e ancoretas.
Amendoas confeitadas em lindos frascos a 800
rs. a libra
em com casca a 3o rs. a libra.
Ameixas frncezas em caixinhas e frascos a
i,2oo, l,5ooe 2,000rs.
Alpista a 10o rs. a libra e i,6oo a arroba.
Arroz do Maranho, Java e do Penedo a 80,
loo e 12o rs. a libra, em arroba a2,ooo,
2,8oo e 3,2oo.
Azeite doce refinado a 800 e loo rs. a gar-
rafa.
dem idem em barril a 6io rs. a garrafa e
4,800rs. a caada.
Ancoras com vinho do Porto, encommenda
Lingoas americanas muito novase muito gran-
des a 1,000 rs. cada urna.
Linguicaspromptasem latas a 1,000 cada lata,
Manteiga ingleza flor a 800 rs. a libra neste
genero ba mais de 10 baris abertos afim de
serem satifeitos os compradores.
dem menos superior a 64o rs>
Manteiga ingleza a 5oo, 00 e-32o rs. alibid.
dem franceza a Go, Goo e-64o rs. e em bar-
ril por menos-.
Mas de tomate a 64o rs. a libra.
Marmelada dos melhores fabricantes a 64c
rs. a libra.
Mullios inglezes a 4oo e 64o rs. a garrafinha.
feita pelo propietario do Baliza a 3o,ooo!Mostanla preparada a 4oo e 64o rs. o frasco.
rs. a ancora com 7o garrafas.
Ancoreta americana com seis garrafas de
vinho Figueira a 3,ooo rs.
Bolaxinhas de Lisboa, ingleza e americanas
em latas a 1.4oo, l,Soo, 2,ooo e 3,ooo rs. I Milho miudo para passaros a 16o rs. a libra
e americanas em barricas a 3,ooo rs. a e 4.8oo a arroba.
barrica. Marrasquino e zara Oo vmiadeiro a l,8ooo
Massas para sopa a 4oo rs. a libra das de ta-
lliaiim, aletria e macarro.
dem finas estrellinha e pevide a 3,ooo rs. a
caixa.
Bornes com 10 garrafas de azeite doce de
Lisboa a ,ue rs.
Banlia de porcoa 4oors. a libra e em barril,
a 36o rs.
Batatas em gigos a 1,0000 gigo.
Cha perola a 3,ooo rs. a libra,
dem uxim a 2,6oo e 2,8oo a libra,
dem hysson a 2,noo, 2,4oo e 2,8oo. a libra.
dem do Rio a 1,600 rs. a libra,
dem preto a l.ooo e 2,ooo rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia j
.eBio de Janeiro a 800 rs. e l,5oo, 2,ooo, i
-.2,4oo, 3,ooo, 3,ooo, 4,ooo e 0,000 rs. o
frasco.
dem menos
frasco."
superior a 800 e l,ooo rs/ o
Nozes a 2lo rs, a libra.
Prezunto porluguez de superior qnalidade*a
Glo rs. v. libra e inleiro por boo rs.
dem ingle/, para fiambre a 64o rs. a libra,
iili agradindo nicsmo depois de preparado,
poder ser devolvido, que se trocar por
out.io ou ser restituido sen importe.
Passas novas a loo rs. a libra.
Polvo a 16o rs. a libra.
Painco a lflo rs. a libra.
Chllate dos melhores fabricantes de Paria,! ;oma,a a, 24.rs >Juzia-
Pimcnta do reino a 30o rs. a libra.
ibra.
a lata.
Allemanha. Hamburgo e Lisboa
Copos lapidados para vinho a 2,8oo a duzia. i *e.ras scc'af a Ot0 rs- a hl
Iriem ipm nara airiia a;i.noo. S.Sooe 6.000 Peixcem latas a 000rs.
Sr-9
o> o. 9 %, e.a
'rR'G!
m

Ao publico.
Chouricas muito novas a 64o rs. a libra ; chocolate francez a i,00o rs. a libra;
ameixas idem ; alpista a 16o rs. a libra, e 4,6oo rs. a arroba ; arroz do Maranho e da
India de 80 a loo rs. a libra, e em a arroba de 2.6oo e 3,ooo rs. ; azeite doce refinado
a l,ooo r*. a garrafa e em porco, menos; idem de barris a 64o rs. a garrafa, e em cana-
da a 4,8oo rs.; banha de porco a 4oo rs. a libra, e em barril a 36o rs.; batatas muito
novas a 4o rs. a libra, e 4,2o*rs. a arroba ; cha perola, hysson, miudinhoa l,8oo, 2,4oo
e 2 5oo rs. a libra; charutos des melhores fabricantes da Bahia de 2,ooo e 4,ooo rs. ;
cerveia branca e preta a 5oo rs. a garrafa ; cravo, canella, comioho e erva-doce, conser-
---'.....- -1,000 rs.
a 56o rs. a libra, e em caixasa 52o rs.; farinha de araruta verdadeira a 2oo rs. a libra,
e em a arroba a 6,000 rs ; genebra de laranja a l.ooo rs. o frase; dem de Hollanda
a 64o rs., e 4oo rs. a botija; graixa em latas a l,2oo rs. a duzia ; manteiga ingleza per-
feita flor a 800 rs. a libra; dem franceza a 56o rs. a libra, e em barris a 52o rs.; maca
de tomate a 600 rs. a libra; marmelada dos melhores fabricantes a 64o rs. a
palitos do gaz-a 2,2oo rs. a grosa e 2o rs. a caixinha ; ditos de seguranca
individual a 2o rs. a ciixinha e 36o rs. o maco ; queijos flamengos do vapor a 2,ooo rs.
cada um; cevadinba a 2oo rs. a libra; sardinhas de Nantes de 4oo a 64o rs. a lata; sa-
b5o maasa muilo superior a 2oo rs. a libra; toucinho de Lisboa muito alvo a 3oo rs. a li-
bra vinho do Porto elfao engarrafado a l,5oo rs.; idem em barril a 800 rs. a garrafa,
sendo porcSo faz-se differenca e em caada a 5,000 rs.; idem de Lisboa muito superior a
4oo rs a f arrala e 2,8oo rs. a caada ; idem da Figueira J. A. A. a 5oo rs. a garrafa e
3.600 rs. a caada; idem do Estreito a 36o e 320 rs. a garrafa e em caBada a 2,56o;
idem Bordeaux a 56o rs. a garrafa; idem branco de Lisboa, proprio para missa a 5oo rs.
a rarrafa vinagre de Lisboa muito superior a 2oo rs. a garrafa, e ir*oo rs. a caada ;
soda, cevda, alfasema, gaz e tijok) de limpar facas a 14o n, e outros muito gneros que
desnecessario menciona-loa.
dem i^em para agua a 0,000, o,5ooe 6,000
rs. a duzia.
Cerveja das melhores marcas a 4,ooo, 0,000
e 6,000 rs. a duzia.
Cravo canella e cominhos.
Ceblas em molhos resteas e soltas.
Conseiwas'inglezas a 800, 9uo e l.ooo rs. o
frasco.
Di lis* frncezas a 000 e 64o rs. o frasco.
Cognae ingleze francez a l.ooo rs. a garrafa.
Caf de 1.a, 2.a e 3 qualidade a 8000 9,ooo
e 9,5oo rs.
Ri.jukwiaios baiMinhos en tremolas com .linios Cevadioha de Franca a 24o rs. a libra.
Empreza da lumina^ilo
gaz.
Todas as vendas de apparelnos e reclamac3es
(por escripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem da ra do Imperador
n. 31. Os machinistas mandados para attender a
estas, apresentarao om livro qne os reclamantes
deverao assignar logo depois de prorapto o servico
reclamado ; isto para que a empreza fique sciente
de haverem os mesmos senhore sido evidamen-
te aUendidos.________________________.
Kia da Seuzalla a. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston C,
sellins e silhes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio devela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.____________ .
Charuto da llavana.
Vende-se superiores charutos da Ha vana em ca-
uda ftabe Scbmetuu A C.: ra da Cad#ia n-18.
desenltos tapados .clrransparentes, pelo liaratissirco
prec-o de 00, ICSfiO, t e 3$: s no Vigilante,
ra do Oop n. 7.
Casca rrilbas.
Grande ^orUaieiito de cascarrinas de di ver.sas
larguras, asMaaeomo^arozinho e traoewttitf pro-
prias para eueUe : s tut Vigilante, ra do Cres-
po n. 7.
FIUC
Grande sortimento de fitas de diverjas largorae
i e (jualidade, por precos que admirara aos compra-
i doie, ha vendo Titas largas proprias para sinleiros
que e pode vender a 300 rs. a vara, e peca de 3
varas a if : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Fitas de lia.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias para
debrum de vestido a 700 rs a peca; s no Vigi-
lante, rna do Crespo n. 7.
Micos espelhos.
Riquissimos espelhos com moldura doarada e
sem ella de 84, 10.12 e 115. assim como con co-
lumnas de differeotes tamanhos a 2, 3, i. Se 64:
s no Vigilanti'.rua do Crespo n. 7.
lindos jarros e figuras.
Riquferimos jarros e figuras de porcelana fina
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui
tem apparecido : s no Vigilante.
Para pos de arroz.
Champagne de muito boa qualidade a 12,ooo
e 2o,ooo rs. a duzia.
Doces da casca da goiaba em latas preparadas
com muito aceio, propria para memoziar
algum amigo na Europa, por ser inaltera-
vel por mais de umanno, a 3,ooo rs. a lata
#>m 7 libras.
Dittofi em caixes a.56o, 6io, 800 e l.ooo
rs. o caixao.
Ei-'VrJIjas portuguezas em latas com 1 '/* li-
bras por 7oo rs.
[lew fraacezas em latas a 5oo rs.
dem sectas a 2oo rs. a libra.
Espermaceteamericano primeira qualidade a
1.2oo rs. a libra.
dem francez a 36o rs. a libra, e em caixas
a 52o rs.
Farinha d'araruta verdadeira a i 80 rs. a Hbra.
Farinha de trigo a 12o, 14o e 16o rs a libra.
Farinha de milho a *6o rs. a libra.
Figos em caixinhas e em latas lindanmente
Papel almassoe de peso, de diversas qua-'
lidades e precos deferentes.
I Palitos do gaz a 2,2oo a groza.
dem para denles a 80,16o e 24o rs. o ma-
co com vinte macinhos-.
Gueijos flamengos a 2;6oo, do ultimo vapor.
dem prato a 64o rs. a libra.
dem londrino a 800 rs. a libra.
Rap Meuron a l.ooo rs. a libia.
Saceos com milho muila novo com 2o ctiia*
a 3,5oo e a 2oo rs. a cuia.
Sevadinha a 24o rs. a libra, ( nova).
Sag a 28o rs. a libra,
Sardinhas de Nantes a 6id, 56o e 36o rs. a
lata.
Sabo massa a 12o, 19o, 2oo e 24o rs. a li-
bra,
e em caixes por muilo menos.
Sal refinada a 600 rs. o pote de vidro.
Toucinho de Lisboa, de Santos e americana
a 16o, 24o e 32o rs. a libra, e em arroba
a 5,uoo, 7,ooo e 9,uoo rs.
Tijollopara limpar facas a 16o rs. cada um.
Vinho do Porto em caadas a 3,5oo, 4.000 c-
5,000 rs. e-em ancoras com 7o ga'rrafas por
3o,ooo rs.
dem de Lisboa sem confeiccao, (de encomen-
da) por 5o,ooo rs. o barril com 17 cana
das.
dem de Lisboa mais baixo a 45, ! dem em pipas a 3,ooo, 3,5oo e 4,000 rs:- a '
caada.
eofeitadas a 800 e l,5oo cada um.
Fumo americano em latas para cigarros
i,800 rs.-
j dem em barril de Bordeaux com I3o gar-
rafas por 5o.ooo rs.
dem idem de Bordeanx com 70 garrafas por
3o,ooo
dem em caixas por 5,ooo rs. a caixa com 1"
garrafas da melhor quahdade que vem ao
nosso mercado.
Riquissimos vasos com boneca para pos de ar-,.
ror, cousa de multo gosto a 1*500 e 2, assim co- '> dem em pacotes a 200 rs.
mo pacotes s com os pos a 320 rs. cada um : s I dem em pasta a 1,2oo rs. a libra,
no Vigilante, roa do Crespo n. 7. | Genebra de laranja a l,ooo rs. o frasco.
n Perfumarlas. dem ingleza marca Gato a 1,000 rs. a garrafa.
Grande sortimento de extractos e hanhas, poma-1 idemde Hollanda a 64o e l,6oo rs o frasco Vinho branco para missa de Lisboa e Porto
das, assim como os lindos copos en vasos com dis- "eno Ig^rande. "m n!na harril an^"c a '' ~^ K ~~
dem de Hainlurgo, a 56o rs. frasco e 6,000
rs. a frasqueira.
Graixa em latas a l,2oo rs. a duzia.
Limonadas de diversas fructasa 1,000 rs. a
garrafa.
Licores, inglezes e francezes a l.ooo, l.5oo
e 2,000 rs. garrafas grandes e pequeas
nctivos e offerecimentos as sinhazinhas, dos me-
lhores e mais afamados autores de Pars e Ingla-
terra, assim como os grandes copos de banha japo-
niza a H e1 a 1 i ; assim eomo outros objectos que
nao possivel \m hoje annnaciar, e vista dos
fregueses se far todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Farinha de nuadieea siperior
em saceos grandes: vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, no seu escrptorio roa da Cruz
numero 1.
Vendem-se queijos dos ltimos com capa de
chumbo, mnito frescaes, pelo diminuto preco de
25OOO, e tambem nma quanlidade de trates de
em pjpa, barril e ancoras a 4,000 e 5.000
rs. a caada.
Vinagre de Lisboa, Porto, tinto e branco a
l,6oo e 2,ooo rs. a caada
dem em ancoras por 16,000 rs.
Velas eslearlinas a 56o rs. o maco, e em cai-
xas a 52o rs.
Vassouras americanas a 64o rs. urna.
At que ehegou
um grande sortimento de bico e renda
novo modelo chamado (guip)

preta
melhor que
de
se
louro, que algunas serven) para Corno de olaria, e I pode desejar neste artigo e que se vende muito ba-
az-se todo o negocio para fecnir conta >o dono : I rato ; na loja do gallo vigilante roa d Crespo
rna roa Direitans, 99 e 100. j n. 7.
Piano
Vende-se um piano dos bem conhecidos fabri-
cantes Blondel & Vignes, em perfoito estado, de
ptimas votes : na roa do Quoimado n. 33 A, loja
da Esperanca.

\ /


mm
fentnta lelra 9A de tgoatfo de i #!
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Paw/o FerreWa da Silva & Companhia
Grande sortimento de molhados em grosso e a retamo. nico armazem que mus
vantagens offerece ao publico.
Desenganem-se todos.
S
i o Alllaaea o verdadeiro hornera do progressso.
K o Alllana o verdadeiro e principal armazem de molhados.
o Alllanca o armazem que veflfte mais barato.
o AlliaMea o armazem que vende os mateores gneros.
o Allfan^a o armazem onde preside oanelbor aceio.




Fiquem todas sabedores desta ynrdade,
Venham todos ra do Imperador n. S7.
Venham ver os gneros que temos ejy>ostos a venda.
PARA AS FB8TA
DE
S. JOflO E S. PEDRO.
Amendoas eonfeitadas de bonitas cor fdem defleMIanda em garrames com 24 gar-
8oo rs. a libra. rafas a 7,2oo rs. com o,garrafao.
dem de casca muito nova a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente lgame para sopa e gui-
Ayelaas a 2oo rs. a libra. zados a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas era caixinhas com lindas Licores francezes de todas as quadades a
estampas a i,2oo, i,4oo e l,6oo rs. cada 8oo el.ooo rs. as garrafas gran des.
ama- j Manteiga ingleaa perfeitamente flor a 8oo
dem em frasco do vidro com rolha do mes-1 e 6o rs. a libra,
moou de metal, a l,2oo e l,4oors. cada Iderrr franceza nova j deste.anno a 6oo rs.
uro. a libra, e 58o rs. em barris iqeiros.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada Marmelada especial dos melhores fabrican-
uro, j te.de4,isba a 6ooe64ors. a libra, ha
dem em latas de I '/j e 3 libras a l,2oo e latas tte differentes tamanhos.
2,000 rs. I Massa deitomate em latas de 1 libra a 56o
Arroz da India e Maranho o melhor que se; rs. cada urna,
pode desejar a loo e 12o rs a libra e, dem para soda estrellinha, pevldee rodinha
em caixinhas sortidasa 3;ooo,5oo rs. cada
NEM CQROAS NEM MITRAS

NOVA EXPOSigO DE gneros
NO
ARMAIEM
CRAinE
AUN1XE91
DE

i
RIJA DO IWPERABOR M. 40
Junto m sf bradi em que mora e Sr. Otbarne,
'ara a festa de Santo Antonio, S. Mo e S. Pedro.
Uuarte Akaekh fc C, reeeberam de su a preprla cncouimeu-
da o raais lindo e variad sortimento de jnolhados, proprloa
da presente estaeo.
PRINCIPAL
DE
Manteiga ingleza
Haeas brancas
a .300 rs.
Amendoas
2,8oo a 3, ioo rs. a-arroba.
Azeilc doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a Uoo rs. cada urna, e lo,ooo rs. a
caixa com I duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a ICo rs. a libra e 4,Goo rs. a ar-
roba
JJoiaehiobas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes quadades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e de 3 !/j libras a 1.5no rs.
e em libra a Ci rs., estas bolachinhas
torna-se muilo recom monda vel com espe-
cialidade para os doentes.
Biscoitos e Bolachinhas de soda em latas de
todas as quadades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Dolos francezes em cartfifis e de diversas
quadades a o rs. cada mu.
lianha de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a IGo rs. a libra.
Bolachinhas inglesas ltimamente desembar-
radas a 2 rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje lera vindo ao nosso morcado a
18,ooo rs. o ggo e l,5oo rs. a garrafa
nieira, e 8oo rs. as metas.
Iba uxim o melhor que se pode desojar, e
que outro quulquor nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra,
dem perola de esp cial qualidade a 2,Goo e
2,8oo rs. a libra, garante-se a qualidade
d'este cha.
dem hysson o melhor que possivel encon-
trar-se a 2,4oo c 2,0oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, O e 8 libra?
a l.2ooe l,4oo rs. a libra.
dem prelo muito fino;! l,Goo rs. a libra.
Chocolate das melhores quadades, francez,
iiespanhol e suisso a l.ooo, l,2oo c l,4oo
rs. a libra.
Cloratos do acreditado fabricante Jos Fur-
lado de Simas em '/s caixas das seguin
tes marcas: Parisienses, Suspiros, Dili-
cias, NapoleSes e Guanabaras a 2.3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna,
dem de oulros muitos fabricantes o de dif-
erenles marcas para i.Soo rs. as meias
caixas, de suspiros a l,6oo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac ingle/, das melhores marcas a I,ooo
rs. a garrafa e lo,ooo rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 8oo rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-docea 4oo rs. a libra.
Gravo da India a Goo rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,8oo e $>,3oe a arroba.
Doce fino de goiaba a Goors. o caiso.
ICrvilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.'
dem ceceas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
I'arinba de ara ruta verdadeira a 320 rs. a
libra;
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
t,ooo rs. cada urna.
Mein om l?ias ermiticamente lacradas a
l,5oo e2,.*ioo rs. cada urna,
dem em caixas de '/* arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a l-oo rs. a lata e l,ooo
rs. a duzia.
Genebra de llollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,ooo rs. e 560 rs. o frasco
dem de laranja a 1 ,ooo rs. os frascos gran-
des e 1 l.ooo rs, a caixa com 12 frascos,
dem de llollanda em botijas a 4o rs. cada
urna,
dem em garraloes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafao.
urna e 5oo rs. a libra.
dem, macarro, talbarim ealetria a ioo rs.a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um
Molho inglez em garrafinlns^m rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinbo verdadeiro dert.oob'a dja -
agarrafa, lo,ooo rs. a caom 1 usi.xrc a
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Prezuntode fiambre superior a 6oo e 8oo
rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. ? libra.
Peixe em latas de differentes quadades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinba e
outros a i,ooo rs. a latas.
Palitos para (lentes a 14o e a 16o rs. o mas-
so dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a.caixinba.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor, a 3,ooo
dem prato muito fresco a 8oo e 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je tem viudo ao nosso mercado, a 8oo rs.
a libra.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs,!
cada um.
Ceneja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
duzia, e 5Go rs, a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nanlcs em quartos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muito nove e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadmlm de Frasea I8ors. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, c 2,8oo rs. a ar-
roba.
Traques de I. qualidade a 9,5oo rs. a cai-
xa, e 24o rs. a carta.
Toucinho novo de Liiba a 2io
libra.
Tijolo para [impar facas a I So rs. cadaum. )
Vinlio em pipa Porto, Lisboa e Figueira das |
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conbecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 6oo rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio rauito fresco nao levando com-
composicao a 56o rs. a garrafa, e 4,ooo
rs a caada.
da safra aova vinda oeste vapor de 28 de para sopa a melhor que se pode desejar,
maio a 00 rs. a libra. macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
Manteiga francesa libra e 4500 a caixa.
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barrU I Viltho
| Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
de outras marcas a 400.rs. a garrafa, e
2800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a l| e 10200
a garrafa ee 100 a !2 a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisso Filbo,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muito.
Latas
com 10 libras eteanba a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma fue
vendem a 20000 e 2^400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r*' ^ bra.
Cervejas
Idos melhores &bricantes|e de todas as mai
eonfeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos.
Cartees
em bolos francezes a 500 rs. eada um.
Latas
com bolachinhas de seda Ote tedas as qua-
dades a 10300.
Chocolates
de todas as quadades a 10000 a libra.
Presuntos inglezes
dos metliores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados ueste ultimo vapor a 206oo.
<| ii cijos
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
M. 9 RIJA 1MI IKEWPO Y. 9
Esquina que volta para a ra do Imperador
prowve que nao seja bem aceita a verlade, quando a boa t de todos anda
!"f,S.JHJr f T** de e Mnuncios de cornetas, tambores co mi-
; tras, etc., que lodo o (ha enchem as paginas deste jornal. m
AIjERTA
'., w-,is,r?laKnftUnCanteS, ,cm em v8ta ^^ 8rtirem ao respeitavel H a
sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas subsistencias ISSZ
assentarem fortunas aforCa da regra de liga como outrVs JSSSffi3F
PARA TODOS
. .. Noarmazem principal vende-se a todos pelos precos marcados na segrate ta-
bella, mas nao se vende por todo o preco faZendo-se peso de arroba hespanhofa Zran
com^^r 8de8dOSgeaerSlrOCan,,'S8 l0d aqUe8 ^ n3o seja do agrand
diversas cores a
cas de 40500 a 60500 a duzia.
<|ueljo C-ARUTOS
10 fr sstsr. sat es,r i ^^ n^
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Fiffos
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
reba desses que vendem por 30400.
CAF
-irisara ^'agrffSKg
PVi nvm CJarraloes
UJld UA1I11 : com 4 1/j garrafas com vinagre a 10000*
o melhor que se pode desejar, que outro o garrafao.
qualquer nao pode vender por menos de; Genebka de LARANJA
30 a 20600. verdadeira a 10000 o frasco, e de H0OOT
dem perola a caixa-
especial qualidade a 20700 rs. a libra. Il)EM
dem hvsson em fr!,squeiras de llollanda a 50800 com
**--] '2r,aSC0S- GENERA
''do HoHsnd.i renladeiraem frasqueira a 6oo
rs. cada urna,
a PALITOS
j os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2d rs. cada caixinba.
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas qualida- finos de todas as qoalidades, a lo.ooo a caixa
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa. : com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
coio Mfl-rmAfldft
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a maIkftMO ^ ,, ttu.
duzia, c a 440 e 5oo rs. cada um. do? meHl,,res fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abren e oulros muitos a fioo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
Papel de botiea a ,il)ra-
de excellente qualidade a 20200 a resma ii,k* i MOZ
>" d 1CMU'''. -Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
, ... I de S'OOO- a 3,2oo rs. a arroba,
azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
o mais aromtico que tem
mercado a 20600.
Maesas amarellas
para sopa, macarro, talharim e aletria
480rs. alibra.
'OftVIC
PAPEL
: almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
e ozo rs. a ,|lades de ^^ a lHoQ a regma ^ ^
ihor. i
rs. a resma.
Oorinthias
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada,
dem mais baUo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mai-s acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
uosso mercado a l,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d
prejnizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Parto om 'caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velbo Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 0,ooo e lo,ooo
rs. a caixa e 9oo e l,ooo rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a 1 ,ooo rs. a garra-
fa, e 1 o,ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre-puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
Idemem garrafoes com 5 garrafas a l.ooo
re. em-o* garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada ama.
dem de escosa para esfregar casa a 36o rs.
cada urna.
Velas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o em caixa.
dem de carnaoba refinada e de composico
a 36o re. a libra, ede lo,ooo a H.ooore.
a arroba.
1 ---------i-------------1 ...--------------------------------,
passas corinthias rauito novas proprias para;,
podim a 8oo rs. a libra.
Fumo
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
em caixas de arroba a ),3oo r
caixa e 3o rs. a libra.
Batatas novas
o verdadeiro fumo americano em chapa a em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs
1,4oo rs. a libra a libra.
Vinagre Passas n,ni,<) novas
PRR em ancorelas de Ornadas a 15,ooo rs j ^SlnS^ a-,2;$ quart e 6^500
cada una. a ca,xa e 40 rs- a lll,ra'
P\ r>.U Chocolate
LeD01iaS portuguez o mais especial que se pode de-
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa ^J31" a 80 rs. a libra e 140 rs. o pao.
e l,ooo rs. o molho. Frntas en calda
Alnista e PaiimO chegadas ltimamente, pera, pecego, ginjae
xxip^ wi x uiiyu outros mintos a fa0 |^
o mais novo do mercado a 1 iO rs. a libra, j)** da casca da goiaba
e 40400 a arroba a 600 e 10 o caixe.
fpam,o,?cSapr0pn an0S Io 2randc armazem o-Verdadeiro Principal declarara aos seus
tiSSSSZ mSELS a PUW|C0 e ^6ral' que,ara faci,itar a commodidade de 'todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
Inio eCommercio ra do Qneimado n. 7
____________O Verdadeiro Principal rot do Imperador n. 40
Amendoas eonfeitadas de
64o rs. a libra,
dem de casca dura a 2io rs. a libra,
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas, a l,2oo e l,5oo rs.
dem em frascos de vidro a 1,2oo rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 y libra a l.Ioo rs.
Arroz do Maranho e da India o melhor que
ha-neste genero de 8o a loo rs, a libra, e
de 2,50o a 2,8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada,
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a 9oo rs. a garrafa e lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
ufara.
Azeitonas muito novas a 2.ooo rs, a anco-
reta.
Alpista limpo a 14ors. a libra, e i,4oo rs. a
arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas quadades, em latas
de 6 e de 3 libras a 3,ooo e l,5oo rs. a
lata, e 64o rs. a libra.
dem ingleza em latas de 2 e de 4 libras
das melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs.
a lata.
Banba do porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em caixas de 2 e de 4 arrobas a
l.Ioo rs. a arroba.
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo
rs. o gigo, I,8oo rs. a garrafa, e 9oo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li-
bra.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a libra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,ioo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a l,3oo
rs. a libra.
dem preh homeopathico 2,ooo rs. a libra.
Ceneja das melhores marcas a O.ooo rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, suisso e bespanhol a
l,ooo, l,2ooe l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furia
do de Simas e outros da Babia como se-
jam llegaba. Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l,6oo, 2,ooo,3,ooo e
4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a 5oo rs.
Cognac inglez e francez a l,ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a Soo rs. a libra.
Caoella a l,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua e vinho a 4.8oo,

GRANDE S08TIMENW DE FAZElXDAS
RA DO QUEMADO NUMERO 11
'Coja de fazerutas ,' Auyusto Frederic dos Santos Porto
Liadas chapeltaas e chapeos para senhoras.
i'.beganm a este estabpJecimento as mais moilurnas hapeJnas e chapeos para sentaras.
Superiores corles de lia de barra de tu,5 a 0.
As mais superiores capas e soutembarques de soda preta ecasemira de cores para sentaras de
20$ al 505. "
Encellents Ras para vestido a 32, 300, 360 e 600 rs. covado.
Cassas e organdys de cores a 240 e 320 rs. o covado.
Os mcihores tapetes para sof com riqusimos desenhoe.
Loncos de cambrwi de liado c fil bordados a U> cada um.
Superiores casemires mscladas de diversos posltji la.nlo.err^uftQas como om coftes..
. Erina .preta muito fina, canto para vestidos de luto, grosiyaple de bonitas cores e as superiores
Estotra para, solas.
As pessoas que pretenderem forrar suas salasoo gabinetes, encontrarlo neste estabeleeimenta
melhor aqualidade de esleirs tk todas as larguras e pelo mai1- mdico preco,
s
Custodio, Carvalho & Companhia.
IHJJL DO QUIIfIAUO
ai*.
Pecas de entremeios bordados
Tiras bordadas a peca ii.
Cobertas de Chita a chinen a 23200.
Lencoes de linho finos a 2,5200.
Toalhas de linho para mos duzia 4.
83E Sf fi? S'sa^eMfe h>raens pel,,arat0 pre5ae iSm *r-
Baldes de arcos para senhoras a '.ii.
Fil de Mnho liso vara 500 rs.
Grande sortimento de Ras para vestidos.
Superiores saias de fnstao para sentaras a 3J.
5,000 e 5,f>oo rs. a duzia, e !5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,,fioo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a libra,
e 8,ooo a 8,5oo rs. a arroba.
Doce de goiaba a Ooo rs. o caixao.
Ervilhasportagaezas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinba de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas bem enfeitadas a Ooo rs.
cada uma.
Graixa nova a loo rs. iluta, f,foo rs. a
duzia.
Genebra de HoJIanda em -frasqueiras de 2
frascos a 5,8oors., e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs. cada uma.
dem em garrafoes de 16 garrafas a'4,8oo
rs. com o garrafao.
dem idem de 3 caadas a 7,2oo rs. cada um.
dem ingleza em garrafas brancas bordadas
com rolha de vidro, qualidade superior
a 4,ooo rs. a garrafa.
dem de laranja verdadeira a l.ooo rs. o fras-
co, e II,ooo a frasqueiras de 12 frascos.
Kirsch Wasser excellente bebida Suissa a
l,8oors.a garrafa..
Lentilhas muito aovas excellente legume m-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as quadades de
7oo e 9oo rs. a garrafa.
Manteiga ingleza peritamente flor a 8o rs
a libra, e desnessesario mais elogios nes-
vsaener qUe S SC Pde veriGcar ^ a
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barrH
ou meios a 5oo rs.
Marmellada do i fabricante de Lisboa a 6oo
rs. a libra, ha latas de I, i/, e 2 libras
Maca de tmate em latas de uma e duas I*
bras, a 6oo rs. a libra.
dem para sopa eslrellinia, pevide, rodinlia
etc. a 3,5oo rs. a caixa e 56o rs. a libra!
Macarro, talharim e aletria a 4oo rs. a li-
bra.
Mostarda franceza preparada a ioo rs. o fras-
co.
dem ingleza em p a 6io rs. o frasco
Molho inglez em garrafias com rolha de
vidro a 64o rs. cada uma.
Marraschino verdadeiro de Zara a 1 ooo rs
a garrafa, e lo.ooo rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a Too rs. a lata.
Prezunto para fiambre inglez verdadeiro, ga-
rantindo-se a qualidade, a Too rs a libra
Passas novas de carnada a 4oo rs. a libra, e
6,5oo rs. a caixa.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes qoalidades, sabel. corvina, go-
raz, cavallmha e pescada a I,ooo rs. la-
ta.
Palitos jiara denles fichadas a i 4o rs. o ma-
co de 20 macinhos.
dem do gaz a 2oo rs. a duzia. e 2,Ioo rs.
a groza.
Painco muito novo a IGo es. a Ubea, o i,oo
rs. a arroba.
Queijos flamengos do ultimo vapor
dem prato muilo fresco a 8oo rs. a libra e
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Sardinhas de Lisboa e de Nautes a 6o rs
a meia lata, e 4oo rs. o qarto
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sardmha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a ioors.alibra.
Toucinho de Lisboa a 24o c3oors a libra
Tijotos para limpar facas a 15o rs. cada um*.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira das
marcas menos conhecidas a 4oo rs a car-
rafa, e a 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira expecialmente cscolhido neste
lugar a 6oo rs. agarrafa, e 4.5oo a caada.
dem Lavabo, Colares muito fresco sem
composicao a floors. agarrafa, e 4,5oo ps a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22?ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a 56o rs. a garrafa
e a 4,5oo a caada.
dem Porto fino em pipa a 56o rs. a garra-
Id
dem engarrafados generosos, Lagrimas do
Douro, Duque do Porto. 0. Luiz I, D. Pe-
dro V, Nctar, velho secco, Malva/ia o
genuino particular de )ooal,2oo rs. a g'ar-
i, e ^ '..00 rs- a caixa com uma duzia.
dem Madeira.legilimo a !,2oo rs. a garrafa,
ea 12,ooo rs.a duzia.
dem Muscatel a loo rs.a garrafa,
dem Bordeaux dos acreditadas marcas St.
JolienSt. Esteph, chteau la Roze.cbafaa
Margoux o outros a fi,ooo rs, a caixa e 56o
rs. garrafa.
Vermouth a melhor bebida estomacal a 2.ooo
rs. 9 garrafa.
Vinagre de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e I,4oo
rs. a caada.
Iham em garrafoes com 5 garrafas a 1 .ooo rs.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a 32o
rs. cada uma.
demi de escovas para lavar casa a 36o rs.
cada uma.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e sendo em caixa a 52o rs.
dem de carnauba refinada e de composicto
a 36o rs. a libra, e lo,5oo e I l.ooo rs.
arroba.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


AOTBfiCAQ

r
Feijo.
Vende-se feijao molatinho muito novo pelo ba-
rato-preeo de H$, saceos rom 22 coias garantidas
Salitre refinado, superior qoalidade, vinho Bor- pel vendedor: ** M* ** ^^ 9.
deaux, diHertintes qualidade.-, mais barato que em
qualquer parle : no armazem de E. A. Burle &
C., rtu da Cruz n. 48.__________________
t Su bao.
Vende-se constantemente sabo massa, tanto em
caites come a retalho, a 200 e 240 rs. a libra : na
fabrica daruodo Rangel n. 34. ~
amina de iMaadiron.
Jipe.
Vende-se na
mazem.
ra da Madre ce Daos n. 31, ar-
Superior rap de Oboa, idem PaIo Gordeire,
idem dito viajado, idem gar^e jfFoto, ejo pros-
so, fino c MfMJw : wJc-tfffoMliNWfaeiMt, tanto
em libra come- a rntalbo ; garanto-so
Roa fa Seuzalla Xova n. 42. 1
Neste estabelecirMnto vendem-se: tachas de |
ferro coado libra a 410 rs., idemdeLov
Moor libra a 120 rs.
Arados americanos e machinas par
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston 4 C,
rna da Senzalla Nova 42.
Fabrica de Gkapeos de sol de
Francisco MaestraK, na
do Queiiiado n. 22.
che.-ado um grande sonimenlodo fumo oap*-
ral, cnchimboe, e chopetas para disrulo?, e tanj-
bera bengalas e chicles para montaxia, de todas
as quadades, e sempre se acba nesta fabrica um
grande sortimento de ermpeos de sol d todos as
anualidades, tambera se cobrem chapeos e le eoa-
certaw. e se'fag todo per.vnc *i
Goimna
ao compra-] multo snperior em barricas: vende Franeisco Go-
dor boa taUdade : na praea da Inef cadencia | es de Manos Jnior, na ra larga do Bosario m.
n. S, loja de violas. | mero 24.' -------nu
Fumo imperial
Corlado igual ao francez muito proprio ara ca-
chimbo, em latas de 1 bra, quandoTao La e-
Iher igual ao americano por 1;200 rs., para veri-
car a verdade os Srs.-fumantes podem-se dirigir
I fabrica a vapor de cigarros antiga rna dos Ooar-
tois de Polica n. H. 8
............i "i i
Para pasearse a festa,
Vende-se a raelbor e*t* errea ota que'te
na Boa-viagem, siu beira da estrada, lano de
frente 30 palmos, 1 ianetias e porta, 2 safis, i
quartos, sotao e coeimia ten, copiar grande, ca-
uimia com excellenie agua, diversos arvoredos
3ue se colhiMH boos frucios, leudo este termio e4a-
cado 70 palmos sobre Sw de. fundo : os pretcn-
uVhtes queiram diriglr-se ra da Cadela ti. 53,
armazem do agenle Buzebio, que est aelorlsado.
A bordo do iuiire Emilia ha savaveneta ttn
rinha de mandioca nova e de boa quatMaeV, de
Santa Calharina, relaiha-se a precca cownidus ;
para tratar, a bordo do mesmo navio, ou fio esenp-
lono de Araorim Irmaos, ra da Crui o. 3,

l


ir
tilinta fclra de Agallo ie t 4.


K'rt ParSo ( *jf&OO).
Quena tem bafces por tal preco I
Vendem-se os baloes americanos multo superio-
Vende-se
Lima escrava sadia que sabe bem engommar o co-
zinhar, de meia Idade : a tratar em Santo Amaro,
S5mT J? h^^* Pm?n,d,f s*' Jnt0aoan*> *cawlteri.
2ftk>00 rs.; ditos de 25, 30 e 35 arcos com fitas
muilo bem armado*, e taiubem tem rr escura (le-
lo barato prego de 30500 e 40 cada um : s na lo-
la do Pavao, ra da Imperatriz, n 60, de Gama &
Grande liquida$o
Ra da luiperatriz n. ao,
laja Je fazentlas do Pavo de Gama & Silva.
Acha-se este estabelecimento completamente sor-
tido de (azendas iaglezas, francezas, aUeraes
eaissas, proprias tanto para a praca como para o
mato, prometiendo vender-se mais barato do que
em outra qualquer parte principalmente sendo em Silva.
porgao e de todas as fazendas d3o-se as amostras Pavo vende pan lulo,
deixando fiear penhor ou mandam-se levar em ca- < Yende-se superier setira da Cbina fazenda toda
sa pelos calxeiros da toja do Pavao. i ,je |a sem iustre ieo0 g palmos de largura pro-
As cli i (as do Parla. pno para vestidos, capas, paletots, cagasete, pelo
Vendem-se chitas inglezas claras e escaras pelo baratissimo prego de 20, 20200, 20500, e 35 o co-
barato prego de 240, 260 e 280 rs. o covado, tintas vado, cassas p'retas lisas, chitas prelas iargas e
seguras; ditas francezas de cores seguras a 320, estreitas, manguitos, colarinhos, punbos e iofeiles
340, 360, 400,440, 480 e 300 rs. o covado, fazenda rudo preto proprio para luto fechado e muitos ou-
muito superior e bonitos padroes :' s na toja do tros artiges que se vendem por precos mais em eon-
Pavao. ta do que em outra qualquer parte por estar liqui-
As lazinhas da eipoaicio do Pavao. dando, s na toja do Pavao : ra da Imperatriz
Vendem-se as lazinhas as mais modernas que n- *, de Gama & Silva,
tem vindo ao mercado, proprias para vestidos e I Os madapoloes do Pavo.
soutembarques por serem lisas e do cores muito Vende-se pega de madapolao infestado com 12 '
delicadas 560-600 rs.: ditas lisas com um lus- jardas cada pega pelo barato prego de 40, 40500 e
Farinha de mandioca
ensacada e da melbor qae ha : vende Miguel Jos
Alves no seu
Cruz.
escriptorio, casa n. 19, na ra da
SALSAPAERILHA
tre que parece seda *640 rs. o covado, ditas ma-
tizadas 320, 400 e 500 rs. o rovado, ditas com
quadrinhos de seda 300 rs. o covado, s para
acabar : na toja e armazem do Pavao de Gama &
Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Os vestidos do Pavao
Vendem-se as mais modernos cortes de vestido
de la, quo vieram pelo ultimo vapor, com ricas
barras de cor, eorpinho e collete separado; ditos
com listas de seda e tambem com barras e enfeites
para o corpo, por prego mais barato do que cm ou-
tra qualquer parte, e se quzerem urna prova do
que se diz, mandem ver i toja e armazem do Pa-
vao, roa da Imperatriz, ri. 60, de Gama J Silva.
Os vestidos Alaria Pia. S Pavo (8,000 rs.)
Wiidirin-se os mais lindos vestidos Maria Pia
de lazinha transparente com listas, e palminhas
de seda peto barato prego de 80000 cada corle :
s na toja do Pavao ra' da Imperatriz a. 60, de
Gama & Silva.
As cassas do Pavao a 240, 280, 300 320 e 360 rs.
S o Pavao vende as finisshns cassas persianas
imitago do laa, cora cores fixas, 360 rs. o co-
vado ; ditas francezas muilo finas a 240, 280,300
e ."120 rs. o covado, isto para acabar : ra da Im-
peratriz, toja de Gama & Silva.
As percalas do PaTo.
As mais liadas percalas que tem vmdo ao mer-
cado pelo ultimo vapor tem na toja do Pavao pelo
barato prego de 600 rs. o covado; ditas de lisli-
Ehas mu (o miudinhas proprias para vestidos e
roupoes de seohoras, meninos e meninas, pelo ba-
ratissimo prego de 300 rs. o covado, garanlem-se
as cures por serem do melhor fabricante que as
tem em Pars : isto na toja do Pavao roa da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva
Bramante de liulio do Pavo a
9.OO. 3.400. C.ttOO.
Vndese o melhor bramante de linho puro com
dez palmos de larjrora por pregs milito commodo,
por ler de acabar a factura, a vara por202OO, S'itxi
e 20000, s o f avo : a ra da Imperatriz o. 60 de
Gama & Silva.
Panno de Itabo do Pavo.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lengoes e tealhas de mao pelo
baratissimo prego de 640, 720, e 800 ris, a vara,
algodoziBho com o lo palmos de largura proprio
para lencocs pelo baratissimo prego de 10 a vara,
assim como tem o melhor algodaozinho tanto cm
largura como em corpo, proprio para lences, ca-
misas de escravos etc., ele. prego muito commodo
a-vista da fazenda s o Pavao : a ra da Impera-
triz o. 60 de Gama & Silva.
AlgodoziBho com toque de avaria a i,000
e 1,800
Vende-se peca de algodozinho por ter um pe-
queo loque de" avaria mas que esl cm bom esta-
do pe' barato prego de 40 e 40800 a peca s o
Pavao : a ra da Imperatriz n. 00 de Gama &
Silva.
Os ijunrdana|iis econmicos do Pavo e s do
Pavo.
Vendem-se os mais lindse modernos guardana-
pc* econmicos e todo linho, tanto para casas de
fami'ia como para botis, botequins etc., etc., pelo
baratissimo prego de 30 a duzia, isto s no Pavo :
a ra da Emperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os soiicanbarques do Pavo
$e i.
Vendem-se os mais lindos soutembarques que
teem vindo 00 mercado, sendo de caxemira de co-
res pelo baratissimo prego de 125 cada um-, ditos
de mnsambique pelo diminuto prego de 90, s na
loia do Pavo, mas que nao se enganem : a ra
da Imperatriz n. 0 : de Gama & Silva.
., cada pega, fazenda muito superior, s o Pavo
a ra da Imperatriz n. 60, notando que a pega leva
urna etiqueta com o Pavo pintado para nio haver
duvida ih.'i engaos, isto previne o Pavo, de
Gama & Silva.
As chitas do Pavo S04OO e
2SO o corte.
Vendem-se cortes de chita com dez covados a I
20400, ditos a208OO com doze covados sao chitas in-,
glezas, mas padroes bonitos e tintas seguras assim'
tem as melhres chitas francezas e de tintas segu-
ras por pregos cmodos a saber 320, 340, 360,400, j
440, 500, ris o covado : na toja do Pavo a ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os bordados do Pavo.
Veodcm-se camisinbas com manguitos e golinhas
bordadas pelo barato prego de 10 e 10280 cada
ii m. manguitos s a 300 ris cada par, ditos com go-
linha a 80 ris.golinhas a 400 e 480 rs., de fil a !
240 ris cada golinha bordada, romeira de cassa 1
e de tilo muito bem bordadas a 20 cada urna, man-
(.Hitos que servem para calcinha de meninas a;
640 ris cada par, camisa com manguitos e golas
com a competente grvala de seda, fazenda fina
pelo baiato prego de 30 e muitas outras bordadas
que se vendem por prego muito em conta : s na !
toja do Pavao a ra da Imperatriz n. 60 de Gama & I
Silva
As ronpas do Pavo.
Vende-se panno preto fino muito superior pelo .
barato prego de 20, 20300, .10, 30300 e 49, dito ;
muito fino 50 e 60 o covado, casimira preta de
urna s largura e muita fina a 10800, 20, 20300 e :
30000 o covade-, cortes de casimira de cores a 50
50500 e 60, casimiras entestadas de urna s cor
proprias para caigas, paletots, coleles, capas e para
ronpas de meninos a 30,30500 o covado, isto : na.
toja do Pavao a ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Atoalbado do Pavo.
Vende se panno ae linho adamascado proprio na-'
ra toalhas fle mesa, pelo diminuto prego de 20300
rs. a vara, guardanapos de linho a 30 rs. a duzia,
toalhas de mo a 50 rs. cada duzia, na toja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
Vende-se muito barato um bom cavallo d \
cabriole!: para ver, na ra do Canno n. 13,e para |
tratar, na ra da Imperatriz n. 20, toja.

DE BRISTOL
As curas uiilngrosas de
ESCRFULAS,
TJXj iiiXUVS ARTIGAS,
ENFERMIDADES SYPHIUTICAS,
Erysipelas, Rheumatismo,
Nevralgias, Essorbuto,
etc., etc., etc.,
e dado o alto re-
quo tem
1101 ne
granjeado
Salsaparrilha de Bristol
por todas paitos do
Bmente devidas i
universo, eio tao
Cidade de Goiaima
Vendem-se e alugam-se bixas hambnr-
guezas por prego commodo : em casa de
Jos dos Anjos Avellar ra Direita jun-
to a botica do Sr. Francelino Ferreira
Crespo em
Ctofanna.
nica Legitima e Original
SALSAPARRILHA DE BRISTOL,
PKEPARA1U EXCLVSIVAMEXTE l'OR
LANAl & JEMP I)i: IVOVA YORK,
Mediante a receita do Di: C. C. Brixtoi
A venda as boticas de Caors & Barboza,
roa da Cruz, e Joo da C. Bravo 4 C, roa
da Madre de Dos.
AGENCIA.
DA
FNDICAO DE L0W-M00H.
Roa da Senzalla aova n. 12.
Neste estabelecimento contina a haver!
nm completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor |
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.
AUeucao.
Vende-se superior vinhe do Porto em raizas de.
urna duzia : em casa de Johnston Pater & C, roa
do Vi gario n. 3
LOJA 1)0 BEIJA FLOR.
! Ra do Queimado ns. 63 69.
Cmtts dwrirfes.
Sao chegados os lindos cintos bordados ooro,
peto barato preco de 20500 e 30000: no Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Fivellas para cintos.
Chegaram tambem ricas fivellas domadas e de
ago para cintos a 10000 e 10900 : no Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Peutes de tartaruga.
Lindos pentes de tartaruga, gosto moderno, a
50200, 50500 c 60000 : ra de Queimado ns.
63 e 69.
Penles de travessa.
Vendem-se pentes de travessa de novo gosto para
meninas a 600 e 800 rs. : s no Beija-llor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Pentes gara atar cabellos.
Lindos pentes pequeos para atar cabellos, pro-
prios para se andar em casa a 400 e 500 rs.:
no Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e 69.
Botdes de madrepcrola.
Tendo recebido um variado sortimento dos de-
sejados botoes para abertura da roopo, vendem-
se a 400 rs. abotaadura : no Beja-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
. Enfeites para senboras.
Lindos enfeites modernas a 20000 e 20400,
ditos de rede a |900 rs. : no Beija-flor, ra do
Queimado ns, 63 e 69.
lallieres para meninos.
Chegaram novos sortimentos de talheres para
meninos a 280 e 320 rs., ditos cabo de balango de
um hotao a 400: as tojas do Beija-flor, ns. 63
e*.
Liia para bordar.
Vende-se laa do superior (|ualidade e de lindas
cores a 60800 a libra : no Beija-flor, ra do Quei-
mado, us. 63 e 69.
Papel de diversas qualidades.
Vende-se papel de beira dourada paulado a
10200 e 10300 o pacote.ditossemserdouradoe nem
pautado a 640, 800 e 10000 : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Envelopes para cartas.
Vende-se envelopes de cores a 600 rs. a caixa,
ditos brancos a 640 e 800 rs. : no Beija-flor, ra
do Qneimado ns. 63 e 69.
Pentes dotrrados para atar.
Vende-se pentes dourados para atar cabellos a
10000,10200, 20800 e 30000 : no Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Penles para marrafas.
Vende-se lindos pentinhos dourados com podra
para marrafa a 10200 : no Beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Sapatos de traiga.
Vende-se sapatos de (ranga muito bons a 10500,
ditos de tapete a 10600 : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Balaios eom sabio.
Lindos balaios com 6 sabonetes- de varias frnc-
tas a 20500 cada um : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Xas mesmas tojas se encontrar lindo sorti-
mento de perfumaras e variado sortimento de
miudezas qne se tornara enfadnos menciona-las,
porm afanga-se ser tudo bom e mais barato que
em outra qualquer parte. ________
EXTRAORDINARIA
liquida cao de fazendas de todas as qua-
lidas'na luja e ariuazen da Arar,
ra da imperatriz i. 56, de Loaren-
ge Pereira MeodesGuiuaracs.
Atifiulam fregnezes 1
Sontembarque a I05, 12;5 e l.'ij pechincha.
Vende-se soutembarques muflo bem enfeilados
e de cores, para senhoras, a 100 120 e 150, ditos
pretos a 200,220 e 250 ; capas pretas do gros-
denaple a 200 e 250 : s na ra da Imperatriz a.
50, toja da Arara,
Cortes de chita a 2#400.
Vende-se cortes de chitas de cores ftxas com 10
covados a 20400 e 30200, cortes de cambraia de
barra a 20, dilos de salpicos a 20500 : na ra da |
Imperatriz n. 06, toja da Arara, de Mendos Guima-;
r3es.
Fazeudas especiacs para senhoras.
Vende-se gollinhas para senhoras e meninas a
240, 320, manguitos a 500 rs., camisinhas a 10,
10500, 20 e 40500, entre-meios e tiras bordadas
para enfeitar vestidos brancos a 10,10200 c 10400
a pega, enfeites para.casaveque a 10, gravatinhas
para senhora, muito finas a 10 e 10500 : na ra
da Imperatriz n. 56, toja da Arara.
Vende-se palitots de panno fino a 160, 140 e
120, ditos saceos com lilas a 120, 100 e 80, ditos
de casemira linos a 100. 80 e 60, diios sem fita e
40500,50, ditos de brim a 20500, 30, 30500, ds
alpaka a 30 e 30500, calcas de brim e de gangas
20, 20500 o 30, dilas de meia casemira a 30500 n
40500, tinas a 50, 60 e 70, coletes e camisas I'rau- i
cezas a 20 e 20500 e 30, seroulas de algodao a
10600, de linho a 20, e colarinhos a 400 rs. : na
ra da Imperatriz n. 56, toja da Arara. >
Vendo-se colchas de chitaba 20, de damasco a
40, defaslao a 50 : na ra da Imperatriz n. 56,
toja da Arara.
Vende-se panno de linho para tonques e serou-
las a 640 rs. a vara, brim liso de Hamburgo a 500
e 560 rs., lencos de seda a 800 rs. e 10 : na ra
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Bramante da Arara a 2o00.
Vende-se bramante de linho com 10 palmos
de largura a 20500, dito de 12 palmos a 20800
a vara, chitas para cobertas a 320, 360 e 4C0 rs.,
dita encarnada muilo fina a 480 rs. o covado, chi-
tas para vestidas a 240,2&0, 320 e 40U rs. o cova-
As percalas da Arara a 500, :m e 600 r*.
Vende-se finas chitas percalas a 500, 560 e 0O
f-J'P^0 Pev38 40o'JO e o0OOOa peca, dilas para cortinados com
: na loja da Arara, ra da Impera-
Vende-se
(ai.
Velas de eoHtpoaico
Vendem-se velas de composigo de superior i
qualidade, sendo a luz superior s stearinas, pro-1 Vende-se latas de cinco galoes 110500 e gar-
pnas para casas particulares : na ra do Vigario rafa 500 rs. garante-se a qualidade : na ruaDi-
fabnca n, 26..____ ; reta ns. 99 e 100.
Ferros para ourives.
Na
dem-se Ipctns os ferros e utencilios de ourives.
Vende-se um escravpd28 ahnos, perito co-
ra larga do.Rosario n. 21, loja de joias,*vea-, zinheiro, e com especialidade de massas e doces,
que se da a contento : na ra das Larangeiras n.
18, sBguodo andar, das 7 s 9 horas da manhaa,
achara com ijucm tratar.
Vende-se cal ito Lislwa muito superior e a
mais nova que ha no mercado : no trapiche do Cu-
uha, ra da Moeda n. 1.
Vende-se urna armacao de amarello para es-
criptorio, com balaustre e com porta, obra de gos-
to : a tratar na ra do Mondego, otarla n. 13.
Esleirs do Aracaty
Vendem-se na travessa da Madre de Dos n. 10.
Charutos de Iavana
de superior qualidade vendem-se cm casa
(de Schaleitliri um lindo moleque de idade de 10 annos, dous es-
cravos para todo o servico, ama escrava boa qui-
tandeira : na travessa d Carmo n. 1.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gazda melhor qualidade a 12(5
a lata e em lotes de 10 latas para cima se
fara abatimento. no armazem da ra do Im-
perador n. 10 e ra do Trapiche Noto n. 8.
llalaies para meninas.
Lindos balaios de varios gostos para meninas
trazerem no brago : s se encontra na loja do Bei-
ja-flor, ra do Qneimado ns. 63 e 69.
--, Extractos e sabo em eahinhas*
Lindas caixinhas com um cartao com a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco ou sa-
bio o mais fino que c possivel: na toja do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Cilindros para nadarla.
iNa padaria da ra Direita n. 84 ha para vender
os cenhecidos c acreditados cylindros para pada-
ria, ltimamente chegados d America.
do : esta pechincha, tao barata, s se pude eocou-
trar: na ra da Imperatriz n. 56, toja da Arara.
A Arara icima, na vende, queima.
Vendem-se baloes de 16, 20, 25 e 30 ancos a
20240,20500, 30, 30500 e 40, ditos do musselina
a 40 e 40500 : na loja da Arara, ra da Impera-
triz n. 56.
Vende-se challes de lazinha a 10600- e 20, ditos
de merino a 20500 e 40500, ditos lios a 60, ditos
estampados a 70 : na loja da Arara, rna;da Impera-
triz n. 56.
As laziubas da Arara a 210 rs. o covado.
Vendem-se lazinhas para vestidos a 240, 320,
400, 500 e 560 rs, o covado, ditas muito finas de
cores, lisas, de lyrio, de rosa, azul e encarnada
a 600 rs. o covado ; na ra da Imperatriz n. 56,
toja da Arara.
A Arara vende chitas a 110 rs.
Vendem-se chitas para vestidos de cores lixas a
240e 280 o covado, ditas francezas a 320, 360 e
400 rs., cassas de cor a 280 e 320 o rovado.organ- j
dys a 320, 280 o covado : na loja da Arara, roa I
da Imperatriz n. 56.
A Arara vende cortes de la a Maria|I'ia.
Vende-se cortes de la com barra a 80, ditos
finos a Mara Pa por 180000, liazinhas a Maria
l Pia a 460 e 800 rs. o covado : na ra da Impera-
triz n. 56. loja da Arara.
A Arara vende madapolao a 600. 7;>. 84,
m e m.
Vende-se madapolao fino de 24 jardas, n. 60 a
60500, dito n. 7 a 70, dito n. 2, 80, dito de mar
ca duas crtizos a 90, dito S a 100, dito II H a 110-
ditoB b a Vil, todos estes madapoldes sao muito
finos ; algodao a 50 e 60, dito carne de vacca a
i 60500, dito mestigoa 70, dito sictipira a 80,ditode
' diversa qualidade a 80500, do pao ferro 90 a pega
de 20 jardas, todos estes algodoes sao de boa qua-
lidade : na ra da Imperatriz n. 56, toa da Arara
de Mendes Guimaraes.
1
A Arara vende brim trucado de linho a 1#200.
, Vende-se brim trangado de linho branco para
caigas a 10200 10400 e 10600 a vara, dito pardo
de linho a 640, 720, 800 e 10120 ; bretanha de
; linho a 640 e 800 rs. a vara ; ganga para caigas e
: brim de cores a 500 e 480 o covado, cortes de ca-
semira preta para caiga a 30500 e 40, ditas finas
j e de cores a 50, 50500 e 70 o corte : ua ra da
1 Imperatriz n. 56, loja da Arara.
20 varas a
triz n. 56.
O proprietario da loja e armazem da Arara 1 e-
commenda toda a atlengao aos Srs. freguezes que
mandem ver as amostras de todas as fazeudas qn
annuncia, prometiendo vende-las barata, pois que
a Arara leima, nao vende, queima.
MACHINAS UlmETE
de trabalhar mo vara
descarocar algodao
FABRICADAS
Por Plant Brothers & G.
OLDAM
Estas machinas
podem descare gar
qualqner especie
de algodao sem
estragar o lio,
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; ri.V.
descarogar urna
arroba de algty-
dao em carooo
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algcdip
limpo.
Esta machina
a nica que
possue as vantagens de nao destruir o to do al-
godao e de fazer render o dobro de qualquer ou-
tra com menos tralialho, a sua introduegao para
as provincias deste imperio ser de mnita valor
para lodos os iuleressados nV lavoura do paia.
Assim com machiuasem ponto grande do im-s-
mo systema.oraql serem movidas por anin
agua ou vapor, pas uaes podem descarogar 18 <-
robas de algodao ampo por dia.
O algodao descarogado por estas machinas tem
muito mais estimagao nos mercados de Europa o
vende-se por maorpreg.
As machinas se acham venda nicamente em
casa de
Saunders Brotkers & C.
:*. II, praca do Corpo Santo
HECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
ESCRAVOS FGIDOS.
Fugio na noite de 23 do corrente jtilho de
1864 o escravo Jos, preto, crioulo, (te 26 annos,
baixo, corpo regular, beiyos grossos e estufados,
ore Ibas pequeas, e cachago grosso, pouca barba
porque tem apenas na pona do queixo, levouduas
caigas, urna branca e outra de castor escuro que
parece preto. de listras, paletet preto, sera camisa,
e com urna carapuga encarnada na cabega, a laia
de marujo : quera pegar leve-o ra Direita u.
54, que ser generosamente recompensada
Fugio na tarde do dia 16 do corrento iini
escravo pardo, de nome Marcos, desembarcado
do hiate Santa Anna, vindo do Aracaty, tendo
de idade 28 annos pouco mais ou menos, e os sig-'
naes spguintes : altura regular, secco do corpo,
penca barba, cabello crespo, levou can,isa e
calca de algodaosinlio de risrado azul e cha-
peo de palha, tendo levado comsigo urna tronxa
com mais roupa, e rendido de urna das venlhas;
quem o appreender queira leva-lo ra da Madre
de Deus n. 38. ou ra do Brum n. 55, qne ser
recompensado.
Muita altenco.
Ha dias fugio o escravo africano, de nome An-
tonio, levando caiga e camisa de baia azul es-
cura : quem o encontrar e levar sua senhora ,1
baroneza da Victoria, ra do Hospicio, ser bem
gratificado.
Desappareceu da villa de S. Bento, Faseada
do Agudo Novo, duas burras, sendo urna pret;; o
outra castanha escura, e aquella maior do que esta,
e ambas tem a marca A ; rogase pois a quem as
adiar ou a quem deltas tenlia noticia, de dirigr-M
mesma villa Luiz Paulino de Valenga ; ua. i-
dade do Recife ao Dr. Fenelon Alroforado, mac")
Imperador n. 4 ; ou a Antonio dos Santos Siqaeira
Cavalcanti no engenho Bellomonle, que ser re-
compensado. O mesmo aviso se faz s autoridades
policiaes para que as apprehendam.


\
LISTA GERAL.
10o"
DOS PREMIOS DA M. PARTE DA 1. LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 02, PARA AS OBRAS DA MATRIZ DO OURICURY, EXTRAHIDA EM 24 DE AGOSTO DE 1864.
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PRE.MS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. INS. PREMS. ,NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PMEMS' NS. I'IIK\IS
1 60 175 60 333 60 508 60 714 60 903 60 1066 60 1246 60 1418 60 1564 120 1753 60 1913 60 2078 60 2243 60 2405 60 2565 60 2750 60 2348 60 3153 C5 3331 60
9 76 35 9 15 *~ 9 73 120 51 19 66 60 54 18 _ 79 _ 45 8 __ 73 54 53 63 200 33
17 77 38 12 17 --- 12 7i 60 55 20 74 56 19 81 46 . 9 __ 74 55 54 73 60 41
18 80 39 14 21 13 78 59 21 86 400 6/ 24 _ 85 49 __ 10 _ 80 59 56 76 200 32
22 81 46 24 - 23 --- 14 80 64 22 87 60 58 26 87 50 11 &3 61 58 120 60 79 60 54
26 86 47 25 31 16 81 65 24 90 62 27 88 52 __ 13 88 64 59 30 55 200
28 87 200 48 26 36 20 120 82 67 26 98 bo 32 92 54 _ 16 91 65 62 82 56 60
m 92 60 50 32 38 ~ 22 60 84 68 27 1600 _ 75 34 _ 93 59 20 92 66 _ 64 83 57
34 93 1000 52 33 39 23 89 69 28 1 76 35 _ 95 63 27 93 71 _ 68 84 65 _
39 . 97 60 54 34 47 27 120 93 71 30 2 80 38 __ 2102 64 28 94 86 120 60 69 85 _ 66 _
50 98 62 36 49 28 60 98 72 31 3 200 81 120 52 "__ 7 65 _ 29 97 90 72 _ 89 68 _
53 99 63 48 50 31 99 120 73 33 4 60 82 00 53 _ 8 66 30 - 2603 400 92 79 92 _ 71 __
56 120 200 64 59 1:4000 53 34 1102 60 78 36 7 86 ~ 55 10 69 120 35 5 60 97 _ 80 __ 98 __ 75 _
39 60 1 66 61 120 55 35 8 79 38 ~ 9 87 38 11 70 60 42 13 99 ^_ 84 3201 __ 77 mm
62 2 67 63 60 63 39 10 _ 83 42 13 _ 97 61 12 200 72 45 120 15 2800 91 4 _ 78 __
63 7 71 60 66 41 13 __ 84 . 44 20 __ 98 62 14 60 75 __ 47 60 17 3 7 9 92 5 __ 86
67 M 8 400 76 68 __ 70 48 16 __ 86 48 21 _ 1800 67 _ 15 76 49 19 96 6 87
68 __ 16 60 78 82 72 50 20 200 90 51 28 1 69 24 81 50 24 120 60 3005 9 __ 91 __
70 --- 23 81 83 400 73 60 25 . 60 96 56 33 3 70 26 82 51 25 14 9 14 __ 92 _
74 _ 24 85 89 *0 J5 200 61 120 29 1301 64 " 34 120 4 71 29 1000 86 oa 26 200 24 28 10 18 _ 96 _
76 _ 25 86 90 70 60 62 6* 31 __ 7 ~ 68 37 60 5 72 32 60 88 57 31 60 11 19 _ 3401
78 --- 30 87 91 _ 77 120 69 36 ___ 10 70 41 6 73 33 91 61 32 31 15 M _ 7 9
83 --- 31 90 96 __ 78 60 74 37 12 71 42 7 77 1000 37 94 120 65 34 39 18 * 1 30 2000
85 --- 35 120 98 98 , 8.1 77 39 _ 13 73 50 8 120 82 60 38 96 200 VI 37 41 19 31 200 11 15 19 24
86 --- 36 60 409 600 __ 84 84 43 15 77 51 10 60 88 39 2303 60 72 38 400 OO0 42 ?n 33 60
88 m 37 12 1 _ 807 _ 87 44 _ 16 78 52 13 96 41 9 73 39 50 23 38
92 --- 38 23 2 2U0* 11 96 46 __ 23 79 81 86 200 54 18 2002 1000 42 10 _ 77 41 60 53 24 40 _
93 --- 40 24 120 5 6 16 97 52 29 60 56 19 3 60 45 11 _ 80 44 ~ 53 27 45 _ 25
94 120 41 28 60 6 19 1008 55 32 --- 60 22 6 47 13 __ 84 46 62' 29 46 _ 30 32 33 37 120 60
96 97 120 120 42 52 29 38 z 7 23 % 22 24 I 9 15 59 77 35 38 92 94 97 61 65 28 33 __ 9 12 48 61 z 14 15 120 87 91 200 48 49 65 69 36 44 51 57
98 60 56 39 30 400 28 16 84 48 66 1000 35 13 120 62 22 60 92 60 39 ~ 74 ^^ 50 _ 64
103 08 m 40 34 G0 30 17 86 49 1501 67 60 38 14 60 64 23 95 62 ~- 76 58 68 39 40
4 _ 59 60 43 36 120 31 . 21 88 53 3 73 43 15 66 . 24 _ 99 63 84 59 _ 75 ^
7 _ 62 120 46 38 60 32 24 89 56 4 120 76 49 22 70 30 ^_ 2300 64 86 74 79 __ 41
8 __ 63 60 47 39 36 25 93 57 6 60 91 52 26 __ 72 32 _ 3 _ 68 87 81 _ 81 _ 44
18 __ 68 200 50 400 45 42 26 94 60 8 ' 94 57 34 77 33 ^_ 21 __ 71 90 83 ___ 85 45
21 74 60 38 60 47 44 27 97 61 11 1701 61 1 37 90 50 __ 24 __ 74 93 120 85 ^_ 87 51
26 78 59 49 50 30 98 62 12 8 71 39 _ 93 54 _ 29 __ 78 99 60 86 __ 88 55 ^mi
34 77 61 50 200 51 _ 31 1216 63 14 200 11 74 40 95 ' 58 __ 31 _ 84 2904 89 __ 89 57
36 79 65 56 60 52 33 18 66 17 120 12 77 120 44 __ 98 60 200 35 mJ 90 7 3102 mm 90 120 60
40 88 66 59 54 35 19 67 120 19 60 18 84 60 81 _ 99 61 60 38 _ M 9 . 9 M* 93 60 61
41 91 78 62 63 36 400 20 70 60 22 120 19 120 88 52 2202 63 39 94 10 __ 18 --- 98 ' 69 _
43 95 ~ 79 65 66 43 60 22 71 24 60 20 60 89 56 8 120 69 40 27W 11 20 200 3301 200 72 ^m.
45 96 80 i 67 68 45 23 400 72 33 22 91 93 57 9 120 72 120 46 4 f 18 i*7i 21 60 3 60 75 _
47 200 99 86 72 70 200 46 24 60 76 34 26 *# 58 16 60 74 * 0 48 2000 3 , 21 22 6 76 .^
50 C0 301 88 __ 74-. 73 60 47 27 , 77 39 27 94 59 18 i 75 50 0 9 120 22 26 8 7 _
32 4 89 _ 76 __ 77 52 29 78 200 42 34 96 * 61 000 25 200 76 51 53 54 11 60 23 '._ 27 13 8
53 _J 12 120 90 85 _ 89 _ 54 31 120 79 60 43 35 98 ^ 64 60 28 60 87 __ .16 26 400 34 17 82
59 15 60 94 96 ^ 92 55 34 60 80 51 36 99 67 31 88 19 12* 30 60 38 18 84
6i __ 16 96 704 120 93 36 85 52 41 1900 69 32 89 56 42 120 38 42 22 _ 86 __
63 17 98 5 60 96 58 37 87 56 42 1 71 35 93 87 200 45 H 38 129 44 24 82 __
M li 26 502 8 97 _ 3 39 1401 58 m 44 6 _ 73 38 96 58 400 46 40 60 46 26 01 _
67 60 28 __ 4 11 99 _ 64 43 7 60 0 48 11 ' 74 200 3 97 60 60 48 44 j 47 29 _ 95 __
69 "29 120 5 12 '901 dro das Neves. -"- 65 " 44 14 200 61 - 51 14 77 0 41 2*00 62 49 6 49 30 6:0000 1864 3800
Oescr Wio, 1 086 P Pern. -Typ. de M. F. dt Faria Filh
-

f


V
-*-* t ;_> -, *



I
lo de' Prrnnb
Quinta lelra 6 de Agosto de i *4.
SGIEPC1AS E ARTES.
LITTERATDRA.

i ILHA M-CRETA.
Rrrerdares de Tinge
n

rEitiA, solido, liquido gazoso syw- Os habitantes: Turcos, Gregos eSfakiotas-A ilha''nS' M S COnsuIeS-
k Akalysb da acca-xa WATTBMA Mi depois da guerra da independencia Os gregos, com seu espirito .vivo e subtil pene-
Cont.nuagao.) traco, comprehenderam logo as vantagens dessa
m dos mais notaveis mcmbros dessa familia' situaco, os Parios turcos, apezar de lerem a
A UATKIUA E A FORCA DA MATEUIA QUE SE TRATA
CLASSIFICACO CHIMICA DOS CORPOSA1FINIDA-
JiBANAI.VSE PO AnAGUA NA ATIIMOSPHEA
ACIDO CARBNICO 0XIKXI0 ti AZOTEESTADOS
DA MATEBIA
TIIESB
MOITO
A BESP1RAQAO UMA COMBUSTAu COIU'OS SIAl-
l'LBS B CORPUS ClBIPOSTVS LF.IS DE OMUINACAO
DOS COIU
tkhia-th
NAjQOBB
TOMOS DOS
DADEIKOS COBPOS CJU'OSTOS PBWCIWO DO DR.
PHOLT E DE DOMASANAI.YSES DO SR. STASCON-
S DERAgOES FINAES.
(Conclusao.)
O Dr. Prout, chimico ioglez, estudou em 1813 a
jnesto das relagoes entre o peso dos tomos, que
naquella poca se achavam bem determinadas, c
ahou que, tomando para unidade o peso atmico
d hydrogeneo, os pesos atmicos de muitos onfros
carpos, considerados simples, eram mnltiplos da.
quelle peso unidade. e mltiplos por nmeros pou- '' succumbio Pouco depois em Mokho, em Creta,
co elevados. sessentt quatro homens, que haviara na
,^ familia em 1821, s dous Boirerivanm
Desta observagao tirava-se a consequencia quo | mortifera luta sourevneram
. 03 corpos, considerados simples ou elementares,
-{m verdadeiros corpos compostos. sendo o tomo
Agora, em toda a parte onde essas potencias
tivessem un agente, os ratos sentiatn-se protegi-
do?, eos turcos vigiados e reprimidos. Nacapi-
tal, o sulto c seus vlzires, as provincias os pa-
zaglies ou gendarmes irregulares, que encarrega- os seus osos, a roa sociodade, pooco mfferem de
do da polica da ilba.
Esses estrangeiros, nao possbindo propriedades
nem interesaos ne paiz, vi vendo apenas de seus sa
m chas, caimacn e mudires eneontrariam sempre larios e nao podendo esperar favor algum do pa-
-ntre a sua autoridade e os raias, aqoi os embai- cha, sao mals dedicados ao poder soberano e o
uinpenhaiU no principio do seclo.
No primeiro periodo da insurreico, elle distin-
guio- sob o seu nome christao de Michali Kur-
mulis. Era o archegos ou chele grego de toda a
provincia de Megalo-Kastro, e morreu em Hvdra
no anno de 18zi. Occupou seu lugar seu Bino,
Kiswan-Aga, que adoptou o nome de capitao Deme-
trio, e fo morto em Alhenas.
Seu irmo Mustapha-Aga (o capitao Manolo),
a essa
Diz-se que em 1824 tres Kermuhdas foram exe-
lo hydrogeneo o que representa o tomo da mal IJJ j 2JS?*jW,T <* ordera d
ria una e primordial. Esta theoria foi calorosa-i v ''
mente defendida na Inglaterra ; mas a autoridade Propz-sc-lhes que por meio da apostasia salvas-
do Berzelius oppunha-se adopcao das premissas
do Dr. Prout, e por isso a luminosa idea da unida-
de da materia, determinada pela relacao dos pesos
atmicos, foi durante alguns annos abandonada ;
iiavendo apenas, de ternas em lempo?, algumas ob-
servacoes de chimicos notaveis, que parecnram con-
firmar as preposices interessanles do Dr. Prout.
Em 137, um chimico Ilustre, o Sr. Damas, pu-
liliooii o resultado de tangos trabalhos sobre a dc-
torminago do peso atmico dos corpos, c sobre as
relagoes numoricas desses pesos : ora, segundo as
observagos do distincto chimico, Tinte e dons cor-
pas elementares teem um equivalente chimico, que
um mltiplo exacto do hydrogeneo. Sendo 1 o
peso atmico do hydrogeneo, v-se, segando as ob-
servacSes do Sr. Dumas, que o peso atmico do
oxygeoio 8, o do enxofre 16, o do azote li, o do
alcium 20, o do carbone 6, etc.
' Em sete corpos elemeutares os pesos atmicos
sao mltiplos de melado do peso atmico do hydro-
>;oneo; era tres a relacao com um quarto do
equivalente do hydrogeneo. Assim, pois, o Sr. Du-
mas acceita a lei do Dr. Prout, com todas as suas
iirilhantes eoBscquencias; mas considera como de-
endo servir de unidade, nao o tomo do hydroge-
neo, que elle mesmo composto, mas sim um to-
mo metade menor.
O Sr. Stas chimico tito digno de consideraba0
ola sua sciencia, como eslimavel pela sizudez e
sem a sua vida e obtivqssem a liberdade de suas
mulheres e fllhos, que tinham sido feitos prisionei-
ros ao mesmo tempo que elles; mas, tanto em pre-
senca do pacha, como no proprio lugar do supplicio
e sob a lamina do cutello, rejeilaram elles com in-
dignacao urna tal olforta.
Xas tres noules, que se seguiram execucao, o
b.spo de Retymo ia sempre ao lugar onde seus
corpos anda jaziam abandonados e insepultos: via
ah. urna luz, accendida sera duvida por Dens mes-
mo, que desoa 0 pousava, como urna brilhante
aureola, sobre os corpos desses martyres.
Tendo noticia desse milagre. os chrislos os tira-
ram d'aii e repartiram entre si como reliquas as
ensangoenfadas vestes das tres victimas.
Da posse de tao ambicionados despojos, resulta-
vam as mais preciosas vantagens: adoecia alguem,
basttva queimar-se no quarto do doente, junto ao
leito, um pedacinho desses sagrados tecldos, imrae-
diatamente elle recuperava a sade.
Bem se v que nessa desigual e pertinaz luta,
que os christSos sustentaram tantos annos contra
um inimigo superior era numero o que se renovava
continuamente, foi para elles um poderoso e efflcaz
estimulo o enthusiasmo religioso, tanto mais arden-
te quanto menos era discutido e refleclido.
Davam-lhes forca essas mesmassnpersticoes cuja
simphcidade nos faz sorrir: a esses homens, que
combatiam e raorriam pela f, davam ellas a con-
jxavidade do seu oaracter, emprehendeu um longo viegao de que o eus que invocavam os ouvia
trabaWie, para a determinado ngoro?a do peso nao os abandonara mostrava-lhes, nessas mila^
grosas c salutares virtudes conferidas Is ultimas
vestes dos martyres, um evidente signal da protec-
gao divina, o penhor certo de um prximo tri-
umpho.
A- essa sent ment de f christaa, achava-se
reunido um outro que quas se confunda com
elle : apesar de tantos seculos de oppresso e de
miseria, o grego nunca deixou de ter conflanga na
sua raga, e de esperar secretamente que mais tarde
ou mais cedo soaria para elle a hora da resurrei-
go e das represalias.
Com quanto terminasse a guerra por urna dolo-
rosa decepgo, o conjuncto dos acontecimentos a
que ella deu lugar, era de natureza a despertar os
bros dos gregos cretenses, dar-lhes consciencia de
suas forgas, e fazfi-los augurar bem do porvir.
Sustentada por ambas as partes com o feroz
encarnigamontode que tentamos dar urna idea, essa
guerra de nove annos doixava a ilha arruinada,
poore e despovoada a peste, o incendio, o trafico
de escravos, ajudaram os alfajiges a despovoar as
cidades e aldeas e a destruir os bracos que culti-
vavam a trra..
Grandes exlensoes de terreno, que outr'ora pro-
duziram abundantes messes, achavamse em com-
pleto abandono.
Nos lugares onde se offereciam admiragao dos
viajantes bellas planiagoes de oliveiras, j nao se
viam seno troncos ennegrecidos pelas chammas, e
o chao juncado de cinzas e de ramos seceos.
Parece que o mais implacavel de todos os fla-
fellos, a fome, incumbise de perpetuar os males
da guerra e de roubar ilha os poucos habitantes
que Ihe restavam.
O viajante rancez Olivier, em 1795, calculava a
populago da ilha, segundo certas informages que
parecam merecer crdito, em 240,000 almas, quas
egualmente divididas entre as duas religioes.
alomfco de nm certo numero de corpos simples, e-
a indagago .das relagoes entre os pesos atmicos
densas corpos.
Em resultado das uas observagoes o distincto
sabio chegou a conclusao de que nao existe com-
fnum divisor entre os pesos dos corpos simple?, que
sa onem para formar todas as rombinacoos defini-
das : conclusao inteiramente contraria preposi-
cm do Dr. Prout, e do Sr. Dumas em quanto se
considera o hydrogcnio, ou metade do peso atomi-
co.desle como o typo de comparagau, a unidade
dos pesos atmicos.
Adiniitida porm, o que conforme com a razao,
com a experiencia e com a ohservacao das leis
physlcas dos corpos, a idea de qu? estes sao forma
imples s sao immutaveis relativamente aos nossos
iiieos de analy-e, nao se podendo julgar que o se-
jam em absoluto; attendendo a que os posos atmi-
cos de umitas destas substancias teem entre si rea.
;>5es simples, chega-se se nao a convieeo, ao me-
nos a bem fundada Bupposigao de que a materia
urna ; c de que s as causas que itilluem no gru-
iamento dos tomos da materia primordial fazem
com que ella se nos aprsente com varias proprie-
iades.
V influencia das causas physicas que ns pode-
dios promover manifesla, mesmo em muitos a>r-
j>os solidos; podendo essas causas fazer com que o
resino corpo se nos aprsente com propriedades
diflerentes.
Citaremos apenas os dous carbonalos de cal, o
ipatho de lslundia e a arraynnile, que, tendo a
mesma composigao chimica, apresentam formas
chystalinas, propriedades pticas, densidade e du-
feza diversas; e o enxofre, que se aprsenla com
propriedades dbtiuctas segundo a accao das causas
physicas que sobre elle actuara.
Ora, se as causas physicas de que nos podemos
dispr podeua ter tama influencia no grupamento
dos atoraos tanto de corpos simples como de corpos
compostos, porque nao haremos nos de adinittir que
as causas physicas poderosissimas que actuam en-
tre as partculas da materia sejam rapazas de pro-
duzir todas as differengas que nos vemos entre os
corpos denominada simples ?
A unidade da materia parece-nos extremamente
provavel, quas certa; mas o que se nao podo
tomar o hydrogenio como o corpo symples por ex-
celencia, o corpo em" que os tomos da materia
urna se achara, por assim dizer, a n : nem mesmo
o pode considerar que a unidade absoluta do peso
atmico csteja n'uma relagao tao simples com o
liydrogeniocomo as quo se tem proposto.
. Os tomos dos corpos sao tao pequeos que nos
nao temos meio algum de os distinguir uos dos
outros, anda mesmo empregando os mais fortes
instrumentos de augmentar, os mais perfeitos mi-
croscopios.
As investigagoes microscpicas de um celebre
naturalista, Eheremberg, provam que os tomos
devem ter um dimetro muito mais pequeo do
que 1/6000000 da linha.
que mesmo naquelles lugares onde era desejada a
sua volta, j nao os possuiam como antes da in-
Bsurreigao.
Os turcos cretenses, especialmente, aebavam-se
extremamente desanimados; lembravam-se das
crueis derrotas, que tinham soffrido dos seus com-
patriotas, viam-se em numero rauito redozdo,
pobres e enfraquecidos a todos os respetos. De
muitas familias, nao restavam seno as creancas
e os velhos; durante todo o tempo em que os
musultnanos estiveram captivos has pragas fortes
suas ierras conservaram-se incultas; quando o
desfecho da lula Ihes permittiu voltarem s suas
casas, acharara os campos cobertos de urzes e as
oiiveras arrancadas. Faltava-lhes dinheiro e bra-
cos para de novo darera valor a essas ierras;
muitos delles trataram logo de vende-las por di-
minuto prego, por um pouco de dinheiro vista,
a qualquer christao que tivesse nm pequeo cas*
tal disponivel.
Obrigar os ram, como outr'ora, a trabalhar
sem salario por conta dos ajas o dos beys, domi-
nados por meio de violencias, e intimida-los, era
cousa em que nem deviara pensar. As tropas do
Egypto, que conservaram Creta ao mahometismo,
continuavam a oceupar a ilha", e em 1830 o con-
venio das potencias alliadas, anecronado pouco
depois por um firman da Porta, ve reunir Creta
ao vice-reinado de Mahemet-Ali.
A Europa adoptara esse convenio, porque sebia
que o governo egypcio era mais forte e mais h-
bil, mais capaz de fazer-se obedecer do que o go-
verno turco, e o sultao tambem nao pode recusar
urna tao pequea horaenagem o generoso vas-
sallo que por sua causa sacrificara tanfo dinheiro-
e tantos homens, e sepultara as aguas do golfo
de Navarino a mais bella esqnadra, que- ha muito
tempo tem feito tremolar ao vento o paviffiSo otto-
mano.
A administrago egypcia mostrou-se em1 Creta
o que era as margena do Nito, o que foi na* Syria
rigida, implacavel, se coraco, vida de Jucros-)
mas a maior parte das vezes intelligente, sempre
firme, e muito decidida a eorpregar todos os meioi
para que tudo se dobrasse sua vontade de ferro,
por interesse finalmente, isema de todo o fanatis-
mo e bastante mparcial entre os musulmanas e
os christos.
Alias, era mais fcil a qoen governava Creta
em nome de Manemet-Ali reconciliar-se com os
christos do que agarrar a affet^ao dos musulma*
nos.
Os turcos, que sobrevivran* j> guerra, curva-
vasMe trmulos sob a severa mao de um governo
imperioso e forte; dissimulavam mal a sade que
tinham da antiga anarchia e da avtforidade pura-
mente nominal, que- a tolerava com tanta pacien-
cia. Mahemet-Ali rrao hesitou em dar-lhes exem-
plos.
Arguns turcos dtr distincglo, rendo deixado
transpirar o seu desconlentamento e* tentando re-
novar os amigos abusos, foram, env30 e 1831#'
uas, decapitados, e outros, enviados para o exilio
on> encerradas em prises. Esses rigores produ-
ziram muita sensagao;
Os gregos, dos quaes muitos tinham abandonado
a Uha, quando tiveram noticia do novo tratado,
que a restitua aos musulmanes, regressaram em
chusma. Fundaram-e em Megalo-Kastro e em
Kania dous eonselhos, encarregados de decidirem
as appellagoes de todos os processos-r eram com-
postos de turcos e gregos era egual numero, e pa-
rece que se alguma vez as suas sentngas pecca-
vara por falla de equidade, era da lado dos gre.
gos que a influenciado pacha fazia pender a ba-
lanea.
Em cada districle- foi organisado um tribunal
destinado a julgar nm primeira instancia ; urna
gendarmerie irregular, a maior parte formada de
Albanezes, foi incumbida de garantir a execugao
das ordens soberanas, e no lim de um anno desse
rgimen, a ilha gozavade urna ordem o de um so
ceg que nao conhecia, hava muito tompo. De-
pois da queda do dominio veneziano, nunca mais
um christao pae julgar-se tao seguro do dia se-
grate, pois nunca sentiu a sua vidae os seus bens
tao efficazmente protegidos.
Os beneficios desse rgimen eram. devidos espe-
cialmente a dous homens, Osmaa-Nourreddin e
Mustapha-Pach, que organisarara. a provincia
Em 1834 pelo contrario, M. Pashley, baseando-se i egypcia. Osman-Nourreddin-Bey, um dos melho-
em urna especie de inquerito, a que elle mesmo' res e mais esclarecidos homens que- o vice-rei teve
procedeu com minucioso cuidado durante a sua
residencia na ilha, contava nella 129,000 habitan-
tes; desses quando muito uns 40,000 eram musul-
manos.
a seu servgo, s desempenhou em Creta commis-
soes temporarias ; porm Mustapna, que viera pa-
ra a ilha em 1821 comas primeiras tropas de lbra-
him, governou-a durante 22 annos,. desde 1830 ati>
De sorte que, apezar de tudo o que soffreram os | J832 : merece, portanto. que se falle delle cora
chistaos, a proporcao numrica eslava mudada a mais minuciosidade. Era ura Albanez das cerca-
seu favor, e, no Qm dessa luta, na qual pareciam ter nias de Cvala, como tambera. Mahomet-Ali, a cuja
sido derrotados, formavam elles dous tergos da' familia, segundo dizem, elle achava-se ligado poc
populago total de Creta. lagos de remoto parentesco e pelas relagoes de I ni3>omle foi completamente derrotada, nem na
A causa disso era que, apesar de sustentarem a vizi"haBga. Q"000 chegou Crea, era um seL- ilha e Cre,a> de onde uma subtevagSo geral o ex-
. um-uioiuin,______________ __ ________ ___ imtoin nn nm natnta anima 1.^1 .,:..,..____.. ._
servem muito melhor.
Todos os pequeos governadores que vi pelas
cidades e aldeas cretenses eram desses soldados
aventureiros, estabelecidos na ilha ha mais de 30
annos. ta* -1
Nunca mais linham yoltado patria, mas nem
por isso esqoeciam a sua lingua.
Os arnautas formam em Creta urna colonia tao
numerosa que o idioma que mais se falla na ilha,
1 depois do grego, nao por certo o turco, mas sim
o albanez.
Os velhos chefes mandaram vir das suas monta-
abas os filhos dos seus prenles e amigos, e intro-
duziram-se entre os yapties, que se acham espalha-
dos pelas principaos aldeias, em bandos de 10, 15
ou 20, conforme os cantoes.
Esses desgragados sao muito mal pagos; pela
maior parte andam cobertos de andrajos.
Era certas provincias do imperio fariam muil
mal e viveriam custa dos habitantes; mas ali,
solados no meio de uraa populago bellicosa, que
fcilmente maneja a faca e a espingarda, teem elles
medo e conservam-se socegados,
Alm de todo, a autoridade que nao gosta de apa-
siguar revollas, aperta-lhes sempre as redeas.
Muitas vezes descangaroos durante o dia e at
passamos algum noutes nesses corpes de guarda
atbanezes; sao pousadas que nada teem de agrada-
reis, mas com as quaes era preciso eontentar-
mo-woj", por nao hwverem outras mellicres, em
cerlos lugares desertes,
A sala baixa e enfemagada; as pared estao
pendurada as armas mal tratadas.
Os leaos de campaohe,. eom os colxes ledos
manchado e rotos, e os trapos que servem de
cobertores, sao de uro* falta de aceio resol-
tante.
Estendido nessas enxergas, dormem ou fumam
alguns arnautas.
Todos elles- estao no maior negfig; um barrete,
que em outros- lempos foi braceo, cobre lhes o alto
da cabega, er v*z do turbante- que reservam para
o grande uniforme.
Cahem-lhes pelos hombros es- longos cabellos,
qoe parece nunca' terem visto pentt?.
A nica roupaqne lhes cobre- o- corpo urna ;
camisa rota e urnas-bombacha?.
Sapatos esburacados on velhos, botas-, semelhan-!
le a de que usara as ontros habitantes- da ilha.'
sao o seu calcado.
Salvaalgnmas rarexcepc5es, dks as ahysio- '
nomias teem um ar ik familia que se nota pri-1
meira vista; teem lodas- a mesma arpressa, nao
de maiilade, mas de selvagem espanto e d igno-
rante apthia.
Pela maior parte os clllciaes sao di?nos d taes
soldados. En tres meze3; s vimos dbtis- muifres
que nos agradaram pela physionomia intclfieeate,
pelas maneiras graciosas echeias de dlgnidade;
mas em cosapensago, qoantos agas ou chefes- de
aldeias, pois cada aldeia de alguma importancia
tem um desses administradores albanezes, qaanfos
vimos que nos-pareceram fcwptos, estpidos,- murto
Inferiores em'Indo populando que lhes partencia
governar I'
V-se que o-regimen estabetecido por Mostapha-
r.ich, durante os primeiros- annos do minio
egypcio, anda-nio foi raodiEeado nos seus pontos
essenoiaes e nos-sens caracteres geraes. Em 1840,
quando Mahomel-Alli, contra a vontade da Franca,
via-se compeld, pela triplieeallianga, a renun-
giar Syria e a^encerrar-se n Egypto, Creta.fez
tambera sua revoita contra o snlio; porm Mus-
tapha-Pach era muito esperta para nao ter tema-
do anteoipadamenle todas as seas medidas, para
naoler grangeado por habis meios e razoes era
reuliea, a benevolencia das mais altas personagens
do imperio. Foi mantido as s funegoes, que
coniiuuou a exeraer sem impsdiniento at 1868.
As revollas parames, prodnzidas por ordens viadas
da Alexandraoa de Slamboul com o fim de- aug-
mentar os impostos, foram apasiguadas qnasiisem
ebsao de sangue, e o governo teve de ceder sem-
pre,-. pelo nienoi em alguns paatos. Depois- desse
hbil administrador, que se relirou dahi pata ir
lomar posse do grao-viziriat em Stamboul, Greta
foi governada Ins annos por Mehemed-Emm-Pa-
er-J Era unr hornera muito honrado, que reuna em
sitadas as virtudes patriarebaos dos amigos tor-
eos, sem neBhonvdos seus pcojuizos de odio Eo-
rojia e s reformas. Menos engenhoso & talvez
menos astuto do que Mustapha-Pach, era, dotado
de-forca de vontade e espirito integro, sendo be-
nvolo e juste para com todos. Sob a dieecgo da
sua mao respailada, a ilha estove sempre em paz,
apezar das esperangas que- tiveram os raus coma
guerra da Crimea, e que tudo se reduziu a.algumas
manifestagoe9 hostis, que os gregos ousaram fazer
a alguns navios inglezes ou. franeczes, quearriba-
ram Canea. Quem o succedeu em 1835 foi Ve-
li-Pach, filtro de Mustapha, que fra. nascido e
criado na ilha, e para quem o grego. era lingua da
infancia. Sua embaixada em Pars, onde teve a
honra de assgnar o tratado de aliianga entre a
Franca, a Inglaterra e- a Turqua, grangeara-lha-
uraaroputagao que iSo.se sustentou nem em Be*-
campanha, sempre soffreram menos do que os mu-
sulmanos encerrados as pragas, onde as molestias
e a fome os devastara horrivelmente.
O que sobre tudo cencorria para isso era que,
vagem que nem sabia ler o escrever, e que paga-
va 25 piastras cada orelha de Grego que Ihe Ira,*
ziara os seus soldados. Felizmente encontrn um
Francez, o Dr. Caporal, homem capaz e inlelligen-
sendo elles mais sobrios, mais activos, mais labo- te que consentiu em lgar-se ao seu destino. Era
Ora se notamos que os tomos sao de extrema
exiguidade; se vemos que, a densidade da materia
que os forma sendo a mesma, a sua diversidade de
pesa deve resultar da diversidade de volume; e se
consideramos que as differengas entre os pesos
atmicos dos corpos, admittldos como simples, vao
de 1, peso atmico do hydrogenio, a 199, peso ato-
mico do ouro; ficamos autorisados a suppdr que o
-liydrogenio ura corpo composto, cujo peso atmi-
co pode diferir tanto, pelos menos, do peso atmico
da materia universal, como o ouro, por exeroplo,
difere do proprio hydrogenio.
A sciencia tem a resolver definitivamente pela
oxpariencia, a questao da unidade da materia, e maior despresa.
nosos, mais econmicos, mais fiis ao voto do ma-
trimonio, eram mais aptos para reparar as faltas
que soflriam, e em pouco lempo substituirem as
geragoes pela guerra-despertar no seio da Ierra a
fecundidade entorpecida.
Alm disso. eram dotados de muita coragem ;
dotado de figura e de bom senso, por isso deixou-
se guiar pelo seu conselheiro. Este, nao Mo deu
ligues nem Ihe ensinou o francez e as mathemati-
cas ; mas desenvelveu-lhe o espirito, e leve a ha-
bilidade de cnsnar-lhe a dirigir seus negocios, fa-
zendo sempre valer as suas qualidades. Assim
tinham rauito orgulho, e as viclorias de nm dia K^ado, Mustapha-Pach leve o talento de se tornar
lhes garantia os|progressos do dia seguinte; em necessario, agradou aos Europeus, e apezar de al-
quanto a ilba esteve entregue a s mesma e que anws fallas, apezar de algumas crueldades inu-
os gregos cretenses nao tiveram quem lhes fizesse leis> conseguiu, ao passo que servia o seu governo,
frente, como em um campo fechado, seno os tur-
cos indgenas, nao alcangaram sempre os gregos
urna nolavel superoridade sobre os seus adver-
sarios ? A Europa como que tinba abandonado
Creta, chegou mesmo a entrgala as mos da
Porta; mas nao o fez sem estipular em seu favor
certas condig&es, que sem duvida linha erapenho
em fazer observar.
J na se eslava no tempo em que como em 1763
pulsou no fim de tres annos.. Estrepitosamente an-
nuneiadas por toda a Europa antes mesmo de dar-
se principio sua execugao, as reformas que elle
tentou fazer, tiveram por nico resultado cangar e
indispor toda a populago da ilha, tanto rausulma-
nos como christos..
(Continuar-se-ha.} '
DM POUCO DE TUDO.
Do Jornal das Familias transcrevemos o que se
gue :
DM CASAMENTO NA ROCA.
O estudo dos costumes locaes, como por mais de
urna vez temos escripto anda nm elemento a ex-
plorar para o drama e o romance nacional. Quan-
certo que
Mama.
sciencia achara a solucao deste pro-
fazer-se quasi estimado da populagSo christaa. De-
pois de ter pacificado a Iha, fez com que os Gre-
gos e os turcos acetassem urna especie de tregoas, I do chegar o tempo em quo a nossa litteratura, tao
e obrigou-os, ao menos provisoriamente, a vive- balda actualmente de estmulos, entrar em nma
rem em boa indiligencia. Entretanto nao se des- senda mais desassombrada, estamos convictos que
cuidou de recompensarse por suas proprlas mos, muito partido se deve tirar das ceremonias, dos
como pacha que sabe com quem vive e pensa no usos, da originalidad^ pittoresca de vivar intimo
futuro. Presentemente retirado em Constantino- das povoacoes do interior, assim como do carcter
pa, onde varias vezes tem servido de grio-vizir peculiar de seus habitantes, inesgotavel manancial
o pacha de Canea mandava impunementeMangar' PSSQe Brandes dominios em todos os lugares da' dos mais curiosos e singulares contrastes.
por trra e calcar aos p o pavilho de UDJa j ilha, o um dos mais ricos proprietarlos de todo A capital do imperio nito offeroce cousa alguma
grande nacao europea, senda ao mesmo tempo o. 'mPer'- q0e p0SSa sorprender a admiragao do eslrangeiro.
seu cnsul arraslade pelas ras e tratado cem a O principal meie que Mustapha-Pach erapregeu E' ura arremedo de todas as cidades do mundo'
para se fazer obedecer, foi o de nao consentir de com a diferenga que anda nao corresponde pela
modo algum que os turcos indgenas lonassem magestade de seus edificios, ou pelo progresso da
parte na administraco do paiz, art no embellezamento de suas construeces, ao
Quasi todos os wwdire, ou administradores dos qoe encontramos ennnuilas outras cidades ameri-
cantoes, eram albanezes, a em 1857 nao se conta- eanas, nem ao que se devia esperar de sua gran-
vam mais de 5 ou 6 tarcos cretenses no corpo (Jo? deza, populacao e opulencia. Os seus costumes,
Eslava tudo mudado : brilhantes esquadras ra-
ziara tremular no mar do Levante a bandeira das
i
, potencias, que em N'avarino destrniram a esqua-
dra egypcia e obrigarara a Turqua a reconhecer
(Jornal do Commercio, de Lisboa.) o reino da Grecia.
. qualquer cidade europea, se exceptuamos a falta
de movimenlo a que circumstancias transitorias a
sujeitam neste momento.
I
Para sahirmos portanto desta monotona habitual'
( vamos viajar nm pouco, e pedir ao campo, natn-
; reza, ao ar fivre das florestas e das montanhas<
(scenas que nos impressionem, e agitem o espirito
quasi estagnado no marasmo estril qu, como en-
dmica athmosphera, nos parece aceommetter de
todos os lados.
Continuemos a nossa dfgrosao pela provincia de
! S. Paulo. E" tao doce o seu clima, to amena a sua
natureza, to puros os seus horisootes, to gigan-
tescos os seus sertSes, longos e formosos os seus
rio?, que nos sera grato anda demorar-nos em seus
| dominios, e admirar este conjunto observando os
rlos populares de seus habitantes e o seu trato
franco e caracterstico.
Fomos convidados par.\assistir s bodas de um
casamento as proximidades da cidade de .Os
arredores desta povoacao encantam a alma do vian-
I dante, o(Torecendo-lhe as mais risonhas paisagenSj
por entre enja vegetago alvejara as casnhas alvas
i dos sitios campestres, pendidas pelo encost das
collinas, ou adormecidas no seio dos valles como
essas villas que se enconlram, verdadeiros templos
entre tapetes de flores, nos arrebaldes das cidades
da Italia.
Partimos, formando parte de nma luzida eaval-
gada. Mais de trinta pessoas eompunham a nossa
comitiva. O dia eslava explendido, e apezar do sol,
bastante intenso, ninguem seacobardon com a dis-
tancia. Tinhamos perto de cinco leguas para an"
dar.
A primeira parte da viagem, erotodaa plenitude
do calor, terminan por um descanso de nas horas
em nm dos- sitios do caminho. As nossa? boas dis-
posigSes, e o- cordial agasalho que se nos fez, des-
pertaram ainda' mais a veia jovial dos convivas, e
essas duas horas passaram como urna* aragem per-
fumada.
A's quatro horas da larde mntame* de novo a
cavallo, eseguiraas-. *
Com a descahhra do da e o desdobrar das som-
bras o ar tornara-se mais puro, e os perfumes das
ffdres agrestes embalsamaram a athmosphera fluc-
tan te enlre o azur e a purpura. Attribna-se em-
bora a ndole impressionavef de nossa imaginagao
oefleitoque nos prodnz a luxnosa opulencia dh-ve-
getagb e da natureza interlrcpicaes, o.que pode-
mos- afflrmar que, ser mais arrojada que sej a
nossa-phantasia, e ma* creador o nosso pensamen-
to, no- possivel repreduzir os admiraveis painais
que successivaraente sedsenrolvam nossa vis,
ao praseguirmos esta jevIlromaTta.
Grandes porces da estrada eran guarnecidas-
de nn*e ontrolado por espmheirose arbustos, de
cujas basts pendiam vrenles festees- de flores es-
carales,. azus, e outras de um amarello dourado
formando geinaldas, ou enrehgandvse com as tre-
paderas- 9 os- cipos, que seagiUvamao leve e quasi
inscnsiTel sopro da briza; Os aromas derrama-
vam-se destas urnas naturaes- como o incens dos
turibulo.
Aspirava9fr no mel dese-santuarie-'d& creago
alguma bous mais que > alimente^ da vida;
reanimara-so- o espirito, retemperava^e- a alma
embriag.-mm-se- os sentidos, porqne o sepro da li.
berdade, a-reminiscencia do mando prisirrrro, pa-
recia duplicar-nos a existencia..
Sahindo-do me destas trmdieiras de verdura e
de boD*Q*>- o- tornantn rascara-so soUtacnenlo
diante de nos, e via-se ao longeas montanbas azu.
ladas da serranr a sombra e9pessa das-matas, o
brilho argantao. doeorrego dslisando-se por en-
lre alfombras *etodadas, e crarou outro sitio cir
cumdado dfrveres- e alinhados-eafezaes, formando
bellas eeatensa&pfantacoes.
O camiaho-- fti orna contioaa distraeco. Em
menos tempo de- fue esperavamos, ou antes sem
nos lembarmosjae elle passiva, chegamss a por-
ta de um im defendencla da fazenda para onde
nosdirigkamos. pal nos apeamos, afim de sajeitar
o nosso hittUe a necessidado de urna transforma-
cao completa. As-aossas roepas de viagemu assim
como nis propjrios, esta van incapazes e figurar
em urna reuni tao brilhante, gragas .poeira e
ao calor, que ue*haviam dado o aspecto de verda-
deiros sertanistas.
Aqui priaoipiou o fervtt opms. Todc-flueriam
lavarse e vestie-se ao mesmo-tempo, porqae j nao
era cedo nara a ceremoni. questao p;:ra que at
este momento ninguem havia reparado. As bacias
de roco,ps jaofos e as toalbas andavam,eni movi-
menlo contiit'jo das mos- de uns para as raaos de
outros- convidados.
Todos se lavavam,vesam,penteavam, fallaran),
acotowllavaai e riam ao mesmo tempe, produzindo
umaconfusio to singular, que mais pareca urna
das sarir.Maras do pinuir ingles. Ilogarth do que
uma.scena. da vida r-oal. Quando aste conflicto
termiooii, aoiei que se havia na verdade operado
uma^grande transforma >"u> no aspecto exterior de
dos os meus companheiros; pois agora, mais ou
menos elegantemente eneascadso, linha a impor-
tancia e at a semalhanpa de urna eommisso que
vae desempenhar urna horaenagem official. To-
dos liearim de reponte serios, de tao risonhos que
cstavam.
A casaca um vestuario cuja afluencia exerr
da sobre o individuo que a veste atnda nao foi de-
vdamenle^sludada. Transforma tudo : os parvos
em sisudos, e algumas vezes at os sisudos em
parvos.
Assim, pois, com ar de impertubavel seriedade,
a p e em procsso, dirigimo-nos fazenda onde
nos esperavain os noivos, qpe pouco dlstava do lu-
gar onde nos achavamos.
E' para nos lisongeiro confessar que eramos an-
cosamente esperados. Aguardava-se apenas a nos-
a chegada para dar comeen festa.
(Prosegu.)
Transcrevemos da Revista Lum Iirasileira o que
segu:
recordAgio.
Risonho lempo da saudosa infancia,
Mimo da vida, refulgente albor,
Tu, da innocencia venturoso abrigo,
D-me um perfume d'essa estancia em flor.
Teus das meigos me correram breves
No fcil gow que o prazer nos d,
No doce enlevo d*illus5es mentidas,
Ka falsa esp'ranga, que perdida est.
Formosa quadra, primavera alegrp,
D'um ar sereno e d'estrellado cu ;
Rpida aurora da manhaa da vida,
Ai, quem podra nao rasgar leu vn l
Passou, morreu-m'e essa ventura immensa
Que entio gozava em deseuidosa paz;
Em vez do sol do festival p'raizo
Perdi-me ao facho de um cjarao falaz l
0 astro incendijo das paixdes verdugas
Creslou-ma o paito ao seu calor sem do ;
E murcha a flor da minha crenga viva,
Que espera o corpo ? Do jazigo o p!'


Estril hoja na aridez, minha alma,
Nao sei se vive n'esse mundo atroz ;
Sinlo que oppressa n'um lelhargo fundo
Me deixa escravo de um viver algoz.
Nem j exhausto o coraco se anima
N'um voto ardente de inspirado amor;
Ai: nao I qoe o favo do licor nectareo
No fim tem fezes de agona e ddr.|
E cu j nem posso d'um affecto extracto
Senlir a chamma que accender j vi;
Morto d'esperangas, d'affeigoes, de crengas,
Do mea sepulchro a padecer snrgi I
Ai I foi um anjo que rompeu das trevas
E em torno a mim a esvoagar passou;
A mo ao pulso me deitou sorrindo,
E assim de rastos conduzir-me onsou I
De negra estancia d'infernaes martyries
Entrou comigo no sinislro umbral,
De largo abysmo arremessou-me ao fundo
E riu sem d do meu penar mortal.
D'ento p'ra c, nem recorda-lo quero...
L'ra doce aspelo me borrorisa ao ver,
Pois me retrata essa viso medonha
Que assim me faz na solida viver.
Oh I minha infancia que em saudades choro,
Suave tempo dos encantos meus' I
Sei que n5o voltas, mas na vida eterna
Da quadra tua irei gozar cem Dos t
*
MEDITAgX.
Vulgarmente estabelecem-se duas classes ou or-
dens de virtudes, as quaes, urna* sao ules aos go-
vernes, publica* e necessanas a sociedade civil,
taes eomo a generosidade, o valor, a liberdade, o
amor da patria, e o sigillo; outras, infernas e me-
nos puWicas, taes como a oragao, a humHdade, a
paciencia, e a fidelidade a cortos exerciclos. Estas
ultimas abandonam-se piedade, mas separam-se
das outrae; e por essa divisa injusta degrada-se
a piedade a'um obseure retiro ; poe-se como que
fra do commercio, e- iiraro-so-lhe todas as^virtov
des que o mundo cora raiza respeita, faz-se-lne per-
der tambem a veneraos.) que se Ihe consagrara
se nao se igno?asse que essas virtudes Ihe perten-
eiam. e que ella' que as ordena I
Os deveres dependem ledes- da religio, e esta
qae os regula; com ella, aprende-se a ser bom ci
dadao, bom militar e bom nwgieifrado.
E' anda ella qu?- constitne urna obrigago e>
treittv do sigillo, que recommenda nao s a esmola;
mas a liberdade : que determinaqoe se empreste
generosamente quando possivel; que se recom-
pensen! os favores reeebidos, que serestituam ef-
fectivos- e reaes os qoe sao (Sgnos dTsso, quando
se tem-crdito e autoridade ; que se corresponda
a conSanga que em nos deposilarem, eom a mais^
exacta sinceridade ;que-se observe-religiosamente a
sua patento ; que se na sirva nunca un emprego
seno pelos-trilhos da honra, qae seno ique in-
til em rtsn, quando petonasciraeotoe posigo se
pode servir patria em crises de perigo -. que este
servigo parta espontaneo da corago-e cora dignida-
de, e quesoevile cautelosamente tudo-qnanto pos-
H dar urea, justa suspeita d coaardiaede fra-
queza.
A-regiaen destre nentium das-moT03 legi-
tiases-quelevara os homocr-a este*daveres.
Os sentiroentos naturae, a- atteafo econve-
niencias, a sensibilidade < repulacee- honra ;
na-lhe sao contrarias. Juarta-lhe apenas motivos
superiores ; toma-se soberasa subrate>os a um
firamais nobre; e quando estes deveres nao fos-
sem sera o at*iJ*> d'ella, seao dtm*atieereas,
mais firmes sao- os que lbe d, porqae teem dura-
go-emquanlo'os- ontros, sao-todos-vaerllantes.
Cm irelhjia exaelido, tudo quanto se platica tendo o mundo
inteiro por testemonha
Nee afrouxa por exempto-. o costmne do* ou-
tros. Nao se indague se elles nao sao.preferidos,
nao se pronuncien lastimas -joi vo, nem- se auto-
rise anana o descontentamcnio dos ouiros. Sbe-
se a qaem. se obedece e a quera se pratende agra-
dar ; as vistas-de- Dcus, cuja^ ventode-se respeita,
tudo^oensola e seavisa.
Moe julgne da virlude-pelo xito enunca se
deve arrepender de a ter platinado, anda que pa-
reea mal sucesdid;.
Nao se mude de sentimeitas aiadfc^jpe os tem-
pos T.iriemy.peie quando se-mene-felano mun-
do, maiop a recompensa, que so- prepara no
outro.
As-virtudes,, nao existen, raesroo-aeode a reli-
gio nao tenhn.as suas raizes.-porquao^pendem do
approvadores- a de testemunhas.
E o louvor qne as sustenta, a vista dos ho-
maas quera a faz augmentar, analmente o xito
que as raaotem.
Logo que o saccesso n^ccFrespondeesperan-
ga que se havia nutrido, esgotam^e e desanimara;
e se-um momento se consewam na adversidade,
o proprio espectculo que as- fortifica, porqu a.
paciencia que nao tem admijadores, progride
pou ce.
Fazem-sa- enlao esforcospara. a encontrar; era si,
mesmo, os- recursos que fallam en outra parle.
Mas o que vale um horneras a quera a.reli-
gio nao consola ?
Avaso pJde dizer corasigo mesmo que-est no.
oaso das cairas ereatursg ? K qoe remedio pode
dar. aos verdadeiros males desto vida se nada.espe-
ra da outra ?
Desta forma, v-se desvaneer como leve som-
bra, a probidade puramente laumana, qnando per-
de os seus apoios.
A vtude nao c enieo mau de que am, nome, a
verdade e a justiga, no passamde prscQoceos ;e
se possivel, despresandc*as, restabelecer os- ses
encargos, nao se hesite-manto tempo entre a fortu-
na e o dever.
O valor que se alardeia tanto e com.rasao. que
seria quando nao fosse animado psio exemplo pe-
lo pundonor, ptlaesperanga ou pela honra f Pode
sacritlcar-se a ida a um destes arios o* a lodos;
mas aquelle qae sem o motivas supesiores que
inspire a religno. quiaer perder vida, o, maior dos
bens temporaes, quando pode conservarla sem ser
visto, que tora a ganhar, expondo-a ?
A experiencia todos os dias nos mostra que a co-
ragem se funda mais no roeeio de passar por co-
barde do que sobre qualquer principio solido, e que.
diminue proporgo qu* este reeeio se desva-
nece.
E nao pode ser de outra maaeira, porque o ho-
mem nao d a vida por cousa alguma ; preciso,
quando a expoe, que espere oeeasio que valsa a*
pena de entrar em comparago cora o perigo ou
qua seja equivalente.
Se a esperanga est de lodo perdida, o amor da
vida recupera o seu estado natural, e o animo des-
falece.
E' s a religio que torna os homens esforgados
pacientes, intrpidos por consciencia. S ella at-
trahe cobarda e indiferenga pelo re e pela pa-
tria, nao s a vergonha, mas o crime e a punigo
eterna. Estes motivos subsisten) com preferencia
aos outros; depois permanecem quando tudo se
abala e assusta ; accordam mesmo os oulros sen-
timentos, servem-se delles frequentemenle com
vantagem, e o que fr fiel religio, tornar-se-ha
invencivel.
O que temos dito do valor, nao seno para ser-
vir de exemplo, porque preciso ajuizar o mesmo
de todas virtudes estimadas cora justiga pelos ho-
mens, e das grandes aegoes. E' s a religio, a
religio .pura, sem fanatismos a pnerilidade, que
as torna verdadeirase perfeitas; e quando ella fal-
ta, esses estmulos nao passaro de tima apparen-
cia va.
O desinteresse, a fidelidade,_a deferencia para
com o bem do prximo nao sao to raras nem tao
fragels no perigo, seno porque o seniimento da
religio s deitou no coraco da maior parte dos
enles frooxas raizes, e logo que a consciencia os
nao favorece, os outros motivos mal os podera pro-
teger.
"*"

PERNAMBCO.-TYP. DE M. F. DE F. (t FILHQ
y


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EBC8R9ULX_NKY2C0 INGEST_TIME 2013-08-27T21:29:28Z PACKAGE AA00011611_10450
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES