Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10426


This item is only available as the following downloads:


Full Text

<
)
>
\
.' z
AflflO 11. HOMERO 170.
Por tres Mezes adiantados S$O00
Por tres mezes vencidos 6JJO0
Porte ao cerreio por tres mezes. 0750
.*> i


-

OARTA FEIRA 27 DE J0LHO DE 1884.
Por ano adiaitado.....19J0O
Porte ao correio por nm anno 33000
unir iwarrin-nn-
BNCARREGAD03 DA SUBSCRIPQO NO NORTE
i
Parahyba, o Sr. Antonio Aleandrino de Lima
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty,
8r. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranblo, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Manoel Pinheiro <5 C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
1NCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL-
Alagas, o Sr. Claudino Falcio Dias; Babia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gaspariuo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyaona e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Garuaru',
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores,Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
EPHBMEBIDES DO MEZ DE JULHO.
La nova as 10 h., 5 m. e 13 s. da m.
Quarto cresc. a 1 b., 20 m. e 14 s. da m.
La chela as 4 h., 15 m. e 14 s. da m.
:
l
19
25 Quarto ming. as C h., 26 m. e 8 s. da l.
Todos os estafetas partem ao Vi di a.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira as 10 horas e G minutos da manha.
Segunda as i O joras e 30 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIR05.
Para o sul at Alagas a 5 e 26; par* o norte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 11 dos mezes dejan, marg., maio,jul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife: do Apipucos as 6 Vi. 7, 7 '/2, 8 e
8 V* da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboato s 61/2 da m.; do Caxang e Varzea s 7
da ni.; de Benifica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 /, 4, 4 /i, 4 '/j,
5, 5 V<, 5 V e 6 da Urde; para Olinda s 7 da
manha e 4 >/t da tarde; para Jaboato s 4 da tar-
de ; para Cachang e Varzea s 4 Vi da tarde; para
Be mfica asida tarde.
AUDIENCIA DO.-J TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacio: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da urde
DIAS DA SEMANA.
25. Segunda. S. Thiago ap.; S. CI11 islovo m.
20. Terga. Ss. Swnpliroiiiu e Olympio inm.
27. Quarta. S. Panialeo medir.
28. Quinta. S. Innocenco p.; S. Nazario m.
29. Sexta. S. Martha v.; S. Beatriz m.
30. Sabbado. S. Donatilla v.; S. Rufino m.
31. Domingo. Santa Anna niae da mi do Deus.
ASSIGNA-SE
no Recife, era a livraria da praga da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE OFFICIaL
G0YBRN0 DA PROVINCIA.
Expediente do dia 23de juloo de 186!.
Dito ao director geral interino da instruegao
publica.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia remetto V. S. para o lira conveniente o
incluso exemplar da collecgo das leis promulga-
das nesta provincia no correte anno. Fcz-se
igual remessa as demais repartieses.
Oflueioao Dr. chefe de polica. Expega V. S.
suas ordens para que sejam entregues provedo
ria da Santa Ca de Misericordia, nao havendo
inconveniente, os africanos livres Pedro eTIieodoro,
que se auseotaram do Hospital Pedro II onde esta-
vam oceupados como serventes, e se acham na
casi de deleogo.Comniunicou-se ao desembar-
ga lor provedor da Santa Casa.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Para os convenientes exames, remetto V. S. a
inclusa copia da acta do conselho administrativo
do arsenal de guerra, datada de 18 do corrente.
Dito ao mesmo.Remetto inclusos por copia o
requerimento que me dirigiram os negociantes
Southall Mellors & G, e a inormago minorada. ^ d supp|icanteintridamente.
pelo conselho administrativo do arsenal de guerra | r^l! tu^rin, a* RA.,rre.ir--n.-A
de 22 do corrente para que V. S. mande com
Despachos do dia 23 de jolito de 186i.
Reqnerimentos.
I Antonio de Farias Brando Cordeiro.Informe
o Sr. engenheiro chefe interino da repartico das
obras publicas.
Gaspar Antonio Vieira Gumares.Informe o
Sr. inspector da. thesouraria do fazenda.
[ Jsmiaria, Africana livre. Informe o Sr. inspec-
tor do arsenal de marinha.
Joaquim Paes Pereira de Souza.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de faienda.
Tenente LeopoldoFerreira Martins Ribeiro.Em
< vista da informago passe portara concedendo seis
i mezes de licenga ao supplicante*
Manoel Olimpio de Carvalho Mendonga.Passe
Felinto Henrique de Almeida, est com assenlo na Io batalhao do commando superior desta cidade,
cmara temporaria. O de Pombal, bachrel Manoel. quo devia dar a guarnigo da praca n'aquelles
Tertuliano Thomaz Henriques, tendo vndo para es- dias. C.ngindo-me a> que est determinado por
ta cidade em julho do anno passado, como membro lei, mandei que as revistas e exercicios s tives-
da assembla provincial, a qual se reuni no mez sem lugar na primeira dominga dos mezes, e dis-
de outubro, ainda aqu se conserva com parte de ; pense o Io balalho de dar a guarnigo da praga,
doente desde Janeiro deste anno; e o de Souza, ba-, salvo quando por motivo urgente houvesse de ser
charel Hyppolito Cassiano Pamplona se acha ausen-' delalhade.
te ha milito tempo. O commandante superior interino da capital,
Consta oficialmente que a nova comarca da ci-, tenente-coronel chefe do estado-maior, represen-
dade de Mamanguape foi declarada de 2' enlrancia, \ toume a respeto de outros olllciaes de batalhoes
sendo para ella removido da capital do Espirito. de seu commando, que residiam nesta cidade,
ur-
gencia examinar por doiis conferentes da alfande-
gao panno verde que aquelles negociantes otlere-
ceram venda para tardamente do nono batalhao
de infamara, e existe depositado na sala das ses-
sSes do mesmo conselho.Pedirain-se ioformaees
este respeito ao commandante do nono batalhao
de infamara.
Dito ao inspector da thesouraria provincial. -
PJe V. S., de conformidade com a proposta da
junta dessa thesouraria constante de seu officio de
hontem sob n. 303, mandar por em hasta publica o
imposto de 2^500 rs. do gado vaceum consumido
no municipio de Iguarassu' no restante do triennio
corrente, visto haver sido rescindido o contrato
faite com Maxim ano da Silva Guonao, servindo
de base essa arrematacao a quantia de 2:1505
indicada pela mesma junta.
Dito ao mesmo.Concedo a autorisanao que pe-
dio a junta dessa thesouraria, segundo consta de
officio de V. S. datado de hontem, e sob n. 302 para
serem postos novamente em hasta publica com o
abate do terca parte nos respectivos valores, os
Manoela Alexandrina da Ressurreicao.A sup-
plicante noprovou aisencao que diz ter seu fllho.
INTERIOR.
PARAHYBA.
Rea torio que, ao passar a admiuistraeao da pro-
vincia ao presidente effeetiY, apresentou o Exm.
Sr. Dr. Felizardo Toscano Brrelo.
lllm. e Exm. Sr.Passando V. Exc. a admi-
nistrado da provincia, cabe-me o dever de, em
cumprimento do aviso circular do ministerio do
imperio de 11 de margo de 1848, dar V. Exc. as
uforraaces recommendadas pelo mesmo aviso.
Fazendo hoje tres mezes e um dia que tomei
conta da admioistraejio, ua qualidade de Io vice-
presidente, para que fui nomeado por-' impe-
rial de 3 de fevereiro deste anno, nao uve tempo
de estudar as necessidades da provincia, entrar no
verdadeiro conhecimento de todos os negocios, e
pedagios das pontes dos Carvalhos e Tapacuraque providenciar respeito como se lizesse mister; por
pela terceira vez deixaram de ser arrematados por 5S0 y. Exc. desculpar a deficiencia deste tra-
falta de licitantes, como se v de seu citado offlcio Dalho.
que fica assim respondido. thanqi ilidaue publica.
Dito ao capito do porto.Mande V. S. perenal Tenho a maior satisfacao em poder assegurar
liberdade o recruta de marinha Jos Justino Teles | y. Exc. que a provincia se conserva no gozo da
de Menezes, que tem isencaodo recrutamento.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional de Santo Anto. Mande V. S. aggregar ao
batalhao de infamara da guarda naeioual sob seu I
I mas perfeita paz, e que nem mesmo se deve ter o
menor receio de que a tranquillidade publica ve-
nha a ser alterada.
V. Exc. ter occasio de reconhecer que a indo-
tribu
nossas
...tuicoes sao seguros garantes de lao lisongeiro
oflicial apresentar ua secretaria da presidencia a eS|a(j0.
respectiva patente para ser apostillada na forma : sEcuiuNgi individual e de phopriedade.
da lei. A' 16 de marco ultimo o portuguez Manoel Jos
Dito ao juiz municipal da primeira vara desta Q(! Almeida Jnior, morador nesta cidade, deflorou
commando superior o major Jos Gomes da Silva ie pacifica dos Parahybanos, o respeito, que
que outr'ora pertenceu ao batalhao n. 24 da mes- (am s |ts e as autoridades, e seu amor s 1
11.,1 arma do municipio da Escada, devendo esse ostituicoes sao seguros garantes de lao liso
Santo o juiz de direitto, bachrel Jo5o Paulo Mon
teiro de Andrade; mas, nao se tendo ainda verifica'
do o disposto no aviso do ministerio dajustigade
10 de maio de 1863, contina a mesma cidade
pertencer comarca desta capital.
Os termos de Mamangnape, Pilar, Inga, Indepen-
dencia, Bananeiras, Campia Grande e S. Joo es-
to oceupados pelos respectivos juizes municipaes-
corrente estlvcra elle oceupado nos en^aios em o
tiiea'.ro de Apollo d'onde sabio para o hotel s 10 e
rueia horas ; que all estivera at iaea noite ; que
a essa hora fra a certa cocheira alugar um carro ;
que sahira em compatiliia de Maria Bemvenula dos
Anjos um passeio ; que em companhia desta pas-
sra todo o resto da noite, sahindo de sua casa no
dia seguinte, pelas 10 horas da manha.
Venlicam-se algumas contradieces entre o que
disse o Sr. Furtado Coelho e Mari'a Bemvenuta dos
Anjos; porquanto esla declarou que o Sr. Fur-
tado Coelho entrara em sua casa s 9 horas da
noite de 7 do corrente, tendo apenas sahido meia justica
noite para ir cocheira alugar o carro no qual
e pedio que fossem os d'artilharia addidos, e os
de infamara aggregados ao primeiro^ E' inve-
terado o abuso de serem nomeaios olllciaes para o
2 e 3 batilhoes individuos residentes no districto
do primeiro.
Reconhecendo que um favor concedido pela lei quarto depois de 11 horas; o Sr. Jos Carlos Goncal-
a faculdade, que tem o ofiliial de requerer que se-1 ves disse que saho com o Sr. Furtado Coelho do
ja aggregado ao batalhao do districto, para onde ensaio, que o nolargou sen.io o minutos antes ou
I depois de meia noite, alrmaDdo Blandin que 7
horas da manha do dia 7 vira o Sr. Furtado Coe-
Confirmada a senlenca.
AppeUaifio crime.
Appellante, Joo Ferreira de Souza ; appollada, a
justica.
A' novo jury.
Habeas-corpus.
Concedeu-se a soltura pedida em habeas-corpus
por Rodrigo Gongalves Bastos; e a ordem pedida
por Manoel Barbosa da Silva para o dia 2 de agos-
to futuro, ouvidas as autoridades competentes.
DILIGENCIAS CRIMES.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
passera, voltando juntos para a casa della.
Mr. Blandin, dono do hotel, em que reside o Sr.
Furtado Coelho disse estivera com este no seu
e nao assim os da capital, Ara, Cabaceiras, Pora, transfere sua residencia, determinei ao mesmo
bal, Pattos, Pianc e Souza ; o primeiro, terceiro, commandante superior que me enviasse urna rela-
quinto e sexto, por se acharem os propietarios in-1 gao dos oIBciaes, que se achassem nessas condi-
terinamente na vara de direito; o quarto, por nao {5s, afim de poder providenciar acerca delles, lin-
ter ainda tomado conta do lugar o bachrel Jos do o prazo legal; e outrosim que fizesse addir os
Marques Camacho, que foi reconduzido por decreto de artilharia ao Io batalhao.
de 9 de marco prximo lindo, e quem marquei j De conformidade com o pedido do inspector da
em data de 6 de abril o prazo de tres mezes para thesouraria da Tazcnda, foi aberto em 30 de feve-
apresentacao do titulo; e o stimo, porque, tendo re i ro um crdito de 1:3904000 para as despezas
requerido ao governo imperial a sua demisso o da guarda nacional; e levando este meu acto ao
bachrel Antonio Bernardino dos Santos Jnior, \ conhecimento do governo imperial, solicitei a sua
concedi-lhe, pedido, dous mezes de licenja sem approvaco.
Appellante, o juizo
Pereira. ,
Appellante,
da Silva.
Appellante,
juizo.
As appellaroes crimes.
appellao, Geraldo Jos
o juizo ; appellado, Rufino Pereira
Feliciano, escravu ; appellado, o
ordenado.
nanlo ao segundo, onde servia o bachrel An-
tonio da Cunha Xavier de Andrade, consta do Dia-
rio Oficial n. 12.de 16 de Janeiro deste anno, que
por decreto de 14 daquelle mez foi-lhe dada a exo-
neracao, que requereu, sendo nomeado para sub-
stituido o bachrel Flix Antonio Pereira Lima ;
mas nenhuma communicacao oOlcial veio a seine-
Ihante respeito.
Sao palpitantes os inconvenientes, que resoltara
de nao se acharem os juizes propnetarios no exer-
cicio de seus lugares, e ainda maiores os que pro-
vm de ficar a judicatura as mos de leigos, que,
anda quando possuidos das melhores intences,
Tem-se embarazados no botn desempenho de snas
obrigacoes. De ordinario as causas ou paralisam,
ou tomam o andamento forcado, que Ihes da o pa-
tronato e afilhadagem.
Estao prvidos os lugares de promotores pbli-
cos de tedas as comarcas da provincia ; mas s se
acham em exercicio os da capital e S. Joo, por
(Continuar-se-ha.)
elle requer afim de poder o commandante do pre- 0 delnqueme, quem se attrbue raais de um fac-
sidio de Fernando, onde elle se acha, regular-se l0 da mesma natureza e gravidade, est preso e
acerca da peona que foi condemnado o suppli- processado.
cante. i Chegando ao meu conhecimento, por officio do
ito ao mesmo. Remetto Vmr. para ter o delegado do termo de Cabaceiras de 28 do reerido
conveniente destino as certtdes de bito e auto meZ| (jUe varios individuos, capitaneados pelo viga-
de vestoria e identidade de pessoas que mandou r0 interino da freguezia, padre Renovato Pereira
proceder o commandante do presidio de Fernando Tejo, haviam tirado do poder de urna escolta o pre-
nos sentenciados de justica Antonio Cabra, Candi- s0 B;nto Bernardino dos Santos, que era conduzdo
do Jos Pereira, Jos Joaquim de Santa Anna e ,je 0rdem aquella autondade, recommendei ao
I PERHAHBDCO.
REVISTA DIARIA.
De outra occasio damos nossos letores a no-
ticia da tentativa de incendio em o theatro do Santa
Isabel, faci este que leve lugar na noite de 7 para
8 do corrente; vimos hoje transmittir-lhes um bre-
ve resumo das diligencias procedidas para o desco-
brimento dos autores desse fado criminoso, que
nos acabam de oflerecer.
Urna i>rai;.i da companhia fixa de (.-avallara do
exercito, que eslava s ordens do doutor delegado
do primeiro districto do termo desta capital, cha-
1 mado Clinio Alves Ferreira, declarou em juizo, on-
de fora perguntado, que havia sido convidado pelo
Sr. Luiz Candido Furtado Coelho.para deitar fogo no
antes lhe
que, disse
Clinio, declarara se nao prestava.
Em vista dessa recusa foi concordado entre am-
bos que Clinio se prestara a acompanhar o Sr.
Furtado Coelho e que este detaria fogo no edificio,
licando aquelle de guarda para o avisar, visto con-
vir elle (Furtado Coelho) ter comsigo urna pessoa
do conflan?a e que nao causasse suspeitas, caso
fosse elle encontrado as proximidades do edi-
ficio.
Em a noite de 6, fra accordado entre o Sr.
lito, em seu aposento, quando este e Maria Bemve-
nuta, disseram estiveram juntos at 10 horas da
manha do dia 8, pouco mais ou menos.
O Sr. Furtado Coelho nega tivesse tido algum
encontr na noite de 6, na ra Nova, com Clinio,
porque desde as 4 e meia horas da tarde at 1 hora
DESIGNACAO DE DIA.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
feitos :
Appella^es crimes.
Appellante, o juizo e Joo Fraucisco de Almei-
da ; appellado, o juizo e Venancio Jos de Lima.
AppeUactiti civeis.
Appellante, Manoel Ribeiro da Cunha Oliveira ;
da madrugada estivera no edificio do theatro de appellado, Joo Evangelista Bello.
Apollo, onde houve espectculo nessa mesma noi- Appellantes e appellados conjunctamente, Am-
te de 6. I nio Carlos Pereira de Burgos e Antonio de Siquei-
Consta, porm, de officio do punho do Sr. Furtado 't ra Cavalcauti.
Coelho, dirigido repartiyao de polica que na noi- passage.ns
te do da o foi que houve espectculo e nao na noi-i O Sr. desembargador Gitirana passou ao Sr.
le do dia 6, como o referirn) os Srs. Furtado Coe- j desembargador Lourenco Santiago
Iho, Jos Carlos Connives e Manoel Tavares Pinto As appellaroes civeis.
Porto, este ponto nos espectculos que d o primei-, Appellante, Luiz Aotonio Anues Jacome; appel-
ro no theatro de Apollo. lado, Francisco do Salles Cardoso Lima.
Na vesloria que se procedeu em o edificio do Appellante, a cmara municipal; appellados,
theatro de Santa Isabel no local onde fra laucado \ Vicente Ferreira do Reg e outros.
Furtado Coelho eCli.o detaria o pnme.ro fogo no j ^J jJ^iPJ*1
Roberto escravo, que falleceram no mesmo presi-
dio.Offlciou-se ao Exm. presidente da ltahia,
qnanto ao sentenciado Antonio Cabra, e ao da
Parahiba quauto ao de nome candido Jos Pe-
reira.
Dito ao mesmo.Aprsenteme Vmc. com bre-
vidade a guia do sentenciado de justica existente
promotor publico da comarca, que dsse a denun-
cia na forma da lei, e promovesse o andamento do
processo, scientilicando-me opportuuamente do re-
sultado.
Foi assassinado no lugarVarzea Redondafre-
guezia da Jaeoca, termo desta cidade, 13 de abril,
Antonio da Penha por alguns individuos que com
no presidio de Fernando Manoel Joaquim Netto ello acabavam de assislir um.casamento, e que o
ogueira, que no requerimento inclino allega ja
ter cuuiprido a penna que foi condemnado.
Portara.O presidente da provincia, atienden-
do ao que soiicitouo inspector da Ihesonraria pro-
eincial em officio de hontem sob n. 300, resol ve
abrir um novo crdito supplemenlar na importan-
cia de 6'5127 rs., para pagamento da despera no
mez de junho ultimo com "o venc'uneulo dos era-
pregados aposentados, visto ser insufflciente o cr-
dito ltimamente aberto para esse lira.R.'iuetteu-
se por copia thesouraria provincial.
Dita.O presidente da provincia, tomando em
consideracito o que expoz o inspector da thesoura-
ria provincial em ollicio de hontem sob n. 299,
resolve abrir um crdito supplemenlar na impor-
tancia de 7095700 rs. para que cora a qaanlia de
5377o rs. que anda resta da consignadlo votada
pelo 2. doart. 29 da lei do remenlo do exer-
cicio prximo lindo era liquidaco, possa ser paga
a porcentagem que venceram no mez de junho ul-
esbordoaram de forma que suecumbio poucos mi-
nutos dc|>ois.
A autondade local deu immediatamente as pro-
videncias necessarias para a captura dos crimino-
sos, sendo coadjuvada pelo subdelegado do distric-
to de Santa Rita. Foram presos dous dos autores
desse brbaro delicio, tendo-se evadido os outros, e
todos esto processados.
Nos limites do termo do Teixeira com o de Pat-
tos foi gravemente espancado 26 do dito mez
Guilherme Nunes da Costa por dous individuos des-
conhecidos. Ordenei as mais activas diligencias
afim de serem presos e processados os autores des-
se crime.
Nenhum outro fado grave tenho felizmente a
registrar; e nem consta que sehaja commeilido al-
gum alternado contra a seguranca de proprie,
dade.
l'ESSOAL DA POLICA.
Havendo reconhecido a necessidade de substi-
tirao os erapregados do juizo dos feitos da fazenda. lur as autoridades polieiaes por outras que mere-
Remetl-ra-se copia thesouraria provincial. cessem plena conUanja da administracao, assim o
Dita.-O presidente da provincia, annumdo ao f|I ob pr01,0ita ,j0i)r cnefe e p|i,-a. E as auto-
que requisiiou o inspector da thesouraria provm- edades novamente nomeadas entrarain sera em-
cial era officio de hontem sob n. 301, resolve abrir |,iraco no exercicio de suas func^oes, que procu-
im crdito supplemenlar na importancia de....... ram desempenhar com zelo e interesse.
184390 rs. para pagamento da primeira presta- Em materia de conlianga, como sabe V. Exc.
c,oda conservafo relativa ao mez de J,1."" ulu" nao possivel tracar limites; s a consciencia do
nio da estrada do sul entre o marco 12 mil bracas juVer po(le raarcar asj-aias que cuinpre nao ultra-
uno, terem anda seguido a seus de.,tinos, o que de- edjfici0 do |h d(J SaQU IsaDel tendo
verao fazer brevemen e, os hachareis AfTooso Jo,e offerecido conseguir baixa do servico, ao
de Oliveira Filho e Jos Joaquim de ba e Benevi- f|jnio dftclarar* ua0 Dresiava.
des, nomeados, ha pouco, este para a comarca
d'Ara, e aquelle de Pombal, bera como os hacha-
reis Jeronymo Cbral Rodrigues Chaves e Manoel
Coelho Cintra Jnior, removidos, o primeiro da ca-
pital para Bananeiras, a seu pedido, e o segundo
de Pombal para Souza ; e hnalinente, por se achar
com licenca por doente o promotor da comarca do
Pilar, bachrel Manoel de Brilo Machado Paiva.
Prreuchi os lugares de supplentes dos juizes mu-
nicipaes dos termos de Mamanguape, Bananeiras,
Ara, S. Joo, Pombal, Souza e Cajazeiras, que es-
tavam vagos, por nao terem os nomeados prestado
juramento no prazo, que para isso Ihes fra mar- ?uando Cljnj0 djrjgja asa da aulordade cu
De conformidade com a lei e por portara de 7 Na noite seguile Clinio acompanhou o doutor
de abril foi creado o conselho de jurados no novo cas de ^ noraSi ao sahir
termo da Misericordia, sendo nomeadas as anin- ,edo |acio do m0 onde estivera ;e, ao che-
dades polieiaes e os supplentes do juiz municipal, dita autoridad! em sua casa, observou em po-
alguns dos quaes ja prestaran) juramento. Jjer de Qmio m cacete de cr |)ranca) com 0 qua|
ELEigoEs. .,,,, este se retirou, tendo o mesmo observado urna pra-
Havendo a cmara dos Srs. depulado, annullado da -0 ,;rbana do de po|lcia> 0 qoa|
as eleicoes das freguez.as da Jaeoca, Pilar, Inga e J encon ^ 0 dia seguim,. Cora urna das extre-
Ara, conforme foi a presidencia participado por mjdade. i[nada!i no avimento terreo da caixa
aviso do ministerio do imperio de 27 de fevereiro, e,regue pe|0 enipreiaro, ao delegado que reco-
tem all de proceder-se a novas eleicoes uheceuVrlencer dito cacete Clinio.
Essas freguez.as como lodo o primeiro districto, A(.havra.S(i C| nio em o porto que d entrada
acabaran, de sustentar, por occasio das ultima um d ond em a rua da F,orenUna ha
eleicoes geraes, urna lula remuda, na qual os par- Jj s eaxnnolas ,aodo segundo clle refere,
idos procuravam medir suas torcas, e disputar o se",ne apresenlou 0 sf Furlado coelho, que per-
triumpho. 'guntou-lhesea autoridade a cujas ordens eslava
Ficram, como era natural, inimizades, odios e fa se tnha reclhido, ao (iue responder Clinio atr-
rancores, que s a mao do lempo tem Torca para Jinalivainenl que ouvjndo 0 Sr. portado Coelho,
diminuir acabar; e por isso entend que n.io de- convid;ira J ^aiisacaonaquella noite e hora
va espedir ordem para ser logo feta a_eleico na d d anrir p,;is cramelhor aproveitar
fog, foi observado, o que se segu pelos en-
genhelros, Drs. Manbel de Barros Barrete e Jos
Tiburcio Pereira de Magalhes: que no assoa-
Iho inferior ao palco, em frente urna das ja-
nellas do lado do sul, existe parte desse assoalho
(jueimado, em urna extenso de dous palmos de
largura e cinco palmos de comprimento, sendo a
parte mais queimada a que se acha mais prxima
dita janella, que dous pannos que aos mes-
raos foram apresentados, sendo ambos de bnm liso,
tinham as extremidades queimadas, sendo elles
pintados cola representando vistas de bosques,
duas taboas, urna de pinho branco e outra de lou-
ro, com as extremidades tambem queimadas e mais
nina tira de louro, com tres palmos de comprimen-
to, tendo urna das extremidades queimadas, o que
indicava que a combusto nao havia principiado no
topo da mesma, e siin, pelo menos em tres palmos
de topo, o qual por conseguate devia se achar mais
perto da janella, ao menos tres palmos do que o
foco da combusto; quelites fra apresentado um
pedaco de pao tendo urna pollegada de dimetro e
quatro palmos e duas pollegadas de comprimento,
tendo urna das extremidades completamente car-
bn isada.
termineu, no juizo for-
0 processo instaurado pelo Dr.
appellado, Joo Francisco
appellado, Viriato de Sou-
thealw na noite de 8; isto na occasio era que se g- L ^^ Fur,ado Coe.
enconiraram na rua Nova, na dita noite de 6 e >
inesmas freguezias. afim
deliberar a respeito.
de que \. Exc. pode;c ocaiao c evi[ar demoraS) no que esteve Clinio
n ,- ar, que ^guio ao Sr. Furtado Coelho, at esquina da
Teve lugar a 27 de marco, assim no pr.me.ro ode >mbo seguindo t,slv m direc-
como no segundo districto, a ele.cao para membro ^ |im'da fua de SaHl< ^ voltando pouco
da assembla provincial. A cmara da capital ja j com a a de barr0i envolta
procedeu a apuracao daeleicio do pr.rae.ro, e ain- ^ o esc'ur40, que pareca lenco de chita, e
da nao consta oficialmente que o mesmo fizesse a deQlro se e0[ltilinam ped5?os de pannos e
de Pombal a respeito da ele.cao do segundo. de ^s^os ein sebo e agua-raz, materias
Essa ele.vao, que hav.a s.do marcad* para o da ^ c|injo comiecra pei0 ma0 cheiro
21 de fevere.ro, foi por acto de meu antecessor de deitavam
4 do mesmo mez adiada para a ultima dominga de 1 N occasiao disse 0 Sr. Furtado Coelho^ Cli-
marco
mas, nao chegando era tempo s fregu
zias'de Pianc o Catle as ordens expedidas, suc-
cedeu quefo^sc feiti n*aquelles lugares no dia pri-
mitivamente designado, segundo consta de com-
mutiicacao oQicial.
fow;a publica.
e o engeul.o Massangana por ser insullcienle o
credilo aberto ltimamente para esse lim.Re-
metteu-se por copia a thesouraria provincial.
Dita.O presidente da provincia, altendendo ao
que requereu Frederico Skner arrematante do
lagearaento da cosinha do Hospital.Militar, e tendo
era vista a informaco do director das obras mili-
tares de 11 do corrente, resolve prorogar por 30
dias o prazo que lhe foi marcado para a conclusio
daqnella obra a contar do da ."i deste mez.
passar; e diffinl conceber como possa qualquer
administracao marchar regularmente sem contar
com agentes de sua confianza, que bem compre-
hendain seu pensamente politico, e cora dedicacao
procurem ajuda-la no desempenho de sua misso.
O direito de censura nesta hypothese s pode ra-
zoavelmente ser admittido respeito da esculla do
pessoal.
Pretender obrigar um presidente de provincia a
servir com empregados de mera confianga, como
nio que precisava de urna vara para amarrar os
pedagos de papis e panos, o qual lhe declarou que
nao tinl.a urna vara, mas stm um cacete e que o
iria buscar.
Presente o cacete, o Sr. Furtado e Clinio encami-
nharara-se para o oito da ultima casa da rua de
Guarda nncional.-0 pouco lempo que estivo na Santa Isabel, onde segurando este no ccete, amar-
alministracSo foi sufficiente para confirmar o jui- rou aquelle os pedagos de papel e panno 1em urna
zo, que sempre formei da guarda nacional. das extremidades, segurado p*uco depois parao
Nao ser por certo com a actual organisagao, edificio, tendo tirado da alg.be.ra urna ra.xa tom
que poder ella prestar os servigos para que fra phosphoros de cera, e chegado ali Mrooo pmr-
creada, e nem to pouco pr-se n'aquelle p de tado Coelho um phosphoro com o qual accendeu os
disciplina indispensavel toda a forga armada, em pedagos de papel e panno, 1
ordem a ser de prompto chamada proveitosainen-
DitaO presidente da provincia, altendendo ao sao por sem diivida os delegados e subdelegados,
que requereu Leopoldo Ferreira Martins i",,,8'r0> seus ioiraigoson adversarios polticos, s por espi
segundo tenante da quinta companhia do batalhao rtode conciliago; obriga-lo anda, por este moti-^
deariilharia deste municipio, resolve conceder-lhe VOi c por qnaesquer outras considerages secunda-
seis meres de licenga para tratar de sua saudc. ras a conservar no mesmo termo e districto em-
DitaO presidente da provincia resolve, de pregados deopinies ecrengas oppostas, querer
conformidade com o art. 6." do regularaenio de 11 0 nra Sem applicar os meios convenientes, pro-
do corrente nomear Manoel Olimpio de Larva- curar manIer a 0rdera por meio da aoarchia.
Iho Mondonga para exercer p-ovisonamente o lu-, Convencido de ane toda administracao deve pro-
de praticaute da repartigao das obras pu- curar acercar-se de homens probos e honestos, em
Ra;
13.O presidente da provincia, attendendo
1 que confie para ajuda-la cora prudencia e modera-
* gao bem cumprir seus deveres; e outro sim de
que requereu o professor publico de inslrucgo que nao |ct0 exgjr de adversarios o sacrificio
primaria de Baixa Verde Jeronymo Theolonio da de suas opn5es no modo de ver os negocios pu-
Silva, resolvo conceder-lhe 30 das de licenga U|cos; tendl) perfeito conhecimento dos individuos
com vencimeutos a contar do dia 14 do corrente que> qUando assumi as redeas da adm.nistrago,
para tratar de sua sado.Communicou-se ao di- 0CCUpavara os lugares da polica, e nao podendo
rector geral interino da instruego publica. coniar com sua lealdade e dedicaco, resolv subs-
Fxucdiente do secretario do governo do dia 23 titui-los; e at o presente s tenho motivos para
de julho de 1861. I applaudir-me pelas nomeacoes que fiz.
Offlcio ao baro de Vera-Cruz, secretario do ira- E releva observar a V. Eic que esse ramo do
nena Inst.tuto Agrcola.-S. Exc. o Sr. presidente pubhco^ervigo se achaya em tal estado de desor-
Sa nrovicia manda transmillir V. Exc. para ter gan.sagao, qne fo. m.ster recorrer a secretaria da
conveniente destino o incluso exemplar n. 18, do po hcia para saber-se qnaes eram os supplentes de
eriooico Brasil publicado nesta provincia por delegados e subdelegados, ramios dos quaes esta-
per.oauo 01 <1 r yam mudadoSi nao poucos de.xararn de prestar ju-
\yZ ao commandante' das armas interino-De ramento apezar de nomeados de longa data, e al-
ordem de S Em TSr. presidente da provincia, guns, tendo fallecido, ha dous quatro e mais an-
rammuiiico V S. que por despacho desta data nos, aida figuravam na lista das autoridades poli-
iitorisou-se o director do arseoal de guerra a sa- caes.
f.sLzr o oedido do 2 batalhao de iufantaria a que magistratura e administracao da MU.
lllade o seu offlcio a. 1302 de 22 do corrente. I Acham-* em exerc.c.o de seus lugares os juizes
ul a de*euibarizador provedor da Santa Casa de direito das comarcas, do Pilar, bachrel Frao-
J!&SS!SftS.oS- presidente da pro- cisco de As* Oliveira Maciel, de Ara bachrel
lSlSSSa^y.f. & I* Luiz Correa de Queroz Barros, e de Bananeiras
SI Koe efi"ur mteirado de se ter effectua- bachrel Pedro amello Pessoa. Aida nao velo te-
do no da 20, namelhor ordem possivel a trans- mar posse o nomeado para esta capjul, baenare
fer?cia do? alienados para o hospital em Olinda. Francisco V.e.ra da Costa. O de S. Joao, bachrel
te em qualquer emergencia.
Pdese com seguranga affirmar que a guarda
nacional, principalmente no interior da provincia,
s existe nos mappas e no numero dos officiaes.
A qualificagao, que alias feita sem regularida-
de, nao leud- qu isi nenhum dos corpos livro de
matricula, abrange todos os cidados, mesmo
aquelles que nao se podem absolutamente fardar.
D ah resulta que bem poucos sao os batalhoes,
que tem a quinta parte dos guardas fardados, e al-
guns ha quo s tem um ou outro guarda neslas
circumstancias. .
Se alguma vez as propostas para officiaes se
guarda respeito justiga e se atiende ao mereci-
mento, na quasi universalidade deltas o pernicio-
so espirito de partido, de mistura com o patronato
que predomina.
E' cortamente por estas e outras causas idnti-
cas, porque em geral a efficialidade dos bata-
lhoes nao representa nem a posigo social, nem o
mrito, nem a riqueza e intelligeocia, que nra-
guem, que esteja em circumstancias um pouco
mais favoraveis, se quer prestar ao service de guar-
da. Todos procurara ser officiaes, ou como meio
de descango ou para terem subordinados.
Nao sao poucos os officiaes existentes na provin-
cia, que nao esto fardados. Se fosse possivel pas-
sar revista a todos os batalhoes, V. Exc. verifica-
ra que talvez mais da quarta parle dos officiaes,
entrando nesse numero alguns superiores, tinham
perdido as patentes por semelhantc motivo; mas
difflcil chegar-se a e-se resultado; e por meio de
informagoes officiaes, nem sempre se poder fazer
justiga. .
Ao entrar para a administragao da provincia,
encontrei approvadas mnitas propostas, e nao opa-
cas me foram posteriormente remettida?. "
delibere! a respeito destas, e determme. qae nao
/ossem passadas as patentes *** &8*.
sim examinar se em es propostas havia sido res
nritada a "stic Nao tive lempo de o fazer; e a
lV Exc cabe resolver sobre este objecto com o cri-
terio e illustracao que lhe sao propnos.
As revistas e exercicios em todos os domin-
gos, como estava determinado, eram um grande
atropello para a guarda nacional, sobretudo para o
atirando-os,
em a'extremiiade do cacete, peloespaco de um y-
dro quebrado que havia em urna das janellas do
edificio do lado de dita rua.
Quando o Sr. Furlado Coelho se encaminhava
para o edificio, Clinio buscava o seu posto, na es-
quina da rua da Florentina, onde fra encontrado
por dous inspectores de quarteiro, indo ali ter o
Sr. Furtado Coelho, que disse elle clinio suppu-
nha nao terem os pedagos de panno e os papis
pegado bem fogo, nao obstante o que esperava que
produzisse o effeto que desejava, pois elle (Furtado
Coelho) tinha atirado o cacete preparado como ti
nha sido, sobre uns pannos pelo buraco da janella.
Depois disto, refere ainda Clinio, seguir ao Sr.
Furtado pela rua da Florentina,entrado em a porta
larga, que d sahida para urnas casas propriedade
do desembargador Santiago, tendo antes dito a elle
Clinio que quando o incendio estivesse declarado
dsse aviso em seu quartel ; pois nao era possivel,
3ue, depois de.passado|um quarto de hora, se po-
sse conseguir extingui-lo.
Disse Clinio que assim o fez, dando aviso no seu
quartel ; sendo que ali o mandaram matriz, o
que elle cumprio, seguindo pela rua da Florentina,
onde chamou um seu corapanheiro, a praga de
urbanos, que raorava com elle no quarto j referi-
do, o que lizra em altas vozes, dizendo, para urna
mullier, em cuja companhia nessa occasio estava
seu companheiro acorde Libralo e me uga
que no theatro ha um ciarn muito grande, e ta vez
esteja pegando fogo, segurado elle Clinio depois
' j Iho.'e a praga de cavallaria de lnha Clinio Alves
Ferreira, sendo ambos pronunciados e considera-
dos incursos as penas do art. 178 do cod. crim.,
para Clinio combinado este artigo com o 3o' e para
o Sr. Furtado combinado o mesmo artigo com o
art. 34, iodos do cod. crim.
O processo foi remettido para a segunda vara
municipal.
Amanha se extrahir a 3' parte da 2" lotera
do theatro de Santa Isabel.
Foi nomeado provisoriamente praticaute da
repartico das obras publicas o Sr. Olympio de
Carvalho Mondonga.
Sob a rubrica Interior damos hoje o relaten o,
com que o Exm. Sr. Dr. Felisardo Toscano de Bri-
lo passou a administracao da provincia da Parahy-
ba, ao actual presidente. Para elle chamamos a
alleogSo dos letores.
Entra hoje em julgamento no jury o processo
do roubo e incendio do sobrado n. 10 da rua do
Crespo.
A Auociaro Bbliothtcaria Venuwibitcana
celebra hoje sesso ordinaria.
Pela subdelegada da Capumga foram appre-
hendidos dous mallos, um rugo e outro melado, e
una cabra (bixo), pessoas suspeitas.
REPARTICO DA POLICA.
Extracto das partes do dia 26 de julho de 18oi.
Foram recolhidos a casa de dt-tengao no da 2o
do corrente:
A' ordem do Dr. juiz municipal da l1 vara, Her-
milo Jos de Alcntara, sem declarago do motivo.
A' ordem do subdelegado do Hecife, Mana Joa-
quiua da Soledade e Bosa Joaju.na da Conce.gao,
arabas por briga ; e Ignacio, escravo de Jos de
Miranda Duro, a requerimento deste.
A' ordem do de Santo Antonio, Antonio Pereira
Guimares, por embriaguez; Luiz, escravo de
Francelina Eudocia de Vasconcellos, e Luiz, escra-
vo de Maria Carolina de Mello, ambos para aven-
guaces polieiaes.
A ordem do de S. Jos,
Lima, por disturbios.
A' ordem do da Boa-Vista, Antonio Jos de Mes-
quita, sem declaraco do motivo.
A' ordem do da Magdalena, Francisco (liberto)
por embriaguez. .
A' ordem do do Pogo, Joao Patricio da silva, para
avenguages polieiaes.
O chefe da segunda secgao,
J. G. de /esquita.
Movimento da casa de detengo do da 25 de
A appettarao crime.
Appellante, Bento Alves da Cruz ; appellada, D.
Antoula Maria Jesuina Borges.
O conflicto de jurisdiego entre o juiz munici-
pal de Tacaratu e o de villa Bella.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador Ucha Cavalcanti
A appellaro crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Joao da Gama.
A appellacao civel.
Appellante, Clemente Luiz de Souza Netto ; ap-
pellado, padre Manoel Jos Bodrigues da Silva.
Do Sr. desembargador Ucha Cavalcanti ao Sr.
desembargador Gitirana
As appellaroes crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Angelo Po.
Appellante, o juizo ; appellado, Secundino Gue-
des.
Appellante, o juizo;
do Nascimento.
Appellante, o juizo
za Trindade e outro.
Appellante, Theodoro Gomes da Silva ; appella-
do, a justiga.
Appellante, Laurindo Francisco Brasil ; appel-
lado, Faustino Jos da Costa.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Caetano dos
Santos.
DoSr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
desembargador Assis
As appellaroes crimes.
Appellante, Jos Bernardo de Lirna ; appellada.
a justiga.
Appellante. o juizo ; appellado, Joaquim Marce-
lino de Carvalho.
O Sr. desembargador Assis passou aoSr. desem-
bargador Motta
A a p pe la rao crime.
Appellante, o juizo; appellado, Joo Dionizio.
As appeltacoes cireis.
Appellante, D. Barbara Francisca de Jess; ap-
pellado, Manoel Francisco da Cruz.
Appellante, Agostinho Lucas Correa ; appella-
da. a escrava Lia.
Ao Sr. desembargador Gitirana
A apvellacxio civel.
Appellante, Joo Gomes da Costa ; appellado.
Joaquim Jorge de Mello.
Ao Sr. desembargador l'cha Cavalcanti
A appellacdo civel.
Appellante, Pedro Cavalcanti de Albuquerque
Ucha ; appelldo, Joo de S Albuquerque.
A'IX horas da tarde encerrou-se a sesso.
C0MMUNIC10S.
Bellarmina Bosa de
julho de 1864.
Existiam..... . 368 presos.
Entraram..... 11
Sahiratn ---- 15
Existem...... . 364
A saber :
Nacionaes ... . 289
Eslrangeiros.. 17 .
Estrangeira. 7
Mulbtres..... 1
Escravas 5
Escravos..... . 45 .
disto em direceo igreja "ia'nI<;.ih,-i noira indo
O Sr Luiz Candido Furtado Coelho nega tuao
auaote So clnlo Alves Ferreira, a quem de-
S?il^StaeL nem mesmo de vista; que el e
clarou nao conhecia, nem
Furado Coelho) va em Clinio um instrumento de
iramas e machinages urdidas por um ou alguns
de seus inimigos, com o ra nico de o fazerem
passar por autor ou cmplice da tentativa do in-
cendio do edificio do theatroie Santa Isabel, no in-
tuito de sobre elle satisfazerem seu rancor ; sendo
que elle (Furtado Coelho) ignorava quaes oa meios
empregados por seus inimigos para levarera Clinio
a fazer as doclaragdes que elle ouvio e consta dos
aUNas declaragoes do Sr. Furtado Coelho, ainda se I Appellante, Gabriel Aot
nota o seguinte :que na noite de 7 para 8 do I
364 .._
Alimentados custa dos cofresprovinc.aes lio
- Passageiros da ^f*
sahida para o Havre pela Paranyna
sua senhora.
- Boureau e
CIIROMCA JUD1CI4RU
TRIBIWL DA llKIi.Vl'*0.
SESSO EM 26 DE JULHO.
PRESIDENCIA DO EXM. Sn. CONSELHEIRO
SOUZA.
s 10 horas da manha, presentes os senhores
desembargadores Gitirana, Almeida e Albuquer-
que, Motta, Ucha Cavaleanti, Assis, e Guerra,
procurador da cora, faltando o Sr. desembarga-
dor Lourengo Santiago, abrio-se a sesso.
O Sr. desembargador Guerra, procurador da co-
ra, coroparoceu na sesso de 23 do corrente, e
nao faltn, como foi publicado por engao.
Passados os feitos e entregues os distribuidos,
deram-se os seguintes
JULGAMENTOS
Appellacao civel.
appellado, Fran-
cisco de Santiago Ramos.
0 bachrel Joaquim Eduarda Pina, ei-promotor
de Pao d'Alho, e o Constitucional > de 9 do
corrente.
A pessoa, que rae aggredio no Constitucional de
2 de abril ultimo, ea quera j respond no Jornal
do Recife do mesmo mez, iosislindo no proposito
de prejudicar-me no conceito publico, contra mira
investe de novo no Constitucional de 9 do eorren-
te, dizendo que eu abafei o processo instaurado em
Pao d'Alho contra Manoel Antonio Correia de
Queroz, quando o mesmo processo me foi feito
com vista para formular o libello accusator.o por
parte da justiga publica, da qual era eu orgo em
Pao d'Alho era 1855, quando teve lugar aquella
vista.
Entre as palavras vagas, de quo usa, como e
costume, o Constitucional, parece querer dar a en-
tender que eu abafei aquelle processo com o fim
de proteger a Manoel Antonio Correia de Queiroz.
Quando era 1861 censurei, como deputado pro-
vincial, as autoridades polieiaes de Pao d'Alho, in-
clusive o Sr. bachrel Francisco Teixeira de S
(boje um dos principae* redactores do Coniucio-
nal) tres das depois de publicado o meu discurso
no Diario de Pernambhco, o mesme bachrel Tei-
xeira de S, ento juiz municipal e delegado ds
Pao d'Alho, fazendo exlrahir a certdo que poWi-
cou no Constitucional, e geralmente se diz em Pao
d'Alho ser obra sua (e |para produzr elTeite), a
mandou directamente, ou por influencia sua, ao
Sr. Dr. Araripe, o qual, por sua vez, remetteu-a ao
Exm Sr Dr. Antonio Marcellino Nunes Gongalves,
ento presidente da provincia, para que este nan-
dasse proceder contra mira, como eutendesso de
Aquelle Ilustrado administrador mandou-me ou-
vr sobre a arguigo que me era feita, e eu tive a
honra de responder ao mesmo Exm. Sr., o que
agora venho dizer ao publico.
Era 1855 quando se instaurou contra Manoel
Antonio Correia de Queiroz o processo a que sa
refere o Constitucional, era delegado do termo de
Pao d'Alho o coronel Lourengo Civalcanti de Al-
buquerque, o qual muito depois desse tempo pas-
sou a ser meu sogro,
O escrivo Rangel, pai e antecessor do escrivo,
quecopiou a certidao transcripta no Constitucional,
era ento escrivo da delegacia e escrevia na casa
que aquello coronel tnha na villa de Pao d'Alho.
onde dava audiencia e fazia procesos.
A 17 de novembro de 1855 lavrou dito- escrivo
Rangel termo de vista a mim nos autos de que se
trata ; mas, nao m'os entregou, facto essenoial que
o escriptor do Constitucional devia provar.
Em Janeiro de 1856 morreu do cholera morbus o
dito escrivo Rangel, tendo, como depois se veri-
flcou, deixado o referido processo na gaveta da me-
sa em que escrevia, na casa do dito coronel Lou-
rengo Cavalcanti de Alhuquerque
Era fevereiro de 1858 rasei-me com tima filha
daquelle coronel, e fui removido na qualidade de
promotor publico para o termo do Nazareth era ju-


^w
>
II tarto PtmA+htiv -- uarla fclra t #b Julho ie f .





lita, sem ser era obras publicas; -sendo que para' interesseiro'.
sal ir dessa ignorancia (por isso que nao sou gra-1 FalUria ea a un sagrado dever se
hlio do miMiv) auno ; peretB-, teMdwe para all
passado, deixei minha familia em Pao d'Alho. Em
setembro do mesmo auno, erocoraado eu. de or-
dem do mcu sogro, uns papis na gaveta da mesa,
a que j me tenho referido, eneontrei all o dito duado em direito) ja recorr a pessoas entendidas,' tasse contra semelhante falsidade; o Sr. Viraes pes-
processo e eoinmuniquei isso logo ao juiz de direi- e aellas soube, que osse meu acto nao oliendo s' soa por de mais prestativa sem duvida um Bebe-
to da comarca.Golloquei o processo sobre a estante lels do nosso paiz, e moral publica, e antes re-' roso cavalheiro, se alguma vez ha errado sera so-
para far.er delle entrega aoescrivao,quando,aclian- Vela um acto de proteccao um pobre artisU,' mente para fazer favores: o cemiterio publico
dome fera do casa, o Dr. Chrislovo dos Santos classe aqui sem duvida pouco protegida. o testemunho do quanto acabo de allirmar innu-
Cayalcaitu, que prente de minha senhora. o me Da carta do Sr. Jorge Tasso-abaixo transcrip-1 meros monumentos se blo levantado a sua costa
Tlsitava sempre, all vio o mesmo processo, que eu tan'aquolle impresso anonymo, e avulso, anda pessoas, que sem serem seos amigo, ho prestado
havia adiado poucos das antes. mais resulta a conviccao de que nao tive parte na relevantes servicos ao paiz.
Apenas voltei a Pao d'Alho, liz entrega do pro- construcao das catacumbas d'aquella irmandade, Aos amigos nunca vota-lhes o esquecimento, nes-
cesso. pois aquella cavalheiro apenas disse na la carta, te numero entra o meu presado marido o liaran da
Eis tudo quanto houve, e o Sr. bacharel Teixei- que se ot o dia 25 de junho ssy eu nao ttveue, Victoria, cuja espada serapre e'mpunhou em defeza
ra de S, que foi juiz, e que me tem tao boa von- podido mandar concluir no lodo os 45 pares de ca- das instituiedes do imperio e de sua magestade im-
lade, sendo justamente reputado o autor de ludo I tacumbas pertencentes aquella irmandade, elle se perial, alm de servicos relevantsimos prestados
vi.1 saber que a arguieao que me faz s seria pro- Destas bem ciaras expresses, se conclue eviden- se lemhrou, a nao ser o Sr. commondador Manoel
edente, provando-se que eu recebera o processo | lemente que eu nao era o empreiteiro, ou contrae- Luir Viraes.
prohibloJo a qual juer administrador do cemiterio dados ou particulares, etc., chamando assim a a um auto de pmruntas ou fuer declarar** a tal .!.. *
-garantir algum mostreje.offlcio que ah traba- odiuMade publica para o mesmo jenhor como am respeito, sendo uml'emchamado o weSSAnto- Pl,ulas *?&*** assncaradas de
na data em que se achava lavrado o
termo de vista, ou em outra qualquer,
se mostr ter eu demorado o processo.
Sem isso o scu caslello d cartas se desfaz ao
primeiro sopro.
Nao conrlnirei sem dizer ao publico que eu fui
extrenno perseguidor olcial de Manoel Antonio
Correa de Queiroz, como geralmente sabido em
Pao d'Alho.
Direi mais, que esse Queiroz foi tambera preso
e_ entregue aceito da justica pelo delegado de en-
tilo, o rabudo coronel Lourenre Cavalcanti de Al-
buquerque; qae sendo Quc>z absolvide duas
vetes pelo jury, nao foi posto em liberdade da se-
gunda vez. era que nao houve appellacao oficial,
nem do juiz de direito, que nao a podia mais in-
terpor, nem por parte do ministerio publico, eme
era etito exercido pele mesmo Sr. bacharel Sa,
nao fui posto o mesmo Queiroz em liberdade, re-
pito, porque o dito delegado. Lourenco Cavalcanti,
embargou-lhe a soltura, por conslar-lhe que o
mesmo Queiroz era criminoso em Atagoas. para
onde o reinetleu, e onde devia ter respondido ao
jury ; por quanto era realmente criminoso all.
Vc-se, portan ta que nao podia haver de minha
parle, e que nao podia haver lamben da parle do
coronel Lourenco Cavalcanti, desejos de proteccao
ao criminoso de que se irata.
.Nada mais direi genio que o Sr. Teixeira de
S deve aggr-dirme, no caso de que se prete, com
o seo nome. como eu Ihe respondo com o meu, fl-
etado cerlo de que nao temo suas amcacas, anda
mesmo que contiuue a pretender ferir-me sob a
capa do anrnwno.
Macarelo, 30 de julbo de 1864.
Joaquim Eduardo Fnui.
respectivo lador de tal obra, massim, o garante, apessoa, que
pela qual
activara a concluso della.
E se assim nao fura para que seacceitou-aquel-
ie documento por mim firmado a 14 de margo do
correle anuo garanlindo o contrato, e o recebunen-
to de dinheiros efectuados pelos mestre pedreiro ci-
ma t Para qua se acceitou mais o recibo d'aquel-
le mestre pedreiro, era que declarou
celebrara
Recife, 23 de julho de 1864.
Baroneza da Victoria.
DOCUMENTOS.
N. 1.
Nos abanos assigoados.juizes, priores e prove-
dores, das irmandades, confrarias e ordens rcli-
o contrato, giosas, que edificaran! catacumbas no cemiterio pu-
i J Pois o blico n'esu capital, tendo noticia de que no correr
bio Jos Pestaoa para o mesmo flm. A supplican-
le confia que V. S. nao deixar de mandar proce-
der a taes deligencias; que podemconduiraodes-
cobnmeBto de um crirae publico. Neste termos.
Pede a,V. S. dereriraento. E R. M.O adrogado
Uinha Teixeira. Autoada e jurada, proceda-se no
da determioado pelo escrivao.
Redfe, 18 de julho de 1864.Tavares de Vas-
concellos.
crli5C0 que sendo no escriptorio do Dr. Jos da
Cunta Teixeira, citei a Antonio Jos Pesua para
todo cometido da peticao e despacho retro, o refe-
rido e verdade.
Recife, O de julho de 1864. Offlcial do juizo.
Borge8Tanes. Numero 222. Pagou 400 ris.
Rcctfe, 20 de julho de 1864.-Chaves.Sena.
Termo de declaraga- debaixo de juramento.
Aos 22 das do mez de julho do anno do Nasci-
menta de Nosso Senhor Jess Christo de 1864, nes-
ta cidade do Recife de Pernambuco, na sala das
audiencias onde se achava o Dr. juiz municipal da
primeira vara Hermogenes Scrates Tavares de
Vasconccllos, ah presente Jos Antonio Pereira, a
quemojuizdeferioo juramento aos Santos Evan-
gelho em um livro d'elles em que poz sua mo di-
reita, e lhc encarregou que debaixo do mesmo ju-
ramento declarasse o que Ihe fosse perguntado,
e o fez pelr maneira seguinte :
Disse que por nao saber ler e nem escrever au-
CORRESPONDENCIAS.
Sr.'. redactores.Sempre suppuz, que desvelan-
dome em bem tumprir os meas deveres, como ad-
ministrador do cemiterio publico desta cidade, e
iiavendo sempre merecido alguns elogios de todas
as autoridades superiores, e at rondecoracoes con-
cedidas por Sua Magestade o Imperador pelos meus
servicos durante o cholera, e por occasio fla sua
honrosa visita a esta provincia, como bem sabido,
estara eu abroquellado contra os golpes da injus-
ti', a.
Enganei-me porm, porque para o calumniador
nao ha reputacao garantida, nada ha sagrado.
Tem-se infelizmente introduzdo entre nos opes-
stnio cosiume de insultarse impunemente a quem
quer que seja, e eu nao podia escapar da satisfacao
desse geral trbulo.
Nao pretendo fazer a minha apologa, porque is-
so me seria indigno. Apenas posso appellar para
o testemunho do respeitavel publico sobre a verda-
de dos fados uccorridos a meu respeito, quanto a
minha administracao do cemiterio publico desta ci-
dade por treze annos pois que lenho conviccao de
que nao me pude resultar desar algum, e antes a
gloria de s com pouco sacrificio do"s cofres pbli-
cos, e com valioso auxilio dajzelusa illustrissi-
ma cmara municipal, c dos mu dignos presidentes
desta provincia, haver convertido um campo cober-
to de grandes arvores, e de espesso matto, que re-
cebi.quando para alli entreiem um dos melhores
cemilenos do imperio ou uraa verdadeira Necrpo-
lis, citiiu lera sido confessado por diversos viajan-
tes.
A despeito de ludo isto, um inimigo gratuito, e
rebocado acaba de agsredir a minha illibada repu-
tlo, espalhando no dia 23 do corrente um impres-
so avulso e anonymo. cometido as maiores calum-
nias e diatribes.
A forma desse escrpto bem deixa entrever, que
covarde o seu autor, e falsas as suas argoicoes,
porque, quem diz a verdade, nao teme apresenlar-
.-e co.ii o seu. propno nome, e sob elle assumr a
responsabilidade de suas assercoes.
Apreciaodo-se com sangue fro, estm preveneao
alguma laes arguicoes, fcilmente se reconhece a
improcedencia dellas.
Pata ossa jusia aprcciaclo passoa analysar cada
urna a |uellas iuipulac es.
A primeira arguicao foi,: que lenho por cosiume
oppor embiiraros a construciuodas catacumbas das
irmandades, e dos particularesno cemiterio pu-
blico. '
Para o mais cabal desmentido de que nunca op-
puz o iiiiniiuo embaraco, e antes sempre tudo faei-
litci, quanto ca possivel, para construccao no ce-
miterio publico, sob minha administracao, das ca-
lacumbas das diversas irmandades desta cidade e
do innumeravsis e importantes mausoleos exis-
tentes, a yisia de todos, que all van, remello dous
v ; sos documentos com a presente corresponden-
cia para serem publicados abaixo della, e Qcarem
na t\popra|ilua ao exame dos que tiverem duvida*
a respeito.
O primeiro documento urna declara cao dos
juizes, provederes, e priores, ele. de todas as ir-
mandades e confrarias, ordens lerceiras-ein como
aquella arguicao inteiraniente falsa ('calumniosa
pois que pelo contrario sempre em mim encontra-
ra toda Ueduacao, ba vontude, zelo e promptido
tara os servir em ludoquanio de mim tem depen-
dido aquellas corporaces religiosas no cemiterio
publico.
' i segundo documento idntica declarado pres-
tada por diversas pessoas, que all tem mandado
construir seus mausoleus e jaaigos, confessando-se
todos, mu satisfeitos pela desinteressada coadjuva-
$ao, que Ibes prestei para aquello lim.
Em face de provas tao robnsta--, como se atre-
ven o anonymo, autor d'aquello impresso avulso
dizer, que justas queixas ha muitosorgiam de toda
parte contra mim, pelos embarazos, que oppunlia
a construccao das catacumbas das irmandades c
dos particulares? Val era por ventura mais o sim-
ples dicto desse meu grotoilo, e cncoberto inimigo
ao test'-inunho solemne"Ue tanUs e tao respeitaveis
pess)as, que cooscienciosamente afflrmaram o con-
trario naqiielles valiosos documentos? Pois esse
dicto singular de um anonvmo, pode ser por elle
mesmo convertido, em plural Onde aprova dessa
argoico, que elle procuruu geoeralisar por sua
conu. e risco ? Como por Unto lempo nao se er-
j;ueu entra mim voz alguma por aquellos simpos-
ios, e pbantaseados abusos, e s agora delles se le-
ve silencia por occasio da construccao das cata-
cumbas da irmandade de Nossa Senhora Mae dos
llomens, cujo juu um dos primeiros rifaros e
proprielurios desta trra, wu mutual em seui tratos e at ja mprestou um cont
de res a mesma irmandade, romo elle mesmo se en-
carregou de declarar n'aquelle seu avulso, sem as-
sujualura 1
Quem sabe
que celebrara com aquella irmandade i mis o i unco u esia capital, lenao noticia de que
juiz da dita irmandade sabia, que" en era o emprei-! da tarde de 23 do corrente, se espalhou n'esta ca-
lero d'aquella obra, e nao exigiu-me um contrato,' pital um impresso avulso, sem assignatnra, c no
e recibo, por mim mesmo passados, e contentou- qual falsa e Injustamente se afflrma que o digno e torisara ao administrador do cemiterio Manoel Luiz
se cora aquelles outros documentos ? prestimoso administrador do mesmo cemiterio, o Viraes a passar mesa da irmandade da Senhora
Creio, que e de primeira inluicao, e nao offerece Illra. Sr. Manoel Luiz Viraes, tem por costume dif- Mae dos Homens o recibo de que trata a peticao
procedente contestacao este raciocinio^ ficultar e por embarazos a todas as irmandades, Disse mais que esse recibo provm de nm con-
Quanto a terceira arguicojje haver aquelle mes- confrarias ou ordens religiosas que ali tem levan-1 trato de catacumbas feilo pelo administrador oo-
rodas obras da ca-
ca foi pago pela mu-
.. construccao de obras
de irmandades particulares.
Disse mais que a quantia recebida de que se
passou recibo, recebida por elle, loi de um cont
de ris, nao podendo declarar por quanlas vezes
foi recebido o dinheiro que soromou essa impor-
Uncia, porque o mesmo administrador do cemiterio
deduzia a importancia dos materiaes que Ihe forne-
cera e Ihe dora o resto na iraporuncia de duzen-
I tos e Untos rail ris.
I Disse mais que elle respndeme cortado, isto
do! simi-livre, por Ihe ter sido concedida a raetade
' de seu valor correspondente a novecentesmil ris,
Henp
Pilulas vegetes assucaradas de Kemp, agrada-
veis vista, Isentas de todo o sabor repugnante, to
suaves qaio efficazes, tnicas e purgativas. Estas
famosas pilulas possnem, pois, todas as inaprecia-
veis qualidades pertencentes a nm remedio cathar-
tico, alterativo e restaurante. Tal o jnizo medico
confirmado pela experiencia de milhares de doen-
tes. Quando as fnneedes do figado e do ventre se
acham por qualquer forma desarrapadas devem
ser restituidas a boa ordem e regularidade com
estas pilulas irresistveis.
Ellas sao tao infalliveis quanto sao agradaveis e
sem controversia alguma, o melhor aperitivo ge-
ral, o nico remedio anti bilioso que se pode con-
segrar quer neste ou em qualquer um ontro paiz.
Em consequencia dellas se acharem acondicionadas
em frasquinhos de erysUl o lempo nao altera as
suas propredades.
A' venda nos estabelecimentos pharmaceulicos
de Caors 4 Barbosa, ra da Cruz, e J. da C. Bravo
& C, roa da Madre de Dcus.
sidente da provincia, de 23 do corrente, manda ti-
zer publico que no dia 11 de agosto prximo viu-
do uro, perante a junu da fazenda da mesma the-
souraria se ha d arrematar a quem mais der, o
imposto de 2300 do gado vaceura consumido no
municipio de Iguarass, m> restante do triennio
corrente, servindo de base aarreraaucao a quantia
de 1:1505000
A arretnaucio ser feita por tempo de dous an-
nos e dez mezes a contar do i* de setembro prxi-
mo vindouro i 30 de jonho de 1867.
As pessoas qne se propozerem a essa arremata-
cao comparecam na sala das sessoes da referida
junta no dia cima mencionado, pelo meio-dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secreuria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 26 de julho de 1864.
O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
COMMEBGIO.
DECL1RAC0ES.
semi-livre, ou plenamente nossos antecessores, que nao exacto, o que
livre eu ignoro, e s sim sei, que por essa sua mes- acha afflrmado no referido impresso, sendo anda
ma liberdade, la 12 annos como excellente mestre certo que se nao fra a dedicaco e zelo do admi-
pedreiro trabalho no cemiterio sem embaraco al- nistrador do referido cemiterio.'nao s aqnelle im-
gum, eclebaudo contratos com diversos, e receben- portante estabelecimento nao estara no p de as-
do dinheiro para seu pagamento, sera que at pre- seio e ordem, em que se acha, como tambero que
sent nraguem delle se queixasse. se nao fra a boa vontade e presumo do mesmo Sr.
Creio, que elle com a sua meia liberdade, qae Manoel Luiz Viraes, nao existira ali edificado como
agora se Ihe imputa, nao tem achado obstculo al- eilstem catacumbas de certas irmandades.
gura |iara assim trabalhar por sua conta, e risco,' Recife, 23 de julho de 1864.
durante o diuturno tempo de 12 annos obtendo, Antonio Ramos, ex-juiz do Espirito Santo
para isso, e mediante certo salario, que Ihe paga,' Collegio.
approvaco do Sr. Antonio Jos Pesua que Antonio Ramos, ex-provedor de Santa Anna da I sendo captivo em igual valor de Antonio Jos Pes-
n elle ainda algum direito tem, segundo me; Madre de Dos. tana,
consta haver elle declarado. Jos Joaquim Ramos da Silva, juiz da confraria
Alm disto a mim nao cumpria indagar se esse de Nossa Senhora do Livramento.
artista era ou nao livre, ou em parte sujeito, para Jos Alves Lima, como thesoureiro que conclu
que as irmandades e os particulares incombissem- {as catacumbas da irmandade das Almas da matriz
Ihe as obras que precisassem no cemiterio, pois da Boa-Vista.
esse cuidado devia pertencer-lhes irremissivemen-
te bem dos seus interesses e se o nao tiveram
de si ni.-sinos se queixem, mas, nao queiram irapu-
tar-me a sua propria omissao.
Todava estou informado por pessoas habilitadas,
que qualquer pessoa na condicao Jaquelle mestre
pedreiro, pode muito bem contratar, porque n3o se
pode presumir em direito meta liberdade, como j
tem sido julgado em alguns tribunaes.
Sem tomar a responsabilidade da procedencia
dessa opinio, porque versa sobre materias para
mim estranhas, apenas direi em concluso, que
quelle individuo, o Sr. Jos Antonio Pereira, eu
apenas tenho prestado a minha fraca proteccao
Joaquim Francisco Franco, juiz da matriz da Boa
VisU.
Thom Carlos Piretti, provedor da confraria do
Seuhor Bom Jess da Via-Sacra.
Jeo Manoel Lino da Rocha, procurador da con-
fraria do Senhor Bom Jess das Dores.
Pedro Alexandrino Rodrigues Lemos, prior da
ordem terceira do Carino
Francisco Jos Silveira, thesoureiro que concluo
as catacumbas da irmandade do Sanlissimodo Cor|K)
Santo.
Miguel Bernardo Quinteiro, ex-juiz de Santa Ri-
ta e procurador geral.
Jos Pinto de Magalhes, juiz da irmandade do
e possivel garanta, para que elle possa contratar a Santissirao Sacramento de S. Jos do Recife, e
construccao de catacumbas e mausoleos no cerai- "
terio, e dabi possa Umbem tirar a sua decente
subsistencia.
E Unto assim reconheceu o proprio juizdajuella
irmandade de Nossa Senhora Mai dos Homens, o
Sr. Manoel Coelho Pinheiro,que na sua carta, que
remeti com a presente correspondencia para ser
transcripta, sob n. 3, declarou-me expressamente
que aceitara a minha responsabilidade para contra-
tar por 2:7005 rom aquelle pedreiro a edificarao
dos 24 pares de catacumbas precisas para a dita
rmandade.
Como, pois, agora se diz naquelle impresso avul-
so e anonymo, que eu fui o verdadeiro empreiteiro
e nao o responsavel ou garante daquella obra ?
Onde se fallou a verdade naquella carta ou na-
quelle papeluxo? Digam as pessoas imparciaes.
O autor daquelle escripto pretende inculcar quo
aquelle individuo meu testa de ferro para taes
cantratos, porque elle meio-livre. Do mesmo mo-
do, se elle fra de todo livre, poderla ou nao tam-
bera se-lo. Mas, onde a prova desse facto phanta-
siado, smente porque tive a facilidade do garantir*
e responsabituar-me por um pedreiro, pela obra d
catacumbas da irmandade de Nossa Senhora Mai
dos Homens, para favorecer assim quelle pobre
artista ? Pois estarei inhibida de amanear a outro
Disse finalmente que as peticoes apresentadas
em seu nome ao juiz da segunda vara contra o pro-
cedimento da irmandade referida, foram firmadas
pelo mesmo administrador do cemiterio, por quem
sao tratados todos os negocios delle respndeme
ahi no cemiterio, e mais nao Ibe foi perguutado. E
sendo-lhe lida suas declaracoes e achando-as con-
forme, por declarar nao saber escrever assigna a
seu rogo como juiz Joaquim de Albuquerque
Mello.
Eu JoSo Saraiva de Araujo Galvo, escrivao o
escrevi.Hermogenes Scrates Tavares de Vas-
concellos.Joaquim de Albuquerque Mello.Jos
da Cuaba Teixeira.
E npis se nao continha em dita peticao que eu
escrivao no principio desta declarado e abaixo as-
signado, bem e fielmente fiz extrahir por certido
do proprio original a que rae reporto, e vai sem
cousa qne duvida faca, subscripta e assignad nes-
ta sobredita cidade do Recife de Pernambuco aos
vinte e quatro das do mez de julho do
ex-juiz da irmandade de Nossa Senhora do Terco.
Theodoro Machado Freir Pereira da Silva, ex- nascimento de Nosso Senhor Jess Christo de 1864.
ministro da ordem terceira de S Francisco. Fiz escrever, subscrevo e assigno em f de verda-
Joao Antonio Coelho, ex-provedor, e encarregado de-Joao Saraiva de Araujo Galvo.
da edificado das caucumbas da mesma irmandade l jos Antoni0 Pereraj recisa bem d(J MU Q.
de s. Josda Agona. i re to que o escrivao Athayde, em vista da resposU
Manoel Goncalves Agr, ex juiz da irmandade do dada ^ Manod to|h }
Espirito Santo do Collegio que deu principio as de de Nossa Senhora Mi dos Homens, era um re-
*SJ& S22R. s. .- ,. .____u. I mtem. que o supplicanle d.rigio' V. 8, Ihe
CAIXA FILIAL
DO
Bi\(0 OO ItKiSII.
EM PERNAMBUCO.
A directora desu caixa, em virtude de ordem
da directora do Banco do Brasil, avisa aos Srs.
accionistas que o respectivo thesoureiro esU auto,
risado a pagar o dividendo das acedes da rneema
caixa do semestre findo em 30 de junho prximo
passado, na razao de 8$500 por aego.
Recife 14 de julho do 1864No impedimento do
secretario, Ignacio Nunes Correa.
NOVOMNCO
DE
EM 26 DE Jl'LHO DE 186i.
O banco descoma na presente semana a oto por
cento ao anno at o praso de quatro mezes, e nove
por cento at de seis mezes, e faz cmpreslimos
sobre ttulos coramerciaes.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 25........ 587:063JJ308
dem do dia 26................. 29:115J537
61:1788G3
Movimento da alfandega
Volumes entrados com fazendas...
com gneros.
Volumes sahidos com
i com
fazendas...
gneros...
43
87
703
Ex-juiz Francisco de Paula e Silva da irmaoda-1 d por certido os ites' segfnes':
5 plcado propoz dar ao supplicanle llanca sua fir-
Io Se o sup-
de do Santissirao Sacramento da
Antonio. ..... [ma, como garante dairmadade,afim d que o sup-
Jos Azevedo de Andrade, ex-plz da irmandade p|icanIe MaDagse uraas catacumbas que com elle
de Nossa Senhora da Congregado. ,ralara. 2. Se tainLuin propoz depositar em jui,0
SI aquelles dous documentos por
mim ora onerecidos, sao gracioso*, ou alias falta-
ram a verdade em minha defeza aquelles distinctos
oidadaos, que m'os prestaran), ao passo, que deve
ter forca de escriptura publica, e ser considerado
prora pleoissima, o que Contra mim se disse n'a-
quelle impresso avulso, e anonymo, s porque re-
i-es.e a" >on da irmandade de Nossa Senhora
Mae dos Homens, que se inculca como capitalista,
proprietario chao, e abonado, e muito pontual em
SOU tratos ?
Nao serei eu quera responda a estas perguntas,
que naturalmente decorrem de taes tacto* e sim
o publico imparcial, que sabe dar cada um o que
De feto, dos documentos publicados naquelle a-
volso se evidencia, que de taes construccoes eu
nunca me incumb, e s prestei toda a coadiuvacao
possivel para sua prompta efectividade.
Dos tres documentos publicados no ul avulso
anonymo se observa, que foi oSr. Jos Antonio Pe-
reira quem passou o recibo aquella irmandade, no
qual declarou as condices que com ella effeclu-
ra o dito contrato, acerescendo que o mesmo im-
presso ja eonfessa que esse individuo simi-livre.
De igual jaez a segunda argido contra mtm,
de hacer eu na qualtdade de administrador, effectua-
do contratos para construccao de catacumbas, como
se diz que pratiquet a respeito das daquella irman-
dade de Nossa Senhora Mai dosHomons.
Do documento, que eu passei, e vem transcripto
naquelle impressov-se, que eu apenas garan-
t o contrato, e o recebimento dos dinheiros, que
for recebendo o mestre pedreiro cima, segundo
iiiitinas propras palavras.
Al boje nunca me consiou, que baja le patria
qualquer artista, ou a quem quer que seja, para
cffcciiiar alguma obra, que possa contratar, como
prohibido afliancar aos correctores, agentes de
leilo ? Se nao ha le a respeito, se nao offendeao
decoro, usei nisso do meu direito, nao pratiquei
acto reprovado, nao fiz lesao a quem quer que seja.
Quanto a assignatura do Sr. Jos Antonio Perei-
ra por mim prestada no recibo passado aquella ir-
mandade, devo dizer, que nao o liz sem expressa
autorisacao desse individuo, e por elle nao saber
bem assigoar o seu nome, como se v do documen-
to, que offereco para ser abaixo publicado, sob
n. 4.
Quanto a quarU argucao t de haver eu negado
sepultura tas catacumbas'a Julio Das da Cunta,
irmo daquella irmandade, outra calumnia, por-
que isso procedeu da illuslrissma cmara munici-
pal ter negado a guia, em razao de ter parado
aquella obra c eslar assim comprehendido no arti-
llo 8o do regulamento do cemiterio.
A respeito de ser lodo aquelle meu procedimento
digno da altencao do Exm. Sr. presidente desta
provincia, como disse o anonymo naquelle seu im-
presso avulso, s me incumbe responder, que em-
bora saiba ser esse todo o enlace da questao ver-
tente, ou o nico alvo, todava nao recuo ante a
devida responsabilidade dos meus actos; sendo
que muito confio no carcter mui grave c integro
di) dislincto administrador desta provincia para
tranquillisar meu espirito, de que elle, para atis-
fazer mesquinhas ambieoes, nao lia de praticar a
clamorosa niustica de mal ajuizar-me e tomar
qualquer dehberacao, sem ouvir-me previamente
acerca de quaesquer imputanVs : quo por ventura
rae sejam dirigida*, pois todo homem deve-se
considerar innocente, emquatito se nao prova em
contraro, e ningucm se acha sent de aecusaces
por gratuitos inimigss.
O sexto ponto daquelle impresso avulso a hon-
rosa menalde ser o jan daquella irmandade pro
prietario chito e abonado, dispondo de bciis de raz
Padre Joao Jos da Costa Ribeiro, ex-provedor
de S. Pedro.
Sebastio Lopes Guimaraes, ex-presidente da ir-
mandade de Nossa Senhora da Conccicao dos Mili-
tares.
N. 2.
Nos abaixos assgnados a bem da verade de-
claramos que quando tivemos de edificar nossos
tmulos no cemiterio publico, encontremos toda a
coadjuvaco no seu digno administrador o lllm. Sr.
Manoel Luiz Viraes, nos proporcionando todos os
meios ao seu alcance para aquella ediiieacao, j
anuindo os lugares por nos escolhidos, o que de
do
boa vontade serapre se prestou, a bem nao so
nteresse publico, como dos particulares.
Recife, 26 de julho de 1804.
Antonio Carlos de Pinito Borges.
Joaquim Jos Silveira.
Francisco Antonio Pereira da Silva.
Jos Pires Figueira.
Joaquim Jos de Miranda.
Manoel do Nascimento da Costa Monteiro.
Francisco de Assis Pereira Rocha.
Thomaz Jos da Silva Gusmao.
Ignacio Luiz de Urlo Taborda.
Manoel Figueira de Faria.
Francisco Gomes de Mallos Jnior.
Luiz de Moraes Gomes Ferreira.
Manoel Jos da Costa.
Pela vuvade Manoel G. da Silva.
Luiz Antonio Vieira.
Luiz Antonio Siqueira.
Belarmno do llego Barros.
Jos Pereira Vianna.
Francisco de M. Leal Se ve.
Miguel Jos Barbosa Guimaraes.
Manuel Antonio de Jess Jnior.
Manoel Anlenio Goncaves.
Jos Bernardo Galvo Alcoforado.
J. J. Ferreira de Aguiar.
Dr. J. Alfredo Correa de Oliveira.
Visconde de Caniaragibe.
Francisco Accioli de G. Lins^
Ignacio Joaquim de Souza Leo.
Sebastio Jos Gomes Peona Jnior.
Baroneza de Cimbres.
Barao do Livramento.
Jos Joaquim Antunes.
* Gonzalo Jos Alfonso.
N. 3.
lllm. Sr. Manoel Luis Viraes.Em vista daapre-
- seniacSo, que V. S. me fez do pedreiro Jos Anto-
- nio Pereira, para debaixo de sua responsabilidade
fazer as vinte e quatro pares de catacumbas, entre
ie grande valor, Ocres e desembarazados, de nada as grandes e pequeas/conforme a planta por nos
dever elle estapraea, ser pontual em seus tratos, e apresentada,e a semetria em que deve fazer, cujas
haver adiantado aquella irmandade um cont de catacumbas sao para a irmandade de Nossa Se-
ft'ts. i ahora Mi dos Homens erecta na igreja da Madre
Como essa tirada nao a (Tecla minha reputacfio, de Dos, tenho a communicar V. S. qiw delibe-
e s revela urna baforada de riqueza e probidade rei fazer as mesmas catacumbas em seis terrenos,
saldo que restava para ser entregue ao supplicanta
quando tivesse concluida a obra. 3o Se igualmen-
te propon que fosse valida a obra feiu por peritos,
para pagar ao supplicanle o que Ihe fosse devido.
4o Quaes dess condices foram pelo supplicanle
regeiudas, e quaes as accetas. 5 Se procedeu-se
a vistona e exame por peritos, e se esles acharara
a obra bem feita e cora a solidez necessaria, ou en-
contraram algura defeito na sua edifeaco.
Pede V. S. lllm. Sr. Dr. juiz municipal da 2-
vara digne-se deferir-lhe.E R. Me.
Como requer. Recife, 13 de julho de 1864.
Araujo Barros.
Guilherrae Augusto de Athayde, serventuario vita-
licio do offlco de escrivao do juizo municipal
do civel e crime da 2* vara, nesta cidade do Re-
cife de Pernambuco, por S. M. I. e C. o Sr. D.
Pedro II, a quem Deas guarde etc.
Certifico em cumprraento ao respeitavel despa-
cho retro c em vista dos autos de que trata a peti-
cao retro, primeiro que dos mesmos consta ter Ma-
noel Coelho Pinheiro, na qualidade de juiz da ir-
mandade de Nossa Senhora Mai dos Homens, ter
proposto dar (anca sua firma como juiz da ir-
mandade cima dita, como bem se collige do se-
guinte trecho : Quanto ao reforco de fiama, cun-
prirei as ordens que huucer V. S.'de darme', e bem
que, Deus louvado, dispenho de predios livres e
desembarazados no valor de cem cantos de ris, ele,
Segundo ter igualmente proposto depositar o saldo
que restava.para ser entregue ao supplicanle quan-
do flitdasse a obra, como tambem se collige do se-
guinte trecho : Acabe elle a obra, que na quali-
dade de juiz daquella irmandade, estarei prompto
a etimprir o meu puntualmente, olTerecendo-me
at para effectuar o pagamento perante este juizo,
logo que tenham as obras chegado ao ponto de da-
retn direito ao pagamento da 2' e 3* prestacoes.i
terceiro que tambem propoz ser valida a obra feila
nocemi'.erio publico, indemnisando o mesmo juiz o
que por ventura for devido ao supplicanle, tendo
sido regeitdaasas duas primeiras propostas pelo su-
plicante, e smente aceita esta ultima, e tendo-se
procedido avaliagao por palmos cbicos, acharara
os mesmos peritos nao ter a obra defeito algum e
com a solidez necessaria parachegar at o sou lim
sendo avahada dita obra em 1:4445440.
O referido verdade e consta dos cima indica-
dos, e aos quaes me reporto, e vai a presente sem
cousa que duvida faca, subscripta e assignad nes-
ta cidade do Recife de Pernambuco aos 10 dias do
mez de julho do anno do nascimento de Nosso Se-
nhor Josus Christo de 1864. subscrevo e assigno.
Em f de verdade. -O escrivao, Guilherme Augus-
to de Athayde.
Descarregam no da 27 de julho.
Brigne inglezC/iance-mercaduras.
Barca inglezaJohn Matheusfarnha, papel, oleo
de kerosene.
m Polaca italiana Lindadiversos gneros.
10 do! Bri?ue hespanhol Tlwmoleo 1 farnha de trigo.
Patacho hollandez -.ddrtdnaus JoJumnesbaldea-
cao de couros.
Krigue n Brigut, 0leiJames Slwartbacalho.
Importaco.
Patacho nacional D. Luiz, entrado da Bahia,
consignado a Palmeira & Beltro, raanifestou o se-
guinte :
Reexportacao.
10 cascos azeite de palma a ordem.
Mercadorias estrangeiras j despachadas para
consumo.
1 caixao balees do borracha: a Rabe Schamet-
tau & C.
1 fardo baetao; a Southall Mellors & C.
10 caixas sabo ; a ordem.
Gneros nacionaes.
10 fardos com 19 arrobas de fumo; a Joaquim N. 71 particular e 25 publico casa ter-
da Silva Castro.
Santa Casa da Misericordia
do Reciffe.
A lllm." junta administrativa da Santa Casada
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
no dia 28 do corrente pelas 4 horas da Urde na
| sala de suas sessoes tem de ir praca as rendas
i das casas em seguida declaradas por tempo de
um tres annos.
Os pretendentes devem comparecer acompa-
nhados de seus fiadores ou munidos de cartas
destes.
Estabelecimentos de caridade.
Ra Dtreita.
N. 3 particular c 8 publico, 2 andares. 1:0675000
Ra do Padre Floriano.
N. 5 particular e 49 publico casa ter-
.rea........1805000
N. 6 particular e 47 publico casa ter-
rea........1865000
N. 8 particular e 43 publico casa ter-
rea........ 1695000
Beceo da Carvalha.
N. 5 particular e 10 publico casa' ter-
rea........ 1495000
Ra do Fagundes.
N. 11 particular e 32 publico casa ter-
rea........ 1535000
N. 12 particular e 34 publico casa ter-
rea........ 1445000
Ra da Calcada.
N. 12 particular e 38 publico casa ter-
rea........ 1565060
Travessade S. Pedro.
N. 28 particular e 2 publico, 2 andares. 3005000
Ra de Horias.
N. 29 particular e 41 publico, nm an-
dar e soto. 2885000
Ra de Santa Thereza.
70n! N. 31 particular e 7 publico casa ter-
rea. ^......1975000
Ra do Cabug.
N. 34 particular e 1 D publico loja. 477500O
Ra da Roda.
N. 36 particular e 5 publico casa ter-
rea........ 965000
N. 92 particular e I publico casa ter-
rea. ... ... 120500O
Roa da Imperatriz"
N. 47 particular e 68 publico casa ter-
rea........ 3065000
Becco do Quiabo.
N. 49 particular e 8 publico casa ter-
rea........ 1445000
Ra da Gloria.
N. 51 particular e 6o publico casa ter-
rea. ... ... 1445000
Ra de S. Bom Jess das Crioulas.
N. 61 particulare 8 publico casa ter-
rea..... 1315000
Ra do Padre Floriano.
N. 66 particular e 63 publico casa ter-
rea........ 1445000
Ra da Senzala Velha
4:i
3 caixoes com 26,600 charutos; a Joao B. Goms
Penna.
1 dito ditos ; a F. Merslev.
I dito cora 8,850 charutos'; a Marcelino & C.
6 fardos com 28 l|2 arrobas de fumo; a Anto-
nio Jos Soares Jnior.
2(1 ditos com 55 arrobas de fumo, 145 saceos e
130 barricas farnha de mandioca, 123 fardos fu-
mo, 19 caixoes e 600 caxinhas com 194,450 cha-
rutos ; a Palmeira & Beltro.
100 fardos panno de algodao, 53 barricas com
23 arrobos de assucar, 4 saceos cora 419 libras
de colla, 140 ditos caf, 20 fardos cem 60 arrobas |
de tapioca, 700 feixes de piassava, 7 duzias e 9
toros de Jacaranda, 39 fardos com 194 arrobas e
12 libras de fumo, 28 caxSes cora 448,600 charu-
tos; a ordem.
Barca ingleza John Matheus, entrada de Phila-
delphia, consignada a Matheus Austiu & C, mani-
festou o seguinte:
2.291 barricas c 100 meias farnha de trigo, 400
balas de papel, 10 barris graxa em latas, 100 latas
oleo de Kerosene, 4 barris chamns, 1 dito objectos
para candieiros; aos mesmos.
Galeota hespanhoja Noga, entrada de Barcelo-
na, consignada a Biiltar & Oliveira, manifestou o
seguinte:
168 pipas, 40 quintos e 40 decimos de vinho
tinto, 6 balas papel florete, 6 caixas dito branco,
12 surrSes albos; a ordem.
3,500 pataces ; ao capilao.
Galeota hespanhola Vencedora, entrada de Bar-
celona, consignada a ordem, manifestou o se-
guinte :
220 pipas, 12 meia, 150 quintos e 170 decimos
de dito viuho tinto ; ao capitao Jeronymo Millel.
rea. .....1435000
Patrimonio de orphos
Ra do Imperador.
N. 2 particular e 81 publico 2 andares. 1:2025000
Ra de S. Gonzalo.
N. 10 particular e 2z publico casa ter-
rea........
Ra dos Pires.
N. 13 particular e 39 publico rasa ter-
rea. .......
Ra do Vigario.
N. 72 particular e 27 publico 2 anda-
res........
Ra da Senzala Velha.
N. 80 particular e 132 publico 2 anda-
res........
N.82 particular e 16 publico casa ter-
rea........201,3000
llua do Pilar.
N. 91 particular c 105 pnblico casa ter-
rea........
N. 94 particular e 99 publico casa ter-
rea........
N. 105 particular e 94 publico casa
terrea.........
Ra da Madre de Heos.
N. ;G particular e 2 publico casa ter-
rea.........
Becco das Boias.
-Y 39 particular e 18 publico 2 anda-
res........
Ra do Amorim.
N. 30 particular e 26 publico casa ter-
rea........
Mirueira.
N. 4 particular sitio.
1835000
1045000
6035000
4105000
1635000
2545OOO
1735000
1825000
3605000
I205OOO
2135000
Ilecebedoria de reudas internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia i a 23........ 41:0335096
do da 26................. 1:3905722
dem
42:6455818
Consulado provincial.
Rendimento do dia I a 25......... 70 1885611
dem do dia 26................. 3:1075366
82:2965177
da parte daquelle juiz da irmandade de Nossa Se-
nhora Mae dos Homens, o Sr. Manoel Coelho Pi-,
nheiro, (que at ha bem poucos annos era aqui co-
miendo por um pobre padeiro) nada tenho res-
ponder. Sua alma sna palma !___ Signal que
elle, a custa de seu trabalho tem enriquecido rpi-
damente; sendo que s Ihe peco (ao menos por ca-
ridade christaa),que, pela sua actual posicao de mui
alto e poderoso proprietario. nao meVjueira esma-
gar sob o peso de sua colossal fortuna. Das almas
gratules a nobleza esta.
Ha pouco eu disse, que essa tirada acerca da
importante riqueza e probidade do Sr. Manoel Coe-
lho, delle mesmo parti, por que vi, que anterior-
mente elle j havia escripto idnticas palavras na
sua resposta dada em um requerimento dirigido
que vamos comprar a cmara municipal, e tendo
tratado toda a ediiieacao conforme a planta, tudo
pela quantia de dous 'cotilos e sete centos mil res,
menos o importe do terreno, por cuja quantia me
responsabihso.
Sou de V. S. venerador e criado.
Recife, 12 de margo de 1864.
Manoel Coelho Pinheiro.
Juiz.
N. 4.
Manoel Luiz Viraes, precisa qne o escrivao Sarai-
va Ihe d por certido o theor da peticao que este
mizo dirigiu a mesa regedora da irmandade de
Nossa Senhora Mi dos Homens.erecta na igreja da
Madre de Deus, e bem assim o theor do interroga-
torio de Jos Antonio Pereira.Pede V. S. lllm.
por aquelle Mestre Pedreiro ao Sr. Dr. juiz muni- Sr. Dr. juiz municipal da 1* vara Ihe defira.
cipa! da segunda vara, como se v do documento
que offereco para sor publicado sob n. 5.
Isto posto, de boje em dianto e para sempre, deve
licar bem sabido, reeonhecido, e inquestionavel o
que elle mesmo tantas vezes c com toda modestia
tera repetido acerca da sua reputacao, e fortuna.
Tenho, pois, respondido a todos os tpicos da-
D Recife, 23 julho de 1864.
Tavares de Vasconcellos.
Joao Saraiva de Araujo Galvo, escrivao do juizo
municipal da primeira vara da cidade do Recife
de Pernambuco, por Sua Magestade o Impera-
dor que Dos guarde etc.
PBLIigOES A PEDIDO.
en cao
Xarope alchoolico de veame, preparado pelo
pharmaceutico Jos da Rocha Paranhos, esubele-
cido cora botica na ra DireiU n. 88 em Pernam-
buco.
Este xarope ucontestavelmente superior a to-
dos os xaropes depurativos, de cuja composicao
o seu raaior elemento a salsa parrilha, pois que se
tera conhecido ser o veame mais enrgico para a
prompta cura das molestias, cuja base essencial
depende da purificacao do sangue ; assim pois se
tem verificado por muitas pessoas que se achavam
desengaadas, as quaes acham-se hoie reslabeleci-
das cora o referido xarope alchoolico de veame ;
entretanto que alguns, tendo usado do xarope de
Curinier, de Larrey, de salsa parrilha, de sapona-
ria, oleo de ligado de bacalho, e outros agentes
desta ordem nada conseguirara. elle de fcil
lenno, pon, mmmiwi imnses wpicos da- Certifico que o pedido fe lo nelo suoolicante da .- ?raem n,aaa, coasee^ram. E elle de
Ihado nesta cidade. Creio. que lenho |Htf***"ft^^^
i irrefragavets todas as calumnias Diz a mesa regedora da irmandade ""
! u.: ju^.-me, e somenie para enes appeno. noel Luiz Viraes, se incumbido de realisar a cons-
Protesto nao voltar a carga, se o meu injusto de- truccao das catacumbas pertencentes a mesma ir-
tractor emiamr a atassalhar treicoeiramente a mandade, acontece que a pretexto de nao poder re-
recnrrpr ,,resentar como contratante, apresentou o mesmo,
administrador um recibo da quantia que a elle
mesmo fora entregue, firmado por um Jos Anto-
nio Pereira, pessoa que dizia elle ser o verdadei-
ro contratante, no entretanto que agora a sup-
plicanle informada de que nao existe esse Jos
Antonio Pereira e que a pessoa a quem o mesmo
administrador faz represenUr de contratrante,
attribuindo-lhe o nomede Jos Antonio Pereira e a
assignatura de recibos e mais documentos am
pedreiro que trabalha no cemiterio, e sob as ordens
barajado 2.J do corrente, espalhouse nesta cida- do referido administrador.escravo ainda empane de
de um avulso sera assignatura onde se pretende seu valor de Antoaio Jos Pestaa, pelo que havendo
manchar a reputacao do Sr. Manoel Luiz Viraes, nisso um crime de falsidade, alm de outros. vem o
administrador do cemiterio publico, como ehefe supplicanle requerer V. S. se digne de determinar
daquelle estabelecimento; aecusando-o de nao con- qneemdlaehora que designar seja presente V S
sentir que pessoa alguma ediGqne obras de irman-1 o referido pedreiro Jos Antonio, para responder
reputacao, por que terei ento de recorrer
a outros meios legaes, ou o eotregarci ao mais com-
pleto desprezo, de que s digno aquelle cobarde,
que procura a mascara do anonvmo para assaltar
a honra alheia.
Peco-lhes, senhores redactores, o obsequio da
prompta poblicacSo dess curtas, e mal tracadas
linhas.em defeza do seu amigo leltor.
Recife, 26 de julho de 1864.
Manoel Luiz Viraes.
. Al-
guns mdicos desla cidade e da de Macei o teem
recommendado para a cura das
Impijens, tinha, escrophulas,
Tumores, ulceras, escorbuto,
Cancios, sarna degenerada, fluxo alvo.
Todas esus affeccoes provm de urna causa in-
terna ; nao ha pois razao alguma em crer que el-
las se podem curar com remedios externos. Tam-
bem se prescreve o xarope alchoolico de veame
para o tratamento das affecges do systcina nervo-
so e Iibroso, ues como :
Golla, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, estoriidade,
Marasmo, hypocondra, emmagrecimento.
O Xarope alchoolico de veame sobre tudo, da
maior utilidad.: para curar radicalmente, e em
pouco tempo o rheumatismo.
Adverte-se que o verdadeiro xarope s se vende
nesta cidade na botica cima indicada, do abaixo
assignado ; e em outra qualquer parte que se tera
annuncado nao da mesma composicio, e nem o
abaixo assignado se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhos.
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 26.
Philadelphia44 dias, barca ingleza Jo Matheus
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 22 de julho de 1864,
O escrivao,
F. A. Cavalcanti Gousseiro.
Pela subdelegacia da freguezia de S. Fr. Pe-
dro Goncalves do Recife se faz publico que foi ap-
prehendido e recolhido deposito um cavallo de
cor caslanlio e magro, com una cangalha em bom
estado, o qual foi encontrado vagando pelas mas
desu freguezia : quem se julgar com direito a el-
le compareca neste juizo, que provando Ihe ser
entregue.
Subdelegacia do Recife 25 de julho de 1804.
0 subdelegado,
Luiz Antonio Gongalves Penna.
(iuiiiii- o provincial.
0 lllm. Sr. regedor interino do Gyinnasio man-
; da declarar qae no da lu de agosto prximo vm-
douro principia a funecionar a aula de primeiras
letras do mesmo Gymnasi creada pela le pro-
Os alumnos dessa classe sao em
vincial n. 598.
equipa*
com bacalho; a
enHO^d&$a^iL![; ^r,i0 Tipa''l,ud0 equiparados Vos de mais que frequentam o
gem 10, carga 2291 barricas com farnha de tr- estabelecimento, e por iss.
go e outros gneros; a Matheus Austn & C.
Tena-Nova-34 das, brigue inglez James Slwart,
di 189 toneladas, capitao Daniel Ross,
gem 12, carga 2500 barricas
Sawnders Brothers & C.
Liverpool45 dias, brigue inglez Chance, de 144
toneladas, capitao I W. Blamey, equipagem 8,
carga differentes gneros; aSim'pson&C.
A'at'ios sahidos no mesmo dia.
Rio da PrauPalhabotc nacional Ptedade, capitao
Jos Marques Vianna, carga assucar.
Havre pela Parahyba Barca franceza Mane Ni-
col, capitao Etcheparre, carga couros e outros
gneros.
CanalBarca ingleza Diana, capitao Calduell, car-
ga assucar.
EDITAES.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 23 do corrente, manda a-
zer publico que no dia 4 de agosto prximo vin-
douro, perante a junta da fazenda da mesma the-
souraria, tem de ser novamenle arrematado, a
quem mais der, o imposto da taxa das barreiras
das estradas e pontes segnintes :
Ponte dos Caminos9045500 por anno.
Diu de Tapacur1:6895 per anno.
A arrematado ser Teiu por tempo de tres an-
nos, a contar do 1 de julho de 1864 30 de junho
de 1867. '
As pessoas que se propozerem a esU arremau-
gao comparecam na sala das sessoes da referida
jnnu no da cima mencionado, pelo mio da, e
competentemente habiliudas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secreuria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 26 de julho de 1864.O secretario,
A. F. d'Annunciaco.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
por isso obrigados a pagar : os
internos 305 mensaes, os meio-pensionistas 55
os externos 55.
Secretaria do Gymnasio Provincial de Pernam
buco 22 de julho de 1864.O secretario,
A. A. Cabral.
De ordem do lllm. Sr. inspector da thesou-
raria do fazenda desta provincia declara-se
quem estiver de posse do terreno de marraba d.
24, que slete no dominio til de Juliao Beranger
entre a ponte da Boa-Vista e a de ferro de Santa
Isabel, que dentro do oran de Ib dias contado*,
desta data deve solicitar o respectivo titulo de afo-
ramento reconhecendo assim o senhorio directo
da fazenda no dito terreno, sob pena de ser consi-
derado devoluto o mesmo terreno e arrematado a
quem mais der na forma das ordens em vigor.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per
nambucoem 25 de julho de 1864.
Servindo de official maior,
Manoel Jos Pinto.
De ordem do lllm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda desta provincia se faz publico que
no dia 27 do corrente s 2 horas da tarde, peran-
te a mesma thesouraria tro a praca para serem-
arrematatados por quem mais dr, os materiaes
que se poderem aproveUr dos proprios nacionaes
silos em frente do arsenal de marinha que teem de-
ser demolidos por ordem do governo imperial, sen-
do a demollco feita custa do arrematante dos
materiaes.
As pessoas quem conver diu arremauco de-
vero comparecer no referido dia e hora marcado.
Secretaria da thesouraria de lazenda de Pernam-
buco, em 20 de julho de 1864.
Servindo de offlcial-maior,
k _, Manoel Jos Pinto.
Acha-se depositado nesta subdelegacia ata
sacco contendo ferragens e chumbo, que fra en-
contrado abandonado em a poru da escada de um
sobrado da ra do Crespo, quem for seu dono pro-
vando ser-ihe-ha entregue.
., Su,befefa,cia. > freuezia de Santo Antonio do
Recife, 26 de julho de 186.4.
O subdelegado,
Manoel Antonio de Jess Jnior.
'

MUTILADO i



JL
BaBBBl

Diario e Peraarubn-o quaria felfa ft* *)e uha de 1944.
I
'"y

\
i

LEIiOES.

LEILVO
Urigue nacional Algrele.
Mfiir
Quarl-ffira 27 a> julh, s 11 turas, en freate
4a as.sof.iafi* ctmaercial,
O agente Pino far leilao reqtienmento de
Joaquim Juvenrio da Silva e por despacho do Illm.
Sr. Dr. juiz de orpbos, do brigue nacional Algre-
te, ancorado neste porto cora todos seus perteoces,
de conformidad!) cora ara inventario existente eni
Peco emprestadas OU compro as carr Arrenda-se, vendase^ ou mesmo troca-se por
tas JePUhaa llanto, por Fre Jgaqaim ^'t^j;e*it^i,S!ra1
do Amor DiviO UBeca. 7 quartes, 4 salas, I coxinhas e um sotao, tendo a 1
.________Antonio Joaquim de Meti.
CASA D4 FORTUNA.
THE1IRO
DE
APOLLO.
Hoje, 27 de jHlho.
Quilla representar.) en que temar parte
A FAMILIA SAWYER
Primeira notabilida.de europea,
anicanoseugeuero^nhecKksobafcmomiuacao poder do mesmo agente : o leilao ser effectuado S/J l'^f F^n ri VrlLm -' Cll d S dt! G*"""" & Lma, faa sciente
parte eocheira, estribara, e quartos para criados,'.
todo plantado de arvores de fruoto, abacates, sapo- i
j tis, fructa-plo, I i mo doce, limas de umbigo e da "
Persia, laraugelras de urnhjgo, soletas, tangerinas,
1 etc., um grande caesal cora fractas, jaqueiras,I
mangueiras, coqueiros, deudeielros, cora raais no!'
fundo urna cafa de taina, e born astim mals 4 ca- *
1 sas de tgolo acabada* de pouco terapa, eom fente I
; para o uascente, muio frescas, tendo cada urna 3 >
salas. 2 quartos e coznha fra : os pretendenle' i
m*B**imMmM**K*M^
AOS 61000,000
Ullhete garantidos
A' ra de Cresa* 1. 23 e casas de costante
O abano assignado tendo vendido nos *eus mui
to felices bilhetes garantidos o inteiro n. 1207 cun dirijara-se' ra do Quiraado o. 27, lj de fazen
asonada l:400,e do numero 817 com a sorte'aas dos Srs. Custodio & Carvalho.
socio prtn-1
ROUPA FEITA

NO
DE
de 600$, e outras raudas de 200$, 1004, 40* e 1 Miguel Jos Barloa r.iii*riw
mis a. !.,.;, ,. o.i^.. ..,,;. i i.annti. 'guei Josl oaroosa uuimaraes

de celebres
CAMPANLOGOS
ESCOSSEZES
dando um concert com a sua coUeccao de
150 CAMPANHIAS,
conforme o seguinte
PROGRAIHA
I'IIIMKIIU l'MITF.
i.* A grande marcha Nacional Hngara.
2. A Romanza da opera Trmala. (Nova)
SEGUNDA PARTE
1.* Aria final, adagio, andante e Miserere da
opera 'trovador.
2. A polka intitulada King-Pepin. (Nova)
Nos intervallos a eompanhia dramtica dirigida
felo artista Furtado Coelho, representar as co-
medias :
A ESPOSA DEVE ACOMPA.NHAR SEU RIDO,
UMA CIIAVENA DE CHA
e a seena cmica
KIeMSRA
desempenhada, pelo Sr. Goncalves.
Ordem do espectculo
Chavena, Campanlogos, Parsita, Campanlogos
Esposa.
PUECPS.
Camaroles Ia ordem 124000
2* > 164000
3* > 104000
Cadeiras 3J000
Platea 24000
Vacanda 14000
O espectculo principia s 8 t horas.
n* dia, hora e lugar aciroa dito podendo os pre-
endenies examinarem desde j o mesmo brigue.
DE
CHITAS A VARIADAS
Augusto Casar de Abreu 11ra leilao por canta e
risco de quera pertencer de 24 pecas de chitas
avahadas de agua salgada desembarcadas lti-
mamente do navio viudo de Liverpool : hoje era
seu armazem da ra da Cadea s 12 horas da ma-
nha.______________________________^________
LEILAO
DE
CIMENTO VARIADO
O agente Olimpio far leilao por conta e risco
de quera pertencer de 121 barricas de cimento
a variado a bordo do patacho inglez fortnala, na
sua viagem de Londres para este porto.
Quinta-feira 28 do corrate
s 10 horas da manha no armazem do Exm. ba-
rio do Livramento no caes d'Apollo.
LEILAO
DE
Urna grande casa de campo assobradada com
grand e sitio, arvoredos e baixa de capim na
ponte de Uchoa, era frente a casa e sitio do Sr.
Jos Moreira- Lopes.
Quinta-feira 28 de jalhe en frente a assoeiaeo
commercial.
O agente Pinto far leilao requerimiento do
administrador da massa fallida de viuva Amorim
& Filhos e por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz es-
" espectculo principia as o ; huas. r, r -----:;-----.. ------ ,---
Os bilhetes esto a venda no escriptorio do tl.ea- Pec,al do rommerpio, do sitio da ponte de I.choa
U. no diado espectculo, desde s 8 da ma.; com grande casa de sobrado, pertene.ente a refe-
,h'a, nda massa, as 11 horas do da supradito era fren-
te a assoeiaeo commercial.
r
-v-
1YISS MARTIMOS.
OOIPANHIA BRASIL-EIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte esperado
al o da 2 de agosto o vapor
Paran, commandante o capitao
de fragata Santa Barbara, o qual
depois da demora do costume se-
guir para o: portos do sul.
Desde j reebem-se passageiros eengaja-sea
carga que o va^r poder conduzir, a qual Severa
ser embarcada io dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheio a frete at o dia da saluda s 2
oras, agencia ua da Cruz n. 1, escriplorio de
Antonio Luiz de Uiveira Azevedo & C.
COMPANKIA BRASILEIRA-
DE
PAQUETES A VAPOR.
Di'S portos do sul espera-
do ai- o dia '0 do correnlc o va-
por \hiapork, rom mandante An-
- ionio Marcelino de Pontes Ribei-
'K'ri^^^P ro, o qaal depois da demora do
costume seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio deAn-
inoLio uiz de Oliveira Azevedo & C.
DAS
MESSAGERIES IMPERIALES
Xo dia 'M) do rorrele espera-
se dos portos do sul o vapor fran-
cez Navwre, commandaiite de
Somer, o qual depois da demora
do rostume seguir para llor-
deaux tocando em S. Vicente e Lisboa.
Em S. Vicente ha um vapor em correspondencia
<;om Gore.
Para as eoodicoes, freles e passa;ens trata-se
na agencia ra do Trapiche n. .|
COMPAN1UA PERNA.MBUCANA
DE
Savcgaco costeira a vapor.
l'arahjba, .Natal, Maco, Araealy, Cear, Acarac
e Granja
ACompanhia Pernambucana ex-
pedir um de seus vapores para
os portos cima indicados no dia
'i de agosto s .*> horas da tarde.
"Recebe carga at o dia 5. Encom-
niendas, passageiros e dinheiro a frete at o dia
da sahida s 3 horas da tarde: escriplorio no For-
te do Matlos n. 1.
DE
Movis e outros art'-gos
. Quiuia-feira 28 do correte,
iin.i da Cadeia do Recite a. 48
O agente Olimpio far. leilao de diversas obras
de marcineiria novas e usadas, machinas para
costura, candieiros, relogios, louca, lanlernas, joias
de ouro, miudezas e outros mudos artigo.
Dar principia o leilao s U horas.
LEILAO
1)E
Urna grande armac/io de amarello envidrarada,
balco, carteira, armarios, cadeiras, sofs, 'me-
sas, espelho, e algumas pecas de roupa fcita
existentes no estabeleciinent de alfaiate na ra
Nova 60.
Sexta-feira de jsilho s II
horas au pouto.
O agente Pinto far leilao a requerimiento do
depositario geral c por despacho do Illm. Sr. Dr.
juiz especial do commercio dos objectos cima
mencionados, s 11 horas do dia cima dito, ua
toja da ra Nova n. (j, casa da esquina junio a
ponte da Boa-Vista.
ci da igreja de S. Francisco de Serinhaem, con
vida aos passuidores de ditos bilhetes a virem re
ceber seus respectivos premios sem os despontos
das leis, em seu estabeleciinent ra d* Crespo
n. 23.
O mesmo tem exposto venda os nevos e felizes
iMftM ii ^%m

a todos os devedores a esta firma que lendo falle-
cido o socio Jos de Almeida Nunes Lima, est
procedendo a liquidacao da mesma e por isso pe-
I de a todos os devedores o especial favor de man-
darem saldar seus debites o mals breve possivel.
bilhetes garantidos da erceira parte da sSa, Recife: 9 de J""> d *
lotera a beneficio do theatro de Santa Isabel, que
se extrahir quinta-feira 28 do correte.
PrcfOfe
Bilhetes iBtiro ...
's.....t. i
-Quww........ I.
MwaiManm*
A sito na ra aUlt daTi****, frtl*j > Santo
Autopio, que tenbi! c*mim e dil4re agua
ua rvft para nao ser molhado qwu passa junto
desse sjbrado, ceuio acv^lecea j 9 horas da noite j
do dia U do c*ff**e, M H f*-> fQf possivel
Precis-se de urna criada livre ou escrava
que saiba cezinhar e comprar : na ra de Sanio
Amaro (Mundo Novo), sobrado onde raorou o Sr,
Dr. Sabino.__________[_____________________________
O Sr. Joao Francisco de Pontes com padaria
em Caruar tenha a bondade de dirigir-se ao lar-
So de Pedro II n. 27, terceiro andar, a negocio que'
ie diz respeito._____________________
A fbrica de calcado sita na ribeira de S-!,
. Jos n. 25, precisa de urna pessoa que saiba coser
em machiaa de costura, que se Ihe pagar 24000;
por dia.______ v
Aviso em terapo.
O abaixo assjgnado tem entregue as contas dos j
devedores da extincta tirina de Vidal & Bastos, de
que lifiuidatario, ao seu procurador Lula Fraa-1
vedarse, ento^riXm qVTe7lei,l5re7inora-1 "r^l, lav,ares' ara serera cobradasaraigavel
dqresmodem-separa casa terrea, onde com aquel- -lr!,a/2e,i ... .-. ~ r.
le proceder pouco incommodaro as oessoas nue J> ,8 d8 Nho de 176i.-Joao Carlos Bas-
passarem pela porta.
JLSTBSXRO VEROS.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vootade dos concur-
rentes, para o que tem am dos melhores professores, assim como tambem tem uia
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
bomens e meninos.
Casacas de panno preto, 35* e 30*006 Ditos de setim preto. 500001
Sobrecasacas idem, 30* e 250000 Ditos de ditos e seda branco,
pessoasque JSra*d
Paletos idem e de cores, 25*,
20*, 15* a......10*000
Ditos de casemira, 20*, 15*,
12*, 10* e...... 7*000
Ditos de alpaca, 5*, 4* e .
Ditos ditos pretos, 9*. 7*.
5*. 4*e......
Ditos de brim e ganga de co-
res, 4*500, 4*, 3*500 e. .
Ditos branco de linho, 6*, 5* e
Ditos de merino preto de cor-
do, 10*, 7* e..... 5*000
3*500
3*500
3*000
4*000
Dcfrote da escada do passadico, do lado de
Santo Antonio, fornece-se couiedoria por preco
coramodo, promptido e muita limpeza, o lugar
de fcil condueco, tanto para o Recife como para
Saqto Antonio.'
Precisa-se de urna ama para todo o servico 9K Calcas de casemira preta, 12*,
in A., ^,.,. I__;:_ _. .______ j. __._5_ ra ano o K -
de casa de pouca familia: na travessa da matriz
de Santo Antonio n. 8.
Precisa-se de 5:0004 a premio, dase para
garanta um predio de limito mais valor, sito nes- i
la praca: a quera convier, pode dirigiese ra i
IrmanCiade ta beilQOra Oai> Imperial n.^.OQnirac sua morada nesuty-
pographiaem carta fechada J. C-
t'Anniia.
Nao se tendo procedido a eleicao da futura mesa
regedora da irmandade da gloriosa Senhora San-
t' A una da igreja da Madre de Dos, domingo t\ do
correte, por falta de numero legal, da novo sao
convidados lodos os nossos charos irmiios alim de
comparecerem quarta-fera 27 do crreme inez,
pelas G horas da tarde, para o mesmo fim.
M. S. C. Simoes Jnior.
Escrivao.
- Francisco Anastacio Pires Loureiro retira-se
para o Rio de Janeiro.
O bacharel
m
Francisco angosto da Cosa
MOriNA.
car
Promettemos que em quauto o Sr. D. A. de L.
S. nao vier ra Nova n. 37, dar cenia do di-
nheiro que recebeu mais de um anno para
tas de urna questao e que comeada o dinheiro na-
da fez at que foi preciso ser cassada a proeuracao,
nao o dfixarcmos de chamar por este Diario e
passaremos a chama-lo em termos mais esclareci-
dos para que o publico entre em cmplelo conhe-
cimento de seu mo proceder para com aquelles
que (como en) infelizmente Ihe entregara as suas
causas.
Esta fgida desde o dia 17 do correnlc a
preta escrava de nome Mana, crioula, do meia
idade, que ha pouco foi comprada ao Sr. Chrislia-
no Jos Tavares, cora os sigoaes seguimos : cheia
do corpo. falta de um dedo na mo esquerda, bem
preta. tem algumas marcas as costas que parece
ter sido decbicotp, foi escrava em algum lempo
do engenho Sanl'Anna, levou vestido de chita, saia
preta e panno da Costa, julga-se ter ido para os
lugares do malo Jaboa.lo ou S. Lourengo da Mat-1 A
la em razo de ah ler prenles e conhecidos ; e {
protesta-se desde j contra quem a tenha oceulta ;
e roga-se s autoridades policiaes e capites de
campo, tanto destes lugares como da pra^a a ap-
prehenso da dita escrava e levem-na seus se-
nhores na travessa do Caldeireiro n. 12, que sero
generosamente gratificados.
Muita attencao.
Aos amadores do boni t excedente vinho puro
' se recommenda urna partida chegada ultimamen-
te de Lisboa, e mandada vir por encommenda da \
. fazenda de um amigo. E.-te vinho particular, li- i
vre de toda e qualquer confeccao se recommenda |
particularmente para as pessoas doenles Vndese
em ancor.-tas de 3 e 9 caadas tinto e branco no |
i deposito da ra da Cruz n. 30 Recife. Aproyeitar
-1 amadores do bello nctar em quauto se nao acaba.
10*, 8*e
Ditas de cores, 9*, 8* e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 5*000 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 4*500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 5*, 4*500, 4* e .
Ditas de ganga de cores, 3* e
Colletes de velludo preto e de
6* e.......5*000)
Ditos de gorgurao de seda
pretos e de cores, 6*, 5* e 4*O0Oj
Colletes de fustao e brim bran-
co, 3*500, 3* e 2*508
Semillas de brim de linho,
2*400 e......2*1)00
Ditas de algodao, 1*600 e. 1*400
Camisas de peitos de linho,
4*, 3* e......2*500
Ditas de madapolo, 2*500,
2*e........ 1*000 II
Chapeos de massa, pretos fran- )jj
cezes, 10*, 9* e. 8;>."00 ;j
7*000 Ditos defltro, 5*, 4*, 3*500 e 2*000
Ditos de sol, de seda, 12*,
4*000' H*, 7*e......6*000
Collarnhos de linho fino, ulti-
4*000 ma moda duzia. .
Sortimento completo de grava-
2*500 tas.
2*500 Toalhas para rosto, duzia, H*,
7*000
6*000
*
6*000
e........
cores, 9* e.. ." 7*000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
Ditos de casemira preta, 5* e 4*000 tos e de cores.....
Ditos de ditas de cores 5* Lenewes de bramante de linho.
4* e........3*500 Cobertas de chita chineza.. .
Mmmwmmmwmm
ras ^i
ARMAZEM DE F
4*000 lg
3*000 m
2*500 gg
DE
**
Custodio, Carvalho & Companhia.
MU A MO ^URIMAIIO 1
Na ra das Larangciras n.
gomm.'i-se com toda a perfeicao.
10, lava-se e en-
Urna pessoa solteira moradora na villa do
Brejo, precisa de um criado que saiba cosinhar e
fazer os mais servicos de casa : quem pois quizer
i preslar-se appareca na loja n. 13 e 13 na praca
da Independencia.
aAO
1"<' Arrendam-se duas boas casas e sitios no
i sola, 1 marquo-a, 2 COllSulOS, l DSO-!Monleiro sendo a primeira no pateo da capaila de
CaCl)ma;a eh e 12 CadeiraS. S. Pantaleao,om tm sala e gabinete de frente,
c( t unTi ii C .T sala de jantar muilo fresca, diversos quarlos, to-
bexla-leira 2U de julllO as 10 horas em pon- j dos com janellas, com um optimj solio, com sala
tO na Nova ti 60. ; e quartos com janellas, toda corrida de pateo e
O agente Piulo far leilao requerimenlo do | gradeamento de ferro na frente, boa estribara,
depositario geral e por despacho do Illm. Sr. Dr. i cocheira e casa para escravus, um bel'o jardim e
juiz especial do commercio, dos objectos cima sitio mui bem plantado, com boas arvores de fruc-
menciouados, depositados por Jos da Rocha Pa- ,os e ,Pm excedente banho de choque etc., ele, a
rauhos como fiador de Jorge Rodrigues Cidreira, segunda liea confronte da povoacao niargem do
para receber seu dono Lourenyo Puggi, o leilao rio, com 6 salas e diversos quartos e grandes es-
ser elfeciuado no dia, hora e lugar cima indi- Iribaria?, casas pira eseravos, toda corrida de pa-
cado.
M
COMPANHIA 4EKNAMBUCANA
DE
Xaregace costeira a vapor.
Portos do sol at Aracaj.
No dia 5 de agosto s o horas
da tarde expedir a Companhia
Pernambucana um de seus \apores
para os portos cima. A carga se-
_Pr recebida at o da 4. Encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete al as 3
lloras da tarde do da da sahida : escriptorio no
Forte do Mattos n. 1. 9
Para Lisboa pretende sahir com brevidade o
patacho porluguez Jareo, tem alguma carga enga-
jada, para o resto que Ihe falta, a frete rommodo.
trata-se com os consignatarios Palmcira de Beltro,
largo do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
Para Lisboa.
Vae sahir em poneos dias com a carga que tiver
O brigue p.irluguez Confian, quem quizer car-
regar ou ir de passagem entenda-se com os con-
signatarios Carvalho \ Nogueira na ra do Apol-
lo n. 20 ou com o capitao.
Festividade de N. S. das Ne-
ves ua ParaMba.
Ha vendo numero sulIiciwi.U) de pa.ssa_ge.iros, lar-
gar deste porto para o da Parahiba, u-m dos va-
pores da Companhia Pernambucana, na tarde de
4 de agosto prximo, devendo voltar no da 8. As
pessoas que desejarem assisiir aquella festa, quei-
ram inscrever seus nomes, desde j, e at odia 30
no escriptorio da Companhia, Forte do Mattos nu-
mero 1.
teo rom gradeamento de ferro, boa baixa de ca-
pim, bem plantado, algumas arvores de tractos e
bastante terreno para plantadlo: a tratar na ra
do Apollo n. 1. segundo andar.
Dase
n. 'o.
dinheiro a premio : na ra Augusta
- Precisa-se alugar um moleque para os serv-
aos de urna casa : a tratar na ra Nova n. 38, ter-
ceiro andar.
':f srv
* i.
ayisos mam.
Faltando anda no archivo
dkvsM (ypographia 4 volnnies
encadernados deste Diario, ro-
ga-se as pessoas que os levaran!
por enipeestimose dlgnem man-
da-los entregar, nao se mandan-
do bnscar suas inoradas ( bem
que nao se Ignore) pela incerte-
za da hora em que se encontra-
ro em casa.
Seita-feira 29 ra da Cadeia u. o3.
DE
I'ma oltava parte do sobrado n.
lo. ra do Trapiche.
Por intervenc.ao do agente Eozebio se vender
em leilao a oitava parte do sobrado de 3 audares
ra do Trapiche, cuja venda ser feita pelo
maior prego que se acbar attendendo o da avalla-
c,ao segundoo inventario a que se procedeu.
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra do Impe- 3^
rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro- ^j
curado a qualquer hora do dae da noite g
para o exercicio de sua profissao de me- $
dico ; sendo que os chamados, depois de ag
meio dia at 4 horas da tarde, devem ser ^
jf deixados por escripto. O referido Dr. ft\
$M nao abandonando nunca o estudo das M
M molestias do interior, prosegue, com o ^B
^R maior afflnco, no das maisdiccise deli- IR
> cadas operagoes. como sejam dos ergaos S
tjg ourinarios, dos olhos. partos, etc. ^5
uera )mm mmm
Aluga-se a lo a da casa n. 40 da ra das Trin-
cheiras: narua da Aurora n. 36.
Precisa-se alugar urna preta que saiba eozi-
nhar e engommar : quem a tiver, dirija-se ra
do Trapiche n. 4, que achara com quem tratar.
Aluga-se o terceiro andar da casa n. 48 na
ra do Trapiche : a tratar no armazem da mesma
casa.
nrammatica ingleza e porlugueza.
D. Appleton & 6. livreiros.editores p importado-
res em New-York, Estados Unidos da America,
Quinta-feira 28'do corrente mez andaro acabamtpublicar um novo methodopara omin-
as rodas da tercena parte da segunda lo- fZlTi"^l^o ^ porUlgueia Pr -R
tena do theatro de S. Isabel. Este livro, o melher at boje publicado ex-
Os bilhetes, meios e quartos acham-se pressamente impresso para supprir a immensa fal-
venda na respectiva thesouraria ra do u iC na de um* tnnma ingleza e portu-
Prpsnn n IR gueza' ')ara a1uelles 1ue fallam '" e que de-
urapu u. i. a nnnnnr. -.^ur. : sejam aprender a lingua porlugueza.
Os premios de 6:000*000 ate 12*000 D. Appleton A C. sao os editores das obras em
serio pagos uma hora depois da extraccao hespanhol para educajo muitissiroo usadas no
at s 4 horas da tarde, e OS OUtros HO dia s?' da America. Tambem publicara os melhores
albuns para cartoes de visita.
Ama
engomme
13, sobra-
Precisa-se de ama ama que cosinhe,
e compre : a tratar na ra Imperial n.
do da esquina.
Coziitheii'O.
Quer-se alugar, praferindose qu nao seja cap-
tivo : trata-se na ra do Crespo n. 8, esquina da
do Imperador.
Aluga-se uma negrinha de 14 anuos de ida-
de, muito sadia e esperta para todo o servico in-
terno de urna casa de familia : a tratar na praca
da Roa-Vista, sobrado que volla para a ra do Ara-
gao, primeiro andar.
O abaixo a.-signado faz sciente que o Sr.
Victorino Lopes da Costa nao mais seu caixeiro
desde o dia 21 do corrente.
Antonio Joaquim de Mello.
Superiores saias de fustao para senhoras a o$. '
Toalnas de linho para mesa a 34300 e 44.
Leneinhns para meninos um 100 rs.
Lencos brancos para algibeira a 24 a duzia.
Toadlas para mao duzia 44.
Bramante de linho vara 24.
Fil de linho liso vara 300 rs.
Grande pechlncha.
Pegas de ntremelos bordados a i$.
Tiras bordadas a pepa 24-
Gollinhas de cambraiaa 000 e 800 rs.
Precisa-se de urna criada
que saiba cozinhar e engommar
n. 42, primeiro andar.
ivre ou escrava,
: na ra das Cruz ,
Francisco Luiz Belem, cidado casado, anti-'
go ineslre de msica vocal e instrumental nesta
cidade, regressando de novo mesma cidade, con-
tina a ensinar tanto msica vocal como piano,
nao s por casas particulares como na de sua re- i
sldencia, ra das Cruzes n. 2, primeiro andar.
I'romette envidar como sempre os seus esforcos
para o rpido adiantamento e proveilo das pessoas
confiadas aos seus cuidados.
NADA k (LEO de FR; ADO w BACALHO
XAROPE DE RBANO IODADO
Segunu os alle.-lailos dos mdicos des bospitaes de Parii, consignados no ProtDeete, e a approvac.5o
de varios cademtcos, este Xarope emprega-se com o maior successo, em lugar do OLEO DE FIGADO DE
BACALHAO, aoqual elle realmente superior. Cura as molestias de peito, as escrfulas, e Ijuipliatismo, a
pallidez e molleza das carnes, as perdas T appetite, e regenera a constituiQAo purillcundo o sangue. Em
summa o mais poderoso depurativo conbecido. Elle nunca canea o estmago ou os intestinos corno o
induro de potassium e o ioduro de ferro. e administra-se com a maior efficacidade aos meninos sujeilos
aos humores ou ao entupimentodas glndulas. O Douior Caxcnavr, do hospital de San'Luiz de Pars,
o recommenda d'um modo inteiramente particular as molestias da pede, conjuntamente com as pilutas
que teem seu nome.
Depsito geral em Parts, en casa de MM. Grlmanlt e C, pharmaceuticos, 7, ra de la Feuillade
em Litboa, en casa de noilrlga da Coata-Carvalho; no Porto, en casa de Miguel Jos a> Sausa-
Perrelra; em o /(i'o-df-Juiif i ro, vluva Prlxote e Dala, ra do SabSo, 11; em Bahia, en casa de
Jaa-Caetano Frrrrlra-Ki>lnbrlra em lito-Grande, en casa de Joaqala de Gado y ; em Maran-
ho, en casa de Ferrrlra eC"; em Pernambuco, shoum e O, ra da Cruz, 22; san, e as principaes
pharinacias dn Brazil.
Deposito geral em Pernambuc ra da Cruz n. 22 emeasa de Caros A Barbozs.
Fugio no dia 13 de judio a-escrava Benedic-
ta, crioula, de cor fula, cara redonda, olhos vivos,
falta de denles em cima, cheia do corpo, hunda
um pouco empinada, baixa, foi escrava de Ma-
ra dos Santos Carino, moradora em Caixoeira do
Gallo, em Bezerro, foi comprada nesla praca no
dia 9 de abril deste corrente anuo de 18li4 : quem
a pegar leve ao seu senhor Jos Joaquim Lopes
Pereira Guimaros, em Tigipi, freguezia dos A-
fogados. que ser bem recompensado.____________
Fugio na noite de 23 do corrente, judio de
1864 o escravo Jos, preto, crioulo, de 2t annos,
baixo, corito regular, baleos grossos e estufados,
orelhas pequeas, e cachar > grusso, pouca barba
porque tem apenas na pona do queixo, levou duas
calcas, uma branca e oulra de castor escuro que
parece preto, de lislras, paleto! preto, sem camisa,
e com uma carapuga encarnada na caneca, a laia
de manijo : quem pegar leve-o ra Direita n.
34, que ser generosamente recompensado._______
Precisa se alugar um moleque : na ra es-
treita do Rosario n. 24, primeiro andar.___________
Precisa-se de urna ama para cozinhar em
casa de pouca familia : ua ra d Crespo n. 23
Aluga-se invade do primeiro andar da ra
Direila n. 4 : a tratar na taberna._______________
Quem precisar de urna ama de boa conducta,
procure na ra da Boda n. 31.
C0\SILT0R10 .HEDHM.Rl!R
no
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
,ii;i)UO i> ut i i:ieio t; OPiliDOR.
3 ~* Ra di Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s i
' horas da iaoba, e das 6 e meias 8 horas ua noite, excepcao dos dias santificados
P/iannaeia especial horneo palluca
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado souLmento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas d yarias dymnamisaces e pelos preces seguales
Carteiras de i% tubos grandes. I000
de 24 tubos grandes. 18,5000
de 36 tubos grandes. 241000
* de 48 tubos grandes. 305000
de60 tubos grandes.
3c000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fuer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo a vulgo ou frasco de tintura de meia onca 13 00.
Sendo para cima de 12, oootefa os precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
II vito.
A mellior obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. .lahr.
Aos r>:0O$0l)U.
Corre anitinha.
Corre depois d'amanha.
Cear, Maraulio Far
Segu at o fim do mez o patacho nacional An-
ill, de 1* marcha e 1* classe, recebe carga: a tra-
tar com A. de A. Porto, na ra do Vigario n. 10,
ou cora o capitao Bats, a bordo, ou no trapiche
do algodo.
seguinte depois da distribuirlo das listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
ASSOCIH'lt
Commercial Beneficente de
Pernambuco.
Os senhores socios effectivos da Associago Com-
mercial BencHcente sao convidados a se reunirem
na sala das sessoes da mesma Assaciacao no dia
1 de agosto prximo futuro, adra de apreciarem
o relatorio e contas da actual direccao, e eleger a
que deve dirigir os trabadlos da Assoeiaeo do an-
no que vai comecar.
Assoeiaeo Commercial Beneflcente de Pernam-
buco 25 de judio de 1864.
Jos de Vasconcellos.
Secretario.
Precisase alugar urna preta escrava
servico de uma pequea familia : ra das
zes n 28, primeiro andar.
para
Cru-
Uma pessoa habilitada para algum estabele-
cimento nesta [iraca, e d fiador : quem dellepre-
Alugam-se as casas terreas us. i, 3 e 7 da dadeiros, enrgicos e duradores: ha ludo do mellior que se pode desejar, globos de vr-
rua do Hospicio, teudo rada uma 2 salas, 4 qjar- dadeiro assucar de leite, notaveis pela su a boa conservaco, tintura dos mais acreditados
Sib^'^aur wruado'seven'',U' ~'estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparacao, e portanto a maiorener-
'- Paulo Jos Comes & Maver, te'rminaram des- 8ia e ***** em ff8 effet0S- .
sociedade que tinnam (tQ,S (IB SttUUf fWQ e^CVdVOS.
Recebe-se eseravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
com Antonio Jos Lisboa, nos armazens de pinho
do raes 22 de Novembro ; assim como avisam s
pessoas que se acham a de ver ao mesmo estabe-
lecimento, que s ao abaixo assignado devem pa-
gar, em vinude de Ihe licarem pertencendo todas
as dividas at aquella data. R cife 27 de judio de
1864.-Pajjlo Jos Gomes & Mayar.
Est nos prelo3 da typographia Commercial
cisar deixe seu nome na praca da 'independencia, o piedoso livro do Mez Doloroso : as pessoas que
{loja do Sr. Figueiroa. i i
quizerem assignar esta obra, pode dirigir-se era
- Ainda est para alugara casa da ruaT itl*!^?1S!!!t!*.*.^??!W **' a*DUQC,:,nte
operacao, para o que o annunciantejulga.se sufficieatementt habiltUdo.
0 tratamento o melhor possivel, tanto oa parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatro ainns, ha muitas pessoas de cojo C0QCto se nao
pode duvidar, que pdera ser consitltados por aquelles que desejarem laandar seus
do cutes
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias ed'ahi em diante I500.
As operaces sero previamente ajust;idas, se no se quizerem sujetaf aos prego*.
ta n. 112 : a tratar na rua Nova n. 59.
Atteucao.
mo de Patva Torres, no consistorio da igreja dos
Milagres, e no Becife ua mesma typographia.
Precisa-sc de um meniuo de
anna*. preferindo se Sortuguez :
do 1 Sosario n 16.
idade de 8 10
na rua estreila
kiimm
4\fi
Desencaminhou-se o billiele n. 2281 da lote-
ra que ha de correr quinta-feira 28 do corrente :
Babia prelende sahir cora Pade-se. portanto, ao Sr. thesoureiro das loteras ou
muita brevidade o veleiro patacho o.: a outras qnaesquer pessoas que vendam bilhetes,
Luiz capitao Jos Teixeira de Azeve-, no caso de s*blr Premiado dito bilhete, de o nao
do, por ter parte da carga engajada; pagaretr. senao ao abaixo assignado seu log.li.no
para o resto -que Ihe falta, trata-se d
com os consignatarios Paloiira & Beltrao, qo largo Precisase alugar uma preta quitandeira.
do Corpo Santo n. 4, primeiro andar. sendo por prego comraodo; quera tiver anounoie,
Offerece-se uma ama para engommar o cose:
na praia do Caldeireiro n. 43.
Assoeiaeo BiUhotliecaria Per-
" u a m bu cana
llavera sessao extraorJinaria hoje quariafeira
27, ao meio dia, no Ifigar do costume.
Secretaria da Bibliothecaria Pernambucana 27
de judio de 1864.
Jos Paulo do Reg Brrelo Fillio.
2o secretario.
RUA DO QUEMADO NUMERO 11
Loja de fazendas d- Augusto Frederico dos Santos Porto
Chapeos para senhoras.
Chegaram de Pars as mais lindas ehapelinas e chapeos de pal ha da Italia para senhora*.
Bicas capas e soutembarques de seda preta e casemira de cor para senhoras.
Corles de superior morentique branco para vestidos de noivas.
Camisas inglezas mudo superiores para bomens, peitos, pnaos e colarinhos ije aho
Chapos de seda para cabeca e chapeos de sol de seda ingkst. *
Lencos de labyntno francezes a 14 cada um.
Camisas de menino muito superiores.
Cortes de 15a de barra para vestidos do senhoras de I3 a 18$.
A mesma loja tem o maior e mais superior sortimento de
Estelras para salas.
Offerece-se urna ama s para cozinha o cora- nao se emende cora pessoa d* sua familia um an-' Neste estabelecimento encontrarao os senhores que preeisarem forrar suas salas eom este*jas
prar, para casa de pouca familia : no becco dos nuncio que sahio ltimamente i respeito de uma toda e qualquer quantidade que flesejarerfl de $, 5 e 6 palmos 4e largura, sendo a a qualidade moH
Portos, n'uma loja dpfroale d? utn cigarreiro, | pessoa de Igual nome.. superpior e por mdico preco,
Urna pesso* com as habilitacoes precisas na ci-
dade a Olinda se offeroce para se encarregar de
despachos de papis tanto no civel como no cele-
sastico por pre^o commolo, por isso quem preci-1
sar dinja-se em Santo Antonio loja do Sr. cora-1
uieudador Figueiroa, rua do Queimado loja de fa-,
zendas n. 20, e no Becife taberna do Sr. Antonio
Ramos.__________ |
Manoel Joaquim Baplista, oserivao vitalicio'
Ldo civel do termo desta cidade do Becife, julga i
conveniente declarar que nao tun filho algum de
I nome Manoel Joaquim Baplista Jnior, polo que

, ILEGVEL


4
Otarlo de 1-ernambuco tfeuarta leir ti de rfiilbo 4e l*l
0 Dr. Cosmade S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de su profis-
so medica, e com especiaiidade
sobre e seguinte
Io molestias de olhos;
2o de peito:
3o dos org5os geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
r5o examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d si
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
Cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Offerecese ama ama de leite : na roa do Vi-
gario n. 27, segando andar.
COMPEAS.
Compra-se ouro e prala em obras relhas
daga-se bem". na loja de bilbetes da pragada Inde
pendencia n. 22._________________________
i Compra-se cobre velho : na ra do Bram nu-
' mero 78.
45


Alaga-se urna prela para vender pao-de-l,
bolos, ou outra qualquer eousa, de 1 s 7 horas da
tarde : quem precisar, drija-se esta typogra-
phia que achara com quem tratar.______________
Na praca da Independencia, loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert, e igual-
mente se dir quem d dinheiro a premio.
Precisa-se de urna ama para cozinhar, en-
gommar e comprar; familia de duas pessoas: na
ra de Santa Thereza n 14.
Antonio Luiz de Olivcira Aze-
vedo A C
Ageotc do Banco l nio do Porto.
Competentemente autorisados sacam por tod o
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguinies agencias.
Londres sobre Banh of London.
Paris Frederic S. Ballin & C.
Hamburgo Joao Gabe & Filho.
Barcellona Francisco Rahoba & Ballista.
Madrid Jaime Meric.
Cdiz Crdito commercial.
Seviiba Gonzalo Segoria.
Valencia M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Angra Terccira. Figueira.
Caminlia. Guarda.
Castello Branco. Guimaraes.
Chaves. Lagoa.
Coimbra. Lagos.
Covilhaa. Lamego.
Elvas. Leiria.
gj^ Moncao.
Fafe. Moncorva.
Pinhal. Regoa.
Porlo-alegre. Seiubal.
Thoniar. Vianna do Cas-
Villa Nova do tello.
Portimo. Villa Real.
Villa Real de Vizeu. Madeira.
S. Antonio. Faial. S. Miguel.
No IMPERIO. I
Rahia. Maranhiio.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista,podendo logo
os saques prazo serem descontados no mesmo
Banco a razo de 4 por cento ao auno : a tratar
na ra da Cruz n. 1.
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganea.
Faro.
Oliveira
meis.
Pena fiel.
Tavira.
Villa do Conde.
d'Aze-
I Comprase urna negra de bonita figura e sem
vicios, que saiba cozinhar e engommar bem : na
ra de Apollo n. 28._________________________
Comprase um carro americano, novo oucom
pouco uso : na ra do Crespo n. i9, loja._______
Heloyio
quem tiver e quizer vender um relogio de ouro
bom regulador dirija-se ra do Livrameote n.
la, que se dir quem quer.________________"
~~Compra-se urna escrava de bonita figura, de
idade de 18 20 anuos : no pateo da Paraizo n.
18, segundo andar.___________________________
Cachorro.
Compra-se um ou dous cachorros nascidos de
pouco lempo, de raga fila :', na Boa-Vista, roa do
Destino n. 3, das 4 s 6 horas da tarde ; nao se
olha a prego, agradando ao comprador.__________
Compra-se urna balanca grande usada com
pesos, urna rotula e vidracas usadas para portas :
na ra das Trincheiras n 48._________________
Comprase urna escrava de bonita figura, de
idade de 16 22 annos : no pateo do Paraizo n.
! 18, segundo andar.______
~ Comprase um ornamento para celebrar mis-
sas, que esteja em bom uso, sendo a casnla encar-
nado e branco, um calix, um missal e um ferro de
fazer hostias : quem tiver dirija-se casa do sa-
chrislao da ordem terccira de S. Francisco.______
Compra-se a collecjo do peridico denomi-
nado o Commercial Pernambucano que tere a pu-
blicacao do seu primeiro numero a 20 de maio de
1861: no sobrado da ra de S. Francisco n. 10,
como quem vai para a ra Bella dcsta cidade.
Comprase um negro de meia idade para o
servico de sino, e que saiba tirar leite, assim como
urna negra engommadeira e cozinheira, sem acha-
ques e nern vicios : na ra da Impcratriz n. 19.
Compra-se urna mulatinha ou negrinha com
idade de 11 14 annos : na ra Direila n. 103.
Compra-se urna negrinha de 8 10 annos de
idade : na rna do Queimado n. 34, loja._________
Compra-se um alambique de cobre on de
ferro em bom uso : na ra do Imperador n. 12. ._}
YENDAS.
Joao da Silva Ramos, medico pela Uni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s II horas da manhiia, e
das i s 6 da larde. Visita os doentes
en suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos cni qual-
i\ quer occasio. D consultas aos pobres
jg que o procurarom no hospital Pedro II,
3 aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Trm sua casa de saiide regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
_j tica qualquer operario eirurgiea.
Para a casa de sade.
Primeira classe .'5000 diarios.
Segunda dita.... 25300 >
Terccira dita.... 25000 *
Esle eslabelecimento j bem acredi-
|_ tado pelos bons serviros que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
COMPENDIO DOLOROSO
que conlem o olficio de .N'ossa Senhora das
Dores; o modo de rosar e ofierecer a co-
ra, um selenario e mais otaros exercicios
de piedade c devocao; ordenado pela ir-
mandade dos servos da mesma Senhora,
que se acha erecta na ogreja de N. S. da
Penha do imperial hospicio dos reveren-
dos padres niissionai ios apostlicos capu-
cliinhos italianos de Pernambuco, approva-
do por S. M. I., que Deus guardo; dado
luz por devogao do muito reverendo
padre Fr, Placido de Messina.
Vende-se a 120 rs. na livraria ns. G e 8
da praca da Independencia. _________
Yendem-se
as Rerue des Deux Mondes de lo de marco, Io de
abril, Io e 15 de maio, Io dejunho, lo de agosto,
lo" de outubro. 1 j' de novembro, 1." e lo de de-
zembro de 1863,1- e 15 de janeiro 1 e lo de fe-
vereiro de 1861, a 15-00 cada volume; .4 uussao
especial do tisconde de branles por 25; na ra
do Crespo n. 4 loja.
Vendcm-?c caixoes vasios a l:7G0
cada um : na ra das Cruzes n. 44.
-------------.% -
Precisa-se alugar um escravo liel e capaz
para fazer as compras diarias, tirar leite de vac-
cas c trabalhar no sitio, e quando preciso for, tra-
tar de cava I los : quem tiver, procure no escripto-
rio n. 17, ra do Trapiche.
PH
HK9I
WE&m
DENTISTA DE PARS
19Ra Nova-19
Frederico Gautier, cirurgio dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaos, ludo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
I Vende se urna armago uova de amarello,
para tirar da casa, e gaz : na Passagem n. 1.
Vende-se ;i meiaeao dr urna ea.-a terrea em
bom local, rom os rommndos seguintes : 0 quar-
tos, 2 salas, cozinha fra, quintal grande : a tratar
na ra da Impcratriz n 6, ou Mondego n. 24. Ven-
de-se toda lambom no raso de fazer-se negocio.
Km Sanio Amaro de Jaboato na loja
junto ao professor vende-se bilhetes de to-
das as loteras.
Ven ha ni ver.
Na na estreila do Rosario n. 33 vende-se por
preco barato una mobilia de Jacaranda cora pouco
uso e ino lerna, urna rama (winceza e um lavatorio
com pedra de amarello.
"AVISOOSSRS. MDICOS.
Cura ca'arrhos, tosset
coqueluches, irritacet
nervosa* tas dos bron-
chios e todas as (loen-
cas do peito; basta ao
doente urna colhe rchdca deste xarope D' Foboet.
Dr. cmiiLK, em Pariz, ra Vividme, 3U.
Pars, 36,RaVivienne, D"
. Sirop du
DrFORGET
CHABLE MDECIN
Precisa-se de urna ama de leite : na ra Im-
perial, sobrado n. 87.
Aluga-se um sitio na estrada da Ponte de
l'choa e a margem do rio, pouco adiante do Illm.
Sr. commendador Nery Ferreira, tendo banheiro,
palanque, galinheiro e outras acommodacoes; e
outro dito no Monteiro, em frente ao oitao da igre-'
ja : a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Sou-
za, ra do Crespo n. lo, ou estreita do Rosario nu-
mero 32.
Maques sobre Portugal
O abalxo assignado, autorizado pelo
Banco Mercantil Purtuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
ectivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer smma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que temarem
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 OjO ao anno: na
loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim d Costa Ma'ia.
DASENFERMIOADAS DESSEXUAES, AS AFFEO
CQES CUTNEAS, F. ALTERAgOESDQ SANGUE.
~~130 000 curasdas impingen*
\mstulas, herpes, sarna
rjrniroes.acrimonia,ral-
lercoes, viciosas do san-
__m ; virus, alteracoes
do sangue. (Xarope vegetal sem mercurio).Depu-
rativa* ii-Bi-tui-N ll\\IIO* tii\i iiai *
tomao-se dous por semana, seguindo o tractamento
Depurativo : empregado as mesmas molestiai.
Este Xarope Citracto de
ferro de CHABLE. cura
immediatamente qualquer
puraacao, relaxacao,
debilidade, e igual*
mente os luios e flores brancas das murheres.
Esta njeceao benigna emprega-se com o Xarope da
Citracto de Ferro.
Hemorroida, Pomada que as cura em tres dias.
POMADA ANTIHERPETICA
Contra: as affeccoes cutnea e comixoes-
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
do D' Cbable, cada frasco vai accempahado da
folheto.
Vende-se na ra do Imperador botica
franceza n. 38.
DEPURATIF
du SAIVG
PLUS DE
COPAHU
45 Kua Direita
Oigam! oicam!!!
CALCADO
Bom e novo, c a primeira necessidade para a sau-
de e afermoseamento do individuo I
Meu Dos 1... que ps de pavlo se lobrigam por
essas ras 1 que figura horrenda e nauseante a
de um paletot bem talhado sobranceiro a um
Quedes ruido em duas solas I um balao bem tor-
neado e bambaleante dcscnbrindo urna ponta de
botina safara e carcomida 11
i Santa Barbara! I Corram roa Direita, bellas e
! rapazes I sacudam na praia esses malditos quedes
' e comprem : *
Borzeguins de Nantes 8000.
Ditos francezes de bezerro 75.
| Ditos francezes de lustre para homem ~>&.
Ditos para senhora, de lustre, enfeitados, iiJioOO.
Ditos para senhora, gaspia alta, 4800.
I Botinas de menina 2J>500.
' Ditas de cores para menina 25000.
Sapatoes de Nantes de duas solas 5.
Ditos de sola e vira 4,5500.
Sapatos de borracha para senhoras 1500
I Ditos para meninoslJIOOO.
' Sapatos de lustre para senhora l&.
Ditos de tapete para homem e senhora 800 rs.
Ditos da liga constitucional 500 rs.
Chineloes rasos do Porto a 15600.
E um sorlimento comple.o em sola, vaquetas,
couros, bezerro francez como nenhnm, couro de
lustre muito grande, e tudoquanto pertence arto
de S. Chrispim._______________________
a Menea o
O dono da loja do Beija-flor, na ra do Queimado
n. C3, acaba de abrir um outro espagoso estabele-
cimento de miudezas na mesma ra n. 69, por isso
' avisa aos seus freguezss c amigos, que nestes dous
estabelecimentos encontrarlo sempre grande sorti
ment de miudezas, perfumaras e objects de pos-
tos : e vender sempre mais barato que outro qual
quer, como abaixo se ver.
Pentes douradosde Iravessa.
Delicados pentes dourados de travessa para me
ninas a 15500 cada um, ditos sem ser dourados a
1500 rs. cada um : as lojas do Beija-flor, ra do
! Queimado ns. 63 e 69.
Vollinltas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruzes de pe-
; drinhas imitando a brilhantes a 15 cada urna : as
lojas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
I.tivas de Jonvin
Chegaram pelo ultimo vapor as desejadas luvas
de Jouvin de todas as cores, tanto para homens
como para senhoras : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Talberes para meninos.
Vendem-se talheres de cabo de balanco para me-
I nios a 280 rs. o talher : as lojas do Beija-flor,
| rna do Queimado ns. 63 e 69.
Golheres de metal principe.
Vendem-se colheres de metal principe muito fi
as para sopa a 35600 e 45400 a duzia, ditas para
cha a 25 e 25400 a duzia, ditas para assucar a
500 rs. cada urna, ditas para terrina a 25 cada
urna, e s quem vende por estes precos as lojas
do Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e 69.
Facas e garios.
Vendem-se facas e garfos oitavados a 25800 a
duzia, ditas cravadas, cabo preto e branco a 35 a
duzia, ditas de balanco de 1 botao finas a 55-00
' ditas de 2 botoes muito linas a 65500 a duzia, ditas
de 1 botao para deces e fructas a 55 a duzia, ditas
de i botoes a 55200 a duzia : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas, a peca a 15100, 15200
e 15300 : as lojas do Beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Bailados bordados.
Vendem-se baados bordados de varias larguras
a peca a 15600, 15800, 25, 25200 e 25400 : as
lejas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Lindos sapatinhos.
Vendem-se lindos sapatinhos para baptisados de
enancas a 15500 e 25 o par : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e -9.
Boles para punhos.
Vendem-se lwiezinhos demadreperolaedemar-
im para punhos a 320 rs. o par, ditos encarnadi-
nhos a lO rs. o par : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas para debrum de vestidos.
Vendem-se fitas de laa de todas as cores para
debrum de vestido a 900 rs. a peca, ditas^retas
de seda a 15100 a peca : as lojas do Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas brancas para debrum.
Vendem-se pegas de lila branca de linho para
debrum a 400 rs. a pega : as lojas do Beija-flor
na ra do Queimado ns. 63 e 69.
Iticas litas lavrailas.
Vendem-se muito ricas fitas lavradas para sinto
de senhora e meninas : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Espclbos de Jacaranda.
Vendem-se espelhos de columnas, de Jacaranda,
a 35 e 45300 cada um, ditos de madeira amarella
a 25100 e 25800 : as lojas do Beija-flor, na ra
do Queimado ns. 63 c 69.
Fitas de velludo estreilas.
Vendem-se fitinhas eslreitas de, velludo para en
feite de vestido a 900, 15 e 15200 a pega: as lo-
jas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Trancas de la para bordar.
Vendem-?e tranrinhas delaapretas para bor
dar camisinhas e vestidos a 80 e 160 rs. a peeinha,
ditas brancas com 40 varas a 600 rs. a pega, e ou
tras muilas cousas que setornarao enfadonho men-
ciona-las, pois s com a vista se poder ver o gran-
de sortimento das lojas do Beija-flor, na ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Loja de fazendas da ra
do Crespo n 7.
Miguel Jos Barbosa Guimaraes, socio princi-
pal da firma de Guimaraes & Lima, faz sciente ao
respeitavel publico que tendo de liquidar todas as
fazendas existentes em seu estabelecimento por
ter fallecido o seu socio Jos de Almeida Nunes
Lima, que consta de um grande sortimento de fa-
zendas finas, como sejam ricos vestidos de seda
com algum toque de mofo, capas de velludo preto
muito finas e outras muitas fazendas que tudo
vende por baratissimo prego.__________________
Carvo animal.
Farello de Lisboa superior.
Cal virgem nova : na ra do Vigario n. 19,
primeiro andar._________________________
ou Una a vontode do comprador
18

1
9
la
M
e
a
S
v
! es
'X
a
t
es
-
- t Vi

1i -'_r-'---
RA DO BBl'M r*bri> i ii i \ VtPOR
A GRANDE CEA
PARA TODAS AS MOLESTIAS DO
AS
Piiiliis Vcgetacs Assucaradas
De ICcmp
Compostas dos dois novos resinoides chama-
dos PonopiiiLiKx o Leptandrina, c inteira-
mente livres de Mercurio on ontros venenos
minemos ou mctallicox, sao do grande utili-
dado nos paizes clidos em cazos de
DISPEPSIA, ENCHAQECA,
Constpalo ou Prizto do Ventre,
PABECIMENTOS DO FIGADO,
A fleches Biliosas,
HEMOERROIDS, CLICA,
Ictericia,
FEBRE GASTRO-HEPATICA,
E solras mfrrmiilailos anlogas.
]|. vao rpidamente substitundo os anl'goa
purgantes drsticos.
venda as boticas de Caors & Barboza,
ra da Cruz, e Joao da C. Bravo d{C., ra
da Madre de Dos.
Vende-se a armarao da loja da ra larga de
Bosario n. 33, muito propria para miudezas ou
outro qualquer negocio por ser em muito boa lo-
ealidade : a tratar na mesma loja, o u ra de
Apollo n. 8 com o Br. Jos Joaquim de Souza.
GRANDE
sortimento de fazendas novas bara-
lissimas na leja c armazem de fa-
zendas baratas na roa da 'mperatriz
n. 36, loja da Arar, de Lourenco
Pereira ifendestioiniHraes.
Cm tes .le chita a 2-ji()0.
Vende-se cortes de chitas para vestidos a If 00,
ditas de dita franceza com 10 covados a 3200,
cortes de cassa francezes a 25 e 2>300 : na ra
da Iiuperalriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende a 160 rs.
Vende-se fil de linho de cores a 160 rs. o co-
vado, dito branco para forro a 320 rs. a vara, lar-
latana de cores a 640 rs. a vara, lencos brancos a
200 e 210 cada um : na loja da Arara ra da Im-
peratriz n. 56.
As liaziulias da Arara a 320 rs. o covado.
Vndenle laziohas para vestidos a 280, 320,
100, 500 e 640 o covado, ditas lisas proprias para
j capas e vestidos de senhoras a 400 e 600 rs. o co-
( vado: na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende as chitas para eeberta a 320 rs.
Vendem-se chitas para coberlas a 320, 360, 400
; e 500 rs. o covado, dita encarnada adamascada a
500 rs. o covado: na rna da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Cassa organdys da Arara a 240 rs
Vendem-se cassas organdys para vestidos a 240,
280 e 320 rs. o covado, riscado francez para ves-
tidos a 280 rs. o covado, gurgurao de linho para
vestidos a 280 rs. o covado : na ra da Impera-
triz n. 56, loja da Arara.
As chitas da Arara a 210 rs. o covado.
Vendem-se chitas para vestidos de cores fixas a
240e 280 o covado, ditas francezas largas a 320,
360, 400, 440 e 500 rs. o covado : na loja da Ara-
ra ra da Imperatriz n. 56.
Lencos de seda da Arara a 800 e tr>.
Vendem-se lencos de seda para algibeira de
! homem a 800 e 1 $, lencos de cassa a 200 e 240
| rs. : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
' Arara vende os veos prctos e de cores a 1000.
Vendem-se veos prctos e do cores para chape-
linas de senhoras pelo preco de i cada um, go-
linhas para senhoras a 240 e 320 rs., manguitos a
1-3. camisinhas para senhoras a 2.5, ditas finas
| com gravatinha e punhos bordados os mais mo-
| demos que tem vindo a 4500 : na loja da Ara-
ra ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende os balees a 2,->00.
Vendem-se baloes de 20, 25, 30 e 35 arcos a
25500,35, 35500, 45, 45500, ditos de brilhantina
a 45 : na ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Corles de la a Mara Piaa 8 e ls-\.
Vendem-se cortes de laa a Maria Pia a 85 e 185,
pecas de cambraia lisa fina a 35. 3500 e 45 : na
ra da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Cortes de ganga a 1-5600
Vendem-se cortes de ganga franceza para calca
a 15600, ditas de casemira a 35, ditas finas a 0$
e 55500 : na ra da Imperatriz n. 56.
Itoupa feita da Arara.
Vendem-se paletots pretos de panno fino a 165-
145 e 125, ditos sarcos de panno fino preto e azul
\ debruados de fita a 95 e 105, ditos de casemira a
65, 85 e 55, ditos de brim a 25500 e 3$, ditos de
alpaca preta a 35 e 25500, camisas francezas bran-
cas a 25 e 255OO, ditas de linho de pregas-Jirgas
1 a 25800 e 35, seroulas de algodao a 15600V*ditas
de linho a 25, caifas de brim e gangas de cores a
25, ditas de brim pardo a 25500 e 35, ditas bran-
oas a 35500 : na ra da Imperatriz n. 56 loja da
Arara.
Colchas da Arara a 1$
Vendem-se colchas de damasco para cama a
, 45, ditas de fusto a 55, ditas de chita a 25: na
ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Vendem-se gangas para calcas e paletots.
Vendem-se gangas para paletots e calcas a 440
e 500 rs. o covado, fusto para calca a 500 rs. o
1 covado : ama da Imperatriz n.56, loja-da Arara.
Madapolo francez a i'\
Vendem-se pecas de madapolo enfestado com
12 jardas a 45 e'45500, ditas de 24 jardas ns. BG
a 75, ditas n. 60 a 65500, dito moja a 75500, dita
n. 40 a 85, dita n. 50 a85500, (litan. 7 a 105, di-
ta SS 95, dita XX 85500, algodao muito encorpado
a 55500 e 65, dito carne de varea a 75 : na ra
da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Brim de linho a i 0280,
Vende-se brim de linho para calca a 15280.
15400,15800 e 15600 a vara, brim liso para se-
roulas e lenecs a 500, 560 e 610 a vara, braman-
te de linho a 25200 a vara tem 10 nalmos de lar-
1 gura, bretanha de linho a 640 e 800 rs. a vara,
brim pardo a 800, 640 e 15 a vara : na ra da Im-
peratriz n. 56 loja e armazem da Arara, a loja es-
t aberta al as 9 horas'da noite.
Vendem-se velas de carnauba muito bem fei-
tas, por menos preco que cm outra qualquer parte,
sendo em libras a 3G0 rs. : na travessa dos Ex pos-
tos n. 18.
Todos querem
Do grande sortimento de laazlnhas mui-
to bonitinhas de todas as qualidtdes,
gostos e precos eguintes a 360, 400 e
480 rs. o covado que se vendem
S na rna do Crespo n. 1,
Loja do barateiro.
Fumo imperial
Cortado igual ao francez muito proprio para ca-
chimbo, em latas de 1 libra, quando nao seja me-
Ihor igual ao americano por 15200 rs., para veri-
ficar a verdade os Srs. fumantes podem-se dirigir
fabrica vapor de cigarros anliga ra dos Quar-
teis de Polica n. 21.
Belem.
DR< C IV. IIK V\1IIY.
Medico inglez,
e habilitado pela faculdade de medicina da Baha,
tendo voltado Pernambuco, pede ser consultado
todos os dias em seu gabinete, ra do Bram nu
mero 74.
mmm mmmm wm mmmmw
H Conipauhia fldelldade de 8
segaros martimos ter-
restres estabeleeida no
Ufo de laneiro.
AGENTES EMPEPNAMBUCO
AataiM Luiz de Olivara Aievedo & C,
H competentemente amansados pela direc-
| toria da eompanhia de seguros Fidelida-
Sde, tomam seguros de navios, mercado-
_ ras e predios no seu eserptorio ra da
I Cruz b 1-
Vendem-se dous sitios na estrada de Belem, sen-
do um ao p da igreja com 680 palmos de frente,
pequea casa de taipa, e alicerces para urna boa
casa e fructeiras, e outro na estrada com 209 pal-
mos de frente e 1,200 do fundo : a tratar em
Santo Amaro, travessa do Lima, casa defronte de
um quintal com porto de ferro.
ATTENQAO.
Vende-se um sitio no lugar da Ipiranga, com
casa de vlvenda, muito boa cacimba, com tanque
e novo, muitos arvoredos e novos, boa trra para
plantacao : a tratar nos Afogados, ra do Motoco-
lemb n. 39._____________________________
Vendem-se riuas carreras e dous bois muito
bons : na ra do Jasmim n. 21._______________
Vende-se urna casa em Olinda ra
do Jogo da Bolla n. 25, em chaos proprios
com a frente e o fundo de pedra e cal e os
oiles de taipa, cosinha na sala de detraz : I
quem a pretender dirija-se ao Recite tra-'
vessa do Veras n. 10.
Vende-se um grande sitio na travessa do L-
ea, com excedente casa de pedra e cal, feita a mo-
derna, enllocada em lugar que passa urna estrada
pela frente e outra pelo oitao ; o terreno nao pode
ser melhor para plantagoes, e tem porto muito per-
to para embarque e desembarque: a tratar em
Olinda com o promotor publico Manoel Izidro de
Miranda, ou no mesmo Luca com o tenente Jos
Thomaz Cavalcanti Pessoa.
Algodao da Baha
para saceos de assucar e roupa de escravo; tem
para vender Antonio" Luiz de Oliveira Azevedo &
C-, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Farinha de mandioca snperior
em saceos grandes : vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, no seu escriptorio ra da Cruz
numero 1.
Alcatrfio.
Vende-se alcatrao do gaz pelo preco da fabrica :
no armazem da bolla amarella no oitao da secreta-
ria de polica.
Grava (as de seda a 20u
ris.
Pretas e de cores para homem : ea loja da roa
.da Aladre de Dos n. 16.
Taberna
Offerecese una ama para easa de pouca fa-
milia ou homem solteiro, para servir de portas
entro : a tratar na ra dos Martyrios tL 21. '.
Precisa-se de um Portuguez que saiba traba-!
lhar bem cm ser ico de campo para tomar eonta
de um sitio : quem pretender dirjase ao pateo! vendV-se urna taberna no Caminbo ifovo da
do Hospital ii. 8.____________________________j Soledade urna" das mnlhores do lugar n. 26, faz \
Na irrara popular n. 67, ra do Imperador,, qualquer negocio em vista do seu done precisar 1
precisa-se de aso caixeiro portuguez, de idade de: retirar-se : a Hilar nos. armazens da BriJhanlo
13 14 ancos., Aurora largo da anta Cruz.
Vinho do Porto superior
em caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
der Antonio Luiz do Oliveira Azevedo & C, no sen
escriptorio ra da Cruz n. 1.
Vende-se
aa livraria do Sr. Nogueira junto ao arco de Santo
Antonio, Calmet, diccionario, etc.
Vende-se a easa terrea na Boa-Vista, traves-
sa de Joao Francisco n. fl, tem 3 portas, 2 janellas
e portio para o oitao, faz esquina para o beeco do
Quiabo, e foi reedificada toda o anno passado : a'
tratar na ma da Alegra, easa n. 28.___________
Vende-se a taberna sita no beeco Largo o. 1;,
a tratar o& roma, ou aa rna Iropej&l n. 269.
YEME-SE
um engenho fazenda de ga
do, diversos predios, por cao
de escraios, animaes vac-
cuns e encallares.
Sexta-feira o de agosto.
Xa cidade da Parahlba, ra do
Varadoiiro n.
Jos Luiz Pereira Lima, tendo resolvido termi-
nar a responsahilidade que tomou sobre parte do
passivo de sua entnela lirma commercial, expor
concurrencia publica, por venda em leilo, to-
dos ou parle de seus bens constando de :
Um engenho denominado Graca, distante urna
pequea legua da cidade, com todas as bemfeito-
rias e obras, como sejam : um magnifico sobrado
apalacado com 16 janellas de frente, igreja e urna
casa terrea com 70 palmos em quadro, casa de
engenho firmada em columnas todas de pedra, ea-
sa de caldeira e em seguimento casa de purgar
com 70 palmos de largira e 280 de comprimento
inclusive casa de deslilayao, sendo estas obras to-
das de pedra e-cal. O engenho moe nicamente
cem agua de urna vertente extraordinaria sobre a
roda que nova e de madeira de amarello com 44
palmos de dimetromoenda nova e toda de fer-
ro assentamenio completo com as caldeiras pre-1
cisas a todo o fabrico.
As trras de que o engenho se compoe tem urna
extensao de legua quadrada, bem devisada e de-
marcada, com porto de embarque, e varios sitios
com casa e muito arvoredo de fructo, e bem assim
infinitas pedreiras para cantara, lasca e cal, para
o que tem varios Tornos slidamente construidos.
Urna casa de sobrado de tres andares e sotao,
com cinco portas de frente na ra do Varadouro.
Urna dita de dous andares e solao, com tres
portas de frente na mesma ra.
Urna dita terrea com cinco portas de frente e
sotao lambem na mesma re.
Um grande terreno de marinha com fronteiras
para armazens na ra do Zumbi.
Urna casa terrea junto ao quartel do primeira
linha.
Urna lita de sobrado com cinco portas de fren-
te, muito bem construida e ao gosto moderno na
ra Direita da cidade alta.
Urna dita ditt com quatro portas de frente,
igualmente bem construida e annexa anterior.
Duas ditas terreas no beeco da Companhia.
Urna fazenda de gado situada na Bibeira de
1'.rumata em duas leguas de trras cem duas si-
luaces de gados, curraes, acudes, e boas catingas
para plantacoes de tdo o genero.
Vinte e cinco escravos de todas a< idades.
Animaes de roda, boiada mansa, e vaccas tou-
rias.
N. B. O leilo ter lugar no dia cima designa-
do pelas 10 horas da manha em urna das casas
da ra do Varadouro.
Os pretendentes qualquer das propriedades
podem desde j dirigir-se seu proprietario para
obter informa?oes de qualquer natareza que se
am relativas posse, dominio e deraarcacao de
imites.
BOTICi E DROGARA
BaBTHOLOMEU & C.
Rna Larga do Rosario n. 34.
Vende:
Ventosas de gomma elstica.
Esmaltes para ourives.
Fundas iaglezas.
Vidros de bocea larga com rolha.
Tinta branca em massa para pintura fina a 200 rs.
a libra.
c/3 r^n - > - -' zs -n H 2
o -r w -- i-&8. i. 5 i as 3 rs, va O rras va . ~. "J =: 5 -
3-g 3 i ~__ O T ^ p as as 3 va va w a:
9 g>S - u> as ^a 2: /. 13 EJ -z c- " / (W
-SI til Ero. va -? 1 ^ "O =- -i va I aa -i Ixjcfl o g. 5 ? sr a E g 3-S.S8 3 W B"3 S 2 f. ? o u -; -o Cb 5 ft
o- S,. z*li 9 ~ S 5 < O 3-f3 D93B te g I = O a, o. o o -=> 1*3 P 9. 33 75 ce -3 -: O 1 es V. 3 3 D. 5 -- o- s-M. 3,1-1 o a?? -o as 1 Da S CA S -- >
aa 2 as 3 3 = 5* 3 =" as as =r as
3 ^1 s
3 m
^i
^ s
*
-5 t*
i
3
<-~
n
si
MCHINASDEPATEME
de trabalhar mo para
descaro?ar algodao
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLAM
Estas machinas
podem desearocar
qualquer especie
Ae algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pode
desearocar urna
arroba de algo-
dao em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
Esta machina
a nica qne
possue as vantagens de nao .destruir olio do al-
godao e de fazer render o dobro de qualquer ou-
tra com menos trabalho, a sua introducto para
as provincias deste imperio ser de muito valor
para todos os interessados na lavoura do paiz.
Assim com machinas em ponto grande do mes-
mo systema.oraql serem movidas por animaes,
agua ou vapor, pas uaes podem descansar 18 ar-
robas de algodao ampo por dia.
0 algodao descarocado per estas machinas tem
muito mais estimacao nos mercados de Europa e
vende-se por maiorpreco.
As machinas seacham venda unicamenie em
casa de
Siuimlers Brothers & C.
N. II, praea do Corno Santo
RECIFE.
Os nnicos agentes nesto paiz.
Fio de algodao da Babia em saceos de 100
libras.
Tem para vender Antonio Lniz de Oliveira Aze-
vedo & C-, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Vende-se a taberna da ra de Santa Bita n
33: a tratar na mesma.
\ovos enfeltes para senhora.
A aguia-branca acaba de receber um bello e va-
riado sorlimento de enfeites de diversas qualidades,
e o que de mais moderno possivel enrontrar-se
aqu, azendo-se notareis por suas novidade e ele-
gancia ttns, cuja grade de um fino e delirado te-
cido a que apropiadamente se chama nvisive!.
Assim, vista desse eomplelo sortimento, qualquer
cidado munido de dinheiro est habilitado a com-
pra-lds : na ra do Queimado, loja d'agul-branca
n. 8.
Bonitas nonecas.
Com rosto de cera, massa e porccllana.
Acha-se na loja d'aguia-branca roa do Queima-
do n. 8, um grande sortimento de bonecas de di-
versos tamanho*, com rosto de cera, massa e por-
cellana os pretendentes munidos de dinheiro
acharo boa disposico para os vender.
llotes de cornalina
e outras qualidades para coletes
A Aguia branca acaba de receber um novo o
variado sortimento daquelles apreciados botoes de
cornalina brancos e encamados, chatos e redon-
dos para coletes, cujas abotuaduras continuam a
ser vendidas r*lo commodo e ioalteravel preco de
25 cada urna.
Alm desses recebeu tambem cutios de madre-
perla, massa e osso, com di Serenes moldes para
o mesmo fim.
J se ve, pois, que o pretndeme munido do di.
nheiro achara sortimento vontade na ra do
Queimado loja d'Aguia branca n 8.
BU SIMIOS t CAIMMIAS
com perfumarlas.
Na ra do Queimado n. 8 loja d'Agua-Braoca, os
freguezes munidos de dinheiro encontraro, boni-
tos bausinhos cobertos de couro e com 6 frasqui-
nhos de extractos por IfSOO cada um, e outros
cobertos de papelo com 9 frasquinhos por 25000
um; caixiohas com 6 frasquinhos de ditos por
15000 urna, outras com 12 ditos por 25000 urna,
outras com 3 ditos, cuja coberta parece tartaruga,
a 15500 cada urna, e outras com pastilhas de chei-
ro a 500, 15000 c 25000.
Envelopes bordados e cartees com boi-
ras dooradaa.
Na loja da aguia branca, ra do Queimado n. 8,
achavam-se venda bonitos envolopes bordados e
carloes com beiras douradas, tendo de uns e de
outros, maiores e menores, proprios para partici-
pacoes de casamenlos, bailes etc.
Completo sortimento de Otas
Anas, Usas e lavradas.
A aguia branca recebeu um grande e completo
sortimento de fitas de diversas larguras e qualida-
des, tanto lisas como lavradas, e em todas ellas co-
nhece-se a superioridade da fazenda, notando-se
as lavradas o bom gosto dos novos e lindos dese-
nhos, isso lano as matisadas como as brancas,
e pea commodidade dos precos o pretndeme qu#
se dirigir munido de dinheiro ra do Queimadfr
loja da aguia branca n. 8, ser bem servido.
Capachos Inglczcs.
Na loja da aguia branca, rna do Queimado n 8
vendem-se bons capachos inglezes, os (aes afm
de bonitos sao de immensa duraco, po qur se
tornam baratos pelos precos de 45, 3* 65 "5
cada um. T
Cartas francezas
A aguia branca, na ra do Queim>o n. 8, rece-
beu um novo sortimento de finas caps francezas
com beiras douradas e brancas, e af est venden-
do baratamente a dinheiro vista. 7
SAPATOS DE BURRA/HA
a IgOOO, l500 e 3JOO o par
na ra do Queimado lojad'Agu/Branca n. 8.
talas com bama fina.
J por diversas vezes a ngutf branca tem rere-
bido dessa banha fina em latas e tal tem sido a
prompta e rpida exlracro dla, que nao tem da-
do lugar a aguia branca avisar a sua boa fregue-
zia, pelo que talvez a maior prle della s agora
saber da vinda dessa boa tanha. Ella vem em
latas de 1|2 e 1 libra, e contiia a ser vendida pe-
los baratsimos precos de 2 e :>5000. Apar da
superioridade da qaldade della esto os agrada-
veis e finos cheiros de rosa,ja>mim, laranja, bou-
quet, c flor de Italia. A bea freguezia assim scien-
te dirgir-se com dinhei-o ra do Queimado,
loja d'aguia branca n. 8.
Banha fina em copos de por-
celana dotirada com ins-
cripcoes.
j:i iiem condecida pela boa freguezia d'aguia
t branca a superioridade da banha que vem nos co-
' pos de porcelana dourada com maviosas e jocose-
I rias inscripres, as quaes agora vieram de novo
gosto, pelo que essa lina banha pode anda ser
|mais conheciila |ur aquellcs que quizerem fazer
I um bom presente, com tanto que comparegam mu-
j nulos de dinheiro na ra do Queimado, loja d'aguia
j qranca n. 8.
Vende-se alpaca prela a 300 rs. o covado.
Vende-se alpaca preta para vestidos a 500, 600,
700 e 800 rs., lina de cordao a 800 rs. para pale-
tot, princeza preta a 800 e 640 o covado, bombazi-
. na preta lina a 15400 o covado, lazinhas preta
I para senhora que esto de luto a 720 o covado :
I na ra da Imperatriz n. 56. A loja esl aberta at
i s (I horas da noite.___________________________
No armazem de fazendas baratas le
Santos i oelho, ra do Queimado, n.
19, yende-seo seguinte
Atlencao.
I.azinhas.
Bicas lazinhas para vestido, fazenda a melhor
que tem viudo ao mercado, tanto em gosto como
em qualidade da fazenda, pelo baratissimo preco
de 560 rs. o covado.
Lazinhas tiiiudinhas carmezins, proprias para
veslidos de meninas, e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de laa cun lo covados pelo baratissimo
preco de 65-
Cobertas de chita da India pelo baratissimo preco
de 25500.
Leeros de panno de linho a 25-
Lencoes de bramante de linhe fino pelo baratissimo
prego de 35200.
Bramante de linho fino com 10 palmos de largura
pelo baratissimo preco de 25500 a vara.
Atoalhado adamascado proprio para toalhademesa
, a 25000 a vara.
| Cambraia de forro a 25600 e 35200.
Guardanapos adamascados a 35800 a duzia.
Toalhas alcochoadas proprias para roaos a 55 a
djzia.
Cortes de caiga de ganga amarella de listras e
delquadros, pelo baratissimo prego de 15200 o
arte.
Cambraia adamascada com 20 varas, propria
para cortinado, pelo baratissimo prego de lOjOOO
a pega.
Bicos cortes de la Hara Pia pelo baratissimo
prego de 185-
Pegas de cambraia de salpicos com 8 1|2 varas
pelo baratissimo prego de 45.
Pegas de platilha de algodao com 10 varas, pro-
pria para saia a 45200.
Esteiras da India, proprias para forro de sala,
de 4,5 e 6 palmos de largura, por menos prego do
que em outra qualquer parte.
Neste armazem tambem se encontrar um gran-
de sortimento de roupas feilas, e por medida.
Aitcnco
Vende-se o engenho Soccorro, na freguezia de
Santo Amaro de Jaboato, silo margem da estra-
da da Victoria, distante 6,800 bracas da cidade do
Becife, com boa casa de vivenda, senzala e casas
de moenda, caldeira, distilaco e estribara, tado
de pedra e cal, em bom estado, sendo o cercado o
melhor que se conhece na freguezia, com trras
para safrejar 1,500 pies de assucar, e proporgdes
para ser transformado em moenda de agua por ser
bandado por detraz pelo famoso rio Jaboato, o
pela frente pelo riacho Mogaiba. Tambem se ven-
dem alguns escravos, bois, animaes de roda, com
os mais utensis proprios ao fabrico de assucar :
os pretendentes poderlo entender-se no engenho
coma viuva e herdeiros.
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Ba
deaus. diferentes qualidades, mais barato
qualquer parte : no armazem de E. A.
C., ra da Cruz n. 48.________________________
Vende-se urna casa terrea sita na rna do-
Jasmim, freguezia da Boa-Vista : na ra do Ale-
crim n. 10.
i
l



Diarlo de Pcrnaanbueu Quarfa felra S 3 de Julo de 18*4.
i
I
I:
Grande liquida$to
1 de faiendas na Ioja do Pavo, ra da Imperalrix i.
. 60, de Gama & Silva.
AcOa-se este estabelecinieato completamente sor-
dode fazendas nglezas, francezas, allemaes e
uiseas, proprias tanto para a praca pomo para o
nato, prometiendo vender-ge mais barato do qne
em outra qualquer parte principalmente sondo em
poreio e de todas as faiendas dlo-se as amostras
deixando flear penhor ou mandam-se levar em ca-
sa peles eaueiros da loja do- Pavo.
As chitas d Pav3t.
Vendem-se superiores chitas claras e escuras pe-
lo barato preco de 2i0 e 880 rs. seado tintas sigu-
as, ditas francezas finas a 380, 340, 360, 400 e
500 rs., o covado, ditas pretas largas e estreitas,
riscados escomes finos a 840 rs. o covado, isto na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva. I*-*
As cassas do favo a 240, 280, 300 e 320 rs.
Vendem-se finissimas cassas persianas cores fl-
xas a 380 rs. o covado, ditas francezas muito finas
a 240 e 280 is-, ditas ingieras a 240 e 280 rs. o
|covado, tinis-imo organdy matisado com desenhos
miudinhos.'320 rs. o covado, cassas garibaldinas
muito fioa> > 80 rs., isto na loja do Pavo ra da
1 "in-ratn *>> de Gama 4 Silva.
lazinhas da exposifo do Pavo.
n-se as mais modernas laazinbas mossan-
icgadas pelo ultime vapor francez sendo
s cor ou de listas miudinhas com 4 pal
largura, proprias para vestido de senhora,
., para meninos e capas, e pelo baratissimo
prec de 530 rs. o covado, ditas entestadas trans-
parete's de quadriuhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
v.i.ldita.- matisadas muito finas a 500 e 400 rs.,
ditasmais baratas do que chita tambem matisadas
a 33 rs. o covado, ditas a Mara Pa com palma
de sda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e das de urna s cor parda, azul, cor de lyrio e
perai proprias para vestidos, sautembarques e
aribildes a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
800 e 400 rs isto s na ioja do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os chales do Pavo.
Vendem-se finos chales de crepon estampados
pelo barato preco de 6$, 75, 8$, ditos de ponta re-
donda a 75 e 8*, ditos pretos ricamente bordados
a retroz comvidrilbo a 125, ditos pretos lisos a
54, ditos de cores a W500e 55, ditos de merm
estampados a 8J> e 35, ditos de laa a 15880 e 85.
i ditos de retroz preto para luto a 65, isto na loja
do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
/Silva.
0 Pavo vende para luto.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de la sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
pno para vestidos, paletols, capas etc., pelo bara-
to preco de 85, 85800, 85500 o covado, cassas
pretas lisas, chitas pretas largas e estreitas, chales
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
comgollinhas eoutros muitos artigos que se ven-
dem por precos razoaveis : na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
camente bordados a veludo pelo barato preco de
405, sendo fazenda que sempre se veudeu a 1005
e i05 ; ditos de cambraia brancos ricamente bor-
dados a croch, sendo proprios para baile e casa-
mento a 10, 15, 20 e 305; ditos de laa com lindas
: barras a 18 e 155 ; iste na loja do Pavao ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Pavo.
Vende-se panno preto muito superior pelo barato
preco de 25, 25500,35 e 3500, ditos muito finos a
45, 55 e 65, cortes de casemira prcta entestada a
45, 45500 e 65, casemira preta fina de urna s
largura muito lina a 15800, 25, 25500 e 35, cor-
tes de casemira de cor a 55, 55500 e 65, casemi-
ras entestadas de urna s cor proprias para calcha,
paletots, colletes, capas para senhora, roupas para
meninos a 35 e 3JJ500 o covado, isto na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A ronpa do l'avo.
Vendem-se paletots de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muito boa a 125, ditos muito finos a
\ 165. 20, 255 e 305, calcas de casemira preta boa
| fazenda a 45500,55, 65, 75 e 85, paletots saceos
de panno preto a 75, ditos de casemira de cor a
! 65 e 75, ditos de alpaca preta, ditos de merm
preto, ditos de brim de cores, calcas de casemira
de cor a 45, 55,65, 75, ditos de casemira da
Escossia a 35, ditos de brim pardo a 2550", ditos
de cor a 35 e 35500, ditos brancos muito finos,
sto na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Os cortinados lo pavo.
Vendem-se ricos cortinados proprios para janel-
la e camas pelo barato preco de 95 o par, sendo o
melhor que ha no mercado : na ra da Imperatriz
D. 60, de Gama & Silva.
As colchas do Pavo.
Vendem-se colchas de linho alcochoada= pro-
prias para cama pelo barato preco de 5-5 cada nina
na roa da imperatriz n. 60, de Gama k Silva
As precalas do Pavao.
Vendem-se as mais lindas precalas que tcm viu-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor fran-
cez, pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas
de listrinha muito miudinhas proprias para vestidos
e roupas de meninos e meninas pelo birato proco
de 500 rs. s o Pavo ra da Imperatriz n. 60,
loja de Gama & Silva.
Os souteanbar|cs do Pavo
lO$ c i s o Pavo.
Vendem-se os mais lindos gouteanbarqaes que
' jem vindo ltimamente de lazinha e caxemira ri-
camente bordados e enfeitados, cores muito delica-
das pelo barato prego de 105 e 155 ; fozenda osla
que em outras tojas se vendem por 205 e 2o5,
s para liquidar : na loja e armazem do Pavao a
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
As chitas do Pavo S0-IOO e
800 o corte.
Vendem-se cortes de chita com doze covados
cada corle, ditos com dez covados a 25400, fazen-
da muito boa, e que nao desbota, s na loja do Pa-
vo tem esta pechincha ; a ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
I,as de urna s cor.
Vendem-se laazinbas de urna s cor, sendo en-
carnada, azul, cinzenla, cor de caf, lirio claro, li-
rio roxo cor de pcrola pelo baratissimo p/eco de
640 o covado, fazenda muito fina s o Pavao, ra
da Imperatriz n. 60 loja e armazem de Gama 4
Silva.
Panno de linho.
Vendc-sc panno de linho com 4 palmos de lar-
cura proprio para lences, toalhas e ceroulas pelo
barato preco de 640 rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 25500, algodozinho
monstro com 8 palmos de largura a 15, pecas de
Hamburgo com 20 varas a 95, 15 e 115, pecas de
madapolo fino a 75500, 85, 95 e 105, ditas de
algodozinho a 65, 65500 e 75, e outras muitas
fazendas brancas qne se veidem muito baratas
atim de apurar dinheiro : na loja do Pavao ra da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
O bramante do Pavo eom doze
palmes de largura.
Vende-se bramante de linho puro, muito fino com
doze palmos.de largura o melhor e mais largo que
tem vindo ao mercado pelo barato preco de 25800
rs.a vara ; s na loja do Pavao de Gama & Silva,
aua da Imperatriz n. 60.
As precalas do Pavao.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
nelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas de lis-
trinha muito miudinhas proprias para vestidos e
roupas de meninos e meninas pelo barato preco
de 500 rs.: s o Pavo ra da Imperatriz n. oO,
loje de Gama & Silva.
Os bales do Pavlo.
Vendem-se crinolinas ou baldes de 30 arcos tan-
brancos como de cOres, sendo americanos que
sao os melhores por se nao quebraren a J5o00 e
de 35 arcos a 45, ditos de musselina cono., babadas
45 ditos para menina a 85 e 35: na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
0 Pavao vende 8.
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos a
Maria Pa, com lindas barpas de seda, sendo che-
gados pelo ultimo vapor francez pelo barato preco
de 85 cada um : s na loja do Pavo ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os bales do Pavo.
A 2,5300 s PavSo.
Vende-se baldes com 80, 25 e 30 arcos pelo ba-
ratieeimo preco de 25500, assim como tem um
completo sortimento de bales para meninas da to-
dos os umanhos pelo baratissimo prego de 25500,
notando ue sao bales de arcos os melhores que
em vindoda America Ingleza, vendem-se por este
diwh liquidar: s na ioja e armazem do
avo x.na da Imperatriz o. 60, de fiaou & Silva.
ESPLENDIDO SORTIMENTO DE MOLHADOS
ff. 9 RA DO CRESPO 1%. 9
Esquira que volU para a roa do Imperador
DE
___fe ^W&%
(A'o se engaen! com a mitra)

AMIGOS!
NSo leiam esle annuncio com precipitaco.
Confrontem os precos dos oulros annonciarites.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
A vista faz f.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao nos enculcamos o primeiro recebedor de conta propria.
Nao desacreditamos ao collega porque nao quiz ser nosso socio.
Val a que ni toca.
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia ainda nao sao suficien-
tes as casas qoe actualmente oxistem abenas com grandes proporces para terem um
magnifico sortimenlo de molhados ; assim, pois, os prepnetanos do Armazem Principal
nao invejam a sorte dos seos collegas.
Habitantes de Pernambuco.
Nos temos um excellente sortimento dos melhores gneros que se pode acbar
em nosso mercado. Vinde ao nosso estabelecimento, e se a vossa boa fe for lludida
urna so vez ao menos, castigai-nos nao voltando mais a nossa casa.
Amendoas confeitadas de bonitas cores a dem de Hollanda em garrafes com 24
i,ooo rs. a libra. garrafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
Avellas a 2oo rs. a libra. zados a 2oors. a libra.
Ameixas francezas em caixinbas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a l,2oo, I,4oo e l,6oo rs. cada I 800 e l.ooo rs. as garrafas grandes.
oma. Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e
dem em frasco de vidro com rolha do mes-1 96o rs. a libra.
mo ou de metal, a l,2oo e 44oo rs. ca- dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
da um. a libra, e 56o rs. em barris inteiros.
dem em frasco grandes 2,5oors. cada um. Marmelada especial dos melhores fabricantes
dem em latas de i */ e 3 libras a l,2oo e
2,ooo rs.
de Lisboa a 6oo e 64o rs. a libra,ha latas
de differentes tamanhos.
Arroz da India e Maranho o melhor que se Massa de tomate em latas de 1 libra 56o rs.
ple desejara loo e 12o rs. a libra e
2,8oo e 3,4oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa,
e 4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a Ooo rs. cada urna, e lo,ooo rs. a
caixa com 1 duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o a libra, e 4,6oo rs. a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: aguae
sal doces, e imperiaes em latas de 6 li-
bras a 3,ooo rs. e de 3 */j libras a I,5oo
rs. eem libra a 64ors., estas bolachinhas
torna-se muito recommendavel com es-
pecialidade para os doentes.
Biscoilos e Bolachinhas de soda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a l,3oo rs. a lata.
Bollos francezes em cartes e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em b3nil a 38o rs.
Batatas novas a 160 rs. a libra.
Bolachinhas nglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,000 rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem vindo a nosso mercado a
i8,ooo rs. o gigo, I.oo rs. a garrafa in-
teira, e 800 rs. as meias
Cha uxim o melhor que se pode desejar e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs- a libra
dem perola especial qnalidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garanle-sc a qualidade
d'este cha
dem hysson o melhor que possivel en-
contrar-se a 2.4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Bio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2oo e I,4oo rs. a libra.
dem preto muito lino a 1,60o rs. a libra
Chocolate das melhores quididades, francez,
hespanhol e suisso a i,000, l.Soo e 1,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos l'ur-
tado de Simas em j caixas das segua-
les marcas Parizences, Suspiros, Dili-
cias, Napoleoese Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna,
m de outros muitos fabricantes e de
cada urna,
dem para soda estrelinba, pevide e rodinha
em caixinbas surtidas a 3,ooo e 3,5oo rs.
cada urna e 5oo rs. a libra,
dem macarrao, talerim e aletria a loo rs.
a libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um.
Mollio inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro 64o rs. cada urna.
Marrasquino verdadeiro de Zara a l.ooors.
a garrafa, Io,ooo rs. a caixa com ^ duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Prezunto de fiambre superior a 600 rs.
dem do Porlo para panella a o'oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savcl, corvina, govas, pescadinbae
outros a d.ooo rs. a latas.
Palitos para dentes a lio e 16o rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo c limpo a 16o rs. a libra.
e 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2, loo rs. a groza, 2oo rs. a
duzia, e 2o rs. a caixinbas.
Queijos Qamengos chegados neste ultimo va-
por, a
dem prato muito fresco a 800 e Ooo rs.
a libra.
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
O
SENTIDO!
'

.
11
VAI FALLAR
K 38 Ra do Livramento N. 38
(Defronte da grade da igreja)
GRANHE
0 Vigilante est alerta, nao Ihe era permettido
ilmar passar desapercebido sem qne nao dsse o
seu canto atirn de annnnciar ao respeitavel publico
o grande sortimento degalantarias do melhor gosto
propiamente para qualqner mimo, que acaba de
chegar neste ultimo paquete, assim como muitos
ootros'objectos qne recebe por diversos navios,
tanto de sua conta como tle consignacSo, que est
resolvido a vender por precos muito baratos para
vender muito e ganhar pouco, e dar extraeco ao
grande deposito que tem, que espera merecer a
proteceo do respeitavel publico, empregando para
isso todas e as melhores diligencias para que fi-
3uem satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, ra
o Crespo n. 7.
Ricas porta-joias.
Cofre de muito gosto por 1C5000
Cestinhas transparentes, forradas de madre-
perola por 185000
Lindas jardineiras 10|QOO
Ricos cofres com camapheu 104000
Lindas caixinhas com pedras brancas OJOOO
Lindo bal fio com calunga dentro tambem
para joias 16,3000
Tambalier para ditas 9,3000
Cestinhas dem idem 6000
Cosmorama idem idem 6000
Urnazinha 6000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sintos
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e 155, ditos sern
bol?a, porm do mesmo gosto, a 25300, 35, 35300
e 45, ricas flvelas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 15500, 25, 25300 e 35 :
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes on cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 25300, 35500, 4, 5, 7 e 105 : s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, unto
para alisar como para atar cabello, o mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sem elle para meninas: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Pentes
Tambem chegaram os riquissimos pentes de
concha de tartaruga e de massa fina, que se vende
por 25, 3 e 35 : s no Vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Lcqnes.
Riquissimos leques de madreperola, tanto para
senhora como para mocinhas, pelo barato preco de
12 e 145 s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Mais leques.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ba-
rato pre<;o, a 85 e 105, emnezes, muito bonitos,
tambem'por barato prego de 4 e 55, bentaraljas
muito bonitas tambem por barato preco de 4 e 35,
VERDADEIRO E PRINCIPAD
Ordem do dia.
Est em disenssao a tabella dos precos que o BALIZA tem a honra de offere-
cer ao respeitavel publico tanto da cidade cono do centro.
Se por esta publicaca qualquer um dos nobres collegas entender necessario
fazer alguma alteracio em seus annuncios, digne-se mandar a sua emenda para o jornal,
que o incansavel Baliza nao lite pora peias nein o embancara de forma alguma a benefi-
ciar o povo.
Amigo de vender barato o Baliza nao expe a venda seno os gneros bons.
Elle se julga no caso de vender Uto mdicamente como outro nao o exceder
Soldado soprador toma o clarim
E firme como a rocha fica assim
Nao toques nesse pes'simo instrumento
Do Balisa olha s o movimento.
V. t qne dos mitrados tcns as cor das
De tildo vendedor de propria conta
Xo pasmes vendo como sobrancelro
Do regresso o Balisa a ira affronta.
0 grande depesiio que temos de vinho nos obliga a abaixar seus precos,
achando-se vista dos compradores cera de 35 a 40 pipas deste genero, entre pipas,
barris e ancoretas.
Amendoas confeitadas em lindos frascos a 800 i Liogoas americanas muito novas e mu ito gran-
rs a ,nra des a I.ooo rs. cada urna,
dem com casca a 32o rs. a libra. | Lingoicas promptasem latas al,5oocada Irla.
rafa.
Sal refinado em potes de vidro a Soo rs. ca-
da um.
Serveja das melhores marcas a C.ooo rs. a
duzia, e .*i(io rs. a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e
moia latas a 3Ho "180 rs. cada nma.
Sag mnito novo calvo a 2io rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevadaa loo rs. a libra, e 2,800 rs. a arroba.
Traques de 1.a qualidade a 8,000 rs. a cai-
xa, e22o rs. a caita.
Toucinho novo de Lisboa a 24o e 32o rs. a
libra.
Tijollo paralimpar facas a loo rs. cada um.
Id.:
differentes marcas para I,5oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a -l,Gop, 2,ooo e
3,000 rs. as caixas inteiras.
Conservas nglezas a 800 rs. o frasco,
dem franceza a oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a l,ooo
rs. a garrafa e lo,ooo rs. a duzia.
dem francez suporior qualidade 800 rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a Coo rs. a libra.
Canella a I.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Bio superior a 28o e 32o rs. a li-
bra, e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce ffho de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas ltimamente cheg^adas
a 7oo rs. a lata,
dem seccas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinbas muito bem enfeitadas a
a l,ooo rs. cada urna,
dem em latas ermilicamente lacradas a
t,5oo e 2,5oo rs. cada urna,
dem em caixas de */i arroba a 2,5co rs. ca-
da urna, e2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e I.ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 56o rs. o frasco,
dem de laranja a l,ooo rs. os frascos gran-
des e ll.ooo rs. a caixa com 12 frascos,
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da urna,
dem em garrafes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com a garrafo.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs. a garrafa,
dem"do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conbecidas a 400 rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada,
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa,
dem Lavradio mnito fresco nlo levando com-
posico a Go rs. a garrafa, e 4,ooo rs. a
caada,
dem branco de uva pura a 56o rs. a gar-
rafa, e 4,5oo rs. a caada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
rs. a caada.
dem Bsrdeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a \ ,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d pre-
juizo e s se encentra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu-
lar, malvasio fino, D. Pedro V, D. Luiz
I, Nctar e outros a 9,ooo e \0,000 rs.
a caixa e 9oo a 1.000 rs. a garrafa,
dem Muscalel superior a l.ooors. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oo rs. a caada,
dem em garrafes com 5 garrafas a l,ooo
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna
dem de escora-para esfregar casa 36o rs.
cada urna.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composico a
36o rs. a libra, e de lo,ooo a ll,ooo rs. a
arroba.
loques de charlo tambem por 5, tudo isto para dem idem em barril a GiO t'S. a
acabar, perdendo-se tnlvez 80 00 : s no Vigilan-
te, ra do Crespo n- 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de contas e de tnissanga, cores
muito lindas e de muito gosto a 15 e 15-00.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas cstreitinhas de
borracha que as senhoras tanto precisan) para se-
gurar os manguitos por ser muito commodo e mui-
to barato, a :tO o par: s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Canelas.
Riquissimas carretas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baratissimo preco de
15300 e 25.
YoUiuhas.
Lindas voltinhas de porolas falsas com cruzinhas
Rngindo brilbantes, assim como cruzinhas avulsas
e voltinhas, pelo barato preco de 15 e 15200, as
cruzes avulsas a 400 rs. : s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Sapalinhos c meias de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como mciasziuhas de feda, gorra-
zinhas e touquinhas para as criancinbas se bapli-
sarem : s no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Colindas.
Riquissimas goiinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25500 c 35: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeites para srnliora.
Riquissimos enfeltes com laco e sem laco e de
outros muitos gostos a 15, 15500 e 35 : s no Vi-
gialnte, ra do Crespo n. 7.
Traneclins.
Lindos (rancelins de cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo prejo de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinlios eolremeies.
Riquissimos babadinhos eniremeiog com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
pre^o de 15200, 15500, 25 c 35 : no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Osearrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como gal.lozinho e trancinhas pro-
prias para eufeiles : s no Vigilante, ra do Cres-
po n. 7.
Fitas.
Grande sortimento de fitas de diversas larguras
e qualidade, por procos que admiram aos compra-
dores, havendo filas 'largas proprias para sinteiros
e peca de 3
dem franceza a 56o, Goo c 64o rs. e emb?r-
Azeitc doce refinado a 8oo o loo rs. a gar- ril por menos.
Massa de tomate a 64o rs. a libra,
garrafa elMarmelda dos melhores fabricantes a 6io
a libra.
(inba.
Mostarda preparada a -loo e 64o rs. o franco.
Massas para sopa a4oors. a libra das de la-
lhatini, aletria e macarrao.
dem linas eslrellinha e pevide a 3,ooo rs. a
caixa.
Milho miudo para passaros a 16o rs. a 1 i ra
c ',8oo a arroba.
Marrasquino de zara do verdadeiro a I,"eco
f Qr\(t i-e O Pimfl'l I **
Ancoras com vinho do Porto, encommenda Mlliosinglezes ai4oo e
feita pelo proprietario do Baliza a 3o,ooo
rs. a ncora com 7o garrafas.
Bolaxinhas de Lisboa, ingleza e americanas
em latas a i .too, l,5oo, 2,ooo c 3,000 rs.
e americanas em barricas a 3,ooo rs. a
barrica.
Banha de porco a 4oo rs. a libra e em barril,
a 36o rs.
Batatas em gigos a I,5ooo gigo.
Cha perola a 3,000 rs. a libra.
dem uxim a 2,6oo e 2,8oo a lihra.
dem hysson a 2,ooo, 2,4oo o 2,8oo. a hora.
dem do Rio a l,Coo rs. a libia,
dem preto a 1.5uo c 2,ooo rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
e Bio de Janeiro a 8oo rs. e I,Soo, 2,000,
2,4oo, 3,coo, 3,5oo, i.Soo e 3,oco rs. o
cento.
Chocolate dos melhores fabricantes de rans,
Allemanha, Hamburgo e Lisboa
nos lapidados para vinho a 2,8oo a duzia.
superior a 8oo e l/oo ts. o
C<
5,ooe 0,ooo
AGENCIA
FNDIGiO DE 10W-M00B.
Ra da Senzalla nova n. 12.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moradas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas par
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston C
ra da Senzalla Nova a. 42.
Empreza dailluminacao
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamagoes
(por eseripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem da ra do Imperador
n. 31. Os machinistas mandados para altender a
estas, apresentaro um livro que os reclamantes
deverao assiguar logo depois de proropto o rrieo
te attendidos. ._.________
que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca dt
varas a 25 : s no Vigilante, ra do Crespo n.
Fitas de la.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias para
debrum de vestido a 700 rs. a peca : s no Vigi-
lante, ra do Crespo n. 7.
Ricos espelhos,
Riquissimos espelhos com moldura dourada e
sem ella de 85, 10,12 e 145, assim como coa co-
lumnas de differentes tamanhos a 25, 3, 4, 5 e 65:
s no Vigilante.rua do Crespo n. 7.
Lindos Jarros c Uguras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui
tem apparecido : s no Vigilante.
Vara pos de arroz.
Riquissimos vasos com boneca para pos de ar-
roz, cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim co-
mo pacotes s com os pos a 320 rs. cada um : so
no Vig lante, ra do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimento de extractos e bantias, poma-
das, assim como os lindos copos eu vasos com dis-
tinctivos e oferecimentos as sinhazinhas, dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Ingla-
terra, assim como os grandes copos deJjanha japo-
neza a 25 e a 15 ; assim como outros objectos que
nao possivel por hoje annunciar, e vista dos
freguezesse far todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Trina, volantes e gales.
Vende-se trina, volantes e' galfies ,0^5? **
larguras por precos muito barato: so no sigilante
ra do Crespo n. 7. ^^^^^^
dem idem para agua a o,ooo
rs. a duzia.
Ceneja das melhores marcas a 'i.ooo, 5,000
e 6,ooo rs. a duzia.
Cravo canella e cominhos.
Ceblas em mullios resleas e soltas.
Conservas nglezas a Soo, Ooo e 1,000 rs. o
frasco.
Dittas francezas a 5oo c 6o rs. o frasco.
Cognac ingle/, e francez a I,ooo rs. a garrafa.
Caf de 1.a, -1 3 a qualidade a 85oo !?,ooo
e ),5oo rs.
Cevadinha de Franca a 24o rs. a libra.
Champagne de muito boa qualidade a I2,ooo
c 2o,ooo rs. a duzia.
Doces da casca da goiaba em latas preparadas
com muito aceio, propria para memozar
algum amigo na Europa, por ser maliera-
vel por mais de um anno, a 3,ooo rs. a lata
com 7 libras.
Ditt'os em caixoes a 56o, 64o, 8oo
rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas em latas com
bras por 7oo rs.
dem francezas em latas a 5oo rs.
dem seccas a 2oo rs. a libra.
Espermacete americano primeira qualidade a
1.2oo rs. a libra,
dem francez a 56o rs. a libra, c em caixas
a 52o rs.
Farinha d'araruta verdadeira a 18o rs. a libra.
Farinha de trigo a 12o, 14o e 16o rs a libra.
Farinha de milho a t6o rs. a lihra.
Figos em caixinhas e em latas lindanmente
enfeitadas a 800 e i,5oo cada um.
Fumo americano em latas para cigarros a
l,8oq rs.
dem em pacotes a 2oo rs.
dem em pasta a l,2oo rs. a libra.
Genebra de laranja a l.ooo rs. o frasco,
dem ingleza marca Gato a 1,00o rs. a garrafa,
dem de Hollanda a 64o e i,Goors. o irasco
pequeo e.grande.g6ors_ofi.ascoe6)000
C 1,000
1 Vi i-
Sal de Assti
Vende Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
no eu escriptoriotrua da Cruz n I.
& C,
-------Ra^nTsezlla Vova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: techas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Lo*
Moor libra a 120 rs.
Sebo do Porto
Para os fabricantes de reas.
Vende-se sebo do Porto de superior qualidade
em caixas de urna arroba especial para velas de
composico : na ra do Vigario n. 26.
frasco.
dem menos
frasco.
Nozes a 24o rs, a libra.
Prezunto porluguez de superior qtialidsde a
Oio rs. a lihra e inleiro por 000 rs.
dem ingle/, para fiambre a 61o rs.a libra,
nli 1 agradando mesmo depois de preparado,
pi di.;', ser devolvido, que se trocar cor
ouljo ou ser restituido seu imperte.
Passas novas a loo rs. a libra.
Polvo a 16o rs. a libra.
Painco a 16o rs. a libra.
Pomada a 24o rs a duzia.
Pimenta do reino a 36o rs. a libra.
Peras seccas a 64o rs. a libra.
Peixe em latas a 1,000 rs. a lata.
Papel almassoe de peso, de diversas qua-
lidades e procos deferentes.
Paulos do gaz a 2.2oo a groza.
dem para denles a 8o, lo e 24o rs. o ma-
ro com vinte macinhos.
Gueijos flamengosa 2,oo, do ultimo vapor.
dem prato a 64o rs. a libra.
dem londrino a 800 rs. a libra.
Rap Meuron a l.ooo rs. a libra.
Sevadinha a 24o rs. a libra, (nova).
Sa a 28o rs. a lihra.
Sardinhas de Nantes a 64o, 56o e 36o rs. a
lata.
Sabao massa a 12o, 19o, 2oo e 24o rs. a li-
bra,
e em eaixos por muito menos.
Sai retinada a 600 rs. o pote de vidro.
Toucinho de Lisboa, de Santos c americana
a lo. 2'to e 32o rs. a libra, e em ai roba
a 5,ooo, 7,coo e 0,ooo rs.
Tijollo para limpar facas a 16o rs. cada um.
Vinho do PoPto em caadas a 3,5oo, 4.eoo o
5,000 rs. e em ancoras com 7o garrafas por
3o.000 rs.
dem de Lisboa sem confeiceo, (de encomen-
da) por So.ooo rs. o barril com 17 cana-
das.
dem de Lisboa mais baixo a 48,000 rs.
dem em pipas a 3,000, 3,5oo e 4,ooo rs. a
caada,
dem em barril de, Bordeaux com 13o pv-
Idem de Hamburgo, a
rs. a frasquena
firxa'em latas a l,2oo rs. a duzia.
Limonadas de diversas fructasa l,ooo rs. a
carrafa.
Licores, inglezes e francezes a l.ooo, l.ooo
e 2,ooo rs. garrafas grandes e pequeas
rafas por 5o ,00o rs.
dem idem de Bordeaux com /O garrafas por
dem'emcaixas por 5,ooo rs a caixa com 12
garrafas da melhor qualidade que vem ao
nosso mercado. ,..,_.
Vinho branco para missa de Lisboa c Porto
em pipa, barril e ancoras a 4,ooo e 5.uoo
rs. a caada.
Vinagre de Lisboa, Porto, tinto e branco a
l,6ooe 2,ooo rs. a caada
dem em ancoras por 16,000 rs.
Velas eslearlinas a 56o rs. o maco, e em cai-
xas a 52o rs.
Vassouras americanas a 64o rs. urna.
Grande pccluiicha,
Vende-se a 85 a peca de panno de linho puro e
limpo com 23 varas cada urna : na roa da Impera-
triz n. 20.
~ Vende-se urna caixa de ferros de engommar,
vindos ltimamente de Franca, urna cama de ca-
sal, e troca-se urna imagem da Conceicao, tudo isso
do urna familia que se retira para lora da provin-
cia : na ra da Gloria n. 60 ss dir quem vende
esses objectos.
A4$000apeca.
Vendem-se pecas de algodozinho com pequeo t
toque de avartt, proprio para roupa de escravos e
toalhas, pelo barato prec,o de 45 a peca : ra do
Queimado n. 14.
Vende-se o sitio da travs* dos Remedios,
freguezia dos Afogados n. 21, no estado em que se
acha : quem o pretender, entenda-se com o seu
proprietario Caelano Pinto de Voras, na ra de b.
Francisco, sobrado n. lO.como quem vai para a ra
Belle
MUTILADO

>>mi


Miarlo de Feraasfeneo Qnartfa elra 9 de Julho de 1B-I.
POR MENOS DE 20 A 30 POR (MU
di
GRANDE ALLIANCA
23-Largo do Ter(?o-23.
Joaquira Simio dos Sanios, dono deste armaiera de molhados, tem feito una grande vantagem
a quem seu armaiera tcru frf|uentado, liquidou todos o seus ganaros raais aolgos que tinha nao s
"fl "mazetn como forae tendo feito urna grande reforma neste estabelerimento tanto em tamanha vantaffens efftrece aODUblicu
como era gneros que mandn vir por sua propria ancoramenda a maior parte, que os pode vender por puwiw.
menos de que qualquer annunciante, para isso se responsabiliza pela superior qualidade.
Atten$fc& i
Batatas as mais novas a l^iOO a arroba e 30 rs. a Queijos do vapor a ffMO.
_ ''^ra- I Vinho de Figueira, marea JAA a 300 rs a trar-
Toucinho de Lisboa novo a 280 rs. a libra e 8i001 rafa. rs Bar
_ i"*?. Di de Lisboa a 400 rs.
Gaf do Rio de primejra e segunda sorte a 280 e, Dito de outros paizes a 360 rs.
Dito para eegoeio a 320 rs. a garrafa e em caada
se faz aliatmiento.
Genebra de Hoilaada en frasqueiras a 65000 e 500'
rs. o frasco,
dem em nwtijas de conta a 400 rs.
Azeifff decedc Lisboa fino a 600 rs. a garrafa.
Dito de carrapato a 320 rs. a garrafa.
a libra, e 540 em
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Paulo Ferrefra da Sika & Compartida
Grande sortimeno de molhados em grosso e a retalio. nico armazcm aue mais
nem-se todos.
NEM COROAS NEM MITRAS
o

GRANDE
300 rs. a libra e 8#500 a arroba.
Arroz pilado a 80 c 100 rs. a libra e 2*300 e 2*3001
a arroba.
Sardinha de Nanfes novas a 320 rs. cada urna.
Sable massa superior a 180 e 220 rs. a libra.
Passas as mais novas deste genero a 400 rs. a libra
Ameixas franceza* com I e meia libras a 1*.
Bolachinhas inglezas novas a 240 rs. a libra.
:hl^Ut2i^^dj"^saLmY.fas?.superior'laalidade Man,eH? ffanceza a 560 rs.
de IfwO, l*o, 25, 3 e 43. a barril.


K A Ufanea o verdadeiro hornera do progressso.
K o Alllanca o verdadeiro e principal armazem de molhados.
5 o Alllanca o armazem que rende mais barato.
B o Alllanca o armazem que vende os melhores gneros.
K Alllanca o armazem onde preside o melhor aceio.
Fiqoem todos sabedores desta verdade,
Venham todos ra do Imperador n. S7.
Venliam ver os gneros que temos expostos a venda.

PARA AS FESTAS
DE
Massa de tomate em latas de libra a 600 rs. cada ^ re-
urna.
libra, e era caixa a 520.
Velas de carnauba a 11* a arroba e 360 a libra.
attt&zs&SFn-a i-: c^.ing,ezas'francezas e por,uguezas a m
Alm destes generas ha outros muitos que eufadonho seria mencinalos
er nhav.
S. JOtO E S. PEDRO.
de bonitas cor IfJem de Hollanda em garrafes com 24 gar-
rafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
DE


RIJA DO IMPERADOR \. 41
Junto a o srorado em qae mera Sr. Osoome
Para a festa de Santo Antonio, S. Jofto e S.
Pedro.
finarte Almelda A C, receberaM de sua propria cmoanm.i
sortimeno de olEtaTOTJH
da presente estac9o.
Manteiga ingleza
Ma^as brancas
nova vinda neste vapor de 28 de [para sopa a melhor qoe se"de
Quem duvidar re-
confeitadas
libra.
Sl ^SCa maito.noTa a 3oo rs. a libra. Lentiihas ceeote m! paVTsopa e gui-
Avelaas a 2oo rs. a libra. zados a 2oo rs. a libra. *
Licores francezes de todas as qualidades a
INJECTION BROU
perfumera mdico-hygimca
De J.-P. LAROZE, Qumico, Finneic* de la Imeb especial it Tuk
Estos productos son el resultado de la aplicacin de las leyes de la higiene i la per-
fumera que se eleva y convierte en farmacia de labelleza.encargada de atender labi-
giene de cutis, cabellos y dientes, que todosson rganos tan importantes: sirven para evi-
tar y destruir las causas de las enfermedades qne su hermana primognita, la farmacia
propiamente dicha, est llamada curar. '"nMe,m
aou* LUBTHAX., pan conserrir j embellecer k*
cabellos, fortificando sus raice ; el frasco Ptr.
Acarre de avellanas fertcmado, pan re-
mediar i la sequedad j atona de los cabellos; el
fraseo.........., J fr.
vwacrb de tocador SDFERnxo, renom-
brado por su suaridad y accin refrescante; el
fiasco.............I fr
COLD cream SUPERIOR, para cooserrar el culis
Wne, fresco, dauo, y eritar las conaecnentias
de! aso de los afeites; el bote.- 1 fr. f
agua de colonia superior, con mbsrosin
l. La estabilidad de su perfume la liace buscar
Sra el locador, baos locales y generales; el
*>.............1 fr.
SUDOR DEMTirRico para curar inmediatamente
los dolores de muras ; el frasco 1 fr. 25
polvos DErrrmucos rosados, ron base de
magnesia, para emblanquecer y consertar los
dientes; el fr.isco........1 fr. 5
opiata dehtttrica, para forUDcar las encas y
eritar las nevrclgias dentales 1 fr. Sf
Curativo dental, para curar los dientes ca-
riados antes de la cniplomadura, y evitar los abee-
sos y dolores; el frasco con el instrumento. II fr.
AGUA lecodermjna pnra conservar la her-
mosura de la tei y las funciones de la piel; el
fiasco............. 3 fr
espirito dh ajci REcnncADO complemento
del tocador de la boca despnes de cada comida;
V ........1 fr. 25
Jaboh lenitivo medicinal, para el tocador ;
la violeta, almendras amarga, ramillete, etc.,
^yjbo"............"fr. S
jabn lenitivo medicinal, con yemas de
huevo, para evitar lasgrictas en el cutis, hendiduras
y enfermedades de la piel; la violeta, ramil-
lete, etc.; el jabn........ 2 fr.
CREMA DE JABN IBNrrTVO MBDICTJttL en
polvos. Es especial para la barba, como tambin
Sra el tocador de las mugere y niilos; el
seo........... i f r.
pastillas orientales del doctor Paul Clment,
para quitar el o'or del tabaco y neutralizar los hali-
tos fuertes; al caja....... I y 2 fr,
ASUA DE I-LORES DE ALHUCEMA, i i-.m.-tK o
muy buscado par destiuir las comezones, fortale-
cer y refiesear cierto rganos ; rl frasco. I fr. 5
espritu fia menta suPERrtNO. Es el mas
perfeclo dor de la boca despus de la comida; el
*............1 fr. 25
POMADA conservadora con quinina pura, para
fortiiicar los cabellos, hermosearlos y eviur que
se pongan (anos antes de tiempo; el bote. "
. J fr.
Depsito en todas las ciudades en casa de los farmacuticos, perfumistas, peluqueros,
mercaderes de modas y novedades. Venta por menor : En la Itart LroL ru
Neuve-des-Pets-Champs, 26. '
Expediciones: en casa de J.-P. LAROZE, ru de la Fontaine-Moliere,39.s,enParis
Desnese en que lengua deben estar las instrucciones que acompaan cada producto.
JARABE DE CORTEZAS DE NARANJAS AMARGAS
Df J.-P. LIROZK, Qumico, Parmaw'ulico .le la Escuela superior de Pars
Este Jarabe, al regularizar las funciones del estmago 6 intestinos dcstmve ew*
razn vomnos nerviosos. Su accin sobre las funciones as nSm cTS que h
1WJSJ55."1,lfluj0* "r"*^ **tt*S2+
JARABE DEPURATIVO JARABE FERRUGINOSO
l'E tORTUM DE BltiHJiS 4MAROS
conPROTO-IODURO de HIERRO
La asociacin de la jal frrea con el Jarabe
ue cortezas de naranjas es tanto mas racional
cuanto que este Jarabe, empleado solo para
estimular el apetito, activar la secrecin del
jugo gstrico, y por consiguiente, regularizar
las funciones abdominales, neutraliza los tristes
decios de os ferruginosos v de lo. loduroa pe-
sadei de cabeza, constipacin, dolores epigs-
trico*), al paso que facilita su absorcin Di-
suelto en el Jarabe, se toma y soporta fcil
mente por hallarse en el estado puro mas
asimilable; y asipuede s.guirse la cura de los
colores paiidos, prdidas blancas, ammia
arecemnes escrofulosas y raquitismo. El frasco!
4 ir. 50.
ellas ..fra^os^n^^
Moliere, 396/.. Depsito gcnenS: farmacia.""" 'JSSqSSS
y en casa de todos los farmacuticos antiguos de Francia y del EstSero '
Desgnese en que lengua deben estar las instrucciones que acompaan cada producto.
su
DE CORTEZAS -E NAPA.VJAS AMAF.CAS
CON IODURO DE POTASIO
El Iodcro de potasio, administrado en solu-
cin n bajo forma slida, causa al enfermo una
pan repugnancia, determina accidentes que
b> obligan renunciar este eficaz remedio,
t nido al Jarabe de cortezas de naranjas, no
caiiia ni gaetralgia, ni desarreglo del estmago
intestinos, y gracias este falvo-conduclo
las cures depuradas pueden seguirse sin inter-
rupcin en las afecciones escrofulosas, tuher-
ciilosas, canerrosDs, y en las secundarias ter-
ciarias, inclusas las reumticas, de (ue es su
mas sesmo especifico. 1^ dosis esl definida de
tal malura que el mdico la varia com-* quiere.
Kl frasco : 4 fr. 50
Los Jarah
i|
Jliit r
3J t=J
T, W.
gF|SS
e| --.; I"3 e t 5.e?fr-M =="ss"l
' = --?"5,'?3r.-:a.=.':3E''l'0
r*"n'a|!i&l5i|I'"Bt-ai
_ n
= o.

-->= -
BiisJff lS
o =:- =
f!

c < -o

s.
9M9MM
o s-n < B 8
w ^ a. a O
Yende-se na ra do Imperador botica franceza n. 38.
Cal de, Lisboa era podra.
Ghegada hontem.
Ha para vender : a iratar no larco do
aanlo n. 19, armazem.
Corpo
Saot'Anna.
Acha-se a venda a novena da gloriosa Sant'An-
na, bem impressa, e em brochura : na ra do Im-
perador n. 13.
Vende-se pxe duro mais barato do rute em ou-
tra qualquer parle : no armaz.mi da bula amarel-
la no oitao da secretaria de polica.
Taoerna
Na run da Praia n. 23, ha
fvrnndp por preeo ta carne e para
linguas do
mais barato
pjuscaixoos para armao de taberna.
._ \ende-se urna taberna bem a-freguezada tanto
t.io {para a trra como para o imu : quem pretender
; ,dinja-se a mesma na rna do Aragao n. 36
Amcixas francezas era caixinhas com lindas
estampas a i.oo, l,4oo e i.Goors. cada
urna,
dem em frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a l,2oo e l.ioo rs. cada
nm.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada
um.
dem em latas de I "j e 3 libras a l,2oo t
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranho o melbor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,oo rs. a arroba.
Azeile doce de Lisboa a Goo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a cauada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e .0,000 rs. a
1 caixacom I duzia.
Aifazema muito nova e limpa a 3o rs. a li-
! bra.
Alpista a i 6o rs. a libra 4,6oo rs. a ar-
roba
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dassegninles qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e de 3 /, libras a I.5oo rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinhas
torna-se muilo recommendavel com espe-
Cialidade para os doentes.
Biscoitos e Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em cartoes e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a hbra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 16o rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
, cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
1 rica.
Champagne das marcas mnis superiores que
ate hoje tem vindo ao rrosso mercado a
IR.ooo rs. o gigo e l,5oo rs. a garrafa
inteiia, e 8oo rs. as meias.
Cha uxim o melhor que se pode desejar, e
que outro qualquer nao vende por menos
1 de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra,
dem perola de esp, cial qualidade a 2,Goo e
2,8oo rs. a libra, garai.le-se a qualidade
d este cha.
dem hysson o melhor que possivel encon-
| trar-se a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2ooe 1/ioors. a libra.
dem prelo muilo fino a I,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol c su isso a I.ooo, l,2oo c I, loo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
lado de Simas em i caixas das segnin-
les marcas: Parisienses, Suspiros, Dul-
cas, Napoleoes e Guanabaras a 2,3oo rs
e em caixas inteiras Trovadores a 3,oo
rs. cada urna.
dem de o\iiros muitos fabricantes e de dif-
iranles marcas para 1.5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a I,6oo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac ingle/, das melhores marcas a I ooo
| rs. a garrafa e .0,000 rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs
a garrafa e !),ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra. '
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canellaa I,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
ooo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 e ),ooo a arroba.
Doce tino de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a /oors. a hita.
dem ceceas a IGors. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muilo bem
I,ooo rs. cada urna.
dem em I?tas ermiticaraente
I,5oo e 2,5oo rs. cada nina.
dem em caixas de '/s arroba
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata o
^ rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 560 rs. o frasco
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran-
des e Il.ooo rs.
maio a 800 rs. a libra.
Mantelga franeezat
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril
a 500 rs.
800 e l.ooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800
e 96o rs. a libra,
dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
a libra, e 58o rs. era barris inteiros.
Marraelada especial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, ha
latas de differentes tamanhos.
Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o
rs. cada urna.
Wem para soda estrellinha, pevide e rodinha
em caixmhas sortidasa 3,ooo 3,5oo rs. cada
urna e5oors. alibra.
dem macarro. talharim ealetria a 4oo rs. a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um
Molho inglez em garranhas com rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasqumho verdadeiro de Zara a l,ooo rs.
agarrafa, lo,ooo rs. a caixa com i du-
zia.
Nozes muito novas a 160 rs a libra.
Prczunto de Hambre superior a 600 e 800
rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. 3 libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
ouiros a l,ooo rs. a latas.
Palitos para denles a lio e a 16o rs. o mas- 'era libras e caixinhas ricamente douradas
so dos melhores. proprias para mimos a 900
Ameiidoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
25400, muito propios para mimos.
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 14300.
Chocolates
de todas as qualidades a 10000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 26oo,
Queijos
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.
lueijo
lonarmo o mais fresco que se pode esperar
e de excedante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
Painco o mais novo e limpo a 160 rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor, a 3,ooo
dem prato muito fresco a 800 e Ooo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que al bo-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
dem londrino a Ooo rs.
Sal relinado em jiotes de vidro a 5oo rs
cada um.
Cerveja das melhores -marcas a 6,000 rs. a
duzia, c56o rs, agarrafa.
Sardinha de Lisboa e Nanles em quartos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muito novo e alvo a 2'o rs. a libra.
Sevadinba de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2.800 rs a ar-
roba.
Traques de l.1 qualidade a 9,5oo rs. a cai-
xa, e 24o rs. a caria.
Toucinho novo de Liiba a 21o e 32o rs a
libra.
Tijolo para limpar facas a I lio rs. cadaum.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada,
dem Colares especial vinho a Goo rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando com-
e10200.
On uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
30 a 20600.
dem perela
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
I o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 24600.
Massas amarelks
para sopa, macarro, talharim e aletria a
480rs. alibra.
COCS.VAC
o muito afamado cognac Pal Brandv a 1,800
rs. a garrafa e de ootras mm'ta's
des a l.ooo e 800 rs. a garrafa.
COPO*
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
macarro, talharim e aieiria a 4.
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e ootras muitas marcaiacre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
Itlf ra 4o Lisboa
6 ^Q0rDras marfas a 40 rs- a gama, e
Z08OO a caada.
lem 9 Pnrto
generosos engarrafado des melhores latin-
eantes da cidade do Portea 10 e 10^00
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar-
cas sao asseguintes: Chamisso AFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Dewes
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
[a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a I20r^ A bra.
Cervejas
dos melhores fabricantes)* de todas a< mat
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Res e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da !%;'-,
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2. sorte do Rio de Janeiro a 8051
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
Garrafes
com 4 '/i garrafas com vinagre a 1->000
o garrafao.
. GENEFJRA DE LABANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de I lOOC
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50800 coa
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueta a 600
rs. cada una.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a "roza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
almaco
PAPEL
rs. a garrafa, e 4,000
cnfeJtadas a
lacradas a
a 2,5oo rs.
1,000
composico a 56o
rs a cauada.
dem branco de uva pura a 5Go rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muilo especial que raras vezes vera ao
nosso mercado a 1.2oo rs a garrafa, ga-
rante-so que por este mesmo proco d
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em caixas com -12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e 10,000
rs. a caixa e 9oo e 1,000 rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a 1,00o rs. a garra-
fa, e lo,ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
dem em garrafes com 5 garrafas a l.ooo
rs. com o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
cada urna.
150, greve, peso e de outras muitas qua-
ulades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de excellenle qualidades 20200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para einbrulho de 1.4oo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias-
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
I,loo rs. alibra
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a I5,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e 1,00o rs. o molho.
do rs.
Alpiste e Painco
> a 140 rs.
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra
e 40400 a arroba.
ualida-, finos de todas as qualidades, a lo,ooo a caixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abren e outros muitos a Goo rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 5(
a libra e em caixa ter abatnenlo.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9.3oo 5
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas uoras
em caixas de 2 arrobas a ."J0 3 caixa e 00 rs
a libra.
Passas muilo oras
em quartos e inteiros a 20 o quarto c 60500
a caixa e 400 rs. a libra,
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginia e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Osee da casca da goiaba
iram aos seus
de lodos es-
a caixa com 12 frascos. Velas de espermacete superiores a Sfln rs
dem de Hollanda em botijas a ioo rs. cada a libra, e 52o era caixa
, dem de carnauba reOnada e de composico
6 garrafas a 4,8oo. z 36o.is. a libra, e de 10,000 a ll'ooors.
a arroba.
dem em garraloes de
rs. com o garrafao.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualid;de a 120
J lata* era lotes de 10 latas4 para cima *
fara abat.mento. no armazem da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
B da Seuzalia a. 42.
yende-se, em casa de S. P. Johnstbn & C,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
Caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
oirro patente inglez.
Charutos de Havana
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schafleillin & C, ra da Cruz n. 42.
de
achara com qacun Iratar.
Na ra de Apollo n. 32 ha um grande sorti-
mento de marmare pura ladrilho, sacadas, hom-
breiras e degros de 8, 9 c 10 palmos de compri-
ao e 2 112 de largo, folhas de marino proprias
para tampos de mesas e para tomlos, vasos gran-
qae,des para jardlm, oo pan ornar tmulos, por pre-
Qos muito razoa\eis F j
At qne ehegon
nm grande sortimento de bico e renda preta
S2JS2! chamado (guip) o melhor que se
raie na loja do gallo vigilante ra de Crespo
1 Fabnm Conm^da S
Baha.
Andrade & Reg, recebem constante-
mente e tem Tenda no seu armazem n.
34 da na do Imperador, algodao d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu- |
car, embalar aigodao empluma etc., etc., '
pelo prefio mais razoavel.
tipularam os hesmos precos nos seguintes lugares
Ln.ae e tamercio ra do Queiaiado b. 7
ladeiro Principal ra do Imperador n. 40
OVlfO~
BAIRRO DO HECIFE, RA DA CADEIA N- 50-
O mais novo e o melhor
vJ*$3!!P nK MOMA
sqnma defronte da ra da Madre de Dos
variado, eacolhido e raelr ZSBStiSi*S2 TSS&JSt em ?e"' "contrarao o' mais
belecimenlo. "wenio ae moltiados, a par do aceio, elegancia e bom rgimen do esta-
t^^S^^SS^&^SS '^"'e a casa e gneros, pesuindo bon*
teccao de todos os amig Til bonTSSSi SSJSEft ^'^ c,,nvenci,lo 1ue merec-ra a P>-
merecer a conOanca com que igSn d^'h2?J* "**"*' '?9everaDd-|be6 guns geEn?roTe%3oSflc,rt3v^LP5b,ICO ? TS 'Uperi0r armazem Movimento, eompre-lhe al-
Sen lum nuiro Km^n^ r~ daJealldade do P"e aviso, verificando por i mesmo que
conc^rrSrS^^^^^^^^ ** ** ^cido ,oa


Vendem-se laaiiohas decores finase de boa qua-
ofrir-waI?l,,;esli,dos d! senhor* a Pataca o vado,
vT ti?""* que o dono esta resol vido
n, r? Imu,t0 bara'8 aflm de aP"-ar os cobres :
na ruada Imperatnz n. 20, outr'ora aterro da Boa
BARITAS Sai)atosd6 ^r'^afj&ftt
- Vende-se um cabriolet: no pateo do Parai-
zo n. 2b.

o par.
No armazem de Joaquim Francisco de Alera lar-
go da Assembla n. i.
GZ.
Vende-se gaz liquido americano da melhor
qualidade em lat s de um, dous e cinco galdes
por menos que em ojitra qualquer parte : no ar-
mazem do caes do Ramos n. 16.



"7
I
"itsnHMi^B
Diario crermsmbuto Qnarta rer f 4c JhIIio de 1S1.
UNIAO
i
RIJA 1)Ai A1IEIA DO RECIPE W. 53.
NOVO E
C-EAITDB AHMAZBU DE MOLHADOS
Rl'A DA CADEIA DO ItECIFE N. 3.
Francisco Fernandes Duarte acaba de abrir na raa da Cadeia do fiecifen. 53, um grande e sorlido armazem de molhados dt
nominado Vnie Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeitavel publico i ceneros que vem ao mercado, tanto esirar.geiros, como nacienaes, os quaes serao vendidos em portees ou a retallo por preces assi,
gommodos.
feanteiga ingleza especialmente escolhida
de primeira qualidade a 900 rs. a libra,
em barril se faz abatimento.
nteiga franeeza a mais superior do mer-
.ift.'a 6oo rs. a libra, e 580 rs. em barril
ou meio.
Prezuntes inglezes para fiambre, de superior
jualidade, chegados ueste ultimo vapor, a
720 rs. a libra.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor a 40000.
Queijo prato muito fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Castanhas muito novas a 120 rs. a libra e
e 35000 a arroba.
Cha uxin o melhor que ha neste genero,
mandado vir de centa propria a 2)5800
rs, a libra.
Cha byson maito superior a 20560 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio para negocio a
1*500 rs. a libra.
Cb preto maito superior a 25 a libra.
.Biscouios inglezes em latas cota differeates
quatidades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captaiu, seed, bornez e
(ultras muitas marcas a 16350.
BolachiBha de soda en latas grandes a 24.
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 15 e 20 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 50o rs. a libra e 30 um quarto ;
e eu caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem viudo ao nosso mercado a I80ogigo,
garante-se a superior qualidade.
finfao Bordeaux das melhores qualidades
' ^ue se pode desejar de 70500 a 80000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 90
a 10* a duzia, e 900 a 10 a garrafa; deste
genero ha grande porco e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 145 e 150 a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do Dooro, D. Luiz,
Cames, Madeira secCo, Carcavellos, Nc-
tar de 1833, Duque Genuino.
Vinho de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 30, 30200
e 305OOacaaada.
Vinho branco de superior qualidade, vindo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
rs. de barril.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
10200 a caada.
Azeite doce refinado em garrafas brancas a
860 rs.
Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
40800 a caada.
Geneora de Hollanda a 500 rs. o frasco e
50800 a frasqueira.
Caixinhas com ameixas francezas, ornadas
com ricas estampas na caixa exterior,
muitopropriasparamimo.a 10200,10500
e20.
Frasco de vidro com tampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a
10200.
Marmelada imperial, dos melhores conser-
veiros de Lisboa, em latas de 1 e meia a
2 libras a 600 rs a libra.
Fructas em calda das melhores qualidades
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoas de casca mol le a .400 rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs- a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 rs. a libra.
Macas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, s vista se faz o preco.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 10200 a libra.
Chocolate hespanhol a 10200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 1*.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
qne ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
59800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
el 0200 a garrafa.
Licores francezes das seguintes qualidades:
Anizete de Bordeaux, Plaisrr des Dames
e de outras muitas marcas a 10 a garrafa
e 100 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
90 a duzia.
Mostarda ingleza em potes j preparada a
400 rs.
Mostarda ingleza em p, em frascos graDdes,
a 10 cada um.
Sal refinado a 500 rs. o pote.
Sardinhas de fiantes a 340 rs. o quarto e 56(
rs. meia lata.
Latas com peixe em posta : savel, corvina,
veznfjo, cherne, linguado, lagoslinha, a
10300 r 4
Salmao em latas, preparado pela nova artt
de cozinha, a 800 rs.
Magaa de tomtes em latas de 1 libra a 60(
ris.
Chouricase paies em latas de 8 e meia libra
por 70.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra t
80600 a arroba.
Bolaxinha ingleza a 320 rs- a libra e 40
barrica.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 200 rs. a libra.
Farinba do Maranhao a 120 rs. a libra.
Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Cevada a 120 rs. a libra e 30 a arroba.
Alpislaa 160 rs. a libra e 40800 a arroba-
Batatas muito novas em gigos com 40 libra
por 10500.
Cebollas a 10 o molbo com mais de 100 ca-
da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 rs.
a libra e 90 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 rs. a li-
bra e 80400 a arroba.
Cafado Rio, propriepara negocio,a80.
Arroz do Maranhao a 100 rs. a libra e 208OC
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 2*400
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas-
so e a 90 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixao.
Macarrao, talharim e aletria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz abatimento.
Estrellinha,pevide e arroz demassa para sop
a 600 rs. a libra e 30 a caixa com 6 libras
Palitos de dente lixados com flor a 200 rs.
omasso, ditos lixados sem flor a 160 rs
o masso com 20 massinhos.
Gomma de engommar muito fina a 180 rs.
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra t
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inteiras ou em meias, de
10600, 20 e 30.
Presuntos do reino, viudos de conta propri
de casa particular, a 400 rs. a libra; intei-
ro se faz abatimento.
quali-
(200 jardas) j milito
s qualidades fi
Acaba de recebe? de sua propria enconiinetida um grande e vanado sortimento
de molhados todos primorosamente escomidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer 30s seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
PARA A FESTA
DF.
S. J0&0
Amendoas confeitadas de 8oo rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 8oo rs,
libra,
dem franeeza a 56o rs. a libra, e 5oo rs. j
sendo em barril.
Cb uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
pan cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para'
E S. PEDRO
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella. Gravo, ortela pimenta a l,ooo
rs. a duzia l,ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
cima a 2,7oo,
dem hvsson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartbs e inteiros a
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima 2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
a2,5oo rs.
Ossenhore que comprarem de 1000000 para cima, terao o descont de 5 por cento, pelo prompto pagamento.
RUA DO QUEIMADO IV. 45.
Passando o becco da Congregado segunda casa.
wmm
NOVIDADE.
Pereira Bocha A C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commcrcial,
mti o respcitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
terao vendidos por procos muito resumidos como o respcitavcl publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se obom pese
; boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
^rroz do Maranhao da India e Java aOO, SO Cevadinha de Franga muito superior a 220, Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra-
e 100 rs. a libra e 10800 a 20OO e 30 rs. a libra. Pnico a 200 rs. a libra.
a arrnba. Cevada a 80 rs. a libra.
tmeixsrs francezas em latas e em frascos a Ervilhas portuguezas a 610 rs. a lata.
10200 e 10000 emira seos grandes a dem seccas muito novas a200rs. a libra.
2KQ0 Figos de comadre e do Douro em caixinhas
(dm em' caixinhas elegantemente enfeudas de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinba do Maranhao a 160 rs. a libra.
Farinba de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VO
j-s.a libra,
dem corinthias proprias para podim a 9oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra
Ervilhas secas muitonova6a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 6oo rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
fazenda especial,
para negocio a 1,5oo Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra.
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Bio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom
rs. a libra,
dem miudinho proprio para negocio a 1,5oo Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
rs. a libra. | Caixas de traque n. 1 a 80300 cada urna.
Queijos do reino chegados neste ultimo va- Massas para sopa macarrao, talharim aletria
por a 2,6oo. a 4oo rs. a libra.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
dem londrino o mais fresco que se pode | e 8oo rs. a garrafa.
esperar e de excellente marca a 8oo rs. a dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
libra sendo inteiro, e a 9oo rs. a retalho. j garrafa,
dem prato es melbores e mais frescos do. charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
RIVAL SEftl SEGUNDO
Itua do (Jueimado ns. 49 e B toja de muletas
de Jos de Azevcdo Mala e Silva, est continuando
no seu progreso de vender l.,ira>sino :
Capachos grandes e superiores a 600 rs. cada wra.
Caixas de superiores brelas de cola e ma^a a
40 rs.
Cordo branco para vestido e espartilho, vara 20
res.
Linhas de carretel (150 jardas) de superior
dade a 60 rs.
Candes de linha Pedro V
conhecida a 'i0 rs.
Crozas de peonas de ac de
superiores a 500 rs.
Caivetes de duas folhas porm linos a 500 rs.
Caixas com calungas muito bonitas para rana a
100 rs.
Franja branca e de cores para toalhas.a 16*.
Pares de botoes para ponto muito bonitos a 110.
Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a
120 rs.
Tinteiros de vidro com superior tinta a ICO.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Croza de botoes de Iouea pratiados, o ir.elhor, a
j 160 rs.
j Tesouras para costura, o mais superior, a 400 rs.
; Ditas para unhas muito tinas a 400 rs.
E>rovas para limpar denles muito superiores a
200 rs.
Libras de 15a de todas as cores (pesada) a 75.
, Caixas de phosphoros de seguranza a 160.
; Ditas de papel amizade pautado e liso a 600 rs.
Ditas com 100 anvelopes muito superiores a 800
ris.
[ Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
Cartas e taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas com superiores iscas de acender charutos
a 40 rs.
Carreteis de linha Alexandre (200 jardns) de cores
a !0 rs.
Baralhos para voilarrte muito linos a 240.
Cartas de allinetes francezes muito tinos a 40 rs.
Meadas de linha f'dxa para bordar a 20 rs.
Pares de sapatos de tranca muito superiores a
t#6O0.
Papis de aguiha com um pequeo toque a 10 rs.
Groza de botoes de madreperola muito tinos, a
560 rs.
Cartoes e caixas de celehetes francezes superiores
a 40 rs.
Bonets para meninos muito Anos a l,5->iv e 2.
Magos de grampos superiores e limpos a 40 rs.
Groza de phosphoros do gaz mnito novos a 220O.
Areia preta muito superior a 100 rs.
Caixas de rap com espelho a 100 rs.
Realejos para entreter meninos a 80 rs.
Pecas de lila de linho muito boas a 40 rs
Pentes de laco muito bonitos a i&.
Enfeites de laco de todas as cores a 14300.
Rodas com alb'netes francezes a 20 rs.
Caixas com quatro papis de agulhas imperiaes a
240 rs.
Sabonetes de familia a 80, 160 e 320.
Caivetes de duas folhas muito tinos a 320.
Pares de sapatos de laa para meninos a 100 rs.
Sapatos de tranca para senhora e para homem, os
melhores que tem vindo, e por preco mnito barato:
quem quizer ver, venha ra do Queimado ns.
49 e 55, e ver tudo como bom e barato.
i ricas estampas no interior das caixas
a 120000,10400, 10600 e 20.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
i 111 im
Aloisia a 'lGO es. a libra e a 40600 a arroba.' a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
Azeite doce francez muito fino em garrafas dem em garrafes de 3 e 5 galoes a 0>OO
grandes a 960 rs. a garrafa.
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de malarana a 320 rs. a
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 ris.
Bolachinbas de soda, latas grandes, a 20 rs.
, a lata.
Vitas inglezas muito novas a 30000 a barn-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor efinada a 440 rs. a libra e
e em barril a 4CO rs.
Cha hvsson, huchin e perola a 10600, ,
20500, 20800 e 30000 a bra.
dem Dreto muito superior a 20000 a libra. Marmelada imperial dos melhores conserve-
----------- ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s deazeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melbores fabricantes da Baha
e especialmente da fabrica imperial d
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 10800,
20000, 20200. 20500, 20800, 30000 e
e 70500 cada um com o garrfo.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 rs. a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, qualidade especial e garrafas muito
grandes, a 10800 rs. a garrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi-
dro, a 10000 rs., s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franeeza muito nova a 640 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor e
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
libra.
Figos em caixinhas emticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ba neste genero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Maria Pia,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. alibra. dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
dem em lata a 640 rs. | 480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Massas finas para sopa : estrellinha, pevide,
rodinhas e letranhas a 600 rs. a libra e a
40 a ca'aioba com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs, a libra.
Peixe em latas preparado pela primeira arte
de cozinha a 10 rs. a lata.
Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
Palitos de dentes a 120 rs.
Caf do Bio muito superior a 280 e 320' dem de flor a 200 rs.
" rs a libra e 80500 e 80800 rs. a arroba. Amendoas confeitadas a 900 rs. a libra.
Carines de bonhos francezes muito novos e Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
muito bem enfeitados a 700 e 60CTrs. | 20 e em caixo 11 640 rs.
Ghouriease paios muito novos a 800 rs. a Palitos do gaz a 20200 rs. a grosa.
libra.
I Passas muito novas a 480 rs, a libra.
a 500 re.
agarrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs.
a duzia.
IdemMorgaux eChateaulominide 1854, a 10
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
10200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porcao de our* que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porcOes como a
retalho.
Quem comprar de 1000000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Fec-nic, Fance, Machine e outras mui-
tas a l,3ooe 1 4oo rs.
Polvos chegados ltimamente do Porto a 32o
rs. a libra.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 50 a
caixa e 6o rs. a libra-
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 2,5oo rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Car toes com bolas francezas proprios para
mimos ou para anjos que vao as procis-
ses a 6oo rs. cada um.
Papel de botica de excellente qnalidade a
22oo rs. a resma.
Peras seccas as mais novas do mercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em htas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a Oio rs. a
lata.
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
Sozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 8oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca, Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo,ooo e
l.ooo rs.. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs. a garrafa e 3,2oors.
dem em pipa Porto,- Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
Idem.de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a canada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composc5o a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
canada.
Farinha do Maranhao a 240 rs. a libra.
Bicas caixas com figos a l,ooo rs. cada urna.
Bicos livros com figos l,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafes com 4 '/? garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem com 4 4/s ditas de venagre al,ooo rs.o
garrafao.
Vinagre PBB em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com a ancoreta
dem empipa puro sem o batismo a 2oo rs.
a garrafa e l,*oo rs. a canada.
Caixas con 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8oo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
o o p-o ? p-c X te O G O py X es 00 K o ** i-
fcd e- ^-1 o 55 se
o o g 7c p- j.
i bd p P CX P-
1 P i B 1; <
tmd se P- ? 55 T5
> H CD o _
o P | o o p pj ....
GO a* j-r-f-P risa p-p 00 cr r-K i-. P
B O O
p- f-K
i .o CD
os mais baixos sao dos que por ahi se ven
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf depremeira qualidade a 8.800 e 9,5oo
rs. a arroba.
dem de segunda qualidade a 8,5oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a fibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,ooo rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 5 lo rs. a libra, e em
caixa a 52o rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
Idemalmaco paulad^elisoa3.ooors. aresma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma..
Vcnde-se eu aforase em pequeas pon.oes un.
terreno contiguo barreira de Santo Amaro de la-
boalao : na ra de Apollo n. 22, aonde se da rao os
eselarecimentos precisos. _________
Farinha de mandioca
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
Al ves uo seu escriplorio, casa n. 19 da ra da
C.vm.__________________________________
M>llto
Vendem-se saceos grandes com milito a.3S00
sacco : na ra da Madre de Dos n. t*.________
Dichas hamburguezas
Vendem-se bichas de primeira qualidade : na
ra .Nova n. 01, defronte da liluia. cmara muni-
cipal.
ESCRAYOS FGIBGS.
Tupio no dia 10 do corrente o escravo por
nome Semino, de nacao Mossambique, com os sig-
naes seguintes : esiatura alta, cheio do corno,
posto liso, nao tem barba, tem uns tainos no rosto
junto as duas foutes do ro.-to, levon calca de brim
pardo, camisa branca de algodo, palelot de brim
pardo, e chapeo de palha : roga-se as autoridades
chis e militares de o apprehender e manda-lo a
seu seuhor, na ra Direita n. '0, que serao gene-
rosamente recompensados.
pate
mente recompensado.
O proprietario do grande armazem Unio e Commercio declara aos seus fregu
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulou
os mesmos precos nos seguintes lugares: #
Uniflo e Commercio ra do Uueimado n. 7.
0 Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
\o amanhecer do dia C do corrente fugio do
dem a zul de boca ou fugueleiro a 2,2oo rs. engenho S^A^S^fiS^S
a resma. | 23'annos de idade, com os signaes seguintes : cn-
Idem embrulho de 1,2oo a l,4oo rs. a resma. 0U|ai fU|aj cabellos carapinhos. baixa, grossa, soios
\meixas francezas em latas de 1 f/i libra a grandes, rosto redondo c com muitas marcas de
1 2oo e 800 rs a libra. nexiga. mos pequeas e ps, pernas arqueadas, c
1,200 e 000 rs. a nuia. maisagons que nao se recorda levou comsign
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o urna Alba com .dade de tres mezes tambera preta
fn,sco\a.e l,ooo rs. tambem temos em yStt!ft^A V^JSE
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Molbos inglezes a 8oo e 1,000 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
bem arranjado possivel a l,8oo e 2,8oo
rs. a lata.
Cerveja Tenente verdadeira a 6,800 rs. a
duzia.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. o molho e
. 800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6 e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinbos a 12o rt. o masso.
Cominhos muito novo aWors. a abra e
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinba de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomm^a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas a l.ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,000 rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e l,ooo rs. o
caixSo.
__Fugio de casa de seos senhores, no dia 14 do
corrente, o escravo Uidro, crionlo. de idade 25 an-
nos, pouco mais ou menos, estatura regular, cheio
do corpo, cor um pouco fula, cabellos carapinhos
olhos pardos, beicos um pouco grossos, nariz regu-
lar, ps grandes e grossos, bem desembalado no
fall'ar, nao malcriad-, levou calca de brim bran-
co, camisa de madapolao, chapeo de feltro j usa-
do ; cujo escravo lilbo de Calista Maria da Con-
ceigao, do Brejo de Bananciras, provincia da Para-
hyba do Norte ; veio em 1861 em pagamento para
os Srs. Guimaraes & Alcoforado esta cidade, sup-
poe-se ter seguido para aquelle lugar : roga-se a
todas as autoridades e capites de campo a sua ap-
prehensao e lvalo ao pateo da Santa Cruz n. 0,
que serao recompensados com 100^.
Ausentouse no dia 3 do corrente mez da ca-
sa de seu senhor o escravo Targino, cabra, e Wa-
de 20 annos pouco mais ou menos, cera alacio pe
onrives, alto e seco, sem barba e espadauda, MJ
Ufigura, levon vestido caiga de ganga de qnadrji
niudos i usada, camisa branca e chapeo de bae-
ta foU&avo do lllm. Sr Theodoz.o Francjco
Din z morador em Porto Calvo, suppSe^se tere-
do para o Recito aonde ja estove e tem coaMofi-
ment, a titulo de procurar senhor, e igualmente
se ausentou a escrava Graciosa, cabra, de idnV
1G annos, bonita figura, cheia do corpo, rosto \ff-
go, estatura baixa, bragos e pernas grossas, de
suppr que seguisse o mesmo destino do referido
cabra, e roga-se a toaas as autoridades policiacs.
capites de campo e qualquer pessoa do povo de
se os virem os capturar e os mandar condowr
a seu legitimo senhor Manoel de Soma Cunha re-
sidente na villa de Porto de Pedras, ou na villa
do Pago de Camaragibe a Antonio de Souza Cu-
nha, em Bio Pormoso ao lllm. Sr. Diniz e no Re-
cife a Thoraaz Fernandes da Cunha na ra da Ca-
deia n. 44, que serao generosamente gratificados.
__ Fugio na larde do dia 16 do eorrenio ura
escravo pardo, de nome Marcos, desembarcado
do hiate Sania Anna, vindo do Aracaty, tendo
de idade 28 annos oouo mais ou menos, e os sig-
naes seguintes : altura regular, secco do corpo,
pouca barba, cabello crespo, levou camisa e
caiga de algodaosinho de riscado
peo de palha, tendo levado comsigo
com mais roupa.e rendido de nma das venlhas;
3uem o appreender qneira leva-lo A roa da Madro
e Deus n. 38, ou ra do Bram n. 63, que ser
recompensado.
azul e cha-
umatroiua



tarto de Peraambneo ... Quardi felra 1} de Jnlho de 1 4.
LITTERATD'RA.
0 QUE VAE PELO MUNDO.
I) ims em seguida a continuagao do relatorio
do Exni. Sr. ministro da Justina Zacaras de Ges
e Y.iseoncellos.
3.'
* Podeni os conservadores do conimercio regis-
trar contratos de .-ocieJades mereutis, a despeito
do sr 6 do decreto n. 1,597 do i de maio de
185J ?
O presidente do tribunal pronuneiando-se'pcla
negativa em vista da letra do mesmo art. 6, recla-
ma urna deciso em razia dos abusos praticados
pela conservatoria do Piauliy, apoiando-se na dis-
posig.u dos aru. 12 e 15 do mesmo decreto, que
nao podem invalidar a positiva dechlrago daquelle
artigo.
4.*
. Em vista do art. 14 do titulo nico do cdigo
Ommercial o aviso n. 411 de 18 de novembro de
1857, poden formar collegio, oleiloraes em numero
inferior ao prescripto naquelle artigo, ou basta to
tmente a matoria?
t O presidente refere que nunca em Maranhao
se poderam reunir 20 eleitores corumerciaes, em
diff rentes elcigoes, a que ali se tem procedido;
cuten ieiido-sc que basta a maioria absoluta de 20
para haver collegio.
Reconhece os inconvenientes desta pratica a
solicita medidas para torear os eleitores ao com-
parccimento em taes eleicoes; e para adiar as
mesmas eleicoes, quando nao compareeam em nu-
mero legal.
5.'
c A aleada estabelecida no art. 646 do regula-
mento n. 737 foi revogada pelo art. 19 do decreto
ii. 1,597 do i" de maio de 1853, tao smente em
relagao aos juizes especiaes do commercio, ou es-
leode-ss a todos os juizes commerciaes?
c O tribunal do commercio do Maranhao, em 9
lie fevereiro da 1857, decidi por desempate em
sentido negativo esta questo, em urna causa do
juizo municbal dacidade de Caiiae, fundando-se o
accordao em que as palavrasata jurisdiccao
com.irehendiam tanto o juizo especial, como os ou-
iros.
Em 13 de julho do mesmo anno, em outra cau-
sa do juizo municipal da capital na provincia do
Para, venceu-se por tres votos contra um, em sen-
t 1> opposto aquella deciso.
6.'
Podem sogro egenro ser co-juizes em qualquer
causa commercial?
Dando-se este caso no tribunal do commercio
em novembro do anno prximo findo, ojuizqueera
genro declarou-se impedido, em vista desta cir-
cunstancia.
O presidente do tribunal, bem que entendesse
qua no caso nao havia ineompatibilidade fundada
em lei, admittiu a escusa, nao s para providenciar
sobre o auJamento do feito, como para solicitar do
governo urna deciso.
Os fundamoutos da opinio do presidente sao
es seguiutes :
t que na ord. do liv. 1 tit. 48 e 79, nao existe
consignada esta ineompatibilidade.
2, que o decreto de 23 de juulio de 1698,prohi-
binJj que os irmos sejam co-juizes na mesma cau-
sa, creisu direito novo.
3*, que a disposigo do art. 277 do cdigo do
preces*) criminal, por ser especial para os juizes
da tacto, em materia criminal e de Ia instancia, nao
pola como o precedente decreto ter ampliago e
comprehender o caso vertente; porquanto envolve
materia de jurisdiccao que nao pode ser ampliada
00 restringida, seno pelo poder competente.
4, que embira commumente se diga existir
entre sogro e genro a mesma relago de parentesco
que entre pae e lilao, outra a realidade: nestes
La consaguinidade e nos outros ha afliuidade.
Estes tribunaes, na parte contenciosa, a mul-
los parece nao estarem era harmona com a coos-
titc.ij do imperio, que nao reconhece no simples
con nerciantc um magistrado de segunda ins-
tancia.
/tuzo especial do commercio.
Corte.
Pelo juizo de primeira instancia das duas va-
ras commerciaes da corte foram instauradas du-
rante o ultimo anno l,41i acedes, montndoos
pedidos em 4,177,916,300.
c Estas accoes tiveram o seguinte deslino :
920 foram julgadas;
193 estSo paradas;
896 eslao em andamento ;
830 passaram em julgado;
90 sunirara para o tribunal por appellacao;
173 proseguem em execneao;
123 cuja execugo esta parada;
i execucoes appelladas;
8 terminaram por cemposicao;
83 por execugo.
Segundo sua natureza, divtdem-se desta for-
ma :
Decendiarias..... 696
Ordinarias....... 185
Sommarias...... 93
Notificaces...... 28
Depsitos........ 4
Detencoes....... 36.
Embargos....... 93
Exeeutivos...... li
Seguros......... 4
Protestos........ 93
Arbitraes........ 25
Justiticac5es..... 23
Liquidacdes...... 12
Fiancas......... 7
Ad-exhibendura .. 3
Vistorias........ 18
Fallencias....... 73
Baha.
1 No juizo especial do commercio foram intenta-
das 221 aegoes, sendo os pedidos
de 2,434,93fi928.
Estas accoes tiveram o seguinte destino:
C esto *m liquidacao.
Vi esto em execugo.
66 em andamento.
4 foram julgadas improcedentes.
W fram julgadas por sentenga.
3 h"U?j desistencia.
9 bouve concordata.
18 esio paradas.
84 lindaran por composieao.
i fiadarara por execugo.
Segundo sua natureza, foram assim classifica-
l*erD3 rnbuco.
f
Juizes de paz.
No juizo especial do commercio foram intcn-, Nao se acha por certo esta magistratura na
tadas 538 aegocs, montando os pedidos a........'siluagao, que pareca proraetteMhe a nossa lei
1,430:0015678. I fundamental.
Segundo a natureza das mesmas accSes, po- A'quelles que teem f as instltug5e$ crea-
dem ser assim ctassiQcadas :
Decendiarias...........;......... 301
43
6
9
1
1
3
; Ordinarias..............
Summarias
Arbitrarias ..
i

''I
) Ad-exhibeodutu..................
Deposito........................
JustilicacSes comminatorias........
Embargos do executado........... ft
Ditos de terceiro.................' g
Artigos de preferencia............ 10
Arrestos........................ 55
Adjudicacfies.................... 7
Desistencias..................... 3
Justificagoes...................... 13
Cesses.........., j.............. 2
Justificagoes para detenco........ 2
Protestos..............,. r....... 10
Ditos para ioterromper prescripgo. 21
Ratificagoes de protestos martimos. 5 v
Autoamentos de petigo........... 20
Mandados de sol vendo............ 22
Maranhao.
No juizo especial do commercio corrern da-
das porosa'lei das leis, ncum*5 nSoperflerde
vista a necessidade de fazer levan|ar-se do sou
presente abatimeojea judicatura de paz.
Promotoresmiblicos.
Os promjtores pubcos^nao oceupam presan-
teniente a posigo, que Ih'es perlence na organi-
smo judiciaria, nem percebera as vantagens pe-
cuniarias correspondentes essa mesma posicao
mesquinha.
A dea de mellwrar-li.es os vencimeaus, am-
pliando-lhesao mesmo tempo as attrtbuic3es, me
parece digna de ser tomada emeonsideragio pelo
corpo legislativo.
Oficios de justtfa.
Sao actualmente estes oficios prvidos por
meio de concurso. O govarno scolhe o que julga
mals idneo a satisfazor as necessidades do pu-
blico.
. Mas a espacttiva dogovern) tem nao raras
vezes sido Iludida. Se o offlcio pingue, o des-
pachado entende que tem ah um patrimonio, que
pode fruir sem onus algum. Declarase doente,
arrepda o oficio, e fica nulliflcado todo o esforgo
da autoridade em dar ao publico um serventuario
nicando-se tanto ama como outra deciso ao minis- duas familias de sangue real, que primara entre
terio dos negocios estrangelro por avisos de 16 de todas as ootras na belleza, na educaclo e no amor
junbo, e 29 de julho do anno passado. das sciencias, das letlras e das artes.
Tanto estes avisos cono o regulamento da vi- A noiva, cajo norae completo Maria Adelaide-I
sita acharis entre os annokos deste relatorio. \ Clotilde Amella, naneen 8 de julho de 1846,
Depois de se haver estabelecido esta pratica a terceira ulna do duque Augusto Luiz Victor. Os
deu-se a bordo do vapor, francez Bear, que d'aqui outros filhos sao os duques Felippe Aua-to e Fer-
partiu em 25 de fevereiro ultimo, um facto que por naido e a duqueza Maria. O duque Fernando, que
sua extranheza compre ser aqui exposlo. o mais moco, nasceu em 1861.
t A bordo desso vapor achava-se com o proposi- ,
to de segoir para a Europa o-estrangeiro-Remar- P nolvo'(rac ?e cna,n Jos Cnrtos Luiz, nasceu
dno Mazyne-sob nome snpposto. Este individuo il 2.do inarfi0 d i833, major geDeral e ProPrie-
tario do regiment n. 37 de infantaria. Seu pae
o archiduquo Jus Antonio Joo, e sua mi a ar-
chiduqneza Herminia (segunda mulher,) filha do
principe de Anhalt liernbourg-Schaumbourg."
E' do Sr. Cj rillo de Lemos esta poesia :
somm.
I
Tiene mas de vaporosa sombra,
De inefable visin que de mujer.
Zorrilla.
rante o anno ultimo 32 acg5es na importancia de! haD,ila(l0 Para servi-lo com intelligencia e boaes-
13:037^361, que segundo sua natureza sao deste tidade-
na importancia
das
Decendiarias......... {
Ordinarias........... 41
Summarias.......... 3
Notftca$o.......... l
Detenco............ 1
Deposito............. 1
Embargos........... jg
Seguros............. 3
Protestos........... 5
Arbitraes............ 3
Vistorias............ 5
Parlilha social....... 3
Conciliacao verificada. 127
Fallencias........... 14
modo classificadas
Decendiarias..... 10
Ordinarias....... 6
Arrestos........ 5
Protestos........ 3
Detencoes....... 3
Depsitos........ 2
Fallencias....... 2
Vistona......... l
t Deslas accoes findaram cinco por execuco e
urna por composigao.
Dos juizos municipaes das quatro provincias
dependentes deste tribuual, nenhuma communica-
cao houve, menos do juizo do termo de Turyass,
onde intentou se duas accoes, urna ordinaria e ou-
tra em liquidacao, cujos pedidos montaram a
2:7965127.
Jury.
O jury contina no estado que expde os rela-
torios de ineus antecessores, e de todos conhe-
cido.
Tenho, entretanto, profunda conviccSo de que
ha de melhorar no paiz essa instituico que to es-
trictamente se liga liberdade, e sou do numero
d'aquelles que pensam ser da maior conveniencia,
em vez de cercear-lhe as attribuicoes, restituir-ihe
algumas de que ha sido despojada, e dar-lhe a
consideragao a que tem direito.
Juizes de direito.
A lei de 3 de dezembro de 1841 tinha abatido
estes magistrados, dividindo sua jurisdiccao com
os juizes temporarios creados pela mesma lei.
A situacao anormal dos juizes de direito cessa
com o projecto de reforma judiciaria, sujeito ao
vosso exame, que vem restitur-lhes a importan-
cia que devem ter conforme a lei fundamental.
O accrescimo de trabalho que a reforma judi-
ciaria impoe ao juiz perpetuo, compensado com
a elevaco de venc mentos que vae ter. Magistra-
tura bem remunerada um elemento de ordem e
garanta eficaz para a boa admlnislraco da justi-
5a, porque, asseguraodo ao juiz urna posico inde-
pendente, perraitte-lhe apreciar as quest5es ocur-
rentes sem o desassocego e receios que sempre
traz comsigo a escassez e por ventura a incerteza
de meios de subsistencia.
Com a suppresso dos lugares de juiz n
pal nos termos que sao cabega de comarca, e as
que conslam de um s termo faz-se economa,
com que se pode acudir empane despeza que
resulta da elevago dos vencimentos dos juizes
perpetuos.
Das duas comarcas creadas no Ora do anno
passado pelas assemblis das provincias do Cea-
ra e Parahyba, apenas unu foi provida de juiz de
direito, a de Mamaoguape da ultima provincia,
classificada ae 2' enlrancia.
A nova comarca de Aquiraz, creada pela lei
de 7 de novembro da asseiubla legislativa do
Cear, por ora anda se conserva vaga ; estando
o governo disposto a nao prov-la de magistrado,
emquanto sua utilidade nao Iho fdr cabalmente de-
monstrada.
o Como proviiuento da de Mamanguape o nu-
mero de comarcas do imperio sobe a 201.
t Sao de primeira entraucia 127, 50 da segun-
da, e 23 da terceira. O numero dos juizes perpe-
tuos servindo as comarcas sobe a 219.
Parece-nu de summa conveniencia que seja
alterada a ciassificago das eotranca? das comar-
cas, feita em 1830. O decreto n. 559 de 28 de ju-
nhodesse anno, naj permita fazer-lhe alteraco
senao por acto legislativo.
A conveniencia da medida lembrada parece-
me incontestavel. Durante o espago le 14 annos
grandes mudancas devem ter havido na importan-
cia relativa das co oarcas, alm do que na poca
em que se organisou o quadro, nao poucos erros
commetteram-se que cumpre rectificar.
Ha comarcas de enlrancia superiores em
importancia algumas de terceira, e contam-se na
21 comarcas que nao devenam passar da I.
t De dezembro para c nao consta que houves-
se fallecido magistrado algum desta classe.
t Tambem nenhum foi aposeutado, e menos de-
mittido oa suspenso.
Nos annexos veris quaes os juizes desta clas-
se nomeados de dezembro de 1863 at o fim de
abril ultimo ; quaes os avulsos, e empregados em
commisses e servigos alheios sua profisso.
A relago dos juizes de direito classifldados
conforme sua antiguidade pelo supremo tribunal
dejustiga, encontrareis entre os mesmos anne-
xos.
Juizes municipaes.
Adoptadas as ideas da proposta sobre refor-
ma judiciaria, a que tenho alludido, perdem estes
juizes (alm de supprimirera-se mullos lugares) a
parte de suas attribuicoes, que os fazia incorrer
na censura de incoostitucionalidade, ficando re-
dondos a simples preparadores de processos.
Urna tal alteraco reclamada de ba muito
pela opiniao publica, assim como urgente que
aos que se conservaren! se concedara vencimentos
que os babUitem a servir com a precisa indepen-
dencia, incorapativel sem duvida com os tenues e
insignificantes vencimentos, com que ora remu-
nerado o cargo.
Estou convencido de que preciso augmentar
o numero dos tabellies da corte, elevando-o a
oito.
A populagao da corte, como sabis, tem cres-
cido e os tabelliSes actuaes nao pdem satisfac-
toriamente desempenhar o servigo seu cargo.
t Os escrives de appellag'es e aggravos da
relagao de Pernambuco, representaram ao gover-
no imperial acerca da situagao deploravel em que
se acham quanto a vencimentos.
t Esta representado informada favoravelmente
pelo respectivo presidente de tribunal, foi acolhi-
da por meu antecessor, o qual nada podendo por
si resolver, por ser a solugao da competencia do
poder legislativo, todava ordenou por aviso de 2
de dezembro do anno ultimo, que os presidentes
das relagdes apresentassera projectos regulando o
servigo das secretarias dos tribunaes a seu cargo,
contemplando o melhoramento dos vencimentos
daquelles serventuarios.
t Recebeu o governo projectos elaborados pelos
presidentes das relagoes da corle, Baha e Mara-
nhao, e lodos vos sero presentes com a repre-
sentago dos mesmos serventuarios.
Entre os annexos se acha a relago dos ser-
ventuarios destes oficios, despachados depois do
penltimo relatorio.
Polica.
Este ramo da administrago incumbido de
manter a ordem publica e seguranga dos cidados,
nao te ve, como sabis, at 1841 urna organisago
regular.
Sendo o pensamento dominante da poltica que
preponderava no referido anno, fortificar o princi-
pi da autoridade, sob esse ponto de vista foi pro-
mulgada a lei de 3 de dezembro.
A polica foi organisada de tal forma que com-
prehendia no mbito de suas atlribuigSes o poder
dejulgar. Coafundirara-se o administrativo e o ju-
diciario.
Nao admira, pois, que o resultado nao corres-
pondesse a expectativa dos proprios autores do
systema, e que ninguem dentro era poucos an-
uos se mostrasse satisfeito com semelhante insti-
tuico.
O arbitrio, o abuso do poder, seja resultado
do systema, seja do pessoal pouco habilitado, em
lugar de rodearem a autoridade do necessario pres-
tigio, crearam contra ella preconceitos que muilo
convera extirpar.
t O espirito publico reaglo, nao se descriminou
o bem do mal feito pela polica, e a socledade foi
quem perdeu.
Com a proposta da reforma judiciaria, que
pende do conhecimento da cmara dos senhores de-
putados, ficarao remediados os inconvenientes apon-
tados.
A polica circumscrever se-ha a seus justos e
naturaes limites.
t Separada da justiga servir melhor tranqui-
lidade publica e a seguranga dos individuos do
que quando.'accumulava funcgSes repugnantes sua
ndole, merecendo muito mais consideragJo e res-
peito desde que o cidadao deixar de ver no agente
pohcial um juiz interessado em manter a propria
perseguigao.
t Passando a reforma dever-se-ha organisar o
pessoal da polica de um modo conveniente reali
saco do novo systema, e por isso nao emittrei
juizo acerca das necessidades actuaes da polica e
do augmento de pessoal que demanda em algumas
provincias do imperio.
t Acredito que limitadas as attribuicoes da poli-
ca, dexaro d subsistir em grande "parle as ra-
zoes que para esse augmento se allegam.
t Nos annexos se acha a relago dos cheba de
polica do imperio e do pessoal das secretarias sob
sua dependencia.
Polica da corte.
Os maus effeitos do rgimen policial da lei de
3 de dezembro consideravelmente attenuados, e at
certo ponto pela illustragao das autoridades e pela
torga da opinio que tem tantos meios de manifes-
tarse livreraente era urna grande cidade, nao dei-
xam todava de fazer-se sentir, nem podia deixar
de ser assim, estando o mal, como est, na propria
instituico.
Era uoute, alta noute, eu j dormia
Solitario, solado no meu leto;
Dentro d'alma a paixao me refervia,
Anciado, arquejante tinha o peito.
De repente urna luz ludo Ilumina,
Transportado me sinlo aos nossos lares.
era devedor a firma social Ribeiro & Aragonez da
quantia de 1:837,5700; que conlra elle solicitara
um mandado de detengo na forma da lei, ao juiz
de direito da 1 vara commercial.
t Tendo sido o mandado apresentado a bordo, e'
dada a voz de prisao ao devedor, nao pode ser exe-;
cutado pela intervengo do eucarrogado de nego-
cios de Franga, sob o fundamento de que fra apre-!
sentado depois da hora designada no referido re-
glamento, estando j gado no vapor o pavilho
francez.
Cumpre fixar-se a verdadeira intelligencia da-
quelle regulamento, de modo a nao ser prejudicada j Foi um sonho, Paulina ; era um competo
a justiga-, nem os interesses dos particulares. De dores infernaes e de doguras ;
Estatisttca criminal. Era um grande prazer, depois desgoslo,
t Nao temos urna estatistica deste genero, em 0utra vez alegra o desventuras,
cujos dados possamos sem receio confiar. E' ira-'
balho importante, e que, demandando long) esludo
precisa de pessoal propro, para ser conveniente-
mente executado.
A estatistica o melhor meio que possa ter o
paiz para apreciar o processo que ha feito, nao s
no que respeita aos intesesses materiaes da socie-
dade, mas e principalmente quanto ao moral. Bem iE conhef se justifica, peis, o trabalho desta natureza, que jMeu amor' desferiam leus olhares.
corre por esta repartigo, o qual, com quanto m- Meiga e paluda, a scisma na semblante,
perfeilo, tem por certo algum morecimento. Recostada janella meditavas,
Fornece elle sempre urna base para se aquila- E na mente talvez, n'um s instante,
tar o estado moral da nossa sociedade, posto que Mil risonhas venturas contemplavas.
nao com tanta exactdo como fra para desejar.
Mgamentos do jury.
Em 1860 (nao se havendo recebido os raappas
das provincias de Matto-Grosso o Goyaz) o jury
teve dejulgar 3.802 processos e 4.639 rus.
Em 1861, completo o mappa geral, a estatistica
aprsenla 2.443 processos e 2.982 rus.
No anno seguinte, completo o mesmo mappa,
foram presentes 2.396 processos, e julgados 2.923
rus.
f Em 1863, receberam-se mappas de 15 provin-
cias, faltando to smente de cinco : as da Bahia,
Goyaz, Matto-Grosso, Rio-Grande do Norte e Ser-
gipe.
t Desses mappas colheu-se o seguinte resul-
tado.
Foram julgados 2.058 processos, respondendo
2.463 rus. Pelos apontamentos que abaixo se
consignam, veris como principiaran] esses pro-
cessos, por quem sustentados; e bem assim os
sexos, naturalidades, edades, estados, qualidades e
o modo de livraraento dos mencionados rus.
t Comegaram:
Por queixa........................... 340
Por denuncia particular............... 45
Por denuncia do promotor............ 117
Ex-offlcio............................ 1.556
Depois tudo mudou, mudou-se a scena,
E eu le vi no teu quarto um livro lendo ;
Tinhas trancas cahidas qual pequea
Conhecera-te alegre alm correndo.
Mas agora o teu ar era to triste
Como triste o carpido da rolinha,
Como a tectrica dr de quem existe
Entre prantos, e em maguas se definha.
_____I Assim mesmo inda amei-te, um ser divino
2.058 Cortamente om teu rosto ressumbrava ;
Responderam em taes processos 2.463 rus,' Esse arfar do teu eolio alabastrino
^e*10 : I Casto amor minh'alma revelava.
Homens............................. 2.236
Mulheres............................ 137
Brasleros........................... 2.130
Foram sustentados
Pelos queixosos........
Seus procuradores.....
Denunciantes..........
Seus procuradores.....
Promotores...........
2.058
C8
7 i
3
1
1.912
Tua fronte que Venus mais formosa,
Sobre a mo mui-dc leve reclinada,
Hespir va a belieza irais mimosa
Com esmero por Deus delineada.
Teus olbares perdidos nos espagos,
Onde o sol suas cores imprimir,
Pareciam seguir os leves tragos
De algum anjo ou viso que alera sumir.
En teu peito lavrava intenso fogo
Pelo marmor das carnes encoberto;
Teu olhar o mostrava, e depois logo
Se apagava a scismar vagando incerto.
la a noule cahiodo ; o toque santo
L na torre vizinha j sora,
ngelus ngelus e em doce pranto
Teu olhar um momento so afogara.
Contemplei-te amoroso e deslumhrado ;
Nunca eu vira belleza to completa I
E n'um cntico Deus alevantado
Te pedi como premio de poeta.
n
Attendite et videte si est dolor, sicut dolor meus.
Jeremas.Lamcnt.
Meu coragao, en te supplico, que isto nao te
impega de morreres tranquilamente, porque en '
afflanco, que anda que eu qulzesse casar com elk
nao o podia, por j ter prometalo casamento /
outro.
Traduzimos da Europa, de Francfort, o seguir,
sob denominago de
SCKNA DE TRIBUNAL.
m sugeito baixo, de tragos srdidos e de ar
chocarreiro e astucioso, aehava-se nos bancos dos
aecusados d polica correccional de Vienna.
Presidente.Vos sois o operario Joo Christiano
Frederco Riencke ?
Accusado.Sou.
Presidente.Vos j tendes sido condemnado f
Accusado.Sim, muitas vezes.
Presidente. -Fostes condemnado seis vezes por
crime de roubo, urna por furto e duas por vaga-
bundo e resistencia aos agentes da torga publica.
Accusado.E' espantoso, que a justiga tenha r
boa memoria !
Presidente.-Bem, de sentar-vos.
Accusado.-Obrlgado, estou muito bem de ,
nao fagis ceremonia comigo.
O ministerio publico move a aecusago contra o
indiciado por delicio de resislencia formal aos
agentes da torga publica no exercicie de suas func-
ges.
Presidente.Acensado.
Accusado.Nao sei...
Presidente.Vos estaveis
deira ?
confessae-vos culpado m
era estado do bebe-
depois
Agora, aon-
Estrangeiros
Menores de 14 annos
De li 17.........
De 17 21.........
De 21 40.........
De 40 para cima___
Solteiros............
Casados...........
Viuvos............
t Livraram-se :
Presos............................... 2.01
Afiangados:
Pessoalmente___
Por procurador..
A" revelia.....
t Ausentes:
Comparecendo..
A' revelia.......
Foram :
Autores.................................. 2.165
Cmplices................................ 119
Simples tentativa......................... 179
a Estes 2.463 rus commelteram :
Crimes pblicos......................... 193
Crimes particulares...................... 2.117
333
II
39
163
.670
580
1.092
1.210
161
289
15
8
19
118
E'
ntreos annexos encontrareis urna relagao
dos hachareis que teem oceupado este cargo e o
de promotor, e so acham matriculados na forma
do decreto n. 687 de 26 de julho de 1850. E" esta
actualmente a habilitago legal para obter-se o des
pacho do juiz de direito.
t Da mesma sorie veris outra comprehenden-
do os juizes municipaes despachados de dezembro
do anno passado para c, seja simples nomeago
ou reconduego.
Nao consta que depois do ullirao relatorio
houvesse fallecido algum destes magistrados.
O numero dos termos do imperio sobe actu-
almente a 321, e
mais foi creado.
precisamente na corle, entretanto, que a
polica, livre do peso das attribuiges judiciarias,
melhor justificar a reforma projectada.
No relatorio do respectivo chefe de polica, que
se acha entre os annexos, estao indicados es factos
mais importantes occorridos de maio do anno pr-
ximo fiado at o presente.
Propoe o Ilustrado chefe de polica differen-
tes medidas a bem da mlssao de que se acha dig-
namente encarregado, sobre as quaes chamo a'vos-
sa attengo.
No Intento de facilitar a expedigao de passa-
portes aos estrangeiros que pretendere retirar-se
do imperio, resolveu este ministerio, em virtude da
solicitacao do de negocios estrangeiros, dispensa-'os
da folha corrida, exigida pelo aviso de 10 de agos-
te de 1844, enteudendo que para garanta dos in-
teresses do terceiro, e evitar a evaso dos que de-
linquirem, erara suficientes as providencias recom-
mendadas no regulamento n. 120 de 31 de Janeiro
t Esta medida foi communicada aos presidentes
de provincia era aviso circular de 11 de margo do
anno passado, que encontrareis entre os annexos
deste relatorio.
t Tendo a legago franceza nesta corte repre-
sentado contra a demora que havia na visita da
polica por occasiao da entrada e sahida dos vapo-
res da companhia Messageries Imperiales, de que
resullavam nao poucos inconvenientes para as via-
Crimes policaes.
Os pblicos sao :
Insurreigo..........................
Resistencia..........................
Tirada ou fuga de presos..............
Falsidade..................'..........
Perjurio.............................
Deslruigo de bens pblicos............
Conlra o livre goso e exercicio dos direitos
I polticos dos cidados Brasileiros......
(Continuar-te-ha.)
:J0
1
29
83
39
20
8
a
183
Conhecerquiz o livro, e brandamente
Sobre a tua cadeira recostei-me,
Porque tardat, Jatyr ? () eu li silente,
E de prantos banhado retirei-me.
Que um amante feliz era esperado
N'esses versos afilelo eu soletrara,
E por isso de dores repassado
Para longe de ti me retirara.
De repente escutei-te que anciosa
Murmura vas um canto ou urna prece,
|Meu Deus I dizias tu, bem penosa
Esta vid que amores nao conhece I
Nao amavas, ficara eu o sabendo,
E o mais doce prazer correu-me n'alma,
E em teus elbos meus olhos embebendo
Em meu peito sent entrar a calma.
Contemplei-te amoroso e deslumhrado ;
Nunca eu vira belleza to completa !
E n'um cntico Deus alevantado
Te pedi como premio de poeta.
m
Son reo, non mi detendo;
Puniscimi, si vuoi I
Melastasio.
Depois tudo mudou, mudou-se a scena ;
Era noute e as nuvens se chocavam :
J nao eras mais placida e serena,
E teus olhos de raiva faiscavam.
pentes,
DI POICO DE TUDO.
L-se em urna folha portugueza :
A princeza Clotilde de Saxe-Coburgo-Gotha ca-
sou no dia 21 de maio, na capella do palacio de
Coburgo, com o archiduque Jos d'Auslri?, irmo
consanguneo da duqueza d Brabante, assistindo
um grande numero de parentes dos noivos e dan-
do as heneaos nupciaes o arcebispo de Bamberg.
Estavam presentes ceremonia o duque e a du-
queza Augusto de Saxe-Coburgo-Gotha, paes da
noiva; o principe e a princeza de Joinville com seu
illio o duque de Pentbievre ; o duque d'Aumale ;
o conde d'Eu, filho do duque de Nemours; o ar-
chiduque Estevo de Austria, irmo do noivo ; o
principe Jorge de Saxonia e sua esposa, a Sra. D.
Marianoa, infanta de Portugal; o principe Felip-
pe de Wurtemberg, viuvo da princeza Mara de
Orleans. Tambera assistiu o principe Alfredo de
Inglaterra, herdeiro presumptive do throno ducal
de Saxonia-Coburgo-Gotha.
Nao esleve o duque de Nemours, por ter adoe-
cido, e por isso faltaram com elle as princezas
Margarlda e Amelia, suas dinas.
Grande numero destes convidados j estavam
em Coburgo desde o dia 10, em que assistiram a
nm concorto que fra determinado para as tosas
organlsadas pelo duque, as quaes se concluiram
Tua maoapertava convulsiva
Os esmaltes do cabo de urna a laga,
E rasgavas a renda inolLnsiva
Que velava a belleza que embriaga.
Nos teus passos precipites, ousados
O despeito de amor se revelava ;
O ciume com denles afilados
A tua alma com furia espedagava.
Era enlo leu marido ; o casamento
Nossas almas em urna resumir,
E essa dr que fazia o teu tormento
T'a flzera eu soffrer, pois te trahira.
No ciume que os olhos te acendia
Teu amor, sem querer, paienteaste,
E n'adaga que s mos te reluzia
Que eu era nico amado me mostraste.
Adorei-te, Paulina, n'esse instante
Como nunca eu havia te adorado;
E, ao sonhar-te to bella, delirante
Apontei-te o meu peito desnudado.
O punhal scintillou, desceu certeiro
E cravou-se-mebera no imo peito ;
Dediquei-te o suspiro derradeiro...
Inda mesmo morrendo del-te prelto I
Expirei a rever-te deslumhrado ;
Nunca eu vira belleza to completa I
E n'um cntico Deus alevantado
Gragas dei pelo premio de poeta.


-gens dos mesmos vapores, expedio o governo im- com a representago de Dianna de Solanges, ope-
perial novo regulamento, modificando quanto a vi- ra primorosa do duque Ernesto, cora texto francez
vapores, oque se praticavaanterior-
sita destes
mente.
Pretendendo a legacao britannica o mesmo fa-
do Sr. G. Oppelt, de Bruxellas.
O publico convidado a assislir ao espectculo era
sem duvida' o de mais fino e dedicado posto da Eu-
de dezembro at boje nenhum j vor para os paquetes da companhia Royal Mail ropa. Era cxplendida a perspectiva do I
leon Packet foi de egual sorte attendida; comrau-1 quasi ebeio de principes e princeas pertencentes s
m bom velho, estando doente, mandou chamar
sua mulher, anda moga, e Ihe disse :
Minha chara, tu ves que minha hora est
chegada e que te devo deixar, e se tu queres que
eu morra satisfeito, me deves fazer um favor. Tu
ainda s moga, e queres sem duvida tornar-te a
casar. Comoeu supponho isto, queria pedir-te,
que nao casasses com o Sr. Luiz de tal, pois eu te
declaro, que sempre ui rioso delle, que o sou ain-
da, e que morreria desconsolado se tu nao me pro-
metlesses o que pela primeira vex te pego.
Sua mulher Ihe responden :
() Da poesia -leito de folbas verdes de G.
Oas.
Accusado.Nao conhego outro... Meu presi-
dente, teria alguma cousa a dizer-vos ; mas agora
quererla fallar a quera me prendeu.
O ministerio publico requer contra o accusado
urna condemnago de um mez de prisao
Presidente.-Accusado, tendes alguma cousa a
dizer ?
Accusado.-Tenho a dizer que agente da polica
mentiu. Elles nao me prendern! seno
que eu tinha sete buracos na cabega
de est o seu chefe T Nao o vej... vou perse-
gui-lo e confundi-lo diante de vos... adiae a au-
diencia. Eu impugno a aecusago, e o testemunh
dos agentes, e provarei que sou branco como leite
e puro como a crianga que nasce.
O tribunal julga, porm, diversamente, condem-
nando o accusado a um mez de prisao.
Accusado. Appello exclama elle ao deixar a
sala das deliberagoes, escollado por dous soldados
de polica.
De haalguns annos a esta parle o marfim tem
sido objeclo de um trafego tal, que a imaginagao so
fatiga em pensar como se pode prover s exigen-
cias cada vez mais consideraveis do commei-c/o a "
respeito daquelle producto.
Por exemplo, no fim do secuto passado, a Ingla-
terra nao empregava, termo medio, mais de 192 600
libras de marfim.
De 1827 por diante o seu consumo subia a..
364,784 libras; ou, por outra, para satisfazer a
este consumo, era necessario que morressem 3 040
elephantes, afim de s obterem 6,080 denles 0.
quaes, pesando, uns por outros, 60 libras cada ra
davam a quantidade requerida.
Tres mil e quarenta elephantes para as necessi-
dades da industria de om s povo j podia parecer
fabuloso, e entreunto era apenas o preludio de um
consumo que nao attingu ainda o seu mximo li-
mito. Hojeemdia a Inglaterra consom um mi-
Mo de libras de marfim por anno, quasi tres tan
tos do que consuma em 1827. Para satisfaze-la
preciso que morram annualmente 8,333 elephantes
Quatro mil pessoas perecemeada anno cate de
marfim, para se alimentar o fabrico dos
cabos de faca, bolas de bilbar, etc.
m dente de elephante que pesa 70 libras pan
cima e considerado de primeira classe pelos nego-
ciantes de marfim.
Cuvier den-nos a lista dos denles mais admira-
veis que at o seu tempo se tinham apanhado.
O maior vendeu-se emAmsterdam : pesara 850
libras.
Em urna das ultimas vendas especiaes feilas em
Londres recentemenle, os maiores dentes previ-
nham de anraaes de Borabaini e do Zanguebar
seu peso ia a 122 libras.
Os denles de elephantes de Angola pesavam ter)
mo medio, 69 libras : 91 os de Gabon ; 10 os do
Cabo da Boa-Esperanga e do Natal; 114 o, de
Egypto, Coast-Castle e Lagos.
Por estes algarismos nao se v concluir que hoj
nao se acham mais dentes grandes de elephan'
Pelo contrario, deve-se presumir que os dentes .
necidos actualmente ao commercio sao maiores t
mais pesados do que os de outr'ora, pela razo
simples de que os busca-dentes penetrara, cad;
anno, mais pelo interior da frica.
Ha pouco tempo urna casa americana venle
um denle de 9 1/2 pos de condimento, pesand
800 libras.
Esta mesma casa, em 1851, mandou exposid
universal de Londres o maior pedago de marfi
serrado que jamis se viu.
Com urna machina maravilhosa, inventada
realisada as oficinas daquella casa, tinba-se ch
gado a serrar e pulir ao mesmo tempo urna tra
ga de marfim de 11 ps de cmpralo sobre 1 p (
espessura.
E' um facto de notoneaade publica, porque t
ditos fabricantes obtveram urna menso houros
do jury da exposigo.
O marfim mais caro o que se eraprega no fa
brico das bolas de bilhar.
O hippopotamo d marfim tambem ; porm i
muito mais duro e menos elstico do que 9 do ele
phante ; nem tem as dimenses do marfim ordi-
nario.

E' do Sr. Jeflerson Mirabeau a seguinte 'poesia
ARRUFOJ. .
Arrutos, minha morena,
Queres saber o que sao ?
Eu te digosao deliries
De sublime exailagao.
Sio prantos que nao tm dores,
Queixumes sem ter de qne,
Nao tomam fundo no peito,
Quem ama nelles nao er.
Sao phantasias da mente,
Raivmhas que causam riso,
Protestos de vi ver triste
as tosas de um paraizo.
Sao nveos grossas, pesadas,
De noute escura itravez;
Mas que o rogar vagaroso
Da leve brisa distoz.
Sao as bramas do horisenta
Tempestado rouquejando,
E a barquinha dos amores
Em mar tranquillo nadando.
Agora v se te assenta
Arrutos comigo, v,
Olha, morena, en le joro,
Quem ama nelles nao er.





PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. & FILHO
'.

1 MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EESMV1G3D_CK8UKP INGEST_TIME 2013-08-27T23:25:05Z PACKAGE AA00011611_10426
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES