Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10428


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XI. HOMERO 172.
Por tres nezes adiantados 5JO00
Por tres mezes vencidos 6$000
Porte ao comi por tres mezes. 750
MItt fc Mili**
mmtnat *<-t*l
SEXTA FEIBA 29 DE JlLHO DE 1864.
Por asno adantado.....49$00O
Porte ae correio por nm anno. 3$00


KNCARREGADOS DA SUBSCRtpgO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracatv,
Sr. A. de Lomos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jerouymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SL-
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Dias; Bahia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio do Janeiro, os Srs. Pe-
riera Marns 4 Gasparino.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JLLHO.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo o Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e .
sextas-feiras. Lua nova as 10 h., 5 m. e 13 s. da m.
Santo Antao, -Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru'J l Quarto cresc. a i h., 26 m. e 14 da m
Altinho e Garanhuns as tercas fe.iras. 19 Lua cheia as 4 h. 15 m a li s da m
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira, n w .7' \> *
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacara tu", CsJrob, 2d uart0 miDS- as c n-> 26 m. e 8 s. da t.
Boa Vista, Ouricury e Exu- as quartas eiras.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros. Agua Preta e Pimenteiras as quintas eiras.
lha de Fernando todas as rezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi dia.
PREAMAR DE HOJB.
Primeira as 11 horas e 42 minutos da manha.
(Segunda as 12 horas e 0 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTER03.
Para o sal at Alagoas a 8 e 28; par o norte at
a Gran)a a 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
das 14 dos mezes dejan, marc., matojal, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipucos s 6 '/j, 7, 7 >/,, 8 e
8 y da ra.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6 Vi da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 >/2, 4, 4 'A, 4 A,
. 8 >A, 8 >/j e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 >/t da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; pan Cachang e Varzea s 4/,da tarde; para
Bemflcas 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do conunercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
DL4.S DA SEMANA.
23. Segunda. S. Tliiago ap.; S. Chrislovo m.
26. Tcrga. Ss. Syinplironio e Olynpio mm.
27. Quarla. S. Panialeo medico.
28. Quinta. S. Innocencio p.; S. Nazano m.
29. Sexta. S. Martha v.; S. Beatriz m.
30/ Sabbado. S. ooatilla v.; S. Itulinq m.
31. Domingo. Saula Anua me da mao de Deus.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Fam & Filho.
PARTE OFFIGIAL
tiUUIHM DA PROVINCIA.
Contionaro do expediente do dia 2-i de julho
de 1801.
Oflicio ao inspector da thesouraria de fazenda.
Ao alferes do stimo batalho de infamarla Bernar-
dino Vieira Ribeiro, que vai eommandar o destaca-
mento da villa do Ex, era substituicao ao alferes
Francisco de Freitas Moreno, mande V. S. nao so
ajusfar contas al o fim do mez corrente, e passar-
Ilie guia de soccorrimento, mas tambem abonar-
Ihe o quantitalivo, a que tiver direito para condu-
eo de sua bagagem por mar da cidade do Pendo
al o porto de Piranhas, e por trra do referido
porto at aquella villa.
Ao referido alferes Ribeiro deve V. S. mandar
entregar a somma que julgar conveniente para pa-
gamento de 3 mezes de vencimenlos do destaca-
ineuto que elle vai commandar, visto como pode
acontecer que se desencontre o alferes Moreno, que
ja leve ordem para se retirar a esta capital e con-
duza comsigo o dinlieiro que lhe foi entregue para
aouelle fim.
-26 -
Oflicio ao Dr. vigario capitular desta diocese.
Respondo ao oflicio de V. Exc. de 20 do corrente,
remettendo-lhe por copia o que hontem me dirigi
0 director do arsenal de guerra, declarando estar
proinpta a prensa de que necessita a casa capitular
da caihedral de Olinda.
Dito ao commandante das armas interino.Haja
V. S. de informar sobre o que pede o soldado da
companhia de artfices Jos Ferro no incluso re-
querimento.
Dito ao mesmo.A' V. S. ser apresentado com
este oflicio o recruta Antonio Manoel Constancio de
Oveira, para que mande abrir-lhe assenlamento
de praca em algum dos corpos em guaruico nesta
provincia, se fr julgado apto para isso em inspec-
<;o de sade.Communicou se ao tenente coronel
reerutador.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Mande V. S. ajustar contas at o fim do mez cor-
rete, e passar guia de soccorrimento ao coronel
Antonio Gomes Leal, que vai recolher-se ao corpo
do estado maior de segunda classe na corte.Com-
municou-se ao commandante das armas interino.
Dito ao mesmo. Respondendo ao oflicio, que V.
S. me dirigi hontem sob n. 378, tenho a dizer que
approvo o arrendamento triennal, que por ordem
dessa thesouraria procedeu em hasta publica o
colleclor do municipio de Iguarassu, segundo cons-
ta do oflicio que devolvo, de urna casa terrea sita
na ra de S. Sebastio naquella villa, pertencente
fazenda nacional pela quantia de 25900 rs.,
mensaes e sob a condico indicada no final de seu
citado oflicio.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Annuindo ao que solicitou ochefe de polica em of-
licio de 23 do correle sob n. 889, transmuto V.
S. a inclusa conta na importancia de 28uOO rs.
despendida desde 13 de fevereiro at 30 de junho
tudo deste anno, com o sustento dos presos pobres
da cadeia do termo de Flores, afim de que nao ha-
vendo inconveniente mande levar em conta ao de-
legado daquelle termo, capito Aurelio Joaquim
Pinto, os 20050OO que para taes despezas lhe fo-
rain adiantados por intermedio do thesoureiro da
polica, pagando-se o saldo de 885000 ao mesmo
delegado ou a pessOa por elle autorisada.Com-
mnnicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo.Transmiti V. S. a inclusa
conts, afim de que, nao havendo inconveniente
mande pagar a Manoel Jos da Silva Oveira, con-
forme solicitou o chefe de polica em oflicio de
hontem sob n. 893, a quantia de 215600, despendi-
da com o sustento dos presos pobres da cadeia do
termo da Escada durante o mez de juuho ultimo.
Co.nmunicou-seao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo. Aotoriso V. S. em vista de sua
informacao de hontem sob n. 309, a mandar en-
tregar a Malernus Leuz como pede Jeau Kzcuzez
no incluso requerimenlo a quantia de 1:1975900,
pie se est a dever a este, proveniente da primei-
ra prestacae da reconstrueco do passadieo sobre o
rio Pirapama.
Dito ao cnsul de Portugal.Respondendo ao
oflicio que o Sr. Dr. Claudino de Araujo Guima-
raes, onsul de Portugal nesta provincia, me diri-;
gio em dala de 23 do correnle, relativamente
pretencao do subdito de sua naci, Joaquim Paes
da Silva Pereira, tenho a dizer'que sinto nao po-
der ler o convencimento de que em negocio todo
do expediente da cmara municipal, em que ne-
uhuma lei dopaiz offendida, e nenhum direito
1 rivado de justa defeza, deva esta presidencia to-
mar a deliberarlo que indica o mesmo Sr. cnsul
em o seu citado oflicio.
Se o subdito de S. M. Fidelissma, a que allude
0 Sr. cnsul de Portugal, receben urna injuria de
qualquer dos vereadores da cmara municipal
desta cidade, ha as leis e tribunacs do paiz re-'
medio para a usa reparac/io de taes offensas, po-
dendo recorrer tambem imprensa, onde dado
a qnem quer que seja repellir as arguiroes que.
entender que o devam ser, e demonstrar a regu-
laridade de sua conducta posta em duvida.
Releve o Sr. cnsul que eu nao aceite a inler-1
pretacao que d ao artigo 73 da lei do Io de outu-:
brod 1828, ha nella tal amplitude, que a ser.
aceita, restringira de um modo excessivo o circu-
lo em que deve gyrar urna rorporayo da impor-;
lanciadas cmaras municipaes.
Renov ao mesmo Sr. cnsul os meas protestos
1!; estima e distincta consideracao.
Dito ao cnsul dos Estados-Unidos.Fico intei-!
rado Je quanto em oflicio de 19 do corrente ex-
1 anda o Sr. Thomaz Adamson Jnior, cnsul
dos Estados-Unidos nesta provincia, com referen-
cia a materia de um outro seu oflicio datado de
- leste mez, relativamente ao uso indevido que fa-
zem algnns particulares do pavilhao americano.
Reitero ao mesmo Sr. cnsul a certeza de mi-
nia perfeita estima e distincta cousideraco.
Dito ao director do arsenal de guerra.Pode
V. S. contratar com Andr de Abreu Porto, dono
do patacho Andr, a conduccao dos volumes que,
segando o oflicio n. 20 de 23 do corrente, tem essa 1
directora de remoller para as provincias do Ma-
ranho e Cear, nao excelenJo a despeza de con- ',
duccao da que se poderla fazer, se fossem esses
volumes transportados em navios vapor.
Dito a cmara municipal desta cidade.Com
munico a cmara municipal desla cidade que de
signei a igreja de S. Jos de Riba-mar para a reu-
nio da mesa parochial da freguezia de S. Jos,'
no dia 7 de selembro prximo vindouro, visto
achar-se em concertos a de Nossa Senhora do Ter- (
co, que serve de matriz mesma freguezia.Fize-
ram-se as outras communicagoes.
Dito ao thesoureiro das loteras.De conformi-
dad^ com a sua informacao de 23docorrente, au-1
torso Vmc. a mandar entregar ao guardio do(
convento de S. Francisco de Serinhaem, frei Ma-
noel do Amor Divino, depois do prazo da lei, e de
haver prestado na thesouraria provincial anga;
idnea, o beneficio da lotera exlrahida em favor!
das obras daqoelli igreja, do qual dever prestar,
contas opportunamente naquella reparticao.Com-
municou-se a thesouraria provincial.
Portara.O presidente da provincia attendendo
ao que requereu Jos dos Santos Ramos de Oli- \
yeira, alferes da 2" companhia do 3e batalho de
iofantana da goarda nacional deste nunicipio, re-
solve conceder-lhe 6 mezes de licenija para ir a
provincia das Alagoas.
Dita.O presidente da provincia attendendo ao
que requereu Manoel Antonio Teixeira, arrema-
tante do encanamenlo d'agua para o abastocimen-
to da fortaleza do Brum, e- tendo em vista a infor-
macao do director das obras militares, de 12 do
corrente, sob n. 80, resolve prorogar por 3 mezes,
o prazo que lhe foi marcado para a concluso da-
quella obra
Espediente do secretario do governo do dia 26
de julho de 1861.
Oflicio ao commandante das armas interino.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda com-
municar a V. S. que por despacho desta data au-
torisou-se o;director do arsenal de guerra a satis-
fazer os pedidos do almoxarife do hospital militar
e do director da escola regimental do 4o batalho
de artilharia a p, a que alludem os oflicios de
V. S. ns. 1,320 e 1,327 de 2o do correte.
Despachos do dia 26 de julho de 1861.
Requerimentos.
Dersulina Maria da Conceicao.Informe o Sr.
director do arsenal de guerra."
Eduardo Antunes de Albuquerque Mello.Re-
queira por intermedio do commandante superior.
Feliridade, Africana livre.Declare-se, nao ha-
vendo inconveniente.
Gaspar Antonio Vieira Guimarcs.- Junte o ti-
tulo de aforamento passado ao sogro do supplican-
te, como exige o inspector do thesouraria do fa-
zenda.
Padre Jos Esteves Vianna.Informe o Sr. des-
I embargador proved or da Santa Casa de Miseri-
cordia.
Joo Demetrio de Moraes Chaves.Nao tem lu-
gar o que requer em vista da informacao do Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Luiz Marget.Informe o Sr. inspector da the-
: sonraria provincial.
Frei Manoel do Amor Divino.Dirja-se ao Sr,
thesoureiro das lolenas.
Capito Manoel Cavalcanti da Rocha Wander-
ley.Informe o Sr. commandante superior da
guarda nacional do municipio do Limoeiro.
Mathcus da Cruz.informe o Sr. tenente-coro-
nel recrulador.
Maria Anglica de Mello.Nao ha vaga na com-
panhia de artfices, por isso nao pode a supplicante
: ser attendda no que requer.
Porcina, Africana liure..informe o Sr. inspec-
ordo arsenal de marinha.
EXTERIOR.
defceu a arena tauromaetma, distinguindo-se em 'ro fara com que no primeiro semestre de 1863 se
galhardia nessa arte arriscadissima. | despache tabaco talvez em quantidade dupla da
Os jomaos de Lisboa publicaram ha dias o necessaria para o consumo. Deve lembera haver
1 seguinIe ;. M. um grande despacho de folhas do tabaco para as
Tem-se fallado n um projecto de casamento, diz novas fabricas que se montarem e poderemos com
o Memorial Dtplomalique, entre a filha mais velha corto grao de probabilidade avallar em 1,300 con-
; do sr. l). Pedro, Imperador do Brasil o do archidu- (ios os direitos dos tabacos no primeiro semestre de
nue Luiz \ tetor, rmao do imperador da Austria. 11863, somma igual a que foi oreada para todo o
A idea daquella uniao existi electivamente, | anno econmico, dando assim ra'zao aos que cal-
mas foi abandonada em consequencia da aceitacao culam j como meios extraordinarios o futuro
do throno do Mxico pelo archiduque Maximiliano,! exercicio todo o preco da arremataeao do tabaco
circumslanca esta que trouxe o archiduque Luiz por 6 mezes at 31 de dezembro
Vctor mais prximo ao throno da Austria, e impoz-1 Foi publicada a lei que approva o cdigo pe-
ine o dever dse conservar principe da casa impe- nal e disciplinar da marinha mercante portugueza,
nal da Austria, afim de icar habilitado a herdar o discutido e approvado pelas cortes na ultima le"is-
throno, se o imperador Francisco Jos fallecer sem latura. O Diario de Lisboa de 9 do corrente pu-
9* divisao, o general de brigada Jos Julio do
Amaral.
Na mesma ordem do exercito publicaram-se os
vou o convite de el-rei, mandado fazer pelo Sr.
Son, ajudante do ministro da marinha.
; decretos que nome.am vogal etro'towpiM|d^^ elega?,e
conselho de jusnen militad o general de brigada | 3' "muxo e c m enSes de ro a*s 'e^nco a
; Franmco Xavier Ferreira e exonerara das func- lll(l bordaUo. Do hombros pendXhe um vasto
coes do vogaes supp entes do mesmo supremo con- ,,0Hni0H, ranco n cabSa trazia ehanS
seibo, os generaes de brigada Frederico Leao Ca- brez pre[0. ad caDea lrazia cna')t0 ca,a
A' 1 hora da tarde o visconde da Langada
que director da real associaco naval enlrou a
pedir liceuca para coraecar a regata.
, descendencia.
Tivcram por isso lugar novas negociacoes ma-
, trimoniaes, e parece agora decidido que a filha
mais velha de S. M. o Imperador D. Pedro, herdei-
ra do throno, case com o principe de Hohenzollern
W>**tombeili o cdigo e os formularios que o ar-
tigo 97 e penltimo do mesmo cdigo mando or-
ganisar como indispensaveis para dar uniformida-
de ao processo. A legislacao que exista sobre o
assumpto era defeituosa ; a cada passo se moslrava
brera, Luiz Antonio de Mesquita Cabral d'Almei-
da e Jeronymo da Silva Maldonado de Ega.
O general de divisao visconde de Santo Antonio
foi exonerado do commando da 2' divisao e no-
meado vogal do supremo conselho de justica mi-
litar.
Foi no dia 6 levado assignalura real o de-
creto reformando a escola naval. Pela reforma o
curso que era felo em qualro annos passou a ser
em tres annos. Um anno lido na escola polyte-
chnca e dous na escola naval. O curso compre-
El-rej sahio de Paco de Arcos s 7 horas da tar-
de, vmdo desembarcar em Relm. Iiouve nova-
mente salvas dos navios de guerra nacionaes, ees-
trangeiros surto no Tejo.
Era trra havia grande concurrencia de especta-
dores.
El-rei o Sr. D. Luiz no dia 3 do corrente, pe-
las 8 horas da manha. visilou a oflieina do Sr.
Sigmaringen filho do ex-presidente do conselho de insuflicienle, e faltava-lhe a codificaco, a ordem e
mi"lstr.os.da Prussia, e primo do rei Guilherme. a clareza indispensaveis em todas leis, mas espe-
() retendo principe catholico romano. A filha cialmente as que dizem respeito a um objecto lao
; mais nova de S. M. casara, segundo se diz, com o importante como a disciplina a bordo de um na-
, conde de b landres, segundo filho do rei Leopoldo vio, onde ha de ordinario a responsabilidade de
1 da blgica. ; grandes capitaes, o sempre a de algumas ou mui-
0 principe Carlos Eitel Frederico Zeferno Luiz, tas vidas.
; segundo filho dos principes de Hohenzollern-Sig-
; maringen, nasceu em 20 de abril de 1839.
O principe Antonio, seu irmo, nasceu era 7 de
outubro de 1841.
I O principe Frederico, sea irmao, nasceu em 23
I e junho de 1843.
O principe Leopoldo irmao mais velho, nasceu !
em 22 de setembro de 1833, casou cora a infanta
de Portugal D. Antonia.
O cdigo tem 98 artgos destribndos por 9 cap-
tulos que tratam :
O 1.Das diversas disposicoes especiaos de in-
fraccoes de disciplina;
O 2."Das penas das contravengoes, dos delic-
tos, dos crimes e da applicacao das penas ;
O 3.Das faltas em contravencSes de disci-
plina ;
9 4.*Dos delctos martimos, comprehendendo
11837.
A princeza do Brasil D. Isabel, nasceu em 29 de
i julho de 1816, e a princeza do Brasil D. Leopoldi-
na, nasceu em 13 de julho de 1847.
Foi publicada a lei de receita e despeza ge-
ral do estado para o exercicio que coraecar em 1
do corrente:
A despeza ordinaria dividida assim :
Junta do crdito publico.
Divida ioterna................ 2,826:11U637
Divida externa .............. 2,928:8105013
Encargos geraes.............. 2,493:2405363
Servico no ministerio da fazenda 1,105:0105799
CORRESPONDENCIAS BO II V
RIO RE PERVVUIU 1 O.
Lisboa, 13 de julho de 186i.
Domingo passado (10) celebrou-se na sala do ris-
: co do arsenal de marinha urna imponente reunio
do partido progressisla para eleger o centro-eleito-
ral em Lisboa. A commissao central ficou assim
composta:.
! Barao de Villa-Nova de Fosca.
Mrquez de S da Bandeira.
I Anselmo Jos Braancamp.
; Manoel Antonio Vellez Caldeira Caslello-Branco.
I Joaquim Felippe de Soure.
Vicente Ferrer Netto de Paiva.
\ azilio Cabral Teixeira de Queiroz.
Jacintho Augusto de SanfAnna Vasconcelos.
Luiz de Castro Gumaraes. ,
Conde de Rio Maior.
j Jos Maria Frazao.
1 Jos do Nascimento Goncalves Correa.
Manoel de Jess Coelho.
I Joo Antonio dos Santos Silva.
; Rodrigo de Castro Menezes Pitia.
1 Antonio de Souza Menezes.
Joao Flix Rodrigues.
Joo Luiz Moraes Maltas.
Ignacio Francisco Slveira da Molta.
Jos Mara Lobo d'Avila.
Claudio Jos Nunes.
Levy Maria Jordao.
Antonio Cabral de Sa Nogueira.
Jos Izidoro Guedes.
Ricardo Gumaraes.
Jos Luciano de Castro.
Manoel Alves do Rio.
Jos Carlos Nunes.
Joo Antonio de Souza.
Antonio Nunes.
Antonio Gomes Brandao.
Jos Ignacio Rodrigues Cmara.
Augusto Sebastio de Castro Guedes.
Alvaro Augusto Saraiva do Valle Abrautes.
Augusto Cezar d Almeida.
A assembla foi presidida pelo Sr.. Vellez Cal-
deira.
A reunio estove milito concorrida, tendo certa-
mente muito mais sigoifleacao poltica esla concur-
rencia, por isso que o partido est representado no
ministerio.
Allirma-se que as eleicoes hao de ser 21 de
agosto prximo.
Tem-se continuado a fallar na possibilidade da
substituicao do actual ministro da justiija pelo bis- i
po de Vizeu. Disse-se depois que a esperada vinda '
do sabio prelado caplal era anda por causa do
conflicto com o hispo de Coimbra sobre o negocio
da nomeacSo do cscrivo da respectiva cmara ec-
clesiaslica ; oalros em fim asseveram que tendo
um cx-deputado da maioria tratado menos respei-
tosamente o nuncio de S. Santdade, era preciso
encarregar por parte do governo, como negociador
o bispo de Vizeu. Seja qual for o motivo, a verda-
de que dever chegar por esles dias Lisboa.
Tres canonicatos da s de Lisboa esto a concur-
so. E' o mote de guerra. Veremos o elTeito.
Diz-se que sua eminencia, o patriarcha (le Lis-
boa D. Manoel vai partir para os Pyrineos para to-
mar aguas thermaes que a medicina lhe aconselli-
ra. Seria esta, ou os escrpulos de conscienciaque
determinam a sabida do reverendo prelado? O fu-
turo o mostrar.
Apezar da aclvdade apparente das parcialida-
des polticas tudo faz presumir t desalentada. Os governamentaes esperam trium-
phar na orna.
Se o triumpho nao for to completo como o de-
sejar, nao ser dflicil o vencer algumas resisten-
cias e aitritos mesmo no seio do novo parlamento.
E' esta quasi iovariavelmente a historia du todas
as .-ittl.'icoes.
Alguns protogonistas da opposico declaram que
nao querem saber de poltica. De um dos mais no-
taves se diz que vai fazer agricultura em grande.
Mais alguns se abslem, o que realmente um
syinptoma de desalent e da pouca vontade que j
ha j hoje de fazer inuteis sacrificios para debel-
lar um gabinete que se tem acreditado por grande
numero de medidas que revelam taclo poltico e
nao pouca energa governativa.
SS. MM. e AA. passan sem novidade em suas
importantes saudes.
O estado sanitario do paiz satisfactorio, em ge-
ral, a despeito dos excessivos calores que teem rei-
nado, excepeo dos ltimos dias.
Falleceu no dia 9 o conde de Vimioso D. Fran-
cisco de Paula Portugal e Castro. Era o 13" conde
deste titulo, com honras de prente e par do reino.
O ttulo de Vimioso data de 1 de fevereiro de 1316,
e o conde agora fallecido era igaalmente snecessor
da casa de valonea, a primeira qne em Portugal
obteve o titulo de marquez. O primeiro marquez
de Valenca era filho do primeiro duque de Bra-
ganca e neto de el-rei D. Joo I.
O conde eslava gravemente enfermo ha muilo
tempo. Fei eicellente picador, e repelidas vezes
O principe Felippe, conde de Flandres, segundo delictos communs ao capito, officiaes, tripulacao e
fimo do rei dos Belgas, nasceu em 21 de marco de passageiros ;
O 3.Dos delictos martimos ;
O 6."-Da jurisdieco e competencia, em relacao
s faltas de disciplina disciplina, a delctos mar-
timos e a crimes martimos ;
O 7.Da forma do processo em materia de de-
lictos e crimes martimos;
O 8.Da prescripro, que de um anno para
as contravencoes, de tres para os delictos, e do di-
reilo commum para os crimes:
O 9.e ultimo, conlendo disposicoes finaes, que
sao duas, mandaiido publicar conjuradamente os
formularios para o processo, e que cada navio mer-
cante ou do estado tenha a bordo um exemplar do
cdigo.
O titulo preliminar determina as pessoas, e os
casos a que sao applicaveis as disposicSes ; o que
se entende por capito, e por algumas das suas dis-
posicoes disciplinares.
Vai continuando a subir o preco dos cereaes.
Alguns negociantes e padeiros reniram-se hon-
Somina total... 17,337:6715103 tem para reclamaren do governo as providencias
Inclue-se nesta somma o augmento de 3 7 do 1ue a caresta dos trigos esla imperiosamente exi-
valor nominal dos ttulos das classes inactivas de 8n nao consideracao e monte-pio militar. Os padeiros, diz-se que vo levantar tambera o
A despeza extraordinaria dividida : PreC do Pao, por nao poderem j vende-lo pelo
Ministerio da fazenda........... 368:1605000 PreC actual.
Ministerio da justiga........... 3:0005000 A commissao foi nomeada, e vao tratar de advo-
Ministerio da marinha.......... 432:0005000 8ar interessos da classe.
Ministerio da guerra........... 3:0005000 A convenco postal com a Pruss ia, em seguimen-
Mimsteno das obras publicas.... 1,960:0005000 to que foi assignada com a Italia ha pouco mais
-----------------de um auno, ( diz hoje um jornal de Lisboa) sao
2,766:1105000 apenas o seguimento das que anteriormente foram
feitas corn a Hespanha, com a Blgica e com a In-
glaterra, tendo esla sido de grande importancia por
; comprehender a nossa correspondencia postal com
hende se.e cadeiras, sendo duas na primeira esco- ^^T^S^SU^mSiSLrmk
la e cinco na ultima. Foi creada urna cadeira ira- ver 0 n.oJele'da estatua de Luiz de Camoes' ?xe
portanl.ssima de direito internacional e historia eutadu pelo mesmo Sr B isos '
colS'eTem ^SSJJPiStu^ d* *' A m""* d monumento havia convidado S.
n m.vL K? ^e r"' l-fl0B*? M- lia>'a este Ora, e alguns dos seus membros live-
wi a! h"? ,dAdehPai;a, a-malncu'a na"aula ra... a honra de receber a el-rei na sua chegada
sera de 18 annos. As hab.l.tacoes exigidas para a academia, bem como o marquez de Souza e o Sr
matricula sao as mesmas que se requerem na ac- Francisco de Awk R^ri n a-J,Z ,u
demia polytechnica do Porto ou na escola polyle- academia odr.gues, .como d.reclor da
^hi!Inrit-L,Sb0a'le ^1" ^H"1 ^^ eXime fa** sua satisfar pelo bello tra-
e approvacaa as disciplinas da cadeira de geogra- balho do Sr Bastos "-v* P"
Pfj. chronologia e historia dos lyceus de primeira Poucos dias deps fo 0 modc|o para a efflcQa
- o da 6 do corrente mez falleceu o Sr. Se- fte^quX n^oShdedXlUBdda eSla'Ua'
bastio Betlamio dAIraeida, director * A posicao da estatua elegante e tem muita no-
breza. As roupas esto muito bem tratadas. A
posicao da mo esquerda, que segura o livro sobre
um carcter probo. A casada 0 peito, altamente expressiva. O poeta aperta o
?C!^"!??'1S-T.\u"\r!.f,.>r seu livro querido -o seu immortal poenia= com
expanso, como a cousa que mais quer. A cabe-
ra tem elevacjto e grandeza ; significa bem o no-
bre orgulho do poeta, que tem a consciencia de ha-
1 ver levantado um preso inimorredouro da sua
JSSS^ZlSK Da, ,,D"a um-cul,or de : gloria, e u.n monumento eterno a sua patria,
maior talento provado em multas, occasioes, e na 0 vapor inglez cormthkm, que sahu no dia
moeda.
Um amolecimento cerebral, em breves dias, ar-
rebatou sCiencia e aos amigos um homem de
elevado talento e
moeda perdeu um
mador enrgico. Neste importante estabelecimen
to, durante o pouco lempo da sua direceo, se co-
nheciam j os resudados de urna iniciativa rasga-
da, c de urna intelligencia vigorosa
Ministerio do reino............ 1,338:6895993
Ministerio da justica........... 331:4135910
Ministerio da guerra...........
Ministerio da marinha.........
Ministerio des estrangeiros.....
Ministerio das obras publicas...
4135910
3,128:3135027
1,216:4485730
189:6335238
1,324:8855137
regencia da cadeira desta sciencia no Instituto In-
dustrial.
Escriptor nervoso e conciso, o Sr. Betlamio sa-
bia amenisar os seus escriptos com espirituosos
conceitos, que lornavam agradavel a leitura de ar-
tgos de sciencia, que por tal forma a todos capti-
vavam.
A imprensa ha de deplorar a prematura morte
3 do Porto em direceo de Liverpool com carrega-
raenlo de gado, encalhou nesse dia, s seis horas
da tarde, seis raillias ao sui desta cidade de Vian-
na submergindo-se no dia 4 s 3 horas da madru-
gada.
Conseguiti salvar-se a tripulae) e 49 bois. Os
soccorros foram promptos.
Foram admittidos por transito os cereaes hes-
proveito publico. p0
O Sr. Betlamio desceu sepultura n'uma idade, | ferro
I em que ainda
. tria o sciencia
Foram conduzidos
I mitteno do alto de S. Joo.
O atade foi conduzdo rao da casa do Sr. Au-
gusto d Almeida, onde seu irmo fallecer, pelos
operarios da casa da moeda.
Mais de 150 pessoas assistiram a este fnebre
concedida companhia de eaminhos de
portugueses, autorisaco para estabelecer
.promedia relevantes servcos a pa- em Lisboa cs, ~c cea *l)ara%en(jer bilht.tes
.a, pois coniava apenas 46 annos. I e receber Hiercadorias, e d'onde os passageiros e
uzidos os seus restos mortaes ao ce- as mercadura* um irin^n,^ i J^ .
as mercadorias sejam transportados" estaeao
Santa Apoloni.
Foi efleclivamente no dia 7 do correnle a
abertura de toda a lnha do norte de Lisboa at ao
Porto.
O comboio, que chegou nesse da ao Porto as 11
Somma total...
A saber :
Para a construeco da estrada
de Caminha a Valenca com
um ramal para o cons'clho de
Coura, na conformidade da
carta de lei de 19 de fevereiro
de 1839...................
Para a r-paracao das estradas..
Para estudo de estradas........
Para estudos de eaminhos de
ferro, porios e rios..........
Para melhoramento dos porlos e
nos no continente do reino,
alm das soinmas descriptas
no orcamento da despeza ordi-
naria......................
Para edificios pblicos no conti-
nente do reino, alm das som-
mas'descriptas no orcamento
da despeza ordinaria.'.......
Para obras publicas as ilhasad-
jacentes, alm dassommas des-
criptas no orcamento da des-
pezaordiuaria..............
Para construeco das estradas de
primeira ordem no continente
do reino, de que trata a carta
de lei de 13 de julho de 1862
Subsidio para estradas distric-
taes, inuncipaes e respectivas
ponies.....................
Para despeza com a explorarlo
do caminho de ferro do sul do
Barreiro as Vendas-Novas e
raiml de Setubal em virtude
da carta de lei de 10 de agosto
de 1861...................
Para levar a efleito o monumen-
to consagrado a memoria de
sua magestade imperial o Sr.
D. Pedro V duque de Bra-
ganca de mu saudosa recor-
dago, como dispoe o art. Io da
carta de lei de 2 de julho de
1862......................
Para contnuaeo das obras da
alfandega d Porto.........
Para a continiireo das obras do
lazareto de Lisboa..........
o imperio do Brasil, sendo para notar que por ess;i
convenci foi consideravelmente redazido o preco das
correspondencias, e que, apezar d'isso augmentou,
40:0005000 em vez de diminuir a receita do correio d'ali pro-
10:0003000 veniente.
30:0005000 Falta-nos s, continua a mesma folha para ser
i completa a ligacao com os paizes mais importantes
10:0005000 da Europa, fazermes una convenci com a Fran-
ca, se nao a temos felo nj culpa dos nossos go-
: vernos mas da rotna acanhada e centralisadora da
. admnislraeo franceza. que aqu infelizmente tan-
tas tendencias tem havdo para imitar em outros
100:0005000 ramos de servcos.
Apezar das nossas poucas relacoes com a Prus-
sia, a convenco que acaba de ser posta em execu-
Cao, depois de approvada pelo parlamento, de,
60:0005000 grande vanlageni, por que facilita tambem as nos-
sas relacoes postaes com a Prussia, Suecia, No-;
ruega, Dinamarca, e urna grande parte da Allema-:
nha, incluindo as cidades anseticas. N'esses paizes
"0:0005000 exstem alguns portos de mar com que temos rea-
cites e trato commercial. Tambem resulla, pois, I
: d'esia convenco o irmos estando em mais imme-
diatas relacoes com os mais importantes paizes da
1,000:000-3000 Europa.
Parece que o governo trabalha activamente para
-;n nnnvuw quc se <'l"ue a Ul accordo postal com a Franca|
z.ju.uw,uw p0r muitas razoes sociaes, Iliterarias c mercarais
que sao obvias.
Foram por decreto de i do corrente, nomeados I
generaes de divisao os tenenles-generaes :Vis-;
conde de Tavira, visconde de Santo Antonio, conde
,,n nftflnnn de Campanba, marquez de S da Bandeira, viscou-
LU.UUU0WU de de Lesdin, conde da Fuz, conde de Sarmenlo,
conde Rilvas, Jos Feliciano da Silva Costa e conde
de Vinhaes. Foi nomeado general de divisao, com
a mesma clausula com que foi promovido a tenenla
general, por decreto de 2 de abril de 1861, o tenen-
te-general conde de Torres Novas.
Foram nomeados generaes de brigada os mare-
onn-WV. chaes de campo Francisco Xavier Ferreira, Jos
4U:00050UO e Pina Freir da Fonceca, barao do Monte-Brasil,
inn ntv\tnn\' v5Con(,,! d,i Bastos, conde de Mello, Jos Mana
100:00050001 jjaldy, visconde de S. Tiago, Jos Geraldo Ferreira
irw\ nnn?nm' Passos' Fortunato Jos Barrelros, Luiz Antonio de
' 1 Oliveira Miranda, Frederico Leao Cabreira, Fran-
; acto, dando assim estemunho de respeito e de sau-lhorase 20 minutos da noite, a completamente
dade, ao sabio, ao homem probo. Entre essas oes-; cbeio dt passageiros de Lisboa.
teaVHm gUD5 dire(,'ores do banco da Era cx,raordJnaria a C0DC0rrencia de pessoas.
Z^ hJa,d0 gaz'rf0S e,"P1re8ados dH 'nf"L,w;n-queosesperavam, saudando o novo e agigantado
dustnal e da casa da moeda, urna deputaeao dos j proresso
empregados do caminho de ferro, visto que nao j0 da 's,^aiall .IS 7 hnrio 4() minoto h-, m-i-
podiam ir todos como desejavara e por issooSr Ar- a 1%^^ do corre o llnb^.fo ara mudas
i nbes nomeou d entre elle? urna deputaeao para os ram|as de j sooa """l"',u mKmu ""
, "raS?* a ^d0,s nesla derradeira liomenag,;.n Nas Devo2as ja ^ M um biirrac5o onde
1 da / a '1 q '0U U m P se eslalje'c<,u provisoriamente a- casa fiscal.
ua ua wua. ....... A companhia das anuas leudo fallado ao se
O ministro da marinha, MendesLeal, por estar |nir!n ho .... ............ '," 1838, oppz se a
indas ; e o governo
, viu-se]na necessidade em data" de Io de julho de ex-
l.oiio Avila, nao com- pL.dir rna portarja ,nandando ao engenheiro fis-
S2S?l 551 PWoL|aehaVla re pr0,,r T!'' ical d0 SVtfl0 i* a companhia das aguas de
8- 1,- r UQ"0' '1U fit'a em Lib;l ,omar POS** da- referidas aguas e obras da
ue penuria. companhia, ou ella a esse acto mande os seus re-
A sciencia anida nao enriquece neste paiz, por I
isso o Sr. Betlamio, legou a pobreza a sua viuva.
f. ., A companhia das axuas leu
O ministro da marinha, MendesLeal, por estar ,; coa[ra| de 29 de setembro de
fora da cidade fez-se representar pelo Sr. Son, of- cnIrega da ubras d
hpiyl 'i< anas nr.lmt.- ... .. c .1
ficial s suas ordens.
O ministro da fazenda.
Temos assim, pois, a somma to-
tal da despeza montando a... 20,103:8315103
Para lhe fazer face o governo fica aulonsado a
cobrar os seguintes rendimentos computados em
Imposlos directos............. 4,938:1765027
Impostos indirectos........... 9,633:1725811
Bens proprios................ 2,017:0215016
Deduccao da despeza.......... 216:6725941
Receita exlraordioaria........ 120:0005000
- cisco Pedro Celestino Soares, Luiz Antonio de Mes-
Somma total... 16,923:0405828
Havendo assim urna difTe enea para menas de
3,178:7905273, que o governo fica autorisado a
sapprir por meio de emprestimos consolidados.
Note-se porm que a situaeo nanceira vai-se
apresentando tao prospera, que ainda os que me-
nos veni os algarismos sentem que talvez nao ha-
ja necessidade de emprestimo para satisfazer a to-
das as despezas no exercicio em que vamos entrar.
E' esta una das principaes razoes d furia que
moslram contra o ministro da fazenda os adversa-
rios do gabinete. Vejamos, porm de como os
tactos moslram que nao (eremos necessidade de
preencher por meio de empresiimos os 3,200 con-
tos a que cima me reGro.
O consumo do tabaco nestes 6 mezes foi arrema-
quila Cabral de Almeida, Augusto Xavier Palmei-
nm ; e os brigadeiros Jos Julio do Amaral, Jer-
nimo da Silva Maldonado de Eca, Jos de Figuei-
redo Frazo, Jos Maria Taborda, Jos Manoel da
Cruz, baro da Senhora da Victoria da Batalha, ba-
rao do rio Zezere, barao de Wiederhold, Francisco
Jacques da Cunha e Joo Grifflths.
O duque de Palmella Antonio de Sampaio c Pina
de Brederode, foi nomeado capito da guarda
real em sua vida. Foi elevado grandeza 'estes
remos, com o titulo de conde de Nova Goa, D. Luiz
Caetano de Castro Almeida Pimentel de Siqueira e
Abreu.
Tambem foi elevado grandeza d'estes reinos
com o titulo de conde de Panamacor, Antonio Ma-
na de Saldanha Castro Ribafria Pereira.
Concedeu-se o titulo de baro de Caria, em sua
vida a Jos Homem de Figueiredo Machado, abas-
tado proprietario residente na villa de Gouvela,
como renumeraco aos servicos que tem feito ao
paiz, assim no desempenho de varios cargos p-
blicos, como no impulso que tem dado a industria
fabril no seu districto.
Recebeu a medalha de prata para distineco de
mrito, philantropia e generosidade Jos Caetano
Ferreira da Silva, segundo patro do carro n. 1
tado por 1,410:5065000. Calculando em um mi-1 dos incendios, pelos bns servicos que prestou no
Iho de kilos o peso do tabaco que ficar em depo- incendio que se manifestara em um dos predios i
sito no dia 31 de dezembro de 1864 temos qne os
direitos a receber importan) em
A transformaco da divida
fluctuante em consolidada pro-
medida pelo ministro da fazenda
no parlamento deve produzir pe-
lo menos....................
1,100:0005000
700:0005000
Somma total... 3,210:3005000
Aqui temos a quantia que carecemos para fazer
face a todas as despezas.
A permisso da importadlo do tabaco estrangei-
tuado na praca de Luiz de Camoes.
A ordem do dia do exercito n. 28 de 9 do
corrente nomeia os seguintes generaes para o com-
mando dotas divisoes :
2* divisao, o general de brigada Frederico Leo
Cabreira;
3* divisao, o general de divisao visconde de Lei-
ra ;
3* divisao, o general de brigada Luiz Antonio
de Mesquita Cabral de Almeida ;
7" divisao, o general da divisao conde de Vi-
nhaes ;
O atade foi depositado o jazigo da Sra. viuva
Bnto.
Nao faltaram os amigos c os prenles do Sr. Bet-
lamio, na ultima despedida deste mundo, e nao fal-;
tarara tambem os teslemunhos de respeito sua '
memoria.
Passou o Sr. Betlamio a vida a estudar. O que !
era devia-o ao seu talento, sua tenacidade, ao <
seu intimo desejo de ser distincto na sciencia a
que se dedicara.
Morreu pobre, porque o estudo nao d a opulen-
cia, porque em Portugal, a nao ser alguma posicao
ofllcial, nao possivel a un homem como oSr.
Bettamio adquerir ampios recursos para viven
A sua viuva ca-sein meios de subsistencia.
.so dia 30 de junho, reuniram-sc, na sala da
sociedade dos artistas lisbonenses, os subscripto-
res da companliia Lisbonense de edi/kmyes ur-
banas.
Nesla reunio preparatoria elegeu-se una com-
missao de sete membros.
Esta commissao est encarregada de :
Elaborar os estatutos e regulamentos porque ha
de reger-se a companhia, solicitando a sua appro-
vaco do governo; pedir ao governo, ao corpo le-
gislativo e s municipalidades do Lisboa. Belm e
Olivaes, a isenco, por espaco de cinco annos de
quaesquer imposicoes sbreos predios que se cons- tea7e"; ""deteriorado
truirem sob os seus auspicios -
Solicitar
dos terrenos que llies pertenc
companhia convier edificar predios;
presentantes ou nao mande, e nao obstante qul
I quer opposico ou resistencia ; devendo as autori-
dades administrativas proceder eontra quem. por
qualquer meio, nao quizer obedecer s ordens
da mesma autoridade.
Com elfeilo a companhia das aguas nao quiz en-
tregar as aguas, fot preciso arrorabar todas as
portas dos aqueductos das aguas da companhia e
mudar-lhes de fchadura. A companhia proleslou
este proced ment da parte do governo. As aguas
foram logo conduzidas para o deposito das aguas
livres.
Na madrugada do dia 7 pelas 2 horas da
manha o guarda nocturno da fabrica de Lordello
(no Porto) sentindo um forte cheiro a chamusco
deu parte ao porteiro, e observando ambos-que o
cheiro saia da capella, que servia de deposito das
laas lavadas e desperdicios, chamaram o meslre
geral e o administrador, que vendo que o incendio
j era manifest, immediatamente mandaran) tocar
fogo e chamaram os outros mestres e alguma gen-
te, que, auxiliada por el les. tratou de o combater
com a bomba da fabrica, que fez excedente servico,
porque conseguiu domina-lo e rircurascreve-lo a
capella, at que s i horas e meia ou porto das 5
chegou a bomba de Santo Ovidio, que poude em
pouco tempo dar seguranca da extineco do in-
cendio.
Em machinismo houve apenas a perda de cinco
de outros tantos, que esla-
por baixo da capella, e estrago em urna ma-
das me/mas cmaras a cessao gratuita c|ljna de 3o umniamenl;, mouta(Ta> e 0 desmonte
:rtencerem c era que a de vjn[e teares e suas ^.^ que eslavara proxjn)as,
e algumas machinas de cortar, ou aparar, pelo vul-
Combinar com as mesmas cmaras sobre a ne- 0 C|)amadas tesouras
cessidade de abrir novas ras e pracas em harmo- 0 ilQ mais imporlante 0 das |aas lavadas
ma com o augmento da popularlo e progressos da e a)gumas pecas de faKzenda que na mesma Papel|a
civi isacao. estavam para cobrir orellos, alim de entrar no lin-
E aborar de accordo cora o conselho de saude t0 e alm d-isf0 a imp0r,ancia da parte do predio
publica, e com as municipalidades referidas, os 1 consnraida nelo fo"o.
planos dos predios que bao de erigir-se.
No dia 29 do passado houve a regata da as-
sociaco naval, a que assistiu a familia real.
A's 9 horas e un quarto da manha el-rei o Sr.
D. Luiz, S. M. a rainha, o principe real, acompa-
nhados da Sra. condessa de Murga, do infante I).
Augusto, condes da Ponte e de Val de Reis e D.
Manoel de Souza Coulinho, embarcaram no caes
de Belem para bordo da corveta Barlholomeu Dias,
que eslava vistosamente empavozada com as ban-
deiras em arco. A' entrada da familia reai na
corveta salvaram os navios de guerra nacionaes, e
a fragata italiana Principe Umberto e vapor de
guerra americano Sacramento, embandeirando em
arco como pavilhao portuguez no tope grande, es-
tes dous vasos.
Acompanhavam tambem a familia real o minis
As camellas empregadas pela direceo de fazer
vigiar o estabelecimento durante toda a noute, e
de ter urna bomba com todos os aprestos necesa-
rios ; e actividade e boa vontade de toda a boa
gente daquelle eslabelecimenlo e vi-inhanca, se
deve nao ter sido todoaquelle vasto eslabelec i men-
t presa das chamraas. Os sinos annunciaram
erradamente fogo na Foz ; mas por fortuna este
engao foi pouco prejudicial, porque as bombas da
cidade para ir Foz tinhara de passar em Lor-
dello.
No dia 8 pelo bairro industrial do Bomflm
(Porto) houve grande alegra. Inaugurou-se so-
lemnemente no seu centro a nova fabrica de flajo,
instituida pela companhia Fiaro Portuense.
Urna commissao de fabricantes, querendo dar lar-
. i gas ao jubilo, que dclles se apossava, ao verem o
to da marinha e o Sr. Soares Franco Ao prtalo ovo paJss 0 Porl0 da na cKarreira da indus,ria,
do Barlholoumm Das, achava-se o almirante Car- tora0u sobre si o encargo de nao deixar passar o
valho o inspector do arsenal o commandante do!dia sem uma demonstraco detesta,
corpo das guarda mannhas_ Rodovalho, e o cora-1 0 terreno adjacente a fabrica eslava todo era-
mandante da Sagres, Siraoes, e varios outros of- banderado e empavezado. Uma banda de msica
hciaes que pertenceram a Bartholomeu quando
el-rei a commandava.
A's 101|4 a corveta fundeava em Paco d'Arcos
em nove bracas de agua mais curta distancia da
trra.
Formada toda a guarnicao celebrou missa o pa-
dre Agradar a que assislio el-rei, verificndose
depois a distribuirlo feita por S. M. das medalhas
commemoratlras da expedicao de Angola todas dencia.
abrilhantava o acto. O prazer pntava-se em todos
os rostos.
Foi escollado aqaelle dia para a inaugurarn,
por ser uma data memoravet na nossa historia
constitucional. E os industrlaes portuenses nao
esquecem, que desde a era do systema represen-
tantivo que se conta a regeneraco da nossa histo-
ria, chegada antes ao ultimo periodo da deca-
as pracas que a ella tinham direito.
Houve depois o almoco real para que foram con-
vidados os officiaes da fragata italiana, os quaes
tendo seguido a corveta n'um escaler movido por
vapor, ti verana que fazer retirar o seu elegante
transporte por desarranjo na machi ua, o que raoti-
A fabrica oceupa um vasto edificio, todo n'um s
pavimento, e acha-se montada com tudo quanto a
especialidade exige, sendo o seu machinismo iniei-
ramente conforme com os ltimos aperfeicoamen-
tos, introduzidos l ra onde a industria da flaco
se acha no sen apogu.



niarl* de PerualWM HexU fetra de *ll de f S4.

A fabrica, funcconando com a sua magnifica
machina vapor, da torca tic quaenta cavados,
esleve em exposiciio um dia,
A commissao dos festejos dea um jamar lauto,
na quinta da China, aos accionistas da companhia
de Ffflfo Portuense.
Ha das, houve no atierro da Boa-Vista, junto
ao Tejo, a experiencia da nova bomba vapor que
a cmara de Lisboa mandn vir da Inglaterra, para
o servico da reparticao dos incendios.
Assistio a vereagao, o inspector dos incendios,
e algumas pessoas que se ajunlaram, ficando todos
satisfeilissimos pelo bom resultado da machina,
que trabalhou ora com urna ora
gueiras, com difTerentes jactes, segundo as dimen-
soes das agulbelas que se applicavam elevando a
agua a altura de 40 4o metros.
A construccao da machina bellissima, o seu
feilio elegante, e pode ser transportada por eaval-
los, ou jKir homens.
Depois da experiencia da parte mechanica ro
ensalada urna corrida, subindo a calcada dos Pau-
listas e descendo pelo Ciliado, Bocio, Terreiro do
Pago e ra do Arsenal, at Abeogana, nao se em-
preando na conduccao mais de 14 homens que a
tiraram sem custo na subida. Para as descidas
tem um caico que trava as rodas wWto
O custo da bumba vapor foi 1,OT1#3W.
Produzio o melhor effeilo a experiencia feta
no dia 29 do panado, das O s 11 horas da noute
do apparelho Duboscq de luz elctrica, feta no
observatorio do infante D. Luiz em Lisboa.
A luz que projectava era lao forte que em Alma-
da, alm do Tejo, lia qualquer perfei lamente. Os
pontos em Lisboa para onde a luz era projeclada
stavam claros como a luz de sol.
Nunca em Lisboa se fez experiencia tao comple-
ta e perfeita. Applicada luz urna estrella pareca
esta o ncleo de um cometa cuja cauda esbranqu-
cada vinha encontrar a trra.
Nao havia aten de litar o observatorio a menos
que co se quizesse ficar deslumhrado.
O trabalho foi dirigido pelo Sr. Fradesso da bil-
veira, incansavel director do observatorio. A pra-
.-a do principe real foi a que estere mais lempo
illuminada porque mais se demorou naquella di-
receo a projeccao da luz. Quando se vio illumi-
nado o Zimborio da Estrella, o espectculo nao
podia ser mais deslumbrante.
Brevemente far-se-ha nova experiencia.
A galera Arthur, que tinha socobrado no
Tejo, moilo custo alcancou-se pola de lado.
vapor inglez Tartar, esteve muito lempo forcejan-
do por tira-la do sitio onde se voltou ; mas alinal
deixou-a e ia j retirando-se, quando a galera, logo
que se afaslou, desprendeu-se por si e veio pelo no
abaixo at o caes de Belm. Vasava entao a ma-
r e quando encheu veio a galera outra vez para rolho de 180*.
defronte do terreiro do Pago, mas grande distan-
cia do caes. Mais tarde, quando a mar tornou a
vasar, desceu a galera outra vez o rio at Cor-
doaria e d'alli voltou com a endiente para o sitio
onde est.
O vapor Tai lar, o escaler do capilo do porto, c
mais algum, andaram a perseguir este touro naval
no Tejo, sem se atreverem a aproximarse muito
para nao serem arrastados por elle. O vapor an-
da conseguio pegar na galera urna vez, mas teve
novamentc de a largar.
Admita realmente que, nos passeios que a galera
deu no rio, nao encontrasse algum navio, e nao
causasse algum desastre serio.
Foi no Io de judio a abertura do cstabeleci-
mento humanitario Albogue dos Invlidos do tra-
balha Nao houve demonstrado alguma de so-
lcmnidade por nao estarem aioda approvados pelo
governo os estatutos. Parece, porm, que ha toda
a probabihdade de baixarem brevemente, e entao
que haver alguns convites para solemnisar o da
da inauguraeo de tao til estabelecimento.
Chegou no dia 2 do correnle ao ministerio
dos negocios estrangeiros a relacao dos presentes
que para Portugal trazem os rmbaixadores japo-
nezes, e bem assiin as alteraooes que preteudem
sejam feitas no tratado ltimamente celebrado en-
tre o nosso paiz e o Japao.
L-se as folhas de Macau e Hong-Kong, que o
governador de Macau, cerno ministro de Portugal
na China, Japao e Siam, acompanhado dos Srs. An-
tonio Marques Pereira (como secretar), Joao Ro-
drigues Goncalves (interprete), e Jeronyino Osorio
de C. C. c Albuquerque ( como addido ), parti no
dia 27 de abril para Hong-Kong, devendo d'alli ir
a Shangbae c TUiensins, onde trocar a ratificacao
do nosso tratado. S. Exc. ii depois Pekn, por-
tos do Japao, c no seu regresso tenciona visitar os
portos da China ao norte de Macau.
O governador, acompanhado |>or todos os func-
cionarius pblicos, corpo consular estrangeiro e
grande parte dos eidadaas residentes, despedio-se
de todos com saudade manifesta. Ao passar o
Fei-seen na rada, salvou com 17 tiros a corveta
americana JamestowoH agradecendo a salva, cun o
mesmo numero de tiros, o forte de S. Francisco.
Tinha-se virado no lio, em Macau, a barca
portugueza Tremelga. Por falta de rellexao incrivel,
este navio eslava a cuuha, com todas as suas ver-
gas cruzadas, sem ter bordo um palmo de lastro.
Atravessando a mai, e soplando vento fresquinho
do S S O, que levanlava alguma mareta, entrou a
jogar de bombordo a e.-tbordo, e n'um destes ba-
tneos correndo amurada as amarras, o navio
deu a borda e fez da quilha prtalo. Havia a bor-
do s um China, que se salvou.
Pelas reparticoes competentes se deram as pro-
videncias possiveis, e esperava-se em poucos dias
pt>r o navio outra vez de quilha para baixo.
Entrou no dia 2 no Tejo a corveta brasileira
Bahianna, ;vnda da Corunha em dous dias. Logo
que fundeou salvou trra e ao almirante porta-
gnez. A liahianna um bonito vaso de vela.
O visconde de Soure, Franco, major-general
da armada, foi no dia (i, por 1 hora da tarde,
bordo da corveta brasileira bahianna pagar a visi-
ta oOicial que hontem recebera do commandante
della. A' sabida de S. Exc. salvou a corveta com
17 tiros e bandeira portugueza no tope de proa.
Foi agradecida esta salva por igual numero de tiros
da U'trlhulomeu Dia com bandeira brasileira tam-
ban no tope de proa.
Meia hora depois o Sr. Joao da Costa Carvalho
almirante, foi tambem bordo do navio brasileiro.
Este, quando S. Exc. sahio, salvou e icou a nossa
bandeira, como j havia feito por ocesio de lar-
gar de seu bordo o major-general. A corveta Bar-
tholomeu Das tornou a responder com outra salva,
icando novamente a bandeira brasileira.
recroladcr-fcral as cidades do Recife e Olinda,
qur como chefe do estado maior da guarda naciu-
nal de Olinda e Iguarass, cargos estes de que fra
ltimamente exonerado, protesta com louvavel
energa contra a injustica dos actos deraissorios
defendendo-s hbilmente contra qualquer arguico
deshonrosa a seu carcter.
Em face dos numerosos documentos, que
acompanham a exposicao dos factos, conseguio o
Sr.coronel Pereira Lobo, justificar plenamente o sea
piocedimento, qur em um qur em airo cargo,
em ambos as quaes preston esse militar bons ser-
vidos cansa publica, mrmente no de recrutodor
com dasman- geral em que se houve coro prudencia, discriccad e
actividade que o fazem recommendavel.
E' de esperar, que junio ao governo imperial,
encontrem acolhimento as reclmaseos do nosso
comprovinciano, cujos servicos sao bem conbe-
eidos.
Da villa da Peoha, do Bio-Grande do Norle,
nos escrevem em 22 de julho:
t Desta noute para c tem chovido bastante,
com prazer nosso, porque a falta de chuvas j
causava serios cuidados. Com ellas ainda se po-
derlo aproveitar alguns legumes.
Em leda a redondeza at dez leguas tem
tambem chovido. >
No dia 13 do correnle, ne districto de Be-
zerros, foi preso c recelhido cadeia do Bonito,
Joaquim Alves de Souza, por ter assassinado em
junho ultimo ao velho Joaqun de Barros, de par-
cena com Antonio de tal e Vctor de tal, na barra
de S. Miguel, do termo de Cabaceiras da provincia
da Parahyba.
Esta a terminar o mez de julho, e at agora
nao chegada da corte a distribuicao de crditos
para pagamento do que deve fazenda, de forne-
cimenlos a ella feitos no exercicio correte, com
grave prejuizo do servico publico e dos interesses
daquellesquc negociam com.a fazenda.
O esquecimento, na quadra actual, para com as
provincias do norte, cresce de dia em dia, como se
ellas nao concorressem igualmente com as do sul
para o rendimento geral, e que por isso deve ser
irmamente contemplada na divisad dos crditos]
REPARTICAO DA. POLICA.
Extracto das parles do dia 28 de julho
de 1864. .
Foram recolhidos casa de detencao no da 27
do correnle:
A' ordem do subdelegado do Becife, Paulo Jos
Francisco, por insultos.
a* ordem do de Santo Antonio, Francisco Rodri-
gues, por disturbios e insultos.
O chefe da segunda secgao,
J. G. de esquita.
Movimento da casa de detencao no dia 27 de
Existiara..... 364 presos.
3 i 11 >
Existera...... A saber : .Nacionaes..... Estrangeiros... Mulheres...... Estrangeiras ... 35o 283 18 S 1 >
Escravos...... Escravas...... 43 i
veira ; appellados, os herdeiros de Francisco Car-. Aaacabaita pe t ora I de lcuip.
L'MA SIMPLES TOSSG PODE CHEGAR A SKB MORTAL
se nao se atalhar lempo, porem evitar-se-ha com-
pletamente o pergo fazendo-se uso immediato da
anacahuita peitoral de Kemp, a qual, mediante a
sua benfica influencia faz ceder rpidamente a Ir-
ritacao dos pulmoes e garganta, e restabelece sua
accao vigorosa, regular e saudavel.
Os que dizem que a astria incuravel muito
se engaa.
Esta fortificante composico vegetal subjuga
essa aflictiva molestia, anda mesmo quando de-
baixo das formas as mais obstinadas e aggra-
vanles.
As anginas nunca terminarlo em bronebites, a
tosse em phthysica, nem a ronquidao em asthma se
i desde k>go de seu principio frem atalhados com
I esta balsame- vegetal snavisader e sedativo, seus
benficos effeitos sao promptamente notados as
1 enferminades .dos pulmoes, des vasos bronchios e
da pleura.
| Pde-sc achar venda em todas as boticas c to-
jas de drogas.
Aenco
6
Xarope alchoolico de veame, preparado pelo
pharmaceutico Jos da Bocha Paranhos, estabele-
cido com botica na ra Direita n. 88 em Pernam-
buco.
Este xarope c incontestavelmente superior a to-
dos os xaropes depurativos, de cuja composico
o seu maior elemento a salsa parrilha, pois que se
tem contiendo ser o relame mais enrgico para a
prompta cura das molestias; cuja base essencial
depende da purificaciio do sangue ; assim pois se
tem verificado por mudas pessoas que se achavara
desengaadas, as quaes acham-se hoje restabeleci-
das com o referido xarope alchoolico de veame ;
entretanto que alguns, tendo usado do xarope de
Curinier, de Larrey, de salsa parrilha, de sapona-
ria, oleo de Ogado de bacalho, e oulros agentes
desta ordem nada conseguiram. elle de fcil
digesto, agradavel ao paladar e ao oiphato. Al-
guns mdicos desta cidade e da de Macei o teem
recommendado para a cura das
Impigens, tinha, escrophulas,
Tumores, ulceras, escorbuto,
Cancios, sarna degenerada, lluxo alvo.
Todas estas a(Tecc5es provm de urna causa in-
terna : nao ha pois razo alguma em crer que el-
las se podem curar com remedios externos. Tam-
bem se prescreve o xarope alchoolico de veame
para o tratamento das affecedes do systema nervo-
so e fibroso, taes como :
Cotia, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, eslerilidade,
Marasmo, hypoeondria, emmagrecimento.
O xarope alchoolico de veame i; sobre tudo, da
radicalmente, e em
355
Alimentados a costa dos cofres prorinciaes. 149
Movimento da enfermara ne dia 29 de julho
de 1864.
Tiveram baixa :
Luiz dos Santos Brrelo Erysipella.
Francisco Alves d'AthaydeRbeumatismo.
Manoel Joaquim da Silva. dem.
neiro da Silva, por seu tutor Dr. Angelo Henriques
da Silva.
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes.
Appellantes, Novaes & Lima ; appellado, Fran-
cisco Soares Retumba.
Ao Sr. desembargador Accioli
AGGRAVOS.
Aggravo de instrumento do juizo municipal e coro-
morcio de Serinhem.
Aggravanle, Henrique Luiz de Barros Wandar-
lev Lias ; aggravado, Gabriel Aalonio.
O Eun. Sr. presidente negoo provimento.
Nada mais houve, e encerrou-se a sessao t
horas da tarde.
Fazendo o tsforca que exiga o aperto de urna
aecusacao, que tem tanto de grave como de verda-
deira, publicada pelo Constitucional Pernambuca-
no com a declaracao clrcumstanciada do (acto em
quo era consistente, e exhibicao de prova imme-
diala, o Sr. bacharel Joaquim Eduardo Pina, com-
melteu a temeridade de vr hoje a este jornal con-
tar urna historia que nao se pode dar crdito al-
gum, por arredar de sobre si a responsabilidad!;
daquella aecusacao.
U Sr. Pina est convencido de que tenho sido eu
o autor das publica^des que no Constitucional ho
inserido contra elle, nesie presupposlo, ou lalvez
por calculo, que nao hesita em dizer que sou eu o
seu aggressor que procura prejndica-lo no conceito
publico, por que foram publicados factos que na
verdade o desabonan), mas sem ir de envolia com
elles a mais leve oflensa ao seu carcter parti-
cular.
Contra aggressoes desta ordem nao tinha neces-
sidade o Sr. Pina de, quando as attnbuisse a mim,
declinar o meu nome e dizer que nao Ihe tenho
boa vontade, o que mera preleneao, cabendo-lhe
somente mostrar a sua innocencia, e desmentir as
delaefes.
Comprehendendo assim melhor o seu dever, e o
que Ihe convoha, aceitando qualquer aecusacao
sem indagar de quem partisse, sem misturar em
questao que exclusivamente se refere moralida-
de de seus actos como empregado publico, aquillo
que puramente pessoal, poupava-rae assiin o des-
gosto e o incommodo de tomar-lhe a frente para
Ihe dar urna resposla. Dou-lh'a, por que sei o que
se passou em Po-d'Albo com relaco ao processo
de Manoel Amonio Correa de Queiroz, e devo ao
publico o meu teslemunho acerca do que disse o
Constitucional Pernambucano.
Despreso a insinnacao que faz o Sr. Pina de que
em razio de suas pinas censuras na assembla pro-
vincial em 1861 contra as autoridades policiaesdo
termo de Po-d'Albo, Qzera eu como a primeira
dessas autoridades, juiz municipal e delegado, co-
piar a certidao que sahio impressa no Constitucio- maior utiidade para curar
nat, e que o Sr. Pina da a entender que obra mi-: pouce lempo o rheumatismo.
nha. Saiba agora que nao dei a menor importan-
na as suas palavras na assembla provincial, s
quaes sempre eslive sobranceire. Ellas estad ah
no Diario de Pernautbuco de 15 de maio do preci-1
tado anno, para quem hoje quizer v-las : nao me-
reciam attencao.
Accrescentando, porm, o Sr. Pina que essa cer-
tidao eu remetti ao Sr. Dr. Araripe, ealao chefe de
polica, e que este por sua vez a enderezara ao pre-:
sdente da provincia que era o Sr. Dr. Nunes Gon-
calves, que o mandou uvir acerca della, eque elle
(lectivamente teve a honra de responder a arg-
ilIKONIQ JUHC14KI4
TBIIIIWI, COMWERCIO.
SESSAO ADfflNISTKATIVA EM 28 DE
JULI10 DE 1864.
I'HESIDKNCIA DO EXM. Sil. DESEUBAReADOR
PE1IETTI.
s 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. depu-
tados Bego, Lentos, Bosa e Alcoforado, o Sr. presi-
dente ileclarou aborta a sesso.
Lida, foi approvada a acta da ultima.
EXPEDIENTE.
Foram presentes :
Um cilicio do Sr. inspector da thesouraria do
fazenda, de 23 do eorrente judio, communicando
ter prestado flanea o oflical thesoureiro dos emo-
lumentos da secretaria do tribunal.-Archive-se.
Foi presente a cotaco oflical dos precos cor-
rentes da praca, relativa ultima semana.
Archive-se.
" DESPACHOS.
De^pacharam-se os seguntes requerimentos, vis-
to pelo Sr. desembargador fiscal :
Um de Augusto Coelho Leite e Francisco Antonio
de Albuquerque, pedindo o registro do seu contra-
to social.Designem outro desempatados
Outro de Tasso Irmaos, encangados de fazer
navegar o patacho Ahwi, do qual proprieuina D.
Marja das Neves Tasso Guimaraes, entregando a
respectiva carta de regbtro, e pedindo para Ihe ser
dada baixa em sua respousabilidade, visto ter sido
condenado e vendido dito patacho. Facam-se as
annotaeoes como requer, archvando-se a carta de
registro.
da fazenda da mesma thesouraria, ^g^ qq^c^o Jos seus contratos, abaixo
S'ST-rSt&'dSfS tTattscripla, de ordem da directora previ-
no a quem convier que se fara euectiva a
multa estipulada nos mesmos contratos, e
que se por ventura oo cessarem taes factos:
ser a mesma directora levada a mandar
suspender as concessoes feitas, visto que es-
ses abusos sao prejudiciaes n5o s a Com-
panhia como aos arrematantes dos chafa-
ntes.
Escriptorio da Companhia do Beberibe.
28 de julho de 1864.
O secretario,
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
4." condieco. O Sr. F. obriga-se a nao
empregar a agua que Ihe fornecida pelo
ramal, sen5o em usos domsticos ou do
predio a que fornecida, e nao consentir
que saia do predio agua alguma sob qu;
2" Oempreiteiro darexecucao aos trabalhos no pretexto fr. Pela itifraccito desta condic-
prazo de 20 das, e os terminar nos de 60 das, ^ (ca Q gr p_ ODrigado a pagar Com-
CTopangaaSostitfelleetuado em prestacoes! panhia urna multa de cem mJ ris por cada
mensaes, de valor correspondente ao trabadlo exc- vez que for provada a intraccao,
cutado, em cada mez, deduzindo-se um dcimo, Conforme.O secretario,
que ser entregue seis mezes depois da concluso
da obra.
4" O empreiteiro nao poder sob qualquer pre-
texto exigir indemnisacao alguma que nao seja
fundada no excesso de trabadlo previsto no orca-
mento.
o" O empreiteiro na execugao dos trabalhos ob-
servar as prescripcoes dadas pelo engenheiro fis-
cal da obra.
6a Para tudo quanto nao se adiar aqu disposto,
observar-se-ha o que disp5e a lei n. 286.
Conforme.Antonio Frrreira da Annunciaco.
O Dr. Manoel Antonio dos Passos e Silva Jnior,
juiz municipal de orphos e ausentes do term >
de Olinda, em virtude da le etc.
Fajo saber aos que o presente edita! virem, que
no dia 28 do correte mez, depois da audiencia
perante a junta
se ha deaneuiatar
trcelo de 69 bracas
nal da ra da Aurora, avahado em 15:914000.
A arremalagao sera feta na forma da le pro-
vincial n. 343 de io de maio de 1854, e sob as
clausulas especiaos abaixo declaradas :
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao comparecan na sala das sessoes da referida
junta no da cima mencionado pelo raeio dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 9 de julho de 1864.
O secretario
Antonio Ferreira da Annunciacao.
CLAUSULAS ESPECIIS PARA A ARREMATACAO.
Ia A obra do caes margem do canal da ra da
Aurora, ser executada de conformidade com oor-
camento e planta respectiva apresentados pela di-
rectora das obras publicas na importancia de
15:9145.
Jos Eustaquio Ferreira Jacobina.
Couselho administrativo.
O conselho administrativo para forneciroento do
arseual de guerra tem de comprar os objectos se-
guntes :
Para o deposito de artigos bellicos da provincia de
Alagoas.
Bonets 100, mantas de laa 100, brim branco 500-
varas, algodaozinho 250 varas.
Para o corpo da guarnico.
Bonets 116, mantas de la 139, divisas para sar-
gento ajudante e quartel-raestre 2, panno azul 827
covados, casemira amarella 21 l\i cavados, dita
encarnada 12 covados, bollanda de forro 643 cova-
dos, aniagem 86 1|2 raras, brim branco 1,030 va-
, ras, aigodaozinno 682 varas, boioes grandes uY
desle juizo, a porta da casa da mesma audiencia, metal aroareilo 2,422, ditos pequeos de dito 1,557,
se hade arrematar por venda quem maior lanco colchetes prelos 173 pares.
Adverte-se que o verdadeiro xarope s se vende
nesta cidade na botica cima indicada, do abaixo
assignado ; e em outra qualquer parte que se tem
annuociado nao da mesma composico, e nein o
abaixo assignado se responsabilisa.
Jos da Bocha Paranhos.
COMMERCIO.
PERWAMBOCO.
REVISTA DIARIA.
Damos hoje, em nossa oilava pagina, o segundo
artigo de Sr. Dr. Manoel de Barros Brrelo, sobre
melhoramentos do nosso porto, para o qual chama-
mos a attencao dos leitores.
Escrevem-nos de Boma, em 29 de junho ulti-
mo :
i Hoje Boma est toda em festas. pela solemni-
dade dos Santos Apostlos Pedro e Paulo. Hontem
tarde o santo padre ofliciou as vesperas na ba-
slica do Vaticano, e esta manhaa pontificou a mis-
sa, com toda a magnificencia que se usar-se nes-
se acto.
t A lluminacao da cpula e do frontespicio da
baslica de S. Pedro fez-se honlem na presenta de
pevo inmenso, sem que houvesse o menor dis-
turbio.
a A simples assistencia do santo padre esses
actos prova que elle goza de boa sade, e ainda
mais o vigor de sua voz, nos cnticos divinos, e
seu semblante sempre corado e cheio de sade.
< ltimamente recomecou seus passeios pe f-
ra das portas da cidade: indo, em um dos dias pas-
sados, at a chcara Borgueze, onde, depois de
longo passeio, lendo encontrado a familia do prin-
cipe, repeli o passeio, sem nenhumas mostras de
cansare. J v, pois, V. quanto sao falsas as asser-
coes de cerlos jornaes da Europa.
c Segunda-feira ultima houve no Vaticano urna
reuniao (congregaco) extraordinaria de cardeaes
em numero de dezsele, alim tratarse^ sobre os ne-
gocios religiosos das Indias. Ainda nao se sabe ao
certo qual a decisao; mas, cr-se geralmente, que
se terao tomado medidas de grandes importancia
em favor dos chrislos d'ali, visto como durou a
sessao quatro horas.
O santo padre assistio, no solio, toda a ses-
sao, dando anal seu voto, que deliberativo, em-
quanto que os dos cardaes consultivo.
Esta manhaa. depois do pontifical, demorou-se
o santo padre em meio da baslica d S. Pedro, e
em voz alia renovou os protestos contra os agen-
tados commettidos de 1859 at hoje em prejuizo do
poder temporal da igreja romana, e conftrmou os
actos consistoriaes de junho e de selembrode 1859,
ede setembro de 1860, e exhorlou todos a pedirem
Deus pelos desviados, que tem sobre a alma o pe-
so desses alternados. *
Remetiera-nos o seguinte :
OSr. coronel Francisco Joaquim Pereira Lobo,
acaba de publicar um opsculo coro 165 paginas,
em que, fazendo valer os seus servicos qur como
SESSAO
JLDICIARIA EM 28 DE JULHO
DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SIL DESEMBARGADOR
A. F. PKIIETTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
As 11 i/j da manhaa, o Sr. presidente abri a ses-
sao, estando reunidos os Srs. desembargadores Sil-
va Guimaraes, Accioli, Dominguesda Silva, _eReis
e Silva, e os Srs. deputados Bego,
C. Alcoforado.
Lda, foi approvada a acta da sessao antece-
dente.
O Sr. desembargador Beis e Silva apresentou o
ollcio do Exm. Sr. presidente da provincia em qne
communica sua nomeaco de adjuncto desle tri-
bunal.
Assignaram-se os accordaos proferidos na ultima
sesso, entre partes :
Appellantes, os administradores da fadencia de
Bastos & Lemos ; appellados, Bozano Irmao.
JULGAMENTOS.
Appellante, Virgilio de Castro Oliveira e Joo
Mara de Oliveira ; appellado, Jos Alves da Silva
Guimaraes.
Foi reformada a sentenca appellada.
Appellante, Antonio Jos de Squera ; appella-
dos, os administradores da roassa fallida de Joo
Jos de Figueiredo.
Desprezaram-se os embargos.
Appellante, Antonio Francisca Chaves ; appella-
do, Marcelino de Salles Correia,
Receberam-se os embargos, restaurando-se o prl-
meiro accordao que confirmou a sentenca appel -
lada.
DES1G.NAC0 DE DA.
Appellantes, o Dr. Felippe Xery Collaco & C.;
appellado, Geraldo Henriques de Mira.
Appellantes, Ferreira & Matheus ; appellados, os
curadores fiscaes da massa fallida de Bostron Boo-
ker & C.
Appellantes, Francisco Xavier de Oliveira, como
administrador de sua mulhcr, e Luiz Pedro das
Neves ; appellado, Jos Cordeiro do Bego Pontes.
cao que Ihe era feta, devo notar, que tenno em
meu poder o original da certidao, de modo que a,
ser exacto o que diz o Sr. Pina, deveria ella estar
unida a sua resposta na secretaria do governo.
O facto denunciado pelo Constitucional Pernam-
bucano j se sabe. Foi instaurado um processo con-
tra Manoel Antonio Correa de Queiroz, em 1855,
17 de novembro foi com vista ao Sr. Pina, como
promotor publico da comarca para formular o li-
bello aecusatono ; em 1858 procurando-se esse
processo, nao foi encontrado em parle alguma ;
tratou-se de instaurar outro, em que o Sr. Pina of-
liciou. Depois de julgado o reo, e j lendo sido ab-
solvido, foi o tal processo que se julgra perdido
achado em casa do Sr. Pina, soDre a sua estante,
n'um dia em que o mesmo Sr. Pina tinha viudo a
cidade. Foi o caso que estando ah o iioado Dr.
Maiiod Teixeira Peixoto, eu, que tinha ido de fres-
co substituir ao Sr. Piua no lugar de promotor, e
o Dr. Clirstove dos Santos Cavalcanti, este foi
achar o processo do lugar cima dito.
O Sr. Pina defende-se do que disse o Constitucio-
nal Pernambucano, nao, tratando de fazer elfectva
a responsabildade do que se aQirma allque elle
abafra o processo de Queiroz, por que este caso
era possivel a prova da assercaoem o juizo compe-
tente, mas dando ao faci a explicacao inverosmil
que se v do seu communcado, no qual exige que
se prove se o processo Ihe tinha sido entregue pelo
escrivo que j morto, e o que mais mettendo
seu sogro na alhada para compr o caso seu
sabor.
Sendo o termo de vista ao Sr. Pina o ultimo acto
do escrivo no processo de que se trata, e tendo a
data de 17 de novembro, diz o Sr. Pina: em jauei-
ro de 1856 morreu do cholera-morbus o escrivo,
tendo, como depois se verificou, deixado o proces-
so na gaveta da mesa em que escrevia, na casa
de coronel Lourenco Cavalcanti. D'aqui se v
que, durante o espaco de dous mezes decorridos
de 17 de novembro Janeiro, nao houve quem se
lembrasse do processo, nem o escrivo, nem o de-
legado, nem o Sr. Pina, que a elle estove presente!
Detnas, at; 1858, quando diz o Sr. Pina que achou
o processo na gaveta do coronel Lourenco Caval-
canti, nao perdendo a occasiao de dizer que casara
com urna lidia deste, gloria de que tanto ainda se
deslumhra, at esta data, digo, nao houve quem
do cansado processo se lembrase Durante o lon-
. go espaco de dous annos, nem sequer o sogro do
Lemos, Bosa e Sr. i'ina* abrir casualmente a gaveta em que elle
dorma somno eterno I
E' assim que se defende o Sr. Pina, que tem o
arrojo de contestar a verdade dos factos com inve-
rosmelhaucas desta ordem, assim que como func-
cionario publico se justifica de urna grave impu-
tado!
Nao devo mais gastar o meu tempo com o Sr.
Pina, que nao tem como eu o trabalho de escrever,
e s se limita a assignar...
Muito pressa cscrevo estas linhas, por que a
isso fui chamado por elle, e por ceder aos impul-
sos da verdade.
Recife, 27 de julho de 1864.
Francisco Teixeira de S.
m\k FILIAL
DO
K1\(0 DO BRASIL
EM PERNAMBUCO.
A directora desta caixa, em virtude de ordem
da directora do Banee do Brasil, avisa aos Srs.
accionistas que o respectivo thesoureiro esta auto,
risado a pagar o dividendo das acedes da metala
caixa do semestre findo em 30 de junho prximo
passado, na razo de 85500 por aeco.
Hecfe 14 de judio de 1864No impedimento do
secretario, Ignacio Nunes Correia.
oTerecer sobre seus valores os bens seguntes per-
tencentes a heranga do tinado Bernardo Jos de
Sena.
Urna casa de ta-.a coberta de telhas, com urna
porta e duas janellas na frente, com dous quartos
e duas salas e coznha fra, com 26 palmos de
frente e .'16 ditos de fundo, em chaos foreiros e
com seu quintal pequeo em aberto.
Outra dita contigua a casa cima referida do la-
do|do nascente, com porta c janella na frente, com
duas salas, um quarto e coziaha fra, com 24 pal-
mos de frente, e 36 palmos de fundo, tambem em
chaos foreiros, e pequeo quintal em aberto; am-
bas sitas no lugar do Urub de Beberibe, deste ter-
mo, aquella avadada por 2505000 e esta por.....
2005000.
E para que chegue a noticia de todos mandei
passar o presente que ser atlxado no lugar do
costume e publicado pelo Diario de Pemambuco. \
Dado e passado nesta cidade de Olinda, sob meu
signalfe sello deste juizo, vaina sem sello ex-causa
aos 18d as de julho de 1864.
Eu Francisco das Chagas Cavalcanti Pessa, es-
crivo o escrevi, Manoel Antonio dos Passos e Sil-
va Jnior. Ao sello 300 rs., vaina sem sello, ex-
causa. Passos Jnior.
Fuculilade de Direito,
De ordem do Exm. Sr. director se faz publico,
que no dia 4 de agosto (quinta-feira) as 2 horas,
expira o praso marcado para a nscripcao dos con-
currentes cadeira de latin do curs* preparatorio
desta Faculdade.
Para o 9 balalho de infamara.
Compendios de doulrina chnslaa 6, ditos de ari-
Ihmetiea 6, paulas 6, laboadas 6.
Quem quizer vender taes objectos aprsente a
sua proposta em carta fechada na secretaria do
conselko.s 10 horas da manhaa do dia 1- de agos-
to prximo vindouro.
Sala das sessoes do conseH administrativo par
(ornecimento do arsenal de guerra, 25 de julht
de ftMk
Antonio Pedio dt Su Bar reto.
Coronel presidente.
Srbastio Jos Basili Pyrrho,
Vogal secretario.
Cerrew.
Pela administracao do correio desta cidade se
faz publico que em virtude da convenci posta!,
celebrada pelos governos brasileiro e francez, se-
rlo expedidas malas para a Europa no dia 30 de
eorrente pelo vapor francez Natarre. As cartas
serio recebidas at 3 horas antes da que for mar-
cada para a saluda do vapor, e os jornaes at 4 no
ras antes.
Administracao do correio de Pernambuco 20 dt
julho de 1864.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Crrelo geral.
Pela administracao do correio desta cidade se
faz publico para fins convenientes, que em virtude
do disposto no art. 138 do regulamento geral dos.
correios de 21 de dezembro de 1844, e art. 9 de
i decreto n. 185 de 15 de maio de 1851, se procede-
Alfandega
Rendimentt do da 1 a 27.......
dem do da 28................
016:1295107
20:7275034
666:8565141
.TIoviincnto da alfandega
Volames entrados com fazendas.
t com gneros.
Volumessahidos
cora
cora
fazendas.
gneros..
323
394
-----717
80
601
-----741
Secrelaria da Faculdade de Direito do Recife, 281 r "consumo das cartas existentes na administra-
de julho de 1864. |eo pertencentesao mezde julho de 1863, no di.c
Jos Honorio Bezerra deMenezes, U de agosto proxim0( s n horas da manhaa, na
Secretario. | p0rU ju mcsl0o correio, e a respectiva lista se
Por ordem da inspectora desta reparticao acha de .de j exposta aos nteressados.
se faz publico que por autorsacao da thesouraria Administracao do correio de Pernambuco 20 de
de faz-nda, tem de se fazer por arrematacao al ju||,o de 1864.-0 administrador,
obra constante do oreaniento abaixo transcripto, a
qual devora ser approvada pela presidencia.
Oreamento sobre o ladrilho novo no cor-
redor doarmazem n. 11 na alfandega
de Pernambuco, tendo o armazem oi-
lenla e um palmos de comprimento e
desesete palmos de largura prefazem
quatorze bracas qoadradas, demolir e
eflecfoar de novo o dito ladrilho com
argamassa de cal a 55500 a braca
quadrada........
Contando a diminuico das pedras que
licam inutilisadas para reedificacao,
duas bracas (4) a 305000. .' .
775000
Descarregam no dia 29 de judio.
Barca portuguezaDespique //carvo.
Brigne inglezChancemercadorias.
Polaca italianaLindadiversos gneros.
Patacho hespanholVencedorvnhos.
Barca ingleza John Matheus farinha de trigo.
Rrigue inglezJautei Stwart- bacalho.
Exportaeao.
Barca ingleza Towon of Liverpool, carregou para
Liverpool pela Parahyba :
1,350 arrobas de ossos.
Barca ingleza Olinda, carregou para Liverpool
por Macei:
2,100 saceos com 10,500 arrobas de assucar
masca vado.
Brigue portuguez Confianza, carregou para Lis-
boa :
330 saceos com 1,650 arrobas de assucar mas-
cavado, e 6 cascos com 333 medidas de niel.
Inportaeo.
Brigue inglez James Stwart, entrado de Terra-
Nova, consignado a Saunders Brothers & C, ma-
nfestou o seguinte :
810 barricas bacalho; a J. Pater & C.
1,641 barricas bacalho ; a Saunders Brothers
&C.
Recebedorla de rendas internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 27........ 43:5135132
dem do da 28................. 6395873
44:1535005
10 por cento para administracao e des-
pezas imprevistas para utencilios etc.
1505700
Quem se quizer propr a fazer dita obra coni-
parecaalo dia 4 de agosto prximo perante o
[Uro. Sr. inspector, muuido de sua competente
proposta em carta fechada.
Quartasecco da alfandega de Pernambuco, 27
de judio de 1864.
O 2 escripturario,
Caetano Gomes de S.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda desta provincia se laz publico que
Domingos dos Passos Miranda.
G>uiiia>io provincial.
O Illm. Sr. regedor interino do Gymnasio man-
da declarar que no dia Io de agosto prximo vm-
douro principia a funecionar a aula de primeiras
letras do mesmo Gymnasi, creada pela lei pro-
vincial n. 598. Os alumnos dessa classe san em
tudo equiparados aos de mais que frequentarn o
estabelecimento, e por isso obrigados a pagar: o<
internos 305 mensaes, os meio-pensionislas \H5.
os externos 55-
Secretaria do Gvmnasio Provincial de Pernarv
605000', buco 22 de julho de 1864.O secretario.
_..____I A. A. Cabrr.1.
3750001 De ordem do Illm. Sr. inspector da thesou-
i raria de fazenda desta provincia declara-se a
1357001 quem estver de posse do terreno de marinha n.
24, que esteve do dominio til de Juliao Beranger
entre a ponte da Boa-Vista e a de ferro de Santa
Isabel, que dentro do prazo de 15 dias contados
desta dala deve solicitar o respectivo ttulo de ato-
lamento reconhecendo assiin o senhorio directo
da fazenda 110 dito terreno, sob pena de ser consi-
derado devoluto o mesmo terreno e arrematado a
quem mais der na forma das ordens em vigor.
Secrelaria da thesouraria de fazenda de IV.
nambuco 0111 25 de julho de 1864.
Servndo de oicial maior.
Manoel Jos Pinto.
Acha-se depositado nesta subdelegacia tu:
sacco contendo ferragens e chumbo, que fra e>
foi transferida para o dia 3 de agosto prximo vin-
douro, as 2 horas da tarde, a arrematacao dos ma-! eontrado abandonado em a porta da escada de ubi
teraes que se poderera aproveitar dos proprios na-' sobrado da ra do Crespo, quem fr seu dono pi
dem do dia 28.
84:0925647
EDITAES.
CORRESPONDENCIAS.
Srs. redactores.Na minha correspondencia pu
blicada hoje sobre a administracao do cemitero>
onde se lecoro a prestabilidadedeve ler-se! O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
como a prestabilidade, etc. E inais abaixo onde cial em cumprmento da ordem do Exm. Sr. pre-
l-seveja publicadeve ler-se-seja publica, etc.! sidente da provincia de 23 do eorrente, manda fa-
Coin a publicacao desta ficam composlas aquellas | zer publico que
palavras, e eu obrigado Vmcs.
28 de julho de 1864.
Joaquim Marinho Cavalcanti de Albuquerque.
PUBLICARES 1 PEDIDO.
A' respailo da administracao do cemiterio eura-
Appellante, Joo Pinto de Lemos Jnior ; appel- pre reconhecer, que tem sido a mais disvelada que
lada, D. Anna de Souza e Silva. 1 <$ possivel; nem seria fcil encontrar administra- ,
Appellante, o Dr. Manoel Buarque de Macedo ; appellado, J. F. G. Kladt. I presidencia apresentado assembla legislativa competentemente habilitadas.
Appellante, Francisco de Paula Carneiro Leao ; provincial no Io de marco de 1854. E P"* constar se mandou publicar o presente
appellado, Manoel Antonio de Carvalho.
CEMITERIO.
Primciro dia til.
PASSAGENS.
Appellante, Jos Goncalves Malveira ; appella-
dos, Yaz & Leal.
Appellante, Jos Joaquim da Silva; appellado?,
Ribeiro & Cadull.
Appellante, o brgadeire Gaspar de Menezes \ as-
concellos de Drummond, como preferente ; appel-
lado, Antonio Alves de Carvalho Veras.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Accioli
Appellantes, Francisco da Rocha Passos Lins e
O enlerramento dos cholencos ha sido executa-
do
do
cia de 21 de abril de 1856.)
CEMITERIO.
0 desta cidade, pela sua vastidao, elegancia de
alguus de sens monumentos, asseio, simitria e re-
gularidade, um dos mais importantes estabeleci-
i poderera aproveitar dos propric
cionaes, sitos em frente do arsenal de marnba.
Sccrctan'a da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco em 27 de julho de 1864.Manoel Jos Pinto,
servindo de olicial-maior.
O Dr. Trislo de Alenctr Araripe, ollkial da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direito especial
ilo commcrcio, desta cidade do Recife, capital da
provincia de Pernambuco, e seu termo, por S.
M. I. e C. o Sr. D. Pedro II, a quem Deus guar-
de etc.
Paco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverero, que por este juizo pendem
uns autos de execucao j sentenca de Domingos
Jos Ferreira Guimaraes, contra a viuva e e her-
deiros de Constantino Gomes de Carvalho, a qual
nitviiliiln nrnvinciil i Pseguindo era seus devidos termos, se flzera pe-
a\ 7 P oTVi ,-.- "hora na quanta de 3:5005 5 e sendo em publica
Rendimento do du 1 a 27......... 83;004502/ ; audjencja que a05 feitos e partes dava eslejuizo.pelo
* solicitador Ignacio Barroso de Mello, procurador
do exequente, me foi feito o requerimento cons-
tante do seguinte termo:
Aos 11 das do mez de julho de 1864, nesia ci-
dade do Recife.em audiencia que aos feitos e partes
dava o Dr. juiz de direito especial do commercio, j
Trislo de Alencar Araripe, pelo solicitador Ig-
nacio Barroso de Mello, procurador do exequenie
Domingos Jos Ferreira Guimaraes, foi aecusada a i
penhora feita em dinheiro pertencenle aos execu-
tados, a viuva e herdeiros de Constantino Go-
mes de Carvalho, e requerendo que ficassem as-
signados os seis dias da lei e dez .ios credores au-
sentes, e ouvido pelo dito juiz, assim Ihe deferio.
Foi o presente extrahido do protocolo das au-
diencias, a que juntei o mandado e termo de pe-
nhora que seguem. Eu, Manoel Silvino de Barros
Falcao, escrevente juramentado, o escrevi.Eu
Manoel Mara Bodrigues do Nascunento, escrivo
o subscrevi.
E mais se noVontnha e nem alguma outra cou-
sa se declarava em dito termo, aqu mui bem e
fielmente copiado e transcripto ; c em cumprimen-
lo o referido escrivo, fez passar o presente, com
o prazo de 10 dias, pelo qual chamo, cito e hei por
citados os credores incertos dos indicados executa-
dos, para que dentro do indicado prazo compare-
cain neste juizo, adro de allegaren! o que for de
direito, munidos dos seus respectivos documentos.
E para que chegue ao conliecunento de todos
mandei passar editaes, que serd publicados pela
imprensa e affixados nos lugares do cestume.
Dado e passado nesta cidade do Recife aos doze
dias do mez de julho do anno do nascimento de
Nosso Senhor Jess Christo de 1864, 43 da inde-
no da 4 de agosto prximo vn-
doufo, perante a junta da fazenda da mesma the-
souraria, tem de ser novamente arrematado, a
quem mais der, o imposto da taxa das barreiras
das estradas e pontos segnintes:
Ponte dos Carvalhos9045500 por anno.
Dita de Tapacur1:6895 per anno.
A arrematacao ser feita por tempo de tres an-
nos, a contar do 1 de julho de 1864 30 de junho
de 1867.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
cao comparecam na sala das sessoes da referida
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco M de julho de 1864.O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
com a mxima perfeice,gracas ao singular zelo 0Illm- Sr- inspector da thesouraria provin-
actual administrador. (Relatorio da presiden-, c.ia>> em curapnmento da ordem do Exm. Sr. pre
sidente da provincia, de 23 do eorrente, manda fa-
zer publico que no dia 11 de agosto prximo vin-
douro, perante a junta da fazenda da mesma the-
souraria se ha de arrematar a quem mais der, o! oendencia e do imperio.
Antonio Goncalves da Silva ; appellados, Kalkman raenios ueste genero, que existen no Brasil. (Re
Irmaos 4 C. iaterio da presidencia do de marco de 1837.)
Appellante, Antonio Goncalves da Silva ; appel- i _
lados, Mello, Lobo & C.
Do Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
desembargador Res e Silva
DISTMBUIQOES.
Recrreme, Jos Tiburcio dos Santos ; recorri-
do, Antonio de Souza Ribeiro.
Appellante, Basilio Alves de Miranda Varejo ;
appellado, Antonio Goncalves de Oliveira.
Appellante, Manoel Gouveia da Silva ; appel-
dos, os curadores fiscaes de Amorim, Fragoso, San-
tos & C.
Ao Sr. desembargador Reis e Silva
Appellantes, o Dr. Antonio Agripino Xavier de
Brilo e outros; appellado, Jos Gomes Leal.
Appellante, o coronel Jos Pedro Velloso da Sil-
0 cemiterio publico contina a ser dirigido com
regularidade pelo seu administrador; e, como se
tem chegado ponto do darero-se elogios quelles,
que enmprem o sen dever, obrigacao que tem to-
dos os fuaccionarios, a commissao nao pode deixar
de elogia-lo, confessando, que dessa regnlardade
e do asseio do estabelecimento, que tem resultado
a sua prosperidade ; porquanto isto ha feito, que
seja frecuentado, que a vaidade se despert, e que
todos queiram figurar com seus tmulos na mora-
da dos morios. 1 Relatorio da commissao de hy-
giene publica apresentado presidencia da pro-
vincia em 10 de Janeiro de 1856.)
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivo, o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
DECLUU?OES.
imposto de 25500 do gado vaccom consumido 110
municipio de Iguarass, no restante do triennio
eorrente, servindo de base a arrematacao a quantia
do 2:1505000
A arrematacao ser feita por tempo de dous an-
nos e dez mezes a contar do 1 de setembro prxi-
mo vindouro 30 de junho de 1867.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao comparecam na sala das sessoes da referida
unta no dia cima mencionado, pelo meio-dia. e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretarla da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 26 de julho de 1864. v^- <*s=M^^i;*Ss-JvjCxT>^n>t o
O secretorio, Chegando ao conhecimento da directora
^ou^^im^vj^s^^^j^^^T a,gr s,s-c6ntra-
cial.emcumpriraento da ordem do Exm. Sr. pre- tante' d0 P^nas d agua fornecem-na para
sidente da provincia de 30 de junho ultimo, manda outras propriedades e uso extranho do es-
fazer publico, que no da 13 de outubro vindouro, tabelecido no contrato, com infraccao da
COMPANHIA
vando ser-lhe-ha entregue.
Subelegacia da freguezia de Santo Antonio
Recite, 26 de julho de 1864.
O subdelegado,
Manoel Antonio de Jess Jnior.
THEiTRO
DE
APOLLO.
S;t hliado, 30 de julho.
Seita e ultima representaeo irrevoyavel cm que
temar parte
A FAMILIA SAWYER
Primeira notabiltdade europea,
nica no seu genero, conhecida sob a denomina.. o
de celebres
CAMPANLOGOS
dando um concert com a sua colleccao de
150 CAMPANHIAS,
conforme o seguinte
rit PRIMEIRA PARTg
1.' Hymno de S. M. El-Re de Portugal o Sr. D.
Luiz I. (Nova.)
2." A Romanza da opera Traviata.
SEGUNDA PARTE
1.' Aria final, adagio, andante e Miserere da
opera Trovador.
2.* Polka Mazurka Hngara. (Nova)
Nos intervallos a companhia dramtica dirigida
pelo artista Furtado Coelho, representar as tres
comedias em 1 acto :
A ESPOSA DSFE ACOIPANHAR SEU MARIDO,
MA CHAVENA DE CHA
E
A scena cmica :
0 photographo
desempenhada pelo Sr. Goncalves.
Orden do espectculo
Esposa, Campanlogos, phetographo, Campanlo-
gos, Chavena.
PRECOS.
Camarotes ordem 12,1000
* 2a > 164000
1 3* > 100000
Cadeiras : 1*000
Platea 2*000
Varanda 1*000
O espectculo principia s 8 s boras.


Diarto de Jeranmbaeo Hexia felra te de Jnlho de liftJ.
Os bilheles eslo vpnda no escriptorio do ttiea-
tro, no dia do espectculo, desde s 8 da ma-
nhaa.
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos por tos do norte esperado
at o da 2 de agosto e vapor
Paran, commandante o capito
de fragata Santa Barbara, o qnal
depois da demora do cestume se-
guir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaia-se a
carga qae o vapor poder conduzir, a qnal deven
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o da da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. i, escriptorio de
Antonio Lnit de Oliveira Azevedo & C.______
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sol espera-
do at o dia 30 do corrente o va-
per Oyapock, comraandaate An-
tonio Marcelino de Puntes Ribel-
__P ro, o qnal depois da demora do
costume seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder condnzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a (Tete at o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia, rna da Craz n. 1, escriptorio de An-
tnoLio uiz de Oliveira Azevedo & C
COMPANHIA PEn.NAMBUCANA
DE
IVavega^* tetra a vapor.
Parahjba, Natal, Sarao, Ararat), Ce ara. .learaen
t Granja
A Companhia Pernambucana ex-
pedir um de seus vapores para
_os portos cima indicados no dia
~~\ de agosto s 5 horas da tarde.
LE1L0
DE
hora*.
MA CASA.
Sabbado 30 do crrente |as 11
O agente.Aureliano legalraente aatorisado ven-
der em leilo urna casa terrea na ra Bella n.
41, com 4 quartos, 2 salas, corredor independen-;
te, sotio, cosinha fora e i (ruarlo, quintal murado
e um deposito para as agaas pluves que compor-
ta 8 pipas d'agua.
No dia cima indicado na ra do Vigario no es-
criptorio do Sr. eommeadader Antonia Jos 0
Castro.
Para qualqaerinformaeao dirilam-ae ao respec-
tivo agente.
lili iO
DT
Um engeHho com bom cercar* e mal-
tas, com casas de moenftn, caideiras
e de parear, todas de pedra e cal.
Segunda-felr i* de agosto.
O agente Pinto antorrsado pela cemmissao en-
carregada de liquidar os bens de Joa#ruiro El virio
de Sferaes Carvalho, levar pela segunda vex
leilo o eDgenbaS. Jeaquim, em Munbeca, o qaj '
SMWM9M9M&1
O Dr. Cosme de S Pereira conti*
na a residir na ra da Cruz n. 53,
i* e andar, onde pod ser procu-
rado para o exercicio de sua profte-1
sao medica, e com especialidadfc
sobre o seguinte
Io molestias
2"
3o
de othos;
dopeito:
dos oreaos genial]
urinarios.
Era sai escriptorio os desales se
,r3o examinados na ordem de sua
entradas cornaca mi o o trabaUwpelo*
doentes de ohos.
Dar consultas todos os dias d 1
6 as lOttamantSa, sainas nos do-
mingos.
Praticar toda e quatqoer operar
Cao que julgar conveniente para o
rprompto restabolecimento dos seu*
doeates.
Peco emprestadas ou compro as car-
tas de Pitha a Damao, por Frei Joaquina
do Amor Divino Caneca.
____Antonio Joaqun* de Mello.
Defronte da escada do passadico^ do Udo~Je
Santo Antonio, foraoce-se comedn a por preco
commodo, promptidao e muita limpeza, o lugar'
de faeil crmducc.io, lano ara o Recife como para
Santo Antonio.
mi
O hacharrl
Francisco Augusto da Costa
ADVOCADO
Ra do Imperador numero
Taberna.
Francisco Antonio de Medeiros, autorizado por
seus credores, faz venda de sua taberna na ra
Augusta confronte ao viveiro do Muniz, a dinheiro
ou a praso, conforme se convencionar.
Precisa-se de una ama para cozinhar e com-
prar para homem solteiro, prefere-.se escrava : na
ra do Queimado n. 17.
2aK
G9.

. ~ 7 esla P31"3 alujar a casa da ra t ugus-
jg '" ratar na ra Nova n. 59.
Aiuge-se urna preta para vender pao-da^t.
ggajaa^oyjmfceaa. trra, Jam^^^WSS^JStuZ f^M
Snassona e ao sul com trras do engento Munbe- .-,,.'. llpm nLrAr awwJ^ \ <,< .-.
(uinha e ao leste com trras Ae Samo
tarde : quem precisar, dirya-se esta typegra-
i Andr. -O ,pna m achara cara uem tratar.
indicada, is v ^ .JT..,.,^,-.
LEILO
DE
Urna casa da campo de pedra e cal, edificada em
cilios proprios com terraco na frente, quartos
fora para pretos, cacimba com boa agua, tan- j
que e casa para banho, grande sitio e arvoredos.
Segnoda-fcira 1 de agosto em frente a SISSSS
Offerece-se una ama para engommar e cose:
na praia do Caldeireiru n. 43.
Offerece-se urna ama s para cozinha e com-
prar, para cas* de peuca fatnilu : no l>ecco dtis
Portos, n una loja defronte de um cigarreiro.
ASSWM(Vtt,
Uminerdal Beneficente de
Peraanibueo.
Os sensores socios effeetivos da Aseociacao Com-
preciosas assim como sefaz qualquer obra (te en- mercial Beneficente sao convidados a se unirem
cormaenda, e todo e qualrroer concert, e igual- na sala das sessdes da mesma AssaciacSo no dia
mente se dir quem da dinheiro a premio. |* de agosto prximo futnro, ao nWSfc, aftm de
J ni un i n I iiir t\t> livifiivn A**, japreoiarem o rehrtori* coritas da actual direccao,
Amonio lu* a< uuveura AZ9-i0 ,kger aque deve diri,,iTOS trabajosVaSo
V&do 4t eiaCao no anno Que *al comecar.
. .. .. AssociMiio Commercial Bpneflcente de Pernam-
Agfnle-* do Banco Umao do Porto, buco23 dejuiho de sei.
Competentemente anterisados sacam por tod o I ios de VasconceHos.
o mesmo Banco para o Porto s |____________ Secretario.
leilo ser effectuado no dia cima .
11 horas, em frente a asrtrciacSo commercraf. ft-' prca iadtpt-nVireia, loja de ourivas
deado os pretendentes desde exaroinaTem o di-; n- H compram-se obras de ouro, prau e peOrae
to engenho.
Ahaja-se a casa terrea n. 86 na ra do Pilar
com commodos para familia e quintal : a tratar
na ra do Atalho n. 5, no fundo da caixa d'agua,
at as 8 uoras da raanhla, e das 4 da tarde era
dmte._______
Chnrubino Bandiere, subdito italiano, retira-
se para Macei.
Precisa-se da quana de l:S0O, daadcTse
por garanta dous moleques, endo um de 13 an-
uos e ontre de 14, ficando es servicos pelos juros :
quem o tiver, querendo fazer este negocio, dirja-
se a ra da Imperatriz n. 10, que se dir que
faz este negocio.
Precisa-se de urna nafrara ou de um sacer-
dote que queira ir ensinar duas meninas ern um
engenho en Serinhem, e se souber mnsica me-
Ihor, pois dar-se-ha bora ordenado : a tratar na
camboa do Carroo n. 16.
SAHIO A LUZ
KST A VK.NDA XA LIVRVUIA DO Sil. GSBALttO
ROA KSTRRITA DO BOtARIO X. 12 AS
NOCOES
*
PARTIDAS "flOBUlUS
OKKEHECIDAS
A Assoeiace Commercial Beneficente
i*i-:iiv%Hnrro
ron
M Fonseca de Medeiros.
O abaixo assignado tendo visto um annuncio
no Diario de Pti'umnbiicn de 28 do crreme mea
do agente de leitoes Anreliano, para se vender a
casa terrea n. 41 da ra Bella desta cidade, deca*
ra que esta casa llie est hypothecada, e previne
para que ninguem faca negocio sobre dita casa
>'-m se <*ntender com o hypotli-cario aa rna dr>
Galdino Antonio Alves Ferreira.
O abaixo assignado faz scinte que o Sr. Vic-
torino Lopes da Costa continua a ser sen eaixeiro.
_______^^^ Antonio Joaqnim de Mello.
assoeiaco commercial.
O agente Pinto faf leilo precedida a comps-
tente autorisaeao da casa e sitio, com os commo-
; Lisboa, e para as seguintes agencias.
Recebe carga at o dia 5. Encom- dos cima mencionados, a direita da estrada de S. i
mondas, passageiros e dinheiro a frete at o dia
da sabida s 3 horas da tarde: escriptorio no For-
te do Mallos n. 1.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegaciio costefra a vapor.
PtliOS do sul at Aracaj.
. No dia o de'agosto s 5 horas
da tarde expedir a Companhia
Pernambucana um do seus vapores
Ipara os portos cima. A carga se-
Pr recebida at o dia 4. Encom-
inendas, passageiros e dinheiro a frete at as 3
horas da tarde do da da sabida : escriptorio no
Forte do Mallos n. 1.
Jos do Manguind, entre os sitios do desembar-
gador Doria c do coronel Menezes de Drummoad,
as 11 horas do dia 1 de agosto era frente a asso-
eiaco commercial, os pretendentes podero desde
j examinaren! a referida casa e sitio.
LEILO
Londres
Paris
Hamburgo
liarcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
sobre Banh of London.
Frederic S. Balito & C.
Joo Gabe & Filho.
Precisa-se alugar urna preta quitandeira
sendo por preco commodo : quem tiver annunciei
Aluga-se o 2* andar do sobrado n. 79, na ra
Francisco Rabona & Ballista. i do Sggjg : a traiar aa ra do Crespo n g.
Atuga-s* o 2 andar
Para Lisboa pretendo sabir com hrevidade o
patacho porluguez Jareo, lem alguma carga enga-
jada, para o resto que Ihe falta, a frete commodo,
largo do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
lara l.lshoa.
Vae sabir em poucos dias com a carga que tiver
obrigue Bortogoez Confinnrn, quem quizer car-
regar ou ir de passagem enienda-se com os con-
signatarios Carvalho & Nogueira na ra do Apol-
lo n. 20 ou com o capito.
Festividade do N. S. das Ne-
ves na Parahiba.
Havendo numero sufficiente de passageiros, lar-
dar deste porto para oda Parahiba, um dos va-
pores da Companhia Pernambucana, na tarde de
\ le agosto prximo, devendo voltar no da 8. As
pessoasque desejarem assislir aquella festa, quei-
ram inscrever seus nomes, desde j, e at o dia 30
no escriptorio da Companhia, Forte do Matlos nu-
mero 1.
Gear, Maranho e Para
Soguate o lim do mez o patacho nacional An-
\rr, de l1 marcha e 1" classe, recebe carga : a Ira-
tar com A. de A. Porto, na ra do Vigario n. 10,
ou com o capito Ralis, a bordo, ou no trapiche
do algodao.
Para a Babia pretende sabir
muita brevidade o veleiro pataebo D.
Lniz, capito Jos Teixeira do Azeve-
do, por ter parle da carga engajada;
para o rosto que Ihe falta, trala-se
om os consignatarios Palmeira & Beltro, no largo
do Corpo Santo n. i, primeiro andar.
no
Brlgne nacional Algrete.
SeguRda-fcira I de agosto.
O agente Pinto levar novamenie a leilo re-
quer ment de Joaquim Jos da Costa e por despa-
cho do Illm. Sr. Dr. juiz de orpbos o brigue na-
cional Algrete, servindo de base a quantia de
1:0003 offerecida pelo mesmo Sr. Joaquim Jos
da Cosa, s 11 horas do dia cima dito em frente
a Assoeiaco Commercial.
Desappareceu na noile de 2i do corrente a
preta de nome Luisa, tendo os signaes seguintes:
vestido e chales escures, de estatura regular, tem
marcas de bexigas no rosio e no braco direito ai-
gamas sicatrizes de feridas, representa ter 23
27 annos de idade, o proprio senlrar julga que a
mesma anda nesta cidade e roga as autoridades
policiaes e capites de campo a pegar e leva-la a
ra dos Pires n. 34, que generosamente recom-
pensar.
i.-jt-:>o**i
AYISOS DIVERSOS.
Faltando anda no archivo
d.-sa typographla 4 voluntes
encadernados deste aviario, ro-
ga-se as pesoas qtte os Icvaram
por empeestimo se dignem man-
da-Ios entregar, nSo se mandan-
do buscar siias moradas ( bem
que nao se ignore) pela incerte-
za da hora cm que se encontra-
rlo em casa.
Jaime Meric.
Crdito commercial.
Gonzalo Segoria.
< M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Angra Terceira.
Caminha.
Castello Branco.
Chaves.
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos. Coimbra.
Bastos. Covilha.
Beja. El vas.
Braga. Extremos.
Braganca. Evora.
Faro. Fafe.
Oliveira d'Aze- Pinhal.
meis. Porto-alegre.
Penafiel. Thomar. Vianoa do Cas-
Tavira. Villa Nova do
Villa do Conde. Portimao.
Villa Beal de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No IMPEKIO.
Baha. Maranho.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista.podendo logo
os saques prazo serem descontados no mesmo
Banco a razio de 4 por cento ao anno : a tratar
na ra da Cruz u. 1.
Figueira.
Guarda.
Guimares.
Lagoa.
Lagos.
Lamega.
Leiria.
Moncao.
Moneorva.
Regoa.
Setubal.
Vianoa do
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
de sobrado da ra da
Aurora n. 44: a tratar na mesma ra n. 10.
4." % BI V V"l' V'
PORTUGUEZ DE LGITURi Ett PER-
KA BUCO.
Nao se tendo reunido numero sufficiente para
haver sesso no domingo passado, por ordem do
Illm. Sr. presidente do conselho deliberativa, con-
vido novamenie todos os senhores socios offectivos
para asessao ordinaria da assombla geral em que
se. tem de tratar do que dispoem os 1 e 2o do
art. 43, no domingo prximo 31 do correle, s 10
horas da manhaa, de conformidade com o art. 40
dos estatutos.
Secretaria do conselho deliberativo do Gabinete
Portugus de Leitura em Pernambuco aos 27 de
jnlho de 1864.
F. I. Tinoco de Souza
i. secretario.
Arrendam-se duas boas casas e sitios no Raogel n. 38
Monteiro sendo a primeira no pateo da capel la d
S. PantaJeo, com boa sala e gabinete de frente,
sala de jan tar rauito fresca, diversos quartos, to-
dos com janellas, com um optimj soto, com sala
e quartos com janellas, toda corrida de pateo e
gradeamento de ferro na frente, boa estribara, I ttauo
cochera e casa para escravos, um bello jardim e iituLUU
sitio mu bem plantado, com beasarvores de fruc- ??s**sfl '"', ,im* snl|ora de idade e de bons
tose tem excellente banlw de choque etc., etc., a l c",unJ''::- l'ie pnssa dai dlsso cenheclmcnto, e que
segunda tica confronte da povoaco margem do' ^b^do-se desvalida, queira reeo|her-sc a urna
rio, com 6 salas e diversos quartbs e grandes es-1 c*a ** '3min P*r fazer eonipaahia nmas me-
tribarias, casas para escravos, toda corrida de pa- mrws tt tra,ar d*"*s' mpregado-se ao interior
teo com gradeamento de ferro, boa baixa de ca- dacasa no servico que quizer fazer, dando-se-lhe
pira, bem plaaudo, al^mnas arvores de frncios e ca'nn- me;a 6 ama gratifteacao mcnsal que se ajas-
bastante terreno para plantajo: a tratar na ra '*r.^^ servindo edias condicoes, pode dirigir-so
do Apollo n. 1, segundo andar.
D-se dinheiro
.43.
a premio
na ra Augusta
.. I este jornal.
ra dos Guararapes, sobrad n. 28, para tratar.
ITerece-se urna pessia para caixeiro de ar-
maran de assucar : quem precisar aanuneie por
Precisa-se alugar um raoleque para os serv
eos de urna casa : a tratar na ra .Nova n. 58, ter
ceiro andar.
LEILES.
& tea
.tos I0:000$000.
No sabbado (5 du agosto prximo ter
lugar a extracfo da primeira parte da pri-
meira lotera de S. Francisco do Recite.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
com yenda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 10:0003000 at 205000
sero pagos urna hora depois da extraccSo
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuirlo das listas.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Joo da Silva Ramos, medico pela l'ni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doeutes
em suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em qual-
quer oceasio. D consullas aos Marea
que o procurarem no hospital Pedro H,
aoude encontrado diariamente das 6
.. s 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de sade regularmente I
montada para receber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000diarios.
Segunda dita.... 25300
Terceira dita.... 20O0
Este estabelecimento j bem acredi-
Hi tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que ello conti-
nu a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
e poi-liiiiie/.a.
& C. livreiros,editores e importado-
Precisa-se de negras para vender, jugndo-
se vendagem, bolinhos de diversas qnaldades, as-
sim como se armam bandeijas para quaesquer me-
sas, por preco commodo : quem as liver dirija-se
roa deS. Bom Jess das Crioulas n. 30, que acha-
r com quem tratar.
Precisa-se de um rapaz para caixeiro de ta-
berna : a traiar na travessa de S. Jos n. 22.
tirammatica iuglexa
D. Appleton
res cm New-York, Estados l'nidos da America,
acabam de publicar um novo methodo para os in-
glezes aprenderem a lingua portugueza por F.
Granert, 1 vol. 12 mo.
Este livro, o melber at boje publicado ex-
pressamente impresso para supprir a immensa fal-
ta que ha de urna grammatica ingleza e portu-
gueza, para aquelles que f.illam o inglez e que de-
sejam aprender a lingua portugueza.
D. Appleton \ C. sao os editores das obras em
hespanhol par:: edncacu muitissimo usadas no
sol da America. Tamiem publicam os melhores
albnns para carloes de visita.
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17,2" andar, onde pode ser pro-
carado a qualquer hora do diae da noile
para o exercicio de sua prolisso de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
mcio dia at 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias do interior, prosegue, com o
maior ahinco, no das mais dilliceis e deli-
] cadas operacoes. como sejam dos ergos
5 ourinarios, dos ol los, parto?, etc.
mmmmm mmmm mmmmk*
Aluga-se a lo a da casa n. 10 da ra das Trin-
cheras : na ra da Aurora u. 3B.
S
\ Companhia flddnde de
seguros martimos e ter-
restres cstabelecida no
Rio de .Janeiro.
AORNTRS EM PEPHAMBt'CO
Antonio Luiz competentemente antorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomara seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n
ROUBO
No dia 23 desle mez, urna lavadeira foi atacada
e roubada do caminho do Cordeiro para o Ueiife
por um preio que levou una troux.i que continha
3i fronhas de linho sem marca e 13 canas de col-
chio de linho pardo com a marcaParan :
" -se
Precisa-se alugar urna preta que saiba cozi-1 qnem apprehender todos estes olri/cto?, dirija-s
nhar e engommar : quem a tiver, dirija-se ra ; ra de Sanio Amaro n. 12, junto a ra Nova.
do Trapiche n. 4, que achara com quem tratar. | __ Lidio Mariano de Albuqum-quu a.-l.a-se pro-
visonado para solicitar
- Aluga-se o terceira andar da casa n. 48Hoa I "=""' Pa.' tanto no foro civel
ra do Trapiche : a tratar no armazem da mesma, Sn, commercial desta cidade, para o quo pode
casa.
-i a -1 o m r. 5 s. a C -3 B a 6 9 -- O
cft --> 9 01 -> -i Va _ V
-i I 3 o v> c -l O vt 'n a i O /. -i M Si O N 3 i- a a. -V. s. H O 3-7

Mi
ser procurado na ra do Imperador n. 12.
TINTURARA.
Tinge-se com perfeico para qualquer
cor, e o mais barato possivel
Rangel n. 38. segundo andar.
na ra do
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata cm obras velhas
daga-se bem: na loja de bilhetes da pracada lude
pendencia n. 22.
Precisa se alugar urna preta escrava
servico de una pequea familia : ra das
zes n. 28, primeiro andar.
para
Cru-
LEILO
DE
'."rna grande armaco de amarello envidracada,
balco, carie ira, armarios, cadeiras, sofs, me-
sas, espelho, e algumas pecas de roupa feta
existentes no estabelecimento de alfaiate na ra
.Nova n. 00.
iio.ii:
texta-felra ?> de jnlho s II
horas em ponto.
0 agente Pinto far leilo requerimento do
depositario geral c por despacho do Illm. Sr. Dr.
,:iiz especial do commercio dos objectos cima
mencionado', s U horas do dia cima dito, na
loja da ra Nova n. 60, casa da esquina junto a
"me da Boa-Vista.
LEILO
DE
1 -ota, 1 niarqnca, 2 consolos, 1 iian-
ca com gaceta e 12 cadeiras.
HOJE |
Sexta-fetra 29 de juiho s 10 horas em pon-
to ra Nova n. 60.
0 agente Pinto far leilo requerimento do
depositario geral e por despacho do Illm. Sr. Dr.
uiz especial do commercio, dos objectos cima
mencionados, depositados por Jos da Rocha P-
rannos como Mador de Jorge Rodrigues Cidreira,
para receber seu dono Lourenco Puggi, o leilo
f-r effectuado no dia, hora e" lugar cima indi-
cado.
Scita^feira 29 de juiho s 1 \ horas
ra da Cadeia a. 53.
DE
l ma olla va parte do sobrado n.
40. na do Traplehe.
Por intervenco do agente Euzebio se vender
'"i leilo a oitava parte do sobrado de 3 andares
a ra do Trapiche, cuja venda ser feila pelo
"\aior preco qne se achar attendendo o da avalia-
"io segundo o inventario a que se proceden.
n. V. da Silva Barroca faz leilo de 18 caitas
om enxadas avariadas.
Iloje ao mel da.
Em seu armazem na ra da Cadeia n. 4.
LEILO
no.ii;.
sea-feira 29 de juiho s II horas
ra da Cadeia n. 53.
11 DS
ira escravo cnoulo, cauoeiro, idade
cerca de 40 tunos.
Pelo agente Euzebio se vender em leilo o es-
ravo Pedro, crioulo, natural do Penedo, emende
tauo e e canoeiro, robusto e forte, proprio para
najo at de campo.
0 cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharo como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pre-
fissao, chamado por escripia.
Precisa-se de urna criada que saiba
engommar e cosiuhar : na na do Impera-
dor -n. 17, segundo andar.
MSI
Precisa-se alugar um escravo fiel e capaz
para fazer as compras diarias, tirar leite de vac-
cas e trabalhar no sitio, e quando preciso for, tra-
tar de cavados : quem liver, procuro no escripto-
rio n. 17, ra do Trapiche.
^ji-iim8-tti...
1 DENTISTA DE PARS
19Ra Nova -19
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operarles de sua arte, e col-
loca dentcs artiliciaes, tudo com superio-
ridade e perfeico, que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos denuncio.
"
Manuel Francisco Pontes, Joo Francisco
Pontes e Manoel Jos Martius da Silva, pos-
suidos da mais pungente dor, convidara a to-
dos os seus amigos para assistrcm s 6 I \i
horas de sabbado 30 do corrente na matriz
do Corpo Santo, missa que mandam cele-
brar por alma de sua e-.tremtsa mai, irma
e tia D. Maria Martios de Jess Pontes, fal-
lecida era Portugal, por cujo caridoso ob-
sequio antecipam seus siuceros agradeci-
mentos.
PU0liHAM\
da festa da excelsa Se-!
nhora Sant'Anna, na
matriz de S. Antonio.
A commissao enearregada tem a honra
de annunciar ao publico, que domingo 31
do corrente ter lugar a fusta da Senhora
Sant'Anna, sendo pregador do Evangelho
o Rvd. padre mostr Leonardo Joo dro-
go, e a noite Te-Deum em que pregar o
Rvd padre mestre Antonio Manoel da
Assumpco: tarde e no final da festa
haverao dous bales, sendo toda esta
funeco acompanhada por diversas e es-
colindas pegas de msica, desempenha-
das pela banda militar dos menores do
trem. Pede-se, pois, aos senhores mora-
dores das ras Nova e Cabug, o obse-
quio de illnminarem suas varandas .
Precisa-se de urna ama de leite : na ra Im-
perial, sobrado n. 87.__________
Aluga-sc um sitio na estrada daPoniede
l'choa e a margem do rio, pouco adianto do Illm.
Sr. commendadnr Nery Ferreira, tendo banheiro,
palanque, galinheiro e outras acommodacoes; e
outro dito no Monteiro, cm frente ao oitao daigre-
ja : a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Sou-
za, ra do Crespo n. 15, ou estreita do Rosario nu-
mero 32.
Maques sobre Portugal. 53
ae O abaixo assignado, antorisado pelo a
|g Banco Mercantil Portuense. e na ausencia 8
jg[ do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef- jS
furtivamente por todos os paquetes sobre S
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga- 28
I res do reino, por qualquer somata vis- 8
9 ta, e a praso ; podendo, os que temaren) jj
saques a praso.receberem avista, no mes- 8
W mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na jj^
aa loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou
I na ra do Imperador n. 63, segundo an-
B dar.Jos Joaquim da Costa Mala.
Aviso em tempo.
O abaixo assignado tem entregue as contas dos
devedores da exlincla firma de Vidal 6 Bastos, de
j que liqoidatario, ao seu procurador Luiz Fran-
' cisco Mello lavares, para serem cobradas amigavel
, ou judicialmente.
Recife, IS de juiho de 1764.Joo Carlos Bas-
tos Oliveira.
Precisa-se de iOOS a premio, d-se para
garanta um predio de. muilo mais valor, silo nes-
ta praca : a quem convier, pode dirgir-se ra
Imperial n. 269,oa indicar sua morada nesta ty-
pographia em caria fechada J. C.___________
Aluga-se urna negrinha de 14 annos de ida-
de, muilo sadia e esperta para todo o servico in-
terno de nina casa de familia : a Halar na praca
da Boa-Vista, sobrado que volla para a ra do Ara-
gao, primeiro andar.
Precisa-se de urna criada livre ou escrava,
que saiba cozinhar e engommar : na ra das Cruz
n. 42, primeiro andar.
Francisco Luiz Belem, cidado casado, ami-
go mestre de msica vocal e instrumental nesta
cidade, regressando de novo mesma cidade, con-
traria a ensinar tanto msica vocal como piano,
nao s por casas particulares como na de sua re-
sidencia, ra das Cruzes n. 2, primeiro andar.
Promette envidar como sempre os seus esforcos
para o rpido adiantamento e prcwilo das pessoas
confiadas aos seus cuidados.
Revista do instituto Archeota-
gleo c Gcograohieo Pernau-
bueauo.
Acham-se venda os 3 primeiros nmeros, na
livraria Econmica de Jos Nogueira de Souz.
junto ao arco de Sanio Antonio, onde se subscre-
ve para esta Revista :
Por anno.....5.3000
Nmeros avulso. 15300
Compra-se cobre velho :
mero 78.
na ra doBrum nu-
Precisa-se de urna criada livre ou escrava
que saiba eczinhar e comprar : na ra de Santo
Amaro (Mundo Novo), sobrado onde morou o Sr,
Dr. Sabino.
0 Sr. Joo Francisco de Pontes com padaria
em Garuar tenha a hondade de dirigir-se ao lar-
>o de Pedro II n. 27, terceira andar, a negocio que
Ihe diz respeilo.__________________________
A fabrica de calcado sita na ribeira de S-
Jos n. 25, precisa de urna pessoa que saiba coser
era machina de costura, que se Ihe pagar i'oni)
por dia. ^________
im c w. ifv\ i iiv,
Medico inglez,
e habilitado pela faculdade de medicina da Bahia.
tendo voltado Pernambuco, pode ser consultado
todos os dias em seu gabinete, ra do Bruro nu
mero 74^________________________
Offerece-se urna ama de leite : na ra do Vi-
gario n. 27, segundo andar.
Precisa-se de urna ama para coziuhar em
; casa de pouea familia : na ra d> Crespo n. 23
Aluga-se motado do primeiro andar da roa
! Direila n. 4 : a tratar na taberna._____________
|; Quem precisar de urna ama de boa conducta,
[ I procure na ra da Roda n. 31.
Ama cozinheira.
Na ra do Brum n. 84 se dir quem precisa de
urna ama cozinheira, preferindo-se livre.
iielogio
quem tiver e quizer vender um relogio de cure
bom regulador dirija-se ra do Livramcoto n.
15, que se dir quem quer.
Compra-se um ornamento para celebrar mis-
sas. que esteja em bom uso, sendo a casula encar-
nado e branco, um calix, um mis.al e um ferro de
fazer hostias : quem liver dirija-so casa do sa-
chrislo da ordem terceira de S. Francisco.
Compra-se a collccco do peridico denomi-
nado o Commercial Pernambuatno que leve a pu-
ilicacao do seu primeiro numero a 0 de maio de
1861: no sobrado da ruado S. Francisco n. 10,
como quem vai para a ra Bella desta cidade.
Compra-se um negro de me i a idade para o
i servico de sino, c que saiba lirar leite, assim como
urna negra engommadeira c cozinheira, sem acha-
ques e nem vicios : na na da Impcratriz n. I!).
Compra-se
idade de 11 1 i
uma mulatinha ou negrinha com
annos: na ra Diretla n. 103.
3-RA KSTRKITA DO R0SARI0-3
Francisco Pinto Ozono contina a col-
locar denles artiliciaes tanto |k>t meio de
molas como ]>ela presso do ar, nao re-
cebe paga alguma sem (pie as obras nao
Jiquera a volitado de seus donos, tem pos
e outras preparaeoes as mais acreditadas
para conservado da bocea.
Compra-se uma negrinha de 8 10 anuos do
dade : na roa do Queimado n. 34, loja.
Compra-se um alambique de cobre ou de
ferro em bom uso : na ra do Imperador n. 12.
lina escrava.
Compra-se uma escrava que saiba engommar e
cozinhar com perfeico : na ra da Cruz n. 45,
! segundo andar.
YENDAS.
Precisase alugar um moleque : na ra es
treita do Rosario n. 2'i. primeiro andar.
Na ra* estrella do llosario n. 34
Advogado Affonso de Albu-
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
tetras, porm, na villa do Cabo.
IMMItl
Aluga-se uma prela que cozinha, engomma
e ensaboa, para pouca familia, e s se aluga para
casa terrea : na rna das Flores n. 7.
Manoel Joaquim Baptista, escrivo vitalicio
do civel do termo desta cidade do Becife, julga
conveniente declarar que nao tem ilito algum de
nome Manoel Joaquim Baptista Jnior, pelo que
nao se emende com pessoa de sua familia um an-
nuncio que sahio ltimamente respeito de uma
pessoa de igual nome.
Arreudase, vende-se, ou mesmo troca-se por
i casas na praca um sitio na Varzea margem do
ameno Capibaribe, com duas grandes casas, com
7 quartos, 4 salas, 2 cozinhas e um soto, tendo a
parle eocheira, estribara, e quartos para criados,
todo plantado de arvores de Truele, abacates, sapo-
8' j lia, fructa-po, limo doce, limas de umbigo e da
Persia, larangeiras de umbigo, soletas, tangerinas,
etc., um grande cafesal com fructas, jaqueiras,
mangueiras, coqueiros, dendezeiros, com mais no
fundo urna casa de taipa, c bem assim mais 4 ca-
sas de tijolo acabadas de pouco tempo, com frente
para o nascente, muilo frescas, tendo cada uma 2
salas, 2 quartos e cozinha fora : os pretendentes
dirijam-se ra do Queimado n. 27, loja de fazen-
flas dos Srs. Custodio & Carvalho.
Miguel Jos Barbosa Guimares socio prin-
cipal da firma de Guimares & Lima, faz scente
a todos os devedores a esta firma que tendo falle-
cido o socio Jos de Almeida Nunes Lima, est
procedendo a liquidaco da mesma e por isso pe-
de a todos os devedores o especial favor de man-
daren) saldar seus dbitos o mais breve possivel.
Recife, 9 de juiho de 1864.'__________________
Quem precisar de uma ama de leite, dirija-
se ra da Lingoela n. 4.___________________
Precisa-se de uma ama para casa de rapaz
solteiro : na ra do Queimado n. 47.
Um mo^o competentemente habilitado para
ensinar primeiras letras, latim e francez, offerece-
se para leccionar ditas materia- cm qualquer en-
genho perto desta praca : quem quizer aanuneie
por este jornal para ser procurado.
Alugam-se as casas terreas ns. 1, 3 e 7 da
ra do Hospicio, tendo cada uma 2 salas, 4 quar-
tos, corredor ao lado, cozinha fora, quintal e ca-
cimba : a tratar na ra do Seve n. 2.
Paulo Jos Gomes & Mayer, terminaran) des-
de o dia 21 do corrente a sociedade que tinham
com Antonio Jos Lisboa, nos armar.ens de pinho
do caes 22 de Novembro ; assim como avisam s
pessoas que se acham a dever ao mesmo estabe-
lecimento, que s ao abaixo assignado devem pa-
gar, em virtude de Ihe ficarem nertencendo todas
as dividas at aquella data. 11 cif- 27 de j'ilho de
1864.-Paolo Jos Gomes & Mayar.
Est nos prelos da typograpbia Commercial
o piedoso livro do Mez Doloroso : as pessoas que
quizerem assignar esta obra, pode dirigir-se em
Olinda a residencia do Sr. conego Jao Chrisosto-
rao de Palva Torres, no consistorio da igreja dos
Miliares, e no Recife na mesma typograpbia.
O juiz de paz da freguezia do Pojo da Panella
(Duarte Cnelho) mandou alBxar as portas das
igrejas PocoMonteiroum edital fazendo a con-
vocaco para os cinco dias de recurso da qualili-
cac daquella freguezia, marcando o
Uma pessoa com as habili taces precisas na ci-
dade de Olinda se olforece para se encarregar de
despachos de papis tanto no civel como no ecle-
sistico por preco commodo, por isso quem preci-
sar dirija-se em Santo Antonio loja do Sr. cora-
mendador Figueiroa, rna do Queimado loja de fa-
zendas n. 20, e no Recife taberna do Sr. Antonio
Ramos.
COMPENDIO DOLOROSO
que conlem o oflicio do Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e offerecer a co-
rda, um setenario e mais outros exercicios
de piedade e devoco; ordenado pela ir-
mandade dos servos da mesma Senhora,
que se acha erecta na egreja de N. S. d
Fenha do imperial hospicio dos reveren-
dos padres misionarios apostlicos capu-
chinhos italianos de Pernambuco, approva-
do por S. M. I., que Deus guarde; dado
luz por devoco do milito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 320 rs. na lirraria ns. 6 e S
da praca da Independencia.
Livro de orajes.
Vende-se 160 reis, na livraria ns. G c 8
da praca da Independencia, um livrinho con-
tando o seguinte : louvor ao santo nome de
aa qualill- ^w$ co|.., (|os actos j,, amor ,|,, r)Qa$t ora.
agosto. Nao quiz faze-la pelos jornaes, dizem, pa-: CCS e petices, hymno ao Espirit Santo, co-
ra nao se tornar rauilo publica, nao ficando ai oda roa do Senhor, aviso a qualquer alma de-
satisfeito com as vonudes que se Ihes fez el com-1 vota, desengaos da vida humana, hvmno
mirante caterva.... Que bello juiz de paz !M de Sant0 Ambrozio a Nossa Senhora, jcula-
fabncar velas do formato das .^____0__.. .__......._._. J. ,
Utencilios para I
de espermacete, faz se negocio
ra dos Guararapes n. 49.
muilo barato : na
Offerece-se uma pessoa bastante habilitada
para feilor de um engenho: quem pretender diri-
ja-se ra de Aguas-Verdes n. 100, segundo an-
dar, que se dir cora se trata.________________
Precisa-se de uma raulher de 50 annos. de
idade para cima : na ra da Reda n. 48._______
Roga-se ao Sr. Izidro Jos da Silva
morador em tenas do engenho Oiteiro de
S. Rento, que tenha a hondade enlender-se
com Frederico Chaves, na ra do lmpera-
triz n. 19, a negocio de interesse.
Ama
Precisa-se de uma ama que compre
para casa de pouca familia
nal n. 45 ou 124, sobrado.
c cozinhe,
torias ao Santissimo Sacramento, exercicio da
via-sacra, commemoracSo Nossa Senhora
do Carato e ao SS. Sacramento, directorio
para a oracao mental, dividido pelos dias da
semana, obsequio ao corar) de Jess, sau-
daces devotas s chafas de Consto, ora-
coes Nossa Senhora, S Jos, ao anjo ila
| guarda, Deus em obsequio qualquer san-
to e para a noute, e responso pelas almas
do purgatorio.
I Yc5dem-se
i as Revue des Deax Mondes de l.'i do marco, I' de
abril, I*" e 15 de maio, Io de junho, lo de agosto,
15 de outubro, 15 de novembro, 1. e 15 de de-
zembro de 1863, IS de Janeiro, Ia e 15 de fe-
vereiro de 1864, a 1,5200 cada volume; A muta
na ra
Na fabrica de calcado sita na ribeira de S'
Jos n. 25, precisa-se de uma pessoa que saiba co-
ser em machiua de costura, que se Ihe pagar 23
por dia.____________________ ._________
Emilio Ales Coulinho, subdito portuguez,
retira-se para o Para. _________________
Aluga-sc uma boa casa terrea bem aceiada,
sita na ra dos Coelhos n. 6 junto ao sobrado do
fallecido Anacleto : trata-se na ra do Mondego,
otaria n. 13.
i tratar na ra Impe- especiai ,u, sconde de branles por
do Crespo n. 4 toja.
Vendem-se caixes vastos a 1:700
cada um : na ra das Cruzes n. 44.
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnorrheas
antigs e recentes, nico deposito na bo-
i tica franceza, ra da Cruz n. 22, pre-
ico n
:
ILEGVEL


DLirio de Pernaiubuco Sexta eir 9 de lulho de i 8 4.

I
1

AO PUBLICO
Mem o menor constran-
glniento se entregar o
importe do genero que
nao agradar.
. i
ATTENCAO j
Os procos da seguate:
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de coutas
com os portadores.
ARMAZEM UNIAO MERCANTIL
RA DA CADEIA IIO RECIFE M. 53.
(Logo passande o arco da Coneeieio)
Grande redcelo de precos, equivalente a dez por cento menos do que outro qualqner
anniinciante.
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o prego da manteiga ngleza a l,ooors. a libra, bem assim o de outros
uiuitos objectos, etc., dando com isto oeasio a todas as espeluncas acabarem por bom prego a manteiga de tempero, e grilarem em
alta voz, que podem vender pelo proco que eu vendo!! I Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vim encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande redcelo de precos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo meu bairro, at a abertura do momoravel armazem de molhados Unio Mercantil nao
se sabia de outro prego de manteiga ingleza a nao ser o de l,4oo a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da reduego a que
esto obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamacao de pregos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
mal informado deste novo estabelecimento. para Ihe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o seu fim
tao smente obter a concorrencia de seus freguezes.
Para bem de todos.
Senhores e Senhoras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromptido e entei-
reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteccSo e preferencia na compra
dos gneros que precisarem, e quando nao pogam vir podero mandar seus portadores, ainda que estes sejam pouco praticos, pois
sero tao bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendago, a6m de que nao v5o em outra parte.
^SARTE iVMEID?
Manteiga ingleza (safra nova) especialmente
escomida a 800 rs. a libra, em barril se
faz abatimento.
dem franceza a mais nova que tem vindo ao
mercado a 56o rs. a libra, e em barril ou
meios a 5oo rs.
Cb hysson de superior qualidade a 2,Coo rs.
a libra.
dem perola o mais superior do mercado a
2,8oo rs.
dem huxim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem pretohomeopathicoporserde superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra.
dem hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,6oo, i,800 e 2,000 rs. a
libra, garante-se ser muito regular, igual
ao que se vende em outra parte por 2,4oo
e 2,6oo rs.
Linguicas, chourigas e paios em latas de 8
libras, ermeticamente lacradas a 5.000 rs.
garante-se serem superiores aos que vem
em barris.
Chourigas e paios t-m barris de meia e urna
arroba a 8,000 rs. e l,5oo c Goo rs. a libra.
Queijos flamengos muito frescos chegados
nestf ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor
passado a 1,600 e 1,800 rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
vindo ao mercado a 800 rs. a libra entei-
ro se faz abatimento.
dem pialo muito fresco a 800 rs. a libra.
dem do Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 800 rs. a libra, a ellos
antes que se acabem.
Ervilhs c favas porluguezas em latas j pre-
paradas a 64o rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes de Lisboa a '600 rs. a libra.
l'rezunto do reino vindos de casa particular
a 56o rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro.
dem inglezas para fiambre chegado neste
vapor 72o rs. a libra.
Cipos lapidados para a gua a 5,ono c 5,3oo a
duzia,
Choculate francez, suisso e hespanol a loo
l.ooo e l,2oo rs. a libra.
Espermacele em caixinhas contendo 6 libras
por 4,000 la.,garante-se serem transpa-
rente e de superior qualidade, tambem tem
de 12 por libra propria para carro.
l'eixe em posta sovcl, corvina, gors. pesca-
rs. e em barricas de 4 duzias se faz abati-
mento.
Cat do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
e 8,5oo rs. a arroba.
dem lavado depiimeira qualidade a 3oors.
a libra, e 9,ooo rs. a arroba.
dem do Cear de superior qualidade a 2lo
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,000 rs. a
arroba.
Arroz do Maranhiio a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba.
dem dalndia muito alvo egraudo a loo rs. a
libra, e 3,ooo rs. a arroba.
dem de Java a 80 rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
Paingo e alpista a 14o rs. a libra, e 4,3oo
rs. a arroba.
Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
600 rs. e de barril muito superior a 5oo
rs. a libra.
Aletria, macarro e talharim a 4oo rs. a li-
bra, e 9,ooo rs. a caixa.
dem o talherim branco a 32o rs. a libra,
estas massas tornam-se recomendaveis as
pessoas doentes por serem propriamente
t'eitas para esse lim.
Estearinas a 56o rs. a libra, e em caixa com
23 Jibias a 52o rs.
Vinbo do Porto muito lino excellente qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
tas com 9 caadas por 43,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o, Ceneja branca e preta das marcas mais a-
creditadas que vem ao mercado a 5,ooo e
Antonio de Lisboa em latas com 6 libras
por 2,5oo; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de3 libras por l,5oors.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra
por 1,2oo; ditas em caixinhas de deversos
tamanhos com bonitas estampas na caixa
exteriora l,2oo, l,5oo, el,8oors.
Azeite doce refinado Penanol ou do Kempes
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,5oo a
caixa com urna duzia.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo a
caixa com 2 arrobas.
Conservas inglezas a 75o rs. o frasco e
8.000 a duzia.
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o
Nozes muito novas a 16o rs. a libra
Molho inglez em garrafa de vidro com
rolha do mesmo a 5oo rs.
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a
800 rs. o frasco.
Mostarda franceza em potes j preparada
a 4oo rs.
Lentilhas excellente legume para sopa a 2oo
rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas
grandes a l,ooo rs. e H,ooo a duzia.
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o mago.
Sal refinado em frasco de vidro com rolha do
mesmo a 5oo rs.
Acaba e receber de sua propria encommeoda um grande e vanado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer 3os seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, afiangando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
PAKA a festa
S. JOAO
de 800 rs. a libra.
DE
Amcndoas confeitadas
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 rs,
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e 5oo rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
dem hysson o mais superior que se pode
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
E S. PEDRO
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limao, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, ortel pimenta a 4,00o
rs. a duzia l,ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
Passas muito novas em quartos e inteiros a
2,000 rs. o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra.
dem corinthias proprias para podim a 9oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhs secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhs francezas em latas a 600 rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado ns. 49 e 55, loja de raiudezas
de Jos de Azevedo Maia e Silva, est continuando
no seu progresso de vender baratissimo:
Capachos grandes e superiores a 500 rs. cada um.
Caixas de superiores brelas de cola e massa a
40 rs.
Cordo branco para vestido a espartilho, vara 20
ris.
Linhas de carretel (150 jardas) de superior quali-
dade a 60 rs.
Cartoes de linba Pedro V (200 jarda?) j muito
conbecida a 40 rs.
Grozas de pennas de ac do muitas qualidades e
superiores a 500 rs.
Caivetes de duas folhas porern linos a 500 rs.
Caixas com calungas muito bonitas para rap a
100 rs.
Franja branca e de cores para toaltas a 1G9.
Pares de botes para punho muito bonitos a 120.
Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a
126 rs.
Tinteiros de vidro com superior tinta a 160.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
. Groza de botoes de tonca pratiados, o melhor, a
160 rs.
I Tesouras para costura, o mais superior, a 400 rs.
Ditas para unhas muito finas a 400 rs.
Escovas para limpar dentes muito superiores a
200 rs. m
Libras de laa de todas as cores (pesada) a 7J.
Caixas de phosphoros de seguranca a 160.
Ditas de papel amizade pautado e liso a 600 rs.
Ditas com 100 anvelopes muito superiores a 800
ris.
Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
Cartas e taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas com superiores iscas de acceder charutos
a 40 rs.
Carreteis de linha Alexandre (200 jardas) de cores
a RO rs.
Baralhos para voltarete milito linos a 240.
Cartas de alfinetes francezes muito tinos a 40 rs.
Meadas de linha f'xa para bordar a 20 rs.
Pares de sapatos de tranca muito superiores a
14600.
Papis de agulha com um pequeo toque a 10 rs.
Groza de botoes de madreperola muito linos a
560 rs.
Cartoes e caixas de celchetes francezes superiores
a40rs.
Bonets para meninos muito finos a 13500 e 2.
Macos de grampos superiores e limpos a 40 rs.
Groza de phosphoros do gaz muito novos a 2J2O0.
Areia preta muito superior a 100 rs.
Caixas de rap com espelho a 100 rs.
Realejos para entreter meninos a 80 rs.
Pecas de fita de linho muito boas a 40 rs.
Pentes de lago muito bonitos a 15.
Enfeites de laco de todas as cores a 15300.
Rodas com altinctes francezes a 20 rs.
Caixas com quatro papis de agulhas imperiaes a
240 rs.
Sabonetes de familia a 80, 160 e 320.
Caivetes de duas folhas muito finos a 320.
Pares de sapatos de laa para meninos a 400 rs.
Sapatos de tranca para senhora e para homem, os
melhores que tem vindo, e por preco muito barato:
quem quizer ver, venha ra do Queimado ns.
49 e 5o. e ver tudo como bom e barato.
4oo c5oo rs. a garrafa, em caada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a ioo e 5oo rs. a garrafa, om caada
a 3,ooo e 3,3oo rs.
Vinho branco para missa em caixa de I duzia
a 8,ooo e a 68o rs. a garrafa.
Vinho do Porto das melhores marcas, que
vem ao mercado como sejam Lagrimas do
Domo, Duque do Porto, DuqueGenuino,
D. Luiz I., Madeira secca, Malvazio fino,
Fcitoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
io,ooo rs. ea 9oo e I,oooa garrafa.
Vinho Colares o mais superior que tem
vindo ao mercado a 64o rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
a 36o e 36o rs. cada urna.
Sardinhas portuguesas em latas grandes
preparadas pelo melhor conserveiro de Lis-
boa a 6'io rs.
da, salmo. ostras e chernee, vezugo em Bolachinhas inglezas as mais novas do mer-
lats grandes a 8oo e l,ooo rs. cada urna, j cado a 2,8oo rs. a barrica, e 2o rs. a
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-, libra,
das que tem viudo ao nosso mercado a Bolachinha de soda em latas com diversas
6,000, 7,ooo e 8,000 rs. a caixa, garante-j qualidades a l,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco. | para mimo a 64o rs.
Genebra de llollanda a 50o rs. o Irasco, e Passas muito novas de carnada a 4oo rs. a
3,7oo rs. a frasqueira.
dem de laranja verdadeira de Aliona em
frascos grandes a 1 .ooo rs. o frasco, e
11 ,ooo rs. a duzia.
dem de llollanda em botijas grandes a 4oo
libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
I,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca muito nova a2oors.
Charutosde todos os fabricantes da Baha e das
mais acreditadas marcas conhecidas no
nosso mercado a 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo,
3,ooo e 3,8oo a caixa de loo charutos.
Cognac inglez das melhores marcas a
1,080 rs. a garrafa.
Doce da casca da goiaba om latas de 4 li-
bras por 2,ooo; ditoemcaixoesa6oors.
cada um.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a
32o rs. a libra e lo,ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a libra
e 36o rs. 'em barril.
Capil de diversas fruas muito frescas a
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza.
Toucinho de Lisboa muito alto e alvo a
32o rs. a libra e 8,5oo a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras por
2,ooo. rs.
Cebollas solas a l,4oo o cento ; ditas em
molhos com cento e tantas por 1,2oo rs.
Malte excellente cha para os navegantes a
a 2oo rs. libras.
dem menos superior a esse que se vende Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
por, 2 c 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra. fazenda especial,
dem mais baixo bom para negocio a I,ooo Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra. rs. a libra,
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo Chourigas e paios mnito novos a 61o a libra.
rs. a libra. j Caixas de traque n. 1 a 8$500 cada urna.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-, Massas para sopa macarro, talharim aletria
por a 2,6oo. a 4oo rs. a libra.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs, Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
dem londrino o mais fresco que se pode | e 8oo rs. a garrafa,
esperar e de excellente marca a 8oo rs. a j dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
libra sendo inteiro, e a 9oo rs. a retalho. garrafa,
dem prato es melhores emais frescos do charutos em grande quantidadee de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por abi se ven
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.800 e 9,5oo
rs. a arroba.
dem de segunda qualidade a 8,000 rs. a ar-
roba e20o rs. a iibra.
Arroz do Maranho a 12ors. a libra, 3,000 rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,600 rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,000 rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra.
dem de sebo muito dura lingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, e em
caixa a 52e rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,000 rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
Idemalmago pauladoelisoa3.ooors. aresma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
\o armazem ce fazendas baratas de
Santos Loelho, roa do Queimado, u.
19, vende-se o seguinte
Atteucao.
Lazinhas.
Ricas lazinhas para vestido, fazenda a melhor
que tem vindo ao mercado, tanto em gosto como
im qualidade da fazenda, "pelo baratissimo preco
de 560 rs. o covado.
Lazinhas miudinhas carmezins, proprias para
vestidos de meninas, e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de laa com 15 covados pelo baratissimo
prego de 6\$.
Cobertas de chita da India pelo baratissimo preco
de 25500.
Lencoes de panno de linho a 25.
Lenjoes de bramante de linho fino pelo baratissimo
prego de 35200.
Bramante de linho fino com 10 palmos de largura
pelo baratissimo preco de 25500 a vara.
Atoalhado adamascado proprio para toalhade mesa
a 2500O a vara.
Cambraia de forro a 25600 6 35200.
Guardanapos adamascados a 35800 a dnzia.
Toalhas alcochoadas proprias para mos a 55 a
duzia.
Cortes de caiga de ganga amarella de listras e
delquadros, pelo baratissimo prego de 15200 o
jrte.
Cambraia adamascada com 20 varas, propria
para cortinado, pelo baratissimo prego de IO9OOO
a peca.
Ricos cortes de laa Hara Pa pelo baratissimo
prego de 185-
Pecas de cambraia de salpicos com 8 1|2 varas
pelo baratissimo prego de 45-
Pegas de platitha de algodlo com 10 varas, pro-
pria para saia a 45200.
Esteiras da India, proprias para forro de sala,
ie 4,5 e 6 palmos de largura, por menos prego do
que em outra qualquer parte.
Neste armazem tambem se encontrar um gran-
de sortimento de roupas feitas, e por medida.
Taberna
Vende-se urna taberna no Caminho Novo da
Soledade ama das mnlhores do lugar n. 26, faz
qualquer negocio em vista de seu done precisar
retirar-se : a fallar nos armazens da Brilhante
Aurora largo da Santa Cruz.
Sant'Anna.
Acha-se venda a novena da gloriosa Sant'An-
na, bem impressa, e em brochura : na ra do Im-
perador p. 18. ____________________i____
Vende-se
na livraria doSr. Nogueira junto ao arco d Santo
Antonio, Calmet, diccionario, etc.
POR EM DE 20 A 30 POR CENTO
FW
HAZMf CONSERVATIVO
23Largo do Terco23.
Joaquim Simo dos Santos, dono deste armazem de molhados, tem feito urna grande vantagem
quem seu armazem tem frequentado, liquidou todos os seus gneros mais amigos que tinha nao s
neste armazem como fra, e tendo feito urna grande reforma neste estabelecimento tanto em tamanhe
como em gneros que mandou vir por sua propria encommenda a maior parte, que os pode vender por
menos de que qualquer annunciante, para isso se responsahilisa pela superior qualidade.
Attenoao.
Batatas as mais novas a 15W0 a arroba e 50 rs. a Queijos dovapor a 25800.
libra.
Toucinho de Lisboa novo a 280 rs. a libra e 85^00
a arroba.
Caf do Rio de primeira e segunda sorte a 280 e
300 rs. a libra e 85500 a arroba.
Arroz pilado a 80 e 100 rs. a libra e25500 e 25300
a arroba.
Sardinha de Nantes novas a 320 rs. cada urna.
SabSo massa superior a 180 e 220 rs. a libra.
Passas as mais novas deste genero a 400 rs. a libra
Ameixas franceza* com 1 e meia libras a 15-
Bolachinhas inglezas novas a 240 rs. a libra.
Charutos de diversas marcas e superior qualidade
de 15200,15500, 5, 35 e 45-
Phosphoros do gaz groza 25200.
Velas de espermacete de 5 e 6 por libra a 540 rs. a
libra, e em caixa a 520.
Velas de carnauba a 115 a arroba e 360 a libra.
Seyadinha e sag muito novo a 240, 260 rs. a li-
bra. Garante-se a superior qualidade.
Vinho de Figueira, marca JAA, a 500 rs. a gar-
rafa.
Dito de Lisboa a 400 rs.
Dito de outros paizes a 360 rs.
Dito para negocio a 320 rs. a garrafa e em caada
se faz abatimento.
Genebra de llollanda em frasqueiras a 65000 e 500
rs. o frasco,
dem em botijas de conta a 400 rs.
Azeite doce de Lisboa fino a 600 rs. a garrafa.
Dito de carrapato a 320 rs. a garrafa.
Manteiga franceza a 560 rs. a libra, e 540 em
barril.
Dita ingleza flor a 720, 800 e 900 rs. a libra, e era
barril ha abatimento.
Massa de tomate em latas de libra a 600 rs. cada
urna.
Conservas inglezas, francezas e portuguezas a 640
o frasco.
Alm destes gneros ha outros muitos que enfadonho seria menciona-los. Quem duvidar ve-
er nhav.
Todos querem
Do grande sortimento de lazinhas mai-
to bonitinhas de todas as qualidades,
gostos e pregos seguintes a 360, 400 e
480 rs. o covado que se vendem
*o na roa do Crespo n. I,
Loja do barateiro.
Algodo da Baha
para saceos de assncar e roupa de escravo; tem
para vender Antonio Luiz de Oliveira. Azevedo A
C, no ten escriptorio roa da Cruz n. .
Fumo imperial
Cortado igual ao francez muito proprio para ca-
chimbo, em latas de 1 libra, quando nao seja me-
lhor igual ao americano por 15200 rs., para veri-
ficar a verdade os Srs. fumantes podem-se dirigir
fabrica vapor de cigarros antiga ra dos Quar-
jis de Polica n. 21.
Vende-se um grande sitio na travessa do L-
ea, com eicellente casa de pedra e cal, feitaa mo-
derna, collocada em lugar que passa urna estrada
pela frente e ouira pelo oitao ; o terreno nao pode
ser melhor para plantacdes.a tem porto muito por-
to para embarque e desembarque: a tratar em
Olinda com o promotor publico Manuel Izidro de
Miranda, ou no mesmo Luca com o tenente Jos !
Thomaz Cavalcanti Pessoa. J
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine eoutras mui-
tas a l,3ooe 1.4oo rs.
Polvos chegados ltimamente do Porto a 32o
rs. a libra.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 5;> a
caixa e Go rs. a libra-
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 2,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais. especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Cartoes gom bolas francezas proprios para
mimos ou para anjos que vo as procis-
ses a Goo rs. cada um.
Papel de botica de excellente qnalidade a
22oo rs. a resma.
Peras seccas as mais novas do mercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em litas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a G4o rs. a
lata.
dem em caixinhas de 8 libras a 1,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 8oo rs. a libra,
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo,ooo e
l.ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs. a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,oeo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composigo a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha do Maranho a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l.ooo rs. cada urna.
Ricos livros com figos 1 ,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,ooo a arroba.
Garrames com 4 V* garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem com 4 '/ ditas de venagre a 1 ,ooo rs. o
garrafao.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com a ancoreta
dem em pipa puro sem o batismo a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8oo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,2oo rs.
a resma,
dem embrulho de 1,2oo a 1,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 l/t libra a
l,2oo e 8oors. a libra.
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle 1 ,ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Molhos inglezes a 8oo e l.ooo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a I libras de caj secco o mais
bem arranjado possivel a l,8oo e 2,8oo
rs. a lata.
Cerveja Tenente verdadeira a 6,8oo rs. a
duzia.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,ooo rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava .com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. o molho e
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em magos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a 32o rs. a libra e
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milbo alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas a l.ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 6oo e l.ooo rs. o
caixao.
O proprietario do grande armazem Unio e Commercio declara aos seus fregu
zes e amigos e ao publico em geral; que para facilitar a commodidade de todos eslipulou
os mesmos pregos nos seguintes lugares:
Uniao e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
o
td
o
i
g
p
i
p
ce
GO
p
I'
I

ES
P-
o
Jl
P
cp
.
cz
p
O
S-i
CD
r-f-
D
iK

P
O-
P
SO
QQ
o
pe
o
6?
ce
5c
P-
o

o
rt>
m
o
r>
P
=^
ss
5
(X>
I<
3
QQ
3
o
P
P-
SO
QQ
m
So
P*
!-*
P
SO
OQ
P-
6
o
Farinha de uiaudioca
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
Alves no seu escriptorio, casa n. 19 da ra da
Cruz.
Mi IliO
Vendem-se saceos grandes com milho a 35300o
sacco : na ra da Madre de Dos n. 9.
1'arinlia de mandioca superior
em saceos grandes: vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, no seu escriptorio ra da Cruz
numero I.
Vende-se a casa terrea na Boa-Vista, travs-
sa deJoao Francisco n. 9, tem 3 portas, 2 jmilas,
e portfio-uara o oitao, faz esquina para o becco do
Quiabo, e fui reedificada toda e anno passado : a
tratar na ra da Alegra, casa n. 28.
ATTEINCAO
Vende-se urna taberna em urna das melhores
ras do bairro da Boa-Vista, muito bem afregue-
zada para o mato e para a trra : a tratar na ra
do Aragao n. 36.__________________________
Carvao animal.
Farello de Lisboa
Cal virgem nova
primeiro andar.
superior.
na roa do Vigario n. 19,
Cal de Lisboa em pedra.
Chegada hontem.
Ha para vender : a tratar no largo do Corpo
Santo n. 19, armazem.
Vende-se a meiacao de urna casa terrea em
bom local, com os commodos seguintes : 6 quar-
tos, 2 salas, cozinha fra, quintal grande : a tratar
na rua da tmperalriz n 6, ou Mondego n. 24. Ven-
de-se toda tambem no caso de fazer-se negocio.
Fio de algodo da Babia om saceos de 100
libras.
Tem para vender Antonio Lniz de Oliveira Aze-
vedo & C, no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
Vende-se urna porcao de gneros de diversas
qualidades, proprios para sortimento de algura es-
tabe[ecimtnto de taberna ; vende-se tambem a ar-
macao e todos os pertences de taberna ; todos es-
tes gneros vendem-se por pregos razoaveis por
querer o douo acabar com o seu negocio, e tambem
liquidar as suas conlas : quem pretender algum
destes gneros, dlrija-se travessa do Pombal,
casa n. 20, freguezia da Boa-Vista.
Vende-se
na livraria do Sr. Nogueira, junto ao arco de San-
to Antonio, Calmet, diccionario, etc.
Ferros para ourives.
Na rua larga do Rosario n. 24, loja de joias, ven-
dem-se indos os ferros e utencilios de onrives.
Chitas baratas
Chitas baratas
Chitas barahs
Vendem-se chitas muito boas em
nos, cores e padroes a 220 e 240
covado s
Na rua do Crespo u. i
Loja do liaraleiro.
pan-
rs. o
RELOGIOS,
Vende-se em casa de Johnslon Pater &
C, rua do Vigario, o. 3, um bello sorti-
mento de relogios de ouro patente in-
glez, de um dos mais afamados fabricantes
de Liverpool, e tambem urna variedade de
bonitos trancellins para os mesmos
HOTia E l)R0GARI4
bartholomeu & c
Rua Larga do Rosarlo n.
Vende:
Ventosas de gomma elstica.
Esmaltes para ourives.
Fundas inglezas.
Vidros de bocea larga com rolha.
Tinta branca em massa para pintura na a 200 rs.
a libra.
34.




Diarlo de Pcraoabieo Sexta felra 29 4e luliio c 18S4.
COI1ME

.
RA DO QUEOIADO W. 45.
Passando o becco da Congregado segunda casa.


NOV1DABE.

Pereira Rocha 4 C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commercial,
onde o respeilavel publico.encontrar serapre um completo sortimento dos memores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
aero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se o bom peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranho, da India e Java a 60, 80 Cevadinha de Franca muito superior a 220, Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra'
.
e 100 rs. a libra e i 800 a 2G00 e H rs. a libra.
a arroba. Cevada a 80 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas e em frascos a Ervilbas portuguezas a 640 rs. a lata.
10200 e 10600 emfrascos grandes a dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
24500. Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas de oito libras e canastrinhas de i arroba a
com ricas estampas no interior das caixas. 1800, 5#500 e 280 rs. a libra.
a 12,5000,1)51400, 1*600 e 20. J FariBha do Maranho a 160 rs. a libra.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs. Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
a libra. Genebra de Hollanda verdadeira mar VD
Alpista a 160 rs. a libra e a 4*600 a arroba, i a 560 rs. o frasco e 6*200 a frasqueira.
Azeite doce francez muito lino em garrafas dem em garrames de 3 e 5 gales a 5*500
grandes a 960 rs. a garrafa. e 7*500 cada um com o garrafo.
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa. Graixa a 100 rs. a lata e 1*100 rs. a duzia. Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a Licores muilo Gnos a 700 rs. a garrafa. | Vellas de carnauba pura a 360 rs.
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
1*300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 2* rs.
a lata.
Ditas inglezas muko novas a 3*000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor efinada a 440 rs. a libra e
e em barril a 410 rs.
Cha hvsson, huchin e perola a 1*600, ,
2*500, 2*809 e 3*000 a libra.
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito-novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2*800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor e
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
a libra.
SENTIDO!
O BALI

\

VAI FALLAR
K 38 Ra do Livramento N. -38
(Defronte da grade da igreja)

dem, qualidade especial e garrafas muito dem stearinas muito superiores a 600 rs.
grandes, a 1 *800 rs. a garrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi-
dro, a 1*000 rs., s a garrafa vale o di- Vinho do Porto engarrafado o melhor que
libra.
Figos em caixinhas emticamente lacradas
a 1*600.
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-1
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a libra. I
dem de tempero a 400 rs.
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Mara Pa,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
1*000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 9*000 e10*000.
dem em lata a 640 r-s.
dem preto muito superior a 2*000 a libra. Marmelada imperial dos melhores conservei-
Cerveja preta e branca, das melhores marcas i ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
e 5*800 a duzia. 800 rs.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa. dem regular a 500 rs.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Massas finas para sopa: estrellinha, pevide,
rodinlias e letr'anbas a 600 rs. a libra e a
4-> a caixinha com 12 libras.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
e especialmente da fabrica imperial de Pcixe em latas preparado pela primeira arte
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 1*800,1 de cozinha a I* rs. a lata.
2*000, 2*200, 2*500, 2*800, 3*000 e Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
3*500 a caixa. Palitos de dentes a 120 rs.
Caf do Bio muito superior a 280 e 320 dem de flor a 200 rs.
rs. a libra e 8*500 e 8*800 rs. a arroba. {Amendoas confeitadas a 900 rs. a libra.
Carines de bolinhos francezes muito novos e Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
muito bem enfeitados a 700 e OOO'rs. i 2* e em caixo a 640 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a Palitos do gaz a 2*200 rs. a grosa.
libra. IPassas muito novas a 480 rs. a libra.
Massa de tomates em barril a 480 rs. alibra. dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 3*, 3*500
e 4* a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 7*000 e 7*500 rs.
a duzia.
dem Morgaux eChateauluminide 1854, a 1*
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
1*200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 1*800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porcao de outros que deixamo
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porcoes como
retalho.
Quem comprar de 100*000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
de trabalhar a nao para I LUalld UOUldUd L0U1 1US-
descarocar algodao
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
duaspessoaspara
o trahalho; pode
descansar
arroba de algo-
dao em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por da ou "S ar-
robas de algodao
limpo.
Esta machina
a nica que
possue as vantagens de nao destruir o fio do al-
godao e de fazer render o dobrode qualquer ou-
tra com menos trabalho, a sua introduceao para
as provincias deste imperio ser de muito valor
para todos os iuteressados na lavoura do paiz.
Assim com machinas em ponto grande do mes-
mo systema.oraql seren movidas por animaes,
agua ou vapor, pas uaes podem descarocar 18 ar-
robas de algodao ampo por dia.
O algodao descaroeado por estas machinas tem
muito mais estimacao nos mercados de Europa e
vende-se por maiorproco.
As machinas se adiara venda unicamenie em
casa de
Saundci's Brothers k C.
V. II. prava do Corpo Manto
RECIPE.
Os udcos agentes neste paiz.
C/3 C
2 ~ _
S"3
-a ri r* f~\ r-. i % o Q T
-
a
S M
~
5 2-3
1*5
S K
ti
S. 5.5.83 >
C ai v
=.8 11'
Os

**> 2
a S a
en ce -
o o. 2 a
ce
O 3
H

, G. &-- CD 3
3 v> -i p.5*s.o
2' g
O u O >_ O 3
i se. .,& 8l|
**%
a S 2?2
1<1 ii
.09 c
O
"O
2 3 s.
o 2,Sfi
s-jrg.
O.
I
a.'
(fl A C
Q. i "1
-O M o
J tltlg,
o 9 9 o
si w o
* *
o
cu
o
Vovos enfeltes para senhora.
A aguia-branca acaba de receber um bello e va-
riado sortimento de enfeites de diversas qaalidades,
e o que de mais moderno possivel encontrar-se
aqui, fazendo-se nolaveis por snas novidade e ele-
gancia uns, coja grade de um tino e delicado te-
cido a que apropiadamente se chama invisivel.
Assim, vista desse completo sortimento, qualquer
cidado munido de dinheiro est habilitado a com-
pra-Ios : na ra do Queimado, loja d'aguia-branca
D. 8.
Capachos inglezes.
Na loja da aguia branca, ra do Queimado n. 8
vendem-se bons capachos inglezes, os quaes alm
de bonitos sao de immensa duracao. pelo qne se
tornam baratos pelos precos de & 35, 62 e 11
cada um.
cnpQoes.
j bem conhecida pela boa freguezia d'aguia
branca a superioridade da banha que vem nos co-
pos de porcelana dourada com maviosas e jocose-
( rias inscripcoes, as quaes agora vieram de novo
> goslo, pelo que essa fina banha pode ainda ser
Estas machinas mais conhecida por aquelles que quizerem fazer
podem descarocar um bom presente, com anto que comparecam mu-
qualquer especie nidos de dinheiro na ra do Queimado, loja d'aguia
de algodao sem qranca n. 8.
sendoar basta!ie Envclopcs bordados e caiMes com liei-
*ras douradas.
Na loja da aguia branca, ra do Queimado n. 8, j
una | acbavam-se venda bonitos envolopcs bordados e
cartocs com boiras douradas, lendo de uns e de
outros, maiores e menores, proprios para partici-
pacoes de casamentos, bailes etc.
Vende-se alpaca pela a >00 rs. o corado.
Vende-se alpaca prota para vestidos a 500, 600,
700 e 800 rs., fina de cordao a 800 rs. para pale-
tot, princeza prcta a 80 c CO o covado, bombazi-
na prcta fina a 15i00 o covado, laazinhas preta
para senhora que estao de luto a 720 covado :
na ruada Imperatriz n. 56. A loja est abertaat
s 9 horas da noite.
Completo sortimento de fitas
finas, lisas c tarradas.
A aguia branca recebeu um grande e completo
sortimento de litas de diversas larguras e qnalida-
des,'tanto lisas comolavradas, e em todas ellas co-
nhece-se a superioridade da fazenda, notando-se
as lavradas o bom gosto dos novos e lindos dese-
nhos, isso tanto as matisadas como as brancas,
e pela commodidade dos precos o pretndeme que
se dirigir munido de dinheiro ra do Queimado
loja da aguia branca n. 8, ser bem servido.
Cartas francezas.
A aguia branca, na ruado Queimado n. 8, rece-
beu nm novo sortimento de finas cartas francezas
com beiras douradas e brrncas, e as est venden-
do baratamente a dinheiro a vista.
Bonitas nonecas.
Com rosto de cera, massa e porccllana.
Acha-se na loja d'aguia-branca ra do Queima-
do n. 8, um grande sortimento de nonecas de di-
versos tamaoho, com rosto de cera, massa c por-
cellana : os pretendentcs munidos de dinheiro
acharo boa disposicao para os vender.
SAPATOS DE BORRACHA
a IgOOO, *<><> e S0&OO o par
na ra do Queimado loja d'Aguia-Branca n. 8.
Latas com banha fina.
J por diversas vezes a aguia branca tem rece-
bido dessa banha fina em latas, e tal tem sido a
prompta e rpida exlracco della, que nao tem da-
do lugar a aguia branca avisar a sua boa fregue-
zia, pelo que talvez a maior parte della s agora
saber da vinda dessa boa banha. Ella vem era
latas de 1|2 e 1 libra, e contina a ser vendida pe-
los baratissimos precos de i e 3000. Apar da
superioridade da qualidade della estao os agrada-
veis e finos cheiros de rosa, jasmim, laranja, bou-
quet, e flor de Italia. A boa freguezia assim scien-
te dirigir-se cora dinheiro ra do Qneimado,
loja d'aguia branca n. 8.
Botes de cornalina
e outras qualidades para coletes
A Aguia branca acaba de receber um novo e
variado sortimento daquelles apreciados botoes de
cornalina brancos e encarnados, chatos e redon-
dos para coletes, cujas abotuaduras continuam a
ser vendidas pelo commodo e inalteravel preco de
i*> cada urna.
Alm desses receben tambera outros de madre-
perola, massa e osso, com differen/es moldes para
o mesmo fim.
J se v, pois, que o pretendente munido do di.
nheiro achara sortimento vontade na ra do
Queimado loja d'Aguia branca n- 8.
B.VISIMIOS E CAIXINHAS
com perfumarlas.
Na ra do Queimado n. 8 loja d'Agua-Branca, os
freguezes munidos de dinheiro encontraro, boni-
tos bausinhos cobertos de couro e com 6 frasqoi-
nhos de extractos por 1,5500 cada um, e outros
cobertos de papelo com 9 frasquinhos por 2000
um; caixinhas com 6 frasquinhos de diios por
15000 urna, outras com 12 ditos por 000 urna,
outras com 3 ditos, cuja coberta parece tartaruga,
a 15500 cada urna, e outras cora pastilhas de chei-
ro a 500, 15000 e 25090.
?ncao
i
0 dono da loja do Beija-flor, na ra do Queimado
n. C3, acaba de abrir um outro espacoso estabele-
cimento de miudezas na mesroa ra n. 69, por isso
avisa aos seus freguezes c amigos, que nestes dous
eslabelccimenlos encontraro serapre grande sorti-
mento de miudezas, perfumaras eobjeclos de gos-
tos; e vender sempre mais barato que outro qual-
quer, como abaixo se ver.
Peules domados de travessa.
O Vigilante esta alerta, nao Ihe era permettdo
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto afim de annunciar ao respeitavel publico
o grande sortimento degalantarias do memor gosto
propriamente para qualquer mimo, que acaba de
chegar neste ultimo paquete, assim como muitos
outros objectos ijue recebe por diversos navios,
tanto de sua conta como de consignaco, que est
resolvido a vender por precos muito baratos para
ven(|2r muito e ganhar poco, e dar extraccao ao
grande deposito que tem, que espera merecer a
proteccao do respeitavel publico, empregando para
isso todas e as melhores diligencias para que fi-
quem satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Ricas porta-joias.
Cofre de muito gosto por 165000
Cestmhas transparentes, forradas de madre-
,.Perola por 185000
Linaps jardineiras 105000
Ricos cofres com camapheu 105000
Lindas caixinhas com pedras brancas 105000
Lindo balo com calunga dentro tambem
para joias 165000
Tambaher para ditas 95000
Cestinhas idem idem 65000
Cosmorama idem idem 65000
rnazinha e|000
So no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
lucos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Hiros sintos
cora bolcinhas ao lado a 10, 12 e 155, ditos sem
bolea, porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35500
e 45, ricas (velas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 :
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes on cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 25500, 35500, 4, 5, 7 e 105 : s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Pcotes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alisar como para atar cabello, o mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sem elle para meninas: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Peptes
Tambem chegaram os riquissimos pentes de
concha de tartaruga e de massa fina, que se vende
por 25, 3 e 55 : s no Vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Lcques.
Riquissimos leqaes de madreperola, tanto para
senhora como para mocinhas, pelo barato preco de
12 e 145 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Mais leqaes.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ba-
rato prego, a 85 e 105, chinezes, muito bonitos,
tambem por barato prego de 4 e 55, bentarallas
muito bonitas tambem por barato preco de 4 e 55,
leques de charo tambem por 45, tudo isto para
acabar, perdendo-se talvez 80 0[0 : s no Vigilan-
te, ra do Crespo n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de conlas e de missanga, cores
muito lindase de muito gosto a 15 e 15200.
Para segurar manyuitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha que as seuhoras tanto precisan) para se-
gurar os manguitos por ser muito commodo e mui-
to barato, a 320 o par : s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Carretas.
Riquissimas carretas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baralissimo preco de
15500 e 25.
Yolliuhas.
Lindas voltinhasdeperolas falsas com cruzinhas
YERDADE1RO E FKIVi BFAJL
Ordem do dia.
Est em discussao a tabella dos presos que o BALIZA tem a honra de olfere-
cer ao respeitavel publico tanto da cidade cono do cenlro.
Se por esta publicaca qualquer um dos nobres collegas entender necessario
tazer aJgoma alteracao em seus annuncios, digne-se mandara sua emenda para o jornal,
que o tncansavel Baliza nao llie ora peias nem o embaracara de forma alguma a benefi-
ciar o povo.
Amigo de vender barato o Baliza nao expe a venda senao os gneros bons.
Elle sejulga no caso de vender to mdicamente como oulrn nao o exceder
Soldado soprador toma o clarim
E firme como a rocha fica assim
Nao toques nesse pessimo instrumento
Do Balisa olha s o movimento.
i: t que los mitrados tens as coreas
De tndo vendedor de propria conta
.Vio pasmes rendo como sohranceiro
Do regresso o Dalisa a ira aifronta.
0 grande depesiio que temos de vinho nos obliga a abaixar seus pn s,
achando-se vista dos compradores cerca de 3o a 40 pipas desle genero, entre pipas,
barris c ancoretas.
Amendoas confeitadas em lindos frascos a 8oo Lingoas americanas muilo novase muito gran
des
rs. a lihra
dem com casca a '.Vio rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas e frascos a
I,2oo, I,uooe 2,ooors.
Alpista a IGo rs. a libra e i,6oo a arroba.
Arroz do Maranho, Java e do I'encdo a 8o,
loo e I2o rs. a libra, em arroba a2,000,
2,8oo e 3,2oo.
Azeite doce refinado a 8oo c loo rs. a gar-
rafa,
dem idem em barril a Co rs. a garrafa e
4,8oors. a caada.
Ancoras com vinho do Porto, cnconmicnda Mllios inglezes a 4ooe Ci rs. a garraGnlia.
feita pelo proprietario do Baliza a 3o,ooo; Mosiaida preparada a 4oo efiio rs. o Ira co.
a I.ooo rs. cada urna.
Linguicaspromptasem latas a i,uoo cada ata.
Manteiga ingleza flor a 8oo rs. a bra neste
genero ha mais de 10 baris abertos afim de
serem satifeitos os compradores.
dem menos superior a 04o rs.
.Manteiga ingleza a .'ioo, loo e 32o rs. alibra.
Idem franceza a Go, Coo e 04o rs. e em bar-
ril por menos.
.Mas* de lmate a 64o rs. a libra.
Marmelada dos melhores fabricantes a
rs. a libra.
b'.o
Delicados pentes dourados de travessa para rae- fjDgndo brilhantcs, assim como cruzinhas' arolsas
ninas a I>o00 cada um,ditos sem ser dourados a | e voltinhas, pelo barato preco de 1-3 e 1*200, as
cruzes avulsas a 400 rs. : s no Vigilante, ru do
Crespo n. 7.
~ ^ r&
3 M 3 l I
* 3 S I 2:^
W
a, -j
2s-
3 5*
B
9
500 rs. cada um : as lojas do Uijjja-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Voltinlias de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruzes de pe-
drinhas imitando a brilhantes a 15 cada urna : as
lojas do Heija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 60.
Luvas de Jouvd
Chegaram pelo ultimo vapor as desejadas Invas
de Jouvin de todas as cores, tanto para horneas
como para senhoras : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Talheres para meninos.
Vendem-se talheres de cabo de balanco para me-
ninos a 280 rs. o talher : as lojas do Beija-tlor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Colkeres de metal principe.
Vendem-se eolheres de metal principe muito fi-
nas para sopa a 35600 e 45400 a duzia, ditas para
cha a 25 e 25400 a duzia, ditas para assucar a
500 rs. cada urna, ditas para terrina a 25 cada
urna, e s quem vende por estes pregos as lojas
do Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e 69.
Sapaliuhos emeias de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorra-
zinhas e touquinhas para as criancinhas se bapti-
sarem : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Golinlias.
Riquissimas goiinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e 3: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Riquissimos enfeites com laco e sem laeo e de
outros muitos gostos a 15, 15500 e 35 : so no V-
gialnte, ra do Crespo n. 7.
Trancclins.
Lindos trancclins de cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baralissimo preco de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinlios cnlrcmcios.
Riquissimos tabadinhos eniremeios com lindos
desenos tapados e transparentes, pelo baralissimo
": s no Vigilante,
Facas e garfos.
Vendem-se facas e garfos oitavados a 25800 a preco de 15200, 15500, 25 e
duzia, ditas cravadas, cabo preto e branco a 35 a : rua'do Crespo n. 7.
duzia, ditas de balanco de 1 botao finas a 5*200 : r-ipi'illi:ie
ditas de 2 botoes muito finas a 6*500 a duzia, ditas rrani1o cnrlim^:, 'u ....
sortimento de cascarrilhas de diversas
lio e trancinhas pro-
lante, ra do Cres-
Tiras bordadas. po _,.>
Vcndera-se tiras bordadas, a peca a 1*100, 1*200 rnjQ ,. ,"?,.?, A-
e 1*300 : as lojas do Beija-flor, ra do Queimado SSu!^SX f *"U ,argan*
ns 63 e 69 x e qualidade, por precos que admiram aos compra-
Kahados bordados. I dorcs' na.v?ndo fi!as lAT3?? propias para sinteiros
rs. a ancora com 7o garrafas.
Bolaxinhas de Lisboa, ingleza e americanas
em latas a 1.4oo, I,uoo, 2,uoo c 3,ooo rs.
e americanas em barricas a 3,ooo rs. a
barrica.
Banlia de porcoa 4oors. alibra c em barril,
a 3ors.
Batatas em gigos a 1,5000 gigo.
Cha perola a 3,ooo rs. a libra,
dem uxim a 2,6oo e 2.8oo a libra,
dem bysson a 3
dem do Bio a
Massas para sopa a ioors. a libra das de I -
lharim, aletria e macarrao.
dem linas estrellinha e pevide a 3,000 rs. a
caixa.
Milho mitido para passaros a IGo rs. a l.bra
c 4,8oo a arroba.
zara do vi-rdadeiro a l,oooo
a 8oo c l,ooo rs. o
Mairascjuino d
frasco,
dem menos superior
frasco.
2,ooo,2,4oo e2,8oo.alibra. 'Nozes a 24o rs, a libra.
l,Goo rs. a libra. Prezonto porluguez de superior qualidade a
Idem preto a I.-'ioo e 2,ooo rs. alibra. Go is. a libra e minio por ooors.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia dem inglez para fiambre a 64o rs. a libra,
e Bio de Janeiro a 8oo rs. e I.oo, 2,ooo,
2,4oo, 3,00o, 3,ooo, 4.000 e o,ooo rs. o
cento.
Chocolate dos melhores fabricantes de Taris, l'assas novas a 4oo rs. a libra.
Allemanha, Ilamburgo e Lisboa | Polvo a 16o rs. a libra.
nao agradando mesmo depois de preparado,
poder ser devolvido, que se trocar per
ouijo ou ser restituido seu importe.
Painco a Kio rs. a libra.
Pomada a 24o rs. a duzia.
Copos lapidados para vinho a 2,8oo a duzia.
dem idem para agua a o.ooo, .*i,ooo e G,ooo
rs. a duzia. Uimenta do reino a 36o rs. a libra.
Ceneja das melhores marcas a 4,000, o,ooo Peras seccas a 64o rs. a libra.
e 6,ooo rs. a duzia. Peixeem latas a I,ooors. a lata.
Cravo canella o cominhos. Papel almassoe de peso, de diversas tpja
Ceblas em molhos restease solas. lidades e precos deferentes..
Conservas inglezas a 8oo, 9oo c I,ooo rs. o. Palitos do gaz a 2,2oo a groza.
uuasae z notoes muito linas a 6*o00 a duzia, ditas rr,njQ -.","
de 1 botao para deces e fructas 5* a duzia ditas i ,,rGra"de sor"mento df. *?*
de 2 botSes a 5*200 a duzia : as lojas do Beija- SESS/SS"0 ?alaoz'nh?
flor, ra do Queimado ns. 63 e 69. pnas Para enfeites : so no V'8'1
Vendem-se babados bordados de varias larguras
que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca de 3
- varas a 2* : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
a peca a i#uuu, i^soo, 25, 25200 e 2*400 : as i. lojas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69. *.. Aa,^ a a ,'aa
ii-j____J"^ *" Fitas delaa de todas as qualidades, proprias para
v a lJfc wpalirtos. debrum de vestido a 700 rs. a peca : s no Yigi-
\ endem-se bndos sapatinhos para baptisados de lante, ra do Crespo n. 7.
ticos espelhos,
Riquissimos espelhos com moldura dourada e
sem ella de 8*, 10,12 e 14*, assim como con co-
criancas a 1*500 e 25 o par : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e '.).
Botes para pnaos.
r,mVn^e^K^l6eZnnh0S demadrePero,aedemaH^ 3, 4, 5e6
fin pan puntaos a 320 rs. o par, ditos encarnadi- s no Vigilante,rua do Crespo n. 7.
nhos a 120 rs. o par : as lojas do Beija-flor, ra: l,|ndn i-irrns o do Queimado ns. 63 e 69. V1.0"08 JrrS Ugliras.
Fitas nara debrum de Tetidnt Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina
vnHni 1 ?! 11-^ T*sl,aos- Para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqni
Vendem-se fitas deba de todas as cores para tem apparecido : s no Vigilante
debrum de vestido a 900 rs. a peca, ditas pretas; para nAs .1- ap
de seda a 1*100 a peca : as fojas do Beija-Qor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Filas brancas para debrum.
Vendem-se pecas de fita branca de linho para
debrum a 400 rs. a peca : as lojas do Beija-flor
na ra do Queimado ns. 63 e 69.
Hicas Cas lavradas.
Para pos de arroz.
Biqnissimos vasos com boneca para pos de ar-
roz, cousa de muito gosto a 1*500 e 2*, assim co-
mo pacotes s com os pos a 320 rs. cada um : s
no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como os lindos copos ou vasos com dis-
de^horaTn^*^^,Lal^a?,"r*Sln,0 tinelivos e oflerecimenlos s'sinhazinhas, dos me-
rtn nnPim^ Z Ti o M J 8 eiJa-flor> rua '"ores e mais afamados autores de Paris e Ingla-
ao yueimaao ns. we o9. trra, assim como os grandes copos de banha japo-
Espeinos de Jacaranda. neza a 2* e a 1* ; assim como outros objectos que
Vendem-se espelhos de columnas, de Jacaranda, nao possivel por hoje annunciar, e vista dos
a 3* e 4*o00 cada um, ditos de madeira amarella' freguezes se far todo negocio : na loja do Gallo
a 25'i00 e 25800 : as lojas do Beija-flor, na rua Vigilante, rua do Crespo n. 7.
do Queimado ns. 63 e 69.
filas de velludo estrellas. Trina, volantes c gales.
Vendemrse fitinhas estreitas de velludo para en- Vende-se trina, volantes e^ gales de todas ae
feite de vestido a 900, 15 e 15200 a peca: as lo- larguras por precos muito barato: s no. vigilante
jas do Beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69. rua do Crespo n. 7.
Trancas de lia para bordar.
Vendem-se trancinhas de ba pretas para bor-
dar camisinhas e vestidos a 80 e 160 rs. a pecinha,
ditas brancas com 40 varas a 600 rs. a peca, e ou-
tras muitas cousas que setornariio enfadonho men-
ciona-las, pois s com a vista se poder ver o gran-
de sortimento das lojas do Beija-flor, na rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Vinho do Porto superior
dm caixas de urna e duas duzias: tem para ven
Rna da Senzalla o'va n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Lo*
Moor libra a 120 rs.
Sebo do Porte
Para os fabricantes de Telas.
Vende-se sebo do Porto de superior qualidade
de
eer Antonio Luiz de Oliveira Azevedo C, no seo em caixas de urna arroba especial para velas
escriptorio rna da Cruz n. i. composicao : na rua do Vigario n. 26.
frase
Dittas francezas a ooo e 04o rs. o frasco.
Cognac inglez e francez a I,ooo rs. a garrafa.
Cal de 1.a, 2.a e 3 :| qualidade a 8oo 9,ooo
e 9,5oo rs.
Cevadinha de Franca a 24o rs. a libra.
Champagne de muito boa qualidade a 12,ooo
e 2o,ooo rs. a duzia.
Doces da casca da goiaba em latas preparadas
com muito aceio, propria para memoziar
algum amigo na Europa, por ser inaltera-
vel por mais de um anno, a 3,000.rs. a lata
com 7 libras.
Dittos em caixoes a o6o, 64o, 8oo e 1,000
rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas em latas com 1 '/ li-
bras por 7oo rs.
dem francezas em latas a 5oo rs.
dem seccas a 2oo rs. a libra.
Espermaceteamericano primeira qualidade a
1.2oo rs. a libra.
dem francez a 56o rs. a libra, e em caixas
a 52o rs.
Farinha d'araruta verdadeira a 18o rs. a libra.
Farinha de trigo a 12o, 14o e I0o rs alibra.
Farinha de milho a i 6o rs. a libra.
Figos em caixinhas e em latas lindanmente
enfeitadas a 8oo e 1,5oo cada um.
Fumo americano em latas para cigarros a
l,8oo rs.
dem em pacotes a 2oo rs.
dem em pasta a I,2oo rs. a libra.
Genebra de laranja a I ,ooo rs. o frasco.
dem ingleza marca Gato a I ,ooo rs. a garrafa.
dem de Hollanda a 64o e 1,6oo rs. o frasco
pequeo qgrande.
dem de Ilamburgo, a 56o rs. o frasco e 6,oo o
rs. a frasqueira.
Graixa em bitas a I,2oo rs. a duzia.
Limonadas de diversas fructas a I,ooo rs. a
garrafa.
Licores, inglezes e francezes a l,ooo, I.5oo
e 2,ooo rs. garrafas grandes e pequeas.
dem para dentes a 8o, 10o e 24o rs. o ma-
cu com vinle macinhos.
Gueijos flamengos a 2,6oo, do ultimo vapor.
dem prato a 64o rs. a libra.
dem londrino a 8oo rs. a libra.
Rap Mearon a l.ooo rs. a libra.
Sevadinha a 24o rs. a libra, ( nova).
Sag a 28o rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a 64o, 56o e 36o rs. a
lata.
Sabao massa a I2o, 19o, 2oo c 24o rs. a li-
bra,
c em caixcs por muito menos.
Sai refinada a Ooo rs. o pote de vidro.
Toucinho de Lisboa, de Santos e americana
a IGo. 2io e 32o rs. a libra, e cmarroba
a 5,ooo, 7,0(io e 9,ooo rs.
Tijollo para limpar facas a I6ors. cada um.
Vinho do Poeto em caadas a 3,5oo, 4.000 e
5,ooo rs. e em ancoras com 7o garrafas por
3o,ooo rs.
dem de Lisboa sem confeiceo, (decncomen-
da) por 5o,ooo rs. o barril com 17 cana-
das.
dem de Lisboa mais baixo a 45,000 rs.
dem em pipas a 3,ooo, 3,3oo e 4,ooo rs. a
caada.
dem em barril de Bordeaux com 13o gar-
rafas por So.ooo rs.
dem idem de Bordeaux com 70 garrafas por
3o, ooo
dem em caixas por 5,ooo rs. a caixa com 12
garrafas da melhor qualidade que vem ao'
nosso mercado.
Vinho branco para missa de Lisboa e Porto-
em pipa, barril e ancoras a 4,ooo e 5.ooo
rs. a caada.
Vinagre de Lisboa, Porto, tinto e branco a
l,6ooe 2,ooo rs. a caada
dem cm ancoras por 16,ooo rs.
Velas estearlinas a 5Go rs. o maco, e cm cai-
xas a 52o rs.
Vassouras americanas a 64o rs. urna.

Grande pechincha.
Vende-se a 8* a peta de panno de linho puro e
limpo com 25 varas cada urna : na rua da Impera-
triz n. 20.
Grvalas de seda a 200
res.
Pretas e de cores para homem
da Madre de Dos n. 16.
na loja da rua
A 4$000 a peca.
Vendem-se pecas de algodaozinho com pequeo
toque de avaria, proprio para roupa de escravos e
toalhas, pelo barato preco de 45 a peca : rua do
Qneimado n. l4.
Vende-se o sitio da travessa dos Itemedios,
freguezia dos Afogados n. 21, no estado em que sa
acha : quem o pretender, entenda-se com o sea
proprietario Caelano Pinto de Veras, na rua deS.
Francisco, sobrado n. lO.como quem vai para a rua
Bell-t


: -i-,



bm nextn felra 1 ite Jnlho e t4.

i
ESPLENDIDO SORTIMENTO DE MOLHADOS
N. 9 RA DO CRESPO M. O
. Esquioa que volta para a na de Imperador
(N5 se engaen com a mitra)
AMIGOS!
NSo leiam este annuncio com precipitacSe.
Confrontem os precos dos oulros annuncntes.
Veoham ver os gneros que temos expostos a venda.
A vista faz t.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao nos encnicamos o primeiro recebedor de conta propria.
Nao desacreditamos ao collega porque nao qmr ser nosso socio.
Val a quem toca. 4
Para abastecer a todos os habitantes desta belfa pro\incia ainda nao sao sufJicieo-
tes as casas que actualmente oxistem abertas com grandes proporces para terem um
magnifico sortimento de molhados; assim, pois, os preprietarios do Armazem Priocipal
nao invejam a sorte dos seus collegas.
GRANDE ALLIANCA
NEM COROAS NEM MITRAS
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Paulo Perrera da Silva & Compartida
Grande rtimento de molhados em grosso e a retalho. nico armazem que mais
vantagens efferece ao publico.
Desenganein-se todos.

Habitantes de Pernanibuco.
Nos temos um excellente sortimento dos melores geoeros que se pode acbar
em nosso mercado. Vinde ao nosso estabelecimento, e se a vossa boa f fr Iludida
urna s vez ao menos, castigai-nos nao voltando mais a nossa casa.
Amendoas confeitadas de bonitas cores a (dem de Hollanda em garrafes com 24
l,ooo rs. a libra. garrafas a 7,2o dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
Avellas a 2oo rs. a libra. zados a 2oors. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores fiancezes de todas as (realidades a
estampas a l,2oo, I,4oo e i,600 rs. cada 800 e 1,000 rs. as garrafas grandes.
uma. Manteiga ingleza perfeitamente fldr a .800 e
dem em frasco de vidro com rolha do mes- 960 rs. a libra.
mo ou de metal, a l,2oo e 14oo rs. ca- idemfranceza nova j deste anno a 600 rs.
da mn- a libra, e 56ors. em barris inteiros.
dem em frasco grandes 2,5oo rs. cada um. Marmelada especial dosmelbores fabricantes
dem em latas de 1 */j e 3 libras a 1.2oo e de Lisboa a Goo e 64o rs. a libra, ha latas
2,ooo rs. de differentes tamanhos.
Arroz da India e Maranhao o melbor que se Massa de tomate em latas de 1 libra 56ots.
ple desejar a loo e 12o rs. a libra e cada urna.
2,8oo e 3,4oo rs. a arroba. dem para soda estrelinba. pevide* rodinha
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, em caixinhas sortidas a 3,ooo e 3,5oo rs.
e 4,8oo rs. a caada. cada urna e 5oo rs. a libra.
Jdem francez clarificado em garrafas bran- dem macarro, lalerim e aletria a 4oo rs.
cas a 9oo rs. cada urna, e lo,ooo rs. a1 a libra.
caixa com I duzia. : Mostaida francoza preparada era frasco a 4oo
Aifazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-' rs. cada um.
.,~ra' Molho ingloz em garrafinhas com rolhas de
Aipista a 16o a libra, e 4,6oo rs. a arroba.! vidro 64o rs. cada urna.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato Marrasquino verdadeiro de Zara a l.ooors.
Antonio dasseguinles qualidades: agua e a garrafa, lo,ooo rs. a caixa com 1 duzia.
sal doces, e imperiaes em lat;s|le 6 li-Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
brasa 3,ooo rs. e de 3 /* libras a 1,5oo Prezunto de fiambre superior a 600 rs.
rs. e em libra a 64ors., estas bolachinhas dem do Porto para paridla a 5oo rs. a libra.
torna-se muito rccommendavel com es- Passas novas a 48o rs. a libra.
pecialidade para os doentes.
Biscoitose Bolachinhas de soda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bollos francezes em caribes e de diversas
qualidades a 6o rs. cada um.
lianba de poico verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra c em barril a 38o rs.
Batatas novas a 160rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
al boje tem vindo a nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo, l.oors. a garrafa in-
teira, e 800 rs. as meias
Cha uxim o mellior que se pode desejar e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
dem perola especial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
d'este cha
dem hysson o melhor que possivel en-
contrar-se a 2.4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2oo e l,4oo rs. a libra.
dem prelo muito fino a 1,600 rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
liespanbol e suisso a l,ooo, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Tur-'
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinhae
outras a 1.000 rs. a latas.
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs. a libra,
e 4,>oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2, loo rs. a groza, 2oo rs. a
duzia, e 2o rs. a caixinhas.
rs7*a bar-! Queijos flamengos chegados neste ultimo va-
por, a
dem prato muito fresco a 800 e 9oo rs.
a libra.
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Serveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e 5o rs. a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantcs em quartos e
meia latas a 38o 58o rs. cada nma.
Sag mnito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadioha de Franca 18o rs. a libra.
Sovadaa loo rs. a libra, e 2,8oors. a arroba.
Traques de I.' qualidade a 8,000 rs. a cai-
xa, c22o rs. a carta.
Toucinho novo de Lisboa a 24o c 32o rs. a
libra.
R Altlaara o verdadeiro hemera do progressso.
K 0 Alliaaca o verdadeiro e principal armazem de molhados.
K o AII lauca o armazem que rende mais barato.
? Allla^a o armazem que vende os melhores gneros.
K Alliaaca o armazem onde preside o melhor aceio.
Fiquem todos sabedores desta verdade,
Ventana todos ra do Imperador n. 57.
Venbam ver os gneros que temos expostos a renda.
PARA AS FESTAS
DE
S. JOiO E S. PEDRO.
de boni s cor Hiena de Hollanda em garrafes com 24 gar-
rafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
Lentilhas excellente lgame para sopa e grri-
zados a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades a
8oe e l,ooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800
e 96e rs. a libra.
dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
a libra, e 58o rs. em barris inteiros.
Marmelada especia dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, ha
latas de differentes tamanhos.
Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o
rs. cada ama.
dem para soda estrellinha, pevide e rodinha
em caixinhas sortidas a 3,000 3,5oo rs. cada
urna e 5oors. a libra.
dem macarro, talharim e aletria a 4oo rs. a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um
Molho inglez em garrafinhas com rol has de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafa, lo.ooo rs. a caixa com 1 du-
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Prezunto de fiambre superior a 600 e 800
rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinba e
oulros a 1,000 rs. a latas.
Palitos para dentes a 14o e a 16o rs. o mas-
so dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos-do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor, a 3,ooo
dem prato muito fresco a 800 c 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes de vidro a rjoo rs,
cada um.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e 50o rs, a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e
meias latas a 38o c 58o rs. cada urna.
lado de Simas em */ caixas das seguin- Tijollo para limpar facas a 15o rs. cada um.
tes marcas Pariziences, Suspiros. Dli-!r 1____ r 1 .. r.- 3
cias, Napoleoese Guanabaras a 2,3oo rs., ^ZFZ.lT' W e *,ue'ra.dM
om tJZL n.arM T-f.,..,,w, ', o J melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
id-.'m de oulros muitos fabricantes e de
differentes marcas para l,5oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a l,6oo, 2,ooo e
3,ooo rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a l.ooo
rs. a garrafa e lo.ooo rs. a duzia.
dem francez suporior qualidade 800 rs. a
garrafa e 9,ouo rs. a duzia.
Cominho e Erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a 1,000 rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 80 c 3o rs. a li-
bra, e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caixao.
Krvilhas portuguezas ltimamente chegadas
a Too rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de ararula verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a l,ooo rs. cada urna.
dem em latas ermilicaraenle lacradas a
l,5oo e 2,5'X) rs. cada urna,
dem em caixas de '/j arroba a 2,5( o rs. ca-
da urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loors. a lata e l,ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,ooo rs. e 56o rs. o frasco.
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran-
des e 11,000 rs. a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da urna.
dem em garrafes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com a garrafao.
5oo rs. a garrafa.
Idem'do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos condecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
; dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco Dio levando cpm-
posirao a 56o rs. a garrafa, e 4,000 rs. a
caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a gar-
rafa, e 4 .;'oo rs. a caada.
dem mais babeo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
rs. a caada.
dem Bsrdeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vena ao
nosso mercado a 1,2oo rs. a garrafa, ga-
raate-se que por este mesmo prego d pre-
juizo e so se encontra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velbo Particu-
lar, malvasio fino, D. Pedro V, D. Luiz
I, Nctar e oulros a 9,ooo e lo.ooo rs.
a caixa e 9oo a 1,00o rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a l,ooors. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oo rs. a caada,
dem em garrafes com 5 garrafas a 1,000
rs. com o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna
dem de escova para esfregar casa 36o rs.
cada tima.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composiejio a
36o rs. a libra, e de lo.ooo a 11,000 rs. a
arroba.
Amendoas confeitadas
800 rs. a libra.
dem de casca muito nota a 3oo rs. a libra.
Avelas a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo, l,4oo e l,6oors. cada
uau.
dem em frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a l,2oo e l.ioo rs. cada
um.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada
um.
dem em latas de 1 / e 3 libras a i,2oo e
2,000 rs.
Arroz da India o Maranh o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,4oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,800 rs. a caada.
dem francez darificado em garrafas bran-
? cas a 9oo rs. cada urna, e 10,000 rs. a
caixa com I duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o rs. a libra e 4,6oo rs. a ar-
roba
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguinles qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,000 rs. e de 3 V* libra* a l,5oo rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinhas
torna-se muito recommendavel com espe-
cialidade para os doentes.
Biscoitos e Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em cartes e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Burila de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 16o rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at hoje tem vindo ao nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo e l,5oo rs. a garrafa
inteira, e 800 rs. as meias.
Cha uxim o mellior que se pode desejar, e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra.
dem perola de especial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
d'este cha.
dem hysson o melhor que possivel encon-
trar-se a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a I,2ooe l,4oors. a libra.
dem prelo muito fino a l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanliol e suisso a l,ooo, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
lado de Stmas em '/j caixas das seguin-
tes marcas: Parizienses, Suspiros, Dili-
cias, Napoleoes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de oulros muitos fabricantes e de dif-
ferentes marcas para 1,5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a l,6oo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inleiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a l,ooo
rs. a garrafa e 10,000 rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,000 rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
l.ooo rs. cada urna.
dem em litas ermiticamente lacradas a
l,5oo e2,5oo rs. cada tima.
Hem em caixas de '/ arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e l.ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 560 rs. o frasco
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran-
O
E
GRMDE
ARMAZEM
DE
&&m

RA DO IMPERADOR *. 40
Junto ao sobrado em que mora o Sr. Gbeme,
fiara a festa de Santo Antonio, S. Joao e S. Pedro.
Duart e vi me Id a ifc C, receberam de sua propria encommen-
da o naais liado e variado sortimento de molhados, proprios
da presente esta$5o.
ar-
Sag muito novo e alvo a 2o rs. a libra.
Sevadinha de Franca I80 rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a
roba.
Traques de 1.a qualidade a 9,5oo rs. a cai-
xa, e 24o rs. a carta.
Toucinho novo de Liiba a 25o e 32o rs. a
ibra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,800 rs. a caada, e
5oo rs. a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco nao levando com-
composigo a 56o rs. a garrafa, e 4,000
rs a caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1.2oo rs. a garrafa, ga-
ranle-se que por este mesmo proco d
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em 'caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e lo.ooo
rs. a caixa e 9oo e l,ooo rs. a garrafa.
dem Moscatel superior a 1,00o rs. a garra-
fa, e lo,ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada,
dem em garrafes com 5 garrafas a 1.000
rs. com e garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
I dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
cada urna.
Manteiga ingleza
da safra aova vinda nesle vapor de 28 de
maio a 800 rs. a libra.
Manteiga franceza
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril
a 500 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2$ 400, muito propios para mimos.
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 14900.
Chocolates
de todas as qualidades a IflOOO a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2#0oo.
lueljos
chegados no ultimo vapor a 2^600 cada um.
ttueljo
londrino o mais fresco que se pude esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 1200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3,-5( a 2600.
dem perola
especial qualidade a 2->700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 2tO.
Massas amarellas
a
Macas brancas
para sopa a udhor que se pode desejar,
macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 4($l5O0 a caixa.
Vinho
Figueira i A A ostras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de ootras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2^800 a caada.
Mena do Porto
generosas engarrafado dos melhores fabri-
cantes da cidade do Portea l e 14200
a garrafa e de 100 a 42l a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Gbamisso & Filho,
F. 4 M., Nctar ou vinho dos Deuzs,
lagrimas do Douro e ootros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 4000.
Bolachinha ingleza
al#800 a barrica damesmaque
vendem a 2-5000 e 25400.
Nozes
as mais novas do mercado a fe# .* bra.
Cervejas
dos melhores fabricantes!* de todas as mar
cas de 45500 a 65500 a duzia.
C2ART0S
Charutos Thom Pinto,. Rois e outros em
mdas caixinhas a 15500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-
roba desses que vendem por 35400.
CAF
de 1.a e 2." sorte do Rio de Janeiro a 853f
e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafes
com 4 '/a garrafas com vinagre a 15000
o garrafao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 15000 o frasco, e de H500P
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 5)0800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6eo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2.2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas quaida- finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
des a l.ooo e 800 rs. a garrafa.
coios
lapidados para agua a 4,5oo e. 5,ooo rs. i
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
para sopa, macarro. talharim e aletria
480rs. alibra.
(OftWt
o muito afamado cognac Pal P.randv a l,8oo
PAPEL
almaco, grave, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
l'apcl de botica
de excellente qualidade a 25200 a resma,
PAPKL
azul e pardo para embrullio de 1. 4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e oulros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e ein caixa tei abatimento.
passas corinthias muito novas proprias para IA VELAS
nnlim n 8nn r a hi-a oe carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
1.4oo rs. alibra
Vinagre
PRRem ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a ",00o rs. a caixa
e 1,00o rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra
e 45400 a arroba.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 55 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito novas
em quartos e inteiros a 25 o quarto e 65500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pede de-
sejar a 800 rs. a libra e 140rs. o pao.
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsee da casca da goiaba
a 600 e 15 o caixSe.
'Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declarara
fregueies e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a nSSoSSTSSL7Z
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares: "uuu'uaut ox toaos es-
lluie e Comoiercio ra do Queimado n. 7
\l'l'(lM(l(MPa Plillfivil cu.. .1,. I_. !.__ _
O Verdadeiro Principal roa do Imperador n.. 40
AGENCIA
DA
FU1TOICA0 DE LOW-MQL
Ra da Seuiaila nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
nm completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamannos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C.
na da Senzalla Nova n. 42.
Empreza dailluminacao
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamagoes
(por eseripto dando o norae, morada, data, etc.),
devem ser feilas no armazem da ra do Imperador
n. di. Os machinistas mandados para atiender a
estas, aprescotaro um livro qne os reclamantes
(ieverao assiguar logo depois de prompto o serviso
reclamado ; isto para qoe a empreza fique sciente
de haverem os raesmos senhores sido devidamen-
te altendido.--.
des e ll.ooo rs. a caixa com 12 frascos. Velas de espermacete superiores a 56o rs.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada l a libra, e 52o em caixa.
urna. I em de carnauba refinada e de composico
dem em garrafes de 16 garrafas a 4,800 a 36o rs. a libra, e de lo.ooo a H.ooors.
rs. com o garrafao. a arroba.
Sal do Assu'
Vende Antonio Lni de Oliveira Azevedo
no sea esc-riptorioa da Cruz n i.
& C,
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidtde a 125
a lata e cm lotes de 10 latas para cima se
far abatimento. no armazem da ra do Im-
perador 0.16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
Kaa da Senzalla a. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C.,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos. e relogios de
ouro patente inglez.
Na ra de Apolto n. 3S ha um grande sorti-
meato de marmore para ladriiho, sacadas, hom-
hreiras e degros de 8, 9 e.10 palmos de compri-
do e 2 rrl de largo, foha. de marmore proprias J
para lampos de mesas e pira tmulos, rasos gran-1
des para jardim, on para ornar tmulos, por pre-}
eos muito razoaxeis I
Charutos de Havana
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schafleitlin d C, ra da Cruz n. 42.
At qne chegoa
nm grande sortimento de bico e renda preta de
novo modelo chamado (gulp) o melhor que se
pode desejar neste artigo e que se vende muito ba-
rate : na loja do gallo vigilante ra da Crespo
a. 7.
MOVIMIENTO
BAIRRO DO RECIFE, RA DA CADEIA N. 50.
O mais novo e o mellior
ARiHAZGJII HE MOLUAHOS
tssquma deft-onte da ra da Madre de Dos
os seus henevnlfts amions a frami.- h.m __.____=.. .!"r'1 d ca;,;l atima indicada, onr
| Fabrica Concecao
Bahia.
Andrade & Reg, reoebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algedao d"aqnel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar aigodio em pluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
os seus benvolos amigos e fregueses, bem orno ^resneJUwl"^^!^ H^lt acnia .indc*la. onda
variado, escolino e melhor sortimento de SUfiSSl,S.lieS^tS^TSt 2 ma
belecimcnto. v neiu, elegancia e bom rgimen do esta-
0 annunciante, tendo feito urna completa reforma no i.,(
correspondentes na Europa para remessas do contaTronria 2'2 c~ATTOf' possui"drt b',ns
teceo de todos os amigos d bom e barato a anal QM' ?ii convencidoLflOf merecer a Pro-
meacer a confian* com qne se dignarem de o 2J* reClama' assevedo-lhes que jamis de?-
guns e-roTe"^^^ compre-lhe al-
nenhum outro estabelecimento o ZF^J J)?seBle **>> Y?F%h1 Por si mesmo que
deli(adeia,oulegalidadede Desos medidas ,J coonnodidade de preces, agrado
teeni ofTerecido toe
LAAZINIHS BAR4TAS. Sa',a,os de borracha a ^m
Vendem-sc laazinhas decores lisas e de boa qua-
lidade para vestidos de senliora a pataca o covado,
e outras multas fazendas que o dono esta resolvido
a vender muito barate afira de apurar os ooferes :
na ruada Imperan i n. 90, outr'ora aterro da Boa-
Vista.
Vende-se nm cabriolet: ao paleo I
zo n. 26.
Parai-
o par.
No armazem de Joaquim Francisco de Alera lar-
go da Assembla n. 1.
GAZ.
'i
Vende-se gaz liquido americano da melhor
qualidade em lat"s de um, dous e cinco galfies,
por menos que em oulra qualquer parte : no ar-
mazem do caes do Ramos n. 16.

a**


Diri le
Sexta felra de Julho le I 1.
Grande liquidado
de fazendas na toja do Pavio, rna da Imperatrit a.
60, de Gana & Silva.
AcOa-se esta estabelecimento completamentesor-
tido de fuendas inglezas, fraselas, allemes e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
mato, prometiendo veoder-se mais barato do que
em nutra qualquer parte principalmente sendo em
porcao e de todas as faz en das dao-se as amostras
deixando ftcar penbor ou mandanvse levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavo.
As hitas de Pava*.
Vendem-se superiores chitas claras e escuras pe-
lo barato preco de 240 e 280 rs. sendo tintas segu-
res, ditas francezas linas a 320, 340, 360, 400 e
300 rs., o covado, ditas pretas largas e estreitas,
riscados escocezes finos a 240 rs. o covado, isto na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama <&
Suva.
As eassas do Pari a 210, 280, 300 e 320 rs.
Vendem-se tinissimas eassas persianas cores li-
jas a 320 rs. o covado, ditas francezas muito finas
a 240 e 280 rs., ditas ingzezas a 240 e 280 rs. o
covado, finissimo organdy matisado com desenhos
miudinhos a 320 rs. o covado, eassas garibaldinas
muito finas a 320 rs., isto na loja do Pavao ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As liaxinhas da exposico do Pari.
Vendem-se as mais modernas laazinbas mossan-
bique chegadas pelo ultime vapor francez sendo
de urna s cor ou de listas miudinhas com 4 pal
mos de largura, proprias para vestido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baralissimo
preco de 50 rs. o covado, ditas entestadas trans-
parentes de quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas matisadas muito finas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita tambem matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Mara Pia com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de urna s cor parda, azul, cor de lyrio e
perola proprias para vestidos, sautembarques e
aribaldes a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
800 e 400 rs isto s na loja do Pavao, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os chales do Pavo.
Vendem-se finos diales de crepon estampados
pelo barato preco de 65, 75, 83, ditos de ponta re-
donda a 75 e 85, ditos pretos ricamente bordados
a retroi com vidrilho a 125, ditos pretos lisos a
35, ditos de cores a 45500 e 55, ditos de merino
estampados a 35 e 35, ditos de lia a 15280 e 25,
ditos de retroz preto para luto a 65, isto na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 Pavio vende para luto.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de lia seca lustro tendo 6 palmos de largura pro-
pno para vestidos, paketots, capas etc., pelo bara-
to preco de 25, 25200, 25500 o covado, eassas
pntas lisas, chitas pretas largas e estreitas, chales '
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
com gothnhas e ootros mullos artigos que __ se ven-
den) jor precos razoaveis : na loja do Pavao roa
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
camente bordados a veludo pelo barato prego de
405. sendo fazenda que sempre se vendeu a 1005
e 1*05; ditos de cambraia raucos ricamente bor-
dados a croch, sendo proprios para bail e casa-
mento a 10, 15, 20 e 305; ditos de lila com lindas
barras a 18 e 155 ; ste na loja do Pavao ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Pavo.
Vende-se panno preto muito superior pelo barato
preco de 25, 25500,35 e3^500, ditos muito tinosa
45, 55 e 65, cortes de casemira prela enfestada a
45,45500 e 65, casemira preta fina de urna s
largura muito lina a 15800, 25. 25500 e 35, cor-
tes de casemira de cor a 55, 55500 e 65, casemi-
ras entestadas de urna s cor proprias para caiga,
paletots, colletes, capas para senhora, roupas para
meninos a 35 e 3500 o covado, isto na loja do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A roopa do Pavo.
Vendem-se paletots de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muito boa a 125, ditos muito finos a
165, 20c, 255 e 305, calcas de casemira preta boa
fazenda a 45500,65,65, 75 e 85, paletots saceos
de panno preto a 75, ditos de casemira de cor a
65 e 75, ditos de alpaca preta, ditos de merino
preto, ditos de lirim de cores, calcas de casemira
de cor a 45. 55,65,75, ditos de eaxemira da
Escossia a 35, ditos de hrim pardo a 25500, ditos
de cor a 25 e 25500, ditos brancos muito finos,
sto na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 00, de
Gama c Silva.
As colchas do Pa\5o.
Vendem-se colchas de linho aleochoadas pro-
prias para cama pelo barato preco de 55 cada urna
na ra da Imperatriz n.60, de Gama & Silva
Las le uuia so cor.
Vendem-*e laazinbas de urna s cor, sendo en-
carnada, azul, cimenta, cor de cal, lirio claro, li-
rio roso cor de perola pelo baratsimo preco de
640 o covado, fazenda muito lina s o Pavo, ra
da laiperatnz c, 60 loia e artuazeni de Gama &
Sj1%
O cortinados do parSo.
Vendem-se ricos cortinados proprios para janel-
la e camas pelo barato preco de 95 o par, sendo o
mclhor que ha no mercado : na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas que tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor fran-
cez, pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas
de listrinha muito miudinhas proprias para vestidos
e roupas de meninos e meninas pelo birato prego
de 500 rs. ; s o Pavao ra da Imperatriz n. 60,
loja de Gama & Silva.
Os souteannarqnes do Pavo
I e 15# so o Pavo.
Vendem-se os mais lindos souteanbarques qne
tem vindo ltimamente de lazinha e eaxemira n-
caraeute bordados e eofeitados, cores muito delica-
das pelo barato preco de 105 e 155 ; fazenda esta
queem outras lojas'se vendem por 205 e 255,
s para liquidar : na loja e armazem do Pavo
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
As chitas do Pavo & %$-fOO e
2&HOO o corte.
Vendem-se cortes de chita com doze covados
cada corte, ditos com dez covados a 25400, fazen-
da muito boa, e que nao desbota, s na loja do Pa-
vao tem esta peclnucha ; a ra da Imperatriz n.
60 de Gama Silva.
Panno de linho.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences, toalhas e ceroulas pelo
barato preco de 640 rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 25500, algodozinho
monstro com 8 palmos de largura a 15, pecas de
Hamburgo com 20 varas a 95, 105 e H5, pecas de
madapoln fino a 75500. 85, 95 e 105, ditas de
algodaoziuho a 65, 65500 e 75, e outras muitas
fazendas brancas que se vendem muito baratas
atim de apurar dinheiro : na loja do Pavo ra da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
O bramante do Pavo com doze
palmos de largura.
Vende-se bramante de linho puro, muito fino com
doze palmos de largura o melhor e mais largo que
tem vindo ao mercado pelo barato prego de 25800
rs.a vara ; s na loja do Pavo de Gama Silva,
aua da Imperatriz n. 60.
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas de lis-
trinha muito miudinhas proprias para vestidos e
roupas de meninos e meninas pelo barato prego,
de 500 rs.: s o Pavo ra da Imperatriz n. 60,
loje de Gama & Silva.
Os bales do Pavo.
Vendem-se crinolinas ou bales de 30 arcos tan-
brancos como de cores, sendo americanos qu^ i
sao os melhores por se nao quebraren] a 35500 e |
de 35 arcos a 45, ditos de musseiina com baados
45, ditos para menina a 25 e 35 : na loja do Pa-
vao ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
O Pavo vende 85.
Venderr.-se os mais lindos cortes de vestidos a
Mara Pia, com lindas barpas de seda, sendo che- j
Sados pelo ultimo vapor francez pelo barato prego
B 8-5 cada un: s na loja do Pavo ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os bales do Pavo.
A 2s300 s o Pavo.
Vende-se bales com 20, 25 e 30 arcos pelo ba-
ralissimo prego de 2,5500, assim como tem um
completo sortmento de. bales para meninas de to-
dos os tamanhns pelo baratissimo preso de 25500,
notando que sao bales de arcos os niclhores que I
tem vindo da America Ingleza, vendem-se por este
preco para liquidar : s na loja e armazem do i
Pavao ra da Imperatriz n.60, de Gama & Silva. I
Loja de fazendas da ra
do Crespo n 7.
GRANDE
sortinwDto de fazendas novas bara-
tsimas Da loja e armazem Je fa-
zendas baratas na ra ta Imperatriz
n. 56, laja 4a Arara, de Lourcuco
Pereira Hiendes Guimares.
Cortes de chita a 25100.
Miguel Jos Barbosa Guimares, socio prinei- Vndese cortes de chitas para vestidos a 25 00
pal da firma de Guimares t Lima, faz seiente ao ditas de dita franceza com 10 covados a 35200
respeitavel publico que tendo de liquidar todas as cortes de cassa francezes a 25 e 25500 : na ra
fazendas existentes em. seu eslabelecimento por da Imperatriz n. 56 loja da Arara,
ter fallecido o seu socio Jos de Almeida Nunes | Arara' vende a 160 rs
Lima, que consta de um grande sortmento de fa-, Vend m d ,. fa m
As lauhas da Arara a 320 rs. o tovado.
GRANGEIASantiblennqbrhagicas oe MNAND
u-INT. o HOSR.ooSVENEREtB^RS; i^filMiO 1854
Blennerrhacias as m*is intensase rebe.'des. -
mar em egredo sem tisana.
Superiores a toda as preparantes consMidas at huj contra as Conorrbee -
ofTeo seguro epromplo, sem nauseas, nam clicas, nena tremor. Pacis a tomar eir
Injecco curativa e preservativa
U1I, ,-ir* com rapidez ttm dertt o ejcorriraenlos contagiosos de ambos sexos. oras brancas AJslr'Tcnle I
uca m caitiUr. fortines os tegumentos e os preserva do i|tUHjo(r thtrKto. PARS, 5, rtM im KmtUiltlT.wi.
Xnfalll
WUimic
Deposito geral em Peraambuce ra da Cruz n. 22 emeasa de Caros 4 Barbcza.
VKNM-SB N AWBIKCA
Um Descobrimento Espantoso!
0 Blondo Siirntififo unauimauriiip o approra.
A Composifao .Vi.urukuita
Peitoral de Remp.
Tor espaco de uiuito tempo se ha tizlo ex-
tensamente cm Tampico para a cura de
TSICA pulmonar,
CTARHHO, ASTHMA,
BHONCHITE, TOSSE COffVLSA,
CSPO O GAEROTUDO,
Infl?.mmaces da Garganta e do Peito,
c isto com um rebultado to Mil c verdadei-
ramente assombro^o o pao ou madeira d'tiui
arvore h que cliamio Asacxuuita, e que s
se encontra no Mxico.
A Composifo Auacahuita Peito-
ral de Kemp i um Xarope delicioso, intei-
ramente differente na sua composicao de
to nufacturados de fructos astringentes, csecm
c mize, &c, o mcsino uio conten nenhum
Acido Prussico ou outios quacsquer ingre-
dientes venenosos.
Todas as molestias e affecees da garganta
c dos puliuocs dcsappareeem como por um
mgico encanto, mediante a acciio dcte
cninparawl c irresiptivel remedio.
ou fina a vonfade do comprador
ti

e
Vendera-se lazinhas para vestidos a 280, 320,
*OX), oOO e 640 o covado, ditas lisas proprias para
capas e vestidos de senhoras a 400 e 600 rs. o co-
vado : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende as chitas para cubera a 320 rs.
Vendem-se chitas para cobertas a 320, 360, 400
e oOO rs. o covado, dita encarnada adamascada a
500 rs. o covado: na ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Cassa organdvs da Arara a 210 rs
Vendem-se eassas organdys para vestidos a 240,
280 e 320 rs. o covado, riscado francez para ves-
tido a 280 rs. o covado, gurguro de linho para I
vestidos a 280 rs. o covado : na ra da Impera- i
triz n. I* loja da Arara.
da Arara a 2 il) rs. o covado.
Vendem-se chitas para vestidos de cores fixas a
240 e 280 o covado, ditas francezas largas a 320,
360, 400, 440 e 500 rs. o covado ; na loja da Ara-
ra ra da Imperatriz n. 56.
Lencos de seda da Arara a 800 e 1:5.
Vcndem-se lencos de seda para algibeira de
homem a 800 e fjL, lencos de cassa a 200 e 240
rs. : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vend os veos pretos e de cores a i^WO.
Vendem-se veos pretos e de cores para chape-
linas de senhoras pelo prego de 1 cada um, go-
linhas para senhoras a 240 e 320 rs., manguitos a
&eamismhas para senhoras a 2, ditas finas
com gravatinha e puohos bordados os mais mo-
dernos que lera vindo a 45500 : na loja da Ara-
ra ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende os baldes a 2&O0.
Vendem-se bales de 20, 25, 30 e 35 arcos a
2^500,3S, 3*500, 45, 45500, ditos de brimantina
a 45 : na ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Cortes de la a Mara Pia a 8 e i8#.
Vendem-se cortes de la a Mara Pia a 85e 185,
pecas de cambraia lisa fina a 35, 35500 e 45 : na
ra da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Cortes de ganga a 1 >6(i()
Vendem-se cortes de ganga francea'para caifa
a 15600, ditas de casemira a 35, ditas finas a 5
e 55500 : na ra da Imperatriz n. 56.
Roupa feita da Arara.
Vendem-se paletots pretos de panno fino a 165.
145 e 125, ditos saceos de panno fino preto e azul
debruados de fita a 95 e 105, ditos de casemira a
65, 85 e 55, ditos de brim a 25500 e 3J, ditos de
alpaca preta a 35 e 25500, camisas francezas bran-
cas a 25 e 25500, ditas de linho de pregas largas
a 25800 e 35, seroulas de algodo a 15600, ditas
de linho a 25, calcas de brim e gangas de cores a
25, ditas de brim pardo a 25500 e 35, ditas bran-
oas a 35500 : na ra da Imperatriz n. 56 loja da
Arara.
Colchas da Arara a -ty>
Vendem-se colchas de damasco para cama a
45, ditas de fustao a 55, ditas de chita a 25: na
ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Vendem-se gangas para calcas e paletots.
Vendem-se gangas para paletots e calcas a 440
1 e 500rs. o covado, fustio para calca a 500 rs. o
covado : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Madaolo francez a i.
I Vendem-se pegas de madapolo enfestado com
112 jardas a 45 e 45500, ditas de 24 jardas ns. HG
,..,,, c t a a *,as 60 a 65500, dito moca a 75500, dita
Acndc->e oengenho Soecorro, na freguez.a de n. 40 a 85, dita n. 50 a 85500, dita n. 7 a 105. di-
iu
A venda as boticas de Caors 4 Barboza,
ra da Cruz, e Joao da C. Bravo C, ra
da Madre de Dos.
Attenco
r.
El
RVA DO BRIM NV 34.
r Re* nr cnsirnA wnn
K \^**SSSSbm!!tt m 5?1 toSS 9*' dila XX 85500,"algodomuito eneorpado
* e. on, i a?p?X'? b/5aS da. C'dade d a 55300 e 6^' dil carne de vacea a 75: na rna
a, i Kecile, com boa casa de vivenda, senzala e casas ja imneratriz n 56 loii da Arara
- i de moenda, caldeira, dist.larao e estribaria, tudo P Hr A ]y,ln LfiA
de pedra e cal, em bom estado, sendo o cercado o 1 ,. ,Q sa .Br,,M "J a 1 r>8;
melhor que se conhece na fregnezia, com trras ^,,S ,^1rim12fnilinho Para.calca a 1*8-
para safrejar 1,500 pes de assucar, e proporcoes 1**w lf800. e **g2? *a.1?ra!.lbXlin l,s0 para se"
para ser transformado em moenda de acuapor ser roulas e lenQoes a oOO, o60 e 640 a vara, braman-
banbado por detraz pelo famoso rio Jaboato, e le de Vnno 25200 a vara tem 10 palmos de lar-
pela frente pelo riacho Mocaiba. Tambem se ven- fura' ^?"*S? linho a &W) e 80 rs- a vara'
; dem alguns escravos, bois, animaes de roda, cem br,m.pardo *< 640 e 15 a vara : na ra da Irn-
os mais utensis proprios ao fabrico de assucar i P.tratm n- ?? loJa e armazem da Arara, a loja es
Pi\l
os pretendentes podero entender-se no engenbo
com a viuva e herdeiros.
Vende-se pixe duro mais barato do que em 011-
tra qualquer parte : 00 armazem da bola amarel-
la no oitao da secretaria de polica.
Em Santo .Amaro de Jaboato na
junto ao professor vende-se bilhetes do
das as loteras da provincia.
t abena at as 9 horas'da noite.
um engenho, fazenda de ga
do, diversos predios, porcao
de escravos, animaes roe-!
cuns e cava Llares.
Sexta-leira o de agosto. '
X chlade da Parahlba, ra do
Varadouro a.
Jos Luiz Pereira Lima, uindo resolvido termi-
nar ;i responsabilidade que lomou sobre parle do
passivo de sua extincta firma commerciaT expora
concurrencia publica, por venda em leilo, to-
dos ou parte de seus bens constando de :
l"m engenho denominado Graca, distante urna
pequea legua da cidade, com todas as bemfeito-
rias o obras, como sejam : um magnifico sobrado
apalacado com 16 janellas de frente, igreja e urna
casa terrea com 70 palmos em quadro, casa do
engenho firmada cm columnas todas de pedra, ca-
sa de caldeira e em seguimento casa de purgar
com 70 palmos de largura e 280 de comprimento
inclusive casa de deslilacao, sendo esta obras to-
das de pedia e cal. O engenho moe nicamente
com agua de urna vertente extraordinaria sobre a :
roda que nova c de madeira de amarello com ii
palmos de dimetromoenda nova e loda de fer-
roassentamento completo com as caldeiras pre-
cisas todo o fabrico.
As trras de que o engenho se compoe tem urna
extenso de legua quadrada, bem devisada e de-
marcada, com porto de embarque, e varios sitios
com casa e muito arvoredo de fructo, e bem assim
infinitas pedreiras para cantara, lasca e cal, para
o que tem varios frnos slidamente construidos.
Urna casa de sobrado de tres andares e soto,
com cinco portas de frente na ra do Varadouro.
Urna dita de dous andares e soto, eom ires
portas de frente na mesma ra.
I'ma dita terrea cora cinco portan de frente e
soto tambem na mesma ra.
Um grande terreno de marraba com fronleiras
para armazens na ra do Zumb.
Urna casa terrea junto ao quartel de primera
linha.
Urna dita de sobrado cora cinco portas de fren-
te, muito bem construida e ao gosto moderno na
ruaDireita da cidade alta.
Urna dita dito com quatro portas de frente,
igualmente bem construida e annexa anterior.
Duas ditas terreas no becco da Companhia.
Urna fazenda de gado situada na Ribeira de
Crumata um duas leguas de trras com duas si-
tuacoes de gados, curraos, acudes, e boas calingas
para plantai;oes de todo o genero.
Vinte e cinco escravos de todas a< idades.
Animaes de roda, buiada mansa,, e vaccas lou-
rinas.
N. B. O leilo ter lugar no dia cima designa-
do pelas 10 horas da rnanha em urna das casas
da ra do Varadouro.
Os pretendentes qualquer das propriedades
podem desde ja dirigir-se seu proprietario para
ebter informagoes de qualquer natureza que se
jam relativas posse, dominio e demarcado .de
imites.
SlSalitre refinado, superior qualidade, vinhc Bor-
eaux, differentes qnalidades, mais barato que em
qualquer parte : no armazem de E. A. Burle cv
C., rna da Cruz n. 48. _____________
Vende-se urna casa em Olinda ra
do Jogo 'la Bolla n. 23, em chaos proprios
com a freule e o rundo de pedra e cal c js
oiloes de taipa, cosinha na sala de detraz :
quera a pretender dirija-se ao Recite tra-
viesa do Veras n. 10.
Vende-se a armaco da loja da ra larga lie
Rosario n. 33, muito propria para miudezs ou
outroqualquer negocio por ser em muilo Lja i-
calidade : a tratar na mesma loja, o u ra di
Apollo n. 8 com o Dr. Jos Joaquim de Souza.
Bichas hamburguezas
Vendem-se bichas de primera qualidade : na
ra Nova n. 01, defronte da IIlina, cmara muni-
cipal.
Belem.
AlcatRto.
.5 \ Vende-se alcatro do gaz pelo preco da fabrica :
J" no armazem da bolla amarella no oito da secreta-1
ria de polica. I
Vendera-se dous sitios na estrada de Belem, sen-
do um ao p da igreja com 680 palmos de frente.,
pequea casa de taipa, e alicerces para urna boa
casa e frocteiras, e outro na estrada com 209 pal-
mos de frente e 1,200 de fundo : a tratar em
Santo Amaro, travessa do Lima, casa defroute de
um quintal cora porto de ferro.
ATTENQAO.
Vende-se um sino no lugar da Ipiranga, com
casa de vi venda,.muito boa cacimba, com tanque
e novo, muitos arvoredos e novos, boa trra para
plantaco : a tratar nos Afogados, ra do Moloco-
lemb n. 39.
Vende-se a taberna n. 10 da ra do Rangel :
a tratar na mesma.
Vendera-se quatro moradas de casas terreas
era chaos proprios, na cidade de Olinda, tendo
urna dellas um sitio com varios arvoredos, e mais
um sitie sem casa na Estrada Nova : a tratar na
mesma cidade com o Sr. Luiz Jos Pinto da Costa,
e nesta praca cora Bernardino Jos Leito,no pateo
da matriz de Santo Antonio n. 8.
ESCRAVOS FGIDOS.
I'ugiono dia 10 do crreme o escraro por
Lome Semiao, de nacao Mossambique, cora os itg-
naes seguintes : estatura alta, chcio do corpo,
rosto liso, nao tem barba, tem iras talhos no rosto
junio as duas fontes do rosto, levou calca de hrim
pardo, camisa branca de algodo, paietot de brim
pardo, e chapeo de palha : roga-se s autoridades
civis e militares de o apprehender e mamia-lo a
seu senhor, na ra Direita n. 30, que sero gene-
rosamente recompensados.
Fugio no dia 15 de julho a escrava Benedic-
ta, crioula, de cor fula, cara redonda, olhos vivos,
falta de dentes em cima, cheia do corpo, hunda
um pouco empinada, baixa, foi escrava de D. ala-
ria dos Santos Carmo, moradora em Caixoeira do
Gallo, em Bezerro, foi comprada nesta praca no
dia 9 de abril deste corrente anno de 1864 : quem
a pegar leve ao seu senhor Jos Joaquim Lopes
Pereira (iuiraares, em Tigipi, freguezia dos A-
fogados, que ser bem recompensado.
Fugio na noite de 23 do corrente julho de
1804 o escravo Jos, preto, crioulo, ue 20 amos,
Laixo, corpo regular, beicos grossos c estofados,
orelbas pequeas, e cachago grosso, pouca barba
porque tem apenas na ponta do queixo, levou duas
calcas, urna branca e oulra de castor escuro que
parece preto, de listras, paleto! preto, sem camisa,
e com urna carapuja encarnada na cabega, a laia
de marujo : quem pegar leve-o ra Direita ti.
5 i, i;ue ser generosamente recompensado.
Ausentou-?e no dia :l do corrente mez da ca-
sa de seu senhor o escravo Targino, cabra, de ida-
de 20 annos r^mco mais ou menos, com offlcio de
ourives, alto e seco, sem barba e espadando, boni-
ta figura, levou vestido caiga de ganga de qnadros
miudos j usada, camisa branca e chapeo de ba-
ta, foi escravo do lllm. Sr. Theodozio Francisco
Diniz, morador em Porto Calvo, suppoe-se ter vin-
do para o Recife aonde jesteve e tem conheci-
mento, a titulo de procurar senhor, e igualmente
se ausentou a escrava Graciosa, cabra, de idade
16 annos, bonita figura, cheia do corpo, rosto lar-
go, estatura baixa, bragos e pernas grossas, de
suppr que seguisse o mesmo destino do referido
cabra, erogase a todas as autoridades policiaes,
capites de campo e qualquer pessoa do povo de
se os virem os capturar e es mandar conduzir
a seu legitimo senhor Manoel de Souza Cunha re-
sidente na villa de Porto de Pedras, ou na villa
do Paco de Gamaragibe a Antonio de Souza Cu-
nha, em Rio Formoso ao lllm. Sr. Diniz e no Re-
cife a Thomnz Fernandes da CuDha na ra da Ca-
deia n. ii. que sero generosamente gratificados.
Fugio na tarde- do dia 10 do corrente um
escravo pardo, de nomc Marcos, desembarca>!o
do hiate Cantil Auna, vindo do Aracaty, ende
de idade 2S annos pouco mais ou menos, e os sig-
naos seguintes : altura regular, secco do corpo,
pouca barba, cabello crespo. Jevou camisa e
caiga de algodosinho de riscado azul e cha-
peo de palha. tendo levado comsigo urna trouxa
com mais roupa, e rendido de urna das veri I has;
quem o appreender queira leva-lo ra da Madre
de Deus n. ;I8, ou ra do firum n. 55, que sera
recompensado.
,,
LISTA GERAL.
101
DOS PREMIOS DA O. PARTE IA L LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 71, A BENEFICIO DOTHEATRO DE SANTA ISABEL, EXTRAIIIDA EM 8 DE JULHO DE 1864.
NS. 1 JREMS. NS. PRE.MS NS.
1 O 182 6 370
ii 83 73
17 2001 84 - 74
18 l 92 81
19 93 12 83
23 95 123 8 i
24 99 6J 98
87 205 99
28 m 6 402
29 65 10 3
30 __ 11 S
37 M. 25 125 8
i 7 __ 27 6J 9
19 37 i i
51 --- 38 15
52 __ 39 16
.13 __ 41 18
34 __ 43 22
.')'} --- 49 23
87 __ 51 24
71 __ 52 123 26
:'.: __ 58 63 28
75 _ 61 34
7t; _ 07 43
7H __ 77 47
79 ^_ 78 48
Si ^_ 79 50
88 __ 80 203 34
89 __ 86 63 57
94 __ 88 62
r __ 91 69
'7 __ 92 123 72
98 __ 93 63 73
99 __ 97 78
IOS __ 300 79
7 2 86
16 __ 3 89
23 o 93
i i --- 8 96
30 a 10 99
32 __ 15 500
33 19 1
.0 __ 20 3
37 21 o
47 o-.ooos 24 16
49 0 28 17
55 29 21
36 31 24
59 41 25
66 20* 42 27
68 o 50 29
71 52 30
77 34 1003 35
78 58 63 36
80 61 37
PREMS. NS. PREMS.
125 538 05
65 39
- 42
-i 43 -
- 44
47 '18
54
fc 00
- 58
100 70
631 76
- 79
-, 8l
82
- 84
; 603
; 4
6
-21
23
I 24
125 25
651 28
2031 30
63' 33
40
43
43
403 49
65 50
123 53
63 59
I 62
63
64
68
Oh
80
xi
84
85
92
93
94
700
3
9
11
12
14
18
27
31
0 esemao, Jos Pedro da$,
NS.
733
35
37
43
43
44
45
17
i 48
49
i 57
60
61
72
74
77
78
711
80
81
88
9 i
96
97
99
801
3
i
6
8
10
II
Ii
20
24
26
27
i'J
31
32
34
38
36
"37
41
8
18
50
53
54
2
53
70
1005
63
PiiE.US.iNS.
05 876
83
86
91
'.2
93
900
3
9
18
19
28
9
33
36
i i
48
48
80
88
60
61
03
(i i
70
75
78
83
86
87
92
96
98
99
1004
11
14
18
23
il
12
u
50
54
56
62
79
80
82
83
PREMS.
05
125
,05
NS.
1098
1103
5
7
8
14
17
18
I!
26
27
29
33
34
38
36
37
41
-I 43
I 47
- 50
125 51
1005
65
63
125
0,5
105
65
125
65
123
05
123
63
203 53
65 58
62
65
66
68
69
72
74
80.
82
123 84
0,3
205
94
95
97
205
.63
63
88
89
92
93
99
1202
3
i
5
6
12
18
19
20
22
23
28
30
33
34
35
PREMS. INS.
205 1243
631 46
-i 49
-I 50
57
00
68
7(1
72
77
84
85
86
*7
93
95
'.7
98
1300
I
i
i
5
13
22
28
30
34
35
37
39
10
13
SO
55
62
63
64
05
67
68
71
73
74
79
80
82
83
84
88
89
90
91
92
1406
PREMS.
63
125
05
405
123
63
403
6003
03
203
63
203
123
15
NS.
1409
11
12
10
17
20
21
22
30
3.'i
38
13
46
48
49
52
53
60
63
00
09
73
79
80
88
89
90
94
95
96
97
99
1504
5
11
16
19
21
29
32
33
37
38
40
44
48
55
58
60
64
65
69
73
79
80
PREMS. INS. PREMS.
63 1581 63
| 83 103
-j 93 65
1602
4
8
12
18
21
23
24
28
123 29
63 30
32
37
40
43
10
17
57
59
60
01
02
63
64
65
75 203
123 90 63
63 91
94
205
65
405
65
125
63
123
3
1700
2
4
8
11
15
17
18
20
22
24
33
35
39
42
44
48
53
59
61
63
69
75
65
123
203
NS.
1779
82
83
88
86
89
91
93
93
1801
i
:
9
18
19
30
34
il
47
80
81
83
84
00
61
63
67
70
71
75
77
81
82
86
88
92
86
96
99
1902
3
5
9
10
12
15
22
25
26
28
32
37
38
39
40
205
123
05
03
PREMS. NS.
65:1916
48
83
01
02
63
67
08
73
74
75
70
86
91
93
96
97
99
2002
3
18
22
20
29
30
32
35
37
38
39
42
45
51
05
67
68
69
72
76
86
87
90
92
93
98
2100
2
7
13
14
20
22
25
27
PREMS.
65
125
05
123
83
203
123
123
123
125
NS.
2130
33
35
38
42
13
48
40
52
53
87
58
59
00
09
73
70
80
80
90
92
95
98
99
2202
10
16
W
22
25
28
32
38
40
42
43
45
46
49
53
59
61
62
65
69
71
79
81
82
85
86
87
93
PREMS. NS. PREMS.
2005
05
405
05
125
03
123
63
1:4003
63
2298
2300
1
3
9
11
13
14
17
21
30
40
41
44
17
80
81
52
53
84
50
00
01
70
71
77
81
86
87
91
94
96
67
2402
3
8
28
30
31
38
37
41
43
46
55
57
59
61
62
65
66
68
71
75
80
205
65
105
NS.
2485
86
87
89
95
99
2804
5
0
7
8
11
15
21
2S
25
27
31
35
39
10
41
42
13
54
86
57
59
00
07
68
69
75
70
79
86
89
91
91
95
96
97
2604
7
17
18
22
33
37
38
39
41
46
61
63
PREMS.
65
1005
65
125
65
205
63
NS.
2665
68
70
73
78
79
81
86
88
91
93
99
2704
6
13
18
19
20
23
27
28
30
31
33
35
37
49
80
81
52
53
57
6 i
69
75
77
79
81
82
83
89
98
2807
10
13
16
22
25
26
28
31
33
34
35"
36
PREMS.
65
125
05
403
63
125
403
63
123
NS.
2843
48
52
53
51
57
63
65
68
73
71
78
81
82
87
96
2901
10
11
21
22
26
29
30
14
17
19
50
51
50
57
80
69
75
77
80
85
86
87
90
91
93
95
96
3002
4
6
8
11
12
14
15
16
19
23
PREMS.
65
125
05
NS. PREMS. NS. PREMS. INS. PREMS.
125
05
1003
123
05
2005
03
123
123
3021
28
31
33
30
38
11
42
17
80
52
53
86
89
60
03
OS
09
71
72
73
78
79
80
81
82
83
84
87
90
94
97
99
3106
7
14
22
24
33
41
42
43
ifi
50
51
52
59
67
69
73
81
87
88
90
91
0-3
205
0,3
63
205
63
123
05
203
63
123
65
3195
97
98
3201
3
6
8
9
11
12
11
16
17
18
19
22
25
20
28
30
34
36
38
10
41
43
48
10
48
52
55
57
03
07
71
72
77
79
84
86
87
89
93
91
95
96
3306
8
9
10
11
12
15
19
21
63
205
125
125
05
125
3
3325
29
31
33
40
12
43
51
52
69
70
79
86
88
90
91
93
94
96
97
99
3400
1
2
7
8
12
13
14
17
18
19
23
29
30
31
32
41
44
46
47
50
52
53
56
59
62
66
67
68
69
71
74
82
91
63
203
63
12*
65
!
Pern.Typ. de M. F. de Faria & Ftlho1864



(Dlarl* de
Sexta felra to de Jaiba de 1 -!..
SCIEHCUS E ARTES.
Coasldera^es acerca do melho-
ramentodo porto de Pernim-
l>uco.
u
p.uu
propoe i.unbem a construccao de urna bacia de
fluctuacao, com jogo de comportas, para carga e
descarga, e consenos de navios, Indicando como
local niais apropriado o que fica entre o caes do
llamos e o forte das Cinco Ponas.
7, Em Janeiro de 1854|veo o Sr. Neate, commis;
sionado pelo governo imperial, para examinar o
plano da commissao de 1849, que havia sido adop-
tado, para dar o scu parecer a respeito. No re-
lator io, que apresentou em marco do mesmo anno,
DiSQWPCAO DOS PJA0JSCTOS PRESENTADOS
MELHOBAB O POl'.TO.
J ao ovwno da metropole mereca atten$5o o concorda elle com a commissao em nao fazerem-
Datam de i16 os primei- se ryandes allerages internas no porto, e em
; irte de Pomar:
se ryandes
cor/trairem-
ros trabalhos a esse respeito. loy-uuiie.ii-se as ouras seguinies : collocago
KSa consta oorm nuese assentasse em nenhum de l,oias Para designaeo do banco do Ingle* e da
llUlll0) entrada da Barra Grande ; tapamento da Barre-
plano, nem mesmo que algum fosse laprese
ou dado publicidad..'. Todava, sabe-se, que nessa
poca concertaramse algaraas fondas causadas
peias ondas na muralha existente sobre o recite,
perto barra, e cuja construccao attribuida aos
Hollndoles. '
Tambora naquolla data collocaram-sc varias po-
ras sobre os recifes, para amarragao dos navios, e
ti da Jangada; concluso do dique da Iba do No-
gueira ; levantamanlo do recife, menos as qua-
trocenias prirneiras bragas, contadas da Barreta ;
construego do caes do arecnal de marinha, rnodi-
Qcando o plano apresentado, para que as ultimas
130 bragas do norte fiquem ao nivel das baixas
mares, as aguas vivas.
Diverge da commissao quanto
construego
extrahiram-se do fundo do ancoradouro ancoras ve- do paredao curvo, que devia romeear do caes do
Ibas, pecas o grandes pedras. llamos ; das dokas com jogo de comportas, para
Sob o governo do general Luiz do Rogo comogam formacao da bacia da fluctuagao: ao levanta-
,viudos mais regularos acerca da materia. : ment do recife desde o pharol at a Tartaruga
Com effeito, de 1819 dala a soguinte serie de ; ao aprofuodamento da barra do Picao.
projeclos que passo a indicar : Pelo que respeita a esta ultima obra, entende
i.- Do barao deCagapava (general Andreal Pro- que ea nae contribuira> U que aptna podera
pe o alteameiito do Recito at a illia do Nogucin mili lentamente cooperar, com a acollo natural das
estabelecendo ao longo delle urna batera martima ; correnleSj para 0 desappareciment'o do banco de
.1 barba, e o tapamento do espaco coraprebendido areaj sloado entrada do caea| (banc0 do Bre.
pelo Pecife, illia de Nogueira, patanos que fleam gued>; e julga que seria mais seguro e abreviado
ao lado desta, e a Ierra Arme, para que as aguas, i rcn,OVL..|o por meio de escavacoes.
formando urna so bacia em todo o Uosqueiro, te- ; Ai-m de qu6j n3o ,h0 parece provad0) que esta
nhara sorapro a mosraa volocidade. vindo de.-ia obra seja realmenIe indiSpensave| para 0 hie|no.
maneira lixar o ponto de equilibrio alera da Bar-1 ramen|0 dQ porlo. vist0 com0j existindo a m
eta. ludo para destruicao ou remogao do banco do | Lracas desse |uga|. uma en|rada frMca> chamada
ra
intil
semelhante obra.
'""luuu v*'* -"-v- "" --"7 bracas desse lugar, uma entrada franca, chamad;
Breguedc, que entra quasi 200 bracas polo Mosqm- Barra Grande> CQm fundjdade sufflcenle
ro a dentro, pnucpiando a 50 ditas de distancia., M m as raaores emba 5 ca B|1
.. .M,. miic ni- mann; da entrad:, la hai'ra 00- r
mais ou menos, da entrada da barra pe
Quanto a construego da bacia de fluctuagao,
pouco
quena.
2. Plano do che fe de divisao Jorge de Brito, que; munida do comportas, duvida muilo que em Per-
nao se acha nos archivos do governo, segundo nambuco. onde a differenca das mares nao tao
consta do rolatorio do ministro de marinha, apre-. forte, que affecte a seguranza do ancoradouro, seja
seniado as cmaras em 18J6. necessaria uma tal obra.
3. Do engenheiro fraocez Boyer, apresentado j Poudera alm disto, que a sua execugao impor-
cm 28 de setembro de 1858. Propoe dcstruirem- taria a remogao da aifandeg e armazens de um
se os bancos por meio de uma barca de escavacao ;! para outro bairro; remogao para a qual o porto
apertarem-se os ros Capibaribe e Beberibe, por
dous atierros lateraos, distantes um do outro dez
bracas, no iututo de establecer uma maior cor-
realeza; cercar os bairros do Recife e Santo Anto-
nio de caes, e fazor uma calcada na altura do caes
do Ramos, pouco alm do palacio do Collego, para
impedir que as aras da ilha do Nogueira caiam no
porto, e> para que as aguas nao se espalhem em um
espago tao consideravel ; tondo tambem por lim
osla ultima obra augmentar a correnteza das
aguas.
Este plano, submettido ao coronel Conrado, nao
oi approvado, sendo esle de opiniao que se segus-
so o plano do barao de Cacapava, de com'anago
rom o do chefe de divisao Jorge de Brito.
4. Do engenheiro Wantbier, era 1843. Wauiler
propoz dous projeclos.
No primeiro ostabelece, como ancoradouro dos
navio?, uma porgao do mesmo canal da sabida do
porto, onde actualmente existe; no segundo subs- caram. analysaram estes dous senhores o projecto
nao se acha anda preparado, accrescenlando, que
a despeza com a mencionada obra iria muito alm
do duplo da que fura orgada pela commissao.
Quanto, finalmente, ao levantamento do recife,
desde o pharol at a Tartaruga, entende que seme-
lhante obra deve ser continuada atravz da barra
do Picao, por cima do rochedo submarino, at o
3ul da Barra grande, alim de que as embarcagoes,
logo que entrarem, enconlrem um ancoradouro
abrigado, d'onde passem para o lugar da descarga
espia.por meio de boias, convenientemente collo-
cadas.
Este parecer do Sr. Neate anda submeltido ao
juizo do coronel Oliveira, que, apresentando algu-
mas reflexoes sobre o tapamento da barra do Pi-
cao e a baca de fluctuacao, pronuncia-se contra
opiniao daquelle engenheiro.
8. Plano dos Srs. Blount e Law, apresentado
em 1856. Na memoria que conjunctamente publi-
mu o ancoradouro por uma baca do fluctuacao,
que deve ser construida entre os bairros de Santo
Antonio e Recife, cima da ponte, no leito da june-
gao do rio Beberibe com o braco esquerdo do Ca-
da commissao de 1840, concordando em alguns
pontos, divergindo em oulros, e concluido por pro-
por : i", a mudanca dos rios Capibaribe e Beberibe
para um canal praticado no aiterro dos Afogados
pibaribe, obrigando ambos a retrocederem e sahi-! (ra Imperial); 2, construccao de um caes, que,
rom pola ponte dos Afogados. parlindo de detraz do theatro de Santa Isabel, siga
3. Do brigadeiro Moraes Ancora. Propoe a cons. uina atrecg5o quasi paraela ao caM da rua da Au
truccao da murallia que vai dos recifes a ilha do rora) a c.nc0Dtrar 0 jthmo de 0]nda 3, uma
Nogueira ; a elevado daquelles, quanto soja ne- mmMli quo subsljtuiria a ponto do Hecif ;endo
cossarin nara estabelecer-se uma batera e arma _.
cessario para estabolecer-se uma batera e arma,
zens; o servigo de duas barcas de escavacao. em-
regadas em remover os bancos.
(i. Da commissao, eomposta dos Srs. Rodrigo T.
de Freitas; Eliziario A. dos Santos c Jos Slamode
A Ferroira, propondo : primeiro, collocacSo de
boias em diversos pontos; segundo, a construccao
de uma muralha desdo o pharol at a Tartaruga
no extremo sul da barra do Picao, sobre a qual,
depois de corlada verticalmentc, se construira
urna torresinha, para demarcar o extremo do Re-
cife ; terceiro, desobstruccao da barra do Pico ;
quarto, construccao do uma muralha, em conti-
nuarlo ao caes do norlo, quase parallola ao Reci-
fe, at a linha leste oeste do pharol; quinto, la-
pamento da Barreta da Jangada ; sexto, construc-
cao do dique da ilha do Nogueira c de um outro,
parlindo da rampa do caos do liamos, e segurado
i aierrado o espago entre os dous caes; 4, final-
mente, um outro caes, parlindo do Forte do Mato
e segufndo uma linha curva, at a fortaleza das
Cinco-Ponas, terminara o espago, em que se cons-
truriam dokas e bacas de fluctuagao.
0." Plano do Sr. Peniston, apresentado em 18."7-
Consiste o projecto deste engenheiro na mudan-
ca total de grande parte do curco do no Capibari-
be, que seria desviada, no lugar junto a Santa An-
na, soguindo pelo Arraial.em diroegao quasi recia,
ate desembocar no mar, defronto da Barra grande.
I.embra tambem que se aproveite o leito do rio
actual, para ser aterrado e entregue a ediflcacao.
10. Em 1838 o Sr. Lawden propoe conservar o
actual loito dos rios; modificar a direecao do di-
que da ilha do Nogueira ; construir a ponle do
Recife con. chapas de ferro, sobro columnas oucas,
bem como plataformas de madeira, sobre esteios
paralelamente ao caes do Forte do Matto, al 120 j de ferro, em torno de parte dos caes do Recife,
der receber os navios de maior lotagao, os quaes t
passariara pelo canal do' perto, e pela ponte do i
Recife, que devena ter uma parle movedga, para
tal fim.
12. O Sr. Liis em 1861, depois de estudos hy-
drographicos e geolgicos, publica ura plano acom-
panhado de uma memoria, na qual, demonstran-
do que a obslrucgao do porto pelas areias, nao
provm do mar, mas sim dos ros, propoe a mu-
danga da fz destes para fra do porto; e para
conseguir este fim, indica as obras seguintes :
abertura do um canal no aterro dos Afogados, so-
bre o qual construir-se-hia uma ponte ; construc-
gao de uma muralha, parlindo do limite norte da
Barreta, prolongando-sc em uma extensao de 220
bracas, perpendicularmente ao rerife, e depois vol-
tando 43 para N. reunir-se parte norte do ea.
nal precedente. Ao mesmo lempo consirulr-seha
uma segunda muralha parallela ao recife, par-
tir do bairro de Santo Antonio, prximo a egreja
Santa Rita, e hindo reunir-so primeira. O es-
pago coraprebendido entre essasduasmnralhas de-
vera ser aterrado comas areiascxlrahdas do fun-
do do porto.
Alm disto, propoe: construccao de um muro so-
lido ou moli no lugar da ponte do Rocifo, entre o
bairro desto nome e o de Santo Antonio ; elovacao
do recife por duas muralhas parallelas.cujo inter-
valloseja aterrado, permittindo-se edificacoes, que
protejam o porto contra os vent-' agao do
mesmo recife por meio lie Mocos artificiaes, des-
de o pharol actual at a Barra grande, construin-
do-se um novo pharol entrada da mesma barra ;
construego no leito do Beberibe, de um caos par-
tindo do bairro de Santo Antonio, prximo ao pa-
lacio da presidencia, e terminando no bairro do
Recife, perto a fortaleza do Brum. O intervallo
entre o caes e o mar serveria para um reservato-
ro de chasse, cujo canal terminara no ante-porto,
entr* o arsenal de marinha e fortaleza do Brum.
Como obras accessorias, propoe para seguranga
da cidade, o alargamento do canal existente por
delraz da ilha do Nogueira, e a prolongacao do ca-
nal por detraz da ponta do Pina, para dar uma sa-
bida ao Capibaribe deste lado. Ao norte, propoe cor-
tar o isthimo de Olinda por um canal na direecao
norle de Pogo.
13. Ha anda um segundo projecto do Sr. I.aw,
apresentado ao governo imperial, que consiste na
construccao de uma baca de fluctuagao, sujeta s
mares, no lugar do Pogo, e uma doka nivel in-
variavel ; nao alterando cousa alguma no curso
altual dos rios, era exigindo outras obras acces-
sorias, c antes conservado a ponte do Recife.
14. Em 1862, finalmente, prope ainda, nova-
mente, o Sr. Neate um outro projecto, quo sendo
submettido conjuntamenle com todos os outros ao
Sr. Hawskchaw, por este approvado com ligeiras
alteracoes.
13. Este projecto assim modificado, segundo
consta do rolatorio do Sr. ministro da marinha do
correlo anno, foi approvado pelo governo impe-
rial, que vae mandar executa-lo. Consiste o scu
plano na obslrucgao dos rios Capibaribe e Beberi-
be, por meio de um dique atravz do leilo, no local
em que est sendo construida a ponle do Recife,
desviando-se a embocadura dos mesmos rios por
um canal praticado no isthmo de Olinda, entre a
fortaleza do Brum e a extremidade N. no bairro do
Recife, e destinando para uma bacia, sujeta s
mares, o espago limitado pelo dito dique projecta-
do, e o caes de 22 de Novembro, e um outro caes,
que partindo do sul do Forte do Mallos, seguir
em direegao curva para o sul, at encontrar a for-
taleza das Cinco Pontas.
Propoe mais a continuagao do recife atravz da
barra do Piafo, at ao sul da Barra Grande ; e, fi-
nalmente, approva a construego do dique da ilha
do Nogueira, o levantamento de parte do recife,
uma nova ponte sobre o novo canal projectado,
junto fortaleza do Brum, e a remogao do banco
do Breguedi; pelo emprego de barcas de esca-
vagao.
Tal o resumo dos pontos capilaes, sobre que
repousam os projeclos a presentados.
U. de Barros Barrito.
(Continuar-se-haJ
422.053
102.220
Infatuara.
Activa.
003 Batalh5es....................
33 Seccoes de batalhio...........
26 Companhias..................
1 Seccao de companhia..........
Reserva.
78 Batalhoes....................
453 Secgos de batalhao........___
104 Conipanhias..................
59 Secgoes de companhia.........J
Durante os quatro meces decorridos do Io de
dezembro do anno passado 30 de abril ullimo,
foram creados os seguintes corpos :
Paran.
1 Corpa de cavallaria.
2 Esqoadres.
Pernambaco.
1 Esquadrao.
Piauby.
2 Ralalboes de infamara.
1 Secgao de batalhao de reserva.
S. Pedro-
2 Corpos de cavallaria.
1 Companhia de infantarla.
Maranhao.
2 Batalhoes de infamara activa.
1 Secgao da reserva.
S. Paulo.
1 Esquadrao.
1 Bataihao da reserva.
Babia.
1 Esquadrao.
Alagoas.
i Batalhao de infamara activa.
Rio Grande do Norte.
2 Batalhoes de infamara activa.
Dentro do mesmo periodo foram nomeados:
10 Coronis.
30 Tenentes-coroneis.
24 Majores.
23 Capitaes.
6 Tenentes.
6 Alferes.
Que desejaes, boa mulber ?perguntou o jo-
ven que figurava Francisco 1.
Ah! raeu querido senhor,respondeu a cam-
poneza, que tomava ao serlo o ceremonialsolli-
cto uma penso.
Concedida,respondeu o ree ah tendes o
primeiro mez della.
Fundou-se em Castellaraare, perto de aples,
uma sociedade que, por meio de machinas e pro-
cessos chmicos, reduz os farrapos de algodao ao
estado primitivo para se poder flar e empregar de
novo na fabricagao.de tecidos.
Em consequeneia disto, os farrapos que se ven-
diam a 2o cntimos (43 ris) o kilogramma, subi-
Dizendo isio, entregou pobre mnlhcr uma nota ram logo a 2 francos (360 res),
de 100 francos. A Italia importa annualmente algodao estrangei-
Desdo aquello da, nunca falta, no fim de cada ro no valor de perto de 113 milhoes.
mez, egual quantia aldeaa, que. tranquilla e sa- So as experiencias deCastellamare forera satis"
tisfola, julga vi ver no reina Jo do Francisco I. factoras, a nova industria ser de uma grand-;
----- ulilidade.
L-se na Franc.n musical: **
Em um baile intitulado A Rosa Encantada .' A J',tlandia- 1ue ti, Para ser breve thea"
representado ltimamente em um grand- theatro ilro da guerra germano-dinamarqueza, estende-se
da Allenunha, que nao nomeamos por um senti- desde a frontera norte do Schlesw.g alo Stager
ment de reserva fcil de comprehender, lia um
carro de nuvens, sobre o qual doscem das regios
das fadas os genios do amor.
Em uma das ultimas representagoes aconteceu
que, por engao do machmista. o carro que s de-
v
segundo.
bracas distantos do recife ; stimo, construego de
urna muralha. desdo a. extremidade ao norte da
Barreta, at ao pharol, ao nivel das mais altas
mares, e sobro olla de um parapeilo, que obste
a passagem das aguas, e abrigue o porto Tambem
lembra a commissao a construego de balaras
rasantes sobre essa muralha, e a do armazeus,
para deposito de gneros e mercaduras. Em fim.
folhetIm^
A MENINA DE PARS
POR
E. SOUVESTRE.
A Sra. Romano acabava de por sobre a mesa da
sua casa de jantar o mcrendeiro destinado ao pas-
seo campeslre, cujos preparativos eslava cendran-
do, quando sua lilha Sophia entrou correndo, com o
cabello sollo e o vestido por aportar.
Mamita, maniaa, gritu ella, dopressa, ajude.
me a vestir. Tenho corrido a casa toda era sua
procura.
Eutao tu ainda nao ests arranjada ? disse
admirada a Sra. Romano. Assim uo chegamos a
Loras ao barco.
Nao se alllija, respondeu a rapariga. Entao
nao so lembra de que vae comnosco a menina
Stella Talbot E nao v que uma menina de Pa-
rs obliga sempre os outros a esperar por ella ?
Sobretudo esta, que um portento, insistiu a
Sra. Romano, acolchetando o vestido do sua lilba,
. porque, segundo dizem, aprendeu tudo...
Excepto o meio de arranjar dote ; replicou
desdenhosamente Sophia, creio que nao lera nada
de seu ; quem ra'o dsse foi a propria ta dola.
E em lugar de fazerera dola uma boa dona
de casa, redarguiu a Sra. Romano, ensinaram-lhe a
tocar piano, a cantar e a fallar linguas estrangei-
ras. Ah est o que chamara urna boa educagao ;
saber tudo o que d na visla, em lugar de saber o
que uti).
Ai I aposto que eslao fallando da menina
Stella t disse de repente uma voz por traz da Sra.
Romano.
Esta voltou-se e vu uma rapariga bem bonita,
mas tao direita e tao cuidadosamente pregada, que
ao primeiro aspecto recordava inevitavelmente uma
boneca de Noremberg, das que andara sobre urnas
rodinhas e teem os vestidos pregados com bicos de
alfraetes sobre os hombros de cartao.
Olhem I E' Armida Dufour, disse a viuva-
Bons das, menina. J vejo que sempre pon-
tual.
em que possam atracar navios.
11. Em 1860, uma commissao composta do che-
fe de esquadra Freitas, coronel Jardim e tenentc-
coronel Raposo, propoe quo se consirua um dique
ora lugar da ponte da Boa-Vista, para impedir a
passagem do braco esquerdo do Capibaribe por
dentro do porto, aprofundaodo-se o espago com
prehendido entre os troz bairros, de maneira a po
Foram designados para excrecrem o lugar de
major, de conformidade com o decreto n. 1.743 de
5 de abril de 1836, 4 capitaes em dilferentos cor-
pos as provincias do Maranhao, Piauby e Ama-
zonas.
Obtiveram reforma dentro do mesmo prazo :
3 Coronis.
7 Tenentes-coroneis.
10 Majores.
1 Capito.
Alcangaram passagem de iras para oulros cora-
mandos superiores, corpos e companhia?.
1 Coronel.
1 Tenente-coronel.
4 Tenentes.
1 Alferes.
Foram transferidos para a reserva :
1 Major.
1 Capitao.
Solicitarara e obtiveram demssao :
2 Alferes.
Foi exonerado do excrccio que tnha na guarda
nacional : o alferes do oxercilo Francisco Joaquim
Perera Lobo, chefe do estado maior do comman-
do superior dos municipios de Olinda e Iguarass,
na previncia de Pernambuco.
Foram privados dos postos, nos termos do art.
65 da lei n. 602 de 19 de setembro de 1830 :
1 Tenente-coronel.
4 Maiores ajudantes de ordens do commando su-
perior.
1 Capitao secretario.
2 Capitaes quarteis-raestre.
1 Tenente.
3 Alferes.
Foi reinlegrado no posto de que fora privado :
1 Capitao quartel-mestre.
nstrucrao e disciplina.
A falta de insirucgo na guarda nacional conti'
na a ser uma triste realidade, devida em grande
parte a deficiencia de instructores que nao fcil
'attrahir a tao importante servigo mediante os in-
significantes vencimentos, que marcou-lhes o de-
creto n. 944 de 27 de margo de 1832.
(Continuar-se-ha.)
Rack.
As suas costas sao banhadas pelos mares Bltico
e do Norlo.
A cidadella de Fredericia. situada dofronte da
ilha do Fionia e Bogensee, permitte-lhe dominar a
passagem do lielt, e acha-se separada do Sceland,
na apparecer no terceiro quadro. appareceu no .,' ni. -,.
I onde esta a capital, pelo pequeo Bell, pela ilha
, de Fionia e polo Belt maior.
E qual nao fui a admiragao do publico vcndOi |
em \ez dos genios, uma joven dangarraa e ao lado | E' preciso ter livre o caminho por mar para r
della um joven de casaca prela e luvas brancas a Jutlandia ou Copenhague.
Os dous tinham adiado lugar commodo no carro A pennsula lera 280 kilmetros de comprimen-
e al se senlaram a conversar, quando inopinada- to e 200 de largura (urnas 1:600 leguas quadra-
mente se sentiram cahir das nuvens! das)^
----- Coinprehende ao todo 400:000 habitantes, do
. modo que, constando de dous milhoes a monarchia
Ha lempos fallaram os jomaos francozes de um ,. ,,._.. ,____ ,
' dinamarqucza. vem a Jutlandia a formar a quarta
Armand Donat que lizera uma descoberta tenden-
j-, parto da sua povoagao.
te a operar uma rcvolugao na correspondencia per,uena a industria, limitando-se pesca
elctrica, isto o, a mandar uma part.c.pagao a de cava,|ar e e fa
quaiquer distancia, sera recorrer aos nos electn- _____.i,;f>^
na le mas milhas de terreno carbonfero.
' e T Tem boas vas de communicago ordinarias,
Agora osla Mr. Armand no Havre, onde quer ^.^ Je eMbM di feim
dar publica demonslracao do seu invento. .
O Jornal do Havre s j nos revela o segrate cer- Segundo dzcm de Copenhague ao Pays, o elTec-
ca do systema : tivo actual do exercito dinamarqnez de 42 nu
Empregam-se duas placas metlicas, uma de M:?)menS| """.I6T"'
* v IO.AAA t. r.\.... rtn ilhn ITmnin
cobre, oulra de zinco, que sao solterradas a ura
a
de algti-
kilometro de distancia uma da orara, e em posi-
gao vertical ; sao um pouco abauladas do modo
que (ormam um segmento cylindrico, cujo eixo
perpendicular superficie da torre e cuja c'onvo-
xidade fica rollada para a parte para onde ha de
partir o despacbo.
Como so opera a Iransmissao ?
A que lois obedece a corrente elctrica, que s
fica tendo a trra por conductor nico?
E' o que seria mister adivinhar.
O caso que os tologrammas sao expedidos e
recebidos infallivelmente com alguns dos appare-
Ihos agora empregados as linhas areas.
Outra experiencia nao menos curiosa elfectuada
por Mr. Donat, a transmissao dos sons msicos,
mesmo de melodas, a quaiquer distancia.
Para isso ha um lio.
Entretanto nao ser um dovaneio esperar que a
18:000 homens na ilha Fionia.
10:000 homens na ilha de Alsen.
10:000 homens no norte da Jutlandia.
4 5:000 homens as ilhas de Falster c de Las-
land.

Desde 1837 que nao tem sido reeleito nenhum
dos presidentes daquella repblica.
Anteriormente aquella poca, apenas merecern)
esta honra, Washgnton, Jefferson, Medefton, Mon-
roo e Jakson.

Com a epigraphe Chromca do Isthmo l-se o se-
grate no ultimo numero do Diario da L'niao dos
Mares :
Um carta de Ismailia, cem data de 27 de maio
participa-nos o seguinte:
O hispo de Cairo, delegado apostlico no Egypto
e na Arabia, foi visitar os trabalhos do isthmo.
Aproveitou-se a occasiao da sua presenga para a
LITTEMTlfflA.
0 QUE VAE PELO MUNDO
Dames em seguida a continuagao do relatorio
do Exm. Sr. ministro da justiga Zacaras do Ges
e Vasconcellos.
Lavallaria.
88 Corpos......................]
91 Esquadroes..................\ r, ,-.,
17 Conipanhias................. "
4 Secgoes......................./
Artilharia.
electricidado venha um dia a transmittir a palavra: benro da primeira pedra da oapella calholica de
Ismailia, a qual, segundo os desejos da imperalriz
Eugenia, foi dedicada a S. Francisco de Salles.
S. Exc. Revm. bonzeu nao s a primeira pedra,
mas tambem o terreno em que se ha de edificar a
egreja e o seu respectivo adro. De tudo se lavrou
urna acta. Urna copia dola e algumas moedas do
do homem I
Tem-se fallado n'um projecto de casamento, diz |
n Memorial Diplomatigue, entre a flha mais velha
de D. Pedro, imperador do Brasil e o archiduque
Luiz Vctor, rmo do imperador da Austria.
A dea d'aquella uniao existiu efectivamente, cunho di, .,e ann0 |ljram encerradas dentro de um
mas foi abandonada em consequeneia da acetagao caixLo de chu,nbo, quo foi collocado debaixo da pe-
do throno do Mxico pelo archiduque Maximiliano,
circumstancia osla que tronxe o archiduque Luiz
Vctor mais prximo ao throno da Austria, e irn-
poz-lhe o dever de se conservar principe da casa
imperial da Austria, afim de ficar habilitado a her-
dar o throno, se o imperador Francisco Jos falle,
cer sera descendencia.
Tiveram por isso lugar novas negociagoes matri
moniaes, e parece agora decedido que a filha mais outros, o de que ao entregar as suas pistolas o al-
dra benzida.

O governo francez recebcu partecipago de que
a divisao do general Yusuf tinha aprisionado a
princeza Zelina, sobrinha do emir Ab-del-Kader.
que se achava frente das tribus sublevadas do
Argelia.
Contam-se grandes rasgos desta heroio3. e entro
mais caros,
9 ltaialnoes.....................'
6 Seccoes de batalhao...........
7 Conipanhias..................
1 Secgao de companhia..........
7.738
UM POUCO DE TUDO.
Um jornal francez conta um episodio interessan-
te que assignalou a abertura da exposigo das Bel-
las-Artes e Industria em Angers.
Para attrahir a concorrencia preparou-se uma
cavalgada representando a entrada do Francisco I
em Angers.
Foi escolhdo para figurar de re um joven rico,
cuja phizionomia ajustara maravilhosamente ao
seu papei.
Concorreu ramensa gente de toda a Vende e a
multido mal caba as ras.
Em quanto desflava o cortejo e o povo victoria-
va a cavalgada, uma camponeza ajoelbou diante
do cavallo do re, quo, por esse motivo, parou.
velha do imperador u. Podro, herdeira do throno,
case com o principe de Hohenzollern-Sigmarngen,
filho do ex-presidente do consolho de ministros da
Prussa, e primo do re Guilhermo.
O referido principe calholico romano.
A (Ilha mais nova casar, segundo so diz, com o
conde de Flandres, segundo filho do re Leopoldo
da Blgica.
O principe Carlos Etel Frederieo Zeferino Luiz,
segundo filho dos principes de Hohonzollern-Sig-
maringen, nasceu em 20 de abril de 1839.
O principe \ntonio, seu irmao, nasceu em 7 do
outubrode 1841.
o principe Frederieo, seu irmo, nasceu em 23
do junho de 1843.
() principe Leopoldo irmao mais velho, naseido
em 22 do setembro do 1833, casou com a infanta
de Portugal 1). Anlonia.
O principe Felippe, conde de Flandres, segundo
filho do roi dos Belgas, nasceu em 24 do margo do
1837.
A princeza do Brasil D. !- ibel, nasceu em 29
do julho de 1846, e a princeza do Brasil D. Leo-
poldina, nasceu em 13 de julho de 1847.
Leso no Commercio do Porto o que segu :
E' cousa fcil para nos as provincianas, que
gestamos oe simplicidade, disse Armida em tora
agro-doce. Nao somos como a menina de Pars.
Entao ella aceia-se muito? perguntou So-
phia.
De um modo incrivel, minha querida. Que
pensar, se eu Ihe disser que usa de folhos em to-
dos os vestidos ?
Pois ollie, isso fa-los cuslar bem
notou a Sra. Romano.
E j houve quem a visse com um cbapu de
panno com plumas, accresceniou Armida.
Mae e lilha deixaram escapar uma exdamago
de cscandalisada sorpreza.
Plumas sem ser casada exclamou a Sra.
Romano.
Diz ella que foi presente de um tio, continuou
a menina Dufour, e que o desgoslara, se se recu-
sasse a traze-lo ; mas uma menina bem educada
nao faz caso de semelhantes consideragoes. O de-
coro esl cima de tudo.
Bom caso faz disso a menina Talbot, replicou
Sophia. Talvez nao saba que ella, outro dia, em
casa do recebedor, cantou duetos italianos com um
sugeito que nunca tinha visto?
Pois possivel isso ? I
Olhe, o cavalleiro eslava presente. Elle ah
vem; pergunle-lh'o e ver o que elle diz.
Ura bomemsilo, baixo, magro, affectadraho, de
meia edade, c que trazia na mo um guarda-sol,
cujo p tinha a extremidade curva, acabava de pa-
rar porta entre-aberta, como quem tinha duvida-
do se entrara.
Entre, entre, Sr. De Ruby ; disse a Sra. Ro-
mano. Sophia j est acabada de vestir.
O cavalleiro entrou para sala, cumprimentando
com modos facetos e espovtados. Enlevou-se na
cintura encantadora da menina Armida, na ele-
gante simplicidade de vestuario da menina Sophia
O cavalleiro s costumava empregar as expressoes
sacramentaes e as phrases classicas. Por isso,
quando a Sra. Romano invocou o seu testemunho
contra a Menina de Pars, elle afflrmou logo que
ella era completamente destituida da timidez, em
que consiste o ornamento do seu sexo.
Com effeito, accrescentava elle, a menina Tal-
bot nunca olbava para o chao quando fallava, como
Ihe fallava, sem lhe subir s faces aquelle rubor,: Comtudo, antigs relacocs de amisade com os eram passatempos proprlos de uma menina. A
que o ambique da belleza; e nunca era preciso! parentes em casa de quem ha bita va a menina /ejSra. Romano notou que lae '.rinquedos haviara de
importuna-la para que cantasse, o que lhe dava a I Pars as tinha m determinado a visita-la ; e at estragar os espartilhos, e o prudente cavalheiro to-
apparenca de uma cantora de profissao. ueste dia embarcavam com ella para Lanvoc, de! mou sur. conta lembrar os perigos das quedas.
O Sr. De Ruby nao confessava o vordadei.ro rao-! onde tencionavam dar um passeio a p at a gran- Stdla nao fez diligencia para demonstrar que as
tivo da sua severidade. A explicagao della encon-' de bahia de Duarnezes, a ir ver as gruas de
trava-se em um duelo para flauta e piano, que al- Morgat.
gumas semanas antes elle havia tentado executar I A persuasao de que uma Parisiense era muilo
com Stella, a qual tinha fe lo baldadas diligencias'mundana jiara < pudesse ser pontual, e de que
para obrigar o cavalleiro a tocar o compasso. Este chegando hora icflxa teriam o malicioso orazer
havia-se dado por offendido com aquella exigencia,
a que nao eslava habituado e tinha considerado
de por em relevo este descuido, empenhou as duas
raparigas em se apressar a Ir ter com a mac de So-
mulheres precisara, como toda a gente, de exerci-
ci que Ibes d forga e destreza, e que o melhor
meio de evitar quedas aprender a nao cahir.
Apcsar da sua ccuviecao, sabia evitar discussoes
com possoas, com quem, por sua edade ou posgao,
linha deferencia, e contentava-se com ter razao,
sem pro": der provar-lhes que erara ellas que a
esse fado como urna falta de discripcao, que nao pha. A criada tomou conta do cabaz da moronda,. no tinham.
perdoava pobre rapariga. I e dirigram-se a toda a pressa calheta de Recu
Entretanto a hora aproximava-se. A Sra. Ro-! vrance, onde q barco eslava amarrado,
mano deixou a Sophia o cuidado de arrumar a me-' Ao chegar la, Sophia soltou uma exclamagao de
renda no cabaz e levou comsigoo Sr. De Ruby para pasmo : nesse momento avistava assenlada na p-
Ibe ajudar a fechar todas as portas. pado barco menina Tafbot, que as esperava.
As duas amigas, cando sos. continuaran! a pas-
Esta, apenas as viu, sahiu-lhcs ao encontr com
sar revista aos defeitos c extravagancias da menina amavel sollicitude. Era uma rapariga de vinte e
de Pars. Tendo sido ambas educadas em uma dous annos de edade, pouco mais ou menos ; mais
pequea cidade da Bretanha, nao tinham podido' agradavel do que formosa, mas que em todos os
evitar os preconceilos, que produz uma educagao' seus movimentos dava indicios de uma elegante li-
apoucada e incompleta. Escravas de costumeiras,
Em quanto conversavam, o barco linha sido de-
samarrado o i airavcssando a bahia. A briza,
que soprava com forga, bata obliquamente na vela.
Sophia reparou nisso e admirou-se de que o ven-
to impellisse o:barco em direegao difireme daquel-
la que elle segua, mas o Sr. De Ruby respondeu
que era sempre assim explicagao que pareceu
Sra. Romano muito clara e muito satisfactoria. No
entanto, como a rapariga teimava, dizendo que
aquelle fado havia de ter alguma razo de ser,
a que as pessoas cordatas se sujeitam, como se fo-
ram regulamentos de polica lscal, mas que nao
consderam como les inviolaveis, Sophia e Armida
nao sabiam ter em conta a difTerenga dos usos, nem
a variedade dos caracteres. Quem quer que era
differente deltas, era s por isso condemnado.
Accrescente-se a isto a desconfianga provinciana
contra tudo o que vem de Paris. Examinada de
longe, a grande cidade apparece quasi sempre atra-
vz das illusoes da admiragao ou da malevolencia.
Segundo a natureza deslas predisposigoes se v
nolla um paiz de fadas ou uma Babylonia ; e tudo o
que do I vem antecipadamente applaudido ou
condemnado. como um palacio, cujos habitantes,
por mal conhecidos, ora sao objecto de odio, ora de
inveja.
Habitando Brest havia pouco lempo, a menina
Sophia Romano e a sua amiga ainda nao tinham
chegado a modificar no meio de uma convivencia
mais esclarecida as ideas circurascriptas, que ha-
viam trazido d i sua aldea. Por isso a apparigao da
menina Talbot Ihes tinha causado uma sorpreza,
que nao tardou a degenerar em ioimizade oc-
berdade, que est longe do acanhamento, como da Slella aventurou-se a dizer que a tinha perguntado
petulancia. O seu vestuario era extremamente' aluns dias an,es e que lh'a liaham dit0"
simples, mas tinha-o bem ajustado "a pessoa e Ea menina cntendeu-a? perguntou Armida.
Pelo menos pareceu-me quo sim, dsse a Pa-
risiense ; e para que vissem se assim era, tentou
repetir s raparigas a demonslragao, de que ellas
occasiao, que Ihe da. por assim dizer, uma expres-
sao propria, e quasi o faz parecer parte comple-
mentar da pessoa que o usa. Depois de ter cum-
primentado polidamente a Sra. Romano e o Sr. De
Ruby, apertou a mo s dua* meninas, que troca- S V*? as Vf^s-linlm-e-angulo,-
ram entre si um olhar de irona por causa destes ('ue necessar.amente foram repet.das mu.tas vezes.
modos de ingleza, e ajudo-as a entrar para o bar-1 Al meu Deus Iss0 e mathematca disse o
co. Depois saltou gilmente por cima dos bancos cava|heiro. Ento a menina tambem estudou gco-
fango ao general francez, exclamou
Tomae, general; guardae-me essas armas
que nao tardaroi muito a reclama-las!
Esta princeza fantica pela independencia do
seu paiz.
* O
Existe na Dinamarca um antigo costume que nao
doixa de ter origicalidade.
Offereee-se as noivas, como presente da nupcia.--
um porco, uma ovelha e uma vacca, e aos noivos
ura frangi, um cao. um gato e um pato.
Como sena difficil aleangar os motivos de tal co-
turno as qoalidades de cada um destes animae-.--
para crer que venham dos seus defeitos.
Assim o porco inmundo, a ovelha indolente, a
vacca preguigosa, o frangi estouvado, o cao hu-
iliento, o gato" traidor, o pato estpido, e provavol
que so queira advertir os esposos de que bom evi-
tar estes defeitos.
Esto uso tambera existe na Suecia; verdade
que lhe vae aconlecendo o que succode entre nos
cora alguns costuraos amigos; tende a liinitar-s.1
as classes inferiores da sociedade.

O nico herdeiro da fortuna e do titulo do falle-
cido lord Clyde (general Campbell; o general
americano Mac-Clellan.
E' muilo provavol que Mac-Clellan deixe os Es-
lados-luidos para reclamar em Inglaterra a heran-
ga do seu Ilustre prente.
deve fazer uma menina modesta; responda a quem culta.
c dos remos para se ir assentar junto deltas.
O cavalheiro, que nunca perda ensejo de em-
pregar uma daquellas pbrases banaes, em que con-
sista a sua particular agudeza, arrebatou-sc com
a agilidade da Parisiense, a quem comparou com
urna borbeleta. Stella respondeu-lhe jovialmente,
que eram grandes louvores para pequeo moro-
cimento ; mas que, se fosse indispensavel, seria
capaz de justificar a apreciago que elle fizera. Pa-
ra isso baslava-lhe recordar-se das Iig5es de gym-
nastica, que no collegio tinha recebido, e de que
havia tirado especial proveito.
Armida fez um bioco de escandalisada ao ouvir
metria ?
Muito a fundo ; replicou Stella, rindo-se, e
tanto que a dilTerenga que ha entre ura ngulo e
um crculo que a linha recta mais curta do
que a linha curva.
Armidia e Sophia olharam uma para a outra.
Nos collegios de Paris nao deixam ignorar
nada s meninas ; disse a primeira em tom de iro-
na aflectado.
Oh! tem razao de zombar da sciencia das
Parisienses, replicou Stella cora singeleza. As mais
instrnidas d'entre nos sabera muito pouco. Falta-
nos .ver as cousas, e por isso tudo o que aprende
esta singular declarado. Sophia dsse que nao mos s era theora. Antes de ter chegado Brest
.- tinha visto plantas nos herbarios ; s aqu
quo pude reconbece-las uos campos.
Isso quer dizer que a menina tambera estu-
dou botnica, adverliu oSr. De Ruby.
Mas nao quer dizer que a sei, concluiu Stella-
A este lempo o barco linha abordado ao lim da
pequea enseada, a qual est sobranceira a aldi
de Lanvoc. A Sra. Romano c sua companhia de-
sembarcaran), depois de haverom tratado com a
barqueiro a hora ora quo haviam de voliar. o su-
bintra a eucoata para irem ter ao caminho das
grutas.
Atravessaram largas charnecas entrecortadas
por profundos corrogos, rogados por pequeos ar-
rotos orlados de salgueiros. De longe era longo urna
capella arruinada, uma velha empea de casa, en-
redada de. horas e madre-silvas, variavam esta
agreste solido. Chegou urna occasiao em que o
Sr. De lluby hesitou a respeito do caminho que
havia a seguir, e pedu s suas companheiras quo
se assentassem, em quanlo elle ia fazer uma ex-
ploragao. Disso se aproveitou Stella para esbogar
no seu lbum o sitio silvestre onde haviam parado.
Armida nao se esqueceu de renovar os seus ropa-
ros zombeteiros relativamente nniversidade da
Parisiense, e Sophia acrescentou-lhes certas rede-
xoes acerca da inutildade de prendas supertlua?.
que quando muito, deviam ser toleradas s meni-
nas que podiam contar com avultado dol.
Stella ouviu aquellas opnies sera ibes procu-
rar explcages applicaveis sua pessoa, appro-
vando quando concordava e callando-se quando era
de parecer contrario.
Atinal o cavalheiro voltou a annuncar que ha-
via tornado a achar a boa estrada. Pozerara-so
novamentc caminho com um sol, qne de momen-
to para momento se ia tornando mais ardente. As
incertezas do Sr. De Ruby tinham alongado a jor-
nada : todos desejavam chegar ao termo da ex-
curso. Finalmente os rochedos de Morgat appa-
receram dreua ; os viandantes dingiram-se pa-
ra o lado delles atravz do matto, e chegaram ao
pobre logarejo, construido a meia encosta em fren-
te da baha.
(Tonii'nuar-se-Aa.,)
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. & fLHO



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EG8K5MZAS_X77UIZ INGEST_TIME 2013-08-27T21:46:15Z PACKAGE AA00011611_10428
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES