Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10439


This item is only available as the following downloads:


Full Text


^- -Jf. -
V.





AUNO II. HUMERO 183.
Por tres Mezes adiautados 58000
Pop tres mezes vencidos 6J$00U
Porte ao corrcio por tres mezes. 0750
.**!

OOIRTA FElflA 11 DE AGOSTO DE 181
Por asno adatado. .. 19$000
Porte a eorreio por ura> auno 3$Q0Q.

KNCARREGADOS DA SUBSCRiPC iN NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima|.
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracatv, o
Sr.A. deLemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Mranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagas, o Sr. Claudino Falco Dias; Baha, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins <5 Gasparino.
PaRTDA DO JSS'fAr'ETAa.
Olinda, Cabo e Eseada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tercas eiras.
Pao d'Aiho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Via Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu* as quartas eiras.
Sennhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas eira
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi a.
EPHEMEI51DES DO MEZ TE AGOSTO.
2 La nova aos 13 m. e 12 s. da t.
10 Quarto cresc. as 3 b., 37 m. e 38 s. da t.
17 La cheia as 11 h., 16 m. e 41 s. da m.
2't Quarto ming. as 3 h., i i m. e 20 s. da ni.
PREAMAR DE BOJB.
Primeira as 10 horas e C minutos da manbaa.
Segunda as 10 boras 30 minutos da tarde.
PaKIDa DOS VAPORE COS'IRO.
Para o sui at Alagas a 5 o 35; para o norte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, marc., maio, iul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipucos as 6 >/b 7, 7 '/,, 8 e
8 Vi da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6'/ da m.; do Caxacg e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 l/t, 4, 4 y4,4 Vi.
> V*. 5 Vi e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manha e 4/, da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cachang e Varzea s 4 Vi da tarde; para
Bemfica s 4 da tarde.
AUDIENCIA. DO IRIBUNAfcS Da CAPITAL
Tribunal docomniercte: segundas e quintas.
Relaeo: tergas e sabbados s 10 boras.
Fazenda: quiwa s 10 horas.
Juizo do cominercio: soguntlas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas a sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
DIA 8 uA 8EM u\\A.
8. Segunda. S. Cyriaco diac. I3l; S. Emiliano b.
9. Torga. S. Alfonso Mara de Ligork).
10. Quarta. S. Lourengo diac. ta.; S. Asthei ia v. ni
11. Quima. Ss. Tiburcio o Susana mm.
1?. Sexia. S. Clara v. f.; S. Aaiceto m,
13. Sabbadu, Ss. Hy poli lo eCassiano inm.
li. Domingo. Ss. Demetrio e Mercurio mm.
AS9IGNA-8K
no Recife, em a livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietaricw Manoel Figiieroa ad
Faria & Filho.
PARTE 0FF1G1AL
GOVERiiO DA PROVINCIA.
Expediente do da 8 de agosto de 1861
Offlcio ao Exm. presidente da provincia do Cea-
r.O prego porque contraiou o director do arse-
nal de guerra com Andr de Abreu Porto, a con-
duego dos arligos de* fardamento embarcados no
patacho Andr, com destino ao corno de guarnico
dessa provincia, segundo declar'ou-me o mesmo
director, no offlcio por copia junio, o de 200$ e
nao 4004, como est escripto no termo de que re-
metti copia a V. Exc. com o meu offlcio de 2 dcste
xnez.
Corrigindo, pois, esse equivoco, remeti a \.
Exc. urna nova copia do termo de contrato, para
substituir a de que cima fallo.Coinmuoicou-se
thesouraria de fazenda.
Dito ao barao de Muribeca, jniz de paz presiden-
te da junta de qualificago da freguezia da Varzea.
Determino a V. Exc. que com urgencia remeta,
como loe cumpre, na forma da lei, a copia da acta
da segunda reunan da junta revisora de qualifica-
go dessa freguezia no correte anno, e que anda
nao Coi recebida na secretaria desta presidencia. -
guaes aosjuizes de paz presidentes das juntas de
qualiftcago das freguezias de Iguarassu, Ipojuca,
Barreiros, Quipap (Panellas), Santa Maria da Boa-
Vista. Ouricury, Jaboatao, Muribeca, Nossa Senho-
ra do O' de Govanna, Tejucapapo, Cabo, Rio For-
moso, S. Caetano da Raposa, S. Rento, Ruique,
Aguas-Bellas, Fazenda Grande, Cimbres e Sal-
gueiro.
Dito ao commaodante das armas interino.-
Mande V. S. por om liberdade, se j tiver com
praga, o recruta Bernardino de Senna Dias, que
tem isenro do recrutamento.
Diloao mesmo. -Informe V. S. sobre o que pede
Mara Anglica de Mello, no Incluso requerimento.
Dito ao desembargador Anselmo Francisco Pe-
retti, presidente do tribunal do rommereio. Pode
V. S. mandar solicitar na secretaria do governo as
portaras de prorogacaodos prazos que The foram
concedidos para apresentacfio dos ttulos de fiscal e
de presidente de^se tribunal, em vista do que pon-
derou em seu offlcio de 4 deste mez.
Dito ao Dr. chefe de polica.-Pelo seu offlcio de
3 do corren te liquei ioteirado de ter V. S.demittido
a Caetano Alves do Sacramento Rosas, do lugar de
guarda da casa de detengo, e Horneado a Eusta-
quio Antonio Gomes, para o substituir.Cominu-
uicou-se a thesouraria provincial.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transmiti a V. S. a conta junta em duplcate, afim
de que, nao baveodo inconveniente, mande pagar
a compaohia do Beberbe, conforme solicitou o
commandaot* das armas em ollicio n. 1,393, de 6
do corrente. a quantia de 24J800, em que impor-
tou a agua cmprala durante o mez de julho ulti-
mo, jnra o hospital militar.Communicou-se ao
commandante das anuas interino.
Dito ao mesmo.Em vista do pret junto em du-
plicata, e nao havendo inconveniente, mande V. S.
pagar a Francisco Canuto da Boa-Viagem, conlor-
mc solicitou o chefe de poliria em offlcio de 4 do
crreme, sob n. 948, a quantia de 14$700, em que
importou a etape alionada pelo delegado do termo
le Tacaratu ao recruta Francisco Marcos Celesti-
no, que, segundo consta de nforinaeo do com-
mandante das armas, n. 1,394, de 6* deste mez,
acha-se com praga no 7" batalhao de infantera.
ominnncou-se ao Dr. chefe. de polica.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Mande V. S. un empreado dessa repartigo effec-
tuar o pagamento das ferias dos empregados da re-
partieao das obras publicas, com o chefe da qual
deven elle enlender-se.
Dito ao mosmo. Annuindo ao que solicitou o
chefe interino da reparticao da: obras publicas em
ollicio de 6 do corrente, sob n. 203, rerommendo a
V. S. que mande abonar ao conductor Flix Hamos
Lieutnier, que tem de seguir em eommissao para
a villa de Cimbris, a quantia de o0&, por cinta
da apida de rusto a qufl tem direilo para as des-
pezas de transporte e viagem.Communicou-se ao
chefe interino das ohras publicas.
Dito ao mesmo.C'im a Inclusa copia da infor-
macao ministrada pelo chefe de polica em 6 do
correle, sob n. 960. Oca revolvida a duvida por
V. S. proposta <'m sen offlcio n. 331, de 2 deste da
mez. a que vieram annesos os documentos que
(lvolvo, relativos ao pagamento do alngoe! da ca-
sa que servio de cadeia no termo de Papacaca, po-
dendo V. S. por isso mandar elTectuar o pagamento
lesse alilgoel a Jos Flix da Silva Fragoso, como
. se recommendou em 15 de julho ultimo.
Dito ao commandante do corno de polica. -
Pode V. S. contratar para o sorvico do corpo sou
seu cinmando, o paisano Manoel Francisco de
Souza, visto que assim o pretende e foi julgado
Tenente Henrique Tiberio Capistrano.Atieste,
querendo.
O mesmo. Como requer, nao havendo incon-
veniente.
Jo.- Leopoldo da Silva.Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Julio da Silveira Lobo. Passe portara conce-
dendo a licenga pedida.
Padre Jos Esteves Vianna. Est provida a ca-
dena que o supplicante pede.
Bacharel Joaquim Jos de Oliveira Andrade.
Satisfaga a exigencia da thesouraria de fazenda,
constante da copia inclusa.
Jos de Carvalho Araujo Cavalcanle. Informe
o Sr. Dr. juiz de direito. da comarca de Gara-
ntios.
Jos Vicente Soares Madeira.Passe.
Mara da Luz. Junte cerlido de baptisino de
sua neta
Manoel Figueira deMenezes.J foi provida in-
terinamente a cadeira de que traa o supplicante.
Mauricio Francisco de Lima Cabral.Informe o
Sr. director da instruegao publica.
Manoel Joaquim Alves dos Santos.Entregue-se,
mediante recibo.
Capito Olympio Gongalves Rosa. Passe porta-
ra concedendo a licenga pedida.
Thomaz de Almeida Antunes & Irmo. Infor-
me o Sr. inspector da thesouraria de uzeada.
nistrada por V. Revma como coadjuctor, e pelo
Revd. parocho, o qual nao tendo sido suspenso do
seu beneficio, nao est inhibido de rege-la. Nesta
data o admoesto a elle, para que seja mais regu-
lar e escrupuloso no cumprimento de seus deve-
res, sob pena de lirar-lhe a administrago da fre-
guezia ; e a V. Revma. encarrego de, no caso de
elle continuar nos seus excessos, commonicar-me,
para eu providenciar como fr conveniente..
-5-
Offlcio ao Exm. vice-presidente das Alagoas.
Participo V. Exc. que nesta data foi provida a
gue inmediatamente esses livros, e d a razao por
que os levou comsigo.
Dito ao Revd. Fr. Joaquim da Santissima Trin-
dade.Constando-me que, alm do procedimento
pouco regular, que V. Revm. teve quando vigario
ewoimwe> aindade mais a mais Uvera a lembranca de levar
se pratica ; e islo mesmo participar aos Rvds. vv- Acha-se incumbido da administrago dessa obra
garios dosla comarca ; flea taml.em V. Revm. aa-'. 0 Hvm. Fre Francisco de Santa Maria Carnario,
lonsado a conceder licenga para se expr o Saniis- que capello no lugar, o pela soa actividade e
simo Sacramento as festividades. recursos, de que dispoe. pode conclui-la em,pouco
29 i tempo.
Offlcio ao padre Jos Antonio dos Santos Lessa. i Desde o anno de 18C) que foi laucada a primeira
-Tendo, ou subido eiupenho em fazer que a nova I pedra para urna nova matriz na villa do Pilar, e se
coinsigo os livros de casameutos, baptisdos, e obi- matriz de S. Jos aiuda esle auno seja aberla ao I ipresenlou como intoressado e administrador desa
losvperlencentes a mesma freguezia, sem attender culto publico, s tenho esperado pelas contas que t obra o padre Antonio Rogerio Freir, que ali fui
aos graves males que esta sublraccao havia de cau-
sar aquellos povos, nao posso deixar de cslranhar
francamente este seu procedimento, o Ihe ordeno
OVEREO DO BHPAUO DE
PLKWIIIIKO.
SEDE VACANTE
Julho de IS6i
Expediente do di a 1.
Offlcio ao Exm. vice-presidente da provincia das
Alagas.Accuso recebido o offlcio de V. Exc.
acompanhando a resoluc.o provincial n. 417. de
9 de junho prximo panado, que transfere a sede
da freguezia de Camaragibe para a villa do Pago,
e a da freguezia de Pon de Pedras para a potoa-
co de S. Miguel dos Milagres.
Dito ao Exm. e Revm. Sr. internuncio.Accuso
recebida a circular de V. Exc. Revm. datada de 21
de junho passado, em que me recommenda que se
por acaso aportar a esta diocese o religioso capu-
chinho fre Ludovico Forlerella, Ihe nao consiota
exercer as ordens sacras, visto como este religio-
so est em estado de apostata.
Assegoro a V. Exc. Revm. que sero fielmente
cumpridas as suas ordens, para o que passo desde
j a dar as necessarias providencias.
Circular aos vigarios da Parahyba, (capital) Ma-
celo e Natal.Previno V. Revm. que se aportar
a essa capital ou a qualquer lugar da provincia
que Ihe conste um religioso capuchinho de nome
Ludovico Forlerella, nao consinla que elle celebre
e santo sacrificio da missa nem exerga acto algum
do seu ministerio, visto como se acha elle declara-
do apostata, segundo rae foi participado pelo Exm.
e Revm. Sr. internuncio apostlico.Offlcou-se
nesie saudo ao Revm. prefeito do hospicio da Pe-
nha.
Dito ao vigario encommendado de Qiebrangulo.
Uespondendo consulta que V. Revm. me faz
em dala de 10 de junho prximo passado, tenho a
dizer-lhe que as dispensas matrimoniaes dadas pe-
lo visitador dessa provincia Jepois da morte do
Exm. diocesano tendo sido concedidas, como de
suppr, antes de chegar ao Revd. visitador a noti-
cia da morte do prelado, sao valida*. Quanto
violacao do cemiterio, a que se refere o seu offlcio
de li' do mesmo mez, concelo a V. Revm. a per-
missao de reconcilia-lo, observando em tudo as
formalidades prescriptas no Ritual Romano.
Dito madre regente do recelhimenlo de Goyan-
na Faz-se necessario que Vine, me informe com
a brevldade possirel quaes sao os rditos desse re-
colliimenio, quantas sao as recomidas que ahi exis-
tem, qual o ordenado do capello, e d'onde se
tira o dmheiro para esta despeza emrtm remeta-
me um memorial circumstanciado das necessida-
des desse recolhimenlo, para que eu veja se pos-
Bivel proraoverem-se ahi alguns meihoranientos.
4
Ollicio airmandade do S. S. Sacramento da villa
do Bom Conselho em Papacaga.- Tomando na de-
vida consideraeo o que V. V. S. S me expoem em
seu offlcio de 26 de junho p-oximo pascado ;erca
da conveniencia da trasladago das santas imagens
pequea capella do cemiterio para a matriz:
conveniencia que no desc.onhecid* pelos Revds.
parodio e coadjuctor dessa freguezia, como me
communicaram em oflBcios de 27 do mesmo mez:
e desejando conciliar, quanto for pesslvel, a com-
modidade dos liis com a decencia do culto publi-
co ; autoriso a referida Irasladag.io urna vez que
V. V. S. S., em cojo zelo e dedicacao pelo servigo
de lieos muilo confio, reparando previamente os
mal* notaveis estragos da matriz, a ponham em
estado de poder nelh celebrarse o sanio sacrificio
apto em inspecgo de sande. como V. S. declaran j da missa, e mais actos religiosos, corn a decencia
em seu ollicio n. 356, de-la dala, a que respondo. que Ibes devida, e que os sagrados caones e
Dito ao tenente-i'oronel Jos Francisco de Arab- constituiedes dioce.-anas tanto recommendam. De
jo, commandanle do batalhao n. 22 de infantaria
da guarda nacional do Limoeiro. Respondendo
ao seu offlcio de 17 de julbo lindo, dizendo-lhe
que em face do disposto no aviso n. 81 de 1S de
fevereiro de 18i>0, polo a presidencia independen-
te de proposta nomear olfli'aes para os batalhes
qne nao estao completamente organisados, e que
os offlciaes assim nomeados devem (irestar jura-
mento na forma da lei, c entrar no exercicio dos
respectivos postes.
Do ao chefe interino da reparticao das obras prozimo passado e em resposta cumpre me dizer-
publica-'. Concedo a autorisago que Vine, pedio Ihe que : attenuendo ao que me ponderou a
em offlcio de hoje.sob n. 206, para lavrar o termo
V. S. tem de prestar, para eotao proseguir com lo-
do o afinco as obras mais necessarias para o flm
. que desejo. Como, pormj o prazo que V. S. mar-
rreguezia de Nossa Senhora da Conceico d'Agua que entregue inmediatamente ao portador desie cou para dentro delle apresenlar suas contas, haja
Branca, creada no municipio da Matta Grande, offlcio os tres livros cima mencionados, e mesmo expirado no dia 22 do corrente, e anda at boje
por lei d*assembla dessa provincia n. 413, do Io quaesquer outros objectos pertencentes aquella nao eslejam ellas concluidas, como sou informado;
de junho do corrente anno, como V. Exc. me par- matriz, e que por acaso estejam na ua mio; elhe vendo cuque toda a demora prejudicial, |k>s
ticipou em dala de 3 de junho prximo passado. ordeno mais que sem demora me d a razao do seu necessario nao perder tempo ; e sendo a continua-
Mandei, pois, passar provizo de vigario encom- procedimento a tal respeito. cao da obra ndependente da prestacao das contas,
mendado ao Revd. Luiz Jos de Oliveira Diniz, ex 13 vislo como estas chegaram to somenle at o dia ul-
coadjuclor da freguezia de Malla Grande, aonde Despacho exarado no requerimento em que a timo de abril passado, como me communicou, re-
aquella foi desmembrada: o que participo a V. Mofarla de Nossa Senhora do Rosario da cidade solv proseguir no trabaiho, aiuda mesmo antes de
Exc. para os fins convenientes. da Parahyba se queixa de que, sendo a irmandade V. S. remelter-me suas contas.
Dito ao vigario de.....Receb o offlcio de V. mais amiga daquella cidade, e gosando sempre da Neste intuito, achando-se V. S. ainda oecupado
Revma. de 24 do mez prximo passado em qu me precedencia que como tal Ihe compete as procs- ] com a organisago das contas, determine! exone-
communica os recetes e escrpulos, que tem de soes, aconteceu que no dia 5 de junho prximo rar a V. S. do cargo de administrador das obras.
haver incorrido em alguma das suspensoes ipso passado a irmandade ou confraria de Nossa Senho- j da nova matriz de S. Jos, e nomear novos admi-
faclo, conlidas as pasloraes do Exm. fallecido ra das Mercs oceupou o lugar de precedencia,' nistradores aos Illins. Srs. Francisco Jos de Cam-
prelado ect., e me pede, que levante qualquer que por antiguidade competa a irmandade de Nos- pos Pamplona, Jos Pinto de Magalhes, e Dionizio
dessas suspensoes, em que tenha incorrido. Lou- sa Senhora do Rosario, fundando o seu direito a Hilario Lopes, os quaes dora em dianle fleam en- j quantia de 5:043^202 rs., saldo dos 3:OO>000
vando os ^eus receios, e escrpulos, eu o absolvo esta precedencia em Ihe ter sido concedido o uso' carregados de administrar e dirigir aquella obra que recebera do thesouro.'
por muito tempo coadjuctor, e hoje vigario en-
commendado, residindo na povoacao de Gurinhem.
Nenhuma lei provincial consignou quota para se-
melhante obra mas ella tem sido coadjuvada pelos
cofres di provincia, de ordera de diversos presi-
dentes.
O mesmo administrador recelen do thesouro do
15 de julho do 1853 ao 1 de abril de 1837 a quan-
tia de 8:000,5000. Em 19 de julho de 1855 teram-
Ibe abonados 2:000^000; igual quantia em 7 de
julho de 1838, e mais 3:954&78 rs. em 27 de agos-
to do mesmo anno-ao lodo 7:9545798 rs. A' li
de Janeiro de 1859 ainda recebeu 4:000000 rs., e
finalmente em 25 de junho do anno passado......
1:0005000 rs.
Depois das necessarias informagoes, vim a veri-
ficar que a obra da matriz do Pilar nenbum anda-
mento mais teve depois de fevereiro de 18b0, e por
tanto que o administrador anda nao deu conta da
de qualquer dessas suspensoes, se por acaso nellas de habito e escapulario com o que argumenta que com o zelo e actividade, que de esperar de paro-
iucorreu, sendo necessario, que para tranquilina- deve ir junto da irmandade do Santissimo Sacra- canos
que
Determine! ao inspector dessa repartigo quede-
. religiosos, que vo interessar-se pelo com-; slgnasse um empregado para ir ao Pilar tomar
de de sua consciencia, recorra ao Sacramenlo.d* ment, ou junto das Ordens Terceiras, que acom- plemento da sua nova matriz. j contas ao administrador, e examinar o estado da
penitencia, communicando esta minha determina panharem as procissoes. I Queira pois V. S. no prazo improrogavel de tres, obra, dando ao mesmo empregado as inslrucgoes
gao ao sacerdote_ por V. Revma. escolhido para o Estando determinado por varios decretos da sa- dias, entregar a qualquer meinbro desta commis- precisas para poder verificar a boa ou m applica-
ouvir de conlissao, am de que este, fundado na grada congregagao dos ritos que as irmandades, sao, 011 a pessoa por ella autorisada todas as cha- gao dos dinheiros da provincia ; e mandei o capi-
minha autorisago, o absoiva de todas as censuras tm as procissoes a precedencia, segundo as suas ves da nova matriz. Se porm la existem alguns to Luiz Estanislao Rodrigues Chaves para tarnbem
e irregularidades, em que houver incorrido. Re- antiguidailcs ( excepto a irmandade do Santissimo
commendo a V. Revma. todo o cuidado, e vigilan-1 Sacramento, a qual prefere a todas, to gmente
ca. para que nao continu a infringir as saluia- naquellas procissoes em que vae o Santissimo Sa-
res detenniaagdes do Exm. prelado, de gloriosa cramento). e o titulo de confrarias, que tomam
memoria, para tranquillidade de V. Revma. e bem aquellas irmandades, que obtin do Exm. e Revm. reputar cada artigo,
da igreja.
Portara.Autoriso o Revd. Luiz Jos de Olivei-
raateriaes ou outros objectos, que lenham de entrar examinar a obra, sua solidez, qualidade dos mate-
as contas, que V. S. vai prestar, queira entrega- raos empregados, e valor provavel della.
los por inventario commisso reunida, especifi-! o administrador nao poude prestar contas por
cando os valores, ou qualidades, em que tem de que nem assento tinha das despezas, e ainda ia ver
. afim de que a eommissao os e agenciar documentos. A obra est com elTeito
Sr. internuncio a permisso de usar de habito la- ( aeceite, e passe o competente recibo, mencionan- parada desde principio de 1860, e o que se acha fei-
Iar, nio dando a essas irmandades ou confrarias o, do os valores, etc., ou reclame conforme entender, to, inclusive a pouca madeira existente, poJer va-
ra Diniz, vigario encommendado da freguezia de direilo de atterarum a orden da antiguidade, orde-: nao devendo ludo isto exceder o prazo dos tres dias ler a quantia de 9:671,5620 rs.
Nossa Senhora d'Agua Branca, para continuar a i no ao Ryd. parocho da cidade da Paralaba, de con- cima mencionados. Entretanto aos 13:0005000 rs. receidos do the-
reger al segunda ordem a freguezia da Matta fornlidade com o que eslatuem os decretos da sa- Dito ao Exm. Sr. presidente da provincia. -Sen- souro deve-se juntar mais a quantia de 5:0005000
Grande, d'onde aquella foi desmembrada. grada congregagao, com a praxe inalteravelmente do g.ral o desejo que teem os Deis da cidade do que sua magostado o imperador dignou-se dar por
8 seguida na cidade do Recife a respeito das irman- Recife de ver aborta ao culto publico a nova ma-' eccasiao de sua visita aquella villa, e outros donati-
flicio ao juiz de direilo da comarca de Gara- dttds ou confrarias que usam hbitos talares, re- : triz de S. Jos, e sendo este igualmente o meu vos feitos por particulares quando se langou a pri-
gnle as precedencias das Irmandades as procis- mais subido empento, e vendo eu que para isso mena pedra da referida obra.
s5es pela sua antiguidade, seja qual fr a insignia ainda necessario o emprego de todos os esforgos | Em presenga de laes informagoes minislrada>
ou habito de que usem. para se adianlar as obras deste templo, at o pon-' pelos dous commissionados, sendo evidente a ne-
* 20- 1 to de se poder abrir veneragao publica, procu- gligenciaculposa do administrador padre Antonio
I Offlcio ao Exm. Sr. presidente da provincia.-; rando ser coadjuvado neste meu empenho por pes- Rogerio Freir, resolv dispensa-lo des*e servigo, e
Quando em data de 16 de junho respond ao ollicio, sois verdad jiramente religiosas e dedicadas, que ordeuei ao thesouro em data de 2 deste mez, que
de V. Exc, de 13 do mesmo mez, ni parte em que queiram tomar peito este trabaiho, c satisfazer Ihe marcasse quinze dias, contados da entrega da
me perguntava se
da Conceigao da
5 de maio do anno
nhuns, Dr. Carlos Cerqueira Pinto.V. S. perfeita-
mente conhece a importancia e utilidade que pres-
ta ao centro desta provincia o recolhimenlo do
Bom Conselho instituido na povoaco de Papacaga,
pois comprehendendo no seu seio 85 innocentes
orphaas e mais donzelias, que se instruem na dou-
Irina christaa, e as occupagSes propnas do seu
sexo, ao mesmo tempo umasylo contra o* [>eri-
gos da seduego e as desgragas da proslituigao -, e
com o qual rauito ganha a moral publica. E' um
foco de educago c de civilisago nesse remolo sef-1 corso, oH eslava cannicamente
to, d'onde podem sahir virtuosas esposas e excel- que nem entrara tal freguezia em concurso, nem dos Santos Lessa, e encarrega la aos Srs. Francis-1 Por aviso do ministerio do imperio de 6 de julbo
lentes mais de familia; o que de grande alcance esteva cannicamente provida, visto como o Exm.; co Jos de Campos Pamplona, Jos Pinto de Ma do anno passado foi mandado por disposlcao da
para o futuro da nossa sociedade. Mas este pi es-. fallecido bispo diocesano, em data de 6 de outubro galhes, e Dionizio Hilario Lopes, em cujo zelo e presidencia a quantia de 1:9o 15200 rs., segundo o
tabelecimento, apezar dos esforgos de pessoas bem ultimo, o havia officiado ao vigario da freguezia do dedicacao pelo servico da sua propria matriz mu- respectivo orcamenlo, para os concertos, de que
intencionadas, tem canute era alguma decadencia- Buique ( d'onde ella foi desmembrada ), para que to confio, e aos quaes'ncsta data nomeio admiois- precisa o palacio do governo.
idios que elle recebe da assembla e dos! informasse sobre o estado em aue se achava a ca- tradores da* referida* obras fim de me facam Da obra de carapia por ser mais urgente foi
-; encarregado pela quantia de 3705000 rs., Antonio
- j Pereira de Vasconcellos, que j Ihe deu andamento,
lo nao assim a de pedreiro, que ainda nao foi contra-
as necessarias previ-, tada.
Por 6:6305000 rs. foi celebrado com Joo Tiliur-
ampos t'am- ci Ferreira o contrato para a factura da ponte so-
rio respondes-e com urgencia, e assim o fiz. -Eis piona os seis contos de ris, consignados na lei do bre o rio Mandacar, devendo ser executnda a plan-
aqui, pois, Exm. Sr., O que me responde o vigario : orgamento deste anno n. 596, para a continuagao ta, que exi.-te, comas atteragoes constantes do
A capella de Nossa Senhora da Conceigao da da obra da matriz de S. Jos, fim de ver se com mesmo contrato.
acord de V. V. S. S. com os Revds. parocho e
coadjuctor esporo que a trasladago se faga com to-
da a solemnidade.
Agradeco os benvolos cumprlmcnios da irman-
dade, pela minha nomeago; e aceito com prazer
o seu generoso olferecimento de auxiliar-me nessa
freguezia em ludo quaulo fr concernente ao ser-
vigo da religiao.
Dito ao vigario do Bom Conselho em Papacaga.
-Teilho presente o seu offlcio de 27 de junho
peilo inelhorar quanlo me losse possivel a sorte'sem sua licenga, se realisasse a divisao decretada; rogo V. Exc. se digne dar
dessas recolhidas,desfazer todos esses entraves, que e accrescentei que visto nao constar do archivo dencias, para que na thesouraria provincial sejam
se uppoem fiel entrega dos dinheiros, que d'aqui resposta alguma. ia eu offlciar para que dito viga- entregues ao Sr. Francisco Jos de Campos Pam-
so remeUidos, e providenciar sobre a melhor ad-
ministrago dessas quanlias.
Com este iutuito mandei consignar-lhe pela cai-
ta pia a quota mensal de 505000 a qual quantia
sendo satlsfeita outr'ora pela caixa pia, por despa-
cho do Kxm. bispo fallecido, havia tica lo suspensa
desde que a provincia doCear fora desmembrada
deste bispado.
E' necessario porm que estes dinheiros cheguem
ao seu destino, necessario providenciar para que
alguem vele de mais perto por esse pi eslabeleci-
iiient, necessario que um vario probo e respei-
tavel preste de perto o sen apoio e a sua coadjuva-
cao, para que o recolhimenlo, sombra desse cida-
dao preslimoso, esteja livre de qualquer desacato
que liomens malvolos queiram fazer-lhe; e pros-
pere c corresponda s pas mengues, com que foi
1 fundado. Neste presuposto enlendi-me como Revm.
: prefeito do hospicio da Peuha, Fr. Seratim de Cata-
j iiia, e de combinacao com elle puz as minhas es-
1 perangas em V. S. e o eleg protkctob especial do
! recolliimento de Papacaga. A earidade tem a pro-
! priedade de harmonisar intelligencias, que nunca
! se communicaram, costuma uuir eoragdes, que nun-
ca de perlo palpitaram; e d aos liomens urna san-
ta libt-rdade, com a qual elles oceupam o seu se
medanle, encarregam-no de trabadlos onerosos
que tal vez Ihe tragara nesta vida comprometimien-
tos e desgosios, mas eujos fructos sao abengoados
mesmo aqu na Ierra, e cuja recompensa os aguar-
da no co.
Escudado pela laridade, tendo as mais lisongei-
ras informacoes a respeito dos senlimentos religio-
sos que aniuiain V. S. e conscio do apoio que V.
S. ja tem prestado a este pi estabelecimento, con-
! fio em que V. S. me ajudar nesta empresa, e acei-
: tara a nomeacJio que agora fago de photectoii es-
I I'eciai. do recolhimenlo de Papacaca, nomeago que
1 tem merecido o appiauso geral de quantos se inte-
! ressam pela prosperidade do recolliiinento de Pa-
povoacao da Pedra em extremo pequea, e es-
t bastante arruinada. Nao tem paramentos,
nem mesmo para se celebrar com decencia o
* sacrosanto sacrificio da, missa. porque os que
' existem eslo em pessimo estado.
A' vista desta informacao bem v V. Exc. que matriz de S. Jjs, e sendo esl
nao possivel prover-se cannicamente esta Ir-
guezia, em quanto se nao concertar a capella que
tem de servir de matriz e se prover dos paramen-
tos necessarios.
21-
Offiei,o ao vigario encommendado de Penedo.
Tenho psente o seu offlcio de 10 do corrente, c
fleo inteirado de que est V. Revm. regendo a fre-
guezia de Nossa Senhora do Rosario da cidade de I populacao do Recife,
Penedo, por provisao concedida pelo Rvd. ex-visi-1 rochiauos do S. Jos.
esta quantia consigo abrir aquelle templo avene-1 Era virtnde dessas alteracoes, que foram indis
racao dos liis. pensaveis para maior seguranga dos alicerres. que
Dito ao Sr. Francisco J)s de Campos Pamplona, devem ser fotos com eslivamento em qualquer lu-
Sendo geral o desejo, que tem os deis da cidade ] gar, em que se nao encontrar terreno solido na pro-
do Recife de ver aberla ao culio publico a nova fundidade de tres palmos, e n.iocom o enrocamen-
este igualmente o meu to .- nos enconlros, como na plante, teve o contra-
mais subido empenho, e vendo eu que para iMo j to de exceder do orcamenlo, que era de 5:9705000
anda necessario o emprego de iodos os esfor- rs. a quantia de 670-3000 rs.
eos. a li u de se adiantarem as obras deste templo, t Tendo a lei provincial n. 20 de 19 de novembro
at o ponto de se poder abrir veneracao publi- de 1855 consignado a quantia de 60050 0 rs. para
ca, uecessito ser coadjuvado ueste meu empenho \ a construir o de um agude na povoagao de Araru-
por pessoas verda leiranienle religiosas, e.dedica-: na, foi a dita quantia entregue una eommissao,
das, que queiram tomar a peito este trabaiho, e que a presidencia nomeou para encarregar-se da
satisfazer aos votos, que lia tantos anuos faz a adminisiracgo da obra. Essa eommissao comnos-
e com especialidade os pa-1 ta do vigario Pedro Barbosa Freir j fallecido, e
Neste pre.-upposto tenho de-' outras pessoas, receben ordem em data de 20 de
tador Gamillo de Mendonca Furtado. a qual linda : lorminado eucarregar da administrago das obras julho de 1860 para prestar suas cootas perante o
6 de novembro prximo futuro. i da nova matriz de S. Jos V. S. e ao< Illms. Srs.' thesouro provincial; mas nao o tendo feito ainda,
Quanto ao que me pergunta sobre ser ou nao I Jos Pinto de Magalhes, e Dionizio Hilario Lopes,; exped novas ordens neste sentido 11 do corrente
da competencia' dos vigarios dar os livro* com a ; para que de couimum accirdo facam adiaotar na
rubrica e sello pagos, para nelle se langarem os i referida matriz aquellas obras, que julgarem mais
assentos de baptisdos, casameutos e bitos, tenho I necessarias, ou indispensaveis, parase abrir
a dizer-lhe que aos vigarios pertenco prover de li-, nova matriz com a possivel brevidade. Rogo mais
vros a sua matriz, quando s.io elles que admiras-. j y. S. o especial favor de encarregar-se de rece-
trara a fabrica ; se porm a matriz tem fabriquei- ber da thesouraria provincial a quantia de seis
ro, por conta deste corre indubitevolmente a des- contos de ris, consignados para aquella obra pela
peza. A respeito da pessoa que deve numerar e 1 assembla provincial, na lei do orcamenlo deste
j rubricar taes livros, dirija-se V. Revm. ao vigario | anno, 11. 596, para o que ollicio uesta dala ao
da vara, o Rvd. Joo Francisco Godoy, o quil nao f Exm. presidente da provincia. Certo do zelo e
foi destituido do lugar; e a quera nesta data offi-, dedicacao com que V. S., e os seus dignos compa-
cto. As despensas dadas pelo Rvd. Camlllo de nheiros bao de traballiar no complemento da obra
Mendonca Furtado, quando visitador dessa provin- j da sua propria matriz, nao duvido um s momen-
011ro que marcas-e
mez : recomnieiidando ao lhe
para isso um prazo rasoavel.
Deixei para tratar 1-111 ultimo lugar da obra da
ponte sobre o rio Sanliau, por ser aquella, que
mais tem prendido a attencao publica, que mais iu-
leresse me inspirou pela sua importancia, pela no-
civa influencia,que pode ter sobre o ancoradouro do
porto desta cidade, pela avallada quantia j despen-
dida, e pela neeessidadc de dispender-se outr
igual se nao maior para poder ser concluida.
Essa obra, para que alias muilo ha concorrido o
cofre geral, lera merecido tambera a attencao e in-
teresse o governo imperial, que ltimamente con-
cia silo validas, ainda mesmo quando fosseni dadas todo que anda esle anno conseguiremos o que o tratou e mandn para inspecciona-la o engenbeiro
depoi: do fallecimenlo do Exm. diocesano, masan-1 Exm prelado de saudosa memoria nao poude
tes de o Rvd. ex-visitador ler noticia da morte do j obler no longo espago de desenove anuos : o tnum-
prelado. Aquellas qne foram dadas pelo mesmo pho de ver aberlo veneragao publica o templo
de recebimento definitivo da obra dos reparos da
bomba do riacho Bicopeba, certo de que nesta data
autoriso thesouraria provincial a pagar vista
do competente certificado, a quantia a que tiver di-
reilo o arrematante de taes reparos. O que Ihe de-
claro era resposta .'incitado offlcio. Nesje sentido
otnciou-se thesouraria provincial. ...
Dilo ao juiz de (direilo Dr. Abilio Jos'iavares
da Silva.Accuso recebido o offlcio era que Vmc.
communicou ler entrado no exercicio do cargo de
juiz de direilo da comarca de Olinda, no dia 3 do
corrente.Communicou-se ao insfiector da Ihesou-
raria de fazenda.
Dito cmara municipal do Recife. Recom-
mendo cmara municipal do Recife que mande
extrahir do livro competente c remetla-me com to-
da a urgencia, copia da acta da installacao do col-
legio eieitoral desta cidade para a Mtelo de um
senador a que se procedeu no dia 10 de julho ul-
timo.
1'orlara. O presidente da provincia, lendo em
vista o que requeren o 2o escriptarario da alfande-
ga desta capital, Julio da Silveira Lobo, e bem as-
sim o que a esse respeito informaram as repart?
oes competentes, resolve oonceder-lhe 30 dias de
inenga com vencimenlos na forma da lei para tra-
tar de sua sade onde Ihe conver.
Renpacaos de dia 8 de agesto de 1861.
Requer intentos.
Antonio Velloso. Concedo o prazo de 20 dias
para o flm que reqoer. -
Antonia Felicia da Conceigao. Informe o Sr.
Dr. chefe de pohcia
mandade do S. S. Sacramente dessa villa, em offl-
cio de 26 do mesmo mez, acerca das convenien-
cias da trasladarn das santas imagens da capella
do cemiterio para a matriz ; atlendndo que essa
conveniencia reconhecida por V. Revma. e pelo
Revd. coadjuctor dessa freguezia em offlcio que me
dirigi era dala do 27 do mez prximo passado : c
desejando conciliar a commolidade dos liis com a
decencia do culto publico, autoriso a referida
trasladago, urna vez que a irmandade em cujo
zelo muilo confio, reparando de prompto os mais
notaveis estragos da matriz a ponha em estado de
poder-se nella celebrar o santo sacrificio da missa,
e mais actos religiosos com a decencia que Ihes
devida, e os sagrailos caones e consttuigoes dio-
cesanas tanto recommendam.
E do accordo de V. Revma. com a referida ir-
mandade, e cora o Revd. coadjuctor, espero que a
trasladago se elfectue com a maior solemnidade
possivel.
Outrosim ; lem chegado ao meu conhecimento;
que V. Revma. contina a ser pouco escrupuloso
no exercicio das foneges parochiaes, a poni de
dar escndalo aos seus parochiaoos. Bastante con-
tristado com isso, pego-lhe que, compenetrando-se
da santidade de seu ministerio, cumpra os seus
deveres com o zelo e regularidade, que recommen-
dam as leis da igreja, a m de poupar-me o des-
gosto de providenciar convenientemente; ficando
I todava V. Revma. na intcltigencia de que a ad-
1 ministraco do Sacramento do matrimonio conti-
I niia exclusivamente cargo do Revd. ciadjuclor.
I Offlciou-se no mesrpo sentido ao coadjuctor da
freguezia do Bom Conaelno de Papalea, aceres-
prelado diocesano nenhuma duvida podem olTere-jda nova matriz de S. Jos.
pacaca. O Revm. prefeito da Penha nesta data se cer na sua execugo. Igualmente se ollkiou, mutulis mutandi, aos
dirige igualmente V. S., afim de combinarem no Dito ao mesmo. Respondendo ao seu offlcio de: outros dous membros da commisso.
melnor modo de remetter os dinheiros. Como 11 do corrente, tenho a dizer-lhe que podem os vi- 30
dillicil haver portadorsegnro lodosos mezes,-man- garios dessa provincia casar os seus fregueses em Offlcio ao vigario interino de S. Jos. Foi-me
dei adianlar pete caixa pa al o lira do corrente oratorio particular e noile, ou conceder a outros presente o offlcio de V-Kevm.de 25 do corrente,
sacerdotes a respectiva licenga, seguudo a praxe c brindo um offlcio do Revm. Jos Antonio dos
da diocese; podem lamb-m administrar o sacra- Santos Lessa, datado de 13 do corrente, em que
ment do baplismo em oratorio particular, quando este sacerdote ameaca responsabilisar V. reve-
os pais da crianga residirem distante da matriz, rendissiiiia perante jusliga do paiz se no prazo
ou das igrejas Bliaes, como tute se pratica neste de um dia nao Ihe apresenlar
bispado. Quanlo expr o Santissimo Sacramen- que o Exm. fallecido
t, e sahir com procissoes, pertencem essas ticen-
gas ao vigario da vara; e a respeito dasjuslitica-
efies de baptismo, se estas jnsliflcacSes sao to s-
raeute para casamentos, podem os vigarios infor-
marle de duas testemunhas, e isto sera processo
Antonio Joaquim Salgado. Informe o Sr. inspec-! contando se o segrate : Quinto a regencia da
tor da thesouraria de fazenda. i freguezia, continua Y. Revma a administrar o
Gaspar Antonio Vieira Guimares! Informe o Sacramento do matrimonio, de que j foi incurabi-
Sr. inspeclor da hesonraria de fazenda. Ido, devendo em ludo o mais ser a freguezia admi-
anno a quota dos 305000 nieusaes, que esse reco-
lhimenlo dea percebendo de junlu prximo em
diante. Esta quantia total'se acha as raaos do
! Revm. prefeito e as ordens de V. S. que provden-
ciar como adiar 'mais conveniente. Espero que
'me dos esclarecimenios que julgar necessarios
e rae indique as providencias mais adequadas, afim
de que se melhore quanto fr possivel a sorte des-
eas recolhidas.
12 -
Offlcio ao vigario de Coit.Tenho vista o offl-
ci do V. Revm. datado de 29 de junho prximo
i passado em que me declara o estad j de abandono
em que se acha a freguezia de Pedra Lavrada. Con-
vindo remediar quanlo antes esse estado de or-
i phandade em que se acha essa freguezia, e nao ha-
veiido ahi ura sacerdote que se queira incumbir da
j regencia della, rogo V. Revm. que attendendo ao
estado de abandono em que se acham esses fi-is,
privados dos sacramentos, privados de todos ossoc-
c ir ros espirituaes, attendendo a quanto deve ser
sensivel V. Revm. esse abandono, pois que esses
fiis que assim padecem, foram seus antigos paro-
! chianos, seus antigos filhos, visto como es$a fregue-
zia foi desmembrada da de V. Revm.
Attendendo a todas estas e outras conside-
ragoes, rogo V. Revm. digo, que a bem do servi-
'co de Dos o desses povos, se preste a reger a fre-
guezia de Pedra Lavrada, em quanlo nao achar
' sacerdote idneo que queira incuinbir-se desta re-
: gencia.
Incluso remello outro offlcio para o Revd. Fr.
Joaquim da Santissima Trindade, no qual ihe inti-
mo que entregue ao |>orlador os livros de baplisa-
menlos, casamentos e bitos da freguezia da Pedra
Lavrada. V. Revm.. pois encarregar urna pessoa
idnea de fazer chegar com urgencia esse offlcio
smaos da Jilo religioso., afim de que elle entre-
prelado
do S. Jos ao respectivo parodio ; o qual papel
diz elle haver Ihe remettido para ser registrado
no archivo de sua freguezia. Nao podendo os pa-
rodies iuserir nos livros de sua matriz papel nem
documento nenhum sem ordem expressa do seu
superior, andou bem V. Revm. em nao executar
urna ordem que Ihe foi dada por quem nenhum
poder tinha de Ih'a dar, e nem remetter um docu-
mento que nao lem significago nenhuma vista
das leis cannicas e civis que nos regera. Pode
pois V. Revm. responder ao Revm. Jos Antonio dos
Santos Lessa, que elle neiilui.ua autoridade tem
para Ihe intimar que Ihe devolva um documento
pie, alm de nao poder ter vigor, nao Ihe per-
tencia a elle por titulo nenhum. Quanto a-
meaga de responsabilisar V. Revm. perante a jus-
tiga do paiz, fique V. Revm. tranquillo a esse res-
peito.
nem despeza : se porm taes justilicagoes sao para
outros fins, como para averiguar a idade, abrir
langamenlos nos livros, etc., ento ao vigario da
vara pertence tomar com cuidado os depoimentos
das testemunhas, o juramento dos justificantes,
etc., e remellar tudo para a cmara ^eclesistica
de Olinda, afim de ser jnlgada a justlflcago Os
mais quesilos vo respondidos no offlcio que com
data de hoje remeti inclus-.
-22-
Ofllrte ao vigario da vara do Penedo. Foi-me
presente o ofBcio de V. Revm. em que me partici-
pa harer o Revd. ex-visitador dessa promete no-
meado V. Revm. vigario da vara da comarca da
Matta-Grande. Pode V. Revm. conlinuar a exer-
cer esse lugar, ficando autorisado para numerar o
rubricar os livros de assentos e baptuadoa, casa-
mentos e bitos, pertencentes s nuorraes comidas
na sua comarca; bem como Uca autorisado a to-1 PARAHYBA.
mar os depoimentos das testemunhas para justifl- Kelatoriu quev au, passar a adninislrace da pro-
$% 't^^?SS, i -i SSaprcsenlon E
aflm de aqut ser julgado ; exceptuando, porm, as j 5r. Dr. Fdizard Toseano Brrelo.
justificagScs. de baptismo para casamento, porque; De volta de sua viagem o dilo capito deu con-
essas serSw) lomada* verbalmente pdos vigarios res- ta ofOcialmentede sua commisso, e mostrou a pos-
pectirosv ouvindo daas testemunhas, e iso sem sibJdade e cooveniencla do a^ude, org.indo-o na
qtM as. partes dispendam consa alguma. coma aqni jfjcaniia de t":330#0O0.
Antonio Manoel de Mello Jnior, a quera ja me re-
fer.
Tenho conviego de que igual solicitude encon-
trar ella da parte de V. Exc. pois essa obra li-
ga-se o futuro desta cidade, e talvez a propriedade
da provincia, que muito soffrer em seu desenvol-
vimento, se o porteo, por onded fcil sahiila aos
seus productos, tiver de, em futuro prximo, Bear
inutilisado.
A' lo de margo de 1861 foi assignado o contrato
pelo empreiteiro Francisco Soares da Villa Retum-
ba para a'factura da dita ponte sobre o rio Sa-
nhau mediante a quantia de 71:150,3000 rs. obri-
o papel de doago,! gando-se conclui-la no prazo de 18 mezes, isto
fez da nova matriz a 17 de setembro de 1862.
De conformidade com a planta, cujo autor se ig-
nora, devia ter a ponte quatro arcos de trinta pal-
mos cada um ; e pela primeira condigo do con-
trato Mena estabelerido que seria construido sobre
um aterro de pedra de lasca e areia. de um a ou-
tro lado do rio, tendo o mesmo aterro altura sufti-
ciente de mote nao embaragar a passagem de
INTERIOR.
canoas em meia mar de enchente ou de vasante.
Por esta forma o contrato remediou era parto o
grande deleito da plante, segundo a qual so poda
ter lugar a mesma passagem na preamar: o que
devia produzir da parte superior um grande depo-
sito de agua capaz de coraprometter pelo seu peso
a seguranga da ponte.
O empreiteiro, "U porque reconhecesse a diffl-
culdade, se nao impossibilidade de curaprir a 1'
condigno, ou porque s tivesse em vista a facilida.-
de e nao a seguranga da obra, o certo que em
vez de mandar construir um aterro com areia, fez
adrar ao rio e esmo tanta pedra de lasca quanta
foi precisa para entulha-lo, formando o montao de
pedras que ali existe E era sobre semelhante ba-
se que nao offerece garanta alguma de seguranga
e durago que pretenda elle levantar a ponte, que
tanto dinheiro ja lem custedo.
Desde que se deu principio ao trabaiho da ponte,
que a opiniao publica se pronunciou contra a pre-
tenco de ser cortado o rio, o que devia trazer a
obstruega do anorodouro do porto desla cidade,
e talvez mesmo da barra e porto do Cabedcllo.
A capitana procurou intilmente pelos meios
seu alcance embarazar essa construerjo.
*


. .
I

u governn imperial em diversos avisos do minis-
terio da marinbti d.'S annos de 1861 e 1802 exigi
iiformacocs, e dea algumas providencias.
Os engenheiros Giacomo Raja e Jos Tiburcio
Pereira de Magalhaes^que vierant examinar a
ola da poole, desapprovaram o seu sysiema de
eonstruccao, sendo acordes na opiuio de que teria
de prejudiear o porto; e constante que outros pro-
lis>ionaes pensaram da mesma maneira.
O mea antecessor, tendo tal vez em altenco esses
pareceres, solicitoudo governo imperial a vindade
un engenheiro para inspeccionar a obraqne man-
dou suslar por oflScio de 7 de abril do amo pasea-
do, por convir proceder-se no vos estudos nao s
quanlo ao estado de solidez, como tambem res-
peito de seu sysiema de eonstruccao.
Essa determinadlo leve lugar qnasi sete metes i
depois que o eoipreiteirofior forea do seu contrato
a devera ler concluido.
Em data de z"8 de setembro do mesmo auno foi
elle encarregado de fazer no aterro de pedia a
obra (pie fosse precisa para poder prestar-se ao '
transito publico. Km consequencia foi tapada a pe-
quena aliertura. que ainda ali existia, ficando in-
terceptada a franea sahida das aguas, o que hoje
s tem logar por meio da liltraco entre as pedras;
e rom alguns seivie/is mais, que foram indispensa-
veis, entregoo-w ao transito "publico a passagem
por rima daqoelle moniode pedras.
K' para lamentar, como diz o engenheiro Maga-
llanes, que (faiidu todos os povos abrem e canali-
satn seus nos, alim de facililarm a industria eo
comineroio, entre nos se corte o curso de uin rio
com pexttgo de sern inulilisados dous importantes
portos, o desta eidade e o do Cabedello, empregan-
do-se para isto um systerna de construccjio noto-
riamente tosco e material segundo pensa tambem I
Ojongonheiro Gabaglia.
Assim pois, encontrei paralysada a obra da pon-:
Entraram...... <">
Sahiram ..... l'J
Existen)....... 349"
A saber :
Nacionaes..... 282
Estrangeiros... 17
Elrangeira___ 1 .
Mulheres...... 5
0 Escravos...... 39
Escravas...... S
34o
Alimentados custa dos cofres provinciaes 147
Movimento da enfermara no dia'll de agosto de
1804.
Tiveram alta:
Vicente de Souza Ferrara Lima.
Manuel Rarbosa do Nascimento Siqueira Caval-
canti.
Paulino Jos Uczcira.
inri* e PerMcntatto Quino letra 11 *c Agosto le i4.

CORRESPONDENCIAS.
Srs. redactores. Descobrio-se afinal! o mu
alto, e mu enipertigado Sr. tenente Jos Pedro da
Silva, digno professor n nomine de arithemetica
e geometra do collegio das artes, e mais digno
ainda inspector interino, acerca de 18 annos, da
thesonrana provincial acaba de descobrir um es-
pecifico e nico odontatyico, estomacal, antiphetico.
remedio universal que por pouco elle o d<, para a
respectiva fazenda, isto que ella nao deve mais
pagar o que deve, quando liver receber do mes-
mo individuo.
Que descoberla engenbosa I Que cabera.
Beatas ventee qui te portacit, et uber qwe sus
te, e inister era resolver "acerca de seu sysiema de cisti.
ligo 201 do cdigo penal, e obrigo prisao e livre-
mento : c pague o ro as cusas.
O escrivao lance o nome do reo no rol dos cul-
pados, e passe contra elle mandado de prisao, re-
metiendo este processo para o jury.
Recife, 17 de fevereiro de 1864.Hermogens
Scrates Tavares de VasconceIJos.
Certifico mais ser a peticao em que o supplican-
te requerea perdo do theor seguinte :
Peticao.
Diz Jos Francisco de Oliveira, que tendo dado
queixa contra Joao Mara de Albuquerquc Oliveira,
por crime de offensas phisicas leves, foi este pro-
nunciado como incurso, no artigo 201 do cdigo
criminal, pronuncia que foi sustentada em grao de
j recurso pelo Dr. juiz de direito da primeira vara,
e porque o processo j fosse remedido para o jory
;e tenha por isso de ser preparado, apresentando o
! supplicante o libello aecusatorio, vem o supplican-
te declarar a este juizo preparador, que deixa de
apresenlar o libello, porque perda ao pronuncia-
do o crime, que contra o supplicante commelteu,
e assim requer V. S. que mandando juntar esta
ao suinmario, o escrivao lavre o termo de perdao
para ser assignado pelo supplicante.
Pede V. S. Sr. Dr. Juiz municipal da segunda
vara, e preparador dos procos ioscrimes lhe delira.
E R M.Jos Francisco de Oliveira.
Certifico finalmente que o perdao foi tomado por
termo, e julgado por sentenca. O referido ver-
dade e ao respectivo processo me reporto.
Recife, 6 de agosto de 1864.Eu Joaquim Fran-
cisco sde Paula Esleves Clemente, escrivao do ju-
ry, o ubscrevi e assignei.Joaquim Francisco de
; Paula Esteres Clemente.
Apresentamos para um dos nossos juizes de
paz o Sr. commendador Antonio Joaquim de
Mello.
coirsiruccao.
(Conl inuar-se-ha )
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
Acaba de ser creado mais um distrieto de suh-
delogaeia policial na eidade de Olinda, aiirangendo
o territorio da freguezia da S, e son a uumeraeo
de}2", sendo Horneados:
Subdelegado, Manuel Diouiziu Gomes do Reg;
Sonrientes :
1 Joaquim da Molla e Silva.
2 Manoei Das de Antojo.
."t" Caelano Goncalves da Silva
4" Francisco Xavier de Moraes.
.">' Luiz Jos Uelmiro Pereira.
6 Luiz A Ivs Itigaud.
Foram Horneados:
Carlos Jos Gomes de 01
Palnieira, em Garanhuns, Fraucisco Pereira de Car-
vallni
Tendo obtido lirenga o Sr. tbesoureiro das
loteras, acha-se e.xerceudo esse cargo o Sr. Jos
Rodrigues de Souza.
- Para reper interinamente a eadeira de pri-
Sempre ouvi dizer desde o tempo de El-Rei, Nos-
so Senbor, e da Rainha. N'ossa Senbora (porque,
gracas Weos, sou dessas felizes eras) que pelas
leis do fisco nao se admittem encontros de dividas
por crdito delle.
Ha pouco ouvi tambem dizer por pessoa habili-
| ta-la, que as leis da fazenda geral passaram a ser
exiquiveis na fazenda provincial, por urna lei da
assembla legislativa desta provincia.
liOgo, entend eu com milita gente boa, que
aquellas leis eram desde e.nlao aquiapplicaveis.
Pois bem, venho confessar o meu erro perante
este respeilavel publico, porque nao sabia, qne so-
bro taes prescriproes legaes estava a impenosa
vonlade do Sr. coni'inendador Jos Pedro da Silva,
porque ante elle todos callam-se, como succede
quando o Baliza vai fallar.
E o caso Srs. redactores, quo esse especifico
Hscal descoberto pelo Sr. Jos Pedro ha de trazer
.grande vanlagem para a mesma fazenda; perianto,
1." quem tiver de receber qualquer quaotia della
--i.JlL.i-lJ_.
COMMERCIO.
, .,,,. ha de esperar, que se apure portante, e por longos
delegado de Pao d Alho, dia?j M ||e d(J' 0 nri0 r^ uer impos,0S|
'ffjf?i.?S*??1^,9.-^SIneWiMaom moilo ganharao os cofres pbli-
cos, que estarao com o seu dinheiro n'ellcs bern
aferrolhado, embora os credores da fazenda sejanj
nisso prejudicados, e ciamem em vo -, 2.* espan-
tosamente ha de crescer a arrecadacjto da divida
activa, una vez que muitos dos que tiverem de
, receber dinheiro da mesma fazenda necessaria-
me.ra> letira> da villa de Ipojuca, medanle a gra-, m,,n[e |he respiran, que
tificacao de uUOOU rs. annuaes, foi iionieado o ,, j...^:___iZL. >'__i..'^__Jl___L2-
(AIW FILIAL
DO
KA\C O IMI BRASIIi
EM PEKNAMBC.
A directora desta caixa, em virtude de ordem
da directora do Raneo do Brasil, avisa aos Srs.
accionistas qne o respectivo thesoureiro est alot
risado a pagar o dividendo das acedes da meema
caixa do semestre nudo em 30 de junbo prximo
passado, na razao de $500 por accao.
Recife 14 de julhe de 1864No impedimento do
secretario. Ignacio Nunes Correia.
Alfacdega
Rendimenio do dia 1 a 9........ 230:2164334
dem do dia 10................. 38:599*831
288:726l65
. do dominio publico; 3." aeaba-se assim para sem-
pre a antiga, e fatal distincao at luj" iutroduzida
pelas leis iscaes de ohm reaet e pessoaes, visto
Rvm. Telesplioro de Paula Augusto.
O Sr. conselheiro Jos Rento da Cunha c Fi-!
CdleS da A?te "Ti l'^ssarao encarnar-se na peMB, como o
w^^S^SSfl^&ff^t "^SrSL, demos parabens for-
n L&&J2SL2& P ffi tu":' da no ,erra-1" uaodou-se passar a guia compelen e po.l.aver )e economista, to abalisado financ'eiro, que acaba
neiro Macha- ^StiStf 10^.0^
um brevet d inve.nlion para anima-lo a novos in-
Hovhiieno da alfandesa
Volantes entrados com fazendas... V!
eom gneros... 68
Voluntes saludos com fazendas... 222
i cora gneros... 588
111
810
N. 8 particular e 43 publico casa ter-
rea........!69>000
Becco da Camina.
N. S particular e 10 publico casa ter-
rea........ 1495000
Ra do Fagundes.
N. U particular e 32 publico casa ter-
rea........ 155*000
Ra de Santa Thereza.
N. 31 particular e 7 publico casa ter-
rea.....v 197,3000
Ra da Roda.
N. 36 particular e 5 publico casa ter-
rea........ 965000
N. 92 particular e 1 publico casa ter-
rea........120*000
Ra da Imperatriz
N. 47 particular e 68 publico casa ter-
rea. ....... 3065000
Itecco do Quiabo.
N. 49 particular e 8 publico casa ter-
rea........ 1445000
Ra da Gloria.
N. 51 particular e 65 publico casa ter-
rea. .. ... 1445000
Ra de S. Bom Jess das Crioulas.
N. 61 particular e 8 publico casa ter-
rea........ 1315000
Ra do Padre Floriano.
IN. 66 particular e 63 publico casa ter-
rea......... 1445000
Ra da Senzala Velha
N. 71 particular e 25 publico casa ter-
rea........ 1455000
Patrimonio de rollaos.
Ra do Imperador.
N. 3 particular e 81 publico 2 andares. 1:2025000
Ra de S. Gonzalo.
N. 10 particular e 23 publico casa ter-
rea........
' Ra dos Pires.
N. 13 particular e 39 publico casa ter-
rea. .
Ra do Vigario.
N. 72 particular e 27 publico 2 anda-
res........ 6035000
Ra da Senzala Velha.
i N. 80 particular o 132 publico 2 anda-
res.......
' N.82 particular e!6 publico casa ter
rea........201:5000 j
Ruado Pilar.
N. 91 particular e 105 pnblico casa ter-
rea. :.....1635000
Becco das Boias.
N. 39 particular e 18 publico 2 anda-
res........ 360*000
Ra do Amorim.
N. 56 particular e 26 publico casa ter-
rea........ 1205000
Mirueira.
N. 4 particular sitio.....2135000
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 6 de agesto de 1864,
O escrivao.
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Santa Casa de Misericordia
inglez em um ou mais lotes vontade dos compra-
dores: quinta-feira 11 do corrente pelas 10 horas
da manha no armazem do Annes.
2,540 varas de algodaozinho.
241 varas de aniagem.
48 varas de galo de prata de urna pollegada de
largara.
36 varas de dito de meia pollegada.
6,412 botSes grandes de metal amarello lisos.
3,206 boloes pequeos do mesmo metal lisos.
336 btes grandes de metal prateado lisos.
144 boloes pequeos do mesmo metal prateado. PatldlO llollADVz AdPailUS JohaillieS
482 colchetes pretos finos. I __ lam.lia .iA mpcmn
Quem quizer vender taes objectos, aprescutera, anuid oo iih miio
as suas propostas em carta fechada na secretaria William Addens, capilao do patacho hollandez
; do conselho.s 10 horas da manhaa do da!2 do Adrtanvs lohannes far2 leilocom autorisaciio do
corrente* Sr. inspector da alfadega, em presenca de um
Sala das sessoes do conselho administrativo para emprrgadocUmesma reparlicao com assistencia
fornecimenlo do arsenal de guerra 8 de agosto de do Sr. cnsul de S. M. Hollandeza, por intentencac-
1864. do agente Pinto e por conta e risco de qaem per-
Anoii'o redro de SA Brrelo, tencer, do casco, mastros, pannos e mais pertences
Coronel presidente. do referido paJacho, tal qual se ada ancorado nes-
SebasliCw Jos Basilio Pyrrho. te porto, onde foi leglmente condemnado na sita
Vogal secretario. recente viagem de Ruenos-Ayres para Liverpool,
Crrelo gcral. assim romo ama lancha do mesmo patacho.
Pela administracao do crrelo desta eidade se StXla-feira 12 de agosto as H lioras
faz publico que em virtude da convencao postal em ponto,
celebrada pelos governos hrasileiro e francez serao Em frente a Associacao Conmercial onde se
expedidas malas para a Europa no dia 15 do cor-, dar todo e qualquer esclarecimento a respeito.
rente mez pelo vapor inglez Oneida. As cartas | -
serao recebidas 3 lloras antes da que for marcada
para a sahida do vapor, e os jornaes at 4 horas
antes.
Administracao do correio de Pernambuco 10 de
agosto de 1864.
1835000
1045000
LEIliO
31
DE
AVISOS MARTIMOS.
COMPANIIIA PERNAMBCANA
DE
Kavcgaco costeira a vapor.
Parahjha, Xatal, Maco, Atacatj, Cear, e Aearac
No dia 22 do correnle, segu o
apor Jaguartbe, commandante
Lobato, para os portos cima. Re-
cebe carga al o dia 20. Encom-
mendas, passageiros e dinheiro a
frete at o dia da sabida as 3 horas da larde do
410500o! d'a d" sabida : escriplorio no Forte do Mattos nu-
mero 1.
COIIP4IHIA
DAS
MESSAGERIES
caixas com folha de Flandres &\n-
Hadas.
Sexta feira 12 de agosto de 1864.
Rotlie i liideulac faro leilao por intervencao
do agente Pinto, e por conlae risco de quem per-
lencer de 31 caixas cem folhas de Flandres ava-
hadas d'agua salgada bordo do patacho ingler
: Fortnale, ao meio dia de dia snpradito em sea
escnptorio ra do Trapiche n. 18, primeiro andar.
do Recife.
do Freir.
__ As mrbM a tniai4a< ana tAin ile ser evlralii- ".. |mi< uuwni s uuvus iu-
-r a> partes de lotera que tcm e ser extran venl f d que4-Bte| se perpetu a sua oto-
das em primeros lugares sao: rla t \;M elevada.pt.|os sells va^iosPos servir.^ <.
J.T. LJ ,! COrrcnte "'LZ' em bene"C, dU ,ni'- lamentares, como Va questao dos ea.xeiros, e'nor
triz do Limoeiro.
104 eiu l'.l do corrente mez, em beneficio do
Gyninasio.
103 em 24 do correnle mez, em beneficio da ma-
triz do Ouricury.
Itlo em 1" de setembro, em beneficio da Sania
Casa da Misericordia. .
107 ern 10 de setembro, "m beneficio da irinan-
dade <1" Seulior Bom>JMM da Vi Sacra da igrej
ta Sania Cruz.
Sendo as tres primeiras pelo plano de vinte e
um contos, e as duas nltiinas pelo de trinta e rin-
((ueslao dos eaixeiros, e por
ontras rousas mais referidas no novo mothodo.
Sou, Srs. redactores,
O viga da thesouraria.
Descarregam no dia 11 de agosto.
Rarca franceza 4 Colignymercaderas.
Rrgue inglezAfana Burrissdiversos objectos
pura a ponte.
LugrenorueguenseDogma diversos gneros.
Patacho hollandezGerberdina & Jeanneltafari-
nha de trigo.
Rarca ingkmImogeneferro e earvao.
Recebedoria de rendas Internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 0........ 12.0745U9
dem do da 10.....,........... I:o0i5o01
13:5785620
Consulado provincial. .
Rendimento do dia 1 a '.1......... 14:5635/m
dem do dia 10................. 2:8305251
17:3935W1
PUBLICARES A PEDIDO.
alsa de Urisll.
As enfermedades exlernas produzem muilas ve-
zes resultados terriveis se a massa viciosa do
co ionios, esperndolo respectivo thesoureiro poder sangue, o qual a causa das inesmas, nao se pu-
conliuuar as exlraccoes de ludas as parles pelo di- rilica doseti veneno mediante o uso da salsaparr-
to plano de. trinia e "cuco cantos. Iha de Rristol (o abstersivo mais poderofo de quan-
Depois d'auaiiliaa ,-e extraliir a segunda to se conheceni) os doent.s nao so buscariam au-
parte da primeira luteria da matriz do Limoeiro. vio em vilo, mas sim taubem Irausniiitiriain suas
Inforinaiii-iios que se prepara, para ser apre- enfermidades seus lilhos como urna heranca
MOVIMENTO DO PORTO.
Navio entrado no da 10.
Liverpool47 dias, brigue inglez i'llsualer, de 246
toneladas, capilao Ueryamen Newton, eqnipa-
geiu 10, carga plvora e fazendas; a Mills Lf-
thain i C.
Observarao.
Nao hoiiveram sahidas. '
maldita. As pessoas de ambos os sexos acharan
cm todos os periodos da vida, que este admiravel
e incomparavcl remedio vegetal cura de urna
maneira rpida e radicalmente as c.hagas, eruji-
coes. ulceras, inflammacoes glandulares, rheuma-
tismo e lodas as mais molestias aualogas, inclu-
indo as aneccSes mercuriaes que duslguram ou
sentado a presidencia da provincia, um abaixo as
signado, de proprietarios de predios :i ra da
Cruzpedindu preferencia para o calgamento dessa
ra.
.Nao tendo a cempunhia do Reberibe dado
providencias para o reparo da vrteme d'agua da
ra da Cruz, de novo chamamos a atlencao da res-
pectiva directora para que desappareca esse en-j coniraliem asfeices.
eomiuodo. Achar-se-ba venda em lodos os esiabele'ci-
A* subdelegara do Recife. ainda nos pedem montos phrmacentcos do Brasil ei 111 Pernambuco
moradores da ra da Cruz, que lembremos lance por Bravo iV C, e Caors A. Rarbuza.
suas vistas para as fitlias Jo marmore ah morado-
ras, pul- qua:ilo nenliuina allem.aii tem para com
os vi-inbos, em o trafico ordinario de suas vidas.
REPAIlTICAO DA POUCIA.
Extracto das parles do dia 10 de agosto de
1804.
Foram recolbidos a casa de deten^ao no dia 9
do rorrele :
A' ordem do subdelegado da Boa-Vista, Manoel
Rodrigues da Cosa, para'correccao; Antonio Igna-
cio da Silva, jor suspoilo em crime de furto de
cavallos: Hilario, escravo do inajor Joao liernardi-
110 de V'asconcellos, por infraecSu de posturas.
O chefe da segunda scelo,
J. G. de Mezquita.
EDITAES.
I.
O
- < w= M JT*
M - = M
3
'/ -. '/i
si s h 5" S
: = . 5
; ; '

. - : :
g

i
Masculino, i g
1 -1 -I l----------------------1 fi
Fe minino.
Masculino.
Fetninino.
W 2
m o
?|
5
I I I
Masculino.
C".
Fetninino.


-
- I TOTAL.
11
-
e.
S
s
ADVERTENaA.
Na total idade dos doentes existem 136, sendo
/2 homens e 64 mulheres.
Foram visitadas as enfermaras estes das
Pelo Dr. Ramos s 7, 6 40, 6 33, 6 3|4,7,6 3|4.
7 1|4 6 3|4.
Pelo Dr. Sarment s 8, 8 lc2, 8 lr2, 8, 8, 9
1|4 7 3|4. l '
Fallecern!:
Maria Piros, bexigas.
Hylario Pereira Caldas, phtysica pnlmonar.
Movimento da oasa dedetencao do dia 9 de
agosto de 1864.
Existiam......, 363 presos,
ene
Xarope alchoolico de veame, preparado pelo
pharmaceutfco Jos da Rocha Paranhos, estabele-
cido com botica na ra Direita n. 88 em Pernam-
buco.
lisie xarope inconbslavelniente superior a to-
dos os xaropes depura I i vos, do cuja tomposiciio
o sen maior elemento a salsa parrilha, pois qne se
tem condecido ser o veame mais enrgico para a
prompta cura das molestias, cuja base essencial
depende la parfJcacSo do sangue ; assim pois se
tem verificado por muilas pessoas que se arhavam
desengaadas, as quaes acham-se boje reslabeleci-
das com o referido xarope alchoolico de veame
1 enirelanto que alguns, tendo usado do xarope de
: Curinier, de Larrey, de salsa parrilha, de sapona-'
fria, oleo de ligado de bacalho, e outros agentes
I desta ordem nada conseguirn!. K elle de fcil'
digestao, agradavel ao paladar o ao olphato. Al-'
guns mdicos desia eidade e da de Maceio o teem :
i recominendado para a cura das
1 linpigens, linha, escrophulas,
Tumores, ulceras, escorbuto,
i Cancios, sarna degenerada, lluxo alvo.
Todas estas affeccoes provm de una causa jn-
I terna ; nao ha pois razao alguma em crer que el-
i las se podem curar com remedios externos. Tam-
; bem se presereve o xarope alchoolico de veame1
i para o Iratamento das alleer-oes do svstema nervo-
so e fibroso, taes como :
Golla, rheumatismo, paralvsia,
Dores,, impotencia, esieriliilade,
Marasmo, hyporondria, emmagrecimento.
O xarope alchoofico de veame (-, sobre tudo da
maior ulilidade para curar radicalmente, e 'em
pouco lempo o rheumatismo.
Adverte-se que o verdadeiro xarope s se vende
nesta eidade na botica cima indicada, do abaixo
assignado ; e em outra qualquer parle que se tem
annunciado nao da mesma coroposic_ao, e nem o
abaixo assignado se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhos.
Jos Francisco de Oliveira, precisa, que o escri-
vao Esteves, revendo os autos de arcao crime por
ollensas phisicas em virtude da qoei'xa que contra
Joao Maria de Albuquerque e Oliveira, dera o sup-
plicante, lhe d por cerlidAo o theor^da seotenca
que pronunciou ao dito Joao Maria, o theor da pe-
ticao em que o supplicante perdoou ao dito Joao
Maria, se.o perdao foi tomado por termo e julgado
por sentenca.
Pede V. S. Sr. Dr. juiz de direito da primeira
vara lhe delira E R M.
Sim. Recife, 5 de agosto de 1864.Freitas Hen-
riques.
Joaquim Francisco de Paula Esleves Clemente, es-
crivao privativo do jury, axecufoe cnpiinaes e
correicaoda comarca do Recife, por S.*M. o Im-
perador, que Deus guarde etc.
Certifico que revende* o processo mencionado na
peticao, supja, delle coasia ser a pronuncia do theor
seguinte:
Pronuncia,
vistos estes autos, jnlgo procedente a queixa
intentada contra o reo J0S0 Mara de Albuquerque !
Oliveira, em face do corpo dedelicto e provados!
autos; pelo qne o pronuncio como Incurso no ar- i
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumplimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente Ja provincia de 30 de junbo ultimo, manda
fazer publico, que no da 13 de outubro vindouro,
perante a junta da fazenda da mesma thesouraria
se lia de arrematar quefn por menos llzer, a cous-
Iruccao de 09 bracas de caes -de cada lado do ca-
nal da ra da Aurora, avahado em 15:9145000.
A arrematacao sera fejla na forma a le pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, c sob as
clausulas especiaos abaixo declaradas:
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao comparecam na sala das sessoes da referida
junta no da cima mencionado pelo meio' dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 9 dejulho de 1804.
O secretario
Antonio Ferreira da Annunciarao.
CLAUSULAS BSPBCIAES PAIIA A AHUEM.VTAQAO.
Ia A obra do caes margem do canal da ra da
Aurora, ser executada de conformidade com o or-
namento e planta respectiva apreseniados pela di-
rectora das obras publicas na importancia de
15:9145.
2' O empreiteiro dar execuco aos Inhalos no
prazo de 20 dias, e os terminar nos de 60 dias,'
contados na forma da lei.
3" O pagamento sera cffectuado em prestacoes
mensaes, de valor correspondente ao trabalho exfl-
cutado, em cada mez, deduzindo-se um dcimo,
que ser entregue seis mezes depois da conclusao
da obra.
4* O empreiteiro nao pnder sob qualquer pre-
texto exigir indemnisaeao alguma que nao seja
fundada no excesso de trabalho previsto no orra-
menlo.
o" O empreiteiro na execuco dos trabamos ob-
servar as prescriproes dadas' pelo engenheiro fis-
cal da obra.
6" Para tudo quanto nao se adiar aqu disposlo,
observar-se-ha o que dispoe a lei n. 286.
Conforme.Antonio Ferreira da Anuunciar^ki.
Faculdade e Dir lo.
De ordem do Exm. Sr. director se faz publico I
que no dia 15 do corrente (lersa-feira) s 11 horas1
da manha ter lugar o exame dos concurrentes
eadeira de latim do curso preparatorio desta Fa-
culdade.
Secretaria da Faculdade de Direito 10 de agos-
to de 1864. *
Jos Honria Bezerra de Menezes.
Secretario,
A illustrissima junta administrativa da Santa
Casa de Misericordia do Kerife, manda fazer
publico que no dia 18 do correnle pelas 4 horas
da larda na sala de suas sessoes, tem de ir
praca o fornecimento dos gneros abaixo decla-
rados, que houver de consumir o hospicio de
aNenados em Olinda, no periodo que decorrer do
dia da arrematacao ao ultimo de setembro prximo
futuro, a saber:
Pao, libra.
Rolacha, idem.
Carne verde, idem.
Arroz pilado, idem.
Maoteiga franceza, dem.
Caf em grao, idem.
Cha preio, idem.
Toueiiiho, idem.
Velas ij carnauba, idem.
Assucar branco refinado, arroba.
Assucar somenos refinado, idem.
Vinagre, garrafa.
Azeitedce, uleui.
Feijo, cuia.
Sal, idem.
Farinha de mandioca, alqueire.
Os pretendentes devem apresenlar as suas pro-
postas em cartas fechadas, o dar fiadores idneos,
quo se responsabilisem pelo fiel cinnprimento do
contrato.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 10 de agosto de 1864.
O escrivao,
F. A. Cavalcante Cousseiro.
Pelo consulado de Portugal nesta eidade sao
convidados os credores de finado subdito portuguez
Domingos de Castro Maia a virem receber a im-
portancia de suas contas.
AiTMiaLiru Sexta-feira 12 do corrente, na sala das audien-
cias, e depois da audiencia do lllm. Sr. Dr. juiz
municipal da 1" vara tem de serein arrematadas
por venda, com o abalimento da quinta parle so-
bre o respectivo valor, as tres casas de pedia e
cal situadas no lugar da Cabanga, penhoradas por
execuco de Manoel-Dias da Silva Santos Jacob
Joaquim da Silva. Escrivao Cunha.
Conselho adiaiiiisliaUvo.
O conselho adminisirativo para tornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
guinles :
Para a compnhia de artfices.
80 bonels.
3 ditos para recrutas.
90 pares de platinas.
74 mantas de laa.
535 pares de sapatos.
448 eovados de panno azul.
474 capotes de panno azul.
18 eovados de casemira encarnada.
270 eovados de bala verde.
350 eovados de hollanda de forro.
1,517 varas de brim branco.
1,335 varas de algodozinho.
48 varas de aniagem.
1,344 boloes grandes de metal amarello com
bomba.
072 ditos pequeos do mesmo metal com bomba.
175 pares de colchetes pretos.
Quem quizer vender taes objectos aprsente
a sua proposta em caria fechada na secretaria do
conselho s 10 horas da manha do dia 17 do cor-
rente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimenlo do arsenal de guerra, 9 de agosto de
1864.
Antonio Pedro de &i Brrelo,
Coronel-presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pyrrho,
vogal secretario.
COONSULAT DE FRANCE FERNAMHOUC
Aux Francais residant ou de
Fernambouc.
Mes chers compatriotas :
J'ai l'honneur de vous prevenir qu' un Te-Deum
sera chant Lundi, 15 du couranl, une heurc de
l'aprs midi, l'Eglise de
IMPERIALES
At o dia 14
do corrente es-
pera-se da Euro-
pa o vapor fran-
cez Eslramadurc,
commandante
Xavier, o qual
depois da demo-
ra do costume
seguir para o Rio de Janeiro tocando na Rahia,
para passagens etc., tratase na agencia rna do
Trapiche n. 9.____________________________
3Iaimkao e Para.
Segu para os indicados portos, com a possivel
brevidade, o hiato Litlo Paquete, capito Antonio
Maria da Costa e Silva : para carga tratase com
Antonio de Almeida Comes, rita da Cruz n. 23, Io
andar._____________________________
COMPNHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do sul esperado
at o dia I 4 do correte o vapor
Princeza de oinville, commau-
dante o primeiro tenente Araujo
o qual depois da demora do cos-
tume seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada: encora-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sabida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 6v C.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com malta brevidade o veleiro
brigue nacional Almirante, tem parte de seu car-
regamento promplo : para o resto que lhe falla e
escravos a frete, para os quaes tem excedentes
I eommodos, Irata-se com t* seus consignatarios An-
I Ionio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu es-
criptorio ra da Cruz 11. 1.
COMPNHIA BRASILEIRA
DE
A
Feira semanal
DE
Trastes novos e usados.
Scxla-feira 12 do corrente s H horas.
N. 48AnsiAZEM da ba da CadeiaN. 48
O agente Olympio, no dia, hora e lugar cima
vender em leilao diversos objectos de marcineiria
c outros mullos artigos que estarao ao exame dos
compradores na vespera e dia do leilao.
LEILIO
DE
Urna taberna
lina do Aragao numero 36.
RODRIGUES & COSTA
farao leilao por iniervengao do agente Cordeiro
Simoes dos gneros, armacao e mais ntencilios
rxistenles na taberna cima dita, em um ou mais
lotes vontade dos pretendentes.
Sexta-feira 12 do correte s 10 huras
___ ponto.
no
DE
Algodozinho e papel
(Com a varia.)
Sexta-feira 12 de agosto de 1864
Rabe Schameltau & C. faro leilao por conla de-
quem perUmccr e por olerveocao do agente Pin-
to de algumas pecas de algodozinho e algumas
resmas de papel com avaria d'agua salgada: s-
10 horas em ponto ao dia cima dito em seu arma-
zem ra da Cadeia n.
M
Urna
RE
taberna e
da
d'u idas
mesma.
Caes d"Apollo n. 59.
Germn* llrasilino d'Emery
far leilao por intervencao do agente Cordeiro Si-
moes dos gneros, anncao e mais ulencilios exis-
tentes na referida taberna; assim tambem das di-
vida^, cuja relaco ser patente no acto do leilao.
Sabuado 13 do corrente s 11 horas em
ponto.
Per ordem do consulado de Portugal o agen-
te Pestaa far leilao no dia 13 do corrente por-
ta da Associacao Commercial, dos gneros e arma-
D A AFTFTF^l \ V1 PAR I Ciio da r*berna fila da Casa Forte, perten-
rrl.V6VJJJiJLC7 iV VAJrv/JLt cente ao casal do finado subdito portuguez Luiz
Dos portos do norte espera- Jos de HagalhSes. Em poder do mesmo agente-
do at o dia lo do corrente o va-
por Uyapoch; commandante An-
f
;^Sa% ionio Marcelino de Ponts Ribei-
^-ii-*a5fiSEF ro, oqual depois da demora do
cstume seguir para os porlos do sul.
Desde j rucebem-se-passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada.no dia de sua chegada, encominen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
InoLio diz de Oliveira Azevedo & C.
se acha a relacao dos gneros existentes no dito
estabelerimento, com sua avaliacao para ser exa-
minada pelos pretendentes.
AVISOS CIVEBSOS.
Precisa-se de urna pessoa para dis-
tribuidor (leste Diario no terceiro dis-
tricto da Boa-Vista que cometa na ra da
Aurora e chega a Santo Amaro, na livra-
LHt!n^^i^ti^naTAMr^\ni 0 e 8 da praca da Independencia.
do, por ter parle da carga engajada;'--------_. .-------------;r-----------------------
Faltando ainda no archivo
encaderuados deste Diario, ro-
ga-sc as pessoas qne os levaram
por cnipcestimose digneui mau
da-los entregar, nao se mandan-
do buscar suas moradas ( bem
que nao se ignore) pela incerte-
za da hora em que se cuconica-
rao em casa.
Para a Rahia pretende sabir com
muila brevidade o veleiro patacho I).
para o resto que lhe falla, trala-se
com os consignatarios Paimeira & Beltrao, no largo
do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
Cear e Maranhao.
O patacho Valent segu com brevidade para
ambos os porlos por ter meia carga a bordo : pare
o resto trala-se com os consignatarios Marques,
Barros & C, largo do Corpo Sanio n. G. ..
LEILuES.
LEILAO
Va
Fer-
passage
-.
DECLAfiACQES.
Santa Casa da Misericordia
do Eecife.
A Illm.'junta administrativa da Santa Casada
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
no dia 11 do corrente pelas 4 horas da Urde na
sala de suas sessoes tem de ir praca as rendas
das casas em seguida declaradas por tempo de
um tres annos. '
Os pretendentes devem comparecer acompa-
nhados de seos fiadores ou munidos de cartas
destes.
Estabelecimentos de cariiiade. -
Ra Direita.
N. 3 particular e 8 publico, 2 andares. 1:0674000
Ra do Padre Floriano.
N. 0 particular e 47 publico casa ter-
tea- .v 864000
1 "
DE
Urna taberna.
HOJE.
Solcdade ra de foo
nandes Vieira.
O agente Olympio, autorisado por nina pessoa de
sua amisade, far leilao de una laberna sortida,
situada em bom lugar, propra para um princi-
piante do conimercio, por ter pouco capital e ven-
derse diariamente de IOS a M&.
Ser efectuado o leilao na inesma laberna s 11
horas. _______________^______________
LEILAO
DE
3 barris cura viuho Bordean* e 43 di-
tos com cogn c.
O agente Pestaa far leilao por conta de quem
LEILAO
DE
r
a l'Eglise de Notre Dame de l Pe-
nha, pour clbrer la fte de notre augusto souve-
rain l'Empereur Napolen IU.
Sur le point de quitter des fonciions que le Gou- L
vernement de S. M. a daign me eonfler provisoi- 'pertencer de 3 barris com exeellente- vinho Ror-
rement, j'espere ne laisser que des amis parmi lleauI e ,3 dit05 com superior cognac: quinta-
vous et j me rjouis, mes chers compatriotes, :feira ,{ do w^Mo pelas 10 lioras da manha no
la penseque nous allons bientot tous nous reunir i a"nazem do Annes.
pour donner un pieux souvemr la France et | "
rendre un juste homniage l'Empereur.
Agrez l'assurance de mes sentimeii lesplus
distingues et les plus dvous.
d'Imbert du Chenin.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento da
arsenal de guerra tem- de comprar os objectos se-
guintes :
Para o 7- batalbo de iniantaria.
408 bonets.
24 ditos para msicos.
25 ditos para recrutas.
46 pares de charlateiras para msicos.
ol pares de sapatos.
484 mantas de la.
457 pares de plantinas de panno".
2,290 eovados de panno azul.
198 eovados de panno alvadio.
120 eovados de panno cor de rap.
30 eovados de casemira amarella.
68 eovados de casemira encarnada.
30 corados de casemira branca.
1,807 eovados de hollanda de forro.
3,767 varas de'brim branco.
HOJE
Quinta-feira 11 do carrate s 11 ho-
ras do dia.
Francisco Antonio de Medeiros far leilao por
intervepgao do agente Pestaa, dos gneros, ar-
macao e utencilios existentes na taberna suprasita
na ra Augusta n. 114 confronte ao viveiro do
Muniz. Ser tudo vendido em um ou mais lotes
a vontade dos compradores, a prazo ou a dinheiro
conforme se convencionar.
Mil AO
DE
10 caixas ctfin .sal inglez em frascos.
O agente Pestaa vender em leilao por conta
de quem pertencer 10 caixas com excellente sal
Aos 6:0(M$OUO.
Corre depois d'amanha.
Sabbado 13 do corrente mez ter lugar
a extracr da segunda parle da primeira
lotera em beneficio da matriz do Limoeiro,
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de .6:000^000 at 100000
sero pagos urna hora depois da extracto
at s 4 horas da tarde, e os outros bo dia
seguinte depois da distribuicao das listas.
O thesoureiro interino,
Jos Rodrigues de Souza.
^Gabinete Portuguez del
Leitura.
Tendo de solemnisar-se no dia 15 do
corrente mez o dcimo tarceiro anniver-
sarlo da installacao do abwetb Pohti-
cuez dk Leitura, a directora faz publi-
co, que nesse dia estar .patente o esla-
belecimento a quem pretender visla-k),
desde s 10 horas da manha at s 10
horas da noile..
Communica-se aos Srs. associados.
que o expediente Gcar suspenso desde
o dia 12 at quarta-feira 17, ioclusive.
Secretaria do Gabinete Portuguez de :
Leitura em Pernambuco, aos 10 de agos- |
to de 1864.
Joaquim Gerardo de Bastos,
1 secretario.
Traspassa-se o arriadamente de am sitie
eom boa casa e planta de capim, a boira do rio, o-
mais pello desta. praca, assim como se aereada
urna cocheira com urna casinha junto em bom lo-
cal e se yende dous carros sendo um de vidraca
outro sem ella, e urna parelha de cavallos os mais
fortes que pode haver proprio para quem quizer
usar deste trafico por ter toda commodidade e
tambem estribarla para alguns cavallos : na ra
do Passeio Publico loja p, 7, se tratara cem quem
pretender.

/
"" "



r.-?
r
l


"Z -
Diarla de Peramfon*i *- tntala lelra 11 d Afcosio r i *34
A
r


0 tirurgiao Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharo como sempre
prompto a qualquer hora pa-
r$ o exercicio de ua prt>-
issiio, chamado por escrpta.
Precisa-se
alugar ama escrava para comprar, ergomrnar e
faxar os mais arranjos de urna casa depouca fami-
iia e paga-se bem : a tratar na rua d Gadea do
Keeiffr n. 19, primeiro andar.
D1U
cv
Precisa-se de un menino B*ra *W** de
taberna que tenha alguma pratio e 1)l>ns costa-
mes : no largo da Santa Gnu n lo-___________
de
Precisa-se de urna ama p**a casa
(afilia-: oaraa.da Palma primeiracasa.
pouca
Proia-se do urna ama livre ou escrava para
todo o servco de urna casa de familia : na ra do
Aragio n.a?.
Precisa.se alugar urna escrava de meia ida-
de para cozinhar em urna casa de pequea rami-
lla jnajirauailaBj^Visian^__________
IMtOttSt V5M 1
DA
Fctt4el!i9a Seahera aa Carao do
Fro.iispieio.
Ao moio dia,;i.ui; IVdo wrwnte, levantar-se-
ha a baudeira da SS. Virgen, tocando na occasio
a banda marcial phjlarmnaica Carmelitana, dirigi-
da pelo iasigne maestro Manoel Pcreica da. Silva
Serzedcllo.
No da seguate, as 11 horas, eotrara.a missa,
. IV. UENNEIIY
Medico ingles,
e habilitado-pela faculdade de medicina da Baha,
tendo voltado Pernambuco, pode ser consultado
todos os dias em seu gabinete, ra do Brum nu
mero 74.
G4S1 Di mWii.
AOS 6:000.000
llllhete garantidos
A' rn d. Crea i. 23 e casas do MfaUM
O abaizo assignado tendo vendido nos seas mui-
toelites burieles garantidos os dous quartos n.
2815 com asorte de 10:000$ e o de numero 133
som a 2:000*, e o meio n 3162 com 2:000* o ou-
trs sortes de SOOA, 200*, e 100*, da l<**ia que
se acabou de extrahir beneficio do convento de
S. Francisco do Racife, convida aos pw&suidores
da ditos bilhelas a virem receber seus respectivos
Salsa parrha de Ayer
PARA A CR\ DA
ESCRFULA
c todas as moleatlaa
provenientes della
todas as moleatlaa da
pe le
eherysipellas, tameres, nlceraa,
sarnas,
nascidas, empinaras,
REUMATISMO
premios sea os. descont das.leis, em seaesU- ^ as $ua8 frraas> aSBB. COffiO-todo
felices o mal que provm do uso exeeasivo do
O mesmo tem exposto venda os no vos e
bilhetes garantido a beneficio da matriz do Li-
moeiro que se extralur sabbado 13 do corrate
Precos.
Bilhetes inteiros..... ?*0O0
Meios......... 3*
Qcartes........ ***
Para as pessoas que compraren
de 100* para cima.
Bilhetes........ 6**
Meios......... 3*80
Qnartos........ !*?00
Manoel Martins Ft'uw
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
nia a residir na ra da Cruz n. 53,
! e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profls-
s3o medica, e com especialidade
sobre o seguate
i molestias de olhos ;
2* dopeito:
3o > dos orgaos geniti
urinarios.
Em sea eseriptorio os doentes se-
rio examinados na ordena de suas
entradas comecando o trabamo pelos
doeates de olhos.
Dar consultas Unios os dias d 8
6as*0d*raanhla, menos nos do-
,ngps.
Praticar toda e qualquer opera-
cao qH julgar conveniente para o
priMnpto restabeiecimento dos seus
doentes.
MERCURIO
Ulceraos do ligado
p em stimm todos os males que tora sua WmWm*MBm4m&S& 1
Preeisa-se de nma criada livre oa escrav
que saina coziohar e engommar : na ra das Gcu
v.' |irinieiro andar.
oncem na
IMPUREZA DO SANGUE
um alterante poderoso para a
RENOVAC.40 BO SANGUE
Precisa-se lugar urna ama que saiba cozi-
rrecisa-si; atufar iwm mw 4"^ ..- --. ...
nhar, preferindo-se escrava : na ra da lanera- Hospicio n. tu.
Prisa,sfld,uaciad livre om escrava
que saiba cezinhar e comprar : na ra da-Sanio
!e para dar nova lorfa e \igor ao uupo ja Dr gggj ______^_________
en(raquecidoal*doe;a, I Precisare d cm mohor* ou. de um acur-
Vtfflde-se na ra LhreHa ns. lz e 7- e 1(jote qUeqUeira ir ensinar duas menina em um
triz n. 40.
Antonio de Almeida Brandao e Sou vai
Por lugal tratar de sua sade.
Consultor Forense
! engento em Serinhaem, e se sonber msica me-
llior, |K)is dar-se-ha Iwm ordenado : a tratar na
eimlwa do Carme- n. 1*. ^^^__^^__^
-. Precisa-se alugar. um moleque para os serv-
Acaba de sahir luz na livrarja do editor Br L MS je limi cas.: 4ratar na roa Nova n. 38, ter-
Precisa-se de urna ama escrava para todo_o Garnjer)rua doOuvidorn. 60}o- eiro andar. ^___________
servieo de urna caa de pouca familia : na ra di
S. Francisco n. 56. -.
Altearle.
Sendo observado por algns passagoires a polt-
dez e delicadeza com que preza-se o senhor con-
(ocandu a-urchesira Car.iaelilaua, dirigida pelo pa- ductor da seceso pede-se ao Ilion. 8T. suP""n; muiu^uiM.
dente e chefe do trafago desta va frrea do neciie Car|os An(on
S. Francisco, que seja soppjri-to lodo o trem de datorios
passageiros com este conductor : esjeramo ser |eMunzda
CQKSL'CTOB GEBAJ* DQ FOBO
Pelo Dr. Carlas Auiouiu Cwrteiro.
4 grossos volames ui 4, bn> ncadernados, '
305000.
Aluga-se a lo a da casa n. 40 da ra das Triu-
cheiras: na.rua.da Aurora, n. 36. ____
dre Manofil Caodido Ferreira da Cunha, urna es-
colhida missa do grande repertorio da sociedade
Carmelitana : orar no Evangelho o Rvm. padre .
mesire pregador operial Uo do Monte Carmello j rervido.Lm passageiro.
Luna. .
As 4 !(* homs da tarde subir um grande ba-
lo, tocando a mesmi sociedade variavels pegas de
harmona do grand* repertorio do raesmo maestre.
A noite haver Te-eum, pregando o capello do
exemito o rtvm. padre mestre Lourenco de Albu-
querque Lovolla, depois do que ser tirada a ban-
deira ao som da musica, c ss queimar um lindo
fogo artificial da fabrica da \iuva BufJno.
Este o programla que o provincial dos Car-
melitas aprsenla aos devotos da mesuia Augusta
Senhora, rogando i pess.ws habitantes do pateo
sedignem, para mais brilhantismo do festejo, de
ornarem suas varandas illumina'ndo-as as duas
noiles.________________
Precisa-se alugar urna preta que saiba cozi-
uliar e engoiumar: quem 4 tter, tlirija-se ra
Aeaba de compJetar-se esta importaale obrado dw Trapiehoa. 4, ^n acbarixam qaem trata.
uitodistinato e eonhecido jqtifCOMBlta o Br.-. Miguel Jos Barbosa Guimares socio |
prtn-
Arna.
Quem precisar de urna ama de leite, dirija-se ao
beceo do. Rosario, loja do sobrado n. o._________
enea>
A ma
co, Euzehio de Queiroz Coutinho Matloso Urnata, ()roceje,,QO a quidaco da mesma e pur isso pe,
e Jos Thomaz Nabuco de Araujo. e a [0d0s os devedoes o especial favor de man-
Compoe-se esta obra eminentemente pratica e aarem sa|aar seus debites o mais breve possivel.
Aluea-se urna ama -ue sabe engommar e cozi- ao alcance mesmo das pessoas inteiramenle ex-
nha.fprop^seatod-omais sJv,Co de portas tranhas ao foro, dos ^SSfT&^JV
A dentro : quem precisar dirija se ra do Hos-, commercial e orphanolog.co e forma urna BM,o-
nicion 2t taberna thna complrta indispensavel nao so a todas as
picio n. ,t. iant.ru.------------------ ^^ pessoas do foro mas tambe.T. a todos aquelles (pie
Aluga-se urna casa na ra do Mondego n. ^zerem nlenlar oa Hverem causa dependente de
69, com bstanles cominodos para familia : a lia- __,------:..:._
llecife, 9;de julho de 1864.
lar na ra da Cadeia n. 57.
qualquer juizo
Vende-se separadamente cada urna das partes
Aluga-se por'preso c-imm'oilo o primeiro an- scguinles a 8^000 :
dar do sobrado da roa da Senzala Velha n. 48 : a Consultok Civil acerca de todas as acedes se-
tratar na loja do mesmo. __________________I guidas no foro civii, segundo o systema adoptado
- Aluga-se urna negrinba de 12 13 annos ;; por Correa Telles no_ seu Manual do Processo Q-
1 tratar na travessa das Cruzes n. 14, loja. vil.com assupuresspes, alterac.oes c acc.esc.rnos
ajratar na wmm a> **w> I------ exi i(los ptla u,RS|a0ao, estylos e urlica do Wro
- Perdeu-se hontem pela manhaa urna letra i,r.,'jiejro'
Jos Antonio de
da quautia de 3354 sacada por Jos .
Faria e aceia por Francisco Jos de Souza, j fal-
lecido, em alguns dos Wagons da estrada de ferro
O hacha re
Francisco AmusIo da Costa
ADVefiADO
f._ Ra do Imperador numero 09.
Napragada Independencia, loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouio, praia e pedras
preciosas, assim como se faz qualqucr obra de en-
C0HT0R10 JIEIHCIHJliliMiMlO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MIIDI O. PARTE1RO I-: OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do" Fundao 3
0 Dr. Lobo Moscoso d consultas gralaitM aos pobres lodos os dias das 7 s I
horas da manhaa, e das 0 e mera s 8 horas da noite, ;i excepto dos ^ dias santificados
Pharmacia especial /lomeopatlrim
No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriade sorlimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dpnmmilaedes e pelos pregas seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 125O0O
de 24 tobos grandes. IW000
de 38 tubos grande. 2i de 48 tubos grandes. 30OOO
de 60 tubos grandes. 3S80OO
Prepara-se qnalquer carteira conforme o pedido, qoe sfizr, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca i&' 00.
Sende para cima de 12, custaro os precos eslabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
IIY HOS.
A mellior obra da bometmathia, o Manual de Meilicina Horaeopatbico do Dr. Jalu,
dH* grandes rolumes cwn diccionario............ 'SffiS'
Medicina domestica do Dr. Hering, ........... 10^000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. '1?000
Diccionario de termos de me'licina........*. 30ix>
Os remedies deste estabelecimento sao por demais conbecidos k disp^nsain porten-
to de gerem novamente recommendados as pessoas que quigttwi usav de remedios ver-
dadeiros, enrgicos e duraderes : ha ludo do melbor que se pede de.-^ar. globos de ver-
adeirp assucar de leite, notaveis pela sua boa conserwicao, tintura m mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecorada preparac*)1, e portroio a maior ener-
ga 8 certeza em seus eSfeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfenidade ou fazer-se-he qualqtttr
operaco, para o que o annunciante julga-se sulficientemente habiStado.
0 tratamento e melbor possivel, tanto na parte alimentar, como na_medica,_e
(urtecioando a casa a mais de quatro annos, ha militas pessoas de- cujo concert se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mr.mbr seus
doentes.
Paga-se 2j?000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 1(5500. _
As operacoes sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sojeitar aos precos
razoaveis que costuma pedir o annunciante._____________________
Alt.W AZI11
i
i



Consultor CiiMiHAL ou formulario de J.)das ,a*' oinmend'a, e todo e qualquer concert.
accoes seguidas no foro criminal, precedido das ------_------__-------i--------------------
--entesa organisacao indiciara I Na padaMN em Santo Amaro airai;
disnesicaes concernentes a orgams
ou nesta cidade : quem a ti ver achado e q^^l^^b^^^Mii^adea^poieTm^ crimi- i di^ao do Sr. Starr, vende-s.
Illa* _.,,,
legumes de
fun-
Hambur-
restituir, leve-a ao Dr. Manoel do Nascimento
diado Porlella, a roa do Imperador.
O abaixo assignado declara que hoje despedio-se
voluntariamente da fabrica de cervoja dos Sr#.
Klein & Marlins, na rua de Joiio Fernandes Viei-
ra, na Soledade, dos quaes era caixeiro : e preva-
lece-so da opportunidade para agradecer aos refe-
ridos seuhores a benevolencia e a conflanca com
que sempre se diguaram de bonra-lo al o presen-
te. Recife 10 de agosto de 186i.
Casemiro Euzehio de S Pegado.
I'rafessor.
naes.
go, diversas inaroas.
Urna pessoa habilitada enana as linjiuas france-
za, portuuueza. italiana, e ingleza. Qnando seja
necessario, ensinatambem as primeiras letras, eos
rudimentos da lingua latina : quem pretender,
qur seja da cidade, qur do interior, dirija-se a
rua da Cruz-n. 61, primeiro andar.
CoNsn/roii Commkrcial ou formulario de todas j|OC|e as acees commerciaes. segundo o regulamento de, .. Insallaiii or Huleo
23 de novembro de 1850, contendo os modelos de J%** IMMHM* pe .
todas as petigoes, despachos, termos, autos, alie- 3 illa* un cHlae lo a8*tf.
gaedes, embargos, senlencas, linalmenle todos os Os agentes ne*ta cidade e provincia
Antonio
Su
tft
Aluga-se um silio no Bosarinho u. 2 junto a ca-
pella, cern muiti's arvoredos de Eructo, e casa com
muilos cocBBWdi para familia, coebeira para car-
ro eanimaes a chave para so ver est no sitio
defroute do Sr. Fialho, e para tratar-se, na rua
N'ova n. 5o, ou na rua da Cadeia do Recife n. 29.
Chod Cron,
Kuropa.
cidadao belga, retlra-se para
termos dos processos, seguido do ptoeesso das que- Liuz de Oliveira Azevede C eseriptorio ua rua
liras qur no juizo eounnercial, qur no juizo cri- da Cruz do Recife u. 1, esli autorisados desde ja
raoal. a tomar assijnaturas e prestar todos os esclarec
CeNSULTOR OnriiANOLOCicn ou formulario de to- mentos que forana necessarios, as pessoas que de
das as accoes seguidas no juizo, dos orphos, pro- sejarein coacorrer para tao til e benfica empre
cedido .las aUriUi.Poes das (lil^runtes pessoas que
nelle liyuram, a enriquecido com diversas regras e
preceitos tendentes ao rnesmu juize de or|ihos, e
bem assim ao da provedoria, com a Ugislacao res-
pectiva.
Na mesma livraria se encontra a seguinte obra
do mesmo autor.
Comeo Cm.ui.NAr. do imperio do Hra.-il, enntendo
nao s toda a leRisla^io alterante ou modificante
de suas disposigoes, como as penas de sefl dilTe-
rentes artigos, calculadas segundo os st-us graos
e as diversas qualidades dos criminosos; 1 volume
em i", cncadernado, 4J000.
Vende-se na livraria econmica ao p do arco de
Santo Antonio.
-:
Franeisco Pinto Ozorio contina a col-
locar denles artificiaes tanto por meio de
molas como pela pi esso do ar, nao -re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
iquem a volitado de seus donos, tem pos
e outras preparares as mais acreditadas
para conservagao da bocea.
Coinpanhia vigilante le vapores
de reboque.
Agencia cm casa de ltothe k Bidralae.
Na conformidade do que Coi deliberado
em assembla geral dos accionistas da com-
dia 18
IIC i
Jos Lourenco de Vascoiicellos dono do bem
conhecido estabelecimento de harbeiro na rua das
Cruzes n. 3o, avisa ao respeilavel publico que desta
dala em diante sempre encontrara as melhores
bisas de Hamburgo, vendem-se c alupamse por
menos do que em oulro qualquer ostabeleci-
inunlo. ________^________
O abaixo assignado, ihesotireiro das loteras
des. provincia, avisa ao respeHavel publico que
acaba de obler do Exm. Sr. presidente da provin-
cia urna licenga de qualro metes para ir a algu-
mas provincias do sul tratar de interesses para as
mesmas loteras, demando em seu lugar e sb sua j
responsabilidade, seu irmao Jos Rodrigues de. |
Souza, que por vezes o tero substituido e desem-
penhado dito lugar, ajudado dos bons empregados
codo tino o probidade, que tem feilo grangear a
eonlianca do Exm. Sr. presidente da provincia,
Dr. chefe de polica e do respeilavel publico.
Approveilando a oceasiao offerece os seus ser-
vicos naqnelles lugares a todos quant js uo pode-,
ram pessoalmenle rtreber suas ordens.
Amonio Jos Rodrigues de Souza.
0 Sr. J. I. de C M. faca >< fav.ir Ue vir rua
Nova n. 8, primeiro andar, terminar o negocio
que nao ianora, isso uestes tres dias, sob pena de
oiiblicar-se nesie jornal nao s o seu nome por ex-
teuso como qual esse negocio, e tudo quanlo a res-
uelto delta s lem dado entre S. S. e a pessoa que
f'iz este annunci._________________________^__
Monte Po Popular Peniambucano.
Por ordem da direcloria levo ao cnnhecimenlo
dossennres socios que estao atrasados em suas panhia vigilante, que se reuni no
mensalidartes. que no praso de 30 dias. a contar da de abril do correnle anno, sao os brs. accio-
Oita derte, entrem com os seus dbitos no caso de nstas convidados a entrar col 40 por cen-1,
nao quererem ser eliminados como determina os | Q S0Dre 0 valor de cada uina de suas ac- SS9W
^Setaria do Monte Pi Popular Pernambucano | f^gS ate 0 dia 20 do corrente, e, se O.naO fi-, j 0 Dr Caro|ino Francisco de Lima San-
io de agosto de 1864.
as, egurando um futuro lisoageiro aos associado-
~ A. Schalfter & C, na rua do Trapiche n. 17,
sacam por lodos os paquetes para a Bahia e Ro
de Janeiro, vista ou a praso, conforme se eon-
vencionar. ._________________________________
Aluga-so n i- andar da casa da rua da Ca-
deia do Recife n. 21, entrada pelobecco Largo : a
tratar no ese Hilorio do II andar.
PiocHiaderia.
Pedro Alexandriuo da Costa Machado achando-
se provisionado para solicilar cansas ante os audi-
torios desta cidade, Cabo e Ipojuea, se enearrega
de ludo que for tendente sua profissao, promet-
tendo aclividade e zelo no que Ihe for confiado :
lambem aceita de partido a procuradura de qual-
quer casa eommereia! : pode ser procurado das 6
s !l horas da inanha, e das 4 s 6 da tarde em
casa de saa residencia na rua Imperial n. 124,
primeiro andar, e fra dessas lloras, ua rua estrel-
la do Rosario n. 34, eseriptorio do Dr. Alfonso de
Albuqaerque Mello ; as quintas-feiras porm em
Ipojuea, e as sextas-f.:iras no Cabo, em cujjs fo-
ros contiiia a Irabilliar como danles.
XMSVWM COUTIHHII *fc bramdIo
21-Largo do Terci.\
Ao publico.
Temos a satisfaco de anunneiar, que arbamos de abrir um estabeleeimeo*> d niosados
na localidade e sob a denominara) cima indicada.
O novo estabelecimento. fundado ao goslo moderno, tornase recommemlavel pelo sen aceio,
e pela regalaridadc de suas operacoes mercanlis; alem do que, lem um gran.loe completo s.iimenl.n
possuindo todos os artigos concernentes molhados, cuidadosamente esrollndos c os mais frseos que
se poss.i E^|ai|"o portanto> ,iue acreceremos a proiecfSo de todos em geral, prefrrindo-nos na
compra dos gneros que necessltarem, certas de que venderemos a precos muito commados, c t -rilo
em vista somonte urna neqiiena vantaem, que compense nasso traballio. _
Nao leremos duvida em aceitar qualquer ai ligo, que por acaso nao agrade e nos seja logo
devolvido, resliluiudo entaosen importe, ou trocando or outro, como melhor convenha ao rompr.i
Desejamos muito que o publico nos proporcione occasioes repetidas de dartnos pravas
racidade de nossas palavras; e terminamos Inscrevendo aqui nossa constante divisa
Barato s no fronlero,
Porm vende a dinheirn.
V
or.
la vc-
Precisa-se de um fetor que entenda de plan-
lacees para tratar do um sitio, prefere-se sendo
casado : a tratar na rua Nova n. '10, primeiro
andar. .
Ainda est por alugar-so a ca;a terrea
n. 30 rua da Umao : rua da Aurora n.
10, dlr-se-ha quem alaga.
todo plao-
se ao men-
Na travessa da estrada de Joo de Barros,
aluga-se um sitio com excellente casa, que tem
qnatro janellas na frente, e um porfo, li
tado com arvoredos : para ver, dinja-s
donado sitio.
^"orTeree-se urna pessoa para servir de ama
em casa de pouca familia : na rua ua Matriz da
Boa-Vista n.46.
Ama.
Precisa-se de tima aun para
de urna casa de pouca familia :
po Santo n. 17, tereeiro andar.
o servico interno
na [iraca do Cor-
Os senhores que tiverem obras para Ungir
j em casa de Anlo Ferreira Saidanha, na rua do
: Arago n. 27, qneiram ter a hondaile de procurn-
I as dentro do piatf de 15 dias, acontar da dala
desle, alias sero vendidas para o i.agamenlo das
mesmas. Recife 9 de agosto de 1864.__________
~ Precisa-se de urna innlher livre ou escrava,
que saiba cozinhar e que tenha bons coslumes,
preferindo-se livre : a tratar na rua do Trapiche
n. 17.
Bernardo Falcao de Souza
Io secretario.
THEATRO

DK
zerem incorrero na peda da quanlia ja en- A t0Si contina a residir na rua do Impe- 35 Precisa-se de urna de leite, escrava : na rua
irada e faz-SC este aviso pela imprensa, O ^ rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro- K da Cadeia do Recife n, 52, tereeiro andar.
^-2SE*=fe^.,dl SSAS3SS?S MLttS i1 t-.
n'istas em particular, os quaes tero a bon-11 a 'AWm send0 ()1U! os chamados, depois de
dade de participar por escripfo, que ficam i 9 meio da at 4 huras da larde, devem ser
Mocledade dramtica nelpouie-
ne Peraambueaoa
O Sr. director inda avisar aoiSrs. socios, que
domingo 14 do corrente ir scena o drama
Luizem 4 actos, a comediaConde de Para
.ara-e as scenas cmicas- Muito custa a vi ver
rom honra do Sr. P. Jnior, e a questaoAnglo-,
iuteirado e sua resoluc3o definitiva, parago -
verno da direceo. Recife, 8 de agosto de! g|
1864.
Os directores
Assignado Henry Forster & G.
Bario do Livramento.
Saunders Brothers & C.
meio ...
deixailos por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o esiudo das
molestias do interior, prosegue, rom o
maior atBneo, do das mais dillices e deli-
cadas operarles, como sejam dos rgos
ourinarios, dos olhos, parios, ele.
M
Ka ra eslrcita do llosario 34
mmmwM
Antonio Luiz de Oliveira ze-
vedo & C
n
XAROPE TNICO REGENERADOR
DE QUINA E DE FERRO
Preparado por tniiSAl I/r e Ca, pliarmaceuticos de S. A. I. o Principe Napoleao, laureados
da Escola de pharmacia de Pars, rua de la FcuilUdc, 1.
Etlanova cembinaco rene debaixo de um pequeo volume urna forma agradavel e um gosto delicioMT
Ha milito uc o> mediros desciavao ardentemenle a reunio destes dous medii-amentos, e todava, api-zar
dos
al
cias, quina, o Inico, restaurador por u|c<
mente o reparador dos forens e da saude afferada ou perdida.
As oiole*iias contra as frac* o Xarope inico regenerador se tem mostrado muito cu sao i as ame-
norrlitias, faltas d.- mcn.-Ii uacio, dora d'cstomago, faslio, digivtes penosas e tardas, llores brancas,
mewtruatfei difliteis, o lyoipliatismo, o empobrecimcnio do angue, as escrfulas, os estragos produzdo*
pelas molestias grehillticas. __,
lia apenas um anno que o Xarope de quina e de ferro foi applicado nos hospitaes de Pars, e elle
hoje o medicamento malaem voga, substituindo, por assim dizer, os medicamentos ferruginosos conhecidos.
0 prospecto eocerra numerosos certificados de muito membros da Academia de Medicina e professores
da faculdade que al test Ao que este precioso medicamento o conservador da saude por excellencia, e
o reconstituinte da economa animal, indispensavel s pessoas que habitu os paizes quenes, como
preservativo das epidemias. .
Acha-se venda no deposito geni, em Paris, na pharmacia GrlmauM e C-, rua de la tcuillade,
em Lboo, em caza do .-ir noili-lgo da Cota-Cnralho, Barral e C; no Porro, na pharmacia do
Sor MIsurl-OH.'- de Soura Fri-relra; no Kio-de-Joneim,em cas i da luin l'HioM e Mnl, rua do
Sabia, II; na Baha, em ca.sa do Sir 4oi.-CulnoFcrrelra-E*plBhtlra5 no BjoCrnndt, em ca#a rio
Srir.Kanl > oHwi; no Jfnraii/ido, em casa dos Siirs Frrrelra e C* em Pcrnamluco, em casa
n m;i. 11- _.........
do Si iti.rti-<.iiiii-ii-Fi-uncii de souia; em casa dos Snrs snoun e c*
cipaes pharniacias do Brazil e de Portugal.
e bem assim as prio-
Deposito eral em Pernambucs rua da Cruz n. 22 .le emcasaCaros drBarlwza.
DE
J. VIGNES.
x. a..
KSSVs^ft^ AffouSO de Albu- A|ele< do Bauco Inio do Porto. Madama Fem
ii 37 primeiro andar. nnPTTIUA "MaIIa Comuetentemente autorsados sacam pnr_ tolo peiiavel publico,
' Avn lambem que, segunda-eira io fio corren- IJUt/i qu JH.UU,
te haver assembla fteral as 10 horas da manhaa De4.e ser procurado a qualquer hora ; as sextas
n salan do theatro, aftm de se eleger a nova di- teiras, porm, na villa do Cabo.
Seeriarfa da Soeiedade Melpomene Pernambu
Hotel italiano.
erro avisa aos seiu freguejes e ao ros-
que acaba de mudar seu eslabe.-
eana, 10 de agosto de 18C*.
Joo X. A. Macil,
1 seerelario.
s.)i iclui- diaui Hl*i Hel|i0ute-
ne l*ernambieaiiri.
O thesoureiro desta soriedad-j convida aos se-
nhores socios que nao estiverem quites com a cai-
xa, do mez de jullnvqaejranr vir satsfazer a* sas
inensalida.lf eao-mesmo- lempo recelerem os
-wnsbilnetes nx rea", de AiflHo n. a7. primeiro
aiular.
ecifa *0 agoM de 1804.
Luiz Frederiro GiU)'.
_______Tlwasoureiro._________
Alusr*-* um sobrad) de am andar e solSo
ni rtfa de Cies d tierno* rriH*i para urna fa-
cniiaporl-*r h,ni unmolo* e estar bastante aceia-
do : a trat"" raa d' firt,'P n 8 ti- ,0J* de f*"
zoAtlaa.
CLUB PfiKYVim'M
A rwiai familiar l correte mez
ter lugar na noite do dia 16..
Alnga-se o primeiro andar do sobrado da
rua Dreita n 82, com bons commodos para pouca
familia : a tratar na padaria n. 84._______ |
Multa attenro.
Ha d\M fuglo o eseravo africano, de nome An-
tonio, levando caiga e camisa de bata azul es-
cora : fNne encentrar e tevar sm senbora a
fcaroneza da Victoria, rua do Hospicio, icr* bem
gratificado. ''_______
Predsn's*' de tmA ma : na mi das Ajeas-
Verdes n. 92.
Vende-se em casa de Joboston Pater 4
-. rua do Vigario, n. 3. um beilo sorti-
itwirto de -rekigio de miro patente m-
w.--------
'
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Itercellos.
Bastos.
Beja.
Br##a.
Braganca.
Faro.
Oliveira
mejs.
Penafiel.
Tavira.
ViHa do Conde.
Joao Cabe & Filho. a despezas para poder oftererer actualmente bons
Francisco Raboba & Ballista. commodos, promptidao e aceip do servio e modi-
cidado de precos.
> Jaime Meric.
Crdito commercial.
Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
Em 1'oiiti:i;al.
d'Aze-
Angra Terceira.
Caminha.
i'.asidlo I) rauco.
Chaves.
Coimbra.
Covilhaa.
Elvas.
KxH-ems.
Evera.
Fafe.
Pinlial.
Porto-alegre.
Thoiuar. .
Villa Nova
Portimo.
do
Precisa-se de urna mulhr idoa para tratar de
orna menina : na loja de livros ao p do arco de
Santo Antonio.______________________________
AJugam.se urnas pouca* de mei-aguas ha
Figtietra.
Guarda.
Guimaries.
Lagua.
Lagos.
Lamego.
btirta.
Moucao.
Uoncorva,
Regoa.
Seluba],
Vi anua di)
t.-llo.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
caques obre Portugal.
O n4xo assiB.na4oA antorisad- julo
Banco Mcrcaptil Pqrtuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro,- saca ef-
f.Tiiv^miuiie por.tudas.os paquetes sobre-j
taoww de Ubpa^Borto, o oaais luc-
res do reino, por qualquer omma a vis-
'ta,,.e iiraso ; podendo, os que- tomarem
sayie^ a pra^o,receberem avista, no mes-
mo Usuro, descontando 4 U|ft ao anuo: OA
loja de chapos d rHa do Crespo- n. 0, ou
a rua do Imperador n. 63, segundo au-
llar.Jos Joaquim ila Costa Maia.
X. SS. HIJA 1IPBRAD9R
Os
SU SUp
veis que
oE^alWTw^rt^^i d'e'proposito, ejer-se feito ^^"m?hora^^in^rtatt-
"ssimo, para Tclima deste paiz ; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por i*lo muito agrada^
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazo
correspondente
No mesmo <.<
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e i
precos commodos e razoaveis.

Gkieck auf!
CHe fra e deite na algibeira
Quinta-elra 11 do corrente, s 10 horas da ma-
nhaa, ter lugar a arremataco dos MgqMM mo-
fustineiras.
Precisa-se de qostnreiras que saibam coer co-
tu/a de arfaiato para irabalhar por dia : na rua
Nova n. 47, loja. ________ _____
ros
re.
is gaz, i oonsolo* do jaoarand, 1 burra de f*r-
l 1 guarda-roupa, t cadriras de balando, S com-
Ijp Precisar** le um caixeiro que tenha -todas
as habiiitaeoes necesarias para taberna para se
Iheveniresr nrruvor halando, "'.i nn'-uv) para so-
cio : a'tpaiiic n rua A) Nogneira u. 4'..
Vicente Al ves"Machado pagar 40*000 a qu.wii'
descobrir o ladran que na uoile d^ .dia do rnr-
rente Ihe fura, da t-sc-ad* Ha casa onde mora, na
rua nova de Santa Bita n 17. um vidro de biio d >
. matacao
veis, a sabe* : 1 sof de Jacaranda, I dito de ama-
relio, 2 mesas redondas, 2 caMoiras, das quaes
urna grande e bonita^ um eunhp com nwsa para
copiar carUs, 2 amas de ferro, sendo urna gran-
*f>,cf',^f'c^l."SB'/.^ descubrir o ladran que ba" noite dM da *.'... r..r-
janiar, I hanquinha com duas gavetas, ranmei-
nwda, 12 eadekas de Jacaranda, 4 dita de faia, I". iue tem na muwa^cada.
f dus de amarello i Luis XV, 1 aparadores, lew- "_ Precrsa-ssde' urna tirela -scrava cozinheira
ca, janellas de ferro, etc. : quem quiser comprar na rna do Qneimado n. 16. M*.
barato compnreca no dia e hora marcado, na rua fMHMKfg .gatfiaiMa.-iiii^MM'
daCrw. n. 40. tereeiro andar. i"
J?fecisa-se alugar urna preta escrava para o
Cas-
Villa Real de Vieu.
S. Antonio- Faial.
No IMPEIUO.
Babia. Maranaao.
Bio de Janeiro. Bal.
Bualquer somma pr;zo ou a vista,}.d'ae logn
- mesuK
alar
Club commercial.
A ruinlao famitar do corrente mez de agosto
ter lujtar na noite dp dia 13 do mesmo.
" Precisa-se alugar uiiia ama para ;osinhar
iii':wvi> c v^.-o- i.i^..iM AlUKBn Sf uuiaf youra oc inci-.iguas ii ; vw.|v.... -------- .w .------ ,.....
a\z, de am dos mais afamados fabricante* acaJ.adade ediftear, na entrada dos jKwtes os sa.iue pwjo seren descontados w v
de LtvertXKil t lambem una variedade de da 3E driS Barreiras do bairro da Boa-Vista.:; Banco a razao de 4 por cento ao anno a tr
boatoScV,ns% OS mesmos I a tratar na rua do Cotovel.o n. 25. raa da Cruz n. 1.
em cas* de poaea 4tHKa-e-tambe um moteqne:
na rua do Crespo n. 23.
. Aluga-se um segundo andar o a roa da fle-
nha com mnitos commodos : a tratar na rua da
Matriz da Boa-Vista n. 36.
servido de urna, pequea, familia : na rua das Cru-
l'Zfti,. |8, primeiro andar.
I CompuBhia fldelidade
aegnros martimo* e ter-
restre cstabelecida ao
Rio de Janeiro.
M1FNTRS RM PBKHXUCO
Antonio larit de^Hreira Aieveda k C,
competentemen autorisados [tela direc-
tora da compaohia de seguros Fidebda-
dn, tomam segaros de navios, mercado-
rias e predios no seu eseriptorio rua da
Cruz n .1.
DENTISTA DE PARS
48Kw N**1*
Frederico (Jautijer, cirurgi^p dentista,
^ todas as operacoes de sua arte, e col-
aentesartilk-raes, ludo em sujjeno-
'tiJiade e perfeicio, qne as pessoas enten-
" nias Ihe recnheeem.
">em agiu e pOs dentiflcie.
Aluga-saui andar do sobrado a. 79, na rua
do Imperador : a tratar na rua do Crespo n !-'
"NVcWc' Ferreira da Veiga, snbdito portn- -
guez, retlra-se para a provincia ro Para.
Precisa-se aTugaf urna arraya -. na rr3j
Hospicio n. 62.
i
>
t


Otarlo de Pcrmsabuco fcalnta feira 11 de Agesto de t4.
' ---------1-+T*----------------------1----------------------------------- ,lt .,' -Ut
RIVAL SE SEGUNDO
Hua do Quetmado d. *9, est vendende muito
fazendas e muito.baratas, quera Quizarpeder
<0\*i;i,IIO
DE
^
NUVO RIVAL
boa
vir ver ou mandar,para experimentar! assimemo
sejatn :
Gollinhas muito linasipara senhora a 500 rs. Deiai que os Hunos da civitisapo nos pregucm
Ditas e pnaos do futas muito bonitas a 640. economiapara tfjrilf Esta parle do corpo receber pelo ul
Cartas de aluuete de-eabeca chata de todos os ta- humano e por corto aquella que, neste clima, ne;
manhos a 80 rs. i eeiiita de maior agasalho: pelatiumidade nos ps
j Resmas de papel de peso muito bom a 2. se introduz a grande maiora das molestias, e com
Capachos redoadose oompridos a 900 rs. estas a perda da saude e da vida I 1 Fra com as
Caixas com supriores obreias de eolia e de massa atinas e sapatos velhos; reforma-Ios
aiOrs.
Cordo branco grosw que tem multa applicapo a
45-Rua )ireita-5
-11A $ QTlHIH)--
^ LETREBRO VROE,
^ Nesie esUtbeteoioeDto ha sempre m sortimento completo de roupa feita dej
jg tdas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concer-1
|a$ entes, para o que tem um dos meUwnee professoren, assim como tamiSem tem um
M grande e variado sortimento. de fazendas de todas as quididades, ,para senhoras, I
'04 bomens e meninos. g
30)9006 Dit(>s de setim preto. .... 5/IOOOJ
25f$06Q Ditos.de -ditos e seda branco,
l--e.......55OO0j
Ditos de forgurao de *oda
pretos .e de cores, 60, 5g e
Casacas de panno preto, 350 e
Sebrecasacas idem, ?0t$ e .
Paletos idem e de canes, 25#
200, 150 e...... 1000001
Ditos de casemira, 2#0, 150,
70000
30500
W, 100 e......
! Ditos de alpaca, 50, 40 .e .
Ditos ditos pretos, 90, 70,
5*. 40e......30500,
Ditos de brim e ganga 4e co-
ros, 40500, 40, 30500 -e. .
Ditos branco de linho, 60,50 e
Dito6 de merino preto de -cor-
do, 100, 70 e.....
Calcas de casemira preta, li.4,
100, 80 e
40000'
20508
30000
40000,
50000!
-i
I
/
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50000 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo preto e de
cores, 90 e.....-
Ditos de casemira preta< 50 e
Ditos de ditas de cores 50
40 e........
...... 30500
- Aluga-se a casa da ra do Palacio do Hispo
n. 12 : a tratar na piara da Boa-Vista n. 20..
Colletes-.de astao e brim brac-
eo, 30500,30 e .
Seroulas de brim de linho,
20400 e......20000
Ditas de algodao, 10600 e. 04OO
Camisas de peitos de linha,
40, 30 e......20500
Drte de madapolao, 20500,
2e....... 10600
Chapeos de massa, pretos fran-
70000 cezes, 100, 90 e. 80500
70000 Ditos de fltro, 50, 40,30500 e 20000
'Ditos de sol, de seda, 120,
40000 110, 70 e......60O>O
Collarinhos de linho fino, ulti-
40000 ma moda duzia. 00000
i Sortimento completo de grava-
20500 tas. #
20500 Toalhas para rosto, duzia, 110,
i e........60000
70000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
40000 tos e de cores.....40000 i
Lences de bramante de linho. 30000 i
Cobertas de chita chineza.. 20500 ;
vara a 20 rs. Borzeguins rancezes para homem
T.inhas de carriteis arante-se 150 jardas a 40 rs. Di,os raglezes idem a 85, 75 e
Cartes de buha Uedro V com 200 jardas a 40 rs. ^I*08 Pra senhora
Grosas de pennas de ac muito linas a 500 rs. Ditos para menina
Varas de franja de lia'para vestido a 40 rs, Sapates esmaga cobra
Ditas de fraujabranca larga para toalhas a 16ttrs. Ditos de Nantes de duas solas
Pares de botoes de punho a 120,320 e 390 rs. Ditos dito de sola e vira
Tinteiros de vidro .nm tinta a 160 rs. Sapatos de borracha para senhoras
Ditos de barro coa superior tinta a 100 n. I Ditos de dita para ainos
Crasas de botes de toupa rateado a lflO e a du- Ditos de tapet para homens e
zia a 20 rs. nheras a 800 e
Tesouras para costura a 80, 200, 400 e 500 rs. i Ditos para casa
Escovas para limpar denles, superiores a 200 rs. Chinelas rasas do Porto
Libra de la para bordar da melbor qualidade a
00500.
Caixas de phosphoros de seguranea a 160.
Caixas c pacotes de papel amizade superior a 600
reis.
Caixas com 100 enrelopes muito finos a 800 rs.
Quadernos de papel pequeo azulado a 20 rs.
Carriteis de linha Alexandre com 200 jardas a
100 rs.
se-

80000
63000
4*800
'25000
35000
35000
45000
15400
15000
10000
500
15000
Grande liquidtfo
60, de Gana k Silva.
.-/j03?6 est eslabelecimento completamente sor-
iiuo do fazendas 'i-- ---------- -<
inglezas, francezas, "allemes e
Antonio da Silva Ferreira Santos, dono da toja
e imudtfzas da ra do Queimado, n. 16. acaba de
receber polo ultimo paquete un riquissimo sorti- sul*sas- praprias tanto para a praca como pan
memo de miudezas tinas e do mais apurado goettendo veder-se mais barato do que
as quaes esta disposto a vender baratiseimo. ', eo> outraqualquer parte principalmente sendo era
N. 16 Ra do Queimado K16 B*!J *todas"fazenda8 d0; moslras
ditas com "pedrinhas a
L04AI)OBEIJ\FL0H.
Ra do Queimado ns. 63 e 69.
Baralhos para voltarete a 240 e mais tinos a 300 rs.
Meiadasde linha frouxa para bordar a 20 rs.
Pares de sapatos de tranca de todos os tamaonos
a 10500.
Grosas de botes de mareperola muito finos a 560
rois.
Carias e caixas de clchelos de superiores quali-
dades a 40 rs.
Massos de grampos superiores e limpos a 30 rs.
Grasas de palitos de gaz a 25200.
Libras de areia preta da melhor qualidade a 120
ris.
ChIos dourados.
Sao chegados os lindos cintos ln.rd.idos a ouro.
Pelo ba^to preco do 25500 e 35000: no Beija-lor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Kicllas para chitos.
Chcgaram tambem ricas flvellas douradas e de
aeo fiara cintos a 15000 e 15200 : no Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Pontos de larUruga.
Lindos pentes de tartaruga, goslo moderno, a
o5200, 55500 e 65000 : ra de Queimado ns.
63 e 69.
Pentes de travessa.
RIVAL SEM SEGUNDO.
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bom: naloja de bilhetes da praca da Inde
pendencia n. 22.
Compra-se cobre reino :
mero 78.
na ra do Brum nu-
Compj
jra-se
cobre, latao e chumho: no irmagem da bo-
la atnarella no oitio da secretaria da policia.
V Compra-se urna mulatinha ou negrinha com
I idade de II 14 annos: na rna Direita n 113.
No escriptorio de M J. Ramos eSilva & Ge-
, ro?, na ra ao V'igario, compra-se um caleche em
bom estado : quem tiwr para v:iider annuncie.
Compra-so couro do carneiro : na ra larga
do Rosario n. 10.
Compra-se efectivamente
ouro e prata cm obras velhas pagando-se bem :
na ra larga do Rosario u. 24, toja de ourives.
1
os fogueteiros.
Ctaegou o desejado papel azul e branco para os
fogueteiros e para embrulbo; vende-se em balas
ou resmas : na ra larga do Rosario n. 34, Bar-
tholomcu & C.
AGENCIA
DA
FUNDICAO DE L0W-M00R.
Ra da Senzalla nova d. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
lmannos para ditos.
Vendem-se penies de travessa de novogosto para
Caixas redondas para rap e tem muito bonitos ca ES S^Smu = ? W T d
,UDgasaI' Peotes para aUr cabellos.
Lindos pentes pequeos para atar cabellos, pro-
prios para se andar em casa a 400 e 500 rs. :
U iiMnK? h a9 'ja 1e- "!udezas de JoT o Beija-flor, ra do Queimado os. 63 e 69.
?"-u-g0^'nh0'.venha. .vf a pechincha que se est Pentes para alisar.
Pentes de borracha tinos, guarnecidos de metal
para alisar a 900 e 15000, ditos sem ter metal
porm de caracol a 700 e 800 rs. : no Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Botes de madreperola.
Tendo recebido um variado sortimento dos de-
160 seados otos para abertura de roupao, vendem-
MOi-5? i0 rs- a domadura : no Beja-flor, ra do
i Queimado ns. 63 e 69.
. Plvelas para sinto.
15600 el*S douradas Para s'Bto6 a *5280e
Rrraissimas
25500.
tolLCS^, .flve,as duradas e pedrinhas a
25000, 25->00 e 35000.
Bonitas fitas de gorgoro para sintos, vara 15000.
Riomssimas litas de grosdenaple lavrada e lisas
*.25 a.cores com 3, 4 e 5 dedos de largura
a 15280, 15600, 25000 e 20500a vara. g
rn"2S fiia^ ?e gosU) mi'a5ao do seda, de 2, 3,
4, 5e 6 dedos de largura a 200, 300, 400, 500
e 600 rs. a vara.
Fita de veludo preto e de cores a 120 160 200
240 320, 400,500, 600, 800 e 15OOO a vm
sendo em pe?a ser mais barato.
Pecas de cascarrina de seda de todas as cores oara
encales a 15280, 15800 e 25000. V
Peciohas de tranca preta lisa e de caracol a 80 rs.
Pecas grandes de tranca lisa preta e de cores
3 luv.
Pecas de fita de la preta e de cores a 800 rs
Pocas jde lita de seda do retroz preto e de cores a
1016U 15800.
Pecas de tita de linho branca para debrum a 240
e 320.
Unidles de caneca.
deixando ficar penhor ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavao.
As chitas de ParSe.
Vendem-se superiores chitas claras e escuras pe-
lo barato pre^o de 240 e 280 rs. sendo tintas segu-
res, ditas francezas finas a 320, 340, 360, 400 e
500 rs., o covado, ditas pretas largas e estrellas,
rtscados esccezes finos a 240 rs. o covado, isto na
toja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
silva. ^
As ensas do Pavao a 240, 280, 300 e 320 r*.
Vendem-se finissimas cassas persianas caires fi-
a/A *JJ- covado, ditas francezas muito finas
a 240 e S80 rs., ditas ingzezas a 240 e 280 rs. o
covado, (jotsimo organdy matisado com desenho9
rniuainnosa320 rs. o covado, cassas garibaldinas
muiu, finas a 320 rs., isto na loja do Pavao ra da
Imperatriz d. 60, de Gama & Silva.
As laaziih da eiposieo do Pavie.
Vendem-se as mais modernas laazinhas mossan-
bique chegadas pelo ultime vapor francez sendo
de urna so cor ou de listas miudinhas com 4 pal!
mos de largura, proprias para vesdo de senhora,
S WS meninos e capas, e pelo baratissimo
i preco de 580 rs o covado, dius eofcstadas trans-
parentes de quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas matisadas muito finas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita tambem matisadas
, a 320 rs. o covado, ditas a Maria Pa
RT=nenft,ei *n>"*rKi aS I *"*^= ^larguraTm rs^co^dT
guarnecidos con. cascarrilhas e frocos (azenda e ditas de urna s cr parda azul!Jdr delvrio
240
100
60
120 i
20!
200!
rA s\ :
fctx* aw *: ^**-.-yL'Cifwt&a
VENDAS.
COMPENDIO DOLOROSO
que conlem o oflicio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e oiTerecer a co-
ra, um setenario e mais outros exercicios
de piedade e devofo; ordenado pela ir-
tnandade dos servos da mesma Senhora,
que se acha erecta na egreja de N. S. da
Penba do imperial hospicio dos reveren-
dos padres inissionatios apostlicos capu-
chinhos italianos de Pernambuco, approva-
do por S. M. I., que eus guarde; dado
luz por devoco do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 3U rs. na livraria ns. C e 8
da piara da Independencia.
Livro de orajes.
Vende-se uma pnrcao de arroz com casca, ou
mesmo retalha-sc cm sacco, ou medindo em al-
queire : para ver e tratar, na ra do Vigario n. Libras de memento da roupa de lavar a..
29, a qualquer hora do dia.
acabando certas qualidades de fazenda.
Pecas de fitas elsticas com 10 varas a..
Ditas de tranca branca lisa com 10 varas.
Ditas de tranca preta lisa a...........'.
Realejos para meninos, pechincha a.*.
Rodinhas com superiores alfineles a.....
Caixas com superiores agulhas e limpas a
Sabonetes de familia, muito linos a 80 e..
Pares de sapatos delaa para criancas a..
Varas de babado do Porto muito bom a
100,120e......................... 160
Ditas de bico largo grosso a............ 100
Potes de superior tinta tem mais de meia
garrafa a.......................... 320
Caixas com perfumaras muito bonitas a. 500
Frascos de oleo de macaca muito fino a 100
Ditos de oleo de babosa Superior a 240,
320, 400e.............'........... 500
Ditos de cheiros muito superiores em qua-
lidade a........................... 320
Ditos de agua de colonia muito boa a.... 400
Ditos de dita dita grande a............ 800
Sabonetes de todo o prec-o 60, 160, 200,
320 e............................. 400
Frascos de superior banha a 320 e....... 800
Caixas de p para limpar dentes muito
fino a-............................ 100
Ditos de ba nha transparente a.......... 600
Pares de ligas muito finas para senhora a 500
Sabonetes inglezes da melhor qualidade a 320
Frascos de agua dentrilce superior ga-
rantida a........................+ 15000
Massos com 25 envelopes grandes azula-
do a..............................
Varas de fita preta com clcheles a.....
Frascos de macaca perola muito superior
Caixas com pennas grandes a.........
Grosas de botoes para calca preta, miudos
Grvalas para senhora.
Lindas gravatinhas de lapo para seohora a 15,
ditas sem lapo a 61o, 800 e 15000, sao as mais
lindas que tem vindo : s no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Enfeiles para senhoras.
Lindos enfeites modernos a 25000 e 25400,
ditos de rede a 900 rs. : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Talberes para meninos.
Chcgaram novos sortimentos de lalheres para
meninos a 280 e 320 rs., ditos cabo de bataneo de
um botao a 400 : as tojas do Beija-flor, ns. 63
C O/.
de gosto) a 35000.
Conservadores pretos e de cores com lapo a 15280
e 15&03.
Conservadores pretos sem laco a 800 e 15000.
Conservadores de cores sem laco a 640 e 15000.
Conservadores de froco d.e cores a 15600.
Bonitas capellas para noiva a 15000 e 35000.
Pentes.
Pequeos pentes dourados para atar cabello, ultimo
gosto a 25OOO.
Pentes de taboadouradapara atar cabello, a 15280.
Riquissimos ponles dourados balo a 55000.
Riquissimos pentes dourados com folhas de car-
valho dourado, obra de muito gosto, a 55000.
Riquissimas guaruipoes de pentes de marrafas
dourados com cachinhos de uvas, redrinhas, e
cornalinas a 55000.
Gu.aIDJSPes de Penles de carrafas esmaltados a
Pentes de massa, de lapo, virados e balo
1 vUUU.
Ditos de massa, diversos, a 500, 640 e 800 rs.
perola proprias para vestidos, sauembarqes e
E!Bfr.*R,MW* *5 escoeeaa. a
800 e 400 rs isto so na loja do Pavao, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama A Silva.
Os chales de Pavit.
Vendem-se finos chales de crenon estampados
A^IW, % 7* ** di,os de Pn'a re-
linos a 7$ e 85, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidrilho a 125, ditos pretos lisos a
55, ditos de cores a 45500 e 55, ditos de merm
estampados a 25 e 35, ditos de la a 15280 e 25,
ditos de retrez preto para luto a 65, isto na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 Pavio Tende para lutn.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de la sem lustre tendo 6 palmos de largura pro-
pno para vestidos, paletots, capas etc.. pelo bara-
to preco de 25, 25200, 25500 o covado, cassas
pretas lisas, chitas pretas largas e estreilas, chales
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
Bonitas marrafas douradas con'pedrinhas" liSOO I SmSr'6 UtrS ?mt0S ar-ig^s iue- se-ven"
e 25000 ^^^ i j"? Pr Pfe50s razoaveis : na loja do Pavao ra
Marrafas de massa e tartaruga a 15000 e 25500. da ,mPeratr'z 0, de Gama & Silva.
Pentes domados com pedrinhas para regapo a 1 IS do Pavao
25OOO.
Vende-se na ra de
Cidade de Olinda, uma grande casa de pedra c
cal, com daas salas na frente, quatro quartos
grandes, sala de jantar, cosinha, com bom quintal
e alguina? arvores de fructo, e bem assim um ter-
reno contiguo mesma casa proprio para edifica-
Co de um grande predio: a tratar no sitio da Flo-
resta, em Olinda, 011 ;i ra Direita n. 117.
Vende-sc gomma em saceos por preco com-
mod#: no pateo do Paraizo, taberna n. 20.
Vende-se no melhor local desla cidade uma
taberna muito afreguezada para a trra, qnc na
ra da. Concordia n. 33, casa de Barthulomeu, e o
motivo da venda por o dono da mesma se retirar
para fra da provincia.
Fabrica de chapeos de sol de
Francisco Maestrali, na
do Queimado n. 22.
che.ado um grande sortimento de fumo capo-
ral, cachimbos, e chopetas para charutos, e tam-
bem bengalas e chiclos para montara, de todas
I as qualidades, e sempre se acha nesta fabrica um
grande sortiuienlo de chapeos de sol de todas as
vene-se a 101 res, na livraria ns. 6 e 8 qualidades, tambem se cobrem chapeos e se coa-
da praca da Independencia, um livrioho con- certarn, e se faz todo pertencente a esta arte.
tendo o seguinte : lOUVOr ao santo nome de A bordo do lugre Emilia ha para vender fa-
Deus, Corda dos actos de amor de Deus ora- irinlia de mai*boca nova e de boa qualtoade, de
Tes cpeiicoesjmnnoao Espirito Santo co-!Santa,Catharina> taiha-se a prepos commodos :
r.v ,t. c miw.n '.;., k "i ,u' ,u para tratar, a bordo do mesmo navio, ou no escrip-
, aVlSO qualquer alma de- tono de Amorim Irmos, ra da Cruz n. 3.
Vendem-se caixoes vasios a 1:760
cada ura : na ra das Cruzes n. 44.
Carriteis de retroz de todas as cores e
Mathiae Fprrairi n^ I ,em meia 0laVa de retTOZ a..........
!.a!h,a^/!rr!'!?:na! Varas debicos de differentes larguras a
100
100
200
200
100
200
200
60
*
vota, desengaos da vida humana, hymno
de Santo Ambrozio Nossa Senhora, jacula-
torias ao Santissimo Sacramento, exercicioda
via-sacra, commemoracao Nossa Senhora
do Carmo e ao SS. Sacramento, directorio
para a oraco mental, dividido pelos dias da
semana, obsequio ao coracao de Jess, sau-
daces devotas s chagas de Christo, ora-
ees Nossa Senhora, S Jos, ao anjo da
guarda, Deus em obsequio qualquer san-
to e para a noute, c responso pelas almas
do purgatorio.
Kape Paulo l'orifeiro ajado.
A loja da Aurora na ra larga do Rosario n. 38,
reci'beu rap Paulo Cordeiro, meio grosso, dito de
dito viajado muito fresco, tanto viajado como meio
grosso.
LIVRARIA ECONMICA
Hua do Crespo n 2
\ao p do arco de SantAntonio
Obras ltimamente recebidas
O mais completo c variado sortimento de albuns
que se possa ter visto em Pernambuco, acaba de
chogar de Pars casa de J. Falque, ra do Crespo
. 4, sendo de 20 at 100 retratos, e por urepos
- cura vistos aqu,em attenpo boa qualidade e
goslos, regulando de 3& e gradualmente at 155.
Assim como um bonito sortimento de livros de
missa de diversos goslos e procos razoaveis.


Vende-se das segointes marcas :
(E E)
SemithjCeC^deFF o barril por 155.
o N & C. de FF o barril por 155.
P diamante deFF o bainl por 145500.
e superior qualidade FF 2 espingardas o barril
por 165.
'humbo de munipao de toda a grossnra arroba
55500.
No armazemde J. A. Moreira Das a ra da
,ruz n. 26, onde encoatraro as amostras.
LITTERATURA.
Historia da Fundapo do Imperio
Bra-
ADEEEgOS DE MOSAICO
A aguia branca da ra do Queimado n. 8 rece-
beu bonitos aderecos de mosaico e fino dourado, e
os est vendendo por prepo razoavel.
Rolsas para caea.
__ Esse objecto aqui to custoso de enconlrar-se, e
Ulo preciso aos apreciadores da caca, acha-se hoje
a venda na ra do Queimado loja da aguia branca
n. 8, onde o comprador ser servido conforme o di-
nheiro que quizer dispr para (al fim.
lsseneia de rosa.
Em pequeos frasquinhos a 15000. Vende-se na
ra do Queimado n. 8.
Tontos para voltarete
A aguia branca na ra do Queimado n. 8 rece-
beu caixinhas com tentos de marfim e madrepero-
la para voltarete, havendo dinheiro cheguem-se a
elles antes que se acabem.
Ciraxa econmica.
Chegou novo sortimento dessa boa graxa, e con-
linua a ser vendida na ra do Queimado loja da
aguia branca n. 8.
Fitas
para a irmandade do Bom Conselho, c cartas de
hachareis. Vende-se na toja da aguia branca, ra
do Queimado n. 8
Loques de sndalo, madrepero-
la, osso, ete.
A aguia branca recebeu um bello sortimento de
leques de sndalo, madreperola e osso, sendo elles
de diversos moldes e variadas cores, inclusive a
preta ; agora, pois, quem comparecer com dinheiro
pode bem escolher um bonito leque, na ra do
Queimado toja da aguia branca n. 8.
Caixinhas para costura eontras
com perfumarlas
A loja da aguia branca, onde constantemente se
vendem essas bonitas caixinhas com arranjos para
costura, acha-se mui bem provida por ter agora
recebido um bello sortimento de ditas caixinhas
assim como outras com finas perfumaras, por isso
quem quizer fazer um bom presente, tendo dinhei-
ro dirija-se ra do Queimado loja da aguia bran
ca n. 8 que ser bem servido.
Boa tinta para marear roupa.
Vende-se na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 8.
La para bordar.
Vende-se la de superior qualidade e de lindas
coros a G5800 a libra : no Beija-flor, ra do Quei-
rhado, ns. 63 e 69.
Papel de diversas qualidades.
Veade-se Papel de beira dourada paulado a
15200 e 15300 o pacote.diros sem ser dourado e nem
pautado a 640, 800 e 5000 : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Envelopes para cartas.
Vende-so envelopes de cores a 600 rs. a caixa
ditos brancos a 640 e 800 rs. : no Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Pentes dourados para alar.
Vende-se pentes dourados para atar cabellos a
15000, 152OO, 25800 e 35000 : no Beija-flor, ra
do Queimado ns.63 e 69.
Pentes para marrafas.
Vende-se lindos pentinhos dourados com pedra
para nrrala a 15200 : no Beija-flor, ra do Quei-
mado ns. 63 e 69.
Sapalos de tranca.
Vende-se sapatos de tranca muito bons a 15500,
I ditos de tapete a 15600 : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Ilalains cora sabio.
Lindos balaios com 6 sabonetes de varias frnc-
tas a 255OO cada um : no Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Xas mesmas tojas se encontrar lindo sorti-
mento de perfumaras e variado sortimento de
miudezas que se tornara enfadonho menciona-las,
porm afiaupa-se ser tudo bom e mais baraio que
em outra qualquer parle.
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
Ditos de massa e borracha, lisos e recortados a oamenle ]>ordados a veludo pelo barato prepo de
800 e I5OOO. 405, sendo fazenda que sempre se vendeu a 1005
Penles para suissas, diversos, a 400, 500 e 600. I ^ 70* dllos de cambraia brancos ricamente bor-
Pentes de baleia, licorne, e borracha para desem-1 da(l0.s ****?evS send0 Proprios para baile e casa-
SALSAPARRILEA
i
Bom e barat
Mantenga ingloza flor a 800 rs., franceza a 560
,m porpo faz-seabate,caf priraeira sorte a 300
e 280 rs., cha miu.lo superior a 25600 e. 25400,
soba a 380 r. Ibas a 180 a libra, palito- a 140 rs. o maco, ajti
pista a 140 rs., arroz a MR rs., touetnfc* a*IM>.r*~,'
permacetc a 560 rs., carnauba a 320 rt., -eboBrr-
cas novas a 600 rs. libra, batatas a 40 rs., aebo-
las a 15 rs. o rento, vinfcode Lisboa a 360 re. a
l^grafa o caada a 25508,Figueiraa 440" a. gar-
*200a caada, gaz & 480 rs., azeito] doce
.... fc carrapato a 24* .garrafa : ao ar-.
nirfzem da Estrella Jargo do fytafat n. 14.
slleiro por M. Pereira da Silva, pri-
meiro vol.......55000
Calabar, historia brasileirado secuto 17
por J S. Mondes Leal Jnior, 1 vol.
n- ....... 55000
Theatro do Dr. Joaquina Manoel de Mi-
celio, 3 vol. ene......95000
Obra de M. A. A. de Azevedo, 3 vol. ene. 95000
Suspiros iv>eticos, de D. J. G. de Maga-
Ihes, 1 vol. 35000
Mocidade de D. Joo V por L. A. Babeilo
da Silva, 3 vol......85000
Um auno na corle por J. A. Corvo, 3 vol. 85000
Os Miseraveis, por Vctor Hugo, 10 vol. 165000
Crimes espantosos, 2 vol. .... 65000
Marilia de Dirceo. ntida ediepo, 2 vol. (35000
Historia de Napoleo, com estampas, 2
vol.........55000
Obras poticas de M. I. da Silva Alvaren-
ga, 2 voL ... 65000
O Outono, poesas de A. F. de Castilho, 1
vol..... 45000
Revelap5es, poesas de E. A. Zaluar, 1
vol.........55000
Peregrnapao provincia de S. ranlo, pe-
Ja mesiiio. i vol.:.....65000
A mora moral, novella per A..D. de Pas-
cual. 3 vol. '., 65000
AuBicm palheiro por Gamillo Castello
Branco, 1 vol. ; 2,3000
Visan dos tempos, Anliguidade Homrica,
Harpa de Israel, Rosa Myrtica, poema,
por Theophilo Braga, 2" edpo, 1 vol. 15501
Cjmsmo Scepticismo e Crenpa, comedia
Mr A- Cesar do Lacerda, 1 voL I500Q
era deslas obras recbeu mais, de litteraiura
fraaeeza, portugueza e brasileira, as quaes ade 57 de frente
prepos muito razoaveis.
Leite liquido a 240 rs. a gar-
rofa
De (jiiai'i;i-ffra 10 do correte em diante se ven-
der leite liquido a 240 rs. a garrafa, na porta da
taberna do Sr. Jos Alves Lima, na prapa da Boa-
Vista.
Attenco
DE BtISTOL.
As curas milagrosas de
ULCERAS,
CHACAS A.VritiAS,
ENFEBMIDADES SYPHHJTICAS,
Erysipelas, Rheumatismo,
Nevralgias, Escorbuto,
/ etc., ele, etc.,
que tem gmiigeado e dado O ::lto re
nome :i
Salsaparrilha de Bristol
Emi casa de Babe Schmettau & C. vende-se fo-
lhas de metal, de cobre e pregos para as ditas,
chumbo de manicio e charutos de Ha vana de
superior qualidade.
por todas partes
rnente de vidas
do
universo, sao to
Pechincha.
Vende-se uma mei-agua de pedra e cal com um
terreno de 50 palmos de frente e 200 de fundo, si
la na estrada do Porabal n. 13 : a tratar na ra do
Atago n. 8.
A os Srs edificadores de predios
Vendem-se alguns terrenos dentro desta prapa,
por preco commodo : a tratar com o agente de
leudes Olympio em seu escriptorio roa da Cadeia
do Reciten. 48, primeiro andar.
Vende-se o engenho Taprpir Novo, silo na*
nica Legitima e Original
SALSAPARRILHA DE BRISTOL,
r-KKl'AKADA KXCUKIVAMKNTK l'OK
LA\MAi\ k KEMP IIK .VOVA YORK,
Mediante a rectlla A venda as boticas de Caors & Barboza,
roa da Cruz, e Joo da G. Bravo d C, roa
da Madre de Dos.
Pechincha sem igual
Algodao superior largo marca T d 24 jardas a
freaneza de Fguarassti, meent e crrante, com f* PeCa por 75 por ter um peejueno defeito; pode-se
mosa machina para animaes o ara territorio
muito productivo, e offerece a Tarrtagem de for-
mar-se um poderoso engento d'afua : para ver,
fos pretendentes dirijam-se ao mesmo engenho, oq-
de podero tratar do ajuste ; e neita praca Ma-
;toel Ignacio de Olivera de Filho, largo do Corp
airton. 19.
Vende-se
assoverar que pechincha vista da qualidade, e
poriaqto s senhores amigos,do bom e barato che-
Suem ella antes ijue se acabe : loja da roa da
ladre de Oeos n. 16, defronte da guarda da al-
fandega.
barapar a 320, 400, 600, 720 e 15000.
Ditos de licorne, borracha e marlim legitimo de
Lisboa para tirar caspa e piolhos a'500, 800 e
i)000.
Pnlseiras c Toltiohas.
Bonitas pulseiras de contas com pedrinhas a
15000.
Ditas ditas de cantas sem pedrinhas a 800.
Ditas ditas de aljofares de cores muito grandes a
15000.
Ditas ditas de missanga a 640.
Vol las de coral a 400, 15200 e 25000.
Ditas de aljofares de cores com cruz a 720.
Ditas de aljofares com cruz a 800, 15000 e
15200.
Ditas pretas com cruz de pedrinhas a 720.
Bonitas golnhas de missanga a 640.
Golinhas e punhos de cambraia bordada a 35o00.
Corpinhos completos de cambraia bordada com
grvala, botoes de punho, etc. a o5o00.
Gravatinhas bordadas de laco para senhora a
15200.
Sapatos de tranca e tpele a 15600.
Sapatinhos de aa para crianca a 640 e 15000.
Sapatinhos de merm bordado para baptisado a
15000 e 25000.
Bonitas toncas de setim e blonde para baptisado a
250OO e 35000.
Touqninhas de la para crianpaa 15000.
Luvas brancas de Jouvn a 2-5500 e 15000.
Varas de labyrinto, grade de todas as larguras
para lencos e froobas, a 120, 160, 200. 240,
320 e 400.
Varas de bicos pretos a 120, 160, 200, 240, 320 e
400.
Duzas de andis de vidro a 320.
Perfil marias.
Caixinhas com 6 trasqulnhos, extractos Dnos a
15000.
Caixinhas com 12 garrafinhas de ditos a 15600.
Bausinhos com 12 frascos grandes de extracto a
35000.
Frasees grandes com banha e extracto a 15000
e 15280.
Garralinhase frasquinhos com extracto a 160, 200' VooS)
Frascos grandes de extractos finos a 500, 800 e
15000.
Frascos com extracto de sndalo a 15000.
Frascos com banha franceza a 300, 800 e 15.
Frascos com oleo de babosa a 400, 500 e 640.
Frascos com oleo philocome a 720 e 15000.
Frascos com agua de Colonia a 400, 500, 800 e
15000.
Sabonetes de familia a 80, 160, 240 e 320.
Canudos de pomada a 100, 160, 240, 500, 800 e
15000.
Pacotes com pos de arroz a 400, 600, 700 e 800.
MACHINAS DEPATENTE
de trabalhar mi para
descarocar algodSe
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAN
Estas machinas
podem descarocar
oualquer especie
de algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duaspessoaspara
olrahalho; pode
descaropar uma
arroba de algo-
dao em caropo
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
Esta machina
a nica que
possue as vantagens de nao destruir o fio do al-
godao e de fazer render o dobro de qualquer pu-
tra com menos trahalhn, a sua introdaecio para
as provincias .leste imperio ser de multo valor
para todos os iiiteressados na lavoura do paiz.
Assim corf macbluas em ponto grande do mes-
mo systema,oraq!. serern movidas por animaes,
agua ou vapor, pas uae* podem descaropar 18 ar-
robas de algodao ampo |>or dia.
O algodao descarocado pW estas machinas tem
! muito mais estimapao nos mercados de Europa e
vende-se por maiorprepo.
As machinas se acium venda nicamente em
casa de
Sauodcrs Puotliets k C.
M. ir, praca do Corpo auto
BECIFE.
Os nicos agentes neste pair.
Vende-se um excedente sitio em Sauto Ama-
. ro, prximo ao ceraiterio, com uma grande casa
um terreno de marinha sito no de vivonda, e oatra:menor, bem planudo, com
cae* **,V a'r**1* ^ ru da Imperatriz n. l, quem o pretender, enlenda-se cota a*drrelor Ma-
segtuiio Mar. cedo
.i !
Farinhaflet rttalidi
ensacada e da melhor que ha :
Alves no seu escriptorio, casa
Cruz.
Trina, volantes e cales.
Vende-se trina, volantes el galdes de todas
largura*por prepos muito barato: s
rua5Cpei|n. 7.
ment a 10, lo, 20 e 305; dlos'de la com lindas
barras a 18 e 155; isto na loja do Pavao ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Pavao.
Vende-se panno preto muito superior pelo barato
pr,eCO de 25, 25500,35 e 3500, ditos muito finos a
*S>, o$e 65, cortes de casemira preta entestada a
45, 45500 e 65, casemira preta fina de uma s
largura muito fina a 15800, 25, 25500 e 35, cor-
tes de casemira de cor a 55, 55500 e 65, casemi-
ras enfestadas de uma s cor proprias para calpa,
paletots, colletes, capas para senhora, roupas para
meninos a 35 e 3^500 o covado, isto na loja do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A roupa do I'avo.
Vendem-se paletots de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muito boa a 125, ditos muito finos a
165, 20j>, 255 e 305, calpas de casemira prea boa
fazenda a 45500,55, 65, 75 e 85, paletots saceos
de panno preto a 75, ditos de casemira de cor a
65 e 75, ditos de alpaca preta, ditos de merino
preto, ditos de brim de cores, calpas de casemira
de cor a 45, 55,65,75, ditos de caxemira da
Escossia a 35, ditos de brim pardo a 2550o, ditos
de cor a 25 e 25500, ditos brancos muito finos,
sto na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
As colchas do Pavao.
Vendem-se colchas de linho alcoehoada pro-
prias para cama pelo barato preco de 55 cada ama
na ra da Imperatriz n. 60, de Gama c Silva
Las de tima sO cor.
Vendem-se laziiibas de uma s cor, sendo en-
carnada, azul, cinzenta, cor de caf, lirio claro, li-
no roxo cor de perola pelo baratissimo preco de
640 o covado, fazenda muito m\a s o Pavao, ra
da Imperatriz n. 60 I,.ja e armazem de Gama i
Silva.
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas que tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor fran-
cez, pelo barato prepo de 600 rs. o covado, ditas
de listrinha muito miudinhas proprias para vestidos
1 e. rouPas de meninos e meninas pelo barato prepo
rs.; s o Pavao ra da Imperalriz n. 60,
loja de Gama & Silva.
As chitas do Pavo 'MOO e
'#00 o corte.
Vendem-se cortes de chita com doze corados
cada corte, ditos com dez /ovados a 25400, fazen-
da muito boa, e que nao desbola, s na loja do Pa-
vao tem esta pechincha ; a ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Panno de linho.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences, toalhas e ceroulas pelo
barato prepo de 640 rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 25500, algodozinho
monstro com 8 palmos de largura a 15, pepas de
Hamburgo com 20 varas a 95. 105 e 115, pecas de
madapolao fino a 75500, 85, 95 e 105, dilas do
algodozinho a 65, 65500 e 75, e outras mu tas
fazendas brancas que se vendem muito baratas
afim de apurar dinheiro : na loja do Pavo ra da
imperatriz n. 69, de Gama d' Silva,
O bramante do Pavo com doze
palmos de largura.
Vende-se bramante de linho poro, muito fino com
doze palmos de largura o melhor e mais largo que
tero vindo ao mercado pelo barato prepo de 25800
rs.a vara ; s na toja do Pavo de Gama & Silva,
aua da Imperalriz n. 60.
As precalas do Pavio.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
peto barato preco de 600 rs. o covado, dilas de lis-
trinha muito miudiuhas proprias para vestidos e
roupas de meninos e meninas pelo barato prepo
de 500 rs.: s o Pavao ra da Imperatriz n. 60,
loje de Gama & Silva.
Os bales do Pavao.
Vendem-se crinolinas ou bales de 30 arcos tan-
_ brancos como de cores, sendo americanos que
sao os melhores por se nao quebraren! a 35500 e
de 35 arcos a 45, ditos de musselina com babados
45, ditos para menina a 25 e 35: na luja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
0 Pavo vended 8ju.v
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos a
Hara Pa, cent lindas harpas de seda, sendo che-
gados pelo ultime vapor francez pelo barato preco
de 85 cada um : s na loja do Pavo ra da IraDe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os bales do Pavo.
A {UM ai a Pavie.
yende-se bales com 20, 25 e 30 arcos pelo ba-
ratissimo prepo de 25800, assim como tem na
completo sortimento de baldes para meninas de to-
dos os lmannos pelo baratissimo preo de 25500,
notando que sao bales de arcos os memores que
tem vindo da America Ingleza, vendem-se por este
preco para liquidar : s na loja e armazem do
Pavao a ra da Imperatriz n.60, de Gama A Silva.
Os souteanbarques do Pavo i
IOJf e 15* s o PftvSo.
Vendem-se os mais lindos souteanbarques que
tem vindo ltimamente de lazinha e caxemira ri-
camente bordados e enlejiados, cores muito delica-
das pelo barata preco de 105 155 ; fazenda esta
que em outras tojas se vendem por 205 < 255, \
no vigilants s para liquidar : Da toja e armazem do Pavo
i rna da Imperatriz n. 60 de Gama de Sirva.

toca
vmle Miguel Jos
n. 19, na ra da
ae



raniLKi)



-f
- *
\>
Mirlo de FcBwasaJMico r lulua fclra414i Ag#*to de 1S4,
&
%
CEU
COMME

RIA DO QUEIMADO IR 45,
Passando o becco^da Congregando segunda casa.
! .< <>

NO V1DADE.
Pereira Roeha & C. acabam de abrir na ra do Queimadoa. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commerctal.
onde o respeitavel publico encontrar sempre um complet sorlimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaet
aero vendidos por precos muilo resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-s o bom pe*
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroi do MaranhSo da India e Java a 60, 80 Cevadinha de Franca muito superior a 2201 Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra-
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeitee
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2#800
dem prato.
Wem londrino chegado no ultimo vapor e
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
rs. a libra.
Cevada a 80 rs. alibra.
e 100 rs. a libra e t#800 a 2600 e 30
a arroba.
ameixas francezas em latas e em frascos a' Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
ItfOO e i600 emfrseos grandes a dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
100, 50500 e 280 rs. a libra.
2*500.
dem em caixinhas elegantemente enfeiladas
com ricas estampas no interior das caixas
a 12(5000, ff$400, 15600 e 20. iFarinbado Maranho a 160 rs. a libra,
amendoas co casca milito, novas a 280 rs.' Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
a libra. < Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
Alpista a 160 rs. a libra e a 000 a arroba. I a 560 rs. o frasco e 6*200 a frasqueira.
Azeite doce francez muito fino em garrafas dem em garrames de 3 e 5 galops a 5$500
grandes a 960 rs. a garrafa.
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de mataraoa a 320 rs. a
libra.
AvelSas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas
i#8O0 ris.
Bolachinhas de soda, tatas grandes, a 2* rs.
a lata.
Ditas inglezas milito novas a 3^000 a bsrri-
quinha e a 200 rs. a libra.
anha de porcorefinada a 440 rs. a Sfera e
e em barril a 4C0 rs.
Cha hysson, hurJfein e perola a 10600, ,
2*500, 2*80-e 3*000 a libra,
'dem preto mufte superior a 2*00 a libra.
Cerveja preta e branca, das memores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa I
e 5*800 a duzia.
Cognac ingtez fino a 900 rs. a garaafa. dem regular a 500 rs.
Conservas a 720 rs. o frasco. Massas finas para sopa : cstrcllinha, pevide,
dem, s de pepino, a 720 rs. rodinhas e letr'anhas a 600 rs. a libra e a
dem, s de azeitonas, a 750 rs. *# a caixinha coro 12 libras.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha ;Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
e especialmente da fabrica imperial de Peke em latas preparado pela primeira arte
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 1*800, de cozinha a 1* rs. a lata.
2*000, 2*200, 2*500, 2*800, 3*000 e Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
3*500 a'caixa. Palitos de dentes a 120 rs.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320 dem de flor a 200 rs.
rs. a lima e 8*500 e 8*800 rs. a arroba. Amendoas confeitadas a 900 rs. a libra.
Carines de bolinhos francezes 'muito novos e Boce de goiaba em latas o melhor possivel a
muito bem enfeitados a 700-e 600 rs. 2* e em caixao a 640 rs.
Chouricas c paios muito novos a 800 rs. a Palitos do gaz a 2*200 rs. a gresa.
libra. i Passas muito novas a 480 rs. a ibra.
Sardinhas de.Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra,
e 7*500 cada um com o garrafao. Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Gcaixa a 100 rs. a lata e 1*100 rs. a duzia. Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa. ; Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem, qualidade especial e garrafas muito dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
grandes, a 1*800 rs. a garrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
marcas a I dem, garrafa forma de pera e rolha de vi-
dro, a 1*000 rs., s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga tBgleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segurada qualidade a 800 rs.
dem franoeza muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 610 rs.
Marmeiada imperial des melhores consenti-
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
rs.
libra.
Figos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 1*600.


AWSI
SENTIftO!
H
VAI FALLAR
N. 38 Ba do Livraincnto N. 38
(Defronte da grade da igreja)
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permettido
deiiar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto aflu de anonadar ao respeitavel publico
o grande sortimento de galanteras do melhor gosto
propriamente para qualquer mimo, que acaba de
chegar neste ultimo paquete, assim como muitos
outros objedos qi>e recebe por diversos navios,
tanto de sua cont como de consignarlo, que est
resovido a tender por precos muito "baratos para
vendar, moilo e ganhar poco, e dar extracoao ao
grande deposito que tem, que espera merecer a
proteccao do respeitavel publico, empregando para
isso todas e as melhores diligencias para que ti-
3uem satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, ra
o Crespo n. 7.
Ricas porta-jejas.
Cofre de muito gosto por 16,&00
Cestinhas transparentes, forradas de madre-
perola por 185000
Lindas jardineiras 105000
Ricos cofres com camapheu 105000
Lindas caixinhas com pedras brancas 1050O0
Lindo balan com calunga dentro tambem
para joias 165000
Tambalier para ditas 95000
Cestinhas dem idem 65000
Cosmorama idem idem 4 65000
Urnazinha G5000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sin tos
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e 155, ditos sem
VERDADE1RO E PRIXCIPAIi
Ordem do dia.
Est em discussao a tabella dos, precos que o BALIZA tem a honra de offere-
cer ao respeitavel publico tanto dacidade cono do cenlro.
Se por esta publicaca qualquer um dos nobres col legas entender necessario
fazer alguma alteracao em seus annuncios, digne-se mandara sua emenda para o jornal,
que o incansavel Baliza nao lhe pora peas nem o embarazara de forma alguma a bene-
ciar o povo.
Amigo de vender barato o Baliza nio expoe a venda senlo os gneros bons.
Eiie se j'tilga no caso de vender tito mdicamente como oulro nlu o exceder


Soldado soprador toma o clariin
E firme como a rocha fica assim
Nao toques nesse pessimo instrumento
Do Balisa olha s o movimento.
* -K w .,...., .. ... **, ww ,,.,.. V? 1 1* *'~. IiiiV.- .'III
Vinho do Porto engarrafado o melhor que | bojea, porm do mesmo gosto, a 25500,35, 35500
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duqne do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Mara Pa,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
1)5000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 9O00 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 3#, 3(5500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem e 880 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs. rua d0 LresP n- 7" VantnB Ameixas francezas em caixi
12 t que dos mitrados tons as eordas
De tndo reudedor de proprla eoufa
yo pasmes vendo couio subraueelro
Do regresso o Kaiisa a ira affronia.
a dizia.
dem Morgaux eChateauluminide 1854, a I
a garrafa.
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
1200 rs. a caada.
Kvrsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porc?k> de outros que deixamos
d2 mencionar, e epe tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porgues como
retalho.
Quem comprar de 1000000 para cinsa te-
r o abate de 5 por cento.
40 PUBLICO.
RUA DA CADEIA N. 1 ARMAZEM
No armazem de fazendas ba-
ratas de Santos Coelho rua
do Quemudo n. 19
feudo-.-;* o seguiut;
AlTENgAO.
Ricas laazinliaspara vestido, fazenda a -melhor
que tem vindo ao mercado, tanto um gosto como
em qualidade pelo baratsimo pn-co de 360 rs.
e 45, ricas flvelas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 15300, 25, 25300 e 35 :
s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Cabazcs on cestinlias.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 25300, 35300, 4, 5, 7 e 105 : s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
IV11 les.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alisar como para atar cabello, o mais lindo, ,. ...
que se pode desejar, assim como de arregacar ca- Amendoas confeitadas em lindos frascos a 800 Lingoas americanas mtulo novase muito gran-
j bello, tanto de borracha como de tartaruga, com j rs, a libra
a libra.
pei i Ameixas irancezas em caixinhas e frascos a
Tambem chegaram os riquissimos pentes de! ..,.'^00, V00 ~'(r\ 'S" < n nm.nK
concha de tartaruga e de massa Qna, que se vende \ AlpiSla a 16o rs. a libra e i.BOO a 31 roba.
por 25, 3 e 35 : s no Vigilante, rua do Crespo Arroz do Maranho, Java e do Pencde a 80,
numero 7. 'oo e i2o rs. a libra, em arroba a2,ooo,
Lcqoes. 2,800 e 3,2oo.
Riquissimos eques de madreperola, tanto para Azeite doce retinado a 8oe o loo rs. a gar-
senhora como para mocinhas, pelo barato preco de rnf
12 e !45 : s mljfimgm* Crespo n. 7. .^ ^ ^ % ^ ^ g ^ fi
^rSTwTiWh^M?Jf tlt Angras com Sto do Porto, encommenda';3
tambem por uaralo prego de 4 e 35, bentarallas feita pelo proprielario do Baliza a 3o,ooo Mostarda preparada a 4ooeG4ors. 0frasco,
muito bonitas tambem por barato preco de 4 e 55, rs a ancora com 7o garrafas. Massas para sopa a 4oo rs. a libra das de la-
todo isto para'Byiaxinhas jc Lisboa, ingleza c americanas lharim, aletria emacarr3o.
em latas a i.4oo, l,5oo, 2,ooo e 3,coors. dem linas eslrellinha epevide a 3,r(f, rs. i
e americanas em barricas a 3,ooo rs. a caixa.
barrica. Milito miudu para passaros a 16o rs. a libra
Banba de poico a oors. a libra e em barril, e 4.8oo a arroba.
O grande depesiio que temos de vinho nos ohriga a abaixar seus precos,
achando-se vista dos compradores cera de 33 a 40 pipas desle genero, entre pipas,
barris e ancoretas.
des a .ooo rs. cada una.
Linguicaspromptaseai alas a l,8oo caa lata.
Manteiga ingleza flor a 8oo rs. a libra nesie
genero ha mais de 10 baris abertos afim do
sercm satifeilos os compradores.
dem menos superior a Ci rs.
.Manteiga ingleza a 5oo, ioo e o2o rs. a libia.
dem franceza a ,"iGo, Goo e Gio rs. e cm bar-
ril por menos.
Mas* de tmalo a 64o rs. a libra.
Marmeiada dos melhores fabricantes a 64o
rs. a libra.
i.
acabar, perdendo-se talvez 80 0|0 : s no Vigilan
te, rua do Crespo n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de contas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto a 15 e 15200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as ligninaas estreitinhas de
borracha que as senhoras tanlo precisam para se-
gurar os manguitos por ser muito commodo e mui-
to barato, a 320 o par : s
Crespo n. 7.
gaando por toda e-parte lavra a dcscrenca, produzida por essa alluvio de an-
nuncios falsos e verdadeiroa, que diariamente enchem as paginas do joraalismo desta
cidade ; i. na verdade grande temeridade apresentar-se alguem fallando a Knguagem da I o cq\-ado.
verdade, posto iudilTerer.ca de alguns e ao desprezo delitos que, tendo; sido il.u- l^SSffSSS^JSSS SST 'S
didospor-cmbusleiros, atrbuem a todosasmesmas quahdades. annunciante, porem, Ivado_
CollocaflO'Dd Qrme pedestal de sua conscicncia nio pede que o acreditem, mas sim que o| Cortes de lia com locovados pelo barato preco
julguem ;'i vista das provas tne aprsenla, expondo venda para liquidaQo, o muito 'de 65.
acreditado ^,,0 .Dte. .com 40 .por cento de aba*ment do preco amigo (ou- ^86pSe Sfi a }g!tt
tr ora 30;>fc00 boje I8,?>000) a duzia de garrafas. pecas de cambraia de forro com 8 l[2 varas a
EsUt nova qualidade de vinbo, feilo-da melhor uva que ha na Extremadura co- :8520o.
lhida no ultimo grao de sita perfeita maturacao e quasi em eiado de passa, conserva em' Toalhasalcortioadiw propnas para maos a 35 a
si toda a parte saccharina que lhe d um agradavel sabor, esc recommenda todas as
pessoas rju<- queiram ler a certeza de beber vinho puno deuja, neste tempem que vis
traficantesiisitroduzem no mercado suas drogas damnosas a saude publica, a/obertados
pela impunidade desemelhaitte crime.
barra a Mari& Pia a
com tO varas
Vinho uto da Extremadura sem coufeicao,
em ancoretas de oito eanadas. .
Vnde-se egualmente a armaco do mesmo estabeloessiento toda de.amarello,
urna das uais ficas desta pra$a que, com urna pequea alleraco, pode servir paj-afazen-
das, miudezat ou molhados.
. A. Silva untar.
Ricos corles de lac com
I&5000.
Pegas de platilhac de algodao
proprias para saia a &JL
Algoiiao entestado oom 7 1|2 palmos de largura
a 151OO a vara.
Esleir da India prepria para forro de sala de
4, Se 6 palmos de largura por menos pr-eoe do
que cm outra qualquer parte.
Neste armazem tambem se encontrar uoi gru-
de sortimento de roupas feitas e por medida.
APROVEITEM APROVEITEM
Aos
KM* 7,150 COVADOS
de sedas de cores de todas as qualidades.
Na loja da rua do Crespo numero 17.
Importante compra de 7130 covados de seda de todas as qualidades, proprias para
eetidos de senhoras e de meninas, e vende-se por precos admiraseis.
Outros minios objectos de apurados gostos para senhoras, vestidos de blonde para
casamento a 905 cada ubi, capas pretas, soutambarques de cores e pretos, chapeos etc.
Fazendas de liuho e de algodao as melhores que existen1 no mercado.
O proprielario desle importante estabelecimento vai a Europa muito breve com-
prar fazendas de apurados gostos, presentemente vende as suas mercadorias por precos
baraltesimos para liquidar.
Protejan! todos. Protejam todos a Importante
LIQUIDACAO
A loja da rua do Crespo 17.
RUA DO QUEIMADO NUMERO 11
Loja de fazendas d- Augusto Frederico dos Santos Porto
Lindas ebapellnas e chapeos para senhoras.
Chegaram a este estabeleciinento as mais modernas cliapelinas e chapeos para senioras.
Superiores cortes de laa de barra de 1(5 a 205. .. .. ,
As mais superiores capas e soulembarques de seda preta e casemira de cores para senioras de
305 at 505-
Excellents las para vestido a 320, 00, 560 e 600 rs. o covado.
Cassas e organdys de cores a tit e 320 rs. o covado.
Os melbores tapetes para sof com riquissimos desenhos.
Lenc.os de cambraia de linio e tilo bordados a 15 cada um.
Superiores Casemires mescladas de diversos gostos Unto era pecas como em cortes.
E ouiras muitas fazendas como sejam: percalles fintesimas,brelanhas, sitocias, esquiao, silis-
jrina preta muito fina, canulo para vestidos do luto, grosdenaple de bonitas cores e as superiores
listel ras para salas.
A* pesttia'que pretenderen! forrar as salas ou gabinetes, encontrarao oeste eslabelecimento
coelbor qualidade 4e esteiras de loda as larguras e pelo maik mdico preco,
O 8
23-B56SCOO-5 sr"-a w o o o
-" S 55 5 w W-3 S S*g 5
" s a o trcrSP
11
fQ
~=
Q, 03
C rt>T3 t
o. a w. ^
o. O cr-,
y-.
v, a,
o
J2 U -
'j
= >? rt>
O as
co O E m
_ 3
O
O. co
>~ i Q
o
^"S^.^s?
*-"^^

ct> as
co
D n
CO
o> g
a as 0.0 V Q.O
^ 3 .2 2 S.1*^
of23 W =? *
r? ?. -3 5B gi
a f 1 -i
O a
"O
ai
3
. as
lira H l^llfPI
33 s.o ^&ga s
V w o <~
as as
as
si
SOg.
O" ">
a 2
' P o S
B
o
s
ana as *c sr
as u> p
o ST.
d i
as i
-1 _
os sr
ff
3 as
as .
9
S
-
ft
e
a 3Go rs.
Batatas em gp;os a l.5oo o gigo.
Cli perola a J.ooo rs. a libra,
no Vig inte, ruado Mem tixim a 2,6oo e 2,8oo a libra.
dem hysson a 2,ooo, 2,4oo o 2,8oo. a libra.
Marrasquino ci zara do verdadero a l,ioo(
frasco.
dem menos superior a 800 e l,ooo rs. o
fiasco.
Nozes a 2io rs.
a libra.
Carretas. dem d Rio a l.Goo rs. a libra'. IPreznto porltiguez de superior qualidade a
limas carretas de madreperola proprias \ idem pret0 a l.ooo e 2,000 rs. a libra. Co rs. a libia e inteJro por Seo rs.
irao preco de charutos dos melhores fabricantes da (Sania dem ingle/, para fiambre a 64o rs. a ibra,
c Hio de Janeiro a 800 rs. e 1,500, 2,ooo,
nSo agradando mesmo depois de preparado,
peder ser devolvido, que se trocar poi
oui.10 ou ser restituido seu importe.
para qualquer presente,
15500025.
Yolliuhas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas -'l00' 3'00' 3So0' 4'5o c 5'000 "'
fiogindo bnilhantes, assim cont cruzinhas avulsas cento.
e voltinhas, pelo barato proco de t-j e 15200, as Chocolate dos melbores fabricantes 'Je Pars, Passas novas a oo rs. a libra.
Cref'onV,7SaS 4 X%' '' S D V8l,Mtel rua do | Allemanha. Ilainburgo e Lisboa Polvo a I fio rs. a libra.
Sapatinhos e meias it seda. Copos lapidados para vinho a 2,8oo a dnzia. 'ainro a i fio rs. a libra.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en- Icm l(,em lMra a8ua a 5000' i,'c0 e ()'000 ppnada a 210 rs a duzia.
feitados, assim como meiasziulws de seda,gorra-! rs- a duzia jPimenla do reino a 36o rs. a libia.
',00o, ,oooPeras seccas a Gio rs. a libra.
Cravo canella c cominhos.
c soltas.
9oo e I,ooo rs. o
frasco.
Dittas francezas a 5oo e (lo rs. o frasco.
zinhas e touquinhas para as criancintas se lapti-1 Cerveja das ineiboies marcas a i
sarem : s -no Vigilante, rua do Crespo n. 7. e G)000 rSi a juzia.
dol tilias. Travo canella e cominhos.
innSrTin& ""n^of, o melhor gos- ^hs em niollios resteas
to possivel, a 25, UoQO e 3&: sx> no Vigi ante, r. 1 o. <
ruado Crespn. 7. j Conservas inglezas a 800,
Gnfeiles para senhara. frasco.
Riquissimos enfoites com lago c sem laco e de! Dittas francezas a 5oo eC'iO
outros muitos gostos a 15, 15500e 35 : s no Vi- Cognac ingle/, e franco/, a l.ooo rs. a garrafa.
gialnle, rua de Crespo n. 7. j Caf (le ., a 2#a c 3 quai(|ade a 8500 9,000
Irancelins. | e 9,5oo rs.
JnSffiS de Leiio pa reUjgio on lu- Cevadioha de Franca a 24o rs. a libra,
netas, pelo baratsimo preco de 15500, ditos de' o, ,-,
retroza 200 r< ^^ Champagne de muito boa qualidade a 12,ooo
Babainlios enlremeiss. e ^000 rs-" dl,zi'- .
Riquissimos batodinhos ntremelos com lindos Doces da cascada goiaba em latas preparadas
I desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo I eom muito aceio. propria para memoziar
vel por mais de um anuo, a 3,ooo rs. a lata
com 7 libras.
1
3
o

-o
cus
3
g
%
preco de 15200, 15500, 25 e 35: s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Casca nlias.
Grande sortimento de cascarrinas de diversas' niltos cm raixes a fifio 6'o 800 e I ono
larguras, assim como palaozinho e trancinhas pro- c.iixoeb a ouo, oo, 000 e l.ooo
I prias para enfeites : s no Vigilante, rua do Cres-! rs* caixa0'
1 po n. 7. ; Ervilhas portuguezas em latas com 1 '/* li-
Fltas. I bras por 7oo rs.
Grande sortimento de fitas de diversas larguras i dem francezas em latas a E$00 rs.
e qualidade, por precos que admiram aos compra-' i.ipm W(,f.K n ^^ rs a |nri
, dores, havendo fitas largas proprias para sinteiros ,,iem seCC*'^ ,n Z0 rS" a "Dra"
que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca de 3; Espermacele americano primeira qualidade a
varas a 25 : s no Vigilante, rua do Crespn. 7. |.2oO rs. a libra.
, ,. ,** ^e '^a# dem francez a 56o rs. a libra, c em caixas
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias para a r:an r<5
debrum de vestido a 700 rs. a peca : s no Vigi- .
lauto, roa do Crespo n. 7. I Farinha d'araruta verdadeira a I80 rs. a libra.
Ricos espelhos, Farinha de trigo a 12o, 14o e IGo rs a libra.
Riquissimos espelhos com moldura dourada e | Farinha de milbo a i6fj rs. a libra,
sem ella de 85,10,12 e 145, assim como com co-j pns pm (Yn|,,1s p pm latas lindanmpntp
lumnas de d.fferentes lmannos a 25, 3, 4, 5 e 65: ir s f ,tdlximids e ,em ldia "naanmente
s no Vigante.rua do Crespo n. 7. enfeiladas a 800 e i,5oo cada um.
Lindos jarros e figuras. i '"'umo americano em latas para cigarros a
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina I 1,80o rs.
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu i dem em pacotes a 200 rs.
tem apparecido : s no Vigilante. | ,(,em em pasta lQQ rs ,bra
Riquissimos'aso'sTm f'necYpa^ps de aP-!?fnelra laia"a a J>? frasC0- ,
ro, cousa de muito gosto a 45SOO e 25, assim co- iI(lem igleza marca Gato a 1,00o rs. a garrafa,
mo pacotes so com os pos a 320 rs. cada um : sildoinde Hollanda a Gio e i,60o rs. o frasco
no Vigilante, rua do Crespo n. 7. pequeo e glande.
_ Perfumarlas. i dem de Hamburgo, a 56o rs. q frasco e 6,00 o
deven ser feitas no armazem da rua do Imperador *itgfclg^A.?!wg SS^IM" ^ rs- a asqa-
n.31. Osmachinisu^mandados para attender a 15 SS^S^ fSFWSSS S'^rta em latas a t,2oo rs. a duzia.
esus^apresentarapnm .vro que os reclamantes inores? maKma^ de diversas fructasa 1,000 rs. a
Peixeem latas a l.ooors. a lata.
Papel almasso e de peso, de diversas qua-
lidades c presos deferenles.
Paulos do gaz a 2,2oo a groza.
dem para dentes a 80, IGo e 2io rs. o ma-
co com vinte macinhos.
Gueijos flamengos a 2,^oo, do ultimo vapor.
dem prato a Gio rs. a ibra.
dem londrino a 800 rs. a libra.
Rap Meuron a 1,000 rs. a libra.
Sevadinlia a 2io rs. a libra, ( nova).
Sag a 28o rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a Gio, 56o e 36o rs. a
lata.
Empreza dailluminacao
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamacoes
(por escripto dando o nome, morada, data, etc.),
devero assignar logo depois do prompto o servico
za fique sciente
sido devidamen-
reclamado ; isto para qu a empreza fique sciente
de naverem os mesmus senhores
te a Hendidos.
KHa da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
faes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos. e relogios de
ooro patente inglez. ________
Charutos da Havana.
Vende-se superiores charutos da Havana em ca-
seda lale Schmellau & C.; rua da Cadeia n, 1?,
. logia
(erra, assim como os grandes copos de banha japo-
niza a 25 e i 15 ; assim coxoo ouiros objeotos que
nao possivel por boje annnnciar, a vista dos
freguezesse far todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, rua do Crespo n. 7. _________
Arados americanos 0 machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston G.,
rua da Senzalla Nova n. 42.
algum amigo na Europa, por ser inallera- Sabio massa a 12o, 19o, 2oo e 24o rs. a li-
bra,
c em caixoes por muito menos.
Sal refinada a Goo rs. o pote de vidro.
Toucinho de Lisboa, de Santos e amei ana
a IGo, 2io e 32o rs. a libra, e em arroba
a 5,000, 7,ooo e 9,ooo rs.
Tijollo para limpar facas a IGo rs. cada um.
Vinho do Porto em eanadas a 3,300, t.oooe
5,oog rs. e eni ancoras com 7o garrafas por
3o,000 rs.
dem de Lisboa sem confeccao, (deencomen-
da) por 5o,'ooo rs. o barril com 17 cana-
das.
dem de Lisboa mais baixo a io.ooo rs.
dem em pipas a 3,ooo, 3,5oo e i.ooo rs. a'
caada.
dem em barril de Bordeaux com I3o gar-
rafas por So.ooo rs.
dem idem de Bordeaux com 70 garrafas por
3o, 000
dem em caixas por 5,ooo rs. a caixa com 12
garrafas da melhor qualidade que vem ao
nosso mercado.
Vinho branco para missa de Lisboa e Porto
em pipa, barril e ancoras a 4,000 e 5.000
rs. a caada.
Vinagre de Lisboa, Porto, tinto e branco a
I,6ooe 2,000 rs. a caada
dem em ancoras por 16.000 rs.
Velas estearlinas a 5Go rs. o maco, e em cai-
xas a 52o rs.
Vassouras americanas a G4o rs. urna.
garrafa.
Licores, inglezes e francezes a 1,000, l.5oo
e 2,000 rs. garrafas grandes e pequeas.
Vinho 4o Porto superior
dm caixas de urna e dua* dums: tem para vea-
eer Antonio Luiz de Otiteira Atevedo & C, no seu
escriptorio rna da Cruz n. 1. __________
Vende se um relogio de ouro bom regalador:
na Boa-Vista, rua do Cotovello n. I; taberna,
(iRAXA N. 97 I Carvo animal.
Vende-se a verdadeira graxa ingleza n. 97 no I farello-de Lisboa superior
armazem de J. A. Mereira Dias na rua da Crui Cal virgem nova : na rua do \1gar10 n. \d,
numero 5.
Sebola*
------;-----------------
na escadinha da alfandega n. 3 armazem da viuva
de Paula Lopes, a 300 e 800 rs. o cento 111
guem-se em quanto se nao acaba.
primeiro andar.
Bichas hamburguezas.
Vendem-sc bichas de primeira qualidade : na
che- j rua Nova n. 61, defrontc da Illma. cmara mu.n-
I cipal.

\
l
l
..... *



'.*.' -
V
*0*r-*mt : f
.
*~Li'TI "
Diario r r*rnamnr ... minia felr ti de Agosto 4e ll4.
i
?
t

k-

ESPLENDIDO S0RT1MENTO DE MOLHADOS
V. 9 RIJA 1IO CRESPO W.
Esqniea que valla para a rm d Imperador
*Wl^ fe *$%&%
(\5o se enganeui tora a mitra)

N3o lewm este annuncio com precipitacJ.
Confronten) os presos dos outros annunciantes.
.Venham ver os genecos que temos expostos a venda.
A vista faz f.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao nos enculcamos o primeiro recebedor de conta propria.
Nao desacreditamos ao collega porque nSo quiz ser nosso socio.


Val a qnena toca.
Para abastecer a todos os habitantes desta bellfcprovineia anda nao sao suflicieo-
ALLIANOA
NEM COROAS NEM MITRAS
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Pando- Ferrara da Si ka '& Companha
Grande sortmeato de molhados era grosso e a retalho. nico armazem que mais
vantagens otflforve ao publico.
Desenganeni-se todos.

K o Alllaaea o venladeiro hornera do progressso
l o Alllaaca o verdadeiro e principal armazem de molhados.
K o AlUaaca o armazem que vende mais barato.
. K o AI llanca a armazem que vendo os raelhores gneros.
K Alllaoea o armazem onde preside o melhor aceio.



i prest
Fique todos sabedores desta verdade,
Venham todos ama do Imperador n..S7.
Venham ver os gneros que temos expostos a Yenda.
0
GRAUlftE ARMAZEM
BE

NA
RIJA DO IMPERADOR. \. 40
Junto ae sebrado em (jue mora e Si*. (Mame,
Para a festa de Santo Antonio, S. Mo e S. Pedro.

da
tes as casas que actualmente oxistem ahertas eom- grandes pnepwces para terem un Amendoas confeitadas de bonitas cor
magnifico sortimenlo de molhados ; assim, pois, os preprietarios do Armazem Principal
nao invejam a sorlc dos seus collegas.
Habitantes de Pernambuco.
Nos temos um excellente sortimenlo dos melhores gneros que se pode adiar
em nosso mercado. Vinde ao nosso estabeleciroento, e se a vossa boa f fr illudida
ana s vez ao menos, castigai-nos nao voltando mais a nossa casa.
Amendoas confeitadas de bonitas cores



PARA A FESTAS
DE
S. JO* E S. PEDRO.
I,ooo rs. a libra.
dem de Hollanda em garraffa. cora 24
garrafas a 7,2oo rs. com o gairtfao.
estampas a l,2oo, l,4oo ci.Coors. cada
urna,
dem cm frasco de vidro com rolha do mes-
Idem de cacea muito novas a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente-tegunae para sopa e gui-
Avullas a 2oo rs. a libra. zatlosi2oors. a libra.
Ameixas francezas em camuas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
8oo e tjooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo e
96o rs. a libra.
mo ou de metal, a l,2oo e I4oo rs. ca- dem franceza nova j deste anno a Goo rs.
d-i um. a libra, e S6o rs. em barris inteiros.
dem em frasco grandes 2,5oo rs. cada um. Marineada especial dos melhores fabricantes
dem em latas de I l/t e 3 libras a t,2oo el de Lisboa a Goo e 04o rs. a libra,lia latas
2,ooo rs. de diTerentes tamanhos.
Arroz da India e Maralo o melhor que se Massa de tomate em latas de i libra 56o rs.
p le desojar a loo e 12o rs. a libra e; cada urna.
2,8oo e 3,4oo rs. a arroba. dem para soda estrelinha, pevide e rodinha
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, cm caixinhas surtidas a 3.000 e 3,5oo rs.
e 4,8oo rs. a caada.
cada urna e 5oo rs. a
libra.
dem francez clarificado em garrafas bran- dem mcarr3o, talerim e aletria a 4oo rs.
a libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um.
M0II10 inglez em gairafinhas com rollias de
vidro G4o rs. cada urna.
Marrasquino verdadeiro de Zara a l.ooors.
a garrafa, 10,000 rs. a caixa com 1 duzia.
Nozes muito novas a IGo rs. a libra.
IVezunto de fiambre superior a 600 rs.
dem do Porto para paridla a oo rs. a libra.
Passas novas a 4So rs. a libra.
Peixe em latas de dfferentes qualidades co-
mo, savel, cor'i na, govas, pescadinhae
outros a 1,00o rs. a latas.
Paulos para dentes a 14o c IGo rs. o masso
dos meJhores.
Painco h mais novo e limpo a IGo rs. a Ifbra.
c Hno rs. a arroba.
palitos do gaz a 2, loo rs. a groza, 2oo rs. a
cas a 9oo rs. cada urna, e Io,ooo rs. a
caixa"com I duzia.
Alfazema niuilo nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Aloisia a IGo a libra, e 4,Goo rs. a arroba.
olachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: ajuiae
sal doces, e imperiacs em latas de 6 li-
bras a 3,ooo rs. e de 3 '/j libras a l.ooo
rs. e em libra a 04ors., estas bolachinbas
torna-so maln recommendavel com es-
pecialidade para os doentes.
Biscoilos e Bolachinbas de suda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Julios francezes em carices e de diversas
qualidades a o rs. cada um.
Banba do poico verdadeira refinada a 4oo'
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 160rs. a libra.
-olachinhas inglezas ullimamenle desembar-1
cadas a 24ors. a libra e 2,000 rs. a bar- Qweijos amengos chegadosnesle ultimo va-
rica. Pr- a
Champagne das marcas mais superiores que Mera prato minio fresco a 800 e 9oo rs.
at buje lem vindo a nosso mercado a n libra. ,
18,000 rs. o gigo, l,ouo rs. a garrafa in- Mem suisso a melhor qualidade que al ho-
du/.ia, e 2o rs. a caixinhas.
le ira, o 800 rs. as mofas
;ii uxim o melhor que se pode desojar e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
dem perola especia! qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
d'este cha
dem hysson o melhor que possivel cn-
contrar-se a 2,oo e 2,6oo rs. a libra.
i lem do Rio em latas de 2, 4, G c 8 libras
a l,2no e l.'iou rs. a libra.
Id m preto muito lino a l.Ooo rs. a libra.
I enlate das melhores qualidades, francez,
hespanbol suisso a l,ooo, l,2oo e t,4oo
is. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fnr-
lado de Simas em '/i caixas das seguin-
tes marcas Pariziences, Suspiros, iii-
cias, Napoleoese Guanabaras a 2,3oo rs.,
c em caixas inteiras Trovadores a 3;ooo
rs. cada urna.
Jdem de outros muilos fabricantes e de!
differenles marcas para I,5oo rs. as mei- j
as caixas de suspirosa l,Goo, 2,000 e
3.000 rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a l.ooo
rs. a garrafa e 10,000 rs. a duzia.
dem francez saporior qualidade 800 rs. a
garrafa e 9,oo<> rs. a duzia.
Gominho e Erva-doce a 4oo rs. a libra.
Gravo da India a Goo rs. a libra.
Canda a 4,00o rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,000 rs. a duzia, e
oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a i28o e 32o rs. a li-
bra, e 8,800 e 9,.fioo a arroba.
Doce fino de goiaba a Goo rs. o caixao.
Ervillias portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem seccas a IGo rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinlia de ararula verdadeira a 32o rs. a
libra.
l'igos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a.4,ooo rs. cada urna.
dem em latas erm i ticamente lacradas a
4,5oo e 2,500 rs. cada urna,
dem em caixas de 'i arroba a 2,5c o rs. ca-
da urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a 4oo rs. a lata e 4,000
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 42
frascos por 6,000 rs. e 56o rs. o frasco.
dem de lapanja a 4,000 rs. os frascos gran-
des e i 1,00o rs. a caixa com 42 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da urna.
dem em garrames de 46 garrafas a *,8oo
rs. com a garrafao.
je lem viudo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
Sal refinado cm pules de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Sorreja da.-- melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e 50o rs. a garrafa.
Sardinba de Lisboa e Nantcs em quartos e
meia latas a 38o 58o rs. cada nma.
Si mnilo novo e alvo a 2o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevadaa loo rs. a libra, e 2,8oors. a arroba.
Traques de 1.a qualidade a 8,5oo rs. a cai-
xa, e22o rs. a caita.
Toucinho novo de Lisboa a 24o e 32o rs. a
libra.
Tijollo para Hmpar facas a 45o rs. cada um.
Vinbo em pipa Porto. Lisboa c Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oe rs. a garrafa.
Idem'do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conbecidas a oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinbo a Goo rs. a gar-
rafa.
dem Lavrad muito fresco nao levando com-
posieao a 56o rs. a garrafa, e 4,000 rs. a
1 'anad;.
dem brando de uva pura a 56o rs. a gar-
rafa, e 4,8oo rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
rs. a caada.
dem Bsrdeaux em caixas de 12 garrafas das.
marcas mais acreditadas a 6,800 e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 4,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo proco d pre-
juizo e s se encentra n'esto armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velbo Particu-
lar, malvasio fino, D. Pedro V, D. Luiz
I, Nctar e ouirs. a D.ooo e 10,000 rs.
a caixa e 9oo a 1,00o rs. a garrafa.
dem Museatel.superior a t.ooors. a garra-
fa, e 4o,ooo rs. a caixa com 4 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oo rs. a caada,
dem em. garrames com 5 garrafas a 4,ooo
rs. cottkagarrafiQ.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32
rs. cada urna
dem de escota para esfregar casa 36o rs.
cada urna.
Vellos de espermacete superiores 56o rs.
a fibra, 6*540 rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composicSo a
Wors.a libra, edelo.eooa 44,ooo rs. a
arTeba.
VUjueui ; Westeestbelecimentovendem-se: tachas de
excellentes vaquetas onvermsaas (err0 ^q libra a 440 rs., idemde Lon
.Venderr.-so
l*ara carras : em casa de F. Souvage 9t C-, a
ila Cruz d. *).
na
Moorbbra a420rs.
800 rs. a bra.
dem de casca muito non a flm rs. a libra.
Aveas a 2oo rs. a libra.
Ameixas francez em-caixinhas cora lindas
estampas a 4,2oo, 4,4oo e 4,6oors. cada
urna.
dem em frasco de vidro com roiba do nei*
bm ou de metal, a l,2oo e 1, 4oo rs. cada
m.
dem cm frasee grandes a 2,5oo rs. cada
um.
dem em latas de I /i e 3 libras a 4,2oe e
2;ooo rs. %
Arroz da India e MaranJio o melber que se
pode desejar a. loo e 42o rs a libra e
2,8oo a 3,4oo-rs: a arroba;
Azeite doce de Lisboa a ^too rs. a garrafa, e
4,800 rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a oo rs. cada urna, e 40,000 rs. a
caixa com I duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-<
bra.
Alpista a 46o rs. a libra e 4,Goo rs. a ar-.
roba
Bolacliinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio das seguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e de 3 y libras a 4..5oo rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinbas
torna-se muilo recommendavel com espe-
cialidade para os doentes.
Biscoilos e Bolacliinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em carios e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banba de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a IGo rs. a libra.
Bolachinbas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem vindo ao nosso mercado ai
18,ooo rs. o gigo e 4,5oo rs. a garrafa
inteira, e 800 rs. as meias.
Cha uxim o melhor que se pode desejar, e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,000 a 2,Too rs. a libra.
dem perola de esp cial qualidade a 2,600 e
2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
d'este cha.
dem hysson o melhor que possivelencon-
trar-se a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Bio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a I.200e l,4oo rs. a libra.
dem prlo muito fino a 4,600 rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a 4,000, 4,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em '/i caixas das seguin-
tes marcas: Parizienses, Suspiros, Dili-
cias, Napoleoes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muitOS fabricantes e de dif-
ferenles marcas para l.Soo rs. as meias
caixas, de suspiros a 4,600, 2,ooo e 8,000
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 800 rs.
Cognac inglez das melhores marcas a 1,000
rs. a garrafa e lo.ooo rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Gominho e erva-doce a 4oo rs. a
Gravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a 4,000 rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs.
800 rs. cada um.
Caf do Bio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
1,000 rs. cada urna,
dem em Irlas ermiticamente lacradas a
l,8oo c 2,3oo rs. cada urna,
dem em caixas de '/* arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a 4oo rs. a lata e 4,000
rs. a duzia.
Wem de Hollanda era garrafoes com 24 gar-
rafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
Lentilhas excellente legme para sopa e gui-
, zados a 2oo. rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades a
800 e 4,000 rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800
e 96o rs^-a libra,
dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
a libra, e 58o rs. era barris inteiros.
Marmelada especial dos melhores fabrican-1
tes de Lisboa.a 600 e 64o rs. a libra, ba
latas de differentes tamanhos.
Maesa, de tomate em latas de 4 libra a 56o
rs. cada urna,
dem para soda estrellinba, pevide e rodinha
em caixinhas sprljdasa 3,oqo 3,5oo rs. cada
urna e 5oo rs. a libra,
dem, macarrao, talharim e aletria a 4oo rs. a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cadaiim
Molho inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Duarte Alweiila A C, recebrram de sua.prapria eneommeii-
o uiais liad e variado sortlmento de maulado*, prourlo*
da p rescate estacSo.
Manteiga ingleza | Ma^aa harneas
da safra aova vinda neste vapor de 28 de,para sopa, a raelhor qufrae pode dcsajar.
maio a 800 rs. a libra. macarrao, talhaiim e aleiria a 400 rs. a
Maulis franceza
da safra nova a 560 rs. alibxa, e em barril
aSOOrs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2;j40O, muito propios para mimos.
Cartees
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolacliinhas de soda de todas as qua-
lidades a 403GO.
Chocolates
de todas as qualidades a 10000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos vemos para 500 rs.
Queijos flamengos
agarrafa, lo,ooo rs. a caixa com I du- \che8ados neste mor a 20Ooo.
2j |oeijos
Nozes muito novas a 46o rs a libra. c,ie?ados no ultimo vaP.r a 2600 rada um-
Prezunto de fiambre superior a 600 e 800;, '* .,
rs l londrino o mais fresco que se pode esperar
dem do Porto para panella a 5oo-rs. a libra, i e ? extcel,ante "^ a 80, a libra
Passas novas a 48o rs. 1 libra. sendo mteiro e a 900 n, aretalho.
Peixe em latas de differentes qualidades co- (jOllServaS inglezas
mo, savel, .corvina, govas, pescadinha e as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
outros a 1,000 rs. a latas. o frasco.
Palitos para dentes a 44o e a 16o rs. o mas- "Puma
so dos melhores. I"s
Painco o mais novo e limpo a 16o rs, a li-iem li,JI'as e caixinhas ricamente douradas,
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor, a 3,000
dem prato muito fresco a 800 e 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je tem vindo ao nosso morcado a 800 rs.
a libra.
dem Iondrino a 9oo rs.
Sal refinado era potes de vidro a 5oo rs.
proprias para mimos a 900 e 4#200.
Cliil uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3> a 26O0.
lleui perAla
j especial qualidade a 2700 rs. a libra.
dem hysson
: o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
libra.
a duzia, e
cada um. 1 para sopa, macarrao, talharim e aletria a ;
Gerveja das raelhores marcas a 6,000 rs. a 480 rs. a Mina.
duzia, e56o rs, a garrafa. C'OCilVAC
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,800 rs. a ar-
roba.
Traques de 4.1 qualidade a 9,5oo rs. a cai-
xa, e 24o rs. a carta.
Toucinho novo de Liiba a 24o c 32o rs. a
libra.
lijlo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinbo em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,800 rs. a caada, e
ouo rs a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conlenlas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando com-
composicn a 56o rs. a garrafa, e 4,000
rs a caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, c 4,5oo rs. a caada.
dem mais baixo a too rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Bordala em caixas de 42 garrafas das.
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo!
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 4,2oo rs a garrafa, ga-j
rante-se que por este mesmo. prego d AlpiSta e X aillQO
prejuizo e s se encentra D'este arma- o mais novo do mercado a 4 40 rs. a libra,
zem. e 45400 a arroba.
a
libra e 4#500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A entras muitas mareas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
Hem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
26800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 4 e 4200
a garra/a e de 400; a 42fia caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisse Filho.
F. A M., Nctar ou vinbo dos -Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muito.
Lato
com 40 libras de banba a 4000.
Bolaehinha ingleza
a I 800 a barrica da mesraa que
vendem a 2)5000 e 2400.
Nozes
as mais novas do mercado a 4-20r*i .jf bra.
Oervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mar
cas de 4500 a HJSQO a duzia.
C-AHTOS
Charutos Thomc Pinto,. Reis e outros em
meias caixinhas a l.-viou.
Arroz
do Maranh5o a 400 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2,5500 a 3*000 a ar-
roba desses que vendem por 3*400.
CAF
de l.*e 2.* sorte do Rio de Janeiro a 8'5#
e 8*800 a arroba, e 280 a 300 rs. a lis>
Garrafoes
com 4 '/i garrafas com vinagre a 4*000**1
o garrafao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 4*000 o frasco, e de 41*000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 5*800 com
12 frascos.
GKNERRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-; finos de todas as qualidades, a 4o,ooo a caixa
des a 4,00o e 800 rs. a garrafa.
COPO
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellente qualidade a 2*200 a resma,
PAPI2I.
azul e pardo para embrulbo de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fume
o verdadeiro fumo americano em chapa a
4,4oo rs. a libra
Vinagre
PRRem ancoretasde 9 caadas a 45,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa |
e 4.000 rs. o niolho.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muilos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,200 rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 50o rs.
a libra e em caixa ter abalimento.
VELAS
i de carnauba era caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 5* a caixa o 60 rs.
a libra.
Passas milita novas
em quartos e inteiros a 2* o quarto e 6*500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 440rs. o pao.
Frutas en ealda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muilos a 640 rs. a lata.
Msee da easra da gahl
a 600 e I* ocaixiie.
Os propietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
IdeaMuscatel superior a 4,000 rs. a garra-
fa, e 10,000 a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
i,4oo rs. a caada.
Idm em garrafoes com 5 garrafas a 4.000
rs. com o garrafao.
: Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 42 rs. cada urna.
frasoos por 6,000 rs. e 560 rs. o frasco I dem de escova para esfregar cas* a 36o rs.
dem de laranja a 4,000 rs. os frascos gran-; cada um.1.
des, e 41,ooo rs. a caixa cora 42 frascos. Velas de espo-macote- superiores a 56o rs.
dem de Ifoilauda em bojas a 4oo rs. cada a libra, e 52o cm caixa.
um*- dem de carnauba retinada e de composicao
dem em garrames de 16 garrafas a 4,8oo a 36o rs. a libra, e de lo,ooo a H.ooors.
rs. com o garrafSo. a arroba.
liAZ GAZ GAZ At que ehegou
j "M4 x*I*fA v*'\*-,'fcl1 nm grande srttmenw de bico e reoda prefa de
venae-se gaz a lata-e em lotes de.40 tatas para cima- se P',e desejar ueste artigo e lara abatiraento.no arra&iem da ra doto- :!* e,ft' tUHane ra de Crejpo
peratfor-n:*6 e ruado Tbpiche Novo n. ftrj^
. Fio de al*4* da llakia em saecos de 4U0
libras.
Tem para vender Antonio Luiz de Ohreira Aze-
vedo & L,oo-swi eMxiptorio rm4Crt n. 1.
Sal do Ass ,. ATienyao.
A lwrdo do biale Linda Patinete : vende-se na Venden. .1 lalcrna n, 10 da roa o Ran^el, a* ,
ra da Cruz 11.23, primeiro andar, escriptrio de- uual se art.a bam afreguezadH para a trra e mes-1"* w>egaa .1 pnora
mo para o mato a trtrfr na mesma. lile Eduardo Fenton
Antonio de Almeida Gomes.
Vende-se a veriadfcira grala ingleza n.
!',07 rhegarin a poneos dias: rrt> wseripforio
ra S Trapiche n. 47.
Ferias para onrives".
Na roa larga do Rosario n. 2i, loja de joias, ven-
detn-se tds os ferros e utensilios de ourive.-.
GRANDE SORTIME^ITO DE FAZEJ\BAS


.
DE



99
Custodio, Carvalho & Comi>anliia.
uua no Qumifiaua

s*


Pecas de entremeios bordados a 13.
. Tiras bordada a peca i&.
Cobertas de chita a chineza a 2200.
I-enees de Imhu linos a 24200. k
Toalhas de Imho para mo.o duira 4A.
Sapatos de tapete para meninos, senboras e bomens peloliarato preco de MfiOO a nj-
Toallias de- Imho para mesa a 3A5O0 e 4^. ^^^ *^
Batcs de aros pira seuhora* a 3.
Fil de Jinbo liso vara 00/s.
(JraodeFoetimnlo de laas para eslds.
Superiores saias de Tu*tao para senhoras a 5.


Esleirs //o Aramty
Vendem-se ha iravessa da Madre de Dos n. 10.
Charutos de lavana
de soperiir tpialidadP veodem-se em casa
de fjc-hafleittfn ts (V. ra da Cnrz n. i2.
Que opportmift oeoafto para;
quem quiter comprar algodao, as-1
sucar, eic. elc..
Ifl

Bap Priao^'^asse.
Grosso, meto grosso, Ano.
Panlo Cordeiro.
Pauto Cordeiro mel grosso.
Panlo Cordeiro Viagado.
Na enacao de Pna vendem nnr hsraiScw. Todas esUs ceflenles e acreditadas qualidades
rwMdiKv^flin?Jf- ;'!! P"1 baratl;,"mo fabricadas no Bro de Janeiro aond,- tem ande
e porcoes de obra feua, rnpi leuda oecupa um (inu n- 1S
das ditas casas. Tudo se vende por tero, proprit- '.'' ''___________________
tarto de se retirar do, lugar: trata-se ao mesino Vende-se urna taberna com aco CuMTe
lugar rom Jo.> Cameiro de Faria, ou no Recite boa-ioeaiiade. a tratar t aesnu, m roa deto-
na iravessa das Cruzes n. 2 A, toja dejcalfado. sario Larga n. 31.
da

-

-^


Diario de PeraaRibnco Quinta felra 11 de Agosto de l4.
\

As precos da seguate
tabella para todos, po-
dendo assiin servir de la-
se para o ajaste de eontas(
eom os portadores.
AO PUBLICO
Sem o menor constran-
gl meato se entregar o
importe do genero que
nao agradar.
ARMAZE
RIJA DA CABEIA DO RECIFE W. *3.
(Logo passando e arco da Conceirao)
Grande redueco de presos, equivalente a dez por ceoto menos *.<> que outro qualquer
annunciante.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o preco da manteiga ingiera a l.ooors. a libra, bem assim o de outros
ulos objectos, etc., dando com isto orasio a tudas as espeluncas acabarpm porbom preco a manteiga de tempero, e gritaran em
alta voz, que podem vender pelo preco que eu.vendo!!! Ora, eu offendido com estas obscuridades e receloso em adoptar o mesmo
systhema que viro, encontrar, de s se-vender com um por cenlo a carola, resolv fazer esta grande reduccao de pregos, como veris
pela seguate tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados niao Mercantil nao
se sabia de oatro prego de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oo a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redueco a que
esto obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes rcclamacao de presos, e qualidades, vingam-se de uro e outro portadores
mal informado deate novo estabelecimento. para lbe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o sen fin
. to smente obter a concorrencia de seus freguezes.

Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromplido .e entei-
reza com que sero tratados, convida a uma vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me da rao a protecciio e preferencia na compra
dos gneros que precisaren], e quando nao pocam vir poderao mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos, pois
sero tao bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaco, afim de que nao v5o em outra parte.
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba.
dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranbo a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem da India muito alvoegraudo a loo rs. a
libra, e 3,000 rs. a arroba.
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Painco e alpisla a 14o rs. a libra, c 4,3oo
rs. a arroba.
Vlassa de tomate em lats de 1 e 2 libras a
6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a loo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a cajga.
dem e tallierim branco a 32o rs. a libia,
estas massas tornam-se recoraendaveis as
pessoas doentos por serem propriamente
feitas para esse fim.
.Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
25 libras a 52o rs.
Yinho do Porto mnito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 45,ooo rs.
Manbuga iagleza (.safra aova) especialmente
escolbida a 8oo rs. a' libra, eui barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a Ubra, e em barril ou
f meios a 5oo rs.
Ci hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra,
dem perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
oeste genero 2,6oo rs.
* dem preto homeopathico por ser de superior
quajidade a 2,ooo rs. a libra,
dem hysson, huxim e perola mais proprio
. para negocio o l,6oo, i,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garntese ser muito regu'ar, igual
ao que se vende em outra parte por 2,4oo
e2,6oo rs.
Linguigas, cRouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticaiuente lacradas a 5,500 rs.
garante-se serem superiores aos que vera
em barris.
Chourigas c paios em barris de meia e urna
arroba a 8,ooo rs. e l,5oo e 6oo rs. a libra.
Queijos llamengos muito frescos ebegados
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a l6oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
viudo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
io se laz abatimento.
dem pialo muito fresco a 8oo rs. a libra.
dem (lo Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a ellos
antes pie se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latasj pre-
paradas a Oio rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 6oo rs. a libra.
Pre/.unto do reino vindos de casa particular
a 36o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem ingle/as para fiambre chegado nesle
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 5,000 c 5,5oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e bespanol a 9oo
I.ooo e 1,"2oo rs. a libra.
Espermaceteem caixinhas contendo 6 libias
por .odo rs., garanle-se serem transpa-
rente e ile superior qualidade, tambero tem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta sovel, corvina, gors. pesca-
da, salmao, ostras e cuernos, vezugo ero, Bolachinhas inglezas as mais novas do roer-
latas grandes a 8ooe I,ooo rs. cada urna. I cado a 2,8oo rs. a barrica, e 24o rs". a
Vinho Bordeauj das marcas mais acredita- libra.
das que tem vindo ao nosso mercado a Rclacbinba de soda em. latas com diversas
6,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa,garante-' qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Rolo francez em caixinlias muito proprias
qualquer nao pode vender por este prego. | para mimo a 64o rs.
Genebra de Hollanda a 56o rs. o frasco, e Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
de comadre a 24o rs. a libra c
rs. a caixa com 8 libras.
H.ooo rs. a duzia. i.Vinendoas de casca mole a 32o rs. a libra,
dem de Hollanda em botijas grandes a ioo Rolacbinhasd'agiia em sal da fabrica do Beato
Antonio de Lisboa om latas com 6 libras
por 2,ooo; ditas doco em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas hnperiaes m latas
de 3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de I e meia libra
por 1,2oo; ditas em caixinbas de deversos
tamanboscom bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,i>oo,i>8Juors.
Azeite doce refinado P enano! ou do Kempes
de Lisboa a 35e rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de cscova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolba do mesmoa 5oo rs.
Mostard ingleza dos melbores fabricantes a
8oo rs. o frasco.
Mostard franceza em potes ja preparada
a 4oo rs.
Lentilhas encllenle leguroe para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l,ooo rs. e M,ooo a duzia.
Palitos para dentgs a 14o e 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolba do
mesmo a 5oo rs. ,
Catite \imeii)a?
Acaba
propria encommenda
GRANDE
liquida eio de b.-les na I ..ja e amalen
da Arar, e jnlatnele de fazen-
das novas vinias pelo vapsr, que se
vende pop p ecos Iiaralissiraos, ua
loja da Arara, ra 56, ite Lonrcnco Pereira Menees Gui
maraes.
Arara vende os baloes a 2,-^240.
Vendcm-se baloes de tti, 20, 23 e 30 arcosa
*2iO,2*300, 3 3JS00, 45 : s na loja da Ara-
ra, ra da Imperatriz n. 56.
\ Challes a t600, na Arara.
vende-se challes de lazfnha a l^StOO e 25, 'i:: i
I de merino a 25500 e 45500, ditos linos osla rapados
' a 55, ditos Je ponta redonda a 75500 e k : a.:
loja da Arara, ra da Imperatriz n. 56.
As laziiilias da Arara a 320 rs. o corado.
Vendem-se lazlnbas para vestidos a 320, a,
400, e 50(> rs, o covado, ditas lisas proprias para
, capas a, 400 e 600 rs. ocovado : na ra da impe-
ra triz n. 56, I$ja da Arara.
CoMes de chit a 2,5100.
i Vende-se cortas de chitas cscuros e claros a
25:00, ditos franeczes a 3,5200, cortes de rassa a
25 c 25500 : na ra da Imperatriz n. 5C, loja da
Arara.
Itoupa feita da Arara.
Vende-se paliiots de brm a 25500, 35, 355C0,
ditos de casemira do cores a45500, 55, i\-Z. 7585,
105, ditos prctos fino a 105. calcas pretas (!< ca-
semira a 45500, 5 c 85,ealcasde brim de coi a
25, 25500 o 35, serouias uVlioho a 25, d ali?u-
dao a 15600, camisas trncelas a 25 e 2-3500, !e
linln a 35 : na ra da lu.pfiatriz n. 06, ioja da
Arara.
liime buho a 1 200.
Vende-se brim trancado de linho para talca
e J560
I i ribo;
grande e variado sortimento brama a 15200,1528O." 15400 e 15600. de aJir
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em dao a 7i0 rs. avara, bretanba de lirfbo a 640 e 800
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus 'gneros e rs- a *ara: na r,,a (la l"|t,eratriz n- 8*
resumidos pregos, afiancjndo todo e qualquer genero vendido neste bem eonhecido ar- Ar?.ra !e"dc os.vc'os l"',l"s '' ,,e C0re,ia 1 mfl7Pm W 1 t o \ endem-se veos pretos e de cores naVa ctiane-
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a.32o, j Cerveja branca e preta das marcas mais a-
4oo eooo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo, I crediadas que vem ao mercado a 5,ooo e
garrafa.
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branro de Lisboa de excellente quali-
dade a ioo e 000 rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa etn caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melbores marcas, que
vem ao mercado cuino sejam Lagrimas do
Douro, Duque do Porto, DuqueGenuioo,
D. Luiz I., \ladeira secca, Malvazio fino,
Feloria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
\0,000 rs. ea 9oo e l,oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 6o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 56o rs. cada urna.
Sardinhas portugizas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
5,7oo rs. a frasqueira.
dem ile laranja verdadeira
1
de Aliona em Figos
frascos grandes a l.ooors. o frasco, e 1,800
5,5oo a duzia e 48o rs. a
Sag muito novo c alvo a 24o r,s. a libra.
Sevadinha d Franca muito nova aoors.
Charutos de todos os fabricantes da Bahiaedas
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,5ooe 3,8oo a ^ixade loo charutos.
Cognac inglez das melbores marcas a
1,000 rs.
a garrafa.
mazem.
Amendoas-oanfeitadas de 800 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfectamente flor, a.800 rs,
libra,
dem franceza a 56o rs,' a libra, e 5oo rs.
sendo em barril.
Cb uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo,
dem perela a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
dem hysson o maLs superior que se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a 2,000 rs.
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras
para cima a 2,3oors.-
Idem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada uma a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata.
Memrete o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
linas de senhoras pelo preco de 15 cada inn, para
Licores francezes e portuguezes das seguin- acabar : na ra da Imperatriz n. 86, loja d Arara.
ujsmarcas creme de violetas, gerofles, ro- As percalas da Arara-a 500 rs.
sa, absmto vespeiro, amor perfeito, amen- Vende-se ricas percalas para vestidos de sent.o-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim, ra'/awjda muito lina a 500 e 560 rs. o .ovado,
morangos, limo, caf, laranja, adra, gin- Da 'CuSSlUe VZX\%
ja, aneUa, cravo, or.ela pimeota a i 000, J2SJK ^T^f i Lpta
rs. a duzia i,000 rs. a garrafa, garante-se para senhora, pelo barato preco de 205 e 225 :
que os melhores que temos tido no mer- na ra da Imperatriz n. 56, loja da'Arara,
cado. Colchas da Arara a 45
Vende-se colchas de chila a 25, de damasco a
2,ooo rs. o quarto, a 6,5oo a caixa e 400^ JIaS* : "a rua da lm^mm n- J6>
rs. a libra. Cassas da Arara a 280 rs
dem corintbias proprras para podim a 80o1 Vende-se cassas finas organdys a 280 e 320 rs.
rs. a libra. | o covado, gollinhas para senhoras a 240, 320, 4C0,
Marmeladas dos maisafamados fabricantes de ?(* e 80 rs., manguitos a 500 rs., caoiisinhas a
Lisboa a 64o rs. a libra. l*-: na TLTTT "' "'&?
r.,!,, ,a rk 1 Ilramaiile da Arara a ZoSOO.
Erv.lhas secas muito nova* a to rg. a libra. Vende.Pe bramaille dl )inho Pon; 10 ptiam ,
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.*
Ervillias francezas em latas a 61o rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
255OO, dito muito superior de 12 palmos de tore-
ra a 25800, brim liso [ara lencoes a 500 c 560 rs..
panno de linho de 4 palmos de largura a 640 rs
Fumo de chapa americano a 1,60o rs. a libra l^uiSSST^^ "'3G' 'ja da "**
fazeoda especial. ;\Arara vende madapolfto fino a C>:>00.
800 Vende-se madapolao fino de 24 jardas, n. 60 a
65500, dito R. O. a 65600. dito n. 7 a 75, dito n.
,. .. : '1 Chourigas e paios mnito novos a 64o a libra. La 7^300'd'" nM40al.85',,dil0 w, diio u
dem miudiuho proprio para negocio a 1,500 c,;,.,! .rmip n 4 mwia ,Zu ,.ma J5, dito S a 105, dito il a 115, para acabar, algo.
ia. W-xas ae lra(llie n- a StfoU cada uma. ; d5o a 5|5300| Gmo 75 e na rua da Impera.
Massas para sopa macarro. talharim aletria triz n. 56,toja da Arara.
a ioo rs. a libra. A Arara vende chitas a 210 rs.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa I Vendem-se chitas para vestidos de cores tixa' a
e800TS. a garrafa. ?*9e.^??.li9va^'..il'la5 francezas largas a 320.
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo Presunto para fiambre inglezes a 7oo e
rs. a Jifera. rs. a libra.
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 2,2oo.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,2oo rs
dem prato es melbores e mais frescos do
rnercadora 76o rs. a libra sendo inteiro.
Genebra marca gato a 1.7oo rs. a garrafa.
kiem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
' 360, 400, 440 rs., ditas percalas muito linas a 500
e 560 rs., riscado francez a 280 rs,,
gur^urao na loja da
Biscoites em latas de 2 libras das seguintes
tnareas: Oshorne, Crakml, Mi.xed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machineeoutras mul-
tas a I,3ooe I,4oo rs.
Fumo americano em chapa a l,6oors, a
libra:
Aramia de todas as qualidades.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 5$ a
caixa e 60 rs. a libra
. 1 Balachinha de Craknel em
Ooce da casca da goiaba em latas oe 4 b-s |jrut0 a rt 000 rs>
braspor 2,ooo; ditoemcaixesa6oors. Idem nie;asem barricas amis novado
mercado a 3,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e to'.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de pono refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito
64o rs. a garrafa.
Pablos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinbo de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra c 8,">oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,000. rs.
Cebollas soltas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas por 1,2oo rs.
Matie excellente cha para os navegantes a
a-2oo rs. libras.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao. *
Papel de botica de excellente qnalidade a
21oors. a resma.
Potes com sal refinado a 48o rs. cada um.
em latas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a I,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
I garrafa. -1 linho para vestido a 280 rs. o covado
Charutos em grande quantidade e de todos OS Arara, rua da Imperatriz n. 56.
fabricantes mais a credrtados a 4,5oo, l.a/.ititas de uma s cor.
2,000, 2,ooo, 3,000 e 4,000 rs. a caixa, Vndese laazinhas de uma s cor, laes como
os mais baixos sao dos que por ahi se ven a7ul' verd,'> rpsa, lyrio, caf e etc. proprias para
ilrm amn9 Knr, rs capas c ve*tldos d senhora, a 600 rs.o covado
uem a z,ooo e 2.000 rs. mn mui(as fil7en()as nova,( qne se vendcm por
f'if rlp nrpmoira mnlirlidr a S Inn p O nnn baratissimos precos e a dinheiro : na rua da Im-
Late ae premeira quaiiaaae a .ioo e J,ooo |ipralrz n ^ |ja da Arap se adia abe[U
rs. a arroba e 28o a 22o rs. a fibra. at as 9 da noite.
! dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-.
roba e 26o rs. a fibra.
, ,., Arroz do Maranbo a I2ors. a libra, 3,ooo rs.
latas de 5 libras j a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,600 rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
frescas a Figos de comadre
Novidades
Chegaram ru Direila n. 91 os muito deseca-
dos e verdadeiros queijos flamengos cora 10 li2 li-
bras cada um, e se vendem a 65, e 640 rs. a libra
fe"
C5
o
P3 efi
f~~
lo o O)
P-
o C3
B
3
0 g
O
ce 02
GO CD
O
o
w

m
&
m
|
xn
SS5
Ai
o
Bi

X
&
Cu
O
S5
I
p-
o
CP
^ 5S
o
s
Cu
B
a
GQ
B
o

5
g5
oe i
POR MENOS DE 20 A 30 POR CENTO
rmj<:
SEKVATI
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muilos a 12o rs. a
lata de 21|2 libras,
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 6oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Yinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, jaectar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de uma duzia a Io,ooo e
I ,ooo rs. a garrafa. .
P-
<
P

O
23Largo do Terco28.
Joaquim Simao dos Santos, dono deste armazem de molhados, tem feito uma grande vaatagem dem branco d uva pura a 64o rs. a garra-
(ju.'in seu armazem tem frequciitado, liqnidou todos os seu& geaeros mais antigos que liaba aao s j fa e 4,000 a caada.
oeste armazem como fra, e tendo feito urna grande reforma neste estabelecimento tanto em taanho ,iqx superior a 5oo rs a garrafa 6 3 2oors.
a caada,
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
como em gneros que mandou vir por sua propria encommenda a maior parte, qaeos pode vender por
| menos de que qualquer annunciante, para isso se responsabiiisa pela superior qualidade.
Attencao.
a 15400 a arroba e 50 rs. a Queijos do vapor a 25800.
Batatas as mais novas
libra.
Toucinbo de Lisboa novo a 280 rs. a libra e 85OO
a arroba.
Gaf do Rio de primeira e segunda sorte a 280 e
300 rs. a libra e 85500 a arroba.
Arroz pilado a 80 e 100 rs. a libra e 25500 e 25300
a arroba.
Sordiuha de Nantes novas a 320 rs. cada uma.
Sabao massa superior a 180 e 220 rs. a libra.
Passas as mais novas deste genero a 400 rs. a libra
Ameixas franceza" com 1 e meia libras a 15-
400 rs. a garrafa.
EStZSs Tpm ?arr STdf'fcSE | ^JEBSS U 6 6 Pr '*" a *
Vmlio de Figueira, marca JAA, a 500 rs. a gar-
rafa.
Dito de Lisboa a 400 rs.
Dito de outros paizes a 360 rs.
Dito para negocio a 320 rs. agarrafa e em aada
se faz abatimento.
Genebra de Hollanda em frasqueras a 65000 e 500
rs. o frasco.
dem em botijas de conta a 400 rs.
Azeite doce de Lisboa fino a 600 rs. a garrafa.
Dito de carrapato a 320 rs. a garrafa.
Lija de fazendas da rua
do Crespo n 7.
Miguel Jos Barbosa Guimaraes, socio princi-
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,5oo rs. ar- pal da Brma do Guimaraes & Lima, faz scieni a
roba, e 36o rs. a libra,
dem de sebo mutto dura ngindo esparmace-
te 36o rs. a libra,
dem de esparmacete a 56o rs. a libra, e em
caixa a 52ers. com 25 libras.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, ja se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaco pautadoe lisoa 3.ooors. a resma,
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma,
dem a zul de botica ou fugueleiroa 2,oor s.
a resma.
dem embrulho de 1,2oo a 1,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/* hhra a
l,2oo e8oors. a libra.
respeitavel publico que tendo de liquidar todas a:-
fazendas existentes em seu estabelecimento per
ter fallecido o seu socio Jos de Almeida Nanes
Lima, que consta de um grande sortimento de fa-
zendas linas, como sejam ricos vestidos de seda
com algura toque de mofo, capas de velludo po lo"
muito linas e outras muas fazendas que todo
vende por baratissimo prego.
^^ HHMHI
ESCBAYOS FGIDOS.
Fugio na noite de 23 do corrente julho de
1804 o eseravo Jos, preto, crioolo, de 26-annos,
baixo, corpo regular, beicos grossos e estufados,
orclhas pequeas, e cacliaco grosso, pouca bar
porque tem apenas na ponta do queixo, levoo duas
calcas, uma branca e outra de castor escuro que
parece preto, de lislras, paletot preto, sem camisa.
e com uma carapuca encarnada na cabeca, a laia
dem em frascos de 3 libras a 2,500 rs., S O (|e marojo.: quem pegar leve-o rua Direita n.
frasco valle l,ooo rs. tambera temos em 5i- que ser generosamente recompensado.
frascos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Mostard preparada em potes muito nova
2oo rs.
! Belacbinhas inglezas novas a 240 rs. a libra.
Charutos de diversas marcas e superior qualidade I Manteiga franceza a 560 rs. a libra, e 540" em
de 15200, 15500, 25, 35 e 45- barril.
Pnosphoros do gaz groza 25200. Dita ingleza fjor a 720, 800 e 900 rs. a libra, e em
barril ha abatimento.
| vSe'carnata^S arroba e 360 a libra. I **,;* loma,e em ,a,BS *libra rs" cada Mem com 4 '/ dilas de venagre a 1,000 rs. o
Sevadinha e sag muito novo a 240,160 rs. a li-' Conservas inglezas, francezas e portuguezas a 640 a
bra. Garaote-se a superior qualidade. i o fraseo.
Alm destes gneros ba outros muitos que enfadonbo seria menciona-los.
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composicao a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha de matarana a 240 rs. a fibra.
.Ricas caixas com figos a l.ooo rs. cada uma.
Ricos livros com figos l ,ooo rs.*
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
i Garrames com 4 l% garrafas de vinho supe-
I rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
Andrade k Reg, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da rua do Imperador, algodao d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar atgodaS empluma etc., etc.,
pelo prego mais razoavel.
er nhav.
Quem duridar ve-

h

Salitre refinado, superior qnalidade, vinho Bor-
deaux, differentes qualidades, mais barato que em
qualquer parte : no armazem de E. A. Burle &
C., na da Cruz n..48.
|Vende-se uma taberna em nma das melho-
ra Azcvedo & C, no sea escriptorio rua ,da Cruz res partes e muito afreguezada : quem pretender,
numero I dirija-se ao Campo-Verde, rua do Socofo n, 49.
larialia 4 maiiditca siperlor
em saceos grandes: Tande Antonio Luiz de Oti'vei-
.Fumo imperial
Cortado igual ao francez muito pfoprfo para ca-
chimbo, em latas de 1 libra, quando nao seja me-
lhor igual ao americano por 15200 rs., para veri-
ficar a verdade os Srs. fumantes podem-se dirigir
"
Vinagre PRR em ancorelas de 9 caadas a
i5,ooo rs. com a ancoreta
dem em pipa puro sem o basmo a 2oo rs.
.garrafa e ,4oors.a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8oo rs.
a caia e 7oo rs. a garrafa.
Fugio na tarde do dia 16 do corrente um
, eseravo pardo, de nomo Marcos, desembarcado
a do hiate Sonto Anna, vindo do Aracaty, tendo
de idade 28 annos pouco mais ou menos.'e os siy-
naes seguintes : altura regular, secco do corpu,
, p'ouca barba, cabello crespo, levou camisa u
calca de algodaosinho de. riscado azul e cha-
peo de palha, tendo levado comsigo uma trouxa
a com inajs roupa, c rendido de uma das verilhas;
quem o appreendcr queira leva-lo rua da Madre
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo fSSSSi U d Brm "" 55' ^
e 6,ooo rs. a duzia e 5oo rs.a garrafa.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
viudas do "Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. o molho e
8oo rs. o cento.
Molhos inglezes a 8oo e 1,000 rs. o frasco.
Cravo a 48o rs. a libra.
Cerveja Tenente verdadeira a 7,ooo rs.
duziae 6oo rs. a garrafa.
4TTEN(40.
Ausentou-se no dia 10 de julho do'corrente auno.
da casa do abaixo assignado, o eseravo eapinneiru
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000 por nome Francisco, de nacao Costa, idade mais
e 56o rs 0 frasco ^e ** annos, estatura e corpo regulares, rendido
n r, o i i n re das verilhas,. bem desembaracado no fallar, tem
aem em notijas a oo rs. sido encontrado na fregnezia da Boa-Vista, na ci-
,.m____-i-^'-'_ An .. '. ..i-a.-'' K Q___' dade de Olinda, cm Beberibe, nos engenbos do dis-
Idemem garrames de U garrafiS.a 0,200 rs., ,ric,ode lgUarass,-e ltimamente na povoatao de
Palitos do gaz a 2,200 rs. a groz*e,2o rs. a Pasmado, consta intitular-se de forro, que anda
-;., vendendo miudezas e comprando ovos; de snp-
Tdem dP dentPS Tados ^m maros rrandps' pr (lue.,on,asse.Ja direccao de Goianna : portanto
tuem ae aentes nxaaos >em maos granaes roga.se s autoridades poiiciaes e capuaes de cam-
COm 20 rs. 0 macinhos a 12o rs. 6 maSSO. po a sua apprehensao, e leva-lo Ignacio Marques
Cominhos muito novos a 32o rs. a liora e
I o.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs, a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra o 5,4oo a arroba.
da Costa Soares, na rua do Progresso n. 3, liairro
da Boa-Vista, ou seu senhor Fredenco Marques
da Costa Soares, em Iguarass, no sitio Pitangas
das Freirs, que serio generosamente gratificados i
Fugio do engenho Pontal, no dia 18 de maio !
prximo passado um cabra de nome Mathias, com i
os signaes seguintes: cor fula, corpo regular, com
pequena-barba uo queixo, tem uma das percas .
Peixes em latas al.OOO rs. a lata j prompto I ma,is grossas que afutra de uma ferida, e tem um t
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato tsaccos
grandes a 4,ooo re
Doce da casca da goiaba a 6oo e l.ooo rs. o
caixao.
O proprietario do grande armazem Uni3o e Commercio declara aos seus fregu
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipuiou
fabrica vapor de cigarros amiga roa dos Quar- ,08 mesmos precos nos seguintes lugares:
"'''*""""'" niao e Commercio rua do Queimado n. 7.
Vndeselelte : na rua da Imperatriz nu-'
*e.o 52. o I
O Verdadeiro Principal rua do Imperador n. 40.
dedo do p por cima do outro : quem o pegar le-'
ve-o seu senhor no mesmo engenho, ou em casa '
doSr. Maneel Alvos Ferreira nesta praoa, quesera';
bem recompensado. No dia 2 de julho- prximo i
passado fugio do mesmo engenho um cabra de no-
me Joao Canuto, este eseravo bem eonhecido que
fof doSr. Francisco Accioly de Gonveia Lins, cero*
os signaes seguintes : cor cabra, corpo grosso, esa
bucando, tem as pernas um pouco gambetas, j fui
visto.em Ponte de Ucha e Monteiro : quem o ap-
prehender pode entender-se com o Sr. Francisca
Accioly de Gouveia Lins, oo no escriptorio do Sr.
Ma noel A Ivs Ferreira, quesera bem recompen-
sado : o primeiro ter 30 annos, pouco mais ou
menos, o segundo 20 annos.
X


i
-
_


Diarlo de Periambaeo Quinta lelra H de agosto de I94.
Uui conclave.
x
(Continuarao.)
Cada uin dos partidos tem o seu caudidatJ. '
com Panvini, po/que indica dezesete meios dieff-, fircurasUncia actual, qne se esse eslabeleci ment
rentes. / I quizer recorrer ao senado por aehar que os seos
Comtudo.o sabio Mabillon rcduz ludo a seis. Nos o'toresses esl5 compromettidos, os seas direitos
nossos dias, porra, nao existen) mais de tres ma- conen,cad<;- nad P^era impedi-lo de exercer por
neiras de escolher o eleito de Deus, parque 6 prin-! me9rao dlfe" ,ie pe"aa M>as qo"" IS,
cip.o aceita que aquello que sane papa do concia- i n5 8e dal ninha ^ini5- P^6 de
ve, sernpre o eleito de Deus. Quem Deus Jussit,
Julgando este debate, tomarei a liberdade de
dizer que se os negocios se multiplicaraui e assu-
miraB raaiorbs proporgoes egualmcnte certo que
os metaes preciosos nao ho faltado, e que vimos
chegar da California e da Australia consideraveis
qnantldades de ouro e de prata. Estabelecido as-
sim o equilibrio entre esta quantidade de nnme
i alguma sorte sujeila-lo a um interrogatorio, pedin-
' do-lhe comas na sfla slluagio, nterroSando-o a res-' rario e a quantidade de operagoes, nao ba tama
buos deste novo forum *m* f Sr Peit0 das Sllas in,en5es' c I"**- >" : nha dipnoa como se suppoe entre a situago de
r.i.-visa lava ardenle 4 satyra. ewqoanto qu
a lv gados de encraiilhada espalham lontes da
A primeira maneira de eleger um papa a que
m
sua inexliagakel aeoadia. Todas as corles teem se chama_p0). acckmagSo ou pela adorarao. U
ali os s,.!- sateiytes, e em.|uani" que os m-i- re- ..mie;il |eVaota-se, proclama em voz alia'a sua e
presentamos offlciaes intrigara no conclave, >, cMti,*e cmiI os seus collegas, que pariilha
neira absoluta e definitiva.
tos subalternos nosdeixm de agitar na praca pu-,
bliea, porque uos estados da egreja todos sao /e-
nliorcs, excepto o governo legal. f
C grande aconiedmeiiio que poe em aecao todos
estes inleresses que se dcliatem, todas estas pai-
xocs que se agilam ; esse grande aconteeimeuto,
r;ue o inundo espera rom impaciencia, e que (leve
preeaciier os votos de mais de eenlo e dncoenta
inillioes de catholicos: esse acontec ranlo conside-
ravel aununciado com a falta 4c um pouco de
fumo. "V
XI
AS JANELLAS.
Reservo pois a mlnha opfniao a respeito do
" i banco da .Saboya para o momento em que lit pa-
oua es-; ,,
.-,. ; recer que lleve usar do direito de petigao.
da mesma opiniao, a que o sigam na adoracao jn-! Quinto pluralidade dos bancos, direi apenas
to do altar. Se conseguc legar comsigo dous ter- algumas palavras. Nao sympathiso com ella Esta
qos dos votantes, a eleigao est consummada e pro-
llamada. Este proces.-o. milito expedito, succede
muitas mes, snppondose que o que toma esta ini-
ciativa ousada est de ante mao certo do seu xi-
to. Ninguem se atrevo a declarar se em opposigao
aberta a urna cscolha que julgar certa, c a eleico
feita deste modo quasi sempre unnime.
A segunda maneira chama-sporcqWprfmwo,
Emprega-se quando os cardeaes nao teem chegado
a coinbinar-se, depois de um grande numero de
escrutinios, e quando se pode prever que elle.- se
Ninguem admittido as janellas do conclave | na0 f)0dero combinar. Consiste em delegar o po-
a nao ser portador de um signal que o faca re- Jer ^ nomeago, em cerios cardeaes que mere-
conbecido, o qual deve ser apresentado aos guar-' ram a confianga des seus collegas, e cuja sabedo-
ras.
Cs cardeaes es
StSo ncr uso de darein
aos seus fa-
lia e conbecimenlos offeregam lodas as garantas
de uina escolente escollia. Tcm comtudo aconte-
questao, ninguem o ignora, anda boje debatida,
e ou julgo-a realmente controvert vel. Nunca ti ve-
mos em Franga, rigorosamente fallando, a plurali-
dade dos bancos, a nao nos retrrantarmos a pocas
remotas em que ba memoria de diversos estabele-
cimeulos bancarios que ettt.iNiam bilbetes, os qnaes
se encontravam na eireulagao.
Desde que se fundou o banco de Franca eni.1806
s elle tem emittdo bilbetes. A principio o banco
de Franca teve urna esphera limitada; ao sen lado
hoje o a dos tempos mais remotos. Por Conseguin-
te as censuras justas no principio ainda o sao ac-
tualmente.
Nao quero entrar em maiores desenvolvimien-
tos do que a propria peligao, nem profundar a
questao debaixo deste ponto de vista. Mas cmfim,
diante da difflculdade innegavel que subsiste de
presente, o peticionario tralou de vtr so nao seria
possivel remove-la por outro meio que nao o da
elevacao da laxa do descont. Eis o meio que elle
suggere e as nades em que o funda : o rclatorio
os menciona confessando que apenas os expoe per-
functoriamene.
l'os eu nao vos fallarei perfunctorianiente a
este respeito, dar-vos-bei a explieagao precisa e
clara do meio proposto pelo peticionario.
Pensoque o honrado relator houvera procedido
miliares e as pessoas que se dignam admittir a vi- cido que aquelles delegados hajam usado em seu
sita-los, pequeos bastoes, pintados de verde oueor proveile do direitu que Ihes foi conterido. No con- dos de urna maneira geral. Este syslema, podemos ignorava o que sao o banco e as suas funcc5es, e
funecionavam estabelecimentos com faculdades melbor tratando disto menos summariamenle.
mais restrictas. O systema de pluralidade limitada U peticionario disse : Oque fazo banco quan.
e incompleta nao foro de que tratou o Ilustrado (do troca o seu bilhetc de circulagao por um titulo
Sr. Hubert-Delisle no seu relatono. O honrado de cominercio ? A respeito do macbioisino do
membro disse apenas algumas palavras a respeito banco, bem pouco tenho que dizer ao senado; o
deste systema, mas reservou todos os seus raios relator entrou em largas explicagoes sobreest
para fulminar a pluralidade dos bancos considera- assumplo. Elle suppoz que a maiona do senado
Ce violeta, tendo o eunho das suas
armas. Para I clare que se ven'Gcou em Leo, em 1318, o cardeal
quem conhega a ardente curiosidade dos Romanos,
u desejo immoderado de noticias, fcil compre-
hender o empenho com que se procuram e solici-
um aquelles passes.
Alm disso, ha alguns personagens que teem o
direito de fazer cunhar medalhas com que os por-
tadores saoadmitlidos as janellas. Estas medalhas
sao, de ordinario.compostas de urna liga de metaes
ominuns.
todava as que eutregam as pessoas de distinc-
rAo sao cuuhadas em bronze, prata, e at em
airo.
Vejamos agora quaes sao os dignatarios que leem
o direito de distribuir essas medalhas :
Saa eminencia o cardeal Camerlengo da santa
egreja.
Monseuhor o mordomo, governador do con-
clave ;
S. Exc. o principe Cbigi, marechal do con-
clave ;
Os conservadores de Roma e o prior do chefe do
quarlo;
Monsenhor o governador de Roma ;
Monsenhor o auditor geral da cmara apostlica,
.secretario do conclave;
Monsenhor o tliesoureiro geral, ou ministro das
finangas.
As pessoas admittdas s janellas nao podem fal-
lar em voz baixa, nem empregar a linguagem ele-
gante da mmica. Dcvem exprimir-se em voz alta
O intelligivel, afim de poderem ser ouvidos pelos
guardas, os quaes por isso se chamam ascollalo-
(. Estes teem direito de lr todos os eserptOS que
cntram no conclave, ou que dellc sahem.
Deste modo qaaesquer bilbetes, cartas ou volu-
ines mandados para fra, devem.ser sellados pelos
guardas; os que chegatn so Ihes entregues abor-
tos. S ha excepgao para os escriptos que passam
pela janella do secretario do conclave.
Alm disso, os guardas leem obrigaeao de exa-
minar lodos os pacotes que entram, assim como
d'Euze, natural de Cahors, sendo investido no
mandato de delegagiio, proclamou-se a si proprio,
dizendo : Ego sum papa, e fez-se coroar com o no-
me de Juao XXII.
Desde enlao, em vez de se delegar o poder n'um
s, apuntain-se pelo menos tres cardeaes. Neste
diz-lo, ainda nao foi experimentado em Franca, frz a resenha histrica deste estabelecimento e das
Nao fallo da sua existencia nos Estados-Uoidos ; a suas relages com o publico.
occasiao nao propria. Os hbitos flnanceiros, bem
como todos os oulros, sao tao excessivos na Ame-
rica, que nao podemos riedir-lhes bases para orna
comparagao til. ^
Era Inglaterra existe a pluralidade dos ban-
modo de eleger procede-se algumas vezes como as | ^s verdade' seja que existiu de urna maneira
ailjudigoes em praga publica. Accende-se urna ve-
la, e emquanto ella dura devem os delegados con-
curdar entre si. Acabada a vela, se a eleicao se
nao tem verificado, os poderes expiran) com a luz
ephemera.
Finalmente, a terceira maneira, e a que se usa d pluralidade dos bancos. Ha para isto razoes
mais frequentemente a do escrutinio individual i mais completa antes de Robert Peel.
Sbese perfeitamente que de 800 900 ban-
cos que funecionavam nesse paiz, s restam hoje
233; mas emflra o que certo qne, depois de
ter tido o excesso, a Inglaterra conservou o uso
e secreto. A votagao por meio do escrutinio reno-
va-se (las veves por dia, sera inlerrupgao dos do-
mingos ou dias de festa depois dos dous actos im-
portantes da vidao almogo e o jaotar.
(Jornal do Commercio, de Lisboa.)
0 QUE VAE PELO HUNDO
Damos em seguida o principio da discussiio ha
vida no senado fraocez sobre bancos de emissao.
O Sr. Phksidkntk : Antes de passarmos I ldade.
Inglaterra e o que tem lugar em Franca ; mas o
que facto que, no nosso paiz, a pluralidade dos
bancos nunca foi experimentada de um modo
completo. Vimos funecionar a pluralidade rrmita-
aa, e se ella deaappareceu do nosso systema finan-
ceiro, nao foi porque houvesse causado graves
prejuizos. O banco de Brdeos durou 27 annos, o
de Lyao prestou muitos serviros; oulros bancos,
que gravitavam em torno do de Franga, deixarain
recordagoes mui favoraveis ao systema da plura-
ordem.do dia, o senado tcm de deliberar sobre as
conclusoes do rclatorio apresentado pelo Sr. Hu-
bert-Delisle a respeito de urna petigao relativa
redcelo e a estabilidade da taxa do descont do
banco de Franca e ao privilegio da sua instituigao.
t Tem a palavra o Sr. Le Roy de Saint-Arnaud.
O Sn. Le Roy dk Saint-Arnaud : Sinlo que a
peilgao n. 606, a respeito da qual o nosso honrado
collega, o Sr. Hubert-Delisle, vos apresenlou un>
rclatorio era nome da 6 commissao de petigoes,
nao livesse sido impressa juntamente com o rea-
torio, ella Ihe houvera feito multa honra, porque
simplicissima e nao sahe. fra dos limites da ques
tao a mais ordinaria que possa ser submettida ao
senado em materia de bancos< deu ella ensejo ao
Ilustrado relator para elevar a questo s mais al-
tas reglde3 das finanga?, e ao mesmo terapo propor-
qualquer objecto] embota contenlia dnheiro per- cionou-lhe um pretexto para discutir, examinar e
lencente aos cardeaes. Devem sacu ir as aves de submetter ao senado tres qoestes difflceis, no meu
pena, examinar caulelosamente os artigos de pas- entender inopportunas, mas sem duvida de incon-
tellaria, fiscalisar as comidas e desmanchar mesmo testavel gravidade.
qnalqner ruma de pratos; mas esse direito nunca Oque vos pedia a petigao T
se exerce rigorosamente, porque so sabe que os sa- L'm banqueiro de provincia inquielou-se ven-
grados eleito.es nao queririam expr-s* a resolver do o banco levantar o seu descont e fazer chegar
as suas elevages a 6, 8, c al mesmo a 1 /o, e
i-na affrouta.
A astucia italiana forneee-lhes oulros meios de
ODtreter correspondencias secretas com a parle ex-
,crna do conclave.
Na manhaa do dia seguinte entrada no concia
Estes bancos s dcsappareeerara na poca em
que a obrigagao do eurso forrado os fez entrar
violentamente no gremio do banco de Franga.
Por consegrante, a questao anda est tm p,
pode ser discutida ; nao un questo decidida.
Por emquanto, como a petigao nao toca aella, nao
me alongare! mais; pe-rei de- parle a questo da
pluralidade dos bancos, aosim como puz a do ban-
co da Saboya.
lia urna terceira questo no relatono do Sr.
Hubert-Delisle e a relativa a taxa do> descont,
a saber, se a Oxagaoe a invariabilhlade- urna con-
digao normal ou se a Uberdade do deseonlo e as
suas oscillages soura (acto economisodelal ma-
neira absoluto que nos vejamos obritfados a do-
brar-nos diante delle e a aceita-lo. Dbaixo des-
te ponte de vista importa que eu chame primeiro
a vossa attengao para a petigao a respeito da qual
o Sr. liubcrl Uelisie apenas- vos disse algumas pa-
lavras.
O peticionario, que s se prcoccupacom a ele-
vacao facultativa do descont, emprega contra os
inconvenientes desH faeto todos os esfwcos da sua
petigao; entra na questao de um modo franco e
notando que este descont reagia sobre o da pro- ^goriro e trata de averiguar se no cuo-da cx.s-
vincia. Considerando os receios que determinaran,' tencia de um s banco, as oscllagoes do descont
o banco de Franga a levantar os seus descontos, e' s5 "> fac, norroal e 'nev"avel- .
. .. ... .. ......i Rjie sabe perfeitamente o que tocios-nos sabe-
a vista do abalo sollrido pelo commercio as suas, "^-"! ... j .
mos isto que o banco der ranga responde as ex-
tranaegoes pecubares, tratou el e de indagar se o '
(Continuarse-la.)
A IIHA DE GRETA.
Recordagoes de viagem.
II
Depois de cumpridos mysteriosamente os ritos
do baplismo por algum padre amigo da familia,
era menBO circumeidado pelo lman e recebia um
nome musulmn^ como Ibrabim, Hussein ou qual-
quer outro, nico pelo qual era couhecido e de
que usava publicamente.
Todo o mundo attesta que essa opulenta lamilla
Desde as botas do jo*^ Poncet, as chinellas de
Cendrillon e os sapatinhosdaEsmeralda, nunca mi-
niatura mais delicada sahin da offleina das,fadas.
A' vista dessa Jola preciosa, embarquei-me a todo
o panno no ocano das conjecturas; reconstrn
pelo pensamento a phanlasma aerio, cuja primeira
pega jazia aii em piaba presenga; procurei realar
gradualmente os annsis dessa cadeia dourada.
Oh tul exclamei alto com grande estupefac-
cao do salioianio que escovava conscienciosamente
os meus escarpins; oh tu bayadera, imperatriz
ou grisette, que caigas um to delicado borzeguim,
eu te phantasio, eu te adevinho, eu te vejo cora
pomas de corga, tal lie de vespa, mao de menino e
cabega de seraphm. To fiauzina e to gil, tu
deves amar a dansa ; a dansa irmSa do amor ; o
amor lilbo da belleza. Assim, tu s bella/bella
cuino a virgein dos peixes de jUpbael; bella como
a aiidalusa de Mr. de Husset. o cu que nos
aproxima um do outro; o mesmo inferno nao po-
der mais separar-nos.
Depois deste monologo shakspeariano, peguei o
impassivel engraixador pela golla, e Ihe disse em
voz abafada :
A quem periencem esles borzeguins verdes
Que vos importa saber ?
Se ie calas, eu te suffoco ; mas se fallas, eu
te enriquego.
Ah!
Responde, e esles setenla e cinco centesimos
sao teus. A fortuna ou a morte, escolhe !
Escolho os quinze sidos.
Qual c a densa que te conGou este calcado ?
Nao deusa.
Entao a duquezaque...
Ainda menos.
Ou antes a pastora...
Nada. E' urna fabricante de bonets gregos.
E' possivel! Nao importa... o seu nome ?
Ethelwina.
Onde mora f
Na ra Hasard.
Que numero t
Um bis.
Em que andar ?
No sexlo cima da sobreloja.
Ha o cu !...
Tem urna pata de tebre porta-
Apossar-me dos borzeyuios. dar ae-saboiardo
nunca eixava de empregar o valimento de que go-1 ^ queria deler.rac> um S0MO e din,^r0) fugir
zava para-com o pacha e a influencia que exercta j com pres|m de un) wagg0Bj fo para mim. negocio
de um segundo.
Chego morada indicada, subo os sete andares
como um caracol, e tambaleando- de emogov esbar-
ro porta da miaba nympha de ps pequeos.
Ella abre, eu- entro.
na intimida wv un. ....^miiv. .. ^........ ..w..w. l| illalVOl ^ ("it.uiliti rs, iidiuu C1IC uc iiiuukiii o> u .. J
e. quafro horas do meio-dia, monsenhor o gover-1 banro na0 teria otllro mi>io de conservar o seu fun-! ("-obracocs que Iba azcm a este resalo ducado-
no scudistricto, a fira de proteger, o mais que era
possivel, os pobres rotas, defende-los- contra os ve-
xames e ultrajes de que constantemente eram
ameagados. Todava, os Kurmulidas sentiam-se
pesarosos e inquietos quando pensavam na outra
vida e no castigo que os aguarda va pela sua ap-
parenle apoetasa (I) Dominado por esse temor,
um delles deliberou-se, nocomego do seculo, a fa-
zer urna peregrinacao ao santo sepulchro, e per-
guntar ao patriarcha se um sincero cliristao, que
exteriormenle professava o- islamismo-, pedia espe-
rar a salvarao da sua alma.
O patriarcha respondeu-Bieseni hesitar que um
christao, que oecnltava a saa K, e rendia publicas
homenagens aos falsos propnetas dos infle, devia
renunciar a lodti esperanga ifc salvagao. A' vista
dessa resista,, o vclho tomou logo nina resol ti ao.
que voltando casa fez adoptar pela inaior parte
dos membros ta sua familia. Triuta Kurrmilidas
resolvern) ir juntos procura* o pacha em Mega-
lo-Kastro, e deelararem perante elle que eram to-
dos christaos, e sujeitarem-se morte ignominio-
sa que nao podiaideixar de resultar-Ibes dessa-con-
flssao. Quando entraram na eidade. era signal de
respeito ao arceBt6po, foram apresentar-se a elle
primeiro que ao pacha, e coromunicaram-lhe a in-
tengao que levavam.
O'metropolitano; como de stippor, nao encarou
o negocio da raesma maneira que o patriarcha de
Jerusalem, e couibaieu com todas as torcas utn-tai
projecto.
Nao teve grande trabalho em provar-lhes- que
nao era smente a si que elles conderanavam ao
martyrio, que a. sua morte anarretaria fatalmente
a de muitos oulros christaos que nao estavam pre-
parados para tal. desgraga.
Proceder-se-hia com o maior rigor contra todos
os padres que tinhain consentido em casa-Ios e em
baplisar-lhes es filhos ,contra os bispos que, em dif-
ve
nador, encarregado da vigilancia interna e da dis
tribuiro dos guardas, procede, na companhia da
t!uarda suissa, abertura das janellas, einqumto
que S. Exc. o marechal, seguido de tres entrega-
dos da sua comitiva, abrem os fechos da parle ex-
terna.
As janellas conservam-se aberlas ale aos tres
quartos depois do meio-dia; t ornam-se a abrir viu
te e una horas e meia, segundo o metbodo italiano.
isto dras horas e meia antes da nonio; final-
mente, fecham-se de novo meia hora antes da Ave
liara, todava, as tres janellas dos cardeaes s
,s fechara meia hora depois das outras.
XII
ENTRADA KA CAPELLA.
No mesmo dia e mesma hora ( oito horas e
meia) passa um mestre de ceremonias pelos corre-
dores, tocando urna sinta para prevenir os car-
deaes de qtw devem estar promptos para se diigir
rem capella do escrutinio. Repete-se o mesmo
aviso por mais duas vezes. com meia hora de in-
tervallo de cada vez, dizendo na ultima o mestre
ele ceremonias as seguidles palavras era voz alta :
fil Capellam Uomini. EntSo todos os cardeaes se
cncaminham para a capella Paulina, acompanhados
de dous conclavistas.
Logo que eslo reunidos, faz-se a leitura do pro-
cesso verbal de encerramento do conclave. De-
pois o cardeal decano celebra o oflicie da mlssa, e
cada um dos eleitores recebe das suas raaos o sa-
cramento da eucharistia. No fim da mlssa os car-
deaes dirigem-se s suas celias, afim .de almocar.
Consumraado este acto, encaminham-se novamente
para a capella, afim de procederem eleicao.
XIII
MANEIRA DE FAZER A ELEICAO.
No mundo nao existe poder a'SUIn (lue sJa mais
absoluto do que o dos papas. E nao fallamos s
do seu poder espiritual, que vae at infallibilida-
de; referimo-nos ao seu poder temporal, que se-
mejantemente Ilimitado. Teem na sua mao a vi-
da e a fortuna dos seus subditos; dispe a seu bel
prazer da fortuna publica; cassam, reveem ou au-
nullam todos os processos, todos os mandados da
|nsga, contratos e (estamentos; tiram a um pro-
prietario a direcgo dos seus bens, e a um pae a
Cutella dos seus fllhos; adiara indefinidamente urna
divida qualquer; eraQm resumem na sua pessoa
lodos os poderes do cu e da trra: sao elles alei
viva, e todava esse poder sagrado, inviolavcl e sera
limites tem por base o principio mais radicalmente
democrtico:a eleicao.
Honve outr'ora urna infinidade de maneira? para
eleger os papas. O historiador Panvini apona
dezoito processos differentes empregados desde a
fundagao do pipado at ao em que elle escreveu
1,857. O jesuta Plettemberg est quaside accordo
do, alm do-da elevacao do descont.
c A petiglo nao versa sobre outro assumplo. nao
tem outro lin.
So. menciona o banco da Saboya, a respeito do
qual d'aqui a-pouco direi apenas algumas palavras,

jue nao tem outro meio de conservan o seu fun-
do,que sendo o deseonto o prego do dinheiro, to-
do se reduz a urna queslao idntica n que se do
na praca, e que, como nao se pode 1er dinheiro
barato quando ha escassez da mercadura, e o di-
smente na hvnothese de o governo reronhecer' nheiro s est barato quando abunda,-as oscilla-
que este banco,'cuja situago de banco departa- U'* do descont constituem um faeto econmico
mental ninguem contestar, tem algum direilo a que nao pode ser dominado,
urna existencia mais lata. Eis como argumenta o peticionario :
Mas para vos collocardes em urna siluago re-
E' pois smente no caso de o governo reconhe-^ ^^ CM(|.$8eg fc ^^ ^p^ primei.
cer que se pdem existir dous bancos exercendo"'
ro que tudo que nao fosseis um banco privilegiado-,
os mesraos dimitas que o banco de Franga, o da .^ Q ?owo |yi| naoconsislis?e em
Saboya deve ser O) delles; so nesta hypothese, ^.^ m {miQ de y6g ^ eirculacSo d w.
digo, que o peticionario falla no banco da Saboya.
t Quanto questo da pluralidade dos bancos,
o peticionario nem toca aella.
t Entretanto, senbores, o relatono, no desenvol-
viinenlo que Ihe deu o honrado Sr. Hubert-Delisle,
as consideragfies de tanta trancendeneia a que se
entregou, as suas pesquisas histricas, as suas
narragoes s vezes pomposas dos servigos presta-
dos pelo banco de Franca, servigos que ninguem
contesta, o relatono, digo, aventa perante o senado
tres questes.
t A primeira a segrate : qual sera o systema
preferivtl em malcra de bancos de emissao, o de
um s banco ou o da pluralidade dos bancos f
Hieles de banco cuja economa ser explicada d*a
qui a pouco ; eumpriria finalmente que vos hou-
vesseis conservado fiel ao preceito que vos fra
imposto pela lei da vossa ereaeao.
Fosles estabelecido para fornecer 'capitaes ao
commercio, para descontar os teus ttulos; se s
houvesses feito isto, e se para poder faze-lo- sem-
pre, vos titeaseis conservado as condigoes da
vossa origen), nao vos terieis adiado tantas vezes
em risco de ver o vosso fundo exhaurir-se de to-
do, sendo-vos preciso buscar meios para rete-lo.
t Em que vos tendes conservado fiel s condi.
ges da vossa origem ?
c Obrigado a constituir um capital social, em
A segunda esta : qne medidas devem ser to- j yei de deixa-lo disponivel, immobilisasto-lo : fos-
madas a respeito do banco da Saboya ? Em que les aut0risado a receber contas correles, e nada
Bzestes para multiplica-las; nunca dstes juro al-
gum por esles depsitos em contas correles; em
vez de consagrar capitaes s necessidades do com-
Ella recua, eoadianto-me.
Ella se espantaren caio seas ps.
Ella me interroga, eu Ihe beijo as maos, e Ihe
cont de improviso um romance que ella er' pala-
vra por palavra.
Que vos direi eu-?
Urcquarlo de hora aepois estovamos amigos,
quasi amantes, e ja- podamos decifrar correte-
mente o solfejo de aossas duas almas, desde a gan-
na modesta at a estrepitosa syrcphooia.
Este do phantasiieo durou oitodias com grande
salisfago dos executantes, tem quenenhuraa disso
nancia viesse perturbar a harmona!
Nossas vosea se casavara lobeml Eu estava
to apaixonado! Eihelwina era tao bella 1 Por.,
quamo, devo confessalo, achava-a tal qual a enlre-
vira pela prisma doorado dos meas-sonhos, esvalla
e gil, rneiga como urna noneca,, graciosa como
urna {wla. Nao occultarei quo seus-cabellos eram
d'um louro arruivado,, que seu semblante era pi-
cado pelas bexigas, e-que seus olhos nao eram si-
tuados rim plano exactamente parallelo. Mas
quanto essas inadvertencias da natureza tornayam-
Ihe a physionomia mais altractva e mais ori-
ginal '
O que havia ah a notar ?
Tanto valeria culpar ao sol petes-na veas que de
momento passam-lh pela face.
Eu queaborrego a-chicana, contentei-me de sa-
borear minha ventura sem pssa-la pelo alam-
bique.
Smistra vontura t
Vos (jue rogaes, rogae por mim !
A fatalidade espr9lava-me no seio de raeus pra-
zeres, com- as garras estendidas, as fothas hiantes.
Elle fizara a boda, e eu pagara a musir.
Esto espectculo revoltou-me a razo; meus
olhos se inflammaram como dous Vesnvlos; e o
coragSo bali-me a romper o diaphragme.
Laocei enlo mao de urna faca de fazer salada,
embeba no seio do meu associado conjugal, e ar-
ranquera fumegante d'ahi.
Ethelwina desmaiou, e-eu piu-me ao fresco.
Quinze das depois minha consorte se asphyxia-
va maldizendo-me; e u entrava para a Trappa.
Mas esla sangrenta tragedia pesa ainda sobr.
minha memoria comoum pesadelo, e o nico meio
de l\ rar-me delle, parlir a cabega contra as pa-
redes de minha celia.
Extrahinios da Verdade o segointe :
AriaCanforia prxima da eozinha onde se
criara gallinhas e se fazem despejos.
BancoRestinga de areia onde se deposita di-
nheiro apremio.
BombaMachina de tirar agua e qne estoura ao
chegar-sc-lheo fogo.
BOMAAnimal quadfupede onde se guarda di-
nheiro.
BajdaCorporagao de msicos que se amarra
na cintura dos offlciaes militares.
BarraRodap do vestido que d ingresse n'um
porto de mar.
CaboPosto militar de um pedago de corda ou
ponta de trra que entra pelo mar dentro de qual-
quer vassoura.
CantoHarmona da voz qne se encontra era
tudo quo faz esquina.
CamaroteAposento do passagero a bordo de
um navio d'onde se v espectculo ao theatro.
CoposVazilhas de vidro que se apertam na oc-
casiao de empunhar a espada.
CapoeiraSogeito que joga chnfpa onde se
guardam gallinhas.
CuacaraRomance em verso a qoe-ootros cha-
mam casa de campo-.
CapaEspecie de capote em qne se-poe o navio
quando precisa parar:
DerrotaItinerario'de urna viagem nutica que
toma qualquer sugeito quando o trumpho vira a
pus.
FrancoHomem sincero e liberal qne-vale 180
ris na Franga.
FatoVestimenta qtse se encontra entre-todas
as barrigas.
LuaJunccao de metaes ou de outra qualquer
cousa com que se amarran) as meias.
Liw.vFrucla que se encontra em casa> de fer-
reiro.
Mtr&>Dens mylhologico que os pontiEes- en-
caixam na cabega.
Marc/jezaTtulo nobreque se far as veres-de
cama.
MocHO>-Ave agoureira qne serve de asseno.
PintoFranguinho qus- vale 480 ris. en< Por-
tugal.
PapaPrimeira dignidade ecclesiastica cero que
se alimentara as mangas.
PataAve domestica dos-animaes.
PontoSignal de orthographla auxiliar dos-ac-
tores.
ReNota de msica ondVse colloca o timaod&s-
embarcaedes.
SaltoEspago d'agua entre duas cachoeiras no
calcanhar do sapato.
SolNota de msica qnoaliamia o mundo.
SerraMonte de trra que corta madeirs-.
VAQnE?A^-Couro secco |ne serve para -orar
tambor.
fereutes pocas, tiuham concedido as necessarias j prestes a me sorprender, (uerens quem deraret,
dispensas para a celebracao de taes casamuntos. e I como o leaodas E&eripturas.
recahii ara suspe tas al sobre pessoas completa-
mente alheias ao segredo, e o procedimeato dos
Kermulidas daria inevitavclmente em resultado o
derramarem-se ondas de saogue christao.
Conduioo arcebispo asscgurando-lhes que asna
opiniao diverga inteiraaiente da do patfiarcha ;
nao duvidava, disse elle muitas vezes, que elles
pudessera ir para e ceu apezar de so ter em exteri-
ormente conformado com as exigencias da lei mu-
sulmana, tanto na viJa como na morte Foi com
rauila dfliculdade que se deixaram elles conven-
cer, e que se decidirara a retirarem-se da eidade
sera terem feito aa pacha a declararao projec-
tada. #
(Continuarse-la.)
direi tos se funda a sua preteocao de ser elevado
posigSo do banco de Franca ?
c A terceira quesi.o, finalmente, relativa la-
xa do descont. A taxa do descont, diz o rclatorio,
nao um desses factos econmicos ante os quaes
ha impossibilidade de prescrever que a fixago do
descont venha a ser urna condigao normal ?
t Permitti, senhores, que eu entre na discusso
como a comprehendo, com a reserva natural de I
mercio, emprestastes os vossos capitaes a grandes
emprezas ; emprestastes ao eslado, ao thesouro pu-
blico, por bonds do thesouro ; emprestastes sobre
depsitos de litlos de toda a especie e a prazos
indefinidos; em urna palavra, puzestes o vosso ca-
pital em urn estado de indisponihili lade que ex-
, plica perfeitamente porque o vosso fundo se tor-
qde devo soccorrer-me em urna questao deta na- r mi
tureza, porquanto, destituido de toda a autoridade,
s tenho o desejo de tornar-me til, se fr possi-
vel ; longe de mim a pretengo de espargir aqu
luzes inesperadas.
Kxaminei a qnesto com cuidado; hesilei mui-
to primeiro que me resohesse a fallar sobro ela
perante o senado; mas emfira, no ponto a que che-
guei pelo oslado, julgo poder manifestar, com al-
guma precisao e clareza, o meu modo de pensar a
este respeito.
Quanto ao banco da Saboya, nao temos de nos
oceupar cora,elle. O peticionario nao tinha procu-
ragao para fallar era seu nome, e nao pedio que
esle eslalHecimento fosse reconhecido como ban-
co g ral. O boco da Saboya nenhuma petigao
apresenlou ao senado. Ninguem-teW) o direito de
fallar por alie, o tomarei a liberdade de dizer na
t As condigoes que deverieis ter cumprido, e
que nao cumpristes, explicara a s'iiuagSo em que
vos leudes achado tantas vezes.
a A isto, eu o reconhego, os defensores do ban-
co replicara allegando que a muHiplicfdade actual
dos negoeios creou urna situago do todo ponto no-
va, e quo uo pode haver comparagao entre a si-
tuago dos negocios de 1806, e mesmo desde 1890
at I8f9, e o que se tem passado, por exemplo,
desde 1832 at hoje ; que a fortuna movel que se
formou ao lado*da fluna immovel, que os ttulos
sem cuota que se ho apresentado como o elemen-
to.mais natural c consideravel da circulagao, tem
causado tal differeoga enire. situag* de tJutr'pra
e a hodierna, que as censuras que podpriam ser
feitas ao banco em outro lempo, ja So ^lo actual-
medie ad'raisiiv*^.
UM POLCO DE TIDO.
Traduzimos do Tintamarre o seguinte :
COMO UM PAR DE BOBUtOUlNS
VALEC DUAS ALMAS SATN.
D. Juan cria que quatro e quatro faziam oito ; as
muflieres velhas crem no marco de caf ; os dra-
maturgos crem no diabo; osespiritos fortes nao
crem era nada ; raas cu creio ua fatalidade, como
um Musulmano.
E como nao crer nella, quando minha vida tem
conslanteraeule sido semeada de incidentes : acci-
dentes, scenas inesperadas e peripecias d'um gene-
ro eminentemente phantastico ?
Ha dous annos, por urna bella tarde de esto, ao
doblar a i ua de JUchelieu, um tiluury, rpido como
o vento, roga por mim e me enlama. Indignado,
procuro e encontr, sob o peristylo alo Theatro
Fraocez, ura saboiardo oflicioso que por pequea
paga se encarrega de reparar o grosseiro solecismo
do meu trajo.
Em quanto alongava indolentemente minhas ti-
bias a escova do artista, que vejo eu prximo a
caixa de carvalho, que me servia de pedestal 1
Oh I sorprezal oh I niara vil ha I oh* mysterioso
encontr que devia influir sobre toda a minha
vida I
No meio de urna duzia de calgados de toda as
edades, e de todo o sexo, que esperavam seu con-
tingente de verniz Langlois, appareceu-me, como
urna rosa n'um campo de betterr'abas, um par de
borzeguins de selira verde-esmeralda; lo delicados,
lao cubigaveis, lio vanorosamonte diaphanos que o
p d'um sylpbide nao seria pequeo para elles.
(I) Foi um viajante inglez, M. Pashtcy, quem
reelhu alguns oestes promenores ; ouvio-os de
Iaonis Kurmulis, que, depois da guerra, ficou sen-
do o ohefe da familia, e que elle conheceu em 1833
exilado em Nauplia. Esse peisonagem, cujo no-
me entra tambera as caneos imputares, chama-
va-se antes da revolugao br^hir-Aga,
Urna tarde em que deitado negligentemente aos
pt'^s da minha bella, invejava a sorte do bonete gre-
go, qne suas mos alvas teciara, a porta das aguas
furtadas-se abre com estrepito, Ethelwina solta um
grito ronco, eu volto-me e vejo... um horrivel sa-
pador bombeiro, bellissima de figura, com oito ps
e alguma linhasdo altura, e dotado d*uma forca
antediluviana.
Como fiquei estupido, elle comega ca\'alleirosa-
mente aconversago, e me d a conhecer em tres
palavras, que minha sentimental fazedora de bone-
tes sua irma; que um ruo ura guarda dado
pela nalureza de sorteque cabia-lheextinguir o in-
cendio occasionado por mim, e (jue o casamento
sendo o mais seguro apagador (io amor, elle irla
espear-me como una andorinha, se eu nao despo-
zasse desde j a minha vctima.
Toda a resistencia era intil; e eu tinha a cons-
ciencia perturbada eos puntos pouco solidos.
E, pois, ced ; o notario interveiu, e, para sanar
a offensa da innocencia ultrajada, partilhei com
Ethelwina q meu corago, o meu leito e as rainhas
cento e vinle fibras de renda.
Tina vez dado esle primeiro passo para o abys-
mo, eu poda retardar a calaslrophe ; mas nao evi-
ta-la.
As cadas de flores, que o hymineo me havia
deitado em torno do peseogo, em pouco s liveram
espinaos, botos finados e folhas seccas.
Cada dia os cabellos de minha mulher tornavam-
se de um encarnado mais delirado; cada dia as
marras de bexigas que Ihe enchiam o rosto, se
aprcsenta\pm mais patentes e verraelhas; cada
dia o seu olho esquerdo vivia em desharmona com
o direito.
O lugar nao me servia mais, porm o que mais
curioso que o lugar nao me pertencia !
Um da de entrudo, desertei de casa para passeiar
pelos boulevards.
O sol estava magnifico, os mascaras aflluiam ;
minha mulher nao estava mais ah : eu era feliz.
Chegada a hora dojanlar, foi preciso vollar.
Bato porta, nao se abre ; grito, nao se respon-
de. Enlo olho por urna fenda da porta, e o que
vejo 1 Eihelwina, a prfida Ethelwina, que, em lu-
gar de fazer bonetes gregos, mirava os proprios
olhos naquelles de um individuo do meu sexo.
Rugmdo de raiva, cora um pontap metto dentro
o pedago de taboa que se elevava entre mira e a
vinganga, e caio como o trovo sobre o par, que
devoava esfaimado a minha honra.
Morte e inferno I
O Tirees da minha raaranthe nao era outro
que o brutal sapador bombeiro, que havia aben-
coado a nossa unilo, e a quera eu nao havia visto
mais....
Seu uniforme, suas barbas, sua fraternidade,
tudo era postigo t
L-se ia> Jornal de Lisboa, o que segu :
Effecluou-se era Palernwum roabo industrioso.
cujo promenores sao narrados pela Forbkty. fllu
peridica/d'aquella eidade?.
Lembroram-se quatro imluslrianti de visitar o
prior da jgreja do Monserrate, situada na praga
do Castillo.
Um d'lles ti nha-se dsfarcado com o trajo d
guarda da seguranga publica.
Bateram a porta do prior, e forara logo atrodu-
zidos.
Sernos agentes da autoridade, dissepaiuelles.
e vimos aqui para proceder a urna pesquisa-domt-
ciliari;1.
O prior nao Ihes opp-jz a menor diffieulQfle ;. e
os quatro velhacos comt^aram desde logo a revis-
tar minuciosamente ic^os os movis.
Como era natural, o primeiroobjecto-ancrminft.>el
foi urna somma assai avultada de dinheiro em
prata.
Apoderamo-nos-deste dinheiro, disse ura dos
gatunos, porque falso.
f'also Assegwo-lhes que perfeitarsente
legal.
Cale-se O nosso dever ordena-nos nje nos
apoderemos dellc ; depois se verificar, si aes enga-
amos ou nao.
N'um estoje, acharara urna eaisa de rap,
cuja lampa era ornada com um retrato.
Ola I Aqu est o relralo de Francisco II ;
vejara !
Os senhores estao engaados^ disse o prior ;
o retrato de um dos meus prente*.
O prior suspeitando, por fim, qual era o verda-
dero carcter dos individuos com quera se achara
deu ordera em latim ao sea criado para que fosse
buscar verdadeiros ageutes da autoridade pars,
prenderen os que ali se achavam.
Mas un dos indnstriaiUi comprehendia latim,. de-
sorte que se apressou a desamparar o campo jun-
tamente com os seus eompaoheiros, mas nao. sen
levarera tudo qne tmham ja em seu poder.
O roubo representa prximamente 144j*600>.
Extrahimos o Wguiote :
As felicitages shi poueas vezes smcw.vs, e ram-
ea ollas o foram menos do qua depois que se tor-
naram mais freqj&ntes.
Urna alma ambiciosa raras vezes. o capaz de mo-
derarlo.
Seos militantes de Deus nao. quiaessem ser mi-
litante* do mundo ; os frades e os padres terhro.
sido roats respailados as guerras civis.
A mulher espirituosa toa mais valor que a for-
raosa.
As procisstes sao os actos da religio, a que se
vae com menos dovogo.
Os favores d'algumas mulheres, arruinan
poueos minutos urna familia inteira.
arruinara
Os avarentos sao gente ruim o tola.
fingida nao engaa
em
A gente de bem
tempo.
moito
Kjnguem est contente de sua sorte, nem des-
contente de seu espirito.
*iJ9k
Os hymnos nacionaes sao destinados a alimen-
tar nos corregoes o amor da patria.
PERNAMBl'CO.-TYP. DE M. F. DE F. & VILHO






i
\
._______hH


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EB71OH8MR_FVAM6F INGEST_TIME 2013-08-27T21:01:49Z PACKAGE AA00011611_10439
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES