Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10423


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AMO XLJlipq 167.
Pop tres mezes adiantddos 5JO00
Pop tres mezes veucidos 600
Porte ao coppeio por tres mezes. #750
v.

SABBADO 23 DE JLHO DE 1864.
Pop amo adantado.....19$00O
Porte ao coppco por nm anno. 3JJQ0O
EN.CARREGAD03 DA SUBSCRIf AO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty,
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues ; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
KNCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SOL-
Alagoas, o Sr. Claudico Falco Dias; Baha, o
rr. Jos Marlins Aires; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
rlera Martins & Gasparino.
PARTIDA DOS ESlAtElAS.
Dunda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassn', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tergas feiras.
Pao
o d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, PesqueiraJ .. n
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrobo, 2'' Qamo mat- as
IPtEMEKIDES DO MEZ h Jl'LHO.
3 La nova as 10 h., 5 m. e 13 a. da m.
12 Quarto cresc. a 1 h., 2fi m. e 14 s. da m.
1!) La cheia as 4 h., 15 m. e 14 s. da m.
6 h., 26 m. e 8 s. da t.
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Serinhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pinienleiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partera ao Vi da.
PREAMAR DE BOJE.
Primeira as 6 horas e 54 minutos da manoaa.
Seguuda as 7 boras e 18 minutos da tarde.
PARTID a DOS VAPOREd-LOSIROj.
Para O al at Alagas a 6 e 25; par o norte at
a Granja 7 o 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, marg., maio, jul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipucos s 6 >/j, 7, 7 Vi, 8 e
8 V da m. i de Olinda s 8 da ra. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 61/2 da ra.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Beraflca s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 '/*, *, V* 4 V.
5, 81/4. 5 Vi e 6 da tarde para Olinda s 7 da
manhaa e 4 Vi da tarde; para Jaboatao as 4 da tar-
de ; para Cachang e Vanea s 41/, da tarde; para
Bemficas4datarde. J
I AUDIENCIA uO IRiUNaES Da CAPITAL
Tribuaai do cmmercio: segundas e quintas.
Relagao : tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tarjas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da urde
DiAS DA SEMANA.
18. Segunda. S. Rufino b.: S. Frederico b.
19. Terga. S. Vicente de Paula ; S. urea v.
20. Quarta. S. Jeronymo Emiliano.
21. Quima. S. Ileurique imperador.
22. Sexta. S. Maria Magdalena; S. Menelio ab.
23. Sabbado. S. Apolinario b. m.; S. Liborio b.
24. Domingo. S. Francisco Solano f.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE OFFCIAL
Directora das obras publicas e navegacao.2*
sccgao.Rio de Janeiro.Ministerio da agricultu-
ra, commercio e ostras publicas, em 21 dejunho de
1864.O engenheiro fiscal da estrada de ferro do
l'ernambuco trouxe ao conhecimento do governo
imperial toda a correspondencia banda entre elle o
o superintendente interino da companhia sobre a
occurrencia que se deu poroccasio de fazer este
parar o trem de passageiros que segua para a
villa do Cabo no da 18 de abril ultimo, e como no
pedido de informagoes o engenheiro fiscal nao ex-
ceder os limites de suas funeges offlciaes de
modo a justificar o resentimento do superintenden-
te interino, e a recusa de dar as informacoes que
Ihc foram sobre este facto pedidas ; sirva-se V. S.
de chamar a atlencao daqucllc superintendente
para o que dispe o artigo 90 do regulamento de
28 de abril de 1857, fazendo ver tamhem que o
engenheiro fiscal, por parte do governo, compe-
tente para velar sobre a fiel execugao das condl-
coes estabelecidas no respectivo contrato, e que
nesta qualidade pode e deve exigir dos agentes da
companhia todas as informacoes que entender ne-
cesarias para o desempenho de sua misso, como
est consagrado nos artigos 130 o seguintes do re-
ferido regulamento ; esperando o governo imperial
que taes factos se nao reproduzam por serem in-
convenientes e prejudiciaes marcha regular do
servico daquella estrada.
Deus guarde a V. S.Domiciano Uite Ribeiro.
Sr. superintendente da estrada de ferro de Per-
nambuco.
GOTCRRO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 20 de julho de 1 sr. 1.
Ofllcio ao commandante das armas interino-
Informe V. S. acerca do que pede o recruta Sera-
fun Gome do-Nascimento, ouvindo o delegado do
cirurgiao-mr do exercilo.
Dito ao mesmo.Mande V. S. por em Hberdade,
visto que foram julgados incapazes do servico em
jnspeccao de sade, os recrutas Porfiro Joao de
Carvalho e Manoel Mximo Rodrigues de que tra-
ta o ofllcio de V. S. de 19 do correteCommuni-
cou-se ao tenente-coronel recrutador.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Avista do attestado incluso em duplcala, mande
V. S. abonar ao cabo de esquadra da secgo urba-
na a gratificado que Ihe compete por baver ap-
pn-hendido o soldado desertor do nono batalho
de infamara Manoel Estevao do N'ascimento. -
Communicou-se ao commaudaute das armas in-
terino.
Dito ao mesmo.Ao cabo de esquadra da com-
panhia de cavallaria Manoel Joaquim, mande V.
S. pagar, em vista do attestado incluso em dupl-
cala, a gratificarlo que Ihe compete por haver ap-
preheudido os desertores do quarto batalho de
ni tunara a p Ludgero Francisco de Souza e .uiz
Jos Carolino.Communicou-se ao commandante
las armas interino.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Em vista da inclusa conta, e nao ha vendo incon-
veniente, mande V. S. pagar Francisco Canuto
da Boa-Viagem, conforme solicitou o cnefe de po-
lica em ollicio de houtem sob n. 836, a quanta
de 185 despendida, durante o mez de junho ulti-
mo com o sustento dos presos pobres da cadea de
Tacaratu. Communicou-se ao Dr. chefe de po-
lica.
Dito ao mesmo. Transmiti V. S a inclusa
conta em duplcala que me foi remeltida pelo che-
le de polica em oficio de liontem sob n. 861, alim
de que, nao havendo inconveniente, mande pagar
ao Dr. Manoel Buarque de Macdo a quantia de
45 proveniente do aluguel de uin mez vencido
em 20 de junho ultimo, da casa que serve de ca-
deia no termo do Exu'.Communicou-se ao Dr.
chefe de polica.
Dito ao mesmo Transmuto V. S. para o fim
conveniente os 4 inclusos exemplares do regula-
mento provincial, dado em 28 do junho ultimo
para a escola Normal, creada pela le de 13 de
maio deste anno.
Tambera remetteu-se 10 exemplares ao director
geral interino da instrurgao pblica.
Dito ao capio do porto.Em vista do disposto
no aviso da repartieo de marraba de 25 de julho
de 1862, nao pode ser paga pelo cofre publico co-
mo nformou o inspector da thesouraria de fazenda
em ofllcio de 19 do crreme a despeza da impres-
sao e eneadernagao de que trata a conta que
incluso devolvo : oque V. S. far constar ao se-
cretario dessa capitana.
Dito ao director geral interino da instrurgao pu-
blica.Pelo seo ofllcio de 11 de junho prximo
fiodo, sob n. 107, fiquei inteiradu de haver o con-
selho director em sessao de 24 de maio ultimo,
iini-to ao professor publico de instrurcao prima-
ria de Taquaritinga Manoel Juaquim Xavier Ribei-
ro a pena de 3 mezes de saspensao por considra-
lo incurso no delicto previsto do % 1 do ari. 96 da
le 1 n. 369 Je 14 de maio de 1835.Communicou-
se thesouraria provincial.
Dito ao delegado Iliterario de Tacaratu'.=Res-
pondendo ao seu ofllcio de 16 de junho ultimo, te-
jido a dizer-!ho que opportunamente tomarei na
devida considerado as observares que Vine, faz
no citado ofllcio relativamente" a necessidade de
ser creada nessa villa urna cadeira de inslrueeo
publica do sexo feminino.
Dito no director do colonia militar de Pimentei-
ras.Para que se possa expedir ordens no sentido
de que traa o seu ofllcio de 9 do correte, faz-se
necessario que Vmc. me declare de quantos volu-
mes deve constar a remessa de taes oujeclos.
Dito a cmara municipal de Pao d'Alho.O ser-
vico da guarda nacional para que tem sido chama-
dos Jos Zeferino do Espirito Santo e Benedicto
Manoel Carneire da Cunha, este secretario e
aquelle fiscal da cmara municipal do Pao d'Alho,
o de revista que tem lugar de lo em lo dias, se
gundo informou o commaudante superior respec-
tivo era ofllcio de 3 do correnle : asslm, pois, nao
ndinissivel a despensa do servido que solicita
para aquelles empregados a mesma cmara em
seu ofllcio de 8 de junho ultimo, que fiea assim
respoudide.
Dito cmara municipal de Ingazeira. Declaro
cmara municipal da villa de Ingazeira em res-
posta ao seu ollicio de 11 de junho ultimo, que o
artigo addicional de posturas ve que trata o citado
ollicio ioi submellido approvaco do assembla
legislativa provincial em 9 de marco do torrente
anuo, como se Ihe communicou nessa data.
Dito ao subdelegado da freguezia de Caruaru'.
Informe Vmc. por que deixou de ministrar ao
conselhode qualificacio da guarda nacional dessa
freguezia a relacao de que trata o 4o do art 10
Ih foi exigida pelo mesmo conseiho.
Dilo Lourenc.0 Guedes Alcoforado, vereador
da cmara municia4-d^piinda.Tenho presente
o ofllcio de 15 p correnle\em que Vmc. rae con-
sulta : 1*. se um supplente {^^subdelegado de po-
lica, estando em exercicio, potle servir como ve-
reador : 2* se achando-se fraao exercicio do
cargo de polica com parle de doentev^de ser ad-
initido a exercer o lugar de vereador.
E em resposta cabe-me- dizer-lhe : que em
vista do disposto no aviso n. 158 de 16)de junho
de 1849, nao ha incompatibilidade entre os cargos
de upplentes do subdelegado e de vereador, mas
uo pode ser accumulado o eiercicio desles dous
crgos; devendo portanto o supplente do subde-
I legado passar a jurisdccao ao substituto inmedia-
to, quaodo tiver de servir na cmara; 2", que o
I funecionario impedido por motivos de molestia
i para exercer um cargo, tambera o deve estar para
servir outro, cujas fuucgoes sao cumulativas ou
i annexas, segundo a doutrina do aviso n. 129 de
! 12 de abril de 1858.
Dito ao gerente da companhia Pernambucana.
I Pode Vine, fazer seguir para os portes de seusdes-
| tiuos os vapores Persinunga e Mamanmupe nos das
1 e horas indicados em seu ollicio de 19 do corrente.
Portara.0 presidente da provincia, attendendo
I ao que requereu Sebastiao Antonio de Albuquer-
que Mello, e tendo em vista a informacao do direc-
tor geral interino da insiruccjio publica, datada de
14 do corrente, sob n. 133, resolve nomea-lo para
reger interinamente e mediante a gratificado an-
nual de 0005000, a cadeira de instrurcao primaria
' da freguezia da Ba-Vista desla cidade, creada por
] portara de 9 do crreme.Communicou-se ao di-
rector geral interino.
Dita. Os senhores agentes da companhia bra-
silera de paquetes, manden] dar transpone para a
j corle, por conta do ministerio da guerra, no vapor
' Paran, ao coronel Autonio Gomes Leal, que s-ai
reunir-se ao corpo do estado-maior de segunda
classe a que pertence. Communicou-se ao com-
mandantc das armas.
Dita.O presidente da provincia, tendo em vista
o que propoz a junta administrativa da Santa 1 /i-a
da Misericordia, e consia do ofllcio do respectivo
provedor, datado de 13 do corrente, resolve de con-
I forraidade com o artigo 99 do respectivo compro-
, misso, crear os lugares de regente, porteiro, enfer-
meiro e enfermeira para o hospital da mesma San-
i ta Casa, estabelecido na cidade de Olinda, licando
I supprimido o de almoxarife do m-'smo hospital.
Communicou-se ao deserabargador provedor da
Santa Casa da Misericordia.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana mande dar urna passagem at o Cear no va-
por Mamunguape, era lugar de proa destinado a
passageiro de estado Manoel Chrysostomo Monte-
negro.
Expediente do secretario do flvmio do dia 20
de julho de 1861.
Ollicio ao commandante das armas interino. De
ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia,
i communico V. S. que por despacho desta data
aulorisou-se o director do arsenal de guerra a sa-
tsfazer o pedido do coronel commandante do sti-
mo batalho de infamara a que allude o ollicio de
; V. S. n. 1,271 de 19 do corrente.
Despachos do dia 20 de julho de 1861.
Reipierhnmtos.
Anastacio Alves de Oliveira.-A' vista da infor
machio do coronel cominandanto das armas nao
tem lugar.
Aureliano Pacifico Simoes.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Alferes Domingos Ramos de Andrade.Informe
o Sr. commandante superior da guarda nacional de
Nazareth.
Iguana Mara do Espirito Santo. O lilhoda sup-
plicantc est respondendo a conseiho de guerra por
liav-r desertado do batalho de infamara onde se
acha com praca desde 23 de fetereiro ultimo, e s
pode portanto, ser posto em liberdade por ordem
do governo imperial. 1
Jos Francisco S. Thiago. Requeira ao governo
imperial.
Jlo Demetrio de Moraes Chaves.Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Joao Deoclecio da Silva Paula.Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Marcolino Antonio Xavier.-Nao tem lugar o
que requer o sopplicante.
Sebastiao Antonio de Albuquerque Mello.-Pas-
te portaria nomeando o supplicante para reger in-
terinamente a cadeira da freguezia da Boa-Vista
desta cidade.
Tito Avelino de Barros.Ha lugares vagos que
eroposb'S coneurso ; compereca a elle o sup-
plicante se julgar-se habilitado.
A' ordem do da Boa-Vista, Jos Ferreira Fialho,
para correccao.
O chefe da segunda scelo,
J. G. d,! Mosquita.
Movmento da casa de detencao no dia 21 de
julho de 1864.
Existiam..... 333 presos.
Entraram..... 23
Sahiram...... 11 >
Existem...... 365
A saber :
Nacionaes..... 291
Estrangeiros... 17
Mulheres...... i
Estrangeiras ... 1 >
Escravos...... 47 >
Escravas...... 5
365
Alimentados a custa dos cofres provinciaes. 142
Passageiro do hiate nacional Exalaaio, entra-
do do Aracaty :
Octamano Ambrozino da Silva Machado.
Passageiros do vapor nacional .W(imin/i(apc,
sahido para o Acarac.
Antonio Fechini, Nicolao Fechini, Balthazar de
Moura e Silva, Miguel Garcez, Bento Pereira Mon-
des, Dr. Victorino do Reg Toscano Barreto, Jaco-
me Clarello, Manoel Chrisostomo Monte Negro,
Francisco Melehiades de Cerqueira, hachare! Ma-
noel Hemeterio Rapozo de Mello, Jos Lzaro Mon-
teiro de Mello, 2 filhas e 1 escrava, D. Leopoldina
America da Silva, Dr. Joaquim Ferreira Chaves,
Thomaz de Souza Santiago, Jos Gomes Quiutella
Jnior, Joao Luiz Pereira Jnior, Lacio Ribeiro
. Guimaraes, Jos Luiz Pereira Lima.
Passageiro do hiate Exalai;ao, entrado do
Aracaty: Octaviano Ambrosino da Silva Ma-
chado.
Passageiros do hyate Amelia, sabido para o
, Penedo : Manoel Duarte Vieira Jnior, Antonio
Jos Pontos, e Pedru Antonio Dias.
PEEUAMBfiO.
REVISTA DIARIA.
No lugar competente publicamos hoje o relatorio
do Hospital Portugus de Beneficencia, no anno de
1863, do qual se ve que foram abi tratados, du-
rante esse lempo, tresentas e tres pessoas, sahindn
curadas 207, fallecendo38 e lie indo em tratameu-
to 38. O rendimenlo do estabelecimenlo, 110 mes-
ino periodo, foi de 26:2775803 res que, confron-
tado com a despeza de 25:060,5390 res, apresenta
um sallo de 1:2175213 reis.
Durante esse anno, a junta administrativa, soli-
cita pela prosperidade do estabelecimento, poz em
pralica urna idea de crauJc uso em alguns paizes,
que, alm de dar um resultado vanlajoso, prometle
ser cada vez inais proticua no futuro, ao passo que
for bem avaliada a sua importancia. Essa idea
foi um leilSo, no dia anniversario, de objeclos an-
tecedentemente obtidos, o qual produzo a quantia
de 8275000 reis.
A nova junta administrativa, desejosa de conti-
nuar a pratiea dos leilSes, consta-nos, acaba de no-
mear urna comraisso de 9 membios, que se dedi-
que a obter as prendas que devem compor o do
corrente anno.
A acquiescencia que teve a idea da primeira vez;
como que autorisa a esperar um resultado muito
raaior do que o passado ; e assiin o desojamos.
Foi nomeado para exercer interinamente a
cadeira de instrucejio primaria da freguezia da Boa-
Vista, cora a gratilicaco de 6005000 reis, o Sr. Se-
bastiao Antonio de Abuquerque Mello.
Acbando-se prompto o Hospital da Misericor-
dia, era Olinda, foram creados os lugares de re-
gente, porteiro, enfermeiro e enfermeira, em vista
do artigo 99 do compromisso da Santa Casa de Mi-
sericordia.
O conseiho director da instruccjio publica, re-
vendo as provas escriptasdo ltimos exames de ha-
bHilacdes para o magisterio, resolveu considerar
anprovados os examinandos Manoel Thomaz de
Freitas, Jos Candido da Silva Pessoa,' laudino Go-
mes Barreto, Adelino Ildefonso do Siqneira e Al-
buquerque, JooLamlelino Dornellas Cmara e Joa-
quim Francisco Birges Uchoa, que haviam sido
reprovados pela commisso de examinadores.
No dia 23 do corrente (segunda-feira), come-
cam a funecionar as aulas da Escola Nornal, no
torreao da alfandega onde est o Curso Commer-
cial.
Foi transferida para 7 de agosto a festa de S.
Vicente Ferrer, padroeiro do Io batalho de infan-
taria da guarda nacional do Recife.
KEPARTICo DA POLICA.
Extracto das partes do dia 22 de julho de 1864.
Foram recolhidos casa de detengo no dia 21
do corrente :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, 4
sentenciadas, vindos do presidio de Fernando.
A' ordem do subdelegado do Recife, Jos Manoel
de Santa Anna, Manoel Jernimo da Silva, ambos
por desobediencia.
A' ordem do de Santo Antonio, Caetano escravo
de Sebastiao Jos da Silva, requerimento d'este.
A' ordem do de Sao Jos, Carlos da Silva, para
correcgo, Feliciana Maria de Jess, por disturbios,
Guilherme Francisco de Assis, e Joaquina Maria da
Conceigo, ambos para averigua{5es policiaes, em
crime de roubo.
Kclalorio do Hospital Fortugucz de Be-
uelicencia em Pernambuco, aprescu-
lado em 10 do corrente.
Srs. socio do Hospital Portuguez de Beneficencia
em Pernambuco.Os estatutos da nossa pia inslitui-
co (art. 39 17) me impoe o dever de vos dar
urna conta exacta do estado do Hospital e seu mo-
vmento em relacao ao anno administrativo de
1863.
E' para sentir, que a debilidade de minhas forjas
e absoluta falta de habililacoes me nao permittm
presentar perante esta respeita%*el assembla, tao
rica de conviccoes, come de virtudes, um trabalho
digno de vossa attengao, e da sublime dedicaco
com que sustenlaes a mais santa das instituicoes,
cuja gerencia nos haveis confiado, mas acostumado
a servir comvoscodesde 1858, sem que a vossa gene-
rosa benevolencia me haja desamparado, julgo-me
feliz nao porque nutra a louca vaidado de pensar
que lenlio correspondido a vossa espectativa, mas
porque confio na vossa indulgencia, que sem du-
vida saber desculpar as minhas grandes faltas,
posto que involuntarias; com esta esperanza e com
a mao na consciencia vou tratar primeramen-
te da
ADMINISTRADO DO HOSPITAL.
Por um acaso inexplcavel, cujos exemplos nao
sao raros nos corpos culleclvos, cu fui elevado por
vossos suflragios ao honroso cargo de provedor e
nesta qualidade liz parte da junta, que boje linda.
Foi pesada a tarefa para raeus fracos hombros ;
inas atienta a vossa beingnid.ide para conugo,
Uve de obedecer; obedec tambera, forca confes-
sa-lo, a voz da mnha consciencia. Ilrrava-nie
com um lugar em que se me oppunha ura dever
conforme aos meus sentimentos; pois nopodendo
valer aos raeus semelhantes, aos meus patricios,
por falta de inteligencia e de fortuna, era justoque
ao menos empregasse os meus esore/is para valer
aos iifolizes que vos a imitacjio da Providencia,
acolitis us bracos da caridade, valendo-lbes as
horas da angustia e do abandono.
Desvaneco-ine de vos communicar, senhores, que
no cargo de provedor, nem por um momento pude
sobresalu'r a nem um dos meus respeitaveis colle-
jas, que escolhestes para membros da junta admi-
nistrativa. Todos elles a porfa e sem excepto
mostraram que erara dignos da vossa escolha e
que sabiam corresponder a confianza, que nelle de-
positasteis.
Logo no coraeco da nossa administrado tivemos
urna contrariedade, que nos veio difQeultar o ser-
vico do estabelecimento O Revd. Sr. Fr. Antonio
de Santa Anglica, desde 1858 regenii? deste Hos-
pital, e aoqual prestou importantes e valiosos ser-
vicos, teve di; abandonar o seu lugar em virtude
do cargo a que foi ellevado para presidir ao capitulo
da sua ordem.
A falta deste digno sacerdote foi por sem duvida
mui sensivel, nao por faltarera sacerdotes igual-
mente virtuosos, mas porque era raro encontrar
quem reunisse as cualidades de bom sacerdote as
pie exige o cargo de regente, cuja misso e prin-
cipal sentimento deve ser o da caridade mais per-
foita e o da mais severa economa.
A junta, solicita como Ihe cumpria, na escolha de
quem succedesse ao Revd. Fr. Antonio de Santa
Anglica Pimentel, nao poupou esforcos para acer-
tar e lenho todo o motivo para crer, que nao se en-
ganou na escolha que liz do Revd. Sr. padre Cae-
tano Jos Pereira Pinto de Lemos. O eraprego
ditlicil, necessita de urna longa pratiea e essa de-
pende do terapo ; tenho para mira que o actual Sr.
regente nao i-oupar esforc/>s para igualar o seu
antecessor. Felizmente fui s esta mudanga que
soffreu o Hospital no quadro de seus empregados,
os quaes todos elles tem cumprido satisfactoriamen-
te os seus de veres.
As sessesda assembla geral o os irabalbos da
junta administrativa, nao podiam continuar no es-
paco aeanhado que para esse fim eslava destinado,
houve, pois, necessidade de empregar toda esta
casa, onde estamos agora, para taes exercicios o
para guardar o respectivo archivo licando assim
ludo independente e inteiraraente separado das en-
fermaras.
Em virtude do art. 102 dos nossos estatutos ce-
lebrou-se o anniversario da inaugurado do estabe-
lecimento, e felizmente esta festa nao s servio para
comraemorar o facto maravilhoso desta pia institu.
?o, mas tambera patenteou de um modo mais so-
lemne as sympathias que ella de todos merece.
A junta, senhores, lerabrou-se de ensaiar um
lei|ao a beneficio do Hospital. Foi boa esta lem-
branca, porque nao s todas as pessoas qur par-
ticular, qur publicamente convidadas, oflereceraro.
generosamente dadivas do preco e estimacao, mas
anda essas dadivas postas era leilao foram troca-
das por esmolas, tanto mais valiosas quanto era
justa e meritoria a sua applcaejio, produzndo um
beneficio na somma de 8275.
Cumpre declarar por esta occasio, e o faco com
o maior reconhecimento, que grande numero des-
tas dadivas foram offertadas por senhoras brasilei-
ras, as quaes s pelo espirito de caridade, que tan-
to as distinguen!, se esmeraram em beneficiar a
nossa santa inslituicao.
Se para o futuro melhor se regularisar a forma,
porque essas dadivas podem ser obtidas e depois
otferecidas aos bernteitores, est a junta convencida
de que seu resultado ser muito mais Itsongeiro.
O ensaio fetto, anda que dirigido com menos cui-
dado do. que mereca, mostrou que se deve conti-
nuar, como um appelk> a caridade publica em fa-
vor dos necessitados.
O nosso socio o Sr. Antonio Jos Duarte Coimbra
sempre amigo dedicado deste estabelecimento nao
se esqueceu de offertar este anno um beneficio ao
Hospital, o qual tendo lugar no theatro de Santa
Isabel em a noite de 29 de seterabro, produzio a
quantia de 1:3895260. Por este facto beneficente
fez jus o Sr. Coimbra ao titulo de socio benemri-
to, e os seus irmos artistas que o coadjuvaram aos
nossos sinceros agradecimentos : e Sr. Coimbra
sempre modesto, e querendo que o seu beneficio
fosse completo nao se dignou acceitar alm daquel-
le titulo, a distinccjio que a junta determinara fun-
dada nos estatutos, e c por isso que nao podis ver
0 seu retrato na galera dos bemfei lores.
Cumpre lainbem lembrar, que foi neste corrente
anno que se realisou a recepgo do legado que dei-
xou o nosso socio Jos Antonio de Freitas, fallecido
em 1860.
Alm do que deixo mencionado e da quanta de
7855720 promovida pela junta transacta no pirco
; Nova-York, realizada neste anno, tem a junta ac-
tual a satisfago de vos communicar, que o nosso
estabelecimento recebeu mais a ttulo de esmolas
as seguintes quantias dos
Exm. Sr. blspo diocesano I). Joao..... 1205000
'[ Rvm. Sr. Fr. Francisco de S. Boaven-
tura............................. 1005000
lllms. Srs. Thomaz Nash............ 2305000
; <'os da Costa Pinto....... 885000
a Bartholomeu Francisco de Sou-
! za&C........................... 435160
, Illm. Sr. Joaquim da Silva Maia, fallec-
no hospital....................... 265200
Exm.1 senhora D. Josepha da Silva Cam-
1 pos............................. 205OOO
Rendimenlo da salva no dia 25 de de-
| zembro............................ 85400
Da actual junta administrativa....... 9465000
O que ludo faz ellevar esta verba a soinma maior
de cinco contos de res.
Todos esses bemeitores, que acabei de referir
sao merecedores do sincero agradecimento desta
associayao, cao podendo comtudo dexar de espe-
cificar d'entre elles o nome do honrado negociante
britannico, oSr. Thomaz Nask, que nao quiz partir
de l'ernambuco sem contemplar o Hospital por
mais urna vez com a sua reconhecida piulan-
tropia.
'de toda a justiga que a junta faca aqu hon
rosissima raenso do nosso socio, o Sr. Jos Cae-
I tao de Carvalho, o qual nao contente com as di-
| versas esme-as que por vezes tem feito a este es-
tabelecimento, contina a prestar o servido rele-
vante, que todos nos sabemos, botica do Hospi-
tal ; por esse motivo e em penhor de gratido Ihe
foi outorgado o titulo de benemrito.
A junta seria ingrata, se deixas.-e de mencio-
nar as generosas oflertas do Kxm. Sr. bario do
Livramento, dos Srs. Jos Joaquim da Costa Maia,
e do nosso distincto socio Joao Pereira Rebello
Braga. Estes cavalheiros, sabendo que o Hospi-
tal necessitava de certas obras concorreram com
, diversas especies de matenaes, facilitando por este
modo a edilicafo de que mais se careca, e eco-
nomisando a Hospital urna importancia nao pe-
; quena.
Cumpre ainda partcipar-vos, senhores, que a
junta de 1862, querendo dar urna pro va do seu a-
crisolado zello pelos interesses da nossa institu-
, cao prouioveu dentre os seus membros urna subs-
, cnpeao, que produzio a quantia de 1:8505000, a
?ual foi entregue ao nosso digno vice-provedor, o
r. Luiz Jos da Costa Amorim em 31 de dezem-
brode 1862, com o fim especial deste senhor com-
prar urna casa para patrimom'o do Hospital. Nao
apparecendo incontinente predio que se podesse
comprar cora essa quantia, foi ella recolhida ao
banco, produzndo 745000 de juros no espaco de
, 8 mezes.
I O Sr. Amorim, que se mostra sempre esmerado
em servir o Hospital, eirectuou em 31 de agosto
' do anno administrativo de 1863 a compra da casa
terrea n. 14 da ra da Alegra, bairro da Boa-vista,
despendendo para esse eTeito 2:1985500. Para
preencher o excedente promoveu elle outra subs-
cripeo pelos membros da mesma junta na im-
portancia de 2805000.
A junta actual e que hoje (inda a sua misso,
foi quem tomou conta dessa propriudade, cuja es-
criptura se acha trasladada no tombo do estabele-
cimento, sendo que para as particularidades que
Ihe dizem respeito, constam da acta da sessao da
junta celebrada em 5 de novembro prximo pas-
sado.
O fallecido nosso socio, Joaquim Vieira Coelho,
, deixou por verba testamentaria a este estabeleci-
mento 301)5000, mas segundo consta junta, taes
occorreacias se tem olferecdo na gerencia dos ne-
gocios que o testador deixou a liquidar que por
certo devvro retardar a reeepco desse legado.
O negociante Manoel Ferreira' de Sa, fallecido
nesta casa onde se recolheu para ser tratado tam-
bera deixou 50050J, que serao recebidos de seu
testamenteiro em tempo com jtente.
E tambera do dever- da junta, senhores, com-
raunicar-vos que no principio do anuo fallecer
nesta casa Amonio Jos Rigueiro, o qual por seu
testamento legou nao s os ordenados vencidos e
que estavam em mao de seu patro liento Alves
da Cruz, mas ainda o premio grande da lotera que
I correu em 22 ou 23 de outubro de 1862, que es-
tava tambem na mao do dito seu patrao ; infeliz-
mente, porm, este n;io s pretende reduzir a im-
portancia dos salarios vencidos, mas nega anda,
que seja do testador o premio da dita lotera.
I A junta nao devia e nem poda abandonar-se
s decisoes do devedor, e promove judicialmente
a cobranza destes legados, instituindo como autor
. das questes o testamenteiro Joaquim da Silva
' Costa, correndo, porm com as despezas precisas
1 por conta do Hospital. A junta conta que justica
Ihe ser feia pelos respectivos tribunaes ante s
i quaes recorreu.
A junta em conforraidade com a deliberacao to-
| mada em assembla geral na sessao de 8 de'margo
I prximo passado, resolveu nao admiltir a ollera
I feita por Antonio Gomes de Macedo de una sorte
! de trras situada em Loa, por entender, 1 que
os ttulos dessa propriedade nao eram tao legaes,
' que nao dependessem de urna questao dispendio-
sa perante os tribunaes, cujo resultado era duvi-
doso; 2, por que esta oflerta era feita a titulo one-
roso e o nosso estabelecimento nao podia suppor-
tar tantos encargos sem esperar urna solugo
prompta e ncontestavel.
A caridade, senhores, nao tem patria, nao tem
torro, nao tem uacionaldade, universal, cos-
mopolita. Neste sentir autorisou assembla ge-
ral o convite do Hospital s sociedades portugue-
jzas de beneficencia existentes no imperio para que
I de accordo todos seus membros fossera considera-
dos como socios de cada urna deltas, sempre que
1 mudassem de residencia, onde qualquer dessas
i sociedades existsse.
A junta conformo essa autorisaco dirigiu-se
sociedade Portugueza de Beneficencia no Rio de
Janeiro, por Ihe parecer esta com intuito seme-
Ihante ao nosso estabelecimento, enganouse po-
; rm, por que a recusa nossa proposta foi a res-
. ppsta que Ihe merecemos, fazendo assim crer que
' a forma prevaleceu a essencia do espirito dos ad-
ministradores daquelle estabelecimento, por nao
! attenderem qne o Hospital Portuguez em Peraam-
| buco o a sociedade Portugueza do Rio tem o mes-
mo fim, qual a da caridade.
A' assembla sabe que na caixa filial do banco
do Brasil existe a quantia de 3:4655520, prove-
\ niente do emprestimo feito em 1861 pelo nosso
socio benemrito, o Sr. Bernardino Gomes de
Camino ; esta quantia tem produzido at 31 de
dezembro doanno administrativo de 1863,5575147
de juros, os quaes se conservam accumulados
ao capital. Para fazer face ao pagamento desse
imprestimo gratuito entregou a jnnta no comeco
de nossa adminstrac.ao ao Sr. Bernardino Gomes
de Carvalho, 20 ttulos de bemfetores, de con-
formidade com o respectivo contrato ; infelizmen-
te porm, somente um pode ser realisado pela
Exm.* senhora D. Januana Carolina Correa Viei-
ra, e por consequencia pequea foi a amorlisa-
fio de 1005000, que se fez neste anno, por cujo
motivo o saldo desse emprestimo ainda monta a
2:6345200.
Igualmente conheceis, senhores, a perda que
soffreu este Hospital com a quebra da sociedade
em commanditaAmorim, Fragoso, Santos A C;
a liquidado dessa seeiedade anda nao pode mar-
car urna poca era que se conhefa definitivamente 1
se haver descont ou perda total.
Quanto a divida dos Srs. brigadeiro Menezes seus
filhos e genros a junta tem o pesar de vos commu-
nicar, que por ora nada se tem realrsado; verdade;
que da parte dos devedores recebe sempre as!
mais lisongeiras promessas; mas a junta conta s- i
mente com o resultado da questao que aos mesmos
devedores promove a Santa Casa da Misericordia,
e da final decisao dessa questao seja qual fr o
modo porque ella se ultime que depende a reali-
sacao desse crdito.
O estabelecimento possuia dous escravos dos
quaes um j se tinha forrado, o outro porm, que
se conservava sugeilo, falleceu do cholera, nico
facto desla naturea occorrido no presente anno,
era necessario supprir a falta destes dous serven-
tes ; sabis os motivos que tornam necessario o seu
, mister; conseguinteraente a junta comprou outros
' dous pela quantia de ris 2955000. Ainda que ve-
Ihos, como seu prego denuncia, elles prestara um
excellente servico.
OBRAS.
O edificio do nosso Hospital pequeo, senhores,
todas as juntas o tem reconhecido e todas as suc-
I cessoras o reconheceram, e por isso que ellas tem
feito e ho de fazer quanto ao seu alcance esteja '
para seu augmento, pois incontestavel que das
boas accommodagoes depende muito a prosperida-
: de do estabelecimento. Para de alguma sorte re-
I parar este inconveniente a junta fez transformar
I as pequeas casas contiguas ao edificio principal
I em diversas enfermaras,comdeslinos dfferentes. A
renda dessas pequeas casas nao era equivalente
ao incommodo que davam os nquilinos, e s van-
tagens que se podem auferir das novas enfermaras
compensara bem a perda do aluguel.
A junta, senhores, ao abrir urna dessas enterma-
rias, que denorainou de 4' classe julgou convenien-
te, em sessao de 3 de novembro prximo passado I
estabelecer o prego diario, que dever pagar cada
doente a ella recolhido, como compensago do seu
tratamento, e depois de informages a que proce-
deu em relago a outros estabelecimentos de igual
natureza estatuio provisoriameu e a quantia de
dous mil ris e separadamente as consullas e ope-
ragoes que dependerem de facultativos nao pnen-
les ao Hospital. Compete-vos, pois, approvar, am-
pliar ou 1 sC" medida importante, segun-
do entenderdes mais conveniente aos interesses da
nossa instituicio.
Este accrescentamooto de accommodagoes ainda
nao foi bastante, bavia absoluta necessidade de
outra enfermara dentro do edificio principal para
doentes de 2' classe. A junta que nos procedou j
tinha reconhecido a utilidade dessa obra e conce-
beu projecta-la e se nao a levou a elTeito foi talvez
por motivos alheios, que escapam a nossa compre-
hens>. A' junta que hoje linda competi o eome-
go desses trabalhos, entendendo que nao podia ser-
vir melhor ao Ho>pital e ao mesmo lempo palentear
assembla geral a sincerdade de seus senti-
mentos. Um entrave, porm de grande alcance se
oppunha rcalisagao de tal obra; nada se poda
tentar sem remover primeramente a cosinbae suas
dependencias do lugar onde estavam ; pareca isto
insuperavel, mas a junta nao trepidou na erapreza,
cotsou-se repartidaraente entre seus membros e a
expeu.>as suas e smente suas accrescentou ao 1
edificio um raio na extensao de 83 palmos, no qual,
guardadas as proporgoes da respectiva planta ere-
gio urna espacosa e ampia cosinha, sala para dis-
tribuigao das dietas, dispensa e diversos quartos
para babilacao dos empregados, cuja falla era so-
bre modo sensivel. Sendo que ncsia edilicagao a
junta teve o cuidado de atteiider, nao ao e=tado
actual do Hospital, mas ao seu movmento pro-
gressivo. 1
Cabe aqu dizer-vos, senhores, que foram estas
obras o verdadeiro e nico motivo que obrigou a
retardar para hoje a sessao que duvera ter lugar
na 3' dominga do mez de Janeiro, como foi pres-,
crpto em sessao de 18 de dezembro de 1859; por !
que tendo sido essas mesmas comegadas nos Dns \
de novembro prximo passado nao fi possivel que i
a sua couclusu tivesse lugar a tempo.
A junta sent que faltou ao preceito dos nossos,
estatutos o ao determinado pela assembla geral,
mas reconhece tambem que de equidade, que Ihe
seja relevada essa falta pela razo ponderosa de
querer dar-vos conta da concluso dessa mesma
obra que ella como j vos disse realisou indepen-
dente dos recursos do estabelecimento.
clnica.
Gragas Providencia, senhores, neste anno nao
contamos graude numeroso de enfermos epidmi-
cos. As doencas ordinarias foram as que mais se
repetiram no Hospital. O numero dos enfermos
subi a 303 indurado 34 que existiam do anno an-
terior. Da totalidade tiveram termo fatal 58 menos
da quinta parte dos entrados. Os autigos prejuzos
ainda infelizmente noestara desvanecidos de todo;
apesar dos constantes e proveitosos cuidados como j
sao regidas as casas de caridade, principalmente o
Hospital Portuguez, forgoso dizer, que anda
grande numero de enfermos s procura esta sorte
de estabelecimenios ijuasi na extremidade de ma-
neira que na mortalidade referida 18 foram do
febre amarella e 15 doentes falleceram dentro da
48 horas de sua entrada as enfermaras do Hospi- \
tal. Entraram j, como se costuma dizer, com os
ps na cova.
E' visto, portanto, que a verdadeira mortalidade, 1
deduzdo aquelle numero nao passa de 10%. Li-|
songeiro este quadro, senhores, vista dos phe-
noraenos de igual natureza, que se do n'outros 1
estabelecimentos.
O mappa seguinte mostrar a exactidao do qnej
se acaba de dizer.
Mappa eslalislico nosologico o necrolgico dos
doentes tratados no Hospital Portuguez no anno ad-
ministrativo de 1863, sol) a drecgo do Sr. Praxe-:
des Gomes de Souza Pitanga.
Classificacao das molestias. 2 5
o
t
4
1 1
7 1
i
l
2
24 18
6
Cancro do labio inferior___ 1 l
Cephalagia............... 1 i
Cerebrite................. 12 11
Congesto cereral........ 1 1 11
Contuso................. 2 2
Cholera.................. 1 |
Colite.................... 5
Darthros................. 1
Diarrha................. 2
Diatliese purulenta........ 1
Elephantiases dos rabes ... 2
Elephantiases dos gregos ... 1
Entero-collte.............. 2
Erysipella................ 2 6
Escrofohde tuberculosa..... 1
Escarlatina............... |
Escoriacao............... 2
Estreitamento da uretra___ 1 1
Febre amarella............ 2 40
Febre intermitiente........ 2 4
Febre perniciosa.......... i
Febre typhoide ........... 1
Ferida por esmagamento___ 1
Gastrite.................. 4
Gastro-interite............ 2
Gaslro-interocolite......... 1
Gastro-bapalite............ 4
Gaslro-hepato-colite........ 1
Castro plenle............. 1
Gastro-liepato-splenile...... 3
Hemorrhoydas............ 1
Hepatite.................. i 5
Hepatocolite.............. 1
Hepato-pulmona.......... 1 1
Hydrocelle............... 3
Hydropericardio........... 2
Ictericia.................. 2
Laryngite................ 1 1
Laryngo-pulmonia......... 2
Myellite.................. i
Ophtalmia................ 4
Pleurizia................. 1
Pleuro-pulinona......... 1
Pulmona................ 1 ll
Rheumatismo............. 1 20
Sarampo................ 1
Sarnas................... 1
Suppressao de transpiragao 1 1
Syphelde................ 2 13 14
Svphiles................. 4 3
Ttano................... 3 2
Tubrculos............... 1 11
Ulcera syphitica........... 7 23 26
Urticaria................. 2 2
Varilas................. 1 6 3
t
i
1 i
1 1
1
3 I
1
1
8 3 1
19 2
1
34 269 207 58 38
Somnia.......
303
303
Dos 303 doentes erara horaens 298
eram :
1" classe.. 7.
2' dita.... 103(
3' dita.... 189 j
4* dita___ 4/
303J
mulheres 5 303 dos quaes
Destes eram
Particulares.. 86
Socios pobres. 17
103
Sendo
Solteiros... 242
Casados... 46
Viuvos.... 13
Cuja uaturalidade era
Africanos
Brasileiros...
Franctzes ...
Hespanhes..
Italianos.....
Portuguezes..
Suecos.......
303
. 3
13
13
1
270
1
303
Que se distinguiam por suas profisses desta forma:
Alfaiates..... 2
Actor......... 1
Boleeiros..... 3
Caldereiro.. .. 1
Caixeiros..... 39
Cnteos....... 3
Carpinteiros... 2
Carpidas...... 2
Chapelleiros.. 1
Charuleiro___ 1
Cigarreiros.... 2
Carroceiros... 2
Coslureiras... 3
Engommadeira 1
Enfermeiro... I
Ferreiros..... 3
Feitor........ 1
Martimos 67
Marcineiros... 1
Militar....... 1
Negoci intes ... 9
Oleiro........ 1
Padeiros..... 5
Picador...... 1
Pintor....... I
Sapateiros___ 5
Sem profisso. 1
Taraanqueiro.. 1
Tanoeiros..... 4
Tintureiro.... 1
Trabalhadores. 132
Eram do :
303
1 a 10 annos. 2
11 a 20 t 77
21 a 30 t 98
31 a 40 t 66
41 a 50 c 32
31 a 60 19
61 a 70 4
71 a 80 3
81 a 100 c 0
Dos 08 fallecidos foram :
Homeos. 57
Mulheres. 1
303
58
1* classe
2* .
3'
4-
Abcesso.................
Anasarca.................
Anemia..................
Aneurisma de Corrisard ...
Angina dephitherica.......
Aneurisma da popltea------
Artitre rheumalica.......
Ascite..................
Asthraa.................
Blefarite foruoculosa......
Bleumorrhagia...........
Bronchite...............
Bu'es..................
Caria do tibia.............
Caiarata................
Canecos venreos.........
-^ 3 S .
V. 5 fe 1
s> = -c 2 S
< n ^ ^
2 2 l
2 0 1 1
3 19 15 2 5
1 1
1 1
1 1 1 1
1 1
2 1 1
i :) 1
1 1
i l
3 3
11 9 2
3 2 1
1 1 2
1 1
Sendo de:
0
29
2S
1
-----58
as 24 horas 8
48 7
Depois 43
-----58
Dos quaes eram:
Solteiros 31
Casados 5
Viuvos 2
-----53
Cujas naturalidades eram:
Africanos 1
Brasileires 5
Hespanhes 4
Italianos 1
Portuguezes 47
-----58
Que se distinguirn! por suas profissoes desta
forma :
Caixeiros 9
Charuteiros. 1
Cnteos. 1
Carpina. 1
Ferreiros, 2


Diario *e Pertafcae* Sabbado t3 de .Iiillio r, 1S4.
")
Martimos. 16
Xegociantes. a
I'adciros. i
Sapateiros. i
Tanoeiros. 2
Trabajadores. 21
Que eram de:
1 a 10 annos. 0
11 a 20 < 8
21 a 30 13
:l a 40 17
i 1 a 50 c 10
31 a 60 7
61 a 70 t 1
71 a 80 c 2
81 a 100 < 0
_= 58
------58
Nesta occasiao seria eommetter urna injnstica se,
nao fosse mencionado o nome do Sr. Dr. Prxedes
Comes de Souza Pianga. Este hbil facultativo
procncheu o ara misler com zl". dedlcaco e ap-1
lidio dignas de ledo o elogio. Receba elle da junta
administrativa que hoje linda a expresso sincera
do sen profundo reconhecimento.
Botica.
A junta tera a satisfaco de commuuicar a as-
sembla geral, que esta parte do nosso estabeleci-
mento contina, ollerecendo reconhecidas vanta-
gens. Sua receita oblda no corrente pelos medica-
mentos administrados ao publico importou un ris
1:5015980; fornecidos aos doentes do estabeleci-
mento 2:7135520; pelas drogas e medicamentos
existentes 3:4775310. Seu costeio e despezas ris
2:5405390, o que tudo balanceado, com o existente
em 31 de dezembro de 1862, resulta um saldo de
Da caixa...
He nd unen lo
do sitio...
Porcentagem
do pao___
Caixa filial do
B. do Bra-
sil joros de
3:4664520
Luit Jos da
C. Amorim
juros de
1:8505000
Boticas, lu-
cros de s/c
Diversas ver-
bas ......
Conta de lucros:
5047
1075920
1375413 2455380
5575147
745000 6315147
1:6955580
22:4505520
25:0225627
Passico.
Prejuizo,pela
morte do
e scravo
Antonio.. 5615500
Despezas ge-
raes con-
forme as
respecti-
vas verbas 23:1815360 23:7425860
1:2795767
Capital.
124:5435315
A' esta extensa, mas necessaria exposicao, por-
que indispensavel era expecificar todas ascircums
l'"39553707qn'e'"figura" a respectiva conta de lu- tancias importantes deste estabelecimento durante
ros e perdas. Importa saber que para este lison-1 o anno da nossa administrado resta acrescentar,
geiro resultado muito lem concorrido a habilidade! senhores, que.todos os meus companheiros d'admi-
incontestavel do nosso socio o Sr. Antonio Pinto O- nistraco animados dos mais sinceros desejos de
zorio digno pliarmaceutico do hospital. i preencher os seos deveres guardaran! entre si a
Ohatomo. mi's perfeila harmona, todos concordes e unsonos
O oratorio ou capella nao cessa de produzr as no pensamento nico de fazer engrandecer e pros-
vantagens, que se esperavam da sua edillcacao. perar oste pi estabelecimento. A todos deve esta
Assim os doenlcs como o publico nao tera se nao a
louvar fio sania instiiuico; seu culto, que mere-
ce sempre os nossos cuidados exigi que se com-
prasse um turibulo e naveta de prata. Era de ne-
cessidade esta despea e assim se considerou era
relacao a outros objectos tambem precisos, os quaes que o obsta a modestia,
nao sendo de (requeme seivico podem esperar pa- -Nao 6 na mioha conciencia que o sinto, mas
assembla o mais pleno c sincero reconhecimento,
todos sem excepeo de um s sao verdaderamen-
te benemritos. Se falta houve a mim, s a mim
a deveis atribuir.
Permitti-me, senhores, que de mim falle anda
ra outras occasides mais opportunas, em que com
mais facihdade o sem grvame se effectue a sua
acquisico.
MOVIMENTO ECONMICO
Se a junta nao lem ufana de vos apresentar nm
saldo vantajoso relativo ao anno de sua gerencia,
tambem nao teni o senlunento de vos offerecer um
quadro lastimoso. E' verdade que a receita ordi
nana devia produzir urna somma muito mais van
sim na falta de aptido que me reconheco, que nao
posso deixar de vos observar que no pesado encar-
go de que me revestisles foi impossivel nao comet-
ler faltas.
A perfeico, senhores, quasi impossivel, ha
dificuldades que sao iosnperaveis anda para as
intelligencias superiores. A minha voz, o sabis
pobre e acanhada. Appello, como a principio
1 til, para a vossa indulgencia, porque diaote de
tajosa, mas infelizmente deixou de entrar quantia | vossa severa justica nao poderia responder. Pos-
superior a 3:6005 de tnensalidades vencidas. As- i so porm asseverar-vos que se commetti erros foi
sim mesmo deve-se dizer que no anno que lindou porque melhor nao entend, minha vontade foi in-
recebeu-se 7:3405, quantia relativamente maor da i teirameute alheia.
que se reabsou em qualquer dos outros annos an-! Se meus actos nao merecerem vossa approvacao
tenores. i inda estaes em tempo de infligirdes em mim o
Pela demonstrado da receita e despeza occorri-; correctivo a vosso alcance; retirai-me o mandato
da no anno lindo, e se inclue ueste relatorio, ve-; com que vos digoastes de novo revestir-me de tao
reis, senhores, que as jolas por entrada de secios subida honra; sinta eu embora o peso de vossa
activos s produzio a somma de 1:7755000 I severidade, comanlo que o Hospital Portuguez de
E' para sentir que de um numero to crescido | Beneficencia em Pernambucoattinja ao maior grao
de Portujiuezes existentes nesta cidade e quasi to-I de prosperidad*- qual o que Ihe deseja o provedor
dos com meios de subsistencia regulares a nossa I que em vosso nome presume ter servido com sin-
associaro apenas conla um diminuto numero de cera dedicaco esta instituico tao proveitosa aos
socios! Os poneos, que nao querem ser indilTeren-; nossos semelhantes, quanto santa na essencia de
tes a nossa pa instituico e que mais ou menos o
vem annualinente cuncorrer com suas joias de en-
trada como sucios electivos, quasi que nao equi-
vale aos que perdemos por motivo de morte, au-
sencia e despedida. Portanto se nao fosse a verba
que resulta das esmolas, com que a candade dos
generosos habitantes desta capital auxilia o nosso
estabelecimento elle nao poderia corresponder ao
fim de sua iustituico.
seus preceitos.
Hecife, 10 de julho de 1864.
Manuel Ribeiro Bastos.
Relacao des bemfeitores que concorreram com da-
divas para o leilao, que favor dos pobres, teve
lugar no dia do aniversario do Hospital Portu-
guez desta cidade, celebrado em 19 de setembro
de 1863 :
As Illm." e Exm." Sr." :
Eis a demonstrado em resumo da receita e des- D. Mara Henriqueta de Jess Marques.
peza a cargo do honrado e prestante
Diuingos Bernardina da Cunha:
Caixa.
Dinhciro recebido da
ad un ni tra cao de
1862........
Dinhero de doentes
particulares......
Dinhciro por entrada
de socios activos.. .
Dinhero por mensali-
dades de socios. .
Esmolas.
Beneficio da eompa-
nhia Xew-York. 7835720
Do Exm. Sr. bfepo D.
Joao........ 1205(100
Do Sr. Tliomaz Xash 2505000
Do Sr. Jos da Costa
Pinto........ 885000
Do llvd. Fr. Francisco
de S. Boa-Ventara.. iuoU00
Dos Sis. Ilarlhiilomcu
Francisco de Souza
& C........ 435160
Do Sr. Joaquini da Sil-
va Campos Maia.. 265200
Exina. Sra. D. Josepha
da Silva Campos.. 205000
Producto do leilao, cu-
jas prendas foram
oflertadas pelas pes-
sas constantes da
relacao juula. 8275000
Beneficio dado pelo St.
Antonio Jos Duarte
Coimbra....... 1:3895260
Do Sr. Luiz Perda de
Paria, como lesta-
menteiro de Jos An-
tonio de Freirs, li-
quidado do legado.. 4495280
Rendimento da salva
em 25 de dezembro. 85400
Dos membros da junta
ad mi nis tra ti va de
1863........ 9465000
Recebido por alugueis.
Rendimento do sitio. 1075920
Porcentagem no abati-
inento do pao..... 1375413
Deixas de doentes que
falleceram......
Dinhero apurado na
botica........
De Jos Mara Navarro
Porto.. .,.....
Do Sr. Luiz Jos da
Cosa Amorim.. .
Transporte..............
Despezas :
Pelas que ficaram por
pagar da administra-
do de 1862........ 1:9365500
Sustento dos doentes e
empregados........ 9:8385350
Ordenados dos empre-
eados............. 5:1915490
Diversos objectos de
costeio............ 3:4515840
Diversos conse tos---- 7925820
Por alfaias........... 1955000
Por movis.......... 5195200
Pela compra de 2 es-
cravos............ 2935000
DinheiroentregueaJoa-
quirn da Silva Costa
[ara despezas com
as quesloes de BentO
AlvesdaCrnz...... 3005000
Despendido com a bo-
tica............... 2:3405390
Saldo que passaparao anno de 1864. R.' 1:2175213
Por esta simples demonstraco se evidencia que
as sommas fotaes de receita e despeza esto in-
f'!?a8.i2* L" 4:2*WW> tade 1862 e na 2.- 1:9365500 de despeza feila e
nao paga pela mesma junta; de sorte que se se
quizesse deduzr esta daquella quantia leria de
bTwEESw ann0 adminis"-a''vo de 1863 em vez
de 4.2445500, emente 2:3085000 e neste caso a
receita exacta sera de ris 24:3415303, e a des-
peza de res 23:1245090, deixando ver, todava o
de'lSeV de !:217*213 1ue Passa P o anno
Quanto ao balanco da conta de lucros e perda*
que em resumo aqu offereco se poder ver qual o
grao de prospendade a que tem chocado o nosso
estabelecimento.
Os Srs. socios que quizerem examinar a exati-
dao e aceio com que todas as verbas de receita e
despeza se acham escripturadas nos respectivos
Jvros, terao a satisfaco de apreciar o cuidado e
zello com que semelhante trabalho foi feito pelo
digno 1. secretario o Sr. Joaquim Ferreira Men-
es Guimaraes, que se faz digno de todo o
louvor.
Activo.
Capital existente em 31 de dezembro
Sr. esmoler D. Carlota Barbosa de Mello.
D. Narcisa Sophia da Costa Maia.
D. Carolina Quintilla de Almeida Soares.
D. Mana Adelayde Buaventufa.
D. Mara Constancia do Mego Villa-Verde.
4.2445500 D. llortencia Ferreira.
| D. Emilia de Moraes Ferreira.
3:6095380 D- Amia Carolina Peixoto de Miranda Rodrigues.
f). Francisca Augusta de Santiago.
1 7755000 D. Francisca Xavier Freir de Araujo.
' D. Francisca de Paula Carneiro Lefio.
7:3105000 D. Leonor Araujo Amazonas Villas-Boas.
; D. Si nhorinlia Mara daConceicao.
! I). rsula Veridiana de Araujo Guimaraes.
D. Josephina Carolina Guimaraes d.e '*"
D. Francisca Lniza de Oliveira Sanios.
D. Adelayde Emilia Pessoa.
1). Antonia Pereira da Cosa Gama.
I). Leopoldina da Cosa Ai aojo,
b. Mana Hita de Souza.
I). Auna S. Carneiro.
; Mara Candida dos Anjos Palmera.
D. Amelia, filha do Sr. Manuel Ribeiro de Car-
valho.
Filha do Sr. Christiano Jos Tarares.
D. Emilia Silveira de Souza.
I). M. Amalia F. Henriques.
I). Luiza Balthazar da Silveira.
I). Mara Natlvidade da Cruz Hallar.
P>Joanna Emilia de Moraes Pereira.
*$)s lllms. Srs. :
Raj mundo Carlos Lcite.
Estovao Xavier da Cunha.
Jos Antonio Pereira da Cunha.
Francisco Jniio de Barros.
Guimaraes & Oliveira.
Francisco Gomes de Oliveira.
Prente Vianna & C.
Marcelino Jos Goncalves da Fonte.
Roberto Luiz Goncalves.
Joao Pereira Moutinho.
Jos Xogueira de Souza.
Ricardo Antonio de Albuquerque Mello.
Jos Maria Palmcira.
Euzebio (taphael Rabello.
Beroardino Francisco de Azevedo Campos.
5.0535020 Joao Ribeiro Lopes.
4055260 Antonio Goncalves de Azevedo.
Bernardo Jos da Costa Valente.
Francisco Ignacio Ferreira.
2435333 Luiz Moreira da Silva.
Antonio Lcite de Magalhaes Bastos.
675866 Jos Joaquim da Costa Maia.
Jos Fernandes Lima.
1:5015950 Jos Monleiro deSiquera.
Custodio Jos Alves Guimaraes.
605000 Jos Joaquim da Silva.
Joao Carlos Coelho da Silva.
55500 Manoel Teixcira Bastos.
26:2775803 F. de M. C.
Bernardino da Silva Costa.
Joao Fernandes Prenle Vianna.
Antonio Pereira de Carvalho Guimaraes.
Waignes.
Jos Maria Pestaa.
Domingos Bernardino da Cunha.
Bernardo de Cerqueira Castro Monteiro.
Houve diversos anonymos que nao quizeram de-
clarar seus uornes.
Muitos oiijcctos depois de arrematados foram no-
vamente oITcrtados; mas dos ofTertantes nao foi
possvel tomar-se todos os nomes; pede-se descul-
pa das omssoes. que todas foram involuntarias.
Srs. socios do Hospital Portuguez de Beneficencia.
A commissao que vos dignastes eleger para exa-
minar as comas da administracao deste pi ins-
tituto no anno de 1863, tendo compulsado os res-
pectivos livros da esenpturacao, e confrontando os
lancamentos da receita e da despeza a cargo do
socio esmoler, com os documentos que os intruem
e justifican), nao so achou tudo arrumado em mui-
to boa ordem do systema adoptado e sempr segui-
do, mas anda observou pelas differentes verbas
do movimento econmico, que o zelo da benemri-
ta administracao em prol do estabelecimento, se
faz sentir em'todas as que dizem respeito a receita
como igualmente ressumbra urna escrupulosa fis-
calisacao das que se referem despeza, pelo que
a commissao de parecer que sejatn approvadas as
referidas conlas, e que Din voto de reconhecimento
se faca solemnemente expressoem honra dos Ilus-
tres funecionarios, que gerirarn esla associacao no
decurso do anno irado.
A commissao, porm, naosecr andadesobriga-
da do que Ibe prescreve o art. 58 dosestatuios,sera
que indique a necessidade de ser admittido um
systema de escripturacao mais claro e de maior
exaccao, no qual os artigos, que constluem o ac-
tivo e passivo do eslabelecimento, sejam discrimi-
nados pela verbas que Ihe sao relativas, exprimin-
ao dest arte por divisSes a somma das diversas es-
pecies, que enlram no mais regular mechamsmo
finaneeiro.
A transmutacao lio fcil, quanto a vantagem
reconhecida, pelo que a commissao espera que
seja esta sua indicacao tomada com proposito de
ser attendida, e mesmo para por em maior relevo
Sala das commissoes do Hospital Portuguez
Beneficencia em Pernambuco, aos 9 de julho
1864.
Joao Pereira RebeUo Braga.
Francisco Joao de Barros.
Joao Baptista Vieira Ribeiro.
25:0605590
PUBLICARES 1 PEDIDO.
Srs. redactores do Diario de Pernambuco,Rogo
a Vmcs. o obsequio de darem publicidade no seu
conceituado jornal a um annuncio que por acaso
deparei com elle, lendo o Mercantil, jornal que se
publica em Macei, que sobo titulo de foOwlim, ahi
vem transcripto no seu numero 78 do secundo an-
no, do 1 do corrente julho.
Com este pedido e com estas rudes phrases, que
anteredem esta transcripeo, s levo em mente
render a devida homenagem ao genio e tributar os
devidos encomios ao dorescente e joven acadmico
alagoano, Joao Lopes de AguiarMuritiba : acad-
mico, que pelo seu exemplar e Hilado proced-
ment, pela sua applicacao s leltras. e finalmente,
pela seu reconhecido e apreciado talento, vive, e
ha de ser urna futura gloria da magistratura bra-
sileira. Pois, temos f robusta, em que esse joven
ilho de Minerva tera um futuro esperancoso e n-
sonho na trra que o "vio nascer, com o que com-
pensar os nobres e inauditos esforcos que seu ca-
rinhoso e desvelladopaitem empregado paradar-lhe
urna educacao primorosa, condigna de si e de seus
Ilustres parentes, a quem tanto a aquelle como a
estes, temos a disiincta honra de bem de porto co-
nhecer e apreciar as suas bellas qualidades.
E, pois, aceite, o distincto acadmico alagoano o
testemunho sincero que Ihe tributamos, pedindo-
Ihe mais que prosiga na sobre carreira que en-
cetou, e continu como priucipiou, que ser ad-
mirado por aquelles que cultivara as bellas lettras.
Recife, 22 de julho de 1864.
S. A. M.
Folhetlm.
A SALA D'AnMAS.
Comecamos a publicar no rodap de nosso jor-
nal o nteressantissmo trabalho histrico do famo-
so rpmancista e escriptor francez-Alexandre Du-
mas ; a sala a"armas, no segundo volume ou parte
rjue se refere aos episodios mais importantes c
interesantes da vida de Mural e de Pascal Bruno,
dividida a primeira em 3 captulos e a segunda
ero 12.
A' excepcao da pequea introducto que prece-
de obra, o folhetim traduzido pelo nosso hbil
comprovinciano, o Sr. Joao Lopes do Agui-r Murl-
Uba, estudante do 3 anno da Faculdade de Direito
do Recife e lilho do Illm. Sr. Muritiba, morador
nesta cidade.
Trabalho das ultimas ferias, a traduccao do aca-
dmico Lopes Muritiba, vai ser conhecida dos le
tores, pelo quo nos dispensamos de dizer urna pala-
vra. A' nossa empreza nos offerecera o estudioso e
joven acadmico alagoano a verso do interessanle
livro de Alexandre Dumas, e de publico Ibe tributa-
mos o agradecimento devido pelo rico mimo feito
s columnas do Mercantil.
v: mais um melherameato que damos nossa
foi ha, visto que nosso fim agradar aos le tores,
unto quanto for possivel contribuir o mais effl-1
oz e poderosamente para realce das leltras na pro-
vincia, moralidade da imprensa e animacao aos
talentos.
Esperamos que, em compensacao, sejam bem '
aceitos nossos esforcos, e bem correspondidos nos-1
sos desejos.
(Do Mercantil de Alagoas.)
0 perfume do lieiuispherio occi-
dental.
Agua florida de Murray \ l.aunaii.
EXTBAIIIDO 1)0 OAILE TIMKS.)
A verdadeira prova da genuidade e pureza de
qualquer um perfume extrahido das flores consiste 1
na sua duradoura existencia quando exposto in-
fluencia do ar. O aroma derivado de leos chimi-
eos desvanece em breve e deixa aps de si um
cheiro por certo mui pouco agradavel, porm
aquelle que obtido mediante a destillaco de
frescas e odoriphoras (lores, se apura e aper"fea
pelo contacto do ar, e por conseguinte a sua dura-
can de maior espaco de lempo. Eis por isso que
a agua florida de Murray k Lanman. formando
urna concentrada produeco das mais raras flores
do sul, apanhadas durante o zenith da sua flores-
cencia e maior fragrancia, nao s possue a fres-
quidao d'um fresco ramalhele, mas tambem in-
destructivel e inextinguivel, a nao ser a ezcepcio
da lavasem do lenco anteriormente humedecido
na mesma.
A* venda em todas as boticas e lojas de perfu-
maras.
54 gigos louca ; a Thomaz de Aquino Fonseca.
5 caixas biscoutis, 3 ditas conservas, 2 ditas sal
retinado, 2 ditas genebra, 1 barril presuntos ; a
Rocha & Pereira.
3 caixas cha, 1 barril agurdente, 1 rollo map-
pas, 1 embrulho gazetas ; a Saunders Brothers.
52 e 1|2 toneladas de pedra, 207 fexes de ferro,
40 barricas barrilha refinada, 30 ditas di la em bru-
to, 4 ditas vidros, 1 dita borracha, 8 ditas ferra-
gens, 5 ditas e 1 caixa estanho, 10 rollos de chum-
bo, 80 caixas folhas do Flandres, 24 bigornas, 30
gigos louca, 6 fardos e 4 caixas colleirinhos de 1-
nho, panno de algodao, tecido de linho, dito de
laa e algodao ; a ordem.
Bergantn) italiano Inda entrada de Genova,
consignado a Burle & C manifestou o seguinte :
8 barris sement de linhaca,56 bailas papel, 11
caixas papel branco ; a E. A. Burle A C
900 caixas massas, 150 saceos pimenta, 60 balas
cravo da India, 10 ditas amendoa, 100 barricas al-
piste, 300 caixinhas enxofre, 90 caixa papel de es-
crever. 230 barris cal hidrulica, 250 caixas ac,
5 ditas vazos, 1 dita alabastro, 26 degraos de mar-
more, 4 caixas busio de dito, 996 ladrilhos de dito,
150 caixas ditos dito, 25 balas flor de alfazema, fl
ditos macella, 450 ditas man, 2 ditas essencia, 1
dita qunino, 40 ditas gomraa arbica, 4 barricas
incens, 12 balas sene, 5 caixas e 2 barricas dro-
gas, i caixa coral, 1 dita bordados de seda, 34 va-
zos de barro para jardira; a ordem do diversos.
Hiate nacional Nicolao l, entrado do Aracalv
consicnado, a Prente Vianna & C. manifestou b
seguinte :
51 caixas com 70 arrobas e7 libras de velas de
carnauba, 44 molhos com 880 pellos de cabra, e
40 meios de sola ; a Prente Vianna & C.
35 molhos com 330 esleirs ; a Joao da Silva
Leite.
278 alqueires de sal ; a ordem.
Exportado.
Palhabote brasileire Piedade, carregou para o
Rio da Prala o seguinte :
1:820 barricas com 11:801 arrobas e 7 libras de
assucar branco.
Escuna bespanhola Prisco, carregou para o Rio
da Prata o seguinte :
1,655 barricas com 9,667 arrobas e 30 libras de
assucar branco, 270 ditas com 2,110 arrobas e 22
libras de dita masravado.
Patacho italiano Amessione, carregou para Ge-
nova, o seguinte :
1,200 saceos com 6,000 arrobas de assucar mas-
cavado e 2,200 couros salgados seceos com 66.807
libras.
Recebedoria de renda* internas
de Pernambnco.
geraes
Rendimento do dia
dem do da 22...
1 a 21...
38:1325838
4075276
38:3405114
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 21......... 68:8675747
dem do da 22................. 2:5085203
71:3755950
CQMMERCIO.
CAIXA FILIAL
DO
K i\C O 1IO BRASIL
EM PERNAMBUCO.
A directora desta caixa, cm virtude de ordem
da directora do Banco do Brasil, avisa aos Srs.
accionistas que o respectivo Ihesoureiro est auto,
risado a pagar o dividendo das accoes da meema
caixa do semestre iludo em 30 de "junho prximo
passado, na razio de 85300 por aeco.
Recife 14 de julho de 1864No impedimento do
secretario, Ignacio Nones Correia.
Alfaudega
Rendimento do dia 1 a 21........ 527:112J297
dem do dia 22................. 20:9225642
548:0345939
Movimento da alfandega
Volames entrados com fazendas...
cotn gneros.
Volumes saludos
com
com
fazendas...
gneros...
67
224
110
509
----- 619
4 1
MOVIMENTO 30 PORTO.
Navios entrados no da 22.
Barcelona38 das, patacho hespanhol Adelaiie, de
175 toneladas, capito D. Sebastian Merambell,
equipagem 12, carga 1,096 barricas com farnha
de trigo; a Aranaga Hijo & C.
Aracaty13 dias, hyate brasileiro Exalacao, de
37 toneladas, capilo Trajano Antonio da Costa,
equipagem 5, carga carnauba, couros e outros
generes; a Benvindo Gargel do Amara!.
Ass10 das, hyate brasileiro Nicolao I, de 43
toneladas, capitao Trajano Theodomiro de Mou-
ra, equipagem 7, carga couros, sal e outros g-
neros ; a Prente Vianna & C.
Trieste 46 dias, brigue nglez Jane Thompson, de
124 toneladas, capillo Willam Richards, equipa-
gem 7, carga 1,410 barricas com farnha de tri-
go ; Johnston Pater 4 C.
Baha5 dias, brigue hespanhol Toro, de 282 tone-
ladas, capitao Jos Ferr y Bayres equipagem 12,
em lastro ; a N. 0. Bieber & C.
New-Zelandia70 dias> tendo sabido de New-Bed-
ford, a 52 mezes, galera americana Sophea
Thornton, de 423 toneladas, capito \V. P. Bngo,
equipagem 27, carga 1,200 barris de azeite de
espermacete; ao capito. Veio refrescar, eseguio
para New-Bedford.
Nadas saludos no mismo dia.
PenedoUvate brasileiro Amelia, capilo Antonio
Jos Rodrigues Pinheiro, carga differentes gne-
ros.
Genova-Escuna italiana Annessione, capilo Ge-
volamo Molenan, carga varios gneros.
Rio da Prata Escuna liespaohola Prisca, capito
1). Heorique Millet, carga assucar.
Acaract e porlos utermedius -Vapor nacional
Ma/mnguape, commandantc Moura.
Becco da Caraiba.
N. 5 particular e 10 publico casa ter-
rea........1495000
Ra do Fagundes.
X. II particular e 32 publico casa ter-
rea. .... 1555000
N. 12 particular e 34 publico casa ter-.
rea......' 1445000
Ra da Calcada.
N. 21 particular e 38 publico casa ter-
rea........ 1365000
Travessade S. Pedro.
N. 28 parlcular c 2 publieo, 2 andares. 3005000
Ra de Horlas.
N. 29 particular e 41 publico, um an-
dar e sotao. 2885000
Ra de Santa Tbereza.
i N. 31 particular e 7 publico casa ter-
rea........1975000
Ra do Cbug.
N. 34 particular e 1 D publico loja. 4775000
] Ra da Roda.
N. 36 particular e 5 publico casa ter-
; rea........965000
N. 92 particular e 1 publico casa ter-
rea........1205000
Ra da Imperatriz
N. 47 particular e 68 publico casa ter-
rea........ 3065000
Becco do Quiabo.
N. 49 particular e 8 publico casa ter-
rea........ 1445000
Ra da Glora.
N. 51 particular e 65 publico casa ter-
rea. ... ... 1445000
Ra de S. Rom Jess das Crioulas.
X. 61 particular e 8 publico casa ter-
rea.........1315000
Ra do Padre Floriano.
X. 66 particular e 63 publico casa ter-
rea........ 1445000
Ra da Seuzala Velha
X. 71 particular e 25 publico casa ter-
rea........ 1455000
Patrimonio de orphaos
Ra de Imperador.
N. 2 particular e 81 publico 2 andares. 1:2025000
1 Ra de S. Goncalo.
N. 10 particular e 2z publico casa ter-
l rea........
i Ra dos Pires.
X. 13 particular e 39 publico casa ter-
rea. .
Ra do Vigario.
N. 72 particular e 27 publico 2 anda-
1 res........6035000
Ra da Senzala Velha.
X. 80 particular e 132 publico 2 anda-
res........4105000
X.82 particular e 16 publico casa ter-
! rea........2015060
Ra do Pilar.
X. 91 particular e 105 pnblico casa ter-
rea........1635000
, X. 94 particular e 99 publico casa ter-
rea........
X. 105 particular e 94 publico casa
terrea.........
Ra da Madre de Dos.
X. 36 particular e 2 publico casa ter-
rea..... ... 1825000:
Becco das Boias.
X. 39 particular e 18 publico 2 anda-
res........ 3605000
Ra do Amorim.
X. 56 particular e 26 publico casa ter-
rea........ 1205OOO
Mirueira.
X. 4 particular sitio.....2135000
TtfElTRO
DE
APOLLO.
HOJE
S libado, 23 de julho.
Terccira representaco em que tomar parle
A FAMILIA SAWYER
Primeira nolahilidade europea,
nica no seu genero, conhecida sob a denominaco
de celebres
CAMPANLOGOS
ESCOSSEZES
dando um concert com a sua colleccao de
150 CAMPANHIAS.
conforme o seguinte
nt4H.lt t II H \
PniMEIRA PAUTE
Io A grande marcha Real Sarda, composla em
honra de S. M. el-rei Vctor Emmanuel.
2. Grande phantasia chineza composta pelo di-
rector E. \V. Sawyer. (Nova)
SECUNDA PARTE
Io Coro de Gitanos e aria da Assucena da opera
Ti-otador.
2.- O terceto da Zarzuela hespanhola La Vieja.
(Nova.)
Xos interv.illos a enmpanha dramtica dirigida
pelo artista Fuado Coelho, representar o muito
apreciado drama em 3 actos
OS AMORES
DI
1835000
1045000
Ordem do espectculo
As doas partes do concert tero lugar nos dous
intervallos do drama.
PRECOS.
Camaroles 1" ordem 125000
2" 165000
3' 105000
Cadeiras 35000
Platea 25000
Varanda 15000
O espectculo principia s 8 horas.
Os bilhetes estao a venda no escriptorio do thea-
1735000 tro, no dia do espectculo durante todo o dia, des-
de s 8 da manha.
2545000
Secretaria da Sania Casa da Misericordia
Recife, 22 de julho de 1864,
O escrivo,
Cavalcanli Cousseiro.
F.A.
Coiiselho administrativo.
administrativo para fornecimento do
comprar os objectos se-
EDITAES.
o estado progressivo de prosperdade, que de anno!
R?r a?.vai offerecendo esta instituicao divina pe-
a candade que exerce, e patritica pelo amplexo
da fraternidade que estreita.
Descarregam no dia 23 de julho.
Brigue portuguezSo6ciano=vinhose outras mer-
cadorlas.
Brigue nglezFom/? fazendas.
Escuna ingleza Fortnale mercadorias.
Brigue hespanhol Tlumoteo l farnha de trigo.
liaren ingleza(Hindcarvo de pedra.
Impotacao.
Brigue inglez Florist, entrado de Liverpool, con-
signado a Mills Lalham & C, manifestou o se-
grate :
91 fardos e 108 caixas tecdos de algodao e de
la e algodao, 1 dita 1 burra de ferro, 1 dita pren-
sa de copiar ; aos consignatarios.
19 caixas tecidos de algodao. de linho, de la e
lencos de linho ; a J. Keller & C.
1 barrica torcidas de algodao, 1 dita candieros,
1 dita charranes, 3 ditas caoos de chumho, 30 bar-
rilinhos chumbo de rnunco, 4 caixas machinas
para descarocar, 1 barrica moinhos para caf, 2
fexes rodas, 10 barricas enxadas, 2 ditas metal
bntannico, i ditas ferragens, 1 caixa cutileiria, 1
dita pennas d'aco, 3 fardos fio, 5 ditos tecido de li-
nho, 4 ditos refugo de algodao, 3 caixas phosphoros,
10 barris breu, 2 ditos cerveja, 40 barrilinhos sa-
litre ; a S. P. Johnston & C.
95 caixas folhas de Flandres, 4 ditas estanho ; a
Mello Lobo & C.
1 corrente e 47 barricas ferragens; a Prenle
Vianna 4 C.
2 caixas cognac, 2 ditas vnho; a Sempson & C.
lo barricas raanteiga; a Fontes.
5 caixas tecido de algodao, 1 barrica louca a
Braga Son & C. *
30 barrilinhos salitre 5 aBartholomeu Francisco
'-u ouiza.
28 fardse U caixas tecidos de linho, ditose
pannos de algodao, 1 barrica cutileiria, 2 ditas cer-
veja, 3 ditos carne, 1 caixa queijos, 6 ditas selns,
1 barrica vidros, 8 ditas dobradices, 8 ditas ferra-
gens, 35 feixes chapas para fogo, 1 barrica lampos,
4 fardos lio, 70 feixes e 815 barras de ferro a
Patn Xash & C.
1,000 barrilinhos plvora, 21 fardos tecido de
algodao ; a Adamson Howie & C.
7 caixas biscoutos, 1 dita louca, 2 barricas vi-
dros, 46 ditas enxadas, 4 ditas tintas, 16 ditas e 3
caixas ferragens j a Isidoro Netto.
200 caixas sabao, 9 barricas tintas, 2 caixas pre-
gos, 6 ditas metal amarello ; a Jos Antonio de
Aranjo di C.
1 caixa brim de linho ; a Phipps Brothers & C.
1 caixa brim de linho, 1 dita cassa, 1 embrulho
litteratura ; a E. Fenton.
1,046 caixas sabio, 100 saceos arroz, 10 caixas
tecidos de linho e algodao e de algodao e la cas-
sas, brim de linho etc. ; a J. Pater 4 C.
1 sacco amostras, 1 caixa, 1 cesto e 1 barrica
ditas de louca ; a diversos.
O Dr. Ernesto d'Aquino Fonceca, cavalleiro da or-
dem de Christo, juiz d'orphos e ausentes do ter-
mo da cidade do Recite, capital da provincia de
Pernambuco, por Sua Magtslade o Imperador a
quem Deus guarde, etc
Faco saber aos que o presente ediial virem e
delle noticia tiverem, que, procedendo-se por este
juizo s diligencias da le, foi por mim, no respec-
tivo processo, julgada alienada e incapaz de admi-
nistrar sua pessoa e hens, Candna Correa Duarte
d'A.liuquerque, branca, solteira, moradora nesta
cidade, dando-se-lhe curador na pessoa de Luiz do
Reg Barros, cajo cargo acceitou e delle se acha
investido, e com quem se devero entender todas
as pessoas, que com dita alienada tiverem nego-
cios.
E para que pessoa alguma possa validamente
com ella contratar, e liquem nullos e de nenhu)
efleito quaesquer contratos, que com a mesma pos-
sam ser celebrados, mandei passar o presente que
ser afflxado no lugar publico do costume, depois
que houver passado por onde compete, e publica-
do pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade de Santo Antonio
do Recife, capital da provincia de Pernambuco,
aos 16 de junho do anno do nascimento de Xosso
Senhor Jess Christo, de 1864, 43 da independen-
, ca e do imperio do Brasil.
Eu Joao Facundo da Silva Guimaraes, escrivo
: o subscrevi.
i Ernesto i'Amina Fonceca.
O Dr. Hermegenes Scrates lavares de Vasconce-
los, juiz municipal da Ia vara desta cidade do
Recife de Pernambuco e seu termo por S. M.
Imperial etc.
Faco saber em como por esle juizo se ha de
arrematar por venda, (indos os dias da le e pra-
vas successivas, urna escrava de nome Firmina,
croula, com 16 anuos de idade, sada, avahada
por 6005. cuja escrava foi penhorada D. Rita
Francisca de Carvalho Paes de Andrade, por exe-
cuc-o de Felippe Menna Callado da Fonseca.
E para que chegue ao conhecimenlo de todos
mandei passar o presente, que ser afflxado no lu-
gar do costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco aos 19 de julho do 1864. Eu Manoel
Jos da Molla, escrivo o subscrevi.
Herraogenes Socrate;> Tavares de Vasconcellos.
O Illm. Sr. director da escola normal manda
fazer publico que no dia 25 do corrente eslaro
abenas as aulas da referida escola das 7 horas em
dianle.
Secretaria da escola normal de Pernambuco 22
de julho de 1864.O secretario,
Maximiano Lopes Machado.
O comelho
rseual de guerra tem de
uintes :
Para o 2 batalho de infamara.
.Papel almacoO resmas.
Pennas de. ac 6 caixas.
Pennas de a've 200.
Caivetes 2.
Tima preta 6 garrafas.
Lapis de pao 6 duzias.
Areia para escripia ti libras.
Collcccoes de cartas para principiante 36.
Grammaticas portuguezas por Monte Verde, ul-
tima ed cao, 12.
Taboadas 36.
Compendios de arilhmetica por Avila 12.
Pautas 12.
Traslados 36.
Podras para escripia 6.
Lapis para as ditas 18.
Quem quizer vender laes objectos aprsente a
sua proposta em carta fechada na secretaria do
ronselho.s 10 horas da manha do da 25 do cor-
rente mez.
Sala das sessoesdo conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 18 de julho
de 1864.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Sebastiao Josa Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
A cmara municipal desta cidade, em cum-
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
XavegacSo costelra vapor.
Macei e escalas.
Xo dia 25 do cerrente seguir
para os portos do sul o vapor Pcr-
sinunga, commaodante Ralis. I.
deja recebe carga al o dia 23.
Encommendas, passageiros e di-
neiro a frete at o dia da sabida s 2 horas da
tarde : escriptorio no Forte do Mato n. 1.
COMPANHIA BRASILEIKA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte esperado
at o da 2 de agosto o vapor
Paran, commandante o capito
de fragata Santa Barbara, o qual
depois da demora do costume se-
guir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinhciro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio .uiz de Oliveira Azevedo & C.
~ COMPANHIA BRASILEIKA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos porlos do sul eslien-
do at o dia 30 do corrente o va-
por Oyapock, commandante An-
tonio Marcelino de Pontes Ribei-
ro, o qual depois da demora do
costume seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinhciro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
primento do offlcio do Exm. presidente da provin- iras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tnoLio uiz de Oliveira Azevedo & C.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o veleiro e
bem conhecilo palhabote nacional Piedade, tem
parte do seu carregamento engajado : para o res-
to que Ihe falla e escravosi a frete, para os quaes
I tem excedentes commodos, trata-se com os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo,
la da Cruz n. 1.
cia, datado de 7 de julho do corrente anno, e de
conformdade com o art. 3 do decreto n. 353 de
12 de julho de 1845, convida aos propretarios dos
predios sitos na ra do Trapiche, lado da mar,
comparecerem no paco municipal, alim de fazercm
as declarares e reclmacocs qne julgarem neces-
sarias a bem de seus direitos, relativamente a de-
sapropriaeo de parte dos rnesmos edificios para
, alargamelo da dita ra.
Xo mesmo paco municipal fica exposto ao exa-
prctende sahir com
tem parte da carga
engajada para o resto que lhes falta e escravos a
frete, tratase com os consignatarios Palmeira &
Beltro, largo do Corpo Santo n 4, primeiro andar.
Para Lisboa pretende sahir com brevidade o
patacho portuguez Jareo, tem alguma carga enga-
jada, para o resto que Ihe falta, a felo rommodo,
tratase com os consignatarios Palmeira & Beltro,
largo do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
me dos ditos propretarios por espaco de 10 dias, a
contar da data deste, o plano do a'largamento da Para Rio de Janeiro
dita 1 ua, podendo os mesmos proprielarios fazer brevidade a barca Barreta,
as suas reelamaedes verbalinenle ou por escripto,
com tanto que nao excedan) ao praso cima mar-
cado.
Pa^o da cmara municipal do Recife 14 de ju-
lho de 1864.
Luiz Fraecisco de Barros Reg,
Presidente.
Francisco Canuto da Boaviagem,
Secretario.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda desta provincia se faz publico que
no dia 27 do corrente s 2 horas da tardp, peran-
te a mesma thesouraria iro a praca para serem
arrematatados por quera mais dr, os materiaes
que se podererr. aproveitar dos propros nacionaes
sitos era frente do arsenal de marraba que teem de
ser demolidos por ordem do governo imperial, sen-
do a demolico feila cusa do arrematante dos
materiaes.
As pessoas quem convier dita arremataco de-
vero comparecer no referido dia e hora marcado.
Secrelaria da thesouraria de lazenda de Pernam-
buco, em 20 de julho de 1864.
Servindo de offlcal-maior,
Manoel Jos Pinto.
DECLARARES.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A Illm.'junta administrativa da Santa Casada
Misericordia do Recife, manda fazer pub&o que
no dia 28 do corrente pelas 4 hor;; aa l>r(je na
sala de suas sessoes tem ue r praca as rendas
das casas eto seguida declaradas por tempo de
um tres annos.
Os pretendenles devem comparecer acompa-
nhados de seus fiadores ou munidos de cartas
destes.
Estabelecimenlos de caridade.
Ra Direila.
N. 3 particular e 8 publico, 2 andares. 1:0675000
Ra do Padre Floriano.
N. 5 particular e 49 publico casa ter-
rea. .... 1805000
N. 6 particular e 47 publico casa ter-
'!'......1865000
W. 8 particular e 43 publico casa ier-
re........ 1695000
Conselho administrativo.
0 conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra em cumprimento ao art 22 do
regulamento de 14 de dezembro de 1852 faz publi-
co que foram aceitas as propostas dos Srs. abaixo de-
clarados :
Para a enfermara militar da provincia das
Alagas.
Francisco Pereira da Silva :
50 carapucas de algodao a 640 rs.
Manoel Rodrigues da Costa Magalhaes :
2 cacarolas de ferro, pequeas, a 25000.
2 chaleiras grandes, de ferro, a 35200.
2 navalhas de barbiar, por 45-
1 duzia de facas e garfos, por 35200.
2 panellas grandes, de ferro, a 95-
2 ditas pequeas de dito a 45-
Ao administrador da casa de detencao ;
50 nares de chinellas a 15120.
Custodio Longuinho Braga :
50 escarradeiras de lalo a 2540P.
Custodio Carvalho & C. :
46 mantas de algodao a 15750.
50 ditas de la a 25600.
216 covados de chita para cubera a 390
Jos Antonio dos Santos Coelho :
1009 varas de bnm fino a 520.
96 ditas de madapoln a 370.
Joao Baptista da Matta :
40 tigellas pequeas, a duzia a 15560.
O conselho avisa aos mesmos Srs. que devem re-
colher os objectos comprados no dia 29 do cor-
rente, na secretaria do conselho, as 10 horas da
manha.
Secretaria do conselho administrativo para for-
necimento do arsenal de guerra, 22 de julho de
1864.
Sebasttao Jos Basilio Pyrrho,
Vogal-secretario.
Para Lisboa.
Vae sabir em poucos dias com a carga que tiver
o brigue portuguez Confianca, quem quizer car-
regar ou ir de passagem entenda-se com os con-
signatarios Carvalho & Xogueira na ra do Apol-
lo n. 20 ou com o capito.
Festividade de N. S. das le-
ves na Parahiba.
Havendo numero sufficiente de passageiros, lar-
gar deste porto para o da Parahiba, um dos va-
pores da Compaohia Pernambucana, na tarde de
4 de agosto prximo, devendo voltar no dia 8. As
pessoas que desejarem assstir aquella festa, quei-
ram inscrever seus nomes, desde j, e at o dia 30
no escriptorio da Comnanhia, Forte do Mattos nu-
mero 1.
Para o Aracaty e Cear
pretende seguir com muita brevidade o hiate na-
cional Dous Amigos, tem parte de seu carregamen-
to promplo ; para o resto que Ihe falte, trata-se
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C., no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1, ou como capito no trapiche do algodao.
Cear, rlarauho e Para
Segu at o flm do mez o patacho nacional An-
dr, de 1 marcha e f classe, recebe carga: a tra-
tar com A. de A. Porto, na ra do Vigario n. 10,
ou com o capito Ralis, a bordo, ou no trapiche
do algodao.
LEILOES.
LEILAO
DE
3 lindos escravos
O agente Almeida levar leilao tres escravos
sendo urna negrinha de 9 10 annos, nm raole-
que de 7 8 annos e um outro raoleque de 6
7 annos.

UylUIlLADQiV
"-T^U
W


^^i^__l

Diario de i'eraambneo --. ft.-ihbado 93 de .mili He !_.
I

IIOJU.
no armazem da ra da Gadeia n. 48, s 11 horas
do da.
LEILAO
DE
UMA ESGRAVA.
O agente Almeida levar oovamente leilao por
' despacho do Illm, Sr. Dr. juiz especial do com-
mercio a escrava Benedicta aprehendida a Jovino
Carneiro Machado Kios, socio fugitivo da firma de
Paria & C, visto a pessoa que havia protestado
contra semelhante venda ler retirado o protesto.
No armazem da ra da Cadea do Recife n. 48,
s 11 horas.
DE
1 turro de passeio e 6 ca valles.
Megunda-feira 95 do corrale.
O agente Pestaa legalmeote autorisado vender
m leitao por eonta e risco de quem pertencer 1
carro de passeio com todos os arreios em bom es-
lado e 6 cavallos todos adestrados e acostnmados
ao servieo de carros, pelo que convida a todos os
possuidores de carros para compraren) bons ani-
maes, pois que a occasiao boa : segunda-feira
2o do corrente Dlas 12 horas da manha no largo
.do Corpa Santn ___________________
DE
L'ma mobilia de Jacaranda com tampo de pedra,
1 dita de amarello, 1 mesa elstica, 1 dita com
2cabeceiras, 1 guarda vestido, 2 lavatorios,
marquetas, mesas, cadeiras, 2 carteiras, 1 relo-
gio de mesa, 3 ditos de parede, 6 quadros, 1 es-
pingarda, 4 castieacs e mangas, 2 grandes es-
petaos moldura dourada, 17 caixas com charu-
tos, 163 libras chocolate, 54 duzias ciuluroes, e
'.i pegas elstico de seda.
Tercafeira 26 dejulho.
O agente Pinto far leilao por centa de diversos
de todos os objectos cima mencionados existen-
tes no armazem do sobrado da ra da Cruz n. 57,
aonde se effectuar o leilao s 10 horas do dia ci-
ma dito.
LEILAO
DO
Brlgue nacional Algrete.
Quarta-feira 27 de julho, s 1 i horas, em frente
da assoeiaco eomtnereial,
O agente Pint liar leilao requenmento de
Joaquim Juvencio da Silva e por despacho do Illm.
Sr. Dr. juiz de orphos do brigue nacional Alegre-
f', ancorado neste pono com todos seus pertences,
de conformdade com nm inventario existente em
poder do mesmo agente : o leilao ser effectuado
ni dia, hora e lugar cima dito podando os pre-
tndeme examinarem desde j o mesmo brigue.
AVISOS DIVERSOS.
Assoeiaco Typographica
Peraambucana.
Haver sessao extraordinaria do conselho, do-
mingo, 24 do corrente.s II horas da manhaa.
Recife, 19 de jullio de 1864.
Jesnino Francisco Regis,
Io secretario.
SVHiO A LUZ
KST A VE:>A"NA MVRAIIIA DO Sr. GeRALDO
IIL'A ESTREITA DO ROSARIO N. 12 AS
NOCES I
DE
PARTIDAS OOBRAOAS
OFFKIWCIDAS
A Assoeiaco ComiMTCial Beneficenlc'
Ama.
Precisa-se de urna ama que sa-
ba bem cosinhar e que soja amito
aceada e laca compras : ua roa da ^
Cadeia do Recife n. 38, primeiro %g
andar. 9
DE
M.
l>i:il\AMIII(U
ron
Fons&cade Medeirot.
P^ILIIVH
Na Cafuinga Velha osla a disposicSo do
concurrentes um excellente hilliar das 9
oras do dia at s 42 da noite.
D. Haria Herminia dos Passos, competente-
mente ^otoiisada pelo Dr. director garal da ins-
truccao publica, faz-seiento o respeitavel publico
e com specialidade aos -pato de familias, que tem
aborto ana aula de primrtras letrns .costura, na
deVetoda^Sa STlttS 53*3 a do norias a. mS terrea, onde offerece seu
ao seu procurador SSZ- *_*&e concurrencia dos mesmes pas
Aviso em tempo.
O abaixo assignado tem entregue as contas dos
que liqnidatario, .
cisco Mello lavares, para seren cobradasamtgavel
ou judicialmente. _
Recife, 18 de julho-de 1764.JoioCarlos Bas-
tos Oliveira.
de familias.
AMA
Precisa-se de urna ama para comprar', cozinhar
e enginmar para duas pessoas : na ruado Livra-
mento n. 22, segundo andar.
POMTGUEZ DE LE I MU EM PER-
iVUlBlJCO.
Por ordem do Illm. Sr. presidente do coflseilio
deliberativo convido a todos os senhores socios ef-
feclivos para se reunirera em sessao ordinaria da
assembla geral, nos salos do Gabinete, no dia 24
do corrente, ao meio dia, para o disposto nos s'5 1
e 2 do art. 43 dos rossos estatutos.
Secretaria do consolho deliberativo do Gabinete
Portuguez de Leitura era Pernambuco aos 20 de
julho de 1864.
F. I. Tinoco de Souza
^_________ 1." secretario._________
-^ Precisa-se de um bom official de barbeiro, de
boa conducta : a tratar na travessa da ra do Vi-
ga riottf. _________ ___________
O aioaixo assignado, juiz de paz do 2o distriC'
to da freguezia de S. Fr. Pedro Goncalves da cida-
de do Recife, contina a dar audiencia nos dias de
quarta-feira e sabbado, na casa de sua residencia
na ra do Pilar n. 141, pelas 4 horas da tarde.
Luiz Antonio Goncalves Penna.
Dinheiro
D-se dinheiro ajaros sob hypathcea on penho-
res de ouro ou prata at a quantia de 2:00GS090 : J
quem pretender, dirija-se roa do Quemwdo nu-
mero 73.
Lava-se e engomma-se com muita per-
feiclo na rna flo Sebo n. 19 :
Camisas a
Calcas a
Palelots a
Colletes a
80 r.
120 rs.
320 rs.
60 rs.
;
O abaixo assignado tem deliberado, em con-
sequencia de se achar gravemente doente, o sea
irmao agente de leiloes desta praca Hygino Augus-
to de Almeida, de fechar o armazem da ra da
Cruz em que o mesmo funecionava; por esta ra-
zo pode, as pessoas que deitaram trastes e mais
objectos, de irem retira-los dentro de tres das,
tempo em que tem no referido armazem pessoa
designada para este fim. Recife, 20 de julho de
1864.
Augusto Hygino de Miranda.
Aluga-se o 2" andar do sobrado n. 79, na ra '
do Imperador : a tratar na ra do Crespo n. 15.
Os abaixo assi^nados deelaram que Luiz Fer-1
nandes de Torres Marinho deixou de ser seu cai-
xeiro de cobrancas. Recife, 19 de julho de 1864.
_____________Silva Antunes & Irmo._______j
Domingos Rodrigues de Andrade faz sciente [
que o Sr. Manoel Joaquim Daptista Jnior deixou
de ser seu caixeiro desta dala em diante. Recife
20 de jullio de 1864._______________________|
Precisa-se de urna criada livre ou escrava,
que saiba cozinhar e engommar : na ra das Cru
zes n. 42, primeiro andar._____________________
Offerece-se urna ama para cozinhar e com-
prar : a tratar no becco Largo n. 23.___________
Offerece-se urna mulher de meia idade que
sabe cozinhar, para casa de pouca familia ou ho-
mem solteiro : no pateo do Carmo n. 10._______
Arrendasej vende-se, ou mesu.? lroca-se Por
cSfl* na praca um sitio na Varzen iu'ar8e,n do
ameno Caplborlbe, com duas grandes cas**- ctom
7 quartos, 4 salas, S cozinhas e um soto, tenu.i a
parte eochoira, estribariSj e tartos para cri'jS, <
todo plantado de arvores de Iructo, abacates, sapo- j
lis, fructa-pao, limo doce, limas de umbigo e da
Persia, larangeiras de umbigo, sellas, tangerinas, r
efe, um grande cafesal com frucia.*. jaqneiras, J^
mangueiras, coqueiros, dendezeiros, com mais no tj,
fundo urna casa de taipa, e bem assim mais ca- i^
sas de lijlo acabadas de pouco tempo, com frente '
para o nascenle, muilo frescas, tendo cada urna 2
salas, 2 quartos e cozmha fra : os pretendentes
dirijara-se ra do Queimado n. 27, luja de fazen-
das dos Srs. Custodio A Carvallio.______________
Miguel Jos Barbosa Guimaraes socio prin-
cipal da firma de Guimares & Lima, faz scienle
a todos os devedores a esta tirma que tendo falle-
i
m
mmm mm mmmm
O Dr. Carolino Francisco de Lima San- *
tos, continua a residir na ra do Impe-
rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro-
curado a qualqticr hora do diae da noite
para o exerrieio de sua proflssa de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
^eio dia at 4 horas da larde, devem ser
j': >s por escripto. O referido Dr.
"'1,,".. -ndo nunca o esludo das
nao abano... :.lf ro,e,
malor afflnco, no das ma. >.
cadas operacoes. como spjam u.
ourinarios, dosolhos, parios, ele.

ergaos
Aluna-se o quarto andar
do sobrade da ra
cido o socio Jos de Almeida Nunes Lima, est Nova n. <9 : a tratar na ra da Cadeia n. 62, se-
procedendo a liquidacao da mesma c por isso pe- gundo andar.______________________________
de a lodos os devedores o especial favor de man-
daren) saldar sens debitas o mais breve possivel.
Becife, 9 de julho de 1864.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-1
na a residir na ra da Cruz. n. 53,
1 e 2o andar, onde pode ser procu-!
rado para o exercicio de sua profis-1
sao medica, e com especialidade |
sobre o seguinte
Antonio Jos Cordeiro
Simoes
Agente de lelles
Ra oa Cadeia do Rkcife h. 48, primeiro
ANDAR.
Io molestias
2o
3o
3--RUA ESTREITA DO R0SARI0--3
Francisco Piulo Ozorio contina a col-
locar dentes artificiaes tanto por meio de
molas como pela presso do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
fiquem a vontade de seus donos, tem pos
e outras preparares as mais acreditadas
para conservacao da bocea.
de olhos;
de peito:
dos orgos geniti
urinarios.
Era seu escriptorio os doenles se-
ro examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d s
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Aluga-se o terceira andar do sobrado da ra
do Amorim n. 37 : a tratar na ra da Cadeia n.
62, segundo andar.
Aluga-se a lo adacasa n. 4i) da ra das Trio-
cheiras : na ra da Aurora n. 36.
Precisa-se alugar urna preta que saiba cozi-
nhar e engommar : quem a tiver, dirija-se ra
do Trapiche n. 4, que achara com quem tratar.
Aluga-se o terceiro andar da casa n. 48 na
ra do Trapiche : a tratar no armazem da mesma
; casa.____________________________ _______
i (irammatica ingleza e portugueza.
D. Appleton & C. livreiros.editores e importado-
res em New-Ynrk, Estados Unidos da America,
acabam de publicar um novo melhodo para os in-
glezes aprciidcreni a lingua portuguoza por F.
Grancrt, 1 vol. 12 mo.
Es'e livro, o melhur at hoje publicado ex-
pressamente imprpssopara supprir a immensa fal-
n. 33, compram-se obras de ooro, prata e podras ta que ha de urna grammatica ingleta e portu-
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en- geza, para aquelles que f.nllam u inglez e que de-
commenda, e todo e qualquer concert, e igual-. sejam aprender a lingua portnpiieza.
mente se dir quem d dinheiro a premio. ; d. Appleton & C. sao os editores das obras em
Precisa-se de urna ama para cozinhar, en- bespanhol para educacao miiiii5siiii usadas no
gommar e comprar; familia de duas pessoas : na sol da America. Tamben publicam os melhores
ra de Santa Thereza n 14. I alhuns para cartdcs de visita.
Aluga-se ama preta para vender po-de-l,
bolos, ou outra qualquer cousa, de 1 s 7 horas da
tarde : quem precisar, dirija-se esta ty|>ogra-
phia que achara com quem tratar.______________
Na praga da Independencia, loja de ourives
\\ Antonio Luiz de Oliveira
vedo & C
gente* do Banco Unio do Podo.
Competentemente autorisados sacam por todo
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre Banb of London.
- Precisase alugar urna preta para tolo o ser- i Sories para Saiit' luna,
vico de casa de pouca familia : na ra Direita nu- Novas surtes, tanto para senlioras como para bo-
mero 78.___________________________________ | mens, de mu bom gosto, e galantissimas, eompos-
- Precisa-so de urna ama escrava ou forra pa-' las de proposito para os festivos dias da gloriosa
ra casa de pouca familia, qne cozinhe e engomme: Sant >nna, nos quaes os amantes do jogo de sortes
a tratar na ra de Santa Rila n. 40, primeiro devem achar tudo quanto desojaren conforme seus
an(j.ir estados e condigoes, cerios de que devem exacta-
mente cumprir o que as sortes Ihes dictarem.
Paris
Hamburgo
liare.'I lona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Frederic S. Ballin & C.
Joo Cabe & Filho.
Francisco Rahoba & Ballisla.
Jaime Meric.
Crdito commercial.
i Gonzalo Segoria.
i M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
~; Revista do Instituto Areheolo-
^^c' gleo e Cieograuhico Pcrnam-
bucano.
Acham-se venda os 3 primeiros nmeros, na
livraria Econmica de Jos Nogueira de Souz,
junto ao arco de Sanio Antonio, onde se subscre-
ve para esta Revista :
Por anno .... &3000
Nmeros avuUo 15.*>00
kM W U;
Precisase de nma ama de leite que seja sadia e
sem filho, paga-se bem : na ra do Mondego n. 2,
dnfronte da padaria do Saraiva.________________
Na ra da Palma n. 41, taberna, lava-se e
engemma-se com toda a perfeigao.______________
A viso.
Precisa-se de 4 6:00 ',5 a juros sobre bypothe-
ca em um predio de multo maior valor : a tratar
na ra Velha. casa n. 3._______________________
Precisa-se di um caixeiro qne lenha pratica
de taberna : a tratar na ra da Praia, armazem
n. 43.
Faltando anda no archivo
dsta typographia -1 volnmes
encadernados deste .Wiario, ro-
ga-se as pessoas que os levaraui
ptr empeestlniase dignen man
da-los entregar, nao se mandan-
do buscar suas moradas ( bem
que nao se ignore) pela incerte-
za da hora ein que se encontra-
r o rm casa.___________________
BERNARDO ILlll'RZIAQl'E V E'fCHE-,
(ODIEN, niacliinista francez, que concertava MA-
CHINAS DE COSTURAS nesta cidade, mudou-se
para o Recife, onde esta sempre prompto a concer- ^a 0 joaquim'Leopoldino de Afaujo Chaves, coal-
tar ditas machinas, e fazer qualquer outro trabalho mandante superior de Tlianhua, no inhamuns, que
concernente sua arle : as pessoas que de seu i,,m ordem deste senlior para entregar aqui 500-5
prestimo se quizerem utilisar podem dirigirse ;i domingos Jos Ferreira Guimares, queira ap-
roa da Cruz n. 46, primeiro andar, litliograhia do parecer na ra do Queimado n. 37, loja de ferra-
Sr. Ridoux._________________________________ gens, ou annunciar sua morada para ser procu-
rado.
Ainda est para alugar a casa da ra Augus-
ta n. ti : tratar na ra Nova n. "O.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 10
da ra do Raugel: a tratar na taberna do mesmo.
Precisase de una ama para todo servico de
urna casado piuca familia : na ra do Vigario nu-
mero 17.
mmm mmmm mm mmmmm
9C 'oinpanhla fldelidado lo |jg]
seguros martimos e ter- g
restres estabcleclda no |
Rio de Vanciro.
_S AGENTES EM PBPNAUBUCO _l
9 Antonio Luiz de Oliveira Azeveilo i C, |^
competentemente autorisados pela direc- g
toria da companbia de seguros Fidelida- H
S de, tomam seguros de navios, mercado- |8
S rias e predios uo seu escriptorio ra da g
" _6_^i^_s:^i^i!_e__s
Amarantes.
reos de Val de
Vez.
A:
c.ham-se impressas em papel de diversas cores, e
venda na ra do Imperador n. 15, defronle do con- Aveiro.
vento de S. Francisco. ____________________ |Barcellos.
Emilio Robbes, cidado francez. relira-se pa-
tem contas, de apresenta-las
serem pagas.
Caixeiro.
Precisa-se de nm caixeiro de li 14 annos, com
pratica d- taberna, e d fiador a sna conduela :
na loa da Madre da Dos n. 9.
Reja.
s tres diaspara _*_
Braganca.
Faro.
Oliveira dAze-
meis.
Pena fiel.
Tavira.
.Villa do
Angra Terceira.
Caminha.
t^astello Branco.
Chaves.
Coimbra.
Covilha.
F.lvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa Nova
Portimao.
do
Joo Varskaren,
Rio de Janeiro.
subdito belga, vai para o
Precisa-se de urna criada livre ou escrava
que saiba eczinhar e comprar : na ra de Sanio
Amaro (Mundo Novo), sobrado onde inorou o Sr,
Dr. Sabino.
A'LTENQAO.
O Sr. correspondente ou enea/regado nesta pra-
O Sr. Joilo Francisco de Pontes com padaria
em Caruar lenha a honda.lo do dirigir-se ao lar-
go de Pedro II n. 27, terceiro andar, a negocio que
Ihe diz respeilo.______________________________
Aluga-se um escravo para o servico de bo-
leciro : quem quizer. dirija-se botica de Jos
Maria Cameiro. das 10 s duas horas da tarde, que
ahi achara com quem tratar.

0 cirurgirio Leal mudou
a sua residencia da ra do 45
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o achanto como sempre
prompto a qualquer Lora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fssao, chamado por escripta.
4os fi:00rSOO.
Quinla-ft'ira 28 do corrente mez andaro
as rodas da terceira parte da segunda lo-
tera do theatro de S. Isabel.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva thesouraria ra do
respo n. 15.
Os premios de 6:000#000 at 120000
sero pagos urna hora depois da extrac?3o
at s 4 horas da tarde, e os outros ao dia
^egaiote depois da distribuidlo das listas.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Ra Direita
Oicam! o'uam!!!
CALCADO
45
Bom e novo, a primeir necessidade para a sau-
de e afermoseaiiiento do individuo!
Meu Dos I... que ps de pavao se lobrigam por
essas ras I que figura horrenda e nauseante a j
de um paleto! bem tal hado sobranceiro a um
guedes roido em duas solas I um balo bem tor-
neado e bambaleante dcscubrindo urna punta de
botina safara c carcomida 11
Santa Barbara!! Corram ra Direita, bellas e
rapazesl sacudam na praia esses malditos
e comprem :
Borzeguins de Nantes 8^000.
Ditos francezes de bezerro 7.
Ditos francezes de lustre para homem 5#.^
Ditos para senhora, de lustre, enfeilados, 5800.
Ditos para senhora, gaspia alta, 4J800.
Botinas de menina Soco.
Ditas de cores para menina 2JOO0.
Sapatoes de Nantes de duas solas 5,5.
Ditos de sola e vira 45300.
Sapatos de borracha para senhoras 1 300
Ditos para meninost^OOO.
Sapatos de lustre para senhora 15-
Ditos de tapete para homem e senhora 800 rs.
Ditos da liga constitucional 500 rs.
Chineloes rasos do Porto a i>600.
E um sortimento comple.o em sola, vaquetas,
couros, bezerro francez como nenhum, couro de
lustre muito grande, e tudo quanto pertence arta
de S. Chrispim.____________________
Madama Verdini relira-se para fra do im-
perio.__________________
-
c o ce 3 -1 9 93 p ti o 3> -; r.. o _] H 33 O
,A '/. - ~ ** n. 3 > w"
5 as % 12 Zi -i r / -> V
-i 3 O c' f. CB 9- o 1 Ai __ 9n - -r 0 _> . i
i v- -i V. li __ ce - -i _= 5j ^ i
3 ^5 V. "1 O i i
l
mu
0 abaixo assignado agradece cordialmen-
le a toda* as pessoas que acompanliaram ao
cemiterio publico os restos mortaes de sua
sempre chorada esposa Alejandrina do Nas-
cimento e Silva, sendo participante da mes-
ma demonstracao de gratidao a confraria de
Nossa Senhora do Livramento, e as irman-
dades das Cliagas. Bom Parto e S. Goncalo.
Aproveta anacasio para pedir desculpa a
aquelles seus amigos, que nao foram convi-
dados, falla e?la devida nicamente ao es-
lado de dor, em que se achava.
Joao Baptista da Silva
Calmet
diccionario histrico, critico, chronologico. geo-
graphiro e litteral da Biblia, enriquecido de um
grande numero de estampas, em 't v.
Figueira.
Guarda.
Guimares.
Lagoa.
Lagos.
La mego.
I.i'iria.
Moncao.
Moncorva.
Regia.
Setubal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madoira.
S. Miguel.
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilhetes dpiarada lude
pendencia n. 22.
Compra-se cobre velho
mero 78.
na rua do Hrun nu-
Ko illa ruma pona
Compra se para una porta de nma rasa terrea :
na rua Nova, escriptorio dos Sis. Ouinteiro _
Agr.___________________________________________
Compra-se una mulatinlia ou tiegrinlia com
idade de 11 li annos : na rua Direita n. 113.
Compra-so una negra de bonita lisura e sem
I vicios, que saiba cozinhar o eiigoininar bem : mi
'as- i rua de Apollo n. 28.
_
1
r
.'Primeiro bataliio i!c iantariali i
Hermenegildo Jos Tavares deixou hontom
20 do corrente de ser caixeiro cobrador dos Srs.
Andrade 4 Reg.
Precisa-se de um reverendo para coadjutor
do Acarac. no ''cara, livre di suas missas, pode-
gnedes r galibar 1:0605 : a tratar no pateo do Carmo n.
i 7, segundo andar.____________________________
O abaixo assignado, establecido com loja de
! cera na rua do Cabug nesta cidade, declara que
nao elle o fiador do arrematante do pedagio das
] barreiras do Giqui e Cachang, mas sim outro de
igual nome.
Angelo Custodio dos Sanios.
GASA Di FORTIM
AOS 6:000.000
Bilhetes ear_tido*
A' raa do Crespo a. 23 e casas do cnslume
O abaixo assignado tendo vendido nos seus mui-
to felizes bilhetes garantidos o inteiro n. 1207 com
a sorte de 1:4008, e do numero 817 com ason
de 6005, e outras mnitas de 200, iOO, 405 e
_05 da lotera que se acabou de extrahir benefi-
cio da igreja de S. Francisco de Serinhem, con-
vida aos possuidores de dilos bilhetes a virem re-
beber seus respectivos premios sem os descontos
das leis, em seu estabelecimento rua do Crespo
n. M.
O mesmo tem exposto venda os no vos e felizes
bilhetes garantidos da terceira parte da segunda
lotera a beneficio do theatro de Santa Isabel, que
de extraair quinta-feira 28 do corrente.
Preeos.
Bilhetes inteiros..... 75000
Meios......... 35500
Cuartos........ 15900
Para as pessoas que comprare
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 65500
Meios......... 35250
Quartos......, 15700
Manoel Martin* Fiuza
Peco emprestadas ou compro as car-
tas de Pitha a Daoao, por Frei Joaquim
do Amor Divino Caneca.
Antonio Joaquim de Mello.
Pede-se as pessoas que tem movis e mais ob-
jectos no armaeem da raa da Ouz n. 57, que ha-
ixm de retira-los no prazo de 3 dias a contar des-
u data. Recife. 23 de julbo de 1864.__________
"Jos Joaquim Gomes de Abren, Portuguez, vai
_o Rio de Janeiro.
A fabrica de calcado sita na ribeira de S
Jos n. 2o, precisa de urna pessoa que saiba coser
em machina de costura, que se Ihe pagar 25000
por dia.
ttocledatle de seguro mutuos
de vida lustallada pelo Banco
i nlo na cidade do Porto.
Os agentes nesta cidade e provincia Antonio
Lniz de Oliveira Azevedo & C escriptorio na rua
da Cruz do Recife n. 1, estao autorisados desde j
a tomar assignaturas e prestar todos os esclarec
mentos que forem necessarios, as pessoas que de
sejarera concorrer para to til o benfica empre
as, esiurando um futuro lisongeiro aos associade-
Socledade Plillnrtistlca.
De ordem do Sr. director sao convidados todos
os membros da sociedade Philartislica para a ses-
sao extraordinaria que deve ter lugar domingo 24
do corrente, s 10 horas da manha, na rua do Li-
vramento, casa n. II, primeiro andar, aflm de tra-
tar-se da criaco do Monte Pin dos artistas.
Secretaria da Sociedade Philartislica 19 de julho
de 1864.
Thom Joaquim Mascarenhas Ramos.
______________________Io secretario._________
Aluga-se o 2" andar do sobrado da rua da
Aurora n. 44: a tratar na mesma roa n. 10.
Jos Ferreira Estrella, subdito porluguez, re-
tira-se para a lv.nopa a tratar de sua saude.
Aluga-se a loja da rua da Cadeia do Recle
n. 9 : a tratar na loja de relijoero n. II, na mes-
ma rua.
g
M
m
m
m
m
di guarda nacional.
Devoco a S. Vicente Ferrer.
Nao pudendo ter lugar domingo 24 do
corrente a testa de seu padroeiro em ra-
zio de achar-se o batalho este dia de
guarnico a (iraca Mea transferida para o
dia 7 de agosto prximo.
Consistorio, 22 de julho de 1864.
Franeisco BrandSo Paos Barreto
Secretario.
__._&____ $___ -S __S
Cnde.
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Fainl.
No IMPERIO.
Babia. Maranhiio.
Rio de Janeiro. Pata.
Qualquer somma prazo ou vista.podendo logo
OS saques prazo seren descontados no mesmo
Banco a ra/.o de 4 por cento ao anuo : a tratar
na rua da Cruz u. 1.
pw^ >k-_5i SSSSEBmEm
Joo da Silva tamos, medtai pela I'ni Xf.
versidade de Coimbra, d consultas em H
sua casa das 9 s II horas da manha. e $% \
das i as 6 da tarde. Visita os doentes
ei suas casas regularmente as horas
jara isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero sorrorridos em qual-
quer occasiao. D consultas aos pobres
que o procurarein no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de saiide regularmente
montada para recober qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operaco cirurgiea.
Para a casa de sau.de.
Primeir classe 35000diarios.
Segunda dita.... 25300
Terceira dita.... 25000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O propietario espera que elle conti-
nu a merecer a conlianca de que sem-
pre tem gozado.
Comprase um carro americano, novo oucora
pouco uso : na rua do Crespo n. 19, loja.
Compra-se nina rasa terrea que seu valor
nao exceda a 1:4003 : na rua de Moras n. -',
primeiro andar.
lielogio
quem livor e quizer vender um relogio de ouro
bnm regulador dirija-se rua do vrameoto n.
13. que se dir quem quor.
Compra-se um escravo serrador : na rua
das Trincheiras n. 48, primeiro andar.
.\iTK>(J\0
Compra-se nm casal de escravos casados, qu.! a
mulher esteja criando, de bous coslumes, saude, e
sem vicios, proprios para servico do urna casa de
familia, exge-se a mulher com leite para ajudar a
senhora criar una crianca, epara isso necessa-
rio que a dita ja esteja aeostumada criaco de
criaugas : na rua Imperial n 3.
Compra-se um escravo de bonita figura, de
idade de 18 20 anuos : no pateo da Paraizo n.
18, segundo andar.
YENDAS.
Veadem-se
Aftenciio
Xarope alchoolico de veame, preparado pelo
pbarmaeeotico Jos da Rocha Paranhos, estabele-
cido com botica" na rua Direita n. 88 em Pernam-
buco.
Este xarope ineontestavelmente superior a to^
dos os xaropes depurativos, de cuja composico
o seu maior elemento a salsa parrilha, pois que se
tem c tullecido ser o veame mais enrgico para a
prompta cura das molestias, cuja base essencial
depende da pnrificacao do sangue ; assim pois se
tem verificado por mnitas P"S-oas que se aehavam
desengaadas, as qua-s acham-se boje rcstabeleci-
dis com o referido xarope alchoolico de veame
mmmm-mk
I DENTISTA DE PARS
19 Rua Nova-19
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaes, tudo com superio-
ridade e perfeico, que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
as ffvue des Dciix Muales de 13 de
abril, 1" e 13 de maio, 1" dejunho.
13 de outubro, 13 de novembro, I.
zembro de 18li:t, 1- e 13 de Janeiro,
marco, 1" de
13 de agosto,
1 e 13 de de-
! e 13 do fe-
vereiro de 18(14, a 15200 cada volume; t missao
especial do tisconde de Ah antes por 2-3; ua rua
do Crespo n. 4 loja._________________________
Wiulem-se caixies vasios a 1:700
cada um : na rua tas Cruzes n. 44.
s
De ordem da mesa regedora da irmandade
da Gloriosa Senhora Santa Anna, da igreja da Ma-
dre de Dos, sao convidados lodos os nossos caros
irmos a rennir-se no consistorio da mesma igreja
ntretanto que alguns, tendo usado do xarope de aoming 24 do corrente. pelas 10 1|2 horas da ma-
Cunuitr, de Larrey. de salsa parrilha, de sapona- nnj, .ira 0 (im de se e|egftr a nova mesa regedo-
ria, oleo de (gado de bacallao, e utros agentes
desta ordem nada conseguirn). E elle de fcil
Na rua eslreila do Uosario n. '.'> \
Advogado Affonso de Albu-
querque Mello,
pede ser procurado a qualquer bora ; as sextas-
feiras, porm, na villa do Cabo.________________
Quem precisar de urna pessoa para encarre-
gar-se de alguns papis tendentes a negocios eccle-
siaslicos, ou civis na cidade de Olinda, dirija-se a
essa typographia para entender-se._____________
Precisa-so de urna ama que saiba cozinhar e
engommar para duas pessoas : na rua da Guia
il\_______________________________________
Sociedade dramtica
Thalia Pernambueana.
Por ordem do. Illm. Sr. presidente do
conselho administrativo, como dispe o
1* do art. 17 de accordo com os arts. 26 e
27 de nossos estatutos, convido a todos os
na
casada sede desta sociedade, domingo 24
do crreme pelas 9 horas da manliaa, a fim
Lde, em assembla geral, tratar-se de ne-
j gocios mui urgentes tendentes ao bem da
mesma assoeiaco.
Lma pessoa habilitada para algum estabele- ,, .v----_-.- _j._ a-*.
cimento nesta praca, e d liador: quem delle pre-! eccao da secretaria da socradatie ra
cisardeixesen nomonapraga da Independencia, matica Thalia Pernambueana. _o e jullio
TINTURARA.
Tinge-se com perfeicSo para qnalqrjer
cor, e o mais barato uossivel: na rua do
Rangel n. 3K. segundo andar.___________
Aluga-se a casa n. 6 da rua dos Coelhos, jun-
to ao sobrado grande, com muito boa cozinha : a
tratar com Marcelino Jos Lopes, olaria n. 13, na
rua do Mondego. ________________
R V. W. HK%VTIIV,
Hcdici inglez,
e habilitado pela faculdade de medicina da Baha.
tendo voltado Pernambuco, pode ser consultado Srs. SOCIOS instaladores a compareceiem
todos os dias em sea gabinete, rua do Brnm nu
mero 74.___________________________________
Aluga-se nma escrava qne cozinha e faz o
servico interno e externo de casa : na rua do Im-
perador a. 30, terceiro andar.
nliaa. para o tim de se eleger
ra, que tem de funecionar no futuro auno de 1864
1863. Recife, 20 de julho de 1864.
O escrivao,
Manoel de Souza C. Simoes Jnior.
Precisa-se de urna ama de leite
perial, sobrado n. 87.
na rua Im-
digeslo, agradavel ao paladar e ao olphato. Al-
guns mdicos desla cidade e da de Macei o teem
recominendado para a cura das
Impigens, linha, escrophulas,
Tumores ulceras, escorbuto,
Cancios, sarna degenerada, tluxo alvo. Precisa-se de um cozinheiro ou cezinheira :
Todas estas affecc5es provm de urna causa n- na rua do Imperador n. 27, defronte da ordem ter-
terna ; nao ha pois razo alguma em crer que el- ceira de S. Francisco. _____________________
las se podem curar com remedios externos. Tam-; -------------------------
liem se prescreve o xarope alchoolico de veame
para o tratamento das affeccoes do systema nervo-
so o fibroso, laes como :
dola, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade,
Marasmo, hypocondria, emmagrecimento.
O xaroie alchoolico de veame sobre tu lo, da
maior utilidad.! para curar radicalmente, e em
pouco tempo o rheumatismo.
Adverte-se que o verdadeiro xarope so se vende
nesta cidade na botica cima indicada, do abaixo
assignado ; e em outra qualquer parte que se tem
:ui n o ociado nao da mesma eoinpo.-ieo, e Urrn O
abaixo assignado se re.-ponsabilisa.
Jos da Rocha Paranhos.
Ainda esl por alugar-se a boa casa ter-
rea n 39, rua daoio : na rua da Au-
rora casa n. 10, dir-se-ha quem aluga.
Aluga-se um sitio na estrada da Ponte de
Ucboa e a margem do rio, pouco adiante do Illm.
Sr. commendador Nery Ferreira, tendo banheiro,
palanque, galinheiro e outras acommodac5es; (
| outro dito no Monteiro, em frente ao oitao da igre
I ja : a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Sou
i za. rua de Crespo o. 13, ou estreita do Rosario nu-
mero 32.
Precisa-se alagar um escravo fiel e capaz
para fazer as compras diarias, tirar leite de vac-'
cas e trabalhar no sitio, e quando preciso for, tra-
tar de cavallos : quem liver, procure no escripto- i
rio n. 17, rua do Trapiche.___________________|
Aluga-se o quarto andar da ca Trapiche n. 18 : a tratar no escriptorio. |
loiquim Correia de Rezende Reg, sua mu-
Iher o dous filhos menores, retiram-se para a Eu-
ropa.
Maques sobre Prtn|_
O abaixo assignado, autorisado pelo
Banco Mercantil Portnense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da SHva Castro, saca ef-
eclivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer samma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que tomarem
saques a praso.receberem avista, np mes-
mo Banco, descontando 4 0(0 ao anno: na
loja de chapos da rua do Crespo n. 6, ou
Da rua do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Mala.
loja do Sr. Figueiroa.
O abaixo assignado faz scieflle ao respeitavel
publico que deixou de ser caixeiro do Ilim. Sr. ca-
pitao Antonio Joaquim de Mello desde o dia SI do
corrente mez, e Ihe agradece o bom tralameuto,
e ao seu socio gerente o Sr. Carvalho.
Victorino Lopes da Costa.
de 18G4,
Jos Martins Monteiro,
i" secretario.
Aluga-se urna casa terrea as Cinco Ponas
n. 116, defronte da estaco : a fallar na rua do
| Queimado n. 71.
" Antonio Jos Moreira Pontes, retira-se para
fra por pouco tempo e deixa por seu procurador
o r. eapitilo Joaquina de Alhuquc e Mello.
Na rua do Queimado n. 34, loja do Sr. Lavra,
s dir quem precisa de um menino oirtugnez de
10 12 annos de idade para urna taberna na ci-
dade de S. Jos de Miplbd.
INJECCAO BROW. i
Remedie infallivel contra as gnorrheas t
antigs e recentes, nico deposito na bo-
tica franceza, roa da Cruz n. 22, pre-
o 3tf
n
As escravas Momea e Cusma e seus filhos que
esto ao servico do Sr. Antonio Francisco de Bar-
ros Campello (no Cabo) pertencem aos filhos des-
te ; uullo qualquer negocio que se fizer acerca
das referidas oscravas. _______
SORVETE
Vende-se a importante obraPereira e Souza
apndice s primeiras lindas ou todas as leis
estravagantes etc. citadas nessa obra IV. .Na li-
vraria econmica, junto ao arco de Santo Antonio,
n. 2, rua do Crespo.__________________________
Vende-se a taberna n. IV.) na rua Imp i lal,
bastante afreguezada ( nao tem fundos, eo motivo
se dir : a tratar na mesma.
Vende-se urna machina americana de costu-
ra, com muito pouco uso, e por preco barato : na
rua do Encantamento n. II.
Vendem-se 450 caibros de 33 40 palmos,
de muito boa qualidade, estando ainda embarca-
dos : a tratar na rua do Arago n. 43.
Cal de Lisboa em pedra.
Cliegada hontem.
Ha para vender : a tratar no largo do
Santo n. 19, armazem.___________
Corpo
Vinho do Porto superior
em caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
der Antonio Luiz de Oliveira Azevedo C, no seu
escriptorio rua da Cruz n^L_________________
Vende-se um terreno na rua Imperial, promp"
to para se edificar, com bons commodos e propor
coes, por preco comuiodo : a tratar na mesma rua
n.j49. _____ ________
Vende-se um grande sitio na travessa do L-
ea, com excellente casa de pedra e cal, feita a mo-
derna, collocada em lugar que passa urna estrada
pela frente e outra pelo oito ; o terrpno nao podo
ser melhor para plantacdes.e tem porto muito por-
to para embarque e desembarque :
Olinda com o promotor publico
Miranda, ou no mesmo Luca com
Thoniaz Cavalcanti Pessoa.
a tratar em
Manoel Indro do
o (onente Jos
Tabous de vinho
Ainda tem um resto de taboas de pinho da Sue-
cia para vender : no escriptorio na rua do Trapi-
che n. 18.__________________________________
Em Santo Amaro de Jaboatao na loja
junto ao professor vende-se bilhetes de lu-
das as loteras._______ __________
Vende-se a oitava parte do predio n. W sito
amado Trapiche, os pretendentes no i-rao ir
examinar e a tratar com o agente Euzebto em cu-
jo poder existem os ttulos legaes para se efectuar
a venda, servindo de base o preco da avalacao.
IITKtMTNUM # 4
Km larga dn Rosario a. 31
Vende s
Todos os remedies do Dr. Cteble.
Capsulas e injeccSo ao matteo.
Injecco Fauga "
Pimas do Dr. Alian.
Plulas do Br. Lavilla.
Pilulas do pobre-hornera, excellentes contra rheu-
matismo.
Pillas para sezfis."
Pilulas e ungento Hollovay.
Phosphato ferro de Cerras.
De hoje em diantc Wert sorvele de dia e de Todos os remedios de Kerap : paslilbas, pilulas,
noite, assim como limonada gazosa (gelada), cerve- an ahuita.e salsa de Bristol, etc. ele.
a, charutos, cognac, etc., e!o. : na rua do Cres-1 Eacuitos outros medicamentos e especialidades
po n. 4, \que sempre se encontrarao em ila botica,
ILEGVEL

i



Diario de Penambuo Sabbado 13 de Julho de 1844.

UNIAO MERCANTIL
RA IIVCADEI DO RECIFE *. 3.
NOVO B
GRHDE AEMASSM DE MOLHADOS
RA DA CADEIA DO RECIFE *. 53.
Francisco remandes Doarte acaba de abrir na ra da Cadeia do liecife n. 53, um grande e sortido armazem de molbados de-
nominado Unw Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeilavel publico um Cdnplelo soi tmenlo des melbore
ceneros que vem ao mercado, tanto estrangeiros, como nacionaes, os quaes serUo vendidos em portees ou a realLo por presos ass
gommodos.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
10200 a caada.
Azeite doce refinado em garrafas brancas a
860 re,
Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
4^1800 a caada.
Geneora de Hollanda a 500 rs. o frasco e
50800 a frasqueira.
Caixinhas com ameixas francezas, ornadas
cora ricas estampas na caixa exterior,
muito proprias para mimo, a 40200,4,5500
e20.
Frasco de vidro com tampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a
40200.
Marmelada imperial, dos melhores conser-
veiros de Lisboa, em latas de 4 e meia a
2 libras a 600 rs. a libra.
Frnclas em calda das melhores qnalidades
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 460 rs. a libra.
Amendoas de casca molle a 400 rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs- a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 rs. a libra.
Macaas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito pefeitas, s vista se faz o preco.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Er vi Ibas francezas e portuguezas em latas de
4 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 460 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 10200 a libra.
Chocolate hespanhol a 40200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 48.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
5*800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
e 40200 a garrafa.
Licores francezes das segrales qnalidades :
Anizete de Oordeaux, Plaisir des Dames
e de outras mu i las marcas a 10 a garrafa
e 400 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
90 a duzia.
Mostarda ingleza em potes j preparada a
400 rs.
Manteiga ingleza especialmente escolhida
de primeira qualidade a 900 rs. a libra,
em barril se faz abatimento.
Manteiga franceza a mais superior do mer-
cado a 6oo rs. a libra, e_580 rs. em barril
on meio.
Prezuntes inglezespara fiambre, de superior
qualidade, chegados neste ultimo vapor, a
720 rs. a libra.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor a 40000.
Queijo prato muito fresco e novo a 640 re.
a libra.
Castanhas muito novas a 420 rs. a libra e
e 30000 a arroba.
Cha uxin o melhor que ha neste genero,
mandado vir de conta propria a 20800
rs. a libra.
Cha hyson muito superior a 20560 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio para negocio a
10500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 20 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com differenles
qualidades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captara, seed, bornez e
outras muilas marcas a 40350.
Bolachiaha de soda era latas grandes a 20.
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 40 e 20 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 500 rs. a libra e 30 um quarto ;
e em caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem viudo ao nosso mercado a 480 o gigo,
garante-se a superior qualidade.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 70500 a 80000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 90
a 405a duzia, e 900 a 40a garrafa; deste
genero ha grande porco e de diffrentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 148 e 450 a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do Douro, D. Luiz,
Cambes, Madeira secco, Carcavellos, Nc-
tar de 4833, Duque Genuino.
Vinho de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 30, 30200
e 30500 a caada.
Vinho branco de superior qualidade, vindo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
rs. de barril.
Osenhore que comprarem de 1000000 para cima, tero o descont de 5 per cento, pelo prompto pagamento.
Sardinhas de Nantesa 340 rs. o quarto e 561
rs. meia lata.
Latas com peixe em posta : savel, corvina,
vezugo, cherne, linguado, lagostinba, a
10300 n.
Salmao em latas, preparado pela aova arte
de cozinha, a 800 rs.
Macaa de tomtes em latas de 4 libra a 6(x
ris.
Chouricase paios em latas de 8 e meia libra
por 70.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra t
80600 a arroba.
Bolaxraha ingleza a 320 rs- a libra e 40 a
barrica.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 200 rs. a libra.
Farinba de MaranhSo a 120 rs. a libra.
Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Cevada a 120 rs. a libra e30 a arroba.
Alpistaa 460 rs. a libra e 40800 a arroba-
Batatas muito novas em gigos com 40 librat
por 40500.
Cebollas a 40 o molho com mais de 100 ca-
da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 rs.
a libra e 90 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 rs. a li-
bra e 80400 a arroba.
Caf do Rio, proprie para negocio, a 80.
Arroz do Maranhoa 400 rs. a librae208OC
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 28400 a
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas-
so e a 90 a arroba.
Doce de guiaba a 640 rs. o caixo.
Macarro, talharim e aletria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz abatimento.
Estrellinha,pevide earroz demassa para sop
a 600 rs. a libra e 30 a caixa com 6 libras
Palitos de dente lixados com flor a 200 rs
omasso, ditos lixados sem flor a 460 rs
o masso com 20 massinhos.
Gomma de engommar muito fina a 180 rs. a
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra t
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. Fe
lix, em caixas inteiras ou em meias, de
10600, 20 e 30.
Mostarda ingleza em p, em frascos grandes, Presuntos do reino, vrados de conta propria
a 40 cada um. de caja particular, a 400 rs. a libra; intei-
S?l refinado a 500 rs. o pote. ro se faz abatimento.
V:
*-*&
h
I
'RiftliJli)
RA DO Qt:EOIADO N. 45,
Passando o becco da Congregado segunda casa.
mwbim m mmum
NO V1DADE.

Pereira Bocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commercial,
onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
aerao vendidos porpregos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se obom peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do MaranhSo,da India e Java aCO, 80 Cevadinha de Franca muito superior a 220
e 100 rs. a libra e 40800 a 20600 e 30
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
10200 e 40600 emraseos grandes a
20500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estampas no interior das caixas
a 420000,10400, 40600 e 20.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 460 rs. a libra e a 40600 a arroba.
rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata,
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas
de oito libras e canastrinhas de 4 arroba a
40800, 50500 c 280 rs. a libra.
Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
Azeite doce francez muito fino em garrafas dem em garrafoes de 3 e 5 gales a 50500
e 70500 cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 40400 rs. a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, qualidade especial e garrafas muito
grandes, a 10800 rs. a garrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi-
dro, a 40000 rs., s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
40300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
Ditas inglezas muiio novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor efinada a 440 rs. a libra e
e em barril a 410 rs.
Cha hysson, huchine perola a 40600, ,
20500, 20800 e 30000 a libra.
dem preto muito superior a 20000 a libra. Marmelada imperial dos melhores conserve-
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 js.
dem regular a 500 rs.
Massas finas para sopa: estrellinha, pevide,
rodinhas e letr anhas a 600 rs. a libra e a
40 a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
e especialmente da fabrica imperial de Peixe em latas preparado pela primeira arte
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 40800,
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Bio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 e 80800 rs. a arroba.
Cartoes de bolinhos francezes muito novos e
muito bem enfeitados a 700 e 600'rs.
Chourica.s e paios muito novos a 800 rs. a
libra,' r j
de cozinha a 40 rs. a lata.
Palitos de dentes a 460 rs. o masso.
Palitos de dentes a 420 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas confeitadas a 000 rs. a libra.
Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
20 e em caixao a 64U rs.
Palitos do gaz a 20200 rs. a grosa.
Passas muito novas a 480 rs. a libra.
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra-
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor e
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
libra.
Figos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1845, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Maria Pia,
Bocage, Chamisso e oulros a 800, 900 e
40000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000 e 400000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs.
a duzia.
dem Morgaux eChateauluminide 4854, a 10
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
40200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 40800 rs.
Alera dos gneros cima mencionados te-
mos grande porco de outres que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porgues como
retalho.
Quem comprar de 4000000 para cima ta-
ra o abate de 5 por cento.
i
DUATITE AMEIDA
Acaba de receber de sua propria encommenaa um gianue e vanado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a segrate tabella dos seus gneros e
resumidos precos, afiancando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
PARA A FESTA
DE
S. JOAO
Amendoas confeitadas de 8oo rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 8oo rs,
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e 5oo rs.
sendo em barril. -
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
E S. PEDRO
Licores francezes e portuguezes das segura-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limito, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, rlela pimenta a l.ooo
rs. a duzia l,ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas cm quartos e inteiros a
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Bio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
cada urna a 2, 3,3,ooo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2.4oo, a 4,8oo rs. a libra.
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 9oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhis secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 6oo rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
fazenda especial.
dem mais baixobom para negocio a l,5oo Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra. I rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a I,too Chourigas e paios mnito novos a 64o a libra.
rs. a libra. Caixas de traque n. 1 a 80500 cada urna.
Queijos do reino chegados nesle ultimo va- Massas para sopa macarro, talharim aletria
por a 2,6oo. a 4oo rs. a libra.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
dem londrino o mais fresco que se pode e Soo rs. a garrafa.
esperar e de excellente marca a 8oo rs. a dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
libra sendo inteiro, e a 9oo rs. a retalho. \ garrafa,
dem prato s melhores e mais frescos do | charutos em grande quanlidade e de todos os
mercado a /6o rs. a libra sendo intoiro. fabricantes mais a creditados a 1,5oo,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven
marcas: Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pcc-nic, Fance, Machinee outras mui-
las a l,3oo e i.4oo rs.
Polvos chegados ltimamente do Porto a 32o
rs. a libra.
Batatas novas em caixas de 2 amibas a *>> a
caixa e 6o rs. a libra*
Balachinha de Craknel era latas de u libras
bruto a 4,ooo rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 2,5oo rs. a barrica e 2io rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Cartoes gora bolas francezas proprios para
mimos ou para arijos que vo as procis-
ses a 6oo rs. cada um.
Papel de botica de excellente qnalidade-a
22oo rs. a resma.
Peras seccas as mais novas do mercado a loo
rs. a libra.
Figos de comadre em latas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a Ci rs. a
lata.
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 8oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 4834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a Io,ooo e
4,ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs. a garrafa e 3,2oo rs.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composicao a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha do Maranho a 240 rs. a libra.
Bicas caixas com figos a l.ooo rs. cada urna.
Bicos livros com figos l.ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafoes cora 4 lt garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafo.
dem com 4 '/ ditas de venagre a 1 ,ooo rs. o
garrafo.
Vinagre PBB era ancoretas de-9 caadas a
15,ooo rs. com aancoreta
dem em pipa puro sem o balisme a 2oo rs.
a garrafa e 4,4oo rs. a caada.
Caixas com 4 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8oo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
dein a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf depremeira qualidade a 8.800 e 9,5oo
rs. a.arwba.
dem de segunda qualidade a 8,5oo rs. a ar-
roba e26o rs. aiibra.
; Arroz do Maranho a 12 a arroba.
dem da ludia muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,600 rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,000 rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra.
dem ile sebo muito dura lingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, e em
caixa a 52o rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se venden por 7.000 rs.
Idemaimago pautadoe liso a 3.000 rs. a resma.
dem de peso pautada e liso a2,5oors. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,2oo rs.
a resma,
dem embrulho de 1,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 /> hra a
l,2oo e8oors. a libra.
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Molhos inglezes a 800 e 4,00o rs. o frasco.
Moslarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais i
bem arranjado possivel a l,8oo e 2,8oo
rs. a lata.
Cerveja Tenente verdadeira a 6,800 rs. t
duzia.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l.ooo rs. o molho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 4 4 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a 32o rs. a libra e
40,000 a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 48o rs. a libra.
Milho alpista a 44o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas a 4,000 rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e 4,00o rs. o
caixo.
O proprietario do grande armazem Unio e Commercio declara aos seus fregu
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulou
os mesmos pregos nos seguintes lugares:
Uniao e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
i RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado ns. 49 e 53, loja de miudezas
de Jos de Azevedo Maia e Silva, est continuando
no seu progresso de vender baralissimo :
Capachos grandes e superiores a 300 rs. cada gm.
Caixas de superiores obreias de cola e massa a
40 rs.
Cordo branco para vestido e espartilho, vara 28
ris.
Linhas de carretel (150 jardas) de superior quali-
dade a 60 rs.
Cartoes de liaba Pedro V (200 jardas) j muiio
i condecida a 40 rs.
Crozas de peonas de ac de muitas qualidades e
i superiores a 500 rs.
Caivetes de duas follias porm finos a 500 rs.
Caixas com calungas muito bonitas para rap a
tOO rs.
Franja branca e de cores para toalhas a 168.
Pares de botoes para punho muito bonitos a 120.
Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a
120 rs.
Tinteiros de vidro com superior tinta a 160.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Groza de botoes de lonja pratiados, o melhor, a
160 rs.
Tesouras para costura, o mais superior, a 400 rs.
Ditas para unhas muito finas a 400 rs.
Escovas para limpar dentes muito superiores a
. 200 rs.
Libras de laa de todas as cores (pesada) a 7J.
Caixas de phosphoros de seguranza a 160.
Ditas de papel amizade pautado e liso a 600 rs.
Ditas com 100 anvelopes muito' superiores a 800
ris.
Gadernos de papel branco e de cores, pequeo a
! 20 ris. '
Cartas e taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas com superiores iscas de acender charutos
a 40 rs.
Carreteis de linha Alexandre (200 jardas) de core;?
I a SO rs.
Baralhos'para vollarete muito finos a 240.
. Cartas de alfinetes francezes muito finos a 40 rs.
Meadas de linha fioxa para bordar a 20 rs.
Pares de snalos de tranca multo superiores a
15600.
Papis de agulha com um pequeo toque a 10 rs.
Groza de botoes de madreperola muito finos a
560 rs.
Cartoes e caixas de celchetes francezes superiores
a40rs.
Bonets para meninos muito finos a 14500 e 2.
Macos de grampos superiores e limpos a 40 rs.
Groza de phosphoros do gaz mnito novos a 220O.
Areia preta mnito superior a 100 rs.
Caixas de rap com espelho a 100 rs.
, Realejos para entreler meninos a 80 rs.
Pecas de fita de linho muito boas a 40 rs.
Peotes de laco muito bonitos a 1.3.
! Enfeites de laco de todas as cores a 1*300.
i Rodas com altinetes francezes a 20 rs.
Caixas com quatro papis de agulhas impci iaes a
240 rs.
Sabonetes de familia a 80, 160 e 320.
Caivetes de duas folhas muito finos a 320.
Pares de sapatos de laa para meninos a 400 rs.
Sapatos de tranca para senhora e para homem, os
melhores que lem vindo, e por preco muito barato:
quem quizer ver, veoha ra d Queimado ns.
49 e 5o. e ver tudo como bom e barato.
Motos enfeites para senhora.
A aguia-branca acaba de receber um bello e va-
riado sortimento de enfeiies de diversas qualidades,
e o que de mais moderno possivel enrontrar-se
aqu, fazendo-se nolaveis por snas novidade e ele-
gancia uns, cuja grado de um fino e delicado te-
cido a que apropiadamente se chama invisivel.
Assim, vista dusse completo sortimento, qualquer
cidado munidj de diuheiro est habilitado a com-
pra-Ios : na ra do Queimado, loja d'aguia-branca
n. 8.
Bonitas boneras.
Com rosto de cera, massa e porccllana.
Acha-se na loja d'aguia-branca ra do Queima-
do n. 8, um grande sortimento de bonecas de di-
versos tamanho>, com rosto de cera, massa e por-
ccllana os pretendemos munidos de diuheiro
acharao boa disposic^o para os vender.
lloioes de cornalina
e outras qualidades para coletes
A Aguia branca acaba de receber um novo c
variado sortimento daquelles apreciados boloes de
cornalina brancos e encarnado?, chatos e redon-
dos para coletes, cujas abotuaduras continuam a
ser vendidas pelo commodo c inalteravel preco de
2i> cada urna.
Alm desses receben tamhcm oulros de madre-
perola, massa e osso, com diffrentes moldes para
o mesmo lim.
J se v, pois, que o pretndeme munido do di.
nheiro achara sortimento vontade na ra do
Queimado loja d'Agola branca n. 8.
BAUSMHOS i: CAIXINHAS
com perfnwarlas.
Na ra do Queimado n. 8 loja d'Agua-Branca, os
freguezes munidos (i: ilinhcno encontrarlo, boni-
. tos bausinhos eobyrtos de couro e enm 6 frasqui-
nbos de extractos por 1500 cada um, e outros
cobertos de papelao com 9 frasquinhos por 25000
um; caixinhas com O frasquinhos de ditos por
! 15000 urna, outras com 12 ditos por 25000 urna,
i outras com 3 ditos, cuja coberta parece tartarupa,
a 15500 cada urna, e outras com paslilhas de chei-
1 ro a 500, 15000 o 25000.
j Envelopcs bordados e carles cora hei-
ras lloaradas,
I Xa loja da aguia branca, ra do Queimado n. S,
achavam-se venda bonitos cnvolopes bordados e
cartoes com beiras douradas, tendo de uns e de
outros, maiores e menores, proprios para partici-
pacoes de casamenios, bailes etc.
Completo sortimento de Gtas
finas, lisas e lavradas.
A'aguia branca recebeu um grande e 'completo
sorlimenlo de fitas de diversas larguras e qnalida-
. des, tanto lisas como lavradas, e em todas ellas co-
nhece-se a superioridade da fazenda, notando-so
as lavradas o bom gosto dos novos e lindos dese-
, nhos, isso tanto as matisadas como as brancas,
I e pela commodidade dos precos o pretndeme que
se dirigir munido de dinheiro ra do Queimado
loja da aguia branca n. 8, ser bem servido.
Capachos Inglezes.
Na loja da aguia branca, ra do Quci mado n. 8
vendem-se bons capachos inglezes, os quaes alera
de bouitos sao de immensa dura^o, pelo que se
tornam baratos pelos precos de 45, 55, 65 e "5
cada um.
Cartas francezas.
A aguia branca, na ra do Queimado n. 8, rece-
beu um novo sortimento de linas cartas francezas
com beiras douradas e brancas, e as est venden-
do baratamente a dinheiro vista.
SAPATOS DE BIRHACHA
a IgOOO, 1#500 e , na ra do Queimado loja J' Aguia-Branca n. 8.
Latas com banha fina,
J por diversas vezes a aguia branca tem rece-
bido dessa banha Una em latas, e tal tem sido a
prompta e rpida extraccao della, que nao tem da-
do lugar a aguia branca avisar a sua boa fregue-
zia, pelo que talvez a maior parte della s agora
saliera da vinda dessa boa banha. Ella vem em
latas de 1|2 e 1 libra, e contina a ser vendida pe-
los baratsimos precos de 25 e 35000. Apar da
superioridade da qualidade della esto os agrada-
veis e finos cheiros de rosa, jasmim, laranja, bou-
quet, e flor de Italia. A boa freguezia assim scien-
te dirigirse com dinheiro ra do Queimado,
loja d'aguia branca n. 8.
Banha fina em copos de por-
celana dourada com ins-
crip$es.
j bem conhecida pela boa freguezia d'aguia
branca a superioridade da banha que vem nos co-
pos de porcelana douraila com maviosas e jocose-
rias inscripcoes. as quaes agora vieram de novo
gosto, pelo que essa fina banha pode ainda ser
mais conhecida por aqnelles que quizerem fazer
um bom presente, com Unto qne comparecam mu-
nidos de dinheiro na ra do Queimado, loja d'aguia
qranca n. 8.
Vende-se alpaca preta a SOO rs. cavado.
Vende-se alpaca preta para vestidos a 500, 600,
700 e 800 rs., fina de cordo a 800 rs. para pale-
tot, princeza preta a 800 e 640 o covado, bombazi-
na preta fina a 15400 o covado, laazinhas preta
para senhora que estiio de luto a 720 o covado :
na ra da Imperatriz n. 56. A loja est aborta at
as 9 horas da noite.

(


Sant'Anna.
Acba-se venda a novena da gloriosa Sant'An-
na, bem impressa, e em.brochara : na ra do Im-
perador n. 18.


Diario de f*ernamueo SaMiado 23 de fulbo de 1834.

Grande liquidadlo
de faieodas na luja do Pavo, roa da loperitrii i.
60, de Gama & Silva.
AcOa-se este estabeloeiuiento completamente sor-
tido de fazendas inglezas, francezas, allemaes e
suissas, proprias tarto para a praca como para p
mato, prometiendo vender-se mais barato do que
em uutra qualquer parte principalmente sendo em
porgao e de todas as fazendas do-se as amostras
deixando licar penhor ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caiieiros da toja do Pavo.
As chitas du Pavao.
Vendem-se superiores chitas claras c escaras pe-
lo barato prego de 240 e 280 rs. sendo tintas segu-
res, ditas francezas finas a 320, 340, 360, 400 e
500 rs., o covado, ditas pretas largas e estrellas,
riscados escocezes finos a 240 rs. o covado, isto na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
As cassas do Pavo a 210, 280, 300 e 320 rs.
Vendem-se Onissimas cassas persianas cores fi-
jas a 320 rs. o covado, ditas francezas muito finas
a 240 e 280 rs., ditas lngzezas a 240 e 280 rs. o
covado, flnissimo organdy masado com desenhos
miudiahos a 320 rs. o covado, cassas garibaldinas
muito finas a 320 rs., isto na loja do Pavao ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As Uazinhas da eipesicio do Pavo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas mossan-
bique chegadas pelo ultime vapor francez sendo
de urna so cor ou de listas miudinhas com 4 pal
mos de largura, proprias para vestido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baratissimo
preco de50 rs. o covado, ditas enfestadas trans-
parentes de quadrmhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas matisadas muito tinas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita tambem matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Maria Pia com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de urna so cor parda, azul, cor de lyrio e
perola proprias para vestidos, sautembarques e
garibaldes a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
800 e 400 rs,, isto s na loja do Pavao, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os chales do Pavo.
Vendem-se finos chales de crepon estampados
pelo barato preco de 6*, 75, 85, ditos de poota re-
donda a 75 e 85, ditos pretos ricamente bordados
a retro* com vidrilho a 125, ditos pretos lisos a
5*, ditos de cores a 4*500 e 55, ditos de merino
estampados a lf e 3,8, ditos de la a 15280 e 25,
ditos de retroz preto para luto a 65, isto na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 Pavo vende para lulo.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de la sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
pno para vestidos, paletots, capas etc., pelo bara-
to preco de 25, 25200, 25500 o covado, cassas
pretas lisas, chitas pretas largas e estreitas, chales
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
comgollinhas eontros muitos artigos que se ven-
dem por procos razoaveis : na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
camente bordados a vetado pelo barato preco de
405, sendo fazenda que sempre se vendeu a 1005
e I2O5 ; ditos de cambraia brancos ricamente bor-
dados a croch, sendo proprios para baile e casa-
mento a 10, lo, 20 e 305; ditos de la com lindas
barras a 18 e 155 ; isto na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Pavo.
Vende-se panno preto muito superior pelo barato
preco de 25, 25500,35 e 3500, ditos muito finos a
45,'55 e 65, cortes de casemira prela entestada a
45, 45500 e 65, casemira preta fina de urna so
largura muito lina a 15800, 25, 25500 e 35, cor-
tes de casemira de cor a 5'5, 55500 e 65, semi-
na enfestadas de urna s cor proprias para calca,
paletots, colletes, capas para senhora, roupas para
meninos a 35 e 39500 o covade, isto na loja do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A roupa do I'avo.
Wndcm-se paletots de panno preto sobrecasa-
eos fazenda muito boa a 125, ditos muito tinos a
165, 20;. 25:5 c 305, raleas de casemira preta boa
fazenda a 45500,55, 65, 75 e 85, paletots saceos
de panno preto a 75, ditos de casemira de cor a
65 e 75, ditos de alpaca preta, ditos de merino
preto, ditos de brim de cores, calcas de casemira
de cor a 45, 55,65, "5, ditos de caxemira da
Escossia a 35, ditos de brim pardo a 2550(1, ditos
de cor a 25 e 25500, ditos brancos muito finos,
sto na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Os cortinados do pavo.
Vendem-se ricos cortinados propries para janel-
la e camas pelo barato preco de 95 o par, sendo o
me'.hor que ha no mercado : na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As colchas .do Pavo.
Vendem-se colchas de linho alcochoada= pro-
prias para cama pelo barato preco de 55 cada nina
na rua_da Imperatriz n. 60, de (ama & Silva
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas que tem viu-
do ao mercado chegadas pido ultimo vapor fran-
cez, pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas
de lislrinha muito miudinhas proprias para vestidos
e roupas de meninos e meninas pelo barato preco
de 500 rs. ; s o Pavo ra da Imperatriz n. 60,
loja de Gama & Silva.
Os sontcaobarqucs do Pavo
IO e 15$ s o Pavo.
Vendem-se os mais lindos sontcanharques que
tem viudo ltimamente de laazinba e caxemira n-
cameute bordados e enfeitados, cores muito delica-
das pelo barato prego de 105 e 155 ; fazenda esta
que emoutras lajas se venden por 205 c 25*,
s para liquidar : na loja e armazem do Pavao a
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
As chitas do Pavo 840 c
20SOO o corte.
Vendem-se cortes de chita com doze covados
cada corte, ditos com dez covados a 25400, fazen-
da muito Loa, e que nao desbola, s na loja do Pa-
vao tem esta pechincha ; a ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Las de urna sO cor.
Vendem-se laazinhas de urna s cor, sendo en-
carnada, azul, cinzenla, cor de caf, lirio claro, li-
rio roxo cr de perola pelo baratissimo prego de
6'iO o covado, fazenda muito fina s o Pavao, a ra
da Imperatriz n. 60 loja e armazem de Gama &
Silva.
Panno de tinho.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences, toalhas e ceroulas pelo
barato prego de 640 rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 25500, algodaozinho
monstro com 8 palmos de largura a 15, pecas de
Hamburgo com 20 varas a 95- 105 e 115, pegas de
madapolo fino a 75500, 85, 95 e 105, ditas de
algodaozinho a 65, 65500 e 75, e outras muilas
fazendas brancas qne se vendes muito baratas
afim de apurar dinheiro : na loja do Pavo ra da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
O bramante do Pavo com doze
palmos de largura.
Vende-se bramante de linho puro, muito fino com
doze palmos de largura o melhor e mais largo que
tem vindo ao mercado pelo barato prego de 25800
rs.a vara ; s na loja do Pavo de Gama & Silva,
aua da Imperatriz n. 60.
As precalas do Pavao.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas de lis-
lrinha muito miudinhas proprias para vestidos e
roupas de meninos e meninas pelo barato preco
de 500 rs.: s o Pavo ra da Imperatriz n. 60,
loie dt Gama i Silva.
Os balees do Pavao.
Vendem6e crinolinas ou bales de 30 arcos lan-
brancos como de cores, sendo americanos que
gao os melhores por se nao quebrarem a 35B00 e
de 35 arcos a 45, ditos de rausselina com babados
45 ditos para menina a 25 e 35 : na loja do Pa-
vo roa da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
O Pavo vende 8.
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos a
Maria Pia, com lindas barpas de seda, sendo che-
ados pelo ultimo vapor francez pelo barato prego
de 85 cada um : s na loja do Pavo ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
ESPLENDIDO SORTIMENTO DE MOLHADOS
:. O RUI IIO CRESPO tf. 9
Esquina que volta para a roa do Imperador
r/n
.
te

DE
(\o se engancm com a mitra)
AMIGOS 1
Nao lciam este annuncio com precipitaco.
Coufrontem os precos dos outros annunciantes.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
A vista faz f.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao nos encuitamos o primeiro recebedor de conla propria.
Nao desacreditamos ao collega porque nao quiz ser nosso socio
Tal a quem toca.
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia anda nao sao sufficien-
tes as casas que actualmente oxistem atiertas com grandes proporcoes para terem um
magnifico sortimento de molhados ; assim, pois, os propietarios do Armazem Principal
nao invejam a sorte dos seus collegas.
Habitantes de Pernambuco.
Nos temos um excellente sortimento dos melhores gneros que se pode adiar
em nosso mercado. Vinde ao nosso eslabelecimento, e se a vossa boa f fr illudida
urna s vez ao menos, castigai-nos nao voltando mais a nossa casa.
Amendoas confeitadas de bonitas cores a dem de Hollanda em garrafes com 24
l,ooo rs. a libra. garrafas a 7,2oo rs. com o garraao.
dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
Avellas a 2oo rs. a libra, zados a 2oors. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a !,2oo, l,4oo e l,6oo rs. cada 800 e l.ooo rs. as garrafas grandes.
uma. Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e
dem em frasco de vidro com rolha do mes-; 96o rs. a libra.
mo ou de metal, a I,loo e iioo rs. ca- dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
da um. a libra, e 56o rs. em barris inteiros.
dem em frasco grandes 2,5oors. cada um. Marmelada especial dosmelliores fabricantes
dem em latas de 1 l/i e 3 libras a l,2oo e de Lisboa a Goo e G4o rs. a libra,lia latas
2,ooo rs. de differentes tamaitos.
Arroz da India e Maranhao o melhor que se Massa de tomate em latas de 1 libra 5Go rs.
p le desojara loo e 12o rs. a libra e cada uma.
2,8oo e 3,4oo rs. a arroba. dem para soda estrenha, pevide e rodinha
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa,
e 4,8oo rs. a caada,
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a Doo rs. cada uma, e 10,000 rs. a
caixa com 1 duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
O
SENTIDO!
VAI FALLAR
N. 38 Ra do Iivramento N. 38
(Defronte da grade da igreja)
G Vigilante esta alerta, nao Ibe era permettido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto afim de annunciar ao respeitavel publico
o grande sortimento de galantarias do melhor gosto
propriamente para qualquer mimo, que acaba de
chegar nesle ultimo paquete, assim como muitos
outros objectos que recebe por diversos navios,
tanto de sua conta como de consignagao, que est
i MC HA 1)1 I ICO E PRIMCIPAIi
Ordem do dia.
bra.
Alpisla a IGo a libra, e 4,6oo rs. a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: aguae
sal doces, e imperiacs em latas de G li-
bras a 3,ooo rs. e de 3 '/libras a l,5oo
rs. eemlibraa G4ors., estas bolachinhas
torna-se muito recommendavcl com es-
pecialidade para os doentes.
Biscoitos e Bolachinhas de soda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se. pro-
curar a 1,35o fs. a lata.
Bollos francezes em cartees c de diversas
qualidades a G'o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira retinada a 4oo{
rs. a libra c em barril a 38o rs.
Hlalas novas a IGOrs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 2io rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
al hoje tem vindo a nosso mercado a
18,000 rs. o gigo, l,5oo rs. a garrafa in-
leira, e 800 rs. as meias
Cha uxim o melhor que se pode desejar e
que o otro ijualqucr nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
dem perola especia! quadade a 2,6oo o
2,8oo rs. a libra, garante-se a quadade
d'este cha
dem hysson o melhor que 6 possivel en-
contrar-so a 2.loo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, G e 8 libras
a l,2oo e 1,'too rs. a libra.
dem preto muito fino a i,Goo r?. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a 1,000, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos l'ur-
tado de Simas em !/j caixas das seguin-
tes marcas Pariziences, Suspiros, Dili-
cias, Napoleoese Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inleiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada uma.
dem de outros muitos fabricantes e de
differentes marcas para l,5oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a l,Goo, 2,000 e
3,000 rs. as caixas inleiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a 1,000
rs. a garrafa e lo,ooo rs. a duzia.
dem francez suporior quadade 800 rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a Goo rs. a libra.
Canda a 1,00o rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 32o rs. a li-
bra, e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caixo.
Emilias portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farfolla de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a l,ooo rs. cada uma.
dem em latas ermiticamente lacradas a
l,5oo e 2,5oo rs. cada uma,
dem em caixas de s arroba a 2,5co rs. ca-
da uma, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a 4oo rs. a lata e 1,000
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 56o rs. o frasco.
dem de laranja a i,000 rs. os frascos gran-
des e U.ooo rs. a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da uma.
dem em garrames de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com a garraao.
Os bales do Pavao.
4 2o00 o Pavo.
Vende-se baldes com 20, 23 e 30 arcos pelo ba-
ratissimo preco de;2550C|, a*im como.tem um fc ^
completo sortimento de bales para meninas de to-
dos os tamaohos pelo baratissimo preso de 2,M>0,
notando que sao bales de arcos os melhores que
em caixinhas sortidas a 3,000 e 3,5oo rs.
cada uma e 5oo rs. a libra,
dem macarr5o, lalerim e aletria a 4oo rs.
a libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um.
Molho inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro 64o rs. cada uma.
Marrasquino verdadeiro de Zara a l,ooors.
a garrafa, 10,000 rs. a caixa com 1 duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Prezunto de fiambre superior a 600 rs.
dem do Porto para pane-lia a 5oo rs. a libra.
Passas novas a '180 rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pestadinhae
outros a l,ooo rs. a latas.
Palitos para dentes a lio e IGo rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo c limpo a 16o rs. a libra.
e 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2, loo rs. a groza, 2oo rs. a
duzia, e 2o rs. a caixinhas.
Queijos (lamengos chegados neste ultimo va-
por, a
dem prato muito fresco a 800 e 9oo rs.
a libra.
dem suisso a melhor quadade que ate ho-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Serveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e 56o rs. a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e
meia latas a 38o i>8u rs. cada nma.
Sag mnilo novo o alvo a 2io rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevadaa loo rs. a libra, e 2,8oors. a arroba.
Traques de l.1 quadade a 8,5oo rs. a cai-
xa, e 22o rs. a caita.
Toucinho novo de Lisboa a 24o e 32o rs. a
libra.
Tijollo paralimpar facas a 15o rs. cada um.
Vfoho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs. a garrafa.
dem'do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial viuho a 600 rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco nao levando com-
posicao a 56o rs. a garrafa, e 4,ooo rs. a
caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a gar-
rafa, e 4,5oo rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
rs. a caada.
dem Bsrdeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d pre-
juizo e s se encontra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguntes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu-
lar, malvasio fino, D. Pedro V, D. Liz
I, Nctar e outros a 9,ooo e lo.ooo rs.
a caixa e 9oo a 1,00o rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a i,ooors. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oo rs. a caada.
dem em garrafes com 5 garrafas a l,ooo
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada uma
dem de escova para esfregar casa 36o rs.
cada uma.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composico a
36o rs. a libra, e de 10,000 a U.ooo rs. a
arroba.
Soldado soprador toma o clariin
E firme como a rocha fica assim
Nao toques nesse pessimo instrumento
Do Bausa olha s o movimento.
13 t que dos mitrados tcns as coras
c tildo vendedor de propria eouta
^o pasmes vendo como sobraneelro
tto regresso o ilali.-ia a -a affronta.
seus pn os,
entre pipas
0 grande depesiio que temos de vinho nos obliga a abaixar
acbando-se a vista des compradores cerca de 3o a 40 pipas deste genero,
barris c ancoretas.
Amendoas confeitadas em lindos frascos a 800 j Lingoas americanas muito novase muile g En
I des a 1,000 rs. cada nina.
1,1,1. iLinguicaspromptaseailatasa l,5oocada
rseos ajManteiga ingleza flor a >') rs. a libra R-st*-
venero ha mais de 1<> baris abertos afim de
rs. a libra
dem com casca a 32o rs. a
Ameixas france/as em caixinhas e
l,2oo. l.ooo e 2,ooo rs.
Mpista a 16o rs. a libra e l,6oo a arroba.
serem satifeilos os compradores.
Arroz do Maranhao, Java e do Pencdo a 80, Wcn mones supe ior a b 10 re.
loo e 12o rs. a libra, em arroba a2,ooo, Manteiga ingleza aSoo, 'm e 32o rs. alibi
ILn .1 nn Wcm franceza a 56o, 600 c Gio rs. e cm I r
ni
2,8oo e 3,200.
Azeite doce refinado a 800 e loo rs. a gar-
rafa.
dem idem em barril a do rs. a
Ancoras "com vinho" 'do Porto, encommenda Mullios ingleza a loo e 1
por menos.
Massa de lmale a 64o rs. a libra,
garrafa ejMarmclsda dos melhores fabricantes a
rs. a libra.
t/n
AGENCIA
FNDICO DE L0W-M00B.
Roa da Senzalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas.de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
Arados americanos e machinas par
tem vindo da America Ingleza vendem-se por este 1 j em ^ e g. P. Johnston 4 t.,
|XR^ttt *Si' ^ da SeUa Nova .. 42.
Empreza da illumina^o
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamacSes
fnor eseripto daodo o nome, morada, data, etc.),
devem ser feilas no armazem da ra do W**
n. 31. Os machinistas mandados para "enflpr a
eelamade ^sw ira que a empreza flone sciente
do haverem os mesan senhores s>do evidamen-
te attendidos.
Ferros para orives.
Na ra larga do Rosarlo n. 24, loja de ounves,
vendem-se lodos os Ierres e utencilios e ounves.
feita pelo proprielario do Baliza a 3o,ooo
rs. a ancora com 7o garrafas.
Bolaxinhas de Lisboa, ingleza e americanas
cm latas a l.ioo, 1,5oo, 2,ooo c 3,coo rs.
e americanas em barricas a 3,oco rs. a
barrica.
Banha de porco a 400 rs. a libra c cm barril,
a 36o rs.
Batatas em gigos a I,5ooo gigo.
Cha perola a 3,ooo rs. a libra,
dem uxim a 2,6oo e 2.800 a libra.
dem hysson a 2,ooo, 2,ioo e 2,8oo. a libra.
dem do Rio a 1,60o rs. a libra.
dem preto a l.ooo e 2.000 rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
e Hiu de Janeiro a 800 rs. e 1,000, 2,000,
2,'too, 3,ooo, 3,ooo, i,5oo c 5,ooo rs. o
cento.
Chocolate dos melhores fabricantes de Pars,
Allemanha, Hamburgo e Lisboa
Copos lapidados para vinho a 2.8
dem idem para agua a 0,000, 5,Sooe C.ooo
rs. a duzia.
Ceneja das melhores maceas a Moo, ;,'00
e 6,000 rs. a duzia.
Cravo canda e comfohos.
Ceblas em molhos resteas e solas.
Conservas inglezas a Soo, 9oo e 1,000 rs. o
frasco.
Diltas francezas a 5oo c 6 5o rs. o frasco.
Cognac inglez c francez a 1,00o rs. a garrafa.
Caf de 1.a, 2.a c 3 a (jualidade a 8000 9,ooo
e 9,5oo rs.
Cevadinha de Franca a 2o rs. a libra.
Champagne de muito boa quadade a 12,ooo
c 2o,ooo rs. a duzia.
Doces da casca da goiaba em latas preparadas
com muito aceio, propria para memozar
algum amitfo na Europa, por ser inallera-
vel por mais deum anno, a 3,ooo rs. a lata
com 7 libras.
Dittos em caixes a 5Go, Gio, 800 c l,ooo
rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas em latas com I
bras por 7oo rs.
dem francezas em latas a Soo rs.
dem seccas a 2oo rs. a libra.
Espermacete americano primeira quadade a
1.2oors. a libra,
dem francez a 56o rs. a libra, c em caixas
a 52o rs.
Farinhad'araruta verdadeira a 18ors. a libra.
Farinha de trigo a 12o, lio c 16o rs a libra.
Fannha de milho a 160 rs. a libra.
Figos em caixinhas e em latas ndanmente
enfeitadas a 800 e l,5oo cada um.
Fumo americano em latas para cigarros
l,8oo rs.
dem em pacoles a 2oo rs.
dem em pasta a l,2oo rs. a libra.
Mostarda pn ['arada a o e t o rs. Ira- \
Massas para sopa a loo rs.a libra das o ta-
Ihariin, aletria e macariTio.
Mein finas eslrellinha c pevide a 3,ooo rs
caixa.
Milho miudo para passares a 16o rs. a
e i.800 a arroba.
Marrasquino de zara do verdadeiro a l,ocoo
Irasco.
Est em discusso a tabella dos precos que o BALIZA tem a honra de oficie-
resolvido a vender por precos mnito barat'ospara' cer ao respeitavel publico tanto da cdade con. o do centro.
ven Z ,wll?.e ganh.ar mco' e dar ex,rarr:i ao I Se por esla oubcacaa qualquer um dos nobres collegas entender necessario
grande deposito que tem, que espera merecer1, ', co ""l i H. _,. _,._,i. n ,.ni
proteegao do respeitavel publico, empregando para, fazer alguma alteracao em seus anuunctos, digne-se mandar a sua emeal. pai a o orna!.
isso todas e as melhores diligencias para que fi- que o incansavel Baliza nao Ibe pora peias nein o embaracar de forma alguma a beneli-
quem satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, ra ciar 0 povo.
do Crespo n.7. Amigo de vender barato o Baliza nao expSe a venda seno os gneros bons.
Cofre de muito K*T" 16^000 Ellc se WB faso le *"** p0 mdicamente como outro nao o exceder',
Ccstinhas transparentes, forradas de madre-
perla por 18^000
Lindas jardineiras 10000
Ricos cofres com camapheu 105000
Lindas caixinhas com pedras brancas 10.51100
Lindo balao com calunga dentro tambem
para joias i 65000
Tatnbalier para ditas 95000
Cestinhas idem idem 65000
Cosmorama idem idem 65000
Urnaziuha 65000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sinliis
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e 155, ditos sem
bolsa, porm do mesmo goslo, a 25500, 35, 35300
e 45, ricas (velas avnlsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 "
s no Vigilante, ra do Crespo d. 7.
Cabazes on cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 25500, 35500, 4, 5, 7 e 105 : s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Pentes.
Nesle artigo tem um grande sortimento, tanto
para clisar como para atar cabello, o mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sem elle para meninas: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Pentes
Tambem chegaram os riquissimos pentes de
concha de tartaruga e de massa fina, que se vende
por 25, 3 e 55 : s no Vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Leques.
Riquissimos leques de madreperola, tanto para
senhora como para mocinhas, pelo barato preco de
12 e 145 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
liis leques.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ba-
rato prego, a 85 e 105, chinezes, muito bonitos,
tambem por barato prego de 4 e 55, bentaraljas
muito bonitas tambem por barato prego de 4 e 55,
jeques de charo lamhem por 45, ludo islo para
acabar, perdendo-se lalrez 80 0|0 : s no Vigilan-
te, ra do Crespo n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de conlas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto a 15 e 15200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreilinhas de
borracha que as senhoras tanto precisan) para se-
gurar os manguitos por ser muito commodo e mui-
to barato, a 320 o par: s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Canelas.
Riquissimas carretas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baralissimo prego de
15500 e 25.
Yolliiihas.
Lindas vollinhas dcpcrolas falsas rom cruzinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avnlsas
e vollinhas, pelo barato preco de 15 e 15200, as
mus avnlsas a 400 rs. : s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Sapalinbos e meias de seda.
Riquissimos sapalinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorra-
zinhas e touquinhas para as crianrinhas se bapti-
sarem : s no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquissimas golinhas e manguitos, o melhoT gos-
to possivel, a 25, 25500 c 35: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
r.nfi irs para senhora.
Riquissimos enfeiles rom laco c sem lago e de
outros muitos gostos a 1-3, 15500 e 35 : s no Vi-
galte, ra do Crespo n. 7.
Traseelins.
Lindos trancelins de cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de
relroz a 200 rs.
Babadinhos entremetas.
Riquissimos babadinhos ntremelos com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15500, 25 c 35 : s no Vigilante,
rua'do Crespo n. 7.
Oscarrillias.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para eufeites : s no Vigilante, ra do Cres-
po n. 7.
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e quadade, por pregos que admiran aos compra-
dores, havendo fitas 'largas proprias para sinteiros
que se pode vender a 300 rs. a vara, e pega de 3
varas a 25 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Fitas de la.
Fitas de la de todas as qualidades, proprias para
debrum de vestido a 700 rs. a pega : s no Vigi-
lante, ra do Crespo n. 7.
Ricos espclhos,
Riquissimos espelhos com moldura dourada e
sem ella de 85, 10,12 e 145, assim como coa co-
lumnas de differentes tamanhos a 25, 3, 4, 5 e 65:
s no Vigilante,rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros c figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui
tem apparecido : s no Vigilante.
Fara pos de arroz.
Riquissimos vasos com boneca para pos de ar-
roz, cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim exh
mo pacoles s com os pos a 320 rs. cada um : s
no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimento de exlractos e banhas, poma-
das, assim como os lindos ropos ou vasos com dis-
tinctivos e oflerecimentes s sinhazinbas, dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Ingla-
terra, assim como os grandes copos de banha japo-
neza a 25 e a 15 ; assim como outros objectos que
nao possivel por hoje annunciar, e vista dos
freguezes se far todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, ra do Crespo n. 7.____________
-Euzebio Raphael Kabello. tem para vender
em seu escriptor.o, ra da Cade.a n. 53, os segan-
tes gneros
Cera em velas.
Cal em pedra de Lisboa.
Vinho paro em ancoretas.
Trina, volantes e gales.
Vende-se trina, volantes e' gales der todas ae
larguras por pregos muito barato: s no vigilants
rna do Crespo n. 7._________________
Ra da Senzalla Kova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Lo*
Moor libra a 120 rs.
Genebra de laranja a 1,00o rs. o frasco,
dem ingleza marca Gato a 1,00o rs^ a garrala.
dem de Hollanda a 64o e l,Goo rs. o fiasco
pequeo e grande. !
dem de Hamburgo, a 56o rs. o frasco e 6,00 o
rs. a frasqucira. ,
Graixa em latas a l,2oo rs. a duzia.
Limonadas de diversas fructasa l.ooo rs. a
garrafa.
Licores, inglezes e francezes a l,ooo, 1.5oo
e 2,000 rs. garrafas grandes e pequeas.
dem menos superior- a -'j e !/' o rs. 1
frasco.
Nozcs a 2o rs, n libia.
Prozmilo portuguez Gio rs. a lil ra 1 ntcirn r ''< -
le 1 ingb'z [i^ra (i; :i! re a *ci rs. a 1
na11 agradando me mo le i- de prepar;1'"."
podi r;i > r devuhi !>, -, trotar : 1
ouuq ou sera restituido sen importe.
Passas novas a loo rs. a libr;\
Polvo a IGo rs. a libra.
2~,8oo a duzia. Painco a IGo rs. a libra.
Pomada a 24o rs. a duzia.
Pimenta do reino a 36o rs. a libra.
Peras seccas. a 64o rs. a libra.
Peixe em lulas a l.ooo rs. a lata.
Papel almasso e de peso, de diversas 1.1
lidades e procos deferentes.
Paulos do gaz a 2,2no a firoza.
dem para denles 1 80, 16o e 24o rs. o 1
co com viole maciohos.
Gueijos flamengosa ,Coo, do ultimo vaj
dem prato a 64o rs. a libra.
dem londrino a Soo rs. a libra.
Pap Mcuron a l.ooo rs. a libra.
Sevadinha a 24o rs. a libra. 1 nova ).
Sag a 80 rs. a libra.
Sardinbas de Nantes a fio, 56o e 36o rs. 1
ala.
SabSo massa a I2o. 19o, oo 24o rs. ,1 .i-
bra.
e em caixes por mudo menos.
Sai refinada a 600 rs. o pote de. vidro.
Toucinliode Lish&a, de San!.'.- e ameri......
a IGo. 24o c 3io rs. a libra, e emanla
a 5,000, 7,ooo e O.Ooo rs.
Tijollo para limpar lacas a IGo rs. cada um.
Vinho do Porto em camillas a 3,oOO, 4.(MiO
u.ooo rs. e em ancoras com 7o garrafas poi
3o,ooo rs.
dem de Lisboa sem confeiecao, (deencomen-
da) por 5o,ooo rs. o barril com 17 cana-
das,
dem de Lisboa mais baixo a 15,000 rs.
dem em pipas a 3,000, 3,5oo e .ooo rs. a
caada,
dem em barril de Bordeaoa com i Jo gar-
rafas por 5o,ooo rs.
dem idem deBordeaux com 70 garrafas pe
3o,ooo
dem em caixas por 5,ooo rs. a caixa com 12
garrafas da melhor quadade que vem ao
nosso mercado.
Vinho branco para missa de Lisboa e Porto
em pipa, barril e ancoras a 4,000 e S.ooo
rs. a caada.
Vinagre de Lisboa, Porto, linio e branco a
l.Gooe 2,000 rs. a caada
dem em ancoras por 16,ooo rs.
Velas eslearnas a 5to rs. o maco, c cm cai-
xas a 52o rs.
Vassouras americanas a 64o rs. uma.
'/a li-
Grande pechincha.
Vende-se a 85 a pega de panno de linho puro e
limpo com 25 varas cada uma : na ra dalmpera-
triz n. 20.
' Vende-se uma caixa de ferros de engoramar,
viudos ltimamente de Franca, uma cama de ca-
sal, e troca-se uma imagem da Concedan, tudo isso
de uma familia que so retira para fra da provin-
cia : na ra da GWria n. 60 ss dir quem vende
esses objectos.
A4$000apeca.
Vendem-se pegas de algodaozinho com pequeo
toque de avaria, proprio para roupa de escravos
toalhas, pelo barato prego de 45 a pega : ra do
Queimadon. 14.
Vende-se o sitio da travessa dos Remedios,
freguezia dos Afogados n. 21, no estado em que se
acjia : quem o pretender, entenda-se com o seu
proprielario Caelano Pinto de Veras, na ra de S.
Francisco, sobrado n. lO.como quem vai para a ra
Bellc
;


Diarlo e rcrMBknro Sabbndo 3 de lulh e f 64
POR NEVOS DE 20 4 SO POR (EXTO
um
MAZEM CONSERVATIVO
GRANDE ALLMCA
57 RA DO IMPERADOR 57
DE

23-Largo do Terco-23.
Punto Ferreira da Silva & Companhia
o
NEM COROAS NEM 31ITRAS

Joaquira Siraao dos Santos, dono deste armazem de molbados, tem feito ama grande vantagem
quem seu armazem tera frequentado, liquidon todos os seas gneros mais antigos que tinha nao s
neste armazem como fra, c temi feito urna grande reforma este estabelecimento tanto em tamanhs
como em generes que mandou vir por sua propria encommenda a maior parte, que os pode vender por
tnefles de que qaalquer aununciante, para isso se responsabilisa pela superior qualidade.
Attenoao.
Batatas as mais novas a 15400 a arroba e 30 rs. a Queijos do vapor a 24800.
Grme sorrimento de molhados em grosso c a retalho. nico armazem
vantagens fferece ao pblico.
que mais
Desenganem-se todos.
GIIVYIIE
DE .
libra.
Toucinho de Lisboa nevo a 280 rs. a libra e 8510O
a arroba.
Caf do Rio de primnira c segunda sorte a 280 e
300 rs. a libra e 85300 a arroba.
Arroz pilado a 80 e 100 rs. a libra e2Jo00 e 25300
a arroba.
Suriliuha de Nantes nova? a 320 rs. cada urna.
Sabio massa superior a 180 e 220 rs. a libra.
Passas as mais novas deste genero a 400 rs. a libra
Ameias franceza. com 1 e meia libras a 15.
Bolachinhas inglezas novas a 240 rs. a libra.
Charutos de diversas marras e superior qualidade
de 15200. 15500, 25. 35 e 45.
Vinho de Figueira, marea JAA, a 500 rs. a gar-
rafa.
Dito de Lisboa a 400 rs.
Dito de outros paizes a 360 rs.
Dito para negocio a 320 rs. a garrafa e em caada
se faz abat ment.
Genebra de Rollanda em frasqueiras a 65000 e 500
rs. o frasco,
dem em botijas de conta a 400 rs.
Azeite doce de Lisboa fino a 600 rs. a garrafa.
Dito de carrapato a 320 rs. a garrafa.
Manteiga franceza a 560 rs. a libra, e 540 em
barril.
Pbosphoros do gaz groza 25200. Dita iog,cza flor a 720> m e 900 rs. a libra, e em
Vulas de espermacete de 5 e 6 por libra a 540 rs. a barril ha abatimento.
vJSfV^rt?.*432x' ,rrni. un ii Massa de tomaIe e las de libra a600 rs. cada
velas de carnauba a 115 a arroba e 360 a libra. uuaa_
Sevadinha e sag muito novo a 210, 260 rs. a 1-' Conservas inglezas, francezas e portuguezas a 640
bra. Garntese a superior qualidade. o frasco.
Alffl destes gneros ha outros muitos que enfadonho seria menciona-los. Quem duvidar ve-
er nhav.
C0\SlLT0III MEDICO-CIWJRGICO
do
1-
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, P.tRTEIRO K OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s I
horas da manlia, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepeao dos dias santificados
Pharmacia especial homcopatilica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisacoes e pelos preces seguintes
Carteiras de i 2 tubos grandes. 1 2)5000
de 24 tubos grandes. 18,9000
de 36 tubos grandes. 24,5000
de 48 tubos grandes. 30)5000
le60 tubos grandes. 3:(JOOO
Prepara-so qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onea 1,5 00.
Sende para cima de 12, custaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
CB VltOS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina Homeopathicodo Dr. Jahr, Biscoitos e Bolachinhas de soda em latas de
dons grandes voluntes com diccionario............ 205000 todas as qualidades e marcas .pie se pro-
Medicina domestica do Dr. Bering,........... 10,5000 curar a 1,35o rs. a lata.
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. 65000 Bolos francezes em carios e de diversas
Diccionario de termos de medicina......., 35000 qualidades a 64o rs. cada um.
Os remedios deste estabelecimento sao por dentis conliecidos e dispensam portan- Banba de porco verdadeira refinada a 4oo
'i de serem neyamente recommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver-' rs. a libra e em barril a 38o rs.
dadeiros, enrgicos e doradores : ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver- Batatas novas a 16o rs. a libra.
dadeiro assucar deleite, notaveis pela sua boa conservadlo, ti mura dos mais acreditados Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
estabelecimenlos europeos, a mais exacta e aecurada preparado, e portanto a maior ener- cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
Ma e certe/.a em seus effeitos. rica.
da$a (le SOde pn^n CVCfaVOS Champagne das marcas mais superiores que
Rec be-se escravos para tratar de qualquer enfermidade on fazer-se-lhe qualquer SgJJrs/o fe? STrsT^afa
operacao, para oque u annunciantejulga-se sufficienteraente habiliudo. nteira e 8oo rsas meias s
O tratamenl 6 o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e Cha uxiro o melhor que se ode deseiar e
fijRCCu inan o a casa a mais de quatro auno?, ha multas pessoas de cujo conceito se nao que outro qualquer nao vende por menos
pode duvidar, que podem ser consultados por aquellos que desejarem mandar seus
les.
Paga-se 25000 por dia durante GO dias e d'ahi em diante 15500.
As operac5es serSo previamente ajustadas, se nose quizerem sujeitar aos precos
razoaveis quecostuma pedir o annunciante.
K tillan? o verdadeiro homem do progressso
5 o Allianca o verdadeiro e principal armazem de moldados.
E o Alllan?* o armazem que vende mais barato.
E o Allianca o armazem que vende os raelhores gneros.
E o Allianca o armazem onde preside o melhor aceio.
Fiquem todos sabedores desta verdade,
Venhara todos ra do Imperador n. 57.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
PARA AS FESTAS
DE
, S. JOAO E S. PEDRO.
Amendoas confeitadas de bonitas cor rdem de Hollanda em garrafes com 24 gar-
8oo rs. a libra. rafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
dem de casca muito nova a 3oo rs. a libra. Lentithas excellente legume para sopa e gui-
Avelas a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas emeaixinhas com lindas
estampas a l,2oo, l,4oo e l,6oors. cada
urna.
dem era frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a l,2oo e I,loo rs. cada
um.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada
um.
RIJA DO IMPERADOR Y. lo
Junio ao sf brado em qie mora Sr. O.-baroe,
Para a festa de Santo Antonio, S. Joao e S. Pedro.
Ouario Al incida *fc C, receberam de sua propria ni, ominen
da o mais lindo c variado sortimento de molhados, nronrla
da presente estaeo. ,rMPr,os
Manteiga ingleza I Macas brancas
neste vapor de 28 de para sopa a melhor que se pode desejar,
macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
zados a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades a
8oo e i,ooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ngle/.a peritamente flor a 8oo
e 96o rs. a libra,
(dem franceza nova j desle armo a 6oo rs.
a libra, e 8o rs. em barris inteiros.
maio a 800 rs. a libra.
Manteiga franeeza
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril
a 500 rs.
Amendoas
confeitadas de Iindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
25400, muito propios para mimos,
Cartoes
dem em latas de 1 '/ e 3 libras a l,2oo e
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranho o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a Jibia e
2,8oo a 3,4oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada,
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, c io.ooo rs. a
caixa com 1 duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a
bra.
Alpista a 16o rs. a libra e 4,6oo rs. a ar-
roba
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguinles qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e de 3 /i libras a l.5oo rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinhas
torna-se muilo recommendavel com espe-
cialidade para os doentes.
Marmelada especial dos melhores fabrican- com bolos francezes a 500 rs. cada um.
tes de Lisboa a 6oo e 64o rs. a libra, ha! Latas
com bolachinhas
latas de differentes tamaitos.
Massa de tomate em latas de 1 libra a
56o
rs. cada urna,
dem para soda estrellinha, pevidee rodinha
em cantabas serlidasa 3,ooo 3,5oo rs. cada
urna e Roo rs. alibra.
dem macan ao, talharim e aletria a 4oo rs. a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um
Molho inglez em garramabas com rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafa, Io.ooo rs. a caixa com I du-
zia.
Nozes muilo novas a 16o rs a libra.
Prezunto de hambre superior a 6oo e 8oo
rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, coi-vina, aovas, pescadinha e
outros a I.ooo rs.
libra e 45500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
25800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 15 e I200
a garrafa cde 105 a 125a caixa, asmar-
cas so as seguintes: Chamisso AFilho,
F. i II., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banba a 45000.
Bolachinlia ingleza
a 1^800 a barrica damesmaque
venden a 2000 e 2?>400.
Nozes
as mais novas do mercado a lOrr ji bra.
Cervejas
a l,ooo rs. a latas. x 15
Palitos para denles a 14o c a 16o rs. o mas- 'em libras e caixinhas ricamente douradas,
so dos melhores. proprias para mimos a 900
Cha
&&
AtJ


APK 0VEITEM APR0 VEI TEM
AOS
s^ 7 m f OVADOS
de sedas de cores de todas as qualidades.
Na loja da ra do Crespo numero 17.
Importante compra de 7130 covados de seda de todas as qnaHdades, proprias para
r*^, vestidos de senhoras o de meninas, e vende-se por pregas admiraveis.
Outros muitos objectos de apurados gustos para senhoras, vestidos de blond. para
casamento a 905 cada um. capas prelas, soutambarques du cores e pretos, chapeos etc.
I-azoadas de linho e de algodo as nn-lhores gue ex i s tem no marcado.
O proprietano deste importante estabelecimento vai a Europa muito breve,
prar fazendas de apurados gostos, presentemente vende as suas mercadorias or
baralissimos para liquidar.

com-
premos
Protejan! todos. I>.'.i4cj.im todos a importante
LIOUIDACO
loja da ra do Crespo n
Pamco o mais novo e limpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4,500 rs. a arroba. i .. UUtl ,dXim
Palitos do gaz a 2,loo rs. a rosa e^oo rs me qne ^ pde deseJar. que outro
a duzia, e 20 rs. a caixinha. i JJ"fl* na0 l)0l,e vendt'r Por menos de
Queijos flameiigos chegados neste ultimo' 3* a 2?'G(0j
vapor, a 3,ooo dem pci-ola
dem prato muito fresco a 8oo c 9oo rs a!CSpecial ,?uali'laJdc a 2?"00 rs. a libra,
libra. dem nvsson
Idemsuissoa melhor qualidade que at lio- mais aromtico que *tem viudo ao nosso
je tem viudo ao nosso mercado a Soo rs.
de soda de todas as qua-
lidades a I300.
Chocolates
detodasasqualidadeal.4000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2$6oo.
Queijos dos melhores fabricantesje de todas as mar
chegados no ultimo vapor a 260O cada um.' cas de 40500 a 6#500 a duzia.
lontliino o mais fresco que se pode esperar nharntna Thnm pmn u .
e de excdante mira a 800 rs. a libra I SlaSJzkwn
sendo inteiro e a 900rs, a retalho. me'3S ^^fi!0.
Conservas inglezas I do Maranho a IOo" libra, e da India
as mais novas que se pode esperar a 760 rs. a 80 rs- a libra e 20500 a 30000 a ar-
o frasco. i roba desses que vendem por 30400.
Fiffos CAF,,'
de 1.a e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 805#
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a lib/
e outros em
4
17

;-^r 'SO'



XAROPE TNICO REGENERADOR
DE QUINA E DE FERRO
Preparado por grima ixt e C, pl.armaceuUcos deS. A. I. o Principe NapoleJo, laureado*
da Escola de pharmacia de Pars, ra de la Fenillade, 7.
AElifiAT5&! PfqUno TOlume "" forms MradtTd e nm gorto dellclow.
do, maorp SZ nJ T.">itenienle a reuniio destes duus medicamentos, e todaria. aperar
MMKiiSrfmT nC'a nLedlra' npm os qumicos o mais distinclos o poderte con^lr
cas l -J tnn? E22X? huma":"1chao-se hoja associadas tas duas poderosas f
nofheta afaUTmmZ?J? STi^S re8cnr>dor M mostrado muito ffles tio : as me-
BOMraa^dlita%^ dre8 dCtom8o. fa8<>. digestoes penosas e tardas, flftre. branea,
XS^S^ST^' cffiPobrec,men, <"> ""fue, a. escrfulas, os estrago, produ.idoi
hote oSX^n^^nS!tffl .e, *Jg*^! I** hosoiues de IW,, elle
oTSSu KnoKK^ da sa,,de pr w
preservativo das epidemias. ln<"8Densavel as Pe6 que habitao os panes quentes, como
Sr Miguel-Jone de Sout Ferreira; no io-de-Joniro.mcasa da .1-
Kal>a 1l.na Ii.V. ....1.K. 'i _..______ !'
em Lisboa, em caza do Sur nedrlse da Cax-Carralha terralVr.. t>
Sr flKuel-Jo. de Sou Ferreira; no Ko^hSSSsSSfc^l^. tUl111." J
SabSo, 11; na Baha, em casa do Sur Joa-CaclanorerreiV^---"---*-'-"? ?",l,> ro'd#
o.i.nu, 11. na /mi.iK, un cara un ?ur Jo.e-cuclmio Ferrelra-Bdalnhclrat nn u,n rrZ,A..lZ-----i
Sfir..^.,. de G.d.y; no Maranho, em cas. dos Sr. tS&ZTSl KttTc
do Sfir Barthol.men-Franel.eo de S.uu, em casa do. Srs Sh.um c-, 9tStSSmJtSt
cipaes pharmarias do Braiil e de Portugal. "** prln"
Deposito geral em Pernambuce ra da Cruz n. 22 emeasa de Caros Barboza.
de 3,ooo a 2,7ob rs. a libra,
dem perola de esp cial qualidade a 2,0oo e
2,8oo rs. a libra, garante-se a qualidade
d'este cbi.
dem hysson o melhor que 6 possivel encon-
trarle a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra,
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2ooe I,4oors. a libra,
dem prelo muito fino a I,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hesnanhol e suisso a 1,000, I,2oo e I,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em lk caixas das seguin-
tes marcas: Parisienses, Suspiros, Dili-
Cias, Napoleoes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e cm caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muitos fabricantes e de dif-
ferentes marcas para 1.5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a 1,600, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco,
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a 1,00o
rs. a garrafa e 10,000 rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canellaa l,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce 6no de goiaba a 600 rs. o caisao.
Ervilha8 portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata,
dem ceceas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
1,000 rs. cada urna,
dem em litas errticamente lacradas a
l,5oo e2,5oo rs. cada urna,
dem, em caixas de '/ arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e l,ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 560 rs. o frasco
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran-
des e H,ooo rs. a caixa com 12 frascos,
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada
,,uma- -,._,., ,Idem de carnauba refinada e de composicito
I! a garrafas a 4,800 a 36o rs. a libra, e de lo,ooo a 14,000 rs.
arroba.
a libra.
dem Iondrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes de vidm a Soo rs,
cada um.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e56o rs, agarrafa.
Sardinba de Lisboa e Nantes em quartos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada uma.
Sag muito novo e alvo a 2o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
roba.
Traques de 1.'qualidade a 9,5oo rs. a cai-
xa, e 24o rs. a carta. .
Toucinho novo de Liiba a 2o e 3o rs. a
libra.
Tijolo para limpar facas a loors. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos condecidas a 4oo rs. a garrafa e
2,8oo rs. a canada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muilo fresco niio levando com-
composico a 56o rs. a garrafa, e i.ooo
rs a caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a canada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a canada.
dem Rordeanx em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a l.2oo rs a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo proco d
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e Io.ooo
rs. a caixa e 9oo e 4,000 rs. a garrafa.
dem Moscatel superior a 1,00o rs. a garra-
fa, e Io.ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a canada.
dem em garrames com 5 garrafas a 1.000
rs. com e garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada uma.
dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
cada uma.
Velas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o em caixa.
mercado a 2#600.
Massas amarellas
talharim e aletria
Ciarrafocs
com 4 [i garrafas com vinagre a IO0Oms
o garrafo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 4000 o frasco, e de 4 4 OOP
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 5,->800 c<*n
1 12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a Coo
rs. cada uma.
PALITOS
i os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
para sopa, macarro,
480rs. alibra.
COCXAC
o muilo afamado cognac Pal Brandy a 1,80o LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-'finos de todas as qualidades, a 10,000 a caixa
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa. com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
COPOS
lapidados para agua a 4.5oo e
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
5,ooo
rs. a
PAPEL
almaco, gvo\e, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de hotica
de excellente qualidade a 2;>200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para cmbrulhode I,4ooa2,2oo
rs. a resma.
Oorinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra
Vinagre
PRRem ancoretasde 9 caadas a 15,ooo rs.
cada uma.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,ooo rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra
e 4,5400 a arroba.
Os
freguezes
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abren e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Prezunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3.000, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 5> a caixa e 60 rs
a libra.
.Passas uiiiiio novas
em quartos e inteiros a 2 o quarto e 6-3500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o p.io.
Frats em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, gima e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e B o caixae.
proprielarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declarara aos seus
e amigos e ao publico era geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularan! os meamos precos nos segrales lugares:
Haio e Commercio roa do Qaeimado n. 7
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40
OVMENTO
rs. com o garrafo.
DE
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidi-de a 420
a lata e em lotes de 10 latas para cima se
far abatimento. no armazem da ra do Im-
perador o. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
DE
VIGNES.
DO IMPERADOR !. 55.
tos qne
suindo um
Ra da Senzalla 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
ces bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
J.
LV. 55. RA .
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz conheridos para que seja necemrio m lir sobre c
^a/^.r'f5 vnense garant,as.,,,, M^-,m aos compradores, qualidades esta nconS
elles tem definitivamente conqu.-tado obre todos os que tem apparecido nesta pracaTos- carros de um e dous cavallos relotrins Z
I teclado e mach.n.smo qe oh decem. todas as votades e c; ches da. niaSs! EZ' o^, patente inglez
Na ra de Apollo n. 32 ha um grande sorti-
mento de marmore para ladritho, sacadas, hom-
breiras -legraos de 8, 9 e 10 palmos de compri-
do e 2 112 de largo, folhas de marmore proprias
j paca lampos de mesas e para tmulos, vasos gran-
nunea falhar, por serem fabricados de proiwsito, e ter-se feito iillimamente'melhoramentos mMrta-
tissirao* para o clima deste paz ; quauo as vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito atrrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores. F ,"*
Fazem-se conforme as encemmendns, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel de Par* socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em tedas as expsir'oes '
No mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido e variado sortimento de miisioas dn
Charutos de Havana
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schafleitlin 4 C, ra da Cruz n. 42.
At que chegou
nm grande sortimento de blco e renda preta de
novo odelo chamado (gmp.) o inelbor que se
pode desejar neste artigo e qoe se vende muito ba-
rato : na loja do gallo vigilante ra do Crespo
BAIRRO DO RECIFfi RA DA CADEIA N. 50.
O mais novo e o melhor
v ^"l!*!! DE MOLHADOS
Esquina defronte da ra da Madre de Dos
os seus benvolos amigos e freguezes, bem como o *>....-"li!-? __
asas?"*e meihor sorLen de ^^i^J^ssrttsr
Fabrica Conceico
Bahia.
Andrade & Hego, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ruado Imperador, algedao d aquel-
la fabrica, propria para saceos do assu-
car, embalar aigodao em pluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
qos muito razoa\es
Antonio da Silva Campos, successor do anti?o Navimmitn Hfr^. j u..
o mais
rgimen do esta-
0 annunciante, tendo feito uma completa reforma no toeant^ a <-aea J
correspondentes na Europa para remessas de conta pronrL ad,a ^E"8\ Possu,Ddo "
teccao de todos os amigos do bom e barato, a nual desde ia e L^L Sfl! ""** P">-
merecer a conOanca com que se dignarern de o nwar asseveran Em resumo, visite o respeitavel publico o novo e sunerinr m,, u-m ,t .
guns gneros, e entio Bcar convencido da realidadei do mSSL IS f SSSfS tS*m *" *"
nenhum outro estabelecimento o serve mt&Z%!^!2"!**** T?^*"*"* P>- mesmo qoe
delicadeza, ou legatidadede pesos e medidas J m ^^^'^o & pre?os, agrado e
LAZI^HAS BAR4TAS.5a?,aosdc borracha a itm
\endem-se laazinhas de cores linas e de boa qua-
lidade para vestidos de seohora a pataca o cavado
e outras muitas faiewdas que o dono esta resolvid
a vender muito barate afiro de apurar os cobres
na ra da Imperatriz n. 20, outr'ora aterro da Boa-
Vista.
Vndese um cabriole!: no pateo do Parai-
zo n. 5'j.
o par
No armazem de Joaqutm Fnwcisco de Alera lar-
oda Assemblan. I.
GAZ.
\ende-se gaz liquido americano da melhor
qualidade era lats de um. dous e cinco Joes,
por menos que em outra qualquer parte : no ar-
mazem do caes do Ramos n. 16.


Diario e Pcrasm ne Sabbado 3 de Jtilho de i fl-t.
:
n

GRANDE
sortimento de fazendas aovas bara-
tissimas na luja e armazem de fa-
zendas baratas Da ra da Imperatriz
b. 56, luja da Arar, de Loureuco
Pereira Mendes Guimaraes.
Cm tes dr chiU a 2400.
Vndese cortes de chitas para vestidos a 2*100,
ditas de dita francesa cora 10 covados a 3*200,
cortes de cassa francezes a 2* e 2*500 : na rua
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vrnde a 160 rs.
Vende-se Ot de linho de cores a 160 rs. o co-
vado, dito branco para forro a 320 rs. a vara, lar-
latana de cores a 640 rs. a vara, loncos brancos a
200 e 240 cada un: na loja da Arara rua da Im-
peratriz n. 56.
As liiaziuhas da Arara a 320 rs. o covado.
Vendem-se liiazinhas para vestidos a 280, 320,
400, 500 e 640 o covado, ditas lisas proprias para
capas e vestidos de senhoras a 400 o 600 rs. o co-
vado : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara veude as cuitas para coberla a 320 rs.
Vendera-se chitas para cobertas a 320, 360, 400
e 500 rs. o covado, dita encarnada adamascada a
500 rs. o covado: na rua da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Cassa oryaudjs da Arar a 240 rs
Vendem-se cassas organdys para vestidos a 240,
2S0 e 320 rs. o covado, riscado franoez para ves-
tidos a 280 rs. o covado, gurgurao de linho para
vestidos a 280 rs. o covado : na rua da Impera-
triz n. 56, loja da Arara.
As chitas da Arara a 210 rs. o covado.
Vcndem-se chitas para vestidos de cores fixas a
240 e 280 o covado, dilas francezas largas a 320,
360, 400, 440 e 500 rs. o covado na loja da Ara-
ra rua da Imperatriz n. 56.
Lencos de seda da Arara a 800 e 15.
Vendem-sc lencos de seda para algihcira de
homem a 800 e 1*, lencos de cassa a 200 e 2'0
rs. : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende os veos pretos e de cores a 1$000.
Vendem-se veos pretos e de cores para chape-
linas de senhoras pelo-preco de 15 cada um, go-
Jinlias para senhoras a 240 e 320 rs., manguitos a
l, cainisinhas para senhoras a 25, ditas finas
com gravatinlia e punhos bordados os mais mo-
dernos que tem viudo a 4*500 : na loja da Ara-
ra rua da Imperatriz n. 56.
Arara vende os balees a 2&0.
Vendem-se haloes de 20, 25, 30 e 35 arcos a
2*500,33, 33500, 45, 43500, ditos de brilhantina
a 4* : na rua da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Cortes de la a Mara Piaa U e \U.
Vendem-se cortes de laa a Maria Pia a 83e 183,
pecas de cainliraia lisa fina a 35, 35500 e 45 : na
ru da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Corles de yanga a 1 600
Vendem-se cortes de ganga franceza'para calca
a 15600, ditas de casemira a 35, ditas finas a 55
e 5-3500 : na rua da Imperatriz n. 56.
Koupa feita da Arara.
Vendem-se paletots pretos de panno lino a IG5.
145 e 125, ditos saceos de panno fino preto e azul
debruados de fita a 95 e 105. ditos de casemira a
65, 85 e 55, ditos de brim a 25500 e 3J, ditos de
alpaca prea a 35 e 25500, camisas francezas bran-
cas a 25 e 25500, ditas de linho de pregas largas
a 3800 e 33, seroulas de algodao a 15600, ditas
de linho a 25, calcas de brim e ganpas de cores a
2-3. (lilas de brim pardo a 26500 e 35, ditas bran-
ca? a 35500 : na rua da Imperatriz n. 56 loja da
Arara.
Colchas da Arara a 15
Vendem-se colchas de damasco para cama a
45. dilas de fustao a 55, ditas de chita a 25: na
rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Vendem-se gangas para caifas e paletots.
Vcndem-se gangas para paletots e calca? a 440
e 500 rs. o covado, fustao para calca a 500 rs. o
covado : na rua da Imperatriz n. 50, loja da Arara.
Madapoln francez a .
Vendem-se pecas de madapolo entestado com
12 jardas a 45 e 43500, dita de i jardas ns. HG
a 73, dilas n. 60 a 65500, dito moca a 75500, dita
n. 40 a 85, dita n. 50 a 8*500, dlian. 7 a 105, di-
ta SS 93, dila XX 83300,.algodao muito encorpado
a 55300 e 65, dito carne de varea a 75 : na rua
da imperatriz n. 56 loja da Arara.
Ilrim de linho a 1 -S2S0.
Vende-se brim de linho para calca a 1*280,
I34OO, 13800 e 15600 a vara, brim liso para se-
roulas e lences a 500, 560 e 640 a vara, braman-
te de linho a 25-200 a vara tem lo palmos de lar-
cura, bretanha de linho a 640 e 800 rs. a vara,
brim pardo.. 800, 640 o 1-5 a vara : na rua da Im-
peratriz n. 56 loja e armazem da Arara, a loja es-
ta aborta at as 9 llrasela noite.______________
Carvo animal.
Farcllo de Lisboa superior.
Cal virgem nova : na rua do Vigario n. 19.
iirimoiro andar.
a Heneao
0 dono da lojadoBeija-flor, na rua do Queimado
n. 63, acaba de abrir um outro espacoso estabcle-
cimento de miudezas na mesma rua n. 69, por isso
avisa aos seus freguezes e amigos, que nestes dous
estabelecimentos encontrarlo sempre grande sorti-
mento de miudezas, perfumaras e objectos de gos-
tos; e vender sempre mais barato que outro qual-
quer, como abaixo so ver.
Pentes dourados de travessa.
Delicados peutes dourados de travessa para me-
ninas a 155OO cada um, ditos sem ser dourados a
500 rs. cada um : as lojas do Beija-flor, rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Vollinuas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com ernzes de pe-
drinlus imitando a brilbantes a 15 cada urna : as
lojas do Beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Luvas de Jouvin
Chegaram pelo ultimo vapor as desejadas luvas
de Jouvin de todas as cores, tanto para horneas
como para senhoras: as lojas do Beija-flor, rua
do Queimado ns. 63 e 69.
Talheres para meninos.
Vendem-se talheres de cabo de bataneo para me-
ninos a 280 rs. o talher : as lojas do Beija-flor,
rua do Queimado ns. 63 e 69.
Colueres de metal prncipe.
Vendem-se colheres de metal principe muito fi-
nas para sopa a 35600 e 45400 a duzia, dilas para
. cha a 25 e 25400 a duzia, ditas para assucar a |
500 rs. cada urna, ditas para terrina a 25 cada
urna, e s quem vende por estes precos as lojas
' do Beija-flor, rua do Queimado us. 63 e 69.
Facas e garfos.
Vendem-se facas e garfos oilavados a 25800 a
duzia, ditas cravadas, cabo preto e branco a_3* a
duzia. ditas de balanco de 1 botao finas a 55200
1 dilas de 2 botoes muito tinas a 63500 a duzia, ditas
de 1 boio para daces e fructas a 55 a duzia, ditas
de 2 botoes a 55200 a duzia : as lojas do Beija-
1 flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas, a peca a 15100, 15200
e 15300 : as lojas do Beija-flor, rua do Queimado
ns. 63 e 69.
Babados bordados.
Vendem-se babados bordados de varias larguras
a pega a 15600, 15800, 25, 25200 e 23400 : as
i lojas do Beqa-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Lindos sapatinhos.
Vendem-se lindos sapaiiohos para baptisados de
maneas a 13500 e 25 o par : as lojas do Beija-
flor, rua do Queimado ns. 63 e 9.
Botoes para punhos.
Vendem-se botoezinhos demadreperolaedemar-
fim para punhos a 320 rs. o par, ditos encarnadi-
: nhos a 120 rs. o par : as lojas do Beija-flor, rua
1 do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas para debrum de vestidos.
Vendem-se filas de laa de todas as cores para
debrum de vestido a 900 rs. a peca, ditas pretas
de seda a 15100 a peca : as lojaa do Beija-flor,
rua do Queimado ns. 63 e 69.
Filas brancas para debrnm.
Vendem-se pecas de lita branca de linho para
debrum a 400 rs.' a pega : as lojas do Beija-flor
na rua do Queimado ns. 63 e 69.
Iticas lilas lavradas.
Vendem-se muito ricas fitas lavradas para sinlo
de senhora e meninas : as lojas do Beija-flor, rua
do Queimado ns. 63 e 69.
Espedios de Jacaranda.
Vendem-se espedios de columnas, de Jacaranda,
a 35 e 45500 cada um, ditos de madeira amarella
a 25400 e 25800 : as lojas do Beija-flor, na rua
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas de velludo eslreilas.
Vcndem-se lilinhas estreitas de velludo para en-
fete de vestido a 900, 15 e 15200 a peca : as lo-
jas do Beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Trancas de la para bordar.
Vendem-se tranclnhas de la pretas para bor-
dar camisinhas e vestidos a 80 e 160 rs. a pechina,
dilas blancas com 40 varas a 600 rs. a peca, e ou-
tras mudas cousas (|uesetornaro enfadonho men-
ciona-las, |iois s com a vista se peder ver o gran-
de sortimento das lojas do Beija-llor, na rua do
Queimado ns. 63 e 69.
Loja de fazendas da rita
do Crespo n 7.
Miguel Jos Barbosa Guimaraes, socio princi-
pal da Arma de Guimaraes it Lima, faz scente ao
respeiavel publico que tendo de liquidar todas as
fazendas existentes 'em seu eslabelecimento por
ter fallecido o seu socio Jos de Almeida Nunes
Lima, que consta de um grande sortimento de fa-
zendas linas, como sejam ricos vestidos de seda
com algum toque de mofo, capas de velludo preto
muito linas e oulras multas fazendas que ludo
vende por baratissimo prego.
0 Perfume da Moda.


sau

2-i.-.i*s>fiW
AGUA FLORIDA
De Murrav & Lanman.
Este raro quilo delicado perfume
qnafii que ncxtinguivcl o 12o elicio de
mimosa fragrancia e frescura como o
delicado cheiro das proprias verdecen-
tes flons. Durante os mozos caloren-
tos do vero o sen tizo tonia-se minen-
teniente aprazivel e deeejavel etn con-
seqiieneia da niliieticia refrgirantc e
suave que ella produz sobre a pello:
0111 (iianto que azada no bando ella
imparte ;i<> coipo lnguido e caneado
urna certa elasticidad^ de vigor e lbrea.
/illa Imparte transpon neta as feigdes,
e remov pernio*, tardas c bertoejas th
Kobrc a pclle.
0'[() ORIENTAL DE KilP
PARA OS CABELLOS,
nina preparaeo admravel para liin-
par, aibnuosear, conservar e restabele-
ccr 09 cabellos.
venda as boticas de Caors & Barboza,
rua da Cruz, e Joao da C. Bravo d|C., rua
da Madre de Dos.
ou Una a vontade lo comprador
MACHINAS EPATENTE
de trabalhar mo para
dcscaroear algodie
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
mu
Estas machinas
podem desea roca r
qualquer especie
de algodao sem
estragar o lio,
sendo bastante
duaspessoaspara
o trabalho; pode
descarocar urna
arroba de algo-
dao em caroeo
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
Esta machina
a nica que
possue as vaniagens de nao destruir o fio do al-
godao e de fazer render o dobro de qualquer ou-
tra com menos trabadlo, a sua introdueco para
as provincias deste imperio ser de muito valor
para todos os interessados na lavoura do paiz.
Assim com machinas em ponto grande do mes-
mo systema,oraql seren movidas por animaes,
agua ou vapor, pas uaes podem descarocar 18 ar-
robas de algodao ampo por dia.
O algodao descarocado per estas maehinas tem
muito mais estimacao nos mercados de Europa e
vende-se por maiorpreco.
As machinas se acham venda unicamenie em
casa de
Saunders Brulhers & C.
V II, praca do Corno Santo
BECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Vo aruiazem e fazendas bartas de
Santos i oi'lho, rua do Queimado, n.
19, veade-se o seguinte*
AUence.
I.:i7iiihas.
Bcas laazinhas para vestido, fazenda a raelhor
Farinha de mandioca
ensacada e da melhor qne ha : vende.Miguel Jos
Alvi>s no sea escriplono. casa n. 19 da rua da
Cruz.
n
boatao : na rua de Apollo n. 22, aondo se da rao os
em qualidade da fazenda, pelo baratissimo pre^o
de 560 rs. o covado.
Laazinhas miudinhas carmezins, proprias para
vestidos de meninas, e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de la com lo covados pelo baratissimo
prego de 65-
Cobertas de chita da India pelo baratissimo preco
de 2*500.
Lencoes de panno de linho a 2.
Lencoes de bramante de nhe fino pelo baratissimo
prego de 33200.
Bramante de linho fino com 10 palmos de largura
pelo baratissimo precede 2*500 a vara.
Atoalhado adamascado proprio para toalhademesa
a 2*000 a vara.
Cambraia de forro a 2*f.00 e 3*200.
Guardanapos adamascados a 3*800 a duzia.
Toalhas alcochoadas proprias para mos a 5* a
duzia.
Cortes de calca de ganga amarella de listras e
delquadros, pelo baratissimo prego de 1*200 o
jone.
Cambraia adamascada com 20 varas, propria
para cortinado, pelo baratissimo prego de IOjOOO
a pega.
Ricos corles de laa a Maria Pia pelo baratissimo
prego de 18*.
Pegas de cambraia de salpicos com 8 1|2 varas
pelo baratissimo prego de 4*.
Pegas de plalilha de algodao com 10 varas, pro-
pria para saia a 4*200.
Esleirs da India, proprias para forro de sala,
de 4, o e 6 palmos de largura, por menos prego do
que em outra qualquer parte.
Neste armazem tambem se encontrar um glan-
de sortimento de roupas feilas, e por medida.
esclarecimentos precisos.
Sebo do Parto
Para os fabricantes de velas.
Vende-se sebo do Porto de superior qualidade
em ca xas de urna arroba especial para velas de
composicao : na rua do Vigario n. 26.
Vendc-se lima taberna na na Imperial n
130 com poueos fundos, propria para um pru ri-
piante : a Halar na mesma, ou na rua Dirtia dos
Afogados n. 32.
2 M 3
js<*> ene
8 ra
*
05
JSgf
- O CT =
llil
BgSB.
-o
O -I
"1
S CD'g
si I
2 3 1.
o ,S
? o
Si S.
B o.
O. 03
05 W
S
g.
pj
> x
2 o
B 2
o _
OJ
33 53
O O
Q. C
B -
VI V3
y
5.
3 X
<-* O
S
B
59 m
- -s
_. S
33
sr
- C
O O g D
a j-
!S.
O.

^USaH ImImI^H HHmUmImU^P -s
Todos que rom
Do grande sortimento de laazinhas min-
io bonilinhas de ludas as ipialidades,
gustos e [>reco eguitiU's a 3(JO, 100 e
55 480 rs. o covado qne se vendem
18 *o ua rua do Crespo u. 1.
Loja to bartetro.
Illiilllllitil MIiilUSsl ^l^^@lMl
Vendem-se dous fiscravos de uieia idade : na
, rua de Santa Rita n. 27, segundo andar.
T3
DI
2
.
S
3'
3

3
n
=--3
as 13
tz -
S S
o
pa
-
--.

O os
, o. S. H as
o m o ~, 5
3 ^.esTs:
O p, os O -? O
a 2 T3
le -ge
5 as os
off
a" tj
C ^ os -t
ii S
II $
en p o: .
B :
o,
-i
cS"
m
O '
-
5
^->
c

e
H
3
O
OS
e
i
o
o
O
td
o
I
w
i |
o
fe- o
ti P-
p- P
c
y. p-

P9 ao
5 p so
o
o
D
P-
o
W5
ce
g8
p
p-
I
r-f-
p-
D
g

P-
g
P-
O
a.*
c
p-
o
I
a
P
p-
v

B

ryj
B
c
a
P
P
co
rs*
P5
Ce
P-
P
P
-r-
S"
-:
ce
P
o
?-*
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bo
deaux, dilTerentes qualidades, mais baratoquj)
qualquer parte : no armazem de E. A.
C, rua da Cruz n. 48.
Na rua de S. Rita n. 15, lia para
I vender relogios dealgibetra de, ottro,
prata, folca o c dourado de diversas
Itjnalidades e aiil res.
Vende-se o engenho Soccorro, na freguezia de
Sanio Amaro de Jaboauio, sito inargem da estra-
da da Victoria, distante 6,800 bracas da cidade do
Recite, com boa casa de vivenda," senzala e casas
de moenda, caldeira, distilacao e estribara, ludo
de pedia e cal, em bom estado, sendo o cercado o
melhor que se conheee na freguezia, com trras
para safrejar 1,500 pes de assucar, e proporcoes
para ser transformado em moenda de agua por ser
banhado por detraz pelo famoso rio Jaboatao, e
lela frente pelo riacho Mogaiba. Tambem se ven-
dem alpuns escravos, bois. animaes de roda, com
os mais ulensis proprios ao fabrico de assucar:
os pretendentcs poderao enlender-se no engenho
cjm a viuva e herdeiros.
A ISOO.
Vendem-se queijos chegados neste vapor, muito
frescaes a 1*800, banha refinada a 310 rs. a libra :
ua rua das Cruzes n. 24, esquina da travessa do
Ouvidor.________________________________
Algodao da Balita
para saceos de assucar e ronpa de escravo; tem
para vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.________
Karinba de mandivra superior
em saceos grandes: vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, no seu escriptorio rua .da Cruz
numero 1.______________________________
Fumo imperial
Cortado igual ao francez muilo proprio para ca-
chimbo, em latas de 1 libra, quando nao seja me-
lhor igual ao americano por 1*200 rs., para veri-
ficar a verdade os Srs. fumantes podem-se dirigir
fabrica vapor de cigarros antiga rua dos Quar-
teis de Polica n. 21. __________________
Sal do Assu'
Vende Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
no seu escriptorioirua da Cruz n 1.
Milito
c,
Vendem-se saceos grandes com milito a 3*300 o
sacco : na rua da Madre de Dos n. '>.________
B ich as hambu rg ueza s
Vendem-se bichas de primeira qualidade : na
rua Nova n. 61, defronte da tilma, cmara muni-
cipal.__________________________________
Fo de algodio da Babia em saceos de 100
libras.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C. no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
Vende-se a taberna da rua de Santa Hita n
33 : a tratar na mesma.
ESCRAVOS FGIDOS.
Kugio no dia 10 do corrente o escravo por
nomo Sciniao, de nacao Mossambiqne, com os sit
naes seguintes : estatura alia, cheio do rorpo.
rosto liso, nao tem barba, tem uns lalbos no ro*to
junio as duas fon les do ro5to, levou calca de brim
pardo, camisa branca de algodao, pallot de brim
pardo, e chapeo de palha : roga-se as autoridades
civis e militares de o apprehender e mauda-lo a
seu cnlior, na rua Direita o. 30, que serio gene-
rosatr.ente recompensados._________________
Kugio do engenho Triunipho, da freguezia do
Serinhaem, no dia 10 de abril prximo passado o
escravo Juvenal, crioulo pega, de idade de 28 ali-
os, pouco mais ou menos, eslatura regular, < Jr
prea, denles limados na frente, principiando a
barbar, c j com blgode ; (|uem o appreliender
leve-o ao dito engenho Triumpho ou na rua da
Mocda n. 5, segundo andar, no escriptorio do ::t
Manoel .Vives Ferreira, que sera generosamente re-
compensado.
Ao amanhecer do dia 6 do corrente fugio d(
engenho Penanduba, silo na freguezia de Muril.e-
ca,' urna escrava de nome Sabina, representa ter
25 annos de idade, com os signaes seguintes : en-
oula, fula, cabellos carapinhos. baixa, grossa. scios
grandes, rosto redondo e com muitas marcas de
bexiga, maos pequeas e ps, peinas arqueadas, e
mais alguns cjue nao se recorda ; levou comsigo
urna fllha com idade de tres mezes tambem prr.ia :
quem a apprehender leve-a ao referido engenho,
ou ao pateo de Terco n. 44, que ser generosa-
mente recompensado.______________________
Fugio de casa de seus senhores, no da 14 do
corrente, o escravo Izidro, crioulo, de idade 23 an-
nos, pouco mais ou menos, eslatura regular, cheio
do corpo, cor um pouco fula, cabellos carapinbos,
olhos pardos, beigos um pouco grossos, nariz regu-
lar, ps grandes e grossos, bem desembaracado no
fallar, nao malcriada, levou caiga de bnrn bran-
co, camisa de madapolo, chapeo de feltro j usa-
do ; cujo escravo filho de Cahsta Mara da Con-
ceicao, do Brcjo de iiananeiras, provincia da Para-
hyba do Norte ; veio etn 1861 em pagamento para
os Srs. Guimaraes & Alcoforado desla cidade. sup-
poe-se 1er seguido para aquel le lugar : roga-se a
todas as autoridades e capilaes de campo a sua ap-
prehenso e lvalo ao paleo da Saula Cruz n. 0.
que serao recompensados com 100*.___________
Ausentou-se no dia 3 do corrente mez da ca-
sa de seu senhor o escravo Targino, cabra, de ida-
de 20 annos pouco mais ou menos, com olicio de
ourives, alto c seco, sem barba e espadado, boni-
ta figura, levou vestido caiga de ganga de qnadros
liudos j usada, camisa branca e chapeo de bie-
la, foi escravo do Ulm. Sr. Theodozio Francisco
l'iniz, morador ein Pollo Calvo,suppoe-se ter vin-
do para o llecife aonde jesteve e lem conheci-
mento, a titulo de procurar senhor, e igualmente
se ausentou a escrava Graciosa, cabra, de idade
16 annos, bonita figura, cheia do corpo, rosto lar-
go, estatura baixa, bracos e pernas grossas, 6 J
suppr que seguisse'o mesmo destino do referido
cabra, e roga se a tonas as autoridades policiaes,
capitSes de campo e qualquer pcs.-oa do vn de
se os virem os capturar e os mandar n-uduzi
a seu legitimo senhor Manoi! de Souza Cunii
sidente na villa de Porto de Pedras, ou na villa
do Paco de Camaragibe a Antonio d S >uz:. : U-
nha, em Rio Formoso ao Ulm. r. Diniz c r. IU-
cife aThomaz Feniamies da Cunha na ruada '.a-
deia n. 44, que sero generosamente
Fugio ua laide i di.i l' do crrenle um
escravo pardo, de nome Marcos, desembarcad'
do hiato f'int'i Aiui'i, viudo do Aracaly,
de idade 28 annos pouco mais ti menos,
naes seguintes : illura regular, slcco >'pi,
pouca barba, cabello crespo, levou camisa >
calca de algodaosinho de riscado azul e cha-
peo' de palha, tendo levado comsigo umatronxa
com mais roupa, c rendido de urna das veri I has :
quem o appreender queira leva-lo rua da Madre
de Deus n. 38. ou rua do Brum n. 53, que -era
recompensado.
GERAL.
100/
I
\
DOS PREMIOS DA I. PARTE DA I. LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL X. 337, A BENEFICIO DA IGREJA DE S. FRANCISCO DE SERINHAEM, EXTRAH1DA EM 22 DE JULIIO DE 1864.
12*
S. FKEMS.
3 6J
6
8
9
13
14
15 -
22
31
37
39
40
46
47
30
51
53
54
38
60
61
63
64
66
72
73
74
73
76
81
82
83
90
94
96
105
I-.'
13
15
16
17
23
23
26
11
34
13
16
SO
:,V
56
38
59
62
20*
6*
100*
c*
12*
20*
NS.
168
74
79
80
87
'.'I
97
98
201
-_
i
13
14
16
19
2(1
22
28
30
35
36
10
43
51
56
58
65
66
67
71
72
75
77
78
82
84
*7
95
97
98
300
i

5
7
10
13
14
13
30
21
25
30
31
33
PKEMS.
6*
40*
6*
405
6*
12*
6*
12*
6j
12*
12*
o*
NS. PltEMS.
334
35
38
i8
51
52
54
55
64
67
68
70
74
75
81
88
89
90
93
94
96
'.".i
400
I
5
9
10
13
14
15
21
'2 i
32
36
40
\i
16
18
52
53
57
59
61
tu-
yo
72
75
83
85
95
96
507
10
11
12
.NS. PKE
513
18
20
23
36
12
54
55
63
69
73
74
76
77
7s
79
81
S2
85
87
MS.
6*
405'
6*
NS. I
695
700

9
10
12
14
26
30
31
52
34
3o
37
38
41
45
47
48
51
59
UE.MS.
6*
.NS. PREJ1S.
868 12*
69 6*
NS. PIIEMS.'NS.
1071 6-5 T 232
73 36
-I 72
2051 74
6*, 76
7
83
84
87
12*
20*
6&
20*
6*
91 MI
97 _ 72
602 73
4 12* /.i
9 6* 76
10 86
12 90
14 _ 94
19 __ 97
26 99
27 800
28 1
29 2
50 . 13
31 16
34 17
35 18
40 19
41 _ 23
42 27
U 29
M 31
51 33
56 34
58 37
N 39
67 47
70 _ 52
71 . 55
78 56
82 57
84 20* 62
8o 6* 63
90 67
12*
5
12*
20*
12*
600*
6*
6|
12*
12*
12*
6*
99
907 -
12
14
15
2- __
30 -
32
36
37 -
38 -
43
45
51
52
53
56
57
59
63
72
79
81
84
87
94
1000
4
16
18
23
27
28
29
34
38
41
43
10
50
54
56
64
63
6*
20*
12*
77
78
84
86
88
94
95
96
1108
10
15
16
17
!S
20
21
24
28
30
33
36
37
10
15
56
61
63
64
66
67
69
71
74
81
83
85
97
98
1200
4
7
9
10
11
12
13
18
19
22
25
29
30
i:
400*
65
w
41
58
60
61
62
72
74
76
77
79
60
85
90
91
94
96
97
99
1302
9
1(1
14
23
27
29
30
32
36
37
13
48
19
67
78
80
81
82
85
86
88
96
1405
6
9
10
19
21
27
28
PltEMS. NS. 1
6* 1429
30
34
45
_ 49
PHEMS.
65
12*
6*
20*
o*
12*
6*
50
51
54
55
59
62
63
65
67
71
74
77
78
81
86
90
91
97
98
1501
7
8
12
15
16
20
22
21
29
30
33
34
35
36
15
51
52
53
51
62
66
78
81
83
85
86
87
98
2*1601
12*
6j
12,5
6*
100*
12*
6|
12*
6-3
NS. I
1610
20
21
21
31
57
39
12
43
IV
45
51
50
58
59
64
69
70
71
74
75
78
85
86
88
89
90
92
%
1700
UE.MS.
6*
205
6*
12*
6*
12*
125
.NS. PltEMS.I
1802 6*;
4 -|
6 I
9
11
13
15
17
2o
25
29
31
38
39
42
44
15
53
54
62
66
67
71
79
40*
64
IT,
76
85
97
98
99
6*: 1905
12*
B*
40*
) 100* 6
14 6* 7
16 12
17 15
18 12* 16
21 6* 18
22 20
23 100* 23
28 6* 26
33 29
31 30
4o 31
49 12* 33
52 12* 36
53 6* 40
55 47
65 50
72 ^M 51
75 52
79 53
84 -- 56
93 40* 65
96 6* 6
97 74
1800 77
2005
125
VS. PREMS. .NS. 1
984 6* 2136
86 37
'.'2 39
600 w
4 41
6 - 46
8 17
13 53
11 54
16 55
17 60
19 63
20 67
22 72
23 81
25 86
26 93
27 2202
28 12
50 13
31 14
55 15
10 25
45 ' 29
17 33
49 34
51 44
52 47
53 49
59 51
63 54
68 57
69 61
70 71
71 20* 77
72 65 78
75 82
76 85
77 12* 86
78 12* 88
79 12* 91
84 6* 94
86 2300
87 3
91 5
95 6
97 17
2102 20
3 _ 23
12 _ 25
19 __ 27
26 28
33 29
34 34
35 205 37
PREMS.
125
12*
65
.NS. PREMS.
2339 20*
12*
65
20*
41
50
51
55
59
67
68
09
70
72
73
74
75
70
77
81
89
94
98
2400
1
6
8
9
18
22
25
28
32
33
34
38
11
18
50
55
56
58
59
CO
61
63
65
72
75
78
81
82
87
94
99
2502
4
5
05
40*
.NS. PREMS.
2506 20*
12*
65
12*
20*
12*
9
II
12
15
19
26
28
32
35
58
U
12
17
51
55
57
011
62 .
64
08
70
71
72
71
77
81
92
96
2604
5
6
12
15
19
20
25
27
30
54
35
36
39
M
43
50
51
54
55
59
08
09
70
72
73
6*
105
.NS. PltEMS.
40*
6*
100*
65
2674
75
79
80
85
81
80
88
95
97
98
2701
4
6
11
21
22
24
29
32
o.\
37
19
50
51
55
61
07
09
70
73
77
81
86
92
94
98
2803
6
11
13
14
15
18
20
23
27
34-
38
39
11
14
46
48
51
05
125
6*
205
12*
205
12*
NS. PltEMS.
2852 6*
56 -
58
66 -
69
70 -
76
77
80 -
82
83 -
90 -
92 -
93
97 -
99 -
2903
4
6 -
9
11
12 -
18 -
20 -
25 -
27 205
28 6
32
36
38
44
51
56
57
58
59 -
61
63 -
65
66
67 -
69
71
73
75
76
80
83
84
86
91
99
3002
11
12
20*
6*
NS. Plth
3013
14
15
18
2o
27
51
33
35
50
58
40
43
49
51
53
55
57
61
05
65
71
82
85
84
85
89
90
91
3103
5
6
7
8
10
II
18
23
24
31
32
33
39
40
11
43
44
47
19
56
58
63
01
68
71
MS.iNS. PKEMS. NS. PREMS.
6*3176
12* 77
6*| 80
82
87
91
92
97
98
3207
10
12
16
17
25
26
29
33
36
12
43
11
50
52
50
57
61
62
63
68
73
74
75
76
80
81
82
84
85
80
89
93
98
3305
10
11
13
11
19
23
25
26
28
31
33
6*
6:0005
125
6*
3342 6*
44
15
18
:>i 40*
:;:, 65
58
05
64
67
79 20*
81 05
82
83
84
85 125
80 o-3
90
94
99
3400 20*
* 6*
200*
6*
20*
6*
200*
6*
12*
9
10
14 -
15 -
16
17
19 -
20
31 -
39 -
43 -
45
48
50
59 -
62 -
68 -
71
78 -
79
80 -
81 -
83 -
84
86
89
91
92
96
20*
65
99
12*
61
\
O escrivSo, Jos Pedro das Neves.
Per*. Typ. de M. F. de Faria & Filho1864



^,**"V
7/
?
Diarlo de Pervambaco Snbbado S3 de iiillio de 1S4.

JURISPRUDENCIA
Tribunal de assiscs do Scua.
PROCESSO COTt DE LA POMMEIUISAUDIENCIA DE 9
DE MAR.
(Conclutao)
0 soalho fra a principio pintado a fogn e depois
a de rado; raspei debaixo da cama
;.- materias assim oblidas nada produziram.
rava-se un vivo dbale enlre os dqns peritos C
.:. Hl si bi a mancirad tratar ama subs-
tancia pela chimica, e sobre os unios do chegar ao
reconliccimcnt da sua natureza. Os espectadores
anciosos ouvem-os no mais profundo silencio, c
nota-se nos oibares dos que assistem a esta discos-
fo o esforco que fazem para comprehende-la. O
Sr. Hbert contina a sustentar que os peritos nao
acharara digitalina, mas outra sabstancia.
0 Sr. Hbert:Os peritos dizera que a digitalina
produz ronlracco do coraco. todos os professo-
res sostentam pelo contrario que ella determina ara
ifroaxamento.
o Sr. Tardieu : Consultao a este respeito o Sr.
Claudio Bernarfl.
O Sr. Osear de Vallen, advogado gcral : -O Sr.
Hbert pode cilar un nico aulor que seja da sua
| iniao?
O Sr. Hbert: Citarei os Srs. Raynal, Dupnis,
Laond, Boplay, Stanius. Aqui esto cinco, lia
livr*s que iratain do experiencias feitas com a di-
taima. (A testemunha vae tomar urna obra quo
dexra na mao de una pessoa que se acha na
sala.j
O Sr. Tardieu : -idos buscar urna memoria pu.
blie.ada lia dez aunos A sciencia tem caminha-
uo. Cmpromeltcis os autores que citaos; bem
-aliis que tudo isso velbo.
Um jurado:O Sr. presidente nao poderia man-
dar chamar o professor cujo nomc foi pronunciado
ha pouco ?
O Presidente: O Sr. Claudio liernard? Elle
%TtE!fr^Z*SEEEZttStSn-i!*! t^tt^a^m*",-!^ 4.tm ,*. *
para a sala das deliberagoes. Durante este mo- Negra onde suppanha homisiados o raptor e seas
monto fatal, em que se discute a sorte de La Pom-, cmplices, nada pude conseguir, havendo encontra-
merais, os espectadores entregam-se as mais calo- do nesse engenho vestigios da estada da menor;
rosas conversases. Como sempre acontece, ha 'apenas raallograda a diligencia, pelo que informa a
dous campos na sala, e se uns se mostram certos' presidencia ao governo, en razao do procedimento
da condemnagao do aecusado, outros pensara que irregular do ofBcial que commandava a forga.
ha probabiliilade de absolvico.
do Brasil em urna fabrica de hi.ade.pbia, apresen-' partifcdTgento beHic^ je^^^sn. 4to mEfo SemoeC^i ViT
tnndo-se como Brasileiro e agente do mesmo ambico; forma vam grandes batalla cine ani ,""P. m*' '6 desemPeh<> f' detestavel,
">nco. SJZ,22**!'."N d.ev,d0lalvez a.n,a von,ade C01 1"e **
banco.
Auxiliado pelo individuo que deu a denuncia,
gao poz este original em scena.
Snnnju ea.,.". LT V "'' U"nei"' ^mure chamado Van de Linden, com faze-los pegar no arcabuz. Os bons resultados que
JL Z T d C0"Selh0 dCVGra ST? J TS f ne dC "1Ca ntrn ldaS ^ "r0VaS dd Cri'ne' "W^-*i" I"- I Gregos obtinbam na caca, servindo-se do-Tr
ST/ rU"aS ,WaS '' T T2VI R CaP D8el FraDCSe d SegUDd' momen, cm ''l,fi *"** d" mas dfl f' M V" lentn tros que as foram
, n ^ ? %*"% Te Se aCbam D0 mC' da I J T' f'' v,ce-PresiJenle W* P"a o termo Pl.ladelpbia. Era urna caixa costada o papel' pedir aos senhores fendaes.
""im nsa munida), esta denosto a retirar-se antes uo Hosario. encarrezando-n <1a navas nrnoi.i....pi-.j nrpnnn.in ^m o .,.. j-__.___ i .
^-------------------------------------------------------------- ------------------------------ p*.., |-,. i ,t > r ii i'
immensa mullida), est disposto a relirar-se antes' do Rosario, encarregando-o de novas providencias
saber do resoltado do processo.
A's 5 e meia horas ouvo-se soar urna eampainha.
Os espectadores iritorronipem as suas conversa-
eoes. e bascara ler no r dos jurados, que chegam
um por um o se dirigem lentamente para os seus
lugares.
O presidente do conselho commumea o resultado
das suas deliberares.
Ouanto aecu-acao de envenenamento da Sra.
DuLizy, a resposta negativa ; mas quanlo ao
quesito : O aecusado criminoso por ter em 1863,
por meio de substancias venenosas, alternado con-
tra a vida do Julia Francisca Testa, viuva Pauw
a resposta afflrmativa. (Scnsacao prolongada.) '
O Presidente.-lutroduzi o aceusado.
Todos os ollares se dirigem para a porta estrel-
la c baixa por onde entrara es aecusados. La
Pommerais entra na sala logo depois, e parece ig-
norar o resultado da deliberado do conselho.
Um meirinho le-llie as apostas do conselho.
Como os quesilos propostos aos jurados sao sim-
plesmente indicados por 1", 2, 3, etc. quesitos
sem explicacao alguma, raro que os aecusados
comprehendam o que se decidiu sobre sua sorte.
Todava os sim que La Pommerais ouviu provoca-
ram nello amiudadas contraccoes dos msculos da
face.
O Sr. Osear de ValleA' vista da declarado
do jury, requereraos a appiicacao do artigo 302 do
cdigo penal.
mados por boa paga, eram empregados com vanta
, gem contra os Turcos,
e pela polica secreta do estado de New-York, po-1 Custou muilo a fazer com ntle os Cretenses del-
, de consegrar a prisao de Gastn, e a de uraaE xassera o arco, sua arma an^ae SuT para n?3T ^T T""*
Tendo posteriormente partida do Dr. Gu.lher-, mao seu cmplice chamado Van de Linden, cora faze-los pegar no arcabuz. Os bons resultados que t ^''10 ^ ff *^T 5?** d3 E9C0,:e-
e, acceitado o cargo de chefe de policia interino todas as provas do crirae. aoorebendid em nn- I !., EL ahHhm Zl .J-^ITLZ ^ ^ ,efra aS"dado mil,,' Jro alminha, do
temor, a Jarra de porcellana, Curar por informa-
yes, p, o amor de mae todas ellas recebidas com os
applaosos da platea.

A sociedade editora da bibliotheca dos dous mun-
do?, est dando luz Grazielta, de Lamartine,
vertida pelo nosso estimado c sympalhico poeta
Bul bao Pato.
A Graziella urna pagina da vida do antor, pa-
gina cheia de poesa como o Rapbael e Joselyn.
O livro nao poda encontrar melhor interprete ',
ura coraco arrebatado, urna alma de poeta que
se enthusiasma pelo bello, que adora tudo o que
grandioso o sublime. Se esta obra ja contava
muitas sympathias, vertida agora para a nossa lin-
gua com luda a fldelidade do sentimento que a
nspiroii. devora attralnr muito mais a niriosidade
das leitoras.
a bem da captura dos criminosos.
sse magistrado, bem que adoentado, parliu
sem demora para o termo do Rosario com o capi-
tao Goncalo Paes de Azevedo e Almeida^ offlcial de
toda a conflanca, e solicito no deserapenho de seus
deveres, ali toinou as providencias que as circuios-
lancias exigan) de modo a tornar effectiva a cap-
tura dos criminosos.
Sendo informado por pessoa de conflanca que
o raptor e seu squito se havam passado para o
sul, ordenon o vce-presidente ao chefe de policia
interino, que cora outra escolta commandada pelo
capito Mantel da Cruz Mello, se dirigisse deter-
minados pontos designados em um itinerario por
elle preparado.
Felizmente o chefe de policia interino, partn-
do da capital em 3 de abril ultimo com a primeira
escolta pude no da i sorprender o raptor ealguns
de seus cmplices no engenho Mundo-Novo de pro-
priedade de Antonio Telles de Ges. Com elles se
achava a raptada, a qual foi logo restituida sua
familia, sera que, segundo informa o rice-presiden-
te, tivesse soffrdo em sua honra offensa alguma.
O processo destes criminosos foi instaurado
pelo chefe de policia interino, e em breve ser sub-
mettido ao julgamento do jury.
O governo imperial approvou o procedimeDto
havdo neste negocio tanto da parte do viee-presi-
dente como dos outros funecionarios que dedicado
. r. .. "-"---"i""" '' e yiuuuncian a sentonca. ana
aqu se achara amanhaa. Sr. Heberl, se o cao que f0demna nona a .,., r. '
.. -.-. tonatmna a pena de morte Desiderio Gdmnndn
m" fontvdptal ^^ ^uinunuo
Posto que a appiicacao desta pena fosse espera-
da depois da declarado do conselho, a letura des-
ta seotenca seguida de urna longa agitaco no
auditorio.
La Pommerais levantase, e diz com voz um tan-
to fraca : Eu sou"innocente I Juro-o!
La Pommerais eslava socegado e taciturno quan-
do enlrou para a celia especial destinada aos con-
demnados.
(Grana Journal.)
morrea nao suecumbio em consequencia da intro-
ikiecao das materias raspadas do soalho, de que
morreria entao?
O Sr. Hbert:Nao sei.....mas sustento que
nao foi a digitalina que o matou.
O Presideute :Mas, emim, cssamorte tere urna
.ausa! *
O Sr. Hbert :Ignoro, e nem elles mesmos o
sabem.
'Hilaridades; reclamacocs.)
O Presidente : Sr. Hbert, senhores peritos,
tendes alguma cou.-a que accrescentar ?
O Sr. Tardieu : Ha pouco ctei de memoria a
-lassagem de um curso do Sr. C. Bernard, feito em
I8(5i1863.
Achel urna nota que havia tomado e na qual vejo
que o Sr. C. Bernard diz que os eTeitos da digita-
lina poein as fibras do coracao era urna especie de
coagulacao; que o coraco para por conlracaio, e
quo emlim a digitalina o veneno do coracao.
O Sr. Hbert:-lsto est em contradico com
tuflo quanto se sabe. O coracao para, mas nao
para contrahido. Abristes o cao duas horas de-
pois de morto, se bem I i a vossa memoria; eis por
que achastes o coracao contrahido.
O Sr. Osear de Valle, advogado geral:Estes
senhores fizeram as suas experiencias no ponto de
vista lexicolgico.
O Sr. Hbert:E justamente assim que eu
enteodo.
Os ju.zes ret.ram-se para deliberar. Alguns m- efflcazmente o anxiliaram, com particulardade o
utos depois vol.am e pronuncian, a sentonca, que do chefe de polica interino que logrou IZZZ l
prisao do raptor e de seus cmplices.
Releva aqui ponderar que a nossa legislacao
criminal sobre o rapto nao presta s familias a
proteccao que cumpria, nao tanto pela braodura
da penalidade que mp5e, como por fazer derivar
do fim libidinoso a essencia do crime, quando
certo que pelo facto de tirar alguem mediante vio-
lencia on seduccao a qualquer mulher da casa ou
lugar em que estiver, seja para abusar delta, se>a
preparado com a marca d'agua semelhanio ao que'
se pretenda falsificar.
Polas pravas se reconheceu que a denuncia era
inexacta quanto qualidado das notas que so pro-
cura va falsificar, pois em lugar de ser do bauco
eram do thosouro, visto que as amostras do papel
apresentadas linliam marca d'agua das notas dessa
repartido de 20050U e de 3,0000, que Van de
Linden traba era seu peder como modelo.
t U criminoso Jos Gastn, que na policia so re-
conheceu chamar-se Agostinho Lettarte, fez diffe-
reoles revelacjes acerca de seus cmplices no im-
perio, coofessando ter feito outra encomnienda da
gravara das notas a um lythographo da mesma ci-
dade do Pliiladelphia, para serem impressas no pa-
pel encouiniendado naquella fabrica.
Tanto as pedras como as notas j impressas so
achara era poder da polica de New-York.
Por ora anda uo sabe o governo quaes os
cmplices dos dous falsarios Lettarte e Van de Lin-
den, mas tem expedido as convenientes ordens
aiui de que sejara descobertos e presos.
O governo nao pode deixar denoste lugar lou-
var os esforco e zelo do cnsul geral do imperio
naquelle paiz, e o acert das medidas que tomou
para a descoberla do crime, captura dos falsarios
Os commissarios venezianos que foram enviados
Un em 1386 para estudar a situacao, e cujo rea-
torio tao importante foi publicado por M. Pashley
destribuiram um certo numero de espingardas aos
subditos que repotavam liis.
Por tanto, o uso do arco nao foi logo banido; em
1596 um outro inspector veneziano, Foscarini, es-
creve fallando dossfakiolas :
Andam sempre cun um arco ao hombro e um
carcaz ao lado, carcaz cheio de flechas quo aliram
c.im a maior pericia ; entre elles ha alguns que
sao expelientes nr'cabuzeiros.
Sessenla annos depois, nas relainjes do cerco de
Canda, anda se falla muias vezes em fermentos
feilos com arco, e o arsenal dessa cidade contera,
comoj dissemos, provisoes de Huchas que remon-
tam essa poca.
(Conlinuar-selia.)
DI POLCO BE TUDO.
i Recata Luso BrasUeira, l-se o seguinte :
Os dvortmenlos pblicos eslo desanimados ;
no esto, a sociedade de Lisboa foge para o campo
e a cidade um deserto.
No theatro normal representa-se a Pobreza Don-
e apprehensao dos instrumentos que serviram para r.ad"' do Sr- Biesler ; ^""I""" Que ha pefa nova
o como de delicio. Jeste aulor> favorece-o immediatamente urna 0|i-
nio antecipada, proclamando que a sua melhor
o corpo de delicio.
Dentro do nosso paz infelizmente os perpetra-
dores desle crirae nao tm desanimado, a despeito
das severas ligues que tm tido criminosos da mes-
ma especie. .............
Na villa de Campia Grande, da provincia da a mais aPr'morada, em quanle- nao vieram os lo
ifilnii-i n inii nmtuiui ..-_.i___j... ____ mciw Ricos, ana lomaram n nriminv lno-ir ,i,-i r,.
obra ; quando subiu scena o Jago, correu logo
que era a sua melhor peca ; quando se represen-
tou depois a Fortuna e Trabalho, ficou esta sendo
a mais aprimorada, em quanle- nao vieram os lio
mens Iticos, que lomaram o primeiro lugar do re
Parahyba, o juiz municipal apprehendeu una
meeda da ouro falsa, imitacao das libras sterli- POriorio, passando ao segundo, apenas surgiu a
nas. A policia, fazendo as necessarias pesquizas,
reconheceu que um individuo de norae Hermogenes
de tal. residente na cidade de Nazareth, da provin-
cia de Pernambuco, fora o introductor de seme-
lliante raoeda. O governo imperial, por aviso de
Ifr de marcp ultimo, ordenou que fosse proces-
sado.
LITTER'f'RA.
0 QUE VAE PELO MUNDO
Damos em seguida o relatorio apresenlado as-
sembla geral pelo Exm. Sr. ministro da Justina,
conselheiro Zachanas de Ges e Vasconcelos :
Augustos e digoissimos senhores representan-
tes da nago :
Cnamado pela confianga da cora em 13 de Ja-
neiro deste anno para o cargo de ministro e secre-
tario de eslado dos negocios da justica, venho em
cumpriraento da lei apresentar-vos o relatorio dessa
repartigao.
t Se bem que em to curto espago de tempo
pouco tenha a addiciooar aos esclarecimentos que
vos foram ministrados por meu Ilustrado anleces-
Os Srs. Boulay, Raynal, Dupnis e La
fond, fizeram cgualmente experiencias i m cavallos sor no re,aJor'0 *lue vos foi presente em Janeiro ul-
.: caes, na escola d'Alforl, c obtiveram resultados limo> [odavia <"" complemento s informagSes que
contrarios aos dos peritos. i por Da0 B*?erra cliegado a lempo deixarara de ser
O Prcsidente.-Mas em summa, em que 6 que' t'on'emPladas DailUtl^ documento, commnnicar-
divergis dos peritos ? VS'hei as "ue Pude co,,iir. expondo ao mesmo
O Sr. Hbert.-Em tudo quanto elles dizem nas temp as ldas que me 0CCTerem acerca das ins-
respostas que deram aos quesitos da justica. ,ui58e subordinadas ao ministerio meu cargo,
o Presidente.-Entao contestaes a sua affirmaii-'e os n,(!ll'l,ra'uentos que julgo acertado fazerem se
va a respeito da possibilidade da morto do cao, de- i raS..d',r'ircmcS ram0S da resPec,,va adminis-
pois de Ihe terem sido applicadas as materias ras- '
padas de urna das taboas do soalho? Tranquillidade publicaseguranca individual.
n pr;onb^t'~2,ian, 'T 5a,"- a,,and0"-- C'"W boa ndole e moralda'de do povo, te-
0 Prudente.-Todava, ha pouco fazieis delle o o como o mea antecessor toda a conflanca de
assumpto principal da vossa argumentacao sns-11)lie a ordem publca a r^ ^ ^ r
tentaste? que a decomposig ao das materias langa-! alteradas. ve
das sobre as taboas poderia ter causa lo a raerte i>,,o que respeita a seguranca individua, de
"Vsr in,eri vs i r a- esperar que iodos os dias v melhorando propor-
O Sr. II Jcrt-Nao senhor. En d.sse que nao c3o que as ,uzes e a eJucac;0
sabia de que poderia ter morrido o primeiro cao
Mis suslenh'i que os extractos qnr se fizeram das
visceras da Sra. Pauw poderiam conter materias
ptridas, e que nao me admirara da indisposico
que leve o segundo ca. Manifestei a nimba admi-
raco or elle nao ter morrido.
O Presidente.Srs. peritos, crdes que o esto-
mago do qual Qzestes ura extra to para introduzi-
povo progredi-
rem, e os rucios, de que dispOe o governo para con-
ter e refrear o crirae, se forera desenvolvendo.
Entretanto confrontndose a estatistica crimi-
nal de outras nagoes cultas com a da nossa, ainda
j dando descont de alguma imperfeigao nos dados
que possuunos, v-se que nossa posiga moral nao
, i inferior a tal ponto que nos envergonhe.
o pir meio de urna incisao debaiso'da pello do se-' '.I,a em verdade provincias em que, pela espe-
I ciaiidade de suas circunstancias, deliclos de maior
gund i cao coiilinha materias em putrefaego, e que !
foi isto que o pOz doente? jgravidade desgracadamente muito avultara ; mas
'orga convir que, era compensagao, outras exis-
0 Sr. Tardieu.Nao poda haver materia algu-
ma cm putrefareao;o estomago eslava em bom es-
tado. A experiencia foi feila menos do tres sema-
nas depois da morte.
O Sr. HbertConcedo que nao houvesse mate-
rias em putrefaego ; mas a decomposicao comeca
com a raorle. A's vezes a picada de um escalpe-
lo, no acto da disseccao, causa incommodos gra-
vsimos, e nos nao podemos explicados selentifi-
camente.
l'm dos Srs. jurados perguntava-me se essas
mesmas materias introducidas ni estomago podc-
- r--> '-"
era onde esses phenomenos se nao manifestam com
frequencia.
Entre os factos criminosos que no limitado
espaco de tempo da mnha admnstrago tem che-
gado ao conhecimento do ministerio da justica, ha
um, que pela audacia com que foi perpelrado'e por
outras circunstancias de que foi acornpanhado, me-
rece aqui especial mensao.
No dia 14 de margo prximo Dndo, pelas qua-
tro horas da tarde, estando mesa o capito Felip-
pe de Faro Mella, proprielario do engenho Massa-
riam deixar de determinar a morte do ani ." "",'.
,,, r M,ah,va.. .... ''"'"'" pe, do termo de Larangeiras daquella provincia
Responder pie havena menos probabilidade pa- UII1 ndiv,duo de nomo Braz de Maciel e mal di
ra o animal de inorrer : mas a iniroJucco debai-' M T*" ae
xo da pelle. como a pra.icaram por ineisao, com- "', '^a ^S"8 8 ^
tolas, ponetraram na casa do mesmo Faro, amarra-
munica ao sangue, do urna maneira mais activa,
ram-o, bem como a sua mulher D. Mana da Glo-
elementos de perturhagao e de morte.
.,.,__. ; na Faro, ameacaudo-os com a morte se ousassem
A testemunha e os peritos trocara ainda algumas gntar.
explicares a respeito do momento em que comeca '
a decomposicao depois da morte, e o Sr. Hbert,! Em seguida raplarara urna enteada do proprie-
divergiudo da opiniao do Sr. Tardieu, contina a tario> D- Jeanna Ladislu de Faro Jurema, de 13
sustentar que ella comeca logo depois da morte. ailI>os de edade, a qual atada com cordas sobre um
O Presidente.De resto, nos mandaremos cha- cava'lo foi conduzda in continente ao termo da Di-
mar os Srs. C. Bernard e Vulpian. VD-a Pastora, e d'ali para o do Rosario, d'onde o
Os Srs. C. Bernard e Vulpian comparecem e de- raP'or ODtendo novo auxilio de seus parentes foi
claram compartir a opiniao dos Srs. Tardieu e ter ao engenhoSerra-Negrade propriedade de
Roussin. seu '""mao o bacharel Leandro Ribeiro de Slqueira
Os Srs. Boulay e Raynal, ambos profesores da Maciel.
escola de Alfort, declarara ter feito experiencias Logo que o vice-presidenie da provincia, Dr.
em cavallos com a digitalina. O facto dominante, Antonio Dias Coelho e Mello, teve conhecimento da
e o facto que determina a morte, o afrouxamen- perpetracao do altentado, expeda terminantes or-
to do coragao. i dens as autoridades policiaes de toda a provincia,
Sao euvidas diversas testomunhas da parte da; afim de tornar effectiva a prisao dos criminosos ea,
defesa, que do boas informagoes a respeito do ac- restiluigao da menor sua familia,
cusado Elle andava sempro muilo oceupado em Nao so achando na nc. jv0 che_
razao da sua numerosa clnica, e dava muitas con- fe de ll0|ina M encarregado da commissao de per-
su as gratis. I seguir os criminosos, tomando para esse fim todas
Depois da requisitoria do ministerio publico, do as providencias que entendesse acertadas, o Dr
discurso de defesa do Sr. Lachaud e de duas rpli- uilherme Pere ra Rebe ,. 2S5i*S
esa "ca interino, visto como se haviam escusado de
fesa.
O aecusado, que se conservara at entao cabis-
baixo, levania-se precipitadamente e diz; Nao, Sr.
presidente.
O Presidente.Eslao encerrados os debates.
O Presidente faz o resumo desses longos debates,
e posto que todas as particularidades sejam perfei-
tamente conhecidas dos espectadores, prestam-lhe
estes a mesma attengo que os jurados.
exercer aquclle cargo os juizes de direito das co-
marcas da capital e de Larangeiras.
t O chefe de policia interino, partindo inmedia-
tamente desempenhar a commissao de que era
encarregado, levou em sua companhla um destaca-
mento de primeira linha sob o commando do capi-
to Manoel Jos de Menezes.
< Nao obstante as providencias que tomou cer-
nieran, ha motivo de sobra para exercer o legisla
dor toda a severHade, sob pena de ficarem a auto
ridade dos paes e a do lar domestica a merc da
audacia e da cobiga de qualquer aventureiro, que
cora a mira em casamento de vantagem as quizer
perturbar.
Moeda falsa.
Nao sem grande desprazer que vos commu-
nico que novas tentativas se hao feito em paizes
estrangeiros para a farsificago de nossa raoeda me-
tlica e fiduciaria.
Ao zelo e bem eombinados esforco*de nossos
agentes, e boa voniade. em geral, das autorida-
des desses paizes, deve-se o nao ter por ora o mal
podido progredir.
Os Chilenos Serapio de la Quintana o Francis-
co Bruno que, como vos- informou meu antecessor,
haviam em Montevideo agentado urna fal*ica para
falsificar moeda meiaWca brasileira e chilana, ten-
do escapado persegmcao da policia do Estado
Oriental, foram presos em BuenosAyres, era razao
decrimes da mesma especie qu-i ali haviam. per-
petrado.
Por ora ainda ni posso Informar-vo* acerca
do resultado do processo que se instaurou no- Esta-
do Oriental contra laes criminosos, limitanlo-me a
assegurar-vos que todos os cuntise utensrs- neces-
sarios para a exeeugo do crime foram aprehen-
didos pela policia oriental, e continuara em seu po-
der.
c Em data de 11 de margo ultimo participou a
este ministerio o cnsul brasileiro na cidade do
Porto, que por denuncia fo4 informado de qjie na
casa n. lo do largo dos Fradellos da mesma cida-
de, se achava um gravador abrindo urna chapa de
notas do thesouro.
Requisitando elle una busca nessa easaem
29 de fevereiro ulmc> conseguiu-se a apprehen-
sao de urna chapa de cobre para notas do valor d
.'hSOOO, e do respectivo modelo urna nota do
mesmo valor da serie M. n. 80,633, assignada por
Henrique AITonso KorfT. Nessa oecasio tambero
foi apprehendido o gravador Feliciano Joaquim de
Oliveira, escapando no momento o dono da casa, e
o autor da encommenda da chapa.
Pelas activas diligencias do nosso cnsul, coad-
juvado pela polica portugueza, foram affnal captu-
rados o dono da casa Manoel Jos da Silva e o au-
tor da encommenda Joaqaim da Rocha Paiva na
sua residencia do Gondarens, districto de Aveiro,
onde era conhocido pelo nome de Joaqahn da Tho-
mazia.
Este criminoso dono de urna fabrica de dis-
tillaco, alm de outras propriedades, e ali tem se
relacionado com differentes pessoas, entre as quaes
a familia do conde de Uulhao, personagem que j
se havia comprometido no crlmo da mesma natu-
reza como raoedeiro falso Manoel Moraes da Silva
Ramos.
No interrogatorio feito a Rocha Paiva perante
o governador civil do Porto, a que assistira o nos-
so cnsul, declarou o criminoso : que j havia es-
tado preso por espago de 17 mezes nesta corle, por
se ter implicado n'um processo a que deu lugar a
apprehensao, que se fez na alfandega em margo de
1836, de urna porgao de notas encontradas em fun-
dos falsos de urna caixa de miudezas, viudas do
Porto da barca Brackarense, que tivera sociedade
com Antonio Alfonso Vellado em urna fabrica do
sabio e vellas de sebo, situada na ra da Gamboa,
com deposito na do Fogo n. 39,.e que se retirara do
Rio em 1860.
O abridor Martins, alm de reconhecer em
Paiva o autor da encommenda da abertura da cha-
pa, fez revelag5es, das quaes se v que Manoel Jos
da Silva, socio da casa, tinha tarabem parte na cri-
minosa especulagao.
Com quanto se nao podesse colher todos os
documentos comprobatorios do crime, sempre se
colheram alguns que nao deixam de ter valor, e
asseguram a punigao dos criminosos capturados,
confiando o governo que os tribunaes prtuguezes
nao deixaraosem castigo tao grave delicio.
Informa o referido cnsul que outro criminoso
da mesma especie, chamado Jos Dias da Assurap-
go, fura preso em 14 de Janeiro deste anno, e
competentemente pronunciado. Mas a despeilo das
provas do delicio obteve provimento no tribunal da
relago. Dessa deciso ia o cnsul recorrer com o
ministerio publico.
~V O processo que novamente se raaudou instau-
rar contra o celebre abridor Manoel Maraes da Sil-
va Ramos, da mesma cidade, esperava-se que seria
julgado depois das ferias da Paschoa, nao havendo
como respeito do primeiro motivo para ser an-
nullado no supremo tribunal de justiga.
Pela legago brasileira nos Estados-Unidos foi
o governo informado de que por denuncia dada ao
consol geral de imperio em New-York, se soube
que ura individuo de nome Jos Gastn, tinha feito
u leu consi4eracTio do governo imperial una con-1 ^a pe(ra ,em defefos> e 0 maior & lodos a
sulta do chefe de pohea da mesan provincia se da prncpal nao ter desenvolvimeato alm do
se de va mandar processar o coronel Livio Lopes ; pfim,iro act0.
tte Castello Braoco e Silva e outros por haverem i
i,hA.i,,.. .o,.., A accao em que se fundamenta otriulo; mer-
introdiizido na cvreulacao em I8'k medulas falsas.' re ai|
Nao havendo motivo parajulgarprescripto o crime,
mandou o governo proceder contra os criminosos E' defei, dos HomeH$ Ricos' onde eada 3Ct0
por aviso de 3 de fevereiro deste aime, Ie um 80V0 eP|60dl0 c & assumP' Para oam dra-
Pobresa Dourada
Se este juizo contina favoravelmente ao Sr.
Biester, em breve a sna repula gao e gloria terao
de rivalisar com os triumphos de tendean e Sar-
dn, de Sand e Dumas.
A Pobrezu Dourada urna comedia-drama de
lances felizes, de caracteres bem trabados, e de al-
para consiranger os paes a consentirem ao casa^fe presii(k>,e_ do P"<>vincla do Piaul.y submet-1 guns da|0g0S' elieios de animaca0 e **, vja 'com
O governo imperial nao descansara om s.
momento naperseguigo.dos perpetradores de tao
pernicioso crime.
Africanos-.
t Ka mais de oito- anuos que no p*iz um s de-
sembarque de africanos seno tem realisado; pro-
va iocontrastavel da Iealdade e vigitancia do go-
verno brasileiro, nao menos que da profunda aver-
sao que ao povo do Brasil inspira esse deshumano
e criminoso commercio.
Supposta a impossibilidade do-Franco, espera
o governo imperial que ha de chegar a poca em
que o commercio licito- e natural entre- este para e
o littoral fronteiro se possa fazer sem perigo pora
as popnlacoes africanas.
Os africanos que obtiveram carta de emanei-
pago dfepois do ultimo relatorio nao excedem de
71, que-com. os lii emancipados at- dezembro, se-
bera a 413.
As emancipagoes regulam-se pelo decreto n.
1,303 de 28 de dezembro de 1833, que fixa como
mximo do tempo do servigo arrematado, a que
taes individuos sao obrigados a particulares, o pe-
riodo de 14 annos.
(Conliimar-se-ha.)
A 1LUA DE CRETA.
Recordantes de viagenu
II
fConlinuagao.)
Mais protegidos do que os outros pela singular
configurago do terreuo, que habitavam, er.trin-
chtiraii-js atraz dessas inuralhas de pedra e de
nove, guardados pelas torrentes, por esses esSreitos
---* -..&w...**^^-, .. .... -. una Luuicuiay unti.M, u
e tortuosos desliladeiros, por esses terriveis princi- mo|de para outro drama,, urna conliuacao desme-
pios, queja teutamosdescrever,os sfakiolas, desde
o tempo em que a historia d noticia delles, gosa-
vam de urna independencia de facto, que nem a
conquista turca podo reprimir. (2) A primeira
raenco della, que encontr nos annaes de Creta,
no viajante florentino Buondelmonti, no. eomego
do XV seculo. i Ahi, diz elle, v-se Sphieliiuin,
cidade muito amiga, boje em ruinas e sem mura-
Ihas. Os camponezes habitam parte do espaco, que
ella oceupava ; por cansa da aridez de suas" mon-
tanhas esses homens nao semeam a torra, vivero
do producto das taboas do cypreste, que preparam
e do leite dos seus rebanhos de cabras. Sao de
mas.
O primeiro acto da Pobreza Dourada, justica
dize-lo ; possue todas as condigoes para se poder
assegurar que o mellior acto de todas as pecas
do Sr. Biesler ; mas a perfeicao da parte, embora
adrairavel, nao absolve 9 todo das irregularidades
que se Ihe observara.
Ali a ktea do titulo desenvolve-se o melhor pes-
sivel, as peripecias estc- perfeilamente combina-
das, as siruagoes cmica* urdidas com engenho es-
pirituoso, e os caracteres eheios de verdade.
O conselheiro um typ completo; D. Aurelia
um vulto- eomico desenliado com graga, e os per-
sonagens restantes formam neste acto grupos-
eheios de vida, que se distribuem em scenas de ima-
ginagao, e-de muito alcance.
No emtanto, o resto da pega nao corresponde ao
principio; ao cahir do panno, acaba a idea que
serviu de base ao drama, e comeca um outro as-
sumpto. Os caracteres desvanecem-se, obscure-
cem-se e apagam-se com o correr da aegao.
O conselheiro transfosma-se perdendo a feigao
primitiva ; Aurelia lornvse um vulto mais aca-
nhado, e o pae da patria., tao natural nos primeN
ros lances, ficou depois am typo defeituoso e exag-
gerado.
O autor reservou os seus recursos tragando o
primeiro acto ; empregon ahi todas os elementos
e esforcos,e querendo nr relevo ao quadro, preci-,
pitou os ef/eitos concluindo o desfecho. Depois
quiz continuar a obra, a o desenlio sahiu incorrec-
to, as tintas frouxas, o relevo sem vulto. Nos tres
actos seguimos, acha-se una concepeo diversa, o
Decida no vigor do calarido, cm que recorreu aos
elementos vulgares.
A seduccao de Amalia pelo ricago Rodrigo Soa-
res que chega do Brasil, nao nos parece muire ver-
dadeira : ha na historia desta fatalldade urna con-
tradicao suprema i se a paixao do luxo a que
domina realmente a alma da lilha do conselheiro.
como explicar o amor ardente que a conduz a sa-
crificar a honra nos bragos do seductor Se a
paixo do amor, as oftertas de Rodrigo Soares acei-
tas por ella para ostentaco de valdades, sao inve-
rosimeis e coniraditorias ; se o amor do luxo,
nao se explican! os affectos do coracao, mas s a
estatura alta, de extraordinaria ag idade nas i
,.. i venda de algumaseancias. o que sera um avilta
tanhas e femiveis na guerra ; cheg&m a edade del '
u^ I ment repugnante para um typo que pretende ser
-ympaihieo.
A Sra. Emilia Adelaide, como ero todas as pe
cem annos sem soffrerem enrermidade alguma ; em
vez de beberem vinho, quasi que aSo bebem se-
no leite.
Por essas palavras de Buondelmonti, coafirma- gas do Sr. Biester a martyr da victima ; Cesar, o
das por urna curiosa passagem de Cometi, v-se i typo faceto, Delphina, a pertenciosa encartada,
que os Montes Brancos eram muito mais cobertos A dissertacao do conselheiro sobre o luxo no ac-
de maltas do que sao hoje. Aecrescenla o Insto- to em que sabe que Ihe sednziram a nina, nao pa-
rlador, baseando-se em urna chronica manoscripla! rece tambera que venha muito a proposito ; mas
de um de seus antepassados, que, ateando-se um deve dizer-se em verdade, qne par destas irre-
gularidades, se encontram scenas bem tragadas e
de seguro effeito, elevagoes de pensaraento e vigor
de estylo.
O desempenho geralmente bom, sobresahmdo
o Sr. Santos, que ha ramio tempo est destinado a
representar no theatro Bormal a antiga associacSo
consoladora dos afflictos, e o Sr. Tasso, que vae
incendio nessa parte da ilha, em um mato de cy-
prestes, durou tres annos seguidos, sem que fosse
possivel extingui-lo. >
Mesmo aamittindo que haja nisso alguma exage-
racao, o que certo que essa reglo mal possue
alguns restos das florestas de outr'ora, e que essa ,
espessa tapagem de arvoredo devia contribuir |>ara entrando pelo dominio- dos lyrannos, nao de sobre-
tornar mais fcil aos sfakiotas a defeza do seu ter- j olbo franzido e de aspecto diablico, mas dos ly-
ritorio. I rannos de luva branca, de sorriso meigo e de olhar
Quando Belon, em 1830, visitn Sphachia, como seductor. A Sra. Delphina, mostrou-se como sem-
elle a chama, ainda os sfakiotas nao usavam armas pre urna actriz sem allectacao, desafiando o riso
de fogo ; serviam-se do arco e da flecha dos seus sera exaggeros, e dando ao seu ar natural e sim-
av's. i pies aquella graga provocadora que eonstitue um
Trazem s costas, escreve elle, um carcaz que dos seus principaes dotes,
contera urnas cento e cincoenta flechas muito bem i iheodorico teve sltuagoes muito regulares, Izi-
arrumadas, ura arco pendente do braco ou ira-: doro foi perfeilamente, e a Sra. Emifia Ad la de
eolio, e urna espada ao ado. __. .
n____, mostrou comprehender o seu papel.
Dangam diante dos viajantes sem deporem as ar-
mas, e Belon cuidou logo ver a pymea nessa dan-; A Grahdo, comedia-drama original em um ac-
ga de homens armados. j to doSr. Sory, autor que se estra nas lides dra-
Os Venezianos viviam de ordinario em boa intel-' maticas, obteve um xito muito superior ao quo se
hgencia com os sfakioias.com a condigo do deixa- esperava. Nao foi muilo applaudida, mas tambera
los socegados e nao Ihes impor se nao urna home- nao a palearan),
nagem de pura formalidade e um tributo muito in
A jieca era um dos originaes condemnados ao
[2) & auviaosa e ciymologia do nome de sfakia. esquecimento pelo Sr. commis^ario e ane as ar-
Cornelio julga ver ah urna outra forma ou a cor- emUPS ,, r i.7, T 7 \ ,a
rupgo do nome de Psychum, que em Ptolomu C nacamara dos Reputados mo-
applicade a um ponto situado a leste do Porto-Phe- veram a levar a sceaa-
nix ; mas da confrontago de Ptolomu com o sta- A obra nao & urna coronosico nerfeila notara-
dtasmas parece-rae resultar que Psychion era fra P iB a,c A" composigao perreita notam-
do terreno, conhecido na edade media e nos nossos g aespnmores, mas o publico nao del-
dias, pelo nome de Sfakia. Tal vez fosse melhor xou de M>imar os esforges do autor e a vocagao
tirar esse nome do verbo sphigo, apertar, suffocar. Que manifestou na tentativa.
Sphdzia, viria a ser trra de aperladas gargantas, v, M o a
de desfiladeros, e essa etymologia seria incontesta- v se que sr- Sor> desconhece anda os segre-
velmente muito b joj fundada ua qatoreza do ler- dos da scena'mas o estudo pode vencer-lhe as dif-
reno, culdades,
Esia para chegar Lisboa, vindo de Madrid, o
celebre prestigiador Saro Arnaul, que traz na sua
companhla urna senhora formosissima que o auxi-
lia nas suas artes mgicas.
Diz-so que muito superior ao Hermann e me
apresenta rauita novidade de trabalhos.
A arte mgica um dos priroeiros elementos db
scrulo por arte mgica se fazem baroes, conse-
Iheiros e commendadores, deputados e ministros }
quebra o negociante, estabelece-se o caixeiro e en-
riquece } por ellas se organisam e dissolvem com-
panbias, baixam as inscripces hoje para subirem
amanhaa. destroera-se imperios e elevam-se reis;
finalmente a influencia do progresso que se opera
na sociedad tudo arte mgica !

Muitas nagoes possuem monumentos levantados
nos ltimos seculos e que um capricho do archi.
tecto, ou un movi ment da Ierra fez desviar da
linha perpendicular.
As torres de Pisa e Bolonha na Italia : de Caers-
phly, de Bfkge-Norie e o castello de Corfe, em
Inglaterra, sao- as mais notaveis consina^oes deste
genero. As de Bolonha foram provavelmenle edi-
ficadas por familias de principes, para sua defesa
pessoal, nas guerras civis que desolaran* a Italia
durante tanto lempo, nas lulas das pequeas rep-
blicas entre si, ou contra os imperadoras de Alie-
manha, ou nas aegoes sanguinolentas dos guelfos
e dos gibelinos.
Parece fra de duvida que as torres de Bolonha
tiverara sempre a inclinago que eonstitue presen-
temente o seu principal mrito, ou, pelo-meaos,
nao se acha provacerta do contrario; em>quanto
que a torre de Pisay est demonstrado que ara pri-
mitivamente direita- e que foi um movimanto do
terreno que a fez desviar.
O mesmo phenomeno se nota no observatorio de
Pisa e n'um grande numero de outros monumen-
tos, entre os quaes-se pode citar a columna-com-
memorativa do ineendio de Londres, cuja inclina-
go medonha.
A maior das duas torres de Rolonha tem 377 p*
de altura e foi construida em 1109.
A inclinago de altura que se Ihe observa, exce-
de p e meio.
Nao tem belleza alguma exterior, mas o viajante
fica bem recompensad da enfadonha ascensio d
quinhentos degrus, pela sorpreza de urna bella
vista, que alcanca as oidades visinhasImola, Fer-
rara e Modena.
A segunda torre que se chama a garenda, con-
struida em 1112, foi immortalisada pelo Dante, que
a compara ao gigante-Anteo, curvando-se.
Tem de altura cento e quarenta ps, e esti-afas-
tada da perpendicular seto ou oilo.
A Sarao d conla do seguinte :
De um peridico de Margan (India portujuezai
de 23 de marco, trantt-revemos o seguinte :
Ha dous dias corra por estas parles um boato
de que em varios sitios haviam pessoas qne urta-
vara criangas para* as sacrificaren). Nao demos
crdito semelhante novidade, mas os seguintes
factos nao deixam duvida de que o boato era ver-
dadeiro.
Ura vulto desconhecido vestido com trajes-pouco-
vulgares neste paiz ?oi, hontem pela tarde,, obser-
vado na Raia seguir em sitio apartado um. pegu-
reiro, a quem quera agarrar. Houve immediata-
raente alvorogo, rsunindo-se muito povo consegran
capturar o aggressor.
O tratante trasia um sacco de lona sobre os hom-
bros; falla a lingua industani, e pergnntado-sobro
o motivo do seu procedimento, declarou quo-o seu
oflicio era aganrar criangas, vendlas por dez a
vinte rupias, e-passar desta forma a sua vida.
Era diversas instancias que Ihe foram dirigidas
se conheceu que o hornera nao quera fallar a ver-
dade, pois a aegava com conhecidas disfarces e- da-
va respostas- pouco satisfactorias.
Disse quaera natural de Solaporque con qua-
renta companheiros fora ganhar a vida em Sadas-
sigore como ahi nao livessent encontrado-servi-
go, uns voltaram para Solapor e doze vieram para
Goa e feram para Pangim, fieando s elle na Raia
com dou* rabes; ao principio negara que na
Raia, onde elle se achava, dtesde- tres dias, tives-
sem algum outro companheiro, mas, perguntado
sobre quem eram as duas pessoas quetinhm dor-
mido em sua companhia na noule antecdeme, res-
pondeu que eram dous rabes que j hontem ha-
viam partido para Pangira por trra.
OSr. administrador do conselh, a cujo conhe-
cimento chegou o faci alia note, mandou-o preso
para a cadeia, e deu i inmediatamente providencias
para se poder conseguir a captura dos restantes
desses confrades antropophagos.
Urna carta de Fangim, datada de hontem, d .i
seguinte noticia do que por ahi occorrra :
Ha dias correa por estas partes noticia de qua
alguns antropophagos vagueavam por diversos si-
tios para roubar criangas.
Ao principio attribui esse pnico da plebe de-
masiada timidez e exageracao da narrag&\ at
que em a-Velha havia Tallado sensivel numero
de crianzas. Comecava eu a ir crendo na historia
e recoiamendar s maes que tivessem mais cuidado'
nos seus fllhos, quando hontem vejo por meus
olhos seren conduzidos em duas maeas de bamb
dous cadveres, seguidos de urna escolla de solda-
dos europeus.
Eram dous destes antropophagos, que haviam
levado a desolagao s familias, e qne nao querendo
render-se escolta, sustentavam com esta urna re-
nhida luta e temivel resstenria,em que ficou morto
um destes monstros; e o ontro, como nao poda es-
capar, apunhalou-se. Estes cadveres tinham sido
logo enterrados, mas foram exhumados para serem
conduzidos presenga do administrador do conse-
lho.
Desejei conhecer que nutrigo dava a carne hu-
mana, mas,' horrosisado por um espectculo tao
triste, contentei-me em tomar informagoes ; e pude
saber que essas feras eram robustas e vigorosas
e com bragos extraordinariamente grossos, e que
um delles tinha tongas barbas.
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. & FILHQ

(


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENAJTKP71_FTYP4C INGEST_TIME 2013-08-28T03:12:45Z PACKAGE AA00011611_10423
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES