Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10427


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^v.
./

>

*
-


r


l
AH O II. HMEBO 17!



Por tres mcze adiantados .
Par (res mezes vencidos 6$
Porte ao corr-eio por tres mezes. 750
*.

00IHTA FEIRA 28 DE JLHO DE li
Por amo adia-Uado.....i9$00O
Porte ao comi por uro anno 3JQ00
1NCARREGADOS DA SUBSCRgG NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Aleandrino de Lima
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracatv,
Sr. A. de Leinos Braga: Cear, o Sr. J. Josa de
Ohveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinbeiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronyrao da Costa.
ENCARREGAD03 DA SUBSCRIPCAO NO SUL-
Alagas, o Sr. Claudino Palcao Dias; Baha, o
rr. Jos Marlins Al ves; Ro de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martios & Gasparino.
PARTIDA DOi ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada iodos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundase
3extas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tergas feiras.
Pao d'Alho, N'azareth, Limoeir, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Sores,Villa Bella, Tacaram", Cabrob,
Boa Vista, Ourieury e Exu' as quartas feiras.
Sennhem, Rio Formbso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimeuteiras as quintas Jairas.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partera ao >/j dia.
EPHEMERIDES DO MEZ Di. JIMIO.
3 La nova as 10 h., 5 m. e 13 s. da m.
12 Quarto cresc. a 1 h., 26 m. e 14 s. da m.
19 La cheia as 4 h., 13 m. e 14 s. da m.
23 Quarto ming. as 6 h., 26 m. e 8 s. da t.
PREAMAR DE HOJR.
Primeira as 10 horas e SI minutos da manha.
Segunda as 11 horas e 18 minutos da urde.
1-KTIDa D03 VaK>RK.i GOSTiJRO.
Para o sul at Alagas a 5 e 25; psrs o norte at
a Grcnja 7 e 22 de cada inez; para Fernando nos
das 4 dos mezes dejan, marc, maio, iul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
o ,, ? Recife : do Apipucos s 6 V, 7, 7 % 8 e
8 V da m.; de Olinda s 8 da ni. e 6 da tarde; de
Jabof ao s 6 '/2 da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m de Bemtica s 8 da m.
Dottecife : para o Apipucos s 3 '/z, 4, 4 'A, 4 Vj,
5, OMt, 5 Vz e 6 da tarde; para Olinda s 7da
man na e 4 >/i da tarde; para Jaboato s 4 da tar-
de ; para Cachang e Varzea s 4 Vi da tarde; para
Bemnca s 4 da tarde.
AUDIENCIA UO TRBUrUE3 DA CAPITAL.
Tribunal do commarcio: segundas e quintas.
Relago: tergas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s li horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
BUS 'A : M'Na.
23. Segunda. S. Thiago ap.; S.hristovao m.
j2. Terra. Ss. Symphrono e Olympio mm.
|27. Qaarta. S. Pantaleo medico.
|2K. Quinta. S. Innocencio p.; S. Nazario ni.
2!t. Sexta. S. Martha v.; S. Beatriz m.
30. Sabbado. S. Donatilla v.: S. Rufino m.
31. Domingo. Santa Anna mae da mae de Deus.
ASSIGNA-SE
no Recie, em a livraria da praca da Independencia
:ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
IFaria & Filao.
spensao
A Prussia e a Austria rcpetiram a sua exigen- ] Em connexs corn i,o"Jcn'a-se a cessao i or nh 'ur.Uir J3'"1?", !,rf-['a (27jPara a Iare* furam sem demora aposentados ao congresso.
cia j feita em 9 de maio, c depois em 12 de ju-! nos mencionada, dos diris de surcetsS^'doRal! hW '. L Zh? y '?- ( i P-ra Peraam' ie SObre elles lormalou a Mr. Oisraeli um voto de
nho de um armisticio por mais tempo, referindo-1 sos sobre o Holslein a faVor ^"2-!!.! Z ^SSi^^S^JSSW^it^ -.,_. .! ^n?ura'.9u? es,a em "scussao ha j tres sessoes
de dos curtos termos de suspensao de armas,
a Dinamarca tambera, nisso nao quiz ceder., A
conferencia tioha-se esforcado at agora debalde
para realisar um cntendiniento naquesto de paz;
tambem urna prolongago da suspensao de armas
nao se realisou mais. Assim ella terminou no dia
2o de junho a sua actividade, e em 26 a guerra
comeeou de novo.
O q'ue a Dinamarca esperava da guerra, era dif
_Em todo o caso a candidatura oldemburgueza publ
nao tem grandes esperangas, e emquanto que o rei
da Prussia pessoalmente nada quer saber disso,
mostra-se cada vez mais claramente que o Sr. de
Bismark tambem nao toma o negocio a serio.
Segundo todas as apparencias, nao Ihe senao
um meio para arrancar ao duque de Augustembur-
PARTE QFF1CIAL
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 25 di julho de 1861.
Ollicio ao Exm. presidente da provincia das Ma-
gdas. Tendo de seguir para essa provincia no .
vapor que passar do norte, o alferes Bernardino
Vieira Rabello, que vai commandar o destacamen-
to da villa do Ex, rogo V. Exc. que se digno
de mandar dar-lhe transporte dessa capital para a
cidade do Penedo cm algum dos vapores da com-
panbia Badiana.Fez-se a este respeito o necessa- flcil de comprehender. Se entretanto era Copenha-
rio expediente. gue com elfeito se vivera cm illusoes a esse res-
Dito ao conselheiro presidente da relago. peito, o desengao foi mais rpido do que mesmo
Remeti inclaso por copia o offlcio n. 1307, que me da parte allema se esperava.
dirigi o commandante das armas em 23 do cor- No dia 26 tinha comecado a guerra, e j no dia go um preco tanto raaior pelo final apoio da sua
rente, alim_ de que V. Exc. se sirva de tomar em 29 de junho a urna horada manhaa, onze bata-, candidatura.
consideracao o que elle pede com referencia ao Ihoes prussianos atravessaram perto de Strop-Holz | Aos encontros em Berlin e Kissingen seguio no
soldado do i. batalho de infantaria Joao Severo o braco de mar, que separa o Sundewitt da ilha! dias de 20 24 de junho, o encoitro do rei da
M.igalhaes que sendo absolvido no jury do termo de Alsen, e alectuando felizmente o seu desem- "
de Ipojuca, contina preso por haver o presidente barque, tomaram os entrincheiramentos dinamar-
d'aquelle tribunal appellado da sentenca para a quezes por assaito, bateram seis regimentos dina-
relagao. I marquezes que combateram com grande valor, e
Dito ao commandante das armas interino. fizeram 2 at 3,000 homens prisioneros; alm de
Mande V. S. por em liberdade, dando-lhe baixa se 1,300 1,600 mortos e feridos, obrigando todo o
j estirar com praja o recruta Serafim Gomes do resto a embarcar-se e evacuar a ilha. O golpe
Nascimento, a que se refere a sua informaco n. que a Dinamarca com isso soffreu, loi do mais
304 de 22 do corrente, visto ser incapaz para o sensivel elfeito.
sitvco por sotfrcr de epilepsia. \ Em Alsen tinha ella at agora sustentado a sua
Dito ao desembargador Jos Ignacio Accioli de ultima posigao firme sobre o territorio Schleswi-
Vasconcellos.Pelo seu offlcio de 21 do corrente, guez, c saber urna posico da mais alta impor-
fiquei inteirado de ter V. S. entrado no exercicio tancia estratgica, da qual ^pezar das perdas em
do cargo de fiscal do tribunal do comraercio desta Duppel, ella conlinuava de ameacar o continente
provincia no dia 18 do corrente. Communicouse do Schleswig no flanco. SmentK com a perda
thesouraria de fazenda. | dessa ilha, perdeu ella agora definitivamente o
Dito ao director do arsenal de guerra. Mande Schleswig, e o valor que dava sua sustentacao,
V. S. recolher aos armazens desse arsenal, 33 can- disso deu a melhor prova, rejeitando todo o trata-
tis de madeira, 2 carrinhos de mao e 2 Jarras de do de armisticio, que exiga della contra a evacua-
madeira que eslavam cargo do corpo de guarn- gao de Julland pelas tropas allemaas, a evacuacao
co e foram dadas em consumo.Communicou-se de Alsen, apezar de que no Julland se Ihes offere-
ao commandante das armas interino. cera urna compensacao dez vezes maior. Tambem
Dito ao inspector do arsenal de marrana. Ex- nao tinham deixado durante a suspensao de armas,
pega V. S. as suas ordens para que a mestranca de trabalhar com todas as forcas na fortificacao de
desse arsenal se preste a rasloria o bngue escuna Alsen, concentrando all as melhores tropas, de-
hespanhol Vencedor, como solicitou o cnsul de baixo dos mais habis offlciaes, cerca de dez mil
Schlei. Entretanto os quinze das da prolongagao qualquer hosinuiade contra a Allemanha i> a tam.' mai-.-i man,.;nA n n ... ,. ,_,, ~ ~~
de suspensao de armas hinm tenn.nar-se. bem dellas imped, a Suecia A"e,"an"a' c a tam j aba'* menc10Dados De Falmouth Corneho (26)! Os documentos relativos conferencia de Lon-
Em connex comai?so acha-Se a cessao. -"- .-f^-li0 Jalm?.ulh. ^J1'11 (27)_para a ; dres foram sem demora
eferindo- sos sobre o Holslein a favor dn -rao- douiiadO-' Do >pi rh,V i 2 V-r",ia- ,. ^ensra, que esta em dis.
inutilida- deraburgo, cora que a Russia ffi^ JomnleameS d, P*'n^hnTL a%? 2o) na.V'H f?-' i *fa,raJdos comm,uns-
as. Mas do seu intresse na lula. completmente de p. nam uc.i Tttanma (27)a Liverpool; da Baha O chefe da opposicao r
eder., A Devemos ainntar anu \aan n.,. nh i.... ^. I ?2Xi?U a Lowes i da_ Bahia_ W_e Lmluforme o ministerio de haver co(
Devemos ajuntar aqui : logo que sob hase dessa Y*flKiLS?W u h''"V7 ^"""7"""!
cessao, o grao-duque 4de Oldembrgo enf n f L'j ?"'' P.rn^.'nJ^T""'' tl
ultimas sess5es da dieta allema, deu aviso oti^i gg own' c de pernara^o The Agnes (4) a
cPo0mmperSlv9a5PreSen,ar neSt6S daS S Mamealo".'o .'.ondon and Brasilian Banck, cujas accoes se
3
*m actualmente com o premio de 12 a 14,
dent'.'Uir6Centemente. seu reIalorio correspon- i mar hereditaria que a Gra-Brttanha nao entrara
fTr .enr5nSeine!,eJ "1do- Nesse documen' se jamis em compromissos do defeza com a Dinamar-
,11| es'ado dessa empresa, o qual em
?er LIavo,raVe' hajam dado -
o estado actual das cousas pora-
sequencia dos successos; demais
Allemanha
rato mais que
_-------.............. ... ,..,u,.l .i o i ranea nao quereriam de modo
mo i uuei haviam\ch?JL ^?l,ir lima semelhante poltica.
, m a.. EZSS&L C?-eg.aao essas, -'es. i Na cmara dos communs, lord Palmerston e ou-
nwm a 90 l|i, tros advogados da actual administraco tem falla-
federal, repellindo-o das trinchoiras e fazeodo-lhe
urna perda de tres mil homeus entre morios, feri-
: dos e prisioneiros.
As versoes espalhadas pelos confederados an-
| nunciam que o general Hunter fura completamen-
compromettido a intluencia t tlT^ .1SK Sns^U,lnte,nente L>nchtl'ur=r
da Gra-Bretanha perante a Europa por haver ar- "o^iif'rt ini("",fc'0- a o
rastado a Dinamarca n'um caminho, que ao mes- ri Kl Mv V'S,ad. fi,ranl em
rao lempo nocivo aos grandes interesses que a In- 2 rZL^LlL, 0^res-so fe,leral P"
urna esolucao pedindo informacoes acerca do re-
crutaincnto feito na Irlanda e o Canad para o
exercito federal. O mesmo congresso revogou a
lei contra os escravos fugitivos.
O onro (cava a 219 3/4, e o cambio sobre Lon-
dres a 236.
glaterra tem a zelar.
Expondo a sua poltica, disse lord Russell na ca-
ca, sendo que
mente devido
nrriHiismcia e aT,n, e?nde ,nteressi- Es,a 1ue a Inglaterra nao far a guerra a
mittir a dvi lo do cantal53- d(!sf g0Te-rn2 e,n per" p0 cau5a da 1aeslao durado;. ,:ln
r / 5S2?.12?E ^caaaaccao dessa em- a Russia, Suecia e Franca nao quererla
DIARIO DE PERNAMBUCO
Hespanha cm offlcio desta data.Commuuicou-se
ao predi lo cnsul.
Portara.Os Srs. agentes da companhia brasl-
leira de paquetes, mandem dar transporte para o
Maranhao no 1." vapor que passar do sul, ao aus-
peeada Cassiano Jos Thomaz e 3 soldados do cor-
po de guarnicao do Piautiy que vieram a esta
provincia escoltando sentenciados de Justina.Fize-
ram-se as necessarias communicagoes.
Dita.O presidente da provincia, atlendendo ao
homens para sua defeza. Por isso em Dinamarca
considerava-se geralniente como era todo o caso
segura a posicao de Alsen, e poder compre-
henderse o aterramento e o profundo abatimento
que em Copenhague leve por consequenca a noti-
cia do occorrido.
At agora as derrotas que soffreram tinham-se
limitado principalmente ao continente. Esta vez
foi urna ilha, cuja defensa a superioridade marti-
ma do paiz, parecer garantir debaixo de todas as
Os consolidados inglezes 3
90 3|8.
Prussia e do imperador da Austria em Carlsbad. 4 1|2
Tambem as conferencias que nessa occasiao ti ve- ruanos
ram lugar, se refenram em priraeirolgar eprin- Egypcacos 7 Oin 102 1|4. Russos
cipalmente aos negocios do Setfteiilrtg-Holstein. Italianos 3 0[0 67 D2. E hollandezes i 00 99 i4.
A reabertura da guerra com a Dinamarca entao O algodao de Pernambuco fica colado em Lver-
ja nao era majs de duvidar, e tratava.-se das devi- pool A 30 d. por libra : o de Maranhao 29 d. e o
das combraacoes acerca da sua continuaao, direc- da P'>ia h 28 d. 3i4, sendo essas especies da rae-
cao, etc. Houve o mais completo accordo a esse |hor ''ualidade.
respeito. Nc|'e mercado ficam os nossos principaes gene-
A gerencia commum da guerra ha va de ter em ros 'elas seguintes cotacSes. Cacao do Brasil de
s pnraeiramentc a conquista de Alsen, do or- 42 s.-62 s. per cwt. Caf i- qualidade 73 s.
alem do Lim fiowd, das Ihas frisas 80 s. >er cwt; 2* dita 70 6 d 74 s e ordina-
porem o pn-
te do Jutiand
do mar do Norte e da ilha Fiona ; o Jutiand at
agora oceupado devia ser administrado pelas po-
tencias allomaas, devendo o mesmo ter lugar na
Fionia, logo que conquistada.
O coinmando geral sobre as forcas allemaas por
trra pertenceria a Prussia; o commando sobre a
esquadra reforcada anstro-prussiana no mar do
Norte dirigido pela Austria.
Tambem parece que em Carlsbad se realisaram
convencoes acerca da participado da confederacao
na guerra contra a Dinamarca, e de enceUr-se
Recebemos cartas e jornaes da Europa, pelo va-
por inglez Oneida, cliegado liontem, alcancando :
alidade a Gra- de Hamburgo 5, de Londres e Paris 7, do Por-
a wit a independen- ^ a 11 e de Lisboa 13 do corrente :
V ".'";?!: i1?" *'a da Dinamarca. | A guerra das potencias allemaas contra a Dma-
'-isla linguagem vaga e hvpothethica deste ea- i I?ar'a aPProxima-se de seu termo. Os alliados es-
bnete, .y,e (em afmj reVoKado a
f.I?.liei!!SiIa, !Srem Per'ga ~*
teo Plmenlo Russell. de A|S('". ,nas as suas tentativas foram infruclife-
Hoje contina na-amara dos communs adscus- ras- E,n Copenhague ha fundados recelos de um
sao da mocao de Mr. r-^raeli, e boje tambem ser' d:sembarr|iii! das tropas allemaas, e de um ataque
foila igual interpellacao p*- |ord Malmesburv na i conlra a propria capiUl.
cmara dos lords. O exercito dinamarquez elevase a 42 ou 4.1 mil
rio C*. s. 70 s. per cwt.
Po-brasil de 70 s. 73 s. por tonelada.
Assucar branco de Pernambuco e da Parahyba
31 s. 34 s. per cwt; mascavado 36 s. 6 d.
30 s. 6 d. per cwt. Dito branco da Baha 30 s.
33 s.; e mascavado de 26 s. 6 d. 30 s.
Couros seceos do Rio de 7 d. 9d. Ii2 por li-
bra ; e seceos salgados do Rio-Grande 4 d. 6
d. i|2.
As accoes da estrada de ferro do Recife se acham
a 15 3|4, isto com 3 1|4 de descont.
Successos posterio res vieram realisar o receo
opimao publica la0 dl' P0^4 da ill,a t Alsen, e oceupam toda a Ju-
islencia do ininis-' "an(,ia- s Dinamarquezes tentaram retomar a ilha
ante-
da conferencia
que requereu a professora publica de instrueco I circumslancias. Essa superioridade tinha-se mos-
primaria Maria Salom de Siqueira Varejo, e ten-; trado complelamente impotente. Debalde o navio
do em vista a informaco do director gerai interino! couracado Rolf-Krake tentara impedir o desembar-
da rastruc(;o pnblca datada de 23 do corrente, que dos Prussianos; fra obrigado a retirarse. O
resolve conceder-lhe 30 dias de licenca com ven- mesmo acontecer com os outros navios dinamar-
cimenlos afim de transportar-se para esta capital, quezes estacionados perto de Alsen ; nao poderam
visto haver sido removida da cadeira de Nossa resistir s bateras prussianas, e duas canhoneiras,
Senhora do O" de Ipojuca, para a da Capunga ulti- afim de nao cahir as maos do inlmigo, foram sal-
inamente creada. tadas ao ar.
----- i Ao mesmo tempo a Dinamarca soffreu um outro
Despachos do dia 25 de julho de 186 i. desengao, nao menos doloroso. 0 que ate agora
Requei intentos. i sustentara principalmente sua obstinacao, fra a
Antonio dos Santos Souza LeaoDirija-seosup- esperanca desde o principio de soccorr estrangei-
plcante ao Sr. commandante superior elfectivo da ro no seu combate contra a Allemanha.
guarda nacional, quando estirar em exercicio para i A esperanca primitiva sobre a Franca logo des-
informar o que Iho occorrer sobre o
ment.
Dr. Augusto Carneiro Monteiro da Silva San-1 Que debaixo de nenhuma circunstancia tinha ron-!do de urna liga de alfandgas roatuaes dos'esta-
tos.Em offlcio de 21 do corrente se declarou :lade de envolver-se em urna guerra com a Alie- dos do sul, a qual se limitara a Nassau, Hesse-
thesouraria que o supplicanle devia perceber o or-! manha por causa daquestSo dinamarqueza. Tanto Darmstadi. Wuriemberg e Haviera, esses estados
denado e graiilicacao que tem o professor da 2." '"aiur era a esperanga em Copenhague na- assis-; tambem nao tero finalmente outra escolha, da que
cadeira de mathematicas. tencia ingleza. transigir com a Prussia.
Thomaz Tavares de Moraes. Informe o Sr. ins-' A attilude dos ministros inglezes tambem pare-! Na madrugada do da 23 de junho falleceu o rei
pertor da ihesouraria de fazenda. cia justificar bastantes essas esperancas. E' ver- Guilherme de Wurtemberg. Adan Jo-se elle com-
dade que nao tmham dado a esse respeito declara-
. a
constitnico defflnitiva do Schleswig-Holstein como
estado independente, reservando-se a so!u$ao da que eu ha va manifestado em
questaodesuccessao. v cedentes quanto ao bom resultado
Esperam-se era breve as respectivas projiostasna de Londres I
Ai1'-;___ I No dia 26 dn prximo passado teve lugar a ulti-
Assim como a conferencia de Londres, tambem ma sessao desse congresso, destinada a eScerrar os
a conferencia do Zollyere.n era Berlra teve. a sua trabalhos ali havidos; e nessa mesma dala aPrus-
nrnn.3!,Lmf-5dejanh; a .. sia e a Austria abriam novamente as hostilidades
an,i^/. as-,gnatara de um nov ,ra,a' contra a Dinamarca. O armisticio findava nes5c
fuS^^'^'n-Provisoriamente entre a Prussia, da, e as potencias alliadas nao esperaram um m-
rin-. iva^L, d e rf'' 1 "t^ d.a T"?' nut0 alm do Pras0 marcado para recomecarem o
rraga, Hrancfort e Brunswick, sob base do tratado bombardeamento da ilha d'Alsen cornado hne de
dt COmmprein nnnn nmauoiu l',.,(, ~n ,,' ""'"OUIU Ud una u illsLO, COTOaOO noje 00 .,* rur.i-> uu UICIUU, UUI1IUO .1011)05 US iiaiuuo
ferendd^Mnm>n^EriS?*?& L2l ? fell?.resultado Pela evacuacao desse ponto pela estao de aecrdo em nao fazer a guerra a Allema-
24 de iunho !s suas dTseusso 'gada dd'ar du ,orfIs d!<>?">arquezas. 4nha por motivo da questo dos ducados.
Asnoiii W* rtpJniemt^mhin^,. nn.r0 A Inglaterra ha va proposto na conferencia, de Es^e chefe do partido tora exprimio-se nesses
Austrii^eTtovl^ tn^^SS^iJS^ 5CTd com-asP0,ncias "atraes, que urna linha termos em urna recente occasiao, em que teve de
SStASSSSm^^^SfSL^L dedemarca?ao fosse assignada para a divisa* do presidir urna reuniao de duzentos e qua'renta mera-
nanau e He.>se-Darra,tadt, apresentaodo es_5e ul- Schleswig, visto como a unanimidade da conferen- bros da oooosico.
A opposicao espera vencer o -nnisterio nestaihomens; as tropasaustro-prussianas que so acham
questao, obrigando-o a dar a demissa<, ou a disol-: nos bocados elevam-se a 70 rail e augmentara dia-
ver a cmara electiva, na esperanca de qu anlia-; riamente com reforcos novos.
ra inaioria n'uma nova eleicao.
Allirma-se que lord Palmerston est com effeu
decidido a dissolrtr a cmara, caso venha a ser ba-
tido na presente dscussao; e a probabilidade de
que sua magestade a rainha se prestar a consen-
tir n'uma dissoluco daquella casa,pelo desejo que
tem de apoiar-se uo actual ministerio que afinal
comprometteu a causa da Dinamarca a bem da Al-
lemanha, em favor de quem se acham voitadas as
sympathias desta augusta soberana.
A opimao publica aqui tem-se pronunciado nes-
tes ltimos lempos pelo partido tory, e d'ahi nasce
a esperanca que este tem de vencer a campanha
eleitoral que vier a ter lugar.
Em verdade esse partido tem ganho todas as
eleieoes parciaes que recentemente tiveram lugar,
o que at certo ponto Ihe promette maior felici-
dade.
Entretanto me parece que a poltica ingleza nao
differir muito da aeiual, caso lord Derby assuma
as redeas do governo, porquo ambos os partidos
timb enlo urna a>sim chamada proposta de me-
diacao, acerca da qual os plenipotenciarios austra-
cos derlararam dever pedir as respectivas instruc-
cSes.
A respeito do contedoda proposta de Darm conserva-se at agora o maior segrsdo. S quan-
do chegar a deciso austraca serio continuadas as
negrciaces.
Mas, como j dissemos em outra occasiao, nin-
guem acredita mais em um resultado, e como pela
__opposicao.
ca rencordara em principio nesse expediente. Es- Quando muito lord Derbv formularia o seu vlli-
sa tinha rora a do Schlei e do Danewirke, aceita niatum na questao dinamarqueza propramente di-
peio re da Dinamarca, urna vez que ella impor- ta, dexando a dos ducados para ser decidida se-
tasse um limite commercial eao mesmo tempo mi- gundo as concessoes que el-rei Uhristiano
litar; emquanto que as potenciaas allemSs propu- fazer Allemanha : s por este meio presumo que
nnam pelo seu lado tima outra difireme, a partir a Inglaterra vina a precisar a sua poltica em re-
do Apenrade para Dndar era Tondern. lacao ao conflicto dano-allemo.
O conflicto que resultou dessa difTerenca foi a cau-1 A Dinamarca procura arrastar a Graa-Bretanha,
sa da dissoluco daquella reuniao, apesar de lord 1 e pois estimara vr-se ameacada mesmo em Cope-
Russell, presidente da conferencia haver tentado nhague, alim de envolver o tridente britannico na
Allirma-se que o plano do governo prussiauo
apoderar-se successivamente de todas as ilhas do
'chpelago dinamarquez, e procurar depois atacar
J-0|nhague. s caminhos de ferro transportara
ha muii, lempo trens completos de pontoneiros com
as suas eqir.r,;,gl,ns c acCesSOrios.
.>o da zo de vinho abrio-se o risgraad dinamar-
quez. Na mensageir.que orei Christano IX leu ao
parlamento, diz ja a crt..a situaco em que se acha
o paiz c as extraordinarias vvspezas a guerra, fi-
zeram convocar o risgraad, pina attender aos re-
cursos necessaros, diz que nao '., a Dinamarca
quera provocou a guerra, e que tinha > conseien-
cia de haver feito ludo quanto se podia pau a evi-
tar ; que foram atacados por um iumigo sob s>rr-
texto de nao ter cumprido os ajustes de 1831 b
1832 ; que antes de se comecarem as hostilidades
haviam os adversarios recusado aceitar urna con-
ferencia para alli tratar amigavelmente com as
outras siguatarias do tratado de Londres, e que s
depois de se terem apoderado da maior parte da
pennsula que tinham consentido na sua reuniao,
mas nao se julgando ligados pulasltransacces de
1831-1852.
forneci- i de o principio s'e mostrara Ilusoria. imperador adheso da Hesse-Eleitoral'e d^BruoswckaoZ ^ak"' iP,rc1!^enle da inferencia haver tentado
Napoleaodesdeocomeco nao deixou duvida, de verera, o Hannovcr fica geographicamente separa- rei.J4.t:l3.'.?[!m.eira,nento Pc\* arbilragem do im-
Pedro Jos Goncalve*.O supplicanle nao pro-
vou isencao.
Maria Saf .m de Siqueira Varejo.Concedo a
Jiccnca requerida.
EXTERIOR.
Qes obrigatorias; mas sempre de novo tomado
em frente da Allemanha urna attitude, que franca-
I mente ameaeava a guerra ejustilkava a conclusao,
| que a Inglaterra na primeira occasiao pegara as
armas para proteger a Dinamarca. Sobretudo
quando cada vez mais se mostrava a infructuosi-
dade da conferencia de Londres, tanto da parte do
governo inglez, como do parlamento e da impren-
, sa ingleza usou-se de um tom ameacador, e emeon-
' versas confidenciacs com os plenipotenciarios alle-
mes, os lords Russell e Clarendon deixaram ver
.como infallivel a participacao da Inglaterra na
guerra, que eventualmente de novo rompesse. As-
; sim ninguem duvidava em Copenhague, que o
rompimenlo das negociar;es em Londres nao le-
, ra outra consequencia do que a asistencia da In-
glaterra. Apezar disso tudo o que occorreu foi
; muito dilferente.
No da 27 de junho os lords Russell e Palmers-
potencias ale- ton apresentaram os protocolas da conferencia s
mas, nao podia existir a mnima duvida desde o duas cmaras do parlamento inglez, acompanhando
princi|iio. Pela morte do re Fredenco VII. a Di-1 essa apresentaco de declarago sobre a sua atu-
namarca lnha icrdido todo o direito sobre todo o
CORRESPONDENCIAS O DIA
RIO I>E PERNA3IRUCO.
h tiit ni.o.
: de julho de 1861.
Desde o dia 26 de junho roinecou de novo a guer-
ra com a Dinamarca. Os nossos leitores vero,
pois, que a conferencia de Londres mallogrou. A
Dinamarca insistir at o ultimo momento em sus-
tentar a linha do Schlei como seu ultimtum, e que
essa linha era ioaceitavel para as
pletamente reslabelecido'da sua molestia que ha
algumas semanas ameacra sua vid, a sua morte
causou agora tinto mais sorpreza. l.'ma constipa-
cao, que aorei se atirahio na inspeceo de sua gran-
de eondelaria em \Vel foi a causa!
O filho do fallecido loe succedeu no governo co-
mo rei Carlos; elle nasceu em 6 de maio de 1823,
tendo por consequencia a Hade de 41 annos.
rei Guilherme tinha chi-gado dade de 82 annos
e 9 mezes, e governra mais de 47 annos.
perador Napoieo e em seguida pela a de sua ma-
gestade o rei dos Belgas. Mas as potencias alle-
maas desejaram romper as negociacoes, para pela
consecuco de novos triumphos extenderem as
suas exigencias ; e por consegrante rejeitaram a
idea de qualquer mediacSo, declarando que nao
estara por nenhuma deciso e que o seu ultim-
tum estar na linha demarcatoria por ellas ollere-
cida 1 deliberaco da conferencia. A Dinamarca
entendeu nao dever prescindir do seu projecto por
que este importava os dous requesitos que ella jul-
ja essenciaes preferinJo a continuadlo da guerra,
na esperanca d'uma feliz eventualidade, a consa-
grar o seu suicidio poltico, embora os plenipoten-
] ciarios allcmaes houvessem declarado que no caso
u da aeceiUeSo da proposta allema as potencias sig-
natarias do acto de Londres se obrigariam a man-
ter Ilesa a integridade da Dinamarca. Tal foi em
Schleswig, e pelo contrario todo esse ducado at
Konigsan pertencia de direito Allemanha. Alm
disso, a nao obstante violentamente tentada ii^ur-
paco do Schleswig da parte da Dinamarra tinha
Jallado da maneira a mais miseravel, e as armas
allemaas tinham expulsado as tropas dinamarque-
zas, nao smente de todo o continente do ducado,
como tambem de todo o Jutiand at o Lim-Fiord.
Nao era, pois, o gabinete de Copenhague, que fa-
zia qualquer sacrificio do seu direito ou de sua
jiosse, unindn-se o Schleswig com o Holslein para
um estado, poltica e dynasticamente independen-
te ; mas pelo contrario era s das potencias alle-
maas, que se exiga semelhante sacrificio, reque-
rendo-se dellas a cessao mesmo da mais
irac
lude futura na" questao dano-allema. im lugar,
porm, de assegurar Dinamarca assstencia acti-
va, fizeram constar as intences nteiramente paci-
ficas dos ministros inglezes; que a Inglaterra nun-
ca se obrgra para rom a Dinamarca um soc-
corr material, e que o seu bem ponderado int-
resse Ihe prescreva de sustentar tambem para o
futuro a neutralidade at agora observada. Smen-
te dado o caso que Copenhague como cidade con-
quistada se achasse abandonada aos horrores de
urna pilhagem, e o re t.hristano IX fosse condu-
zdo dalli como prisoueiro, s entao os ministros
inglezes teriam de ponderar se era de recommen-
dar urna ingerencia armada.
------------ resumo a causa que raotivou a dissoluco da con-
l ferencia de Londres.
S de julho de 1865. Os plenipotenciarios da Franca haviam olfereci-
Uecebomos aqu as ultimas datas do Brasil pelo do rorlar aquella difficuldade sujeilandg a questo
paquete Paran, chegado Southarapion na noite sbre. a Par'dha do Scheleswig ao voto das popula-
de 3 do corrente. Nada de importancia poltica 8a0 dus:e d"cado ; mas, achando-se esse territo-
conslou nesle paiz acerca do imperio, se bem que r! o|;ci.'Pado militarmente, a inaioria da conferen-
varias correspondencias afllrmem que nossa mis- ?'a PPz-se a um semelhante expediente por ser
sao especial na banda oriental nao produzr o ef- lss0 contrario a pureza do resultado que se levava
feito desejado. A marcha das nossas tropas sobre em Vlsta- Nada Pois serv0 de chamar concilia-
a fronleira da repblica oriental firmou neste paiz 5* as P;,r,es dissdenles, que de uovo se acham a
a crenca de que o gabinete do Ro de Janeiro est 5ra.s fom naeell da guerra, sem que seja da-
disposto a sustentar pela forca suas justas recia- calcula'- com exactidao o termo que tera o ac-
macoes, o que seria bem acceito pelo governo in- tual oslado de cousas.
glez, urna vez que nao traduzssemos semelhanle ". Ia indl9ado dia o marechal Wrangel abri o fo-
politica n'uma occupaeo permanente da Rcpubli- go das baleras prussianas contra Sondenburg, sus-
ca-Oriental. i tenlaodo-o consecutivamente at 2 do corrente em
O Paran despachou 3,033 em especie, que 1ue as ,orCas dinamarquezas abandonaram aquelle iio
vieram remetlidas para aqui de diversos pontos do Ponl e Ioda a ''na d Alsen, retirando-se para Ho- jam
Brasil. Amanhaa seguir para o Rio, com as esca- ruPllan Cegonaes.
da sua causa.
Entretanto el-rei Cliristiano acaba de enviar a
Berlin seu irmao, e isto cora o fin, segundo se af-
firma, de propr a paz.
A esquadra ingleza conserva-se em Spylhead,
nao rae constando que baja recebido ordera para
seguir para o Bltico.
Chegou a Vera Cruz, no dia 26 de maio ultimo,
S. M. o Imperador Maximiliano, em companhia de
sua augusta esposa ; mas receioso da epidemia que
alli reinava nesta quadra do anno, parti sem de-
mora para drizaba com destino capital.
As noticias daquelle imperio sao em geral satis-
factorias, sendo que o partido monarchico aguarda
a sua cabal consolidadlo mediante o espirito emi-
nentemente liberal e conciliador de novo soberano.
O partido republicano acha-se cada vez mais des-
moralisado, e Jurez conla apenas com um insigni-
ficante apoio.
Como sempre costuma succeder depois de una
longa guerra, apparecem aqui e alli, em diversos
pontos daquelle territorio, algumas guerrilhas que
tem espalliado o terror por onde passam ; mas o
general Bazaine, de accordo com as autoridades
militares locaes, tem tomado as mais acertadas
providencias, afim de acabar com semelhante Ha-
gello, havendo conseguido repellir
infestados.
Lastima que os direitos maa evidentes sejam des-
conhecidos e que um rei e um povo sejam aban-
donados mesmo na luta mais de>igual, e que atfen-
dendo a essa tendencia das potencias europeas, e
acolhendo o pedido que a Inglaterra apoiada por
todas as potencia; neutras que liniiam assento na
|uizer conferencia, de renunciar a qualquer parte do ter-
ritorio pertencenle Dinamarca, situado ao sul do
Schlei e do Dauewirk, se resignava a sofTrer to
doloroso sacrificio; que esse sacrificio nao lora
aceito pelis potencias allema-. A Dinamarca nao
podia sacrificar maia ; s exhortacocs que se fize-
ram, respondeu com um nao, com a firme convic-
co de que lal recusa seria tambem a do povo di-
namarquez. Termina rogando a Dos que mude a>
disposicoes das potencias que tem as suas na js
o deslino da Europa ; e que pelo menos faca cora
que a sympathia de um dellas se tradoza em urna
cooperacao ellicaz.
\ potencia a que o rei no seu discurso allude
nao parece porm disposta a soccorrer a Dina-
marra. A Inglaterra recuou eabandonou-a. A Sur
cia parece nao querer comprometter-se sem lucros
cellos. Em Stockolmo houve erise ministerial em
consequi-ncia de se ter divulgado urna caria confi-
dencial em que o rei da Suecia Carlos XV propu-
nha ao da Dinamarca a convocado di! um parla-
mento scandqavo, para dispr unio dos tres
reinos e a fuso das duas dynastias.
O rei da Suecia oppoz tenaz resitencia ao pedi-
do do governo para desmentir a existencia e o con-
texto_desta carta : o gabinete pedio pois a sua de-
missao, e Carlos XV s consentio n'um desmenti-
do parcial, por meio de urna nota ministerial de-
clarando que a Suecia continuarla a proceder des-
interessadamente no conflicto dano-germanico. Us
ministros em consequencia desta retrataeo conser-
varan! as pastas.
A dissoluco da esquadra sueca que se havia
" reunido para prestar o seu apoio Dinamarca, pro-
migo no;.. duzJOj nao so eiJI toda Dinamarca, mas anda cm
las do costume, o paquete Oneida levando as Ai Ptrdas deste bravo exercito subi a tres mil
usuaes remessas era ouro. O cambi desta praca I nomens. entre os quaes oitenta e um offlciaes mor-
asil foi colado desta vez tos : mas es,sc intrpido exercito conseguio realisar
sobre as principaes do Brasil
23 M por mil ris. O descont do banco d'In-
glaterra sobre consolidados c letras de 1* classe
est 3 3|4 | e 6 "|, mostrando todava tenden-
baixa,
ca para a baixa, visto o numerario que tem en
A noticia dessas declaracoes do gabinete inglez lrado-
chegou era Copenhague juntamente com a novida-1 Na cmara dos lords teve lugar urna interpellacao
a cessao mesmo da mais pequea
parte do Schleswig. | de da tomada'de Alsen pelos Prussianos, e o povo 'de lord Brugham acerca da revogaco do o// ber-
A linha de Schlei porm, exiga delles, dos se- dinamarquez ficou de novo mais pobre de urna es- "i Que, como se sabe, o insulto vivo feito
nhores legitimse eflecti vos do ducado, nada me-lperanga. I nossa soberana. Na qualidade de presidente da
nos do que a cessao de cinco sextos do mesmo. S' Apezar disso conta-se alli ainda com a final as- associagao contra o trafico de eseravos, diste o ora-
um excesso de atrevimento poda, pois. apresentar sistencia da Inglaterra, tomando-se por certo a dor que se achara habilitado para informar ca-
queda do ministerio Palmerston-Russell, e sua mara da completa cessaco daquelle trafico no
substituicao por um gabiuete tory. Brasil, chamando ao mesmo tempo a attenco do
... i governo sobre a necessidade da revogaco do bul
Esse acontecimento esperado, porem nao somen-. Aberde.cn, que hoje nao tem mais razio de ser, gra-
- gas boa f com que o governo do imperador con-
pnneipaes pontos iiiicsLiui. ,
0 connicto que surgir entre a Hespanha e o Pe-' *$* ?" "dad? da !Soruega' a ,n:,,s profunda L'
r pare-e haver diminuido de importancia vista I f.. ., .;" .
das declaracoes, que acaba de fazer o Sr. Pacheco,' .,,'?,,''f' T PES*" dl"amar'luezas e aj,re-
ministro doi estrngeros de S. M. a rainha Isabel.! *;' i "terpellacao ao governo perguntan-
Em urna das sesses do parlamento hespanhol do, SS?.6??? da c"u">uaf;w da KUerra, e que
no decurso do mez prximo passado. S. Exc. de-\^r'.*. ?" '"e. 25?.P*r* aU",a -e'
1 conciliacao com a Allemanha, e que ira de accor-
IX.
rr se
semelhante exigencianNo obstante insistio-se nisso
em Copenhague. Por amor da paz, os plenipoten-
ciarios allemes tinham-se declarado promptos
em lugar da linha de divisan histrica entre a Di-
namarca e os ducados da Konigsan, de aepitar urna
te e ainda mui duvidoso talvez amanhaa tenha-
inha situada mais ao sul, saber de Apenrade so" j mos "ma deciso mas tambem j certo que os I eguio acabar no Imperio com to nefam o cotn-
bre Tondern para Mover, cedendo assim toda a | 'orys tao pouco como os lords Palmerston e Russell I mercio. Lord Russell Iludi norni a dscussao
ma guerra contra a Allemanha. A allegando a efflcaca daquella medida que como
desse trafico,
parte do norte, cerca a quarta parte do Schleswig,
a Dinamarca. E durante um momento at se fra
mais longe, entendendo-se para urna linha anda
mais ao sol de Fleusburg-Tondern-Hoyer.
Os plenipotenciarios dinamarquezes, porm, re-
jeitavam taoto urna, como a outra concesso, De
parte da confederacao allema e da Prussia lem-
brara-se entao como meio para fixar a linha de de-
niarcac.So entre a nacionalidad!- allema e dina-
marqueza, a consultaco da populaco Schleswi-
guense. Mas os plenipotenciarios to pouco nada
]ueriam saber disso.
A Inglaterra propoz ento de accordo com os ou-
tros neutros, de snbmetter a fixaco da linha de
demarcaco ao arbitramento de urna terceira po-
tencia nao interessada.
A Austria e a Prussia aceitaram a proposta de-
baixo da condicao, qne o arbitrio nao fosse abso-
lutamente obrigatorio e decisivo, mas sim que s
se tralasse dos bons o/ficios de um mediador ; os
plenipotenciarios dinamarquezes recusaram redon-
damente. Finalmente, a Franca de seu lado vol-
tou de novo consultaco da popularn, e emquan-
to que o plenipotenciario prnssiano tomou a pro-
posta ad referendum, a Dinamarca rejeitou o mes-
contra a Allemanha. A
esse respeito referimo-no s noticias que os nos-
sos leitores receberam directamente da Ingla-
terra.
preservativo contra a reapparicao
comquanto nao negasse absolutamente o apoio sin-
cero com que por parte do Brasil so preslou para
Achando-se interrompida a communiracao tele- tp til resultado.
graphica com a Dinamarca, por causa da guerra,
at o dia 2, ultima data das noticias dalli, nada se
sabia de um convenio respectivo n'uma das ulti-
E' assim que o gabinete britannico se mostra
sempre injusto para comnosco, deixando de attri-
buir-nos a honra exclusiva que nos cabe de haver-
mas conferencias dos membros torys do parla- mos por nossos esforcos extirpado da
niiintA ItinanilA en Mi tc-rxm inri nm Aimn_nn *^._*^.
nossa socie-
importaco da escra-
dade o commercio terrivel da
valora!
Na casa dos communs, Mr. Farquhwt pedio es-
clareciraento acerca do estado da mudrac portu-
conflicto anglo-brasileiro Mr. Layard
que as negociacoes conlinuavam, ha-
mo sem mais nem menos, persistindb no seu non' posto da Suecia, Noruega e Dinamarca, obrigan-
possumus sustentando absolutamente a linha do do-se a Russia de seu lado a absier-so de toda e
ment, vivendo-se alli assim ainda em esperan
cas.
Mas tamnem sobre a Russia o principal promo-
tor, ou antes o verdadeiro autor do tratado de Lon-
dres de 1832, a Dinamarca pode boje contar menos geza i
do que nunca. ; respondeu
*n ZfXSt fafSSJSSC! S ?,nlre.vis do re da Prussia e do imperador da Russia em desejado resultado
Berlin, e deste ultimo com o imperador da Austria jjr Christie contina assaltar-nos no Globe,
em kissingen. jornaj doCnde RasBen fendo publicado ha das,
Segundo parece as negociacoes nellas havidas por occasiu interpellagao de lord Brougham,
foram principalmente acerca da questo dano-alle- urna forte verrina centra o Brasil, a quem nega o
ma, sendo o resultado que a Prussia e a Austria merecimento de haver extracto no seu territorio o
se obrigaram para com a Russia a combater junta- commercio de escraros Na opimao de Mr. Chris-
mente com ella o plano eventual de ama unio tie foi o bil Aberdeen que exclusivamente produ-
com-1 zio aquelle mllagre I 1
Na ultima quinzena seguiram da Gr-Bretanha
para diversos portos do norte do Brasil os navios
scandnava, isto a fundacao de um reino,
a sua retirada sem desordem, para o que contri-
buio muito o apoio que recebeu da esquadra, e es-
pecialmente da fragata encouracada Rolf-Krake.
Os Prussianos e os Austracos avancaram inme-
diatamente pela Jutiand, que hoje oceupam Intei-
ramente, havendo laucado um forte tributo de guer-
ra nessa provincia e augmentado ali consideravel-
menie as forcas alliadas. Em que intuito porem
estaro assim procedendo as potencias alliadas,
quando parece nao levarem em vista a incorpora-
gao da Dinamarca, propriamente dita, aos duca-
dos allemes ?
A tctica deste expediente parece estar em tor-
ear a Dinamarca, hoje abandonada de todos, a tra-
tar promptamente com a Allemanha que por preco
das suas victorias boscar arrancar todo o Schles-
wig mooarchia dinamarqueza I
A Allemanha, conscia na actualidade da desu-
nio reinante nos conselhos dos gabinetes euro-
peus, reputa-se livre, e quer pois tirar partido das
circumstancias paraajustar suas cuntas com o rei
Christiano. Em apoio desta suggesto, os jornaes
inglezes annunciam queo principe Joo de Glacks-
burgo, irrao do rei da Dinamarca, acaba de che-
gar Berln encarregad de urna mis*o do seu
soberano e que suppe versar sobre os prelimina-
res da paz, que a Dinamarca offerece.
A unpresso que no publico ioglez tem feito es-
ta ordem de succewos, altamente desfavoravel
no ministerio Palmerston Russell, a quem se attri-
bue o haver engaado o governo dinamarquez no
que respeita ao apoio que neste governo buscou
sempre el-rei Christiano.
A Gra-Bretanha parece entender com este gabi-
nete e com o partido tory, que sua magestade a
rainha nao est obrigada pelo tratado de Londres
a defender pelas armas a causa dinamarqueza;
mas nao quizera que lord Russell induzisse o gabi-
nete de Copenhague n'um erro a tal respeito, erro
que talvez determinasse el-rei Christiano a entrar
na via de resistencia que hoje o lem laucado as
mais serias eomplicacos I ET por semelhante falta
3ue o governo da rainha est actualmente respon-
endo perante o parlamento, achando-se aoqtte pa-
ree n'uma crise eminente or aquelle motivo.
damente se havia altribuido a urna declararan
almirante Pinzn que oceupa aquelle ponto do ter-
ritorio peruano por ordem do governo de Madrid.
Fez aqh excellente impresso aquella declaracao,
que servir tambem para diminuir no Peni a irri-
tado que causara alli aquelle expediente inespe-
rado : entretanto as ultimas noticias de Lima an-
nunciam que o governo peruano se mostrava dis-
posto a nao ceder, havendo procurado o apoio de
varias repblicas do Continente Americano, para
por esse meio resistir violencia praticada pela
Hespanha.
O governo procurava augmentar a esquadra e o
exercito.
O ministerio da guerra inglez acaba de receber
do general Cameron, commandante das forgas in-
glezas na Nova-Zelandia, una communicago, an-
nunciando que as suas tropas haviam atacado com
infeliz resultado as posices do inimigo em Tan-
ranga, sendo considerare! a perda que soffrera em
morios e feridos. O inimigo soffreu igualmente
grandes perdas, e comquanto repellisse o ataque
das forgas inglezas teve todava de desamparar
Tanranga, prevalecendo-se da obscondade da noi-
te O governo britannico vai reforcar novamente
suas forcas naquelle ponto, afim de dar um golpe
mortal n urna rebellio que tem reapparecdo di-
versas vezes.
Pelos vapores Belgian e Saxonia temos aqu no-
ticias de Nova-York at 23 do passado. Poucas sao
as noticias relativas s operages do Potomac, e
esta circo instancia deixa receiar pelas vantagens
da causa federal, visto como o ministerio da guer-
ra de Washington annuncia sempre com estrondo
as vantagens que alcanca.
As noticias extra-officiaes, que chegam a 23 de
junho, dizem entretanto que o general Grant se
acha em urna posigo dfflcil, havendo sido repelli-
do junto de Petersburgo pela diviso do general
HU.
Grant enviara as brigadas de Hancock e Weight
para observarem aqnelle ponto, mas o inimigo pre-
venido a tempo repellio aqu lie movimento com
grande perda para os federaes.
Entretanto o general Grant estava reunindo
numerosas forgas para de novo investir Petersbor-
go, onde urna batalha formal era esperada para o
da 24 rlaqu-Me mez. Depois do mencionado en-
contr com a diviso llill. este corpo de exercito
atacou ainda ma vez o segundo corpo do exercito
m os
restos da monarchia. Julga-se que el-rei tenciona
abdicar em favor do principe de Hesse que se jul-
ga com direitos cora dinamarqueza era virtude
da quebra do tratado de 1832. ,
Parece que j em resultado das conferencias
que o irmao do rei tem tido em Berlin, se conceden
a demissoao ministerio dinamarqus, sendo dada
a presidencia do novo gabinete a Mr. Moltke. a
pasta da guerra a Hausen, a dos estrngeros a
Quaade, a da justica a Schel e a do interior a Bel-
tzen.
O novo gabinete poder entrar em iransaccao
que o antgo uo podia fazer sem grande contradi-
cao, pois fra elle quem com as suas reluctancias
e pontos de honra levou a guerra ao interior da
patria. Parece tambem que os alliados conserva-
rao as suas posices, e que sem estabelecerem um
armisticio, se abstero de atacar a Dinamarca em-
quanto durarem as combinages em Berln.
O imperador da Russia escreveu urna carta ao
gro-duque de Oldembrgo, em que ratifica as ex
pressoes do embaixador da Russia em Londres,
em que animado do desejo de favorecer os ajustes
antre a Allemanha e a Dinamarca relativamente ao
estabelecimento da paz, Ihe faz cedencia como che-
fe do ramo mais antigo da casa de Holstein-Got-
torp de todos os seus direitos hereditarios aos du-
cados de Holstein e de Schleswig, reservados ex-
pressamente no protocollo de Varsovia de 5 de
junho de 1851, e que ficarem em vigor depois de
abandonados os bens mais essenciaes do tratado
de Londres de 1832.
O MorningPost tem publicado urna extensa cor-
respondencia diplomtica eutre Mrs. Werther e
Bismark, e entre Mrs. Bismark e o conde de Goltz,
em que quer ver a existencia de urna nova santa
allianga entre as potencias do norte. Os governo-
da Austria e da Prussia desmentem categrica-
mente a authenticdade daquella correspondencia,
mas o jornal inglez nos mantera a sua authen-
ticdade, mas publica urna seria de despachos que
iem relaco com as previstas intengdes.
A citada correspondencia que os gabinetes do
norte querem seja considerada como pura inven-
cao, mas pela authenticdade do mal o Morntng-
Post se responsabilisa, mostra os interesses com-
muns da Russia, Prussia e Austria em'relago
Polonia, mas nao de ve causar receios de urna oova
liga, contra as potencias occdentaes,

MIJTILADOV
i ILFGVFI


f
Diarto e Peraanfeiet --- Quinta felra t de Julho ie i 4.
0 despacho de 13 do junlio ultimo do conde de
Bismark ao embaixador prussiano em Pars mos-
tra pormeuores claros sobre os interesses das cor-
tes de Berln e S. Petersborgo.
Diz o conde de Bismark naquelle documento que
o imperador da Russia fizera proposlas ao rei da
Prussia qnando visilava a familia real prussiana ,
que a attilude lomada pelo gabinete de S. Pelers-
burgo na questao dos ducados em todos os senti-
dos favoravel poltica prussiana ; que a renuncia
do czar nos seus direitos eventuaes sobre os duca-,
dos prova evidente das disposigoes amigareis e guida umav.agem transatlntica
favoraveis da cuite da Rusia para com a Allema:
sha, e que o imperador acaba de assegurar aorei
da Prassia o seu leal e cfcaz apoio nesta questao ;
achando-se o imperador no bosque de Rolonha, o mexicano. O general mexicano Doblado fui derro-
cavallo tomou o freio nos (lentes c custou a safU- lado pelas tropas francezas c mexicana*, fazendo-
ra-lo; se accrescentarmos a esies accidentes o ba-,se-lhe 1,210 prisioneros, e perdeodo 17 pe?* e
nho forgado no tanque de Fontainebleau, temos mallos outros petrechos e munigoes.
urna serie de sinistros que poderiam ter custado a Os Francezes oceupam Acapulco, sendo llanta
vida ao imperador dos Francezes.
O principe Napoleao regressou da sua excursao
Suipoe eseguio logo para o Havre, onde se demo
do o bloqueio.
E' horrivel a siluagfra de Montprey, accommetti-
do pela fome, pela caresta dos artigs rnais neces
rara tres semanas, Arme na tennao dse conservar. sanos e pelas contribuiges impostas por |uarez,
affastado da scena poltica, onde as suas opini5es contribuigdes que nao podiam ser salisfeilas,
Na America do Norte approxima-se a,'poca
das eleicoes para a presidencia. As ambicies re-
I -S
nao sao acolhldas. Parece que Intentara em se-
Na Blgica os deputados da opposicao resol-1 ervem, aponla-se como candidato o ex-rjmeral
ram nao assistir s sessoes da cmara, em conse-, Fermont; e o presidente Lincoln ha de fazer todo
s?
I SI 1 w
o
>
>
veram
quencia do que falta o numero
que as ideas do czar differem unicameute naques-' ment puder funccionar.
tao da suceesso, concordando em reanlo s fron- nistas tiveram no da 6 una *;^.uk.
teiras do novo estado : que julga apenas que veo Acommissao nonwada pelo o imperador para
do interesse commum das tres potencias, entrega-lo examinar a queslao do anal de Suez pronos.que
soberana do grao-duque do Oldemburgo ; mas que o vice-rel do Egypto entregue a companh.a 78
queaopiniaopcssoal del le, conde de Bismark, e nullioes pelos terrenos que esto tadetarolverjje
as swnpathias da familia real prussiana, faz com e em compensacao da falla de trabalho obngado
que nao seja provavel un accordo ueste ponto que para conlinuacao das obras.
...-----..i Acham-seem Ischia os dous fillios da duque-
legal para o parla- o possivel para ser reeleilo
Os deputados opposicio-
0 general Grant atacou Petersburgo 1' e 18
de junho, sendo repellido com perdas con vlera-
veis, conservando porm sua linba de trincheiras a :
urna mima de distancia. Birdas bombardeos Pe- j
tersburgo 20, mas sem resultado.
as Immediagoes deRichmond houve urna gran-
de batalha em que o general Urant perdeu 13 mil
homens.
O general Grant abondonra o territorio panta-
za de Lcncktcmbc'g, e espera-se o principe Oddon noso de Ghikahomng, tao fatal ao seu antecessor
ao scandinava, que c tambero do interesse da lilho de Vctor Emmanuel. Esta uljima visita tor-' Maclellan o Intenta um plano inteiramente novo no
,,.''' ,., nhaier na verosmil o boato de reconciliacao de Ganbaldi; ataque contra Richmond. Passara ao suldo io Ja-
Em relajo s outras qnestoes pendentes affirma e do rei da Italia. .. ?es e d'alli avangaria contra a capital separatista,
o conde de Bismark que o imperador da Russia e
o principe de GortschakofTse tinlia explicado clara-
mente ; que o imperador insistir na necessidade
de um accordo completo das tres potencias do nor-
te ; que como todos os tratados estilo considerados
leitura morta, seria opportuno para as grandes po-
a Russia prometiendo o seu apoio moral o material
em caso de necessidade s pede garantas contra a
II-- ,11111 Ul.l V <-.' I -! ". .1,11,,..------------------------------------------------I-------------------------------,-----------. .-->-----------_
da Russia e Ha grande agitago no Vneto. Fora apenas 5 Lee manobrara para se oppor ao movimento pro-
pessoas notaveis aecusada de raanterem correspon- jectado.
dencias com a commisso veneziana; julga-se que
serlo juigadas pelo tribunal militar. |
O governo italiano mandou apressar a partida
do representante do rei junto ao governo de Lima
tcncias. cuios interesses sao em'mais da um sentido para proteger os interesses dos Italianos no Pe-
denlico* formar urna liga contra certas tendencias rii. Vai ser forcada aquella estaco naval com
e certas pretencoes; que se deveria por termo s mais alguns navios de guerra.
arttacSes polacas, e eliminar delinitivamente a ques- O principe Couza retirou-sc de Constantino-
tao polaca du numero das qnestoes europeas; que pa cheo de honras e condecoragoes ottoma-
o imperador da Russia considera de interesse das as. Prometteu modificar alguns artigo da cons-
tre< potencias declarar que consderam os negocios lituieao lixando em novas bases os direitos do po-
da Polonia como assumplo exclusivamente interno, der executivo, os dos boyardos, e os dos campo-
tirando desle modo lodo o pretexto nterveneo nezes. ___ j
estrangeira : que o imperador manifestasse porm, | O re Jorge da Grecia tem encontrado um
ose seria conveniente a todos os respeitos assignar acolhimento enlhusiastico no seu regresso das luas
am tratado ou convenc.io entre as tres potencias, Jnicas. Tem tido ovacao por toda a parte por
que tivesse por base a garanta reciproca do terri-1 onde tem paseado, te
torio de cada urna dellas.
Conclue declaraudo que o governo prussiano
Pelas ultimas noticias parece que o generauJrant
tenciona sitiar em regra Petersburgo.
Foi destruido o caminho de ferro que conduz
Richmond.
A efTusao de sangue parece nSo querer parar.
As forgas de parte parte parecera iguacs, e a
guerra que ha tanto lempo dura, nao pode .er re-
sultado algum favoravel para os federaes ou sepa-
ratistas.
PERRAMBCO.
2 .1 . 2 Masculino. z > > o. o
-i i5 co -4 Feminino.
s - < l S Masculino. til a
. . - Feminino. c-
. M A 1 Masculino. i. > v. SO M
m * - A Feminino.
3> M A Masculino. \ 2 1 Pl i i > -a.
y. m M A I- 1 Feminino. s e o.
ce , . s Masculino. i *& o ^ > y-
m m .sr ) Feminino.
.1 I to 1 1 1 TOTAL.
3
9
COMMEECIO.
CAIXA FILIAL
DO
Bt i .\ O DO BR1SIL
EM PERNAMBUCO.
A directora desta caixa, em virtude de ordem
da directora do Banco do Brasil, avisa aos Srs.
accionistas que o respectivo thesoureiro esta auto.
risado a pagar o dividendo das argoes da meema
caixa do semestre fiado em 30 de junho prximo
passado, na razio de 8#300 par-aego.
Recife 11 de julho de 1804No impedimento do
secretario, Ignacio Nones Corroa.
lltiadega
Rendimento do da 1 a 20.......
dem do dia 27................
Gl6:i78586;>
29:930,5212
640:1295107
Voumes sabidos
com
com
fazendas...
gneros...
REVISTA DIARIA.
As noticias commerciaes, de que foi hWtom
bear o seu itinerario para satisfazer os desejos oo^ mdQr Oneida, em relago ao a* dao e
nnviu um .. ii.....i'iviin vicinnar Deve brevemen-1 _______ ____1_. >' ... ..*_.. >..__.
povos que o desejavaui victonar.
partidla em muitos respeitos o modo de ver do im- te chegar Alhenas.
perador da Russia, mas que al agora nao tinha to- Concluidos os trabalhos legislativos em
mado resolueo algunu definitiva, porm que as j pan
Era
ir a
assucar, que acaham de ter boa" alU>.na Europa,
u^ deram muita animago nossa pW, e com jusU
""' razao por quanto subi o algodio d. por libra e
SJEEI' assucar obteve firmeza e p-ocura.
n hniotim itn< Srs. i*;ito Leite & Irmaos diz o
ha, a corte parti para a Granja,
toases indicadas seria os preliminares de futuras I da a raioha mai; el-rei estava para ir a riniV | 0 boietm
neirocacoes ; e pede ao embaxador em Paris para pagar a visita a imperatriz. 'I geguinte :
Ihe fazer saber a impresso que o enconlro dos tres Estava-se preparando regulamento a le da_ im-; Algodo.-Soio i.
soberanos produzira no gabinete das Tulherias. I prensa. Preparava-se urna respeitavel expedicao Venderam-se hoje 20000
O ministro dos negocios estrangeiros austracos, naval para o Pacifico, pois o governo achava-se dis- ^^
conde de Rei-hberv, consultado sobre a questo, ro- posto a obrigar o presidente do Per a dar plena
mecon por in.iueri'r se a Prussia se havia pronun- salisf.igao. Pubhcou-se com ludo ofiicialmente urna
ciado sobre a proposico russa que era muito im-, circular dirigida pelo ministro dos negocios estran-
portaule para se resolver de repente; reconhece a geiros aos seus agentes diplomticos as d.vers^
necessidade do accordo das tres potencias, mas cortes. Esta circular nao agradou a imprcns?"_u
tem receios da approximagao da Franca e Inglater- derada por se manifestar n ella urna exp^u.
saceos e
re-
impedir, cque! provag aos oxcessos de Pinson e Ma^^0pJ*"[
seria consequencia da unio. nl,,m" nn"c"i A"'aa' "
(jue a propOta russiana se refere a garanta re-
cproca das provincias polacas, mas que nao ha
actualmente urgencia absoluta de semelhante pac-
to, pois a insurreico se acha comprimida, e a in-
tervencao estrangeira alfastada; que os interesses
ausinacos se incUnaui a urna allianca intima com
a Russia, mas precisa que a Russia declare que
se apresentam ao accordo das potencias
sob as respectivas possessdes polacas. _
A Prussia nunca receou a insurreigao do grao-
ducado de Posen.-A aplico colonisadora dos Al-
ientes do norte, nao wrdou em alterar Drotunda-
meute as condicSes sociaes d'aquelle territorio
grande numera de especuladores da Pomeraoia e
da Silesia foi adquirindo territorios na antiga pro-
vincia polaca, e boje os propietarios allemaes sao
niais numerosos e mais influentes que os daraga
slava, e por isso o grao-ducado de Posen, aao es-
tremeced em vista da ultima insurreigao de\ar-
sovia, servindo as tropasprussianas all concentra-
da? cara proteger as operacoes das tropas mosco-
vitas, e nao para comprimir urna populago j su-
jeta pela dependeucia dos princlpaes proprietarios
allemaes. A Russia pois s adherira aconvengo
da garanta recproca, obleodu em compensacao o
auxilio da liu.-sia para a questao dos ducados d'on-
de pretende tirar quasi exclusiva vantagero.
Quanto Austria, as desordens da Gallicia que
nunca assumiram aspecto inquietante, termiiiaram
ha muito, eo gabinete austraco nao deseja servir
;i Russia sem saber positivamente em que esta Me
poder ser til garanlindo-lhe a posse do Vneto.
(i czar Alexandre acaba porm de sabir de Kis-
singen. dirige-se novamente a Darmstadt, d'oade,
depois de breve demora, se dirigir para Loo, na
llollanaa, para visitar sua tia, a rainha Anua, vio-
va do rei Guilherme II. c acompanhar o grao-du-
que Nicolao, aos banbos de Scheveningnes.
Segue-se que as conferencias a Hernias anexar
dos terrores a Gra-Bretanha, nouco resultado ti-
veram.
Falla-se porm em que o imperador da Russia
ir a Fontainebleau visitar o imperador Napoleao,
mas parece pouco provavel que .-.-conferencias dos
don- imperadores nae Irar resultado algum favo-
ravel, p"is as claiiMilas de qualquer facto entre ti-
les sao mais interessadas e difliceis que as estipu-
ar;oes debattidas em Kissingen e em Carlsbad.
Entretanto o tempo decidir d-s acontecimen-
tos.
,\o parlamento iuglez tem o governo sido ataca-
do vigorosamente nadiscusso do seu modo de pro-
ceder em relaco a Dinamarca.
Lord Palme'rslou apresentou os documentos re-
lalivos a conferencia, e tendo reunido os acto- da
conferencia, nota que o tratado de 1832, origem
dos aetuaes aeontecimentos, fosse negociado por
elle, por li>rd Granville e concluido por lord Mal-
mesbiiry, de modo que lomaram nelle liarte os
dou prlnciaes partidos do naiz.
Depois de h .-loriar todos o- actos da conferen-
cia, diz que as potencias neutras fizeram nina ulii-
ma tentativa propondo a arbitragem.pois sendo u
objecto do leligio urna pequi na porcao do territo-
rio, ente ndiam os neutros que a dilliculdade nao
poderia determinar a renovaglo das hostilidades,
mas que os alliados nao aeeltaram a arbitragem,
que us Dinamarquezes aliegaram queadherindo
lioha do Srhlei, haviam feito a ultima concessao
possivel, e que o plenipotenciario fraocez propoze-
ra fazer votar as populagoes do sul de Apenrad e
ao noile de Schlei, mas que a Dinamarca re-
cusen.
Lord Palmerston disse que a Dinamarca apezar
de nao ler tido razao no comego dn conflicto, mos-
trara depois grande empenho em remediar os seus
tiros : que havia alm disso sido invadida e asso-
lada. e que, as sympanhias de toda a Inglaterra
.rain a seu favor : que o governo tinha mula sa-
tisfaca era recommendar rainha a part -ipagao
da Inglaterra na lula ; mas que apezar das injus-
tigas sollridas, a Dinamarca nu tinha razao na
origen, e que na ultima sesso da conferencia re-
gera nina proposla razoavel, que poda condu-
zir a uina solucao pacifica ; i|ue a Fraoga e aRus-
-ia se haviam negado a ap. iar a Dinamarca, de
Iretanto, as ultimas noticias dizia* ine o
peruano em Madrid aprsenla" ao governo hes-
panhol um projecto de accordo, tendete a cortar a
queslao honrosamente r'"a ambas os paizes.
Tornavam os jornes hespanhes a oceupar-se
da questao ibrica mostrando receios de quePor-
tugal. ou alffuem por elle, planeasse usurpagoes e.
conquistas sobre a autonoma castelhana. Entrava
"i phase, ou
feitigo con-
eleiges ge-
parlidos tra-
progressta governamen-
tal celebrara urna grande assembla onde foi eleto
no domingo 10 de julho o centro eleitoral.
Aucar. Em Liverpool firme.
. tsperam-se dous carregamootos era vlagein
Fundos confederados69 a 71.
portuguezesi" '/+
brasileros de 4 '/a 87.
Da dos Srs. Knowles & Foster transcreveraos
Algodao.Fechou hoje o mercado mu1 i fir-
me, montando as vendas a urnas 20000 sacc. ~, a-
cloindo 000 saccas de Pernambuco de 2 d. a
30 % de 1300 saccas de Macei, de 28 d. ,
29 d. Vendeu-se tambem no mar algum d Per-
nambuco, de prnneira qualidade, a 30 '/z d., e
algum de Macei, soflrivel, a 29 d.
O vapor inglez Oneida trouxe da Europa 109
passageiros, teudo 10 para Pernambuco e 109
para as provincios do Sul e Rio da Prata.
Sobre o casamento das Princezas Brasileiras
diz o Memoral Diplomattque :
< Tem se fallado u'uiu projecto de casamento
entre a fiiha mais velha do Sr. D. Pedro II, Impe-
rador do Brasil, e o archiduque Luiz Vctor, irmao
do imperador da Austria.
A idea daquella uniao existi effectivame nte
Fallecer o 13 -conde deVimioso, e represen- ms fo abandoada em consequencia da aceitacao
r.l .1 pal QO leiUO, c II- j. .k.^.. j. *.:.. n.i. _..u:,i....... u..v;.:!:.^
tante da casa de Valenga.
ulia honras de prente.
O funeral foi feito com a pompa devida sua je-
. do throno do Mxico pelo archiduque Maximiliano,
; circunstancia esta que trouxe o archiduque Luiz
Vctor mais prximo ao throno da Austria, e iiu-
rarcnia. .... 0. o ,..,;- .,,..,.: poz-lhe o dever de se conservar prncipe da casa
Tinha fallecido^ da Au5[ri afiin de Mflcar habilitado a
co de Aline.da, d.rector la caja de moeda e sabm herdar h imperador Francisco Jos
lente do .nst.tuto industrial de UtlAiH fal|eeer sem deSendeocla. Tiveram por isso lu-
ch.iiiico distincto, escnplor ameno e progressisU, novas ne,ciac5(JS iaairimoniaes, e parece
sincero. Cau son geral sent.niento a suamort. ; decidido'que a filha mais velha do impera-
- A 7.de julho UDhMC^fMa & D. Pedro, herdeira do throno, case como,
a c.rculagao toda a Imha de ferro do norte de Lis-1 d Hohenzellorn-Sigmarngeu, lilho doe.v
ADVERTENCIA.
Na tetalidade dos doentes existera 149.
Os alienados foram para Olinda.
Foram visitadas as enfermaras estes das :
Pelo Dr. Ramos s 6 3i4. 9 i[4, G 3i4,6 Ii2, 6
1[2, 7, 7.
Pelo Dr. Sarment s 8, 9 Ii2, 8 Ii4, 8 lii,
9, 7 3|4, 7 1,2. 7 '
Passageiros do vapor inglez Oneida, vindo
de Southampton e portes intermedios : -Constan-
tino Nonpel, Andrew James Keogh, Samuel Meyer
hootem e 2 Cl iados, John G. Goodair, John William Slu-
dart, Domingos Jos Ferreira da Silva, Roraao Ro-
drigues.
Obituario do da 24 de julho no ckmiterio
publico :
, Lurena, escrava, Pernambuco, 2 annos, Boa-Vis-
ta -, espasmo.
Joao, Pernambuco, 8 mezes, Recife ; convulsoes.
Leopoldina, Pernambuco, 18 mezes, Santo Anto-
nio ; gastro nlerite.
25
Deolindo, Pernambuco, 7 annos, Boa-Vista ; pneu-
mona.
Joaquim, Pernambuco, 18 mezes, Boa-Vista; es-
pasmo.
Anna Joaquina de Jess, Pernambuco, 70 annos
solteira. Recife ; pneumona.
Antonio da ('osla Arantes, Portugal, 64 annos, sol-
teiro, Boa-Vista ; colite.
20-
Maria, liberta, frica, 48 annos. solteira, Boa-Vis-
ta ; inflammaco no tero.
Francisco Simoes, Pernambuco, 08 annos, solle-
ro, Boa-Vista; alienagao mental.
Manoel Maria, Rio de Janeiro, 40 annos, soltero,
Boa-Vista ; phlysica pulmonar.
Ilerculano, cscravo, Peruambuco, oo annos, solte-
ro, Boa-Vista ; hypetrophta.
Francisco Antonio Vieira, Pernambuco, 9 annos,
solteiro, Santo Antonio; gastro intente.
Joaquina Maria da Coaceicao, frica, 48 annos,
solteira, Recife ; rheumatisino.
Mara, Pornambuco, 3 mezes, S.Jos; gastro in-
tente.
boa al ao Porto. O transito feito em 14 horas,
visto haver 37 estagoes intermediarias, demorau-
do-se os comboios em todas ellas.
A companhia das aguas, cujo contrato fura res-
cindido ltimamente, reagio para a entrega das
aguas ao municipio de Lisboa. Entretanto a posse
foi tomada e o abaslecimento da capital ficou mu-
presidente do conselho do ministros da Prussia, e
primo do rei Guilherme.
O referido priucipe catholico romano. A fi-
lha mais nova casar, segundo se diz, com o cou-
de de Flandres, segundo UhO do rei Leopoldo da
Blgica.
O prncipe Carlos Etel Frederco Zeferno
CORRESPONDENCIAS.
to augmentado. A falta dagua fazia-se sentir ja L seundofilllo dos ^i^;^ dti Hohenzeller.i-
serianiente, oque juntamente com a subida dopre- i
Sigmanngen, nasceu em 20 de abril de_ 1839. O
princijie Antonio, suu irmao, nasceu em 7 de ou-
tubro de 1841. O principe Frederico, seu irmao,
nasceu em 2."> de junho de 1843.
O principe Leopoldo, irmao mais velho, as-1 Pe.ssoa '!!" ,lesla c,d.ade>
cido em 22 de setembro de 1833, casou com a in-
fanta de Portugal D. Antonia.
O principe Felippe, conde de Flandres, segun-
do lilho do re dos belgas, nasceu em 24 de marco
de 1837.
go do pao bastante abgia os habitantes de Lisboa,
j exasperados com as fabulosas rendas das casas.
Tinha muo publicado o cdigo penal e disci-
plinar da marinha mercante portugueza ltima-
mente approvado pelas corles.
Eslava j em execuco a convenci postal
com a Prussia.
Estava tambem decretada a reforma da escola
naval.
Abrira-se em Lisboa o albergue dos invlidos do
trabalho.
Tinha entrado 2 de julho no Tejo, procedente
da Coruoba a crvela brasleira Baldona.
Pelas ultimas noticias viudas da Argelia cons-
ta que a insurreigao est quasi pacificada. A' 9 de
junho o general Deleyni disponba-se a marchar
para Abird-Idichikb onde esperava ferir o foco da
rebellio ; 11 annunciava a fuga de Murabonl ;
o agha Eddin, de Djebbel-Amour aceilava todas
as condigoes que Ihe erain impostas -, osOuled Si-
di-Naceur c os Ouled Sidi-Man-So\v pediam o .,
aroan A saude das iro.jas era excellente apezar chorro f votos cajnm
dos excessivos calores. O general Liobert, e ^|plM?ctdo8> iem dupljrata> (leVna e Quinpapaj e
gos eleitoraes de Villa-Bella e Granito, votando
ueste as duplcalas da seguinle forma :
1."O conselheiro S e Albuquerque, Drs. Foi-
losa c Brando 22 votos cada um, Drs. l'rbano,
Saldanha e conselheiro Chichorro 2 votos cada
um.
2.Drs. Urbano e Saldanha e conselheiro Chi-
| inclusive a primeira do Exu' o seguinte
Conselheiro S a Albuquerque 1213
Dr. Saldanha Mari nho .... 1078
Dr. Feitosa........... 1047
O mesmo resultado com a segunda duplcala o
1 seguinle :
Conselheiro Sa e Albuquerque 1235
Dr. Feilosa............ 1069
Dr. Saldanha Marinho...... 1037
Em consequencia de achar-se em concertos a
igreja de Nossa Senhora do Tergo, que serve de
matriz na freguezia de S. Jos desta cidade, desig-
nou a presidencia a de S. Jos de Riba-Mar para a
reuniao no dia 7 de selembro prximo vindouro
' i da mesa parochial daquella freguezia.
Ao alferes dotercero batalhao de infantaria
Srs. redactores.Vi pela leitura de um dos seus
ltimos nmeros, que o Sr. Viraos, na qualidade
de administrador do ceraterio publico, fra ca-
lumniado em um acuito, que se deslribuira nesta
cidade sb a capa do annimo, e de cujo conlcu-
do s se as partes, que hoje publicou o mesmo
Sr. Viraes em sua carta impressa.
Do que se passou no ceiniterio em relago ao
facto ou factos de que se oceupou o aculso, nada
sei : mas nao me podera ser eslranbos, nem a
nao s os relevantes
e imporlantlssimos servigos, que tem prestado o
mesmo Sr. Viraes na qualidade de administrador
do cemiterio, com a prestabelidade, cavalherismo
e franquezas, que proporciona a todos os que de-
mandam aquelle estabelccimento sb qualquer re-
ssimos
que
osa as
s ca-
lumniado ; antes admiro e muito, que elle tenha
permanecido lano tempo sem o ler sido em sua
admnstrago. E como s me refiro adminis-
traco do cemiterio, e veja ella publica e como
tal sujeia a inspeccao do publico, julgo-me auto-
risado a expender exposto, e continuarei se pre-
ciso fr.
Digoem-se, Srs. redactores de publicar estas
linhas como favor ao
De Vmcs. amigo e criado
Recife, 27 de julho de 1804.
Joaquim Marinho Calateante de Albuquerque.
.tlovlmciito da alfandega
Volumes entrados com fazendas... 383
t com gneros... 671
-----1,234,
169
698
----- 807
Descarregam no dia 28 de julho.
Barca ingleza Mn Matkeut farinha, papel, e
gaz.
Brigue inglezJii/hs Shoartbacalhao.
Brigne inglezC/iac;mercadorias.
Polaca italiana Lindadiversos gneros.
Barca portuguezaDespique // carveo.
Paiacbo bespanbol Veneodarviuhos.
Recebedoria de rendas internas
v geraes de Pernambueo.
Rendimento do dia 1 a 26........ 42:6435818
dem do da 27................. 867J314
va Jnior. Ao sello 300 rs., vaina sem sello, ex-
causa. Passos Jnior.
Facul'idr de Diroito,
De erdem do Exm. Sr. director se faz publico,
que no dia 4 de agosto (quinta-feira) as 2 horas,
expira o praso marcado para a inscripgao dos con-
currentes cadera de latim do curso preparatorio
desta Faculdade.
Secretara da Faculdade de Direito do Recife, 28
de julho de 1864.
Jos Honorio Bezerra deMenezes,
Secrelario.
Por ordem da inspectora desla repartgao
se faz publico que por autorisacao da thesouraria
de fazenda, tem de se fazer por arrematagao a
obra constante do orgamenlo abaixo transcripto, a
qual dever ser appr'ovada pela presidencia.
Orgamento sobre o ladrilho novo no cor-
redor doarmazem n. 11 na alfandega
de Pernambuco, tendo o armazcm oi-
lenta e um palmos de comprimento e
desesete palmos de largura prefazem
quatorze bragas quadradas, demolir e
effectuar de novo o dito ladrilho com
argamassa de cal a 3500 a braga
quadrada........775000
1 Contando a diminuigo das podras que
ficam inutilisadas para reedificaeao,
duas bragas (4J a 30WO0. 605000
43:3135132
10 por cenlo para administrago e
pezas imprevistas para utencilios
1375O0O
ds-
ete. 135700
1365700
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 20......... 82:2965177
Idemdo dia 27................. 768*450
83:0645027
MOVIMENTO DO PORTO.
Quem se quizer propr a fazer dita obra com-
parega at o dia 4 de agosto prximo perante o
tiln- Sr. inspector, munido de sua competente
proposta em carta fechada.
Quarta seceo da alfandega de Pernambuco. 27
de julho de 1864.
O 2 esc iplurario,
l'.aetano Gomes de S.
O Dr. Tristao de Alencir Araripe, official da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direlo especial
do commerrio, desta cidade do Recife, capital da
provincia de Pernambuco, c seu termo, por S.
M. I. e C. o Sr. D. Pedro II, a quem Deus guar-
de ele.
Faro saber aos que o presente edital virem e
delle"noticia tiverem, que por este juizo pendera
uns autos de execugao de sentenga entre partes
ordenadas, a saber, de urna como exequente Tho-
maz de Aquino Fonseca, e de outra cerno executa-
do Manoel de Souza Pereira, e para pagamento da
mesma se fizera penhora na quantia de 1:0125300,
e sendo em publica audiencia que aos feilos- parles
dava este juizo, nelle pelo solicitador Domingos
'[' Jos Marques,, procurador do exequente, r
lias escuna dinamamueza Mar- Chr,5t0 ,le 186i> aos 23 de Jlho' nesla cidade
0 Tonelada" SKwo j Rcife- cm aU(,Bn,:ia do Dr- Juil esPecial do,c
"ircaduTeren^^ Pel Sl<
;argaunironte* gneros, a HaDe-dor Domingos Jos Marques, procurador do exe-
J'-ma. na HU,illin ,i,rt Quente, foi aecusada a penhora feita em dinheiro
e Babia Vaor in'lez OneUla Pertenrenie ao execulado, e requerido queficassem
J A Bevis Wrte,<'''! assignados os seis das da lei, e ouvido pelo dito
EDIT1ES.
Navios entrados no dia 27.
Southampton e portos intermedios18 dia, va
por inglez Oneida, de 2,284 toneladas, coraman-.,
dante I A Revi- enoiooflin l'!-- paria fa/endas;feit0 requenmento consume do segrate termo .
p onfr; n' 8*U*'f"" "* "*& u"naas Anno do nascimento de Nosso Senhor Jess
Hambur?o-35 dias 'Chr,5t0 *,864" 23 dt iulh- nesla cidade do
garelha, de 100
quipagem 6, cargadfferentes gneros; a Rabe
SchmetUa & C.
Navio saludo no mesmo da.
Rio de Janeiro
commandaole .
1 juiz, assim Ihe defeno.
^"^i Foi o presente extrahido do protocolo das au-
diencias, a que juntei o mandado e termo de pe-
nhora que seguem. Eu, Manoel Silvino de Barros
Falcao, escrevente juramentado, o eserevi.Eu
Manoel Maria Rodrigues do Rascenlo, escrivo
o subscrevi.
E mais se nao continha e nem alguma ontra
cousa mais se declarava e mostrava em tal auioa-
mento, aqu mu bera e fielmente copiado e trans-
cripto : em cumprimenlo, o referido escrivo fez
passar editaes com o prazo de dez das, pelo qual
chamo, cito e hci por citados os credores Lacertos
do mencionado executado, para que dentro do in-
dicado prazo comparecam ueste juizo, afim de alle-
garem o jue for de justica, sob pena de revelia.
E para que o presente chegue ao conhecmento
de todos, inandei passar editaes, que sero publi-
cados pela imprensa e afilxadus nos lugares do-
costume.
Dado e passado nesta cidade do Recife, aos 26
dias do mez de julho de 1864, 43 da independencia
e do imperio do Brasil.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivo o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Recife de Pernambu-
co, p seu termo, por S M. I. e C, o Sr. D. Pe-
dro II, a quem eus guarde etc.
Fago saber aos que o presente edital virem
; delle "noticia lverem, queTasso h Irmaos, por seu
e dirigi a peticao do theor seguinte :
Ilhn. Sr. Dr. juiz do commercio.Dzem Tasso
& Irmaos, negociantes matriculados e domiciliados
nesta praca, (jue sendo-lhes devedores Maranho
i Ribeiro'da quantia de 2:1125230, de saldo de
urna nota premissoria ; Jos Pereira de'Magalhaes
Bastos de 1205, de sa'do de urna nota promisso-
na ; viuva Carvalho de 3115803, urna nota pro-
missoria : Antonio Joaquim de Barros, de res
4:3985000, saldo de orne olas promissorias; Ma-
noel Pereira da Silva, de 3475743, de urna ola
promissoria ; Manoel de Souza Marlim, de 8075
de urna nota promissoria ; Antonio Ribero Pinto
de Almeida.de 4:7695813, de tresnlas promis-
sorias ; Fenze & Irmaos, de 4:1905130, de duas
notas promissorias ; Manoel Rodrigues de Andra-
de Paiva, Francisco Tavares Ferreira, de 2:840-5,
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 23 do correle, manda fa-
zer publico que no da 4 de agosto prximo vin-
douro, perante a junta da fazenda da mesma the-
souraria, tem de ser novamente arrematado, a
quem mais der, o imposto da laxa das barreiras
das estradas e puntes segnintes :
Ponte dos Carvalhos9045300 por anno.
Dita de Tapacur1:6895 por anno.
A arrematagao ser feita por lempo de tres an-
nos, a contar do Io de julho de 1864 30 de junho
de 1867.
As pessoas que se propozerem a esta arremata-
gao cumparegam na sala das sessoes da referida
junta no da cima mencionado, pelo meio da, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da lliesouraria provincial de Pernam-
buco 20 de julho de. 1864.-0 secrelario,
A. F. d'Annunciaeo.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimenlo da ordem do Exm. Sr. pre-
sideote da provincia, de 23 do correte, manda fa-
zer pubkco que no da II do agosto prximo vin-
douro, perante a junta da fazenda da mesma Ihe-
souraria se ha de arrematar a quem mais der, o i j'j!it!dlfI,'lm
imposto de 25300 do gado vaceum consumido-no I,,?."!
municipio de Iguarass, no restante do triennio
crrente, servindo de base a arrematagao a quantia i
de 2:1305000
A arrematagao ser feita por tempo de dous an-
nos e dez mezes a contar do Io de setembro prxi-
mo vindouro 30 de junho de 1867.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
gao comparecam na sala das sessoes da referida
junta no dia cima mencionado, pelo meio-dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretara da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 26 de julho de 1864.
O secrelario,
O Illm. Sr. inspectot Ja?n^SS?jrovin. "
cial, em cumprimenlo da ordem do Exm. s>r. i-re
PUBLICARES A PEDIDO.
s
en cao
Xarope alchoolico de veame, preparado pelo
pharmaceutico Jos da Rocha Paranhos, estabele-
cido com botica na ra Direita o. 88 em Pernam-
se ha de arrematar quem por menos lizer, a 6006-
trueco de 09 bragas de caes de cada lado do ca-
nal da ra da Aurora, avahado em 13:9145000.
A arrematagao sera feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 13 de niaio de 1854, e sob as
clausulas especiaes abaixo declaradas :
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
gao cumparegam na sala das sessoes da referida
junta no da cima mencionado pelo meio dia, e
i competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 9 de julho de 1864.
O secretario
Antonio Ferreira da Annunciarao.
peso da lula ; mas que isto lisio qner dizer que a i 'ra :l Rubat 1
Inglaterra nao examinara de oovo a decisao que tancia da inderanisacao.
Ihe cumpla lomar se a guerra ossu levada" s i sult5 attcndcu as rerlamag5es de Franga o
ilhasda Dinamarca, e Copenhague tosse atacada, I Para mostrar o espirito de conciliago que o anima,
ou o re Ctiri^tiafw fosse aprisionado. concedeu aos europeus a liberdade de commercio
Mr. d'Israeli era nome do partido fory censuran
ronel Lasosal operavam victoriosamente na
contra os Mekencsa. As columnas francezas com-
binaran! os seus movimentos de modo que submet-
lessem .inmediatamente as tribus das Filias que o
phanatismo ou o receio de castigo anda conserva
sublevadas.
O gonerat Marlimprey intimou 13 aos Flitas
que ludo o vale de Oned Menusfer, o nico que for-
nece bastante agua polavel para urna grande po-
pulago cm lugar de aman, onde sera garantida a
vida a todas as traegoes insurgentes que ali fore.n
levantar as suas barracas submettendo-se s con-
dlcOes de de-armamento e outras que Ihe sero
impostas.
No comeco de julho devam ficar concluidas as
aTafiade'SaXem SSmS^E Ao al^es dotercero batalhao de infantaria buco.
hem So monid de an3o e au? no avel' < da Koarda l dtsla caPita1' Jos dos Sanlos Esle xarope incontestavelmente superior a to
AT^mS^Sm^SaMm uerm ti Hamos deOiivera, concedeu-se 6 mezes de licen- dos os xaropes depurativos, de cuja composicao I
c, mnlet r a or-ani-aco do ul O ueral SS ^ Para ir a Provincia das Ala6oas" o seu maior elemento a salsa parrilha, porV que se ,f"B*DLA PAI,A AWnftTACAO.
en^CSri coro SfalDeWni o? a mol raen c' ~ Na seisao de ,,ontein do Jury foi condemna- tem conhecido ser o veame mais enrgico para a ** A b,a d *" a margen, do canal da ra da
(ion',mia"C0lr^^alD!!1l!!l.O.:!:l!.l!l!iI''S do 8 annos de gales e multa de 20 por cenlo prompta cura das molestias, cuja basi nnucial Aurra' sera exec"tada ^ conform.dadecom oor-
correspondente ao valor das fazendas roubadas, depende da purillcagao do sangue ; assim pois se Cemento e plaa respectiva apresentados pela di-
o r-o Guilherme Antonio de Siqueira, processado tem verificado por mu tas pessoas que se achavam V'S^ll das obras Pu,-,|icas na importancia de
pelo roubo o incendio da loja de fazendas de Joa- desengaadas, as quaes acham-se hoie restabeleci-', 'V1**'- .
ijuim Vieira Coelho & C., ra do Crespo n. 10. das com o referido xarope aleboolic de veame :' O empreiteiro dar execugao aos trabalhos no
Hoje se extrahir a terceira parte da segn-; entretanto qoe alguns, tendo usado do xarope de nrazo de i0 f> e.0S l?rmiDara nos de ^ d'as'
da loleria do theatro de Santa Isabel. Curinier, de Larrey, de salsa parrilha, de sapona-. tomados na torma da le
reparticao da polica. ra, oleo de figado de bacalhao, e outros agentes! 3" Pa{ament0 sera effectuado era presiagoes
Extracto das partes do dia 27 de julho de 1864. desta ordem nada conseguirn). elle de fcil mensaes, de valor correspondente ao trabalho exe-
Foram recomidos casa de detengao no dia 26 i digeslo, agradavel ao paladar e ao olphato. Al- |cu,ado- .em rada mez, deduz.ndo-se um denmo,
do correte : i guns mdicos desla cidade e da de Macei o teem J"" fra entregue seis mezes depois da concluslo
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Jos recommendado para a cura das da obra. .....
V Oempreiteiro nao podera sob qualquer pre-
texto exigir iodemntsagao alguma que nao seja
fundada no exeesso de trabalho previsto no orca-
mento.
3* O empreiteiro na execugao dos trabalhos ob-
servar as prescripgoes dadas pelo engenheiro lis-
cal da obra.
6" Para todo quanto nao se adiar aqu disposto,
observar-se-ha o que dispoe a lei n. 286.
Conforme.Antonia Ferreira da Annunciarao.
O Dr. Manoel Antonio dos Passos e Silva Jnior,
juiz municipal de orpfios e ausentes do trra >
de Olinda, em virtude da lei etc.
Fago saber aos que o presente edital virem, que
no dia 28 do corrente mez, depois da audiencia
cidas ha tempos, querem os supplicantes inlerpor
sidente da provincia de 30 de junho ultimo, manda ^fTtoZftXl'a fam'ttTKi ?T0Setf"
fazer publico, que no da 13 de outubro vindouro, ca0 na ormado arllR 4jl
perante a junla da fazeuda da mesma thesouraria
la regresso. Corra que em Constantinopla tinha
havldo um altaque contra Telessa, mas facto que
o inimigo nao appareceu. O general de Exia per-
corre a fronteira urna columna movel.
O imperad').- atienden as reclaraagoes da
Franca acerca do assassinalo de dous Francezes s
portas de Teluo. Os criminosos ainda nao tinham
sido entregues; mas o pacha de Tetuao que os dei-
xara fugir tinha sido demillido e posto a ferro as
pri oes de Rubai. Pagar-se-ha urna indemnisagao
pecuniaria a familia das victimas. Mr. Talbney
modo que a Inglaterra teria que supporiar todo o-'r-egado de negocios da Franga em ***\rttX^*^-*& # SISSS
i,eso da lula ; mas me isio ao mr di/e.r ma a ira a Rubat no Talismans para discutir a impor- i 'n?Tf n,?! 5.*],.w?* 1.l*... lt,xei' |'rn'"^n!' 5ffai!8CP?S 5?j
nos seus estados.
i dos de Pao d'Alho, para recrutas.
A' ordem do subdelegado do Recife, Felicia e
Jos, escravos este de Carlos & Barbosa, e aquelle
de Anna Theodora Pereira Duro, ambos re-
: querimeoto dos respectivos senhores.
a' ordem do de Santo Antonio. Romao Joaquim
as novas ideas do governo que se limitam defeza] O bey de Tunes poude formar um pequeo de SanfAnna, por iBfraccao de'posturas; Satvro
das linas da Dinamarca mas nao poJe declarar o j corp. de exercuo de quatro mil homens, que man-'jos dos Prazeres or disturbios e Ravmudo
que faria o -eu partido sendo governo. dou immediatamente para se oppor a marcha dos escravo de D. Marlanna da Rocha Bastos, reque-
Lord Deroy censurou o governo |wr ter dado rebeldes e ao progresso da insurreigao. ; nmento desu.
esperangas Dinamarca sem tengo de Ihe acudir, Pelas ultimas noticias do Japao- o tacou es-1 a' ordem do de S Jos Maria Eueenia por
Cobdeu disse no parlamento que a Inglaterra tava de accordo rom o mikado. tendo cooseguido disturbios. '
fra salva da atierra pela sahedoria do imperador por termo s dissidencias por causa das attribui- a' ordem do Capunga Luiz Ferreira Fialho por
Napoleao, inve.ciivou enrgicamente o governo e a, goes espirluaes, e concentrou era suas maos toda insultos; Francisco Jaciotho Alves por sus'peito
opposigao por desampararen! a Dinamarca e a Po-, a autoridade leraporal no intuito de destruir o feu- em crirae de furto decavallos.
lonia, e torera rejeiudo o congresso,, Lord dalismo dos daimos que torna impossivel qualquer. O chefeda segondaseecao
Layard deffendendo lord llussell erapregou phrases governo ; deraittira muitos ernpregados afferrados. J. O. de Mesquta. '
pouco parlamentares, a sessao lornou-se tumul- s velhas usaogas, c nomera paraprimeiro minis-!
tuosa; teve depois de as retirar. tro o principe que actualmente se acha em Franga Movimento da casa de detenga no dia 24 de
Mr. D'Israeli. na cmara dos communs e lord eomo seu primeiro embaixador. Independente dessa julho de 1864.
Malmt-sbury na dos lords apresentaram iuogoes honra, a partida do principe estava immnente,
propondo votos de censura ao govoruo. D'Israeli pois segundo se diz, deixou dissipar quasi todo o
diz que o governo humilha a Inglaterra por isso dinheiro que trouxera para a Europa.
jue consente em ameagas que jamis se cumprera O imperador Maximiliano lem sido recebido
o cm promessas que jamis se mantem. A mocito com eolbusiasmo no seu novo imperio; foram no-
de Mr. D'Israeli foi regetada na cmara dos com- meados marechaes SanfAnna, Almonte, Miramon
muns por 313 votos contra 293, sendo 18 votos de \ o Mrquez, e parece que Megia, cuja subraisso so
maioria; e a de lord Malmesbury foi approvada na' d por indubtavel.
cmara dos lords por 177 votos contra 168-9 votos; Era vivamente sentida pelas autoridades milita-
de maioria. res fraocezas a .norte, do padre Miranda, porque
O gabinete inglez deve-se retirar em vista deste mais hbil e Ilustrado que o arcebispo Sabastidas
choque na cmara alia, e de pequea maioria que nao rejeilava os compromissos e as transaegoes, op-
conta na dos communs. pondo-se quasi serapre aos meios extremos. Re-
O imperador Napoleao parti no da 7 para ceiam-se agora senas complicacies por causa do
Vichy, acha-se bastante doente, e nao espera.yiver, clero.
muito tempo. i Jurez conservase as provincias banhadas pe-
lla pouco tempo os cavados da carroagem do im- lo mar Pacifico, e allendendo energa e tonacida-
perador espaolaram-se por causa de urna seohora dade con. que se sustenta expellindo de Nova Len
que imprudentemente se atirou s rodas do venir o general Vidauri, suppoe se que ainda dar muito
culo para entregar urna peticao. No oulro dia que fazer s tropas francezas e ao novo exercito
Existan).....
Entraran]-----.
Sahiram......
364Jpresos.
10
10
Tumores, ulceras, escorbuto,
Cancios, sarna degenerada, fluxo alvo.
Todas estas alecgoes provm de urna causa in-
terna nao ha pois'razo alguma em crer que el-j
las se podem curar com remedios externos. Tam-
bem se prescreve o xarope alchoolico de veame
para o tratamento das affecgoes do systema nervo-
so e fibroso, taes como :
Golta, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilldade,
' Marasmo, hypocondria, emmagrecimento.
O xarope alchoolico de veame sobre tudo, da I
maior utilidade para curar radicalmente, e em
pouco tempo o rheumatismo.
Adverte-se que o verdadero xarope s se vende > des'e JUIZ0> a Prla da da mesma audiencia,
nesla eldade na botica cima indicada, do abaixo s?.hadearr?ulaUr por venda a quem maior laogo
assignado ; e em outra
annnnciado nao da mesma
abaixo assignado se respoBsabilis.
Jos da Rocha Paranhos.


Existen...... 364
A saber :
Nacionaes..... 290
Estrangeiros.. 17
Mulheres..----- 7
Estrangeiras ... 1 >
Escravos...... 44
Escravas...... 3
364
Alimentados a custa dos cofres provinciaes. 147
Movimento da enfermara no dia 27 de juiho
de 1864.
Falleceu :
Vicente, escravo de Joao de Carvalho Pae de An-
drade.
qualquer parte que se tem olTere('er sourB seu va'ores os beos. segrales per-
esma composigao, e nem o tocentes a heranga do finado Bernardo Jos de
- sena.
gao na forma do artigo 433 3' do cod. com., e
porque estejam todos os supplicados ausentes em
lugar ignorado, requerem a V. S. se digne mandar
tomar por termo o seu protesto e admiiti-los a jus-
tificar a ausencia, sendo quanto baste a julgue por
sentenga, mandando passar carta edital de trinla
das, atim de por ella seren intimados os suppli-
cados ausentes do protesto.Pedem a V. S. defe-
rimento.E. R. M. O advogado Dourado.
Segoindo o que cima se continha em dita peti-
cao depois da qual eslava o despacho seguinte :
Sim. e para a justifleacao marco o dia 9 do cor-
rele s il horas da mahaa.Recife, 7 de julho
de |8i.Alencar Araripe.
Segurado o que cima se continha em dito des-
pacho, depois do qual se mostra que fora feita a
distrbiiico respectiva ao escrivo Manoel de Car-
valho Paes de Andrade, segurado o que as>im se
continha em dita distrbuigao, depois da qual se
mostra que tendo os supplicantes produzco suas
testemi.nhas, que depozeram ceiivenientemenie
acercada ausencia dos justificados, o respectivo
escrivo fizera sellar e preparar os autos e os fez
subir minha coiielusao, nos quaes dei a senten-
ga do theor segralo :
Julgo procedeute a presento juslificago, assim
mando que os justificados sejam citados por edi-
taes de 30 dias, para o fim requerido, e pasas as
custas pelos justificantes. Recite, 23 de julho de
1864.Trisio de Alencar Araripe.
Segujndo o que assim se continha em dita sen-
tenga, depois da qual se mostra que o respectivo
escrivo Manoel de Carvalho Paes de Andrade, que
este subscreveu e fez passar o prsenle, pelo qual
e seu theor, chamo, cito e hei por citados a todos
os justificados ausentes, afira de comparecerem
ante esle juizo, dentro do referido prazo de .'-a >
das, allegando e provando lodo o seu direito e
justiga, sob pena de revelia. Portanlo, todae qual-
quer pessoa, prenle, amigo ou conhecido dos
mencionados, peder-lhe-ho fazer sciente de todo-
o expendido.
E para que chegue ao cenhecimento de todos,
mandei fazer o prsenle edital como prazo de 30
dias, que ser afiixado nos lugares do eostume t
publicado pela impreosa.
Dado e passado nasla cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 27 de julho de 1864.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
.,-,.

Salsa de Bristol.
A 6alsa parrilha de Bristol, poneos remedios ha
que teoham produzido tantos beneficios no mundo
como esle. E' a nica preparag o que ataca inva-
riavelmente no sangue a origem das enfermidades
ulcerosas e eruptiveis, exlinguindo ao mesmo tem-
po a causa e o effeito. Podemos, pois, confiada-
mente afliaugar que com sua pur.ficadora influen-
cia, a corrupcao se transforma em incorruptibili-
dade As chagas escrophulosas e todas as moles-
tias externas, glandulares e cutneas communs aos
paizes trpicos cedem promptaraente saa pode-
rosa agencia. Seus efleiios curativos as aftVcgSes
do figado e no rheumatismo nao sao menos sor-
prendentes.
Acha-se venda as boticas de Caors & Barbosa
e de J. da C. Bravo & C.
I'rna casa de taipa coberia de tenas, com urna
porta e duas janellas na frente, com dous quartos
e duas salas e cozraha fra, cora 26 palmos de
frente e 30 ditos de fundo, em chaos foreiros e
com seu quintal pequeo em aberto.
Outra dita contigua a casa cima referida do la-
dod nascente, com porta e janella na frente, com
duas salas, um quarto e cozlnha fra, com 24 pal-
mos de frente, e 36 palmos de fundo, tambem era
chaos foreiros, e pequeo quintal em aberto; am-
bas sitas no lugar do Urub de Beberibe,deste ter-
mo, aquella avahada por 2505000 e esta por.....
2005000.
E para que chegue a noticia de todos mandei
passar o presente que ser afflxado no lugar do
costume e publicado pelo Diario de Pernambuco.
Dado e passado nesta cidade de Olinda, sob meu
signal e sello desle juizo, valha sem sello ex-causa
aos 18 dias de julho de 1864.
Eu Francisco das Chagas Cavalcant Pessoa, es-
crivo o escrevi, Manoel Antonio dos Passos e Sil-
DECLAB1C0ES.
Santa Casa da Misericordia
do Eecife.
A Illm.' junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
no dia 28 do corrente pelas 4 horas da Urde na
sala de suas sessoes tem de ir praca as rendas
das casas em seguida declaradas por tempo de
um tres annos.
Os pretendentes deven, comparecer acompa-
nhados de seos dadores on munidos de carias-
destes.
Estabelecimentos de caridade.
Ra Direita.
N. 3 particular e 8 publico, 2 andares. 1:0674000
Ra do Padre Floriano.
N. 5 particular e 49 publico casa ter-
rea........18OJ0O
.-
S\
\



-
MUTILADO i
IM*


Diarlo de Ptrtnmhnvn
I|hIh<-.i lelra 9H t ftilbo t t94.
liJOOO
6034000
410,5000
20l080
V. 6 particular o 47 publico casa ter-
rea. ...... 186*000
V. 8 particular e 43 publico casa ter-
rea. ...... 1690O0
Becco da Carvalha.
N. 5 particular e 10 publico casa ter-
rea .......149*000
Ra do F.igundes.
N 11 particular e 32 publico casa ter-
rea 155*000
PT. 12 particular e 34 publico casa ter-
rea........ 144*000
Ra da Calcada.
N. 12 particular e 38 publico casa ter-
rea........ 136*000
TVavessade S. Pedro.
S. 28 particular a 2 publico, 2 andares. 3005000
Rui de Hortas.
N. 29 particular e 41 publico, um an-
dar e sollo.....288*000
Ra de Santa Thereza.
N. 31 particular e 7 publico casa ter-
rea ....... 197*000
Roa do Cabug.
N. 34 particular e 1 D publico loja. 477*000
Ra da Reda.
N. 36 particular e 5 publico casa ter-
rea........ 96*000
Y 92 particular e 1 publico casa ter-
rea........120*000
Ra da Imperatriz
X. 47 particular e 68 publico casa ter-
rea........ 306*000
Becco do Quiabo.
N. 49 particular e 8 publico casa ter-
rea. ....... i*ooo
Ra da Gloria.
N. 51 particular e 65 publico casa ter-
rea........144^000
Ra de S. Bom Jess das Crioulas.
N'. 61 particular e 8 publico casa ter-
rea. .... 131*000
Ra do Padre Floriaoo.
Y 66 particular e 63 publico casa ter-
' rea. ....... 1*000
Ra da Senzala Velha
X. 71 particular e 25 publico casa ter-
rea. ......145*000
Patrimonio de roaos.
Roa da imperador.
X. 3 particular e 81 publico 2 andares. 1:2025000
Ra de S. Goncalo.
Y 10 particular e 2z publico casa ter-
rea........183*000
Ra dos Pires.
t. 13 particular e 39 publico casa ter-
rea. .......
Ra do Viga rio.
N. 72 particular e 27 publico 2 anda-
res........
Ra da Senzala Velha.
X. 80 particular e 132 publico 2 anda-
res........
X.82 particular e 16 publico casa ter-
rea....... .
Ra do Pilar.
N. 91 particular e 105 pnblico casa ter-
*, 4 rea........163*000
X. 94 particular e 99 publico casa ter-
rea. ....... 254*000
X. 105 particular o 94 publico casa
terrea........... 173*000
Ra da Madre de Dos.
N. 36 particular e 2 publico casa ter-
rea........ 182*000
Becco das Boias.
Y 39 particular e 18 publico 2 anda-
res........ 360*000
Ra do Amorim.
X. 56 particular e 26 publico casa ter-
rea........ 120*000
Mirueira.
Y 4 particular sitio.....213*000
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 22 de julliode 1864,
O eserivao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Pela subdelegada da freguezia de S. Fr. Pe-
dro (encalves do Recife se faz publico que foi ap-
prehemlido e recolhido a deposito um cavado de
cor rastanho e magro, com urna cangalha em bom
estado, o goal fai encontrado vagando pelas ras
desta freguezia : quem se julgar com direito a el-
e compareca nesle juizo, que provaodo Ihe ser
entregue.
Subdelegada do Recife 25 de jnllio de 1804.
O subdelegado,
Luiz Antonio Connives Peana
i'oHsellio administrativo.
O comelho administrativo para fornecimento do
arseual de guerra lem de comprar os objeelos se-
guiles:
Para o deposito de artigos bellicos da provincia de
Aagoas.
Bonets 100, mantas de la 100, brim branco 500
varas, algodloziulio 250 varas.
Para o rorpo da guarniclo.
Bonets 116, mantas de lia 139, divisas para sar-
gento ajadante e qaartet-mestre 2, panno azul 827
ovados, casemira amarella 21 1|2 covados. dita
encarnada 12 covados, hollanda de forro 643 cova-
dos, aniagem 86 1|2 varas, brim branco 1,030 va-
ri-, algodaozinho 682 varas, botes grandes de
metal amarello 2,422, ditos pequeos de dito 1,557,
clcheles prelos 173 pares.
Para o 9" balalho de Infamarla.
Compendios de doutrina cliristaa 6, ditos de ari-
ihinetica 6, pautas 6. taboadas 6.
Quera quizer vender laes objeelos aprsente a
soa proposta em carta fechada na secretaria do
coriselno.s 10 horas da manhaa do da Io de agos-
to prximo vindouro.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal Je guerra, 25 de julho
de 1864.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastiao Jos Basilio Ptjrrho,
Vogal secretario.
Gtrreit.
Pela admnistraclo do correio desta cidade se
z publico que em virtude da convenci postal,
celebrada pelos governos brasileiro e francez, se-
rio expedidas malas para a Europa no dia 30 do
crrente pelo vapor francez Nararre. As cartas
serio recebidas at 3 horas antes da que for mar-
cada para a sahida do vapor, e os jornaes at 4 ho-
radantes.
Administracao do correio de Pernambnco 20 de
julho de 1864. -O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Correio geral.
Pela administracao do correio desta cidade se
til publico para fins convenientes, que em vinude
Jo disposto no art. 138 do regulamento geral dos
correos de 21 de dezembro de 1844, e art. 9 do
J'creto n. 185 de 15 de maio de 1851, se procede-
r o consumo das cartas existentes na administra*
$ao pertencentes ao mez de julho de 1863, no da
-J de agosto prximo, s 11 horas da manhaa, na
porta do raesmo correio, e a respectiva lista se
acba desde ja exposta aos interessados.
Administracao do correio de Pernambuco 20 de
julho de 1864.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Gj innaio provincial.
O liim. Sr. regedor interino do Gymnasio man-
Jadeclarar qie no da Io de agosto prximo ym-
louro principia a funecionar a aula de primeiras
tetras do nesmo Gymnasi -, creada pela lei pro-
vincial n. 598. Os alumnos dessa classe sao em
tildo equiparados aos de mais que frequentam o
subeieciment, e por isso obrigados a pagar : os
internos 302 mensaes, os meio-pensionistas 15*,
os externos 5*.
Secretaria do Gymnasio Provincial de Pernam-
iiueo 22 de julho de 1864.O secretario,
A. A. Cabra!.
AVISOS Mi&ITUiOS.
COMPANHIA BBASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR-
Dos portosdo norte esperado
at o dia 2 do agosto o .vapor
Paran, commandante o capillo
de fragata Santa Barbara, o qual
depois da demora do costume se-
guir para os portos do sal.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder eonduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de saa ehr-gada: encom-
mendas e dinheiro a frele at o dia da sahida s 2
horas, agencia roa da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de OHveira Azevedo & C.________
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul espera-
do at o dia 30 do corrente o va-
por Oyapock, commandante An-
tonio Marcelino de Pontes Ribei-
ro, o qual depois da demora do
costume seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, roa da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tnoLio uiz de OHveira Azevedo & C
COIIP ANUA
DAS
MESSACEKIES IMPERIALES
No dia 30 do corrente espera-
se dos portos do sul o vapor fran-
cez Navarrc, commandante de
Somer, o qual depois da demora
do costume seguir para Bor-
deaux tocando em S. Vicente e Lisboa.
Em S. Vicente ha um vapor em correspondencia
com Gore.
Para as condicues, fretes e passagens trata-se
na agencia ra do Trapiche n. 9J_________^^^
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
Kavegaeo eostelra a vapor.
Parahjba, Natal, Maro, Araeaty, Cear, Acarac
e Granja
ACompanhia Pernambucana ex-
pedir um de seus vapores para
os portos cima indicados no dia
,6 de agosto s 5 horas da tarde.
'Recebe carga at o dia 5. Encom-
passageiros e dinheiro a frete at o dia
da sahida as 3 horas da larde : escriptorio no For-
te do Mattos n. 1.
DE
DOES ESC ft A VOS
Ero frente a associaco commercial.
LLO
DE
Lina grande armacao de amarello envidracada,
balero, carteira, armarlos, cadeiras, sofs, me-
sas, espelho, e algumas pecas de roupa feita
existentes no estabelecimento de alfaiate na ra
Nova n. 60.
Sexta-felra ftt de Julho fas II
horas en ponto.
O agente Pinto far leilo requerimento do
depositario geral e por despacho d Htm. Sr. Dr.
juiz especial do commercio dos ohjeetoi aciaia
; mencionados, s U horas do dia cima dito, na
i loja da ra Nova n. 60, casa da esquina junto a
ponte da Boa-Vista.
1 sof, 4 MrfM't, 2 conotos, i ban-
eacBga ett 12 wirm
Sexta-faira 2 de jofho fe 10 hora em pon-
to hrmfton a. oD.
O afeas NMO tari MHo rmftmimemo do
depositario feral e per doiiocfn d# lOm. Sr. Dr.
i juiz esperta! do ibmu, dos objertn cima
inevcioBado, dwpoKadbu par Jaw Bartn Pa-
ranaos como fiador de Jorga Rodtlpae* Gidreira,
para receber sea dono Loureneo Puggi, 0 leilao
ser effectoado no dia, hora e lagar acia indi-
cado.
Seita*feira 29 de julho s 1 \ horas
ra' da Cadeia n. 53.
DE
lima oltava parte do sobrado u.
-lo. rna do Trapiche.
Por intervengo do agente Euzebio se vender
em leilo a oitava parte do sobrado de 3 andares
roa do Trapiche, cuja venda ser feita pelo
maior preco que se achar atlendendo o da avalia-
o,lo segundoo inventario a que seprocedeu.
mendas,
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
Navegacao costeira a vapor.
I ros iln siihtli' Aracaj.
No dia 5 de agosto s 5 horas
da tarde expedir a Companhia
Pernambucana um de seus taporas
para os portos cima. A carga se-
r recebida at o dia 4. Encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at as 3
horas da tarde do da da sahida : escriptorio no
Forte do Mattos n. 1.
Para Lisboa pretende sahir com brevidade o
patacho portuguez Jareo, tem alguma carga enga-
jada, para o resto que lhe falta, a frete commodo,
trata-se com os eonsignaiarios Palmeira & Bcltro,
largo do Corpo Santo n. 1. primeiro andar.
Para JLisboa.
Vae sahir em poucos das com a carga que tiver
o brigue partuguez Confi'tnca, quem quizer car-
regar ou ir de passageui entenda-se com os con-
signatarios Carvalho & Nognein na ra do Apol-
lo n. 20 ou com o capilao.
LEILAO
Sexta-feira 29 de julho s 11 Iioms
ra da Cadeia n. 53.
DE
Um escravo crioulo, cauoeiro, iiade
cerca de 4U auuos.
Pelo agente Euzebio se vender em leilo o es-
cravo Pedro, crioulo, natural do Penedo, entende
do servieo do mar, por quanto tem andado embar-
cado e cauoeiro, robusto e forte, proprio para
servieo al de campo.
LEILAO
Pestividade de N. 8. das Ne-
ves na Paraliiba.
Havendo numero sufficiente de passageiros, lar-
gar deste porto para oda Parahiba, um dos va-
pores da Companhia Pernambucana, na tarde de
4 de agosto prximo, devendo voltar no da 8. As
pessoasque desejarem assistir aquella festa, quei-
ram inscrcver seus nomes, desde j, e at o dia 30
no escriptorio da Companhia, Forte do Mattos nu-
mero 1.
Cear, Harauho l'ar
Segu at o fun do mez o patacho nacional An-
dr, de Ia marcha e 1" classe, recebe carga: a tra-
tar com A. de A. Porto, na na do Vigario n. 10,
ou com o capilao Ralis, a bordo, ou no trapiche
do algodo.
De ordem do IHoi. Sr. inspector da thesoa-
"ria de fazenda desta provincia deciara-se
l'iem estiver de posse do terreno de marinha n.
J que esteve no dominio til deJuliio Beraoger
''nlre a ponte da Boa-Vista c a de ferro de Santa
i-abel, que dentro do prazo de 15 dias contados
'su data deve solicitar o respectivo titulo de ato-
"imenioreconriecendo assim o senhorio directo
* fazenda no dito terreno, sob pena de ser consi-
: Tadu devoiuto o inesmo terreno e arre'iialado a
l'iBn mais der na forma das ordens era vigor.
Secretoria da thesouraria de fazenda de Per-
"imbucoem 25 de julho de 1864.
Scrvindo de orticial maior,
Manoel Jos Pinto.
Acha-se depositado nesta subdelegacia um
--ceo contendo ferragens e chumbo, que fra en-
cootraoo abandonado em a pona da escada de um
S"tiradit da ra do Crespo, quem for seu dono pro-
' '"do ser-lh^-ba entregue.
Subelegacia da freguezia de Santo utonio do
'-fe, 26 de julho de 1864.
O subdelegado,
Manoel Antonio de Jess Jnior.
Para a Babia pretende sahir com
muita brevidade o veleiro patacho D.
Luiz, capilao Jos Teixeira de Azeve-
do, por ter parte da carga engajada;
para o resto que lhe falta, trata-se
cornos consignatarios Palmeira & Beltro, no largo
do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
LEILES.
LEILAO
DO
Brigue nacional Algrete.
m&
Quinta-feira 2$ de julho, s 11 huras, em frente
da associaco commercial,
0 agente Pint) far leilo requerimento de
Jeaquira Juvencio da Silva e por despacho do Illm.
Sr. Dr. juiz de orphos, do brigue nacional Algre-
le, ancorado neste porto com todos seus pertences,
de conformidade com nm inventario existente em
poder do mesmo agente : o leilao ser effectuado
n i dia, hora e lugar cima dito podendo os pre-
endentes examinarem desde j o me smo brigue.
LEILAO
DE
CIMENTO AVARIADO
O agente Olimpio far leilao por eonla e risco
de quera pertencer de 121 barricas de cimento
avariado a bordo do patacho inglez fortnala, na
sua viagem de Londres para este porto.
IIOJE.
s 10 horas da manhaa no armazem do Exm. ba-
rao do Livramento no caes d'Apollo.___________
LE1LI0
m
Urna grande casa de campo assobradada com
grand e sitio, arvoredos e baixa de capim na
ponte de Uchoa, era frente a casa e sitio do Sr.
Jos Moreira Lopes.
HOJE
Qniwta-feira 86 de jih* frente a usadac
romaereial.
O agente Pinto far leilo requerimento do
administrador da massa fallida de viuva Amorim
Si Filhos e por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz es-
pecial do commercio, do sitio da ponte do Denos
com grande casa de sobrado, pertencente' a refe-
rida massa, s II horas do dia snpradito em fren-
te a associaco commercial.____________
D
Movis e outros artgos
MU
Rna da Cadeia do Recife n. 48
O agente Olimpio far leilo de diversas obras
de marcineiria ndvas e osada, machina* para
costura. caodieiros.lreloBios, iour, laoteraas, joias
de ouro. miudezas e outros moilos artigas.
Dar principio o leilo s il horas.
DE
UMA CASA.
Sabhado 30 do ctrrenle (s 11 horas.
O agente Aureliano Icgalmente autorisado ven-
der cm leilo urna casa terrea na ra Bella n.
41, com 4 quartos, 2 salas, corredor independen-
te, soto, cosinha fora e 1 quarto, quintal murado
e um deposito para as aguas pluviaes que compor-
ta 8 pipas d'agna.
Nodia cima indicado na ra do Vigario no es-
criptorio do Sr. comraendador Antonio Jos de
Castro.
Para qualquer infonnacao dirijam-se ao respec-
tivo agente.
"leilao
DE
l'ni enseaho coni hora cercado e mal-
tas, coiu casas de moendas, caldeiras
e de porgar, loitos de pedra e cal.
ttegnnda-feira i de agosto.
O agente Pinto autorisado pela commisso en-
carregada de liquidar os b'iis de Joaquim Klvirio
de Moraes Carvalho, levar pela segunda vez
leilo o engenho S. Jtaquim, em Kuribeea, o qual
limita ao norte e ao oeste com trras do engenho
Suassuna e ao sul com Ierras do engenho Mnribe-
quinha e ao leste com torras de Santo Andr. O
leilao ser effectuado no dia cima indicad,), s
11 horas, em frente a associaco corara rcial. Pu-
dendo os pretendeutes desde j examinarem o di-
to enaenho.
LEILAO
DE
I'ma casa de campo de pedra e cal, edificada em
chaos proprios com terraco na frente, quartos
fora para pretos, cacimba' com boa agua, lau-
que e casa para banho, grande sitio e arvoredos.
Seguuda-eir; 1 de agosto em freule a
associaco commercial.
O agente Pinto fara leilo precedida a comp-
lente aulorisaco da casa e sitio, cora os commo-
dos cima mencionados, a direita da estrada de S.
Jos do Manguinho, entre os sitios do desembar-
gador Doria e do coronel Menezes de Drummond,
as 11 horas do dia 1 de agosto em frente a asso-
ciaco commercial, os pretendentes podero desde
j examinarem a referida casa c sitio.
AVISOS D17EBSQS.
Faltando ainda no archivo
dsta typographia 4L volnmes
encadernados deste niario, ro-
ga-se as pessoas <|e os levaran
por enpeestimo se dignem inan
da-los entregar, nao se mandan-
do buscar a suas moradas ( beui
que nao se ignore) pela incerte-
za da hora em que se encontra-
rlo em casa.
%
yw & B4S
Aos 10:0O8O0.
No sabbado 6 de agosto prximo ter
lugar a extraeco da primeira parte da pri-
meira lotera de S. Francisco do Recite.
Os bilhetes, meios e quartos achara-se
renda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 45.
Os premios de 10:000(>000 at 20/5000
sero pagos urna hora depois da extraegao
at s 4 horas da tarde, e os outros no da
seguinte depois da distribuico das listas.
0 thesoureiro,
_______Antonio Jos Rodrigues de Sonza.
0 cinirgio Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado pora a rna das
Oruzes sobrado 11. 36, pri-
meiro andar, por cima do
irmazeni Progressista, aon-
de o achar^o como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
isso, chamado por escripia^
Precisa-se de unvi criada que sarta
engommar e cosiuhar : na roa do Impera-
dor n. 17, segundo andar.____________
Alaga-se urna prea que coiaha, engoraraa
e ensaboa, para pouca familia, e s se alaga para
casa terrea : na ra das Flores n. 7.
Pego emprestadas ou compro as car-
tas de Pitha a Damo, por Frei Joaquim
do Amor Divine Caneca.
Antonio Joaquim de Mello.
CASA IA FORTIM
AOS 6:000.000
Btlhetes garantidos
A' ru de Crespo 23 e casas de costume
O abaixo assignado tendo Tendido nos seus mui-;!
to felizes bilhetes garantidos o inteiro n. 1207 con
a serte de l:400$,edo numero 817 eom asorte!
de 6005, e outras mullas de 2004, 1004, 40* e
205 da lotera que se acaboo de extrahir beneli- ] \
eio da igreja de S. Francisco de Serinhiem, con-
vida aos pfssuidores de ditos bilhetes a virem re-
ceber seus respectivos premios sem os descontos
das leis, em seu estabelecimento ra da Crespo
n. 23. 1
O mesmo tm exposto venda os novos e felizes!
bilhetes garantidos da terceira parte da segunda
lotera a beneficio do theatro de Santa Isabel, irae \
se exlrahir c|uinta-feira 28 do corrente.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 7*000
Meios......... 3*300
Quartos........ 1*900
Para as pessoas que comprarem
de 100* para cima.
Bilhetes........ 6*500
Meios......... 3*250
Quartos......, 1*700
Manoel Martint Fiuza
Defronte da escada do passadico, do lado de
Santo Antonio, fornece-se comodona por preco
commodo, proraptido e muita limpeza, o lugar'
de fcil conduccao, tanto para o Recife como para I
Sanio Antonio.
Francisco Anastacio Pires Loureiro retira-se
para o Rio de Janeiro.
O hacha re
Fraiicisfo Aupstt da Costa
ROUPA
A H 3% A ^ K W
DE
%^%^^% ,^Vt
4l>31'f A 3)D 'IfiUinii'D)-
urnunito veros.
i
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, par sehoras,
borneas e meninos.
Casacas de panno preto, 350 e 300000 Dilos de setim preto. .
Sobrecasacas idem, 300 e fnQN Ditos de ditos e seda branco,
50OOOS
30000
40000
ADVOCADO "J
Ra do Imperador numero 69.
Ainda est para alugara casa da ra >ugus-
ta n. 112 : a tratar na rna Nova n. 59._________
Atiendo;
Precisa-se de um menino de idade de 8 10
anuos, preferindo-se Portuguez : na ra estreita
do Rosario n. 16.
Paletos idem e de cores, 250,
200, 150 e......100000
Ditos de casemira, 200, 150,
420, 100 e...... 70000
Ditos de alpaca, 50, 40 e 30500
Ditos ditos-pretos, 90, 70,
50, 40 e......30500
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. .
Ditos branco de linbo, 60, 50 e
Ditos de merino preto de cor-
do, 100, 70 e.....
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80 e......
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50000 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cord3o, 43500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo preto e de
60 e .
Ditos de gorgurao de seda
pretos e de cores, 60, 50 e
Colletes de rusti e brim bran-
co, 30500, 30 e .
Seroulas de brim de linbo,
20400 e ......
Ditas de algodo, 10600 e. .
Camisas de peitos de linbo,
40, 30 e......
Ditas de madapolo, 20500,
50000 20 e........
Chapeos de massa, pretos fran-
70000 cezes, 100, 90 e. .
70000 Ditos defltro, 50, 40,30500 e
Ditos de sol, de seda, 120,
40000 110, 70 e......60000
Collarinbos de linbo tino, ulti-
40000 ma moda dnzia. .
I Sortimento completo de grava-
20500 tas.
20500 Toalhas para rosto, duzia, 110,
80500
200-JO
60000
Offerece-se uraaama para engommar e coser:
na praia do Caldeireiro n. 43.__________^^^
Offerece-se urna ama s para coznha e com-
prar, para casi de ponca familia : no becco d"S
Portos, n'uma loja defronte ds um cgarrero.
Commercial Beneficente de
Pernambuco.
Ossenhores socios effectvos da Associaco Com-
mercial Reneftcente sao convidados a se reunirera 1
na sala das sessoes da mesraa Associaco no dia
I" de agosio prximo futuro, ao meio dia, afim de
aprecia rom o relatorio e cont.is da aclual direccao,
a eleger a que deve dirigir os trabalhos da Asso '
eiaco no annn que va comecar.
Associaco Commercial lleneicente de Pernam-
buco 25 de julho de 1864.
Jos de Vasconcellos.
_____________________Secretario.
Descncaminhou-se o bihete n. 2281 da lote- j
ria que ha de correr quinta-feira 28 do corrente :
pade-se, portanto, ao Sr. thesoureiro das loteras ou
a outras quaesquer pessoas que vendara bilhetes,
no caso de sahir premiado dito bihete, de o nao
pagarcm sean ao abaixo assignado, seu legitimo
dono.-Francisco Jos da Costa Araujo.
l>iv.ri sendo por preco commodo : qnetn tiver nnnnncie
- Alaga-se o > andar do sobrado 11. 7!), na ra
do Imperador : a tratar na ra do Crespo n 15.
Aluga-se o 2" andar do sobrado da ra da
Aurora n. 44 : a tratar na mesma roa n. 10.
Consultor Forense
Acaba de sahir luz na livraria do editor B. L,
Garnier, ra do Oofidor n. 69, o
CONSULTOR GERAL DO FORO
Pelo Dr. Carlos Alteara Curdciro.
4 grossos volnmes em 4", bem encadernados,
305000.
Acaba de completarle esta importante obra do
muito dislincto e condecido jurisconsulto o Dr.
Carlos Antonio Cordeiro, honrada com pareceres
laudatorios dos Srs. conselhciros senadores Auge-
la Muniz da Silva Ferraz, Bernardo de Sonta Fran-
co, Kuzrhio de Qneiroz Uoutinho Mattoso Cmara
e Jos Thomaz Nabuco de Araujo.
Compoe-se esla obra eminentemente pralca e
ao alcance mesmo das pessoas inteiramente ex-
tranbas ao foro, dr* consultores civil, criminal,
commercial e orphauologico e forma urna Biblio- 1
Iheca completa indispensavel nao s a todas as i
pessoas do foro mas tsmhe.n a lodos aquellos que
quizerein intentar ou tiverem causa dependente de
qualquer juizo.
Vende-se separadamente cada urna das partes
sejruintes a 80IMK) :
Consultor Civil acerca de todas as arcoes se-:
guidas no furo civil, segundo o systema adoptado
por Correa Tulles no seu Manual do Processo Cl-
vil,com as suppressoes, altoraQoes e accrescimos 1
exigidos pela legisla^o, estylos e pratica do foro
brasileiro.
Consultor Criminal ou formulario de todas as
acQoes seguidas no foro criminal, precedido das
dispesces concernentes organisaco judiciaria
e attribuices das autoridades policiac's e crimi-
naes. I
Consultor Commercial ou formulario de todas
as acedes commerciaes, segundo o regulamento de '
25 de novembro de 1850. contendo os modelos de
ledas as peticoes, despachos, termos, autos, alle-
gacoes, embargos, senten^as, finalmente todos os
termos dos processo?, seguido do processo das que-;
hras, qur no juizo commercial, qur no juizo cri-
minal.
Consultor OiiPHANeLOGico ou formulario de to-
das as accoes seguidas no juizo dos orphos, pre-
cedido das attribuices das diferentes pessoas que
nelle figurara, e enriquecido com diversas regras e |
preceitos tendentes ao mesmo juizo de orphos, e
bem assim ao da provedoria, com a legislaco res-
pectiva.
Na mesma livraria se encontra a seguinte obra
do mesmo autor.
Cdigo Criminal do imperio do Brasil, contendo
nao s toda a legislaco alterante ou modificante
de suas disposicoes, como as penas de seus diffe-
rautes artigos, calculadas segundo os seus graos
e as diversas qualidades dos criminosos; 1 volume
em i". encadernado, 4$000.
Vende-se na livraria econmica ao p do arco de
Santo Antonio.
e........ 60000
cores, 90 e......70000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
Ditos de casemira preta, 50 e 40000 tos e de cores..... 40000
Ditos de ditas de cores 50 Lences de bramante de linho. 30000
40 e........30500 Cobertas de chita chineza.. 20500
wmmwmmmmmmm mmmmmmwjmmmmwM
AKMZEM DE F ZE\DAS
Dfi
1
G1BIAETE
PWfcTVGUEZ Ufc LhliLilt t. rFK-
nmft.
Nao se tendo reunido numero sufficiente para
haver sesso no domingo passado, por ordem do
Illm. Sr. presidente do conselho deliberativa, con-
vido novameote lodos os senhores socios effectivos
para asesA) ordinaria da asserabla geral em que
Se tm> de tratar do ipie dispoem os J Io e 2* do
art. 43, no domingo prximo 31 do corrale, s 10
horas da manhaa, de conformidade com o art. 40
dos estatutos.
Secretaria do conreino deliberativo do Gabinete
Portuguez de Leitura em Peraambuco aos 27 de
julho de 1864.
F. I. Tinoco de Souza
i." secretario.
Custodio, Carvalho & Companhia.
9 RA 1M QUEIMABM
Superiores saias de fusto para senhoras a 55.
Toalhas de linho para mesa a 35500 e 40.
.encnhos para meninos um 100 rs.
Lencos brancos para algibeira a 25 a duzia.
Toalhas para mo diuia 45.
Bramante de linbo vara 25-
Fil de linho liso vara 500 rs.
Grande peen india.
Pecas de ntremelos bordados a 15-
Tiras bordadas a peca 20.
Gollinhas de cambraiaa GOO e 800 rs.
CONSULTORIO jIEOKMIRURGICO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO HOSCOSO*
MEDICO, PAHTllRO E OPKRAOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s I
horas da manhaa, e das 6 e meia s 8 horas na noite, i excepcSo dos^ dias santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos preces seguinies
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tubos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fuer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avuisti ou frasco de tfntqra de meia onca 10' 00.
Sendi ara cima de 12, custaro os precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
I i vito*.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. J.ihr,
dons grandes volumesccm diccionario............ 205000
Medicina domestica do Dr. Hering,........... 10(XX>
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. 6,5000
Diccionario de termos de medicina ...,...,.-. 3$000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
to de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios ver-
daderos, enrgicos e duradores : ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadero assucar de leite, notaveis pela sua boa conservarlo, tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparaco, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Kecebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaro, para o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
Otratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medicare
funecionando a casa a mais de quatro anuos, ha muitas pessoas de cujo conceito se alo
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 20000 por d'it durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operaces serlo previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos pretos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
RA DO QUEMADO NUMERO 11
Loja de fazendas d> Augusto Frederic> dos Santos Porto
Chapeo para senhoras.
Cheearam de Paris as mais lindas chapelnas e chapeos de palha da Italia para senhoras.
Ricas capas e soutembarques de seda preta e casemira de cor para senhoras.
Cortes de superior morentique branco para vestidos de noivas.
Camilas ingieas muito superiores para homens, peitos, punhos e colannhosde unho.
Chapeos de seda para cabe?a e chapeos de sol de seda tnglezes.
Lencos de labyrintho franceses a 15 cada um.
Camisas e menino muito superiores.
Cortes ie lia de barra para vestidos de senhoras de i i a 180.
A mesma loja tem o maior e mais superior sortimento de
listel ras para salas.
Neste estabelecimento encontrarlo os senhores que precisarem forrar suas salas eom esleirs
t)da e qualquer quantidade que desejarem de 4, 5 e 8 palmos de largura, sendo a a qnatidade muito
superptor e por mdico preco.
Afnga-sc a casa terrea n. 26 na ra do Pilar
com commodos para Tamilia e quintal : a tratar
na ra do Atalho o.o, no fundo da caixa d'agua,
al as 8 horas da manilas, e das 4 da tarde era
diante.
CherubiHO Baadiere, subdito italiano, retira-
se para Macei.
Desencaminhou-se do abaixo assignado o
meio Uwte de n. 2322 da lotera que corre ama-
nilla : portanio o abaixo assignado pede ao res-
peitavel thesoureiro das loteras que nao pague,
caso saia uremia**, senao ao seu lenitimo douo, o
abaixo assignado ; o hrthel*- garantido.
Julo Teixeira de Sama Lima.
Precisa-se d> negras jwra vender, pagndo-
se vendagem, bolinhos de div.rsas qualidailes, as-
sim como se armam bandeija para nuaesqur me-
sas, por preco commodo : aium as livor dirija-se
roa deS. Bom Jess das Crioulas n.30, que acha-
ra com quem tratar.
Preeisa-se de urna ama para coziuhar e en-
saboarem casa de pouca familia: a tratar na Boa-
Vwta, ra do Cotovello n. 1._________^______
Precisa-se da quaotia de 1:2 'Oi, dndose
por garaatia dous moloques, sendo um de 13 an-
nos e outro de 14, (cando es servcos pelos juros :
quem o tiver, querendo fazer este negucio, dirja-
se ra da Imperatriz n. 10, que se dir que-n
faz este negocio._________ ________
Precisase fe urna senhora ou de um sacer-
dote que queira ir ensinar duas moninas em um
engenho em Seriahaem, e se souber msica me-
lhor, pois darse-ha bom ordenado : a tratar na
carnboa do Carmo n. 16.
Taberna.
Francisco Antonio de Medeiros, aiitirisada por
seus eredores, faz venda de sua taberna na ra
Augusto coarome a* vieiro da Mtinii, a dinheiro
ou a praaov c*akmau se convencionar.
Precisa-se de uraa ama para coainhar e com-
prar para homem solteiro, prefere-se escrava : na
ra do Queimado n. 17.
" Pede-se pessoa que eslava em ajuste com
a taberna da ra Imperial n. 13 > em que esta
socio ou dono um tal Izidorio, que d&to-se de-
! clarar por este Di-ino qual a conversacao ojie u:
vemos a respeiio mesma, ou se eu thfi offeren
' alguma armacao de taberna para Vmc me a com-
prar, edesfazendo na dila da rna Imperial e do
bom ou mo negocio que ella fazia, e se nao o u-
zer seta tido for infame.
I. B. AlEfS. .....
!' Precisase de um rapaz para c?'*ei, dt u'
: berna : a tratar na travesa des. lose n. .


Diarlo de Pernuabueo Quinta lelra 18 e Jnllio de 184.
Aviso
*
em tempo.
0 abaixo assignado tem entregue as contas dos
devedores da extincta lirma de Vidal i Bastos, de'
que lquidatario, ao sen procurador Luix Frau-
cisco Mello lavares, para seren cobradas arnigavel
ou judicialmente.
Recite, 18 de ulho de 1764.Joo Carlos Bas-
tos Oliveira^_*_____________________________
Prucisa-se de uma ama para todo o servico
de casa de pouca familia : na travessa da matriz
de Santo Antonio n. 8._______________._________
Precisa-se de 5:0005 a premio, d-se para
aramia um predio de muito mais valor, sito nes-
a praca: a quem convier, pode dirigir-se ra
Imperial n. 269, ou indicar sua morada nesta ty-
pographia em carta fechada a J. C._____________
Muita altenco.
Aos amadores do bom e excellente vinho puro
se recoinmenda urna partida chogaa ltimamen-
te de Lisboa, e mandada vir por cncommemia da
fazenda de m amigo. Este vinho particular, li-
vre de toda e qualquer confeceo se reeommenda
particularmente para as pessoas doentes. Vende-se
em ancoretas de 3 e 9 caadas tinto e branco no
deposito da ra da Cruz n. 36 Recife. Aproveitar |
amadores-do bello nctar em quanto se nao acaba. |
Cuzinlieiro.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
i e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
o examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d si
6 as 10 da nanhSa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cSo que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Quem precisar de uma ama de leite, dirja-
se ra da Lingoeta o. 4._____________________
Precisa-se de uma ama para casa de rapaz
solleiro : na ra do Queiroado n. 47.________
Ka rua estrella do llosario n. 34
Advocado Affonso de Albu-
querque Mello,
r .ucurado a qualquer
' feiras, porm, na villa do Cabo.
1AJ11VI
Loja de faz encas da ra
do Crespo ri 7.
Miguel los Barbosa Guimares, socio prinei-
' deixando ficar penhor ou maodam-se levar era ca-
pde ser procurado a qualquer hora; as sextas- pa'da firma de Guimares Lima', faz scinte ao'(jtosde"dtawfrauceza cora covados a 35200, MPI liro.s ...0J_ ,____
na ra
TINTURARA.
Ttnge-se com perfeicao para qualquer Lima qU(i consta de um gran(1li sortimento de fa
[: cor, e o mais barato possivel: na ra do zeniias finas, como sejam ricos
Rangel n. 38. segundo andar.
respeitavel publico que tendo de liquidar todas as cortes de cassa francezes a 25 e 25300
fazendas existentes em seu estabelecimento por a Iniperatriz n. 56, loja da Arara,
ter fallecido o seu socio Jos de Almeida Nunes] Arara vende a 160 ra.
Vende-se fil de linho de cures a 160 rs. o co
GRANDE Grande liquidacax)
sortimento de fazendas aovas bara-. <* faiend..uoj. do Pifio ruad, impentrii..
i ... ja fa ; ou, ue uami & aura.
Ussimasna loja e armazem utia-j Ac0aseesteeitabelecinieQl0completamente sor-
ZCadaS baratas na l'U1 da ImperaU'IZtidode fazendas inglezas, francezas, altemes e
- na Lia ,!. ketr d Inni-enro i suissas, proprias tanto para a praca como para o
n. 00, lOja (Id Arar?, ut ldtc_vv mat0) prometiendo vender-se mais barato do que
Pereira Menees (lOinViraes. em outra qualquer parte principalmente sendo em
Coi tes de chita a 2&100. 11
Vende se cortes de chitas para vestidos a 25UK), ^
As chitas do P.vo.
cao e de todas as fazendas do-se as amostras
Vendem-se superiores chitas claras e escuras pe-
lo barato prego de 240 c 280 rs. sendo tintas stgu-
' ns, ditas fraucezas finas a 320, 340, 360, 400 e
- largas e estreitas.
COMPRAS.
com algum toque de mofo,
muito linas e ouiras multas
vende por baratissimo preco.
litas fazendas que ludo "jgJ ^: a Arara rua da l.n- loja do Pavao ra da Imperatr.z n. 60 de Ga
Carvo animal.
Farello de Lisboa superior.
Compra-se ouro e prata em obras velhas Cal virgem nova : na ra do Vigario n. 19,
daga-se bem: na loja de bilhetes da praca da lude
pendencia n. 22.________________________'
Compra-se cobre velho : na ra do Brura nu-
1 mero 78.
primeiro andar
ou fina a vontade do comprador
Aluga-se uma preta para vender po-de-l,
' s 7 horas da
a esta typogra
H elogio
r&SS-SVSS. 7tKp%\&SG5tiFS*fttEZ &&&&*?**-
ouro
de Imperador.__________________ tarc*< :'quom precisar, dirija-se
- Aluga-se uma negrinha de 14 annos de ida- phia que achara com quem tratar. -------_
de. muito sadia e esperta para todo o servico in- Na praija da Independencia, loja de ourives
terno de uma casa de familia : a tratar na praca n. 33, compram-se obras de ouro, prata e pedras
da Boa-Vista, sobrado que volta para a ra do Ara- preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
13, que se dir quem quer.
Cachorro.
Compra-se um ou dous cachorros nascidos de
gao, primeiro andar.
commenda, e todo e qualquer concert, Igual- ^^^> de rua do
Precisa-se de uma criada livre ou escrava,
que saiba cozinhar e engommar : na rua das Cruz
n. 42, primeiro andar. _________________
__ Francisco Luiz Belem, cidadao casado, ami-
go mestre de msica vocal e instrumental nesta
cidade, regressando de novo metan cidade, con-
tina a eusinar tanto msica vocal como piano,
nao s por casas particulares como na de sua re-
sidencia, rua das Cruzes n. 2, primeiro andar.
Promelte envidar como serapre os seus esforcos
para o rpido adiantamento e proveito das pessoas
confiadas aos seus cuidados. ___________
mente se dir quem d dinheiro a premio.______
"^"Precisa-se de uma ama para cozinhar, en-
gommar e comprar; familia de duas pessoas
I Destinan. 3, das 4~s 6 horas da tarde-, nao se
; olha a prego, agradando ao comprador.__________
rua de Santa Tbereza n 14.
Comprase uma balanca grande usada com
pesos, nma rotula e vidracas usadas para portas :
na rua das Trincheiras n 48.

Na livraria popular n. 67, rua do Imperador,
precisa-se de um caixeiro portuguez, de idade de
13 14 annos._______________
Precisase de uma criada livre ou escrava
que saiba cezinhar e comprar : na rua de Santo
Amaro (Mundo .Novo), sobrado onde morou o Sr,
Dr. Sabino.
A vt tnm n T n r i\t< flir.P.im A ZP,- i Compra-se nma escrava de bonita figura, de
Antonio Lauae uuveira azc idadede ^ a 22 annos. no paleo doParaizon.
vedo A C
O Sr. Joao Francisco de Pontes com padaria
em Caruar tenha a bondade de dirigir-se ao lar-
go de Pedro II n. 27, terceiro andar, a negocio que
Ihe diz respeito._____________________________
A fabrica de calcado sita na ribeira de S-
Jos n. 25, precisa de uma pessoa que saiba coser
em machina de costura, que se lhe pagar 2?5000
por dia.____________________________________
Precisa-se alugar um moleque : na rua es-
treita do Rosario n. 24, primei.o andar._________
Precisa-se de urna ama pan cozinhar em
casa de pouca familia : na rua d Crespo n. 23.
Aluga-se in>'tade do primeiro
Direita n. 4 : a tratar na taberna.
andar da rua
Quem precisar de uma ama de boa conduela,
procure na rua da Boda n. 31._________________
Ama ((i/.inlu'ii'.i.
Na rua do Brum n. 84 se dir quem precisa de
uma ama coziuheira, preferinJo-se livre________
Um moco competentemente habilitado para
ensinar primeiras letras, latim e francez, offerece-
se para leccionar ditas materias em qualquer en-
genlio perto desta praca : quem quizer aiinuncie
por este jornal para ser procurado._____________
Alogam-se as casas terreas ns. I. 3 e 7 da
rua do Hospicio,tendo cada urna -2 salas, 4 quar-
tos, corredor ao lado, cozinlia fra, quintal e ca-
cimba: a tratar na rua do Se ve n. i.___________
_ Paulo Jos Gomes & Mayer, terminaram des- j
de o dia 11 do corrente a sociedado que tinhaml
com Antonio Jos Lisboa, nos armazons de pinho |
do caes 22 i! X ivembr i ; assim como avisam s
;s <11.- se achara a dever ao mesmo estabe-
lecimento, que j ao abaixo assignado devem pa-
gar, em viitule de llie llcarem perlcncendo todas
as dividas at aquella data. H ife 27 de julho de
1864. Paulo Jos Gomes \ Mayer.____________
~~ Kst nos indos da lypographia Commercial
o piedosolivro do Mez Doloroso : as p.-- i
quizerem assignar esta obra, pode dirigir-se em
Olioda a residencia do Sr. conego Jeo Chriso>to-
mo de Paira Turres, no consistorio da igreja dos
Milagros, e no Itecife na mesma lypographia.
AgenlC' do Banco l'niao do Por lo.
Competentemente autorisados sacam por tod o
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
Paris Frederic S. Ballin C.
Hamburgo Joo Gabe & Filho.
Barcellona Francisco Bahoba & Ballista.
Madrid > Jaime Meric
Cdiz Crdito commercial.
Sevilha Gonzalo Segoria.
Valencia M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Figueira.
Suarda.
Guimares.
Lagoa.
Lagos.
La mego.
Leiria.
Moncao.
Moncorva.
Begoa.
Setubal.
Vianna do Cas-
tello.
Villa Beal.
Madeira.
S. Miguel.
NO IMPEIUO. f
Baha. Maranhao.
Itio de Janeiro. Para.
Qualquer soturna prazo ou vista.podendologo j
os saques prazo serem descontados no mesmo
Banco a razio de 4 por cento ao anno : a tratar
na rua da Cruz n. i.
Amarantes. Angra Terceira.
Arcos de Val de Caminha.
Vez. Castello Branco.
Aveiro. Chaves.
Uarcellos. Coimbra.
Bastos. Covilhaa.
Beja. Elvas..
Braga. Extremos.
Braganca. Evora.
Faro. Fafe.
Oliveira d'Aze- Piiihal.
meis. Porto-alegre.
Pena fiel. Thomar.
Tavira. Villa Nova do
Villa do Conde. Portimao.
Villa Beal de Vi zea
S. Antonio. Faial.
18, segundo andar.
! Compra-se um ornamento para celebrar mis- i
1 sas, que esteja em bom oso, sendo a casula encar-1
nado e branco, um calix, um missal e um ferro de
; fazer hostias : quem tiver dirija-se casa do sa-'
christao da ordem terceira de S. Francisco.
Compra-se a colleccjio do peridico denomi-
nado o Commercial Pernambucano que teve a pu-
! blicacao do seu primeiro numero a 20 de maio de
' 1861: no sobrado da rua de S. Francisco n. 10,
como quem vai para a rua Bella desta cidade.
Compra-se um negro de meia idade para o
servico de sitio, e quf saiba tirar leite, assim como
uma negra engommadelra e cozinheira, sem acha-
. ques e aera vicios : na rua da Imperatriz n. 19.
Compra-se uma mulatinha ou negrinha com
idade de 11 14 annos : na rua Direita n. 103.
SALSAPARRILHA
/
&j&*

As
Compra-se uma negrinha de 8 10 annos de
idade : na rua do Queimado n. 34, loja._________
Compra-se um alambique de cobre ou de
ferro em bom uso : na rua do Imperador n. 12.
VENDAS.
f\ r"P
'<>'; ^4
l\
l'ma pessoa com as habilitac5es precisas na ci-
dade. de Olinda se ufferece para se enca regar de
despachos c!e papis lauto no civel como no eccle-
siastico por preco commodo, por isso quem preci-
sar dirija-se cin Santo Antonio loja do Sr. com-
mendador Figueiroa, na do Queimado loja de fa-
zendas n. 20, c no Recite taberna do Sr. Antonio
Hamos.____________________________
Manoel Joaquim Baptista, escrivo vitalicio
do civel do termo desta cidade do Recife, julga
conveniente declarar que nao tem filho algum do
nome Manoel J'iaquini Baplisla Jnior, pelo que
nao se emende com pessoa de sua familia tim an-
nuncio que sabio ltimamente respeito de uma
pessoa de igual norae._______________________
Arrendam-se duas boas casas e sitios no
Monteiro sendo a primeira no pateo da capella de
S. Pautaleo, com boa sala e gabinete de frente,
sala de jantar muito fresca, diversosquartos, to-
dos com janellas, com um ptimo soto, com sala
e quartos com janellas, toda corrida de pateo e
gradeamento de ferro na frente, boa estribara,
cocheira e casa para escravos, um bello jardim e
sitio mui bem plantado, com boasarvores de frac-!
tos e tem excellente banho de choque etc., etc., a
segunda fica confronte da povoago margem do!
rio, com 6 salas e diversos quartos e grandes es-
tribarias, casas para escravos, toda corrida de pa-1
leo com gradeamento de ferro, boa baixa de ca-
pim, bem plantado, algumas arvores de fruetos e
bastante terreno |iara plantario: a tratar na rua
do Apollo n. 1, segundo andar.________________
D-se dinheiro a premio : na rua Augusta
p. 4o.____________________________________
Precisa-se alugar um moleque para os serv-
{os de uma casa : a tratar na rua Nova n. 58, ter-
cciro andar.
<____-a'~\ i-.','mmm
Joao da Silva Hamos, medico pela Uni
'5: versidade de Coimbra, d consultas em
3$ sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
_| das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
H em suas casas regularmente as horas
Jra para isso designadas, salvo os casos ur-
! gentes, qup serao soccorridos em qual-
quer occasiao. D consultas aos pobres
v A que o prucurarem no hospital Pedro II,
$ aonde encontrado^ diariamente das 6
j s 8 horas da manha.
TYm sua casa de saiide regularmente
t\ montada para receber qualquer doente,
\ anda mesmo os alienados, para o que
8<| tem commodos aproprados e nella pra-
_ tica qualquer operacao cirurgica.
I'ara a casa de sade.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 2,So00 >
Terceira dita.... 25000
Este estabelecimento j bem acredi-
_-.'; tarto pelos bous servicos que tem pres-
Mlado.
O proprietaro espera que elle conti-
W] nue a merecer a confianca de jue sem-
|H pre tem gozado.
Precisa-se alugar um escrava fiel e r
para fazer as compras diarias, tirar leite de
cas e trabalhar no sitio, e
C03IPENDI0 DOLOROSO
iue conlera o officio de Nossa Senhora das
Dores; o modo de resar e olTerecer a co-
ra, um setenario e mais outros exercicio?
de piedade e devocao ; ordenado pela ir-
mandade dos servos da mesma Senhora,
que se acha (erecta na egreja de N. S. da
Fi-nha do .imperial hospicio dos reveren-
dos padres missonarios apostlicos capu-
chinhos italianos de Pernambuco, approva-
do por S. M. L, que Deus guarde; dado
luz por devocao do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 3_0 rs. na livraria ns. 6 e 8
nara da Independencia.
BE BRISTOL.
curas milagrosas e
ESCRFULA
200 e 240 cada um : na loja da Arar rua da tan
peratriz n. 56.
As laziuhas da .irara a 320 rs. o corado.
Vendem-sc lazinhas para vestidos a 280, 320,
400, 500 e 640 o covado, ditas lisas proprias para
capas e vestidos de senhoras a 400 e 600 rs. o co-
vado : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara fende as chiUs paracoherU 320 rs.
Vendem-se chitas para cobertas a 320, 360, 400
e 500 rs. o covado, dita enramada adamascada a
500 rs. o covado: na rua da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Cassa organdys da Arar, a 210 rs
Vendem-se cassas organdys para vestidos a 240,
280 e 320 rs. o covado, riscado francez para ves-
tidos a 280 rs. o covado, gorgurao de linho para
vestidos a 280 rs. o covado : na rua da Impera-
triz n. 56, loja da Arara.
As chitas da Arara a 2-SO rs. o covado.
Vendem-se chitas para vestidos de cores lixas a
240e 280 o covado, ditas francezas largas a 320,
360, 400, 440 e 500 rs. o covado na loja da Ara-
ra rua da Imperatriz n. 56.
Lencos de seda da Arara a 800 e 1$.
Vendem-se lencos de seda para algibeira de
homem a 800 e 1,5, lencos de cassa a 200 e 240
rs. : na rua da Imperatriz n. 36, loja da Arara.
Arar, vende os vns pelos c de cores a 1#000.
Vendem-se veos pretos e de cores para chape-
linas de senhoras pelo preco de 15 cada um, go-
! linhas para senhoras a 240 e 320 rs., manguitos a
' 15, camisinhas para senhoras a 25, ditas linas
com gravatinha e punhos bordados os mais mo-
| demos que tem vindo a 45500 : na. loja da Ara-
ra rua da Imperatriz n. 56.
Arara vende os balees a 200.
. Vendem-se baldes de 20, 25, 30 e 35 arcos a
' 25500,35, 35500, 45, 45300. ditos de brilhantna
a 45 : na rua da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Cortes de la a Mari. Piaa U e 18.
Vendem-se cortes de laa a Maria Pia a 85e 185,
pecas de cambraia lisa fina a 35, 35300 e 45 : na gretas
ru da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Cortes de ganga a 15600
...
_rx_o_a_?L__,
__,_._S A.VriCJAS,
DiTEBMmDES SYPHLITICAS,
Erysipelas, Rheumatismo,
Nevralgias, Escorbuto.
etc., etc., ele,
raiiifcad c 'lado o ;ilt
Vendem-se cortes de ganga franceza para calca: ft^'Sffl
15600, ditas de casemira a 35, ditas linas a 55, da "- !j*Ji
55500 : na rua da Imperatriz n. 56. ub TW"V"
a
I e 55500
slo na
Gama i
Silva.
As cassas do Pavo a 210, 280, 300 e 320 rs.
Vendem-se Dnissimas cassas persianas cores fi-
zas a 320 rs. o covado, ditas francezas muito finas
a 240 e 280 rs., ditas ingzezas a 240 e 280 rs. o
covado, finissimo organdy matisado com desenhos
miudinhos a 320 rs. o covado, cassas garibaldinas
muito finas a 320 rs., isto na loja do Pavo rua da
Imperatriz n. 60, de Gama Silva.
As lazinhas da eiposico do Pavo.
Vendem-se as mais modernas lazinhas mossan-
bique chegadas pelo ullinjo vapor francez sendo
de uma s cor ou de listas miudinhas com 4 palj
mos de largura, proprias para veslido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baratissimo
prego de 560 rs. o covado, ditas entestadas trans-
parentes de quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas malisadas muito finas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita tambem matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Maria Pia com palma
de seda e 4 palmos de largura .800 rs. o covado,
e ditas deumas cor parda, azul, cor de lyrio e
perola proprias para vestidos, sauterabarques e
gar baldes a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
800 e 400 rs isto s na loja do Pavao, rua da Im-
peratriz n. 60, de Gama Silva.
Os chales do Pavo.
Vendem-se finos chales de crepon estampados
pelo barato prego de 65, "5, 85, ditos de iionta re-
donda a 75 e 85, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidrilho a 125, ditos pretos lisos a
55, ditos de cores a 45500 e 55, ditos de merin.
estampados a 25 e 35, ditos de laa a 15280 e t&,
ditos de retroz preto para luto a 65, isto na loja
do Pavo rua da Imperatriz n. 60, de Gama k
Silva.
0 Pavo vende para Inlo.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de la sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, paletols, capas etc., pelo bara-
to prego de 25, 25200, 25500 o covado, cassas
"isas, chitas prctas largas e estreitas, chales
ri lisos e bordados a vidrilho, manguitos
! eomgolhohas e outros muitos artigos que se ven-
na loja do Pavo rua
ama Silva.
los de casemira a I e ,zU* ltos de c*ml"'aia francos ricamente uor-
yi 1-J fu.nc a dados a croch, sendo proprios para baile e ca>a-
t? frace sbraa-! mt-'"tu a U'- '' 20 '! ^' d,usde c.om-,indas
,Mdefr.?Tl.Ssh?! a 2 e L% ".*_* PavarUa
da
Vendem-se
as lievuc des Dcux Mondes de 13 de margo, Io de
abril, 1" e 15 de maio, Io dejunho, 15 de agosto,
15 de outubro, 15 de novombro, 1. e 13 de de-
zembro de 1863, lu e 15 de Janeiro, Io e 15 de fe-
vereiro de 1864, a 15200 cada volume; A musao
especial do visconde de branles por 25; na rua
do Crespo n. 4 loja. ______________________
Vendem-se ca'txoes vastos a 1:760
cada um : na rua das Cruzes n. 44.
que tem
iioinc :'i
re
Salsaparrilha de Bristol
por todas partes dy universo, sito to
smente devidas i
nica Loffitiin?. c Orisrinal
Z_l,ira0ra Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
i.uupa iciiaua .uara emente bordados a velado pelo barato preco de
Vendem-se paletots pretos de panno IniUil; m A f d veu(lcu a im
145 e 125, ditos saceos de panno [no pnMeud ^ dj[os de _braa b^ocosrCamenlet,or-
j debrnados de fila a 95 e 105. ditos de <
, 65, 85 e 35, ditos de brim a 25
alpaca prela a 35 e 25500, cami:
: "SSS e If00' d,'aS a6 'ffi-t *_!__ I d Imperairil n. 60, de Gama & Silva,
a 25800 e 35, seroulas de algodao a 15WK), dita. v .
de linho a 25, caigas de brim e gangas de cores a PMnos uo. a p,.h,.
25, ditas de brim pardo a 253IHJ e 35, ditas bran- ^ ende-se unmu muto mil/mr pelo barato
oaV a 35500 : na rua da Imperatriz n. 56 loja da \ preco de 2*, 2*500,3* e 3*300, ditos muito toos a
^rr,. v v 45, 55 e (i5, corles de casemira preta enfe^ada a
r_l#h.e lmra a \-% 45, 45500 e 65, casemira preta lina de orna*
' ,k f ,-. ,,,, o,m, J largura muilo lina a 15800,25. 25500 c 35, cr-
\ endem-se eo chas de damasco pa. a cama a; > ^ 5 5S5u0 65 easPII11.
45, ditas de fus ao a o|, d tasdechita a 23 na cnfosla(Jas de uma >6 (6r ,)rourias |jara ca|ca
' rua da Imperatriz n. ob, loja da Arara.
Vendcin-se gangas para cairas t paletots.
I Vendem-se gangas para paletots e calcas a 440
' e 500 rs. o cuvadu, fnstao para caiga a 500 rs. o
covado : na rua da Imperatriz n. 5o, loja da Arara.
j Madapolo francez a i5.
Vendem-se pecas de 'madapolo enfestado com
12 jardas a 45 e'45300, ditas de 24 jardas ns. I1G
SALSAPAREILHA M BRISTOL n-*i,^di\?'^i^^j,llitan:t7rta lf,;
paletots, colletes, capas para senhora, roupas para
meninos a '1-5 e :!>>() o covado, isto na loja do
Pavo, rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A roupa do Patio.
Vendem-se paletots de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muito boa a 125, ditos muito linos a
16-3. 20?, 253 e 305, calcas de casemira prela boa
fazenda a 45300.53, 63,'"5 e 85, paletols saco
dila de panno preto a "5, ditos de casemira de
di-
PKEPAIl E.\( IV. ....: ...;
L.;.\:..N &. kemp ; x.v v..-:;;:.
Mid'tiiiVi a rea tia Dr. '.'.*'. /;.'/ >L
venda as boticas de Caors A Barboza,
rua da Cruz, e Joo da C. Bravo A|C, ma
da Madre de Dos.
SS95, dita XX 8*300, algodaomoito encorpado| pret0j ditosdebrim de coi
35300 e 65, dito carne de vacea a t-> : na rua de cor a .rl5 -^ (i5) 7^
-Vende-se a armaco da loja da ru'a larga de Peratriz n 56 loja e arinaiem da -
,.;iiaiS laabertaatcasfl horas da npite.
cor a
63 e 75, ditos de alpaca preta, ditos de merino
ires, calcas de casemira
ditos de caxemira da
mperatriz n. 36 loja da Arara. Escossia a 35, dtos'de'brim pardo a 2530, dito=
llriin de linlio a i:>_80, de cor a 25 e 23500, ditos brancos muito finos,
Vende-se brim de linho para calca a 15280, to na leja do Pavo, rua da Imperatriz 11. 60, Je
15400, 15800 e 15600 a vara, brim liso para se- Gama & Silva,
roulas e lences a 500, 560 c 640 a vara, braman-
te de linho i 23200 a vara tem 10 palmos de lar-
gura, bretanba de linho a 640 e 800 rs. a vara,
brim pardo.-i 800, 640 e 1-3 a vara : na rua da Im-
Arara, a loja es-
va c-
quando preciso for, tra-
tar de cavados : quem (ver, procure no escripto-
rio n. 17, rua do Trapiche.
Vndese uma armaco nova de amarello,
para tirar da casa, e gaz : na Passagem n. 1.
Vende-se a meiacao de uma casa terrea em
bom local, com os commodos seguintes : 0 quar- j
tos, 2salas, cozinha fra, quintal grande : a tratar;
na rua da Imperatriz n. 6, ou Mondego n. 24. Ven-:
de-se toda tambem no caso de fazer-se negocio.
- Km Santo Amaro de J.iljoatao na loja
apaz junto ao professor vende-se bilhetes de to-
das as loteras da nrovinda.
Rosario n. 33, muito propria para iniudezas ou
outro qualquer negocio por ser em muito boa lo-
calidade : a tratar na mesma loja, o 11 rua de
Apollo n. 8 com o Dr. Jos Joaquim de Souza.
Hiclias hamburguezas
Vendem-se bichas de primeira qualidade : r.a
rua Nova n. 61, defronte da Illuia. cmara muni-
cipal.
X
w -
_! =J
c. r. < o ~ > > r:
_ a s "
05 r- -
3 2 ==-!
1l
5 C. v. r.
r u "
5.S3P-
T3 _
-
5 Ha sr
2 a
V. -_
^-. j
o
za
. S g o a. P?
W
=. % =>
si
WA 3
o r:
1

"JM
DENTSSTfi DE PAR
19Kua Nova-19
Frederico Gautier, cirurgio dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artiflciaes, tudo cora superio-
ridade e perfeieao, que as pessoas enten-
didas lhe recon'hecem.
Tem agua e pos denuncio.
Wi-'.'S 1 4fllina Nati19 Santo Amaro de Jaboato, sito margem da estra-
da da Victoria, distante 6,800 bragas da cidade do
Recife, com boa casa de vivenda, senzala e casas
de moenda, caldeira, distilaco e estribara, tudo
de pedra e cal, em bom estado, sendo o cercado o
melhor que se conhece na freguezia, com trras
para safrejar 1,500 paos de assucar, e proporcoes
i para ser transformado em moenda de agua por"ser
; banhad por delraz pelo famoso rio Jaboato, e
pela frente pelo riacho Mocaba. Tambem se ven-
dem alguns escravos, bois, animaos de roda, com
, os mais utensis proprios ao fabrico de assucar :
-------;^_:-------r os pretendentes poderlo entender-se no engenho
Aluga-se um sitio na estrada da Ponte del coma vuva e herderos.
l'choa e a margem do rio, pouco adiante do Illm. ------------------------^-------------------------3-
Sr. commendador Xery Kerreira, tendo banheiro,!, -.Vender uma casa terrea sita na rua do
palanque, galinheiro e outras acommodacoes; e; Jasmim freguezia da Boa-Vista : na rua do Ale-
outro dito no Monteiro, em frente ao oito da igre- crim n. 10.
ja : a tratar cora Antonio Jos Rodrigues de Sou-
za, rua do Crespo n. 15, ou eslreita do Rosario nu-
mero 32.
o 5 : _i- X
um engenho. fazenda de ga
do, diversos predios, porcao [
de escravos, anima es rac-^i^n
3 g 3 ? S
w -
Cfc
_ c- r* = 2 2.,
2 2 =- ~- T -
B8g.fe-|i
- CB
3 S S c.
-n~.-_.ei ce.
2 o ~r- _,_
s ?* 3
2 S
lis
__ S9
e;
_ 2
2 3
Bt9
es
I'recisa-se de uma ama de leite : na rua Im-
perial, sobrado n. 87.
PIXE.
i^^'M mmm mmi
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na rua do Impe-
rador n. 17,2" andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do dae da noite
para o exercicio de sua prolissao de me-
dico ; sendo quo os chamados, depois de
meio da at 4 horas da larde, devem ser
dexados por escripto. referido Dr.
nao abandonando nunca o e.-itido das
molestias de interior, prosegue, com o
maior alunen, no das mais dilficcis e deli-
\ cadas operaces. como sejam dos ergios
i ourinarios, dos olhos, partos, etc.
Aluga-se a lo a da casa n. 40 da rua das
cheiras: i.a rua da Aurora n. 36.
Trin-
Precisa-se alugar uma preta que saiba cozi-
nhar e engommar : quem a tiver, dirija-se rua
do Trapiche n. 4, quo achara com quem tratar.
A luga-se o terceiro andar da casa n. 48 na
rua do Trapiehe : a tratar no armazem da mesma
casa.__________________________^_______
Gramiualica ingieza e prtupeza.
D. Appleton & C. livreiros.editores e importado-
res em New-York, Estados Unidos da America,
acabara de publicar um nevo methodo para os n-
glezes aprenderem a llngua portogneza por F.
Granert, 1 rol. 12 mo.
Este livro, o melher at hoje poblieado ex-
pressamente impresso para supprir a immensa fal-
ta que ha de uma graromatica ingieza c portu-
gueza, para aquelles que fallara o inglez c que de-
sejam aprender a lincua portugueza.
D. Appleton & C. sao os editores das obras em
hespanhol para educacao muitissimo usadas no
sul da America. Tambem publicara os melhores
albuns para cartSes de visita.__________________
Naques sobre Portugal.
O abaixo assignado, autorizado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pravas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer s-mma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que temarem
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Maneo, descontando 4 0|0 ao anno: na
loja de chapos da rua do Crespo n. 6, ou
na rua do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
Vende-se pixe duro mais barato do que era ou-
tra qualquer parte : no armazem da bola amarel-
la no oito da secretaria de polica.
DR C IV. 111:\\C IIY.
ciitco inglez,
e habilitado pela faculdade de medicina da Babia,
tendo voltado Pernambuco, pode ser consultado
todos os dias em seu gabinete, rua do Brum nu
mero 74.
Oflerece-se uma ama de leite
gario n. 27, segundo andar.
na rua do Vi-
Arrendase, vende-se, ou mesmo troca-se por
casas na praca um sitio na Varzea margem do
ameno Capibaribe, com duas grandes casas, com
7 quartos, 4 salas, 2 coznhas e um sotao, tendo a
parte cocheira, estribara, e quartos para criados,
todo plantado do arvores de fructo, abacates, sapo-
tis, fructa-po, limo doce, limas de umbigo e da
Persia, larangeiras de umbigo, soletas, tangerinas,
etc., nm grande cafesal com frucias, jaqueiras,
mangueiras, coqueiros, dendezeiros, eom mais no
fundo uma casa de taipa, e bem assim mais 4 ca-
sas de lijlo acabadas de pouco tempo, com frente
para o nascente, muito frescas, tendo cada urna 2
salas, I quartos e eozmha fra : os pretendentes
dirijam-so rua do Queimado n. 27, loja de fazen-
das dos Srs. Custodio A; Carvalho.
Precisa se alagar uma preujscrava para
rvifo de uma pequea f
c n- 8, primeiro andar,
Miguel Jos Barbosa Guimares socio prin-
cipal da firma de Guimares Lima, faz sciente
a todos os devedores a esta firma que -tendo falle-
cido o socio Jos de Almeida Nuaes Lima, est
procedendo a liquidagao da mesma e por Isso pe-
de a todos os devedores o especial favor de man
venbam Ter.
Na rua eslreita do Rosario n. 33 vende-se por
preco barato uma mobilia de Jacaranda com pouco
uso c moderna, uma cama franceza e um lavatorio
com pedra de amarello.
Belem.
Vendem-sc dous sitios na estrada de Belem, sen-
do um ao p da igreja com 680 palmos de frente,
pequea casa de taipa, e alicerces para uma boa
casa e fructeiras, e outro na estrada com 209 pal-
mos de frente e 1,200 de fundo : a tratar em
Santo Amaro, travessa do Lima, casa defronte de
um quintal com porlo de ferro.
ATTMgAO.
Vende-se um sitio no lugar da Ipiranga, com
casa de vivenda, muito boa cacimba, com tanque
e novo, muitos arvoredos e novos, boa trra para
plantaco : a tratar nos Afogados, rua do Motoco-
lemb n. 39. _______
Ve.nde-se uma canoa grande, propria de car-
regar capim, ou mesmo para familia, por prego
commodo : a tratar na rua Formosa n. 12.
Vende-se a taberna n. 10 da rua do Rangel:
a tratar na mesma.__________________________
Vendem-se quatro moradas de casas terreas
em chaos proprios, na cidade de Olinda, tendo
uma deltas um sitio com varios arvoredos, e mais
um sitio sera casa na Estrada Xova : a tratar na
mesma cidade com o Sr. Luiz Jos Pinto da Costa,
e nesta praca com Bernardino Jos Leito,no paleo
da matriz de Santo Antonio n. 8.
Vende-se a casa terrea na Boa-Vista, traves-
sa de Joo Francisco n. 9, tem 3 portas, 2 janellas,
c portao para c oito, faz esquina para o becco do
Quiabo, e foi reedificada toda o anno passado : a
tratar na rua da a legria, casa n. 28.
1.1
ATTENCO
Vende-se uma taberna em uma das melhores
ras do bairro da Boa-Vista, muito bem atrege-
servico de uma pequea familia : rua das Cru- tjarem saldar seus debitar p mais breve possivel. zada para o mato e para a trra : a tratar pa rua
I Recife, 9 de jnlho de 1864, I do Aragao n. 36. .
5

cuns e cavallares.
Seita-feira o de agosto.
Xa cidade da Parahlba, rua do
Varadonro >.
Jos Luiz Pereira Lima, tendo resoWido termi- i
nar a responsabihdade que tomou sobre parte do |
passivo de. sua extincta lirma commercial, espora
concurrencia publica, por venda em leilo, to-
dos ou parle de seus bens conslando de :
Um engenho denominado Graca, distante uma
pequea legua da cidade, com todas as bcinfeito-
rias e obras, como sejam : um magnifico sobrado
apatanado com 16 janellas de frente, igreja o uma
casa terrea com 70 palmos em quadro, casa de
engenho firmada em columnas todas de pedra, ca-
sa de caldeira c em seguimento casa de purgar
cora 70 palmos de largura e 280 de comprimenlo
inclusive casa de destilaco, sendo estas obras to-
das de pedra e cal. O engenho moe nicamente
cera agua de uma vertente extraordinaria sobre a
roda que nova e de madeira de amarello com 44
palmos de dimetromoenda nova e toda de fer-
ro assentamento completo com as caldeiras pre-
cisas todo o fabrico.
As trras de que o engenho se compoe tem uma
exlenso de legua quadrada, bem devisada e de-
marcada, com porto de embarque, e varios sitios
com casa e muito arvoredo de fructo, e bem assim
infinitas pedreras para cantara, lasca e cal, para
0 que tem varios rnos slidamente construidos.
Uma casa de sobrado de tres andares e solo,
com cinco ponas de frente na rua do Varadouro.
Uma dita de dous andares e sotao, com tres
porlas de frente na mesma rua.
Uma dila terrea rom cinco porlas de frente e
sotao tambem na mesma m.
Um grande terreno de marrana com fronteiras
para armazens na rua do Zumb.
Uma casa terrea junio ao quai tel de primeira
linha.
Uma oita de sobrado com cinco portas de fren- **
te, muito bem construida o ao gosto moderno na
rua Direita da cidade alta.
Uma dita dit* com quatro portas de frente,
igualmente bem construida o annexa anterior.
Duas ditas terreas no becco da Companbia.
Uma fazenda de gado situada na Ribeira de
Crumata em duas leguas de trras cem duas si-
tuacSes de gados, curraes, aguds, e boas calingas
para plautacoes de todo o genero.
Vinte e cinco escravos de todas as idades.
Animaes de roda, bolada mansa, e vaccas tou-
rinas.
X. B. O leilo lera lugar no dia cima designa-
do pelas 10 horas da mauha em uma das casas
la rua do Varadouro.
.<*?
-1 ~
2 & ?
-
ei
ce
C 3
"> _"
3
09
em.
HACHtMSbEPATENTE
de trabalhar a mo para
dcscarocar algodao
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Estas machinas
podem dcscarocar
qualquer especie
de algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duaspessoaspara
o Irabalho; pode
dcscarocar uma
arroba de algo-
dao em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
Esta machina
a nica que
possue as vaniagens de nao destruir o fio do al-
godao e de fazer render o dobro de qualquer ou-
tra com menos trabalho, a sua introdcelo para
as provincias deste imperio ser de muito valor
para todos os nteressados na lavoura do paiz.
Assim cora machinas em ponto grande do mes-
rao systcma.oraql serem movidas por animaes,
agua ou vapor, pas uae podem descarocar 18 ar-
robas de algodao ampo por dia.
O algodao descarocado por estas machinas tem
ljrj*S3ET qnalquer das propiedades' SJ^ .W """^ ^^ *
podem desde j dirigir-se seu proprietaro para
obter informacoes de qualquer natureza que se
jam relativas posse, dominio e deraarcacao de
imites.
Alcatrao.
Vende-se alcatrao do gaz pelo preco da fabrica :
no armazem da bolla amarella no oito da secreta-
ria de polica.
Cal de Lisboa em pedra.
Chegada hontem.
Ha para vender : a tratar no largo do
1 Sanio n. 19, armazem.
Corpo
lia cor(lua Vendem-se ricos cortinados proprios para janel-
la e camas pelo barato preco de 9-5 o par, sendo o
melhor que ha no mercado : na roa da Imperlriz
d. 60, de Gama o\ Silva.
As rclclias do Pavo.
Vendem-se cok-has de linho alcochoada iro-
prias para cama pelo barato preco de 55 cada urna
na rua da Imperatriz 11.60, de llama t Silva
I s precaias do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas que lem rin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor fran-
cez, pelo barato preco de 600 ra. o covado. duas
delislrinha muit miudinhas proprias para vcsi -
e roupas de meninos e meninas pelo luralo prca
de SOu rs. ; so Pavo rua da Imperatriz n. OJ,
loja de Gama c Silva.
Os soiEteaabarques do Pavo
IO c 15$ s o Pavo.
Vendem-se os mais lindos souteanbarqnes que
lem viudo ltimamente de lazinha e caxemira ri-
camente bordados c enfeitados, cores muito delica-
das p'-lo barato preco de 105 e 15-5 ; fazenda esta
que em outras lojas se veniiem por 205 e 238,
s para liquidar : na loja e armazem do Pavo i
rua da Imperatriz n. 60 de Gama Ai Silva.
_s chitas do Pavo g-IGO e
/jwoo o corte.
Vendem-se corles de chita com doze covados
cada corle, dilos com dez covados a 2,5400, fazen-
da muito boa, e que nao desbota, s na loja do Pa-
vao tem esta peclnncha ; a rua da Imperairiz n-
60 de Gama Silva.
L.as de una s cor.
Vendem-se lazinhas de uma s cor, sendo en-
carnada, azul, cinzenta, cor de cafe, lirio claro, li-
rio roxo cor de perola pelo barair-simo preco de
640 o covado, fazenda muito fina s o Pavao, rua
da Imperatriz a 60 loja e armazem de Gama a
Silva.
Panno de linho.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences, toa I has e ceroulas pele
baralo preco de 640 rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 25500, algodozinho
monstro com 8 palmos de largura a 15, pecas de
Hamburgo com 20 varas a 95, 105 e 115, pecas de
madapolo fino a 75500, 85, 95 e 105, ditas de
algodozinho a 65, 65500 e 75, e outras militas
fazendas brancas que se vendem muito baratas
afim de apurar dinheiro : na loja do Pavo rua da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
O bramante do Pavo com doze
palmos de largura.
Vende-se bramante de linho puro, milito fino com
doze palmos de largura o melhor e mais largo ime
lem vindo ao mercado pelo barato preco de 25800
rs.a vara 5 s na loja do Pavo de Gama Si Silva,
aua da Imperatriz n. 60.
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas de lis-
trinha muito miudinhas proprias para vestidos e
roupas de meninos e meninas pelo barato preco
de 500 rs.: s o Pavo rua da Imperatriz n. 60,
loje dt Gama Silva.
Os bales do Pavo.
Vendem-se crinolinas ou bales de 30 arcos lan-
brancos como de cores, sendo americanos que
sao os melhores por se nao qnebrarem a 35500 e
de 35 arcos a 45, ditos de musselina cora babados
45, ditos para menina a 25 e 35 : na loja do Pa-
vo rua da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
0 Pavo vende 8j.
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos a
Maria Pia, com lindas harpas de seda, sendo che-
vende-se por maior preco.
As machinas se achara venda unicamenie em' j_dos pel ultimo vapor francez pelo barato preco
de 85 cada um : s na loja do Pavo rua da ln pe-
casa de
Saondert BrelhersiC.
X. II, praca dio Corno Manto
RECfFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Fio de algodao d. Baha em saceos de 100
libras.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C.,ao seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
Vende-se taberna da
53: a tratar na mesma..
rua de Santa Rita n
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os bales do Pavo.
1 26'i00 s o Pava.
Vende-se bales com 20, 25 e 30 arcos pelo t-
raiissimo preco de 25300, assim como tem nm
completo sortimento de baldes para meninas de io-
dos os tamanhos pelo baratissimo preso de 25.'W'
notando que sao bales de arcos os melhores q<>
tem vindo da America Ingieza, vendem-se por este
preco para liquidar : s na loja e armazem o
Pavo rua d. Imperatriz n.60, de Gama

Diario de Pera&mbnco iuiula elra 3 8 e uio de 18 4.

MME

BIJA DO QUEOIADO N. 15,
Passando o becco da Congregado segunda casa.
nrri




NO VID ABE.
Pereira Kocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Ctnmercial,
onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
aero vendidos por presos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se o bom peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao, da ludia e Java aGO, 80 Ccvadinha de Franga muito superior a 220, Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra'
e 100 rs. a libra e 1>800 a 2600 e 3
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
1^200 e 10800 emraseos grandes a
2#500.
dem em caixinbas elegantemente enfeitadas
rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
Ervilbas portuguezas a 640 rs. a lata,
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em caixinbas
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 65200 a frasqueira.
dem em garrafoes de 3 e 5 gales a 50500
e 70500 cada um com o garrafio.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 rs. a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
com Reas estampas no interior das caixas 10800, 50500 e 280 rs. a libra.
a 120000,10400,10600 e 20.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez muito uno em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelaas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor efinada a 440 rs. a libra e
e embarrila 410 rs.
Cha hyssoo, huchin e perola a 10600,
20500, 20809 e 30000 a libra.
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado do ultimo vapor e
900 rs. a libra.
Sal refinado em fracas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem, qualidade especial e garrafas muito dem stearinas muito superiores a600rs. a
grandes, a 10800 rs. a garrafa. libra,
dem garrafas mais pequeas a 800 rs. Figos em caixinbas emticamente lacradas
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi-, a 10600.
dro, a 10000 rs., s a garrafa vale o di- Vinho do Porto engarrafado n melhor que
nheiro. ha neste genero e de varias marcas, como
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem- sejam: Velho de 1815, Duqoe do Porto,
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Maria Pia,
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. a libra,
dem em lata a 640 rs.
dem preto muito superior a 20000 a libra. 'Marmelada imperial dos melhores conservei-
Cerveia preta e branca, das melhores marcas ros de Lisboa a 60o rs. a lata.
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa, Marrasqninho de Zara, frascos grandes, a
e 50800 a duzia. 800 rs.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa. dem regular a 500 rs.
Conservas a 720 rs. o frasco. Massas linas para sopa : estrellinha, pevide,
dem, s de pepino, a 720 rs. rodinhas e letr'anhas a 600 rs. a libra e a
dem, s de azeitonas, a 750 rs. 40 a caix'mha com i 2 libras.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000 e100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada.
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs.
a duzia.
dem Morgux eCbateaulurainide 1854, a 10
a garrafa.
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
SENTIEIO!


VAI FALLAR
K 38 Ra do Iivramento % 38
(Defronte da grade da igreja)
GRANDE

e especialmente da fabrica imperial de Peixe em latas preparado pela primeira arte, Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 10800,
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 e 80800 rs. a arroba.
de cozinha a 10 rs. a lata.
Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
Palitos de dentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas confeitadas a 900 rs. a libra.
10200 rs. a caada.
iKirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porejo de outros que deixamos
| de mencionar, e que tudo ser vendido por
Carines de bolinhos francezes muito novos e Doce de goiaba em latas o melhor possivel a pecas e carnadas, tanto em porgues como
muito bem enfeitados a 700 e 600 rs. | 20 e em caixio a 650 rs.
Chouricas e paios muito uovos a 800 rs. a Palitos do gaz a 20200 rs. a grasa.
libra.
Passas muito novas a 480 rs. a libra.
retalho.
Quem comprar de 1000000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
XAROPE TNICO REGENERADOR
DE QUINA E DE FERRO
Preparado por GRUti"i.T e C\ pharmaceulicos de S. A. I. o Principe Napoleao, laureados
da Escola de pharmacia de Pars, ra de la Feuillade, 7.
Esta nova combinacao rene debaixo de um pequeo volunte urna forma agradavel e um gosto delicioso.
lia muitu que os mdicos dcsejavfio ai (lentamente a leunio (lestes dous medicamentos, e todava, apezar
dos maiores esforcos, nem a iciencia medica, nem os qumicos os mais distinctos o poderlo conseguir
at aqui; grata* porm peneveranfa humana acho-sc hoje associadas estas duas poderosas substan-
cias, a ((ulna, o Inico, restaurador por cxcellencia, o ferro, a baze de nosso sangue, c conseguinte-
nii ,1c o reparador dos fincas e da audc alterada ou perdida. .
As molestias contra :s quacs o Xarope tnico regenerador se tcm mostrado muito cfficaz sao : as amc-
r.'.nluas, faltas de lurnsliuurio, dures d'cstomago, fastio, digestes penosas c tardas, flores brancas,
un nstiiK'.eoes diflirri, o lympliatismo,ocmpobrccimcnto do saugue, as escrfulas, os estragos produzidos
pelas molestias syphilitiea?.
lia apenas um* mno que o Xarope de quina e de ferro foi applicado nos hospitaes de Paris, e elle
hoje o nicdicaiiicnto mais em voga, substiluindo.porassim dizer, os medicamentos ferruginosos conhecidos.
O prosi celo encerra numerosos certificados de muitos membros da Academia de Medicina e professores
da faculdade que attcstao que este precioso medicamento o conservador da satidc ror cxcellencia, e
o reconstituirte da economa animal, indispensavel s pessas que habitu os paizes quentcs, como
preservativo das epidemias. ....
Acha-sc venda no deposito scral, em Pars, na pharmacia Griiuaut c c, ra de la lcuillade, 7;
em Lisboa, em caza do >ir Rodrigo cIh Costa-Carvalho, Barral e Oj no Torio, na pharmacia do
Sr Miguel-Jos de Sour.it Ferreira; no Rio-de-Janeiro, em casa da vlutu Pclxoto e Dlnis, ra do
Sabio, 11; na Baha, em casa do Sur JoMi-Cn-Inno Ferrelra-Enplnlielra; no Jo-Grandf.em casa do
Sr Joaqun de Godoy; no tiaranho, em casa dos Siirs Fcrrclru e c; em Pernambvco, em casa
do Sur iinr'liiiloiiieu-Fraiielseo de Soma; em casa dos Srs Sboum e C, e bem assim ifas prin-
cipaes pharmacias do Urazii e de Portugal.
?
i i
Deposito geral em Pernambuca na da Cruz n. 22 emeasa de Caros A- Barboza.

h
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bo
deaux, diferentes qualidades, mais barato
qualquer parte : no armazem de E. A.
u, ra da Cruz n. 48.
Vende-se urna casa em ('linda ra
doJogO da Bolla n. 23, em chaos proprios
com a frente e o fundo de pedra e cal e os
o toes "le taipa, cosinha na sala de detraz :
quem a pretender dirija-se ao Recite tra-
vessa do Veras n. 10.
Vendem-se duas carracas c dous bois muito
bons: na ra do Jasmim u. 21.
\ovos c ufe He* para senhora.
A aguia-branca acaba de receber um bello e va-
riado sortimento de enfeitos d diversas qualidades,
e o que de mais moderno possivel encontrar-se
aqui, fazendo-se noUveis por suas novidade e ele-
gancia un?, cuja grade de um fino e delicado te-
cido a que apropitadamente se chama invisivel.
Assim, vista desse completo sortimento, qualquer
cidado muaido de dinheiro est habilitado a com-
pra-Ios : ua ra do Queimado, loja d'aguia-branca
n. 8.
Bonitas bonecas.
Com rosto de cera, massa e porcellana.
Acha-se na loja d'aguia-branca ra do Queima-
do n. 8, um grande sortimento de bonecas de di-
versos tamaitos, com rosto de cera, massa e por-
cellana os pretendentes munidos de dinheiro
acharao boa disposicao para os vender.
Banha fina em copos de por-
celana dourada com ins-
cripcoes.
j beta conhecida pela boa freguezia d'aguia
branca a gaperioridade da banha que vem nos co-
pos de porcelana dourada com maviosas e jocose-
rias inscripeoes, as quaes agora vieram de novo
gosto, pelo que essa fina banha pode anda ser
mais conhecida por aquelles que quizerem fazer
um bom presente, com lanto que comparecam mu-
nidos de dinheiro na ra do Queimado, loja d'aguia
'ranea n. 8.
Entelopcs bordados e carines com bei-
ras douradas,
Na loja da aguia branca, ra do Queimado n. 8,
achavara-se venda bonitos envolopes bordados e
cartdes com beiras douradas, tendo de uns e de
outros, maiores e menores, proprios para partici-
paces de casamentas, bailes etc.
Vende-se alpaca preta a jOO rs. o covado.
Vende-se alpaca preta para vestidos a 500, 600,
700 e 800 rs., fina de cordao a 800 rs. para pale-
tot, princeza preta a 800 e 640 o covado, bombazi-
na preta fina a i400 o covado, laazinhas preta
para senhora que esto de luto a 720 o covado :
na ra da Imperatriz n. 56. A loja est aberta at
as9horasdanoite.
iompleto .voriiBcuio de litas
Gnas, lisas e lavradas.
A aguia branca i ccebcu um grande e completo
sortimento de filas de diversas largurase qnalida-
des, ututo lisas como lavradas.'e om todas ellas co-
nhece-se a superioridade da fazenda, notando-se
as lavradas o bom gosio dos novos e lindos dese-
nhos, isso tanto as matisadas como as brancas,
c pela commodidade dos precos o pretendente que
se dirigir munido de dinheiro a ra do Queimado
loja da aguia branca n. 8, ser bem servido.
Capachos inglezes.
Na loja da aguia branca, ra do Queimado n. 8
[ vendem-se bons capachos inglezes, os quaes alm
de bonitos sao de immonsa duracao, pelo que se
lornam baratos pelos precos de 45, 5$, 6 c 7,5
cada um.
Carias francezas.
I A aguia branca, na ra do Queimado n. 8, rece-
I beu um novo sortimento de linas cartas francezas
i com btiras douradas e brancas, e as est venden-
!do baratamente a dinheiro vista.
SAI' VI OS E BURRAf HA
a P tOOO. i#500 e 3$500 o par
na ra do Queimado loja d'Aguia-Branca n. 8.
latas com banha fina.
J por diversas veres a aguia branca tem rece-
bido dessa banha fina em latas, e tal tem sido a
prompta e rpida extracciio della, que nao tem da-
do lugar a aguia branca'avisar a sua boa fregue-
zia, pelo que talver. a maior parte della s agora
saliera da vinda dcs^a boa banha. Ella vem em
latas de i|2 e i libra, e contina a ser vendida pe-
los haratissimos precos de i& c 3000. Apar da
superioridade da qualidade della esto os agrada-
veise linos cheiros de rosa, jasmim, Uranja, bou-
quet, e llor de Italia. A boa freguezia assim scien-
te dirigir-se com dinheiro ra do Queimado,
loja d'aguia branca n. 8.
Botes de cornalina
e outras qualidades para coletes
A Aguia branca acaba de receber um novo e
variado sortimento daquelles apreciados botoes de
cornalina trancos e encarnados, chatos e redon-
dos para coletes, cujas abotuaduras coottnuam a
ser vendidas pelo coinmodo e inalteravel preco de
i$ cada urna.
Alm desses recebeu tambem outros de madre-
perola, massa e osso, com differen/es moldes para
o mesmo lim.
J se v, pois, que o pretendente munido do di.
nheiro achara sortimento vontade na ra do
Queimado loja d'Aguia branca n. 8.
BU SIMIOS ECAIX1MIAS
com perfnntarlas.
Na ra do Queimado n. 8 loja d'Agua-Branca, os
freguezes munidos de dinheiro encontrarlo, boni-
tos bausiohos cobertos de coaro e com 6 trasqui-
laos de extractos por ifioOO cada uro, e outros
cobertoj de papelao com 9 frasquinhos por 2,5000
um; caixiohas com 6 frasquinhos de ditos por
14000 urna, outras com 12 ditos por 2*000 urna,
outras com 3 ditos, cuja coberta parece tartaruga,
a itfOO cada urna, e outras com paslilhas de chei-
ro a 500.1,5000 c 2*000.
O dono da lojadoBeija-flor, na ra do Queimado
n. G3, acaba de abrir un outro espacoso estabcle-
cimputo de miudezas na mesroa ra ii. 69, por isso
avisa aos seas freguis e amigos, que nestes dous
estabelecimetilos eucontrarao sempre grande sorti-
mento de miudezas, perfumaras eobjectos de gos-
tos; e vendet sempre mais barato que outro qual-
quer, como abaixo se ver.
'cntes douradosde Iravessa.
Delicados pentes dourados de iravessa para me-
ninas- a 1*500 cada um, ditos seni ser dourados a
'OO rs. cada um : nas lojas do Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
V'olliuhas de aljofares.
Lindas vollinhas de aljofares com cruzes de pe-
drnhas imitando a brilhantes a i,5 cada urna : nas
lojas du Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Linas de Joiivd
Chegaram pelo ultimo vapor as desojadas luvas
de Juuvin de tudas as cores, tanto para lioniens
como para senhoras : nas lojas dj Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
fallieres para meninos.
Vendem-se lalheres de cabo de balanro para me-
ninos a 280 rs. o talher : nas lojas do Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Colheres de metal principe.
Vendem-se colheres de metal principe muito fi-
nas para sopa a 360U e 4*'i00 a duzia, ditas para
cha a 2* e 2*400 a duzia, ditas para assucar a
500 rs. cada uma, ditas para terrina a 2* cada
urna, e s quem vende por estes precos as lojas
do Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e 69.
Facas e garios.
Vendem-se facas e garlos oitavados a 2*800 a
duzia, ditas cravadas, cabo preto e branco a 3* a
duzia, ditas de balanco de i boto finas a 5*200
ditas de 2 botoes muito finas a 6*500 a duzia, ditas
de 1 botao para deces e fructas a 5* a duzia, ditas
de 2 botoes a 5*200 a duzia : nas lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas, a peca a 1*100, 1*200
e 1*300 : nas lojas do Beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Bailados bordados.
Vendem-se babados bordados de varias larguras
a peca a 1*600, 1*800, 2*, 2*200 e 2*400 : nas
lojas do Be'ja-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Lindos sapatinbos.
Vendem-se lindos sapatinbos para baptisados de
enancas a 1*500 e 2* o par : nas lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e >9.
liniocs para punhos.
Vendem-se botezinhos demadreperolaedemar-
fim para punhos a 320 rs. o par, ditos encarnadi-
nhos a 120 rs. o par : nas lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas para debrom de vestidos.
Vendem-se fitas de la de todas as cores para
debrom de vestido a 900 rs. a peca, ditas pretas
de seda a 1*100 a pega : nas lojas do Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas brancas para debrum.
Vendem-se pecas de fita branca de linho para
debrum a 400 rs. a peca : nas lojas do Beija-flor
na ra do Queimado ns. 63 e 69.
Ricas litas lavradas.
Vendem-se muito ricas fitas lavradas para sinto
de senhora e meninas : nas lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Espelbos de Jacaranda.
Vendem-se espclhos de columnas, de Jacaranda,
a 3* e 4*500 cada um, ditos de madeira amarella
a 2*400 e 2*800 : nas lojas do Beija-flor, na ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas de velludo tstreifas.
Vendem-se (inultas estreitas de velludo para en-
feite de vestido a 900, 1* e 1*200 a peca: nas lo-
jas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Trancas de lia para bordar.
Vendem-se trancinhas de la pretas para bor-
dar camisinhas e vestidoa-a80 e 160 rs. a pecinha,
dilas brancas com 40 varas a 600 rs. a peca, e ou-
tras omitas cousas que setornarao enfadonho men-
ciona-las, pois s com a vista se poder ver o gran-
de sortimento das lojas do Beija-flor, na roa do
Queimado ns. 63 e 69.
Vinho do Porto superior ew^,*-^
dm caixas de uma e duas duzias : tem para ven*
eer Antonio Luiz de Oliveira Azevedo& C, no seo
cscriptorio ra da Crnz n.!.
kTmilm
Q ^ igilante est alerta, nao lhe era permettido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto afim de annunciar ao respeitavel publico
0 grande sortimento degalantarias do melhor gosto
propriamente para qualquer mimo, que acaba de
chegar neste ultimo paquete, assim como muilos
outros objectos que recebe por diversos navios,
tanto de sua conta como de consignacao, que esl
resolvido a vender por precos muito baratos para
vender muito e ganhar poco, e dar extraeco ao
grande deposito que tem, que espera merecer a
proteccao do respeitavel publico, empregaudo para
isso todas e as melhores diligencias para que i-
auem satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, ra
o Crespo n. 7.
lucas porta-joias.
Cofre de muito gosto por 16^000
Cestinhas transparentes, forradas de madre-
perla por 18*000
Lindas jardineiras 10*000
Ricos cofres com camapheu 10*000
Lindas caixinhas com pedras brancas 10*000
Lindo balo com calunga dentro tambem
para joias 165000
Tambalier para ditas 9*000
Cestinhas idem idem 0*000
Cosmorama idem idem 6*000
Urnazinha 6*000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sintos
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e 15*, ditos sern
bolea, porm do mesmo gosto, a 2*500, 3*, 3*500
e 4*, ricas fvelas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 1*500, 2*, 2*500 e 3* :
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Gabazes on cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bales para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 2*500, 3*500, 4, 5, 7 e 10* : s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alisar como para atar cabello, o mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sem elle para meninas : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Pentes
Tambem chegaram os riquissimos pentes de
concha de tartaruga e de massa fina, que se vende
por 2*, 3 e 5* : s no Vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Leques.
Riquissimos leques de madreperola, tanto para
senhora como para mocinhas, pelo barato preco de
12 e 14* : s no Vigilante, ra do Crespo u. 7.
Mais leques.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ba-
rato preco, a 8* e 10*, chineze=, muito bonitos,
tambem por barato preco de i e 5*, bentarallas
muito bonitas tambem por barato preco de 4 e 5*.
leques de charao tambem por 1*, tudo isto para
acabar, perdendo-se talvez 80 0(0 : s no Vigilan-
te, ra do Crespo n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de conias-c de missanga, cores
muito lindase de muito gosto a 1* e 1*200.
I'ara segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinbas estreilinhas de
1 borracha que as senhoras tanto precisara para se-
gurar os manguitos por ser muito commodo e mui-
! to barato, a 320 o par : s no Vigilante, ra do
i Crespo n. 7.
Carretas.
Riquissimas carretas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baratissimo preco de
1*500 e 2*.
Yoltiuhas.
Lindas voltinhasdcperolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avulsas
e vollinhas, pelo barato preco de l e 1*200, as
cruzes avulsas a 400 rs. : s no Vigilante, ra do
1 Crespo n. 7.
Sapatiiihos e meias de seda.
Riquissimos sapalinlios de seda e de merino en-
feitados, assim.como meiaszinhas de seda, gorra-
zinhas o totiquinhas para as criancinhas se bapti-
siireni : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Golinlis.
j Riquissimas goiinhas e manguitos, o melhor gos-
, to possivel, a 2*, 2*500 e 3* : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfrites para senhora.
Riquissimos enfeiles com laco e sem lace e de
| outros muitos gostos a 1-3. 1*500 e 3* : s no V-
gialnle, ra do Crespo n. 7.
Traneelins.
Lindos traneelins de cabello (tara relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo preco de 1*500,' ditos de
; relroz a 200 rs.
Babadinhos culrciwcies.
j Riquissimos babadinhos ntremelos com lindos
desenlies tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 1*200, 1*300, 2* e 3* : s no Vigilante,
, ra do Crespo n. 7.
Oscarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
i larguras, assim como galozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites : s no Vigilante, ra do Cres-
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e qualidade, por precos que admiram aos compra-
I dores, havendo filas "largas proprias para sinteiros
que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca de 3
varas a 2* : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Fitas de la.
Fitas delaa de todas as qualidades, proprias para
debrum de vestido a 700 rs. a peca : s no Vigi-
lante, ra do Crespo n. 7.
Kicos espelhos,
Riquissimos espelhos com moldura dourada e
sera ella de 8*, 10,12 e 14*, assim como coa co-
lumnas de differentes tamanhos a 2*, 3, 4, Se6*:
s no Vigilante.rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros c figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui
tem apparecido : s no Vigilante.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com noneca para pos de ar-
roz, cousa de muito gosto a 1*500 e 2*, assim co-
mo pacotes s com os pos a 320 rs. cada um : s
no Viglante, ra do Crespo n. 7.
Perfil ni arias.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como os lindos copos ou vasos com dis-
tinctivos e offerecimentos s sinhazinbas, dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris-e Ingla-
I trra, assim como os grandes copos de banha japo-
neza a 2* e a 1* ; assim como outros objectos que
nao possivel por boje annunciar, e vista dos
freguezes se far todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ti Ha, volantes e gales.
Vende-se trina, volantes e" gales de todas ae
larguras por precos muito barato: s no vigilants
! ra do Crespo n. 7.
Ra da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
| ferro coado libra a to rs., idem de Lo*
Moor libra a 120 rs.
Sebo do Porte
Para os fabricantes de Telas.
Vende-se sebo do Porto de superior qualidade
em caixas de uma arroba especial para velas de
'. composieao : na ra do Vigario n. 26.
AR1IA1ID
h
i
VEKDAUE1KO E PROCIPAaL
Ordem do dia.
Est fm discussSo a tabella dos procos que o BALIZA tcm a huma de offere-
cer ao respeitavel publico lauto daridade con.o do centro.
Se por isla publicacSa qualquer um dos iwbrcs collegas entender necessario
fazer alguma alteraco em sus annuncios, digne-se mandara sua emenda para o jornal,
que o incansavel Baliza nao 1 tic pora peias nem o embaiacara de forma alguma a benefi-
ciar o povo.
Amigo de vender barato o Baliza nao expoe a venda seiio os gneros bons.
Elle scjulga no caso de vender to mdicamente como oulro nao o exceder
Soldado soprador toma o clarim
E firme como a rocha fica assim
Nao toques nesse pessimo instrumento
Do Balisa ollia s o movimento.
1? i que lie tudo YCtt \~to pasanes vendo como subraneciro
l>o regresso o EiaEisu a ira afronia.
O grande depeso que limos de vinho nos obliga a abaixar seus pie -
achando-se vista dos compradores cerca de 3."i a 10 pipas deste genero, entre pipas,
banis e ancoretas.
Amendoas confeitadas em lindos Irascos a 8oo i Ling tas americanas mnilo n< vaso muito gi sn-
-rs. a libra '^ a 1-|:i,(' rs- CiU, limn-, .. ,
dem com casca a 32o rs. a libra. Linguicas promptaseai talas a l.voo c da .ata.
Ameixas francezas em caixinhas c fiascos a
i,2oo, 1,oo e 2,ooo rs.
Alpista a IGo rs. a libra e l,6oo a arroba.
Arroz do Maranhao, Java e do Penedo a 8o,
loo e 12o rs. a libra, em arroba a2,opo,
2,8oo e 3,2oo.
Azeite doce refinado a 8oo c_ loo rs. a gar-
rafa.
Manteiga ingleza llor a 8oo rs. a libra ncsii
genero h i mi is de Id ..ti-- abortos afim di
. m salifei! os compradores.
dem moni s upei ior a Co rs.
Manloiga inglc/a a ."i 32o i a Jibia
Idem frai'.ceza ii ':':". G 11 oio rs. e em! h
ril por ilcitos.
Mass de tomate a 6o rs. a libra.
dem idem em tarril a Co rs. a garrafa e Marmo!?da dos mi lli i fabricantes a >-'
4.8uors. a caada. >'* '' -'''
Ancoras com vuilio do Porlo, encommenda Mullios inglezes n .....Un>r:. agarra,
feita pelo proprielario do Baliza a 3o,ooo Mublartla tueparada a -icio e tT4o rs. otra> o.
rs. a ancora com Tu garrafas. Maesas [.ara sopa v rs.a libra ilasdc ta-
Bolaxinhas de bisba, ingleza e americanas llsarim, etnc emacanao.
em latasa l.loo, l,3oo, .ooo e 3,000rs. bien, linas csU'Cilmha epeviue a 3,ooo rs.
barricas a 3,ooo rs. a
e americanas em
barrica.
Banha de porcoaoors. a libra e,cm barril,
a 3Co rs.
Btalas em gigos a I,.'Ion o gigo.
Cha perola a 3,non rs. a libra,
dem irxim a 2,Coo o 2,8oo a libra,
dem hysson a 2,ooo, 2, loo
dem do Rio a l.Coo rs. a libra.
dem preto a l.uoo e 2,ooo rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
ettio de Janeiro a 8oo rs. e l.ijt.i. 2,ooo,
2,loo, 3,001). 3,000, i.ooo e 3,ooo rs. o
cento.
Chocolate dos melhores fabricantes de Taris,
Allemanha, Hamburgo o Lisboa
c
id
caixa.
Milito muido par ; i-, ai >s a Ko rs. a .
o i.Sun a arroba.
Marrasquino de zara do \ niadeiro a l,5ooo
frasco.
dem ni- ni uj ior a Roo e l,coo rs. ;;
fiasco.
2,8oo. alibra. Nozes a 21o rs, libia.
Preztinlu pi'tiigi! ''< su] eriorqualidae a
Co rs. libra e iiitfim | or ji o rs.
dem ingle-/. ; ara fiambre a liln rs. a libra,
nfi a m idopoisdepre arad',
|it del M'i" devi lio, qti'i e lr< ra pi I
ouiao u restil. s ii importe.
Passas novas a it o rs. a libra.
Hlvo a IGo rs. a libra.
opos lapidados para vinho a 2,8oo a duzia. Painco a Ho rs. a libra.
iem idem para agua a 5,00o, u,5ooe,ooo Pomada a 2o rs a dnzia.
re ., (|IIZ;, 1'iuKiila du reino a ]',; i<. a hora.
Cerveja das melhores marcas a i,ooo, JS.ooo Peras seccas a Go rs. a libra.
e G,ooo rs. a duzia. Peixeem latas a I.ooors. a lata.
Cravo canella c coniinhos. Papel almassoe do peso, de diversas ,a-
Ceblas em molhos restease soltas. lidades c precos deferentes.
Conservas inglezas a 8oo, 9oo e l,ooo rs. o, Paulos do gaz a 2,2oo a groza.
. c II ..,, ...... I....I ... fin ir... o Irasco.
Dittas francezas a ooo e 01o rs. o frasco.
Cognac inglez e francez a I,ooo rs. a garrafa.
Caf de 1.a, 2.-'1 e 3 qualidade a 8Soo 9,ooo
e 9,5oo rs.
Ccvadinha de Franca a 21o rs. a libra.
Champagne de muito boa qualidade a l2,ooo
e 2o,ooo rs. a duzia.
Doces da casca da goiaba em latas preparadas
com muito aceio, propria para memoziar
algum amigo na Europa, por ser inaltera-
vel por mais de um anno, a 3,000 rs. a lata
com 7 libras.
Diltos em caixoes a 56o, 01o, 8oo e l.ooo
rs. o caixio.
Ervilbas portuguezas em latas com 1 '/ li-
bras p"br 7oo rs.
dem francezas em latas a ooo rs.
dem seccas a 2oo rs. a libra.
Espcrmaceteamericano primeira qualidade a
1.2oors. a libra.
dem francez a o6o rs. a libra, c em caixas
a 52o rs.
Farinha d'arai uta verdadeira a 18o rs.a libra.
Farinha de trigo a 12o, 1 lo e IGo rs a libra.
Farinha de nlho a iCo rs. a libra.
Figos em caixinhas e em latas lindanmente
enfeitadas a 8oo c i,Seo cada um.
Fumo americano em latas para cigarros a
4,8oo rs.
dem em pacoles a 2oo rs.
dem em pasta a l,2oo rs. a libra.
Genebra de laranja a l ,ooo rs. o frasco.
dem ingle/.a marca Gato a I ,ooo rs. a garrafa.
dem de Hollanda a 6io e I.Goors. o frasco
pequeo e grande.
dem de Hamburgo, a 56o rs. o frasco o G,ooo
rs. a frasqueira.
Graixa em latas a 1,2oo rs. a duzia.
Limonadas de diversas fructas a l,ooo rs. a
garrafa.
Licores, inglezes e francezes a 1 ,ooo, I .ooo
e 2,ooo rs. garrafas grandes e pequeas.
dem para denles a 8o, IGo e 24o rs. o ma-
ro com vinte macinhos.
Gueijos llamengosa 2,6oo, do ultimo vapor.
Idem prato a Gln rs. a libra.
dem londrino a 8oo rs. a libra.
Rap Meuron a l.ooo rs. a libra.
Sevadinha a 24o rs. a libra, ( nova ).
Sag a 28o rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a Glo, 56oc 30o i t
lata.
Sabomassa a 12o, lito, 2ooc 24o rs. i-
bra.
e em caixoes |ior mnilo menos.
Sai retinada a Gn rs. o pi ic de vidro.
Toucinho ile Lislta, lie Sanios c ameru....a
a IGo, 2io e 3n rs. a libra, e einaiuoa
a .'i,ooo, 7,ooo e 9,ooo rs.
Tijollo para limpar facas a 16o rs. cada um.
Vinho do Poelo em ranadas ;t 3..'too. 1.000 H
5,000 rs. e em ancoras com 7o garrafas por
3o,ouo rs.
dem de Lisboa sem confeicco, (decncomen-
da) por o.ooo rs. o barril com 17 canu-
das.
dem de Lisboa mais baixo a 45,000 rs.
dem em pipas a 3,ooo, 3,8oo e l,ooo rs. a
caada.
dem em barril de Bordeaux com 13o gar-
rafas por oo.ooo rs.
dem idem de Bordeaux com 70 garrafas por
3o,ooo
dem em caixas por 5,ooo rs. a caixa com 12
garrafas da melhor qualidade que vem ao
nosso mercado.
Vinho branco para missa de Lisboa e Porto
em pipa, barril e ancoras a 4,ooo e S.ooo
rs. a caada.
Vinagre de Lisboa, Porto, Unto e branco a
l.Goo e 2,ooo rs. a caada
dem em ancoras por IG.ooo rs.
Velas estearlinas a 5Go rs. o maco, e em cai-
xas a 52o rs.
Vassouras americanas a 64o rs. uma.
Grande pechincha.
Vende-se i8ji pe$a de pairoo de linho puro e
limpoeom 25 varas cada uma : na roa da Impera-
triz n. 20.
Grvalas de seda a 200
ris.
Pretas e de cores para homein : na loja da ru
da Madre de Dos n. 16.
A4$000apeca.
Vendem-se pecas de algodaozinho com pequeo
toque de aviria, proprio para roupa de escravos e
toallias, pelo barato preco de 4# a peca : ra do
Queimado n. 14. ______^^
Vende-se o sitio da iravessa dos Remedios,
freguezia dos Afogados n. 21, no estado em que se
aeha : quem o pretender, en(enda-fe com o sea
p'roprietario Caelano Piolo de Voras, na ra de b.
Francisco, sobrado n. 40,como qutm vai para a ra
Bell e

I


te Pentahaw


\ .
>-
ESPLENDIDO SORTIMENTO DE MOLHADOS
IV. O RIJA DO CRESPO \. 9
Esquina que volta para a roa do Imperador
PRINCIPAL
DE
(Nao se enganein com a mitra)
GRANDE ALLIANCA
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Prnth Ferrelra da Silva k Compan/iia
Grande sortimeato de molhaos em grosso e a retalho. nico armazem que mais
vantagens oflerece ao publico.
Desenganem-se todos.
AMIGOS!
Nao leiam este annuncio com precipitado.
Confrontem os precos dos oulros annunciantes.
Venhana ver os gneros que temos expostos a venda.
A vista faz f.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao nos encnlcamos o primeiro recebedor de conta propria.
Nao desacreditamos ao collega porque nao qniz ser nosso socio.
Val a. quena toca.
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia anda nao s3o sufficieo-
tes as casas que actualmente oxistem ahertas com grandes proporcoes para terem um
magnifico sortknento de molhados; assim, pois, os proprietarios du Armazem Principal Amendoas confeitadas d" bonitas cor
oo invejam a sorte dos seus collegas. j goo rs. a iDra_
K o AI llanca o verdadeiro homem do progressso.
i> o Allianca o verdadeiro e principal armazem de molhados.
AlNanca o armazem que vende mais barato.
E o Alllanea o armazem que vende os melhores gneros.
K Alllanea o armazem onde preside o melhor aceio.
Fiqoem todos sabedores desta verdade,
Venham todos ra do Imperador n. S7.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
3 PARA AS FESTAS
DE
Habitantes de Pernanibuco. s\veia-as a 200 rs. a mra.
Nos temos um excellente sortimento dos melhores gneros que se pode adiar Ameixas francezas em caixinhas com lindas
S. JORO ES. PEDRO.
1'dem deHollanda em garraoes com 24 gar-
rafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
0
NEM COROAS NEM MITRAS


GKAIE ARMAZEM
RA UO IMPERADOR Rr 4
Junto ao sobrado em que mora o Sr. (Mame,
Para a festa de Santo Antonio, S. Joo e S. Pedro.
lnarc Almelda & C. receneram de sna propria encomnien-
da o mala lindo e variado sortimento de molhados, proprlos
da presente estaco.
dem de casca muito nova a 3oo rs. a libra. Lenthas excellente legume para sopa e Qui-
zados a 2oo rs. a libra.
em nosso mercado. Vinde ao nosso estabelecimento, e se a vossa boa f fr illudida
urna s vez ao menos, castigai-nos nao voltando mais a nossa casa.
Amendoas confeitadas de bonitas cores a dem de Hollanda em garrafoes com 24*
l.ooo rs. a libra, garrafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra. Lenlilhas excellente legume para sopa e gui-
Avellaas a 2oo rs. a libra. zados a 2oors. a libra. i
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a l,2oo, l,4oo e l,6oo rs. cada 8oo c l.ooo rs. as garrafas grandes. i
uma. Manteiga inglcza perfeitamente flor a 8oo e'
dem em frasco de vidro com rolha do mes- 96o rs. a libra,
mo ou de metal, a J,2oo e I4oo rs. ca- dem franceza nova j deste anno a Goo rs.
da um. a libra, e 50o rs. em barris inteiros.
estampas a l,2oo, l,4oo e I,6oors. cada
uma.
dem em frasco de vidro cora rolha do mes-
mo ou de metal, a I,2oo e i,4oo rs. cada
um.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada
um.
dem em latas de 1 /j e 3 libras a l,2oo e
2,ooo rs.
Arroz da India o Maranhao o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,4oo rs. a arroba.
Licores francezes de todas as qualidades a
8oo e I,ooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo
e 96o rs. a libra,
dem franceza nova j deste auno a 600 rs.
a libra, e 58o rs. em barris inteiros.
Marmelada especial dos melhores fabrican-1 cora bolos francezes a 500 rs. cada um.
tes de Lisboa a 600 e 64o rs.
Manteiga ingleza
da safra nova vinda neste vapor de 28 de
mJio a 800 rs. a libra.
Manteiga franceza
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril
a 500 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2$ 100, muito propios para mimos.
Cartoes
dem em frasco grandes 2,5oo rs. cada um. Marmelada especial' dos melhores fabricantes! kzf o d^e A^H03 a 6o rs" a 8arrafa' e
dem em latas de I e 3 libras a 1.2oo e de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, ha latas
2,ooo rs. de differentes tamanhos.
Arroz da India e Maranhao o melhor que se Massa de tomate em latas de I librr 56o rs.
p le desejar a loo e I2o rs. a libra e
2,8oo e 3,400 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa,
e 4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada uma, e lo,ooo rs. a
caixa com 1 duzia.
Aifazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpisla a 16o a libra, c 4,6oo rs. a arroba.
cada uma.
dem para soda estrelinha, pevide e rodinha
em caixinhas surtidas a 3,000 e 3,5oo rs.
cada uma e 5oo rs. a libra,
dem macarro, talerim e aletria a '100 rs.
a libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um.
Molho inglez em garrafinhas com rolhas de
vid 1 o 64o rs. cada uma.
liolachinhas de Lisboa da fabrica do ltcato Marrasquino verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
Antonio dasseguinies qualidades: agua e a garrafa, Io,coo rs. a caixa com 1 duzia.
sal doces, e imperiaes em latas|de 6 li- Nozes muito novas a 16o rs a libra,
brasa 3,ooo rs. e de 3 "/j libras a 1,5oo' Prezunto de fiambre superior a 600 rs.
rs. e em libra a 64ors., estas bolachinbas dem do Porto para panella a 5oo rs. a li
torna-se muito recommendavel com es- Passas novas a 48o rs. a libra,
pecialidade para os doentes. pcXc em latas de differentes qualidades co-
mo, savcl, corvina, govas, pescadinhae
libra.
Diseoilos e Bolachinhas de suda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
llollos francezes em carios e de diversas
qualidades a Co rs. cada um.
Banha de poico verdadeira refinada a oo
rs. a libra e cin barril a 38o rs.
batatas novas a 160 rs. a libra.
Bolachinhas nglezas ltimamente desembar-
oulros a l.ooo rs. a latas.
Palitos para denles a lio e 16o rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs. a libra.
e 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do g;iz a 2, loo rs. a*groza,2oo rs. a
duzia, e 2o rs. a caixinhas.
cadas a 2iors. a libra e 2.000 rs. a bar-jOueijos flamencos chegados neste ultimo va-
nea. por. a
Champagne das mar."< mais superiores que l!dftm l'ral" ',l0 flt's a 800 e 9oo rs.
at boje tem viudo a nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo, l.ooo rs. a garrafa i-
leira, e 8co rs. as meias
Cli uxim o melhor que se pode desejar .c
que ontro qiialquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
a libra,
dem suisso a melhor qualidade que al bo-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
Sal relinad
da um.
deste cha
dem hvsson
qualidade a 2 600 e Sei.vej;i das melhores marcas a
garanle-se a qualidade | dllzi;i> e 5Go rs_ a p.llTafa.
em potes de vidro a 5oo rs. ca-
0,ooo rs. a
o mel
-2 '..
ior que e possivel
dem perola especial
2,8oo rs. a libra,
I Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e
en"! meia latas a 38o 58o rs. cada nma.
contrar-se a 2.4oo e 2.6oo rs. a libra |Sagu mnil novo e aIvo a 2\0 rs a ,ibra-
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras aevarlinha de Franca 18o rs. a libra.
a 1,200 e 1,400 rs. a libra. Sevadaa loo rs. a libra, e 2,8oors. aarroba.
Idom preto muilo lino a l.Ooo rs. a libra. \
Chocolale das melhores qualidades, francez,'Traques de i." qualidade a 8,5oo rs. a cai-
hespanhol e suisso a 1,000, l,2oo e l,4oo xa, e 22o rs. a carta.
is. a libra. Toucinhn novo de Lisboa a 24o e 32o rs. a
Charutos do arredilado fabricante Jos !"ur- libra.
tado de Simas em caixas das seguin- Tijollo para limpar facas a loo rs. cada um.
tes marcas Parizienccs, Suspiros, Dili-;
cias, Napoleese Guanabaras a 2,3oo rs.,,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada uma.
dem de outros muitos fabricantes e de
differentes marcas para l,5oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a 1,600, 2,ooo e
3,000 rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a 1,000
rs. a garrafa e lo.ooo rs. a duzia.
Yinho em pipa Porto, Lisboa e I-'igueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs. a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco ufio levando com-
posiclio a 56o rs. a garrafa, e 4,ooo rs. a
caada.
dem francez suporior qualidade 800 rs. aj brnaf uv" PuraaHa rs" a ar-
earrafa p 9 tmn is 1 dnria rafa' C 4,5 rS' a canada-
coSoaee^;;:s: tx%.. u !:ta 4ors-a garrafa> e ^
Cadirr^.Sraa,bra- l.demBsrdeaux-emcaixasdel^garrafasdas
Copos finos para agua a 5,000 rs. a duzia, e' marcas ma,s acredltad,s a b,5oo e /,00o
5oo rs. cada um. L.! a ca'xa- .
Caf do Rio superior a 28o e 32o rs. a n. Wem mu,to esecwl 1ue raras vezes vem ao
bra, e 8,800 c 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caixo.
Lrvilhas portuguezas ltimamente chegadas
a Too rs. a lata.
idea seccas a 16q rs. a libra.
Idea j descascadas a 2oo rs. a libra.
i"irinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos
nosso mercado a 1,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d pre-
juizo e s se encentra n'este armazem.
dem do Peto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu-
lar, malvasio lino, D. Pedro V, D. Luiz
I, Nctar e outros a 9,ooo e lo.ooo rs.
a caixa e 9oo a 1.000 rs. a garrafa,
s em caixinhas muito bem enredarlas a j Idem Muscatel superior a l,ooo rs. a garra-
a l.ooo rs. cada uma. fa> e i0,ooo rs. a caixa com ^ duzia.
dem em latas erinilicamenie lacradas a .. ., ,, T... ~n .
i,5oo e 2,5 >o rs. cada uma, | V"-f ^ J L" a 2o re" a **
dem em caixas de A arroba a 2,5' o rs. ca-1
la uma, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loors. a lata e l.ooo
rs. a duzia.
Geoebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 56o rs. o frasco.
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran-
des e H.ooo rs. a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da urna.
Mera em garrafoes de 16 garrafas a '1,800
rs. com a garrafao.
dem em garrafoes com 5 garrafas a l,ooo
rs. com o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada uma
dem de escova para esfregar casa 36o rs.
cada uma.
Vedas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composicSo a
36o rs. a libra, e de lo.ooo a H,ooo rs. a
arroba.
4,800 rs. a canada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada uma, e lo.ooo rs. a
caixa com I duzia.
Aifazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpisla a i60 rs. a libra e 4,600 rs. a ar-
roba
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Reato
Antonio das seguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,000 rs. e de 3 '/i libias a l,5oo rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinhas
torna-se muito recommendavel com espe-
cialidade para os doentes.
Biscoitos e Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em cartes e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 16o rs. a libra.
Bolachinhas inglezas oltimamenle desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem vindo ao nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo e l,5oo rs. a garrafa
inteira, o 800 rs. as meias.
Cha uxim o melhor que se pode desejar, e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra.
dem perola de esp cial qualidade a 2.600 e
2.8oo rs. a libra, garante-se a qualidade
deste cha.
dem hvsson o melhor que possivel encon-
trar-so a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2ooe l,4oo rs. a libra.
dem preto muito lino a 1,600 rs. a libra.
Chocolale das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a l.ooo, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em i caixas das seguin-
tes marcas: Parisienses, Suspiros, Dili-
cias, Napoleoes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,000
rs. cada uma.
dem de outros muitos fabricantes e de dif-
ferentes marcas para 1,5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a l,6oo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a 1,00o
rs. a garrafa e lo,ooo rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 0,000 rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 c 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiabs a 600 rs. o caixo.
Ervilhas porluguezas ltimamente chegadas
a Too rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
1,000 rs. cada uma.
dem em litas ermiticamente lacradas a
l,5oo e2,5oo rs. cada uma.
dem em caixas de '/j arroba a 2,5oo rs.
cada uma, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e 1,000
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 560 rs. o frasco
dem de laranja a 1,00o rs. os frascos gran- i
a libra, ha
latas de differentes tamanhos.
Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o
rs.cada uma.
dem para soda estrellinha, pevide e rodinha
em caixinhas sorlidas a 3,ooo 3,5oo rs. cada
uma e 5oo rs. alibra.
dem macarrao, talharim e aletria a 4oo rs. a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a ioo
rs. cada um
Molho inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro a 64o rs. cada uma.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafa, lo,ooo rs. a caixa com I du-
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Prezunto de fiambre superior a 600 e 800
rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. "i libra.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1^300.
Chocolates
de todas as qualidades a 1 $000 a libra.
Presuntos inglezes1
Macas brancas
para sopa a melhor que se pode desejar.
macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
Iileiu de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a gan-afa, e
2800 a canada.
Idea do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 1# e 1)5200
a garrafa e de 10 a 12-5 a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisso & Filho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 45000.
Bolachinha ingleza
a 15800 a barrica da mesma que
*""~ vendem a 25000 e 20400.
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem' \T
temos velhos para 500 rs. JNOZeS
Queijos flamengos as mais r,ovas' ra^ad0 a 120f bra>
chegados neste ultimo vapor a 2>0oo. ^"^ VrjaS
Queijos dos melhores fabricantesje de todas as mai
chegados no ultimo vapor a 24(600 cada um.' cas de 4**i0 a GJI500 a duzia.
Queijo CHARUTOS
londrino o mais fresco que se pode esperar. charutos Thora Pinto,. Reis e outros em
e de excdante maree a 800 rs. a libra
sendo inleiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
Peixe em latas de differentes qualidades co- 0 frasco
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
outros a l,ooo rs. a latas. *
Palitos para denles a 14o e a 16o rs. o mas-' en* libias e caixinhas ricamente douradas,
Figos
so dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos chegados neste ullimo
vapor, a 3,000
proprias para mimos a 900 e 1#200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de'
3 a 2:>C)00.
dem perola
Ideoi prato muito fresco a 800 e 9oo rs. a eSI)ecal '|ualid1alde a ^70 re" a llbra
libra. lucra hyssoo
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 2r>600.
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs,
cada um.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e 56o rs, a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e
meias latas a 38o c 58o rs. cada uma.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca I8ors. alibra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,800 rs. a ar-
roba.
Massas amarellas
para sopa, macarro, talharim e aletria a
480 rs. alibra.
COC XA C
o muito afamado cognac Pal Brandy a I.800
meias caixinhas a I 500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2<.jOO a 3,->000 a ar-
roba desses que vendem por 3)5400.
CAFK
de 1.a e 2.s sorte do Itio de Janeiro a 8Sf
e 85800 a arroba, e 280 a :tOO rs. a libj-
arrafes
com 4 i garrafas com vinagre a 15000jb
ogarrafao."
GE.VEF1RA J)E LARANJA
verdadeira a 1)5000 o frasco, c de HOOC
a caixa.
DEM
i em frasqueiras de Hollanda a 5:>8<>0 com
! 12 frascos.
GFNFBRA
i de Hollanda verdadeira em frasqueira ,1 Goo
rs. cada uma.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-' finos de todas as qualidades, a lo.ooo ac-ixa
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa. com uma duzia e a l.ooo a garrafa.
copos Mnnnplnl'
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a'
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
Traques de l.'1 qualidade a 9,5oo rs. a cai- j almaro, greve, peso e de outras muitas qua-
xa, e 24o rs. a carta. lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
Touciribo novo de Liiba a 2 lo e 32o rs. a mor.
libra. Papel de botica
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada um. !de excellente qualidade a 2;>200 a resma,
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das PAPEL
melhores marcas a 3,800 rs. a canada, e
5oo rs a garrafa,
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a canada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco nao levando com-
composicn a 56o rs. a garrafa, c 4,000
rs a canada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a canada,
dem mais baixo a ioo rs. a garrafa, a 3,000
rs. a canada.
dem bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a l,2oo rs a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco da
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio lino, D. Pedro V, .
Lniz I, Nctar e outros a 9,ooo e 10,000
rs. a caixa e 9oo e l,ooo rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a l.ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a canada.
dem em garrafoes com 5 garrafas a 1.000
rs. com o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada uma.
dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
cada uma.
azul e pardo para embrulho de l,4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corintliias
passas corinlhias muito novas proprias para .
podim a 800 rs. a libra.
des e H,ooo rs. a caixa com 12 frascos. | Velas de espermacete superiores a 56o rs.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada a libra, e 52o em caixa.
uma- I dem de carnauba refinada e de composicao
dem em garraoes de 16 garrafas a 4,800', a 36ors. a libra, e de lo,ooo a H.ooors.
rs. com o garrafao. a arroba.
AGENCIA
FUNDICO DE LOW-MOOB.
Ra da Somalia nova n. 42.
Empreza da iUumina$o
gaz.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a 12
a lata e em lotes de 10 latas para cima se
far* abatnenlo. no armazem da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
Rea da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P.JohnstonC,
Todas as vendas de ^pparelhos e recIamactJes 8eins silhes inglezes, candieiros e casti-
iui(>( ri[ao dando o nome, morada, data, etc.), caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
Neste estabelecimento contina a haver jdevem ser feitss no armazem da ra do imperador chicotes para carros e montara, arreios para
1 carros de um e dous cavallos. e relogios de
ouro patente inglez.
mi comnleto sortimento de moendas e meia!
um lAiuipioiu aui u*u* j fiSlas_ apreseularao um livro que os reclamantes
cuoendas para engenuo, mactunas ae \apor i doveao asignar logo depois de prompto o servio
e tachas de ferro batido e COadO, de todOS 01: reclamado ; >to para quo a empreza- fique sciente
?.""lanhOS Dar ditos. lle liave^m > mesaos senbores sido devidamen-
te attendHlos.
Arados americanos e machinas par i
i ar roupa: em casa de S. P. Johnston 4 C.'
rau da Senzaa Nova n. 42.
Sal do Assu'
. Na ra de Apollo n. 34 ha um grande sorti-
mento de marmore para ladriiha, atadas, hom-
hreiras e degros de 8, 9 e iO palmos de comph-
do e 2 119 de targo, fbthas de marmore proprias
para tampos de mesas o para tmulos, vasos gran-
Charutos de Havana
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schafleitlin C, ra da Cruz n. 42.
Fume
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a !5,ooo rs.
cada uma.
Cebollas
as mais-novasdo mercado a 7,ooo rs. a caixa
e 1 ,ooo rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 4)5400 a arroba.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro"PrTncipal declaram aos seus
reguezes e amigos e ao puhl.co em geral, que para facilitar a comraodidadeT todos i
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares: w
llnio e Comiuercio roa do Queimado o. 7
__________O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
iam Abreu e outros muitos a 6ou rs. a
libra.
Prezunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a '2o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
; VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 5 a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito novas
em quartos e inteiros a 2 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra,
Ckoeolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frotas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Osee da casca da goiaba
a 600 e IS o caixe.
M0V1MENT0
BAIRRO DO RECIFE, RA DA CADEIA N. 50.
v mais novo e o melhor
ARMAZEM DE MOI.IiAUOS
Esquina defronte da ra da Madre de Dos
os seus benvolos amigos e freguezes, bem como o resneitavel ouhn Ztlli S. .S-fe"**" 0Bde
Vende Antonio Luir de Oliwira Arevedo & C, des para jardim, ou para ornar tmulos, por pre
no sea escriptoriojrua da Cro* ni. i eos muito moaxefc
At qne ehcgoN
um grande sortimento de bico e renda preta de
novo modelo chamado (guip) o melhor que se
pode desejar neste artigo e que se vende muito ba-
rato : na loja do gallo vigilante ra de Crespo
B. 7.
lls5^!N!|| Iff.w*w
| Fabrica Conceitfo da 1
Baha.
Andrade & Hego, recebem constante-
| mente e tem i rewla no sen armazem n.
m 34 da ra do Imperador, algedao d'aquel-
3 la fabrira, proprio para saceos de assu-
| car, embalar aieodo empluma etc., etc.,
M| pelo preco mais razoavel.
merecer a confianCa fom queTe diaran de1 o qS TeCl'mi' asseverand-|h 1* i^ais et-
ssfasisssjs-sss^-
precos,
que
agrado
coDCorrentes,
fSS^lSiffS^nT^S0 eSlabe,-im "W < ofTerecido
aos
US B4R\TAS. S(V}alosde borracha a 1#000
Vendem-se laazmhas de cores fixas ede boa qua-
lidade para vestidos de sonora a pataca o cavado,
e outras minias fazendas que o dono esta resolvido
a vender muito barate afim de parar oo cobres :
ra ruada Imperatrizn. 20, outr'ora aterro da Boa-
Vista,
Vende-se um cabrlotet : no pateo do Parai-
zo n. 26.
No armazem de Joaquira Francisco de Alem lar-
go oa Assembla n. 1.
GAZ.
\ende-se gaz liquido americano da melhor
qualidade em lat s de um. dous e cinco galoes,
por menos que em mitra qualquer parte : no ar-
mazem do caes do Ramos n. 16.


Diarle 4c Persaanfrae teta felra tS de Julho de fl t
AO PUBLICO
Ncm o menor coustran
Intento se entregar o
importe do genero que
nao agradar.
ATTENQAO
Os precos da seguate
tabella para todos, po-
dendo asslm servir de ba-
se para o ajuste de eontas
coni os portadores.
AZEM UNIAO MERCANTIL
RA DA t ADKIA DO KECIFE \. <*S.
(Logo passando o arco da Coneeifio)
Grande redueeo de precos. equivalente a dez por cento menos ftO que eutro qualquer
anuunciaate.
^AUTE AMEIDA?
Collegas.Nao posso por mais tempo sustentar o preco da manteiga ingleza a l,ooors. a libra, bem assim o de oulros
rauitos objectos, etc., dando com isio orasio a todas as espeluncas acabarem por bom proco a manteiga de tempero, e gritarem em
alta voz, que podem vender pelo preco que en vendo!! 1 Ora, eu offendido com estas obscuridades e receioso em adoptar o mesmo
systhema que vim encontrar, de s se vender com um por cento a carola, resolv fazer esta grande redcelo de precos, como veris
pela seguinte tabella, pois como sabis ca pelo met bairro, at a abertura do momorave! armazem de molhados nio Mercantil nao
se sabia de outro preco de manteiga ingleza a nao ser o de 4,4oo a l,6oo rs. a libra. Hoje porem, resentidos da redcelo a que
esto obrigados, encarando todos os dias de seus freguezes reclamaco de precos, e qualidades, vingam-se de um e outro portadores
al informado deste novo estalieletimento. para lhe vender goneros nao proprios de um estabelecimento desta ordem que o sen fim
mto smente obler a conconencia'de seus freguezes.
Acaba de receber de sua propria euconunenda um grnele variado sortimento
Seiihores e Senboras o aceio que presidio, aos arranjos deste novo estabelecimento, e mais que tudo apromptido e entei- de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
reza com que sero tratados, convida a urna vizita ao mesmo, certos de que sem duvida me darao a proteceo e preferencia na compra offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
dos gneros que precisaren!, e quando nao por-am vir poderlo mandar seus portadores, anda que estes sejam pouco praticos, pois resumidos precos, afiancando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
ser'ao tao bem servidos como se viessem pessoalmente, havendo para com estes toda recommendaclo, afim de que nao v3o em outra parte.' mazem.
Manteiga ingleza (safra nova; especialmente rs. e em barricas de 4 duzias se faz abat- Antonio de Lisboa em latas'com 6 libras;
Oinfl*
eseolhida a 8oo rs. a libra, em barril se' ment.
faz abatimento. i Caf do Rio a 26o e 28o rs. a libra, e 7.8oo
dem francesa a mais nova que tem vindo ao i e 8.5oo rs. a arroba.
mercado a 5Co rs. a libra, e em barril ou dem lavado de primeira qualidade a 3oo rs.
meios a ooo rs. a libra, e 9,000 rs. a arroba,
i.h hysson de superior qualidade a 2,6oo rs. dem do Cear de superior qualidade a 21o
a libra.
Ideo) pe ola o mais superior do mercado a
.8uo rs.
dem luuim o melhor que se pode desejar
neste genero 2,6oo rs.
dem preto homeopathico por ser de superior
qualidade a 2,ooo rs. a libra,
fdi-m hysson, huxim e perola mais proprio
para negocio o l,Goo, l,8oo e 2,ooo rs. a'Painco e alpisla a 14o rs.
libra, garante-se ser muito regular, igual J rs. a arroba.
ao quese vende em outra parte por 2,4oo'Massa de tomate em latas de 1 e 2 libras a
o 2,lioo rs. I 6oo rs. e de barril muito superior a 5oo
I.injuiicas, chouricas e paios em latas de 8' rs. a libra.
libras, ormeticamente lacradas a 5.ooo rs. !Alelria, macarrao e talbarim a 4oo rs. a li-
garante-se serem sujieriores aos que veni! bra, e 9,ooo rs. a caixa.
em barris. dem e lallierim branco a 32o rs. a libia,
Chouricas e paios em barris de meia e urna! estas massas tornam-se recomendaveis as
e 28o rs. a libra, e 7,8oo a 8,ooo rs. a
arroba.
Arroz do Maranbao a loo rs. a libra, e 3,ooo
rs. a arroba,
dem da India muito alvo egraudo a loo rs. a
libra. e 3,ooo rs. a arroba,
dem de Java a 8o rs. a libra, e 2,2oo rs.
a arroba.
a libra, e 4,3oo
arroba a 8,ooo rs. c 1,5oo c Coo rs. a libra.
Queijos llamengos muito frescos chegados
pessoas doentes por serem
feitas para esse fim.
propiiamente
neste ultimo vapor a 2,2oo rs. e do vapor Estearinas a 50o rs. a libra, e em caixa com
passado a I,Ooo e l,8oo rs.
dem londrinos os mais superiores que tem
viyilo ao mercado a 8oo rs. a libra entei-
ro se faz abalimento.
dem pralo muito fresco a 8oo rs. a libra.
I lem 'I i Alentejo o que se pode desejar de
fresco e superior a 8oo rs. a libra, a elles
antes que se acabem.
Ervilhas e favas porliignezas em latasj pre-
paradas a Oio rs.
Marmelada imperial dos mais acreditados fa-
bricantes 25 libras a 52o rs.
Vinho do Porto muito fino excellcnte qua-
lidade proprio para engarrafar em ancore-
las com 9 caadas por 45,ooo rs.
Vinho de pipa Porto, Figueira, e Lisboa a32o,
4oo e5oo rs. a garrafa, emeanada a 2,5oo,
3,ooo e 3,8oo rs.
Vinho branco de Lisboa de excellente quali-
dade a ioo e 5oo rs. a garrafa, em caada
a 3,ooo e 3,5oo rs.
Vinho branco para inissa em caixa de 1 duzia
a 8,ooo e a 08o rs. a garrafa.
'rezunto do reino viudos de casa particular Vinho do Porto das raelhores marcas, que
a 5Go rs. a libra, e a 5oo rs. inteiro. vem ao mercado como sejam Lagrimas do
dem ingle/as para fiambre chegado neste | Domo, Duque do Porto, DuqueGenuino,
vapor 72o rs. a libra. D. Luiz I., .Madeira secca, Malvazio fino.
Copos lapidados para a guaa 5.oooe 5,5ooa! Fetoria em caixa de 1 duzia de 9,ooo a
duzia, lo.ooo rs. eaOoo e l,oooa garrafa.
Chucula!. francez, soisso e hespanol a Ooo | Vinho Colares o mais superior que tem
1,00') e l,2'i.) rs. a libra. viudo ao mercado a 04o rs. a garrafa.
Espermacete em caixinhas contendo O librasI Sardinhas de Nantesem quartos e meias latas
por i,ooo rs., garaale-se serem transpa- a 30o e 50o rs. cada una.
rente e de superior qualidade, lambem tem I Sardinhas portuguezas em latas grandes
de 12 por libra propria para carro. preparadaspek) melhorconserveiro de Lis-
Peixe cm posta sovcl, corvina, gors. pesca-1 boa a 04o rs.
da, salmo, ostras echernee, vozugo em Bolachinhas inglezas as mais novas do mor-
alas grandes a 8ooe l,ooo rs. cada urna. cado a 2,8oors. a barrica, e 24o rs. a
Vinho Bordeaux das marcas mais acredita-j libra.
das '| ie tem vindo ao nosso mercado a Bolachinha de soda em latas com diversas
6,ooo, 7,ooo e 8,ooo rs. a caixa, garante-j qualidades a I,3oo rs.
se ser de qualidade superior, que outro Bolo francez em caixinhas muito proprias
qualquer nao pode vender por este preco. \ para mimo a 'io
por 2,500; ditas doce em latas com o mes-
mo peso a 2,5oo; ditas imperiaes em latas
de 3 libras por l.ooo rs.
Ameixas francezas em latas de 1 e meia libra' Amendoas confeiladas de*8oo rs. a libra,
por l,2oo; ditas em caixinhas de deversos Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 8oo rs,
tamanhos com bonitas estampas na caixa libra.
exteriora l,2oo, l,5oo, e,8oors. ; jdem franceza a 56o rs. a libra, e 5oo rs.
Azeitc doce refinado Penanol ou do Kempes | sendo em barril,
de Lisboa a 85o rs. a garrafa e 9,50o a i qb uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
PARA A FESTA
S. JOAO
fF.
Lisboa a 85o rs. a garrafa
caixa com urna duzia.
E S. PEDRO
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin., Botefim,
morangos, lmlo, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, rlela pimenta a .ooo
rs. a duzia l,ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
Batatas muito novas a 5o rs. a libra e 2,ooo
Conservas inglezas a 75o rs o frasco e It*em nvsson ma's superior que se pode Passas muito novas em quarts e inteiros a
8,5oo a duzia. I de9sejar a 2>6o e de 8 libras Para cima
Vassouras de escova para esfregar casa a 32o' a*'_00 rs- Q ...
Nozes muito novas a 16o rs. a libra adramenos superior a2.4oo ede 8 libras
Molho inglez em garrafa de vidro com Para c,ma a 2J00 re- Q ..
rolla mesmo a Boo r*. i Idehm ProP> Para *f a 2'3o' de 8 "
Mostarda ingleza dos melhores fabricantes a ,,Dras. Para cima, a *'200- a Q ... a
a ... tZ*BM dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
potes j
8oo rs. o frasco.
Mostarda franceza em
a 4oo rs.
Lentilhas excellente leguuie para sopa
rs. a libra.
preparada
I
a 2oo
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 9oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra
Ervilhas secas muito novas a lto rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 6oo rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
fazenda especial.
G
ebra do II alinda a 5Go rs. o frasco, c
5,7oo rs. a frasqueira.
dem de hiianja verdadeira de Aliona em
frascos grandes a l.ooo rs. o frasco, e
1 l,ooo rs. a^luzia.
dem de Hollanda em botijas grandes a 4oo
Passas muito novas de carnada a ioo rs. a
libra e 6,ooo rs. a caixa com 28 libras.
Figos de comadre a 24o rs. a libra e
l,8oo rs. a caixa com 8 libras.
Amendoas de casca mole a 32o rs. a libra.
Bolachinhas d'agua em sal da fabrica do Beato
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,-loo, a 4,8oo rs. a libra.
Marrasquino o verdadeiro de Zara em garrafas dem mais baixobom para negocio a l,5oo Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
grandes a 1 ,ooo rs. e 11 ,ooo a duzia. rs. a libra. rs. a libra.
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o maco- i i(]em miudinho proprio para negocio a l,5oo Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Sal refinado em frasco de vidro com rollia do TS> a ihra. Caixas de traque n. 1 a 8#500 cada urna.
mesmo a ooo rs. j Queijos do reino chegados neste ultimo va- Massas para sopa macarrao, talharim aletria
Ceneja branca e preta das marcas mais a-1 por a 2,600. a 4oo rs. a libra.
Cfeditadas que vem ao mercado a 0,000 e Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
5,5oo a duzia e 48o rs. a garrafa. dem londrino o mais fresco que se pode eoors. a garrafa.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra. esperar e de excellente marca a 800 rs. a dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
Sevadinha de Franca minio nova a2oo rs. libra sendo inteiro, e a 9oo rs. a rctalho.: garrafa.
Charutos de lodosos fabricantes da Baha e das Idem prat0 0S melhores e mais frescos do charutos em grande quantidade e de todos os
mais acreditadas marcas cotilleadas no mercado a 76o rs. a ,bra sendo mteiro. fabricantes mais aacreditados a l,5oo,
nosso mercado a 2,ooo, 2,000, .1,000, Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes; 2>ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
3,ooo e3,8oo a caixa de Ico charulos. marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-, os mais baixos s5o dos que por ah seven
Cognac ingle/, das melnoies marcas al ra, Pec-mc, Fance, Machine eoutras mu-1 dem a ^ 000 e ** 5oo rs
1,080 rs. agarrafa. tas a 1,3oo e 1 4oo rs. L ., ... ', 0l Q ..
rw, 1, MM9 cU irniAtia em latas de 4 li- Mvos chegados ltimamente do Porto a 32o Cafe (,e P.remeira qualidade a 8.800 e 9,5oo
Doce da casca ca goiaiu un hus ue 1 11 o | rs. a arroba.
dito em caixoes a 600 rs. lb- a lll)ra- T(jpm (ie ^unda oualidade a 8 ooo rs a ar-
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 5<5 a ,u
bras por 2,000:
cada um.
dem
inglezas em barricas
Farinha de aramia verdadeira a 32o rs. a! eafca e Go rs. a libra-
,-i Balachinha de Craknel cm
Velas de carnauba de 6 e 12 por libra a' bruto a 4,ooo rs.
32o rs. a libra e lo.ooo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 64o rs. a garrafa |
e 4,8oo a caada.
Banha de porco refinada a 4oo rs. a
e 36o rs. em barril.
latas de o libras
do
a mais nova
mercado a 2,5oo rs. a barrica e 2o rs. a
libra,
ibra Chocolate porluguez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
Capil de diversas frutas muito
64o rs. a garrafa.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a graza
Toucinho de Lisboa muito alto
32o rs. a libra e 8,500 a arroba.
Ameixas francezas em latas de 3 libras
2,000. rs.
Cebollas solas a I.ioo o cento; ditas em
molhos com cento e tantas por l,2oo rs.
Matte excellente cha para
a 2oo rs. libras.
frescas a I Pa0- .
,Cartoesfoin bolas francezas proprios para
mimos ou para anjos que vio as procis-
. '1 ses a 600 rs. cada um.
i Papel de botica de excellente qnalidade a
I 22oo rs. a resma.
i Peras seccas as mais novas do mercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em latas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
os navegantes a
No armazem de fazendas baratas de
Santos i.oelho, ra do Qucimado, n.
19, veade-se o seguioie
Attencae.
.a/Jnlias.
Ricas laazinbas para vestido, fazenda a melhor
que tem vindo ao mercad?, tanto em gosto como
'm (|uali;lade da fazenda, pelo baratissimo pre^o
de 560 r?. o covado.
Laazinbas miudinhas carmezin, proprias para 1
visdos de meninas, e camif inhas a 640 o covado.!
Cortes de laa com 15 covados pelo baratissimo
I'reco de 65-
Cobertas de chita da India pelo baratissimo preco
le 2-5500.
! .'.' de panno de linho a 2.
Lencoes de bramante de linhe fino pelo baratissimo
preco de 35200.
Bramante de linho Uno com 10 palmos de largnra
pelo baratissimo preco de 23300 a vara.
Aloalhado adamascado proprio para toalhademesa
a 23000 a vara.
Camhraia de forro a 23600 e 33200.
tioardanapoe adamascados a 33800 a dnzia.
Toallias alcochoadas proprias para mos a 53 a
dnzia.
Cortes de calca de ganga amarella de listras e
elqnadros, pelo baratissimo preco de 13200 o
orie.
Camhraia adamascada com 20 varas, propria
para cortinado, pelo baratissimo preco de lOjOOO
a pega.
Ricos cortes de laa Maa Pia pelo baratissimo
preco de 183.
Pecas de cambra a de salpicos com 8 1]2 varas
Pelo baratissimo prego de 43.
Pecas de platilha de algodao cora 10 varas, pro-
pria para saia a 43200.
Esteras da India, proprias para forro de sala,
ae i, o e 6 palmos-de largara, por menos preco do
que em outra qualquer parte.
Neste armazem tamben se encontrar um gian-
gesortirnentq de roupas feitas, e por medida.
POR ME\OS DE 20 4 30 POR CENTO
Taberna
\ende-seoma taberna no Gamioho Novo da
oledade urna das iiinlhores do lugar n. 26, faz
qualquer negocio em vista de seu don precisar
retirarse ; a fallar nos armazens da Brilhante
Aurora largo da Sama Cruz.
Sant'Anna.
Ajha-se venda a novena da gloriosa Sant'An
bem impressa, e em brochura ; na ra do im-
perador n. 15.
na
Vndese
-:. Nogueira junto
Antonio, Ctlmet, dicciottario, etc.
-Larcro do Terco23.
Joaquim Simao dos Santos, dono deste armazem de molhados, tem feito urna grande vantagem
quem seu armazem tem frequenlado, liquidou todos os seus gneros mais amigos que tinha nao s
neste armazem como (ora, e tendo feito nina grande reforma neste estabelecimento tanto em tamanho
como em gneros que mandou vir por sua propria cncommenda a matar parle, que os pode vender por
menos de que qualquer annunciante, para isso se responsabilisa pela superior qualidade.
Attentfto.
Batatas as mais novas a 13400 a arroba e 30 rs. a Queijos do vapor a 23800.
libra.
Vinho de Figueira,
rafa.
Dito de Lisboa a 400 rs.
Dito de outros paizes a 360 rs.
Dito para negocio a 320 rs. agarrafa e em caada
se faz atiatimento.
Genebra de Hollanda em frasqueiras a 63000 e 300
rs. o frasco,
dem em botijas de conta a 400 rs.
Azeite doce de Lisboa mo a 600 rs. a garrafa.
Dito de carra pato a 320 rs. a garrafa.
e 340 em
marca JAA, a 500 rs. a gar
Toucinho de Lisboa novo a 280 rs. a libra e 83400
a arroba.
Caf do Rio de primeira e segunda sorte a 280 e
300 rs. a libra e 83500 a arroba.
Arroz pilado a 80 e 100 rs. a libra e23500 e 23300
a arroba.
Sardinha de Mants novas a 320 rs. cada urna.
Sabao massa superior a 180 e 220 rs. a libra.
Passas as mais novas deste genero a 400 rs. a libra
Ameixas franceza com 1 e meia libras a i3.
Bolachinhas inglezas novas a 240 r?. a libra.
Charutos de diversas marcas e superior qualidade Manteiga franceza a 560 rs. a libra,
de 13200, 13300, 23, 33 e 43. barril.
Phosphoros do gaz groza 23200. I Dita ingleza flor a 720, 800 e 900 rs. a libra, e era
Velas de espermacete de 5 e 6 por libra a 540 rs. a barril na abatimento.
libra, e em caixa a 520. | Massa de tomate em latas de libra a 600 rs. cada
Velas de carnauba a 113 arroba e 360 a libra. nma.
Sevadinna e sag muito novo a 240, 260 rs. a li- Conservas inglezas, francezas e portuguezas a 640 Pomada a 200 rs. a duzia, sevaQa DUlltO.no-
bra. Garante-se a superior qualidade. o frasco. va a 80 rs. a libra, e 2,500 ,a arroba.
Alm destes gneros ha outros muitos que enfadonho seria menciona-los. Quem dnndar ve- garrafaeg com 4 Va garrafas de vinho Spe-
* nhav- rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem com 4 V ditas de venagre a l.ooo p. o
garrafao.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
Cortado igual ao francez muito proprio para ca-! 15)000 rs. com a ancoreta
Todos qnerem
Do grande sortimento de laazinbas mui-
to bonilinhas de todas as qualidades, 1
gustos e precos. seguintes a 360, 400 e am
480 rs. o cotada que se vendem
S na roa do Crespo u* 1, ]
Loja do bnraleiro.
Algod da Harria
para saceos de assucar e roopa de escravo; tem
"n. ""'* do Sr- nogueira junto ao-arco de .Santo para vender Antonio Laiz de Oliveira Atevedo &
*C., no seu escriptorio Kia da Cruz n: 1.
Fumo imperial
latas de 1 ido nao seja^me- ^-^ ppa puro seffl Q h^m 2oo w>
chimbo, em
llior igual ao americano por 13200 rs., para .
iicar a verdade os Srs. fumantes podera-se dkigir a garrafa e l,4oo rs. a caada.
fabrica vapor de cigarros autiga ra dos Quar- Caixas com 1 duzia da garrafas d vinho Bor-
eis de Polica n. 21. eaxa fazenda muito especial a 6,800 rs.
Vende-se um grande sitio na travessa do La- a caixa e 700 rs. a garrafa,
ca, com excpllcnte casa de pedra e cal, feita-a mo-'
derna, ootlocada em Ingar que pessa un estrada
pela frente e outra peto oitao ; o terreno naorpe &* e amigos e 30 publico em geral,
ser melhor para plantac5es,e tem porto muito per-
topara embarque e desembarque: a tratar em
Olinda com o promotor publico Manoel lzidro.de
Miranda, ou no mesmo Luca com o tenente Jos
fhomaz Cavalcanti Pessoa.
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranho a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,ooo rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, e em
caixa a ote rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, ja se vendeu por 7.ooo rs.
Idemaimaco pautadoelisoa3.ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,2oo rs.
a resma,
dem embrulho de 1,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/s libra a
l,2oo e8oors. a libra.
dem em frascos de 3 libras a 2,ooo rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Molhos inglezes a 8oo e 1,000 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
bem arranjado possivel a l,8oo e 2,8oo
rs. a lata.
Cerveja Tenente verdadeira a 6,8oo rs. a
duzia.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,ooo rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
viudas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. o molho e
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollondaem frasqaeiras a 6.,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a32ors. a libra e
io,ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 3,4oo a arroba.
Peixes em latas a i,ooo rs. a lata j prompto
a comer-se. n:
Farello de Lisboa marca K. eBiato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doee da casca da goiaba a 6oo e l.ooo rs. o
. caix5o.
O proprietario do grande armazem hfeo e Commerero declara aos eos fregu
que para .facilitar a commodidade de todos estipulou
RIVAL SEM SEGUNDO
Rua do Queimado s. 49 e 33, teja de rniudezas
de Jos de Azevedo Maia e Silva, esl continuando
no seu progresso de vender baratissimo :
Capadlos grandes e superiores a 300 rs. cada um.
I ai xas de superiores obreias de cola e massa a
40 rs.
Cordao branco para vestido e eupartilho, vara 20
ris.
Linhas de carretel (150 jardas) de superior ouali-
dade a 60 rs. '
Cartdes de linha Pedro V (200 jardas) ja muito
coiihecida a 40 rs.
Crozas de peonas de ac de umitas qualidades e
superiores a 300 rs.
Caivetes de duas folhas porm finos a 500 rs.
Caixas com calungas muito bonitas para rape a
100 rs.
Franja branca e de cores para toalbas a Ui.
Pares de botes para punbo muito bonitos a lili.
Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a
lO rs.
Tinteiros de vidro com superior tinta a 160.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Groza de botoes de louga pratiados, o melhor, a
160 rs.
Tesouras para costura, o mais superior, a 400 rs.
Ditas para unhas muito linas a 400 rs.
Escovas para limpar denles muito superiores a
200 rs.
Libras de laa de todas as cores (pesada) a 73.
Caixas de phosphoros de seguranca a 160.
Ditas de papel amizade pautado e liso a 600 rs.
Ditas com 100 auvelopes muito superiores a SCo
ris.
Cadernos de papel branco e de cores, pequeo a
20 ris.
Cartas e taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas com superiores iscas de aceuder cuaruicu.
a 'i0 rs.
Carreteis de linha Alexandre (200 jardas) de cores
a :0 rs.
Baralbos para voliarete muito tinos a 240.
Cartas de alfinctes francezes muito linos a 40 rs.
Meadas de linha fixa para bordar a 20 rs.
Pares de sapatos de tranca mullo superiores a
13600.
Papis de agulha com um pequeo toque a 10 r.
Groza de botoes de madreperola muito fluos a
560 rs.
CarlOes e caixas de clcheles francezes suuenores
a 40 rs.
Bonets para meninos muito finos a 13500 e 23.
Macos de grampos superiores e limpos a 40 rs.
Groza de phosphoros do az muito novos a 23200.
1 Areia preta muito superior a 100 rs.
Caixas de rap com espelho a 100 rs.
Realejos para entreter meninos a 80 rs.
Pecas de fita de linho muito boas a 40 rs.
Pentes de lago muito bonitos a 13.
Enfeites de laco de todas as cores a 13300.
Rodas com allinetes francezes a 20 rs.
Caixas com quatro papis de agulhas imperiaes a
240 rs.
Sahonetes de familia a 80,160 e 320.
Caivetes de duas folhas muito tinos a 320.
Pares de sapatos de laa para meninos a 400 rs.
Sapatos de tranca para acnhora e para horneo), os
melhores que tem vindo, e por preco muito barato:
quem quizer ver, venba rua do Qneimado ns.
49 e 53, e ver ludo como bom e barato.
O
o
i
p-
o
te
F
B
os
00
p
p-
a o

P- go
o
a> so
o
8*
p. o b
G CD O
:
es *- P--
ce (ZU E*
So &
co Si
p-
QQ
O
r-t-
o
o
p-
g.
p
pj
So
QQ
ce* ts
3
p-
<
3
o
P
O
So "C3
& *
O
CD
P
P-
SO
Faa'iuha de mandioca
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
Alves no seu escriptorio, casa n. 19 da' rua da
Cruz.
M'lho
1
Vendem-se saceos grandes com milho a 33500o
sacro : na rua da Madre de Dos n. 9.
Farinha de mandioca stificror
em saceos grandns: vende Antonio Luiz do Olivei-
ra Azevedo & C, no seu escriptorio rua da Cruz
numero 1.
rs. a lata.
Frutas em calda cliegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 64o rs. a
i lata.
ildemem caixinhas de 8 libras a 1,800, e
i 24o rs. a libra.
.Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,000
rs. a arroba.
1 Amendoas confeitadas a 800 rs. a libra.
i dem de casca mole a 32o rs.
I Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque/genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca, Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a 10,000 e
l,ooo rs. a garrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs. a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,oeo rs. a caaada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composico a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha do Maranho a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com.figos a l.ooors. cada urna.
Ricos livros com figos l,ooo rs.
os mesmosprecosnossegaintes lugares:
TJni3,o e ComBiercio rua" do Queimado n. 7.
0 Verdadeiro Principal rua do Imperador -il 40.
ESSRAVQS FGIDOS.___
Fugio no (lia 10 do corrente o escravo por
nome Seinifio, de na cao Mossamblque, com os sig-
naes seguintes : estatura alta, cheio do corpe,
rosto liso, nao tem barba, tem uns talhos no rosto
junto as duas fontes do rosto, levou calca de hrlin
pardo, camisa branca de algodao, paletot de brim
pardo, e chapeo de palha : roga-se as autoridades
eivis e militares de o apprehender u manda-lo a
sen senhor, na rua Direila n. 30, que sero gene-
rosamente recompensados.
Fugio no dia 15 de jullio a escrava Benedic-
^ ta, crioula, de cor fula, cara redonda, ollios vivos,
falta do denlos em cima, cheia do corpo, blinda
1 um pouco empinada, baixa, foi escrava de D. lia-
I ria dos Sanios Carmo, moradora em Caixoeira do
Gallo, cm Bezcrro, foi comprada nesta praga do
dia 9 de abril dcsle corrente anno de 1864 : quem
a pegar leve ao seu senhor Jos Joaquim Lopes
Pereira Cuimaraes, em Tigipi, fre^uezia dos A-
togados, que ser bem recompensado. _____
' Fugio na uoite de 23 do corrente julho de
1864 o escravo Jos, preto, crioulo, de 26 annos.
tiaixo, corpo regular, beicos grossos e estufados.,
orelhas pequeas, e cachabo grosso, pouca barba
porque tem apenas na punta do queixo, levou duas
caigas, urna branca e ouira de castor escuro que
paiece preto, de listras, paletot preto, sem camisa,
e com urna carapuga encarnada na cabeca, a laia
de manijo : quem pegar leve-o rua Direila n
54, que ser generosamente recompensado._____
Fugio de casa do seus senbores, no dia 14 do
correle, o escravo Izidro, crioulo, de idade 2o an-
nos, pouco mais ou menos, estatura regular, cheio
do corpo, cor um pouco fula, cabellos carapinhos,
olhos pardos, beicos um pouco grossos, nariz regu-
lar, ps grandes e grossos, bem desembarajado nc
fallar, nao malcriad, levou caiga de brim bran-
co, camisa de madapolo, chapeo de feltro j usa-
do ; cujo escravo fllho de Calista Maria da Con-
ceicao, do Brejo de Bananeiras, provincia da Para-
hyba do Norte ; veio cm 1861 em pagamento para
os Srs. Guimaraes & Alcoforado desta cidade, sup-
poe-se ter seguido para aquello lugar : roga-se a
todas as autoridades e capitaes de campo a sua ap-
prehensao e leva-lo ao pateo da Santa Cruz n. 6,
que serao recompensados com 100&.__________
Ausentou se no dia 3 do corrente mez da ca-
sa de seu senhor o escravo Targino, cabra, de ida-
de 20 annos pouco mais ou menos, com officio de
ourives, alto e seco, sem barba e espadado, boni-
ta figura, levou vestido caiga de ganga de quadros
miudos j usada, camisa branca e chapeo de ba-
1a, foi escravo do Illm. Sr. Theodozio Francisco
Diniz, morador em Porto Calvo, suppoe-se ter vto-
do para o Recite aonde j estove e tem conheci-
ment, a titulo de procurar senhor, e igualmente
se ausentou a escrava Graciosa, cabra, de idade
16 annos, bonita figura, cheia do corpo, resto lar-
go, estatura baixa, bragos e pernas grossas, *:de
suppOr que seguisse o mesmo destino do retendo (.
cabra, e roga-se a todas as autoridades policiaes,
capitaes de campo e qualquer pessoa do povo de
se os virem os capturar eos mandar couduijr
a seu legitimo senhor Manoel de Souza Cunha re-
sidente na villa de Porto de Pedra, ou na villa
do Pago de Camaragibe a Antonio de Sorna
nha, em'Rio Formoso ao Illm. Sr. Diniz e,no Re-
cre a Thomaz Fcrnandes da Cunha na roa da 'Ca-
deia n. 44, que serao generosamente gratificados.
Fugio na tarde do dia 16 do correte um
escravo pardo, do nomo Marcos,, desembarc.ailc
do hiato Santa Anw, vindo do Aracaty, tend-
de idade 28 annos pouco mais ou menos," e os sig-
naes sefrartes : altura regular, seceo do eorpo, '
pouca barba, cabello crespo, levou camisa e
caiga de algodosinho de riscado azul e.ena-
po de palha, tendo levado corosigo nina tronu
cora mais loupa, e rendido de ornadas veriww ;
quem o appreender queira leva-lo rua da Madre
de Deus n. 38, ou rua do Brum n. 65, que sera
recompensado.
I


Marte de Prrnambnco Qnln; felra t8 de ihIHa de 1 !.
'

h
>-
SCIENCIAS E ARTES.
Considerares acerca do melho-
ramento do porto de Pernnm-
fUCO.
Propnho-rae apresentar algumas consideragoes
.obre a execugao das obras, de que precisa o nie-
!lnra:.iento-do porto desra provincia.
Encelando este trabaliio, nao jesconheco a teme-
r-Jade a que me arrisco. Sei que olempenho deman-
da esludos especiaes, e Songa pratira de eons
eoes hydraulicas; tamo raals quanto
lem sido estudada, desde'o com
ribe, pela correte das mares rasantes, pelas en- Agoutes............................
ohentes invernosas do mosmo rio, e pelo transito
de caballos para ulinda quanlo a mar est cheia. I
Tudo isto solapa o isthmo, destnoronando-o de ara' As **( foram 1634:
lado, em quanto pelo outro, o reconstruem as ondas. Por deesao do jury...................
Por prescripcao...............T*w. y
Por perempgo...................^
Taes reas, sahidas do isthmo, formara, quando
as aguas perdem a sua velocidade, as coras em
frente ao forte do Brum e Cruz do Patrao, coras
que, por sua vez tambera Qcam sujeitas accao das
correnles das maros de syzigios e das endientes
do rio, que tendem a destru-las.
Lancadas por essa causa ao lveo do mesmo rio,
a materia \ descera ellas, naturalmente at onde as correnles
eco do presente se- Jdas a2"as quebrara a sna torca, pelo alargamonto
t E os recursos 603 :
Appellaeao do juiz.............
Dito das partes para a relacao..
Protesto para novo jury........
Ausentes, comparecendo.
A' revelia..............
Foram: MJ
Autores...............
Cmplices.............
Simples tentativas.......
...
86
78
597
18
3
en"cnheiros,produzn-!do canal- ou Pelo encontr das aguas dos rios com
mo, por habis e dislinctos ,^-------,,
lo esses estados quinze projectos, alm de peque-
as modificagoes, que teem sido propostas aos pla-
nos geraes apresentados.
A historia das sciencias offerece exemplos de me-
Ihoramentos e deseobertas, que nem sempre foram
obtidos pelos homens mais habis e notaveis : a
vonlade emprehendedora,applicada com firmeza, ha
sem duvida consogrado felfees resultados.
Esta consideracao, por tanto, me ioduz a dar pu-
Ijlicidade a este trabalho, que boje apresento em
acanhadas proporooes de um artigo de jornal, re-
servando para mais tarde publica-lo com o neces-
sario descnvolvimento, em urna memoria esclareci-
da com desenhos, que facilitem a sua comprc-
enso.
Em tres partes divido este trabalho : na primei-
ra, tratarei dajdescriprao do porto e de seas defei-
tos ; na segunda, resumirei os projectos que tem
sido apresentados sobre o objecto ; na tereeira, fi-
nalmente, discutirei alguns desses projectos, con-
cluindo pela exposigo das modificagoes, que me
parcem convenientes.
I
DESCMPQAO DO PORTO.
O porto de Peruambuco aeha-se na confluencia
des rios Capibanbe e Beberi.be.
O canal ahi formado o que constitue esto por-
to, o qual limitado ao poente, pela costa, e leste,
por un dique natural de pedras, a que chamnm
recifes.
Esse canal, que mu profundo as proximida-
des da ponte do Recife, onde tem de 20 a 30 pal-
mos de fundo, diminue progressivamente, em se-
dimento barra, variando a profundidade de l*i
t 20 palmos, nos lugares mais largos, e de 40 30
nos mais estrenos.
E' ao correr dos recifes, que se encorara a maior
profundidade, a qual vae diminuido proporgo que
se aproxima da costa.
Os recifes sao de pedras, formadas de um gres-
quartzoso e fragmentos de conchas, ligadas por um
cimento silico-calcareo^e prolongara-se desdeas vi-
iinhangas da Babia at o cabo de S. Roque, sobre-
.ahindo, em alguns lugares, ao nivel do mar, em
rairos submergindo-se, e seguindo quasi parallc-
lamente i costa : de certo ponto at o nosso porto,
nostra-sc mesmo ao nivel da prea-mar.
A' partir da altura da Iba do Pina, que fica ao
sol do porto, seguera os recifes a direccao recteli-
nea. om rumo Norte, 25 leste at barra.
Entre esses dous pontos, 480 bracas d'aquella
ilha, aprasentam urna depressao de pouco mais de
30 bragas de extensao, que forma a Barreta das
Jangadas, actualmente obstruida.
A' partir d'ahi, horisontalmente, segu essa mu-
ralla natural urna direccao quasi rectilnea, com
1,360 bracas de extensao, ao nivel de prea-mar,
lendo umaiuclinacao de 1/10, aproximadamente, do
lado do mar, e quasi vertical, do lado do poente,
com 10 30 bracas de largura.
A' 1,280 braca da Barreta est situado o forte do
Pico, distante 44 bragas do pharol da barra, o
qual guarda a distancia de 32 bracas ao sul da pe-
dra denominada Tartaruga, ao norte da qual co-
mega a barra pequea ou do Picao, com 16 18
palmos de profundidade, e 30 bragas de lar-
gura.
Ao norte desta barra, em una extensao de 220
1 ragas, elevam-se os recifes, (cando todava sem-
pre cobertos por 8 a 10 palmos d'agua.
Desapparccem depois completamente, para for-
marera a barra Grande, ou do Poco, que tem 440
bragas de largura c 25 35 palmos de profundida-
de. Convm notar, que em um tergo de sua exten-
sao, talvez, essa barra diminue o fundo, Picando
apenas com 20 palmos.
Em seguimento ella comegam de novo os re-
cifes levantar-se, sem com tulo doixarem de Pi-
car submergidos, em8 10 palmos d'agua.
No extremo norlc da mencionada barra lica a
jiedra Cabeca de coco. D'ahi por diante appare-
eem os recifes,8em alguns lugares, cima do nivel
do mar.e seguera at os baixos de Olinda.
DF.FEITOSDO POKTO.
E' isto, no meu entender, o que, em parte, man-
Julgamentos no decennio de 1833 1862.
Jury.
Foram julgados no decennio de 1833 1862,
19.663 processos que cotnegaram :
lem o banco do Breguede, onde urna porgo dellas por aeu ........... 3 610
se deposita, indo outra porcao para o Pogo, d'onde por ieamr 'parti'c|ar'.'.'.'.'.'.'.'.'.'. [ '.'.'.'. "555
novamente as vagas as at.ram sobre o isthmo. ^ dos promotores................... 8i4
Essa doscida das aras do isthmo para o porto, Ex-offlcio............................ 14.656
pelo modo porque acabo de expr, torna-se muito --------
mais sensivel depois da escavacao do leito do rio, 19.6*5
no lugar em que est sendo construida a ponte do Fr:iro sustentados:
Recife. Pelos queixosos....................... 629
Ahi as ruinas da antiga ponte serviam como de Por seus procuradores................. 673
urna especie de repreza, que mantinha no rio una Pelos denunciantes.................... 23
profundidade, menor do lado de cima, do que do Por seas procuradores................... 56
de baixo. Mas, desde que foi removido esse emba- Pelos promotores...................... 18.284
rago, o fundo tende a nivelar-se, e as aras descem -------
em tal quantidade, que ameagam em pouco tempo 19.665
Diversos sao os inconvenientes que se notam no
porto; mas enumerarei os principaes que sao : Io,
falla de fundo; 2", pouca capacidade ; 3o, veloci-
dade das aguas no aneoradouro, em certas horas
das endientes e vasantes das mares ; 4U, enlupi-
rcento progressivo do mesmo aneoradouro e do ca-
nal da entrada ; 5, falla de um ante-porto c de
uuiporlo de refugio para os navios, que demandam
o porto em franqua.
De todos estes inconvenientes, o que sem duvida
exige maior aUenco, para poder ser evitado, o
que resulla do entopimento do aneoradouro pelas
areias, que as aguas acarreiam da Iba do Noguei-
ra, dos bancos ao sul do porto, do slhmo de Olin-
da, e dos enlulhos e lixos langados dos caes da ci-
dade s margens dos rios.
As areias da ilha do Nogueira, levadas pelas
aguas e pelos ventos, distingue-se das dos rios pela
cor branqueada e finura de sua griia ; ao passo
que, as que sao arrasladas pelos rios, sao de cor
amardlada,e tem a graa um pouco mais grossa.
Essa differenga na qualidade das areias, mostra
que as daquella Iba sao peifeitamcnle idnticas s
que se acham as planicies de toda a costa ao sul
da cidade, at o cabo de Santo Agostinho. Para
remover o daino causado por laes areias, cons-
truio-se o dique chamado da ilha do Nogueira.
Se attender-se smente ao effeito das aguas, elle
preenche o fin para que foi calculado ; mas nao
evita de maneira nenhuma, que as areias, agitadas
pelos venios, se accuraulem de encontr ao men-
cionado dique, do lade do sul, sendo elevadas
altara de]serem (angadas ao porto, por sobre a mu-
ralha, como se observa j em grande extensao.
Isto nao admira ; fados idnticos do-se em to-
dos os paizes, em que se lera pretendido impedir o
movimento dos comoros das praias {dunet) por
meio de taes muralhas, como acontece, principal-
mente, as costas occidentaes da Franca.
As areias arrojadas ao porto por forga dos ven"
(os, nao sao em lio pequea qnantidade, como pa-
rece primeira vista.
invadir parte do aneoradouro.
Os estragos do isthmo, devidos as causas que j
apontei, produzem aba enorme quantidade de
ara, como bem mostra o estado existente do mes-
mo isthmo, o qual, era alguns lugares apenas tem
grossura sutliciente para resistir forga das on-
das, c em outras, como na Cruz do Patrao, tem
sido solapado ponto, que essa balisa, amigamen-
te construida no meio do mesmo isthmo, acha-
se de presente fra delle, sendo a sua base lavada
pela maro dentro do canal de Olinda.
As obstruccSes produzidas pelo rio Capibaribe
sao de duas especies: as qae tem lugar por occa-
siao das grandes cheias do mesmo rio, e que re-
presentara grande volume, posto que em longos in-1
tervallos; e as que provem do movimento peridico
das mares na vasante, e sao quotidianas.
Estas ultimas, posto que menores, tem se torna-
do mais sensiveis, depois da construegao dos caes
era torno da cidade, os quaes, apenando o rio en-
tre duas muralhas, fazem augmentar a velocidade
de suas aguas; e, por conseguinte, concorrem para
aprofunda-lo, sendo causa para que as aras do
fundo desgara e vio depositar-se, em lugares
espagosos, em que aquella velocidade desappa-
rece. Este defeito at certo ponto modificado
durante a enchente das mares; o volume, poriri,
das arcas arrastadas pela vasante maior do
que o levado pela enchente ; nao smente por
ser o rolume das aguas na vasante augmenta-
do com as dos rios, como, principalmente, por cau-
sa do pendor do leito, o qual tendo da parte supe-
rior da ponte provisoria apenas qualro cinco pal-
mos, cm alguns lugares, apresenta nm fondo des-
de as proximidades da ponte nova at peno da
barra, de mais de 20 a 30 palmos em muitos pontos
O entupimento do porto, causado pelas encas]
sobieludo do Capibaribe, deve augmentar, bem co-
mo os effeitos desastrosos de taes cheias, com a
obslrucco da Barreta e tapamento do canal do
Pina. Com estas duas obras privou-se o rio de dous
desaguadouros directos e rpidos ; e d'ahi resalta,
que as aguas das cheias se accumulam em torno
da cidade, at terem tempo de langar-sc ao mar
pelo estreito canal existente leste do bairro do
Recife; canal que sem duvida o nico desagaa*
douro que se deixa: visto que mui exiguo o es-
goto ao sul da ilha do Pina e o que se faz por cima-
de parte do recife.
Durante a demora das aguas na extensa bacia-
que Pica entre a ilha do Nogueira e os bairros d'
Recife e Santo Antonio, o limo e aras arrasladas
do leito do rio sao all depositado?, e depois lenta-
mente levados para parte do aneoradouro o banco
do Breguede : entretanto que, se existissem os des-
aguadouros que foram tapados, essas aras e limes
seriam langados com mais promptido ao mar era
dfferentes direccoes.
Os inconvenientes resultantes da suppressao des-
ses dous desaguadouros (da Barreta e canal do
Pina) nao lem deste j produzido os seus mus ef-
feitos de modo sensivel por causa do trabalho das
barcas de escavagao que constantemente se empre-
gam na extraego de aras no canal do porto, e no
aneoradouro.
Entretanto, apezar de extrahirem ellas peno-de
30.000 toneladas de ara annualmente, e da enor-
me quantidade de ars tiradas dos leitos dos rios
para aterros dos terrenos destinados a ediQcagao,
consta-me que o dito canal pouco tem aprofundado,
c acha-se hoje muito mais estreito, do que ha
10 anuos passados, ponto de s permittir pa6sa-
gera a um navio, quando outr'ora passavam dous
emparelhados.
O cntulho langado no porto, para limpeza da ci-
dade, c calculado pelo Sr. inspector do arsenal de
mirinha [em 50 toneladas por dia, oque por si j
muito e prejudica o porto.
Qualquer providencia, pois, que remoja, ou faga
cessar esse mal, da mais urgente neeessidade.
M. de Barros Brrelo.
(Continuar-se-ha.)
t Estes processos comprehenderam 24.484 rns,
sendo :
Homens..................... 22.899
Mnlheres.................... 1.585
Brasileiros................... 21.466
Estrangeiros................. 3.018
Menores de 14 annos.......... 79
De 14 17................... 336
Del721................... 2.197
De 21 40................... 16.564
De 40 para cima............. 5.288
Solteiros..................... 11.007
Casados..................... 11.843
Viuvos-...................... 1.634
> Foram julgados :
Presos....................... 17.595
Afianzados pessoalmente....... 4.535
Por procuradores............. 184
A' revelia................... 215
Ausentes comparecendo......... 349
A'revelia....................... 1.606
Foram classilicados:
Autores......................... 21.918
Cmplices....................... 1.399
Simples tentativa................ 1.167
c Estes 24.484 rus commelteram 24.008 crimes,
a saber :
Pblicos....................... 1.265
Particulares..................... 20.790
Policiaes........................ 1.933
Os 1.263 pblicos sao :
Contra o livre exercicio dos po-
deres polticos..........----- 1
Contra o livre goso e exerciciodos
direitos polticos dos cidadao
Brasileiros................. 12
Sedigo..................... 1
Insurreigao.................. 5
Resistencia.................. 144
Tirada ou fuga de presos...... 667
Peila,concusso eoutros abusos. 16
Falsidade.................... 262
Perjurio..................... 148
Pee ul alo..................... 2
Moeda falsa.................. 7
c Os 20.790 particulares, foram :
Conlra a liberdade individual.. 160
Homicidio................... 5.607
Infanticidio..................... 40
Aborto.......................... 21
Ferimentos.................... 10.548
Ameagas....................
Estupro.....................
Rapto........................
Calumnia e injuria.............
Polygaraia...................
Adulterio....................
Furto.......................
Bancarrota, cstcllionato, etc....
Damno......................
Roubo.......................
Os 1.933 policiaes dividem-se :
Olleosas religiao e moral......
Ajuntamentos Ilcitos...........
Vadiagao......................-
Armas defezas..................
Fabrico c use- de instrumentos
paca roubar................
698
267
107
132
35
7
1.156
535
367
1-110
6
221
11
1.702
13
.aos 24.484 reas foram applcadas 12.568 eoa-
demnagoes, e 15.790 absolvigoes; havendo 61
prescripgoes, e sendo declarados peremtos 457 pro-
cessos.
Foram absolvidos pelo jury..... 13.232:
' Houve 5.678 recursos, a saber :
Appellago do jur............ 2.249
Dita das partes para a rdagao.. 2.465
Protestos para noy o j ury_____ 364
3.078
LITTERATD'RA
0 QUE VAE PELO MUNDO
Dam*> em seguida a continuagao do relatoro
do Exm. Sr. ministro da justga Zacaras de Ges
e Vasconcellos.
c Os pa: ticulares:
Conlra a liberdade individual...........
Homicidio...........................
Infanticidio.........................
Aborto..............................
Ferment e offensas pbysicas............
Ameagas.................................
Estupro..................................
Rapto.................................
Calumnia e injuria....................
Poligamia............................
Furto...............................
Bancarrota, estellionato e outros crimes
conlra a propriedade..............\.
Damno..............................
[Roubo...........;..............
>

Os policiaes:
O Sr. Dr. Campello, eugenheiro encarregado da
direcgo das obras do mesmo porto, calcuion, de-
pois de varias experiencias, em 120 palmos cbi-
cos por braga crreme de tnuralha aterrada, o vo-
lume dessas ardas langadas, durante cada di, por
cima do dique, em vrtude da aegao cima indi-
cada.
O islbmo de Olinda o resultado da accumula-
rao das aras que as ondas arremessam sobre a
costa, formando assim um dique natural, que,
sea torno escavado do lado do canal ilo rio Bebe-
14
758
5
6
903
34
33
10
26
3
112
72
26
114
_____
2.117

Ajuntamentos Ilcitos..................
Armas defesas...-....................
Fabrico ou uso de instrumentos para
roubar............................
1 Houve 1.191 condemoagoes, a saber:
Morlo...............................
Gales................................
Prisao cora trabalho.....................
Prisio simples.......................
Desterro...............Hw.wM
Multa......................


17'
I
"30
26
127
216
388
4
386
t Foram conderanados :
A'morte..................... 363
Gales........................ 1.055
Prisao com trabalho........... 2.251
Pnso simples................ 4.420
Degredo..................... 18
Desterro..................... 50
Multa........................ 3.760
Perda de eroprego............. 3
Agoutes...................... 648
Suizes e direito.
Responsabilidade.
1 Dos mappas dos crimes julgados pelos juiws
de direito, durante o mesmo decennio, v-se que
618 rns corametteram 621 crimes, respondendo
a 340 processos nos quaes se derara 610 condem-
nagSes e 266 absolvigoes.
c Comegaram:
Por qnelxa...................
Por denuncia particular.......
Dita do promotor............
Por ordem superior..........
Ex-offlcio....................
Foram sustentados:
Pelos queixosos...............
Seos procuradores............
Pelos denunciantes............
Pelos promotores..........
Os 618 rus foram :
Homens.........................
Mulheres......................
Brasileiros......................
Estrangeiros....................
De 21 a 40 annos...
De 40 para cima
Solteiros..................,......
..................
............
Estes 618 rus commelteram os seguales cri-
Calumnia o injuria......... 2
Falta de exaegao no impr-
menlo de seus deveres.......220
Irregularidade de conducta... 19
Excesso ou abuso de aulondade 103
Fuga de presos............. 62
Prevarcagao................ 103
Peila...................... 47
Soborno.................... 4
Peculato................... 10
Concussao................... 15
Abandono do em prego....... 12
Contra a liberdade individual. 20
621
As condemnagoes foram :,
Prisao com trabalho.......... 38
Prisao simples.............. 69
Mulla... *.................. ni
Perda de emprego........... 53
Suspensao de emprego....... 187
Inhabilidade de emprego..... 19
Julgaram-se Improcedentes... 33
510
As appellagoes foram 133, passando em julga-
do 177 processos.
Crime de que traa a le n. 562 de 2 de julho do
1850.
t Foram submettidos aos juizes de direito 482
processos que comegaram :
Por queixa................. 64
Por denurfeia particular...... 17
Dita do promotor............ 22
Ex-offico.................. 379
c Foram sustentados:
Pelos queixosos............. 7
Por seus procuradores....... 1
Pelo promotor............... 474
< Responderam 665 rus :
Homens.................... 645
Mulheres................... 20
Brasileiros................. 490
Estrangeiros................ 175
De 14 17 annos............ 8
De 17 21................. 43
De 1 40................. 471
De 40 para cima............ 143
Solteiros................... 329
Casados.................... 308
Viuvos..................... 28
< Livraram-se :
Presos..................... 60o
AQancados pessoalmente...... 40
APiangado por procurador 1
Ausentes comparecendo...... 9
Ausentes revelia........... 10
Foram:
Autores.................... 576
Cmplices.................. 69
Simples tentativa............ 20
Commetteram-se 582 crimes :
Moeda falsa................. 58
Roubo..................... 42
Resistencia................. 111
Banca-rota................. 114
lirada de presos............ 111
Homicidio.................. 146
Houve 365 condemnagoes e 364 absolvigoes.
As condemnagoes foram :
Morte...................... 11
Gales...................... 70
Prisao com trabalho......... 124
Prisao simples.............. 83
Mulla...................... 60
Suspensao de emprego....... 5
Agoutes.................... 12
365
Appellagoes do juiz 47, e das partes 105 : 1
processo foi julgado perempto, e 1 prescreveu.
lntracgo de posturas.
2,791 processos foram instaurados contra
3,249 rus que commelteram 3,194 crime?, e sof-
freram 2,877 condemnagoes.
Houve 1,151 absolxigoes e 859 appellagoes ;
passando em julgado 2,257 processos
Comegaram :
Por queixa.......1501
Por denuncia particular 408
Dita do promotor ..... 54
Ex-ofllcio........828
c Os rus eram :
Homens........2848
Mulheres........401
Brasileiros........2242
Estrangeiros.......1007
Livres ......... 3156
Escravos........93
Livraram-se :
Soltos.........2609
Presos.........386
Afiangados.......30
Ausentes........224
Os crimes commetlidos foram :
Ttulo indevido...... 1
Desobediencia......133
Contrabando.......13
Abertura de cartas .... 1
Offensas pessoaes para fins libi-
dinosos ........ 16
Calumnia o injuria.....1317
Damno......... 69
Offensas religiao.....71
AjunUmcntos Ilcitos. ... 3
Mendigos........107
Uso de armas.......106
cindindo das condc5es d renda, e organisar essa :
milicia em tres dasses, a saber : disponivel, ac-
tiva e de reserva, na primeira das quaes se in- ;
cluam todos os individuos de 18 35 annos, que '
nao tendo isengoes legaes, fleariam por isso mes-
mo sujeilos ao recrutaraento ; fazendo-se a distr-
buigio dos recrutas pelas provincias conforme o
numero dos qualifieados, e nestas pelos comman-
dantes superiores e de corpos obrigados a apre-
sentarem os que Ibes tocarem.
Tambem se ha sustentado que a medida salva-
dora da iustluicao da guarda nacional, fra lan-
car-se sobre todos os cidados alistados e mesmo
sobre os estrangeiros establecidos e domiciliados
no paz, que estiverem as condiges pecuniarias
dos guardas nacionaes, urna laxa moderada cujo
producto se destinasse exclusivamente a assala-
riaruma milicia auxiliar as diversas localidades
do imperio, no presupposto de aliviar do onus do
servigo, a troco de urna tenue contrbuigo pecu-
niaria, a guarda nacional.
Oulros pensam que o verdadeiro ponto de vista
sob o qual cumpre considerar a reforma da lei, .
o da respectiva qualificaco que hoje abrange, I
pela humilde condigo pecuniaria requerida para
o alislamento, toda a massa dos cidados, inclusi-
ve os individuos que poderiam e deverara ser cha-
mado ao servigo, nao s do exercito e da armada
com da forga policial das provincias, e que, en-
tretanto, se fosse mais restricta, alistando-se no
servigo da guarda nacional smente os cidados
que, possuissem sufficientes meios de subsisten-
cia, deixaram forga de linha e de polica onde
provr-se com abundancia, e collocaria assim a
guarda nacional as circumslancias de ser menos
importunada com o servigo que essencialmente
pertence s duas referidas forgas, e de menos
senti-lo quando fosse indeclinavel presta-lo.
E' ao ultimo dos apontadosalvitres, que pensa
dever inclnar-se urna bem entendida reforma da
lei de que se trata.
A forga actualmente qualificada segundo os poder do estado,
mappas reeebidos, monta a 596,284 homens, re-
partidos por 212 commandos superiores
prehendendo:
(Continuar-se-lta.J
Nao conhecendo o dinheiro
Nenhuin valor Ihe dar;
E feliz se julgar
Tendo bom capim e milho.
Nao sustenta mae nem filho
Mil credores nao ter!
Se trinta annos completen
De exercicio, principia
A requerer noule e dia
A reforma que chegou !
Quasi nada elle ganhou I
luda que antes a tivesse !
No corpo Ihe transparece
A canga da sujeigo.
Perna bamba, olhos no chao
Mumia ambulante parece!
As>im, pois, a lodos digo
Nao caiam nessa esparrella
Manda a prudenciacautela
Ardendo as barbas do amigo.
Eu porm que a vida sigo
Que me rala esta existencia,
A' Deus pego paciencia
Para reforma chegar
Pudendo emfim dcscangar
Bem rico de experiencia!
.Da Semana Ilustrada extrahimos o que segu:
Aduella. Peca demadeira paratonneis, e de caja
falla d logo signaes o cerebro humano.
Amor. Ioversao de Roma, empregada artificial-
mente para engaar raparigas desprevinidas.
Absurdo. Substantivo tao potente que vae teman-
do ha mais de 30 annos as proporgoes de quinto
Arrependtmento. Virlude das Magdalenas que se
lembram de Deus quando o diablo as repelle.
Anacido. Nome proprio de mulher com sobreno-
me de homem.
l'l POICO DE Tl'D.
Traduzmos da Patrie o que segu :
Por diversas vezes temos assignalado o modo ty-
rannico, porque o general federai Buller exerce o
poder em Nova-Orleans; e sabe-se que o mesmo
procnsul foi enviado a Virginia occidental e a Ca-
rolina do norte com o lini de manter ahi os ni-
mos alfectos L'nio. Mas como elle procede,
como Pizera na Louisiane, de crer que nao ser
mais feliz nesta sua commissao.
Um faci, entre milhares, bastar para fazer
apreciar os meios de persuasao empregados por
Butler.
Um ecclesiastico de Portsmoulh (Virginia) per-
tencente elasse elevada da sociedade, e umver-
salmente respeitado por seus concidadao, o Revd.
Dr. Wingfield, era ha muito suspeito s autorida-
des federaes. Culpado por sympathias pelo sul;
convicto de aprovitar toda a occasiao para propa-
gar suas doutrinas anti-unonistas, parece que to-
cou ao maior grau eonservando-se de p na egreja
quando fez a supplica obrigaloria pelo presidente
dos Estados-Unidos.
Comprehende-se que o exemplo era necessario.
O general Wild commandnte de Portsmouth,
Anjo. Epitheto de ternura, d'onde se deriva o di-
tado : quem ao feio ama, bonito loe parece.
Amo. Primeira pessoa
criados a seu servigo.
do indicativo., que tem
Alcapao. Porta que se levanta para cima, muito
usada as caigas denossos paes.
Baco. Adjectivo que indica falta de lustre por
baixo do diaphragma..
Bacalho. Peixe de cinco pernas empregado as
dietas da casa de correcglo e as fazendas ruraes.
onde ha escravido.
Bataneo. Oscillacao escripia por guarda-livros em
partidas simples ou dobradas.
Baldo. Anteposto ao naipe, o estado de muilos
que arrotam conlos.
Banco. Assento de madeira, depositario de gros-
sas sommas.
Barato. Adjectivo que sahe caro em casas d;
jogo.
Barba. Parte do rosto, pela qual ninguem quer
que Ihe d agua.
Barra. Extremidade de vestidos, por onde entram
.............
94
45
99
30
272
21
2
3
514
I
617
1
614
4
535
265
171
399
48
obrou sera detenga, depois de'haver obtido a ap- navios a vela ea vapor.
provaco de seu chefe immediato, o general Butler. Chicam. Irm5a gemea da dipIoraacia) casada com
A ordem especial n. 44, publicada em Norfolk a 0 Sr Enred0) da quai os procuradores de causas
i de fevereiro prximo passado, consigna que o fa,em a sua penelone
Dito de nomes snppostos. 7
Dito Indevido da iraprensa 37
Infracgo de posturas. 1286
Entrada em casa alheia ... 24
Carcere privado...... t
Fenmento........ 1
As condemnagoes foram :
Prisio com trabalho .... 58
Dita simples....... 1195
Mulla......... 1578
Desterro........ 3
Agoutes.....
Termo de bem viver
Demoligo .

Guarda nacional.
. 32
2
. 9
2877
25
Sr. S. II. Wingfield ser preso e entregue ao coro-
nel Sawlelle, que o empregar durante tres mezes
a varrer as ras de Norfolk e de Portsmouth, for-
gando-o assim a consagrar seu tempo ao servigo do
governo que elle tem ultrajado, e a pagar, posto
que em tenue proporcao, a pena de sua deslealdade
e traigao.
Todava, cumpre addicionar, que urna ordem do
dia posterior de Butler refere esta selvagera sen-
lenca.
O procnsul fora a isto forgado, sem duvida, pela
explosao da indignagao geral; mas leve o cuidado
de fazer conhecer que se annullava a sentenga, nao
era por ser a punigao injusta, mas sim por ser de
natureza a refleciir sobre todj o clero, quedevia
estar j bastante mortificado de contar entre seus
membros ao Sr. Wingtield.
Esteve preso este por tres raezes no forte Monroe.

O Sr. Bischoff expoz Academia de Munich ob-
servagoes physiologicas mu curiosas acerca das
consequencias, que urna operacao ou urna lesao
cerebral pode ter sobre o sentido, vontade, o ras-
trado ou os sentimentos.
Urna rola soffreu a oblacao dos hemispherios do
cerebro, o que nao a impedio de sobreviver anda
vinte e dous mezes, tempo que poder-se-hia exten-
der anda mais, se ella nao fosse mora para ser
disseccada.
Depois da operago, o animal icou como que es-
tupefacto e competentemente apathico; mas a vita-
lidade reveo com a cicatrisagao da ferida. Os olhos
tinha-os claros e brilhantes ; o ouvido e o gosto
pareciam sem alteragao, como o demonstraran! di-
versas experiencias. O olfacto, solicitado pela as-
safelida e pelo oleo de aniz, que pareceu mais
alterado. Mas desde o da da operago, a rola per-
deu a faculdade de se alimentar; era preciso dar-
Ihe agua e a comida pelo bico, visto que se eolio"
cava-se ao seu alcance o milho, quebrava-o como
outra cousa, mas sem ter a idea de rete-lo para
engolir.
Pareca tambem ter perdido toda a nogao de for-
ma e de lugar: porque se um objecto era posto a
sua frente, 1a contra elle ; e chegando ao nm de
urna mesa precipitava-se ao chao em vez de tomar
o voo, e s cnto abra as azas.
Todava, o defeito da concepgo diminuio mais
tarde, porm o senlimento do medo licou completa-
mente minificado, visto que dava bicadas nos gatos
e nos caes intrpidamente, quando as ontras aves
se nSo atreviam a isto.
O animal pareca ter-se tornado urna machina
perfeilamente organisada, que reagia sobre a in-
fluencia exterior, mas sera ter disto a menor cons-
ciencia.
~~
Do Bazar Volante transcreveraos o seguinte
fazem a sua Penolope.
Chrisma. Confirmagao de baptismos polticos, em
que c permittida a mudanga de nomes.
Chripista. Repre?entante da familia dos filantes.
o qual distngne-se pela ampldo da garganta e do
bucho.
Cigarro. Marido da cigarra, que desfeito em
Cornaca.
Cipo. Vegetal que d as cosas de quem o
apanha.
Coberta. Remedio para fri, onde se reunem mi-
rinheiros.
Cavalla. Synonymo de egua, que se pesca dos
mares do Brasil.
Concert. Reparo feito em qualquer casa arrui-
nada, sapato roto, onde se cantam arias, duetos-
elc.

Casados.........
Vovos.......
Livraram-se :
Presos .........-........... W
Afiangados pessoalmente....... 346
Por procuradores...... ...... 5
A" revelia,.,.*............... 8
A lei da guarda nacional, promulgada ha porto
de 14 annos, sahiu do corpo legislativo com delei-
tes, que a pratica fez imraediatamente sentir, e
qae no decurso dos annos de tal forma se mani-
festaran! que boje geralmente reconheoida a ne-
eessidade de altera-la, sem todava haver perfeito
accordo sobre o modo por que deve ser feita a al-
teragao.
Tem-se opinado qne. convm ampliar a qualifi-
cagao da guarda nacional eslendendo-a a todos os
cidados de 18 annos de idade para cima, pres-

O EMPREGADO PUBLICO.

Triste vida a do empregado,
Que serve a este paz I
Nunca tem urna de X!
Com tao pequeo ordenado
Anda sempre apoqueptado
Com o ponto inexoravel;
Muito breve insapportavel
Se torna : s falla em pontos.
Glosas, multas e descontos
E na demissao provavel.
Ao menos qualquer sendeiro,
Querda cidade ou da roga,
Pucha a sua carroga :
Soffre s do carroceiro

Condecorarlo. Menina
tada.
bonita muito reques-
Conselho. Esmola que se d a torio e a direito.
sem que as vezes ningaem a pega.
Consciencia. Espelho sem ago.
Corda. Genero de exporlagao no reino do namo-
r, e de grande consumo na legio dos reqnestado-
res. Das azeitadas e rodas ha abundancia no mor-
cado.
-----
Traduzmos
segu :
do Courrier des Etats-l'ms o que
A academia de msica de Brooklyn oi Iheatrode
um drama, que por se ter passado nos bastidores,
nao foi menos commovente.
Representava-se o Dule's Motto, no qual mada-
mesella Vestvali desempenhava o papel do capitao
de Lagordre.
Dous individuos, um dos quaes diz-se ser merca,
dor de medas de Fu I ton-Street, em Brooklyn. e ou-
tro um negociante de New-Yerk, tinham sido ad-
mitidos na caixa.
Durante a representagao, madamesella Vestvali
viera aos bastidores, depois de ter canudo om pe-
dago, e ento o mercador de modas pondo-lhe fa-
miliarmente a mao sobre o hombro, dirigulhe al-
gumas palavras, que offenderam sua susceplibi-
lidade.
Ella vollando-se vivamente, perguntou ao indis-
creto se sabia a quem fallava 5 mas este sem se im-
portar com tal movimento de altivez oflendida. re-
petm as mesmas palavras.
A actrii irritada por tamanha audacia, tirou o
sabr que pendia-lhe do lado, correu sobre o im-
pertinente, e atirou-lhe urna entilada, que o feriu.
Este nao teve seno o lempo de esquivar-se, para
evilar nma segunda ; e seu rompanheiro fez ontro
tanto, e em boa hora, porque ia acontecer-lhe
mesmo.
No dia subsequente madamesella Vestvali devia
representar de aovo na Aeademia; mas a nma hora
adiantada da nonte o publico foi informado de que
ella se achava incoramodada, e assim nie havia es-
peotaculo.
A scena da vespera tinha-a langada n'un. estado
de sobrexcitago nervosa, que exiga um repoaso
absoluto.
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. 4 FILHO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EK2EXY421_01YUXH INGEST_TIME 2013-08-27T21:52:53Z PACKAGE AA00011611_10427
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES