Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10443


This item is only available as the following downloads:


Full Text
\
AMO XI. HOMERO 187
Por tres Mezes adiantados 5JJO00
Por tres mezes vencidos 6JUU
Porte ao correio por tres mezes. 0750
.5** 9% ftU(At ,


'

1
'
OSARTA FEIRA 17 DE AGOSTO DE 1864.
Por anno aiftRiado.....19$000
Porte ao correio por om anuo 3}000
DE PERNA
ENCARREGAD08 DA SUBJCRIPgO NO NORTE
Par-ahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Limal;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty, o
8r. A. de Le mus Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonxs, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARRBGABOS DA SUBSCRPgAO NO SUL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falcad Das; Baha, o
n. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Carnaru',
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sertnhem, Rio Pormoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas p&rtem ao Vi da.
EPHBMBRIDES DO MEZ LE AGOSTO.
2 La nova aos 13 m. e 12 s. da t.
10 Quarto rese, as 3 h., 37 m. e 38 s. 4a t
17 La cheia as 11 h., 16 m. 44 s. da m.
24 Quarto ming. as 3 h., 44 m. e 20 s. da m.
PRBAMAR DE HOJE.
Primeira as 2 horas e 84 minutos da Urde.
Segunda as 3 horas 18 minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para o sul at Alagoas a 5 e 28; ps.-** o norte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mexes dejan, maro., maio, jul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Api pucos as 6 Vi, 7, 1 Vi, 8 e
S Vi da m.; de Olinda M 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6 Vi da m.; do Caxang e Varzea s 7
da .; de Bemflea s 8 da m.
Do Recife : para o Apipueos s 3 Vi, *, */*, 4 Vi,
6, 51/,, 6 V e S da tard; para Olinda s 7 da
manha e 4 Vida-Urde; para JaboatSo s 4 da tar-
de ; para Cachasp e Vanea as 4 Va da larde; para
AUDIENCIA DOS TRiBUNAES DA CAPITAI..
Tribunal do oommercio: segundas e quintas.
! Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orpbios: tercas sextas s 10 horas.
Primeira vara- do civel ; tarcas sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
das da-'bemana.
lo. Segunda, tjp Assumpgo de If> Senhora.
16. Tena. S. Hoque f.: S. Diwnedes medico.
17. Qua-rta. s. Mainede m.; S. Liberato ra.
18. Quinta. S. Jacinllio; Ss. i^uru e-Floro mu.
10. Sexta. S. Luis f. b.; S. Tecla m.
20. Sabhado. S. Bernardo al>. douL: S. Samuel.
21. Domingo. S. Joaquim pae o N Senhera.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da praca. da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figoeiroa de
Paria & Filio.
PARTE QFF1CIAL
GOVEMO DA PROVINCIA.
Contiena cao do expediente de dia 11 de agosto
Ir mu
Officio ao commandante superior da guarda na-
cional do Recife. Tenho presente o officio que V. I
S. Be dirigi em 30 ue julho prximo findo, sob
n. 106, informando o requerimento em que Joo
de Oliveira Guimares, pede para ser illimiminado
do servico da guarda nacional, sob o fundamento
ser subdito portuguez, o que pretende provar com
um documento, que Ihe fo dado pelo consulado de
Portugal, e no qual declara ser essa a sua nacio-
nalidade em face do decreto de 10 de setembro de
1860.
Em resposta lenho a dizer-lhe qoe, verificndo-
se por esse mesmo titulo ser natural da freguezia
de S. Frei Pedro Goncaives desta cidade o referi-
do Joao de Oliveira Guimares, claro que elle
cidado brasileiro, visto que seu pai nao se achava
no imperio a servico de sua nacao.
Alm disto dispondo aquelle decreto, qoe o esta-
do civil dos estrangeiros, residentes no Brasil, po-
der ser appilcado aos fillios destes, emquanto me-
nores, contm urna faculdade concedida, nao aos
cnsules, mas ao governo que della uson, no art.
5* da convencao consular de 27 de agosto de 1863,
entre o Brasil e o reino de Portugal, permiltiodo
que os cnsules desta nacao arrecadem e iiquldem
as successoes dos Portugueses, fallecidos no Bra
sil, embora hajam menores, os quaes por esse fado
nao perdem, nem podiam perder a nacionalidad*.
que Ihes recoohece a contituicao do imperio.
Nao tendo portante nenhuma applicagao ao caso
o citado decreto, nem valor algnm o titulo exhibi-
do pele snpplicante, cuja peticao indeferi.
Oque communico V. S.para seu conhecimen-
t e Bus convenientes.
-12 -
Officio ao Exm. presidente da provincia da Pa-
rahyba.Os officios que para serem remettidos ao
Exm. Sr. ministro da justiga V. Bxc m'os enviou
com o seu de 2 do corrente foram aqu recebidos
boje, e tendo passado hontem para o sul o vapor
francez, seguiro ao seu destino no vapor brasi-
lero que deve vir do norte no dia 15 desle mez.
Dito ao commandanfe das armas Interino.In-
forme V. S. acerca do que pede o setenciado mili-
tor Francisco Antonio da Silva, no incluso reque-
rimento.
Dito ao mesmo.Remetto inclusa a informacao
que ministrou o inspector da thesouraria de fazen-
da, acerca das despezas feitas pelo 4* batalhao de
artilharia a p com fretes de cenduccao de diver-
sos ohjectos para que V S. exponha o que Ihe oc-
correr em vista da referida informacao.
Dito ao mesmo.Mande V. S. prem liberdade,
41)nitn-lKo Lnin O-p jai vi'*i or .,./... y*v*>b va*u>*>
Matheos da Cruz, que Ihe foi remedido com o no-
me de Raymundo Nonato, o qual ja servio na ma-
ntilla como informou o capito do porto em officio
de 11 do corrente.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Se nao houver crdito para pagamento do ordena-
do vencido no mez de junho ultimo, pelo juiz mu-
nicipal e de orpbos do termo de Caruar, bacha-
rel Miguel Bernardo Vieira de Amorim, mande V.
S. effectuar esse pagamento sob minha responsa-
lululade nos termos do decreto n. 2.884 do 1 de
evereiro de 1862 como pede o mencionado bacha-
rel no incluso requerimento.
Dito ao mesmoCommunico V. S. que 0 '
hachare] Jos Joaquim de Souto Lima, renuucian-'
do o resto da licenca que obtevecomo declarou-me
era 2 do corrente, reassumio nessa data o exerci-
cio do cargo de promotor publico da comarca do
Limoeiro.
Dito ao inspector da thesouraria provincialEm ,
vista dos inclusos documentos e nao havendo in-!
conveniente, mande V. S. pagar a Joao Carlos Au- i
gusto da Silva, conforme solicitou o chefe de poli- ;
cia em officio de hontem, sob n. 987, a quantia de
1:743.5050 ris, lespendida com osm-tento e dietas
para os presos pobres da casa de detenco 'durante
o mez de julho ultimo Communicou-se ao Dr. i
chefe de polica.
Dito ao mesmo.Annuindo ao que solicitou o
chefe interino da repartigo das obras publicas
em officio de buje, sobre n. 216, recommendo V.
S. que de comformidade com o 2o do artigo 32 do
regulamento d'aquella reparticao, mande entregar
ao respectivo fiel pagador a quantia de 200,5 por
contada verba,conservarlo e reparos. Commu-
nicou-se ao chefe interino da reparticao das obras
publicas.
Dito ao desembargador provedor da Santa Casa
da Misericordia.-Expeca V. S. as suas ordens
para ser recebido no hospital de Olinda o alienado
Manoel Silvestre.da Silva,que ser para all envia-
do por parle do Dr. chefe de polica.Communi-
cou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.,
Na primeira opportunidade faca V. S. regressar
a esta capital com segeranca o sentenciado de jus-
tiga Manoel Antonio Carneiro, afim de assislir a
formaeo da culpa pelo assassinato perpetrado na
pessoa da infeliz menor Luiza Maria da Conceicao.
Communicou-se ao promotor publico desta ca-
pital.
Dito ao capilao do porto.Mande V. S. por em
liberdade o recruta de marinha Uermino Jos dos
Santos, visto que foi considerado incapaz do ser-
vico em inspeceo de saurie, como V. S. declarou
em sua informacao n. 81 desta data.
Dito ao director do arsenal de guerra.-Mande
V. S. admittir na companhia de aprendizes desse ar-
senal nos termos da sua informacao de 10 do corren-
te e depois de salisfeilo o dispost no artigo 4 do re-
gulamento de 3 de Janeiro de 1842, o menor Ma-
noel, fllho de|Dersulna Maria da Conceicao.
Dito ao chefe interino da reparticao das obras
publicas-Inteirado do conteudo do officio de 10
do corrente, sub n. 214, tenho adtzer em resposta,
que pode Vmc. contratar com Jesuino da Costa
e Albuquerquo Mello, empreiteirc dos reparos de
que precisavam as pontes da estrada de Olinda, os
novos reparos de que ainda necessita a pontezinha
de Santo Amaro, na importancia de 1:4755170
ris, as quaes nao se acham comprehendidas no
primitivo orcaraehto, concedendo-se-lhe para esse
flm urna prorogacao de 40 dias, -conforme Vmc.
indica no seu citado officio, a que veio annexo o
orcamento desses ltimos reparos.-Communicou-
se thesouraria provincial.
Dito ao conselho administrativo.Recommendo
ao conselho administrativo que compre para for-
necimento do almoxarifado do arsenal de guerra
os ohjectos mencionados no pedide que aqu jun-
to.Communicou-se thesouraria de fazenda.
Dito cmara, municipal da villa da Ba-Vis-
ta.Recommendo cmara municipal da villa da
Boa-Vista,que mande extrahir do livro competente
e remeita-me com toda a urgencia copia da acta
da installacodo collegio eleitoral dessa villa para
a eleicao de um senador a que" se procedeu no dia
10 de julho ultimo.
Dito ao delegado luterano de SerinhSem.Res-
pondendo ao officio qoe Vmc. me dirigi em 10
do correte, com referencia a urna representacao
dos habitantes dessa villa, tenho a dfzr-lhe qqe as
cadeiras vagas de instruccao publica (Jo.sew fomi-
nino vao ser postas concurso.
Dito ao superintendente da estrada de ferro.
Accuso recebidas as copias das conlas da receita e
costeio relativas at> mez de julho prximo lindo, as
3uaes se refere o Sr. superintendente da estrada
e ferro.
Sendo pralica seguida sem inconveniente, que
estando promptas as contas de cada- mez, tejara
ellas tomadas e examinadas pela commisso de li-
quidacao sem previa determinacao da presidencia,
haja o Sr. superintendente de entender-se com a
mencionada commisso, para cumprimento das
instruccSes do ministerio da agricultura, commer-
cio e obras publicas de 2 abril de 1862.
A circunstancia de ainda nao achar-se conclui-
do, como diz o Sr. superietendente, o exame das
contas de maio e junho nao deve obstar a pralica
referida, cujo abandono, sera averiguada necessf-
dade, nao aproveita aos interesses do governo e
aos da companhia, ao passo que augmente a cor-
respondecta official.
Portara.Os senhores agentes da companhia
Brasileira de paquetes vapor mandem dar trans-
porte para a erle, por conta do ministerio da ma-
rinha no vapor Oyapock, aos recrutas mencionados
na relacao junta.Communicou-se ao capito do
porto.
Expediente do secretario do invern do dia 12
de agosto de 1864.
Officio ao commandante das armas interino.Por
despacho desta data autorisou-se o director do ar-
senal de guerra a satisfazer com urgencia o pedido
de artigos de fardamento para os recrutas destina-
dos ao 4 batalhao de artilharia a pe, como V. 5.
solicitou em seu officio n. 1,424 de 11 do corren-
te ; o que Ihe communico de ordem de S. Exc. o
Sr. presidente da provincia.
Diio ao mesmo De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia, communico i V. S. que por
despacho desta data autorisou-se o director do ar-
senal de guerra a mandar recolher aos respectivos
armazens os objectos mencionados no pedido do
4o batalhao de artilharia a p a que allude o officio
de V. S. n. 1,423 de 11 do corrente.
Dito ao Dr. chefe de polica De ordem de S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, passo s mos
de V. S. a inclusa copia do officio do inspector da
sade publica a que allude o de V. S. n. 988 data-
do d hontem.
Dito ao engenheiro fiscal da estrada de ferro.
Rogo V. S. se digne enviar estacao "Agua
Preta o incluso passe, afim de ser transportado a
esta cidade uina praca de cavallaria que ali se
acha procedente de Tacaratu, com um officio para
o Exm. Sr. presidente da provincia.
Despachos do dia 12 de agosto de 186-1.
Requtrimfnlos.
Administradores da massa fallida de Amorim
Fragoso Santos & C- Concedo permisso para o
fim que requer pagos OR direitns pacinnaA:
i'iMjiiiia marta da Conceicao.Aprsente o
menor seu tilho ao Sr. director do arsenal de
guerra.
Jos Gomes de Freitas.Informe o Sr. inspector
do arsenal de marinha).
Joo Baptista Vieira Riheiro.Informe o Sr. Ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Jos Miguel de LiraJPasse portara concedendo
a licenca pedida com quatro quintas partes do or-
denado.
Jos Antonio dos Santos Colho.Informe o Sr.
inspector da thesnuratia de fazenda.
Alferes Leodgario Liberato Pereira CaldasPasse
portara concedendo ja licenca pedida.
Manoel Alexandrino da Ressurreicao.Informe
o Sr. tenente-coronej recrutador.
Maximiano Antuhes Tavares.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Manoel Valentin Pereira.D-se-lhe havendo
vaga.
GOMANDO DAS ARMAS.
Quarlel do commando das armas de Pernatnlitico,
eiu lOdeaqostode 1864.
OMem do dia n. 347.
O coronel commandante das armas interino faz
publico a guarnicao para os fins convenientes, que
segundo constou de officio da presidencia datado
de 9 do corrente! foi nomeado em portara dessa
mesma data o Sr. tenente reformado do exercito
Manoel Carneiro/ Machado Freir, para servir inte-
rinamente o lugar de ajudante do director da colo-
nia militar de Pimenteiras.
O mesmo coronel faz publico igualmente que
approvou o engajamento para servir por mais seis
annos procedcnrlo inspeccao de sade nos termos
do decreto e repulamento do primeiro de maio de
1858, o iiiusicofde terceira classe do stimo bata-
lhao de infantaria Martiniano da Silva Grillo, con-
forme partiripdu o respectivo Sr commandante era
officio n. 593.
Assignado. tits Jos Ferreira.
los Francisco de Moraes c Vascon-
ajudante d'ordens encarregado do
ament.
Conforme.
cellos, capilao
detalhe nterin1
TERIOR.
COnHEHHO.VOEYflAK HO llIA
kio is; PEHVvnmio.
PARA.
lcni, 8 de agosto de 1861.
Aqui fundtou no dia 6 por urna hora da tarde o
vapor Oyapo-k, com a co.-tumada regularidade de
suas viagen
Consta qi e e seu commandante quizera desta
vez sahir co n mais brevidade, contra o s u proce-
dimento, pot ser este o commandante que observa
com poniudade o regulamento das estadas e de-
moras nos dorios; a presidencia, porm, ordenou
que o vaporjpreencliesse as quarenta e oito horas,
muito mais lailendendo a ter sido hontem domingo.
A iniciarlo administrativa do novo presidente, o
Dr. Jos Maria Couto de Magalhaes tem sido em
poucos dias| assignalada de algumas medidas, que
a necessidape e a ulitidade publicas, ha muito re-
clama vara.)
Antes qu i as apontemos, cumpre que Ihe diga-
mos que, S Exc. nao tomou posse da administra-
cao no dia inmediato ao da sua chegada esta pro-
vincia, con o Ihe asseveramos na* ultima caria. Se
tomos leva lo a semelhante engao, foi porque as-
sim corra no publico e at o publicaram alguns
jornaes, como a novidade importante dessa occa-
sio I
Rectifiquemos esse erro involuntario, noticindo-
me agora que S. Exc. somonte veio a tomar posse
do goverm i provincial, oito das depois da sua che-
gada, isto i, no dia 29 de julho ultimo.
Corriam algumas versoes acerca da demora da
entrega da administracao ; mas quanto a nos nada
vimos nisto do importante, tanto mais quanto a
chegada inesperada de S. Exc, de certo importarla
o desejo do seu antecessor, querer entregar a ad-
ministracao eom os necessanos esclarecmenlos, os
quaes se dsiavam apromptando e collioindo para o
relatono i ue devia ser apresentado a 15 do oor-
I rente, n. )va/a*sembla provincial, cuja abertura
e nesse dia. Por conseguinte o vice-presidente Dr.
Moraes, tinha necessidade de dar conta dos seus
actos ao seu successor com mais rapidez do que a
precisa para a apresentaco do relalorio assem-
bla, e por isso pensamos que sobre este ponto bou-
ve algum accordo entre o successor e o succe-
dido.
Mas o publico* vido de novidades e contra o
costume da prompta passagem do governo, discor-
reu mais ou menos sobre este facto.
Acerca das novas medidas da actual administra-
gao, o que ha isto.
Nos dias que decorreram da chegada posse, o,
Dr. Couto empregou-os em receber os camprimen-
tos dos que o foram visitar, assim como em ir pes-
soalmente e sem maior apparato differentes re-
partieses, tanto geraes como provinciaes.
Segundo correa logo, alera de taes visitas Ines-
peradas, S. Exc. nao encontrou no que propria-
mente provincial no pem que devia estar ; fallou-
se logo no mo estado docorpo de polica, como ha
muito se fallava, e de feito poucos dias depois de
assumir as redeas do governo, a* presidencia refor-
mou o respectivo commandante, e j comecaram as
novas nomeaedes de offlciaes, para que, este corpo,
guarda da traoquiilidadee seguranca da provincia,
entre em nova reerganisar/ao.
Para a substituicJo do commando foi rfomeado o
tenente do 11 batalhao de infantaria Joaquim Ca-
valcanti de Albuqoerque Bello, assim como para
fiscal interino, o alferes do estado-maior Antonio
Nicolao Monteiro Bueno.
Os jornaes declaram qne os offlciaes nomeados,
pelos seus precedentes, pela iotelligenciaecooceito
que gozara, offereeem garantas para o bom des-
empenbo da commisso que o gove tem a
peito.
Tambem foi orneado official do gabinete da pre-
sidencia e encarregado das obras do palacio o Sr.
Manoel Jos Pereira Tavares de Mello, o qual, quer
no lempo das presidencias Amaral e Brusque este-
ve encarregado da abertura da estrada que com-
munique esta provincia com Goyaz.
Esta escolha tero sido nm pouco commentada, ja
porque os offlciaes do gabinete sao tirados dos res-
pectivos empregados da secretaria, dando-se-Ihe
urna gratificacao por tal motivo,j porque as obras
do palacio sempre estiverara i cargo dos engenhei-
ros da provincia!
Ha mais de um mez que se acha ausento da ca-
pital o Dr. chefe de polica, na comarca de San-
tarem.
Disse-se a principio que esta sahida do chefe ti-
nha por objecto bater o quilombo de pretos existen-
te, ha muitos annos, em Santarem, e o imior que
tem a provincia, tanto que no penltimo vapor sa-
hido para o Amaionas embarcaran cem pracas de
linha disposicao do dito chefe.
nimiamente tem variado a veracidade do objecto
da commisso; porque ora se tem propalado que a
forra e a autoridade policial para all foram man-
.l-i.loc ii, rtu fi7_,;|- remocin ** "m n*aii*nn "*-
voado para outro fugar, e cujos habitantes se tem
opposto a semelhante mudanga, nao obstante as
infumidades com que se apparenta possuir o tal
povoado, ora porque se ha propalado que todo este
movimento de tropa e a presenca da autoridade,
tem por motivo negocios polticos e eleitoraes. qoe
de antemaose vo preparando, mxime agora que
a poca das qualifkaedes.
Seja o que for, o certo que l esto na cidade
de Santarem, nao s o Dr. chefe de polica, como
as cem pracas de linha, e que a accumulaco dessa
tropa em tima cidade lao' pequea tem produzdo
alguma eseassez de gneros e estando os vveres
all em nao pequea caresta.
Entretanto corre que, a presidencia j ordenara
o r-gresso da tropa, e bem assim de todas as (ira-
cas de polica espalhadas por differentes lugares da1
provincia em destacamentos, e por tanto mui'
provavel que no prximo vapor esperado do Ama-
zonas, ludo aqui esteja de voUa, sem que seme-
Ihante movimento lenha ao menos apparentemente I
produzdo algum effeito, a bem dos negocios publi-
eos.
De poltico e administrativo o que ha de im-
portante ; esperemos, pois, pelos actos ulteriores'
de S. Exc, e da mesma sorte aguardemos a reunio
da assembla provincial para observamos a mar-
cha que levam os negocios provinciaes, assim como
pelo relalorio ver o estado da administracao du-
rante as presidencias dos Drs. Brusque e Mo-
raes.
Passemos outros assumptos.
O nosso pobre llieatro Providencia, que no rigor
da expressao urna proadenncui, ha tido ultima-
mente alguma auimacao e enchente, em conse-
quencia da vinda ao Maranho de alguns actores
quelem debutado com agrado e aplausos p-
blicos.
Quanto actores, e theatro tem actualmente pes-
soal que satisfaz s suas necessidades; porm, em
referencia ao amavel e bello sexo, nao ha palavra,
senao a de procidencia, que qualilique a resigna-
cao com que o respeitavel publico atura as actri-
zes que por c atormentan! os ouvidos, os odiares
e o bom gosto, dos que por dedicacao frequentam
os espectculos.
E islo ainda nada ; o que admira sao as lan-
gas que ainda se enrislatn por ires ou quatro da-
mas, que s podetu ter esle nome no pobre Provi-
dencia !
Do commerco nada occorreu nesta ultima quin-
zena de nolavel; o estado deste commerco mais
ou menos favoravel ao que propriamente e mer-
cantil.
A' 28 seguio para Iqutos o vapor. Morona, rebo-
cando o patacho brasileiro Tlieresa, que aqui en-
trara dessa cora agua abena.
Esle navio foi comprado, segundo consta, por
cinco eontos de ris, pelos agentes peruanos nesta
praga, afim de condmir mercaduras e varios pe-
trechos vindos de Inglaterra, que ainda restavam
nesle porto por embarcar ; o>- Peruanos acharara
o navio em bom estado e por conseguinte a com-
pra do brigue que val ser nacionalisado e armado
na repblica, mas, quanto nos, quera o vendeu
fez melhor negocio do que quera o comprou.
No fim do ultimo mez, naufragou ao demandar
o porto do Para o patacho dinmarquez W. Scher-
nikau, procedente de New-York, cem carga de fa-
rihha de trigo e outros gneros casa desta praga
de Joo Augusto Correa & 0.
bogo que qui se soube da noticia do naufragio,
parti por ordem do governo, o vapor Icamiaba
da companhia do Amazonas, a soccorrer os nu-
fragos, navio e carga.
Eis aqu os pormenores desle acontecimento no-
ticiado pelo Jornal do Amazonas :
t O Ycamiaba chagou ao lugar do sinistro (prala
da Praiiquara, 60 mllhas desta cidade) s 11 horas
da raanhaa de 31 de julho; o navio eslava cem-
plelamento em secco e todo aberto, e, segundo a
opinio do distucto capltao-tenente Parahyhuna
dos Reus, sob o commando de quem se achava o
Ycamiaba, fra. das ciremustancias de poder ser
salvo.
Alm* do piloto e tres marinheiros, eslavam
bordo do patacho 1 alferes e 6 pracas da guarda
nacional-, all destacadas pelo subdelegado de Cu-
ruca, Jeronymo Raymundo Ferreira Cabrar, bem
como um guarda da alfandega em servigo no l-
enlo que cruza va na ponta do Taip.
t 0 servigo dos salvados era feito em ulneo ca-
noas frotadas pelo subdelegado. O vapor s pode
ancorar na pona de Uaissi-na, disiaijip quatro mi-
lhas do patacho, onde foi encontrado parte dos sal-
vados j arrecadados em um barraco construido
pelo subdelegado : ahi se achavam o mesmo sub
delegado e seu escrivo, o tenente-coronel Christo
CorrAa, commandante do batalhao de guardas na-
cionaes, o capilao e ura mannheiro do navio nau-
fragado. '
O Ycamiaba receben todas as mercadorias sal-
vas e eulras que foram tiradas de bordo do pata-
cho, cujo servigo, arriscadissimo pela posigao do
navio, conrluio-se debixo de toda ordem, no dia 2
s 3 horas da tarde.
"- A todo processo de arrecadagao dos salvados
assistiram o capito do navio e as autoridades do
lugar.
O carregamenlo do navio soffreu e nem poda
deixar de soffrer graves prejuizos; maior, po-
rm, seriam elles, a nao haver da parle dos Srs.
guarda-mr e capitao-tenente Parahybuna, intell-
gentes e acertadas providencias e zelosa liscalisa-
gao. Entretanto os salvados sao de valor superior
commisso e suas despezas, e ao seguro do na-
vio.
O mesmo consignatario deste navio acaba de es-
tabelecer, e abrir concurrencia publica um en-
gento de serrara por meio da turbina hydraulica,
distante desta capital tres leguas. O machinismo
perfeito c simples, trabalha com suavidade ; e
de forra de 18 cavallos, podeado elevar-se 25. A
agua que o motor da turbina, corre d'um lago si-
tuado no centro do terreno, e chega ao engenho
por hu canal artificial do 16 bragas de extenso,
de 16 palmos de largura outros tantos de profun-
didade.
A casa do estabelecimento de pedra e cal, e
construida das melhores madeiras da provincia;
tundo 8 bracas de extenso, 16 palmos de largo e
iguaes de profuoddade a caixa do engenho.
Calculase em 40 50:000OuO o seu prego*,
sendo o director delle o Francez Alfonso Mogin,
que cm dez mezes soube transformar urna floresta
dttsahabitada em um estabelecimento importante,
nico ueste genero no norte do imperio, gragas ao
gnio infaligavel e emprehendedor do seu proprie-
tario Joao Augusto Correa.
A companhia da navegago e commerco do
Amazonas recebeu ltimamente mais um bello va-
por, igual em ludo ao Icamiaba, mas superior al-
guma cousa em marcha. Chamase Soure, e j fez
urna viagem villa deste nome ; tom 369 tonela-
das de lotacao e de 100 cavallos, alm de boas ac-
comodagoes para passageiros.
Corre que esta embarcaco destinada para a
nova linha da mesma companhia, que. brevemente
se deve estabelecer para o rio Madeira, a qual tem
de partir de Manus.
Passando desta provincia para as novidades da
do Amazonas, pouco temos a referir; o vapor Ta-
pajuz, ultimo d'alli viudo, nada adiantou de no-
ta ver,
.0 que parecer que a presidencia vai sentindo
.in...... ..,.,>... ;9?, v. As correspondencias para os jornaes oesia ctoa-
de isto mesmo denunciam.
O certo que de todo em todo, o Dr. Adolpho
de Barros nao se lera affastado do carainho admi-
nistrativo dos seus antecessores, os Drs. Carneiro
da Cunta e Sinval.
Por consegrante estando as cousas com estas ap-
parencias, sem duvida os progressislas de Amazo-
nas nao tem tido dias to felizes e agradaveis como
os do Para.
Falla-se mesmo que alguns vigarios e padres
que estavam processados pelos acontecimenlos da
ultima eleigo, ainda conlinuam e fra de suas fre-
guezias.
Outros fados e nomeagoes tambem demonslram
que os conservadores continuam testa da situago
poltica do Amazonas.
E', porm, significativo que tres presidencias nao
interrompidas, tenhara seguido as mesmas ideas,
salvo a excepgao de mais ou menos compresso.
Para esta provincia acaba de embarcar no dia
Io do corrente o Exm. bispo, para onde o chamam
os negocios ecclesiasticos da sua diocese ; do mes-
mo modo seguio 30 de julho nacanhonelra Igua-
thng, o chefe da est.igao naval, devendo em Manus
receber o presidente Dr. Adolpho de Barros, afim
de irem atTabatinga,fronteirasde Amazonas, que
intestam com o Per.
Desta repblica regressou tres dias o vapor
Paslnzza ; nenhuma noticia importante nos Irou-
xe, alm das sabidas.
Cenlinuava em poder dos Hespanhes as ilhas de
Chincha, mas o governo da repblica preparava-se
para rtpellir pela torga o dominio hespanbol ; por
sua parte o almirante Pinson nao desistia um pi-
ce da ocenpago militar, e at aguarda novas tor-
gas para perpetuar o seu dominio, afim de obrigar
o governo peruano urna reparagao e arranjo nos
negocios com a Hespanha.
Veremos em que flear esta questao !
A alfandega desta provincia do Para rendeu du-
rante o mez lindo rs. 194:6295785.
A recebedoria das rendas provinciaes ris.....
56:2665613.
As outras reparticoes rs. 4:5435377.
Durante o mesmo'mez o movimento do porto foi
o seguinte :
Passageiros.
Nagoes. Entrados. Sahidos.
Portuguezes.. 8 36
Inglezes..... 7 4
Francezes... 2 1
Suissos..... 1 1
Bolivianos... 1 0
Marrocos___ 0 1
Italianos.... 0 2
Peruanos 0 3
Hespanhes.. 0 1
Polacos..... 0 1
e Prut.A canta de nosso correspon-
quanto occorruit nostas duas provin-
Amazon.a:
dente narra
cas.
Maranho.L-sa no Publicador Maranhense :
' Festejos do dia 28 de julho. Foi hontem so-
lemnisado o da 28 da nosaa adlieso indepen-
dencia e ao imperio om enlhusiasmo e luztmento
tal como ha annos nao o era.
Muitos cidadaos distioctos concorreram ao Te-
Deum, pela manha ; e a patada, coinmaodada pelo
Sr. coronel Pecegueiro, foi manobrada cora muita
ordem e exactidao,' corapar cendo a ella os bata-
Ihoes de linha e de guardas nacionaes cora aceto
c disciplina.
A* noite, alm dos eslabelecimentos pblicos,
estiverara Iluminadas nimias casas particulares >
Piauiiy.Escrevemnos da Therezioa :
e Poram presos pelo delegado das Barras e em
virtude de ordem do Dr. chefe de polica, o reo
Antonio de Almeida pela me re de Jos Capeta feita
ha annos; e pelo delegado de Jeromenha o rj Sil-
vestre Jos de Barros, por frimentos gravos.
t Na cadeia da capital existera 62 criminosos,
sendo 47 conderanados, dos quaes 37 esto cum-
prindo as penas, e 10 esto appellados ; 6 absolvi-
dos e appellados ; 4 pronunciados para responder
jury ; -2 indigitados en crime de morte ; 2 escra-
vos fgidos, e 1 imligitado de ser escravo.
< Tera estado multo condorrido o circo da com-
panhia equestreI.uande--nesta capital.
_ Na noito de 15 d > corrente, as 9 horas, Sebas-
tin Jos. Pereira, ex-soldado de poiicia dentro des-
ta cidade ferio gravemente a una sua irina, dan-
do-lhe diversas cacetadas, sendo que urna destas
abrio-lhe unta fortnidavel brecha.
Urna hora depois o Dr. Gervasio, chefe de polica
soube do acontecimento, Itrabalhou toda noite, e
nao pede conseguir a prisd do criminoso. No dia
16 o mesmo chefe teve noticia que o criminoso se-
gua para o termo de S. Gongalo, e que tinha sido
visto distante desta capital tres leguas, e assim ex-
pedio a toda pressa duas diligencias a cavallo, e
urna dellas prendeu o criminoso, o qual no dia 17
foi recolbido cadeia da capital para ser proces-
ado.
Pelo delegado de Valenga foi preso Manoel Ro-
drigues d'Assuinpgo pronunciado no mesmo ter-
mo por frimentos graves]
O Dr. Gervasio deixou a polica desta provin-
cia 23 do corrente, na qual principiou 4 de de-
zembro de 1862, e durante seu exerccio foram pre-
cisos 269 criminosos, inclusive 109 de morte.
t Entrou em exerccio no mesmo dia 25 o Dr.
Jos Manoel de Freitas, que foi nomeado para subs-
tituir o Dr. Gervasio.
Cear.L-se no Pfro // :
Domigo 7 do corrente houve urna reuniao do
partido conservador em casa do commendador Jos
Antonio Machado, cm que decidio-se pleitear as
eleigoes nesta frexuezia, apezar das violencias com
que contamos c falla de seguranga que temos no
Soverno e suas autoridades, cora as quaes sabemos
ue sera a tuta.
< O partido conservador conscio da sua torga
numrica quer a lula, e nella se empenha no ter-
reno legal.
Nomeou-se urna commisso para (ratar da
eleigo e Ocou composta dos Srs. :
Drs. Domingos Jos Nogueira Jaguaribe, Manoel
Fernandes Vieira e Joaquim Antonio Alves Ribei-
ro, Joo Antonio Macnado, Joaijuim da Cunha
Freir e Francisco Coelho da Fonseca.
Rio Ghandi: k Pahahyba.Nada occorreu, que
ruerega raengo.
Total... 19
Navios.
Entrados.
Brasileiros.. 13
Inglezes..... 3
Francezes... 3
Dinmarquez 1
Portuguezes. 0
Peruanos.... 0
50
Sahidos.
. 12
6.
3
1
24
Total... 20
Ditos descarga.
Dous Amigos, patacho inglez.
Maria, dito dito.
Florist, dito dito.
Tocanlins, barca franceza..
Ditos carga.
Graciosa, brigue escuna brasileiro.
Maria, patacho dito.
Femando, brigue francez.
P. S.O vapor Oyapock, que devia prefazer hoje
1 hora da tarde as 4o horas de estada neste porto, I
proregou a sua demora, por ordem da presiden-
cia, at a noite, quanckrdeve partir.
PERWAHBDGO.
REVISTA DIARIA.
T
Diversas pessoas do Rio de Janeiro, quem re-
mellemos o nosso Diario, se nos queixam de que
deixaram de recebe-io por cinco vapores successi-
vos, lendo-lhes empregados do correio d'ali affir-
mado nao serem encontrados os massos na mala.
Sorprehendeu-nos una tal noticia, tanto mais que
a remessa por nos feita regularmente e que a
administrago do ebrreio desta provincia os expe-
de em malas fechadas, como nos asseguram.
Do Sr. director eral dos corretos esperamos pro-
videncias no semillo de cessarem esses extravos
do nosso Diario, ni correio da corte, queremos crer
que antes por desejo de noticias, do que por espi-
rito de malvadez.
Carlas de Aguas-Bellas nos dizem que o nos-
so Diario choga ali quasi sempre truncado, e com
grande demora, com grave prejuizo dos leitores.
Dentro em pouco lalvez deixe de funecionar
o telegrapho, por falta de quem se incumba do ser-
vico, visto como a pessoa que ali eslava fazendo
signaes, acaba de obter baixa do exercito e exige
um salario que compense o trabalho que ali tem, e
que Ihe permita I vi ver, pois que, perdendo os ven-
cimentos de praca de linha, ficou reduzido a 800
reis diarios,, pem trabalho de 12 horas de dia.
Afim de que nao venha a soffrer o publico, com
a falta de signaos, seria bom que se fizesse alguma
alleragao na paga, que demovesse ao actual a con-
tinuar ou a se ipresenlar alguma oolra pessoa.
i-nos o seguinte, pedindo sua publi-
- Reraette;
cagad :
Nao oi
Pereira, que
drade, vice-co
presidencia da
DIARIO DE PERNAMBUCO
Temos vista carias e jornaes do norte do im-
perio, trazidos pelo vapor Oyapock, alcanzando :
do Para 8, do Maranho 10, do Piaahy 3, do
Cear 12. do Rio Grande 13 e da Parahyba a
15 do-oorrente ;
or intermedio do Sr. Dr. Martins
ubemos que o Sr. Cantillo d'An-
sul de Hespanha, representon
provincia contra o delegado de po-
icia desta cidalde por estar processando ao subdito
hespanhol Epiihanio Astudillo e Bussams em con-
seqnenciade u w de titulo indevido, e, se referimos
que S. S. disse por extenso que esse seu protegido
eradotor em medicina pela faculdade de Ma-
drid, nao ibfrigmos o aviso de 12 de julho de
1855 ; porquanto esse aviso s diz qoese nao
poder publicar a correspondencia official que ti-
ver lugar directa ou indirectamente entre os em-
pregados de iqualquer ordem e o governo em ob-
jecto submetiido a seu conhecimento e decisao
deste, em quanto a materia que der causa essa
correspondencia nao fdr definitivamente resolvida
pelo mesmo governo, e S. S. ha de recoohecer
que nos nao publicamos a correspondencia havida
entre o vice-eonsulado de Hespanha e a presiden-
cia desta provincia.
f Seria bom que o Sr. ('.amulo d'Andrade nao
eslivesse a apurar cousas to pequeas,, que nao
pdem tirar abafadas, e apreseotass o diploma
que o autorsou a dizer qne o subdito hespanhol
Astudillo e BJtssams eradoutor em medicina pela
faculdade de'Mafrid,deixandose de evasivas de
lapsos de penna, que o nao absolvem.
c O Sr. Cajroillo d'Andrade, vendo-se acuado por
nao ter' para apresenlar diploma de doutor'.em
medicina pela faculdade de Madrid de seu protegi-
do, est-se pegando agora a leas d'aranhas. O Sr.
viee-consul de Hespanha disse que Astudillo e
Bussams eradoutor em medicina peb> faculdade
de Madrid,te o 'disse em eommunicacao official
. com a presidencia desta provincia : preciso que
prove sua assergao aposentando o diploma em
| que se ache declarado o titulo que deu a seu pro-
tegido. A qttosto simples *. aprsente esse famo-
; so diploma, o. enlSe entraremos em consideragoes.
< Tenha paeiencia o Sr. Camillo d'Andrade;
ainda nao estamos no flm da meiada, que val
I d'aqui i Madrid, e s appareoereraos quando ti-
ILEGVE.
i
yermos recebido todas as nformages pedidas ;
infonrjaeoes que pretendem-s levar considera-
goes do governo imperial. 0Sr. Camillo d'Andra-
de sabe que nao somos daquelles que negam a
existencia de Dos, o por Dos Ihe aflirmamos que
o Sr. Dr. Marlins Pereira inteiratiiente estranho
ao que havemo.- publicado.
(t Todas essas representagoes do Sr. Camillo
d'Andrade nos fazem crer que S. S. procura barn-
Ihar as cousas para vrsese sae bem da alhada.
em que sera razad se raetleu. Se assmt engaa-
se, e nos Ih'o mostraremos em lempo. So algum
pedido podemos fazer ao Sr. Camillo d'Andrade,
que permaneca entre nos at ao fim deste nege-
cio : e esta hora S. S. deve saber que as cousas
irao mais longe do que ponsava a principio,* que
un hornera que se deixa levar -por intrigas pe-
nneninas, por meios frivolos e repropios, preta-
lecendo-se de algum crdito de que gosaria subs-
creve com facilidade a ser insultado e calumniado,
como foi.
O Sr. Camillo d'Andrade persuadio-se, lalvez,
que estava em urna aldea, e que suas assergoes,
firmadas com o sello de vice-consulado de Hespa-
nha, seriam recebidas como tratadas impostos
Marrocos jnas eugaoou-se. Impellido, nao para-
remos seno ante o governo imperial : ou o Sr.
Camillo d'Andrade apresenta o diploma de doutor
em medicina conferido pela facultfode de Madrid ao
subdito hespanhol Epiphanio Astudillo e Bussams,
ou saliera o que vale dizerse em communicacSes
offlciaes, oque se nao pode provar.
Copia.lllm. sennor.Em resposta ao oflicio
de V. S. do 13 do corrente, no qual solicita infor-
mages a respeito de Epiphanio Astudillo e Bus-
sams que nessa provincia exerce a medicina, di-
zendo-se autorisado pela escola de Medicina desta
corte, lenho a honra de significar V S. para fa-
zer presente ao conselho de Salubridade publica
que tendo sido o referido Bussams admittido a ve-
rificar seu titulo, no primeiro acto a quo se proce-
deu era 31 de marco do corrente anno, teve a ola
de reproyado, e consei*untemente nao proseguo a
venlicago, e esta no caso de ser responsabili>ado,
visto exercer a profisso. Dos guarde V. S.
Escola de Medicina do Rio de Janeiro, 30 de julho
de 1851.Illm. Sr. Dr. Joaquim d'Aquino Fonce-
ca, M. D. presidente do Conselho deSalubridade da
provincia de Pernamhuco.Dr. Joaquim Jos da
Silva, director interino.
No Diario de Pernambuco, de 5, 6 e 7 de agos-
to de 1851 se l o segrate entre os annuncios di-
versos :
Dr. Epiphanio Astudillo e Bussams, medico
formado pela faculdade do medicina de Madrid, e
reconbecida a sua carta pela escola do Rio de Ja-
neiro, tendo de relirar-se desta provincia o faz
publico pelo presente.
Carta de eianie, qne a presen ton o subdito hespa-
nhol Epiphanio Astudillo e nssanis. traduzida
litteralmeite de original.
Nos os medico-cirurgles da cmara d'el Re
i Nosso Sennor eom exerccio. vogaes da Real Junta
i superior governaliva dos reae< Collegios de Medi-
cia e Cirurga. Pazemos saber que D. Epiphanio
Astudillo o Bussams, nalural da villa de Villamar-
tim, diocese de Sevlha, estatura regular, olhos
azues e cabellos ruivos, acreditando ter os requisi-
tos exigidos pela le, foi examinado e approvado na
arte medica (1) no dia da sha perante nos infranis-
criptos doutores: Portanto, damos licenc.'i e auto-
ridade completa ao mencionado I). Epiphanio As-
tudillo e Bussams para que livremente, sem pena
nem calumnia alguma, possa exercer a citada arte
medica (i) nos rasos e cousas que Ihe dizem res-
peito e sao concernentes, em Iodos os dominios de
S. M. em virtude desta nossa carta. (3) E de par-
le d'el Re Nosso Sendor exhortamos e requeremos
a todos os Juizes e Justieas de qualquer classe e
condiclo que sejam, nao "ihe ponhaui impedimento
algum, nem consinlam que elle seja molestado nem
vexado, mas o gnardem e hajam de gurdalo e
cumpnr todas as honras, gragas, prerogativas, exe-
, cucoes e previlegios que pelas les Ihe sao concedi-
dos, fazendo com que Ihe paguem quaesquer mara-
vedes que em razo de sua arte (4) Ihe sejam de-
vidos. E declaramos que o supradito presin jura-
mento de defender o Mysterio da Purissima (on-
cego da sempre Virgem Maria Nossa Senhora;
usar bem e fielmente de sua profisso, guardar se-
gredo nos casos convenientes ; defender a el Re
fosso Senhor e os direitos de sua cora; nao ter
pertencido nem vir a perlencer s sociedades se-
cretas reprovadas pela lei, nem reconhecer o
absurdo principio de que o povo arbitro de mu-
dar a forma do governo estabelecido, sustentar com
albuco a sessao decima-quintado Concilio de Cons-
tanca, que a nenhum snbdilo permittido o regui-
dio ou lyranni'idio; assistir gratuilaiiente os po-
bres com a mesma solemnidade e cuidado que os
ricos; despresar todos os riscos e contagios quando
o exija a sade publica ; aconselhar aos enfermos,
que estiverem em perigo de morte, regrar seus
negocios espirituaes e temporaes; nao aconselhar
nem cooperar para o aborto nem infanticidio, e
administrar a agua de soccorro aos prvulos sem-
pre que fr mister, em virtude do que e tendo pa-
go o direito da media-anata, Ihe entregamos o
presente titulo firmado por nossas mos, sellado
. com o nosso sello (5) e referendado por nosso se-
cretario. (6) Dado em Madrid aos 27 de margo de
1834. (7) iiota. Onde se falla d'el Re Nosso Se-
nhor, entenda-se da Rainha Nossa Senhora. Dr.
D. Pedro Castello.Dr. D. Manoel Damio Pe-
res.Dr. D. SebastoAsoTraviesso.Dr. I). Ray-
mundo Duran, secretario. Ha um sello de Colle-
gio. (8) Registrado foi. 167 do livro correspon-
te n. 2,080 (dous mil e oitenta.)_______________
. (1) No original se lem as palavrasfacultad
de Medicina; mas isto nao significa aFaculdade
ou reunio de doutores em Medicina e Cirurgia
que compoe a Faculdade de Madrid, e sim a arte
medica. Recorrendo-se ao Diccionario hespanhol
da Academia de Madrid, se v que a palavrafa -
\ cuitad significa ciencia ou arte. Isto fica bera
discriminado as notas segunda e quarta.
(2) Isto vera confirmar o que fica dito na pri-
! meira nota : a palavra -facultad, acorapanhada
! do termocitada,tira toda a duvida.
(3) Carta de exame, e nao de formatura, o que
bem diiTerente. A carta de formatura equivale
ao diploma, e nunca denominada carta smente,
como se acha no original; entretanto que o mesmo
nao succede com a carta de exame,
I (4) Ainda a confirmaco do que se acha dito
na primeira nota: no original se 16-u fa-
cultad.
t (5) As palavrassellado com nuestro sello
mostram que nao em nome da Universidade ou
Faculdade de Medicina de Madrid, que foi
dada a caria de exame, de que se trata; mas de
professores de um collegio, ou.proto-mcdir.it >,como
se praticava oulr'ora era, Portugal,
c (6) Cada vez mais confirma o que so l na pri-
1 meira nota. A nao ser assim, se dirasecretaria
; de la Facultad.
! (7) Se a caria fosse passada era nome da Uni-
versidade ou Faculdade de Medicina de Madrid,
isto se declarara, e se nao diria vagamente ^om
Madrid; alm de qne o reitor ou decano da Facul-
dade nao teria deixado de assigna-la, declarando
i seu eargo. ",
18) Se o sello de collegio, nao e da Lnivqp-.
I sidado ou Faculdade, e isto e de summa importao,-
.

.>'


.
Tendo o anno passado os moradores de-uma
casa na ra da Penha cspalhado cartas, pedindo
esmolas para a Testa de Nossa Senaora da Peona,
em nome dos religiosos capuchjnhos, e podendo ser
rue ainda esleanno repitam a especulago.o Rvm.
Sr. prufeito do hospicio da Penha, frei Seraphim
de Ltanla, nos autorisa a declarar que s elle ou
qualjuer um dos outros religiosos so acha incum-
bido da arrecadacao das esmolas e da distribuigao
das cartas participando a elegi dos novos esco-
llados pura a esta do anno seguinte, bem como que
a ta padroeira nicamente festejada na groja
do hospicio.
Domingo installou-se a sociedade de dansa
Becrrio e Jinenlude na ruada Imperador, com urna
reuniao que esteve concorrida e animada.
Teve lugar aote-hontem o Te D,um mandado
celebrar pelo Sr. d'liuUert iba Ousniiu. cbanccllcr
cncarregado do consulado francez, por ocensiao
da Justa de Sua Magostado o Imperador Nano-
leo III, rio bospicio dos misionarios capuchinhos;
ao qual assistiram o Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, chefe de polica, commandaiilc superior da
guarda nacional, cnsules de Inglaterra, Hambur-
ga e liaba, ofticiaes de marinha e do exerriio,
pessoas gradas da provincia, e gratule numero
de cidados francotes, fazendo as honras militares
urna guarda do 7 batalho de infamara
Xa praia da baha da Traicao. da provincia
da Paralaba, toi ter urna garrafa fechada herm-
ticamente, cuiilcndo a seguinte nota em hollaudez :
A galera hollandeza JtottwiWHi.capitiio Adria-
anus, anula tem a bordo o pralico Cornelio Waa-
Icman. Os passageiros e a tripolae/io esto de per-
feita sade. Lat. S. 5 35" e long. O. 34-!)'.
t Pede-se, a queiu este papel chegar as maos, o
favor de trausmittir esta noticia aos jornaes hol-
Iandezes. .
Nao existe entre nos o Rvd. frei Ludoviro
Forturella, missiouario capuchinho, de que tralca
o expediente do bispado, inserido em nosso Diario
n. 183, e mesmo nao nos consta tenha vindo para
o Brasil. 'Feudo esse religioso apostatado, o Kxm.
Sr. Internuncio Apostlico cenimunicou esse acto
ao Exm. Sr. governador do bispado, para que Ihe
prohilisso o exercicio du seu ministerio, caso elle
viesse aportar as nossas plagas.
O Rvm. missiouario capueninho que faz parte
da Cuinmunidado da Penha, e que se chama Ludo-
vico, outro, e veio pata o Brasil com permissao
do seus superiores.
A directora du Gabinete Portugus deL-itura
festejou o seu anniversario, no da 15, abrindo
seus bellos e espacosos salos concurrencia pu-
blica durante o dia e parle da nolte. Ilouve. gran-
de aflluencia de hoiueus e senhoras, reinando sem-
pre boa orden.
Nesse mesmo dia teve lugar, no hospicio da
Penha a festividade de Nossa Senhora Mi dos
Homens, orando ao Kvangclho o Hvm. frei Egidio.
A igreja eslava, como de costume, bem armada
foi muito concorrida, qur na festa, qur no Te
Deum.
A Associariio Typographica Pernambucaua
mandou celebrar, no domingo (14) urna missa
seu padroeiro, S. Joo das portas latinas, no hospi-
cio da Penha, a qual assisUo grande numero de
socios effeetivos e honorarios.
Os religiosos carmelitas celebraram asta*
honltm a fesl* de Nossa Senhora do Carmo do
froHtespicio, com a pompa do costume. A' noitc
faouve grande concorrencia igreja.
Depois d'amanha se extrahir a 4a parte da
4" lotera do Gvmuasio (104*).
Eis o resultado lina! d eleieo para senador,
sem as duplcalas de L'na e Qupap :
Notos.
. Consclheiro S e Albuquerque. lili
Dr. Feitosa.................. 1229
Dr. Saldanha Marinho........ 1062
Na tarde Je '14 do crrente, polas 2 horas,
afogou-se no lugar Apipucos, o preto Benedicto, es-
cravo de Jos Bautista Bibeiro de Para, estando
ollc bastante embriagado.
O subdelegado do Poco d Panella, compareceu
ao lugar e depois de retirado do rio o cadver do
dito preto, proceden a competente vastara.
O Illm. Sr. Inspector da thesouraria (le fa-
zenda, manda fazer publico a todos os habitantes
desta provincia, me em virlude da circular do the-
souro n. 31, de 20 de julho ultimo, fica prorogado
por tois quatro mezes o prazo para o troco sem
i descont, das notas do goveruo de 200j000 res,
em substituico. i
Secretarla de fazenda de Pernambuco, lo de
agosto de 1864.Servindotle ollkial-maior.Ma-
noel Jos Pinto.
' ---- HKl'AKTlg.\ DA POLICA.
Extracto das parles do dias 14, lo e Ib de
agosto de 1864. .
Foram .recolhidos casa de detencao no da \
do coi rente : "
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Be-.
nedicto, escravo do padre Freir, reqneriuiento
d'e^te.
Da 14.
A" ordem do Illm. Sr. Dr. chele de polica, Lau-
rentno Francisco da Silva, viudo de Jaboato para
ccruta. ..
A" ordem do subdelegado do Recife, Bernardino
Pacheco dos Simios; por desobediencia.
A" ordem do da Boa-Vista, Antonio Pereira de
Almeida, Francolina Mara de Mello, Mana Fran-
cisca da Cooeeico, Cecilia Nery dos Santos, Joa-
quina Mana da Cuneeigo, Seiihoriuha Maria da(
Conceicao, e Joaquina Pereira da Silva, todos por
desordens. .
A' ordem do da Capunga, Joao Francisco da .Sil-
va, sem declaraco do motivo.
Oa lo.
A- ordem do subdelegado de S. Jos. Manoel Joa-
qun! do Nascimenle, Honorato Alves do Nase-
niento, Jos Parias d'Araujo, por disturbios.
A' ordem do da Magdalena, Miguel omes da
Cunlu Ferreira, Benigno Gomes da Cimba, como
reerutas; Mana Francisca da Conceicao, para eor-
receo.
A ordem do do Peres, Eugenio Ucincnlino de
Muraos, por desobediencia.
O chele da segunda seccao,
J. G. de Mcsguita.
MovmenlO da casa de detencao do dia 13 de
agosto tle 1864.
Existan!....... 354 presos.
Entraran)...... 4
Sabirain ..... 9
________________________ > ,
Diarlo le reHuafcaM Qiiarta felra i de Agosto e tt4.

----rr-----T5~
MovimentQ (a enfermara no dia 15 de agosto de
1864.
Teve alta :
Georg Willerrh.
Movimerto da casa de detencao do dia 14 de
agosto de 186' :
Exi; tiam....... 349 presos.
Ent arara...... -10
Sal ram....... 10
A saber
Exi
tem
Na( ionaes.....
Estangeiros...
Mu heres......
Estaageira-----
Esc ra vos......
Es( ravas......
349
278
19
3
1
43
&
349
Alimentadas custa dos cofres provinciaes 1*2.
Movime no da enfermara do dia 16 de agosto
de 1864
Tiveram bsjixa :
Lucas Antonii Evangelista, defluxo.
Francisco das Chagas do Paraizo, defluxo.
Movime ito da casa de detencao no dia 15 de
agosto de 1864.
Ex stiam
En raram..
Sa ram
Exi; tem.
A saber :
Nac onaes
Esti angeiros...
Mulheres.
Estiangeira
Esclavos.
Esc 'avas.
Alimentads a custa dos
Mov ment
de 1864.
Teve alt :
349 presos.
8 >
3
334
283
18
4 >
1
43 >
3
354
cofres proviHciaes.
Jos Antonio do Azevedo Araajo, I tenent*
Olympio Jos Chavante,-Dr. Candido Emy-dio Pe-'
reir Lobo, 2 cadete Joaquim Ferreira de So-na
Jacaranda Filho, Mariano Themoteo Cabral, Sazana
Mara de Mallos, Benedicto Montenegro, Antonio
Jos Fernandes GuimaraSs, Francisco Nones Tei-
xeira de Mello, Io tcnente de eogenheirs Jos
Eduardo Barbosa, sua senhora, 2 fiThos menores e
1 criado, Mathias Gome dos Santos, 2 pracas e 8
recrotas para o exercito e 1 para a raa/iuha, Ho-
race M. Lae, e 17 escravos a entregar.
OlIlTUABIO DO CB.M1TERIO Pl BUCO NO DIA 13 DE
AGOSTO DE 1864
Francisco Bezerra de Araujo, Peroambuco, 46 an-
annos, soheiro, Boa-Vista; alienac:u> enclephi-
lile.
Marianna, escrava, Pernambuco, 3 mezes, Recife
g Marcelina Evangelista, Pernambuco, 36 annos,
vi n va.
Joaquina, Pernambuco, 1 anno, S. Joso convul-
edes.
Padre Jos Ferreira de Souza, Pernambuco 44
annos, Boa-Vista ; anemia de crasso da artea.
Jos Fernandes Vianna, Pernambuco, 21 annos,
solteiro, Boa-Vista ; enterite aguda.
com gneros.
J13
------- 251
C0MMUKIC1B0S.
Mi
da enfermara no dia- 17 de agosto
Joaqoim Jos da Silva
m i v- w M f w
M 3 o i -i i 1 o i ^ 1 u a a 5" 3 > 00 >
; O O K
: : * * > o ^
\ i '. 3
| i
. i i , 9L
. ' l :
i ' ^ ~
l ' Masculino.
U 1 i >~ 1 "* r n i
*- 1 co l * ce 1 u 1 1 o

1 1 Femmto. M ^,
81 *- ^> o *" 1 c< 1 ' vi a
1 i \ ' 7
^1 1 Masculino, i i i 1 i -1 ul l \ i. 1 f SI* 5
4
S5
I i Fetninino. 1 H B.
A *
\ 1 OO
! -^ * Masculino. I 1 -' :l 1 1 { H n a > < a
1 i j Fenhinino. | i m
c?t
m 5||- ------
| | \ v *
1 1 ^ 1 Masculino. N 2 * -
00 * i i oo 1- > 5 2 " te s

1 Feminiw. 1 O 1 > 8
O m m A m e
1 1 I -^-
1 C3 1 |l 1 Masculino Vi o ' i
ZK 1 * * K
,
,, i Fetninino. i - >
O * A 1 1 '
| 1 | TOTAL.
M 1 |
it^ . i
A reuniao do directorio do partido li-
beral, para decidir-se urna questo
coui o partido couservador.
Foi uiu desmentido soleHiae, que den o direci-i-
rio naquclla reuniao, e encheu de prazer aos seus
correligionarios, por quanto os maledicentes pro-
pagavara, que os liberaos tioham feilo juocco
com os conservadores, isto desde a primeira elei-
cao de senador. Ora devenas crer que tanto no
partido couservador como em outros hajam!
grande numero de liberaos porque a palavra libe-i
ral tomada no sentido moral, deve comprehender i
ao todo linmem, que tem en] torno de si os predi-
eadus bem intencionados. Porm toroeroos aol
ponto da questao. E] sabido que o partido conser
Voitunes sahidos com
com
fazendas...
gneros...
172
100
?73



...
'
Desean-opa i n no dia 17 de agosto.
Brigue inglez Uiisuartermercaderas. ,
Barca ingleza-Imperadordiversas morcadorias.
Barca inglezaSih-er Craigfarnha de trigo.-
Brigue portuguez Beila FlgueirenM di'vorsos ge-
nero
ImportacSe.
Brim inglez UUswater, entrado de Livci pook, mesma carga q te trouxe de Valparaizo
Portos do sol b dias, vapor inglez Oiwida,. de
1372 tonelada comuradante I. A. Bevis, equi-
pagem 127.
Navic s sahidos no mesmo da.
Sowthampton e jortos intermedios Vapor inglez
Oneida, comn andante I. A. Bevis.
CearPatacho brasleiro Valmte, capitao Joa-
quim 'Jos di Silva Bates, carga vanos g-
neros.
Oiwwico
Suspendcu do lamaro para Liverpool a barca
ingleza Enterp ese, capitao J. Jenkinson, com a
consignado a Mills Latham & C, mamfestou o- se-
guinte t
17 cacas e 12 fardos tecido de algodo, 3 cai-
xas dito d linho, 6 fardos lio; a Adamsou Howie
&C
3 djtas e i fardo tecido de algodao, e mantas de
algodao; a Theodoro Christiansen.
50 gigos louca, 2o barris banilha, 2o ditos dita
refinada. 4 barricas cadinhos, 22 ditas enxadas, 33
fardos e 12 caixas lecldos de algodo e camisas de
dito ; a ordem.
10 caixas tecido de algodo ; a Braga Son
& C.
97 ditas e 02 fardos tecdos de algodo, dito de
linho e linha de algodo, O fardos estopa, 60 sac-|
eos pimenta; aos consignatarios.
100 barrlinhos plvora,.. barricas cerveja, 1
volume ferragens; a J. A. M. Dias.
1 porta de ferro e 2 estacas de dito paca a mes-;
m a ; a J. C. Monteiro
2 caixas tecido de algodo e la : a Th. A. Dam-:
mayer &. C.
2o barris alcalro, 120 feixes arcos de ferro,
60 ditos foUias de ferro, 70 ditos ps, 18 barricas
ferragens, 2 fardos panno de linho, 1 caixa pentes \
da marran, 70 barrliolios chumbo de munico,
40 caixas fundo de cobre, 16 ditas linba de algo-
Navios entrados no dia lo.
Philadelphia8 dias, barca ingleza Imperador,
de 281 tonelaias, capitao Power, equipagom 11,
carga 3069 b; nicas com. faxinha de trigo; a Ma-
theus Austin & C.
Philadelphiaii8 das, patacho dinamarquez Ma-
rta, de 166 U neladas, capitao H. vou Helmcs,
equipagem 8, carga 1968 barricas com farinha
de trigo; a J atheiis Austin & C.
Philadelphia 45 das, escuna dinamarqueza
Aakanden, de 102 toneladas, capitao C. Mollcs,
equipagem 7, carga 1155 barricas com fanuha
de trigo; a I;. Foster & C
Lisboa35 dia brigue portuguez Bella Figuei-
rense, de 214 toneladas, capitao Jos Correa de
CarvalhoSobrinho, equipagem 12, carga vinlio
e outros gneros; a Euzebio llaphael Babello.
Para e escallas -6 dias 17-1(2 horas, sendo do ul-
timo porto 7 1(2 horas, paquete a vapor braslei-
ro Oyapock, de 1080 toneladas, commandante
Antonio Man elino da Ponte Bibeiro, equipagem
63, carga di' ersos gneros.
Vacos sahidos no mesmo dia
Para e portos i itermediosVapor nacional Prin-
ceza, commandante A. D. de Araujo.
ObtervafSo.
Suspendeu du lamaio para Baha o brigue in
do ; a Prente Vianna de C.
1 caixa pennas de ac, 1 dita tesouras, 2 fardos
estopa; a Henrique & Azevedo.
26 ditas e 6 fardos tecido de algodo de dito e
la; a Ferreira 6c Maiheus.
2 ditas tecido de linho e lgodV, a. Joao Kellor
4.G.
glez Margnete Milluy, capitao George Hartry, com
a mesma carga que irouxe de Ilabor Grace.
- Dia 16. -
Nao houvera n entradas nem sahidas.
vador nes'ta provincia compase de grande nurae- ^^ e l caixas teridos de algodo e la,
--. a r,<,.n//.^Ho Q, ce .ocmn c<. ni rho 1 barrica tinta; a breenup^ 4 swend.
i
27 barricas euxadas; a lir^.oder a Uraudis.
22 caixas raaclunismo a. Di W. Bowmano.
150 barrlinhos plvora^ 8 barricas e 37 gigos
ro de pessoas gradas, e por isSo mesmo s Ihe cabe
; o nome de partido aristocrtico. O partido libe
ral, que compoe-s de grande numero de hacha
reis, incluindo crande numero do lavradores
zendeiros, e artistas
apoio, qnasi em toda
tido assm composto su
Esta demonstrado que as formulas | no, 41 fardos 18A2&**M*^*
algodao, oO toneladas pedra de lastro, B!
O Illm. S-. inspector da thesouraria provin-
cial, em cnmpr ment da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da in i.n i;ria de 30 de junho ultimo, manda
democrtico. Esta demonstrado que
diversifican!. E' pena, que estes partidos nao fa-
cam nina junceao. porque se d'entre ellos appare-
cesse o espirite de patriotismo,* fariam a felicidad o
do nosso pai.
Beoife, 13 de agosto de 1064.
Goncalo Alves Tunares.
DIT1ES.
CORRESPONDENCIAS.
nal da ruadaivurora, avahado em 15:9145000.
A arrematar o sera feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 d lo de maio de 1854, e sob as
clausulas especiaes abaixo declaradas:
As pessoas iiue se propozercm a.essa arremata-
sala das sessocs da referida
11 fardos e a caixas tecido de algodo ; a Scha-
Srs. redncores.-Soa informado que no dia ?ito de l^odO e bM,i* "--Ql8,*a'
i de julho o Diario de Pernambuco tniiscrevera urna; **
. correspondencia, en* que sou victima da imolencia
de seu autor ; e como at esta data nao tenha ella Pr'e"i'n & U
vindo lis-miobas mos, peco ao pnblieo que aguar- 4 caixa b^rA de ferra> -*** muios ela8U
de minha re-posta.
ferragens ; a. Sannders Brothers & C
7o eaixas e 39 fardos tecidos de algodo de h-
nlio, linha. de algodao, ineias, alpaca o velbulina;
a Ferreira & Araujo.
lfjy ditas sabo, 1 dita e 6 barricas ferragens,
O secretario
cao comparecain na
CLAUSULAS
Aguas-Bellas. 3 de agosto de 1864.
Antonte Eustaquio Alees da Silva.
Sis. redactores. Aproxma-se 0 dia 7 de sedun-
bro, que temusde depositar quatro nomes parajuir.es
de paz, e para isso oflerecemos as nossos paro-
chianos da freguezia de S Jos os seguinte* se-
nhores :
Manoel Antonio Ribeiro.
Tiburcio Valeriano Bapti.-ta.
Joo Jos de Albuquerque.
Aprigio Jos da-Sil va.
Um votante de S. Jos.
ftno-wo Ferreira da Annnnciarao.
ESPECIAES PAHA A ARnEMATACAO.
1* A obra do caes a margem do canal da ra da
^^'i'^l Si!Am^i a J A de1 Aurora, ser ejecutada de conformidade com oor-
Araloc. I?*^*&}&J?*!^*Zy^.2!
(i caixas brim de vela, 20 ditas chv 40 pecas de
cabos, 16 barris bru; 30 ditos manteiga; a Mar
PUBLECGES A PEDIDO.
ADVERTENCIA.
Na totalidade dos doentes existem 124, sondo
63 homens e 59 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
Pelo Dr. Ramos s 6 3|4, 7, 7 l|4, 7, 7, 7 1|4,
7, 7 1(4.
Pelo Dr. Sarment s 8 10, 8 1|2, 9, 8, 8
3|4, 8 5!,950,8 3|4.
Falleceram:
Maria Joaquina da Conceicao, phtysica pulmonar.
Caetano Gomes Bezerra, hepatite chronica.
Joaquim" Paulino Ferreira, gastro interite chro-
nica.
Francisco Bezerra de Araujo, alienaco enclephe-
tite chronica.
Anastacio, plHysica pulmonar.
Bornarda Maria de Jess, dem.
Antonia Maria do Sacramento, idem.
Pas>aciro? do vapor Princeza, vindo dos
portos do sul:
Dr. Jos Leandro de Godo\ Vasconcellos^Augusto
Freir de Andrade Tavares, Sebastio Ferreira
Tinoco, Antonio da Silva Noves, D. Mana Jos da
Gama e Cimba, 4 lilhos e 4 escravos, Jos Antonio
de Jos Meudes de
/
noel Joaquim R. e Silva & Georo.
10 fardos tecido de algodo; a T. Jefferes.
t caixas tecido de algodo; a Linden Wild
&C.
2 ditas dito dito; a Danker 4 Barrozo.
1 dita burra de ferro; ao banco inglez.
1 dita drogas; a Caors & Bacboza.
1 dita phosphoros; a J. C. D. Ribeiro.
200 dilas sabo, 10 ditas phosphoros a Tasso
Irmaos.
Polaca hespanhola Aurora, entrada da Babia,
consignada a ordenv maniestou o seguinte :
298 cousueiras de Jacaranda, 4 taboas de dito,
897 couros seceos e 100 toneladas de pedra; a;
ordem.
Hiato nacional Santa Rita, entrado do Assu,
I consignado a Tasso Irmaos, manifestou o se-;
Marianna, por mortc de seu senher o comman-
dante Joaquim Ferreira,- subtrahio-se a escraviio,
para a protoeco de entidades^ mysteriosas.^onde my^JJ)"
nao pode ser Cuestionada; j nao existe, sim a sna]6 ui LuiuairoB /L *al 100 moll^- da Mlh'1 ai
[ descendencia. iK- W~ '" P' "laiatcrncFaicn^j carnauf,a ; a ordem. '
'B. A. If. em Aguas-Bellas : tem decorndo mais de { moiiA usada. a0capitao.
30 annos. Hyale nacional Santa Auna, entrado do Aracaty.,
Pergunta-se aos senhores- jurisconsultos, se po-1 cons,nado a rjemvindo Gurgel do Amaral, maur
dem os lilhos de Ferreira, rom bom resultado, in- festo'0 segUute ;
tentar contra elles a acvo competente, com o que ^ me0j e b0|S). j5/t milios com 3,830 couri-
muito obrigaro a um
Interessado.
40 ineius de sola, 154 mullios
uhos ; a Prente Vianna.
2 barricas com si 5 de carne secca,
' com 8
caixas com 18 yj de velas
na 11
meios
com
10 ditas
rectora das obras publicas na importancia de
hi:lW.
2a O empreiteiro dar execucao aos trabalhos no'
! prazo de 20 dias, e os terminar nos de 60 dias,'
contados na forma da lei. I
3* O pagamento sera etfectaado em presta^oes
mensaes, de valor .correspondente ao traballio exe-
cutado, em cada mez, deduzindo-se um decmo,
que ser entregue seis mezes depois da conclusao
da obra.
4* O empre teiro nao poder sob qualquer pre-
texto exigir lindemnisaco alguma que nao seja
fundada no ecesso de trabalho previsto no orca-
ment. I
5a O empreiteiro na execucao dos trabalhos ob-
i servar as prQscripcoes dadas' pelo engenheiro lis-
cal da obra.
6a Para tudo quanto nao se adiar aqu disposto,
observar-se-ha o que dispoe a lei n. 286.
Cunforme.-|-A3iuu Ferreira da Annunciaco.
O jic ttam-ii>i. inioni.. .in? Passos e Silva Jnior.
juiz municipal e de orphaos, ausentes, supplenfe
em exercci) do termo de Olinda, em virtude da
lei, etc.
Fara saber (ios que o presente virem que no dia
1H do correrjte mez, na porta da casa da au-
diencia desle Suizo depois da respectiva audiencia
se ha de arreifiatsr por venda duas casas sitas am-
Bcbenbe
N. 92 pajiicularal publico casa ter-
rea........120*000
Ra da Imperatrz
N. 47 particular e 68 publico casa ter-
rea. 306*000
Becco do Quiabo.
N. 49 particular e 8 publico eSsa ter-
rea. 144*000
Ra da Gloria.
N. 51 particular e 65 publico casa ber-
rea. ... 144*000
Ra de S. Bem Jess- das Croulas.
N. 61 particulare8 publico casa ter-
rea. .....: 131*000
Ra do Padre Floriano.
N. 66 particular e 63 puMico casa ter-
rea, .......144*000
Ra da Senzala Vellia
N. 71 particular c 25 publico casa ter-
rea........ 145*000
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, .16 de agosto de 1864,
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
O hospital militar desta guarnicao contrata
o forneci ment dos gneros abaixo declarados por
tempo de 4 mezes a contar do 1 de setembro vin-
douro ao ultimo dedezembro. As pessoas que se
propozerem arrematar comparecain na respectiva
secretaria, onde apresenlaro suas propostas em
cartas fechadas, no dia 20 deste mez pelas 10 1|2
horas da manha.
Hospital Militar de Parnambuco. 14 de agosto
de 1864.
O escrivio interino,
Joo Tiburcio da Silva Guimare.- -
Arroz pilado libras.
Assucar refinado fino, libras.
Azelledoce, garrafas.
Bolachas, libras.
Bolachinbas iuglezas, libras.
de aratuta, libras.
Bananas.
Bscoutos, libras.
Carne de porro, idem
verde, idem.
> salgada, idem.
Caf nteiro e moido, idem.
Cha hy.-.-uii. idem.
Chocolate, idom.
Carvo, saceos.
Doce de banana, libras.
. do guiaba, idem.
Farinha de araruta, idem.
de mandioca alqueire medida veiha.
Farinha de trigo, libras.
Frangos.
Feijao preto, alqueire.
Calimbas.
Laranjas.
Lenha, actias de 4 palmos de coniprimeoto.
Le te, arralas.
Macar rao, libras.
Manteiga iugleza, dem.
> de porco, idom.
Marmelada, dem.
Ovos.
Pes de 2, 4 e 6 oncas, libras.
Rap, idem.
Sag, idem.
Sal, alqueire.
Toucinho de Lisboa, libras.
Tapioca do Maranho, idem.
Vassoura de piassava.
Vinagre de Lisboa, garrafas.
Velas de carnauba, libras.
de spermacete idem
de cura branca, idem.
Viuho blanco, garrafas.
> tinto de Lisboa, idem.
u do Porto, idem.
> genuino, idem.
Expediente.
Ara preta, libras.
Caetas, duzias.
Lapis, idem.
Papel alruaco pautado, resma.
hollanda grande, folbas.
> peqneno, idem.
Penas d'aco, caxa.
Tinta preta, garrafas.
Por aluguel.
Sanguisugas hamburguezas.
Hospital Militar de Pernambuco, 14 de a^oslo
de 1864.
il ..- .. >'. i..... int..i m.i_
Juo Tiburcio de Souza Guimare^.
lixas com 18 develas de carnauba ordi- "e aq.a i
aria, 10 dilas com 10 de dita diu melhor, 290 porta e di
lelos de sola, 15 couros sagados, 100 counuhos fe avaiiaa
m cabello, 2J saceos com 92 e7 g de carnauba,; jan ella na
B'asitas Vermfuga de ftemp.
Criancas atormentadas por vermes, podem ser
aliviadas com urna s dose.de Pastitlias Vermfugas
de Kemp que sao incitantes em apparencia c deli-
ciosas demais, no sou gosto para serem rejeitadas.
Estas pastilhas sao muito procuradas por quatro .
motivos ; ellas nao contera mincraes, nao precisam esleirs de pallia de carnauba, 6 saceos com 34 .
depois de purgante,- cffectuam o que se desoja sem i e 47 u de algodo em pluma; a ordem.
cansar dor. As criancas esto prmptas ta tomar i sacco com 6 (a) o 9 de algodo em plumo, 7
mais do que marca a receita. dilas com 28 (J e 22 de cera de carnauba, o
Nenhuma rai que j as tenha experimentado' caixas com 3 (a) de velas de carnauba; a Francis-
co Gomes de Mallos Jnior.
bas no lugar lo Urub da povoaco de
ma de mandioca,. 18 desle termo, jumas ao rio Beboribe, sendo jmbas
de carnauba ordi-1 do laipa coberfta de lelhas, sondo a maior com urna
duas jMiellas na frente e 26 palmos de fren-
la pur 110*000, e a menor com porta el
na frente o 24 palmos de frente, avahada por
23 molhos com 575 courinhos curtidos, 53 saceos 190*000, ambas em terreno rondeiro.
com 29 alqueires de gomma, II molhos com 2201
ebegado
0 brigue portuguez, Bella Figuenense,
hontem de" Lisboa, manifestou o seguinte :
30 caixas. batatas; a Candido A. Sodre
Metta.
73 ditas velas de cora ; a Domingos Rodrigues |
de Andrade.
25 dilas dila s a Thomaz Fernandes da Cunha.
40 saceos pimenla; a Manoel Joaquim Ramos e i
hegue a noticia a lodos mandoi
pas-
eos-
sar o presente que ser allixado no lugar do
turne, e publicado pela imprensa.
Dado e pass ido nesta cidade de Olinda. aos 3 dias
do mez de agosto de 1864, sob meu signal e sello
deste juizo, va ha sem sello .es-cansa.
Eu Francisco das Chagas Cavalcanti' Pessoa, es-
erivao o subsc evi.Manoel Antonio dos Passos e
Silva Jnior Ao s<'llo 300 res.Valha sem sello
da: ex-caosa.Pasos Jnior.
aatr
de Olivera, Aiito, escravo de .lose Alonaos ae U||)a vcz er 0Ulr vermfugo na sua rasa.
Froitas, Angelo Custodio da Silva Souza, alteres v ven(]a por ,odos 0 pnmeiros droguistas no
Lupercio Gahagem Chaihplom e sua senhora, Jos irnuerio c eill Pernambuco por Caors & Barbosa,
Procopio de Souza Mendonca, Jos de Albuquerque e j ja q i3raVo & C ""
Mello, Pedro da Silva Reis, Manoel Joaquim da Sil- '____
va Leo, Dr. Joo Antonio Babia da Cunha, Dr. grs redactores._0 Constitucional em seu n. 27
Antonio deCarvalho Rapuzo, Matheus Nespazeano deu ch ao m.iU habll ,iuii 0 SIH correspon-
Brandao, Jos bonealves Torres, Francisco \as- den|e de jjazareth de fallar a verdade, e ser ridi-
concellos de Menilonca.Rodelpho l-enck; l-rancisco culo> uando" diss, que Benedicto Iudtgena Lima,
Duarte das Noves, Joaquim de Souza Ferroira, seQ prtiSumoso alliado, foi preso na porta do tribu- Silva & Genros.
Paul Caben, Francisco Jo>e de Olivera Machado, na[ do jury [)or quanl0 tai pr,s0 u.vti |Uyar na; 30 barris hourioas ; a Tasso Irmaos..
Joao Beruardino da Costa Cardo, 1 desertor e 11 teberna do $v. Joaquim Francisco de Mello, o que 24 dilos vinlio, 4 caixas ervilhas e 4 ditas amoi
ox-praca. pa(|em alUrmar os Srs. padre Antonio Joaquim, xas ; a ordem.
seguem para o norte : Buarque, Bernardina Jos Serpa, o mesmo Mello e n pipas vinho a H. L. Percra Jardim. | A Illm.''junte administrativa da Santa Ca.-a da
Senador Francisco de Paula Pessoa, 1 hlho o 1, oulr( 'j^ de admirar ,|lie um individuo sem | 27 ditas, 2 meias e 10 barris vinho, 300 saceos Misericordia db Recife, manda azer publico que
escravo, Antonio de Araujo Pere.ra Joao Uinsos- euucaca UC a69se a0 raau costume, mas, causa I farello, 230 caixas ceblas, 64 diUs-velas de cera, no da 18 do oirrente pelas 4 horas da wrde na
lomo Rapozo Braga, Jos da Silva Rapozo, Bernar: nnirl tmo t(1|ina sectaros: e disso facam carbo. 318 dilas e 300 meias passas, 30 barris azeite, 1001 sala de suas sessoes tem de ir a praca as ruo<
CoBselHo ailiiitiisliali>o.
O conselho administrativo para lornecimento de
arsenal de guerra lein de comprar os objectos se-
guntes :
Para a eompanhia de artices.
80 bonets.
3 dios para reeralas.
96 pares de platinas.
74 mantas de la.
535 paros de sapatos.
448 covados de panno azul.
474 capotes de panno azul.
18 covados de casemira encarnada.
276 covados de bata verde.
336 covados de hollanda de forro.
1,517 varas de brim branco.
1,335 varas de algodozinho.
48 varas de aniagem.
1,344 botoes grandes de metal amarello com-
bomba.
672 ditos pequeos do mesmo metal com bomba.
173 pares de clcheles pretos.
Qiiem quizer vender taes objectos aprsente
a sna proposta em carta fechada na secretarla do
conselho s 10 horas da manhaa do dia 17 do cr-
reme.
Sala das sessdes do conselho administrativo para
Existem....... 349
A saber :
Naeionaes..... 277
Eslrangeiros... 19
Eslrangeiras... 3
Mulheres...... i
Escravos...... 44
Escravas...... 5
349
Santa Casa da MisericordiaIg^""* ..**
fll Ri+V Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel-presidente.
Sebaslio Jos Basilio Pyrrho,
vogal secretario.
Coasellio de compras navacs.
ex-praca
Passagciros do vapor inglez Oneida, vindo
dos portos do sul :
Hodolph C. Grosz. Joo Francisco de Vasconcel-
os, Josefina Peres Gomes, Maria dos Anjos, Hyppo-
Bo Edmond Itochere, Catharina Oliveira, senador
Frederico de Almeida Albuquerque o 1 criado, |
IJerman Ro^ing, John I. Weth, Ernesto Cunha.
de os ver com lo mos hbitos.
Cacicul, 8 de agosto de 1864.
Jos Jerowjmo Pacheco.
Alimentados custa dos cofres provinciaes 142
____________,________________^________________ Jos Gomes ^ e#rga, Theodoro Creon Raslyn, R. \on .
cia. Todos os que, leiii diploma ou ch7 de forma* iSeyfrled, Albino da Silva Leal, Jos 'Gomes de
tura, que nao sao cartas de exame, como passavam '' Amorim, Thomaz W. Roylc, Willlam Rawlinson.
os prtto-medicatos, e anda passa o collegio de c-; Passagciros do patacho brasleiro Valente, \
Rapbael ltabello.
7 pipas e 13 barris vinagre, 36 caixas de velas
de cera, 10 barricas c/a era grumo, 8 ditas taba-
co ; a Thomaz a'Aquino Fonceca.
50 barricas alpista ; a Marques Barros & C.
50 ditas dita ; a Cunha Irmaos & C
50 ditas dita ; a Jos de S Leilao Jnior.
320 ditas dita, 4 caixas vinho ; a Custiidio Jos
Passage.ros do vapor inglez Oneida, saludo L,0 _lie exp em ?eu n.29, sob a epigraphe-as- Alves Gu.mares.
1 sassinalo pela polica.presentando contra o abai- 15 pipas e 2 meias vinho, 10 barris vinagre, 100
xo assignado urna denuncia perante autorrdade ditos toucinho, 33 ditos e 50 caixas azeite, 100 di-
coinptenle, spb pena de sor (ido por calumniador, tas ceblas, 4 ditas bolachas a Thomaz d'Aquino
Cacicul, 8 de agosto de 1864. i FoncecaJum'er.
Jos. Jeronymo Pacheco d'Albuquerque Maranho.; 10 pipas, 10 meias e 2o barris vinagre,
Srs. redactores.Peco-lhs que decm publicida-
dc s seguintes linhas:
0 abaixo assignado provoca a redac^-ao do. Cons-
titucional, para que assumma a responsabelidade.
para Sowthampton e poi
Joaquim C Resende Refro, sua senhora c 2 fllhos, i
rurgioos de Edimbourg. salm di>to, e podem re-, sabido para o Cear :
correr aos sellos de seus diplomas ou cartas defor- Angelo Petre,. Thomaz Equi, Pedro Bertolene.
matura para verem que nelles se acha declarada a Passageiros do brigue portuguez Bellarqnet-
Universidad* ou Faculdade em que sao formados, rense, vindo de Lisboa:
Em Madrid ha urna Universidade composta de cln- D. Maria da Gloria Souza, e Jos Maria de Al-
eo Faculdadosque sao de:Philosophia,Theologia, meida.
Direil", Medicina e Pharmaciareunidas, e nos Passageiros do vapor nacional Princeza, sa-
diploimis so deve declararCniversidade de Ma- hido para o Para e portos intermedios-:
drid o Faculdade de........, como-se v nos di- Pedro de Alcntara Magallies, sua'senhora, sua
plomas dados pola Universidade de Franca. ave, sua tia e sua cuiihada,- Jos. Feliciano Mel-
No original se l:-en virtud de esta nuestra quiades e 2 escravos, Lalanne e sua senhora, Dr.
carta-, e isto moslra que se nao trata de diploma Alfonso Saulmer, Dr. Julio Andreme, Pedro Jacin-
ou caria de fin-malura que conere grao; mas de tho Pinto" da Gama, Joo Gomes Ribeiro, Mariano
carta de exame.m qual se da liceuca para exercer-Olimpio de Carvalho, Julio
a arte medica. Como se v, nesta caria se nao con- E. Doiz c sua senhora, Emil
GQMMERCIO.
C4IW FILIAL
DO
. Wl%CO 0O BKASIL
- EM PERNAMBUCO.
A directora desta caixa, cm virtude de ordem
da directora do Banco do Brasil, avisa aos Srs.
accionistas que o respectivo thesoureiro est autoi
Carvalho, Julio Mximo de Carvalho, i d a gar dv"idendo das "accoes da meema
> ronhArn Irt*\i ia I hit llr* Ll-.i im. a .. *. ~w...*-
Luiz,- Dr. Jos Ban- caixa ,t0-seft,estre findo em 30' de jonbo prximo
tere grao aigum, e nao s com um exam, mas dewa de Mello eu fllho, sua irmaa,-i escravo, .passado na ms0 de 8*500 por accao.
depois de diversos que se obiem um grao de for- j e 1 criado, Jos M. Baadcir de Mello, Angela Hy^, UtCfe 14 de jUmo de 1864No impedimento do
matura, que nao. licenca para exercer proflssao 1 pohta Bandeira de Mello, Igoacia Mana Bandeira secrelari0, Ignacio Nunes Correia. '
Isto sabe perfeitamenie quem tem cursado Univor-1 de Mello, Samue Hygino, Antonio da Costa Martras,!
sidades, ou Vacuidades de medicina, epaa desen-\ Joaqiriro Ignacio P. Jnior, D. Anna Botelho, sena-,
gano, nao Basta mais do que recorrer-se a todos os! dar Frederico de A. Albuquerque e 1 criado, Ma- j
diplomas ou carias de for matara dos hachareis e theus Nunes Bandeira de Mello, e 3 escravos en-
doutores que existem nesta provincia enmprindo; tregar. ^ .
nao confundir a deoomlnaco de licenciado, que Passageiros do vapor -brasleiro Oyapock, en-
outr'ora se dava quetle qu'e obtioha, depois" de um trado dos por tos-do norte :
exame, licenca para exercer a arte de eurar, deno- Coronel Joo Baprisla Pereira Lobo, Dr. Ovidio
NOVO BANCO
DE
P JE RN AME 1TCO
EM 16 DE AGOSTO DE 186V "
O banco desconta na presente semana a oito por
minacao que veio de Hespanha e alli se conserta, | da Gama Lolio, 1 Blha menor, 2 criadas e 1 escra- ceuU) ao anno ^ 0 praso- de qualro mezes e *jj
com o grao de licenciado conferido outr'ora pela va, Manoel Jos Ribeiro Guimaraes, Germano Fran-! cenl0 al 0 de seis mces, c faz emprestmos
,..,,., ..,,;,l.,l I I 1 Vl'ir.'l A lHOnina M.1 milP. On. AlHOllia t1 mn- ri__.:...l^. ,._^_____!___
universidade de Coimbra, como se pode. ver no
cap. 8* do til 5" dosa antigs estatutos aquella
Universidade relativos" ao curso medico.
< Para que o Sr. Asiudillo e Bussaras tivesse o
grao de licenciado era preciso qne Konvesse tido o de-
liacharel formado ; mas onde est o diploma que
Ihe confere este ultimo grao ? Ello nio- apreseota
diploma que Ihe confira grao algum dado pela Fa-
culdade de Madrid. Nao tardar muito qu lenha-
mos os precisos esclarectraenlos procede&tes roes- gilva, Joaquim Jos da Silva Jnior.
m de Madrid. 1 Begucm para o sul
co deOliveiraAntoninaMarqueloo, Antonia Fran- bre titulos comffierclaes.
cisca Ferreira de Campos, i'odre de MoraesSaaUa- .
go, Sancho Fbrreira Gomes e 1 criado, Antonio Ma-'
noel de-Souza Oliveira, Manoel Jos Pinto, Jos
Fortunato de Souza Jorge, Joaquim Antonio Pereira
Vinagre, Manoel Darioo Alfredo Tavares Franco,
AntoniJ Dias Pinto, Francisco de Almeida Brag,
Joaqoim Jos de .Mediros, Manoel de Medeiros
Carvalho Jumur, Uidoro de Figueirodo Marques da
Alfandega
II Amento do dia 1 13......'.,
dem do dia 16.................
'
vi
37>.7S8i870
11-. 784*260
397:553*130
Mo*iiBcntu da alfaadga
Volamos entrados com fazendas... 13e
50 ditos
cal ; Manoel Ignacio de Oliveira & Filho.
6 volumes drogas ; a Joo da Silva Faria.
4 ditos ditas, 1 caxa carne cusaccada; a Andra-
de & Mello.
10 ditos ditas; a Jos Baptista da Fonceca J-
nior.
. 3 dilos ditas a Joaquim Marlnho da Cruz
Correa.
4 podras de cantara; a Luiz Jos- da Costa
Amonm.
2 caixas ervas medicinaes, 20 barris vinho ; a
Joao Licio Marques Jnior.
6 caixas vinho, 10 ditas batatas ; a Manoel Jos
de Souza.
2 barris vinho -. a Joo Ribeiro Lopes.
40 barricas alpista, 60 ancoretas azeitonas, 4 cai-
xas massa de tomates, 100 barris cal ^ a Palmeira
& Beltro.
Recebedoria de renda internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 13........ 18:084*574
dem.do da 16..................3:438*513
.
21:523*087
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 13......-..-. 20:937*002
dem do dia 16................. 5:267*546
" -_____*_ _
32304*648
seguida declaradas por tempo de
nps
entes devoto comparecer- acompa-
eus adores ou munidos de cartas
destes.
Patrimonio de orillaos.
Rna do Imperador,
e 81 publico 2 andares. 1:202-5000
Ra de S. Goncalo.
N. 10 partcula^- e 2a publico casa ler-
N. 2 particular
rea.
N. 13 partcula
rea.
Ra dos Pires,
e 39 publico casa ter-
Roa do Vigri.
e 27 publico 2 anda-
N. 72 partcula
res.
Ra da Senzala Velha.
N. 80 particular] e 132 publico 2 anda-
res.......
N.82 partirular o 16 publico casa ter-
rea. .....
J Ba do Pilar.
N. 91 particular] e 105 publico casa ter-
rea. ... ...
Becco das Boias.
NJ 39 particular e 18 publico 2 anda-
res. ."......
Ra do Amorim.
N. 56 particular e 26 publico casa ter-
rea.
Mirueira.
to.
Navios entrados no dia 14.
Portos do sul -6 dias, vapor nacional Princeza, de
917 toneladas, cammandante 1." lente
Atanjo, equipagem I.
N. 4 particular s
Esta bel eci meatos de caridae.
Ba Direta.
N. 3 particular d'8 publico, 2 andares. 1;067*000
Bu do Padre Floriano.
N. 3 particular'e |47 publico casa ter-
rea. | '. .
N. 8 particular e 43 publico casa ter-
rea. .
Becco da Carvalha.
N. 5 particular e |10 publico casa ter-
rea. .i......
Roa do Fagundes.
N. H particular e 32 publico casa ter-
rea.
Becco do Cafabouce.
i t 39 particnlar e 2 publico'easa ter-
rea .....196*000
Roa de Santa Thereza.
N. 31 parlicnfar e.7 publico casa ter
rea. ........
Ra da Boda.
A. D.|N. 36 particular e.5 publico- casa tet-
rea, .
Promove o conselho era 20 do corrente mez .
vista de propostas recebidas ueste mesmo dia al
as 11 horas da manhaa a compra dos seguintes al>-
jectos do material da- armada :
120 pegas de lona de 1 qualidade.
20 varos de cobre de i|4.
20 dilos de dito *de 3|4.
20 ditos de dito de 1 pollegada.
20 arrobas de ferro em. varoes de 5|4.
20 ditas de dito em varoes de 1|2 pollegada.
10 ditas de dito em varoes.de 5|8.
10 ditas de dito era varoes de 7|8.
| 10 ditas de dito em varoes de 1 pol'egada.
.10i*000: 73 bragas de amarras de ferro de 6(8.
10 duzias de tabeas de costado de pao carga.
naanrini 10 duzias de taboas de cosUdo de amarello.
603*01)0 30 duzias de taboas de araarello para assoalbo,
i de 26 30 palmos de comprimento.
' in*n t 10*000 |2 duzias de taboas de amarello de 1 li2 polle-
nAA Miai aa grossura.
-01*060 jo duzias de taboas de pao carga de 1 lr2-pol]e-
gada.
,^,.a,m. 10 duzias de taboas de pao carga de 2 polle-
163*000 gadas.
145 covados de damasco 3e seda verde, e 20
..... pelles.de marroquim encarnado.
360*000 go arrobas de almagre. .
40 arrohas de er. .
i 120*000, ioO camisas de bata azul,
awaanwl taboas de assoalho de amarello de 50 palmos
-l3*0Wi limpos de coraprlmenta '
6 duzias de taboas de assoalho-de amarello, de
38 palmos limpos.de comprimento. -
20 arrobas de estopa de algodao. '
200 pegas de linha alcatroada o meriim..
100 saceos proprios para conduccao de carvo
de pedra.
'20 duzias de taboas de amarello .ou linbatico,
pofunjuj ou ararib de 3 1|2 pollegadas de gros-
sura, e nao menos de 30 ps de comprimento, e
40 duzias de taboas do madeiras dilas de 5 polle-
gadas de grossura e nao menos de. 35 ps de con-
primento.
Tambera o conselho contrata, no. referido .da 20
vista igualmente de propostas recebidas, o foroe-
cimento at setembro do corrente anno. de cober-
tores de la e colchas de algodao para os aprend-
zes arlillces.
Saos os contraanles sujeitos multa de 10 0 pea demora na entrega dos obieclos, e de 20 0|rj
se nao realisar, daforem elles de roa qualidade.
' .Sala do conselho de' compras navaes 13 de agos"-
d 1864. .';:
Alexandre Rodngn* dos Anjoi.
Secretario.
186*000
169*000
.140*000
155*000
197*000
96*000

'

i
!




.fcJMX 9k MO*/
-Diario de rcr
bueo |u n j lelra IJ de Agosto de IS1
K epartteo I das obras pnhlleas. ]
Pe-la reparticao daa obras publicas san intimados
es preprietarioe" da ra da Aurora, abaixo men-
cionados, para que no praso dd 15 das, a contar
desta dita, deem comeen a construecao dos pas-
sijios fle suas casas, segundo o dl^posto na regula-
ment de 27 de junho dOste anno, sob pena de se-
ren os mermos passeios ejecutados por adminis-
trar*).
i Templo dos tnglezes.
1 too XVes RodrignesdaCosa.
3 Jos Daniel Carmo flu Cnhn.
4 Vicente de 'Pn'h Ifvelra fillasboas.
* Marta Parante d Costa.
ti Dr.Joaqaim Francisco de Miranda c ontros.
7 Mara Ttwadorad'Assumpcio.
- 8 Antonio de Azovedo Vilaroueo.
9 Herdeiros de Jos Jaeintho da Slreira.
10 Os raesmos.
11 Viuva e herdeiros de Joaqun Jos Letrrenco
da Gasta.
13 Hurdeires de Bernardo Btnrle Branda*.
13 Mara Joaquina da Tnndade.
14 Jeanna Mara de Dos.
lo Herdeiros de Manoel tioncalve da Suva.
10 Caetaao da Sil va Axeved.
17 Dr. Lujz Felippe de Souza Leao,
18 Mara das evesaraeiro de Cunta.
19 Joao Jos de Carvalhn Moraes.
Ilepartico das obras publicas 13 da agosto de
1864.O secretario Interino,
M. S. de Mallos.
O Sr. Dr. load dos Sabios da Silveira queira
4risrir-se adminisjracao do oorreio, afhn de re-
ceber ama carta viuda 0o lm de Janeiro eom re-
ctmimendaco. ,
CeHselke administrativo.
O -cooselho adaunUtcatrvo para fnrnecimento do
arsenal de guerra tem do comprar os objectos se-
guintes :
Para a compaabi de cavallaria.
SSbonafs.
6 ditos sera .palla para recrulas.
fW pares de bulkw.
161 pares de |iyas.
61 mantas -de*fia.
7 pares de sjalos.
't bandas de la.
3>9 covados de panno- atol,
378 covados de patmoapilpara capotes.
7 3j'i corados de casemira eucarnada.
7 3f4 ovados de casemira-verfle.
42 corados de hollanda de forro.
378 eovados de bata -verde.
760 varas de brm branco.
307 varas 4* alfiudoritho.
'U aras de aniagem.
868 batees grandes de mnularoarello liso.
41lt ditos pequeos de diio drta.
12o pares de eolchetos.
Quemquizer vender taes objectos^presenteasua
propoiOa em eartH /echada na secretara do conse-'
tho. as t horas da manhaa do da 19 do r.srrente.
Secretaria do consol lio administrativo para for- ,
necraento do arsenal de guerra, 12 de agosto de
1864.
AaloiMo Pedro de S Barreto,
coronel presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pgrrho,
vogal secretario.
JIoje lera lugar, linda audiencia do Sr. Dr.
#rovedor, o arrendamento judicial da casi de so-
brado da ra da Cruz n. 44 durante um triennio,
por 1:2005 animalmente, requerimonto da ir-
mandadedeS. Benedicto, como consta do escrpto
que tena o porteiro do juizo,
Aha-se legalmente depositado nm boi de c6r
preta que foi encontrado na Soledadc : quom se
julgar com direito ao mesmo boi,provandoser-lhe-
ha entregue.
Subdelegada de polica da freguezia da Boa-vis-
ta, 16 de agosto de 1864.
O subdelegado em ejercicio
Dedo de Aquiio Fonseca.
Tribunal do com mi'icio.
Pela secretaria do tribunal da commercio de
Pernambtico se faz publico que nesta data (ira re-
gistrado o contrato de sociedade feilo aos 3 do cor-
rente mez por Francisco Antonio da Costa Ribeiro
e Theodoro Flix de Mello, estabeiecidos nesta ci-
dade sob a firma social de Almeida, Ribeiro & C,
da qual s poder usar o socio Ribeiro ; devendo
a mesnia sociedade durar por espace de 4 anoos,
contados do 1" do referido mez, corn o cap>tal de
11.6005, forneeidos 10:0005 em commandila pelo
socio Mello, e 85 porcada um dos dous ullimos,
que silo os nicos responsaves.
Secretaria do tribunal do commercio-de Per-
nambuco 12 de agosto de 18i.
Julio Gnimaraes,
Oficial-maior-
Tribunal de commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se. faz publico que nesta dala tica re-
gistrado o distrato da sociedade de Joaqnim Luiz
Vieira e Antonio Manoel Rastos, que gyrava nesta
praca sob a firma de Joaqnim Lo.it Vieira & C. ;
em vrtude do qual (ka o dito Vieira de posse do
estabelecimento, c Bastos de posse do seu capital
'. lucros em-dinheno e letras aceitas pelo mesmo
Vieira, e exonerado de qualquer responsabilidad!!
futura.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
aambueo 9 de agosto de 1864,
Julio Gnimaraes.
Offu-ial-jnaior.
felarSo das carias Regina viudas do sttl pelo la-
par i Piteen para os senhorrs ahaixo de-
clarados !
Dr. Alvaro afonleiro de Castro.
Antonio Luiz de Oveira Azevedo.
.Antonio da Silva Kerreira Santos.
Jspiridio Zamiro Lopes de Souza.
francisco Xavier de Mallo* letles.
fezuino Pinto Meirelles.
loaquim Kerreira Ramos,
loaquim Francisco da Silva Jnior.
los Joaquim iiaymnndo.
Jos Pedro de Parva Baracho.
Jos Roberto da Silva.
Viriato Sergio de Moura Mallos.
Pela administracao do correio desta provin-
cia se faz publico que ho;e (17) as 3 horas da tar-
1e,,fechar-se-hfio as malas que tem de conduzir o
vapor Oyupock com deslino aos porlos do sul. As
le Lino Jiislinianode Almeida Pires i'Baiiia >.
icio Hrteio. '"* ".-*Vvf
Satyro Raymndo dos (Santos.
AVISOS M1RITIM0S.
no segundo andar'do sjlnaco da ra do tfre
7, onde ter lugar o laila-.
' Ohima-flra" 15 noxortente
As ti horas do dia.
respo n..
DE


GOMPANHIA PERNAMBUGANA
DE
Navegado cosldra a vapor.
Parahjba, Natal, Mace, ArneMy, Cear, e Acarac
W) da "22*) corten, se^ue o
por Joguoribe, romnrandnrjte
Lobato, para os portos cima. He-'
be carga at o da 20. Rneom-
, passaoeiros e dioheiro a
ate o da da sabida ks 3 horas da tarde do
dia da sahtda : escriptorie o Porte do Wattossu-
men) 1.
GOMPANHIA PERNASfmjGANA
DK
IVaYega lcelo n escalas.
Xa para os pnrtof do sul um dos va-
pores da Coinpanbia Peruumbuca-
Recebe carga at dia 24. o-
_ femmeridas, passageiros o diahei-
"o dia da saluda as 2 horas da (arde
escriptorio no Porte do Maltas n. 1.
ftftM*
agauleTintoTara leilo por. cunta 3 aTverso
de um escravo o qual laxeelente serrador, de
urna prea que lava, engomma e costoha e de urna
dutra propria para todo e qualquer serVico de oa-
s: istos 10 t[ horas do dia cima dito, em
frente a Associacao Commercial
A pessoa (pie lier arhado_ um pemtano masso.
^f? einco ou sais oartas que st dirisiam
diflereumes pmtsoas da fregnezia da Roa-Vista, por
octaslilo da chegada dos vapores in^lez ePnnceza,
procedentes do Rio de Janeiro, queira entrega-Jas
ao distribuidor dallas .naquella freguezia, ou na
administracao do correio", que se llie, 4icar sum-
mmente-grata.
LEIUO
2 vtecas, l earffa,|n -cavallo c ar-
HAlaafl
TTTtW
Sita- ia wdto e; |84,
-Na ra da Cadea a. 51, lajn de Jolio da Cu-
nha Magalhacs, deseja-se fallar ou saber onde exis-
to o Sr. Jow Poftella, fflno 4 Beato Portel!, na-
toral de1**togl fregaexfe de Sampaw da Portel-
i onslho de Penafieletiispado do'Porto, o qual
consta estar oesta cidade.
FGIDA.
O agente Pinlo fara leilSo por -eoAti -de quera;
portenrer de duas vaccas, sendo una malabar
outra criul*, urna carraca nova goh arrios tam-
bem novos um cavaRo : s 10 horas do dia ci-
ma dito na praca do commercio em frente a As-
sociacao Cuoiiiierrial.
No da docoirent fugio um pwrf" *-
sa-ttarDada Crin n 48, vwindo-na drecefioda
de Apollo, grande e bonito, tem os pe om
inchaffo*, urna especie eV-eapa branca,
teudo em um rff iu >futa Ob latao, mal feMa :
4uem o pesar, ou der noticia certa onde ejgJQJa,
era genar|aBnter recompeasailo na mencionada
*asa acma.
Para o ftw de Janeiro
pretende seguir com muila brevidade o veleiro
briguenacional Almirante, Um parte de seu car-'
regamento promplo : para o resto que Ihe falla e
escravos a frete, para os quaas tem excellentes.
commodos, trat-se' com es setts consignatarios An-
tonio Luiz de Oveira Azevedo & CT, no seu es-
criptorio roa da Cruz n. i. '
Para a Babia pretende sabir com
muila brevidade o veleiro patacho D.
Lniz, capillo Jos Teixeira de Azeve-
do, por ter parte, da carga engajada;
para o resto que lhe falta, traia-se
com os consignatarios Pal metra c Beltrao, no largo
do Corpo Santn. 4,Trimeio-andar.
atm!
Rio e: Janeiro.
O palhabote Bella segu com brevjdad, recebe
carga a frete : iraia'se com os cbhsignatarios Mar-
ques, Barros A C, largo do Corpo Santo n. 6.
LEUDES.
LEIILAO
BC
i
HOJEla
0 agento Pestaa vtnder por conta e risco de
quem pertencer diversos objeotos de mobilia co-
me sejam : i mobilia de amarello. cadeiras, mar-
quesas, mesas, eonomodas, candelabros, serpenti-
nas etc., e muttos ouiros diversos olije. !os que es-
tar.io patentes aos concurrentes : quarta-foira 17
do crreme ao rneio dia na ra do Vigario n. 13,
primeiro andar.
Qiiarta-feira 17 e agosto, s 11 horas
a ra da Caricia n. '.')'>
DE
l'ma crio.ula de nomo Maria, dade 2o annos, sa-
dia, engomma, lava bem e cosinha mellior, com
um filhinho preto do norae Juvcncio, idade um
anno, anda mama e est bem nutrido por ter
bom leile.
1 co agente Euzebio se vender urna escrava
com leite. bom e abundante por estar criando an-
da um filhinho idade 1 anno, pelo maior p/eep que
se acltar. bem robusta, forte e sadia : os preten-
dentes aproveitem a opportunidifde.
JLElJLAa
uoJE
Quarla-feira 17 to coi-rente, s \ 1 lio-
rus, n.i i ii i ta Cttlcin n. .>;).
DE
Urna casa terrea na ra do Fogo fre-
. gaezia da tarzea.
Para se passar a testa.
Pelo agente Euzebio se vender em leilo pelo
maior preco que se adiar a casa terrea como ci-
ma se indica tendo 2 salas, 2 quartos, cosinha to-
ra, cacimba, quintal contendo diversos ps de ar-
voredos. que se coliiem bons fructos e de exlenco
cerca de 280 palmos: os protendentes poderao
entender-se com o referido agente para infor-
mar-se.
i.i:ii.\o
lima casa oom grande quintal i.-Jilii-.nla em
daos (woprius na ra do iogo da Brilla
u. ao em O linda.
Sexta-feira, 19 de agosto de 1804.
O agente Pinto legalmenie autorisado far leilo
da casa cima Indicada, s 11 horas do dia supra-
dtto em frente ao estabeleclmento des Srs.- Pal-
meira & Rellrao, na praca do 'Corpo .Santo.
-ffttn as Mltliok
. ': .' : .(i/O
ABIAIRI
.

'



fe i ilS& !
tK


A


Acha-se fugidd tS das um escravo nomeJoao, conbecido.por Joio morgadoy- cuinos
ignie* segutrtes : cor preta.'-aituM rgdlar, ca-
neJte finas, pea chatos, en ama das mi* um dedo
pollegt alegado, etO escravo pertcnceu Wco
1ffo[^abeab^.1trtton1ol!fimoe1 do Hftgc- Barros
do ebgeuho "Boto : qutortopegar 1eVe-ao errgenfte
Amaragi da esta*5o de Rrbelrao dae rpr recom-
pensado, asslta chut o sEtt'senhnr protesta contra'
quem o livor Montado.
UBTKEIRO -VWMnK.
Ueste estbetetiracnto ha sempre um sertimento completo de poaN fdfca de
|"todas sis (faMaes, tambera se manda fazer prjrraetJida, vontafle dos-Concur-
rentes, paa d que tem van dos melhores prafeasores, assim como tambej tean-win
grande e varado orttmento de fazendas deludas as qualidades, para seabatfas,
iioraens e meninos.
Casacas de panno preto, 350 30jJ000. Ditos de setim preto. 5,5000)
Sobrecasacas dem, M| 25^000 Ditos de ditos e seda branco,
Paletos idem e de cores, 25$. | fifi t.......
2G0, W e U^OOO DiUs le ganuurio de a*
Ditos decasemir*, 204 lo,
123, IOS e...... 7,5000
U,
500
liEIIiJLO
48 caixas com folbas de Xerro tgalvenisado
.proprio para-cubrir tellieiros, e .17 bar-
ricas com 425 latas com tinta em maisa
de diversas cores.
Seqiuidu-feira 'O de -agosto.
O agente Pinto far leilo por conta e risco de
qnem pertencer dos objectos cima mencionados
existentes uo armarem dos Sr. Annes em Trente
alfandega, aonde se effoetoar o leilo s II horas
do dia cima dito.
rugi ddfetlgeniro Gctra', de ^pojuca, opre-
to Jos Huniz, perlencenle ftTica dotteslbo
engenho : qnem a apprehender pode leva-lo ou
ffemette-lo ae abati assignado, ou enfraga-lo roa
da Aurora desta cidade a..3B, que sof' divida-
mente recompensado.
_______________FraBcifco A. de'TJlivtfa. !
Allende.
PrecUa-se fallar eom o Sr.-Jofio Jos Garreiro '(
Jnior, natural da.ilha de S. Miguel; vndb b tres \
lueies no patacho Sonza, parase Ihewtregar tima
anconlmenda emmSo Broprta rinda da raesma^
DE
Predios e '15 ac($es da es-
toda de ferro.
72, solo
r Feira semanal
DE
Trastes ocos e umdo*, crys-
taca t outros muitos objectos.
lafOJE
Quatta-feira 17 dn carrale s 11 ho-
ras, no arsnazcm a ra da (adeia
do Itr-eife n. 48.
solo fo-
i, sel-
3o. solo
proprio,
1 casa terrea na ra do Caldrlreiro n
foreiro a Sania Casa, rende 253 meneas*.
i dita dita na roa de Santa Hita n. 49,
reiro, rende 145 mensae.
1 dita dita na travessatlo Curcureiro n.
foreiro, rende iti monsaes.
1 dita dita na ra das Trincheiras n.
proprio. rende 235 mehsacs.
1 dita dita na ra do Fogo n. 29, solo
prende 205 mensaes.
1 dila dilanas Cinco Pont*? n. 98, solo proprio,
com um terreno no fundo e frente para outra ra,
rende 265 mensaas, esta casa onde existe urna pa-
daria enjos pertences 'bem como forno, marek-aj
lendedcira, cabide, caises envidracados, 1 dito
liara deposito de bolacha, t balean, grade que divi-
de a ca didos junamentc com a pro]neQade.
8 moias aguas na travessa da Palma de ns. 4 a
11, que rendem cada urna 10J mensaes, foreiToa
manaba.
3 casas terreas pequeas ni mesma ra de ns.
1 a 3, rendem 125 mensaes, foreiro a Misericor-
dia de Ollnda.
1 caixao de peda e cal em altura fle recebar
travejamento na ra da Concordia n. 07 com 40
palmos de frente e 70 de fondo, em cujo terreno
esto col locadas cinco casas que rendem 85 cada
urna, foreiro a m irinlia paga 2-3100 por auno.
13 aecoes da estrada de furrn. a. Preci>a-se de urna ama qne ta$ o servfo in-
Ter^a-feira 93 do ci>rrctc. temo e externo de urna casa de pmca fami'ia : na
O agente Almeida autorisado p r Antonio loa- i rna do Queimado n. 17. Regando andar,
quim aos sanios' Andraec, rameril ti citro >-1
predios cima, porta di Associagao Commercial.
35-iOO
3)5000
43000
Iha, na ra da CaBeidcr tteciTe
andar.
n. :, primeiro
O niais completo e variado sorlimerilo de albuos
que se possater visto em Pernambuco, acaba de
chegar de Paris casa de J. Falque, ra do Crrs-
po n. i; sendo de 20 al 100 .retatos, e por prc-
ops nonca vistos aqu, em attnco a boa qualidade
e gostos, regulando de 35 e g(adualmonto a't l'5-
Assim como um bonito sorfmenlo de livrs de
urissas de diversos gustos i; presos ra^oaveis.
O ahaixo assijjoudo fax soionte a seus des-
dores que de a muito lhe devom que nao est re-
solvdo a esperar mais,,porque est em liquida^ao
o por isso tem de entregar Mes tobrancas a um
procurador, aquel les (jue nao i|uir.i,>rem passar por
tal decepcao hajam de vir qnarrto antes saldar snas
contas; otitro nM fa?t ver as pes*oas qne em puder
debats antecessores da taberna do-pateo do l'arai-
U it>, deixaiiam algum nbjeclo de ouro ou prata
de garante a qiiantia que ifevem, hajam de vir at
lo da 31 do crreme pai'areni o'qne devem elevar
ww objectos. do fontrarioflndti e- rundidos para pasamento do taes debito?. Recife,
Id de agosto de WB4.
Ilernardino da Silva Costa.
Precisase de urna ama" de loite : ra do
norias n. 130.
CORREIO.
OSr. Manoel Antonio Snpardo queira dirigir-se
a repartieo do correio aliinde receber urna carta
recommendada viuda da provincia de Macci.
Dinhrvo
Na ra do l.vramento
lrfi5.
a Jliros
a. 20, se dir
IllO-ia
quem d
s 11 horas do dia cima.
AVISOS DIVERSOS.
Instituto Archeologico e Geo-
graphico Pemainbueano.
llavera sesso ordinaria qniuta-toira 18
do crrante, s 11 horas da inanhria.
Secretaria do -InstttotO
1864.
'J. Soares d'Aievedo,
Secretario perpetuo.

r>
<;artas sero adtnetlidas segura at as 2 horas da
arde, e os jornaes seras reeebidos at i hora.
Armiialar'i.
No dia 17 do crrente, lida a audiencia do jui-
co da provedoria de residuos, eserrvao Vasconcel-
!os, ser arrematado o sobrado de um andar e so-
':io n. 14, sito na ra de Santa' Hita, com portao
;iara o becco que di sabida para o muro da IV-
.ha, perteucenlo a u-.iuui.nH .ria do fallecido Se-
bastiao Mauricio wanierley. E porque se ignora
se o solo do dito sobrado ou nao foreiro, pede-se,
no ca^o de ser foreiro, qne o senhorio declare o
seu nome e residencia afim de facilitar essa arre-
:iiataeo.
Correio.
Pela administracao do correio desta cidade se.
faz publico, para li convenientes, que em vrtu-
de do dispesin no artigo i;iS do regulamenlo geral
los crrelos de 21 de dezembro de 1844, e artigo
i do decreto n. 18o de i de maio de 1861, se pro-
ceder o consumo das cartas existentes na admi-
istraco, periencantes ao mez de agosto de 1SGJ,
ao dia 2 de setembro prximo, as 11 horas do da,
na porta do mesmo correio, e as respectivas listas
se acham desde ja expostas aos interessades.
Administracao do correio de Pornambuco 13 de
.igosto de 186\. O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Correio geral.
Pela admiaistracao do correio desta cidade se
ai publico que .e| wruidt da coavencao postal
---lebrada pelos goyeroos iira*Ueiro e francez serio
expedidas malas para a Europa no dia 15 do cor-
reate mez pelo vapor inglez Omttit. As cartas
serte rcebi*a ti notas antes da que Ibr marcada
para a sabida do vapor, e os jornaes ate % horas
iute.
AdtninisiracSo do correjo de Pernambuco 10 de
- osto de 1864.
COnUIO GfRftL.
RebfSa das artas segaras viadas do asrte pele
vapor i Ofapaei' > para-es genitores abao de-
clarados :
i)f. Alcihiades Pereira da Silva.
Dr. Antonio iansem de Mattes Pereira.* -
Antojwo de Moura Rolim.
Vabin Nunes Leal.
/os Rodrigues de Souza (i).
Leopoldo Ofar de Berredo.
Aos (>:09(>$l)(H).
orredepois 1 auiaaaht.
Sexta-feira 19 ilo-corrente mn ter lu-
; gar a extraccSo da quarta parle da (piarla
lotera doGymnasio (lOi'i no losar do eos-
no dia, hora e lucar cima vender em leilo urna lome,
mobilia de faia com tampo de pedra marmore, con- Os bilhetes, meiOS e quartOS acham-se a
solos, cadeiras de balance, cabides, rciogios de venda na respectiva thesonraria roa do
parede e lgibeira, pares de lanternas, copos para crg$po D. 15.
agua, calix para champanhe, diversos passaros' .,* '__. '.. /. Annnno .a u-nnn
cantadores, objectos de ouro c prata. camas ran-: Os premios de. 6:000*000 ate i 2*300
cezas e outros muitos artigos que encontrarao os serlo pagos uma hora depois da xtracc0
commitentes na vespera e oia do leilo._________' at e 4 horas da tarde, e OS OUtrOS BO dia
Por ordem do consulado de Portugal o agen- segrjinte depois da distribuifao das listas,
te Almeida far leilo no dia 18 do corrente, na Servindo de trinsoiirtrn
casa n. 7 da ra do Crespo, de diversos movis,' ,^ n^vlri/nM da^Bi
ofejeclos de ouro, relogos, atinis, etc., pertencen-1
tes ao espolio do tinado subdito portnguez Jos de
Almeida Nones Lima se alguem se julgar com
direito a algum dos ditos objectos
ventariados por seu espolio, deve
Olftl ulie *u urna ama |.ar:i c.l>a de lamilla,
I le muito ba conducta para lodo o servico, excep-
to coznhar e sahir ra : quem quizer dirjase
| ao pateo do Hospital n. :'..'>.
Aluga-se urna preta com todas as labilida-
des : quem a prelonder, dirija-se ra do iiangel
numero W).
Precisa-se de. urna ama para cas.i de pouca
familia : na rtin Nova n. 23, segundo andar.
Precisase de urna mulher de meia idade
para o servico Interne de tuna casa de pequea
familia : na ra dosMartyrios n. l'i.
O ahaixo assignado. residente nesta cidade,
10 de agosto de I avisa ao publico em gera'. para que ningnem faca
j transaerao atsnma rom o espitad Jos Manoel de
Araujo morador ia Cidade do IVnedo, tendente a.j
nina letra de saque da quantia de :i:l00-5, passada
a favor do mesmo Araujo conlra Cirvalho t Rodri-
gues da cidade da Babia, por ler que appr a ella;
bem como, para que neninim contrato d qualquer
Bfltureza que RJrse faca com o meBdonndo Araujo,
relativamente a fabrica de pilar arroz a vapor, cx-
tiahir leos e sevar mandiocas eom Inda* os secta
aecessorios e pertences, sita na ra da Rocheira d.a
dila cidade do IVnedo, porque tem proposto acgo
eon'ra elle no juizo municipal d-all,pra passar-lhe
escriptnra publicrde venda e ressie da parte que
tem na fabriea vertento, segundo o pacto feito en-
tre ambos; alm de diversas acopes que tem de
pronr conlra o mencionado Araujo, para haver
delle o que em si tem perteneente ao referido abai-
xo ssi-rnado ; que se avisa para que ninguem
se valha da ignorancia ; e desde ja protesta contra
qualquer tacto om contrario ao declarado, e con-
tra qnem de direito fr.
Macei, 7 de julho de 4801.
Piwto 1/fite Hilieiro.
Ditos de alpaca, 55, 45 e
Ditos ditos pretos, 9^
<^f)* *t^-e ~m
Ditu3 -del brkn e ganga de co-
res, 4500, 4(5, 3500 e. .
"Dftos branco fle linho, a, 5j5 e
Ditos de merm (neto de cor-
1 IHo,'MfcV7|.....
-Calcadecasemira preta, 125,
W, 85 e......
Ditas de cores, H, 85 e: .
Ditas de meia casemira de co-
res, 550O0 e.....
j Ditas de iprincez e merino pre-
to de cordn, 45500 e. ,
Ditas de brim braneo e de co-
res, 55, 45-100, 45 e .
Ditas de ganga de cores, 35 e
Golletes de velludo preto e de
cores, 95 e......75000
f "Ditos de casemira preta, 55 e 45000
[ Ditos de
45 e
m
54&*
45OOOJ
53oa
pretos e de cures, lij, i e
Colltes detstao e brimbran-
cO, 3"530, 35 e .
Seroulas de brim de linho,
254*0 ......ido
Ditas de alfCitaSii, ittkO e. 1*4041
Camisas de peito$ de linho,
45, 35 e......25500
, Ditas de madapoao, 25500,
55000. U e........ 600
Ohapos demassa, pretos fran-
75000 ceees, 1-05, 95 e. 8556(f
75OOO Ditos de fltro, 55, U, 35300 e 25000
Ditos de sol, de seda, 125,
115, 75 e......1 65oo
Collarinbos de linho fino, ulti-
ma moda duzia. 65000
Sortmiente completo de gravar
tas.
25500 Toalhas para rosto, duzia, 115,
e '........60000
Chapeos de sol, dealpaca, pre-
tos e de cores.....
Lences de bramante de. linho.
Cobertas de chita chineza.. .
45000
45000
25500
45000 5|
35000 m
25500
^^^
XAROPE TNICO REGENERADOR
DE QUINA E DE FERRO
Preparado por ttatlaHHl/l*.C*, pharmaceuticos deS. A. I. Principe NapolcSo, laureado*
da Escola de pharmacia de Pars, ra de la Feuillade, 7.
Esta nova cembinacSo rene debaixo de um pequeo volunte uma torma ai;radavel e um gosto delicioso.
Na multo que os mdicos desejavo ardentemente a rcuniao destes dous medicamentos, e todava, apezar
dos maiores adereat, nem a setnela medica, nem os qumicos 09 mais distlnctos o poderSo conseguir
l aqu; grscu porem pereeveranca humana achao-se hoje assoclada esta duas poderosas substan-
ctas, a qvhta, o tnico, restaurador por excellencia, o frrro, a baso de nosso sangue, c consegumte-
n.i'nte o reparador dos forens e da saude alterada ou perdida.
As molestias conlra ai quaes o Xarope touico regenerador *e tem mostrado muito eilcaz sao i as ame-
norrlieia.s, fallas de mensfnneko, dre3 d'estomago, fatio, digcsU>cs penosas e tardas, flores brancas,
menstrirecftes -difllceis, o lympbarismo, o empobrecimento do sangue, as escrfulas, os estragos produziilos
pelas molestias svphlliticas.
lia apenas um um qm o Xarope de quina e de ferro loi applicado nos hospitaes de Pars, e elle
haje o medicamento mais cin voga, snbstltuindo, por assim dizer, os medicamentos ferruginosos cnhecidos.
O prospecto lacena numerosos certitlcados de "muitos membros da Academia de Medicina e professores
da faculdade que attestSo que este precioso medicamento o conservador da saude por excelencia, e
o reconstituinte da economa animal, indispensavcl s pessfias que habito os paizes quentes, como
preservativo das epidemias.
Achn'-se venda no deposito geral, em Paris, na pharmacia Grlmnult e C, ra de la Feuillade,"7;
em Lisboa, em caza do Sor Itoiii-igo da Cofltn-Cnrn!bo, Barra! e C; no Forro, na pharmnria do
sr mikik-i Jn.c Ar susa Fri-rrlra; no llio-de-Janeim, em casa da vluva Prlxolo e ninlz, ra do
SabSu, 11; na Joliia, em casa do bfn J*c-CMc;tano rni-oir.i 1 piniuiru: no Rio-Grande, em raa do
Srir Joaipiln rio listloy no Maranho, cm casa dos Srs rcrn-im e C*; em Pernambuco, era casa,
do Sur Uartiiulomcii Pranrluro le >cin assim as prin-
ciiiacs pharmacias do lirazil e de Portugab
Deposito geral em Pernambuo ra da Cruz n. 22 de emcasaCaros Rarhoz?.
Precisa-se de tima
ra do flanjcel n. fiO.
ama para
?Uoni!n.ir : na
VEWE SE
Precisa-se de nina ama ijtie seja boa cozi-
nheira para casa de um home.ii cslrangeiro : a
tratar na ra da Catteia do Recife 11. 40, loja de
relojoeira.
Alnga-se urna casa terrea na ra dos Marty-
rios n. 18,decantee eropria pura uma familia :'a
tratar na ra da* Aguas-Verdes 11. "21.
Aluga-se a casa na ra do Corredor do Rispo
quloramTn" I n- ^ ('' Pr ^^ mensaes : a tratar na ra larga
reclaraa-los at'U ^osapw uefrenie da botica do Sr. liartlwlomen,
o da designado pai;a a arrematacao.
taberna.
I mi W LEITE
Qflerece^e uma escrava com ranito bum leite,
, I seto cria: quem precisar, dirija-se ra da lm-
06 I10VO U peratriz n. 4:. loja, para trarar.
c^* 81fre8ue,,a d* Bii- Glnnete Porhiuea deLei-
Urna casa terrea
DE
edificada
COHDE1RO SIMMiS
far leilo requerimento do inventar i ante do fi-
nad" Joao da Cruz Mendonca e mandado do Illra.
Sr. Dr. ju de orphaos, da casa terrea cima
mencionada, tendo 29 palmos de (reate, 70 de fun-
do, ama porta e duas janellas, 4 quartos, corredor
independen!-, cosinha externa, quintal murado,
cacimba etc. Os pretendentes querendo examtaa-la
podera procurar as chaves na casa contigua sob
n.4.
Quinta teira t8 do correte
s 11 horas, ter lugar o leilo na ra da Cade i a
u. 48-, primeiro andar.
I *-
M
LEIL46
Urna victoria.


O agente Almeida far leilo de uma victoria
(carro) com todos os seus pertences em muo
bom estado. '
Quinta-feira 18 do torrente
11 horas do dia na ra do Crespo n. 7.
LEILO

tura.
A directora do Gabinete Portnguez. de Leitnra,
'. extremamente penhorada pela benvola aemiies-
j cenca do Illm. Sr. Luiz Candido Portado Coelho
ao convite que n. S. dirigi, de tocar ao piano
algumas de su as bella- phantasias na noile de 15
do vigente, em que se solemnlson o 13 aniver-
sario da inslallaco do mesmo gabinete, cumpre
com o mais vivo prazer o s;rato lever de patentoar
I a S. S. o seu sincero mcoabneimeolo por tal obse-
quio, e twtertunhe de coostderacao para com o
Gabinete Portuguet de Lei tura.
A' joven sociedade musical {Jtuao Cowmeirial
! rende inualuieute a dicoclor do ^abiituie curdiaes
i agradecimentos. por se haver prestado com a me-
ntor boa vonlade a ejecutar varias pepas de m-
sica, abrlthantando assim o festejo do* estabeleCi-
mento, cmo era de esperar da delicadeza dos dig-
nos membros de une a Cniao Commercial se com-
pde.
Secretaria do Gabinete Portugnez n> Leitnra
em Pernambuco. aos 16 de agosto de 1864.
Josa da Silva (joyo,
"*:'", D'uector.
Joaqiilm Gerardo Bastos,
"-**eretaro.
DE
Movis e di vei*sai abras de taro
O jante .-Umeula Ur: leilo pn ordem do con-
sulado de Portugal de diversos movis e obras de
oure perteocentes ao espolio do subdito portugnez
Jos de Almeida Nunes Lima, os quaes se acham
S.ll'ATEHUftS
Os senhores que tiveram,nen|os ou molequesde
offlcio de sapateiro, e os queirm alttgar para os
ter com seguranza, e mesno para apTomb*ein o
ofBcio, dirijam-se ra dos Quarles, fabrica de
sapatos n. M junto a loja de famlelro.
Ronho feito.
No sitio ijue lira contiguo ao porto do Lasser,
outr"ora hamad.sitio do Jacobina, desde o dia 10
ao dia 11 arrombaram as portas e fecbaduras, e
levaram ludo o que acharam que lhe agradavam, a
saber : 12 cadeiras de amarello o uma rede t>ran-
oa, 1 dita piulada, 6 ou 12 toalhas de linho para
tnaos, 1 rolxa-de linho acok*hoaitt, $ 0.1 6 leuces
de linho novos de tres pannos, e 12 lalbores tinos,
pares de sapatos de senltora (de tranca) novos, e
mais objectos de cozinha, al lenha secca levaram;
rnga-se s uatordades o obsequio de vr se podan
descubrir osfutores, assim como tambem 6e grati-
fica a quem diser aonde estiio ou foram vendidos
taes objctns : na ra Nova n. 49.
Nocietlaile dranratlcA .flelpomc-
n Pernambiicana.
Oe ordfern do ltm, Sr. drreCfur nviso aos senho-
res socios que no da 18 do corrente haver sessao
cm asserabla geral no salao do theatro di> ApolloJ
peias 6 horas da tarde, aflrn de se eleger nova di1
rectora, visto ter havldo eflgano na apuraco dos
votos na qne se elge no dia 13 do corrente.
Secretaria da sociedad* "tfelpomene" Pernmba-'
cana i de agosto de 1864.
. Gabino J. Jtaptista,
2o secretario^
lluga-se ti 2* andar da roa estrerln. do Ko-
. ij: a faltar na rna da Penda h.,5.
A-
sarlon
- Al uga->e o s*guftdo
39 : a tratar na loja.
anear da ra Nova n.
Praaisa-sfl de -uu* P%>rtoij5UW iaca teitor de
um engenho ; bem assim de um menino fMira-iai-,
xeiro. que i-nha intelligeucla : ua ra da Cruz n
30, primeiro andar.
Uesapparece da casa de seus sermore, no
dia 17 do mez passadoa.pretilCatharina, de nacao,
Costa, levando himele para procurar senhorio, d-
sem 1 star acoutadar para os Afolados em casa de
al^iins paretnras ; tem os sigoae seguidles ; corpo
secco, cor bem preta. algnns. talho* no rosto, ps
una tanta grosvos e dedos curtos, levando vestido
e chita e panno da cotila; ifueui a pegar leve-a ua
ra da Alegra n. 11, que ser recompurisadn.
Preetea-se de um ratania com Iwrbliaco
de escripia para oceupar esto lugar. em Macei :
a tratar noarmazcm de Jos>; Vicente de Lima, na 1
travessa da Madre de Dos n. 18.
um sillo ou partes do mesmo, denominado I;
ga na freguezia dos a fugados, no seguimento da
estrada dos Remedios, com boa casa de sobra
uma pequea camilla, e senzala para i escravos.
' todos estes predios de pedra e cal, algnns .-- d
coipteirr.se nutras arvores de frncto, bons ierre-
i nos |iara lavouras, e pastagem para gados : quem
I pretender, dirija-se ao largo da Penha n. 6. pri-
j meiro andar.
Vndese
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar denles artificiaes tanto por me.io de
;^g molas como pela pressao do ar, nao re-
f cebe paga alguma sem que as obras nao
1 liquem a vontade de seus donos, tem pos
e outras preparares as mais acreditadas
para conservacao da bocea.
Sociedade de segaros nntnos
de vida installada pelo Banco
1 'nio na eldade do Porto.
Os agentes nesia cidade e provincia Antonio
Luiz de Oveira Azevedo & C escriptorio na ra
da Cruz do Recife n. 1, estao autorisado desde j
a tomar assignaturas e prestar todos 6s esclarec
montos uue forem necessarios, as pessoas que de
sejarem eoncorrer para tae til e benfica empre
as, egnrando um futuro lisongeiro aos associado-
.I0S0 da Suva Ramos, medico pela un
^fersida*e de Coimbra, d consullas em
ji.sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
.das4as6da tarde, Visita os doeutes
, eoa suas casas regularmente as horas
para isso-desgnadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em qual-
quer oocas*. D consultas aos pobres
que o procurare no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
, s 8 horas da manhaa.
Tem soa rasa de sadde regularmente
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alionados, para o que
tem commodos apropriaflos e nella pra-
trea qualquer aperaeso cirrrrgtci.
Para a casa de aatWe.
lrimeira rtasse M000 diarios.-
^gunda dita.... 4W00
Terceirt Ata-.... |000
Este estabelecimento } bem acredi-
tado pelos bons servico* qae tem pres-
tado.
O proprletario" espera que elle conti-
nu a merecer a conflanga de qne sera-
pre tem gozado.
uma rica esleir propria para forro da in.;i -.,;).
com 20 palmos eomprita 19 de largura.
uma dita menor : na rna do Codorniz n. i.
Sab.
Vende-se ronstantemenlc sal.lo massa, tanto em
i' i caitas como a retalho, a 200 e 210 rs. a libra : :u
'fabricada nri do Rangel n. :ii.
f'ara- passar-se a fes fu
Vende-se a melhor
na Boa-viagem, sita
frente .".0 pajinos, t' jmilas e porta. 2 sala*, i
quartos, solio e cozinha fra, copiar graode. i-a-
cimba com encllente agua, diversoi ai v.
que secolhem bons fructos. tendo este terreno pd;>
Meado 70 palmos sobre 00O de fondo : os preten-
dentes queira m dirigir-se a ra da Cadeia n. Sil.
armazem do agente Euzebio, que est autoriado.
.:-"
casa terrea nova qtie lia
ira da estrada, tendo d
Superior rap de Lisboa, dem Paulo Cordeiro.
idem dito viajado, idem gsse grosso. mcio gro-
so, fino e Meuron : vende-se continuamente, lanfo
em libra como a retalho ; gsrante-sc ao compra-
dor a boa qualidade : ua prara da IndepertoS.mcia
0.5. loja de violas.___________________________
Macaas
cuegadas no altiaio vuxir de Lisboa : vende-se em
ceixase a retalho : na ra *sttata Ai Resari 1 n.
II junto a igreja.____________________________
Velas de comiosi?o
Vendem-se velas de compV-sico de superior
qsalidade, sendo a luz superior s stearinas; pro-
prias para casas particulares na ra do Vlgano
ti. 16, fabrica.
Garelino Francisco de Lima San-
fontina a residir na rna do Impe-
rador n. 17,2 andar, onde pode ser phu
cura*) a qualquer hora 4o diae da rntfe
para & e**r*tf40 4le ana |tr*ssao dflt^
oico ; sendo que es chamados, depois de
meio da at 4 libras '-da larde, devem ser
dallados por nscriptn. O referido Dr.
ao abawloaanda nunca o estada 4a*
faleais io wthtwr. presoRtie, ea*a *
nwlor aMaro, ao dns maisdilHceise deii-
1 cadas o^era(;oes. romo sejam dos ergJws
[ouriftacioa,,dosolbosrparlo;, etc.
Vende-se uma^escrava propria para todo o
jrvico : na ra da Gloria n. 00.
Na raaastrcUa doliosarlo n. 3*
Advogado A^nso d Alba-
qiterqu Meo,
pode ser procurado a qualquer hora ; as seifas-
teiras, porm, na villa do Cabo.__________.
TINTURARA.
Tiage-se com perfeieSo para fruadjuer
cor, e o mais barato possivel: ia a Jo
Rangel n. 3. segando sedar.
ILEGIVEL


ufarlo de
tneo Qoarts letra 1*
> i .... a iiiii, la Agoste e 1 fj4.
_______i______i.-,___L
CASA A FORTUNA
AOS 6.000.000
iillhetcs garantidos
A' roa do Grfltpo n. 23 e casas da eestumc
O abaixo assignado vendeu oesseus muilo feli-
zes bilhetes garantidos da lotera -que se aeabou
de exirahr a beneficio da matriz do Liroeeiro os
segulntes premios:
N. 802 biihete inteiro" com os 6:008*090
N.1986 < < 1:400*0
N. 1816 meio bhete 600*o0
Os possuidores podem vir receber sem os -de-
con.os das leis na Casa da Fortuna ra do cres-
po n. 23.
Acham-se venda os da qnarU parte da juaria
lotera do Gymnasie que se extrabir sexta-fe'.ra
19 do corrente.
Preco*.
Bilhetes inteiros..... 7J00C
Meios......... 3*500
Quartes........ 1*900
Para as pessoas que comprarem
de 1*04 para cima.
Biihete.'........ 6*500
Meios......... 3*250
Quartos........ 1*700
_________________Manoel Martins Fiuza_______
Publicado litteraria.
DO PODER MODERADOR
ENSAIO DE DIHEIT0 CONSTITUCIONAL
Contend) aanalyse do Tit. V Cap. Io da
Constituido .do Brasil
TELO
Br. Braz Floren ti no IliMiiMjuesfle Soina
Lentiie direito civil na Faculdade de Direito
do Recife.
A raridade e importancia da discusso ultima-
mente levantada na corte acerca da natureza e
limitas do Poder Moderador, e particularmente
acerca da responsabilidade dos ministros de esta-
do pelos actos proprios desse Poder, despertaran!
Salsa jarrilha de Ayer >
PARA A GURA DA y,
ECROFlTLl
todas as molestias
provenientes dekla
,\.*'



todas as Molestias i
pdle
ehrnsippllas, temores, ulcera,
sawas,
nascidas, mpingens,
REUMATISMO
Conjpra-se 'effectivamente
ouro e prata era obras velhas pagando-se bem-:
na ra larga doBAesamo n. 24, loja de ourives.
Comprlnvse^rs-separes pecas, pendo 1 pe-
dreiro, 1 carapiua e I ferreiro, ledos ptimos ofli-
ciaes : a tratar naTtia do Imperador, sobraden.
12, ou annunoicniipara serem procurados.________
Precisa-se do nm caixeiro portaguez qno te-
!nha bastante pratica de taberna, sendo be* bal-
' cao nao se olha a ordenado : na roa das Cruzes
numero 24.
Precisa-ee 4e uma criada hwe a serava,
que saiba cozinfcar -e engotnmar : naraa das Cruz
n. 42, prlmeire andar.
Precisa-se alagar uro moloque paraos servi-
cos de urna casa : a tratar na roa Nova n. 68, *er-
ceiro andar. .
Auga-se alo a da casa n. 40 da ra das Trin-
cheiras: na ruada Aurora n. tit.
C0MPI1S.
$*YPIllXf$
Precisa-se alugar uraa pfeta que saiba cozi-
nhar e engommar: queiu a ti ver, dirija-se roa
em todas as suus formas, assim como tado do Trapiche n. 4, que achara cea quena tratar.
o mal que jarovm do uso excessivo do
Compra-se otrro e prata em obras velhas
daga-se bom: na luja de bilhetes da i ac da Inde
pendencia n. 22.________
Compra-se cobre velho : na roa do Brum nu-
mero 78. _. Jp ; f
* <5smpra-se cauro de carueiro : na roa larga
do Sotarlo n. He
i Compra-se
1 cobre, latSo e chumb: no armazem da bo-
la amarella no oitao da secrelaria da polica.
Compra-se 23 oa 30 palmos de grade com
balaustres, para .escriptorio : a tratar na ra do
Queimado, loj 4o Beija-Oor us. 63 e 69.
MERCURIO
l feeraco do ligado
e em summa todos os males que tem sua
origem na
IMPUREZA DO SINGUE
um alterante poderoso para a
RENOVACAO DO S.VNGUE
e para dar nova torca e v
j enfraquecido pela doenca.
Vende-se na ra Direit; os. 12 e 70 e
Hospicio n. 40._______________________
Consultor Forense
.
O bacharel
Francisco Angosto do Costo
ADVeCADO
Ra do Imperador numero 69.
Na praca da Independencia, loja de ourives
J a. 33, compram-se obras de ouro, prata e podras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
comineada, e todo e qualquer conceno.
editor B. L

Ai-aba de sahir i luz na lvraria do
Garnier. ra de Ouvidor n. 69, o
CONSULTOR GERAL BO FORO
Pelo r Carlos Antonio Cordciro.
4 grossos volumes em 4, bem eacadernados,
no autor o desjo de emittir lamber a stia humil- 30*000.
de opinie a respeito de ura assumpto to mo- Acaba de completar-se esta importante obra do
alentoso. Nao querendo tiorm fazer interamente muito distncto e conhecido jurisconsulto o Dr.
urna obra de circunstancia, e persuadido por ou- Carlos Antonio Cordeiro, honrada com pareceres
tro lado de que o bom senso dos Brasileiros sabe-
r guardar anda por muitos annos a bella consli-
tugo poltica, a cuja sombra tem prosperado o
imperio, eotendeu que prestara meJhor servico as le Jos Thomaz Na nuco do Araujo.
lettras, e seria mais til em particular ja mocida-' Compoe-se esta obra eminentemente pratica e
de esperanzosa do paiz dando urna analy.se.ou ao alcance mesmo das pessoas inteiramente ex
laudatorios dos Srs. conselheiros senadores Ange
lo Muniz da Silva Ferraz, Bernardo de Souza Fran-
co, Euzebio de Queiroz Coutinho Mattoso Cmara,
Na padaria em Sanio Amaro atraz da fun-
dieo do Sr. Starr, vende-se legumes de Hambur-
go, diversas marcas.________________________
A. Schaffter i ., na roa do Trapiche n. 17,
sacan por todos os paquetes para a Baha e Rio
de Janeiro, vista ou a praso, conforme se con-
vencionar. _____________________________
Ama.
Precisa-se de urna ama para
de urna casa de pouca familia :
po Santo n. 17, terceiro andar.
o servico interno
na praca do Cor-
Aluga-se o segundo andaa da ra da Impe-
ratriz n. 34 : trata-se na taberna do mesmo.
cnmirientaro aprofundado de todo o Cap. Io do
Tit. V da Constituido do Brasil, traballio este
para que o tinham habilitado os seus estudos co-
mo lente da 1* cadeira do 2 auno da Faculdade
de Direito durante quasi dous annos.
Dcste modo s depois do analysado o referido
capitulo chega o autor a tratar da grave questo
cima indicada, devendo sem duvida este methodo
concorrer para habilitar o leitor a conhecer muito
melhor a nal urna do Poder que se discute, e a
formar com seguranza um juzo acerca da resjion-
sabldade ministerial, pelos actos delle.
.\flm de dar ao publico urna idea da obra, julga-
mos conveniente transcrever a ai a somma dos
diversos captulos que a eompoem
tranhas ao foro, dos consultores civil, criminal,
commercial e orphanologico e forma urna Biblto-
theca computa indispensavel Oao s a todas as
pessoas do foro mas tamben a todos aquelles que
qnizerem intentar ou tiverem causa dependente de
qualquer juizo.
Vende-se separadamente cada tima das partes
seguntes a 8*000 :
Consultob Civil acerca de todas as accoes se-
guidas no foro civil, segundo o systema adoptado
por Correa Tollos no seu Manual do Processo Ci-
Jos Mara de Souza faz sciente ao respeta-
vel publico e com especialidade ao corpo do com-
mercio que vendeu ao Sr. Jos Aatonio Ferrae de
Figueiredo a soa taberna sita na ra do Palacio do
Bispo n. 46, livre e desembaragada, se alguem se
julgar com direilo a qualquer reclamadlo dirija-se
a mesmo estatielecimento no prazo de 3 das, e
julgando nada dever nesla praca nem fora della
roga a quemquer que sejulgue seu credor Ihe
aprsente sua conta. Assim como pede aquellas
pessoas que tiverem penhores em sua mao quei-
ram vir resgata-los neste mesmo prazo do contra-
rio nao se sujeta a reclamacao alguma. Recife,
12 de agosto de 1864.
= Aluga-se um sobrado de um andar e sotao
vil, com as suppressoes, alleracdes e accreseimos
exigidos pela legislacao, esiylos e pratica do; foro na travessa dos Quarleis e um outro pequeo na
br.nsileiro. : travessa da Bomba e urna casa terrea muito fresca
Consultoii Criminal ou formulario de todas as no melhor lugar da Capunga, todos de varios com-
riepots do competente Prefacio, segue-seCap. accSes segaidas no furo criminal, precedido das modos : a tratar no pateo da matriz de Santo An-
Io Da necessidade e importancia poltica do Poder
Moderador.Cap. 2." Do Imperador romo orgo
d-i Poder Moderador.Cap. 3." Da inviolabilidade
da pessoa do Imperador.Cap. i. Das atlribui-
coes do Poder Moderador.Cap. o." Do di-
reito de escolher os Senadores.Cap. 6." Do direito
de convocar extraordinariamente a Asseinbla Ge-
ral. Cap. 7. Do direito de sanreao.Cap. 8. Do
direilo de approvar e suspender as resolucoes das
As emblas Legislativas Provinciaes.Cap. 9." Do
direilo de prorogar ou adiar a Assemblea Geral, e
dissolver a Cmara dos Deputados.Cap. 10. Do
direito de noniear e demittir livremeute os minis-
tros de Estado. Cap. II. Do direito de suspender
os magistrados. Cap. 12. Do direito deperdoar e
moderaras penas.Cap. 13. Do direito de conce-
der amoisiias. Cap. I i e IJ'. Da rrespoasabilidade
absoluta do Poder Moderador.Concluso.
Araba de sabir a luz esta interessanl publicarlo,
em um volume de 600 paginas, e aeha-se venda
as livrarjas de J. Nogueira de Souaa junto ao arco
de Santo Antonio, e dos editores Guimaraes & Oli-
veira, pelo mdico preco de 6000._____________
l'asruiaceiiiico.
Um pharmaceutico formado olTerere-se para di-
rigir urna plurmacia, qar como simples adminis-
trador, oa como socio: guem precisar, deizeear- gai Antonio
ta fechada neste escriptori-icom as iniciaes A. B. C
Precisa-se do una inullier livre ou escrava,
que saiba cozinhar e que tenha bons costumes,
preferindo-se livre : a tratar na ra do Trapiche
n. 17.______________________________________
Hotel italiano.
Madama Ferro avisa ans seu.? freguezes e ao res-
peilavel publico, que acaba de mudar seu estabe-
lecimento da roa do Trapiche n. 44 para a mesma
roa n. o, aondo foi o hotel Francisco, e espera sa-
tlsfazer s pessoas que a honraren) com sua fre-
qoencia, por isso mesmo que nao se tem poupado
a despezas para poder olTercer aclnalmente bons
eommodos, promptidao e aceo do servio/) e modi-
cidade de procos. _______________^___
Aeha-se contralado por compra as casas e ter-
reno sito na ra da Esperanca n. 43 : quem se
achar com direito ao mesmo apresente-se no praso
de tres das, a contar do primeiro annuncio.
Manoel Jos, subdito portuguez, vai Euro-
pa tratar do sua saude.__________________________
Preci-se de una ama : na ra das Aguas-
V.-rdes n. 92,___________________________________
Uteico.
Hoje sabbado, 13 do corrente, contina haver
sorvete a 240 rs. todas as noites, na casa de ba-
nho no pateo do Carino.
dispesicaes concernentes onganisaco judieiaria tonio n. 8, com Bernardino Jos Leilao.
eattribuicoesdasautoridade polciaes e crim- 0 abajxo assignado vende urna parte
ConsotTOa Commercial od formulario de todas que tem no engenho Inhaman, sito no ter-
as aCeoes commerciaes, seguido o regaiamento de mo de Iguarass,a qual excede de cinco con-
23 de aovombro de 1830, coijtendo os modelos de; to e rs c juntamente uma divida grande
todas as petigde, despachos, termos, autos, alie-1 J ... mp,mfl tna^Bi
gagoes, embargos, sentenca, finalmente todos os i Que tem ae ser liraaa 00 met-mo engenoo
termos dos processos, seguido do processo das que-, ou de ontros bens que ncaram do finado
bras, qur no juizo commercial, qur no juizo cri- Moraes e de sua finada mullier D. Britis :
mi"al- n os pretendentes diriiam-se casa do Sr.
Consultor Orphanologico ou formulario de to- .. pinhpiro dentro dn Ro-
das as accoes seguidas no juizo dos orphaos, pre- Laun a* aes rinneiro uemro ao ttt-
ceddo das attribuigoes das differentes pessoas que Cite ou no engenho Carauba silo no termo
nelle figuram, e enriquecido com diversas regras e de Fo d'Alho. Tambem vende uma parte
preceilos tendentes ao mesmo juizo de orphaos, e quc tcm n0 engenho Curcahi dando a pre-
bem assim ao da provodona, com a legislacao res-
pectiva.
Na mesma lvraria se enconlra a seguinte obra
do mesmo autor.
Corneo Cmminal do imperio do Brasil, contendo
nao s toda a lepislagao alterante ou modilicante
de suas disposicoes, como as penas de scus diffe-
rentes arligos, calculadas segundo os seus graos
e as diversas qualidades dos criminosos; 1 volume
em 4, encadernado, 45000.
Vende-se na lvraria econmica ao p do areo.de
ferencia aos herdeiros dessa casa.
Joo Marques Racalho.
Antonio Luiz de Oliveira
vedo A C
Alenle- do Banco l'iiio do Porto.
Competentemente autorisados sacam por todo
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
Alugam se urnas poucas de mei-aguas ha
pouco acabadas de edificar, na entrada dos portoes
da travessa das Barreiras do bairro da Boa-Vista :
a tratar na ra do Cotovello n. 25._______________
Precisa-se alugar uma preta escrava para o
servico de uma pequea familia : na ra das Cru-
zs u. iS, primeiro andar.
luga-se a casa terrea da ra da f rempe n.
j -p .11, com boas accommodagoes : a tratar na pada-
"D" ria da roa Breita n. 84.
Paris
liainhurgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Frederic S. Ballin & C.
Joo|
T>m-se8U03 a 1:0005 pelo lempo que se
oii' enchinar, com seguranca em uma escrava ;
.'cando os servieos da mesma pelo juro, ou pagan
do >e este mensalmente : a tratar na ra do Quei-
mado, loja n. 0.
StUou
Aluga-se um sitio no Rosarinho n. 2 junto a ca-
pella, com muitos arvoredos de fructo, e casa coi
muitos eommodos para familia, cocheira para car-
re e animaes ; a chave para se ver est no sitio
defronte do Sr. Fialho, e para tratar-se, na ra
Nova n. 53, ou na ra da Cadeia do Recife n. 29.
i DENTISTA DE PARS g
49Kna Nova-19
Frederico Gautier, cirurgiao dentista, |
faz todas as operac5es de sua arte, e col-
loca dentes artificiaes, tudo cem superio-
| ridade e perfei;ao, que as pessoas entcn-
gdidas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
a
Gabe & Filho.
Amarantes.
Arcos de Val de Caminbi.
Vez. Casiollo Branco.
Aveiro.' Chaves.
Barcollos. Coimbra
Bastos. Cnvilhli.
Beja. Elvas.
Braga. Extremos.
Braganca. Evora.
Faro. Fafe.
Oliveira d'Aze- Pinhal.
meis. Porto-altgre.
Pena fiel. Thomar
Tavira. Villa > ova do
Villa do Conde. Poriin ao.
Villa Real de Yizeu.
S. Antonio. Faial.
No imperio.
Baha.
Rio de Janeiro.
Francisco Rahoba > Jain e Meric.
Credlo commercial.
Gon; alo Seora.
M. lerera Y. Hijos.
Em Poitcal.
Angra lerceira.
Procisa-se alugar uma ama para cosinhar
em casa de pouca familia c tambem um moleque:
; na ra do Crispo n. 23.
SHotel brilliaiitc em Ja-g
boatao.
De todos os suburbios da cidade do Re- __\
cife nenhum outro ha mais piloresco
que mais deleite o viandante do que
Figueira.
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Lamege.
Leiria.
Mongao.
Moncorva.
Regoa.
Setabal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
Aluga-se o 2 andar do sobrado a. 79, na roa
do Imperador : a tratar na roa do Crespo n 15.
O Sr. Sebastio Jos Peixoto tem uma carta
na praca da Independencia, lvraria ns. 6 e 8.
Alte i cao

Quem precisar de um caixeiro para um arma-
zem de acucar, ou para o trapiche, lend pratica
de molhados. diri.a-se travessa do Liviamento
n. 9, ou.se nao annuncie por esta folha para ser
procurado.
Maralo.
Para.
Qualquer somma prao ou vsta.podendo logo
os saques prazo serem descontados no mesmo
Banco a razo de 4 por cpnto ao anno : a tratar
na ma da Cruz n. 1. ___________________
Companhla vigilaote de vapores
de reboque.
Agencia em casa de Roihe k Bidonlae.
Na confurmidadc do que foi deliberado
em assemblea geral dos accionistas da com-
panhia vigilante, quei se reuni no dia 18
de abril do corrente anno, sao os Srs. accio-
nistas convidados a eitrar com 40 por cen- em segundo
to sobre o valor de cada uma de suas ac-
coes at o dia 20 do corrente, e, se o nao fi-
zerem incorrerao na perda da quantia j en-
trada e faz-se este ayiso pela imprensa, o
e
o
ameno Jaboatao. A salubridade do ar que
nelle se respira, incontestavel. As lm-
pidas crrenlos de que cercada loda a
povoacuo, desalteran! na estacSo calmosa
a todos quantos all chegam. Ressenliase
porm esle delicioso arrabalde de um ho-
tel que offereeesse a precisa commodida-
de s pessoas da capital e de oulras par-
tes que all constantemente affluem e
por la transitam. Eis o que se compro*
metteu a apresenlar ao publico o pro-
prietariodeste estabelecimenlo Luiz Pe-
reira de Mello. Todas as pessoas que se
dignaren) aboletar no seu hotel encon-
trarao nelle nma casa completa com 3
salas e quartos convenientes, onde pos-
sam os ter em plena liberdade, cocheira
para carro e cavallarica, bom trato dos
animaes, cxcellente bnho no fundo do
quintal do mesmo edificio cora toda a j
comniedidade, todo o aceo no servico da j
mesa, limpeza nos leitos, modicidade nos
precos etc. Em uma palavra o annuncian- ;
te se esmerar a hm de que os seus fre- i
guezes se retrem satisfeitos de sna hos- j
podara.
<}uem precisar de uma ama de leite, dirija-
se roa Velha, casa n. 20, segundo andar.
A viso
Emite Augusto Delouche tendo de fazer uma
viagem Europa, deixa por seus procuradores
bastantes nesla cidade o Sr. Didier Chaise Dieu, e
ugar o Si. Pierre Edonard Bourgeois.
A pedido.
Antonio Mara da Silva tendo eblido por meo
de uraa subserip^o 10115 era favor de Mara In-
nocencia de Carvalho Tote, faz publico que fez
qual ser intimado a cada um dos Sr. accio- delltS remessa para Cimbra por intermedio do
nist-K pm niitirnlir \m nnao< torn a hrm Sr commendador Thomaz de Aqumo Fonscca,
rustas em paiticuUi.lo quaes tetao a nH-.assim como nome da (252 agradece
dade de participar poj" esenpto, que ficam curdialmente aos subscriptores que concorreram
iuteirado e sua resoltjtao definitiva, para go -
vento da direceo. FJecife, 8 de agosto de
1864.
Os directores

B;
Urna senhora e duas lilhas se offerecem para
'iisinar particular a algumas meninas, a sa-
ber : grammatica portugueza, arithmetica, doutr-
u.i, francez e todos os tralialhos de agulha, piohoa,
croch, ele., ele.; na na da Praia n. 5T_________
Antonio Pereira VilPrta, faz sciente ao respei-
tavol publico e a quem interes>ar p poder se riesencwuinbou urna letra de rs. 30S&000
venriila em 9 it juUm' prximo pasado, saccada
l*.ir Manoel Maralo do Nascjraenlo e accerta por
Jos Higini. de Miranda, e dada pelo saccador em
pagameuto ao annunciante que j fB ada embol-
sado, parle em dinheiro e parlo em ou(ra letra a
yoncer; Bfiand;) por constiguinte de nenhum efluilo
a Jeira extraviada, com a qual ninguem pofer
fazer n-gocos d?a'jafidsde alguma,
AssignadoH nry Forster & C
ro do Livramento.
Saandis Brothers & C,
para uma to louvavel accao.
Preclsa-se.de um caixeiro de 12 14 annos,
que tenha pratica de taberna : a tratar na ra da
Roda a. 48.
Na roa dos Pires, rasa n. 29, na Boa-Vista,
tinge.-se roupa e fazendas de toda a quabdade, de
preto e de todas as cores, com perfeir^o e comino-
do prego : viuva de Jos Mara Ferrerra da Silva.
Uma pessoa habilitada propoe-se a escritu-
rar em qualquer estabelerimcnlo mercantil, das
Uma pessoa habilitada ensina as linguas france- 3 _fl horas da tarde em diante, nos das uleis, me-
za, nortugueza, italiana, e ingleza. Quando seja dinnte mdico estipendio ; e tambem encarrega-se
necessario, ensioa tambem as primeiras letras, eos de formular balancas e balancetes naquelles em
rudimentos da lingua latina : quera pretender, que n5o houve.r escripturafo regular : na ra
qur seja da cidade, qur do interior, dirija-se ireita n. 4, taberna, se indicar oaanuncaate.
na da Cruz u. 64, primeiro andar.


VENDAS.
:'
COMPENDIO DOLOROSO
que contem o ofticio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
ra, um setenario e mais outros exercicios
de piedade e devoco; ordenado pela ir-
mandade jlojcseryos. da mesma Senhora,
que se tba-erecta na egreja de N. S. da
Penha do impetial hospicio dos reveren-
dos padres missVonarios apostlicos capu-
chinhos italianos de Pernambueo, approva-
do por S. M. I., que Deus guarde; dado
luz por devoco do- muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia-.
Lfrra.de orajes.
Vende-se 160 reis, na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia, um livrinho con-
tendo o seguinte : louvor ao santo nome de
Deus, cora dos actos de amor de Deus, ora-
ces e petiroes, hymnoao Espirito Santo, co-
ra do Senhor, viso qualquer alma de-
vota, desengaos da vida humana, hymno
de Santo Ambrozio Nossa Senhora, jacula-
torias ao Sanlissimo Sacramento, exercicio da
via-sacra, commemoragao Nossa Senhora
do Carmo e ao SS. Sacramento, directorio
para a oracao mental, dividido pelos das da
semana, obsequio ao coracao de Jess, sau-
daces devotas s chagas de Christo, ora-
ces Nossa Senhora, S Jos, ao anjo da
guarda, Deus em obsequio qualquer san-
to e para a noute, e responso pelas almas
do purgatorio.
~VEWIIE3II-SE
as seguintes obras: Garnier, Economa po-
ltica, 1 vol. por 2&500; Maekeldey, Direi-
to romano, 1 vol por 55: Du Caurroy,
Commentario do cdigo civil francez, 2 vol.
por 105; The Complete Work of lord By-
ron, 1 vol. por 90; Reme, obras comple-
tas, 1 vol. por 9j5 ; G. Mass, Diccionario do
contencioso commercial, 1 vol. por 7$;
Chabol de VAllier, commentario sobre suc-
cesses, l vol. por 7$; A. Arnmid, obras
philosophicas, i vol. por 3-5; Sauvage-Har-
dy, creacSo de bancos de deposito. 1 vol.
por 2d; Lotus Blanc, organisacao do traba-
lho, I vol. por2^; Revista contempornea
de Portugal e Brasil, anno de 1859, por 23:
na ra do|Cabug loja n. 2 A.
Vende-se das seguintes marcas:
(E E)
Semith|CeC >de FF'o barril por lo,?.
P N & C. de FF o barril por 15*.
P diaiuanle de KK o bainipbr lWoOO.
De superior qualidade FF 2 espingardas o barril
por 165-
Chumbo de municao de toda a grossura arroba
o5"J00.
No armazem de J. A. Moreira Dias ra da
Cruz n. 26, onde encontraro as amostras.
Fumo imperial
Cortado igual ao francez muilo proprio para ca-
-rliimbo, em latas de 1 libra, quando nao soja me-
lhor igual ao americano por 1,5200 rs., para veri-
lioar a verdade os Srs. fumantes podem-se dirigir
a fabrica vapor de cigarros antiga ra dos Quar-
leis de Polica n. 21.
Fabrica onc$Lo da
Baliia.
^ Andrade & Reg, recebem constante-
H mente etem venda no seu armazem n.
* 34 da ra do Imperador, algodo d'aquel-
_\ la fabrica, proprio para saceos de assu-
55 car, embalar algodo en) pluma etc., etc.,
j pelo preco mais razoavel.
hi"!
Rap Princeza Gasse.
Grosso, meo grosso, fino.
Paulo Cordeiro.
Paulo Cordeiro meio grosso.
Paulo Cordeiro Viagado.
Todas estas excellenles e acreditadas qualidades
fabricadas no Rio de Janeiro aonde tem grande
aceitacap e as demais provincias do imperio, pe-
lo sea bom aroma e materias de que fabricado,
vobOmM no nico deposito nesta provincia no ar-
mazem de Jos Joaquira Lima Bairao, ra da
Cruz h. 18.
frofessor.
Aluga-se por preco commedo o primeiro an-
dar do sobrado da ra da Senzala Velha n. 48 : a
tratar na loja do mesmo.
Prerisa-se alugar uma ama que .saiba cozi-
nhar, preferindo-sa escrava: na roa da Impera
trz n, 40.
Prerlsa-se de um caixeiro qne entenda de
pharmaeia : oa botica da ra do Cabug a. 11.
Perdeu-se nma letra de 493, sacada pur
Domingos Rodrigues de Andrado, 4 raezes, e
aceita por Antonio Jos de Oliveira Castro, cujo
j est prevenido : rouase pessoa que a tiver
achado, se digne mandar entrega-la na ra da
Cruz n. 33, Recife._____________________
Oferece.se ama ama para lodo o servico de
ama casa de familia, sabendo bem epgommar :
tratar na ra Augusta a. SS.
Ualaius poro meoinas.
Lindos hlalos de varios gostos para meninas
trazerem no braco : s se enconlra na loja do Bei-
ja-llor, roa do Queiinade ns. 63 e 69.
Extracto f saho em c ixinhav
Lindas caixinhas cora ura carto com a familia
imperial, e dentro de cada caixa um frasco ou sa-
bio o mais fino que possivel: na loja do Beija-
flor, ra do Queiraado ns.r63 o 69. _________
Vende-se a taberna sita praca da Boa-Visla
n. 14, sendo muito afreguezada e cora poucos fun-
dos, a casa tem um grande soto para morar fa-
milia : a tratar na roa do Rangel n. 11.
Carne do serCSo a 3 SO rs. a
libra.
Em poreo a 280 rs.; no armazem da Estrella,
largo do Paralxo n. 14. ." :~
Ga
Na fabrica de sabo da ra do Rangel u. 34,
vende-se a 900 r*. a garrafa e I2J a h(ta.
LOJA 1)0 BEIJ4 FLOR.
Ra do Queimado ns. 63 e 69.
Cintos doorados.
Sao ehegados os lindos cintos bordados ouro,
pelo barato preco de 25300 e 35000: no Beija-flor,
ra da Queimado ns. 63 e 69.
Indias para cintos.
Chegaram tambera ricas ivellas donradas e de
ac para cintos a 15000 e 15200 : no Beija-flor,
ra do Queimado d. 63 e 69.
Peales de lartaruga."
Lindos peales de tartaruga, gosto moderno, a
3*200, 55500 e 65000: ra de Queimado ns.
63 e 69.
Peales de travessa.
Vendem-se peines de travessa de aovo gcto para
meninas a (00 e 800 rs. : s no Beija-flor, roa do
Queimado ns. 63 e 69.
Pentes para atar cabellos.
Liados pentes pequeos para atar cabellos, pro-
prios para se andar em casa a 400 e 500 rs.:
no Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e 69.
HoIms de madreperola.
Tendo recebido um variado sortimento dos de-
sejados botdes para abertura de roupo, vendem-
se a 400 rs. abotuadura : no Beja.fJor, roa do
Queimado as. 63 e 69.
Enfeites para senlioras.
Lindos enfeites modernos a 25000 e 25400,
ditos de rede a 900 rs. : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Talberes para meninos.
Chegaram novos sortimentos de talheres, para
meninos a 280 e 320 rs., ditos cabo de balanco de
um boto a 400: as lojas do Beija-flor, ns. 63
e69.
La para bordar.
Vende-se laa de superior qualidade e de lindas
cores a 65800 a libra : no Beija-flor, ra do Quei-
mado, ns. 63 e 69.
Papel de diversas qualidades.
Vende-se papel de beira dourada pautado a
15200 e 15300 o pacote.diiossemserdonradoe nem
pautado a 640, 800 e 15000 : no Beija-flor, roa do
Queimado ns. 63 e 69.
Eavelopes para cartas.
Vende-se envelopes de cores a 600 rs. a caixa,
ditos brancos a 640 e 800 rs. : no Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Pestes doorados para atar.
Vende-se pentes dourados para atar cabellos a
15000, '5200, 25800 e 35000 : no Beija-flor, roa
do Queimado ns. 63 e 69.
Pentes para marrafas.
Vende-se lindos prnlinhos dourados com pedra
para marrafa a 15200 : no Beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Sapales de tranca.
Vende-se sapatos de tranca muito bons a 15500,
dilos de tapete a 15600 : no Beija-flor, roa do
Queiraado ns. 63 e 69.
Balaios com sabio.
Lindos balaios com 6 sabonetes de varias inic-
ias a 25500 cada um : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar lindo sorti-
mento de perfumaras e variado sortimento de
miudezas que se tornara enfadonhe menciona-las,
porm afian?a-se ser tudo bom e mais barato que
em outra qualquer parte.
Um ccnfeiio e especifico para
expelr os Vermes.
_t\ m S HS13
,- i1eS
ES3fc ^ -....._;. .l^.=.-.ir;v;iaijr-_,.. :_'!5f
Pastlllis Verfiiilngas
DE KEMP.
Os mciiiiiDS s jii><] >-.n i gritos, ponjue
filas: cifu, de cl-;,.. siiliur r er agrada
veis. A i>li. OU", illuli'i ::-!\ il;l
Pasthas Vermirogas de Eemp
A I .1 liA iJL'A
ComposicSG cxclusifameute Vegetal,
e-o estas \a na suas aelliores i- mais
completas de tudas as rccoiniDcndacGes
que 6e [K'ssit fzir e com justa razo as
colloco na categora .ruin favorito uni-
versal.
A superiuridade ilas
Pastilhas de Kemp
sobre todas as prepaj'neoes destinadas
para o mesmo lim devido sna sim-
ples composicslo o seu aroma agrada-
vel e i rapidez e infallibilidade coui
que alcanca a destraicio total das
LOMBRIGAS.
A venda as boticas de Caors 4 Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo 4C, ra
da Madre de Dos.
Vende-se uma e.-crava parda, engomma per-
feitainente, cozinha bem, cose, e muito carrao-
sa para crianca : na ra das Niraphas, casa terrea
nova anda sera numero, junto de outra com solo
numero 9.
de
trabalhar a uio para
descarocar algodo
FABIUCADAS
Por Plant Brothers & C.
OIDAH
Estas machinas
podem descarocar
qualquer especie
de algodao sem
estragar o o,
sendo bstanle
duas pessoas para
O trakilho ; pode
descarocar uma
arroba de algo-
dio em caroco
em 40 minulos,
oa 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodo
limpo.
Esta machina
a nica que
possue as vanlagenc de nao desirnir o fio do al-
godo e de fazer render o dobro de qualquer ou-
tra com menos trabalho, a sua introduecao para
as provincias (leste imperio ser de amito valor
para todos os interessados na lavoura d paiz.
Assim cora machinas empunto grande do mes-
mo systema.oraql serem movidas por animaes,
agua ou vapor, pas uae. podem descarocar 18 ar-
robas de algodo ampo por dia.
O algodo descarocado por estas machinas tem
amito mais estimaco nos mercados de Europa e
vende-se por maiorprego.
As machinas se achara venda nnicaraenie em
rasa de
Souaders Brothers 0.
\". II, praca do Corpo Planto
recife.
Os Micos ajenies neste pai.
Grande liquidadlo
de blendas na leja de Patio, ra ia taperatrii r.
60, de Gama & Sitia.
AcOa-se este estabelecimento conipletameatsor-
lidode fazendas inglezas, francezas, allemaes e
soissas, proprias tanto para a praca tomo para o
mato, prometiendo veoder-se mais barato do que
em ouira qualqncr parte principalmente sendo em
poreo e de todas as fazendas do-se as amostras
deixando ficar penbor ou nMndaavse levar em ca-
sa pelos caxeiros da loja do Pavao>.
As dtas do Pava*.
Vendem-se superiores chitas claras e escoras pe-
lo barato preco de 240 e 280 rs. sendo tintas segu-
res, ditas francezas finas a 320, 340, 360, 400 e
500 rs., o covado, ditas pretas largas e estrellas,
riscados escocezes fiaos a 240 rs. o eovado, isto na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
As eassas do Pavie a 210, 280, 300 e 320 r.
Vendem-se flnissimas caspas persianas cree fi-
las a 320 rs. o covado, ditas francezas mnito fina
a 240 e 280 rs., ditas ingzetas a 240 e 280 rs. o
covado, finissimo organdy matsado com desenhos
miudinhosa 320 rs. o covado, eassas garibaldias
muito finas a 320 rs., isto na loja do Pavo ra da
:-Imperatriz a. 60, de i.ama & Silva.
As lazinhas da eipesicao do Pavie.
I Vendem-se as mais modernas lazinhas mossan-
bique chegadas pelo ultime vapor francez sendo-
de ama s cor oa de listas miudinhas com 4 palj
, mos de largura, proprias para vestido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baratissimo
preco de 560 rs. o covado, ditas entestadas trans-
parentes de quadnnhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas matisadas mnito finas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita tambem matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Mara Pa com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de nma s cor parda, azul, cor de lyrie a
perola proprias para vestidos, sautembarques e
garibaldes a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
, 800 e 400 rs isto s na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os chales do Pavie.
Vendem-se finos chales de crepon estampados
. pelo barato preco de 6, 75, 8J, ditos de poota re-
donda a 75 o s, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidriara a 125, ditos pretos lisos a
55, ditos de cores a 45500 e 55, ditos de merm
estampados a 25 e 35, ditos de la a 15280 e 25,
; ditos de retroz preto para luto a 65, isto na loja
do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 Pavis vende para loto.
Vende-se superior setra da China fazenda toda
de la sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, paletots, capas etc., pelo bara-
to preco de 25, 25200, 25300 o covado, eassas
, pretas lisas, chitas pretas largas e estrcas, chales
de merino lisos e bordados a vidrilbo, manguitos
comgollinhas e outros muitos artigos qne se vea-
dem por pnros razoaveis : na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
camente bordados a veludo pelo barato preco de
. 405, sendo fazenda que sempre se vendeu a 1005
e 1^05 ; ditos de cambraia brancos ricamente bor-
dados a croch, sendo proprios para baile e casa-
mento a 10, 15, 20 e 305; ditos de la cora lindas
barras a 18 e 155; isto na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Pavo.
Vende-se panno preto muilo superior pelo barato
preco de 25, 25."00,35 e 35300, ditos muito finos a
45, 35 e 65, cortes de casemira preta enfestada a
45, 45500 e 65, casemira prela fina de nma s
| largura muito lina a 15800. 25. 25.500 e 35, cor-
I tes de casemira de cor a 55, 55500 e 65, casemi-
j ras enfestada.-. de uma s c6r proprias para caiga,
i palotots, coilutes, capas para senhora, roupas para
meninos a 35 e 3-3500 o covado, isto na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A roupa do Pavo.
) Vendem-se paletots de panno preto sobrecasa-
i eos fazenda muito boa a 125, ditos muito finos a
i 165, 20;, 255 e 305, calcas de casemira prela boa
i fazenda a 45500,55, 65, 75 e 85, paletots saceos
i de panno preto a 75, ditos de casemira de cor a
: 65 e 75, ditos de alpaca preta, ditos de merino
i preto, ditos de brira de cores, calcas de casemira
j de cor a 45, 55,65, 75, ditos de caxemira da
Escossia a 35, ditos de brim pardo a 2550o, ditos
de cor a 25 e 25500, dilos brancos mnito finos,
I sto na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, do
Gama & Silva.
As colchas do Pavo.
Vendem-se colchas de linho alcochoada pro-
prias para cama pelo barato preco de 55 cada nina
na ra da Imperatriz ti. 60, de Gama & Silva
Las de uma so cor.
Vendem-se lazinhas de uma s cor, sendo en-
carnada, azul, ciuz^.'iia, er de caf, lirio claro, li-
rio rovo cor de perola pelo haratissimo preco de
640 o fuvado, fazenda mnito lina s o Pavo. a ra
da Imperatriz n. 60 luja e armazem de Gama o:
Silva.
As preealas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas que tem vin-
do ao morcado chegadas polo ultimo vapor fran-
cez, pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas
de lislrinha muito miudiuhas proprias para vestidos
e roupas de meninos e meninas pelo luralo preco
de 500 rs. ; s o Pavo ra da Imperatriz n. 60,
loja de Gama & Silva.
As chitas do Pavo 4uo e
2$SOOocrte.
Vendem-se cortos de chita cora doze covados
cada corte, ditos com dez covados a 25400, fazen-
da muito boa, e que nao desbola, s na loja do Pa-
vo tem esta peilnncha ; a ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Panno de linbo.
Veude-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lenres, toalhas e ceroulas pelo
barato preco de 640 rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 25500, algodaozinho
monstro cora 8 palmos de largura a 15, pegas de
Bambnrgo com 20 varas a 95, 105 e 115, pecas de
madapolo lino a 75500, 85, 95 e 105, ditas de
algodaozinho a 65, G5300 e 75, e outras muitas
fazendas brancas que se vendem muito baratas
afim de apurar dinheiro : na loja do Pavo ra da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
O Iirainante do Pavo com doze
palmos de largura.
Vende-se hramaole de linho puro, mnito fino com
doze palmos de largura o melhor e mais largo que
tem vindo ao mercado pelo barato prego de 25800
rs.a vara s na loja do Pavo de Gama & Silva,
aua da Imperatriz n. 60.
A precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas de lis-
trinha muito miudiuhas proprias para vestidos e-
roupas de meninos e meninas pelo barato preco
de 500 rs.: s o Pavao ra da Imperatriz n. 60,
loje de Gama .\ Silva.
Os baloes do Pavao.
Vendem-se crinolinas ou bales de 30 arcos tan-
brancos come de cores., sendo americanos que
sao os melhores por se nao quebraren) a 35500 e
de 35 arcos a 45, ditos de rausselina cora (.abados
45, ditos para menina a 25 e 35: na loja do Pa-
vo ra da imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
0 Pavo vende 8.
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos a
Mara Pa, com lindas harpas de seda, sendo che-
gados pelo ultimo vapor francez pelo barato preco
de 85 cada um : s na leja do Pavao ra da Impe-
ratriz a. 60, de Gama A Silva.
Os baldes do Pavo.
A 25500 s o Pavie.
Vende-se baloes com 20, 25 e 30 arcos pelo ba-
ratissimo preco de 25500; asilos coa tem om
completo sortimento re bales para meninas de to-
dos os lmannos pelo haratissimo preo de 25500,
notando que sao bales de arcos os melhores que
tem vindo da America Ingleza, vendem-se per osle
preco para liquidar : na loja e armazem do
Pavao ra da Imperatriz n.OO, de Gama 4 Silva.
Os souteaubarques do Pavo *
IO c 1 V* fi o Pavo.
Vendem-se os mais lindos souteanbarques que
tem vindo ltimamente de lazinha e caxemira ri-
camente bordados e enfeitadns, cores muilo delica-
das pelo barato preco de 105 e 155 ; fazenda esla
que em outras I jjas se vendem por 205 e 265,
s para liquidar : na loja e armazem do Pavo a
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva,



i
^


Diario de l'eraambueo Quaria folra 13 de .Igoso de 1H4.



-
CLtRIM
COMMERCi
irTMitl HCA DO QUEIMADO H. 45,
Passando o becco da Congregado segunda casa.

mm


NOV1DADE.



Pereira Rocha A C. acabam de abrir na roa do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Cemmercial^
onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos memores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
aerab vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se o bom peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arrot do Maranhao, da India e Java*60,80 Cevadinha de Franca muito superior a 220 (Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra-
. ,___ ,nr.A nvnnn .... i;km Dnirwn a 91A r a lihra
e 100 rs. a libra e 16800 a 2600 e 30 i rs. a libra.
a arroba. Cevada a 80 rs. a libra.
v Amelias francens em latas e em frascos a Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
10200 e 10600 e mraseos grandes a dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
24500. I Figos de comadre e do Douro em caixinhas
Jdem em caixinhas elegantemente eneitadas de oito libras e canastrinbas de 1 arroba a
com ricas estampas no interior das caixas j 10800, 50500 e 280 rs. a libra.
a 120000,10400, 10600 e 20. ) Fariaba do Maranhao a 160 rs. a libra.
Amendoas com casca autto novas a 280 rs.j Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
a ijb,..,. | Geoebra de Holtanda verdadeira marca YD
Alpiste a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.! a 560 rs. o frasco e 60200 a frascraeira.
Azeite** francez muito fino em garrafas fctem cmgarrafoes de 3 e 5 gaBesa 5J500
grandes a 960 rs. a garrafa. i e 70500 cada um wm o garratao.
dem Lisboa a 40 rs. a garrafa. Graixa a 100 rs. a teta e 10100 rs.adnzia.
Araruta verdadeira de mataran a 320 rs.a Licores omito finos a 700 rs, a garrafa.
HA i
ENTIBIO!
O BALIZA
N. 38 RoSSto N. 38
(B-efronte da grade da Igreja)
GRANDE


IWIiSi
tibra,
AvelSas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Bisceatos ingieres de diversas marcas a
40300 ris.
fiolacninhas de -soda, latas grandes, a 2$ rs.
a tata.
Ditas inglezas muito novas a 30000 a fcarri-
quinba e a 200 rs. a libra.
Baifca de porcor efinada a 440 rs. a 'libra e
e embarrila 4i0 rs.
Chk hysson, hnchin e pe-rola a 10600, ,
20500, 20809 e 30006 a libra,
dem preto muito snperier a 20006 a libra.
Cerveja preta e branca, des memores marcas I
dem, qualidade special e garrafas muito
granees, a 10800 rs. a garrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rofha de vi-
dria, a 10000 rs., s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a DOO rs. a libra, e da
fle segunda1 qualidade a 800 >rs.
dem franceza muito nova a 64 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tmales em barril a 480 rs. alfbra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melbores conservei-
ros de'Lisbea a 600 rs. a lata.
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa .farrasqumhoj de Zara, frascos grandes, a
e 50800 a duzia. i 800 rs.
^Cognac inglez fino a 90 rs. a garrafa, dem regular k 500 rs.
-Conservas* 720 rs. o'frasco. Massas finas para^pa : e&rellinha, pevide,
dem, sde pepino, a 720 rs. rodinhas e i jtr'anhas a 600 rs. a obra e a
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melbores fabricantes da Bahit
40 a caixinla com 12 libras.
Nozes muito tovas a 16P rs. a libra.
e especialmente da fabrica imperial de Peixe em latas preparado pela primeira arte
CandidoFerreira Jorge da Costa, a 10800, i de eozinha i'(0 rs. a Ista.
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e Palitos de den es a 160 re. o masso.
30500 a caixa. i Palitos de den es a 120 rs.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320 dem de flor a 200 rs.
rs. a libra e 80500 e 80800 rs. a arroba. Amendoas con fritadas a &00 rs. a libra.
Carloes de bolinhos francezes muito novos e Doce de goiab i em latas o melhor possivel a
muito bom enfeitdoe a 700 e600 rs. I 20 e em ca
Chouricacc paios muito novos a 800 rs. a Palitos do gaz
xao a 64U rs.
20200 rs. a grosa.
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego ein calda de aceite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor b
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vMfo a 600 rs.
cadaum.
Sardinfcas de Nantes a 360 rs.
Sag muito abro e novo a 260 rs. a libra.
Toucmho de Lisboa a 320 rs, a libra.
Ti jotos delimpar facas a 1*0 rs.
Velas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearmas muito superiores a600rs. a
libra.
Figos em -caixinhas orme ticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero o fle varias marcas, como
sejam: Velho de *815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Mara Pia,
Bocage, Chamisso -e outros a 800, 300 e
10000 a garrafa, em caixa com urna dn-
. zia a 90000 e 60000.
Idem-em pipa, Porto, Lisboa e Figneira a
480, 500 e 569 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada.
dem branco de ^Lisboa muito fino a 500 rs. |
libra.
i Passas muito-novas a 480 rs. a libra.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S.
e 800 rs. a -.garrafa, e 17 #000 e"705OO rs.
a duzia.
dem Morgauv3Chateauhjminidet854, a *$
a garrafa,
fdem moscat'. a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, e garrafa t
10200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes ai0800 rs.
Alm dos-gneros cima mencionados 'te-
mos grande porco deoutros que deixamos
de mencionar, e quetudo sera vendido por
pecas e carnadas, tanto em por;5es como a
retalho.
Quem comprar de WO0OOO para cima-to-
ra o abate tie 5 por cento.
O Vigilante est alerta, nao lhe era pertnettido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto atiru de annunciar ao respeitavel publico
o grande sortimento degalauarias do uielor gosto
propriamente para qualqer mimo, que acaba de
ebegar neste ultimo paqnete, assim como multos
outros objectos que recebe por diversos navios,
tanto de sua conta como de consignacJo, que est
resolvido a vender por precos mrtto baratos para
vender muito e panhar pouco, e *nr extrae?ao ao
grande deposito que tem, que espera merecer a
proteccio do respeitavel publico, empregando para
isso todas e as melhores diligencias para que fi-
quem satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, ra
do Crespo m. 7.
HKas p#rta-j*iis.
Cofre -de muito gosto por 160OOU
Gestmbas transparentes, forradas de madre-
peroh por 18*000
Lindas jardineras 105000
Ricos cofres com caraapheu 10*000
Lmdas caixinhas com podras brancas 10*000
Lindo Lalao com catanga dentro tambem
para joias 16*000
Tambalier para ditas 9*000
Cestiahas iem idea 6*000
Cosmoram* dem dem 6*000
Crnaiinha 6*000
S no Vigilante, ra do Crespo o. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos costos e pre-
ces : s6 no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricas *ia(s
com beAcinhas ae lado a 10, 12 e lo*, ditos sem
bolea, porm do tnesmo gosto, a 2*900,3*, 3*500
e 4*, ricas fiveas avulsas para sintos, o melhor
que e pode encontrar, a 1*300, 3*, 3*500 e 3* :
s no Vigilame, ra do Crespo n. 7.
Cabaies estinhas.
At que ohegaram as-desejadas cestinhas ou ca-
bases para es meninas Irazerem no braco, o mais
rico possivel, a 2*300, 3*300, i, a, 7 e 10* : s
no Vigilante, rna do Crespo n. '7.
taes.
Neste artigo tem um grande orUmento, tanto
'para alisar como para atar cabello, o mais linde
que se pede desejar, assim como de arregacar ca-
APROVEITEM APROTEITEM
.los
m^ 7JS0 COVADOS
de sedas de cores de todas anualidades.
la loja da m do Crespo nlumero 17.
importante comprare TliiOeovaiIos de seda de todas ai quadades, (-oprias para
raidos de-senhoras e de meninas, e vende-se por preces admira-Jeis.
Outros muitos objecias de apurados {fostos ira setihorab, vestidos de donde paos,
easismento a 90* cada um, capas pretas, soaUmbarques de cues e. netos, chpeos etc.
Fazendas de linho e de aigodo as melhores que existei i no mercado.
O propietario deste importante estabelecimento vai a Europa muito breve com-
prar azendas Je apurados gestos, presentemente vende as uas mcrcadonas por precoe
baratK^irnos pra liquidar. >
a iiuporlanCf
Prtts'i'Am todos. Protejasn todos
LIQUIDACOI
A loja da ra do Crespo n
17.
>S
*$H]lfo armazem de, fazendas ba-
ratas de Santos Coelho ma
do Queimado n. 19
weai'Jc-se o seguate:
AUffi^AO.
Ricas lazt'.ias para vestido, fazenda a melhor
que tem vim!.: m mercado, tanto' em gosto como
em qualidade pelo baratsimo prero de 360 re.
I o covado.
Laazinltas miudinhas cannezins proprias pare
; vestidos de merinas e camitiinhas a 640 rs. o co-
j vado.
Cortes de la.iom 13 covados pelo barato preco
1 de 6*.
Cobertas do Okita da India a 2*500 e 3*.
Lences de.paeno de linhaa 2* e 2*S0O.
Pecas de carabraia de forre com 8 ljS varas a
1:8*200.
Toalhasalcochcedas proprias para macs a 3* a
. duzia.
Ricos cortes de iaa com banra a Macu Pia a
18,3000.
-Pecas de platilhis de algodo com 16 varas
/.proprias para saia a i*.
Agodao enfestado.com 7 1)2 palmos de largura
a 1*100 a vara.
Eseira da India prepria para forro de ala de
4, 5-e 6 palmos de largura por menos preco do
queem outra qualqer parte.
Neste armazem tambem se encontrar um gran-
de sortimeuto de roupas feitas e por medida.
'bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
Julien a 700 enfeite e sem elle para meninas : -s no Vigilante,
ra do 'Crespo n. 7.
Pentes
Tamt>en# chegaram os riqusimos pentes de
concha -de tartaruga-e de massa fica, que se vende
por 2*, 3 e o* : s >no Vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Icqoes.
Riquissimos leques de madreperola, tanto para
senhora como para.mocinhas, pelo barato preco de
12 el** : s no Vigilante,-roa de Crespo n. 7.
Mais leqnes.
Com pequeo defcito, leques de sndalo, 'por ba-
ratoipreco, a 8* e 10*, chineze, muito bonitos,
tambem por barato preco de 4 e 3*, bentarallas
muito bonitas tambem por barato preco de 4 e o*,
leques de cha rao tambem por 4*, ludo isto para
acabar, perdendo-se talvez 80 0(0 : s no Vigilan-
te, ra do Crespo Pulseiras.
Lindas pulseiras de conlas e de missaoga, cores
muitc lindas e de muito gosto a '.% e 1*00.
Para egnrar mangnitos.
Tatabem chegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha que as sechoras tanto precisara para se-
guraros manguitas.pnr ser iuui:o-commodo e mui-
to barsto, a 320 o par: s no Vigilante, ruado
Crespo o. 7.
Canelas.
Riqusimas carretas de madreparola proprias
para qualqer presente, pelo baratsimo preco de
VERDADE1RO V. PKI\( 1PII,
Ordem do dia.
Est em discussao a tabella dos precos que o BALIZA tem a honra de offere-
cer ao respeitavel publico tanto da cidade cono do ceniro.
Se por esta publicarla qualqer um dos nobres colegas entender necessario
fazer alguma alteracao em seus annuncios, digne-se mandar a sua emenda para o jornal
que o incansavel Baliza nao lhe pora peias nem o embaracar de forma alguma a benefi-
ciar o povo.
Amigo de vender barajo o Baliza-nlo expe a venda seno os gneros bons.
Elle se julga no caso de vender tito mdicamente como oulro nao o exceder
Soldado soprador toma o clarim
E firme como a rocha fica assim
1*300 eJ*.
VoUiuhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
Batatas em gigos a l,3ooo gigo.
Cha petla a 3,ooo rs. a libra,
dem tixim a ,6oo e ,8oo a libra,
dem hyfson a 2,ooo, 2, ioo e 2,8oo. a libra.
dem do Rio a I,6oo rs. a libra.
dem preto a I.ooo e 2,ooo rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e Rio de Janeiro a 8oo rs. e l,ooo, 2,ooo,
i,uoo e .ooo rs. o
2,oo, 3,oo, 3,5oo,
cento.
BogiDdofbnlhapte^ asam como croainhas ayusas Chocolate dos molliores fabricantes Je Pars, Passas novas a ioo rs. a
,e voluntes, pelo barato preco de I* e 15200. as: ... un i-v
! cruzes avusas a 400 re : d no Vigifante?Tna do! Allomanba, 1 lamburgo 6 Lisboa
Crespo n.7. Copos lapidados para vinho a .boo a duzia. i
Sapaliuhos-cjifias ilr sed*.
Riquissimos sapatinhoc de seda e de n
a 1,5oo
fiasco.
dem menos superior a 8oo e l,ooo rs. o
frasco.
Nozes a 24o rs, a libra.
Pie/nulo porlugiiez de superior qualidade a
64o rs. a libra e ititeiro por oo rs.
dem inglez para Hambre a 64o rs. a libra,
nao agradando mesmo depoisde preparad"',
podei ser devolvido, que so trocar por
oui.io ou ser restituido seu importe.
libra,-
PAIvo a Ido rs. a libra.
Painco a lo rs. a "
dem idem para agua a o,ooo,
rs. a duzia
3,500e G,ooo l'omada a 24o rs a duzia.
l^hadc0l'^,simCKmo meiaziuha.s >e soda, gorra- Ceneja das melhores marcas a 4,000, 0,000
zmhas e touquinhas para as cnanrinh&s se bapti- *,, ,.0 n ,i.,;n .vw, .
i,ooo ib. a oii/.i.i.
garem
Cgf^eanella e cominhos.
Ceblas em molhos resteas e soltas.
Conservas inglezas a Soo, 9oo e 1,000 rs. o
frasco.
Dillas francezas a ;>oo e dio rs. o frasco.
RA DO QUEIMADO NUMERO 11
Loa de fazendas" d>- Augusto Frederic dos Santos Porto
Liadas ebapeliaas e chapees para senhoras.
iegaram a este estabeleeimento as mais modernas chapelina* e chapeos para senhoras.
Superiores cortes de Jaa de barra de lo* a 20*.
As mais superiores eajias e 6outernbarques de seda preta ecasemira de cures para senhoras ae
0* at 30*.
Exeelle*i#s las para vestido a 320, 300, 360 e 600 rs. o covado.
Cassas e organdys de cures a 240 e 320 rs. o covado.
Os meliitfis tapetes para of com riquissimos desenbos.
Lencos de eambraia de linlioefit bordados a 1* cada um.
SuprioreS'Casemires mescladas de diversos gostos tanto em pecas como em cortes.
Eootras militas fazendas como sejam: percalles flnissimas, breUnhas, ilecias, esqniao, sihs-
triaa preu muito fina, cantao para vestidos de luto, grosdenaple de boniUs cores e as superiores
listel ras para salas.
As pessoas que pretenderem forrar suas salas ou gabinetes, encontrarlo neste eslabeleciment
melhor aqualidade de -.. -iras de todas as larguras e pelo mais mdico preco,
------------------------ i i .1 l^^^"^ """ *^* *M *"
ARMAZEH
FRONTEIRO
DE
ALTES OUTIMHO & BRA\O
2 i L aryo do Terco11
Ao publico.
Temos a satisfaco de annuneiar, ue acabamos de abrir um estabelecimento de molbado*
na tocalidade e sob a denominaos > cima indicada.
O novo estabelecimento, fundado ao go e pela regalaridade de soas operacoes mercantls; alem do que, tem um grande e completo sortimento,
possuindo todos os artigos concernentes molhados, cuidadosamente escomidos e os mais frescos que
sepossa desejar.
Cha hysson parola e miadinho de K ,800 a 2,4oo rs. a libra.
Manteiga ingleza e franceza de 5 io a 800 rs,
Vinho de Lisboa e Fitfueira de 3o a 5oo rs. a garrafa.
Cerveja branca e preta de diversas marcas a 5oo rs. a garrafa
Vinho do Porto fino engarrafado a I ,.*ioo rs. a garrafa.
dem em harris a '800 rs a garrafa.
Spermas*-te a 54o rs a libra e em caixa a U2o rs.
Altria, talharim e macarras a 4oo rs. a libra.
Arroz do Maranhao e da India a 80 e loo rs.
Vinho BoroVaux a S60 rs. a garrafa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 3oo rs. a libra.
Alem de muitos outros que deixamos de mencionar por se tornar desnecessario
!
B 3 S
O O. en 8
11 3 X
n p
ill
o.'
a
M
?Q O
- C/3
C,
v>

^** I 3B-0 evo % o
CD O
O
o
& as
vi
(G
s
O
5

s no Vigilante, -rtia do Crespo o. 7.
Golinlias.
iquisslmas to possivel, a 2*, 2*300 e 3*: s no Vigilante,
ra 4o Crespo n. 7.
Enfeiles para senhura.
Rifofesimos eneites com iaco e sem laeo e de I Cotrnac inelex e francez a I 000 rs a ffarrafa
outros amitos gastos a I*. *j00 e 3* : s no Vi-' r 1 1 a 1 01 1 1 u- g n
gialnte, *ua do Crespo n. 7. Cafe de 1 .*, 2.a e 3 jualidade a 8000 9,ooo
IranceliiK. L e 9f? ,rsV
Lindosaranoelioa de cabello para relogio ou la- jCevadinba de Franca a -to rs. a libra,
netas, pelo iiaratissimo preco de 1*500, ditos de I Champagne de muito boa qualidade a 12,000
retroz a 209 rs. e 2o,ooo rs. a duzia.
Bafeadijiiies cnlrcmcies. Doces da casca da goiaba em latas preparadas
(ii-a-
r-
:W\
-1 s
ES S.o
y- ~~ M
- a B


&r &&
y.
.-n




3 CD a.
o
\r.
S B S
*?2
ir.
"3
as
-:
a;
as'
3.

B
o
B
2.
cS
as
a
5

o. .
o, -
t*\ en
ifl
-O o
n
o
tu
B
fi
|3.
! f-p o i
8 ^g"
M
I
I
as
ar
f
e.-ft
8

o
e
a
5
Riquissimos babadinlws ntremelos com lindos
'desenhos lapa*M e transparentes, pelo baratissimo
preco de 1*200, 1*500, 2* e 3* : s so Vigilante,
raa do Crespo n. 7.
CsseairiUns.
brande sortimento de cascarrilhas de diversas
laj^guras, assim como galaotinho e trancintias pro-
prias para enfeites : s no Vigilante, ra do Cres-
po n. 7.
Fitas.
Grande sortimento de fitas de diversas larguras
i e qualidade, por precos que admiram aos compra-
com muito aceio, propria para memoztar
algum amigo na Europa, por ser inaliera-
vel por mais de um anno, a 3,ooo rs. a lata
eom 7 libras.
Diltos em caixes a 6o, 6lo, 800 e l,ooo
rs. o caixao. -
Ervilhas portuguezas em latas com I '/i li-
bras por 7oo rs.
dem francezas em latas a Soo rs.
dem seccas a 2oo rs. a libra.
dores, havendo fitas largas proprias para sinteiros j Espermacetc americano primeira uualidade a
(le S iiih. i'pndpr a aflfl rs. a vara p ripea dp 'i i a______ -i-i___
Empreza da illuminacao
i que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca de 3
I varas a 2* : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Fitas de ISa.
i Fitas de la de todas as qnalidades, proprias para
debrum de vestido 700 rs a peca : s no Vigi-
lante, ra do Crespo n. 7.
Ricos cspelhos,
Riquissimos espelhos com moldura dourada e
eem ella de 8*, 10,12 e 14*, assim como com co-
lumnas de diferentes tamanbos a 2*, 3, 4, 5e6*:
s no Vigilan!',na de Crespo n. 7.
Lindos Jarros e figuras.
. Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui
tem apparecido : s no Vigilante.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com lionera para pos de ar-
roz, coiisa de muito go>t<> a 1*500 e 2*, assim co-
mo pacotes s com os pos a 320 rs. cada um : s
no Vigdante, raa do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como os lindos copos ou vasos com dis-
ncvos e ofierecimentos s sinhazinhas, dos me-
lhores e mais afamados autores de Pars c Ingla-
jaixas
a gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamacSes
(por eseripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem da ra do Imperador
n. 31. Os marhinistas mandados para atlender a
estas, apresentarao um livro que os reclamantes
de haverem os mesmos senhon* sido devidamen- \ ff/^Vi; JJ S^ Si
i freguezes se far todo negocio.: na loja do Gallo
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
te attendidos.
Hua da Senzalla o. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
ces bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos. e relogios de
ouro patente inglez.___________^^
Charutos da Ifavanui.
Vende-se superiores charutos da Ha vana em ca-
seda Rabc Schmeo.au 4- C.: ra da Cadeia n. 18.

bebpfa*
na cscadinlia da alfaudega n.3 armazem da viuva
de Paula Lopes, a 500 e 800 rs. o cento 1 !! che-
guem-se em quanto se nao acaba.
Farinha de luaudioca superior
em saceos grandes: vende Antonio Luiz de Oiivei-
ra Azevedo 4 ., no seu escriptortoTna .da Cruz
numero i.
I.2oo rs. a libra,
dem francez a 3Go rs. a libra, e em
a 32o rs.
Farinha d'araruta verdadeira a 18o rs. a libra.
Farinha de trigo a 12o, I io e lto rs a libra.
Farinha de milho a 160 rs. a libra.
Figos em caixinhas e em latas lindanmente
enfeiladas a 8oo e 1,5oo cada um.
Fumo americano em latas para cigarros a
l,8oo rs.
dem em pacotes a 2oo rs.
dem em pasta a l,2oo rs. a libra.
Genebra de laianja a 1 ,ooo rs. o frasco,
dem ingleza marca Gato a I ,ooo rs. a garrafa,
dem de Hollanda a 64o e !,6oo rs o frasco
pequeo e grande,
dem de Hambiirgo, a 'i6o rs. o Irasco c 6,ooo
rs. a frasqueira.
Graixa em latas a l.on rs. a duzia.
Limonadas de diversas fructas a I.ooo rs. a
garrafa.
Licores, iuglezes e francezes a l.ooo, I.Soo
e 2,ooq rs. garrafas grandes e pequeas.
l'irnenla do reino a 3o rs. a libra.
Peras seccas aGo rs. a libra.
Peixe em latas a 1,000 rs. a lata.
Pape! almasso e de peso, de diversas
lidades o precos deferentes.
Palitos do gaz a 2,2oo a proza.
dem para denles a 8o, IGo e 24o rs. o ma-
co com vinie macinbos.
Gueijos flamengos a 2,lioo. do ultimo vapor.
dem pratn a Oio rs. a libra.
dem londrino a 800 rs. a libra.
Rap Meuron a l.ooo rs. a libra.
Sevadinha a 24o rs. a libra, ( nova).
Sag a 28o rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a 64o, 5Goe 36o rs. a
lata.
Sabao massa a 12o, 19o, 2oo e 24o rs. a li-
bra.
e em caixes por muito menos.
Sai refinada a (loo rs. o pote de vidro.
Toucinho de Lisboa, de Sanios e americana
a 16o, 24o e 32o rs. a libra, e em arroba
a i,ooo, 7,000 e 9,ooo rs.
Tijollo para limpar facas a IGo rs. rada uro.
Vinho do PoPtn em caadas a 3,3 , .ooo rs. e em ancoras com 7o garrafaspoi
3o,ooo rs.
dem de Lisboa sem ecnfeicco, (Jeencomen-
da) por 5o,ooo rs. o barril com 17 cana'
das.
dem de Lisboa mais baixo a 43,000 rs.
dem em pipas a 3,ooo, 3,5oo e 4,000 rs. a
caada.
dem em barril de Bordeaux com 13o gar-
rafas por So.ooo rs.
dem idem de Bordeatix com 70 garrafas por
3o,000
dem em caixas por 5,ooo rs. a caixa com 12
garrafas da melhor qualidade que vem ao
nosso mercado.
Vinho branco para missa de Lisboa e Porto
em pipa, barril e ancoras a 4,000 e 0.000
rs. a caada.
Vinagre de Lisboa, Porto, tinto c branco a
l,6oo e 2,000 rs. a caada
dem em ancoras por 16,ooo rs.
Velas estearlinas a 56o rs. o maco, e em cai-
xas a 52o rs.
Vassouras americanas a 64o rs. una.
Farinha de
mandioca
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
A Ivs no seu escriptorio, casa n. 19, na ra da
Cruz.
Trina, volantes e gales.
Ven Je-se trina, voluntes el galoes de todas ae
larguras por precos muito barato: s no vigilan'.-
ra do Crespo n. 7.
Viubo do Porto superior
dm caixas de urna e duas duzias : tem para en-
eer Antonio Luiz de Oliveir Azevedo & C, no seu
escriptorio ra da Cruz n. 1.
Aos seuhores preisanos.
Estopa larga superior a 480 a vara, e de "jO para
cima a 460 : na loja da ra da Madre de Dees
numero 16.
ILEGVEL]
Nlo toques nesse pessimo instrumento
Do Balisa olha s o movimento.
i: t que dos mitrados teas as coras
De tudo vendedor de profirla eonta
XiSo pasmes vcodo como sobraneeiro
Doregresso o Balisa a ira affronia.
0 grande depeso que temos de vinho nos obliga a abaixar seus precos,
achando-se .vista dos compradores cerca de 35 a 40 pipas desle genero, entre pipas,
barris e ancoretas.
Amendoas confeitadas em lindos frascos a 800 j Lingoas americanas muito novas e muito gran-
rs. a libra des a l.ooo rs. cada urna,
dem com casca a 32o rs. a libra. Linguicas promplasem latas a 1,5oo cada lata.
Ameixas francezas em caixinhas e frascos a i Manteiga ingle/a flor a 800 rs. a libra neste
1,2oo, 1,5oo e 2,ooo rs. I genero ha mais de 10 baiis abertos afim de
Alpista a 16o rs. a libra e i,6oo a arroba. serem satifeilos os compradores.
Arroz do Maranhao, Java e do Penedo a 80, | Idem'menos superior a 6io rs.
loo e 12o rs. a libra, em arroba a2,ooo, | Manteiga ingleza a 000. loo e 32o rs. a lima.
2,8oo e 3,2oo. dem franceza a 56o, 600 e 64o rs. e erahar-
Azeite doce refinado a 800 e loo rs. a gar-! til por menos.
rafa. Mas de tomate a 64o rs. a libra.
dem idem em barril a 6io rs. a garrafa e Marmelsda dos melhores fabricantes a 64o
4,800 rs. a caada. rs. a libra.
Ancoras com vinho do Porlo, encommenda Molhos inglezes a 4ooeG4ors. agarrafinha.
feita pelo propietario do Baliza a 3o,ooo Mostarda preparada a 4ooe64ors. o frasco.
rs. a ancora com 7o garrafas. Massas para sopa a ioo rs. a libra das de ta-
Bolaxinhas de Lisboa, ingleza e americanas Ibarim, alefria e macarro.
em latas a l.ioo, l,5oo, 2,000 e 3,coo rs., dem linas estrellinba e pevide a 3,ooo rs. a
e americanas em barricas a 3,ooo rs. a| caixa.
barrica. Milho miudo para passaros a I60 rs. a libra
Banha de porco a ioo rs. a libra e em barril, i e 4.800 a arroba.
a 36o rs. [Marrasquino de zara do verdadeiro




Mari* 4r PerMMMiM ctnaria lelra i 4e!t garfio #e iil.

&RANDB ALLMGA
57 RA DO IMPERABQk 57
NEM COHOAS NEM MITRAS

DE
Paulo Fer reir da Si tea \& Companhia
Grande sortimento de molhados era growo a retalbo. nico armazem que mais
vantagens offerece ao publico. |
TH\t111v Desengense todos. ;
i: o Alliaa^a o verdadeiro hornera do progresaso.
o Alliaa^a o verdadeiio e primsipal anaazea de molhadn.-..
K o Hilan?; o armazem que vene mais hanrto.
K o Aillaaca o armazem que vale 01 iwflUurts geaeros.
o Allian^a o armazem onde preside a melhor aceio.
Fique-todos sabedores desta veedade,
Venham todos ra do Imperador u. 7.
Yenham ver os gneros que temos exjjpstos a venda. >
]
S. JO AO E
Aiwidoas eonfeitadas de bonitas cor Ele de Hollanda em-garrafoes coni 24 gar-'
800 rs. a libra. rafas a 7r2oo rs. com ogarrafao.
dem de casca muito ora a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legumeTpara sopa e gui-
Avelas a 2oo rs. a libra. f zados a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas contundas Licoresfrancezes de todas afe qualidades a
estampas a l,2oo, l,4oo e l,6oo rs. cada 800 e i,00o rs. as garrafas grandes.
urna. I Manteiga ingleza pereitMple flor a 80
dem em frasco de vidro com rolha do aaes- j e.36o rs. a libra.
mo ou de metal, a l,2oo e I,4oo rs. cada: dem Tranceza nova j deste anuda 600 rs.
um. a libra, e 58o rs. dem em frasco grandes a 2,oo rs. cada tMarmelada especial dos mettiores fabrican-
um. tas de Lisboa a 600 e 64o rs. jtflibra, ha
ESPLENDIDO SORTIMENTO DE VIOLHADOS
M. O BB DO CRESPO I. O
Esquina qnc voita para a roa da Impera dar
V


PARA FESTAS
S. PEDRO.
DE
ldein m latas de I yj e 3 libras a 1,200
2.000 1 >.
Arroz da India e Maranhao o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,400 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa., e
4,800 rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9go rs. cada urna, e lo,000 rs. a
caixacora I duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a IGo rs. a. libra e 4,6oo rs. a ar-
roba
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato!
e latas de differentes tamanho.
. Magsa.de tomate em latas de 1 libra a
56o
rs. cada urna,
dem para soda estreHinha, pevidee rodinha
em caixinhas sortjdasa3,ooo-3,500 rs.cada
urna e 5oo rs. a libra,
dem, macarrao, talbarim ealetri a 4oo rs. a
libra.
Rl A 0 IMPERADOR K. 40
Jatto surada em qac mora e Sr. Osbarne,
Para a &s& de Saato Antonio, S. Joio e S. Pedro.
Dnari* AlmeMa r.. reretirram de sua pr<>frla euro ma eli-
da mala linde e variado sortimento de nolbadoe, proprio*
da pesee e*tac.
Manteca ingteza Macas brancas
da safra nova viada neste vapor Ai M de para sopa a melbor que se pode desojar,
macarrao, talharira e.aleiria a 400 rs. a
libra e 45iOO a caixa.
Viaho
(!Wo tve engaen com a mitra)
iv -' I
I; wm
A .fltti'flw

mwi 990 rs. a libra.
nanetffa franceza
da safra nova a 560 rs. alibra. e em barril
a iOO rs
Pigpeira J A A outras mitas marcas acre-
ditadas a^OOts. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2#800 a-caada.
dem do Porto
generosos enganrafado des .melhores fabri-

Aiiifidoas
capfeitadas de lindissimas cares a 800 rs. Bj
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2 -V 00, multo propios para mimos.
Cartoes
cora bolos francezes a 50 re. ida um.
Latas
com bolachmlas de soda de todas as dad.a 11360,
Oiioeototes

de todas as qualidades a.ljSOOB a libra.
r! Hn um i oos melhores fabricarte* a.600rs., tambera
temos velaos, paraikte .re.
Queijos flamengos
l,ooo rs. a libra,
cantes da cidade dp Porto a 14 & 1J2G0 dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra. L^haexcelinto e"gume Mol>7e eni-
a garrafa e de AQ# a tifi a caua, as mar-1 Avellaas a 2oo rs. a bra. za cas sao as.segumtes: Chamisso Filho, Ameixas francezas em caisinbas com lindas Licores francezes d todas as qualidades a
estampas a 1,2oo, l,4oo e l,6oo rs. cada 800 e 1,000 rs. as garrafas grandes.
,.uma- iManteiga ingleza perfeitamente flora eo e
dem em frasco de vidro com rolha do mes- ( $qq fS. a ^
mo ou de metal, a l,2oo e lioo rs. ca- idem franceza nova j deste anno a m rs.
da um.
rs. cada um
Molho ioglez em garrafinbas oe*a roll*as de
vidro a G4o rs. cada urna.
Marrasquinbo verdadero de 7a l.ooo'a daa -
agarraff 10,000 rs. a caom I usi.xrc a
zia.
cliegades ueste .ultimo vapor a 2^600.
laeijos
ebegados no ultimo vapor a 2^600 cad3iim.
IMCJO
F. & M.. Wectar ou viabo dos Deuzes,
lagrimas do Douro e uniros muitos.
Latas
cora 401*re8ile,fewba a 45000.
Bolachinha ingleza
a 1800 a barrica da inesina que
venden a 2|066e o00.
Nozes
as mais novas do mercado a IJOf- -J bra.
i dos melheres fabricantesje de todas as ai
1 cas de 43800 a <$300 a duzia.
Antonio dasseguintes qualidades: agua e Nozes multo novas a IGo rs a linra.
sal doces, e imponaos em latas de 0 libras;Prezunto de fiambre superior a 600 e 800 if,n.i,iim a mai< ft^^, a n,u osnarar frW1"3
a 3,000 rs. e de 3 % libras a 1.308 rs. rs. jlondnno o naa fieseo que se pode eapcnr thanAos Thom Pinto,. Reis e outros
e em libra a G4o rs., estas bolachihasIdem do Bortopara panellaa 5oo rs. a libra. 1S ftoi !"f,SK* ^S'n'1 raeias caixinbas a ^30&-
torna-se muilo recommendavel com espe-:Passas novas a 48o rs. 1 libra. ~ .-' a, Arroi
; Peixe em latas do differentes qualidades co-
oniros a 1.000 rs. a latas.
Palitos para (lentes a 14o e a 10o rs. o mas-
so dos melbores.
I hunco o mais novo e limpo a IGo rs, a li-
oo 1 bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
ciadade para os doentes.
Biscoitos e Boiacbinuas de soda em l^tas de
todas as qualidades e marcas que so pro-
curar a 1,35o rs. a lata
Dolos francezes em carles e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de pareo verdadeira reOnada a
rs. a libra e em barril a 38o rs. Palitos d> gaz a ,lofj rs. a grosa. e2oo rs.
Batatas novas a IGo rs. a libra. a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Bolachinhas inglesas ltimamente desembar-. Queijos flamengos ebegados neste Itimo
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar- vapor, a 3.000
dem prato miio fresco a 800 e Ooo rs. 3
libra.
Idomsuisiua metbor quadade que at bo-
je lena mido ao aosso im.Tcado a 800 >3.
a libra.
dem londrino a Don 1^.
e de excellante maree a 800 rs. a
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conserva insrlezas
dem em frasco grandes 2,5oo rs. cada um.
e 4,8oo rs. a caada.
dem francez clarilicado em garrafas bran-
cas a Ooo rs. cada urna, e lo,ooo rs. a
caixa cora i duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra,
a
;->J
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje lo-n viudo ao nosso mercado 1
18,000 rs. o gigo e l.oo rs. a garrafa
inteira, e 800 rs as meias.
uh uxim o mellioi' ipie se pude desejar, e
que outro qnal [11er nao ven le por menos
de 3,ooo a 2,Too rs. a libra.
dem perola de esp cial qualidade a i.'ioo e
.800 rs. a libra, garante-se a qualidade
d'este clt.
Idembysson o mellmr que possivel encon-
tiar-se a 2,4oo e 2,Goo rs. a libra.
dem do Rio em latas de i, 4, G ? A libras
a l.2ooe l,4oo rs. a libra.
dem preto muilo fino a l.Goo rs. a libra.
Chocolate das melheres qualidades, francez,
bespanhoi e suisso a 1,000, l,2oo e I,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
rao, saviel, comua, govas, pescadinka e as mais novas que se-pefeesperata 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e Il0O.
Cli nxim
o melhor que s pt'ide desejar,. que outro
qualquer nao pode venden por menos de
3 a 25600.
Ideas perol
especial qualidade a 2-5700 rs. a libra
dem li\sson
o mais aromtico ojie tar vadb1 ao nosso
mercado- a'2(?G0O.
Massas amaredte (
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-
roba desses qug vendem por 35400.
CAF
de 1.a e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 8&f
Ciarrafes
com 4 'k garrafas com vinagre a f.5>000cjo
ogan-alo.
GENEHRA BE LARANJA
verdadeira a 15000 o-frasco, e de 1I500T
a caixa.
Da
em frasquetas de Holanda a 1',-^mt com
12 frasco.
fiENERBA
pecialidade para os doentes.
! Biscoitos e Bolachinhas de soda em ialas, de
todas as qualidades e marcas que 3e pro-
curar a 1,35o. rs. a lata.
Rollos francezes em eartoes e de diversas
qualidades a Gio rs. cada um.
1 Banha de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 160rs. a libra.
Rolaebinbas inglezas ltimamente deserabar-
Peixe em latas de differentes qualidades co-
Sal refinado cm potes de vidro a Seo rs,1
, cada um. para sopa, macarra, talbarim g; aletria a
Cerveja das rnelhores marcas a 8,000 rs. a: 480 rs. libra'.'
duzia, o tio rs. a garrafa. covac
Sardinha de Lisba e Nenies en quartos e o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo
meias Ialas a 38o e w8o rs. cada urna. rs. a garrafa e de autras muirs onalida-
Sag muilo novo e alvo a 24o rs. a libra. desa l,ooo e 800 rs. a garrafa-*
Sevadinha de Franca 18m> a libra. :!?!>
Sevada a loo rs. a libra e 2,800 rs. a ar-j lapidados para agua a 4,5oo c D;,ooo rs. a
roba. duzia, e ;:- 440 e 5oo rs. cada um.
Traques de 4.a qualidade-a 9,5oc-rs. a cai-, *?.
xa, e 24o rs. a caria. rAV*'Ii,
Toucinho novo de Liibo a. 2io e 32o rs. a "W*yBS fi** S5? qua-
]ibl.t idades de-2,2oo, a Vooa resma-do me-
fado de Simas em '/a caixas das seguin-1 Tijolo para timpar facas a Itio rs. Badauffi.- 101' i*.! j t^u
tes marcas: Parliienses, Suspiros, iii- Vinhoempipa Porto, Lisboa eFiaerra dasL ""*"T., Tflrr
melbores marcas a 3,800 rs. a ainada, e' ^' ^"''nis-quahdade a 25200 asesma,
5oo rs. a garrafa.. papel
dem do Porto Lisboa e Figueira (te marcas a'j;i1 e pardo para embrollo de 1,409a 2:-2oo
de Hollanda verdadeira em frasqueira- a Goo ca(las a 24o rs. a libra- e 2,000 rs. a bar- Queijos flamengos ebegados neste ultimo va-
r. cad.i orna. I rica. I Por- a
PALITOS Champagne das- marcas bjh superiores que \ dem prato nmo freses- a 800 e Ooo rs.
os verda'.leiroepalitos do az a 2.2oo s groza
eo rs. cada caixinha.
LICORES
at boje lera viudo a nosso mercado a
t8,ooo rs. o gigo. 1,500-vs. a garrafa in-
teira, e 800 rs. as meias
finos de todas as qualidades-, a lo.ooo a caixa Cha uxim o melhor que se pode desej.T-r e
cas, Napoleoes e Cuanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,000
rs. cada una.
dem de outros muitos fabricantes e de dif-
ieren es marcas para 1.5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a l.Goo, 2.000 e3,ooo
rs. as caixas intuirs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 000 rs.
Cognac mglez das nielliorcs marcas a 1,00o
rs. a garrafa e i0,000 rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 ".;.
a garrafa e ),ooo rs. a duzia.
Comoho e erva-docea 4oo rs. a libra.
Gravo da India a Goo rs. a libra.
Canellaa 1,000 rs a libra.
Copos finos para agua a 0,000 rs. a du/.ia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a bra,
e 8,800 e 9,3oo a arroba.
Doce fino de geiaba a 600re. o caixao.
II. vilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem ceceas a 16o.rs. a libra.
Mera j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farihna de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos era caixinhas muito bem enfeitadas a
4,000 rs. cada urna,
dem em le tas ermiticamenle lacradas a
l,ooo e 2,5oo rs. cada urna,
dem em cabs de 7> arroba a 2,">oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a
rs. a duzia.
menos condecidas a 4oo rs. a garrafa, o
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a Goo rs. a gar-
rafa.
Idem-Lavradio muito fresen*nao levando com-
composico 56o rs. a garrafa, o 4.000!
rs a caada,
dem bramo de uva pora a 56o rs. a garra- j
fa,c .;oo rs. a caada,
dem mais baixo a 4oo- rs. a garrai, a 3.ooo '
rs. a caada,
dem Bordeaux emcai.vis de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a G,ooo e 7,ooo |
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vean ao
nosso mercado a l,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este iiiesaw) preeo d
preju'r/.o e s se encontra. n'este arma-
zem.
dem do Porto em'caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velbo Par-
ticular, Malvas fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e lo.ooo
rs. a caixae 9oo e l.ooo rs. a garrafa.
I dem Muscatel superior a 1 ,oeo rs. a garra-
fa, e 10,000 a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a 1.000
1,000 rs. com o garrafio.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
Genebfa de Hollanda em frasqueiras com 12 rs. cada 'urna."
frascos por G^ooo rs. e 5G0 rs. o frasco Iflem de escova para esfregar casa a 36o rs.
dem de laranja a l,ooo rs. os frascos grau- cada urna.
des e H.ooo rs. a caixa cora 12 frascos. Velas de espermacete superiores a 56o rs.
dem de Hollanda era botijas a 4oo rs. cada a libra, e 52o em caixa.
urna. dem de carnauba refinada e de composicSo
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,800 a 36q rs. a libra, e de 10,000 a 11,00o rs.
rs. com o garrafao. a arroba.
.----------.-----------,------------------------------1. -----------------1---------------------:------:---------------------------------------------------------------
r \7 C \7 C A7 A \fJ\.j \fi\.i \fj\tJ um grande sortimento de bico e renda preta de
Vende-se gaz da melhor qualidade a 125 n<>vo modelo chamado (guip) o melbor que se
a lata e em lotes de 10 latas para cima se' W* de*e.i>r oese nlgo e que se vende muito ba-
far abatimenlo. no armazem da roa do Im- $j : Ni *> *** 8^t ** *
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
com urna daia e a l,oo a garrafa.
Marmelada
dosmelhores fabrieantes de-Lisboa, come-se-
jam Abren e outros muitos a Goo rs. a
libra.
Prminlo
o verdadeira prezunto de Etamego a 52o- rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a liba e
de 3,ooo, a 3-,2oo rs. a arroba.
VELAS
rs. a resma.
Corinthias
poseas coritliias muito novas proprias par
podiffi a 8 Fnmc
o vrdadeiao- fumo americano 1.4oo rs. a libra a libra.
Vinagre
PRR em an^oretas de & caadas- a 10,000 rs.
Gada u:.-.
Gebdbs
as mais rovos do mercado a 7,soo rs. a caixa
e l.coo rs. o molh.
Alpista e Pamco
o mais aovo do mercado a 140 rs. a libra,
e 4400 a arroba.
de espermacete de diversas-marcas a ;>(>& rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de-carnauba em caixas fl* arroba a9,3M r
caixa c 3o rs. a libra.
Raalas u*.>.
2 arrobas a 5# a caixa e 60 rs.
Passa.s muilo novas
em quartos -.- inteiros a 2^-0 quarto e 6>500
a caixa eiOO rs. a libra,
Chocolate
portuguez ft mais especsd que se ptle de-
sojar a 800 rs. a libra 140rs. o pao.
Vrsitas em ealda
chegadas intimamente, pg; pecego, ginja e
outros muitos aJ&Ors. a lata.
Dsce da cas #a ni?.|ia
a 600 et o caixe.
que outro qualquer nao vende por meaos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
dem perola especial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garanto-se a qualidade
d'este cha
dem hysson o melhor que possivel en-
contrar-se a 2.4oo e 2,Goo rs. a libra,
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2oo e l,4oo rs. a libra,
dem preto muito fino a ,Gno rs. a libra.
Chocolate das melbores qualidades, francez. Traques-de
Sal refinado em potes de vidvo a 000 rs. ca-
da um.
Serveja das melhores maceas a 6,000 rs. a
duzia, e 0G0 rs. a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e
meia latas a 38o -*8o rs. cada nma.
Sag mnilo novo e alvo a 2io rs. a libra.
Scvadiriha de Franca 18o rs. a libra.
Sevadaa loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a arroba.
1.a qualidade a 8>5oo rs. a cai-
xa. e22o rs. tarta.
Toucinho novo de Lisboa a 24o e 32o rs. a
libra.
tado de Simas em */ caixas das seguin-;Tijollo para Hmpar facas a loo rs. cada um.
tes marcas Pariziences, Suspiros, Dili
hespanbol e ssso a 1,0, l,2oo e I,loo
rs. a libra.
Charutos do aersditado fabricante Jos l'nr-
Os propietarios do grande ai-mazem o Verdadeira Principal declarara, aos seos
freguezes e amigos e ao publico em gerat, que para ferilitar a conunodidade de todos es-
tipaiafam os mesiaos preros nos seguintes lugares:
Uni e Comraercio roa do Quckialo n. 7
________ O Verdadero Principal roa do Imperador b. 40
lata e
Ferros para eurives.
Fio de algoo da Babia em safces v 100 Na ra larga do Resano n. i4, toja de joias, vea-
libras. I rtnm-se bdos os ferros e utencilios de ourves.
Tem para vender AdIoho Luiz de (Miveira Am-'
-vedo & C. no seu esenptorio rna da Cruz 11. I.
N. 97
Esteiras do Aracaty
.Verideavpc na |rave?sa da Madre de Deo$ n Id.
Charutos deHavana
Vende-se a verdadeira graxa ingi'/s n.
07 chegada i poucos das: no escr:pt >rio| de superior qualidade vendem-se em casa
de Eduardo Fenton ra do Trapiche n. 17. de Schafleillin 4 C, ra da Cruz n. 42.
GRANDE SMTIMEM0 DE FAZE^DAS


DE
S*
Custodio, Carvalho & Companhia.
RA DO QITJSIJMAUO
t

Pegas de entremetas bordados a i.
Tiras tardadas a peca 3jL
Cobc-rias de chita a chineza ;i 25200.
tjoces de linbo tinos a 25200.
Toathas de linbo para tnos dnzia -3.
Sapatos de tapete para meninos, senhora e homens pelo barato nrern de 1*600 o par.
Toalhas de linbo para mesa a35500 e i&.
Ifaln'n's de arcos pura sibnrara 34.
Kilo de linlm liso vara 300 rs. .
Uraude sortimento de lias para vestidos.
Superiores satas de fustio para senhoras a 55-
' >'
i------

- Vende-se-o.engenho Tapinire Novo, Wo.ji* tteuS
fresaezw de Jguarassu, maentu e correnle, co fa-: Vende-se a taberna da ruu Imnerial
mtr-se nm poderoso engenho d'agua : para ver, ..*.....
os pretnjtete6 diriJMi-se ao piesmo engenho, on-; afalbi n*ra rabrinUl
de podero tratar do ajuto; a **ta praea Ma- ,- ^ P cab"0,e'- t ,
noel Ignacio de Olivara A Fillio, largo do Corno en(le"5e ura caVft!!o rn5 sem A^a a,gum-
Santo n. 19. u,|_ novo,morte manso e grande, e im dw melhores
-,.' 'r --- .. puKinres de rabrtnle-t oro Keniambueo; preeo
=(\ende-se nm cabnolet de i rwjas em perfei- mnitD raafMVd : ,a tratar na wtr>aria*j Thomai
to estado de ser vico : na cochetra do Chico Meira Pavne, ruada Guia 11. i.
no Mundo Novo. | _J-------.---------------. ---------- -
-------1------3-----------r~----------i Frijito.
"iMM *l* iiiaiinioea. V-ende-se teijao molatinhe nafta novo pelo ha-
Vende-se na ra da Madre de Dew n. 38, ar; rato areco de 8, saceos com 2i eoau garantidas
cas, NapoleSese Guanakaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muitos fabricantes e de
differentes marcas para l,5oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a i,600, 2,000 e
3iooo rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem francesa a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a l.ooo
rs. a garrafa e lo,ooo rs. a duzia.
dem francez suporior qualidade 8co rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Etva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agisa a 5,000 rs. a duzia, e
000 rs. cada um.
Caf do Rio superior a. -J80 e 33o rs. a li-
bra, e 8/800 e 9,?>oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a-lata.
dem seccas a IGo rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de a/aruti verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas miti> -besa enfeitadas a
a l.ooo rs.- cadn urna.
dem em latas ermiticamenle lacradas a
l,5oo e 2,500 rs. cada nma,
dem aca\ade 'i acroba a 2,5oo rs. ca-
da urna, e2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a laU e l.ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
fraseos por ,00 rs. e 56a re. o frasco.
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran-
des e H.ooo rs. a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da urna.
Wem era garrafoes de 16 garrafas a 4,800
rs. com a garrafao.
leiam este annuncio com precipitacu.
ontam os precos dos ouiros armunciantes.
m ver-0% gneros quelemos'eslostos a venda.
. A vista faz f.
Wo temos paravras^oraDasticas.
'Nao nos enculcamos o primeiro receedor de conta^ropia.
Tfao desacreditamos ao collega porque nao quiz ser .nosio sociu.
* ni a quena 4ca.
Para abastecer a todos os 'habitantes desta heJIa provincia anda nao sao jaiba en-
tes as casas que actualmente oxistem .aber,tas com grandes proporces para Jora um
magnifico sortimento demfhadbs; assba, pois< os preprietarjosdoArmazemPciocipal
nao invejam a sorte dos seos c'ollegas. ^^
Hafeitotes de Pernambuco.
Nos temos m exeellente sortimento dos melbores gneros que se pede adrar
em nosso mercado. Vinde ae nosso estabelecimerto, e seafossa boa fe w rHirdida
urna vez ao-menos, castigannos no votando mais a-nossacasa.
Amendoas conTeitadas de bonitas cores a um e Hollanda em garrafoes com 24
garrafas a ?,2oe rs. com o garrafao.
a libra, e 56o rs. em barris inteiret.
Marmelada especial dos melhores fabricantes
dem em latas de 1 */ e 3 libras a l,2oo e de Lislwa a 00 e 64o rs. a libra,b latas
2,ooo rs. de differentes tamanhos.
Arroz da India e Maraobao o melhor que se Massa ue tomate em latas de 1 libra 56ors.
po le desejar a loo e 12o rs. a libra e cada urna.
2,8oo e 3,4oo rs. a arroba. iQm pard S0(ja estrelinha. pevide e rodinba
a 600 rs. a garrafa, | em caixinhas Surtidas a 3,ooo e 3,5oo rs.
cada urna e 5oo rs. a libra,
dem macarrao, lalerim e aletria a 4oo rs.
a libra.
Mostarda franceza preparada era fras:o a 4oo
em Alfazema muilo nova e limpa a 32o rs. a It- rs_ ca(ja um_
j Molho inglez em garraliabas cera reibas de
Alpista a IGo a libra, e 4,boo rs. a arroba. vi(lr0 G4o r9. cada UBaa
do .Maranhao a OO rs. a rara, e da India Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato Marrasquino *erdadeiro de 7araa l.ooo rs.
Antonio dasseguintes qualidades: aguae a garrafa. Io,ooo rs. a caixa com 1 dtizia.
sal doces, e impenacs em latas de 6 li- Nozes muitonoTasa llio rs. a libra.
tM-asa 3,ooo rs. e de 3 \ libras a l.ooo prezunlo de fiambre superior a 600 rs.
rs. e em fibra a 0"4ors., estas bolachinhas (jem (j0 Porto para pancha a 000 re, a libra,
e 8#800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr torna-se muito recomraendavel com es- paS9as ^vas a 4flk> rs. a libra.
mo, savel, cor fina, govas, pesndinbae
outros a l.ooo rs. a Ialas.
Palitos para dentes 14o e 16o rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs. a libra.
e 4,5oo re. a arroba.
Palitos do gaz a 2,100 rs. a groza, 2oo rs. a
duzia, e 2o rs. a caixinhas.
a libra.
wem suisso a melhor qtiadade que at1 bo-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
Vinho empipa Porto, Lisboa e Figoein das
melhores marcas a 3,8oo rs. a carada, e
oe rs. a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conheeidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco nao levando com-
posicao a 56o rs. a garrafa, e 4,000 rs. a
carnada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a gar-
rafa, e 4..500 rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
rs. a caada.
dem Bsrdeaux em caixas de 12 garrafas das,
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7.000
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vates vena ao
nosso mercado a l,2oo rs. a garrafa. ga-
rante-se que por esie mesmu preto d pre-
juio eso se encontra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velbo Particu-
lar, malvasio fino, D. Pedro \f Luiz
1. Nctar oufcos a Sjpo e t.ooo rs.
a caixa e too a !>>oo rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a i,000 ra; a garra-
fa, e 10,000 rs. a cana eem 1 4Ka\d.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oors. a caada. u> + 'm > >
dem em garrafoes com S garrafe a l,ooo
rs. com o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna
Wem de escova para esfregar casa 36o rs.
cada urna.
Vellas de espermacete superiores a 5t rs.
a libia, e 5ors. e*u caixa.
dem de carnauba refinada e dew>>s?3ra
36o rs. a Tibra. Pdefo.oeOa H,orio ri. a
arroba.
-
_,..
'i ,.
-4*-

I
t aijpvfjvaB Neste estabeIecimentovendem-e:tacha*4a
venaem-.-e excellentes vaquetas enveruisadas, ferrn .r^Ar. i!Kra a iin re rtamdolA
l^ara carros : era casa de F. Scuvage & C, a ra T .c.0aao ;? "UJ&" iam M Uw
da Cruz d. 20.
J--t
Moor fibra a 120 rs.
tnatem.
pelo veadedor. na ra da Madre de Dos n. 9.
A bordo de lugre F.mii.a ha para trtC.r'Sfc
rinha de mandioca nova de Itoa qiuli-ui^, de
A bordo do lime Lind Paquete : vende-se na Santa Catharina, relalha-e a'prew ouuuwdos
li-
Sa! do Assij



roa da Crn n. W, primeiro andar. e#rrptorio de para tratar, a bordo'do mesmo navio, ou no pserip-
Antonio ae Almeida Gomes. torio de Amorim limaos, rna da Cruz n. 3.

"7T


Diaria e Vfmnmr*mat> Qntrta Mira UAW< r*4



v

.



10 PUBLICO
Sena o menor constran-
iincnto se. estregara o
Importe do genero que
nSo agradar.
MAZEM

amwtto
s preeo da seguate
tabella para todos, po-
dendo assint servir de ba-
se para o ajaste de eontas
com os portadores.


RA A CAZIIA HO RECIFE UF. 53.
(Logo passaudo o arco da CweeifS)


<-i-;m annnnciante.
Collegas.Nao posso por mais lempo sustentar o preco da manteiga ingeza a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
rauilos objectos, etc., dando cora islo ocasio a todas as papeloneas acabarem por bora preco a manteiga de tempero, c gritarem em
'alta voz, que podem vender pelo preco que ou vendo!! 1 Ora, en offendido cora estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systheraa que vim encontrar, de s se vender com um por'cento a carola, resolv fazer esta grande reduccSo de preces, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do moB-oravel armazem de molliados niao Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a i ,600 rs. a Hbra. Hoje porem, resentidos da redueco a que
esto obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamacao de preeos, e qualidades, vingam-se de um outro portadores
iq.iI informado deste novo estabelecimento. para lhe vender goneros nao propriOs de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
tao somonte obter a concorrencia de scus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhdras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo aprompdao e entei-
reza cora que serb tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que- sera duvida me dar5o a proteccSo e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pocam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco pratreos, pois
serito to bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estos toda recommendaco, afim de que nao vao em outra parte.
Manteiga,ingjeza,(safra, nava) especialmente
escolhila a 800. rs. a libra, em barril so
/..abaiimento.
dem franceza a mais nova que tero vindo ao
mercado a 5Go rs. a libra, e era barril ou
neius.a Soo rs.
Cha hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra,
dem perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem Imxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6bo rs.
dem preto homeopatlicoporser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysspn, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,6oo, l,8oo c 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao qtiese vende em outra parte por 2,4oo
e2,Uoo rs.
Limniiras, chouriras e paios em latas d 8
libras, emticamente lacradas a 5.5o rs.
gnrantc-se serem superiores aos que vem
mi barris.
Chouricas e paios em barris de mia e urna
arroba a 8,000 rs. e 1,00o e Goo rs. a'libra.
Jucijos llamengos muitp frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a 1,600 e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra cntei-
- ro so taz abatimento.
dem pratO'muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a clles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas portusnezas em latasj pre-
paradas a 61o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes'de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezanlo do reino vindos de casa particular
a 860 rs. a libra, o a Soo rs. inteiro.
dem inglezas' para fiambre chegado noste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a. 5,ooo c 5,aoo a
duzia,
Chocuiatc frnnccz, suisso c hcspanol a 9oo
l.ooo e I,2do rs. a libra.
Espermacele em caixinhas contendo 6 libras
por .ooo rs., garanle-se serem transpa-
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 2Go e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8.Soo rs. a arroba,
dem lavado de primeisa qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,coo rs. a arroba,
dem do Ceara de superior qualidade a 34o
' e 28o j-s. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranho a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba..
Painco, e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. ajibra.
Aletria, maearro e talhartm a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem e lalhaim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornante recomendareis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para csse fim.
Estearinas a 5Go rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
las com 9 caadas por 4,000 rs. mesmo a 5oo rs.
Vinho depipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o, f Ceneja branca e preta dasmnreasmnis a
4oo e 5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo, creditadas que vem ao mercado a 5,ooo
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,Soo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,3oo; ditastmperiaes em lats
de 3 libras por l,5oors.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por 1,2co; ditas era caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo,,el^8oors.
Azeitedoce refinada Penanol ou.do. Kampes
de Lisboa a 800 re. a garrafa e 9,aoo a
Gaixa. com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escovapara esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a Ifio rs. a hbra.
Molho ingles; em garrafa de vidro com
i'ollia do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em. potes j* preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra,
Marrasquino o verdadeiro de Zara era garrafas
grandes a l,ooors. e 11,000 a duzia.
Palitos para denles a 14o e I(5o rs. o maco.
Sal refinado em frasco de vidro com rolba do
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho Uanco de Lisboa de excellente quali-
dade :> 4no e -nn rs agarrafa, em caada
a 3,000 e 3,5oo rs.
Vinbo branco para missa em caixa'de 1 duzia
a 8,000 e a 08o rs. a garrafa.
Vinhndo Porto das mellioros marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenoino,.
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
io.ooo rs. ea9oo e l.oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a Gio rs. a garrafa. .
Sardinhas de Naritesem quartos e meias latas
que vem ao mercaoo a ,ooo e
5,5oo a duzia e irlo rs. a garrafe.
Sag muito novo-e alvo a 24o rs. a libra.
Stvud'mlia 'le Fninra rnmtcrnora arrors.
Charutosde lodos os fabricantes da Bahiae das
mais arrediladas marcas conbecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5ooe3,8oo a caixa de loocbarulos.
a 36o e 5Go rs: cada orna,
rente e de superior qualidade, tambera tem j Sardinhas portuguezas em latas grandes
de 12 por libra propria pava caceo j preparadas pelo mellior conserveiro de Lis-
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-; boa a 04o rs.
da. salmilo, ostras_o chernee, rezago era Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna. [ cado a 2,8oo rs. a barrica, c 24o rs. a
Vinho Bordeaux das "marcas inais acredita- libra,
das que tem vindo ao nosso mercado a Bolachinha de soda em latas com diversas
G.ooo, 7,00oe8,000 rs. a caixa,garante- qualidadesi a l,3oo rs.-
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez] em caixinhas muito proprias
qnalquer nao pode vender por este preco. para mimo a Gio rs.
Genebra de llollanda a 5Go rs. o frasco, e'Passas muito
5,Too rs. a frasqueira. j. libra e
dem de lranja verdadeira de Aliona em Figos de cq
frascos grandes al.ooors. o frasco, C; l,8oo rs
11,00o rs. a duzia. Amerabas Je
novas de carnada a 4oo rs. a
G,oo rs. a caixa com 28 libras,
madre a 2io rs. a libra e
a caixa com 8 libras.
casca mole a 32o rs. a libra.
dem ile llollanda em botijas grandes a ioo' Bolachinhascj'agua em sal da fabrica do Beato
ADEREMOS DE MOSAICO
A agftil branca da ra do Queimado n. 8 rece-
beu bonitos adrenos de mosaico c fino dourado, e
os est vendendo por preco razoavel.
Holsas para eaea.
Esse ohji-cto aqu lo costoso de encontrar-se, o
tao precise aos apreciadores da caga, acha-se hoje
a venvl.i na ra do Quoimado toja da aguia branca
n. 8, onde o comprador ser servido conforme o di-
jihciro (pie qilizcr dispur para lal fim.
lssencia de rosa.
Em pequeos frasquinhos a 1000. Vende-se oa
ra do (Jueiinado o. 8.
Xeuts para voltarete
Cognac inglez
rs. a
-das. melhores
arrala.
marcas a
RIVAL SEM SEGUNDO
Hua do Queimado n. 49, est vendando muito
teas fazendas e muito baratas, quem nulzer podei a
vir ver ou mandar para experimentar, assim como
sejam.:
Gollinbas muito linas para senhora a 300 rs.
! Ditas e punhos de fusto muito bonitas a Ci.
I Cartas de alfinete de cabega cliata de todos os ta-
manhos a 80 rs.
Resmas de papel de peso muito bom a 2.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Caixas com superiores obreias de colla e de massa
a 40 rs.
Cordo branco grosso que tem muita applicacao a
vara a 20 rs.
I.inhas de carriteis garante-se 130 jardas a 40 rs.
Cartdes de linha Pedro V com 200 jardas a 40 r*
Grosas de pennas de ac muito linas a >00 rs.
! Varas de franja de laa'para vestido a 40 rs,
, Ditas de franja branca larga pera toalbas a U) rs.
| Pares de botos de panno a 180,320 c 300 rs.
aTinteiros de vidro com tima a 100 rs.
\ Ditos de barro com superior tinta a 100 r.;.
Grosas de botoes de loui;a prateados a 160 e a du-
zia a 20 rs.
Tesouras para costura a 80, 200, 400 e 300 rs.
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
Libra de laa para boalar da inelhor quadaJe u
65500.
Caixas de phosphoros de seguranza a 160.
Caixas e pacotes de papel amizade superior a COO
ris.
Caixas com IOO envelo|is muito finos a 800 rs. *
Cuadernos de papel pequeo azulado a 20 rs.
Carriteis de linha Alexandre com 200 jardaa a
100 rs. .
Haralhos para voltarete a 240e mais tinos a .'OO rs'.'
Meiadasde linha l'rouxa para bordar a 20 rs.
Pares de sapatos de tranca de todos os lauantws.
a 15300.
Grosas de botoes de madreperola muito finos a860
ris.
Carlas e caixas de clcheles de superiores quab-j
dades a 40 rs.
Masscs de grampos superiores e limpos a 30 rs.
Acaba de ieer do sua' [jurara encommenda um grande e variado sortimento
de roolhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
oHerecer 3os seus freguezes e ao public.0 era geral a seguinte tabella dos ses gneros e Pf?? fR i'31.110^11 ?f a 25200.
resumidos preeos, afiancando todo e^Oque? gf^^M^l^\^>faS^^\^^Na^m^ ",e,"or iua"d^ali
mazem.
Araendoas confeiladas de 8oo rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 rs,
libra,
dem franceza a i6o rs. a libra, e aoo rs.
sendo em barril.
Cb nxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola at.2;8eo rs. e.ds 8 libras para
cima a 2,7oo,.
! Caixas reJondas para rap e tem muito bonitos cu
Licores francezes-e portuguezes da&.seguin-1 lugas a ,0 **
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro- RtUAl ^PM *\f RlJttFID
sa, absint vespeiro, amor perfeito, amen- DH f 9 J?u," ,V *-,u* lJu
i ______- J'-'t Anrp n.c 1 Ba do Queimado n. 49 toja de miudezas de .!o-
dua amarga, percicot. de Tnnn, Botefim, se Bigodinho, venlram ver a pechincha que se ste
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gm-! acabando certas-qualidades de fazenda.
ja, cauella, cravo, rlela -pimenta a ,00o i P5** d fiws elsticas com 10 varas a.. 24t
rs-. a duzta .ooo rs; a garrafa, garante-se 1R^5 l"^branca lisa com 10 varas.
.i. ? '.P Ditas de tranca preta isa a............
que e os melhores que temos tido no mer* | Realejos para meninos, pechincha a...
cado. Kodinhas com superiores alfinetes a.....
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas era quartos einteiros a ^\i3i comsuperiores aguihas e timbas a
desejar a 2,600 e de 8*libra* para cima
a2,Soo rs;
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2.3oors.
dem proprio para negocio a 2-,3oo, de 81i-
bns para .cima.a 2,2oo.
dem. doBio em latas de 2. 4, 6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,Soo e 4,800 rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo.rs. .
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 "e 2,4oo, a 4,8oo rs; a libra.
Idm mais baixo bom para negocio a l,5oo
rs. a libra.
1,090
Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-i
bras por 2,ooo; dito em caxes a 600 rs.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de G e 12 por libra a
32o rs. a libra e 1o,ooo rs. a arroba..
Azcitc doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,800 a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a
c 30o rs. em barril.
dem miudinbo- proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,2oo rs
dem prato es melhores e mais frescos do
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a 1.7oo rs. a garrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Poo-nic, Eaace, Machine e outras mui-
tas a l,3ooe l,4oo rs.
Fumo'americano em chapa a'l,6oors, a
libra.
Araruta de todas as qualidades.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 5r$ a
caixa e 60 rs. a libra-
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto- a 4,000 rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
2,000 rs o quarto, ^M^^*<'e4eol^^i?^,^^?.^!a.!r?"-
re 1 lih*a > Pares de sapatos delaa para crianzas a..
re. airara. Varas de babado do Porto muito bom a
dem cor intbias proprias para poda a8oo, ioo, I20e.........................
rg. a libra. Ditas de bico largo grosso a............
Marmeladas-dos mai*afaados fabrieantesde: **j$!f!?.^. tem "iaifde mcia
Lisboa a 64o rs. a libra. Caixas com perl'umarias muito bfnilas a.
Ervilhas segag muito novas a 16o rs. a libra. 1 Frascos de oleo de macag muito fino a .
Gr* de bico muito novo a 16o rs. a libra. Ditos de oleo de babosa superior a 240,
Ervilhas francezas em latas a 64o rs. tv?"j 4? -......'....... ...........
n. ^^ i r. 7o Ditos, de cheiros muito superiores em qua-
Potes com sal refinado a 48o rs. lidadea.........'............../...
Fumo de cliapa americano a l.Go rs. a libra; Ditos jie agua de coionia muito boa a....
faaenda especiaJ. Ditos de dita dila grande a.............
Presunto.parafiambreinglezes a7oo e 8oo Sa32oeetes de.Iodo .pre60'.i0; "00.'
rs-. a hbra.. j Frascos de superior banha a 320 e.......
Cbouricas e paios mnito novos a f)4o a libra. Caixas de p. > para limpar denles muito
Caixas de traque n. 1 a 8f>500 cada urna. | /mo a-............................
Massas para sopa raacarrao, talharim ^\&t%*3flS&i*Zk
a 40O rs. a linra Sabonetcs inglezes da melhor qualidade a
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa I Frascos de agua dentrifice superior ga-
eSoors. a garrafa.
j dem francez a 7,ooo rs. a dazia e 7oo rs. a
garrafa.
Massos com 23 cnvelopus grandes azula-
do a..............................
Varas de tita preta com clcheles a.
100 *
60
120
20
aoo
160
400 .
ICO
100
320 '
500
10K
SOO
320
4!0
00
400
00
100
600
500
aso
5(i0
100
IOO
200
200
100
200
frutas muito frescas a
Gapil -de diversas
G4o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza. ;
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas"soltas a l,4oo o cento ; ditas em
mollfos com cento c tantas por l,2oo rs.
Matle excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
21oors. a resma.
Potes cora sal refinado a 48o rs. cada um.
"Figos de comadre em Utas de 4 e 8 libras
; Charutos em grande quanlidade e detodos os i Frascos de macaca perola muito superior
fabricantes mais a creditados- a i ,5oo, 9"xas c,om, pcnDas 6randes a.........
9 nnn- 9 Hna Innnpinon fa nana rosas de botos para caifa preta, muidos
2,ooo, z.ooo, d.ooo e 4,ooo rs. a caixa, UhrA. de meillcnl0 da ro*r de
osmaisbaixossaodosqueporabiseven-icanjieisdereiroz de todas as cores e
dem a 2,000 e 2,500 rs. tem meia oilava de retroz a......... 200
,.,, j Varas de bicos de difTerentes larguras a 60
Cafe de preraeira qualidade a 8.3oo e 9,ooo---------------------------------------------------
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra. AGENCIA
aar- DA
TNDICAO DE LGW-MOOL
Arroz do Majanho a 12ors. a libra, 3,ooo rs. Rua a Senxalla nova n. 42.
a arroba. ., t I j^este estabelecimento contina a haver
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a nm completo sortimento de moendas e meta
arroba, e loo rs. a hbra. moendas para engenho, machinas de vapor
dem mais baixo redondo a 26oo rs. a libra. e tachas de ferr0 nati(lo e ^^ de todfcS 0i
dem da India compndoa 2,4oo rs...a arro- tamaos para ditos.
ba,. e 8o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs.
roba e2Go rs. aiibra.
Arados americanos e machinas parj
lavar roupa: em casa de S. P. Johnslon & C
ra da Senzalla Nova n. 42.
POR UNOS DE 20 4 30 POR CENTO
23Largo do Terco~23.
Joaquim Simao dos Santos, dono deste armazem de molhados, tem feito urna grande vanlagem
I quem seu armazem tem freijuentado,' liquidou todos os' seus gneros mais antigos que tinha nao s
neste armazem como fra, e tendo feito urna grande reforma nesie estabelecimento tanto ein tamanho
I como em geueros'que mandou vir por sua propria-eucoramenda a maior parte, qne os pode vender por
lacradas hermticamente
rs. a lata.
a l,4oo e 2,2oo
menos de que qualquer annunciante, para isso se responsabilisa pela superior qualidade.
Atten^o.
a 1&00 a arrolla e 30 rs. a Queijos do vapor a 25800.
Vinho de Figuejra, marca JAA,
rafa.
a libra e R04O8
280 e
A aguia branca na ra do Queimado n. 8 rece-
lii-u caixinhas com lentos de marfim e madrepero-
la para voltarete, havendo dinheiro cheguem-se a
ellos antes que se acabem. Batatas as. mais, novas
Ciraxa econmica. libra. .i
Chegou novo sortimento dessa boa graxa, e con- Toucinho de Lisboa novo a 280 rs.
tinua a ser vendida m na do Queimado loja da a arroba,
aguia branca n. 8. i Caf do Rio de primeirae segunda sorte.a
Fitas 300 rs. a libra e 8&XX) a arroba,
para a irmandade do Bom Conselho, e cartas de Arroz pilado a SO e iOOrs. a libra e2$500 e 2*300
hachareis.. Vende-se na loia da aguia branca, roa i aJ?r,roDa- I
do Queimado n. 8 I Sardinba de x ntes novas a 320 rs. cada urna.
v oMK de fitndao madrencro- Sabr' massa 5l I"'rior a 180 e 220 rs. a libra.
Lequcs aeiuaM, maarepero- Passas as majs novaj des(e enero g ^^ a libra
la. nsso. CIC. | Ameixas franc zas eom 1 e meia libras a 1*>-
A aguia branca receben um bello sortimento de, Belachinhas im ;lezas novas a 240 rs. a libra,
leques de sndalo, madreperola e osso, sendo elles Charutos de d versas marcas e superior qualidade
de diversos moldes e variadas cores, inclusive a e jjjOO, lAoOO, U, 3* e 4A.
preta ; a^ora, poi, quem comparecer com dinheiro, Phosphoros doigaz grcia 25200.
pode bem escofher. um bonito leque, na rna do
Queimado loja da aguia branca n. 8.
Caixiahas para costura contras
. rom perfumarlas
A loja da aguia branca, onde constantemente se
vendem essas bonitas caixinhas com arranjos para
costura, acha-se mu bem provida por ter agora
aoOOrs.
agar-
Dito-de Lisboa a 400 rs.
Dito de outros paizes a 360 rs.
Dito para negocio a 320 rs. agarrafa e em caada
se faz abatimento.
Genebra de Holtanda em frasqueirasa 65000 e 860
rs. o frasco,
dem em botijas de conta a 400 rs.
Azeite doce de Lisbo '.no .a 600 rs. a garrafa.
Dito de carrapato a 320 rs. a garrafa.'.
Manteiga
barril.
franceza a 860 rs. a fibra, e 540 em
Dita ingleza flor a 720, 800 e 900 rs. a libra, e em
barril ha abatimento. v
reeebido nm beHo sortimento d ditas caixinhas ;
assim como outras com finas perfumarla*, por is*o
'lueiu quizar fuer un bon presento, leudo dinhei-
ro dirjia-se ra do. Queimado loja d aguia bran-
ca n. 8 que sef bem servido.
Boa tinta para marear ronpa.
Vende-se na iua do Queimado loja da aguia
branca n..8.
Velas de espormacetede 5 e 6 por libra a 540 rs. a
libra, e em caixa a 520.
Velas de earnjba a 115 a arroba e 360 a libra. umav
Sevadinha e stg muito novo a 240, 260 rs. a li- Conservas inglezas, francezas e portuguezas a 640
bra! Garautir-se a superior qualidade. lo frasco.
Alm d stes gneros ha outros rauitos que enfadonho seria menciona-tos. Quem envidar ve-
nhav. .
'
Frutas em.calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 12o rs. a
lata de 21|2 libras.
dem em caixinhas de 8 libras a 1,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes minio novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 6oo rs: a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no' Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, 'lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho'do
Porto, velho superior, madeira secca, Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo.ooo e
l,ooo rs. a garrafa.
dem branco de uva pura, a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,80o a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco. conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a casada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
' composiclo a 5C0' a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a libra.
Ricas caixas comjigos a l.ooo rs. cada orna.
Ricos livrs com figos 1 ,ooo rs.
Pomada a 200 rs! a duzia, sevada muito no-
va a 80-rs. a-libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafoes com 4 /* garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafarj.
er
GRAXA N, 97
Vende-se a verdadeira graxa ingleza
armazem de J. A. Mereira Dias na ra
numero 26.
Salitre retinado superior qualidade, vinho Bor-
deaux, differsbtes qualidades, mais barato, que'em
naljrler parte : no armazem de A. Burle &
C., ra da Cruz n. 48.
: Massa de tomate em latas de libra a 00 re. cada 'dem com 4''/*' ditas de venagre a 1,000 rs. O
UB,a" garraia-o.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
I5,ooo rs. com a ancoreta
dem empipa puro sem o batismo a 2o rs.
agarrafae l,4oors.acanada.
Caixas com i duzia da gar^afas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especala 6,8oo rs.
a caix e 7oo rs. i garrafa.
'. 97 no
da Cruz
Yendem-se caixoes vasios a
cada um: na ra das Cruz.es n. 44.
1:760
ISM
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 36o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. aiibra.
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e em
caixa a 52e rs. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs\ empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.000 rs. ral. cachimbos, e chopetas para charutos, o tai -
Idcmalmaco pautadoelisoa3,ooors. aresma. il,e,n ^ngalas e chicotes para montaria, de todas
,, x 5___j n i:, a kw ^ !as qualidades,e sempre se acba nesla fabrica u;n
dem de peso pautada e liso a2,5oors. aigran(Icsor[im'(.ntod(rdiape(jS (le s) (l luda;i a,
resma. \ qualidades, lambem se cobrem chapeos e se con--
dem a zul de botica OU fugueteiroa 2,00rs certam, c se faz tudo pertencente esta arte,
a resma.
Fabrica de chapeos de sol do
Francisco Maestrali, ra
do Queimado n. 22.
enejado um grande sortimento de fumo cap-v
ESCRAYOS FGIDOS.
frasco valle l,ooo rs. tambero temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
dem embrulho de 1,2oo a 1, 4oo rs. a-resma.
Ameixas francezas em latas de 1 l/i libra a
1,200 e 800 rs. a libra. Fugio na noite de 23 do conenle julho de
dem em frascosde 3 libras a 2,5oo rs., s o i 1864 o escravo Jos, preto, crioulo, ae 26 annos,
baixo, corpo regular, beicos grossos e estufados,
orelhas pequeas, e cachaco grosso, potica barba
porque tem apenas na ponta do queixo, levouduas
calcas, urna branca e outra de castor eseuro que
parece preto, de lislras, paletot preto, sem camisa,
e com urna carapura encarnada na cabeca, a laia
de manijo : quem "pegar leve-o ra Direita n.
54, que ser generosamente recompensado.
Fugio na tardo do dia 1C do correte um
escravo pardo, de nomo Mareos, desembarcado
do hiate Sania Atina, vindo do Aracaty, tendo
de idade 28 annos pouco mais ou menos, e os si-
s : altura regular, secco do cor,u,
pouca barba, cabello crespo, levou camisa e
cal?a de algodaosinher de riscado azul e cha-
peo de patna, tendo lerado comsigo urna tronx'a
com mais roupa, e rendido de urna das venillas;
quem o appreender queira leva-lo ra da Hadrr
de Deus 11. 38, ou ra do Brum u. 5o, que sera
recompensado. .
Molhos inglezes a 800 e l.ooo re. o frasco.
Oavo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs.
duziae 600 rs. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a5,5oo naes seguintes
e 6,000 rs. a duzia" e 000 rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. 0. molho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqneiras a 6,000;
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garraffies de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de den tes lixados em macos grandes
Escrava fgida.
Acha-sc fugidd a escrava Joanna, crioula, viu-
va, de 40 annos de idade, cabellos carapinhos, nm '
dente tirado na frente, olhos um tanto fundos, cor >
preta, estatura egular, levando roupas de vi uva. <
levando em sua companhia um moleque liio da
dita, de idade de 8 annos, pertencente Manoel
Antonio Soares, no sitio do Botto, 2 rustrido da '
..freguezta de Santo Antao, cidade da Victoria :
com 20 rs. O macumos a MI SO. i qae8ra apprehender ser generosamente recorope.
sado, na rna da Praia n. 78, ou no sitio indicado
pelo proprio Manoel Antonio Soares.
Cominhos muito novos a 32o rs. aliferae
lo^ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 180 rs. aiibra,
.Milho alpista a 14o rs. a librae4,5oors.a
arroba.
Gomma a 28o rs. a hbra e 5,4oo Muita attenca.
Ha dias fugio o escravo africano, de nome An-.
tonio, levando caiga e camisa de baca azul es-
cura : quem o encontrar e levar sua senbora a.
baroneza da Victoria, ra do Hospicio, ser bem
Perxesemlaasai.ooo rs. altajproinpt ^5SS~
a comer-se,
Farello de Lisboa'marca N. eBiao saceos
grandes a 4,oo rs.
Doce da casca da-goiaba a 600 e 1,000 rs. o
caixao. .
.400 f. a jsarrafa.
Vcnde-se tinta preta a 400 rs. a garrafa, para
dalas de meninos e pira marcar fardos de -fazen-
an : ni travessa flo Queimado n. I. .
"Vendem-se 60 barris com m'efs botijas de
ceeveja marca tenente, preta e branca : na rna da
Cadeia do Reoi n. 13 ou W. ... 1
Fugio doengenbo Laga do Malto, no dia 15J
de julho do corrento anno o pardo Goncallo, corn-
os signaes seguintes :- baixo, grosso do corpo, des-
corado, denles limados, oaos castanhos, tendo eui
um delles urna belide, usa de bigodo, tem as ner-
as um pouco arqueadas e os ps apalbetados-, ca-'
bello naiareno, fcil passar por livre,
porque
O proprietario do grande armazem Uniio e Commercio declara aos seus fregu alra de,ser muil1 "Wj n* tralad2; Es*>,'
zes % amigos 1 ao publico em eral que para facilitar | commodidade de tollos esfipatoo SBgJJo Sfi' B em rTffregS''
os mesmos preces nos seguintes- lugares: ,
TJnifto e Comniereio ra.do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
do Limoeiro : roga-se s autoridades pulimos ou
es capites de campo a prisao do dito ascravo, e>
leva-lo no mesmo' engenho, ou no Hecife ao Sr,
Manoel Antonio Ferreira Gomes, quo ser genero,
smente recompensado.
'


lrl e PermaMbneo ... Qftarta feira 19 e Agosto de li4.
LITTERATURA.
0 QUE VAE PELO MUHOO
. Damos em seguida a continuago da discus-
sao havida no sonado francez sobre bancos de
cmtssao. .
Nao percamos de vista esta verdade; ella de
um despotismo inevitavcl. Se algum da pala exa-
_gerago da cireuiaeao fiduciaria o curso forrado
cliegasse a ser imposto ao inferior do paiz, ver-
uos-hiamos para logo na impossibiiidade de mati-
ler as nossas relajos corainerciaes, coja activida-
de e necessidade se revelam nao obstante cada dia
com niaior energa. O ouro e a prata sao urna mer-
cadura. E' lao impossivel regular a crreme do
numerario como fra impossivel regular a diroc-
f lio dos ventos.
t a estabildade da taxa do juro urna utopia,
um sonho, como esse outro systema que consiste
era fazer omitlir pelo banco bilhetes, dos quaes uns
rosgataveise outros nao resgataveis.
t Todas estas invencoes teem a mesma signifi-
> igo : abuso do crdito,' osquecimento da causa
g/ae d forga e efflcacia ao billiete de banco. Nao
podem existir bilhetes de banco de duas especies,
e aquello que nao fosse rcsgatavel a vista nao teria
oais do que um valor relativo e de convengo : ja
nao seria um bilhete de banco, mas um titulo com-
, inercia! sujoito s oscllages do juro porque se
pode emprestar segundo a abundancia oa a eseas-
soz do numerario. Quanto ao elTeito da mobilidade
do juro, como nem todos o comprchendem bem,
fiormitli. Srs. senadores, que vos digamos como
elle opera e faz voltar o numerario.
t Quando o prego do endito ou do dinheiro
.sobe, comprase menos; quando se compra menos,
o preco da mercadoria baixa e deve baixar at
que a barateza attraia e sollcile os capitaes, que
voltam entao. Isto triste dizer, mas importa ter a
.coragem dereconliece-lo, porque urna verdade
til. N'as crtses monetarias, commerciaes ou finan-
ceiras, so a baixa do prego de todas as cousas
que pode faz-las cessar o restabelecer o equili-
i *rio ; por outras palavras, nao possivel vultar-se
ao verdadeiro valor das cousas sem liquidaciio de
todas as exageragoes, de todas as llusoes. Quanto
ciis, se demorar esta liquidacao, tanlo-mais critica
se tornar a situagiio ; ella poder ser benigna, se
for feiia opportunamente ; se liver demasiada de-
dora, produzir catastropbes. Eis porque os avisos
do banco de Franca teem tanta autoridade e sao
ao salutares: elle nao regula o preco do dinhei-
ro ; v o estado do^ncgoeios. d aviso moderando
o uso dos crditos de que dispe, e ai de quem nao
compreliende os seus avisos I Agora passarei aos
fjndos pblicos que elle possuo.
Ser certo que tiaja oppoitunidade, ulilidade
cm o banco nao possuir fundos pblicos ? c por
Que urna'parte do seu capital, 130 milhes, pouco
niais ou menos, assim empregada, (Icaria em dis-
f unibilidade para o descont das contas do com
nercio e dos adiantamenlos, porventura tornar-se-
gia menos necessario levantar ou abaixar a taxa
do juro em tempo opportuno ?
A resposta c fcil. Basta rcflectir para se re-
conliecer que os fardos pblicos que possuo o
liauco, vendidos e realisados, inesmo em numera-
rio, nao produziriam elfeito algum duravel sobre
as causas que determinara a clevagao ou a naixa
a laxa do juro.
Apenas o numerario assim obtido livesse, em
razo de urna exporlagao precipitada, desappare-
ido para os fins que ja dissemos, compras ao es-
4cugeiiode materias prunas, crises alimentarias,
pie, a elevago da taxa do juro anda seria o ni-
co ineio de que se teria de laucar mo para oblar-
So a volta do ouro e da prata.
Nao por causa dos fundos pblicos que pos-
sue que o banco tem menos liberdade as suas
operacoes. Esses fundos pblicos nao o iuipe-
dem de ter lautos bilhetes quantos julgue conve-
nientemente empregar para fazer adiautaiiieiitos
ou descontar. E' a situagao do numerario que o
determina ; nada mais, nada menos.
Convem considerar as cousas debaixo de um
onto de vista totalmente differente. Ei-lo. Qual
o dever do governo, inspirad > pela mais justo
desvelo, quando concede um privilegio tao cons-
doravel como o do emittir bilhetes do banco ? E'
O de exigir urna garanta com a qual possa ter a
c Ora, ser ind Itrente que o capital que ai < O espectculo do bom xito deslumhra e se-
ga rantia de urna prudente administraco seja em- duz. Em que que deisur de nar-lo em Pran-
pregado em fondos pblicos ou em descontos ? ca e pela Franca ? Entao cada um tratar por-
Com os descontos, a garanta nao desapparece,' a, nao s de acompanhar, mas at mesmo de pre-
mas pode achar-se comprometida, se os ttulos | cipitar o movimento; e quando as economas an-
0 antigo maire daquella localidade matou-se
mettendo-se no forno que eslava accezo para cozer
o pao. J
Atribulado pela perda de duas filhas, tnha j
tentado precipitar-se de urna janella abaixo, o que
descontados nao forem de todo o peso, se nao auaesUa riqueza publica e do trLalho. nao estl-1 nao rea|,soo> porqne sua mu,Jher 0 vgiava
sendo regularmente pagos (iodo o seu prazo, nao
fizeremj voltar para o banco os bilhetes que servi-
rn paira desconla-los, ao^asso que com o em-
prego do capital em fundos publico?, a garanta
mais solida.
Ningueni de certo se lembrar de afirmar que
un capital de garanta empregado em fundos p-
blicos, isto que tem por devedores o estado, a
divida publica, todos us em sumina, nao se acha
em melhores condiges de seguranca do que se
fosse absorvido por um descont qualquer. O
banco de Franja tem pois tanto maior crdito
quanto o seu capilal de garanta se acha melhor
empregado ; obrigar este capital a buscar outro
tmprego, seria lesar o crdito e "perder de vista
urna considerado de magna importancia, isto 6,
que o banco presta assim um servico ao es-
lado.
Possuindo fundos pblicos que, se os vendes-
se, viriara pesar sobre o mercado e fazer baixar
o preco, o que ha de mais desejavel para o crdi-
to publico que os ttulos da divida publica so
aciiera bem distribuidos. Que distribuicao mais
trauquiiiament poJer haver do que a dos fundos
pblicos possuidos pelo banco ?
< Ha tambera quem pense que quando o banco
abaixa a taxa dos descontos, deveria igualmente
abaixa-la para os adiantamenlos que faz sobre
fundos pblicos ou outros valores.
Explique quem poder estes pareceres con-
trarios, que dizem de um lado : Vendei os vossos
mulos da divida publica para lerdes mais liberda-
de: e do outro lado : Fazei adiantamentos sobre
fundos pblicos, isto immoblisae os vossos bi-
ilieles emprestando-os sobre fundos pblicos.
c Por ventura tem o banco alguma vez recusa-
do descontar ou fazer adiantamenlos por outra
causa que nao a escas3ez do numerario ? pois elle
nao lem sua disposigo, repito, tantos bilhetes
quantos queira para adiantamentos e descontos ?
A verdadeira razao, a razio de peso que o deter-
mina a manter urna differenga entre a taxa do
descont para o commercio e a taxa do jaro para
os adiantamentos, que o banco foi antes de tudo
cstabelecido para o. commercio, para o descont de
verem em proporcao com a rapidez a quq todos
aspiran), pedirao a- novas* formas maiores vtlou-
dades. 4
No dia 5, em um momento que ella o perdeu de
vista, lancou-se no Torno, que eslava accezo.
A mulher, dando pela ausencia do marido, co-
Ha qaem propotHi o emprego constante dos em- mecou a procralo, e julgue-s da sua affliccao,
prestimos, quem aconseje que se multipliquen) as quando, ao passar perto do forno, viu o corpo car-
obras publicas por meio de emprstimos. Contra- bomsado.
hr emprestimo em quantidade ras#avel, nada me-
lhor ; mas coutrabi-los sempre e em. grande quan-
tidadej de mais. Que com as economas de que
cabo de fallar se produzam novas riquezas, en o
compreheno: nstas condi(oes, o crdito, o
distribuido com inteligencia moderacao, se-
Aos seus gritos acudiram os vizinhos, e um del-
les, T. Joseph, tirou do forno os restos calcinados
do suicida.
A Revista dos Dous Mundos, diz o seguinte :
Um trem expresso pesa de 80 120 toneladrfs.
r poderoso, eflicaz ; mas, se. Tosie alm do que Um coraboyo de mercaduras tem um peso de 600
aconselha a prudencia, o que delxaria ao futuro ? toneladas e urna extensao de 350 metros.
Emprstimos por amortizar dividas, urna infinl-
dade de emprezas nao concluidas e representadas
por ttulos ou por bilhetes de bancos irrealizaveis.
Os wagons ordinarios pesam 15 toneladas com
quatro vezes o peso das
carga, o que d tres ou
antigs diligencias.
As locomotivas j pesaran) 30 toneladas
e pe-
(Mulo bem I Sensacao !)
t Eis o que importa evitar. Ora, emquanto o
banco de Franga fr o arbitro da medida em que sam no^e 50-
deve intervir o crdito, emquanto a sua indepen- A velocidade de 8 metros por segundo para os
dencia for escrupulosamente respeitada, nada ha-. trens de mercaderas mais lentos, o que quasi
ver que temer. O reinado de Napoleao 111 ser a velocidade mxima dos melhores paquetes. .
o que deve ser, o que um esplendido reinado; o
do principe imperial ter nao menor esplendor,
porquanto, bem como o do seu augusto antecessor,
se apoiar em urna situando liuanceira prospera e
solida.
Nao vos admiris, Srs. senadores, de que seja
Os trens expresso percorrem at 25 metros por
segundo.
O cayado a galope, o veado e o tigre nao teem
esta velocidade.
Na linha de teste, contando 10 kilogrammas de
este o voto de um servidor reconhecido que como rviqueimado por kilmetro percorrido, chega-
tantos outros, lendo visto de bem perto, em 1848,
os horrores da mais cruel adversidade, deseja
augusta dynastia que salvou o paiz um crdito
sempre inabalavet e tanta riqueza em namerario
quanta ihe seja neeessaria, quer para exeeolar o
que lhe inspirar o seu genio, quer para governar.
se cifra de 700,000 kilogrammas por di, o que
representa a carga de 70 wagons.
Cor o consummo das offleinas do servico hy-
drauireo das estagoes, etc., chega-se a 1,000 tone-
ladas por dia, 365 mil tonelada por anno.
O coaeommo de agua pode, ser calculado en 8
Voto para que passemos ordem do dia. (Signaes kilogrammas por kilograrama de eombusvel tjuei
de approvagao em todos os bancos.)
l'M P0I.C9 DE TUDO,
L-se no Crrete dos Estados-Unido'
Tendo o general Lee todas as suas pwpriedades
conscadas ou destruidas pelos federaes, muitos
cidados quotisaram-se entre si e offereceram lhe
otras !K) das que ueste fluxo c refluxo dos seus iem w"""01 orna magnifica residencia ao conda-
bilhetes ficam seguras, ao passo que se flzesse a-
diantamentos sobre fundos pblicos ou outros va-
carteza de que o estabelecim^nto de crdito
unda nao abusara da sua confianga.
que
lores, e estes adiantamentos nao lhe fossem pagos
pontuaimente, nao poderla obter a volta dos seus
bilhetes senao eiecutando os devedores, isto,
vendendo os seus ttulos, produzindo na prga im
eleito desastroso que elle deve obviar e que pre-
vine, elevando a laxa dos adiantamentos, para
ijue Ih'os pegam menos, para que especulem em
menor escala, afim de reservar todas as suas fbr-
cas para o commercio. (Vivos slgnaes de appro-
vagao.)
Dous interesses preoecupara perpetuamente o
banco : o do commercio e o das especulagoes da
praga. A quem deve elle attender de preferen-
cia ? Ao commercio evidentemente : e nunca nos
cansaremos de repetir que esta questio que queren
levar para o campo da dos fundos pblicos mais
ou menos vendidos, mais ou menos possuidos,
nopastsa de umaqnesto de numerario mais on
menos abundante.
Na quero abusar da attengao do senado. (Nao f
niialFWIael Ututo bem 1) Elle me far justiea,
se qnitr crer que na pratica de trinta annos dos
negocios do meu paiz envide constantes esforgos
para conservarme a par do todos os progressos.
Nao proprio de mim detrahir o presente, porque
pertengl ao passado. Se entre os systemas de
crdito que nos gabam visse um'melhor do qoe o
do bando da Franca, exultara com a sua appa-
ricab em proveito do reinado provincial que em
liannos elevou a tamanho auge o esplendor e a
gloria d^ nosso paiz. (Vivos applausos.) Mas por
isso mesmo que to magnifico este reinado, re-
leva desjvelarmo-nos pela conservagao das suas
furgasrrais necessarias. Urna das mais delicadas,
das mais facis de serem prejudicadas, nao tan-
lhe d o crdito que elle tem, como a |
dar-lhe os systemas de crdito que lhe
lo a qu(
quera
[iropdemL
do de Buckingham,
Lee recusou, dizend'o que nao pedia aes seus
concidhds nenhum premio pelos seus servigos, |
que combata pela sua consciencia e pela Virginia,
a patria sagrada que nunca abandonara.
Urna carta de llenpiur refere que urna escuna
noruegueza, por nome Prencez-CHrnslian Auguttr,
que chegou ltimamente quelle- porto com urna
carga de madeira para o norte, foi eondemnada por
capaz de navegar, e vendida pan-ser desman>
chada.
Este navio- fo constraido ha M)5 anno;, e por-
tanto o mais antigo que- existe na Europa.
L-se n'uma earta de fr.. Petersbargo, datada de
21 domez prximo passado^o segumta :
Urna nota oGGciai, publicada ha poneos das nos
peridicos, eausou aqu'f consideraval saciedade, e
nao foi sen motivo.
A referida nota dizla assim As- fragatas de
rudas otetgSmm e ki aot; saniram oecronstaoi do
dia 27 de maio, com tropas para desembarcaren)
cm Frederikshavn.
Ora, como Frederikshav e um porto-da Julin-
da, este acto fui olhado-romo nadtt menos do que
urna directa intervengao da Russia- na guerra com
a Dinamarca.
Pde-se fazer idea dbs conimentarios e con/eo-
turas que se fariara. Descobriu-s, comtudo, que
| esta agitagao fura caasada por um erro de im-
prensa.
Em lugar de Frederikshavn, a destino das tror
pas era para Frederikshamm, porto fortificado da
Kilandia, no governo do Wibor, que pertence
Russia.
^"~*
L-s no jornal tnttrnahomt:
A 5 deste mez deu-se um easo espantoso de sui-
cidio em Reilhanette (Drrae.)
wm
] FOLHETIM
VIXTI3 HORA* 12 MTEIRA
POR
CIMILLO CASTELLO BR.4NC0.
fCoiilinuacao.)
IX '
Occorre-me outra historia de brasileiropro
soguiu Antonio Joaquim-e parece me que depois
e hao de occorrer mais tres historias da mesma
especie.
0 que ahi vem acud eu commovido de
obilo.Como cu te amo, AnloDio Tu s urna
flor, urna bibliolheca das damas indita I Vejo que
O teu estudo especial sao os brasileiros bons e hon-
rados.
. Anda bem Ireflexiono eu agora.Ha doze an-
cos, as letras patrias, particularmente as do folhe-
lim, gracejavam com os brasileiros, em quanto o
artigo de fundo afectuosamente os denominava os
nossos irmos d'alm-mar, cora expressoes de ta-
manha e tao saudosa ternura, que era um partir-
se alma de ouvi-los! Depois, os folhetinistas pro-
fanamente, como envelhecessem e ganhassem jui-
o, passaram para o artigo de fundo, ao passo que
OS amigos articulistas se flzeram, uns, diplomatas
como Cunha Souto Mayor, e Joo Colho; outros,
ministros como Antonio de Serpa, e Mendes Leal i
outros, bispos como Antonio Alves Marlius. E os
(olnetinistas, esperangados em serem diploraatas,
ministros, e bispos, coraegaram por fazerem-se,
primeiro de tudo, sisudos, circumspeclos, e ami-
gos de toda a gente que conduz Portugal urna
onda aurfera do Pactlo, dinheiro, vulgarmente
chamado.
. Nao poda deixar de ser assim isto.
A humanidade entrn em refundigao, nestes l-
timos annos, e converteu-se em valores. O homem
j nao animal bpede mplume, nem" re da crea-
cao, nem homem : moda. O que por ora hbe
Dio fazem toca-lo sobre um balcao a ver se elle
-trae bem, e d os quilates legaes; mas, com o de-
curso dos descobrimentos, ha de inventar-se um
qualquer instrumento, mediante o qual se deter-
mine rigorosamente as libras que cada pessoa tem
na algibeira, e as que deixou, em casa. Este ins-
trumento na de dispensar a boa f neeessaria nos
contratos, a probidade commercial, e as custosas
informagoes que se tirara dos sujeiios de o fortu-
na equivoca.
Nesses futuros e auspiciosos dias, que eu tenbo
a honra c gloria de prophetisar ao genero humano I cinco annos, voltou para a patria, casado, com fl-
os paes de meninas desposaveis Ho hao de ser en- lhos. e muito rieo.
ganados lelos geuros, nem os genros pelos sogros Fez um palacio onde encontrou o tegurio vazio
o capilal sta saber, a ponto, se o accetante da let- ,ft ** naw! n,1A amh""-
ira est i ndinheirado na vespera do vencimento;
a prima i lona obse'rvar de automo se o emprea-
rio prern^ idita calotea-la na melhor boa f do em-
prezario Insolvente. E' um sem numero de vanta"
gens soches a promanarem da invengao do instru-
mento, qbe poder chamar-se numimetra, de nu-
mu, dinheiro e metron, medida .
Tudo nos annuncia o prximo apparecimento
do numimero. E' preciso que se invente alguma
cousa que suppra a falla da lealdade nos contra-
tos, a qual se ha de ir quebrantando medida que
a religiol forja onde se caldeara e depurara as
conscienqias, se for desluziudo.
Pelos iodos, i da Franga contina a soprar o
furaco da impiedade. Os imberbes comecam a
mado, o que d 5,600 metros cbicos por dia.
Calculando dobro-para a lavagem do material
e outras necessidades do servigo, acha-se em re-
soltado o que pode coater um canal de urna le-
gua de comprido sobre tres metros de diviso.
Emquanto velocidade, v^se qoenos nossos ea-
minhos de ferro, como nascldos defpouco, os trens
engatinham apenas, ao passo que nos de Franca
andam.
E' do Sr. Jefferson Mirabeau esta poesa :
A FLOR E O POBTA.
Linda flor se abrir no jardim
Disse a ura vate que triste vivia,
Eu nao quero que vivas assim
"A' scismar, scismarnodo dia :
Na manha da existencia, poeta,
Canta a flor que te for predilecta.
Quando a aurora, trajando mil cores;
Vem da noute espancar o negrume ;
E o campo se arreia de flores,
E a flor se derrama em perfume,
Quando tudo prazer neste mundo,
Que scismar esse teu to profundo ?!
Quando a brisa da tarde serena,
Vadeando as fraldas do monte,
Nos repele suave e amena
A cantiga sonora da fonte,
Cantam aves o hymno da tardo,
S lou pclo do amores no nrdo !
Sonha o nauta que vaga nos mares
As lembrangas que lem c da trra;
E da noute nos temos luares
Que harmona no bosque se encerra !
Ou disperte, ou repouse a natura
Canta, poeta, de Deus a fetura.
Linda flor, tu pedes cantos,
Eu s posso dar-te prantos,
Prantos s minh'alma tem.
Perdi os sonhos da infancia,
J nao respiro a fragrancia
Da brisa que a tarde vem.
A aurora... que tem a aurora ?
Tudo, tudo se evapora
Aos raios quenles do sol.
Depois... as sombras da noute
Da tempestade ao acoute,
Ei-lo da vida o crisol.
Tu mesma flor do jardim,
Nao has de vi ver assim
Por milito tempo sonhar ; J.
Has de carpir loa sorte
as ernas vascas da morte,
No p do chao rojar.
Como tu, tambem sonhei,
Do bello sonho acordei
A' dura voz da verdade.
Hoje.. .* urna dr que tortura,
Nos labios tenho amargura,
No peito triste saudade.
L-sc no Commercio-do Porto o que segu :
Forara supprimidos em Londres, desde o 1 de
julho os impostos de barreiras, ou turnpiks, esta-
blecidos lia 500 annos em Londres, na margen)
do Tamiza. .T

As barreiras que exislem na margem direita nao
sao compreiiendidas no acto do parlamento, porra
espera-se que a reforma ser em breve completa.
Ha 500 annos, diz o Internacional, que um ere-
mita, ordinariamente asseniado perto de um mar-
co que eslava ao p do relogio de sol da capella de
Santo Antonio, situada as alturas de Highgate,
cansado da sua ociosidade, dedieou-se a reparar a
estrada que cooduzia capella.
O rei, tendo ouvido fallar disto raandou chamar
o santo homem e o autonsou a cobrar um direito,
com a condicao de conservar sempre em bom es-
tado a estrada.
Tal a origem da prmeira barreira estabeleci-
da em Londres.
Aborto o exemplo, nao havia mais que segui-lo.
Pouco a pouco levantaram-se barreiras por dif-
ferentes partes, e, como bem se pode imaginar, nao
faltaram cobradoros do imposto.
Esta corporagao, diz o citado jornal, como todas
as da sua cahegoria, acabou sem deixar a menor
pena.
Na qninla-feira 30 dejunho, meta noute, todas
as guardas deixaram as suas casinhas, com gran-
de prazer dos gamenhos que se nao fizeram rogar
para lhes pegar fogo.
tti
Fallecen ltimamente em Pranga Mr. Penjon, an-
tigo professor da universidade, com 82 annos de
edade.
A sua vida, diz o Jornal do Havre, um dos
mais admiraveis exemplos do que pode a energa
junta a urna aptidao bem caracterisada.
Ceg de nascenca, foi admittido em 1797 no Ins-
tituto de Harny, onde mostrou grandes disposices
para as mathematicas, obtendo, depois de estudos
particulares, permisso para seguir os cursos de
mathematicas especiaesno lyceu de Carlos Magno.
No primeiro anno (1805) obteve no lyceu o pri-
meiro premio de mathematicas e o terceiro accessit
no concurso geral.
Um grande numero de raparigas tira a sua subs'
istencia deste genero de trabalho, que as oceupa
desde s 9 horas da inanhaa at s 7 da (arde.
...
Un jornal de Berln d a seguinte noticia relati-
va aos preparativos para a viagem do imperador e
imperatrz da Rus'sia Berln: t
O trem imperial compoe-se. de doze carrua-
gns, que se comraunicam entre si, formando todas
orna especie de palacio ambulante, allumiadoe'
aquecido cora gaz e com todas as commodidades
imaginaveis.
Tres carruagens, esplndidamente decoradas,
constiiuem o aposento da imperatriz. Outra, ador-
nada com muita smplicidade, de marroquim ver-
de, destinada ao imperador. Urna quinta serve
de sala de baile e de reuniao, e tem urna harpa e
um piano, A sexta tem um bilhar e a outra urna
verdadeira cosinha.
As cinco restantes sao Decapadas pelas damas da
imperatriz, gentis-homens, ajudantes de campo,
medico e mais pessoas da comitiva imperial.
Que differenga, diz o jornal prussiano, entre o
czar actual, atravessando, sentado n'uma habitago
puente e commoda, a distancia que separa as duas
capitaes, e seu tio, que ha 50 annes, s a pode
vencer, abrindo, a cavallo, o carainho por entre as
eves amontoadas t
...
Ha dous mezes casou em um novo prximo de
Pars om oflicial de marinha com urna formosiss-
ma joven, cujo nome nada faz ao caso.
Quinze dias depois da ceremonia qne lhes ariu
as portas do cu, teve a recem-casada um sonho.
terrivel sonho !___ Seu marido eslava ausente e
ella via-se prostrada n'ura leito, em quarto desco-
nhecido, cujas paredes estavam forradas de papel
chinez e cujos movis eram cobertos de damasco
amarello. Apparece-lhe um homem, que a contem-
pla com aterradora expresso e lhe diz-:
Est mnilo doente. E' preciso beber isto...
E' um looch para morrer sem padecer.
A joven esgotou o calx que o desconhecido lhe
apresentava. Depois langou os olhos por todo o
quarto, mas o hornera tinha desappareeido.
A joven, conhecendo que nao vivera muito tem-
po, soltou um grito e... acqrdou, dando gragas
Deus, porque tude era sonho.
Quando seu esposo voltou, nada lhe revelou do
que sonhra.
Ao cabo de algumas semanas forara a Paris e
hospederam-se em um hotel da roa dos Agostinhos.
Gastaram uns dous ou tres dias em visitar todas
as curiosidades, e como tencionavam demorar-se
na capilal e lhes pareca peuce commodo o apo-
sento que oceupavam do lado do norte, pediram
outro que deiasse para o sul com janellas para a
ra.
entender o Renn; e, se mais o nao louvam,
porque el e foi moderado nos. insultos Jess Chris-
to. D'aqi i a pouc-i, esla mocidade ser menos po-
(ida com
mandara
de seus paes, que ambos tinham morrido em alian
dancia, posto que nunca cedern ao filho. que
lhes quizera melhorar a residencia. Amavam a
sua lareira, o seu escao de carvajho,- o sen col-
mado, e a figueira, que lhes soubreava a janella
terrea.
O commendador Constantino. Jos Rodrigues pas-
seava, por urna tarde de agosto, s Margena do
Cavado, com a esposa c filaos. Sentaram-se na
ourela de urna levada, e, do. sbito, o assalteou a
I reminiscencia do perigo em que eslivera ali. Con-
I tou o caso mulher, que o escbtava com ancieda-
de, e aos meninos, que medrosamente se arreda-
vam da beira do ro. Porgunlou-lne a senhora :
E o homem, que te salvou, j morrena ?
Lembras-te do nome delle?
Deixame recordar...disse ocommenda.
dor Rodrigues.
Passados momentos, ajuntou que se nao pedia
lembrar; mas, como viviam alguns mogos de sua
edade, e seus companheiros de nataciio, havia de
o Redemptor ; e, volvidos vinte annos,
seus tilinta descer do supedneo as cru-1 i^formar-sc
zes, quesVmbolisam barbaria das ctvilsagoes de! Se e||e viver> e precisari_disse a brasleira
Leao \, de Luiz XIV. Ideves fazer-lhe bem. Se o bom do homem se
ExtincU o dogma, .mporta pedir sciencia o: alo lancasse ao rj0) n5o -eras 0 des,es anjos>
que a rel.g.ao levou da consciencia e ceragao da nem 0 esposo da ,ua Laurentna.
le. Entao apparecera imprelerivelmen- Coju^ enlerecido com a observago af-
ns ^S!2 P me d qUal fecluosa de sua mulher, foi logo d-ali indagar o no-
J enganarme-nos ale.vosamente uns me do nomem. Dous dos seus amigos de^infancia
humanid
le a inve;
nao pos:
aos ouln
Ji me lio entendo com estas divagagoes, que
nao lean ]ae ver com a historia do brasileiro, que
Antonio J aquim me conloa do seguinte theor-:
A p quena distancia de minha casa, pssa o
rio Cavad.
Ha mu los annos que uns rapazinhos foram ba-
nhar-se as rio. Um delles linha dez annos, e
aprenda a nadar com urnas boias de cnica. O
atflho da! boias partiu-se, quando o mocinho bra-
cejava no mais fundo da levada. Os pequeos na-
dadores < orreram a segura-lo; mas j nao pode-
ram arrncalo voragem. Nislo, um liomem,
Estas informagoes redobraram ao commendador
a vontade de descubrir o mendigo^ se mal que era
mais provavel que elle livesse acabado as durezas
d vida mendicante.
0 abbade escreveu aos parochos de muitas le-
guas em roda; porm, intilmente. Quizo com-
mendador favorecer os prenles de Janoario; mas
nenhuns havia. Este nobre sentimento de gratidao
impossivel quasi que o afilala.
Volvido um anno, o filho mais velho do commen-
dador anda va folgando na cha de um montado so-
bre um potro anda bruto, e inflexivel aos quinze
annos do atrevido moco. O cavallo tomou medode
um rebanho de ovelbas, acossadas pelo Terra-mva
do eavalleiro, e taes gales despediu, qne o rapa2
perdeu um dos estribos, foi cuspido do selim e fl-
cou pendurado do estribo pelo outro p. O potro
fuglo raivoso e fumeganie, com as crinas arrepiadas
arraslando-o, de encontr resta de um despenha-
deiro.
Neste conflicto de infallivel morte, o cavallo re-
cebeu na testa urna rija paulada, que o atordoou.
e logo um brago de ferro lhe travou da cabegada.
O potro exsudava a torrentes, e tremia convulsiva-
mente.
O salvador, que mal poda exercitar e outro bra-
go, poz as redeas debaixo de ura p, e com urna
navalhlnha cortn os loros do estribo a que eslava
preso o p do ensanguentado e desacordado mogo,
Depois, prendeu as redeas ao esgalho do tronco de
No anno seguinte leve o segundo premio no con-
curso geral e o primeiro no lyceu.
Nomeado professor de mathematicas na institu
gao dos cegos, soliicou depois urna cadeira na Lu
versidade.
Para prevenir toda a objeegao, o sabio ceg abriu
um curso publico de algebra na escola de Minas.
A experiencia teve o mais completo exite e Mr.
Penjon foi nomeado professor
lyceu de Angers em 1810.
Depois de trinta annos de professorado universi-
tario, este sabio ceg foi feito eavalleiro da Legiao
de Honra.
...
Entre os annuncios do Times apparece um offe-
leecuOo urna rcoouipuaoa do 300 C o pcs?oa descobrir o autor de um libello diffamatorio contra
urna dama da alta sociedade iogleza e espalhado
em todos os saldes da aristocracia britannica.
Londres e suas immediagoes, n'uma extensao de
12 milhas, tem 83 estagoes telegraphicas particu-
lares.
Os flos que correm por baixo das ras ou ao lon-
go das casas nao contara menos de 250 milhas de
longitude.
O termo medio dos telegraramas expedidos de
mil por dia.
Segundo a longitude dos nos telegraphicos e o
numero das estagoes, poderiam expedir-se mil por
hora.
O servico telegraphico em Londres feito com
rigorosa exaclidao.
O pessoal empregado as estagoes compoe-se
quasi exclusivamente de mulheres.
A' noute, vollando da Opera Cmica, entraran)
pela primeira vez no seu novo quarto.
A joven esposa sentiu-se incommodada, e, mal
amanheceu, sahiu seu esposo, cheio de inquielagao,
a cha mar-1 be um medico.
Olha a doente era volta de si... e reconhece a
habitago que lhe apparecera em sonhos.
O papel chinez, com fondo cor de rosa, es mo-
vis de damasco amarello, nada faltava.
Paluda de terror, dispunha-se para fugir daquel-
i le agourento quarto, quando eotrou seu marido
3 acompanhado pelo medico. Olha ella para o doutor
e reconhece-o : era o homem do sonho t
Por abreviar, quarenta e oilo horas depois expi-
rou a infeliz suffocada por urna angina... e as ul-
timas colheres de um liquido que seu marido lhe
ministrava tambem eram de um looch '.
sem eu botar urna lagri-
vocemec? perguntou o
cido o salvador. Falln nisto o abbade, o qual'
ao fin da missa do dia, instado pelo commendador,
mandou aos velaos que o esperassem no adro, e
perguntou-lb.es se algum delles foi, ou sabia quem
fosse o caritativo hornera, que, vinle e seis annos
antes, se tinha langado ao rio para tira'r da gar-
ganta da morte o Sr. commendador Rodrigues.
O homem,' que fez essa boa accao, nao est
aquidisse um dos anciaos.Era o Januario mili-
ciano.
Bem sei:disse o abbade-aquelle valente
homem que qnebrou. um brago e urna perna,
que passava beira do rio, langou-se vestido ao quando foi acudir ao incendio da casa do fogueteiro,
pego, mergulhou, e emergiu com o rapaz agarra- e ficou tmido para ganhar a sua vida de tecelo.
um savoreiro, e foi, manquejando, examinar o os-
lembravam-se do acontecido; mas tinham esque- ,ca|avrado eavalleiro.
do a um braco. Tomou-o ao alto, fez-lhe vomitar
a agua bebida, contra os conselhos da sciencia; e,
a pesar da sciencia, restiluin-o a seas paes, joma-
leiros pobres, que o anda vara preparando para o
mandaren) para o Brasil.
Constantino, qne assim se chama va o rapaz i riti,
foi para o Rio de Janeiro, e, ao cabo de vinle e lou c
Ha mais de quinze annos continuou o ve-
lhoque elle se foi a esmola por esso mundo fu-
ra; e, em quanto foram vivos os-paes do Sr. com-
mendader, ainda elle por ahi apparecia. Deas
lhes falle n'alma, que sempre lhe davam o sea
toslo; mas, depois que eiles morreram, nao vol-
J sabes que o salvador do filho de Constantino
era o Januario, miliciano de alcunha, porque ser-
vira em milicias as grandes batalhas da indepen-
dencia.
Viu o velho que o rapaz tinba a cabega fractu-
rada, e a face cortada do raspar dos seixos. Como
homem que vira muita ferida, decidiu logo qne ne-
nhuma daquellas era mortal. Apalpou-lhe o corpo
e desgraciadamente decidiu logo tambera, que o p
esquerdo eslava desmanchado.
Cobrou os sentidos o menino, e rompen em gri-
tos de dr, levando a mao adifferentes poqtos con-
tusos do corpo. O velho trouxe-lho as abas do
chapea agaa de um ribeiro para elle lavar as feri-
das da face, e aqaielou-o, di'zendo-lhe que um ho-
mem nao chorava com dores.
Que faria, acrescentou elle, se vocemec que-
brasse de ama eta um brago e ama perna como
eut Pois olhe que ninguera me ouviu um piot Eu
j linha entao levado com quatro balas qo corpo,' e
olhe que m*as tiraram
ma l... Emo d'onde
mendigo.
O moco indicou a trra, que se va l em baixo na
quebrada do ouleiro.
E de quem filho? tornou o velho.
Do commendador Constantino Jos Rodri-
gues.
Constantino! disse Januario, recordando-se.
Eu ha dez annos que nao venho aqui, por isso nao
sei...
-- Meu pae veio ha dous annos do Brasil.
E seu pae desta povoagao ?
E-.
Constantino I volveu o mendigo. Ser elle o
filho do Jacintho das Pegas ?
Meu av cbama-se Jacintho.
Enlo elle I... acudiu o velho. Gragas
Deus que nao morrerei sem ver o rapazito que eu
salvei de se afogar I
Pois vocemec o Januario ? exclamou o
mogo, abracando os audrajos do seu salvador.
Sou eu, menino I Pois ainda ha quem se lem.
bre do meu nome c na minha ierra? 1 clamou o
velho com o enrugado rosto banhado de formosas
lagrimas. Xestas cousas que eu choro I balbuciou
elle, limpando os olhos ao puoho encodeado da ja-
queta.
O ancio chamou um pegureiro, e maodou-lhe
que fosse dizer ao Sr. commendador que o seu fi-
lho estava al' maltratado de urna queda, e que era
precisa una cavalgadura mansa para o levar a ca-
sa. E ajuutou :
Diz l que lhe manda esto recado o Januario
miliciano.
Entretanto, esteve Januario cortando a bota para
descalcar o p Inchado do fendo. Banhou-lh'o com
agua e enfaixou-lhe com ligaduras formadas de
lencos.
Passada urna hora, assomaram a cha do monte
o commendador, a esposa, e os filhos anejados e
archejantes. Av siaram, no tupo de urna riba al-
canlilada, o filho sentado, n'um fofo de gestas, e o
mendigo ao lado del le, e o cavallo d'ali perto a es-
cavar e a rinchar.
O mogo, quando viu os paes, bradoa :
C est o tio Januario I Elle aqui est mi-
nha me I Nao venham affliclos, que ed eston qqasi
bom I
Bonito I murmurou o velho. Os homens
assim que fazem I Diga sempre que lhe nao doe
muito.
Do Bazar Volante Iranscrevemos o seguinte
Conselho.
As mogas sao raios, fuzis e coriseos,
Sao bichas, sao bombas, fogueles do ar I
Os homens s buscara, coilados, coiados,
O prfido fogo que os ba de queimar I
As mogas sao feras, tremendos guerreros,
Que dos homens juraram peleja constante;
as saias mil arcos occDltaQ) matreiras,
Nos olhos mil sellas hervidas bastante I
Fug, mancebos, fugi presurosos,
as mogas (oh! nunca) deiteis confianga :
Raposas astutas, l rao sorrateiras
Ganhando terreno p'ra soa vinganga.'
S. Joao deste tempo, preguei no deserto
Que os homens s mogas nao pdem fugir,
l'erdei-vos embora. J.i dei o conselho
A vossa desdita nao hei de carpir !
Ontr'ora CassanJra ouvida nao era,
Os cegos Trvanos sorriam." Pois bem !
Nos lagos cahindo que as mogas armarem
Kiivi dos incautos... cahindo tambera.
O commendador foi com os bracos abertos para
Januario, que se ergueu a tremer de velhice- o de
alegra. A brasileira foi ajoelhar ao p do filho,
sem embargo do muito affecto que tinha ao salva-
dor de seu marido. Os outros meninos estavam
pasmados das barbas intensas do mendigo.
Com que ento, exclamou o commendador.
Januario, o amigo que me salvou ha vinte e seis
annos, este velho, que eu tenho nos bragos!
Seus paesinhos pagaram-me de sobra o bem
que eu lhe fiz, Sr. Constantino 1 tartamudeou Janua-
rio, muito commovido.
O filho do commendador acudiu logo :
Mas nao lhe pagaram de me salvar a mim.
Se nao fosse elle, meu pae, eo, a esta hora, estava
acola naquelle fendo desfeilo em pdagos, e mais
o cavallo.
Devem-lhe duas vidas, Sr. Januario! excla-
mou o brasileiro. E devo-lhe muito mais da vida
do mea filho, que me muito mais cara que a mi-
nha 1
A senhora nao euojou de irapertar a mo ne-
gra e encorreada do velho, exclamando:
O anjo bom da nossa familia Oca sendo nossa
prente de boje em diante.
O ferido seutou-se na albarda de urna gua, e
caminharam todos em diretura a aldea, vagarosa-
mente, para nao forgarem o passo ao aleijado.
Se alguma hora escreveres Isto, dar-lhe-has o re-
levo de sentimentoque eo naosei. Contei-ie o snc-
cesso como o ouvi da exposigo dos personagons.
Eu folgava de irsentar-me, ha seis annos, bei-
ra de Januario, que toma va o sol no eirado do com-
mendador, e ouvi-io contar as batalhas do Roussil-
lon, e as da repulsao dos grandes generaes do im-
perio. Os filhos do commendador uviam-no, com0
se estivessem deliciando-s as bravuras de um
seu av, recamado de medallas e ondlenle, de pe-
nachos.
Um dos melhores qnartos do palacio de commen-
dador era, o de Januario. 0 seu lugar mesa era
entre os dous, que elle salvara. O primeiro pralo
servido era o seo. As oraedes do repasto era elle
quem as entoava n'um tem senil que incutia reli-
giosidade,
Afinal, resta-me dizer-te que o enterro mais pom -
poso da minha freguezia foi o de Januario, e raras
lagrimas lao sinceras tero cabido sobre urna se-
pultura,
(Continnar-se-ha.)
PERNAMBUGO.-TYP. DE M. P. DE F. 0*5
y



i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9X6AYPVE_5ESZ4O INGEST_TIME 2013-08-27T21:48:31Z PACKAGE AA00011611_10443
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES