Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10433


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AMO XLJIERO 177.
Por tres **m adiantados 5JO00
Por tres mczes vencidos 6J0
Porte ao correio por tres mezes. #750


.


.
QUINTA FEIRA 4 DE AGOSTO D 1S64.
Por aieo adiaotado. .... 19S00O
Port* ao correio por um anno. 3$000
8NCARREGAD03 DA SUBSCRIPGAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima|;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracatv, o
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
8NCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SL.
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Bahia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sennhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Piraenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/ da.
EPHEMERIDBS DO MEZ LE AGOSTO.
2 La nova aos 13 m. e 12 s. da t.
10 Quarto cresc. as 3 h., 37 m. e 38 s. da t.
17 La cheia as 11 h., 10 m. e 44 s. da m.
2'i Quarto ming. as 3 h., 11 m. e 20 s. da m.
PREAMAR DE HOJR.
Primeira as 2 horas e 54 minutos da tarde.
Segunda as 3 horas e 18 minutos da manna.
PARTIDA DOS VAPORES LOSTKIR03.
Para o sul at Alagoas a 5 e 2; par) o norte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, marc-, maiojui, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipucos as 6 '/i, 7, 7 /*> 8 e
8 V da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6 /} da m.; do Caxang e Varzea s 7
da ni.; de Bemhca s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 Vi. 4, 4 /t, 4 Vi,
S> 5 'A. 8 Vi e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manna e 4 Vi da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cacbang e Varzea s 4 Vi da tarde; para
Bemflca s 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRBUNA3S DA CAPiTAL.
Tribunal do commrcio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do comioercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas o sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
DAS DA 8SMANA.
t
1. Segunda. Ss. Fe, Esperanza eCaridade vv.mm
2. Terra. Nossa Senliora dos Anjos.
3. Quarta. Ss. Gamaliel e Nicodemos mni.
i. Quinta. S. Domingos de Gusmao.
5. Sexta. Nossa Senhora das Neves.
6. Sabbado. S. Xisto p. in.; S. Agapilo diac.
7. Domingo. S CaelanoThealiuo fundador.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da praca da Independencia
ns. 5 e, dos proprietarios Manoel Figueiroa d
Faria & Filho.
PARTE QFFIGIAL
GOYKRNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia Io de agosto de 486.1.
Ofllcio ao commandnte das armas interino.
Mande V. S. por em liberdade, dando-lhe baixa se
j esliver coin praca, o recruta Antonio Manoel
Constancio de Oliveira, que tem isenco do recru-
tamento.Coramunicou-se ao commandnte supe-
rior do Recife.
Dito ao mesmo. Informe V. S. acerca do que
pede Ernesto Izidoro Casado Lima, no incluso re-
quer ment.
Dito ao mesmo.Informe V. S. em que data foi
capturado o desertor do corpo de guarnido da Pa-
rahyba Pedro Celestino Pessoa que foi remedido
para all sera coirmiunieaeo alguma como decla-
rou-me o Exm. presidente d'aquella provincia em
ofllcio de 23 de julho prximo lindo.
Dito ao inspector da thesourana de fazenda.
Com copia do offlcio do director das obras milita-
V. S.
na, Rio-Formoso, Serinhaem, Nazareth, Limoeiro,
S. Anto, Escada, Garanhuns, Cabo, S. Beato, Ou-
ricur>, Olinda, Pao d'Alho, Bonito e Caruaru.
Dito ao Dr. juiz de direito da i.* vara do Reci-
fe.Cumpro que Vmc. me remella com urgencia
as informacoes exigidas em circular desta presi-
dencia de 25 de setembro do anno passado, rela-
tivamente as minas de combustivel tosseis de me-
lar.- preciosos e eulros, e em geral de todos os
productos do reino mineral nessa comarea.Iguaes
aos juizes de direito de Olinda, Bonito, Tacaratu,
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Rio Formoso,
Brejo, Goianna e Boa-Vista.
Dito ao juiz municipal da l. vara desta cida-
de.Remello por copia Vmc. para scu conheci-
mento nao s o ofllcio de 4 de fevereiro ultimo,
em que o commandnte do presidio de Fernando,
solicitou esclarecimentos acerca do tempo de pri;
sao a que foi condemnado o preso de justica Jos
Vicente Ferreira vindo das Alagoas, mas tambera
as informacoes e guias rainistrada&^elo Exm. pre-
sidente d'aquella provincia com referencia ao mes-
mo preso que se acha cumprindo sentenga no mes-
mo presidio.
Portara.O presidente da provincia, resolve de
conformidade com o art. 6 do regulamento de 11
res de 30 de julho ultimo, remeti inclu>a a
a coma em duplcala na importancia de 53*700 rs. j S^lro ]mo~n'^ Alves
dos concert* fetos na caval anga da companhia! dos San[os para exereer provisoriamente o lugar
de praticante da repart;; das obras publicas.
Fizeram-se as necessaras communicacoes.
de cavallaria, para que mande pagar a Francisco
Jos da Fonceca a referida quantia, visto que fo-
ram estes concertos executados de conformidade
com. as exigencias da juma militar de sade, co-
mo consta do parecer do delegado do cirurgiao-
mr do exercilo por copia junto.Communicou-se
ao director das obras militares.
Dito ao mesmo. Coramunico V. S. que em
aviso de 22 de julho prximo Ando, declarou-me o
Exra. Sr. ministro da agricultura, commercio e
obras publicas, haver solicitado do ministerio da
fazenda a expedicao de ordens para ser posta
disposicao destt presidencia nessa thesouraria a
quantia de 360*000 rs., para ser applirada a trinta
assignaturas do peridicoBrasil Agrcolapubli-
cado por F. M. Dujir.it.
Dito ao mesroo.Coramunico V. S. que em of-
ficio de 18 de julho lindo, declarou-me o Exra. pre-
sidente do Rio Grande do Norte, haver expedido
ordem para qae cesse do primeiro d'aquelle mez
em diante, como pedio o altores do nono batalho
de infantaria Thomaz Pompen Theodoro de Souza,
o abono da quantia de 20*000 rs. mensaes que es-
te official deixou de seu sold n'aquella provin- Expediente do
oa. Communicou-se ao commandnte das ar-
mas.
Dito ao mesrao.Respondendo ao ofllcio que V.
S. me dirigi em 30 de julho ultimo, sob n. 395,
A' ordem do de Santo Antonio, Flix, escravo
de Flix de Souza Magalhes, por disturbios.
A' ordem do da Boa-vista, Sebastiana Mara da
ConceiQo, para correccao.
A' ordem do di Capunga, Manoel, escravo de^
Francisco Antonio de S Barreno, por fgido.
O chefe da segunda seccao,
/. G. de tesquita.
2 de
Dita.O presidente da provincia, altendeido ao
que requereu o professor publico de instruccao
primaria da villa do Granito Jos Peixoto da Silva,
e tendo- em vista a informacao do director geral
Interino da instruccao publica de 25 de julho pr-
ximo lindo, sob n. 144, resolve conceder-lhe 2
mezes de licenca com vencimentos para tratar de
sua sade onde ihe convier.
Dita.Os Srs. agentes da companhia Brasilcira
: de paquetes, mandem dar transporte para a corte
i no vapor Paran, por conta do ministerio da rna-
rinha ao capitao tenente da armada Giacomo Raya
Gablagia e sua bagagem.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana, mande transportar at o Aracaiy no vapor
do da 22 do corrente, em lugares da re destinado
passageiros de estado ao promotor publico da
comarca do Crato, Lachare! Manoel Gomes de
Mattos e sua mulher.
secretario do governo do dia i."
de agosto de 1861.
Ofllcio ao commandnte das armas interino.
Por despacho desta data autorisou-se o director do
pelo inspector da alfandega desla capital, ao res-1 tor da escola rc^imentat do 7. baiaiho de intan-
pectivo guarda Rufino Leopoldino Mendos. i taria, a que allude o offlcio de V. S. n. 1552 de 29
Dito ao inspector da thesouraria provincial. de julho prximoJindo.-Oque coramunico V.S.
Accuso recebido o officio de 28 de jiilho ultimo,
sob n. 319, em que V. S. me parlicipou haver An-
tonio Ccrreia de Vasconcellos & C, dando por tia-
dores Joaquim Manoel Ferreira de Souza e Manoel
Alves Ferreira, arrematado durante um triennio, e
pela quantia de 1:521*000 rs. annuaes, o dizimo do
gado vaceum da comarca de Flores, e em resposta
tenho a dizer que approvo essa arremataco.
Dito ao mesmo.A contar do
prximo lindo era dianle, mande
de ordem
vincia.
de S. Exc. o Sr. presidente da pro-
Despatnos do dia Io de agosto de 1861.
Requerimentos.
Capitao Domingos Jos Rodrigues. Remettido
i ao Sr. inspector da thesouraria de fazenda, para
primeiro de julho j manHar papar ao suplicante
i V.S. pagar _em Ephigenia Mara do Ca
^armo Lobo. Informe o
Movimento da casa de detencao no dia
agosto de 1864.
Existiam..... 349 presos.
Entraram..... 25
Sahiram...... 12 >
Existcm...... 362
A saber :
Nacionaes..... "293
Estrangeiros... 17
Mulheres------- 4
Estrangeras ... 1
Escravos...... 42
Escravas...... 5
362
Alimentados a custa dos cofres provincaes. 144
Movimento da enfermara no dia 3 de agosto
de 1864.
Teve alta :
Manoel Barboza de Nascmento; gastrite,
Passageros ]do vapor Paran sahido pa-
ra os portos do sul no dia 2 : Hermino Evan-
gelista de Aojo, D. Santiago Infante de Palacio,
Eduardo Sauyer, sna senhora e 7 lilhos, Ernesto
Fucho, Jos Ferreira Estrella, Pergentino de Aqui-
no Fonceca, Jos Joaquim Gomes de Abreu, e 3
escravos, Liberato Vicente, Francisco Anastacio
Peres Loureiro, coronel Francisco Joaquim Pe-
reira Lobo e 1 criado, coronel Antonio Gomes
Leal e 2 escravos, Licerio A. Pereira, Io tenente
da armada Lucio Joaquim de Oliveira e sua Sra.
Antonio Valentim de C. Magalhes Sobrinho,
Francisca Faustina da Conceicao, Jos Malaquias
de Mello, capito-tenenle da armada Giacome
Raya Gabaglia, commendador Francisco Anto-
uio Pereira da Silva e 1 escravo, Manoel Jos Ri-
beiro de Farias, sua senhora e 1 filho, Joae Cor-
reia de Lima, Antonio Jos de Medeiros Ritan-
court e 1 escravo, Asario Carlos de C. Gama, An-
tonio Pinto Serodio, Michaeles Wolff, Carlos F.
Bechrendes, bacharel Domingos Monteiro Peixoto,
Amonio Augusto Pereira da Silva, Jos Francisco
de Alencar Alcantarino, Joao Augusto de Car va-
Iho Moraes, Francisco Duarte das Neves, Francis-
co Peregrino Veriato de Medeiros, Cupertino Al-
buquerque de M. Bastos, Jacintho Jos Nunes
Leite, D. Amada L. Ricardo e 1 escrava, Jos
Guede N'ogueira, e 45 escravos entregar.
OlllTUABlOnO CBMITERIO M BUCO NO DI.V 2 DE
Aiisio oe 1864.
Manoel Henrique, Pernambuco, 65 annos, casado,
Recife ; meningite.
Justino Cardoso de Mello e Silva. Rio Grande do
Norte, 22 annos, solteiro, Boa-Vista ; bexigas.
Maria. livre, Pernambuco, 50 annos viuva, Boa-
Vista ; varila.
Manoel, Pernambuco, 7 dias, Santo Antonio ; es-
pasmo.
Maria de Paula Lima, Pernambuco, 26 annos, viu-
va, S. Jos ; bronchite.
Frencisco Rodrigues de Mattos, Portugal, 2i annos,
casado, Boa-Vista ; pulmona.
Manoel Jos Maria, Pernambuco, 33 annos, soltei-
ro, S. Jos ; anemia.
Manoel, Pernambuco, 13 mezes, Santo Antonio ;
gasiro intente.
Bolina, escrava, Pernambuco, 60 annos. solteira,
Boa-Vista : tubrculos pulmonares.
Ganlios e perdas.
Lucros sjenos a
liquidacao. .
65:238*589
12,300:158*089
O guarda livros,
Ignacio Nunes Correa.
COMMUNICADOS.
Brere resposta ao Sr. Dr. Franca.
Nao assignandoo Jornal do Recife, com difficul-
dade chegou-me ss maos o seu n. 75, em que o
Sr. Or. Estevo Benedicto Franca, defendendo-se
de imputaedes fetas pela imprensa, por occasio
do seu despacho para juiz municipal do termo de
Villa Bella, declara com relacao mudanca de seu
nome, que testamento cerrado, pe lo quai seu pai
desfizera sua perfilhaco anteriormente feita em
testamento aberto e solemne, fra motivada por
urna disputa, que tivera com sua madrasta, e por
suggestoes ortissimas de urna (ilha e genro della e
de seu pae, que, sendo seus inimigos, ficaram por
aquillo anda mais ioilammados ; e tendo certeza
que esse genro e essa filha, a quem allude, sou eu
e minha mulher, pois assm o tem S. S. declarado
era Pajeu' e no Recife, sou obrigado em defeza as-
severar ao publico, que eu roncorri para sua per-
filhaco, aconselbando e dictando o lestamento.em
que foi reconhecido, mas apezar dos dissabores
porque passou minhairmaae sogra pelo mo trata-
mento que do Sr. Franca recebeu.e do odio que S.
S. minha pessoa vota va, nao s nunca aconselhei a
revogaco desse acto, mas at pormuito tempo re-
sist, em seu favor.as instancias de meusogro para
dictar-lhe o testamento cerrado que revogou, e s
a isso prestei-me depois que o vi resolvido a pagar
a ura advogado para o fazer. Esta a verdade.
Se a minha palavra de honra nao sufficiente
para destruir a revelacao confidencial, que o Sr.
Dr. Franca assevera ter-lhe sido feita por pessoa
da familia de sua madrasta (duvido que seja publi-
cado seu nome, salvo se fr de algum defunlo) exis-
te anda em Villa Bella pessoa autorisada e com-
petente, que, estando iniciada em todos os porme-
nores desse acto, poder confirmar o que fica ex-
posto. E quando isso nao seja anda bastante para
desarraigar de seu espirito a infundada suspeita
que manifesta meu respeito, e de minha mulher,
tranquillsamos-nos em ser julgados pelo publico, a
euja apreciaco submettemos a segrate oceur-
reucia.
Sendo despachado >uz de direito da comarca do
Bonito era junho de 1855, para all parti com mi-
nha familia em setembro desse anno. Em nossa
ausencia aggravaram-se os padecimientos de meu
sogro, que falleeeu em Villa Bella no dia 7 deabril
de 1856, quando nos achavamos em Caruaru'. Pre-
sentimlo a spproximacao da morte, elle mandou
vir sua casa, no dia 27 de marco (onze dias an-
tes do sen passamento) os Srs. tenente Simiao Cor
Alterando tupa expressao de que me serv, di-1 tan(Jo aqae||s embargos, commeiti um acto menos
zendo que elle tratasse de destruir a impulacao rt,gu|ar ou injecoroso, sobreludo sendo como sou
que se Ihe lizera pelodesapparecimenlo de umpro- matriculado no commercio !
cesso, e me poupasse o tedio de tomar-lhe a frente
para Ihe dar una resposta, o Sr. Pina recorre s
chufas e quer fazer espirito, ou alguem por elle,
em vez de jus(ilicar-se.
No jogo das pulhas e chancas indecentes o Sr
Pina grande e provecto, porque Ihe basta um re-
trospecto aos seus lempos de infancia, e a lingua-
gem da casa...
Advirto-lhe, porm, que o caso serio ; justifi-
que-se.
Como ja vio o publico, por consid^raejio c res-
peito ao qual nicamente venho a imprensa sobre
a materia em questio, sou digno de reparo daquel-
les senhores smente por aproveitar-me de ura di-
reito que a lei me faculta !
E' o artigo 382 do cdigo do commercio que
estatu a perda das ^rigacoes dos endossadores
das leiras que sao protestadas por falta de aaga-
mcnlo e nao accionadas dentro de um anoo da da-
ta do protesto, conservando o portador de taps le-
Nao o metti em P/ocesso de responsabilidade, tra?i cm beineihanle caso, o direito smente contra
quando exerci em Pao d'Alho a vara de direito, in-
terinamente, porque entao, o Sr. Pina teria motivo
para dizer que eu o quera perseguir, estando j
longe de Pao d'Alho, em Nazareth, para onde ti-
nha sido removido. Depois de snas aecusacoes na
asserabla provincial, se Ihe instaurasse um pro-
cesso de responsabilidade, o que nao dira o Sr.
Pina do meu acto ?
V que fui cavalleiro ; c se faltei a justiga, foi
por amor da justica ; porque em minha opinio o'
magistrado nao de ve pzar arrogante as suspeitas I
de parcialdade que Ihe opponham, anda mesrao I
que Ihes esteja sobranceiro. A justica precisa tam-
bera da contianca Je. quem a recebe.
Nesta parte, diga o Sr. Pina o que quizt-r: estou
em paz com a minha consciencia. Se, comtudo,
devia-o processar e nao o fiz, sujeito-me a censu-
ra ; mas honrme com sto.
Cabe ao Sr. Pina juslificar-se por isso que anda
nao o fez satisfactoriamente.
Recife, 3 de agosto de 1864.
t\ Teixena d&S.
os saccador e acceitanle.
E' este o artigo sobre o qual me fundo nos re-
feridos embargos, e este todo o meu crirae aos
olhos dos mesmos Srs. Tasso Irmaos.
Com a pub'icaco destas linhas, senhores redac-
tores, muto obrigado deixarao Vmc?. ao sen assig-
nante e amigo,
Antonio Francisco Martins de Miranda.
Recife, 2 de agosto de 1864.
CORRESPONDENCIAS.
PUBLICARES A PEDIDO.
ELEIfAO
dos devotos que ho de promover a festividade da
tloriosa Senhora Sant'Anna, que se venera nes-
ta igreja matriz de Sanio Antonio, no fururo au-
no de Im;:;.
Juiz.
Joao Tiburcio Valeriano Lobato.
Escrivo.
Flix de Figueira Faria.
Thesoureiro.
Senhores redactores.Sob a dolorosa pressao da i Francisco Alexandrino da Silva Reg.
privacao de minha liberdade, em virtude do fado .....Procurador geral.
que se acaba de verificar na Caxa Filial do Banco
do Brasil nesta cidade, mas tranquillo pe|a cons-
ciencia de minha innocencia, venho hoje a im-
prensa roferir o farto que deu lugar minha pri-
sao, para que o publico tenha delle inteiro conhe-
ci ment.
'Joaquim Jos de Moura.
Procuradores.
Francisco Casemiro de Moraes.
Bellarmino dos Santos Bolcao Jnior.
Mesarios.
Hermes Ernesto Dias Fernandes.
Na sexta-feira, 29 do mez lindo, estando de se-
mana os Srs. directores Dr. frs Mamede Alves
Ferreira eJos Joaquim Dias Fernandes, precisan-
Gaiidino Eudaclo de Brilo.
Francisco Figueira de Faria.
Jos Joaquim Dias do Reg" Juuior.
Joao Ferreira da Silva Jnior.
do-se da quantia de 100:000* para um pagamento ao rerren
aos Srs. Amorim Irmaos, teve o Sr. director Dias Jos Goncalves de Medeiros.
Resende.
Fernandes de ir ao cofre do expediente, para tirar Matriz'de Santo Antonio do Recjfe,
dita quantia, e nao se achando no estabelecimento de 186t.-0 conego vigario Venancio
o Sr. director Jos Mamede, o nao querendo o Sr.
thesoureiro descer, tive de acompanhar o mesmo
Sr. Dias Fernandes ao cofre ; e de feito chegados
ahi, depois de aberto este, passou o Sr. Dias Fer-
nandes a abrir urna das gavetas, donde comecou a
tirar massoa de notas, que me entregava, depois de
que continha
31 de julho
He ique de
contos de res, tornamos a fechar o cofre, e seguin-
Barroso, e pedio ao primeiro que oscrevesse em
vista de attestado do Dr. secretario da provincia a Sr nspector da. thesouraria de fazenda.
raticacao rnensal de 50*000 rs., a que tem dire- padre j0s Esleves Vianna. Informe o Sr.
to Sil vino Antonio Rodrigues, na forma do para- desembargador iirovedor da Santa Casa de Mise-
grapho segundo, artigo terceiK, da lei provincial | ricordia.
n. 596 de 13 de roaio ultimo, por ter sido encarre- Tenente Jos de Mello Albuquerque Montene-
gado por portara de 25 do mesmo mez, de copiar' gro.Passo portara concedendo a licenca que re-
os livros amigos da secretaria di presidencia. j qUercr 0 suplicante.
Dito ao mesmo. Pela informacao ministrada joao pereira ,ia Silva.Esl.i passado o prazo em
por V. S. cm 28 de julho ultimo, sob n. 320, acer-: qae a presdencia poda attender ao suplicante,
ca do requerimento do tenente coronel Luiz Pauli- [ Manoel Jos da Luz.Informe o Sr. Dr. chefe de
no de Hollanda Valonea, fiquei inteirado de haver ; policia. _____
a junta dessa thesouraria resolvido nao addiar a Presciliano Peres Campello.Informe o Sr. en-!
arremataco do dizimo do gado vaceum da contar-; eenheiro chefe interino da repanicao das obras pu- (]axa lili al do banCO do Brasil CI11 Per-
OlICoSa
Soulhall Mellors <&C.A' vista do parecer, cons-
tante da copia junta, dado pelos feitores conferen-
tes incumbidos do exame do panno offerecido
pelos suplicantes ao conselho administrativo, nao
pode ser elle comprado para o fardamenlo do 9."
batalho de infantaria, por nao offerecer du-
raco.
ca de Flores, annunciado para aquelle di, o bem
assim do preco porque foi arrematado aquelle di-
simo.
Dito ao commandnte do presidio de Fernando.
Com s inclusas copias do officio do Exm. presi-
dente das Alagoas de 20 de julho findo, e das guias
e offlcio a que elle allude, tica satisfeito o que so-
licitou esse commando em ofllcio n. 7 de 4 de fe-
vereiro deste anno, acerca do preso Jos Vicente
Ferreira, que se acha cumpriudo senteuca nesse:
presidio.
Dito ao director do arsenal de guerra. Mande!
V. S. com urgencia recebor a bordo du vapor Pa- j
rana cinco caixes, que vierara da corte para esta
provincia no vapor Oyapock, segundo declarou-me
a agencia da companhia Brasileira de paquetes no
offlcio desta data.Communicou-se agencia.
Dito ao mesmo.Recommendo V. S. que man-
de sati-fazer com urgencia o pedido de atades pa- j
ra o hospital militar que Ihe remetti com officio de
na nili(ico
30
1864.
PERHAMBCO.
REVISTA DIARIA.
lloje funeciona em sessao ordinaria o Instituto
ArcheologiCO e Geoyraphico Pernambucano.
- Foi nomeado praticante provisorio da repar-
tico de obras publicas o Sr. Manoel Joaquim Alves
22 de juhho prximo "passado.Communicou-se ao | dos Santos,
commandnte das armas. j O Sr. Dr. chele de policia procedeu hontem
Dito ao mesrao. Remeta V. S. ao corpo de ao interrogatorio dos dous cobradores da caixa filial
"uarnicao do Cear, como delerminou o Exm. Sr. e do director- de semana Dr. Jos Mam-de Alves
ministro da guerra em aviso de 20 de julho proxi-! Ferreira, e ao depois ao exame externo do cofre,
mo findo, 107 calcas de brim em substituicao de \ Chamamos a attencao de quem compete para
igual numero que se encontraran! avariadas de | alguns moradores da travessa do Queimado, que
agua salgada nos 12 caixoes com fardamentos en- tem o mo costume de vasar aguas ptridas e uri-
viados para aquella provincia no vapor Persinnn-' as ra, das 7 horas da noute em diante.
ga. -Offlciou-se ao inspector da thesouraria de f.i-1 Encerrase hoje a inscripto dos concurren-
zenda para que expeca suas ordens no sentido de tes cadeira de latim do Collegio das Artes.
BALANCETE EM 30 BE JCLHODE
ACTIVO.
Accionistas do banco do Brasil.
Entradas nao rea-
usadas de 10,009
acedes local isa-
das na provin-
cia........... 2:920*000
Letras descontada*.
Com iluas assigna-
turas residentes
no lugar do des-
como... .... 264:204*057
Com una s dita
dito....... 11:875*190 270:079*247
ser iademnisada fazenda da importancia de taes;
calcas.
Dito o inspector da sade publica. Em vista
do que Vmc. informou em seu offlcio de 29 de ju-
lho ultimo, tenho resolvido que s> jam entregues ao j
director da Escola Normal para servico "ella o dic-'
cionano de Moraes quinta edkcao, e o armario en-
vidracado que pertenceram a extincla commlssao
de hygiene, e se achara na sala onde funeciona o
Curso Commercial, bem como que sejam recolhidos
a Bibliotheca Provincial para o que ficam expedi-
das as convenientes ordens os livros da extincta
sociedade de medicina.
O que declaro Vmc. para ter execucao. Ex-
pediram-se s convenientes ordens neste sen-
tido.
Dito ao conselho administrativo.A vista do pa-
recer por copia incluso dos feitores conferenles in-
cumbidos de examinar o panno verde que os ne-
gociantes Southal Mellors 4 C, offereceram por
venoa ao co-selho administrativo, nao pode ser el-
le preferido para o fardamento do nono batalho
de infantaria; compre portanto qne o mesmo con-
selho pelos meios indicados no regulamenlo de 14
de dezembro de 1852, procure obler para esse fim
panno de melhor quahdade e que offereca dura-
cao.
Dito camaramunicipal do Recife. Campre
que cmara municipal do Recife remetta-me dis-
eriminadamente e cora urgencia as informacoes
exigidas nas rireulares desta presidencia expedi-
das em 8 e 7 de julho de I86 e 31 de marco ulti-
mo.Iguaes s cmaras manicipaes de l.'uarass,
Ingazeira, Botn-Con etho, Ipojnc. Tacaratu, Goian-
Depois d'amaohaa se exlrahir a primeira
parte da primeira lotera em beneficio do conven-
to de S. Francisco desta cidade, sendo o maior pre-
mio 10:000*. !
O leilo do bilhar da ra do Imperador, an-
nunciado para hontem, deve ter logar hoje as 11
horas do dia. !
Deinonstracao dos doentes do hospital de Nos-
sa Senhora da Cuceicao dos lazaros do 1 31 de
julho de 1864.
Existiam 13 homens e 15 mulheres.
Entraram 1 homem e 1 mulher.
Existem 14 homens e 16 mulheres.
Total 30.
RRPARTIQAO DA POLICA.
Extracto das partes do dia 3 de agosto de
1864.
Furam recolhidos casa de detencao no dir 2
do corrente :
A' ordem do lllm. Sr. Dr. chefe de policia, Fran-
celino Jos Ferreira, Paulo Francisco, Jos Manoel
Chave, Antonio Soares da Silva, Rufino ou Joa-
quim Pereira da Silva, Jos Antonio Pereira da
Silva, Jos Felippe do Nasciroento, Manoel Gomes
Letras caucionadas.
Por ouro, prata e
ttulos coiniiier-
eiaes.......
Por oulros ttulos.
Letras recebe):
Saldo desta conta .
Contas correntcs.
Saldo desta conta.
Diversos.
Saldo de varias con
tas........
Caixa.
Pelos seguintes va-
lores:
Em moeda de ou-
ro de 22 quila-
tes ........
Em notas do the-
souro dos valo-
res de 10*000 e
superiores. .
Em notas menores
de 10*000.....
Em moeda de tro-
co ........
Em notas da pro-
[ii ia caixa. .
13:767*38(1
13:767*380
4.986:633*462
696:855*844
1.599:829*183
nhores j mencionados. A primeira destas declara-
res concebida nestes termos : Declaro que tenho
testamento cerrado j feito ha tempo, o qual est
em poder de meu genro, o juiz de direito da comar-
ca do Bonito, Dr. Joaquim Goncalves Lima, e rogo
reiro, cumprindo acrescentar que tambem
I acompanhou o gerente Cunta.
No dia immedalo teve anda o Sr. Dias Fernan-
des occasiaode irao cofre, nao acompanhado do the-
soureiro, nem do outro directorde semana, mas sun
ZJSSJSUESS ELtfiJ'HE d,lilo cobrador Francisco Antones Ferreira. afin. de
ELE1QA0
dos juizes, cscrives e mordomos. qne ho de fe>-
iejar a Gloriosa Senhora Sant'Anna, que se ve-
nera nesta iijrcja matriz de Santo Aatanio, no
futuro anno de 1865.
Juiz por eleicao.
Illm. Sr. Manoel Izidoro de OUveira Lobo.
Juiz por devoco.
III.n. Sr. Ilypolito Jos Roberto.
Juiza por eleicao.
Exma. Sra. D. Anna Martins Pereira Correa de
Brilo, mulher do lllm. Sr. Floriano Correa de
Brito.
Juiza por devoco.
A Exm. Sra. D. Francisca de Paula Correa de
Araujo, mulher do lllm. Sr. Dr. Miguel de Fi-
testamento na forma que neile tenho disposlo.
Esta recommendaco tao terminantemente feita
a 72 leguas que nos separavam do testador, c na
hora extrema, era que o homem temente Deas
so costuina guiarse pelos dictames da consciencia,
e pelas luzes da religiao, prova nao s a exponta-
neidade do seu acto, e a firmeza de sua resoluco,
3,948:217*470
295:000*000
12:000*000
5*503
468:850*000
4,724:072*973
Passivo.
Banco do Brasil conta do capital.
Valor fornecido pe-
la caixa matriz.
Emissto.
12,300:158*089
de Oliveira, Manoel Cyrllo Zacaras de Lima, Ma- Valor em circula-
noel Joaquim dos Santos, e Francisco Jos Cor-
reia, todos para reerntas; Joao Jos do Nasc-
mento e Raymundo Jos de Andrade, como deser-
tores do exercito ; Joaquim Jos dos Santos, Igna-
cio Jos dos Santos, Jos Ignacio dos Santos, e Vi-
cente Ferr*ra de Lima, como sentenciados.
A' ordem do subdelegado do Recife, Francisco
Antunes Ferreira, e Pranrlsee da Silva Rego.par
avernjuacnes policiae?,

Cao.
Letras a pagar.
Por dinheiro toma-
do a premio. .
Por saques.....
' Diversos.
Saldo de varias con
l tas... ,-------
*
303:0o7*10o

2.000:000*000
8,396:150*000
303:057*103
1,533:712*395
que me parece icontestavel ; e se S. S., nao obs
tante esta declaracao, de que est bem par, pois
Ihe foi apresenlada por pessoa de minha familia,
nao hesitou em vulgarisar urna falsdade, o publico
para quem escrovemos, tendo bastante bom senso '
para se nao deixar irabair, nos fara devida justi-
ca, profenndo seu juizo imparcial sobre as nossas
assercoes.
Devora limitar-me a isso, mas constando-me que
ha quem me attribua os apontamentos ou informa-
Ces para as publicacoes fetas contra o Sr. Dr.
Franca, aproveito a opportunidade para consignar
aqu a declaracao de que nunca concorri para taes
publicacoes, em escrevendo, nem ministrando
dados para isso. Nao costumo prevalecer-me da
capa do anonymo para oceultar meus actos, pois
nao declino da responsabilidade delles. Se nao sou
amigo de S. S., nunca deixei de fazer-lhe o bem
que de mim depende, e de prestar-lhu os offlcios
que a civilidade, a justicae a caridade de mim exi-
gem; nunca ihe fiz mal algum, nem tenho inters*
se em preter-lo do suas aspiracoes.
Fui sempre de opinio que S. S. nao devia soli-
citar, nem obter despacho algum para esta comar-
ca, onde o numero de seus desaffectos, por diver-
sas causas infinito ; mesrao assim, exercendo eu
aqu o cargo de juiz de direito, e saliendo que S.
S. aspirava o de juiz municipal perante o ministe-
rio de que fazia parte o Sr. conselheiro Souza Fran-
co, de quem se dizia amigo, nao dei nem official,
nem particularmente passo algum para frustrar-
Ihe a pretendida nomeaco. E' assim que costumo
proceder com os meus desaffectos, embora procc-
dam elles comigo de modo muito diverso, e nao
cessem de attribuir-me planos de coutraria-los em
suas pretendes.
Seja, pois, dito de urna vez por todas : nunca
serei contado no numero dos provocadores, mas
tantean nao trepidarei diante de circumstancia
alguma no terreno da defeza, e nesse caso nao me
escusrei apertar minha assignatura s publica-
coes que me obrigarem a fazer.
Nao tive ainda occasio de lor os artigos publi-
cados contra S. S., mas vindo pelo contexto de sua
defeza, que urna das arguic5es que Ihe fazem a
ter pretendido assassinar seu pai, devo declarar
que esta mpiitacao nunca chngou ao meu conheci-
raento. Bepois dos insultos dirigidos sua madras-
ta S. S viven era completo antagonismo com quasl
toda a familia, mas nunca oovi imputar-se-lhe tal
pretenco.
E' o que por ora me campre dizer em tniuha
defeza, e em abono da verdade.
Soledade, (era villa Bella) 32 de maio do 1864.
Joaqvm Goncalves lima.
gueira Faria.
tirar, como lirn, a quantia de 30:000*000 para | Escrivia por eleicao.
nina transaeco com o Sr. Augusto Fredenco de O lllm. Sr. Dr. Joaquim Jos da Fonseca.
Oliveira. | Escrivo por devoco.
Procedendo-se ao balance semanal, no dia 1 do O lllm. Sr. Caetano Maria de Paria Nev?,
corrente mez, por ter de passar um dos directores Escrivo por eleicao.
de semanao exercicioa onlro, como deve acontceerl A Exma. Sra. D. Isabel dos Santos Neves, filha do
m todas as semanas, vencou se, como se diz, a; lllm. Sr. Jos dos Santos Neves. _
Escrivia por devoco.
. Hermiua Edellrudes de Oliveira
Iher do lllm. Sr. commendador Ante-
Castro,
miada a responsabilidade por esse tacto, em re-1 Pretectores.
lacao ao qual cumpre nao perder de vista que aos; A veneravel irmandade do Santissirao Sacramento
directores de semana e a othesoureiro incumbe Irao dessa igreja matriz.
cofre, sempre que se trata detirar dinheiro,paraojO muito reverendo Sr. conego vigario \enancio
que cada um tem em seu poder urna das respecti-1 Henriques de Rerende.
vas chaves; nao tambem meu proposito entrar O Rvd. Sr. padre mestre Joo Jos da Costa Ri -
em consideraces para dizer sobre quem, com fun-1 beiro.
damentos seniio justos, menos desarraxoados, se po-1 O Rvd. Sr. padre mestre Antonio de Mello e Albu-
deva fazer recahir suspeitas de criminalidade;abs-1 qnerque.
tenho-me, por ora, disto, tornando apenasj sensivel | O Rvd. Sr. padre mestre Leonardo Joao brego.
que para se desviar a responsabilidade
de sobre!
aqueles, contra quem naturalmente se deve voltar
a opinio publica, se me houvesse escolhido como
urna das victimas, que deveni soffrer as consequen-
cias do qae ou ros praticaram : a mim. cajo acto
consisti exclusivamente em ter acompanhado o
director Dias Fernandese com elle abrir o cofre ;
a mim que naoabri eaveta alguma: a mim qne so
recebi do Sr. Das Fernandes o dinheiro que elle
contava e me transmittia.
Quero smente que fiquem registrados os tactos
como elles se passaram, para que ninguem se
persuada que sou accasado de haver commettido
algum abuso, no exercicio de meu emprego -.para
que os homens honestos, apreciando esses lacios
e suas circumstancias, facaiii a devida justica a
minha innocencia.
Son empreado nesse estabelecimento ha / an-
nos; nunca pairou a menor suspeita sobre minha
reputaco. apezar de ter. por vezes, em meu poder,
somma's avultadas, centenas de contos, orno aju-
danie do cobrador.
Eslava determinado que teria eu de sottrer dis-
sabores, aps tantas provas de cumprimenlo de
meu< deveres, porque assim seria preciso para que
os verdadeiros criminosos evitassem a acoao
da lei.
Innocente, como me acho, nao estou disposto a
ver conculcados os meus direitos, soffrendo as
consequencias de actos praticados por outrem.
O miserando exeraplo do que aconteceu ao infe-
liz thesoureiro dessa caixa.Domingos Francisco la-
vares, votado ao sacrificio, pelo que praticaram ou-
tros, est aln la mui rpcente.
Queiram, Srs. redactores, dar publiwdado a es-
tas linhas, expressao dos justos seotimentos de
que rae acho possuido.
Recife, 3 do agosto de 1864.
Francisco da Silva Reg.
O publico vio a maneira inconveniente, e at in-
decorosa, pela qual o 9r. bacharel Pina respondeu
hoje ao communieado que fhr Inserir nwte jornal,
29 do passado,
Senhores redactom.-Oi Srs. Tasso Irmaos, em
sea Diario de ante-honlem 1 dojorrente, chama
a attencao do publico para uns embargos qne op-
puz a cobranca que de mim pretendere haver de
uma letra, por cuja importancia me accionan pelo-
jnizo do commercio desta cidade, escrivo Paes de
Andrade, e da qual letra son endossante.
A maneira pela qual se exprlmem os mesmos
Srs. Tasso Irmaos J a entender que ou apresen-
Mordomos.
Os Illms. Srs.:
Padre mestre Antonio Manoel da A?>umpcio.
Dr. Joo Francisco Teixeira.
Major Luiz Jos Pereira Simoes.
Miguel Archanjo Mmdello.
Antonio Leonardo de Meuezes Amorim.
Joo do Reg Pacheco.
Joaquim Pereira de Mendonca.
Francisco Jos dos Passos Gulmaraes.
Mordomas.
As Exmas. Sras. :
D. Maria de Miranda Neves.
D. Octavia Candida de Quental, mulher do lllm.Si.
Joo Alves de Quental.
D. Angela Alexandnna da Silva Reg, mulher do
lllm. Sr. Francisco da Silva Reg.
D. Maria Amelia de Freitas Guimares. mulher do
lllm. Sr. Dr. Manoel Pereira de Moraes Pinheiro.
D. Candida Baplista de Azevedo Maia, mulher do
lllm. Sr. Jos Luiz de Azevedo Maia.
u. Joanna Ferreira da Silva, filha do lllm. Sr. Dr.
Joao Ferreira da Silva.
D. Maria Magdalena da Silva, mulher do lllm. Sr.
Olympio Ferreira da Silva.
D. Ann Paula de Mendonca e Silva, mulher do
lllm. Sr. Amerieo Ferreira da Silva.
Matriz de Santo Antonio do Recife, 31 de julho
de 1864.O conogo vigario, Venancio Henrique Resende.
Salsa de Biistol.
A salsa parrilha de Bristol exerce suas proprie-
dades puriscantes por todo o systema nervoso neu-
tralizando o visiis produzido e accumulado pelas
ulceras.eserofulas, abscessos e tumores, o escobuto
assim como todas as mais molestias das glndulas,
da carne e da pello.
A historia desta preparaco tem sido pelo espaco
de trinta annos uma spri nao interrompida de
ouras as mais admiraveis e felizes. Todo o mun-
do medico admitle que o melhor anliseptico vege-
tal e ante-escorhatico at hoje conhecido e pdese
com toda a certeza fflanoar que um remedio es-
pecial para a cura do rtieumatismo e de todas as
affecces. dos mascota, tendees e conjuncturas. En-
contrVse venda aa botica-de Bravo & C. c Caors
fi Barbosa
m^


Diarto de Fcraaapaeo ttuiua felra 4 t Agosto de f 4.

QuanJo faliam o coracoes desapparecem. colori-
das palavras que ornam o quadro dos elogios ; as-
siui, pols, o Illiii. Sr. majer Joaquim da lloclla Mo-
reira, que lo bem e com tanta amisade nos sou-
be tratar, receba dos offieiaes do 2 batalhao de in-
fantaria abaixo assignados, o tributo que Ibes de-
vem e a saudade que Ihes deixa por seu zeloso
rommndo e qualidades rrmraes.
Recife, 3 de agosto de 1864.
Tenente Jos Caetano da Silva.
Tenente Luiz Jo Ferreira Jnior.
Capilo Jos Hermencrgido Leal Ferreira.
Alteres quartel mestre Joaqaim Evaristo dos San-
tos.
Alteres Jeronyiuo Ignacio dos Santos.
Capillo Raymundo Jos de Sonza.
Alteres Joao Domingues Ramos.
Alteres Joaquina Jo- .Nt-v.-s de Seixas.
Alteres Joarjrim Amurico da Silva.
Alteres Francisco Jos Gomes.
Tenente Julio Pompeo de Barros Lima.
Capilo Jos Marellino de Aragao.
Alteres Jos Benjamim de Assis.
Alteres Francisco da Fonseca Figueiredo.
Tenente Joo Pedro Correa.
Alteres Candido Augusto Ribeiro.
Capelliio aleres padre Bento Pereira do Reg.
Alteres Jo.mj Manool da Silva.
Alfeies-ajudaute Alexaudre Comes de Argollo Fer-
rao.
COMMERCIO.
CAIXA FILIAL
DO
BA^CO DO BKAS1X
KM PEKNAMBUCO.
A directora desta caixa, cm virtude de ordem
da directora do Raneo do Brasil, avisa aos Srs.
accionistas que o respectivo rhesoureiro esta autoi
risado a pagar o dividendo das acces da meema
caixa do semestre lindo tti "30 de junho prximo
passario, na rato de 85500 por accae.
Itecife 14 de julbo de 1864No impedimento do
secretario, Ignacio Nunes Correia.
Brigue Iubekense Nautilus, carregou para Liver-
pool :
3,200 saceos com 16,000 arrobas de assucar mas-
cavado, 701 ditos coan 3,711 arrobas o 26 libras de
algodao, 1,000 conros seceos com 28,943 libras.
Lugre francezRio Grande -baldeacao.
Recebedorla de rendas tatema
de IeriiaiMueo.
geraes
Rendimento do dia
dem do da 3 ...
1 a2
3:7335348
945J320
Consulado provti
Rendimento do dia 1 a 2........
dem do dia 3................
4:678868
teial.
5:70:14234
2:123*060
publicar pela "Maria, filhade Antonia Mara Machado Freir. 1854, o casco, machina, caldeira, apparelho, mas-
Francisca. fthadeAnua Francisca Paes Brrelo, treaco, veame, amarras e ancoras do *apor Per-
Pernambuco 2 j Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re- sinunga da companhia Pernambucaoa de navega-
cife 1 de agosto de 1864. cao costeira, achou todo em regular estado.
0 escrlvo, Inspeccao do arsenal de inannha de Pernambu-
F. A. Cavalcanti Cousseiro. co, 2 de agosto de 1864.
ConseMio de Muirs navaes. Oiwpector,
Promeve o conselho em 5 de agoste prxima- ,... H A- Barbosa de|Atmeida.
l.aTuom-os^uar. r^Ur Vis,a de **?"* V^M ^ DMabS W.R a d sVcidade^m 2
o'SSte'3 Me 3S hraS ^ manbM 3 tmm \ SenU,arSsdciS X emncadT So
ramfSM
MOYIMEWTO BO PORTO.
Navios sahidos no dia 3.
Rio Crande do Sul Barca nacional Ligeira, cap
H. Hyppollto da Fonseca, carga assutar e um
escravo a entregar.
Observacao.
Nao bouveram entradas.
clusive, o que para constar se. faz
imprensa.
Secretaria da Escola Normal fe
de agosto de 1864.O secretario,
Maxim ano Lopes Machado.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa o juiz de direiio especial
do commerelo desia cidade do Recite, capital da
provine de Pernambuco e seu termo, por S.
M. I. e C. o Sr. D. Pedro "
de etc.
taco saber aos que o presente edrtal Tiran e """fS.;' tft. .,_ matorM i rmad Ifudo da ca! > 79 da ra do Padre Floriano, em
delie noticia tiraran, rae por esto juizo pender I f'J*tos do m.fr^da*:f,:nha ate.; chaos proprios, e com entrada independen.e de
uns autosde execncao de sentenca do Antonio Ma- lul"ooas ae secante, zuo pajas o
noel
seca
de
Inda*
cujo pagamento se Tizera peohora em a.nhe.roper- ^ZJZJttTSElSEIXZiTELZ meira vara depois da audienc'ia lindo os dias da
lencente ao espolio de Manoel Joaquim Das de '.'"" "ranea ae zinco.tUU pecas de iinna ae barcas, ^ d arrematado p.n nraca nnblica di-
Castro existente em ooder do testarenleiro Jos 100 saceos proprios para conduccao de carvao de !:'",,! arremd'auo-elI praca puniica ui
Paulo da Fonseca testaraente.ro Josl dp 4Q J< f l 4 ver so uhc il.os e armaeao da loja de calcado na
E sendo em^ublica audiencia oelo solicitador de papel matta-borrao, 20 garrafas de tinta de es- '"?%' i!. Inorados a Maaoel Joaqu.m
c senao em puoiica auuitncia peio souutaaor .. ^ d a ux\ ihPrAs de fpr- ido Soazi Vianna, pe os a ugueis de um anuo e
Bernardmo de Sena Das procurador do exequen- CT*?A arro*as jf f irmaniia.
te me foi feito o reunerimetito contante do seenin- ro> 24 bro>s sortidas, 1,000 fo has de zinco para ?nL* i V n f mesnia ca>a a rraanaa-
e Smo ore('uer"neuto estante aosegu.n- ^ lQ d ^^ de |ouro para assoalh0> do das AJmas do Recife, cuja execucao epelo es-
.i- m ^ a- ,------- 11 envao Lunha, e os editaes se acham em poder
No primeiro dia do mer de agosto de 1864, nes- de 20 2o palmos de compnmento, e largura de I nnrliro
do
EDIT1ES.
Alfaadega
Re*d dem do dia 3................
80:400K)
32:948f61
113:349^581
O Illm. Sr. inspector da tbesouraria provin-
cial em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 23 do corrente, manda fa-
zer publico que no dia 4 de agosto prximo vin-
douro, perante a junta da fazenda da mesma tbe-
souraria, tem de ser novamente arrematado, a
; quem mais der, o imposto da laxa das barreiras
. das estradas e pontes segnintes :
Ponte dos Carvamos9045500 por anno.
Dita de Tapacnr1:6898 por anno.
A arremalacao ser feita por tempo de tres an-
, nos, a contar do Io de iulho de 1864 30 de junho
! de 1867.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
cao comparecm na sala das sessdes da referida
junta no dia cima mencionado, pelo meio da, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandn publicar o presente
pelo jornal. '
Secretaria da tbesouraria provincial de Pernam-
buco 26 de jomo de l64.-0
ta cidade do Recite, em publica audiencia que aos
feitos e partes dava este juizo pelo solicitador Ber-
nardmo de Sena Dias, procurador do exequente foi
acensada a penliora feita em dinheiro perlencenle
ao expolio de Manoel Joaquim Dias de Castro e
existente cm poder de Jos Paulo da Fonseca co-
mo tc-tanit'iiiciro, e requerido que licassem assig-
nados os seis dias de lei e dez aos credores incer-
tos, passando-se os respectivos editaes, o Tid'o pelo dito juiz assim Ihe deferio :
Fiz o presente extrahido do protocollo das au-
diencias qne juntei o mandado e termo de penho-
ra que wgue
2 palmos para mais, 80 arrobas de oleo de linba
ca, 40 duzias de taboasde lonro para forro, 30 ar-
robas de ferro inglez em barrinhas, liaraes de si-
copira para embareacoes miudas, e madeira de
consiruc So para um transporte de guerra.
Sao sujeitos os vendederas desles objectos
multa de 10 0(0 no caso de demora na entrega del-
les, e de 20 0|O senao realisarem^a entrega, ou fo
rem elles de m qsalidade.
Tamben econsolho no dia 5 de agosto proxima-
meot viodouro, contrata, vista igualnieuie de
propostas recebidas at as 11 wras da manhaa, os
servicos de barheiro as enfermaras de marinha e
Eu Manoel Silvioo de Barros Falcao, escrevente doJ> *,r,?1s'|!v">8> P?r tempo a decorrer al ju
MovluicHto da alfoadega
Volumes entrados com faxendas..
< jcoux gneros.
VolUMI sahidos
com
com
fazendas...
gneros...
373
394
------ 767
237
2,237
2,464
Descarregara ao dia 4 de agosto.
Barra inglezaImoqenemercadorias.
Barca rancel -Coliynyidem.
Escuna dinamarquezaAfarj/diWwmercadorias.
Brigue inglezmana Burrissidem.
Lugre nornpptienseDogma taboade e farinha.
Brigue inglez AVrabacalho.
Polaca hfspanholaNayavinhos.
Barca portuguezaDespique //carvao.
Escuna nacionalErnestinadiversos gneros.
Barca norwegaawe Dogma, entrada de New-
York, consiguada a N. O. Bieber ti C, manieslou
0 seguinte :
274 pecas de taboado de pinho; ao bario do Li-
vrainento.
i,436 barricas farinha de trigo, 100 barriquiohas
bolaxinha, 100 barrilinhos bautia de porco, 20 cai-
xas machina para discarocar algodao, 100 ditas gaz
em latas e 100 remos; a ordem.
Brigue brasileiro Muudego, entrado do Rio-Gran-
de do Sul, consignado a Amonm Irmaos, maufes-
tou o seguinte:
10,2o9 (i, de carne secca, 22o meias barriqui-
tibas vasias e 6o couros seceos; aos mesmos.
Vapor brasileiro Paran, entrado do Para,
manifestou o seguinte:
Do Para.
70 volumes com 2o $ de salsa e 3 caixas com
1,393 chapeos do Chili; a ordem.
Uo Maranho.
20 caixas- a Manoel Joaquim Ramos e Silva t
Genros.
.V saecoi e i'-S encapados ; a ordem.
Encommeodas:
1 caixote; a Francisco Ignacio de Pinho.
2 sacros; a ordem.
2 caixas; a Manoel Joaquim Ramos e Silva &
Genio.
1 encapado; ao Dr. Antonio P. B. Accioli de
Vasconcello.
2 volumes; Geraldo H. de Lima.
1 encapado; a Antonio do Moura ltolim.
2 caixotes complantas; a Antonio L. de Oliveira
Azevcdo 4 G.
Escuna nacional Ernestina, entrada do Para
pelo Ass, consignado a Palmeira & Bellrao, ma-
^Oifestou o seguinte:
Do Para
45 caixas banha, 247 barris vinho, 600 caixas
sabao, 2o barricas cerraja e 28 pranchoe de pao
setim ; a ordem.
De Macao.
318 alqueires de sal; a ordem.
Barca brasilea Clemrntina, entrada do Rio
Crande do Sul, consignada a Maia & Espirito-Santo,
manifestou o seguinte :
12,889 A. de carne secca, 293 % de sebo em
rama e 70 araros seceos; a ordem.
iliate nacioual Alberto, entrado do Rio de Janei-
ro, consignado a Amorim Irmaos manifestou o
seguinte :
7,301 !S) de carne secca, 100 ditas de graxa em
beugas e 6o couros seceos; a ordem.
Palhabote nacional Ando Paquete, entrado do
Para pelo Ass, consignado a Almeida Gomes,
manifestou o seguinte :
l,:j8 alqueires de sal; a ordem.
Barca portugueza Minerva, entrada do Rio-Gran-
de do Sul, consignada a Marques Barros & C,
manifestou o seguinte :
1,500 ( de carne secca, 120 couros seceos ; a
ordem.
Patacho hamburguez Adalberto, entrado do Rio
Crande do Sul, consignado a Maria & Espirito
Santo, manifestou o seguinte :
8,767 (3) de carne secca, mais 2,328 ditas de
dita e 70 couros seceos; a ordem.
Barca franceza Rio-Grande, entrada do Havre,
consignada a E. A. Burle & C, mauifestou o se-
guinte :
5 caixas tecido de algodao ; a Joao Keller & C.
1 dita albunselivros;jiJoao Falque.
3 ditas meias de algodao, tecido de la e dito de
laa e algodao ; a Monleiro Lopes & C
73 barris e 150 meios manteiga ; a Manoel Joa-
quim t. e Silva & Genros.
1 caixa quinquilharia, 1 dita chicotes e cerdas
de instrumentos, 1 dita couro envernizado ; a Bo-
berto & Filbo.
1 dita perfumara ; a ordem.
1 dita preparo para chapeos; a F. Maestral)'.
1 dita chapeos de |ulha para mullier, 1 dita ca-
misas de algodao, 2 ditas vtupos d palha para
Iiomem, 1 dita inadapolau, 3 ditas camisas de peito
de lina e de ditos de algodao, seroulas, etc., i dita
vestimenta- enfeitadas, 2 ditas pelles de porco, 2
ditas couro envernizado, 3 ditas chapeos de laa e
de feltro, 3 ditas cryslaes, 1 diti arcoes para sel-
iim, 1 dita lanlernas, 9 barricas porcelana, 1 caixa
sapatos para muJher, 30 barris e 100 meios man-
teiga ; a F. Sauvage & C
10 barricas branco de Mendon, 2 caixas veruiz,
3 ditas cidos, 6 ditas tecido de laa,3 ditas piannos,
1 dita chapeos de sol, 1 dita ferro iavrado, 1 dita
pianno, 1 dita conservas, 1 iilteo, 200 barris chum-
bo de municao, 100 barris e 100 meios manteiga,
153 barricas cimento, 200 gigosgarrafas, 20 caixas
queij.is, barricas de arinba de trigo, 300 gigos ba-
tatas, 2 barris violto, 4 caixas calcado, 19 ditas mo-
bilia, 6 ditas tecido de linho, 12 ditas dito de algo-
dao, 1 dita couro, 16 ditas roupa feita, 1 dita dro-
gas, 19 ditas e 8 fardos chapeos diversos, i barri-
cas e 8 oaixas porcelana ; a E. A. BuxJe & C.
i:\|or(aco. '
Brigue hespanbol Themoteo l carregou para Bar-
celona pela Parahyba :
121 saceos com 647 arrobas e 12 libras com ali
godao.
juramentado, o escrevl.
! En Mana Mara Rodrigues do Nascimemo, es-
i crivo, o subscrevi. ,
E mais se nao ceotmba em dito termo aqui mu
' bem e fielmente copiado e transcripto dos men-
cionados autos.
E em cunrprHneBto, o ralerido aseriwo fez pas-
! sar o presente com o nraio de dez dias, pelo qoal
chamo, cito o Uei por atados os credores incertos
do mencionado exeoulado para que dentro do pra-
zo comparecam ueste juizo munidos de sens res-
pectivos documento, alim de ailegarem o que fr
de jus tica.
E para que chegae a notioia a quem interessar
nho.de 186>, e o tornecimento at setembro do cor-
rente anno de coberteras e colchas de algodao pa-
ra os aprendizes artfices; sujeitos os contratantes
. s- nipsmas multas cima declaradas ; isto de 10
O|0 pela demora do fornecimento ou dos servicos,
e de 20 0|0 nao sendo realisades, on se orem fei-
tos inconvenientemente.
Sala do conselho de comrrras navaes 30 de julhfi
de 1864.
Alejandre Rodrigues dos Anjos.
m Secretario.
Correia.
Pela adminstra$5o do correie se az publico,
que boje (4).pelas 3 horas da tarde em pento, fe-
sccrGiAro
A. F. d'Anmraciacao. P088. mwdai Pas^ar presente, "ser afBxa- c'har-se-hao'as malas para" a Parahjha, RioGrande
Por ordem da inspectora desta repartcao do nos lugares do costume, e publicado pela mi- do Norte, Cear, Granja, etc., as quaes conduz o
se faz publico qae por autorsacao da tbesouraria! prensa. j vapor costeiro Ptruuunga.
de fazenda, tem de se fazer por arrematacio a| ..** *j?gjjgi"* y?-f!!!'!!!*ll*f"..1>r' i Consejo administrativo.
obra constante do ornamento abaixo transcripto, a
qual dever ser approvada pela presidencia.
Oreamento sobre o ladrilho novo no cor-
redor do armazem n. 11 na alfandega
de Pernambaco, tendo o armazem oi-
tenta e um palmos de eomprimento e
desesete palmos de largura prefazem
quatorze bracas quadradas, demolir e
effectuar de novo o dito ladrilho com
argamassa de cal a 3,5300 a braca
quadrada........77*000
Contando a dimhiuicao das podras que
licam inutilisadas para reedificacao,
duas bragas (4) a 30*000. .
ceiro da indeiieitdencia o do imperio do Brasil.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-' dho administrativo para fornecimento do
crivaoo subscrevi.
Tristao de Alencw Araript.
DECLABACOES.
Sauta Casa da Misericordia
do Recife.

10 por cento para administracao e des-
pezas imprevistas para utencilios etc.
Quem se quizer propr a fazer dita obra com-1
pareca at o dia 4 de agosto prdximo perante o I
lllm. Sr. inspector, munido de soa competente
proposta em carta lechada.
Quarta seccao da alfandega de Pernambuco, 27
de julho de 1864.
O 2o escripturario,
Caetano Gomes de Sa.
Tendo-se de preceder ao alargamento da se-
gunda porta de sabida desta alfandega, convida o
lllm. Sr. inspector da mesma as pessoas que -*
quizerem eucarregar da factura de tal obra, orea-
da em 223, a comparecern a esta reparticao
at o dia 8 do corrente, munidas de suas compe-
tentes propostas em carta fechada, na conformida-
de da portara da thesouraria de fazenda n. 102 do
ln do corrente.
Alfandega de Pernambuco 3 de agosto de 1864.
O 3 escriptorario,
Godofredo Henriques de Miranda.
Perante o conselho de revista da guarda na-
cional deste municipio sao chamado comparecer
para serem inspeccionados por junta medica, na
sala das sessoes da cmara municipal, s 10 horas
da manhaa do dia 12 do corrente, os guardas abai-
xo mencionados.
1 batalhao de artilharia.
Francisco Felisberto da Silva
Joaqaim Manoel Brannao.
Jos Mana do Reg Albuquerque.
Carlos Cyriaco Ridich.
Joao Evangelista Gomes.
Io de infantaria.
Candido Jos dos Santos.
2 dito.
Jezuino Rodrigues Cardoso.
Benjamn Franklin da Cunha Torreo.
Joao Pamphilio Cavalcanti.
Jos Candido de Souza Castro Jnior.
Antonio Joaquim de Carvalho Menezcs.
3" batalhao.
Galdino Jos Bandeira.
Francisco Brugel de Almeida Guedes.
Francisco Antonio da Silva Rios.
Sala das sessoes do conselho de revista 3
agosto de 1864.O secretario,
Firmino Jos de Oliveira.
180*000
186*000
149*000
A lllm.' junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico qne
no dia i do corrente pelas 4 horas da hrde na
137*000 sala <*e suas sessSes tem de ir praca as rendas
das casas em seguida declaradas por tempo de
13*700 um a tres annos.
Os pretendentes devem comparecer acompa-
130*700 nhados de seas fiadores ou manidos de cartas
destes.
Estabelecimentos de caridade.
Roa Direita.
IN. 3 particular e 8 publico, 2 andares. 1:067*000
l'.ua do Padre Florjauo.
N. o particular e 49 publico casa ter-
rea........
N. 6 particular e 47 publico casa ter-
rea........
N. 8 particular e 43 publico casa ta-
rea........
Becco da Carvalha.
N. 3 particular e 10 publico casa ter-
rea........
Ra do Fagundes.
N. 11 particular e 32 publico casa ter-
rea. .......155*000
N. 12 particular e 34 publico casa ter-
rea........ 144*000
Ra da Calcada.
N. 21 particular e 38 publico casa ter-
rea........156*000
Travessa de S. Pedro.
N. 28 particular a 2 publico, 2 andares.
Ra de Santa Thereza.
N. 31 particular e 7 publico casa ter-
rea........
Ra do Chbug.
N. 34 particular e 1 D publico loja. .
Ra da Roda.
N. 36 particular e o publico casa ter-
rea........
N. 92 particular e 1 publico casa ter-
rea. ......
Ra da Imperatriz
N. 47 particular e 68 publico casa ter-
rea. ...... 306*000
Becco do Quiabo.
N. 49 particular e 8 publico casa ter-
rea. ........ 144*000
Ba da Gloria.
N. 51 particular e 65 publico casa ter-
rea........ 144*000
Ra de S. Rom Jess das Crioulas.
c N. 61 particular e 8 publico casa ter-
rea........131*000
Ra do Padre Floriano.
Facaldatle de Bireito,
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se
guintes:
Para a msica da companhia de artfices,
do alto Amazonas.
2 flautins de fi.
2 requintas.
4 cirmelas em sib.
2 ditas em d.
2 trompa pistn com as competentes voltas.
' 2 pisto-.-s em sib.
1 opbcleide em do.
1 dito em sib.
1 clavica em mi b.
1 dita em si b.
2 trumboiws de vara em si b.
1 bombo.
1 rufo.
2 pares de pratos.
100 palhetas para clarinetas.
2 resmas de papel de msica.
6 pares de pellos de pergaminho para bombo.
6 ditos de dito para rufo.
Quem quizer vender laes objectos aprsenle a
sua proposta em caria tediada na secretaria do
conselho, s 10 horas da manhaa do dia 8 do cor-
rente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
forneeiment xlo arsenal de guerra, 3 de agosto
de 1864.
Antonio Pedro de S Barrito,
Coronel presidente.
SebaUiioJot Basilio Pgrrho,
149*000 Vogal secretario,
t'ims^lhii Hdmiaiglralivo.
0 conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
guintes :
Para o nono batalhao de infantaria.
1684 covados de panno verde.
Para o laboratorio de fogos.
1 livro de talao impressos com 200 folhas.
1 balanza orisontal de Reverbal.
1 ariometro de vidro.
Quem quizer vender taes objectos aprsente a
a sua proposta em carta fechada ua secretaria do
conselho s 10 horas da manhaa do dia 10 do cor-
rente.
Sala das sessoes do conseibo administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 3 de agosto de
1864.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel-presidente.
Sebastio Jos Basilio Pyrrho,
vogal secretario.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal do guerra em cumprimenlo ao art. 22 do
regulamento de 14 de dezembro de 1852 faz publi-
co que foratn aceitas as propostas dos Srs. abaixo de-
clarados :
Para o arsenal de guerra.
Paulo Jos Gomes & C. Mayer :
4 duzias de tahoas de assoalho de amarello de
15 a 18 pollegadas de largura e 26 a 28 palmos
de eomprimento a 140*.
1 pol legada de

AVISOS MARTIMOS.
admioistradoreeda massa fallida de Amoriin, Fra-
gozo, Santos & C e despacho do lllm. Sr. Dr. juiz
especial do commercio, dos objectos existentes no
sobrado roa cima perteecenles ao fallido Joao
Baplista Fragozo.
Urna folha avulsa distribuida na vespera dar o
detalhe deste importanteTeiU._______________
LE 11, Y
MO*E
Qiiitta-feira 4 de agosto s 11 horas a
ra da Cadcia u. 53.
BE
Dio eseravtr pretw, emulo, de neme
fcjra, da4e %$ *mm, canoeir,
e servico do mar.
Sem limite.
Pelo agente Euzebio se vender em leilao o es-
cravo cima pelo maior prego que se achar, pe-
chincha, os pretendentes devera aproveitar a com-
pra, por quanto nm escravo robusto e proprio
at para o campo.
DE
Urna carroca e um boi.
0 agente Almeida vender em leilao urna car-
roca e um boi manco.
Xa pona da cochoira que foi doSr. Malveira s
11 horas do dia.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
Xavegs^So cuMteira vapor.
Festividade de N. S. das e-
ves.ua Parahiba.
O vapor Ptrsinnnfja, commandante Rates, segu
para o norte no dia 4 do corrente s 5 horas da
tarde
As pessoas que subscreveram e as que deseja-
ratn ir a Parahyba assistir a festividad* dasNeves
seguiro nest vapor, podendo voltar no .Ifaman-
gnape, flue precisamente chegar aquelle porto no
dia 8 do crtente.____________________________
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do sul esperado
at o dia 1 4 do corrente o vapor
Princeza de iomville, commau-
dante o primeiro tenente Araujo
o qual depois da demora do cos-
tume seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frote at o dia da saluda s 2
horas, agencia ra da Cruz n. i, escrtptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
300000
197OO0
4770000
96*000
1205000:
De ordem do Exm. Sr. director se faz publico,
que no dia 4 de agosto (qujota-feira) as 2 horas,
expira o praso marcado para a inscripeo dos con-
currentes cadeira de iatim do curso preparatorio
desta Faculdade.
! N. 66 particular e 63 publico casa ter- 4 tluzias de ditas de amarello e
rea........ 1445000 grossura, lo a 18 ditas de largura e 2o a 28 pal-
Rua da Senzala Velha ni0,s,de eomprimento a 1105-
N. 71 particular e 23 publico casa ter- Manoel do ISascimenlo Araujo.
rea ... 14350OO 10 duzias de taboas de pinho americano a
Patrimonio h ...ka. i30rs._oP.
de OrpHilOS. Joo Deodal0 Bowman.
Ra do Imperador. g costados de pao carga de lo a 16 pollegadas
Secretaria da Faculdade de Direilo do Recife, 28 N- Parlicular e81 puld.co 2 andares. 1:2025000 de largo e 26 a 28 palmos de eomprimento
pe julho de 1864.
Josi'1 Honorio Bezerra de Menezes.
Secretario,
O Dr. Manoel Antonio dos Passos Silva Jnior, juiz '
municipal de orphaos e ausentes sapplente em .
exercicio do termo de Olinda, em virtude da le I
etc.
Paco saber aos que o presente edital virem que
no dia 4 do corrente mez depois da audiencia deste
jmzo, porta da casa da mesma audiencia se hade
arrematar por venda a quem maior lancp offerecer \
os bens seguintes [lerteneentes a iieranca do tinado
Rernardo Jos de Sena :
Cma casa de Uipa coberla de telhas, com urna
porta e duas janellas na frente, com doas quartos,
duas sallas e cozinha fora, com 26 palmos de fren-
te e trinta e sete palmos de fundo em chaos fo-
reito, e com seu quintal pequeo em aberto, por
900-5000 rs., visto se ter abatido a quinta parte
da quantia de 2305000 rs., por quanlo fora ava-
llada.
um a dita contigua a casa cima referida, com
porta e janella na frente, com duas salas e um quar-
to, cozinha fra com 24 palmos de frente e 36 ditos
le fnnde em ehlos tambem foreiro, com seu quin-1
tal em aberto, por 1605000 rs., visto se ter abatido
Ra de S. Goncalo.
! N.' 10 particular e 2a publico casa ter-
rea........ 1835000
Ra dos Pires.
N. 13 particular e 39 publico casa ter-
rea. .-.-.... 1015000
Ra do Vigario.
N. 72 jiarticular e 27 publico 2 anda-
res........6035000
Ra da Senzala Velha.
N. 80 particular e 132 publico 2 anda-
res........ 4105000
N.82 particular e46 publico casa ter-
rea........ 2015060
Ra do Pilar.
N. 91 particular e 103 pnblico casa ter-
rea........ 1635000
N. IOS particular e 94 publico casa
terrea...........1735000
Ra da Madre de Dos.
N. 36 particular e 2 publico casa ter-
rea.........1825000
Recco das Roias.
N. 39 particular e 18 publico 2 anda-
res........ 3605000
Roa do Amorim.
115000 rs.
Jos Joaquim Lopes de Almeida.
6 costadinhos de pao carga de lo a 16 pollega-
das de largura e 26 a 28 palmos de eomprimento
75500.
4 duzias de taboas de pinho de ferro de 18 ps
da eomprimento 135
8 duzias de ditas de pinho e 3 quartos de gros-
sura e 14 ps de eomprimento a 185.
Joao Baplista da Motta Matta.
20 grosas de Avallas para gravatas a 15700 rs.
55 de gomma arbica em po 35300.
Thoinaz Fernandes da Cunha.
20 milheiros de pregos caixes 245-
Para o laboratorio de fogos.
Joao Deodato l)o\\ man.
10 arrobas de salitre culcinado a 145000.
5 arrobas de enxofrc extremes 45-
0 conselho avisa aos mesmos Srs. que devem re-
colher os objectos comprados no dia 6 do cor-
rente, na secretaria do conselho, s 10 horas da
manhaa.
Secretaria do couselbo administrativo para for-
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte espera-
do at o dia 15 do corrente o va-
por Ouapock, commandame An-
tonio Marcelino de Pontes Ribei-
ro, o qual depois da demora do
costume seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, na da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tnoLio uiz.de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
Navegado costeira a vapor.
Portos do sul at Aracaj.
A Companhia Pernamhucana ex-
pedir para os portos cima no dia
5 do corrente o vapor Paralujbu,
commandante Martins. Recebe
_ 'carga at o dia 4. Encommendas,
passageiros e dinheiro a frete at as 3 horas da
tarde do da da sabida : escriptorio no Forte do
Mallos n. I.__________________________
Para Lisboa pretende sabir com brevidade o
patacho portuguez Jareo, tem alguma carga enga-
jada, para o resto que lhe falla, a frete commodo'
trata-se com os consignatarios Palmeira & Beltro,
largo do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
Para,
Segu para o indicado porto com a possivel bre-
vidade o hiatc Uiulo Paquete, capilo Antonio Ma-
ria da Costa e Silva; para carga trata-se com o
consignatario Antonio de Almeida Gomes, ra da
Cruz n. 23, 1 andar.
Para a Bahia pretende sahir com
muita brevidade o veleiro patacho D.
Luiz, capito Jos Teixeira de Azeve-
do, por ter parle da carga engajada;
para o resto que lhe falta, trala-se
com os consignatarios Palmeira & Beltro, no largo
do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.___________
Para o Cear f Maranho
Sahir em poucos dias a barca nacional Barreto,
por ter parte da carga engajada, quem na mesma
quizer carregar dirija-se a Palmeira & Bellrao,
largo do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
LEILOES.
neci ment
1864.
a quinta parte da quantia de 2O05000 rs. por quan- N- J Parlicn,a>" poMee casa ter-
to fra avahada. Sitas no lugar do Urub de Be-1 re** M.
beribe deste termo junto ao rio. u irueira.
E para que chegue a noticia de todos maudei! v particular simo. .
passar o presente que ser atusado no lugar do
costme e publicado pela imprensa.
1205000
2135000
do arsenal de guerra, 3 de agosto de
Sebastio Jos Basilio Pyrrho,
Vogal-secretario.
Dado e passado nesta cidade de Olinda, ao 1 de
agosto de 1864, sob meu signal e sello deste juizo,
valba sem sello ex cansa.
Eu Francisco Cavalcanti Pessa, escrivao de or-
phaos e ausentes a escrevi.
Manoel Antonio dos Passos e Silva Jnior. Ao
sello trezentos ris, valha sem sollo.ex-causa, Pas-
sos Jnior.
De ordem do lllm. Sr. director da Escola
Normal se faz publico que existindoj matricula-
dos 54 alumnos, e havendo alguns tnatricular-se,
que o nao poderam fazer no ultimo dia do praso
marcado, em razao da junta mensa! do consulado
provincial, fleam por semelhante motivo eepssa.
das as matriculas at o dia 10 do corrente mez in-
De ordem do lllm. Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda desta provincia deelara-se
Misericordia do' quem estiver de posse do terreno de marinha n.
Recife, Io de agosto de 1864, I ft, qoe estere no dominio til de Julio Beranger
O eserrvao, entre a ponte, da Boa-Vista e a de ferro de Santa
F. A. Cavalcanti Cousseiro. j Isabel, que dentro do prazo de 13 oas contados
Santa Casa da Misericordia do '. desta data deve solicitar o respectivo titulo de afo-
Kccifc. ramento reconhecendo assim o senhorio directo
De ordem da Illma iunta administrativa da Un \ da fazenda no dito terreno, sob pena de ser consi-
ta CasadeJfikeSta do Recife 25" ieQ Revoluto o mesmo terreno e arrematado a
cretaria, am de.aslignaremVter.no de responsa- narobaco cm K de tfSftif^g m,ior
bllidade de que trata o 2 3 do art. 66 da lei pro- tonf StT '
vinciaj n. 396 de *3 de.narco do correte ai.no, A Aa MAa"oell ,Jose P,D,.-.
para qu possa ter lugar aadmlssao das referidas! InS|PCCao do llSOllfI de marinha.
menores no cellegio de orphaas. Faz-se publico que a commisuo de peritos eia-
Leocada e Joaquina, flhas de l'mbelina Juaqui- minando na forma determinada po regulamento
na da Costa e Mello. aonexo ao decreto n. 1324 de 5 de fe ve re i ro de
Casa de billiar da ra do Im-
perador junto a ordem ter-
cena de S Francisco.
O agente Almeida competentemente "autorisado
levar novamenle a leilao a casa de buhar da ra
do Imperador constando de 2 buhares ltimamen-
te ferrados com lodos os seus pertences, bancas de
pedra, um rico liteiro de amarello eovidracado,
espeilto, quadros, gamoes, bancas e mais objectos
constante da relaeao que se acba em poder do
mesmo agente, bem como o ttulo pelo qual o do-
110 possuidor de dito estabeieciraento o qual se
acha dse m bar ac do de imposto?.
IIOJF.
s 11 horas do dia.
LEILAO

no
cerca de 400 barricas com farriiha de
Irigo.
lioje as 11 horas em ponto.
Por intervencao do agente Pinto.
No armazem dos Srs. Henry Forster & C. roa
do Imperador por baixo do Gabinete Portuguez.
U HiTA X E
LEILAO
lJ
DE
M
Mobilias completas, pianos, guarda roupa, appara-
dores, crystaes etc., etc., joias de ouro e prata,
e .escravos de diversos sexos.
JUMK
QuinU-feira 4 o correte s 10 ho-
ras en punto
37RA DO SEBO37
Cordeiro Simoes far leilao requenmento dos
20 caixas com queijos flamen-
gos.
Por conta de quem pertencer serao vendidas
pelo agente Pestaa 20 caixas cora queijos tli-
mengos vindos pelo ultimo vapor : h ije 2 do cor-
rente pelas 10 lloras da manhaa no armazem do
Anues.
Feira semanal
DE
Movis, crystaes c outros ar
tigos
Se\ta-feira o 4o corrate s 11
horas.
O agente Otympio far leilao de ama mobilia de
amarello, urna dita de Jacaranda, um guarda rou-
pa de amarello, urna cama franceza de Jacaranda,
urna mesa elstica de amarello. urna cama de ja-
caranda, urna secretaria de Jacaranda, um rico
santuario, apparadores, quartinheiras, cabides, la-
vatorio com pedra, cadeira de abrir e fechar, di-
tas de balanco, ditas de guarnicao de diversas
madeira, marquezas estreitas para solleiros, lan-
lernas, copos, garrafas, machina para costuras e
outros muitos artigas de gosto. ________^_^
ijeiLao
DE
2 casas terreas em eifros foreiros.
SEXT.1-FEITU S 11 HORAS.
48 Ra 4a Cadcia 48
primeiro andar.
O agente Olimpio tem autorisacao para vender
em leilao 2 casas terreas sendo urna na ra Im-
perial do lado da matriz nova n 9, a qoal tem 3
salas, 2 quartos, cosinha ifra, quintal morado e
cacimba moeira, remiendo a mesma 165 por mez
e urna outra na ra do Nascenle n. 14 por detraz
da ra Imperial a qual tem urna sala, um quarto,
quintal murado e cacimba meeira e tem mais um
terreno na frente, sendo tudo vendido em um s
lote visto pertencer a urna s pessoa e esta achar-
se na Europa._____________________________
DE
Um terreno de marinha.
Seita-feira S 4o eerrente.
O agente Aureliano competentemente autorisa-
do e por despacho do Exm. presidente da provin-
cia vender em leilao um terreno de marinha na
ra do Hospicio, em frente ao quartel com 45 pal-
mos de frente e 130 de fundo, j beneficiado.
No dia cima indicado no escriptorio do Sr.
commendador Antonio Jos de Castro, na ra do
Vigario.__________________________________
LEILAO
DE
Predios e aeges.
Urna casa terrea na roa dos Pires n. 2o.
Urna dita dita na mesma ra.
Urna dita dita na ra das Cruzes n. 14.
tina dita dita na ra do Pilar n. 80.
Urna dita dita na mesma ra n. 24.
Urna dita dita na mesma ra n. 3.
Unta quarta parte da casa terrea na mesma ra
n.7.
Urna meia agua na ra dos Guararapes d. 39.
Um sobrado de um andar e soto na ra do Se-
bo n. 37.
Um sitio de trras denominado Londin do Boquei-
ro na Ibura freguezia dos \fogados, com gran-
de casa e diversos arvoredos.
25 accoes da Companhia Vigilante.
50 ditas da Companhia Pernambucaoa.
O agente Almeida far leilao requerimenlo dos
administradores da massa fallida de Amorim, Fra-
gozo, Santos & C. c por despacho do lllm. Sr. Dr.
juiz especial do commercio dos predios o accoes
cima perlencentes a mesma massa.
Sexta-feira o de agosto
s 11 horas do dia a porta da Associacao Com-
mercial. O agente presta se a dar qualquer in-
formaco.
LEILAO
ESCRAVOS.
$c&ta-felra & do corrente.
O agente Olimpio vender em leilao no arma-
zem roa da Cadeia n. 48, duas escravas mocas
proprias para qualquer servico.
Dar principio o leilao ao meio dia.
LEILAO
PREDIOS
l sobrado de um aadar na ra Imperial n. 64.
1 casa terrea na mesma ra n 66.
1 sobrado de 2 andares na ra do Lamnenlo
a. 9.
O agente Almeida lavar a leilao por ordem da
directora da caixa filial os predios cima.
Sexta-feira 5 do corrate.
A'porta da Associacao Commereial s 11 lf2
horas.
1111
AVISOS BIfEBSOS.
Instituto Arckeoiogico -Gteo-
graphico Pemainb ucano.
llavera sesslo ordinaria 'quiuta-feira 4
do corrente, s 44 horas da oanhaa.
Secretaria d foslitato 1* de agosto de
1B64.
J..So*stfA*o*o,
Secretario perpetuo.



,


1

'J'
Diarlo de t>crm*mbncb <|ulu<-t letra 4 de tgo*<< de 1664.

77--------1----------------'--------------:---------------------------------------------
Faltando anda no archivo las as melhores que teuho experimentado;
lista typograpWa <1 votames tsto em abano da vemade. Sou
encadernados leste Otarlo, ro>
ga-se as pewoas que os levaran
por empeestiao se_ disuena man
da-los entregar, nao se mandan-
do bnscar saias inoradas ( hem
que nao se Ignore) pera Incerte-
za da hora ein que se encostra-
ro em casa.
De V. S.
Amigo certo, venerador e obrigado,
0 brigadero
JOAO RODRIGIES FFX DE CAIUAUIO.
Gaslrte.
Ouro-Preto, 29 de marco de 18(54.
Atiesto que tendo feito uso, aconselhado
0/nvnn*m3/> jfl(1 j por un amigo, das pilulas do Dr. Ayer,
drurgldO lJSdl miluOU fique, perfeitainente bom de urna gastrile
a SUa residcacia da ra dO qoe soffriae que privava-me de andar aper-
s\ 3 lado, hoje felizmente nada sinlo.
Uueimado para a ra das Am-s gollatino de meuo.
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, acm-
de o achara*) como sempre
prompto a-qualquer horar pa-
ra o exercicio de sna pre-
fisso, chamado por escrita.
Aos 10:000^000.
No sabbado 6 do corrente mcz ter lugar
a extracto da primeira parte da primeira
lotera em ben*io do convento de S. Fran-
cisco, do Recife.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva- thesouraiia ra da
Crespo n. t5.
Os prewios d- 1:OO0WGO at 205000
sero pagos urna hora depois da extraccao
at as 4 horas da tarde, e os oufcros do da
seguinte depois da distribuirlo das listas.
O tbesoureiro,
_________Antonio Jos Rodrigues de Souza.
484 n mm\i
aos 10:000.000
Bilhetes garantidos
A' ra do Crrspu b. l' t casas do costame
O abaixo assignado tendo vendido nosseus mui-
to felizes biluele garantidos os dous quartos n.
147 rom a sorte de :0005, e numero 1103 com a
de 6005, e nutras mimas de 2005, 1005, 405 e
205 da lotera que se arabou de exlrahir benefi-
cio do theatro de Santa Isabel, convida aos passui-
dores de ditos bilhetes a viren receber seus res-
pectivos premios sem os descontos das leis, em
seu estabelecimento ra do Crespo n. 23.
O mesmo tem exposto venda os oovos e felizes
bilhetes garantidos da primeira parte da primeira
lotera a benelicio do convento de S. Francisco do
Recife, que se extrahir sabbado 6 de agosto.
Presos.
Bilhetes inteiros..... 12*000
Meios......... 65000
Quartos........ 35000
Para as pessoas que couiprarein
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 115000
Meios......... 55300
guanos........ 25750
Manad Martins Finza
Aluga-se a rasa da ra do Jasmim, rom 2
salas, 2 quartos, cozlnha, quintal e cacimba, por
commodo prego de 145 mensal : na ra dos Pires
numero 64.
- Precisa-se de urna mullier livre ou escrava,
que saiba coznhar e que lenha Imns costumes,
preferindo-se livre : a tratar na ra do Trapiche
a. 17.
PIULAS CVWUiCAS DR AVII5.
Estas [lulas vegelaes sao a-
daptadas a todos os usos de hu
.purgante as lamillas, pois sao
perfectamente innocentes, c em
i|tianto milhares de pessoas con-
fessam com gratido que foram
curadas por ellas de molestias
severas e perigosas;nao ha'
um s caso em que haja suspei-
las do mais leve resultado inju-
rioso por seu uso.
Publicamos aqu alguns dos
aitesiados que temos de curas
notaseis feitas ltimamente.
Cnr caso notavel de
tHccco dirimir do Hijadu.
Il.LM. Si;.
.Iiiiz dr Fura, 17 do [ecercirn de IHfi'i.
Tendo feilo uso das pilulas catbarticas
de Ayer, que me fez favor de dar um vi-
lro, leudo lirado um resultado nao espera-
do ; padecendo ha mais 'de doze annos eu-
femidades las pilulas posso lhe assegurar que estou
bom, po s len lo ilesappareeido um grande
engnrgitamento que soffria, militas dores
sobre a reg,3o do ligado e costas, dores de
cabera, inenacao do venlre, nao podetido
deilar-rae seno do lado direito, isso me 5-
mo procurando pstelo para ler socego, bo-
je me acbo livre d'esse padecimento ; como
por aqu ainda as nao haja, eu como lenho
este proprio que de casa, lhe rogo man-
dar-me alguns vidros, e o ctisto elle lhe sa-
tisfar, assim bem como do charope de
cereja, que Uve occao de experimentar;
em um ataque de guellas que teve tima
>reta que com elle curei, faro uso d'elles
as tosses em mintia familia sempre em
bom resultado, e por isso que peco para
mandar alguns fr.isquinhos, e mesmo as pi-
lulas pode montar a doze, porque tenho
feito uso d'ellas para uso da familia e al-
.'-.linas pessoas, todas teem tirado gramle
resultado : sou
De V. S. atiento abrigado,
Francisco Feiuieiua.- Paes.
Rbeumalismo e ataques hemorrhnidaes.
ll.l.M. Sil.
Ouro-Preto, 30 de marco de 1864.
Posso certificar-lite que as pilulas ca-
Falta de apetite.
Ouro-Preto, 24 de fevereiro de 1864.
Sendo eu affectado do figado ha muitos
annos, o ltimamente soffri tarta de apetite,
boje dou gracas a Deas por achar-me s
e perfito com o uso das pilulas catharticas
do Dr. Ayer.
Antonio Bento Vieira.
Conslipara, dores de rabera.
Ouro-Preto, 28 de marro de 1864.
Attesto que achando-me atacado de urna
forte constipa-cao que trouxe-me dores por
todo o corpo e na cabera, soffri horrivel-
raente por espaco de quatro dias; ento
um amigo aconselliou-me que tomasse pi-
lulas ratliarlieas do Dr. Ayer : com ellas fi-
quei sao e completamente restabelecido era
tres dias, de sorte que estou no firme pro-
posito de aconselhar o uso das ditas pilulas
a todas as pessoas que forem affectadas de
constipaeoes.
Acostiniio los da Silva, negociante de fa-
zendas.
Irritara do estoniano.
Ouro-Preto, 29 de marco de 1861.
Attesto.e juro, se necessario fr, que, sof-
frendo ha-muito tempo excessiva itritacao
no estomago, pouco apetite e diflicil diges-
tfio, d'ella tenho experimentado sensiveis
melhoras depois que tenho feilo uso das pi-
lulas catharticas do Dr Ayer.
Antonio Rersogenes Pereira Rosa.
Antonio Luiz deOlivoim Aze-
vedo &. C
Asi-nte* do Banco liiiao do Porto.
Competcnlemente aatorisadus sacam por tod o
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para a seguintes agencias.
> Londres sobre Banh of London.

CONSULTORIO MEDKMIRIJRGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYE LOBO MOSCOSO,
flKJIICO. I'MIII IIIO i; OPrADOR.
3 Eua da Gloria, casa do Fundo 3
O Dr. Lobo-Rtoseoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s I
Francisco Rah'oba & Ballisia. horas da manla, edas 6 e meias 8 horas da noile, excepto dos dias santificados
Frederic S. Ballin & C.
Joo Gabe & Filhe.
> Jaime Meric.
Crdito commereial.
i Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Paris
Hamburgo
Bareellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Ikaganca.
Faro.
Oliveira d'Aze-
meis.
Pena del.
Tavfra.
Villa do Conde.
ViHa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No IMMHIO.
Baha. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somiaa prazo ou vista,podendo logo
os saques prazo serem descontados no mesmo
Angra Terceira.
Caminha.
Castello llraoco.
Chaves.
Coimbra.
Covilhaa.
El vas.
Estreras.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa Nova
Portimao.
do
Figueira.
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Lainego.
Leirix
Monco.
Moncorva.
Regoa.
Setnhal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
i
Lonbrigas.
Omo-Proto, 28 de marco de 1864.
As pilulas do Dr. Ayer (catharticas), fo-
ram embregadas com grande vantagem por
mim em urna menina de dez annos, que
soffria de vermes intestinaes, nolando-se
que os symploiias que entao apresentava
eram de molestia bastante perigosa.
Rav.mi ndo Nonato S. de Thiago, pharma-
ceutico.
Nevralgia.
L'ma caria lo llhn. Sr. Francisco Alva-
Azevcdo.
renga de
No sabbado .'10 de julho, s 9 para as 10 horas
do da, foi um individuo de cor parda, e.tatura re-
gular, na casa do abaixo assignado, segundo sitio
da estrada do Cajueiro da Magdalena, antes de che-
gar ao.Hospital Portuguez, e procurou fallar com
a dona da ca nado para levar 0 radeiras das que fazia liarle da
mobilia para as euvt-rnisar o pintar a palhinha, a
dona da casa recusou-se a f.izer entrega das ca-
deiras, porvm o tal individuo a pode convencer, o
elle mesmo escolheu as 6 radeir-as e as levou, ten-
do a dona da rasa as entregado, altendendo o ter
elle estado no da anterior com o abaixo assigna-
do, offerecemu-se para fazer servicns de marcinei-
na, e chamar-se Manoel Antonio, e morar na ra
do Aragao n. 21: nao tendo eu dado aulorisacao
algama ao tal individuo, pois nein o conhecia, por
isso as julgo furtadas ; e por infurmacoes conste
ter passado pela punte grande da Magdalena com
as ditas cadeiras no mesmo da c hora ; sendo as
tharticas do Dr. Ayer sao excellentes, pois cadeiras de Jacaranda, finas, as palhinhas enverni-
niip sriffrpniln en AAr* npln mmn p filie sa'las ou I,inIa(las!. e nodoadas : quem deltas der
que soi renoo eu aoies peio corpo, e que nolicJa c^,, ao abaixo aguado no sitio cimas
ouppunlia ser rheumatismo, (molestia esta ou na ra da Cadeia do Recife n.6i, segundo an-
(|Ut j havia soffrido ha annos) e soffrendo dar, ser gratificado, e se guardara segredo.
tumbem de ataques, hemorrhoidaes, e de
um ou vid o; pois que at j pouco ouvia, e
acompanhado de urna dr no queixo, con-
sultei a um dos nossos mcheos, e este me
disse que devia ftrer uso 'da salsa ; pnrm
leudo eu* O
Ha mais de sele annos que sonra dores
no hombro e as costas, lomei tima infini-
dad* de remedios sem aehar alivio algum.
Dr, angustia, tormento sfio palavras for-
tes, porm nao exprimem 0 que tenho sof-
frido : ltimamente lomei as pilulas ca-
tharticas do Dr. Ayer. S faz oito dias, e es-
tou completamente restabelecido ; ha tres
dias que nao sinto a mais leve dr no hom-
bro nem as costas.
Kslas pululas acham-se venda as prin-
cipacs boticas e dro.iri:s do Imperio, e no
Itio de Janeiro, ra Direita n. 15.
|ig Lidio Mananto de Albiiquerque ^
4t acha-se competentemente provisio-
^ nado para solicitar causas no foro
%> civil o commereial desta cidade,
H| para o que pode ser procurado na
ra do Imperador n. 12.
Pharmacia especial homeopathica
No raesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sorlimento de carteiras
tubos avulsos, assitti coida tinturas de varias dymnamisaQes e pelos precos seguinies
Carteiras de 12 tubos grandes. 12fJ000
de 24 tubos grandes. 18000
de 3ti tubos grandes. idOOO
de 44* tubos grandes. :t(V50OO
> de 60 tubos grandes. &>0U0
Prepararse qnalquer carteira conforme o pedido que se ker, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou fraseo de tintura de meta onca 1<$ 00.
Sent parciia de 12, custarao os precos eslabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LIVROS.
A meHtor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr,
dons grandes rolumescem diccionario............ 20(5000
.Medicina domestica do Dr. Bering,........... 10-5000
j Repertorio do Dr. Mello Moraes............. 6(000
Diccionario de termos de medicina ........... 30000
Os remedios deste esta6elecimento sao por demais wnhecidos e drspensanr portan-
Banco a razio de 4 por cento ao anno : a tratar to de serem nevamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios ver-
na ra da Cruz n. i.________________________j dadeiros, enrgicos e duradores : ha ludo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
Club commereial. 'dadeiroassucar deleite, notaveis pelasua boa conservac.o, tinturados mais acreditados
A reimio familiar do corrente mez de agosto. estabelecimenlos europeos, a mais exacta e aecurada prearacio, e portanto a maior ener-
fera lugar na noite do dia 13 do mesmo. | ga e ^^^ em ^^ egejtos.
Aluga-se urna casa terrea assobradada, na-
rua do Lima em Santo Amaro, com muitos com-
modos para familia, com quintal morado, e boa
cacimba, por 18S por mez : a fallar com Jos Gon-
calves Ferreira Costa. operacao, para oque o annunaantejulga-se sufllcientemente habilitado.
' Offerece-se umaama que sabe fazer toda o O tralamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
servico de urna casa de familia^ de muito bons eos- fnnecionando a casa a mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cujo conceitri se nao
turnes, afiancando:se a sua conducta : a tratar na pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que deseiarem mandar seus
doentes. -
Paga-se 25000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operacoes serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
Attenco.
Procisa-se de ama ama para casa de pouca la-
mili i : a tratar na casa n. 4i na roa da Paz.
Quem entregou a nra preto velho ganl)ador
dous embrulhos, sendo um urna eaixa de pape/30'
e nutro nm diario, procure na ra Nova n. t'.i.
Deseja-se fallar oom o Sr. Antonio d.- Freitas
Barbosa a negocio que nao ignora : na ra da
Impenitriz n. 40.
Alnga-se a casa da ra 33 Calabottco n. :t~:
a tratar na roa do Livramento n. 36, segundo
andar.
AttenQa
Casa de sade para escravos.
Recelw-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fa/.er-se-lhe qualquer
^Jugase urna preta que cose, engomma e
sabe tratar dos arranjos de urna rasa, menos coz-
nhar ou comprar, afianca-se a conducta : a tratar
na ra larga do Rosario n. 34, botica.__________
Precisa-se de nm pralicante de botica que
tenha alguma pratica : a fallar na ra larga do
Rosario n. 34.
Precisa-se de um caixeiro habilitado lomar
conta de um dos melhores armazens de molhados
nesta praca, queseja fiel, diligente e saiba cumprir
con suas obrigacoes, fazendo descachar o expe-
diente da casa na ausencia do patrao : quem se
adiar habilitado deixe carta fechada nesta lypo-
graphia com as iniciaos A. R. P. para ser procu-
rado.
Precisa-se alugar urna preta escrava para o
servico de urna pequea familia : na ra das Cru-
zes n. 2S, primeiro andar.
Desappareceu da e-asa n. 1 do berro da cam-
boa do Carmo um criouliulio livre, de idade de \
annos, rom os signaes seguintes: nariz nm tanto
chato, com marcas de bexigas, levou vestido timao
braneo com um buraquinho aolaio : quem o ti-
ver, queira ter a bondade de o levar dita casa, i
Elle chama-se Anselmo.
Precisa-se de urna ama para lodo o servico!
de una casa de pouca familia : na ra do Vigario
n. 27, segando andar.
APROVEITEM APROVEITEM
AOS
7,150 COYADOS $
de sedas de cores de todas as q nal idades.
Na toja da ra do Crespo numero 17. $&
para
para
Joao Carlos Alendes da Cunha Azevedo de-
clara ao respoitavel corpo do comoiercio que dei-
xou de ser caixeiro da casa commereial do Sr. J.
da Silva Faria.
Amasando'
Precisa-se de um amansador
V. da Silva Beiris, ra do< Pire
na padaria A", A
n. i-..
Importante compra de 71o0 covados de seda de todas as quadades, proprias
vestidos de senhoras e de meninas, e vonde-se por precos admirareis.
Outros mnitos objactOS de apurados gostos para senhoras, vestidos de lilonde
casamento a 905 cada um. capas pretas, soutambanpies decores e pretos, chapeos etc.
Fazendas do linhi> e de algod as melhores que exislem no mercado.
0 proprielano deste importante eslabelecimenlo vai a Europa muito breve com-
prar fazendas de apurados gostos, presentemente vende as soas mercadorias por precos
baratissimos para liquidar.
Protejain todos. Protejan) todos a importante
LIQUIDACAO
4 laja da ra do Crespo n 17
O leilio de movis e escravos da massa fal-
lida de Amoriin, Fragozo Santos de C, tica trans-
ferido para ouiro dia, o qual ser annunciado.
Aluga-se o unmeiro .indar do sobrado da ra
da Somata V'elha n. \i : a tratar na toja o
mesmo.
mmmjmmmm-mmmmmmm
19Ra Nova-19
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operacoes de sa arte, e col-
loca dentes artiliciaes, tudo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos denuncie.
<^s>^
)>^m

- i -, <*Wii 6*\
O escrivo de paz do segundo distncto da
freguezia de S. Frei P.-dro Goncalves, continua a
lavrar escripturas de compras e vendas de escra-
vos : na ra da Senzala Nova ca
A' ra Nova n. 48, na taberna, aluga-se urna
escrava moca, que lava, cosinha, compra e faz os
demais servicos ordinario de urna casa.
Na ra da Praia n. 22, precisa-se de urna
ama que saiba cesinhar e engommar para casa
de rapaz solteiro.
*isSSfc"&""*i3S3E5^?2SCiSISSSE
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo por si
e pelo seu amigo Antonio Jo> Dias Pereira
(ausente) agradece aquellas pessoas que se
dignaram assisiir missa que no dia t do
corrente se disse na igreja do Corpo Sanio
pela alma da mal daquelle 'amigo tallecida
em Portugal.
>. >
Ainda esta para alugar a casa da roa ngus-
ta n. 1 li : a tratar na ra Nova n. .'i'.'.
Na nn estreita do Kosario n. >\\
Advocado Affouso de Albu-'
INJECCAO E CAPSULAS
HBS
Novo tralainemu preparado ruin as folln de Mnllro, ivoi-o do Pctii, para a cora rpida e infaltvel
da Cionorrhea sem reccio algum da contrapeso do ranal ou da Inflammaefto dos intestinos. 0 clebre
rloutor nlcord, de Paris, ter renonciado. deisiie sua apparigao, ao emprego do qualquer outro tratamento.
Fmprega-se a injerc&o no eoni^o do llnxo. as capsuias fin lodos os casos chronicos e inveterados, que
restatlrao s preparaqe do copahn, cnhelia e s injecQes com base metallica.
Depsito geral: em Parit, em casa de MM. GrimauH > C, pharmaicuticos, 7, ra de la Feuillade;
em Lisboa, J"r Aallnho da COAlM-CarYalh Jnior no Torio, Mlgurl Jone de Sonsa-Fer-
reira; em o Bio-de-Janeiro, G.-Ntag, m, ra S. Pedro: em /ohfl, Jo-Calano Ferrelra-E*pln-
helra; em ilio-Crandf, Joaqun de r.oday; em Maranhao, Fi-m-lra e C; em fernambuco,
Shomu e 0*i ra da Cruz, 22; Sonza, e as principaes pharmacias do Brazil.
Deposito geral em Peniauliue-i ra da Cruz n. 22 entcasa de Caros A Harboza.
FURTO
E
querque juvuv,
pode ser procurado a qualquer hora : as sextas-
eiras, porm, na villa do Cabo.______________
- Aluga-se a casa terrea da ra da Alegra n.
t : a tratar ua ra do Hospicio n. i\.
<-abi\et;
PORTUfiLEZ KUlllIlvEHPK-
UnlillO.
De ordem do lllm. Sr. presidente do conselho de-
liberativo, convido a todos os genitores socios ehVe-
livos para a sessao ordinaria da assembla geral,
(|ue dever ter lugar na quarta-feira 3 de. agosto
prximo, para se tratar das eleicoes do conselho
Olferece-se nm rapaz portuguez de 20 anuos
de idade. para caixeiro de la'licrna. o qual tem
muita pratica, ou mesmo para qualquer outro esta-
belecMiento : a tratar na ra dos Guararapos n. 12
taberna.
Aluga-se o 2" andar do sobrado n. 79, na me
do Imperador : a tratar na ra do Crespo n l-"i.
No escriplorio de M J. RamoseSilva Aj (Jen-
ros, na ra uo Vigario, corapra-se um caleche em
bom estado : quem tiver para vender aiiiiuncie.
Precisa-so de um menino para caiviro de
taberna, com pratica ou sem ella: na ruados
Gnararapes, em Pora de Portas, n. 8, preferindo-
se Portuguez, e dando banca sua conducta.
Precisa-se de urna de leite, escrava : na ra
da CadWa do Rncife n, '2. terceiro andar.
Consultor Forense
Araba de sahir i luz na livraria do editor II. L.
Garnier, ra do Ouvidor n. 69, o
CONSULTOR GERAL DO FORO
Pelo Dr. darlos Antonio Coriteiro.
i grossos volumes em 4", bm encadernados,
30,5080.
Acaba de compJetar-se esta importante obra do
muito distincto o conhecido jurisconsulto o Dr.
Carlos Antonio Cordeiro, honrada com pareceres
laudatorios dosSrs. conselheiros senadores Ange-
lo Muniz da Silv-i Ferrar, Bernardo de Souza Fran-
co, Buzebio de Qu>-iroz i:outinho Mattoso Cmara
e Jos Thomaz Naburo de Araujo.
Complese esta obra eminentemente pratica e
ao alcance mesmo das pessoas inieiramente
julho
F. I. Tinoco de Souza
1." secretario.
ipii'
! rem do delegad
: competentes guias
Aluga-se a casa terrea da ra do Mondego n.!
85, com 3 quartos grandes, 2 salas, cozinha tora, I
quintal murado e cacimba : a tratar na ra do j
Corredor do Hispo, defnmle de muro de palacio, !
com Francisco Jos Leite.
- Luiz Domingiies de Monza
f;iz selente que de hoje por di-
te s* assis;niii* Luiz Hastiaaucs
de onza Uou-tinSio. Kecife. 1
de agosto de h t.
Precisa-se de um caixeiro para taberna que
tenha pratica : a tratar na ra
mero 49.
do Nogueira nn-
A ma
Antonio Botelho Pinto de Mesqua.
Hotel italiano.
Madama Ferro avisa ao* seu fregaezes e ao res-
peiiavel publico, que acaba de mudar seu estabe-
lecimento da fra do Trapiche n. 4*fc para a mesma
alfrianack do mesmo doutor, rnan. o, aonde-foi-o hotel Francisco, espera m
promptido
lores [>elo corpo ; e sem sentir, sare do cidade de presos.______________________.
ouiid, e mesmo dos ataques hemorTtioi- Atuga se a loja do sobrado n. 10, no largo do
daes : pwtanto sito para mim as taes pilu- Carmo no 'argo do Paraizo n. 20.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca fa-
milia : na ra do Rangel n. 62.________
r/eseja-sn saber aonde reside ou mora a Sra.
D. Jose'pha Francisca Pinto Regueira Ramos.
Precisa-se de urna ama que cosinhe e compre
para urna casa de pouca familia : ra de lionas
n. 430._________________._______ .
nobilia. r~
Envernisa se mobilia mais em conta doqun em
outra qualquer parte : no pateo do Carmo n. 24.
Desappareceu do primeiro andar da ra da
Cadeia Velha, na noite do dia 31 de julho. urna
cachorrinha felpada, cor branca, orHhas cnidas,
tem o cabello das maos e focinhn crtalo : quem a-
pegar, qtjerendo restitu-la, se dar o adiado no
mesmo sobrado cima-.
. Na praca da Independencia, luja de ourives
n. :t3, comomiB-se obras de ouro, praia e |te
precinsap, assim como se faz qualquer obra dft'en-
commenda, e todo e qualquer concert;, e igual-
mente sa dir quem da iliobeiro apremio.
Precisa-se de urna ama para casa'ite pour
amil.v na ra 'Je Hortas n. 24, t' andar.
Imi litterario da referida freguezia as quiz.'iein intentar ou l.verem causa dependente de
qualquer JI1IZO.
Vende-se separadamente cada urna das partes
seguintes a 83 ConsXTOB Civil acerca de lodas as aegoes se-
guidas no foro civil, segundo o >ystema adoptado
por Correa Telles no seu Manual do Processo Ci-
vil, eom as suppmsses, alteraces e accrescimos
exigidos pela legislacao, estvlos e pratica do foro
Precisa-se de tima ama para engommar para brasileiro.
duas pessoas e lavar: na na, do Hospicio n. 44. | Cmbultor Cwminai. ou formulario de todas as
It'llicitMH boten ar-Ces seguidas no foro criminal, .precedido das
O abaixo assisnado. propietario **k\it*!*fcj*n^***1^ judiciaria
cagoes, desde ja est resol vi do a vender as suas, e atlnbuicoes das autoridades poliaaes e cr.mi-
em coneimencia dos seus ganhos mesquinhos nao na^s- .
Consli.toii UiMMKKiaM. ou formulario de todas
\n\.
chegar para acnbertar o grande e oneroso novo
moosto' provincial, segundo a lei linanceira deste 8*" coinmerc.aef; segundo o regnlamenlo de
^.''LT^'j,, 308 ,.or aquellas e 203 por *,dt novembro de 1850, contendo os modelos de
e juntamente, atiroveita a m-casio l8#"> despachos, termos, autos alle-
anno art. 42 g 'Xi. do
estes annual
paraacrdecer opregressodenossa mal fadada fa?oeS embargos, senlencas linalmente -todos os g
movincto 1)009 se Vm,.ade.;a de n6s 11 procesSQfssegui-k. do processo das .pie-
yiu.tiina. ^ catraeiropatoteiro. 'ir*'s' 1u,'r 0BW <'Auimercial, quer no juizo on- |
Acha-se justa e contratada a casa terrea sita no
hecco de JoSo Francisco n. 9, na Roa-Vista ; se al-
gnera se julgar com direito a ella haja de reclamar
por tres dias. Recife 3 de agosto de 1804.______
Precisa-so de 30U4 a juro-* dando-se por ga-
ranta urna escrava em hypothec i : na ra da
Penhan. 17, segundo andar se dir quem precisa.
Jos Gomes de Amorn, Brasileiro, vai a.
Europa.
GRANDE
liquidatjao de ImIps na lija e armazem
da Arar, JHnlanentR di fazen-
das novas Yindas pelo vapor, qne se
vende por p ecos baralissimos, ua
loja rfa Arara, rna da 'nrpetalrfz n,
56, de Lonrenco Pereira Meado tiui-
maraes.
Arara vmdf s bares a tfflW.
V'endem-se baldes de 16, 20, 23 e 30 arcos a
22i0,24S0O. 35, 3*500, 44 : s na loja da Ara-
ra, roa da Imperatnz n. .W.
A Arara venile fluas a 210 rs.
Vendem-se chitas para vestidos de cores lixa> a
240e 280 o covado, ditas francezas larcas a 320,
360, 400, 440 rs., dilas percalas mnilo finas a oOO
.'60 rs., riscado francez a 280 rs gurgoro de
| linlio para ve>tido a 2 rs. o covado : na U>ja da
j Arara, ra da Imperatriz n. -'6.
As laziuhas da Arara a 320 rs. a rovaikt.
Vendem-se laaznhas para vestidos a 320 360.
400, e 500 rs. o covado, ditas lisas proprias para
capas a 400 e 600 rs. o covado : na ra da impe-
ratriz n. 'O, loja da Arara.
Coi les de cliila a 2:>S00.
Vndese corles de chitas escuros e claro* a
25100, titos francezes a 35900, cortes de ca a
23 e 25300 : na ra da Imperatriz n. 36.1ja.da
Arara.
Itoiipa frita da Arara.
Vende-se palitots de brim a 55300. :i-i. 35.'i diios de casemir-i do cores a 45300, 55. 65,7585,
105, ditos pretos lino a 105, raleas pelas d* -
semira a 45300, 65 o 85,calcas de brim de cer tt
25, 25500 e 35, seroulas de'linbo a 25. 'le algo-
doa 15000, ramisas francezas a 13 e 25300* lioho a 35 : na ra da Imperatriz n. 56, luja da
Arara.
Brim de linlio a I-V200.
Vende-se brim li 15200,1*280, 15W0 o 15600, lie algilu a flfl
rs. a vara, bretanha de linho a 6i0 e 800 rs. a NJe
i ra : na rna da Imperatriz n. 36.
! Arara vende os veos prctus e de reres a 1-SOttO.
Vendem-se veos pretos e di? cores para ctiape-
linas de senhoras pelo preco de 1.5 cada um, para-
' acabar : na roa da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Bramante da Arara a 2500.
Vende-so bramante du linho rom 10 palmos %
25500, dito muito superior de 12 palmos de largo-
' ra a 258IK). brim lio para lencoes a 300 r 360 ft.
panno de lioho de 4 palmos >le largura a 64AI .
a vara : na ra da Imperatriz 11. 36. loja da Atara
de Mendes Guimares.
As percalas da Arara a 500 rs.
'1 Vende-si1 ricas pe calas para vestidos de senhO-
! ra, fazenda muito lina a 300 e 560 rs. o covado
j na loja da Arara, ra da Imperatriz n. 36.
Sotitcmbaniue c capas a 2 ;5 f 22:j.
Souteuibanpies c capas pretas do grxsdenaples
, para senhora, pelo barato preco de "iO. e 225 :
na ra da Impi-ratriz 11. 56, loja da Arora.
; Colchas da Arara i
Vende-se. colchas do chita n --j. de ilamasco a-
; 45, defaslao a 55 : na rna da Imperatriz 11. 26%
' loja da A nra.
A Ai ai a vende madapoln lino a G-3300.
Vende-se madapolao fin 1 de II jardas, mf), a
! G5300, dito R. G. a 65600, dito 11 7 .1 75. dito n.
I 2 a 75300, dito 11. 40 a 85, dito a 853**0, dito a
,95, dito S a 105. dilo II a 115. para acabar, algo-
dio a .''5500. 6 53" O. "5 e 83 : na ru.i da luipera-
triz n. 36, loja da Arara.
Cassas para coi tinados a S5.
Vende-se pi#5i< de casss pira cortinados, de 20
varas, a 85 cada una, cambala de salpico para
I vestidos a 25500 a peca, dit-s lisas., 35. 35500 e
45 : na ra na Imperatriz n. 56. luja da Anua.
Challes a IrfiOO. 1111 Arara.
Vende-se challe- de larinha 1 15680 e 25. ditos
de merino a 25300 e 45500, ditos lino estampados
a 65, ditos le pona redonda a 7550*' ,-K> : y" ,!;
toja da Arara, roa da Imperatriz n. ''
Cassas da Arara a 2S0 rs
Vende-se rassas linas organdys a 280 e 320 1-
0 covado, golhnhas pira senhoras a 240, 320. 400,
300 e 800 rs.,manguitos a 5(io rs.. ramisinhas a
15 : ua ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Laziubas le nina s rr.
Vende-se laziuhas de nina s cor. laes emo
azul, verde, rosa, lyrio, caf e Me, proprias para
rapas o vestidos de senhora, a 600 rs. o covado ; e
outras muitas fazendas novas, que se wnd-'in ;vr
baratissimos pregos e a dinheiro : na rinda Im-
peratriz n. 56, loja da Arara, que se acha aberta
at as 9 da noite.
0 Dr. Cosme de S;'i Pereira conti-
na a residir na na da Cruz n. -i-i.
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua protls-
sao medica, e com especiaiidade
sobre o seguate
Io molestias de olhos;
2o ile peito :
3o dos orgfins geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas \
entradas comec-ando o tralialho pelos ]
doentes de ol ios.
Dar consultas todos os dias d s]
6 as tOda manla, menos nos do-1
mingos.
Praticar tuda e qualquer opera-
fo que jul^ar coiivenienU' pata o ]
prompto restabelecimento dos seus i
doentes. I
aeiropatotei
" ta para alugar urna casa terrea na ruada
Alegra, urna loja na roa do Amorim, e um lercei-
re andar e sot" muito fresco, na ra du Encanta-
mento : a tratar-com Joao. Ribeiro Lopes, ruada
Cadeia n. 33, loja. ____
Na rna da Imperatriz n. 50, padaria france
la, precisase de um escravo para entregar pao e Pecto-a.
fazer o servico interno.
minal.
Consultor Okph.\noi.ogico ou formulario de to-
das as .-iiv > seguidas no juizo dos orphaos, pre-
cedido das attrbnigoes das differentes pessoas que
nelle liguram, e enriquecido com diversas .regras e
preceitos tendentes ao mesmo juizo de orphaos, e
bem assim ao da provedoria, com a legislaba res-
Precsa-se de urna
coser para das pessoas :
n. 60, padaria.
ama para engommar e
na ra da Im|teratriz
Na mesma livraria se encontra a seguinte obra
do mesmo autor.
Conioo CniMiN.iL do imperio do Brasil, contendo
nao s toija a legislarlo alterante 011 modificante
de suas disposiQdes, como as penas de seus diffe-
- As pessoas que tivercm dado alguns ohjertos rentes artigos, calculadas segundo os seus graos
"para guardar em mo do abaixo assignaJe-, na na- e as diversas quadades dos criminosos; 1 volunte
.das Crujes- n. 1, haja de os tirar no praso de oito em 4:*, encadernado, 4500(1
dias, jhis qne trm de se retirar para fr*. Vende-se na liviana eeunomica ao u do arco de
Joao Francisco Lopes de Looreiro. 8an}o Antonio,
No largo do Paraizo n. 23 lava se, engomma- A pessoa que annunriou por este Diario
se ofsz.se comida, tudo por ptr^o commodo ea- querer entrar de socio em urna taberna com.ca-
votade de cada um. pital.dinja-se ao largo do Carino n. 13.para tratar.
ATTPCWI.
Loado no Diai) de Pern imhuco de 19 e 2o do
mea passado um annuncio em que o Sr. Manoel Ig-
nacio de Olive ira Martins pede ao Itvm. Sr. viga-
no.do ASstr, Jus'drj Mati >s Silva, que lhe d no-
ticias da qnantia de 1045 >30 qne o mesmo Sr. vi-
gario recebera do Sr Martins ; em resposta tenho
a diwr que a referida qiunt a me foi entregue, p
que Ma chegar i< ma is dA resoeeiiva dona ;i al-
go assim ter satisfeito ao Sr. Oliveira Martin, e
evitado qualquer juizo ponen favor.-ivel que f
possa fazer ao Sr. vigario do Ass Jps de Mattos
Silva.AlOQSO de Paula de Almir|ueruite M ira-
n
TLNTURAR1A.
Tittge-se com- per fui 0o para qualquer
cor, a o mais barato possivel: na ra do
Rangel n. 3*. segundo andar.
]



Diarlo de Pcraambue* iuluta letra 4 de Agosto de 184.
Aviso ein tempo.
0 abaixo assignado 'lm entregue as contp.sdos
devedores da extincta Arma de Vidal & Bastos, de
i|ue liqudalario, ao seu procurador Luiz fran-
cisco Mello lavares, para seren cobradas amigavel
ou judicialmente.
Recife, 18 de julho de 17G4.Joao Celes Bas-
tos Olivcira.
Precisa-se de urna criada livre ou escrava,
que saia cozinhar e cngommar : na ra das Cruz
u. 42, primeiro andar.
Precisa-se de urna ama tota teHe: na r ua
do Imperador n. 46, priineiro andar.
COMPRA
Compra-se urna
ra Nova n. 59.
carroca .para cavallo : na
Precisa-se de urna criada liv/e on escrava
que saiba cezinhar e comprar : na ra de Santo
Amaro (Mundo .Novo), sobrado -onde iuoiou o Sr,
Dr. Sabino.
Precisa-se de urna senhora ou de um sacer-
dote que queira ir ensjnar duas meninas em um
engenho em Serinhem," e se soaber msica me-
lhor, pois dar-se-ha bom ordenado: a tratar na
camboa do Carmo n. 16.__________________-
Precisa-se alugar um moleque para os servi-
cos de urna casa : a tratar na ra Nova n. 58j ter-
ceiro andar.
Grande liquidado
de faicadas na loja dciPavio, rna 4a taperatriz i.
60, 4 ama i Silva."
AcOa-se este estaelecimento completamente sor-
tido de fazendas inglezas, francezas, allomaos e
suissas, proprias taato para a praca como para o
mato, prometiendo vender-se niais barato do que
.! em outra qualquer parte principalmente sendo em
Compra-s nma escrava que s*ja perita en- porcao e de todas as fazendas do-se as amostras
gommadeira e cozinheira, agradando paga-se bem: deixando ficar penhor ou mandam-se levar em ca-
a tratar na ra do Hospicio n. 51, ou na ra des sa pelos caixeiros da loja do Pavo.
As hitas do Pava*.
Vendem-se superares cuttas.claras e escuras pe-
lo barato preco de 240 e 280 rs. sendo tintas segu-
res, ditas francezas finas a 32(1, 340, 360, 400 e
500 rs., o covado, ditas pretas largas e estreitas,
riscados escocezes finos a 240 rs. o covado, isto na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
As cassas do Paww a 240, 280, 300 e 320 rs.
Vendem-se flnissimas cassas persianas cores fi-
Aluga-se a lo adacasa n. 40 da ra das Trin- lztHn?r co,m
iras : na ra da Aurora n. 36. ,-segundo andar.
PrazeM>s n. 4.
Compram-se jornaes para embrulho : na Ta-
brica de cigarros na amiga ra dos Quarteis nu-
mero I.
Compra-se ouro e puta em obras veibas
daga-se bem: na loja de bilhetes da praca da lude
pendencia n. 22.
Comprase cobre volho: na ra doBrum nu
mere 78.
Uina escrava.
Cempra-se urna escrava que saiba engommar e
1 cozinhar com perfeicao : na ra da Cruz n. 45,
cheiras
Compra-se
Precisa-se alugar urna preta que saiba cozi-1
nhar e engommar : quem a livor, dirija-se ra i ,
do Trapiche n. 4, que achara com qem tratar. i cobre, latao c chumbo: no armacem da bo-
la .amarella no oito da secretaria da polica
Aluga-se o terceiro andar da.casa n. 48 na
ra do Trapiche : a tratar no armazera da mesma
casa. ______________________________
'." C W. DEVWEHY
Medico inglez,
e habilitado pela faculdade de medicina da Babia,
tendo sollado Pernambuco, pode ser consultado
todos os das em seu gabinete, ra do Brum nu
mero 74.________________________________
Miguel Jos Barbosa Guimaraes socio prtn-
cipal da lirma de Guimaraes & Lima, faz scieute
a todos os devedores a esta firma que tendo falle-
cido o socio Jos de Almeida Nuaes Lima, est
procedendo a liquidacao da mesma e por isso pe-
de a todos os devedores o especial favor de man-
daren! saldar seus dbitos o mais breve possivel.
Becife, 9 de julho de 1864.
mmmmmm m-mmmmmmm \
Compra-se urna mulatinhaotf negrinba com
idade de H 14 annos: na ra Direita n 113.
Alnga-se o 2" andar do sobrado da ra da
Aurora n. 44: a tratar na mesma ra n. 10.
Compra-se urna casa.cujo valor nao exceda
a 1:000o, na freguezia de Santo Antonio ou S. Jo-
s : -trata-se na ra do Queimado, loja n. 36.
Os outeanbarques do Pavo
lOg c 150 so o Pavo.
Veadem-se os mais lindos souteanbarques que
tem viudo ltimamente de lazrnha e caxemira ri-
camente bordados e enfeitados, cores muito delica-
das pelo barato prego de 105 e 155; fazenda esta
quem outras lojas se vendem por 205 e 255,
s para liquidar : na loja e armazem do Pavo
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Os cortinados do pavo.
Vendem-se ricos cortinados proprios para janel-
la e camas pelo barato preco de 94 o par, sendo o
Belhor que ha no mercado: na ra da Imperatriz
. 60, de Gama A Silva.
Attoucao
O dono da loja do Beija-flor, na rna do Queimado
d. 63, acaba de abrir um outro espacoso estabele
alVjES cor 11\no <* .
21Largo do Terco-"2
AO publico.


xas a 320 rs. o covado, ditas francezas muito finas 6MPent0 de miu,dcza na Resina ra n. 69, por isso
a 240 e 280 rs., ditas iujjzesas a 240 e 280 rs. o !*v,sa aos.seus freguezss e amigos, que nestes dous
covado, fluissimo organdy matisado cora desenhos slabelecimentos encontraro sempre grande sorti-
miudinhosa320 rs. o covado, cassas garibaldinas J?!?to *Lf5?!!L?f*!!S!L? **?"L,!iJ!S'
isto na loja do Pavo ra da
muito finas a 320 rs.
Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
As lazinlias da cxpHsife do Pavo.
Vendem-se as mais modernas lazinhas mossan-
tos; e vender sempre mais barato que outro qual-
quer, como abaixo se ver.
Pentes dourados de travessa.
Delicados pentes dourados de travessa para me-
bique chegadas pelo ultime vapor francez send ?ia> a 1*f00 cada M'tos sem ser dourados a
de urna s cor ou de listasuiiudinhas cora 4 pal* ^-Ti-,cada u : .nnas loJas do B^'ja-flor, ra do
mos de largura, proprias para vestido de senhora, Uueimaao ns" b.f. V ..
roupa para meninos e capas, e pelo baratissimo,' .. Hllinuas ilf aljofares.
YENDAS.
O bacharcl
Francisco Angosto da Costa
ADVOCADO
Ra do Imperador numero Jj9.
m
COMPENDIO DOLOROSO
que coniem o officio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
ra, um setenario e mais outros exercicios
de piedade e devocao; ordenado pela ir-
mandade dos servos da mesma Senhora,
que se acha erecta na egreja de N. S. da
Penha do imperial hospicio dos reveren-
dos padres missonarios apostlicos capu-
chinnos italianos de Pernambuco, approva-
do por S. M. I., que Deus guarde; dado
luz por devocao do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 320 rs. na Hvraria ns. 6 e 8
Precisa-se de urna imagem de Nossa Senhora da
Conceioo : quom ti ver quizer dispr por troca, t da praca da Independencia,
podo levar ou mandar no sobrado da ra da Cruz
n. 38.
Na padaria em Sanio Amaro alraz da fun-
dico do Sr. Starr, vende-se legumes de Hambur-
go" diversas marras.
Precisa-sc alugar urna ama que saiba cozi-
nhar, pri'ferindo-sc escrava: na ra da Impera-
triz n. 40.
Joao da Silva Ramos, medico pela Uni
versidade de CoimUia, d consultas em
sua casa das 9 i i horas da manha, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
eai suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero socrorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procuraren] no hospital Pedro II,
aoude encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
TVm sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 25500
Tero-ira dita.... 25000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servidos que tem pres-
tado.
O propietario espera que elle conti-
nu a merecer a conliauea de que sem- j|
[;_ !>re tem gozado.
Os abaixo issignados socios da firma
social, que nesta praca gyrava sob a razlo
de Joo l'ereira Moutinho & C, communi-
cam ao respeitavel publico e com especiali-
dade ao corpo do commercio q&o desde o
'lia i" de julho do corrente anno, tvm ami-
gavehneiit ulissolvido a- mesma sociedade,
licando o socio Luiz homiiigues de Souza,
obrigado por iodo o activo e passivo da
mesma. Recife, 1" de agosto de 1804.
Joo l'ereira Moutinho. Luiz Domingues
de Souza.
- Ouem precisar de una pessoa para socio de
una taberna, e esta que entra com capital, pode
annunciar por este jornal para ser procurado.
Wociedadc de seguros inutnos
de vida installada pelo Banco
(Tnio na cidade do Porto.
Os agentes nesta cidade e provincia Antonio
Luiz deOliveira Azevedo & C escriptorio na ra
da Cruz do Recife n. 1, estao autorisados desde j
a tomar assignaturas e prestar todos os esclarec
mentos que forem necessarios, as pessoas que de
sejarem concorrer para to til e benfica em|re
as, estirando um futuro lisongeiro aos associado-
a. SchafTter cV C, na ra do Trapiche n. 17,
sacan por todos os paquetes para a Baha e Po
de Janeiro, vista ou a praso, conforme se con-
vencional
Livro de orajes.
Vende-se 100 reis, na livraria ns. 6 e 8
da praca da Independencia, um livrinho con-
lendo o seguinte : louvor ao santo nome de
Deus, cora dos actos de amor de Deus, ora-
ces e peticoes, liymnoao Espirito Santo, co-
ra do Senhor, aviso a qualquer alma de-
|vola, desengaos da vida humana, bymno
\ de Santo Ambrozio Nossa Senhora, jacula-
I lorias ao Santissimo Sacramento, exercicio da
via-sacra, commemoracao Nossa Senhora
i do Carmo e ao SS. Sacramento, directorio
para a oracSo mental, dividido pelos dias da
t semana, obsequio ao coracao de Jess, sau-
[daces devotas s chagas de Christo, ora-
ces Nossa Senhora, S Jos, ao anjo da
: guarda, Deus em obsequio qualquer san-
to e para a noute, o responso pelas almas
do purgatorio.
Vendem-se caixoes vasios a I:7G0
cada um : na ra das Cruzes n. 44.
Vende-se das seguintes marcas:
(E Ej
Semith C e C }de FF o barril por 155.
[A I)
P N & C. de FF o barril por 155-
P diamante deFF o bairil por 145500.
De superior qualidade FF i espingardas o barril
por 16-5.
Chumbo de munieao de toda a grossura arroba
55500.
No armazem de J. A. Moreira Dias ra da
Cruz n. 2(i, onde encontraro as amostras.
preco de 580 rs. o corado, ditas enastadas trans-
parentes de quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas matisadas muito finas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita tambera matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Maria Pia com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de urna s edr parda, azul, cor de lyrio e
perola proprias para vestidos, sautembarques e
garibaldes a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
800 e 400 rs isto s na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os chales do Pavo.
Vendem-se finos chales de crepon estampados
pelo barato preco de 65, 75, 85, ditos de ponta re-
donda a 75 e 85, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidrilho a 125, ditos pretos lisos
Lindas voltinhas de aljofares com cruzes de pe-
drinhas imitando a brilhantes a 15 cada urna : as
lojas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Lavas de Jouvio
Chegaram pelo ultimo vapor as desejadas lavas
de Jouvin de todas as cores, tanto para homens
como para senhoras : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
'fallieres para meninos.
Vendem-se taiheres de cabo de balanco para me-
ninos a 280 rs. o talher : as lojas do Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Colheres de metal principe.
Vendem-se colheres d metal principe muito fi-
nas para sopa a 35600 e 45400 a duzia, ditas para
Temos a satisfaco de annuneiar, que" acabamos de abrir um estabeleciraento de molhados
na localidade c sob a denominaco cima indicada.
O novo eslabelecimento, fundado ao gosto moderno, torna-se recommeodavel pelo seu aceio
e pela regularidade de suas opcrac&s mercarais alem do que, tem um grande e completo sortimento'
possuinao todos os artigos concernentes molhados, cuidadosamente escolhidos e os mais frescos une
se possa desejar. H^
Esperamos, portanto, que mereceremos a proteceo de todos em geral, preferindo-nos na
compra dos gneros que necessilarem, certos de que venderemos a precos muito commodos e tendo
cm vista somente urna pequea vantagem, que compense nosso trabalho.
Nao teremos duvida em aceitar qualquer artigo, que por acaso nao agrade e nos seta loco
devolvido, restaurado enlao seu importe, ou trocando por outro, como mdhor convena ao comprador
Desejamos muito que o publico nos proporcione oceasiSes repetidas de darmos proras da ve-
racidade de nossas palavras; e terminamos inscrevendo aqui nossa constante divisa.
Barato s no fronteiro,
Porcm vende a dinheiro.
DE
IAIl?l5'dit0S,-,,ret?s "sos a cha 25 e"25400 a duzia, ditas para assucar a
*,' iad ISS *ft* ^'.-d,tos, oAmerLe m rs- cada uma. dilas Para lerrina a 2-8 cada
estampados a 25 e 35, ditos de laa a 15280 e 25, nma, e s quem vende por estes precos as lojas
ditos de retroz preto para luto a 65, isto na loja do Beija-flor, ra do Queimado usl 63 e 69.
do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva. 6
0 Pavo vende para luto.
Facas e garios.
Vendem-se facas e garios oilavados a 25800 a
duzia, ditas cravadas, cabo preto e branco a 35 a
Carvo animal.
Farello de Lisboa superior.
Cal virgen) nova : na ra do Vigario
primeiro andar.
n. 19,
Vende-se superior setim da China fazenda toda dozja; ilU8 de balanco de botao finas a 55200
de laa sem lustro tendo 6 palmos de largura pro- djlas de j buioes muito finas a 65500 a duzia, ditas
prio eara vestidos paletots.capas etc., pelo bara- ,ie i ]M0 ,)ara d0(.es.e fruclas a 3 a dzia ditas
to preco de 25, 25200, 2550 o covado, cassas de 2 botes a 55200 a duzia : as lojas do Beija-
pretas lisas chitas pretas largas e estreitas, chales Dor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos -i : l*-j
comgollrahas eoutros muitos artigos que se ven-: Wmjm -., .ETT ...m iaiv,
dem por precos razoaveis : na loja do I'avao ra a JaSPSft Wffi aflpe?a a W !ffi
da [mperatriz n. 60, de Gama 4 Silva. W Qnas loJas do P'Ja-flor, ra do Queimado
Os vestidos do Pavao BifcaJia Utitim,
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri- A nanauos uomaaos.
camente bordados a ve.udo |elo bara'to eco de gfSJ^glulSm 7ttHnS
405, sendo fazenda que sempre se vendeu a 1005 LP5L uK'n 'j^ j aT o
e IW ; ditos de cambraia brancos ricamente bof-1 loJas do e!JaloIr.- ^ua do Q^'mado ns. 63 e 69.
dados a croch, sendo proprios para baile e casa-' Lindos sapatinlios.
ment a 10, 15, 20 e 305; ditos de la com lindas vendem-se lindos sapatiuhos para baptisados de
barras a 18 e 155 ; isto na loja do Pavo ra enancas a 15500 e 25 o par : as lojas do Beija
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Pavo.
Vende-se panno preto muito superior pelo barato
preco de 25, 25500,35 e3&500, ditos muito tinosa
45, 55 e 65, cortes de casemira preta enfeslada a
45, 45500 e 65, casemira preta fina de uma s
largura muito lina a 15800, 25, 25500 e 35, cor-
tes de casemira de cor a 55, 55500 e 65, casemi-
ras entestadas de uma s cor proprias para
calca,
paletots, colletes, capas para senhora, roupas para de seda a 15100 a peca : as
meninos a 35 e 3->oo o covado, isto na loja do ra do Queimado ns. 63 e 69.
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva. Fitas brancas para debrum.
flor, ra do Queimado ns. 63 e <-9.
Botes para puuhos.
Vendem-se boloezinhos demadreperolaedemar-
fim para punhos a 320 rs. o par, ditos encarnadi-
nhos a 120 rs. o par : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas para debrum de vestidos.
Vendem-se titas de la de todas as cores para
debrum de vestido a 900 rs. a peca, ditas pretas
lojas do Beija-flor,
A roupa do Pavo.
Vendem-se paletots de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muilo boa a 125, ditos muito finos a
165, 20;, 255 e 305, calcas de casemira preta boa
fazenda a 45500, i>&, 65, 75 e 85, paletots saceos
de panno preto a 75, ditos de casemira de cor a
Vendem-se pecas de fita branca de linho para
debrum a 400 rs. a peca : as lojas do Beija-flor
na ra do Queimado ns. 63 e 69.
Micas litas lavradas.
Vendem-se muito ricas fitas lavradas para sinto
de senhora e meninas : as lojas do Beija-flor, ra
65 e 75, ditos de alpaca preta, ditos de merino do Queimado ns. 63 e 69.
Sedlas
na escadinha da alfandega n. 3 armazem
de Paula Lopes, a 500 e 800 rs. o cento
guem-se em quanto se nao acaba.
da viuva
i i
preto, ditos de brlm de cores, calcas de casemira
de cor a 45, 55,65. 75. ditos fle caxemira da
Escossia a 35, ditos de brim pardo a 25500, ditos
de cor a 25 e 25500, ditos brancos muito finos,
sto na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
As colchas do Pavo.
Vendem-se colchas de linho alcochoadas pro-
prias para cama pelo barato preco de 55 cada uma
na ra da Jmperatriz n. 60, de Gama i Silva
i.ii.s de nma so cor.
Vendem-se lazinhas de uma s cor, sendo en-
carnada, azul, cinzenta, cor de caf, lirio claro, li-
rio roxo cor de perola pelo baratissimo preco de
640 o covado, fazenda muito lina s o Pavo, ra
d Imperatriz n. 60 loja e armazem de Gama &
Silva.
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas que tem viu-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor fran-
cez, pelo barato preco de 600 rs. o covajie, dilas
Ksprluos de Jacaranda.
Vendem-se espelhos de columnas, de Jacaranda,
a 35 e 45500 cada um, ditos de madeira amarella
a 25400 e 25800: .as lojas do Beija-flor, na ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas de velludo estreitas.
Vendem-se lltinhas estreitas de velludo para en-
feite de vestido a 900, 15 e 15200 a peca: as lo-
jas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Trancas de la para bordar.
Vendem-se trancinhas de la pretas para bor-
dar camisinhas e vestidos a 80 e 160 rs. a peeinha,
ditas brancas cora 40 varas a 600 rs. a peca, e ou-
tras muilas cousas que so tornarlo enfadouho men-
ciona-las, pois s com a vista s.e poder ver o gran-
de sortimento das lojas do Beija-flor, na ra do
Queimado ns. 63 e 69.
DE
J. TIGNES.
N. 55. RA DO IHPGRADOR X. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao boje assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobre o
sua supenonuaiie, vantagens e garantas que oflerecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
veis que clles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca : pos-
surado um teclado e machinismd que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas sem-
nunca lalhar, jwr serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importan-
tissimo para o clima deste paz ; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito acrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores. ~ *
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expesicoes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodos e razoaveis.
RA DO QUEIMADO NUMERO 11
Loja de fazendas d Augusto Frederico dos Santos Porto.
Chapeos para senhoras.
Chegaram de Paris as mais lindas chapelinas e chapeos de palha da Italia para senhoras.
Ricas capas e soutembarques de seda preta e casemira de cor para senhoras.
Cortes de superior morentique branco para vestidos de noivas.
Camisas inglezas muito superiores para homens, peitos, punhos e colarinhos de iinho.
Chapeos de seda para caneca e chapeos de sol de seda inglezes.
Lencos de labyrnlho francezes a 15 cada ura.
Camisas de menino muito superiores.
Cortes de la de barra para vestidos de senhoras do 135 a 185.
A mesma loja tem o maior e mais superior sortimento de
Este! ras para salas.
Neste estabelecimento encontraro os sonhores que precisarem forrar suas salas eom esleirs
txla e qualquer quantidade que desejarem de 4, 5 e 6 palmos de largura, sendo a a qualidade muito
superpior e porjmodico preco.
ARJ1AZEM DE FAZEMUS
DE
Custodio, Carvalho & Compartira.
99 lifJA 1BO QUEOIAIIO **
Superiores saias de fostao para senhoras a 55-
Toalhas de linho para mesa a 35500 e 45.
Lencinhos para meninos um 100 rs.
Lencos brancos para algibeira a 25 a duzia.
Toalhas para mo duzia 45.
Bramante de linho vara 25.
Pil de liuho liso vara 500 rs.
brande pechlneha.
Pecas de entremeios bordados a 15.
Tiras bordadas a peca 25-
Gollinhas de cambra'iaa 600 e 800 rs.
Vinlio do Porto superior
dm eaixas de una e duas duzias : tem para ven-
eer Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu
de lis'lrinha muito raudinhas proprias para vestidos) escriptorio ra da Cruz n. 1.________________
e roupas de meninos e meninas pelo biralo preco
che- de 500 rs. ; so Pavo ra da' Imperatriz 60,
, loja de Gama & Silva.
GRAXA N. 97 As ""******* c
\ende-sea verdadeira graxa inglesa n. 97 no' te*
armazem de J. A. Moreira Dias na ra da Cruz
numero 26.
luchas hamburguezas
Vendem-se bichas de primeira qualidade : na"
i ra Nova n. 61, defronte da Illraa. cmara niuni-
; cipal.
W&^
a
Precisa-se de uma ama para cozinhar e comprar
em casa de hornera solteiro : na ra do Queimado
n. 32, loja.
l ma familia na ra da Matriz da Boa-Vista n. 9
tem-se proposto a engommar com todo o esmero
qualquer porcao de ronpa que Ihe for confiada,
qui venha suja qur lavada. Cumpre pontual-
mente o praso que se Ihe marra para dar promp-
ta a ronpa por dentis que ella seja. Manda leva-
la era casa de seas dones, ou alias a eutrega aos
respectivos portadores, segundo convencionar-se.
Costuma empregar todo seu zelo e cuidado para a
CODservacao da roupa, restituindo-a debaixo de to-
da fidelidade, cuja confirmaco pode ser dada por
pessoas de criterio, no caso que, exijam .aquellos
que nao tem maior conhecimeotoda probidade da
r-ferida familia.________________
A inga-so uma prea para vender bolos na
ra : na casa n. 98 sita na ra da Palma, .fregue-
zia de S. Jos, atraz da ra do Caldeireiro.
mwmmm mmwmmmwmm
m Maques sobre Portugal. 83
O abaixo assignado, autorisado pelo S
I Banco Mercantil Portuense. e na ausencia So
J do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca e- |
eso fi'ctivameule por todos os paquetes sobre
E as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga*
||jj[ res do-reino, jior qualquer suraraa vis^
ib ta, e a praso ; podendo, os que toinarem
E8 saques a praso,receberem avista, no uies-
^ mo Unco, descontando 4 OjO ao anno: na
m, loja di- chaimok Ja ra do .Crespo n. 6, ou
^ na ra do Imperador n, 63, segundo an-
mt dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
ec hincha
Vendem-se cortes de chita com doze covados
i cada corle, ditos com dez covados a 25400, fazen-
| da muito boa, e que nao desbota, s na I aja do Pa-1
vo tem esta pechincha ; a ra da Imperatriz n.
60 de Gama o Silva.
Panno de linho.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences, toalhas e cerclas pelo
barato preco de 640 rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 25500, algodezinho
monstro com 8 palmos de largura a 15, pecas de
Hamburgo com 20 varas a 95, 105 e 115, pecas de
madapolo fino a 75500, 85, 95 e 105, ditas de
algodozinho a 65, 65500 e 75, e outras muitas
fazendas brancas que se vendem muito baratas
afln de apurar dinheiro : na loja do Pavo ra da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
doze
Casa.
Vende-se uma pequea casa terrea sita na ra
da Bica dos quatro cantos em Olnda : a tratar na
ra da Sunzalla Velha n. 96, padaria.
Ra da Scuzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idemdoLov
Moor libra a 120 rs.
Loja de fazendas da ra
do Crespo n 7.
Miguel Jos Barbosa Guimaraes, socio princi-
pal da firma de Guimaraes & Lima, faz sciente ao
respeitavel publico que tendo de liquidar todas as
fazendas existentes em sen estabelecimento por
ter fallecido o seu socio Jos de Almeida Nones
Lima, que consta de um grande sortimento de fa-
zendas linas, como sejam ricos vestidos de seda
VENDE-SE
um engenho, fazenda de ga-
do, diversos predios, porcao
de escraros, animaas vac-
cuns e cava llares*
Sexta-feha o de a^oslo.
Xa cidade da Parahlba. rna do
Varadonro n.
Jos Luiz Pereira Lima, ten lo resolvido termi-
nar a responsabilidade que tomou sobro parte do
passivo d* sua extincta lirma commercial. expor
concurrencia publica, por venda em leile, to-
com algura oque de mofo, capas **,,,* pfo | Tp^S^^KJpJ
muito tinas e outras multas
vende por baratissimo preco.
Grvalas de seda a 2 ris. .
Trina, volantes C na IOes.
Vende-se trina, volantes e galoes de todas ae
larguras por precos muito barato: s no vigilaras
ra do Crespo n.7.
lcatrao.
VenJe-se presunto de fiambre a 400 rs. a libra :
na ra da'lmperatriz n. 88.
Vendo-se uina escrava moca, perfeita en-
gommadeira e cozinheira. rom uina cria de um
anno: a tratar na ra da Praia, primeiro andar
n. 55.
Vende-se mn escravo de meia idade, proprio
para o servico de campo, ou -sitio ua Boa-Vista,
ra do Cutovello n. 1, se dir quem vende.
Vende-se um meltioio para rabeca, em boni
estado, por Cas-e : na praia do Caldeireiro n. 26.
Vende-se um bom moleque de 9 annos de
dad, bastante esperto : na ra do Imperador n.
(j'j. primeiro andar.
Farinha de mandioca
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
Alves no seu escriptorio, casa n. 19, na ra da
Cruz.
. Vende-se urna taberna na ra Direita dos
Afogados, com poucos fundos, propria para um
principiante, e tem muitos commodos para familia, do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
e vende tanto para o mato como para a trra ; e j pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas de lis- caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
tambera vendem-se duas carrocas, uma para ven- trinba muito miudinhas proprias para vestidos e
der agua e outra de caixo, ludo era bom estado roupas de meninos e meninas pelo barato preco
e bem construidas : quem quizer comprar todos : de500 rs. : s o Pavo ra da Imperatriz n. 60,
estes objectos, dirija-se padaria da mesma ra | loje de Gama & Silva.
Pretas c de cores para hornera
da Madre de Dos n. 20.
na loja da ra
Charutos de Havana
i O bramante do Pavo cont
palmes de largura.
Vende-se bramante de linho puro, muito fino com
doze palmos de largura o melhor e mais largo que .:,... n p vpnfr
lera viudo ao mercado pelo barato preco de 258001 ^e ?,uPe''J.' ..^"f "?aue ve?a?e enL rasa
rs.a vara ; s na loja do Pavo de Gama & Silva, e Schafleitlin de C, ra da Cruz n. 42.
aua da Imperatriz n. 60.
Vende-se alcatro do gaz pelo preco da fabrica :
no armazera da bolla amarella no oito da secreta-
ria de polica.
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
Kua da Scuzalla u. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston dcC,
sellins e silbos inglezes, candieiros e casti-
Os baloes do Pavao.
Vendem-se crinolinas-ou bales de 30 arcos tan-
brancos como de cores, sendo americanos que
sao os melhores por se nao quebrarem a 35500 e
de 35 arcos a 45, ditos de musselina cora babados
45, ditos para menina a 25 e .'15 : na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
0 Pavo vende $f.
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos a
Para se passar testa. Maria Pia, com lindas barpas de seda, sendo ebe-
Vende-se uma casa na ra do Pogo, casa dequi- gados pelo ultimo vapor francez pelo barato preco
n. 66, que vista do comprador far-se-ha negocio
pelo qwg poder ajustar cora o comprador. -
A ttenco
Vende-se a padaria n. 44, sita na ,'rna Direita,
freguezia dos Afogados ; este estabelecimento es-
t trabalhando e tem boa freguezia, tanto de pao
como de bolacha : quem pretender, dirija-se ao
mesmo, que achara com quem tratar.
na, na freguezia da Varzea, cora 2 salas, 2 quar-
tos, cozinha fra, cacimba, 280 palmos de funde,"
eom diversos arvoredos d fructo, e banho perto
pela frente, barato seu preco: os preteiidentes
podero dirigirse ra da Cadeia n. 53, armazem
do agente Euzebio, qno est autorisado a vende-la.
de 85 cada um : s na loja.do Pavo ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os bales do Pavo.
A 2;j:0 s o Pavo.
Vende-se bales cora 20, 25 e 30 arcos pelo ha-
Vende.se uma cadeirinha em muito bom es, i rtissirao preco de 25500, assim como tem um
tado : quem quizer comprar dirija-se ra do No- completo sortimento de baloes para meninas de to-
gueira h, U. taberna da quina. : do*< amaonos pelo baratissimo pre?o de 25^00,
----------I--------^----------------------- i notaaoo que sao baloes de arcos os melhores que
Carne do ertao a 330 rs. a libra tem vinjda Ameriea fngleza, vendem-se por an
t no rmazejB Estrella largo do Paraizo nu- proco para liquidar : s na loja e armazem do
.mero 14. i Pavao ra 4 Imperatriz a, 60, de Gama & Sil ya.
l'ui engenho denominado Graca, distante uma
pequea legua da cidade, com todas as bemfeito-
ras e obras, como sejam : um magnifico sobrado
apalaeado com 16 janellas de frente, igreja e uma
casa terrea eom 70 palmos em quadro, casa de
engenho firmada em columnas todas de pedra, ca-
; sa de caldeira e em seguimento casa de purgar
com 70 palmos de largura e 280 de comprimento
inclusive casa de destilaco, sendo estas obras to-
das de pedra o cal. O engenho moa nicamente
com agua de uma vertente extraordinaria sobre a
roda que nova e de madeira de amarello com 4'
palmos de dimetromoenda nova e toda de fer-
ro assentamento completo com as caldeiras pre-
cisas todo o fabrico.
As tenas de que o engenho se compoe lem uma
extensao de legua quadrada, bem devisada e de-
| marcada, com porto de embarque, e varios sitios
com casa e muito arvoredo de fruclo, e bem assim
AGENCIA
D
FUNDICAQ DE LOW-MQOB.
Ra da Sennlla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
_,.___i,.___ i -w,ti ^.,.-a o muitu (iiwicuu uc ii uno, e i--ni av>i:
moendas para engenho, machinas de vapor infinitas pedreiras para cantara, lasca e cal, para
6 tachas de ferro batido e coado, de todos OS o que tem varios frnos slidamente construidos.
tamanhos para ditOS. i Uma casa de *rado de tres andares e soto,
______________________________________ com cinco portas de frente na ra do Varadouro.
IIIV 11 L'ma dita de dous andares e soto, com tres
l| \ H. portas de frente na mesma ra.
yiUi Uma dita terrea com cinco
Vende-se pixe duro mais barato do que cm ou- sotiio tambera na mesma ra.
tra qualquer parte : no armazem da bola amarel-
la no oitao da secretaria de polica.
(iueijos, queijos.
Nos armazens da Brilhante Aurora n. 12, e Au-
rora Brilhante no largo da Santa Cruz, chegaram
os verdadeiros queijos do vapor, muito frescaes, a
25 e 25500, queijos prato e de manteiga do Seri-
portas de frente e
com fronteiras-
Um grande terreno de niarinha
para armazens na ra do Zumb.
Uma casa terrea junto ao quartel de primeira
linha.
Uma oita de sobrado com cinco portas de fren-
te, muito bem construida e ao gosto moderno na
ra Direita da cidade alta.
Uma dita dte com quatro portas de frente.
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Plauo c gnarda-ronpa.
Vende-se um piano de Blondel & Vignes, e um
guarda-roupa de armar e desarmar, quai novos,
e por preco muito commodo : na ra Augusta nu-
moro 5i._______________________________
Vende-se uma batanea grande com pesos de
2 arrobas at I libra: na ra da Praia n. 29 A.
fm**>MM WMUMMmmm
Fabrica Conceitfo da m
Baha.
Andrade & Reg, recebem constante- ^
mente etem ivendano seu armazem n. ($
34 da ra do Imperador, algodo d'aquel- 2S \
\ la fbrica, proprio para sceos de assu- H
car, embalar algodo empluma etc., ele.,
pelo preco mais razoavel.
d, muito novos a 640 a libra, ditos de qualha vin- [ igualmente bem construida e annexa anterior,
dos de uma casa particular de Sobral (omelhor a l Duas ditas terreas no becco da Companhia.
desejar) muito proprios para mimos por serem | Uma fazenda de gado situada na Hibeira de
queijos grandes a 640 a libra.
Milho, farelo e farinha.
Chegou aos armazens d Brilhante Aurora e Au-
rora Brilhante no largo da Santa Cruz, novo sorti-
mento de farelo em saceos com 12o libras a 55,
saceos com farinha de Goianna a 55, 55500 e 65,
ditos com milho a 35800 e 45.
Carne do Serid
A verdadeira carne de sol muito gorda a 320 rs.
a^ibra : nos armazens da Brilhante Aurora e Au-
rora Brilhante, no largo da Santa Cruz,
, Crumata em duas leguas de trras com duas s-
! tuacoes de gados, curraes, acudes, e boas catingas
i para plantajes de todo o genero.
Vinte e cinco escravos de todas as idades.
Aoimaes de roda, boiada mansa, e vaccas tou-
rinas.
N. B. 0 leilo ter lugar no dia cima designa-
do pelas 10 horas da manha em uma das casas
da ra do Varadouro.
Os pi .'tendentes a qualquer das propriodades
podem"desde j dirigir-se seu proprietario para
obter informacoes de qualquer natureza que se-
jam relativas posse, dominio e demarcaco de
imites.
- Vende se tinta preta a 400 rs. a garrafa, para
' aulas de meninos e para marcar fardos de fazen- ]
da : na travessa do Queimado n. 1.
Vende-se queijos de coalha do Serid muito
frescaes a 560 rs. a libra, ditos do reino vindos
no ultimo vapor a 25 : na ra das Crnzes n.
esqaraa da travesa do Ouvidor.
Sal do Ass.
A bordo do hiate Linde Paquete-, vende-se na rna
24, da Cruz n- 23, Io andar, escriptorio de Antonio de
Almeida Gomes.
Chitas baratas
Chitas baratas
Clii'as baratas
Vendem-se chitas muito boas m pan-
nos, cores e padroes a 220 240 rs. o
covado s
Ma ra do Crespo n. I
Loja de barateir.


Mia
Diario de Fernambueo Quinta letra 4 de Agobio de 18S4.
8 Ai
LA Bill


-



I
\

Rli 1IO QUEIM AllO W. 45,
Passando o becco da Congregado segunda casa.





smmu
msm


Pereira Rocha 4 C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um arraazem de molhados denominado Clarn* Commercial,
onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos memores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
aero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-s o bom peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranho, da India e Java a 60, 80 Cevadinha de Franca muito superior a 220 j Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra'
SENTIfftO!
VAI FALLAR
N. 38 Ba do Livramento N.
(Defronte da grade da igrcja)
KAMDE
38


e 100 rs. a libra e 1(5800 a 2,5600 e 3# | rs. a libra.
a arroba. Cevada a 80 ce. a libra.
Ameixas francezas em latas e em frascos a \ Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
1,5200 e 1,5600 emfrseos grandes a; dem seccas muito novas a 200 rs. a libra
20500. i Figos de comadre e do Douro m caixinhas Queijos flamengos do ultimo vapor a 2,5800
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a | dem prato.
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
com ricas estampas no interior das caixas
a 12^000,1*400, 1*600 e 20.
1*800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs. Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
a libra. Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba. I a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
Azeite doce francez muito fino em garrafas Idein emgarrafes de 3 e 5 galoes a 50500
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
dem londrino chegado no ultimo vapor b
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo-e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 ris.
Bolachir.lias de suda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
iOTIIEM)
O Vigilante est alerta, nao lhe era permettido
deixar passar desapercetiido sem que nao dsse o
seu canto afim de anonnciar ao respeitavel publico
o grande sortimento degalantarias do melhor gosto
propriamenle para qualquer mimo, que acaba de
chegar nesle ultimo paquete, assim como muitos
ootros objectos que recebe por diversos navios,
tanto de sita conta como de consignacao, que est
VERDADE1RO E PRINCIPA!.
Ordem do dia.
Est cm discusso a tabella dos procos que o BALIZA tem a honra de off< i e-
resolvido a vender por precos muito baratos para cer ao respeitavel publico tanto da cidade cono do centro.
vender muito e ganhar pouco, e dar extracoo ao; Se por esta publicara qualquer UTO dos mires coltegas entender necessario
Kc*^ *? f',n ? "--te'dlnMe mandara na emenda para o jornal.
isso todas e as melhorcs diligencias para que fi-> q.ue incansavel Baliza nao llie pora peas nem o embaracar de forma alguma a beneli-
quem satisfeitos: isto s no Gallo Vigilante, ra car O povo.
e 70500 cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 rs. a duzia. Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa. Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem, qualidade especial e garrafas moito dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
grandes, a 10800 rs. a garrafa. libra,
dem garrafas mais pequeas a 800 rs. i Figos em caixinhas ermeticamente lacradas
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi- a 10600.
dro, a 10000 rs., s a garrafa vale o div Vinho do Porto engarrafado o melhor que
.), b I ha nPstP o-mprn a rlp varias marras r/imn e 4*> ncas fivelas avulsas Para sintos> o melhor
nneir0- .. a. oeste genero e nevaras marcas, como se de encon,rar> a 15500, 25, 25500 e 35 :
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem- sejam : velo* de 1815, Duque do Porto, s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da | Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Maria Pia,; Cabazes on cestinhas.
de segunda qualidade a 800 rs. Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e, At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
do Crespo d. v
Ricas pnrla-joias.
Cofre de muito gosto por 165000
Cestinhas transparentes, forradas de madre-
perla por 18*000
Lindas jardineiras 105000
Ricos cofres com camapheu 105000
Lindas caixinhas com podras brancas 10*000
Lindo balao com calunga dentro tambem
para joias 16*000
Tambalier para ditas 9*000
Cestinhas idem idem 6*000
Cosmorama idem idem 65000
Urnazinha 6*000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos siotes
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e lo*, ditos sern
bolea, porm do mesmo goslo, a 2*300, 3*, 3*500
Banha de porcor efinada a 440 rs. a libra e dem franeeza muito nova a 640 rs. a libra. I 10000 a garrafa, e em caixa com urna du- bu*para as meninas trawrem nii braco o mais
e embarrila 410 rs. dem de tempero a 400 rs. zia a 90000 e 100000.
Cha hvssoo, huchin e perola a 10600,
20500, 20800 e 30000 a libra. dem em lata a 640 rs.
dem preto muito superior a 20000 a libra. (Marmelada imperial dos melhores conservei-
Cerveja preta e branca, das melhores marcas I ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
! no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Massa de tomates em barril a 480 rs. ahbra. dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a Pnnlps
480 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500 Nesle arlg0 tem J^ sorIimeDto> Unto
e 40 a caada. ^ para alisar como para atar cabello, o mais lindo
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs. que se pode desejar, assim como de arregacar ca- j
a garrafa. bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
Amigo de tender barato o Baliza nao expe a venda senao os gneros bous.
Elle se julga no caso de vender tro mdicamente como outro nao o exceder
Soldado soprador loma o clarini
E firme como a rocha fica assim
Nao toques nesse pessimo instrumento
Do Balisa olha s o movimento.
E t que dos mitrados tens as coras
De tildo vendedor de propria conta
Vio pasmes vendo como sobraneciro
Do regresso o Dalisa a ira affronta.
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, so de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
800 rs.
I dem regular a 500 rs.
Massas finas para sopa: estrellinha, pevide,
rodinhas e letr'anlias a 600 rs. a libra e a
40 a caixinba com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra,
e especialmente da fabrica imperial de Peixe em latas preparado pela primeira arte
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 10800,: de cozinha a 10 rs. a lata.
20000,20200, 20500, -20800, 30000 e Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
30500 a caixa. ; Palitos de dentes a 120 rs.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320, dem de flor a 200 rs.
rs. a libra e 80500 e 80800 rs. a arroba. Amendoas confeitadas a 900 rs. a libra.
Cartr.cs de bolinhos francezes muito novos e Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
muito bem enfeitados a 700 e 600 rs. 20 e em caixo a 64U rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a Palitos do gaz a 20200 rs. a grosa.
libra. Passas muito novas a 480 rs. a libra.
O*grande depesiio que temos de vinho nos obriga a abaixar scus piceos,
dem de Bordeaux Medoc e S. Julien a 700 enfeite e sem elle ,,,ara meninas: so no Vigilante,achando-se vista dos compradores cerca de 35 a 40 pipas deste genero, eulre pij as,
e 800 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs. irua do Crespo n' 7' pentes ] barris e ancoretas.
ijad??ia* > j ovt ..' Tambem chegaram os riquissimos pentes de; Amendoas confeitadas em lindos Irascos a 8oo Lingoas americanas muito novas emuito gran-
IdemMorgaux eChateaulummide 1854, a 10 concha de tartaruga e de massa lina, que se vende1 rs, a libra
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
10200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porcao de outros que deixamos
por 25. 3 e 55
numero 7.
Onem comnrar de IGfWOOO rnra rima te- leqics de ch,ara. ^mbem Por 4& '"d" >S0 Para
yuem comprar ae iuu>uuu para cima te- acabar perdendo.se taiTez 80 0i0 : s no Vigilan
ra o abate de 5 por cento.
des a l.ono rs. cada urna.
s no Vigilante, ra* do Crespo. j(]en cora casta a o rs. a libra. Liiiguiraspn.mplasem latas l,5oo cada ir.'.a.
i Ameixas francezas em caixinhas e frascos a Manteiga ingle/a llor a 8oo rs. a libra neste
Lcquts. l,2oo, l,5ooe 2,ooo rs. I genero ha mais de 10 barisahertos afim de
de madreperola, tanto para A|^fa a ^ ^ a |b|.a e iQoQ a .1|Tul)a s(,.(11, s.,lif(,.(,s (l. compradores>
i Arroz do Maranho, Java e do Penedo a 8o, dem menos superior a 64o rs.
loo e 12o rs. a libra, em anoba a2,ooo,, Manteiga ingleza a 5oo, ioo e 32o rs. ,* i.t ia.
2,8oo e 3,2oo. | Wem franceza a 56o, Ooo e (io rs. e em bar-
ril por menos.
.Alas* de lmale a 64o rs. a libra.
64o rs. a garrafa e Marmelada dos melhores fabricantes a P.An
senhora como para mocinhas, pelo barato preeo de
12 e 145 : s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Mais leques.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ha-
de mencionar, e que tudo ser vendido por rato prego, a 85 e 105, chineze?, muito bonitos, Azeite doce refinado a 8oo e loo rs. a gar-
pecas e carnadas, tanto em porces como tambem por barato prego de 4 e 5'5, bentarallas ; rara
retalho. !^l!S^i?f^J!!?_,!!?! p!"e1 de4 e.s*> dem idem em barri
I a
te, rua do Crespo n. 7.
Pulseiras.
4,8oors. a caada.
rs. a
lira.
MACHI
irm.1
de irabalhar nio para
descarocar algodo
FABniCAD.VS
Por Plant Bi-others & C.
OLDAM
Banlia fina em copos de por-
celana lloarada com ins-
arroba de algo-
dao cm caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia on o ar-
robas de algodao
limpo.
Lsta machina
a nica que
po??ue as vantagens de nao destruir o fio do al-1
godao e de fazer render o dobro de qualquer ou-1
tra com menos trabalho, a sua introduegao para
as provincias deste imperio ser de muito valor
para todos os interessados na lavoura do paiz.
Assim eom machiuas em ponto grande do mes-
mo systeuia,oraql screm movidas por animaos,
acua-oa vapor, pas uaes podem descarogar 18 ar-
robas de algodao ampo-pr dia.
O algodo descarocad por estas machinas tem
muito mais cstimacao nos mercados de Europa e
vende-se por maiorprego.
As machinas se acham venda unicamenie em
rasa de
Saunders Rrolliers & C.
X. II, praca do Corpo Sauto
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Farinha de mandioca superior
em saceos grandes: vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azcvedo & C, no seu escriptorio rua ;da Cruz
numero 1.
%o\os enfeite para senhora.
A aguia-branca acaba de receber um bello e va-
riado sortimento de enfeiles de diversas qualidades,
e o que de mais moderno c possivel encontrar-se
aqu, fazendo-se notaveis por suas novidade e ele-
gancia ons, cuja grade de um fino e delicado te-
cido a que apropriadamente se chama invisivel.
Assim, vista desse completo sortimento, qualquer
cidadao munido de dioheiro est habilitado a com-
pra-Ios : na rua do Queimado, loja d'aguia-branca
n. 8.
Capachos Inglezes.
Na loja da agula branca, rua do Quei mado n. 8
vendem-se bons capachos inglezes, os quaes alm
de bonitos sao de immensa darago, pelo que se
tornam baratos pelos pregos de 45, 55, 65 e 75
cada um.
Cartas francezas.
A aguia branca, na ruado Qneimado n. 8, rece-
beu um novo sortimento de finas cartas francezas
com beiras douradas e brancas, e as est venden-
do baratamente a dinheiro vista.
Bonitas bonecas;
Com rosto de cera, massa e porcellana.
Acha-se na loja d'aguia-branca rna do Queima-
do n. 8, um grande sortimento de bonecas de di-
versos lmannos, com rosto de cera, massa e por-
cellana os prctendentes munidos de dinheiro
acharo boa disposico para os vender.
SAPA TOS DEBIRR&CHA
a I0OOO, 10&OO e jf&OO o par
na rua do Queimado lojad'Aguia-Branca n. 8.
enpeoes.
j bem condecida pela boa freguezia d'aguia
brama a superjoridade da banha que vem nos co-
pos de porcelana dourada com maviosas e jocose-
ras inscripgoes, as quaes agora vieram de novo
! gosto, pelo que essa lina banha pode anda ser
Estas machinas j mais condecida por aqnelles que quizerem fazer
podem descarocar ] um bom prsenle, com lano que comparrgam mn-
ciualquer especie nidos de dinheiro na rua do Queimado, loja d'aguia
de algodap sem qranca n. 8.
estragar o fio, |ittYclo|cs bordados c carles coiii bei-
sendo bstanle l .
duaspessoaspara i TUS U()Ui"l(lil$<
o trabalho; pode I Na loja da aguia branca, rod s Qjiflmado n. 8,
descarocar urna achavam-se venda bonitos cn<.vjpes bordados e
carles com beiras douradas, rendo de uns e de
outros, maiores e menores, proprios para partici-
paeoes de casanienios, bailes etc.
V>ude-se alpaca preta a 500 rs. o covado.
Vende-se alpaca preta para vestidos a 500, 600,
700 e 800 rs., tina-de cordSo a 800 rs. para pale-
tot, princeza preta a 800 e 6i0 o covado, bombazi-
na preta fina a 15100 o covado, laazinhas preta
para senhora que estao de luto a 720 o covado :
na rua da Imperatriz n. 56. A loja est aberta at
s 9 horas da noite.
Ancoras com vinho do Porto, encommenda Mullios inglezes a 4ooe 04o rs. a garraiibha.
feita pelo proprielario do Baliza a 3o,ooo Mostarda preparada a 4oo e Oo rs. o fraseo.
Massas para sopa a-foors. a libra
rs. a a com 7o garrafas.
Bolaxinbas de Lisboa, ingleza e americanas
em laasa 1.4oo, I,5oo, 2,ooo e 3,ooors.
e americanas em barricas a 3,ooo rs. a
barrica.
ATTENQAO.
Completo sortimento de fitas
finas, Usas e labradas.
A aguia branca recebeu um grande e completo
sortimento de fitas de diversas larguras e qnalida-
des, tanto lisas como lavradas, e em todas ellas co-
nhece-sc a superioridade- da fazenda, notando-se
as lavradas o bom gosto dos novos e lindos dese-
nhos, isso tanto as matisadas como as brancas,
e pela commodidade dos pregos o pretndeme que
se dirigir munido de dinheiro rua do Queimado
loja da aguia branca n. 8, ser bem servido.
Latas com banha fina.
J por diversas vezes a aguia branca tem rece-
ido dessa banha fina em latas, e tal tem sido a
prompta e rpida extraego della, que nao tem da-
do lugar a aguia branca avisar a sua boa fregue-
zia, pelo que talvez a maior parte della s agora
saber da vinda dessa boa banha. Ella vem em
latas de f \i e i libra, e contina a ser vendida pe-
los baralissimos precos de 25 e 35000. Apar da
superioridade da qualidade della esto os agrada-
veis e finos cheiros de rosa, jasmim, laranja, bou-
quei, e flor de Italia. A boa freguezia assim scien-
te dirigir-se com dinheiro rua do Queimado,
loja d'aguia branca n. 8. -
itoes de cornalina
e ootras qualidades para coletes
A Aguia branca acaba de receber um novo e
variado sortimento daquelles apreciados botoes de
cornalina brancos e encamados, chalse redon-
dos para coletes, cujas abotuaduras continan) a
ser vendidas pelo commodo e inalteravel preo de
25 cada urna.
Alm desses recebeu tambem outros de madre-
perola, massa e osso, com diferentes moldes para
o mesmo fim.
J se v, pois, qne o pretndeme munido do di.
nheiro achara sortimento vontade na rua do
Qaeimado loja d'Aguia branca n. 8, t
BAl SIMIOS CAIXINHAS
. eom perfumarlas.
Na rua do Queimado n. 8 loja d'Agua-Branca, os
fregnezes munidos de dinheiro encontrar, boni-
tos bausinhos coberts de couro e com 6 frasqui-
nhos de extractos por 15500 cada um, e outros
cobertoi de papelao com 9 frasquinhos por 25000
um; caixinhas com 6 frasquinhos de ditos por
1,5000 urna, cwtras com 12 ditos por 25000 urna,
outras com 3 ditos, cuja coberta parece tartaruga,
a 15500 cada urna, e outras cora pastillas de chai-
ro a 500, 15000 e 25000.
.. c i Lindas pulseiras de comas e de missanca, cores
No armazem de azenaas oa- muito iradase de muito gosto a 15 o 15200.
ratas de Santos Coelho rua Tamhom JELJ^LTf011^, ,
1 Tambem chegaram as liguinhas cstreitinhas de
di> Ollfiiniado TI. 19 | borracha que as senhoras tanto precisam para se-!
.!,.,,[.. umrmtmA gurar os manguitos por ser muito commodo e mui-
,efe" to barato, a 320 o par : s no Vigilante, rua do Banba de norco a 4oo rs. a libra e em barril,
!CresPn-7- a36ors.
Itieas laazinhas para vestido, fazenda a melhor t.;,..,:,.;__ __,. "J Batatas em cifOS a 1,500 O giO.
que ten,, vinjlo a, mercado, tanto cm gosto como *Bg SS -ttotaSEte SffS Cll petla a 3,000 rs. a libra?
en, qualidade -pelo baralissimo prego de o60 rs., PJ^r Pr^en,e> Plo bara.i.Mino prego de ^^ g 2 6oo C 2,800 a libra.
o co\aoo. i' ii' i
Laazinha's miudinhas carmezins proprias para \0MIDu3S.
vestidos de meninas c camisinhas a iO rs. o co- Lindas vollinlias deperolas falsas com cruzinhas
vado. fingindo brilliantcs, assim como cruzinhas avulsas
Cortes de lita com lo covados pelo barato preco e voltinhas, pelo barato prego de 1.3 e 15200, as
de 65- i cruzes" avulsas a 400 rs. : so no Vigilante, rua do
Cuberas de chita da India a 25500 e 35- Crespo n. 7.
Lenges de panno de lindo a 25 e 2^500. Sapaliuhos e meias de seda.
Pegas de cambraia de torro com 8 1[2 varas a ; Rqussmos sapatinhos de seda e de merino en-
iSdasalcocdoadas proprias para maos a 55 a ^ JBft SSttjSttSAAVSt "Zf'^ S T ^^ Je rai'is' ^J^* J !i,),';,
ata cfrpm !? ii i ",tias s^Dap" Allemanba, llamburgo e Lisboa Polvo a IGo rs. a libra.
Ricos cortes de 13a com barra a Maria Pia a :Sarera 'u gS'if" ^ "' Copos lapidados para vinho a 2,8oo a duzia. Painro a IGo rs. a libra.
185000. muionas. \Ucai idem para agua a ,ooo, .Sooe G,ooo Pomada a 21o rs a duzia.
Pegas de platilhas.de algodao com 10 varas |#_"SHiS^JP*^,!!2a**>_"t&or?-! u^' "Jg" b I'imonla do ivino a 36o rs. a libra.
Ceneja das melhores marcas a 4,ooo, 0,000 Peras seccas a 64o rs. a libra,
e 6,000 rs. a duzia. Peixe em latas a l.ooors. a lata.
e de Cravo canella e cominbos. i l'apel almasso c de peso, de diversas i 1a-
dasde !;:-
Iharim, aietna c macarrao.
dem finas estrellinha e pevide a 3,oo< ;.
caixa.
Milbo miudo para passarns a 16o rs. a libra
c 4,8on a a:toba.
Marrasquino de zara do vi rdndciro a 1.'
frasco.
dem menos superior a 800 e 1,00o rs. o
frasco,
dem hvsson a 2,ooo, 2,4oo e 2,8oo. a libra. Nozes a 24o rs, a libra.
dem do Rio a l,6oo rs. a libra. Prezunto portiignez de superior qnalidad; a
dem preto a 1.5oo e 2.000 rs. a libra. 6o rs. a libra e inleiro por 5oo is.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia dem ingle/, para fiambre a 64o rs. a libr?
e Rio de Janeiro a 800 rs. e l,uoo, 2,000, nao agradando mesmo depois de preparado,
2,oo, 3,000, 3,ioo, 4,5oo e o,ooo rs. 0; poder ser devolvido, que se Irocar pos
cenio. oui.10 ou ser resliluido seu importe.
Rlquissinias goiinhas e manguitos, o melhor gos-1
proprias para saia a 45. t0 possivel, a 25, 25500 e 35 : s no Vigilante,
Algodao enfestado com 7 1[2 palmos de largura rua do Crespo n. 7.
a 1-S100 a vara. Enfeiles para senhora.
Esleir da India propria para forro de sala de. Riquissimos enfeites rom lago e sem laco
i, 5 e 6 palmos de largura por menos prego do
que em entra qualquer parle.
Neste armazem tambem se encontrar um gran-,
da sortimento de roupas feitas e por medida. I
outros muitos gnstos a 15, 1J500 e 35 : s no Vi-
gialnle, rua do Crespo n. 7.
" 3 TI B' & & fi = =2.''-
3 "3 S 2 3 *
ce-
2 0*1
^K
as vi c. m ja o v
S. fia
3 W
.1 **
c
fc-fts'
C v
o

O- co
pfi
cj-aw-.xg- w 2 S o 3 o
:>p'3^**l&I,2io.Z.r8
M
ce
3.
o
cr?i
i^cLs-gS-W
9 3.B
* 65 Q =
f WBfi
CD CP C- II na
B8S.og..||a
iS-g-ISlIclB
- -5

0 9%A
ce
O u P-
2 3 s?
%2
Sis
o 1
as
.I
O
as'
-.
g.
B
B
o
fi =^
vt ce c 2
0 "-s
g 2 S o
o
aj
O M o Vi
o 1 p
O. '.
10
g! -.
0 tu-
-3 i
1 _
a> J?
3 c
63
63 .
t
Ceblas cm molhos restease soltas. lidades e precos deferentes.
Conservas inglezasa 800, loo e 1,00o rs. o, Palitos do gaz a 2,2oo a groza.
frasco. dem para denles a 80, IGo e 24o rs. o ma-
Lindos trancelins de cabello para relogio 011 u- _.;, ,. e___^ ,. .nm ,.i ,..!!,.
tas, pelo baratissimo preco de 15500, ditos de Dittu fraucezasa ooo c 64o rs. o basco. .;._. com vinle macinhos.
retroz a 200 rs. Cognac inglez e francez a 1,00o rs. a garrafa.; Gneijos flamengos a 2,boo, do ultimo vapor.
Bahadinlios culrcmcios. i Cale de 1.a, 2.* e 3 "qualidade"a 8800 9,ooodem prato a 64o rs. a libra.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos e 9,S00 rs. dem londrino a 800 rs. a libra,
desenlies tapados e transparentes, pelo baratissimo Cevadinha de Franca a 24o rs. a libra. Rap Mcuron a l.ooo rs. a libra.
?aa^od&eDo 7*500, ^* ^'' no Vg,ante' Champagne de muito boa qualidade a 12,oooSevadinha a 24o rs. a libra. 1 nova 1.
fiRMFriltM 2o,ooo rs. a duzia. Sag a 28o rs. a libra.
urtM,rtiiiiii.^. 1 Doces da casca da goiaba em latas preparadas Sardinhas de Xanlcs a G'io. ritloc 36o is. a
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas .; > / K__. ...
larguras, assim como galiiozinho e trancinhas pro-, com muito aceo. propria para memozar, lata.
prias para enfeites : s no Vigilante, rua do Cres-; algum amigo na Europa, por ser iuallcra- Sabao missa a 12o, I!)o, 2oi
; P.n-7- vel por mais de um anno, a 3,ooo rs. a lata
. *as". ,. com 7 libras.
Grande sortimento de filas de diversas largaras mus m cax5es a 5GOj 64o, 800 e 1,000 :
24o rs. .<
bra.
e em caixes por muito menos.
Sai retinada a '.'00 rs. o pote de vidro.

3
9
Toucinho de Lisha, de Santos e ameriuna
a Go, 24o c 32o rs. a libra, e em anoba
a 5,000, 7,ooo e 9,ooo rs.
Tijollo para limpar facas a IGors. cada um.
Vinho do Poeto em caadas a 3,3oo, l.oooe
o'.ooo rs. e em ancoras com 7o garrafas por
3o,ooo rs.
Em^reza daiUuminaQao
gaz.
; e qualidade, por precos que admirara aos compra-
dores, havendo filas largas proprias para sinteiros rs. o caixao.
que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca de 3 Ervilhas portuguezas em latas com I h-> J-
varas a 25 :.s no Vigilante, rua do "Crespn. 7. hras por 700 rs.
j .- JF,** dc ,15?* dem francezas em latas a 5oo rs.
Fitas delaa de todas as qualidades, proprias para cPrrqs > 9no r debrum de vestido a 700 rs. a peca : s no Vigi- Im 5 a ZO rs" a "Dra".
lante, rua do Crespo n. 7.. Espermaceleamericano primeira qualidade a
Iticos espelhos, I 1.2oors. a libra.
Riquissimos espelhos com moldura dourada e if]em francez a 56o rs. a libra, c em caixas dem de Lisboa sem confeicciio, (de encomen-
sem ella de 85,10,12 e 145, assim como cora co- -^ I da) por So.ooo rs. o barril com 17 cana-
lumnas de dilferentes tamanhos a 25, 3, 4, 5 e 65: d"4U,s' .. ... AJL .
s no Vigilante,rua do Crespo n. 7. Farinha d'araruta verdadeira a 18o rs. a libra.' UdS- .
Lindos Jarros e figuras. Farinha de trigo a 12o, 14o c IGo rs a libra. Wem de Lisboa mais binxo a -*u,ooo rs.
Riquissimos jarros e figuras do porcelana fina Farinha de milbo a i 60 rs. a libra; dem empipas a 3.000; 3,oOO e 4,000 rs. a
temVppulfcido W?SEr g0S, qUe 3qU F8^ m caixinhas e em latas lindanmente, caada.
' Para pos de arroz. "! enfeitadas a 800 1,Sopeada um.
| Riqusimos vasos com tafee para pos de ar- Fumo americano em latas para cigarros a
roz, cousa de muito goslo a 15500 e 25, assim co- 1,80o rs.
mo pacotes s com os pos a 320 rs. cada- um
a 320 rs. cada- um : so dem em pacotes a 2or> rs.
Ino Vigilante, "*^J^ ; dem!empasta a l>o rs. a libra.
Todas as vendas de apparelhos e reclainacSes' Grande sortimento de trac" e'banhas, poma- ginhra de laranja a 1,000 rs. 0 .frasjo.
(por escr.pto dando o nome, morada data, etc.), das assiin como os lindos copos ou vasos cora dis- dem ingleza marca Gato a 1,00o rs. a gai rafa.
dem em barril de Bordeaux com 13o gar-
rafas por So.ooo rs.
dem idem deBordeanx com 70garrafas por
30,000
dem cm caixas por 5,ooo rs. a caixa com 12-
garrafas da melhor qualidade que vem ao
nosso mercado.
eyem serttas no armazem da rua do Imperador incTOs"* offereementos s^nhMi'nhM, dos m'e-'.Ilmde'iionandaa 64 e l',6oo rs. o" frasco' Vinho branco para missa de Lisboa c l'orlo
t. 31. Os machinisUs mandados para atlender-a. inores e mais afamados autores de Pars-e Ingla- nenueno e "rande. em pipa, barril e ancoras a 4,000 e 0.000
000 rs.. a canaxla. .
Vinagre de Lisboa, Porto, tinto e brai-oo a
l,6ooe 2,ooo rs. a ranada
I Vigilante, roa do Crespn, f. [ | Limonadas de diversas fructas a l.ooo rs. a dem em ancoras por l.ooo rs.
Velas estcarlinas a 56p rs. o maco, e cm cai-
xas a 52o rs. "
garrafa.
Sal do Assu' ~" Arados americanos e machinas para
. Vende Antonio Luu de Oliveira Arevedo & C lavar roupa: em casa de S. P'. Jobnston & C, Licores, inglezes e francezes a 1,000, 1.800
no seu escriptorio>rua da Cruz ni. rna da Senzalla Nova n. 42. -i e 2,ooo rs. garrafas grandes e pequeas. 1 Vassouras americanas a 04o rs. urna.



litarlo 4e
o Quinta felra 4 itr Agosto e 14
ESPLENDIDO SORTIMENTO DE MOLHADOS
M. 9 RIJA DO CRESPO IV. 9
Esquina que volta.para a ra do Imperador
GRANDE ALLIANCA
NEM COROAS NEM MITRAS
'
57 RA DO IMPERADOR
57
DE
(Nao se engaaem com a mitra)
A HIGOS!
?io leiam este annuncio com precipita?*).
Confrontem os precos dos oulros annanciantes.
Venham ver os gneros que temos expostos a veada.


A vista faz f.

Nao temos palavras bombsticas.
Nao nos encnlcamos o primeiro recebedor de conta propria.
Nao desacreditamos ao collega porque nao quiz ser nosso socio.
Val a qurm tora.
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia anda n5o sao spfBcieo-
tes as casas que actualmente oxistem abertas com grandes proporces para terem um
magnifico sortimento de molturos; assim, pois, os preprietarios do Armazem Principal
nao invejam a sorte dos seos collegas.
Habitantes de Pernambuco.
Nos temos um exeellente sortimento dos melhores gneros que se pode achar
em nosso mercado. Vinde ao nosso estabelecimento, e se a vossa boa 16 fr Iludida
urna s vez ao menos, castigai-nos nao vltando mais a nossa casa.
Amendoas confeitadas de bonitas cores a



K O
h

'
i.ooo rs. a libra,
dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra.
Avellas a 2oo rs. a libra.
Amoixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo, l,4oo e l,6oo rs. cada
urna.
dem em frasco de vidro com rolha do mes-
Idem de Hollanda em garramas com 24
garrafas a 7,2oo ps. oom o gan afio.
Lentilhas exeellente lgame para sopa e gui-
zados a 2oors. a libra.
Licores franceses de todas as qualidades a
8oo e l,ooo rs. as garrafas grandes.
Maoteiga ingleza perfeitaraente flor a 8oo e
96o rs. a libra.
Paut Ftvmfra da Sihm & Companhia
Grande sortimento de molhados em grosso e a retalho. nico armazem que mais
vantagens ole*ece 3ftpub1iii.
SweHgaaem-se todos.
K m AtHaaaa* a veededeiro tornera do progreses.
2 o Alllaaca o verdadeiro e principal armazem de molturos.
Allinaea o armazem que vende mais barato.
Alllnea o armanem qe vende os melhores gneros.
Alllaaca o armazem onde preside o melhor aceio.
Fiquem todos sabedores desta tardado, k
Venham todos a ra do Imperador n. i7.
Venham ver os cueros que temos expostos a venda.
PIRA AS FESTAS *
Df:
,. S. JOI0 E S. PEDRO.
tadas de bonitas cor llem de Hollanda em garrames com 24 gar-
rafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
ARMAZEM
Amendoas
8oo rs. a libra.
Idom-de^asca muito nova a 3oo rs. a libra.
Avefias a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo, l,4oo e l,6oors. cada
urna,
dem em frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a i,2oo e l,ioo rs. cada
um.
RIJA DO IMPERADOR M. 40
Jante ao srbfado em qie mora o Sr. Osberne,
Para a festa de Santo Antonio, S. Joao e S. Pedro.
lartc A Incida fc %, reeeberam de Ha propria eneomuen
a mais lindo e variado sortimento de molhados, proprlos
da prstate estaeito.
Manteiga ingleza la#is brancas
da safra aova vinda neste vapor de 28 de; para sopa a melhor que se pode desojar,
maio a 800 rs. a libra. macarro, talharim e aleiria a 400 rs.
Lentilhas exeellente lgame para sopa e gui-
zados a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades a
8oo e i.ooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo
e 98 rs. a libra,
dem franceza nova j deste anno a 6oo rs.
a libra, e 58 rs. em barrhr inteiros.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada | Marmelada especial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 6oo e 64o rs.
vi e 3
ibras a l,2oo e
nio ou de metal, a l,2oo e 14oo rs. ca- Wem f:-anceza nova j deste anno a Goo rs.
da un.
a libra, e 56o rs. em barris inteiros.
dem em frasco grandes 2 3oo rs. cada um. Marmelada especial'dos melhores fabricantes
dem em latas de 1 */, e libras a l,2oo o. dc Li*a a 600 e 64o rs. aIibra.ba latas
2,ooo rs.
de diferentes tamanhos.
Arroz da India e Manaban o melhor que setMassa & ,omate em la(as (le
I libra 060 rs.
p e desejar a loo e 12o rs. a libra e
2,8oo e 3,4oo rs. a arroba.
Azeile doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa,
e 4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, c lo,ooo rs. a
caixa com 1 duzia.
AUazema muito nova e limp a 32o rs. a li-
lra.
Alpisla a 16o aJibra, e 4.(Joo rs. a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio das seguintes qualidades: aguae
sal doees,-e imperiaes em alas de 6 li-jpjoisea muito novas a 16o rs. 1
brasa 3,000 rs. e de .1 libras a i,5oo PrejEun, ,te jiambl.e or (00 R>
s. e em libra 1 &4ors., estas bolachinhas lm do 1V)rt0 g
torna-se muito recommendavel com es- Passas novas a 'i8o rs a |jhra
Pec'alrade para os doentes. Feixe em BfiB de ,|i(Tei.en(0S qmMtte co.
i^oioseBl)ladnn|1asdes;KJaemlatas,de, mo> me\, cor.ina. govas, pescadiabae
toda as qualidades e marcas que se pro- oulm 4 onft rs fm
cada urna,
dem para soda cstrelinha, pevide e rodmha
em caixinhas surtidas a 3,ooo e 3,5oo rs.
cada urna e 5oo rs. a libra.
dem macarr3o, talerim e aletria a leo rs.
a libra.
.Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. caria um.
Molbo ingle/, em garrafinhas com rolhas de
vidro 64o rs. cada urna.
.Marrasquino verdadeiro de Zara a l.ooors.
a garrafa, 10,000 rs. a caixa com 1 duzia.
libra.
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o masso
ilos melhores.
I Paincn o mais novo e limpo a 16o rs. a libra.
; e 4,5oo rs. a arroba.
! Palitos do gaz a 2, loo rs. a groza, 2oo rs. a
duzia, e 2o rs. a caixinhas.
curar a !,35o rs. a lata.
Bollos franceses em caries e de diversas
qualidades a Uio rs. cada um.
1......a de poreo verdadeira retinada a loo
iv. n /;/,..! o em ii.iiiil ri 38u ii.
'' tas novas a 160 rs. a libra.
. achinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a :iio rs. a libra o 2,ooo rs. a bar-
rica.
champagne das mu tas mais superiores que Wem prat(
al boje tcm viudo a nosso mercado a' a libra.
18,ooo rs. o gigo, l,3oo rs. a garrafa in- 'dem suisso a melhor qualidade que at ho-
teira, e 800 rs. as meias je tem viudo ao nosso mercado a 800 rs.
um.
dem em latas de 1
2,000 rs.
Arroz da ludia e Maranho o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,4oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e 10,000 rs. a
caixa com I duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpisla-a 16o rs. a libra e 4,6oo rs. a ar-
roba .
Bolachinbas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. ede 3 '/* libras a l,Soo rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinhas
torna-se muito recommendavel com espe-
cialidade para os doentes.
Biscoitos e Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em caribes e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de poico verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 16o rs. a libra.
Bolachinbas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 2io rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem viudo ao nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo e I.ooo rs. a garraC
inteira, e 800 rs. as meias.
a libra, ha
latas de dTerentes tamanhos.
Massa de tomate, em. latas de 1 libra a 56o
rs. cada urna,
dem para soda estrellinha, pevide e rodinha
W caixinhas sortidasa 3,ooo 3,5oo rs. cada
urna e 5oo rs. a libra,
dem macarro, talharim e aletrin a 4oo rs. a
libra.
Mostanda franceza preparada %m frasco a 4oo
rs. cada um
Molfao inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agamfa, 10,000 rs. a caixa com 1 du-
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Prezunto de Hambre superior a 600 e 800
rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. libra.
Manteiga- franeeza
da safra nova a 860 rs. alibra, e em barril
a 500 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras Jiquido a
26 loo, muito propios para mimos,
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 14300.
Chocolates
de todas as qualidades a 1(5000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2($6oo.
libra e 40500 a carea.
Yinho
Figueira I A,A e nutras muita marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa!
dem de Lisboa
e de.mitras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2*800, a caada.
dem Porto
generosos engarrafado das memores fabri-
cantes da cidade do Porto a 1 e 13200
a garrafa e de 10d a 12* a caha, a mar-
cas sao as seguintes: Cbamisso AFilho,
F. & M., Nctar ou vmtto dos Dones,
lagrimas deDoure eoutrosmuitos.
Latas
com 10 libras de banha a 4,5000.
Bolachinha ingleza
I a 1 1800 a barrica damesmaque
vendem a 25000 e 2400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120f^ .m bra.
Cervejas
tfueijs i dos melhores fabricantes^ de todas as ma
chegados no ultimo vapor a 2^600 cada um.' cas de 4,5500 a 500 a duzia.
fcueijo C-ARUTOS
o !"0 rSuL821!K t enSPelr Charutos Thom Pinto,. Heis e oulros em
meias caixinhas a (500.
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo iuteiro e 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
! as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
Peixe em latas de differentes qualidades co- 0 frasco r v
Arroz
do Maranlio a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2>50O a 3060 a ar-
roba desses que vendem por 3(5400.
mo, savet, corvina, govas, pescadinha e' rf- CAF
Palitos para dentes a 14o e a 16o rs. o mas-! em libras e caixinhas ricamente domadas,' a haso aSarroha ,."isn a wHZ 3, kk.
so dos melhom-s. proprias para mimos a 900 e 10200. !.a'[rS" a hhr
Painco o mais novo e limpo a 16o rs, a I-i P.hqnYiTn m 1 t -arrafocs
bra, o a 4,5oo rs a arroba Kjnd UA1H1 com *- garrafas com vinagre a l^OOO^n
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa e-*oo rs melhor qm se p{)de deseJar' Que outroj ogarrafao.
a duzia, e 20 rs. a caixinba. qualquer nao pode vender por menos de |,
Cha uxira o melhor que se podo desejar e a libra,
que oulro qualquer u3o vende por menos ,. .
de 3,ooo a 2,700 rs. a libra Saj!e?!ado em ^^ de
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada loo rs. a libra, e 2,8oors. a arroba.
vidro a 5oo rs. ca-
dem parola especial qualidade a 2,6oo e L
.00 rs. a hora, garante-se a qualidade! **$ dfJSel0r!S mar^sa 6,000 rs. a
destecha i *na, e 86o rs. a garrafa.
dem hysson o melhor que possivel en-'Sardi^ !l0 LsWa e Nantes em quartose
contrai-se a 2.4oo e 2,6oo rs. a libra. i c "!eia '2fs a 2So f" l>-/';i,la nm?'
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras SaR" mn,tn nnv,, e a,vo a 2t0 re- a l,bra'
a l,2oo e I,ion rs. a libra.
dem prelo muito lino a 1,600 rs. a libra.
Chocolate das memores qualidades, francez,Traques de 1.a qualidade a 8,5oo rs. a cai-
bespanhnl e suisso a 1,000, l,2oo e l,4o xa, e22o rs. a carta.
rs. a libra. Toucinho novo de Lisboa a 24o e 32o rs. a
Charutos do acreditado fabricante Jos i'ur- libra.
lado de Simas em 2 caixas das seguin- Tijollo paraHmpar facas a 15o rs. cada um.
tes marcas Pariziences, Suspiros, Dili-i. ....
cias, Napoleoese Guanabaras a 2,3oo rs.,' vmlio em pipa Porto. Lisboa e Figueira das
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo! melho>s mar(:f a 3-8oo rs. a caada, e
' i s. cada urna. ooers a garrafa,
idem de oulros muitos fabricantes e de ,lltm do I orl? L.,s,hoa e Figueira de marcas
4oo rs. a garrafa, e
differentes marcas para l,5oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a l,6oo, 2,ooo e
3,ooo rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 000 rs.
Cognac inglez das melhores marcas a l.ooo
rs. a garrafa e 10,000 rs. a duzia.
(dem francez suporior qualidade 800 rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Erva-doce a 4oo rs. a libra.
> javo da India a 600 rs. a libra.
Canella a I.ooo rs. a libra.
Copos linos para agua a 0,000 rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do P.io superior a 80 e 32o rs. a li-
bra, e 8,800 e 9,loo a arroba.
Doce lino de goiaba a 600 rs. o caixiio.
Lrvilhas portuguesas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a .lata.
dem seccas a i60 rs. a libra.
Mem j descascadas a 2oo rs. a libra.
i'arinha de ararula verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a l,ooo rs. cada urna.
dem em latas ermiticamente lacradas a
l,5oo o 2,000 rs. cada urna,
dem em caixas de 'k arroba a 2,5( da urna, e2oo rs. a libra.
Oraixa muito nova a loors. a lata e l.ooo
rs. a duzia.
Genobra de Hollandaem frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e.56o rs. o frasco.
dem de larapja a l.oo rs. os frascos gran-
des e ll.ooo rs. a caixa com 12 frasco.
dem* de Hollando em botijas a 4oo rs. ca-
da urna.
fdem em -garrames de 16 garrafas .* \,8oo\
r>. com agarrafSo.
Cha uxim o melhor que se pode desejar, e
que oulro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra.
Queijos ilameni'os chegados nesle ultimo va- i,tlem Pero'a (l(} espacial qualidade a 2,6oo e
por. a -.800 rs. a libra, garante-se a qualidade
muilo fresco a 800 e 9oo rs.I..destecha.
dem hysson o melhor que possivel encon-
trarse a 2,4oo c 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l.2ooe l,4oo rs. a libra.
dem pelo muito fino a l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades. francez,
hespanbol e suisso a 1,000,1,2oo e-Meo
rs. a libra.
'Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em /j caixas das seguin-
tes marcas: Parisienses, Suspiros, Dili-
cias, Mapoleos e Guanabaras a 2,300 rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,000
rs. cada urna.
dem de oulros muilos fabricantes e de dif-
ferentes marcas para 1,5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a l,6oo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inleiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a 1,000
rs. a garrafa e 10,000 rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
800 rs. cada um.
Queijos flamengos. chegados neste ultimo
vapor, a 3rooo
dem prato muito fresco a 800 e 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que at lio- o mais aromtico que tem viudo ao nosso
GENEBRA DE LARAXJA
3^ a 2f>OO.
dem pcrola
especial qualidade a 2,5700 rs. a libra,
dem livsson
je tem viudo ao nosso mercado a 8oo rs.
a libra.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes ile vidro a 000 i,
'Cada um.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e56o rs, a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nanles em quartos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muito novo e al
vo a 2io rs. a libra.
r-
menos conbecidas a
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinbo a 600 rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco nao levando com-
posicao a 38o rs.- a garrafa, e 4,ooo rs. a Gaf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
caada. e 8,800 e 9,5oo a arroba.
dem branco de uva pura a 56o rs. a gar- Doce fino de goiaba a6ooi-s. o caixiio.
rafa, e 4,5oo rs. a caada. Ervilhas porluguezas ltimamente chegadas
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo i a "00 rs. a lata,
rs. a caada. jldem ceceas a 16o rs. a libra.
dem Bsrdeaux em caixas de 12 garrafas das Ideada descascadas a 2oo rs. a libra,
marcas mais acreditadas a 6,800 e 7,ooo | Farioha de araruta verdadeira a 320 rs. a
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezas vem ao
nosso mercado a l',2oo rs. a garrafa,.ga-
rante-se que [tor este mesmo preco d pre-
juizo e s< se encentra ireste armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Douro,
libra:
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
1,000 rs. cada urna.
dem em l?tas ermiticamente lacradas a
l,5oo e 2,5oo rs: cada urna,
dem em caixas de '/j arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Sevadmha de Franca l8ors. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a
roba.
Traques de I.' qualidade a 9,5oo rs. a cai-
xa, e 24o rs. a carta.
Toucinho novo de Liib&a a 2io c 2o rs. a
libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinbo em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conbecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco nao levando com-
composicao a 56o rs. a garrafa, e 4.ooo
rs a canada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra- is,
fa, e 4,5oo rs. a canada, | PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3.000 cada urna.
rs. a caada. WmlloG
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das' VorjujJd
marcas mais acreditadas a O/joo e T.ooo as mais novaS(|o mercado a 7,ooo rs. a caixa
rs. a caixa. e l.ooo rs. o molho.
dem muito especial que raras vezos vem ao! Alistl e PlllCO
S'T^10 a '00 'S a 8'aPrafe' g;l mais novo d0 "erw-o a ^- a "bra,
rante-s(! que por este mesmo preco d e 4,5400 a arroba
prejuizo e so se encontra n'esle arma-'
zem.
verdadeira a 1,5000 o frasco, e de Mr500f
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 8^800 vm
12frascis.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
a 1 PALITOS
1 os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a "roza
COC .4 C e 2o rs. cada caixinba.
o muito afamado cognac Pal Brandy a 1,800' LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas ipialida- finos de todas as qualidades, a 10,000 a caixa
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa. com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
copos MnrTiiAlqf!'
lapidados para agua a 4,5oo e S,ooo rs. aL ft .iam?*;
duzia; e a 440 e 800 rs. cada um. dos mell'ores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e oulros muilos a 600 rs. a
libra.
mercado a 2>G0.
Massas amarellasr
para sopa, macarrlio, talharim e aletria
480 rs. alibra.
PAPAL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lldades de 2,2oo, a 4,800 a resma dome-!
Ihor. I
Papel de bol cu
de excellenle qualidade a 2,5200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulhode l.iooa 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fume
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duquo do Porto, Genuino. Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V. D.
Luiz I, Nctar e outro's a ),ooo e 10,000
rs a caixa e 9oo e l-,ooo rs. a garrafa.
Idem.Muscatel superior a l.ooo rs. a garra-i
fa, e lo.ooo a caixa com I duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
Pregunto
jo verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
I a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,000, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa lera abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 0,3oo e
Gaixa e 34o rs. a libra.
Batatas nova*
em caixas de 2 arrobas a 5<5 a. caixa > 00 rs.
a libra.
Passas mulo novas
em quartos e inteiros a 26 o quarto e 63500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se podo de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frats em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
oulros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da rasca da goiaba
a 600 e Id o caixe.
Os proprietanos do grande armazem o Verdadeiro Principal declarara ao* seus
freguezes e amigos e ao publico em gerah qu para facilitar a commodidade de todo* es-
tipniaram os mesmos precos nos seguintes lugares:
Unio e Commercio ra do Queimata n. 7
O Verdadeiro Principal nm do Imperador o. 40
,0 verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra
Vinagre
a caixa b Bofe a-1.000 rs. a garrafa,
dem Moscatel superjor a l.ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oors. a canada. ,
dem era garrames com 5 garrafas a l.ooo
rs. com o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna
dem, de escova para esfregar casa 36o rs.
cada urna.
dem em garrames com 5 garrafas a 1.000
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu* Graixi muito nova a loo rs. a lata e l.ooo- rs.com o garrafao.
lar, mnlvasio fino, 1>. Pedro V, l). Luiz i ,>- a duzia. I Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
I, Nctar e oulros a 9,ooo e lo.ooo rs. Genebra de Hollanda em frasqueiras cora 12' rs. cada urna.
frascos por 6,000 rs. e 560 rs. o frasco .! dem de escova para esfregar casa a-36o rs.!
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran-, cada urna.
des e H,ooo rs. a.caixa com 12 frascos. 1 Velas de espermacete superiores a 56o rs.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada a Hbra, e-52o em caixa*. "
uraa- dem d carnauba refinada, e de composicjfo
dem em garrames de 16 garrafas a 4,8oo a 36o rs. a libra, e de' 10,ooo a H.ooors. I
rs. com o garrafao. a arroba.
BAIRRO DO RECIFE, RA M CADEIA N 50.
0. mais novo e o melhor
ARMAZM HEUOMIllM*
Esquina defronte da ra da Madre de Deoe
ATTmm^Am

GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualuLde- a 12
a lata e em lotes de 10 latas para cima se
Vellas de espormacHle superiores a 56o rs. far abatimento. no armazem da fu do lm-
* libra,,e 52o rs. em caixa. perador o. 16 e na do Trapiche Bov a, 8.
hlern de carnauba refinada e de composico a
aoors. a libra, ede lo,oooa H.ooo. rs. a-,
arroba, I
leeros para ouriv^s.
Na m Ur rtofiosario rr. fu, H>} dem-se l3dos os ferros e ulenciHoe ft curire?. ir. 7.
Algodo da Baha
para saceos de assuear e ronp*. de esorayo; um
para vender Antonio Luji de Oliveir* Aievedo &
C. no seu escriptorio ra da Cruz n. L
um grandn sortimento de bico e renda preta d
novo modelo chamado (guip). o melhor que se
pode desejar neste arrtgo e qo se-vnde muilo ba-
vjgilant? ra do Crespo
At***u daSllv*Ga*w,SUBCos<'doMlip>Nascimento defronte do beeco Uno. bem r
fthecdo ja nesu praca.afaba de transferir o seu esiabelecimeoto para a calima inorada o^u
Sffi*SS% "*** e r^neIt*' bem como respe.uvel pubUmem S tr o S
0 annunciante, tendo foito urna completa re/otma nn tocante
a casa e (wnerw,
possuindo boas
le?-
correspondentes na Europa para.remes.sas de eonfa propri, riZZ aSatfl5iI m
merecer'a-contianca tom qne se dignarem de o honran

-


Diario de PerMB^afB <*ti lata lelra ide Agorto de 1

SO PUBLICO
Sem o m
gimento se
importe rio
nao agradar.
r eonstran-
cuti'ogai' o
genero jtte
ATTC1IC0
Os preeos da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de contas
coiu os portadores.
ARMAZEM UNIO MERCANTIL
RA DA CADEIA DO RJBC BFE Jf. 53.
(Logo passando o arco da Conceifio)
Chande reduccao de preeos,

equivaleute a dez por cento menos lo que outro qualquer
annnnclante.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o preco da manteiga ingleza a l,ooors. a libra, bem assim o de ontros
mitos objectos, etc., dando com sto ocasiao a todas as espeluncas acabarm por bom proco a manteiga de tempero, e gritaren! em
alta voz, que podem vender pelo preco que eti vendo!! 1 Ora, eu offendido com estas obscuridades e receloso em adoptar o mesrno
systliema que vim encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande reducto de preeos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo men bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Uniao Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oo a l,6oo rs. a libra. Moje porem, resentidos da redueco a que
estao obrigados, encarando todos os das de seus freguezes reclamacao de preeos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mal informado deste novo estabeiecimenlo. para Ihe vender goneros nao proprios de nm estabelecimento desta ordem que o sea Dm
tao somonte obter a concorrencia de seos freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senboras o accio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que ludo apromplidao e entei-
RIVAL SW SEGUNDO
Ra do Queimado ns. 9 6^5, loja de rniudPKK
de Jos de Azevedo Slaia e^lva, est conindo
no seu progresso de vender baralissimo
Capachos grandes e superiores a SBOrs. cada am
Calzas de superiores obreias de cola e massa a
Cordao branco para vestido e espartilho, rara ai-
ris.
Linhas de carretel (150 jardas) de superior final-
dade a 60 rs.
Cartoes de linha Pedro V (200 jardas) ja mnit.
conhecida a 40 rs.
Grozas de peonas de ac de rauitas qualidades .
superiores a 500 rs.
Caivetes de duas folhas porm finos a 'OO rs.
Caixas rom calungas milito bonitas para rai. a
100 rs.
Franja branca e de cores para toalbas a 160.
Pares de botos para punlio muito bonitos a 120.
Caixas com soldados de chumbo muito booi! >- .
120 rs.
Tinfeiros de vidro com superior tinta a 160.
!)tos de barro com sur- "";"" ": '"" -
. riur tinta a 100 rs.
de louca pratiados, o mcltior, a
de
Groza de botoes
160 rs.
Tesouras para costura,' o mais superior, a 400 rs.
Ditas para unhas muito tinas a 400 rs.
Escovas para limpar denles muito superiores a
200 rs.
Libras de la de todas as cores (pesada) a ~$.
Caixas de phosphoros de seguranza a 160.
Ditas de papel amizade pautado e liso a tOt rs.
Ditas com 100 anvelopcs muito superiores a 8n
ris.
Cadernos do papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
Cartas e taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas com superiores iscas de acender charutos
a 40 rs.
Carreteis de linha Alexandre (200 jardas) de cores
a 0 rs.
Baralhos para voltrete muito finos a 240.
cana ue recebar e sua propria enctuuuienaa um granae e vanado sortimento Cartas de aiiinetes francezes muito finos a40r*.
molhados todos primorosamente escollados, por isso apressa-se o proprietario em Meadas de linha f>xa para bordar a 20 rs.
- de tranca multo superiores ;.
Mantotga ingleza (safra nova) especialmente
escolhida a 8oo rs. a libra, m barril se
fot batimento,
dem francesa a mais nova (fue tem vindo ao
mercado a 88o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cb hysson de superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra,
dem perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem Imxim o inelbor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem pelo bomeopatliicoporserde superior
qnalidade a 2,oo rs. a libra,
dem hysson, buxim c perola mais proprio
para negocio o l6oo, l,8oo e 2,ooo rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abat-
ment.
Caf do Kio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8.5oo rs. a arroba,
dem lavado deprimeira qualidade a 3oo rs.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba,
dem do Cear de superior qualidade a 24o
e 28o rs. a libra, 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Aitoz do Maranhao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alroegraudo a loo rs. a
libra, e 3,000 rs. a arroba,
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
I Pataco e alpisla a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
ao que se vende emoulra parte por 2,4oo Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
e2,6oo rs.
Lmguiras, chouricas e paios em latas de 8
libras, ermeticamete lacradas a 5.5oo n.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chouricas e paios em barris de meia cuma
arroba a 8,ooo rs. e 1 ,5oo e Goo rs. a libra.
Queijos fiamengos milito frescos cliegados
neste ultimo vapora 2,2oo rs. e do vapor
passado a l,6oo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
re se lazabalimento.
dem pialo muito fresco a 8oo rs. a libra.
Uem do Ab'ntejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porluguezas em latas ja pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a 600 rs. a libra.
Prezuttlo do reino viudos de casa particular
a 5Go rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Copos lapidados para a gua a 0,000 e 5,5oo a
duzia,
Chocolate francez, snisso e hespanol a 9oo
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Esperiuacele em caixinbas contendo G libras
por 4,ooo rs., garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, lambemtem
de 12 por libra propria para carro.
Peixe em posta soveL corvina, gors. pesca-
da, salmo, ostras echernee, rezago em
latas grandes a 800 e l,ooo rs. cada urna.
Vinho Bordeaos das marcas mais acredita-
das que tem vindo ao nosso mercado a
6,000, 7,ooo e 8,000 rs. a caixa, garante-
se ser de qualidade superior, que outro
qualquer nao pode vender por este preco. j
oo
li-
Genebra de llolianda a 5Go rs. o frasco,
5,700 rs. a frasqueira.
dem de laianja verdadeira de Altona em
frascos grandes a 1.000 rs. o frasco, e
ll,ooors. a duzia.
dem de llollanda em botijas grandes a 4oo
600 rs. e de barril muito superior a
rs. a libra.
Alelria, macarro e talharim a 4oo rs. a
bra, o 9,ooo rs. a caixa.
dem e talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
feitas para esse fim.
Estearinas a 5Go rs. a libra, e em caixa com
2ii libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 48,000 rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e.'ioo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a 4oo e 000 rs. a garrafa, em caada
a 3.000 e 3,5oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de 1 duzia
a 8,000 e a 680 rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Donro, Duque do Porto, Duque Genuino,
. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
10,000 rs. c a 9oo e l,ooo a garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 3Go e 56o rs. cada una.
Sardinhas portuguezas em latas grandes
preparadas pelo melhorconserveiro de Lis-
boa a 64o rs.
Bolachinhas ioglezas as mais novas do mer-
cado a 2,8oo rs. a barrica, 0. 24o rs. a
libra.
Bolachinha de soda em latas com diversas
qualidades a l,3oo rs.
Rolo francez em caixinhas muito proprias
para mimo a 64o rs.
Amendoas conilitadas de 800 rs. a libra.
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras Mante^. perfeitaaente fl6r) a 800 rs,
por 2,5oo; ditas doce em latas com ornes-1 ^^ ^ r '
dem franceza a 56o rs. a libra, e 5oo rs.
sendo em barril.
Cha uxira a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
dem hysson o mais superior que se pode
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras
para cima a 2,3oors.
mo peso a 2,5oo: ditas imperiaes em latas
de.3 libras por l,5oo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por l,2.oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanbos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l.oo, el,8oors.
Azeitc doce refinado Penanol ou do Kethpes
de Lisboa a 800 rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8,5oo a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
roldado mesmoa 5oors.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4 00 rs.
Lentildas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
com um pequeo toque a 10 rs.
de madreperola muito tinosa
Licores francezes e portuguezes das seguin- seo rs.
tes marcas reme de violetas, gerofles, ro- CarIt0s e caixas dc celchets francezes seperiores
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen- '< boSpis pira meninos muito finos a ijsoo e 23
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim, Macos de grampos superioies e limpos a 40 rs.
morangos, lim5o, caf, laranja, cidra, giu- Groza de pbospiioros do gaz muito novos a jeoo.
ja, cauella, cravo, orteli plmenta a l.ooo fi5? ?T.m m,uit0 suPer?'a ?ors-
rs. a duzia 1 000 rs. a garrafa, garante-se ij^ataT^A*
que e es melhores que temos lido no mer- Pecas de fita de linho muito boas a 40 rs
cado. I -"entes de lago muito bonitos a 1.
Passas muito novas em auartos e interros a! gn^itcs de laco de todas as cores a 13300.
9 wm n n 1 u k t oaas com alfinetes fracezes a 20 rs.
z,ooo rs. o quario, a G.ooo a caixa e 400 caixas com quatro papis de agulhas impenaes a
rs. a libra. 240 rs.
dem corinthias proprias para podim a 9oo Sabonetes de familia a 80,160 c 320.
rs a libra i Caivetes de duas folhas muito finos a 320.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li- Marmeladas dos mais afamados fabricantes de ^^^3!Tw*i ^
bras para cuna a 2,2oo. Lisboa a 64o rs. a libra. melhores que tem vindo, e por prego muito barato:
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra. 5ucm...Iuizer Yr> venha ra do Queimado ns
rs. a libra.
Ma.TaSqunooverdadeirodeZaracmgarrafas;Q3s/oj;eftino che8ados neste ultimo va-
grandes a l,ooo rs. e H,ooo a duzia. :,-,.c- ,.. a
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o maco, j gS? *S?^f no ul,'mo vaPor a *!
oi _ii.j____/_____i..:,-., _____ii.- dem londnno o mais fresco que se pode
esperar e de excellente marca a 8oo rs. a
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata. Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
dem preto o melhor que se pode desejar Ervilhas francezas em latas a 6oo rs.
neste genero a 2,8oo rs. i Potes com sal refinado a 48o rs.
dem menos superior a_esse que se vende Fumo de cb/apa americano a l,4trors. a libra
por, 2 e 2,loo, a 4,8oo rs. a libra. fazenda especial.
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra. rs. a libra,
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
49 e So, e ver tudo como bom e barato.
SALSAPAtLILJIA
do i
Sal refinado em frasco de vidro com rolda
mesmo a boo rs.
Cerveja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado ao^ooo e
5.5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinlia de Franca muito nova a2oors.
Charutosde todos os fabricantes da Bahiaedas'
mais acreditadas marcas condecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo, |
3,ooo e 3,8oo a caixa de loo cdarulos.
Cognac ingle/, das melhores marcas a
I,o Doce da casca da goiaba em latas de 4 li-
libra sendo inteiro, e a 9oo rs. a retalho.
dem prato es melhores e mais frescos do
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro.
Biscoites em latas de 2 libras das segointes
marcas : Osborne, Crakntl, Mixd, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machineeontras mul-
tas a l,3ooe 1 4oo rs.
Polvos cliegados ltimamente do Porto a 32o
rs. a libra.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a o,-) a
caixa e 6o rs. a libra*
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
e Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
bra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
a 2'io rs. a libra e
Figos de comadre
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhasd'agtta em sal da fabrica do Beato
bruto a 4,ooo rs.
bras por 2,ooo; ditoemcaixoesaGoors. dem inglezas em barricas amis nova do
cada um. 1 mercado a 2,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
Farinda de araruta verdadeira a 32o rs. a; libra.
libra. ; Chocolate portuguez o mais especial que se
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
32o rs. a libra e lo,ooo rs. a arroba. pao.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa; Ca toes com bolas francezas proprios para
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. em barril.
Capil de diversas frutas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra c 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
Humos ou para anjos que vao as procis-
ses a Goo rs. cada um.
Papel de botica de excellente qnalidade a
22oo rs. a resma.
Peas seccas as mais novas do mercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em litas de 4 e 8 libras
lacradas dermeticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
2,ooo. rs.
Cebollas solas a 1,4oo o cento ; ditas em
mollios com cento e tantas por 1,2oo rs.
Mallo excellente cd para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
j&lTfflfKGA i l-OR MENOS DE 20 4 30 POR CENTO
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor-,
deaux, differentes qualidades, mais barato que em
qualquer parte : no armazem de E. A. Burle &
C., ra da Cruz n. 48.
O es P-I o p-C5 Q O P P- g P p-
o p P- OT B"
fcd p-i O p
o o eg C P- co
8j Ct P p CD CP p-
B 2 i s i. P3 <**& 9> g <
p I' O *~t sa
>-* SP P * 5 p
p et> o
8 ct> k P I P-o 1 s >-3
Batatas as mais novas a 1400 a arroba e 50 rs. a
libra.
Toucinho de Lisboa novo a 280 rs. a libra e 8,5',00
a arroba.
Cat do Rio de primeira e segunda sorte a 280 e
300 rs. a libra e 85500 a arroba.
Arroz pilado a 80 e 100 rs. a libra e 2500 e 2,5300
a arroba,
chimbo, em latas de 1 libra, quando nao seja me- Sardinha de Nantes novas a 320 rs. cada nma.
Ihor igual ao amencaHO por t20 rs., para veri- S*bao massa ?"Perior a ie^e S90 rs- *| 'nra- ...
ficar a verdade os Srs. funumtes podeiu-se diriair ?as$as as,ma,s novas eile enero a 400 rs. a libra
fabrica vapor de cigarros antiga na dos Quar-:'
teis de Policia n, 21.
Fumo imperial
Cortado igual ao francez muito proprio para ca-
lumbo, em latas de 1 libra, quando nao seja me-
| Frutas em calda edegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a G4o rs. a
lata.
!Idem em caixindas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
iSozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 8oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, veldo
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto dc 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca, Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo,ooo e
l,ooo rs. agarrafa.
j dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
...., fa e 4,ooo a caada.
Joaquira Simao dos Sanios, dono deste armazem de molhados, tem feto urna grande vantagem iApm iiwvinr a f\nc\ re a airrafa p 9nnr
a quem seu armazem tem frequentado, liquidou todos os seus gneros mais amigos que linha nao s iUPe!IUI d 00 ls< a garraid e j,zoorb.
neste armazem como fra, e tendo feito urna grande reforma neste estabelecimento tanto em tamanho a canaaa.
como em gneros que mandou vir por sua propria encommenda a malor parte, que os pode verter por dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
menos de que qualquer annunciante, para isso se responsabilisa pela superior qualidade. marcas mais acreditadas a 3,800 a caada
. j\ e 5oo rs, a garrafa.
Attencao.
MNSEKVATI
28Largo do Terco-23.
Caixas de traque n. 1 a 80500 cada ama.
Massas para sopa macarro, talharim aletria I
a 4oo rs. a libra.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 8oo rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a dnzia e 7oo rs. a
garrafa. |
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por abi se ven
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.800 e 9,5oo i
rs. a arroba.
dem de segunda qualidade a 8,5oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-1
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,ooo rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, e em
caixa a 52o rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem aimaco pantadoe lisoa S.ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiroa 2,2oo rs.'
a resma,
dem embrulho dc 1,2oo a I,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/* libra a
1.2oo e 800 rs. a libra.
A
Mtiho
Vendem-se saceos grandes com milho a 3J500 o
sacco : na ra da Madre de Dos n. 9.
Queijos do vapor a 25800.
Vinho de Figueira, marca JAA, a 500 rs. a gar
rafa.
Dito de Lisboa a 400 rs.
Dito de outros paizes a 360 rs.
Dito para negocio a 320 rs. a garrafa e em caada
se faz abalimcuto.
Wem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
P. Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composicao a 560 a garrafa e 4,000 rs. a
caada.
Familia do Maranhao a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a 1,00o rs. cada urna.
Fio de algnio da Babia era saceos de 100
libras. ^^^
Tem para vender Antonio Lniz de Oliveira Aze-
vedo & C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Dita ingleza flor a 720, 800 e 900 rs. a libra, e em
barril ha abatimento.
Bnlachinhas inglezas novas a 240 rs. a libra.
Charutos de diversas marras e superior qualidade
de400,J*500, U, 3* e 4*.
Phosphoros do gaz groza 2200.
Velas de espermacete de S e 6 por Jibra a 340 rs. a
vZVSSSt arroba e 360 a libra. | *g* ,otna,e era ,a,as de ,ibra a I* ^
Sevadinha e sag muito novo a 240, 260 rs. a li-, Conservas inglezas, francems e portuguezas a 640
bra. Garante-se a superior qoadade. i o frasco.
Alen destes gneros ha outros muitos que enfadonho seria menciona-los. Quem duvidar ve-
er nhav.
Genebra de Hollanda em frasqueiras a 6*900 e 500 R,cos l,vros com "%os A' rs-
rs. o frasco. I Pomada a 200 rs. a duzta, sevada muito no-
idem em botijas de conta a 400 rs. va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Azeite doce de Lisboa fino a 600 rs. a garrafa. Garrafoes com 4 '/i garrafas de vinho supe-
Diio de carrapato a 320 rs. a garrafa. rior a 2,5oo rs. cera O garrafao.
Manteiga franceza a 360 rs. a libra, e 40 em dem com 4 '/i ditas de venagre a 1,000 rs. o
b"rril- garrafao.
fifi
BE BKIBTOL.
curas milagrosas de
ESClOF UJUli^
ENFERMDADES SYPHILITICAS,
Erysipelas, Rheumatismo,
Nevralgias. Esjrbuto.
ele, ce, el;
quo teui granjeado e ddu o alto re
nonio
Salsaparrilha de Bristol
por todas partes do universo, sao t-fl
6mente devidas i
nica Legitima e Orip-ipa^
SLSAPRELHA BE BESTOL
PREPARADA EXCLUSIVAMESIE l'Olt .
LAV.1IAX & KEMP DE NOTA TORK,
Mediante a receitadoDr. C.C. Brutal
venda as boticas de Caors & Barboza,
ra da Cruz, e Joao da C. Bravo 'C, ra
da Madre de Dos.
Farinha de milho a 1(10 rs. a libra.
r ..... a A mais fina e nova do mercado : vende-se na
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., so o padaria de A. F. da Silva Beiris, ra dos Pires ni-
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em mero42.
frascos para 1,4oo rs. ________^
Conservas inglezas a 8oo rs. o fraseo. TPRA VflC TTTriTinC
Molhos inglezes a 8oo e 1 ,ooo rs. o frasco. LObRafUa tUIrlUUa.
Mostarda preparada em potes muito nova a, Fug0 na noiIe de 23 do correDte jllln0 d(.
200 l'S. 11864 o escravo Jos, preto, crioulo, ae 26 annos.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais baixo, coriio regular, beicos grossos e estufados.
bem afranjado possivel a l,8oo e 2,8oo orellias pequeas, e cachajo grosso, pouca barba
rq a lata i Por1ue tem apenas na ponta do queixo, levou dua?
J, i r, calcas, urna branca e outra de castor escuro mu-
Cerveja lente verdadeira a 6,8oo rs. a parece preto, de lisfras, paletot preto, sem camisa
duzia. | e com urna carapuca encarnada na caneca, a lata
Mem de outras marcas preta e branca a 5,5oo d manijo: quem pegar leve-o i ra Direitan.
e 6,ooo rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a I,ooo rs..o molho e
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a t>,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o re. o raasso.
Cominhos muito novos a32ors. a libra e
Itf.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milbo alpista a 14o rs. a libra e 4,5oe rs. a
arroba.
O proprietario do grande armazem Unio e Commercio declara aos seus fregu
zes e amigos e ao publico era geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulou
os meemos preeos nos seguintes lugares:
Uniao e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
84, que ser generosamente recompensado.
Fugiona tarde do dia 16 do correte um
escravo pardo, de nome Marcos, desembarra*
do hiate Santa Anna, vindo do Aracaty, tend
de idade 28 annos pouco mais ou menos, e os sip-
naes seguintes : altura regular, secco do corpii.
pouca barba, cabello crespo, levou camisa e
calca dc algodosinho de riscado azul eha-
polde palha, tendo levado comsigo umatrouu
com mais roupa, e rendido de urna das veninas;
quem o appreender queira leva-lo ra da Macrrt1
de Deus n. 38, ou ra do Brum n. 55, que sera
recompensado.
Attencao
o
Fugio na noite do dia 1 do crreme, do sitio dc
abaixo assignado, o escravo Joao, pardo escoro,
idade 45 annos, tem nma cicatriz no peito de um
dos ps, tem falta de dous dentes do Ldo direito.
costuma irabalhar de servente de pedreiro, e leve
principios do ofBcio de sapateiro, foi muitos anno^
escravo da Sra. D. Antonia Francisca Cadaval pin-
to, intitula-so as vezas de forro e diz chamar-*-
Joao Leopoldo Marques, bem vestido, caiga de ca-
semira escura e camisa branca, casado com urna
escrava de nome Francisca da referida Sra. D. An-
tonia : qnem o pegar poe-o levar o sitio n. 6 da
travessa de Joao Fernandas Vieira. ou ra do
Crespo n. 4.


Diarlo de Permnbieo Quinta letra 41 de Agosto de IS44.
LITTERATaA.
A 1LHA ili. Ull.l.'l.
Reconlares de viagem.
hitantes : Tunos. Grego* 8fkiota$.A ittfl
depoisda guerra da independencia.
1
(Conlinuacao.)
1 ,nio quer que seja, era elle o mais rico pro-
uno de Sfakia. parece que tinha una cabega
poltica, capaz de formar grandes plano*, ou, pelo
menos, de eomprchend-los e de cxecnta-los com
paciencia e forca de vontade. Quera, como diz o
poema que perpeta a sua memoria, restablecer
.1 nacionalidado hellenica, fin Romiosijuin ;
Todos o? das de Pascoa e todas as Testas do Na
la! 'a punha o chapea na cabega e dizia ao pro-
>a:
ilei de trazer o Russo.
Silencio, mestre Joo de Sfakia! Nao dove-
laos fallar assim. Se o sulto ouvisse, mandara-nos
o Turcos-.
Que mande o seu exercito e toda a sua es-
quadra Sfakia tem homens valpntes, verdadeiros
pallikares; qoe mande o exercito com todas as
suas bandeiras! Sfakia tcm homens valenles, tao
jiumercsos como as aves de seus bosques.
Por isso, logo que em Creta se soube da appari-
no da esquadra russa e dos primeirostriumphos
da insurreieo da Mora, mestre Joao sublevou a
Sfakia. Elle etrctiuha, ta muitos anuos, relagoes
com Beuak, primaz messiano, e com os cliefes
uainotas ; com antecedencia se muir de armas
e municos. A' principio, os Sfakiolas foram bem
succedidos; espalharam-se pelas planicies, saquea-
ram o que poderam, mataram muitos Turcos e re-
ur.iram oulros a encerrar-senas pravas fortes. Foi
er.tao que mestre Joao fez urna viagem Paros a
conferenciar com Orlof e pedir-lite orna cooper-
go activa, um assalto a urna das fortalezas da
. *!ha. Orlof, que ambicionara representar nm gran-
de papel, mas nao linha habilidade, nao sotibe rom-
,4irehcnd-lo, e nao fez o que se Ihe pedia ; espe-
ou, e em quanto elle se revesta de um ar de
grande importancia e quera impor como soberano^
a Mora foi reconquistada cem o auxilio da solda-
desca albaneza. Eslava perdido o lance; em toda
a Creta os ratas esiavam soregados : s Sfakia
l>ermaueea armada. Os pachas reuniram tropas e
. inreharara sobre os Sfakiolas.
Estes acharam-se divididos; mas queriam ren"
der-so, outros resistir ; em quanto se discuta, os
Tarcos Iranspozeram os desfiladeros, devastaram
pguagem e scapasse morte qn o esperava ;
mas este, farto do papel que representava e dos
males que acarretava sua patria, alm disso
aconselhado por falsos amigos aluciados pelo pa-
cha, nao examioou a missiva, aceitou o que se Ihe
propunha, e cnrvou a cabega ao lago. Acothe-
rara-o com muita amizade e honras: mas logo que
o viram bem seguro, mudaram do tom : foi enfor-
cado em Candia como salteador, p loda a ilha co-
megou a can- sob um jugo mais cruel que nunca.
Pela priiueira vez foram os Sfakiolas sujeitos ao
haratch, luimilhago que ellos muito sentiram, e
da qual juraram vin^ar-se, assim que so apresen-
tasse occasio favoravel. (*)
Alguns dos mais distinctos e corajosos reuniram-
se a esse Lambro, cojas aventuras e faganhas ras-
piraram a jmagraaco de Byron. Foi de Lambro,
tal qual Ih'o apresenlavam as narraedes que elle
ouvia com tanto prazer as suasvagens ao Orien-
te, que Byrou copiou alguns tragos do sen Cor-
sario, e elle mesmo o poz em scena nos mais bel-
los cantos do sen D. Joo. no episodio de Hayda*.
Outros Cretenses quizeram antes procurar asylo
no paiz mesmo de onde partir o sigsal da insur-
reicao.
Estabelecidos em Odessa, essa nova cidade, cujo
brilhanteimpulso e rpidaprosperidade a Rossiade-
ve a um Francs, o duque de Rehelhiu.enrlqaecra
com o commcrcio. e quando se organisou a asso-
ciagao que tinha por fin sacudir o jogo da Porta-
Oitomana, etles tomaram parte nesse mov'rmeoto
com todo o ardor, dragas s relagoes- qrac titiham
conservado com os seus compatriotas, preven'
ram-os para q*w se achassem promptos e prepara-
vam a sublevago para a qual Sfafcia deu o sgnal
em Julho de 1821.
Entre os mais opulentos desses Cretenses ssta-
belecidos na llussia, entre os quejmais caloresa-
mente dedicaram sua bolsa e sua pessoa a liber-
dade da sua patria, achava-se a familia Kalergi'
depois de ter durante 18 aenos conservado duvit
doso o triumpho de Yeneza, iratava de egual pa-
ra egual com a repblica, e reeebia para si e seus
descendentes o titulo e os privilegios d? nobre
Veueziano.
Nao emprehenderemos relatar aqu os atontec"
mentos militares dos quaes Cre foi theatro- du-
rante essas lulas da independencia, que duraraiu
perto de nove annos : todas as historias geraes
dess guerra os relerem, e alm de tudo, noha-
veria urna certa monotona na nawaeao to poaco
variada desses. combates onde a coragem desenvot-
vida de parle a parte demotrava-quaesqner resolta-
dos decisivos, e dessas ousaJas-emprnas que eran
sempre raallogradas por falta- de uaiformidade, so
commando, e bem assim por falta, de prorises re-
gularas e de arlharia de cerco ? En Creta, cora
na Grecia continental, derara-se as- mesmas altce-
c incendiaran as aldeias de Askyfo e de Anopolis
c nao se retiraran sem levarem mallos prisionei-1 nativas de triuwphos e de re vezes,. brabantes pria
ros ebas"pieza?. Mestre Joao estivera sempre "P*8 AP PaQi moitc a falbavara, felizesj
(esta da resistencia; porm, mal coadjuvado,em
toda a parte foi vencido, repellido e seu proprio
irmao caiu em poder dos Turcos. Estes, apesar da
.victoria, nao consideravam extincta a rebclliao em
quanto nao tivessem os cliefes as suas maos.
De Megalo Rastro, o pacha envin mestre
Joao palavras de perdiio e reconcilago, convidan-
do-o a vir ter rom elle para fazerem as pazes e
entrar de novo as suas boas gragas.
Para melhor assegorar o elTeito dessas engaa-
doras promessas, obrigaram com ameaca de morte
o irmao do ebefe a escrever-lhe urna cana, dando-
so por fiador da lealdade do pacha, e inslaudo pa-
ra que mestre Joao cedesse. Gonformando-sc ap-
parentemente com as ordens daqaelle que s com
um aceuo podia mandar cortar-lhe a cabega, o as-
tuto sfakiota deseobriu todava um meio de avisar
seu irmao. Em baixo da arta, escreveu tres ve.
res a letra (um carcter grego) em um lugar em
que, sem dar as vistas, podia isso ser descoberlo
co:r. attengao. Essa letra significa na sua mente
nao venhas, nao venbas, nao venhas, nao ve-
-nbas. Esperava que sea irmao entendesse essa
ataques inesperados que torna** esteris a in-
sulciencia do'netos de cmbala e rivalidades-
dos rhefes ebristos.
Entretanto, em 183, ja os Musulmanes nao sus-
tenlavam a campauna/e em toda a- ilha se tinhara
encerrado dentro das fortalezas.. Urna dellas, Kis-
samo-Kasteli, capitulara, depois o terem morrdo
de fome e de peste quasi todos- os Turcos que ahi>
so haviara refugiado con suas familias. J a guar-
nigao de Megalo-Kastro fallava em render-se, e o&
tiregos esiavam prestes a tornarem-se senhores da-
mais forte praga da Iha ; Khania e Hetymo segui-
ran sem du vida o mesmo exemplae Creta cahiria-
toda inteira as, maos dos christos.
O ,-uliao pareca estar inhabilitado para cont'r-
(*) Estes delalhes sobro um personagem, rujo
nomc nao mencionado em nenhuma das histo-
rias publicadas no Oriente, collii-os no paiz mes-
mo, das tradiges populeres, e dos contos que a
cooservam, sendo depois confirmados em Alhenas
por um dos Cretenses, quo melhor ronhecia a his-
toria da sua Iba, M. Antoniades, corajoso comba-
tente da guerra da independencia, e redactor, du-
rrnte muitos annos, do um dos mais apreciados
ornaos que se publicavam em Alhenas, o Atluna.
nuar a Inta ; os Kussos o ameagavam no Danubio
e na Grecia, seas exercltos mal commandads e
mal alimentados, atormentados pelos Klephtas, per
seguidos pela peste o pelas febres atravz dos d-
senos que elles faziam diante de si e.que o devo-
ravam, desfaziam-se e desappareciam nm aps ou-
tro, como bolas de nevo lancadas vdentro de urna
fornalha ardente. Os christos nada aproveitaram
com isso. O snhao, vendo exhaustas as suas Tor-
gas, chamou em seu auxilio para substituido o seu
poderoso vassallo o pacha do lgypto.
Mahemct-Ali acceitou prossuroso a occasiao que
a forluna Ihe offerecia de experimentar o sau exer-
cito, de acostumar guerra os seus olliciaes e sol-
dados, e sobretudo de apresentar-se aos ollios de
todo o Oriente, nesse momento critico, como o ni-
co defensor efflcaz e o verdadeiro campeao do ma.
homelismo.
Um tenente de Ibrahim-Patha desembaroon en.
o em Greta com urna esquadra que levav varios
regimenias egypcios, sujeitos a ama severa disci-
plina e organisados por instructores europeus. /r-
vaton-se o bloqueio das pragas e os Sfakiolas fo-
ram corridos para as montanhas, onde os seguiu
parte ffa populacHu- da ilha. O inimigo nao p6de
Cheio de reconhecimento, e mais tranquillo, o folhas aciduladas por eip de urna dissolurao de Envia florlnha que ao eo vae voando
desgragado ceden ao sorono e adormeceu em cima
de um tapete. Quando ellas o viram sem sentidos
e immovel tiraram-lhe as armas com multa subti-
leza, eo mataram a golpes de machado.
Os Grogos confessam sem receio que neni as mu-
lhercs elles poupavam. Ao menos durante o pr-
meiro anno da hita, antes que os dous partidos,
vendo equiparar-se os triuraphos de ajobos e per-
petuarse a guerra, tivessem a dea de receberem
refens, e de conservarem os prisioneiros at seren
resgatados, os christos davam a morte a todos o*
' Musulmanos que Ibes cahiam as maos.
Oque singular que entendiam que, derra-
mando todo esse sangue, cumpriam um dever re-
ligioso I Muitos me repetiram que, se assim pro-
cedan, era, como outr'ro os israelitas, para evitar
teniagoese derrotas aos soldados da boa causa (1).
Parecia-lhes que commettiam menor peccado ma-
tando a sangue fro suas captivas do que dexan-
do-se seduzir por labios e olhos que nao tinham
recebido a agua do baptismo. Sentimos orna viva
sorpreza que nao isenta de ser humiliacao, qtian-
vemos assim perto de nos, no nosso sceulo e em
um povo chrsto vigoraren anda prejuizos to
penetrar no valle u*e Haghi-Rouroclj ; porm as fa-1 barbaros, e tao semelhantes a esses que, ha perto
miliasqueahi se tirrtiOT refugiad* sentiram falta de dous mil annos, arrancavam da grande alma de
de vveres e soffreram mnita fome. Muitos ere- Lucrecia esse grito de dolorosa indignagao
tenses expalriaram-se, estros submetf9ram-se. Al
gumas tentativas feitas para de nov3 atear-se a
guerra em 1825 e 1826, em quanto a:- mlhores
tropas delbrahjm seachavamoccu>>:idffs naMora,
liveram apenas resultados momentneos.
Eslava, pois, Creta quasi socegada quando; ape-
ZoT dos esforgos e" sacrificios dbs christos, apezar
da saperoridade (jue haviam adquirido e'ccser-
vado em quaato os Turcos estrveram abandonadbs
aos seus proprios rseursos, o protocolo de Londres
de 2' de fevereiro de-1830, e os tratados a que elle I
deu origen, pozerama-ilha fra do-novo reino, qoe \ Sbese que a Franga nao prodow bastante-couro
conslitaiam, e assim afrestituirarn- ao dominio otte- para eseu consumo, e que obrigada a importar
mano. muito, dlro-Abrd.
Nunca em parte alguma correa mais sangue,. E* a Colombia,-a IBvana, a Buenos-Ayres,a>Bar-
nunca hoove urna I uta mais encarngada,mais cruel' bara, aoSenagal, a Ihissla, a Irlanda etc. etc., que
(Continuar-se-ha.J
UH POLCft BE TUW).
De urna carta particular de Londres- e-strahimos
ao seguinles liabas, diz o Comi Mercantil, da
cJrtc :
A belleza mais notavel actualmente eos alto cir-
cuios-dosta capital a duqueza de Chartres, aqoi
denaminada a yrimcn brasileira.
-----
Medonho phantaama de negro sorrir 1
Porque assim pendes pensativa a fronte
Se no honsoote bruxoleia a aurora,
E mudo e triste prantear silente
Lagrima ardente leu olhar descora ?

gelatina, e submette-laa todasa aegao de urna pren- Olhando-me terna tao meiga fulgir...
sa. Para obter um producto mais hmoogeneo, p- Que importara perfumes se a vida um sonho.
de-se substituir a dissolugao de gelatina para alba-
mina.
O collodion pergaminho, impregnado da galanti-
na, presta-se ao curtimento como as pelles ordina-
rias.
As pelles de cor preparam-so tingindo quer o
collodion antes da passagem do acido, qur a subs- j ^^ ac> m camp* escun
tanca curtida pelos mesmos processos empregados
as pelles ordinarias.
O coitro artificial, diz o Botetun da Sociedadc Xa lousa onde a la vem branda bater...
iiimca, tao ressteule o duradouro, como o coa- Espera, meu anjo, na campa comligo
ro natural; c alm disso, impermeavel ao ar.
Em Pari.5 foi publicado o l volume da Historia
da fundanlo do Imperto Brasiteiro, obra do Sr. Dr.
J. M. Pereira da Silva, um dos distinctos litleratos
que conta a uossa patria.
Ter esta Historia de cinco a seis volumes, e
un padro litterario da poca, o que j se revela
neste primeiro volume em exteusas proporeoes.
A imagen) pura que em ten peito mora '
*- Contemplo minb'alma que mora repousa
Eu sigo ditoso p'ra sempre viver.
Ld-se na Revista Laso-Brasileira ospgonte :
Segundo o novo plano de organisagao, approva-
do pelas cmaras, a brga do exercito portuguez
ser composta em p de paz, do seguinte modo :
Estado-niaior general........... 37 homens
Corpo de csiado-raaior.......... 3i
Eugenharia................... 537
Artilberia.................... 3:196
Ca vallara.................... 3:'*08
Infantera..................... 24:246
Total.......
A cava-liara ten 2:S3&eavaUos.
31:478
Extrahimos da Semana Ilustrada o seguinte :
Alfai'.ictt.l'rimeira lettra do alphabeto grego
con as honras de mae do bezerros.
Aiamenlo.Recurso nfallivel para nunca se re;
solver sobre O' que til e necessario-
Ara.Sy robla de velocidad nos bules e as chi-1
caras. Em p de guerra a forg elevar-se-ia a 70:712
Barca.Xobrc- familia cartsgineza navegando homens, 14:4>9&cavatlos, *> boceas de fogo com
;' 7apor e cheia de passageiros pela bahis de Ni- 414 cavallos para servigo de artilbaria, c 1:152
theroby.
Bafm.Provincia do Brasil com o privilegio de
ubiquidade. Esta enr aples, em Cbnstantinopla,
as Honduras, sen nunca sabir do seu lugar.
Baso/la Restos de'comidas caracieristicas dos
jactanciosos.
Beijc.-*Dado na face'com a espada escondida
cousa coramum em protestos do amor c de amisa-
de no pe das ames farorecidaf.
I-ase
FOLHETIM
e mais implacavel do que em Cret2i Era o que
mais me impressionava nessas narrares que eu
provocava dos meus hospedes ou do oamponezes
que encoutrava as veredas das montanhas, e que
caminhavam-a meu lado,- mnito admirados de ve-
rem um estraogeiro comfrobender a sua lingua e
nleressar-se petos seus reseotimentos, pelas suas
lutas e pelos- seos solTrimsotos.
as aldeas de Riza lembram-se que, em 1821,
depois aie-os Musulmanes tora corrido^elo des-
filadeirc- de itrapi, dava-se caga as raontanias
como cabras selvagens >, aos pobres f6gh"ivos>
qne por todo os lados se t'.toam embreoMado as
matas, o que, andando somonte de noute, queriam
alcangar Retyrao.
Alguns, veneidos pela fonw-e pela sede,, qoe sao
mais fortes de-qoe o medo,- aeabavam per entrar
em qualqnep-ald, e lancando- se aos ps-d6 pri-
meiro Grego, qoe encontravam, imploravam a vida
eumagott de-agua. Tatt^^ alguem sufiponha
que o vencedor sentia-se tocado de compais ven-
do seos ps-e- inimigo desavmado e qua morte.
:l>ara isso preciso nao conhece-r os Sfakidtas e ig-
norar quanto-odio e quanra. colera tinham aeeamu-
lado nos coracoes-dos christos da ilha, as- .-Urecida-
desde que forana victimas dorante dous -.etilos. O
christo, selraiia.no cioto-una pistola, reaaavaum
passo, desembaragava-se dessas maos trermlae que
queriam agarrar-se a elle,-, responda as-sapplicas
com algn sarcasmo, fazia.saliar os mieles do des-
gragado, e abandonava o oorpo s aves de rapia.
Keeriram-mo que, poucos das depois dA-batalha,
entrou um Turco em un, aldea sfakicla. Vinha
extenuado du ladiga e de fome, mas aiada armada-
Era meo-dia, e todos os-homens esta van nos can-
Centopja:-Animal pegonhento com qtWOS poe-
tastros metan os versos de suai lavra.
muars.
Desde 18-43 lt> o termo medio dos orgamen-
tos da despyza ordinaria do imperio francez era
de 1:337 milhoes de francos, e a extraordinaria de
137 milhoes.
orcamentos a
a
Ol MTKIR.l
ViVrK HORAS
ron
CAMII.LO CASTELLO BRINCO.
ijue eu se urna historia em que appareceu muito
dinheiro debaxo de urna taboa. algum do-qual cu
possuo, e agora mesmo podes ver urna amostra.
Aqu tens.
Antonio Joaqun lirou de urna sacca de prala
dous dobroes portuguezes no valor de qoareuta e
oito mil res.
Adiaste muito d'isto ? perguntei.
Nao fui eu que levantei a taboa. Vou contar-
le a historia; e, se duvidares, vae minha aldeia,
que eu t'a comprovare com o proprio depoimenlo
do possuidor do thesouro.
Trinta annos havera, pouco mais ou menos que
A calcular sobre os livros que, um bom lavrador meu vsinho, chamado elle Joao
Olha que eu j ouv rosnar i do Cabo, casou com Mara da Capella, moga bonita,
(Continuaco.)
111
D'ahi a pouco, Antonio Joaqunassentou-me duas
sonoras palmadas nos hom ros, e exclamou:
Tu boje deves ter una boa forluna!
Quem,en f
Pois entao !
tens publicado
pede esse-producto.
Todos 9sses coures- expedem-se seceos s- a-
neso.
Ontr'ora os couros iDg'.ezes eram os mais estima-
dos-, hoje os eooros fraoeezes fazem-ihsconcurren-
ciaj e o que parece levar* vaDtagem sobre todos v
o como ar ti ficta!.
!ara prepara-loo Sr. A. Sobe fez 88CMV em pla-
cas-urna dissolugao de collodioa; trata, depois as
plaoas seccas peto acido suipborico, afim-de traus-
fo*n-las em papel pergaminho, depois por urna
disselago queitte de gelatina; a materia prepara-
da coa a gelatina curtida, qur cora orna disso-
luvi de tannir.^ qur por mtodo aluuien,
Prepara-se o collodion tratando o algedao com
uwa.mistura da 20 partes d acido sulpburico e
nove de aztalo de potassa, segando as peseripgoes
i ntUcadas por Mr. Luchs.
Ocollodion, espalhado sobre urna superficie-pla-
na,seeca em folhas, que se-sugeilam durr>n*e 'i a
20 segundos, conforme a espessura, a aegao^de urna
mistara fra de partes eguaes-dc acido sulphurico e
agua-. Depois lavam-se con agua pura, e-pur fim
eis-uma dissoluaik)levemente ammoniacal
Bita operagao nao d bem-resultado senao em-
pregando-se as- folhas delgadas. Para preparar
ccmexpesso -preciso coa* um cerlo ntunero de
(I) O mesmo acontecer quando, no X seculo, as
tropas bysanUBas reconqurstaram Greta do poder
dos rabes e lomaram a capital. Houve em Candia
urna caroiticitu geral dos habitantes, sem distinc-
gao de edade non de sexo, e o poeta christo Tfieo-
desio iacouu6,.que nos relata esses ar-aotecimen-
tos, louva o imperador por ter ordenada essa car-
nificina, impedindo assim. que os vencedores usas-
i sem, para com as mulheres, do direito da guerra
pos. As mulheres qno-se achavam sozmhas em.; ^-^ ^ diz ellC| 0 M jcMmeiito de
casa, deram.agasalho acftigitivo, compadeceram-so leptismo seria profanado-pelo contacte; de mulhc-
da sua miseria, deram-Uie de comer e de beber, e, res pagaas, e todo o seu exercito icaria man-
prometteram salvar-lhe a vida. | ehado.
E' do Sr. yrillo de Lemos esta poesa :
o B.W1D0.
Le poete estsemblable aux oseas^. de passag,
Qui ne btiseent point leurs- nids sur le maye,
Qui ne se posent point sur les rameanx des Sois -
Noncha lamment bercs sur le courant de rende,
lis passeut ca. ohantant lon des bords, et le rewode
Ne sosnait ren d'ux que leur voix.
Lavxrt.mpm poet.
B-qoando a Tua pelo azul sereno
Do.'ta ameno meditando vaga.
Como doznellaque, scismando amores,
P6r entre as llores do jardim divaga,
Porque, bardo, ten olharse intlamroa
Be triste eiamaa que teu peito apaga?
Silvestre eanior no silencio da serva
Sa re va dorma sonhando de amor ;.
*ava mink-tnaa formesdonzella
Tito bella na rnorte perdea seu fulgor t
Se a noute riada de estreOado manto
Suave encaBe> doce odot trescala,
a-perfumada desabrochando airosa
A-branca resa s de amor te falla.
Porque na lyra pesaroso.cantas
Saudades tantas que tuaalma exhala?
Eu canto-na lyra celestes arcanos
Que humanos olhares aSo poden:sondar:
En cauto jlembrangada virgen, que acara,
De rara belleza, de anglico olhar.
Amaste, bardo, terna flor querida
Que a tua vida de prazer encfcia T
Mimosa virgem no seoealx viste
Que doee-e triste aa-leu amcr sorria.?...
A' queai teu peito na ligeira briza,
Que sedeslisa, esse cantar enva i
bahus, arcas, armarios, enxergoes. tudo que tiwes I Poas-admira que o oaosaibae, sendo tar-
se bojo com capacidade para comer alguns alquei-! mancista. observou Antonio Joaquim.Fet-se
res de dinheiro. Escassamento encontrara, n'u- mneiro. Aqu ten. um expedienie simplcissimo.
ma sacca de linho algumas poo-as duzias te-ora-' Escondea-se a luz do sol a trabalha? as minas da
zados BOTOS. casa ** meu P^ aas minas das FPrieaaaes ,IU''
Recorren Joao s excavacoes na adega. nos laga-1 tinhara sido delle. Era urna verdadera panilen-
res, as lojas; mnaram os'alieerces da casanem cia! Nem s hocos de comer opera sahir ca fon
vestigios dos alqueires de oiMO; nem um. satamim a0 as livre.
se quer para pagar as despeaas da exploradlo l
Actualmente se elevan ambos os
2:200 at 2:300 milhoo*.
Esta progresso ten sido continua desde o- pri-
meiro imperio at boje, qualquer que seja a forma
de governo nesto decurso-de 58 anoos.

A primeira exposigao que houve aa Europa foi
em 1778, na villa- de Oeiras-, por mandado doniar-
quez de Pombal para obsequiar e sorprender ao
rei D>. Jos, que ia a- esta villa fazer uso dos ba-
nhos de Estoril.

Xos eamnhos de ferro francezes, desde 1833 i
1862. houve um desastre por eada 364:112 viajan-
tes, sendo nm morto por cada 2,9-42:796, e um fe-
rdo por cada 415:334.
De 1846 1860 os accidentes occorridos aos via-
jantes das carruagens de posta, em Franca, foram
de urna victima por cada 27:708.
que alguns dos romances nao sao leus... Calum- segundo diz miaba mi, e rica, a mais rica das dez
niasl...
Calumnias, realmente, meu amigo. Alyuns,
dizem elles ? .Neiiiiui dos livros que corren com
o :ieu nomo, meu. Sao todo- dos editores.
Maso que dizem que nao podes ser matc-
t:alinente o autor do que se le com o teu norne.
Ah! entend agora... Pois son materialmen-
te essa desgragada machina que escreven ludo, to-
do esse lastro da au das letras n.acioiiaes que an-
da matroca.
Mas eUs rico ou nao Falla a verdade !
EstOU. Possuo quintas ajardinadas, em com-
paragao das quaes, os hortos penss de Semyranis
sao charnecas intransitavei<. Tenho palacios, que
serian dignos de um principe azialico, se nao fos-
fTom mais dignos de mim. As minhas pquipagens
de arcos, laiulaus, e libres...
Falla serio, homeui 1 atalhou Antonio Joaquim.
Tu tens a tua independencia I'eta, e ests no ca-
minho de...
Morrer...
Com cem contos, e urna estatua na tua trra
custa da naco agradecida.
Estatua do espanto me fazes tu, amigo Anto-
nio Se nao fosses engragado, seras tolo I Pois
tu cnidas que eu vivo dos romances?
Cuidei...
Nada, nao... Eu vivo da gloria. Descobri
em mim um segundo apparelho digestivo que ela-
bora em substancia nutritiva, a gloria.
Isso parece-me til; obtemperon o meu ami-
go, porm, seria juto que tivesses de teu um d-
cimo do dinheiro que leus dado a tanta gente...
A quem 11
Aos personagens das ttfS novellas. Por ex-
cmplo : qnella Augusta da ra Armenia, do ro-
manee Onde est a felicidade? Oitenla con- as mlhores fazendas, executado pela irmandade lhes chamava calaceiros.
ios debaixo de urna taboa I Quasi um banc 1 la- do Santlssimo Rosario, quando morrea repentina
j.'oa faltava-lhe s qnatro ps para susteotar a in- mente ooulro lio de Mara,
leireza da comparagao. Oitenta contos l
Tamben lenho empobrecido muito persona- Corrern a casa do defunto; abreviaram o sahl- gasse luz de sol.
gen : fica urna cousa pela ootra. ment e o enterro quanto poderam, sem vergonha
Aquello dinheirao inventasteo tu? Pois olha da frefoaxia; o. cuidaram em reraexer gavetas,
freguezias em roda. Era orplia, quando casou,
contra vontade de seus lios, dous padres que ti-
nham razas de dinheiro, no dizer do povo.
Foi a moga para casa do marido, senhora dos
bens de seus paes; mas amaldigoada (mos lios, que
resisliram a todas as tentativas quo meas paes i-
zeram, no intento de reconcilia-loscon asobrinha
Joao do Cabo era um extravagante estupido. Co-
mecou a apostar dinheiro em jogo de azar n'uma
casa de padres nossos visinhos; perdeu e ganhou
(plantas pequeas; entranhou-se-lhe o vicio, e j
Ihe pareca insignificante bolo que podia levantar
em casa dos padres. la todas as semanas jogar
Braga, e as feiras de anno. Perdeu muito dinheiro
ja levantado sobre hypotheca dos bens. Meu pao
emprestava quando nao sabia ainda o destino dos
repetidos emprestmos; mas o negar-se elle a faci-
litar a ruina de -loo do Cabo no vngou molhoria
nem emenda para o desgragado. As irmandades do
Sanlissimo Rosario, e de muitas outras cousas san-
tissimas, confiavam dinheiro ao jogador, tendo os
msanos conscencia do fim para que empresta-
vam.
A casa era tamanha que Joao levou dez annos a
dissipa-la. A esperanga que o esporeava a sacrifi-
car os ltimos contos de res, era dinheiro enthe-
sourado dos tos de sua mulher. Contava elle com
a heranga e com o resgate das suas fazendas. Era
voz publica e notoria fama que o ouro dos padres,
legado de mao para mao, de um to vindo do Bra-
sil, valia mais qne as trras das duas freguezias
mais feriis da comarca.
Morrea um dos clrigos, testando no outr. Res-
pirou o peito desopprimido do lavrador: tinha meio
Por mais que meu pao dssesse e feesse, nao hou-1 Xo sei, nao se... Deixa-mc tomar ar...
ve tira-lo das minas, nem mudar-lbe os vestidos, I Ja nao tenlufrio... Estoa a andar... Pede Nos-
at- se desfazerem podres da humillado subterrnea.! so Senhor que isto nao seja um eag.ano, Mara I
Nos das santificados, ia a mulher jantar com elle j Keza, reza, que a minha penitencia de quatro au-
i casa da fructa Era um repasto de lagrimas j nos merece que Deas leona do de aos !...
Meo pae foi quem arrematou om praga I do arabos. Mara f-llava-lhe a liogoagem religio- E Mara pendurou o gancho da candela na ma-
sa de minha n3e; exhortava-o paciencia, e I gnela do catre, e ajoelOou-se a rezar de maos
conlanga no repou^o da patria celeste. O marido erguidas.
escutava-a silencioso, ou Ihe dizia: Que mais No entretanto, Joao bateu com a ponta du alca-
paciencia queres tu que eu tenha, Mara? .' i prema na Ierra aplanada pela taboa, e tirou um
No invern de 1853, Joao do Cabo adoeceo de j som melallico.
febres quartas, e cabio na cama, quando mais I O' Senhor Jess do Monte -exclamou elle ;
nao pode. A mulher ia levar-lhe os alimentos ao \ e Mara, ao mesmo lempo, invocon a Virgem Mae
Desistram os cavadores, e Joao do Cabo resig-
nou-se a levantar a heranea dos dous palrmonios
cler'caes avahados em dous contos de- res.
Parece que o mallogro e o desespero recrudesce-
ram o vicio do jogo. Veodeu o lavrador um dos
patrimonios, e despejou o producto voragem:
vendeu a boa casa em que viva ; vendeu o outro
patrimonio, tudo vendeu, no espaco de cinco an-
nos, reservando apenas um eazebre na eir, no
qual os padres mandivam recolher empalhadas as
frnctas.
todas as propredades de Joao do Cabo, e Ihe acon-
selhou q"ue reservaste a casa da fructa para ter
un colmado onde se acoutasse de invern com
mulher e seis filhos que tinha.
Chegou Joo do Cabo a extrema pobreza antes
dos quarenta annos. Meu pae tomou a seu encar-
go dar-lhe modo de vida aos filhos, que eram, por
fortuna, todos rapazes. Os mais velhos mandou-
es para o Rrasil os outros po-los a mrganos em
tojas de Braga e Porto. Maria foi recebida em
nossa casa a titulo de criada ; mas minha mae.
que se tratava de tu com ella, nao a manda-a han-
gar mao a trabalho nenhum. Chorava com a po
bresinha e ensinava-a a esperar as riquezas do
cu.
Toda a gento contava quo Joao se deixasse mor-
rpr de fome, se nao tivesse quem Ihe chegasse um
caldo. Enganou-se toda a gente. Meu pae senta-
! lo-a sua mesa, se elle quzesse : regeitou a es-
mola sem altivez, dizendo que ainda podia traba-
Ihar, e que era necessario fazer penitencia.
As maos do desgragado eram mimosas como as
nossas: ignoraban a duroza do cabo da enxada.
Algumas vezes, quiz trabalhar na rossa do matto,
e largon a ferramenta, porque as maos largavam a
pelle. A gentalha bo.;al e m da aldeia rase del-
le. Os jornaleiros, que o viam sna beira gemen-
Viha bocea da mina buscar a ces-
ta : coma ao. etaro de algum suspiro de bal-
dear o sabro, e voltava a trabalhar ato que o ex-
terior fosso mais escuro qiu as trovas l de cWq-
tro.
Em tros annos deste duro lavor, encaueceu, der-
reou, desagurou-se, era urna compaixao ve-lo 1
tino da um objeeto liso e-polido, como lata Re-
tirou- a mao : Oou os olhos spasmodicos na mu-
lher, o nao profera palavra.
Que c ? pergimtou. ella, passados segun-
dos.
O' moiacr I balbucou Joao com um ges-
to de loucc.
Joao tu que tens ?.,
E so fosse exclamen elle.
O que I Sornou Masa, a nao qaerer en-
tende-le Tu estas louco, bomem Se fbsse o
que ?
O-dinheiro-! .. o dinheiro I..
Pois tu que vs ? 1
eazebre e noutnha voltava para nossa casa.
Minha me. obngou-a a pernoutar ao lado do mari-
do, e mandoulhe l armar urna cama de bancos.
N'uma d'aquellas noutes, Joo, a tiritar do fro,
pediu a Mara que Ihe fizesse.uma boa fogneira.
Aqu nao ha lenha ;-dsse ella mas eu vou
l fra ajuntar uns grvalos. ,;
-Nao quero fogueira de gravatos-replicn
Joao.Faz-me achas de alguma cousa.
_ De que ? Valha-me Deus, nao sei de que he
de fazer achas I
Joao saltou ao sobrado, a estalejar os dentes, e
disso :
Traz aqu a candeia, Maria, e esse pequeo
ferro de monte.
A mulher aproximou-se com o ferro.
Que vaes fazer ?-perguntou ella.
Arrancar urna taboa.
Valha-te o Senhor I acndin ella.Se tira o
soalho, a humidade da trra faz-te mal, Joao !
de Jess.
Cahiu o ferro da mao ao marido, e dilataram-
se-lhe os begos n'um tregeito de riso do mente-
capto. Primeiro, poz as maos sobre o peito ; de-
pois abragou a mulher, banhada em lagrimas ;
por fim, todo convulsivo, levou mao do ferro, e
disse-lhe :
Ajuda-me... que eu tenha medo de morrer
de alegra!
Saltaram os pregos. Mara trou a taboa a pe-
dagos com a forga de tres homens. Joo alTastou
a leve i-amada de trra, que cobria dous caixotes
de folha de Flandes, os quaes extrahiu, depois de
excavacar com as unhas a trra circumposta.
Como cada um tinha dous palmos de comprimento
sobre um de altura e outro de largura, os bragos
do enfermo mal podan com o grande peso dos
caixotes. Mara ajudou do outro lado. Quando
Destes dados colhe-se que ha quatorze, vezes
mais probablidade de urna boa viagem n'um wa-
gn, que n'uma diligencia ou mala-posta.

Segundo os dados mais recentes este exercito
conta 335 batalhoes de infamara de linha, 44 ba-
talhes de caradores, infamara ligeira e zuavos,
368 esquadroes de trem de artilharia e 6 esqua-
droes de trem de equpagens, 13 companhias de
pontoneros, 48 cempanhias de sapadores, 36 qoa-
dros de deposito dos regimentos, 4 companhias de
fogueteros e 15 secgoes de operarios.
O exercito de operacoes compoe-se de 83 div-
soes e 159 brigadas a reserva de 80 divisoes e 173
brigadas.
Ha 320 coronis, 324 tenentes-coroneis. 1,428
chefes de esqoadro, chefe de batalhao ou majo-
res, 6 728capitaes, 5:147 lenles, 4:765 alteres,
264 intendentes, 1:306 cirurges e pharmaceuti-
cos, 585 veterenarios. 1:302 ofliciaes de admins-
iraco e 40 interjwetes.
9
tiraram o segundo, viram urna caixinha de lata
Tanto hei de morrer assim como I pendente de uina argola do caixote, por urna cor-
! rente de metal. Abriram esta caixinha, e acha-
Deixa-me.
do a cada enxadada frouxa qoe atirava raiz do | assado.
codgo, olhavam-no de rev, e exultavam de ver i Tiroo com forga pelo catre de cerdeira em qne ram duas chaves. Quizeram abrir com ellas os
1,0000. uiu.iiaoi-iio uc ice'., e exuuavan uo .o. -----------w- -------------- .,__
nivelado cora elles o rico de outro lempo, que lhes tinha o enxergao, e esco.heo a mais carcora.da caixotes: mas os aloquetes estavam enferrujados,
dasUboas do sobrado. Metteulhe primeiro o fio e as guardas das fechaduras nao corr
caminho vencido.
J o jogador hava deixado arrematar em praga atirava ao chapu com o jornal de cada semana, e
Este rir insultador era o vinagre esponjado na
chaga do infeliz. Pensou elle em tirar-se da vista
Abra o
da enxada* as junturas, solevou a laboa, e inter- Joo partiu as lnguets com um trado.
poz a pala do alvino, Depois, foi a'gapremando a primeiro caixote, e via uns poucos de saceos de
; taboa at a racha a meio, porque os fortes pregos anta. Puxon por nm ; correu as correias de coa-
De.KH o
Fez-se mn alarido de jubilo em casa de Joao. da gente; escoader-se a trabalhar onde nao che-' do oatro lado nao cedern ao repuchar do ferro. ~^^^*2Slf^L,
Joao introduziu os dedos para quebrar o restante sacco sobre os outros, e despediu em altos clamo-
-Nao sel com conseguira b&rl -__atalHei da taboa, e sentiu nelles ama extraordinaria im-.res urna desconcertada apostrophe Providencia
eB. Ipressodefrio. Remexea no quer que era, o den, Divina.
Minha mae eslava ainda a p, com as criadas
lareira. Fitou o ouvido attentamente, e disse
alvorogada :
Eu ougo gritar o Joao Vo l ver o que !
As mogas tiveram medo e nao foram: porque o
pc-vo, romancL>ta descabellado, inventara que as
almas dos padtes, tos de Maria, andavam penan-
do em volta da casa.
Minha mae foi chamar meu pao i cama, cen-
tou-lhe que ouvia gritos, e seduziu-o caldosamen-
te a s.ahir cam ella.-
Os dous velhos bateram aporra da casinha da
fructa, quando Joo eslava borrifando com agua o
rosto de Maria, que perder os. sentidos. Falloi
minha mae de fra. Fo-lhe aberta a perla.
Que tendes vos ? perguntou-lhe ella, ven-
do a sua pobre Maria sentada no chao, e encos-
tada aos ps do catre.
Temos.......temos.......tartaraudeo
Joo.
Quo ?! pergunfou meu pae.
Temos ali dous caixoes de ouro.' ex-
clamou o mineiro.
Ests doudo \arrido, Joo ? ilaraou meu
pae.
Gragas ao cu, que nao estou '. Vejan I
vejam.
Os dous velhos viram ao lado do foso aborto,
entre duas tahuas, os caixoes do lata.
Maria, quando recuperou o tino, eslava nos
bragos de minha me.
Joo do Cabo achou-se sem fri nem calor
d'ahi a ama hora : era a temperatura do paraio
que Ihe regalava os pulmoes.
Meu honrado pae recebeu o valor de todas as
propredades que Ihe comprara, e entregon-lhas
com as bemfilorias gratuitas. Os dous dobroes
que temostrei sao restos de sesseota mil cruzados,
ou mais. O thesouro encoatrado, restaurados os
bens, pode pagar outros bens de egual vala.
Joo cbamou os seis filhos para casa : tem tres
a ordenarem-se ; um em Coimbra ; e dous na la-
vuura. -
E' o mais feliz dos paes, e o mais excellente
dos homens.
De vez era quando, rene os filhos, entra com
elles n'alguma das minas em que trabalhou, e cen-
ta-lhes a extensao e intensdade das agonas qne
Ihe embraqueceram ali os cabellos. A narrativa
termina sempre com estas oalavras :
Meus filhos 1 maldito seja entre vos aquel le
que jogar !
(Continuar-ie-ka.)



IpernambVco.-tVp. de m. K de V. & flLHU


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EL78WB6K0_AWN80M INGEST_TIME 2013-08-28T03:36:01Z PACKAGE AA00011611_10433
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES