Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10420


This item is only available as the following downloads:


Full Text

lili Hfc
I

1IT IL. HOMERO 164.
Ptr tres mezes adiantados 5$O00
Por tres mezes vencidos 6$00
Porte ao correio por tres mezes. #750
.**

OARTA FEIRA 20 DE JLHO DE 1864.
Por aano aflautado. 4 49$00O
Porte ao correio por nm anno 3|)00

1NCARREADOS BA SUBSCRIPTO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty,
8r. A. de Leraos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
BNCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL-
Alagdas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Baha, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins iSi Gasparino.
l'ARTIDA DOS ETAFEf AS.
Oiinda, Cabo e Escada todos os dias.
guarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vist?, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Serinhaem, Rio Forra'oso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi da.
EPHEMERIDES 1)0 MEZ LE JULHO.
;t La nova as 10 h., 5 m. e 13 da m.
12 Quarto cresc. a 1 n., 26 m. e 14 s. da m.
19 La cheia as 4 h., lo m. e 14 s. da m.
25 Quarto ming. as 6 h., 26 m. e 8 s. da t.
PREAMAR DE HOJB.
Primeira as
j Segunda as
4 horas e 30 minutos da tarde.
4 horas e .'i minutos da manha.
PARTIDA 1)03 VAPORES COSTEIR03.
Para o sal at Alagas a 5 e 2."; par* o norte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernn to nos
dias 14 dos mezes de jan. marc,maiojul,sct. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Api puros s 6 /, 7, 7 /, 8 e
8 V da m.; de Oiinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6 '/i da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife : para o Api pucos s 3 '/,, 4, 4 Vt, 4 V?,
5, 5 '/j, 5 l/i e 6 da tarde; para Oiinda s 7 da
manha e 4 '/2 da tarde : para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cachang e Varzea s 4 Bemftf\s4datarde.
AUDIENCIA LO TRIBUNAES DA CAPITAL
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s l horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
DL 8 -'A BEM/iNA.
18. Segunda. S. Rufino b.: S. Frederico b.
19. Terca. S. Vicente do Paula ; S. urea v.
20. Qua'ita. S. Jeronymo Emiliano.
21. Quima, s. ik'iiriiiuc imperador.
22. Sexta. S. Mara Magdalena-, S. Menelioab.
23. Sabbado. S. Apolioark) b. ni.; S. Liboriob.
2i. Domingo. S. Francisco Solauo f.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a iivrana da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria k Filho.
PARTE GFFIGIAL
GOVERNO DA PROVINCIA.
Contiunaro do expediente do dia 13 de julho
de 1864.
Ollicio ao inspector da thesouraria de fazenda.-
Quanto, porm, aos motivos expostos em seu O incendio pnncipiou as casas da familia do
citado ollicio, pelos quaes nao tetn podido reunir- Sr. Dr. Ribeiro. Andavam a mudar toda a mobi-
se essa cmara, tenho a dizer que deve Vine, co- lia para a sua quinta da Concnada, e por descuido
mo presidente e com o respectivo secretario con- se incendiou uin enxergo, donde em breve se
vocar, nos termos do aviso de 23 de junho de 1834, propagou o fogo por toda a casa, sem que de nada
os supplentes, deferindo juramento aos que ainda valessem os maiores esforcos.
o nao prestaram, alim de completar o numero Esta infeliz familia ha pouco lempo soffreu gran-
preciso para que possa haver sessao, fazendo Vmc. de perda do Sr. l)r. Ribeiro, e Ja hoje luta com ou-
mnltar na forma do artigo 28 da lei do primeiro de tra adversidade.
oulubro de 1828 e aviso de 11 de oulubro de 1832, .1' ultima hora. Conseguiu-se, felizmente, ata-
A' vista do que informa a cmara municipal desta aquelles que deixarem de comparecer sem motivo lhar a continuaco do incendio,
cidade, em offlcio n. 27, do Io do crreme eons- justificado, incorrendo tambem na mesma pena, Houve alguns prejuizos as casas prximas
tante da copia junta, nao se deve passar titulo de segundo declara o aviso de 2 de julho de 1833, mas nao sao de grande importancia,
aforamento a particulares do terreno de marinha acuelles dos vereadores que deixarem de justificar O Sr. Dr. Goncalves soffreu muito na sua mobi-
que est em seguimenlo da ra da Florentina para a falta de comparecimenlo, embora nao tenha lia, que foi quasi toda arremessada para um quin-
o theatro de Santa Isabel, visto como esse terreno dado a escusa na conform dade doarl. 20 da citada tal. As suas casas pouco damno tiveram. Estao se-
est destinado na planta desta cidade para lougra- ici. guras na companhia Fidelidade em 2:3005.
douro publico e j foi beneficiado pela mesma ca- Se nao bastarcm estas providencias para com- O Sr. Manoel de Jess Lopes, teve apenas o pre-
niara : o que declaro V. S. para seu conheci- pellir os vereadores omissos ao cumprimento de juizo no telhado das casas. Ainda nao estao segu-
mento e exocueo. seus 10 reito ou promotor publico da comarca urna parte Em toda a visinhanca houve mais ou menos pre-
Offieio ao commandante das armas interino.- circumstanciada acerca do procedimento dos mes- juizos as mobilias.
Informe V. S. sobre o que pede o recruta Anasia- mos vereadores afim de ter lugar como determina
ci Alves de Oliveira no incluso requerimento. a portara de 28 de fevereiro de 1833, o procedi-
Dito ao mesmo.Responiendo aooflteio n. 1,218 ment criminal pela infracto do art. 128 do co-
que V. S. me dirigi em 9 do corrente, tenho a de- digo criminal.Communicou-se ao juiz municipal
clarar-lhe que nao convm ser feila por pracas da do Limoeiro.
companhia de aprendizes marinheiros, ainda mes- Portara.O presidente da provincia, resolve
mo nos domingos, a guarda do arsenal de mari- conceder 6 mezes de licenca ao tenente-coronel
nha visto que a Isso oppoe-se as ordens do minis- commandante do batalhao n. 2 de reserva da
terio de marinha constantes dos avisos de 2 de guarda nacional deste municipio Joao Francisco
oulubro de 1862 e 3 de agosto do anno prximo Xavier l'aes Brrelo, para tratar de sua saude fo-
passado. ra da provincia.Commtinieou-se ao commandan-
Dito ao mesmo. Para que eu possa resolver te superior da guarda nacional do Recife.
acerca do fornecimenlo de utencilios para a canoa Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
do servieo da fortaleza de Itamarae, faz-se neces- que requereu o professor publico de instruccao
sario que j respectivo commandante indique quaes primaria da freguezia de Santo Antenio do Becife
os objeclos de que necessita a mesma canoa ; o Seralim Pereira da Silva Monteiro, e tendo em
As casas quemadas da familia do Sr. Dr. Ribei-
ro estavam seguras na companhia Fidelidade em
3:4005.
As casas do Sr. Dr. Jeromyno Jos de Mello, on-
de resida o Sr. Henrique do Couto, nao estavam
seguras.
Sao as nicas das que o Sr. Dr. Jeronymo Jos
de Mello possue em Coiinbre, que nao tinlia segu-
ras, provavelmente por esquecimento.
A mobilia e Iivrana do Sr. Henrique do Couto
estavam seguras na companhia Fidelidade em
1:427,5.
U estudante Pessanha, foi eondemnado em
audiencia de polica correccional, celebrada no dia
20 do corrente era Coimbra, 20 dias de priso,
custas e mulla, por ter insultado urna patrullia,
que declaro V. S. em resposta ao offlcio desse vista a informaro do director gei al interino da por occasio dos ltimos successos de Coimbra.
ominando de armas n. 940 de 23 de maio ultimo, instruccao publica datada de 14 do corrente, re- Outra correspondencia de Coimbra, que tenho
Dilo ao inspector da thesouraria de fazenda. solve cnceder-lhe 30 dias de licenca com todos os vista, d noticia da descoberta daquelles que ten-
n vista dos inclusos documentos, e nao havendo seus vencimentos a contar do dia 12 do corrente taram incendiar as casas dos Srs. Drs Jos Dias e
Em
inconveniente, mande V. S. pagar a Jos Pereira em diante.Communicou-se ao director geral in-
do Alcntara do O', a quanlia de 3205 a que tem terino da instruccao publica.
direito por haver concluido no praso marcado a Dita.O Sr. gerente da Companhia Pernambu-
caiaco interna e externa do hospital militar, as- cana mande dar transporte at o Rio Grande do
sim como as demais obras de seu contrato, segn- Norte no vapor Mamanguape, em lugar de r des-
do consta do offlcio do director das obras militares tinado passageiro de estado ao bacharel Manoel
datado de hoje e sob n. 80.Communicou-se ao Hemeterio Raposo de Mello, promotor publico da
director das obras militares. comarca da Maioridade naquella provincia.
Dito ao mesmo.Com copia do offldo do com- Iguaes mandando dar pa-sagens ao bacharel
mandante das armas interino n. 1,25o de 15 do Joaquim Ferreira Chaves para a Parahyba e para
corrente remetto V. S. para os convenientes exa- a cidade do Natal Leopoldina America da Silva
Sacadura.
Hontcm, diz o citado correspondente, quando
responda polica correccional um estudante do
lyco, achava-se um grande numero de acadmi-
cos no tribunal.
O Sr. conselheiro Albano Caldeira.juiz da cma-
ra de Coimbra, tinha mandado vir para o tribunal
urna mulher, que tinha ido comprar as materias
intlammaveis para se consummar o horroroso al-
ternado.
A mulher, que era de fra da cidade, nao sabia
mes as notas do gaz consumido com a illuminacao mulher do lenle Jos Lzaro Mouleiro de Mello. : quem era o estudante, mas havia dado alguns sig-
dos quarteis dos batalhoes 2o, 7o 9* de infamara, ------ naes, e dizia que, se o viste, o conhecia.
do rorpo de guarnico e companhia de cavallaria, Expediente do secretario do noverno do dia 16 O desgracado, tal vez levado pelo remorso, estava
beui como do hospital militar tudo durante o tri- ... .., na casa onde lera de serjulgado.
mestre decorndo de abril junho desle anno. ue J ',,,'. A mulher correu os olhos pelas bancadas, e
Dito ao mesmo.-Restiluo V.S. coberio com nmi" a? commandante das arma, 'n'- ; n'uma dellas enxergou aquelle, que a linha convi-
offlcio do commandante superior de Oiinda e Igua- e ordem de S^Exc o Sr pre .dente da prov.n- dado a ,.om os fngrcientS.
datado de 5 do corrente, os documentos a f'a. remello a N.Sosdous nclu,os passes para o; Ha supponha que o delinquen te, se por
afim de que, de conformidade transporte do soldado Manoel Joaquim da Tr.nda-
rassu
que elle se refere, .....*.* .,, .........-----
com o parecer da contadoria dessa thesouraria a "*J
que allude a sua informaco de hontem, sob n. 363, s
mande pagar a quanlia de 633360 que se est a
dever aos cornetas do 9^" batalhao da guarda na-
cional de Ulinda Clemente Jos da Silva e Jos
Francisco de Sant'Anna, proveniente de seus ven-
cimentos,
Dilo ao mesmo.Transmuto V. S para o lira
conveniente, o incluso atlestado em duplcala, que
me foi remettido pelo commandante das armas in-
terino, com offlcio de hontem, sob n. 1,248, do qual
consta haver o soldado do 4" batalhao e arlilha-
ventura o porque ainda nao esta provado o cri-
, que se acha doente na povoacao de Trombetas, m |ltrcel)eu ou desconfiou de alguma cousa, la -
undo declara V. S. em seu offlcio de 23 do cor-, vez pr vr a mQ|iier> que esperava nao encontrar
rente.
Dito ao juiz de direlto Dr. Joao Paulo Monteiro
de Andrade.De ordem de S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia, aecuso a recepeo do offlcio
de V. S. de lo correnle com o conhecimento dos
emolumentos que pagou para obter o titulo de sua
remocao.
Despachos do dia 16 de julho de 1 Sli i.
Requerimentos.
Jos Severiuo Lopes. Informe o Sr. desembar-
ra a p Geraldo Antonio Barbosa apprehendido o gador provedor da Sania Casa de Misericordia,
desertor do mesmo batalhao, Luiz de Moura Nepo- Joanua Francisca llegis.Informe o Sr. deseui-
muceno. Communicou-se ao commandante das bargador da Santa Casa de Misericordia,
armas interino. Jacinllio Jos de Mello. Passe porlaria conce-
Dito ao inspector da thesouraria provincial.In- dendo a licenca pedida, rom declaracao de ler prin-
teirado pelo ollicio que V. S. me dirigi em 14 do cipio do dia em que o supplu-ante elfectuar a sua
corrente. sob n. 282, de haver Antonio de Faria viagem.
Brandao Cordeiro, dando por fiadores Pedro Igna- Padre Jos Procopio Pereira Passe portara
ci Baptista, Francisco Jorge de Souza, Angelo concedendo a prorogacao requerida.
Cu.-todio dos Santos e Joaquim Jos Ferreira ua Pe- Manuel Alves Guerra.Volte ao Sr. inspector
nha. arrematado por um iriennio e pela quanlia da thesouraria de fazenda para expr o mais que
de 4-8263, o pedagio da ponte do Catanga, tenho a lhe occorrer.
dizer em resposla que approvo essa arreraataoao. Seralim Pereira da Silva Monteiro.Passe porta-
Dito ao mesmo.Autoriso V. S., em visla de sua ria concedendo um mez de liccnga.
informicao de hontcm, sib n. 287, a mandar pa- ...............,.......,
car a Jos Joaquim Pinto Martins, conforme solici-
tou o chefe de polica em olhYto de 20 de junho
ultimo, n. 730, a quantia de 56*200, despendida
com o sustento dos presos pobres da cadea do ter-
mo do ivjo durante o? mezes de dezeinbro e Janei-
ro prximo lindo, e nao ao delegado daquelle ter-
mo, como se rceommendou em oIBcios desta presi-
dencia de II d? fevereiro e 2 de marco suhseqiien-
te.Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao iuiz de direito Dr. Jus Pereira da Silva
M raes.Pelo seuofhVio n. 842 Bquei oteirado de
ter V. S. assumido honttm u exercicio das func-
c5es (!'i cargo de chefe de polica d--sta provincia,
C uimunicou-se ao inspector da thesouraria de
fazenda.
Dito ao juiz de direito Dr. Ahilio Jos lavares
da Silva.Inteirado pelo seu ollicio de hontem da-
tado de ter V. S. passado ao Dr. Jo> Pereira da
Silva Moraes, o exercieio do cargo de chefe de po-
lica desta provincia, tenho a dizer-lne em resposta
EXTERIOR.
C"ORlESPO:VBK*IAS O IA
KI lE PKilWJlKMO.
Lisboa. 29 de junho de ISGi.
(Conclaso.)
Publicou-se a caria de lei, revogando o arti-
go 1315 do cdigo comiiiorcial, para o caso nico
de que se se oiganisar a companhia Uniao Mer-
cantil, 011 de se celebrar com qualquer empieza
um contrato para a navegacao dosporlos do Algar-
ve, Acores e frica, possa o govemo permiltiro
fretameolo de navios estrangeiros, de vapor, con-
servando estes navios a sua nacionalidade, mas (i-
cando em tudo o mais snjeitos s disposicoes das
leis c regulamentos eommerciaes de polica mari- eos de 500-5
berto pelo
nuaram os I
que lhe marco o praso de 3 mezes para entrar em tima em vi^or para as emharcacoes nacionaes.
exercicio na comarca de Oiinda. Communicou-se Publicou-se outra carta de lei, autorisando a'
, em lao respeitavel lugar, e quiz retirar-se desfar-
cadamenti', quando foi impedido por um offlcial do
; JUZ0.
Dizem-nos que elle dra logo signaos de cumpli-
cidade.
Foi immediatamente interrogado, e ha quem as-
severe que confessou o crime.
Chama-so Joaquim Jos de Souza, estudante do
1 anno jurdico, c que uatural da Fguera da
Foz.' Tem o curso completo de Iheologia no semi-
nario de Coimbra, coma j feitos, segundo consta,
25 annos, e considerado como um dos alumnos do
1 anno jurdico que merecem ser reprovados.
Consta que no interrogatorio e na acareacao se
comprometiera com algumas revelacoes, que lhe
sao prejudiciaes ; porm, cerlo que desde logo
foi rerolhido cadea de Santa Cruz.
Corre como certo que est exonerado do lugar
de ritoF da universdade o Sr. Vicente Ferrer Ne-
to de Paiva, devendo substitu lo o actual caminan-
dante-geral d'arlilharia, o Sr. Jos Maria Baldy.
Veriicou-se no dia 15, no thesouro publico,
a arrematacao lio do tabaco por seis mezes, desde o l' de julho
at 30 de dezeinbro de 1804.
O ultimo lineo foi 1:410,5005000 offerecido pelo
Sr. Melloum dos socios da extincta sociedade do
caminho de ferro do sul. Foi a este cavalleiro ad-
judicado o monopolio. O Sr. Mello represenlava a
alludida companhia chamada dos Brasileiros, os
Srs. Henrique l'lricli, Joao Paulo Cordeiro, e Fon-
cec.a, Santos & Vianna. A praca e-tava abundan-
te de curiosos, mas s duas pessoas licitavam : o
Sr. Jos Maria Eugenio d'Almeida e o Sr. Mello.
A praca comeeou ao meio dia com o preco de
810 contos, offerecido pelo Sr. Mello e iminediata-
mente substituido pelo de 900 contos dos actuaes
contratadores, que nao foram alm desta quanlia.
D'alii para diante comefou o liroteio entre o Sr.
Mello e Eugenio, LO contos, 1100, 1150,1160,
1200 al 1250 com augmento de 5 contos. Depois
subi 1286 com laucos de 500$. Aqu offerecou
o Sr. Eugenio d'Almeida 1.300 contos que em lan-
ubio 1.303 ronlos, preco lojro co-
Sr. Almeida com 1.350 coritos. Conli-
comarca ae unnua.com lunuou-se 1 riiuncuu-so uuira cana ue ici, autorisando a nuaram os hincos de um cont at 1.377 contos e
ao inspector da thesouraria de fazenda. Icreacao de um banco de rirculacao com a denomi- 5005, donde passon 1.410 contos, offerecidos pe-
Dito ao commandante superior da guarda na- naca de Banco do Minho.te'odo a sua sede em lo Sr. Jos Maria Eugenio, e smente afrontada por
I 1.410:0003, offerecida pelo Sr. Mello em nome da
sociedade que represenlava. Eram tres horas c
meia quando a praca se fechou.
Presidio o ministro da fazenda e estavam pre-
sentes os consclheiros Cosa c Lima, procurador-
geral da fazenda, Nuno Jos Goncalves, director-
das alfandegas e conlribuices indirectas;
iano de Castro, director dos proprios na-
ehefe da 2a reparticao das alfandegas,
remefta com urgencia urna relacaodos guardas na- publicas no districto' de Aveiro urna portara or- o Sr. Azevedo.
cionaes dos dilferentes corpos de seu commando denando que se procedesse sem demora e com a' Os arrematantes do novo contrato do tabaco sao
sonenor aue tendo sido recrutados no corrente maior urgencia aos estudos da estrada do Esteir os Srs. Francisco de Mello e Freitas, Joao Hen-
anno e rauisitada a ua soltura por V. S., nao fo- do Mouro da Banca fOliveira de Azemeis, na ex-; rique L Irich, Joao Paulo Cordeiro, Joaquim Perei-
""m Zviu* em liberdade lensao de 10 kilmetros pouco mais ou menos. ra Mannho, Fonceca, Santos & Vianna, Joao Pedro
No dia 23 devia veriticar-se em Lisboa a pri- da Costa Coimbra, Antonio Gomes Brandao, Anto-
meira reuniao de toda as senhoras filiadas na ma- nio Alves de Souza, Jos Goncalves Franco & Fi-
U do Recife.Annuindo ao que requisitou o Braga.
Dr. chefe de polica em ollicio n. 838 de 14 do cor- O conselho administrativo da Associa^ao Pro-
retite recommendo V. S. aexpedicaodas conve-' molora da Industria Fabril, em se.-sao extraordina-
nients ordens para que sejam dispensados do ser- j ria do dia 19 resolveu dar um voto especial de
vico emquanto estivvrcm emjiregados nos lugares agradecimento ao conde d'Avila pelos servicos que
de'inspector de quartero os inferiores e guardas lem feito dita associacao. No offlcio recordam-se
nacionaes mencionados na relacao por copia inclu- os servicos importantes feitos a industria pelo con- geral das al
sa Communicou-se ao Dr. che'fe de polica. de d'Avila na exposicao internacional de 1855. Jos Luciano
Dito ao mesmo.-Recommendo V. S. que me Foi no dia 20 expedida ao director das obras cionaes e o
rain postos em liberdade.
Dito ao director das obras militares.Mande
V S. com urgencia concertar o ladrilho do pavi- ,.... ,...---------.. ~----------.......---------
ment terreo do hospital militar, como solicitou o roara portugueza, as quaes na mesma noite de- mo.
rmmandante das armas em offlcio n. 1256 de lo, viam inaugurar a sua offleina e comegar os seus Consta que os actuaes conlraladores vao montar
^n onrrpnie Fizeram-se as necessarias commu-! trabalhos. Esta nolicia foi publicada pelos jornaes urna nova fabrica de tabacos, pue estar prompta
ooconxuie. riCi I da capital. para trabalhar em Janeiro. Os salarios dos opera-
nunanohafii interino da reoarticao das obras i Urna correspondencia de Coimbra um jor- rios j foram augmentados pelos novos contratado-
nnhticas Resnondendo ao seu offlcio de hontcm nal da capital, deu ha dias a nolicia de um grande res ; vai por elles ser estabeleclda urna escola po-
mh 183 tenho a dizer que approvo as nomea-' incendio naquella cidade. pular para a gente da fabrica, etc. Emfim, pode-
Vmc. fez de Alvaro Uchoa Cavalcanli t Coimbra est presenciando um dos maiores se dizer que manifestam sentimenlos humanitarios
Campello e Lydo Purpuriano Santiago de Oliveira incendios que aqui tem havido. sobre tudo se seat- em toda a estenso da palavra.
para guardas dessa reparticao, servindo o primel- tendera que principiou pelas 3 horas e um quarto Dcram-se no da 1.3 do co
fo o fugar de prtele /segundo o de conUnuo, do di. 19 do crrente^ \m mgm fig**
de conformidade com o disposto no respectivo re-
crreme sepultura,
os restos mortaes do
Acha-sej reduzdas a cinzas as casas das fa- Sr. Feliciano Antonio Marques Pereira, natural de
RUlamentoV-CommuUicoT'ao hp3or di'lh-1 millasJoi Sr.'Dr. Jos Gomes Ribeiro ha pouco Tal- Lisboa, de 61 annos de idade.capitao de fragata
sourana provincial. I lecido, e as do Sr. Dr. Jewnymo Jos de Mello re- da armada, commandante da nao Vasco da Gama,
provn
Dito ao conselho administrativo. Autoriso o
conselho administrativo a comprar para forneci-
menlo do almoxarifado do arsenal de guerra, os
objectos mencionados no incluso pedido.Commu-
oicou-se Ihesouraria de fazenda.
Dito Christovo da Rocha Cunha Souto Maior,
p. presidente da cmara municipal do Limoeiro
Inteirado do que me communica Vmc. em seu of-
icio de 7 de junho ultimo, tenho a dizer-lhe que
sidencia do Sr. Dr. Henrique do Couto de Almeida e director da escola d'arlilharia naval.
Vallares Grillos. O sr. Marques Pereira assentou praca de aspi-
Esiao em grande perigo as casas do Sr. Dr. An- ranle em fevereiro de 1821. Teve nm longo liro-
tonio Goncalves da Silva e Cunha e Manoel de Je- cinio martimo como offlcial da guarnido em dif-
sus Lope*. e em 8era' ,0u, quarteirao. O vento ferenles navios de guerra. Commandou varios na-
norte tem feito desenvolver o Incendio cora grande, vios.
rapdez. Entrou as campanhas da liberdade cuja meda-
Toda a mocidade acadmica, e um numero ex- Iha possuia. Era cavalleiro das ordens de Christo
traordinario de habitantes da cidade de todas as e de Aviz, e commendador d'Aviz.
esta "data e'xpeco as necessarias" ordens ao juiz i classes, trabalham ao desafio para verem se podem 1 Escreveu e deixa publicado um projecto para a
municipal desse termo para convocar e reunir ex-! atalhar o progresso do sinistro. Tem-se praticado liga das alandegas da pennsula meneajs a^a"-
traordinariamente o conselho municipal de recur-! actos de grande dedicacao. I cnpgao da Viagem da corveta a.^JftT.\wl'
so no dia 8 de agosto prximo vndouro afim de'. Os depsitos dos chafarizes da cidade de nada obra mandada imprimir pelo mmisienu u-
tomar conhecimento das reclamares que porven-' serviram, porque nao tem agua n-mhuma. Da; nha. .. in,<,|iiffPncia e assi-
tora tenham deixado de ser attendidas pelas jun-' mprensa da Universdade, das casas dos Srs. con-! Revelara estes raba'hos miem|m"
tas revisoras de qualificacao desse municipio, de-' selheiro Adrao Pereira Forjaz, e Dogo Barata de; duidade com que o illustre nasegaaor se enireg-v
vendo acamara municipal do Limoeiro dar as pro-1 Lima, e outras, que com a melhor vontade se
videncias que a semelhante respeito lhe incumbe I tem fornecido toda a agua, que havia nos seus de-
na forma da lei. I psitos.
ao e.studo.
Este ultimo livro, escripto as caladas dos fufes
I da China, entre os tiroteos dos piratas e as nego-
ciacoes diplomticas, offerece um curioso campo
de eetodo, e a prova evidente do muilo talento de
seu autor.
Deixa o Sr. Marques Pereira a sua esposa, urna:
filba e dous filhos, um dos quaes, actualmente em
Macu, c bem conhecido na imprensa pelos seus.
escrplos polticos e Iliterarios.
Fez as honras fnebres no cemiterio um bata-
lhao de infamara n. 7. All foi o cadver recebi-:
do por um destacamento de marinheiros. Estive-
ram presentes o ministro da marinha, o almirante
Costa Carvalho e muitos outros offlciaes da mari-
nha.
A nao \asco arriou bandeira meio pao, e deu
urna salva de sete tiros na occasio do enterra-
memo.
O ministro de marinha da Italia annunciou,
que no prximo mez de eutubro partir um navio
de guerra italiano para urna viagem de circumna-
vegacao, tocando no Brasil, no Cabo da Boa Espe-
ranza, em alguns porlos do mar da China, em al-
gumas ilhas do mar Pacifico e da Australia, e na
costa occidental da America.
Esta viagem com o fim de attender aos inte-
resses do commercio, e por sso as cmaras (asso-
ciacSes) italianas de commercio foram convidadas
a apresentar as suas lembrancas, com relacao as
instruccoes que se des'em dar ao commandante do
navio.
A canhoneira Minho est muito adiantada.
Dous tercos do cintado est prompto
0 novo vaso ser provavelmente posto a nado I
as aguas de S. Bartholomcu em agoslo.
Na fragata Pedro V trabalha-se activamente, j
apezar de haver no Tejo muilos navios de guerra
em concert, afim de em poucas semanas seguirem
viagem.
Foram concedidos ao Sr. Joao Mrcalo Mo-
relra e a Francisco Jos da Costa Jubim, a cada
um quinhentos heclares de terrenos baldos as
provincias de Angola para cultura do algodo e
oulros gneros coloniaes.
Foi agraciado com o titulo de baro de Nova
Ga o-Sr. D. Luiz Caetano de Castro e Almeida Pi-
menlel.
Foi agraciado com o ttulo de baro de Caria, o
Sr. Jos Homem de Figueiredo Machado, residente
em Goa.
Tambem foi agraciado com o titulo de conde de
Penamacor o Sr. Antonio Maria de Saldanha Riba
Fria, filho do finado conde do mesmo titulo,
Foi nomeado commandante elleclivo da guar-
da real dos archeiros o duque de Palmella.
O Sr. Carlos Eugenio Correa, 2" tenente da ar-
mada e commandante da escuna Napier, foi agra-
ciado com o grao de cavalhero da Torre e Espada,
por ter aprisionado nos mares de Angola o pata-
cho hespanhol Virgem del Refugio, destinado a es-
cravatura.
Sao muito ntcressanles as noticias de Ca-
pamgombe, districto de Mossamedes, nao s em-
quanto extrema fertilidade de seus terrenos co-
mo mesmo a respeito do desenvolvimento que a
agricultura lem all lido ltimamente.
Em poucos annos se conta exlrahir militares de
toneladas dos productos coloniaes, como algodao,
caf, assucar, agurdente e tabaco, com tanto que
o governo providencie quanlo antes em abrir com-
municaciio enlre aquelle ponto e Mossamedes ou
para outro qualquer de embarque ;e em caso con-
traro, todos aquelles valiosos elementos de rique-
za o produccao, e mesmo os capilaes j emprega-
dos, iicaro sem poderem ser aproveitados.
Assevera-se que o governo vai entrar em
ajustes com a commissie liquidatariada companhia !
t'ii/fo Mercantil para a navegacao temporaria do
Algarve, Acores e frica. Ser um passo acerta-
do que d.'pois, que nem d'aqui a nm anno esta-
r construida a nova companhia,e portante (eremos
interrompidas as rommunieacoes com a frica
portugueza o que de corto um grande mal.
- O tenente de marinha britannica Honghton,
que laucara fogo ao batel Estrella do Mar, em
Fernn Velloso, o que dra lugar devida recla-
; maeo perante o governo de sua magestade bri-
tannica, apresentou-se ao governador geral para
lhe dar satisfacao daquelle desacato, e indemuisar
o proprietario do batel incendiado.
Enlregou o governador geral de Mozambique
Joao Tavares de Almeida o governo da provincia
ao respectivo conselho do governo, em conseqnen-
cia do seu precario eslado de sade c das autori-
sacoes que lhe foram concedidas em agosto de
1859 c marco de 1861. O ex-governador geral
acha-se j de regresso em Lisboa.
N'aufragou 110 banco de Angochc a escuna
Angra, a que por effeito de um forte temporal fal-
laran os ferros. Este navio estava j condemna- i
do para a navegacao, e s preslava algum serv-
50 local. Nao houve victimas. Foram salvos to-
dos|os perlences do navio naufragado pelo vapor de
guerra Maria Auna.
Chegara em 16 de Janeiro a galera Viajante,
conduzindo o secretario geral, o juiz de direito, of-'
ficiaes, empregados, um contingente de (ropa, di-
versos provimentos e dinheiro
Fica prompto a navegar o vapor Zambere,
cujo casco e machina foram concertados pelos ma-1
chinistas e operarios do vapor de guerra Maria
Amia.
Foram enviadas pelo honrado Rustamja Jam-
setjee Jejehhoy (India) ao respectivo governador 1
geraM,000 rupias, para seren distribuidas pelos
individuos mais necessitados de Salsete.
O governador geral nomeou urna commisso
com o fim de distribuir aquelle donativo. Annun-
, cia o mesmo magistrado que pela barca Estrella
1 remelle tres caixotes com objectos para o muzeu
I e productos medicinaes da India.
Em Cabo Verde conlinuava pouco lisongeiro
o estado sanilario da cidade da Praia. Apparece-
ram all alguns casos de typho. as outras ilhas
nao havia allerago.
Quanlo ao eslado alimenticio exprime-se nestes
termos o novo governador geral :
t O estado alimenticio, devido aos soccorros que
se teem rerebido, tem consideravelmente melho-
rado, distribuindo-se estes com mais ordem e re-
gularidade, tendo j regressado, s freguezias da
sua naturalidade, grande numero de indigentes
que para aqui tinham affluido.
Para as differentes ilhas do archipelago teem
sido mandados soccorros, na conformidade das re-
qusicees a este governo dirigidas.
O capilao do porto da ilha de Fayal partici-
pou que pouco mais ou irenos a 440 metros (200
bracas) a S. E. da poma da Esperanza ha urna po-
dra que mede de 4 5 metros.
No centro da dita pedra, quese estende para N.
O., n'uma profundidade de 3 m. 5 (2 1|2 bracas)
ha urna cavidade em que a sonda encontra 6 m. 6
(3 brabas) de fundo. Em torno ha um fundo de
ara limpa coberla por 11 m. (5 bracas) d'agua.
Sobre a pedra fizeram-se as seguintes marc-
ronla da Ribeirnha por 26- NE. Dita da Es-
palmacapor 45 NO. D.ia da.Guia por B* SO.
Rumos magnticos. Vanagao 24-NO 1864
Os navios que demaodarem a baha da Horta
pelo N. devero navegar ao rumo de SO. 3,4 S. e
conservar a pona da Ribeirnha pela popa, afim
de passarem por fra da pedra a mais de meia
amarra de distancia sobre um fundo superior 22
metros (10 bracas.) Entre a pedra e a costa o fun-
do augmenta de 12 m. 2 15 m. 4 (6 7 bracas.)
Depois comeca a diminuir proporcao que a Ierra
se avizinha.
Parti para o Porte em um comboyo espeeial
a companhia dramtica do iheatro norol para dar
naquella cidade algumas recitas.
A sociedade *oo|ogoa de Landre tez ao Sr,
Dr. Jos Vicente Barbosa Bocage, professor da es-
cola potytechniea o director do muzeu zoolgico, a
juslica de o escolher para membro estrangeiro. E'
extremamente honrosa para o dislincto professor
esta nomeacao, nao s porque aquella associacao
scientiflea goza de excellentcs crditos, mas ainda
por ser mui limitado o numero de assocados es-
trangeiros que conta.
Estao nomeados tres directores para compa-
nhia dos caminhos de ferro porluguezes. Sao os
Srs. Osborn Sampaio, Francisco Chamico e Joao
Blanco.
Consta que brevemente se realisar a reu-
niao dos cem subscriptores para a companhia des-
tinada a emprehender a construccao de predios
urbanos em Lisboa ; companhia que' nao tem nada
com essa oulra estrangeira que consta se vai for-
mar, nem com aquella em que se dizem j ligados
sinente alguns dos maiores capitalistas.
Tao depressa chegne de Londres a corveta
Infante D. Joao, sahir a cruzar as aguas do Me-
diterrneo urna diviso naval, composia daquella
corveta e da Bartholomeu Dias e Estephania.
PEBHAMBCO.
REVISTA DIARIA.
O resultado dos collegios eleitoraes do Recife,
Pao d'Alho, Oiinda, Iguarassd, Goyanna, Nazareth,
Limoeiro, Cabo, Estada, Santo Anto, Rio-Formoso,
Serinbaem, Barreiros, Bonito, Garanhuns, Carua-
ru, S. Bento, Cimbres, Flores e Ingazeira, exclui-
das as duplicatas de Una e Quipap, o segu me :
Votos.
Conselheiro S e Albuquerque. 108o
Dr. Saldanha Marinho........ 931
Dr. Feitosa.................. 928
Dr. Urbano................. 360
Conselheiro Chichorro........ 354
Conselheiro Baptista......... 100
Deao Farias................. 67
Dr. Brandao................ 40
Faltam os resultados dos collegios de Papacara
(duplcala), Buique, Brejo, Villa-Bella, Cabrob,
Ouricury, Ex (duplcala), e Tacaratu.
Fez hontem quaresta anuos S. A. o Sr. cond--
d'Aquila.
Foram nomeados : Alvaro Ucha Cavalcanti
Campello e Lydio Purpurario Santiago de Oliveira,
o 1" para porliro e o V para continuo da reparticao
das obras publicas.
Depois da amanhaa se exlrahir a primeiro
parle da primeira lotera da igreja de S. Francisco
de Serinhaem.
REPARTICAO DA POLICA.
Extracto das partes do dia 19 de julho de 1864.
Foram recolhidos casa de deteucao no dia 18
do corrente:
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, 4
sentenciados, vindos da provincia do Piauhy. com
destino ao presidio de Fernando; Jos Martins [del*
fonso, vindo do Pao d'Alho, sem declaracao do
motivo.
A' ordem do Dr. juiz espacial do commercio, Jos
Lopes da Silva, requerimento de Jos Vieira dos
Santos, por temar evadirse.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Joao
Francisco dos Santos, e Antonio Germano, ambos
por briga.
A' ordem do da Boa-Vista, Pedro da Costa, por
furto.
O chefe da segunda seccao,
J. G. de Mesi/uita.
Mov mente da casa de detencao no dia 18 de
julho de 1864.
Existiam..... 329 presos.
Entrarais..... 12
Sahiram...... 8 .
Existcm...... 333
A .-aber :
Nacionaes..... 260
Estrangeiros... 1S
Mulheres..... 1
Estrangeiras .. 1
Escravos...... 49
Eseravas ...... 4
333
Alimentados a custa dos cofres pblicos...
Obituario no oa 17 di: jimio no cemiterio
imiii.ico :
Tnereza, escrava, frica, 60 annos. solteira, Boa-
Visla ; henuplesia.
Maria, Pernaiiibuco. 10 dias, 1! >a-Vsta ; ttano.
Joao Luiz de Souza, IVrnambuco 66 anuos, viuvo,
Santo Antonio : paralysia.
Mariana, Pernambuco, 2 mezes, Boa-Vista ; des-
interia.
Silvano, Pernambuco, 8 dias, Santo Antonio :
convulsoes.
- 18 =
Beuto, Pernambuco, 8 mezes, Boa-Vista ; bexigas.
Eufemia Maria de Meira, Pernambuco, 20 annos,
solteira, Sanio Antonio; phtysica pulmonar.
Sabino, Pernambuco, 9 dias, S. Jos ; espasmo.
Antonio 6'oares de Souza. Pernambuco, 60 annos,
viuvo, Boa-Vista ; apoplexia.
CIIR0MCAJUDICI4R
TRIBUNAL lA RELIClO.
SESSAO EM 19 DE JULHO.
PRESIDBNCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO .
SOUZA.
s 10 horas da manha, presentes os senhores
desembargadores Gitirana, Lourenco Santiago, Reis
e Silva, Almeida e Albuquerque, Molla, e Assjs,
fallando 0 Sr. Ucha Cavalcanli, abrise a sessao.
O Sr. desembargador Guerra, procurador da co-
ra, nao compareceu.
Passados os feitos e entregues os distribuidos,
deram-se os seguintes
JULGAMENTOS
Aggravos de peticao.
Aggravante, Aristides Duart Carneiro da Cu-
nha Gama ; aggratado, o juizo.
Relator o Sr. desembargador Gitirana.
Sorteados os senhores desembargadores Assis,
e Almeida e Albuquerque,
Deram provimento em parte.
Aggravante, Joao Leite do Reg Sampaio ; ag-
grRVeUt0r0oJSrdesembargador Lourenco Santiago.
Sorteados os senhores desembargadores Assis,
e Gitirana.
Deram provimento.
Aggravante, Joao Mana de Albuquerque Olivei-
ra ; aggravado, o juizo.
Relator o Sr. desenmargador Almeida e Albu-
querque.
Sorteados os senhores desembargadores Assis,
e Reis e Silva.
Deu-so provimento.
Habeas-corpus.
Concedeu-se ordem de habeas-corpus pedida por
Manoel Riachao Moror. para o dia 23 do correnle,
e para o dia 26 a de Rodrigo Goncalves Bastos,
ouvidas as autoridades competentes.
Carta testtmunhavel.
Aggravante, Joaquim Francisco da Penha Portel-
la ; aggravado, q juizo.
Relator o Sr. desembargador Reis e Silva.
Sorteados ts senhores desembargadores Assis,
e.- Gitirana,
Negou-se provimento.
DILIGENCIAS CHIMES.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
juslica
As appeUacoes aunes.
Appellanle, Florencio Bispo dos Santos: appella-
da, a juslica.
DILIGENCIAS CIVEIS.
Com vista aoExm. Sr. desembargador procura-
dor da cora
Ai appeUaQoe cireis.
Appellanle, a fazenda nacional ; appellado, Fran-
cisco de Barros Falcao de Alliuquerque e oulro.
DESIONACAO DE DIA.
Assignou-se dia para julgameuto dos seguales
feitos :
Appellacors cireis.
Appellante, Gabriel Autonio; appellado, Fran-
cisco de Santiago llamos.
Appellante, Luiz Antonio de Souza Ribeiro; ap-
pellada, a viuva do coronel Bento J-s Leinenha
Litis.
PASSAGENS
O Sr. desembargador Gitirana passou ao Sr.
desembargador Lourenco Santiago
As appellaroes cireis.
Appellante, a viuva de Manoel de Almeida Cata-
nlio ; appellada, a fazenda.
Appellante, Cosme Ferreira Lima ; appellado,
Mauoel Gomes da Cunha.
Appellante, Firmino Theotonio da Cmara San-
tiago ; appellado, o major Joao do Reg Barros
Falcao.
Appellantes, a preta Maria e seus filhos; appel-
ado. Guilherme Augusto de Miranda.
Appellante, Francisco Xavier da Cunha ; appel-
lado, Joao Damasceno Gomes.
Appellantes, ltabe Schamettau & C. ; appellado.
Jos Maria Goncalves Guimares.
.-1 apiella<;ao crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Fortunato Pe-
reira de Souza.
Ao Sr. desuinbargador Reis e Silva
A appellaiao cicel.
Appellante, a marqueza do Recife ; appellado.
Joao Carlos Paes Brrelo.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Reis c Silva
As appellaroes cireis.
Appellanle, Jos Gabriel Pereira de Lyra ; ap-
pellado, Amero Vieira da Cunha.
Appellante, Jos Fructuoso Dias ; appellado, Fe-
lippe da Cosa Souto.
Appellanle, Vicente Ferreira da Costa Miranda -,
appellado, Hermenegildo Eduardo do Reg Mon-
teiro.
Appellante, Joao Mara Paes Barrete ; appella-
do, Jos dos Santos Neves.
Appellante, Jo; Ayres Brama ; appellado, Luiz
Amonio Penna.
Appellante, a cmara municipal; appellada, D.
Francisca Maria da Justa.
Appellante, Jos Joaquim Antuncs; appellado,
Mauoel Firmino Ferreira.
A appeltncito crime.
Appellantes, Antonio Joaquim de Souza e outro ;
appellada, a juslica.
Ao Sr. desembargador Motia
A appellarao civel.
Appellante, Clemente Luiz de Souza Netto ; ap-
pellado. padre Manoel Jos Rodrigues da Silva.
Do Sr. desembargador Reis e Silva ao Sr. desem-
bargador Almeida e Albuquerque
As appellaroes crimes.
Appellante, o juizo; appellado, Pedio Martins dos
Santos.
Appellanle, o juizo e Joo Francisco de Almei-
da ; appellado. o juizo e Venancio Jos de Lima.
Appellantes, o juizo e Francisco Rodrigues da
Silva; appellados. o juizo e Francisco desales
Homem.
Do Sr. desembargador Molla ao Sr. desembar-
gador Uchoa Cavalcanti
As appellaroes critntt.
Appellante, Antonio Barbosa de Lima : appella-
da. a juslica. ,. .
Appellantes, Leandro Jos de Oliveira e outro ;
appellada, a justica.
Appellante, Joaquim, escravo de Manoel de Mou-
ra l'.olim ; appellada. a juslica.
Appellante, o promotor ; appellado, o escravo
Cosme.
As appeUacoes ruis.
Appellante. Domingos Jos Marques : appellado,
Theotonio Flix de Mello.
Appellante, Joo Mauoel de Barros Accioli ; ap-
iada, a preta Cypriana.
Appeilante, Gaspar Cavalcanli de Albuquerque
Ucha : appellado. Antonio, por seu curador.
DoSr. desembargador Almeidae Albuquerque ao
Sr. desembargador Molla
Appellaco cicel.
Appellante, Anastacio Jos da Silveira ; appella-
do, Alexandrino Martins Correia de Barros.
As appellaroes crimes.
Appellanle, o juizo ; appellado, Francisco Jos
de Souza.
Appellante, Jos Antonio Pereira Buxo ; appel-
lada, a justica.
Appellante, Flix Jos de Lima; appellada,
a justica.
/le de apparecer.
Appellados, Jos Januario de Carvalho Paes de
Andrade; appellante, Bita Francisca de Carvalho
Paes de Andrade.
O Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desem-
gador Gitirana
As appellaroes riveis.
Appellante, Felino Freir de Andrade ; appella-
do, Joo Velho de Mendonca Fuado.
Appellaotef, os herdeiros de D. Maria Jarimha
de Abreu ; appellado, Jos Penes da Cruz.
Appellante, Jos Luiz de Andrade Lima ; appel-
lado, Gabriel Antonio de Castro Quintal
O conflicto de jurisdieco entre o juiz municipal
do termo do Ouricurv e o do termo de Boa-
Vista.
A' ll" horas da tarde encerrou-se a sessao.
COMMNICDOS.
Arredado desta capital por quasi otenta leguas,
nao peder o digno vigario da freguezia de Aguas-
Bella*, Antonio Eustaquio Alves da Silva, defender-
se desde j das lo calumniosas quanto nojenlas
aecusacoes que contra elle foram atiradas em um
r'ommnnicado do Mercantil, de Alasas, transcripto
no Diario de Pernambuco de hoje. Em quanlo,
porm, nao lhe permittido refutar victoriosamen-
te esse aponluado de virulentas invectivas, o que
esperamos que elle far o mais breve possivel,
vimos nos, que perfeitamente o conhecemos, e que
estamos ao alcance de todos os manejos da mais
mesquinha odiosidade de seus gratuitos e misera-
veis inmigos polticos, naquella freguezia, protes-
tar, do modo mais solemne, contra as assercoes co-
udas no referido communicado, e rogar ao respei-
tavel publico a suspenso de seu juizo, al que es-
se nosso Ilustre comprovinciano plenamente se de-
fenda.
Por nossa parte, podemos asseverar que o reve-
rendsimo vigario de Aguas-Bellas, bem bnge de
ser um sacerdote indifferenie ao cumprimento dos
seus deveres, sabe preenche-los com a dignidade
propria do seu cargo ; e que, leloso do culto, na
freguezia que se acha confiada aos seus cuidados,
tem procurado e conseguido at hoja manter esse
mesmo culto no maior esplendor, o que evidente-
mente demonstra o estado de aceio e da mais cora^


M
**w-^
>


I
Diario e PerafcB Qaartn (eir tO plcta decencia da igrcja matriz de sua freguezia.
Conhecemo-lo muilo de p?rlo, ,e sabemos que nao
*e poupa elle, de maneira alguma, observancia
das suas mais restrictas obrlgacoes, sendo alias
um dedicado amigo do povo daquella localidad?,
que extremosamente o ama e Ihe consagra o mais
profundo respeito.
E' verdade que o reverendissimo vigario nao po-
de nem deve pactuar cora os glanos insidiosos de
certo grupo de mandiles de aldea, que all preten-
den! renovar, no presente secuto, a prepotencia do
tentn por unanimidade de votos a dita sentenca
proferida contra a mencionada moBtanha, sendo
o relator o nclito e Exm. desembargada Anselmo
Francisco Peretti.
Afioal com justo fundamento a alta voz que
se derrama nestaprovincia sobre os Ilustres mem-
bros que compoe e Exm. tribunal da relacao, na
qual espera esta provincia ter a sua salva guarda
como sombrado Deus espalhada pela trra ; pois
que os seus elevados actos de justica, rooralisam
at aos mesmos perversos ; e por to justos fun-
feudalismo, encartados em pergamtnhos de mui le-! damentos se ouvem vozes que gritam vivamos
gihma e aprimorada fidalguia. Esses, que at se Exms. presidente do tribunal do commercio, e
consideran) suzeranos, nao pdem olha-lo com be- membros da relacao desta provincia, aos quaes
nevolencia, porque reconhecem que o vigario An- com profundo respeilo Ibes tnbutarei dignas home-
tonio Eustaquio nao se presta a representar o papel nagens como adorador das santas palavras de Je-
de simples instrumento as utas eleiloraes. para o t sus Christo, quando entre os Judeos, responden
fin de derrotar certas e determinadas pessoas ; e. ao Phariseus : tendes ata utna moeda ? a qual
sabem muilo bem que nao est nos abitos desse sa- sendo-lhe apresentada, disse : c de quera este
cerdote preparar tumultos e. moviineutos para lan- \ retrato ? de Cesar ; pois bem, dai a Cesar o
ralos depon conta de seus adversarios polticos
Eis d'onde procede essa guerra votada por alguem
ao Rvm. Antonio Eustaquio : eis a causa primordial
e nica de todas essas aecusacoes arremessadas bo-
je do alto daimprensa contra esse respeitavel paro-
cho em desabono do qual se p5e em pratica a ar-
ma' da intriga e do aleive, sob as formas do mais
repuNivo dc com relagao vida do sacerdote, e do homem pu-
blico e particular, obedecem a um plano de abomi-
navel natureza : quer-se expor o padre c o cidadao
ao odio da sociedade, ao desagrado e ao descon-
ecto das autoridades, animadversao de todos;
e para que se lira mais ao alvo, especula-se ate com
o principio da moralidade, cujos direitos, por esse
meio ardiloso, fingem zelar e defender aquelles
mesmos que sao os mais desmoralisados e corrom
que de Cesar, e a Deus o qu de Deus.o
O servo da virtude.
COMMERCIO.
CAIXA FILIAL
DO
BAXCO DO BRASIL
EM PERNAMBCO.
A directora desta caixa, em virtude de ordera
da directora do Banco do Brasil, avisa aos Srs.
accionistas que o respectivo thesoureiro est auto,
risado a pagar o dividendo das acedes da meema
mesmos que sao os mus ueMinM-iiMuus u ..,.,,,..- Tiiid0 a p3gar 0 dividendo das acedes da meema
pidos I Nos os conhecemos a palmo : nao sao elies cajxa do seme5tre fjn(j0 em 30 de junho prximo
que nos hilo de engaar com essas machinacoes 1 passad0) na raza0 de gflSOO por aceito.
srrateiras, sob o veo do anonymo, e sem affrontar
a responsabilidade de seus actos.
Qnanto a nos, esta a missao espontanea em
prol do aggredido: por sua vez, vira ello defender-
se de publico, desmasearar e confundir seus mise-
raves calumniadores.
Recife. 18 de julho de 1864.^^^
lua, palabras.
Acaba de dcixar o commando das armas desta
provincia, o Sr. general SolidonioJos Antonio Pe-
reirado Lago, que com a mais estrella dedicarlo,
interesse e denodo, o exerceu por espaco de dous
annos e quasi sete mezes : innumerar as grandio-
sas vantagens, que rcsultaram para a guarnico
desta provincia durante o periodo do seu comman-
do, seria eufadonlio.
Trovejem, embora os chos de espiritos apaixo-
uados e pouco generosos, e nunca poderao apagar
as recordacoes, que o Ilustre general deixa gra-
vadas nos coracoes desinteressados.
Para qualquer parte que volvamos um olhar,
depararemos com as provas de sua lealdade.
Para com seus subordinados qualquer que tost
a sua classe, exerca urna autoridade quasi pater-
nal admoeslando-os com doeura logo que se des-
viavam do curoprimento dos" seus deveres ; o sen-
timentode perseguico e de vinganca, nunca aehou
abrigo em sea coracao ; sobranceiro as tramas de
intrigas, empre procurou instruirse da verdade,
dislrlbuindo a justiga logo que era ella necessa-
ra ; em cada um seu subordinado visara um seu
irmo de armas, tal 6 o amor que sent pela classe
a que dignamente pertence e tao heroicamente
commandava.
Xa phase porque passou esta provincia, em urna
quadra eleitoral, lo differente das que se tem ja-
mis visto, onde os espiritos exaltados, as crencas
abafadas c os direitos anniquilados relindamente
lutavam, moslrou-se sempre o Ilustre general tao
altivo e imparcial que nunca mereceu a roals leve
censura dos disputantes tal era a rigidez com que
cumpria os seus deveres ; cima dos homens, des-
coDria elle um movel, por meio do qual elle guan-
do-se, guiava-os conjuntamente, e este movel era 3
justica : emflm, como commandante das armas,
deixa o venerando general gratas recordacoes no
seio dos corpos, que entregues a esta apathia natu-
ral, disperlaram do seu lethargo, ao brado anima-
dos de sua voz dcil; como amigo e comprehende-
dor fiel do que esta palavra exprime, deixou im-
presso nos coracoes daquelles que com elle tinham
a ventura de entreter rolacoes de amisade sobejas
provas de dedicacao e bondade ; e como brasileiro
deixa nos coracoes de seus compatriotas deslhte-
ressados, ingentes provas de lealdade, desinteresse
e bondade.
Nao sou militar, mas acompnnhaudo o dislinrto
general em todos os seus passos, congralulava-me
sobremaneira por ver de que modo exercia o po-
der e distribua a justica; senlindo,porm, que mi-
rilla fraca voz nao possa bem entoar os seus bellos
leitos : queira portanto o Ilustre general aceitar
este pequeo tributo como sincera prova do muilo
de que credor, desejando-lhe prospera e feliz
viagem, que ventos bonancosos Ihe faeam abordar
inclume aterra que Ihedeu o ser, e que goze en-
dientes de venturas no seio de sua idolatrada fa-
milia.
lleeife, 17 de julho de lKGi.
/:. 0.
Becifc 14 de julho de 1864No impedimento do
secretario, Ignacio Nunes Correia.
NOVOBANCO
DE
EM 19 DE JULHO DE 1864.
O banco descoma na presente semana a oito por
cento ao anno at o praso de quatro mezes, e nove
por cento at o de seis mezes, e faz emprestimos
sobre ttulos commerciaes.
Alfaadega
Rendimento do da 1 a 18........ 443:725064
dem do dia 19................. 28:365*661
Exportadlo.
Galera ngleza Haphael, carregoa para Liverpool
por Macei:
2,500 saceos cora 12,500 arrobas de assucar mas-
cavado, 50 saceos com 407 arrobas e 29iibras de
algodao.
Polaca hespaohola Beatriz, carregou para Bar-
celona pela Parahyba:
300 saceos com 1,389 arrobas e 21 libras de al-
godao, 246 couros salgados seceos com 5,759 li-
bras
Patacho inglez W. Dodye, carregou para New
York :
1,465 couros com 43,293 libras e 1432 couros
miudo.
Barca i ngleza Bleng, carregou para Liverpool (ra-
la Parahyba :
1,264 saceos com 6,320 arrobas do assucar mas-
cavado, 100 ditos com 534 orrobas e 16 libras de
algodo.
Recebedoria de rendas Internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 18........ 33:720*179
dem do da 19................. 1:059*250
34:779*429
Consalado provincial.
Rendimento do dia 1 a 18......... 61:879*722
dem do dia 19................. 4:723*206
66:602*928
Taboas de amarello d- urna pollegadi com 13
18 pollegadas- de largura e de 23 23 palmos de
comprimeRto 4 duzias.
Costado de pao carga de 15 16 pollegadas de
largura, e 6 costadinho de pao carga cora as mes-
mas dimencSes 6.
Mao travessa de madeira de qualidade com 25
palmos de comprimento 6.
Para o laboratorio de fogos.
Salitre calcinado 10 arrobas.
Enxofre estrinico 5 arrobas.
Livro de talo mpresso com 200 folhas 1.
Balanca horisontal de Beverbal 1.
Aremetro de vidro 1.
Quem quzer vender taes bjectos aprsente a
sua proposta em carta fechada na secretaria do
conselho s 10 horas da manhaa do dia 27 do cor
rente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
forneeimento do arsenal de guerra, 18 de julho
de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel, presidente.
Sebastulo Jos Baztlio Pyrrho.
Vogal secretario.
Santa Casa da Misericordia do Recife.
Olllm. Sr. commendador Jos Pires Ferreira
Guilherme., Carvalho 4 C.
Capito Joao Jos Rodrigues.
Jos Joaquim Alves de Araorim (2).
Dr. Jos Pedro Nolaseo Pereira da Cunha.
Manoel Caetan) Nunes Pinto (Fernando).
Trajano da Costa Mello.
Consulado provincial.
O administrador da mesa do consulado provin-
cial manda publicar para conhecimento dos agen-
tes de lcilao as disposiefles dos arts. 2, 3, 4, 5 e 6
do regulamento de 13 de julho de 1861 dado pela
presidencia da provincia para a cobranza do im-
posto de um por cento sobre o producto de cada
ieilo com excepcao dos judiciaes pago pelo com-
prador decretado no 28 do art. 44 do orcamento
vigente:
Art. 2." Os agentes de Ieilo ficam responsaveis
pela renda do dito imposto, e portanto autorisados
aexgi-la dos contribuintes, Ondos que sejam os
leiloes, anda quando forem feitos a crdito, nao
podendo antes de seu pagamento entregar os ob-
jectos arrematados.
Art. 3. Para previo lancaraento da renda devi-
da, remetterao ao consulado provincial, cinco das
depois de concluido cada leilao, urna nota da data
em que foi realisado, qualidade dos respectivos
iiinm.br. commendador Jos nres Ferreira i.u.^ M j T
thesoureiro da Santa Casada Misericordia do Re- <*fc*08. ""portancia produzda
ctfe, manda fazer publico que no dia 20 do cor- .^'J- >os dez ,d.as subsequente, a entrega
desta nota recolherao a referida estacao a renda
que devem ter cobrado, cuja importancia ser ve-
PEDIDO.
o> abaixo assignados, empregados da secretaria
da polica desta provincia, falta ra m por cerlo
um dever, se nao viessem hoje apresentar V. S.
a expontanea inanifestarao do seu vivoe profundo
ri conherimenlo para cm a pessoa de V. S.. pelo
modo benvolo, e pelas repetidas provas de con-
flanca que V. S. se dignou dispensar-Ibes durante
o lempo de sua adiuinistraco policial.
Sirva-se pois V. S., de aceitar os prostestos da
subida estima, dislincta considerar-So dos abaixo
assignados, os quaes teem a honra de offorecer,
V. S. os seus serviros em qualquer parte que o
destino os colloque,Dos guarde V. S. llerfe
14 de julho de 1864. Illm. Sr. Dr. Abilio Jos
Tavares da Silva O secretario Eduardo de Bar-
ros Falcan de Lcenla.Jos Xavier Faustino Ra-
mos, official da I* seccao.Joaquim Gilseno de
Mosquita, ollicial da 2' seccao.Ago>linho Jos de
Oliveira, amanuense da 1* seccao.Joaquim Jos
do llego llangel, amanuense da 1* seccao. Candi-
do Autran da Malta e Albuqucrqur, amanuense da
2J seccao.Antonio Affon>u Ferreira, ama
da 2" seccao.Francisco Pacifico do Amaral, addi-
do.Francisco Antonio de Carvalho, addido.Jos
Pinto dos Santos, porleiro.Flix Ribeiro do Ama-
ral. continuo.
472:290*725
no vintenio da alfandega
Volumes entrados com (azendas...
t cora gneros.
Volumes sahidos com
t t com
f azendas..
gneros..
163
194
45
668
337
713
Descarregam no dia 20 de julho.
Brigue inglezAitniMafebacalbo.
Brigue inglezFtoristemercadorias.
Patacho dinamarquezUary dem.
Escuna ngleza Fortnate idem.
Barca nglezaO/i'nrficarvao de pedra.
Brigue lubeckense-JVaWifarinhade trigo.
Patacho hespanholThemvteo /f-faroha de trigo
Brigue portuguezSofttrano^generos de estiva.
Importaeo.
Vapor francez Navarre, entrado de Bordeaux,
consignado Tisset freres, manifestou o seguinte :
1 caixa papel para photograpflia ; a Denker &
Barroso.
1 dita arligos de dit ; a ugenio & Mauricio.
1 dita msica, 4 ditas conservas, 1 pacote amos-
tras; a E. A. Borle & C
5 caixas tecido de la e seda 5 a Carvalho Si No-
gueira.
16 ditas queijos, 1 dita rouros e camisas, 1 pa-
cote papel; a Christiansen.
4 caixas chapeos, ditos de palha e bonets ; a
Christiani Irmo.
1 dita drogas 5 a Caors & Barbosa.
1 dita enfeites de sege e calcado; a de Souza
Lela
5 ditas queijos; a Duarte & C.
1 dila tecido de algodao, 3 ditas dito de dito e
seda, 4 ditas calcado, chapeos de feltro,_ pentes e
tecido de linho, 2 ditas camisas de algodo, 3 ditas
chapeos; a Ferreira & Araujo.
12 ditas nennas, 27 ditas sardinhas, 25 frascos
ditas a Joao da Silva Faria.
8 caixas tecido de algodo, de la, de seda, e
mixtos, mercearia, vestidos e amostras ; a Joao
Keller & C
1 dita papel para cigarros; a A. N. de Brito.
2 ditas mercearia, 1 dita fazenda de laa ; a Alves
Hamliurger.
I dita porcelana o crystal; a Augusto de Souza
Leo.
1 pacote semenles; a A. Jos Rodrigues de
Souza.
1 caixa luvas ; a Antonio Luiz dos Santos.
1 dita joias; a Jos Antonio dos Santos Lessa.
1 dita enfeites e modas ; a B. Millochau.
10 ditas dinheiro ; ao hanco do Brasil.
120 ditas queijos ; a Brender a Brandis.
I pacote impressos ; ao cnsul portuguez.
1 caixa camisas ; a Charles Leclere.
1 dila luvas, 2 ditas tecidos de seda; a Schafhei-
tlin & C.
2 ditas bijouteria, 1 dita artigos de cabellereiro,
1 pacote amostras! 2 barris vinho, 2 caixas lilas, 1
dita tecido de seda -, a F. Sauvage & C.
1 dita doces; a Francisco Antonio de Car-
valho.
1 dita joias e dinheiro : ; Grandin.
1 pacote amostras; a Goilherme da Silva Gui-
maraes.
2 caixas armas, 1 dita fitas, 3 ditas cutileria, 1
dita semenles, 1 dita um orgo ; a Prente Vianna
& C.
1 dita mercearia ; a Antenio da Silva Faria.
1 dila mercearia, 1 dita chapeos, 2 ditas tecidos
e camisas, 1 dila luvas e chapeos, 1 dita fazendas
de seda, 1 dita amostras'. a Henrique & Ate-
vedo.
1 dita mercearia, 3 ditas quinquillera, 4 ditas
chocolate, 2 ditas
MOYIMENTQ DO PORTO.
Navios entrados no dia 19.
Trayientos (no Rio d 1 Prata) 27 dias, patacho
hollandez Adriams Johanes, de 174 toneladas,
capito \V. Ardeng, equipagem 9, carga sebo,
ossos e couros ; ao cnsul. Arribou com agua
aberla, seu destino era Botherdan.
Liverpool48 dias, barca portugueza Despique II,
de 298 toneladas, capito Faustino Joao de Car-
valho, carga carvao; a ordem.
Navios sahidos no ntesmo da.
Rio Grande do Sulbrigue nacional Amelia, capi-
to Joaquim Antonio do Socorro, carga sal.
Liverpool pelo Rio Grande do NorteBarca ingle-
za Fleetwing, capito J. Boyes, carga algodo.
Liverpool pela Parahyba' barca i ngleza Bleng
capito Charles Chrestesoo, carga algodao.
Observacao.
Apparece ao norte um brigue.
rente pelas 9 horas da manhaa paga as amas que
coraparecerem na casa dos exposlos acompanha- .
das das resnwtivas enancas a mentalidades ven- rillcada Pelos respectivos lancamentos.
Sus^nSEffiSSCtmlT^ 8 L' Na falla desla nlrega no referi(i
w?i?t 5Z ?1 r \riorwr, flA extrahir o consulado urna conta da
Secretaria da Santa Usa da Misericordia do. rt metiera i tlmwuiraria nara
Becife, 13 de julho de 1864.
f ara o AiMcaty e Cear
pretende seguir com muita brevidade o hiate na-
cional Dous Amigos, tem parte de seu carregamen-
to prompto ; para o resto que Ihe falta, irata-se
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, no sea escriptorio ra da
Cruz n. 1, ou com o capito no trapiche do algodo.
IMHIA
O brgne rVoro Aburante segu com brevidade,
tem parte da carga engajada : para o resto que
Ihe falta, trata-se com os consignatarios Marqoes,
Barros & C, largo do Corpo Sauto n. 6.________
Par* Usboa.
Vae sabir em poneos dias com a carga que ti ver
o brigue perlugue* Gen/tanca, qaem quizer car-
regar ou ir de passagem entenda-se cora os con-
signatarios Carvalho & Nogueira na ra do Apol-
lo n. 20 ou com o capito.
O esenvo,
F. A. Cavalcanli Cousseiro.
EDIT1ES.
Santa Casa da Misericordia
do Recife.
A Illm.'junta administrativa da Santa Casa da
I Misericordia do Recife, manda fazer publico que
\ no dia 21 do correte pelas 4 horas da Urde ua
sala de suas sessoes tem de ir praca as rendas
das casas em seguida declaradas por tempo de
um tres annos.
Os pretendemos devem comparecer acompa-
nhados de seus fiadores ou munidos de cartas
destes.
Eslabelecimentos de caridade.
Ra Direita.
N. 3 particular e 8 publico, 2 andares. 1:067,5000
Ra do Padre Floriano.
N. 5 particular e 49 publico casa ter-
rea. .... 180^000
N. 6 particular e 47 publico casa ter-
rea........ 186000
N. 8 particular e 43 publico casa ter-
rea........ 1695000
Becco da Car val ha.
N. 10 particular e 5 publico casa ter-
rea........1496000
Ba do Fagundes.
N. 11 particular e 32 publico casa ter-
rea........ 1556000
N. 12 particular e 34 publico casa ter-
rea........ 1446000
Ra da Calcada.
prazo,
quantia devi-
ser cobrada
Festividade de N. S. das Ne-
ves na Parahiba.
Havendo numero sufflcente de passageros, lar-
gar deste porto para o da Parahiba, um dos va-
pores da Companhia Pernambucana, na tarde de
4 de aposto prximo, devendo voltar no dia 8. As
o presente pela im-
normal de Pernambuco, 7
O Illm. Sr. director da escola normal manda
fazer publico, que desta data at o tirn do correte
mez se acham abertas as matriculas do 1* anno
da referida escola, devendo para isso os preten-
dentes provar peralte o mesmo director :
1* Que sao maiores de 18 annos.
2 Que sabem ler, eserewr e contar.
3" Que sao de costumes paros, e qne nao teem
sido condemnados por crime offensivo a moral pu-
blica ou religio do Estado. N. 21 particular e 38 public casa ter-
4a Finalmente, que satisrizeram a prmeira pres- rea........
tacao da matricula na repart cao competente. Ra das Cinco Pontas.
E para chegar ao conhecimento de quem inte-; N. 24 particular e 108 publico casa ter-
ressar, mandou-se publicar o presente pela im- rea.
prensa.
Secretaria da escola
de julho de 1864.
O secretario,
Maximiano Lopes Machado.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumpnmento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 30 de junho ultimo, manda
fazer publico, que no da 13 de outubro vindouro,
perante a junta da fazenda da mesma thesouraria
se ha de arrematar quem por menos fizer, a cons-
truccao de 69 bragas de caes de cada lado do ca-
nal da ruada Aurora, avaliadeem 15:9146000.
A arrematacao sera frita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
clausulas especiaes abaixo declaradas :
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao comparecam na sala das sesses da referida
junta no da cima mencionado pelo meio dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 9 de julho de 1864.
O secretario
Antonio Ferreira da Annunciacao.
1566000
mercearia e chocolate, 2 ditas la para bordar, 1
I dila fitas de seda, 1 pacote amostras. I caixa cou-
amanuense ros, 2 ditas porcelana, 5 ditas brinquedos para me-
ninos, papel, perfumara e porcelana : a Linden
Wild &-C.
Escuna ingleza Fortunte, entrada de Londres
I consignada a Rothe & Bidoulac, manifestou o se-
nt gumte
PilHlas VCgctaes assncaradas de IOO barricas cimento, 50 caixas folhade flandres,
CLAUSULAS BSPBOAB8 PARA A AIUlKMATAr.AO.
Ia A obra do caes margem do canal da ra da
Aurora, ser executada de conformidade com o or-
camento e planta respectiva apresentados pela di-
rectora das obras publicas na importancia de
15:9146.
2' O empreiteiro dar execuco aos trabalhos no
prazo de 20 dias, e os terminar nos de 60 dias,
contados na forma da lei.
3* O pagamento sera effectuado em prestagoes
mensaes, de valor correspondente ao trabalho exe-
cutado, em cada mez, deduzindo-se um dcimo,
que ser entregue seis mezes depois da concluso
ila obra.
4* O empreiteiro nao poder sob qualquer pre-
texto exigir indemnisaco alguma que nao seja
fundada no excesso de trabalho previsto no orra-
meoto.
5a O empreiteiro na execuco dos trabalhos ob-
servar as prescripcoes dadas pelo engenheiro ris-
cal da obra.
6' Para tudo quanto nao se adiar aqu disposto,
observar-se-ha o que dispoe a lei n. 286.
2306000
3005000
ram inscrever seus nomes, desde*j, e at o dia 30
no escriptorio da Companhia, Forte do Mattos nu-
mero 1.
Cear, Raranho e Para
Segu at o lim do mez o patacho nacional .-ln-
dr, de 1* marcha e 1* classe, recebe carga: a tra-
tar com A. de A. Porto, na ra do Vigario n. 10,
ou com o capillo Ratis, a bordo, ou no trapiche
do algodo.
LEILOES.
Conforme..4n9<9 Ferreira da Annunciaefw. m 1,-l1,i "
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, ofucial da Impe- "'J? Par,,cular e '-
rial ordem da Rosa, e juiz de direito especial do 82 narticular e 16
Travessa de S. Pedro.
N. 28 particular e 2 publico, 2 andares.
Ra de Hurlas.
N. 29 particular e 41 publico, um an-
dar e sotao. 2886000
Ra de Santa Thereza.
N. 31 particular e 7 publico casa ter-
rea........ I975OOO
Ra do Cbug.
N. 34 particular e 1 D publico loja. 4776000
Ra da Roda.
N. 36 particular e 3 publico casa ter-
rea........ 966000
X. 92 particular e I publico casa ter-
rea. '.......1205OOO
Ra da Imperatriz
N. 47 particular e 68 publico casa ter-
rea........30060001
Becco do Quiabo.
N. 49 particular e 8 publico casa ter-
rea........ 1446000
Ra da Gloria.
N. 51 particular e 65 publico casa ter-
rea........ 1446000
Ra de Amerim.
N. 54 particular e 1 publico um andar. 13060001
Ra de S. Bom Jess das Crioulas.
N. 61 particular e 8 publico casa ter-
rea........ 1315000
Ra do Padre Floriano.
N. 66 particular e 63 publico casa ter-
rea. ....... 1445000
Ra da Senzala Velha
N. 71 particular e 23 publico casa ter-
rea. ...... 1435OOO
Patrimonio de orpliaos.
Ra de Imperador.
N. 2 particular e 81 publico 2 andares. 1:2025000
Largo do Paraizo.
N. 4 particular e 29 publico 2 andares.
Ra de S. Goncalo.
N. 10 particular e 2s publico casa ter-
rea........
Ra {dos Pires.
N. 13 particular e 39 publico casa ter-
rea. .
Ra do Vigario.
N. 72 particular e 27 publico 2 anda-
res........
Ra da Senzala Velha.
ii publico 2 anJa-
executivamente.
-'." Nao aproveitar em juizo, ao agente a al-
legajo de nao ter recebido dos contribuintes o
producto do imposto, nem outra qualquer que nao pessoas que desejaren assistir aquella festa, quei
seja consistente no conhecimento do respectivo pa-
gamento remettido pela consulado ao procurador
fiscal.
Art. 5. O administrador do consulado poder
mandar assistir aos leiloes por um empregado de
sua reparticao, ao qual dar o agente as notas e
esclarecimentos que exigir para a necessara fls-
calisa^o.
Art 6. O mesmo administrador tambera poder
requerer em juizo competente a exhibido dos li-
vros que os agentes sao obrigados a ter na confor-
midade do art. 71 do cdigo coinmercial e do art.
28 do regulamento de 10 de noverobro de 1851,
mandado observar nesta praca pelo decreto n. 939
de 20 de margo de 1852, para que na presenta do
agente, cujo Ieilo fr necessario fiscalsar, e de
um empregado do consulado se proceda as averi-
guacoes que se julgar convenientes, observando-se
no caso de recusa da parte do agente, a disposicao
do art. 357 do regulameoto n. 757 de 23 de no-: l'ma espada, dragonas, banda, fiel e
vembrode 1830. jectos proprios para official da
1. Se por estas averiguarles verificar-se en-1 cional.
tre as notas remetlidas ao consulado e o lauca- HOJE
!&! reerid *,IVr-' STSC prejudicar a fazenda, serao reduzdos a termo, e;
este asslgnado pelo juiz que presidir o acto e pelas
partes e testemunhas.
Este termo ser por intermedio da thesouraria
remettido por copia ao procurador fiscal para pro-
ceder judicialmente contra o agente, e promover
pelos meios executvos a eobranca da renda de-
vida, cuja conta Ihe ser tambem remettida.
% 2. Igual procedimento se ter com o agente, I
que, por omissoou reluctancia, deixar de remet- j
ter as notas ao consulado dentro dos cinco das,'
que Ihe sao marcados.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco,!
15 de julho de 1864.
Antonio Carne'ro Machado Ros,
Administrador.
Conselho administrativo.
O contelho administrativo para forneeimento do
rseual de guerra tem de comprar os objectos se-
uintes:
cordo, ob-
guarda 11a-
DE
l^m adereco de ouro com brillantes, 2 meios di-
tos com opalas, 1 habito, 1 relogio com corren-
te, 1 adereco de prata e ora terreno da ra do
Seve outr'ora ra da Unio, com 57 palmos de
frente e 750 de fundo com urna pequea casa
junto a casa que foi do fallecido tenente-coro-
nel Gomes Leal pelo norte e pelo sul junto a ca-
sa da viuva do Dr. Navarro.
Para o 2" batalho de infamara.
Papel almaco6 resmas.
Pennas de co 6 caixas.
Peonas de ave 200.
Caivetes 2.
Tinta preta 6 garrafas.
I .apis de po 6 duzias.
Arria para escripta 6 libras.
Colleccoes de cartas para principiante 36.
Grammaticas portuguezas por Monte Verde, ul- j
Uraaedico, 12.
Taboadas 36.
Compendios de arthraelca por Avila 12.
Pautas 12.
Traslados 36.
Podras para escripia 6.
Lapis para as ditas 18.
Quem quizer vender taes objectos aprsente a
sua proposta em carta fechada na secretaria do
conselho, s 10 horas da manhaa do dia 25 do cor-
rente mez.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
forneeimento do arsenal de guerra, 18
de 1864.
Qnarta-feira 20 de julho, 1 hora da
tarde no armazem da rna do Tra-
piche n. 40.
O agente Pinto fara Ieilo requerimento dos
administradores da massa fallida de Joaquim Jos
da Silvera e por despacho do Illm. Sr. Dr. |uit
especial do commercio dos objectos cima descrip-
tos pertencentes a referida masa, 1 hora da tar-
de do dia 20 do crreme no armazem da ra do
Trapiche n. 40, onde anteriormente haver Ieilo
de movis c objectos.
LEILAO
DE
L'ni plano de armarlo, differen-
tcs movis e obras de prata.
H Qnarta-feira 20 de julho as 9 1|2 ho-
ras em punto.
O agente Pinto far Ieilo por conta de diversos
e sem reserva de preco de um piano, 1 mobiliade
amarello, candieiros de gaz, grandes espelhos con>
de julho | molduras douradas, bonitos quadros com linas
pinturas, como sejam : Garibaldi, David, Sal c
Antonio Pedro de S/i Barreto, ontros, 2 carteiras, camas de ferro, ditas de ama-
Coronel presidente. relio, mesas, cadeiras, lavatorios, commodas,
Sebastio Jos Basilio Pyrrho, cabides, umlote de differentes objectos de llan-
Vogal secretario. dres. 2 salvas e 2 bacas c jarros de prata do Por-
A cmara municipal desta cidade, em cum- loemuitos outros objectos existentes no arma-
primento do officlo do Exm. presidente da provin- zem da rna do Trapiche n. 40, onde se el'fec-
1835000
0036000
particular e 16 publico casa ter-
rea........2015000 cado.
163^000
2345000
1735000
3225000
2135000
Hemp.
Entre as innumeraveis classes do plalas que
continuadamente se annunciam, as ululas vegelacs
astucaralas d Kemp, s que se podoin conside-
rar como o prototypo dos aperitivos caseiros, com-
pletamente cfficazes e absolutamente inoffeasivas.
Na sua compo>ico nao entra um s nico tomo
de ueiihuma substancia mineral. Constitue pois
o nico remedio necessario para os desarranios de
estomago, irrcgulandade do ventre, coustipacao ha-
bitual, affeecoe biliosas, dyspepsia e todas as en-
fermidades dos intestinos, predominautes nos cli-
mas calidos.
4 ditas perfumara ; aos consignatarios.
10 caixas zinco, 1 barrica pregos, 22 dilas en
xadas, 3 caixmhas armacSes para chapos de sol
23 ditas cidra, 300 ditas e 7 barricas cerveja ; a
ordem.
100 barricas cimento; ao Barao do Livramonto.
I caixa urna machina ; a Thom Burkinvoung
& Roberts.
30 barriiinhos chumbo de manicio; a Francis-
co Suders de Araujo.
I volume feltro; a J. C. Monteiro & C.
30 cjixas conservas; a Palmeira A Beltrao.
15 barris peixe, 30 ditos salitre, 2 volumes cor-
Tomadas lempo evitatn nfallivelmento osmor- i ^a? > caias fundos de cobre e 9 ditos sollos, 2
tiferos flagellos epidmicos e endmicos das re-
mides intertropcaes. Sao as nicas pilulas que se
vendem em frasqunhos de crystal e a capa assuca-
rada (|ue os cobre conserva suas virtudes e as tor-
na mui agradaveis ao paladar. Acham-se em to-
das as boticas do mundo e em Pernambuco as
iojas de Bravo & C. e de Caors & Barbosa.
Ao publico.
Para confirmar o justissimo
2 ditas solas; a Prente
; a Duarte
caixas folhas de cobre
1 Vianna & C.
5 caixas genebra, 18 dilas biscoutos
& C.
3 fardos papel; a S. P. Johnston & C.
10 caixas biscoutos, 1 fardo tapetes -, a Tasso Ir-
mo.
2 caixas chapeos de sol; a D. Wild t C.
20 barricas graxa em potes ; a Eduardo Peqton.
2 caixas champanhe : ao cnsul inglez G Len
Hunt.
elogio, que extasa-1 70 saccos arroz. a Jos M. da Rosa.
^Sn BbSfTrU Clumnas des!e m'm i 5 barricas cravos, 300 barris plvora, 20 ditos sa-
conceituado Dwno de 13 do corrente, sob a non- r 1 raixa amnstras a Patn Nash & f
mTdoiiiimwi^^repo7o^S15^^ ^ i d,ta "n,,a cm ar"fl.n5a' l '^.P"1!
Eu vos sado pra^a de Pernambuco porleres "Mf po,vo.ra : a,JSe Ant0D, More,r? .D'as-
a vosso lado um chefe ornado de virtudes ame- -J?a 5rS esleirM f caixa Penas I a Lmden
ciaveis, como passo a mostrar-ves. | "a u
Acbando me por acaso no cartoro doSr.es-
crivo dos feitos da fazenda, presencia entrar um
S?!?2S UnS a0t0S^ qa.e b,iiavam *!*? 56 barris salitre, 8 ditos oleo de linhaea; a Jos
nal da relacao, e o conductor na entrega dos di- Martinho da Cruz Correa. "'
tos papis foi d. clarando com pasmo ler a mes-: 2 caixas medicamentos a Caors & Barheea.
ma produzdo um accordao contra orna monunha 34 columnas de ferro, 16 barras de ferro, 10
douro, que com todo afn conUva desabar sobre caixas ferro galvanlsado, 2 ditas e 9 gin ferro 3
50 barris salitre, 400 barris plvora I a Sannders
Brothers & C.
um diminuto volume qne nem de perto se enxer-
gava, taes foram as expresses do corrector dos
ditos autos; pelo que, crescendo-me a coriosida-
de promov lr varias pecas bem como as sen-
tencas proferidas nos mesmos autos, sendo a pri-
ditos, 3 caixas e 25 fexes obras de ferro, 27 pe
dras ; a companhia da estrada do ferro do Recife a
S. Francisco.
Galeota hanoveriana Edo, entrada da ilha de
Mao, consignada a Rabe Schmettau & C, mani-
commercio desta cidade do Recite, capital da
provincia de Pernambuco e seu termo, por S. M.
I. e constitucional o Sr. D. Podro II a quem Deus
guarde, etc.
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia liverem, que por este juizo pendem
uns autos de execuco de senleuca de Domingos
Jos Ferreira Guimares, contra a "viuva e herdei-
ros de Constantino Gomes de Carvalho, a qual pro-
seguindo seusdevdos termos se fizera penhora na
quantia de 3:500500;). E sendo em publica au-
diencia que aos feitos e partes dava este juizo, pelo
solicitador Ignacio Barroso de Mello, procurador
do exequente, me foi feito o requerimento constan-
te do seguinte termo :
Aos i 1 dias do mez de julho de 1864, em audien-
cia que aos feilos e partes dava o Dr. juiz de direi-
to especial do commercio Tristo de Alencar Ara-
ripe, pelo solicitador Ignacio Barroso de Mello.pro-1
curador do exequente Domingos Jos Ferreira Gui-
mares, foi aecusada a penhora feita em dinheiro,
pertencente aos execulados a viuva e herdeiros de
Constantino Gomes de Carvalho, e requerendo que
llcassem assignados os seis dias da lei e dez aos
credores ausentes, o que foi deferido. Fiz o pre-
sent extrahido do protocolo das audieuclas, a que
juntei o mandado e termo de penhora que seguem.
Eu, Manoel Silvino de Barros Falco, escrevente
juramentado o escrevi; eu, Manoel Mara Rodri-
gues do Nascimento, escrivo o subscrev.
E mais seno continua e nem alguma outra cou-
fielmente copiado e transcripto. E em cumpri- do disposto no art. 138 do regulamento geral dos!
ment, o referido esenvao fez passar o presente correioTde 21 de dezembro de 1844, I art. 9 do
pon o prazo de dez das, pelo qual chamo cito e decrel0 n. m de ig dee mD {M 'se d
he. por atados os credores incert dos indicados ra 0 consumo das cartas exjstpn[es admin!;lra.
executados, para que, dentro do indicado prazo ?ao pertencentes ao mez de. julho de 1863, no da
comparecam neste juizo am de allegarem o que $de agosto prximo, s H horas da manhaa, na
i ca. datado de 7 de julho do "corrente anno, e de
9026000 conformidade com o art. 3" do decreto n. 333 de
12 de julho de 1843, convida aos proprietarios dos
predios sitos na ruado Trapiche, lado da mar,
comparecerem no paco municipal, am de fazerem
as declaracoes e reclamaQoes qne julgarem neces-
sarias a bem de seus direitos, relativamente a de-
1045000 saproprlacao de parte dos mesmos edificios para
alargameuto da dita ra.
No mesmo pago municipal tica exposto ao exa-'
me dos ditos proprietarios por espaco de 10 dias, a 1
contar da data deste, o plano do alargamento da '
dita 1 ua, podendo os mesmos proprietarios fazer
41O5OOO as suas reelamacoes verbalmente ou por escripto,.
com tanto que nao excedam ao praso cima mar-
Roa do Pilar.
N. 91 particular e 105pnblico casa ter-
rea........
N. 94 particular e 99 publico casa ter-
rea........
N. 103 particular e 94 publico casa
terrea.............
Rosarinho,
N. 3 particular casa e sillo......
Mirucira.
N. 4 particular sitio..........
Becco das Boias.
N. 39 particular e 18 publico 2 anda-
res........
Ra da Moeda.
N. 45.particular e 45 publico casa ter-
rea........ 1925000
Ra do Amorim.
N. 56 particular e 26 publico casa ter-
rea........ 1205000
Ra da Senzala Velha.
N. 82 particular e 16 publico casa ter-
rea........ 2OI5OOO
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 18 de julho de 1864,
O escrivo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Crrelo geral.
Pela administracao do correio desta cidade se
Paco da cmara municipal do Recife 14 de ju-
lho d'e 1864.
Luiz Fraecisco de Barros llego,
Presidente.
Francisco Canuto da Boavagem,
Secretario.
Correio yrral.
Pela administracao do correio desta cidade se
faz publico a quem eonvier, que as cartas abaixo
mencionadas deixaram de seguir seus destinos por
se acharem com sellos servidos. '
Antonio de Siqueira.
3605000 Bento Joaqutni Medeiros.
Joaquim Claudio Monteiro.
Joaquim Pereira Xavier de Oliveira.
Joaquim de Souza Ferreira.
Joao Gomes da Cruz.
! Joao Bento de a breo.
Jos Mara Sampaio Coelho.
, Manoel Pereira Guimares.
Felieiano Jos Teixeira (2).
Aristides Jos Neves.
Manoel da Cunha Lopes Vasccucellos.'
Manoel Antonio Pimentei.
neste
fr de direito, munidos de seus respectivos docu-
mentos.
E para que ebegue ao conhecimento de todos
inande passar editaos, que sero publicados pela
imprensa e aflixados nos lugares do costume.
Dado e passado nesta cidade do Recife aos 12
das do mez de julho do anno do nascimento de
INosso Senhor Jess Christo de 1864, 43" da nde-
porta do mesmo correio, e a respectiva lista se
aclia desde j exposta aos interessados.
Administracao do correio de Pernambuco 20 de
julho de 1864.O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
i orreio.
Pela administracao do correio desta cidade se
pendencia e do imperio. Eu, Manoel Mana Rodri- faz publico que em virtude da convenci postal,
gues do Nascimento, escrivo o subscrev.
Tristo de Alencar Araripe.
DECLAMGOES.
celebrada pelos governos brasileiro e francez, se-
rao expedidas malas para a Europa no dia 30 do |
I correte pelo vapor francez Navarre. As cartas
I serao recebidas at 3 horas antes da que for mar-
cada para a sahida do vapor, e os jornaes al 4 ho-
ras antes.
meira a do integerrimo juiz dos feitos da faznnda, lestou o seguinte :
Dr. Francisco Dommgues, qne com snbida mioo-1 60 molos sal, l,#tO pelles de cabra, 73 cooros
cosidade sustentou a dignidad* da lei, o qual se 1,500 lages, 300 caixas arenques fumados, 10 bar-
acha hoje elevado a alta dignidade de desembar- ris ditos salgados, 94 caixas bacalho, 10 ditas re-
gador da relagao, a qual pelo seu accordao sus- logios de ouro; ao capito do mesmo.
Coaselho administrativo.
O conselno administrativo para forneeimento do
arsenal de guerra tero de comprar os objectos se-
grales:
Para o arsenal de gnerra.
Sola de lustre 40 meios.
Fivelas para grvalas 20 grozas.
Taboas de pinho americano 10 duzias.
Ditas de dito de 3|4 de grossara 8 duzias.
Ditas de dito de forro 4 duzias.
Pregos caixaes 20 milheiros,
Gomma arbica em p 5 libras.
Taboas de amarello de assoalho de 15 18 no!
legadas de largura e de 25 i 28 palmos de compri-
mento 4 duzias.
AVISOS MARTIMOS.
Companhia Pernambacana
M
Mavegaco costeira a vapor.
Parahiba, Natal, Haco, Aracaty, Cear, e Acaracu'
O vapor Mamanguape, comman-
dante Moura, segu no dia 22 do
1 nsv corrente s 5 horas da tarde. Re-
,cebe carga ate o dia 21. Encom-
mendas, passageros e dinheiro a
frete at o dia da sahida s 3 horas da tarde : es-
criptorio no Forte do Mattos n. i.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavegaco costeira vapor.
Macei e escalas.
No dia 25 do correte seguir
para os portos do sul o vapor Per-
sinnmj, commandante Ratis. Des-
peja recebe carga at o dia 23.
Encommendas, passageiros e di-
tuar o Ieilo, devendo princ piar s 9 1|2 ho-
ras em ponto, visto que em continoacao haver
outro Ieilo de obras de ouro com brilhantes e um
terreno.
LEILAO
DE
2 carrocas, 2 vaccas, 2 vilellas c 4
iiois para carioca.
Quinta-feira 21 do corrente, s II horas, na co-
cheira dos Srs. Paulino & Irmo, no Mundo
Novo defr inte do sobrado onde raorou
o Sr. Dr. Sabino.
O agente Olimpio vender era Ieilo publico
no dia, hora e lugar cima os animaes cima,
sem minima reserva de prego.
DA
Casa de htlliar da ra do Imperador
junio a Ordem Tcrceira de S Fran-
cisco.
O agente Almeida, competentemente autorisado,
far leilao da casa de bilhar da ra do Imperador
junto a Ordem Terceira de S. Francisco, constando
de 2 buhares ltimamente forrados com todos os
seus pertences, 4 bancas de pedra, para caf. 1
! fiteiro de amarello invidracadi, espelho dourado,
gamoes, quadros, domines, bancas de amarello,
' sofs de dito, bules e assucareiros de metal novos
1 c do servco do mesmo estabelecimento, e mtiitos
outros objectos, bem como bebidas e charutos cons-
tantes da relaco que se acha em mao do agente-
cima, onde pode ser examinada.
Os pretendentes acharo o estabelecimento desde
j aberto para melhor examinarem o estado de
todos os objectos.
Qunta-feira 21 do corrente ; o Ieilo ser effec-
tuado no mesmo bilhar s horas 11 do dia.
LEILAO "
DE
39 saccos com arroz da India.
Quinla-feira 21 do corrente.
O agente Pesua vender por conta e risco de
quem pertencer 39 saccos com arroz da India em
um ou mais lotes: quinta-feira 21 do corrente as
10 horas da manhaa no armazem do Aunes.
Administracao do correio de Pernambuco 20 de neiro a frte at o dia da sabida s 2 horas da
julho de* 1864.-0 administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
CORREIO GERAL.
Relacao das cartas segaras existentes
na' administracao d<> correio desta
cid?de para ossenhores abafro de-
clarados.
Padre Antonio da Cunha Figueiredo.
Braza & Antunes.
Canaido Thomaz Pereira Dutra.
Francisco de Mello Barreto.
Francisco Moreira da Costa.
tarde: escriptorio no Forte do Mato n. 1.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o veleiro e
bem conheciJo palbabote nacional Piedaie, tem
parte do seu carregamento engajado : para o res-
to que Ihe falta e escravosi a frete, para os quaes
tem expelientes com modos, trata-se com os seus
consignatarios Antonio Loiz de Oliveira Azevedo,
loada Cruz n.,L_____________
Para o Rio de Janeiro pretende sahir com
brevidade a barca Barreto, tem parte da carga
engajada para c resto que Ihes falta e escravos a
frete, trata-se com os consignatarios Palmeira &
LEILAO
DE
10 pipas com Mnagre de Lisboa.
Quinta-feira 21 do corrente.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencer 10 pipas com vinagre de Lisboa
em lotes vontadedos compradores : quiota-feita
21 do correte s 10 lr2 horas da manhaa no ar-
mazem do Annes.
LEILAO
DB
Trastes- e outros muitos
artigos.
Quinta-feira 21 do corrente.
horas, no armazem da ra da Cadeii
do Recife n. 48.
O afete tMympio vender em Ieilo urna mobi-

{
y

la de amarello, commodas, cabdes. lavatorios, re-
logios, marquezas e outros muitos objectos qoe es-
Beltrao, largo do Corpo Sanio n. 4, primsiro andar. I tarao expostos na vespera e dia do Ieilo.
<~*m-


Mari* de Pernaaakueo ... tfctiarta lelra tO de Julho de IS4.
CJ
-..'
LE LO
BE
94 calxaa mu jueljos flanaengos
Quintafeira 31 docorrente.
6 agente festina Tender em leilo por conta
de quem pertencer24 caixas com queijos flamea
gos desembarcados da vapor ultimo, os quaes se-
ro vendidos quima-reir 21 do correte pelas 10
e meia horas da manhSa no armazem do Annes.
LEIUO
DE
Vinhos (em larris e garrafas) cognac, absinth,
kirsck, licores tinos, conservas de diferentes
qualidades, ehampignons, asperges, hervilhas,
nmstardas, tomates, salame, chocolates e quei-
jos de difTerentes qualidades, tado ltimamente
despachado.
Quintu-feira 21 de julho rnado ApN
l armaemn. 19
Luiz Cahors far leilao para liquidago e por
interven;o do agente Pinto, n So s dos artigos
cima deseriptos emo de miiitos outros existentes
em seu armazera roa do Apollo n. 19, aonde se
effectuar o leilo as 10 horas do dia supradito.
Vapor de reboque
A agencia desie vapor achase de hoje em dian-
te no escriptorio de Ro & Bidoulas, ra do Tra
piche Novo n. 18
O abaixo assignado faz ver ao respeitavel pu-
blico que deixou de ser seu caixelro o Sr. Elias
Baptista da Silva Ramos desde o dia 11 do cor
rente. Francisco Botelho de Mendonga.________
publico.
D. Maria do Looreto de Barros Campello faz
sciente a quera convier e possa interesar,, que
Epifanio Jos de Souza nao pode vender a sua ota-
ria sita tu. lagar dos Remedios, sem que primeiro
pague annnnciante urna letra no valor de 1:0005,
dinheiro este proveniente da compra da mesma
olaria, ao pagamento da quai flcou a otaria obriga-
da; e desde j a annuncianle protesta proceder
na forma da lei contra quem tal negocio llzer.
O bastante procurador,
Francisco A villa de Mendonca.
ISO rosos.
Em resposta ao annuncio, que no Diario de non-
lera (18) fex publicar o Sr. Joaquim Juvencio da
Silva, e para esclarecimenta de quem ioleressar,
transcrevo a procuraco, que teulio do Dr. Jos
Bernardo de Figueircdo. Alm desta procurado,
que diz o Sr. Juvencio nao ter-me sido conferida,
huuve autorisagao do Dr. Juiz dos orphaos, e so-
mente o Sr. Juvencio se tem lembrado de con-
testar a legalidad) do mandato, que tenhoexercido,
eslabeleeendo pela impreosa polmica, que n.o de-
sejo manter, e qmm sem resultado, porque nao
por este meio que ha de ser decretada a nullidade
dos actos por mim pralieados: ao Sr. Juvencio nao
cabe allegar direilo do terceiro, nem tao pouco ir-
rogar a nullidade, que emende existir em ditos
n-us actos. Mada ruis direi, e a quem de direilo
for darei conta, on respondere pelos actos, que te-
nho pralicado, e cuntinuarei a praticar em quanto
me forem conservados os poderes, que me foram
conferidos, Recife, 19 de julho de 1861.
Luiz Antonio Vieira.
Illni. Sr. Dr. juiz dos orphaos.Luir. Antonio
Vieira a bem de seu direito precisa que V. S. man
Aluga-se
o segando andar da casa da ra da Cadeia do Re-
cite n. 47, proprio para escriptor io oa moco soltei-
ro : a tratar na loja do numero indicado.
Aviso em tempo.
0 abaixo assignado tcm entregue as contas dos
devedores da extracta firma de Vidal 4 Bastos, de
que liquidatario, ao seu procurador Luiz Fran-
cisco Mello tuvares, para serem cobradas amigavel
ou judicialmente.
Recife, 18 de julho de 1761.Joo Carlos Bas-
tos Oliveira.
John
rinda.
onnelly, retirase para fra da pro
XAROPE VEGETAL
DE
IB\KBIO
Podendo d'ora em diante suscitar alguna des-
eonlianca a legitimidade desta preparadlo, em con-
sequencia do fallecimenlo do seu autor, o Sr. ma-
jor Jeo Augusto Penedo, antecipo-me a prevenir
que por escriptura publica entre o autor e os Srs.
Souza Pinto <& Irmo, do Rio de Janeiro, para com-
pra e venda do referido xarope vegetal de Penedo,
se acua declarado que em caso de morte do .utor,
o nico herdeirodo segredo da composigao, seria
seu niho Joo Augusto Penedo. EfTeclivameule,
sendo eu boje o nico herdeiro desse
Ama.
Precisa-se de urna ama que sai- j
ba bem cosinhar e que seja muilo ]
aceada e Tara compras : na ra da j
Cadeia do Recife n. 38, primeiro j
andar.
mmmmmwMM mrnmrnm
Na Capunga Velha est a disposiro dos'
concurrentes um excellenle bilhar das 9.
horas do dia at s 12 da noite.
Hotel de Franca.
Francisco Antonio Nery, pintor histrico!
e retratista tem a honra de declarar ao res-1
peitavel publico desta cidade que se dispe
a leccionar ao desenho histrico a todas!
aquellas pessoas que se quizerem utilisar
do seu p-estimo como pintor e de leccio-'
SAMO A LlZ
HST A TBNDA NA L1VRAKIA DO Sr. GeHALDO
BA ESTRRITA DO ROSARIO N. 12 AS
NOCOES
f
DE
PARTIDAS OOBRADAS
OPFRRBCWAS
A Assaciacia Conmereial Beneficeiile
DE
I'ERYIHKI (O
OR
M. Fonseca de Medeiros.
APROVEITEM APROVETEM
AOS
& im COVADOS
de sedas de cores de todas as qualidades.
Na loja da ra do Crespo numero 17.
para
para
segredo, co
de"qn oewivkVBriito revendo'os autos de mea-1mo Dof,S0 c?mprovar, se preciso for, com documen
tariodo comraendador Manoel Goncalves da Sil- i if?^.8"1'^.l'i! ?x'sl?ni 8ra meu poder, partici
va, Ihe de por certido o theor da procurago bas-1
Unte passada ao Dr. Jos Bernardo de Figuciredo.
Pede deferimento e recebera merc. Recife, 18 de
julho de 1864.
Luiz Antonio Vieira.
D. Recife, 18 de julho de 1864.Aquino Fon-
seca.
Florianno Correa de Brillo, cavalleiro da ordem
de Christo e primeiro eserivo de orphos da ci-
dade do Recite e seu termo por S. M. o Impera-
rador que Deus, etc.
Certifico que dos autos de inventario dos bens
que ncaram por fallecimenlo de Manoel Gongalves
da Silva, casado que foi com D. Clementina Tlieo-
dora da Silva, consta que a procurago bastante
pedida por certido pelo supplicante a de theor,
forma e maneira seguinte :
Registrada folhas 85 verso do livro de registro
publico- Secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco, 7 de fevereiro de 1863.Julio Gui-
mares, oHcial-maior.
Procuraco bastante que faz o Dr. Jos Bernardo
de Figueiredo. Saibam quantos este publico instru-
mento de procurado bastante virem, que no auno
do nascimento de Nosso Senlior Jess Christo de
182 aos 24 dias do inez de dezembro, nesta muito
leal e heroica cidade de S. Sebastio do Rio de Ja-
neiro e capital do imperio do Brasil, em o meu car-
torio peante mim tabellio, compareceu como ou-
torganteo Dr. Jos Bernardo de Figueiredo, mora-
dor a ruaOlinda Dotafogo, por si, e como eabeca
de sua mulher D. Claudina da Silva Figueiredo,
reconhecidos. das duas testemunhas abaixo Hornea-
das e assignadas, perante as mesmas e por elle
foi dte que por este publico instrumento iioiuea
ecoustitue seu bastante procurador a Luiz Antonio
Vieira, morador provincia de Pernambuco, para
;tli continuar na gerencia da casa commercial
tallecido commendador Manoel Goncalves da Silva,
isogro delle outorgante) recebendo ou dando qui-
tacao ou recibo em juizo ou fora delle em todos os
negocios tendentes a supradita casa commercial e
mais autos, assim Ihe concede todos os seus pode-
res em direito permittidos, para que em nome del-
le oulorgante como se presente fosse possa em jui-
zo e fora delle, requerer, allegar defeuder todo o
*eu direitoe justica em quaesquer causas, ou de-
mandas civeis e crimes movidas e por mover em
|ue elleoutorgante for autor ou reo em um ou nu-
tro foro, fazendo citar, offerecer accoes, libellos,
excupcao, embargo.-, su^peiisoes e outros quaes-
quer artigos ; contrariar, produzir, iuquerir e re-
perguntar testemunhas, dar de suspeito a quem
po por isso a quem convier, que continuara o mes-
mo xarope a ser fabricado sem alteracao alguma
em seus componentes e forma pharmaceulica ; as-
sim como sem alguma mudanca nos rtulos, en-
voltorios, etc., continuando a ser meu nico cor-
respondente no Rio de Janeiro, o Sr. Custodio de
Souza Pinto, na ra de S. Pedro n. 26.
Rio Grande do Sul 13 de junho de 1864.
O pharmaceutico,
Joao Augusto Penedo.
Ahitaras, men poro !!!
Descobrio-se aliual a verdadeira e principal a
grande eabeca do meu Juca 11
Com mitras, cuntas e ramos de flores, pretenda
ornar a fachada do meu importante romance, visto
terconcluido a minlia infeliz peregiinaalo, mas bo-
je lastimo e chero o tempo perdido da' miaba des-
venturada sorte.
Nada tiz com semelhantc experiencia dos meus
grandes melindres!'. encaixotados!
Bem me dizia a comadre Biloda, que na praca
nada fazia, finalmente quiz jogar a ultima cariada,
mas dei um asar.
Ped diversos amigos de meu padrinho e com
muito casto me arranjaram o grande lugar de
acollador du casa infernal, que gloria live eu !
de ter passado de porro porqueiro, julgando que
l>odia fazer versos sem achar consoantes, foi peior
a emenda que o soneto. Era tao grande o rendi-
menlo, que nao me chegava para as bateras de
rangideiras, que tama paixio tinha por ellas, as-
sim como tinha pelas cartas.
Viva sempre de bracos c.im a Sra. D. Economa
domestica .Nao obstante andar efectivamente de
pesado luto, nao porque tivesse a felicdade de
morrer prente algum, somente para poupar a cal-
do i-a Branca 'lllli s tinha o prazer de apparecer as
Aos 6:0OO$O00.
Corre depols (TamanliSa.
Sexla-feira 22 do corrente raez andarlo as
nar ao dito desenho nlo s em eollegios co- rod.as Primeira parte da priraeira lotera
mo tambem em casas particulares. da *?reJ;' de S. Francisco de Serinhaem.
- I). Mara Herminia dos Passos, competente-' ? tiHU. OOS I^qoartos acham-se
Yenda oa respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:0000000 at i2jk)00
serio pagos urna hora depois da extracto
at s 4 horas da tarde, e os outros ao dia
seguate depois da distribuido das listas.
0 tbesoureiro,
_______Antonio Jos Rodrigues de Souza.
mente auloiisada pelo Dr. director geralda ins
truccao publica, faz sciente ao respeitavel publico
e com especialidade aos pas de familias, que tem
aberto sua aula le primeiras letras e costura, na
rna de rTortas n. 64, casa terrea, onde offerece seu
prestimo, e espera concurrencia dos mesmos pas,
de familias.
Manoel Antonio da Silva Moreira faz cenle
ao respeitavel corpo do commercio que at boje
nao tem autorisado eaixeiro seo, nem pessoa algu-
ma a fazer em seu nome transaeeo por pequea j
que saja, sera que o raesmo portador va munido
com autorisacao sua por escripto, e para evitar i
abusos faz o presente annuncio. Recife 20 de iu- i
lhode!864._________________________________
Victorino Domingues Alves Maia vai Euro-
pa,onde pretende pouco demorar-se, ficando seu |
negocio gyrando como at aqui sobre sua firma, e
deixando encarregado do raesmo e como seus pro-
curadores em f lugar o Sr. Jos dos Santos Ra-
mos de Ol reir, era 2* o Sr. Jos Dias de Brito
Guimares, e em 3 o Sr. Joao (lardoso Ayres.
Aluga-se o terceiro andar do sobrado da ra
larga do Rosario n. 18, com bons commodos para
familia : a tratar no segundo andar do mesmo.
he "o for jurar decisoria e sapplenluriamente naj PJ^SS Sr:/ro*nsBO
alma delle outorgante e fazer dar taes juramentos' ** u,'a,a.n"0S 'le VlJP* ?'
de e pesadissima familia, pois gosto muito desta
creatura, tem fcito tanta cousa boa, como se a
tres festas do anuo, isto por ser lilha nica de
mulher viuva.
Pele alta inlelligencia que me restava, entend
tomar os consclhos da comadre Bilda :
Compadre, me dizia ella, nao acho bom pere-
grinar hoje com semelhante lempo I !
Respond todo ufano com fumaras de senlior de
engenho ( tn nomine) :
i>ao se lembra que o m"u raestre Bento dos
Pontinhos diza-mo, que eu havia de ter cabega
grande sem milo ?
E' verdade, compadre, mas Vine, sempre
veste camisa de onze varas, e depois custa-lhe. o
li-ra-la. Compadre dos meus grandes peccados O
que vai fazer ? Peregrinar boje com este homem
! que Deus Ihe
arrimo de sua gran-
CASA DA FOKTUNA
AOS 6:000,000
Btihetea garantidos
A' raa do Crespa a. 23 e casas do costme
O abaixo assignado tendo vendido nos seus nitri-
to felizes bhetes garantidos os dous quarto n.
2713 com a sorte de 6:0004000, e o meio n. 3249
own a sorte de 1:400, o meio n. 1078 com a sor-
te de 6005, e nutras maltas de 200$, 1005, 408 e
zO da lotera que se acabou deextrahir benefi-
cio da Santa Casa da Misericordia, convida aos
passuidores de ditos brinetes a virem receber seus
respectivos premios sem os descontos das leis, em
seu estabelecimento ra da Crespo n. 23.
O raesmo tem exposto a venda os novos e felizes
bilhetes garantidos da primeira parte da primeira
lotera a beneficio da igreja de S. Francisco de
Serinhaem,;qne se extraur sexta-feira 22 do
corrente.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 7*000
Meios......... 3*500
Quartos........ i*900
Para as pessoas que comprarem
de 100* para cima.
Bilhetes........ 6*000
Meios......... 3*230
Quartos......, 1*700
Manoel Martins Fiuza
Aluga-se o sitio dos Buritys no Arraial, aon-
de foi a imprensa de lavagem :'a tratar na ra
Nova n. SO.
Importante compra de 7130 covados de seda de todas as qaalidades, propras
vestidos de senhoras e de meninas, e vende-se por precos admiraveis.
Oufros muitos objectos de apurados gostos para senhoras, vestidos de blonde
casamento a 90* cada um, capas pretas, sootambarques decores e pretos, chapeos etc.
Fazesdas de nano t de algodo as melhores que existem no mercado.
O pnprietario deslc importante estabelecimento vai a Europa muito breve com-
prar fazeams de apurados gostos, presentemente vende as snas mercadorias por precos
baratissimcs para liquidar.
Prte|ara todos. Protejan todos a importante
LIQUIDACAO
A loja da ra do Crespo n 17.
Na praga da Independencia, loja de ourives
n. 33, comprara-se obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como se fax qnalquer obra de en-
commenda, e todo e qnalquer concert, e igual-
mente se dir quem d dinheiro a premio.
ATTENClO
O abaixo assignado declara ao Sr. Travasso J-
nior, negociante m foi estabecido nesta praga,
que a letra de 117*260 que o abaixo assignado
aceitou em 19 de agosto de 1861 a favor do mes-
mo Sr. Travasso foi totalmente paga na cidade de
Ass em 26 de fevereiro do corrente anno ao
Rvm. vigario daquelle lugar Jos de Mattos e Sil-
va, comprehendendo-se neste pagamento o juro a
razao de 1 0|0 ao mez. Constando ao abaixo as-
signado que o mesmo Sr. vigario anda nao embol-
sou o Sr. Travasso de semelhante quantia, por sso
faz o presente annuncio para ver se o Rvm. pode
explicar o atropello em quo poz o annuncianle, e
a demora que tem tido em fazer entrega daquan-
ta recebda 104*330.
^^^^^ Manoel fguaco de Oliveira Mrtins.
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do diae da noite
para o exercicio do sua profissao de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia at 4 horas da larde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o eslud das
molestias d interior, proseoae. com o
maior;,Hinco, no das mais dilceis e deli-
cadas operac5es. como sejam dos ergaos
ourinarios, dos olhos, partos, etc.
1>M>2?.>
mm mmmmi
Mudanca.
Balbina F. da Silva Rosa, professora particular,
avisa aos pas de suas alumnas que mndou-se da
ra do Vigario para a da Lin?octa n. 8, segundo
i andar, aonde contina a ensinar as materiss pri-
j Diarias, afianzando que ser solicita no desempe-
^Jf :\i nbo de seus deveres, afim de que as pessoas que
Precisa-se alugar urna ama para cozinhar e ilhe C0li!lretn s"as gjgj r""",m ^tisfeitas.
comprar emeasa de homem solteiro, preferindo-se __ Alnaa-se n quarto andar do sohrado da ra
3--RUA ESTRBITA DO R0SARI0--3
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar denles artiliciaes tanto por meio de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
liqieui a vontade de seus donos, tem pos
e outras preparagoes as mais acreditadas
para conservacao da bocea.
Precisa-se de um copeiro : na ra das La-
rangeiras. casa de pasto n. 10.
Aluga-se o 2 andar do sobrado n. 79, na ra
do Imperador : a tratar na ra do Crespo n. 13.
Precisa-se de urna criada
11 que saiba cezinhar e comprar :
Amaro (Mundo Novo), sobrado
Dr. Sabin.i.
hvre ou escrava
na roa de Santo
onde morou o Sr,
Vendem-se eseravos pegas de ambos
xos: na ra Direita n. 34.
os sc-
Precisa-se alugar urna preta para tolo o ser-
vgo de casa de pouca familia : na ra Direita nu-
mero 78.
Olfereee-se
do Veras n. 26.
una aun de leite : na travos
a quem convier
assslir aos termos do inventario
citaces para el
e partillias, com as citaces para elle ass.gnar au- j "de7erro"'lo ou 'ovio elctrico "na cam-1falla de umdedo na mao esqn'erd prov_..
tos, requerimenlos, protestos, contraprotestos e ter-1 JJ ^dTbrc^n^'^SfZ. \ "m Panaricio que teve, tem algumas marcas de ,
Precisa-se de tuna ama escrava ou firra pa-
ra casa de pouca familia, que cozinhe e engomme:
a tratar na ra de Santa Hita n. 40, primeiro
andar.
Ainda est para alugar a casa da rua augus-
ta nll2jatratarnarua>'ova n. 39.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 10
da rua do Rangel: a tratar na taberna do mesmo.
Amm
Ausentou-se da casa de seus senhores na ma-
nhaa de 17 do corrente a preta escrava de nome
Mara, de meia idade, com os signaes seguintes : ,
: estatura regular, cheia do corpo. andar liseiro.tem : lterife-em *&* J,!
renientede P"a para taberna :
mos ainda de confisso, negacao, louvago, desis-
tencia, appellar, aggravar ou embargar qualquer ] !'"j.."r
sentenga ou desp.ncho, e seguir estes recursos at
maior aleada, fazer exlrahir sentenga, requerer a
execoclo deltas, sequestro : assistir aos autos de
onciliago pira os quaes Ihe concede poderes Ili-
mitados ; pedir preealorias, tomar posse, vir com
mbargos de terceiro senhor possuidor; juntar do-
cumentos e torna los a receber ; variar de aegoes,
intentar outras de novo, podendo subslabelecer esta
em um ou mais procurador, c ossubstabelecidos em
<>utros,lcando os seus poderes em inteiro vigor, re
voga-los querendo; segundo suas cartas de ordens e
avisos particulares que sendo preciso serao conside-
rados como parte desta : e ludo quanto assim for
aceito por dito seu procurador ou substabelecido,
promette haver por valioso e firme e para sua pes-
soa reserva toda nova citagao.
Assim o disse de que dou fe, me pedio este ins-
trumento que elle aceitou e assignou com as teste-
munhas abaixo perante mim, Antonio Joaquim de
Ottanhade Jnior em publico e raso. Em testemu-
uli.i de verdade.Antonio Joaquim de Catanha-
de.Jos Bernardo de Figueiredo.Jos Vicente
de Souza.-Joaquim Marques Moara.
Nada mais se continha em dita procoragao bas
1 inte aqui fielmente transcripta, extrahida do pro-
prio original ao qual me reporto.
Recife, 19 de junho de 1864.Fiz escrever e
assignel. -
Em f de verdade.
Floriano Correa de Brilto.
Os seahores que tem le-
vado por emprestiraocolleQoes
leste Diario, queiram man-
da-las restituir com brevida-
de pois silo precisas.
0 cirargi&o Leal mudou
a sua residencia da rua do
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
innazem Progressista, aon-
de o acharfto como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
ssao, chamado por escripta.
Ainda est por alugar-se a boa casa ter-
rea n 39, rna da Uniao : na rua da Au-
rora casa n. 10, dir-se-ha quem aluga.
Aluga-se um sitio na estrada da Ponte de
t'choa e a margem do rio, -pouco adiante do Illm.
Sr. commendador Nery Ferreira, tendo banhero,
palanque, gallooiro e outras acommodagSes; e
lutro tito no Monleiro, em frente ao oitao da igre-
ja : a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Sou-
za, rua do Crespo n. 13, ou estrella do Rosario nu-
mero 3& _____________^_______
-^~Na fabrica de sabao na rua do Rangel n. 34,
precisa-so alugar um oa dons moleques para o ser-
vico da mesma.
ma, analmente, a descobrta dos'Belgas nesta r- catrizes as costas, parece ter
S pego Divina Providencia que o Sr.
Progresso nao Hiorra de repente, pois faz malta
falta sua numerosa fjmila, e principalmente
pobreza.
Eu bem disse que Vine procurasse outro oflicio,
ainda que fosse fazer gaiolas !
Ha dias eu estivo em casa da nossa comadre
Tabica. Soube que o ro Jaboalo nunca linha ex-
portado um kagado tao monstruoso, como fosse o
compadre.
Agora o que quer mais, tcm visto o que se tem
dito na gazeta : dexe de'ser lerdo, v criar o seu
;-equeno, para nosahir tao romancista e desfruc-
tavel, quero dizer como o compadre. Sua co-
madre
Bdda.
sido chicotada em
razio de ter servido em engenho, levou vestido de
chita, saia de alpaca preta e pauao da costa, e
um taboleiro com milho e feijo, um prato com
! banha, julga-se ter ido para Santo Amaro de Ja-
! boatao ou S. L lurengo da Malta em razao de ah
I ter sido escrava e ter prenles: portanto roga-se
as autoridades tanto destes lugares como da praca
e eaptaes de campo que a aprehenda e leve-a a seu
senlior na travesea do Caldeireiro n. 12, que sarao
i gratificados.
Precisase de urna ama
urna casado pouca familia
mero 17.
% para todo servigo de
na rua do Vigario nu-
Aluga-se a casa n. 61 ru da Concordia :
a tratar com Marcellino Jos Lopes, na otaran. 13,
rua do Mondego, e a chave em poder do Sr. or-
herto Meira, rua da Concordia.
BOTHliRAKTIIOLOXE-S'C
Rua larga do Rosario n. 31
Vende:
i Todos os remedios do Dr. Cuable.
Capsulas e injeccao ao raatico.
Injecgao Faugs "
Pilulas do Dr. Alian.
Pilulas do Dr. Lavillc.
Pilulas do nobre-homem, excellentes contra rheu-
matismo.
Pilulas para sezSs.'
Pilulas e ungur-nto Hollovay.
Phosphato ferro de Lerrs.'
Todos os remedios de Kemp : pastilhas, pilulas,
an ahuita.e salsa de Bristol, etc. etc.
Eacuitos oulros medicamentos e especialidades
que sempre se encontrarao em dita botica.
0 abaixo assignado, subdito de S. M. F. ten-
do de retlrar-se para Europa no fin do corrente
mez, faz sciente ao respeitavel publico que deu
sociedade em seu armazem de carne secca na rua
da Pra n. 22, seu eaixeiro, o Sr. Jos Tarares
Plnheiro desde o 1 do corrente mez em dianle, o
qual tica girando sob afirma deRoreae&C, e
deixa por seus procuradores, em primeiro lugar o
Sr. Manoel Antonio de Carvalho e Silva, em segun-
do o dito seu socio Jos lavares Pinheiro, c etn
terceiro ao Sr. Manoel Jos de Miranda. Assim
como faz sciente que julga nao dever a pessoa al-
guma, mas que.se por acaso alguem se julgar seu
credor, tenha a hondada de se aprescniar, afim
de ser pago, no caso de ser real. Recife, 18 de
julho de 1864. Antonio Domingues Marques Ro-
raao.
Alugam-sequatro casas terreas, una nafre-
gueza da Boa-Vista, rua dos Prazeres n. 14, com
commodos para grande familia, cacimba e quintal
morado, duas dilas na freguezia de S. Jos, tra-
vessa do Freitas ns. 14 e 26, ama na freguezia do
Portas, rua do Pilar n. '.'2, pro-
a tratar no Recife, travessa da
Madre de Dos n. 18 : a tratar das 6 as 9 horas
do dia.
Arreuda-se, vende-se, ou mesmo troca-se por
casas na praca um sitio na Varzea margem do
ameno Capbaribe, com duas grandes casas, com
7 roarlos, 4 salas, 2 eozinhas e um slito, tendo a
parte cochera, estribara, e quartos para criados,
todo plantado de arvores de fructo, abacates, sapo-
lis, fructa-po, limo doce, limas de umbigo e da
escrava : na rua do Queimado n. 43.
Aluga-se o sobrado de dous andares na roa
da Penha, ou em separado : a tratar no mesmo.
No dia 14 do corrente desappareceu da rasa
do abaixo assignado um menino livre de 12 13
annos de idade, de nome Jos natural da cidade
da Victoria, cujo menino se achava cm poder do
abaixo assignado por consentimenlo do juiz de or-
phos da dita cidade e percebendo o salario de
40* annuaes, cuja quantia era entregue ao dito
juiz. E temendo-se que o dito menino fosse se-
duzido por alguem, pede-se a quem souber noticia
delle se digne parlicipa-lo ao abaixo assignado na
rua Direita n. 117, ou no largo da Santa Cruz nu-
mero 16.Por Manoel Anastasio da Costa,
Aluga-se una mulata que engomma e coz-
nha : na rua do Imperador n. 30, terceiro andar.
Offorece-sc tima mulher para cozinhar e en-
gommar : a tratar na rua do Hospicio n. 38.
Nova n. 19 : a tratar na rua da Cadeia n. 02, se-
gundo andar.
Aluga-se o tercena andar do sobrado da rua
do Amorim n. 37 : a tratar Ha rua da Cadeia n.
62, segundo andar.
COHh.UIU
Manoel Jos Riliero de Faria, Porluguez, re-
tira-se com sua familia para o Rio de Janeiro.
Antonio Luiz de Oliceira Azc-
vedo & C
Agente- do Banco l nio do Porta.
Competentemente autorisados sacam por todo
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as segnintes agencias.
Londres sobre Hanh of London.
Pars Frederie S. Malln & C.
Hainburgo Joo (abe & Filho.
Barcellona Francisco Italioba & (tallista.
Madrid > Jaime Meric.
Cdiz Crdito commercial.
Sevilha > Gonzalo Segoria.
Valencia M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Angra Terceira. Figtieira.
Caminha. (Suarda.
Castello Branco. Guimares.
Chaves. Lagoa.
Coimbra. Lagos.
Covilhaa. Lamego.
El vas. Leiria.
Extremos. u;,
Evora. Monao-
Fufe. Moncorva.
Pinhal. Rogoa.
Porlo-alegre. Setubal.
Thomar. Vianna do Cas-
Villa Nova do tello.
Por limo. Villa Real.
Vivu. Madeira.
Faial. S. Miguel.
No 1MPEU10.
Bahia. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou visla.podendo logo
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Bareellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganca.
Faro.
Oliveira
meis.
Penaflel.
Tavira.
Villa do
Villa Real de
S. Antonio.
d'Aze-
Conde
Persia, larangeiras de umbigo, soletas, tangerinas,; 0s saques prazo serem descontados no mesmo
Cninpanhia fldelidade d
seguros marltlsiioa e ter-
restres estabeleelda no
Rio de Janeiro.
AGENTES EM PEPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azereoe & C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fldelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
ras e predios no seu escriptorio roa da
n .1.
Consultor Forense
Acaba de sahir luz na linaria do editor B. L.
Garnier, rua do Ouvidor n. 69, o
CONSULTOR GERAL DO FORO
Pelo Dr. Carlos Antonio Cordeiro.
4 grossos voluntes em 4o, bem encadernados.
305000.
Acaba de completar-se e muito distincto e contiendo jurisconsulto o Dr.
Carlos Antonio Cordeiro, honrada com pareceres
laudatorios dos Srs. conselheiros senadores Ange-
lo Unan da Silva Ferraz, Bernardo de Souza Fran-
co, Euzebio de Queiroz Coutinho Mailoso Cmara
e Jos Thomaz Nabuco de Araujo.
Compoe-se esta obra eminentemente pralca e
ao alcance mesmo das pessoas inteiramente ex-
tranhasao foro, dos consultores civil, criminal,
commercial e orphanologico e forma urna iliWiO-
theca computa indispensavel nao s a todas as
pessoas do foro mas tambes a todos aquellos que
quizerem intentar ou ti vero cansa dependente de
qualquer juizo.
Vende-se separadamente cada ama das partes
seguintes a 8*t)M) : ,
CoitstXTc* Civil acerca de todas as aeces se-
guidas ao foro civil, sejruado e systena adoptado
por Correa Tatas ao sea Maaaal ao Pnesaa V-
vil, cora as sapareasoas, %\%nftm e accreseimos
exigidos pela legislao, estytat e pratica do foro
brasiieiro.
ConscLToa Cruh.xal oa farmahrio da todas as
aegoes seguidas ao furo criminal, precedido das
disposi$aes roacaraeaJes orgaaisafo jadfeiaria
e aitribaicoes das aakxidades poetaes e crini-
aaea
C.vsl'lto CoautaartAi, aa formularte t todas
as aceoes cimimittoim, segundo o regulamento de
2* de novembro de 1850, contendo os modelos de
todas as petiges, despachos, termos, autos, alie-
gagoes, embargos, senteocas, finalmente todos os
termos dos processos, seguido do processo das que-,
bras, qor no juizo commercial, qur no jaizo cri-: Ventosas de gomma elstica.
m,"n'- Esmaltes para ourives.
uwsiiltor Ohpiianologico ou formulario de to- pundas inglezas
das as aegoes seguidas no juizo dos orphaos, pre- Vidros de bocea'larga com rolha.
cedido das attnbuiges das difTerentes pessoas que Tinta branca em massa para pintara fina a 200 rs
nene liguram, e enriquecido com diversas regras e a ||jra
preceitof tendentes ao mesmo juizo de orphaos, e
bem assim ao da prov< doria, com a legislarlo res-
pectiva.
Na mesma lvraria se encontra a seguinte obra
do mesmo autor.
_Codioo Chhiixal do imperio do Brasil, contendo
nao s loda a legislago altrame ou modificante
de suas disposiges, como as penas de seus difTe-
rentes artigos, calculadas segundo os seus graos
e as diversas qualidades dos criminosos; 1 volume
em 4., encadernado, 4W00.
Vende-se na lvraria econmica ao pe do arcojde
Santo Antonio.
160TIC \ E DROGARA
BARTHOLOMEU i c
Rua Larga do Rosario
Vende:
n. 34.
INJECCAO BROW.
Remedie infallivel cx>ntra as gnorrlteas
antigs e recentes, nico deposito na bo-
tica franceza, rua da Cruz n. 22, pre-
co U______________________.
_ TINTURARA.
Tinge-se com perfeicjfo para qualquer
edr, e o mais barato possiyel: na rua do
; Rangel n. 3R. segundo andar.
etc.. um pr.indc cafesal com frnclns, jaqueira
mangneiras, coqueiros, dendezeiros, com mais no
fundo urna casa de taipa, e bem assim mais 4 ca-!
sas de tijolo acabadas de pouco teropo, com frente
para o nascente, muito frescas, tendo cada urna 2
salas, 2 quartos e cozmha fra : os pretendentes >
dirijam-se rua do Queimado n. 27, loja de fazen-!
das dos Srs. Custodio 4 Carvalho. i
Miguel Jos Barbosa Guimares socio prin-
cipal da firma de Guimares 4 Lima, faz sciente
a todos os devedores a esta firma que tendo falle-
cido o socio Jos de Almeida Nunes Lima, est
procedendo a liquidacao da mesma e por isso pe-
de a todos os devedores o especial favor de man-
daren) saldar seus dbitos o mais breve possivel.
Recife, 9 de julho de 1864.___________
A afericao foi tranferida da rua Veltia para
o beata do Trah, casa do porto largo.
Da casa de Manoel Jos da Silva Hatea, sita
na raa das Cruzes em Santo Antonio n. 41, segun-
do andar, desappareceu hontem o caboclinho livre
de nome Praacelino, com idade de 12 annos, que
Ihe servia de criado : roga-se, pois, a quem o ap-
prehender, que o comluza casa que ser recom-
pensado ; prevenindo-se a aquelle que o tiver oc-
cnllo, que contra o me*ino se proceder na forma
da le.
Precisa-se de nina ama de lele o outra sec-
ca, para o servigo de casa de pouca familia na
travessa da matriz de Santo Antonio n. 8._______
0 abaixo assigoado declara que vende pedras
de alvenaria extrahidas da ilha de Santo Aleixo,
botando-as em qualquer dos portos desta cidade,
por 25(M)0 a tonelada : quem pretender dirija-se a
rua do lirum n. 70.
John Donnelly.
Banco a razio de 4 por cento
na rua da Cruz n. 1.
ao auno : a tratar
PE
Seguros Martimos Iiidem-
nisadora.
A directora desta companhia convida os senho-
res accionistas para reunirein-se em assemlda ge-
ral, no escriptorio da mesma companhia, uo dia 20
do corrente, pelas 11 horas da manha, alim de
proeoder-se a disenssao dos rovos estatutos, j dis-
tribuidos pelos mesmos senhores accionistas.
Recife 13 de julho de 1864.Os directores,
Joao da Silva Regadas.
Francisco Joao de Barros.
Miguel Jos Alves.
Aluga-se a lo adacasa 11. 40 da rua das Tnu-
cheiras : na rua da Aurora 11. .16.
Precisa-se alugar urna preta que saiba cozi-
nhar e engommar : quem a tiver, dirija-se rua
do Trapiche n. 4, que achara com qortn tratar.
Mugase o terceiro andar da c.i-a n. 48 na
rua do Trapiche
casa.
a tratar no armazem da mesma
Joo da Silva Ramos, medico pela l'ni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
en suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos era qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operagao crurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 3000 diarios.
Segunda dita.... 2o00
Terceira dita.... 2000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servigos que tem pres-
tado.
0 proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a conuanga de que sem-
pre tem fosado.
0 abaixo assignado, eaixeiro do Sr. Jos Viei-
ra dos Sanios, na tabero da raa de Caldereiro n.
94, pertencente ao mesmo Sr. Vieira, partecipa a
todos aquelles Srs. que se acharem rredores por
dehilo contrahido para dita taberna, de apreses-
tarem suas contas, visto ter de daar a gerencia
de dita casa e entregar a mesma ao procurador
do mesmo Sr. Vre*a. Recife, 18 de julho de 1864.
Jos Lopes da Suva.
Anda se acha por alugar o salao terreo da
rna do Hospicio n. 26, quo tem o tecto forrado de
estuque e o pavimento de oleado, com accommc-
dages sufHcenles para habitago de urna familia
pouco numerosa ; e tambera serve para reuniSes
de alguma sociedade Iliteraria por ser muito
fresco._______ .________
Os abaixo assignados participam ao corpo do
commercio que dissolveram amiga belmente a Or-
ina iiunaaiiir de Rodrigues A Gomes, que gira va
em Porto Calvo, provincia das Alagoas Bcando res- junt0 ao arco e Santo A
ponsavel pelas transaegoes do activo e passivo o ve para esta Revista :
socio Rodrigues conforme o documento da dissolu-
go registrado no tribunal do commercio desta ci-
dade em 5 de julho do corrente anno.
Recife, 16 de julho de 1864.
Jos Rodrigues Tavares de Mello.
Agoslinho Gomes da Costa.
CI.tR PERNA\M)
A refuta familiar Iu frrenle mez
ter lagar na aeile do dia 21.
ntist5 de pars
19Roa Neva-it
Frederieo Gantier, eirnrgiio dentista,
faz todas as operagoes de sua arte, e coi-
leea denles arttaeiaes, tnde eom sopeno-
ridade e perfeico, que as pessoas enten-
didas lhe reconnecem.
fea agua e pos denuncio.
mmmmmumwam
Revista ilo Instituto Archeolo-
gieo e (eographii'o Pernam-
bHcano.
Acham-se venda os 3 primeiros nmeros, na
lvraria Econmica de Jos Nogueira de Souz,
otono, onde se subscre-
para
Sociedade de segaros inietaos
de vida ias*:)!!nda pelo flanco
Uuio na cidade do Porto.
Os agentes nesta cidade e provincia Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo A; C escriptorio na rua
da Cruz do Recife n. 1, esto autorisados desde j
a tomar assgnaturas e prestar todos os esclarec
mentos que forem necessaros, as pessoas que de
sejarem concorrer para tao til e benfica empre
as, egurando um futuro lisongeiro aos associado-
Precisa-se de um cozinheiro ou coznheira :
na rua do Imperador n. 27, defronte da ordem ter-
ceira de S. Francisco.
(iraminalica ingleza e porlugucza.
D. Appleton & C. livreiros.ediiores fi imporiado-
res em New-York, Estados Unidos da America,
acabam de publicar um novo methodo para os in-
glezcs aprendereu! a lingua porlugueza por F.
Granen, 1 rol. 12 mo.
Este livro, o melhor at hoje publicado ex-
presamente impresso para supprir a immensa fal-
ta que ha de urna grammatica inglesa e | ortti-
gueza, para aquelles que fallara o nglez e que de-
sejam aprender a lingua portngueza.
D. Appleton ct C. sao os editores das obras em
hespanhol para edocaeo mtiiiissimo usadas no
sul da America. Tambin publican) os melhores
albuns para carloes de visita.
Precisa-se de urna ama de leite : na rua Im-
perial, sobrado n. 87.
Manoel Jos do Nascimento e Silva, que ou-
tr'ora fora estabelecido nesta cidade na rua da Ca-
deia de Itecife, e de presente 9ndo representado
nesla mesma cidade por seu bastante procurador
Joaquim Francisco da Silva-Jnior, roga a todos
os seus devedores, que no praso de 30 das do pre-
sente annuncio drijain-.-e ao referido seu procura-
dor e liquidem suas contas com o annuncianle.
porque se no h*m do dito praso o nao liverem feito
>ero notificados nos termos da lei par. vereui in-
terromper prescripgo etn seus dbitos. Recife II
de julho de 1864.Com procuraco,
Joaquim Francisco da Silva Jnnior
I*flf3 ^f^l^S lUS^^^
Maques sobre Portugal. fj
O abaixo assignado, autorisado pelo ra
Banco Mercantil Portnense. e na ausencia uait
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef- B|
feclivamente por todos os paquetes sobre ffi
as pragas de Lisboa e Porto, e mais lupa- Sp
res do reino, por qualquer swnma vis- &&
ta, e a praso ; podendo, ns que lomarem .-.
saques a praso.receberem avista, no mes- iS
mo Banco, descontando 4 0 ao anno: na 'gf
loja de chapos da rua do Crespo n. C, ou 3S
na rua do Imperador n. 63, segunde an- *Sb
dar.Jos Joaqnim da Costa Maia. g|
Bernardiao da Silva Costa fiz sciente ao res-
peitavel publico e com especialidade ao corpo do.
commercio, que nesta data wndeu ao Sr. Luiz Al-
ves VilHIa a sua taberna d* largo <*> Praizo a.
16, livre e desembaragadk Recife ** *f JB*o de
186a-, ,______________________
O Sr. Km Francisco de Pontes com padaria
em Caroar tenha a bondade de dirigirse ao lar-
go de Pedro II n. 27, terceiro andar, i negocio qae
lhe diz respeito.
Por anno..
Nmeros avulso.
.'5000
15300
Caixeiro.
Precisa-se de nm caixeiro de l 14 annos, com
pratica de taberna, c d fiador a sna conducta :
na rua da Madre do Dos n. 9.
Alnga-se a casa terrea com 4 quartos, 2 sa-
las, cosinha fra e quinta!, na rua lo Ouro n. 22 :
a tratar com o solicitador Manoel Luiz da Veiga, Na rua do Mondego n. 12, engomma-se com
raa da Gloria n. 94. perfeico.
Lara-se e engomma-se com perfeigo, enear-
regando-sede mandar trazer e levar a roupa em
casa de seus donos: as pessoas que quizerem se
afreguezar, dirija-se rua Sebo n. 50.
Jos Carallos Pombo, subdita hespanhol, re-
tra-se para fra do imperio._________________
Bento Pereira Mondes, subdito portuguez, re-
tira-se para fra da provincia.__________________
Dinheiro
D-se dinheiro a juros sob hypoiheca ou penho-
res de euro ou prata al a qnantia de 2:0005000 :
quem pretender, dirija-se. rua do Queimado nu-
mero 73.
Carvo animal, fare-lo de Lisboa superior, cal
virgera nova: na rua do Vigario n. 19, andar.
Ainda est por alugar a casa n. 2 da rua do
Socego. no Campo Verde : a tratar na rua do Ran-
gel, taberna n. 7.___________________
Souza & Primo compraram a taberna sita na,
rua do Padre Floriano n. 41 ao Sr. Antonio Jos
Marques Perreira Pombal, livre e desemharacada:
se alguem se julgar com direito mema, snpare-
ga nestes tres das. Reeifo 16 de julho de 1864.




*a
~.


Diario de rernambuc* Quaita felra SO de .lulio de 1844.
RA DO QUEMADO NUMERO 11
Loja de fazendas d- Augusto Frederico dos Santos Porto
chapeo* para senhoras.
Ghegaram de Pars as mais lindas chapelinas c chapeos de palha da Italia para senhoras.
Rk?as capas e soutembarques de seda preta e casemira de cor para senhoras.
Corles de superior morenlique branco para vestidos de noivas.
Camisas inglezas muito superiores para homens, peitos, puRhos e eolarinhos de iinho.
Chapeos de seda para cabera e chapeos de sol de seda inglezes.
Lencos de labyrimbo francezes a 1* cada um.
Camisas de menino muito superiores.
Cortes de la de barra para vestidos de senhoras de 13* a 18*.
A mesma loja tem o maior e mais superior sortimento de
Kstelras para salas.
Neste estabelecimento encontraro os senhores que precisarem forrar suas salas com esleirs
otda e qualquer quantidade que desejarem de 1, o e 6 palmos de largura, sendo a quahdade muijo
superior e por mdico prego.
Xovos enf cites para senhora.
A aguia-branca acaba de receber um beilo e va-
Precisa-se de um escravo para servido interno riado sortimento de enfeitus de diversas qualidades,
e externo, paga-se bem : na ra do Queimado n. e o que de mais moderno possivel encontrar-se
A ttenqao.
29, loja.
Os abaixo assignadosdeclaram que Luiz Fer-
nandos de Torres Marioho deixou de ser seu cai-
xeiro de cobrancas. Recife, 19 de julho de 1864.
Silva Antunes & Irmao.
Atteucuo
O dono da loja do Beija-flor, na ra do Quuimado
n. C3, acaba de abrir um outro espcoso estabele-
Assim, vista desse completo sortimento, qualquer' cimento de miudezas na mesma ra n. 69, por isso
cidado munido de dinheiro esl habilitado a com- j avisa aos seus freguezas c amigos, que nestes dous
aqui, fazendo-se notareis por suas novidade e ele-
gancia uns, cuja grade de um fino e delicado lu-
cido a que apropriadamente se chama invisivel.
COMPRAS.
ROUPA FEITA
S
NO
ABS4ZE1
00
LETREIBO VERDE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de ronpa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concer-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
homens e meninos.
Casacas de panno preto, 350 e 300000 DUos de setim preto
Sobrecasacas idem, 300 e 250000
pra-los : na ra do Qucimado, loja d'aguia-branca
n. 8.
Bonicas bonecas.
Com ruste de cera, massa e porccllann.
" Acha-se na loja d'aguia-branca ra do Queima-
CntHfyrn-^P don. 8, um grande sortimento de bonecas de di-
wiiiy ar/ versos tamanho<, com rosto de cera, massa e por-
cobre e lalao: no armazem da bola amarella no cellana : os pretendemos munidos de dinheiro
oiiao da secretaria de policia._______________ acharo boa disposigo para os vender.
Compra-se euro e prata em obras velhas Botes de cornalina
daga-se bem: na loja de bilhetes da praca da Inde eoutras qualidades para eoletes
pendencia n. 22._________^__________ A Aguia branca acaba de receber um novo e drinhas imitando a brilhantes a l cada urna : as
Na ra do Imperador n. 3o segundo andar, variado sortimento daquelles apreciados boioes de; ljs do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
compra-se um escravo moco e sadio, sendo bom cornalina brancos e encarnados, chatos e redon-1 Luras de Jouvio
official de pedreiro. dos )ara TOleles. cuJas abotuaduras continan! a ; Che garam pelo ultimo vapor as desejadas luvas
.----------- ser vendidas pelo commodo c inalteravel prego de de Jouvin de todas as cores, tanto para homens
na ra do Brum nu- j* cada urna. como para senhoras: as lojas do Beija-flor, ra
Alin desses recebeu tambem outros de madre- do Queimado ns. 63 e 69.
eslabelecimentos encontraro sempre grande sorti-
mento de miudezas, perfumaras e objectos de gos-
tos; e vender sempre mais barato que outro qual-
quer, como abaixo se ver.
Peotes delirados de Iravessa. (
Delicados pentes dourados de travessa para me-
ninas a I 500 cada um, ditos sem ser dourados a
500 rs. cada um : as lojas do Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Voliiulias de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruzes de pe
Compra-se cobre velho i
mero 78.
perola, massa e osso, com differenres moldes para
o mesmo fim.
Talheres par meninos
Vendem-se talheres de cabo de balanco para me-
Ja se v. pois, que o pretndeme munido do di. nnos a 280 rs. o ulher : as lojas do Beija-flor,
nheiro achara sortimento vontade na ra do! rua d0 Queimado ns. 63 e 69.
Rotula o una poda.
Comprase para urna porta de urna casa terrea :
na rua Nova, escriptorio dos Srs. Quinteiro 4
Agr.__________________________________
Compra-se e Diario de Pernambuco de 2 de
Janeiro de 1863 : no armazem da bolla amarella,
no oitao da secretaria de polica._____________
Compra-se urna molatinha ou negrioha com fr; maS^deTMnMiWMi^^boa^
idade de 11 a 14 annos: na rua Direita n. 113. ^ bausDhos cobertos de couro e com 6 frasqui- ,
Compra-se urna casa terrea com 2 salas e 3 ahos de extractos por 1*500 cada um, e outros do Beija-flor, 1 ua do Queimado us. 03 e 09.
quartos, quintal e cacimba, que seja no bairro da cobertos de papelo com 9 frasquinhos por 2*000 Facas e ganos.
'. Boa- Vista ou Santo Antonio : quem quizer annun- um; caixinhas com 6 frasquinhos de dos por' Vendem-se facas e garfos oitavados a 2*800 a
'ci para ser procurad. ________ 1*000 urna, oulras com 12 ditos por 2*000 urna, duzia, ditas i-ravadas, cabo preto e branco a 3* a
Compra-se urna negra moja que seja bonit* ou' *oin .3 dil0*> ca^,coherta Par?ft "2H& doxia, dila de batango de 1 bolicfinas a 5*200
' e a 1*500 cada urna, e outras com pastilhas de chei- ditas de 2 boioes muilo finas a 6*500 a duzia, ditas
Queimado loja d'Aguia branca n. 8.
BU SIMIOS b CAiXIXHAS
com perfumarlas.
Na rua do Queimado n. 8 loja d'Agua-Branca, os
Colheres de metal principe.
Vendem-se colheres de metal principe muito fi-
nas para sopa a 3*600 c 4*400 a duzia, ditas para
cha a 2* e 2*400 a duzia, ditas para assucar a
500 rs. cada urna, ditas para terrina a 2* cada
urna, e s quem vende por estes precos as lojas
figura, que saiba engommar e cozinhar, prefere-s
com cria de 4 6 mezes ; na rua larga do Rosario a ow, *#"*>_ ,7*>V7
numero 30.
Paletos idem e de cores, 250,
200, 150 e......100000
Ditos de casemira, 200, 150,
120, 100 e...... 70000
Ditos de alpaca, 50, 40 e 30500
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50, 40 e......30500
Ditos de brim e ganga de c-
50OOOJ
Ditos de ditos e seda branco,
60 e.......50OOO
Ditos de gorgurao de seda
pretos e de cores, 60, 50 e 40OOOJ
Colletes de fusto e brim bran-
co, 30500, 30 e 20508
Seroulas de brim de linho,
20400 e......20000
I Ditas de algodo, 10600 e. 10400
VENDAS.
de 1 boto para rieres e fructas a 5* a duzia, ditas
Envelopcs bordados e carles com bei-1 ... ******* nor> rua d0 Que""ad0 B ff 69-
Tiras bordadas.
Vendera-se
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo preto e de
res, 40500, 40, 30500 e. 30000 Camisas de peitos de linho,
Ditos branco de linho, 60,50 e 400001 40, 30 e......20500
Ditos de merino preto de cor- Ditas de madapolo, 20500,
do, 100, 70e..... 50000; 20e........10600
Calcas de casemira preta, 1U, Chapeos de massa, pretos fran-
100, 80 e...... 70000 cezes, 100, 90 e 80500
Ditas de cores, 90, 80 e. 70000 Ditos de fltro, 50, 40,30500 e 20000
Ditas de meia casemira de c- Ditos de sol, de seda, 120,
res, 50000 e.....40000, 110, 70 e...... 60000
Ditas de princeza e merino pre- Collarinhos de linho fino, ulti-
to de cordo, 40500 e. 40000 ma moda duzia. 60000
Ditas de brim branco e de c- S&rtimento completo de grava-
20500 tas. 0
20500 Toalhas pararosto, duzia, 110,
i e........60000
cores, 90 e ..... 70000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
R D'tos de casemira preta, 50 e 40000 tos e de cores.....40000 j
S Ditos de ditas de cores 50 Lences de bramante de linho. 30000
*k | e ......30500 Cobertas de chita chineza.. 20500 gg
mmmmmmmmmm mmmmmmmmmmm^m
CONSULTORIO MEDICO-CIRLRGICO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LORO MOSCOSO,
uedico, i.tiiTs-:ii&o : operador.
3 Rua da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s 1
horas da manlia, e das 6 e meia s 8 horas da noile, excepcao dos dias santificados
Pharmacia especial homeopatilica
No mesmo consultorio ha sempre o mais approprlado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de-varias dymnamisaces e pelos preces seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 12-3000
de 24 tubos grandes. 180000
de 36 tubos grandes. 240000
de 48 tubos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 3." 0000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avtiiso ou frasco de tintura de meia onca 10' 00.
Senda para cima de 12, custarao os precos eslabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LITROS.
A melhor obra da homeopathia, o.Manual de Medicina Homeopathicodo Dr. Jahr,
dons grandes voluntes cm diccionario.........., 200000
Medicina domestica do Dr. Uering,........... 100000
Repertorio do Dr. Mello Moraes......'....... 60000
Diccionario de termos de medicina ........... 30000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
te de serem novamente reeommendados aspessoaj que quizerem usar de remedios ver-
daderos, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada prepara?ao, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operacao, para o que o annunciante julga-se sufGcientemente habilitado.
Otratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, 6
funecionando a casa a mais de quatro annns, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquellos que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operacoes sero previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoavets que costuma pedir o annunciante.
as Revue des Deux Mondes de 15 de marco, Io de
abril, 1- e 15 de maio, Io de junho, 15 de agosto,
15 de mimbro, 15 de novembro, !. e 15 de de-
zembro de 1863,1* e 15 de Janeiro, Io e 15 de fe-
vereiro de 1864, a 1*200 cada volume; fondas Pe-
ninsulares por Jos de Torres por 2*000: Flores
sem frucio por A. Garret por 1*000; Passeios
phantasias por Julio Cezar Machado per l*o00 nh 9g0 tan,0 nas malsadas como
A mutuo especial do visconde de Abrantes por 2* j e |a commoddade dos precos o i>n
! na rua do Crespo n. i loja.
Vendem-se caixes vasios a 1:760
cada um : na rua das Cruzes n. 44.
ras dimradas.
Na loja da aguia branca, rua do Queimado n. 8,
achavam-se venda bonitos envolopes bordados e
cartoes com beiras douradas, tendo de uns e de
outros, maiores e menores, proprios para partici-
pacoes de casamentos, bailes etc.
Completo soi'tiuiento de fitas
finas, lisas c labradas.
A aguia branca recebeu um grande e completo
sortimento de lilas de diversas larguras e qualida-
des, lano lisas como lavradas, e em todas ellas co-
'nhece-se a superioridade da fazenda, notando-se
nas lavradas o bom gosto dos novos c lindos dese-
nas brancas,
pretndeme que
se dirigir munido de dinheiro rua do Queimado
loja da aguia branca n. 8, ser bem servido.
Capachos inglezes.
Na loja da aguia branca, rua do Quei mado n. 8
vendem-se bons capachos inglezes, os quaes alm
de bonitos sao de immensa duracao, pelo que se
A 4$060 a prca.
Vendem-se pegas de algodaozinho com pequeo
toque de avaria, proprio para roupa de escravos e, tornam baratos pelos precos de 4*, 5*, 6* e 7*
I toalhas, pelo barato prego de 4* a pega : rua do cada um.
Queimado n. t't._______'____________________ Cartas francezas.
Vende-se o sitio da travessa dos Hemedios, A aguia branca, na rua do Queimado n. 8, rece-
freguezia dos Afogados n. 21, no estado em que se beti um novo sortimento de linas cartas francezas
o pretender, entenda-se com o sen com beiras douradas e brancas, e as esta venden-
; acha : quem
' proprietario Caelano Pinto de Veras, na rua de S.
Francisco, sobrado n. 10,eomo quem vai para a rua
Bell e__________________________________
Vinlio do Porto superior
em caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
der Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu
escriptorio rua da Cruz n. 1.
Fumo imperial
Cortado igual ao francez muito proprio para ca-
chimbo, em latas de 1 libra, quando nao seja me-
lhor igual ao americano por 1*200 rs., para veri-
ficar a verdade os Srs. fumantes podem-se dirigir
fabrica vapor de cigarros antiga rua dos Quar-
teis ilc l'olii-i.i n. -M._______________________
Sant'Anna.
Acha-se venda a novena da gloriosa Sanl'Au-
na, bem impressa, e em brochura : na rua do Im-
; perador n. 15.
Vende se urna balanza grande com pesos at
''.' arrobas, urna cornelade chaves, n urna rotu-
la, tudu em bom estado, farinlia do Maranhao a
180 rs. a libra, c arroba a 5* : os prctendentes,
dirijam-se freguezia de S. Jos, rua dos Acou-
guinhos, taberna n. 20. ______
a rua do Imperador n. 28
vendem-se c alugam-se^ superiores bixas em pe-
quenas e grandes porgos. ________^^
do baratamente a dinheiro vista.
SAPATOS DE BDRRAfUA
a I000, I50O e '#500 o par
na rua do Queimado loja d*Aguia-Branca n. 8.
La las com banha fina.
J por diversas vezes a aguia branca tem rece-
bido dessa banha fina em latas, e tal tem sido a
prompta e rpida extraegao della, que nao tem da-
do lugar a aguia branca avisar a sua boa fregue-
zia, pelo que talvez a maior parte della s agora
Vendem-se tiras bordadas, a pega a 1*100, 1*200
e 1*300 : nas lojas do Beija-flor, rua do Queimado
ns. 63 e 69.
Ilabadus bordados.
Vendem-se babados bordados de varias larguras
a pega a 1*000, 1*800, 2*, 2*200 e 2*400 : nas
lojas do Beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Lindos sapalinlios.
Vendem-se lindos sapaiinhos para baptisados de
criangas a 1*500 e 2* o par : nas lojas do Beija-
flor, rua do Queimado ns. 63 e '9.
Motiles para puuhos.
Vendem-se botoezinhos demadreperolaedemar-
fim para punhos a 320 rs. o par, ditos encarnadi-
nhos a 120 rs. o par : nas lojas do Beija-flor, rua
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas para debrum de vestidos.
Vendem-se litas de laa de todas as cores para
debrum de vestido a 900 rs. a pega, ditas pretas
de seda a 1*100 a pega : nas lojas do Beija-flor,
rua do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas brancas para debrum.
Vendem-se pegas de lita branca de linho para
debrum a 400 rs. a peca : nas lojas do Beija-flu
na rua do Queimado ns. 63 e 69.
Kicas fitas lavradas.
Vendem-se milito ricas fitas lavradas para sinto
de senhora e meninas : nas lojas do Beija-llor, rua
do Queimado ns. 63 e 69.
Espelhos de Jacaranda.
Vendem-se espelbos de columnas, de Jacaranda,
a 3* e 4*500 cada um, ditos de madeira amarella
a 2*400 e 2*800 : nas lojas do Beija-flor, na rua
do Queimado n?. 63 e 69.
Fitas de velludo eslreilas.
Vendem-se litinhas estrellas de velludo para en-
feile de vestido a 900, 1* e 1*200 a pega: nas lo-
saber da vinda dessa boa banha. Ella vem em jas do Beija-llor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
latas de 1|2 e 1 libra, e contina a ser vendida pe-
los baratissimos pregos de 2* e 3*000. Apar da
superioridade da qualidade della estilo os agrada-
veis e finos cheiros de rosa.jasmim, laranja, bou-
quet, e flor de Italia. A boa freguezia assim scien-
te dirigir-sc com dinheiro rua do Queimado.
loja d'atiuia branca n. 8.
Banha fina em copos de por-
celana dourada com ins-
enpeoes.
j bem conlieeida pela boa freguezia d'aguia
branca a superioridade da banha que vem nos co-
pos de porcelana dourada com maviosas e jocose-
rias nscripgoes, as quaes agora vieram de novo
gosto, pelo que essa fina banha pode anda ser
mais contienda por aquellos que quizerem fazer
um bom presente, com tanto que comparegam mu-
ii- i i... !.>,. o .nmK nidos de dinheiro na rua do Queimado, loja d'aguia
Queijos chegados pelo ultimo vapoi e tambem ,.ranpa o
i do Serid a 720 rs. a libra, marmelada muito su- ,. : Kf(x ,j,
20 rs. a libra, em lata de 1 libra, 1 1|2 tende-se alpaca prela a 500 rs. o oyado.
Vende-se alpaca preta para vestidos a 500, 000,
700 e 800 rs., fina de cordao a 800 rs. para pal-
perior a
e 2 libras : isto s em casa do Si. Domingos Jos
da Cunha, rua de Santo Amaro n. 8.
Mdho
Vendem-se saceos grandes com milito a 3*500 o
sacco : na rua da Madre de Dos n. 9.______
Vende-se carne do Serid da mais superior
'ii'' tem viudo ao mercado a 360 a libra : na rua
da Ponte Vellia n 29.______________________
Vende-se nma escrava que cosinha e faz ren-
das : na rua das Trincheiras n. 38.___________
Grande pechincha.
Vende-se a 8* a pega de panno de linho puro e
limpocom 25 varas cada urna : na rua dalmpera-
triz n. 20.
Trangas de l;la para bordar.
Vendem-se trancinhas de laa pretas para bor-
dar camisinhas e vestidos a 80 e 160 rs. a pecinba,
ditas brancas com 40 varas a 600 rs. a pega, e ou
tras muitas cousas que se tornadlo enfadonho men-
ciona-las, pois s coma vista se poder vero gran-
de sortimento das lojas do Beija-llor, na rua do
Queimado ns. 63 e 69.
SR4N01
uufii
i".::: tchas ts
IS11I
11
DE
DE
_ J. VIGNES.
*. 55. Hl A DO IMPERADOR M. 55.
Os pnos desta antiga fabrica sao hoje assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobre o
gua superioridade, vantagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incentesta-
veis que elies tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
suindo utn teclado e machinismo que obedecem todas as vowtades e capriches das pianistas, sem-
nunea falhar, por serem fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importan-
ussimos para o clima deste paiz; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores. -
Fazem-se eonforme a6 encommendas, tanto nesU fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, socio
correspondente do J. Vignes,em cuja capital foram sempre premiados em todas as expesigoes.
No mesmo estabeloeimeato se acha sempre um explenddo e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tude vendido por
pregos eoiamodos e razoavets.
ARMAZEM DE FAZENDAS

DE
Custodio, Carvalho & Companhia.
99 UA llO yUEDIVIIO 9
Superiores saia6 de fusto para senhoras a 5*.
Toalhas de linho para mesa a 3*500 e 4*.
Lencinhos para meninos um 100 rs.
Lengos brancos para algibeira a 2* a duzia.
Toalhas para mao duzia 4*.
Bramanie de linho vara 2*.
Fil de linho liso vara 500 rs.
Grande peehlncha.
Pegas de entremeios bordados a i*.
Tiras bordadas a pega 2*.
Gollinhas de cambraiaa 600 e 800 rs.
\OVA FABRICA
DE
LICORES PERFUMARAS
A' rua do Amorini, n. 1 i.
Por varejo e ataeado.
N'este novo estabelecimento encontraro sempre
| os freguezes todas as qualidades de bebidas espiri-
' tuosas, fabricadas com todas as regras d'arte, e
por isso livres de ser nocivas; o que nao acontece
com as que sao fabricadas sem meihodo e pelas
: receitas que os charlaties annunciara vender, pols,
como j temos tido occasio de ver, vendem lic-
! res coloridos com substancias venenosas, como se-
1 ja o licor de rosa colorido com vermelhae (Bi-oxi-
i do de chumbo) e o de amendoas colorido com ama-
| relio francez (bi-ehromato de chumbo) Encontra-
ro algumas perfumaras de superior qualidade e
commodas em preco. Tudo se vender por pregos
muito razoaveis, trazendo os freguezes os meios
que a todos babilitam a comprarcm barato.
Apromptam-se encommendas com brevidade e
rigorosamente bem acondicionadas, tanto para den-
tro da provincia, como para fra della.
Bebidas rspihituosas.
Licores de todas as qualidades em garrafas pretas.
Dito, dito, em garrafas brancas.
Genebra igual a hollandeza.
Dita de laranja superior.
Agurdente d'aniz.
Dita de hortela pimenta.
Dita do reino superior.
Dita de flor de laranja, recommendavel por ser es-
tomachica.
Dita de canella.
Alcool de 35* a 38aCartier.
Perfumaras.
Agua de Colonia commuru.
Dita ambreada.
Dita almiscarada.
Dita das Nymphas.
Banha em latinhas de qnalro ongas proprias para
as familias econmicas.
Banha para Ungir de preto os cabellos, e que nao
suja os lengos brancos.
Leite virginal em garr linhas, proprio para os Srs.
barbeiros e cabellereiros e uso domestico. Be-
neficia a cutis e tira as manchas da pello.
Extractos variados ; banha cin vasos dourados, e
extractos linos em frasquinhos ricos.________
A (S o milheire de sebolas.
No armazem da rua da Moeda n 47, vende-se
pelo prego cima iudicado sebolas novas e em
bom estado.
tot, princeza preta a 800 e 640 o covado, bombazi
na preta fina a 1*400 o covado, laazinhas preta
para senhora que esto de luto a 720 o covado :
na rua da Imperatriz n. 56. A loja est aberta at
s 9 horas da noite.
Xo armazem tic fazendas baratas e
Santos < ot'lho, rua do Queimado, n.
19, vende-se o segainte*
Atlencao.
Lazihas.
Ricas laazinhas para vestido, fazenda a melhor
que tem viudo ao mercado, tamo em gosto como
em qualidade da fazenda, pelo baratissimo prego
de 560 rs. o covado.
Laazinhas miudinhas carmezins, proprias para
vestidos de meninas, e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de la com 15 covados pelo baratissimo
prego de 6*.
Cobertas de chita da India pelo baratissimo prego
de 2*500.
Lengoes de panno de linho a 2*.
Lengoes de bramante de linhe fino pelo baratissimo
prego de 3*200.
Bramante de linho fino com 10 palmos de largura
pelo baratissimo prego de 2*500 a vara.
Atoalhado adamascado proprio para toalhade mesa
a 2*000 a vara.
Cambraia de forro a 2*600 e 3*200.
Guardanapos adamascados a 3*800 a duzia.
Toalhas alcochoadas proprias para mos a 5* a
duzia.
Cortes de caiga de ganga amarella de listras e
de|quadros, pelo baratissimo prego de 1*200 o
arte.
Cambraia adamascada com 20 varas, propna
para cortinado, pelo baratissimo prego de 10}000
a pega.
Ricos cortes de laa Maria Pia pelo baratissimo
prego de 18*.
Pecas de cambraia de salpicos com 8 1|2 varas
pelo baratissimo preco de 4*.
Pegas de platilha de algodo com 10 varas, pro-
pna para saia a 4*200.
Esleirs da India, proprias para forro de sala,
de 4,5 e 6 palmos de largura, por menos prego do
MB em oulra qualquer parte.
Neste armazem tambem se encontrara um gran-1
de sortimento de roupas feilas, e por medida.
U
pplp^m
*1*C
GRANDE
sortimento de fazendas novas bara-
lissimas na loja e armazem de fa-
zendas baratas na rua da 'mperatriz
n. 56, loja da Arara, de Lourenco
Pereira lleudes 6uimres.
Cotes de chita a 25400.
Vndese cortes de chitas para vestidos a 2*100,
ditas de dita franceza com 10 covados a 3*200,
cortes de cassa francezes a 9* e 2*500 : na rua
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende a 160 rs.
Vende-se fil de linho de cores a 160 rs. o co-
vado, dito branco para forro a 320 rs. a vara, lar-
latana de cores a o'iO rs. a vara, lengos brancos a
200 e 240 cada um : na loja da Arar rua da Im-
peratriz n. 56.
As laziubas da Arara a 320 rs. o corado.
Vendem-se laazinhas para vestidos a 280, 320,
400, 500 e 640 o eovado, ditas lisas proprias para
capas e vestidos de senhoras a 400 e 600 rs. o co-
vado : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende as chitas paraceberta a 320 rs.
Vendem-se chitas para cobertas a 320, 360, 400
e 500 rs. o covado, dita encarnada adamascada a
500 rs. o covado: na rua da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Cassa organdys da Arara a 2-iO rs.
Vendem-se cassas organdys para vestidos a 240,
280 e 320 rs. o covado, riscado francez para ves-
tidos a 280 rs. o covado, gurguro de linho para.
vestidos a 280 rs. o covado : na rua da Impera-
triz o. 56, loja da Arara.
As chitas da Arara a 2 SO rs. o covado.
Vendem-se chitas para vestidos de cores fixas a
240e 280 o covado, ditas francezas largas a 320,
360, 400, 440 e 500 rs. o covado : na loja da Ara-
ra rua da Imperatriz n. 56.
Lencos de seda da Arara a 800 e I .
Vendem-se lengos de seda para algibeira de
homem a 800 e 1*, lengos de cassa a 300 e 240
rs. : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende os veos pretos e de cores a 16000.
Vendem-se veos pretos e de cores para chape-
linas de senhoras pelo prego de 1* cada um, go-
lnhas para senhoras a 240 e 320 rs., manguitos a
1*, camisinhas para senhoras a 2*, ditas finas
com gravatinha e punbos bordados os mais mo-
dernos que tem vindo a 4*500 : na loja da Ara-
ra rua da Imperatriz n. 56.
Arara vende os balees a 2<>.'00.
Vendem-se baloes de 20, 25, 30 e 35 arcas a
2*500,3*, 3*500, 4*, 4*500, ditos de brilhantina
a 4* : na rua da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Cortes de la a Maria Pia a 8 e \U.
Vendem-se cortes de la a Maria Pia a 8* e 18*,
pegas de cambraia lisa fina a 3*, 3*500 e 4* : na
rua da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Cortes de ganga a 106(10
Vendem-se cortes de ganga franceza para caira
a I5>',(hi, ditas de casemira a 3*, ditas tinas a 5*
e 5*500 : na rua da Imperatriz n. 56.
Itoupa frita da Arara.
Vendem-se palelots pretos de panno fino a 16*.
14* e 12*, ditos sarcos de panno fino preto e azul
debruados de fita a !* e 10*, ditos de casemira a
6*, 8* e 5*, ditos de brim a 2*500 e 3$, ditos de
alpaca prela a 3* e 2*500, camisas francezas bran-
cas a 2* e 2*500, ditas de linho de pregas largas
a 2*800 e 3*. seroulas de algodo a 1*600, dilas
de linho a 2*, caigas de brim e gangas de cores a
2*, ditas de brim pardo a 2*500 e 3*, ditas bran-
cas a 3*500 : na rua da Imperatriz n. 56 loja da
Arara.
Colchas da Arara a 1:5
Vendem-se colchas de damasco para cama a
4*, ditas de fusto a ">-}. ditas de chita a 2* : na
rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Yeodcm-se gangas para calcas e palelols.
Vendem-se gangas para paletots c calcas a 440
e 500 rs. o covado, fusto para caiga a 500 rs. o
covado : na rua da Imperatriz n. 50, loja da Arara.
Madapolo francez a i''.
Vendem-se pegas de madapolo enfestado com
12 jardas a 4* e 4*500, ditas de 24 jardas ns. P,G
i a "*, ditas n. 60 a 6*500, dito moca a 7*500, dita
! n. 40 a 8*, dita n. 50 a 8*500, dita n. 7 a 10*, di-
la SS !)*, dita XX 8*500. alfiodo muilo enrorpado
! a 55500 e 6*, dito carne de varea a 7* : na rua
da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Brim de liulio a 10280,
Vendi'-so brim de linho para caira a I52SO,
1*400, 1*800 e 1*600 a vara, brim liso para se-
! roulas e lengoes a 500, 560 e 640 a vara, braman-
! te de Imito a 2*200 a vara tem 10 palmos de lar-
gura, bretanha de linho a 640 e 800 rs. a vara,
i biim pardo a 800, 640 e 1-3 a vara : na rua da Im-
' peratriz n. 56 loja e armazem da Arara, a loja es-
1 l aberta al s 9 boras'da noile._____________
iatunui
de trnlKiEIi.tr
tcsca ovar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
V\
AS
las Yegcfaes Azucaradas
Do lemp
Compostas dos dos noves rosinolcs eliama-
dos PoDOPIlILlNA e T.Ki'i Axinx v, e intcir.l-
meiite livres de Mercurio ou outros venenos
mincraes ou nutallieos, t."o de grande utili-
dades nos paizes clidos ein cazos de
DYSFEPSIA, ENCHAQUECA,
CoflspagSo ou Prizito do Ventre,
PDECISENTOS DO FIGADO,
Affeccoes Biliosas,
HEMORRHOIDAS, CLICA,
Ictericia,
FEBRE GASTRO-HEPATICA,
L tutrii ftifcrmiiludM anlogas.
llu vio rpidamente sul^tituindo os anllgos
purgantes drsticos.
A venda nas boticas de Caors de Barboza,
rua da Cruz, e Joo da C. Bravo dJC, roa
da Madre de Dos.
ou Una a vontade do comprador
G2S
Estas machinas
podemdescarocar
uuahiuer especie
de algodo sem
eslragar o lio,
sendo bstanle
duas pessoas para
o trabalho; pode
desearogar urna
arroba "de algo-
do em carogo
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodo
limpo.
Esta machina
a unir que
possue as vantagens de nao deslruir o fio do al-
godo e de fazer render o dobro de qualquer ou-
tra com menos trabalho, a sua introduego para
as provincias deste imperio ser de muito valor
para todos os interessados na lavoura do paiz.
Assim com machinas em ponto grande do mes-
mo systema.oraql serem movidas por animaes,
, agua ou vapor, pas uacs podem descarogar 18 ar-
! robas de algodo ampo por dia.
O algodo descarogado per estas machinas tem
', muito mais estimago nos mercados de Europa e
vende-se por maior prego.
As machinas se achara venda unicamenie em
casa de
Saunders Rrolhers k C.
.\. II, praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paix.
* VISO
Na fabrica de sabo da rua do Rangel n. 34 ven-
de-se constantemente sabo massa, tanto em caixas
como a retalho a 200 e 220 rs. a libra._________
Algodo da Baha
para saceos de assucar e ronpa de escravo; tem
para vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C., no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.________
Farinha de mandioca superior
em saceos grandes : vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, no sea escriptorio rua .da Cruz
numero 1. ^^__^_^_^_____
Bichas hamburguesas.
Vendem-se bichas de primeira qualidade : na
rua Nova n. 61, defronte da Illma. cmara muni-
cipal. ______'
Na rua do Rangel n. 2 vende-se o verdadei,
ro papel de linho hespanhol, e de palha de milho-
lanto em porgao como a retalho, e de todas as mais
qualidades para o fabrico de cigarros; charutos da
Baha muito bons a 2* a caixa ; a elles, que esto
a acabar-se.
Todos
Vende-se urna pequea taberna na travessa
do Pombal n. 20, freguezia da Boa-Vista : quem a
achara com
Vende-se um armazem de sal, sortido de tu
do tendente ao mesmo, ou troca-se por urna taber- SjMTSimTE
na com poneos fundos, e tenha iguaes commodos fjLaftTvid
para familia : na rua Direia dos Afogados, n. M,,^ucm tratar a g"a """"----------------
se dir. i Vende-se um cabnolet: no pateo do Parai-
AlfSOOT" ion.. ------------ --------------
Vendem-se queijos chegados neste vapor, muito parlona de lu.iutlioc.i
frescaes a 1*800, banha reQnada a 340 rs. a libra : ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
ua rua das Cruzes n. 24, esquina da travessa do Alves no seu escriptorio, casa n. 19 da rua da
Ouvidor. i Cruz.
querem
Do grande sortimento de laazinhas mui-
lo bonitinhas de todas as qualidades,
gostos e pregos seguintes a 360, 400 o.
480 rs. o covado que se vendem
S na rna do Crespo n. i,
Loja do liai-.ileiio.
Sal do Asstl'
Vende Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
no seu escriptoriojrua da Cruz n I.
C,
s s k f s. W i a jrat w g s
B s a-
: o c o o ^ sr^3 -
i"?u22S'B.3crfi3
-SS'go.SsS&i-o'eQ
r,0.jp5n>go"Tgg;3'fB*
IM 3 s-a S 3 o 3
p
ce
r*
O 9
3*
a
-
3s?e-9-
Bo.i
es
*>
SilFBiflHHf
fi!l!Kfli
T3 M esi
ni i
m i
Hit
^3
SJc3
^ s
ti
23 2?

5
i
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bo
deaux, differenes qualidades, mais barato j i
Sialquer parte : no armazem de E. A.
, rua da Cruz n. 48.





Diarlo de Fernamfeueo Una ra felra 30 de liilhu de 18S-4.



Grande liquida^
de fau'uJas ua luja do Pavio, ra da Imperalrii .
60, de Gama & Suva.
Ae0a-se este estabeleciniacto completamente sor-
tido de fazendas inglezas, franeeias, allemaes e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
mato, prometiendo veoder-se mais barato do que
em outra qualquer parte principalmenie sendo em
porcao e de todas s faiendas dao-se as amostras
razando ficar penhor ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caiieros da loja do Pavo.
As chitas do Para.
Vendem-se superiores chitas claras e escuras pe-
lo barato preco de 240 e 280 rs. sendo tintas segu-
res, ditas fracezas Unas a 320, 340, 360, 400 e
500 rs., o covado, ditas pretas largas e estreitas,
riscados escocezes finos a 240 rs. o covado, isto na
loia do Pavo ra da lmperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
As cassas do Pavio a 2-10, 280, 300 e 320 rs.
Yendem-se tinissimas cassas persianas cores fi-
las a 32o rs. o covado, ditas francezas muito finas
a 240 e 280 rs., ditos ngzezas a 240 e 280 rs. o
covado, liniiimo organdy matisado com desenhos
miudiuuos a 320 rs. o covado, cassas garibaldmas
muito finas a 320 rs., isto na loja do Pavao ra da
lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As laaiinhas da expoliis do Pavio.
Vendera-se as mais modernas laazinbas mossan-
bique chegadas pelo ultime vapr francez sendo
de urna s cor ou de listas iniadinhas cora 4 pal.
mos de largura, proprias para vestido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baratissimo
preco de 530 rs. o covado, ditas entestadas trans-
parentes de quadnnhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas matisadas muito finas a 500 e 400 rs.,
ditos mais baratas do que chita tambem matisadas
a 320 rs. o covado, ditos a Maria Pia com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditos de urna s cor parda, azul, cor de lyno e
perola proprias para vestidos, sautembarques e
garibaldes a 720 rs. o covado, ditos escocers a
800 e 400 rs isto s na loja do Pavo, ra da lm-
peratriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Os chales do Pavo.
Vendera-se finos chales de crepon estampados
pelo barato preco de 6#, 7*5, 8$, ditos de ponto re-
donda a 7$ e 85, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidrilho a 12J>, ditos pretos lisos a
5*, ditos de cores a 4*5500 e 5\5, ditos de merino
estampados a 2*5 e 30, ditos de la a 15280 e 23,
ditos de retroz preto para luto a 65, isto na loja
do Pavo ra da lmperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 Pavo vende para lulo.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de la sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, paletols, capas etc., pelo bara-
to preco de 25, 25200, 25500 o covado, cassas
pretas lisas, chitas pretas largas e estreitas, chales
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
comgollmhas eoutros muitos artigos que_se ven-
dem por precos razoaveis : na loja do Pavao a ra
da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
camente bordados a veludo pelo barato preco de
405, sendo fazenda que semprc se vendeu a 1005
e 105 ; ditos de cambraia brancos ricamente bor-
dados a croch, sendo proprios para baile e casa-
mento a 10, 15, 20 e 305; ditos de la com lindas
barras a 18 e 155; isto na loja do Pavao ra
da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Pavo.
Vende-se panno preto muito superior pelo barato
preco de 25, 2500,35 e 35500, ditos muito tinosa
43, 53 e (3, cortes de casemira preta entestada a
45, 45300 e 63, casemira preta fina de tima so
largura muito fina a 15800, 25, 25300 e 35, cor-
tes de casemira de cor a 53, 53500 e 63, casemi-
ras entestadas de urna s cr proprias para caiga,
paletots, colletcs, capas para senliora, roupas para
meninos a 33 e 3-3500 o covado, isto na loja do
Pavo, ra da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A roupa do Pavo.
Vendem-se paletots de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muito boa a 125, ditos muito finos a
163, 20?, 235 e 305, calcas de casemira prefa boa
fazenda a 45500,55, 65, "5 e 83, paletots saceos
de panno preto a 73, ditos de casemira de cor a
63 e 73, ditos de alpaca preta, ditos de merino
preto, ditos de brim de cores, caigas de casemira
de cor a 43, 55.63, 75, ditos de casemira da
Escossia a 35, ditos de brim pardo a 25800, ditos
de cor a 25 e 25500, ditos hrancos muito finos,
sto na loja do Pavo, ra da lmperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
O cortinados do pavao.
Vendem-se ricos cortinados proprios para janel-
la e camas pelo barato prego de 95 o par, sendo o
melhor que bao mercado: na ra da lmperatriz
D. 60, de Gama Silva.
As colchas do Pavo.
Vendern-se colchas de linho alcochoada* pro-
prias para cama pelo barato prego de 55 caa nina
na ra da lmperatriz n. de Gama i Silva
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas preralas que, tem vm-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor fran-
cez, pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas
de listrinha muito miudinhas proprias para vestidos
e roupas de meninos e meninas pelo birato prego
de 500 rs. ; s o Pavo ra da lmperatriz u. oO,
loja de Gama & Silva.
Os sonteanbarques do Pavo
IO e 15* so o Pavo.
Vendem-se os mais lindos sonteanbarques que
tem vindo ltimamente de lazinha e caxemira ri-
camente bordados e enfeitados, cores muito delica-
das pelo barato prego de 105 e 155 ; f^enda esta
que em outras lojas se vendem por 205 e 2o5, e
s para liquidar : na loja e armazem do Pavao a
ra da lmperatriz n. 60 de Gama & Silva.
As chitas do Pavo S0-AOO e
SOOocrtc.
Vendem-se cortes de chita com dozc covados
cada corte, ditos com dez covados a 25'00, fazen-
da muito ba, e que nao deshota, s na loja do Pa-
vo tem esto peeluncha ; a ra da lmperatriz n.
60 de Gama & Silva.
I-as de urna sO cor.
Vendem-se laazinbas de urna s cor, sendo en-
carnada, azul, cinzenta, cor de caf, lirio claro, li-
rio roxo cr de perola pelo baratissimo prego de
64 o covado, fazenda muito fina s o Pavao, a ra
da lmperatriz n. 60 loja e armazem de Gama &
Silva.
Panno de linho.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences, toalhas e ceroulas pelo
barato prego de 640 rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 25500, algodaozmho
monstro com 8 palmos de largura a 13, pecas de
Hamburgo com 20 varas a 95, 105 e 11*5, pecas de
madapolo fino a 75500, 85, 95 e 105, ditas de
aleodSozinho a 6*5, 6*5500 e 73, e outras mu. as
fazendas brancas que se veidem muito baratas
afim de apurar dinheiro : na loja do Pavao ra a
lmperatriz n. 60, de Gama & Silva,
O bramante do Pavo com doze
palmos de largura.
Vende-se bramante de linho puro, muito fino com
doze palmos de largura o melhor e mais rgo que
tem vindo ao mercado pelo barato prego de 2*800
rs.a vara ; s na loja do Pavo de Gama & silva,
aua da lmperatriz n. 60.
As precalas do Pavao.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
nelo barato prego de 600 rs. o covado, ditas de lis-
trinha muito miudinhas proprias para vestidos e
roupas de meninos e meninas pelo barato prego
de 300 rs.: s o Pavo ra da lmperatriz n. 60,
loie dt Gama & Silva.
Os baloes do Pavao.
Vendem-se crinolinas ou baloes de 30 arcos tan-
brancos como de cores, sendo americanos que
sao os melhorcs por se nao quebrarem a 3*5pOO e
de 33 arcos a 45, ditos de musselina com baba dos
45 ditos para menina a 25 e 35 : na loja do Pa-
vora da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
O Pavo vende 8&.
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos a
Mara Pia com lindas barpas de seda, sendo che-
sados pelo ultimo vapor francez pelo barato prego
de 85 cada um : s na loja do Pavao ra da lmpe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os baloes do Pavo.
A 20500 so o Pavio.
Vende-se baloes com 20, 23 e 30 arcos pelo te-
ESPLENDIDO SORTIMENTO DE MOLHADOS
I. 9 RIJA CRESPO W. 9
Esquiva que volta para a ra do Imperador
PRINCIPAL





DE
_ Ufe $* _,__
(\fio se enganem com a nutra;
AMIGOS!
Nao leiam este antuincio com precipitado.
Confronten) os precos dos oulros annunciantes.
Yenham ver os gneros que temos expostos a venda.
a vista faz f.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao nos encnlcamos o primeiro recebedor de conta propria.
Nao desacreditamos ao collega porque nao quiz ser nosso socio
Val a quem toca.
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia anda nao sao suficien-
tes as casas que actualmente oxistem abenas com grandes proporces para icrem um
magnifico sortimento de molhados ; assim, pois, os preprietarios do Armazem Principal
nao invejam a sorle dos seas collegas.
Habitantes de Pernambuco.
Nos temos um excellente sortimento dos melhores gneros que se pode acbar
em nosso mercado. Vinde ao nosso eslabelecimento, e se a vossa boa fe for .Iludida
urna s vez ao menos, castigai-nos nao voltando mais a nossa casa.
Araendoas confeitadas de bonitas cores a dem de Hollanda em garrafes com 24
i ooo rs. a libra. garrafas a 7,2oo rs. com o garralao.
dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
Avellas a 2oo rs. a libra. zados a 2oors. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a 1,200, i,4oo e i,6oo rs. cada 8oo e l.ooo rs. as garrafas grandes.
uma. Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo e
dem em frasco de vidro com rolha do mes- j 96o rs. a libra.
mo ou de metal, a i,2oo e Uoo rs. ca- dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
da um. a libra, e 56o rs. em barris inteiros.
dem em frasco grandes 2,5oo rs. cada um. Marmelada especial dos melhores fabricantes
SENTIf&O!
VAI FALLAR
N. 38 Ra do Livramento N. 38
(Deronte da grade da Igreja)
'

GR
VKKDADEIKO E PRINCIPAD
Ordem do dia.
Est em discussao a tabella dos precos que o BALIZA tem a honra de offere-
speitavel publico tanto da cidade coilc
Se por esla publicarla qualquer um
dem em latas de i */* e 3 libras a 200 e
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranho o melhor que se
pledesejara loo e 12o rs. a libra e
2,8oo e 3,loo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa,
e 4,8oo rs. a caada,
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a Ooo rs. cada urna, e 10,000 rs. a
caixa com 1 duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpisla a 16o a libra, e 4,6oo rs. a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: aguae
sal doces, e imprtaos em latas de 6 li-
bras a 3,ooo rs. e de 3 '/ libras a l,5oo
rs. eem libra a 64ors., estas bolachinhas
torna-se muito recommendavel com es-
pecialidade para os doentes.
Biscoitos e Bolachinhas de soda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bollos francezes em cartes e de diversas
qualidades a Co rs. cada um.
Banha de poico verdadeira refinada a -loo|
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Hlalas novas a 160rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
al boje tem vindo a nosso mercado a
t8,ooo rs. o gigo, l,5oors. a garrafa in-
leira, e 800 rs. as mcias
Cha uxim o melhor que se pode desejar e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
dem perola especial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, aran(e-se a qualidade
d'este cha
dem hysson o melhor que possivel en-
contrar-se a 2.4oo e 2,6oo rs. a libra,
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2oo e l,4oo rs. a libra.
dem pelo muito lino a l.Ooo rs. a libra
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a 1,000, l,2oo e Moo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em careas das seguin-
tes marcas Pariziences, Suspiros, Dili-
cias, Napolees e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada uma.
dem de oulros muitos fabricantes e de
differentes marcas para l,5oo rs/as met-
as caixas de suspiros a 1,600, 2,ooo e
3,ooo rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco,
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a 1,000
rs. a garrafa e 10,000 rs. a duzia.
dem francez suporior qualidade 800 rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a 1.000 rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 32 rs. a li-
bra, e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata,
dem seccas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdaJeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a l,ooo rs. cada uma.
dem em latas ermilicamente lacradas a
1,5oo e 2,5 io rs. cada uma,
dem em caixas de l/ arroba a 2,5eo rs. ca-
da uma, e2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loors. a lata e l.ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 56o rs. o frasco,
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran-
des e 11,000 rs. a caixa com 12 frascos,
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da uma.
dem em garrafes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com a gsrrafo.
de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra,ba latas
de differentes tamanhos.
Massa de tomate em latas de I libra 56o rs.
cada uma.
dem para soda estrelinha, pevide e rodinha
em caixinhas sortidas a 3,ooo e 3,5oo rs.
cada uma e 5oo rs. a libra,
dem macarro, talerim e aletria a 4oo rs.
a libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um.
Molho inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro 64o rs. cada uma.
Marrasquino verdadeiro de Zara a l.ooors.
a garrafa, lo,ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Prezunto de fiambre superior a 600 rs.
dem do Porto para panella a 800 rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinhae
oulros a i,000 rs. a latas.
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o masso
dos melhorcs.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs. a libra.
e 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a groza, 2oo rs. a
duzia, e2ors. a caixinhas.
Queijos fiamengos chegados neste ultimo va-
por, a
dem prato muito fresco a 800 e 9oo rs.
a libra.
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je tem viudo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Serveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e 5(o rs. a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e
meia latas a 38o 58o rs. cada nma.
Sag tnnito novo calvo a 2lo rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevadaa loo rs. a libra, e 2,8oors. a arroba.
Traques de 1.a qualidade a 8,5oo rs. a ai-
xa, e22o rs. a carta.
Toucinho novo de Lisboa a 24o e 32o rs. a
libra.
Tijollo paralimpar facas a 15o rs. cada um.,
Vinbo em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs. a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 400 rs. a garrafa, e
2,800 rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco nao lavando com-
posico a 56o rs. a garrafa, e 4,ooo rs. a
caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a gar-
rafa, c 4,5oo rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
rs. a caada.
dem Bsrdeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d pre-
juizo e s se encontra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
0 Vigilante est alerta, nao Ihe era permetlido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto atini de annnnciar ao respeitavcl publico
o grande sortimento de galantarias do melhor gosto
propriamente para qualquer mimo, que acaba de
chegar nesle ultimo paquete, assim como muitos
outros objectos que recebe por diversos navios,
tanto de sua conta como de consignnco, que est
resolvido a vender por precos muito baratosjiara cer ao respeitavel publico tanto da cidade cono do centro.
rnd ftfto qtenHX 'esr?Sr'!' s P^ pabBcaSa qualquer um dos mires collegas entender neccssai io
proteegao do respeitavel publico, empregando para lazer alguma altoracao em seus annuncios, digne-se mandar a sua emenda para o jornal,
isso todas e as melhores diligencias para que fi- que o incansavel Baliza nao lite pora peas ncm o embaracarS de forma alguma a Deneii-
quem satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, ra ciar o povo.
do Crespo n. 7. > Am dc ffga&[ bm/u Q Ba,iza nSo expDe ., ve|lda sen5o os gneros bons.
Cofre de muito Z Jr J 165000' Elle se julga no caso dc vender tao mdicamente como outro na o exceder
Cestinhas transparentes, forradas de madre-
pero la por 18*000
Lindas jardineiras 10*000
Ricos cofres com camapheu 10*000
Lindas caUinhas com pedras brancas 10*000
Lindo balo com calunga dentro tambem
para joias 16*000
Tambalier para ditas (*000
Cestinhas dem dem G*000
Cosmorama idem idem 6*000
Urnaiinha 6*000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Reos sintns
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e 155, ditos sern
bolea, porm do mesmo gosto, a 2*500, 3*, 3*300
e 4*, ricas fivelas avulsas para sintos, o melhor
qne se pode encontrar, a 1*500, 2*, 2*500 e 3* :
s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes 011 cestinhas.
At qne chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 2*500, 3*500, i, 5, 7 e 10* : *
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Pentcs.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alisar como para atar cabello, o mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregagar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sem elle para meninas : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Pentcs
Tambem chegaram os riquissimos pentes de impndoas cnnfeitadasem lindos frascos a 800 Lingoas americanas muito novase muito gran-
iassa fina, que se vende ... des a l.ooo rs. cada uma.
Soldado soprador toma o clarini
E firme como a rocha fica assim
Nao toques nesse pessimo instrumento
Do Balisa olha s o movimento.
E t que dos mitrados teas as corda*
De tildo vendedor dc propria conta
**o pasmes vendo como sohrancelro
Do regresso o EEallsa a ira affronta.
O grande depcsio que lemos de vinbo nos obliga a abaixar seuspreio?,
acbando-se vista dos compradores cerca dc 3b a 40 pipas deste genoro, entre pipas,
barris e ancoretas.
concha de tartaruga e de massa
arroba.
por 2*, 3 e 5* : s no Vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Leqnes.
Riquissimos leques de madreperola, lano para; 1,200, 1,000 e 2,000 rs.
senhora como para mocinhas, pelo barato preco de Alpista a 16o rs. a libra e t,ooo a
12 e 14* : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7. \rroz do Maranho, Java e do Penedo a 80,
Mais leques. i00 e 12o rs. a libra, em arroba a2,ooo,
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ba- i> g00 0 3 200.
rato prego, a 8* e 10*, chinezes muito bonitos,; r'0fina(lo a 800 C loo rs. a gar-
tambem por barato prego de i e 5*, bentarallas Aze,ie aocc ",ldU
muito bonitas tambem por barato prego de 4 e 5*, I rata.
ial.5oocadalata.
1 s" _, .. i-) re liln-i LinKuicaspromntasetnlalas
; SrfraS sen iSn!c frascos a Ai ngle Oor a Soo.ra. .Ubr. Dcsl.
genero ba mais de 10 bans abertos aOm de
leques de charao tambem por 1*, tuclo isto para dem idem em barril a
acabar, perdendo-se taivcz 80 0|0 : s no Vigilan- 4 8oor< a caada,
te, ra do Crespo n. 7 Ancoras Jom vinbo do
6io rs. a garrafa e
seren satifeilos os compradores.
dem menos superior a Go rs.
Manteiga ingleza a 5oo, loo e 32o r?. a libia.
Idem franceza a 56o, Ooo e 04o rs. e em bar-
ril por menos.
Massa de tomate a 6.0 rs. a libra.
.Marmelada dos melhores fabricantes a Gio
rs. a libra.
rs. a
Pulseiras.
Lindas pulseiras de conlas e de mis?anga, cores
muito lindas e de muito gosto a 1* e 1*200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinlias estreitinhas de
borracha que as seuhoras tanto precisam para se- (
gurar os manguitos por ser muito commodo e mui- barrica
.0 barato, a 320 o par : s no Vigilante, ruado ^^ de*porco a 4o0 TS. a libra 1
LrL>pO II / t\,t
Carretas. | a -JOo rs.
Riquissimas carretas de madreperola proprias Btalas em glgOS a 1,8000 gigo.
para qualquer presente, pelo baratissimo prejo de Cha perola a 1,000 rs. a libra.
1*500 e 2*.
Volitabas.
Lindas voltinhas de pcrulas falsas rom cruzinhas
lingindo brilhantcs, assim como cruzinhas avulsas
e voltinhas, pelo barato precio de 1-3 e 1*200,
cruzes avulsas a 400 rs. : s 110 Vigilante,
Crespo n. 7.
Sapatiubus e meias tic seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinlias de seda, gorra- r,"" j.,{c QS melhores fabricanb'S Je Taris,
zinlias e touquinhas para as cnanrmlias se bapti- t.n0C0iaie uob mwnnt
sarem : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7. | Allemanha, Hambuigo e LisDoa
Golinlias Copos lapidados para vinho a ,8oo auza.
*ti,loo e 0,000
Porto, encommenda Mulliosiuglezesa SooeClo rs. agarralinha.
nelo proprietario do Baliza a 3o,ooo Moslarda preparada a iooc64o rs ofra^o.
n aPancofa com 7o garrafas. Massas para sopa a 4oo rs. a libra dasde ia-
Bolaxinbas de Lisboa, ingleza e americanas
em latos a l.ioo, l,5oo, 2,ooo e 3,ooo rs.
e americanas em barricas a 3,ooo
as
ra do
em barril.
dem uxim a 2,6oo e ,8oo a libra.
dem hysson a 2,ooo,2,4oo e2,8oo.altbra.
dem do Rio a l.Ooo rs. a libra.
dem prelo a l.ooo c .000 rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
e Rio de Janeiro a 800 rs. e l.uoo, 2,ooo,
i/100, 3,000, 3,.'oo, i,5oo c 5,000 rs. o
cento.
Riquissimas goiinhas e manguitos, o melhor gos- dem dem para agua a ,000, i
possivel, a 2*, 2*500 e 3*: s no Vigilante, rs. a duzia
Cerveja das melhores marcas a i.ooo, ->,ooo
e .ooo rs
a duzia.
comii ihos.
ra do Crespo n. 7.
Enfeiles para senliora.
Riquissimos enfeites com laco e sem laca e de .
outros muitos gostos a 1*. 1*500 e 3* : so no Vi- U canena e
gialnte, ra do Crespo n. 7. Ceblas em molhi* ateas e soltas.
Trancclins. Conservas inglezas a 800, Ooo e l,ooo rs. o
Lindos trancelins de cabello para relogio ou lu- frasco.
elo baratissimo prego de 1*500, ditos de puas francezas a 5oo e bio rs. o ir
netas,
retroz 1 200 rs.
Babadinhos cnlrcmcies.
Cognac inglez e francez a l.ooo rs. a garrafa.
Caf de 1.a, 2.a e 3 1 qualidade a 85oo 9,ooo
Riquissimos babadinhos ntremelos com lindos g g ^(l0 r.
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo rov.jnl.a ta Franca a 2i0 rs. a libra,
preco de 1*200, 15500, 2* e 35 : s no Vigilante, UvalOlia (ie riwp a muJ*l"
ra do Crespo 7 I Champagne de muito boa qualidade a I ,00o
Cascarrillias. e 2o,ooo rs. a duzia.
Grande sortimento de casearrilhas de diversas Doces da casca da goiaba em latas preparadas
larguras, assim como galozinho e trancinhas pro-
prias para eufeites : s no Vigilante, ra do Cres-
po n. 7.
Fitas.
Grande sortimento de fitas de diversas larguras
e qualidade, por precos que admiran) aos compra-
dores, havendo filas largas proprias para sinteiros
que se pode vender a 300 rs. a vara, e pega de 3
varas a 2* : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Fitas dc "
com muito aceio, propria para memozar
algum amigo na Europa, por ser mallera-
vel por mais de um anno, a 3,000 rs. a lata
com 7 libras.
Dittos em careos a 56o, 01o, 800 e 1,000
rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas em latas com 1 1 li-
bras por 7oo rs.
5oo rs.
Fitas delaa de^'as'qualSe's, proprias para dem francezas em latas a 5oo
das seguintes marcas Lagrimas do Douro, aeS^ vesUdoaTOO?s.a peca : V no Vigi- dem seccas a 2oo rs. a libra.
Duque do Porto, Genuino, Velho Parlicu-1 lanlei rua 0 crespo n. 7. Espermacete americano primeira qualidade a
Ricos espelhos. 1.200 rs. a libra.
Rii|uissimos espelhos com moldura dourada e fl.nr(l.. .. v,6o rs a libia, e Clll caixas
sem ella de 8*, 10,12 e 14*, assim como coa co- dem Itantu a ->oo l^. d ui,
lumnas de difTerentes Umanhos a 2*, 3, 4, 5 e 6*:; a o2o rs.
s no Vigilante,rua do Crespo n. 7. Farinba d'araruta verdadeira a 18o rs. a libra.
Lindos Jarros e flguras. fa (J t l%) ,4o e 1(io rs a ira.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina '
lar, malvasio fino, D. Pedro V, D. Luiz
I, Nctar e oulros a O.ooo e 10,000 rs.
a caixa e Ooo a 1.000 rs. a garrafa.
dem Muscatcl superior a 1,000 rs. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oo rs. a caada.
dem em garrafes com 5 garrafas a l,ooo
rs. com o garralao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada uma
dem de escova para esfregar casa 30o rs.
cada uma.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o rs. em caixa.
Farinba de milho a iGo rs. a lil
ihra.
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu Vi.-
tem apparecido : s no Vigilante. FiffOS em caixml.as 6 em
Fara pos de arroz.
Riquissimos vasos com boneca para pos de ar-
roz, cousa de muito gosto a 1*500 e 2*, assim co;
mo pacotes s com os pos a 320 rs. cada um : s
no Vig lante, rua do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
enfeitadas a 800 c 1,5oo cada um.
Fumo americano em latas para cigarros
l,8oo rs.
dem em pacotes a 2oo rs.
dem em pasla a l,2oo rs. a libra.
Grande sortimente de extractos e banhas, poma- Genebra de laranja a l.ooo rs. o frasco.
uranue sortimenia ae exiracius e udiiuu?, ^uma- ueneoiu uu laiauja ,,.-.-
das, assim como os lindos copos ou vasos com dis- \,\Qm ingleza marca Gato a ,00o rs. a ganan,
tinctivos e offerecimentos s sinhazinhas, dos me- .?*Hollanda a Gio ei.Ooors. o irasco
, Ihores e mais afamados autores de Paris e Ingla- *acnu,e "" ""'1-
dem de carnauba refinada e de composicao a; ,erra) assim como os grandeg copos de banna japo. 1 pequeo e gi aiue. Q Q
36o rs. a libra, e de 10,000 a 11,000 rs. a neza a 2* e a 1* 5 assim como outros objectos due dem de Hamliurgo, a oou 1. u
u" nao possivel por hoje annnnciar, e vista dos' rs. a frasqueira.
freguezes se far todo negocio
_ Vigilante, rua do Crespo n. 7.
na loja do WGra/|Xa em latas a l,2oo
Empreza dailluniinacao
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamacoes
(por escripto dando o nome, morada, data, etc.),
Jevem ser feitas no armazem da rua do Imperador
n.31. Os machinlas mandados para. a i^er.
estas, apresentario um livro que os recamantes
deve io assignar logo depo.s.de, promptoo servio
raussi^pre^le 26^00. J^S^^ ^ tamanhos para ditos.
completo sort ment de baloes para meninas 0010
dos os tamanhos pelo baratissimo preeo de 2*oOO,
noundo que saoLles de arcos os melhores que
tem vindSda America InP.^em1^.g0mesie
preco para liquidar: s na jl* er*f5,emil*)
Pavao a rua da lmperatriz n. 60, de Gama di Silva.
AGENCIA
DA
FUNDICiQ DE LOW-MQOR.
Rua da Senulla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor ,
e tachas de ferro batido e coado, de todos 011 reclamado^ Wf+**2SE devidamen-
te attendidos. ^^^^^
rs. a duzia.
Limonadas de diversas fructasa l.ooo rs. a
e 2,000 rs. garrafas grandes e pequeas
Arados americanos e machinas pan
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston t C
rua da Senzalla Nova n. 42.
Ferros para ourlves.
Na rua larga do Rosarlo n. 24, loja de ounves,
vendem-se todos os ierres e utencilios de ounves.
em seu esenptono.
les gneros i
Cera em velas.
Cal em pedra de Lisboa.
Vinho puro em ancoretas
Iharim, aletria e macarro.
dem linas eslrellinha e pevide a 3,ooo rs. a
caixa.
Milho miodo para passaros a 16o r.-. al lia
e '.Boo a arroba.
Marrasquino de zara do verdadeiro a I,.mhk3
frasco.
dem menos superior a Soo e I/oo rs. o
frasco.
Nozes a 2o rs, a libra.
Prezunto portuguez de superior qualidade a
Gio rs. a libra e inteirn por 5uo is.
dem ingle/, para fiambre a i>" rs. a libia.
nao agradando mesmo depois de preparado,
poder ser devolvido, que se trocar per
ouo ou ser restituido seu importe.
Passas novas a ioo rs. a libra.
Polvo a IGo rs. a libra.
Painco a IGo rs. a libra.
Pomada a 2o rs a duzia.
Pimenta do reino a 36o rs. a libra.
Peras seccas a 64o rs. a libra.
! Peixe em latas a l.ooors. a lata.
Papel almasso e de pes, de diversas 1 .a-
lidades e precos deferentes.
Palitos do gaz a*2,2oo a groza.
dem para denlos a 80. 16o e 2io rs. 0 ma-
co com vinle macinbos.
Gneijos llamengosa 2,6oo, do ultimo vapor.
dem prato a 64o rs. a libra.
dem londrino a 800 rs. a libra.
Rap Meuron a l.ooo rs. a libra.
^vadinha a L2o rs. a libra. 1 nova 1.
Sag a 80 rs. a libra.
Sardiohas de Nantes a Gio, uGoe 30o rs. a
lata.
SabUo massa a 12o, l)o, 2ooe 24o rs. a li-
bra.
c em caixoes por muito menos.
Sal refinada a Ooo rs. o pele de vidro.
Toucinho de Lisboa, de Santos c americana
, a"lOo,.24o c 32o rs. a libra, e em arroba
a 5,'ooo, ",00o e !),ooo rs.
Tijollo para limpar facas a 16o rs. cada um.
Vinho do Poeto em caadas a 3,5oo, 4.oooe
5,ooo rs. e em ancoras com 7o garrafas pi r
3o,ooo rs.
Idem de Lisboa sem confeiceo, (deencoinen-
da) por 5o,ooo rs. o barril com 17 cuna-
das.
dem de Lisboa mais baixo a 43,ooo rs.
dem em pipas a 3,ooo, 3,5oo e 4,ooo rs.
caada.
dem em barril dc Bordeapt com
rafas por 5o,ooo rs. __ ,
dem idem de Bordean* com /O garrafas poi
Idin'em caixas por 5,ooo rs. a caixa com 12
garrafas da melhor qualidade que vem ao
nosso mercado. .
Vinho branco para missa de Lisboa e Porto
em pipa, barril e ancoras a 4,ooo e 5.ooO'
rs. a caada.
Vinagre de Lisboa, Porto, tinto e branco ai
l,6ooe 2,ooo rs. a caada
dem em ancoras por 10,ooo rs.
Velas estearlinas a 50o rs. o maco, c em cai-
xas a 52o rs.
Vassouras americanas a Gio rs. uma.
>
13o gar-
Trina, volantes e gales.
Vcnde-?e trina, volantes e'galoes de todas ae
larguras pV precos muito barato: so no vigilants
rna do Crespo n. 7. ____
Kua da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tacbas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Lo*
Moor libra a 120 rs.
Superiores ..od, as prepara?*, <.taMu.lt h.jteojwt. ">""?%! *
BffelM seguro e pro.npio, m nauseas.nem eohcu, m irtmtr. F^.. %jm*<* .
Injecgo curativa e P.reservatiya
ail intensase rebelde. -
riore branca. A-Ilrin(8ti.le
Deposito geral em Pernambuce roa da Cruz n. 22 emeasa de Caros Barboza.
*.
M*.
-
J


Miarlo 4c PcruHbaeo Qnar.a elra 2O de Jiilho c i is f.
Largo da i
rSanta Cruza
numero
12 e 84.

Esquina da(
ra do
Sebo n. 12^
e84.
IfHANTE AURO
ALBORA BRILHANTE
GRANDES ARMAZENS DE MOLHADOS.
Francisco Jos Fernandes Pires proprietario dos armazens de molhados denomina-
dos Brante Aurora e Aurora Brilhante, ao largo da Santa Cruz ns. 12 e 84 (esquina
da ra do Sebo), faz scicnte ao respeilavcl publico desta eidade e do interior que nos
seus importantes eslabelecimentos vender sempre gneros novos e de primeira quali-
dade e vender a todos pelo mesmo preco.
O completo sortimento de todos os gneros finos e grossos que costutnam ter outros
eslabelecimentos desta ordera se encontrarao sempre nos armazens da tirilhante Aurora
e Aurora Brilhante e sempre em grande escala a vonude dos Srs. compradores.
O proprietario dos armazens Brilhante Aurora e Aurora llnlhante pedo a lodosos
senhores e senhoras que quando tiverem de mandar suas relacoes a estes eslabelecimen-
tos por seus criados seja em carta fechada ou com grande recommendacao a estes arma-
zens, certos de que sero tao bem servidos como se viessem pessoalraente.
GRANDE ALLIANCA
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Paulo Ferreira da Silva & Compartida
Grande sortimento de melhados em grosso e a retalho. nico armazn aue mais
rantagens offerece ao publico. '

NEM COROAS NEM MITRAS

Desenganem-se todos.


K
J
K
ti llanca o verdadeiro homem do progressso.
Allianva o verdadeiro e principal armazem de molhados.
Allianca o armazem que vende mais barato.
o Hilanza o armazem que vende os melhores gneros.
K o Alllaeca o armazem onde.preside o melhor aceio.
Fiquem todos sabedores desta verdade,
Venhara todos ra do Imperador n. 37.
Venbam ver os gneros que temos expostos a venda.
Amendoas
! 8oo rs. ;
coufeitadas
libra.
PARA
S. JOAO
de bonitas cor
AS
DE
A Brilhante Aurora c Aurora Brilhante troca qualquer um genero que por acaso
nao agrade e recibe as libras esterlinas a 95,sendo por compra: a tabella de seos gneros
sera mudada todas as semanas.
Amendoas confeiudas parasortes a libra 15. Vinho museatel duzia 105 e garrafa 15
Manteiga ingleza flor a 800, e 900 rs. Dito branco proprio de Lisboa caada i,
Dita mais abaixo a 6i0 e 720 rs. e garrafa" 6i0 rs.
4,5800
Dita franceza nova libra 640 eeu barril a Vinho branco de muito boa qualidade cana-
600 rs j da 45 e garrafa 480 rs.
Chocolate sante maito novo al200 a libra.. DitoXerez fino a caada 75500 e carrafa a
Cha perola o melhor que ha ( redondo) a I 1*200.
libra 3*200. | Dito Madeira seca caada 10* e garrafa 25
Dito dito mais abaixo a 2*500 e 2*800. i Dito em caixas de urna duzia do Porto dos
' melhores autores a 12*, 14* e 16*.
: Garrafas com licor lino francez e porluguez
! a 1*. *"""*
Ditas com vinho de caj muito claro a 1*.
Ditas com mel de abelha puro a 1*.
Dito uxim muito lino a 2*800 e 3*.
Dito hysson superior a 2*600 e 2*800.
Dito mais abaixo a 2* e 2*500.
Dito preto muito lino a 2*500.
Dito em massos a 2*.
Dito do Rio em latas de 4. 2 e 1 libra a
1*500.
Caf de moca superior arroba 10*500 e li-
bra 400 rs.
Dito do Hiu e do Cear arroba 9*500 e libra
330 rs.
Dito mais abaixo arroba 8*500 e libra 280.
Barricas com bolacbina ingleza ingleza nova
a ':->
Latas com bolachinha de soda de 5 libras
a 2*500.
Ditas com ditas sortijas de 2 libras a 1*400.
Frascos com animas franeczas s o frasco
val o dinheiro a 2-3800 e 3&.
Latas com ditas a 1*400, 2*200 e 4*.
Ditas com figos de comadre a 1*500.
Caixiuhas hermticamente lacradas eproprias
para mimo a 2* e 2*800.
Caixinhas com ditas a 1*, 2*500 e S* de
arroba.
-s
>/K Presunto de Lamego muito novo a libra ".' :0
~ rs. inteiro e a retalho 600 rs.
Chourieas e palos novos a libra 800 r-\
Latas com chourieas e linguicas novas viu-
das ueste vapor rom II libras por 65500.
ltas com peixe eiisopa.io do muitas quali-
dades a I*.
Ditas com ervilhas francezas e oortueuezas
' a 880 rs.
Ditas com feijao verde francez a 800 rs.
Ditas eom massa de l male novo libra
, 560 rs.
i Ditas com ostras a 720 rs.
Ditas com marmelada dos melhores autores
de Lisboa a libra 640 rs.
Potes com raustarda franceza preparada a
libra 480 rs.
| frascos com conservas de pepinos, mexides
1 e azeitonas verde a 15.
Dita dita franceza a 00 rs.
Gigos com trila e tantas libras de batatas
novas a 3*500.
Q iij is novos do vapor a 3*200 e 3*500.
Ditos de prato cnplicado a I*.
Dilo suisso a SUO rs.
Dito de manteiga do Serid a 800 rs.
Caixas com passas novas de 1 arroba 7*.
meia 3*500 c quarlo 2* e libra 480 e
640 rs.
Amendoas com casca a libra 240 rs. o arro-
ba 6*.
Xozes libra 160 o arroba 5*.
Caixas e meias ditas com charutos finos da
Baha dos melhores fabricantes de Jos
K tillado de Simas, Res e outros, sendo
Suspiros, Parisienses suspiros, Delicias.
Normas de llavana, Exposieao, Almiran-
tes, Barateiros, varetas, Guanabaras, Ro-
Frascos com genebra dellollanda de 2 gar-
rafas a 15.
Dito de urna garrafa a 560 rs.
I Dilo de iaranja verdadeira a 1*200
Duzia de graxa latas grandes a 1*.
Caixas com 25 massos de velas de sperma-
cete a 560 rs. a libra.
Ditas maiores a 600, 640 e 720 rs. a libra.
Caixas com urna arroba de velas do Araca-
ty 10*500 e libra 400 rs.
Ditas de r-omposicao arroba 10* e libra 360
Saceos grandes com fariuha deGoiannamui-
to boa a 5*500.
Dilo de Pono Alegre melhor que de Muri-
beca a 6*.
Ditos com milhonovo com 24cuias a 4*000
Dito com farello de Lisboa 120 libras a
5*500.
Dito com arroz de casca a 5*500.
Duzia de garrafas de serveja branca e preta
a 5*800 e em barricas a 5*500.
Arroz do Maranhao emsace.es arroba 25600
e libra 100 rs.
Dito da India e Java arroba 3* e libra 120.
Aramia verdadeira arroba 8* e libra 320
rs., c matarana.
Gomma do Aracatv para engommar arroba
55 e libra 100 rs.
Tapioca ou familia Jo Maianhao nova libia
! 160 rs,
Ervilhas seccas muito novas libra 200 rs
Sag e sevadinha a 240 rs.
Sevada arroba 3*2tO e libra 120 rs.
(raxa de boiiio 1)7 a 280 rs.
Sabio massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito hespanliol verdadeiro a 400 rs a libra.
Balaios do Porto diversos tamaitos de 320
a 2*. rij
Capachos para portas de varias cores a 600 SXi
700 o 800 rs. S
Grao de luco arroba 4*500 e libra 160 rs JfS
Painco amiba 5*500 libra 200 rs. RM
Milho alpista arroba 4*800 e libra 160rs. 9*
Azeite doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 1*500 e garrafa
200. 240 e 320 rs.
Massos de palitos de denles eom 20 niassi-
n los a 160 rs.
Tijolos de limpar facas a 160 e 120 rs.
Caixascom 40 cartas de traques a 9*500 e
a carta 280 rs.
Resmas de papel almaco paulado a 5*.
Ditogreve liso o melhor que ha a 4*500.
Dito de piso e paulado a 2*500 o 2*800.
Garrames com 25 garrafas de verdadeira
genebra de Hollanda por 8*500.
Azi-ite de coco garrafa 560 rs. e carrapato
360 e caada 2*560.
galia imperial, Acadmicos de (Miada, Su- CaixOes rom doce de goiaba a 640,800 e I*
nadoreseApmiyeisdel*OOa8acai- Toucinho de Lisboa arroba 8*500 e libra
xa de .i0 a 100 charutos. 320 rs.
Grozas de caixinhas de palitos do saz a
2*200 e 200 rs. a duzia.
Barriscom azeitonas novas a 3, e 43 bar-
ris grandes.
Vassonras do Porto piassava muito seguras
a '.00 rs.
A zeile doce francez dos melhores fabrican-
tes caixa 10*i! agarrafa I*.
Dito de Santos arroba 7* e libra 280 rs.
Molhos com grandes ceblas a 1*600.
Cento de dita sola a 1*500.
Mauncos de alhos a 240, 320 e 400 rs.
Esteirasde varias qualidades.
Gordas de postar e de andaimo.
Favas da ilha de S. Miguel arroba 3*200 e
libra 120 rs.
Caixascom un 10 1 ordeaux branco e tinto Copos lapidados para agua c vinho a 35500
S. Ju ten, S. Esltfc e outros a 7*500 e 8*. 5*800, 65 e 75-
vinho do Porto lino em barrls de 5" que ra- Ditos lisos para varios precos
i^2ftfa,P,P^f^SS80*eemcanadaa Calix lapidados grandes e'pequeos duzia
o*600 e gariafa a 800 rs 3,4 e 55 ; e 400 e 501 rs. cada um
carrafa'T V m **** ** W* "^ ^ i0p3 m30arr5o>,alhari"1 e *
n-,A11 1 tria a 480 rs.
Dito de Lisboa de bas marcas a 3*500 e Estrelinha e pevide libra 560 r<
45 e a garrafa a 140 e 480 rs. Xaropes de fructas nacionaes a garrafa
,j Cognac verdadeiro a garrafa 15 e 15280. 500 rs garrafa
rf^E muitos outros gneros que nfto possivel men-
eiona-los todos de primeira qualidade.
A ''!!&.! Brilhanle Aurora e Aurora Brilhante vender muito erar.
to, mas a DINHEIRO.
.<2S5Q
embora bara-
.*FGSL^f2BSS.
f*tigsXzW*ti53
POR HENOS DE 20 4 30 P0! CEMO
rtfcj
-Largo do Terco23.
dem de casca muito nova a too rs. a libra.
Avelas a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinlias com lindas
estampas a l,2oo, 1,4o e l,6oors. cada
urna,
dem em frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a l,2oo e l,4oo rs. cada
um.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada
I um.
dem em latas de I '/a e 3 libras a I.2oo c
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranbao o melbor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,4oo rs. a arroba.
i Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
I 4,8oo rs. a caada.
i dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e lo.ooo rs. a
caixa com I duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a IGo rs. a libra e 4,6oo rs. a ar-
roba.
Bolacbinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e de 3 lf libras a i .ooo rs.
e em libra a Gio rs., estas bolachinhas
torna-se muilo recommendavel com espe-
cialidade para os doentes.
Biscoitos c Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a i,35o rs. a lata.
Bolos francezes em carios e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
IBanba de poico verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a IGo rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
ate boje tem vindo ao nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo e I,ooo rs. a garrafa
inteira, e 8oo rs. as meias.
Ch.i uxim o melbor que se pode desejar, e
que nutro qualqucr nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra,
dem perola de esp ciul qualidade a 2,Goo e
2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
d este cbi.
Mein hysson o melbor que possivel encon-
trar-sc a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra,
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l.2ooe I,4oors. a libra,
dem preto muilo fino a l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a I,ooo, I,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
lado de Simas em i caixas das seguin-
les marcas: Pariiienses, Suspiros, Dul-
cas, Napolees e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna,
dem de outros muitos fabricantes e de dif-
ieren tes marcas para l.Soo rs. as meias
caixas, de suspiros a l.Goo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco,
dem franceza a ooo rs.
Cognac tnglez das melhores marcas a l,ooo
rs. a garrafa e lo.ooo rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 8oo rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a ioo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canellaa I,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,000 rs. a duzia, e
ooo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,8oo e 9,ooo a arroba.
Doce fino de goiaba a 6oo rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeiladas a
l,ooo rs. cada urna,
dem em I?tas ermiticamenle lacradas a
I,5oo e2,5oo rs. cada urna,
dem em caixas de /* arroba a 2,ooo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e l,ooo
rs. a duzia.
FESTAS
'. S. PEDRO.
nlem de Hollanda em garraf5es com 24 gar-
rafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
Lentilhas escolente legume para sopa e gui-
0 VHDNHM PRINCIPAL
F.
GRMDE

ARHAZE9I
DE

RIJA DO IMPERADOR 1*. 40
Junto ao sfbratlo em que mura Sr. O.-bame,
rara a festa de Santo Antonio, S/Joilo e S. Peifto.
Dnarte Almelda C, reeeberaam de ana proprla rucommru-
a o mais liodo c variado sortimento de molhados, prorfos
da preaeale esiaeao. v w-------
zados a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades a
800 e l,ooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800
e 96o rs. a libra.
dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
a libra, e 58o rs. em barris inteiros.
Marmelada especial dos melhores fabrican-; com bolos francezes a 500 rs. cada 1
tes de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, ha
latas de diferentes tamanhos.
j Massa de tomate em latas de 1 libra a 060
Manteiga ingleza
da safra ova vinda neste vapor de 28 de
maio a 800 rs. a libra.
Manteiga franeeza
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril
a 500 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos dt vidro com 3 libras liquido a
2#400, muito propios para mimos,
Cartoes
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 10300.
Chocolates
de todas as qualidades a 1,$000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velbos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo
rs. cada urna,
dem para soda estrellinha, pevide e rodinha
em cauiuhas sortidasa 3,ooo 3,5oo rs. cada
urna e 5oo rs. a libra,
dem macarrao, talharim e aletria a 4oo rs a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um
Molho inglez em garrafinhas com rol has de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquino verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafa, 10,000 rs. a caixa com 1 du-
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Prezunto de fiambre superior a Goo e 800
rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. 3 libra.
Peixe em latas de dilTerentes qualidades co- 3S T ^ '' P ^^ 7G rS"
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
Maeas brancas
para sopa a melhor que se pode desejar,
macarra, talharim e aletria a 400 rs a
libra e 4fjS00 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
(den de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa e
2800 a caoada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da eidade do Porto a 1^ e 1,5200
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar-
cas sao asseguintes: Chamisso AFilho,
F. M., Nctar ou vmbo dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 4i$000.
Bolachinha ingleza
a 1^800 a barrica damesmaque
vendem a 2,$000 e 2400.
Nozes
as mais novas do mercado a lOr> A bra.
Cervejas
vapor a 20600.
tiieljos dos melhores fabricantesfe de todas as mat
chegados no ultimo vapor a 2600 cada um.' cas de 40500 a 60500 a duzia.
Queljo CHARUTOS
londrino o mais fresco que se pode esperar: charatas Thnm Pim* iL-
e de excellante maree a 800 rs. a lite I SeSnts^MS^8 Utr
sp.ndo nfflim o 9 orn o mi.ikA meias caixiniias a lfio00.
lrroz
s em
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
outros a l,ooo rs. a latas.
Palitos para (lentes a 14o e a IGo rs. o mas-
so dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a IGo rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e20rs. acaixinha.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor, a 3, ooo
dem prato muito fresco a 8oo e Ooo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que at lio- mais armatco que 'tem vindo ao nosso
je tem viudo ao nosso mercado a 8oo rs mercado a 20600.
Ideml^drino a 9oo rs MaSSaS &^
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs, ^?J ?f'., ^f50' talliarim c a,etria a
cada um. lll"i.i.
arveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a Lmutoafamado^c^tBrandy
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.'
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro;
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2-^500 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 805f
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a lib/
t-arralos
com 4 *i garrafas com vinagre a 1:5000 ;>ai
o garrafao.
duzia, e 56o rs, a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos c
meias latas a 38o e 080 rs. cada urna.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a
roba.
Traques de 1.a qualidade a 9,ooo rs. a cai-1 almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
xa, e 24o rs. a carta. lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma dome-
qualquer nao pude vender por menos de' genebra de LARa.nja
30 a 20600. verdadeira a 10000 o frasco, e de 110OOC
dem perola ;l caixa.
especial qualidade a 20700 rs. a libra. DEM
dem hysson 'em frasqueiras de Hollanda a 50800 com
I 12 frascos.
! GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a Goo
rs. cada urna.
PALITOS
, os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a "roza
c 2o rs. cada caixinha.
a I,8oo LICORES
e de outras muitas qualida- finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
com urna duzia e a l,ooo a garrafa.
ar-
des a l.ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPN
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo
duzia, e a 440 e ooo rs. cada um.
rs. a
1MP13L
Ihor.
Toucinho novo de Liiba a 2o e 32o rs.
libra.
Tijolo
VinllO ^... ,^u .un, L.iauu.1 c riyucna uas pipri
oo TI gaS.3 3,8 rS' a Canad;,'e!azi" e p;,rd0 Para ^bralhod.
dem do Porto Lisboa e Figueira demarras
menos condecidas a ioo rs. a garrafa, c
2,8oo rs. a caada,
dem Colares especial vinho a Goo rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando com-
composicao a 5Go rs. a garrafa, o 4,000
rs a cauada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a canalla,
dem Rordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo c 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1.2oo rs a garrafa, ga-
rntele que por este mesmo preco d
prejuizo c s se encomia n'cste arma-
zem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio lino, D. Pedro V, D.
Luizl, Nctar e outros a 9,ooo e 10,000
rs. a caixae 9oo e l.ooo rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a 1,00o rs. a garra-
fa, e lo,ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,400 rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a 1.000
rs. com o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a Goo rs. a
libra.
Prezunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a
de 3,000, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
passas corinthias muito novas proprias para VELAS
' de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Papel de botica
jlo para limpar facas a loo rs. cada um. de excellenle qualidade a 20200 a resma
nho empipa Porto," Lisboa e Figueira das I %!! ^ '
1. loo a 2,2oo
rs.
libra e
rs. a resma.
Corinthias
podim a 800 rs. a libra.
Fume-
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l.oors. alibra
Vinagre
PRRem ancorelasde 9 caadas a 10,000 rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,ooo rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra
e 40400 a arroba.
Raalas novas
em caixas de 2 arrobas a 50 3 caixa e 60 rs.
a libra.
Passas muito novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140rs. o pao
Frutas em calda
chegadas ltimamente, pera, peeego, gima e
outros muitos a 640 rs. a lata.
Dsce da casca da goiaba
a 600 e 10 o caixle.
liiiiae e (ommercio na do Qiieiiua<*o
0 Verdadeiro Principal roa dn lmMN.'
a. 7
ipal ra do Imperador n. 40
Joaquim Simio dos Santo?, dono deste armazem de molhados tem fWtn
;i juem seu armazem tem frecuentado, liqni'
JfSfSSSSUSSSS^S S1^
1 un
menos
o em Reneres que mandou vir por sua Pro.ria encommeoda a maior parte, que wpawSTS
ios de que qualquer annunciante, para Isso se responsahilisa pela superior qualidade ^
Attenco.
.itatas as mais novas a I$100 a arroba e bO rs. a
libra.
Toucinho de Lisboa novo a 280 rs. a libra e 8'00
a gar-
a arroba.
Cal >lo Rio de primeira e segunda sorte a 250 e
300 rs. a libra o 85300 a arroba.
Arroz pilado a 80 e 100 rs. a libra e25o00 e 2J300
a arroba.
Sardinha de Xantes novas a 320 rs. cada urna.
Sabio massa superior a 180 e 220 rs. a libra.
Passas as mais novas deste genero a 400 rs. a libra
Ameixas franceza* com 1 e meia libras a 15.
Uolachinhas inglezas novas a 240 rs. a libra.
u^1^jJ.d'I";M*m'*a* superior qualIJade Manteiga franceza a 560 rs. alibra
ib 1A**iMl IJ-k.il II *fS f.\ A x v ..,-..:!
de 15200, 15500, 23, 35 c 45.
I'nosphoros do gaz groza 25200.
\ lias de espermacete de 5 c 0 por libra a 340 rs. a
libra, e em raixaa o20.
Velas de carnauba a 115 a arroba c 300 a libra.
Srodiaha e saga muito novo a 240. 260 rs. a li-
bra, .yntese a superior qualidade.
Queijos do vapor a 25S00.
VioJio de Figueira, marca JAA, a 500 rs.
Dito de Lisboa a 400 rs.
Dito de outros paizes a 360 rs
Dfe fSa 32 >*S> e caada
Genebra de Hollanda em frasqueiras a 65000 e MQ
rs. o frasco. *"
dem em botijas de conta a 400 rs.
Azeite doce de Lisboa fino a 600 rs. a garrafa
Dito de carrapato a 320 rs. a garrafa.
barril. --------------" e 340 cm
Dita ingleza fur a 720, 800 e 000 rs. a libra, e em
barril ha abatimento.
Massa de tomate em latas de libra a 600 rs. cada
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
1 ttJESTt "' e 56 Pr fraSC IIdem de escova Para esfre8ar casa a 3o rs.
dem de Iaranja a l.ooo rs. os frascos gran- cada urna
m?a Ir.rS: a S* COmt12 frasco?-1Ve,as d0 espermacete superiores a 56o rs.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada a libra, c 52o em caixa.
I1uma" ~ I dem de carnauba refinada e de composiGao
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,800 a 36o rs. a libra, e de lo,ooo a 11 000 rs.
rs. com o garrafao. a arr0Da>
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a {20
a lata e em lotes de 10 latas para cima se
far abatimento. no armazem da ra do Im-
petador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
Kea da Seazalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston 4 C,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
C;aes bronzeados, lonas inglezas, o de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
onro patente inglez.
Alf'in dcstes gneros lioutms
nnaver.
urna.
Conservas inglezas, francezas
o frasco.
muitos que enfadonho seria menciona-los.
I Na ra de Apolto n. 32 ha um grande sorti-
mento de marmore para ladrilho, sacadas, l.om-
e oortueuezas 1 fiiO aFIS*5**?* de.8' 9 e i0 Pa,raos de oomPr-
e portuguezas a OtO do e 2 112 de largo, folhas do marmore proprias
n.ipm iintfMnr ^i* tam|!ns ,1e mesas e para tmulos, vasos gran-
Qiem davidar ve- des para ,ardim, 00 para ornar lmalos, por pre-
gas muito razoaveis
Charutos de Havana
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schaleitlin A C, ra da Cruz n. 42.
Al que ehegot
um trraiide sortimento de bico e renda preta de
novo modelo chamado (guip) o melhor que se
pode desejar oeste artigo e qoc se vende muilo ba-
rato : na leja do gallo vigilante ra de Crespo
! Jabnca Conceico da
Baliia.
Andrade & llego, recebem consiante-
mente e tem venda no seu iramem n.
34 da ra do Imperador, algedao d'aquet-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar aigodo empluma etc., ele,
pelo preco mais razoavel.
BAIRRO DO RECIFE, RA DA CADEIA N. 50-
U mais novo e o melhor
AHMAZBIE IIE ?Mp8,II\ DOS
squma defronte da ra da Madre de Dos
ATT
variado, esolhido e melbor sSento de molhal, ?2ffl public, em ^"'encontrarao o m-iis
belecimento. ae ""nalos, a par do ace.o, elegancia e bom rgimen do eH*
^m^^^^^issssss^ sra casa a?m "ossuiBd *
tecc5o de todos os amigos do tan1 e S* a m fi T-**ch*-9e ~nvencido qae merecer a pro-
merecer a confianza m qneTe igSS dSbS ? ** "** ***** *"
guns gSoTJ^fc^SffiiPS1^S f SUperi(T armazera MovimeD,- BE** a-
nenhum outr e delicadeza, S ffiiffiS ^TS^ ^ "^ ** "" ******* d lW ^rado' o
concorrengseSo natfJJXmSSotag >mM*cim<* "** fferecido s
iwmm BARITAS.5^
Vendero-se laazinhas de cores flxas ede boa qua-
lidade para vestidos de senhora a pataca o cavado
e outras militas fazendas que o dono esta resolvido'
a vender muito barate afim de apurar os cobres
na ra da Imperatriz n. 20, outr'ora alerro da Boa-
Vista.
Ksteiras do Aracatv.
Vndese na travessa da Madre" do Dos nume-
ro 10.
wtos de borracha a 1$Q00
o par
Xe armazem de Joaquim Francisco de Alem lar-
goda Asserabla n. 1.
GAZ.
Vende-se gaz liquido americano da melhor
qualidade em lat s de um. dous e cinco galoes,
por meaos que em outra qualquer parte : no ar-
mazem do caes do Ramos a. 16.
*





Blarlo *c PcrBamhneo Qnarta felra O de aull.o de I S4.
UNIAO MERCANTIL
RA IlACAirEIA 1IO RECTFE TM. 53.
NOVO E
CrEAlTDE ABMikSBlfi DE MOLHADOS
RA DA CADEIA DO ItECIFE N. 53.
Francisco Fernandes Doarte acaba de abrir na ra da Cadeia do Recifen. 53, um grande e sortido armazem de molhados de- j-
nominado Unie Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeitavel publico im ampielo soi timento dos melboret j
ceneros que vem ao mercado. Unto estrangeiros, como naciooaes, os quaes serSo vendidos em porpes ou a retallo r.or piejos asst
gommodos. .
Manteiga ingiera especialmente escolhida \ Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
10200 a caada.
Azeite doce retinado em garrafas brancas a
860 re.
Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
5800 a caada.
Geneor de Hollaoda a 500 rs. o frasco e
5>800 a frasqueira.
Caixinhas cora ameixas francezas, ornadas
com ricas eslampas na caixa exterior,
muito prnprias para mimo, a 10200,10500
6 20.
Frasco de vidro com tampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a
Sardinhas de Nantes a 340 rs. o qnarto e 561
rs. meia lata.
Latas com peixe em posta : savel, corvina,
vezneo, cherne, linguado, lagosinha,
10300 rs.
Saimao em latas, preparado pela nova artt
de cozinha, a 800 rs.
Macaa de tomtes em latas de 1 libra a 601
ris.
Chouricase paiesem latas de 8 emeia libra
por 70.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra t
80600 a arroba.
Bolaxinha ingleza a 320 rs. a libra e 40
barrica.
240 rs. a libra.
.. j ... ,. Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Marmelada .mpenaL dos melbores comer- fJrith de Fra 200 rs libra.
tetros de L^boa, em latas de 1 e meia a { jnhj do Maranhv5o a i20 rs. a libra.
2 l.bras a 600 rs a libra A verdadeira a 320 rs. a libra.
Froctas em calda das melhores qualidades L 2Q ,b H arroba
de primeira quadade a 900 rs. a libra,
em barril se faz abatimeato.
Manteiga fraoceza a mais superior do mer-
cado a 6oo rs. a libra, e .580 re. em barril
ou meio.
Prezuntes inglezespara fiambre, de superior
qualidade, ebegados neste ultimo vapor, a
720 rs. a libra,
Queijos fiamengos ebegados neste ultimo
vapor a 40000.
Queijo prato muito fresco e novo a 640 re.
a libra.
Castanbas muito novas a 120 rs. a libra e
e 30000 a arroba.
Cli ux'ra o melhor que ha neste genero,
mandado vir de conta propria a 20800
rs. a libra.
Cha hyson muito superior a 20560 rs. a li-
bra ; cb hyson proprio para negocio a
10500 re. a libra.
Cb preto muito superior a 20 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com differentes
qualidades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captara, seed, bornez e
outras muitas marcas a 10350.
BolachiBha de soda em latas grandes a 20.
Figos era caixinbas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinbas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 10 e 20 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 50o rs. a Hora e 30 um quarto ;
e em caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 re.
Champagne da marca mais superior que
tem viudo ao nosso mercado a 180 o gigo,
garsmte-se a superior quadade.
":-bo Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 70500 a 80000 a
caixa e 720 a 860 re. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 90
a 103 a duzia, e 900 a 10 a garrafa; deste
genero ha grande porco e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 143 e 150 a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do Douro, D. Luiz,
Cames, Madeira secco, Carcavellos, Nc-
tar de 1833, Duque Genuino.
Vinho de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 30, 30200
e 30500 a caada.
Vinho bresco de superior qualidade, vindo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
rs. de barril.
Ossenhore que comprarem de 1000000 para cima, tero o descont de 5 por cento, pelo prorapto pagamento.
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 re. a libra.
Amendoas de casca mol le a 400 rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs- a libra.
Amendoas confeiladas de diversas cores a
800 rs. a libra.
Macaas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, s vista se faz o preco.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 re. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 10200 a libra.
Chocolate hespanhol a 10200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 1*.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
5^800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
e 10200 a garrafa.
Licores francezes das segrales qualidades:
Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames
e de outras muitas marcas a 10 a garrafa
e 100 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
90 a duzia.
Moslarda ingleza em potes j preparada a
400 rs.
Alpistaa 160 rs. a libra e 40800 a arroba-
Batatas muito novas em gigos com 40 librai
por 10500.
Cebollas a 10 o molbo com mais de 100 ca-
da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 r.
a libra e 90 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 re. a li-
bra e 80400 a arroba.
Caf do Rio, propriepara negocio, a 80.
Arroz do Maranhoa 100rs. a libree 20800
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 23400
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mai-
so e a 90 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caix5o.
Macarr3o, talharim e aletria a 480 re. a li-
bra ; em caixa se faz abatimento.
Estrellinba,pevide e arroz demassa para 8op>
a 600 rs. a libra e 30 a caixa com 6 libras.
Palitos de dente lixados com flor a 200 rs.
o masso, ditos lixados sem flor a 160 re
o masso com 20 massinhos.
Gomma de engommar muito fina a 180 re. a
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra *
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inteiras ou em meias, de
10600, 20 e 30.
Mostarda ingleza em p, em frascos grandes, Presuntos do reino, viados de conta propri
a 10 cada um. de casa particular, a 00 rs. a libra; inte-
Sal refinado a 500 rs. o pote. rose faz abatimento.
RA DO QfJEOIARO M. 45,
Passando o becco da Congregacao segunda casa.
* // ii i i I i
m
NO FU) ABE.
Acaba de receber de sua propria encommetida um grande e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer sos seus freguezes e ao publico em geral a segrate tabella dos seus gneros e
resumidos precos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-:
mazem.
IARA A FESTA
S. JOO
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra.
DE
Manteiga ingleta perfeitamente flor, a 800 rs,
libra,
dem francesa a 56o re. a libra, e 5oo rs. |
sendo em barril.
Cb uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para'
cima a 2,7oo,
E S. PEDRO
Licores francezes e portuguezes das segura-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-;
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turra, Botefim, \
morangos, limao, caf, laranja, cidra, gin- i
ja, canella, cravo, ortel pimenla a 1,00o
re. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garaote-se j
que os melhores que temos tido no mer-'
cado.
dem hysson ornis superior que se pode Passas muito novas cm quatfos e inteiros a
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima 2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
deseja
a2,5oo re.
dem menos superior a 2,4oo e pare cima a 2,3oo rs.
dem proprio para negocio a 2>3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra.
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 9oo
re. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao debico muito novo a 18o rs. a libra.
Ervilhas francezas*em latas a 600 rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
fazenda especial.
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado ns. 49 c 3o, loja de miudezas
do Jos de Azevedo Slaia e Silva, esl continuando
no seu progreso de vender baratissimo :
Capachos grandes e superiores a 500 rs. cada um.
Caixas de superiores obreias de cola e massa a
40 rs.
Cordao brance para vestido e espartilho, vara 20
res.
Lionas de carretel (150 jardas) de superior auali-
dade a 60 rs.
Carios de linba Pedro V (200 jardas) j rnuito
conbecida a 40 rs.
Crozas de peonas de ac de muitas nulidades e
superiores a 500 rs.
Caivetes de duas folhas porm finos a 500 rs.
Caixas com calungas muito bonitas para rap a
100 rs.
Franja branca e de cores para toallas a 160.
Pares de botoes para punlio muito bonitos .. 120.
Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a
120 rs.
Tioteiros do vidro com superior tinta a 160.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Groza de botoes de looca pratiados, o melhor, a
160 rs.
Tesouras para costura, o mais superior, a 400 rs.
Ditas para uuhas muilo tinas a 400 rs.
Escoras para limpar denles muito superiores a
200 rs.
Libras de laa de todas as cores (pesada) a ~.
Caixas de phosphoros de seguranga a 160.
Ditas de papel amizade pautado c liso a dOO rs.
Ditas com 100 anvelopos muito superiores a 800
ris.
Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
Cartas c taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas com superiores iscas do acender charutos
a 40 rs.
Carreteis de linha Alexandre (200 jardas) de cores
a !0 rs.
Ii.imlhos para voltarete rnuito tinos a 240.
Cartas de alnetes francezes rnuito lios a 40 rs.
Meadas de linha f'xa para bordar a 20 rs.
Pares de sapatos de tranca muito superiores a
15600.
Papis de agulha com um pequeo toque a 10 rs.
Groza de botos de madreperola muito finos a
560 rs.
Cartes e caixas de celchetes francezes superiores
a iOrs.
Bonets para meninos muito finos a 15500 e 2$.
Macos de grampos superiores e limpos a 40 rs.
Groza de phosphoros do gaz muilo novos a 2200.
Areia preta muito superior a 100 rs.
Caixas de rap com espelho a 100 rs.
Realejos para entreter meninos a 80 rs.
Pecas de fila de lioho muilo boas a 40 rs.
Puntes de lago muito bonitos a 1,5.
Enfeites de laco de todas as cores a 15300.
Rodas com altlnetes francezes a 20 rs.
Caixas com quatro papis de agulhas imperiaes a
240 rs.
Saboneles de familia a 80, 160 c 320.
Caivetes de duas folhas muito tinos a 320.
Pares de sapatos de laa para meninos a 400 rs.
Sapatos de tranca para senhora c para homem, os
melhores que tem vindo, e por preco muito barato:
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra. a libra,
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
rs. a libra. j Caixas de traque n. 1 a 85500 cada urna.
Queijos do reino chegados neste ultimo va- Massas para sopa macarrao, talharim aletria
por a 2,6oo. a ioo rs. a libra.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
dem londrino o mais fresco que se pode; e 800 rs. a garrafa,
esperar c de excellente marca a 800 rs. a dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
libra sendo inteiro, e a 9oo rs. a retalho.' garrafa,
dem prato es melhores emais frescos do charutos em grande quantidadee de todos os
fabricantes mais a creditados a 1,5oo,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.800 e 9,5oo
rs. a arroba.
Bis ;. de I arrotas ,U.\*5**SE?* '"'
caixa e 60 rs. a libra-
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas: Oshnrne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machineeoutras mui-
tas a l,3ooe 1.loo re.
Polvos chegados ltimamente do Porto a 32o
rs. a libra.
luem quizer ver. venha 1 ra do Queimado ns.
19 e 55, e vera tudo C(.mo bom e barato.
O O P-O 0 g -QQ P3 O P- 2 pa P- 00 O a P- ''
bd p- fifi O p
0 0 gs 7C p B r
^ bd a P 0 P-
3 a & ?5
p B 0 9 0 -i . vd
& P- 13 0 ai t 1 )
0 P B 0 CD P ".
os ce it- P-P o-p
k 0 P- P---
B <"p O /-
M- e-h-
1 O O
Pereira Bocha < C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clanm Commrctal,
nnde o resoeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vera ao nosso mercado, os quaes
aero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se o bom peso
e ba qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao.da India e Java a60, 80 Cevadinha de Franca muito superior a 220
e 100 rs. a libra e 1800 a 2600 e 3;> rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
15200 e 15600 emfrascos grandes a
25500. ,. ,
l.lem em caixinbas elegantemente enfeiladas
com ricas estampas no interior das caixas
a 125000, it540O, 15600 e 25.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Aloista a 160 rs. a libra e a 45600 a arroba.
Azeite doce francez muito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
15300 ris. aH
Bolachirihas de soda, latas grandes, a 25 rs.
^itas inglezas muito novas a 35000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor einada a 440 rs. a libra e
e em barril a 410 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 15600, ,
25500, 25800 e 35000 a libra,
dem preto muito superior a 25000 a libra.
Cerveja preta e branca, das memores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 55800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 re. o frasco,
dem, so de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 re.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata,
dem seccas muilo novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
15800, 55500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 65200 a frasqueira.
dem em garrafoes de 3 e 5 galoes a 55500
e 75500 cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 1510O rs. a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
Peras seccas muito novas a GOO rs. a libra-
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
Queijos fiamengos do ultimo vapor a 25800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor e
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muilo alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem, qualidade especial e garrafas muito dem stearinas muito superiores a600rs. a
grandes, al5800rs. agarrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs-
Idem, garrafa forma de pera e rolha de vi-
dro, a 15000 rs., s a garrafa vale o di- Vinho do Porto engarrafado o melhor que
libra.
Figos em caixinhas emticamente lacradas
a 15600.
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. alibra.
dem em lata a 640 re.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 60o rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Massas finas para sopa : estrellinha, pevide,
rodrahas e letr'anhas a 600 rs. a libra e a
45 a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
pcialmente da fabrica imperial de Peixe em latas preparado pela primeira arte
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 15800, | de cozinha a 15 rs. a lata.
45000 25200, 25500, 25800. 35000 e Palitos dedeBtes a 160 rs. o masso.
^00' a caixa Palitos de dentes a 120 rs.
Caf do Bio muito superior a 280 e 320 Wem de ir a 200 rs.
rs a libra e 85500 e 85800 rs. a arroba. Amendoas confeitadas a 900 rs. a libra,
f.ai'es de bolinhos francezes muilo novos e Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
muito bem enfeitados a 700 e 600-rs. i 25 e em caixo a 640 rs.
Chouricase paios muito novos a 800 re. a Palitos do gaz a 25200re. a grosa.
libra'.
I Passas muito novas a 480 re, a libra.
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Maria Pia,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
15000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 95000 e105000.
dem em pipa, Porto, Lisba e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 35, 35500
e 45 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 re,
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 75000 e 75500 rs.
a duzia.
dem Morgaux eChateaulumimde 1854, a 15
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
15200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 15800 re.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porc3o de outros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porcCes como i
retalho.
Qaem comprar de 1005000 para cima to-
ra o abate de 5 por cento.
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,000 rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 2,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portoguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Cartes com bolas francezas proprios para
mimos ou para anjos que vio as procis-
ses a Ooo rs. cada um.
Papel de botica de excellente qnalidade a
22oo rs. a resma.
Peras seccas as mais novas do mercado a -ioo
rs. a libra.
Figos de comadre em litas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
Fruas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 64o rs. a
lata.
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 8oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo,ooo e
l,ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa,
dem de manas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composicao a 560 a garrafa e 4,000 rs. a
caada.
Farinha do Maranhao a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l.ooo rs. cada urna.
Ricos livros com figos 1 ,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafoes com 4 */i garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafo.
dem com 4 '/a ditas de venagre a 1 ,ooo rs. o
garraf3o.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com a ancoreta
dem em pipa puro sem o batisme a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fezenda muito especial a 6,8oo re.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.'
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2.6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,uoo rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra.
dem de sebo muito dura lingindo esparmace-
te 36o rs. alibra.
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, e em
caixa a 52e rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaco pautadoe liso a 3.ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,2oo rs.
a resma,
dem embrulho de 1,2oo a 1,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/j libra a
l_,2oo e 8oo rs. a libra.
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l,ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
Molhos inglezes a 8oo e l.ooo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de cajo secco o mais
bem arranjado possivel a l,8oo e 2,8oo
re. a lata.
Cerveja Tenente verdadeira a 6,8oo re. a
duzia.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,ooo rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo re. omolhoe
8oo rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o re. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a32ors. a libra e
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a Iiora.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,500 rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes fem latas al,000 rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,000 re.
Doce da casca da goiaba a 600 e l.ooo re. o
caix3o.
JlJLfilAJiJLVl
Luja de-fazendas da ra
do Crespo n 7.
Miguel Jos Barbosa (niniaraes, socio princi-
pal da firma de Guimaraes Lima, faz. sciente ao
respeitavel publico que tendo de liquidar todas as
fazendas existentes em seu eslabelecimento por
tor fallecido o seu socio Jos de Almeida Nones
Lima, que consta de um grande sortimento de fa-
zendas linas, como sejam ricos vestidos de seda
com algum loque de mofo, capas de velludo preto
muito lina- e chiras multas fazendas que tudo
vende por baratsimo preco.
~ ESiiBAVOS Eil&iDOS.
Fugio no da 10 do corrente o escravo per
nome Semino, de nacao Mossambique, com os sig-
naes seguintes : estatura alta, chcio do corpo,
rosto liso, nao tem barba, tem uns talhos no rosto
junto as duas fontcs do ro-'o. levoii calca de hrim
pardo, camisa branca de algodfw, paletot de hrim
pardo, e chapeo de palha : roga-se s autoridades
civls e militares de o apprchendcr e manda-lo a
seu seiihor, na ra Direita n. 30, que serao gene-
losamenie recompensados._______________________
Ao amanhecer do dia f> do corrente fugio do
engenho Penandnba, sito na freguezia de Muribe-
ca, urna escrava de nome Sabina, representa ter
, 23 anuos de idade, com os signaes seguintes : cri-
oula, fula, cabellos carapinhos. baixa, grossa, seios
grandes, rosto redondo e com muitas marcas de
bexiga. maos pequeas e ps, peruas arqueadas, e
I mais aguns que nao se recorda ; levou comsigo
1 urna fllha com idade de tres mezes tambem preta :
quem a apprehender leve-a ao referido engenho,
| ou ao pateo de Terco n. U, que ser generosa-
mente recompensado.
Fugio de casa de seus sonhores, no dia 14 do
corrente, o escravo Izidro, crionlo, de idade 2o an-
nos, pouco mais ou menos, estatura regular, cheio
do corpo, cor um pouco fula, cabellos carapinhos,
olhos pardos, beigos um pouco grossos, nariz regu-
lar, ps grandes e grossos, bem desembaracado no
fallar, nao malcriada, levou caiga de bnm bran-
co, camisa de madapolao, chapeo de feltro j usa-
do ; cujo escravo lilho de Calista Maria da Con-
ceicao, do Brejo de ananeiras, provincia da Para-
hyba do Norte ; veio em 186t em pagamento para
os Srs. Guimaraes & Alcoforado desta cidade, sup-
poe-se ter seguido para aquelle lugar : roga-se a
todas as autoridades e capites de campo a sua ap-
prchensao e leva-lo ao pateo da Santa Cruz n. O,
que serao recompensados com 1005.
O proprietario do grande armazem Unio e Commercio declara aos seus fregu
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos esUpukra
os mesmos precos nos seguintes lugares: |
UnifLO e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
Ausentou-se no dia :l do corrente mez da ea
sa de seu senhor o escravo Targino, cabra, de ida-
de 20 annos pouco mais ou menos, com ofllcio de
ourives, alto e seco, sem barba e espadado, boni-
ta figura, levou vestido caiga de ganga de qnadro*
miu'dos i usada, camisa branca e chapeo de bae-
SlU TO do Illm. Sr. Theodozo Francisco
Din z, morador em Porto Calvo, suppoe-se ter vin-
do para o Recife aonde ja esteve e tem conheci-
meto a titulo de procurar senhor, e igualmente
se aus'entou a escrava Graciosa, cabra, de idade
16 annos, bonita figura, cheia do corpo, rosto lar-
go, estatura baixa, bragos e'pcrnas grossas, c de
suppr que seguisse o mesmo destino do referide-
cabra, e rogase a todas as autoridades policiaes,
capites de campo e qualquer pessoa do povo de
se os virem os capturar e os mandar conduzir
a seu legitimo senhor Manoel de Souza Cunha re-
sidente na villa de Porto de Pedras, ou na villa
do Paco de Camaragibe a Antoaio de Souza Cu-
nha, em Rio Formoso ao Illm. Sr. Diaiz e no Re-
cife a Thomaz Femandes da Cunha na ra da Ca-
deia n. 44, que ser5o generosamente gratificados.
Fugio na tarde do dia 16 do corrente um
escravo pardo, de nome Marcos, desembarcado
do biate Santa Ama, vindo do Aracaty, tendo
de idade 28 annos pouco mais ou menos, e os sig-
naes seguintes : altura regular, secco do corpo,
pouca barba, cabello crespo, levou camisa e
caiga de algodosinho de riscado azul e cha-
peo de palha, tendo levado comsigo urna trouxa
com mais roopa, e rendido de urna das verilhas ;
quem o appreeoder queira leva-lo i roa da Madre
de Deus n. 38, ou ra do Brum n. 55, que sera
recompensado.
-

MUTILADO
' "N >


*

Diarto de Pernambuco Qnarta felra O de JrIIio de 194.
LITTERATRA.
Os transportes pneumticos.
ro eminente, hoje oceupando o niais elevado posto
no corpo de pontes e calcadas, escolhido para re-
presentar no senado a scienca das construegoes,
Mr. Malet, foi incumbido pelo ministro das obras
publicas de colligir as nogSes existentes, e de ap-
plica-las mencionada via.
O caminho de ferro aimospherico, notavcl ap-
plicago dos principios pneumticos, nao foi como
su'ccesso do
ferro fundi-
DM POUCO DI TDO. l abracado, affastou-se depois um pouco. Logo em
OITerecemos aos leitores a descripcao de todos 'segoida coaem<* 'ancou para o lado opposto,
os mcideutes que se deram na execugo do med
V Tiflca-sc pelos documentos estatifico?, que na
maior parle das grandes cidades o aecrescimo do
circulacao dos vehculos segu urna progressSo,
cujos limites 6 difllcil prever. Especialmente eni e>,,.rulapiobom ngoco."""teve m
Parts, esse augmento nao deixa de inspirar a ad- curio>ldaue. conistia ein tubo dt
winlMracao serias inquitateos. Nao M eatotUdo do> CrtIlocado no ejxo da via_ abnrt0 ,ongtudnal. s ne de cnvcnenaineal0_
I | que determinaran a direooao, alinhamento n^nl, a parte superior, e coberta a abertura com
i irgara das mas; nem pelos qne applicaram os (i|)
differentes s\.temas de calcada
co La Pommerais
No dia 9, s seis horas da manilla foi execu-
tado na prarja de la Roquette, Desir Edmond Con-
ty de La Pommerais, de trinta e qualro anpos de
edade, doutor em medicina, natural de Neuvllle-
sur Bois (Loiret), condemoado a pena de morte no
dia 17 de maio ultimo, no tribunal dos Assists do
urna parte da roupa que o cobria e desceu do lei-
to. O chefe do servigo de polica aproximou-se
delle, e perguntou-lhe se tinba conflssoes ou rev-
lacocs a fazer. Elle limitou-se a responder fra-
mente e sem azedume :
Nao I
Tirarani-lhc entao o coleto de foica ; vestu-so, e
depois retrou-se para um canto do quarto com o
capellao, o abbade Croz, demorando-so por pouco
tempo, durante o qual o paciente mostrou
E nolavam ambos que, ao retirar-se o conseibo, Sou innocente, gritou, do sangue desta mu-
costumava Suzana ir passear no parque e nter- Iber, juizes de Israel !
nar-se pelas alamedas sombras e solitarias. Sbita pallidez invadi o semblante dos dous re--
Ollios de profanos nao a viam; que densas Ihos.
arvores sombreavam o parque, e grossas muralhas Ah I naquella voz que to intempestiva se er-J
o rodeavam. guia, que tao estridente echoiva, como voz d'^
E s, e a scismar tristezasque outra cousa nao PnaDtasma era meio da nate, ouviam o bramir
selembravam.de scismar os captivos filhos de ameagador da tempestade que se aproximava, e o
Sio -, ao descahir da tarde, procurava Suzana os ruido do 'rvo que traz o raio.
Por
Ut ------------p .j |-t.. ivihu lll';."ll ULl SC]]!'!^
comecamos a publicaran dos debates deste ir.,n(iniiii,nHo a rocir,,..,-?,,
continua .rula de coura m dos wagons pr0cesso.que oecupou oi.o audiencias,e nao dei- I ZZm7SX i ,
datrem tinba no camino da parte inferior, tima rmnc a, Zi*\\, v___. ,m I i ""inseguida conduzdo a ante-camara para
solidos. o embolo impellidd pela pressao atmosphericVje-'' '* '* 'gd d6PS d-e ler Sd ^V *** "' sem aP0- ** =om passo firme, e sufficien-
O municipio parisiense, cuja habilidade e illus- cipitava-se do lado da aspfracao ; a ha tracie sao notorias, debalde se esforga, com todos! lando a vlvula segua o embolo, e o trem =uba o!, ?T *V mm' U Pomm"als fm es" treS" a disposicao do executor dalla justiga,
5J ao seu alcance, para hitar contra o te-; aeclive. 'rem ^ i , ,-,.___u mitini i i demnados a morte, com todo o seu rigor sujeito a pnnvenipnipe
mtvel inconvenien e a medida que c Ie m p 0 sy5te,na d(J g Qc y ja gu,rdas que ficavam J Semnado -uieimn ,. i
ca os me os de defesa, o immigo desenvolve-se, ...,..,., ,_flrr,.- .. v i .. ,. u con,lemnado sujeitou-se a operacao com a mes'
rosse, comportaba imperfeicoes e vields, qne obs- com elle naquelle quarto. Eslava visivelmente ma tranquillidade e especie de dianidade nne linl.a
tavam a grande desenvolvimento. O tubo collocado' contrariado pelo emprego do colele de for5a,e con-'
sol) os eixos do trem s poda ter pequeo dame-! servou mesmo em quauto ali esteve, um certo ran-
tro ; os attntos e outros disperdicios de forras' cor coutra o empregado que havia sido encarrega
oram considerareis ; a manutencao da vlvula Ion- do da Ih'o vestir ; recusava-se a fllar-lhe, e quan-
gitudinal era pevel e continua; as introdceles
de ar, tanto mais ditHceis do evitar quanto a de-
estend-se. Ha dez anuos abrem-se novas mas.
alargam-se as antigs ; mas as ras circumvisi-
nhas nao diminuem em pejamenlo.
Nao parece, que as ras S'unt Martin c Saint
t- us leubam de menos um s vehculo, depois
tia abertura do boulecard d> Sebastopol; e todava
este acha-se chelo de transportes A pedradas
calcadas esta gaste, o propr porphyro, mo d.s. ^ 2TZoSl
pendioso, resenteso visivelmente; e o macadam na arometr ca,
mostrado desde que acordou, sem que se Ihe po-
desse notar urna unicaalteracao as suas maneiras,
e parecendo ouvir com attengo as exhorlacoes do
i- sacerdote por um nico instante, e no momento
lo o senta, voliava as costas, dando-lhe a denomi- j era que um dos ajudanles |he ,igava as m5os a,raz
nagao de grande inquisidor. das costas, fez um ligero movimento, e vrou a ca-
Mostrava ter pouca vontade de conversar, diri-, he^a, inclinando-se como para indicar que a pres-
,, gindo raras vezes a palavra aos seus guardas ;! sao era muito forte ; foi pelo menos o que se com-
erte \ verba do ds- aborv'am srande parle da frca m^rz. Emfim,! mas o assumpto da conversa era sempre intorrom- i prehendeu, e logo lhe alargaram o lago.
o .leve ser mni elevada. I para er ao m5mo lem10 a forCa e a celeridade [ pido, todas as vezes que julgava poder-se aprovei-! Terminadas as exhorlacoes, o capellao fallou-lhe
requemas, ro mister collocar em Saint German tar alguma allusao relativa aos factos da sua con- de novo de sua esposa, e peruniou-lhc se deeiava
machinas collossaos, que tendo apenas de funeco- demnaCo. deixar-lhe urna ultima recordacao. Fez um signal
nar alguns minutos durante tolas as horas, de-: Pareca nao ter confiaba alguma no seu recur-
necessariamonte permanecer sempre em so, que dizia ter assgnado nicamente para ceder
um numeroso pes- as instancias do seu defensor, que nao quera con-1 depois fez involver n'um subscripto, rogando opa-
trariar. I dre que se dignasse encarregar-se' de a enviar ao
pendi com o sou concert
Paris assimellia-se a estatua da Biblia, com cabe-
ra de ouro e pes de barro. Ao passo. que os seus
monumentos, as suas novas habitarles, outros lan-
os palacios, tendem a torna-la sem rival; por
inexplicavel fatalidade nao consegue consolidar,
parificar e desembarazar o terreno das suas roas-
E' una enfermi Jade, que demanda cfficaz reme,
dio, o qual nao se encontra de repente. Procura-
so porm o remedio com o devido empenho ? N'.o
parece. Nao se obtem abrindo novas ra-, ou re-
volvendo as calcadas existentes. A abertura de
ras ha de acabar; nao se podem lancar por trra
todas as antigs habitarles. Quanto as calcadas,
so o a'phalto comprimido deve dar melhor resulta-
pressao,
soal.
afflrmativo, e pediu para lhe cortarem no alto da
cabega urna por?ao de cabello, que elle beijou, e
Em somnia, as despezas de traccao addiconadas
aos capitaes enormes, consumidos' na construccao
Accrescentava mesmo que se admirava de nao seu destino,
ter resistido quelle pedido, por isso que mais de- Neste momento supremo, o chefe
do servico d
das rase das machinas fxas, estavam nteiramn- pressa poria termo si,ua?a0 em I"6 se achava. j seguranca perguntou-lhe novamente se tinha'con-
t em desharmonia con. o producto kilomtrico da
liaba.
A causa primaria do mallogro fu. urna especie
de timidez na execuoao. Talvez se tivesse evitado
se em lugar de adoptar o processo cima mencio-
do do que o mac-adam ou o empeJramento, ha de i "ado. se eucerrasse resolutamente todo o trem
1 num tubo de cinco ou seis metros de dimetro
Xessa hypothese, era escusada a vlvula, e cessava
a seu turno tornar-se insofflciente, qnando a cir-
culacao se multiplicar consideravelmente. O re-
medio nao consiste em lutar contra a circularlo,
sim em reduzi-la, se possivel.
As causas principaes da accumulacao sao de
dua> especies : as que dizem respeito a circulacao
dos vehculos empregados no transporte dos indi-
viduos ou das mercaduras de indeterminada pro-
cedencia e destino: e as quo derivam do transpor-
te de mercaduras de procedencia e destino fixos o
conuecidos, como a carrelagem dos camtnhos de
ferro, o fornecimento dos mercados e remessa de
cartas e pacotes das esla^ijes e das caixas para o
edificio central do correio.
R' difilcil, sem attentar contra a liberdade da
circulacao, fazer desappareccr as primeiras. Cada
pessoa que possuo ou aluga um trem para o seu
transporte ou de sua mercadoria tem direilo, con-
formndole com os regulamentos policiaes, de di-
rigir-se para onde lhe convenha. A nica restric-
ciof que seria licita e mesmo til, consistira em
spprimir, as ras frequentadas, a carretagem
demorada, que aggrava sensivelmentc as causas
de accumulacao.
Se a independencia da circulacao deve ser res-
peiteda, os servcos pblicos, a carretagem dos
caminhos de ferro, dos mercados, podem snbmet-
ter-se a um certo modo de funecionamento, que
aiviando as calcadas do Paris, seja ao mesmo
lempo mais simples e econmico para todos.
O processo tem-se procurado, procura-se, o ha
de procurar-se at que se ache. A cada instante
urge descobri-lo; e a inspeccao da limpeza s nel-
le lein esperanca, para cumprr a sua tarefa.
Actualmente conhocem-se tres expedientes : as
vas frreas aerias, as subterrneas, os tubos
pneumticos.
As vas forreas acias, apesar do seductor as-
pecto dos plano?, sao pouco exequiveis : quer se
Imaginera sobre arcadas soladas, como o caminho
de Blackewall ;i Londres, e o de Vincennes Pa-
rs : quer sejam collocadas aos longos das habita-
rles, na altura dos primeiros andares, em ras
para isso dispostas. Xao fariam cenia aos capita-
listas nem ao municipio, porque, por um lado, a
despeza seria fra de proporcao com o. rendimen-
tos; e por outro o encargo de aur'r novas ras,
fra do plano geral da cidade, a necessidade de
cortar com pontes ras transverssaes, e onlras dif-
Cculdaues, feririaro de eslerilidade o systema, em-
l'ora grandioso e atlrahente.
Dous habis engenheiros Mrs. Flachat, c Brame
proptueram a construccao de urna via frrea sub-
terrnea junio estacao de leste, na curvatura do
boutnard Sebastopol, o primeiro tambem sugge-
riu um projecto de va frrea as margeos do Se-
na, nuraa especie de trincheira do metal fundido,
no fundo da qual circularan! as machinas e os
svagoos.
Sob o ponto de vista da despeza, estes dous sys-
temas. posto que excessivamente dispendiosos, se-
rian) mais exequiveis do que o precedente; c
provavel que um dia vinguem. Mas lerao sempre
a imperfeicao de nao offcreccr mais do que duas
lindas de direccao, guando cumprina haver urna
rde, que irradiasse do centro da capital para as
estecSes dos caminhos de ferro, o que nao per-
mittido esperar, alteudendo a que o sub-solo de
Paris acha-se cortado por um labyrintho de cana-
lisages de agua, gaz e immundicies, adverso
perturacao de um tunnel de grande dimens5o, e
em pequea profundidade.
O terceiro meio, que parece o mais pratico, e
cuja despeza de execucao parece mais em harmo-
na com os seus resultados econmicos, o tubo
pneumtico.
Quando, ha alguns anuos, o successo da via-fer-
rea atmospherica de Saint Germain, suggeriu a al-
guns bomeiu ousados a idea de estabelecer um
tubo para aspirar as cartas e pachtes do correio em
directo a um ponto qualquer Ja cidade, o publi-
co e os jornaes acolheram essa idea com o sorriso
da incredulidade. Todos encolhcram os hombros:
e todava nada era mais serio, e mais exequivel.
lia tres annos, que o systema, tao singular na ap-
parencia, funecona em Londres, a cargo de urna
poderosa companhia, que nao hesitou em desem-
bolsar oito ou dez milhoes de francos, e que nao
tem lido motivo de arrepender-se. No anno de 1863
foi ntroduzido em Berln, e hoje l se acha o pla-
no anecio a prefeitura de Sena para ser estabele-
cido em Pars. E' ensejo opportuno para offerecer
alguns pormenores da engenhosa applicaco, que
ha de contribuir, mais do qne se pensa, para alli-
viar as calcadas, e por termo s accumulatfes de
vehculos.
Pode ser, que a idea do tubo pneumtico seja
ranceza ; mas a sua reallsacao pertence a Ingla-
terra. Quando se tratou do caminho alniospherico
de Saint Germain, foi ao paiz d'alm do canal que
se fuj buscar a pratica e os modelos. Um engenhei-
mou-se com a sua siluaco, e de tal maneira, que
uZl porqufe.com,imc'bl<> de semelhante sempre coma com bom appette.
dimetro, o perfe.to contacto desse embolo com a Logo que entrn na Roquette, consentiu em re-
supert.ee interior do cylindro tornava-se intil ; ceber o abbade Croz, o qual lhe fez depois frequn-
porem expediente tao s.ngular seria prematuro na ,tS visitas, tendo ambos longas conferencias, qu
quadra em que as apprehensoes das vias frreas pareca agradaren! muito ao condemnado, porque
TIZ ,,.Mrain C 6nl ''"e CUmpra lran'luillisar se mostrava sempre mais disposto a prolonga-las
e nao assoslar os passage.ros. A limidez dos pro- do que a evita-las!
motores do systema aimospherico deve etn ultima
analyse reputar-se circuraspecco.
Prmeiramente queixouse por differentes vezes fissSes ou revclacoes a fazer. Tornou a res-
e modos do rgimen alimenticio da prisao, e deca- ponder :
rou que pretenda que os seus alimentos te com- Nao I
puzessem do eguarias delicadas, e de vinhos pre- j A's 6 horas menos alguns minutos, tendo-se con-
ciosos, offerecendo pagar qualquer differenca. I cluido os preparativos, encaminhou-se Conty de La
Mas tendo-se-lhe respondido, que segundo o re-; Pommerais para o lugar da execucao, lendo sua
gulamento, devia sujeitar-se a rgimen alimcnti-1 esquerda o capellao, e sendo do lado direilo sus-
co dos demais condemnados da sua classe, confor-1 tentado por um dos ajudanles. Atravessou o largo
Diz-se que achando-se La Pommerais no depo-
sito dos condemnados da Roquette lhe foi dirigida
Hoje, os caminhos de ferro esto aclimatados.; urna carta da Hungra, por parto de um homem
Todos se acham dispostos a accolher sem espanto de leltras daquelle paiz.
as innovacoes que delles podem derivar, por mais Nesta carta, de perto de quatro paginas em fran-
sorprendentes que sejam. Por conseguinte, o trans- cez, o signatario, depois de lhe haver, segundo se
porte de mercadorias, no interior de um tubo pneu-'' affirma, testemunhado o pesar que lhe causava a
niatico, nao deve provocar a incredulidade de pes-' sua condemnayao, e lhe expressar os seus senti-
sua alguma. Os Inglezes, mais vigilantes e auda- menlos de benevolencia, pedia que lhe mandasse
cosos do que os Francezcs quando se curados seus manuscripto ou urna copia do drama que tinha
interesaos, adoplaram a applicaco pneumtica: escripto na prisao de Mazas, e a que elle se havia
utilisam-na ha alguns annos. referido por occasio dos debates no tribunal, cer-
Como sempre, a Franca tem de imita-los no tilicaD(lo'Ine ''ue faria representar brevemente
processos industriaes. Se ellos aproveitam as deas n U'" dS prQC')aes lnta'ros da Hungra, onde de
com passo bastante firme sem parecer perturbado
pela vista do radafalso que se apresentava dante
delle ; quando chegou ali abracou o capellao, que
se retirou pouco depois; em seguida, o paciente
snbiu os degrus com resignacjio, sem proferir urna
uoica palavra, auxiliado pelos ajudanles ; chegado
plataforma, collocou-se immediatamente contra a
terrivel machina. E passado um segundo tudo es-
lava concluido.
A immensa mullido que eslacionava as proxi-
midades, e de que apenas urna pequea parte tinha
podido assistir a execugao, dispersou em todas as
direcces, e como ja ti vemos occasio de dizer, nao
houve a lamentar o menor accidente grave, apezar
desta agglomeracao de povo.
O corpo do supplicado foi conduzido ao cemite-
rio dos hospicios, para, segundo se diz, ser entregue
familia, que o reclamou.
da Franca, tem esta o direito de servirse da expe-
riencia grangeada em fecunda-las, e nao ha motivo
paraengeitar as preciosas indicares fornecidas
pela exploracao do tubo, que funecona em Lon-
dres desde 1861
L-se na Opinin Nationale :
O movimento que de novo se produz a favor da
abolicao da pena de morte provocou em Franca um
ceno alcancaria um grande exilo. numero. consideravel de adhesSes.
Na couformidade do regulamento, esta carta de- I A peticao dirigida ao senado pelo nosso collabo-
via ser aborta, quando foi entregue ao carcereiro. rader Mr. Labb e Mr. Detaille, redactor em chefe
Nao se diz se foi commuoicada ao destinatario,T da Discussion, conta j perto de seiscentas mil as-
. mais recondilos lugares do parque.
Ali, em face do cu, ao ruido das aguas do Eu-
phrates, ao sussurro das arvores, ergua a pobre
'' desterrada *o coracao ao Deus de Abraho, o em
oracao fervorosa, em que muitas vezes lhe vinham
; as lagrimas a arrasar os olhos, pedia a Jehovah o
termo do capliveiro do seu povo.
Era urna larde....... lnda_como as tardes do
rlenle depois de um dia abrasado pela calma.
Por entre as collinas havia desapparecido o sol.
e nuvens recamadas de ouro circumdavam como
urna vasta faxa, como urna larga franja, o azul do
firmamento.
A briza oriental brincara as folhas dos arvore-
dos, e l ao longe, bem ao longo, viam-se os ban-
dos dos Israelitas que voltavam fatigados do traba-
Ihar do dia.
E como sempre, com a tristeza a pallidejar-lhe o
semblante, sahiu Suzana buscando medilacao
o abrigo do recolhinicnlo e do silencio.
Havia terminado o conselho, e graves e silencio-
sos tinham-se relirado os ancios.
Com elles lambem foram os dous que cubica-
vam Suzana. Um nao suspeitava o designio do
outro ; mas a ambos iosufflava o inferno.
Tveram a mesos idea : voltaram por caminhos
diversos, e encontraram-se ambos no jardim de
Joaquim.
Quizeram furtar-se aos olhos um do outro ; qui-
zeram ambos recuar; mas nao : soprou-lhes o in-
ferno diablica inspiracao, e, rindo-se ambos, de-
ram-se mutuamente as maos.
E segredaram por alguns momentos, e depois
dirigiram-se juntos para o lugar em que se achava
Suzana.
Linda como um sorriso suave desprendido do
cu, meio reclinada sobre a berra macia do pra-
do, lia Suzana, aos ltimos rellexos do crepsculo
da tarde, as paginas saniamente inspiradas do li-
vro de Moyss.
De repente ergue os olhos, eslremecendo, como
se alguma cousa lhe houvera interrompido o si-
lencio da medilacao, e encara os velhos, que mu-
dos a contemplavam.
Com o sorriso nos labios, se dirige a elles; que
bem longe estara de pensar no Densamente dam-
nado que Ibes revolva a mente.
Eram anciaos de Israel, eram doutores da le
eram amigos de seu esposo : que mal d'elles pen-
sara Suzana ?
Para ella tambem se dirigirn) os velhos, e su-
surraram-lhe aos ouvidos nao sei que palavras, nao
sei que rotes do inferno.
eviam de ser bem satnicas I... Ouvindo-as,
fez a pobre mulher um gesto de horror, estendeu
os bragos, procurou correr; mas, fallando lhe as
forcas, curvou o corpo, dobrou os joelhos, e cahiu
birla e fra como um cadver aos ps dos misera-
veis.
Vos 1 vos! os anciaos de Israel I gemeu a
mesquinha... vos, os amigose os companheros
de meu esposo I... Mas nao, nao podis ser tao
infames, expondes-me prova, nao assim ?...
Ah I dizei-o I dizei-o por piedade !...
signaturas.
Um jantar, destinado a reunir um certo numero
de pessoas quo tomaram a peilo esta idea generosa,
que todava j nao tinha em seu poder o drama, o
qual fra apprehendido pela polica, e junto s de-
Descreveremos os apparelhos de que se servem, mais pejas do processo.
bem como o seu jogo ; e o modo porque podem ser Dissemos que o condemnado tinha frequentes i devia ter lugar hontem.
adoptados em Paris, sem prejuizo da economa dos entrevistas com o capellao ; tambem as tinha por | A lista dos convivas continha nomes de indivi-
dilTerentes sysiemas de canalisacao, que abun- militas vezes com o medico da prisao, o Dr. De-: dos de lodos os partidos, de todas as crencas, e de
dam no subsolo das ras. Demonstrar-se-ha que o leau, e pareca sentir o mesmo prazer tanto na todas as opinies, dando assim raro exemplo da
transporte de carias e de mercadorias, por um com- conversado desle, como daquelle, urna vez que untao das mais oppostas opinies n'um mesmo pen-
plexo de tubos pneumticos, substituir com van-1 nao alludissem aos factos da sua condemnaeao, a samento.
tagem para toda a gente o servido das carruagens' cujo respeilo nao quera que pessoa alguma lhe j Esla reuniao foi ultima hora prohibida pela
da adminislracjio do correio, o do fornecimenio fallasse. polica.
dos mercados, a carretagem dos caminhos de fer-j Com o primeiro, discuta certos pontos religio- Limilar-nos-hemos por hoje a indicar que no nos-
inora empreza que assumiu o titulo sos, como um homem que procura razoes plausi- so paiZi e nesle anno de 486i nns trjDta cidadaos,
veis para abandonar urna opiniao, que j nao jul- deputados, escrlptores, eclesisticos e commcrcian-
ga fundada. Com o segundo entretinha-se habi- [ tes, se nao podem reunir n'um nteresse moral c
tualmente de sciencias, e com especialidade das; n'um pensamento de humanidade, para um fimque
de Fuctaqe parisin.
A ILHA DE CBETA.
Recordacoes de viaijeni.
II
Os habitantes: Turcos, Gregos e Sfakiotas.A illia
depois da guerra da independencia.
Continuacao.)
I
Desse modo prevenidos das secretas ntences do
que tinham relaco com a medicina.
La Pommerais perdeu nos ltimos dias um pou-
co da sua energa; moslrava-se sempre resignado,!
mas-a sua tranquillidade nao era comludo a mes-
ma ; o somno era menos profundo, e algumas ve-'
zes muilo agitado ; pela manhaa senlia-se um pou- \
co abatido, e em muitas occasioes se lhe ouvu ma
nada tem de commum com a poltica.
E' do Revro. Sr. Francisco Bernardino do Souza
a seguinte historia, publicada no Jornal das Fami-
lias, SOb O titUlOSI ZANA A CASTA
I
E anda o tempo do capliveiro de Babylonia
nifestar o desejo que tinha de ver um termopromp-J amda as 'n"gcns do EuPhtes gemam saudades
to a sua situacao. A realisacao desle ultimo de
sejo nao poda demorar-se.
os lilios de Sio.
Em casa de Joaquim reunia-se o conselho dos
anciaos, e ahi deliberavam sobre os negocios dos
futios de Israel.
Ao menos, em meio da escraridao que contra
ilha, e at no centro dessas cidades fortificadas,' terislico de que a jostica devia seguir o seu cur-
das quaes os Janisaros se consderavam senhores, so regular. Expedirara-se logo as ordens neces-
uma forga que, sem dar alarma, se podesse prepa- saras, e durante a noute levantou-se o cadafalso
rar, e no dia do combate apresentar-se em campo luz dos ardiles no seguimento da prac,a da Bo-
de repente; era preciso recorrer aos chrislos e quetle.em frente da porta principal do deposito dos
servlrem-se delles. condemnados.
Hadj-Osman nao recuou diante dessa necessida-! Desde se8UQ,]a-feira 'Iue um grande numero de
rp pniPiufon co.. j curiosos se diriga todas as manhaas quelle ponto,
ue, entenueu-sc secretamente com os nr mtTos < .
i os primazes estacionando ali por muitas horas, espera de as-
sislir ao triste espectculo de urna execucao capi-
Gregos; e, por intermedio delles, fez distribuir ar-
mas aos ratos, advertindo-Ihes que eslivessem
promptos.
tal, e retrava-se sempre com a firme tencao de
voltar na manhaa seguinte.
Estes, que tinham bastantesconlas a ajustarcom Xa0 > Pois' Para admirar que naquella noute,
os seus oppressores, aceitaram de boa vontade a em quanto se preparavam os instrumentos de sup-
pacha, assim como dos seus projeclos, os Turcos,;
nao deixariam desembarcar essas Torgas; as bate-
ras, os portos, as pecas de artlharia, as muralhas,: As 5 horas da larde, chegou casa do procura-
as chaves das portas, achavam-se em seu poder, e dor geral, junto do tribunal imperial, o escriviio
a vida do pacha eslava as mos delles. Tratara- com as pegas do processo mandadas pelo correio
se.pois.de procurar ali perto, dentro mesmo da da chancellara, trazendo o addcionamenlo carac- el,es Pesava-em meio do ruido das algemas que Ibes
pendiam dos pulsos, tinham esse lenitivo as
penas.
Podiam erguer a voz qucixosa, e adiar vozes
compassivas e consoladoras que respondessem s
suas.
E nada consola mais, na amargura da dr, na
desolago do coragao, no confranger do peto, do
que ver que procura derramar o balsamo na feri-
da que sangra quelle que lambem ulcerado tem
o coracao.
Sabem-no todos, ninguem consola com mais
efficacia do que quelle, que tambem carece de
consolago e de refrigerio.
Sao doces, na desgraga, as palavras solugadas
pela dr; bem suave a lagrima que se mistura
lagrima.
Mas entre aquelles ancios que formavam o
conselho dos Israelislas na trra do captiveiroi
nem em todos o soffrimento havia purificado o
coragao.
E' que tambem a desgraga embola s vezes a
alma; que lambem s vezes se endurece o cora-
gao ao agoutar violento dos soffrimentos e das
dores.
E mais perverso assim o coragao, e mais cri-
minosas as ideas que o espirito concebe, e mais
satnicas as paixes e os planos que o genio das
trovas lhe inspira.
Formosa e casta como a agneena dos prados
ominada pelo roci do cu ora Suzana, a mulher
de Joaquim.
Tao pura, to casta era, que nem mesmo a subtil
maledicencia ousra son liar calumnias, nem de leve
embaciar-lhe a candidez das vestes.
Amava-a o esposo com quelle amor santo que
a virtude inspira; amava-a os fmulos, porque a
virtude inspira amor corages nao cahidos. as
profundidades do crime. |
De enire os ancios do conseibo, dous ergueram'
olhos de concupiscencia para a mulher de Joa-
quim.
Queriam manchar a candidez do sua fronte ao
contacto impuro de seus labios infames. Ardiam
os miseros as chamlas da concupiscencia, e sem
se inquietaren! com o mundo, e sem se importa-
rom com Deus, pretendiam eramurchecer aquella
flor to linda, como cresta a ventana do norte os
lirios que esmaltam a verdura das campias.
allianca, e a vinganga que se Ihes ofTerecia. Em-
quantp se preparavam e armavam em silencio, seus
roslos, que a cscravido habituara a dissimular,
coiiservavam-se humildes e calmos; nao irahiam as
confidencias, que tinham recebdo, nem as suas oc-
cultasesperangas.
O pacha escolhera, para a execugao do seu pro-
jecto, a Khania, onde, os Musulmanos eram em
menor numero e menos fortes do que em Megalo-
Rastro. Comludo, tinha tambem em Megalo-Kas-
tro e em Retymo homens seus, com quem poda
contar.
Depois de ter concluido esses preparativos, e de
ter dado a senha aos seus alliados, Hadgi-Osman,
sob differentes pretextos, consegue attrahir Kha-
nia, onde fixara a sua residencia, os mais amotina-
dores e mais temives begs cretenses.
A proporgo que elles se apresenlam, Hadgi-Os-
man acoibe-os com a maior amabildade, e, por
meio de attenges e obsequios, consegue tranquil-
lisar at os mais desconfiados; depois, quando se
achara todos reunidos na cidade, convoca-os tima
manhaa para irera assistir no serralho leitura de
um decreto, chegado de Constanlioopla. Sem a
menor suspeita, aceilam elles o convite ; mas ape-
nas se reunern na sala das audiencias, os vassallos
do pacha e alguns aventureiros albanezes, dedica-
dos a sua causa, precipitam-se sobre elles, langam-
os por trra e amarram-os antes quetivessem tem-
po de dar accordo de si. Ao mesmo tempo, appa-
recem a porta os christos, e levam-os presos em
nome do pacha e do sultao.
{Cmtinuar-se-ha.)
plico, se vsse chegar sucessivamenle de todos os
lados urna multidao immensa, que augmentava
consta lilemente, e que s 4 horas da madrugada
era extraordinaria.
Desde ento os concurrentes augmentaram de
urna maneira lao consideravel, que urna hora de-
pois a ra de la Roquette e todas as suas immedia-
ges, desde o boulevard do principe Eugenio at ao
boulevard prximo ao cemiterio do Pere-Lachaise
continha um ajuniamento de mais de cem mil cu-
riosos de amfcos os sexos, que se apertavam e atro-
pellavam intilmente para mais se aproxmarem.
Nesies movimentos, mulheres e creangas eram
derrubadas, soltando gritos agudos, que produzam
por momentos um certo pnico, que felizmente nao
era acompanhado de accidentes serios. Mas, em
consequencia destes movimentos as frentes destas
massas linham-se encaminhado de todos os lados
at junto do patbulo, e com grande difflculdade
poderam os agenles da polica, auxiliados pela ca-
vallaria da guarda de Paris, conseguir faze-las re-
cuar at extremidade da praga, limite que nao
devia ser atravessado pelo publico.
A's '> horas e meia o director do deposito dos
condemnados, o chefe do servigo de seguranga.um
des esenves do tribunal imperial e o abbade
Croz, entrara m no quarto do comdemnado que
acharara dormir. Sendo este acordado annuncia-
ram-lhe que o seu recurso tinha sido regeitado, e
que o seu pedido de perdo nao lioha podido ser
adrailtido.
La Pommerais sentoo-se rpidamente, mas n3o
proferta urna onica palavra ; o abbade lancouse-
Ihe nos bragos, e conserrando-se por algum lempo
Pos bem ; entao a infamia, murmuraran! os
dous, entao a maldigao do esposo, o despreso da
familia, a vinganga da lei, a morte da adultera...
Sim, a morte, a morte antes, mas nao o ol-
vido dos deverc
consciencia, o grito dilacerante do remorso... Es-
se, t-lo-heis vos, vos... os ancios de Israel...
vos?...
Maldigao pois c infamia contra ti bradam os
velhos.
E algando a voz rouquenha, prorompem em gri-
tos, a que pressurosos acodemos fmulos.
Com os joelhos em ierra ainda se achava Su-
zana.
Pareca abysmada ao peso da vergonha.
Era a innocencia que vergava a fronte ante a
accusaeao cyniea do crime.
Deus, porm, l do cu olhava para essas mise-
rias c da Ierra.
E ambos disseram :
E' adultera esta mulher : nos a apanhamos
em flagrante Levae-a para que a le lhe Tin-
gue o crime.
Nao queriam acreditar os fmulos. Suzana
adultera !... ella !...
Era impossivel !
Entretanto aecusavam-as dous ancios de Israel.
Nos a vimos, us a apanhamos em flagran-
te... adultera !...
II
Na vasta salaem que se rene o conselho achara-
se ja os anciaos de Israel.
Em meio delles, como juizes tambem, os dous
que contra Suzana haviam erguido a voz aecusa.
dora.
Pareca, olhando-os, que bem pura tinham a
consciencia, que Ihes nao punga a alma o dente
agudo do remorso. Entretanto, quem com attengo
os olhasse percebena, atravez daj limpidez dos
olhos, da tranquillidade do semblante, que de vez
em quando tremor nervoso Ihes agitava os mem-
bros, e por sobre os olhos ligeira nuvera a perpas-
sar sinlslra.
Compacta encina a multidao o tribunal, e laraen-
lavam todos to imprevisto acontecimento.
Chegou Suzana. Denso vu negro lhe oceultava a
pallidez ras faces ; e, como cadver movido por
oceulta mola, cahio, que nao pode assentar-se no
pequeo escabello que lhe fra indicado.
E um sussurro de d e um murmurio de com-
paixo prorompeu unisono de todos aquelles la-
bios, de lodos aquelles peitos, que nao a acredita-
vam criminosa.
E' que a innocencia tem vozes, lem gestos, tem
gritos, tem solugos que se nao podem confundir
com as vozes e os gestos e os gritos e os solugos do
crime.
E' que a voz unnime de um povo, quando se
ergue para proclamar a innocencia ou apontar o
crime, a voz do cu pelos labios do povo.
E fallaram os velhos.
Vimos e damos f, vimos a mulher de Joa-
quim em flagrante delicio de adulterio... Por nos-
sos labios se manifesta a verdade, e em nome de
Deus, e em nome da lei de nossos paes, nos a con-
demnamos a morte.
E um a tim disseram os juizes :
Em nome de Deus, em nome da lei de nossos
paes, condemnamos a adultera morte.
E a multidao murmuran tambem :
Em nome de Deus, em nome da le de nossos
paes, seja a adultera condemnada a morte.
D'entre a multidao porm echoou estridente e
sonora urna voz.
Era Daniel quem fallava.
Daniel, o mais esbio entre todos os Israelitas!;
Daniel, que, ainda no verdor des annos, conhecia
j os segredos cnysteriosos do livrodo futuro.
O que dizes ? perguntam os anciaos.
Destacando-se da.multidao, e apresentando-se
em fronte do tribunal, assim contina Daniel:
Como sera provas ides condemnar esla mu-
lher ? Como ides manda-la ao supplicio sem plena
conviegao de seu crime ? Como assim baratones a
vida das fllhas de Israel I Repito-vos, juizes, sou
innocente do sangue desta mulher I
E a multidao applaudiu as palavras de Daniel
Nao se dir, fallaram os juffies, que condem-
namos morte a quem talvez nao seja crimino>a.
Nao se nos lngara face o sangue da innocencia.
Oulorgou-te o Senhor a sabedoria ; vem, pos, sen-
tar-te entre nos, e julga-a como se fras juiz d
Israel.
E a multidao applaudiu as palavras dos ancios.
Em meio delles senlou-se Daniel.
Quem aecusa esta mulher?
Nos, disseram os velhos.
Bem... Nao podis ser juizes do seu crime :
sois os seus denunciantes.
E a um signal de Daniel ergueramse os reinos,
deixando as cadeiras de juizes.
F-Ios separar o mogo israelita, e chamando a
cada um por sua vez, perguntou-lhes:
Se apanhastes Suzana em adulterio no jardim
de seu espeso, dizei-nos sob que arvore.
Sob um lentisco, disse um dos velhos.
E feila cgual pergunta ao outro :
Sob om carvalho. respondeu.
Entao ergeu-se Daniel.
Ouvstes,juizes;condemnam-seos mserareis
por suas proprias palavras... Ergue-le, vctima in-
nocente da calumnia ; ergue a fronte pura e casta.
Que tens a temer dos esplendores do sol ?... NJa
s pura e immaculada como a rosa aos primeiros
reflexos da luz matutina ?
E com a fronte abatida, os cabellos hirtos, e o
suor a cahir em bagas pelas faces lvidas, tremiam
os velhos.
E a multidao vociferava :
Sejam punidos com apena que queriam in-
fligir innocente !... Sejam apedrejados os infa-
mes, os calumniadores, os embusteiros!___
Sejam apedrejades, disseram os juizes.
*

L-se n'uma carta de Copenhague, o seguinte :
Todos os navios da esquadra dinamarqueza ""
se achavam disseminados, em consequencia
bloqueio dos portos prussanos, acham-se agora lo-
dos reunidos neste porto, em linha debalalha dian-
te da capital.
O armamento dos navios foi completado nos l-
timos dias com um grande numero de pecas de
artilharia, das de maiores calibres, vindas de In-
glaterra e da Sueca.
L-se n'uma carta de Tunes de 23 de maio :
Recebeuse hontem do interior urna terrivel noti-
cia. O Caid de Mager foi assassioado, e bem assim
onze pessoas da sua familia e cincoenta dos seus
servos.
O Caid era muito rico e influente, e fingi adhe-
rir revoluco, porm os rabes descobriram que
elle se corresponda rom o governo de Tunes, pro-
mettendo-lhe desemharacar o paiz do novo bey es-
colhido pelos rebeldes.
Urna carta interceptada revelou a sua traico.
a vinganga dos rabes foi to prompta como' ter-
rivel.
Por participagaodo director interino da alfandega
da Hurta, consta que no dia 2 de maio ultimo, en-
. trara no respectivo porto a escuna ingleza Equity,
. ___ cap tao Hardv. com o nico hm de desembarcar
s mas nao o pungir doloroso da l0/la tUtpuUjfa oa galera americana K!ca"
to M. S. Gates, a qual fra a pique no mar das
Antilhas. no mez de abril antecedente, conseguinJ>
salvar-se a mesraa tripulaco na lancha do seu na-
vio, donde passara para a referida escuna.
L-se na fevolucaa de Setembro :
Passaado um amigo nosso por urna aldoa do lii-
ba-Tejo, notou que porta de una casa da povua-
go se achava um homem, que pareca ter mais I
sessenta annos. chorando.
O viajante condoido chegou-se a elle, e pertrim-
lou-lhe :
O' homem de Deus, que tem ? Acontece :-
lhe alguma desgraga ?
Nada, nao senhorrespondeu ovelho foi
meu pao que me batteu.
Seu pae ? Pois roc ainda tem pae ?
Tenho, sim senhor.
Desojava conheoe-lo. ,
O velho indioouihe aporta da habitacao, o nos-
so amigo entrou, deparou-se-lhe um velho do bons
noventa annos passeando na casa, apoiado n'um
bordo. Entabolou conversa com elle, e chegou j
seguinte pergunta :
Ento roc bate n'um filho daqnella edad '
Bato, sim senhor. para seu ensino.
Ento qual foi o crime que eommetteu ?
Faltn ao respeilo a sena v.
Pois elle anda lem ar ?
Admira-se, replicou o velho estimulado no
seu amor proprio ? Suba l cima ao sobrado,
veja.
O viajante snbiu com effeito, e vio sentado n'uma
cadeira rosando n'umas contas, prximo da janel-
la, e com as pernas estendidas a una nesga de -
o Mathnsalem da aldea.
Era un velho de aspecto venerando, em cuja
fronte j despovoada pareca entrever-se um res-
plendor dosantidade. Tinha 110 annos.
O nosso amigo teve larga pratica com o velho
que conservava o perfeito uso das suas faculdado>
intellectuaes e narrava minuciosamente innmeros
factos da sua mocidade.
Da guerra peninsular era urna chronica viva.
A Revoluciio de Setembro escreve:
L'm honrado empregado da linha frrea de leste
e norte acaba de contrahir o Santo Sacramento do
matrimonio.
Ainda que este fado parega vulgarissimo. o to-
dava digno de mengo pelas circumstancias que o
revesiem.
A noiva natural de Coimbra. O empregado era
revisor na linha do norte.
Desde as primeiras viagens comegou a ver na
estago de Coimbra urna rapariga loura e de to
joviaes modos, e expressivas feiges, que desde lo-
go se sentiu impressiooado.
Ou fosse qae a donzella morasse perto da esta-
go ou que ali viesse para ver chegar o comboyo
o que certo que ella ali eslava sempre a hui-
da chegada.
Entre os dous comegou urna innocente corres-
pondencia.
Elle maldizia o caminho de ferro todas as vezes
que havia irregularidade na hora da chegada.
Ella orava fervorosamente Deus para que nao
houvesse algum sinistro sempre que o comboyo lar-
gava.
Doron isto assim tres mezes, at que emfim se
tratou o casamento.
O empregado recebeu a namorada por esposa na
egreja de Santa Cruz de Coimbra s 6 horas da
manhaa de um dos dias passados.
Como o nao dispensaran) do servigo levou-a n'u-
ma carruugem de l1 classe, e foi almogar com ella
a estago de Aveiro. O jantar foi em um hotel da
Praga Aova no Porto e voltando d'ali no combovo
da tarde, vieram cear a Coimbra, onde passaram' a
nonte na hospedara do Carollo.
No dia seguinte o noivo foi transferido para a li-
nha de leste. Teve de vir pois com a noiva pas-.
sar o segundo da em Lisboa, ao terceiro dia al-
mogavam ambos em Badajoz no Hotel de Castres
Naciotiaes.
Querem nada mais natural, mas ao mesmo tem-
po mais extravagante?
Foi um rerdadeiro|casamento vapor.


PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. DE F. & FILHO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E80HHYVN7_RAOSJV INGEST_TIME 2013-08-28T02:22:27Z PACKAGE AA00011611_10420
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES