Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10422


This item is only available as the following downloads:


Full Text
r
I
I
Altail. HUMERO 168.
.M^i -A

Por tres Biezes adianlados .
Pr tres ezes vencidos .
Porte ao correio por tres mezes.
5$O00
6$UU
5730
SEXTA FEIRA 22 DE JLHO DE 1864.

Por a ano adiantado.
mw. unuv uumuiauv. lylvUO
Porte ao correio por um asno. 3$000
kNCARREGABOS DA SUBSCRIPCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de I ima
Natal; o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty,
Sr.A. de Lemos Braga ; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da- Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL-
Alagas, o Sr. Claudino Faeo Dias; Baha, o
rr. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins $ Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Oiinda, Cabo e Eseada todos os dias.
Iguarass', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Saato Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tergas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, 3rejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Eiu' as qnartas feiras.
Sennhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partein ao
Vi dia.
KPHEMERIDBS DO MEZ DE JULHO.
3 La nova as 10 h., 5 m. e 13 a. da m.
12 Quarto cresc. a 1 h., 26 m. e 14 s. da m.
19 La cheia as 4 h., 15 m. e 14 s. da m.
25 Quarto ming. as 6 h., 20 m. e 8 s. da t.
PP.FAMAR DE HOJB.
Primera as 6 horas e 6 minutos da m&nba.
Segunda as 6 horas e 30 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Far o sal at Alagdas a 8 e 25; par o norte at
a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos-mezes dejan, marc., maio, jul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipucos as 6 Vi, 7, 7 '/* 8 e
8 Vi da m.; de Oiinda as 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaooatao as 6 '/ da m.; do Caxang e Vanea s 7
da m.; de Bemflca s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 >/,, 4, 4 >/ 4 Vi,
o, 'A. Vi e 6 da tarde; para Oiinda s 7 da
mahha e 4 /, da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cachang e Vanea s 4 V da tarde; para
Betica as 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS WU.3UNAES DA CAPITAL.
Tribunal docommercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda : quinta^ s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da urde
DAS DA SEMANA.
18. Segunda. S. Rufino b.; S. Frederico b.
19. Terca. S. Vicente de Paula ; S. urea v.
20. Quarta. s. Jeronymo Emiliano.
21. Quinta. S. Henrique imperador.
|22. Sexta. S. Mara Magdalena*, S. Menel/oab.
23. Sabbado. S. Apolinario b. ni.; S. Liborio b.
2i. Domingo. S. Francisco Solano f.
ASS5GNA-SE
no Recife, em a livrana da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietanos Manoel Figueiroa de
Faria de riluo.
PARTE 0FF1CIAL
f
GOVERNO DA PROVINCIA.
Eipediente do dia 19 de julho de 1361.
formal de mais louga du-
Ofllcio ao Exm. presidente da provincia do
Piauhy. Com o olllcio de V. Exc. de 27 de junho
ultimo, recebi as guias dos sentenciados de justi-
ca Luiz Vieira de Brito, Francisco Jos da Silva,
Manoel Pereira de Alencar e Antonio escravo,
que V. Exc. por intermedio do Exm. presidente do do porlo.
Maranhao remetteu para esta provincia com desli- Dito ao director da colonia militar de Piraentei-
no ao presidio de Fernando. ras- -Nao pode ser adoptada por Inconveniente ao
Dito ao Exm. presidenta da provincia do Cear. servico publico, a providencia que Vmc. propde
em seu oflicio de 7 do correnle, de esiabelecer-se
a mandar adiuittir na companhia de aprendizas i sobre ura armisticio
desse arsenal quando honver vaga, o menor Fran- racao.
cisco Antonio Guedes de Barros, como solieituU Fe- A Dinamarca, do seu lado, declarou, que poderia
lix Jos Felicio, devendo para esse lim si rem satis- admiltir semelhante armisticio, no caso que at
feitas as exigencias constante do artigo i" do re
gulamenlo de 3 de Janeiro de 1812.
Dito ao Dr. juiz de direito da 2a vara.Ama- tavel.
nha ao meio dia tem de reuuir-se o conselho de Entretanto, desde o da 9, s no dia 18 quo te-
que trata o artigo 4o da lei n. 358 de 14 de agosto ve lugar urna nova sessao da conferoncia. A mes-
de 1845, para o qual foi Vmc. designado como au- ma tioha sido Qxada para o dia 15; mas como at
ditor : cumpre por tanto que a hora marcada com- essa data nao se mostrara a mnima esperanza de
pareca na secretaria do capilao porto alim de ser
vir em dito conselho.Couimuucou-se ao
se ao imperador em Darmsladl para acompanlia-lo
para KissiBgen.
Entretanto o imperador Francisco Jos da Aus-
tria com sua esposa, parti tambem para Kissn
decorrida a prolongado, icassera establecidos os gen no dia 14, onde chegou no da 16 depois de
prelu amares de lima paz, que lhe parecesse acei- haver feito urna visita na corte da Munich, para
san Jar a familia imperial da Russia.
A imperairiz da Austria, assim como a impera-
triz da Russia, all fica por mais lempo para fazer
urna cura o imperador Francisco Jos porm. ten-
conava partir hontem para Carlsbad, onde desde
Votos.
Conselheiro S e Albuquerque. 1181
Dr. Saldanlia Marinho........ 1033
Dr. Feitosa.................. 1023
Na sessao do jury do termo de Nazareth, que
durou de 31 de maio 17 de junho ultimo, foram
julgados quatorze processos comprehendo dezassois
reos, sendo : 4 por homicidio, 2 por tentativa de
dito, 2 por infantecido, 4 por ferimentos e ofTensas
physicas e 4 por furto. Foram absolvidos cinco a
e condemnados onze, sendo : 7 priso com ti a-
j-. ii .-------------.------------r-v -- uraaio ...mi iiijuiu-iu uara onrisuau, ouuu uesuu e corldemiauos onze sendo 7
ME v'Sr^10;6"',-9 ',nterSSSCS- PP05t0S' e i M-"lem ^egou o re da Prussi, para all ter balho e 4 a prLo simples '
capU0 fura adiada para.oda 16, e depois para o dia |, vista com o mesmo. Foi ante-honlem preso um pardo, que andava
s 9 horas da noite, vestido de mulher na ra Bel
18. Se don ultimo da houve qualquer resultado, Bem so'comprehender a sensaciio que fazem
nada se sabe neste momento, o so nos prximos| esses encontros de principes, aindamis 'que como
das se sabera ; porem segundo o que at se pode 0 imperador Alexandre acompanhado pelo prin-
saher acerca da attitude das dillerentes potencias,! cipe GortschakolT, tambem o imperador Francisco
iste pouca probabiiidade que a sessao do da 18 j Jos, e o rei Guilnerme o sao pelos seus ministros
la. Segundo as pesquizas da polica um maluco
que, tendo vindo do mallo acompanhando urna
pessoa, aqu ficou como criado de urna familia
queda ra.
lloje se extrahira a I* parte da 1* lotera da
igreja de S. Francisco de Seriuhaem, sendo que a
extrago comecara s 9 horas em ponto em conse-
quencia de ter de seguir para o norte as listas no
Aecuss recebido com o otlicio de V. Exc.de 18
leis promulgadas nessa provincia no anuo pssado. meutos lornecidos pela fazenda nacional para se- \ A Inglaterra contina de insistir.de accordo com sania allianca.
Dito ao Exm. presiden^ da provincia da Para- rem soccorridos mediante indemnisacao, os habi- i a Dinamarca, sobre a linha do Schlei cerno frontei-; Entrelacto"ainda ha de correr aleum lempo an-
hvba. Recebi com o ortlcio de V. Exc. de 15 do tantes do respectivo districto e desuas imraedia-. ra futura entre a Allemanha e a Dinamarca, e o tes de se saber alguma cousa de positivo acerca
corrente dous exemplares da exposieSo com o 1 coesFica assim respondido o citado ollicio. mximo a que segundo algumas indicacoes ella no das entrevistas de Kissiogen e de Carlsbad, c at vaooVdaTninnaThia^rnim.TiMa'
vicepresidente Dr. Felizardo Toscano de Brito pas-: Dito ao curador de Africanos livres.-Para cum- caso ulterior se decidira a offerecer, seria urna --*-
sou a V. Exc. a administragao desta provincia. : primento de aviso do ministerio da justica de 16
Dito ao conselheiro presidente da relacao. Quei- de junho prximo rindo, remetta-me Vine, com a
ra V. Exc, tendo em considerado o que solicita o possivel brevidade urna relacao nominal dos Afri-
juiz de direito da comarca da Boa-Vista em olllcio canos livres existentes nesta provincia com indica- linha Apenrad-Tondern e ao mesmo tempo a Prus- existe nenhum dos interesses de outros lempos. unos do collesio dos ornhlosViiii ment
de 16 de junho prximo, aqui junio em original, e cae da nacao, idade, estado, proOssao, residencia, sia e a Austria e o plenipotenciario da confedera- Quanto queslao do Zollverein, tudo o que po- notavel. O Hvm oadre meslre Fr Joann m do
que me sera devolvido, informar o que houver coinportameuto, data da importacao, e o nome dos cao allemaa insistem, que tambem a respeilo dessa demos dizer de novo que no dia 17 devia ser Bsoirilo Santo recitou nma rc5 dS do ai
Cerqueira Granja, arrematantes de seus servaos ou declaracao das linha fossem consultadas as populacoes doSe"-
linha de demarcaco
Bredsted.
As potencias allemes
ao sul
^a__ -______.. -----i------:---------o .----------' *mvi ua LUiii'.iuiii.i i ui iiaiiiiiucaiia.
offerecer seria urna cntao nada resta do que ter paciencia. Us espir.tos \0 dia 19 do corrente as rmaas de candade
de Hensburgo ate menos irritareis nao pensam do modo algum na do hospital Pedro II festejaram o seu padroeiro S.
l possibilidade da reanimacao de urna allianca, nem Vicente de Paula
por contra sustentam a mesmo de forma modificada, para a qual j nao Houve a mssa cantada, com a msica dos me-
acerca da r Isabel Adelayde de Cerqi
alim de poder salisfazer o que pede aquelle juiz.
Dito ao commandante das armas interino. Ex-
peca S. S. suas ordens para que sejam encostados
a alguns dos corpos da guarnico, alim de serem
soccorndos de sold e etape, 1 cabo de esquadra e
5 soldados, que vieram do Maranhao escoltando
sentenciados de justica da provincia do Piauhy,
providenciando V. S. ao mesmo lempo para que
essas praeas regressem ao corpo que perteneci
no primeiro vapor que passar para o norte.Com-
muncou-se ao Dr. chefe de polica.
i-tiles- aberla a conferencia particular em Munich, alim sumpto.
reparticoes publicas em que se achara.Pidiram-se wig, de maneira que se as mesmas a regeitassem,: de deliberar sobre as novas prospostas da Austria,
iguaes informacoes ao inspector do arsenal de ma- devia ser procurada urna outra linha de demarca- de que j tratamos na sua parte essencial e sobre
rmha, director do arsenal de guerra e ao juiz dos cao ainda mais ao norte. ; as medidas communs eventualmente
renos da fazenda. A Inglaterra usou de novo da sua antca tctica.' mn m*
Dito cmara municipal do Recife. Declaran-
do-meo Exm. Sr. ministro do imperio em aviso de maior condescendencia, por meio de toda a sorte
20 de junho ultimo, que sendo approvada a eleico de ameacas bellicosas.
dos deputados de um districio, censidera-se tam- Para esse (im, ella drigio-se de novo, sobre tudo e a Hesse Eleitoral i :lli Segu-
bem opprovada a dos respectos eleilores; assim Franca, convidando a mesma para enviar junta- ro que os outros estados do Zollverein nao toma-
o communico cmara municipal do Recife para mente com ella urna esquadra para o Bltico para r3o parle
seu coflhecimento o atim de que determine aos sustentacao da paz I p. &-4Jm despacho telegraphico que acaba de
Dito ao mesmo.Ao offlcio que V. S. me dirigi juize de paz mais votados das freguezias de seu | Naturalmente sabia-se tao bem em Londres como chegar, e que suppomos de parte segura acerca
em 16 do corrente, sob n. 1259, respondo deca municipio, que convoquem os eleitores da presente em outra parle, que um semelhante convite s po-' da sessao da conferencia do abbado diz que as po-
rando-lhe que tenho muito em vista a reduccao dos legislatura para a eleicao de Juizes de paz e ve-, da contar com urna resposta neativa, e todo o tencias neutras flzeram a proposta 'de submetter a
destacamentos que existem no centro da provincia, readores a que se tem de proceder no dia 7 de se-
para autonsa-la logo que as necessidades do serv- tembro prximo vindouro.- Igual cmara mulli-
co publico o permittam. i cipal da villa do Pao d'Alho.
Dito ao mesmo.Mande V. S. apresentar ao Dr.: Dito cmara municipal da villa do Bom Con-
chefe de policia, anianha s 11 horas do da, tres selhe.Fico Inteirado do que me communica a ca-
pracas de pret para escoltaren! nm preso de justi- mar municipal da villa do Bom Conselho, na 1."
ca at villa de Agua-Preta.Communicou-se ao parle do seu olllcio de 18 de junho ultimo; e
I)r. chefe de policia. | quanto 2.' tenho a dizer-lhe, que, estando cheia
Dito ao Dr. chefe de polica. Informe V. S. em de maderas, por achar-se em obras, a matriz da
que dia foi preso nesta cidade Francisco Alves Fer-; fregueza desse municipio, e tendo-se transferido
reir, conhecdo por i.hico Guabiraba, o qual, sen- as respectivas imagens para a capella do cemitero
do remettido por essa repartico para o Lear, re-' e para a igreja do collegio do Bom Conselho, o
conhecau-se ser desertor do 'respectivo corpo de S. S. Sacramento, como declara a mesma cmara,
guarnico, onde lera o nome de Francisco Jos Ua- em o citado oflicio, deve-se proceder as eleicoes
mar Guabiraba. de juizes de paz e vereadores na predita igreja do
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. collegio do Bom Conselho, para o que essa cama-
A' rala da sua informacao n. 369 de 18deste mez, ra expedir as neces.-arias ordens ao respectivo
autoriso V. S a mandar adantar ao director da juiz de paz.
colonia militar de Pimenteiras a quantia de 1:8005 Dito juuta revisora de qualificacao da freguezia
para occorrer ao pagamento dos vencimentos das do Ex Devolvo junta revisora da qualificacao
pracas do exercito e colonos em servigo n'aquelle da freguezia do Ex, a copia da lista dos cidadaos
estabelecimento no trimestre corrente. qualillcados votantes no corrente auno, que rae
Dito ao mesmo. Participando o juiz municipal foi transmittida com o seu oflicio de 3 deste mez,
e de orphos do termo de Ingazeira, hachare! Joa- afim de que cumpra o disposto no aviso n. 42 de
quim Ferreira Chaves, ter entrado era 11 de junho 15 de margo de 1847, devendo tambem a mesma
prximo lindo no goso da licenca de tres mezes junta remetter-me as relacoes de que trata o de-
que obteve : assimo o communico V. S. para seu creto n. 2865 de 21 de dezembro de 186!, as quaes
conhecimento. deixaram de acompanhar a referida copia.
Dito ao inspector da thesouraria provincial. Portara.u presidente da provincia, tendo em
Apresento a V. S. as duas inclusas contas docu- vista o que requereu o 2." escripturario da ihcsou-
mentadas, na importancia de 1:693466, dispeudi- raria de fazenda, Cosme das Trevas Teixeira, |
da durante o mez de
dos presos pobres
toda a parte eucontram na nacao o campo o mais
accessivel.
A maior consideracao merece entretanto o movi-
mento no proprio Schleswig, dirigido ao mesmo
alvo.
Semana por semana d'ali, e justamente dos dis-
trictos mais ao norte, quo pela divisao receiam
j junho ultimo como sustento resol ve de conformidade com a informacao do res-; (carera separados da uniao poltica com o resto do
da casa de detencao, alim de poetvo inspector, datada de hontem, e sob n. 367 Schleswig, c assim entregues Dinamarca, acor-
Assstiram esse acto o Exm. Sr. presidente da
provincia, a junta administrativa da Santa Casa
; -........ -"" eventualmente a empregar de Misericordia e varias pessoas gradas de ambos
A Inglaterra usou de novo da sua antiga tctica,' para sua-execuco. S Wurtemberg. Nassau e : os sexos,
ndo de determinar as potencias allemes para Hesse-Darmstadt prometteram positivamente a sua Cumpre-nos dizer, que a capella do hospicio est
apparico em Munich. Por contra at os ltimos com a devida decencia, tendo urna lampada de
das nao era anda corto se o H innover, a Saxonia prala de elegante forma e apurado gosto artstico
contendo seis lanlernas.
O ornamento do p de altar nada dexa a dese-
jar, nao s em mo d'ohra como tambera era ri-
queza : foi elle feito pelas expostas e meninas do
collegio de orphas.
Assstiram tambem esse acto os doentes do
hospital, e notamos mais esta vez, que o estabele-
cimento satisfaz perleramente o lira de sua insti-
tuico porque ha asseio e ordem.
REPirTigo DA POLICU.
Extracto das partes do dia 21 de julho de 1864.
Foram recolhidos casa de detencao no dia 20
do corrente:
A' ordem do Illin. Sr. Dr. chefe de polica, Jos
negocio nao foi se nao urna demonstrado, que nao fixacao da linha de divisao do Schleswig ao arbi-
intimidou a rnnguem na Allemanha. trmenlo de urna potencia nao interessada, e que
A recusa da l-ranga teve pois lugar com effeito, ^ plenipotenciarios dos belligerantes aceitaram
e nmguem pensa em que o gabinete inglez resol- essa proposfa ai referendum.
ver-se-ha a declarar a guerra Allemanha, sem a__________ _______ ......
cooperagao da Franga. ^M*BBS*^^i
Ao resto, a disposigao nesse ultimo paiz, tal,
que urna semelhante declaragao de guerra s cau-
sara a mais viva satisfaco.
A Allemanha teria assim urna vez a occasiao
para ajustar contas com a Inglaterra, e recompen-
sa-la pela sua poltica odiosa.
Mas em quanlo que a conferencia de Londres
contina a quebrar-se a cabega com as difficulda-
des de achar urna linha de demarcagao do Schles-
PERNAMBCO.
REVISTA DIARIA.
Funccionou hontem o Instituto Arckeologiro e
Geographico Pemambucano, assistindo sessao o
Exm. monsenhor Muniz Tavares, e os Srs. Dr*.
wig, essas difficuldades augmentam cada da mais, Aprigio Guimaraes, Joaquim Portella, Soares de
a vista do crescente movimeuto entre a populagao Azevedo, Gervasio Campello, Torres Bandeira, Fa-
da Allemanha, e especialmente entra a do Schles- ra -Neves, Gusmo Lobo, e Manoel de Figueira,
wig contra toda e qualquer divisao. padre meslre Lino e major Salvador Henrique.
us pontos de saluda do movmento sao as nume- Sen'o lida e approvada a acta da sessao antece-
rosissimas sociedades schleswg-holsteinezas exis- dente, passou-se ao seguinte expediente :
temes na Allemanha, as quaes na mais intima t'm oflicio do Sr. Anstides Augusto Milton, of-
relagao reciproca agitara em favor da suslentagao ferecendo ao Instituto um exemplar do jornal F-
s do Schleswig, para o que em turo, de sua propriedade, publicado nesta cidade.
Recebido com agrado.
Dous ditos do Exm. Sr. arcebispo da Bahia e Dr.
Mariano Joaquim da Silva agradecendo suas ap-
provacoes, aquelle de socio honorario e este de so-
cio correspondente.Inteirado.
Julio Routier: fetore intermitente [>erniciosa.
Anua Hara da Conceigo ; unilvte chronico.
Anacleto Moreira ; hy'dro pericrdite.
CMARA liraCIPAL.
SESSAO EXTRAORDINARIA KM 22 DE JUNHO
DE 1864.
Presidencia do Sr. Barros Reg.
Presentes os Srs. Barata de Almeida, Henrique
da Silva, Gustavo do liego, Reg Maa, Mello e Ga-
meiro, abrio-se a sessao e lido e approvada a ac-
ta da antecedente.
Leu-se o seguinte
EXPEDIENTA:
l'm offlcio do Exm. presidente da provincia, d-
zeudo que, em vista do que lhe communicra o
I presidente da cmara em oflicio de 11 do corrente
sobre a conveniencia de se fazer pelos cofres ge-
raes, a desapropriacao da parte Incendiada do pre-
dio do commendador Joo Pinto de Lemos, neces-
saria para a abertura de urna ra, indicada na
planta desta capital, visto que o nao pode ser feita
pelos cofres municipaes, cumpre que a cmara,
precedendo nos termos do decreto n. 353 de 12 do
julho de 1845, lhe transmita a planta daquella ra,
com ndicacao da alterago a fazer-se, e os mais
esclarecimentos prescriptos no mesmo decreto, afim
de ser tudo encaminhado convenientemente ao go-
verno imperial.Que se remeltesse a copia da
planta e as informages exigidas.
Outro do mesmo, declarando que deve ter lugar
no da 7 de setembro do corrente anno a eleicao
de juizes de paz e cmaras muniipacs, na confor-
midade do art. 92 da lei de 19 de agosto de 1846;
cumpre que a cmara expega as precisas ordens
aos juizes de paz mais votados dos prmeiros dis-
tnetos das freguezias deste municipio, para proce-
derem a mesma eleicao, observadas as disposigoes
i da citada lei, e mais'legislagio em vigor.Que se
| fizesse as precisas commonicacoes aos respectivos
i juizes de paz, e se Ihes remeltesse copia do offlcio
| da presidencia.
Outro do juiz de paz segundo votado do 1* dis-
tricto da freguezia de Santo Antonio, aecusando es-
tar de posse do da cmara de 6 do corrente, com-
municando-lhe ter a lei provincial n. 600 de 3 de
maio deste anno supprimido o 2" districto de paz
da mesma freguezia.Inteirada.
Outro do mesmo, dizendo ter recebido os oflicios
Justino Flix de Menezes e Joao Pereira da Costa, do Exm preSidente da provincia, e da cmara, o
para recrutas Pedro Ramos da Silva corno sus- ,. dt ;,_ e o 2- de 6 do corrente, e de ronformidade
peito de ser desertor; Manoel Ribeiro Seabra, co- com elles convocara os eleitores da dita freguezia
mo sentenciado; Jos Joaquim deOliyeira,_porcn-1 para se reUnirem no collegio eleitoral no dia 10 de
dor do correio desta cidade.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, An-
dronico Antonio da Silva, disposico do tenentc-
coronel recrulador; Pedro Jos dos Sanios, por
briga; Joao Antonio de Vasconcellos, por distur-
bios.
A' ordem do da Boa-Vista, Francisco de Souza
Ferraz, para correegao.
O chefe da segunda seccao,
J. G. de Mesquita.
Passageiros do brigue italiano Linda, entra-
do de Genova :
Gulseppe Francisco Simoni, Domcneco Baplista
i Vanni, Francisco Nicolao Pellegrin, Massimiliano
quf, nao havendo inconveniente, mande pagar essa conceder-lhe 15 das de licenca com vencimentos
quantia Joao Carlos Augusto da Silva, conforme das quatro quintas parles de seu ordenado para
solicitou o chefe de policia em oflicio de hontem tratar de negocios particulares.
sob n. 855. Communicou-se ao Dr. chefe de po-1 Dita.O presidente da provincia, resolve desig-
licia.
Diio ao mesmo. -
mande V. S. pagar
Camello Pessoa, coufi
licia em oflicio de
rem enderpeos e deputagoes s cortes allemae
reclamando protecgo contra isso.
Pela redaegao do jornal Constitucional Pernam- n,ina|0 Zacchi, Vicenso Pierotli, Cario Francisco
bacana e oflerecido o ultimo numero publicado,: Semoni, Pietro Alebrando Giannotti, Marco Fran-
proraettendo continuar a remessa, bem como en- j csco zacch Guiseppe Antonio Del Checcola, Pi-
is nmeros antecedentes que ainda existirem. I lro Pau|0 jiaHef fjMar8 Antonio Fiannotti, Morelli
Gio Antonio, Michele Luig Mattei, Geovanni Nico-
E nao sao nicamente os habitantes allemes
desses lugares, que procedem dessa maneira; mas
quantia de 305000 proveniente do aluguel de seis
mezes, vencidos em junho ultimo, da casa que no
termo de Tacarat serve de cadeia, como se ve do
recibo junto em duplcala.Communicou-se ao Dr-
chefe de policia.
Dito ao mesmo. Attendendo ao que solicitou o
ex-arrematante dos reparos do einpedramenlo en-
tre os marcos de 6 8 mil bracas, na estrada da
odade da Victoria, Antonio Malaquias de Macedo
Lima, no requerimento que devolvo, e sobre que
versou a sua informacao de li do corrente sob n.
28:t, recomraendo v S. que mande restituir ao
suppllcante a importancia que sobrou das obras
do seu contrato, que, sendo encampadas, foram
concluidas, parte por administragao, e parte em
virtude de nova arrematagao, visto que pagou elle
a mulla que lhe foi imposta, e eslava de conformi-
dad: coin a le n. 286, snjeito ao pagamento do ex-
cedente, se o valor do primitivo orcamento nao che-
gasse para a conclusao de lacs obras, fazendo-se
nessa occasiao os desceios indicados uo final do
parecer fiscal, junto por copia.
Dito ao mesmo.Declaro V. S. em resposla ao
seu oflicio de 16 do corrente sob n. 293, que o the-
soureiroda irmandade do S. S. Sacramento da mi-!
triz do S. Lourenco da Malta est obrigado a pres-1
tar lianca e dar constas das despezas que lizer com
os dinhiros que recebeu proveniente dos benefi-
cios da 4* c 5" parte das loteras extrahidas em fa-
vor das obras daquella igreja. como se pratica
cora outros em idnticas circunstancias.
Dito ao director da escola Normal.Com a nfor-
Cao inclusa por copia do inspector da thesouraria
provincial, datada de 16 do corrente, respondo ao
otlicio que V. S. me dirigi em 12, sob n. 2.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional de Oiinda e Iguarass.Fico sciente de ter
V. S. como me communcou em seu oflicio de 14
do corrente, de passar o exercicio de seu po>to ao
ticipou em oflicio de hontem, achar-se doeute.
Fizeram-se as necessarias communicages.
Expediente do secrelario do governo do dia 19
de julho de 1861.
Oflicio ao commandante das armas interino.
o Exm. Sr. presidente da provincia manda com-
inunicar V. S., que por despacho desta data au-
torisou-se o director do arsenal de guerra a salis-
fazer o pedido do almoxarife do hospital militar a
que allude o oflicio de V. S. n. 1270, de 18 do cr-
lente.
EDITAL.
2." seccao.Secretaria do governo de Pernam-
buco. 19 de julho de 1864.
Pela secretaria do governo se faz publico para
conhecimento de quem interessar possa, que se
mil houiens, e apesar de desses pertencercm.
quatro quintos parte do Schwig, em que se falla
a lingoa dinamarqueza; unnimemente se declara-
rain contra qualquer divisao do paiz, como contra
urna grande inelicidade e grande injustica contra
o mesmo.
E ainda mais, nos ltimos dias urna deputacao
do norte do Schleswig declarou em Berln ao pre-
sidente d ministerio prussiano, o Sr. de Bismark,
que o Schleswig do norte oppr-se-hia
armas na m;io a urna separado dos seus compa
trilas do sul.
Acerca da vagem do duque Frederico de Au-
gustemburgo para Berln, j fallamos em nossa
ultima.
o duque para all fra por convite especial de
el-rei da Prussia: o Sr. de Bismark porm, que
proyavelmcnte nao se poda consolar de haver sido
Recebido com agrado.
O Rvm. padre meslre Lino do Monte Carmello of-
ferece um exemplar do opsculo, ltimamente pu-
blicad j no Para, As ordens religiosas jnlgadas
Exm. e Rvm. Sr.
Manoel de Fi
rasil Histrico,
ao Instituto.
agrado.
E' lida, o remedida commssao respectiva, una j
proposta do Rvm. padre mestre Lino do Monte
Carmello indicando para socios ellectivos os Srs.
Drs. Hermoneges Scrates Tavares de Vasconcel-
los, Bernardo Pereira do Carmo, e Joaquim Jos da
Fonceca.
Passando-se em seguida votagao do parecer da
coramisso de admissao de socios, adiado da sessao
antecedente, sao approvados os senhores : Innocen-
com as co Francisco da Silva e Luiz Felippe Leite, socios
o Pellegrini.
Passageiros do vapor brasleiro Parahyba,
entrado da Ilha de Fernando :
Tenente Joo Antonio da Silva e 1 llho menor,
Rosalina Carolina de Alexandria, primeiro sargento
Joao da Costa Souza, 18 pracas do exercito, 14 sen-
tenciados, 1 mulher e 1 lilho menor perlencente a
um soldado.
Movmento da casa de detencao no da 20 de
julho de 1804.
' presos.
acliain de novo em concurso por falta de concur-; obrigado_a renunciar sua idea favorita de tima
rente os ollicios de partidores do termo da Boa-1 annexagao doSchleswig-Holslcin Prussia, pensou
i Vista, creados pela lei provincial n. 504 do 29 de dever aproveitar essa visita para agarrar-se de no-
maio de 1861, devendo um accumular as funeces
de contador e o outro as de destribuidor.
Os pretendentes apresentem seus requerunentos
instruidos na forma do decreto n. 817 de 30 de
ago-io de 1851, e no prazo de 60 dias contados
desta data.
O secretario do governo,
Dr. Francisco de Paula Sales.
Despachos do dia 19 de julho de 1861.
Requerimenlos.
Antonio da Silveira S Brrelo.Passe portara
no sentido em que requer o supplicante.
Agostinho Jos de Barros Prates.Declare-se.
Baro do Livrainenlo.Informe o Sr. inspector
da thesouraria provincial.
CaetanoAtirelianodeCarvalhoCouto.Offlciou-se
vo na mesma, bem que de forma modificada.
O duque devia ser dispo^to a tornar a si mesmo,
e o paiz, para cujo throno agora linha esperangas
fundadas, obrgatorios Prussia, de urna mane'ira
que da sua soberana s lhe deixava o nome e tor- l'8 edificio do Hospital da Caridade, nos
nava Prussia o proprio o verdadeiro senhor do l)ara apagoso e aceiado Hospital da Mis
pode
O duque rejeitou essa pretenco, e inmediata-
mente a imprensa ofliciosa do Sr. de Bismark abriu
u.na guerra violenta contra o duque, mas nao bs-
tame com isto, olla apresenlou-lhe lambem ao mes-
mo tempo um concurrente pela successao no Sch-
leswig-IIolstein, e esse na pessoa do grao-duque de
Oldemburgo.
Esta candidatura j tinha figurado urna vez nos
ltimos mezes e com ella um plano, segundo o qual
o grao-duque de Oldemburgo, pela posse dos du-
cados do Elba, que lhe assegurana a Prussia, de-
via ceder essa a sua terr de ullemburgo. To
rpidamente que sahira luz, tambem desappare-
cera entao a candidatura oldemburgueza. Agora
cuete do estado maior, em consequenca de ir ao thesouraria de fazenda no sentido em que requer
norte da provincia onde pretende deuiorar-se por o supplicante.
15 das. Flix Jos Felicio.Dirija-se ao Sr. director
Dito ao commandante superior da guarda nacional do arsenal de guerra,
do Santo Antao.Deferindo o requerimento do cap-1 Jos Elias Machado Freir. Informe a cmara | la fez de novo a sua appargo, e esta vez muni-
tao ilo hatalho n. 23 de infantaria da guarda naci- municipal do Recito. da de um novo titulo de direito pretendido. Nos an-
nalsob seucommandosuperior Caetano Correia de I Jos Severino de Brito.Pode seguir. n03 de ,8'1 e 183i a Russia tinh levanlado cer-
Queiroz Monteiro, autoriso V. S. a mandar passar-' Joo Oliveira Guimaraes.Informe o Sr. com- tos direitos de successao pretendidos sobre algu-
Ihe a gua deque irala o artigo 45 do decreto n. mandante superior da guarda nacional do Recife.' mas partes do Holstem, renunciando ento aos mes-
1130 de 12 de marco de 1853, visto ter flxado a Manoel Antonio da Rocha.Informe o Sr. teen-! mos nicamente em favor da integrdade da mo-
sua residencia no municipio da Eseada. te coronel recrulador. i narchia dinamarqueza fixada pelo tratado de Lon-
Dito ao director das obras militares.Ilaja V. S. I Southall Mellors & C.-Informe o conselho admi- \ dres- Achando-se agora essa integrdade de novo
de mandar examinar o estado da casa destinada nistrativo do arsenal de guerra.
para residencia do commandante do forte do Bura-1
co, apresentando o orgainento dos reparos e arran-1
jos de que ella necessitar, am de ser submettido
ao conhecimento do governo imperial, como este
exigi em aviso de 9 de abril ultimo.
Dito ao mesmo.Mande V. S. com urgencia con- i
cortar urna das paredes das cavallarigas da com-'
pauhia de cavallaria, bem como substilui por ou-
tras algumas estivas das mesma cavallarigas que
se acham arruinadas, como declarou-me o cora-
mandante das armas em offlcio de 18 do corrente.
Fzeram-se as necessarias. commonicagoes
lOHKKSPOVIUlMIAS BO DIA
RIO DE PERVAJIBKO.
Ha tuh ti rijo, 20 de junho de 1801.
Desde a nossa ultima a sologo do conflicto alle-
mo-dinamarqaez nlo fez o mnimo progresso. A
Dito ao rnesmo. Recommealo V. S*. que, en-1 nica cousa que se conseguio, foi a prolongagao da
tendendo-se com os gerentes da companhia de il- suspenso de anuas, cujo termo acabara em H do
s reieriuos un:u^, i-uinya "ii^nwu u wvi,n.an- gnn lu.up^ j piuuipMicu^iai ma ua nistria e da
daiite das armas em offlcio n. 1265, de 18 do cor- Prussia, que se por esta ve. tinham ordem para
rente.t^ommunicou se ao commandante das ar- admttir urna simples continuagao do armisticio,
nas interino. ios se113 fjovernos nao consentiro nisso mais outra
Dito ao director do arsenal de guerra.A' vista vez, e que as hostilidades comegariam do novo,
de sua inforn^ao n. 12, desta dala, auloriso V. S., se at o dia 26 nao houvesse ara eutendimento
posta em duvida na conferencia de Londres, a Rus
| sia leinbrra de novo direilos ; mas convencida de
que j a tentativa de fazer valer os mesmos no seu
interesse directo chamarla contra ella a opposigo
de toda a Europa, s para transferidos ,casa pa-
! rente de Oldemburgo.
O Sr. de Bismark procurou fazer valer isso em
favor dos seus planos contra o direito da familia de
Augustemburgo. Segundo se diz, porm, elle en-
conlrou de parle de el-rei Guilherme a mais deci-
dida opposigo, e nao parece que a candidatura
oldemburgueza chegar a ter importancia sera.
Em lodo o caso ella mostra com que difficuldades
tem de lular a final solugo.da queslao Schleswig-
Holsteineza.
O imperador da Russia acba-se neste momento
isra no! com sua esposa sobre terreno allemo como deter-
arando ao' minado previamente, elle chegou em Berln oo dia
9, all ficou o dia seguinte e passou no dia H, por
via de Darrastadt, onde se deraorou alguns das,
para os banhos de Kissingen.
Seguiolhe o principe de Gortschakoff, vice-chan-
celler da Russia, o qual depois de algumas confe-
rencias era Berlin com o Sr. de Bismark, foi unir-
honsrarios; Drs. Cypriano Fenelon Guedes Alcofo-
rado e Francisco deCarvalho Soares BranJo, e l-
enle coronel Justino Pereira de Faria, socios ellec-
tivos ; desembargadores Miguel Joaquim Ayres do j
Nascmento e Antonio Joaquim de Mello e Albu-1
qnerque, Dr. Jos Correa da Silva Titra. Antonio j
Diodoro de Pascoal, Antonio Marques de Albuquer-
que Cavalcanti e Manoel Vicente da Cunha, para i
socios correspondentes.
O Exm. Sr. presidente ada o resto da votaclo
do parecer, levanta a sessao, e marca a nova reu-
nio para 4 de agosto prximo.
Antehontem s 5 horas da tarde tevo lugar
a transferencia dos alienados, que existiam noan-
Coclhos,
Misericordia :
em Oiinda, era numero de trinta e seis.
A transferencia se fez na melhnr ordem possivel
e sem disturbio algum da parte dos alienados, que
foram dos Coelhos ao Varado-uro de Oiinda em una I
alvarenga coberta, guarnecida por pracas de linha,'
sendo acompanhados pelos membros componentes
da junta administrativa da Santa Casa de Miseri-
cordia em um escaler.
Do Varadouro al o Hospital foram elles condu-
zdos em meio da forga, sem nenhnm accidenlc, e
I ahi licaram recolhidos sob a dirergo do Sr. Reg
| Barros, que desde mu i los annosexerce esse cargo
com a caridade necessaria.
Havia j alguns annos que o edificio do Hospital
da Misericordia de Oiinda jazia quasi em ruinas e
deshabitado, quando passou a pertencer a Santa
Casa de Misericordia do Recife, a qual, achando-o
apto para o asylo dos infelizes alienados, f-lo re-
parar com esmero, preparando para o seu aloja-
ment, commodos que nunca tiveram no antgo
edificio, pelo qual pagara a junta administrativa
2:0005000 res annuae?, sem grandes dispendios
nem accrescimo na despeza ordinaria.
A actual junta administrativa pois, digna de
mil encomios, pelo zelo e dedic.ig.ao com que cura
dos melhoramentos e prosperidades dos bens do
patrimonio.
O estado de alagado, em que se acha a tra-
vessa do Lima, em Santo Amaro, por sem dnvda |
digno da urna providencia do governo. por quanto
as pessoas ali moradoras quasi que sao forcadas a
viverem limitadas sociabilidade dos visnnos do
lado da ra em que morara, pela grande quanlidade
d'agua que ha em o meio da ra. Segundo nos in-
formara, mesmo os carros tem difflculdade de pas-
sar na i ua. Chamamos a aiiengao de quem com-
pele para esse lugar, afim de desapparecer esse
lago que, alm de causar transtornos vida ordi-
naria dos moradores, pode fazer desenvolver-se al-
guma epidemia, pelo mo cheiro que exhalla.
O resultado dos collegios eleitoraes do Reci-
fe, Pao d'Alho, Oiinda, Iguarass, Goyanna, Naza-
reth, Linoeiro, Cabo, Eseada, Santo Antao, Bio-
Existiam---- Entraram___ Sahiram...... 338 18 3
Existem...... A saber : Nacionaes---- Estrangeiros... Muflieres...... Estrangeras .. Escravos...... 335 278 18 49
Escravas...... i
Alimentados a custa dos
35:t
cofres provincaes.
138
5" l
s-1
1 ^ 2* Pl pi
3" Id M
1 Zi -i *A
3 3 1 3 : : 3 : 1 : 1
>
g
Masculino.
S8
4 CO *. co 00 Femenino. r r/>
n 1* i*" Z Masculino. [ -i 9 r>
*^ - Fennino. f x Z
. - : Masculino. ll
A a m A Feminino. (I
Masculino.

Feminino.
=
=
i
SI -1
Masculino.
Feminino.
o
i
>
TOTAL.
14
P
ADVERTENCIA.
Na tetalidade dos doentes existem 179, sendo
16 homens e 25 muflieres alienados.
Foram visitadas as enfermarlas estes dias :
Pelo Dr. Ramos s 7 3i4. 7 l|2, 7, 6 3i4.6 3i4,
6 3|4, 6 3i4.
Pelo Dr. Sarmenlo s 8, 8, 7 3(4, 8, 8 Ii4, 8
l|f 7 1|2.
Formse-, Serinhem, Barreiros, Bonito, Garanhun, ] Fallecern) :
Caraar, S. Beato, Cimbres, Floros, Ingazeiras,! Joaquina Mara da Conceigo ; interite.
Buique e Papacara, excluidas as duplcalas de Mara Joaquina da Apresentagao ; ascite dependen-
Una, Qoipap e Papacaga, o sef uinte : te de hepatile.

Mello Brrelo, communcando haver passado o
exerccio do mesmo cargo, ao do 1 anno, vi? lo que
pretende seguir para a Europa.Inteirada.
Outro do advogado, remetiendo o otlicio que lhe
dirigi o solicitador para que se providencie em or-
dem a nao sottrer o prncesso de que o mesmo trata
por falla de pro\as.Mandou-se remellor ao pro-
curador para informar a respeito.
Outro do engenheiro cordeador, dizendo que o
terreno, no qual Jos Caetano de Carvalho, preten-
de edificar no principio da ra da Concordia, bair-
ro de Santo Antonio, nao esl incluido no que se
acha marcado na planta da cidade, para o pago mu-
nicipal, mas na praca marcada adianto deste.Re-
solveu-se pedir ao governo alterago da planta,
na parte que marca a praga, entretanto que disses-
se ao engenheiro que podia dar a cordeaco pedida
por Jos Caetano de Carvalho.
Outro do mesmo, informando o requerimento, no
qual Claudio Dubeux pede o pagamento de carros
que por diversas vezes lhe fornecera para ir em
servico da cmara fora da cidade ; declara ser
verdade ter o peticionario foruecido seus carros
como allega, mas tambem verdade que de cada
vez lhe deu sempre um blhete para servir de do-
cumento, declarando o lugar para onde tinha ido ;
bilhetcs que o peticionario devia ter ajuntado a
petigao. Declara anda que os pregos constantes da
conta apresentada, estilo excessivos, por isso que
tem elle proprio pago viagens iguaes por procos
iiiuilo menores como por exemplo 205 e 25-5 para
r a S. Lourengo da Malta, e o peticionario exige
40t3. e assim dos outros.Mandou-se ajuntar os
bilheles.
Outro do administrador do cemiterio publico,
pedindo houvesse a cmara de dar suas ordens ao
irocurador, para que nao d guias para serem se-
pultados os cadveres de ir raaos pertencentes a ir-
mandade de Nossa Senhora Mai des Homens, erec-
ta na igreja da Madre de Deus, visto que as cata-
cumbas que a mesma tem nao se achara compre-
hendidas na disposigao do art. 85 do regulamento.
ijue se expedisse'a ordem conveniente.
Outro do fiscal da freguezia de Santo Antonio,
pedindo mandasse a cmara pagar ao facultativo
Francisco Jos Cyrillo Leal a quantia de 365, de 6
corridas sanitarias que tizera em 12, 20, 21, 27 e
31 de maio, e 3 de julho, tudo do auno prximo
passado.Mandou-se passar mandado.
Outro do li-cal de S. Jos, pedindo tambem a c-
mara mandasse pagar ao mesmo facultativo Cy-
rillo Leal, a quantia de 243400 de tres corridas e
dous exames sanitarios que com elle proceder em
diversas datasMandou-se pagar.
Outro do mesmo remetiendo o termo de achado
que fez lavrar contra Amaro Bernardino de Souza
Portella, por haver edificado sera a competente li-
cenca e cordeaco, um sobrado na povoagao de
Santo Amaro de Jaboatao conforme a ordem que
lhe foi dada.Que se remeltesse ao procurador.
Outro do mesmo pedindo a cmara lhe mandasse
pagar a quantia de 263400 dispendida com o seu
transporte, e d'um amanuense quo o acompanhou
freguezia de Santo Amaro de Jaboatao.Mandou-
se pagar.
Oulro do administrador do cemiterio publico da
freguezia de S. Lourengo da Malta, remetiendo o
mappa dos enterramentos que se flzeram no mes-
mo cemiterio desde o Io 10 do correte.Ao ar-
chivo. ,
Foi approvado um parecer da commssao de po-
lica dando por conferidas as contas prestadas pelo
procurador da receita e despeza municipal no tri-
mestre decorrdo do Io de Janeiro ao ultimo de
margo deste anno.Mandou-se remetter ao advo-
Sado urna petgo de Custodio Alves Rodrigues da
osla, respeito de negocias relativos ao regula-
monto do imposto de affengoes.Foi remettido
urna commssao especial, composla dos Srs. Barata
e Gameiro, fazendo tambem parte della o enge-
nheiro cordeador, o requerimento do baro do L-
vramento sobre a abertura de uina ra no Forte
do Mallos, determinad! na planta da cidade.
Despacharam-se as petiges de Antonio Joaquim
de Sant'Auna, Antonio Jos Bittencourt, bacharel
Angelo Henriques da Silva, Antonio Leite da Silva,
Amonio Nelto Ferreira, Angelo Custodio dos San-
tos, Bernardino Jos Leite e outros, Braz Antonio
da Cunha e Albuquerqne, Claudio Dubeux, Fran-
klin Benjamira Theotono Pexoto, Francisco do
Barros Correia, Francisco Jos Gongalves da Silva,
Flix Rodrigues de Miranda, Francisco Jos Ca-
bral, irmandade de Nossa Senhora do Lvramento,
Francisco Rodrigues Lima, Dr. Jos Bernardo Gal-
vo Alcoforado, Jos Gongalves Ferreira Costa, Joa-
quim Antonio da Silva Azevedo, Jos Ferreira da
Silva Azevedo, Jos Ferreira da Silva, Jos Igna-
cio Avila (2), Jos de Azevedo Maia, Jos Fernan-
dos Monteiro, Joo de Carvalho Raposo, Jos Pau-
lino Lopes de Almeida, Jos Francisco das Neves,
Joo Antonio GutmarSes, Manoel Martins de Car-
ILEGVEL

-
f


Diario le Per anime* Sexta lelra II 4c Julho c i4.
valho, Maiiocl Fernondes da Costa, Manoel de Al |
meida Lopes, Maoocl de Azevedo Maia, Manoel Fi-1
gueira de Farias, Manoel Ribeiro Bastos, Vicente
Herculano de Lemos uarte, e levantou-se a sessao.
Eu, Francisco Camilo da Boa-Viagem, secretario
a subscrevi.Barros Reg, presidente.Barata de.
Almeida.Reg.Mello. Gameire.
CHROKICA _JUDIGI4BI4
Tll Hl \ \ \. DO COMMERCIO.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 41 DE
JL'LHO DE 1864T
PRESIDENCIA DO EXM. SH. DESEMBAIlfiADOR
remrm.
As 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. depu-
tados Reg, Lemos, e Alcoforado, o Sr. presi-
dente deearou aberta a sessao.
Lida, foi approvada a acta da ultima.
EXPEDIENTE.
l'm offlcio do Exm. Sr. desembargador Manoel
de Ceniueira Pinto, presidente do merissimo tri-
bunal do cornmercio do Maranho, de K de junho
prximo passado, accusando a recepcao do otticio
que Ihe foi dirigido, comiminicando a posse e en-
trada cm exercicio do cargo de presidente desle
tribunal. Arebive-se.
Otilro do Sr. Dr. Jos Pereira da Silva Moraes,
de 15 do corrente, co.niiiunicando ter assumido o
exercicio do cargo de chele de polica desta pro-
vincia.Aceuse se a recepcao e archive-se.
Outro do administrador do consulado provincial,
pedindo a bem do servico publico se llie ministras-
se urna relacao dos correctores e agentes de leilo
desta praca.Mandou-se satisfazer.
Foi presente o mappa semestral do trapiche Com-
paiihia. Archive-se.
Foi presente a coteco oIBcial dos precos cor-
rentes da praca, relativa ultima semana.
Archive-se.
DESPACHOS.
No requeriinenlo de Francisco Jos Fernandes
Pires e Antonio Joaquim Fernandes, salisazendo o
despacho d 1 i do corrente, coui um additemento
ao seu contrato, cujo registro pedem. Regis-
tre-se.
No de Joaquim Soares Pinto Correia e Jos Soa-
res Pinto Correia, sasfazttndo lamben o despacho
de 11 do crrente, com um addilivo ao seu contra-
to, cujo registro pcdem. Designen) outro desem-
paudor.
No de Moreira t Codeceira, juntando um docu-
mento em satisfacao do despacho deste triounal,
nos autos de sua chabiliteco.Junte-se aos autos
e faca-so com vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Tasso bunios, autorisados a fazer navegar
o patacho nacional Juno, de propriedade de D.
Mara das Noves Tasso uimares, juntando a car-
ta de registro do inesino patacho, para lhe ser da-
da desoncraco de sui rcsponsabihdadc, visto ter
sido coueinnado no Rio de Janeiro, por *eu mo
estadoVista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Francisca das Chagas Ferreira Saraiva,
juntando um documento em satisfacao do despa-
cho deste tribunal. Prestado o juramento e assig-
nado o termo de responsabilidade d-se-lhe carta
de registro.
Urna representacao do official-maior da secreta-
ria, sobre um distrato de sociedade nao ter pago o
sello devido, alm de nao achar-se junto ao mesmo
o parecer do Sr. desembargador fiscal.O tribunal
resolveu que as partes apresentem a petigao com o
parecer para llcarem archivados c paguem a diffe-
renca do stllo.
O livro que principiou a servir at ft o para pu-
blicacodo expediente do tribunal, passou a servir
para a deslribuico do registro publico a cargo dos
cflkiaes e amanuenses.
SESSAO JUDICIARIA KM 21 DE JLHO
DE 1864.
1-HESIDE.M.IA DO EXM. SR. DESEMBARGADOS
A. F. PEBETTI.
Secretario, Julio Guimaraes.
As 11 '/, da manhaa, o Sr. presidente abri a ses-
sao, estando reunidos os Srs. desembargadores Sil-
va Goimaries, Acciolie Domingues da Silva, ede-
putados Reg, Lemos. e Ro.-a.
Lida, fui approvada a acta da sessao antece-
dente.
Foi anresenudoo oflicio do Exm. Sr. desembar-
gador presidente do tribunal Jo cornmercio do Ma-
ranhao, de 23 de junlio ultimo, acensando a recep-
cao do offlcio do Io do referido mez do Sr. presi-
dente deste tribunal, communicaodo a sua posse e
entrada em exercicio deste cargo.
fCLGAMEMTOS.
Appellantes. Jos Jeronymo Monteiro e outros -,
appellados, N. O. Bieber& C. successores e outros.
Foi reformada a sentcnca appcllada.
Appellante, Simplicio Tvares de Mello : appel-
lado, o commendador Antonio Francisco Pereira.
Foi julgado o juizo incompetente : e, adoptan-
do-so a platica seguida no tribunal da relacao des-
te districto, ordenou-so por unanimidade de votos
que dito frito fosse remettido este tribunal.
Appellantes, Antonio Lufa de Oliveira Azevedo
& C, agentes da companhia Brasileira de vapores:
appellados, Joao Francisco Pardellias e cutios.
Desprezaram-sc os embargos.
Aiipt-llantc, Jos Francisco Pinto Guimaraes ;
appellado, o Dr. Gabriel Soares Raposo da C-
mara, como administrador de sua mulher e tutor
de suas enteadas.
Rcceberam-sc os embargos como voto do Exm.
do Exm. Sr. presidente.
Appellante, Joaquim Antonio Rodrigues ; appel-
lados, os curadores fiscaes de Joaquim Francisco
de Mello Santos.
Desprezaram-se os embargos.
I Appellante. Antonio Francisco Chaves : appella-
do. Marcelino de Salles Correa.
-Appellantes, Guimaraes (S Oliveira apellados,
o presidente e directores dacaixa filial do banco
do Brasil nesta cidade.
Appellante, os curadores iscaes da massa falli-
da da viuva Amorim A. Filhos e Thomaz de Paria;
appellado, Antonio Rodrigues Fernandes Vieira.
Appellantes, os administradores da fallencia de
Bastos & leemos appellados, Bozano Irmo.
Ap|ie||ante, Manoel Alves Ferreira; appellados,
Manoel Antonio Soares da Fonseca e Belarmino
Antonio Soares da Fonseca.
Priraeiro dia til.
PASSAGENS.
Appellanles, Joao Caetano de Magalhaes e outro
appellados, os administradores da massa failida de
Jos Antonio da Silva Araujo.
Appellante, Virgilio de Castro Oliveira e Joao
Mara de Oliveira ; appellado, Jos Alves da Silva
Guimaraes.
Appellante/, Ferreira & Matbeus ; appellados, os
curadores fiscaes de Rostron Rooker & C.
Appellante, Francisco de Paula Carneiro Lefio ;
appellado, Manoel Antonio de Car valho.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Accioli
Appellante, Basilio Alves de Miranda Varejo ;
appellado, Antonio Goncalvcs de Oliveira.
Appellantes, o Dr. Antonio Agripino Xavier de
Brito e os curadores fiscaes da massa fallida de
Mai tinho de Oliveira Oorges ; appellado, Jos Go-
mes Leal.
Do Sr. desembargador Domnguez da Silva ao Sr.
desembargador Silva Guimaraes.
Appellante, Mauoel Gouveiade Souza ; appella-
dos, os administradores da massa fallida de Amo-
rim, Fragoso, Santos & C.
Do Sr. desembargador Domingues da Silva ao
Sr. desembargador Accioli.
Appellantes, Biaucone Jilee & C.; appellados, os
curadores fiscaes de Carlos J. Aslley & C., e ou-
tros.
Appellantes, os curadores fiscaes da massa falli-
da de Scve, Filhos &C.; appellado, Bernhard
Spiro.
Do Sr. desembargador Acrioti ao Sr. desembar-
gador Domingues da Silva.
DISTRIBIj'IQOES.
Appellantes, o Dr. Felippe Nery Collaco & C.;
appellado, Geraldo Henrique de Mira.
Ao Sr. desembargador Accioli.
Appellante, Joaquim Francisco Duarte, como
inventariante dos bens de seu fallecido ftlho Maxi-
iniano Francisco Duarte; appellados, Manoel Joa-
quim do Reg e Albuquerque e Joaquim Pedro do
Reg Barreto.
Ao Sr. desembargador Accioli
Appellanles, Candido Moreira da Costa e outros;
appellado, Joaquim Monteiro Guedes Gondim.
AoSr. desembargador Silva Guimaraes.
Appellante, o coronel Jos Pedro Velloso da Sil
veira ; appellados, os herdeiros de Francisco Car-
neiro da Silva, por seu tutor.
Ao Sr. desembargador Domingues da Silva.
JNada mais houve,
COMMUNKADQS.
t 'na liomenagcm ao (alerto
e a setnela.
Ha successos na vida do homem, que impri-
men! em sua alma os mais vivos e pungentes
signaes do emocao.
A vida humana to varia, quo vario o
pciisameuto, to frgil, quo frageis as cou-
sas terrenas I
A familia, a provincia natal e o paiz inteiro
congratulavam-se ainda ha ponco em contar
entre os seus urna das mais brilhantes estrel-
las, que povoam o co brasileiro, um desses
espiraos penetrantes e fortes, que se elevam
s regiiies superiores, uina dessas intelligen-
cias fecundas que buscan) dia para dia apro-
fundar-se nos diversos ramos de eonhecimen-
tos humanos.
.vio o passamento do homem vulgar, que
aqu lamentamos, o transito do ser privile-
giado em dotes pela uatureza, o qual viva-
mente syrabolisava as esperanzas da patria,
do pensador profundo, do malhematico expe-
rimentado o de orador talentoso
J se nao enumera entre os vivos o Dr. Joa-
quim Gomes de Souza 1 A morle comprimi-
me os passos da existencia uo da i de jn-
nho l tem longe dos seus, nessa Gra-Bre-
tanha, onde ha va estado por algum lempo I
Se dispozessemos do pincel de Baphael. nos
seriamos os priineiros esbocar um quadro
sublime da biographia do homem que passou;
mas reconhecendo a nossa incapacidade, doi-
xemos essa trela para outros por ventura
mais habilitados, contentando-nos apenas
com enunciar aqui algumas palavras acerca
do illustre tinado.
Nenhum brasileiro raaissetemdcstinguido,
nenhum se ha mais pronunciado para as
sciencias mathemaiicas, do que o Dr. Joa-
quim Gomes de Souza.
Dedicado ao estudo dessa difficil sciencia,
elle aos 19 annos apreseutou-se intrpida-
mente exame vago, ao qual submettendo-se,
sigmficou mais uma vez a sua natural ten-
dencia para as sciencias dos seculos, colhen-
do os fructos desse seu louvavel intento.
Noineado logo depois lente da escola militar,
leve o magisterio brasileiro mais um grao de
honra, recebendoem siu gremio esse homem
que, pela grandeza extraordinaria do seu es-
pirito, bem poderiamos denominartermo
do entendimento humano, como alguem j
disse com referencia a Bacon.
Lente da escola militar, o Dr. Gomes de
Souza explanava sempre com proflcienci :a
sabedoria a materia sujeita sua cadeirae
ahi os alumnos recebiam sob o influxo de
um racciocinio vigoroso e de uma lgica im-
petuosa as mais bellas preleccoes sobre essa
sciencia, em que os Newtons e os Laplaccs
mais se distraguiram.
Depulado a assenn lea geral desde 1856,
eslorcava-se com vontade para satisfazer fiel-
mente o honroso mandato que lhe era con-
fiado, estudandoas necessidades e os ioteres-
ses do paiz, tomando parte as mais altas dls-
cussoes, que se agitavam no parlamento, on-
de sempre com a lgica e lucidez, que lhe
eram proprias, deu provas inequvocas da sua
capacidade. Se se tratava de materias finan-
ceiras, que alias sao um dos pontos mais dif-
ficeis do nosso direilo, o Dr. Gomes de Souza,
nao obstante nao ter estudos especiacs sobre
ellas, distinguia-se profundamente entre os
seus collegas do parlamento.
Eis ligeiros traeos do homem, que perde-
mos !
Anda nao acabavamos de carpir o passa-
mento do commendador Joao Francisco Lis-
boa, esse ornamento do foro brasileiro, esse
notavel historiador, cujo nome ha de bem di-
zer a posteridade, quaudo nos chega a noticia
igualmente fatal do transito desse outro nos-
so distinelo patricio Dr. Joaquim Gomes de
Souza !
Que fatalidade para a provincia do Mara-
nhao!! E'que os genios nao pdem gyrar
em espheras acanhadas, que os genios, cen-
tella divina, buscam regioes superiores.
Foi mais una aureola brilhante obscureci-
da pela sombra do tempo, niais uma flor
einurchecida pelos ralos do sol, mais uma
esperanca sacrificada aos inleressesda patria!
Comprovincianos e apreciadores do mrito,
nos nao podamos deixar de vir render um
profundo culto ao talento e sciencia do il-
lustre tinado.
Nos, pois, corn a sua nconsolavel familia,
com a provincia que o vio nascer e com o
paiz lamentamos tao lerrivel aeontecmento,
transmitlindo a historia o seu nome para ser
escripto em letras de ouro.
Recife : de julho de 18C4.
A. Coln.
O 9 baalho da guarda nacio-
nal tic Olinda. e o seu futuro
conmiaudaufe.
Custa a acreditar-se que haja ainda quem faca
questo por commandos de batall.ao de guarda na-
cional, como se taes encargos bssem urna das boas
fatias ; e a prova disto que atii os vemos a fa-
zerem apostas sobre qtiem ha de ser o nomeado
para o rommando do 9 batalhao da activa. Estes
opinam que sejain dados ao major da suc^ao
do rc>erva lo cabido dr. Olutdu) sein ser o da S)
e aquelles que sejaao major Sa.
Na nossa humilde opinio a nomeacao de qual-
querdestes, para a actual situacao, seria acertada;
mas, para (|ne ella recahisse em algum dos cima
referidos, seria preciso que nao estivesse j aggre-
gado ao referido corpo, por decreto recentissimn, o
tenente-roroncl Velloso da Silveira ; e em vista do
que dispoe o arlgoC.f da lei de 19 de setembro de
1830, na segunda parte do i; :t", combinado com a
segunda parte do art. 49 do decreto n. 1.FI0 de
l de marco de I8j':t, cpie mili i^xpressamentc
manda que quando houverem officiaes aggregados
aos corpos, sejam elles chamados s effectividades
dacornpanliia oii corpo para o (pial foram j desig-
nados, evidente que outrem que nao seja o ag-
gregado, o governo nao nomear.
Ora, se ha, portanlo, taes disposicoes de lei, que
amplia o modo como o goveruo deve proceder em
taes casos, como pois, que vem esses alvicare-
ros cora taes apostas ?
Disto s deduzimos um engodo, e que haven-
do desejo de se fazer sallar, dos seus gargalos, al-
gumas rolhas custa de algum pato, parase sabo-
rear as delicias de Bacho, por isso que promovem
esse desenlace.
At ver nao tarde.
O moleqae sabio.
accionistas que o respectivo thesonreiro est auto,
risado a pagar o dividendo das aceoes da meema
caixa do semestre lindo em 30 de junbo prximo
passado, na razao de 8300 por accao.
Recife 14 de juIhdMe 1864No impedimento do
secretario, Ignacio Nunes Correia.
Allandega
Rendi-nentododiaia)........ 502:346*800
dem do dia 21................. 21:765*497
527:112*297
11 o violento da alfandega
Volumes entrados com fazendas... 172
com gneros... 393
56o
Volumes saludes com fazendas... 128
t com gneros... 274
e ----- 402
Descarregam no dia 22 de julho.
Patacho hespanholTliemoteo IIfamilia de trigo
Barca portuguezaDespique //carvao.
Brigue portuguezSo6ciano=generos de estiva.
Patacho dinamarquezManj gneros de estiva.
Barca ingle timencarvao de pedra.
Brigue inglezFloristemercadorias.
Escuna ingiera -Fortunare idem.
Patacho hollandez -Adriannus Jokannesbaldea-
cao de couros, chifres e sal.
Inportaeo.
Bergantim hespanhol Tttimotheo, entrado de Bar-
celona, consignado a N. O. Bieber & C, manifes-
tou o seguinte :
1,341 barricas e 60 meias ditas farinha de trigo ;
ao capit.
Recebedorla de rendas Internas
geraes de Pernambueo.
Rendimento do dia 1 a 20........ 37:70U268
dem do da 21................. 431*570
38:132*838
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 20......... 68:075*3o7
Idemdodia 21................. 792*490
68:867*847
MOVIMENTO BO P01TO.
Navios entrados no dia 21.
Genova64 dias, brigue italiano Linda, de 166
toneladas, capilao Angelo Ghersis, equipagem
14, carga massas e outros gneros; a Eduardo
Burle & C
Ilha de Fernando49 horas, vapor nacional Pwa-
hyba, de 102 tonelladas, commandante I. 1. Mar-
tina, equipagem 20.
Observacao.
Nao houveram sahidas.'
E mais se nao continua em dita peticao aqui co-
piada, na qual dei o despacho do theor seguinte :
Cite-se, expedindo-se prcatoria. Emquantoa
amplia^ao do praso quando houver reclamacao se
decidir como fr de juslica. Recife, 11 de junho
de 1864.Alencar Araripe.
E mais se nao conlinha em dito despacito aqui
copiado, em vjrtude do qual fra a mesma peticao
distribuida ao escrivo deste juno Manoel Mara
Rodrigues do Nascimento, depois da quat se via
outra peticao do theor seguinte :
Illm. Sr. Dr. juiz de direito do cornmercio. Diz Cer-
qu.eira & Silva que tendo obtido carta prcatoria
para o termo de Agua Prela para ser citado seu
devedor Andr Alves de Souza para a accao de
letra, acontece que o supplicado se ausentarse de
casa para lugar nao sabido, como prova a certido
do oilieial encarregado da dellgencia. Os suppli-
canles veem requerer V. S. se digne marcar dia
e hora para os supplicantes justificar a'ausencia da-
quelle seu devedor. Pede V. S. deferimento e
receber merc Ignacio Barroso de Mello, procu-
rador.
E mais se nao conlinha em dita peligao aqui co-
piada, na qual dei o seguinte despacho :Ama-
nhaa ao meio dia.Recife, 4 de julho de 1864.
Alencar Araripe.
E mais se nao conlinha em dito despacho aqui
copiado. E tendo os supplicantes produzido suas
testemunhas, sellados e preparados os actos subi-
ram minha conclusao e nelles dei a senlenca do
theor seguinte :Hei por justificada a ausencia de
Andr Alves de Souza, que se mostrou achar-se
em lugar nao sabido, pelo que seja citado por edic-
tes de 30 dias para o fim requerido. Recife, 9 de
julho de 1864.Tristao de Alencar Araripe.
E mais se nao conlinha cm dita sentcnca aqui
copiada, por forja da qual o referido cscri'vao fez
nassar o presente edital, pelo qual chamo, cito e
liei por citado o referido snpplicado para que coai-
pareca neste juizo dentro do indicado praso.
E para que cheguc ao conhecimento de todos
mande i passar o presente que ser publicado pela
imprensa e affixado no lugar do costume. Recife,
12 de julho de 1864.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimento, es-
crivo, o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
EDITAES.
PBLISA(GES 1 PEDIDO.
Anaeahulta peltoral de Kemp.
Alegrem-se todos aquelles que por espaco de an-
nos inteiros teem vivido gomados e afilelos pelos
soffrimentos da aslhma e dos bronchios. Este ex-
rellenle e inoffensivo remedio vegetal ataca promp-
ia mente e com invariavel seguranza essas molestias
mesmo as suas peiores formas. A arvore d'onde
o rico balsamo extrahido tem sido verdadeira-
meate a arvore da vida para milhares de pessoas
que pereciam das alTeccoes dos pulmoes e da gar-
ganta.
Limpa o faz remover todas as mucosdades ac-
umuladas nos vasos bronchios, fortifica a mem-
brana da traca-arteria e do delicado tecido dos pul-
mes e imparte nm vigor verdadeiramente maravi-
Ihoso lodo o apparelho da respiracao.
Encontrase as drogaras de Caors & Barbosa e
de Bravo & (1
COMJiEBCIO.


a\U FILIAL
DO
II l\ O DO BRASIL
EM PERNAMBUCO.
A directora desta caixa, em virtude de ordem
da directora do Banco do Brasil, avisa aos Srs,
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provia-
' cial, em cumpriraento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 30 de junho ultimo, manda
fazer publico, que no da 13 de outubro vindouro,
perante a junta da fazenda da mesma thesouraria
se ha_de arrematar quem por menos fizer, a cons-
truccao de 69 bracas de caes de cada lado do ca-
nal da ra da Aurora, avahado em 15:914*000.
A arremataco sera feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de lo de maio de 1854, e sob as
clausulas especaes abaixo declaradas :
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao comparecam na sala das sessoes da referida
junta no da cima mencionado pelo meio dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
bueo, 9 de julho de 1864.
O secretario
.4fon CLAUSULAS ESPECAES PAHA A AUREMATACAO.
1* A obra do caes margem do canal da ra da
Aurora, ser executada de couformidade com o or-
namento e planta respectiva apresentados pela di-
rectora das obras publicas na importancia de
15:914*.
; 2" O empreiteiro dar execuco aos trabalhos no
prazo de 20 das, e os terminar nos de 6 dias,
contados ua furnia da lei.
3* O pagamento sera effectuado em prestaces
mensacs, de valor correspondente ao trabalho exe-
cutado, em cada mez, deduzindo-se um dcimo,
que ser entregue seis mezes depois da conclusao
da obra.
i* O empreiteiro nao poder sob qualquer pre-
texto exigir indemnisacao alguma que nao seja
fundada no excesso de trabalho previsto no orna-
mento.
3* O empreiteiro na execuco dos trabalhos ob-
. servar as prescripcoes dadas' pelo engenheiro lis-
cal da obra.
6" Para ludo quanto nao se adiar aqu disposto,
observar-sc-ha o que dispoe a lei n. 280.
Conforme.Antonio Ferreira da Annunciaeo.
O Illm. Sr. director da escola normal manda
fa-zer publico, que desta data at o fim do correte
mez se achara abenas as matriculas do 1" anno
] da referida escola, devendo para sso os preten-
, denles provar perante o mesmo director :
Io Que sao maiores de 18 annos.
2u Que sabem 1er, escrever e contar.
3o Que silo de costumes puros, e qne nao teem
sido condemnados por crime offensivo moral pu-
, blica ou religio do Estado.
4o Finalmente, que satiszoram a primeira pres-
; tacao da matricula na repart cao competente.
E |iara chegar ao conhecimento de quern inte-
ressar. mandou-se publicar o presente pela im-
prensa.
Secretaria da escola normal de Pernambueo, 7
de julho de 1864.
O secretario,
Maximiano Lopes Alachado.
O Dr. Ernesto d'Aquuo Fonceca, cavalleiro da or-
dem de Christo. juz d'orphos e ausentes do ter-
mo da cidade do Recife, capital da provincia de
Pernambueo, por Sua Magvstade o Imperador a
quem Deus gurdemete
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, que, procedendo-se por este
juizo s diligencias da lei, foi por mim, no respec-
tivo processo, julgada alienada e incapaz de admi-
nistrar sua pssoa e bens, Carolina Correa Duarte
d'Albuquerque, branca, solleira, moradora nesta
cidade, dando-sc-lhe curador na pessoa de Luiz do
llego Barros, cujo cargo acceitou e delle se acha
investido, e corn quem se devero entender todas
as pessoas, que corn dita alienada tiverem nego-
cios.
E para que pessoa alguma possa validamente
com ella contratar, c fiquem nullos e de nenhuai
effetn quaesquer contratos, que com a mesma pos-
sam ser celebrados, mandei passar o presente que
ser affixado no lugar publico do costume, depois
que houver passado por onde compete, e publica-
do pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade de Santo Antonio
do Recife, capital da provincia de Pernambueo,
aos 16 de junho do anno do nascimento de Nosso
Senhor Jess Christo, de 1864, 43" da independen-
cia e do imperio do Brasil.
Eu Joao Facundo da Silva Guimaraes, escrivo,
o subscrevi.
Ernesto d'Aquino Fonceca.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, official da impe-
rial ordem da Rosa, e juiz de direito especial do
cornmercio, por S. M. Imperial e Constitucional
o Sr. D. Pedro II, a quem Deus guarde, etc.
Fago saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem que por parle de Cerqueira &
Silva, rae foi dirigida a peticao do theor seguinte :
Dizera Cerqueira 4 Silva, negociantes nesta cidade
que tendo por este juizo obtido contra seu devedor
Andre Alves de Souza, morador no termo de Agua
Preta, arresto em seus bens (cartorio do escrivo
Manoel Mara) e querendo propor-lhc competen-
te accao, querem por prcatoria expedida para
aquelle juizo, faze-lo citar para na primeira deste
juizo ver assgnar-se-lhe os dez dias da lei, a sua
lelra junta de 2:339*740, de principal, e vencida
desde 16 de maio de 1859, para dentro delles pagar
ou allegar os embargos que tiver, e ser aflual con-
demnado a pagar aos supplicantes a referida quan-
tia, premio estipulado e custas, visto nao se ter
concillado com os supplicantes, Picando logo citado
para todos os termos da causa at final sentenca e
sua execuco sob pena de reveiia.
E por que os supplicantes nao possam propr
accao dentro do praso marcado pela lei em relajao
ao arresto feito, em consequencia da difflculdade
da citacao do supplicado que se oceulta para nSo
recebe-la, como fez para a da conciliacao junta, vem
requerer V. S. prorogacio do mesmo praso por
mais 20 dias, e pede V. 8. Illm. Sr. Dr. juiz de
direilo especial do cornmercio lhe deflra e recebe-
r merc.O advogado, Medeiros Furiado.
DECLARACOES.
Na audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz de orphos
de sexla-feira 22 do corrente, vai praca diversos
objectos de ouro e labyrintho, pertencente ao es-
polio do finado Maximiano Francisco Regueira
Duarte, para pagamento das cusas da sobre-parti-
Iha, ludo coustante do escripto em mo do porlei-
ro Amaro : a ultima praca.
Consulado provincial.
O administrador da mesa do consulado provin-
cial manda publicar para conhecimento dos agen-
tes de leilo as disposicoes dos aris. 2, 3, 4, 5 e 6
do regulamento de 15 de julho de 1861 dado pela
presidencia da provincia para a cobranca do ira-
posto de um por cento sobre o producto de cada
leilo com excepcao dos judiciaes pago pelo com-
prador decretado no 5 28 do art. 44 do orcaraenlo
vigente:
Art. 2. Os agentes de leilo ficam responsaves
pela renda do dito imposto, e portanlo autorisados
a exigi-la dos contribuintes, lindos que sejam os
leiir.es. anda quando forem feilos a crdito, nao
podendo antes de seu pagamento entregar os ob-
jectos arrematados.
Art. 3." Para previo laucamente da renda devi-
da, remetieran ao consulado provincial, cinco dias
depois de concluido cada leilo, uma nota da data
em que foi realisado, qualdade dos respectiros
objectos e importancia produzda.
Art. 4. Nos dez dias subsequenles a entrega
desta nota recolhero referida estaco a renda
que devem ter cobrado, cuja importancia ser ve-
rificada pelos respectivos lancamentos.
1. Na falla desta entrega no referido prazo,
extrahir.o consulado urna cunta da quaulia devi-
da e a remetter thesouraria para ser cobrada
executivamente.
^ 2. Nao aproveitar em juizo, ao agente a al-
legaco de nao ter recebido dos contribuintes o
producto do imposto, nem outra qualquer que nao
seja consistente no conhecimento do respectivo pa-
gamento remedido pelo consulado ao procurador
fiscal.
Art. o. O administrador do consulado poder
mandar assistir aos leiloes por um empregado de
sua repartico, ao qual dar o agente as notas e
esclarecmentos que exigir para a necessaria fls-
ca I isa cao.
Art 6." O mesmo administrador tambera poder
requerer em juizo competente a exhibico dos li-
vros que os agentes sao ubrigados a ter na confor-
midade do art. 71 do cdigo cornmercial e do art.
28 do regulamento de 10 de novembro de 1851,
mandado observar nesta praca pelo decreto d. 939
de 20 de marco de 1852, para que na presenca do
agente, cojo leilo fr necessario riscalisar, e de,
um empregado do consulado se proceda as averi-
guaces que sejulgar convenientes, observaudo-se
no caso de recusa da parte do agente, a disposico
do art. 357 do regulameuto u. 737 de 23 de no-
vembro de 1830.
S l. Se por estas averiguacoes verificar-se en-
tre as notas remetldas ao consulado e o lauca-
mente dos referidos lvros, differencas que possam
prejudcar a fazenda, sero reduzdos termo, e
este assignado pelo juiz que presidir o acto e pelas
partes e testemunhas.
Este termo ser por intermedio da thesouraria
remettido por copia ao procurador fiscal para pro-
ceder judicialmente contra o agente, c promover
pelos meios executivos a cobranca da renda de-
vida, cuja conta lhe ser tambem remetlida.
i, 2. Igual procedimento se lera com o agente,
que, por omissoou reluctancia, deixar de remel-
ter as notas ao consulado dentro dos cinco das,
que lhe sao marcados.
Mesado consulado provincial de Pernambueo,
15 de julho de 1804.
Antonio Carneiro Machado Ros,
Administrador.
Coiiselho administrativo.
O coruelho administrativo para fornecimento do
rseual de guerra tem de comprar os objectos se-
uintes :
Para o 2o batalhao de infamara.
Papel al maco 6 resmas.
Pennas de ac 6 caixas.
Pennas de ave 200.
Caivetes 2.
Tinta preta 6 garrafas.
Lapis de pao 6 duzias.
Areia para escripia 6 libras.
Collcccoes de cartas para principiante 3G.
Grammaticas portuguezas por Monte Verde, ul-
tima edico, 12.
Taboadas 36.
Compendios de arithmelica por Avila 12.
Pautes 12.
Traslados 36.
Podras para escripia 6.
Lapis para as ditas 18.
Quem quzer vender taes objectos aprsente a
sua proposta em carta fechada na secretaria do
conselho.s 10 horas da manhaa do dia 25 do cor- j
rente mez.
Sala das sessoes do conselho administrativo para'
fornecimento do arsenal de guerra, 18 de julho
de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente.
Sebastiao Jos Basilio Pytrho,
Vogal secretario.
Correio geral.
Pela admnstracao do correio se faz publico que
hoje (22) pelas 3 horas da tarde em ponto fechar-
se-ho as malas para a Parahiba, Rio Grande do
Norte, Maco, Aracaty, Cear e Acarac, as quaes
couduz o vapor costeiro Mamanguape.
A cmara municipal desta cidade, em cum-
primento do offlcio do Exm. presidente da provin-
cia, datado de 7 de julho do corrente anno, e de
conformidade com o art. 3o do decreto n. 353 de
12 de julho de 1845, convida aos proprietarios dos
predios sitos na ra do Trapiche, lado da mar,
comparecerem no pago municipal, a fim de fazerem
as declarares e reclamacfes qne julgarem neces-
sarias a bem de seus direitos, relativamente a de-
saproprlacao de parte dos mesmos edificios para
alargarneuto da dita roa.
No mesmo paco municipal fica exposto ao exa-
me dos ditos proprietarios por espaco de 10 dias, a
contar da dala deste, o plano do alargaraento da
dita i ua, podendo os mesmos proprietarios fazer
as suas reclamacoes verbalmente ou por escripto,.
com tanto que nao excedam ao praso cima mar-
cado.
Paco da cmara municipal do Recife 14 de ju-
lho de 1864.
Luiz Fraecisco de Barros Reg,
Presidente.
Francisco Canuto da Boaviagem,
Secretario.
Conselho administrativo.
O conselno administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
guintes:
Para o arsenal de guerra.
Sola de lustre 40 meios.
Fivelas para grvalas 20 grozas.
Taboas de plnho americano 10 duzias.
Ditas de dito de 3|4 de grossora 8 dnzias.
Ditas de dito de forro 4 duzias.
Pregos caixaes 20 milheiros.
Gomma arbica em p 5 libras.
Taboas de amarello de assoalho de 15 18 pul
I legadas de largura e de 25 28 palmos de compri-
! ment 4 duzias.
Taboas de amarello de uma pollegada com 15 a
. 18 pollegadas de largura e de 25 28 palmos de
comprimento 4 duzias.
i Costado de pao carga de 15 16 pollegadas de
largura, e 6 costadinho de pao car^a com as mes-
mas dimencoes 6.
Mo travessa de madeira de qualidade com 23
palmos de comprimento 6.
Para o laboratorio de fogos.
Salitre calcinado 10 arrobas.
; Enxofre estrinico 5 arrobas.
Livro de talo impresso com 200 folhas 1.
Balanca horisontal de Reverbal 1.
Aceometro de vidro i.
Quem quizer vender taes objectos aprsente a
sua proposla em carta fechada na secretaria do
conselho s 10 horas da manhaa do dia 27 do cor
rente.
Sala das sessSes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 18 de julho
de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel, presidente.
Sebastulo Jos Bazitto Pyrrho.
Vogal secretario.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda desta provincia se faz publico que
no dia 27 do corrente s 2 horas da tarde, peran-
te a mesma thesouraria i rao a praca para serem
arrematatados por quem mais dr, os materiaes
que se poderem aproveitar dos proprios nacionaes
I sitos em frente do arsenal de marinha que teem de
ser demolidos por ordem do governo imperial, sen-
do a demolico feita custa do arrematante dos
materiaes.
As pessoas quem convier dita arremataco de-
vero comparecer no referido dia e hora marcado.
Secretaria da thesouraria de tazenda de Pernam-
bueo, em 20 de julho de 1864.
Servindo de official-rnaior,
Manoel Jos Pinto.
Crrelo geral.
Pela adrainistraco do correio desta cidade se
I faz publico para lilis convenientes, que em virtude
' do disposto no art. 138 do regulamento geral dos
icorreios de 21 de dezembro de 1844, e art. 9 do
decreto n. 185 de 15 de maio de, 1851, se procede-
[ r o consumo das carias existentes na administra-
cao pertencentes ao mez de julho de 1863, no da
3 de agosto preximo, s 11 horas da manhaa, na
porta do mesmo correio, e a respectiva lista se
acha desde j exposta aos interessados.
Administrarlo do correio de Pernambueo 20 de
' julho de 1864.'O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
i orreio.
Pela administraco do correio desta cidade se
I faz publico que em virtude da convenci postal,
' celebrada pelos governos brasileiro c francez, sc-
j rao expedidas malas para a Europa no dia 30 do
corrente pelo vapor francez Navarre. As cartas
! sero recebidas at 3 horas antes da qne for mar-
' cada para a sahida do vapor, e os jornaes at 4 ho-
' ras antes,
i Administraco do correio de Pernambueo 20 de
julho de 1864.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Hn Aracaty e Cear
pretende seguir com muita brevidade o hiate na-
cional Dous Amigas, tem parte de seu carregamen-
to prompte ; para o resto que lhe falte, trata-se
com os seus consignatarios Antonio Luz de Oli-
veira Azevedo di C, no sen escriptorio ra da
Cruz n. 1, ou como capito no trapiche do algodao.
Cear, laraDha e Para
Segu at o fim do mez o patacho nacional An-
dr, de 1' marcha tft* elasse, recebe carga: a tra-
tar cora A. de A. Port, na ra do Vigario n. 10,
ou cora o capitao Ralis, a bordo, ou no trapiche
do algodao.
LEILOES.
LEILO
DE
MOVIS
HOJE.
0 agente Aureliano autorisado pelo Illm. Sr.
Joaquim Correia de Rezende Reg, que se retira
para Europa far leilo dos seguintes objectos:
1 molrilia de Jacaranda Luiz XV.
1 dita de dito feita no paiz.
i dita de faia.
1 mesa elstica de mogno.
1 guarda louca moderno de dito.
1 duzia de cadeiras de jacarando.
1 apparador de mogno.
1 rica secretaria de mogno.
1 mesa de Jacaranda de meio de sala.
2 guarda vestidos de mogno obra de gosto.
1 morador de Jacaranda rom pedra.
1 lavatorio dito dito.
1 rommoda de Jacaranda macisso.
I cama de Jacaranda para casal
1 dita de ferro para menino.
1 berco e 2 cofres de ferro.
2 machinas para coser sacco.
1 rica espingarda ingleza de 2 canos.
1 par de brincos cora brilhantes.
1 apparelho de piala para cha.
Jarros, serpentinas, crystaes, porcelana, 2 gran-
des espelhos para sala etc.. etc., no dia cima in-
dicado na ra do Apollo n. 20. As 10 horas.
LEILO
DE
30 barris com manteiga in-
gleza.
AVISOS MARTIMOS.
Coiiipanhia Pernambucana
DE
Xavegaeo coste! ra a vapor.
Parahiba, Xatal, Maco, Aracaty, Cear, e Acaracu'
. O vapor Mamanguape, comman-
-.Bffii - I^W{7J%; corrente s 5 horas da tarde. Re-
jjiad^jfegfcleebe carga ate o dia 21. Encora-
VtS^35^mciirias. passageiros e dinheiro a
frete at o dia da sahida s 3 horas da tarde : es-
criptorio no Forte do Mallos n. 1.
COM PANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavcga^o costeira vapor.
Macei e escalas.
No dia 25 do corrente seguir
para os portos do su I o vapor IVi-
stnunga, commandante Ratis. Des-
ej recebe carga at o dia 23.
_ Enrommendas, passageiros e di-
neiro a frete at o dia da sahida s 2 horas da
tarde : escriptorio no Forte do Mato n. 1.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES V VAPOR
Dos portos do norte esperado
at o dia 2 de agosto 0 vapor
Paran, commandante o capito
de fragata Santa Barbara, o qual
depois da demora do costume se-
guir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros eengaja-sea
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete al o dia da sahida s 2
horas, agencia rua da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA BRASBCEIEA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul espera-
do at o dia 30 do corrente o va-
por Oyapoeh; commandante An-
tonio Marcelino de Pontes Ribei-
ro, o qual depois da demora do
costume seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, rua da Cruz n. I, escriptorio de An-
tnoLio uiz de Oliveira Azevedo A; C.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o veleiro e
bem conheciio palhabote. nacional Piedade, tem
parte do seu carregamento engajado : para o res-
to que lhe falta e escravosi a frete, para os quaes
tem exeellenles commodos, trata-se rom os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo,
la da Cruz n. 1.
Para o Rio de Janeiro pretende sahir com
brevidade a barca Barreto, tem parle da carga
engajada para o resto que lhes falla e escravos a
frete, trata-se com os consignatarios Palmeira &
Beltro, largo do Corpo Santo n 4, primeiro andar.
Para Lisboa pretende sahir com brevidade o
patacho portuguez Jareo, tem alguma carga enga-
jada, para o resto que lhe falte, a frete commodo,
trata-se com os consignatarios Palmeira & Reltro,
largo do Corpo Santo n. 4, primeiro andar.
O agente Pestaa vender por cotila de quem
pertencer 30 barris com manteiga ingieza em um
ou rnais lotes a vontade dos compradores : hoje s
10 horas da manhaa no arraazem do .^nnes._____
LEILaO
SEBLAS
HOJE
Por conla de quem pertencer sero vendidas
em leilo 80 caixas com sebolas muito novas de-
sembarcadas hontem, as quaes sero vendidas
em um ou mais lotes hoje no armazem do Aunes,
s 10 horas da manhaa.
LEILAO
DE
3 lindos escravos
O agente Almeida levara leilo tres escravos
sendo urna negrinha de 9 10 annos, um mole-
mu de 7 8 annos e um outro moleque de 6
7 annos.
Sa libado 23 do corrente
no armazeinda rua da Cadeia n. 48, s 11 horas
do dia.
LEILAO
DE
DMA ESCRAVA.
O agente Almeida levar novamente leilo por
despacho do Illm. Sr. Dr. juiz especial do corn-
mercio a escrava Benedicta aprehendida a Jovino
Carneiro Machado Ros, socio fugitivo da firma de
Faria & C, visto a pessoa que havia protestado
contra semelhante venda ter retirado o protesto.
Sabbado 23 do corrente.
No armazem da rua da Cadeia do Recife n. S;
s 11 horas.
lar Lisboa.
Vae sahir em poucos dias com a carga que tiver
o brigue portuguez Confianra, quem quizer car-
regar ou ir de passagem enfenda-se com os con-
signatarios Carvalho & Nogueira na rua do Apol-
lo n. 20 ou com o capito.
Festividade de N. S. das Ne-
ves na Parahiba.
Havendo numero suficiente de passageiros, lar-
gar deste porto para o da Parahiba, um dos va-
pores da Companhia Pernambucana, na tarde de
4 de agosto prximo, devendo voltar no dia 8. As
pessoas que desejarem assistir aquella festa, quei-
ram inscrever seus nomes, desde j, e at odia 30
no escriptorio da Companhia, Forte do Mattos nu-
mero 1:
AVISOS DIVERSOS.
Assoeiacto Typograpliiea
Pernambucana.
Havcr sesso extraordinaria do conselho, do-
mingo, 21 do corrente, s 11 horas da manhaa.
Recife. 1(J de julho de 18G4.
Jesuiuo Francisco Regis,
_____________________1" secretario._______
- Os senhores que tem le-
vado por emprestimoeolleciies
deste Diario, queiram man-
da-las restituir com brevida-
de pois silo precisas.______
0 cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da rua do
Queimado para a rua das
Oruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharo como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fissilo, chamado por escripta.
Aos 6:0Ol>$OQ0.
Qiiiula-feira 28 do corrente mez andarlo
as rodas da terceira parte da seguda lo-
tera do theatro de S. Isabel.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva thesouraria rua do
Crespo n. 15.
Os premios de G:000i$000 at 120000
ser3o .pagos urna hora depois da extraeco
at s 4 horas da tarde, e es outros ao dia
seguinte depois da distribuico das listas.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
SOKVETE
De hoje em diante haveri sorvete de dia e de
noite, assim como limonada gazosa (gelada), cerve-
a, charutos, cognac, etc., etc. : na rua do Cres-
po n. 4.
Aluga-se uma escrava que cozinha e faz o
servico interno e externo de casa : na roa do Im-
perador n. 50, terceiro andar.
Aluga-se uma casa terrea as Cinco Ponas
n. 116, defronte da estacao : a fallar na rua do
Queimado n. 71.


As escravas Monica e Cosma e sens filhos que
estao ao servico do Sr. Antonio Francisco de Rar-
ros Campello (no Cabo) pertencem aos filhos des-
te ; nullo qualquer negocio que se fier acerca
das referidas escravas.


Alarlo de i>t-raamhnct> mexin elrn t de Jiilhe d t 8*4

;
\:
'.
GABIMETE
PORTlIGie E LBIHJIU EMPER-
NA 11 Bl'CO.
Por ordera do Illm. Sr. presidente do conselho
deliberativo convido a todos os senhores socios ef-
fectivos para se reanirem em sasslo ordinaria da
assembla geraJ, nos saldes do Gabinete, no dia 21
do correte, ao meio dia, panro disposto no3 Io
o 9* do art. 43 dos nossos estatutos-
Secretaria do conselho deliberativo do Gabinete
Portuguaz de Leitnra em Pernambuco aos 10 de
julhe de 1864.
F. L Tinoco de Souza
1. secretario.
Precisa-so de ura bom offlcial de barbeiro, de
boa conducta : a tratar na travessa da ra do Vi-
gario o. 1.
O abaixo assignado, juiz de paz do 2o distric-
to da freguezia de S. Fr. Pedro Goncalves da cida-
de do Recife, contina a dar audiencia nos das de
qnarta-feira e sabbado, na casa de sua residencia
na ra do Pilar n. 141. pelas 4 horas da tarde.
Luiz Antonio Goncalves Penna.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Crux n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
sao medica, e com especialidade
sobre o seguate
Io molestias
2o
3
de olhos;
de peito:
dos orgos genit
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rlo examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d si
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
SAMO 4 LLZ
EST A VENDA NA LIVRAMA DO Sn. GeRAI.DO
%LA KSTRBITA DO ROSARIO R. U AS
NOCOES
m
DE
PARTIDAS DOBRADAS
OFFRRECIDAS
AAssociacao Commercial Beucficeale
t>K
vinitrco
POR
M. Fonseca de Medeiros.
GASA l>\ FORTUNA
AOS 6:000.000
illhees garantidos
A' m do Cresp n. 23 e casas to cosame
O abaixo assignado tendo vendido nos seus mui-
to felizes biihetes garantidos os dous quartos n.
2715' com a sorte de 6:6005000, e o meio n. 3249
com a sorte de 1:4005, o mejo n. 1078 com a sor-
te de 6005, e outrs muitas de 2005, 1005, 405 e
205 da lotera que se acabou deextrahir benefi-
cio da Santa Casa da Misericordia, convida aos
psssuidores de ditos biihetes a virem receber seus
respectivos premios sem os descontos das leis, em
seu estabelecimento a ra do Crespo n. 23.
O mesmo tem exposto venda os no vos e felizes
biihetes garantidos da primeira parte da primeira
lotera a beneficio da igreja de S. Francisco de
Serinhaem,;que se extrabir sexta-feira 22
corrente.
Precos.
Biihetes inteiros..... 75000
Meios......... 35500
Quartos........ 15900
Para as pessoas que comprarem
d 1005 para cima.
Biihetes........ 65000
Meios......... 35230
Quartos......, 15700
Manoel Martins Fiuza
Ama.
Precisa-se de urna ama que sai-
ba bem cosinbar e que seja milito
aceada e faca compras : na ra da
Cadeia do Recife n. 38, primeiro
andar.
Em resposta ao anauncio, que no Diario de hon-
tem (18) fez publicar o Sr. Joaquim Juvencio da
Silva, e para esclarecimeoto de quem inleressar,
transcrovo a procuracao, que tenho do Dr. Jos
Bernardo de Figueiredo. Alm desta procuracao,
que diz o Sr. Juvencio nao ter-me sido conferida,
houve aulorisaclo do Dr. juiz dos orphaos, e so-
menle o Sr. Juvencio se tem lembrado de con-
testar a legalidade do mandato, que tenho exercido,'
estabelecendo pela imprensa polmica, que nao de-
sejo manter, e quem sem resultado, porque nao '
por este meto que ha de ser decretada a nullidade
dos actos por mim praticados : ao Sr. Juvencio nao'
cabe allegar direito de terceiro, neto tao pouco ir- j
rogar a nullidade, que emende existir em ditos'
actos. Hada mais direi. e a quem de direito'
APROVEITEM APROVEITEM
AOS
HES* ^ ueu actos. Jiaua mais airei, e a quem de direito
Na Capunga Velha est a disposirlo dos !L?S&SSft* i****. 1ue +
icorrentes um excedente bilL "das 9 flaffl!rrJS^-LS
concorren tes
horas do dia at s i2 da noite.
Hotel de Franca.
- ----------............. .. |>i>iiliu 1*1 IJUillIlU
me orul conservados os podares, que me foram
I conferidos. Recife, 19 de julho de 1861.
Luiz Antonio Vieira.
I '"m. Vt- Dr. juiz dos orphaos.Luiz Antonio
Francisco Antonio Nerv, pintor histrico gSAnSSn*gilfte "T5*" qUue ViS-mn'
.> r.iti-.i;-ia >. .. k i i -i e que obtrivao Dril to revendo os autos de inven-
e rettatista tem a honra de declarar ao res- tariodo commendador Manoel Goncalves da Sil-
peitavel publico desta cidade que se dispoe va>lhe de Pr reidlo o thcor da procuracao bas-
a leccionar ao desenlio histrico a todas ?nJe Pa!sada a Dr. Jos Bernardo de Figueiredo.
aqueta pessoas que se quizerem utilisar JJEttg?" """"* mere- Hecife' S de
L9!!! ,resimo m P'ntor e de 'ecciOv Luiz Antonio Vieira.
nar ao dito desenlio nao so em collegios co- d<5. Recife, ffl de julho de 1864.Aquino Fon-
mo tambem em casas particulares. i |Sca.- annr \
!i Mara ES35TK----------------r~T" "5K torre*\<1 Bntto, cavalleiro da ordem
,_. ...f^!*,- 12 ^?^r** competente- de Chrictu e primeiro escrivao de orpliios da ci-
pelo Dr. directoe geral da ins- dade do Recite e seTTTenno por S. M. o Impera-
ao respeitavel publico rador que Dcus, etc.
Certifico que dos autos de inventario dos bens
7,130 COVADOS
de sedas de cores de (odas as (/nulidades. ^
Na loja da ra do Crespo numero 17.
para
mente autoiisada
truccao publica, faz sciente
e com especialidade aos pas de'familias, qu tem
nri.ti "* terre,a> !,d'5 oftrece seu dalSilva, casado que foi com D. Clementina Theo-
presmo, e esiwra concurrencia dos mesmos pais dora da Silva, consta que a procuracao bstame
de familias.
Manoel Antonio da Silva More-ira faz sciente
ao respeitavel corpo do commercio que at hoje
do nao tem autorisado caixeiro seu, nem pMSM algu-
ma a fazer em seu nome transaccao por pequea
que seja, sem que o mesmo portador v munido
com auiorisacao sua por escripto, e para evitar
abusos faz o presente annuncio. Recife 20 de iu-
lhode 1864. ______
Victorino Domingues Alvo. 5ah vai Euro-
pa, onde pretende pouco demorap-se, licando seu
que a procuragao
| pedida por certido pelo supplicante a do theor,
forma e maneira seguinte :
Registrada folhas 85 verso do livro de registro
publico- Secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco, 7 de fevereiro de 1863.Julio Gui-
maraes, oIBcial-maior.
Procuragao bastante que faz o Dr. Jos Bernardo
de Figueiredo. Saibain quantos este publico instru-
j ment de procuracao bastante, vircm, que no anno
do nascimento de Nosso Senhor Jess Christo de
1862 aos 24 dias do mez de dezembro, nesta muito
leal e heroica cidade de S. Sebasliao do Rio de Ja
luiporiantc compra de 7130 eovados de seda de todas as qualiclade, pronrij
vestidos de senhoras e de meninas, e vende-se por pragn admiravei*.
utros rnuitos objeclos.de apurados go^ para senhoras, veslldos d Monde para
casamento a 905 cada um, capas pretas, sontambarques decores e prctos, chapos etc
faasda de linlio e de algodo as mellioree i|ue existem no mercado.
t **Qr"**r\o deste importante estabelecimento vai a Europa muilo breve com-
prar azoadas de apurados gostos, presentemente vende as mas mercadorias or oreos
baratsimos para liquidar.
Protejan! todos. Protejam todos a liuporianle
LIQIDACAO
A loja da ra do Crespo n 17.
fortes para saut'Auna.
Novas sortes, tanto para senhoras como para ho-!
mens, de mui bom gosto, e galantissimas, compos-1
tas de proposito para os festivos dias da gloriosa
Sint' nna, nos quaes os amantes do jogo de sortes
devem aehar ludo quanto desejarem couforme seus
estados e condigdes, certos de que devem exacta-
mente cumprir o que as sortes Ihcs dictarem. A-
cham-se impressas em papel de diversas cares, e
venda na ra do Imperador n. 15, defronte do con-
vento de S. Francisco.
Emilio Uobbus, cid.ido francez, retira-se pa-
ra a Europa, e roga a todas as pessoas com quem
tem conlas, de apresenta-las uestes tres dias para
screm pasas.
Aluga-se a casa n. 6 da ra dos Coelhos, jun-
to ao sobrado grande, com muito boa cozinha : a
tratar com Marceliuo Jos Lopes, olaria n. 13, na
ra do Mondego.
JR* v. W. dImchT
>le4uo iitiiU*/,
e habilitado pela faculdade de medicina da B.ihia,
tendo voltado Pernambuco, pode ser consultado
todos os dias em seu gabinete, ra do Brum nu
mero 74.
Aviso em tempo.

O abaixo assignado tem entregue as contas dos larga do Rosario n. 13, com bons commodos para
a estincta linua de Vidal & Bastos, de familia : a tratar no segu '
devedores da
que liquidatario, ao seu procurador Luiz Fran-
cisco Mello lavares, para serem cobradas amigavel
ou judicialmente.
Recife, 18 de julho de 1764.Joao Carlos Bas-
tos Oliveira.
Aluga-se o terceiro andar do -obrado da ra
com bons commodos p
undo andar do mesmo.
Dinheiro
Dase dinheiro a juros sob hypothcca ou penho-
res de ouro ou prata at a quatia de 2:0005000 :
quem pretender, dirija-se ra do Queimado nu-
mero 73.
Caixeiro.
O abaixo assignado, estabelecido rom loja de
<-ora na ra do Cabug nesta cidade, declara que
nao elle o fiador do arrematante do pedagio das
barreiras do Giqni e Cacbang, mas sim outro de
:-u:il nome.
_____________Angelo Custodio dos Sanios.
socledade iMiilartistica.
De ordem do Sr. director sao convidados todos
os membros da sociedade Philarlistica para a ses-
sao extraordinaria que deve ter lugar domingo 24
vramento, casa n. II, primeiro andar, aflmde tra-
tsr-se da criacaodo Monte Po dos artistas.
Secretaria da Sociedade Philartisca 19 d? julho
de 1864.
Thom Joaquim Mascarenhas Ramos.
1" secretario.
Aluga-se o 2'andar do sobrado da ra da
Aurora n. 14 : a tratar na mesma ra n. 10.
Precisa-se de urna ama para cozinhar, en-
gommar, comprar e tratar de urna casa, e oulra
para tratar de dous meninos; a tratar na ra da
Cruz n. 9, :i andar.
- Aluga-se as meias-aguas ila na do Calabou-
i n. 1 : : a tratar na ra do Livramento n. 29.
Jos Perreira Estrella, subdito portoguez, re-
tira-se para a Europa a tratar de sua saude.
Aluga-se a loja da ra da Cadeia do Recile
n. 9 : a tratar na loja de rebjoeiro n. II, na mes-
illa ra.
Precisa-se de um caixeiro de li 14 anaos, com
pratica de taberna, e d liador a sna conducta :
na ra da Madre do Dos n. 9.______________*
Quem precisar de urna pessoa para encarre-
gar-se de alguns papis tendentes a negocios eccle-
siaslicos, ou civis na cidade de Olinda, dirjase a
essa lypographia para entender-sc.____________
Precisa-so de urna ama que saiba cozinhar e
engommar para duas pessoas : na rita da Guia
n. 2.
Sociedade dramtica
Tlialia Pei'nainbucitna.
Pur ordem do Illm. Sr. presidente do
conselho administrativo, como dispoe o
1" do art. 17 de accordo com os arts. 26 e
27 de nossos estatutos, convido a todos os
Srs. socios instaladores a comparecerem na
casada sede desla sociedade, domingo 24
do correnle pelas i) horas da manlia, afnn
de, em assembla geral, tratar-se de ne-
gocios mui urgentes tendentes ao bem da
mesma associaco.
1.a secco da secretaria da sociedade dra-
mtica Thalia Pernambucana, 20 de julho
de 18154,
Jos Martins Monleiro,
Io secretario.
^1 Lava-se e enizomma-se com muila per
j=3 feicao na ra do Sebo n. 19
de sua mulher D. Claudina da Silva Figueiredo,
reconhecidos das duas testemunhas abaixo nomea-
das e assignadas, peraule as mesmas e por elle
foi dita que por este publico instrumento nomeia
e coiistitue seu bastante procurador a Luiz Antonio
Vieira, morador provincia de Pernambuco, para
ali continuar na gerencia da casa commercial do
fallecido commendador Manoel Goncalves da Silva,
(sogrodclle outorgante) rccebeudo'ou dando qui-
tacao ou recibo em juizo ou fora delle em todos os
negocios tendentes a supradita casa commercial e
mais autos, assim lhe concede todos os seus pode-
res em direito permitimos, para que em nome del-
\ AI) \ i,i OLEO .... FIGAD... UACALIO
XAROPE DE RBANO IODADO
datSS^w^ .5med,C0,dw nosPilaes de ParI' consignados no Prospecto, e a approv;
mVnwtitfZZSf' lf Xa.rope ."I"* com omwor ucco, em lugar do OLEO DE nfiADO fil
oalHdM ;M,US "'en,e MUpeI.Or- Cura ss't'l''"iss Peito. escrfulas, Umphatumo.
r 5 *" da "Tej, as perdas d' appetite, e regenera a constituido purificando o S Km
StM^SSUS^UA SffiS! """"SSfc Elle nunca nca o estmago ou o intctinos como o
^W^yart^aotpdOTdeteroje^tatolrtra-se com a maior eftlcacidad. aos meninos sujeito*
ySJSSSSi?JR en,uPlmen? glndulas. 0 nour cse.rf, do hospital deSan/Leri de Pars.
VwSSfnomem lnteirttmente particular na molestias da pelle. conJuncUmente com as pilulai
PI^k0 fr>1: *2 Par"' en M" de MM- Grlmnlt e c, pharmaceuticos, 7, ra de la Feuillade
rrrrlir! TJTn^ J'l^g *m *-*<*">*; no Porio, en casa d Mig.ei M s.uM-
iSI!2to2L i "T *l"*a !"& e D'"''' rua d0 SabSo> "em Bah,'. en casa
IZr^STlSl,r*-EHh*li; em kxo-Grande, en casa de j...,.i. Gdy em Harn-
ptar2crddo*Brirr"eC';e,nPerBaW6ttCO- c*- rua da "' S.., %, principaes
Deposito geral em Pernambuce rua da Cruz n. 22 emeasa de Caros 4 Barboza.
Na praca da Independencia, loja de otirives'
n. 33, compram-se obras de ouro, prala e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-;
commenda, e todo e qualquer concert, e igual-:
mente se dir quem d dinheiro a premio.
Precisa-se de urna ama para cozinhar, en-
gommar e comprar; familia de duas pessoas na :
rua de Santa Thereza n 1 i.
332 &BWH 4 &
le outorgante como se presente fosse possa em jui- a n t r..;. I nr "
zoe fora delle, requerer, allegar defender todo o AtUVIUU LiUlZ (16 UllLCMl
verlo & C
Agento ilo Banco llnio do Porto.
Competentemente autorizados sacim por todo
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguales agencias.
Londres sobre llanh of London.
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar denles artiSciaes tanto por rneio de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sem i|ue as obras nao
fiquem a vontade de seus donos, tem pos
e outras preparaeoes as mais acreditadas
para conservaco da bocea.
\;. iut estrella do Kosurio n. 34
Advocado Affonso de Albu-
Camisas a
Calcas a
Pallols a
Col le tes a
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora
feiras, porm, na villa do Cabo.
as sextas
45 Rua Direito 45
Oicam! oicaml!!
CALCADO
Hora e novo, a primeira necessidade para a sau-
Meo Dos !... que ps de pavao se lobrigara por
essas ras I que figura horrenda e nauseante a
-le um paletol bem talhade sobranceiro a um
quedes roido em duas solas I um bailo bem tor-
neado e bambaleante dcscubrindo urna pona de
bolina safara c carcomida 11
Santa Barbara!! Corram rua Direita, bellas e
rapazest sacudam na praia esses malditos guedes
e comprera :
Horzeguins de Nantes 85000.
Ditos francezes de bezerro 7L
Ditos francezes de lustre para homem ">$.
Ditos para senhora, de lustre, enfeitados, 5,5300.
Ditos para senhora, gaspia alta, 4^800.
!'..dinas de menina iiboO.
Ditas de cores para menina 000.
.Sapatoes de Nantes de duas solas '$.
Ditos de sola e vira i&oOO.
Sapates de borracha para senhoras i300
Ditos para meninos 15000.
.Sapatos de lustre para senhora 15.
Ditos de tapete para homem e senhora 800 rs.
Ditos da liga constitucional oOO rs.
Oineloes rasos do Porto a 15600.
E um sortimento comple.o em sola, vaquetas,
-iiiiros. bezerro francez como nenhum, courode
lustre muito grande, e tudo quanto perteace arta
de S. Chrispim.
O abaixo assignado tem deliberado, em con-
sequencia de se adiar gravemente doente, o seu
irniao agente de leudes desla praca Hygino Augus-
to de Almeida, de fechar o armazem da rua da
Cruz em que o mesmo fuuccionava; ()or esta ra-
zio pede, as pessoas que deilaram trastes e mais
objectos, do irem relira-los dentro de tres das,
tempo em que tem no referido armazem pessoa
designada para este fim. Hecife, 20 de julbo de
1801.
Augusto Hyyino de Miranda.
Aluga-se o 2 andar do sobrado n. 79. na rua
do Imperador : a tratar na rua do Crespo n. 15.
Bernardo llhurziaque Y Etchegoihen, machi
nista francez que coucertava machinas de coslu
ras nesta cidade, mudou-se para o Becife, onde
est sempre prompto a concertar ditas machinas,
e fazer qualquer outro trabalho concernente a sua
arte : as pessoas que de seu presumo se quizerem
utilisar podem dirigirse rua da Cruz n. 46, pri-
meiro andar, lithograhia do Sr. Hidoux.
Precisa-se alugar urna preta para tolo o ser-
vico de casa de pouea familia : na rua Direita nu-
mero 78.
Precisa-se de urna ama escrava ou forra pa-
ra casa de pouca familia, quecozinhe e engomme:
n tratar na rua de Santa Rita n. 40, primeiro
andar. __________
Ainda est para alugar a casa da rua .ugus-
ta n. 112 :,a iratar na rua Xova n. 59.
Aluga-se o .segundo andar do~sobrado n. 0
da rua do Bangel: a tratar na taberna do mesmo.
Precisa-se de urna ama para todo servico de
urna casa de pouca familia : na rua do Vigari nu-
mero 17.
B0TW1BAKTIIIIL03IE Vi].
lina larga do Ilosario n. 31
Vende:
Todos os remedios do Dr. CUable.
Capsulas c injeccao ao matico.
Injeci;o FaogJ
Pilulas do Dr. Alian.
Pilulas do Dr. Laville.
Pilulas do pobre-homem, excelentes contra rheu-
matismo.
Pilulas para sezos.'
Pilulas e ungento Hollovay.
Phosphato ferro de Lerrs.
Todos os remedios de Kemp: pastilhas, pilulas.
aa ahuila.e salsa de Bristol, etc. etc.
Eacuitos outros medicamentos e especialidades
que sempre se encontrarlo era dita botica.
Paris
Hamburgo
Barccllona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Amarantes.
Arcos de Val
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganca.
> Frederic S. Ballin & C.
i Joao Gabe a Filho.
Francisco Bahoba a Ballista.
Jaime Meric.
Crdito commercial.
i Gonzalo Segoria.
M. IVrera Y. Mijos.
Em Portugal.
de
Aze-
seu direito e justicia em quaesquer causas, ou de
mandas civeis e crimes movidas e por mover cm
que elleoutorganle for autor ou reo em um ou ou-
tro foro, fazendo citar, oflerecer acedes, libellos,
excepclo, embargos, sospensocs e outros quaes-
quer arligos; contrariar, produzir, iuquerir e re-
perguntar testemiinha-, dar de suspeito a quem
lhe o for jurar decisoria e siipplenloriamenle na
alma delle outorgante e fazer dar laes juramentos
a quemconvitT ; assislir aos termos do inventario
e partiihas, com as caces para elle assignar au-
tos, requerimentos, protestos, coolraprotestos e ter-
mos ainda de conlissiio, negacio, louvacao, desis-
tencia, appellar, aggravar ou embargar qualquer
sentenca ou despacho, e seguir estes recursos at
maior aleada, fazer exirahir sentenca, requerer a
execucao deiias, sequestro : assistir'jios autos de
conciliacao pira os quaes lhe concede poderes Ili-
mitados ; pedir precalorias, tomar posse, vir com
embargo* de terceiro senhor possuidur; juntar do-
cumentos e loma-Ios a receber; variar de acedes,
iutentar outras ue novo, podendo subslabelecer esla
em nmou mais procurador, e ossubstabelecidos em
ontros.ficando os seus poderes em inteiro vigor, re- .
voga-losquerendo segundo suas cartas de ordens e Faro.
avisos particulares que sendo preciso serlo conside- 'Oliveira
raaos como parte desta ; e tudo quanto assim for
aceito por dito sea procurador ou substabelecido,
prometle haver por valioso e firme e para sua pes-
soa reserva toda nova cilacao.
Assim o disse de que dou fe, me pedio este ins-
trumento que elle aceilou < assignou com as teste-
munhas abaixo pirante mu, Antonio Joaquim de ;
Ca.anhade Jnior em publico e raso.-Em testemu-1 Babia. Maranhio.
rriio de verdade.Antonio Joaquim de Catanha- Rio de Janeiro. Para,
de.Jos Bernardo de Figueiredo.Jos Vicenle ; Qualquer somma a prazo ou visia.podcndologo
do t0U7.a.-Joaquim Marques Moura. os saques prazo serem descontados no memo
.\ada mais se continha em dita procuracao bas- Banco a razao de 4 por cento ao anno : a tratar
tante aqu fielmente transcripta, exlrahida do pro- na rua da Cruz n. "
prio original ao qual me reporto.
Becife, 19 de juuho de 1804.Frz escrever e
assignei.
Em fe de verdade.
Florinno Correa de Brillo.
i di
m
i
\m
1
m
d'Aze-
mei s.
Pena fiel.
Tavira.
Villa do Conde.
Villa Beal de Vixeu.
S. Antonio. Faial.
NO IMPERIO.
Babia.
Bio de Janeiro.
Angra Tercena.
Caminha.
Castello Branco.
Chives.
Coimbra.
Co vil lila.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Piuhal.
l'orio-alegre.
Thoniar.
Villa Nova
Porlimao.
do
Figueira.
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Lamega.
I.ciria.
Monea o.
Moncorva.
Begoa.
Setubal.
Via una do
tello.
Villa Beal.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
A ttenco.
Precisa-sc de um escravo para servico interno
e externo, paga-se bem : na rua do Queimado n.
29, luja.________________________________
Os abaixo assignadosdeclaram que Luiz Fer-
nandes de Torres Marinho deixou de ser seu cai-
xeiro de cobrangas. Becife, 19 de julho de 1864.
Silva Antunes o\ Irmao.
;iatf
Compnuliia fldelidd^de
segnros martimos e ter-
restres estabeleelda no
Rio de Janeiro.
AGENTES KM PBPHAMBCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & .,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidehda-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio rua da
Cruz n .1.
BOTIC l E DROGARA
n. 34.
Madama Verdini
perio.
retira-se para fora do im-
A fabrica de calcado sita na ribeira de S.
Jos n. 23, precisa de ama pessoa que saiba coser
em machina de costura, que se lhe pagar 25000
por dia.
BARTHOLOMEU & C.
Rua Larga do Rosario
Vende:
Ventosas de gomma elstica.
| Esmaltes para ourives.
Fundas iaglezas.
Vidros de bocea larga com rolha.
Tinta branca em massa para pintura fina a 200 rs.
ama para cozinhar e com- a libra. ____________
Domingos Rodrigues de Andrade faz scienie
que o Sr. Manoel Joaquim Baptista Jnior deixou
de ser seu caixeiro desta data em diante. Becife
20 de julho de 1864. ____________
Precisa-se de una criada livre ou escrava,
que saiba cozinhar e engommar : na rua das Cru
zes n. 42, primeiro andar.
OITerece-se urna
prar: a tratar no becco Largo n. 21.
Precisase de urna criada livre
ou escrava
OITerece-se urna mulher de meia idade que que sai ha cezinhar e comprar : na roa de Santo
sabe cozinhar, para casa de pouca familia ou ho- Amaro (Mundo Novo), sobrado onde morou o Sr,
Consultor Forense
Acaba de sabir luz na livraria do editor B. L.
Garnier, rua do Ouvidor n. 09, o
CONSULTOR GERAL DO FOBO
Pelo Dr. Carlos Antonio Cordeiro.
4 grossos volumes em 4", bem encadernados,
:i0O0O.
Acaba de complelar-se esta importante obra do
muito distincto e eonheoido jurisconsulto o Dr.
Cailos Antonio Cordeiro, honrada com pareceres
laudatorios dos Srs. conselheiros senadores Ange-
MunizdaSilv-, Ferraz, Bernardo de Souza Fran-
co, Euzebio de Queiroz outinho Matloso Cmara
e Jos Tliomaz Nabuco de A mujo.
Compoe-se esta obra eminentemente pratica e
ao alcance mesmo das pessoas inleiramento ex-
tranhas ao foro, dos consultores civil, criminal,
commercial e orphanologicu e forma urna o/io-
theca completa indispensavel ulo s a todas as
pessoas do foro mas tambem a lodos aquelles que
quurem intentar 0u liverom causa dependente de
qualquer juizo.
Veade-se separadamente cada urna das parles
seguintes a 85000 :
Consultor Civil acerca de ludas as acjoes se- HB;t
guidas no foro civil, segunde o systema adoptado ''
por Correa Telles no seu Manual do Processo Ci- i
vil, com as suppressoes, alteracoes e accresemos
exigidos pela legislaclo, estvtos e pratica do foro '
brasileiro.
CossiLTOR CmwAL ou formulario de todas as I
acedes seguidas no foro criminal, precedido das
dispesfees concernentes organisacao judiciaria
e ahribuicOes das autoridades policiaes e crimi-
naes.
CuMaiLTO ComEBCiAL ou formulario de todas
as accoe cotnmerciaes, segundo o regulamento de
25 de novembro de 1850, contendo os modelos de
todas as petiedes, despachos, termos, autos, alie-
Joao da Silva Ramos, medito pela l'ni
versidade de Coimbra. da consultas em
sua casa das 9 s li horas da manha, e
das las o da tarde. Visita os doentes
tai suas casas regularmente as horas
para iss<5 designadas, -alvo os casos ur-
gentes, que serlo soccorridos em qual-
quer occasiao. D consullas aos pobres
que o procuraren! no hospital Pedro II,
aoude encontrado diariamente das
s 8 horas da manha.
Tem sua casa de saiide regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodes apropriados e nella pra-
tica qualquer opemcao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3.S000diarios.
Segunda dita.... 25500 >
Tercoira dita.... 25000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons serviros que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
! DENTISTA DE PARS
19Rua Xova-19
Fredorico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaos, tudo com superio-
ridad.' e perfeiclo, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos dentiflcio.
De ordem da mesa regedora da irmandade
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na rua do Impe-
rador ii. 17,2 andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do diac da Boile
para o ozercicio de sua prolissae de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia at i hora- da larde, devem sor
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estado das
molestias do interior, prosegue, com o
J&l maior afflnco, no das mais dilliceis e deli-
^S cadas opi-racoes. como sejiin dos ergios 5
$j ourinanos, dos olhos, panos, (ic. S
Aloga-se o quartn andar do sobrado da rua
Nova n. ID : a Iratar na rua da Cadeia n. 62, se-
gando andar.
Aluga-se o terceiro andar do sobrado da rua
. do Amorim n. :7 : a tratar ha rua da Cadeia n.
(2, segundo andar.
Aluga-se a lo a da casa n. 40 da rua das Trin-
cheiras : na rua da Aurora n. !}(#.
Precisa-se alugar urna preta que saiba cozi-
nhar e engommar : quem a livor, dirija-se rua
do Trapiche n. 4. que achara com quem Iratar.
Alnea-so o terceiro andar da casa n. 48 na
rua do Trapiche : a iratar no armazem da mesma
XAROPE VEGETAL
DE
PE\EDO
Podendo d ora em diante suscitar alguma des-
ronflanca a legitimidade desla preparadlo, em con-
sequencia do fallecimenlo do son aulor, o Sr. raa-
jor Joao Augusto Penedo, anleci|io-me a prevenir
que por escriptura publica entre o autor e os Srs.
Souza Pinto i Irmao, do Rio de Janeiro, para com-
pra e venda do referido xarope vegetal de Penedo
se acha declarado que em caso de morle do ;.nt.>r.'
o nico herdeiro do segredo da composieiio, s.-ra
seu lillio Joao Augusto Penedo. Effeci'amento,
sendo eu boje o nico herdeiro desse segredo, co-
mo posso comprovar, se preciso for, com documen-
tos authenticos quecxi>(eiu em meu poder, partici-
po por isso a quem convier, que continuar o mes-
mo xarope a sor fabricado sem altencao alguma
em seus com|ionenles o forma pharmamiiica ; as-
sim como sem ali;una mudanra nos rtulos, en-
voltorios, ele. continuando a ser meu nico cor-
respondente no Bio do Janeiro, o Sr. Custodio de
Souza Pinto, na rua de S. Pedro n. 26.
Bio Grande do Sul lo de junho de 1864.
O pharmarentco,
________________Joao Augusto Penedo.
lira mina tica in^lcza e portHgueza.
D. Applelon & C. livreiros.editores e importado-
res em New-York, Estados Unidos da America,
acabara de publicar um novo melhodo para os n-
glezes aprenderem a lingua portugueza |>or F.
Granert, 1 vol. 12 roo.
Este livro, o nielher al hoje publicado ex-
pressamente impresso para rapprir a immensa fal-
la que ha de una grammatica ingleza e portu-
gueza, para aquelles que fallara o inglez e que de-
sejam aprender a lingua portugueza.
D. Appleton & C. sao os editores das obras em
hespanhol para educaelo mnitissimo usadas uo
sul da America. Tambora publicara os melhores
albuns para carios de visita.
Revista do Instituto Ai-rheolu-
gico c Cieographieo Pcruaiu-
bncano.
Acham-se venda os :t primeiros nnmoros, na
livraria Econmica de Jos Nogueira de Souz,
junto ao arco de Santo Amonio, onJe se subscre-
ve para esta Revista :
Por anno.....55000
______Nmeros avulso 15500
Arrendase, vende-se, ou mesmo troca-se por
casas na praca um sitio na Varzea margem do
ameno Capibaribe, com duas grandes casas, com
7 quartos, 4 salas, 2 cozinhas e um sollo, tendo a
parte cocheira, estribara, e quartos para criados.
gaedes, embargos, sent'encas,' finalmente todos os da Gloriosa Senhora Santa Anna, da igreja da Ma- todo plantado de arvores de fructo, abacates, sapo-
termos dos processos, segiiMlo do processo das que- j 're_,ie Dos, sao convidados todos os nossos caros |s- fructa-pao, Iimao doce, limas de umbigo e da
bras, qur no juizo commercial, qur no juizo eri- irmaos a reunir-se no consistorio da mesma igreja
RELQGIOS,
Vende-se era casa de Johnslon Pater d
C rua do Vigario, n. 3, um bello sorti-
mento de relogios de ouro patente in-
glez, de um dos mais afamados fabricantes
de Liverpool, e tambem urna variedade de
bonitos trancellins para os mesmos
mera solteiro : no pateo do Carino n. 10.
AMA M LETE
Precisa-se de urna ama de leite que seja sadia e
sem filho. paga-se bem : r rua do Mondego n. 2,
defronte da padam do Safaiva.
Dr. Sabino.
Mociedade de seguros mutuos
de vida Instaliada pelo Banco
Untao na eldade do Porto.
Os agentes nesta cidade ,e provincia Antonio
f,uiz de Oliveira Azevede & C escriptorio na rua
4a Cruz do Becife n. 1, esto autorisados desde j
i tomar assignaturas e prestar todos os esclarec
montos que forera necessarios, as pessoas que de
sejarem concorrer para to til e benfica empre
as, egurando um futuro lisongeiro aos associade-
TLNTURARIA.
Tinge-se com perfeiclo para qualquer
cor, e o mais barato possivel: na rua do
Rangel n. 3ft. segundo andar.
subdito belga, vai para o
O Sr. Jo.o Francisco de Pontes com padaria
em Caruar tenha a bondade de dirigirse ao lar-
go de Pedro II n. 27, terceiro andar, a negocio que
lhe diz respeito.
Aluga-se um escravo para o servico di bo-
leeiro : quem quizer; dirija-se botica de Jos
precisar m m##m Mpaz para Mara Gameiro, das 10 s duas horas da tarde, que
tomar conta de ma casa de pouca famiUa, ainda ahi achara com quem tratar,
com pouco pagamento, dra-se travessa do Cal-
deirerro n. j%
Na roa ik Vttm % ti" takraa, lavase e
eDgaoma-se eoM tod *ftrteiclo.
"'......> ." "V' ^ .i...-----------
Aviso.
Precisa-se de 4 #:W>3 a joros sokre bypothe-
ca em um predio de Mito aaio* vater : a traiar
na rua Velha, casa 3u
Precisa-se de ua cnixeiro que tenha pratica
de taberna : a tratar na rua da Praia, armazem
n. 43.___________
Joao Varskuren,
Rio de Janeiro.
o
>_
a

3 H 5
V
o
B
ft*Sl
o a o
1 ftl
Id
i*f
9
3
O.
3
W m P S
o =j x ^
0>ft
V T
Hermenegildo Jos Tavares deixou bontem
20.do corrente de ser caixeiro cobrador dos Srs.
Andrade & Reg. _____________
bilhele a 4* parta da f loteria a ijeoefl
domingo 24 do corrente, pelas 10 1|2 horas da ma-
nha, para o fim de se eleger a nova mesa regedo-
ra, que tem do funecionar no futuro anno de 1864
1865. Recife, 20 de julho de 1804.
O escrivao,
Manoel de Souza C. Simiies Juntar.
minak
Cokhultoa OnwrANOLOfico ou formulario 4C to-
das w aeces seguidas no juizo dos orphios, pre-
eedrde nelre ftgnratn, e enriquecido com diversas regras e
precitos, laudeuies ao mesmo juizo de orphaos, e
ben assim. ao da provtdoria, .com a leaislacao res-
pectiva.
Na mesma livraria se contra a seguinte obra
do MUMM autor Manoel Jos do Nascimento e Silva, qne ou-
Precisa-se de urna ama de le te:
perial, sobrado n. 87.
na rua
TS-
rentes arligos, calculadas
e as diversas qualidades dos criminosos;
em 4., cneadernado, 4J000.
Vende-se na livraria econmica ao p do arooMe
Santo Antonio.
segunda os seus graos ; 0j ^ns devedores, que no praso de 30 das do pre-
1 volume | seBle annuncio dirijam-se ao referido seu procura-
dor e li.piidem suas contas cem o annunciante,
porque se no Um do dito praso o nao tiverem feito
serlo notificados nos termos da le para ver ni in-
lerromper prescripcao em seas dbitos. Recife 11
de julho de 1864.Com procuracao,
Joaquim Francisco da Silva Jnior
Ainda est por alunarse a boa casa ter-
rea n J9, rua da-Unio : na rua da Au-
rora casa n. 10, dirse-ha quem alaga.
Persia, larangeiras de umbigo, soletas, tangerinas,
etc., um grande cafesal com fruclas, jaqueiras,
mangueiras, coqueiros, dendezeira1:, cora mais no
fundo urna casa de taipa, e bem assim mais 4 ca-
sas de lijlo acabadas de pouco tempo, com frente
para o nascente, muilo frescas, tendo cada urna 2
salas, 2 quartos e cozinha tra : os pretendemos
dirijam-se rua do Queimado n. 27, loja de fazen-
eas dos Srs. Custodio & Carvalfto.
Miguel Jos Barbosa Guimaraes socio prin-
cipal da firma de Guimaraes A Lima, faz sciente
a todos os devedores a esta firma que tendo talle-
cido o socio Jos de Almeida Nunes Lima, est
procedendo a liquidarlo da mesma e por isso pe-
de a todos os devedores o especial favor de mau-
darem saldar seas debitas o mais breve possivel.
Recife, 9 de julho de 1864.
ATTENQAO.
O Sr. correspondente ou encarregado nesta pra-
ca de Joaquim LeopoWino de Araujo Chaves, com- ?' mandante superior de Thanhua, no Jnhamaos. que ,98 ^"1'' Ammo Generos0 Bandei'
tem ordem deste senhor para entregar aqui 500* ra, de Pedras de fogo.______________________
a Domingos Jos Perreira Guimaraes, queira aj>-1 Precisa-se de um reverendo para coadjutor
parecer na roa do Qneimado n. 37, loja de ferra- do Acarae, no Cear, livre de suas mlssas, pode-
Ifens, ou annunciar sua morada para ser procu- r gannar 1:0005 ; a traiar no pateo do Carino n,
rado. 17, segundo andar.
- Aluga-se um sitio na estrada da Ponte de
iv.ioa e a margem do rio, pouco adiante do Illm.
Sr. commendador Nery Perreira, tendo banheiro,
palaoque, galinheiro e outras acommodacSos; e
outro dito no Monteiro, em frente ao orlo da igre-
ja : a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Sou-
za, rua do Crespo n. 15, ou estreita do Rosario nu-
mero 32.________________^_^_
Na fabrica de sabio na rua do Rangel n. 34,
precisa-se alugar ura ou dous moloques para o ser- j
vico da mesma.____________________
Precisa-se de um cozinheiro ou cozinheira : |'
na rua do Imperador n. 27, defronte da ordem ter-1
cetra de S. Francisco. 11
baques sobre Portugal.
O abaixo assignado, autorisado pelo
Banco Mercantil Frmense, e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca of-
fectivamenle por todos os paquetes sobre
as praeas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer semma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que tomarem
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na
ioja de chapos da rua do Crespo n. 6, ou
na rua do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
Antonio Jos Cordeiro
Siines
Agente de leiles
Rua da Cadgu do Rst.ivk n. 48, MWMBino
ANDAR.
m
Aluga-se nina preta para vender pao-de-l,
bolos, ou oulra qualquer eousa, de 1 s 7 horas da
tarde : quem precisar, dirija-se osta typogra-
phia que aehar com quem tratar.
1. f
Cozinheiro
A pessoa que precisar de um cozinheiro de todo
servico, dirija-se Ponte Velha n. 37, na boa-Vis-
ta, que achara cot) quem tratar.
'
"m-


fciar't- z reie-Kibucr Sexta letra 28 de mUio de 184.
RA DO QUEIMADO NUMERO 11
Loja de fazendas d Augusto Frederico dos Santos Porto
Chapeos para senhoras.
Chegaram de Pars as mais lindas chapelinas e chapeos de palha da Italia para senhoras.
Ricas capas e soutembarques de seda preta, e casemira de cor para senhoras.
Cortes de superior morentique branco para vestidos de noivas. "
Camisas inglezas muito. superiores para homens, peitos, punhos e colarinhos de mno.
Chapeos de seda para eabeca e chapeos de sol de seda inglezes.
Lencos de labyrinlho francezes a 15 cada uro. *
Camisas de menino muito superiores.
Cortes de la de barra para vestidos de senhoras de 13$ a 18*.
A mesraa loja tem o maior e rnais superior sortimento de
Esteiras para salas.
Neste cstabelecimento encontrarao os senhores que precisaren forrar suas salas com esteiras
otda e qualquer quantidade que desejarem de 4, o e 6 palmos de largura, sendo a quahdade muijo
superior e por mdico prego.
AMA
Precisa-se de urna ama |ara comprar, cozinhar
e engommar para duas pessoas: na ra do Livra-
mento n. 22, segundo andar.
COMPRAS.
Comprase
cobre e latao : no armazem da bola amarella no
oitao da secretaria de polica.
ROUPA FEITA

NO
ABHAZESI
DE
UBTREXKO VERDE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambern se manda fazer por medida, vontade dos concer-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja de billietes dapracada Inde do n. 8, um grande soriimeato de bonecas de di
Motos enfeltes para senhora.
A agoia-branca acaba de receber um bello e va-
riado sortimento de enfeites de diversas qualidades,
e o que de mais moderno c possivel enrontrir-se
aqu, fazendo-se notaveis por snas novidade e ele-
gancia un?, cuja grade de um lino e delicado le-
udo a que apropriadamente se chama invisivel.
Assim, vista desse completo sortimento, qualquer
cidadao munido de dinheiro est habilitado a com-
pra-Ios : na ra do Qucimado, loja d'agnia-branca
n.8.
Bonitas bonecas.
Cwu rosto de cera, massa e porcellana.
Acha-se na loja d'agnia-branca ra do Queima-
pendencia o. 22.
Comprase cobre velho
mero 78.
na ra doBrum nu-
Romlae urna porta.
Comprase para urna porta de urna casa terrea :
na ra Nova, escriptorio dos Srs. Quinteiro &
Agr.__________________________________
Compra-se urna mulatinha ou negrinha com
idade de 11 14 annos : na ra Direita n. 113.
versos tamanho, com rosto de cera, massa e por-
cellana os prebndenles munidos de dinheiro
acbaro boa disposigo para os vender.
Ilotes de cornalina
e outrs qualidades para coletes
A Aguia branca acaba de receber um novo e
Attenco
O dono da loja do Beija-flor, na ra do Queimado
n. 63,_acaba de abrir um oulro espagoso estabele-
cimento de miudeas na mesma ra n. 69, por isso
avisa aos seus freguezes e amigos, que nestes dous
estabelecimentos encontrarao sempre grande sorti-
ruenlo de raiudezas, perfumaras e objectos de ges-
tos; e vender sempre mais barato que oulro qual-
quer, como abaixo se ver.
IVnles douradosde Iravessa.
Delicados pentes dourados de travessa para me-
ninas a 15300 cada um, ditos sem ser dourados a
500 rs. cada um : as lujas do Bcija-flor, ra do
Queimado os. 63 e 69.
Vollinlias de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruzes de pe- peratriz o. 56.
Ukaa "--*'- *? I iJII 1 .ndn nni'i TflC .. .
GRANDE
sortimento de fazendas novas bara-
lissimasna luja c arraazein de fa-
zendas baratas na roa da 'mperatriz
n. 56, loja da Arar, de Lourenco
Fereira M^des Goimares.
Coi tes de chita a 2;>OU.
Vende se cortes de chitas para vestidos a 25(00,
ditas de dita franceza com 10 covados a 35200,
cortes de cassa francezes a 25 e 25500 : na ra
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Acara vende a 160 rs.
Vende-se fil de linho de cores a 160 rs. o co-
vado, dito brancopara forro a 320 rs. a vara, tar-
latana de core3 a 640 rs. a vara, lengo? brancos a
200 e 240 cada um : na loja da Arara ra da Im-
drinhas imitando a brilhantes a 15 cada urna : as
variado"sortimento daquelles apreciados botes de 'ojas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
cornalina brancos c encarnados, chatos e redon-
dos para coletes, cujas aboluaduras conlinuam a
ser vendidas pelo commodo e inalteravel prego de
25 cada urna.
Alm desses recebeu tambem outros de madre-
Compra-se urna negra de bonita figura e sem
vicios, que saiba cozinhar e engommar bem : na perola, massa e osso, com difieren!es moldes para
ra de Apollo n. 28.
Compra-se um carro americano, novo oucom
ponco uso : na ra do Crespo n. 19, loja._______
Compra-se urna casa terrea que seu valor
nao exceda a 1:400-5 : na ra de lionas n. 24,
primeiro andar._________________________^^_^
tielogio
quem tiver e quizer vender um relogio de ouro
bom regulador dirija-se ra do Lvramento n.
15, qne se dir quera quer.
Casacas de panno preto, 350 e
Sobrecasacas idem, 30)5 e .
Paletos idem e de cores, 25(5,
200, 45,5 e......
Ditos de casemira, 20)9, 150,
120, 400 e......
Ditos de alpaca, 50, 40 e .
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50, 40e......
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. .
Ditos branco de linho, 60,50 e
Ditos de merH preto de cor-
do, 400, 70 e.....
Caigas de casemira preta, 120,
100, 80 e......
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 50OOOe.....
3 Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo preto e de
cores, 90.e......
Ditos de casemira preta, 50 e
Ditos de ditas de cores 50
40 e
300000
250000
400000
70000
30500
30500
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos e seda branco,
60 e.......
Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, 60, 50 e
Colletes de fustao e brim bran-
co, 30500,30 e .
Seroulas de brim de linho,
20400 e ......
I Ditas de algodo, 10600 e. .
30000; Camisas de peitos de linho,
40OOO 40, 30e......
Ditas de madapolao, 20500,
50000 i 20 e........
Chapeos de massa, pretos fran-
70000 cezes, 100, 90 e. .
70000, Ditos de fltro, 50, 40,30500 e
; Ditos de sol, de seda, 120,
40OOO; 410, 70 e......
Collarinhos de linho fino, ulti-
40000 mamodaduzia. .
Sortimento completo de grava-
20500' tas.
20500 Toalhas para rosto, duzia, 110,
je........
70000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
40000 tos e de cores.....
Lences de bramante de linho.
30500 Cobertas de chita chineza.. .
s''
50000)
50OOOS
40000?
20500
20000
10400
20500
40600
80500
20000
60600
60000
0
YENDAS.
Vendem-se
los bausinhos robertos de couro e com 6 frasqui-
nhos de extractos por 15500 cada um, e outros
cobertor de papelo com 9 frasquinhos por 25000
um; caixinhas com 6 frasquinhos de ditos por
15000 urna, ontras com 12 ditos por 25000 urna,
oulras com 3 ditos, cuja eoberta parece tartaruga,
a 15500 cada urna, e oulras com pastilhas de chei-
ro a 500,15000 25000.
Envelopes bordados e carles com be i -
as Reme des Deux Mondes de 15 de marco, Io de j ras (luuTiUlas,
abril, Io' e 15 de maio, 1 de junho, 15 de agosto,' jfa loja da aguia branca, ra do Queimado n. 8,
lo de outubro, 15 de novembro, I. e 15 de de- achavam-se venda bonitos envolopes bordados e
zembro de 1863,1 c 15 de Janeiro, 1 e lo de fe- canses com beiras douradas, tendo de uns e de
vereiro de 1864, a 15200 cada volunte; A missuo outros, maiores e menores, proprios para partici-
especial do visconde de branles por 25; na ra paCoes de casamenlos, bailes ele.
do Crespo n. 4 loja.______________________ Completo sortimento de Utas
Vendem-se caixoes vatios a 1:760 finas, lisas e lavradas.
cada um : na ra das Cruzes n. 44. A aguia branca recebeu um grande e completo
-----r-a-------______.,-----..... j ... sortimento de lilas de diversas larguras e qnalida-
_ Veode-se nm armazem de sal, sort.do de tu- d lan,oli#as como lavradas, e em todas ellas co-
do tendente aomesm^ ^^^ por urna laber- h> saperiordade a'faienda, notando-se
na com poucos f^ondos c enha ,g, aes commodos ^ d nQv0S e'|jndos ^
para familia na ra D.reiia dos Afogados, B-M.BhM> l880tanto nasialsadas como as brancas,
se fd"_______________________________________ e pea commodidade dos procos o pretndeme que
Vende-se a importante obraPereira e Souza' se dirigir munido de dinheiro ra do Queimado
Apndice s primeiras lindas ou todas as leis |0ja da aguia branca n. 8, ser bem servido.
Linas de Jouvin
Chegaram pelo ultimo vapor as desejadas luvas
de Jouvin de todas as cores, tanto para homens
como para senhoras : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
fallieres para meninos.
Vendera-se talheres de cabo de balanco para me-
ninos a 280 rs. o talher : as lojas do Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
CoIIires de metal principe.
Vendem-se colheres de metal principe muito fi-
nas para sopa a 35600 e 45400 a duzia, dilas para
Na rna do Queimado n. 8 loja d'Agua-Branca, os cha a 25 1VW1 uVM g^*
freguezes munidos de dinheiro encontrarao, boni- 500 rs. cada urna, ditas para terrina a 25 cada
o mesmo fim.
J se v, pois, que o pretndeme manido do di.
nheiro achara sortimento vontade na ra do
Queimado loja d'Aguia branca n. 8.
li.U SIMIOS E QIXIXHAS
coni perfumarlas.
estravagantes etc. citadas nessa obra IV. Na l
vraria econmica, junto ao arco de Santo Antonio,
n. 2, ra do Crespo.
Vende-se a taberna n. 149 na ra Imperial,
bastante afreguezada ( nao tem fundos), e o motivo
se dir : a tratar na mesma.
ttcnco
CONSULTORIO MEbICO-CIRURGICO
DO
Vende-se o engenho Soccorro, na fregnezia de
. I Sanio Amaro de Ja boalar, silo margem da estra-
60000 C* da da Victoria, distante 6.800 bragas da cidade do
$! Recite, com boa casa de vivenJa, senzala e casas
ide moenda, caldeira, distilacao e estribarla, ludo
' de pedia e cal, em bom es lado, sendo o cercado o
mclhor que se conhece na freguezia, com trras
para safrejar 1,500 paos de assucar, e proporgues
para ser transformado em inoendade agua por"ser
banhado por detraz pelo famoso rio Jaboatao, e
pela frente pelo riacho Mocaiba. Tambem se ven-
dem alguns escravos, bois, animaes de roda, com
os mais ulensis proprios ao fabrico de assucar :
os pretendemos podero cntender-sc no engenho
1 com a viuva e herdeiros.
40000
30000
20500
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
llI^niCO, PARTEIRO E OPKADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consallas gratuitas aos pobres lodos os das das 7 s 1
Loras da manlia, e das 6 e meia s 8 horas da noile, excepc dos^ dias santificados
Pharmacia especial homeopatilica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sorlimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnarnisaces e pelos preces
Carteiras de 12 tubos grandes. 120000
de 24 tubos grandes. 180000
de 30 tubus grandes. 240000
seguales
de 48 tubos grandes,
de 60 tubos grandes.
300000
330000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fker, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo a valso ou frasco de tfutura de meia onca 10 00.
Sendo para cima de 12, custaro os precos cstabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
Carvao animal.
Farelio de Lisboa superior.
Cal virgem nova : na ra do Vigario n. 19,
primeiro andar.
Todos querem
t Do grande sortimenlo d>i laazinlia? nuii- t!S!l
jigij lo bonilinhas de lujas as qualidades, JM
aj gestos e precus -pginl.'s a 360. ioo e jg>
i3t 180 rs. o cuvado que se vundem <=$
[ % .ojl (lo barulcii'.
Farlulia de maudloea
, ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
Alves no seu escriploric, casa n. 19 da ra da
! Cruz.
Capachos inglezcs.
Na loja da aguia branca, ra do Quei mado n. 8
vendem-se bons capachos inglezes, os quaes alm
de bonitos sao de immensa duraco, pelo_ que se
tornam baratos pelos precos de 45, i>5, 65 e 75
cada um.
Cartas francezas.
A aguia branca, na ra do Queimado n. 8, rece-
beu um novo sorlimento de linas cartas francezas
com beiras douradas e brancas, e as est venden-
do baratamente a dinheiro vista.
SAPATOS DE IDRRACUA
a IgOOO, I05OO e 3$500 o par
na ra do Queimado loja d'Aguia-Branca n. 8.
latas com banha fina.
J por diversas vezes a aguia branca tem rece-
bido dessa banha fina em latas, e tal tem sido a
prompta e rpida extraceao della, que nao tem da-
do lugar a aguia branca avisar a ua boa fregue-
zia, pelo que lalvez a maior parte della s agora
sabara da vinda dessa boa banha. Ella vem em
latas de 1|2 e 1 libra, e contina a ser vendida pe-
los baralissimos presos de 25 e 35000. Apar da
superinridade da qalidade della esto os agrada-
veis e finos cheiros de rosa, jasmim, laranja, bou-
qnet, e flor de Italia. A boa freguezia assim scien-
tee dirigir-se corn dinheiro ra do Queimado,
loja d'aguia branca n. 8. .
Banha fina em copos de por-
celana dourada com ins-
cripcoes.
j bem contienda pela boa freguezia d'aguia
branca a superioridade da banha que vem nos co-
pos de porcelana dourada com maviosas e jocose-
rias inscripcoes, as quaes agora vieram de novo
gosto, pelo que essa fina banha pode anda ser
mais ronhecida por aquellos que quizerem fazer
um bom prsenle, com lano que comparecain mu-
nidos de dinheiro na ra do Queimado, loja d'aguia
qranca n. 8.
Vende-se alpaca preta a oOO rs. o eovado.
Vende-se alpaca pela para vestidos a 500, 600,
700 e 800 rs., fina de cordo a 800 rs. para pale-
lot, princeza preta a 800 e 640 o eovado, bombazi-
na preta fina a I5'i00 o eovado, laazinhas preta
para senhora que eslao de luto a 720 o eovado :
na ra da Imperatriz n. 56. A loja est aberta at
s 9 horas da noite.
urna, e s quem vende por estes precos as lojas
do Beija-flor, ra do Queimado us. 03 e 69.
Facas e yarfos.
Vendem-se facas e garfos oilavados a 25800 a
duzia, ditas cravadas, rabo preto e branco a 35 a
duzia, ditas de balanco de 1 bolo linas a 55200
ditas de 2 botos muito finas a 65500 a duzia, ditas
de 1 bolo para deces e fructas a 55 a duzia, ditas
de 2 botoes a 55200 a duzia : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas, a peca a 15100, 15200
e 15300 : as lojas do Beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Babados bordados.
Vendem-se babados bordados do varias larguras
a peca a-15600, 15800, 25, 25200 e 25400 : as
lejas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Lindos sapatinhos.
Vendem-se lindos sapaiinhos para baplisados de
enancas a 15500 e 25 o par : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 c 9.
liotes para punhos.
Vendem-se botoezinhos demadreperolaedemar-
fim para punhos a 320 rs. o par, ditos encarnad!-
nhos a 120 rs. o par : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas para debrum de vestidos.
Vendem-se fitas de la de todas as cores para
debrum de vestido a 900 rs. a pega, dilas pretas
de seda a 15100 a peca : as lojas do Beija-flor,
ru& do Queimado ns. 3 e 69.
Filas brancas para debrum.
Vendem-se pecas de fila branca de linho para
debrum a 400 rs.' a pec.a : as lojas do Beija-flor
na ra do Queimado ns. 63 e 69.
Ilicas lilas lavradas.
Vcndom-se muito ricas fitas lavradas para sinto
de senhora e meninas : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Espedios de Jacaranda.
Vendem-se espelhos de columnas, de Jacaranda,
a 35 e 45500 cada um, dilos de madeira amarella
a 25400 e 25800 : as lojas do Beija-flor, na ra
do Queimado ns. 63 e 69.
litas de velludo estrellas.
Vendem-se Qtinhas estrenas de .velludo para en-
feite de vestido a 900, 15 e 15200 a pega: as lo-
jas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Trancas de la para bordar.
Vendem-se trancinhas de laa pretas para bor-
dar camisinbas e vestidos a 80 e 160 rs. a peeinha,
ditas brancas com 40 varas a 600 rs. a peca, e ou
iras rnuilas cousas que seiornaio enfadonlio men-
ciona-las, pois s com a vista se poder vero gran-
de sorlimento das lojas do Beija-flor, na ra do
Queimado n=. 03 e 69. _____________
[Tm Iteseobrimcnlo Espantoso!
do Crespo n 7.
A mellior obra da homeopalhia, o Manual de Medicina Homeopatliico do Dr. Jahr,
dons grandes votantes com diccionark............. 205000 .U>ja (fe faZenaS Ca Vita
Medicina domestica do Dr. Hering,........... 105000;
Repertorio do L)r. Mello Moraes............. 6#000
Diccionario de termos de medicina ........... 3000 Miguel Jos Barbosa Gnimataes, ocio prmei-
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-1 fS^SSSSUi ftaldar^ffi as
to de serem novamente recommendados aspessoas que quizerem usar de remedios ver- fazendas exisler)tes m seu estabelecimento por
dadeiros, enrgicos e duradores : ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver- ter fallecido o seu socio Jos de Aimeida Nones
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservacio, tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparacjio, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operacao, para o que o annunciante julga-se sufficientemente habilitado.
O tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que pdera ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 25000 por da durante 60 dias e d'ahi em diante 15500.
As operacoes sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuraa pedir o annunciante.
Lima, que consta de um grande sortimento de fa
zendas finas, como sejam ricos vestidos de seda
com algum loque de mofo, capas de velludo preto
muito finas c oulras militas fazendas que tudo
vende por baralissimo preco. ___________^_^
AVISO AOS SRS. MDICOS.
Cura ealarrhos, tosse
coqueluches, irritafei
nervosas sos dos bron-
chios e todas as doen-
1 cas do peito; basta &
doente urna colhe rehiles deste xarope D' FoiBR.
Dr. CHBLE, em Parir, raa viieaae, .
Pars, 36,Ra Vivienne, D*
Sirop du
mam
CHABLE MDECIN
DE
DE
J. VIGNES.
W. 55. RA IMPERADOR N. &&.
Os pianos desta antiga fabrica sao boje assaz conhecidos para qne seja necessario insistir sobre o
sua superioridade, vantagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesU-
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta pra^a ; pos-
sniuuo um teclado e machinismo que obedecer a todas as vontades e caprichos das pianistas, sem-1
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-sc feito ltimamente melhoramentos importa- j
tissimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-!
veis aos ouvidos dos apreciadores. .' I
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, deParis, socio
correspondente de J. Vienes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expesicoes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
1,i,'--;is commodos e razoaveis.
DEPURATIF
dr, SAIVG
PLUS DE
COPAHU


99
AKMAZEH DE FAZENDAS
' DE
Custodio, Carvalho & Companhia.
IllIA DO QUjEIMJLDO



1
Superiores saias de faslo para senhoras a 5,5.
Toalhas de linho para mesa a 35500 e 4J>.
tencinhos para meninos um 100 rs.
Lencos brancos para algibeira a %f a duzia.
Toalhas para mao duzia U.
Bramante de linho vara 2.
Fil de lioho liso vara 300 rs.
Grande peehlncha.
Pecas de entremetes bordados a 15.
Tiras bordadas a pe$a 1i-
(olhnlias de cambraiaa 600 e 800 rs.




DASENFERHIDADAS DESSEXUAES, ASAFFEO
gQES CUTNEAS, E ALTERAgOESDO SAWGUE.
noooOcurasdajimpingen
Uululas. herpes, sarna
komixoes, acrtmonia.e o-
\lercoes, viciosas do san-
_jue; virus, e alteracoe*
do sangue. (Xarope vegetal sem mercurio). -
ratita ve(eteea BAIVHO MHF.R1KI
tomao-se dous por semana, seguiodo o traclamenlo
Depurativo .- embregado as mesmas molestia!.
Este Xarope Citracto dt
ferro de CHABLE. cara
inmediatamente qualquer
puraacao, relaxacao,
ttebitidade, t igual-
mente o flaxos e flores brancas das narberei.
Esta injeccao benigna emprega-ee com o Xarepe de
Citracto de Ferro.
Henurr.idu. Pomada qne as cura em tres dits.
POMADA ANTIHERPETICA
Contra: na* affeccoes cutneas t comixoes-
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
&> *>' Chuie, cada frasco vai aceompahado t
lolheto.
Vende-se na ra do Imperador botica
franceza n. 38.
Vende-se urna machina americana de costu-
ra, com muito pouco uso, e por proco barato : na
ra do Encantamento n. 11._____________________
Vendem-se dous escravos de meia Idade : na
ra de Santa Rita n. 27, segundo andar.
Vende-se a taberna da ra de Santa Rita n.
53 : a tratar na mesma.
uiulo Srientiieo un ni i mamen Ir o approra.
As laziubas da Arara a 320 rs. o eovado.
Vendem-sc laazinhas para vestidos a 280, 320,
400, 500 e 640 o eovado, ditas lisas proprias para
capas e vestidos de senhoras a 400 e 600 rs. o eo-
vado : na ra da Imiieratriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende as chitas para eoberla a 320 rs.
Vendera-se chitas para cobertas a 320, 360, 40O
e 500 rs. o eovado, dita encarnada adamascada a
500 rs. o eovado: na ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Cassa organdjs da Arara a 2 O rs.
Vendem-se cassas organdys para vestidos a 2407
280 e 320 rs. o eovado, riscado francez para ves-
tidos a 280 rs. o eovado, gurguro de linho para
vestidos a 280 rs. o eovado : na ra da Impera-
triz n. 56, loja da Arara.
As chitas da Arara a 240 rs. o eovado.
Vendem-se chitas para vestidos de cores fixas a
240e 280 o eovado, dilas francezas largas a 320,
360, 400, 440 e 300 rs. o eovado : na loja da Ara-
ra ra da Imperatriz n. 56.
Lencos de seda da Arara a 800 e t,>.
Vendem-se lencos de seda para algibeira de
homem a 800 e i&, lencos de cassa a 200 e. 240
rs. : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende os veos pretos e de cores a 1)5000.
Vendem-se veos pretos e de cores para chape-
linas de senhoras pelo preco de i& cada um, go-
linhas para senhoras a 240 e 320 rs., manguitos a
15, camisinbas para senhoras a 2,5, ditas Anas
com gravatinha e punhos bordados os mais mo-
dernos que tem vinclo a 45500 : na loja da Ara-
ra ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende os baldes a 2S00.
Vendem-se baldes de 20, 25, 30 e 3o arcos a
25500,35, 35500, 45, 45500, ditos de brilhantina
a 45 : na ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Cortes de la a Varia Piaa 8# e 185.
Vendem-se cortes de la a MariaPia a 85e 185,
pecas de cambraia lisa (loa a 35, 35500 e 45 na
ra da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Cortes de ganga a 1-3600
Vendem-se cortes de ganga franceza para calca
a I5<>00, dilas de casemira a 35, ditas finas a 55
e 55500 : na ra da Imperatriz n. 56.
Koupa feita da Arara.
Vendem-se paletots pretos de panno fino a 165.
145 e 15, ditos saceos de panno lino preto e azul
debruados de fila a 95 e 105, ditos de casemira a
65, 85 e 55, dilos de brim a 25500 e 3, ditos de
alpaca prela a 35 e 25500, camisas francezas bran-
cas a 25 e 25500, dilas de linho de pregas largas
a 25800 e 35, seroulas de algodo a 15600, dilas
de linho a 25, caigas de brim c gangas de cores a
25, ditas de brim pardo a 25500 c 35, dilas bran-
cas a 35500 : na ra da Imiieratriz 11. 5C loja da
Arara.
Colchas da Arara a i>
Vendem-se colchas de damasco para cama a
45, dilas de fustao a 55, dilas de chita a 25: na
ra da Imperatriz 11. 56, loja da Arara.
Vendem-se gangas para calcas e palelots.
Vendem-se gangas para palelots e caigas a 440
e 500 rs. o eovado, fustao para caiga a 500 rs. o
eovado : na rna da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Madapolao francez a i5.
Vendem-se pecas de madapolao enfeslado rom
12 jardas a 45 e' 45500, dita* de 24 jardas ns. RG
a 7 j, ditas n. 60 a 65500, dito moca a 75500, dita
n. 40 a 85, dita n. 50 a 85500, dilan. 7 a 105, di-
ta SS (15, dila XX 85500. algodo muito encornado
a 55500 e 65, dito carne de vacca a "5 : na ra
da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Brinde linho a I#280,
Vende-so brim de lindo para calca a 15280
15400, 15800 e 15G00 a vara, brim liso para se-
roulas e lenges a 500, 560 e 610 a vara, braman-
te de linho a 25200 a vara lem 10 palmos de lar-
gura, brelanha de linho a 640 e 800 rs. a vara,
Brim pardo a 800, 640 e 15 a vara : na ra da Im-
peratriz n. 56 loja e armazeni da Arara, a loja os-
la aberta al s ioras;da noile.
No armazcm de fazendus lmalas de
Sanios Coelho, roa do Queimado, n.
i9, vende-se o seguate*
Attcncao.
Lazlnhas.
Ricas laazinhas para vestido, fazenda a melhor
que tem vindo ao mercado, tanto em goslo como
em qalidade da fazenda, pelo baratsimo preco
de 560 rs. o eovado.
Laazinhas miudinhas carmezins, proprias para
vestidos de meninas, e camisinhas a 640 o eovado.
Cortes de la com 15 covados pelo baratsimo
prego de 65-
Cobertas de chita da India pelo baralissimo prego
de 255OO.
Lengoes de panno de linho a 25-
Lengoes de bramante de linhe fino pelo baratissimo
prego de 35200.
Bramante de linho fino com 10 palmos de largura
pelo baratissimo preco de 25500 a vara.
Atoalhado adamascado proprio para toalhademesa
a 25000 a vara.
Cambraia de forro a 25600 e 35200.
Guardanapos adamascados a 35800 a duzia.
Toalhas alcochoadas proprias para mos a 55 a
duzia.
Cortes de caiga de ganga amarella de lislras e
de|quadros, pelo baratissimo prego de 15200 o
arte.
Cambraia adamascada com 20 varas, propna
para cortinado, pelo baratissimo prego de OJOOO
a pega. .
Ricos cortes de la Maria Pia pelo baratissimo
prego de 185.
Pegas de cambraia de salpicos com 8 1|2 varas
A C Pettoral de Kcnp.
Por es-paco du muito tempo se ha uzado c
tonsniu-iite cin Tanipico para a cura de
TSICA pulmonar,
CATARRHO, ASTHMA,
BEOKCHITE, TOSSE CONVULSA,
CRPO O GARROTILHO, e
Infiamma9oes da Garganta e do Pelto,
c isto com um resultado to feliz c verdadei-
ramente assombroso o pao 011 madeira d'mna
itrvorc que cliamo Ajjacaiuita, c que s
se encentra no Mxico.
A ComposiC/o Anacahuita Peito-
ral de Kemp um Xprope delicioso, intei-
ramente (ifferente na sua composicio de
todos os mais l'eitoraes c Expectorantes ma-
nufacturados de fructos astringentes, cascas
e raiz.es, &c, o mesmo nao contem nenhum
Acido Prussico ou outros quaesqner ingre-
dientes venenosos.
Todas as molestias e affeccoes da garganta
e dos pulniocs desapparecein como por um
marico encanto, mediante a acejao dcste in
comparavel e irresistivel remedio.
A venda as boticas de Caors & Barboza,
;p

EME
para




Vendem-se 450 caibros de 3o 40 palmos,
de multo boa qalidade, estando anda embarca-
dos : a tratar na ra do A ragon. 43.__________
Cal de Lisboa em pedra.
Chegada hontem.
Ha para vender : a tratar no largo do Corpo
Sanio n. 19, armazem.___________________^_^_
Xa raa de S. Rita a. i 5, ha para
vender relogios de algibeira de onro,
prala, folea o e domado de diversas
qualidades e autores.
pelo baratissimo prego de 45-
Pegas de platilha de algodo com 10 varas, pro-
pria para saia a 45200.
Esteiras da India, proprias para forro de sala,
de 4,5 e 6 palmos de largura, por menos prego do roa da Cruz, e Jo5o da C. Bravo *IL., rna
que em outra qualquer parte. ] da Madre de Dos.
Neste armazem tambem se encontrara um gran-
de sortimento de roupas feilas, e por medida.
AVISO
Na fabrica de sabo da ra do Rangel n. 34 ven-
de-se constantemente sabo massa, tanto em caixas
como a retamo a 200 e 220 rs. a libra.___________
algodo da Baha
para saceos de assucar o roupa de escravo; tem,
para vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & j =
C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1
O B
S^K^COO-s 5"<. so O O g 0
^ u S S u
<5 CS
O.1
C S =3
5- B aa
6 s _, e,
o o.2 j t m- r;
5 2,o -, I
p. B = ^ ^*^3
otra-
ce _.-, -.
ja o
V.
o
Q. CB
o 5 as tv ^
_q.S,oj a i; ZT.a
.1
a
Farinha de mandioca superior
em saceos grandes: vende Antonio Luiz de Oliyei
ra Azevedo k C, no seu escriptorio ra
numere 1. __________^^^____^_
Fumo imperial
Cortado igual ao francez muito proprio" para ca-
chimbo, em latas de I libra, quando nao seja me-
lhor igual ao americano por 15200 rs.* para veri-
ficar a verdade os Srs. fumantes podem-se dirigir
fabrica vapor de cigarros antiga ra dos Quar-
teis de Polica n. 21.____________ .- "
Sal da Assu'
Vende Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
no seu escriptorkurua da Cruz n 1.
Milho
Vendem-$e saceos grandes com milho a 35500 o
sacco : na ra da Madre de Dos n. 9.
Bichas hamburguezas.
Vendem-se bichas de primeira qalidade : na
ra Nova n. 61, defronte da Illma. cmara muni-
cipal;____________. _________________________
Fio de algodo da Babia em saceos de 100
libras.
Tem para vender Antonio Lniz de Oliveira Aze-
vedo & C, no seu escriptorio rna da Cruz n. 1.
Vende-se urna lberna na ra Imperial n.
139 com poucos fundos, propria para um princi-
piante : a tratar na mesma, ou na ra Direita dos
1 Afogados n. 32.
|
1
2
Salitre refinado, superior qalidade, vinho Bo
deaux, differentes qualidades, mais barato ri
qualquer parte : no armazem de E. A.
C., ra da Cruz n. 48.
i
illltU ILI rt I
rubalhar m
lescarova* algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
OLDAM
Estas machinas
podemdescaroear
qualquer especie
;de algodo sem
estragar o lio,
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pude
descarocar una
arroba de algo-
do em carneo
em 40 minlos,
ou 18 arrobas
por dia.ou o ar-
robas de algodo
limpo.
Esta machina
a nica que
possue as vantagens de nao destruir o fio do al-
godo e de fazer render o dobro de qualquer ou-
tra com menos trabalho, a sua introdcelo para
as provincias desie imperio ser de muito valor
para todos os interessados na lavoura 6o paiz.
Assim com machinas em ponto grande do mes-
mo systema.oraql serem movidas por animaes,
agua'ou vapor, pas uaes podem descarogar 18 ar-
robas de algodo ampo por dia.
O algodo descarogado por estas machinas lem
muito mais eslimago nos mercados de Europa e
i vende-se por maior f reg.
As machinas se achara venda unicamenie em
casa de
Saunders Brolhers &. C.
TV. II, praca do Corpo Kanto
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.


Diario de Pernambae Sexta lelra M de dfulho de 18*4.

Grande liquidado
de faieudas na leja do Pavo, ra da Imperada
60, de Gama & Silva.
4c0a-se este estabeleelmeoJo completamente sor-
tiddefazendas inglesas, fcaucezas, allemaes e
suissas, proprias tanto para apraea'como para o
mato, promettendo vender-se mais barato do que
em outra qualquer parte principalmente seudo em
porcio e de todas as fazenda*lao-se as amostras
deixando ficar penhor ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavao.
As editas do Pavao.
Vendem-se superiores chitas claras e escuras pe-
lo barato preco de 240 e 280 rs. sendo tintas segu-
res ditas fraoezas fmas a 320, 340, 360, 400 e
500 rs., o covado, ditas pretas largas e estrenas,
riscados escocezes fmos a 240 rs. o covado, islo na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva-
As eassas do Pavao a 240, 2S0, 300 e 320 rs.
Vendem-se finissimas eassas persianas cores fl-
xas a 320 rs. o covado, ditas francezas muilo tinas
a 240 e 280 rs., ditos ingzezas a 240 e 280 rs. o
covado, nissimo organdv matisado cora desenhos
miudinhosa 320 rs. o covado, eassas garibaldinas
muito finas a 320 rs., isto na loja do Pavao ra da
Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva,
As laxinhas da exposicio do Pavio.
Vendem-se as mais modernas laaxinnas mossan-
bique chegadas pelo ultimo vapor francez sendo
de urna so cor ou de listas miudinhas com 4 pal.
mos de largura, proprias para vestido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baratsimo
preco de 580 rs. o covado, ditas enfestadas trans-
parentes de quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas matisadas muito fluas a 500 e 400 rs.,
ditos mais baratos do que chito tambera matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Maria Pa com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de urna s cor parda, azul, cor de lyno e
perola proprias para vestidos, sautembarques e
garibaldes a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
800 e 400 rt isto s na loja do Pavao, ra da im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os chales do Pavao.
Vendem-se linos chales de crepon estampados
ESPLENDIDO SORTIMENTO DE MOLHADOS
Y. 9 RITA IIO CRESPO X. 9
Esquina que volta para a rua do Imperador
PftlNGII
DE

(xo se engauem com a inltraj


O
SENTI&O!

VAI FALLAR
N. 38 Buado Livramento N. 38
(Defroate da grade da Igrcja)
ORAN1NE
AMIGOS!
Nao leiam este annuncio com precipitadlo.
Confrontem os precos dos outros annunciantes.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
A vista faz f.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao nos enculcamos o primeiro recebedor de conta propna.
Nao desacreditamos ao collega porque nao quiz ser nosso socio.
Val a quem toca. .
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia anda nao sao suffic.en-
tes as casas que actualmente oxistem abertas com grandes |proporcoes P^ lerem uro
magnific sorlimento demolliados; assim, pois, os propnetarios do Armazem Principal
oao invejam a sorte dos seus collegas.
Habitantes de Pernambuco.
Nos temos um acetente sortimento dos me Inores gneros que se podetetar
cm nosso mercado. Vinde ao nosso estabelecimento, e se a vossa boa fe tr illudida
urna s vez ao menos, castigai-nos nao voltando mais a nossa casa.
Amendoas confeitadas de bonitas cores a dem de Hollanda em garrames com 24
1 ooo rs a libra garrafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellentc legume para sopa e gu.-
Avellas a 2oo rs. a libra. zados a 2oors. a libra,
pelo.barate.precode:6, U, W,ditos.de;Pontaje- ^ fnmceza&mclixinhascom lindas Licores francezes de todas as quahdades a
estampas a l,2oo, l,4oo eI,6oo rs. cada 800 c \,000 rs. ^ garrafas grandes
uma l Manteiga ingleza perfcitamentc flor a 800 e
dem em frasco de vidro com rolha do mes- \ 96o rs. a libra.
mo ou de metal, a l,2oo e lioors. ca- dem franceza nova ja deste anno a Coo rs.
da um a libra, e 56o rs. em barns inteiros.
dem em'frasco grandes 2,5oo rs. cada um. 'Marmelada especial dos melhores fabricantes
O Vigilante est alerta, nao lhe era permettido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto afim de annnnciar ao respeitovel publico
o grande sorlimento de galana r i as do mellior gosto
propriamente para qualquer mimo, que acaba de
chegar neste ultimo paquele, assim como muitos
outros objectos que recebe por diversos navios,
tonto de sua conto como de consignacao, que est
VERDADEIRO E PBWCIPA1
Ordem do dia.
Est cm discussao a tabella dos procos que o BALIZA tem a honra de offere-
resolvido a vender por precos muito baratos para cer ao respeitave! publico tanto da cidade como do centro,
vender, mnito e ganbar poco, e dar extraerlo ao S(1 po,. (,s|a ptibliearaa qualquer um dos itnbrcs coltegos entender necessnim
grande deposito que tem, que espera merecer alt-unia altcraeo em seus aniiuncios, dipne-se mandar a sua emenda para o jornal-
proteccao do respeitave pub ico, empregando para ld/-er guia diui.i(,.io un m.i > diiuum-iu, uib< frmi a\anma a heneli-
sso todas e as melhores diligencias para que li- que o incansavel Baliza nao lite pora peas nem o embararaia de lorma alguma a oenea
Juein satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, rua ciar o povo.
o Crespo n. 7.
dunda a 7* e 8, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidrilno a 12,5, ditos pretos lisos a
hJ, ditos de cores a 500 e 55, ditos de merino
estampados a Z& e 34, ditos de la a 13280 e,
ditos de retroz preto para luto a 6$, isto na loja
do Pavao rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva. '
0 Pavao vende para luto.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de la sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, paletots, capas etc., pelo bara-
to preco de 2#, 2200, 25500 o covado, eassas
pretas lisas, chitos pretos largas e estrellas, chales
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
comgollinhas e outros muitos artigos que se ven-
den por precos razoaveis : na loja do Pavao a rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos do Parla
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
camente bordados a veludo pelo barato preco de
405, sendo fazenda que sempre se vendeu a 1005
e 1^05 ; ditos de cambraia brancos ricamente bor-
dados a croch, sendo proprios para baile e casa-
mento a 10, 15, 20 e 305; ditos de la com Jindas
barras a 18 e 155; iste na loja do Pavao rua
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Paria.
Vende-se panno preto muilo superior pelo barato
preco de 25, 25500,35 e 35O0, ditos muilo linos a
45, 35 e 65, cortes de casemira preto enfestada a
45, 45"O0 e 65, casemira preta fina de uma so
largura muito lina a 15800, 25, 25500 e 35, cor-
tes de casemira de cor a 55, 55500 c 05: easem-
ras enfestadas de uma s cor proprias para calca,
paletots, cohetes, capas para senhora, roopas para
meninos a 35 e 3*500 o covado, islo na loja to
Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de Gama cV oliva.
A ronpa do Pavao.
Vendem-se paletots de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muito boa a 125. ditos muito finos a
165, 20*. 255 e 30o, calcas de casemira [.reto boa
fazenda a 4*300,55, 65,'75 e 85, paletots sarcos
de panno preto a "5, ditos de casemira de cor a
65 e 73, ditos de alpaca preta, ditos de mermo
preto, ditos de brim decores, calas de casemira
de cor a 45, 55.65, 75, ditos de cajemira da
Escossia a 35, ditos de brim pardo a 33300, ililo:-
de cor a 25 e 25500, ditos brancos muito linos,
sto na loja do Pavao, rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Os coi-tinados do pavao.
Vendem-se ricos cortinados proprios para janel-
la e camas pelo barato preco de 05 o par, sendo o
melhor que bao mercado : na rua da Imperatriz
d. 60, de Gama & Silva.
As colillas do Pavo.
Vendem-se colchas de linho alcochoadas pro-
prias para cama pelo barato preco de 55 cada nma
na rua da Imperatriz n.CO, de Gama A; Silva
As recalas do Pavao.
Vendem-se as mais lindas [.recalas que ten viu-
do ao mercado chegadas polo ultimo vapor fran-
cez, pelo barato prec-o de 600 rs. o covado, ditas
de lislrinha muito miudiuhas proprias para vestaos
e roopas de meninos e meninas pelo birato preco
de 500 rs. ; s o Pavao rua da Imperatriz n. 00,
loja de Gama & Silva.
Os soiiteanbarqnes do Pavo
og c 15# s o Pavo.
Vendem-se os mais lindos souteanbarques que
tem vindo ltimamente de laazinha e caxemira ri-
camente bordados e enfeitados, cores muito delica-
das pelo barato prego de 105 e 155 ; J*">ni*t.
que em outras lojas se vendem por 203 c ->fi, e
s para liquidar : na loja e armazem do Pavao a
rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Sil.
As chitas do Pavo a 904OO c
2800 o corte.
Vendem-se corles de chia com dozccovados
cada corte, ditos com dez covados a 23tOO razen-
da muilo boa, e que nao desbota, s na loja do pa-
vo tem esto pechincha ; a rua da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Las de urna s cor.
Vendem-se lazinbas de uma s cor, sendo en-
carnada, azul, cinzenta, cor de caf, lino claro, li-
rio roxo cor de perola pelo baratissimo preco ae
640 o covado, fazenda mnito lina s o Pavao, a rua
da Imperatriz a 60 loja e armazem de Gama &
Silva. .
Panno de hubo.
Vende-se [.anno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences, toalhas e ceroulas pelo
barato preco de 640 rs. a vara, bramante de linho
cora 10 palmos de largura a 23500, algodaozmho
monstro com 8 palmos de largura a 15, pecas de
Sorgo com 20 varas a 95, 103 e.11*. pecas de
Sapolo fino a 73500, 83, 93 e 105, ditos de
a^godozinho a 65, 83500 e 73, e outras muitos
fazendas brancas que se vendem muito baratas
afim de apurar dinheiro : na loja do Pavao roa da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
O bramante do Pavo coni doze
palmos de largara.
Vende-sebramanle de linho puro, mnito fino com
o palmos de largura o melhor e mais largo. aue
tem vindo ao mercado pelo barato preco de S3800
S vara i s na loja do Pavo de Gama & Silva,
aua da Imperatriz n. 60. _.s
As precalas do Pavao.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
nelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas de l.s-
triuha muit miudinhas proprias para vestidos e
Sapa de meninos e meninas pelo barato preco
de 500 rs.: s e Pavao rua da Imperatriz n. 60,
loie de Gama & Silva.
Os bales do PavSo.
dem cm latas de 1 '/* e 3 libras a l,2oo e de Lisboa a Coo e 64o rs. a libra, lia latas
2 00 rs de differontes taannos.
Arroz da Iridia e Maranho o melhor que se Massa de tomate em latas de l libra 5Go rs.
p ie desojar a loo e i 2o rs. a libra e', cada uma. _n/:nu,
2 8oo c 3,4oo rs. a arroba. dem para soda estrcl.nha, pev.de ei rod.nha
em caixinlias sortidas a 3,ooo e 3,5oo rs.
Azeite doce de Lisboa a Coo rs. a garrafa,
e 4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a Ooo rs. cada uma, e io,ooo rs. a
caixa com 1 duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o a libra, e 4,Goo rs. a arroba.
Bolachinlias de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: aguae
sal doces, e imperiacs em latas de G li
vendem-se crinolinas ou bales de 30 arcos tan-
fileos como de cores, sendo americanos qqp
cao os melhores por se nao quebrarem.a 35o00 e
K arcos a 45, ditos de mussel.na com tobados
43 ditos para menina a 23 e 33: a loto do Pa-
vTra da Imperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
0 Pavo vende 8.
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos a
Mirfa Pto com lindas barpas de seda sendo ebe-
S neto ultimo vapor francez pelo barato prego
S?M Sto um : s na loto do Pavao rua da Impe-
ratriz n. '60, de Gama 4 Silva.
Os bales do Pavo.
A 2i550O s o Pavo:
brasa 3,ooo rs. e de 3 /j "bras a l,5oo
rs. eemlibraa 64ors., estas bolachinlias
torna-se muito recommendavel com cs-
pecialidade para os doentcs.
Biscoilos e Bolacliinlias de soda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bollos francezes em cartoes e de diversas
qualidades a 04o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Mtalas novas a 160rs. a libra.
Bolachinhas iuglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem vindo a nosso mercado a
l8,ooo rs. o gigo, l.ioo rs. a garrafa in-
teira, e 8oo rs. as mcias
Cha uxim o melhor que se pode desejar e
que nutro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
dem perola especial qnalidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garanlc-se a qualulade
d'este cha
dem hvsson o melhor que 6 possivel en-
contrar-so a 2.400 e 2,6no rs. a libra,
dem do Rio em latas do 2, 4, 6 e 8 libras
a 1,200 e It4oo rs. a libra.
dem preto muito fino a l.l'.oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol c suisso a l.ooo, 1,200 e 1,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Hur-
lado de Simas em a caixas das seguin-
tes marcas l'ariziences. Suspiros, Di fi-
ctas, NapoleeseGuanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada uma.
dem de outros muitos fabricantes e -de
differentes marcas para i,5oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a l,Goo, 2,ooo e
3,ooo rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco,
dem franceza a 5oo rs.
Cognac nglez das melhores marcas a l.ooo
rs. a garrafa e lo.ooo rs. a duzia.
dem francez suporior qnalidade 8oo rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l.ooors. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 32o rs. a li-
bra, e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervillias portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata,
dem seccas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a l,ooo rs. cada uma.
dem em latas crmilicamente lacradas a
l,5oo e2,5oors. cada uma,
dem em caixas de */ arroba a 2,5oo rs. ca-
da uma, e 2oo rs. a libra.
Graixa muilo nova a loo rs. a lata e l.ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 56o rs. o frasco,
dem de laranjaa l,ooo rs. os frascos gran-
des e il.ooo rs. a caixa com 12 frascos,
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. c
da uma.
dem em garrafes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com a garrafao.
cada uma e 5oo rs. a libra,
dem macan-no, talerim e aletria a 4oo rs.
a libra.
Mostarda franceza preparada cm frasco a 4oo
rs. cada um.
Molho nglez em garrafinhas com rolhas de
vidro 64o rs. cada uma.
Marrasquino verdadeiro de Zara a l,ooo rs.
a garrafa, lo,ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Prezunto de fiambre superior a Goo rs.
dem do Porto para pancha a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinhae
outros a l.ooo rs. a latas.
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs. a libra.
4oo' e 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2, loo rs. a groza, 2oo rs. a
du/ia, e2o rs. a caixinhas.
Queijos flamengos chegados neste ultimo va-
por, a
dem pralo muilo fresco a 800 e Ooo rs.
a libra.
dem suisso a melhor qnalidade que ale bo-
je tem viudo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 000 rs. ca-
da um.
Servcja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e 56o rs. a garrafa.
Sardiuha de Lisboa c Xanles em quartos e
meia latas a 38o *<8o rs. cada nma.
Sag mnito novo e alvo a 2o rs. a fibra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Scvadaa loo rs. a libra, e 2,800rs. a.arroba.
Traques de 1.a quadade a 8,000 rs. a cai-
xa, e22o rs. a caita.
Toucinho novo de Lisboa a 24o e 32o rs. a
libra.
Tijollo para lirapar facas a 15o rs. cada um.
Yinho cm pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
oo rs. a garrafa,
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas 4 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada,
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco nao levando com-
posico a 60 rs. a garrafa, e 4,ooo rs. a
caada,
dem branco de uva pura a 56o rs. a gar-
rafa, e 4,15oo rs. a cardada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
rs. a caada,
dem Bsrdeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,000
rs. a caixa.
dem muilo especial que raras vezes vero, ao
nosso mercado a l,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-sc que por este mesmo prego d pre-
juizo e s se encontra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguntes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu-
lar, malvasio fino, D. Pedro V, D. Luiz
I, Nctar e outros a 9,ooo e lo.ooo rs.
a caixa e Ooo a l.ooo rs. a garrafa,
dem Muscatel superior a 1,000 rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oo rs. a caada,
dem em garrafes com 5 garrafas a l,ooo
rs. com o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada uma
dem de escova para esfregar casa 36o rs.
cada uma. .
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composic5o a
36o rs. a fibra, e de lo.ooo a ll.ooo rs. a
arroba. ,

Ricas perta-joias.
Cofre de muito gosto por 165000
Cestinhas transparentes, forradas de madre-
perla por %EK2
Lindas jardineiras 105000
Ricos cofres com camapheu 105000
Lindas caixinhas com pedras brancas 105000
Lindo balao com calunga dentro tambem
para joias 165000
Tambalier para ditas ^^
Cestinhas dem idem 65000
Cosmorama idem idem G5000
Urnazinha 65000
S no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Picos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos sinlos
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e 155, ditos sern
bolea, porm do mesmo gosto, a 25300, 35, 35500
e 45, ricas flvelas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 :
s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Cabazes on cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 23300, 33500, 4, 5, 7 c 103 : s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sorlimento, tanto
para alisar como para atar cabello, o mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sem elle para meninas: s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Pentes
Tambem chegaram os riquissimos pentes de
concha de tartaruga c de'massa fina, que se vende
por 25, 3 e 55 : s no Vigilante, rua do Crespo
numero 7.
Leques.
Riquissimos leques de madreperola, lanto para
senhora como para mocinhas, pelo barato preco de ,
12 e 145 : s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Mais leques.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ba-
rato prego, a 85 e 105, chinezes, muito bonitos,
latnbem por barato prego de 4 e 55, bentaraUas
muito bonitas tambem por barato prego de 4 c 55:
leques de chanto tambem por 45, ludo isto para
acabar, perdendo-se talvez 80 0[0 : s no Vigilan-
te, rua do Crespo n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de conlas e de missanga, cores
muito lindas e de muilo gosto a 15 e 15200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as guinhas estreitinhas de
borracha que as senhoras lanto precisan) para se-
gurar os manguitos por ser muito commodu e mui-
to barato, a 320 o par: s no Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
Canelas.
Riquissimas carretas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baratissimo prego de
15300 e 25.
Volliulias.
Lindas voltinhasdeperolas falsas com cruzinhas
fingindo brilbantes, assim como cruzinhas avulas
e vcllinhas, pelo barato prego de 1-3 e 15200, as
cruzes avulsas a 400 rs. : s no Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
Sapaliuhos e mcias de seda.
Riquissimos sapaliuhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiasziuhas de seda, gorra-
zinhas e touquinhas para as crianclnhas se bapli-
sarem : s no Vigilante, rua do Crespo u. 7.
(OlillIlHS.
Riquissimas goiinhas e maneultos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e 35: s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Riquissimos enfeites com lago e sem lago e de
oulros muitos gostos a. 15, 15300 e 35 : s no Vi-
gialnle, rua do Crespo n. 7.
Trantetiiis.
Lindos trancelins de cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
Hah 'dinlios entrnelos.
Riquissimos babadinhos enlremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15300, 25 e 35 : s no Vigilante,
ruado Crespo n. 7.
Osearrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
Amigo de vender barato o Baliza nao expe a venda senao os gneros bons.
Elle se julga no caso de vender tao modinmente como outro nao o exceder
Soldado soprador toma o clarini
E firme como a rocha fica assim
Nao toques nesse pessimo instrumento
Do Balisa ollia s o movimento.
E t que dos mitrados teus as coras
De tildo vendedor de proprla couta
^'o pasmes vendo como sobraneclro
bo regresso o IBalisa a ira affrona.
Garande depesiio que temos de vinho nos obliga a abaixar seus pm.os
achando-J?/3! domadores cerca de 15 a 40pipas deste genero, entre ppas
banis e ancoretas.
afeitadas em lindos frascos a 800 Lingoas americanas muito nova? e muilo gran-
des a i,00o rs. cada urna.
Linguicas promptaseaa latas a 1,3oo cada ata.
Manteiga ingleza flor a 800 rs. a libra ncsK
genero ha mais de 10 baris abortos afim di
seren salifeilos os compradores.
dem menos superior a 6to rs.
mm ''< e ^l^o rs. ali'
dem franceza a 50o, Goo e Oto rs. e emba -
ril por menos.
Massa de tomate a 64o rs. a li! ra.
Mermelada dos melhores fabricantes a .i
rs. a libra.
isiriglezesa 4ooe64o rs. a garrali,
Mostarda preparada a looeCiors. -ft.'.
Massas para sopa a 4oo rs. a libra las de
Ibarim, aletria c macarrao.
11 finas estrellinha epevide a 3,ooo rs. 1
caixa.
Milho iniudo para passaros a IC<> i\-. a
o 4.800 a arroba,
usquino de zara do verdadeiro a 1,'iorw
frasco,
dem menos suporior a 800 c I,ooo rs 1
frasco.
Nozes a 24o rs, a libra,
prezunto porlugucz de superior qnalidauc a
61o rs. a libra e inteiro |ior 5oo rs.
dem ingle', para iambre a (54o rs. a tima.
nao agradando mesmo depois de preparado.
pruna ser devolvido, que se trocar pw
out.10 ou ser restituido seu importe.
Passas novas a 4oo rs. a libra.
frascos a
a arroba.
Amendoas co
rs. a libra
dem com casca a Vio rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas e
l,2oo, l,5uoe 2,000rs.
Alpista a 16o rs. a libra e 4,6oo
Arroz do Maranho, Java e do Pcnedo a 80,
loo e lio rs. a libra, em arroba a2,ooo,
2,8oo o 3,2oo.
Azeite doce retinado a 800 e loo rs. a gat-
dem idem cm barril a 64o rs. a garrafa e
h ,80o rs. a caada.
Ancoras com vinho do Porlo, encommenda
feita pelo proprietario do Baliza a 3o,ooo
rs. a ancora com 7o garrafas.
Bolaxinl.as de Lisboa, ingleza e americanas
em latas a l.ioo, 1 .oo, 2,000 c :5,coo rs.
e americanas em barricas a 3,ooo rs. a
barrica. ..
Banha de porco a 4oors. a libra c em barril,
a 36o rs.
Batatas em gigos a l,5ooo gigo.
Cha perola a 3,000 rs. a libra,
dem uxim a 2,6oo e 2.8oo a libra,
dem livsson a 2,ooo, 2,4oo e 2,800. a
Idemdltio a l,6oo rs. a libra.
dem preto a I.Ooo c 2.000 rs. a
Charutos dos melhores fabricantes da i.aiua
Ilio de Janeiro a 800 rs. e l,8uo, i.ooo,
2,4oo, 3,ooo, 3,?>oo, 4,500 e 0,000 rs. o
cento. .
Chocolate dos melhores fabricantes de taris,
Allemanha, Hamburgo e Lisboa
Copos lapidados para vinho a 2,8oo 1
dem idem para agua a U.ooo, *
rs. a duzia
Ceneja das melhores marcas a 4,ooo, 0,000
c G.boo rs. a duzia.
Cravo canella o cominhos.
Ceblas em molhos restease solas.
Conservas inglezas a Soo, )uo c 1,000 rs. o
frasco.
Dilias francezas a Soo o 04o rs. o frasco.
Cognac inglez e francez a l.ooo rs^a garr
a.
:a-
bra.
libra.
a duzia.
loe 6,000
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites : s no Vigilante, rua do Cres-
po n. 7.
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e qualidade, por precos que admiram aos compra-
dores, havendo fitas 'largas proprias para sinteiros
que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca de .
varas a 2 : s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Fitas de la.
Fitas delaa de todas as qualidades, proprias para
debrum de vestido a 700 rs. a peca : so no V ig
lante, rua do Crespo n. 7.
lieos espclhos.
Riquissimos espelhos com moldura dourada e
sem ella de U, 10,12 e 14$, assim como coa co-
lumnas de differentes tamanhos a 2, 3, i, > e bf,:
s no Vigilante,rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros e flgnras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqni
tem apparecido : s no Vigilante.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonera para pos de ar-
roz, cousa de mnito gosto a 1*500 vt&, assim co-
mo pacotes s com os pos a 320 rs. cada um : s
no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Perfil marias.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como os lindos copos 9U vasos com dis-
tinctivos e offerecimentos as sinhzinhas, dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Ingla-
terra, assim como os grandes copos de banha japo-
nesa a 2* e a 1 j ; assim como outros objectos que
nao possivel por hoje annunciar, e vista dos
fregneres se fara todo negocio : na loja do uaiio
Vigilante, rua do Crespn. 7._______
AGENCIA
DA.
FUNDICiO DE LOW-MOOE.
RaiJa feualla im b. 42.
Neste estabelecimento coana a naver
om completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston 4 C
rua da SenzaUa Nova n. 42.
Empreza da illuminacao
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamiicoes
(por escripto dando o nome, morada, data, mu
devem ser feita* no armaiem da roa do lmp^ador
n. 31. Osmachinistas mandados par a tendera
to^WP empreza fique sciente
dfhTvedrem ofare/moTsenhore1; sido dev.damen-
te altendidos. ^____
Ferros para1 onrlves.
Na rua larga do Rosario n. 24, loja de ounves,
dem se "dos os ierres e utencilios de ounves.
_ Euzebio .Raphael >beo tem para vender
em seu escriptono, rna da Cdeia n. 55, os segua
tes gneros
Cera em velas- .
Cal em pedra de Lisboa. M
Vinho puro em ancoretas.
Caf de 1.a, 2." e 3 a qnalidade a 88oo 9:ooo
e 9,5oo rs.
Ccvadioha de Franca a 24o rs. a libia.
Champagne de muilo boa iptalidadea 12,ooo
e 2o,ooo rs. a duzia.
Doces da casca da goiaba em latas preparadas
com muito aceio, propna para mcmozar
algum amigo na Europa, por ser inallera-
vel por mais de um anno, a 3,ooo rs. a lata
com 7 libras.
Ditlos em caixes a 56o, Co, 800 e 1,000
rs. o caixo.
Ervilbas portuguezas em latas com 1 /i li-
bras por 7oo rs.
dem francezas em latas a 5oo rs.
dem seccas a 2oo rs. a libra.
Espermacete americano primeira qualidade a
1.2oo rs. a libra.
dem francez a 56o rs. a libra, e cm caixas
a 52o rs.
Farinha d'araruta verdadeira a i80 rs. a libra.
Farinha de trigo a 12o, i 4o e lo rs a libra.
Farinha de milho a 16o rs. a libra.
Figos em caixinhas e em latas bndanmente
enfeitadas a 800 e i ,5oo cada um.
Fumo americano em latas para cigarros a
l,8oo rs.
dem enLpacotes a 2oo rs.
dem em pasta a l,2oo rs. a libra.
Genebra de laranja a 1,000 rs. o 'jco.
IdePSSo,l8a86or,ofcooC,ooo
rs. a frasqueira.
Graixa enralas a l,2oo r?. a duzia
Limonadas de diversas fructosa l.oou:rs. a
LicK/inglezese francezes a l,ooo, 1.5oo
e 2,000 rs. garrafas grandes e pequeas.
vendem
Trina, volante e Raides-
Vende-se trina, volantes e'. galBes de todas ae
larguras por precos muito barato: so no vigilants
rua do-Crespo n. 7._________J______________
Rna da Seozalla Kova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Lo*
loor Ubra a 120 rs.
Polvo a 16o rs. a libra.
Painco a Ido rs. a libra.
Pomada a 24o rs a duzia.
Pimentn do reino a 36o rs. a libra.
Peras seccas a 64o rs. a libra.
Peixe em latas a l.ooors. a lata.
Papel almassoc de peso, de diversas n
lidades e precos deferentes.
Pati-sdo yaz a 2.2oo a groza.
dem para denles a 8o, 16o e 24o rs. o ma-
co com viole macinhos.
Gueijos flamengosa 2,6oo, do ultimo vapor.
dem pratoa 64o rs. a libra.
dem londrino a 8oo rs. a libra.
Rap Mearon a l.ooo rs. a libra.
Sevadinha a 24o rs. a libra. (6 nova).
Sag a 28o rs. a libra.
Sardinhas de Nantesa 6'o, 5Goe3o rs.
lata.
Sabo massa a 12o, 10o, 2oo e 24o rs. a li-
bra.
c em caixcs por muito menos.
Sal refinada a Qo rs. o pote de vidro.
Toucinbode LisbiVa, de Santos e amen.ana
a lo, 24o e :12o rs. a libra, e on arroba
a 5,ooo, 7,ooo e O.ooo rs.
Tijollo para Hmpar facas a 16o rs. cada um.
Vinho do Porto cm caadas a 3,000, l.ooo e
5,ooo rs. c em ancoras com 7o garrafas [iot
3o,ooo rs.
dem de Lisboa sem c('iifeicco, (deencomen-
da) por o.ooo rs. o barril com 17 urna-
das,
dem de Lisboa mais baixo a i3,ooo rs.
dem em pipas a 3,ooo, 3,5oo e 4,ooo rs. a
caada. __ ... ,_
dem em barril de Bordeaux com Mo par-
Idodeldalnxcem 70 garrafas po:
dem'cm caixas por 5,ooo rs. a caixa com 12
garrafas da melhor qualidade que vem ao
nosso mercado.
Vinho branco para missa de Lisboa e Porte
em pipa, barril, e ancoras a 4,ooo e S.ooo
rs. a caada.
Vinagre de Lisboa, Porto, tinto e branco a
l,6ooe 2,ooo rs. a caada
dem em ancoras por 16,000 rs.
Velas estearlinas a 56o rs. o maro, e em cai-
xas a 52o rs.
Vassouras americanas a 64o rs. urna.
i''t
Grande pechinolia.
Vende-se a 8* a peca de panno de linho.puro e
limpo com 25 varas cada uma : na rua dalmpera-
trlz n. 20.
" Vende-se uma caixa de ferros de engoramar,
vindos ltimamente de Franca, urna cama de ca-
sal, e troca-se orna imagen, da Mfeigi**
de ama familia que se retira para fra da%provm-
?,a na rua da Gloria n. 60 ss dir quein vende
esses objectos.
A 4$000 a peca.
Vendem-se pecas de algodozinho com pequeo
toque de avaria, proprio para W^"**08,*
toalhas, pelo barato prego de 45 a pega rua do
Queimado n. 14.
- Vende-se o sitio da travessa dos Remedios,
freguezia dos Afogados n. 21, no estado em que se
acba : quem cr pretender, entenda-se com o seu
proprietario Caelano Pinto de Veras, na rua deS.
Francisco,sobrado n. lO.como quem vai para a rua
Bell e


Diario r reruakaco rita lelra *f de Jiilho de liei
POR ME\0S DE 20 A 30 POR CEM
iw

m wii^nVAWVO
23Largo do Terco-23.
Joaquim Simo dos Santos, dono deste armazem dajiioihades, lera feito orna grande vantagem
a quem seu armazem tem freqnenlado, liquidou todos os seas gneros mais amigos que linha nao s
neste armaiem como fra, e tundo feito urna grande reforma oeste estaUelecimento tanto em tamanhe
romo em gneros que mandn vir por su propria encommemh a maior parte, qac os pode vender por
menos de qae qualquer annancianle, para isso se responsabrtisa pela superior qualidade.
Attengift,
Batatas as uiais novas a 1^00 a arroba e oO rs. a i Queijos da vapor a 25S00.
_ libra- ViBho de Figueira, marca JAA, a 500 rs. a gar-
Toucmho de Lisboa novo a 280 rs. a libra e 85'0O i rafa.
a arroba. i Dito de Lisboa a 400 rs.
Caf do Rio de primeira e segunda sorte a 280 e Dito de oulros paires a 360 rs.
' Dito para negocio a 320 rs. agarrafa eom caada
se faz abattraeuio.
Genebra de Hoilanda em frasqueiras a 65000 e 500
rs. o frasco.
Idera m botijas de conta a 400 rs.
Azeite doce de Lisboa fino a 600 rs. a garrafa.
Dito de carrapato a 320 rs. a garrafa.
Mautoiga franceza a 560 rs. a libra, e 540 em
barril.
Dila iuglcza flor a 720, 800 e 900 rs. a libra, e em
0 por libra a oO rs. a barrjl lia abalimento.
GRANDE ALLIANCA
57 RA DO IMPERADOR 57 *
DE
Paulo Ferreira da Silva & Companhia
Gnnde sortrmento de molhados em gromo e a retamo. nico armazem que ma
Arroz pilado a 80 e 100 rs. a libra e 2^500 e 2300
a arroba
Sardinba de Nantes novas a, 320 rs. cad.i una.
Sabao massa superior a 180 e 220 rs. a libra.
Passas as mais novas deste gento a 100 rs. a libra
Ameixas franceza* com 1 e inoia libras a 1.
Boiachinhas inglezas novas a 240 rs. a libra.
'.Iiarutos de diversas marcas e superior qualidade
de 2o. 1*500, 25, 35 e 4-3.
Phosphoros do gac gra 2200.
Volas eesperraaceie de 5 c
libra, o em ca xa a 520.
Velas de carnauba a lia a arroba e 360 a libra.
Sevadinha e >.i bra. Garante so a superior qualidade.
vantagens offerece ao publico.
Desenganem-se todos.
K o llaf o verdadeiro hornera do progressso.
K o Hilanza o verdadeiro e prificipal armazem de molhados.
K AI llanca o armazem que rende mais barato.
K o Allianca o armazem que vende os melhores gneros.
E .Hilanza o armazem onde preside o melhor aceio.
Fiquem todos sabedores desta verdade,
Venham todos ra do Imperador n. 57.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
s
NEM COROAS NEM MITRAS
0

Amendoas confeitadas
8oo rs. a libra,
dem de casca muito nova a 3oo rs. a libra.
Avelas a 2oo rs. a libra.
INJECTION BROU
Massa de tomate em latas di libra a 600 rs. cada
una.
CoTraIco.nglezaS'fnncczas e portuguezas a m Ameixas francezas em atembas com lindas
Al.'in destes gneros houtros amitos que enfadonho seria mencinalos. Ouem duvidar ve- estampas a 1,200, t,4oo C i,6oors. cada
nhav. Y uma.
dem em frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a l,2oo e l,ioo rs. cada
um.
dem em frasco grandes a 2,ooo rs. cada
um.
dem em latas de 1 /f e 3 libras a I,2oo e
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranho o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra o
2,8oo a 3, ioo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a Ooo rs. a garrafa, e
1 4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada uma, e lo,ooo rs. a
caixa com I duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a IGo rs. a libra e 4,6oo rs. a ar-
roba .
Boiachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio das seguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
J a 3,ooo rs. e de 3 */ libras a 1.5oo rs.
e em libra a G4o re., estas boiachinhas
torna-se muilo recommendavel com espe-
cialidade para os doentes.
Biscoitos e Boiachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata
PARA AS FESTAS
DE
ES, PEDRO.
dem de Hoilanda em garrafoes com 24 gar-
rafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
S. J00
de bonitas cor


GIttVfilE

ARMAKEHf
DE
ais

Hll DO IW PEK A IIOK J. 40
Junte ao srbrado em qie ora o Sr. 0>brne,
Tara a festa de Santo Antonio, S. Joao e S. Pedro.
Dnarte Almeida le C, receberaai de sua propria eucommeu-
da o mal lindo e variado sortlinento de molhados. proprlos
a presente estaeao. r
Manteiga ingleza | Ma^as brancas
da safra aova vinda neste vapor de 28 de'para sopa
maio a 800 rs. a libra.
Hanteiga franceza
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril
a 500 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
zados a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades a
8oo e i,ooo rs. as garrafas grandes. A mp:yqft
Mantciga ingleza perfeitamente flor a 8oo t""1*88
e 96o rs. a libra. |em JASCOS de vidro com 3 libras liquido a
dem franceza nova j deste anno a Goo rs.' 2*00' muit0 propios para mimos,
a libra, e 58o rs. era barris inteiros. CarteS
te?!3 Lsehle?rfdn0pSr",elb0reS K*?" com bolos francezes a 50 rs- *& um-
es ae LisDoa a 6oo e 64o rs. a libra, ha
latas de diferentes tamaitos.
Latas
JARABE DE CORTEZAS DE NARANJAS AMARGAS
De J.-P. LAItOZE, Qumico, Farmacotico de la Escuela superior de Paris
Este Jarabe, al regularizar las funciones del estmago intestinos, destrate esas
indisposiciones proteiformes, y hace abortar las enfermedades de que son signos precur-
sores. Mdicos y enfermos han reconocido que restablece la digestin, habiendo desa-
sas, gastritis, gastralgias, clicos de estmago y entrenas, palpitaciones, males de co-
razn, vmitos nerviosos. Su accin sobre las funciones asimiladoras es tal. aue los
mdicos mas ilustres lo han adoptado por escipiente real de los dos primeros Mentes
teraputicos el Ioduro de potasio y el Proto-Ioduro de hierro, habiendo
observado que bajo su influjo, el primero pierde su accin irritante, y ti segundo
su efecto astringente. J ^
JARABE DEPURATIVO
UE COBTEZS DE NARlSJiS IMlBGtS
CON IODURO DE POTASIO
El Ioduro de potaio. administrado o.n solu-
cin Lujo for.ua slida, causa al enfrrmo una
gran repugnancia, determina accidentes que
Ib obligan renunciar este, eficaz remedio.
lTnid.> al Jaraljc de cortezas de naranjas, no
causa ni gastralgia, ni desarreglo del estmago
e intestino?, y gracias este salvo conduela,
las curas depuradas pueden seguirse sin inter-
rupclon, en las afecciones escrofulosas, tuher-
culosas, canc-rosas, y en las segundarias ter-
ciarias, inclusas las reumticas, de que es su
mas seguro especifico. La dosis cela deCnidade
tal manera une el mdico 1?. varia como auiere.
Kl frasco : i fr. 50
l.os Jaral, s de J.-P. LAROZE estn siempre en Irascos especiales (jamas en medias
botellas ni Irascos redondos). Expediciones: en casa J.-P. LAROZE, ru de la Fonuine
Hohre, 396m. Deposito general: lannTia Laroze, ru Neuvc-des-Potits-Chamr 26
I en casa de lodos los farmacuticos antiguos de Francia v del Estrangero
Desgnete en que legua deben etlat las instruccin, que acompaan cada producto.
JARABE FERRUGINOSO
DE COHTES1S DE R1IARJAS AMABCAS
conPROTO-IODRO de HIERRO
I a asociacin de la sal frrea con el Jarabe
de cortezas de naranjas es tanto mas racional
cuanto que este Jarabe, empleado solo para
estimular el apetito, activar la secrecin del
jugo gstrico, y por consiguiente, regularizar
las funciones abdominales, neutraliza los tristes
efectos de los ferruginosos y de los Uiduros (pe-
sadez de cabeza, constipacin, dolores epigs-
tricos), al paso que facilita su absorcin Di-
suelto en el Jarabe, se toma y soporta fcil-
mente, por hallarse en el estado puro mas
asimilable; y asipuede s(guir>e la cura de los
colores plidos, prdidas blancas, anemia
aren-iones escrofulosas y raquitismo. El frasco !
4 fr. 50.
Massa de tomate em latas de i libra a 56o com bola^inl>as de soda de todas as qua-
rs. cada tima. lidades a 1300.
dem para soda estrellinha, pevide e rodinha ChofiO.fltfN
ZZttSiS^***''* etodasasquaUdaraS alibra.
Presuntos inglezes

perfumera mdico-hyginica
De J.-P. LAROZE, Qumico, Farmacutico de la Escuela especia! de Paris
Estas productos son el resultado de la aplicacin de las leyes de la higiene la per-
Zo^vf TV CTCrle Cn farm,aciadcIakllea,encargada de atender laV
,rv "' M'wy dientes, que torlosson drganostan importantes; sirven para evi-
ESttET&Z!!TZ!^*" SU "--"Primognita, la Farmacia
lucir dentitrico para curar inmediatamente
los dolores ile muelas; el frasco 1 fr. 25
POLVOS DEHTmucos ROSADOS, ron base de
magnesia, jura emblanquecer y cousenar los
dient'b; t! fiasco........1 fr. 50
OHATA dektitr'.ca para fortificar lasenciisy
evitar la* ncvulgias dentales fr. 50
CURATIVO DEWTAL, para curar los dientes ca-
riados ames d-.- la emplomaduia. v evitar los abre-
sos y dolores; el frasco con el Wistiumcnlo. k fr.
|l AOOA LEUCODERM1NA, para conservar la her-
mosura de la tez y l^s funciones le la piel; el
frasro.............S tr.
BSPpiTU DE AH18 RECTOTCADO ,' Complemento
Ucl tucador de la boca despus de cada comida-
el fr'1sco...........1 fr. 25
jabom lenitivo mbdiodial, para el tocador :
la violeta, almendras amargas, ramillete, etc.,
el l3h0"............1 fr. 5
JABN LENITIVO medwinal con yemaa de
huevo, para evitar las griets en el cutis, hendiduras
y enfermedades de la piel; la violeta, ramil-
lete, etc.; el jabn.........2 fr.
OREMA D> JABN LENITIVO MEDICINAL en
potros. Es especial para la barba, como tambin
locador de las mugeres y nios; el
...........2 fr.
frasco
aoda ldstral para conservar y embellecer los
raliflli, foriiiicando sus rafees ; el frasco 3 fr.
ACZrTE DE AVELLANAS PERrUHADO, para re-
ineiliai i la sequedad ) atona de los cabellos ; el
frasco.............tr
VINAGRE DE TOCADOR SUPERFINO, renom-
brado por su suavidad y accin refrescante; el
frasco.............1 fr_
COLD CREAM BurERiOR, para "conservar el cutis
blanco, tr.sco, dilauo, y evuar las consecuencias
del uso de los afeites; ct bote. 1 fr. 5
AOOA DE COLONIA SuFERiOR ron mbar sin
L La cstal'ilidad .le su pe fume la hace bascar
para el tocador, baos locales y generales; el
'"^o........... T fr.
PASTILLAS orientales del doctor Paul CWment,
psra quitar el olor del tabac y neutralizar los hili-
tos fuelles; al caja........1 y 2 fr.
AGUA DE FLORES DE ALHUCEMA, cosmtico
muy bucadnp;ir destruir las comezones, ferlale-
cer y refiescar ciertas rganos ; el fia.co. 1 fr. 50
ESPIRITO DE MENTA SUPERFINO. Es el mas
perfecto indispensable complemento del toca-
dor de la boca despus de la comida: el
'"S"1............1 fr. 25
a garrafa
cu 1
Bolos francezes em cartes e de diversas
qualidades a Gio rs. cada um.
Baota de poico verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a l(io rs. a libra.
Boiachinhas inglezas oltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje icm vindo ao nosso mercadf
18,ooo rs. o gigo o l,5oo rs.
inicua, e 8oo rs. as meias.
Cha uxim o melhor que se pode desejar, e
que nutro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra.
dem petla de esp cial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
d'este cha.
dem hyssono melhor que possivel encon-
trarse a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l.2ooe i,4oo rs. a libra.
dem preto muilo fino a 1,600 rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a 1,000, i,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
uma e 5oors. alibra.
dem macarrao, talharim ealetria a 4oo rs a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um
Molho inglezem garrafinhas com rolhas de
vidro a 64o rs. cada uma.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafa, lo^ooo rs. a caixa com i du-
zia-
Nozes muito novas a IGo rs a libra.
Prezunto de fiambre superior a Guo e 800
rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. 1 libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
oulros a 1,000 rs. a latas.
Palitos para denles a 14o c a IGo rs. o mas-
so dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a IGo rs, a li-
bra, c a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2^Ioo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos. chegados neste ultimo
vapor, a 3,ooo
dem prato muilo fresco a 800 c Ooo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je lem viudo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
dem londrino a Oo.rs.
Sal refinado em pojes de vidro a 5oo rs,
cada um.
Cerveja das melhores marcas a G.ooo rs. a
duzia, eS6o rs, agarrafa.
Sardinba de Lisboa e Nantes em quartos e
meias latas a 38o e :8o rs. cada urna.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,800 rs. a ar-
roba.
a a melhor que se pode desejar,
macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 4#B60 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e ontras muitas mareas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa e
2800 a caada.
Idcaa do i'oro
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 1$ e i!200
a garrafa e de 105 a 120 a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisso AFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deuz.es'
lagrimas do Douro e outros muito.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120r> M bra.
Cervejas
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ullimo vapor a 206oo.
tiieijos dos melhores fabricantesje de todas as mat
chegados no ultimo vapor a 20600 cada um.' <^s de 40500 a 6S500 a duzia.
. QueIJo I CHARUTOS
londrino o mais fresco que se pude esperar charnios Ti.nm,-. v,r.tr> u;.
e de excellante maree a 800 rs. alibra! S^SJf! ^ e ^ em
sendo inteiro e a 900>rs, a retalho. | e as ca^inDay 500.
CoilServaS inglezaS > Maranho a 100V!s" libra, e da India
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.! a m rs- a '*>* e 20500 a 30000 a ar-
0 frasco. roba desses que vendem por 30400.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 000 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro:
qualquer nao pode vender por menos de'
30 a 20GOO.
Ideui perela
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hvsson
o mais aromtico que "tem vindo ao nosso
mercado a 20000.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aletria a
480 rs. alibra.
to;V4C
o minio afamado cognac Palf Hrandv a I.800
CAFE
de 1.a e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 80if
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libr
arrtes
com 4 1 garrafas com vinagre a I0OOO
o garrafo.
GENEBRA DE LA1A.NJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hoilanda a 50800 com
I 12 frascos.
GENEBRA
de Hoilanda verdadeira em
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
Citixa
frasqueira a Goo
rs. a garrafa e de outras muitas qualida- finos de todas as qualidades, a lo 000 a
desa l,ooo e 8110 rs. a garrafa. com uma duzia e a l,ooo a garrafa
Marmelada
duzia, e a
a 4,5oo e 5,ooo rs. a
oo rs. cada um. 1
PAPEL
Traques de I.* qualidade a 9,5oo rs. a ca-aImaC> grave, peso e de outras muitas qua-
xa, e 24o rs. a caria. lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me- '
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a Goo rs. a
libra.
POMADA CONSERVADORA coo quioina pura, para
fortificar los cabello, hermosearlos y evitar que
se pongan canos antes de tiempo; el bote. S fr.
moerSfSini loda8,,aS dudadSs casa de los farmacuticos, perfumistas, peluqueros,
Expediciones .-encasa de J.-P. LAROZE, ru de la Fonlaine-Moiicre,39i.s- en Pars
Desgnese en que lengua deben estar as instrucciones que acompaan cada producto.
33 t=J
n W
m M
55 W
ZT. O r- M S
'Ms
^1 Sil lili Ia ||


>i&:|
i 3a
32,3
5. > ? 2 o 2. s.
isii*in
ifHlr:
m
o
lado de Simas em ''% caixas das seguin-
tes marcas: Parizienses, Suspiros, ili-
cias, Napoleoes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
c em caixas inteiras Trovadores a 3,oo
rs. cada uma.
dem de outros muitos fabricantes e de dif-
ferentes marcas para l,5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a l.Goo, 2,ooo e9,000
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco,
dem franceza a 5oo rs.
Cognac mglez das melhores marcas a 1,000
rs. a garrafa e 10,000 rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a ioo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canellaa l,ooo rs. alibra.
Copos finos para agua a 5,000 rs. a duzia, e
000 rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs'. a libra,
e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caixao.
Ervilhas porluguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata,
dem ceceas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de aparata verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
l,ooo rs. cada uma.
Idern em I? tas ermiticamente lacradas a
1,5oo e 2,5oo rs. cada uma.
dem era caixas de '/* arroba a 2,5oo rs.
cada uma, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e l.ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hoilanda em frasqueiras com 12
imT.0/n6,'00< re- e 56 rr fraSC0 iIdem de escova Para bregar casa a 36 rs.
dem de larania a l.ooo rs. os frascos gran- cada uma
MmSri! illl?/8, a w- COn\i2 frascos-'Ve,as de espermacete superiores a 56o rs.
dem de Hoilanda em botijas a 4oo rs. cada! a libra, e 52o era caixa
dem de carnauba refinada e de composicao
a 36o rs. a libra, e de 10,000 a 14,000 rs.
a arroba.
Toucinho novo de LiibOa a 24o e 32o rs.
libra.
Tijolo para [impar facas a 15o rs. cadaum.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs. a garrafa,
dem do Porto Lisboa e Figueira de manas
menos condecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a Goo rs. a car-
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando com-
composico a 56o rs. a garrafa, e 4,000
rs a caada.
dem branco de uva pura a 5Go rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,000
rs. a caada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,000 c 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1.2oo rs a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porlo em caixas com 12 garrafas
Mas seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porlo, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e 10,000
rs. a caixa e Ooo c l.ooo rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a l.ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
Idemem garrafoes com 5 garrafas a l.ooo
rs. com o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32c
rs. cada uma.
Prezunto
Ihor.
Papel de botiea
de excellente qualidade a 2200 a resma,
PAPE I,
azul e pardo para embrulhode i,ioo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fume
o verdadeiro fumo americano em chapa a
f,4oo rs. alibra
Vinagre
PRR em ancorelas de 9 caadas a 10,000 rs.
cada uma.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,ooo rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra
e 4400 a arroba.
freguezeeSgos3^
pillaran, os mesmos preces nos seguintes lugares. odidade de todos es-
lua e Commercio ra do Queiwado n. 7
_____________ *"-dadeiro Principal roa do Imperador n. 40
o. verdadeiro prezunto de Latnego a 52o rs
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatiniento.
VELAS
I de carnauba em caixas de arroba a 9.3oo c
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
' em caixas de 2 arrobas a 5$ a caixa e 60 rs.
a libra.
Passas tnoilo oras
em quartos e inteiros a 2 o quarto e 6500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao
Frntas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, ginia e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
" 600 e l ocaixae.
dem em garrames de 16 garrafas a 4,800
rs. com o garrafao.
Vende-se na ra do Imperador botica franceza n. 38.
". '-S o lulheiro de sebolas.
No armazem da na da Moeda n 47, vende-se
pulo prego cima indicarlo sebolas novas e em
biiri) estado.
\inho do Porlo snperior
em caixas de urna e duas duzias tem para ven-
der Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu
*<'Tiptr>rio ra da Cruz n. i.
Vende-se nm terreno na ra Imperial, promp-
lo para se edificar, com lions commodos e propor-
ops. por preco commodo : a tratar na mesma na
2 1'.'..
4TTE!\ClO.
Veude-se bu afora-se em pequeas porcoes um
Ierren contiguo barreira de Santo Amaro de Ja-
boaio : na ra de Apollo n. 2i,aonde se daraoos
esclarecimentos precisos.
Sebo do Porto
Para os fabricantes de velas.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a 12i>
a lata e em lotes de 10 latas para cima se
far abatnenlo. no armazem da ra do Im-
perador d. 10 e ra do Trapiche Novo n. 8.
" Vende-se, em casa de S. P. JohnstonA C,
sellins e sillines inglezes, candieiros e casti-
ces bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros montara, arreios para
carros de um e dos cavalles, e relogios de
ouro patente inglea.
Na ra de Apollo 11. 3 ha um grande sorti-
mento de inarmore para ladrilho, sacadas, taom-
breiras e degros de 8, 9 e 10 palme* de oompri-
do e 2 lli de largo, folhas do marmore proprias
Charutos de Havana
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schafleitlin d C, ra da Cruz n. 42.
OVMENTO
BAIRRO DO RECIFE, RA DA CADEIA N. 50.
U mais novo e o melhor
AKnURnilEVOLHlDOK
Esquina defronte da ra da Sadr de Dos

^0^,?l:\^'. "Z&toMavVutimu* defronte do
Venden sebo do Porto de superior qualidade | pa' ram^rd^arc7ara1nraIo7vasoTSn:
a arroba, especial para velas de [ des W$T At que chegou
um grande sortimeuto de bico e renda preta de
novo modelo chamado (guipU) o melhor que se
pode desejar neste a/ligo e qae te vende muito ba-
rato : na loja do gallo vigilante ra de Crespo
em eaixas de uma
composicao : na ra do Vigario n. 26.
Fabrica 'Oonceplo
Baha,
Andrade & Reg, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 d ra do Imperador, algodo d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar algodo empluma, etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
eos muito razoa\eis
nhecidoj nesiapraca,"aSSrdS tSaarSTtoffiSSS>fl^ *"? ^ ^ c
os seus benvolos amigos e fregueies, bem como o reSSetowUnhfi^ asa.acim* 1Ddicada' <**
vanado, escolhido o elhor sortimento de moIJudos TS dnS Z!?Je1 encontranio o mais
beleciraento. ""uus, d par ao aceio, elegancia e bom rgimen do esta-
0 annuncianti, tendo foito uma completa reforma na t*^
correspondentes na Europa para remessas Kntt pSr S ^ ^-SMr0!' possaD<, m
teccSo de todos os amigos do bom e barato, a qoal desde !' Su, cnvencidoJa"e merecer a pro-
merecera a confiaoCa com que se dignarem de o honrar asseverando-lhes que jamis W-
gons f^l^^i^^^^^^^t ^Vi^ln,0 4**
nenhum outro estabelecimento o serve melhor ue L b Z o V'S0' I?!'?""* Pr si ES V
deliwdew, oulegalidadede pesse medidas q,Jem comm^'dade de preco, agrado e
teem offerecido aos
concorrentos,
SSS13S12- -w. *.
> neste em grao maior.
LA.lZIMhS BAR4TAS/Sapaosde borracha a **m
o par
No armazem de Joaquim Francisco de Alem lar-
VeBdem-se lazinhas de cores flxas ede boa qua-
lidade para vestidos de senhora a pataca o cavado
e outras muitas fazendas que o dono esta resol vid
a vender muito barate aflm de apurar os cobres
na ra da Imperatriz n. 20, ontr^ora aterro da Boa-
Vista.
Vende-se um cabriolet 1 no pateo do Parai-
xo n. 26.
'
goda Assembla n. 1.
GAZ.
J.Sdl"se 8" liquido americano da melhor
qualidade em lat-s de um. dous e cincogalOes,
nrmenos que em outra qualquer parte : no ar-
mazem do caes do Ramos n. 16.

i"




MHHI
Diario de Pcriamhnco Hcxtn letra t de Julho de is-f

UNIO MERCANTIL
RIJA DACADEIA DO RECIFE M.f 53.
NOVO E
GEAHDE &EMZ&U DE MOLHADOS
RA DA CADEIA DO IIEIIFE M( 53.
Francisco Fernandos Duarte acaba de abrir na ra da Cadeia do Recife n. 53, un grande e sonido armazem de molhados de
nominado Uni* Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeilavel jublico um ampielo sonimer-lo dos melhore I
ceneros que vem ao mercado, tanto esirangeiros, como naciunaes, os quaes sero vendidos em portees ou a Retallo for piecos assi;
gommodos.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
Manteiga ingleza especialmente escolhida
de primeira qualidade a 900 rs. a libra,
em barril se faz abatimento.
Manteiga franceza a mais superior do mer-
cado a 6oo rs. a libra, e 580 rs. em barril
ou meio.
Prezuntes inglezespara fiambre, de superior
qualidade, chegados neste ultimo vapor, a
720 rs. a libra.
Queijos Qamengos ebegados neste ultimo
vapor a 40000.
Queijo prato muito fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Castanhas muito novas a 120 rs. a fibra e
e 3^000 a arroba.
Cha uxin o melhor que ba neste genero,
mandado vir de conta propria a 2iS800
rs. a libra.
Cha hyson muito superior a 20560 rs. a li-
bra ; cb hyson proprio para negocio a
10500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 20 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com differeotes
qualidades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
outras muitas marcas a 10350.
Bolachiuha de soda em latas grandes a 20.
Figos em caixinbas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 10 e 20 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 5tu rs. a libra e 30 um quarto ;
e em caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem viudo ao nosso mercado a 180 o gigo,
garante-se a superior qualidade.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 70500 a 80000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 90
a 10 a duzia, e 900 a 10 a garrafa; deste
genero ha grande porco e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 14* e 150 a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do Douro, D. Luiz,
Cames, Madeira secco, Carcavellos, Nc-
tar de 1833, Duque Genuino.
Vinho de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 30, 30200
e 30500 a caada.
Vinho branco de superior qualidade, vindo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
rs. de barril.
10200 a caada.
Azeite doce refinado em garrafas brancas a
800 rs.
Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
40800 a caada.
Geneora de Hollanda a 500 rs. o frasco e
508OO a frasqueira.
Caixinbas com ameixas francezas, ornadas
com ricas estampas na caixa exterior,
muito proprias para mimo, a 10200,10500
e20.
Frasco de vidro com tampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a
10200.
Marmelada imperial, dos melhores conser-
veiros de Lisboa, em latas de 1 e meia a
2 libias a 600 rs. a libra.
Fructas em calda das melhores qualidades
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a fibra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoas de casca molle a 400 rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs- a libra.
Amendoas confeiladas de diversas cores a
800 rs. a libra.
MacSas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, s vista se faz o preco.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 10200 a libra.
Chocolate bespanhola 10200 a libra.
Genebra de laraoja em frascos grandes a 1#.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
55800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
e 10200 a garrafa.
Licores francezes das segnintes qualidades :
Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames
e de outras muitas marcas a 10 a garrafa
e 100 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
90 a duzia.
Moslarda ingleza em pdles j preparada a
400 rs.
Sardinhas de Nantes a 340 rs. o quarto e 56(
rs. meia lata.
Latas com peixe em posta: savel, corvina, |
vezugo, cherae, linguado, lagostinha,
10300 rs.
Salmo em /alas, preparado pela nova arte |
de cozinha, a 800 rs.
Magaa de tomtes em latas de 1 libra a 60(
ris.
Chouricas e paios em latas de 8 e meia libra
por 70.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra
80600 a arroba.
Bolaxinha ingleza a 320 rs- a libra e 40
barrica.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 200 rs. a libra.
Farinba do MaranhSo a 120 rs. a libra.
Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Cevada a 120 rs. a libra e 30 a arroba.
Alpistaa 160 rs. a libra e 40800 a arroba-
Batatas muito novas em gigos com 40 librai
por 10500.
Cebollas a 10 o molho com mais de 100 ca-
da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 r,
a libra e 90 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 rs. a li-
bra e 80400 a arroba.
Caf do Rio, proprio para negocio, a 80.
Arroz do Maranboa 100rs. a librae208OC
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 24001
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o ma*
so e a 90 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixo.
Macarrao, talharim e aletria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz abatimento.
Estrellinha,pevide e arroz demassa para sop
a 600 rs. a fibra e 30 a caixa com 6 fibras
Palitos de dente lixados com flor a 200 rs
omasso, ditos lixados sem flor a 160 r
o masso com 20 massinbos.
Gomma de engommar muito fina a 180 rs.
libra.
| Banha de porco refinada a 480 rs. a fibra e
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inteiras oh em meias, de
10600, 20 e 30.
(200 jardas.) ja muta
Acaba de receber de sua propria encomniencia um grande e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprictario em
offereeer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
PARA A FESTA
DE
Moslarda ingleza em p, em frascos grandes, Presuntos do reino, vindos de conta propria
a 10 cada um.
Sal refinado a 500 rs. o pote.
de casa particular,a OO rs. a libra; intei-
ro se faz abatimento.
Ossenhore que comprarem de 1000000 para cima, terao o descosto de 5 por cenlo, pelo prompto pagamento.
RA DO yiI9IillO I. 45,
Passando o becco da Congregarlo segunda casa.
NOV1DADE.
S. JOAO
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 rs,
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e 5oo rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras:
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 fibras para
cima a 2,7oo, *
dem hysson o mais superior que se pode
desejar a 2,6oo e de 8 fibras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra.
E S. PEDRO
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, geroles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limao, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, rlela pimenta a 1,000
rs. a duzia l,ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
Passas muito novas em quartos e inteiros a
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra.
dem lorinthias proprias para podim a 9oo
rs. a libra.
Mermeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra
Ervilhas secas muito novas a I60 rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 600 rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
fazenda especial.
800
RIVAL SEM SEGUNDO
ttoa do Oueimado ns. 49 e S8, toja de mludezas
de Jos Ue Azevedo Main e Silva, est continuando
no seo progresa) de vender haramo :
Lapachos grandes e superiores a 300 rs. cada um
Caixas de superiores brelas de cola e massa a
40 rs.
COr?s branC Pra VeSld e csPartil!i. W* 20
Ldade ae60rse,el t,W**, de Plor 'fuali-
Cartoes de linha Pedro V
conhecida a 40 rs.
Grozas de peonas de ac de muitas finalidades,.
superiores a iou rs.
Caivetes de duas folhas porm linos a 00 rs
Canas com catangas muito bonitas par;, ra a
100 rs.
Franja branca e de cores para toalhas a 16.
Pares de botoes para puolio muito bonitos a lia
Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a
120 rs.
Tinteiros de vidro cora superior tinta a 160.
Pilos de barro rom superior tinta a 100 rs.
Groza de botoes de tonca praliados, ; melhor, a
160 rs.
Tcsouras para costura, o mais superior, a 400 rs.
Ditas para unhas muito finas a 400 rs.
E'wnaS para limijar denle5 nu'to superiores
Libras de laa de todas as cores (pesada a '$.
Caixas de phosphoros de seguranza a 1H0.
Ditas de papel amizade pautado e liso a fiOO is.
Ditas com 100 anvelopes muito superiores a 80
i ruis.
Cadornos de papel branco e de cores, pci.neno, a
20 ris.
| Cartas e taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas com superiores iscas de acend*r charutos
a 40 rs.
Carreteis de linha Alexandre (200 jardas) de con i
a SO rs.
Baralhos para voltarete muito linos a 240.
Cartas de alfinetes francezes muito linos a 40 rs.
Meadas de "linha f-xa para bordar a 20 rs.
Pares de snalos de tranca muito superiores
1600.
Papis de agulha com um pequeo toque a 10 rs.
Groza de botoes de madreperola nimio Quos a
560 rs.
Cartoes e caixas de clcheles francezes uperion i
a 40 rs.
Bonets para meninos muito finos a 1JS00 e 2,5.
Macos de grampos superiores e limpos a 40 r.
Groza de phosphoros do gaz muito novos a 2^200.
Areia preta mmto superior a 100 rs.
Caixas de rap com esnelho a 100 rs.
Realejos para entreter meninos a 80 rs.
Pecas de fita de linho muito boas a 40 rs.
Peales de laijo muito bonitos a 15.
Enfeites de laco de todas as cores a 15300.
Rodas com alllnetes francezes a 20 rs.
Caixas com riuatro papis de aculhas imperiaes *
240 rs.
Sabonetes de familia a 80, 160 e -'!20.
Caivetes de duas folhas muito finos a :t20.
Pares de sapatos de laa para meninos a -100 :s.
Sapatos de tranga para senhora e para homem, os
melhores que tem vindo, e por preco muito barato:
qnem quizer ver, venha ra do (Jueirnado ns.
49 e 'o. e ver tudo como bom e barato.
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo Presunto para fiambre inglezes a 7oo e
rs. a libra. I rs. a libra,
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
rs. a libra. ; Caixas de traque n. 1 a 85>500 cada urna.
Qneijos do reino chegados neste ultimo va-; Massas para sopa macarrao, talharim aletria
por a 2,6oo. a 4oo rs. a libra.
Queijos (hegados no ultimo vapor a 2,6oo rs Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
dem londrino o mais fresco que se pode j c 8oo rs. a garrafa.
esperar e de excellente marca a 8oo rs. a
libra sondo inteiro, e a 9oo rs. a retalho.
dem prato es melhores e mais frescos do
mercado a 76o rs. a libra sendo intoiro.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
Idem francez a 7,ooo rs. a tluzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande qnantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,3oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Po!vosachga0d0os ulimamente do Porto a 32o de P
rs. a libra.
Pereira Rocha C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commercial
orde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
aero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se o bom peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranho, da India e Java a60, 80 Cevadinha de Franca muito superior a 220 Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra-
e 100 rs. a libra e l#800 a 2600 e 3r> rs. a libra. Painco a 200 rs. a libra.
a arroba. Cevada a 80 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas e em frascos a Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
1200 e lfiGOO emfrascos grandes a dem seccas muito novas a 200rs. ahbra.
20500 i Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem era caixinhas elegantemente enfeitadas de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
com ricas estampas no interior das caixas 1^800, 5(5500 e 280 rs. a libra.
a 12*000, i&iOO, lGOO e 2J. Farinba do Maranho a 160 rs. a libra.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs. Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
a |bra Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
Alr.ista a 160 rs. a libra e a 4*600 a arroba. | a 560 rs. o frasco e 6*200 a frasqueira.
Azeite doce francez muito fino em garrafas dem emgarrafes de 3 e 5 gales a 5*500
grandes a 960 rs. a garrafa. I e 7*500 cada um com o garrafao.
dem de Lisboa a 640 re. a garrafa. Graixa a 100 rs. a lata e 1*100 rs. a duzia.
\raruta verdadeira de malarana a 320 rs. a Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
]itjra dem, qualidade especial e garrafas muito dem steannas muito superiores a 600 rs. a
Avelas' muito grandes e novas a 180 rs. a, grandes, a 1*800 rs. a garrafa. l'bra- ... ,
lihra ; dem garrafas mais pequeas a 800 rs. Figos em caixinhas emticamente lacradas
Biscoutos inglezes de diversas marcas a dem, garrafa forma deprae rolhade vi- a 1*600.
1*300 ris. dro> a *s6KK>0 rs., s a garrafa vale o di- Vinho do Porto engarrafado o melhor que
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 2* rs. i nheiro.
a ]ata< Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamcgo em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 2*800
dem prato.
dem londrino chegado no ullimo vapor e
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
barcada de pouco a 900 rs. a libra, i
de segunda qualidade a 800 rs.
da
Ditas inglezas muio novas a 3*000 a barr-
quinlia e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor efinada a 440 rs. a libra e dem franceza mmto nova a 640 rs. a libra.
e em barrit a 410 rs. i Mein de tempero a 400 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 1*600, Massa de tomates em b;
2*500, 2*80 e 3*000 a libra. j dem em lata a 640 rs.
dem preto muito superior a 2*000 a libra., Marmelada imperial dos melhores conservei-
Ccrveja preta e branca, das melhores marcas ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa Marrasquinbo de Zara, frascos grandes, a
e 5*800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
e especialmente da fabrica imperial de Peixe em latas preparado pela primeira arte
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 1*800,' de cozinha a 1* re. a lata.
2*000, 2*200, 2*500, 2*800, 3*000 e Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
3*500 a caixa. | Palitos de dentes a 120 re.
Caf do Rio mnito superior a 280 e 320 dem de flor a 200 rs.
rs. a libra e 8*500 e 8*800 rs. a arroba. Amendoas confeitadas a 900 rs, a libra.
Cartoes de bolinhos francezes muito novos e!Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
muito bem enfeitados a 700 e 600 rs. 2* e em caixo a 640 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a. Palitos do gaz a 2*200 rs. a grosa.
libra. Passas muito novas a 480 rs, a libra.
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Maria Pia,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
1*000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 9*000 e10*000.
Massa de tomates em barril a 480 rs. alibra. I dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 3*, 3*500
e 4* a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 7*000 e 7*500 rs.
a duzia.
dem Morgaux eChateauluminide 1854, a 1*
a garrafa,
dem.moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
1*200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 1*800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porc3o de otro que deixamoi
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porces como a
retalho.
Quem comprar de 100*000 para cima to-
ra o abate de 5 por cento.
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Massas finas para sopa : estrellinha, pevide,
rodinhas e letr'anhas a 600 rs. a libra e a
4* a caixinha com 12 libras.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 5* a
caixa e 6o rs. a libra-
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 2,5oo rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portoguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Cartoes gom bolas francezas proprios para
mimos ou para anjos que vo as procis-
ses a 6oo rs. cada um.
Papel de botica de excellente qnalidade a
22oo rs. a resma.
Peras seccas as mais novas do mercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em latas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 64o rs. a
lata,
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 8oo rs. a libra,
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca, Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a 10,000 e
l,ooo rs. a garrafa,
dem branco de uva pura a, 64o rs. a garra-
fa e 4,000 a caada,
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada,
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa,
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a canada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composico a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha do Maranho a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l,ooo rs. cada urna.
Ricos livros com figos 1,00o rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafes com 4 V garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem com 4 '/a ditas de venagre a 1,00o rs. o
garrafao.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo re. cora aancoreta
dem empipa puro sem o batismo a 2oo rs.
a garrafa e !>4oors. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial'a 6,800 rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
0 0 0 > O 2 < * S3 *
7J1 P- Q . f' r.. p
td S- T
0 0 S5 ib l
= te >I p cx> ~ &-
1* -i C es -
1 GO r' 5 0 s. 1t- ct> ** *-- &a 5 3
>K ^ * 1' P-
/> Pu
<-* 0 -
-- <-t- OD
M a> 0
\ lSOO.
\ endem-sf nueijc s ches ail-is nest^ \; ipor. nuil
frescaes a l$H0O. banha refinada .1 340 rs. a l ibra
na ra das Cruzcs i ). 24, esquina da travs sa '!
Ouvidor.
Mant'Anna.
Aeha-se venda a novena da gloriosa Sanl'An-
na, bem impressa, e em brochura : na ra do i:,i-
perador n. lo.
ESCBAYOS FGIDOS.
Fugio no dia 10 do corrente o eseravo
r.ome Semiao, do nacao Mossambique, cun -
II ;r
rs. a.arroba.
dem de segunda qualidade a 8,000 rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranho a 12ors. a libra, 3,000 rs.
a arroba.
dem da India muio superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo IS. a libra. naes seguintes : estatura alta, eheio do
,, if ... a >._ i:k- 'ro*toliso, nao tem barba, tem uns tainos no io=f<
dem mais baixo redondo a 2,Goo is. a libra. {. a. juas foules d ro.,0j levo|] (.:ll.;l ,,.. brim
dem da India comprido a 2,400 rs. a arro- pardo, camisa branca de algodao, paletot de 01111
ba, C 80 rs. a libra. pardo, e chapeo de palha : roga-sc s aul iridades
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,ooo rs. ar-, eW "'litares de o apprhender o mapca-io a
K o -ift r- i libra ea ?cnhor- na rna Direita M> 1 scra0 ffcnt-
roua, e ozo r. a nura. rosamente recomi'.ensados.
dem de sebo muito dura lingindo esparmacc-; -z~f"urI(
te 3(io rs. a libra.
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, e em
caixa a 52o rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empreados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaco pautadoe liso a 3.ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
do eugenho TriunipUo, da freguezia de.
Serinhacm, no dia 16 de abril protimo passido u
eseravo Juveoal, crioulo peija, deidade de z.s an-
uos, pouco mais ou meuos, estatura regular, cor
prel, dentes limados na frente, principiando a
barbar, e j com bigode -. quem o apprebendcr
leve-o ao ilito engenho Triumpho ou na ra da
Moeda n. S, segundo andar, no escriptorio 3i
Manoel Alves Ferreira, que ser generosamente re-
compensado.
Ao amanhecer do dia (i do corren?? fucio <'
, engenho Penanduba, sito na freguezia de Muribe-
. ca, urna escrava de nome Sabina, representa ter
dem a zul de botica ou fugueteiroa 2,2oo rs.
. T annos de idade, com os signaes si-guiules : en-
a resma. oala, fula, cabellos carapinhos. baixa, grossa, seios
dem embrulho de 1,200 a 1, tOO rs. a resma. gna&es rost0 redondo e com muitas marcas de
Ameixas francezas cm latas i\c 1 '/- !if)ra a bexiga, maos pequeas e pts, pernas arqueadas, e
1,200 e 800 rs. a libra. mais algn, que nao se ico.da levou comigo
una ftlha com idade de tres mezes tambem preta
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., S O quem a apprehender leve-a ao referido engenho,
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em 0Q;?ePSDJdnfses3;.n' <1U6 ^ geDera"
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Molhos inglezes a 8oo e l.ooo rs. o frasco.
Moslarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
Fugio de casa de seus senhores, no dia 14 de
corrente, o eseravo Izidro, crioulo. de idade 2i an-
nos, pouco mais ou menos, estatura regular, chio
do corpo, cor um pouco fula, cabellos carapinhos,
olhos pardos, beicos um pouco grossos, nariz regu-
lar, ps grandes e grossos, bem desembarazado no
e 6,ooo rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
viudas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. o molho e
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a 32o re. ahbrae
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas al,ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 6oo e l.ooo rs. o
caix3o.
O prprietario do grande armazem Unio e Commercio declara aos sus fregu
zes e amigos e ae publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulOu
os mesmos precos nos seguintes lugares: .
Unio e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
bem arraniado possivel a 1.800 e 2,800 fallar, nao malcriad*, levou cala de briin brau-
ra i.,, J l I co, camisa de madapolao, chapeo de feltro ja usa-
rs.ii una. d0 ; cujo eseravo lilho de Cahsta Mana da Con-
Cerveja Tenente verdadeira a 6,800 rs. a ^foTcto Brej0 ,je Baoanejras, provincia da Para-
duzia.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
ccicao, do urejo
hyba do Norte ; veio em l^il em pagamento para
os Srs. Guimaraes & Alcoforado desta cidade, sop-
poe-se ter seguido para aquelle lugar : roga-se a
todas as autoridades c capites de campo a sua ap-
prehensao e lvalo ao pateo da Santa Cruz n. ,
que sero recompensados com 100^.
Auseutouse no dia 3 do corrente mez da ca
sa de seu senhor o eseravo Targino, cabra, de ida-
de 20 annos pouco mais ou menos, com officio de
ourives, alto e seco, sem barba e espadado, boni-
ta Bgura, le\ou vestido calca de ganga do qnadros
liudos j usada, camisa branca e chapeo de ba-
ta, foi eseravo do Illm. Sr. Theodozio Francisco
Diniz, morador em Porto Calvo, suppoe-se ter vin-
do para o Recife aonde j esteve e tem conheci-
ment, a titulo de procurar senhor, e igualmente
se ausentou a escrava Graciosa, cabra, de idadu
1G annos, bonita figura, cheia do corpo, rosto lar-
go, estatura baixa, bragos e pernas grossas, de
suppor que seguisse o mesmo destino do referido
cabra, e roga-se a todas as autoridades pohciaes,
capites de campo e qualqoer pessoa do povo de
se os virem os capturar eos mandar conduzr
a seu legitimo senhor Manoel de Souza Lunha re-
sidente na villa de Porto de Pedras, ou na vilu
do Paco de Camaragibe a Antonio de bouza tu-
nda, em Rio Formoso ao Iilm. Sr. D.niz e no Re-
cife a Thomaz Fernandes da Cunha na ra da Ca-
deia n. 44, qoeserao generosamente gratieados.
_ Fueio na tarde do dia 16 do corrente um
eseravo pardo, de nome Marcos, desembarcado
do hiate Sania Anna, vindo do Aracaty, tendo
de idade 28 annos pouco mais ou menos, e os sig-
naes seguintes : altnra regular, secco do corpo.
pouca-barba, cabello crespo, levou camisa e
calca de algodosinho de riscado azul e cha-
peo de palha, tendo levado comsigo orna tronza
com mais roup, e rendido de urna das verimas;
quem o appreender queira leva-le ra da Madre
de Deus n. 38, ou ra do Brum n. 55, que ser*
recompensado.
---..
i


Otarlo de Peraaabnco Sexta felra 9 de Tnlho d l4.
JURISPRUDENCIA
Tribunal de assises do Sena.
l'KOCESSO COITY DE LA POMMERAISAUDIENCIA DE 9
DE UAIO.
(Contrauagiio.)
O Sr. Carlos Massonnet, negociante.O Sr. da remedio. Muitas sabslancias salutares que a me-
ta Pommerais era amigo intimo do marqaez de difltaa prescreve podera tornar-se am veneno.
Frailo, que organisava ama ras Ae> h.inhos em'
Monaco Fsi ,,, I Ass,m' ,udo e veneao *>mado em quantidade
nmnL^? ^^ engaara o Sr. P.gev.u exorbitante. Por exemplo, o pao quente introduzido
aenao-os depois por pregolnfimo. O Sr. Pigevin ??<.
compoz-se depois com o Sr. Pratto. Este enlregou-me' Presidente.Em v.lo buscareis fazer-nos crer
13 acgjs de 1,000 fr. da sociedade de Monaco; e I"0 P5 fl116111 i om veneno, e nunca explicas-
P.Acredita veis na solvabilidado certa de La convenrionouse que Ando o prazo de seis mezes, ,es de u,,ia manera positiva em que empregas
I1'-:.imerais, nao assim t
T. -Sim, Sr, presidente.
P.- Postes vos que pagastes o primeiio premio
dos seguros ?
T.Elle mo disse que as aegoes se achavam en-
tao em baixa, e entregou-me dez ou dnze acees
industriaos que repart pelas companhias de segu-
ros como garanta dis quantias rujo praso estava
vencido; posteriormente paguei os premios e re-
ceb as aceces.
1.Algum tempo antes da niorte da Sra. Pauw
La Pommerais nao vos disse que pretenda com-
prar um palacete?
T.Com eileito elle fallon-me n'um projecto de
um palacio como o em que mora o Sr. Nlaton,
eroio eu ; disse-me que (icaria oceupando o pri-
meiro audar o que alugaria o resto. Tratei de pro-
curar o palacio encommendado ; propuz-lhc um
do valor de 700,000 frascos, que elle achou muito
caro.
P.La Pommerais nao vos fallou em urna som-
ma de 30,000 francos que quera dar Sra. Pauw ?
T. Lembro-me que o Sr. de La Pommerais me
mostrou urna carta em que a Sra. Pauw peJia-lhe
com milita instancia que Ihe manda?se 30,000 fr.
Eile me disse que se acliava em estado de empres-
tar-lhe essa quanlia. Pouco tempo depois, mos-
trou nie urna carta de agradeciioento da Sra.
Pauw pela remessa desses 30,000 fr.
O presidente interroga La Pommerais acerca da
declaracio do corrector de seguros Desmidl.
La Pommerais nao se recorda de ter dito a Des-
midt que ganhara 200,000 francos no jogo da pra-
ga ; cm todo o caso, se elle conversn com a tcste-
miuiha acerca dos seus recursos foi depois de fei-
los os contratos de seguros. Tambem nao Ili3 fal-
lou na compra de um palacete de 400 500,000
trancos, mas talvez de urna casa que sua mulher
de lia muito desejava compraa em Paris.
Demais, accrescenta o aecusado, noto ouiras na-
xactides no depoimento do Sr. Desmidl. Assim,
lerguntar-lhe-hei se nao verdade que elle me
disse que os contratos, ao cabo de tres anuos, po-
dem ser modilicados e rescindidos i
O Sr. Presidente.Elle respondeu a isto di-
'.'ndo que importava que a pessoa que fizesse os
ontratos livesse recursos para continuar o paga-
mento dos premios, porque as rescises nunca se
faziam sem perda para o segurado.
O Sr. Lachaud (advogado do acensado).Qucira
o ir. Desmidl dizer-me se urna pessoa que pagou
20,000 ir. por espacn de tres annos, e que, ao cabo
dote tempo, nao quer vender o scu contrato nem
continuar o pagamento, nao tem direito, deixando
no seguro os 00,000 fr. desembolsados, a urna sora-
ma de... depois da sua niorte ?
Sr. Desmidl.-Tem direito a cerca de 00,000
francos.
O .Presidente.Onde esl o lucro nesle caso?
(> Sr. Lachaud. Por entqoanlo, trato simples-
mente de informarme dos factos.
A testeuiunlia Desmidl, convidada depois a ex-
plicarse a respelo de um emprestimo ;de 4.000
francos que Ihe fizera o Sr.de La Pommerais depois
da niorte da Sra. Pauw, mas cujo recibo fra au-
tcdatado.diz que assim proceder para impedir que
suppuzessem que esse dinheiro representava urna
ommissao.
Francisco Jorge Heim, pintor, membro do insl-
luto, depoc o seguinte :
Eu conheci o Sr. Pauw, que era retocador de
(juadros ; continuei a cultivar relaces com a Sra.
Pauw; ella era muito infeliz. Soccorri-a nao pou-
cas vezes, ella queixava-se da sua situagao. Pou-
co tempo antes da sua morte cncontrei-a na ra :
psdiu-me que subisse, porque quena mostrarme
'"i S. Dntz em oraca que eslava pintado. A
Jra. Pauw, apszar dos seus infortunios, era cnto
muito corajosa ; nanea recuava diante das difflcul-
dades. Sempre a vi trabalhando incansavelineiiie
A testeniunlia diz tambem que ella costumava ir
pcdir-lhc assumptos para os seus quadros; o Sr.
Heim, empregando a sua influencia, nao poucas
oaeommendas Ihe arranjou.
O Presidente.Acensado, ois a testemunha con-
tra a qual fizestes insinuarles.
propna experiencia e at mesmo nos fados obser-. Grum, nem as conversages de Rivarol. l'ra Ilvro
vados pelos Srs. peritos, qno nenhum desses factos curioso seria aquello em que e enconlrassera a
jnstiflea a sua conclusao, e nada prova que a Sra.. historia do nascimento, das alternativas das trans-
Pauw morrea envenenada. mutacoes do folhetim ; seria um pouen' a historia
OSr.Tardea.-Ouvicominteresseaagradaveiroespirito francer' na sa,>'ra- comedia e no
ligad que acaba de dar o Sr. Hbert. Apresentou
cont.

escrevesse a historia do Jornal des
se a divida nao fosse paga, o Sr. Pigevin poderia ts ,fcs 6raramas menos quine centigrammas de
dispar das laes acedes como melhor Ihe parecesse. di8u,ina 'lue ''aviis comprado em 8G3, em casa
n c ,i r.. n de Mnier. ^
u ar. uc i,.u'ommerais apresentou-se om minha
casa para reclama-las. Se. nao mas entrenaos, dis-: acusado.-Quando fiz o meu corso, empre- f
se-me, esgano-vos! e empurrou-me para o fogao., uei W* della as miabas experiencias, na mi- 1^*allv T, C.aSe,Vaa0 d
Eu Ihe disse : esganae-m embota Toquei a cam- nha bolica 5 dei iambni uma PorcSo a alguns col-10^ *ra- mha? mas e na manifest.
painha, minha criada appareceu e eu Ihe ordene! leSas> porquanlo achava-me ento relacionado .aamir*:> alguma, e se elle honvesse assistido a
i tamas exhumacoes como eu saberla que estes ca-
sos de conservaeao se rep'&m a miudo. No cemi-
lono de Montparnasse. por exemplo, sao mu fre-
quentes.
Nos, peritos nomeados pela justiea tinliamos que
examinar dous pontos: A Sra. Pauw suecumbiu
a uhia morto natural ? e, no caso de ter sido enve-
elle, de uma maneira engenhosa, alguns fados cu- IIouve 1"em
riosos, mas que nao se prendem questiio. Eu o! d,'1hi's Por'lt nao appareceu ainda um escriptor
considero chimico eminente, mas, felizmente, nao j eruJit0 e agradavel que tentasse a empreza litte-
exerce a proflssao de douior em medicina, de que jraria lao u,i1, ta0 Pr>'eitosa historia poltica,
tem o Mulo. as suas explieacdes, zombou o Sr. Pl'vsicac litteraria V
douior de nos por causa da admiracSo qae mani- O Itio de Janeiro, novo, mas com hbitos de ve-
feslei, diz elle, vista ilo osisa* Ha <..ncn^inS/ *n Ibo, triste, moroso, quieto, silencioso, capital do im-
perio ; mas com os usos e coslumes de cidade de
empregada exterior-
0 Presidente.Sr. Tardieu, lende a bondade de
que fosse chamar a forea publica com muilas pessoas.
Sao ouvidas algumas'.es.emunhas a respeito da' JJ*' ***"
comm.ssao que o aecusado exigir pelos forneci-
mentos pharmaecuticos feitos sociedade de S
Tlioma de Aquino. s-(approx.mar-vos. A dig.taliua e empregada exte-
riormente ?
O Sr. Simn, medico bomoeopatha, declara que O Sr. Tardieu. Sim, senhor, mas lalvex om
o Sr. de La Pommerais deixou de fazer parte da menor quantidade do que nos remedios que sao: nenada, qual foi a substancia que determinou a
sociedade dos mdicos homoBopathas cm razao de inlroduzidos no estomago. sua morle? O etado dos intestinos nao nos fez
uma circular que publicara contrariamente aos es-
tatuios.
O Sr. Gozzoli, notario, achava-se encarregado
dos negocios da Sra. uubizy e de sua filha. A
O Presidente.Aecusado, quando ojuiz instau- suppr que ella morrera naturalmente, e nos con-
rador do processo vos perguntou o que era feito cluimos que liouvera envenenamento. Isto posto,
da digitalina que havieis comprado, respondestes:! Qual fra a substancia empregada? tal era a tare-
provincia, avaro, sensato, detestando o ruido e o
movimenlo, caminhando a medo pela estrada do
progresso, est mnito longe de se aprestar as exi-
gencias do folhetim.
Difflcifttente- 36 pode fazer idea do horror que
aquello accidente produziu cutre os habitantes de
Trpoli.
Receiava se de que o incendio se eommunicasse
a outro armazem de plvora que eslava prximo
daquelle em que houve a explosao.
A isto ainda se accrescentava outro motivo de
receio.
As portas da prisao foram arrombadas rom o
abalo, e lodos os malfeitores conseguiram escapar ;
lemiam-se geraimonte os seus excessos.
Espalhou-se mesmo o boato de que os Arabos
pretendiam entrar para saquear a cidade.
Foi tal o susto nos primeiros momentos, que nin-
guein quena ir |buscar agua para extinguir o fogo
que destruiu a fortaleza.
Para tranquilizar a popnlacao, resolveo o pacha
Mahmoud, a instancias do cnsul de Franca, diri-
0 que querieis que eu fizesse de tamanha quan-
maeoppuzerase ao casamento, sua fortuna'pes- tidade de diS'lalina ?--- ella ha de apparecer...
soal subia a 45,000 francos pouco mais ou menos.
O Sr. Mignot, doutor em medicina, amigo do
E at ao presente ainda nao appareceu.
S depois que deixastes de estar incomroani-
Sr. Loiseau, medico que fra chamado' para soc- cavel e pudestes faUar as pessoas que vos procu"
correr Sra. Dubizy, declara que este Ibecommu- "T' 5L S?^ que V0SS0 cunhad ,inba
nicou as desconfianzas que nutria a respeito da
morte repentina dessa senhora.
O Sr. Laley, medico, examinou o cadver da
Sra. Dubizy e julgou que ella suecumbira
estrangularlo interna.
levado essa digilatina.
O aecusado. Mas eu j tive a honra de dizer-
vos, Sr. presidente, que nao pude entenderme
com pessoa alguma, porquanto nunca eonversei
fa do Sr. Roussin, que declarou que havia vehe-
mentes presumpces para crr-se que tinha sido a
digitalina.
a uma ^ com ,uinna mulher senao diante de testemunhas.
O aecusado explica como, segundo o seu syste-
---------------0- VW WW *^ *HIUM,U. "JUil

ram as causas da morte.
O Sr. Gaudinot, medico, foi consultado por essa
O Sr. Tardieu :Para refutar o que elle disse,
senhora, que se Ihe queixou de uma queda aue de PreC'S repet"* 'daS SUaS Palavras- Demais
ra. Suppoz que deveria attribuir a sua morte a ? *fn?*> ?Wa un,as P'jcas mas ellas vinham da
O aecusado.Insinuad-oes!
propria Sra. Pauw.
Segue-se o depoimento do Sr. Cloqucmin, drec"
lor da caixa Paternal. Refere elle factos que j
io conhecidos. Pergunta^io so ha algum meio de
um segurado ganhar com o contrato da seguro an-
tes de findo o seu prazo. responde negativamente.
Declara depois que se a companhia soubesse que
o Sr. de La Pommerais era medico, nao teria tra-
tado com elle.
O Sr. A. Luiz, procuraJor de causas, era o ad-
vogado do acensado. Suppe que Li Pommerais,
na poca do seu casamento, nao tinha outra fortu-
na alm dos recursos que seu pae podia ministrar-
Ihe.
O Sr. Mnier, fabricante de productos chimicos,
declara ter vendido tres grammas de digitalina ao
aecusado.
Depois de ouvidos mals alguns depoimentos in-
significantes, sao hamados por seu turno os Srs.
.Nlalon, Velpeau e Desormaux, os quaes, sem se
recordarem precisamente da visita da Sra. Pauw,
declaram a vista das receitas que Ihe deram, que
o estado de sado dessa senhora bem longo estava
de ser grave.
O Sr. Pigevin (negociante de vinhos).O Sr.
marquez de Pratto fez-rae uma encommenda de vi-
nhos no valor de 10,000 fr., que elle vendeu no
Havre. Depois filo recolher prisao de Clichy;
mas, aborrecido de sustenta-lo, requer a sua sol-
tura.
Depois, o Sr. de La Pommerais, que era amigo
do Sr. Pratto, afiangou a divida. Um dia.fiquei
muito admirado recebendo de um individuo cha-
mado Rioublanc uma caria que annunciava-me
que o Sr. de La Pommerais acabava de perder sua
sogra; que esla morrra endividada, e que o Sr.
de La Pommerais via-se obrigado a relirar-se para
paiz estrangeiro.
Dirgi-me a sua casa, na ra dos Santos Padres
c tanto mais fcilmente acreditei na partida annun-
ciada, quando encontrei toda a sua mobila em de-
sordena. Consent na proposta que elle mu fazia
de dar-me 1.500 francos pela sua divida.
O Presidente.Entao, enganaveis a testemunha
tingindo que ieis partir ?
O aecusado.Sim, senhor. Elle suppoz que eu
ia partir, quando s tratava da minha mudanca
para a ra dos Santos Padres. (O aecusado torna
a sentar-so rindo-se.) O senhor tinha oblido por
sorpreza a minha assignatura.
A testemunha.Nao houve tal sorpreza; nem
seqner vos persegu. Guardei as vossas letras o
disse-vos que nao quera afligir vosso pae, que
nao quera cortar a vossa carreira, e que espera-
ra pelo pagamento. O que eu quera de vos era
uma garanta.
uma peruracao do estomago, e deu um attestado
declarando isto mesmo.
O Sr. Nicolao, medico, verificou offlcialmente a
morte da Sra. Pauw, que tambem attribuia a uma
perfuracao do estomago.
Depois de um incidente sem importancia, relati-
vo ao titulo de conde assumido pelo aecusado,
este interrogado a respeito de uma tentativa do
suicidio. 0 aecusado nao o nega.
Cumprc, diz elle, que cada um faca dea da si-
tuacao em que me achava nosse momento: consi-
derando-me perdido, deshonrads, quiz attentar
contra os meus das Quanto ao segundo suicidio-
nao lendes mais que recorrer s cartas qud rece-
bi. Se as lerdos aos Srs. jurados, elles compre-
henderao perfeitaraenle o meu desespero. Estive
rigorosamente incommunicavel. Nao vi pessoa
alguma ; devo declarar publicamente que fui sem-
pre bem tratado pelo Sr. director da prisao. Mas
o que ( certo que nao pude ver pessoa alguma.
nem mesmo o medico da prisao, sem que se achas-
se presente o director ou dous carcereiros.
O Sr. Ambrosio Tardieu, professor de medici-
na legal na faculdade de medicina de Paris, depoe
no meio do mais profundo silencio, e d conta das
experiencias a que elle e o seu ccllaborador pro-
cederam por ordem da juslica -.obre os intestinos
da senhora Pauw.
Conforme se tem dito diversas vezes no decurso
deste processo, os intestinos da senhora Pauw es-
lavam intactos. O estomago, principalmente, es-
tava perfeitamente loteiro, e, bem entendido, nao
apresentava o menor vestigio de perfurajao.
O Sr. Tardieu explica aos jurados que os peri-
tos concluiram que a senhora Pauw morrera en-
venenada, depois de terem procedido a uma serie
de experiencias sobre alguns animaes, tanto com
a materia dos vom tos que foram tirados do soalho,
como com pedacos dos intestinos do cadver.
O presidente.Aecusado, que leudes que res-
ponder? acabaes de ouvir o depoimento do Sr.
Dr. Tardieu e as suas concluses.
O acensado.Um homem mais habilitado do que
eu responder daqui a pouco ao Sr. Tardieu; quanto
a mim, abstenho-me.
Apesardesta abstencao annunciada, o aecusado
troca algumas explicagoes com o Dr. Tardieu.
La Pommerais faz a testemunha as mesmas per-
gunlas que fizera aos Drs. Danet e Blachez. e
diverge do seu parecer.
O Sr. Tardieu acredita que a imprudencia que
CHiimetlra a senhora Pauw lavando-se depois de
jamar. n.o poda produzir um incommodo seguido
de morte. Os vmitos que tiveram lugar deve-
rlam allivia-la inmediatamente.
Um jurado. Por que deixaram os peritos de
continuar as experiencias sobre o segundo cao
que j tinha engolido um pedaco dos intestinos da
senhora Pauw ?
O Sr. Tardieu.Porque quizemos conservar uma
parte dos intestinos e uma certa quantidade da di-
gitalina, alim de poderem ser repetidas as expe-
riencias se assim o exigisse a justiga.
Aqu entre as pecas de conviegao, anda ha me-
lado dos intestinos.
O Sr. Tardieu trata depois do que diz respeito
morte da senhora Dubizy.
A conservado em que adiamos o cadver da
senhora Dubizy, diz elle, explicase pelas circums-
tancias da sua nhumacao. Ella tora depositada,
dentro de um caixao de carvalho, no carneiro de
sua familia. O rosto estava de lodo desfigurado,
mas o corpo achava-se bem conservado via-se
que essa senhora; sendo sobremaneira gorda, nao
morrra de urna doenca que durasse muito.
Os intestinos prncipaes achavam-se em um es-
tado que torna difficil explicarse o bito dessa se-
nhora pelos efTeitos de uma doenca natural. A
morte da seubora Dubizy nao podo ser explicada
por um ataque de apoplexia, nem pelo cholera,
nem por um aneurisma.
O Sr. Francisco Zacharias Roussin, professor de
i-humea, perito-chimico nomeado pela justiga para
ajudar o Sr. Tardieu, d conta em primoiro lugar
do grande numero de venenos de toda a qualida-
de qne foram achados em casa do aecusado. Ti-
nha elle em seu poder sublimado corrosivo, slry-
chnina, que um veneno violenlissimo, e hy-
drochlorato de morphina.
O perito verflcou que o aecusado chegara a ter
em seu poder doze grammas desta ultima subs-
tancia, da qual s restavam quatro grammas, e de
tres grammas de digitalina que tivera sua dis-
posicao, s tinham apparecido quinze centigram-
mas.
O aecusado declara qne esses venenos erara des-
tinados experiencas physiologicas.
O Sr. Roussin. Mas para fazer experiencias,
sobre ludo em homoeopathia, nao ha necessidade
de tamanhas quantidades...
O aecusado. Nao cessam de preoecuparera-se
com essa quantidade de digitalina que eu tinha em
meu poder ; mas par que hao de suppor que era
para emprega-la criminosamente T A digitalina
tradiccao. Com as dses que elle indica, poderiara
ser mortas muitas pessoas. Diz que emprega a di-
gitalina na agua ou no estado natural; mas uma
circunstancia que elle parece ignorar, que a di-
gitalina, sendo um p mui tenue e leve, sobrenada
e nao se mistura com a agua. Assim, quando elle
diz que d a digitalina misturada com a agua, nao
a d tal, ou se a d no estado natural, a dse que
indica tao forte que, conforme j disse, matar
muitas pessoas. (Movimentos diversos; o aecusado
torna a sentarse sem responder.)
O Sr. Roussin:Tratamos de indagar o que fra
fetoda quantidade de digitalina que faltara. Como
o aecusado tinha dito ao juiz instaurador do pro-
cesso que o seu cunhado o Sr. Herolde, lirra de
cima da sua mesa alguns papis conlendo digitali-
na, procedemos a urna busca em casa do Sr. He-
rolde. Adiamos om emrulno com o sesurnte ro-
tulo : Digitalina, 50. Seria cincoenta ceotigram-
mas o que significava esse rotulo ? Mas o embru-
Iho s conlinha assucar de Jeite em p.
A testemunha pondera que nao ha balases suf-
ficienlemente delicadas para pesarse a quantidade
de digitalina que qualquer pessoa pode supportar.
Estas bataneas s existen em cerlos laboratorios;
tal o motivo porque s nem todos os pharraaeeutl-
cos preparam granulos de digitaKna, e se- asa da
maior precaucao no seu fabrico.
O acensado nao tinha em casa balancas- suffl-
cientemente delicadas par poder com seguranza
fazer preparacoes pharmaceuiicas. Quando o* phar-
maceuticos teem de preparar granulos de-digitali-
na, eis aqu como o pesanv : tomam graosinhos de
assucar dte tamauho egoat e os impregoam- leve-
mente de digitalina. E" assim que se suppre-a fal-
ta de exaetido das balancas.
O presidente :Sr. Tardieu, fazei o favor de vos
approximardes outra ver Esquecemo-no& de pe-
dir que no* desseis a vossa opinio a respeito de
uma receto que contivesse d;z centigrammas de
O Sr. Hbert fez uma contusao, dizendo que a
digitalina em pequea dse nao era um veneno: a
digitalina opera sempre toxicologicamente. Levou
a mal que tivessemos escolhido um coelhopara as
experiencias, porque este animal menos sensivel
digitalina. Mas foi justamente por isto que o es-
colhemos, e bem assim as ras. Quanto mais sensi-
vel o animal a uma substancia, tanto mais pro-
longadas podem ser as observacoes que se fazem
sobre elle.
O Sr. Hbert:A minha opinio que os peri.
tos laborara completamente em erro, e prometi
submetler esa questao academia de medi-
cina.
O Presidente : Nao vos exprmiaes assim,
senhor. Trala-se de quesilos bem explcitos que a
justiea propz aos senhores peritos, e etles respon-
dern! segundo a sua consciencia.
O Sr. Hbert:Nao duvido. Mas se os peritos
cedecem aos dtetames da consciencia, tambem
devem obedecer aos da justiea.
O Sr. Lachaud :Peco ao Sr. Tardieu qtie res-
ponda a esta pergunta: quando uma pessoa sucum-
be a uma doenca, da-qual nao ha certeza, de\ eremos
concluir que morreu envenenada?
OS. Tardieu :Agora afastamo-nos um pouco
da questao. De certa niio se deve dizer : esta pes-
soa morreu envenenada! Mas oinguem deixar- de
diz-k>-uando todos os-symptomas observados fo-
rera es de envenenamento: Ota, nao lendo nos
notado vestigios de veneno ao fazer a autopsia
roas havendo adiado junto da cama da doente uma
substancia que envenenou. diversos animaes, nao
podemos- deixar de concluir que a morte nao fra
natural.
O Sr. Roussin :Sr. presidente, se estas tabeas
(mostra as taboas que esli entre as pecas de con-
viego) podessem ser aqu collocadaa no estado em
que se acharan, fallaran mais eloqoentemento do
que me- dado faz-lo. (A testemunha toma com
vivacidade uma das taboas do sealho e a apresenta
aos jurados, que se levantara para eaamina-la. O
soalho era.de pnho.)
Eis uma taboa que nao estove om ?ontacto com
dejecQoes slomachaes. Appollo para a consciencia
do Sr. Ht-bert, e elle que me diga se pode crer que
raspando uma taboa, Ihe- seria possivel extrahir
del la materias capazes de envenenaren] um ani-
mal ?
O Sr. Hbert:Podem existir na taboa mate-
rias em deeomposico, e se ellas forenu applicadas
a um animal, sobre tudo.introduzindo-m'as sob a
pelle por meio de uma ineisao, podem determinar
a morte.
O sr. Roussin :Nao possivel. Olhae para
esta taboa. Nos raspamos com um pedago de vi-
dro o quacstava as taboas perto da cama e que
Que theatros, que actores, que livro?, que es- gir-se ao lugar do perigo. O cnsul acompanhou o
criptores, que jardins pblicos, que moda?, que ar- pacha at s ruinas.
Esta demonstrado produziu o melhor effeifo na
populacao, que comecnu ento a trabalhar para ex-
tinguir o incendio.
Tendo decerrido a noute sem novas desgracas
Cissiparam-se Iodos os receios.
Ocheik-el-beled, queo mare qne dirige os ne-
gocios da cidade, eonduziu-se com muita coragem.
Chegado ao lugar (h explosao, logo depois do triste
tistas, que movimenlo artstico, em uma patarra,
tem elle ? Nem um.
D'alii uasce a absoluta falta, em que vivemos de
folhetins e de folhetiatstas. Aqu nem uns nrm
oulros podem ser o que devem e o que sao em Pa-
ris : d'ahi resulta essa materia esdruxula, sobre
que se extasa a leitura constante, sem encontrar
uma lloro leitor mais curioso e mais exigente:
d'ahi provra que se escreve um folhetim, que I acontecimento, teve a fortuna de poder salvar cin-
smultaneamente uma revista municipal, uma com-'ct> individuos, que gemiam debis* das ruinas do
pilagaooflieial, um reclamo de espectculos, uma uma "sa.
noticia poltica, uma censura a polica o um re-
gistro industrial, um tuti quant, em que a grapa
um problema, o estvlo pesado, as ideas velhas e
j servidas iBnumeras vezes.
O lugar nao se presta ao folhetim : mas escre-
vem-n'o boje, como costume, que j w converte
em le, e deixa-se livre aos amadores do Gymna-
so, Athencu o S. Pedro, o campo da critica que
se estabelece na segunda e lerceira pagina do3 jor-
naes, e se exerce em insultos para uns, em elogios
parvos oulros, em semsabores convites bene-
ficio.
Tudo isso d-nos ama vaga idea das lutaa bjo-
?aes da aldea, em que o boticario o centro poi-
Jgnora-sea causa do s4nistro, que rebenlou n'uma
ofllcina onde se trabalhava na colleccao de carlu-
xos para o exercito.
A primeira explosao (porque houve do succes-
sivas), foi produzida por um masso de cartuchos
que cc-briram de balas o quarteirao prximo.
A Voz 49 lenteja d a segante noticia :
N'uma herdade, a uma legua da villa, desappa-
receu uma pequeua de 27 2*' mezes, durante o
curio espado-de tempo emquantosua mae sanio de
casa a buscar tenha.
Verificada a falta, procuraram-na immediara-
mente em todos os lugares visinBos, e sem quea
tico, o mestre escola a lole litteraria, e o eura o I encontrasse, apenas lbe dizem un^irabalhaderes-
principio e o fira da* controversias religiosas, o \ que se achavam prximos, que a eavlram chamar
barbeiro o circulo em qne se discute, em que se | a pequea distancia d'alli.
Perguntando no local indicado, nao se v nenv
vestigios.
A anciedade e-admiragao se apossam entao dos-
meios-
dao noticias; em que a maledicencia se toma em
calumnia, e a mentira em verdade, a praga publi-
ca emfim.
Nae-nos apartaremos desse caminho, cm qoe-l earinhosos paes, que recorrem a todos os
antecessores nossos tem oolhido palmas, que ar- Para descobrir seu' liBiinho.
testan* ao mesmo tempo espirito esperdigado, e fal-
ta de goslo nos coslumes pblicos.
Nao obstante estas longas- observagoes entrare-
mos por nossa vez no dominio commum, e faze-
mos ao menos o esforco de- aos- conservarmos na
altura dos- usos estabelecidos-, e dos oostumes en-
raizados.
L-se no>Jornal do Commerotodb Lisboa, o se-
guinte :
De .Madrid vieram LJsb&> uns delegados, do
comit central progressista, eneaTregados de fazc-
rem exhumar e conduzir raoiial de Hespanha os
restos mortaes de D. Diego Muoz Torrero, que
foi bispo eleito de Guadix, e depulado s cortes de
Cdiz em 1812, e que fallecen preso na torre de
SvJulio da Barra, em 16 de margo de 1829.
NodiaOdo crreme, s 10'horas e meia da
manla os Srs. 1). Ramn Mara Culatrava, D.
Servando Rui* Gmez eD. Guilherme Crespo, com-
missionados do comit de Madrid, acompanhados
Chegam mesmo- eorrer um matto prximo au-
xiliados de muita gente e at de caes, sem que fi-
que uma nica manta por ver. Passam Ntas-mais
trriveis de sua vidn, sem ter, ao menos; um ves-
tigio que Ihes indique a sorle do innocente.-
Presumem um rapto-, o na verdade, aiada que
com mui poucas potabilidades, era d-todas as
conjeciuras a que pareca mais raciona^ e nesta
id-ia seguiam a longj> distancia j um hornero que
Ihes disserara segua montado n'um jumento,-e le-
vando um pequeo om sigo.
Mas, mais uma nova decepgo tinham a-seflirer
os infelizes e descenso'.ados paes. O pequeo que
o viajante conduzia v.'.o era o seu !___
Voltam desesperados para a sua modesta *abi-
tarao, nao sem prireeiro terem recorrido magia
de om feiticeiro dos eoatornos, que desta vez-pa-
rece-nao evocara os-Jespiritos como fama, e
que thes diz nada poder dizer e esperando
s da Providencia o ace o raciocinio e amor ma-
ternal nao rosegue, sao-informados de quo seu
chlorato de morphina.
O Sr. Tardieu :Digo que isso seria uma- receta
para muitos doentes. (Sensaco.)
sobre animaes revelam, na opinio da testemunha,
um envenenamento por meio de qualquer outra
substancia que nao a digitalina. Assim. o relatorio
declara que as palpitacoes do corac,o haviam afrou-
xado.
Nos envenenamentos por mel da digitalina, diz
o Sr. Hbert, d-se justamente o contrario. Esta
substancia, na verdade, tem a propriedade de
afrouxar as palpitacoes do corapao, mas s quando
tomada em pequea dse: ao passo.que em gran-
de quantidade lem por effeito precipitar essas pul-
sagoes. E o chimico que descobrio a digitalina, e
que era um dos homens mais honrados deste secu-
te, teve a franqueza de confessar este phenomeno, j
posto qne se achasse determinado a fazer da digita- i
lina um ramo de commercio. Tal a opinio dos
professores tao distinctos d'Alfor, Srs. Raynal c-
Dupuis em Franca, e do Sr. Stanisas na Allemanha..
digitalina e vinte cinco centigrammas de- hydro- nos uareeia dejeeges. Inlroduzinios- a materia
assim raspada em alcooi........
O Sr. Tardieu :-Em alcooi de 9o grus.
O Sr. Roussin :O alcooi foi filtrado e evapora-
do, e eu.digo que se houvesse materias em decom-
0 Sr. Loa Hbert, doutor em medicina e phar posigo,.materias ptridas, ellas teriam de^npare-
maceulicoem chele da dioica, discute o-relatorio cido em contac[0 com 0 a|coo|
Tardieu e Roussin. As experiencias feitas 0 Sr Hbert, com vivacidade :~Ah! isto de
mais!
(Movimento no auditorio.)
O Presidente :Sr.. Roussin, testes vos que ras-
pasles-estas taboas ?
O Sr. Roussin :-Sim, senhor, e lavei a materia
oblida em alcooi de 9o graos. Nenhuma materia
ptrida houvera resistido a esta e.tperiencia.
C-Presidente :Tendes ccrteza.de que nao havia
sobre estas taboas-materias ptridas?
"i Sr. Tardieu Sem duvida nenhuma, senbon
presidente.
(Sotftmar-se-na.J
pelos Srs. D. Antonio e D. Romualdo Fernandez e'fi'ho-se achava morto-as proximidades da habi-
Munoi Torrero, prenles do finado bispo eleito, e taca.
LITTERATR.
191 POUfi, DE TODO.
L-se no Sonstttm iotubo seguinte :
O folhetsm nao poda, ter nascido algures qse-nao
Admira-se que os peritos houvessem escolhido-
coclhos para as suas experiencias, quando sabi- i
do que nao ha animal mais resistente digiiana,! em Paris' aPa,ria classica por excellencia, dasba-
excepgao do frange qae pede supportar grandes Satellas e das revobces, dos caprichos e dasam-
dses dessa substancia. j bi55e?. ^B moda e do ridiculo, da scienca oda ig-
Quanto experiencia taita sobre ras, nacaaeha | Ef*l22 VC0' dr3ma ? '
aeeitavel. Assim, omou don. ras, esfoou-as, deu ^f nh TV 22 ^ 8 ? T
a uma seis gottas de urna solucao de digalina, e : ^Jti* *^ *
nada deu outra As pulsagoes do corajo desta!
afrouxaram quasi na mama progressao. das da que ^ uma c*^a,'e europea onde o movimenlo gc-
lomra a solugio, e este frouxamento. se explica i *** das idas e^'f>ordinario, onde os costumes
pela leve hemorrhagia que se d ero cjaalquer ani- j wtao^marcados polo cunho da mais refinada civi-
mal quando. estola-a lisacao, cede a athmosphera moral est impregna-
A raa a que deu seis gottas d* solucao morre* deheeen,'>s vivificadores para todas as pai-
ao cabo do quatro horas e a ouira s oi'to horas da ix5es humanas' nasco /olhet'm ^a revista seria
noute; a experiencia tinha comegado a ama hora e i ****cnt,ca e saty.nea' ,,eiita Vntoti*, ra
pelos Srs. D. Manuel Montesino, D; Eusebk) Cor-
dero, D. Jo> Navarro e D. Ventora Tamayo, ami-
gos-dos cavallieiros commissianados, se dirigirn
ao oomilerio de Oeras, onde repousam os restos
mortaes do grande patriota hespanhol.
Ahi se proeedeu exhumacao, o os ossos se
tro-iteram para Lisboa.
B/.Diego-Muoz Torrero foi-um dos ornamentos
dessas memoFaveis cortes de Cdiz, que procla-
mando na pennsula o principio da soberana po-
pular e os dipeitos do homem, ao mesmo tempo in-
flamroaram um povo heroico para, em Iota titni-
ca,, rea vidicar os seus foros, ignominiosamente
trailidos em Bayona.
9-eloquene Muoz Torrero foi um do>-strenuos
propuqnadores de todas as berdades e garantias-
pepularcs, e a sua voz enrgica e sonora protestou
centra os vergonzosos pactos e abdteaces dos
ptncines, que em Bayona aiTrontaram cobarde-
mente a.heara da sua palria e do ths-ono de Hes-
panha.
O patricia hespanhol astava emigrado em Lis-
boa, quaado se reconhoceu a usurpagao do ex-
infante D. Miguel, o qual estava no melhor accor-
do.com, Fernando VII, para persegoirem os I i te-
raes-,.a al exiermina-!os. Muoz "Borrero foi pre-
sle em 13 de noveint.ro de 1828 ntiytq na torro
de S. Jnlio. E, cou:-a singular, c.priineiro preso
politizo que entrou as masmorras-de S. Juliao foi
um emigrado hespanhol, o alfares- D. Francis-
co Bermejo, que entrn na torre 14 de maio-de
V828.
Pouco tempo durou o capliv.iro do patriota bis-
po eleito de Guadix. Apenas duco mezes geroeu
aaqnellas catacombas, onde foram niarlysisados
tantos homens distinctos.
U bispo eleite de Guadix fui sepultado-no cemi-
terio onde eryn enterradi. os que flleciam na
torre. Depi..- de 1831, lor am por diligencias de
alguns patricias hespanhoes, trasladados os seus
restos mortaes para o ceaiiteriodeOeiras e ahi Ihe
puzeram uma lapide. A u.ora,tendo-se augmentado o
cemiteric aquelle sitio estava ceberto de entulho,
que foi uecessario remover,, para, descobrir a la-
pide.
Em, Madrid hao toser receidos cora pompa os
reste de Diega Muoz Torrero. Tem-se pro-
movido uma subseripgao psra esse fim.
A municpalidade de Madrid ordenou que a ra
denominada dt Sordo s ftque chamando de Mu-
boz Torrero> como hooieoagem ao eloquente e pa-
triota bispo eleito de Guadix e deputado s edrles
cincoenta e dous minutos.
pida e pesada, em que o estvlo prejudica a ida, de 1812.
Kmfim, ateslemunha conciue que o cao, caja,m QUe a ida deve ^r nova e o estylo origraal., O partido progressista hespanhol, prestando es-
norte foi a.lribuida s materias que se recolheram E s~> a PU1 da Franga vive e pode vi- ^TZZ^r^T^ l "^S *
raspando-se do soalho, nao morrera envenenado!ver folne,im- Pr1ue e a pilal, oadeelle L^? ntZ? T *
pela digitalina encontra o seu assumpto e os seus homens. Fra \llberdade e independencia nacional, e contra os
Ouanto ao segunda eao se esleve gravemente' d*abi folhe,ira Pal,id0' n5se circnmscreve ao 'emerarios projectos da reaegao fantica acaricia-
i p%ue no n;dacod tetes noToue rreno e invade o de outros, S sua idea nao *** deploraveis lev.andades cortezaas.
indisposlo, foi porque no pedago de intestinos que
ia porcao de materia p-
trida, que inlroduzida no saague, causa graves per ris,ic0-
Ihe applicaram havia ama porcao de materia ou- nova- nem est>lo ori'nal e Prftrio 8 carac,' I par,ill,0-)ro!ress;s,a POuguez associa-se a es-
M1/L..M-J-1._____ v pa *,.! I" mamfestagoes feitas a memoria de um dos
turbagoes, e admira-se que osse cao nao tivesse I Tem os Francezes a primaiia sobre lodos os ou
mais conspicuos filhos das Hespanhas, que na pe-
nnsula ibrica levantaram o grito da emancipadlo
morado- tros povos em materia de elegancia, de graga e de popQ|ar w
As mesmas materias introdnzidas no estomago espirito, e eoube-lhes a propriedade do folhetim,, .
bem longe estao de produzirem os mesmos efTeitos.' que escrevem como mnguem mais. Baumarchais \ n .
Alguns camponezes da vizinhanga da escola de escreven uro verso que os pintara : S !ae9 Vtt> os seen,n,es Pormenores a
A.fort comeram carne de cava.los raortos de ga- Le franns n nuin el *****; e ca>m. gE? ^ """* *" CCma "* de
!^fir!2!r incommodo a.!?r i, Ta t 'lhes ihonras da ir530- do carac,er u- n 3 >ai. ^a
oeUaT^ioTnr^-A T da;eirodesseP0,;oo1f0lhe"ra'COm e"e d6VeSer: ,arde. toivac^^fMth plvora de ura dos
^JZT 0dcua,aiDC,sa|0'ho,lv era ocesrona., espirituoso e simples : em nenhum outro paiz sa fortes> e Vexplosao cobriu de ruinas um quartei-
iL ElI ,ncommodos- A encontrara as mesmas causas geradoras nem con- r-ao inleiro houve muitas viclimas entr04a
Emfira, todos sabem que a picada de uma mosea seguinlemente os mesmos effeitos. laca0) e principalmente entre os soldados, por isso
I atacado de carbun- A formada folhetim moderna, mas o fundo que naquelle forte estavam aquarteladas duVs com-
culo pode ser mortal.
De quanto tive a honra de diier-vos, accrescen-
antigo, o espirito antiqnissimo, desde Mathurim
Rgraer, autor de satyras, at o ultimo folhetim de
pnhias.
As ultimas noticias nao lndicam o numero mas
umvenepo, na verdade as gualrneato ura ta o Sr. Hbert, concluo, baseando-we na minha Jamo, nao esquecendo a Gazeta Litterqriq, de dixetn que. deve ser consideravel.
Mas em que estado ?'!
Em completa pulreacgo e sem bragos. nsostran -
do lerem-Ihe sido arrancados t I!
Avhypothese de uma fra inadmissivel, nao s
pelo modo porque se vser feito o decepamento, mais
ainda porque o cadver foi encontrado n'oro sitio
i-in ;ue mais de uma vez fra perguntado,.no se
encontrando o chapen o una pequea bengala-que
o pequeo levava quando desappareceu ; e mesmo
porqne uma fra nao preferira os bracos-para
saciar a sua voracidade, e quando mesmo o
fizesse oppunham-se ainda a esta ida os fectos
de nao ter sido viste-dias anles neste mesmo local,,
a falta de chapu e muitos outros.
Que foi um horrivel attentado, parece fra de
duvida : o modo como e por qnem feito, que na-
da.por ora o indica,.nao obstante as diligencias-da.
autordade, e de que daremos conta se dellas-se
ceiher algum fruc:c.
Indagando-se -e alguem seria interjs.-ado n_
morte do innocente na ida de que pon este lado
se entrara no fio-do myslerio, constou que nao,, j-
que seus paes e prenles sao mui pobres..
Chamamos a atengao dos pensadoras-para, um
faci lio singular e enrollo em tao deaso mis-
terio.
O llustratctLznilon News, que araa-.das-.iais
notaveis revistas que se publican na.Buropav pu-
blica a seguala curiosa noticia estatifica da-fopu-
lagao humana em todo o globo :
A trra rontm 1,8 mitnes do individuos, a
saber : 30imilhes do raga caucasiana, 532 da
monglica, 190 da ethiopica, l da iado-amaricana e
176 da raalaia.
Todas estas ragas fallam 3,6ii iogua differen-
tes, e ptufessam t,000 religies diversas
Morrem cada anno 333,333;333: individuos, o
que di91,5Sl por dia, 3,730 por. hora e 60 por mi-
nuto.
Cada uma das nossas pulsagoes eoincide, portan-,
to, toro a ti.-f te de uma creaiura humana.
&st proporcional de nascimeatos.
A duraeo media da vida de 33 anaos.
lima qoarta parle Batan antes de chegar ms T
annos e uma metade antes dos 17.
De 10,000 pessoas s. ucaa chega a 10O.annosv
por eada 500 chega uma aaa 90 e por cada 4H>,uma,
aos 60.
Os homens casados vivero mais qan> os solj.
teiros.
De cada i,OOth pessoas casam 65.
A maior parte dos casamentos effettuam-se, nos
mezes de junho e dezembro.
S uma oitava parle da popuIagSo. apta para a
carreira militar.
As profiesdes exercem grande influencia na pro-
longagao da vida.
Com relago a 1,000 individuos, chegam aos 70
annos 4S ecelesiaslicos, 40 lavradores, 33 nego-v
ciaales e operarios, 32 soldados e empregados, 9>
advogados o engenheiros, 27 professores e 24 m-
dicos.
Os mdicos, que tratam de prolongar a vida dos.
outros, sao precisamente os que vivem meaos.
Ha 335 mlhoes de chrislaos, 5 milhos do israe-
litas, 60 milhdes de individuos das retigides asi-
ticas, 160 mimes de mahometanos e 800 milh5es
de pagaos.
Na egreja christla 170 mllhes pertencem re,
liglao catholica romana, 7o ao culto grego e 80 ao
protestante.
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. t)g F. 4 FILHO
7



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EII4BX867_FJ53PX INGEST_TIME 2013-08-28T01:52:06Z PACKAGE AA00011611_10422
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES