Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10446


This item is only available as the following downloads:


Full Text


AHITO II. HUMERO 190.
Por tres mezes adiados 5JO00
Por tres mezes vencidos 6$
Porte ao correio por tres mezes. 750

., .
SABBADO 20 BE AGOSTO DE 1864.
Por amo adaatado.....49S00O
Porte ae correio por um anno 3$0
INCARREGADOS BA SUB3CREPCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima';
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos" de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & G; A-
mazonas, o Sr. JeroBymo da Costa.
ENCARRKGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SCL
Alg3as, O Sr. Claudino Falcao Das; Baha, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins t Gasparino.
PARTIDA D03 ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,!
Boa _\ ista, Ouncury e Exu' as quartas eiras.
Sennhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-I
nwr0j JPa Preta e Pim,mteiras as quintas eiras.l
liba de Fernando todas as vezes que para ali sabir!
navio. Primeira as 5 horas e 18 minutos da manhaa.
Todos os estafetas partem ao >/j dia. | Segunda as 5 horas e 42 minatos da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ BE AGOSTO
2 La nova aos 13 m. e 12 s. da t.
10 Quarto cresc. as 3 h., 37 m. e 38 s. da l
17 La cheia as 11 h., 16 m. e 44 s. da m.
24 Quarto ming. as 3 h., 44 m. e 20 s. da m.
PREAMAR DK HOJH.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIR03.
Para o sol at Alagoas a S e 25 pan o norte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes de jan. marc., maio, jul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipucos s 6 A, 7, 7 V, 8 e
8 Vi m m.; de Olinda as 8 da ra. e da tarde; de
Jaboatao s O >/i da m.; do Caxang e Vanea s 7
da m.; de Bemtica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 V, 4, 4 Vi, Vi,
8, 8 Vj, 5 Vi e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 '/, da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de; para Cachang e Vanea s 4 Vi da tarde; para
Seranea s 4 da tarde. J
AUDIENCIA DOS IfliBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relaco: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a 1 hora
da tarde
DIAS J>A SEMANA.
15. Segunda. t$j Assumpcao de N. Senhora.
16. Terca. S. Roque f.: S. Di jmedes medico.
17. Quarta. S. Mainedo m.; S. Libralo m.
18. Quinta. S. Jacintho; Ss. Lauro e Floro mm.
19. Sexta. S. Luiz f. b.; S. Tecla m.
20. Sabbado. S. Bernardo ab. doul.; S. Samuel.
21. Domingo. S. Joaquim pae de N. Seuhora.
ASSIGNA-3E
no Recife, em a livraria da praca da Independenria
ns. 6 e8 dos proprietarios Manoel Figueiroa da
rana & runo.
PARTE 0FF1C1AL
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 47 de agesto de 186 I.
Ofllcio ao Exm. presidente da provincia do Es-
pirito Santo.Com o olficio de V. Exc, do 2 do
corrente recebi 2 exemplares do relatorio com que
V. Exc. no dia 21 de fevereiro ultimo abrie a ses-
so exu ordinaria na assemblea legislativa dessa
provincia.
Dito ao Exm. presidente da provincia da Bahia.
Accuso reccbidos com o offlcio de Vr. Exc. de 2
do corrente 2 exemplares das leis e resolucoes pro-
mulgadas nessa provincia no corrente anno.
Dito ao commandante das armas interino.Re-
mello inclusos por copia o avise da repartido da
guerra de 29 de jolho ullimo e o relatorio a que
elle se refere, afim de que V. S. expega as suas or-
dens no sentido de serem desfeitos os enganos e
orrigidos os abusos que se encontraram as c ra-
tas do conselho econmico da companhia de caval-
Jara, relativas ao 2o semestre do anno civil de
1862, elucidando o mesmo conselho as duvidas men-
cionadas nopredito relatorio.
Dito ao mesmo.Deferindo o requerimenlo do
soldado do 4 batalho de artlharia a pe Antonio
Tristo de Serpa Brandao sobre que versa a sua
informaco n. 1,546 de 16 do corrente, auloriso V.
S. a mandar dar-lhe baixa, aceitando em seu lu-
gar o paisano Jos da Costa para concluir o lempo
complementar de servido, visto estar este as con-
dicoes do regulainenio de 28 de selembro de 1859,
sejiodo V. S. declarou em dita informagao.
Dito ao mesmo.Remeti V. S. para tercm o
conveniente deslino as cerlidoes de assentamentos
do cabo de esquadra Manoel Joaquim Teixeira, do
2J cadete Manoel Ignacio de Oliveira e do soldado
Joaquim Pinto de Siqueira, todos do corpo de guar-
nirlo, as quaes me foram enviadas com o aviso da
reparticao da guerra de o do corrente.
Dito ao mesmo.Transmuto V. S. para terem
o conveniente deslino, as relacoes de alteraces
occorridas com os militares da guarnieao desta
provincia que se acham addidos aos coros men-
cionados em a nota por copia inclusa.
Dito ao mesmo.Em soiuco ao officio desse
ominando de armas de 11 de" junho ultimo, com-
mmico V. S. para seu conhecimento que em
aviso do 1* do corrente declarou me o Exm. Sr.
ministro da guerra, que o 9 batalho de infamara
ser contemplado na distribuido que se lizer do
armamento Mini.
Dilo ao mesmo. Em deferimenlo a peticao de
Mara Anglica de Mello a que alinde a sua infor-
macao n. 1,422 de 11 do corrente, autorso V. S.
a mandar transferir para a companhia de artfices
o soldado do 9* batalho de infamara Jos Cardoso
Mangabcira, fiho da sapplcante.Communicou-
s-! ao diretor do arsenal de guerra.
Dito ao mesmo.Em aviso de 22 de julho ulti-
mo determinou o Exm. Sr. ministro da goerra que
se passe ao soldado do corpo de guaruico desla
provincia. Jos Vicente dos Santos, segunda via do
titulo de voluntario, alim de poder receber a se-
gunda prestacio do premio que Ihe perlence. O
que communico V. S., afim de ter execujo.
Dilo ao mesmo.Communico V. S., que era
aviso de 22 de julho ullimo declarou-me o Exm.
Sr. ministro da guerra ter sido Horneado naquella
lata o 2o cirurgiao do corpo de sade do exercito
l)r. Joo Honorio Bezerra de Menezes, para servir
no hospital militar desla provincia.
ito ao mesmo. -Ordene V. S. junta militar de
sade, que inspeccione o alferes do corpo de po-
lica Joaquim Barbosa dos Reis, que assim sohci-
iou em sua peticao datada de 16 do corrente.
Dilo ao inspector da thesouria de fazenda.In-
teirado do conteudo do seu officio de 13 do corren-
te, sob n. 432, tenho a dizer em resposta, que pode
V. S. aceitara proposta, apresentada por Jos Gon-
calves da Porciumcula para se incumbir de fazer
por menos 3 % no valor dos respectivos ornamen-
tos, as obras do alargamenlo da 2* porta de sabida
o lageamento do armazem n. 11 da alfandega des-
ta cdade, efectuando com elle o necessario con-
trato.
Dito ao mesmo.Transmiti V. S. para seu
onhecimenlo, e afim de que o faga constar ao ins-
pector da alfandega, copia, nao s do aviso que
me dirigi o Exm. Sr. ministro da fazenda em 8
do corrente, mas tambera de outro a que elle se
refere enderecado ao Exm. presidente das Alagoas
em 28 de julho ultimo, relativamente a rescisao
<1o contrato, celebrado entre aquella presidencia e
o proprielarfo do Trapiche, denominado Compa-
nhia nesla capital para o recebimento e recolhi-
nenio cxclusis'o dos assucares exportados d'alli
para esta provincia.Iguaes copias foram envia-
das ihosouraria provincial e Assocbcao Com-
incrcial.
Diloao mesmo.Communico V. S. para os de-
vidos efieitos, que em aviso de 8 do corrente de-
clamu-me o Exm. Sr. ministro do imperio, que
mandn por minha disposieao pela verbaeven-
tuaesdo exercicio de 1863 a 1864 a quantia de
OtJ para pagamento dos concertos e calafeto fe-
tos na balieira que est ao servico da inspecco de '
saude do pono desla provincia."Igual communi-1
cacao se fez ao inspector da saude do porto.
Dito ao mesmo.A' vista do disposto no aviso
da repartiQo da guerra de 27 de julho ultimo,
constante da copia inclusa, mande V. S. fazer car-
ga ao alferes Joaquim Alves Feitosa, para Ihe ser
descontada pela (> parte do respectivo sold, da
quantia de 209*5 em que importa a despeza do seu
transporte e de sna mnlher por conla do governo,
do Maranhao para esta provincia.
Dito ao mesmo.Tendo o governo imperial ap-
provado como me constou de aviso da reparticao
do imperio de 27 de julho ultimo a deliberado
que tomei de mandar pagar ao capitao cirurgiao
mor do municipio do Limoeiro Antonio Francisco,
da Cnnha, pela verba Soccorros pblicosdo
exercieio de 1863 1864 a quantia constante do
ineu ofllcio de 13 de julho ultimo; assm o com-
mmico a V. S. para seu conhecimento.
Dilo a^ inspector da ihesouraria provincial.Em
vista da inciusa conta, que me fui remettida com
officio do cheie de polica n. 1,000 de 13 do corren-
te, e nao havendo inconveniente, mande V. S. pa-
;-' de 405400, despendida durante o mez de junho
ultimo com o sustento dos presos pobres da cadeia [
do Ouricury.Communicou-se ao Dr. chefe de po-
Jicia.
Dilo ao mesmo.Recommendo V. S., que em \
vista do competente cerlificado, mande pagar ao i
arrematante da conservacao do lerceiro termo da'
estrada do sul a quantia de 3385833 rs., a que tem
direito, por haver exeeotado serviros que corres- j
pondem a segunda prestarn do seu contrato, se-
gundo consta do offlrio do chefe interino da repar-
tido das obras publicas, datado de hontem e sob
n. 217.Goramunicou-se ao chefe interino da re-.
particao das obras publicas.
Dilo ao deserabargador provedor da Santa Casa
da Misericordia.De conformidade com o que so-
licitou o juiz de orphos deste termo, expeca V. S. I
suas ordens para que o menor alienado Jos do.
Carino, seja rerebido e convenientemente tratado
iv) hospital de Olinda.
Dito ao direetor do arsenal de guerra. Declaro
V. S. para sen conhecimento que em aviso de 30
de julho ultimo, communicou-mo o Exm. Sr. mi-
nistro da guerra haver expedido ordem para se-
ren enviados a essc arsenal pelo da corle noventa
covados de panno alvadio para o fardamenlo de
msicos, bem como quatro centos e cincoenta ca-
potes da mesma fazenda com destino ao segn lo
batalho de infamara.
Dito ao niesmo.-Remello por copia V. S. para
os luis convenientes a primeira via do conhecimen-
to dos objectos enviados pelo arsenal de guerra da
curte para esta provincia no vapor Oyapock.
Dito ao mesmo.-Declaro V. S. para seu co-
nhecimento que em officio de 11 do corrente com-
municou-me o director do arsenal de guerra da
Bahia ter remellido para esta provincia no vapor
Prmceza de Jotnville um caixao contendo nove li-
vros mestres que para all foram enviados por par-
te do arsenal de guerra da corle com destino ao
segundo baialhao de infanta ria. Comraunicou-sc
ao commandante das armas interino.
Dito ao rommandatile superior da guarda naci-
nal do Cabo.Cumpre que V. S. remetta com toda
a urgencia e de conformidade com o modelo junio
, a cii cular desla presidencia de 14 de margo, o
mappa descorpos e companhias avulsas do servico
i activo e de reserva sob seu commando superior, e
o armamento e corrame por elles distribuidos que
I para observancia do aviso circular do ministerio
da jusliga de 2o de Janeiro desle anno, foram exi-
gidos por aquella circular e pelas de 20 de maio
11 de junho ltimos. Iguaes aos commandantes
, superiores da guarda nacional de Flores, Nazareth,
j Limoeiro, Rio Formoso, Brejo, Boa-Vista, Cabrob
e Garanhuns.
Dito ao capitao do porto.A' V. S. sero apre-
| sentados os recrutas de marinha Miguel Gomes da
Cunha Ferreira, Boniguo Gomes da Conceic.o e Ri-
cardo Victorino deSouza, para que Ihes d o con-
veniente deslino depois de inspeccionados.Com-
iniinicou-se ao Dr. chefe. de polica.
Do ao commandante do corpo de polica. -Po-
de V. S. dar baixa ao soldado do corpo sob seu
commando Antonio Jos da Silva, visto que segun-
do a sua irforraacao n. 368 de 16 do corrente, fi-
nalsou o seu lempo de servico e nao quer conlra-
hir novo engajamenlo.
Dito ao vice-consul deHespanha.Ao officio que
em o 1." do correnle dirigu-me o Sr. Camillo de
Andrade, vice-consul de Hespanha nesta provincia,
representando conlra o delegado do 1. districto
deste termo por haver instaurado um processo ao
subdito hespanhol Epiphanio Astudillo y Bussames,
respondo rcmettendo-lhe inclusas por copia as in-
fonnacoes ministradas pela reparticao da polica
das quaes consta a razo que tcve aquelle delega-
do para proceder contra o referido Astudillo.Re-
novo ao mesmo Sr. vice-consul os meus protestos
de perfeita eslima e consideracjo.
Dito ao chefe interino da repartilo das obras
publicas.Mande Vme. examinar os concertos do
que precisa a matriz da freguezia de Cimbres e
me aprsente o respectivo orcamento, visto constar
do incluso requerimento, que me ser devolvido,
achar-se ella em eslado de ruina.
ulo ao administrador do correio.Communico
Vina para seu conhecimento que segundo cons-
tou de parcipacao da directora du estado dos ne-
gocios da agricultura, commercio e obras pdicas,
do primeiro do corrente, foi nessa data creada una
agencia "de correio na villa de S. Bento.
Portara. presidente da provincia usando da
aulorisacao que Ihe concede o artigo 61 da lei n.
6 de 13 de maio deste anno, resoive que os ven-
_------ ....,. v wiuv, iwui> <|uc uo ...u- ii.u iiun r u.i'te no cu ronceiluadn Marn nn-
Orador, Amnelo Concesso de Cantalici.
Thesoureiro, Silvino Fintano de Albuquerque
Maranhao.
Commissao de rtdaccao.
Manoel Barboza Alvares Ferreira
Leonardo Francisco de Almeida.
Alexandre Jos da Costa Valente.
Antonio Gracindo de GusmoLobo.
Miguel Lucio de Albuquerque Mello Fillio.
CoiUmissao de si/ndicancia.
Primitivo de Miranda Sonz Gomes.
Rozendo Mauricio Lobo.
Manoel Venancio Alves da Fonceca.
Commissao de exame.
Christovao de Barros Gomes Porto.
Aquilino Gomes Porto.
Joaquim Manoel Vieira de Mello.
Est marcado o da Io de setembro vindouro
para ter lugar a reunio da quima sesso judicia-
ria do jury desta capital, sob a presidencia do Sr.
Dr. juiz de direito da 1" vara, Joto Aotoaio de A-
raujo Freilas Henriqucs.
Amaoha festejara osnovicos da Ordem Tercei-
ra Carmelitana a sua padroeira, precedendo a ben-
i;ao da imagem do Senhor Morto.
Brevemente comecar a dar espectculos o
Sr. Julio dos Santos Pereira, distiocto prestidigita-
dor brasileiro, em o theatro de SaoU Isabel.
Nao se tendo al agora dado providencia* no
sentido de ser nivelado convenientemente o terre-
no de Santo Amaro, de forma a que a maro nao
invada tudo, anda nos pedem moradores d'alli
que chamemos a alinelo do governo para os me-
Ihorameutos necessarios, urna vez que os predios
eslao sugeitos decima, e que os moradores pa-
gara os impostos que a lei creou.
Sendo justo um tal pedido, esperamos que se
d urna providencia para sanar esse mal.
Em audiencia de 18 do Dr. delegado de po-
Hela do primeiro dislricto do termo desta capital,
foi publicada a sentenca, em virtude da qual foi
coodemnado o licenciado Epiphanio Asludillo y
Bussams, subdito hespanhol, sessenla dias de
prisao e multa correspondente a trinU dias,
grao mnimo do art 301 do cdigo criminal; visto
ter arompanhado a pratica do crtme a aggravanle
do S 9. do art. 16 do dito cdigo, por qnanto usou
dito hespanhol indevidamente do titulo de doutor
em um atieslado que foi presente ao conselho de
quahficacao da guarda nacional da freguezia de
Santo Antonio.
Semelhante senlenca pende de deciso do Sr.
Dr. juiz de direito da segunda vara, para o qual
foi pelo reo inlerposta a appellacao.
Enviam-nos o seguinle :
i Srs. redactoros da Revista Diaria.Sendo a
sua Revista um dos mais vigorosos orgiios propug-
nadores da moralidade publica, rogamos a V. S.
se sirva disperiar por intermedio della a atiene*)
de quem competir, para o reprovado comporta-
memo de certas nymphas das margeos do Mangui-
nho, as quaes querendo primar de vestaes, nao
se pejiim todava de praticar a mais escandalosa e
constante cspionagem pelos porloes dos visinhos,
alem de oulros faclos primorosos e gentilezas que
muilo depoem conlra a sua pretendida e improvi-
sada lionvstidade, esquecendo as>im o salutar con-
selho :quem tem telhado de vidro nao atira pe-
dras ao do visinlw.O Argos.
Escrevem-nos da villa da Penha, no Rio
Grande do Norte, em 10 do corrente :
A sua cordeal bondade, de se ter prestado a
r poblicidade no seu conceiluado Diario, s no-
sejam em caso algum superiores era inferiores
aos dos terceiros escripturarios d'aquella repart-
cao; licinJo assim entendida a portara de 28 de
junho de 1862 na parte relativa aos vencimentos
do referido porlero.Remetteu se por copia a the-
souraria provincial.
Dita.O presidente da provincia altendendo ao
que requereu o bacharel Francisco Antonio Cesa-
rio de AzevcJo, resoive prorogar por tres mezes o
prazo que Ihe foi concedido para apresentar a sua
carta de juiz municipal e de orphos do termo de
Garanhuns.Communicou-se thesouraria de fa-
zenda.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasileira i
de paquetes, mandem dar transporte para a capital tea ; a farnha que anda se conserva
do Leara no primeiro vapor que passar do sul ao : seo rK conserva
tachigrapho Carlos Ernesto deMesquita Falcao,1 Van nmlnmni ,. ,.
devendo a despeza ser paga n'aquella'provincia.-' dual,*^JZgg TJSh^mi
C;,mmun,cou.s,; ao Exm. presidente d'aquella pro-1 devida' for^ JFE! Lero curso de suas
perversidades.
Respeilo poltica esta tudo em calmara, de-
pou da creaeo do termo desla villa, com o qual
lambem, crearam-se delegados, supplentes deste.
subdelegados, supplentes de juiz municipal, labe-
les, contadores, partidores, destribuidores, etc.
que, continu a communicar-lhe o que ha occorri-
do dopois da minha ultima : nao s relativamente
a o progresso como do mais que interessar possa.
Depois das chuvas que Ihe noliciei, tom as
quaes lucrou-se mula lavoura qoe eslava a per-
der-se. coniinuou o verao, de forma que os senho-
res de engenho estavam desanimados, principal-
mente os dos lugares que nao sao regoadius : ante-
hontem, porcm, chaven todo o dia, com o que se
deve esperar urna boa safra de assurar. Ao algo-
nao do agreste, esias chuvas serviram muito, po-
rcm aos da calinga tal vez Ihe venha causar gran-
de trastorno. O nosso mercado j vai filiando
inte de viveros, at a mesan carne j bara-
de 400
viacia.
Expediente do secretario do governo do dia 17
de agosto de 1861
Officio aoconego Pedro Jos da Silva e S.
Pela secretaria do governo se communica ao lllm.
._ ---------- _w .UII1IHUUII i\ rtu mu. ;;----- --.....^ '- -^-. p^i iriij c?, ucdll IUUIUOie>, OlC.
Sr. conego Pedro Jos da Silva Sa. thesoureiro mor lambem esla creada a mesa de rendas, mas anda
pela a'M funcciona, por nao se lerem frito as nomea-
coes dos empregados da mesma. Na partilha dos
da S de Olinda, que por portara expedida ,
reparticao do imperio cm 21 de julho ultimo, foi S.
S. dispensado da residencia do coro por 4 mezes
despojos da polica houveram bollas cousas: bri-
com o vcncimenlo da respectiva congrua pira Ira- Pas- desgoslos, entre cheles, e semi-chefes, pago-
tar de sua sade: cumprindo que solicite nesta des, fugeles, carreiras, quedas cavallo, que foi
secretaria a referida portarla depois de ter pago I10'0'-
os competentes direitos. O subdelegado eflectivo um Azevdo que
Despachos do dia 17 de agosto de 1861.
Requerimentos.
Antonio Carlos de Lemos uarte.Passe porta
ra concedendo a licenca que requer.
Alberto Colli.D passagem de proa quando
houver vaga.
Ciciliano Lopes Ribeiro. -Informe o Sr. tenente-
coronel recrutador.
Escolstica Rufina da Silva Barbosa.-Informe o
Sr. engenheiro chefe da reparticao das obras pu-
blicas.
Francisco Malaquias Soares.J foi prvido.
Gaspar Antonio Vieira Guimares.Remettido
ao Sr. inspector da thesouraria de fazenda para
mandar eeetoar na forma da lei a transferencia
que requer o supplicante.
Alferes Joaquim Barbosa dos Res.Apresenle-
se noquartel do commando das armas.
Joaquim de Oliveira Guimares.-Indeferido
Johnes Vandenwen.D-se passagem de proa
quando houver vaga.
Jos Gomes Cavalcanti.Informe o Sr. comman-
dante superior da guarda nacional do municipio de
Nazareth.
Comraendador Manoel Figueiroa de Faria.
Dse.
PERHAMRDCO.
REY1STA DIARIA.
r
A sociedade Alheen Philosophico Litterario, em
sesso de 7 do correte, procedendo a eleico da
directora e mais commissSes que ho de dirigir
os trabalhos da mesma por espaco de seis mezes
tendo antes procedido a eleicao de presidente ho-
norario, deu o seguinte resultado :
Presidente honorario, o Sr. Dr. Antonio Witru-
vio Pioto Bandeira Accioli de Vasconcellos.
Presidente effectivo, Jos Paulo do Reg Bar-
reto Filho.
Vice-presidente, Manoel Javenal Rodrigues da
Silva.
1* secretario, Flix Ribeiro de Carvalho Jnior.
2* dito, Aristorcho Cavalcante de Albuquerque.
- effectivo um
a ah veio para aqui com negocio; este foi o pre-
ferido por valente, e est comprometido para a
campauha de selembro, segundo dizem. Dos o
fade bem na sua empreza, porque se fr feliz ter
mais esle padro do gloria.
O nosso 4. supplente de subdelegado desapon-
tou com urna missiva escripia d'aqui, que sahio
no seu Diario de 16 de junho, allribu|iido-a ao Dr.
Flix, e respondeu-lhe no Progressista oesla pro-
vincia como Vmc. j ter visto; na qual desalia
o doutor para o campo da imprensa.
Rcttem-nos o seguinte, pedindo sua publica-
cao :
t A leilurada carta de exame do subdito bes
panhol Epiphanio Asludillo e Bussams, traduzida
e publicada em sua Revista de 17 do corrente,
suggeriu-nos reflexoes. que se nao encontram as
notas que lemos, e por isto se nos permiltir que
as aprsentenos.
as cartas de formalura ou diplomas se men-
ciona a idade das pessoas. a quem sao conferidas,
entretanto isto se nao encontra na carta de exame
que foi traduzida e publicada ; ao passo que nella
se diz o que essas cartas de formalura ou diplomas
nao declaram, isto a cor dos olhos e cabellos,
parecendo neste caso mais um passaporte, do que
um titulo ou carta d exame.
E nao se diga que isto nao imprtame. A
idade da pessoa o muio mais do que a cor dos
olhos c cabellos, que se pode encontrar em diver-
sos individuos. Nao porque um eslrangeiro a-
presenta um titulo, nem por que esse titulo vem
revestido de assignatura de algum cnsul, que se
deve jurar que perlence pessoa que o aprsenla.
Aqui mesmo tivemos um exemplo, entretanto que
aquelle que apresentava um titulo ou carta de ex-
ame de cirurgiao, segundo nos informoo pessoa
competente, rnorreu cora as honras que esse ttu-
lo Ihe confera, e ninguem duvfda de que fosse o
legitimo proprietario. Refiramos o facto,sem men-
cionar o nome do individuo, para que se saibaque
nao improvisamos.
Existia em Lisboa, ha muitos annos, um ci-
rurgiao examinado pela escola medico-cirurgica
de S Jos, onde exercia foncc3es proflssionaes,:
precisando de um creado, tomou a sen servico um
rapaz, que havia chegado, com oulros, de Tras os
Montes: esse cirurgiao teve de ir ilha da Ma-
deira e all morrea. O creado, que o. inha acom-
panhado, apossou-se do titulo, e passou-se a outra
ilha, e d'alli, revestido desse titulo, e servindo-se
do nome do amo, aqui chegou, como cirurgiao de
navio, viveu e rnorreu, considerado como cirur-
giao, c conhecido pelo nome do amo.
Com isto nao queremos dizer que outro tanto
succeda rom o subdito hespanhol, de que se trata,
nao obstante achar-se, segundo nos dizem, mui-
to lacerado o titulo que elle apresenta : pelo con-
trario somos levados a admllir como legitimo pro-
prietario desse Ululo o Sr. Astudillo e Bussams;
mas seria bom que em sua carta se mencionasse
sua idade, e em questo de tanta gravidade con-
ven) que o governo, dirigindo-se ao ministro do
Brasil em Hespanha, o encarregno de mandar pro-
ceders necessarias averiguaees, para que esta
questao fique bem esclarecida.
Tendo baquoado o gabinete hespanhol, do qual
fazia parte, como ministro da justica, Calomarde,
emeonsequencia da influencia da rainha Mara
Carsima, e sendo esla instituida, por decreto real
de t de outubro de 1832, regente do reino em
quanlo durasse a molestia d'el-rei Fernando VII,
fui coucddida urna amnyslia parcial aos detentos
|e banidos polticos, e reabrtranisc as universida-
des, fechadas depois de bastantes annos. Isto diz a
: historia contempornea. Como pois o Sr. Astndil-
| lo e Bussams poda em menos de anno c meio es-
ludar todas as materias do curso medico, que mes-
i mo nos hospilaes de Lisboa e Porto absorvem mais
do dous annos, e receber o grao de formatura, ou
, mosmo fazer exame e ser approvado em 27 de
marco de 1834 ; sem contar que nao crivel que
as Universidades do reino entrassem logo em func-
qoos depois do decreto, posterior ao de 6 de oulu-
bro de 1832 ?
E' sabido por aquelles que se oceuparn de his-
toria, que Fernando VII rnorreu em 29 de selem-
bro de 1833. Como pois [cm urna carta de exame,
nassada em 27 de marco de 1834, isto j quando
nao existia aquelle monarcha, se falla em seu
nome, 'e s se veio a corregir-se esse lapso de
penna no fim da carta e por meio de nma nota, na
qual se diz queonde se falla d'el-rei nosso se-
nhor, enlenda-se a rainha nossa senhora, pare-
cendo-nos que seria mais fcil e exacto fallar-se
desde o principio em nome da rainha, do que no
del-rei. que j nao exislia? E poder-se ha crer
que, morrendo Fernando VII em 29 de setembro
de 1833, a Faculdade de Medicina de Madrid o
ignorasse anda em 27 de margo de 1814, e, igno-
rando-o quando se escreveu a carta, s fosse infor-
mada quando tiveram de assigna la os doutores
que nella figuram, como examinadores, sem de-
clararem seus cargos, excepcao do ultimo, que
assignou-a como secretario ?
Todas essas reflexoes assallam o espirito de
quem escrupuloso, ou vive prevenido, e por islo
muito conviria que em Madrid se procedesse a cui-
dadosas averguacoes. Se entre nos temos tldo
tiomens, que ho figurado com nomes que Ihe nao
porlacMUm, ou com condecoracoes que nao Ihes fo-
ram dada*, nao jera pura uxtranhsr ijae se ave-
rige o que lem relaco com essa carta, tanto mais
quanlo com isto gaahara o Sr. Asludillo e Bus-
sams. J nos parece bem demonstrado que o Sr.
Astudillo e Bussams nao tem titulo de rfoufor em
mediana,pt\ meaos nao apresenta diploma () que
0 autorise a servir-se desso titulo; e por islo nao
seria mo que se levassera as averiguacSes mais
adiante, pedindose mesmo a Faculdade de Medi-
cina da Bahia que diga a razio, que leve, para
nao admillir, em 1851, segundo corre, a exame de
habihtaco o referido Sr. Astudillo e Bussams que
apresentava essa mesma carta de exame, que foi
iraduzida e publicada.
t Escrevendo estas linhas s temos por fim pro-
curar que, se ehegnoao conhecimento da verdade,
sem que se veja em sua publicacio intenco de
molestar pessoa alguma.
iu:paktic..\o da polica.
Extracto das partes do dia 19 de asusto de
1864.
Foram rocolbidos casa de detunco no dia 18
do correnle :
A" ordem do lllm. Sr. Dr. chefe de polica, Ma-
noel Domingues Bernardo, Paulino Bispo de Aze-
vdo, ambos como criminosos de morte este no
termo de Caruar e aquelle no Bonito, vindos da
provincia das Alagoas.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Josepha
Euphrosina de Jess, e Delphina Maria Francisca
do Car mo, por briga.
A' ordem do subdelegado do Recife, Maximino
Jos Duarte, para averguacoes; e Firraino Jos
de Sant'Anna, para correefao.
A' ordem do de Santo Antonio, Maria Thereza
da Paz e Hara da Conceicao dos Prazeres, ambas
por briga.
A' ordem do de S. Jos. Antonio Salustiano Go-
mes de Freitas, e Jovino Ignacio da Paixo, am-
bos por disturbios.
O chefe da 2' seceo
J. G. de Mesquita.
Movimento da casa de deteoeo do dia 18 de
agosto do 1864 :
Existiam....... 350 presos.
atuateT^ conceituado
cha, nao s em toda a provincia qoe o vio nascer, SSne e cabal desennd-. 22? 5 ^ Um
,como emdifferentes pontos do imperio, onde tem SSL\LT^~,t LTlVeS e
elle collegas e pessoas que bem o coliecem pes- \tS2ESSV!22J?1! osProvoco>
soalmente e por tradiccao : e por isso nenhuma Zntntj?com IstoS^tiSS** C0'
; defeza e precisa nara desfazer falsidades fin nal- w7E2SZ^^SSuf2 *
mas protesto contra qualquer nome supposto, e
de mercenario, a quem a degradaeao, que ha
cnegado, nao empata era arrogar'si a responsa-
bilidade de alheios actos.
E desde j seja, ou sejam Irdos por miseravets,
calumniadores, infames e cobardes se rejeitarera
se nao levantaren) a lava, que Ihes atiro cara. '
Concluo responsabilisando perante o governo, pe-
rante o publico, perante a minha familia e amigos,
aos meus inimigos aqui ( cujos nomes declararei
mais adame) por qualquer insulto, tentativa e
perigo que correr a minha existencia.
Com a publicacio destas linhas muito obrgaro
senhores redactores, ao de Vr. Ss. venerador e obr-
gado.
Aguas-Bellas, 8 de agosto de 1864.
O vgario Antonio Eustaquio Alves da Silva.
Srs. redactores. -Venho pedir-Ibes o obsequio de
transcrever em seu conceituado jornal a peticao e
replica, que estas linhas acompanham afim de que
precisa para desfazer falsidades tao pal
paveis : seus honrosos precedentes, seus reitera-
dos actos de justiga, moderaco, e patriotismo com-
; provam exuberantemente sua honradez ; pelo que
jamis as desaprumadas sellas do Sr. Montenegro
| poderao tocar, nem de leve, a dignidade do nosso
patricio ; mas inimigo como sou da calumnia, se-
nhores redactores, nao posso deixar de dizer algu-
' mas palavras em prol da reptilacio de tao distincto
magistrado.
O Sr. Dr. Gonzaga tendo logo na infancia perdi-
do seu digno pai, o capitao Simio Gomes de Brito,
foi encarregado de sua educago seu venerando
to, o Exm. senador Prancisco de Brito Guerra, de
quem receben os mais solidos principios de moral;
concluindo com esle seus primeiros estudos, foi
cursar as aulas da academia de direito da cidade
de Olinda, onde merecen sempre o mais alto con-
ceilo e sympathias, assim dos lentes, como de todos
os seus collegas.
Sendo-lhe conferido o grao de bacharel em no-
vembro de 1839, o governo imoerial anrovcitandn
, seus servicos e'.alentos foi serado em setembro \ 7Zs,'Z^XaT$ T33Z3Z a"m e !
de 1843 nomea-lo juiz municipal da c.dade do As- l 52 'Zaat-\i ",2 1*5 l T""
; s, cujo cargo exerceu com honra, justica, zelo e deTStaS P d"stra a just.5ano lermo
sabedoria, at que o mesmo governo reconhecen- TpnSno Ai.ti.i, ,... ., ., o r.
' do cada vez mais sea grande mrito e honradez, o j A^S8SF!S?LEul "nC'SC
; nomeou pelo fim do anuo de 1851 juiz de direto! K m1 '"T por 1,ua" superior a......
da comarca da Maioridade, onde poV.ou-se com a 5R'i*. *or,**""* Para
mesma rectidao amor di iusica inederico e nro. nomear ,Den!' a .1 enhora. nomeou 21 escravos, os
I bidade 'amor aa JUS"a' m8aera?-") t Pro" quaes acham-se ja por mim penhorados por outra
Por acto do governo de Janeiro de 1858 foi re- JS5^ qUe teD,' COnlra mesmo senhor 0li"
movido no mesmo lugar de juiz de direito daquella ,'. sntir ,. inT _. ,, mm ,
crime, vicio ou defeitos sociaes
Ihe descobrisse
dos |)or outra execocao, que en movo contra o
porque a nenhum convinha avancar alsidades, que vetncTiuSrrosOIVera' qUa'j eICede de 23:0005 6
nao tenam base era sua vida publica, era part-. Aln{ uist0 |U)do esse senhor a||ega(Jo ^ ^
I ^"C^0,0 previlegio de agricultor, previlegio que nao
escravos, animaes, ou cien-

habilidade
Dar-se-ha o
encorrido no
mente no engenho, animaes, instrumentos, ele, o
que tudo acha-se especialmente hvpothecado ao
J?n d,? ahLSLSSU! Pamente do delito, que proveniente da compra
**J& *?"S?.^^"a? te d0? mesmos *. mas obteve o meu advogido
novo para dar mais bens
magistrado.
ri?siffiSSSSSSi4iSSBl5BBSsJSS
termo
gistra
caro
o seu i
eIfcoInoISSiio Te pohc* **JUZ "^A! ^ ^^1 nova ,0,ima55 Para nan'ear
JE' 5SSW&7&S* nao tem agradado gff& a nos ,ermos do arI"
lS3SS|tes5.55Sa
queelle nao cnsente ser jungido ao carro de nin-1 De niinha Darte ainda 5o perd d(J (odo a fi()n.
lOntra as injuslicas
os recursos que as
permittem, e precurarei torna-las ao mes-
DreWesioPsrqUe e",! CmQm ^n^^ flanea nos tribnae^o parT Coi
"iTV -jj a i.- ,- de'lie'or victima, empregarei os
.5-.5s,a a wrdade nua e crua, que de boa fe nao |es me permitiera e recurare t
poder ser contestada.
Queiram, senhores redactores, dar publicidade
em seu conceiluado jornal a estas toscas linhas,
que muio obrgado Ibes licar
O inimigo da calumnia.
Ass, 23 de maio de 1864.
mo lempo conocidas do publico pela imprensa da
provincia o da corte.
Recife, o de agosto de 1864.
Sitvino uilherme de Barros.
Requerimento.
Diz Sil vino Guilhermo de Barros, que tendo si-
do intimada seu devedor Francisco Antonio de
_ i Oliveira, a senlenca executoria viuda do juiz es-
I srs. redactores do Diario de Peraambuco.-l'or pedal do commercio da cidade do Recife, para pa-
| deferencia ao publico, cuja opiniao acato, e aos. gar a quantia de 52:5425210 rs., ou nomear bens
amigos, que tao generosa e espontneamente toma- a penhora no termo do 24 horas, nomeou o execu-
ram f. Pf'1". se apresentaram em minha defeza, tado no cartorio do esenvao vuite e um escravos.
repellindodo alto da imprensa as iniquas, vilipen- escravos estes que j se acham penhorados por ou-
diosas, nojentas e calumniosas accosaedes, que me tra execuco do supplicante de vintee tantos con-
foram fetas em urna correspondencia, ou cousa que tos de ris, para cujo pasamento nao chegam ditos
Sahram....... 5
Kalleceu....... 1
Existem....... 355
A saber :
Nacionaes..... 284
Estrangeiros... 17
8
Estrangeira___ 1
Escravos...... 4K
Escravas...... B
353
Alimentades cusa dos cofres provinciaes 143.
Movimento da enfermara do dia 20 de agosto
de 1864 :
Tiveram alta :
Manoel Gomes da Silva Jnior.
Antonio, escravo, sentenciado.
Jos Francisco Xavier.
Firmino Jos de Santa Anna. /
CORRESPONDENCIAS.
Senhores redactores.Pobre sertanejo, sem ins-
truccao e baldo de todos os recursos, nunca ti ve a
lembranya de escrever urna s palavra para o pu-
blico ; m*s lendo o jornal Correio Natalense, pe-
ridico que se publica na capital desla provincia,
depare; era um de seus nmeros, com um palavria-
do dirigido ao Exm. Sr. presidente da provincia,
pelo bacharel Manoel Januario Bezerra Montene-
gro, ex-promolor publico da comarca do Ass e
hoje juiz municipal do termo de Campia Grande,
provincia da Parahyba, em forma nao sei se de
queixa ou insulto, como melhor nome haja, em
que tao_gratuita quo injustamente abocanhada
a reputacao do nosso honrado, probo, honesto e I-
lustrado patricio o Sr. Dr. Luiz Gonzaga d Brito
Guerra, juiz de direito da mesma comarca do
Ass.
(*) O diploma, diz. Garnier Pags em seu dic-
cionario poltico, certificando o gr oblido as
diversas Faculdades, obriatom, principalmeuv*
para os medcoi, advogados e oulros. jar islas, es
professores da TJhiversidade, etc.
-. conjuntamente com o mosmo engenho,
be a minha obscura individualidad!', fosse asss, nos termos da lei de 30 de agosto de 1833, cujos
conhecida ; so a minha vida publica fosse assas'pa-j embargos se acham despulando no foro do juizo
lente todos quantos lero, e tem noticia de seu deprecante, resultando disto que a nomeagao feila
Diario ; ou, alias, ?c a publicacio feita no Mercan* hoje pelo execuiado contraria ao disposto nos
til fosse nicamente sabida e lida em os lugares, hrls. 508; 512, 513, 519, e 531 do reg. n. 737 de
aonde me conhecemqur como sacerdote, ou co-' 25 de novembro de 1850 ; e por isso requer a V.
rao homem publico, qur como homem particular ; S. so digne mandar passar mandado de penhora
certamenle eu nao desccria de minha dignidade para ser penhorado o engenho com todas as suas
para responder inimigos lao baixosrffrseilimen-1 obras, utencilios, machinas, destillaco, bois man-
tos lao ignobeis, como os canalhas, que aqui me vo-1 sos, gado de criar, e cavallos de estribarla, visto
tam gratuitamente a sua ogerisa, e aversao; ini- como taes bens se acham hypothecados especial-
mjgos, que, por seus procedimentos degradantes mente pelo debito que se executa, e feila a penho-
naoi merecem a honra de urna resposta ; inimigos ra, se deposite na forma da lei: citados o execula-
im, que, coma simulago, c soba apparencia doe sua mulher para todos os termos da penhora
de honestidade, de honra, de deveres, e de religiao,
disfarcam, e urdem tramas e planos tao negros,
como suas proprias almas, com o intuio de arre-
dar-me desla freguezia, ondemerc de Dos I
exerco alguma influencia, que o motivo de in-
veja, de vociferacao, por ser um etnbaraco um
al final.
Pede V. S. lllm. Sr. Dr. juiz municipal do com-
mercio assim Ihe defira. E R. Me. Advogado,
Reg.
Despacho.
Passe mandado paia ser notificado Francisco
aesmarcadoorgulho, a urna vaa fatuidade ISe o; Antonio de Oliveira a dar bens sufflcienles pe-
diabo incubo, ou sucubo pode j mais produzir,! nhora, visto serem insufficientes os que offereceu.
ou gerar proleesta por sem duvida sao os mise > Ipojuca, 16 de agosto de 1864. Brandao vaval-
rayis entes, que aqui se hao constituido meus ini- cante.
migos : estes a quem nicamente atlribuo a Replica.
paterrjidade de tantas ignominias, bem dignas e L lllm. Sr. Dr. juiz municipal e do commercio do
queridas lilhas das almas dadivosas que m'as mi- l termo de Ipojuca. Com todo o devido respeito o
mosearam, e s quaes lh'as devolvo intactas. En-! despacho de V. S. que maoda notificar de novo ao
enarcados no mephitco lamacal das infamias, em ; executado Francisco Antonio de Oliveira para no-
que vivem engolfados, quzeram marear-me, cons-
puscar-me e envolver-menoesfarrapado, e nausea-
bundo manto de suas miserias, e opprobrios, dos
quaes tiraram os de menor valor ( guardando para
si os demaior quilate.), para cora elles apresenta- exprime :
mear novamente bens penhora visto serem ln-
snfflentes os nomeados pelo executado, respeto-
samente fallando conlra a expretsa determinaran
do art. 510 do citade regulamento, que assim se
rem-me a opiniao publica, s autoridades! Infa-
mes I Prfidos I Canalhas-1
S urna cousa admire (e admlraram todos que
conhecem os meus inimigos), o foio terem pela
primeira vez vergonha de mentir, de calumniar ;
pois que, apezar de toda a su:, protervia, e desfa-
canii-nto, nao ousaram >assignar-se t Esses que
lentam roubar-me a reputacao, por suas insidiosas
invectivas, e que aqui constantemente ameaeam-me
de roubar a existencia, nao tiveram a coragem (to-
do infame cobarde ) de assumir a responsabili-
dade de sua publieac", de seus actos It Homens
tao honrados, tao probros, tSo pdicos, tao bons
christos, tao cortos do que disseram ; por que nio
quizeram firmar com os seus respeitaveis nomes
as verdades, que sio de sciencia geral, e notorias??
Estes que sao os astuciosos, os Infames, os ho-
mens finalmente de urna physioaomia moral repug-
nante, asquerosa, e repulsiva.
E, senhores redactores, smente para ractiflear
a suspensao do juizo publico meo respeito ; sus-
pensao solicitada pelos generosos amigos, a qaem
vendo os meus triDutos>de gratidao, embora ainda
naO'Saiba quem elles sejam ; pois, por este mo-
tivoy (jne ainda ama vezIhes peco a nsc-rcao
Se o executado dentro das 24 horas nao pagar-
on nomear bens penhora, ou fizer a nomeago
contra as regras do art. 508, proceder-se-ha efec-
11 vai nenie penhora, passando-se mandado.
O art. 508 assim se exprime :
A nomeacao feita pelo executado nio vale, salvo
convindo o exequente. i. se nao feita conforme
agraduacoestabelecidaparaa penhora art 512. 2
se o executado deixa de nomear bens especialmen-
te hypothecados, ou consignados para o pagamen-
to. 3. se o executado noroeia bens sitos em ou-
tro termo, tendo-o no termo de execucae. 4. se
os bens nomeados nao sao livres e desembargados,
havendo alias outros liens n'outras circumslan-
cias. 5." Analmente. Se os bens nomeados so ma-
mfestamente insuficientes para o pagamento da
divida. Destas disposices ver V. S. qne, tendo
sido o executado intimado da sentenca no dia 12
do corrente, c_ vindo ao cartorio no mesmo dia e
feita a nomeacao dos bens contra as regras do su-
practado art. 508, nio pode mais hoje, em face do
art. 510, nomear bens a penhora, cujo direito pas-
sou para o exequente nos termos de lio termi-
nantes palavrasibi proceder-se-ha effectivamente
a penhora passando-se mandado.




Diario de rereaaakHe* ^- Sabbado SO de Agosto e i t4
A'visla, pois do exposto, o upplicante espera
ser def.-rido, dignndose V. S. mandar passar
mandado na forma requerid* na peli<;o retro
E R. M.-Rego.
Attendcodo que as disposieoes citadas pelo sup-
piieante smente tem por lim nao obrigar o exe-
quente a aceitar a panhora nos bens Horneados,
salv.indo-o assim da disposico que prohibe se-
gunda [>enhora, e que o mandado s deve ser con-
cedido quando da parte do executado soda resis-
tencia ein nao nomear lieos, o que se nao deu no
caso miente, bei por deferida a petco do sup-
piieante. indeferindo a replica.
Ipojuca, 16 de agosto de 1864.
Branda Cavalcanti.
S.
1:037*110
como corista'do livro res-
pectivo................
Bataneo, para saldo da> pre-
sente, que .entrego hesta
data.,............... 6:6800110
E. 0. Res... 26:4150720
*
IIA VER.
1864 abril.Importancia do
saldo, como consta do li*
vro de receila e despeza
da casa................ 13:046<>480
Srs. redactorts.Acabo de- ver estampado no
Jornal do ftictf n 188, um arrazoadb do Sr. Fnr-
tado Coelho, no qual, depois de pedir muita atten-
o, me convida a comparecer em um dos saloes i
dos thealros desta capital, para ahi, peranle doze
lestemunhas, o por meio de urna discusso, es-1
miussar-se a criminosa lentativa do incendio do
tlicatro de Sania Isabel.
E' na verdade este um magnifico expediente do
Sr. Fuado Coelho, para provar a sua innocencia, I
visto o mesmo senhor entender que a trra em que I
habita tao falla de leis e autoridades, que para a !
dem idem da caixa Pia....
Wenr do rendimento do sitio
at agora............
S.E. AO.Ris... 20:4150720
Joao Machado de Castro.
Joaquim Jos Silveira.
Joaquim Jos de Souza Serrano.
Justino Pereira de Parias.
Conselheiro Lonreoco Trigo de Loureiro.
Dr. Luiz Carlos de Magallics Breves.
Luiz Jeronymo Ignacio dos Santos.
Lnjz Jos Pereira Simoes.
Luiz Melanio Franco
Manoel Francisco Marqaes.
Manoel Fonseca de Medeirc* -
Manoel Francisco Schefler.
Manoel Gomes de S.
Dr. Manoel Jos Pereira de Mello.
Manoel Juvenci de Saboia.
Major Manoel do Nascimento da Costa Monteiro.
Manoel Pereira da Cunta.
Miguel Francisco de Souza llego.
I Migue* Jos d Almeida Pernambuco.
3170510 Pedro Alexandrino de Barros Cavalcanti de La-
________I cerda.
Porfirio da Cunha Moreira Alves.
7:051.->720
Foram multados na quantia de 300$ cada um
dos Srs. segrate* :
Palacio da Soledade, 31 de maio de I Capito Domingos Jos Rodrigues.
i o/> t Dr. Joo Mana Seve.
_...,., c, Galdino dos Santos Notas de Oliveira.
D. Jos Antonio dos bantos Lessa., Lu|J, Amavel Dnburcq Juoi()r.
Recebemos do Illm. Rvm. Sr. D. Jose Foram llnalraente relevados das mollas impos-
Antonio dos Santos Lessa, O saldo cima de; tas durante a sesso, os demais Jurados, visto le-
sua completa jusuficacao deve recorrer njm ^^"^^ e"o~itenta" mil'cento 6! a?!e>eDtad ^ **2!*
do crear um tribunal dos doze, para,
demonstrar claramente que nao oi elle quem ten-
tou incendiar o thealro de Santa Isabel.
S o que me parece que o Sr. Fuado Coelho
nao almud bem quando me escolhou para a sua
discusso juslicativa, pois que em nada concorri
para a sua aecusagao, devia antes convidar ao sol-
dado de cavallariaClinio. para discutindo com
elle chegar ao fim que deseja, visto como foi esse
soldado o seu aecusador.
Emquanto a mim, que vivo de ha muitos sumos
nesta liospilalcira Ierra, aonde sou por demais co-
tthecidu, jamis duvidei das suas justieas o dos
seus magistrados.
Dcsrance o Sr. Furlado Coelho, que a opiniao
publica, que algumas veze se engaa, algum dia
lhe far jusitca, o lembreseque o incendiario do
thealro de S. Pedro de Alcntara do Rio de Janeiro,
anda nao foi dcscoberto, utas dia vira em que os
malfeitpres por si mearnos so desmascarem.
A justiga devida sempro assim. i
Sr. Furtado Coelho me achara
E para, que chegue ao conhecimento de todos os
dez res, e de como fica quites passamos o nl(Tessados, mandei passar o presente que ser
presente.
Recife, 31 de mato de 1864.
Oconego, Marcelino Antonio Domellas.
Ecnomo da mitra. '
0 conego, Jos Joaquim Camello d Andrade.
Ecnomo da mitra.
Cle-
0 perfarac do heraisplicrio ecci-
cidenlal.
Agua florida de Miirraj k Lanuian.
(EXTRAHIDO DO Dttile Timej.)
A verdadelra prova da genuidade e pureza de
publicado pela imprensa.
Recife, 30 de julho di 1864.
Eu Joaquim Francisco de Paula Esteves
mente, escrivo do jury o subscrevi.
Manuel Jos da Suva Neiva.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, oflkial da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direito especial
do commercio desta cidade do Recife, e seu ter-
mo, capital da provincia de Pernambuco, por
Sua Magestade Imperial o Coastitucional o Sr.
D. Pedro IL que Dos guarde, etc.
Fago saber aos que o presente edita! virem e-
delle noticia liverem, que no dia 12 de setembro
do crrenle anno, se ha de arrematar por venda, a
quem mais dr em praga publica, depois da au-
nualquer um perfume exirahido das flores consiste i diencia respectiva, os baos seguiotes : a oitava
na sua duradoura existencia quando exposto in- [ parte do sobrado de 2 andares e solao, n. 10, silo
fluencia do ar. O aroma derivado de leos chirai-1 na. travessa da Madre de DeQs, tendo J portas, o
eos desvanece em breve e deixa aps de si um frente, varanda de ferro no primeiro andar e ja*-
cheiro por cerlo mui pouco agradavel, porm a-, nellas no segundo, avahada essa oilava parle <
autoridades do paiz ; mas, permitta-me, que recu-
se a dar-me em espectculo, quando este nao
acompanhado de sceuario e vesluario.
CuMar-rue-ha muilo, senhores redactores, a vir
de novo Importuna-ln, porque sou verdadeiramen-
e inimigo de discussoes, mas nao terei remedie se
a is;o me obrigar o Sr. Furtado Coelho.
Recife, 19 de agosto de 1864.
Antonio Jote Duarte Coimbra.
PUBLIOACOES A PEDIDO.
Apretentamos para um dos nossos juizee de paz o
Sr. commendaikn Antonio Jaaquim de Mello.
Eu, votante da freguezia de-Santo Anlouio, apr-
senlo para juizes de paz, os Srs. :
Francisco Antonio de linio.
Antonio Augusto da Fonseca,
Luiz Cesarte do Reg.
Dr. Antonio Jos da Costa Ribeiro.
Um liberal genuino.
Illm. e Exm. Sr. conselheiro Manoel Rodrigues
Villares.No momento em que V. Exc. se aparta
do Pernambuco com destino a corle, para onde
o chama o de ver de ministro do supremo tribunal
de justiga, os abaixos (asignados, reconhecendo o
espirito de juslicae rectido que constantemente
o guiou em sua decises, conscios da pura e leal
dedieaco com que sempre se houve na destribui-
gao da justiga durante mais de 23 anuos consecu-
tivos que servio o lugar de desembargador da re-
lacao e ltimamente de fiscal adjunto do tribunal
do commercio, vem felicitar V. Exc. pelo seu no-
no predicamento, o maior a que se pode chegar ua
carreira da magistratura.
Quena puis V. Exc. aceitar esta felicitago como
expru&o da sinceridade e testemunho d aprego
que sempre Ibes mereceu a pessoa de V. Exc.
Dr. Lourengo Trigo de Loureiro.
Dr. Vicente*Pereira do Reg.
Dr. Antonio de Vasconcelos Menezes de Drum
mond.
Dr. Aprigio Justiniano da Silva uimares.
Dr. Aulonio Vicente do Nascimento Fetosa.
Dr. Joaquim Jo de Miranda.
Advogados.Jos Bernardo Galvao Alcoforado.
Joaquim Jos da Fouseca.
Amenco Fernandes Trigode Loureiro.
Joo Diniz Ribeiro da Cunha.
Jos dos Anjos Vieira de Amorim.
Manoel Jos Pereira de Mello.
Diodoro Ulpiano Coelho Catanho.
Mauoel Jos DeminguesCodeceira.
.inloDia Salustiano do Abreu Reg.
Manoel Antonio da Silva Rios Jnior.
Eduardo de Barros Falcao de Lacerda.
Francisco Jacimbo de Sampaio.
Oppositores exclusos da proposla de 30 de de
zembro de 1863, cm cor.sequencia das nformacoes
obtidas em dezembro de 1863, pelas quaes jamis
podem ser admittidos a exercer o ministerio paro-
chial. E' cora o maior segredo e imparcialidade
que estas informagoes foram solicitadas : Getulio
Vespasiano Augusto da Costa, Jos Roberto da
Silva, Manoel Cordeiro da Cruz, Jos Alexandre
Gomes de Mello, Antonio Baptista Espinla, Fro-
derico Almeida e Alboquerqoe, Jos Avelino Mon-
telro de Lima, Antonio da Pureza e Vasconcellos,
Manwl Paulino de Souza, Antonio Dias da Cu-
nha, Francisco Raphacl Fernandes, Juvencio Ve-
rissimodos Anjos, Joaquim Bellarmino de Miran-
da, Joo Jos d'Araujo, Lourengo d'Albuquer-
quo Ijoyola, Araanrio Leite da Silva. Rcconhe-
go a letra da presente nota pnr propria do finado
Exm. e Revm. Sr. hispo Joo da Purilicaco
Marques Perdigao : dou fe. Recife, 17 de agosto
de 1864. Em testemunho de verdade (Signal).
O tanellio publico, Luiz da Costa Porto Carreiro
N. 266.Sello 2oO rs.Pagou 200 rs.
Recife, 17 de agosto de 1864. Chaves.Ser-
rano. Conforme com o original que me foi apre-
sentado para exlrabir publica furnia, o qual reco-
nheci verdadeiro.
Recife, 17 de agosto de 1864. Subscrevo e as-
gno em testemunho do verdade. O tabelliao pu
Dlicomis da Costa Porto Carreiro.
No entanto, o Sr. Furtado Coelho me
sempre promplo a rusponder-lhe sobre qualquer | c,|e ob,do meiante a destillago de fres- i 7a03 ; 1 terreno no lugar de Santo Amaro, na tra-
queslo, quer pai licularuiente^ quer peranle as c;ls e oaorferas rjures e jpara e aperfeigoa pelo, vessa do Lima, freguezia da Boa-Vista, tendo 108
contacto do ar, e por conseguinte a sua durago ; palmos de frente e 216 de fundo, um muro na
de maior espaco de lempo. Eis por isso que a | frente, o ps de ooqueiros e 1 viveiro, avahado em
agua Florida 'de iturray i Mnman, formando 600* ; cujos bens sao pertencentes ao Dr. Joao Pe-
urna concentrada produego das mais raras flores, dro Maduro da Fonseca e sua raulher, e vae pra-
do sul, aphanhadas durante o zenilh da sua Qores- ga por execugao que contra os mesmos inove D.
cenca e maior fragancia, nao s possue a fresqui- Mana Rita da Cruz Noves,
de de um fresco ramalhete, mas tainbem o indos- E na falta de licitantes sera a arrematagao feta
trucliveloinoxtinguivel, a nao ser a excepgfioda pelo prego da adjudicago com o abaliraento res-
lavagem do lengo anteriormente humedecido na peclivo da lei.
E para que chegue ao conhecimeuto de todos,
mandei fazer o presente edilal que ser aflixado
nos lugares do costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife aos 19
de agosto de 1854.
Eu, Manoel de Car val lio Paes de Andrade, es-
crivo, o subscrevi.
rn'ifiio de Alencar Araripe.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cnmpnmento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente Ja provincia de 30 de junho ulmo, manda
fazer publico, que no da 13 de oulubro vindouro,
peranle a junta, da fazenda.da uiesma thesouraria
se ha de arrematar quem por menos fuer, a cous-
truego de 69 bragas de caes de cada lado do ca-
da directora do Banco do Brasil, avisa aos Srs. nal da ra da Aurora, avallado em 15:914*000.
accionistas que o respectivo thesoureiro est autoi: A arrematagao sera feita na forma da lei pro-
risado a pagar o dividendo das argoes da meema vincial n. 343 de lo de maio- de 1854, e sob as
caixa do semestre lindo em 30 de junho prximo clausulas especiaes abaixo declaradas :
passado, na razSo de 8*500 por aego. As pessoas que se propozerem a essa arremata-
Recife 14 de julho de 1864No impedimento do gao coniparegam na sala das sessoes da referida
mesma.
A venda em todas as bolicas e lojas de perfuma
rias.
coWebsio.
caixa filial
DO
II1 \C O DO BRASIIi
EM PERNAMBUCO.
A directora dcsta caixa, cm virtude de ordem truego de 69 bragas de caes de cada
secretario, Ignacio Nunes Correia.
Alfaadega
Rendimento do dia 1 a 18.......
dem do dia 19.................
junta no da cima mencionado pelo meio dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar so mandou publicar o presente
468:374*832 pelo jornal.
38 151*458 Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
------------- buco, 9 de julho de 1864.
506:526*290 O secretario
Antonio Ferreira da Annuncianio.
MovIntento da alfandega
Volumes entrados com fazendas..
com gneros.
Volumes samaos
c c
cora
cora
razenuas.
gneros.,
94
347
-----443
1,311
1,448
ge
de
Descarregam no dia 20 de agoste,
lrigue inglez- Uiisuartermercadorias.
Barca ingleza/mpmi Barca in;lezaSileer Oraig farinha de trigo.
Escuna dinamarquezaNnkanden dem.
Brigue portuguezBella Fiaueirense diversos
eros.
Patacho inglezMary Blockcarvao de pedra.
Polaca hespanhola Virgcm del Carinocarn
charque.
Brigue nacionalBeltsariodiversos gneros.
Importncao.
Brigue nacional Belizarw, entrado do Rio dn Ja-
neiro, consignado a Marques Barros 4 C-, manifes-
tou o seguinte :
2 raixes cha, 10 barricas potassa, 1 caixole
papel, 1 dito impressos para botica, 1 volume com
una marmota a ordem.
Gneros nacionaes.
io pipas graxa, 100 barris sebo, 327 arrobas
grasa em bexigas. 1,800 caixas sabo, 1,415 saceos
caf, 220 dilos feijo, 100 rolos e IUq latas fumo,
2.barricas lalhas de barro com filtros para agua :
a ordem.
flecebedoria de rendas Internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 18........ 23-212*751
dem do da 19................. 551006
CLAUSULAS ESPKCIAES PARA A ARREMATA!;^0.^-
1* A obra do caes margem do canal da ra f
Aurora, ser executada de conformidade com*o or-
fumonto o )>lanla roepaoliva aproacntados pela di-
rectora das obras publicas na importancia de
15:914*.
2' Oempreiteiro dar execugao aos trabalhosno
prazo de 20 dias, c os terminar nos de 00 dias,
contados na forma da lei.
3" O pagamento sera effectuado em preslages
mensacs, de valor correspondente ao trabalho exe-
cutado, em cada mez, deduzindo-se um dcimo,
que ser entregue seis mezes depois da conclusao
da obra.
4' O empreiteiro nao poder sob qualquer pre-
texto exigir ndemnisago alguma que nao seja
fundada no excesso de trabalho previsto no orga-
menlo.
o* O empreiteiro na execugao dos trabalbos ob-
servar as prescripgoes dadas pelo engenheiro fis-
cal da obra.
6' Para tudo quanto nao se adiar aqu disposto,
observar-sc-ha o que dispoe a lei o. 286.
Conforme.Antonio Ferreira da Annunciace.
Pela admidistraco do corrcio desla cidade
se faz publico a quem' couvier, que as caitas abai-
xo mencionadas deixaram de seguir seu destino
por se acharem com selles j servido?.
Alipio da Silveira Pinto.
Americo Ribeiro de Souza Froes.
Augusto de Andrade Alpoiai. ___ m
Cesarlo de Almeida Nobre de Gusmao.
HeraclioVcspasiano Fiok Romano.
Hisbello Florentino Correia de Mello.
Ignacio Accioly de Vasconcellos. -
Joaquim Ignacio Alvares de Azevedo.
Joaquim Saldanha Marrano.
Joo Francisc. de Barros Correia.
Joao Jos Leite Guimares.
Joo Ncpomnceno Xavier de Mondonga.
Jos Carlos Teixeira.
Jos Baltasar Silveira,
Jos Francisco Leito.
Exm. Sr. Jos Pedro Dias de Camino.
Luiz da Silva Baranna.
Luiz Francisco Teixeira.
Manoel Alves da Silva Boaventura,
Olympio Ignacio Cardim.
Rosa Maria da Conceigo.
Rodrigo Theodoro Freilas.
F. Saturnino de Sania Clara Antunes de Abren.
Seixas & Sobrinno.
Arrematado.
No dia 20 do correte, finda a audiencia do jui-1
zo da provedoria, escrivo VasconceHos, ser arre-
matado o sobrado de um andar e soto n. 14, sito
na ra de Santa Rita, com porto para o becco que i
d sahida para o moro da Penha, pertencente
testamentaria do fallecido Scbastio Mauricio Wan- j
derley.
Sabbado 20 do corrente, finda a audiencia do
juizo municipal da 2* vara, escrivo Cunha, vai
praga por tres annos o arreadamente do engenho
Espirito Santo sito na comarca de Porto Calvo,
districto do Gamella : servindo de base 500*.
Correio.
Pela administraco do correio desta cidade se
faz publico, para lias convenientes, que em virtu-
de do disposto no artigo 138. do. regulamenlo geral
dos correios de 21 de dezembro de 1S44, e artigo
9 do decreto n. 185 de 15 de maio de 1861, se pro-
ceder o consumo das carias existentes na admi-
nistrago, pertencentes ao mez de agosto de 1863,
no dia 2 de setembro prximo, as 11 horas do da,
na porta do mesmo correio, e as respectivas listas
se achara desde j expostas aos interessados.
Administragao do correio de Pornambuco 13 de
agoste de 1864.-0 administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
O Illm. Sr. inspector da ihesonraaia de fa-
zenda desta provincia manda fazer publico, para
conhecimento dos interessados, que no dia 24 do
corrente mez, a 1 hora da tarde, lera de ir praga
perante a mesma thesouraria o arrendamento dos
armazens ns. 1, 3 c 22 proprios nacionaes, silos
no Forte do Mattos. Secretaria da thesouraria le
fazenda de Pernambuco, em 17 de agosto de 1864.
Servindo de oQicial-maior,
Manoel Jos Pinte
lnspeec do arsenal de marinlia.
Faz-se publico que a commisso de peritos exa-
minando na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereiro de
1854, 9 casco, machina, caldeira, apparelho, mas-
treago, veame, amarras e aiicoras do vapor Ja-
guaribe da companhia Pernambucana de navega-
gao costeira, achou todo em regular estado.
Inspecgo do arsenal de marinha de Pernambu-
co, 18 de agosto de 1864.
O inspector,
H. A. Barbosa de Almeida.
Censelho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
grales :
Para o 4 batalho de artilharia.
Cordoes para os canudos dos inferiores10
Para provimento do arsenal de guerra.
Botos grandes brancos de osso grasas 1000,
ditos pequeos brancos grosas 1000, ditos pretos
grosas 1000, vassouras de pallia 10U0. ditas de
piassava 1000, ditas de junco 1000, lio de algodao
% o.
Para o balalhao n. 10 da guarda nacional.
Cmelas de toque 6.
Para a fortaleza do Bruto.
Bandeira grande imperial de flele 1, dita peque-
a dito ditoI, adrigas para ditas 2.
Para o corpo da guarDQao deMa pruvincia.
Papel almassoresmas 2, peonas caligraphicas
caixas 2, canelas duzias 2, caivetes 1, tinta
pretagarrafas 2, lapis de pao duzias 2, area
preta-libras 2, carias de a b c 12, laboadas 12,
grammalicas 3, arillraieticas 3, pautes 3, traslados
12, pedras de lousa 2, creies 0.
Quera quitar vender taes objectos aprsente a
sua proposla em carta fechada na secretaria do
conselho, as 10 horas da raanba do dia 26 do cor-
rente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 19 de agosto
de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto,
coronel-presidente.
Sebasiiao Jos Basilio Pyrrlio,
vogal secretario.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portes do norte 6 esperado
at o dia 31 do corrente o vapor
Princeza de ioinviUe, comraan-
dante o primeiro lente Araujo
o qual depois da demora do cos-
tume seguir para os portes do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia e sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.________
Para o Rio e Jaaeiro
pretende seguir com muila brevidade o veleiro
brigue nacional Almirante, tem parte de sen car-
regamenlo prompto : para o resto que lhe falta e
escravos a frete, para os quaes tem excellentes
coramodos, trata-se com es seus consignatarios An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo 5t C, no seu es-
criptorio ra da Cruz n. 1.
15 aeges da estrada de ferr.
Tor^a-felra 18 do corrente.
O agente Almeida autorisado por Antonio Joa-
quim dos Santos Andrade, vender em leilo o
predios cima, portada Associacao Commercial,
s 11 horas do dia cima. _^t_____________
Para a Babia pretende sahir com
muila brevidade o veleiro patacho ).
Luiz, capito Jos Teixeira de
Azeve-
do, por ter parte da carga engajada;
para o resto que lhe falta, trala-se
com os consignatarios Palmeira & Beltro, no largo
do Corpo Santo n. 4, primeiro andar__________
Rio de Janeiro.
O palhabote Bella segu cora brevidade, recebe
carga a frete : trala-se com os consignatarios Mar-
ques, Barros & C, largo do Corpo Santo n. 6.
Rio de Janeiro.
O brigue Belisario segu com brevidade, recebe
carga e escravos frete : trala-se com os consig-
natarios Marques Barros & C, largo do Corpo San-
to n. 6.
LEILAO
DE
IM SOBR4DO
O agente Almeida far ieilao de um sobrado de-
um andar e solad com muitos coramodos para urna
grande familia, com armazn proprio para qual-
quer estabelecimente rom xaguo e um outro ar-
mazera pequeo em seguimento site ra do
Apollo a. 8 : terca-feira 22 do-corrate s 11 ho-
ras do dia porta da Associago Commercial
LEILOES.
LEILAO
DE
Fazendvs avariadas.
HOtJK
Sabbado SO de agosto s IO ho-
ras ca {tonto.
Rabe Schamettau A C. aro leilo por copla e
risco de quem pertencer e por intervengo do
! ente Pinto, de algodozinhes, madapoloes e al-
i odios azues, tudo com avaria d'agua salgada e
existentes em seu armazein ra da Cadeia n. 18 :
sabbado 20 do correte s 10 horas em ponte.
O agente encarregado do referido leilo previne
aos concurrentes que o leilo ser effeciuado a
hora indicada, em cousequencia de ter de effectuar
outro de fazendas era o armazem dos Srs. Phipps
Brothers & C ___________.
DEGLUiCOES.
23:763*757
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 18......... 34:5185942
dem do dia 19................. 523J436
35:042*378
MOVIMENTO DO PORTO.
Nato sabido no dia 19.
MaceloBrigue inglez Mana Burriss, capito Ja-
mes Whammond, em laslro.
Observacao.
Nao houverara entradas.
0 palacio da Soledade em coBta corrente
com o padre Jos Antonio dos Santos
Lessa.
DEVE.
1864.abril 30.Importancia
da divida do seminario.. 4:068,5860
dem ilas prestacoes para aca-
llanten to do sobrado da Mi-
sericordia, e Quatro-Can-
tos............,...... 1:400,51000
dem do funeral do Exm. Sr.
bispo como consta de 17
recibos*............. 5:508^640
dem da raensalidade de maio
para o recolliimcato da Glo-
ria................... 281^000
dem da divida do recolhi-
mento da ConceicSo de
Olinda, como consta! dos
i documentos.......... | IWfOWl
dem- de duas conferenci
ao Dr. Jo5o Ferreira da
Silva................. 40i000
dem de urna visita ao Dr.
Domellas.............. 10,5000
Maio.dem da mensalidad
mandada dar por S. Exe.
no Rio de Janeiro, fos
Manoel de Sifta........ 0#000
dem Salviano Pinto Braa-
dc, por ordem do vigario
capitular.............. -360000
Idetti da despea neste mez
EDIT1ES.
O Dr. Manoel Jos da Silva Neiva, commendador
da imperial ordem da Rosa, cavalliro de Cbristo
e juiz de direito da 2a vara criminal da comarca
do Recife, por S. M. o Imperador que Deus
guarde, etc.
. Fago saber em virtude do art. 286 do cdigo do
processo criminal, que tendo sido convocada para
o da 11 do correpte, a 4* sesso do jury desta ca-
pital, Insiallou-se no da 13, e oncerrou-so no dia
29, sendo nella julgados 9 processos, contendo 9
reos presos.
Comparecerara mesma sesso os Srs. jurados
seguiotes :
Antonio Jos Ribeiro de Moraes.
Antonio Machado Gomes da Silva,.
Bernardo Jos Mariins Pereira.
Caetaoo Pinto de Veras.
Caetano da Silveira Araaral.
Dr. Esievao Cavalcanti de Alboquerque.
Francisco Amonio das Chagas.
i'r. Francisco Cordeiro da Rocha Campello.
r. Francisco Goncaives de Moraes.
Francisco de Salles Andrade Luna.
Francisco Sergio de Mallos.
Firmara Jos da Oliveira. *
Vrederioo Augusto de Urao.
Flix Paes da Silva Pereira.
Ile.rculano Duarte de Miranda Henriquet.
Ignacio Bento de Loyola.
Dr. Ignacio Joaquim de Souza Lelo.
Jos Antonio t'ereira da Silva.
Dr. Jos Bernardo Galvao Alcoforado.
Dr. Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Jos Goncatves de Medeiros..
Tenente-ceronel Jos Lucas Soares Raposo da Ca
, mar
Dr. Joao Goncalvee da,Silva Montarroyos. f
Dr. Joao JuvenctoJ/erreira de Aguiar.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para tornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
guiotes :
Para o presidio de Fernando.
4 cornetas de urna volta.
Para os sentenciados do 2o batalho de
infantera.
4 chapeos e 4 mantas de la.
Para o hospital militar.
100 pares de chinelas rasas de couro.
80 colches de panno de linho com 9 palmos de
comprimenlo e 4 de largura.
80 Iravesseiros de dito com 4 pajmos de cora-
primento.
Para a escola elementar do 4o batalho de
artillara.
6 resmas de papel almaco.
6 caixas de pennas de aro.
200 pennas de ave.
2 caivetes.
6 garrafas de tinta preta.
36 cartas para principiantes.
20 cathecismos para leitura.
12 pautas.
6 duzias de lapis de pao. .
18 lapis para pedra.
6 pedras de lousa.
36 laboadas.
Para a escola do 7 batalho de infantera.
6 resmas de papel almaco.
6 caixas de pennas de ac.
200 pennas de ave.
2 caivetes.
6 garrafas de tinta preta.
6 duzias de lapis de pao.
6 libras de areia preta.
36 cartas para principiantes.
36 taimadas.
12 grammalicas portuguezas por Monte Verde,
12 compendios de arithmetica por A villa.
36 traslados.
12 pautas.
18 lapis de pedra.
6 pedras de lousa.
10 ejemplares de doutrina chrisia.
Para o forte do Buraco.
6 enxadas com cabos e 6 ps de ferro.
Quem quizer vender taes objectos aprsente
a sua proposla em carta fechada na secretaria do
conselho s 10 twras da irwnhaa do dia 22 do cor-
rete.
Sata das sessdes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra,17 de agosto da
Antonio Pedrada S Barreto,
Coronel-presidente.
Sebastido Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
O Wn. Sr. inspector da thesouraria de fazen-
da manda fazer publico a todos os habitantes desta
provincia, que em virtude da circular do thesouro
ni SfdrSO-d* julho ultimo, flea prorogado por
raal qnatro mezee o-praso par* o troco sem des-
cont das notas do roverno de fclQJr era substitui-
dla. Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco M de agosto de 1804.Manoel Jos Pla-
to, servindo d offlcitl-malor.
LEILO
DE
Fazendas agriadas e com deleito.
IHM1
Sabbado 20 de agosto de, 1864 ao meio
dia em ponto.
Phipps Brothers & C. faro leilo por interven-
cao do agente Pinto e por coota e risco de quem
partencer de madapoloes avadados, pannos de la
e mantas para cavallos, em seu armazem pracado
Corpo do Santo.
Em continuacao e a 1 hora em ponto vender-
se-ha 10 caixas cora wiskey, existentes
armazem.
no mesmo
liEfkAO
48 caixas com folhas de ferro galvamsado
proprio para cobrir telheiros, e 17 bar-
ricas com 425 latas com tinta em massa
de diversas cores.
Segunda-feira 22 de agosto.
O agente i'into far Ieilao por conta e risco de
quem pertencer dos objectos cima mencionados
existentes no armazem dos Sr. Annes em frente
alfandega, aonde se effectuaro leilo s II horas
do dia cima dito._________
LEILAO
DE
21 pecas de esleirs para forrar salas.
Segunda-feir 22 de agosto
a i hora em ponto.
Linden Wlld& C. faro leilo por conta e risco
de quem pertencer e por intervencao do agente
Pinto de 21 pecas de esleir para forro de sala
(com avaria) 'l hora era ponto do dia cima dito
em seu armazein largo de Corpo Santo
Saines do raes de Apollo.
PROGKAMMA.
Sabbado, 20 do corrente, achar-se-hao os saloes
do caes de Apollo brilhantemonie ornados e mati-
zados de flores naturaes, ardendo toda a illumina-
cao e transparentes, seodo urna das noiles mais
magestosas que tem havido e possa por ventura I
haver, por ser o anniversano da inslallacao da I
casa.
A's 9 horas da noite urna banda militar ence-
tora o baile, executando diversas pecas de msicas,
Ohegadas ltimamente de Pari?, bem como, bata-
Ibas, cavatinas, e variacoes obrigadas a ophicleide,
pisten, requinte e clarinelte.
O administrador pede a todos es seus amigos e
amadores deste innocente divertimeuto. que com-
parecam nos ditos saloes, cerlos de que acharad
um grande concurso de senhoras, com o fim de
mais abrilhantar este magnifico baile.
Sahir mu bando da casa do administrador dos
mesmos saloes, onde verao urna bandeira tocando
ao mesmo tempo um clarim, o qual sahir. como
costnma, todos os dias que houver baile
Ser cumprido o regulamento do Illm. Sr. Dr.
chefe de polica.
Eotradas para homeos, 25000.
Para senhoras, gratis.
S4LITKE.
Segunda-feira 22 do corrente s
10 horas.
No armazem da ma da Cadeia do Recife n. 18.
OLYMPIO SILVA vender era leilo publico por
coula e risco de juem pertencer 5 barricas vazias
e 1 dita com salitre avallado a bordo do Fortunata
na sua viagem ile Lonlrs para este porto.______
LEIL\0
AVISOS M1BITIM0S.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
NavegaeSo costeira a vapor.
Jucei e escalas.
Ne dia 23 do crreme segu
para os portes do sul um des va-
pores da Companhia Pernambuca-
na. Recebe carga at o dia 24. Eo-
commendas, passageiros e dinhei-
ro a frete at o dia da sahida s 2 horas da tarde
escriptorio no Forte do Mattos n. 1.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
Xavegaco costeira a vapor.
Parahyha, Natal, Macao, Aracaty, Ceara, e Acarac
No da 22 do corrente, segu o
apor laguaribe, comraandante
Lobato, para os nortes cima. Re-
cebe carga at o dia 20. Encera-
'mendas, passageiros e dinheiro a
frete at o dia da sahida s 3 horas da tarde do
dia da sabida: escriptorio no Forte do Mattos nu-
mero 1.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portes do sul esperado
at o da 30 de agosto o vapor
Paran, commandanle o capito
de fragata Santa Barbara, o qual
__ depois da demora d* costume se-
guir para os pertos-do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga une o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua, chegada. encommen-
das e dinheiro a frete at odia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1> escriptorio de An-
tonio Luiz da Oliveira Azevedo & C
DE
Sobrccelenles do paiacho hollando/.
Adliaiius Joannese 30 a 70 pipas
com graxa do Kioda Prata.
' I'o rea-fe ir a 8$ de agosto as IO
horas.
Willam Addens, capito do patacho hollandez
Adrianas Joannes, legalmente condemnado neste
porto, far leilo por coota e risco de quem per-
tencer, com autorisaco do inspector da alfandega
em presenca de um empregado da mesma repar-
ticao com assistencia do cnsul de S. M Neerlan-
deza, dos sobrecelentes e 50 a 70 pipa de graxa,
parte do carregamenlo do referido patacho, tenias
quantos forem precisos para occorrer as despezas
feitas pelo mesmo patacho nesse porto.
0 leilo ser elTectuado no armazem alfandega-
do do baro do Livramento.
Principiar s 10 horas.
M
Predios e 15 ac#>es da es-
trada de ferro.
1 casa terrea na ra do Caldeireiro n. 72, solo
foreiro a Santa Casa, rende 255 meosaes.
1 lila dita na ra de Santa Rita n. 49, solo fo-
reiro, rende 145 mensaes.
1 dita dita na travessa do Carcereiro n. 2, solo
foreiro, rende 165 mensaes.
1 dita dita na ra das Triocheiras n. 35, solo
proprio, rende 255 mensaes.
1 dita dita na ra do Fogo n. 29, solo propri,
rende 205 mensaes.
1 dita dita as Cinco Ponte n. 98, solo proprio,
cora um terreno no fundo e frente para outra ra,
rende 265 mensaes, esta casa onde existe urna pa-
darla cujos pertences bem como fono, maceira,
tendedeira, cabido, i caixes envidracades, 1 dito
para deposito de bolacha, 1 baico, grade, que divi-
de a casa, L escada, 2 pesos e 6 bilhas, seraa vean
dldos juntamente com a prouriedade
8 metas aguas na travessa da.Palma de ns. 4 a
II,que rendem cada urna 105.mensaes, (reira
marinha.
3 casas terreas pequeas na mesraa ruado as.
1 a 3, rendara 125 mensaes, foreiro a Misericor-
dia de Olinda.
1 caixo de pedra e cal era altura de receber
travejamento na ra da Concordia n. 67 com 40
palmos de frente o 70 de fundo, em cojo terreno
estao collocadas cinco casas qua rendem 85 cada
urna, foreiro a marinha e paga 25100 por anno.
LEILAO
Sabbado 27 do corrente.
Pnr ordem do consolado de Portugal iro a lei-
lo por intervencao do agente Pestaa os f.-n-
abaixo declarados pertencentes ao espolio do fina-
do subdito po'tuguez Jos Fernandes Pereira Vil-
la-rica, a saber:
A armaco e mais gneros existentes na taber-
na pertencente ao mesmo Gnado, 3 bois de carro,
1 cavallo de carga, i carroca em bono estado, i
dila quebrada, 1 dita nova por acabar, 9 canoas
de carreira, sendo urna deteriorada, 1 plantaco
de capim na ra do Baldo.
O leilo lera lugar em Olinda sabbado 27 de
orrente pelas 11 horas da manba.
VISOS DIVERSOS.

mmmm m s. jse
A commisso directora do partido libe-
ral desta freguezia convida aos seus allia-
dos para a rcunio que dever ter lugar no
domingo 21 do corrate s 10 horas do dia
na casa n. 27 da travessa de S. Jos, am
de tratar-ge da organisacao da chapa para
juizes de paz,
ATTENQftO
Acha-se reimpressa em folhetos a respos-
ta do Sr. Pinto de Campos ao depulado Pe-
dro Luiz: to diminuto o preco porque
se vai extragir este notatel escripto, que at
certo ponto lhe diminue a importancia
bem critica a posic3o de quem escreve e im-
prime nesta trra, onde parece a muita gen-
te que o autor de qualquer obra deve escre-
ve-la, fazer todo o costeio da impress3|p, e
depois distribuida de graca vendo-sea 4&
na ra do Imperador n. 79, loja devros.
Aos 6:0(Hr$t)00.
Quarta-feira 24 do corrente mez se ex-
trabira a segunda parte da primeira lotera
da matriz do Ouricury (05a)
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:0O0,W)O0 at 125000
serio pagos urna hora depois da extraeco
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuicao das listas.
Servindo de thesoureiro,
'_________Jos Rodrigues de Souza.
C4S4 4 VOftTlM.
AOS 6:000.000
Bilhetes garantidos
A' ra do Crespo n. 23 t easag do costume
O abaixo assigoado vendeu nos seus muito feli-
zes bilhetes garantidos da lotera que se acabou
de extrahir a ivuelieio do Gyraoasio os seguiotes
premios:
N. 1214 biihete inteiro com 1:4005000
t. 797 meio biihete 6005000
]: outras muitas de 2005, 1005, 405 e 205.
Os possuidores podem vir receber sem os des-
con.os das leis na Casa da Fortuna ra do Cres-
po n. 23.
Acham-se venda os da segunda parte da pri-
meira lotera da matriz do Ouricury que se ex-
tralnr quarta-feira 24 do corrente.
Procos.
Bilhetes inteiros..... 7500C
Meios......... ,)5oOO
Quartos........ 15900
Para as pessoas que compraren:
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 65500
Meios......... 35250
Quartos. 15700
_______________Manoel Martins Fiuza_____
Roubaram na noute de 17 do corrente, uin
cavallo com a segrate marca J" J; quem o pegar
leve-o ao pateo da Santa Cruz, padaria n. 4, que
ser gratificado com 205000-
Albino Baptista da Rocha
subdito portuguez, estabelecido na praga da Inde-
dendencia n. 12, faz qualquer trabalho pertencente
a relojoeiro e dourador, com muila presteza e per-
feico, e por menos preco que outro qualquer, e
responsabiiisa-sepelo trabalho.
Saques' sobre Portugal.
O abaixo assignado, autorizado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer sorama vis-
ta, e a praso ; podeodo, os que temarem
saques a praso,receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 OO ao anno: na
loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
Na padaria em Santo Amaro atraz da fun
dicodo Sr. Starr, vende-se legomes de Hambur-
go, diversas marcas.___________________
A. Schaffter ti C, na ra do Trapiche n. 17,
sacara por todos os paquetes gara a Babia e Rio
de Janeiro, vista ou a praso, conforme se con-
vencionar._______________________________
Precisa-se de ura ama de leite : ra do
lionas n. 130.____________________________
Dinheiro a juros
Na ra do Livramento n. 20, se dir quera d
1005 1:000__________________________
Offerece-se urna ama para casa de familia,
de muito boa conducta para todo o servico, excep-
to cozinhar e sabir i roa : quem quizer dirjase
ao pateo do Hospital n. 3R
Atten$&
Preciss-ae fallar, oom o Sr. Joo Jos Car-
reiro Jnior, natural da ftha de S. Miguel,
1 viudo tres mezes no patacho Som;,, para
se lhe entregar urna encomnaenda em mo
propria vtnda da mesma Ha; na ruada
Cadeia do RecHfe n. 38.
Quem pretender urna ato* de boa conduela
para oasade honum solleiro, ou aaracasa de pou-
ca familia, dirija-se roa do Sr. Bom-Jesus das
Crioulas, n. 36.
I
'

/

-



I
-AA2 s ul*o/ ** P* ttl*>ddfc* -- u'i^tijMiii i s* i*k%*iA
Blarlo de leraaMbn*o Mahbadu to dr Afi. *ii de l*d.
0 cirnr^iao Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzas sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por# cima do
armazem Progresista, son-
de o acharao como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercieio de sua pro-'
fiss&o, chamado por escripta.
C- 4BI \JL'Tt A ntonio Lui de Olwttra Aze-
PORTUCl IB LKlr EH PER- ve/0 A
Agente, do Banco l'niao de Porto.
i\\ UBICO.
8r. presidente convido o* somieres memoro* *? SXS^ZSiS^aS.s* *"
actual conseibo e os sentaore* novaraente elailts i^ST^ iSEh *? *L
para a referida sessap m egunda-feir* 22 do oor- *0Bdres *hre ^-h *!? rente, s 6 horas da tarte.
'Secretaria do-eonselho deliberativo do Gabinete
Portuguez de Leknra en Tcrnambuco aos 40-do
agosto de 1814.
F. L Tinoco de *iuza
___________________i.'^awelKi.

la Boa-Vista, ra da Coneeicao n. 47, pre-
crsa-se de ama ama para o ser vico interno de pe-
quena familia._____________
Cozinhtira
Precisa-se de uma eozinheirapara urna casa de
mu pequea familia, prefere-se escrava : na rna
oyaa. 44, segundo andar.
Traspassa-se dous sitios, sendo um com plan-
ta de capim, e outro arwredos de fructo, ambos
m bons lugares assim como se arrenda urna
Paetise-se de urna anuflie-9lba.ezjhar 0
engommar: a tratar na roa do Crespn. 48, e-
fondo andar.
Vez.
A*ao.
Precisa-se de tuna ama para casa de bqbc ta- iftveellos.
mua : na ra do Corredor jjo Bispo n. 12. Bastos.
Pars
Jlamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
-Vetada
.-Balito iS{C.
Amarantes.
Ataos de tI tCainh.i
Bpedric"S.
1WMe & Filho.
Francisco Rahuba <| Debita
Jaime ^eric
Crdito nfRnercial.
Gonzalo Seantia.
M. PererTSiijos.
'Em Portuoac;
Angra Terceirijl&guer-
Quart-ferra, 17_do corrate, pelas '9 horas ^J"-
da.noute fagio da. casa Mo coronel Jes aria II- ,;****
dtonso, urna escrava crioula de nome Roja, e- !*FaK"0y*-
ando um vestido de chita jk usado, e-nos hojn-"*^ra.
brs um chale encarnado-4ara*e# itsado, e mais K,,,v*ra di**- Pmhal.
CastejJiHJranco:
; finares.
Coi m bu.
ICoviljra.
/ Elvas.
Esti>en)fc.
Evoi%.
Guarda,
urna roupinha dcbaixo do braco ; rg-*' rifludes policia^&4twuj;rendam e levem>a-asa
doimesmojqronel, ra do "Hospicio -n. 40.
H*rnardn-Joda Silva.com taberna na ru
cocheiraembom lugar e urna casinha junta que ^,', ,T 'Z "'222 M c-nu
erve oara auem se ouiir stshelecer rom car-a110 Rn8e|. punlicoqne nada jjeve ao Sr.Uen
^KS^iSZS^SS um de vi-' ia^ton,oCarpiutiro4ai.a,e*op8 ten* Udo
Iracas e outro sen lias, com urna parelha de ca-
vallos, e tambem um cabriole! com cavado : quem
os pretender, dirija-se ao Passeio Publico, leja nu-
me o 7.

(2)
Precisase de urna n para tratar de meninos :
a fallar na loja de livros ao p do arco de Santo
Autojo.
tiais. iPorto-alegre.
Beaaliel. Thomar. .
Xavij. rVHaNova *>|
Villa do Conde. Pocmmo.
Villa Beal de Vize.
,S. Antojo, faial.
no iario de BenmabiKO .da ibamiD uoi-eiiui -futr* *"^L,^MaraDh5o
poido em praca varias dividas owtwc&nte ao Rio a'p m6\T0 paJ
JS^ptt?aXqT^^,,^^ floilquwjoimAprwj* vista.pod.wJp Joo
JWVy? ^^ aez/aftzao, ooiaca quei os ^^cs a prazo serem descontados no ree*mo
PdeYe a. _ C.iiiinaraes.
I.agoa.
Lags.
La mega.
I.eiria.
Mira cao,
--fMoncoma.
Regoa.
Setubal.
Vianna Cas-
tello.
Villa Real.
Marteir.
S. Miguel.
4 MPU*ru ou infeccSo pecu-
liar cotillee ida pelo norac de Es-
crfula um dos males mais
prevalecentes e Jdiversaes que
lia cm toda a extensa lista das
0 abaixo assiynado, morador na cidade do Rio
'nfonmi'idp* d me snffrp o F0080' i tendo avisado e protestado por este
uirermitaaes oe que onieo jornal de ei3 de janho de 1860, e tambem
enero.humano: disse um cele- 26,28,29,30,31 de uiho, i, 2,4,, 6, V, 8, 9, ,
bre escriplor da medicina que lz, 13,16,18 o nt de agssto de l6z ; a todos e
SABIO a m
kstA a vrnda ka livrahia do'sb. Gkrai.do
A RCA ESTWHTA Do ROftUUO X. 12 AS
NOCOES
icrofu-
la :por si nao tao des- g'1'"10 senlior possuidor por justo e bomtitnloda1
- dita k^oa e raeia de trra na freguefia de Agua-
liuctiva, port'tn e a principal causa de mui- Preta, a ijual comega do lugar denominado Ca-
r QMtras enfermidades que nSo le SO ge- '* Secea na ribeira do Rio aa, segoinde pela!
i'almente attriliuiflas j*ltara do riacho Piranfi Grande cima; declaro' -
j,.,___. w. para conheciinento de lodos, que dita leitoa o rauia
* Urna causa directa da phyhwca pul- uetMTa demarca Mo*ie com o rioUna, pelo
tnonar, das molestias do /gado, do estoma- poente com o riacho Pirangi Grande, pelo sul com
go e affecedes do o.teeliro : iJ^re os sous' te,,ras do Calende, pelo 35001110 com trras do eo-
numerosos svmptomas acham-se os se^m- f^^^n/^'^}r? %^\*nMX\^
iao r~i. j .-. ,, legoa e meta de trra fot inventariada, e os illegi-
m falta de appetite ; o semblante pal- timos p0sseiros foram chamados conciliacao pa-
liao e 4* vezes tachado, s vzes de urna ra entregar a propriedade ao abaixo assignado, e
FlinSlMBKO
fmxseca e Medeiros.
Mdedade de
de vida lustallada pelo llaaco
l nio na eidadr do Porto.
Os agentes nesu cidade e provincia Antoni
LuizdeOliveiraAzevede & C escriptorio na ra
da Cruz do Recife n. 1, estao aut^risados desde ja.
alvura transparente e 'outrns corado e a-1 Mberem-qe s o'mesmo abaiio'assignadc leg'- xa*.a*m* prestar todo* as esclarec
marellento ao redor da bocea ; fraquem e TfJ!^ P0!^Mor d feffida .leeoa p,mV
muau.*______.....j.. 1.---.-.L. >____.deterra, queja foi competentfmente registrada,
Antonio Gomes de Macedo.
cuntas com elle; por tanto protesta hada pagar,
Mi oadadttttir.
Recie, J8.de.agoao de 1864.
_____________Btrnardino Jos da Silua.
Q'uem precisar de um caixeiro para arrna-
lem doassucar ou para cobranca, e que d fian-
Francisco Atacas Moateiro Jnior tendo em ga a sua conducta, annuncie por este jornal,
sea poder a importancia receida por conta do'
producto da taberna vendida em leilao per eouta
da Sr. Francisco Amonio de Medeiros, pede a
quem se julgar credor do dito senlior para apre-
seutar shih ttulos no praso d>' oito dias, e Pind
-ste se pfoceder ao soiapeante rateio. Ilacife 19
de ago-lo de 1K64.
AMA
.- -Xr ~spi.ifltlBIBHlW MBWppftffttmtfP "lOOfiftRlii, #oa>
'i i|2 horas da tarde etn diante mdico estipendio ; e tambam encarrega-^e
de formular balanzas e bataneles naquelles em
que nao houver escriptaracao regular : na ra
Direita n. 4, taberna, se indicar o annonckinte.
O Pussoa e Silva muito agradece aos seus
regoezes desta oidade como aos do centro, que
dignamente llw onimiinicarain de icarem inteira-
mente satisfeilos -de lerem bem apreciado os tra-
balhos inherentes a sua proflssao. E em resposta
recedor da plena confianca que nelle depositaran!,
e s lem em vista eumprir com um rigoroso efe-
ver que se jalga carecedor.
Agencia ik passatii'te.
Claudino do llego Lima, despachante de passa-
porte, tira-os para dentro a fra do imperio por
commodo preco e presteza :" na rita da Praia n.
47, primeiro andar.__________________________
irmaudade de H. Benedicto do
eou vento.
Hoje 20 do correute ter lugar, (inda a audien-
cia do Illm. Sr. Dr. provodor de capellas, o arruu-
damento judicial da casa de sobrado de dous an-
dares na ra da Cruz do Recife n. 44, onde existe
um estabelecmento de marcineiria e mobilias, o
jual pertenceote irmaudade de S. Benedicto do
onvento oe Santo Antonio desta cidade, durante
a ni triennio por 1:200,9 annualmente, requer-
mento|da roesma irmandade, como consta do es-
cripto que tem o porteiro do juizo.
Pereira Braga.
Secretario.
Irmandade das almas da matriz
do Corpo Santo.
Por ordem da mesa regadora sao convidados to-
dos os irmaos para se reuniretn em mesa geral no
dia z do crreme, pelas o horas da tarde, aflm de
se deliberar negocio de interesse da mesina.
Jos Joaquim Lopes de Almeida.
Eserivao.
Vicente Ferreua da Cosa vendo no Diario
n. 188, no edita! do Illm. Sr. Dr. juir. especial do
commereio, annunciada a venda das dividas do fal-
lido Bento Antonio Carpinteiro da Silva para o dia
29 do correlo, requerimeuto dos Srs. Tasso Ir-
maos, e como, na relacao a que se refere, visse o
seu nome contemplado com o debito da quanlia de
324,5900; declara a quem possa interessir, que
nada deve ao referido Bento, e para que chegue ao
pannecitnento de toJos faz o presente.____________
Antonio Joaquim Fernandes participa que
deixou de ser socio do armazem Aurora Urilliante,
sito 11a ra dos Pires u. 84, desde o lia 11 do cor-
rente, fleando todo o activo e passivo a cargo do
socio Francisco Jos Fernandes Pires.
Instrucco primaria.
O abaixo assigoado, professor publico da 3* ca-
deira de instrucco primaca da freguezia de Santo
Antonio do Recite, faz publico que sua aula acha-
re aberla na ra de Aguas:Verdes, sobrado n. 4C,
primeiro andar.
Seraphim Pereira da Silva Monteiro.
- Precisase de um caixeiro com pratica de
taberna para lomar conta de urna por bataneo, e
tendo alguns tdudos se Ihe dar sociedad*: : a tra-
tar na uberna da ra do Principe n. 32._______
Precisa-se de um iiadeiro para ir para a villa
do Cabo : no pateo do Terco n. 141.
Precisa-si' alagar umi eriada forra ou
escrava para o servico interno de urna casa:
Precisa-se de urna ama engommadeira e outra
cozinheira : na ra do Hospicio n. 36.
Um professora aposentada, competentemen-
te habilitada, olferece-se para ensinar fra em al-
gum engenho ou mesmo dentro da capital, pri-
raeiras letras, as qualro operacoes de anthmetica,
grammatica da lingua nacional e as prendas *do
mestlcas : quem pretender, dirija-sc Soledade-
casa n. 11, que achara com quem tratar.
Paarmaceutico.
Un pharmaceutico formado olferece-se para di-
rigir urna ph.irmacia, qur como simples adminis-
trador, ou como socio : quem precisar, deixecar-
ta fechada neste escriptorincomas inieiaes A. B. C
AMA m HITE
na ra da Cruz n. 1.
' I}mi,j6SQa-iariiz^:jutop5e->e 5,escriptu-
WmMMMmZMMMM
O Dr. Carolina Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do diae da noitc
para o exercieio de sua profisso de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia at 4 horas da larde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o esludo das
molestias do interior, prosegue, com o
maior affinco, no das mais dilceis e deli-
cadas operacoes. como sejam dos ergos
ourinarios, dos olhos, partos, e.tc.
Na ra estrella do Rosario n. 3i
i
9 s
i
i
-^ S> t*
n
e t
5
2 o
" 2
1 s
a o
o
9 2
& I

.1
o
B
o
9
a*
--
$ 3
2 O
limo senhor e possuidor da referida legoa
je Ierra, queja fui competentemente raju
molleza nos mutuos : .dtsgeitao fraca ea-qualhoiveJdot sismara de 1782 que Ihe foi
appelite irrtgi/lar, falta re enivijta, reir traspalada ,e cedida por compra aos legtimos
ittoido .e ftvucuualo irrtuular ; quando O ^ipmeiros, pelo que os Ilegitimes posseiros logo
mal Ibiu cu ai-nniu SS2k^222^^Jff??^i?!' W^SmSiitt,ilganvu partes do dito terreno
cor azulada mostra-se em coda dos olhos ; esta vara fozendo.
quando ataca os orgaos digestivos, os olhos
.tornam-se avermelliados : o haliiu ftido,
Ungmi car regada, llores de cabera, ton-
teiras etc.
as penos de dsposic5o escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupces na pelle
>da cabica e oulras partos do-carpo, sao pre-
dispostas s affeccoesAos pul mijes, do /ga-
do, dos raiis e dos oreaos digestivos e ute-
rinos. Porlanto, no somonte, aquelles
que nadecem (Jas formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de. pro-
tccgo contra os seus estragos ; todos a-
quelles em cujo sangue.existo o virus laten-
te d'este leq-ivel fjagello (e s vezes heri-
ditario) estao exposlos tambem a soffrer das
pnfermidades que elle causa, que so :
A phlhysica, ulceraces do gado, do es-
tomago e dos rins : eriipcoes e enfermida-
des eruptivas da cutis ; rosa ou crysipela ;
borbuihas. pstulas nascidas, tumores, rh-
cnmacarbunculos, ulceras e chagas, rheu-
mattsmo, dores nos ossos, na costas e na
cabera, debilidades femininas, flores bran-
cas causada pelo ulceraco interior, e en-
mentos que forem necessarios, as pessoas que de
sejarem concorrer para tao til o benscaempre
as, expirando um futuro lisongeiro aos asociade-
x.
Publicaran Iliteraria.
00 PODER MODERADOR
BIISAIO M dirkito constitucional
Contendo aanalyse do Til. V Cap. Io da
Constituicao do Brasil
TELO
Dr. Braz Florcnliiiu llenriquesdeSouza
Unte de direto civil na Faculdade de Direito
do llecife.
A raridade e importancia da discusso ltima-
mente levantada na corle acerca da natureza e
; limites do Poder Moderador, e particularmente
acerca da responsabilidade dos ministros di
semS^rp^ ASnso de ^Fi*lVi*~"^& "S
atar I^^'"o"^" iUluuou uu muu Aos puimoesa escrfula produz tubercu- ae ,
llOS a r,n:1lmo.,i,. r,,,,.nZn ,1/lm. me-oso. .Nao querendo porem fazer ititeiramente
peratriz n. 43, fabrica de charutos, para tratar.
Precisa-se alugar urna ama que saiba cozi-
querqtie Mello,
/e.rmtaades uterinas, hgdropesia, wdiges- (do pelos actos proprios desse Po.'ur, despertaram
* autor o desejode. eniiltir tambem a sua humil-
opini a respeito de um assumpto tao 1110-
P nablMlMfl rautnnwrn nulmanar ."* ^'""'ucl"uu l'u,e,M i*er imeiramenie
b iiiiaiHieiitc cotisumpcao^ piumonai uma obri4 di, circumsUnf.jaj persuadido por ou-
nnar, prefenndo-se escrava: na ra da Impera-1 pode ser procurado a qualquer hora ; as sexta* nas JMOMM Olla poOQUZ nqbafoeo 0 tOrnam- tro lado de que o bom sonso dos Brasileiros sabe-
triz n. 40.
^ Niidanea 0 bacharel A. R. de Torres Bandeira
mudou a sua residencia da ra estrena
| do Bosano para a ra das Cruzes sobra-
tga do n. 9, segundo andar.
Anna Theotonia de Vasconcellos, parlecipa a
suas amigas que se relira para Masen com seus
ires filhos menores, e em companhia de urna fa-
milia honesta, e como nao pode despedir-sc pes-
soalmente, o faz por este annuncio.
O irmao-mestre dos nevicos da veneravel|or-
dem terceira de S. Francisco, abaixo assigoado,
avisa a seus oarasknos Irmaos novi(os, que no do-
mingo (21 do correte ) se celebra a festa e Te-
Ueum em honra da excelsa padroeira dos mesmos'
Bricos rogando-Ibes a sua assistencia ; o mesmo |
pedido faz extensivo o todos os demais irmaos.
O rmao-mrstre.
Luiz Mannel Rodrigues Valenra.
I teiras, porm, na villa do Cabo.
im
ulceras : nos igaos digestivos causa ra guardar anda por muitos annos a bella consti-
Joao da"Silva Kmo, f.-.e"ico pela UpT
versidade de Cuinbra, d con u I tas em
sua casa das 9 s 1 Inoras da tuanhaa, e
das 4 s 6 Ja tarde. Visita os docntes
ei suas casas regularmente nas.horas
para iss designadas, salvo os asos ur-
gen tes. que serio siicrurridos em oual-
quer occasic. Da consultas.aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro B,
aonde encontrado diariamente das 6
as 8 horas da manhaa.
Tcni ua cisa de valide regularmente
montada para recebar qualquer doenle,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgira.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 2Sf)0
Terceira dita.... 2$090
Este eslabelecimetito j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle eonti.
nue a merecer a confianca de que sem-<
pre tem gozado.
O abaixo assigoado, residente nesta cidade,
avisa ao publico em geral, para que niuguem faca
transncciio alguma com o capitn Jos MaiKiH de
Araujo morador na cidade de Penado, tendente a
uma letra de saque da quanlia de :l:300rS,.pa>.ada
a favor do mesmo Araujo contra Carvalho i.Roilri-
gues da cidade da Baha, por ter que Oppora ella;
bem como, para que nenbuin contrato de qnalqucr
natureza que forsc (;u; rom o mencionado Araujo,
relativamente a fabrica de pilar arroz a vapoj, ex-
trahir leos e sevar mandiocas com lodos os seus
accessoriose |iertences, sita na ruada Rocheira da
dita cidade do Penedo, porque tem imposto accao-
contra elle no juizo nmnu pal d'ali,| .t, Ir
A actual directora da devoco de N'ossa
Senhora da Conceicao erecta na igreja de
Santa Rita de Cassia, manda convidar a to-
dos os prenles e amigos do finado Sebastlao
de Mello Accioli para assistirem as missas
que tem ile serem celebradas por alma do
mesmo tinado devoto, ex-juiz e eserivao da
referida devoco, no dia 23 do correte mez
pelas 3 1|2 horas da manhaa, na igreja ci-
ma mencionada.
Recife, 19 de agosto de 1864.
O eserivao,
E. A. de Moraes.
Manoel Azevedo de Andrade, Antonio de
Souza RfKO e Domingos da Silva Campos, lendo
a tratar na ra da Aurora junto a fundirn comprado o recibido .em pagamento qoasi toda a
mero 34.
nu-
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53, ]
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercieio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre o seguate
i9 molestias de olhos ;
2o de peito :
3o dos orgos geniti j
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d gf
6 as 10 ila manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticara toda e qualquer opera-
cio que julgar conveniente para o1
prompto restabelecimento dos seus1
doentes.
Iieranca i|iie lieou por fallecimento de Jos The-
moteo Pereira Bastos, ultimo administrador do ex-
tincloraorgadode Alagoas oude S. Francisco, com-
municam aos foreiros dos solos pertencentes ao
referido eitincto morgado que o consenhor da he-
ranga Manoel Azevedo de Andrade se acha autori-
3--RUA BSTRKm O R0SARI0--3
Franeisco Pinto zorio contina a col-
locar denles artificiaos lauto por meio de
molas como pela presso do ar, niio re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
liquein a vontade de seus donos, tem pos
e outras preparaces as mais acreditadas
para conservaco da bocea.
Precia-se de una criada uvre ou escrava
que saiba cozinhar e engommar : na ra das Cruz
n. 42, primeiro andar.
quasi il
A salsa parrilha de A ver Dcste modo s depois de analysado o relerido
1 composta dos antdotos mais effi'cazes que ca!,i,ul J^g o aotor a tratar da grave quesio
L :,: 1:'. j^ ii^ ,i, i-; acuna indicada, devendo sem duvida este met iodo
a sciencia medica lem podido descobrir. coocorrerparababikiarolelor acooheeermuito
I para esta m lestta assoladora e para a cura meihor a natureza do Poder que se discute, e a
tle lodos os males provenientes d'ella que formar com segoranca um juizo acerca da respon-
cqntm virtudes verdadeiramenle extraordi- ""S*? mini-s'Tiai, pelos actos delie.
.' ;___. ... ., Anin de dar ao pub ico uma idea da obra, ju ga-
naras e provado incontestavelmente pelas mos conveniente iranscrever aqu a seminados
Huras notavets e bem conneciaas que tem diversoscapitulosqueacompiiem.
fiito (le tumores, enipcOes cutneas, ei ijsi- Depois do competente Prefacio, segue-scCap.
'pilas, barbullas, nnsciit'is, dianas antigs, '" D" JS?"-ff*1 S '"*""''"" wi-i.r u i'jj,.,-
... 1 1 j Moderador.Cap. 2." Do Imperador como nrgao
; viral as, rheuma, sarna, parchas, lujdrope- d ,,oder aoderador.-Cap. 3. Da ioviolabilidade
|Sf, tosse quando Causada por depsitos tu- dapessoa do Imperador.Cap. i." Das attribui-
berCOloSOS UOS puimoes. Debili'ladfi ge- coes do Poder Moderador.Cap. .">.' o dl-
ral:-Inditreslo, SyphiH* constitucional t. re.tode escoll.erosSei.sdores.-Cap^ .- Dpdireilo
0 '. *" ... ., de convocar extraordinariamente a Assemblea Ce-
tra ipiem ile direito fr.
Macei, 7 de julho de I8ti4.
Paulo Leite Rihtirn.
Ama de le te
Xecessita-se de ama ama de leite forra ou es-
crava, mas que seja sadia, e que o leite soja de
pouco lempo, nao se duvida pagar bem agradau-
do : a tratar na ra da Cruz n. 33.
Precisa-se, de urna ama que saiba cozinhar
o engommar, para casa de pouca familia : na ra
io itanget n. '4'J,
COMPEAS.
em obras velhas
s da nica da lude
[nack e Manual de sade do Dr. A ver que
se distribue gratuitamente nos lugares onde
se vendem os remedios.
Este remedio o fructo de longas e labo-
riosas experiencias, g ha abundantes provas
das suas virlu les: posto que odeiecido
O mais completo e variado sortimento de albnns
que se possa ter visto em Pernambuco, acaba de
chegar de Paris a casa de J. Falque, ra do Cres-
po 11. i, sendo de 20 at 100 retratos, e por pre-
C03
e
tros de Estado. Cap. 11. Do direito de suspender balaustres, para escripti
os magistrados. Cap. 12. Do direito deperdoar e Queimado, loja do Beija-
moderaras penas.Cap. 13. Da direito de conce-
coiu
lorio : .1 11.11.U
llor ns. 03 e*69.
deramnislias.-Cap.l4el5. Dairresponsabilidade' Umpid-f,e elettivaniente
absoluta do Poder Moderador.Concluso. ouro e prata em obras velhas pagndose bem :
Acaba de sabir a luz esta interessanti poblicaco, na ra larga do Bosano 11. 24, loja do 0111 ives.
em um volme de 000 paginas, e acha-se venda, Compra-sc, na ra do Apollo, armazem 11. i
ao publico sol, o nome de Salsa pamlha r2tt5 ff3lfiSr& P^ ^'^ eBBh ""^
composlo de diversas plantas, algumas das veira, pelo mdico preco de 0-5000.
qaaes sao superiores a melhor salsa parri-
ia no seu poder alterante.
PEIT01LIL DE CEREJ.l DE AVER.
eos nunca visios aqu, em attoncjio a boa quaiidade; qui.;1 nroinptamenle a asthma, bronchite,
e gostos, regulando de 33 e gradualmente ate 135.; dpllnvn inoina enmiplnclie
Assim como um bonito sortimento de livros de tosse, eiiuxo, angina, coqueluche,
pnthysica
l.onciliacito.
Ha sess.o extraordinaria desta sociedade no dia
21 do presente mez, s 10 horas da manhaa, para
a qual sao convidados todos os seus membros.
missas de diversos gostos e precos razoaveis.
primaria, tubrculos
pulmonares. e todas asjj
molestias pulmo-!;
nares.:
Allivia os etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peito
Coinpanlila vigilante de vapores
de reboque.
Agencia em casa de Rui he \ Bidonlac.
Na conformidade do que foi deliberado
sad a receber o foros e laudemos, bem como as! em assembla geral dos accionistas da com-' e dos pttliiioes pdem ser curadas em pou-
rendas dos predios, e o competente para passar panhia vigilante, que se reuni no dia 18 co lempo peJo pbitohal oe Ckreja do dr. V
recbo. BecfeOde agosto de 1804._________ de'abril do correttea.mo.so osSrs. accio-1 uer. '
nistas convidados a entrar com 40 por sen- A' venda nas principaes boticas e droga-
to sobre o valor de cada uma de suas ac- ras do imperio, e na agencia central do
cues at o dia 20 do corrente, e, se o nao ti- Rio de Janeiro ra Direita n 15.
urea peninsular.
NOVA FABBICA DE LICOBES P TOBAS AS
QL'ALIDAES, GBNBBRAS,COGNACS, AGUR-
DENTE E MAIS GNEROS.
Pelo svstema francez
DE
Tlnge-se com perfeicao para qualquer
sor, e o mais barato possivel: as coa .do
fiangel n. W. segundo aadar.
.Uanoel Marques de Ollvef ra fcC.
Ra dos Burgos 11.31 entrada pela ra
do .Amoi'iui.
Nesle eslabelecimento, se encontra toda a quali-
Idadede gneros cima mencionados, feilos com
perfeicao, bondade de materias primas com apuro
I dae, por um preparador habilitadissiimo.
Assim como se recebem encommendas tanto para
a provincia como para o estrangeiro, em grande e
pequen,! escalla, indo bem acondicionadas da me-
lhor forma possivel. por precos mui diminutos, os
quaes devem agradar aos senhores consumidores-
Convidamos ao respeilavel publico a visitar o nosso
eslabelecimento para se certiGcarem da verdade...
Nao pedimos que nos acrediten), mas sim que se-
ja juiz a vista das provas que temos a honra de
apresentar.
Joo Bernardo de Magalhes subdito portu-
guez retira-se para a Baha.
taCvi.GflBs
o en Atimr
,t as fhry^ w 1 Wil W
W. Rl'A DO DIPERIDOII
0 piio dtwtaaatiga fabrica sa noie-awaz conhecidos para ttue seta necessario insistir sobre o
*ua snperlorWade, xaijlagens e garantas flue oflerecem aos compradores./qualidades estas incentesta-
tti ne Bes tem 'demltlvaiiieirte conquistado sobre todos os que tem nparecido nesta praca ; pos-
rfnindonm jeclado e machintsmn que obedecem todas as vontades fi/caprkiws das pansla.s,em-
nWa'fclhar, por sorem fabricados de proposito, >e tornw feito ultioKiamte melhoramentos importap-
'.issiBios para o clima duste paiz ; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
reis aos ouvidos dos-a^raciadores. m
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabricacomo na dOiir.*londel,de Pris, soel
correspondente de J. Vlgnes, enicja capital foram sempre jaremiados em todas as eipesic5es.
-17o memo eslabelecimento se acha sempre um expandido a f,-ariado HrifMUo de masieasdo?
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo Indo vendido por
preco? cormoodos e razoaveis.
Compaukiai fidelidadc de
seguros martimos e ter-
restres estabelecida no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEP.NAMBICO
Antonio Lniz de Oliveira Azevedo & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
Conipra-se una escrava de leite com cra ou
sem ella, paga-so bem agradando : no paleo da
matriz de Santo Antonio n. 8.
Comprase um violao e urna fiar i neta de d,
udo em bom estado : na ra da Cruz do Recife
n. 64, primeiro andar.
Comprase cobre velho : na ra do Brum nu-
; mero 78.__________________________________
Compra-se um sollim para carneiro, estando
em bom uso : na ra do Crespo, loja n. 20. es-
quina.
Compram-si; Diarios a O rs. a libra : na
ra da Snzala Velha n. 50.
Compra-se um braco de batanea grande com
as competentes conchas'; quem as tiver annuncie
i para ser procurado.
YENDAS.
zercm inoorrero na perda da quantia ja en
liada e faz-se este aviso pela imprensa, o
qual ser intimado a cada um dos Sr. accio-
nistas em particular, os quaes tero a bon-
dade de participar por escriplo, que ficam
iuteirado e sua resoluc5o definitiva, para go -
verno da directo. Recife, 8 de agosto de
1864.
Os directores
AssignadoIlenry Forster & C.
Bario do Livramento.
Saunders Brothers &'C.
Aluga-se a casa terrea da ra da Trempe n.
11, com boas acromnmdaces: a tratar na pada-
riada roa Direita o. 84. _______________^^^
AMAo
Precisa-se de uma ama para engommar : na
ra do Rangel n. 60.____________________^^
Offerece-se uma ama para amamentar uma
crianca, a qual nao tem filho. moca, sadia e
tem bastante leite : na ra dos Martvrios n. 6,
Ipja._______________________________________
Aluga-se alo a da casa n. 40 da ruanas Trin
cheiras: na ra da Aurora n. 36.
HW&9fVnltt-nl$MK-i
DENTISTA DE PflRI
IIUna Not-
Frederico Gantier, cirnrgiao dentista,
faz todas-as operacoes de-sua arte, e eol-
Meca4entaactiftBnsA)do eom4upeo*i|
ridade 0 perleifiao, que as pessoas anten-
dtdas lhe recoahecem. .
Tem agua e pos dentifleio.
MBiarse^i2'.aadar do^sobrado o. .79, najua
do Imperador : a tratar na ra do Creapo n. lo.
W9r.-{jbastlao" Jos Peixoto lem uma carta
IBMjAdaliylyendiBPCiai livieria ns. C e$.
"Precisase de um cmer qu emenda de
pharmacia: na ra do Cabuga n. II.
Vende-se em Pernambuco:
na pharinaeia i'ranceza de
P. MAURER & C.
__________BA NOVA N. i8.
Ama.
Hotel italiano.
as seguintes obras : Gainier, Ecouoniia po-
Madama Ferro avisa aos seus fregueies e ao res-' litica, 1 vol. por rHXK); Alackelde, Diret-
Ipeitavel publico, que acaba de mudar seu estibe- tn rnnnnfl 1 Vnl noria- Hit Carraii
lecimento da ra do Trapiche n. 44 para a mesma I l0man0'. ^0l P -W.j -* Launa//
ruan., aonde foi o hotel Franeisco, e espera sa- CommenUtClO do COdigO Civil.trapcez, vol.
tisfazer s pessoas que a honrarem com sua fre- por 8$ ; The Complete Work of loi d U-
jquencia, por sso mesmo que nao se tem poupado i r0n, i vol. por 8#; Racine. obras compe-
a despezas para poder offerecer actualmente bons ,, vf|i r^r ak- n Mass lifflionario do
rnmmodns. nromntidao e aceio do servia e mndi- las',1 u P** a>- u" .^f- 'oion.ll tu UU
contencioso cominercial, 'i vol. por C,->;
Precisase de urna ama para o servico interno | commodos, promplidao e aceio do servico e modi
de uma casa de poora familia : na praca do Cor- cidade de procos.
po Santo n. 17, turceiro andar.
Precisa-se de urna mulber livre ou escrava,
que saiba cozinhar e que lenha bons coslumes,
preferindo-se livre : a tratar na ra do Trapiche
O naobarel
Francisco Augusto da Cosa

r'
ADVeGADO

^ Uua do Imperador nujneco l>9. M
na
Os senhores que ti ver m negros ou moleqoes de n. \1.
officio de sapaleiro, e os queiram alugar para os j0S Maria de Souza, cidadao porfuguez, re-
ter com seguranza, e nwsiuo para aprenderom o tira-se para fra do imperio.
oUicio, diriuun-e a ra dos Quartois, fabrica de--------:--------;r~- ....... r-
1 sapa.o's ... 22 junto a loja de fumleiro. i.. ~ Fu8,">.' '.", df e a escrava crioula
de nome Luna, idade 36 annos, com os signaes
seguintes: estatura regular, tem falta de denles
na frente, cabellos ralos, dos pulsos especie do um
tumor balado para fra, falla meia atrapahada, le-
vou roupao de chita rxa j voltio, e chale de al-
godao j desbolado e velho, o rso salpicado de 1
bechiga : roga-se s autoridades policiaes e capi-
taes de campo a sua apprehenso e leva-la ra
I Direita ao seu senhor, na taberna n. 09.
m Os herdeiros de Joaquim da CosU Monteiro
'&!mmmm 'm&mm T&W&Mm declaram desde ja que nenhuma pessoa ^onlrate
i negoeio algum cwi a casa aila na ra fla Gloria n-
L-OSlUreiVQS. \ 4o, sem aue nao se enienda com os mesmos her-
Prpcia.o fi rnurpiric niiA T-ectsa-se dt costuretras que saiba toser, jioniare.-Gn}gorio da Cosu Montelro;-
! COSlufas de aifetate lra trabalhar por da : ^ Sabino Henriqno Loa.- Jaaquim SoteriodeFanas.
na ra Nova n- *7. loj"-___________________j Aluga-se om bom sitio na Soledade, roa da
Perdeu-se hontem desde a ra da Cruz at a [ Esperanga n. 68, todo morado, com pomo de fer-
Estancia, um estuio^uY. hatba : quem o achou, ro, a-^xia casade inorada para familia : a tratar
. querendo reslituw, .pode lvalo ra da Cruz na mesma. _________ \ | \ /^
P-4&.aamzein,l Precisa-se de um oaizairo def4 a 16 anos para casa de pouca familia, que saiba cozinhat e
; que tenha pratica de taberna : ra Direita n. fazer o servijo deroa : Ra roa do Queimado, loja tabnoadaraa drftnda ji.l*
IOC^>dit.uem-nrcciaa.___________________.
Pria>iM|^ 'Mu iim para cosinhar
em casa de pouca-familia e .tambem om moleque:
n*tro*dniiMpenyft3.
Preclsa-se atfafz.tr ma preta escrava para o
servido de uma pequea familia : na roa das'Orn-
zes n. 28, primeiro andar.
Chabot de l'Allier, commentario sobre sue-
cesses, 1 vol. por $;v A. Arnaud, obras
philospphims,. ,ViK jWi-.;. Sfwgc-Har-
dg, ereacao de bancos de deposito, i vol.
por 2t5; Mtots BUttic, organisaco dolraba-
Iho, 4 vol. por 2o; Resista contempornea
de Portugal.e Brasil, anno de to'J.por 2,->:
na na dpjCabug loja n.i A.____________
^QMMNMO rUI)EQSO
que contem o oflicio de iNossa Senbor das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
roa, um setenario e mais outros exrcicios
de piedaile e devoco; ordenado pela ir-
mandade dos sorvos da mesma Snhora,
que se acha erecta na egreja de t. S. da
Petlha do imperial hospicio dos reveren-
dos padres misionarios apostlicos capn-
fihinhos.italianos de Pernambpco, apprva-
do por S. M. I., que Deus guarde; dado
luz par devoco do muito reverendo
padre fr. Placido de Messina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia.
^WMfciMMttM"e*m Iboas leieite : na
de fctTagops o. 36.
a pra^a da Independencia, .loja de ourives
n. 33, compram-sc obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como 50 faz qualqoer obra de en-
i commenda, e lodo e quatquer concert.
AloitVseobiiftoirtdtfltia mida Impe-
: ratriz n. 34 : trata-se na taberna do mesmo.
JUJJt 4M44V)
a 34 a sacaaitim olla a J0|ts^ mpjam..zei 1 da
KilreMa.JargdoParaizo n K_______________
Venilum-seUre partes do pivdlo de dous an-
dares sito a roa da Lapa n. 6 : a tratar na ru*
Velha o. 57.
t
-
ILEGVEL]


^




1
M PUBLICO
Sem o menor constran-
siuiento se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ARMAZEM U
Diario 4e Per
--------_;-------------------
buco
. MM^JtJgMg^ ftMf.
ATTENCO
Os preeos da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslnt servir de ba-
se para o ajuste de eontas
os portadores.
eo
MERCANTIL
4..
53,
RA DA C A15EIA DO RECIFE M.
i Lego passando o arco da Coneeico)
Grande reduceio de preeos, equivalente a dez por cento menos do que ontro qualqner
annunelante.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o prece da manteiga ngleza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
amitos objectos, etc., dando com isto ocasio a todas as espeluncas acabaren) por bom preco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta toz, que podem vender pelo preco que eu vendo!! 1 Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vim encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reduceao de preeos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Unio Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redueco a que
eto obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamaco de pregps, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mal informado deste novo estabelecimento. para lhe vender gneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu 6m
t5o smente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
.


Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aosarranjos deste novo estabelecimento, emais que tudo apromptido eentei-
reza com que serao tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me daro a proteccao $ preferencia na compra
dos gneros que precisaren), e quando nao pocam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratices, pois
serio tio bem servidos como se viessem pessoalmentc, havendo para com estes toda recommendaco, afim de que nao vJo em outra parte.
Antonio d Lisboa em latas com 6 libras
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8oo rs. a libra, em barril se
faz abalimento.
dem franceza a mais nova que teirf vindo ao
mercado a 50o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perela o mais superior do mercado a
,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
oeste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o I.Goo, I,8oo c 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regu'ar, igual
ao que se vende emoulra parte por 2,4oo
e2,6oo rs.
Linguicas, chourifas e paios em latas de 8
libras, emticamente lacradas a 5,5oe rs.
gararite-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios om barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e I,5oo e 6oo rs. a libra.
Qucijos flamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a I,6oo e I,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abalimento.
dem prato muito fresco a 8oo rs. a libra.
Ilem do Alcntejo o que se pode desejar 'de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a ellcs
antes que se acabem.
Ervilhas e lavas porluguezas em latasj pre-
paradas a tito rs.
Marmelada imperial dos mais acredilados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Prezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, c a 5oo rs. inteiro.
dem inglesas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculatc francez, suisso e hespanol a Ooo
I.ooo c l,2oo rs. a libra.
Espermacete cm caixinhas contendo G libras
por 4,ooo rs., garante-se serem transpa-
rente e le superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Gaf do Rio a 20o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8.5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranhio a loo rs. a libra, c 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massade tomate em latas.de 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Alelria, macarrao e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse lim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito lino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
las com 9 caadas por 18,000 rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5eo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e ooo rs. a garrafa, em caada
-a 3, ooo e 3>5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., ladeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de I duzia de 9,ooo a
lo,ooo rs. ca 9oo e l.oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas porluguezas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes emlatas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lcntilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
da, salmao, ostras echernec, rezago em' Bolachinltas inglezas as mais novas do mer-
latas grandes a 8oo e l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
cado a 2,8oors. a barrica, e 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco. | para rtimo a 64o rs.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, c Passas omito novas de carnada a 4oo rs. a
5,7oo rs. a frasqueira. libra e
dem de laranja verdadeira de Altona em Figos de
frascos grandes a l.ooors. o frasco, cj l,8oo
11 ,ooo rs. a duzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a loo
6,ooo rs. a caixa com 28 libras,
comadre a 24o rs. a libra e
rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l.ooors. e 11,ooo a duzia.
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors,>
Chai utos de todos os fabricantes da Bahiaeaas
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,090 rs. a garrafa.
Doce da casa da goiaba em latas de 4 1
bras por 2,ooo;
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 1.8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
c 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas por l,2oo rs.
Malte excellente cha para es navegantes a
a 2oo rs. libras.
Acaba de receber de sua propria encommeuaa um grande e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos preeos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 rs,
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e 5oo rs.
&ndo em barril.
Cb uxim a 2,7go rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,600.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
dem hysson o mais superior que se pode
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,800 rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,-Io, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo
rs. a libra.
dem miudinbo proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,2oo rs
dem prato es melhores e mais frescos do
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a 1.7oo rs. a garrafa.
Biscoites em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine eoutras umi-
tas a l,3oo e l,4oo rs.
Fumo americano em chapa a 1,60o rs, a
libra.
Araruta de todas as qualidades.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 5$ a
caixa e 60 rs. a libra*
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
dito em caixes a 6oerrs. idem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado n. 49, est vendendo muito
I boas fazendas e muito baratas, qfiem quizer poder
vir ver ou mandar para experimentar, assim como
I sejam :
Gollinhas muito tinas para senhora a 500 rs.
Ditas e nimbos de fustao rrtuito bonitas a 640.
Cartas de alfinete de cabega chata do todos os ta-
raanlios a 80 rs.
Resmas de papel de peso raaito bem a 22.
Capachos redondose compridos a 500 rs.
Caixas com superiores obreias de colla e de massa
a 40 rs.
Cordao branco grosso que tem multa apnlicacao a
vara a JO rs. 'TV
Linhas de carriteis garante-se 150 jardas a 40 rs.
Cartoes de I i una Pedro V com 200 jardas a 40 rs.
Grosas de pennas de ac muito finas a 500 rs.
Varas de franja de laa'nara vestido a 40 rs,
Ditas de franja branca larga para toallas a 160 rs.
Pares de butes de punho a 120,320 e 500 rs.
STinteiros de vidre com tinta a ICO rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Grosas de botoes de louca prateado a 160 e a du-
zia a 20 rs.
Tesouras para costura a 80, 200, 400 e 500 rs.
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
Libra de la para bordar da melhor qualidade a
6*500.
Caixas de phosphoros de seguranca a 160.
Caixas e pacotes de papel amizade superior a 600
ris.
Caixas com 100 envelopes muito finos a 800 rs.
Quadernos de papel pequeo azulado a 20 rs.
Carriteis de iinha Alexandre com 200 jardas a
100 rs.
Baralhos para voltaretea 240e mais tonos a 300 rs.
Meiadasde Iinha frouxa para bordar a 20 rs.
Pares de sapatos de tranca de todos os tamanhos
a 1*500.
Grosas de botoes de madreperola muito finos a 560
ris.
Cartas e caixas de colchetes de superiores quali-
dades a 40 rs.
Massos de grampos superiores e limpos a 30 rs.
Grosas de palitos de gaz a 2*200.
Libras de ama preta da melhor qualidade a 120
ris.
Caixas redondas para rap e tem muito bonitos ca
lungas a 100 rs.
RIVAL SEM SEGUNDO.
nerrirot He tiirin tfpfim Rua do Queimatl a- W leja de miudezas de Jo-
aua amarga, percicei. ae urm, uoienm, sc Bgodnho, venham ver a pechi
ADEREMOS DE MOSAICO
A aguia branca da rua do Queimado n. 8 rece-
beu bonitos aderecos de mosaico e fino dourado, e
os est vendendo por preco razoavel.
Bolsas para caca.
Esse objecto aqu tao custoso de encontrarle, e
lio preciso aos apreciadores da caca, acha-se hoje
a venda na rua do Queimado leja da aguia branca
n. 8, onde o comprador ser servido conforme o di-
nheiro que quizer dispr para tal lim.
Essencla de rosa.
Em pequeos frasquinhos a 1*000. Vende-se na
rua do Queimado n. 8.
Tratos para voltarrte
A aguia branca na rua do Queimado n. 8 roce-
beu caixinhas com testos de marim e madrepero-
la para voltarete, havendo dinheiro cheguem-se a
elles antes que se acabem.
lraxa reo no mica.
-Chegou novo sortimento dessa boa graxa, e con-
tinua a ser vendida na rua do Queimado leja da
aguia branca n. 8.
Fitas
para a irmandade do Bom Conselho, e cartas de
rua
POR MENOS DE 20 A 30 POR CENTO
libra.
Toucinho de Lisboa novo a 280 rs. a libra e 8*400
a arroba.
Caf do Hio de primeira e segunda sorte a 280 e
300 rs.;a libra e 8*500 a arroba.
Arroz pilado a 80 e 100 rs. a libra e2*500 e 2*300
Lachareis. Vende-se na loia da aguia branca, rua' ,ar1rof)a-
jn rwimJ. n 8 Sardinha de Nantes novas a 320 rs. cada urna.
oo uera^on. llrnJrk &3>bl "**<* superior a 180 e 220 rs. a libra.
I,eqnrs ae s.inaaio. raanrepero passas mas nova. dcste g(mero a joq rs a ,bra
la, osso. ete. i Ameixas franceza* com 1 e meia libras a 1*.
A aguia branca receben um bello sortimento de Belachinkas inglezas novas a 240. rs. a libra,
laques de sndalo, madreperola e osso, sendo elles Charutos! de diversas marcas e superior qualidade
de diversos moldes e variadas cores, inclusive a; de 1*200, 1*500, 2*, 3* e 4*.
preta ; agora, pois, quem comparecer com dinheiro phosphoros do gaz groza 2*200.
pode bem escolher um bonito leque, n rua do VeUg Queimado loja da aguia branca n. 8. Nbr J ern caira a 5f0
Calxlakas para costura r ontras velas de carnauba a 11* a arroba e 360 a libra.
perlnatarla Sevadinhii e sag muito novo a 240, 260 rs. a li
mim CONSERVATIVO
23Largo do Terco23.
Joaquira Simao dos Santos, dono deste armazem de meltiados, tem feito urna grande vantagem
quem seu armazem tem frequentado, liquidou todos os seus gneros mais antigos que Iinha nao s
neste armazem como tora, e tendo feito urna grande reforma neste estabelecimento tanto em tamanho
como em gneros que mandn vir por sua propria encommenda a maior parte, que os pode vender por
menos de que qualquer annuncianle, para isso se responsabiliza pela superior qualidade.
Attenco.
Batatas ti mais novas a 1*400 a arroba e 50 rs. a Queijos do vapora 2*tK>0.
Vinho de Figueira, marca JAA, a 500 rs. a gar-
rafa.
Dito de Lisboa a 400 rs.
Dito de outros paizes a 360 rs.
Dito para negocio a 320 rs. a garrafa e em caada
se faz abalimento.
Genebra de Mollanda em frasqueiras a 6*000 e 500
rs. o frasco.
dem em botijas de conta a 400 rs.
Aceite doce de Lisboa fino a 600 rs,. a garrafa.
Dito de carrapato a 320 rs. a garrafa.
Manteiga franceza a 560 rs. a libra, e 540 em
barril.
Dita ingleza flor a 720, 800 e 900 rs. a libra, e em
barril ha abat ment.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
2ioors. a resma.
Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
Figos de comadre em litas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
fs. a lata.

Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 12o rs. a
lata de 21 [2 libras,
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 6oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo.ooo e
l.ooo rs. a garrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs. a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sein a mais pequea
composicSo a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de natarana a 240 rs. a libra.
i Ricas caixas com figos a l,ooo rs. cada urna.
Ricos livros cora figos l.ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafes com 4 V* garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com garrafao.
:. uinclia que se est
morangos, Iim5o, cafe, laranja, cidra, gin- j acabando certas qualidades de fazenda.
ja, caoella, travo, rlela pimenta a l ,ooo, Pecas de Otas elsticas com 10 varas a..
rs. a duzia 1 ,ooo rs. a garrafa, garante-se IDilas ae tranca branca Usa com 10 varas.
que os melhores que temos tido no mer-; S [SeS.'TpVhincn;-.: \ \
C30-0- | Rodinhas com superiores alfmetes a.....
Passas muito novas era quartos e inteiros a; Caixas com superiores agulhas e limpas a
2,000 rs- 0 quarto, a 6,500 a Caixa 400 Sabonetes de familia, muito finos, a 80e..
rs i lihra Pares ue sapatos detaa para criancas a..
' .[". ,. 0 Varas de babado do; Porto muito bom a
dem conntbias proprias para podim a 8oo ioo, 120 e
rs. a libra.
240
100
60
120
20
200
160
400
160
10O
Marmol adas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 64o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a 1,600 rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 800
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Caixas de traque n. I a 8500 cada urna.
Massas para sopa macarrao, talharim* aletria
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 800 rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
Ditas de bico largo grosso a............
Potes de superior tinta tem mais de meia
garrafa a.......................... 330
Caixas com perfumaras muito bonitas a. 500
Frascos de oleo de macaca muito fino a 100
Ditos de oleo de babosa superior a 240,
320, 400 e......................... 500
Ditos de cheiros muito superiores em qua-
lidade a........................... 320
Ditos de agua de colonia muito boa a.... 400
Ditos de dita dita grande a............. 800
Sabonetes de lodo o prego 60, 160, 200,
320 e............................. 400
Frascos de superior banha a 320 e....... 800
Caixas de p para limpar denles muito
fino a-............................ 100
Ditos de banha transparente a.......... 600
Pares de ligas muito linas para senhora a 500
Sabonetes inglezes da melhor qualidade a 320
Frascos de agua dentrifice superior ga-
rantida a.......................... 1,*>000
Massos com 25 envelopes grandes azula-
do a..............................
Varas de fita preta com colchetes a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos OS [ Frascos de macaca perola muito superior
fabricantes mais a creditados a 1,000, 1 Caixas com pennas grandes a.........
2,ooo, 2.5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa, prosas de botoes para calca preta, miudos
n# nnr al ti sp ven-1 Libras de memento da roupa de lavar a..
1 Carriteis de retroz de todas as cores e
tem meia oitava Oe retroz a.........
Varas de bicos de differenles larguras a
A loja da aguia branca, onde constantemente se .
venden) essas bonitas caixinhas eom arranjos para'
costura, acha-se mui bem prvida por ter agora
rerebido 11 m bello sortimento de ditas caixinhas ;
assim como ontras eom finas perfumaras por isso
^uem quizer fazer um bom presente, tendo dinhei-
ro dirija se rua do Queimado loja da aguia bran-
ca n. 8 que ser bem servido.
Hoa tlata para Marear roupa.
Vende-se na na do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
bra. Garanle-se a superior qualidade.
nma.
Conservas inglezas, francezas
o frasco.
e portuguezas a 640
Alera destes gneros
er nhav.
ha outros muitos que enfadonho seria raenciona-los. Quem duvidar ve-
GRAXA N 97
Vende-se a verdadeira graxa ingleza n. 97 na
armazem de i. A. Mweira Diw na roa da Cruz
numero 26.
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor-
deaux, differenles qualidades, mais barato "que a
rjqner parte : no arman 4e E. A. Burle &
roa da Cruz o. 48.
Yendem-se caixes vasios 4
cada un i na raa das Cruzas a. 44.
J:760
Massa de tomate em latas de libra a 600 rs. cada dem com 4 '/i ditas de venagre a 1,000 rs. o
garrafSo.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com aancoreta
dem em pipa puro sem o batismo a 2oo rs.
a garrafa 1,4oo rs. a caada.
Caixas com i duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,800 rs.
- a caixa e 7oo rs. a garrafa.
Macas
chegadas no ultimo vapor de Lisboa : vende-se em
ceixas e a retalho : na raa estrena do Rosario n.
11 junto a igreja.
Velas de eoaiposleao
V-endera-se vela de composicao de superior
4uaiidade, sendo a luz superior as tearwas, pro-
prias para casas particulares tu rua do Vicario
atafcaq,tt..
Caf de premeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo
rs. a arroba c 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranbao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e em
caixa a 52e rs. com 2o libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
Idemalmaco pautado e liso a 3.ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiroa 2, 00 rs.
a resma.
dem embrulho de 1,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 / UDra a
I,2oo e8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l,ooo rs. tambem temos em
frascos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Molhos inglezes a 800 c l.ooo rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs. a
duziae 600 rs. a garrafa.
Mem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l.ooo rs. o molho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollondaem frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o\rs. o macinhos a 12o es. e masso.
Cominhos' muito novos a 32o rs. a libra e
10,000 a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a "arroba.
Peixes em latas a l.ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e 1,00o rs. o
eairilo.
100
100
'200
200
100
200
200
60
Cylindros para padarla.
Na padaria da rua Direita n. 84 ha para vender
os conhecidos e acreditados cylindros para pada-
ria, ltimamente chegadisd America._________
Rua dacadeia doRecife
numero 50.
Vende 1 balean mnito bom, 3 fiteiros, 3 caixScs^
1 regidlo de gaz, ludo por preco commodo.
Gaz
Na fabrica de sabio da rua do Rangel n. 3i,
vende-se a jOO rs. a garrafa e 125' a lata.
Sa bao.
Vende-se constantemente sabio massa, tanto em
caixas como a retalho, a -200 e 240 rs. a libra : na
fabrica da rua do Rangel n. 34.__________
Vende-se urna escrava parda, engomma per-
feitamente, cozinha bem, cose, e muito carinho-
sa para crianca :. na rua das Nimphas, casa terrea
nova ainda sem numero, junto de outra com sotir>
numero 9.
Vende-se das seguintes marcas:
(E E)
SemiltuC e C>de FF o barril por lo*.
P N & C. de FF o barril por 13*.
P diamante deFF o batnl por 145300.
De superior qualidade FF 2 espingardas
por 165.
Chumbo de municao de toda a grossura
55500.
No armazem de J. A. Moreira Dias
Cruz n. 26, onde encontraran as amostras.
o barril
arroba
ruada
O proprietario do grande armazem Unio e Commercio declara aos seus fregu
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulou
os mesmos preeos aos seguintes lugares:
Unio e Commereio rua do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal rua do Imperador n. 40.
Livro de orajes.
Vende-se 160 reis, na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia, um livrinho con-
tendo o seguinte : louvor ao santo nome de
Deus, cora dos actos de amor de Dos, ora-
ces e pelieoes, hymnoao Espirito Santo, co-
ra do Senhor, aviso qualquer alma de-
vota, desengaos da vida humana, hyrano
de Santo Ambrozio Nossa Senhora, jacula-
torias ao Santissimo Sacramento, exercicioda
via-sacra, commemoraco Nossa Senhora
do Carmo e ao SS. Sacramento, directorio
para a oraco mental, dividido pelos dias da
semana, obsequio ao coraco de Jess, sau-
daces devotas s chagas de Christo, ora-
ces Nossa Senhora, S. Jos, ao anjo da
guarda, Deus em obsequio qualquer san-
to e para a noute, e responso pelas almas
do purgatorio.___________ _
Vende se
um bonito escravo de 18 anuos, ptimo para pa-
gera ou para entro qualquer servico : na rua da
Praia n. 47, priuuiro andar._____________^_
Tiula para itaprimir em latas de itvc
liiTts.
Veade-se na rua do Queimado, loja d'Aguia,
Branca d. 8. i
Ka llvrarta aeadeaatea, raadlo
iaaperador o. 7,
vendern-se lindos papis para forrar sala a 1*000
Peca-___________ '____________
Vende-se um sitio no principio da estrada do
Joo de Barros, na proximidade da nova raa que
se abri, com duas trentes, proprias para edifica-
res : a tratar na roa do Crespo n. 20 com Alva-
ro Augusto de Almeida. ^^^^^
AUeicfe.
Vende-se carne e linguicas verdaderas do Seri-
d : no largo do Carmo, esquina da rua de llortas
numero 1

>t



>
Diarlo de Peraaiabueo Sabbado SO de Agovto de 18*14.
CLAMA!
UTfff
.
\f a:\

RUA DO QLEOL11IO W.
Passando o bec */.
NOF1DADE.





Pereira Rocha A G. acabam de abrir na ra do Quemado n. 4o um armazem de molhados denominado Clarim Comm&eial,
onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaet
aero vendidos por procos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se o bom pese*
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao,da India e Java a 60, 80 Cevadinba de Franca muito superior a 220 Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra-
e 100 rs. a libra e 1800 a 2600 e U i rs. a libra,
a arroba. Corada a 80 rs. a libra.
* me xas francezas em latas e em frascos a Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
1200 e l(>00 e mraseos grandes a dem seccas muito novas a200rs. a libra.
24500. Figos de comadre e do Oouro em caixinhas
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas' de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
com ricas estampas no interior das caixas | 1&800, B#5Q0 e 280 rs. a libra.
a 12)5000,10400, 15600 e 20. > Farmha do Maranho a 160 rs. a libra.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.' Farinha dej trigo a 120 rs. a libra.
a libra. I Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba. I a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
Awite doce francez muito fino em garrafas dem em garrafoes de 3 e 5 galoes a 50500
grandes a 960 rs. a garrafa. e 70500 cada um com o garrafao.
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa. Graixa a.100 rs. a lata e 10100 rs. a dozia. Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a Licores multo finos a 700 rs. a garrafa. | Vellas de carnauba pura a 360 rs.
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor e
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
a libra.
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 30000 a barr-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcorefnada a 440 rs. a libra e
eembarrila 410 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, ,
20500, 20800 e 30000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Gerveja preta e branca, das melhores marcas
dem, qual dade especial e garrafas muito dem stearinas muito superiores a 600 rs. i
grandes, 'a 10800 rs. a garrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolba de vi-
dro, a liJOOO rs., s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 600 rs. a lata,
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa Marrasquinhd de Zara, frascos grandes, a
e 50800 a dozia. 800 rs.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa. dem regular a 500 rs.
Conservas a 720 rs. o frasco. Massas linas para sopa : estrellinha, pevide,
libra.
Figos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D.Pedro, D. Luiz I, MaraPia,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna do-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada.
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
rodinhas e letr'anhas a 600 rs. a libra e a
40 a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra,
e especialmente da fabrica imperial de Peixe em latas preparado pela primeira arte
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 10800,i de cozinha a 10 rs. a lata.
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e Palitos de dentes a 160 rs. o mass.
30500 a caixa. I Palitos de demes a 120 rs.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320 dem de flor a 200 rs.
rs. a libra e 80500 e 80800 rs. a arroba. | Amendoas confeitadas a 900 rs. a libra.
Cartoes de bolinhos francezes muito novos e Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
muito bera enfeitados a 700 e GOO'rs. | 20 e em caixlo a 640 rs.
Chour'icase paios muito novos a 800 rs. a Palitos do gaz a 20200 rs. a grosa.
libra. i Passas muito novas a 480 rs. a libra.
O \ igilante est alerta, nao Ibe era permettido
deixar passar desapercebido sera que nao dsse o
seu canto aiiin de aonunciar ao respeitavel publico
o grande sortimento de galantarias do melhor gosto
propriamente para qualqaer mimo, qne acaba de
chegar neste ultimo paquete, assim como muitos
outros objectos que recebe por diversos navios,
lanto de sua conta como de consignacao, que est
resolvido a vender por preces muito baratos para
ven r .muil? e 8ahar pouco, e dar extraccao ao
grande deposito que tem, que espera merecer a
proteccao do respeitavel publico, erapregando para
isso todas e as melhores diligencias para que 8-
quem satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Ricas porta-joias.
Cofre de muito gosto por 164000
Cestinhas transparentes, forradas de madre-
perola por j 850OO
Lindas jardineiras 105000
Ricos cofres com camapheu 105000
Lindas caixinhas com pedras brancas IO50OO
Lindo balo com calunga dentro tambero
para joias 163000
Tambaher para ditas 95000
Cestinhas idem ideen 65000
Cosmorama idem idem 65000
Urnazinha 65000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
ces : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sintos
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e 135, ditos sem
bolea, porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35500
e 45, ricas flvelas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 :
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Calmes on restinlias.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 25500, 35500, 4, 5, 7 e 105 : s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Penles.
SENT!*!!
O BAL
VAI FALLAR
N. 38 Ra do Livramento N. 38
(Defronte da grade da Igreja)
GRADE



VEItl A Hf I ICO E PRINCIPAL
Ordem do dia.
Est em discusso a tabella dos procos que o BALIZA tem a honra de offere-
cer ao respeitavel publico tanto dacidade coao do centro.
Se por esta publicaba qualquer um dos mures collegas entender necessario
fazer alguma altcracao em seus aDnuncios, digne-sc mandar a sua emenda para o jornaL
que o incansavel Baliza nao lhe pora peias nem o embarazar de forma alguma a benefi-
ciar o povo.
Amigo de vender barato o Baliza nao expe a venda' senao os gneros bons.
Elle se julga no caso de vender tiio mdicamente como outro nao o exceder
Soldado soprador toma o clarim
E firme como a rocha fica assim
Nao toques nesse pessimo instrumento
Do Balisa olha s o movimento.
i: t que dos mitrados tensas cor das
De tildo vendedor de proprla confa
Vio pasmes vendo como sobrancelro
Do regresso o Balisa a ira affronla.
0 grande depesiio que temos de vinho nos obliga a abaixar seus pteos,
achando-sc vista dos compradores cerca de 35 a 40 pipas dcste genero, entre pipas.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto barra e ancoretas.
dem branco de i isha muito fino a 500 rs ?IaJ!lls? ci)mo-t,ara atar cabel!> mA's lindo i Amendoas confeitadas em lindos frascos a 8oo i Lingoas americanas muito novas e muito gran-
luem graneo ue usrjoa muuo uno a ow rs. qUe se pode desejar, assim como de arregacar ca- _, a ,ihr, JL a i onn rs r.,.iq nma e
agarrafa. bello, tanto de borracha como de tartaruga, com', na ii !..*"*.a 1,00 rf- caa' uma-, .
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700 enfeite e sem elle para meninas: s no Vigilante, dem com casca a 32o rs. a libra. Lmguicas promptasem latas a I ,00 cada lata,
e 800 rs. a garrafa, e 7 000 e 70500 rs. rDa do CresP n- 7- Ameixas francezas em caixinhas e frascos a Manteiga ingleza llor a 8oo rs. a libra neste
a duzia. Penles l,2oo, l,5oo e 2,ooo rs. genero ha mais de 10 baris abertos afim de
dem MorauxeChateaulumin de 1854 al TaraDtrn chegaram os riquissimos pentes de Alpista a IGo rs. a libra e 4,6oo a arroba. | serem satifeitos os compradores.
concha de tartaruga e de massa tina, que sejende Arroz do Maranho, Java e do Penedo a 8o, | dem menos superior a (54o rs.
s no Vigilante, ra do Crespo
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
1,5200 rs. a caada. /
Kirsk garrafas muito grandes a 1#800 rs. senhra como para tnocinhas, pelo barato preco de
Alm dos gneros acima>mencionados te- e : so no Sj"^raa do CresP "7-
mos grande porc5o de outros que deixamos; a,s Jeques.
de mencionar, e que tudo ser vendido por
por ti, : e o
numero 7.
Lcqucs.
Riquissimos leques de madreperola, tanto para
pecas e carnadas, tanto em por^es como a
retalho.
loo e 12o rs. a libra, em arroba a2,ooo, .Manteiga ingleza a uoo, loo e 32o rs. a libra.
2,8oo e 3,2oo. dem franceza a 56o, Goo c 64o rs. e embar-
Azeite doce refinado a 8oo c loo rs. a gar-i ril por menos.
rafa. Massa de tomate a 64o rs. a libra,
dem idem em barril a 64o rs. a garrafa e Marmelada dos melhores fabricantes a 6lo
4,8oors. a caada. I rs. a libra.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ba- ] Ancoras com vinho do Porto, encommenda Mullios inglezes a 4ooe 64o rs. a garrafinha..
ratopreco, iU e iO&, chinezes, maiio bonitos' feita pelo proprielario do Baliza a 3o,ooo Mustarda preparada a 4oo e 64o rs. o fiasco.
rs. a ancora com 7o garrafas. Massas para sopa a 4oo rs. a libra das de la-
Ibarim, aletria e macarrao.
estrellinha c pevide a 3,ooo rs. a
tambem por
muito bonitas tambem por barato precode 4 e W,
Quem comprar de 100^000 para cima te- 'equestde charao tambem por \$, tudo isto para Bolaxinhas de Lisboa, ingleza e americanas lhaiim,
r O abate de 5 por cento. acabar^ perdendo-se talvez 80 0|0 : s no Vigilan- em latas a 1.400,1.SoO, 2,000 e 3,000 rs. dem linas
_________'___________ le, ra do Crespo n. 7. e americanas ern barricas a 3,000 rs. al caixa.
APR0VEITE3I APROVEITExM
AOS
m^ 7,130 COVADOS
de sedas de cores de todas as qualidades.
Na loja da ra do Crespo numero 17.
Importante compra de 7150 covados de seda de todas as qualidades, proprias para
vestidos de senhnras e de meninas, e vndese porprecos admiraveis.
Outros muitos objectos de apurados gostos para senhoras, vestidos de blonde para
easamento a S0& cada um, capas pretae, soutambarques de coi es e pretos, chapeos etc.
Fazendas de linho e de algodo as melhores que existem bo mercado.
O proprietano deste importante estabelecimento vai a Europa muito breve com-
prar fazendas de apurados gostos, presentemente vende as suas mercadorias por precos
baratissimos para liquidar.
Protejan! todos. Protejam todos a importante
LIQUIDACAO
A loja da ra do Crespo n 17.
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coelho ma
do Qutimado n. 19
Vendc-se o seguiut:
ATTMCAO.
Ricas lazinhas para vestido, fazenda a melhor
que tem vindo ao mercado, tanto em gosto como
em qualidade pelo baratissimo prego de 360 rs.
o covado.
Laazinhas miudinhas carmezins proprias para
vestidos de meninas o camisinhas a 640 rs. o co-
vado.
Corles de laa com o covados pelo barato preco I
de 65.
Cobcrtas de chita da India a 2500 e .'!-5.
Pulseiras.
" ISSlfiSSS \ diesmJs.s cores Banha de porco a loo rs. a libra e em barril,
muuo
radas e de muito gosto a 1$ e !J>300'.
Para segurar manguitos.
barrica,
ha de p
a 36o rs.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de Batalas em 8'"os a '*>00 gigO.
borracha que as senhoras tanto precisam para se- Cha petla a 3,000 rs. a libra,
gurar os manguitos por ser muito commodo e mui- dem uxim a 2,6oo e 2,800 a libra.
Qnwi i par: S n v,'8laDle' rua d0, dem hysson a 2,ooo, 2,4oo e 2,8oo. a libra.
Carre(>s dem do Rio a l,6oo rs. a libra.
Riquissimas carretas de madreperola proprias',dem Pret0 a *'3o e 2'000 rs- a libra-
para qualquer presente, pelo baratissimo preco de Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
IAMMIoS -t!. ,i. ___:_. o..__. i >_ n___
l#500e2
Vollinlias.
Lindas voltinhas deperolas falsas com cruzinhas
fiegindo brilhant
e Rio de Janeiro a 8oo rs. e l,5oo, 2,ooo,
2,4oo, 3,ooo, 3,oo, 4,ooo e 5,ooo rs. o
cento.
ass.m como cruzinhas avulsas chocolate dos melhores fabricantes de Paris/Passas novas a ioo rs. a libra,
e \oinniia>, pelo jarato preco de 1 crozes avulsas a 400 rs. : so no Vigilante; rua do' Allemanha, Hamburgo c Lisboa Polvo a 16o rs. a libra.
I Milho niindo para passaros a 16o rs. a nhra
e 4,8oo a arroba.
Marrasquino de zara doverdadeiro a l.iooo
frasco,
dem menos superior a 8oo e l,coo rs. o
frasco.
Nozes a 24o rs, a libra.
Prezunlo porluguez de^uperior qualidade a
6io rs. a libra e inteiro por Boors.
dem inglez para fiambre a 6-'o rs. a libra,
nio agradando mesmo depois de preparado,
poder ser devolvido, que se trocara por
ouIjo ou ser restituido sou importe.
Lences de panno de linho a 25 e 25300. I Cres' n" 7' .. ",''""' "' P0S- fPdado8 Para ??h a !'?J a ^ !a"C, a ^ VS' a [ib\
Pe^as de cambraia de forro com 8 l| varas a sapaliunos e mcias de seda. dem dem para agua a 5,000, o,00 e 0,000 Pomada a io rs a duzia.
35200. i Riquissimos sapatiohos de seda e de merino en- rs. a duzia. j Pimenta do reino a 36o rs. a libra.
Toalhasalcocl.oadas proprias para maos a 5*a WijneiaaiiiliM de seda, gorra- Ceneja das melhores marcas a i.ooo, .ooo! Peras seccas a64o rs. a libra.
e 6,ooo rs. a duzia. Pcixeem latas a l.ooors. a lata.
Cravo canella c cominhos. Papel almasso e de peso, de diversas qua---
Cebolas em molhos resteas e soltas. lidades C/precos deferentes.
l I Conservas malezas a 8oo, 9oo e l.ooo rs. o Palitos do gaz a 2,2oo a groza.
dem para denles a 8o, I0o e 24o rs. c ma-
co com vintc macinhos.
duzia.
Ricos cortes de laa com barra a Mara
185000.
Pecas de plalilhas de algodo com 10 varas
proprias para saia a 45.
Algodo enfestado com 7 1|2 palmos de largura rua do Crsno n 7
a 15100 a vara.
Esteira da India propria para forro de sala de
4, !i e 6 palmos de largura por menos preco do
que em oulra qualquer parte.
Neste armazem tambem se encontrar um gran-
de sortimento de roupas feitas e por medida.
zinhas e touqumhas para as criancinhas se bapti- i
Pia a sarem : s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Golinlias.
\ \l)\ OLE()iiEFItiAbOr.MCAUI \n
XAROPE DE RABAKTO IODADO
Segando o atlutidon dos medico* doi hoipiliet de Parii, r.omigntdot no Pro*peete, e MDrovaeio
de vano/ Acadmicos, f.-ie Xarope emprega-M com omaior micccmo, em tugar do LEO DE riGDO DI
BACALHAO, o qual rile realmente superior. Cura ai molestias da pelto, u esorofulas, o lympbatiimo,
pillidei e mollera das carnes, aa perdas d' appetite, e regenera a consUtuicJo purificando o tangue. Em
umma o aoaic poderoso depurativo conhecide. Elle nunca canta o estomago ou oa intestinos como o
ioduro de potassium e o ioduro de (erro; e administra-te com malor eTlcacidade aos meninos sujeitos
aos humores eu ao entupimento das glndulas. O Daular Causestave, do hospital deSan'Luii de Pars,
o racommenda d'um modo inteirameote parUcular as molestias da palle, conjunctainenta cam as pilulas
,ue teem seu r.ome.
Depsito geral: em Parii, en cata da MM. GrlatMlt c-, pharmaceuticos, 7, na da la FeuiUade;
sn Utbo*, en casa de H4ri( *m Cuuc>n>iki; no Porto, en caaa da Hlssial do -
rr reir; em O io-d<-Janfiro, tIbto Peli DI I, rua do Sabio, 11; em oAi'a, CU Cata de
< Caa. rctTcIrst-KaaMBilkcIrst em flio-Grande, an casa de J^l ale Oaaay; em arsn-
Mo.encasadn Ferrclr c-; etu Po-nambuco, Ikiiai c, rua da Crui, 22; a, e as prlndpaes
pharmaeias do Brasil.
CDo-ajascoo-i rr^. os ? o ? o
OS I

*rr ^t B c^ ^-
9-3.P =rs
X)
C-
Q. > en O rr &.
^?aS2 2.Sc5
ea
Riquissimas goiinhas e manguitos, o melhor gos- i ^eD'as em molh
possivel, a 25, 25300 e 35 : s no Vigilante, i Conservas ingleza
""o n. 7.
Enfeites para senliora.
frasco.
Diltas francezas a ooo c Gio rs. o frasco.
gialnte, rua do Crespo n. 7. iLalt! (le > -' c J '
i Is.81 '!.*-o a
*s.5
ai Sf 9>
5&'s-S'g^,5^S'B'
es
a:
i ,0 CB T5
CP Q C3
_ O (X> pa
c-3. S" w
3 3
Deposito geral em Pernambace rua da Cruz n. 22 de emcasaCaros 4 Barbn.
ARMAZEM
FRONTEIRO
DE
AIVS COUTIMHO c BRAMDlO
21Largo do Tergo21
lo publico.


Temos t satisfaco de annuneiar, que acabamos de abrir um estabelecimento de molhados
na localidade e sob a denominaco cima indicada.
O novo estabelecimento, fundado ao gosto moderno, tornase recpmmendavel pelo sen aceto,
e pela regularidad^ de suas operacSes mercantis; alem do que, tem um grande e completo sortimento,
possuindo todos os artigos concernentes molhados, cuidadosameate escomidos e os mais frescos que
se possa desejtr.
Cha hysson perola e miudinho de l,800 a 2,4oo rs. a libra.
Manteiga ingleza e franceza de 34o a 800 rs,
Vinho de Lisboa e Figueira de 32o a 5oo rs. a garrafa.
Cerveja branca e preta de diversas marcas a 5oo rs. a garrafa.
Vinho do Porto fino engarrafado a l,5oo rs. a garrafa.
dem em barris a 800 rs. a garrafa.
Spermastte a 54o rs a libra e em caixa 3 52o rs.
Aletria, talharim e macarrao a 4oo r?. a libra.
Arroz do Maranho e da India a 80 e loo rs.
Vinho Bordeaux a 56o rs. a garrafa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 3oo rs. a libra.
Mu de muitos outros que deixamos de mencionar por se tornar desnecessario.
.
-i
ai
o 3 ce 5^0 3 a,co-
-O O
1^, B 01 i* p
u
1 1
3-gscs.o.s;"
-hCS.q.Os CD g& B

jualidade a 8ooo 9,ooo
e 9,5oo rs.
Lindos trancciins'de"cako"para relogio ou lu- i Cevadiulia de Franca a 24o rs. a libra,
tas, pelo baratissimo prego de 15300, ditos de, Champagne de muito boa qualidade a 12,
po
Trancelins.
000
e 2o,ooors. a duzia.
til

~%2.M
5 ee'g
-3
eso
y M '
-1
O
o
s-sa
3 3 I.
j
es.
o
ci.
B
B
c_
5
s
ce
e"
es
I

&0'
r|


f5
e
8
s
Empreza da illuminaclo
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamagSes
fpor eseripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem da roa do Imperador
n. 31. Os machinistas mandados para attender a
estas, apresentarao um livro que os reclamantes
devero assignar logo depois de prompto o servico
reclamado ; isto para que a empreza lique sciente
de liaverem os mesmos senhores sido devidamea-
te attendidos.
Ra da Seiulla i. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston A C,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios pare
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Charuto da Havaaa.
Vndese superiores charutos da Maraa em ca-
seda Rabe Schmettau C : rua da Cadeia n. 18.
neta
retroz a 200 rs.
Babadiiilios eulrciueies. Doces da casca da goiaba em latas preparadas
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos com muito aceio. propria para memoziar
desennos tapados e transparentes, pelo baratissimo ^anm -imi-rn na Fnrnni nnr >r inillora
pre(.:o de 15200, 15500, 25 e 35 : s no Vigilante, *Y m? ," haroPa' I,0or str 'nltra-
rua do Crespo n. 7. vel por mais de um anno, a 3,ooo rs. a lata
Cascarrlhas. com '''jras-
Grande sortimento de cascarilhas de diversas Dittos em .Caixoes a 56o, 64o, 800
larguras, assim como galozioho e tranciuhas pro-! rs. O caixao.
prias para enfeites : s no Vigilante, rua do Cres-: Ervilhas portuguezas em latas com
P Fl ^raS P0r 7 rS*
Grande sortimento de ",'de diversas larguras,! "em francZaS lataS a 5 rS'
e qualidade, por precos que admiram, aos compra-',,(,em sectas a zoo rs. a ItDra.
dores, havendo fitas largas proprias para sinteiros Espermaceteamericano primeira qualidade a
que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca de 3 | 1 joo rs a libra
e l,ooo
I A 1-
Gueijos llamengos a 2,6oo, do ultimo vapor.
dem prato a 64o rs. a libra.
dem londrino a 800 rs. a libra.
Rap Meuron a 1,000 rs. a libra.
Scvadinha a 24o rs. a libra, ( nova).
Sag a 28o rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a 04o, Co e 36o rs. a
lata.
Sabo massa a 12o, 19o, 2oo o 24o rs. a li"-
bra.
e em caixes por muito menos.
Sal refinada a 600 rs. o pote de vidro.
Toucinho de Lisboa, de Santos c americana
a 16o, 24o e 32n rs. a libia, e em arroba
a 3,ooo, 7,ooo e 9,oeo rs.
Tijollo para limpar facas a IGo-rs. cada um.
Vinho do Pot'to em caadas a 3,3oo, 4.000 e
3,000 rs. e em ancoras com 7o garrafas por
3o,ooo rs.
varas a 25 : s no Vigilante, roa do Crespon. 7.!..
Fitas de ISa. ;ldem francez a u6o rs. a libra, e em caixas, dem de Lisboa sem confeiccao, (decncomen-
Fitas de la de todas as qualidades, proprias para I a 32o rs.
debrum de vestido a 700 rs a peja : s no Vigi- Farinha d'araruta verdadeira a 18o rs. a libra,
tanto, rna do Uespo n. 7. Farnha de ^^ a j 2o, 14o e 16o rs- a libra.
Klcos eapelhos,
Riquissimos espellios com moldura dourada e
Farinha de milho a 16o rs. a libra.
sem Hade 85, l, 12 e 145, assim como con co-1 Figos em caixinhas e em latas lindanmente
luinnas de diferentes tamanhos a 25, 3, 4, Se65:1 enfeitadas a 800 e i,500 cada um.
s no yigiante.rua de Crespo n. 7. 1 pumo americano em latas para cigarros a
sLiatflos Jarros e lisuras. { 8oo rs
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina i.ipm m nvnt(1 para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui f, m tm Patie5> *00 ri* ...
tem apparecido : s no Vigilante. j dem em pasta a 1,200 rs. a libra.
Para pos de arroz. Genebra de laranja a 1,00o rs. o frasco.
Riquissimos vasos com noneca para pos de ar- i dem ingleza marca Gato a 1,00o rs. a garrafa,
roz, cous* de muito gosto a 15300 e 25, assim co-; dem de Hollanda a Gio e i ,6oo rs. o frasco
mo pacotes so com os pos a 320 rs. cada um : s
no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
pequeno e grande,
dem de Hamburgo, a 56o rs. o frasco e 6,000
rs. a frasqueira.
das, assim como os lindos copos ou vasos com dis-Graixa em latas a l,2oo rs. a duzia.
tinctivos e offerecimentos as siuhazinhas, dos me- i Limonadas de diversas fructas a 1,000 rs. a
Inores e mais afamados autores de Paris e Ingla-
terra, assim como os grandes copos de banha japo-
niza a 25 e a 15 ; assim como outros objectos que
nao possivel por hoje annuneiar, e vista dos
freguezes se far todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, rua do Crespo tf. 7.
garrafa.
Licores, inglezes e francezes a 1,000, l.Spo
e 2,000 rs. garrafas grandes e pequeas.
da) por 5o,ooo rs. o barril com 17 cana--
das.
dem de Lisboa mais baixo a -i,000 rs. .
dem empipas a 3,ooo, 3,5oo e 4,ooo rs. a'
caada.
dem em barril de Bordeaux com 13o gar-
rafas por 5o,ooo rs.
dem idem de Bordeaux com 70 garrafas por
3o, 000
dem em caixas por 5,ooo rs. a caixa com 12
garrafas da melhor qualidade que vem ao
nosso mercado.
Vinho branoo-para missa de Lisboa e Porto
em pipa, barril e ancoras a 4,000 e u.000
rs. a caada.
Vinagre de Lisboa, Porto, tinto e branco a
i,600 e 2,ooo rs. a caada
dem em ancoras por 16,000 rs.'
Velas eslearlinas a 56o rs. o maco, e em cai-
xas a 52o rs.
Vassouras americanas a C4o rs. nma.
Farinha de wandieca superier
em saceos grandes : vende Antonio Luiz de Olivei-
Vinho i* Pwta seperior
dm caixas de uma e duas dorias : tem para ven-
^e^^sc^^^
Vende-se
' Vende-se um sitio na estrada do Remedio a 1
margem do rio : quem pretender, dirlja-se rua |
de Aguas-Verdes n. 46, das % as 9 horas do dia, uma rica esteira propria para forro de ama sala,
ou no Curso Commercial, das 4 as 5 fioras da tar- com 20 palmos de comprida e 19 de largura, e larguras por precos muito barato: s no vigilaou
de, que achara con quem tratar. J uma dita menor: na rua do Codorniz 0. 8. rua do Crespo n. 7.
Farinha de mandioca
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
Alves no sea escriptorio, casa n. 19, na ru* d
Cruz.
Trina, volaites e galts.
Vende-se trtna, volantes el galoes de todas m
\





-" .
I>tari 4e rmimUnen ... Jabbado de Agosto 4c 11V4.
SRAND
NEM COROAS NEM MITRAS NOVA EXPOSIQO DE GNEROS
E NO
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Paiio Ferreira da Silva &. Companhia
Grande sortimento de molhados em grueso o a Tetatt. 'nico armazem que mais
vantagens efferece ao publico. ^}
Desenganem-se todos.
.
i





0
crimm:
ARMAZfilfl
DE
o Allla?a o verdadeiro hornera do progressso.
K o Allian^a o verdadeiro e principal armazem de molhados.
13 o Alllan^a o armazem que vende mais barato.
m Alllaaea o armazem que vende oc albores feaerot.
Alllan^a o armazem onde preside o melhor aceio.
Fiqucm todos sabedores desta verdad,
Venham todos ra do Imperador n. 87.
Venham ver os gneros que temos e*postos a venda.
PARA AS FESTAS
DE
S. JOO E S. PEDRO.
Amendoas eonfeitadas de bonitas cor dem de Heranda em garrafoes com 24 gar-
800 rs. a libra. rafas a 7,2oo rs. com ojarrafao.
dem de casca muito nova a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gul-
Avelas a 2oo rs. a libra. | zados a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
eslampas a l,2oo, i,4oo c l,6oo rs. cada Aoo4,ooo rs. as garrafas grandes.
moa. i Maateiga ingieza perfeitaraoBte flor a 800
dem em frasco de vidro com colha do mes- e 96o rs. a libra.
mo ou de metal, a l,2oo e l,4oo rs. cada, demTranceza no-va j deste asno a 600 rs.
um. a 'bra, e 58o r em barris inteiros.
dem em frasee grandes a 2,5oo rs. cada Marmelada especial dos uelbores, fabrican-
4
di
3
ARNAIIM
PRINCIPAL

M

uta iwrERinoK k4 4o
Juta o srbraa em qie mora e Sr. Ottarne,
Para a festa de Santo Antonio, S. Jofto e S. Pedro. (.

Ni. O RIJA IIO CRESPO \. 9 $
Esqaina qne volta para a roa de Imperador

nnarte Alarida A ., receberam de ana propria en coiuineu-1w- elC" ^ue todo dia enchem as Pa*inas deste i01-
Ala liad e variado sortimento de molhados. proprlos
um.
dem em latas de 1 f e 3 libras a 1,200 e
2,000 rs.
Arroz da India e Maranho o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,4oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a Goo rs. a garrafa, e
tes de Lisboa a 600 e 64o ra. f libra, ha
latas de differentes tamanhos.
Massa de tomate em latas de i libra a 56o
rs. cada urna,
dem para soda estrellinba, pevide e rodinba
em caixinhas sorlidasa 3,ooo 3,5oo rs. cada
urna e 5oo rs. a libra.
4,600 rs. a caada. dem macan ao, talharim ealetria a 4oo rs. a
dem francez clarificado em garrafas bran-1 libra,
cas a 9oo rs. cada urna, e lo.ooo rs. a, Mostarda frant eza preparada em frasco a 4oo
impa a 32o rs. a li-
e 4,6oo rs. a ar-
caixa com I duzia.
Alfazema muito nova e
bra.
Alpista a I6o rs. a libra
roba
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio das seguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiacs em latas de 6 libras
a 3,ooo rs; e. de 3 '/libras a 1.600 rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinhas
torna-se muito recoramendavel com espe-
cialidade para os doentes.
Biscoitos e Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em carines e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porc'o verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 16o rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,000 rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem indo ao nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo e l,5oo rs. a garrafa
/tntexra, e Hou rs. as meras.
Cha uxim o melhor qne se pode desejar, e
que outro qualqucr nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra.
dem perola de esp cial q\ialidade a 2,Roo e
' 2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
d'este cha.
dem hysson o melltor que possivel encon-
irar-se a 2,400 e 2,600 rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a 1.2ooe l,4oo rs. a libra.
dem prelo muito lino a 1,600 rs. a libra.
Chocolate das meibores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a l.ooo, l,2oo c I,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em caixas das seguin-
tes marcas: l'arizienses, Suspiros, Dili-
cias, NapoleOes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores .a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muitos fabricantes e de dif-
ferentes marcas para 1,5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a 1,600, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac ingle/, das melhores marcas a 1,000
rs. a garrafa e Io,ooo rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 0,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a loo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Camella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 0,000 rs. a duzia, e
5oo rs. cela um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caixao.
ti'vilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oors. a lata.
dem ceceas a I6o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
I.ooo rs. cada urna.
dem em l?tas ermiticamente lacradas a
l,5oo e2,5oo rs. cada urna.
dem em caixas de */% arroba a 2,uoo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e 1,000
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e $60 rs. o frasco
dem de iaranja a 1,000 rs. os frascos gran-
des-e. II,000 rs. a caixa com (2 frascos.
' dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada
urna.
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com o garrafo.
rs. cada un
Mofho ingle/, om garraftflhas eom rolhas de
vidro a 64( rs. cada nma.
Marrasquinho verdadeiro de Za I,ooo"a dia -
a-garrafa, 0,000 rs. a caom I usi.xrc a
zia.
Nozes muito novas a I6o rs a libra.
Prezunlode fiambre superior a 600 e 800

da
da presente eiitaeo.
Manteiga ingieza
da safra aova vinda neste vapor &e 28 de
mo a 660 rs. a libra.
Mantelga franceza
da safra nova a 560 rs. aliona, e esa barril
a60T8.
Amendoas
eonfeitadas de lindissimas cores a 960 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras lquido a
2)9400, multo propios para mimos.
Garatas
eom bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1300.
. Chocolates
de todas as qualidades a I ?>000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 600 rs tambem
temos velaos para 800 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2#6oo.
tucijo
chegados no ultimo vapor a iGO cada um.
t lie i jo
Macas brancas
para sopa a melhor que se pode desejar,
macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 45O0 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
Itlew de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
800 a caada.
dem do Porto
rs.
a libra.
dem do Porto para panella a 5oo rs.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
pescadinha e
mo, savel,
outros a I
corvina, govas,
ooo rs. a latas.
generosos engarrafado dos melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a <4 e 11200
a garrafa e de l-S a iio a caixa, as mar-
cas so as.seguiates: Chamisso Filho,
F. iiL, Wectar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas de Dourooutros muito.
Latas
com 16 libras de banha a 4000.
Bolaclnka ingieza
a 1 .-5800 a barrica da mesma que
venden a 20000 e 2#4O0.
Nozes
as mais novas do mercado a !20f* A bra.
Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mai
cas de 40500 a CHARUTOS
londrino o mais vfresco que se pode esperar' Charutos Thom Pinto,. Reis e outros em
Palitos para oVntes a 14o c a 16o rs. o mas-
so dos mel ores.
Painco o ma: novo e limpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4, >oo rs. a arroba.
Palitos do g* a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a dazia, e 20 rs. a caixiuhn.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor. a3,oo
dem prato muito fresco a 8oo e 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je tem vindo ao nosso mercado a 8oo rs.
a lij)i-;i.
dem londrind a 9oo rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs,!
cada um.
Cerveja das mjelbores marcas a 6,ooo rs.
duzia, e 56o! re, a garrafa.
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a reta>fao.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de'
U a 2^600.
dem perola
especial qualidade a 25700 rs. a libra.
dem hvsson
o mais aromtico que tem vindo
meraiti a 20000.
Massas amarellas
meias caixinhas a Aj500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2^500 a 3000 a ar-
roba desses que vendera por 30400.
CAF
de l.*e 2.* sorte do Rio de Janeiro a 85#
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
- arrufos
com I V* garrafas com vinagre a 10O004M
o garrafo.
GBNEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110OOC
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
12 frascos,
ao nosso gknf.hka
de HoManda verdadeira em frasqiieira a 6oo
rs. cada urna.
para sopa, macarrao,
480 rs. a libra.
COfi\AC
talharim e aletria a
Sardinha de Lisboa e Nanles em quartose o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,260 a groza
e2o rs. cada caixinha.
LICORES
meias latas a 38o c 58o rs. cada urna.
Sag muito noive e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinba do Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
roba.
Traques de 1/1 qualidade a 9,5oo rs. a cai-
xa, e 24o rsl a carta.
Toucinho novo de Liiba a 2io e 32o rs. a
libra.
Tijolo para limjpar facas a 15o rs. cadaum.
Vinh em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conheidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho aOoors. a gar-
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando com-
composieo a 56o rs. a garrafa, e 4,ooo
rs. a caada.
dem branco de, uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. agarrafa,a3,ooo
rs. a caada.
dem Bordeaox em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a catxa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercad) a l,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco di
prejuizo e si se encentra n'este arma-
zem.
dem do Porto em 'caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do| Porto, Genuino, Velbo Par-
ticular, Malvasi fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nectan e outros a 9,ooo e lo,ooo
rs. a caixae 9oo e l,8oo rs. a garrafa.
IdeaMuscatel superior a I,ooo rs. agarra-
fa, e iofiOOiicaixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a cwi;nla.
dem era garrafales o 5 garrafas a l.ooo
rs.com -o .garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna
dem de escova iara esfregar casa a 36o rs.
cada urna.
Velas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o em caixa.
dem de carnaut a refinada e de composicao
a36ors.^Hbjfa, e de lo,ooo a H.ooors.
a arroba.
T
rs. a garrafa e de outras muita*s qualida- finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
des a l.ooo e 8oo rs. a garrafa.
C0PO9
lapidados para agua a 4,5oo e
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
5,000
rs. a
PAPHI.
: almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 2200 a resma,
ime%;i.
AGEHO*.
fNDICiO BE LOW-MOOL
Ra da Senialla nova a. 42.
Neste estabelecnento contina a haver
um completo sortimento de moendas emeias
moendas" para engeoho, machinas de .vapor; ja ruajarga do Rosario n.24, loja de jolas, ven-;
tachas de ferro batido e coado, de todos M tamanhos para ditos.
_
At iue ehegoa
}om grande sortimtnto de bico e renda jireta de
< novo pdelo cliain ido (gaip) o melhor que se
pode desejar neste artigo e que se vende muito ba-
rata : na laja do (fallo vigilante ra de Crespo
n. 7.
Ferie*para u-toB.
arga, do Rosario n.24, loja de
r-s"tedos os fe Tos e utencilios de tjorires.
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos memores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
j o verdadeiro presunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,000, a 3,2oo rs. a arroba.
azul e pardo para embrulbo de 1, 4oo a 2,2oo VELAS
rs. a resma. de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
Corillthi&S a ''^ra e em caixa lera abatimento.
^f!:l01'iniaS.Tl!.n_0VaS Pr0prias para, de carnauba era caix^s^e arroba a 9,3oo 1
caixa e 34o rs. a libra.
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
1,4oo rs. a libra
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
liatatas novas
eni caixas de 2 arrobas a 5 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas unto novas
em quartos e inteiros a 2)5 o quarto e 65500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa ^w a 8C* rs- a ''Dra c 14 rs- Po-
e l.ooo rs. o molho. ': Frutas eiu calda
Alnk+a A Poiipi caegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
AipiMd t? rcllliyo outros muitos a 640 rs. a lata,
e mais novo do mercado a 140 rs. a libra, Dsce da casca da goiaba
e 40400 a arroba. a 000 el # o caixe.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
l'niAo c Commercio ra do Queinaado n. 7
O Verdadeira Principal raa do Imperador n. 40
GRANDE SORTIMEMO DE FA/EMI.4S
tu
i
OE
Custodio, Carvalho & Companhia.
ttCJL 1IO 0KEI1EADO

OT


_
freguezia
Pecas de entreneios bordados a H.
Tiras bordadas a -peca H.
Cobertas de chita a chineza a 22200.
Lences de Ibao finos a 2200.
Toalbas de linho para mes duzia 4#.
Sapatos do tpete para meninos, senhores e homens pelo barato prego-de 14600 o par.
Toalhas de lipho para me*a a 35500 e 4.
BalSes de arcos para sentaras a 3^.
FM de h'nbo liso vara 509 rs.
Grande sortimento de lias para vestidos. ,_ pt

r----r-------
Superiores saias de fastao para senhoras a Sj.

ese oengenho Tapipire Novo, sito na
le Iguarassii, moenle e crrente, com ta-
,---------

l'eljo.
--------
raosmachina |ra aniraaes ;.o sea territorio ralopio-de 8*, saceos com ii ouias garantidas
Vende-se feijao molalinho muito novo pelo ba-
GAZ GAZ GAZ
VendeTsegazda mmor qualidirte ai%&i
a iata e em lotes de 10 Jalas para.cima se
far abatimento no armazem da-ra do Ira- de superior qualidade vendam-se
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8. de Schafleitlin 4
i? ej>ii%i k fin A vfien Il
Vcndem-se m K yrejwvda M*dre de Dos n. 16.
Oflarrales--de Havana
em casa
G.| ruada Cruz n. 42.
muito productivo; e offerece a vanlageni de fof-
pnar-se um poderoso engenho d'agua : para ver,
os pretenden te; dirrjam-se ao mesmo engenho. on-
de podero iralar 8o ainte f e nesja prara a Ma-,
noel Ignaeio 4c Ollvejra & Ftlho, largo ^db Corpo
Smton. 19.
= Vende-se um cabriole! de 4 rodas em perfei-
to estado de servjjp :,n* coobeira do ,CWw Jleira
no Mundo Novo. ^..^J
i ii i.n n !.' ''i-yutu im>-
(^iaaa ale jatamatoea.
Vende-se na ruadaMadte o>>Doan.38, ar
pelo vendedor: ua.rua daJadroide Daos n. 9.
,,i>fca'>>am*"t'l A <
ittO a

Superior rap de Lisboa, ideui *auio Gofdeiro,
em dilu viajado, dam ga^e^ro.^, meio gros-
so, flnoe ataaNB'Ji*ade anlHiuamente, tanto
em libra foow.a rotalbo ; garntele ao compra-
dor a boa ptatidade : na prafa da tndependencia
mazem.
1 n. 5, loja de violas.
pronval que n5o ja bem aceita a verdade, quando a boa f de todos anda
Iludida por eslaapioemia de nauzeaticostanauncios de cornetas, tambores, coras, mi-
A. MjE R TT A
Os annunc|antes nao tem em vista senao garantirem ao reepeUavel publico a
sua palavra de honra, vendendo com o lucro suficiente para suas subsistencias e nao para
arem fortunas a torca da regra de liga como outros anounciantes deste genero.
i
PARA TODOS
No armazem principal vende-se a todos pelos pregos marcaos na segurte ta-
bella, mas nlo se~vende por todo o preco fazendo-se peso de arroba hespanhola, garan-
te-se as qualidades dos gneros trocando-se todo aquello que nSo seja do agrado do
comprador.
Amendoas eonfeitadas de diversas cores a
64o rs. a libra.
dem de casca dura a 24o rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas, a l,2oo e l,5oo rs.
dem em fiascos de vidro a l,2o rs.
dem em frascos grandes a 2,5oo rs.
dem em latas de 1 l/ libra a l.loo rs.
Arroz do Maranho e da India o melhor que
ha neste genero de 8o a loo rs, a libra, e
de 2,5oo a 2.8oo a arroba,
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez e de Lisboa refinado em gar-
rafas brancas a Ooo rs. a garrafa e lo,ooo
rs. a duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
libra. *
Azeitonas muito novas a 2..ooo rs, a anco-
* reta.
Alpista limpo a 14ors. a libra, e 4,4oo rs. a
arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio de diversas qualidades, em latas
deG e de 3 libras a 3,000 e l,5oo rs. a
lata, e G4o rs. a libra.
dem ingieza em latas de 2 e de 4 libras
das melhores marcas a l,3oo e 2,2oo rs.
a lata.
Banha o porco refinada a 4oo rs. a libra e
em barril a 36o rs.
Batatas em caixas de 2 e de 4 arrobas a
l.loo rs. a arroba.
Champagne das melhores marcas a 2o.ooo
rs. o gigo, l,8oo rs. a garrafa, e Ooo rs.
as meias garrafas.
Cha uxim o melhor possivel a 2,7oo rs. a li-
bra.
dem perola qualidade especial a 2,7oo rs.
a libra.
dem hysson o melhor que ha neste genero
a 2,ooo, 2,4oo e 2,6oo rs. a fibra.
dem do Rio em latas de 2 a 8 libras, a l,3oo
rs. a libra.
dem prelo homeopathico 2,ooo rs. a libra.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a du-
zia, e 56o rs. a garrafa.
Chocolate francez, suisso e hespanhol a
l,ooo, l,2ooe l,4oo rs. a libra.
Charutos do afamado fabricante Jos Furta
do,de Simas e outros da Babia como se-
jam Regala, Trovadores, Guanabaras, De-
licias e Suspiros, a l,6oo, 2,ooo, 3,ooo e
4,ooo rs. a caixa.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco.
dem franceza surtidas ou de urna s quali-
dade de cada frasco a ooo rs.
Cognac ingleze francez a l.ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a 1,000 rs. a libra.
Copos finos para agua c vinho a 4.800,
5,000 e5,5oo rs. a duzia, e 5oo rs. cada
um.
Caf do Rio superior 28o e Ooo rs. a libra,
e 8,5oo a 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear a 26o, 28o e 3oo rs. a libra,
e 9,000 a 8.5oo u. a arroba.
ooe de goiaba a00 re. o caixao.
KrviIbas portuguesas em latas, chegadas l-
timamente a 7oo rs. a lata.
dem seeeas-a iGo-rs. a ttbra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Faiinlia de araruta verdadeira a 32d rs. a
ljbra.
Figps em caixinhas bem enfeitadas a 9oe rs.'
oada raa.
Grajxa nova a loo rs. a lata, 1,loo rs. a
duzia.
Gerjebra detHoflaada em frasqueiras de 12"j
faseos ,8oos., 56o rs. u fraseo.
Me! em'botijas a *ts. cada'tima. '
Ideal, a HMfAm de M jjmtf** a ^oo
rs. com p garrafo.
dem dem de 3 caadas a 7,2oo rs. cadaum.
dem ingieza em garrafas' brancas JUardadas
com rolha de vidro, qualidade superior*
a l.ooo rs. a garrafa., r"
dem delqjnja rdtueit a ooo rs..<> fia
co, e 14>ou a frasqueiras de 12 frasco
Kirsch Wafcscr exeelleaje bebida Suissa
l.Soors. a garrafa.
Lentilhas muito novas excellente legume pa-
ra sopa a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as quakdudes de
7oo e 9oo rs. a garrafa.
Manteiga ingieza peritamente Uor a 800 rs.
a libra, desnessesawo mais eiogius nes-
te genero que s se pode verificar com a
vista.
dem franceza a 56o rs. a libra, e em barril
ou meios a Soo rs. \
Marmellada do 1. fabricante de Lisboa a 600
rs. a libra, ha latas de 1, % e 2 libras.
Ma?a de tmate em latas de ama e duas.li-
bras, a 600 rs. a libra.
dem para sopa estrellinlia, pevide, rodinlia,
etc. a 3,5oo rs. a caixa e 56o rs. a libra.
Macarrao, talharim e aletria a 4oo rs. a I-
.bra.
Mostarda fianceza preparada a 4oo rs. o fras-
co.
dem ingieza em p a 64o rs. o frasco.
Molho inglez em garrafinhas com rolha de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marraschino verdadeiro de Zara 4 4,00o rs.
a garrafa, e -10,000 rs. a duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Ostras preparadas em latas a 7oo rs. a lata.
Prezuoto para fiambre inglez verdadeiro, ga-
rantindo-se a qualidade, a 7oors a libra.
Passas novas de carnada a 4oo rs. a libra, e
6,5oo rs. a caixa.
Peixe em latas hermticamente fechadas das
seguintes qualidades, sabel, corvina, go-
rz, cavallinha e pescada a 1,000 rs. la-
ta.
Palitos para dentes fichadas a 14o rs. o ma-
co de 20 macinhos.
dem do gaz a 2oo rs. a duzia, e 2,loo rs.
a groza.
Painco muito novo a ICo rs. a libra, e ',5oo
rs. a arroba.
Queijos flamengos do ultimo vapor.
dem prato muito fresco a 800 rs. a libra, e
sendo inteiro a 72o rs.
Sal refinado em potes de vidro a 000 rs. ca-
da um.
Sardinhas de Lisboa e de Nantes a 6oe
a meia lata, e 4oo rs. o quarto.
Sag muito novo ealvo a 24o rs. a libra.
Sardinha de Franca a 18o rs. a libra.
Sevada a 100 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 24o e 3oors. a libra.
Tijolospara limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa, Porto, Lisboa e Figueira das
marcas menos condecidas a 4oo rs. a gar-
rafa, ea 2,8oo rs. a caada.
dem Figueira expecialmente escolhido neste
lugar a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo a caada.
dem Lavradio, Colares muito fresco sem
composiraoa Ooors. agarrafa, e 4,5oo fs. a
caada.
dem Lisboa em ancoras com 9 caadas mar-
ca especial a 22,ooo rs. a ancora.
dem branco uva pura a 56o rs. a garrafa,
e a 4,5oo a caada.
dem Ponto fino em pipa a 56o rs. a garra-
fa.
dem engarrafados generosos, Lagrimas do
tauw, Duque 4o *W*,. Lk 1, l. ft-
dro V. Nctar, aoaw seooe, Malvaba, o
genuino partiaular de^oo j,ioo rs. a gar-
rafa e a OjOeo rs. a -caka m4H&a duzia.
dem 1fa4eka>gj a <,2o r*. a garrafc,
&* 2,qoo rs. a duzia.
Idm Musealel a loeo rs. a garrafa.
dem Bordeaujc dos acreditadas marcas SI.
Julien St. Esteph, ebteae 4a oze,diatau
Margoux e outros a6,000 rs, a caixa e.56o
rs. a K^nafa.
Vermamh a melhor bebida estemaeal 2,000
*s.-a ^awaia.
Ytnagre de.tisboa a2oo x^ gaaab.e.Liop
rs. aaaada.
dem em garrafoes cem agarrafas a 1.000 rs.
Vassouras doTorto com arcos de ferro a 32o
rs.. cada urna,
dem de escovas para lavar casa a 36o rs.
eada ma.
Vallas de espermacei%-
a liara, e t-endo era ca
dem de enaub-rtjffra
rs]% litpi.pij
rs.
arroba.
a 56o rs.
rs.
niposieao
,000 rs. a
Vendem-sc excellente vaquetas enverojsadas
para carros : era casa de F. Souvage fc C-, a ra
daCrnzn. 20. ...

RAa da $eizaiUi N va 1.42.
Fumo imperial
Ckmaio iguaUt-franBz muito proprio para ra-
chimtto, em latas de i libra, quando nao seja me-
*ar igual ao americano por i&HM rs., para veri-
Ikar a rerdade os Srs. fdomte ffiim- dirigir
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de a Wic* appr de cigarros aoiiga ra dos oar-
ferro- coado libra a 410 rs., iden detw \t,s de ***. 24.
Moor libra a 120 rs.
I 1 .fWm, ii, -------------------------------
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C.
ra da Senzalia Nova n. 42.
!:.
----
Fabrica de chapeos ete sol de
Francisco Maestrali, tosp
do Queimado n. 22.
cheoado um grande sortimento de fumo capo-
ral, cachimbos, e chonelas para charutos, e tam-
bem bengalas e chicotes para montara, de todas
as qualidades, e sempre se acha nesta fabrif a um
grande sortimento de chapeos de sol de todas as
qualidades, tambem se cobrem chapeos e se con-
certam, e se tai tudo pertencente esta arte.
Pora passar-se fesiM-
Vende-ifi a melhor caja terrea'.nova que na
na -Boa-vtagert, &/ ^eira ;da estiaa,, tpndo de
renteIO(pali^,-*;'>wlkis ^orta, 2 alas, 4
fli3S9HIWifttBba**a, ppiar grande, a-
cimba qern *xceB}e,-a#un,-(dvr|i artorfl*>s
que se comeqi bp^s. fructok^ando ete ,le/tfino edi-
ficad.) 70 pafmos sobre 530 dc'fnpao : os pretcn-
deatts queiraa irigir-se a run da Catfete '. 3,
armaeem tfo c^nie Emite, .qne .natiartarinla,
A Iwrdo.o Itigre tmtia M para teailer i-^
rinha.de mandioca nova e de bu tjualiaade, Oa
Santi Catharina. retalha-se ,a precos commodos :
pa*ia-arar, boro 4o nwm ivio, en i escrin-
torto de Amorim Irmoe, roa da Criu a. 3.





J

TT


Diarlo ir
#m alihado de Agonfo de t 4.



IM 1)0 BEU4 FLOR.
Eua do Queimado ns. 63 e 69.
Ciatos delirados.
Sao chegados os liados ciatos, bordadas ouro,'
pelo barato preco de 2*500 e 3*000: no Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Filla paraciatM.
Chegaram tambem ricas fivellas douradas e de
ac para cintos a 1,2000 e 1*200 : no Beija-tlur,
ra do Queimado ns. 63 e 69. /
Pintes de tartaruga.
Lindos pentes de tartaruga, gosto moderno, a
5*200, 5*500 e 6*000: ra d Queimado ns.
63e69.
Penles de travessa.
Vendem-se pentes de travessa de novo gosto para
menina* a 660 800 rs. : s no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63e69.
Paites para atar cabellos.
Lindos pentes pequeos para atar cabellos, pro-
prios para se andar em casa a 400 e 500 rs.:
no Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Bolees de madreperola.
Tendo recefcido um variado sorlimento dos de-
sejados botoes para abertura de roupo, vendem-
se a 400 rs. abotnadura : no BejaOor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Eufeiles para senueras.
Lindos entortes modernos a 2*000 c 2*400,
ditos de rede a i900 rs. : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
fallieres para meninos.
Chegaram novos sortimentos de talheres para
meninos a 280 e 320 rs., ditos cabo de bataneo de
um botao a 400: as lojas do Beija-flor, ns. 63
e69.
Lia para bardar.
Vende-se lia de superior qualidade e de lindas
cores a 6*800 a libra : no Beija-flor, ra do Quei-
mado, ns. 63 e 69.
Papel de diversas qnalidades.
Vende-so papel de beira dourada pautado a
l*200e 1*300 o pacote,ditossemserdouradoe nem
pautado a 640, 800 e t*000 : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Envelopes para cartas.
Yendc-se envelopes de cores a 600 rs. a caixa,
ditos brancos a 640 e 800 rs. : no Beija-flor, roa
do Quemado os. 63 e 69.
Pentes deurados para atar.
Vende-se pentes deurados para atar cabellos a
1*000, 1*200, 2*800 e 3*000 : no Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Pentes para mamita.
Ventte-se lindos ptntinhos donrados com podra
para marraa a 1*200 : no Beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Sapates de tranca.
Vende-se sapatos de tranca muito bons a 1*500,
ditos de tapete a 1*600 : no Beija-flor; ra do
Qoeimado ns. 63 e 69.
Ualaias cara sabia.
Lindos balaios com 6 sabonetes de varias trac-
Bap Princeza Gasse.
Grosso, meio grosso, fino.
Paulo Cordeiro.
Paulo Cordeiro meio grosso.
Paul Cordeiro Yiagado.
Todas estas excellnles e acreditadas qualidades
grande quida^o
Ra da linperatri* U9,
laja de faiendas da Pava de 6aaa k Silva.
Acha-se este estabelccimento completamente sur-
tido de faiendas inglezas, ftaucezas, alieauaes e
soissas, proprias Unto para a praca. como para o
fabricadas no Rio de Janeiro.acoda .em grande; ZSfiBSSZKZJSST+m M
fCe"a?^me ar^maT materias Sfaue Tbr cado' em -u"a qual<>Der *arte #**>*>** sendo em
lo seu bom aroma e materias de que Matoneado, I io e Je ,odas as fazendas do.se aj amostras
vende-se no umeo deporto nesta provmcia no ar- deiiado Dcar ,,. m man(lam.M ,,war flm ra.
nizem de Jos Joaquim Luna Bairao, a ra da
Cruz b. 18.
0 Ptiukc da Moda.
deixando ficar penhor ou maodam-se luvar em o
sa pelos caixeiros da loja do Pavo.
As ebitas do Pavao.
Vendem-se chitas inglezas claras e escoras pelo
barato preco de 240, 26 e 280 rs. o covado, tiritas
seguras; ditas francezas de cores seguras 320,
E* 86 o Pavao ( 8|500).
Quem tem bales por tal preco I
Veadera-se os baldes americanos muito superio-
res com 20 e 25 reos pele baratsimo preco de
2*500 rs.; ditos de 25, 30 e 35 arcos com utas
multo bem armados, e tambem tem cor escura pe-
lo barato preco de 3*500 e 4* cada um : s na lo-
la do Pavao, ra da Iraperatriz, a 60, de Gama &
SWva.
0 Pavao venda para luto.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de la sem lustre tendo 6 palmos de largura pro*
prio para vestidos, capas, paletols, calcas etc., pelo
baratissimo preco de 2*.2*600, 2*500, e 3* o co-
vado, cassas pretas lisas, chitas pretas largas e
estreitas, manguitos, colarinhos, punhos e infeites
340, 360, 400,440, 480 e 500 rs. o covado, fazenda lude preto proprio para lulo fechado e muilos ou-
muito superior
i Pavao.
e bonitos padroes : s na loja do
As laziabas da e xpasic da Pavae.
Vendem-se as laazinhas as mais modernas que
; tem vindo ao mercado, proprias para vestidos o
| soutembarques por serem lisas e de cores muito
tros artigas que se vendem por preces mais em con-
ta do que em oulra qualquer parle por estar liqui-
dando, s na loja do Pavao : ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
Os madapolies do Pavao.
Vende-se peca de madapolo infestado rom 12
AGUA FLORIDA
De Murrav tt Lanman.
Este raro quito delicado perfume
quii que inextiuguivel c to clicio do
niiniooH fragrancia e frescura como o
delicado clieiro das proprias verdecen-
tea flores. Durante os mezes caloren-
tos do verao o sen uzo torua-sc iiuineii-
temente aprazivi-1 e descjavel em con-
Eequonci da influencia refrigirante c
suave que ella produz sobre a pelle:
em quanto que uznda no banho ella
imparte o corpo lnguido e caneado
rima certa clasticidade de vigor c forja.
Ella imparte ranisj)arencia as fcifde*,
e remoce jxtinio*, sai dan e hertoejas tU
whns a pelle.
delicadas 360-600 rs. : ditas lisas com um lus- jardas cada peca pelo barato prego de'4*, 4*500 e
tro que parece seda 640 rs. o covado, ditas m- 5*, cada peca, "fazenda muito superior, s o Pavao
; 320, 400 e 500 rs. o covado, ditas com a ra da Imperatriz n. 60, notando que a peca leva
- orna etiqueta com o Pavao pintado para nao haver
duvida uem engaos, isto previne o Pavao, de
Gama & Silva.
As chitas do Pavo t#400 e
#SOOocrte.
Vendem-se cortes de. chita com dez covados a
2*400, ditos al*800 com doze covados sao chitas in-
glezas, mas padrdes bonitos e tintas seguras assira
tem as melhores chitas francezas e da tintas segu-
ras por precos cmodos a saber 320, 340, 360,400,
440, 300, ris o covado : na loja do Pavao a ra
da Imperatriz n. 60, de Gama A Silva.
Os bordados do Pavao.
Yendcm-se camisinhas com manguitos e golinlias
Bordadas pelo barato preco de 1* e 1*280 cada
um, manguitos a 300 ris cada par, ditos com co-
tizadas
quadrinhos de seda a 500 rs. o covado, s para
acabar : na loja e armazem do Pavao de Gama &
Silva, ra da Imperatriz n. 60.
Os vestidos do PavJo
Vendem-se os mais modernos cortes de vestido
de la, qua vieram pelo ultimo vapor, com ricas
barras de cor, corpinho e collete separado; ditos
com listas de seda e tambem com barras e enfeites
para o corpo, por preco mais barato do que ero ou-
lra qualquer parte, e se quizaren) urna prova do
que se diz, mandem ver loja e armazem do Pa-
vao, ra da Imperatriz, n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos i Hara Pia. S o Pavao (8,000 rs.)
Vendem-se os mais lindos vestidos Mara Pia
de laazinha transparente com listas, e palminhas
de seda pelo barato preco de 8*000 cada corte :
s na loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de 1Bna a 8o0 ris, golinnas a 400 e 480 rs., de filo a
a ^ilva. 240 ris cada golinha bordada, romeira de cassa
tas a 2*500 cada um : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 o 69.
as mesmas lojas se encontrar lindo sorli-
mento de perfumaras e variado sorlimento de
miudezre que se tornara enfadonhe menciona-las,
porm afianca->e ser tudo bom e mais barato que
em outra qualquer parte.
o o-o C o 5- ce 1 p- s B" SP CO w CO P P-p CO P-P
bd e- so
o ja rf p- CD CO
3 W R P cr> p-
i |-1 p -i P CD <
C3 C3 p- >3 CO ?es
P .
P B CD P Pw J
co CD P | o-P -
B a> CG
frK
?-* o
0 TOMCO ORIENTAL OE RKMP
PARA OS CABELLOS,
AUencao.
Vende-se superior vinlM do Porto em caitas de
urna di"zia : em casa de Joliuston Pater & |C., ra
do Vigario n. 3.
E nina preparago admiravel para lim-
par, afonnoSear, conservar c restabcle-
ccr os cabellos.
A venda as boticas de Caors r Barboza,
ra da Cruz, e Joao da C. Bravo C, na
da Madre de Dos.
m Jbabnca Concei^ao da
i Bahia.
Andrade & Reg, recebem constante- S
JR mente e tem venda no seu armazem n. S|
Jw 34 da ra do Imperador, algodao d'aquel- >ss.
K la fabrica, proprio para saceos de assu- H
jp car, embalar algodao em pluma etc., etc., j|
JJK pelo preco mais razoavel. x
mmwmmm wm wmmm
ende-se por pre<. commodo urna mei-agua
na estrada do Pon bal, o lado lo sitio do Sr. Ig-
nacio com botica na praca da Uoa-Vista, acabada
de novo, tem quarenta e tantos palmos de frente e
com dtenlos e tantos de tundo : quem|pretender,
falle na mesma.
Gaz, Gaz, Gaz.
Latas de um, dous e cinco gatees,
De sqpenor qualidade, preco commodo :
Na ra do Apollo, armazem ti. 2.
: As cassas do Pavo a 210, 280, 300 320 e 360 rs.
S o Pavao vende as finissims cassas persianas
imitacao de 1.1a. com cores lizas, a 360 rs. o co-
vado ; ditas francezas muito linas a 240, 280,300
! e 320 rs. o covado, isto para acabar: ra da Im-
peratriz, loja de Gama & Silva.
As percala do Pavao.
As mais lindas percalas que tem vindo ao mer-
cado pelo ultimo vapor tem na toja do Pavao pelo
! barato preco de 600 rs. o covado ; ditas de listi-
; nhas muito miudinhas proprias para vestidos e
roupoes de senhoras, meninos e meninas, pelo ba-
j r a ti.-simo preco de 500 rs. a co*ado, garan*em-se
| as cores por serem do melhor fabricante que as
tem em Pars : isto na loja do Pavo ra da Ira-
peratriz n. 60, de Gama A Silva.
Bramante de linh do Pavo a
8.OO. a.ioo.rtioo
Vende-se o melhor bramante de linlio puro com
t dez palmos de largura por precs muito commodo,
| por ter de acabar a factura, a vara por2*2O0, 2*400
e 2*600, s o Pavo : a ra da Imperatriz n. 60 de
'. Gama & Silva.
Pauuo de lioavo da Paa.
Vende-se panno de liaho cora 4 palmos de lar-
i gura proprio para lencoes u toalhas de raao pelo
baratissimo prego de 640, 720, e 800 ris, a vara,
algodozisfto com oito palmo* de largura proprio
' para lencoes pelo baratissimo preco de 1* a vara,
assim como tem o melhor algodozinbo tanto em
largura como em corpo, proprio para lencoes, ca-
misas de escravos etc., etc. prego muito commodo
a vista da fazenda s o Pavao : a roa da Impera-
triz o. 60 de Gama & Silva.
Algodoziaho com toque de arara a i.000
e 4,800
Vende-se peca do algodozinho por ter um pe-
queo toque de a varia mas que est em bom esta-
do pelo barato preco de 4* e 4*800 a peca s o
Pavao : a ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Os guardanapos econmicos do Pavo e s do
Pavo.
Vendem-se os mais lindse modernos guardana-
pos econmicos e todo lioho, tanto para casas de
familia como para botis, botequins etc., etc., pelo
baratsimo precn de 35 a duzi,isto s no Pav.o :
a ra da Imperan z n. 60, de Gama A Silva.
Os soiiteanbarquc do Pavo
e i'.
Vendem-se os mais lindos soutembarques que
teem viudo no mercado, sendo de caxeraira de co-
res pelo baratissimo prego de 12* cada um, ditos
de musarabique pelo diminuto prego do '.'*, s na
loja do Pavao, mas que nao se enganem : a rua
da Imperatriz n. 60 : de Gama & Silva.
e de fil muito bem bordadas a 2* cada urna, man-
guitos que servem para calcinha de meninas a
640 res eada par, camisa com manguitos e golas
com a competente grvala de seda, fazenda lina
pelo barato prego de 3* e militas oulras bordadas
que se vendem por prego muito em conta.: s na
loja do Pavao a rua da Iraperatriz n. 60de Gama &
Silva
As roupa dt Pavo.
Vende-se panno preto lino muito superior pele
barato prego de 2*, 2*500,3*, 3*500 e 4& dito
muito fino a 5* e 6* o covado, casimira preta de
urna s largura e muita fina a 1*800, 2*. 2*500 e
3*000 o covado, cortes de casimira de cores a 3*
5*500 e 6*,. casimiras eafestadag. de urna s cor
proprias para caigas, paletols, ooletes, capas e para
roupas de meninos a 3*, 3*500 o covado, isto : na
loja do Pavo a rua da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Atoalhado do Pavo.
Vende se panno ae liabo adamascado proprio pa-
ra toalhas de mesa, pelo diminuto prego de 2*500
rs. a vara, guardanapos de llnho a 5* rs. a duzia,
toalhas de mo a o* rs. cada duzia, na loja do Pa-
vo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama Je Silva,
Balaios para meninas.
Lindos balaios de varios gostos para meninas
trazerem no brago : s se encontra na loja do Bei-
ja-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Extractos e sabo em cahinhas'
Lindas caiiinhas com um cartao com a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco ou sa-
bao o mais fino que possivei: na loja do Beija-
llor, rua do Queimado ns. 63 e69>
Vende-se muito barato om bom cavallo de
cabriole!: para ver, na rua do Can no n. 13,e para
tratar, na rua da Imperatriz n. 20, loja.
No deposito da rua Nova n. 5a tem para
vender superior vinho de caj em caixas com 12
garrafas, por prego commodo.
Queijos de Minas."
Yende-se na rua Nova n. 61, defronte da lllm.a
camai municipal : recebe-se por todos os va-
piire
*- >*de-se urna burra mansa, muito ardiga
quserfe para carro por ser muito grande : para
vre ajustar, na taberna defronte da capella de S.
Jos do Manguinho.
Vende-se' no
Maclas.
Cadeia do Uecifc n. 50, cm
re tal no por diversos precos.
armazemMovimenio -. rua da
caixas a 20*000. e a
Vndc-se ama armago que fui de ama ta-
berna por 50*000 : quem pretender dirija-se
rua das Cruzes o. 25.
EXTRAORDINARIA
; liqnidacao de fazendas de todas as (p-
lidas ua lja e armazem da Arar,
rua da imperatriz n. 86, de Louren-
co Pereira llende* Guimares.
* ttendam fregnezes! *
Soutcmharque a f0#, 120 e V$ peearacha.
Vende-se soutembarques mnito bem enfeitados
e de cores, para senhoras, a 10* 12* e 15*, ditos
pretos a 20*, 22* e 25* ; capas pretas do gros-
denaple a 20* e 25* : s na rua da Imperatriz n.
56, loja da Arara,
Coi les de chita a 2-S00.
Vndese cortes de chitas de cores fixas com 10
covados a 2*400 e 3*200, cortos de cambraia de
barra a 2*. ditos de salpicos a 2*500 : na rua da
Imperatriz n. 56, loja da Arara, de Mendes Guima-
res.
Fazeudas especiis para seuboras.
Vende-se gollnhas para senhoras e mcnjnas a
240, 320, manguitos a 500 rs., camisinhas a 1*,
1*500, 2* e 4*500, entre-meios e tiras bordadas
para enfuitar vestidos brancos a 1*, 1*200 c 1*400
a pega, enfeites para casavequo a 1*, ravatiulias
para senhora, muito linas a 15 e 1*500 : na rua
da Imperatriz n. 66, loja da Arara.
Yende-se palitots de panno lino a 16*, 14* e
12*, ditos saceos com litas a 12*, 10* e 8*, ditos
de casemira linos a 10*. 8* e G*, ditos sem fita e
4*500,5*, ditos de brim a 2*500, 3*. 3*500, ds
alpaka a 3* e 3*500, caigas de brim e de ganga.i
2*, 2*500 e 3*, ditas de meia casemira a 3*500 c
4*500, linas a 5*, G* e 7*, coletes e camisas fran-
cezas a 2* e 2*500 e 3*, seroulas de algodao a
1*000, de linlio a 2*, e colarinhos a 400 rs. : na
rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Vende-se colchas de chita a 2*, de damasco a
4*, de fasto a 5* : na rua da Imperatriz n. 56,
luja da Arara.
Vende-se panno de linlio para lenges e serou-
las a CO rs. a vara, brim liso de Hamburgo a 500
e 560 rs., lengos de seda a 800 rs. el*: na rua
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Bramante da Arara a 2:00.
Vende-se bramante de linlio com 10 palmos
de largura a 2*500, dito de 12 palmos a 2*800
a vara, chitas para eoberias s 320, 340 e 400 rs.,
dita encarnada muito tina a 480 rs. o- covado, chi-
tas para vestidos a 240,2S0, 320 e 400 rs. o cova-
do : esta pechincha, to barata, s se pode encon-
trar : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
A Arara tema, Dio vende, qneima.
Vendem-se baloes de t6, 20, 25 e. 30 arcos a
2*240,2*500, 3*, 3*500 e 4*. ditos de musselina
a 4* e 4*500 : na loja da Arara,, rua da Impera-
triz n. 36.
Vende-se challes de laazinha a 1*600 e 2*, ditos
de merino a 2*500 e 4*500, ditos tinos a 6*, ditos
estampados a 7* : na loja da Arara, ru ajila Impera-
triz n. 56.
As Marianas da Arara a 210 rs. e ovado.
Vendem-se laazinhas para vestidos a 240, 320,
400, 50Oe 300 rs, o covado, ditas muito finas de '
cores, lisas, de lyrio, de rosa, azul e encarnada
a 600 rs. o covado ; na rua da Imperatriz n. 56, i
loja da Arara.
A Arara vende ebitas a 210 rs.
Vendem-se chitas para vestidos de cores flxas a
240e 280 o covado, ditas francezas a 320, 360 e
400 rs., cassas de cor a 280 e 320 o covado.organ-
dys a 326, 280 o covado : na loja da Arara, rua
da Imperatriz n. 56.
A Arara vende corles de la a Maria|Pia.
- Vende-se cortes de laa com barra a 8*, ditos
finos a Marta Pa por 18*000, laazinhas a Mara
Pia a 460 e 800 rs. o covado : na rua da Impera-
triz n. 56. loja da Arara.
A Arara vende madapolo a 6S00, 7fi, 8$,
iO-S C \2\
Yende-se madapolo fino de 24 jardas, n. 60 a
6*500, dito n. 7 a 7*, dito n. 2, 8*, dito de mar-1
ca duas cruzes a 9*, dito S a 10*, dito IIII a II*
ditoB b a 12*, todos estes madapoloes sao muito |
finos ; algodao a 5* e 6*, dito carne de vacca a ,
63500, dito uiesticoa 7*, dito sicupira a 8*,ditode
diversa qualidade a 8*500, dito pao ferro 'J* a pega
dfl 20 jardas, lodos estes algodes sao de boa qua-
lidade : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara i
de Mendes Guimares.
As percalas da Arara a 500, oCO e 600 rs.
Vende-se finas chitas percalas a 500, 360 e 600
rs. o covado, pecas de cambraia linas a 3*, 3*500
43500 o 55000 a peca, ditas para cortinados com
20 varas a I* : na loja da Arara, rua da Impera-
triz n. 56.
'
A Arara vende brim trancado de linbt a 1^200.
Vende-se brim trancado de linlio braneo para
caigas a 1*200 1*400. e 1*600 a vara, dito pardo
de l.nho a l>40 720, 800 e 1*120 ; breaolu de-
inho a 640 c 800 rs a vara ; gnnpa para calcas o
brim de cores a oOO o 480 o covaio, orles de ca-
semira preta para caiga a 3*500 o 4*, ditas linas
e de cores a 5*, 5*500 e 7* o corte : na rna da
Imperatriz n. 56, loja da Arara.
O proprietario da loja e armazem da Arara r-
commenda toda a atlengo aos Srs. fregueies qu
mandem ver as amostras de todas as fazendas que
annuncia, prometiendo vende-las barata, pois que
a Arara teima, nao vende, queima.
jMErW
de rabalhar a oio para
descarocar algodao
FAUIltCADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDl
Estas machinas
podem descarriar
qualquer especie
de algodao sem
__^JS estragar o fio.
sendo bastante
duas pessoas para,
o trabalho; pode
descarogar ama
arroba do afgd-
do em carolo.
em 40 minutos;.
ou 18 arrobas
por dia oo 3 a-
robas de algodao
limpo.
Esta machina
a nica que
possuc as vantagens de nao destruir o fio do al-
godao e de fazer render o dobro de qualquer ou-
tra com menos trabalho, a sua introdncco para
as provincias desle imperio ser de mui'to valor
para todos os iatoressados na lavoura do paiz.
Assim com machinas em ponto grande do mev
mo systcma,oraql serem movidas por animaes,
agua ou vapor, pas naos podem descarogar 18 ar-
robas de algodao ampo por dia.
O algodao descarocado por estas machinas tem
muito mais estimacao nos mercados de Europa e
vende-se por maiorprego.
As machinas se aciiam venda unicamenie em
casa de
Saooders Brolhei-s & C.
A". II, praca do Corpo Sanio
RECIPE.
Os nicos agentes neste paiz.
Vende-se a taberna sita praca da Boa-Vista
n. 14, sendo muito afreguezada e cm poucos fun-
dos, a casa tem um grande sotao para morar fa-
nnlia : a tratar na rua do Rangel n. 11.________
e carroQa.
boi e carroga ; a tratar na rua
Boi
Vende-se um
Nova n. 48.
ESCRAVOS FGIDQS.
Fugio na noite de 23 do eorrente julho de
1864 o escravo Jos, preto, crioulo, ae 26 nnnos,
baixo, corpo regular, beicos grossos e estufados,
orelhas pequeas, e cachafo grosso, pouca barba <
porque tem apenas na poma do queixo, levouduas
caigas, una branca e^outra de castor eseuro que
parece preto, de listras, paletot preto, sem camisa.
e rom urna carapnga encarnada na cabega, a faia
de marojo : quem pegar leve-o rua Direita n.
34, que ser generosamente recompensado.
Fugio na tarde do dia 16 do correle um
escravo pardo, de nome Marcos, desembarcado
do hiate Sania Atina, vindo do Aracaty, tendo
de idade 28 annos pouco mais ou menos, eos sig-
naes seguintes : altura regular, secco do corpo,
pouca barba, cabello crespo, levou camisa e
caiga de algodosinbo de riscado azul e cha-
peo de palha, tendo levado comsigo urna Mua '
com mais roupa, e rendido de urna das verilhas ;
quera o aopreender queira leva-lo rua da Madiu
de Deus n. 38, ou rua do Brura n. 55, que ser
recompensado.
Mu i la altenco.
la das fugio o escravo africano, de nome An-
tonio, levando calca e camisa de bata azul es-
cura : quem o encontrar c levar sua senhora a
baroneza da Victoria, rua do Hospicio, era bem
gratificado.
LISTA GERAL.
104'
DOS PREMIOS DA 4. PARTE DA 4. LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 492, A BENEFICIO DO GYMNAZIO PERNAMBUCANO, EXTRAIIIDA EM 19 DE AGOSTO DE 1864.
M. PREMS.
1
6
8
i!
14
18
21
25
27
32
34
36
37
39 *
42
43
44
43
46
48
49
52
55
57
60
62
64
66
76 -
77
80
87
90
93
99
104
7
8
10
U
13
16
19
23
23.
27,
28
31
34
. 39
42
45
49
38
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
6* 159 200* 323
61 6* 2o
64 31
73 34
74 36
76 37
20* 81 38
6* 86 39
40* 90 40
6* 91 42
20* 96 43
12* 203 46
6* 4 48
_ 8 51
__ II 33
__ 14 36
. . 13 39
17 64
_ 20 65
__ 22 66
_ 32 73
_ 33 76
40* 34 78
6* 36 81
39 82
aaa 41 83
12* 42 86
6* 45 95
47 100* 96
_ 48 6* 400
53 2
54 .3
_ 55 4
. 37 20* 10
39- 6* 14
60 15
_ 75 16
__ 76 17
_ 77 _ 83
. 78 12* 25
__ 81 6* 26
20* 83 28
6* 87 . 30
88 31
__ 92 . 39
__ 93 u
__ 99 . 42
_ 301 43
-r- 4 12* 46
8 6* 48
11 52
, 13 53
-*- 15 56
16 57
19 60
20*
6*
12*
12*
6*
466
72
77
83
86
01
91
96
98
500
1
4
5
6
7
9
10
17
19
20
21
22
24
27
29
31
38
40
50
51
52
54
58
59
61
66
76
77
81
84
86
89
92
93
97
99
603
6*|, 5

, 7
8
ti
12
22
24
20*
6*
100*
6*
12*
6* 020
30
34
38
39
44
45
48
55
58
59
61
62
65
73
75
80
84
85
86
87
90
97
99
700
7
12
13
17
19
23
25
27
31
32
36
37
38
41
43
46
12*1 48
0*
600*
6*
100*
6*
40*
6*
100*
12*
6*
6*
12*
6*
50
54
55
59
60
64
67
68
71
72
73
76.
79
NS. PREMS.
781 6*
82
83
84 -
91 -
94 -
96
97
98
99
803
3
8
13
15
ib"
19
22
23
26
29
33
35
37
38
39
41
50
53
55
56
61
70
77
80
84
86
89
92
93 6:000*
903 6*
14
21
27
29
30
31
33
35
36
39
44
47
48
20*
6*
12*
6*
20*
6*
40*
NS.
961
62
64
67
71
74
81
83
87
95
99
1000
3
15
18
19
-2(1
22
24
26
28
i'J
31
32
37
40
44
46
49
55
56
58
59
60
64
63
76
79
83
89
90
91
97
1100
8
9
11
15
23
24
30
39
45
. 53
38
PREMS. NS. PREMS.INS. PREMS. NS. PREMS. NS. PHEMS.'NS.
6
20*
6*
1161
69
72
71
75
76
78
83
84
90
92
1200
2
3
4
6
14
15
16
19
20
25
28
12*1 29
6*' 33
31
39
4*
44
46
53
56
62
64
77
85
6*
20*
1:400*
6*
20*
12*
6*
12*i
6*
12*
6*
88
89
95
1302
4
5
7
8
11
15
18
19
22
I 24
25
26
i 28
2
20* 1339
6*| 41
42
49
50
51
55
58
(1
63
64
66
67
68
69
71
72
78
79
93
95
96
1401
3
4
5
6
18
20
21
22
27
28
34
36
37
39
47
49
5*
58
70
73
74
8
93
96
98
99
1500
a
6
Id:
10
16
6*
12*
6*
6*
12*
6*
20*
6*
12*
12*
6*
20*
6*
1517
23
24
27
31
32
34
36
39
40
30
51
...
O
59
60
62
64
68
75
77
82
86
92
98
99
1600
20*
6*
12*
6*
2
20* n
6* 6
7
-* 11
20* 6* 15 16 20
26
" 31
33
~ 35
~* 36
^ 40
mm 41
"- 43
51
12* 6* 55 57 58
. 62
~* 62
"~ ,7 . 71
a- 72
73
73
81
40*
6*
40*
12*
6*
200*
1685
86
91
93
96
97
1708
14
21
24
25
33
35
36
37
41
42
43
45
47
49
54
64
65
67
68
70
72
73
74
77
79
81
82
86
89
92
93
94
95
1801
2
3
10
11
12
15
20
24
25
27
30
32
i 37
38
6*1839
205 41
*| 43
43
46
'.7
u
38
na
63
6o
- 70
- 7*
40*| 74
6*
12*
6*
12*
6*
6*
12*
6*
0 eiemlo, Jott Peito das Nevts.
PREMS. i NS. PREMS
0* 1993 6i
96
2007 -
8
17
2i
24 -
25 -
26 -
27 -
28 -
30 -
31 -
34 -
83 39
84 41 -
86 46 -
87 20* 47
92 6* 49 -
93 50 -
94 53 -
95 58
96 60 -
98 12* 63
191i 6* 67
12 70
16 71
18 .*., 71
19 73 -
24 78 -
25 84
29 91 -
30 93
3* 98 -
32 12* 98
34 6* ao? _
41 8 -
43 19
43 20
44 31 ~
45-31 -
47 38 -
50 35- *
31 37
34 200* 38
64 6* 39 40*
65 12* 40 6*
66 6* 47
67 12* 49
68 6* 31
70 53
74 54
83 61
86 64 :
90 74
NS. PREMS. NS.
2173
77
82.
85
86
88
89
91
97
90
2205
6
8
[2
16
20
21
23
28
31
31
30
36
37
39
42
44
50
51
52
54
53
60
62
63
64
69
71-
77
78
79
84
86
96
2300
3
10
II
13
15
21
26
30
34
35
12*
12*
2338
39
i i
42
- 48
49
Si
52
53
34
56
59
61
66
67
70
72
73
75
76
78
89
96
97
99
2402
3
4
5
6
8
9
12
15
26
28
34
38
40
43
45
52
34
55
36
61
68
70
74.
76
76
7
81
92
-230
PREMS.
6*
40*
6*|
20*
6*
40*
6*
12*
6*
12*
6*
12*
*
20*
6*
NS. PREMS.
2504
6
7
13
14
17
1S
22
24
27
28
:I
40
42
44
18
53
12*
58
59
63
64
73
76
79.
83
87
89
94
95
2605
7
11
15
2i
27
29
37
40'
41
47
49
53
56
87
5
60
61
63
66.
1 73
76
80
84.
85
12*
6*
12*
NS. PREMS.
2686 6*
91
2703
19
30
21
37
44
49
33
54
58
59
62
66
72
76
77
82
81
88
%
97
12*
12*
6*
12*
6*
12*
6*
20*
12*|
6*
98
2802
3
8
9
14
15
16
17
27
31
36
42
43
44
45
46
54
55
56
58
60
68
72
74
77
86
87
W
86 -
90 M*
_
40*
6*
NS.
2897
99
2902
3
19
21
28
28
29
35
37
39
14
51
55
63
66
68
70
73
76
79
85
87
93
3003
9
12
13
14
16
18
26
31
33
36
38
39
40
44
45
36
58
39
67
70
71
72
76
I 77
83
85
86
94
PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
0-5
6*
6*
9t
12*
6*
12*
6*
20*
12*
6*
11*
3100
5
7
12
21
28
33
38
43
44
46
51
56
61
62
73
83
84
88 100*
89
92
99
3205
8
9
15
18
19
24
27
29
33
38
40
41
44
47
48
50
51
54
55
57
12*
6*
_ '
6* 96
61
66
71
72
74
7*
79
80
84
87
_
40*
3288
90
91
92
93
94
96
3312
14
16
28
36
48
49
52
53
51
56
66
68
71
76
77
79
84
89
90
91
92
94
96
3407
9
12
15
19
22
24
32
40
41
50
59
64
66
66
71
' 74
75
7t
12*
6*
100*
6*


8%
90 -
92
9
3500 -
Pern.~Tyf. dt M. F. de Faria & Filhol8Qi



*
\
i


1





L
B^MHMMi
V
Diario de PernaMbneo Sabbado de Agosto de it4.
>
t
LITTERATUR.
O lacio da historia patria.
0 que occorria era a idea de instruir o juiz no
c umprimento dos seus deveres, apontando a le, e
ale- enviando exemplares d'ella : isso se fez.
0 que occorria era a possibilidade de vilenla
ageresso contra a vida de Pinto Madeira, qoer na
Wacom, quer no carcere : isso se precatoO, indo
ma grande escolta soba vigilancia de um oflkial
idneo para garantir o preso.
Este foi entregue inclume pelo scu conductor
jostiga local, c na prisao nada soffren.
Boira os fados argidos a Pinto Madeira, figu-
rava a morte de Joaqun) Pialo Cidade, oniem de
coudigo pacifica, cuja morte foi por aqnclle orde-
nada seni outro motivo alm de odio pcssoal. O
processo organisado em consequencia d'esse cri-
uie foi submetlido julgamento.
O jury, como era de presumir depois de repri
irada a publica commogao, rompunha-sc de ho-
ir.ens mais ou menos agravados pela recente luta,
e-alm d'isso anda inflammados pela recordado
viva de innmeras atrocidades. Nao foi duvidosa
a condemnago de Pinto Madeira, e a pena de
morte foi-lhe aplicada por unanimidade de votos
do coaselho julgador. Tanta era a prevengao.
Intimada a sentenra de morte, Pinto Madeira
sentiu-sc enfraquecido de animo; e liomem falto de
lluslrago, pois mal sabia 1er e escrever, perstta-
dio-se ser-lhe inulil qualquer recurso. Nao com-
p'rehendia a extenso do benfico amparo da lei
em tal caso, e instado para interpor o protesto, que
|he faculta va o julgamento em novo jury na capital
na provincia, recusou-se a isso. Certamente con
veneia-se de nao termelhor xito n'essa tentativa,
que apenas reputava como encommoda delonga do
suplicio.
A exacerbago, que em roda de si notava, o le-
vou a semelhanto persuasio, e cm vez de prevale-
cer-se do protesto legal por novo julgamento, ou da
impretago de graca ao poder moderador, pedia
que abreviassem a execugao da pena. Testeotu-
Bbas contemporneas anda boje o attestam.
Em vista de semelhante resolucao do paciente
que alias nao desculpa o atlentado das autoridades
Indiciaras da comarca do Crato, entendeu-se, que
a senlenga era exequivei, e tratou-se de cumpr-la,
sendo Pinto Madeira dentro de 2 das julgado, e
supliciado I
Isto dava-so em fins do anno de 1834, quando
anda entre nos era novidade a execugao do cdi-
go do processo criminal, e nao bavia pratica auto-
risada para suscitar immediato reclamo da parte
de alguns horneas menos desprevenidos.
Essa atrs execucao, fillia do erro de uns, da
raqueza de outros, e da animadversao de todos,
falcnteia claramente, o furor dos partidos, irracio-
naes em suas iras, desmonte os nossos sentimentos
dobrandura, e piedade christaa; mas nao pode
recahir sobre o administrador da provincia, a
quem s fallou o dora da presciencia para penetrar
no futuro, tomando precaucoes fra do alcance
das preeisoes do liomem.
Desapaixonado acerca de Palo Madeira, de
quem nunca recebera olfensas pessoaes, porque
quereria o ex-presidente velo supliciar sob sua
administrarlo ?
A lgica, que vale mais do que a malevolencia,
o salva de increpago, e mostra, que no snecesso
apenas bouve um lance infausto, que nao coube
tiumana previdencia acautelar.
O que a auloridade caba fazer, qur antes, qur
depois do successo, fez o ex-presidente.
Autes, provdenciou, garantido a pessoa do cul-
pado, e instruiudo o juiz : depois, cstigmatisou o
crime e fez responsabilisar os seus autores para a
pungao da culpa.
E' bem sabido, e est ainda na memoria da pro-
vincia do Cear o modo, porque o ex-presidente
proredeu acerca do vigario Antonio Manoel.
Este era apontado como vcrdadeiro autor do
enarchico movimento operado na comarca do Cra-
to, e contra si, vingando cguaes aecusagoes s de
seu campanheiro, de infortunio liaba odio mais
pronunciado. Autor principal' do criminoso inteu-
o. maiorquinho tambera llie cabia naanimadver-
sao publica.
No entretanto para que o vigario Antonio Ma-
noel nao solresse as legitimas cousequncias do
seu attentado social, o ex-presidente empenhou
esforgos para o subtrahir a no vos padecimientos.
FOLHETIM
vendo no culpado de hoje o homem desvairado
pelas paixees, o clrigo alquebrado de annos, e in-
ferraidades, e o cidadao, que oulr'ora servir
independencia do sea paiz.
O senador Jos M. de Alencar, que sempre pra-
licou actos desta ordem, nao poda nutrir em sea
animo a idea de um crime intil, de urna perversao
inmrita, consenliodo na illegal execucao de um
ru politice
Se elle por ventura quixesse o suplicio de Pinto
Madeira, linha este perpetrado bastantes crimes :
hara opioiao firmada na provincia de seus- malefi-
cios : e condemnado o autor delles, porque nao
obteria a ordem de execucao?
O senador Jos M. de Alencar nao era entio um
simples presidente de provincia, que s vale quan-
to vale o cargo : era um homem dominante na
poltica da poca, a quem nao seria imposslvel fa-
zer valer ante o governo supremo a necessidade da
execucao do Pinto Madeira para severa e proficua
ligao, como muitos errneamente entendem.
O ex-presidente do Cear, se alias vio correr o
seu proprio sangue, quando foi necessario bra-
dar :sejamos independentes nunca fez victi-
mas, nem fez derramar sangue alheio.
Em mais recente data militares Iludidos empu-
nharam armas contra elle. Vencidos, elle s vioem
seus adversaries homens transvados pela exalta-
cao poltica: ao governo imperial pedio clemen-
cia ; e o perdo do monarcha satisfez de prompto
o magnnimo sentimento do subdito, que nunca
teve esforgos senao em prol do sea paiz, nem pra-
tieou actos senao para beneficencia do seu seme-
lhante.
Fallo da criminosa tentativa feita era Sobral no
anno de 1840 pelo coronei Xavier Torres contra a
autoridade, e contra a pessoa do primero presi-
dente que o monarcha declarado maior mandava
ao Cear em misslo de paz e concordia.
Em 1850 o nobre senador leve de tratar desse
fallado assassinalo jurdico no senado, aonde a sua
voz ergueu peremptoro esbarro maledicen-
cias Tarda, e inoportuna loquela surgir na ca-
mar temporaria para censurar faltas de urna
admnistragao Onda, havia mais de 13 annos, po-
rm sempre recordada por beneficios raes, anda
hoje persistentes na provincia, que sob essa admi-
nistrarlo vio firmar-se a paz publica, erguer-se a
segaranca pessoa!, nascer o crdito, e comecar
varios ramos de Industria com o crescimento da
capital, com a introdcelo de colonos, e com a
abertura de novas vas de communicacao.
Compulse o leitor os documentos abaixo trans-
criptos : entao julgue desprevenidio.
T. A.
Recife, 11 de agosto de 1864.
Oficios,
I
Marche Vmc. conduzindo o ru Joaquim Pinto
Madeira at a villa do Crato entrega-lo ao juiz de
direito interino da mesma villa.
Parece desnecessario, mas cumpre-me ao meu
dever recoramendar-lhe todo cuidado, e delgencia,
afim de que este ru chegue intacto ao seu destino,
'endo em consideracao o quanto desairoso seria
mim e Vmc. e a toda a provincia, se desgranada-
mente um homem preso, e ao cuidado da primeira
autoridade da mesma provincia, e como tal condu-
zindo pelo proprio ajudante de ordens do governo,
fosse no caminho assassioado: um tal assassinato
procurara razoes plausiveis para ser desculpado,
mas nunca essas razoes levariam a couviccao a
alguem, de que nao fra elle de proposito perpe-
trado. Por tanto convindo muito evitarnos urna
tal increpacao, tanto Ihe recommendo, que nao fuja
na marcha, como que nao seja de nenhama forma
assassinado.
Deus guarde a Vmc. Palacio do governo do
Cear, 22 de outubro de 1834.-Jos Martmiano
de Alencar.Sr. tenente Joo da Rocha Moreira,
ajudante de ordens do govarno.
II
Pelo ajudante de ordens o tenente Joo da Rocha
Moreira Ihe serlo entregues os rus Joaquim Pinto
Madeira,eAntonioBernardo,quedevemserjulgados
no jurydesse municipio; epela importancia polti-
ca do primeiro ru, parece-me, que deve ter lugar
a convocarlo extraordinaria do jury, caso elle nao
esteja reunido, como permute o art. 319 do cdigo
do processo, afim de ser elle julgado com brevida-
de, at para poder ser reconduzido capital pela
mesma tropa, que o conduz, no caso de que, sendo
condemnado, haja de appellar, como Ihe permute
a lei.
i'i.vru horas m: mti:ih\
ron
CIMILLO GASTELLO BRINCO.
(Continuado.)
X
Nao tens una historia de feilicos que me con.
les? disse en ao meu amigo.
De feitigos nao me lembra historia nenhuma;
. porm, no genero mgico, posso contar-te o que
succedeu a meu tio Joao Manoel cora o livro de S-
Cypriano. T sabes que nunca houve Cyprlano ne-
nhum que escrevesse tal livro...
Couheco dous sautos Cyprianos: um, que pa-
deceu martyrio no lempo do imperador Valeriano
e escreveu, eHtre outros, o livro Dos suecumbidos
O outro foi hispo de Toulon, e nao sei que esen-
vesse de magia.
Pois a crenga popular e a especuladlo de al-
gum velhaco nouvelista da edade rndi inventaran
que S. Cyprano, feiiiceiro como S. Gil, deixara um
ivriuho, que descubre thesouros. Eu nunca vi cs-
;. lejivrinho; mas meu to Joo Manoel jurou que o
vira em maos de um padre de Barroso; e de em-
oreitada com o padre,deliberaran) arrancar das en-
aranhas da trra uns cofres de ouro soterrados pe-
la mourisma, no lempo em que os godos desceram
das suas montanhas, e a levaram de sobresalto, e
a ferro, para as regidos africanas.
Meu tio Joo, como vs, era urna intelligencia li-
an, um pouco escurecida pela vontade de ser rico,
e fundar um convento de frades de ordem francis-
cana. Os reudimentos do seu patrimonio escasa-
mente Ihe dariam a sustentacao de .dous frades
mendicantes; e o que elle quena era poder sus-
tentar um cento daquelles santos vare-: d-sejo
noffensivo, que Ihe absolve a sede de riquezas, e
pamente creio que Ihe seria til a alma tanto
quanto elle qulz ser til as corporales frades-
cas.
Emparceirado, pois, com o padre barrozao, lan-
zaran) suas medidas, depois de reiteradas conferen-
cias, e decidiram que um das enormes thesouros
joouriscos, indicados por S. Cyprano, eslava no en-
Julho do arrazado castello de Vermoin.
Vermoin um altissimo acervo de tragas, sobran-
cerras a freguezia daquelle nome,uma legua distan.
Neste mesmo sentido officio ao promotor desse
municipio na data de hoje.
Vai inclusa urna carta escripia pelo ru Pinto
Madeira, e que me entregou o meu antecessor para
Vmc. acostar ao processo do mesmo ru, caso Ihe
permita assim o dever fazer na conformidade da
lei.
Deus guarde Vmc. Palacio do governo do
Ceara, 21 de-outubro de 1834.Jos Martmano
de Alencar.Sr. Jos Victoriano Maciel, juiz de
direito interino da villa do Crato.
III
Vai Besla occasiao o ru Joaquim Pinto Madeira
para ser julgado no jury do seu domicilio; e pela
importancia poltica deste ru parece-me, que Vmc.
dever usar da attribuico, que Ihe compete pelo
art. 319 do cdigo do processo, assim de que elle
seja julgado quanto antes, reunindo-se para isso o
jury extraordinariamente.
Devo mais lembrar Vmc., que tendo lugar logo
o julgamento deste ru, poder a mesma tropa, que
agora o conduz, tornar a trazlo, caso sendo con-
demnado, haja de appellar para o jury da capta1
como permitle a lei.
Deus guarde i. Vmc. Palacio do governo do
Cear, 21 de outubro de 1834.Jos Martiniano
de Alencar.Sr. Antonio Raymundo Ungido dos
Santos, promotor publico da villa do Crato.
IV
Illm. e Exm. Sr. presidente.A primeira va do
officio de V.-Exc. de 21 de outubro ultimo, me foi
intregue no da 23 do antecedente mez de novem-
bro, com o qual achei inclusa a carta de letlra e
Ama do ru Joaquim Pinto Madeira, que fica en-
tranhada nos processos deseus crimes.eegualmente
me foi entregue o dito ru pelo tenente Joao da Ro-
cha Moreira, ajudante de ordens de V. Exc, que
fielmente o conduzio; e depois de estar entregue
do mencionado ru, como estavam j avisados os
60 juizes de facto, que a sorteamento havia sabido
para a reunio extraordinaria, para ser julgado o
supradito ru com a presteza recommendada por
V. Exc. no dito officio, que por segunda va me foi
entregue com antecipago, c as circunstancias
assim o exigam, reunrara-se os jurados no dia de
hontem 26 do corrente, e entre os muitos proces-
sos, em que se acha o referido ru criminosissimo
pelos atrocsimos delictos por elle perpetrados
subi ao segundo conselho de jurados o processo
de devassa, tirado pela morte feita ao bom cidadao
Joaquim Pinto Cidade, quo desgracadamente foi
preso pelas tropas do malvado na occasiao em que
marcharan) contra os habitantes desta villa no dia
27 de dezembro de 1831, em cuja devassa houve-
rara testemunhas de vista, que presenciaran) o
monstro dar ordem aos seus satlites, dizendo com
escarneo: tFaga-se praga vazia, e seja desbarata-
da a cidade, a cuja ordem foi o desgranado vc-
tima do furor de taes malvados; e sendo examina-
do o processo pelo segundo conselho de jurados,
assim como a defeza do mesmo ru, que nao fo
capaz de desfazer o seu crime, foi julgado incurso
no mximo das penas do art. 192 do cdigo penal,
por occorrerem circamstancias agravantes, que
marca o art 16 do mesmo co ligo, e por ser unni-
me a votagao dos juizes, e me parecer conforme a
lei confirmei a senlenca; e a vista da requisicao
dos pavos agravados, hoje foi passado para o orato-
rio, aonde fica assistido dos sacerdotes, que foram
nomeados pelo reverendo parocho, para que na
conformidade da lei espe os seus horroroso
crimes, aonde os commetteu tao fr acmente^- pa"
rece, Exm. Sr., que a Providencia assim o que era de summa necessidade, que maa .ta
villa da se procedesse urna tal execucao na i, que
nao s castiga justamente ao criminoso, como e-
cher de horror aos seus satlites, que de ama vez
perdem a esperanza do monstro, que os diriga, do
qual s assim ficara desengaados.
E como logo no primeiro processo que subiu foi
julgado pena ultima, nao liz continuar com as
mais devassas e summarios, que chegam a mais
de trinla em que est criminosissimo, e ainda nao
se ultimaran), porque me pareceu bastante para a
punicao do tyranno lobo, sdenlo do sangue hu-
mano, inimigo das leis divinas e humanas ; e o
mais que na mesma casa, aonde deu as suas de-
finitivas sentencas. ah mesmo loi sentenciado, e
nisto ainda quiz Deus mostrar a sua rectidao, com
a differenca, que o monstro julgou a sea bel pra-
zer, e foi julgado conforme a lei. Tendo de parte-
cipar V. Exc, que apezar de ser o ru odiado de
todas as pessoas benemritas desta villa e termo,
nem por isso soffreu o mais pequeo insulto, nem
se Ihe fez injuslga, nao se Ihe faltn com um s
requesito da le; os juizes, que o julgaram, foram
escolhidos, desinleressados, despidos de paxoes e
vingancas, foi-lhe concedida a escolba dos juizes;
deu testemunhas em sua defeza, finalmente enche-
raro-se todos os recursos da le!.
Deus guarde i V. Exc. Villa do Crato, 27 de no-
vembro de 1834.De V. Exc. subdito reverente,
Joso Victoriano Maciel, juiz de direito interino.
V
Assz desagradavel foi a esta presidencia, e ereio,
que o ser a todo o Brasilero sensivel e amigo da
ordem e da legalldade em seu paiz, a leitura do
officio de Vmc. de 27 do prximo passado mez, em
que, relatando o julgamento do ru Joaquim Pinto
Madeira, diz, qae elle fra entregue ao segundo con-
selho dos jurados no dia 26, e sentenciado pena
ultima, subir no dia 27 para o oratorio, afim de
espiar no dia iramediato seus horrorosos crimes !
Por mais coberto de crimes, que fosse esse ru,
elle era um cidadao brasilero, com quem se devia
guardar todos os recursos, que a constitaigao e as
leis prescrevem, e de mais elle era homem, e como
tal nao se Ihe devia negar a defeza, que a humani-
dade, a natureza e a razio, em um paiz livre, sem-
pre afflancam aos homens ainda os mais desgrana-
dos.
E como se atreve Vmc. a affirmar em seu dito
officio, que se nao negou ao rea requisito algum da
lei, quando confessa, que elle ia morrer 48 horas
depois do seu julgamento ?
Deixaria elle de querer langar mao do recurso
do art. 308 do cdigo do processo ? mas como asa-
ra desse recurso, se Vmc. nao Ihe permitliu os
oito das marcados no art. 310 do mesmo cdigo 1
Alm disso podera Vmc. ignorar a lei de 11 de
setembre de 1826, onde se acha a expressa deter-
mnagao, de que nenhuma senlenca de morte pro-
ferida em qualquer parte do imperio seja executa-
da sem que primeiro suba presenca do impera-
dor, lei que j por precaucao se havia mandado re-
imprimir no peridico da provincia o Recopilador
Cearense de 24 de maio, periolco que Vmc. nao
deixar de ler, e lei de que eu j o tinha previnido
em circular aos juizes de direito desta provincia,
datada de 6 de novembro ultimo, a qual Vmc. in-
falllvelmente recebeu, pois foi d'aqui no correo de
10 de novembro, que chegou nessa villa 26, isto
, no mesmo dia, em que o ru estava sendo julga-
do ; e aecusado Vmc. o recebimento de um officio
meu de 7 de novembro, que havia ido pelo mesmo
correio, claro esl haver recebido a mencionada
circular ?
A' vista, pois, do expendido evidente, que nem
ao menos com a ignorancia pode Vmc. desculpar-
se de haver comme nido ama infraccao manifesta
de tantos e to claros artgos de lei, e at da cons-
lituicao, e isto em um caso, em que todos os prin-
cipios de direito e da humanidade exigiam, que se
pendesse para a parte mais favoravel ao infeliz,
ainda quando qualquer'duvida se suscitasse. Bal-
dou Vmc. todas as diligencias desta presidencia,
que, nao sem grave peso fazenda publica, havia
mandado escoltar esse ru com urna forca, que fl-
zesse a sua porfeita seguranga, livrando-o de algum
resentimento popular; nao foram pessoas do povo,
foi Vmc, foram as autoridades do Crato, quem o
mataram anarchica e illegalmente, comprometido
assim a propria repulacao da provincia, que por
estes e outros eguaes fados saoguinolentos vac tai-
vez adquriodo a nota de estupidez e ferocidade.
Nao de certo pralicando desta maneira, que nos
podemos firmar a paz, a lberdade e ordem em
nossa provincia : pelo contrario se as autoridades
sao as mesmas que do o exemplo da transgressao
das leis, mesmo daqaellas quo a humanidade e a
raxao mais requeren na sociedade, se ellas calcan-
do os sentimentos da natureza sao as pnmeiras,
que^e destioguem em actos de ferocidade, derra-
mando illegalmente o sangue dos infelizes, o que
nao far o povo sempro guiado pelos seus maiores ?
Deste modo baldadas ficaram todas as diligencias,
que esta presidencia comecou a por em pratica'
para fazer parar a torrente de barbaros assassina-
tos, que todos os das vao succedendo por toda a
provincia; como conseguir este Om, quando1 as au-
toridades se nao querem convencer de que s na
prompta e fiel execucao das leis que existe a li-
berdade e a seguranza publica ? Cumpre, pois, que
w faca effectva a responsabilidadede quem tao s
claras aberra de seus deveres, e pelo conseguinte
ordeno Vmc. que quanto antes responda a esli
presidencia com os motivos, que teve para mandar
executar o ru Pinto Madeira sem esperar pelos
recursos, que a lei o a constituidlo Ihe garantiam,
afim de que, satsfeilo este requisito constitucional,
se possa deliberar em conseibo conforme tor de di-
reito contra Vmc. e as mais autoridades, que se
julgar terem lomado parte em tao triste aconteci-
mento.
Deus guarde Vmc. Palacio do governo do Cea-
r, 15 de dezembro de 1834.Jos Martiniano de
Alencar.Sr. Jos Victoriano, juiz de direito inte-
rino da villa do Crato.
te de Famalicao, esquerda da estrada de Guiraa-
ries".
Da crista do monte descobrem-se verdaderos
thesouros, fortissmas campias, povoacoes a bran-
quejarem por entre florestas, bosques coroados pe-
las agulhas das torres, ros que serpenteam por
entre almargens e hervacaes, emfim, o Minho, o
espectculo prodigioso, que faz amar Portugal, e
pedir Deus nos nao deixe ir tao longe ne cami-
nho do progresso material, que ao cabo de contas
ao cabo de contas a phrase propriafiquemos
sera patria, por amor do aperfeicoamento da ma-
teria.
Meu tio, o padre e um cavador da confianga de
meu to, carregado de vitualhas para um dia, e de
instrumentos para as primeiras exploragoes, subi-
ram, ha irinta e tantos anuos, ao espinhago da sor-
ra de Vermoin. O padre era muito mais allumiado
que meu to em historia. Sentou-se elle n'uma
fraga, depois que almogaram e conlou queum prin-
cipe turco da Mourama vivera naquelle sitio com
muilas riquezas roubadas aos chrislaos. Ora, este
principe turco da Mourama, assaltado pelos lusita-
nos, comraandados pelo rei Vamba, fugira a unhas
de cavallo, depois de enterrar os thesouros. O rei
vencedor entregou a defeza e posse do castello
D. Vermui Frojaz, idalgo de raga visigoda, que o
transmittiu aos seus descendentes; mas, no reina-
do de D. Sancho I, os netos do principe turco en-
traram, disfargados era peregrinos, por Portugal
dentro, at se alojarera nos pagos dos Pereiras, re-
presentantes de D. Vermui, que os receberam cora
grande veneragao, e mni devotamente. Dos pagos
ao castello meJiava meia hora de caminho fragoso.
Os peregrinos, a horas mortas, sahiram de sua al-
bergara, e foram va do castello desamparada de
esculcas em tempo de paz. As instruegoes, que le-
vavam acerca do local era que as riquezas estavam
eram claras e inequvocas. N'um ngulo do pateo
da cisterna, ao sop de ama seteira, que o prin-
cipe turco da Mourama enterrara os cofres do ulti-
mo re godo, atrajgoado pelo conde Juliao e pelo
bispo Opas. Os descendentes do mourodizemos
mouro para o nao chainarmossempre principe turco
em homenagem /ao clrigo de Barrosoassim qae
iiozeram um engeohoso ferro s solduras das la-
gens depositaras do thesouro, sentiram um terre-
moto I Os tangos das murallas, as barbacaas, os
umbraes das balhesteiras, ameias e torres, desabou
tudo com fragor medonho. Os netos de Agar mal
tiveram tempo de encommendar ao demonio suas
almas negras e ali se ficaram triturados espera
da trombeta do ultimo dia. O arrasado castello,
no dia seguinte, resfolegava de suas entranhas uns
vapores negros. As povoagoesespantadas cuidaram
que um incendio devorava os pagos de D. Vermon
Forjaz.
Posto isto assim com esta clareza histrica, ver-
dade que escapou aos chronicoes dos monges, que
escreveram a mythologia de Portugal, o padre bar-
zozao disse que os thesouros deviam de estar
curta distancia, cujosb>rdos eram ainda visi veis
na superficie escabrosa da cha, em que o castello
se sepultara.
Meu tio contormoa-se a este sensato parecer ; e
comegaram nos trabalhos de excavago, depois de
beberem um trago da borracha, thesouro que elles
tinham levado, sem iodicagoes de S. Cyprano.
O cadver abriu um fosso de oito palmos de
comprimento sobre seis de largura. O des-
aterro dava pedagos de tijolo vermelho, e de barro
negro, consistente como fragmentos de ferro fun-
dido em panol las.
Quando o cavador cansava, revesavam-se men
tio e o clrigo Ao descahir da tarde, a cova tinha
quatro palmos de profundeza, e continuara a dar
casealho de tijolo, e argamassa.
O cavador, emquanto meu tio e o seu socio dos
thesouros tressuavam a eseorrer, esconda-se atraz
da fraga a chuchurrear na borracha, e a philoso-
phar com ella no regago, affagando-a tao carrao-
samente, como se a razio clara lh'a dsse a borra-
cha, e nao raio de luz da philosophia infusa : phi-
losophia que por ser infusa em muta gente, pare-
ce-se cora a da borracha do cavador. Descalpa tu
a sensaboria do trocadilho.
O cavador ria-se, e murmura va com os labios no
bocal da vasilha para nao ser ouvido : < Estes ho-
! mens sao brutos I >
No entanto, o padre de Barroso agachou-se na
cva, e principiou a tirar seixos serapintados de
manchas amarellas, e laminados sobrepostamente.
Os gelogos chamaran) quillo uns silicatos : eu e
' tu, na cegueira da nossa ignorancia, chamar-lhes-
iamos pedras; mas o padre e meu tio disseram que
era ouro e prala fundidos. O cavador corren a
vozeria jubilosa d'elles, e achou-os com duas pe-
dras entre maos. Perguotou meu lio ao criado se
j linha visto d'aquillo em sua vida. Isso sao
calhos responden elle. Os dons.intelligentes
| trocaran) um sorriso de piedade entre st, como o
fariam os Srs. Bocage e Andrade Corvo, so me dis
CM POUCO DE TlllO.
Transcrevemos do Jornal de Lisboa o seguinte :
O H0MBM E A MILIIER.
I Qiundo Adi e Eva foram expulsos do Paraso,
i estiveram por muito lempo chorando e dizendo
i consigo :
Como campriremos agora o nosso destino na
trra ? Quem guiar de ora avante os nossos
i passos t
Aproximaramse por fim, mui tmidamente, do
archanjo que guardava a porta do Edem. Eva, em
| extremo ruborisada, occultava o rosto apoiando a
; fronte no hombro de Ado este disse ao areban-
i jo coin voz supplicante :
I Nao tornaro os mensageiros de Deus a ca-
minhar diante de nos, porque somos delinquemos ;
roga ao Seuhor que nos envi um dos seus anjos,
i ou pelo menos urna estrella que nos guie.
Entao respondeu-lhe o archanjo :
O homem levar sempre a estrella em si pro-
prio, e apezar do seu peccado, ser essa estrella
mais refulgente do que as do cu. Segue-a.
Ado nsistiu, dizendo :
Servo de Jehova, indica-nos urna imagem vi-
i svel que possamos contemplar ; porquanto, aquel-
lo que urna vez se affastou do caminho direito,
j acha sempre obsecado o entendimento e mudo o
j coragao ; a voz da consciencia nao lbc chega cla-
ramente ao ouvido.
Pensativo, disse o archanjo ao hornera :
Quando o Senhor formou o teu corpo c com
0 seu divino sopro ti infundu a alma, erguesteo
teu primeiro olhar para o cu : seja o sol o teu
I guia. Emprehende o sol a sua carreira com a fa-
ce radiante, segu o sea curso, sem desviar-se para
; a dreita nem para a esquerda, vae derramando o
bem por onde passa, sorn tormenta que ruge
abaixo dos seus ps, vence as nuvens, disspa-as,
e depois da lucia mostrase mais sereno e dispen-
1 sa maor somma de beneficios : homem, seja o sol
a imagem do teu caminhar na trra.
Entao a graciosa mae do genero humano, apro-
| ximou-sc tambem do mensageiro celeste, e dsse-
lhc com voz tmida :
Dirige me tambem urna palavra de consola-
gao e ensino. Como podar a dbil mulher er-
guer os olhos para o sol e seguirlhe o curso?
Apiedado o archanjo da formosa e dbil Eva,
Qtou-a sorrindo e disse-lhe :
Mulher, quando o creador ti formou di eos-
tellade Ado, declina va o sol para o ocaso. Noer-
gueste os olhos para o cu,baixaste-os para a trra,
para contemplares as flores do Edem ; o primeiro
rumor que ouviste, foi murmurio do manantial
que as regava. Assemelhe-se, pois, toda a obra, a
obra da natureza : produz ella silenciosamente
quanto grandioso e bello, tudo germina em seu
seio;produz as llores, os /rucios, e as musas,
< e enfeita-se cora as suas prolucges ; cuida de to-
dos os seus lilhos e alimeuta-os com a propria
subsisteucia. Dbil mulher, eguala-a : seja a tr-
ra o teu modelo.
Depois, dirigudo-se simultneamente ao homem
e mulher accrescentou :
Amae-vos ternaraentc. Homem, protege a
mulher. Mulher, consola e embelleza a vida do
hornera ; e seja a uniao de ambos tao sincera e es-
trella, quao sincera e estreita a do cu com a
trra.

Ainda nao se conhece, infelizmente, remedio ef-
ficaz contra a hydrophobia, ou raiva.
Julgamos todava, conveniente apontar todos os
que teera sido radicados por haverem produzido
algum efTeito.
Um sabio distracto Mr. de Themines, refenndo-
se aos notareis trabalhos de Mr. Blatin, sobre a
raiva dos caes, cita urna cura, que elle atiesta, de
ama pessoa mordida por um cao.
O paciente mastigou por muito tempo folhas de
nogueira, e mergulharem-no repetidas vezes no
mar.
Quando se vive longo do mar, usom-si; banhos
que substluam os marinos ; se nao ha folhas fres-
cas de Bogueira, pJe servir extractos ou de-
coccoes.
L-se no Moniteur, o seguinte :
Um importantissimo descobrimento scientifico
devemos ao^trabalhos e pacientes investgacoes do
Dr. Eduard Giampietro, de aples.
sessem que um certo insecto se chamava zoolgi-
camente coleptero, e eu Ihes replicasse que o bi-
cho escaravelho.
O padre disse formalmente a meu tio :
A cousa isto, Joo. Aqui est o ouro e a
prata derretidos. Estas pedras sao dinliero.
E voltaado-se ao cavador ajuntou :
Nao te ras, selvagem I Se guardares segre-
do, tens que comer toda a tua vida.
Eu troco o meu quinho por urna vez do vi-
nho, disse o pbilosopho.
Era noule. Descerara da serra, e foram pernou-
tar Famalicao para vollarem, no dia scguinte.com
comestiveis.
Como a noute d conselho, meu tioe o padre de-
liberaran) partir para o Porto de madrugada, e of-
ferecer as pedras a analyse de peritos para Ibes
determinarem o valor.
O ar mysierioso com que elles se apresentaram
a um ourives faceto da ra das Flores foi urna so-
lemne recommendago de sua tolice.
O primeiro impulso do ourives foi dar-lhes cora
os dous calhus na cabega delles ; porm, amigo I
de rir-se, mudou de cara, fez-se pasmado da rique. j
za do achado, contrastou as pedras, e exclamou ca-
vamente :
Onde acharara os senhores esta riqueza ?
Nao t'o disse eu T exclamou o padre, voltado
contra meu lio, que subtilmente levantou o dedo
indicador perfilado com o nariz para acautelar o
companheiro das porguntas do onrives.
Isto appareceu, respondeu o clrigo.
Mas aonde ? I perguntou o ourives. Este
mineral ....
Ouro e prata derretidos, acudiulmeu tio.
Justamente, obtemperou o ourives. Ouro e
prata derretidos. Us senhores vendem estes dous
pedagos ?
Outro signa! negativo de mea tio, que a penetra-
gao do padre traduziu nesta resppsta :
Nao vendemos : queramos s saber o valor
destes objeetos.
Estes objeetos, responden pausadamente o
zombeteiros depois de refundidos e lirapos po-
den) ser avallados. Mas isto, sinceramente Ihes
digo que lera aqui muito que roer.
Devese alguma cousa ? perguntou mea to.
Nao nada. Se alguma vez resolveren) ven-
der, prego por prego, lembrera-se da minha casa ;
mas teuham cuidado com a exploraglo, se em
terreno baldo, porque o estado embarga-lhes a mi-
na, e .ienhoreia-se da propriedade. Trabalhem de
noute e muito s escondidas. Se os senhores qui-
zerem lomar-me como socio na exploragao, eu,
proporgao que se extrahisse o metal em bruto ira
tratando da lmpeza delio.
Pensaremos nisso, respondeu meu tio.
A' sahida da loja, disse o padre ao seu radioso
amigo :
Olua o velhaco, a ver se nos lograva !...
Podera !... alalina o outro. Nao precisamos
de socios. Assim que tivermos mais alguns peda-
gos deste outro, vamos vendo-Ios a reinos estran-
geiros, porque em Portugal, se nos descobrem,
obrigam-nos a dar conta da mina.
E' desde logo, se conchavaram em dizer ao ca-
vador que as pedras nao valiam dous vinlens, e
fingirn) que desistan) da escavago, para serem
sosinhos ne traba I lio.
Atemorisados pela advertencia do logrativo ou-
rives, passavam as noutes as ruinas do castello de
Vermoin, e ao romper de al va assim que 4>s pe-
gureiros aponlavara cora osrebaolws nos montados
visrahos, tomavain as espingardas e ara caga,
sem largar de olho a escavago, e o antro formado
por duas fragas, onde escondiara as pedras desen-
tul hadas.
Meu lio escreveu enlao urna carta a um frade
franciscano de Guimaraes, prevenindo-o que den-
tro de dous annos o seu pensamento de fundar um'
convento com cera frades seria realisado. No en-
tretanto, pedia-lhe que nao cessasse de orar em
beneficio de urna erapreza contra a qual o poder de
Satanaz havia de conspirar.
O frade riu-se, e -pediu ao Senhor que dsse jui-
zo a meu pobre tio.
Cs designios do padre barrozao eram menos mo-
destos, mas egualraente en-leressados ao bem da
christandade. A sua intengo era ir Roma e vol-
tar de lcom urna mitra ou duas, visto que tinha
um sobrinho padre.
Ao cabo de tres semanas de trabalho, as pedras
escolhidas pesavam dez arrobas. Transportaran)
as aos poneos, e com grandes resguardos, para
urna aldeia das abas da ser.ra, e d'ahi, em beslas
que foram da minha trra, levaram-nas por cami-
nos transversaes at as depositaren) furtivamente
na choca de moinho abandonado na garganta de
um monte. Desculpa as miudezas descriptivas. Eu
pens muitas vezes nesta dsgraga de mea tio, que
por amor dos frades se finou. Para si nao quera
elle nada que Ihe sobejava muito do pouco com
que viva. Foi a idea do c invento que o nuton t
Este medico tem-e dado especialmente a estu-
dar a sordez, e sustenlou constantemente em seu-
escrtptos a possibilidade de dar audigo aos sur-
dos-mudos.
Ao presente a experiencia j confirmou a verda-
de da opioiao do Dr. Giampietro ; o qual obteve
do estabeieclmento de sardos-mudos de aples a
permsslo de tratar, segando o seu raethodo, oito
d'estes individuos.
D'estes oito, quatro obtiveram audigo completa
em menos de dous mezes de tratamento. L'in d'el-
les atconseguiu tal finura de ouvido que sent o
mais ligero rumor.
l:m tal resultado assim obtdo, e provado publi-
camente, deve dar aos infelizes que padecen) de
surdez as mais lisonjeras esperangas de consegui-
rem completa cura do seu mal.
Pode pois dizer-se que a surdez ser de hoje por
dame classificada entre as enfermidades que o
medico achara menos rebelde ao tratamento.
L-se no Jornal do Commercto de Lisboa, o que
segu :
J annunciamos que as autoridades militares ten-
cionavara mandar proceder formago de um
grande campo de manobrasAldershott ou Cha-
lons turcoas alturas cima das aguas doces da
Europa, prximo de Leven-Tchljlik.
Este projecto est agora sendo posto em pra-
tica.
Fuad pacha nspeccionou pessoalmente o terre-
no,e dirgiu todos os arranjosp rebramares ej um
grande corno de tropas comerou a levantar as
barracas no novo sitio.
O campo situado no declive de tres montes,
em frente da e-planada de Leven-Tchijlik.
Entre urna agradavel porco de arvores, se le-
vantar um kiosque, para o sal tao, do qaal po-
der veras manobras, e de cada lado doA-ioipr im-
perail levantar-se-ho barracas apropriadas para
os ministros turcos e para o corpo diplomtico.
O campo ha de compor-se de dez batalhoes de
infamara, tres regimentos de cavallaria, um es-
quadro de cossaco ura esquadrao drag5es, e doze
bateras de artilhera, todos pertencenles ao pri-
meiro corpode exercito, islo guarda imperial.
O ferik (general de di vi sao i Osmar pacha, ter
o commando do campo e o muchir (marechal)
iloussein pacha, ter a direegio geral das mano-
bras militares.

Actualmente ha urna grande quantdade decons-
truegoes em andamento em Liverpool.
As obras que se esto construindo nesta cidade
avaliam-se cm dous milhoes de libras esterlinas
(9:000 contos de rlsj; so novo exchange (bolsa)
deve absorver 400:000 libras (1:800 contos de
ris.)

Os ganhes de T. Moore, dorante a sua vida, ape-
nas produzirara urna renda moderada. Os de By-
ron nao excedern) a 20:000 libras (90 contos de
ris.)
Taljourd apresentou n'uma occasiao o calculo
que fiztra, pelo qual mostrava que Dichens, pouco
depois do comego de Nicbolas Nickleby deve-
ra estar recebendo 10:000 libras esterlinas (43
contos de ris) por anno.
lliackeray nao chegou a ter bastante para viver
com commodidade.
Sir E. B. Lylton dizem que ganhou de 80:000
100:000 libras esterlinas (360 450 contos de ris)
cora as suas obras.
Teraos ouvido dizer que em Franga se lem dado
soramas de 500:000 francos (90 contos de ris) por
historias, a MM. Thiers e Lamartine, por exem-
plo ; mas o maior pagamento, em urna occasiao.
que se lera feilo a um autor, por um livro foi o de
um cheque de 20:000 libras esterlinas (90 contos
de ris) pago pelos Srs. Longman lord Macau-
lay pouco tempo depois da publicago do 3* e do
4" voluntes da sua historia, sendo a condirao que
elle receberia tres quartas partes dos lucros lqui-
dos da venda.

O medico russo Knnen recommenda a raz da
spiraa almario, quedezoito annos empregara, cora
um xito completo, como remedio contra a hydro-
phobia.
Um oulro medico russo. Mr. Meldznetwitch, cita
seis casos de hydrophobia por elle curados com
indicado remedio.
...
Os diflrentes governos da Europa slo convida-
dos a figurar em urna exposiglo universal que te-
r lugar em 186-> em Dublin, capital de Irlanda
Sabes dizer-me se o Octavio Feuillet sabia a
historia de teu tio Joao? perguntei.
A pergunta parece-me do padre de Barroso !
respondeu Antonio Joaquim.
E' que o romancista francez conta de unta il-
luslre vellia que morrn devorada das impotentes
andas de fundar urna cathedral. Lirias tu.o Ro-
mance de um moco pobre, e ests ahi a improvisar
urna historia, que me obrigar a mentir pela pri-
meira vez ao publico ?
Nao : contte unta dsgraga. Mea tio Joao e
o padre de Barroso partirn) para Hespanha, na
intengo de veaderem as pricipaes cidades da Eu-
ropa o seu ouro derretido. O joalheiro, a quem pri.
meiro se dirigirn) em Madrid, deseoganou-os, di-
zendo-lhes que aquellas pedras eram boas para
atirar s matilhas de caes noctivagos que infesta-
vara as ras.
Os infelizes, estupefactos, reagiram centra a
zombaria do ourives, e foram consallar outros.
D'ahi a horas, meu to e o padre eram presa dos
gaiatos, que Ihes sahiara s esquinas pedinlo-lhes
urna pezeta de ouro derretido.
Fugiram espavoridos de Madrid, quando a lava-
slo dos garotos, vingando as affrontas de 1640, nao
respeitavara j as victimas portuguezas na estala-
gem, e deixaram as dez arrobas de pedra no quar-
to donde fugiram.
O tristissmo agora isto : meu to Joao chegou
casa tnentecapto. Eovelhecera vinte annos nos
vinte das de ausencia. Fugia, sempre que se des-
cuidavam em casa, para um convento de francis-
canos bracarenses, ou para outros onde ia recru-
tar os cem frades installadores da sua comraunida-
de. Finalmente, morrea. O padre de Barrozo era
ma's robusto de altna e de corpo. As suas crengas
religiosas abalaran)-se algum tanto por causa de.
S. Cyprano, cuja impostura Ihe pareceu nao s
despresivel, mas alteotatoria da f e piedade de
um sincero christo. Era consequencia do que, fez-
se liberal, entrou as batalhas da lberdade como
capello de am regiment; chegou a conego da pa-
triarch'al, e estava rndigitado bispo, quando a mi-
sericordia divina, compadecida do bispado incerto,
o levou desta vida.
A mxima responsabilldade da demencia de meu
tio Joo, e da coneiia do padre d Barroso, pesa so-
bre a consciencia do ourives do Porto.
(Con/ViwM'-sHka.)
PERNAiBUCO.-TYf. DE M. I'. DE F. & FILH
i





*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ER5CUEE2R_G3SXWG INGEST_TIME 2013-08-27T23:09:04Z PACKAGE AA00011611_10446
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES