Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10441


This item is only available as the following downloads:


Full Text
iJuro-XL i
v


ERO 185.
*4>*IS ih

Por tres Mezes adiantos 5JO00
Por tres meses vetteijlos 6JJUU
Porte ao correo porjres mezes. 730
SABBADO 13 BE AGOSTO DE 1864.
II
Por asno adaatado.....49J00O
Porte ao correio por anno. 3$00
NCARRGADOS DA SUB3CRIPCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima|;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracatv, o
8r.A.deLemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos'de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinhero G.; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
KNCARRKGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagas, o Sr. Claudino Faleo Dias; Bahia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino.

PARTE 9FFICIAL
GYRRNO DA PROVINCIA.
Expediente do da 10 deagosto de isii 1.
Otlicio ao commandante das armas interino.
Eiu vista do que allegou o 2o tenente reformado do
ixereito, Epiphanio Borges de Menezes Doria, no
requerimento sobre que versa a informaco dcsse
commando de armas, o. 1,323 de 2o de julho ulti-
mo, tenho por conveniente declarar a V. S. que
nao me pareceu regular o seu acto, mandando nao
so por em liberdade o capito do 4 batalto de
artilhara a p, Jgjn Paes Brrelo de Mello, que se
achava preso e destinado a conselho de guerra,
pela ordem do dia desso commando de armas, n.
.123 de li de unie deste anno, mais lambetn reeo-
Iher novamente prisao par. responder a conse-
lho de guerra aquelle 2 tenente, qne por effeito
desta ordem tioha sido posto em liberdade, cm
consecuencia de ser considorado improcedente pelo
conselho de inveslgacao a que respondeu, a aceu-
sacao que Ibe foi leila.
Por quanto. segundo o disposto na rcsolucao m-
perial de 7, publicada na ordem do dia do exerci-
10 n. 317 de li, tudo do mez dejunho de 1862, as '
novas provas oblidas em favor do mencionado ca-
pito no conselho de inveslgacao a que respondeu
o majar Antonio Francisco de Souza Magalhaes, e
HPHKMERIDES DO MEZ IE AGOSTO.
2 Lna nova aos 13 m. e 12 s. da t.
10 Quarto cresc. as 3 h., 37 m. e 38 s. da t
17 La cheia as 11 h., 16 m. 14 s. da m.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarasst', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas feiras.
Samo Ar tao, Grvala, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altran i e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alno, Nazareth, Limoeiro. Brejo, Pesqueira, at ~~ "'' *" *"" ** ** "* '"'
Ingaze ra, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob.l 24 Quart0 minK- 3 "> 4i m. e 20 s. da m.
. Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros Af ua Prf ta e Pimenteiras as quintas feiras. PREAMAR DB HOJE.
Ilha de F miando todas as vezes que para ali sahir
navio. I Primeira as 11 horas e 42 minutos da manhaa.
)s esufeus panem ao % dia. | Segunda as 12 horas 6 minutos da tarde.
partid, dos vapores oosteiro*.
Para o sui at Alagoas a 8 e 25; par o norte at
a urania a 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
das n dos mezes dejan, marc., maio, jal, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
o ii1? ec,fe : d0 AP'PUcs s 6'/* ?, 1 V* 8 e
8 V da m.; de Olinda as 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6/j dam.; do Caxang e Varzea as 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3/,, 4, 4 % 4 %
5, 6 y,, 5 V, e 6 da Urde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 y, da tarde: para Jaboatao s 4 da tar-1
de; para Cachang e Vanea s 4y, da tarde; para
Beinflca as 4 da tarde.
j AUDIENCIA DOS TRBUNAS8 DA CAPITAL,
i Tribunal do commercio: segundas e quintas,
Relaco: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: qumta, s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
D!A DA-^hM/.NA.
8. Segunda. S. Cyri
!. Terca. S. Alfons
10. Qnarta. S. l.ou
11. Quinta. Ss. Ti"
t-. Sexta. S. Ciar
lar. ni.; S. Emilianob.
tria Je Ligorio.
diac. iu. ; s. Astheria v. m
meSozana mm.
f.; S. Aniceto m.
Francisco Luiz Cavalcanti de Albuquerque.
Informe ) Sr. desembargador provedor da Santa
Casa de J isericordia.
Francisco Pinto da Costa Lima. Requeira ao Sr.
command inte do corpo de polica.
Jos Mi ;uel de Lima. Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Joaquini Francisco do Rogo.-Satsfaca a exigen-
cia ila thesouraria de fazenda, constante do ofllcio
por copia incluso.
13. Sabbado. Ss. Hypolilo e Cassiano mm.
14. Domingo. Ss. Demetrio e Mercurio rom.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietanos Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
Maria d
novament
ta Casa dt
Maria c
a Luz. Corr a cerldo junta informe
'o Sr. desembargador provedor da San-
Misericordia,
o Rosario Pinhero.Passe portara con-
termo, em
rio dajus
Praxede1
pector da
cedendo i 0 das de icenca.
Orlando Miquilino de Almeida.A nomeacao que
pede o sui pilcante pertence ao juiz municipal do
vista do que declara o aviso do ministe-
ca de 18 de Janeiro de 1862.
s da Silva Gusmo. Informe o Sr. ins-
ihesouraria provincial.
Commei idador Thomaz de Aquino Fonseca.In-
forme o S '. commandanle superior da guarda na-
cional do iecife.
Thomaz Antonio Mariel Monteiro. Informe o
Sr. inspec or da thesouraria provincial.
EXTERIOR.
Em Combra teem continuado com regularda-
de os irabalhos universitarios.
No dia 10 teve lugar na igreja de Santa Cruz a
grande festividade da rainha S. Isabel, com o Sao-
tissmo exposlo e msica vocal e instrumental,
pregando o Sr. Dr. Donato.
No dia 7, ao anoutecer, tinha vindo em procis-
sao, do real mosteiro de Santa Clara para a igre-
ja de Santa Cruz a imagen) de Santa Isabel, que,
como sabido, foi rainha de Portugal, e esposa de
el-rei D. Diniz, fundador da Uoversidade. No
da 10 regressou a sagrada inagem da raiuliaeni
procissao, ao real mosteiro de Santa Cruz.
mac,aedfP7Sn^ramP-'i^nCa *MJ*? ?** d(ra_! par,es iguaes- das I0* ula repartir pelos
ca, e fez por muiio tempo as delicias dos fre-' mesmos accionistas, oulra formar um fundo .le
quemadores do theatro nacional. Em 1836 e 1847
no governo da junta do Porto, eantou por muitas
vezes no theatro |o hymno do Minho, e cantava-o
com tanto enthusasmo qne Ihe mereca sempre es-
trondosos e phreneticos applausos das turbas pa-
triticas que assistiam aos espectculos.
Ao funeral da actriz Jesuna assstiram todos os
seus coilegas do Porto e do theatro normal de Ma-
naII. Recebeu a chave do caixo o Sr. Francisco
Palha, commissarlo regio d'aquelle theatro.
Ojgg^ffSr GuTm^a^ escreve I *%&&&&,*& %%i!
i da o do corrente, a respeito de urna das mais go 47 '/, nomina
limares rnmiriic Hn ;,>!,., ,...:.. .J* ",,u_a,-_
sobre as quaes V. S. baseou o seu acto, deviam 'ser , .
remettidas ao conselho de guerra que tinha de, W !:!!MSCIAS 10 1IA
remettidas ao conselho de guerra que tinha de
julgar o caprto Barreto de Mello e ao predito 2
tenente, por isso que as decisoes dos consclhis de'
invesliga.o, quer pronunciem, quer nao, devem!
ser sempre subinellidas aos conselhos de guerra,;
como declaram as provisoes de 28 de maio e 4 de
junbo de 1845, a que se retere a prcdita resoluco
imperial.
Assim, pois, sera conveniente levar ao conhe-'
cimentode governo imperial os processos de in-
vestigaeo alim de resolver como juluar de justica.
Dito ao inspector da thesouraria d; fazenda. ras noticias
Transmuto a V. S., para os fins convenientes, as Cnrinlhinn
contas de receita e despeza da enfermarla do pre-
sidio de Fernando, relativas aos mezes de abril,
maio e junhodo correle anno, com os documentos
que as comprovam, e parecer da junU militar de
saude que as examinou.
Dito ao desembargador provedor da Santa Casa
de M-sericordia.Conven) que V. S. expeca as
suas ordens no sentido do ser recebido no hospital
de Olmda o alienado Jos Jeronymo que, segundo
Jeilarou-me o Dr. chefe de polica em ofllcio n
979 desta data, nao pode ser conservado na casa
de detengo. -Comraunicou-seao Dr. chefe de po
licia.
O |K PliRMlBIlO^
PORTO.
(Conclusa o.)
Pordeus totalmente, encalhad) n'umas pedras.
na madrugida do dia 4, dislancia de cinco mi-
litas ao sui da barra de Vianna, o vapor ioglez
Cormlhian. Tinha sahdo, na vespefa, do Douro,
com destn) Liverpool, com carregamento de
;ta, vinlio e uns 300 bois. Como as primei-
deste naufragio davam a esperanca do
tioler safar-se na mar cheia, os se-
Chamico Filho & Silva, consignatarios
..jdaihado, mandram sair no da imme-
diato para o lugar do sinistro, o vapor inglez Bra-
gnnzn, que Regressou ao Douro sem nada ter con-
seguido. Salvou-se a tripulacao, e uns 30 bois
que iam no convez.
Segundo diz o Jornal do Porto, parliram no dia
10 para Heapanha, depois da demora de poucos
das nestacidade ; os senhores Domingos de Aze-
redo Coiiliiilo Duque Estrada, e Antonio Flix
Martins, \distinctos mdicos brasileiros.
Na verbera da partida foi-lhes offerechlo um
i jamar, a qiie assstiram alguns membros
nitores F
do vaso en
no
populares romanas do Minho, o segunTe"
Teve lugar no sabbado e domingo a romaria
de S. Torquato, que tal vez a mais concorrida de
todas as que teem lugar nesta provincia.
De Tras-os-Montes, Douro, Alto Minho e da
beiramar, all concorreram grande numero de ro-
meiros, que em divertida peregrinacas veem depo-
sitar na morada do hispo martyr as suas piedosas
oblatas. Com estes baveres tem a irmandade cons-
truido um magniGco adro e dado principio a ou-
tras obras que hao de em breve tornar aquelle lo-
cal urna pittoresca povoagao.
< ltimamente tem a concurrencia dos rome-
ros augmentado, e se este anno nao foi excessiva,
tambera nao demereceu dos anteriores.
E' de lamentar que a estrada desla cidade pa-
ra aquelle ponto nao esteja bera vavel, aflm de
com mais commodide e menos perigo se poder
transitar em carros.
Era esta urna das priraeiras necessldades, e
que de certo muito mais convidara concor-
rene a.
A festividade foi celebrada cora toda a pompa
no mez de junlio
151:79o5190
13:937578.
2735210
11:5135850
1:4395415
10:8185595
da
,j-..._., ,^.u assistirtm alguns membros da im-
(.ireular aos commandantes superiores da guar- prensa, e onde se fizeram repetid .s brindes a
i nacional da provincia.-Becommendo a V. S. confraternidadje de Portugal e do Brasil e pros-
que nao submetta ao conheciraento da presidencia
sera estarera sellados os r.-|uerimontosdosofliciaes
e pracas da guarda nacional sob seu coramaudo
superior, que estiverem comprehendidos na obser-
vacao 1" do art. 58 do regulamento de 26 de de-
xembro de 1860.
OfTicio ao director das obras militares.Mande
V S. com urgencia tomar diversas goteiras exis-
tentes no edificio do hospital militar, atira de mo
prejudicar os doentes eoasseiodo e>tabelecimento,
que est jendo pintado conforme solcitou o coro-
nel commandante daa armas interino em ofllcio i
hontem datado sob n. 1415.Fizeram-se as neces-
sarias coramuncages.
Dito ao conselho de compras navaes. =Approvo
OS contratos que o conselho de compras navaes
segundo me communicou om offl-io de 9 do cr-
reme, celebrou cora diversas pessoas para forne-
cerem ao almoxarfado do arsenal de marinha os
otijeetos de material da arma-la mencionados em
dito iilIico,d;veado esse conselho remetter a the-
souraria de fazenda copia de taes contratos. Com-
municou-se a thesouraria de fazenda.
Dito a cmara municipal do Recife.Para poder
resolver a duvida de que trata a cmara munici-
pal do Recife em seu ofllcio de 3 do corrente, sob
n. 33, cum|ire que essa cmara informe com ur-
gencia, por quem e quando foi fela a ultima di-
visao dos districtos de paz da freguezia da Varzea,
: de quantos districtos se compunha anieriormon-
le, e por quera foi feita cssa anterior dvis.o.
Dito a cmara municipal do Bonito.Remetien-
do a cmara municipal da villa do Bonito a inclu-
sa petic.io, era que Flix Ferreira da CjhIij recor-
re da decisao pela qual essa cmara mandou obs-
truir a antiga estrada que vai do emjenho Estrella
d alva para o Estrella do Norte, e abrir oulra que
se diz menos conveniente commodidade e inte-
resses dos povos da lucalidade em direeeio via
frrea, recommendo Ihe que me informe com ur-
gencia nao so quauto ao objecto do recurso, mas
tambem o motivo porque mandan entregar ao
majorJo-6 Francisco de Paria Salles, os originaes
e nao a certidao das inforiiiacoes ministradas pelo
fiscal sobre a questao, as quaes deviam licar ar-
chivadas na secretaria dessa cmara.
Dito a cmara municipal de Govanna.Recom-
mendo a cmara municipal de Goyanna que re-
mella com toda a urgencia ao juiz de. paz do i-
distnctoda freguezia de S Vicente, Manoel do lle-
go (.avalcanti de Albuquerque, como este solicita,
em officio de 2 do corrente, urna copia da li>ta dos
cidadaos qualiflcados no corrente anno votantes,
em todo o lerritnio, qup em virtude da le provin-
cial n. 581, de 30 de abril ultimo, constitue hoje
aquella freguezia aflm de que possa ler lugar
all no dia 7 de setembro vindouro a eleico
de juizes de paz e vereadore?.
Dito a cmara municipal do LimoeiroCons-
tando de ofllcio do subdelegado da freguezia de
Taquanunga, datado de 6 do corrente, adiar se oc-
Upada a respeciiva matriz com madeiras e outros
utensilios, recomraendo a cmara municipal do Li-
moeiro a expedjQo das convenientes ordens, alim
de que a reunio da mesa parorhial para a eleico
de juizes de paz e vereadores a que se tem de pro-
ceder naquella freguezia no dia 7 de setembro vin-
douro, tenba lugar na capella de S. Jos de Verien-
te<. -Oflicioo-se nesle sentido ao juiz de paz do 1*
distrielo da freguezia de Taquaritinga.
Portara. -O presidente da provincia, atienden-
do ao que requeren o bacharel Joa-juira Jos de
Oliveira Andrade, resolve prorogar por mais dous
mezes o prazo que Ihe foi concedido para a apre-
sentacao da su carta de juiz municipal e de or-
phaos do termo de Nazareth. .Communicou-se
thesouraria de fazenda.
havendo de larde a procissao, era que ian dous
arcos triumphaes, conforme rezava o programma,
e a noute variadissimo fogo preso c do ar, que
durou al madrugada, tocando alternadamente
duas bandas marciaes.
Em todo o tempo da romagem nao houve a
mais pequea alteracao da ordem.
Durante os tres dias da romagem de S. Tor-
juatoentrararn no cofre da respectiva irmandade
l:4o953IO. Alm disto ha ainda a notar variado
numero de offertas era cera, capellas de flores e
algumas alfaias.
A companhia do theatro normal de Lisboa fez a
sua estra no theatro de S. Joo desta cidade, com
o bellissimo drama do Sr. Biester Os komens ricos.
Foi urna ovacao para a primeira noute de espec-
tculo, mas ovacao espontanea, enthuslaslica e me-
recida. O actor Tasso, o hroe da noute, teve cha-
madas especiaes, em que era saudado com bravos
e salvas geraes de palmas, que elle mereca, por
que na parte que desempenhou elevou-a a toda a
altura da perfeicao artstica.
Todos os mais actores que tomaram parte no des-
erapenho do drama forana applaudidos e chamados
scena a receberem novas provas de admiracao
do publico.
O drama de Ernesto Biester pinta com cores
verdadeiras o seu pensamento moral, mas nao
um estudo rigoroso das paixes que nelle jogara.
E bem fallado, como todos que sanen da sua pe-
ailerior deoominacao de ra 16 de "a, e basjara-lhe este, a mingua de outros dotes,
i madrugada do dia 29 do passado Para justicar o acolhim-mlo que teve no Porto, e
que ja liava tido em Lisboa.
O publico chamouo ao proscemo, e, nos applau-
sos phreneticos com que o recebeu, deu-lhe prova
A alfandega do Porto rendeu
ultimo 189:7785845.
Importaco......
Exportaco.....
Reexportacao... v
'onsumo.......
Tonelagom......
Diversas receitas.
Abnram termo de carga :em 2 a barca Ven-
turosa para o Ro de Janeiro ;em 9 a barca No-
vo Tentador, para o dito porto.
Entraram:em 1 a barca JVoro Tentador, do
Klo de Janeiro, por Lisboa ;em 5 a galera Ada-
mastor io Maranhao, por Lisboa ;em 9 a barca
Joven Ermetinda, do Ro de Janeiro, por Liboa ;
em 10 a barca Amelia, do Ro de Janeiro.
Sahiram :em 30 de junho a barca Claudina
para o Rio de Janeiro ;-era 4 do corrente a gale-
ra Nova Fama tambem para o Rio de Janeiro.
27 de jnlhe de f 8<1. *
A crise alimenticia que ha mais de dous mezes
ameaca o norte do reino chegou tambem
Lisboa.
im-na combatido no Porto e na provincia do
pendade Iliteraria das duas nac5es irmas.
Inauguroii-sfe no dia 9 a nova fabrica de facao
estabeleeida nb Campo 24 de agosto desta cidade.
Foi fundada pdr urna companhia de proprietarios
industriaes qud so associaram para levar a offeilo
mais este mel loramento na industria fabril do
Porto.
Na ra dos
nhecida pela
maio, ardeu i
urna parte das Irateiras" da padaria e confeitaria
dos senhores Aotouio Jos Para & C. Os prejui-
zos fortn relativamente insignificantes para o que
podenam ser se os soccorros nao viessem de
prorapto. Consguiuse domar o incendio na pro-
Martyrcs da Liberdade, mais co-
pna casa em qbe tinha comecado, que era a do
deposito do pao. Um caxero do estabelecimento,
que entrou cora ntuito de salvar alguns objectos
a quando a casi arda, vu-se obrigado a saltar
dajanella do pn rneiro andar, o cora tanta infeli-
tim
que na
queda rebeutou a veia de
cidade
braeo.
Houve oulro ricendio.na noute do dia 8 na fabri-
do lanificios de Zerzedello. O fogo pegou na -
parle do edificio )nde eslava depositada urna por- representado,
cao de laa.
tino do fogo que lavrava com
Deu-se a tempe
inlensidade, e | rincipiou a
Ih^r una bomba
nos. Quando el
principiaram logd
seguiram atalhar
Alera do prejui;
arruinada pelo ni
da de 5 teares,
de urna machina
e o do desmonte d *
das chamadas tese uras.
Houve tambern
radas e algumas
para entran no' ti
Suicidou-se, lo
Sr. Joaqun)
ounves.
A causa foi o
4005000 que nao
e 8 Sinos.
A semana lipd
aziajfa.
Um filho do Sr
delerioracao de outros, estragos Pedro as comedias Amor Virgem de ama eccadora,
le flaco ltimamente montada,! Comedia em casa, As ideas de Manoel Vicente, e a
' 20 teares e algumas machiuas j comedia Peccados cellios e poesa A Bengala de
ras. Eduardo Garrido.
prejnizo importante em laas la-1 Nao nos propomos a avahar o merecimento de
pecas fabricadas, que eslavain cada urna das prodoccoes que temos visto repre-
l0- I sentar pela companhia do theatro normal, e que
ima dse de vitriolo, o o publico se nao cansa de applaudir. Os dramas
urna lettra ^^^^1^^^^ toF*^
de ara navio. Ai :udiram-lhe
Ihadores das refer
ra-lo do ro mas j; morto.
Um operario,
obras na na dos
andar ra, e qdebro urna
algumas costellas
Eipedieate de secreUri* de gotera* de dia 10
de agosto de 186-1.
OfOcio ao commandanle das armas interino.
Por despacho desta data autorisou-se o director do
arsenal de guerra a satisfaz os pedidos que fez o
commandante da fortaleza do Brnm a que allude o
ofllcio de V. S. n. 1,414, de 9 do corrente : o que
communico V. S. de ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia.
tapen** d* dia 10 de agosto de 1861.
Requrrimenlus.
Custodio Carvalbo 4 C. Aguardem os suppli-
cantes o soppnmento de credilo que se pedio.
Padre Domingos Alvares Vieira Informe o Sr
inspector da Ihesonraria provincial.
Damio, africano livre.Cuino remier.
As eleices da
este anno, em algt mas localidades,
sentido poltico.
Era Lamego
mais saliente,
correspondencia
do presente raez
< No dia 1" do
manif sio, ein que
drama.o V Se" e"Senh ,a'ent" Cm auU)r D "0SSO en,ender ,Hm fei, variar <** *
A segunda representacao foi cora o draraa dogetsta%^^^^tSeZ
Sr ministro da marraba Jos da Silva Mendes Leal,! attencao a "esto assurapk> "i fliS de verem %tos
aoHcSs'TSC/K" dV,an^-CU,,erain '^M^^^^^^^
neira sorprendentej porque Martim de Freitas fo, bem que a^ S^X^fSgg'^^
Os bravos e as palmas qua.-i que distantes da liberalidade das imhum
S STlf^ tfiPSr" n0d:'lg0 ; A Verba d^ PrSos no'seBuros contra fogo
lllonso. foram consecutivos. | no presente anno de 27:2405004 res, que pro-
reserva para garantir aos mesmos accionistas um
dividendo annual de 5 por cento, e a oulra em fa-
vor dos socios do Monte-po para os poder ajudar a
formar um fundo que de futuro, Ibes permita
rundarpm um hospital.
O futido de reserva cessar quando chegar a
urna somma igual 7 por cento do capital realisa-
do por accoes, e ento essa parte dos lucros ser
dividida pelos accionistas.
A caixa de Crdito ser gerida por tres adminis-
tradores noroeados pelos accionistas em assembla
geral, e vencerao as uraificacoes que os mesmos
accionistas Ihes marcaren)." A admimstraco
eleila por triennos.
O rendimento desta assoeacao as differentes
seccoes em que est dividida foi, no 1" semestre do
^^l'f^""0' de 1:6815200 ris e a despeza de
l:olo5480.
O saldo que passou ao 2 semeslic
Em penhores........ 18:68ls090
Em caixa era dinheiro. 1:7415390
Movis................ 715270
20:4935750
No Io semestre do corrente anno, soccorreu esta
assoeacao 113 homens e 52 mulheres.
O numero de associados de 788, sendo 543 do
sexo masculino e 245 do femenino.
. V )arnde candelaf"'0s que a. assoeacao Commer-
cial de Beneficencia no Porto olTereceu para o sabi-
do leilao quedeve elfectuar-se este anno no recinto
do hospital da sociedade Portuense de Beneficencia
no Rio de Janeiro, mportou em 521^730 ris.
De entre as sociedades de soccorros mutuos
estabelecidas nesta cidade, urna das mais llores-
cenes sem duvida a assoeacao Commercial de
Beneficencia, que organisada em 1859 tem hoje o
capital superior a finta contos de ris.
m~JHV.'"-"*v "v '"''." "2 i"""""? "" E como ^llamos no leilao de prendas do hospital
de Hesn^ha ^,q,Ue ^ conlr*bJtn? .tem./'ndo Por,""ez, estabelecido na capital desse imperio,
o nrK .Abas,f,cer o Tejado desta cidade c cumpre-nos addieionar noticia que, a respeito da
KffiSSTelli Pr0VID,a; conduccao gratuita das prendas, deraos na nossa
altando ?,i,,^iPreC? d tng 6 m,lh' ra I U",llna faria' 1"e os Srs. visconde de Castro Silva
SS&feA^Sfi1 conforme a maior ,u men2r irt de Souza Monro ft Silva, donos das barcas
vaii i 2?21 f ge"TS que con,rahando! f SSSSSSLSf* ra'a' tomava-a, 8verno a, ""- os d,ts na^, os quaes devem prximamente
coma ae especttlacao dos coinmerciantes de cereaes,''
e anda hoje nao sabemos se o Sr. ministro das
obras publicas estar convencido de que a falta de
cereaes no norte do reino, verdadeira e nao arti-
ficial. Agora que os clamores romperam mais de
perto veremos que providencias toma o go-
verno. XJ
Para completo conheciraento das tres compa-
nlnas de seguros desla cidade, de que tratamos na
anterior correspondencia, reuniremos aqu algu-
mas particularidades que naquella occasio igno-
ravamos, e que nos foram fornecidas pela publ-
calo dos respeclvos relatorios e pareceres das
commissoes de exarae de conlas.
A respeito de seguros de fogo diz o relatorio da
aireccao da companhia Seguranza o segrate :
lem havido nestes ltimos annos consderavel
augmento na verba de prejuzos de fogo; e quer-nos
parecer que nao s devido ao risco a que natu-
ralmente em poca mais remota estavam expostos
os objectos segurados: o desenvolvmento da in-
dustna commercial, os gneros considerados mais
arriscados ou inflammaves, que teem crescido em
numero; e mesmo os hbitos e costumes que o
progresso vai mtroduzindo no interior das familias,
largar do Douro.
Esquecia-nos mencionar outras offertas de va-
rias assocacoes portuenses j entregues ao ncan-
cavel promotor de prendas para o referido leilao o
&r. Jos Beato Bagos Pereira.
A caixa de crdito da assoeacao Industrial Por-
tuense, offereceu um calix de prata no valor de
quarenta e tantos mil ris ; a sociedade Terpsi-
chore um excellente quadro feito penna apotheo-
sando o immortal autor do poema os Lusadas, e a
assoeacao das Classes Laboriosas um lindo vaso de
prata.
A reuniao dos subscriptores do projectado banco
aei-t,redere gue annunclamos na nossa ante-penul-
tiraa carta, deu em resultado o conhecer-se nao
poder vmgar a formaeo de mais este estabeleci-
mento bancario. A commisso ustallai
dora come-
mporte das
- irabalhar pa-a o ata- E que dzer do drama do Sr. Mendes Leal ? Bas-: gressivamente vai aumneniandf
da fabrica c mu.los|dos opera-1 te aponUrmos o nome do autor, para se saber que esH anno taz una d^T^^renca nari miisde
egarara os soccorros da cidade e bello nos quaJros, rico as formas, sublime na I :M01MI rL arenca para mais de......
a irabalhar activamente, e con-
o fogo, extinguindo-o.
o na parte do edificio que foi
odie, houve tambera o da per
dieco.
Depois tem a companhia posto em scena mais
os dramas do Sr. Ernesto Biester, Pobreza dourada
e Um dalgo pobre; o drama do Sr. Mendes Leal,
1:369586!) res.
Os seguros novos, e por reforma de outros
com augmento ou diminuieao de capital, represen-
ten ama cifra de 6019:9995000 ris, repartida
G0,w...a-ol,ces' Premios correspondentes ......
8:03o5652 ris.
t Seguros permanentes qne passaram dos annos
5WK?J*gr* 1485000 ris; premios.........
iJ.2UiS.Jo2 res; o que recapitulando d um capi-
tal de res 16:9125147, repartido por 3,814 apoli-
ces, premios respectivos 27:2405004 ris, como
cima mencionamos.
Os seguros martimos tomados nesta cidade e as
vencmenlo de
todia salisfazer.
Deixou inulher
pode
Cada noute de espectculo urna nchente real
I no theatro de S. Joo, e urna nova ovacao para a
chamar-se urna semana ; companhia e para os actores que a acorapanham.
j O calor que tem sido grande e insupportavel e
Carlos Frederico Gerslhacher, 'orna incommodo o theatro, nao obsta a que a con-
nao nesta praga, andando a currenca seja sempre numerosa, e a mais das ve-
Sr. Dr. Domingos Pinto de zes o mximo que a sala pode comportar,
i m poco d'onde foi tirado logo, I O Sr Augusto Marques Pinto, ura dos raas pre-
dilectos violinistas portuenses, deu na noute d; se-
gunda feira 4 um concert no theatro Baquet, em
.... que tomaram parte o pianista Soller, o discpulo do
logo alguns traba- beneficiado Moreira de Sa, e a companhia drama-
conseguiram li- j Oca portuense que represenlou a Comeda K meu
primo, que s vale pela parte representada pelo
coiiiinercianie H
brincar no quinta do
Faria, cahiu ao i
mais infelizmente,_
as obras da nbva alfandega cahiu ao rio u
rapaz, que andan a carregar lenha para a lancha
das obras
que
t ue aneara a irabalhar em urnas
:as. cahiu de ura tercero
perna, um braco e
actor Abel que teve o publico era continua
dado.
Foi urna serata magnifica e mais algumas flores
\o lar da'fof; A. < i ^^ 3 ?,r dt gl0ria 1ue Ja orna a frolUe ^ '""
m> largo da fer de s. Bento foi raorta una mu- signe violinista.
Iher por um vehculo I .-
i,> ,.!. m- ,- A concurrencia nao foi tao erando como era de
aTZ 1?CeDd.,0 nHdU ,0 \mr> Ut se Plica Por te? havido na^ dua
de um foguete.ro da ra do : noutes anteriores os dous primeiros ewiacuitol
pquencia de urna explosao de da companhia do theatro normal
la-nos esquecen
corrente, em casa
Boralim, em cons
plvora. Ardeu o
operario que n'aquele estvatrabaTlindo!
barracao e morreu um pobre
mesas da Misericordia foram
O Sr. Marques Pinto foi recebido com orna
geral salva de palmas, que se prolongou por mais
i. PIHUA rxinulAi. A -____^_ ___.*' r
Os prejuizos resultantes desles seguros, e j pagos,
importaran) era 36:3045843 ris.
A companhia foi formada em 1835 e desde ento
tem pedido aos accionistas 120:GW5000.
Entregou-se aos accionistas por restituicao e
dividendos 557:7005000, e a companhia ternura
rundo de reserva supplemenlar de 6:1575893
res.
C'mfrontana"o a primeira deslas verbas com a
totahdade das duas que se Ihe seguem resulla que
o lucro da companhia foi nos 29 annos da sua
eustencia de 443:8575893 res.
Passando companhia Equidade, cujo estado
precario foi denunciado na assembla geral do da
19 do correte, em que foi apresentada a recusa
dos cavalheiros que haviam sido Horneados em as-
sembla geral do dia 12 para gerir os negocios da
companhia no auno de 1864-1865, diremos que o
saldo passivo do anno passado foi de 10:6325976
res doqnalhavia de sahr o dividendo de 25250
por accao, que importar* era 4:5005000; porm a
direccao julgou conveniente nao abrir o pagamen-
to deste dividendo sem nova deciso da assembla
geral: porque, alem dos prejuizos soffridos pelo
sinistro da Nora Hival,
ia mn^ 7.,.r.T"V~' "*"" "" i"",""e<"' pui mais .- 'ai, acresceram j, no corren-
i I taITi^i ~k- COroas .e b0.U(J"ets pnnc- te mez, o naufragio do vapor Cormthian, prximo
aisputaaas no p arara logo a cah.r aos p do mavioso vol.nisia, a Vianna, e o incendio parcial no edificio da fabri-
fdi onde esta nna. o tnrt.-, q ^ aPan.hava e agradeca com aquella modestia ca de lanificios de Lordello.
E "Jue afa|PSpeito dnraa nonacVafn^"^1- 52 f* Vel *' apParecia : *""* Pr,n' "ue a parte que cabe cora-
Taquilla TS?& SS | T^^^^^^^^ sff TT "**"* ^ "b~ ^
(correte distrbuiu-se lnl -- BL^**!% fabiUn "Wl de vic- A companhia Garanta correu-lhe ura anno de
.-.oeirirolSi^paS 2? FaZ divWendo de 135500 ris por
g^SraSXi?erf& I o^rVvT&t^eS'f^^ S2 da & de ft-ft fZ*" da **
mesaqueia,fazerse, visto o enracter noUiJC^ IE2J!Z&2!!+ + ** #*** ciacao Industrial Portuense, installada em MM,
pequenada nesma eleico, W^tv^lnS^SSSS^^S32J2S2^ Yai ^ submetter approvacao regia a reforma
tornara mais saliente com i concorian^Jos oln^m*MS^J222 nse" aperfe.coamenio de dos seos estatutos.
dous partidos a u na. s i Sffl"?* yfc.QmilBo e v.gor com que Por esta reforma o fundo da caixa de Crdito
'^*Sym^^*,^l^n'^'t0!M rormado P^ccSes de 505000 ris cada urna,
7 maviosa msica das duas phantasias,
valeu-lhe enthusiasticos bravos e prolongados ap-
plausos que de camarotes e plateas sahiain espon-
tneos. r
Os poetas nao ficaram mudos. Em eada entre-
acto era urna enera de exemplares, te versos de
diversos autores.
E como vimos de fallar ero, theatro daremos aqui
noticia do fallecimento da amiga actriz portuense
Mana Jesuna succedido. no ultima dia do mez pas-
sado. Eslava j ha anuos pon Mtivos de molestia,
Na larde dtlsse mesmo dia sahiu um bando,
em que um gar o vestido ricatamente, acora
panhado de um optro tocando tambor, lia era voz
alta o manifest em differentes sitios da cidade
(I); forma va o prestito um mmenso rapazio, par-
te brigada deslas testas, e quatro hachareis for-
mados (I), dous los quaes sao dos cheles da op-
posicao (I), o qu dava juelle acto o verdadeiro
r.nraclerUlien mii th. narlaneia I .
caracterstico que
No enlaoto a i teic.io correa regularmente ven-
.11. I-i .. K'll'liiil inu..'i.i;..ni'!i\
cendo o partida
on^osicionisiau
tlie pertencia
transmissiveis por endosso, e pode ser elevado a
1:200 con los de ris.
Este fundo ser effectuadn em doas emissdes
de 600:0005000 cada urna, e ir entrando em caixa
o importe detlas quando a admiMsttacao, ouvido o
conselho flseal, o reclamar, por chamadas nunca
inferiores 40 por ceotoe eom-intervallo pelos
menos, de ti. mezes de oroa oulra.
Os lucros provenientes da caixa de Crdito serao
ass divididos: & por oanto para os accionistas, e
d&que enerder a esta poreentagem, se faro tres
cou no dia 18 do corrente a pagar o
ratihracoes e lermmou no dia 23.
xNoticiando na missiva passada a partida do Sr.
Jos Iteitamio para Londres, mal pensavamos que
teamos tao breve de registrar o fallecimento de
sua esposa a Exma. Sra. D. Maria Jeronvma Betta-
mio, acontecido naquella capital no dia 17 do cor-
rente.
Foi mais um dolorosissimo e bem profundo gol-
pe dado no cora^aodo Sr. Jos Bettamio, j mal fe-
rido pola perda de quatro lilhos que se finaram, em
poucos annos, nesta cidade.
O Sr. Jos Bettamio deve seguir para o Rio de
Janeiro e eremos que no firme proposito de nao
voltar a exercer o cargo de vice-ronsul, no Porto.
O general Francisco Ignacio Xavier Ferreira,
deixou decommandar a diviso militar do Porto no
oa 13 do corrente, em consequencia de pela nova
orgamsacao do exercito, aquelle commando per-
tancer a um general de diviso, e S. Exc, que an-
tes era marechal de campo, Bear graduado era ge-
neral de brigada, e talvez seja o priineiro a sahir
general de diviso quando houver promocoes a ete
posto. Substituto no commando o Sr. visconde de
Lema, que na antiga hierarquia militar era tenen-
te-general, e boje general de diviso.
O general Ferreira passou a vogal effectivo do
supremo conselho de justica militar. Commanda-
va a 3' diviso desde o roviraento o chamado da
regeneracao em 1851, e por alguns annos aecumu-
100 o commando da 4" diviso de Braga. S. Exc.
6 um velho venerando e um honrado e leal solda-
do portugueze disso deu provas sempre que a
revolucao o procura va para tomar parte nella A
sua divisa era a de militar brioso e obediente.
Sr. visconde de Leiria, um distinelo militar
e um perfeilo cavalleiro. Eslava ha muitos annos
na inactividade.
Attribue-se a S. Exc. o mallogro da revolta vul-
garmente chamada do< marecliaes em 1837, por
nella terem entrado o duque da Terceira e o boje
tambem duque de Saldanha.
Regressava naquelle anno Portugal a diviso au-
xiliar de Hespanha, coiumandada pelo Sr. conde das
Antas. Oviscoude de Leiria pertencia brigada da
dita diviso que ao entrar nareino se pronuuciou a
favor dos marecliaes. Diz-se que S. Exc. era lugar
de fazer juncQo com as forcas commandadas pelos
ditos marecliaes, que estavam em Chaves, dera a
accao de Ruivaes e se deixra vencer pelo conde
das Antas. E' para ns ponto de duvida se a bri-
gada revoltada poderia ou nao effectuar essa junc-
co ; dizem uns que sim e outros qne nao. O cer-
to qne aquella revolta militar acabou nos campos
de Ruivaes ficando o Sr. visconde de Leiria com as
culoas de assim ter acontecido.
Na madrugada do dia 20 um lerrivel Incendio
devorou empoucas horas, era Aveiro, o edificio do
pago episcopal em que se achavam as secretarias
do governo civil, reparticao da fazenda e oulras.
O Campeao das Provincias, jornal daquella loca-
lidade, dando esta funesta noticia diz :
O incendio comec/m junto ao gabinete do Sr.
goyernador civil, onde S. Exc. estivera hontem at
mais de meia tarde. D'aqui communicou-se se-
cretaria, cujos papis arderam todos, bem como o
archivo, onde se achavam os livros da extracta pro-
veilona. A reparticao de fazenda perdeu parte do
seu archivo, mas satvaram-se alguns livros, e todo
o dinheiro que existia no cofre central, nao s -por
eonta do ministerio da fazenda, mas tambem do das
obras publicas.
< Pude atalhar-se a cammumeaco do fogo com
os demais predios, o que obstou a grandissimos
prejuizos. As estacdVs- do correio e telegraphica,
bem eomo a alfandega, e casas dos Srs. Magalhes
Machado, Lopes eSanto Ttiyrso ficaram desligadas
daquella grande foroalha, que respirava por todas
as janellas do vasto edificio. Foi "urna providencia
nao soprar se nao urna branda viracao, alias se-
rian) nealculaveis os estragos.
Eram 4 horas quando foram chamar o Sr. go-
vernador civil, mas- S. Exe. depois de sahir da se-
cretaria e de ter tomado alguma refeico, metteu-
se no comboo da notte em direccao capital. Ap-
pareceu todava Sr. secretario geral, qpe deu as
ordens que o caso exiga e com lal acert, que a
reparticao acha-se ja Coaccionando em.urna das sa-
las do lyceik.
t Nao s*- san ainda a origen>.iU>semelhanJe ca-
lastrophe. Uns veem nella o acaso, outros attri-
uuem-a a premeditado.
O poyo sempre assim. Nunca v nestes gran-
des Minstros se nao o proposito malvola, quando
e certo, exceptuando um oulro caso que sem ori-
gen) procede de descuidos.
A poma de um cigarro, um phosphoro mal apa-
gado sobre um capacho, ou outro qualquer com-
bustivel, as ca.xas de phosphoros de papel que os
ralos, por ura inexplicavel rastrado, levara para os
seus escondrijos, e cuja combu.Mao espontanea est
conhecida, sao quasi sempre a causa dos incendios
aonde nao se fogueia.
Conseguio-se salvar alguma carga do vapor in-
glez Lonntktan, naufragado na costa de Vianna,
destruindo o casco por meio de explosao de cofres
cora plvora. Muitas saccas de laa, vindas cima
d agua teem sido arrecadadas pelos encarregados
daquella operaco.
Em Coiinbra combinaram-se os alfaiates de al-
gumas lojas para pedir augmento de preco as
obras. r "
A exigencia foi feita aos mestres, porm estes
nao deram deferimento favoravel. Os officiacs dei-
xaram de ir irabalhar e alguns dos mestres parti-
rara para Lisboa aim de mandar fazer alli algumas
obras de que trahain mais urgencia, e bem assim
para contratar olllciaes e comprar machinas de cos-
tura com que possam attenuar os effeitos desta cri-
,se. Os olhciaes de alfaiate nomearam ltimamente
o presidente da assoeacao dos Artistas de Coimbra
para ser o medianeiro entre as parles contendoras.
.Nenhum resultado deu por eniquanto este alvitre.
3a Universidadeconcluiram-se ji regularmente
os actos-as Faculdades de Direito, Medicina, Ma-
Ihematica e Tlieologia, fallando s concluir os das
Faculdades de phllosopbia.
Em Provesende, no Douro, oi morto com urna
punhalada o Sr. Francisco Ferreira Pinlo Ozono
Jnior, na occasio em que se achava conversando
com um amigo n'uma loja. Era filho do Dr. Fran-
cisco Ferreira Pinto Ozorio. Attribue-se este as-
sassinato a ciumes de amor. O criminoso conse-
guio evadir-se, mas foi conhecido.
Por telegrammas receidos honlem n'esta cidade
soubese que no dia 25 houve um grande incendio,
era Lamego as casas do conimerciante o Sr. Fran-
cisco Paes de Figueiredo. Esleve em risco todo o
quarteirao onde ficam os pacos da muncpalidade.
Ficaram feridas cinccTou seis pessoas.
A companhia do theatro normal lera centinuado
os scus espectculos regularmente tres vezes por
semana no theatro de S. Joo.
A fra as repetices de algumas pecas j men-
cionadas na missiva anterior, e de outras de some-
nos valor, deu-nos a companhia o Joijo, drama do
Sr. E Biester, e Odio de raca, do Sr. Gomes de
Amorim.
Sao duas composices dramticas de muito me-
recimento, e que o publico applaudio com enthu-
sasmo.
O desempenho foi o que se poda esperar de una
companhia to regular como a do theatro nor-
mal, e que possue aclares de muito talento e ele-
vado merecimento.
O Sr. Joaquim Augusto Ribeiro de Souza, o in-
teligente actor irasileiro que, cm Lisboa, no thea-
tro do Gymnasio, recitou a poesa do poeta por-
tuense Jos Maria Dias Guimares, a Cerracao no
mar, acha-se no Porto, e recilou a mesma poesa
n um dos intervallos do espectculo dado pela com-
i panhia normal na noile de 23 do corrente.
0 disticto actor foi com phrenesi applaudido e,
pedido do publico, repeli a poesa. Teve tres cha-
madas. .N'uma deltas, foi-lheofferecida pela com-
panhia do theatro normal una lima coroa de lou-
ro, que Ihe foi apresentada no palco por urna me-
nina. O enthusasmo na platea subi enlaode pon-
to. A'homenagem dos actores lisbonenses, pres-
tada a um seu iruio pela arte, associou-se o publi-
co com uovos e fervorosos applausos, que duraiam
minutos.
O grande pianista Arlhur Napoleae deu na noilc
de seguuda-feira um concert em beneficio do mo-
numento, que no palacio de crvstal deve ser exigi-
do a memoria do muito amado "rei \). Pedro V.
O theatro de S. Joo teve urna endiente comple-
ta. Todos queran) admirar e applaudir aquelle
que ha doze annos, ainda menino, tanto talento re-
velava e to victoriado fra n'aquellc mesmo thea-
tro quando aldeu os seus primeiros concertos.
Arlhur Napoleo, ao enlrar no palco, foi recebido
com os mais significativas demonslraces de enthu-
siasnio. Quando conduio de locar a primeira pe-
ca, que foi urna grande phantasia sobre motivos do
; Trovador, e eomposicao sua, foi-lhe offerecida una
; rica coroa pela directora da sociedade do palacio
de crvstal.
Cada vez que entrava em scena era saudado com
. geraes salvas de palmas, e o enthusiasmo delirante
j continuava quaudo o joven pianista terminara ^
i execuco de alguma peca.
j Os poetas nao faltaran), e a musa escandecida
pelo calor do enthusiasmo levou-os bocea dos ca-
| marotes d'onde recitaram lindas poesas os Srs.
Antonio Moutinho, Guilherme Braga e Pinhero
Caldas.
No atrio tocava a msica do regiment n. 5, man-
dada para ali pelo general da diviso, o Sr. vis-
conde de Leiria.
, As vendas de assucar effecluadas na quinzena
i orcaram por 2,200 saceos do de Pernambuco e 170
I caixas do da Bahia.
O branco de Pernambuco regula de 25350 a
25650; o somenos a 25250, e o mascavo 25050 a
25100.
i O branco da Bahia 25050 a 25100 e o mascavo
a 25000.
0 melago vndese a 25300 o almude.
Cambio sobre Londres a 90 d. d. 53 Ir) e 90 d.
v. 53 3|8.~Sobre Pars 100 d. d. S3S por 3 fr. e
sobre Hamburgo 3 m. d. 471|8 a 47 1|4
Abriram termo de carga :em 12 a barca
Bedmar, para o Rio Grande e Porto Alegre ;em
; 19 a barca Jsmm Ermelinda para o Bio de Janeiro.
Entraram : em 12 o patacho Novo Lima, do Rio
Grande, em 15 a barca Favorita, do Bio Grande
i por Lisboa ;em 16 a galera Camponeza, do Rio
I do Janeiro, por Lisboa.
Sal:iran :em 16 o brigue Esperanca, para Per-
| nambuco e a barca Recreio, para o Ri Grande,
i em 23 a barca Restawacao, para o Maranhao.
DIARIO DE PERNAMBUCO
Temos vista cartas e jornaes do norte, irazidos
pelo vapor Jamanguape, da corapauhia Pernara-
bucana, cora datas do Cear at 3, do Rio Grande
at 9 e da Parabyba at 11 do correle.
CUBA.Falleceu 26 do passado, em Tanba-
tinga, o abastado agricultor Joaquim Jos de
Souza.
Rio GiuitbE. Diz-nos urna carta da capital:
Chegou hontem de volta de sua viagem Mos-
soro o Exm. Dr. Olyntho Jos Metra.
Consta que S. Exc. pozera em arreraalaco o
annazera provisorio, que pretende levantar na bar-
! ra d'aquelle rio, c que achara quem arrematasse a
| obra por dous contos e tantos.
Durante a ausencia de S. Exc. que foi de uns
15 dias a ordera e a trauquillidade publicas nesta
capital nao soffreram a menor alterado; e o mes-
mo consta qae se dera em toda a provincia.

II FfilVFI
.*-



'
Espera-sc no dia 17 o novo chefe Je polica
Ilr. Antonio Augusto da Silva.
Acha-se tambera em arrematarlo a ponte so-
bro a extremidade oriental da Alago de Extre-
mo*.
t E' nina das obras de mais necessidade desia
provincia por facilitar extraordinariamente o tran-
sito do comraercio do Cearniinin e villas do nor-
te para esta capital.
c Morrea ha poneos dias de repente o negocian-
te Antonio da Costa Alecrim, socio do major Fa-
Lriiio Gomes Pedroza.
Tambein inorreu na villa do Principe o rom-
roandaote superior da comarca do Serid, Manoel
Monteiro Mariz, notneado ltimamente 3." vice-
presidente desla proviucia.
Onusta qpe j pelo centro principiou-se a apa-
nliar aleoio da sufra -deste auno.
N,o navendo cnuvas, tme impecam a moageml
alguns Srs. de engenho cmi principiar a moer j
ncsie mez de ago>Io.
.< Xada mais sei por
I'aii.vhvh.y.Lse no'
Teniiinou hontem
nao poder M lugar no d
grandes chuvasque ralnrain
da provincia a Sendera das
Extracto
for:
a procissao, por
em virlude das
ta da padrocira
Neves. Todas as
novenas, c mais actos ostiveain sitmpluosos e
magnficos: a reja estere simples, porm ele-
gantemente decorada l'm immenso concurso de
10vo que nao podia pendrar na greja oceupava
Mda a na Nova, que apesar de bastante espaeosa
sonad podia por ella transitar, sendo para notar
que em uiua lo grande icuoio de povo por nove
imites consecutivas, um so dc*turhio senio deu
que viesse perturbar o socego publico, o que por
demjis abona a ndole pacifica dos Parahybanos.
So mais correu a festa c.om o mesino ardor e en-
thusiasmo cun que coslumam fazor-se. -
___________;___
Diarlo 4e Pero*oeo abhado 1 c Agosto e 1 *4.
DA'POLICA.
zia parte do patrimonio social do povo Pernambu-
partes do dia 12 de agosto de cano, a approximaco do grande din dos CrasHei-
ros punba em alvoroco todos os espiritos, que, '
Foram retolbidos casa de deteucao no dia 10 porfa, se preparavam, e dispunham para eseolher
do corrente : seus juizes de paz, seus venadores etc. Entao to-
.V orden do subdelegado do Recite, Francisco dos diziam comsigo: a hita vai abrir-se entre o
Joao Baptsl;, por desobediencia. povo e Pvo> PMQue exclusivamente do povo sao
A' ordem di de S. Jos, Mauoel Francisco Pei- as eleicoes, e cora especialidade as muaicipaes.
xoto, Mauoel do Xascimento d'Almeida e Maria, i Mas boje (oh lempos desgranados I) o povo con-
eserava de lleruardino do tal, por briga. serva-se fri, desanimado, e triste. A idea horri-
0 chefe da segunda eccao, vel de que a cleicao do govemo, que so o gover
J. G. de Mesquila. no deve venc-la, que todos os meies
Ihe
sietisse de una prctenciio que tao mal Ihe assen-
lava; e consta que Uvera a fraqueza de confessar
que conhecia ser infame a accao praticada, mas
que nao desista por que linha necessidade da loja!
Deleito portal forma fizeram-me perder a im-
portancia de quiltro mezes de aluguel, mais de
803000 e concert da armario que havia ido
comprada por un ineu compadre, e outras bem-
feitorias, leando estas e aquella, desos de arran-
cada, sem valor algum!
Gusta a crer que o Sr. Arantes, que me onheee
sao Ir- e sabe minhas cireumstancias, so animasse
a pre-
Pas vmdodoAeirace portes intermedios :-Joaqun) popular; o d"ahi essa indifferenca perigosissraa propnetarmda casa, o Sr. Araute recuarta antea
da Costa Serapluin e sua senliora, domingos C, de com que lodos esperara o da 7 dei selembro, que idea de inlallivel repulsa .mas o Sr. Firmino nao
Salioia, Manoel Francisco Gunlia. Jos Loorenco em lugar de continuar a ser o d.a do povo, passou refleciio um momento e fcilmente se prestou a
. Lucas da Costa Joaqun) de Ionios a ser o dia dos inspectores de qnarteira, porque aquillo que e repellido pela firmeza da palavra e
senhora B 1 tttlia Anttmio Marques sito estes os nicos votantes, e os colados.' pela nobreza de coracao.
Collares, Jo
FerrHra, st
da Silva, Francisco Rodrigues dos Sanios, Jos An-
a
brasileiros i Queris
putae a cleicao.
Ionio Coir, I). F. igonia Francisca de Araujo Pi-
nheiro e 1 ser-iva, l> Umhoiliita Francisca da Cu-
nta, Leoca i J.isi Rodrigues Chave-. Jos Pedro
Canieiro da Cimba, Francisco Antonio de Sonza
Correa, Ireiu de Araujo Bezerra, Manoel Marques
Dias e 1 cr ado, Bellarmno Francisco Barbosa,
Vicencia Mana di Conceieo. Jos Joaquim de
Santa Annai D. Juon Busson,' i escravas e 3 crias,
JoFiti Barro de Carvalho, Ignacio Forreira S. So-
br\nho, Joilo Teixc ira di Rocha. Jo.iqoim Jos Ro-
drigues da Cunlia, John Gates, Francisco Silva, M.
Jnior e 2 criados, Francisco Joao de Barros, Joao
Maria P. Silva, Jo Jannano Aranba. Antonio Joa-
quim de Santa Ant a, L A. Babounq, Francisco Xa-
vier de Oiilvcira, Jis Joapiim da Silva Gimes e 1
criado, Jos Leopu do Bouritard, J. B. rown, Tho-
maz F. da Cunta unior, Pernando Lourenc de
Almeirta. Joao P reir Pinheiro Braga e i fllha, I comparocererh domingo 44
Antonio Alvaro F. rreira Silva. (. hora! ()a ta|.de na nm
l'ernambuco, onde eslao os vossos bros ? Que Se por ventura a casa pertencesso aos respeita-
degradacao a vossa ? Puis a luja um partido veis negociantes desta praca Tliomaz de Aquino
serio aquem possaes temer? Fonscea, Joao Ignacio de Medeiros Reg, Manoel
Pernambucanos de todos os matizes opposicio-' Goncalvos da Silva, Manoel Ignacio de Oliven,
nislas, toiuae juizo! Sois constilucionaes? Sois, Mauoel Goncalves Feneira e outros bourados pro-
is-! prietarios, certamente que o Sr. Arantes nao en-
contrara probabilidade de fazer-me cxpellir da
ordem, e liberdade ?
Juwi'uj.
ATTENCft
cavado, 217 ditos coa ,f7 arrobas e 10 libras de
algodao.
Brigue porluguez Soberano, carregou para Lis-
boa :
100 saceos e 20 barricas com o9o arrobas de
assucar branco, 420 saceos com 2,100 ditas de dito
mascavado, 8o cascos com 3,348 medidas de mel,
146 couros salgados com 4,189 libras e 123 raeos
de sola.
Hecebedorla le rendas luf ci ua*
gentes de Pernatnbneo.
Rendimento do dia 1 a 11........ 16:5fcS
dem do da 12.........:....... l:20i202
17:293*701
Coasiilado provtaieial.
Rendimento do dia la 11......... 18:6985181
dem do dia 12................. 2:30249o
21:000*676
PERMBCO.
REVISTA M4RIA.
CURO MCA .IIIUCURIA
THIKl'.V
KXTRAGTn D.
THAT1VA
I'IIKSIURNCIA
Lli IM COlf NIHICIO.
ACTA DA SESSO ADMIMS
11 DE AGOSTO DE 1864.
UO EXM. ST1. DESKMB VKGADOR
Dos GererRes d
miled) pedindo q
coes qne jurtto ofl
Be Jos Carie
i.r
lia alguns dias pie os moradores da casa terrea
n. 116 da ra Direita espalliam lerem ab appare-
cido duende*, que ora tocan tambor, ora balem
com forra no assoalbo e nos degros da esradaque
d comiiiuiiicacao para o sotao, e, como quei que
esse boaio tomasse vulto, chamando ao lugar gran-
de concurrencia, lomos nos mesmos bontem c,
apezar de permanecermos ineia hora no local, com
mais de quarenla e tantas pessoas, nada ouvimos
ou vimos, o qne eremos tem acontecido lodos
que ali vio, e que para evitaran as zombarias de
outros, conrmain a existencia dos duendes, dando
assim vulto a simples creacoes de pessons appre-
hensiveis.
Chamamos a altencao do Sr. Dr. delegado para
semelliaate fado, atrn de qne se descubra a sua
causa e o (im que se tem em vista. Se a polica
nao tomar interesse na pesquiza, lograr tal vez o
inventor des-a fbula os seus iuicntos.
Hoje d o Club Commercial a sua partida
mensal.
A sociedade dramtica Melpoinene Pernnm-
bHcam d ainnnhaa o seu espectculo do corrente
mez, com o drama Luiz, e as secnas cmicas Mui-
to custa a vioer com honra c a (Jueslao anulo-
rasile'a.
Em virlude de deliberagao da assembla ge+
ral da companbia de reboques Vigilante, devem os
accionistas entrar com 40 por rento sobre o valo
de cada aeco al o dia 20 do crrente.
_ O Gabinete Porluguez de Lcitura, por occa-
slao do 13" anniversano de sua inslallac.o, poder
ser visitado na segunda-feira (15), das 10 horas da
tnanhaa s 10 da noite.
N'o dia lo do corrente celefcram os ltvms.
religiosos carmelitas a festa de Nossa Senhora do
Carmo do fionlespicio, orando ao Evangelho o Bvm.
padre Lino do Monte Carmello e ao Te-Ueum o
Rvm. padre Lourenco de Albuquerque Loyola.
A* larde haver mu grande balao, e noite
queimar-se-ha nm lindo Togo de artificio.
DePod'Alho nos escrevem 10 do cor-
rente :
Nada sei de novidades. O mez de agosto, sem-
pre de naos auspicios para alguns, couiecou bem e
assim vai indo, quanto chovas, que anda honlem
cahiram copiosas. Se coniinuarcm, ho de sem du-
vida melhonir as plantas, para quera ellas apro-
veitam.
Poi Inesperadamente subslluidoo lenle Hen-
riqtie Eduardo da Costa Gama, que aqu eslava
destacado. J seguio para abi, deixando anda a
Camina.
E" de crer qne dssem causa isso as exigen-
cias do serv'o, iiorque o tenente Gama, desde que'
chpgon P d'Alho al esta dala, em que deixou |
o destacamento que commandava, se cosduzio de
modo irreprehensivel.
Corre que fui ou vai ser nonieado delegado de
polica deste termo, o eapilao Carlos Jos de 0!i-
velra, do engenho Malemba.
E* o quanto Ihe tenho a referir.
O Sr. d'lmbeii du Uiemiu, chanceller encar-
regado do consulado francez nesta cidade, manda
celebrar na segunda feira (li>) um Te-Teum, por
occasiao da festa de S. M. Napoleo III, no hospi-
cio da Peona, 1 hura da larde.
Por portara de 1 i do corrente foi nomea la ; j
interinamente, para reger a cadeira de instruccao
primara da cidade da Victoria, mediante a gratifi-
cado de (5005000 rs. annuaes, a Sra. D. Anua Ma-
ria da Conceieo Nepoinuceno, que exerce o ma-
gisterio particular muitos anuos, sempre com a
eslima e apreco dos pas de familia da localidade,
e aprovetamento de suas diseipulas.
Declaramos que nenhuma parte leve o Sr.
Dr. Laiz d'Albuquenpie Mariins IVrera, as pn-
blicacoes acerca do subdito hespanhol Epipbanio
Asludillos, que demos estampa em Revistas pas-! 0 Antonio de
sadas, e que o ultimo artigo, a que se refere, nos I Adiado o julg.
loja I
O Sr. Arantes parece mostrar-se ufano de sua
explendida victoria I mas ella ingloria per que
foi alcanzada contra o fraco, contra o perseguido
pela sorle, contra o infeliz commercianie |uc con-
Coavida-se a todos os "cidados votantes! templa sem remoraos os tristes apuros em que se
da ft-eguezia do Itecife, que qtlizerem 1ra- j aCKenc?do de que o Sr. Firmine nao lera d.ro'i-
bailtar de commum aeconlo com os liheraes t0 para proceder como fez, confio que na genorosi-
genuinos da mesma fivgitezia lias prximas dade de alguns amim s encoutrarei meios para pe-
eleicos para juizes de paz e veriadoi es, a, ranie ostriounaes do paiz fazer efectivo o mea di-
'.-.-. ._ i. | reilo e ser indemuisado de todas as perdas e dam-
i nos que me causou o faci que fica ex|iosto.
Se nada conseguir uerante a juslica dos bomens
! tenho a mais robusta fe na ju-tifa divina para es-
perar que aln seio julgados os Sis. Firuiino e
Arantes, que devem leuibrar-se de que nao nobre
e digno, perseguir ao perseguido.
Recife, 10 de agosto de 1864.
Victorino Jos Ferrara.
Votantes da fieguezia do Recife, volai
do corrente s
da Guia n. 5i,
para se tratar das ditas eleicoes.
CORRESPONDENCIAS.
Quando se denuncia pela imprensa ou por qual-
quer outro modo as faltas de algnm funecionaro
\ anseiImo nuROMM pehetti.
A' 10 horas da nianlia, verifieando-se eslarem publico, a razo e nao a paixao, a justiga e nao i cerrado no nome do nosso correligoinario O
Wesentes lodos ob Senhores Deputados, o Exm. Sr. alguma vioganca, que por ventura se queiratoraar, I j-,-^ ,:,, inr,oc(.nri0 Xavier Vianna
Prndente abri a sessao. os nicos motivos, que devem presidir a este
aclo.
ao expedienie. Nessa lula aberta pelo Sr. Jnstus em seu avulso,
Foi prsenle a cotacao olllcial dos preeos cor- deslribuido em 23 do mez prximo passado contra
rentes da praca, |la ultima semana.An archivo. 0 Sr. commendador Manoel Luiz Vires, adminis-
! para juiz de paz da nossa fieguezia,
Um liberal,
MQYIMENTO M PORTO.
Navios entrados no dia 12.
Ass10 dias, hiate nacional Sunta Rila, de oo
toneladas, capito Joaquim Antonio de Figueire-
do, equipagem 8, carga sal ; Tasso Irmo.
Valparaizooi dias, barca ingleza linter Prese,de
:177 toneladas, capito J. Jenkinson, equipagem
lo, carga differeutes gneros ; ordem. Yeio
refrescar.
Acarac e partos intermedios, 10 dias e 12 horas-
Vapor nacional Mamangnape, de 337 toneladas,
commandante Manoel Rodrigues dos Santos Mou-
ra, equipagem 20.
Rabia6 dias, polaca hespanhola Aurora, de 202
toneladas, capito Prudencio Millet, equipagem
12, carga Jacaranda e outros gneros; ordem.
Observado.
Xo houveram sabidas.
EDITAES.
397 varas de algodoinliu.
31 varas de aniagem.
868 boiSes grande* de metal amarello liso.
496 ditos pequeos de dito dito.
123 pares de clcheles.
Quera quizer vender taes ohjecios.apresenle a sua
proposta em carta fechada na secretaria do conse-
ibo, s 10 horas da maohaa do dia 19 do corrente.
Secretaria do conseno administrativo para for-
necimento do arsenal de guerra, 12 de agosto de
1864.
.inoiiio Pedro de Su Brrelo,
coronel presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pyrrho,
vogal secretario.
Nao podendo ter lugar honlem, 12 do cor-
rente, a arrematacSo das casas pwboradas Jacob
Joaquim da Silva per exccucSo de Manoel Dias-
da Silva Santos, flcou transferida a arremataco
das mesmas casas para o dia 16 do correle, de-
pois da audiencia do Dr. juiz municipal da 1* vara
e na sala respectiva.
ARREMATA No dia 13 do corrente: fmda a audiencia do jui-
ze da provedoria de residuos, escrivo Vasconcel-
os, ser arrematado o sobrado de um andar e so-
tao n. 14, sito na ra de Santa Rila, pertencente
testamentaria do fallecido Sebastiao Mauricio Wan-
derley. E porque se ignora se o solo do mesmo
sobrado ou nao foreiro, pedese, no caso de ser
foreiro, que o senhoriodeclare oseo nome e resi-
dencia, alim de facilitar Osa arremataco.
Correio.
Pela administraco do correio desta eidade se
faz publico, para fis convenientes, que era virtu-
de do disposio no artigo 138 do regulamenlo eral
doscorreios de 21 de dezembro de 1844, e artigo
9 do decreto n. 183 de 15 de maie de 1861, se pro-
ceder o consumo das cartas existentes na admi-
nistraco, pertencentes ao mez de agosto de 1863,
no dia 2 de selembro prximo, as 11 horas do da,
na porta do mesmo correio, e as respectivas lisias
se acham desde j e*posias aos inleressad*s.
Administraco do correio de.Pornambuco 13 de
agosto de 1864. O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
oram despachados os seguintes rcquerimen-
Dc Henrique db Oliveira Soares, c outros, para
que se admita lregislro o distracto social que jun-
tara.O Sr. offiV al-maior salisfaea a exigencia do
parecer lisral, j miando urna copia do contracto
que se refere o n tesino parecer.
De Almekla, R beiro & tompanhia pedindo que
seja registrado o contracto de sua sociedade.Re-
gislre-se.
De Dallar & Oliveira. proprielarios do flate Bra-
s|pjro Tino apresenlando para ser recolhida
a Carta de Registro expedida ao amigo possuidor
do dito Hiate.Archvese a Carla de Registro, e
facam-se as preeifeas annotacoes.
' Calxa Filial Urasilian Bank (Li-
se mande registrar as procura-
recem.Regisirem-se.
do Reg Valenca, para que se
mande regiftrar ja sna nomeacao de ca'neiro da
Casa Coinniercial de Antonio Valentim da Silva
Barroca.Registre-se.
De Andr ti". A^reu Porto, proprietario que fora
ilo Patacho -r- Aor pedindo que seja exone-
rado da responsabilidade legal que linha pelo re-
gistro desse nav o, visto l-lo vendido Manoel
'rancisco Marque;.Vista ao Sr. Dezembargador
Fiscal.
De Manoel Frai ciscxi Marques, cidiidao Brasilel-
domieiliado ne ta Cidade, pedindo, que no re-
Amtr se tacara as anno-
s do eslylo, visto o ha ver comprado, e passar
enominar-ise < ora em vanle Valcnte.
smo despacho.
N. O. Bjehe & CompanhiaSurcessores, pe-
dirido qne se rejislre a proeuracao que apresen-
tam.Registre-se
Por nao haver r lais a despachar, o Exm. Sr. Des-
embargador Rresi lente encerrou a sessao
PUBLICARES A PEDIDO.
SESSAO Jl'DI
I'IIKSIDKNCIA
As 11
sao, estando reun
e Silva, Silva Gui
frinicntos como um grande bemfeitor. Os Srs. Lan-
man & Kemp residentes em Waler Street n. 69,
fabricantes da Agua Florida tornam-se pos
com
Ciara em i i de acost
DE 1864.
H> EXM. SU. DESKMMUUADOR
A. F. l'EHETTI.
Secretario, Julio GuimarTics.
'/. damarhaa, oSr presidente abri a ses-
los os Srs. esembargadores Res
naraes, e Accioli, 0 os Srs. depu-
tados Reg. LemoB, Rosa e C. Alroforadn.
Lida, foi appr ivada a acta da sessao antec-
deme.
Assignon-sg o Accordo proferido na ultima
sessao enireipar es :
Appellantosj, o Dr. Felippe Xery Collago & C.;
appellado, Geraldi i Heni iques de Mira.
JULC.AMENTOS.
Appellanles, Un maraes A; Oliveira : appellados,
iresidente e directores da caixa lilial do Banco
Brasil nesta cidade.
Foi reformlida isentenca appellada com o voto
Exm. Sr. presidente.
trador do cemterio, e continuada em sua corres-
pondencia no Liberal de 6 do corrente, na qual re-
pete as mesinas aecusacoes, de que o illuslre aecu-
sado j se defender convenientemente em sua
correspondencia no Diario de Pernambuco de 27
do mez prximo passado, nessa lula a paixo e o
resent ment sao os nicos agentes que ja patente-
mente funecionam.
Nao gozo da honra de ter relacues de amizade
cun o Sr. Justas, a quem todava, mu lo e mu
sinceramente respeito; conservo, porm, antigs
relacoes cora o Sr. commendador Visaes, a.favor do
qual uno meu dbil teslemunho, e minlias iracas
expressoes as de outros seus amigos, que i conhe-
cem de perto, e o lem igualmente defendido.
Nao s o zelo, como o gosto com que o adminis-
trador do cemiterio exerce seu empreffo, indo ao justa razao, eOM>tol|Mge tanw.
ponto de prestar seus servfos ao que nao esl.por 9 SU annnnciojiode visto em urna outra co-
dever, debaixo de sua immediata administraco, Ihe
ha de trazer alguraa vez descosi e amargura. Isto
mesmo cu j Ihe havia dito particularmente, e elle
deve ter visto, que nao andei errado era rainbas
prevsoes.
Em todo o caso o cerlo que em um carcter
franco e generoso como o do Sr. Vir3es, nao assen-
ta a imputaran, mais que barbara, de negar sepul-
tura cadveres, e outras, que Ihe sao feilas.
Em cerio lempo hotive na assembla provincial
quem provocasse um exarae minucioso a respeito
do procedimento do administrador do cemilerio,
romo funecionaro publico, e o resultado de exames
imparciaes e de urna discusso calma e desapaixo-
nada foi feliz para elle. \
Que o administrador do cemiterio deve ter des-
alfeicoados : queasdesaffeic
tos, e estes procuran) uisimotivamente
que nesta parte somos inultas vezes
injustos, parecendo-nos que nao o somos, eis o que podem aQJrmar os Srs. padre Antonio Joaquim
se pode colligir da persistencia do Sr. Justus nos Buarque, Bernardiue Jos Serpa, o mesmo Mello e
meios de ataque contra o Sr. commendador Vi- outros. Nao de admirar que, um
raes.
Tal vez chegue um dia, em que o Sr. Justus co
O Dr. Trislo do Alencar Araripe, Quicial da im-
perial ordera da Rosa e juiz de direito especial
. do comraercio desta cidade do Recife, capital da
provincia de Pernambuco c seu termo, por S.
M. I. e C. o Sr. D. Pedro II, a quem Dos guar-
de etc.
Fago saber aos que o presente edital virera e del-
(les noticia tiverem, que por este juizo e escrivo
. que este subscreveu corre urna execuco de sen-
O perfume < nemlspneM' > tenga, por mandado executivo ordenada entre par-
oecldental. les como exefaeate Jos Bautista da Fonceca Ja-
(Extracto do jornal A Chrouica 23 de junho de, nior, e como executado Manoel de Souza Pereira, e
1858.) tendo a execugao corrido seus devidos termos pro-
Agua Florida: No meo do oppressivo calor que; cedeu-se a pinhora em dlnbeiro existente em de-
nos cerca e debilita e de que nos todos mais ou: posilo geral desta cidade, pelo que em audiencia
menos solfremos ; consideramos aquelle que nos publica deste juizo do dia 8 do corrente, fora pelo
pode proporcionar qualquer um meio de allivoj solicitador Joao Caetano de Abren procurador do
consolador e de mitigacao suave para nossos sof- exequente feito o requerimento do theor seguinte
.nmna desta edigao de hoje
Esta excellente agua ou admiravel lquido usa-
do para os usos ordinarios de hanho e por sem
duvida um dos cosmesticos o mais agradavel as-
sim como o mais delicado e delicioso perfume
que jamis temos usado.
A venda as boticas e lojas de perfumaras.
Apresentamos para um
paz o Sr. commendador
Mello.
dos nossos juizes de
Amonio Joaquim de
Srs. redactores.O Constitucioiai en seu n. 27
deu echo, ao mu habito que lem o seu correspon-
dente de Nazareih de fallar a verdade, e ser ridi-
culo, quando disse, que Benedicto.Indgena Lima,

Aos 8 dias do mez de agosto 1864 nesu eidade do
Recife, em publica audieuca que aos feitosc partes
fazia o Dr. juiz de direilo especial do comraercio
Trislo de Alencar Araripe, nimia pelo solicitador
Joao Caetano de Abreu procurador do exequente
Jos Bapsta da Fonceca Jnior, Tora aecusada a
pinhora feita em dinheiro na quanlia de 1:0122300
res, j depositados no deposito geral, .producto li-
quido da arrematago dos b ns que foram pinhora-
dos por execugode Manoel de Souza Pereira con-
tra Joao Marinbo Paes Brrelo, requerendo que nao
s ticasseassignados os seis das da lei como os des
dias aos credores incertos, para que se dsse edi-
taes do estvllo, o que ouvido pelo juiz assim o defe-
rio. Extrah o presidente do protocollo de audien-
cias e junto o mandado de pinhora, e procuragao
que ludo se segu
Eu Faustino Jos da Fonceca escrevenle jura-
mentado o escrevi, eu Manoel de Carvalho Paes de
Andradc, escrivo o subscrevi.
Segundo o que assim se continha em dito re-
EXTRAORDINARIO BAILE
Sauliaiio 13 e domingo 14 do cor-
rele
nos salees do caes d'Apollo com toda a pompa
e brilhamisme. Ser annunciado os ditos bai-
les por um toque de clarira pelas ras. Ser
cumpndo o regulamento do illm. Sr. Dr. chefe de
polica.
VISOS MARTIMOS.
eigoesgeram resntimen- seu prost.moso alliado, fo,preso.na poma do irhu.|fluenmentodeaodienijia, dpoi doi quallo respec-
ictivamente desaliaiar-se : nal do jurv : por quanto tal priso leve lugar na i Hvo escrivo Manoel de Carvalho I aes de Andradi
ultas vezes excessvos e : taberna do Sr. Joaquim Francisco de Mello, o que i que esle subscreveu e fez passar o presente eaiiai
s no seu imporlaute e acreditado Diario, t'J8U'n ,f
i materia do processo instaurado, a (x-of- 0 abaixo assignado pi
as crimes previstos nos art.aos 301 do tttuctonal, para que ass
Srs. redactores.Peco-Ibes que deem publicida-
ppellanles, o$
pellada, D. Maria
Desprezada a |
ctnllargador Silva
lenrja appellada.
pellanles, a
directores do Novo Raneo; ap-
Pia da Cruz Neves.
rebramar proposia pelo Sr. des-
Guimaraes, foi confirmada a sen-
biuva Ainorim & Filhos e onlro ;
appfliado, Antonia Rodrigues Fernandes Vieira.
"iado o jnlaamento a requerimento do Sr.
llosa.
Recrreme, Jotp Tihurcio dos Santos recorr-
iza Ribeiro.
mente a requerimento do Sr.
appel-
foi enviado no domingo (7) pela manha. nao sa-; ueg0
hindo na segunda feira por falta de compositores | deSicnacao de da.
n'aqoelte da. Nao declaramos o nome do autor i .\ppellantr, Domingos da Silva Campos;
porque elle proprio vira, se for preciso, apresen-: |a(Ia d Anua Josi pha Pereira dos Santos,
tar-se ao publico.
Eotrou honlem no exercicio-da subielegacia i
de polica da reguezia da Boa-Vista, o Sr. De- j
ci d'Aquino Ponceea, p >r estar doente o Sr. Quei-: A|>pellante, Vidente Alves Machado ; appellado,
roga eflVctivo. ...... Jos Baplista da Fansera Jnior.
Hoje se extrahir a 2* parle da lotera da
matriz do Limoeiro.
Remeiiem-nos o seguinte :
O vapor Mamanguape chegou hontem dos por-
tes do norte de sua escala, conduzindo para este
porto os passageros que tincara ido Paraluba no
Persiiiunga, assislir festividadc das Neves, os
quaes 'iveram ali urna brilbanle recepeo, espe-
rando os em terra e indo mesmo bordo muilas
pessoas daquella cidade, e acbando-se postada no
caes do Varadouro urna banda de msica que lo-
cou durante o desembarque das pessoas que para
ali foram, subindo ao ar por essa occasiao muitas
e> ranelas de logeles, etc.
i A festividade eorreu regularmente e bastante
anin,ada, sobresahndo a novena cargo do com-
niercio, que leve lugar na noite do dia em que
chegou o vapor a aquelle porte.
O Mamangnape que aqu devia achar-se con-
forme era esperado no dia 9, smenle hontem che-
gou, em consequencia de ter ido Mossor condu-
zir para a capital do Rio Grande o Exm. presiden
le da provincia, que ali se achava, e por ordem da
iiie-iii i presidencia.
ndividuo sem
, educaco, use desse lo mu coslume, mas, causa
] nojo que, tenha sectarios; e disso facara garbo,
nhega, que eu nesia miu'ha correspondencia proliro principalmente, sendo bomens que devem merecer
verdades, sem que, nem de leve tivesse offenddoo considerago, por seus titules scienlilieos.
seu carcter, como realmente creio nao ter offen-' Sirvan estas linhas para manifestar a taes indi-
dido. i viduos o sentimento, que tem o abaixo assignado
O conselheiro Francisco de Paula Baplista. de os ver com lo iiios habiios.
------------ Cacicul, 8 de agosto de 1864.
Srs. re factores.- Venho solicitar da franqueza e Joti J"ony,no Pacheco.
Icaldade de V. V. S. S. urna declaragao, a qual j
se i-u intlui directa ou indirectamente as publica-
cSes feitas
acerca da
fteio, pelos crimes pr
cdigo criminal e 2o do decreto n. 828 de 2fl de
selembro de 18o
Iholica, Epipbanio
Se, no caso negati
le, seria, para mi
declarado o nome da pessa que ha promovido
tac- publicagoes ; entretanto, porm, desejo anda;
que V. V. S. S. se dignen declarar desde quando i
foi levada lypographia o que deu a estampa vos-
so Diario, eni o numero de terga feira, 9 do cr-
reme e ten relago eom tal processo.
Confessa-se grate a vossos favores o amigo obr-
gadissimo
Recife, 12 de agosto de 1864.
Laiz d'Albuquerque Marlias>Pcreira.
com prazo de dez dias, pelo qual e scujiheor chamo,
cito e hei por citados os credores Incertos do refe-
rido executado Manoel de Souza Pereira, para que
dentro do referido prazo de dez das comparecam
ante este juizo allegando e provando o que for a
Itera de seu direito c juslica sob pena de se proce-
der as suas revelias.
E para que chegue ao eonhecimento de todos
manoel fazer o prsenle edital rom prazo de dez
dias que ser affixado nos lugares do coslume e pu-
blicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco aos 12 de agosto de 1804.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, es-
do que expoz em seu n.
erivo o subscrevi.
provoca a redaego do Cons- i J Tmtdo de Menear W*
uuinia a responsabelidade' De ordem do Illm. Sr. inspector da alfandega
M sol a eni"raiiheas-i se faz publico, que no da Ib do corrente ao meio
ho de arrematar
Ao publico.
As ms aceites nao devem apenas mortificar a
consciencia de quem as pratira ; devem s vezes
ser levadas ao eonhecimento do publico para que
devidamento aquilatadas soffram seus autores a ne-
Appellantes.'o fir' Jos Cardn de" Queiroz Fon- i cessana pumoao, conquistando o verdadeiro nome
seca e outros a ipellado, David William Bow- i pelo qual devem ser conhecidos e tratados.
>M nUUM> .1 I.. -------m----......... 1..., ... I....1l,ltll
man.
Appellanle, Josi
ti;u|!u;n da Silva
\Appellanle. Anl(|
appellado,
Appellanles, o pr. Antonio Agripino Xavier de
Rrito e outros; ap lelldo, Jos Gomes Leal.
Appellanles, os oradores fiscacs da massa falli-
da de Aniorim, Fngoso, Sanios & C. : appellado,
lenrique Jos Alvjs Ferreira.
Primeiro dia til.
PASSAGENS.
Moreira da Silva
opes.
mu Vicente de Magalhes ; ap-
do, Joao Paul i de Oliveira.
ppellante, Joanuim Jos Ferreira ; appellado.
uim Elviro Al es da Silva.
Sr. desembaisador Accioli ao Sr. deserabar-
gadoV Reis e Silva.
Appellanles, Gu maraes & Oliveira e outros; ap-
pellado, Silvino Gulberme de Barros.
Do Sr. desembargado!' Accioli ao Sr. deseinbar-
bargador Silva Guiraares.
Appellanle, Manoel Jos da Silva Grillo: appel-
do, Anlonio Gomes da Cunba e Silva.
Appellanles, Francisco de Salles Andrade Luna
e outros ; appellado, Jos Mana Gongalvrs Vieira
Gu maraes.
appellados, Ara-
aoSr.
Por seroelbante razao deixou de haver a pon- Appellante, Manoel Del guila
tualidade devida, alheia inteiranentc aos desejos na(a nj0 4
da companhia. Do Sr. desembargador Silva Guimares
t Smente da Parabiba veram no mesmo vapor desembargador Accioli
:io passageiros, sendo IS de r e 10 de convez. ; DiSTiUBingoES.
- Segundo cartas de Tacarat foi ali assass- Appellanle, Antorao Joaquim de Mello ; appella-
nado, era 30 de passado, o capito do nono bala-; d(,s> fonnrl Joaquim Raplisla e oulros.
Ihao de Jiolta Barros, que exercia o cargo de dte-1 AppelUnte, Manoel llibeiro Bastos ; appellada."
gado de polica, segundo se dizia, em consequencia 0 xiieodora Mara Qutcra e outros.
de inimzades ganhas no servgo policial, que fazia Ao 5,., desembargador Res e Silva
com veame, como por veres notifranas. A'sei ; Appellanles, D. Josepha Justina do Jess Gon-
verdade, essa oiorte vem encalar a iisla^aquellas!-a|ves e outros ; appellados, Isaac Curio & C.
occasionadas pelas tropelas que se fazem em po-1 Appellanles, os curadores da fallencia da vi
appellados, Henrique
solemnisaram os academ- Hj;0 j ^
Academias de
das
cas eleitoraes.
Ante-hontem (10)
eos o anniversano da creago
ciencias jurdicas.
Pela manha acharam-se all postadas duas ban-1
das de msica, qu toearam na occasiao da entra-
da dos lentes e nos Inervarlos das aulas
Houveram diversos discursos, tanto pehvnanha
como noile.
A's 9 horas da noite as msicas'peTCOrreram as
ras da Bia-Vista, e diriglram-se os estudantes
acompanhados por ellas s residencias dos res-
pectiaos' lentes, saudando-os.
Pedem-nos qne chamemos a atengao d Sr.'
fiscal de S. Jos, para urna padaria qne se esta es-
tabelecendo em um' quintal da ra dos Martvrfos.
com grave prejozo dos moradores e contra urna
postura municipal.
Appellar
Amorim & Filhos
uva
Ueha
AoSr. desembargador Silva. Guimares.
Appellanles, os administradores da massa fallida
de Bastos a Leos; appellados, Boiaao Irmes.
Ao Sr. desembargador Accioli.
agoh'avos.
Aggravante, Manoel Antonio da Silva Moreira
aggravados, Ferreira & Araujo.
O Exm. Sr. presidente negou provimento.
Nada mais bouve, e encerron-se a sessao
horas da tarde.
wmmmmmmmmmmtmmmmmammggg
0OMMER0IO.
(\i\\ FiLIAL
DO
BiM'O DO 88K 1SI i i
EM PERNAMBUCO.
A directora desta caixa, em virlude de ordem
da directora do Banco do Brasil, avisa aos Srs.
accionistas que o respectivo thesoureiro est autoj
rsado a pagar o dividendo das acedes da meema
caixa do semestre liado em 30 de "junho prximo
passado, na razao de 81300 por accao.
f .. .:<. i' 1., i,,11,., ,1.. 'vi'', V ,.,,.
de Mello, que os abandonen pelos direitos, cujos
sacros se achara no trapiche da companhia.
4J seccao da alfandega de Pernambuco 12 de
agosto d 1804.O 2o escripturario,
Caetano Gomes de S-
DEGUiiGOES.
As victimas de taes aegoes encontrara lamben
assim meio pr.vmplo de mitigar seus soffrimentes:
urna penosa consolago, verdade ; mas sempre
preferivel ao emprego dos meios que nao raro cos-
tumara empregar-se em certos casos.
Victima, pois, de urna accao que por sua grayi-
dade e effeito evito qualificar, as a que o publico
dar o devido nome, venho imprensa exp-la tal
qual foi praticada alim de que se conheca o modo
por que fui tratado por homens que por amor de
si mesmos e de minhas cireumstancias deviam bom
ponderar a natureza e effeito do seu procedimento.
Exercendo ha bastantes annos a profisso do
comraercio, permiltioa sorle que houvesse de cons-
tituir-me em estado de insolvencia : este estado foi
dovido causas imprevistas e ndependentes de
minha vontade, pelo que foi a miuha fallencia jul-
gada casual.
Nesias condicoes alguns amigos meus querendo
proteger.-me e tiabilitar-me a poder sustentar mi-
nha numerosa familia, levarara-me a requerer mi-
nha relia bil itaco promeiiendo-me fornecer os meios
precisos para minha nova vida commercial : para
islo aconselharam-me que allugasse alguma loja
alim de que logo que obtvesse a rehabilitagao po-
desse dar principio ao negocio e por elle ganhar o
pao para minha familia. Por tudo isto, em Janeiro
do corrente anno alluguei ao Sr. Firraino dos San-
tos Vieira por um anno a loja da casa n. 3 da ra
do Queimado, a razao de 450,$.
Nao tendo anda obtido a rehabilitagao conser-
vei a loja fechada, pagando os quairo primeiros
mezes. Entao o Sr. Joaquim Pereira Arante-, cora
loja de calcado na pra a da Independencia, procu-
ran ver se de mim obtinha a loja por emprestimo
e depots mesmo por negocio : e como nao podesse
obtda por nenhum desses nietos julgou-se despei-
tado, enlendeu-se cora o Sr. Firmino dos Sanios
Vieira, o com este arraojou-se^de modo que no da
em que eu obtire a rehabilitadlo, appareceu-me o
Sr. Firmino, dizendo-me que Ihe entregasse a cha-
ve da loja ou a mandasse ao Sr. Araes ; quem
acabava de alugar a loja III
Fcil de comprehender que se o Sr. Firmino
retlectsse bem na necessidade de manter sua pala
vna j mais se prestara assim proceder, servin-
do de iiulrumeiito fcil para a satslago de des-
peiio ao Sr. Arantes.
Desde que a loja esUva allugada por un anno,
e eu havia feito pagamento dos uairo mezes vsn-
2 Odos, nao podia esperar do Sr. Firmino um proce-
l dirnenlo tao pouco digno, anda musine quanto as
M minhas peoosaseircumstaucias nao devessnn ser
; urna garanta para mim, pos quando a juslica me
I nao assistisse de um modo lo ciaro, a equidado,
ah eslava para fallar aos coragoes bem formados.
O 41a 1 e selembro. Baldados foram os esteros empreados por pes-
N'ouiroi lropoi,.guando aliberdadepolilioa/a-' soasde minhaanisadejiara rjonn Sr. Arantesde-
passaao, na razao ue o#ouu por aegao. b| dia i8 do corren,e pe
Recite 14 de julho de .864-No impedimento do ^lan|(1'lia sa,a de suas st.SSes; ,
secretario, Ignacio iSunes Correa. forDeclinenU) dos gneros a
Alfaadega
Rendimento do da 1 a 11........
dem do dia 12.................
334:72:!800
.ifovimcnto da alfandega
Volumes entrados com fazendas..
i coin gneros.
Volumes saludos
f 1
com
con
fazendas...
gneros...
261
343
83
773
604
856
COMMNIGAQOS.
Descarregam no da 13 de agosto.
Brigue inglez rlsuartermercadorias.
Patacho hollandezGerberdina & Jeannettafari-
nlia de trigo.
Brigue inglezMana Burrisstetro e pedras.
Importaco.
Vapor nacional Mamanguape, entrado dos portes
do norte, manifeslou o seguinte :
Do Aracaty.
40 couros salgados e 3 barricas sebo (13 arro
bas) -, Joao Macedo de Souza Pimentel.
1,42o pelles de couros curtidos, de cabra; a Sil-
va & Alves.
60 saceos com 30 alqueires de gomna ; Jos
de S Leito Jnior.
36 barricas com 27 alqueires de gomraa ;
ordem.
Ue Natal.
40 saceos com 226 arrobas e 4 libras de algo-
dao ; ordem.
Do Acarac.
12 saceos gamma ; ordem.
, De Maco.
78 couros salgados ; Luiz Anlonio Vieira.
3 garajos cora 30 arrobas de carne secca e 90
couros salgados; Cunha Irmos & C.
1 garajo com 5'arrobas de carne ; Antonio
Horneo) Ledo.
1 caixo com la arrobas de carne ; Francisco
Simoes da Silva Mara.
1 pacato con 8 libras de pannas de eroa, 1 cal-
ite cora 2 arrobas de queijos e 1 arroba de car-
ne ; Cmara & Gomes.
1 fardo com 16 pecas de panno azul; a Marceli-
no & a
1 garajo pei ve secco, 2 barricas queijo mantei-
ga, 2 ditas com 7 arrobas de fumo, 3 barris com
10 ditos abatidos, 2 voluntes con 13 arrobas de
carne secca ; Francisco Simoes da Silva Mafra
Jnior.
Importaco.
Escuna ingleza turt uate, caVregou para Clyde :
1,400 saceos com 7,000 arrobas de assucar mas-
Santa Casa de Misericordia
do Recife.
A illustrissiina junta administrativa da Santa
Casa de Misericordia do Recife, manda fazer
pelas 4 horas
tem de ir
praga o lornecinienlo dos gneros abaixo decla-
rados, que houver de consumir o hospicio de
alienados em Ohnda, no periodo que decorrer do
311:7304938, da da arremataco ao ultimo di selembro prximo
22.992808 futuro, a saber :'
Pao, libra.
Bolacha, dem.
Carne verde, idem.
Arroz pilado, idem.
Mantega frauceza, dem.
Caf em grao, idem.
Cha prelo, idem.
Toueinho, dem.
Velas d carnauba, idem.
Assucar branco refinado, arroba.
Assucar soinenos refinado, dem.
Vinagre, garrafa.
Azeile doce, dem.
Feijo, cuia.
Sal, dem.
Farinha de mandioca, alqueire.
Os pretendentes devem apresenlar as suas pro-
postas em cartas fechadas, e dar fiadores idneos,
que se responsabilisem pelo fiel cumprmento do
conlrato.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cite, 10 de agoste de 1864.
O escrivo,
F. A. Caducante Coussehv.
Pelo consulado de Portugal nesta cidade sao
convidados os credores do finado subdito portuguez
Domingos de Castro Maia a virem receber a im-
portancia de suas contas.
Hoje linda a audiencia do Sr. Dr. provedor
de capellas se ha de arrematar, requerimento da
irmandade de S. Benedicto, o arrendaraeoto do so-
brado 11. 44 da ra da Cruz, por tres annos, e a
razo de 1:200 annualmenle, segundo o escripto
que tem o porteiro do juizo.
Cosellio administrativo.
O conselhq administrativo para ferneciraento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se
gunles : .
Para a companhia de cavallana.
55 booets.
6 ditos sem paHa para recrulas.
149 pares de otins.
Mil pares de luyas.
61 mantas de lia.
7 pares de sapatos.
3 bandas de la.
392 covados de panno azul,
378 covados de panno azul para capotes.
7 3(4 covados de caseraira encarnada.
7 3|4 covados de casemira verde.
242 covados de hollanda de forro.
37S covados de bata verde.
760 varas de brim branco.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Mavegaco costelra a vapor.
Parabyba, Natal, Mac*, Arasaty, Gear, e Acarac
No dia 22 do corrente, segu o
'apor Jaguanbe, commandante
Lobato, para os portes cima. Re-
cebe carga at o dia 20. Enconi-
mendas, passageiros e dinheiro a
frele at o dia da sabida s 3 horas da tarde do-
da da sahida : escriplorio no Forte do Mallos nu->
mero 1._________________________________
COMPANHIA PERNAMBCANA
Navegaeo eoetelra vapor.
Mace e escalas.
No dia 25 do correle segu
para os portos do sul um dos va-
pores da Companhia Pernambuca-
na. Recebe carga al o dia 2i. Kn-
commendas, passageiros e dinhei-
ro a frete al o da da sahida s 2 horas da larde
escriplorio no Furle do Mallo- n. 1^____________
Maranhao e Para.
Segu para os indicados portes, com a possivet
brevidade, o hiate Lindo Paquete, capile Anlonio
Maria da Coste eSilva : para carga tratase loo*.
Antonio de Alraeida Comes, ra da Cruz n. 23, ll
andar._________________________^___
COMPANHIA BBASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portes do sul esperado>
at o dia 14 do corrente o vapor
Princeza de ioinvilte, commau-
dante o primeiro tenente Araujo
o qual depois da demora do cos-
tme seguir para os portes do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzr, a qual devera,
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir cora muita brevidade o veleiro-
brigue nacional Almirante, ten parle de seu car-
regamento prompto : para o reste que Ihe falla e
escravos a frete, para os quaes tem excellentes-
commodos, trata-se com es seus consignatarios An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C., no seu es-
criptorio ra da Cruz n. I.___________________
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte espera-
do at o da 15 do corrente o va-
por Oyapock, commandante An-
tonio Marcelino de Puntes Bbei-
ro, o qual depois da demora do
coslume seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, rna da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tnoLio uz de O'.iveira Azevedo g C____________
Para a Bahia pretende sahir eom>
mulla brevidade o velero patacho l>.
Luiz, rapio Jos Teixeira de Azeve-
do, por ter parte da carga engajada
para o resto que Ihe falta, traia-se
com os consignatarios Palmeira & Beltro, no largo-
do Corno Santo n. 4, primeiro andar.____________
." Cear e Marauhao.
O patacho Valente segu com brevidade para
ambos os portos por ter nteia carga a bordo : pare-
o resto trata-se com os consignatarios Marques,
Barros & C, largo do Corno Sanio n. 6.
.





LEIL5ES.
rjs
fa
kxtV
DK
Urna taberna t ditidas da
mesma.
Caes d'Apollo n 59.
Germano Brasilino d'Emery
far lei lo por nter venci do agente Cordeiro S-
moes dos gneros, armaco e mais ulencilos exis-
tentes na referida taberna; assim tambera das di-
vidas, cuja relaco ser patente no acto do leilao.
Sabbado 13.do corrente s 11 horas era
ponto.
-
Por ordem do consulado de Portugal o agen-
te Pestaa far leilao ao dia 43 do corrate #or.
ta da Associaco Commercial, dos gneros e arma-
cao da taberna sita na ra da Casa Forte, perlen-
cente ao casal do finado subdito portuguez Luiz-
Jos de Magalhes. Em poder do mesmo agte-
se acha a relaco dos gneros existentes na diio
estabelecimento, com a sua avafiac^o,para ser ex*-
minada pelos pretendentes.



X
1
LEGlVEL
*r


**4-
~
I

Diario de Per neo

Sabfeado ti de Agosto de i S-i.
QOQsbh
.a ihuiiii J
DI
Queiios llamemos e tratos
HOJE ,
fcem vendidos m leitao cairas com etcellen-'
fe* queiias flanieagOB e pratos daseabarcados do
vapw franeei: hoje *3 do wnwtfa no armazem |
do Aunes, a 40 hotas em poni.____________ '
Trausfcreueia So leilao
DE
^/ner taberna..
Ja raa Augusta a. 114
O leilao d taberna ja annanciadona rita Au-
fsst n. IM confronte ao tiveiro do Muir fica
transferido para terca-feira 16 do corrente ao meio
lia-pe agente Pestaa no mesmo lugar do esta-
toeleci melo._____________________________________
_----------
Gabinete Portuguez de^
Leitura. m
ig Tendo de folemnisar-so no da la do ML
- correute me: o dcimo terceiro aunivor-
sarfo da installaco do Gabinete Portu- S
Vita dk Lutura, a directora faz puljli-
co.rpje nessedia estar patente o esta- -
belecimento a quem pretender visita-lo,
desde as 10 horas da manha at s 10
horas da ooite. <
Communica-se aos Srs. sodados,
que o fixpedienlo licar suspenso desde
o dia 11 at quarta-feira 17, inclusive.
Secretaria, do Gabioetu Portuguez de
Leitura em Pernambuco, aos 10 de agos-
to de 1864.
Joaqun) Gerardo de Bastos,
l" secretario.

LEIUO
DE
i;;() aixasco vh Bordean i e 10
mms etm h* di In-lin
Terca-feir I do corrente.
O agente Pestaa vender, em leilao pelo
SOCIEIMDE
' Aluga-se um segundo andar na rnn da- Pe;
nha com muitos commodos : a tratar n mu iu-%
Matriz da Boa-Viste u. 36, I
Aluga-se a casa da ra do Palacio do Bispo'
m. 12 : a tratar na praca da Boa"-Vista-n. S
De ordem da presidencia da mesma sociedade
j convido a tollos os socios a comparecerera k se*
maior sao ordinaria] qne ter lugar domingo 14 do cor
reco 150 caitas com garrafas de vinho Bordean x \ rente, as 9 horas da manha, na casa de saas ses-
e 10 caixas com cha da India tudo para fechar \s5os na ra do Calabouco n. 10. .
cootas : teKa'felra 16 do corrente pelas 10 horas \. Sal das sessoes da Sociedade Amor ao Protimo
da manha no armazein do Annes.
un to
DE
13 de agesto de lSG4.
Joaqnim Manoel da Silva Mondes
i" secretario.
CLLIi PEBYV.HBIJG.M
1A renoii familiar d* corrente nez
3-larris Mu vinho Bordeam e 13 di-
tos can cgn c.
*0 agento Pestaa far leilao por conta de quem
tparteocer de J'fcarrls eom excedente vinho Bor- (^ lugar lia fioile do da 16.
deaux 13 dito? ebm superior eognftc: terca-fei-
-ra 16 do corriste' ptflas W horas kda manha no
arnwem do Annes.
SaoS
Pa tcito ho-Unndez Ailrianus Joliamirs
e nnia lancha mesmo
William Addens, capitau do patacho hollandez
Adrtfius Manas rar lelISocom autorisacao de
r. hspeetor da alfandega, em presenca de um
empreado dk mesma reparflcSo com "assisteneia
!
Maque sobre i?ortaigal.
O afcaixo assIgnaaV autetfsado pelo
Banco Mereuntrf Portnense. e na ausencia
do Sr. Joaqnim da Silva Castro, sara ef-
fectivamonte por todos os paquetes jeflr
as praeas de Lisboa e Porto, e mais mga-- j
res do reino, por qnalqoer semina vis-
te, e a praso 5 podendo, os qne tomaren!
saques a praso.receberem avista, ao mes- j
mo Banco, descontando 4 0)0 ao annre, na1' j
loja de chapos da ra do Crespo a. 6, ou
na ra do rmperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquhn da Cdsta'tna.
i Mont Po Popular Trrnamluicano.
! Por ordem da dlrMfori levo ao eonhecimento
dea senhores socio* que esfao 'rasados em suas'
mensaliuVides, que no pMso de 30 Jias, a coaar da
data deste, entren) com os seusdbitos no caso de
nao qoererem ser eliminados como determina os
efatafos.
Seeretaria do Monte Pie Popular Pernambocano
: 0 de agoste de 1864. |
Bernardo Kalco de Soua
________ ("secretario. _
Vicente AJvm Machado pagar lOfiOOO a quem
dbscobrir uTadVSo qOe na' oite do da 8 do cor
rente Ihe ftfrlrja1 dk fScafa d casa mrae mora, na
;ruanoVde SanWlMta ti 47,am vidro'de Mondo
1 g.'iz. que ten ntrmesma-eseada.
Precisa-se alugar urna ama para cosinhar'
em casa de pouca familia e tadibem um molcque':
m ra do Crespo n. 23. ^_________
O-'Dr1. (Srrolino Prkntisco de"LWtSat-
tos^cohlma a residir na ra do Impe-
radol- n> 17,3'and^r", oalle'pVide sef pro-
curado a qualquerhora do diae da noite
para o etercTclo de sna broflssao de me-
dico ; sendo qne os chamado?, depis' de
meio da at 4 horas da tarde, devem ser ,j
deixados por escrtpto. O referido Dr1.
nao abandonando nanea o estudo das
molestias do interior, prosegue, com" o
maior affinco; no das ihais difflceis e deli-
cadas operacoes: como sejam dos ergSos
oui narios, dos olhos. parto?, etc.
Precio-s dw OMlenruta t&tttfa ctttnhira :
do utimad n. 16: loU.
mmmmms
Caaarfa fldeiidadv de j
segaros maritlinos e ter-
restre* estaoeleelda no
Rfo oV fanfro.
AR1irrV.S, KM PTTASlBriCO
nfotiia I/itiz de Olirrira Azevedo & C,
dntpytenteWente anorisados pela direc-
tora' da cbaipanhia de seguros Fidclida-
de, tonmm segaros denavos, mercado-
e predios n se escriptorio roa da,
' rf,l
na
tMRO
DR
i
Prectsa-se de urna mulher livre ou escrava,
que Isaiba cozinhar e qne tenha bons costumes,
preferiudo-sc livre : a tratar na ra do Trapiche
.if.
tlfc u
AOS 6*^)0().000
niltiete garantidos
i' raa do Crespo n. 23 e casas do costuras
Q abaixo assignado tendo vendido nos seus mui-
Noeleilade dranatiea Helpoine-
ne Pernatnbueana
A n tnnid l ni" fin til ir civil A 'fi- ,2 Sr iTnctor manda avi?a.r aos Srs. socios, que
AniQulO fMK tto Ittivbiru, rt~v ddmiogo f4 do corrente ir scena o drama
rr.llO & f Lnizenl 4acttts, a'comediaConde de Para
., gara-e as scenas cmicas"-Mltb'-eust a viver
Aaente* dO BailCO KniMO dO PnrtO. com honra"-do Sr.P. Jnior, e a questdA'nglo-
Competehtertente nterfskdo*1 saeam por todo Brasileira. Desde i*t*bderao os senhores socios
os paquetes sobre o mesmo Banco fiara o Porto s procurar sua partjfe'lW hiHietft na roa de Apollo
Lisboa, epara as segnintes agencias. n. 37, primeljrb anear.
Lemlres sobre Banh of London. AvisaMambem qHe; sBguoVIa-feira I. do corren-
pie
de
do-ri'feri.lo pataelto, tal qnal se acha ancorado nes-1 tra(s sorles de 5()f>5t, 200.3 6 1003, da lotera
ite porto, onde fol legal mente condemnado na sua sejacalwu de extrahir bendicio do convento de
recente viagem de Buenos-Ayres para Liverpool, S. Francisco do Hecife, convida aos pssuidores
assim como nma-|ancha do mesmo patacho. de ditos bilhejtes a virem rec.dier seus respectivos
Terca-feira I de agosto s ti lioras
i "aime Mi-ric.
Crdito commercial.
Gonzalo Segpra.
M. Prera Y. Hijos.
Em Portugal.
em ponto.
Em fronte a ssociacao Co"nmercial onde se
dar todo a qualquer esclarecimcnto a respeito.
LEIffl40
DE
Quarta-feira 17 do correte,
O agente Pestaa vender por conta e risco de
qtiom pertencer divers"sobjectos de mobilia co-
mo sejarn : t mobilia de amarello, cadeiras, mari-
quezas, mesas, commodas, candelabros, serpenti-
nas etc., c muitos outros diversos ohjectos que es-
tiro patentes aos concurrentes : quarta-feira I"
do corrente ao meio dia na ra do Vigario n. 13,
primeiro andar. _________________^^^
L#:iL40
Quarta-feira \7 de agosto, s II horas
raa da Cadeia n. 53
DE
5/ma crioula de nome Mara, idadd 2o annos, sa -
dia. engoiiima, lava bein e coSinha melhor, com
um lilliitiho preto de uome Jusvncio, idade um
anno, ainda mam i e et bem nutrido por ter
bom Irtla,
Pelo agend- Euzebi-i se vender urna escrava
rom leite bom e aburilante por estar criando ain-
d um (ilhinlio idade 1 auno, polo maior precn (jue
se achar, bem robusla, forte e sadia : os preten-
dentes aproveitcm a o|iportunidade.
LEILAO
QaATtafeir*17 do torrente, s II ho-|
ras, ni ru i da Cadeia n. 53.
Paris
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz i
Sevillia
Valencia
Arriarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Bareellos.
Bastos.
Beja.
Braga,
liraganca.
Faro.
Oliveira d'Aze-
meis.
J'enafiel.
Tavira.
Villa do Conde.
Villa Beal S. Antonio. Faial.
No MPEIIIO.
Bahia. Maranho.
Hio de Janeiro. Para.
Qualquer somma .i prazo ou vista.podendo logo
os saques prazo seren descontados no mesmo
Banco a r'azao de 4 por cont ao anno : a tratar
na raa da Cruz n. I.________________^___
Madama Ferro avisa ao-seu.? fregunzes e ao res- Companhia vigHante de vapores
peitavel publico, que araba de mudar seu estabe- j|e reboajlie
lecimento da ra do Trapiche n. 44 para a mesma -^-'*- ,* D:.ini.
ra n. 5, adnde foi o hotel Franc.sco, e espera sa- Agencia cm casa de Rnhr fi Bidoulac.
Hsfazer s] pessas que a honrarem com sua re- Na eonformiilane do qne lol (lelmerauo
qnencia, porisso mesmo i|tic ni se tem poupado grn assembl yeral dos accionistas dacom-
a desonzas|para poder offerecer actualmente bons; |)auj,., vigilante, qiw se reuni nn dia 18
Frederic S. Ballin & C. te, havefe astemblia geral a? to horas da manha
Joo Gabe Filho. no salo do theatro, aBm de se eleger a nova di-
Francisco Bahoba & Barllista. reccao.
Secretaria da Sociedade Melpomene Pernambu
! cana. 10 de agosto de 1864.
Joao X. A. Macil.
1 secretario.
emios sem os descont* das leis, em seu esta-
ecimento ra du Crespo n. 23.
O mesmo tem exposto venda os novos e felizes
bi I heles garantidos a beneficio da matriz do Li-
n)oeiro que se extratnr sabbado 13 do corrente.
Precos.
Bilbetes inteiros..... 7,J00G
Meios......... 3*800
Quartos........ 1*900
Para as pessoas que comprarem
de 100* para cima.
Bilhetes........ 6*300
Meios......... 3*250
Quartos......, 1*700
Manoel Martin Fiuza
Angfa Terceira.
Caminha.
Castello Branco.
Chaves.
Coimbrk.
Covillia.
Ivas.
Extremos.
Bvor.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa Nova
Portimo.
do
Figuerra.
Guarda._
Guimares.
Lagoa.
Lagos.
La mego.
Leiri.
Mongao.
Mo'n corva.
Regoa.
Setubat.
Vianna do
telk).
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
i e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica; e com especialidades
sobre w seguate
Cas-
Io molestias
2*
3
Hotel italiano.
DE
do Fogo fre
'ti i i^* i rn roes at o dia20 du correnti-, e, se o nao li-
AaYQgaClO AtlOllSO (le AlDU-|2ftrfeniracorreiiSona netda da Juanita jeii-
Mello,
iquerque
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
teiras, porm, na villa do Cabo.
porefl),
lina casa terrea na ra
Hiie/.ia da \arzea.
ara se passar a festa.
Pelo agente Euzebio se vender em leilao pe
maior preco que se achar a casa terrea como acj
na se indica tendo 2 salas. 2 quartos, cosinha h
ra, cacimba, quintal contendo diversos ps de ajj
voredos, que se colhem bons fructos e de extencao
cerca de 280 palmos : os pretndeme* poderao
itender-se com o referido agente para infop-]
mar-si-.___________^_________________________L
Por ordem do consulado de Portugal o agen-
-te Almeida far leilao no dia 18 do corrente, aa ,
-casan. 7 dama do Crespo, de diversos movis,'
objeclos de onro, relogios, anneis, etc., pertenceki-
tes ao espolio do tinado subdito portuguez Jos de
Almeida Nones Lima se algu^m se jnlgar edm
direito a algum dos ditos objeclos que foram in-
ventariados por sen espolio, deve_reclmalos at
o da designado para a arrematac3o.
AVISO AOS SRS. MDICOS.
Cura ca'arrhos, tosset
coqueluches, irritac, 6a
nervosas sa dos 6ron-
chios e todas as dm-
eos do peito; basta ao
doente urna colhe rchdea deste xarope D' Forget.
Dr.Chibli;, emPariz, raTivienae, .
Paris, 36,RuaVivienne, D'
Sirop du
DrFORGET
Irada e faz-se este aviso pela imprensa, o
qualsera intimado a inda nados Sr-. accio-
nistas em particular, os quaes lor) a hon-
dada de participar por escripto, <[ue icatn -pTerisse alugar um moleque paraos serv-
iulcirado D sua resolucSo definitiva; para o ^os ()l, uma ,.afa .A iraiar na roa Nova n. 58, ter-
verno da direceo. Recifc, 8 de agosto de ceiro andar. ___________________
de olhos:
de peito :
dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doerites de olhos.
Dar cOnsltas todos os dias d s!
(5 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
gao que julgar conveniente para o |
prompto restabelecimento dos seus
i doentes. fl
mmmmmwtwm mmmmmm
Precisa-se de uina criada livre ou escrava,
|ue saiba cozinhar e engommar : na ra das Cruz
i^ i, primeiro andar.
ou escrava
de Sant
morou o Sr,
Dr. Sabino.
~ Preci.-a-se de urna sonhora ou de un sacer-
dote que iHieira ir enslnar ditas nx-ninas em um
engenho em Serinhaeiu, e se sonlier msica me-
lhor, pois dar-se-lia bom ordenado : a tratar na
catnboa do Caruio n. iti.
1804.
Os directores
Assignadollenry Forater & C.
Bara do Ligamento.
Saunders Brothers & C.
" Atuga-se a lo a da casa n. 40 da ra da; Trin-
chen-as : na ra da Aurora n. 36.
CHABLE MDECIN
DPURATIF
dn SAIVG
PLUS DE
COPAHU
irnos Dimsos.
-
Associacao Typographica
Pernambucana.
Tendo de celebrar-se o oitavo anniversario da
sn3tallac;an de>ta associacao com urna missa sol n-
n i em honra de seu padroeiro o Glorioso San Jco
unteportim Latnum, convido de ordem do Sr.
[residente lodos os senhores socios effecvis,
tionorarLos e correspondentes, e mais pessoas anti-
gs desta corpora^ao artstica, assistirem a e> ta
solemnidad^, que tef'lilgar na igrej de Xossa Se-
nhora da Penha, domingo, 11 do corrente, s 8 Lo- j phcisa
ras da manha em ponto. lar em um si
De ordem do mesmo Sr. presidente, convido aos pj0va j mo d
iSrs. socios effeclivos *e rennirem em sessao esc- ^raordinaria da asseinbla geral no referido dia 14
io corrente, pelas' 1* horas da manhia, de vendo
^>s seuhores membros do conseibo achar-se pe
s.-ntes urna horailnte, aBm de ter lugar as furic
Oes do mesmo.
Secretaria da Associacio Typographica Perna
DASENFERMIDAUAS UESSEXUAES, AS AFFEC-
COES PUTAEAS. K Al-TERAgOESPOSANGUE.
*" tOO00curasdasfm/"ngeiif
mstulas. herpes, sarna
;omixoes.acrimonia,e aU
ercoes, viciosas do san-
lo s.jii/'.u. i Xarope vegetal som mercurio). Depu-
tivus ti-ertiioN vahos JimniAis
tmao-se dous |>or semana, seguindo o tractamento
iiralicfi: emi regado as mesmas molestias.
Este Xarope CUracto dt
ferro de CHABLE, cura
immediatamente qualquer
puruacao, retaxacao,
t debilidade, e igual-
mente os fluxos e flores brancas das mnrheres.
EstaVnjeccao benigna emprega-se com o Xarepe da
Citra>cto de Ferro.
i. Pomada que as cara em tres diaa.
IMADA ANTIHERPETICA
Contra: oas affeccoes cutneas t ebmixoes-
PILULAS VEGETES DEPURATIVAS
do Chbie, cada frasco val aeconpahado de
m fotUeto.
Vdidc-se na ra do Imperailor botica
franco/, i n. ^_______________________
~P jeisii-se alogr ama aifM que saiba cozi-
nhar, pr jferindo-e escrava : na ra da Impera-
triz n. 10. I _________
Piecisa-se di-
servico pe \v
PltO&HAlHIJtlA
DA
Festa de Xossa Senltora ao Carino
Fi'oniisjiici.
Ao meio dia, no da 14 do corrente. levantar-se-
ha a bandeira da SS. Virgem, tocando na occasiao
a banda marcial philarmonica Carmelitana, dirig-
' da pelo insigne maestro Manoel Pereira da Silva
Serzedello.
No dia seguinte, as 11 horas, entrar a missa,
tocando a orebestra Carmelitana, dirigida pelo pa-
dre Manoel Candido Ferreira da Cunha, urna es-
colhida missa do grande repertorio da sociedade
Carmelitana : orar no Evangelho o Hvm. padre
meslre pregador imperial Lino do Monte Carmello
Luna.
As 4 1|2 horas da tarde subir um grande ba-
Precisa-se alugar urna preta qne saiba cozi-
nhar e engommar : quem a tiver, dirija-se ra
do Trapiche n. 4, que achara rom quem tratar.
Miguel Jos Uarbosa Gmiuaraes socio prln-
' cipal da'rma de Guimares S Una, faz scionle
1 a lodos os deveilores a esta firma que tendo falle-
cido o socio Jos de Almeida Nones Lima, esta
d<>' procedendo a lifjutdaeaO da mesma e por isso pe-
I de a todos os devedors o especial favor de man-
darem saldar seus debitHS o mais breve possivel.
Recife, i de julho de 1864.
0: O bacbatrel

*3.
r<
Francisco Angosto ta Cosa
i
9
m
ADVeflAJM
S. Francisco
nina ama escrava para todo o
pa casa de pouca familia : na ra de
n. (.
Ba do Imperador numero 69. "!?
\mm mmm nnnili
Na praya da Independencia, loja de onrive-
lo, tocando a mesma sociedade vanaveis pecas de -^ con,prain.se obras de ouro, prata e pedra?
harmona do grande repertorio do mesmo maestro. j,n^ ajJ-|m e^fo se fax qualquer olira de en
A noite havera Te-Deum, pregando o capellao do c0,ninen(fa e lodo e gnalqner concert.
ercito o Rvm. padre mestre Lourenco de Altni-- i : ; .. -r
bncana, 10 de agosto de 1864.
-tuno Francisco Regis.
O secretario, Je
se de um liomem para limpar e plan-
to : quem pretender, dirija-se ra
Concei So dos Militares, armazein
qne se dir quem precisa
Aos l>:0t>SO0U.
Sexta-feira 19 do corrente me/,
gai' a exlracc3o da quarta parl^
Jpao Atinnes Torres Oalindo, casado, resi-
dente (m Alagoinha deste ttit il Cimbres, an-
nunciao resleitavpl publico, qite arhando-se cti-
ratella lo seu sogro Joaquim Jos Alvares de Mi-
randa por alieiaeao mental, nSo nde, portanto,
contratar com bessoa algoma negocio de qualquer
naturea, sob tena de nnllidade, pelo que faz pu-
blicar p preserve para ciencia do publico.
ter lu-
da quaria
i .cha-se (Dntratado p>r compra a casa e ter-
i reno m o na ru da Esperanca n. 4:) : quera se
achar'Com dirc toao mesmo apresente-se no praso
de tres das, a i ontardo primeiro annoneio.
i3 ra aceatleo.
gai' a eracca,. ua quana pan ua m. j;,,,,'^,,,^,,^ tortlMo ofTereee-se para di-
liiteria dOfiymnasiO (10**) no lugar do C0$- ^ nmaphirnlacia.-qur como simplMadminis-
ume,
Os bilbetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva tbesouraria roa do
Os premios de 6:OOW0to> at 2J000
serlo pagos tlra hora dejfis da xlfaccSo i>Taur de
atis 4 horas da tardo, e Offoatrs no da
socio : qaetn prSOsar, deixe er-
escrqitorincom as inicraes_A. ff. C.
alugar um mole^e : Da ra es-
n. 11, primeiro andar.
" fmoel Jost, subdito portngaez, vai Euro-
trador, ou con
"firfecnada neste
Precisa-se
treitad Rosar
baude.
.gotato depois da distribuido das lista. p, ectea.se (
SerSirt*) de thesoureiro, 'prasp.e^ara-
JMn- RnoVrtlfiS de Souza. ou escrava, a
Toma-se
L djrquinlia de 300i "om iitni penco
MD
amtHi
exercito v ii uiiuic
querque Lovolla, depo.s do que ser tirada a han- f Nu padaha em Samo Amaro atrar da fun
deira ao son da msica, e se queimar um lindo d.cao do Sr. Srarr^vende-se leguine de Hambur
fogo artificial da fabrica da \iuva Rufino. P". diversa^ irTircas._______________________
Este o proxramma que o provincial dos Ca Hitciedade de segnros OlllillO
melius aprsenla aos devotos da mesma Augusta j-*!*- |aMAall9fla Dlo Baoco
Senhora, rogando pessoas habitantes do pateo J" "?!"!" j.V" !!.
se dignem. para mais brlthanfismb do festejo, de' (Jallfio Ba Clfawe do rorro.
ornarem suas varandas illuminando-as as duas Os agentes nesfa cidade e provincia Antonu
noleq Luir de onVoira Azevedo 4 C escriiitono na:mi.
-------------------------------------------------------- da Cruz do Recife n. 1, stao afltorisados desde jf.
/'Vi 1 /V> 1 I C/ytWWI inentos que fftrtmnecesaario? a pessoas que de
Urna pessoa habilitada ensina as Imguas f.ance- s.;jarem ^^^f^^.^\Xl^t^l
za, portugueza, italiana, e ingleza. Quando seja as, egnrando um futuro hsongeiro aos associado-
necessario, ensina tamben) as primeiras letras, e os a. Schaffler 4 C, na ra do Trapiche n. 17,
rudimentos da lingna latina : quem pretender, acara por lodos os paquetes para a Bahia e Rio
qur seja da cidade, qur do interior, dirija-se de Jaq'tir, vista ou a praso, conforme se con-
rua da Cruz 11. 64, primeiro andar. vncionar._________^______________
Aluga-se por prero cemmodo o primeiro an-, Procuradura,
dar do sobrado da raa da Seuzala Velha n. 48 : a: p^,^, xiexandrino d Costa Machado achando-
tratar na loja do mesmo. _____________ j SP provisionado para solicitar causas ante os andi-
"=~Pe7den-se um quarto de bilhete do Rio de torios dsta cidade, Cabo e Ipjuca se encarrega
Janeiro n. 4893 da 46 loieria a beneficio das ma- .to /or tendente a soa Ijrohssio promet-
trizes e alfaias, previne-se ao respectivo thesourei- roe mais pessoas que_deseon,am "bilhetes premia- J^Sf4^pi^'p^ Jfg
dos em taps casos, nao paguem o que por sorte
sahir no referido bilhete se nao aos proprios donos
ffoe se acham assignados no verso do mesmo bi-
lhete, e sao Henrique Carlos da Costa e Adblpho
R. ICoop : qnerrt achou dito bilhete, quTendo res
titm lo, o poder foze-lo, sendo de preferencia ao -jj
Sr. Koop, por ser este quera perder dito bilhete.
as inoras da rrtShh, e das 4 s 6 da tarde'
de su* residencia1 na rir IrpWal n. ,
imiMro andar, e fra dess'hora*, n'afrda- esWei-
do Rosario n. 34, rllBrW do Dr. AUbnajgge
buqueruoe Melto; as quinlas-feiras porm em
ojlica, olfes s^llaVBirJ l* Catk), em enfos fo-
ros contina & trabalhar capto dantes., _, ,t.
O abaizo assignado taz sciente ao respeita- j 1-------' _^ '
vet publico que deixbn hoje de ser calxelro dos A wMt-
Srs. Al ves '.ontnho & Hrando, agradece aos mes- Prcia-s de tfma'aha1 para o sor vico interrlo
mos Srs.o bom Iratamento que Ihe deram durante de nmtf'casa iWpotittt famMta : na pr* do Cor-
0 tempo em que esteve em so asa, tendo sahido p0 ganto n. 17, lefUtlfO' Offtir.____________.
. pelo lemiiu que so ^ fl |)Q
jii encii.nar, com segnranca em urna escrava
licando os servidos da mesma pet juro, ou pagan
11 >e este mensalrante
ruado, loja n. 9^_______
a tratar na ra do Que
se dar a hypolheca nm escravo
mo^os e* sadio< alia d-se o
servico de inri destes pelos jujos sobre maior'
ra, d-se pentrores de prata e
ouroi como seapnlira : a quem o convief declare1
sua ihorada para.jer procurado com,{ir|rvidde.
- Offertce-se nma ama para tolo o servico d i ,
nma casae f^tmtav saben* bom gomimr : a sorvejte a Wr.
tratar na raa Augusta n. 5i>. nho -
AUeneo.
sablndc. 10 do ctveite, contina
odas as noites, Ha rasa
10 pateo do Ckirmc.
haver
de ba-
por doente. Recife 12 de agosto de 1864. .
_________________JoUqutwi MtlMh&t'ft:
' Urna pessoa hahilirarfa propoe-sc a esrrif'li-
rar em qualquer e-talielei'iirienW mercantil, das
3 l|2 horas da larde em dianle, nos das uteis. me-
diante mdico estipendio ^ e tambem eatarrega-se
d forrrrnlaY balaoris e batanete! riaqdelles em
qne nao tiouvef seriptura;o regular : na ra
ireita n. 4, WVrmt, se indirar* o ananneianW.
m. OT^ra'd* Onfo : a roa **-AOWf n.
f>, lr-*-IW-e>iM alofea.
v
INJECTI
PERFUMERA MDIC0-HYGIN1CA
le l.-P. LAROZE, flulnico, Fraijwntico Je la hetth especial de Pars
Estes productos m el resultado de la aplicacin de las leyes de la higiene la per-
fumeria.que se elevay concierte en farmacia de la belleza,encargada de atender i \t &
f^eM del cnis, cabellos y dientes, que todos son rganos tan importantes; sirven para evi-
tar y destruir las cansas de las enfermedades que su hermana primognita, la farmacia
propiamente dicha, est llamada urar.
aoDa LUthut, para conservar J embellecer Irtt
cabellos, roriIScaivdo sos raice; el frisca S fr.
AOSrM M AVaOUBM FUMADO, para re-
ucdur i la sequedad y stonls de los cabellos ; el
frasee.............* *
TniAeu m tocaob orinsiO, renoov-
brao por su suarMM J accin refrescante; el
frasco..... ...... ? i tr.
OOU> cuati airratuosv Para coaserrar el clis
b'ancB, fresco, dlanan. i" rriiar las conseojendis
del Oso de los afeites: d bole. 1 fr. SS
A.WA s cOLOitiA tMrriBJOK, con mbar d si.
'I. Ij estabiliuad dk su perTume I* hace balsear
para ti locador, teA/n loesks y nnerales; d
rrtteo. ...........I fr.
i-astilla oioararTALza del docuuPaul cimant.
Rara quitar el olor del tabaco y neutralizar los hli-
tes fuerte; al caja........1 y 2 fr.
ADA D t-LORU DI MLtVMMMA, cosmtico
muy buscado par destruir las coineiouo, fortale-
cr y reflccV cie'ruSs onbnis; el fra-rn. 1 fr. 5*
garnuTV S*xTA nrraarno. K ,cl mss
perfecto t indlspemilJIe cwmpleinento del toca-
dor de la boca despus de la comida i d
frascr.............! fr.
MAD C08BVADOUA con *|umina pura, para
fortiticar I" cabellos', heriisoieKios y rttar ajj
ae pangancano< antes de tiempo; el bote. S fr:
Depsito en todas las ciudades en casa de los farmacuticos, perfumistas, peluqueros,
mercaderes de modas y novedades. Venur pOr menor : En la rci Xarcne, ruc
Neove-des-Petits-Champs, 86,
Expediciones: en casa de J.-P. LAROZE, rae de la Fontaine-Molire,39f>M,enParis.
Desgnete en que lengua deben estar lat inttruecionet que acompaan rada producto.
[imi DBtrnnuco para curar inmediatamente
los dolores de muelas; el frasco 1 fr. S
polvos Mirrmiico boiasm, ron base de
nwgicsia, para emblanquecer y conservar los
lenf's': el frase........ 1 fr. 5
OPIATA dkhtifiucA. para forlillcar las encas y
eriur'las iivralguis denlalea 1 fr. 5
cWlTTVo) 0BDTAL, para curar lo dientes ca-
riados1 antes de la emploinadura, y evitar los abee-
sos y dolores; el frasco con el instrumento. I fr.
d>Jt HWaeopWWniiA, para conservar la her-
mosura de la te y las funciones de la piel; el
frasto......_.......S fr.
araprurru Da Ama nncmricADO, complemento
dd lacador dt la boca despus de cada comida;
d frasco...........1 ir. 25
MO* UMOTIVO SMMOJMI) para el tocador ;
la violeta, almendras amargas, ramillete, etc..
ensata.?..........Ifr. S
Alo* tsuamvo MSmnniAL, con yernas' dt
horro, para evitar las grietas en el cutis, Hendidu ras
I enfermedades de la piel; i la violeta, raniil-
te, etc.; el jabn.........I fr.
jAiem LSrirrir* mbihuuux, en
polvos. Es especial para la barba, como tambin
para el locador de' las mujeres y nios; el
fraseo............ J fr.
JARABE DE CORTEZAS DE NARANJAS AMARGAS
IV J.-P. LAROZE, Qanet, Panuentice de la faetela siferitr de Pars
Este Jarabe, al regularizar las funciones del estmago intestinos, destruye esas
indisposiciones proteiformes, y hace abortar las enfermedades de que son signos precur-
sores. Mdicos y enfermos han reconocido que restablece la digestin, haciendo desa-
parecer las pesadeces de estmago; qpe calma las jaquecas, pasmos, y calambres, que
son el resultado de digestiones penosas. Su gusto agradable, y la facilidad con que se
soporta, lo han hecho adoptar como el espcclfieco infalible de las enfermedades nervio-
sas, gastritis, gastralgias, clicos de estmago y entraas, palpitaciones, males de co-
razn vmitos nerviosos. Su accin sobre las funciones asimiladoras es tal, qne los
mdicos mas ilustres lo han adoptado por escipiente real de los dos primeros agentes
teraputicos : el Ioduro de potasio y el Proto-Ioduro de hierro, habiendo
observado que bajo su influjo, ,fil primero pierde su accin irritante, y el segundo
su efecto astringente.
JARABE DEPURATIVO JARABE FERRUGINOSO
BE CORTEZSS ni 1UAH1A1 H1C1S
CON IODURO OE POTASIO
El Ioduro de potasio, administrarlo en solu-
cin bajo forma slida, causa al enfermo una
gran repugnancia, determina accidentes que
lo ohliitan renunciar esle eficaz remedio.
Unid al Jarabe de cortezas de naranjas, no
causa ni itastratiria. ni desarreglo del estmago
i intestinos, y gracias este salvo-conducto,
las ctlraa depuradas pueden seguirse sin Inter-
rupcin en las afecciones escrofulosas, tuber-
culosas, cancerosas, y en las segundarias ter-
ciarias, inclusas las reumticas, de que es su
mas seguro especfico. La dosis est definida de
(al manera que el mdico la varia come quiere.
El frasco 4 fr. 50
DE CORTEZAS tu: XJIU1J* 1VABC1S
conPROTO-IODTJRO de HIERRO
La asociacin de la sal frrea con el Jarabe
de cortezas de naranjas es tanto mas racional
cuanto que este Jarabe, empleado solo para
estimular el apetito, activar la secrecin del
jugo gstrico, v por consiguiente, regularizar
las funciones abdominales,neutralizalostristes
efectos de los ferruginosos y de los louuros (pe-
sadez do cabeza, constipacin, dolores epigs-
tricos), al paso que facilita su absorcin". l>-
sueito en el Jarabe, se toma y soporta fcil-
mente por hallarse en el estado puro mas
asimilable; y aslnuedc seguirse la cura de los
colores plidos, prdidas blancas, anemia,
afecciones escrofulosas y raquitUmo. El frasco:
4 fr. 50.
Los Jarabes de J.-P. LAROZE estn siempre en frascos especiales (jamas en medias
botellas ni frascos redondos*. Expediciones: en casa J.-P. LAROZE, ru de la Fontainc-
Molire, 39 bis. Depsito general: farmacia Laroze, ru Neuve-des-Petits-Champs, 26,
y en casa de todos los farmacuticos antiguos de Francia y del Estrangero.
Desgnese en que lengua deben estar las instrucciones que acompaan i cada producto.
33 O
a i-3
m Ul
S*St
,=3
m
I 53
1 HH
/.

Yenile-se na na to Imperador botica fraiueza n. 38.
INJECCAO E CAPSULAS
VEGETES ao 1UATIGOL
GRIMALT E C' PHARWACEUTICOS EM PARS
Novo tutaniento ureparado com as folhaw de Mi.tleo.nrWe ato Prm.para a cura Muida cinla ll^el
da Conorrhea sem recelo atgum da contrajo do canal ou da innammacao dos Intestino._Q_gaj
doutor Rleor, de Paris, ter rcnoneiadp. desde sua appartcno aoemprgo de qua^* .ar"enl)"e
Emprega-se a mjrcr. no comco do Quxo. as capsulas em lodos os casos chromcos e Inveterados, que
resistirlo s preparace* do copahu, cubeba e s injecces com base metallica F,iu,n(.,
Depsito gera?: em Paris, em casa de MM. GrloH e C, pharmaceuticos 7, ra toitoMtofc,
em t,tHW.*i*-A..U.fc Co.t^.rr.lho Jnn.or; no Porto, MIrmI Hmt\>*'**
rer; em o io-de-Janeira, Gc.t.., 102, ra S. Pedro; em taha J..e-C-eU,.. **r$+*?
helr, em Bto-Crande, J.-qutn de Gorfoy; em JTaranho, Ferrelr e C; em Pernambuco.
sh.um e o, ra da Cro, 22; Summ, e as principis pbarmaclas do Brasil.__________,
^_a.mmmm^mmmmm.iiaaaaalaaBia.a-
Deposito geraLjBm Pemambuee ra da Cnizn. 2 Perdeti-se tnia lr d'e" 43^^ a'Wda tWr i ^r^jj^e "Dominfs tloffiiSfits de* Andrafto, a t rofs, i> nina'nseatna : Balla de lifros sop i re de
aceita por Antonio -Jos" de Otn'i taslrn, ntjii gjnto Antesfio
ja-iTt prevenido : ro?a-sn pe-oa fpi a_ liv^j _
I ratrir. n. 3i
aciiadV^dlgne mandar entrgala
aa Tmpe-
O ahajxo assignado vende una parte
4|ue tem I enienlio Inliaman, sito no ter-
mo de H|MiimA,a 'tul excede de cinco con-
t de Peis e juntamente urna divida grande
que tem de ser tirada do inesmo engenho
otr-de ontros Iiens ipie. ficarara do finado
Morae* ti* de sua findn moiiier f>. Britis :
os- preleiidmfed ilirijam-se ca?a to Sr.
UIiimiO d Merae PrntieiiV) dentro do Re-j
ife tm nn engenlio ('.ufruna silo no termo!
de I' > d'AHio. ^mirtem veade Urna paite
que tem no engl'nijo aiuttli djndo' u pre-
ferencia aos hentiros dessa casa.
Jnao Wirqros" Ifercalho.
Atuiramse urnas poucas de mei-a|rnas Ha
punco acabada de edificar, na entrada dos purtui'
i travs? rlas'BarwsraS do bairro da Boa^Visla :
a- trillar na rua .lo Cdtnwllo n. Vi.
-Peerfea-se u*ar urna escrava na rua do
Hospirin^-.-wr--
_"Priiflsa-se artigar urna-preta escrava para o
Ao pliliro.
^r pessoa >jie vai ao centro dosla proA'il
Iraiar de cobrantes) offereie ao resueilavel pi
jr) os seus prusilnms para o mesmo tlm, t) a *$-
& que delle quker ntilfsar-sc dirija :( a rua ai
Kdre de Dos luja, do Sr. Anlrmio Fernandes Ve!
lt.ci. que achara com qnhm tratar. __ JB
Precisase de urna preta escrava ou de utta
mbteqe para Shdar n:t roa : quem tiver. dirija-se
rua itn Arago, fabrica de rtiitriitos' n. f.
Precisase < urna preta escrava para o'i-er-
\ifri rrr'nna i'sa de prirlr'a fartili.'i : na ftyjieira
d'QtiifitttrV c U'ri. na rila Nova n. 6-.l; pnfct-se
Hem, 1 qhf < Oalwivi" anairo
Cruz n. 33, Recife.
servico'de urna pequen familia
zea n. t% primeiro andar.
na na da? Rru-
iai A.-'>aji|m>v -claia qi>'- ;"* ntfi-
tado vender a sua taberna sita nn paleo da i tbei-
r* n. t'i, ao Sr. Jos Antonio da Silva : qiieni se
acliar com ilireitij a" ella, apreserite-so na nit-ma
t.iberna.-Jut) BaptU Qiasrirn.________
Aingame a casa terrea i~nia da Trem pe n
. 4t, crtm ifia arri)mn-lar;5e : a tratar na pada-
riada rua Direitan: 8fc .-.__________
filaahJHa.
Eaveraaavn mr*iHa ma* em centa do que m
outra qnalqrier part! w pal a Ormo a K.
, ILGVLl





I
..-. .-*;
- -.->
Dlarl m m um
A MotEsnA w afeccJo pecu-
liar conheckla pelo nome de Es-
crfula i)ti tfs males mais I Offtreee-se uma-fserava m mu* bom leite,
prevalecenies e ooiversaes qme era ra : qncm tmeisnr, drija-ae roa da Im-
ha ern toda a extensa lista das 'fleratria n. 4,1, laja, para tratar.________________
enfermidades de que soflfre O' Acha-e fuutda a escrava Justina, alta, cheia
o..nprn linmann lisse uin Cfil>- *J ccrP. fula. be'?os grossos, moja, e as veies
guteto Humano. itoe um ceie adjm com um rf,0lcquinho nos bracos : nuera a
re escriplor 3a medicina que gari levando-a rao patee dt tjivrarnento n. 33,
k mais d utia terca parle de toja de calgado, ser bem recopipeosado.________
todos aquellos que morrem ante Felii Francisco de Souza Magalhs, era ad-
da velhice sao victimas, ou direo lamento ao anouucio do Sr. Vicente lves Mar
ta ou indirectamente da Esc~rof- T^'I^}^TJ-a'io de *Slera''M
i rir o ladrao que em duas-nones loe
la :-por SI nao e to des- ,j,rtoo da escad da casa onde mora, ao largo do
ituctiva, porem e a prmcipai causa de mu- p.irauon. 26, dous vidros de bico do gaz que tera
ras'outras enfermidades que nao Ibe sao ge- nj mesraa escada.
ramente attribuidas.
|----------- dacoes devotas s chagas de Christo, ora-; Sapatoes smaga cobra
Measa-se de um eaixeiro portuguz que te- ft- j. Nnssa Cnnhora 4 c jos ao an:n .i. Ditos de Nantes de duas solas
ruma causa directa da phyhisica pul- atastutoprnticade ttt*i, sendo bom Wv^V\^"^ Ditos dito de soia e vira
moltar, das molestias do figado, do
go e affecedes do cerebro : Entre os Seus
numerosos syuptomas acham-se os seguin-
jgs : falta de appette o semblante pal-
Iid0 e s vezes inchado, s vezes de urna
almra transparente e outras corado e a-
estima- onio se dha'a ordenado: na roa das Cruies pda. Deus em Obsequio qualquer san- SapVtos dVtoSa para senhoras
'mero 24. to para a noute, e responso pelas almas. Ditos de dita para meninos
mal tem seu assento sobre os pulmes, urna
cor azulada mostra-se em roda dos olhos;
quaodo ataca os orgaos digestivos, os olhos
tortam-se avermelhados : o hlito ftido,
a lingua carregada, dores de cabera, ton-
teiras etc.
as pessoas de disposico escrofulosa ap-
parecem frequentemente erupces na pelle
da cabeca e outras partes do corpo, sao pre-
dispostas s affecedes dos palmOes, do /ga-
do, dos rius c dos orgaos digestivos e ute-
rinos. Portante, nao smente, aquellos
que padecen das formas ulcerosas e tuber-
culosas da escrfula que necessitam de pro-
tecco contra os seus estragos: todos a-
quelles em cujo yangue existe o virus laten-
te d'este terrivel lagello (e s vezes heri-
ditario) eslao expostos tambem a soffrer das
enfermidades que elle causa, que sao :
A phthysica, ulcerardes do figado, do es-
tomago e dos rius : empees e enfermida-
des eruptivas da cutis ; rosa ou erysipela ;
borbulhas. pstulas nascidas, tumores, rh-
cuinacarbunculos. ulceras e chagas, rheu-
matismo, dores nos ossos, as costas c na
cabeca, debilidades femininas, flores bran-
cas causada pela ulcerarn interior, e en-
fcrmidqde* uterinas, hydropesia, indiges-
tao, etffaguecimento e debilidade gcral.
Vos pulmes a escrfula produz tubrcu-
los e finalmente consumpeo pulmonar :
as glanulas ella produz incliacoes e tornam-
se ulceras: nos orgaos digestivos causa
desarranjos que produzem iudigeslo, dis-
pepsia, molestias do figado e nos rins :
na pelle produz grupeos e afleces cut-
neas.
Todos estes males toado a mesma ori-
gen, carecen do mesmo lemedio: a sa-
ber : purificar e fortalecer o sangue.
A salsa parrllha de Ayer
6 composta dos antdotos mais efficazes que
a sciencia medica lm podido descobrir.
para esta m lestia assoladora e para a cura
de todos os males provenientes d'ella que
conten virtudes verdadeiramenle extraordi-
narias provado incontestavelmenle pelas
inras nolaveis e bem couhecidas que tem
feilo de tumor(s, erupers cutneas, erysi-
pelas, borbulhas, nascidas, chagas antigs,
ulceras, rheuma, sama, parebas, hydrope-
sia, tosse (piando causada por depsitos tu-
berculosos nos pulmes. DebilMade ge-
ral :hidigestlO, Syphilis constitucional e
molestias merctjriaes, molestias d;is mulhe-
res, ulceracoes do tero, .1 nevralgia e con-
vulcoes epilpticas e em summa, toda serie
de eijfernii'lades que nascem da impureza
do sangue. Vede as certidoes no Alnia-
nack e Manual de sade do Dr. Ayer que
se distribue gratuitamente nos lugares onde
se vendem os remedios.
Este remedio 0 lucto de longas e labo-
riosas experiencias, o ha abundantes provas
das suas virtu les: posto que cITerecido
ao publico sol o nome de Salsaparrilha, l
composlo de diversas plantas, algumas das
qaaes sao superiores a melhor salsa parri-
lha no seu poder alterante.
PEITOR.L HE 6EREJ.V DE VVEH.
Cura promptamente a asthma, bronchite,
tosse, delluxo, angina, coqueluche,
phthysica primaria, tubrculos
pulmonares, e todas as
molestias pulmo-
nares.
Allivia os etlicos declarados.
Todas as molestias da garganta, do peilo
e dos pulmes pdem ser curadas em pou-
co lempo pelo i*kitoiial de CGheja do dr.
AYB.
A' venda as principaes boticas e droga-
ras do imperio, e na agencia central do
Rio de Janeiro ra Direita n. 15.
Iivr de orajes.
Vende-se 5 i(M) res, na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia, um iivrinhocon-
tendo o eguinte : louvor ao santo nome de
Deas, cor6a dos actos de amor de Deus, ora-
cSes e pelicSes, hymnoao Espirito Santo, co-
COM8ELHO
DE
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado n. 49, est vendeodo muito
boas fazendas e mukp baratas, quem quirer poder
_ 'fi vir ver ou mandar para experimentar, assim como
Deixai que os Hunos da civilisacao nos pregucm sejam :
economapara os psl 1 Esta parle do corpo! Gollinhas muito linas para senhora a 500 rs.
humano por eerto aquella que, neste clima, ne-1 Ditas e punlias de fusiao muito bonitas a 6iO.
roa do SeBhor, viso a qualquer alma de- cessita de roaior agasalho: pela humidade nos pea Cartas de alfinele de cabeca chala de todos os ta-
voa, desengaos da vida humana, hymno se introduz grande maioria das molestias, e cotnj manlws a 80 rs.
decanto Ambrozio Ifossa Senhora, jacula- SSf A?** sau,tee da ida '',' Fra coni as 5esmas de P?P! l|e peso muito bom a 2*.
toSs ao Santissimo Sacramento,exercici^Ida 1 WM,|g^w^ij?hr*ta* r^
via-sacra, commemoragao Nossa Senhora i
do Carmo e ao SS, Sacramento, directorio Bo^guins francezes paranomem
para a oracSo mental, dividido pelos dias da K 'pS^nbo 8*' ^ *
semana, obsequio ao coraclo de Jess, sau- i Ditos para menina
Capachos redondos e comiiridos a 509 rs.
Caixas com superiores brelas de colla e de massa
a 40 rs.
5i00t fJordao branco grosso que tera-multa applieacSo a
65000 vara a 20 rs.
IA800 Linhas de carriteis garante-se 130 jardas a-40 rs.
24090 Cartes de linha Pedro V com 200 jardas a 40 rs.
5^000 Grosas de peonas de ac muito finas a 500 rs.
540 Varas de franja de ISa'para vestido a 40 rs,
45000! Ditas de franja branca larga para toalhas a 160 rs.
roerava fgida.
Acba-se fugidd a escrav Joanna, crioula, viu-
do purgatorio.
de idade, cabellos earapinhos, um ^* ., ?^
frente, olhos um into fondos, cor segumtes obras: barmer, Economa po-
[egular, levando fdupas de viuva. litica, 1 vol. por ,->;(K); Mackeldey, Din-i-
va, de 40 anno:
' dente lirado na
I pi ta, estatura 1
mure liento ao redor da bocea ; fragela e, le^ndo era sua.cpropaohia ura moleque fifho'da to romano, vol por 5tf ; Du Caurtoy,
-* s mra,r iit9est&o-fraca '^t^^v^m^ Comrflnlas d?cowesl Frt vDo[-
appetde irregular, falta de energa, ventre ft-Bgueita de Santo Antao, cidade da.Victoria: porl0 1 ochado e evaettaeo irregular ; quando 0! qoem apprehenTer ser generosamente recorapeni! ron, 1 vol. por 9$; Hacine, obras comple-
sdo, na roa da.Praia n. 78, ou no sitio indicado tas, 1 vol. por 9#; G. Mass, Diccionario do
Pi lo propr.o Munoel Antonio Soares. contencioso commercial, I vo. por-70;
- Thomaz valcanti da Silveira Lfns Jnior Chabot de l'Allier, commentario sobre suc-
p< ue ao Sr. subdelegado de S. Jos o favor de di- M.ru., _i nr,n7. i i_-,..j u
zer o que pretecMe fazer om um seu escravo de cf^&' J voL .Pr, 7*! j\: Ml' obras
odme ZeferiHo qte foi preso no dia 9 do correte pbuosopbicas, Ivol. por3d; Sauvage-Har-
pcr suspeito em rime de ter adiado um sacco dy, creacao de bancos de deposito. 1 vol.
con a quanlia del25500, que dira ter perdido um por 2JJ; Anotle ChauWard, da solidarieda-
vendedor de leite e nao sabendo quemo achou, dp pm dirpitn romano 1 vnt n aiinbueaoditoescrave com qoem intrigado, al ae m mreito romano 1 vor per Z9 bouts
hoitem esperava-fe que este provasse o facto, po- Blanc, organisaco dotrabalbo, 1 vol.
r n nao voltou mais o prejudicado, e o escravo 2)5; Revista contempornea de Portugal e
tiltil* 4 Il'l'ir I T*. KM Afllm nmlin f.H J;_nH .-, Il_____.* _______ -1- I \ h. k tlM \
Ditos de pete para bomens e se-
n horas a 800 e
Ditos para casa
Chinelas rasas do Porto
15400
15000
15OOO
500
15600
LOJA110IICIJA FLOR.
Ra do Queimado ns. 63 e 69.
cotraua a estar preso. Assim poda w dizer que Brasil, anno de 1859, por 2$:
o 5 r. subdelegado achoo ama bolea que eu perdi Cahnoi Inia n 9 k
co. a diBheiro, sera nunca o ter |>osuido. *
- Jos Mara de Souza faz sciente ao respeita-
vel publico e com especialidade ao corpo do com-.
na ra do
Cintos ourados.
Sao chegados os lindos cintos bordados ouro,
pelo barato preyo de 25500 e 35000: no Ueija-flor,
ra do Queimado ns. i: e 69.
Fivrllas para cintM.
Chegaram tambem ricas fivellas douradas e de
ac para cintos a 15000 e 15200 : no Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e t>9.
Peines de lartniqa.
Lindos pentes de tartaruga, gosto moderno, a
55200, 55500 e 65000 : ra de Queimado ns.
*. i D*> 6 O".
Pentes de traressa.
mek-cio qne vendeu a\) Sr. Jos Antonio' Ferraa de
Figueiredo a sua taberna -iia na ra do Palacio do
Uis io n. 46, livre e desembarazada, se alguem se
jul| ar com direito a qualquer reclamacao dirija-se i
a-- nesmo estahelecimento no prazo de 3 dias, e'
julfando nada dever nesta praca nem fora de lia
rogl a quem quer que sejulgue seu credor Ihe
aprsente sua costa. Assim como pede aquellas
pessoas que tiverem penhores em sua mao quoi-
.raml vir resgata-los neste raesmo prazo do contra-
rio bao se trifila a reclamacao alguma. Recife,
12 de agMto de 1864.
Vendem-se penies de travessa de novo gosto para
, meninas a 00 e 800 rs. : s no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Pentes para atar cabellas.
Lindos pentes pequeos para atar cabellos, pro-
prios para se andar em casa a 400 e 500 rs. :
no Beija-flor, ra do Qoeimado us. 63 e 69.
Pentes para alisar.
O mais completo e variado sortimento de albuns I Pentes de borracha linos, guarnecidos de metal
que se possa ter visto em Pernambuco, acaba de' para alisar a 900 e 15000, dls sem ter meta!
chegar de Paris casa de J. Falque, ra do Crespo porm de caracol a 700 e 800 rs. : no Beija-flor,
n. 4, sendo de 20 at 100 retratos, e por precos ra do Queimado ns. 63 e 69.
nunca vistos aqu, em attenco boa qualidade e! Ilotes de raadrcpcrola.
gostos, regulando de i$ e gradualmente at 155- i Tendo recebido um variado sortimento dos de-
Assim como um bonito sortimento de livros de! sejados boioes para abertura de roupao, vendem-
Pares de boioes de punho 120,320 e 500 rs.
Tinteiros de vidre com tinta a 160 rs.
Ditos de barro com superior tinta a 100 r?.
Grosas de botdes de louca prateado a 160 e a du-
zia a 20 rs.
Tesouras para costura a 80,'200, 400 e 500 rs.
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs.
Libra de la para bordar da melhor qualidade a
65500.
Caixas de phosphoros de seguranca a 160.
Caixas c pacotes de papel amizade superior a 600
ris.
Caixas com 100 envelopes muito finos a 800 rs.
Grande quidafco
de fazendas na leja i Pavo, ra da Imperatriz n.
60, it Gama k Silva.
AcOa-se este estabelecimeolo completamente sor-
rtdo de fazendas ingiezas, francezas, allcmles e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
mato, prometiendo vender-se mais barato do qne
em outra qualquer parte principalmente sendo em
porcao e de todas as fazendas dao-se as amostras
deixando ficar penhor ou raaodam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja.do Pavao.
As chitas do Pavo.
Vendem-se superiores chita claras e escoras pe-
lo barato preee de 240 e 280 rs. sendo tintas sega-
ra, ditas francezas finas a 320, 340, 360, 400 e
500 rs., o covado, ditas protas largas e estreitas,
riscados escocezes finos a 240 rs. o covado, isto na
loja do Paviio ra da linperatrii n. 60 de Gama &
Silva. ~
As eassas do Pavo a 210, 280, 300 e 320 r.
Vendem-se finissimas eassas persianas cores -
xain il?' 00vad<>.diUs francezas muito finas
a 240 e 280 rs., ditos ingzezas a 240 e 280 rs. o
covado, finissimo organdy matisado com desenhos
miudinhos a 320 rs. o covado, eassas garibaldinas
muito finas a 320 rs., isto na loja do Pavo ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As laaziuau da eiptsico oPavio.
Vendem-se as mais modernas laazinhas mossan-
bique chegadas pelo ultime vapor francez sendo
i de urna s c6r ou de listos mindinhas cora 4 pal]
: mos de largura, proprias para vestido de senhora,
Quaderuos de papel pequeo azulado a 20 rs. i roupa para meninos e capas, e pelo barati imo
Urnteis de linha Alcxandre com 200 jardas a! preep de 880 rs. o covado, ditos entestadas trans-
00 rs. i parentes de quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
Baralhos para voltaretea 240e mais linos a 300 rs. vado, ditos matisadas muito finas a 500 e 400 rs
Meiadas de linha frouxa para bordar a 20 rs. ditos mais baratas do que chito tambem matisadas'
re?*iai'alos de lrana de todos 0i laraanll0S 320 rs. o covado, ditos a Maria Pia com palma
p'W n Ken I deJ?ed e Primos de largura a 800 rs. o covado,
Grosas de botdes de madreperola muito finos ao60 e ditos, de urna s cor parda, azul, cor de lyrio
i perola proprias para vestidos, sautembarques e
de superiores quah-1 garibaldes a 720 rs. o covado, ditas escocers a,
800 e 400 rs isto s na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os cales do Pavt.
Vendem-se finos chales de crepon estampados
pelo barato preco de 65, 75, 85, ditos de ponto re-
donda a 75 e 85, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidrilho a 125, ditos pretos lisos a
RlUAl *sF(VI ^FRIINnn 55, ditos de cores a 45500o 55, ditos de merino
1. 'Fa ytl!l.VtUy,llJy estampados a 25 e 35, ditos de la a 15280 e 25,
Hua do Queimado n. 49 loja de miudezas de Jo-! ditos de retroz preto para luto a 65, isto na loja
se Bigodinho, venham ver a pechincha ris.
Carias e caixas do eolchetes
dades a 40 rs.
Massos de grampos superiores e limpos a 30 rs.
Grosas de palitos de gaz a 25200.
Libras de areia preta da melhor qualidade a 120
ris.
Caixas redondas para rap e tem muito bonitos ca
lungas a 100 rs.
missa de diversos gostos e precos razoaveis.
no Beja-fior, ra
A' Sociedadc Weljiomeue l'er-
iiaro bacana.
O abaixo assignado declara aos socios
da Sociedade Melpomene Pernambucana
|ue deixou de ser socio e secretario des-
i a sociedade desde o dia 11 do crrante.
Joo Nepomuceno Alves Man.
= DSr. relojoeiro Caelano Moreira Fcntes,quei-!
ra declarar sua moradia para enlregar-me meu
relog ) de ouro para algibeira, que em agosto do
lassado Ihe enireguei para concertar. Re-
3 de agosto de 1864.
M. J. Lopes.
anno
cife,
= Alugase um sobrado de um andar e soto |
fta tra/essa dos Quarteis e um outro pequeo na
Ira
no
modos
Ionio n 8. com Bi'rnardino Jos Leito.
Vende-se das seguintes marcas:
(E El
SemitbjCeC |de FF o barril por 155.
P N & C de FF o barril por 155-
P diamante de FF o barril por 145500.
De superior qualidade FF 2 espingardas o barril
por 165.
Chumbo de raumeo de toda a grossnra arroba
55500.
No armazem de J. A. Moreira Dias roa da
Cruz n. 26, onde encontrarn as amostras.
LIVRARIA ECONMICA
Hua do Crespo n 2
se a 400 rs. abotuadura
| Queimado ns. 63 e 69.
Grvalas para seuliora.
Lindas gravatinhas de lago para senhora a 15,
ditas sera taco a 640, 800 e 15000, sao as mais
lindas que tem vindo : s no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Enleites para senboras.
Lindos enfeites modernos a 25000 e 25400,
ditos de rede a ,900 rs. : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Talheres para meninos.
Chegaram novos sortimentos de talheres para
meninos a 280 e 320 rs., ditos cabo de balancp de
um botao a 400 : as lojas do Beija-flor, ns. 63
aves: a da Bomba e urna casa lerrea muito fresca O p (1-0 OLTCQ de S(Mt<> A ft
} me hor lugar da Capunga, lodos de varios com-'
odos ; a tratar no pateo da matriz de Santo An- 0PFI8 U'liiliaiIHIllle I'Ctebid
Ionio
ebidas
LITTERATURA.
Historia da Fundaco do Imperio Bra-
pri-
1 raspassa-se o arrendamento de um sitio
com bo i casa e planta de caplm, a boira do rio, o
mais porto desia praca, assim como se arrenda
urna col-heira com uoia casinha junto era bom lo-
cal ese vende dous carros sendo um de vidraca
outro sem ella, e una parelha de cavados os mais
fortes que pode haver proprio para quem nuizer
usar deite trafico por ter toda commodulade e
taniIieinl estribari;i para alguns cavallos : na ra
do PasseiO Publico loja n. 7, se tratar cem quem Obras de II. A. A. deAzevedo, 3 vol. ene.
pretend r. Suspiros Poticos, de D. J. G. de Maga-
Ihaes
slleiro por J. M. Pereira da Silva,
meiro vol......
Calabar, historia brasileira do seculo 17
por J S. Mondes Leal Jnior, 1 vol.
ene.........
Theatro doDr. Joaijuim Manoel de Ma-
cedo, 3 vol. ene.
Quem
becco do
Ama.
precisar de nmaamade leite, dirija-se ao
Rosario, loja do sobrado n. 5.
1 vol.
'Vi
:encai
O abai? o assignailo declara que hoje despedio-se
voluntari; mente da fabrica de cerveja dos Srs.
Klein & I artins, na ra de Joo Fernandes Viei-
ra, na Sol idade, dos quaes era eaixeiro : e preva-
li-ce-se da opporlunidadc para agradecer aos refe-
ridos senli ores a benevolencia e a confianea com
que sempije se dignaram de lionra-lo ateo presen-
te. Recift
10 de agosto de 1864.
Casemiro Euzebio de S Pegado.
O abjixo assignado faz sciente ao publico e
ao corpo d) commercio, e a quem interessar pos-
sa, que de de o da ( do corrente tem aberto um
novo eslab lecimento de molhados na ra do Ale-
erim n. 2, regoezla de S. Jos, em que est de ge-
rente da d ta casa o Sr. Jos Bernardino Alves pa-
ra comprar e vender a dinheiro. Recife 11 de
65000
65000
55000
63000
45OOO
agosto de 1
864.
Preei a-se alugar na moleque : na roa es-
Ireita do H< ario n. 12, primeiro andar.
Preei:
Hospicio n.
Su

Aluga-se um sitio no Rosariuho n. 2 junto a ca-
pella, com muitos arvoredos de fructo, e casa com
muitos commodos para familia, eoeheira para car-
ro e animaes ; a chave para se ver est no sitio
defronte do Sr. Fialho, e para tratarse, na ra
Nova n. 55, ou na ra da Cadeia do Recife n. 29.
Chcod Gron,
Europa.
cidado belga, retira-se para
O Sr. J. I. de C M. faca o favor de vir ra
Nova n. 58, primeiro andar, terminar o negocio
que nao ignora, isso nestes tres dias, sob pena de
publiear-se nesie jornal nao s o sen nome por ex-
teo>ocomo qual esse negocio, e tudo quinto a res-
peito delle se tem dado entre S. S. e a pessoa que
az este annunco.
mmm-mmmm-mmummm
i DENTISTA DE PARS
19Raa Nova-19
Frederco Gautier, cirnrgio dentista,
faz todas as operac&s de sua arte, e col-
loca dentes artificiaes, tudo com supero-
ridade e perfeicao, qne as pessoas enten-
didas ihe reconhecem.
Tem agua e pos denuncie.
Jos de Souza Nuno Braua.
a-se alugar urna
62.
escrava : na ra do
Precisase fallar como Sr. Joao Chaves do
Reg Barro; : na ra da Penha n. II, taberna.
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se ber
pendencia n
na loja de bilhetes da praca da Inde
22.
Comprase cobre velbo : na ra doBrum nu-
mero 78.
Compr-se couro de carnelro
do Rosario ri. 10.
na ra larga
Copipra-se
ouro e prata
na ra larga
efectivamente
em obras velhas pagndose bem :
do Rosario n. 24, loja de ourives.
Compram-se tres escravos pe^as, sendo 1 pe-
dreiro, 1 campia e 1 ferreiro, todos ptimos offi-
ciaes : a tratar na ra do Imperador, sobrado n.
2, ou annunciem para seren procurados.
VENDiS.
Alnga-seo 2 andar do sobrada n. 79, na roa
do Imperador : a tratar na ra do Crespo n 15.
Desappareceu da casa de seus senhores no
lia 17 do iik-i passado a preta Calharina, na cao
''.ota, levando bilhete para procurar senhorio, di-
zeiii estar acolitada para os Alegados, em esa de
alguns parceiros, tem os signaes seguintes : corpo
secco, cor bem preta, alguns talhos no'ro-to, ps
um tonto grossos, e dedos curtos, levando vestido
de chita e panno da Costo : quem a pegar levo
ra da Alegra n. II, que ser recompensado.
O Sr. Sebastlo Jos Peixoto tem ama carta
na praca da Independencia, livraria ns. 6 e 8.
Aluga-se a casa terrea n. 71 da ra da Hur-
tas : a tratar no arsenal de guerra com o almoxa-
rife de mesmo arsenal.
COMPENDIO DOLOROSO
que conten o officio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
a, um setenario e mais outros exercicios
de piedade e devocSo; ordenado pela ir-
mandade dos servos da mesma Senhora,
que se acha erecta nagreja de N. S. da
Penha dompetial hospicio dos reveren-
dos padres misslonarios apostlicos capn-
chinhos italianos de Pernambuco, approva-
do por S. M. I, que Deus guarde; dado
luz por devocao do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vonde-se a 320 rs. na livraria ns. 6 e 8
praca da Independencia.
Vende-se urna escrava moca perfeita engom-
madeira e cozinheira : a tratar no pateo de S. Pe-
dro n. 13, das 4 horas em (liante._______
= Vende-se om cabriolet de 4 rodas em perfei-
to estado de servico : na eoeheira do Chico Meira
no Mundo NovoJ
Mocidade de D. Joo V por L. A. Rabello
da Silva, 3 vol......
Um anno na corte por J. A. Corvo, 3 vol.
, Os Miscraveis, por Vctor Hugo, 10 vol.
Crimes espantosos, 2 vol.....
, Marida de Dirceo, nitida edieco, 2 vol.
' Historia de Napoleo, com eslampas, 2
vol.........
Obras poticas de M. I. da Silva Alvaren-
ga, 2 vol.......
O Oulono, poesas de A. F. de Castilho, 1
vol..... .
Revelacoes, poesas de E. A. Zaluar, 1
vol. *........
Pcregrinaco provincia de S. Paulo, pe-
lo mesmo. 1 vol......65000
A morte moral, novel la por A. D. de Pas-
cual, 3 vol.......65000
Agulha em palheiro por Cantillo Caslello
Rranco, 1 vol......25000
Viso dos tempos, Antiguidade Homrica,
Harpa de Israel, Rosa Mystira, poema,
por Theophlo Rraga, 2" edicao, 1 vol. 15500
Cynsmo Scepticismo e Crenca, comedia
por A. Cesar de Lacerda, 1 vol. 15000
.tem distas obras recebeu mais, de lilteratura
franceza, portugueza e brasileira, as quaes vende
precos muito razoaveis.
Vende-se urna negra propria para todo o
servico e sem achaques : a tratar na taberna jun-
io a matriz nova de S. Jos com Bernardo Jos da
Rocha.
Fabrica de chapeos de sol de
Francisco Maestral], ra
do Queimado n. 22.
chec-ado um grande sortimento de fumo capo-
ral, cachimbos, e chopetas para charutos, e tam-
bem bengalas e chicles para montara, de todas
as qualidades, e sempre se acha nesta fabrica um
grande sortimento de chapeos de sol de todas as
qualidades, tambem se cobrem chapeos e se con-
certara, e se faz tudo pertencente esto arle.
400 rs. a garrafa.
Vende-se tinta preto a 400 rs. a garrafa, para
|Jas de meninos e para marcar fardos de fazen-
au : na travessa do Queimado n. 1.
vji?im^s WSMK'SS zara
La para hordar.
Vende-se la de superior qualidade e de lindas
cores a 65800 a libra : no Beija-flor, ra do Quei-
mado, ns. 63 e 69.
Papel de diversas qualidades.
Vende-se papel de beira dourada pautado a
15200 e 15300 o pacote.ditos sem serdourado e nem
paulado a 640, 800 e 15000 : no Beija-flor.- ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Envelopes para cartas.
Vende-se envelopes de cores a 600 rs. a caixa,
ditos brancos a 640 e 800 rs. : no Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Pentes domados para alar.
Vende-se pentes dourados para atar cabellos a
15000, 15200, 25800 e 35000 : no Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Penles para marrafas.
Vende-se lindos nentiohos dourados com podra
para marrafa a 15200 : no Beija-llor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Sapalos de ir aura.
Vende-se sapatos de tranca muito bons a 15500,
,5*XXX: ditos de tapete a 15600 : no Beija-flor, ra do
'SSSI Queimado ns. 63 e 69.
Ralaios com salio.
Lindos halaios com 6 sabonetes de varias troc-
las a 25500 cada um : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
as mesmas lojas se encontrar lindo sorti-
mento de perfumaras e variado sortimento de
miudezas que se tornara enfadonho menciona-las,
porm afianca-se ser tudo bom e mais barato que
550001em oulra 9W Parle-
55000
55000
95000
95000
35000
85000
acabando certas qualidades de fazenda.
Pecas de fitas elsticas com 10 varas a..
Ditas de tranca branca lisa com 10 varas.
Ditas de tranca preto lisa a............
Realejos para meninos, pechincha a...
Rodinhas com superiores alfioetes a.....
Caixas com superiores agulhas e limpas a
do Sabonetes de familia, muito finos a 80 e..
Pares de sapalos de la para criancas a..
Varas de babado do Porto muito' bom a
100, 120 e.........................
Ditas de bico largo grosso a............
Potes de superior tinto tem mais de raeia
garrafa a..........................
Caixas com pe fumarias muito bonitas a.
Frascos de oleo de macaca muito fino a .
Ditos de oleo de babosa superior a 20,
320, 400 e.........................
Ditos de cheiros muito superiores em qua-
lidade a...........................
Ditos de agua de colonia muito boa a___
Ditos de dita dita grande a...........
Sabonetes de todo o preco 60, 160, 200,
320 e.............................
Frascos de superior banha a 320 e.......
Caixas de p para limpar dentes muito
lino a-...........................'.
Ditos de bs nha transparente a..........
Pares de ligas muilo fiuas para senhora a
Sabonetes inglezes da melhor qualidade a
Frascos de agua dentrifice superior ga-
rantida a.......................... 15OOO
Massos com 25 envelopes grandes azula-
do a..............................
Varas de fita preta com clcheles a.....
Frascos de macaca perola muito superior
Caixas com peonas grandes a.........
Grosas de botes para calca preta, miudos
Libras de memento da roupa de lavar a..
Carriteis de relroz de todas as cores e
tem meia oilava de relroz a..........
Varas de bicos de differentes larguras a
Imperatriz n. 60, de Gama &
400
160
100
320
500
100
500,
320'
400,
800;
0
Perfitme
da Moila.
S

AGENCIA
Silva.
J^j 0 Pavio vende para luto.
fio Vende-se superior setim da China fazenda toda
y de la sem lustre tendo 6 palmos de largura pro-
Sn pno para vestidos, paletots, capas etc., pelo bara-
to preco de 25, 25200, 25500 o covado, eassas
7X pretos lisas, chitas pretos largas e estreitas, chales
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
com gollinhas e outros muitos artigos que se ven-
dem por precos razoaveis: na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Os vestidos do Pavo
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
camente bordados a veludo pelo barato preco de
405, sendo fazenda que sempre se vendeu a 1005
e 1*05 ; ditos de carabraia brancos ricamente bor-
dados a croch, sendo proprios para baile e casa-
mento a 10, 13, 20 e 305 ditos de la com lindas
barras a 18 e 155 ; isto na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Pavo.
Vende-se panno preto muito superior pelo barato
400 Preco de 25, 25500,35 e 3&500, ditos muito finos a
800, 45, 55 e 65, cortes de casemira prea enfestoda a
i 45, 455OO e 65, casemira preta fina de urna s
100 largura muito lina a 15800, 25, 25500 e 35, cor-
000 'es de casemira de cor a 55, 55500 e 65, casemi-
300 ras enfestadas de urna s cor proprias para calca,
320 paletots, col leles, capas para senhora, roupas para
: meninos a 35 e 3J1500 o covado, isto na loja do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A roupa do Pavo.
100 Vendem-se paletots de panno preto sobrecasa-
100 eos fazenda muilo boa a 125, ditos muito linos a
200 165, 205, 255 e 305, calcas de casemira preta boa
200 fazenda a 45500,55, 65, 75 e 85, paletots saceos
100 de panno preto a "5, ditos de casemira de cor a
200 65 e 75, ditos de alpaca preta, ditos de merino
preto, ditos de brim de cores, calcas de casemira
de cor a 45, 55,65,75, ditos de caxemira da
Escossia a 35, ditos de brim pardo a 25500, ditos
de cor a 25 e 25500, ditos brancos muito finos,
sto na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama 4 Silva.
As eolebag do Pavo.
Vendem-se colchas de linho alcochoada pro-
prias para cama pelo barato preco de 55 cada nma
200
60
FUNDICAO DE LOW-MQQR.
Ra da Seuzalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver ,"a rua daJrnpe<-ainz n. 60, de Gama & Silva
um completo sortimento de moendas e meias I VanAn *^?-s ,e n,,na s. c?p .
r ,. l Vendem-se laazinhas de urna s cor. sendo en-
moendas para engenho, machinas de vapor carnada, azul, cim-nta, cor de caf, lirio elaro, li-
e tachas de ferro batido e COado, de todos 01 rio roxo cor de perola pelo baratissimo preco de
tamanllOS para ditOS. ^i" covado, fazenda mi'.ito lina s o Pavo, a rua
---------------------;----------------------------- da Imperatriz n. 60 loja o armazem de Gama &
Arados americanos e machinas para: Silva.
lavar roupa: em casa de S. P. Jobnston C. [ As precalas do Pavo.
rua da Senzalla Nova n. 42. Vendem-se as mais lindas precalas que tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapof fran-
cez, pelo barato preco de 600 rs. o covado, dias
de listrinha muito mudnhas proprias para vestidos
e roupas de meninos e meninas pelo barato prego
de 500 rs. ; s o Pavo rua da Imperatriz n. 60,
loja de Gama & Silva.
As chitas lo Pavo 2$100 e
SOOocOrte.
Veudem-se cortes de chita com doze covados
; cada corte, ditos com dez covados a 25400, fazen-
j da muito boa, e que nao desbota, s na loja do Pa-
vo tem esta pechiucha ; a rua da Imperatriz n.
60 de Gama Silva.
Panno de linho.
MACHINAS BFATEME
de
trabalhar uio paca
descarocar algode
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OlDMl
AG-TJA FLORIDA
Do Murrav brfca Concec&o da
Baha.
Andrde k Reg, rec.ebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da rua de Imperador, algodo d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar aigodao empluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
da
Aos Srs edificadores de predios
Vendem-se alguns terrenos dentro desta praca,
por preco commodo : a tratar com o agente de
leudes 01 y rapio em seu escnptorioa roa da Cadeia
do Reciten. 48, primeiro andar.
GRAXA N. 97
Vonde-se a verdadeira graxa ingleza n. 97 no
armazem de J. A. Moreira Dias na rua da Cruz
numero 26.
Este raro qniio delicado perfume
quasi que ncxtiiiguivel e to cheio de
mimosa fragrancia c frescura como o
delicado cheiro das proprias verdecen-
tes flores. Durante os mezes caloren-
tos do veio O seu uzo tornn-sc minen-
teniente aprazivel e desejavel em con-
rcquencia da influencia refrigirante e
enave que ella proiiuz sobre a pelle:
cin quanto que uzada no banho ella
iparte o corpo lnguido e caneado
urna certa elasticidade de vigor e torea.
EUai iniciarte transpanncia a fegett,
e rei/unic jxinuos, arda,e Vertotjas di
sobra a pelle.
0 T0(l IIPHL BE MP
PARA OS CABELLOS,
urna preparaco admiravel para lim-
pnr. at'onnosear, conservar e reetabele-
oer os cabellos.
k venda as boticas de Gaors & Barboza,
roa da Cruz, e Joao da G. Bravo & C, roa
da Madre de Dos.
do em caroco
em 40 miouto's,
ou 18 arrobas
por dia ou a ar-
robas de algodo
tirapo.
Esta machina
a nica que
possue as vantagens de nao destruir o fio do al-
godo e de fazer render o dobro de qualquer ou-
tra com menos trabalho, a sua introdueco para
as provincias desle imperio ser de muito valor
para todos os inleressados na lavoura do paiz.
Assim com machinas em ponto grande do mes-
mo systema.oraql serern movidas por animaes,
agua ou vapor, pas uaes podem descarocar 18 ar-
robas de algodo ampo por dia.
0 algodo descarocado por estas machinas tem
muito mais estimaco nos mercados de Europa e
vende-se por maiorpreco.
As machinas se acbam venda unicamenie em
rasa de
Saumlei's Brothers k C.
X. 11. praca do Corno Manto
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.

po-
-
00
Ciomina de mandioca.
Vende-se na roa da Madre e Dos n. 38, ar-
mazem. "
botijas de
na roa da:
Vendem-se 60 barris com mefas
cerveja marca tenente, preta e branca :
Cadeia do Recife -13 ou 16. ________
Vende-se urna escrava parda, engomma per
feitamente, cozinlia bem, ose, e muito carinho- portanto es senhores amigos do bom e barato crie-
sa para crianra : sarna 4as Nimplias, casa terrea guem ella antes que se acabe : loja da rua da
0 SO
B3 B
S
B 3. 0
p g
0
co rjs
00 - (T>
s-
9 t

Pechincha sem igual
Algodo superior largo marca T de 24 jardas a
peca por 7 por ter um pequeo defeito; pode-se
asseverar qne pechincha a vista da qualidade, e
Trina, volantes e Ralees.
Vende-se trina, volantes o'galoes de todas ae
nova anda sem numero, junio de outra com soiao Madre de Dos n. 16, defronla da guarda da ai- largaras por grecos muito barato: s ne vieilants
faodega. | roa ^ ere* *. 7.
tmmero 9.

Estas machinas
podem descarocar
qualquer especie
9de algodo sem Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
estragar o fio,! gura proprio para lences, toaihas e ceroulas pelo
sendo bastante j barato preco de 640 rs. a vara, bramante de linho-
duaspessoas para 1 com 10 palmos de largura a 2SO0, algodozinho
o trabalho; pode I monstro com 8 palmos de largnra a 15. pecas de
descarocar urna Hamburgo com 20 varas a 9, 10f e 1 !& pecas de
arroba de algo- madapolo fino a 7,5500, 85, 95 e 105, ditas de
n' algodozinho a 65, 65500 e 75, e outras muitas
fazendas brancas que se vendem muito baratas
alim de apurar dinheiro : na loja do Pavo rua da
mperatriz n. 60, de Gama & Silva,
O bramante do Pavo com doze
palmos de largura.
Vende-se bramante de linho puro, muito fino com
doze palmos de largura o melhor e mais largo que
tem vindo ao mercado pelo barato preco de 25800
rs.a vara ; s na loja do Pavo de Gama & Silva,
aua da Imperatriz n. 60.
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas qns tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas de lis-
trinha muito miudinhas proprias para vestidos e
roupas de meninos e meninas pelo barato preco
de 500 rs.: s o Pavo rua. da Imperatriz n. 60.
loje de Gama & Silva.
Os baloes do Pavao.
Veudem-se crinolinas ou baldes de 30 arcos tan-
brancos como de cOres, sendo americanos que
sao os inelhore? por se nao qebrarem a 35500 e
de 3o arcos a 45, di los de musselina com babados
45, ditos para menina a 25 e 35: na loja do Pa-
vo roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
O Pavo vende 8&.
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos a
Mara Pia, com lindas barpas de soda, sendo che-
gados pelo ultime vapor francez pelo barato preco
de 85 cada um : s na Jo-ja do Pavao rua da Impe-
ratriz n. 60, de Gama t Silva.
Os baldes do Pavo.
A 20SOO s Para.
Vende-se baloes com 20, 23 e 30 arcos pelo bi-
ralissimo preco de 25900, assim como tem um
completo sortimento de baloes para meninas de lo-
dosos tamanhds pelo baratissimo pre^o de 25500,
notando que sao baloes de arcos os melhores que
tem viudo da America Inglesa, vendem-se por esto
preco para liquidar : s na loja e armazem do
Pavao rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Slva.
Os soiifeanbarqiies de Pavio a
l$c f 5^ no o Pavo.
Vendem-se os mais lindos sooteanbarqoes que
tem vindo ltimamente de lazinba e caxemira ri-
camente bordados e enfeitados, cores mnito delica-
das pelo barato preco de 105 e 155 ; fazenda esta
que em outras lojas se vendem per 905 e 255,
s para liquidar : aa loja e armazem do Pavo
rua da Imperatriz n. O de Gama Silva.



i


I)
__;--------------------------------------^> ..,
'i
Diario de FcrasuaStueo Sabfeado 13 tic Agosto de 14.
CM RUI
I i i
^

RA DO QlJKIMAIIO ff. 44,
Passaudo o becco pa Congregado segunda casa.
mmm i
NOFIDADE.

Pereira Rocha d C. acabam de abrir na ra do Qiieimado n. 45 um armazem de molhadosdenominado Clatim Commerciai,
onde o respeitavel publico encontrara sempre um completo) sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quae*
aerao vendidos por presos muito resumidos como o respeilavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se obom peso
e boa qualidade dos gneros comprados ueste armazem.
Arroz do Maranho.da India e Java a60, 80 Cevadinha de Franca muito superior a 220 j Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra
e 100 rs. a libra e 10800 a 2600 e U, rs. a libra.
a arroba. i Cevada a 80 rs. a libra.
*.meixas francezas em latas e em frascos a, Ervilhas portugiiezas a 640 rs. a lata.
liiftOO e ii600 emfrascos grandes a dem seccas milito novas a 200 rs. a libra.
24500. I Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem era caixinhas elegantemente enfeitadas de oito librasie canastrinhas de 1 arroba a
com ricas estampas no interior das oaixas j 18O0, 5$50 e 280 rs. a libra.
a 12(5000,14400, 15600 e 20. Farinha do Mar&nfcao a 160 rs. a libra.
Amendoas com casca muito uovas a 80 rs.; Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
a bra. Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba. a 560 rs. o frasco e 6*200 a frasqueira.
Azeite doce francez muito fino m garrafas, dem em garrafes de 3 e 5 gales a 50500
grandes a 960 rs. a garrafa. | e 70500 cada um com o garrafo.
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa. Grana a 100 rs a lata e 10100 rs. a duza. Jijlos de hmpar f
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a Licores muito fijaos a 700 rs. a garrafa. Vellas de carnauba
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos djo ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chqgado no ultimo vapor e
900 rs. a libra.
icas de vidro a 600 rs.
Toucinho de Lisboa
Sal refinado em fra i
cada um.
Sardinhas de Nantej. a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
320 rs. a libra,
casa 140 rs.
pura a 360 rs. a
libra.
libra. dem, qualidad
Avefcas muito grandes e novas a 180 rs, a, grandes, a 10800 rs. a garrafa.
fibra. dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
Brscoutos inUes de diversas marcas a
16300 ris.
Belachinhas de seda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
SDitas inglezas mufle novas a 30000 a barri-
quinba e a 200 rs. a libra.
'Banha de porcor efmada a 440 rs. a libra e
e em barril a 4fO rs.
Cha hysseo, huelan e perola a 10600, ,
20500, 2080 e 30000 a libra,
dem preto rauite superior a 2 #080 a libra.
Gerveja preta e branca, das melhores marcas
quevem ao aereado, a 508 e 50800 a duzia. 800 rs.
Cognac inglez fino a 900 rs. agarrafa. dem regular a 5j0O rs.
Conservas a 720 rs. o frasco. Messas finas pan sopa
Idea, s de pepino, a 720 rs. Todinhas e leti
dem, s de azeitonas, a 750 ts. 40 a caixinha
especial e garrafas moito dem stearioas muito superiores a 600 rs. a
libra.
Figos em caixinhas ermeticamente lacradas
10600.
dem, "garrafa ffjjrma de pera e rolba de vi-
dro, a 10000 rs., s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga hsgleza perfeitamente flor, desem-
barcada de po ico a 900 rs. a libra, e da
de segunda qujalidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs, a libra.
a HW rs.
em barril a 480 rs. a libra,
dem em lata a 0)40 rs.
Marmeteda impe ial dos melhores conservei-
a 600 rs. a lata.
; Zara, frascos grandes,
dem de tempere
Massa de tomate
ros de Lisboa
d
Charutos dos melhores fabricantes da Babia Nozes muito novis a 160 rs. a libra.
e especialmente da fabrica imperial de Peixe em latas p
&08OO, 30000 c Palitos de dentes
Palitos de denles
a 160 rs. -o masso.
a 120 rs.
Candido Ferr'eira Jorge da-Costa, a 10800,' de cozinha a 10 rs. a lata.
20000,20200, 20500,
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320 dem dp flor a 20(0 rs.
rs. a libra e 80500 e 80800 rs. a arroba. Amendoas confei adas a 900 rs. a libra.
Cartoes de'bolinhos francezes muito novos-e Doce de goiaba em latas o melhor possivel
muilo bera enfeitados a 700 e 000 rs. I 20 em Gfrixajr) a 64U rs.
Ghouricasepaios muito nevos a 800 rs. c Palitos do gaz a
libra.

<^m(
APROVEITEM APROV
Atts
estrrfinha, pevie,
anhas a 600 rs. a libra >c a
om 12 libres.
eparado pela primeira arte
26200 rs. a grosa.
Passas muito mnas a 480 rs. a libra.
a
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro D. Luiz I, Maria Pia.
Bocage, Chamisso B outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, ( em caixa com urna du-
zia a 00000 e 10^000,
dem em pipa, Portd, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 r a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Juhen a 700
e 800 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs.
a duzia.
dem Morgaux eOhateauluminide 1854, a 10
O
SENTIDO!
VAI FALLAR
N. 38 Ra do Livramcnto N. 38
(Defroate da grade da Igreja)
ANDE

VERDADEIRO E PRIXCIPAK
Ordem do dia.
Est em discusso a tabella das precos que o BALIZA tem a honra de ofere-
cer ao respeitavel publico tanto dacidade cono do centro.
Se por esta publicaca qualqucr um dos nobrrs coltcfjas entender nccessai io
fazer alguma alteracao em seus annuncios, dgne-se mandara sua emenda para o jornal,
que o incansavel Bauza nao lhe pora peias nem o embaracar de forma alguma a benefi-
ciar o novo.
Amigo de vender barato o Baliza nao expoe a venda seniio os gneros bons.
Elle se julga no caso de vender tao mdicamente como oulro nao o exceder.
/

Soldado soprador toma o clarim
E firme como a rocha ac assim
Nao toques nesse pessimo instrumento
Do Balisa olha s o movimento.
i; t que dos murados tcns as coras
De ludo vendedor de proprla coala
.\To pasmes vcudo couio sobraueelro
Do regresso o Balisa a ira afl'ronta.
a garrafa.
dem moscatel a '800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
10200 rs. a-caada.
Kksk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande perejil) de outfos que deixamo
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pegas e carnadas, tanto em porcoes como a
retalho.
Quem comprar de 1000000 para cima te-
I r o abate de 5 por cento.
O grande depcso que temos de vinho nos obliga a
>se vista dos compradores cerca de 3-j a 40 pipas deste
abaixar seus precos,
genero, entre pipas,
7,150 (OIJUIOS
(k sedas de cores de todas as
Na toja da ra do Crespo nu
Importante compra (le 7ioO cova'los ek; seda de itdas^s c
velido? de senhoras e de menina?, e vende-se por pre os fldniir
tutros muitos utje<-tos de apurados gesto? para S
casamento a %& cada um, capas pretas, sontambarque
Fazendas de linho e de algodao as melhores i|iie
nlioras,
i denie
sist-win
6 propriitano de?tc importanteesiabalecimento \ ai a El rop
prar fa^nndas de apurados gostos, presele;Keule vende
baratsimos para liquidar.
LIQUIDACi
A toja da ra do C
as sua
jProtejam .iodos. lroi?jam Ifl dos t
O
espd
s

juafidades.
ero 17.
No armazem de, fazendas ba-
ratas de Santos Coelho rvm
da (kttimado n. 19
Vende-se o -sos ni ule:
ATTENCAO.
Ricas 1.i:i-.i:.'i;-.s pan vestido, la/.'-r.da a meUux'
que tem vintle ao mercado, tanto em gosto como
' em qualidade pelo baratsimo prveo de ofiO-rs.
' o covado.
Laaziohas'RMurlinhis carmezins proprias para
| vestidos de meninas i\ caiwteinhas-a 6i0 rs. o ca-
vado.
Cortes de Ifa com lj eovados pelo barato preo
laudados, proprias para
.veis.
eslidos e blonde para
e pretos, chapeos etc.
o mercado.
,ia musto breve com-
mercadorias por precos
de 6S.
Cubertasdechia d
i In Lences de^ianno de (ictiki.a 2&-a 25300.
iiuporiante
n 17.
te forro com 8 i|2 vara a
propias para ruaos a o a
'fu barra a Maria Pia.a

Pecas de cebraia
356.
Toallias aicodioadas
duzia.
Ricos crtesete laa
18^000.
Pecas de platilbas He atgodSo oom 10 varas
i proprias para-saia a i 5.
Algodao entestado ci ni 7 1(2 palmos de largura
U 15100 a vara.
Esleir da-india propria paraiforro de sala de
% S e 6 palmus de larf ura por meaos preco u
que em outra aualquer parte.
Neste armazem lam em se enoontrar um gran-
de sortimento de wupas feitas e^or medida.
MftPSM
0 Vigilante est alerta, nao Ibe era permettido
deixar passar desaperrtMdo sem que nao dsse o
seu canto afim de anwinciar ao respeitavel publico
o grande sortimento degalaniarias do melhor gostu
propriamente paraqnalquir mimo, que acaba de
chegar neste ultimo paquete, assim como muitos
outros ohjertos que recebe por diversos navios,
tanto de sua conta como de consignarlo, qnc est
resolvido a vender por precos mnito baratos para
vender moito e ganhar pouco, e dar extrac^ao ao
grande deposito que tom, que espera merecer a
proteccao do respeitavel poblico, empregando para
isso todas e as melhores diligencias para que li-
3nem satisfeitos: isto s no Gallo Vigilante, ra
o Crespo n. 7.
Ricas perta-joias.
Cofre de muito gosto por 1600
Cestinhas transparentes, forradas de madre-
perla por 18^000
l.iactas jardineiras lOJJOOO
Ricos cofres com camapkeu 105000
Lindas caixinhas com podras brancas iUUO0
Lindo balao com calunga dentro tambem
para joias 165000
Tambalier para ditas ^5000
Cestinhas idem dem 65000
Cosmorama idem idem 65000
Umazinha 65000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porla-bonquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Rcm untos
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e 155; ditos sern
bolea, Dorm do mesmo gosto, a 25300, 35, 35500
e 45, ricas fivelas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 15300, 25, 25300 e 35 :
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazcs o cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
baies para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 25300, 35300, 4, 3, 7 e 105 : s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Peutcs. I adiando
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto barris e ancoretas.
para alisar como para atar cabello, o mais lindo, Amendoas confeiladas em lindos frascos a 8oo i Lingoos americanas muito novas e muito gran-
que se pede desejar, assim como de arregacar ca-i rc a lihra des a i.000 rs. cada lima,
bello tanto de borracha como de tartaruga com ( "' ,-, ngicas prompUiseaa latas a 1,3oo cada lata,
enfeitec sem elle para meninas so no Vigilante, MwD com (.asu roa do Crespo n. 7. Ameixas france/as em caixinhas e Irascos a Manteiga inglcza flor a 8on rs. a libra neste
P(>r| ps 1 .'ion, {,3oo e .oon rs. genero ha m;:is de 10 baris .-.bertos afim de
Tawbem chegaram o* riquissimos pentes de'Alpi'sla Go rs. a'libra e 4,6oo a arroba.1 serem satifeitos os compradores,
concha de unarugaede massa Ona, que se vende Arroz do Maranliad, Java e do Penedo a 8o,; dem menos superior a 6io rs.
por S5, 3 e 35 : s no Vigilante, ra do CrespOj |00 e j0 rs ., m,r8j em arroba 2,000,' Manteiga inglcza a 5oo, ioo e 32o rs. alltiin.
numero 7. ^^ c 3200. I . Wqoes. 'A/ei'te doce refinado a 800 e loo rs. a car- riI por menos.
J3SSS2SZ "ladreP,eroJa' !amJ>? 1 rafa Ha de lmale a 64o rs. a libra.
scntiora como para -mocinhas. pelo twrato preco de i raa.
13 e 145 : s no Vigilante, roa do Crespo o. 7. dem idem em barril a 64o rs. a garrafa e Marmelada dos melliores fabricantes a 640
liis lea oes. I *,8oors. a caada. | rs. a libra.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ha-1 Ancoras rom vinho do Porto, cncommenda Molhos inglczes a 4oo c b4o rs. a garrar.na.
Tato prego, a85el05, chinezes, muito bonitos, feita pelo proprielario do Baliza a 3o,ooo Motlarda preparada a 4ooe64ors. ofrasco.
tambem por barat prego de 4 e o&, bentarallas ancora com 7o carrafas. Masss para sopa a 4oo rs. a libra das de ta-
muito bonitas tambem por barato preco de 4 e 55, ., "LU, ,' ,,.;.,.,* il,.m lipiria P mvarrn
leques de eiun-ao tambem por 45, tudo isto para olax.nlias de Lisboa, mgleza c americanas Ihai im, ale na e matan ao
acabar, perdeodo-se taivet 80 0(0: s no Vigilan-, em latas a 1.4oo, |,5oO,2,000 e 3,coo rs. dem (mas estrellinha epevide a 3,ooo rs. a
te,jpa do Oespo n. 7. e americanas em bar icas a 3,000 rs. a caixa.
** Pulseirats. barrica. Milbo miudo para passaros a 16o rs. a libra
Lindas pulseiFas de contas e de missanga, cores | rjan|ia jc porco a loo rs. a libra e cm barril,
aito lindas e de muito gosto a (5 e 15200. ..,. '
Par segurar maiifuilos. t. ,, ka .:.
Tambem chegaram as liguiZis esireitinhas de 5?^,as em B'g08 a l';,on P'S-
borracha que as senhoras tanto precisam parase- Cha perola a .,ooo rs. a libra,
gurar os manguitos por ser muito commodo e mui- dem tixim a ,60o e 2,8oo a libra.
to barato, a 320 o par : s no Vigilante, ra do' ]jem j,ysnr, a 2,000, 2,400 C 2,800. a libra. NOZOS a 20 r?, a libi n.
respo n. 7. c.r..ela, ; dem do Rio a 1,600 rs. a libra. Prezonlo porluguez de superior qualidade a
Riquisstmascarretas de rnaoreperola proprias, !'em Pret0, a '5,?0 e 2:T re- ali|jra- K. lfl6S(! n: a librae """' g" ^."-, ,
para quiquer'prssente, pelo baratissimo preco de Charutos dos melhores labncantes da Baha dem inglez para fiambro a b4o rs. a libra,
I5o00e25. pRjo do Janeiro a 800 rs. e !,Soo,2,ooo, nao agradando mesmo depois de preparado,
Yolliuias. ,4oo, 3,ooo, 3,Soo, 4,3oo c 5,oco rs. o poder ser devolvido, que se trocar por
Lindas voltinbes de perolas fakas com orueinhas ceotO. | OUtJO OU ser, restituido seu importe.
iiDgindoiFiihf.nis, assim como,oruzinhas avulsas I chocolate dos melliores fabricantes Je Pars, Passas novas a ioo rs. a libra.
ZSStt^tt&JFSkSl AHemanha. Hamburgo e Lisboa Polvo a iGo rs. a l.hra.
Crespn.7. ,Copos lapidados para vinho a 2,8oO adnzia. l'aniro a liio rs. a libra,
Sapatinhos emeias deeda. dem idem para agua a5,ooo, 5,1'ooe 6,000 Pomada a 24o rs a duzia.
Riquissimos^auatinhosde seda-e de merino en-j rs. a duzia I'imentn do reino a 3(!o rs. a libra.
linh^'f^i1"-Chmo meiasziuna.6 ^da,porra- Cerveja das melliores marcas a 4,000, .'i,ooo Peras seccas a Ci rs. a libra.
zumas etouqumhas para as cnanrjnhas se bauti-, i> 1
sarem : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7 I e M a irm- 1 eixe cm Jalas a 1.000 rs. a lata.
Gol i lillas. ; Travo canella e cominhns. Papel almasso e de peso, de diversas oua-
Riquissnas goiinhas e manguitos, o melhor gos-' Ceblas em molhos resteas e soltas. lidades e precos deferentes.
to possivel, a 9, 23300 e 3|: s no Vigilante, Conservas inglezas a 800, 9oo e l.ooo rs. o, Palitos do gaz a 2,2oo a g>oza.
muito
e 4.8on a arroba.
Marrasquino de zara do verdadeiro a l,Sooo
frasco,
dem menos superior a 800 e I,coo rs. o
frasco.
RA DO QUEMADO NUMERO 11
Laja de fazendas Augusto Frederic<>
Lindas chaiellaas e ehapeo para
>*jbegaram a este eslabeleciwento as mais modernas c apelinaele chapeos para eenhora.
Superiores oertes de la de barra de I05 a 05-
A* mais superiores capas e eautembarques de seda p ota e casomira de tres para senhoras de
05 at S0
Eieents liias para vestido a 320, 300, 360 e 608 rs. o covado
Cateas e or^andys de cores a 4bO e 320 rs. o covado.
Os hk'IIiiiivs tapetes para of eom riquissimos de*eo^os.
[..nr^d. cambraia de linho e fi bordados a 15 cad; um.
Superiores canemires mescladas de diversos gostos lar to em
Eoutras muitasfuadas como sejam: percalles fins mas,
trina preta muito fina, eantao para vestidos de lulo, grosdet aple d
li?eiras para s: l*s
As pescoas que pretenderem forrar suas salas ou gabinetes,
melhor aqualidade de esleirs de todas as larguras e pelo mais me
los Santos Porto
senhoras.
das como em cortes.
n toabas, aledas, esqnio, 6ilis-
boniu.s cores e as superiores
Ef os aj p o O
w 3 Ti s-c-*2-
- M D w u
3 C 3
Cl.C3 -
0= c-^t,
0. 55
t5 s
0.0 s _
rKllM
? S.5
sil
S 2*81 w
. v
z

M
ra do Crespo n. 7. fraseo.
Enfeites para senhora. Diltas francezasa uoo e Co rs. o frasco.
Riquissimos enfeiles com laco e sera laco e de! pnomc inofo? i> fi-incp7 a 1 nnn r< a carrafa
outros muilos gostos a 15, 15300 e 35 : s no Vi- 7?VT ? a l o a va a o 8a"aia-
gialnte, ra do Crespo n 7. j ^afe ,le l 2- e 3 jualidade a 8;joo 9,000
Tnuicclins. e 9So rs-

-5 a o o
.2:S
STB w
-
B 3
o B
&
a
te- P*
ag.'g Ba_
o sa
en B S,S
d.S"5'3
* g,
a. o
tt
3,-
51

Lindos Iranceli-ns de cabello para relogk ou lu-
.Cevadi iba de Franca a 24o rs. a libra.
ipontraro neste
lico preco,
estabelecimento

akiia/i:



FRONTEIRO
DE
AlaVES COUTIWHO
.
21Largo do Ter$o21
lo publico.
escolhidos e os mais frescos que

Temos a nisfacao de annuneiar, que acabamos de a(brir um estabelecimento de molhados
na localidade e sot> a denominaQo cima indicada.
O novo estabelecimento, fundado ao gosto moderno, tornare recommendavel pelo seu aceio,
e pela regularidade de suas opera$es mercantis; alem do que. em um grande e completo sortimento,
possuindo todos os artigos concernenles molhados, cuidadosamente -
se possa desejar.
Cha hysson perola e miudinho de *,8oo a 2,4oo rs. a libpi.
Manteiga ingleza e franceza de 54o a 800 rs,
Vinuo de Lisboa e Figueira de 32o a 5oo rs. a garrafa.
Cerveja branca e prela de diversas marcas a 5oo rs. a gairafa
Vioho do Porto fino engarrafado a l,ooo rs. a garrafa. \
dem em barris a 800 rs a gairafa.
Spermasete a 54o rs a libra e em caixa a 52o rs.
Aletria, talharim e macarrao a ioo rs. a libra.
Arre* do Maranho e da India a 80 e loo r*.
Vinho Bordeaux a 5Co rs. a garrafa.
Toucinho de Lisboa muito novo a 3oo rs. a libra.
Alm de muitos outros que deixamos de menc on
1
1
-
por se tornar desnecessario.
u .O
3 ->2 2
xa g I 5 2
|f>iP i
TS I
i
co ce
o
w
3
i
o
o
'g
a?
,
o 5T
-3 I
as 1
3 s*
ii
a-
m
O 03
o.
o
'SN
.-ft
>
e

netas, pelo baratissimo pre^o de 15500, ditos de, Champagne de muito boa qualidade a 12,000
retroz a 200 n. I e 2o,ooo rs. a duzia.
Babadinlidi cnlremeios. Docs da casca da goiaba em latas preparadas
Riquissimos iiabadiohos entremeios eom lindos! com muito aceio, propria para memoziar
desenhOS tapados 6 UaaeBareoleS. pelo baralissiniO tlirnm inn rn Vlimna nnr <,r irnllora
preco de 15200, 15300, 25 e 35 : s no Vigilante,: aVm am,? ,na h'" r,% |W[ M r ,na,lf ?
ra do Crespo a. 7. **, vej p01- ma,s fo um ann0j a 3j00 rs. a iaja
Casearrillias. com n')ras-
firande sortimento de cascarrilhas de diversas IDillos em caixes a 56o, 6io, 8oo C 1,000
larguras, assim como gataoeinho e trancinhas pro-1 rs. O caixao.
prias para enfeites : s no Vigilante, ra do Cres- i Ervilhas portuguezas em latas com i '/i li-
po n. 7.
Fitas.
bras por 7oo rs.
dem francezas em latas a aoo rs.
B
i
S
t
s


%
>
Empreza gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamacoes
por eseripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem da ra do Imperador
d. 31. Os machinistas mandados para atlender a
estas, ^presentarlo um livro que os reclamantes
deverao assignar logo depois de prompto o servieo
reclamado ; isto para qne a empreza fique sciente
de haverem os mesmos senhores sido devidamen-
te attendidos.
Kia da Seazalla 42.
Vende-se, em casa de S. P.JohnstoniC,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lorias inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Charuto.*
Vende-se superiores
seda Rabe Schmemu &
ia Havaaa.
charutos da Ha vana em ca-
C : ra da Cadeia n. 18.
tnde sortimento de fitas de diverjas larguras \fm ""ancezas em .atas aooc
e qualidade, por presos que admiram aos compra- j 'OCn seccas a ZOO rs. a lima,
dores, havendo filas largas proprias para sinteiros | Espermaceteamericano primeira qualidade a
que se pode vender a 300 rs. a vara, e pega de 3 o r, ., 1:1^..
varas a 20 : s no Vigilante, roa do Crespo n. 7. ., "a .-
Fitaa de laa. '"e,n 'l'a"ce''- a ot}0 rs- 3 ','),'a e C1U caixas
Fitas de la de todas as qualidades, proprias para : a ,zo rs>
debrum de vestido a 700 rs a peca : s no Vigi-1 Farinha d'araruta verdadeira a 18o rs. a libra.
Unte, ra do Crespo n. 7. J Fa|.f,ha ,JtJ u.jf,0 a o, 14o e i(Jo n a jbra.
Riquissimos"SLT'Sa dourada e i f*" de f* ^ ,
sem ella de 85,10,12 e 145, assim como cou co-1 Fl80S e,u caixinhas e em lalas lindanmente
liininas de difierente^ tamanhos a 25, 3, 4, 5e65:! enfeitadas a 800 e i,5oo cada um.
s no Vigilante.roa de Crespo n. 7. I fumo americano em latas para cigarros a
Lidos jarros c figuras. | g00 rs
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina: lAp pm nfniP, a nn r<
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui' m ei" Pacoie8 a *00 rs- 1
lera apparecido : s no Vigilante. dem ein pasta a l,2oo rs. a libra.
Para pos de arroz. Genebra de laianja a 1,00o rs. o frasco.
Riquissimos vasos com boneca para pos de ar-; dem ingleza marca Gato a 1,00o rs. a garrafa,
roz, cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim co-1 dem de Hollanda a 6'0 e 1,000 rs 0 frasco
mo pacoles so com os pos a 320 rs. cada um : s nnnpnn 0 m-milp
no Vig lante, roa do Crespo d. 7. L. Penaeno c P ane-
i*eri 11 marias. i eln *'e Hamburgo, a 0O0 rs. o Irasco e 0,00 o
Grande sortimento de exlractos e banhas, poma-' rs- a frasqueira.
das, assim como os lindos coposeu vasos com dis-,Graixa em latas a !,2oo r5. a duzia.
tinctivos e offereciinentus s sinhazinlias, dos me- Limonadas de diversas fructas a 1,000 rs. a
Inores e mais afamados autores de Pars e Ingla-
terra, assim como os grandes copos de banha japo-
niza a 25 e a 15 ; assim como outros objectos que
nao possivel por boje annuneiar, e vista dos
? 1'gu-7.es se far todo negocio : na loja do Gallo
igilante, ra do Crespo n. 7.
FarinJia de mandioca
CltiBOla v i sacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
naescadinh*daalfandegan.3armazem da viuva I Alves no seu escriptorio, casa n. 19, na ra da
de Paula Lopes, a-."SOO e 800 rs. o cento! t che- l
guem-se em quanto se no acaba.
Pariuba de mandioca superior
em saceos grandes : vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, no seu escriptorio ra da Cruz
numero I.
garrafa.
Licores, inglezes e francezes a 1,00o, 1.5oo
e 2,ooo rs. garrafas grandes e pequeas
GILGO.
dem para denles a 80, IGo e 2o rs. o ra-
ro com vinle maeinhos.
Gueijos flamengos a 2,rioo, do ultimo vapor.
dem prato a Gio rs. a libra.
dem londrino a 800 rs. a libra.
Rap Meuron a 1,000 rs. a libra.
Sevadinha a 24o rs. a libra. (6 nova).
Sag a 28o rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a 64o, 060 e 36o rs. a
lata.
Sabao massa a 12o, 19o, 2ooe 24o rs. a li-
bra,
e em caneos por muito menos.
Sai refinada a 600 rs. o pote de vidro.
Toucinho de Lisboa, de Santos e aineiv.-uia
a IGo, 24o e 32o rs. a libra, e em ai roba
a 0,000, 7,ooo e 9,ooo rs.
Tijolto para limpar facas a IGors. cada um.
Vinho do P01H0 ein caadas a 3,5oo, 4.oooe
5,ooe rs. e em ancoras com 7o garrafas por
3o,ooo rs.
dem de Lisboa sem confeiceo, (deencornen-
da) por 00,000 rs. o barril com 17 caa-
das.
dem de Lisboa mais baixo a 45,ooo rs.
dem em pipas a 3,ooo, 3,5oo e 4,ooo rs. t-
canada.
dem em barril de Bordeaux com 13o gar-
rafas por 00.000 rs.
dem idem de Bordeaux com 70 garrafas por .
3o, 000
dem cm caixas por 5,ooo rs. a caixa com {%
garrafas da melhor qualidade qne vem ao
nosso mercado.
Vinho branco para missa de Lisboa e Porto
em pipa, barril e ancoras a 4,000 e 5.00
rs. a caada.
Vinagre de Lisboa, Porto, tinto e branco a
1,60o e 2,ooo rs. a caada
dem em ancoras por i6,000 rs.
Velas eslearlinas a 56o rs. o maco, e em cai-
xas a 52o rs.
Vassouras americanas a 64o rs. urna.
Vinho do Porto superior
dm caixas de tuna e duas duzias : tem para ven-
cer Antonio Luiz de OHveira Azevedo & C, no seo
escriptorio ra da Cruz n. 1.
Aos sensores prnsanos.
Estopa larga superior a-480 a vara, e de 50 para
Vende-se um cao de raea galga legitima: na! cima a 460: na loja da ra da Madre de Dos
; ra do Hospicio n. 36. nnmero 16.
\ 1



/


>



.
ESPLENDIDO SORTIMEliTO
US. 9 RIJA 1IO CR
Esquina que volta para a ra
DE

(\'5o se enganem con
AMIGOS!
EJHOLHAQOS
M. 9
Imperador
nINGIPAL
hnr t;U)l);)do 13 de Agosto *e 11C4.
LLMCA
I
NEM COROAS NEM MITRAS
lia)


Nao leiam este annuncio com precipitacSo.
Confrontem os precos dos oulros aimonciaiitas
Venhara ver os gneros que temos expostos a
A vlsa faz le.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao nos encnlcamos o primeiro recebedor de cotila propria.
Nao desacreditamos ao collega porque nao quiz jet. nosso socio.




SriMJA DO IMPERADOR 57
da 9Htw & Companhia

Val a qiiem toe IJ
Para abastecer a todos os habitantes desta bellp provincia ainda nao sao sufficien-
te* as casas que actualmente oxistem ahertas com grandes proporcoes para terem um
magnifico sortimento de molhados ; assim, pois, os pta prietarios do Armazem Principal
nao invejam a sorle dos seus collegas.
Habitantes de Perro itnbuco.
Nos temos um excellente sorlimento dos melbnj-es gneros que se pode achar
era nosso mercado. Vnde aonosso estabeleciiBento! e se a rossa boa fe fr illndida
tima s vez ao menos, castigai-nos nao voltando mais a nossacasa.
Amendoas confeitadas de bonitas cores a
l.ooo rs. a libra,
dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra.
Avellas a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a I,2oo, I,4oo e l,6oo rs. cada
urna,
/dem em fiasco de vidro com rolha do mes- 96o rs. ii
mo ou de metal, a l,2oo e lioo rs. ca-!uem f:ancc
da um. a libra, |
dem em frasco grandes 2,5oo rs. cada um. Marmelada
dem em latas de 1 '/a e 3 libras a i,2oo e de Lisbtt
24
de dilfer
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranho o melhor que se Massa de u
p le desojar a loo e 12o rs. a libra e cada um
2,8oo e 3,ioo rs. a arroba. dem para
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa,' em caixi
e 4,8oo rs. a caada. ca,ia um
dem francez clarificado em garrafas bran- dem maca
cas a 9oo rs. caria urna, e lo,ooo rs. a
caixa com 1 duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
fe>ra.
Aljiista a IGo a libra, e 4,Goo rs. a arroba.
Bulachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio das segundes qualidades: aguae
sal doces, e imperiacs em latas de 6 li-
bras a 3,ooo rs. e de 3 '/i libras a l^ioo
rs. e em libra a C4ors., stas bolachinlias
torna-se milo recommendavel com es-
pecialidade para os doentes.
BiscoitOS e Bolaciiinhas de soda em latas, de
lodas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,85o rs. a lata.
Bollos-franceses era cartoes e de diversas
dem de Hollanda em garrafoes com
garrafas a 7,2o rs. com o garrafao.
Lentilhas encllente legume para sopa e gui-
zados a SJoors. a libra.
Licores friicezes de todas as qualidades a
Soo. e ijooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga iqjleza perfeitamente flora 8oo e
libra.
za nova j deste auno a 6oo rs.
56o rs. em barris inteiros.
especial dos melhores fabricantes
a Goo e 64o rs. a libra, lia latas
ntes tamanhos.
uate em latas de i libra 56o rs.
rs. cada
Mollio ingljej
vidro 64 r
Marrasquint
a garra f;
Nozes muiflol
-
oda estrelinba, pevde e rodinha
ias sortidas a 3,ooo e 3,5oo rs.
e 5oo rs. a libra.
r3o. (alerim e aletria a 4oo rs.
a libra.
Mostarda fi nce/.a preparada em frasco a 4oo
m.
'. em garrafinhas com rollias de
rs. cada nma.
verdadeiro de Zara a I ,ooo rs.
lo.t'oo rs. a caixa com 1 duzia.
novas a 16o rs. a libra.
Prezunto rife fiambre superior a 6oo rs.
dem do P( ito para pauclla a 5oo rs. a libra.
Passas nova? a iNo rs. a libra.
Peixe em Ifi as de differentes qualidades co-
t'aMte Forera
lirarid sorthnep de molhados em grosso e a retalho. nico armazem que ma
vanlagcns oaVeceaopablico.
j" Beseugaiiem-se todos.
K tr AEUtea^' o verdadeiro hornera do progressso
o ATIIaada o verdadeiro e principal armazem de momadot.
K o Alllanea armazem que vende ma batato.
K o MI llanca o arttiazeamque vende os raelhores gneros.
% jtHfame o artnazwn onde preside o melhor aceio.
Piquen): ledos sabedores desta verdade, ^
Venham todos ra do Imperador n. 57.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
1 PARA A FESTAS
DE
JOfiO E S. PEDRO.
Amendoas confeitadas d bonitas cor I'dem de Hollanda em garrafoes com 24 gar-
800 rs. a libra. \ | rafas a T,2oo rs. cora o garrafao.
Idem.de casca muito noa a 3oo rs. a.libra. Lentilhas excellente legume paja sopa e <*ui-
1 zados a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades a
8oo e l.ooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitamnte flor a 8oo
e 96o rs. a libra.
dem Tranceza nova j.deste anno a 6oo rs.
a libra, e 58o rs. em barris inteiros.
Marmelada especial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 6oo e 64o rs. a libra,, ha
latas de differentes tamanhos.
Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o
rs. cada urna.
dem para soda estrellinha, pevde e rodinha
em caixinhas sorlidasa 3,ooo3,5oo rs. cada
urna e 5oo rs. a libra.
j dem macarro, talharim e aletria a 4oo rs. a
libra.
| Mostarda franceza preparada em frasco a -too
rs. cada um
Molho inglez era garrafinhas com rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l,ooo rs.
agarrafa, lo,ooo rs. a caixa com 1 du-
zia.
Nozes muito novas a I6o rs a libra.
Prezunto de fiambre superior a 6oo e 8oo
rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. i libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
O
E
GRAIDE
ARMAZEM
BE

Para
NA
RA BO IMPERADOR \. 40
Junte ae sfbrado em qie ora e Sr. 0>borne,
a fe&to-de Santo Antonio, S. Jofto eS. Pedro.
da
Avelas a 2oo rs. a libra. I
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo, 1, lole l-,6oors. cada
urna,
dem em frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a l,2oo e l,4oo rs. cada
um.
dem em frasee grandes a |2,5oo rs. cada
um.
qualidades a Bto rs. cada um.
Baoha de porco verdadeira refinada a 4ooi
rs. a libra e em barril a 38o rs.
ntalas novas a 160 rs. a libra.
linlarhinhas ingtezas ltimamente desembar-
cadas a H'io rs. a lihra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at buje tem vindo a nosso mercarlo a
18,ooo rs. o gigo, l,5oors. a garrafa in-
teira, e 8oo rs. as meias
Cha uxim o melhor que se pode desojar e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7o rs. a libra
dem perola especial qualidade a 2.6oo e
2,Soo rs. a libra, garanle-se aqualidade
d'este cha
dem hysson o melhor que possivcl en-
contrar-se a .'no e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a I,2oo e l/ioo rs". a libra.
hlem preto muito fino a I,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a l,ooo, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditad'! fabricante Jos Tor-
mo, SHVp
outros al
Palitos part
dos mellioVes.
Painco (< mais novo c
corina. govas, pescadinhae
,ooo rs. a l;ilas.
Identes a 14o e 16o rs. o masso
c S,5flo|n.
Palitos dn pa
a arroba.
\i. a 2.loo rs. a
duzia, d 2]o rs. a caixinhas.
tafos ebegados neste ultimo va-
muilo fresco a 8oo e 900 i
Queijos lajn
por. a
dem pral >
a libra,
dem suisso
i melhor qnalidade que al bo-
je tem viifido ao nosso mercado a 8oo rs.
a libra.i
Sal refinado
da om.
Serveja das
duzia. c fi
Sardinha de
meia lajtasj
Traques de
xa. e 2i
Toucinho Ino
libra,
lado de Simas em '/> caixas das seguin-jTijollo paita ljmpar facas a 15o rs. cada um.
tes marcas Pariziences, Suspiros, Wi-I viniir pml
cias, Napoleoese Guanabaras a 2,3oo rs.,.> ijjj
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo ~ T
t
rs. cada urna.
dem de outros muitos fabricantes e de
differentes marcas para t,8oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a l,6oo, 2,ooo e
3,ooo rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a l.ooo
rs. a garrafa e lo.ooo rs. a duzia.
dem francez supoi ior qualidade 8oo rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Erra-doce a 'too rs. a libra.
Gravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a ."),ooo rs. a duzia, e
5oo rs. caja um.
Caf do Rio superior a 80 e 32o rs. a li-
bra, e 8,800 e O.ooo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caixao.
Grvilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem seccas a I fio rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra. '
arinba de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a l.ooo rs. cada urna,
dem em latas ermiticamente lacradas a
l,5oo e 2,5)0 rs. cada urna,
dem em caixas de '/j arroba a 2,5co rs. ca-
da urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e l.ooo
.rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em rasqueiras cora 12
frascos por 6,000 rs. e 56o rs. o frasco.
fdem de laraiija a l.ooo rs. o frascos gran-
des e 11,000 rs. a caisa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da urna.
klem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com a garrafao.
! dem do P
menos floi
2,8oo r.
dem Colare
rafa.
dem Lavraid
posic3o a
caada.
dem bramo!
rafa, e 4
dem mais ta1
limpo a !6o rs.a libra.
groza, 2oo rs. a
em potes de vidro a 000 rs. ca-
melhores marcas a 6,000 rs. a
[o rs. a garrafa.
Lisboa e Nantes em quartos e
a 38o 58o rs. cada nma.
Sag mriijo ovo e alvo a 2lo rs. a libra.
Sevdintaa di Franca 18o rs. a libra.
Sevadaa loo rs. a libra, e 2,8oors. a arroba.
.a qualidade a 8,000 rs. a cai-
s. a carta.
0 de Lisboa a 24o e 32o rs. a
a Porto, Lisboa c Figueira das
marcas a 3,8oo rs. a caada, e
rarrafa.
o Lisboa e Figueira de marcas
leciilas a 400 rs. a garrafa, e
ja caada.
! especial vinho a 600 rs. a gar-
0 muito fresco nao levando com-
56o rs. a garrafa, e 4,000 rs. a
de uva pura a 36o rs. a gar-
$00 rs. a caada,
ixo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
rs. a canlda.
dem Bsrdeaix em caixas de 12 garrafas das
marcas mhis acreditadas a6,5ooe 7,ooo
rs. a caix;
dem muito
nosso me
rante-se q
jnizoes
dem do P
das segu
Duque d
lar, malva
special que raras vezes vem ao
do a 1,2oo rs. a garrafa, ga-
e |Kr este mesmo preco d pre-
e encontra n'este armazem.
to em caixas com 12 garrafas
s marcas Lagrimas do Douro,
orto. Genuino, Velho Particu-
io Uno, D. Pedro V, D. Luit
I, Nctar] i outros a 9,ooo e lo.ooo rs.
a caita efatyMva l.ooo rs. a garrafa,
dem Moscatel superior a l.ooors. a garra-
fa, e lo.oot rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oo rs. a caada,
dem eW OTi^afes com 5 garrafas a 1 ,od
rs. eom t garraflo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna
dem de < scora para esfregar casa 36o rs.
cada upa.
Veilas de esprmacete superiores a 56o rs.
a libra, (e 52o rs. em caixa.
dem de capnaubarefinada e de coraposicSo a
36o rs.- 1 |ib y e de 10,000 a 11,000 rs '
arroba.
dem em latas de I '/i e 3 libras a l,2oo e
2,ooo rs. 1
Arroz da India e Maraiiho o melhor que se
pude dtisejar a loo e 12ol rs a libra e
2,8oo a 3,4oo rs. a arroba. 1
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,800 rs. a caada. |
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. ada urna, elfo.ooo rs. a
caixa com I duzia.
Alfazema muito nova e limpa al32ors. a li-
bra. I
Alpista a 160 rs. a libra e 4,6oo rs. a ar-
roba
Bolachinhas de Lisboa da fabril a do Beato
Amonio das seguiiles qualida es: agua e
sal doces, eimperiaes em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e de 3 /* libras p 1.5oo rs.
e em libr:; a 64o rs., estas fcolachiahas
torna-se muilo recommendavel com espe-
cialidade para os doentes.
Biscoitos e Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em carios e de diversas
#qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 16o rs. a fibra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica .
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem vindo ao nosso mercado a
l8,ooo rs. o gigo e l,5oo rs. a gtjjrrafa
inteira, e 800 rs. as nMias. ^
Cha uxim o melhor que se pode desejar, e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3.000 a 2,7oo rs. a libra.
dem perola de esp cial qnalidade a 2,fioo e
2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
deste cha.
dem hysson o melhor que possivel encon-
trar-so a 2,4 dem do'ftio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l.2ooe l,4oors. a libra,
dem prelo muilo fino a l,6oo rs. a libra.
! Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a l,ooo, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em '/j caixas das segnin-
tes marcas: Parizienses, Suspiros, Dili-
cias, Napolebes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de oulros muitos fabricantes e de dif-
ferentes marcas para 1,000 rs. as meias
caixas, de suspiros a l,6oo, 2.000 e 3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac ingle/, das melhores marcas a l.ooo
rs. a garrafa e 10,000 rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Gravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 0,000 rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs, a libra,
e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caixiio.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a Too rs. a lata.
dem ceceas a 160 rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas multo bem enfeitadas a
1,000 rs. cada urna.
dem em I?las ermiticamente lacradas a
l,5oo e -2,."ino rs. cada urna.
dem em caixas de /a arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e 1,000
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
fraseos por 6,000 rs. e 560 rs. o frasco
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran-
des e If.obo rs. a caixa com f2 frascos, i
Wem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada',
urna.
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,800
rs. com o garraffio.
----------------*l!u ------------
Diiarte Altneida *i c. recefeeram de sua propria mconiiueu
al liado e variado orIntento de molhados, proprlos
da presente estaeao.
Manteiga ingleza j Sfaoas trancas
da safra nova vinda neste vapor de 28 de para sopa a melhor que se pode desejar.
macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
amo a 800 rs. a libra.
Manteiga franeeza
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril
a 500 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2#400, maito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1,5360.
Chocolates
de todas as qualidades a 1,5000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem1
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2i6oo.
tneijos
chegados no ultimo vapor a 2^600 cada um.
tueljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excdante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas

oulros a 1,000 rs. a latas.
Palitos para denles a 14o e a 16o rs. o mas-
so dos melhores.
Paingo o mais novo e limpo a 160 rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixinba.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor, a 3,000
dem prato muito fresco a 8uo e 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes de vidro a 000 rs,
cada um.
Ceneja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e 56o rs, a garrafa.
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a'.
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e o muilo afamado cognac Pal Brandy a l,8oo
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca i8ors. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, c 2,8oo rs. a ar-
roba.
Traques de 1.a qualidade a 9,5oo rs. a cai- j
xa, e 24o rs. a carta.
Toucinho novo de Liiba a 2o e 32o rs. a
libra.
Tijolo para limpar facas a 15oXS. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das:
melhores marcas a 3.800 rs. a caada, e |
libra e 4,4500 a caixa.
Vinho
Figueira i ff#i otttras muitas mareas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
Iileni de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
24800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 1/1 e 1,1200
a garrafa ede 100 a 12,5a caixa, asmar-
cas sao asseguintes: Chamisso AFilho,
F. A M., Nctar ou vinho dos Detizes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
i a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 12Gr* .d bra.
Cervejas
: dos melhores fabricantes|e de todas as raai
cas de 40500 a 5500 a duzia.
C.AHTOS
Charutos Thom Pinto,. Iteis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2*.a sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Ciarrafes
com 4 l]i garrafas com vinagre a 10000c*
o garrafao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de H0OOC
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 5A800 com
i 42 frascos.
GENEBRA
ile Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALllb
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-1 finos de todas as qualidades, a lo.ooo acaixa
des a l.ooo e 800 rs. a garrafa. com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
COPO" Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e oulros muitos a 600 rs. a
PAPI5C libra. .
almaco, greye, peso e de outras muitas qua- PrCf WltO
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
mo, savel.^ corvina, govas, pescadinha e as mais novas que se pode esperar a 7G0 rs.
o frasco.
Figos
era libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que-se pode desejar, que outro j
qualquer nio pode vender por menos de
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a libra
dem livsson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20000.
Massas amarellas
para sopa, macarro, talharim e aletria a
480 rs. alibra.
coasae
lidades de 2,2oo, a 4,000 a resma do me-!
Ihor. I
Papel de botica
de excellente qualidade a 20200 a resma, Maranh5> Jav;, e g { r ,
SXVJSE; r- PAP*5'L de 3.000. a 3,200 rs.a arroba,
dem do Porto Lisboa er-igueira de marcas azul e pardo para embrulho de 1.4io a 2,2oo' VELAS
menos condecidas a 4oo rs. a garrafa", e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando com-
composigao a 56o rs. a garrafa, e 4,000
rs a caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,00 rs. a caada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,000
rs. a caada.
dem Rordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1,2oo rs a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d
prejuizo e s se encontra u'este arma-
zem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fume
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa lera abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas uovas
O verdadeiro fumo americano em chapa a em caixas de 2 arrobas a 50 a caixa e 60 rs.
l,4oo rs. alibra a libra.
VnaTe Passas moito novas
PRR em aurrelas de aadas a 15,ooo rs. | ^tSRttSS S? ** ^
cada urna. ; Choeolate
L/eDOllaS I portuguez o mais especial que se pode de-
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa i seiar a ^ rs- a ,Dra *Ors- o pao.
e l.ooo rs. o molho. i Frntas em ealda
Alnktn O Piinnn chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
illJJlMxt t? Xcllllt,! 0mros muitos a 640 rs. a tota,
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra-,, Osee da cosca da joUba
e 40400 a arroba. i a 600 e 10 o caixae.
Os proprielarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declarara aos seus
das seguintes marcas Lagrimas do Dou- freguezes e amigos e ao publico em peral, que para facilitar a commodidade de todos es-
lugares :
,ro. Duque do Porto, Genuino, Velho Par- tipularam os mesmns"'precos nos seguintes
ticuiar, Maivasio fino, D. Pedro v, o.; LT'nio c Comiercio roa do Queiniado o. 7
O Verdadefpt Principal roa do Imperador a. 40
Vaquetas
Vendem-sc oxcellentes vaquetas envwnisadas
para rarros : em casa de F. Souvage & C, a roa
!a Crnz n. 50.
Sal do Assn
4 bordo do hiale Liwlo Paquete :
ua da Crus n. 3, primeiro andar.
Antonio de Almeida Gomes.
Rna 4a Seasalla Nova 1. 42.
Neste es| umelecimento vendem-se: tachas de
ferro coaqo libra a 110 rs., idemdeLo1
Moor libra a 120 rs.
A boijd do Inf r Emilia fca para vender fa-
^ rinda de mamlioca libra' e de t*a qualidade. de
vvnde-.-e na Santa Gattiirina, rtalta-se a precos rommndos : .
:\TJfnri del para fMaiioV4)-tme9mo chogada a poocos das: no cseriptono
I tono de Aiporim I rmos, ra da Cruz n. 3. loe hduardo Fenton raa 09
Luiz I, Nctar e outros a 9,000 e 10,000
rs. a caixae 9oo e l.ooo rs. a garrafa.
IdemMuscatel superior a I,ooors. agarra-
fa, e lo,ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
-2,4oo rs. a caada,
dem em garrafoes com o garrafas a 1.000
rs. cora o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Idm de escova para esfregar casa a 36o rs.
cada urna.
Velas-de espo-macete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o em caixa.
dem de carnauba refinada e de composifo
a 36o rs. a libra.''de f.ooo a H,ooors.
a arroba.
GAZ GAZ GAZ
At ave chegn
! nm grande sortimento de bleo e rewda preta'de
Vende-se gaz da melbor qaalidde a 125 nova modelo rharodo (gmpd) o mentor que se
a lata e em lotes de 10 latas para cima se
far abatimento. do armazem da ra do Im-
perador 0.16 e na do Trapiche Novo n. .
Pw dr akpdat da Baha en sacros de 109
KM*.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo A C no ?ed eserlptorio rta da CftlJ n. 1.
pode desejar rrette artigo qae se vende mtttto ha;
rato : ai loja do gallo vigilante roa de Crespo
n. 7.
ferfbspara ohHv's.
Na rna larga do Rosario n. 21, toja de jotas, ven-
AetH-se tdos ou ferros e utenrilins d ourives.
N. 97
Vende-se a verdadeira gHM ingleza n.
no cscriptork)
Trapich n. 17,
Esleirs rio Aramly
VWlW*e ha tra>*essa d Madre d s r. 10.
f&arateB de Bavaaa
de superior qualidade vendem^se em casa
tffl* Schafl^tlin lilUMIE SfllITMVTO DE FAZEMIiS
feE ^
21
Oestoftit), Carvallo & Ompenhi
RA llO ^lEIMAl)
.^2T.10' MMVJJ.
Pacas de entremeios bordados a i.
"iras bardadas a pega *.
Bertas de chita a chirfeni a 400.
Lences de linho tinos a 25200.
Toalhas de linho para mos duzia 4A
Sapatos de tapete para meninos, senhqras e homens pelo forato preco de 14600 o car
Toalhas de linho para mesa a 355OO 4|:
Baldes de arcos para seqhoras a 3.
Fl de liiiho liso vara 500 rs.
Grande sorlimento de iaas para vestidos.
Superiores saias de fusto para senhoras a i&.


Aos fogueteiros.
Chegou o desejado papel azul e branco para os
fogueteiros e para embrulho; vende-se em balas
ou resmas : na raa larga do Rosario o. 34, Bar-
holomeu & C.
wi'i
Eap Prineeza
Groso,roeiflrr Paulo Cordeiro.
PaWo CoWelro nieio grosso.
Paulo Cordeiro Viagaib.
Toda estas eicellentes e acreditadas quadades
----v.j r-----------im~l~"----------! fabricadas no Rio de Janeiro aonde tera grande
>endeseoengenho Tapipire Novo, sito na ceiucloe as derais provincias do imperio.pe-
freeaezia de Iguarassii, moente e corrente, comft- k> seu'oohi aroma c materias'd' que 'fabHrde
mosa machina para animaes ; o seu territorio vebVse Oo'iintco deportonttx provincia bo at-
muito productivo, e offerece a vantagera de for- owzsm'de Jos Joaquim Lima Barrao,- ra da
mar-se um poderoso engenho d'agua : para ver, Crnz a. 18.
de noderiio tratar 4o ajuste ; e nesta praca Ma' Vend-s |miios de itiimteiga do 8eri06,
neeHgnacio de OHveira & Pilh, largo do Gorpo muttojjovo,porbaraw preoo: na taberna da roa!
Santo n (9. do Imperador n. 83, defronte do correio.
b'
i



u
I!


-
i
^
v
*e
fiO PUBLICO
Sem o mener consran-
inicuto se entregar o
Importe do genero que
nao agradar.
ARMAZEM U
ATTENC&G
s preeos da segnlnte
tabella para todos, po-
dendo assim servir de ba-
se para o ajuste de contas
com os portadores.
53.
Cirande reducco de prccos,
Collegas.N3o posso por mais lempo suf
RIJA A CAl^EIA IIO RECIFE M*
jo passandc o arco da Conceirno i
equivalente a dez por eento menos o que outro qnalquer
annunciante.
kentar o prego da manteiga ingleza a l,ooors. a libra, bcm assim o ele outros
miiitos objectos, etc., dando com sio ocasio a todas as espeluncas acabarem por bom preco a !S^JtS^iiSS^5
alta voz, que podem vender pelo preco que en vendo !! 1 Ora, eu ofendido com estas obscuridades e receloso BMtttnW9
systbema que vim encontrar/de s se vender com um por cento afarola, resolv lazer esta g.ande redoego de pJ* go jeme
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu b.irro, at a abertura do momoravel armazem de "j^jMtopa ^
se sabia de outro prco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oe a l,oo rs. a libra. Hoje m^wm^r^^*^
estao obrigados, encarando todos os das de seos fregue/.es reclamacao de precos, c qualidades 2Bt^afi^^3ffl
al informado deste novo estabclecimenlo. para Ihe tender gonerbs uo proprios de um eslabelecimento desta ordem que o sen nm
. to gmente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bew de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos kleste novo estabelecimento, c mais S^!SSLS&t
reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao nesmo, certos de que sem dunda me darao a l___f^Jr*n>-gJJJ"Jffl
dos gneros que precisarm, e quando nao pocam vi, podero mandar seus portadores, anda que ^WJW-J*ffiJg
sero to bem servidos como seviessem pessoalmente, havendo para! com estes toda recommetidacao,afimde que nao Nao em ouira parte.
rs. e m barricas de 4 duzias se faz abat- Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escoltada a .oo re. a libra, em barril se
az abaluueiito.
dem franceza a inais nova que tem vindo ao
mercado a 50o rs. a libra, e em barril ou
muios a 5oo rs.
Cha hysson-de superior qualidade a 2, a libra,
dem perola o mais superior do mercado a
2,-8oo rs.
dem huxim o melbor que se pode desejar
nesle genero 2,-too r.
dem preto homeopatliico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, huxim perola mais proprio
para negocio o i,601, i,800 c 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em ouira parte por 2,4oo
o .lioo rs. j
Linguicas, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a o.ooe rs.
garante-se serem supriores aos que vera
em barris.
Chouricas e paios em barris de-meia e urna
arroba a 8,000 rs. e 1,00o e Goo rs. a libra.
Queijos llamengos muito frescos chegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a 1,4300 e 1,800 rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei*
ro se faz abatimenlo.
dem pialo muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latas j pre-
paradas a G4o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezunlo do reino vindos de casa particular
a 5Go rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,ooo e 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e bespanol a 9oo
1,00o e 1 ,2oo rs. a libra.
Espermacete em cahunas contendo G libras
por i,ooo rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesa-1
da, salmo, ostras echernee, vezugo em
latas grandes a 800 e 1,000 rs. cada urna.
Vinho Bordeatix das marcas mais acredita-1
das que tem vindo ao nosso mercado a,
6,000, 7,000 c 8,000 rs. a caixa, garante-1
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco. |
Genebra de llollanda a 5Go rs. o frasco, ej
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Aliona em f
frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e
41,00o rs. a dusia.
dem de llollanda em botijas grandes a loo
mentt.
Caf do Rio a 26o e 8ors. a libra, e 7.8oo
e 8,5k rs. a arroba,
dem la a libi a, e 9,ooo rs. a arroba.
dem di> Cear de superior qualidade a 24o
e 28c rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz (lo Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. ajarroba.
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Pataco ealpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa 1 e tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 s. e de barril muito superior a 5oo
rs. 1 libra.
Aletria, macarro t talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,000 rs. a caixa.
dem tallierim branco a 32o rs. a libra,
estas massastornam-se recomendaveis as
pes: oas doentes por serem propiamente
i'eit s para esse lim.
Esteaiinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
las com 9 caadas por 18,000 rs.
Vinhqde pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oq c5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,opo e.3,8oo rs.
Vinlw branco de Lisboa de excellente quali-
dai e a ioo e 5oo rs. a garrafa, em caada Sevadinlia
a 3 000 c 3,5oo rs.
Vinhi branco para missa em caixa de 1 duzia
a ,00o e a 680 rs. a garrafa.
Yinh) do Porto das melbores marcas, que
vepi ao mercado como sejam Lagrimas do
DAofo, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D| Lui'z I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoiia em caixa de 1 duzia de 9,00o a
lo.ooo rs. ea9oo e l,oooa garrafa.
Vinbe Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
SarUinbas de Nantesem quartos e mcias latas
36o e 56o rs. cada urna.
Safdinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melbor conserveiro de Lis-
)oa a 64o rs.
dlachinlias inglezas as mais novas do mer-
fcado a 2,8oors. a barrica, e 24o rs. a
I libra.
lachinha de sola em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
lo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
ssas muito novas de carnada a loo rs. a
libra e 6,000 rs. a caixa com 28 libras.
gos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Krnendoas de casca mole a 32o rs. a libra,
olachinhasd'agua em sal da fabrica do Beato
por 2,ooo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em lates
de3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de le meia libra
por 1,2oo; ditas em caixinhas de deversos.
. tamaitos com bonitas esiampa* na eaixa
exteriora l,2oo, l,5oo, e l,8oors,
Azeite doce refinado Penanol ou do Kerapes.
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
roldado mesmoa 5oors.
Mostarda ingleza dos melbores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a loo rs.
entubas excelente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas-
grandes a l.ooo rs. e H.ooo a duzia.
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o maco.
Sal refinado em irasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
5,800 a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra,
"e Franca muito nova a2oors.
Charutosde todos os fabricantes da Bahiaedas
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,00o, 2,5oo, 3,ooo,
3,5oo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
cana de receoer e sua propna ecoratenda um grande e
de molbados todos primorosamente escolbidos, por isso apressa-se o prepnetano em
fferecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, afiancando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
Anuyidoas coufeitadas deSoors. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 js,
libra,
fdem franceza a 56o rs. a libra, e 000 rs.
sendo em barril.
Cb uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
Idemperola a2,8oors. e de 8 libras para
cima a 2,7 00,
dem hysson o mais superior que se pode
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5eo rs. .
dem menos superior a2,4oo ede 8 libras
para c'nnaa 2,3oors.
dem proprio paranegocioa2,3oo, de8li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3^ooej4,8oo rs. a lata.
!Wem prelo o melbor que se pode desejar
neste genero a^,800 rs.
dem menos superior .a-esse^que se vende
por, 2 e 2,4oo, a,A,8oo ks. a Jibra.
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo
rs. a libra.
GRANDE
iquilla cao de baldes na Uja c armaieiu
da Arar, e junlaueule de fazen-
das novas vindas pelo vspo', (juc stf
vende por p ecos haratissimos, na
loja da Arara, ra da impcralriz n.
5G, le Lourcuco Pereira lleudes (iui-
mares.
Arara vende os Lales a 2^2-iO.
Vendem-se bales de 16, 20, 2o e 30 reos a
23210,2So00, 33, 3^500,15 : s na loja da Ara-
ra, roa da Imperatnz 11. 56.
Challes a 1#G00, na Arara.
Vende-sc challen de laazinhaa 15600 e i&, dito-
de merino a 2#o00 e 45300, ditos linos eslamfadps ,
a 65, ditos de pona redonda a 7$afOeU$ : na
' loja da Arara, roa Ta Imperalriz n. 06.
As laziuhas da Arara a 320 rs. o covado.
Vendwii-be laazinlias para vestidos a 320, 36,
400, o oOO rs, o eovado, ditas lisas proprias para
tapas a 44)0 e 600 rs. o covado : na ra da Iroin-
ratriz n. 56, loja da Arara.
Coi tes de chita a 25100.
Vende-se cortes de chilas escaros e claios a
25i0, ditos fraucezes a 35200, cortes de cassa a
25 e 25300 : na ra da lniperatriz n. 66, loja ta
Arara.
Itoupa frita da Arara.
Vende-se palitots de brim a 25300, 33, 3tO,
ditos de casemin de cores a IJ300, 55, (i-3, 73 85.
105. ditos pr^los lino a 103. calcas [retas d ea-
semira a 45300, 65 e 85,calcasde brim d rf a
25, 2534)0 c 35. seroulas de Imho a 25. de algo-
dao a 13600, camisas franceza? a 25 e 25300, to
nho a 35 : na ra da ImperalrfZ n. 36, loja da
Arara.
Brinde linho a lo200.
Vende-se brim tranyalo de linho para cajea
varialO"Sortimemo branca a 15200, -13280, 15400 e 15600. de alt-i-
dao a 7O rs. avara, brelanha de linho a 640 e 8(j0
rs. a vara: na ra da Imperatriz n. 36.
Arara vende os veas prets e de cores a l<$000. 1
Vendem-se veos pretos e de core* para chape- *
linas de senhoras pelo prego de 15 cada un, para ,
Licores fraocezes e portugueses das Seguin-' acabar : na ra da Imperatriz n. 36, loja da Arara. t
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-, As percalas da Arara a 5410 rs.
sa, absinto vespeiro, amor peifeit,amen- Vende-se ricas percala? para vestidos de senl-_
TZi ornar, non-i <1 Tliri Bfitpfim W> ** "'"'t" ''" a 00 e 5h0 IS- VadO,
dua amarga, percicot. e lurm, Beienm, na l& da Arara rua ^ |rDperatri, B. gg.
morangos, umao, cafe,laranja,>cdm,%tt\-\ Soutembarque e cajos a 2('5 e 225.
ja, canella, cravo, rlela pimenia ai4,000j Soutembarques c capas prelas do urosdenaplcs ,
rs. a duzia 1,000 rs. a garrafa, gaeante-se para senhora, pelo barato pre<(-o de S05 e 2U3 :
que. OS melbores que temos lidaOBier- na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara,
X, ^ Colchas da Arara a 45
Vende-se colchas de chita a 25, de damasco a
45, de fasiao a 55 : na rua da Imperutriz n. 56,
loja da Arara. ,
Cassas da Arara a 280 rs
Vende-se cassas finas organdys a 280 e 320 rs.
o covado, gollinhas para senhoras a 240, 320, 4C0.
500 e 800 rs., manguitos a 300 rs., camismh;is.a
15 : na rua da linperatuz n. 56, loja da Arara.
lira na 11 te da Arara a 25300.
Vende-se bramante de linho com 10 palmos a
25300, dito muilo superior de 12 palmos de largu-
ra a 238OO, brim tiso para lencoes a 500 e 540 r*.,
panno de linlio de 4 palmos de largura a 640 rs.
a vara : na rua da Imperatriz n. 36, loja da Arara
cado.
Passas muito novas em quartose.ialeiw a
2,000 rs o quarto, a 6,5oo a aixa rs. a libra.
dem corinthias proprias. para ipod-im a.600
rs. a lilwa.
Marmelailas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas.muito.novas a 16o Grita de bico muito novo a 16ftrsa.bna.
Ervilhas francezas era latas a 64o re.
Conac
ingle/.
l,oo rs. a
das melhores
garrafa.
marcas a
libra
alvo a
Doce da casca da goiaha em latas de 4 li-l
bras por 2,ooo; ditoemcaixesa6oors.'
cada um.
Farinba de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra. ,.,
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Azeite doce de-Lisboa a 64o rs. a garrafa.
e 4,800 a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas
6io rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a grasa.
Toucinho de Lisboa muito alto e
32o rs. a libra e 8,too a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento; ditas em
molhos com cento e tantas por 1,2oo rs.
Matte excellente cb para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,2oo rs
dem prato as melhores e mais frescos do
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro.
Genera marca gato a Ooo rs. a garrafa.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Crakntl, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
tas a i,3ooe l,4oors.
Fumo americano em chapa a 1,60o rs, a
libra.
Araruta de todas as qualidades.
Batatps novas em caixas de 2 arrobas a 5)5 a
caixa e 60 rs. a libra*
1 Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,000 rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portugoez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Papel de botica de excellente qnalidade a
21oors. a resma.
Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
Figos de comadre em latas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano.a 1,60o rs. a libra I YMends Guimaraes^
fazenda especial. A Arara vende madapolio fino a IjBW.
Presunto para fiambre inclezes a 70 e 800 Vndese madapolio fino de 24 jardas, n. 60 a
.-< a lilna 5500, dito R. G. a 65600, dito n. 7 a 75, dito n.
ls. d llid. 2 753(K) d 4Qa g^ dt0 a 8300) d[0 a
Chouricas epaiosmnito novosa.64oa Hora. % dil0 sa m dil0 H a,w>para ac;ibar> aig0.
Caixas de traque n. 1 a 85500-cada-urna. 1 ;l0 a 53500,65500, 75 e 85 : na rua da Impera-
Massas para sopa macarro, talharim aletria triz n. 56, loja da Arara.
a 4oo rs. a libra. Arara vende chita* a 210 rs.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa Jjjggjgym ""Z** *
e 800 rs. a garrata. 360i jqa 4i0 ditas percalas muito finas a 500
dem francez a 7,ooo rs. a du-zia e 7oo rs. a' e ,-G0 T!.t nsoado francez a 280 rs gorgnrio &
garrafa. | lin,1o para vestido a 280 r?. o covado : na loja da
Charutos em grande quantidade e de todos os! Arara, roa da imperatriz n. 56.
fabricantes mais a creditados a l,5oo, Laazinlias de uma SO ror.
9 nnr 9 fino onn p 4 non rs a caixa. i Vende-se laazinhas de uma s cor, laes como
2,000, 2.000, djooo Vo irs. ""., d r elc roprias pi,ra
os mais baixos sao dos que por ah se ven-, ^ e ves-|(los > !C^0Ta a m r5 0 covado e
dem a 2,000 e 2,500 rs. | outras maltas fazendas novas, que se vendem por
.., on i baratissimos precos e a dinheiro : na ruada Im-
Caf de premeira qualidade a o.doo e 9,000 j peratrz n. ^t )ja ,ja Arara, que se acha abena
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, C 8o rs. a libra. Miguel Jos Barbosa Gruimaraes, socio princi-
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,Soo rs. ar- pal da firma de Sotaaraes Lima, faz sciente ao
veiMsurwiuauu. j respeilavel publico que tendo de liquidar todas as
roba, e oOO rs. a Hora. fazendas existentes em seu estabelecimento por
dem de sebo muito dura fingindoesparmace-.ter (anecio 0 seu soco Jos de Aimeida Nunes
te 36o rs a libra. Lima, que consta de um grande sortimento de fa-
Idemdeesparmacetea56ors^libra, eem StKSSSt
caixa a 52e rs. com 25 libras.
Loja de fazendas da rao
do Crespo n 7.
ADEREgOS DE MOSAICO
A aguia branca da rua do Queimado n. 8 rece-
ben bonitos adereeos de mosaico e fino dourado, e
os est vendf ndo por prego razoavel.
Bolsas para cava.
Esse objecto aqui tao costoso de encontrar-se, e
tao preciso aos apreciadores da caga, aclia-se hoje
a venda na rua do Queimado loja da aguia branca
n. 8, onde o comprador ser servido conforme o di-
nheiro que quizer dispor para tal fim.
Esseneia de rasa
Em pequeos frasquinhos a 15000. Vende-se na1
rua do Queimado n. 8.
Teatos para volarcc
A aguia branca na rua do Queimado n. 8 recej
Leu caixinhas com lentos de mar lim e madreperop
la para vol trete, havendo dinheiro thaguem-se a
ellos antes qne se acaben)
Cira xa economiea.
Chegou novo sortimento dessa boa graxa, e con-
tinua a ser vendida na rua do Queimado loja da
aguia branca n. 8.
PHM
para a irmandade do Bom (Jonselho, e carUs de
bachareis. Vende-se na loja da aguia branca, i
do Queimado n. 8
I,e~|!ics de sndalo, naadrepero-
la.osso. etc.
A aguia branca recebeu um bello sortimento de
leques de sndalo, madreperola e osso, sendo clips
de diversos moldes e variadas cores, inclusivaa
preta : agora, pois, quem comparecer com dinheiro
pode bem escolher um bonito leque, na rua do
Queimado loja da aguia branca'n. .
CaixlBhas para costura eoutri
can periuaiarias
A loja da aguia braBea, onde constnteroeote
vendem essas bonitas caixinhas com arranjo pata
costura, acha-se mui bem provida por teraecra
recebado um teMo soitimeolo de ditas carxinna i
assim como outras com tinas perfurawjwy'pof
quem quizer fazer um bom prsenle, laadodmflB'
ro dirija-se rua do Queimado loja da aguia or n-
ca n. 8 qne ser bcm servido.
Boa tinta para niaiear ronpa
Vende-se na rua do Queimado loja da ag ia
branca n. 8.____________________
Rape Paulo < enleire viajado.
A loja da Aurora na rua larga do Rosario n. 38,
POR MENOS DE 20 k 50 POR CENTO
23--Largo do Terco23.
Joaquira Simao dos Santos, dono deste armazem de molhados, tem feito urna grande vantagem
mem scu armazom tum freauenlado liquidou todos os seu. gneros mais anligos que tinha nao so
n^Trmazem com. S, elendo fei'.o urna grande reforma neste estabelecimento tanto emumanho
cmo en, gneros que mahdou vir por sua propria encommenda a ma.or parte, que os podo vender por
menos de que qualquer apnunciante, para isso se responsab.l.sa pela superior qualidade.
Attencao.
15400 a arroba e 50 rs. a
i
Matas as mais novas
Iibr3
(Toucinho de Lisboa novo l 280 rs. a libra e 85400
a arroba.
Cat do Rio de primeira i segunda sorte a 280 e
300 rs. a libra e 85500 a arroba.
lAnroz pilado a 80 e 100 n. a libra e25o00 e 2*30
a arroba.
ISardinha de Nantes nova l a 320 rs. cada uma.
ahao massa superior a 130 e 220 rs. a libra.
>;*sas as mais novas deste genero a 400 rs. a libra
meixas franceza* com 1 e meia libras a 15-
240 rs. a libra.
Queijos do vapor a 25800.
Vinho de Figueira, marca JAA, a 500 rs. a gar-
rafa.
Dito de Lisboa a 400 rs.
Dito de outros paizes a 360 rs.
Dito para negocio a 320 rs. agarrafa e em caada
se faz abatimenlo.
Genebra de Hollanda em frasqueiras a 455000 e 500
rs. o frasee.
dem em botijas de conta a 400 rs.
Azeite doce de Lisboa fino a 600 rs. a garrafa.
Dito de carrapato a 320 rs. a garrafa.
se
recebeu rap Paulo Cordeiro, meio grosso, dito
dito viajado nraito fresco, tajrto viaja*) como ro ^^ fe um : OT na (las Cruzes n. 44.
t^y^^Z^"^^ Mant? franCMa a 50 rs. a iibra, e 40 em.
barril.
Dita ingleza flor a 720, 800 e 900 rs. a libra, e em
barril ha abatimento.
Massa de tomate em latas de libra a 600 rs. cada
uma- CUV
Conservas inglezas, francezas e portugneras a 640
o frasco.
^i#200*5SeO,2#,B#e45.
hosphoros do gaz- groza 2#zw.
(das de espermacete deB e 6 por libra a 540 rs. a
libra, eem caixa a 520.
lelas de carnauba a i I a arroba e 360 a libra,
jvadinha e sag muil novo a 240, 260 rs. a li-
bra. Garante-se a supi rior qualidade
Alt'im destes gene ros
nhav.
ha outros raaitos qne enfadoaho seria raenciona-los. Qoem duvidar ve-
de
mrijsuya
jlitre refinado. snpeMor qnalidade, vinho Bor-
ux, differentes qualidades, mais barato que em
ilquer parle : no armazem de E. A. I
rua da Cruz n. 48.
k Vendem-se darxues vasios a
1:760
Fumo imperial
Cortado ignal ao francez muito proprio para ca-
chimbo, e> latas de 1 libra, quando nao seja rae-
Iher igual ao americano por 15200 rs.,' para veri-
ficar a verdade os Srs. fumantes pedem-se dirigir
fabrica vapor de cigarros antiga roa dos Qoar*
teis de Polica n. 21.
Frutas em calda ebegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 12o rs. a
lata de 21 r2 libras.
Idemem caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 6oo rs. a libra.
Mem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
seoco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V. nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luizl, e outras muitas
marcas, em caixa de uma duzia a lo.ooo e
l,ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a canada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composico a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
j Farinba de matarana a 240 rs. a libra.
; Ricas caixas com figos a l.ooo rs. cada uma.
Ricos livros com figos l,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrames com 4 *% garrafas de vinho supe-
rior a 2,'5oo rs. com o garrafSo.
dem com4 V* dtas de venagre al.ooo r.o
garrafo.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo re. com -a-ancoreta
dem em pipa poro sem o batismo a 2oo rs.
a garrafa e 4,4oo rs. a caada.
Caixas com i doiiada garrafas de vuvho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8oo re.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,oeo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaco pautadoe lisoa 3,ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,oo rs.
a resma.
ricos vestidos de seda
com aigum toque de mofo, capas de velludo preto
muito linas e oulras muitas fazendas que tudo
vende por baratissimo preco.
ESCRAVOS FGIDOS.
Fugio na noite de 23 do corrente julho de
1864 o escravo Jos, preto, crioulo, ae 26 annos.
baixo, corpo regular, beicos grossos e estufados,
orelhas pequeas, e cachago grosso, pouca barba
porque tem apenas na ponte do queixo, levoi? duas
Idemembrulho de l,2oo a 1,400 re. a resma. I calcas, urna branca e ouira de castor escuro que
impixaTfrancpyas em latas de 1 Vi libra a ] parece preto, de listras, paleto! preto, sem camisa,
Ameixas Irancezas em mu ubi /ie com uma carapu(.a encarnada na cabera, a lata
!,2ooe8oorS. a libra. jde marojo: quem pegar leve-o rua Direita n.
dem em frascos de 3 libras a 2,500 rs., SO O j 54, que ser generosamente recompensado. _
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
Vende-se leite
mero 52.
na rua da Imperatriz n-
fraseos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova
2oo rs.
Molhos mglezes a 800 e 1,00o rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ea rs. a
duziae 600 rg. a garrafa,
dem de outras marcas preta e branca a,5oo
e 6,000 rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 aro ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo re.*olhoe
800 rs. o cento.
Genebra de Hollondaem frasqueiras a ,00o
e 56o re. o frasco,
dem em botijas a ioo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e Sto re. a
caixa.
Mem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs, o macinhos a 12o r. e masso.
Cominhos muito novos a32ors. abbrae
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o re. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o re. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,500 rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peies em latas a l.ooo rs. a lata ji prompto
a comer-se. .
Farello de Lisboa marca N. eBiat saceos
grandes a 4,000 rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e l.ooo rs. o
caixao.
O proprietaTio do grande aTnrazem Uni8o eCommercio declara aoaaaa fregu
zes e amigos e ao puBHcoem geral, que para facilitar a commodidade de todos esopou
os mesmqsprecos nos sectntes lagares: ___
Umlt e Cominercio rua do Queimado n. T;
O Verdadeiro Principal rua do Imperador n. 40.
Fugio na larde do dia 16 do corrente um
escravo pardo, de nome Marcos, desembarcado
do hiate Sania Auna, vindo do Aracaty, tendo
de idade 28 annos pouco mais oa menos, e os sig-
naes seguintes : altura regular, secco docoipo,
pouca barba, cabello crespo, levou camisa e
calca do algodaosinho de riscado azul e cha-
peo de palha, tendo levado comsigo uma trouxa
com mais roupa, e rendido de nma das venina*;
quem o appreender queira leva-lo roa da Madre
de Deus n. 38, ou rua do Bru n. 55, que sera
recompensad._____________________
ATTENCAO.
Ansento-se ne dia 40 de jullto docorrente anao,
da casa do abaixo assignado, o escravo capinheo
por nome Francisco, de nacao Costa, idade mais
de 50 annos, estatura e corpo regulares, rendido
das verilhas, bem desembaracado no fallar, tem
sido encontrado na freguezia da Boa-Vista, na ct-
dade de Olinda, em Beberibe, nos engenhos do dis~-
tricto de Iguarasf, e ltimamente na povoacao de
Pasmado, consta intitnlar-se de forro, que anda
vendendo miudeas e comprando ovos; de ?np-
pr que tomasse a direccao de Golaana : portanlo
roga-se as autoridades poHciaes e capites de cam-
po a soa apprehensao, e leva-lo Ignacio Marques
da Coste Soares, na rua do Progresso n. 3, bairro
da Boa-Vista, ou seu 9enhor Frederrco Marqnrs
da fJosta Soares, em IgoarassA, no sitio Piten*a-*
das Freirs, que serio generosamente gratificados




}
Miita jiltenco.
Ha das fogio o escravo afrioane, de BomeA_is#
tonio, levando calca e camisa de bata azul es- }
cura: quemo encontrar e levar sua senhora a,
baroneza da Victoria, rua do Hospicio, ser bem
gratificado.___________________________
__Fugio do engenho Laga do Mallo, no dia 1K
de julho do corrente auno o pardo 43oo?allo, co_
os signaes seguintes : baixo, grosso do corpo, es-
corado, dentes limados, olhos castenhos, tendo em .,
um delles uma belide, usa de bigode, tem as per-
nas um ponco arqueadas e os ps apalhetados, c-
bello nazareno, fcil nasser pr liwe, porflu.oa
alm de ser muito atilado anda bem tratada. Esto
escravo tem a mai no poder do Sr. major Manoei
Rodrigues dos Santos, morador era Ta, rreguezia
flo Limoeiro : roga-se s aHtorMadcs policraes on
aos capites de campo a prisSo do lo .ocmvo, e
leva-lo no mesmo engenho, ou no Rectfe ao Sr.
Hanoel Antonio Ferreira (Jomes, que sera genero,
smente recompensado.



LITTERATURA.
O QUE VAE PELO MUNDO
Damos ero seguida a continuaban da discussad
liavida no senado franccz sobre bancos dc nnissaoi
Tai era essa commissao. Ninguem dir que o
cent, por (a, a despea ter t tambera diariamente
ura scereseirao de 360,000 fra. O que a colheita
nao dea, tdm de ser compra do, de ser pago ao es-
trangelro, mullas vezes a dinheiro.
sos do paiz sao inexhauriveis, que sao sufflcientes
para tude, que intil pagar dinheiro tudo
qaanto compramos, que basta flear devendo, por
Qual pode que quem tem prazo niio deve; sapponde I
ser a propojcao destas contras ? Ella depeafo da para aplicar taes principios, este estabelecimen
ifflcienc> das cotheitas, isto se se tiver de to ob outro < sua disposigo n' esperavam trmulos da incerteza.
se achavam nella amplamentc representados.
Eis qual foi a sua deciso. a commissao jul-
imporlar, p*r eiemplo, 3 jest. de trigo para o privilegio de emissao, o que faria ello ? Procede-
saber, os sedimentos de justija e de lea.dade, na, ^er 1^^*''^ "^T^ d 5^ "*" "" ""^ T"*'0' acoro?ia
^numerario, (londoos nosses productos radustrlaes todas as emprezas, faria sabir ou baixar os valo-
nao forem petos saldos do eommerrio aceitas era res a seu bcl-prazer, compra-los-ha com bilhetes
M generosa arbitrando era 1,200,000 francos d eTSX'iSo?'.1 ni 5? Pr ^ A ^ "" '""**' "" mmm a
exaen lao aestts clculos t< m sido cem vezes pro- vista, se bem que laes bilhetes, asiim que cessam
v' I de ser pagos, nada
A' vista de taes evidencias nao um d'ever
conservar a rijaior sommaj possivel de numera-
rio ?
resgale do privilegio, mas, bem entendido, ro?al
valido sempre o consentimenin de ambas as par
tes; porquanto, nos o repetimos, como nao havi; !
direito, ninguem podia ordenar : o banco da Sa
luya e o de Franca tiuliain licado iudependentes i
ii.io poderain cliegar a um accordo.
a Quem procedeu mal ? Ouso afrmar que nd
.foi o banco de Franca, e ainda nao esquecLcomc
a opiniao publica julgou a questao por outra ques-
tao : E' a Saboya, dizia ella, que se ada encorpo
rada Franja, ou a Frauca que est encorpora
E' como vol digo. Apostava-se dez, 'vinte, j maos que com a espada'na dextra, fazem saudar o
cracoenta, cem luizes, e mesmo tnais pro e contra estandarte da Franca ;
o resultado presumido do drama.
-Mas, disse eu, com o suor fri na fronte, ha
urna malher e um pae que, durante esse tempo,
Isto nao era nada. Apostava-se.
A' somelhanja dos carollos ?
Sim.
: ue sorte que aquelle que ia pela condemna-
gao morte, punha nella toda a sua esperanja,
mais representem do ~*'ZZ^?Sgg* **
raais incerto futuro. E assim, podis cr-lo, que Oh I original, interesante I
Em nossas assemblas, a livre discussoe o voto
livre :
Tendo o celebre advogado francez, o Sr. Ber-
ryer, aceiudo o convite que lordBrougham Ihe d-
rigiu de o visitar em Inglaterra, no outont, foi e .
viada urna circular annunciando que sua senhoria*
O futuro prenhe de promessas realisadas, a hon- e alguns outros membros do collegio dos advoca-
ra em todas as almas, e a agiotagem em nenhuma (dos desejavam fazer preparativos para que o foro
de Inglaterra recebesse o Sr. Berryer, no 1" de no-
Nao 6 senao era um rau soniio que se p5de ver
bomens apostando sobre a caLeca de um homem !
a O senado igualmente qo ignora que o que
tem constituido a'lc hoje a forja da Franja, que o
que a tem ajudad\> a pagar com a mais admiravel
zas das suas guerras as
um tal eslabelecimenlo engaara o publico a
respeito da situajao da praca; assim que se
comprara prazo o que nao se pudesse pa-
gar; assim que, comprando muito mais do
que se pudesse pagar, se elevara o prego das
cousas alm dos seus limites naturaes; as-
facilidadea< des ua5 SUas guerras as mais sm qae sennor da sitaa0o .
! T%Jen,SinSrCS fttPV*.1**9* sanamente sua disposi^ ral de crdito dj
rosa e a sua riqueza meta ica sem-ire nrntiTiila a : m .-
primeiro caso, que 8 o nico conservada mastique tve Senos ab"d ,1^^^ ^'Q6n'Cih ^ eipecularia in"
'anrio-m .oin,i j suioo, t fallvelmeDlo, arruinando o
a origera actual, contempornea da-! pretencoes
que teniem a exagerar o uso do crdito.
v.rdadeiro, qual deve conformar-so com os usos e
osturaes do estado mais amigo, mais poderoso, e
.respailar os privilegios que nelle ho sido concedi-1 poi< lieenja para daV, a este respeito
dos? A Saboya evidentemente, com tildo quanto! envolvimento s nossas ideas.
ella traz para a communho franceza. Subsista!
Pedimos
um des-
qual
que nai tivessera os
1 mesmos meios, realizando enormes lucros que
tratara de liquidar a toda a pressa, deixando ao
I publico e ao futuro acervos de ttulos e de tran-
saeges de que o publico e o- futuro se livrariam
embra intacto o seu privilegio na Saboya; mas
compre que ella respeite o Jo banco de Franca.
Nao foi possivel Cbegar-se a um accordo; a
fu sao nao leve lugar.
I'astaram-se alguns meses sem novas tentati-
va de ajuste, quando outros interesses julgaratn
descobnr que da questao do banco da Saboya se
pedera tirar proveito debaixo de outros pontos de
vista. Estes novos interesses intervieram e fize-
ram ora contrato que, segundo se diz, collocou o
., tuneo de Saboya na sua dependencia. Este con-
Somos d^sses qiij admiran) os incontestaveis'comopudessera. (Signaes de approvagao.)
resultados que pode froduzr o crdito ; mas em!
materia de bancos d
cuja utilidade se acha
cia, e que n com
respeitnH, e vera
il
emissao ha
consagrada pela experiei
irehendemos
ser : que em Franja, sem
Com urna excessva quantidade de bilhetes de
umaproporcao b 0 n0 se ^Je f -; -j.s-Puro.
pela experien- Supponde ue o banco Ve Franja, era rexXr ^I^^JT?*??**! "? "T '"us-
tanto quantoa dimial aJ niahtraiIo, J5 ^ZZlTJSZ^.'^^^""!^
Sim, elle dizia comsigo : Se o condemnam,
, meu Deus, a raorte... ganho cem luizes E elle
ousava invocar a Deus, eslava cheio de anciedade,
e se o aecusado houvesse sido absolvido, era elle,
esse apostador inmundo, quem empallideceria I
Sim, nao ha novidaae. E d'onde sahistes,
meu charo T
D'onde saio ? Da cidade em que se passam
semelhantes cousas, e taes cousas tiram-me todo o
desejo de voltar a ella.
Ah 1 aquelles que fizeram essa apostajramoral,
monstruosa, sao uns miseraveis.
Que I
Ser isto possivel ?
Apostar sobre ajustija,sobrc a propra causa da
pelos mais illus
o menor pengo para elle mesmo ou para o crdi-
to publico, o banco pode, com i,000 francos em
numerario, concorrer cora 3,000 francos para ac-1 raCoes ? Pois bem, tudo consiste nisto. Aotorisae
,,e,rinn"T-,0S; Pr0U,raS palaVraS> S8 oestabeleciraento de ura novo banco de circula-
T *Z Cm !kamerui0 DOi seus m veris que deste facto resultar senao o co-
re, portera sem inconveniente dever 300 milhoes
n de genio que tentam. coracem sublime or de-
do seu pn vi egio e crear, por mel da sua emiv i t s"ut I"" uc
I sobreaviso esta sociedade contra seus temores leg-
timos, mas algumas vezes exagerados ; apostar so-
bre isto, urna vergonha, urna infamia, c deshon-
so limitada, a abundancia ou o vacuo as pra-
gas. Qual seria a verdade, a lealdade de taes ope-
bagaveis a vista, lima proporjao anloga ob-
i oito das que,em urna assemblea geral dos!Jeuuasi ,odS ^^ ddS da Ing|alerra e da
i geral
accionistas em Annecy, o governo do imperador
puovou a sua reprovajao. Non por isso dexa-
- caa de recorrer aos jornaes, s revistas, aos im-
firessos avulsos, para deraoustrarem que o banco
de Franga sedjo, que j nao est na altura da
actividade dos negocios; que o crdito carece de
. recursos mais latos do que os que ello pode pro-
porcionar. Em summa, comecaram urna campa-
. ha cora o especioso pretexto do interesse publico.
0 que havia de real em tudo isto ? Urna nova es-
fioculajo, Madores, poaca verdade, e muita in-
ustija. Nutro a intima convicciio de que o go-
verno nunca.appruvar tal contrato, e far bem.
Estae certos, Srs. senadores, que dous bancos
de circnlajo nao lm mais poder do que um s,
estabelecid em todas as provincias, bem e libe-
ramente administrado; que a sua presenja simul-
tanea em um mesmo paiz nao porla se quer um
escudo de mais disposigo da indispensavel ne-
cessidade de pagar vista os bilhetes emiltidos, e
que todo aquelle que quer fazer mais do que faz
0 banco de Franja com as snas caixas filiaes ar-
.. rastara infallivelmente a nossa tao rica e gloriosa
patria ao curso forcado.
faboya, por exemplo.
Talvez se diga que em Inglaterra o limite im-
asto pelos estatutos sobreraaneira restricto,
meco das fiemes que acabamos do enumerar,
pelo menos o ensejo para as mais pengosas trans-
acg&es.
O Sn. Dupi.v. procurador geral :E' exact-
simo.
O Sh. de Gehuini : -Se o banco de Franja
Mas o mesmo.
Quando esse sonho me occorre memoria, eu
tenho calofros, e entilo, por momentos, em virlude
de um singular phenomeno que a scieucia nao ex-: ^ aci;oe.
pucar jraas, parece-me que eu nao sonhei {
vembro, ou ainda antes.
Corre
o boato em Paris que o edictor, o Sr.
Blon, comprou a Recata dos dota mumhs, pela
quantia enorme de 1,200,000 francos.
Para a sua exploracao continuar urna sociedade
Continuamos a traduegao do Nain Jaime :
A MODA.
111
A moda patenta urna multidiio de nduslrias
curiosas e pittorescas.
Outr'ora tinhamos sargentos recrutadores, ledo-
res de boma-dicha, mgnetisadores, pamphleUrtos
que vendiam seus epiRrammas, como as carpidrat
no Oriente suas lagrimas, oradores de encruzilha-
das, etc., etc. Hoje temos aereonautas, spintislas,
pylbonissas, astrnomos, sohcitad..res de freguezns,
estabelecimentos terpsyci'orenses, que fornecem a masso lacrado, que dizia no sobrescripto as segurai-
^^JS^t^S^t^^ V\**"m I*"- Propn 'era do
O annuncio de alguroa sorte um vehculo, sem
o qual nada caminha no mondo commercial.
Leu-se n'uma carta de Havana :
Para dar idea da propredade mercantil, dir-
Ibe-hei que apezar da guerra de S. Domiogos, e
da dos Estados-Unidos, a alfandega de H.ivaoa eo-
brou em raaio ultimo SiO,000 pesos mal 6o que
cm egual mez de 1863, e no presente, espera-se
um augmento comparativo de 160,000, pelo menos-,
?
O defunto rei Gmlherme de Wurlemberg, depo-
sitou em 1841, na presidencia do conselho, mt
e o banco de Londres se v multas vezes obri-1da lud quft pde rasoiveln>*e dar, para que
excessivaraente a elevaco da
1 banco de Franga tem mais
um novo banco, que carecer de nma parte que
necessaramente lera de tirar do banco de Fran-
ga ? Pois de outro modo, rem curar do seu fundo
de reserva, emittir bilhetes que nada representa-
rlo, porque o paiz nao lera duas riquezas metalli-
cas para polas disposigo de dous bancos ; s
i tem urna, que apenas sulBciente para a circula-
Em que consiste o perigo ? Elle o mesmo I & do banco de p'ranCa epara actividade dos ne-
qujj o que resulla do abuso de una forja qual- goeios actuaes- (numerosos signaes dfe approva-
"nr ; para negociar, para comprar e vender, e' F5a>
ar os saldos em caso de necessidade, quaes |
nstrume otos e os meios t o ouro a prata,
g ido a precipitar
xa do descont.
Iiberdade, mas por isso mesmo deve elle proceder
m raaior cntela, e se alguma censura se Ihe
de fazer, no nosso entooder, por ter maltas
vdzes demorado de mais a elevaco da taxa do
sconto.
rar o paiz I
Sjm, os inventores, os partidarios deste hediondo
lausquenet sont miseraveis, caracteres degradados,
incapazes mesmo de sentir o castigo, que mere-
ceram.
Que Ihe importa, com effeito, inspirar as pes-
soas honradas o desprezo e o asco t
Os que ganharam esfregam as maos, maos man-
chadas de sangae...
E os que perderam, confentam-se de dizer :
Nao tivemos felicidade f
os
edito. O que crdito ? Nem todos o podem
nem mesmo quera o merece pde sempre
coritar cora elle ; o crdito obtem-se laboriosamen-
te, : quanto menor uso qualquer pessoa fizer del-
le, lanto mais v-lo-ha augmentarse em seu pro-
prii proveito. O crdito a confianja, a certeza
de lagamento, a soguranja de que o bilhete do
Por que mo tao desojado o estabelecimen-'ban ou 1ua,1,,er "ro eripto de crdito
(0 do banco da Saboya em Franca, com um capi-
tal de 40 milhoes, em vez de 4 ? E" para obterem
delle crdito quando o banco de Franja o negar ;
< para fazercm negocios que nao devem ser feitos
ou que todos querem eraprehender ao mesmo tem-
po, nao s em Franca como em muitos outros lu-
gares, sem atten-lcrem quantidade de numerario
cu que saja exportada, sob pena de diminuir mais
do que razoavel os recursos do fuan metallico
sobre o qual importa veiar constantemente.
t Nao necessario memorar ueste recinto, onde
4odos sabem tao bem a historia do passado, o a.
tiuso do papel-moeda e dos auignadot ; as angus-
tias dos estados pobres de numerario que ainda
hoje, para satisfazerera as exigencia da sua civi-
tisagao, teem apenas variedades infinitas, enormes
quantidades de notas mudas de moeda fiduciaria;
o; esforcos que em vao ho tentado para continua-
remos seus pagamentos em numerario, sem os
quaes nao se p le, ps-sto que seja longe da patria,
tem os quaes nao se pde, as crises alimentarias,
comprar trigo, ou em caso de guerra entrar em
campanha.
Fallei as crises alimentarias. Permilti que
vos demonstre o que ellas podem costar.
c A' razao de 15 cen, por meio kilogramma,
a despeza que a populacao do imperio faz diaria,
mente com o pao import em 5,400,000 frs., ou
!,!>00 milhSes de francos por anno.
< Se o prejo do pao tiver um augmento de um
pag
i> quando dever s-Io.
sera
UM POICO DE TUDO.
Traduzimos do Nam Jautu, o segrate :
UM mtj SOMHO.
Em um paiz chimerico, cujo nome rae nfio re-
corda mais, na capital uesse paiz, que se ccoside-
rava como alma, como- o- eerebro do mundo; no
centro de urna civilisacae- de tal sort adiontada
que j tocava podridoj passou-se o drama-, que
vou referir.
ora, para Isto, o que preciso ? Urna somma
sembr sufflciente, e em proporjao averiguada de! EsUva_se a I10010 de-jutgar um infeliz, acensado
numerario na burra daquelle que deve no pa' -1 eaveneoamenw por oupidez, o qual pertenci* a
quapdo nao, dar-se-ha o curso forjado : nao ha ;UJna da* 8la6ses elevadae da sociedade. ^
meio termo. Eis, Srs. senadores, em que ad- Seu processo, proceseo estranho, complexo, on-
mr;vela instituijo do banco de Franga, monu- i de o coobecido se destaoava peovelmento do desoo-
iet to entre tantos outros do genio do imperador | nhecido, interessava as- turbas.
Os juizes, austores, ntegros, recolhidos, ouvtam
t=
FOLHETIM
V1XTK HORAS Dl LITEIRA
POR
CIMILLO CASTELLO BKANGO.
Continuaco.)
Vil '
Este demoniocontinuou Antorio Joaquim
namorou-se do aniado de seo pae. Era Lou-
renjo Pires um bruto fatal! Se nao fosse o sertile-
gio da viola e do clarinete, eu havia de cuidar que
elle expeda dos olhos torrentes magnticas I Pelos
modos, mulher que o encarasse a filo, sentia-se lo-
go empeslada de amor.
Maria Pires, sem embargo do pleito litigado em
raga, nao teve mo de si. Declarou-se ao pae,
que nao achou despropositada a declarajo; com-
tudo, observou-lbe que Lourengo havia de casar
Com urna das duas raparigas, assim que se deci-
disse a questao em Braga.
Nao desistiu Maria, nem Lourenjo se esquivou hospeda, foi
aos avanjos cariciosos da ricassa, que, todos os; oto mezes.
Napileao L e que, se nao existisse, conviria pedir
iMsmsaccessor, monumento que.com as suas
trad joes, os seus reglamentos e a sua sabedoria,
co no a arca santa, e na qual nao devemos to-
car ob pena de vermos a fiejao substituir a rea-
I ida le.
I) banco s deve emittir os seus bilhetes com
a cei teza de poder paga-Ios vista. Eis a lei a qpe
todoi o uegociaotes se devem submetter e a que
se li; o sdbmettido as htielllgencias mais esclare-
cidas O estudioso relator da vossa 6 commissao
cilou vos os nomes de Hossi, Roberto Peel, Overa-
tone, Benoist d'Azy, Wolow.ki, c a sua justija o
levoul a mostrarvos como ura ministro cuja "alta
considerajo e autoridade bao subido de ponto
pelos eminentes servijos feitos ao imperio, o- hon-
rado Sr. Fould, qualificava de terrivel em 1819 a.
faculdkde de fazer monda-papel, qu ento pre-
lendam conceder ao governo.
Permittis que vos mostr a que gru de im-
prudencia poderia cliegar o espirito de empreza, a;
especulacao, com bilhetes de banco sempro conce-
didos, jsempre disponiveis? Supponde ijuo um
com urna- emojo contida pelo ssntimento do derer
a aecusa^ao e a defezat.
Emiim^ esclarecidos- pelos leogos debates, pro-
nunciaran) a pena de morte.
A sensacao foi profcinda nessa-oapital das artes
e da civiiisacao. -
Quando me annuneiaram a sentenja cu brfoea-
va, sob urna 'acacia prestes a florescer, cora mu
cacho de-digitale, flor encantadora, que se parece
com os-dedos da lava.perfumado, d'uraa multar ao
sahir do baile.
Que mu sonho I
Nao era real tudo isto.
Acabo de despetar, e fiz abrir a minha janefra1,
\ka raio de sol incontinente doarou meu leiti>.
Era o raio da verdade.
A aadorinha caotava, as arares, floridas emba]i
samavam o ar ; eu esRwa livre d pesadelo, en-
xoguevo ros innudado de um suor glacial; esla-
va feliz, e dizia a mim mesmo :
Grapas vos sejam dadas, meus Deus Nos
vivemos-nao saou un prmceenne me de a fraude.
como envaro paiz, onde todas- as grandes, todas as-
generosas aspiraj5es se respiran) com o-ar.
Graea a- Deus-, absurdoo meu sonho.
Ah I' que mu-,. que horrivel sonho !
Se m> Franja, em sua capital Pars, raes mons-
truosidades se paesassem, nao-haveria preeisao de
mlm para as censurar ; toda"as pessoas honradas
se ergoeriara indignadas e exriamariam r
Nao ros baeunte a Bote, que leve-alta no
dia seguinte batalha de Wterloo I WSo vos
bastar as espeluncas? Tendes,po4s, decididamente
perdidotodoo seoso moral, como certos pessimistas
o alBrraam?' Queris, pois, dar razao aqnelles
que cabtmniam nossa sociedad eom asseverajo
de estar ella gangrenada ? Sois- ros, pois, os ca-
nibaes do dinheiro,. pois, des apestar sobre urna
cabeja>v..
Nao ros sois nma'geraco felfa, forte, v3lente,
gloriosa e esclarecida!
Vos sabis esperar e ouvir com um respeito de-
corse, as senlencas salutares da jsliga, da primei-
ra Justina do mnnd /.'
Entre vos todas as grandes ideas tem aza*, ehao
tomado livre vo-1*.................
Contnram-me a sensajao
tando-:
da. cidade acnscen-
Eis ahi um jalgado que arruina a un>.e en-
riqucee a outros.
3 Corao isto ? perguntek.
Sera duvda Ha dous das no boulevard, na
Bote, nos bastidores e mesmo era alguns saldes,
banco de circulagao se lembrasse de pregar e de Q0* se aP0Slava P,a cabeja d'esse desgragado.
praticarj urna doutrina que dissesse que os recur-' Vos me espantes I
O
Neste
contra
alongou
leiras, e
Martins.
AM quanto sou-feliz por ter acertado !
Miscomo meu sonho tem sidopenirel:
Ri arripio-me-ainda d'elle...
Analmente nao cuidemos maisnisto.
Tudo vae bem.
Aqui, a pintura ; %
Acola, a poesa ;
Em outra parte, a comedia de-oostumes,. a justf-
eeira do ridedo oastigat mores.
Por toda a parte, o exercito, isto os- nossos ir-
lo vade pagina e meia de lodos os jornaes; com
effeito um excedente meio de preencher deste mo-
do por saas relajees as exigencias do fisco.
IV
Exislem duas modas mais tymmic anda.
Os oros da Paschoa e os crmtos do dia de anno
bom.
Comprehendo, al um corto porrto, a fesfa da se-
nhora, mas essas ultimas sao instituigoes ridiculas
no mais elevado gru.
Outr'ora eom alguns luizes passava-se as festas
de Pascoa, mas ha alguns annos que transfrmen-
le este uso burguez.
Mr. Ilenriqse de Pene narrou ha pouco a-histo-
ria de um ovoide pintado* de azul, e floreadode fi-
tas e dourados -r o qual cowtioha em seu gigantes-
co-eenlro um cavailo soberbo, que foi eslimado era
1,58 francos.
Era offerecldo a Srai **
Este presente original e aristocrtico, rorda-
de, mas deve-se rnfassar, que,, se esta moda toma
MN-M) seguudo se dw-na Bolsa, s os millionarios
podeiolicar em Parno dia de Paschoa.
No entpelanto, observae, no primeiro do asno,
esses pobres diabos de empregados, tintando den-
tro de suas- casacas pnetas.maldizendo da chova-,
dos-carros,.e da moda nalmente.
Vde-os oom suas cargas de saceos de confeilos,
de boceliuhas, etc.; as filinhas multicres, das ca-
rantouhas dos polichineUos pendem de suas algi-
b9iras.
Elles oorrem- casa dos-superiores, esperanda-
dcsla sorte seu>adiaulaineoto:
Observae aiada todas essas pessoas que trocara-
cusnprimeotos rociprocos de egual sinceridade;.
que se enlameam ; que se arminam em presentes-
parauma parle do anno.
No ha nadaa>dizer.
K'. a moda I
V
Vos frequenlaes o mundo, por exemplo.
Entregue ao presidente do conselho de estado,
para ser aborto em sessaodo conselho, dado o caso
da minha morte.Guherme.
Por orden de sua magestade o acnwi rei, acaba
de ser aberto o roasso.
Eis de que resava :
Eseriptoaos-zOde abril de 1844.
t Io Logo que a minha alma tiver desamparado
o corpo, desejo que os meus restos mortaes-na se-
jam vistos, alm da minha familia se o pedir, stsao
pelos medieos e pessoae do meu servijo.
" Poder fazer-se a autopsia no meu corpo se
os mdicos a julgaren* til.
3 Como era minha rMacousa alguma m re-
pugnou taoto- como a etiqueta, e as ceremefli&sy
desejo nao sr existo publicamente, nem enter-
rado com a pompa do estyls. Os que me tiveiwn-
conhecido acharao este desejo bem natural. BV
pero que os curiosos me perdoaro os t-Ios priva*
do do espectculo de vas ceremonias.
4 O meu corpo sahir do pago de noule e sera>
acompanhado s> pelo pregador da corte, pelo ma-
rechal do pajo, e pelo ajudanre-de campo de ser-
vigo.
Alm disso, prestar-mera as- honras fnebres a
minha guarda e esceltar-me-ha, at a ultima mo-
nada.
5* desejo que o trajecto funerario seja calculado
de modo que aos prmeiros raies-dosol chegne
Rotbembarg. Uro stirode pega servir para in-
dicar o termo dos fneraes. Resar-se-ba orna cur-
ta ora gao no momento ero que o-caixo fdr intro-
duzido no jazigo. Qnero ser sopultnil no tmulo
que ha annos maadei: erigir, c ao lado de minha
oVfuDta esposa Camarina, como-lite proowtti.
6 Desejo que o prazo do lute-pablooro exce-
da tres mezes. Os- sinos nao dobrarao. a)m de 10
dias a contar do dia do enterro;, as egrejas far-
seha a leitura de nma nota, apemw-, acerca do
meo estado civil.
7* Morro como bom chrslIo-;:perd8*a lodos
c-s meus inimig09;e agrade^ 'imnh* familia a
verdadeira ternura*que-sempre me mawfesiou, aos
meus servidores, no civil e noeserciioiasaa dedi-
eacao Mel ao zelo empregado no cumpriento dos
seus deveres, e a todos os meee- subditos a sua fi-
delidade e obedicoera s leis. Vivpara unida-
Dentavam-sa uns aos outros, e-morda a cara da.
O pae destinara um ao saeerdocioy outro a iii^-
dicina, oiUt a leis, e o quanto pa?a senhr j
casa.
O mais velhOv aos dezoito. annos, depois de ar
ue disse est dito, Sr. Lourengo. Encentra ira. marido:. o filho de ua lavrador
omento, a ijuesto de Braga decidiu-se pobre, urna &oa alma q,ue a Providencia Ihe terife! r
duas litigantes. O Qlho do jornaleiro, enviado, se a Providencia costumasse collaborar
ollios d'alma por sobre as cortina e nestes rom^ces do genero humano, com peripe-
ontados da futura herdeira de Joaquini cias sem originalidadB nenhuma. Este homem
Tudo isto pde ser leu I -disse o de-: acaricia o filho de Fehitidade com paternal terau-
momo a alma abjecta do villao. E logo a pbysiono-' ra. Se a v chora*, quer beber-lhe- as lagrimas; irrefragavel teslemunho a sua ineapacidade para
ma m"g4e lagrimosa de Pelicidado sumiu-se as; mas ella- chora sempre. E, depois. a peoitente I as letras, enirou na carreira das armas. Passado
costas da mazorra mulher, que se cra a deliciar- \ nao permute que se abram as janeMas quo defron-1 um anap.de vida suja de escndalos e bargauterias
se na contmplajao do alarve querido. Levantara j tam com a casa de Lourenjo Pires. O- marido res-; do ultimo p'ebeismo, obteve a baixa, e apresentou-
e la as flords do chao, o deu-lh'as cora um sorriso peita a vontade imperiosa de suai mulher; e nun- se era.casa reclamando dinheiro para negociar em
alvar que fna chorar de najo um satyro. Lou-^ ca njaisa luz dosol aqueceu o pavimento hmido agurdeme. O p=e teroeu-o, e deu-lhe dinheiro,
rengo pendjirou as flores as casas dos botoes do d'aquelia casa. que ello desbarat.>i na liberlinagem, e voou para
Trinta anuos rodaram : Feficidade envelhece : \ ^^ a furtar ^u : cl* boa Ihe nSodavam.
tem jaQlhoshomens; as portadas da janella j ^^ er* filno destinado para o sacerctocio.
vosso'bilhete dafelicitajo a todos os conhecidoe,
coma al a pesseas que deiestws.
Mas deveis, joven, encher urna carroagera de
confeilos, e leva-Ios s sentaras que vos recebe
em seus salees.
A vossa bolsa resentir-se-ha. dislo, mas nao vss-
queixeis.
E'a-moda !
VI
Pela.manhaa, emquanto estues ainda a repousar-,
se apresentam em vossa casa ocarleiro, oporteiro,
os mojo de reoado, os domoslicos, os varredores
da ra, os acendedores do gaz, os conductores de
agua, oto. etc.
Vem apreseolar as suasfelieitagoes na raziie.di^
recia do valor- das festas, qae costumaes dar-Ibes.
^o podis p-los a andan sem as futas.
EE a moda ^
Diaide mentira e de parodias, festa creata-em
henra de sentimentos falsos- e mentirosos I
Essas caretas, essas eonvengoes, todas, essas
parases sonoras e vasia de significajao deveniam
ir encontrar tantos outros usos j desapparecidos.
Ii-so no. Jornal de Utma a seguinte :
Wuslembergr Feliri'da-
em todos -os- teinpos por
coliete, e disse urnas grajolas amoraveis, com que
a rapariga iahiu d'ali contendo a custo as cabrio-
las do coracko. Contou ao pao o succedido; e o
velho, cada hora raais tonto, alegrou-se com a ra-
pariga.
A relajad
de Lourenjd
fausta nova
rolado com
idiotia insipiente, se arreava de ouro, e punha
quatro lenjos de seda escarate uns por cima dos
outros.
Diz-rae tu se Lourenjo era fatal ou nao!.. .Al-
guns morgados, com perdo de seus preclaros avs,
oram pedir Mara. O lavrador deixava a deeisao
ti I ha; e ella, cora o desplante de mulher fasci-
nada, dizia que o escolhido do seu corajao era
Lourenjo.
Urna vez eslava elle na eir assoalhando uns
feijoes, e Maria andava na horta colhendo couves-
Que painel indito I Se os paisagistas se apro-
veitassem desta encantadora cousa I
Maria, ao saltar o portlo da horla para a eir
deixou cahir do regajo um ramo de flores muito
loias, que a natureza fizera para ella : eram gira-
fios e malmeqaeres. Loarengo reparn, e disse
eom intengao:
P'ra qaem o ramo ?
P'ra qnem o merece.
Nao son en.
Ou ser ou nao.
Veja l o que diz, Sra. Mariquinhas I...
ecclesiastica dispensou no casamento
com Felicidade. Meu pae fez saber a
|ao rapaz, que se mostrou pouco alvo-1
a noticia. A jubilosa mulher, nossa
logo para sua casa, com o filhinho de
tratar dos preparos domsticos para
esto carcomidas ; mas nem urna s hora entrou
por ellas o ar aos quarlos, que se vo desfazendo
e ruindo a pedajos.
Sao, pois, passados trinta annos.
E' tempo de irmos procurar em casa de Louren-
jo Pires a justija do cu.
Teve elle quatro Unos dc sua mulher Mara
Martins.
domingos, cora beneplcito do pae, atacado de receber o es poso. O abbade, sem consultar o coa- j Fallaremos, primeiramente, da mulher. A alma
trahenle, le i o segundo banho. Lourengo desap- parece que andava a competencia com o corpo a
parece entai da aldeia, e ninguem sabe o seu des- ver qual se tornava mais repeliente. Assim que
tino. j riu o marido alassalhado de reraorsos, que Ihe ti-
Dizia-se qie elle, arrastado pela mo da Provi- raran' nao s a graja, mas at a embocadura do
O medico em perspecliva, reprovado no primei-
ro anno, bestilicou-se com a embriaguez de tres
aunos successivos, em que nao voltou a casa. Foi
o pae levanla-lodosSchiqueirosde Coknbra, e trou-
xe-o para si. O rapaz continuou aa vinolencia; e,
n'um dos frequentes accessos, aboeou urna davina
cara do pae, eedendo-lhe a vida a troco de ura
garrafo de geropiga. Este desgrasado teve a fe-
licidade de roorrer afogado n'um poco, onde quit
refrigerar as escandecencias da embriaguez.
O terceiro filho, enviado a estudar leis, coosumiu
seis annos em preparatorios, e fechou o curso com
tres rr era latim. Reeolhea a casa denoranando-se
doutor.
O pao abragou-o, inltulando-o a sua consolacao.
Um da, como fosse a Braga, e fallasse no seu filho
doutor, um informador sem alma contou-lhe as
proezas do rapaz.
Lourengo exprobou a mentira ao filho, enfuriou-
se, quiz lirar-lhe a formatura das costas com um
dencia, fra casar-se com a prraeira seduzida. clarinete, comegou a agarrocha-lo com interroga-
Felicidade v>ltou para casa de minha me em de- C6^ brutaes, a que elle, n'uraa hora de irapacien-
sesperadas i ocias. cia, respondeu com alguns murros. Cora o andar
Passados flias, sabe-se que Lourenjo, mediante ^os lemP0S- e ocrescimento da bilis derrancada da
algumas pecas liradas da arca do padrinho por mu,ber, o exasperado marido appellou do murro
mo da preshmptiva herdeira, conseguir em Bra- Para P3"- e nioeu-a, como quem aligeirava, so-
ga licenga jpara casarse com Maria Martins em '"-do-a, o peso dos seus neceados. Aflnal, a der-1 estadulho; mas o latinista dos sete annos lancou
qualquer friruezia do arcebispado. Quando a r*- reada creatura amollecou decondigo, e fugia jado m0 ao bacamarte do irmo de avinbada memoria
va chegou, J o cynico estupidp eslava casado. Al- mar,do com de ura forioso. Lourenjo, assim que e respondeu com heroico pelto ao fueiro amea-'
guns parentps de Felicidade fazem-lhe creo ca- en*ergava Felicidade, com os seus sete Albos, ale- ador.
sa para o mLtarem. O pae da nniva ouve os tiros, 8res>e em Vlta da ma con sete seraphios con- i 0 quarl0 aiho, deslioado a Qcar na casa foi a urna
que Ihe lasck'm as janellas, e perde de todo o tino, sopores, eseondia-se para chorar, e fug.a para' romaria) viu l urna cantadeira de boas lembrangas
Da demencik morte medearam poucos dias. A "0 "^ ** quando prBItir(> gostou do engenho trovista da moga, e apaixonon-
Lourengoj fogin com a mulher para uns bflft A ho de 1-el.c.dadc passava ssinho por elle, quiz se. Segaiu-a a sua freguezia, sem impedimento de
SSKil I Crea^ T" PWUU de Ilhe diierem ella era PTe jomaleira, vi-
comda chamando a mao a grandes orados. ^ uespresiveL Levou.a ^.^ a ',.
Os quatro filhos leguimos de Lourengo eram co-' ra, e pediu ao abbade que os casasse. Lourengo,
mo os quatro cachorros de um casal de lobos. Des- avisado desta ignominia, fez arrebatar a moga do
de a infancia denotaran) ferocidad*- de nuncns miIm om m !>! r no.,, #,i .i,. u a
que tiabamlera Cabeceiras de Basto, e por l ficara
um anno.
Neste decurso de tempo, Felicidade, cuidando
que se rinia, pensa em casar-se O extremo da
angustia jisro: a morte nao tanto.
a aetjotaraoi ferondade de insimctos, casebre em que viva. 0 fllho foi rebusca-la, de- minha fregueria; a fermosura. desapnarece nellas,
Nao s as conveniencias exigem que dirijaes- de> iodependencia.e felicidade-d*.Allnaeha, qua
araei mais do que o meu '
do para a minha-.patria
vir.
Assignado.GtMtherme.
Estas ordens sero fielmente-exeoutadas. Ape-
nas o rei reinante se julgou obrigado,. para com
seos subdiios, a oedenar que o.corpo de Si M. o re
Suiberme lossa exposto terga-feira prosima na
grande sala de roarmore da resideneia de Stult-
gard. Urna deputajo do 6*Teg*raemo.i*ehussa-
res austracos, de que o debilito rei esa comman-
danle, deve assistir inhumajo.
O novo rei ds> Wurtemberg nao tero filhf* do seu
matrimonio com a gra.-i-dnqe.eza Olga irmaa do
Imperador da Mossia. O lardeiro prosunnilivo da
corwa, o principe Frederico (^rlos-Augaslo, filho
do duque Paulo, irmo mais nevo de rei defunto;
nascido em 1&8. Nao tem do seu hdb senao um
tilbo, o principe Guilherme nascido em t848.
*-
No dia 23< de j.mho verificouhse ero Londres
(LondoO Tavern) a assembla .annuab dos accionis-
tas da r-ompanhia para exiihraco de rarvao e fer-
ro em Porti:gl, de que sa agente, om Lisboa os
Srs. Meolievt i C.
Presidiu o Sr. G. F. ^uror. O ralatorio dos di-
rectores, qu* foi adoptado, informava os accionistas
da boa quaiidade dos productos obtides e demons-
travaas vantagens que devem rcsultaf do emprego-
dos ra pitaes e das opetaeSes da eompanhia.
No dia.4 de julho tamiem s deve ter reunido a
assembla dos accionistas do banco London and,
Bratttam ; mas s poderemos-saber mais tarde c
resultado desta reuinio.
__________________________
quando a gente as- contempEa na belleza da vir-
lude.
E,.iinda assim. as janellas- nanea mais se abri-
r m,.e Felicidade ainda temlagrimas I
Eu quera podar dizer-te o-que vae naqu^lu, al-
ma de mysteriosa angustia, quando improvsame*-
te Ihe appareca-LoureoojO lfites, o aociao, cuja-tar-
do audar como se levarse de rojo a pedrada se-
pultura, procurando trra oode esconder se nun a
sua dilacerante agona.
Nao sei o. que ella nensa.
Presenciti um da que minha me, na presenja
de Felicidade, laslimava o miseravel ax de Lou-
renjo. A triste malher poz as maos supplicantei^
e disse i Deus sabe que eu Ihe peec. todos os diae.
que leve para si aquelle infeliz I
De outra vez me disse minha raae que elle oade-
nra % filho que uo fugisse de seu pae; pelo con-
trario, Hie fallasse com amor.
Depois disto, vi eu, n'uma lechada malto, ondj*
andava cagando, Lourengo Pires sentado bc*ia
de seu filbo, que o contemplava silencioso.. O an-
cio, de vea em quando, tomava-lhe as naos, o bei-
javaliras, baibuciando i>alavras, que u bao pude
entender.
Perguntei ao aflhada de meu pae e que lhe dizia
o velao. Respondeu-me que eram palavras des-
atadas; mas que ehorava muito, e lhe pedia
perdi.
Aqui tens a Historia sentimontol. Deus me livr
de a 1er em seis voluntes escripia por ti, e Deus li-
vre os teus leilores dc que osle cont (embrea
tua memoria, quando veres a imagiuagao can-
sada.
Estamos na Amarante, accrescenton Antonio Joa-
quim. Apeemos da lllera, rvamos aqui procurar
o nosso Vasco Peixoto, que o propietario de um
torrao, transportado do paraizo terrestre, rom urna
planta de pecegos. Nao sei se Fr. Bernardo de
Brito o assevera 5 mas os pecegos de Vasco Peixoto
sao descendentes por varona daquelle pomo que
fez peccar Eva e seu mundo.
pois de tar rouhado es-oordoes da mi, e o mais
que pibh Andou por osse mundo seis- mezes, e
voltou com ella mu legalmente ca-a,ir., a residir
na companhia da me, que se escon*a, na* lulhas
aterrada das aaieafag. da non.
A casa do opulento lavi-aiiu.. ac- da Maria, est
rediuida a menos que os bens de Felicidade Per-
petua. v
Lourengo Pires faz compaixo a genle que lbe
vutara odio. Os tres filhos, todos empobrecidos,
Lasultam-no. E. elle, ferido de demencia, treme
no meio delie, 011 foge a passos.
Quando d de rosto as cinco, janellas fechadas
da casa froofeira, muge cimo touro farpeado. A
outra mu.er, qae elle havia perdido, mendigaco-
berta de {arrapos, e>|ieta-o, espreita-o, appaiece-
lie de repeule, e solta-liie em face urna gargalhada
que o attugenta. Isto repete-se todas as swnana*
ha dez anuos. E este- homem vive I Tem incen-
la aunes; o cavado do rosto e curva da espinha
denotam a derrepidez do criminoso, acorrenlado ao
cadafalso da vida. O despreso dos filhos at o pao
lhe nega. Dizcm-me que este desgrasado tem tido
fome. Se vae queixar-se as justieas, incute pie-
dade; ma uinguem ousa baler as portas dos tres
corajvs de brome, que sahiram das entranhas
amaldijoadas dc tal pae.
Agora, vamos a casa de Felicidade Perpetua.
As lagrimas desta mulher, em cuja face bnlha o
resplendor da penitente perdoada,'cahem no rega-
jo de suas humilde Ulnas. O mais velho, querido
dos filhos de outro pae, o director dos trabalbos
da lavoura, e o mais trabalbador na casa, que leda
de seus irmos, ou onde elle lera pequeatssimo
quinbo. lia raudos annos que morreu o marido
de Felicidade; c, a ultima hora pediu a sua mu-
lher que poupasse muilo para delxar bem o filho,
que nao era delle.
Tres meninos forara para o Brasil e todos pros-
peraran), guiados pelos dictantes da honra. Pare-
ce que aportiamem brindar seus irmos e mae com
dadivas e dinheiro com que a casa se vao augmen-
tando.
O seu irmao mais velho contemplado sem dis-
tnegao dos outros. As raparigas sao as perolas da
(Continuat -se-ha )
PERNAMRCCO.-TYP. DE M. F. R'F. A FILHO



*'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERGS93DRL_3AERFO INGEST_TIME 2013-08-27T20:35:48Z PACKAGE AA00011611_10441
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES