Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10418


This item is only available as the following downloads:


Full Text

HUMERO 162.
Por tres Mezes adiaatados 5$O00
Por tres mezes vencidos 6$000
Porte ao eorreio por tres mezes. 0750




t:* -*?N

SEGUNDA FEIRA 18 D JLHO DE 1864.

Por amo ad'aitado.....19$00O
Porte ao eorreio por om anno 300U
tNCARRKGADOS LA SUBSCRIPgO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandriao de Lima
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva Aracatv,
Sr.A. de Leraos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oiiveira; Maranhao, o Sr. Joaqun) Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
tnazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgO NO SUL-
PARTIDA DOS K3TAFETAS.
Oinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanaa e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Aniao, Gravata, Bezerros, Bonito, Caruaru'
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira
EPHEMERIDES DO MEZ DE JULHO.
3 La nova as 10 h., S m. e 13 s. da m.
i2 Quarto cresc. a 1 h., 2f> m. e 14 s. da m.
19 La cheia as 4 h., lo m. e 14 s. da m.
23 Quarto miug. as 6 h., 26 m. e 8 s. da I.
PREAMAR DE HOJK.
rr
Sennhae...,
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas eiras.1
Alagas, o Sr. Claudino Faicao Dias; Bahia, o I Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sabir)
. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-1 navio. i Pnmoira as 2 horas e 'i minutos da tarde.
Todos os estafetas partem ao Vi dia. /Segunda as .3 horas e 18 minutos da manba.
riera Martins Gasparino.
PARTIDA DOS VAPORES COS'EUIOS.
Pra o su! at Aiagas a 5 e 23; par* o norte at
.""SR a 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
das 14 dos mezes dejan, marg.-, maio, ju!, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
o ,,a 5ecie : do Apipucos s 6 Vi, 7, 7 % 8 e
8 Vi da n^de Olmda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6 "/, da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemflca s 8 da m.
_ Do Rfe Para o Apipucos s 3 % 4, 4 /* 4 Va.
5, 5y>, o Vi e 6 da tarde; para Olinda s 7da
manaaa e 4 Vi da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cachang e Varzea s 4 >/, da tarde; para
Bemflca as 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBNAES DA CAPT/ i
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relago: tercas e sabbados s 10 horas.
Panuda: quinta., s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primoira vara do civel : tergas e sextas ao meio
dia. I
Segunda vara do civel: quarias e sabbados a 1 horal"? Rfieci,e9'em a livrar.ia da fra^a da ^^Bdenria
da tarde i^s. .6 e 8 dos propnetanos Manoel Ki^v.;iroj d;
das da semana.
18. Segunda. S. Rufino b. ;S. Frederiro !..
1!). Terca. S. Vrenle de Paula 8. urea v.
20. Quarta. S. Jeronymo Emiliano
21. Quinta. S. Heurique imperador.
22. Sexta. S. Maria Magdalena; S. Hendi ab.
2.. Sabbado. s. Apolinario b. m.; S. liboriob.
2'. Domingo. S. Francisco Solauo f.
ASSIGNA-SE
I Paria & Filho.
PARTE
GOVERNO DA PROYOCIA.
Espediente do dia 1 de jiinho de 1861.
Olllcioao Exm. Sr. l)r. Cincinato Pinto da Silva,
presidente da provincia de Sergipc. Aeeusando
recebido o ofcio de 21 de junho rindo, em que V.
Exc. me participa lia ver prestado juramento e en-
trado no exercicio do cargo de presidente dessa
provincia, para o qual foi nomeado por carta im-
perial de 20 de abril ultimo, rumpre-me assegurar
V. Exc. que as suas ordena epreceitos, quer ten-1 leira de paquetes, mandem por disposirao do
mesmo lempo para que a rcmessa delles tenha
lugar boje, como recommendei em ollleio de 30 de
junlio ultimo.
Dito aos agentes da companhia brasileira de pa-
quetes vapor.Declaro Vmcs. que o trans-
porte mandado dar por portara de ."> do correnta
ao pratieo da costa Joo Autunus da Silveira de ve
ser para a provincia do Para e nao para a do Ma-
ranhao corno est declarado em dita portara.
Commonicou-se ao commandante do vapor Bebe-
tibe.
Dito aos mesmos. Podem Vmcs. fazer seguir
para os portos do norte o vapor Paran, amanha
a hora indicada em seu officio desta data.
Portara. Os Srs. agentes da companhia hrasi-
e proprielarios do lugar da Torre
. acerca da eolio- so, em que os homens distinctos e de mcrecimen-
cavaoaopaiol do plvora nacjuelle lugar, somos tos sao po>ios a
Ue opiniao que na verdade ticonvenientlssimo
mediante
._ se-
te esiabelecimento no meio de habitacocs.
Lembramos, porem, um excellente lugar onde' po-
da ser collocado dito
plvora da provincia.
margem, para darem lugar aos es-
peculadores polticos; cm que os homens bons,
honestos e de sa consciencia sao perseguidos e
maltratados, os perversos, os ladroes c assassinos
paiol e todo o deposito de elevados em grande escala aos poslos, s honras, e
fcste lugar e a ilha de Santo as dignidades mais importantes.
Aleixo situada aosul desta provincia. E' um lu- : Esta redexo, senhores redactores, acode ao es-
F.?l de ,oda ? qual.'ju?r perturbacao, e unto ptrJtoUe todos os que attentam com olhos despre-
vinnlos sem odio, nem afieigo para esta triste e
dam ao servico publico, quer ao seu particular,
ei a o strita e lielmente executadas.
Dito ao Exm. presidente da provincia de Goyaz.
Com o officio de V. Exc. de 18 de maio ultimo,
reeabi dous exemplares do relatoro com que o
Exc. Sr. Jos Vieira Couto de Magalhes passou
V. Exc. a adminislrago dessa provincia.
Dito ao presidente da provincia do Matto-Grosso.
liecebi com o officio de V. Exc. de 8 de abril ul-
timo dous exemplares do relatoro que o conse-
Iheiro llerculano Ferreira Penna apresentou _
assembla legislativa dessa provincia por occasiao
de sua oslallago no dia 3 de maio de 1862.
Ditoao conselheiropresidente da relacao.Trans-
miti V. Exc. o incluso officio que llie dirigido
pelo Exm. conselheiro presidente do supremo ti i-
bunal de juslica comas portaras de que nelle so
faz mensao.
Diloao commandante das armas- interino Res-
pondo ao officio desse cemmando n. 1141) de 28 de
junho ullimo, declarando V. S. que o inspector
da ihesouraria de (azenda j habilitou o collector
da villa de Pao d'Alho, como me participou em of-
ficio desta data, com os fundos necessarios para oc-
desembargador Antonio de Barros Vscoccllos,
no vapor Paran at o Maranhao duas passagens
de estado, sendo urna de r e oulra de proa.
Dita. presidente da provincia, attendendo ao
que requereu o Lacharel Maximiano Francisco
Duarte, resol ve prorogar por 3 mer.es, o prazo de
igual lempo que Ihe foi concedido para apresentar
a sua carta de juiz municipal e de orphos do ter-
mo de Pao d'Alho. -Communicou-se a thesouraria
de fazenda.
Dita.O presidente d3 provincia, tendo em vis-
ta as informacoes do inspector da thesouraria de
fazenda e da alfandega desta cidade, datadas de
12 do crrenle, resol ve conceder ao chefe da se-
gunda seceao da mesma alfandega, Jacome Geral-
do Maria Luinachi de Mello, 3 mezes de licenca
com qnatro quintas partes do respectivo ordena-
do para ir corte tratar de seus negocios.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu o pralieaule da thesouraria de fa-
zenda, Antonio Aprigio da Cunha Macel, o tendo
em vista a informacao do respectivo inspector, da-
tada de 12 do correnle, resol ve conceder-lhe tres
mezes de licenga com ordenado para tratar de
sua sade frada capital.
do dia 1 i
de temores e receios. Pode-se edificar dito paiol e
depsitos com pequeas despezas e com solidez,
pela facildade que existe naquella localidad*, nao
so de grande abundancia de pedras, como tamben)
de cal. A edificado pode ser feita de pedras la-
vradas, empregando-se na obra os prisioneiros da
casa de detenga, j cantos, ja carapinas e j pe-
dreiros, etc., e mesmo os que nao lem offlcios como
serventes. Assim leu-s urna obra solida e de Ion
ralidade, ecusa a crer que um bidiarel fosse della
o principal agente \
Pedimos, entretanto, a quem competir, que tome
conhecimenlo desse monstruosissimo facto, dessa
sentenea nullissima, e que assim arranque esse
infeliz Caetano do captiveiro, em que se acha, sen-
do inquestionavelmenle livre, embora ja vendido,
nao se sabe para onde, por 1:2005, segundo dizem
liaptisou-se Caetano a 2i de dezeuibro de 1833, na
capella do povoado de S. Jo- desta freguezia, sen-
do baplsante o padre Joaqaun Manoel Correa e
Silva, e padrinhos Francisco Nogueira de lrito e
Leandra Nogueira dos Santos.
Os bois do finado capilo-mr Joaquim Manoel
Carneiro da Cunda sao o seu melhor patrimonio ;
desi "soladora actualidade. Parece que urna ter-
rivel fatalidade pesa sobre esta infeliz trra da San-
la Cruz.
Os homens, que dirigern o limab do estado fazem
timbre de violar todas as regras do decoro e da .
decencia, chamando para os cargos da administra-' j la se vo quatro, c estes sao os que se haver elle
: gao a verdadeiros reos de polica. Nesta provincia morto. Quasi todos os creadores de gado deste
pa ilunein nnr mQi, i, .-.. --..-.. esse timbre tem ebegado ao maior requinte, sal- termo e suasimmediacdes solTrem continuos assal-
Rrre e tiESL ridr- que "S,a"* *a vas.h1'rsas. s rar.ssimas excepgoes, e com es- tos do subdelegado Severino : que o d.gam os Srs.
SS J operarios pagos por grandes peciahdade no tocante a polica as nomeacSes re- Jos do Prado Xavier, Joao Parlado e moilos ou-
1 lp'. canem de preferencia nos criminosos e scelera- tros.
c Jixistem na casa de delengao trabalhando as i tos. n exercicio de lulAlAiradn ipi i.Ia m-> r.ni.
officnas, como fez sentir ^ministrador no seu : Com estas reflexoes passarei a oceupar-me deste InexSf VtSSSS^
re aiono ao enere de polica, diversos operarios | termo de Ingazeira no tocante as autoridades poli-, E' o cabo de patruiha de seu di-mo cunbao o
rETre rtmi? -S P"1**0'". melh4or .ciaes ede Preferencia com o subdelegado, o Sr. Se- delegado de polica Laurentino de Vasconcelos Ca-
crimino^ n,,rm^f,o'.ina0 -d're'"0S "*&**? ^eri?0.de Alraeida Padza- cuJa admlnislracSo po- laga rito para lodas as del.gencias dentro e fra
criminos, porem aquelles cojas penas sao de al-: licial ama vergonha para quem o nomeou, urna de seu dislricto. Logo que corre qualqucr noticia
guns annos ou mezes Je prisao, para que fossem calamidade para os cidados, que sao obngados a J
lialjalbar em dita iltia nao s na factura de dito residir no territorio deste mesmo termo,
paiol e depsitos, como mesmo em lavrar pedras Oecupar-me-hei depois com o delegado de poli-
para o caicamento desta cidade, vislo haver alli em cia, cunhado do subdelegado, deste homem analplia-
grande quantidade e da melhor (ualidade possivel, beto, proleUrio, e de perversos instinctos, instru-
Mnoo^desiarte ficar o calgamento muilo mais ba-! ment cgo dos Srs. Vicente Ferreira Lima e do
de seu dislricto.
de haver algum individuo commetUdoqualquer de-
licio, la val o nosso subdelegado ter-se com o indi-
ciado criminiso com todo o seu cortejo de tropas,
arranja-se logo por l e manda-o ter-se com o ad-
procurando tirar a limpo sua estragada e horrrv
chronica, munindo-se de alguna docnmeolos.
E quando sabedor,dito o mesmo sobdele^ >d
! e na noito de 3 para 4 de marco foi com urna p ,
jlrulhade 30 pragas, cercou-lhe a casa, manda de-
parar una arma na port e grilou : Sr. Mem
comigo na porta...
Meumano nada disse,entregou-se aprisa '.dizen-
do-lhe o subdelegadoque vsse quem poda mais
que elle a ser remellido inmediatamente i>ara -
sa capital!
Recolludo meu mano cadeia, trataram de ti-
rar-lhc um proeesso por ter sido elle o en ledor
de urna mulalinha que ha mais de quinte ann
foi comprada em Taquaritinga, fN>r oiuro mea ma
no de nome Manoel, por 3005, a um tal Joao Pe
reir, dizendo-se ser forra essa mulalinha.
Meu mano Meno provou na i tertido parle algu-
ma na compra dessa mulatinta ; que n.io acompa
nbou meu mano Manoel Taquaritinga, quaodo a
eomprou que encarregou-se de a vender por ter
vollado esle do caminho, tendo partido ambos lem
pos depois para os serles de dentro, afim de com-
praren) gados, levando nessa occasiao meu man.
Manuel mais oulra escrava, comprada aqoi a Joio
Alves, e por ter vendido esta ultima em Flores a
troco delgados de agougue, c ver->e toreado a ven-
der o gado, foi e.-ta a causa de seguir esse meu
mano Meno a pedido de Maiinel.com a OOtracsera-
va para a vender, que s achon negocio por ella
yogado Jansen, eento vai ludo as mil inaravilhas. ; onde a venden, no Ponlal; que mesmo quando fos-
Tambem mandado a implorar o valimento doSr. \s,i frr;l a mencionada mulalinha, mesmo assim a
correr aos pagamentos do destacamento daquella
v,,'f: i lipidenle do secretario do noverno
Dito ao mesmo.Envo a V. S. os inclusos pro-i ... jj>,
cessos de conselho de guerra das pracas constantes m ue ,9 1^0,
da relagao junta, afim de que sejam'cumpridas as ",,no ao commandante das armas
de fra aclualraen'e que se manda vir a pedra bacharel Vicente Jansen da Lastro e Albuquerque ; | Vicente Ferreira Lima, e depois de o infeliz gastar boa f de meu mano Manoel c
[.: .. ... ^o**"8 *>em conhecdo no termo do Teixera, don-' dinheiro e licar reconliecendo a grande importan-' v patente pelo depoimenlo de todas as testemu-
-in.no- I5*0 vanlagem, e fazer os pri- de velo para aqui, da provincia da Parahvba do! cia deste, e jurar-lhe desde logo adherencia passiva' nbas.
sionuros, estarem em armis livre e saudavel, e Norte, que a seu respeito, repetidas vezes varios e a de todos aquelles que lhe pertencem, ento I Nada, porm, foi sulBciente, nao baviam provas,
aoqiiirirein amor ao trabalho, alm do lucro que [ jornaes daquella provincia tem patenteado os tris- enviado autoridade processante e esta debaixo meu mano devia ir a falta dellas para a ra, o que
uevem \ir a perceber, recebendo parte dos seus sa-; les, e lgubres episodios da negra historia de sua da insinuago do escrupuloso bacharel Jansen, ad- nao convinha, e quando menos se esperara, depois
" V despezas diarias, e aecumu- vida; isto Ihes fare conhecer ao publico, se que i vogado do reo, inceta o proeesso, que tem um cur- ^ mezes de oquirigao de tesiemunhas. urna lioje.
interino.
un irmiiiu ruiii. anu uo iiuc ariaui iuiii niuaj oj n ---- ----_
sentengas proferidas pelo conselho supremo mili- *l apacho desta dala au orisou-se o director
tar de jusliga nos mesmos processos. do arenal de ?aerr* 8"li8fr os dou5 P*"l<
Dito ao mesmo.-Expeca V. S. suas ordens afim d0 commandante do 9" batalhao de inlantaru a
de que a escolla de pracas* Toa caboqie vo: J"e allude os offlcios de V. S. ns. 1233 e 123 de
do termo de Caruaru', para onde havia ido condu- do correntc ; o que Ihe communieo de ordem
deb. Exc. o br. presidente da provincia.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Exc. o Sr. presidente da provincia, manda
rindo um criminoso em 23 de junho lindo, seja re-
J'urcada com mais 3 pracas, e regresse para alli,
onde dever demorarse at o encerramento da
sesso do jury, convocada para o Io de agosto pr-
ximo vindouro, como solicitouo Dr.chefe de poli-
ca em officio o. 820 de 12 deste mez, providen-
ciando V. S. para que o delegado daquelle termo
seja indemnisado da quantia de 55000. que adian-
tou referida escolla. Communicou-se ao Dr.
che-fe de polica. t
Dito ao mesmo. Transmillo V. S. para ter o
conveniente destino, a inclusa certido de assenla-
mento do alferes Joaquim Alves Feitosa, o qual
sendo do o- batalhao de infamara, foi transferido
para o 7U da mesma arma.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
transmittr V. S. as duas inclusas ordens do
dia em duplcala, sb ns. 30o e 406, expedidas
pela repartigao do ajudanle general.
Dito ao Dr. juiz de direito da 24 vara desta cida-
de.S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda
declarar V. S. que foi marcado pelo capillo do
porto o dia l do corrente, a fim de ter lugar a
reuniao do conselho para que foi V. S. designado
auditor por officio de hontem.
Despachos do dia i i de jullio de ISCi.
Ilequeritnenlos.
Antonio da Silva S Brrelo. Informe o Sr.
Dr. chefe de polica.
Major Francisco Martins Raposo. Nao tem lu-
gar o que requer.
landoaoutra parte para que quando venham a aind nao o conhecem.
completar o seu tempo de prisao, tt-nuam um meio Finalmente concluirei esta tambem, fazendo na-
de vida eerto para si e suas familias. tente o apoio, que essas autoridades lem enconlra-
tina outra vanlagem, poupar aos cofres pu- do no Dr. juiz de direito Joao Rodrigues Chaves,
micos a grande despeza que teem com o sustento e no inlulo de assim |K>der fazer triumphar em elei-
vestuano dos mesmos presos, que ganhando segn- goes aos preditos Vicente, e bacharel Jansen, j
do o seu trabalho por empreitada, estaro satisfei- com perseguigoes inauditas a uns e j com protec-
tos, porque recebem parte de seus salarios logo, e goes escandalosas a oulros.
coniam com a outra parte de reserva para quando Elle, juiz de direito, esta convencido da insgni-
se 'sentaren) da prisao. ficante roda, que tem esle Vicente e Jansen neste
:>os hstados-L nidos, assim se pratica, e o go-1 termo, nao encontrando apoio nos liberae.?, mas
\erno daqu.'llepaz tem tirado grandes vantageus I que preciso a Iodo transo assenhoriar-se dos 29
oo urna tal medida, regulando a ordem dos traba- eleitores, que da esta freguezia, para as futuras
eleigoes.
Vamos ao subdelegado.
Para que o publico fique bem inteirado, de quem
' Severino Jos d'Almeida Pedroza, refenrei, enlre
ios, marcando-se tantas horas por dia. Este,
presos podem trabalhar de dous dous encorrenta-
dos de modo que os nao prive de trabalhar, e cm
turmas de dez com urna sentinella em cada turma.
Sendo assim ordenado o trabalho, consequencia muitos os seguintes factos, que do a medida do seu
necessana as grandes vantagens, ja para os cofres valor e merecimento.
pblicos e ja finalmente para esses iufelizes senten- Em 1840, ou pouco depois, foi elle, capitaneando
ciados. i qua(ro salteadores casa do venerando anciao
Anda mais a ilha de Santo Aleixo de mais
so todo luaravilhoso, terminando com a completa
absolvigo do reo, que em taes casos a innocen-
cia pcrsonalisada.
Se, porem, o reo nao tem a seu favor todos es-
ses predicados, ento est inteiramenie perdido ;
nao ha para elle salvaco possivel. Atropella-se-o
de toda sorte, lem-se-o' na cada o tempo que se
quer. Esta entendido que isto s se da, com os
que se julgam innocentes, victimas de calumnias,
adrede^ inventadas para os fazer chegar reg,
visto nao quererem reconliecer aqui a importan-
cia ominosa e improvisada do Sr. Vicente Ferreira
Lima.
Tendo o delegado prendido a Antonio Uaplsta,
outra d'ahi a das, "etc., ahi vem a promogo da
promotoria requerendo a certido de baptisamento
da tal mulalinha, e o delegado diz qne v.ii mandar
procurar a tal certido por esses mundos '. Como
se entendem .'
De 1861 para c espalhou-se urna noticia aqu
de que Anglica, ( este o nome da mulatinhaj.
era livre. O chefe de polica o Dr. Araripc, man-
dou ao delegado, o tenente Malaguela, que pr ce-
desse s necessarias invesligacdes, das quaes re
sullou ficar a polica certa de que Anglica era es
era va,-e de que o actual senhor de Anglica a pos
suia como escrava de boa f.
Meu mano Meno por nenhum modo eslava nisso
octagenano, Florencio Alves da Silva, em lugar do
Carir) Velho, termo da villa Real deS. Joo, inva-
Visto que, segundo V. S. declarou em sua infor-
maco n. 352, de 11 do corrente, nao ha inconve- .
mente em serem pagos de seus vencimentos pelo I Franklim Clmaco Pereira de Souza. Requeira
almoxarfado do presidio de Fernando, os offlcias; assembla legislativa provincial,
que alli se acham destacados, fica V. S. aulorisa- j los Vieira de Mello.Marrando a lei do orea-
do a providenciar convenientemente para que as-' ment vigente quot.i para edilicago de casas das
sim se pratique, a contar do Io do mez corrente > barreiras, nao tem lugar o que requer o suppli-
>ni diante, augmentando-se para esse fim as re- j cante.
messas de dinheiro para o mesmo presidio, que Joiio Patricio de Oiiveira. A'vista da informa-
devem ser feitas regularmente por trimestre.Fi-' gao nao tem lugar,
zeram-se as necessarias communicagoes. Bacharel Maximiano Francisco Duarte.Passe
Dito ao mesmo. Ao 2o crurgio do corpo de portara prorogamlo por 3 mezes.
sade, Dr. Alcebiades Jos de Azevedo Pedra, que Maximino da Silva Gusnio. Nesta data se ex-
tem de seguir para a provincia de S. Pedro doSul, pede ordem thesouraria provincial no sentido
mande V. S. ajustar contas at o fim do mez cor-; que pede o supplicante.
rente e passar guia de soccorrimi-nto.Officiou-se Maria do Espirito Santo Bezerra. luforme o
aos agentes da companhia brasileira de paquetes Sr. director do arsenal de guerra,
para mandaren) dar transporte no vapor que se
opera do norte e communicou-se ao commandan-:
dante das armas interino
Dito ao mesmo.Mande V. S. ajustar contas at
o lim do mez corrente, e passar guia de recebi-
inenlo ao alferes Julio Augusto Carlos da Silva.
que devo seguir para a corte no vapor que se es- j
pera do norie, por ter sido transferido do 2 para o:
6o batalhao de infamara.lfandoa-se-lhe dar pas>!
sagem e communicou-se ao commandante das ar-
mas interino.
mogo perteneerile a poltica decahida, para o recru- envolvido, pois a compra fra feita por meu mano
lamento, e procurado seus prenles solalo, mos- Manoel. Entretanto, o facanhudo delegado para dar
Irando sua isengo para o servico de 1* lnha, jus- urna desforra a seu cunhado, o subdelegado Seve-
tificando ser elle o filho mais veho de urna vuva i rio, calcando a lei aos ps, encontrando apoio em
Sunquagenaria, e que era o nico arrimo, nao s quem o devia coagir a ser mrnos arbitran i e -
esta, como de dez irmos menores, nao quiz o de- candaloso. zomba de tudo. Nao quizemos voltar
legado attender a isto; entretanto que o subdele- ao Sr. juiz de direito com mais queixa alguma con-
. gado Severino pedir 4005 em urna carta pela sol- ira semelnantes autoridades, ja porque nada adan
prompta commumeagao do que a Torre, porque, por Cano Velho, termo da villa Real de S. Joo, ova-'tura do mesmo recruta carta que a pode obter 'tariamos, e pelo contrario se nos augmentara a
atu passam os vapores costeiros tres vezes por mez : dira-a com mais de rite pequeos ferimentos com Luiz Bernardo, tio do recruta, dizendo ao predito perseguico, e j por que elle declama formalmen-
adouro excellente podendo entrar i fa.'a de uont.i. ohrigou o valho a enirogar-lho todo subdelenado, quando soube que elle estipulara esta i" a meu irino natural Francisco, portador da
por maior que seja, e barcagas, o dmaeiro, obras de prata e outros objectos precl- quantia pela soltura de Baptista, que era para a queixa dada contra o delegado por meu man-j M'
I so^i Qie lnha, eretirou-se com o roubo, refugian- poder obter pelos seus prenles. Depois, condecen- i no, lodo enfadado que nao voltasse mais peranle
Fa>sageiro da barca nacional Norma, sahida do-se em casa de meu sogro, Manoel Ferreira da do elle subdelegado o lago em que cahira, ajunlou elle com queixas I
aucisco Alves Costa, e d'alli fugio para o rio do Peixe, onde este- aqui urna patruiha, foi ao dislricto de S. Jos com Pois bem, supportaremos tudo, c de
ve e em outras partes perto de dous annos. A seu cunhado, o delegado, andaram com o Luiz Ber-
honradaniulher foi a casa do velho Florencia pe- nardo de Heredes para Pilatos era prbo para en-
dirjierdo para o mando, e nessa occasiao levou- tregar a fatal carta, ameagando-o, o subdelegado,
Ihe um copo de prala e oulros objectos dos rouba- com um formidavel estoque, do qual insepara
qualquer
etc.
barco
Lardoso.
Passageiros do hiate brasileiro Santa .Una,
sabido para o Aracaty : Arsenio Nogueira de
Lucena. Manoel Vicente Coliare, Fernando Deo-
daio Collares, Jos Caetano Freires, Francisco
Joaquim Nogueira e Jos Concalves Malvcira.
h je em
recurso, que-
dos.
Em 1854
assassinou na povoaco de S. Jos a
Passageiros vindos do Aracaju' no vapor na-! Flix Turto, sendo acompanhado para isso por Joo
cional P'sinumjn
Joaquim Pedro da Costa Moreira e I criado, Jos
Domingucs 6. Torres, Manoel Duarte Vieira J-
nior, Adelaide l'uibelina D. G., Francisco Salles
de tirito Menezes, Jos Cirios de Mello e 1 filho,
Antonio Gomes, Belino Alexandrino Basto da Sil-
va, Firmno Candido Figueiredo e Jos Nogueira
de Britfi Sohrinho.
Passageiro sabido para a Baha no hiato na-
cional Dous limaos : Francisco de Paula Pereira.
Movimento da casa de detencoo no dia 15 de
julho de 181)4.
RSYISTA DIARIA.
Exisliara .
Entraran).
35it presos.
No exame a que procedeu a thesouraria de
fazenda as sedulas de 55000, papel branco, ap-
prehendidas a Joo Manoel Rodrigues, taberneiro
Dito ao mesmo. Para os convenientes exames I na ra das Cruzes n. 3'J, da quinta estampa e quin-
ta serie, cura as a-signaturas de Joaquim Jos de
Noronha, Jos Bernardo Simoes
tran-miito a V. S. a inclusa copia da acta do con
selho administrativo do arsenal de guerra de 30 de
junho prximo passado.
Dito ao mesmo.- Em vista di inclusa coma cm
duplcala, e nao havendo inconveniente, mande V.
S. pagar a Manoel Figueira de Faria \ Filho, con-
forme solictou o capilao do porto em officio de
hontem, sob n. 75, a quantia de 1802000, prove-
niente da impresso e encadernagao de 12 ivros,
sendo 10 para o registro de matrculas e 2 para
ose Bernardo Simoes e Francisco Jos
Moreira de Carvallio, reconheceu-se serem falsas
pela seguintes cin-umstancias :
S r o papel mais claro, ter mais corpo c indicar
ler sido fabricado com porgo de algodao ou outra
materia semelhante.
Menos al vas, mais clara a estampa, ler urn risco
vsivel que corta o emblema, sobresahindo um I ido
a outro.
Sahiram...... 11
Exislcra...... 351
A saber :
Nacionaes..... 25(1
Estrangeiros... 25
Mulheres...... 10
Estrangeiras .. 1
Escravos ...... 52
Escravas...... i
recibos das multa';, que se recolhem ao cofre da- Conhece-se que as letras d'agna onde se l a
quella capitana, Commonicou-sc ao capilo do palavra Nacional ,
da thesouraria provincial.
s ilicilou Maximino da Silva '
. parte da letra N principia
no desenlio em que esta escripto o algarismo 5,
no enlanto que as verdadeiras est separada.
Anda por ser a numerago grosseiramentc ca-
Gusmo no reqiierimento sobre que versa a sua rimbada com tinta muilo mais pn-ta do que as
informacao de 0 do corrente, sbn. 271, recom- verdadeiras.
mondo V. S. que de conformidade com o artigo Finalmente por ter o busto de S. M. I. menos
55 da le provincial n 596, de 13 de maio ultimo, assombreado e.mperfeiin.
<1
porto.
Dito ao inspector
Attendendo ao que
mande considerar rescindid) desde j o contrato
celebrado pelo supplicante nesta repartigao, rela-
tivamente ao imposto de 25500 por cabeca de gado
vaceum consumida no munieipio de Iguarass, o
qual continuar a ser cobrado pila respectiva col-
lectora, conform indicara o procurador fiscal c a
contadoria dessa thesouraria nos pareceres que
vieram annexos a sua citada informacao, al que
seja novamente arrematado.
Dito ao mesmo.Devolvo V. S. o requprmen-
to documentado sobre que versa a sua informago
Healisou-se sabbado o concert da senhora
D. Margarida Verdini, no salo da Cunjbantina,
com boa concurrencia.
A senhora Verdini tem una bella voz, e agr-
don bastante, principalmente na r 'a Diva que
cantou com mestria.
Segu boje para a corte o Exm. Sr. briga-
dero Solidonio Jos Antonio Pereira do Lago, que.
por muitos annos, rommandou as armas em nossa
provincia.
Durante o lempo de exercicio, o Exm. Sr. bri-
3o l
Alimentados a custa dos cofres pblicos...
Movimento da enfermara no dia 17 de julho
de 1864.
Teve baxa:
Vicente de Souza Ferreira Lima ; bronchite.
Tiveram alta :
Luiz Florencio Pereira Braga.
Joo Olegario da Paz.
UiirruAitio do da 15 de julho no ckmiterio
FABUCO :
Joaquina Maria da Conceicao, Pernambuco, 60 an-
nos, vuva. Boa-Vista ; intente chronica.
Frederico Ruiggc, Allemanha, 58 annos, solteiro,
Itecifd ; apoplexia fulminante.
Edetrndes Nobre de Almeida, Pernambuco, 10 an-
nos, S. Jos ; interite.
Manoel, Pernambuco, 4 mezes, Boa-Vista ; gastro
hepatite.
Flix, Pernambuco, 2 mezes, Santo Antonio; tu-
mor.
Mximo e por um tal Manoel Velho. Poi proces-
sado por este crime, mas, por influencia dos pren-
les, foi despronunciado por falta de provas.
Por esse mesmo tempo, poz urna emboscada para
assassinar ao carpina Candido de tal, morador nc
riacho do Meio, e s por una casualidade deixou
de lograr o seu intento, pois Candido tomou outro
caminho para sua casa.
Na ladera d'Anta, desle termo, espancou horri-
velmente a um pobre homem de nome Candido,
por alcunha o Caixo, depois de o haver amarrado
por mais de um dia, e l-lo-hia morto, se nao fra
protegido por um de seus capanga*. Este infeliz
mora presentemente em casa do Sr. Jos do Prado
Xavier.
yel, de arrancar-lhe os bofes com elle pela boca,
isto em pleno dia no meio da povoaco, se nao Ihe
cntregasse a carta I Passados dias fi sollo Anto-
nio Baptista, que esteva mais de mez na prisao,
por que mettendo-se de permeio neste negocio o
subdelegado daquella povoaco, pode obter a carta
a troca da soltura de Baptista I
Agora, Srs. redactores, chamo attenco do go-
verno de meu paiz para o facto escandaloso, da
maiorarbitrariedade.o mais revoltante que pde.sof-
frer um cidado, que vive em um paiz constitucio-
nal, como o nosso, e principalmente nesia decan-
tada era do irojir.ssd.
Meu mano, Meno Francisco Nogueira, acha-se
rccolhido a cada desta villa desde o da 4 de
margo do corrente anno, e at boje 6 de julho lem
sido baldadas todas as deligcncias, que ha felo
para que Ihe ultimen) o proeesso, nao lendo sido
possivel sabir das mosdo delegado de polica, que
de hontem, sb n. 281", a fim de que, segundo o gadeiro Solidonio procurou sempre melhorar a
parecer da contadoria desta thesouraria, mande! sorte dos seus subordinados, j adocando, com
pagar a I). Idalina de Siqueira da Costa Menezes, 'equidade, os seus castigos, e j promovendo, com
a quantia de 1460666, que flcoa-se a dever a seu : instancia, os seus premios,
fallecido marido, bacharel Jos taymundo da Cos- Apesar das quadras eleitoraes que attravessou,
ta Menezes, proveniente do seu ordenado vencido'o Exm. Sr. brigadeiro Solidonio, deixa amigos em
desde o 1 at 14 de abril ultimo, como lente de j todas as classes e em todos os credos polticos,
philosophia do Gymnsio provincial, devendo_V. j Dosejamos-lhe prospera viagem, e que, ao che-
COMMMICASQS.
S. para isso exigir autorisagao do juiz de orphos
desta capital, como indica em sua citada informa-
cao.
Dito ao desembargador Jos Ignacio Accyoli de
Vasconcellos. Da communicago da direcloria
geral da secretaria de estado dos negocios da jus
tiga, de 30 de junho ultimo, consta que por decre-
to de 18 do mesmo mez, houve S. M. o Imperador
por bem nomear V. S. para o lagar de fiscal do
tribunal do commercio desta provincia, o que Ihe
communieo para seu conhecimento. Fizeram-se
as oatras communicagoes.
Dilo ao capillo do porto. Fago apresentar V.
S. o recruta de marinha, Salvador Gomes dos San-
tos a fim de que Ihe d o conveniente destino de-
pois de inspeccienado. Communicou-se ao Dr.
chefe de polica.
Dito ao director do arsenal de guerra.Forne-
ca V. S. ao administrador da casa de detengan 25
canecos de madeira com aros de ferro, e de 17
18 polegadas de altura, bem como igual numero
de tinas da mesma qualidade com 16 polegadas
de dimetro, apresentando-me a conta dessa des-
peza para ser indemnisada pela thesouraria pro-
vincial. Communicon-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao juiz municipal da 1" vara desta cidade.
__Envie-me Vmc. sera demora as guias dos sen-
tenciados que devera seguir para o presidio de
Fernando no vapor Parahyba, providenciando ao
gar a corte, veja aquilatados devidamente seus
servigos.
Accedendo pedidos de alguns negociantes
de nossa praga, o Sr. gerente interino da Compa-
nhia Pernambucana pretende mandar um dos va-
pores da companhfa Parahyba, por occasiao da
fesla de N. S. das Neves, a qual deve ter lugar
7 do mez de agosto.
A viagem, porm, cffectuar-se-ha smente, se '
houver numero snfflcienle de passageiros, devendo
a partida ser na larde do da 4, e a volta no dia
8 do mesmo mez.
As pessoas que desejarem ir aquella cidade,
podem aprovetar essa occasiao, que a mais op-
portuna, e devem inscrever seus nomes at o da
30 do corrente, no escriptorio da companhia no
Forte do Mallos, para definitivamente annunciar-se
a partida.
Os religiosos Carmelitas festejaran) sabbado
sua padroeira, com a pompa e brilhantismo que
aonuncamos.
A' noute houve grande concurrencia igreja, ;
que esteve eompletamenie cheia.
Hoje o vigesimo-terceiro anniversario da
coroagao e sagrago de S. M. I. o Senhor D. Pe- j
dro II. i
Remettem-nos o seguinte :
Vendo nos na sua Revista Diaria de 29 de
abril prximo passado, reclamag5es dos habitantes'
0 partido conservador.
A verdade tem urna forga incomprehensivel!
Por mais que o espirito do erro, e da m f tente
oascurec-la, o seu esplendor so faz cada voz mais
lucido e brilhante.
O partido conservador apresenta dislo o mais
esplendido testemunho. Seus injustos adversarios
nao cessaram nunca de calumniar suas intengoes,
seus actos, e suas pralicas administrativas. Veio
a not'rt era com todas as suas grimagas de pro-
gressr, e adiantamento social : desmontoa, e des-
mantelloa tudo ; assumio a direcgo dos pblicos
negocios, sem obstculo, nem freio : que lem re-
sultado? Nada, absolutamente nada, alm da anar-
chia em que est esle pobre paiz I
A cmara dos deputados offerece o espectculo
mais triste I De seu seio l se erguem vozes,
como as do Sr. Silveira Lobo, para estigmalisarem
o ministerio, dizendo que os ministerios conserva-
dores nunca ohegaram ao ponto de abusos a que
ha tocado o ministerio actual I isto na bocea de
um liberal distincto, como o Sr. Silveira Lobo,
a mator apologa do partido conservador I
Dos escreve o direito por linhas tortas-----
Z.
CORRESPONDENCIAS.
Sis. redactores.Grandes e graves eram de cer*
to as nossas culpas, para que Deus nos dsse por
castigo este incomportavel flagello do falso p>-ojrcs-
No lempo em que era delegado deste termo o .
lenente-coronel Joo do Prado Ferreira, passando Ja mquerio lo lesleniunhas! !
este a altas horas da noite por junto da igreja ma-; Meumano qneixou-se ha mais de dous mezes
triz, e precentindo que dentro havia gente, ajunlou] ao Dr. juiz de direito, o Sr. Joo Rodrigues Cha-
ca toda pressa algumas pessoas, collocou em cada
porta da igreja urna, Picando elle em urna outra a
mais occulla, que ha na sacrystia, e depois de mui-
lo tempo, foi-se ter com as pessoas, que estavam
as outras portas, mandndoos retirar, dizendo
que, quem eslava dentro da igreja se havia evadi-
do pela loria, para onde fra elle delegado, antes
de sua chegada, pois a achara abrla, o que foi ve-1
rilicado pelas outras pessoas. o certo que no ou-,
tro dia espalhou-se o boato de ser o nosso actual
subdelegado Pedroza, quem eslava tratando de fa-;
zer viagem com a nossa bella lampada de prala,
que custou, supponho que 1:000000, que o dele-!
gado o encontrara, e o deixara ir-se. Era o mari-
do de sua sobrinha legitima. No dia seguinte o vi-1
gario tomou a jirecaugo de guardar a alampada
em sua casa.
ves, de to arbitrario procedimenlo do delegado, e|
em relribuicao de tanta ousadia de dito meu mano,
e comquanto fosse arrancado dalii a us quinze
dias o proeesso para ser remedido a promotoria.
esla cntendeu que devia requerer urna certido, j
onde fosse encontrada em alguma freguezia do |
Brasil, e quando voltou o proeesso ao delegado,
assumio-lhe um riso diablico aos labios, e depois
de ler a promogo da promotoria, disse : agora
que t-mos pannos para as mangas I..
De feito, conlinuou meu mano preso sem se
adiar esse monstruoso proeesso, que s lera lim
quando o Sr. delegado quizer E' em um paiz re-
gido pela constituigo que temos, que isto se da,
repetimos, no dominio do progresso 1... E' muilo
zombar onde iremos parar !
Vou narrar-Ibes, Srs. redactares, tudo quanto ha
occorrido para a prisao de meu mano, qual a ori-
I irou a forga um menino forro de 6 para 7 an- gem verdadeira della, e que esta no dominio de to-
nos de idade, da casa para onde fra engetado, e jos deste termo
?"DilU;,d,!'e"dll;i?i0"^ Em das do mez de dezembro aqu esteve Jos
sem comludo apresentar papel de comqra nem bi-
Ihelc de meia siza. Foi por isso processado, mas'
ainda pode eximir-se desta vez justa punigo des-
16 crime pela influencia de seus prenles. E sob
ter Picado impune, anda propoz una cgo de es-
cravidao ao menino, que se chama Caetano, e tudo
se arranjou de modo que venecu a queslo, lendo
por advogado o bacharel Jansen, que tambem foi
juiz e curador, dando copias de tudo quanto de-
viarn elles fazer. O infeliz Caetano flcou indefezo
completamente expellindo-se at de ser seu cura-
dor, quem alguma cousa podia procurar a seu be-
neficio, como fosse o capito Umbelino Francisco
Nogueira de Carvalho, que era .ento curador ge-
ral, e nessa occasiao foi nomeado outro, embora
elle se apresentasse em audiencia para semelhante
fim!
Estova, entretanto, nesse tempo para chegar
aqui o anual Dr. juiz municipal, em virtude do
que aceleraran! o andadfento dessa monstruosa
queslo, passando o juiz supplenle que nella figu-
rava a dar duas audiencias por semana, e conclui-
rn) antes da chegada do mencionado Dr.
Releva anda notar que esse juiz supplente foi o
mesmo que despronuncou Severino no proeesso de
reduzir escravido o infeliz Caetano, allegando
na sentenga da demanda os mesmos fundamentos
allegados na despronunciade ser Caetano escra-
vo de Sevtrino !
E, entretanto, ha provas irrecusaveis da liber-
dade de Caetano, o seu assenlo de baptismo, de
que tenho certido em meu poder. Alm do que,
nao se sabe mesmo com que ttulos apresentou-se
Severino em juizo, propondo a acgo de escravi-
do a Caetano, por que, alm de ser elle engeitado,
como ja disse, e embora dissessem ser filho de
urna escrava de Geraldo Vieira, este nao o vendeu
a Severino, como disse qne nao o venda, pois nao
sabia se era filho de sua escrava. Morlo porm Ge-
raldo, apparece Severino propondo a acgo dita,
oblendo, como j cima mencionamos, a mais ini-
qua, revoltante e escandalosa sentenga sen favor!
Posso asseverar-lhes, Srs. redactores, que nao
se encontrar certaraente, em foro algum do nosso
paiz um caso semelhante I o requinte da iramo-
aqui
Antouio da Silva, morador em Santa Cruz do ter-
mo do Limoeiro, e com Manoel de Tal, morador no
Curato do Bom-Jardim, negociantes que andavam
comprando algodao, e tendo eu vendido ao primei-
ro um cavado, e por isto lido relages com elle, e
dizendo-ine que havia comprado urna carga de la
ao subdelegado Severino, que lh'a havia offerecido,
bem como Manoel havia comprado ao mesmo
upportaremos tudo, c
diante iremos recorrendo ao ultimo
nos restaa imprensa.
O Sr. Dr juiz de direito quer por fas OU por ne-
fas dar aqui a direcgo dos negocios pblicos
Sr. Vicente Ferreira Lima e ao bacharel Jansen,
homens sem roda ueste lugar, e que a cu-ta da p
licia as mos de seus cegos instrumentos, a qoe-
rein adquirir fazendo com ella o mai> infame
O bacharel Jansen, senhores redactores, om ro-
lo desacreditado aqu, e em toda a parte onde
conbecido, um caloteiro de primeiia plana ; que
o digam os senhores professor Antonio de Souza.
lenente-coronel Francisco Miguel de Siqueira
oulros a respeito desta ultima qualidade do predito
bacharel.
Fagam, por tanto. VV. SS. idea do que nao fara
um semelhante advogado, sem conscienria de sua nobre prol'nsso, dirigindo uns brutos .1
mns instinctos, como sao o delegado e seu cunta
do Severino subdelegado, recebendo tambem plan -
do perversissimo Vicente Ferreira Lima ?! Vai tu-
do o diabo, nao se pode dizer, sob pena de n*, -e
ser crido, s vendo, senhores redactores.... N
anno de 1864, poca dos luz-'iros dos trinm\ /(* dm
liberdades, nao possivel acredilar-se, repelimos,
que se deein os monstruosos abusos. '|ue qua-i quo-
tidianamente pralicam estas duas autori lades -
delegado de polica e seu cunhado o subdeleg id
Severino Jos de Almeida l'cdrozi, neste infeliz
terreno de Ingazeira, comarca de Paje de Flore.
sendo juiz de direito o Sr. Dr. Rodrigues Chaves!
Breve, senhores redactores, lerei de rollar as
columnas de seu jornal, e ento estampare! nella;
ainda, um dcimo do que tinha a dizer dessa g .
e mais de alguem.
Por ora basta.
Villa de Ingazeira, 6 de judio de 1864.
Anastacio Jos taguara.
PUBLICigOES A PEDIDO.
Constando pelo Diario de Pernambuco de 21 do
passado a remogo do muilo digno juiz de direito
o lllm. Sr. Dr. Victorino do Reg Toscano Brrelo.
no momento em que S. S. est a partir para a co-
marca de Mamanguape, sen novo destino, os abai-
xoassgnados sobremodo penhorados pelas maoei-
ras polidas e summamente delicadas de to di<-
tincto cavalleiro, vem do alto da imprensa e do
mais intimo de suas consciencias render-lhe um
voto de eterna gratido c profunda homenagem.
Deseinpenhando esse dever, que reputan) sagrado.
os abaixo assignados nao receiam assegurar que
outra, ambas para serem recebidas quando elles! fallan) em nome de toda comarca e em nome de
voltassem, pois iam al mais cima dispr o nego-
cio que traziam, e comprar mais la, eu disse-lhe
e meu mano que tinham obrado mal, que o subde-
legado nao tinha la, c que elles jamis a recebe-
riam, e seriam muito felizes se depois de muilo
trabalho, recebessem o dinheiro que baviam dado.
De facto, embora se espalhasse essa nossa Infor-
mago, e da qual fosse Severino della sabedor, e
protcslasse desde logo perseguir-nos (o que tem
cumpndo) o que havamos dilo realisou-se fiel-
mente. Andaram a toa aqui os taes compradores
de la, depois que chegaram, e depois de inaudi-
tos trabalhos pode um conseguir o dinheiro, eo
outro, o Jos Antonio, parte, e foi-se vendendo azei-
le s caadas, e dizem que vender 453 que Ihe li-
cra restando o nosso subdelegado, por 5 I
Qoiz ainda chama-lo juizo ; porm havendo
pessoa prudente que o aconselhou, fazendo-lhe ver
seria improflcuo e mesmo perigoso para elle Jos
Antonio, semelhante queslo, pelo que deixou-se
disto e retirou-se.
Ficou entretanto o subdelegado em vista com-
nosco, e para logo prende para o recrutamento o
vaqueiro de meu mano Meno, e indo este a villa,
afim de ver se o podia soltar, foi tambem preso, e
no outro dia foram ambos soltos, sem mais satis-
fagan alguma I Satisfez-se desta vez o subdelegado
com pouco.
Sahindo meu mano da prisao, justamente indig-
nado contra um ente to despresivel como o sub-
delegado Severino, meu man, que em toda sua
vida nunca softreu prisao alguma, um homem que
tem sido sempre respeitado de todos pelo sea viver
honesto e retirado, entregue lao. soraente as suas
oceupagoes, tr,atou de mostrar ao Exm. Sr. prest-
dente da provincia, quem era este subdelegado,
todas as far.goes polticas, que a compe. E lo
convencidos se acham dessa verdade que nao te-
men) que os contesten). E nem de outro modo
poda ser.
O homem, que no desempenho das altas fuor-
ges de juiz soube sempre elevar-se a toda altura
de sua misso; o magistrado integro, que honran-
do a toga que traja procurou sempre deslnbuir
juslica com a mais escrupulosa imparrialidade : o
cidado honesto e excdeme pai de familia nao po-
dia deixar de conquistar as sympalhias e applau-
sos de urna populago morahsada e apreciadora do
verdadeiro mrito.
Os habitantes da comarca de Nazareth procla-
mando bem alto as qualidade.* desse distincto ma-
gistrado, alm da satisfago intima, que aps de si
deixa o cumprimento de um dever, acham-se ain-
da dominados de um outro sentimenlo nao menos
nobre : tal fazer conhecer ao paiz e i S. H. o
Imperador, um nome, que, cortamente urna das
gloras da magistratura brasileira.
Prosiga, pois, o Sr. Dr. Toscano Rarrelo na ar-
dua e gloriosa carreira que to brilhantemente ha
percorrido; seja S. S. poc toda parte o que foi na
comarca de Nazareth, e nao tema do futura
A' os caracteres modelados pela razoe pelajus-
tiga ; a juizes da tempera de S. S. esta reservada
urna corda de gloria, que nao morre. E de orna
fronte ennobrecida por lanos loaros, nem as vici-
situdes polticas, nem o arbitrio, dos poderosos te-
rao a forga, precisa para arrancar essa cora lo
honrosamente adquirida e to penosamente conser-
vada.
Taes sao nossos votos, e toes os votos da comar-
ca inteira, que na occasiao insuspeia em qne vai
eessar a aaiofidade dojuiz^ vem solemmente di-
M

ILEGIVEL

Ja*"
! <
**



Y
Diarlo c Vcrutmhnco segunda felra 18 le JuIIio de li4.
zer-lhe nm venturosa viagem. respectivos develes em um da que a igreja costu-
Cidado de Nazareth, 9 de julho de 1861. \ ma fesiejar.com tanta solemndade I Pedimos de
O virarlo Jernimo J. P. de Albuqucrque Mar-1 novo toda a attencao do Eim. Sr. bispo diocesano
nhfio l"oacio Xavier Carneirode Albuquerque. para os factos que ahi ficam estampados, e mais
Joao Dial G. de Aranjo Pereira.Luiz E. de Albu- ainda se fr pessivel, para os que vamos narrar;
nuerque Maranho.O vigano Basilio Goncalves por quanto smente de S. Exc. esperam os habi-
da Luz.Joao Dias da Cuaba Coutinho.Manoel. Untes desta desditosa e acephala freguezia as pro-
Percira de Moraes.Jos Ignacio Pereira Torres. videncias necessarias.
-Manoel C. de Albuquerque Lacerda.MathiasI Resta agora analysar a vida de Eustacmo, cou-
Ferraz de Mello.Manoel Gomes da Cunha.Jos siderado nao mais como pastor, i
Hygino Goncalves Guerra.Antonio Barbosa Cou-
tinho d'Arau'jo Pereira.Joao de Moraes Pinheiro.
Jernimo de Albuquerque Maranho.Antonio
Claudiuo Alvcs Gomes.Jos Luiz de Andrade
como
uz da
simples cidado, estudando seus actos a
moralidade.
Uebaixo deste ponto de vista, o parocho desta
freguezia um liomem de vida irregular e costu-
Co7to.'-Va*d^'5Tulodolpho"de" Aflijo Cesar-Joao mes depravados como passaremos ai provar
Jos Pereira de Lira.-Manoel do Reg Cavalcante Chegando a Aguas-Bellas em principios de 1861
de Albuquerque.-Aureliano Cavalcante da Rocha 'precisamente quando esta freguei a acabayade
Wuiderhv Jannim Francino de Cavalcante. sahir de una lata terrivel, sanguinolenta e ao pro-
liSSmin^fZ^^ de Paula Bar- pria de canibaes : chegando Aguas-Bellas, em
ret ^tX-Jo de Barros Brrelo Coutinho. urna quadra, que impunha a todo o liomem de
hW-MiriaM da Veiea Pessoa.-Joao de Arau- bem o dever rigoroso de conciliar os espiritse
o tesar -Icnacio Vieira de Mello.-Orlando Mi- apasiguaros nimos, Antonio Eustachio, longe de
uue'lio de Almeida.-Domngos Jos da Costa Bra- assocar-se a este pensamento de paz, que as cir-
si -Padre AntoDio Joaquim Buarque.-Bemardi- cumstancias aconselham e seu carcter de sacer-
no Jo Serpa -Bellarminn Pereira de Lira.-Igna- dote Ihe mpunha, converteu-se pelo contrario em
ci Vieira de Mello Filho.-Fabricio Gomes de projectil de guerra, em elemento de discordia, e
Andrade Lima.Urbauo da Silva Pereira de Lira, um s golpe matou as esperanzas que a seu res-
Francisco Gomes de Araujo Cosla.-Francisco peito todos alimentavam. Parece que o seu nico
dcP B. de Albuquerque Maranhao.-Manoel da empenho reviver odios amigos, a ver se median- /l/anoas e ai
Cunha Wauderlev Lns.-Oemniano A. Velloso da te este expediente, consegue areproduegao da hor-|Idem diversJ
Silvelra.-Franci'sco Pereira de Moraes.-Antonio rvel tragedia de 31 de dezembro delbbO, onde a .Tapiocas. .
luiz da Cunha Ferrcira.-Manoel de Macedo. par de um grupo de desalmados, sdenlos de san- Tatajuba. .
Antonio Aurcliano Lopes Coutinho.-Joaquim Xu- guc humano, viam-se algumas victimas inermes, Travs .
nes Machado Coutinho-Antonio Anreliano Lopes votadas de antemao ao > aerifico, e que so muito Unlias de bei
dem em rolo bom...... >
dem ordinario ou restolho >
Galliabas........ urna
Gomma......... arroba
IpOcacuanha (raiz)......
Lenha em. achas...... cento
Toros. '.......
Linhas e esteios....... um
Mel ou inelaco....... caada
Milito.......... arroba
Papagaios........ um
Pao Brasil........ quintal
dem de jangada...... um
Pedras de amolar..... urna
dem de filtrar...... c
dem de rebolo...... >
Piasaava........ molho
Ponas, ou chifles de vaccas ou
novilhos........ cento
Pranchoes de amarello de dous
costados........ um
dem de louro.......
Rap.......... libra
Sabio...........
Sal.......... alqueiro
Salsa parrilba....... arrdba
Sebo em rama....... >
dem em velas.......
Sola em vaqueta. .
sido condemnados por crime offensivo moral pu-, Jos Joaquim Ribeiro do Campos.
Dr. Jos Pedio iNolaseo Pereira da Cunha.
Manoel do Nascimento Teixeira.
8JM6
5000 blica ou religiao do Estado.
600 j 4o Finalmente, que satisfizeram a primeira pres-
1J1900 tacSo'da matricula na repart gao competente
urna
duzia

arroba
quintal
urna
Cento
E para chegar ao conheciincnto de quem inte-
ressar, mandou-se publicar o presente pela im-
prensa.
Secretaria da escola normal de Pernamboco, 7
de julho de 1861.
O secretario,
Maximiano Lopes Macluido.
O II Im. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 30 de junho ultimo, manda
fazer publico, que no da 13 de outubro vindouro,
perante a junta da fazenda da mesma thesouraria
se ha dearrematar quem por menos fizer, a cons-
truccao de 69 bracas de caes de cada lado do ca-
nal da ra da Aurora, avahado em 15:914,500o.
A arrematadlo sera feita na forma da lei pro-
vincial n. 313'de 15 de maio de 1854, e sob as
10000 clausulas especiaes abaixo declaradas :
1#000 As pessoas que se propozerem a essa arremta-
la gao comparegam na sala das sessoes da referida
400 junta no da cima mencionado pelo meio da, e
255000 competentemente habilitadas.
550001 E para constar se mandou publicar o presente
75000 pelo jornal.
2,5800; Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
1105000 buco, 9 de julho de 1861.
80,5060 O secretario
2J800 Antonio Ferrara da Annunciariio.
23*800
2*000
11*000
8*000
200
900
3*000
5*000
5*000
840
4*000
1*200
120
3*560
20*000
Coutinho Jnior.Francisco de Araujo Cesar.
Jos J. P. de Albuquerque Maranho.Dr. Erm-
nio Cesar CouliRho.Jos Maria Cardoso.
I
l
lina lagrima sobre o inmuto
de D. Jei'ouyma da Silva
Mello Saiuleo. offerceida
sua Exm. lamilla.
Pelo trilho da vida mal segura,
Segua a terna mai dos seus querida,
Quando a estrada julgava inda bem longa,
Na campa Iropecou. fugio-lhe a vida.
A vida foi-lhe amarga entre os espinhos,
Parlilha do mortal nestt existencia ;
Mas libaudo na prole o doce nctar
Morreu gozando da virtude a esseucia.
A essencia da virtude omou-lhe a prole.
O desvelo de mi ennobreceu-a.
Na vida urna esperases alimentou-a,
Na morte a lei da cruz fortaleeeu-a.
Fortaleceu-a a (-renga, a crenga pura,
Heranca paternal, dos cos fadada,
Nos leve a mesma crenga campa exigua
A sagrar-lhe urna prece em voz maguada.
Julho 15 de 1864.
tarde poderam exereer o direito de defeza. | Vassouras de piassava.
O que acabamos de referir serve apenas para i Ditas de timb .
provar que o caridoso padre affaga em seu enten-1 Ditas de carnauba
dimeuto designios multo louvaveis, se nao fossem
por demais repugnantes e nao o que promelte-
mos, a saber que o Rvm. padre Eusiachio um
homem de coslumes dissolutos. E pois cumpre de-
l monstrarmos esta assergo.
Sem nenhum respeito sua responsabilidade
I moral, o vigario d'Aguas-Bellas conserva em sua junho de 1864.A. Eutulto.
propria casa urna infeliz moga, de quem j tem ( Conforme. Bazilw t. Furtade. "V.
dous ou tres filhos. Entretanto nao contento ainda Recebedoria de readas tllenlas
com isso o paire Antonio Eustachio acaba de des- "e raes de Pemaiublico.
honrar outra moga, derrarieira esperanca de urna Rendimento do dia 1 a lo........ 26:512*299
pobre velha, de quem recebera a infeliz desveuada ,dem do dia 16................. 1:362*749
educaco.
Vinagre.........caada
Alfandega de Pcrnambuco, 16 de julho de 1864.
(Assignados):
O 2." conferente, Jos Maria Cesar do Amttral.
O 1. conferente, Manoel Peregrino da Silva.
Approvo. Alfandega de Paernmbueo, 9 'de
600 CLAUSULAS ESI'ECIAES PAUA A ARnEMATACAO.
200' 1* A obra do caes margem do canal da ra da
10.5000 Aurora, ser executada de conformidade com oor-
8*000 gamento e planta respectiva apresentados pela di-
t'iouo rectora das obras publicas na importancia de
500 13:914*.
2* Oempreiteiro darexecugo aos trabalhos no
praio de 20 dias, e os terminar nos de 60 dias,
contados na forma da lei.
3* O pagamento sera effectuado em prestagoes sua repartigo, ao qual dar o agente
mensaes, de valor correspondente ao trabalho exe- esclarecimentos que exigir para a n
Logo que liveram conhecimento desta desagra-
! davel oceurrencia, dous los da olendida foram ter
! com ella e obrig.-.ram-na a declinar o nome de
seu dellorador. Inmediatamente depois se diri-
giramcasa deste no intuito de responsabilisa-lo
pelo crime que linlia perpetrado.
O astuto paJre confessou sua culpa, simulou
muilo arrependimento, e mediante urna promessa
i de casamento, conseguio desviar de sua cabega o
golpe que o ameagava.
1 A infeliz victima de sua sensnalidade est boje
nesta Ireguezia, entregue a lodos os horrores da
i prostituigiio.
Devemos accrescenlar que o vigario de Aguas-
Bellas fui mais geueruso do que se devia esperar
de sua mesquinlia individualidade; pois afim de
' abafar os gritos do remorso, e de fiear bem com a
! propria consciencia, dotou a infeliz com ama moe-
1 dinha ingleza do valor de nove mil ris._ Este
I fado e os de mais que tlcam mencionados nao ca-
' recem de commentario nenhum, porque provam
27:875*048
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 15......... 56:802*423
dem do dia 16................. 718*516
57:520*939
PRAGA DO RECITE
I IU: .11 I IIO BE 1H4.
AS TRES HORAS DA TARDE.
Revista .semanal.
cutado, em cada mez, deduzindo-se um dcimo,
que ser entregue seis mezes depois da conclusao
da obra.
4* O empreteiro nao poder sob qualquer pre-
texto exigir indemnisaco alguma que nao seja
fundada no excesso de trabalho previsto no orca-
mento.
8* O empreteiro na execugo dos trabalhos ob-
servar as prescripgoes dadas'pelo engenlieiro lis-
cal daobra.
6* Para tudo quanto nao se adiar aqu disposto,
observar-se-ha o que dispoe a lei n. 286.
Conforme.Antonio Ferreira da Annunaario.
O Dr. Trislo de Alencar Araripe, offlcial da inipe-1
rial ordem da Rosa c juz de direito especial do ,
commercio desta cidade do Recife capital da pro-;
vincia de Pernambuco e seu termo por S. M. Im-1
perial e constitucional o Sr. D. Pedro II a quem '
Deus guarde etc. etc.
Fago saber aos que o presente edtal virem e dellc
noticia tiverem que no dia 18 de julho do correte
Manoel Mximo dos Santos Torres.
Consulado provincial.
O administrador da mesa do consulado provin-
cial manda publicar para conhecimento dos agen-
tes de Icilao as disposigoes dos arts. 2, 3, 4, 5 e 6
do regulamento de 13 de julho de 1861 dado pela
presidencia da provincia para a cobranga do im-
posto de um por cento sobre o producto de cada
leilo com excepgo dos judiciaes pago pelo com-
prador decretado no 28 do arL 44 do orgamento
vigente:
Art. 2. Os agentes de leilo ficam responsaves
pela renda do dito imposto, e portanto aulorsados
a exigi-la dos conlribuiotes, findos que sejam os
leiloes, anda quando forem feilos a crdito, nao
podendo antes de seu pagamento entregar os ob-
jectos arrematados.
Arl. 3. Para previo lancamcnto da renda devi-
da, remllenlo ao consulado provincial, cinco dias
depois de concluido cada leilo, urna nota da data
em que u realsado, qualidade dos respectivos
objectos c importancia produzda.
Arl. 4.Nosdez dias subsequentesa entrega
desta nota recolhero referida estago a renda
que devem ter cobrado, cuja importancia ser ve-
rificada pelos respectivos lancaraentos.
1. Na falta desta entrega no referido prazo,
exirabir o cunsulado urna conta da quanta devi-
da e a remetiera thesouraria para ser cobrada
execulvamente.
2. Nao aproveilar em jizo, ao agente a al-
legago de nao ter recebido dos coniribuinleso
producto do imposto, nein outra qualquer que nao
seja consistente no conhecimento do respectivo pa-
gamento remedido pelo consulado ao procurador
fiscal.
Art. 5." O administrador do consulado poder
mandar assistir aos leiloes por um empregado de
as notas e
que exigir para a necessaria fls-
calisagao.
Art 6." O mesrao administrador tambem poder
requerer em juizo competente a exhibigao dos li-
vros que os agentes sao obrigados a ter na confor-
midade do art. 71 do cdigo commercial e do art.
28 do regulamento de 10 de novembro de 1851,
mandado observar nesta praga pelo decreto n. 939
de 20 de margo de. 1852, para que na presenca do
agente, cujo leilo fr necessario licalisar, e de
um empregado do consulado se proceda as averi-
guagoes que sejulgar convenientes, observando-se
no caso dj recusa da parte do agente, a disposigao
do art. 357 do regulamento n. 757 de 25 de DO-
vembrode 1850.
1. Se por estas averiguagoes verficar-se en-
tre as notas remettidas ao cunsulado e o langa-
ment dos referidos livros, differengas que possam
prejudiear a fazenda, sero reduzidos termo, e
este assignado pelo juz que presidir o aclo e pelas
partes e teslemunhas.
da thesouraria
LEILO
DE
Trastes eoutrosmuitos
artigos.
Qnarti-feira, 20 do torrente, s 11
boras, no arnazen 4a roa da Cadeia
do Recife y. 48,
O agente Olympio vender em leilo urna mobi-
lia de amarello, commodas, eabides, lavatorios, re-
logios, marquezas e outros muitos objectos que es-
tao exposlos na vespera e dia do leilo.
DE
L'm aderego de ouro com brlbantes, 2 muios di-
tos com opalas, 1 habito, 1 relogio com corre-
le, 1 aoerego de prata e um terreno da ra de
Seve oulr'ora ra da Unio, com 57 palmos de
frente e 750 de fundo com urna pequea casa
junto a casa que foi do fallecido lenenle-coro-
nel Gomes Leal pelo norte e pelo sal junio a ca-
sa da viuva do Dr. Navarro.
Quarta-feira 20 de julho, 1 hora da
(arde no armazem da roa do Tra-
piche ii. 40.
O agente Pint fara leilo requerimento dos:
administradores da massa fallida de Joaqoim Jos
da Silvera e por despacho do lllm. Sr. Dr. joiz
especial do commercio dos objectos cima descrip-
tos perlcncentes a referida massa, 1 hora da tar-
de do dia 20 do corrente no armazem da roa do
Trapiche n. 40, onde anteriormente haver leilo
de movis e objectos.
Este termo ser por intermedio
27 anno, se ha de arrematar por venda aquem mais | remeHa0 por COpia ao procurador fiscal para pro-
a o agente, e promover
Cambios........Saccou-se sobre Londres
>, 27 */, 27 '/i e 27 Vi d. por der em praga publica deste juizo, na sala dos aud- ceder ju3icalmento contrs
1*000, sobre Paris a 34o rs. torios um sobrado de dous andares sito na ra da .)(,|0S mejos eX(,cuiVos a cobranga da renda de-
por fr. e sobre Lisboa a 95 por Aurora, fref uezia da Roa-Vista, tendo varanda de vWa cuja c<)n,a lhe ser;i ,ainj,em remeltida.
cento de premio ;elevando-se os ferro o primero andar tanto na frente como no o- ^ j, juai pr0cedimento se lera com o agente,
saques elfectuados durante a se- to fazendo frente para a ra da Uniao, tendo gran- 'f por omSSaoou reluctancia, deixar de remet-
maoa a 150.000. | des quartos, salas, cosinha e um pequeo quintal, ler as nolas ao consuiaa0 Uunlr0 dos cinco das,
exuberauteinenle oue Antonio Eustachio j perdeu Algodao........O dest provincia vendeu-se de avaliado em 25:000*000, o qual foi penhorado por que ,ne sao marcados.
Assucar...
Attestado do Brasil.
CUIIA DE ELEPHANTIASES
Esta enfeimidade horrenda tem que sucumbir
Salsajiarrillia de Iirstol.
Le i a-se'. Uia-se !
l'm prcto, escravo do lllm. Sr. commendador
Don Ildefonso Simo Lopes, proprielario de varias
fazendas na cidade da liana Mansa, provincia do
Rio de Janeiro, fui atacado da elephanliases, e ja
se achava n'um estado bastante avangado daenfer-
midade, com os ligamentus dos dedos (n'um estado
de dissoluco, e finalmente foi abandonado pelos
facultativos.
Seu senhor, quiz como um ultimo recurso expe-
rimentar a SALSAi'Aiui.iiA ui-: bkistol. E com ver-
dadeiro assombro e pasmo lodos presencaram e
acompanharam o progresso d'uma cura completa,
effectua'da to smente por tres chascos de dita sai.-
i'Auuii.iiA. na pessoa deste escravo o qual pode ser
i u Ou o lempo viito na casa du seu senhor no Rio
de Janeiro.
lllm. Sr. "; abaixo assignados, ompregados da
secretaria da polica desta provincia, faltaran, por
cerlo a om dever, se nao viessem boje aprosentar
a V. S. a expoulanea manifestaco de seu vivo e
profundo reconheclment para com a pessoa de
V. S, pelo ino,l) benvolo e pelas repetidas provas
de confiaoga que V. S. se dignou dispensar-lhes
dorante o tempo de sua administracao policial.
Sirva-se pois V. S de aceitar os protestos da su-
bida estima e disliucta con.siderac.ad dos abaixo
assignados, os i|uaes tem a honra de offerecer
V. S. os seus serviros em qualquer parte que o des-
lino os eolio que.
Dos guarde a V. S. Recife 14 de julho de
1864 O secretario. Eduardo de Barros Fa'.co de
Lacerda.Jos Xavier Faustino Ramos, offlcial da
I' seo-ao. Joaquim Cilseno de Mesquta.offlcial
da 2' secgao,Agostinho Jos de Oliveira, ama-
nuense da* 1" seceoJoaquim los do Reg Ran-
gel, amanuense da 1" seceo. Candido Autran da
Malta e Albuquerque, amanuense da i' secro.
Antonio Alfonso Ferreira, amanuense da 2
nos vapores do vinho e da crpula a memoria do
que deve a si e sociedade.
Ora, claro que um homem, cuja physionoma
moral lao repugnante c asquerosa, que um ho-
mem, cujo intento nico manchar as candidas
vestes do sacerdocio, nao pode de maneira ne-
nhuma desempenhar a importante e sublime mis-
slo de que o incumbirn!.
Corre porlanto ao Exm. Sr. bispo diocesano o
dever de punir o negligente e immoral sacerdote ; Agurdente...
e ao publico o de marca-h com o ferrete da infa- Couros.........
ma o da ignominia, de que elle merecedor.
Fazemos este vot em nome dos principios
da justiga e da moral lo desauiedadamente pos-
tergados.
275000 a 275200 por arroba, o
de Hacei, posto a bordo, de 275
execucao de Jos Pereira Bastos Francisco Anto-: Mesa do conulado provincial de Pernambuco,
nio de Oliveira. E nao havendo langador que cu- js ^e :un0 e jg(^
a 275500, e o da Parahyba de bra o prego da avaliagaOj^a arrematago ser feita (
Bacallio------

(Do Mercantil, de Alagas.)
OQMMERGIO.
FILIAL
DO
BACO O BRASIL
EM PERNAMBUCO.
A directora desta caixa, em virtude de ordem
da directora do Raneo do Brasil, avisa aos Srs.
accionistas que o respectivo thesoureiro esta auto-
rizado a pagar o dividendo das accoes da meema
caixa do semestre findo em 30 de junho pruximo
passado, na razio de 85500 por accao.
Recife 14 de julho de 1864Xo impedimento do
secretario, Ignacio Xunes Correia.
Alfaudega
Rendimento do dia 1 a 15.......
dem do dia 16................
380:1365195
42:0735692
422:2095887 Louca.
285700 a 295200.
Vendeu-se o branco de 45400 a
55200 por arroba, o somenos a
450OO, o mascavado purgado de
25900 a 35OOO, e o bruto de
25600 a 25800.
Vendeu-se a 905000 a pipa.
Os seceos salgados venderam-se
a 165 rs. por libra.
Vendeu-se em atacado a 155500
a barrica e a relalho de 165000
a 175000; licando em deposito
4,800 barricas.
Batatas.........Venderam-se a 800 rs. a arroba.
Bolachinha......Vendeu-se a 25200 a barriqui-
nha.
Caf........... Vendeu-se de 85300 a 85800 a
arroba.
Cha............ dem de 15600 a 2-5200 a libra.
Carne secca..... A do Rio-Crande do Sul vendeu-
se de 35000 a 45200 por arroba;
Meando em ser 39,000 arrobas.
Cerraja......... Vendeu-se de 55000 a 55400 a
duzia da u:.rr:.f:i.
Farinba de trigo. A de Philadelphia e Xew-York
vendeu-se de 165000 a 175000
a barrica, a de Trieste a 235,
e a do Chile de 85 a 85500 o
sacco de 101) libras; Meando cm
deposito 9,600 barricas da pri-
meira. 1,800 da segunda, 2,200
da terceira c 1.800 saceos da
quarta ; ao todo 13.600 barricas
e 1,800 saceos saceos, inclusive
200 meios saceos chegados Desta
semana.
Dita de mandioca Vendeu-se a 45500 a sacca.
Feijo.......... Vendeu-se de 75000 a 85000 o
sacco.
pelo valor da adjudicagao com o abatimento da
lei.
E para que cheque ao conhecimento de todos,
mandei passar edilaes que sero publicados pela
imprensa e affixados nos lugares do costme.
Recife, 15 de junho de 1864, 43 da independencia
e do imperio de Rrasil.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Xascimento,
"esenvao o subscrevi.
Tnstao de Alencar Araripe.
Antonio Carneiro Machado Rios,
Administrador.
Companhia PernanibncaRa
DECLARARES.
*L.k
Santa Casa da Misericordia do Recife.
O lllm. Sr. commendador Jos Pires Ferreira I
Ihesoureiro da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, manda fazer publico que no dia 20 do cor-
rente pelas 9 horas da manha paga as amas que
comparecerem na casa dos expostos acompanha-
das da respectivas crianeas, as mentalidades ven-
cidas at junho do corrente anno.
Saoruiarin da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 13 de julho de 1864.
O esenvo,
F. A. Cavalcanli Cousseiro.
De ordem do lllm. Sr. inspector da thesoura-
ria de fazenda de Pernambuco se faz publico a
quem inleressar possa, que no dia 18 do corrente
mez comeearo na referida thesouraria os paga-1
menlos das pensoes do Monte Pi dos servidores
do estado, vencidas at o dia 30 de junho ultimo.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-!
nambuco 14 de julho de 1864.Manoel Jo> Pin-1
lo, servindo de official-maior.
A cmara municipal desta cidade, em cum-
primento do olliclo do Exm. presidente da provin-
cia, datado de 7 de julho do corrente anno, e de
Ylovimcnto da al'audega
Manteista.
Volumes entrados com fazendas.
i t com gneros.
Volumes sabidos
com
com
fazendas...
gneros...
3
279
167
855
. A ingleza ordinaria vendeu-se conformidade com art. 3 do decret n. 353 de
com 330 por cento de premio. 12 de julho de 1845, convida aos proprietarios dos
. A ingleza vendeu-se a 750 rs. a predios sitos na ra do Trapiche, lado da mar,
libra, e a franceza a 500 ris. comparececcm no pago municipal, afim de fazerem
Venderam-se de 65000 a 75000 as declaragoes e reclamagoes qne julgarem neces-
904 a caixa.
" i Oleo de linhaea.. Vendeu se a 15800 o gal.o.
sec
cao.Francisco Pacifico do Amaral, addido.Fran- Descarrcgam no dia 18 de julho.
cisco Antonio de Carvalho. addido.-Jos Pinto dos; Patacho dinamarquezMrry fazendas.
Santis, porteiro.Flix Ribeiro do Amaral, con- Patacho portuguezJuicomercadorias.
tinao.
1,022
Barca InglezaOlindacarvo de pedra.
Brigue lobeckeose-iVaMfifu* farinba de trigo.
Escuna ingleza Fort mate mercadorias.
Brigue inglez/{e/mnflfebacallio.
Brigue inglez Iris vinho.
Barca inglezaToicn 0/ Liverpoolmercadorias.
ALFANDEGA DE PERXAMBCCO.
paita dos 1'rego dos gneros sl'jeitos k direito de
exportacao.semana de 18 a 23 do me#de ju-
i.iio de 1864.
Mercadorias.
Abanos.......
PERNAMBUCO.
ACl'AS-BEI.I.AS, 26 Di; JIMIO I)K 1864.
O vigario de .4giias-llellas.
O padre Antonio Eustachio Alves da Silva, pode e
deve ser considerado em sua dupla vida de sacer-
dote e de cidado : debaixo desles dous aspectos,
propomo-nos apresenta-lo ao publico moralisado, e j
com especialidade ao Exm.Sr. bispo diocesano, cuja
attencao instantemente reclamamos.
Como parodio, que desta freguezia, Antonio;
Eustachio tem sido em demasa omisso no cumpri-; Agurdente de cana.....
ment de suas obrigacSes: e para que nao julguem dem resillada ou do reino .
que, fazendo-lhe to grave imputaco, procedemos i dem caxaca........
levianamente ou nos delxamos arrebatar por pai- j dem genebra.......
xOes mesquinhas e ignobeis, vamos descer i narra- dem alcool ou espirit de agua-
cao de factos, que plenamente comprovam aquella ardente....., .
arguigao, de factos que nesta freguezia ninguem ; Algodao em carogo ... .
ignora, e por cuja veracidade nos responsabili- j dem em rama ou em lia.
samos.
Em lins de 1861, Antonio Eustachio Alves da
Silva afcandonou esta freguezia, durante o largo j
espago de dous mezes; e como infelizmente nao
temos aqui coadjuclor que em iguaes cenjuncluras
possa subslilui-lo, o resultado foi que mullos de
seus parochianos suecumbirara sem encontrar am
sua derradeira agona que mestivesse as condgoes
de administrar-Ibes os ltimos sacramentos, que
a igreja calholica costuma dispensar a seus
fiis! Para deixar assim suas ovelhas no mais
completo abandono era de presumir que houves-
sem actuado na mente do parocho motivos muito
plau^iveis, razoes bastante graves; mas esta con-
jectura, abas to natural, nao pode aproveitar ao
padre Euslachb, porque como patente nesla fre-
guezia, elle s desamparou o seu posto de honra
para ir ao Recife, solicitar a demissao de autorida-
des policiaes que tinham por ventura bastante
energa para oppr
sistencia.
Unidades. Valores.
cento
caada
Passas..
Presuntos..
Queijos...
Sabo.....
arroba
i em la. .
Arroz com casca.
dem descascado ou pilado
Assucar mascavado..... t
dem branco........
dem refinado....... *
Azeite de amendoim ou mendo-
bim......... casada
dem de coco.......
dem de mamona..... >
Batatas alimenticias..... arroba
Bolacha ordinaria, propria para
embarque........
dem fina.........
Caf bom........
dem csoolha ou restolno ... >
dem torrado....... libra
Caibros......... um
Cal........... arroba
dem branca.......
a" seusr desmandos firme re-1 Carne secca (xarque).....
Carneiros........ um
Se esta a nica explicacao rasoavel de sua Carvo vegetal...... arroba
viagem, cumpre confessar que Antonio Eustachio j Cavernas de sicupira .... urna
um sacerdote modelo, que sabe, qaando assim o Cera de carnauba enfrbruto. libra
pede o servigo de Deus, pospr aos seus os inte-, dem idem em velas ....
resses da religiao. | Cha.......... *
Em das de julho do anao prximo passado, foi I Charutos........ cento
esta freguezia de novo abandonada pelo sen deli- Cevados (porcos)...... um
gente e zeloso pastor, o qual pela segonda vei diri-! Cocos (seceos)....... cento
gio-se ao Recife, onde o chamavam mteresses elei- i Colla.......... libra
toraes, para os quaes (sem a menor lisonja) tem o Couros de boi, salgados ...
bom do padre natural tendencia e extrema solici-! dem idem seceos espichados. >
tude. | dem idem verdes.....
Ainda desta vez algumas pessoas desceram dem idem cabra cortidos. nm
sepultura sem receber os ltimos suffragios espiri- dem idem de onga.....
tuaes; e sem dnvida tenja sido esta a sorte do, de Doces seceos....... libra
saudosa memoria, com mandante Joao Jos de Aran- dem em gela ou massa.
jo Cavalcante, se em to diffici conjectura nao se dem em calda......
houvesse prestado com admirayel zelo e mnito ba Espanadores grandes .... um
vontade o Rvm. Sr. padre Joao da Costa Nones, a dem pequeos....... >
quem pedimos queira acceitar os sinceros agrade- Esleirs para forro de estivas
cimentes de quem sabo venerar com abundancia | de navio........ cento
de coraco as vestes sacerdotaes, quando as nao Estopa nacional...... arroba
Massas...
sarias a bem de seus diritos felavamenie a de
sapropriago de parte dos mesmos edificios para
alargameulo da dita ra.
Xo mesmo pago municipal lica exposto ao exa-
me dos ditos proprietarios por espago de 10 das, a
contar da dala desle, o plano do alargamento da
dila i ua, podendo os mesmos proprietarios fazer
as suas reclamares verbalmente ou por escripto,
com tanto que nao excedam ao praso cima mar-
cado.
Pago da cmara municipal do Recife 14 de ju-
lho de 1864.
Luiz Fraecisco de Barros llego,
Presidente.
Francisco Canuto da Roavagem,
Secretario.
Pela subdelegacia do 1" districto da fregue-
zia de S. Lourenco da Malta se faz publc i que se
ach depositado m cavallo castanho que_ foi en-
contrado vagando pelas ras desta povoagao, com
cangalha e um caixo com ovos : quem sejulgar
com direito ao mesmo, comparega nsta subdele-
gacia, que provando lhe ser entregue.
S. Lourenco da Malta 12 de julho de 1864.
O subdelegado,
Jos Antonio de Albuquerque.
Tribunal do commercio.
Por esta secretaria, se declara que na data infra
foi adinettido registro o contrato de sociedade
em commandta que para durar por espago de
6 annos a contar de 1 de maio ultimo, lizeram em
31 de margo prximo passado, Bernardino Duarte
Campos, Manoel Jos da Costa Pereira, gerentes,
, e Joaquim Fernandes da Silva Campos, comman-
de 100 toneladas, capito Fayen, equipagcm 7, ditario, todos porluguezes, e domiciliados nesta
carga sal e bacalho ; a ordem. cidade do Recife, para o fim de commerciarem em
Navios saltidos no memo dio. louga fina e grossa no armazem n. 16 da ra do
152001 Bahahiate nacional Dous hrmaos, capito Domm-: Crespo, sob a firma de Duarte, Pereira & C, de
gos Henrique Mafra, carga bacalho. [ que smente usaro os gerentes, e com o capital
Baha barca portugueza Flor de Mata, capito e 14:0005000 fornecidos 12:0005000 pelo socio
Antonio Ribeiro Lopes, em lastro. | commanditario, e 2:0005000 por Bernardino Duar-
Rio Grande do Sulbarca brasileira Laui, cap-, te Campos.
to Antonio Theodoro da Silva, carga carvo de Secretaria do tribunal do commercio de Pernam-
pedra e outros genero?. | buco, 15 de julho de 1864.
Barcelona pela Parahybapolaca hespanhola Bea-, Julio Guimares,
ira, capito M. Pages, carga algodao. Official-maior.
15500
800
800 i
480
800
900
65o00
,265000
15500
35800
25700
45400
55120
25000
15600
800
dem a 55OOO a caixa.
Venderam-se a 145000 a arroba.
Os flamengos venderam-se de
15700 a 15800 cada um.
O inglez vendeu-se a 140 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a
240 rs. !
Toucinho....... Vendeu-se o de Lisboa a 8.5200
a arroba. I
Vinagre........ O de Portugal vendeu-se de 1105
a 1155 a pipa.
Vinhos......... Os de Lisboa venderam-se de
1905000 a 2005000 a pipa, e os
de outros paizes de 1855000 a
1905000.
Velas..........As de composigo vender
a 520 rs. o pacote de seis
Descontos....... O rebato de leltras regu
a 10 por cento ao anno.
Fieles......... Para Liverpool pelo las
pelo algodao a ;i/i por li
ra o Canal de 40 a 45.
MOYIMENIG 00 PORTO.
Navios entrados no dia 16.
Aracaje portos intermedios3 das, vapor na-
cional Persinunga, commandante Ralis, equipa-
gemSO.
liba de Maio25 dias, galeota hanoveriana Eddo.
Segu com brevidade o hiate Dous [miosa, tem
liarte da carga, e para o resto trata-se com Tasso
lrmos.______________________________________
BAHA
O brigue Novo Almirante segu com brevidade,
tem parte da carga engajada : para o resto que
lhe falta, trata-sc com os consignatarios Marques,
Barros c (1, largo do Corpo Saulo n. 0._________
Para o Rio de Janeiro pretende sabir com
brevidade a barca Brrelo, tem parle da carga
engajada para o resto que Ihes falla e escravos a
frete, trata-se com os consignatarios Palmera &
Reltro, largo do Corpo Sanio n. 4.primeiroandar.
Para Lisboa.
Vac sahir em poucos dias com a carga que tiver
o brigue portuguez Confianca, quem quizer car-
regar ou ir de passagem entenda-se com os con-
signatarios Carvalho & Xogueira na ra do Apol-
lo n. 20 ou com o capito.
35000
75000
85806
75500
440
360
280
500
35000
45000
15000
85000
300
360
15500
253OO
155000
35500
500
165
240
106
350
105000
(nservaco.
Suspendeu do lamaro para a pesca a
americana Leuzanna, capito Horkens.
Navio entrado no dia 17.
galera
Inspecco do arsenal de marinha.
Faz publico que a commissao de peritos exami-
nando na forma determinada no regulamento an-
Liverpool-54 dias, brigue inelez Florest, de l*i nexo ao decreto n. 1324 de 5 de feyereiro de 1854,
ito Thomaz J. Carpenter, eqoi- o casco, machina, caldeiras, apparelho, mastreagao,
toneladas, capito
pagem 10, carga plvora, fazendas e outros g-
neros ; Millo Latham & C.
Navios sthidos no mesmo da.
Rio Grande do SulBarca nacional Norma, capi-
to Frederico Jos l'rates, carga assucar.
Aracaly Hiate brasileiro Santa Anna. capito
Antonio Joaquim Alves, carga dlfferentes gene-
ros.
Observacao.
Suspendeu do lamaro para Hong Kong a bar-
. ca ingleza Gustavo Adolpko, capito W^ Green-
15000 wood, com a mesma carga que trooxe de Londres.
320 _________^
500
45000
25000
EDITAES.
desdoura o proceder daquelles qne as trajam.
Cumpre ainda accrescenlar que em 1861 nao
houve em toda esta freguezia nem se quer urna
mssa do Nascimento, porque Antonio Eustachio
esteve ausente durante o mez de dezembro do refe-
rido anno.
Farinha de de mandioca. atqueire
dem de araruta..... arroba
Feijae de qualquer qudlidade. *
Frechaes........ um
Fumo em tolha, bom .... arroba
dem ordinario ou reslolho
155000
15600
25600
450OC
15600
55000
145000
85500
O lllm. Sr. director da escola normal manda
fazer publico, que desta data at o fim do corrente
mez se achara abertas as matriculas do 1 anno
da referida escola, devendo para isso os preten-
dentes provar perante o mesmo director :
1 Que sao matores.de 18 annos.
S* Qoe sabem ler, screver e contar.
3o Que sao de costumes poros, e qne nao teem
veame, amarras e ancoras do vapor Mamangmpe
da companhia Pernambucana de navegaco eos-
teira, achou tudo em regalar estado,
Inspecco do arsenal de marinha de Pernambu-
co, 15 de julho de 1864.
O inspector,
H. A. Barbosa de Almeida.
CORREIO GERAL.
RelacSo das cartas seguras viudas do sul pelo
>apor inglez < Magdalena > e das existentes ua
administracao do correio desta cidade para m
senhores abaixo declarados:
Dr. Antonio da Cunha Figueiredo.
Braga & Antunes.
Bernardino Duarte Campos.
Fabriciano Napoleao do Reg Barros.
Francisco de Mello Brrelo.
Francisco Moreira da Costa.
Gnilherme Carvalho & C.
Joaquim Francisco da Silva Janior.
Tenente Joaquim Lopes Machado.
Joaquim da Silva Boavista.
Jos Joaquim Alves de Amorim (2).
LEILOES.
H
Barris com cal de Lisboa.
O agente Pestaa far leilo de urna porgao de
barris com cal de Lisboa em pedra em perfeito
estado sendo entre ellos 100 barris com 9 arrobas
cada um, arcados de ferro, proprios depois de va-
zios para encher de mel : segunda-feira 18 do cor-
rente no armazem do Avlla, Forte do Matto, ao
meio diaem ponto.
LEILA
LEILO
Um piano de anuario, differea-
tes movis e obras de prata.
Quarta-feira 20 dejulkti as 9 \\l b-
ras cm i'into.
O agente Pinto far leilo por conta de ritmo
e sem reserva de preco de um piano, 1 mobilia de
amarello, candieiros de g;iz, grandes espelho com
molduras douradas, bonitos quadros com finas
pinturas, como sejam : Garibaldi, David, Saol f.
ontros, 2 carleiras, camas de ferro, ditas de ama-
rello, mesas, cadeiras, lavatorios, commodas
eabides, um lote de dlfferentes objectos de llan-
dres. salvas e 1 bacas e jarros de praia do Por-
tee muitos outros objectos existentes no arma
zem da ra do Trapiche n. 40, onde se effee-
tuar o leilo, devendo princ piar s 9 Iri ho-
ras em ponto, visto que em rontinuaco hatera
oulro leilo de obras de ouro com brlbantes e um
terreno.
DE
Xavegaco costeira a vapor.
Paraliiba, Natal, Maco, Aracatv, Cear, e Acaracu'
O vapor Mamanguape, comman-
dante Moura, segu no da 22 do
corrente s 5 boras da tarde. Be-
,cebe carga ate o dia 21. Encom-
mendas, passageiros e dinheiro a
frete at o dia da sabida s:) horas da tarde : es-
criptorio no Forte do Mattos n. 1.
COMPANHIA PEKNAMBUCANA
DE
Xavegaco eosteira vapor.
Macri c escalas.
Segu no dia 23 do corrente s
5 lloras da tarde um dos vapores
da companhia, para os portos ci-
ma indicados. Becebe carga at
_ 'o dia 23. Encommendas, passa-
geiros e. dinheiro a frete at s 3 horas da tarde
do dia da sabida : escriptorio no Forte do Mat-
tos n. 1.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o veleiro e
bem conhecilo palhabote nacional Piedade, tem
parle do seu carregamento engajado : para o res-
to que lhe falta e osera vos i a frete, para os quaes
tem excellentes commodos, trata-se com os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo,
la da Cruz n. i.
Para o racat} e Cear
pretende seguir com muita brevidade o hiate na-
cional Dous Amigos, tem parle de seu carregamen-
to prompto ; para o resto que lhe falta, trata-se
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C., no seu escriptorio rua da
Cruz u. 1, ou cuino capito no trapiche do algodao.
DE
10 pipas com vinagre de
Lisboa.
IIOJE.
O agente Pestaa vender em leilo por conta e
risco de quem pertencer 10 pipas cora vinagre
de Lisboa recentementc chegado e ser vendido em
um ou mais lotes a vontade: segunda-feira 18 do
corrente pelas 10 horas da manba no largo da
alfandega ____________________________
12 WQ
LEILJlO
4
DK
2 carrocas, 2 vaccas, 2 vueltos e
bois para carrora.
Quinta-feira 21 do corrente, s 11* horas, na co-
cheira dos Srs. Paulino c\ Irmo, no Muodo
Novo defr:>nte do sobrado onde morou
o Sr. Dr. Sabino.
O agente Olimpio vender em leilo publico
no dia, hora e lugar cima os animaes cima
sem mnima reserva de prego.
LEILO
DE
Urna espada, dragonas, banda, fiel e cordo, ob-
jectos proprios para offlcial da guarda na-
cional.
Quarta-feira 20 de julho
rua do Trapiche armazem n. 40.
DK
Vinhos (em barris e garrafas! cognac. absiMk,
kirsck, licores finos, conservas de dilferentes
qualidades, cbampignons, asierges, hervilhas,
mustardas, tomates, salame?, chocolates e quei-
jos de dilferentes qualidades, ludo ullimamenle
despachado.
Quinta-feira 21 de jolho ruadopol
lo arm;i mi n. 19
Luiz Cahors far leilo para liquidaco < por
intervengo do agente Pinto, n o s dos artigos
cima descriptes como de muitos outros existentes
em seu armazem rua do Apollo n. 19, aomle se
ellectuar o leilo s 10 horas do dia supradu.
AVISOS DIVERSOS.
- Os senhores que tem le-
vado por empr estimo collee/M's
deste Diario, queiram man-
da-las restituir com brevida-
de pois silo precisas.
Ao annuncio do Sr. Luiz Antonio Vieira cn-
serido no Diaiiu de 16 do corrente, responde o
abaixo assignado, quanto i primeira parte, com o
segrate trecho da procurago alludida, extrahida
por certido do registro do tribunal do commeicio.
Ei-lo.
Imperio do Brasil. Provincia de Pernambuco.
Procurago bastante que fazem D. Clcmoniina
Theodora "da Silva, D. Cl;mentiua da Silva, Ma-
noel Goncalves da Silva, Joo Cardoso Ayres, Joa-
quim Juvencio da Silva, Eduardo Alexaodre Hur-
le, viuva, Albos, e genros do finado commendador
Manoel Gongalves da Silva.
Saibam quantos este publico instrumento de.
procurago bastante virem, etc., etc. Segueni os
poderes conferidos, e ele, depois do que conclue
assim : Em fe de verdade assim o disseram
- com as teslemunhas presentes abaixo assigoa-
das. Subscrevo c assigno. Em leslemunbo da
verdade o tabellio putilico Francisco l.i. i -:.i
- d'Almeida. Assignados lo smente os referi-
dos senhores cima, e as teslemunhas Jos I'e-
reir Vianna e Juo Pereira llego. E mais se
t nao continua em dila procurago que bem c fiel-
t mente registrei do proprio original ao qual me
t reporto nesta secretaria do tribunal do commer-
c ci de Pernambuco aos 21 dias de enarco de
1863, e etc. Subscrevo e assigno em de ver-
< dade, Julio Augusto da Silva Guimares, ofli-
< cial maior. Eslava o sello do tribunal. >
A'vista disto ainda affirmar o Sr. Vieira que
assignaram a procurago todos os lierdeiros, que
eslavam no caso dassgna-la ? Por ventura nao es-
tariam no mesmo caso os lierdeiros Dr. Jos Ber-
nardo de Figueiredo, que, com quanto ausente
deveria ter sido representado por alguem que seus
poderes tivesse, Gulherme Carvalho tambem au-
sente representado por seu curador o lllm. Sr Dr.
Nascimento Portella, e o orpho Luiz Goncalves
da Silva por seu tutor, e pelo Dr. curador dos or-
phos ? Ser valiosa essa procurago onde ires
lierdeiros nao figurara por forma alguma ? Os ac-
tos derivados della produziro acaso os effeitos va-
liosos que presume o Sr. Vitira ? Nao ser nullo o
seu mandato,e ludo mais quanto em virtude della
se lem praticado...? Quanlo a segunda parle de
seu annuncio, declaro peremptoriamente que nao
sou contumaz no erro quando o descubro em
qualquer parte onde esleja, e me desavenho delle
logo que posso. Foi esta a razo mais poderosa
que me moveu a cassar os poderes ao Sr. Vieira ;
porque conheci, ainda que um pouco tarde, a de-
ver fazer, atim de que por este meio podesse eu
oppr barreira a certas prelengdes exlra-legaes,
com o que creio haver-lhe feito um grande benefi-
cio, urna vez que o tirei dos embaraces, e da gra-
ve responsabelidade em que se achava por ter ac-
ceitado irreflectidamente um mandato por sua na-
tureza nullo; em virtude do que S. S. nenhum
passo jamis poder dar avante. Lonvo-o muito
pela lhaneza da conOssao que faz de haver decreta-
do actos de nullidadcs nao smente de sua propria
autoridade : provado isto ainda assim nao se de-
senvencllha S. S. da responsabelidade como instru-
mento moral, e executivo ; porque com a intell-
gencia de que dotado, que nao soffre contesueao,
poda ter deseoberto essas nullidades, e repulsa-
las como indiscretas, e nao sancciona-las com a
firma da casa. Que mais eu bei de dizer a este
respeito quando S. S. d a entender que urna for-
Si maior, e autoritativa o impellia a decretarn
e taes actos? Nada por certo; porque o Sr. Viei-
ra ignora, talvez, nao ser obrigado a (azor aquilio
que a lei prohibe. Qoando quizer incetar a dis-
cnsso a respeito dos motivos que nao couberam
em seu annuncio, me achara s suas ordens.
Recife, 16 de junho de 1864.
Joaquim iuvencio da Silva.
vapor de reboque
QA agencia deste vapor acha-se de hoje em dan-
te no escriptorio de Roth & Bidoulac, roa do Tra-
piche Novo n. 18


.*~*-


Diarlo de Pernambaeo egnndta felra 1S de Jiilhe de 1S4.

SAMO 4 LliZ
ESTA A VENDA NA MVaAKIA 00 Slt. G-RALD0
RCA ESTRETTA DO ROSARIO X. 11 AS
NOCOES
DE
PARTIDAS COBRADAS
OFFKRECIDAS
I Associacao CommercUI BeueficeHle
MI
\IIM4ZEH DE FA/iM)\S
DE
**
Custodio, Carvalho & Companhia.
KHA DO #i EOIAIM fc*
DE
l
PKR.V4.ilIII O
POR
Fonseca de Medeiros.
Superioreseaiade fustao para senhoras a 5#:
Toaihas de ltoho para mesa a 35500 e 4$.
Lencinhas para meninos um 100 rs.
Lengo_rancos para algibejua a-25 a dcxt_.
Toalha*para mo duzia 4JL
Bramante de linho vara 2*.
Filo de linho liso vana 38 r.
<-ra_tde
Pe^as de ntremelos bordados a tf.
Tiras bordadas a pega- 25.
Gollinhas-_a ramlWia 000 e 800 rs.

t
nech-nchai

-r

3*
-
1


iMHJ^
ios 6:0OO$000.
Sexta-feira __ do corrente mez andarao as
rodas da primeira parte da primeira lotera
da igreja de S. Francisco de SerinhSem..
Os bilhetes, meios e qaartos acham-se
venda n respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 6:000^000 at 124(000
serlo pagos urna hora depois da extracclo
at s 4 horas da tarde, e os outros no da
seguinte depois da distribuico das listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
A abaixo assignada fa ver ao respeitavel'
publico que quem fuer negocio ou j tenha feilo
cora seu lho Belmiro das Chagas Muniz Pacheco j
seja qnal r, ella nao se responsabiliza, protesta |
nao ser obrigada seja qual fr o negocio, e para
conheciraento faz ver ao respeitavel publico.
Mara Libania de Miranda.
Precisa-se alugar negras ou negros para ven-
der verduras, fructas e leita : a tratar no sitio do '
Sr. captaa AJbuquerq.e, na Capunga velha. '
Ao aviso do Sr. Joaquim Juvencio da Silva ;
publicado no Diario de hoje, respndese que a'
procurado que tetn o abaixo assignado nao so ,
da viuva meeira do casal, como de todos os outros :
herdeiros que eslavam no caso de faze-lo, a ex-'
cepgo lio smenle do referido Sr. Juvencio que
por motivos que aqui nao cabe referir, a retirou
ltimamente. Quanto as nullidades dos actos que
o abaixo assignado praticara nao o annunciante .
<]uem as decreta da sua propria autoridade. He-1
cife, lo dejulho de 1864.
Luiz Antonio Vieira.
Perolas.
A toja da Aurora na ra larga do Rosario o. 38
recebes flos de perolas de differentes cores, moito
proprios "para fazer voltas, tanto para senhoras co-
mo para meninas.
Aluga-se o arraazem da ra do Imperador
n. 3o: a tratar na mesma ra armazem de lotioe
n. 41. i
Precisa-se de urna ama de leite : na ra Im-
perial, sobrado n. 87.
Manoel Jos do Kasoimento e Silva, quo ou*'
tr ora fra e__tele_k nesta cidade da ra da Ca- j
dea do Recife, e de presente sendo representado'
nesta mesraa cidade por se^ bastante procurador
Joaquim Francisco da Silva Joaior, roga a todo
os seus devedores, que no praso de 30 dias do pre-
sente annuncio dirijam-se ao r_feriQ seu procura-
dor e liquiden) suas coritas com o annunciante,
porque se no fin do dito praso o nao tiverem feito
serao notificados aos termos da le para viren! in-
lerromper prescripcao em seus dbitos. Recife U
de jumo de 1861.Gom procuracio,
doaquim Francisco' da Silva Jnior
APRrtEITB APROVEITEM
de serktM de cores db oim a$ quc^ktades.
Na loja da ra. Crespo u^nuero 17.
O Dr. Carono Francisco de Lima 3a.
tos, contina a residir na roa do Impe-
rador n. 17,2o andar, onde pode ser pro-
curado a qualijuer hora do diae da noite
para o arricio de sua proflssao de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia ala 4 horas da tarde, devem ser
deixados por rscripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias de interior, prosegue, com o
maior afifcico. no das mais dilllceis e deli-
cadas operacoes. como sejam dos ergaos
urinarios, dos olhos, partos, etc.
Mudanza.
Aluga-se o 2 andar do sobrado n. 7, na ra'
do Imperador : a tratar na ra do Crespo n lo.
Precisa-se de urna criada livre ou escrava
que saiba cezinbar e comprar : na ra de Santo |
Amaro (Mundo .Novo), sobrado onde morou o Sr,,
Dr. Sabino.
Yeiidem-st) escravos pegas de ambos os se-1
xos: na ra Direita n. 54.
O juiz de paz do segundo dislricto da fre-
guezia de Santo Antonio da cidade do Recife, con-
tina a dar audiencia as quartas-leiras o sab-
bados na casa de sua residencia na roa Direita n. |
10, e sendo esses dias impedidos, nos antecedentes \
na meio dia.
Ao conimercio.
Urna pessoa habilitada em qualqucr dos sysle-
mas de escripturaro, dispondo de tempo. deseja
encontrar escripias para por em dia ou organisar,
bem como outro qualquer trabalho roncernenlo
sua proflssao : quem de seu prcstimo precisar, po-
de deixar carta nesta typographia com a inicial W.
Importante compra de 7150 covados de seda de todas as qualidades, proprias para,
vestidos de senhoras e de meninas, e vende-se por precos admiraveis.
Outros muitos objectos de *r"rittnir gqstes par!- sii&hnfaii, vastidos da- blonda para
casamento a 905 cada un>, capas pretas, soutambarqu.es decores pretos, chaposelc.
Fazendas de linho e de algodao as memores que cxistem no mereado.
O proprietano deste importante estabelecimento vai a Europa muito breve com-
prar fazendas de apurados gostos, presentemente vende as suas mercadorias por precos
baratissiroos para liquidar.
Protejan! Iodos. Protejan. Iodos a importante
LIQUIDACO
A loja da ra do Crespo n 17.
RA DO QUEMADO NUMERO 11
Loja de fazendas d>. Augusto Frederico dos Santos Porto
Chapeos para senhoras.
Ghegaram de Paris as mais lindas chapelinas e chapeos de palha da Italia para senhoras.
Ricas capas e soutembarques de seda preta e casemira de cor para senhoras.
Corles de superior moreniique branco para vestidos de noivas.
Camisas inglezas muito superiores para homens, pintos, punlios e colarinhos de iinho.
Chapeos de seda para cabeca e chapeos de sol de seda Bglezes.
Lencos de labyrintho francezes a 15 cada um.
Camisas de menino muito superiores. .
Cortes de lia de barra para vestidos de senhoras de 135 a 185.
A mesma loja tem o maior e mais superior sortimenlo de
jEsteiras para salas.
Neste estabelecimento encontrarao os senhores que precisarem forrar suas salas com esleirs
otda c qualquer quantidade que desejarera de 4, o e 6 palmos de largura, sendo a qualidade muito
superior o por mdico prego.
A luga-se
CLUB PEHYUlBlinM)
A reHBio familiar do correirte nez
ter lugar na noite do dia 21.
dent^eparTs"
19Roa Nova-19
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operac3es de sua arte, e col:'
loca dentes artificiaos, lado com superio-
ridade e perfeicito, que as pessoas enten-
didas Ihe reconnecem.
Ta agua e pos dentificio.
Wnmsm
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo A C
igeale* do Banco,L'nio do Porto.
Competentemente autorisados sacam por todo
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as scgaintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
Paris Frederic S- Ballin & C.
Hamburgo Joao Gabe te Filho.
Barcellona > Fraociseo Rahoba & Ballista.
Madrid > Jaime Meric.
Cdiz Crudito comraercial.
Sevilha Cnzalo Segoria.
Valencia M. Perera Y. Hijos.
Em Potm-GAL.
Amarantes. Angra Terceira. Figueira.
Arcos de Val de Caminha. Guarda.
Vez. Castello Branco. Guimaraes.
Aveiro. Chaves. Lagoa.
Barcellos. Coimbra. Lagos.
Bastos. Covilhaa. Lamcgo.
Beja. Elvas. Leiria.
Braga. Extremos. _. -
Braganca. Evora. Monao-
Faro. Fafe. Moncoiva.
Oliveira d'Aze- Piulial. Regoa.
meis. Porto-alegre. Setubal.
Penafiel. Thoniar. Vianna do Cas-'
Tavirai Villa Nova do tello.
Villa do Conde. Poriimao. Villa Real.
Villa Real de Vizeu. Madeira.
S. Antonio. Faial. S. Miguel.
NO 1MPEIIIO.
Babia. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer soiiuna prazo ou visia,podendologo
os saques prazo seren descontados no niesmo
Banco a razio de 4 por cento ao anno : a tratar
na ra da Cruz n. 1.
Balbina F. da Silva,Rosa, professora particular,
avisa aos pas de suas alumnas que mudou-se da
:,rua.dQ Vigario para a da Liugoeta n. 8, segundo
: andar, aonde contina a ensillar as materiss pri-
| marias, aiancando que ser solicita no desempe-
I uno de seus deveres, am de que as pessoas que
Ihe confiarem suas fllhas, Gquem satisfeitas.
Festividade de N.8.das Ne-
ves na Paraliiba.
Havendo numero sufflcienle de passageiros lar-
gar deste porto para oda Parahiba, um dos' va-
pores da Coinpanhia Pernamburana, na tarde de
4 de agosto prximo, devendo voltar no da 8. As
pessoas que desejarem assislir aquella festa, quei-
ram inscrever seus comes, desde j, e at odia 30
no escriptorio da Companhia, Forte do Manes nu-
mero I.
Souza Ha Primo compraram a taberna sita na
ra do Padre Floriano n. 41 ao Sr. Antonio Jos
Marques Ferreira Pombal, livre e desembarazada:
se alguem se julgar com-direito mema, ap'pare-
ca nestes tres dias. Recife 16 de jutto de 1804.
A afericiio foi tranferida da rtia Velha para
o buceo da Tarnbi, casa da porlao largo.
COMPRAS.
Jolffe que o engenho d'Agua do Sr. bacharel
Francisco Joao Carneiro da Cunha nao pode ser
vendido por causa das disposicoes testamentarias
a que ainda est obrigado, como demonsirei no --,
Diario de Pemambuco de 18 de malo passado, c se t Ofpra-SC
, v no testamento de Heorique Poppo Giro, senhor cobre e lati : no armazem da bola amarella no
que foi desse engenho, e junto aos autos de inven- pililo da secretaria de polica.
tario e partilha do mesmo engenho no cartorio do
jSr. eserivao Baptsta desta cidade, e lambem por
i me estar liypoihecado : protesto pugnar pelos di-
| reitos do testamento, se as leis do paiz me derem
,estedireilo. Recire lo dejulho de 1864.
Marcelino Jos Lopes.
A ttenco
Deparei no Diario com^um annuncio do Sr, ba-
charel Francisco Joao Carneiro da Cunha, declaran-
do ter constituido seu procurador bastante para
tratar de seus negocios commerciaes e judiciaes ao
Sr. Antonio da Rocha Accioly Lins; e por isso per-
gunto ao Sr. procurador se tem dinheiro desse ba-
charel para pagarme urna sentenca commercial
que me deve o mesmo. Recife 16 dejulho de 1864.
_____ Marcelino Jos Lopes.
Compra-se urna barcaca de 400 sacos, em
estado de navegar, e que seja de boa coustruccSo,
tambem aluga-se no caso de convir : a iratar na
ra do Trapiche n. 17, primeiro andar.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
j daga-se bem: na loja de bilhetes da praca da Inde
; pendencia n. 22.
Xa ra do Imperador n. 3o, si-gundo andar,
compra-se um escravo moco e sadio, sendo bom
offirial de pedreiro.
Compra-se um selim inglez em bom uso: na
rurdo Crespo luja n. 18.
Comprase cobre velho : na ra do Urum uu-
mcro 78.
Aluca-se o quarto andar do sobrado da ra
Nova n. 19 : a tratar na ra da Cadeia n. 6i, se-
gundo andar.___________
Aluga-se o terceirn andar do sobrado da ra
do Amorim n. 37 : a tratar na ra da Cadeia n.
62, segundo andar.
Caixeiro.
Kn'ula v una noria.
Compra-se para urna porta de tima casa terrea :
na ra Nova, escriptorio dos Srs. Quinteiro &
Agr._____________
Compra-fe o Diario e Pemambuco de i de
Janeiro de 1863 : no armazem da bolla amarella,
no oilao da secretaria de polieia.
Precisa-se de um caixeiro de 12 14 annos, com
pratiea de taberna, e d fiador a sna conduela :
na ma da Madre d.i Dos n. 9.
Na ra do Mondego n. 12, engomma-se com
perfeieao.
VENDAS.
Veadem-se

NO
ABHAZEII
DE
um sobrado de um andar ou casa terrea, no bairro
da Boa-Vista, que admilta urna grande familia : a
tratar com o Sr. tntonio Carneiro da Cunha, no
largo dos Coelhos, fabrica Sebastopool.
Altigam-se quatro casas terreas, urna na fre-
guezia da Boa-Vista, ra dos Piaicres n. 14, com
commodos para grande familia, carimba c nuintal
murado, duas ditas na freguezia de S. Jos, tra-
vessa do Freilas ns. 14 e 26, urna na freguezia do
Recife, em Fra de Portas, ra do Pilar n. 'J2, pro-
pria para taberna : a tratar no Recife, travessa da
Madre de Dos n. 18 : a Halar das 6 s 9 horas
do dia.
Jos Bento de Soma, natural de Portugal,
('om armazem de molhados na Capunga,idade de 23
anuos, nao o mesmo que annunciou relirar-se
:i.i provincia.
Joao Machado Uuimaraes, subdito portuguez,
vai para o lijo de Janeiro.
Precisa-se alugar um sitio que tenha fructei-
ras e algnm pasto para vaecas, prefere-se as estra-
das d'>s Afflirtos. Itosarinho ou Joao de Barros : a
Halar na ra da Aurora n. 68.
Attcncao
Na na da Palma n. 41, taberna, tem pao quen-
te das ."> horas da tarde em diante.
Aluga-se um silio na estrada da Ponte de
Cchoa e a margem do rio, puuco adianle do lllni.
Sr. coiiiinendador Nery Ferreira, tendo banheiro,
palanque, galinheiro e outras acommodacoes; e
outro dito no Monteiro, em frente ao oilao da igre-
ja : a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Sou-
za, ra do Crespo n. lo, ou estreila do Rosario nu-
mero .'(.
Miguel Jos Barbosa Guimaraes socio prin-
cipal da firma de Guimaraes & Lima, faz sciente
a todos os devedores a esta firma que tendo falle-
cido o socio Jos de Almeida Nones Lima, est
procedendo a liquidaco da mesma e por isso pe-
de a todos os devedores o especial favor de inan-
darem saldar seus dbitos o mais breve possivcl.
Recife, 9 de julho de 1864.
Ilevista do Instituto Archcolo-
gieo e Cieographico Pernam-
foneano.
Acham-se venda os 3 primeiros nmeros, na
vraria Econmica de Jos Nogueira de Souz,
junto ao arco de Sanio Antonio, onde se subscre-
ve para esta Revista :
Por anno .... 35000
Nmeros avulso 15500
Jacintho Rodrigues da Silva retirase para o
Maranhao.______________________________
Augusto Cesar Fernandes Eiras, retirando-se
para Europa, deixa como seu procurador nesta ca-
pital o Sr. Victorino Jos de Souza Travassos J-
nior.
COMMHIA
DE
i Seguros Martimos Indem-
nisa clora.
%_fe
m
a._iir_\ Di) $io____v;DJ>ai)
LTXIRO ve;;2.
1
__
)U
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de ^3
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concer- _w
"^ rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um S
W grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras, g
#< homens e meninos.
30,5000 Ditos de setim preto. 5#000;j|
_5 A directora desla companhia convida os senho-
Joao da Silva Ramos, medi'co pela L'ni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s II horas da maiiliaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manliaa.
Tem sua casa de sade regularmente j
montada para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tiea qualijuer operacao cirnrgica.
Para a casa de sade.
Primeira elasse 35000diarios.
Segunda dita.... 25300
Terceira dita.... 25000
Este estabelecimento j bem acredi-
res acci- uistas para reunirem-se em assembla ge- |>Jg tado pelos bons servicos que tem pres-
ral, no escriptorio da mesma companhia, uo dia 20
do corrente, pelas 11 horas da manhaa, afim de
proeader-se a discusso dos ivos estatutos, j dis-
irllxiidos pelos mesmos senhores accionistas.
Recife 13 de julho de 1864.Os directores,
Joao da Silva Regadas.
Francisco Joo de Barros.
Miguel Jos Alves.
Attenco
A pessoa que annunciou querer comprar um
alambique de cobre e seus utencis, appareca no
enjjenho Arendepe, silo na freguezia de Ipojuca
para ver, que no mesioo engenho ter pessoa au-
torisada pelo Sr. Francisco Lins para vender.
~~ Aluga-se a casa assobradada, a ultima a
niargein do rio que vai para a cidade de Olinda :
1 tratar na ra larga do Rosario n 10.
I Casacas de panno preto, 35$ e
l Sobrecasacas idem, 30$ e .
i Paletos idem e de cores, 255,
205, 130 e......
Ditos de casemira, 200, 15$,
! m,me......
i Ditos de alpaca, 5$, 45 e .
j Ditos ditos pretos, 95, l,
55. 4 e......
Ditos de brim e ganga de co-
res, 4,5500, 4& 3,-5500 e. .
Ditos branco de linho, 6,?, 5$ e
Ditos de merino preto de cor-
dao, 10-3, "(5 e.....
Caifas de casemira preta, 12$,
10,5, 85e......
Ditas de cores, 95, 85 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 55000 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 45500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 55, 45500, 45 e .
Ditas de ganga de cores, 35 e
Colletes de velludo preto e de
05 e.......
105000 Ditos de Tguro de seda
pretos e u cores, 65, 55 e
75000 Colletes de fusto e brim bran-
35300 co, 35300, 35 e .
Seroulas de brim de linho,
35^00 2500 e ......
Ditas de algodo, 15600 e. .
7_X5; Camisas de peitos de linho,
40000 45, 35e. .
Ditas de madapolo, 25500,
55000 25 e........
Chapeos de massa, pretos fran-
75000 cezes, 105, 95 e. .
75000. Ditos defeltro, 55, 45,35500 e
Ditos de sol, de seda, 125,
45000 115, 75 e......
Collariobos de iinho fino, ulti-
45000 ma moda duzia. .
Sortimento completo de grava-
25500 tas.
25500 Toaihas para rosto, duzia, 115,
mam
_?
45000
25509
j
25000 I
15400 i
Aluga-se o segundo andar da ra da Moeda
o. 29,com commodos para familia: a (ratar na
travessa do mesmo sobrado n. 29.
(J Sr. I). A. L. S. queira vir prestar coalas
na ra Nova n. 37, de um negocio que Ihe diz mal
sob pena de >er o sen nome publicado
e declarado qual o negocio.
l'rciisa-se alugar urna aun que saiba COSi-
m i nhar e engommar com perfeieao para casa de-
> pouca familia preferindo-se escrava : ra Direi-
E la n. 78.
tado.
O proprietario espera que
nue a merecer a conlianea de
pre lem gozado.
elle conti-
que sem-
m
Anlonio Alves da Cosa e Lucio Jos de Car-
valho, abaixo assignados, fazem sciente ao respei-
tavel publico ecom especialidade ao corpo do corn-
mercio, que nesta data dissolveram amigavelmen-
te a seeiedade que tioharn na paitara sita na tra-
vessa do Lima, em Santo Amaro, que gyrava sob
a razao social de Costa & Carvalho, pertencendo o
por inteiro dito estabelecimento de hoje em dianle ao ex socio
Antonio Alves da Costa, a qucnl igualmente com-
pele a liquidaco do activo e passivo da exlmcta
Orina social. Recife 12 dejulho de 1864.
Antonio Alves da Costa.
Lucio Jos de Carvalho.
25500
15600
m
m
85500 H
25000 m
Precisa-se de um pequeo para caixeiro de
i taberna : na ra di Concordia n 23.
No dia 11 do corrente, pelas 7 horas da nia-
nha, fugio do sobrado n. 24 do largo do Terco,
um papagaio : quem o ti ver pegado, querendo
restituido, pode leva-lo mesma casa, ou ra
estreita do Rosario, loja n. 2i, aonde se dar signal
certo c se gratificar.
De bordo do brigue escuna brasileira Cisne
fugio o escravo Joao, mulato, de 14 annos, baixo,
gordo, com a marca deum golpe no rosto, claro,
cara redonda, e julga-se que-nao ter sabido da
cidade, visto ser desconhe-cido na trra e ter fgido
por vadiaco : quem a agarrar pode dirigir-se ao
escriptorio de Amorim Irisaos, ra da Cruz n. 3.
Desde 12 do corrente est
a casa da ra Augusta n. 112 :
Nova n. 59.
para ser alugada
a tratar na ra
e........
cores, 95 e......75000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
Ditos de casemira preta, 55 e 45000 tos e de cores.....45000
Ditos de ditas de cores 55 Lences de bramante de linho. 35000$.
45 e........35500 Cobertas de chita chmeza.. 2^500 jjj
____
Eeconhecimento.
Srs. redaciores. Sirvam-se Vmcs. de collocar
nas columnas do seu conceituado Diario [de Per-
tambuco, o seguinte protesto doreconhecimento.
Eu abaixo assignado, venho por bem de meu de-
ver e peranle o publico testemunhar a dignidade
do Sr. BernardiRo Antonio Pereira Bastos, as ma-
neiras delicadas e atienciosas, tanto delle c jiuo
de sua Exm. senhora, que irecebi em todo o tem-
po queestive em sua casa ; assim como urna at-
CAS4 M VOITIM.
AOS 6:000,000
Bilhetes garantidos
A' ra do Crespr n. 23 e casas do eostume
O abaixo assignado tendo vendido nos seus mui-
to felizes bilhetes garantidos os dous quarlos n.
2713 com a sorte de 6:0005000, e o meio n. 3249
uu uuotJii'& tiii suu ru?.i rtJMHi innmi unid til' !,-,_ .,.,, a a.a__r\_t ___Ti _. arvn
tengaoreconhecedoraque o mesmo Sr. teve para t^umSTL_^____fS irl?,8,^!? ?nS,or'
comigo pelos servias que Ihe prestei no seu Ll.e 6005, e outras mu.tas de 2005, 4005, 40 e
estabelecimento durante o tempo que nelle existi;
desde j me protesto anaf inteiramente grato
em urna destinta consideracao em qualquer parte
que o destinme col loque. Pemambuco, 15 de
julho de 1864.Ricardo Jos Gomes da Luz.
AO CftlH.KHO
O abano assignado faz sciente ao respeitavel pn-
ilico e principalmente ao corpo commercial que
iesta. data, de commum accordo dissolveu amiga-
velmente a sociedade que linha com o Sr. Jos
Teixeira da Costa, no armazem do caes de Apollo
n. 23, para a compra de algodao, coj firma social
H_ de Molla & Costa; tirando o dito Costa cm o
referido armaaem, e portanto responsavel dora
em diante pelo alugnel e mais despezas, Recife
16 de julho de 1864.
F.steviio Jos da Motta. .
O abaixo assigoado faz ver ao respeitavel pu- -.
tilico que deixou de ser sea caixeiro o Sr. Elias
liairtista da Silva Ramos desde odia It do cor-
rente. Francisco Dotelho de Mondonga.
Reraardino da Silva Costa faz sciente ao res-
peltavel publico e com especialidade ao corpo do
0 abajxo assignado, subdito de S. M. F. ten-
do de retlrar-se para Europa no fim do corrente
mez, faz sciente ao rospeilavel publico que deu
sociedade em seu armazem de carne secca na ra
da l'raia n. 22, seu caixeiro, o Sr. Jos Tavares
Plnheiro desde o Io do corrente mez em diante, o
qual Oca girando sob a Arma de Romae & C., e
delxa por seas procuradores, em primeiro lugar o
Sr. Manoel Antonio de Carvalho e Silva, em segun-
do o dito seo socio Jos Tavares Pinneiro, e em
terceiro ao Sr. Manoel Jos de Miranda. Assim
como faz sciente que jolga nao dever a pessoa al-
guna, mas que,se por acaso alguem se julgar seu
credor, tenha a bondade de se apreseatar, afim
de ser pago, no caso de ser real. Recife, 18 de
julho de 1864. Antonio Domingues Marques Ro-
JacinJlio Rodrigues Silva retira-so para o Ma-
ranhao.
Fugio na tarde do dia 16 do corrente um
escravo pardo, de nome Marcos, desembarcado
-commercio, quo nesta data venden ao Sr. Luiz Al- do hiale Santa Annn, vindo do Aracaty, tendo
ves Vilella i sua taberna d largo do Paraizo n. de idade 28 annos pouco mais ou menos,, e os sig-
S6, jlvre e desembaragada. Recife 15 de julho de naes seguintes : altura regular, seceo do corpo,
.SS4"
Despachos.
Despachos de exportagao e rmportagao, impres-
eos em um bem papel, e por prego commodissimo :
na ra do Imperador n. 15, defronte do convento
de S. Francisco.
pouca barba, cabello crespo, levou camisa e
i caiga de algodaosinho de riscado azul e cha-
peo de palha, tendo levado comsigo umairouxa
com mais >oupa. e rendido de urna das terrlhas ;
quem o appreender quoirj leva-lo ra da Madre
de Deus n. 38, ou ra do Hrum n. 55, que ser
, recompensado.
205 da lotera que se acabou deextrahir benefi-
cio da Santa Casa da Misericordia, convida aos
passuidores de ditos bilhetes a virem receber seus
respectivos premios sem os descoatos das leis, em
seu estabelecimento ra da Crespo n. 23.
O mesmo tem exposto venda os no vos e felizes
bilhetes garantidos da primeira parte da primeira
lotera a beneficio da igreja de S. Francisco de
Serinhem,que se exir.ilnr sexta-feira 22 do
corrente.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 75000
Meios......... 3*300
Quartos........ 15900
Para as pessoas que comprarem
de IOO5 para cima.
Bilhetes........ 65000
Meios......... 3|250
Quartos......, i|7fJ0
Manoel Martins Fiuza
Alga-se o sitio dos Burilys no Areaial, aon-
de foi a imprensa de lavagem :" a tratar na ra
Nova n. 50.
Aluga->e a lo.adacasa n. 40 da ra das Trin-
cheras : 11a ra da Aurora n. 36.
Precisase alugar um preto forro ou escravo,
para o servigo de una casa de pequea familia :
na ra da Aurora n. 74.
Precisa-se alugar urna preta que saiba cozi-
nhar e engommar : quem a tiver, dirjase ra
do Trapiche n. 4, que achara com. quem tratar.
Aluga-se o terceiro andar da casa n. 48 na
ra do Trapiche : a tratar no armazem da mesma
rasa.
Sociedade de segaros mullios
de vida insta I la da pelo Banco
Unio na cidade do Porto.
Os agentes nesta cidade e provincia Antonio
Luiz de Oliveira Aze vedo C escriptorio na roa
da Cruz do Recife n. 1, estao autorisados desde j
a tomar assignaturas e prestar todos os esclarec
menios que forem necessarios, as pessoas que de
sejarera concorrer para to til e benfica empre
as, egurando um futuro lisongeiro aos associado-
Ausenlou-se da c.sa da abaixo assignada. 110
da 13 do corrente, pelas 9 horas da noite, a criou-
linha livre, de nome Uersulina, com idade de 13
annos, levando alguma roupa de seu uso : roga-se
a qualquer pessoa que della tiver noticia 011 a te-
nha recolhdo em sua rasa, o favor de levar ou
participar a mesma abaixo assgnada, na ra do
Sebo n. 38, que Ihs liear muito agradecida.
Francisca Mara da C. /\raujo.
as frvus dfiUeiix Mondes de lo de margo, [ de
abril, 1" e 15 de niaio, lde junho, 1'' e 15 de apos-
to, Io e 13 de outubro, 15 de novembro, 1" e 15 de
dezembro de 1863, Ia c 15 de Janeiro, 1> e 15 do
fevereiro de 1864, |a 15200 cada volme; Jornal
das Bellas Artes por 25000; Uwlas Peninsulares
por Jos de Torres por 25000:F/o< mu [ruto por
A. (iarrel por 15000: Passeios e pUuatasias por
Julio Cezar Machado per 15900; lina hora de lei-
tnni por S. Iiljiiro de S por 6110 rs.; Archivo Pit-
tormo do anno de 1860 por 35000 : Tablean rliis-
tmque de la revolution de ISIS : por 1-V200; n
que ha ile srr o m-wlo no anno de tres '/por
2-jiWO; Cuncioneiru de Joo de Unios per 15600;
A missio especial do visconde de branles por 25 i
na ra do Crespo 11. 4 loja.
Vemkiii-se caixes vasios a 1:760
cada um : na ra das Cruzes n. i i.
Vaecas.
Vendem-se algumas vaecas bas leiteras. por o
dono se retirar : no Manguinli >, sitio n. 71, ra
Real.
Queijos a '-s o 2-V200
chegados no vapor de honleui, vinho de Lisboa a
2560-1 a ranada o 360 rs. a garrafa. Figueira a
:i-52O0 a caada e 440 rs. a garrafa, batatas :< 1%
a arroba e 40 rs. a libra, linguigas do serio a 36
rs., e de Portugal 640 rs., arroz a 80 e !') rs.,
manteiga ingleza flor a 800 rs., franceza a 600 rs.,
cha miado a 600 e 25400, caf a 300 rs., banda
refinada a 360 rs., loucinlw a 2^0 rs., f.-ijo nula-
linho novo a 180 rs.: no armazem da Estrella lar-
go do Paraizo 11. 14.
A _$0U0 a p'<-;.
Vendem-se pegas de algodozinho com pequeo
loque de avaria, propro para roupa de escravos e
toaihas, pelo barato prego de 4.5 a pera : ra do
Qaeim.ido n. 14.
Vende-se 0 sitio da travessa dos Remedios,
freguezia dos Afogados n. 21, no estado em que se
acha : quem o pretender, enlenda-se com o seu
proprietario Caetano Pinto de Veras, na ra de S.
Francisco,sobrado n. lO.como quem vai para a ra
Relie__________________________________
Viiilio do Porto superior
rm caixas de una e duas duzias : tem para ven-
der Antonio Luiz de Oliveira Azcvedo C, no seu
escriptorio ra da i'.ruz n. I.
(iranunalica ingleza
D. Appleton ^.....V..V...,.
res em New-York, Estados Unidos da America, oOpatOS 6
(S C. lvreros,editores e imporlado-
Piano e guarda roupa.
Vende-se um piano de Dlondel e Vignes. e um
guarda-roupa de cedro.de armar e desarmar, qua-
si novos : ni ra Augusta n. 34.
horradla a _, acaliam de publicar um novo methodo para os in- i
glezes apreinlerem a lngua portugueza por F., /''-r
Granen. 1 rol. 12 mo. No armazem de Joaquim Francisco de Alem lar-
Bata livro, o melhor at hoje publicado ex- go da Assembla n. I.
pressamente impresso para supprir a immensa fal-
ta que ha de urna grammatica ingleza e portu-
gueza, para aquelles que fallam o inglez e que de-
sejain aprender a lingua portugueza.
D. Appleton C. sao os editores das obras em 1
hespanhol para educagao muitissimo usadas no
sul da America. Tambem publican) os melhores
albuns para carines de visita.
O Dr. Prxedes Gomes de Souza Pitanga
convida a seus amigos para ouvirem una missa
na matriz da Roa-Vista, pelas 8 horas da manhaa
do dia 19 pelo repouso eterno de sua esposa D.
Leopoldina Carolina de Souza Pitanga, fallecida na
llahia no dia 30 de junho, e agradece desde j
aquellas que se prestarem a este acto de caridade.
Fumo imperial
Cortado igual ao fiancez muito proprio para ca-
chimbo, em latas de 1 libra, quando nao seja me-
lhor igual ao americano por 15200 rs., para veri-
ficar a verdade os Srs. tomantes podem-se dirigir
fabrica vapor de cigarros antiga ra dos Quar-
teis de Polica n. 21.
Vende-se
Saques sobre Portugal.
O abaixo assignado, aulortsado pelo
Cauco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por lodos os paquetes sobre
as pragas de Lisboa e Porto, e mais luga- 9
res do reino, por qualquer semina a vis- I
la, e a, praso ; poden Jo, os que tomaren) S
saques a praso.receberem avista, no mes- sK
mo Uanco, descontando 4 OjO ao anno: na Wt
loja da chapos da ruado Crespo n. 6, ou S
na ra do Imperador a. 63, segundo ao- 1
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
__><___
IJCsX^J
Vincenzo Mardigla, Joseph Mardglia e
Francisco Anlonio Ciffooi, subditos napolitanos, vio
a Europa.
Precisase alugar urna ama forra ou captiva
para todo servico de urna casa de pouca familia : deaux, differentes qualidade.s mais baratn j
a tratar na ra da Cadeia do Recife n. 19, primei- qualquer parte : no armazem de E. A.
ro andar. | rj. ra da Crafti. 48.
por pregos commodos tres moradas de casas ter-
reas ns. 48, 54 e 73, siias na ra do Motocolomb
dos Afogados : a tratar na ra do Imperador n.
57, armazem Alhanga.
Salitre retinado, superior qualidade, vinho B>
i\
f.
Corbeniaho de Aquino Fonseca tendo acaba-' Vende-se una pequea taberna na travs.-
do como seu armazem de assocar declara que do Pombal n. 20, freguezia da Boa-Vista : quem a
nao deve nada nesta praca oa fra della, quer por
aceite de letra, quer por corita da livro.
O general Solidonio Joi Antonio
Pereira do Lago, i)5o podendo dcs-
pedir-se pessoa I mente de todos os
seus amigos pela presteza de sna
viagem, pede dcsculpa dessa falla,
e oflerece seus serrinas' na cftrte
do Rio de Jan.eiro.
?8J_lj_l^8H-l ^"?lf^__l
-r Precisa-se de um copeiro : fia ra das La-
rangeiras. casa de pasto n. 10.
Arrenda-se, vende-se, ou mesmo troca-sepor
casas na praga um sitio na Vartea margem do
anier Capibara, com duas grandes casas, com
7 quartos, 4 salas, S rozinhas e om sotao, tendo a
parte coebeira, estribara, e quartos para criados,
lodo na_H-M d a*wores de fructo, abacates, sapo-
lis frucia-pao, liiii.o doce, limas de umbigo e da
Pe'rsia, larapgeirs de unhjgo, seleUs, tangerinas,
etc., um grande causal cora fructas, jaqueiras,
manguiras, coqueiros, dendezoiros, com mais no
fundo urna casa de taipa, e bem assim mais 4 ca-
sas de lijlo acabadas de puuco lempo, com frente
para o nascente, muiu frescas, tendo cada urna i
salas, 2 quartos e.goznha fra : os prelendentes
dirijam-se roa do Queimado n. 27, loja de fazen-
das dos Srs. Custodio A Carvalho.____________
Na praga da Independencia, loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert, 9 igual-
mente se dir quem d dmheiw a premio.
Aluga-se um silio na estrada do Rosaruho,
com muilu boa casa de vivencia toda envidragada,
com muitos arvoredos de fructo, baixa para capim
e trras para plantarse : a tratar na ra da Man-
gtieira n. 7, com Clorindo Ferreira Cato, das 6
horas s 10 da manhaa. e das 3 da tarda em diante.
Biagio Scheltino e seu criado Biagio Bullego
subditos napolitanas, vo a Europa.____________
Aluea-se urna casa terrea _ecente, cora so-
lio aronria nara uraa familia, na ra dos Marty-
ros nTi18 : narua de AguaVcrdes n. 21, achara
com quem tratar.
__ Precisa-so de um caixeiro de 14 16 annos
de idade : na ra da Moeda, armazem-n. 47.
Precisa-s d um menino de idade de 12
14 anuos, para caixeiro : a tratar na roa da Con-
cordia, padaria do gaz. Na mesma precisa-se alu-
gar um relo.____________________________
Precisase de um cozinheiro ou cozinheira :
na ra do Imperador n. 27, defronte da ordera ter-
ceira de S. Francisco.
pretender, dirjase a mesma,
quem tratar a dita venda.
que
achara can
Vende-se um cabriojet
zo n. 26.
no pateo do Parai-
j ariuh.i de mandioca
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
Alves no seo, escriptorio, casa n. 19 da ra da
-juz
(ra-Yhe
mu
Biees cortes de cambraia de cor com barra
Mara Pa, (azeada inteiramente nova a 45000, so-
para acabar : na loja do Paredes Port,^ 48, ra
da Imperatjiz.___________________________
Maut'Aana.
Acha-se venda a novena da gloriosa Sant'Au-
na, bem impressa, e em brochura : na ra de Im-
perador n. 15.
*- Arrenda-se a propriedade Sata Cruz, sita
na comarca do Cabo, com boas matas e terreno pa-
ra plantar, tica (res quartos de legoa distante da
estagao da liba: a tratar na ra do Sebo n. 30.
' Tendo fgido da ra do Sebo para a banda da ^Z^JTJZv^ma- n'S"** ""*
campia da caixa d'agua, una araruana <** f-- "^em do caa* lU"'0a "' 16"
GAZ.
Vende-se gaz liquido americano da meHior
qualidade em lats de um, dous e ciaco galoes.
no ar-
mili arara) de oorsomente azul, com volta ama-' Vende se ama balanra grande com pesos ate
relia no pescoeo, levando no p argola de ferro : fl arrobas, urna corneta de chaves, e urna rotu-
quetn a pegar ou della tiver noticia, far o favor la. tudo em bom estado, farinha do Maranha a
de participar na mesma ra do Sebo n. 12, ou no 180 rs. a libra, c arroba a 55: os prelendentes.
largo da Assembla n. 20, prensa de algodao. que dirijam-se freguezia de S.Jos, ra dos Ajos-
ser gratificado. guinhos, taberna n. 20.

' l__l
*
o



UUrlo de (eratubueo Segunda letra. 18 de Jullio de 184.

UN1A0 MERCANTIL
RIJA I)Ai; MIEIA tt HBCIFE W.b 53.
NOVO E
OBANDE AB1AZ3H DE MOLHADOS
RA DA CADEIA DO REilFE A. 3.
Francisco Femandes Doarte acaba de abrir na ra da Cadeia do Recifen. 83, ern grande e sortido aimazem de moibados de-1
nmrunadn Vnia Mercantil. Neste grande armazem encontrar* sempre o respeilavel publico un ampielo sorlimer.to des melhore
cenerosqoe *em ao mercado, tanto esirangeiros, como nacionaes, os qnaes serlo vendidos em porpes ou a retallo 10 i tecos assa
tommodos.
Mantelga ifiglza especialmente escomida^
primeira qualidade a 900 rs. a libra,
en barril se faz aba timen to.
Maoteiga franceza a mais superior (
cado
oa meio
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
16200 a caada.
Azeite doce refinado em garrafas brancas a
800 rs.
a 6oo rs a libra, e 580 rs. em barril i Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
4^800 a caada.
a 500 rs. o frasco e
Prezontes inglezes para fiambre, de superior, Geneoxa de Hollanda
qualidade, ebegados neste ultimo vapor, a | 56800 a frasqueira.
720 rs. a libra. Caixinhas com ameixas francezas,
Queijos flamengos chegados neste ultimo
46000.
vapor a -
Queijo prato muito fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Castanhas muito novas a 120 rs. a libra e
e 36000 a arroba.
Cha uxin o melhor que ha neste genero
mandado vir de conta propna a 26800
rs. a libra.
Cha hyson muito superior a 26560 rs. a li-
bra ; cha byson proprio para negocio a
16500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 25 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com differentes
Dualidades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
outras muitas marcas a 16350.
Bolachiaha de soda era latas grandes a 25-
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 16500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 16 e 26 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 50') rs. a libra e 36 um quarto ;
eem caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior qne
tem vindo ao nosso mercado a 186 o gigo,
garante-se a superior qualidade.
Vioho Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 76500 a 86000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 96
a 10* a duzia, e 900 a 16 a garrafa; deste
genero ha grande porco e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 14 e 156 a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do Donro, D. Luiz,
Cames, Madeira secco, Carcavellos, Nc-
tar de 1833, Duque Genuino.
Vinho de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 36, 36200
e 36500 a caada.
Vinho branco de superior qualidade, vindo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
rs. de barril.
ornadas
com ricas eslampas na caixa exterior,
muito proprias para mimo, a 16200,16500
e2tf.
Frasco de vidro com lampa do mesmo, con-
teodo meia libra de ameixas francezas, a
15200.
Marmelada imperial, dos melhores conser-
veiros de Lisboa, em latas de 1 e meia a
2 libras a 600 rs. a libra.
Fructas em calda das melhores qualidades
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoas de casca molle a 400 rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs. a libra.
Amendoas confeiladas de diversas cores a
800 rs. a libra.
Macas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, s vista se faz o preco.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada ora.
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de
i libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 16200 a libra.
Chocolate hespanhol a 15200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 1.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
5^800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
e 16200 a garrafa.
Licores francezes das seguintes qualidades:
Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames
e de outras muitas marcas a 16 a garrafa
e 105 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
96 a duzia.
Mostarda ingleza em potes j preparada a
400 rs.
Mostarda ingleza em p, em frascos grandes,
a 15 cada um.
Sal refinado a 500 rs. o pote.
Sardinhas de Nanlesa 340 rs. o quarto e 560
rs. meia lata.
Latas com peixe em posta : savel, corvina,
vezugo, eberne, linguado, lagostioha,
16300 ri.
Salmao em latas, preparado pela aova artt
de cozinha, a 800 rs.
Macaa de tonales em latas de 1 libra a 60<
risj
Chouricas e paies em latas de 8 e meia libra
por 76.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra
85600 a arroba.
Bolaxinha ingleza a 320 rs- a libra e 45
barrica.
Sag muito novo a 240 rs. a libra. *
Cevadinha de Franca a 200 rs. a libra. _
Farinha do Maranbo a 120 rs. a libra.
Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Cevada a 120 rs. a libra e H a arroba.
Alpistaa 160 rs. a libra e 46800 a arroba-
Batatas muito novas em gigos com 40 fibras
por 16500.
Cebollas a 15 o molbo com mais de 100 ca-
da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 ri,
a libra e 96 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 rs. a li-
bra e 85400 a arroba.
Caf do Rio, proprie para negocio, a 85.
Arroz do Maranbo a 100 rs. a libra e 26800
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 2400
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas-
so e a 95 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixao.
Macarro, talharim e aletria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz abatimento.
Estrellinha.pevide e arroz demassa para sopj
a 600 rs. a libra e 35 a caixa com 6 libras
Palitos de dente lixados com flor a 200 rs
o masso, ditos lixados sem flor a 160 rs
o masso com 20 massinhos.
Gomma de engommar muito fina a 180 rs. a
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra t
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inteiras ou em meias, de
15600, 26 e 36.
Presuntos do reino, vmdos de conta proprii
de casa particnlar, a 00 rs. a libra; inte-
rose faz abatimento.
Acaba e receoer de sua propna encouiuieiida um giane e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer aos seus freguezes e ao publico em gcral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, aGancando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
PARA A FESTA
DE
S. JOflO E S. PEDRO
Amendoas confeiladas de 8oors. a libra. Licores francezes e portuguezes dassegura-
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 8oo rs,
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e 5oo rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras i
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado ns. 49 e 55, loja de miudezas
de Jos de Azevedo Maia e Silva, esi continuando
no seu progresso de vender baralissimo:
Capachos grandes e superiores a 500 rs. cada um.
Caixas de superiores obreias de cola e massa a
40 rs.
Cordo branco p3rt vestido e esparlilho, vara 20
ris.
Lianas de carretel (150 jardas) de superior quali-
dade a 60 rs.
Candes de linha Pedro V (00 jardas) j muito
condecida a 40 rs.
Crozas de peonas de ac de muitas 'nulidades a
superiores a 500 rs.
Caivetes de duas folhas porm finos a 500 rs.
Caixas com calungas muito boaitas para rap a
100 rs.
Franja branca e de cores para toalhas a 169.
Pares de botos para punho muilo bonitos a ISO.
Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a
120 rs.
Tinteiros de vidro com superior tinta a 160.
Ditos de barro rom superior tinta a 100 rs.
Groza de botes de loaca pratiados; o melhor, a
160 rs.
Tesouras para costura, o mais superior, a 400 rs.
Ditas para unhas muito finas a 400 rs.
Escovas para limpar dentes muito superiores a
200 rs.
Libras de laa de todas as cores (pesada) a "4.
Caixas de pbosphoros de segurauca a 160.
Ditas de papel amizade pautado o liso a 600 rs.
Ditas cora 100 anvelopes muito superiores a 800
ris.
Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
Cartas e taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas com superiores iscas de acender charutos
a 40 rs.
Carreteis de linha Alexandre (200 jardas) de cores
a SO rs.
Baralhos para vollarete muito finos a 240.
Cartas de alfinetes francezes muilo finos a 40 rs.
Meadas de linha f>xa para bordar a 20 rs.
Pares de sapalos de tranca muito superiores a
i600.
Papis de agulha com um pequeo toque a 10 rs.
Groza de botos de madreperola muito finos a
560 rs.
Cartes e caixas de celchetes francezes superiores
a 40 rs.
Donets para meninos muito finos a 1*500 e 2*.
Macos de grampos superiores e I i nipos a 40 rs.
Groza de phosphoros do gaz muito novos a 2*200.
Amia preta muito superior a 100 rs.
Caixas de rap com espelho a 100 rs.
Realejos para entreter meninos a 80 rs.
Pecas de fita de linho muilo boas 40 rs.
Ossenhore que comprarem de 1000000 para cima, tero o descont de 5 por cento, pelo prompto pagamento.
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim, i Petes de lago muito bonitos a 1*.
moraneros, limo, caf, laranja, cidra, gin- Enfeites de laco de todas as cores a 1*300.
ia rnnella rravo nrlel nimenta a 1 000 Rodas com alnneles francezes a 20 rs.
ja, canelia, cravo, onea pimtnta a .ooo &. com js de ^ iaes a
rs. a duzia l,ooo rs. a garrafa, garante-se 240 rs ^
que os melhores que temos tido no mer- Sabonetes de familia a 80,160 e 320.
ra,|0 I Caivetes de duas folhas muito finos a 320.
Pactas muitn nnvn Passas muito novas em manos e imeirus a Sapalos de lranca para sentara e para homem. os
2,000 rs o quarto, a 6,o00 a caixa e 400 meit,ores que tem vindo, e por preep muito barato:
rs. a libra. "^
dem corinthias proprias para podim a 9oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16 rs. a libra.
Ervilhas francezas ertflatas a 6oo rs.
Potes com sal refinado a '48o rs.
Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
fazenda especial.
8oo
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cimaa2,7oo, I
dem hvsson o mais superior que se pode
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima (
a 2,aoo rs.
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras
para cima a 2,3oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, i, 6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior aesse que se vende
por, 2 c 2,loo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixobom para negocio a l.oo Presunto para fiambre inglezes a 7oo e
rs. a libra. rs. a libra,
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
rs< a bra. I Caixas de Iraque n. 1 a 8^500 cada urna.
Queijos do reino chegados neste ultimo va- Massas para sopa macarro, talharim aletria
por a 2,6oo. a 4oo rs. a libra.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,Goo rs t Cognac verdadeiro iuglez a 8,000 rs. a caixa
dem londrino o mais fresco que se pode e 8oo rs. a garrafa.
esperar e de excellente marca a 8oo rs. a dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
libra sendo inteiro, o a 9oo rs. a retalho. j garrafa.
Idtm prato es melhores emais frescos do Charutos em grande quandade e de todos os
morcado a 76o rs. a libra sendo intoiro. fabricantos mais o creditados a 1,8oo,
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes 2,000, 2,3oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-, os mas baixos sao dos que por ahi se ven-
da, Pec-nic, Fance, Machine e outras mu-1 ,]em a 2,000 e 2,5oo rs.
tas a l,3oo e l.4oo rs.
rs. a arroba.
dem de segunda qualidade a 8,5oo rs. a ar-
roba e 2o rs. a bra.
Arroz do Maranhio a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arrolla.
quem quizer ver, venha ra do Queimado ns.
49 e 55, e ver tudo como bom e barato.
& se m 0
es O CZ2 P 0 g 3 0
p^ P5 O ?s
0 bd -B 0u 9 B P-
& 1*i C
g ^ s 29
0 ES P- j QQ T3
0 ct> 0 O
O 0 B '--
GO "g5 QQ p s s cr* so P-O 0 0
M- r-K
1 O ffi
latas de 5 libras
RA DO QIEI9IADO 45,
Passando o becco da Congregado segunda casa.
mwkwm mi u
NO F1DADE.
Pereira Rocha A C. acabara de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarxm Commeraal,
onde o reoeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vera ao nosso mercado os quae*
ertoJeoSj^rpVecS muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella aba.xo mencionada ; garante-se o bom peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranho, da India e Java a60, 80 Cevadinha de Franca muito superior a 220. Peras^seccas muito nova-
e 100 rs a libra e 1800 a 2600 e 3 rs. a libra. Pamco a 200 rs. a libra.
1UU rb- d Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
novas a 600 rs. a libra-
a arroba Cevada a 80 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas e em frascos a Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
1-^00 e 16600 e mira seos grandes ajldem seccas muito novas a200rs. a libra.
0500 F'80S de comadre e do Douro em caixinhas
dem em' caixinhas elegantemente enfeitadas de oito libras e canastrinhas de i arroba a
com ricas estampas no interior das caixas 108OO, 5#>00 e 280 rs. a libra.
a 120000,10400, 10600 e 20. Farinha do Maranho a 160 rs a libra.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs. Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
a libra Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
Alpista a 'l60 rs. a libra e a 40600 a arroba.! a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
Azeite doce francez muito fino em garrafas dem ern garrames de .
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a Licores muito finos a /OO rs. a garraa.
dem, qualidade especial e garrafas moito
grandes, a 10800 rs. a garrafa,
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi-
dro, a 10000 rs., s a garrafa vale o di-
nheiro.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,ooo rs. ar-
roba, c 32o rs. a libra.
dem de sebo muito dura (inundo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, e em
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,2oo rs.
a 180 rs. a.
marcas a
libra.
Avelas muito grandes e novas
libra.
Biscoutos inglezes de diversas
10300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
Ditas inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor efinada a 440 rs. a libra e
e em barril a 410 rs.
Cha hysson, hochin e perola a 10600, ,
20500, 20800 e 30000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 10800,
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 e 80800 rs. a arroba.
Caribes de bolinhos francezes muilo novos e
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor e
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra,
e 70500 cada um com o garrafo. Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 rs. a dozia. Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
libra.
Figos em caixinhas ermeticamente laeradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam: Velbo de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Maria Pia,
Bocage, Chamisso e outros a 809, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000 e100000.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a bra.
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. a libra. dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial do melhores conservei-
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Massas finas para sopa : estrellinha, pevide,
rodinhas e letr'anhas a 600 rs. a libra e a
40 a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Peixe em latas preparado pela primeira arte
de cozinha a 10 rs. a lata.
Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
Palitos de dentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas confeiladas a 900 rs, a libra.
Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
20 e em caixao a 64U rs.
muilo bem enfeitados a 700 e 600 xs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a Palitos do gaz a 20200 rs. a grosa
jjbra, i Paseas muito novas a 480 rs. a libra.
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 506 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Jaita a 700
e 800 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs.
a duzia.
dem Morgaux eChateauluminide 1854, a 10
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
10200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porco de outros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porces como
retalho.
Qaem comprar de 1000000 para cima to-
ra o abate de 5 por cento.
Mn' Caf de premeira qualidade a 8.800 e 9,.*>oo
Polvos chegados ltimamente do Porto a 32o |
rs. a libra.
Btalas novas em caixas de 2 arrobas a 50 a
caixa e 60 rs. a libra*
Balachinha de Craknel em
bruto a 4,000 rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 2,000 rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial (pie se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Cartoes com bolas francezas proprios para
mimos ou para anjos que vo as procis-
ses a 600 rs. cada um.
Papel de botica de excellente qnalidade a
22oors. a resma.
Peras seccas as mais novas do morcado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em latas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
Fruas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 64o rs. a
lata.
Idemem caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 800 rs. a libra,
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V. nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca, Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a 10,000 e
l,ooo rs. agarrafa,
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,000 a caada,
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
n **\T\'\l\'\
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa,
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composico a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
Farinha do Maranho a 240 rs. a libra.
Bicas caixas com figos a l.ooo rs. cada urna.
Bicos livros com figos 1,00o rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafes com 4 V garrafas de vinho supe-
rior 12,5oo rs. com o garrafo.
Atiene a o
O dono da lojadoBtija-or, na ra do Queimado
n. 3, acaba de abrir um outro e>pacoso eslabck-
cknento de miudezas na mesma ra n. 69, porto
avisa aos seus fregup7.es c amigos, que net-tes dous
estabelecimentos enconlrarao sempre grande sorti-
mento de iniudezas, perfumaras eobjeelos de pon-
tos; e vender sempre mais barato que oulro qual-
quer, como abaixo se vera.
".'entes domados de travessa.
Delicados [.entes d>>urados de travessa para me-
ninas a 15500 cada um, ditos sem er doorados a
300 rs. cada um : as tojas do Ileija-Qor, roa i!o
Queimado n?. 63 c 69.
Vnlliiilias de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruzes de h -
dradas imitando a brilbantes a l cada urna : as
loj?s do lieija-llor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Linas de Jouvin
Chrparam pelo ultimo vapor as desojadas Inva-
de Jouvin de todas as cores, lano para horneo.)
como para senhoras : as lujas do Beija-Bor, na
do Queimado ns. 63 c 69.
Taltirres para meninos.
Vendem-se lalheres de cabo de balanco para me-
do Beija-flor,
caixa a 52o rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os nin'0V'a sVrV.TtaTher ~ as loja
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res- ra do Queimado ns. 63 e 69.
ma, j se venden por 7.ooo rs. Calieres de metal principe.
Ida^f\rauUdoelso3.ooors.a, J$<*&*Jg!lSSgt!
dem de peso pautada e liso a 2,ooo rs. a ch ^ ^ e'400 a 0Ia< ditas ,,, aSnfar a
resma. 500 rs. cada orna, ditas para tei ria a 4-3 cada
urna, e s quem vende por estes precos as loja
do Beija-flor, ra do Queimado us. 63 c 69.
a resma. Facas e garfas,
dem embrulho de 1,2oo a 1,400 rs. a resma, i Vendem-se facas e garios oilavados a l|*M a
Ameixas francezas em latas de 1 '/' ''Jra a auzia> di,as erandaa, cabo preto e branco a :t
i j/,r. finn re i lihpa duzia, ditas de balanco de 1 botio finas a 503OO
1,200 e 800 rs. a uora. dj(as de 2 ^-^ mu>|0 nnas a gp a dn7ia djfas
dem cm frascos de 3 libras a 2,000 rs., S O de 1 boto para dsces e fructas a 3* a duzia dias
rs;. tambera temos em de 2 botoesa ^200aduziaj U> lojas do Beija-
dem cora 4 /* ditas de venagre a 1 ,ooo rs. o
garra fio.
Vinagre PBB era ancoretas de 9 caadas a
15,000 rs. com a ancoreta
dem empipa puro sem o batismo a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,800 rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
frasco valle l.ooo
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Molhos inglezes a 800 e l.ooo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
bem arranjado possivel a 1,80o e 2,8oo
rs. a lata.
Cerveja Tenente verdadeira a 6,800 rs. a
duzia.
Mem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
c 6,000 rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l.ooo rs. o raolho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs. '
dem em garrafes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa. .
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a32ors. a libra e
lo,ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba. .
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas al,000 rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,000 rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e l.ooo rs. o
caixo.
b^roDdeS '"grande armazem Unio e Commercio declara aos seus fregu
zes e amigos e ao publico era geral, que para facilitar a commodidade de todos esl.pulou
os mesmos precos nos seguintes lugares:
Uniao e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas, a peca a 15100, l200
e Ifi300 : as tojas do Beija-flor,*rua do Queimado
ns. 63 e 69.
ttabados bordadas.
Vendem-se babados bordados de varias larguras
a peca a I600, i800, 2, 25200 e 2400 : as
lojas do Be'ja-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Lindos sapatiilMs.
Vendem-se lindos sapaiinhos para baptizados de
criancas a 1500 e 24 o par : as tojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e 9.
Botoes para alies.
Vendem-se botSezinhos de madreperola e de mar-
Sm para pnnbos a 320 rs. o par, ditos enrarnadi-
nhos a 120 rs. o par : as tojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas para de broa de vestito.
Vendem-se fitas de lia de todas as cores para
debrom de vestido a 900 rs. a pea, ditas prrtas
de seda a i100 a peca : as tojas do Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas brancas para debrua.
Vendem-se pecas de lita branca de linho para
debrnm a 400 rs. a peca : as lojas do Beija flor
na ra do Queimado ns. 63 e 69.
Iticas fitas lavradas.
Vendem-se muito ricas fitas lavradas para simo
de senbora e meninas : as lojas do Beija-flor, roa
do Queimado os. 63 e 69.
Espelb.es de Jacaranda.
Vendem-se espelhos de columnas, de Jacaranda.
a 34 e 4,S>300 cada um, ditos de madeira amare lia
a 24400 e 24000: as tojas do Beija-flor, na roa
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas de velludo estrellas.
Vendem-se Ottnhas estrenas de relindo para ea-
feite de vestido a 900. I e 15200 a peca: as lo-
jas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Trancas de lia para bardar.
Vendem-se trancinhas delaapretas para bor-
dar camisnhas e vestidos a 80 e 160 rs. a pecinha.
ditas brancas com 40 varas a 600 rs. a prca, e ou-
tras muitas cousas que se tornarao enfadonho men-
ciona-las, pois s com a vista se poder vero gran-
de sortimento das lojas do Beija-flor, na ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Sal do Assa'
Vende Antonio Luiz de Oliveira Azevedo *
no sea escriptorio roa da Cruz n 1.
I
i

i
c.
/


Diarlo 4c f erisambuco Seguiida felra 18 _e lulho de 1S34.
Grande liquidadlo
df faiendas na leja do Pavan, ra da laperalrii .
60, de Gama & Silva.
AcO.vse esta estabelecuneoto completamente sor-
tidode fazendas inglezas, francezas, aliemes e
suissas, proprias tanto para praca como para o
mato, promettendo veoder-se mais barato do que
em outra qualquer parte principalmente sendo em
porcao e de todas as fazendas da-se as amostras
deixando flcar penhor ou maodam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da leja do Pavao.
As hilas do Patito.
Vendem-se superiores chitas claras e escuras pe-
lo barato preco de 240 e 280 rs. sendo tintas segu-
res, ditas francezas finas a 320, 340, 360, 400 e
500 rs., o covado, ditas pretal largas e eslreitas,
riscados escocezes finos a 240 rs. o covado, isto na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva. t*M"
As cassas do Pato a 2i, 280, 300 e 320 rs.
Vendem-se Unissimas cassas persianas coros fi-
xas a 320 rs. o covado, ditas francezas muito finas
a 240 e 280 rs., ditas ingzezas a 240 e 280 rs. o
covado, tiuissiino organdy matisado cora desenhos
miudinhos a 320 rs. o covado, cassas garibaldinas
mnito finas a 320 rs., isto n loja do Pavao ra da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As laiiuuas da posice do Patio.
Vendem-se as mais modernas lazinbas mossan-
bique cllegadas pelo ultimo vapor francez sendo
de urna s cor ou de listas miadinhas com 4 pal.
mos de largura, proprias para vestido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baralissimo
preco de50 rs. o covado, ditas entestadas trans-
parentes de quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas raatisadas muito finas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita tambem matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Mara Pia com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de urna s cor parda, azul, cor de lyrio e
perola proprias para vestidos, sautmbarques e
garibaldes a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
800 e 400 rs isto s na loja do Pavao, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os chales do Pato.
Vendem-se finos chales de crepon estampados
pelo barato preco de 6*, ^i, 8*, ditos de pont re-
donda a 7* e %i, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidriluo a 125, ditos pretos lisos a
Si, ditos de cores a 44500 e 5J>, jlitos de merino

.



ESPLENDIDO SORTIMENTO DE MOLHADOS
I. O RA 1IO CRESPO M. 9
Esquina qne volta para a roa do Imperador
DE

%W*^ %*


(vio se enganem com a mitra)
AMIGOS!
Nao Icinm osle annuncio com precipitaco.
Confrontem os preces dos oulros annanciantes.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
A vista faz f.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao nos encnlcamos o primeiro recebedor de conta propria.
'Nao desacreditamos ao collega porque nao quiz ser nosso socio.
Val a quem toca.
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia anda nao sao sufficien-
tes as casas que actualmente oxistem alertas com grandes proporcocs para lerem um
magnifico sortimento de molhados ; assim, pois, os prepnetanos do Armazem Principal
nao invejam a sorte dos seos collegas.
Habitantes de Pernambuco.
Nos temos um excellente sortimento dos melhores gneros que se pude acbar
em nosso mercado. Viude ao nosso estabelecimento, e se a vossa boa fe tur iiluaida
urna s vez ao menos, castigai-nos nao voltando mais a nossa casa.
Amendoas confeitadas de bonitas cores a dem de Hollanda em garrafoes com 24
i.ooo rs. a libra. garrafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
Avellas a 2oo rs. a libra. zados a 2oors. a libra.
Ameixas francezas em caixinbas com lindas Licores francezes de todas as quahdades a
estampas a l,2oo, i,4oo e l,6oo rs. cada 800 e l,ooo rs. as garrafas grandes.
uma. Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e
SENTIOO!
BAL1Z
VAI FALLAR
N. 38 Ra do Livrainento N. 38


(Dcfronte da"grade da igreja)
CRA1DE


I(gM
estampados a 25 e 3*,ditos de lia a UB %*, I(jem e'm frasco de vjr0 com roina ditos de retroz preto para luto a 65, isto na loja
do Pavao-rua da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 Pavo vende para luto.
Vende-se snperier setim da China fazenda toda
de la sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, paletols, capas etc., pelo bara-
to prego de 25, 25200, 25500 o covado, cassas
pretas lisas, chitas pretas largas e estreitas, chales
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
comgollinhas eoutros muitos artigos que se ven-
dem por precos razoaveis : na loja do Pavo a ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos do Paro
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
camente bordados a veludo pelo barato preco de
405, sendo fazenda que sempre se vendeu a 1005
e i05 ; ditos de cambraia brncos ricamente bor-
dados a croch, seodo proprios para baile e casa-
mento a 10, lo, 20 e 305; ditos de laa com Jindas
mo ou de metal, a l,2oo e i4oo rs. ca- dem franceza nova j deste anno a 6oo rs.
da um.
dem em frasco grandes 2,5oo rs. cada um.
i
e 3 libras a l,2oo e
dem em latas de
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranhao o melhor que se
p ie desejar a loo e 12o rs. a libra e
2,8oo e 3,4oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa,
e 4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e lo,ooo rs. a
caixa com 1 duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o a libra, e i,6oo rs. a arroba.
barras a 18 e 155 i isto na loja do Pavao ra Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Pa\o.
Vende-se panno preto muito superior pelo barato
preco de 25, 25o00,35 e3'00, ditos muito finesa
45, o5 e 65, cortes de casemira prela enfestada a
45, 45500 e 65, casemira preta fina de urna s
largura muito lina a 15800, 25, 25500 e 35, cor-
tes de casemira de cor a 55, 55500 e 65, casemi-
ras enfestadas de urna s cor proprias para calca,
paletots, colletcs, capas para senhora, roupas para
meninos a 35 e 3$300 o covado, isto na loja do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A roupa do Pavo.
Vendem-se paletots de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muito boa a 125, ditos muito finos a
165, 20?, 2*5 e 305, caigas de casemira preta boa
fazenda a 45500,55, 65,"75 e 85, paletots saceos
de panno preto a 75, ditos de casemira de cor a
65 e 75, ditos de alpaca preta, ditos de merino
preto, ditos de brim de cores, calcas de -casemira
de cor a 45, 55,65, 75, ditos Je casemira da
Escossia a 35, ditos de brim pardo a 25500, ditos
de cor a 25 e 25500, ditos branros muito finos,
sto na loja do Pavao, ra da Iuu>eraCriz n. 60, de
Gama & Silva.
Os cortiuados do pavao.
Antonio dasseguintes qualidades: aguae
sal doces, e imperiacs em latas de G li-
bras a 3,ooo rs. e de 3 '/a libras a l,5oo
rs. eemlibraa 6lors., estas bolachinhas
torna-se muito recommendavel cora es-
pecialidade para os doentes.
Biscoitos e Bolachinhas de suda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bollos francezes em cartees e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Bantia de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a IGOrs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
al lioje lem vindo a nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo, l,uoo rs. a garrafa in-
teira, e 8oo rs. as meias
a libra, e 56o rs. em barris inteiros.
Marmelada especial dos melhores fabricantes
de Lisboa a 6oo e 64o rs. a libra, ba latas
de differentes tamanhos.
Massa de tomate em latas de 1 libra 56o rs.
cada urna,
dem para soda estrelinha, pevide e radiaba
em caixinhas surtidas a 3,ooo e 3,5oo rs.
cada urna e 5oo rs. a libra,
dem macarr3o, talerim e aletria a 4oo rs.
a libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um.
Molho inglez em garrafinhas com roltos de
vidro 64o rs. cada urna.
Marrasquino verdadeiro de Zara a l.ooors.
a garrafa, lo,ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Prezunto de fiambre superior a Goo rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinhae
outros a l.ooo rs. a latas.
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo c limpo a 16o rs. a libra.
e 4,5oo rs. a arroba.
Vendem-se ricos cortinados proprios para janel- Cha uxim O melhor que se pode desejar e
la e camas pelo barato preco de 95 o par, sendo o
melhor que ha no mercado : na ra da Imperatriz
d. 60, de Gama Silva.
As colchas do Pavo.
Vendem-se colchas de linho alcochoadas pro-
prias para cama pelo barato prego de 55 cada nina
na ra da Imperatriz n.60, de Gama & Silva
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas que tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor fran-
cez, pelo barato prego de 600 rs. o covado, ditas
de listrinha muito miudinhas proprias para- vestidos
e roupas de meninos e meninas pelo birato prego
de 500 rs.; so Pavao ra da Imperatriz n. o0;
loja de Gama & Silva.
Os souteanbarques do Pavo
IO e 15 s o Pavo.
Vendem-se os mais lindos souteanbarques que
tem viudo ltimamente de laazinha e caxemira ri-
camente bordados e enditados, cores muito delica-
das pelo barato prego de 105 e 155 \ hienda esta
que em outras lojas se vendem por 205 e lo5, e
s para liquidar : na loja e armazem do Pavao a
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
As chitas do Pavo 9$400 e
2SOOocrte.
Vendem-se cortes de chita com doze covados
cada corte, ditos com dez covados a 25400, fazen-
da multo boa, e que nao desbota, s na loja do Pa-
vao tem esta pechincha ; a ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Las de urna s cor.
Vendem-se lazinbas de urna s cor, sendo en-
carnada, azul, cinzenta, cr de caf, lirio claro, li-
rio roxo cor de perola pelo baratsimo prego de
640 o covado, fazenda mnito fina s o Pavao, a ra
da Imperatriz n. 60 loja e armazem de Gama &
Silva.
Pauno de linho.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
cura proprio para lenges, toalhas e ceroulas pelo
barato prego de 640 rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 25500, algodaozmho
monstro com 8 palmos de largura a 15, pegas de
Hamhurgo com 20 varas a 95, 105 e 115, petas de
madapolo fino a 75500, 85, 95 e 105, ditas de
algodaozinho a 65, 65500 e 75, e outras muits
(alendas brancas que se vedem muito baratas
afim de apurar dinheiro : na loja do Pavao roa da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
O bramante do Pavo com doze
palmes de largura.
Vende-se bramante de linho puro, moito fino com
doze palmos de largura o melhor e mais largoi que
lem vinde ao mercado pelo barato preco de 25800
rf vara -, s na loja do Pavao de Gama & Silva,
aua da Imperatriz n. 60- _
As precalas do Pavao.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor rrancez,
oelo barato prego de 600 rs. o covado, ditas de lis-
trinha muito miudinhas proprias para vestidos e
roupas de meninos e meninas pelo barato prego
de 300 re.: s o Pavao ra da Imperatriz n. l0,
loje de Gama & Silva.
Os bales do Pavao.
Vendem-se crinolinas ou baloes de 30 arcos tan-
brancos como de cores, sendo americanos qnp
sao os melhores por se nio quebrare a A&ooo.e
de 3o arcos a 45, ditos de musselina com babados
45 ditos para menina a 25 e 35: na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama &. i>ilva.
0 Pavo vende 8,5.
Vendem-se os mais lindes cortes de vestidos a
Mara Pia, com lindas barpas. de seda, sendo che-
cados pelo ultimo vapor francez pelo barato prego
de 85 cada um : s na leja do Pavao ra da Impe-
ratriz -n. 60, de Gama 4 Silva.
Os baldes do Pavo.
A 2^300 si o Pavao.
Vende-se baloes com 20, 25 e 30 arcos pelo ba-
ralissimo prego de 25500, assim como tem um
completo sortimento de bales para meninas de lo-
dos os tamanhos pelo baralissimo preto; de 25u00,
notando que sao bales de arcos os melhores que
S viido da America Ingleza vendem-se por este
'"" i(lar na 01a e armazem do
KES.!l lmperaizn.60! de Gama &Silva.
Paulos do gaz a 2, loo rs. a groza, 2oo rs. a
duzia, e 2o rs. a caixinhas.
Queijos flamengos chegados neste ultimo va-
muilo fresco a 800 e 9oo rs.
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
dem perola especial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
d'este cha
dem hvsson o mcllior que possivel en-
contrar-se a 2.ioo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio era latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2oo e l,4oo rs. a libra.
dem preto muito lino a l.Goo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a l.ooo, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em l't caixas das segnin-
tes marcas Pai-'menees, Suspiros, Dili-
cias, Napoleese Guanabaras a 2,3oo rs.,
eem caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna,
dem de outros muitos fabricantes e de
differentes marcas para l,5oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a l,6oo, 2,ooo e
3,ooo rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco,
dem franceza a ioo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a i,000
rs. a garrafa e lo,ooo rs. a duzia.
dem francez suporior qualidade 800 rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs, a libra.
Canella a 1,00o rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
Boo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 32o rs. a li-
bra, e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o ca'ixao.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a Too rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
Idm j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra. *
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a 1,000 rs. cada urna.
dem em latas ermiticamente lacradas a
1,5oo e 2,5)0 rs. cada urna,
dem em caixas de '/ arroba a 2,5oo rs. ca-
da urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loors. a lata e l.ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras cora 12
frascos por 6,000 rs. e 060 rs. o frasco.
dem de laranjaa l.ooo rs. os frascos gran-
des e 11,000 rs. a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da urna.
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com a garrafo.
por. a
dem prato
a libra.
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 000 rs. ca-
da um.
Serveja las melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e 56o rs. a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Xantes em quartos e
meia latas a 38o 080 rs. cada nma.
Sag mnito novo e alvo a 2o rs. a libra.
Sevadinha do Franca 18o rs. a libra.
Sevadaa loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a arroba.
Traques de 1.a qualidade a 8,oo rs. a cai-
xa, e22o rs. a caita.
Toucinho novo de Lisboa a 24o e 32o rs. a
libra.
Tijollo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
aoo rs. a garrafa.
Idem'do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a Goo rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco uo levando com-
posicSo a uGo r?. a garrafa, e 4,ooo rs. a
caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a gar-
rafa, e 4,5oo rs. a caBada.
dem mais babeo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
dem Bsrdeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d pre-
juizo e s se encontra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu-
lar, malvasio fino, D. Pedro V, D. Luiz
I, Nctar e oulros a 9,ooo e lo.ooo rs.
a caixa e 9oo a 1,00o rs. a garrafa.
dem Muscalel superior a l.ooors. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a caixa cora 1 duzia.
Yinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oo rs. a caada.
dem em garrafoes com 5 garrafas a l,ooo
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna
dem de escova para esfregar casa 36o rs.
cada urna.
Vellas de espermaceti superiores a 56o rs.
a libra, e 52o rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composicao a
36o rs. a libra, e de lo,ooo a U,ooo rs. a
arroba.
6 Vigilante est alerta, nao lhe era permettido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto afim de annunciar ao respeitavel publico
o grande sortimento degalantarias do melhor gosto
propiamente para qualquer mimo, que acaba de
chegar nesle ultimo paquete, assim como muitos
outros objectos qne recebe por diversos navios,
tanto de sua conta como de consignagao, que est
resolvido a vender por precos muito baratos para
vender muilo e ganbar pouco, e dar extraegao ao
grande deposito que tem, que espera merecer a
proteccao do respeitavel publico, empregando para
isso todas e as melhores diligencias para que ri
quem satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, rui-
do Crespo n. 7.
Ricas porta-joias.
Cofre de muito gosto por I6500<
Cestinbas transparentes, forradas de madre-
perla por 185000
Lindas jardiaeiras 105000
Ricos cofres com camapheu 105000
Lindas caixinhas com podras brancas 105000
Lindo balo com calunga dentro tambem
para joias 165000
Tambalier para ditas 95000
Cestinbas dem dem 65000
Cosmorama dem idem 05000
Urnazinha 65000
S no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
gos : s no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Ricos sintos
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e 135, ditos sem
bolga, porm do mesmo goslo, a 25o00, 35, 35500
e 45, ricas fivelas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 15500, 25, 25300 e 35 :
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Gabazes en cestinbas.
At qne chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 25300, 35500, 4, 5, 7 e 105 : s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Pentes.
Nesle artigo tem um grande sortimento, tanto
para alisar como para atar cabello, o mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sem elle para meninas : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Pentes
Tambem chegaram os riquissimos pentes de
concha de tartaruga e de massa fina, que se vende
por 25, 3 e 35 : s no Vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Le q ues.
Riquissimos leques de madreperola, tanto para
senhora como para mocinhas, pelo barato prego de
12 e 145 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Mais leques.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ba-
rato prego, a 85 e 105, chinezes, muito bonitos,
tambem por barato prego de 4 e 55, bentaraMas
muito bonitas tambem por barato prego de 4 e 35,
leques de charao tambem por 'i5, ludo isto para
acabar, perdendo-se taivez 80 0;0 : s no Vigilan-
te, ra do Crespo n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de conlas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto a 15 e 15200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreilinhas de
borracha que as senhoras tanto precisam para se-
gurar os manguitos por ser inulto commodo o mui-
to barato, a 320 o par: s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Canelas.
Riquissimas carrelas de madreperola proprias
pelo baralissimo preco de

VERDADEIRO E PRINCIPA!.
Ordem do dia.
Est em discussao a tabella dos precos que o BALIZA tem a honra de offere-
cer ao respeitavel publico tanto dacidade cono do centro.
Se por esla publicaba qualquer um dos nohres coltegas entender necesario
fazer alguma alleacao em seus annuncios, digne-se mandar a sua emenda para o jornal,
que o incansavel Baliza ajo lhe pora peias nein o embancara de forma alguma a benefi-
ciar o povo. 835 5
Amigo de vender barato o Baliza n5o expe a venda senao os gneros bous.
Elle so julga no caso de vender t?o mdicamente como ouirn nao o exceder
Soldado soprador toma o clarim
E firme como a rocha fic-a assim

Nito toques nesse pessimo instrumento
Do Bausa olha s o movimento.
E t que dos mitrados tens as coras
De tildo vendedor de propria conta
Xo pasmes vendo como sobrancelro
o resresso o Balisa a Ira affronta.
O grande denesiio que temos de vinho nos obliga a abaixar seus pre.es,
achando-se vista dos compradores cerca de 3: a 40 pipas deste genero, entre pipas,
barris c ancoretas.
Vmendoas confeitadas em lindos frascos a 800 Lingoas americanas muito novase muilo gran-
des a l.ooo rs. cada urna.
rs. a libra
dem com casca a 3o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinbas c frascos a
l,2oo, l.ooo e 2,000 rs.
Alpista a 10o rs. a libra e i,6oo a arroba.
Arroz do Ma.anhao, Java e do Pencdo a 8o, dem menos superior a Gio rs.
loo e 12o rs. a libra, em arroba a2,ooo,
2,8oo e 3,2oo.
Azeite doce refinado a 800 c loo rs. a gar-,
Idei'dem em barril a Mo. a garrafa ejMarmelala dos melhores fabricantes a 6in
Anas'com Sto'do Porto, encommenda Molbos i'le/.es a 4ooe6io rs. a garrafinha.
fSpetoproprielariodo Baliza a 3o,ooo Mostarda preparada a loo e*to rs. o fra .
f K com 7o garrafas. Massas para sopa a loo rs a Ubra das de la-
Rnlaxiuhas de Lisboa, ingleza e americanas Ihanm, aletria emacarrao.
em lats a l.ioo Looo! 2,000 e 3,ooo rs. dem linas es.rellinha c pev.de a 3* o rs. a
e americanas em barricas a 3,ooo rs. al ^ {^ ^^ a ,, r>_ a ,
Liiiguicas promptaseoo latas a 1 .-ioo (*ada lata.
Manteiga ingleza llor a 800 rs. a libra neste
genero ha mais de 10 baiis abertos afim ''
serem satifeilos os compradores.
Manteiga ingleza a 5oo, ioo c 32o rs. a libra,
dem franceza a 0G0, Goo o 64o rs. e em bar-
ril por menos.
Massa de tomate a 6o rs. a libra.
barrica.
Banlia de porco a ioo rs. a libra c em barril,
a 36o rs.
Batatas em gigos a l,.*iooo gigo.
Cha perola a 3,ooo rs. a libra.
dem uxim a 2,6oo e 2,8oo a libra,
i dem hvsson a 2,ooo, 2,ioo e 2,8oo. a libra.
para qualquer presente,
l#o00 e 25.
Yollinlias.
Lindas voltinhas deperulas falsas com cruzinlias | j,|em 0 \\\0 a 1,600 i'S. a libra,
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avulsas 1, 0Q .> oflQ r3
e voltinhas. pelo barato preco de 14 e 1*200, as '
cruzes avulsas a 400 rs. : so no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Sapatinhos e meias de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiasziuhas de seda, gorra-
zinhas e touquinhas para as criancinhas se bapti-
sarem : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Golinlias.
Riquissimas goiinbas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 2*500 e 3*: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfcites para senhora.
Riquissimos enfeites com laeo e sem laco e de
outros muitos gostos a 15, lo00 e 3* : so no Vi-
gialnle, ra do Crespo n. 7.
Trancclins.
Lindos trancclins de cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baralissimo prego de 1*500, ditos de
relroz a 200 rs.
Hali -'ilmitos ntremeles.
Riquissimos babadinhos enlremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baralissimo
prego de 1*200, 1*500, 2* e 3*: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de casearrilhas de diversas
larguras, assim como galoiinho e trancinhas pro-
prias para enfeites : s no Vigilante, ra do Cres-
po n. 7.
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e qualidade, por precos que admiram aos compra-
dores, havendo fitas largas proprias para sinteiros
verdadeiro a 1,000o
no < I/-
rs. o
ibra.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
cilio de Janeiro a 800 rs. e 1,80o, 2,ooo,
2, ioo, 3,000, 3,ooo, i.ooo e 8,000 rs. o
cento. .
Chocolate dos melhores fabricantes de Pars,
Allemanha, Hamhurgo e Lisboa
Copos lapidados para vinho a 2,8oo a duzia.
dem dem para agua a 0,000, 5,Soo e 6,000
rs. a duzia.
Cerveja das melhores marcas a i,ooo, 0,000
e 6,000 rs. a duzia.
Cravo canella e cominhos.
Ceblas em molbos resteas e solas.
Conservas inglezas a 800, 9oo e l.ooo rs. o
frasco.
Diltas.francezasa 5oo e Glo rs. o irasco.
Cognac inglez e francez a 1,000 rs. a garrafa.
Cafe de 1.', 2.a e 3 a qualidade a 8000 9,ooo
e 9,ooo rs.
Cevadiuha de Franca a 21o rs. a libra.
Champagne de muito boa qualidade a 12,ooo
e 2o,ooo rs. a duzia.
Doces da casca da goiaba em latas preparadas
com muito aceio. propria para memozar
algum amigo na Europa, por ser mallera-
vel por mais de um anno, a 3,ooo rs. a lata
com 7 libras.
Diltos em caixes a 56o, 64o, 800 c 1,000
rs. o caixo.
que"s'e pode vender a 300 rs. a vara, e pega de 3! Ervilhas portuguezas em latas com 1 7* li-
mas a 2* : s no Vigilante, rna do Crespo n. 7. brag 7oQ r$
Fitas de laa. |., franrpzas ern latas a 5oo rs.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias para <|en iraiicezds em au.
debrum de vestido a 700 rs. a peca : s no Vigi- dem seCCaS a 200 rs. a IlDra.
Espermacete americano pnmeira qualidade a
1.2oors. a libra.
lante, ra do Crespo n. 7.
lllcos espelhos,
Riquissimos espelhos cora moldura dourada e
sem ella de 8*, 10,12 e 14*. assim como coa co-
lumnas de differentes tamanhos a 2*, 3, 4, o e 6#:
s no Vigilanle.rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
dem francez a 56o rs. a libra, e em caixas
a 52o rs.
Farinha d'araruta verdadeira a l8ors. a libra.
Farinba de trigo a 12o, 14o e 10o re. a libra.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina! F h j m;,i10 a q0 rs. a libra.
Para pOs de arroz. enfeitadas a 800 e 1,000 cada um.
Riquissimos vasos com boneca para pos de ar-. Fumo americano em latas para cigarros a
roz. cousa de muito gosto a 1*500 e 2*, assim co-1 ^ ^qQ rs
X^g& IT- ^ Um : S: dem era pacotes a 2oo rs
Perfumarlas. dem em pasta a 1,2oo rs. a 1i1mi a.
Grande sorlimente de extractos e banhas, poma- Genebra de laranja a i ,00o rs. o 11d^- .
das, assim como os lindos ropos eu vasos com dis- jem ingleza marca Gato a 1,00o rs. a gai re .
tinctivos e otTerecimeirtos s sinhaziobas, dos me- ijemje Hollanda a.64o e l.ooors. o uastu
Ihores e mais afamados autores de Paris e logia- _onnpnn P ffrande.
rra, assim como os grandes copos de banha japo-1 PjI ,f 0 a 550 rs. o frasco e 6,00 O
eza a 2* e a 1* ; assim como outros objectos que dem de Hamimrgo, a jw
iao possivel por hoie annunciar, e vista dos 1 rs. a frasquena.
AGENCIA
rumelo DE10W-M00B.
Ru la Senulla bou b. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas par
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston 4 C
ra da Senzalla Nova n. 42.
Empreza da iHumina$to
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamacoes
(por escripto dando o noroe, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem da ra d ror^"0!
n.3t. Os machinistas mandados par a-**
te aUendldos. ^^^^^^^^
Ferros para oerlves.
Na ra larga do Rosario n. 4, ,loj de ourives,
vendem-se lodos os ierres e utencihos de ounves.
nao e possivel por noje nhimoh, o *,D*S ,, '' "TI------ a n iln/ii
freguezesse far lodo negocio : n loja do Gallo GraH em latas a l,2oo r?. a uuio.
Vigilante, ra do Crespo n. 7. m>_________Limonadas de diversas fructas a l,oc
000 rs. a
-Eurebio Raphael HV?KS
em seu escripton. ra da Cadeia n. 55, os segura
tes gneros i
Cera em velas.
Cal em pedra de Lisboa.
Vinho puro em ancoretas.
Trina, volantes e Raloes.
Vende-se trina, volantes e' gales de todas ae
larguras por precos muito barato: so no vigilants
rna do Crespo n. 7. ,:_ ____________
Rna da Senzalla Neva n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Lo*
Moor libra a 120 rs.
garrafa.
Licores, inglczese francezes a l.ooo, l.5oo
e 2,ooo rs. garrafas grandes e pequeas.
e 4.800 a arroba.
Marrasquino di-zara
frasco,
dem monos superior
frasco.
Nozes a 24o rs, a libra.
Prezunto portugus do superior qualidade a
(U> rs. a libra c inlciro por ooo rs.
dem ingle/, para fiambre a 6o 's. a li i,
nao agradando nn'smodepois de prepar; lo
poder ser dcvuhido, que so trocar per
outao ou ser restituido seu importe.
Passas novas a 4oo rs. a libra.
Polvo a 16o rs. a libra.
Painco a 16o rs. a libra.
Pomada a 24o rs a duzia.
l'imcnta do reino a 36o rs. a libra.
Peras seccas a 64o rs. a libra.
Peixe em hitas a l.ooors. a lata.
Papel almasso e de peso, de diversas qua-
lidades e pregos deferentes.
Palitos do gaz a 2.2po a groza.
dem [-ara denles a 8o, 16> e 24o rs. o ma-
co com viole macinhus.
Gueijos flamengos a 2,6oo, do ultimo vapor.
dem prato a 6io rs. a libra.
dem londrino a 8oo rs. a libra.
Rap Meuron a I.ooo rs. a libra.
Sevadinha a 240 rs. a libra, i nova i.
Sag a 28o rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a 64o, 36oe 36o rs. a
lata.
Sabo massa a 12o, 19o, 2oo e 2io rs. a i-
bra.
e em caixes por muilo menos.
Sal refinada a (ioo rs. o pote de vidro.
Toucinho de Lisboa, de Santos e amen-ana
a 16o, 2 lo e 32o rs. a libra, e em ai rota
a 5,ooo, 7,ooo e9,ooo rs.
Tijollo para limpar lacas a 16o rs. cada OK.
Vinho do Poeto em caadas a 3,5oo, 4.ooo e
5,006 rs. e em ancoras com 7o garrafas p< r
3o,ooo rs.
dem de Lisboa sem confeicrio, (de oncomen-
da) por 80,000 rs. o barril com 17 cana-
das.
dem de Lisboa mais batato a 45,000 re.
dem em pipas a 3,ooo, 3,800 e 4,ooo rs. a
caada. ,_
dem em barril do Bordeaux com 13o gar-
rafas por 5o,oon rs. .._...
dem idem de Bordeaux com 70 garrafas por
Idem'em caixas por 5,ooo rs. a caixa com 12
garrafas da melhor qualidade que vem ao
nosso mercado.
Vinho branco para missa de Lisboa c Porto
em pipa, barril e ancoras a 4,000 e 5.000
rs. a caada.
Vinagre de Lisboa, Porto, tinto c branco a
l,6ooc 2,ooo rs. a caada
dem em ancoras por 16,ooo rs.
Velas eslearlinas a 56o rs. o maco, e em cai-
xas a 52o rs.
Vassouras americanas a 64o rs. urna.
Achacados.
Quera os possuir e os quier curar peritamen-
te recorra ao afamadissimo oleo de Merctiant, que
se vende no armazem da bola amarella, oitao da
secretaria da policia.___________________
fua da Cadeia n 5".
Vende-se um balcao, 3 caixSes e 3 fileiros tudo
de amarello e em muito bom estado.
Grande peclrincha.
Vende-se a 8* a peca de panno de linho puro e
limpo com 23 varas cada urna : na rna dalmpera-
triz n. 20._________________________
Vende-se um sitio na praia do Itio Doce, dis-
taute da cidade de Olinda urna legoa, com oOU pes
de coqueiros que dao fructo, com boa casa de *-
venda de pedra e cal, chaos proprios, com banho
no fundo : quem pretender, dinja-se a mesma ci-
dade, ra do Carmo, casa do conego Souza Gome?,
que achara com quem tratar.

**
'


Diario c Reraaabaeo Segunda felra 18 de fulho 4e iisi.

SB Largo da
.Santa Cruz
numero
12 e 84.
Esquinadaj
ra do
Sebo n. 12*
e84.

_62
AURORA BRILHANTE
GRANDE ARMAZENS DE MOLHADOS.
da roa do Sebo), faz sciente ao respeilavel publico desta eidade e do interior que nos
seus importantes estabclecimentos vender serapre gneros novos e de primeira quali-
dade e vender a todos pelo mesmo precio. '
oo.,ha?<.CmpI.el0|0r.,ine,it0 de todos os Keneros Bn<>s BTO'sos que costomam ter outros
estabeleeunemos dc&ta ordcm se encontrarao sempre nosarmazens da Brilhante Aurora
o Aurora Brilhante e serapre era grande escala a vonted* dos Srs. corapradore
conh 2 prol,nf'an0 dos arraazens Brilhante Aurora e Aurora Brilhante pede a todos os
senhores esenhoras que quando tiverera de mandar suas relacdes a estes eslabelcciraen-
__?___! a"ad0S 'e]- em carta ferhada ou com grande recommendacao a estes arma-
zens, cortos de que serao tao bem servidos como se viessem pessoalmente.
ALLIANOA
S? UFA DO IMPERADOR 57 *
DE
Paula Frrmra da Silka &" Companhia
Grandrttoieato de mediados em grosso e a retalho. nico armazn que mais
vantagens offdrtce aijraMico. H
0
NEM COROAS NEM MITRAS
E
Amendoas
800 rs.
eni-se todos.
K AfMca o verdadeiro homem do progressso.
K o Alllanca o verdadeiro e principal armazem de molhados.
18 o AI llanca o armazem que vende mais barato.
E o Hilanza o armazem qne vende os melhores gneros.
5 o ..Ufanea o armazem onde preside o melhor aceio.
Firraem todos sabedores desta verdade,
Venham todos ra do Imperador n. 57.
Venhana ver os gneros que temos expostos a venda.
PARA AS FESTAS '
DE
S. JOflO E S. PEDRO.







de bonitas cor
a 3oo rs. a libra.
A Brilhante Aurora e Aurora Brilhante troca maltraer um genero que por acaso
nao agrade e recebe as libras esterlinas a 9,sendo por compra: atabella de seos (eneros
sera mudada todas as semanas.
Amendoas contenidas para sortes a libra
Manteiga ingleza flor a 800, e 960 rs.
Dita maisabaixoa 640 e 720 rs.
Dita franceza nova libra 640 e e u barril
600 rs
Vinho muscalel duzia 10,5 e garrata 1,5.
Dito braaco-proprio de Lisboa caada 45800
I e garrafa 640 rs.
a Vinho branco de muto boa qualidade caaa-
| da 45 e garrafa 480 rs.
l Chocolate sante nm.10 novo alS200 a libra., Dito Xercz Uao a caada 75300 e garrafa a
} Cha perola o melhor que lia ( redondo) a 15200. **" gwraia a
libra 352OO. Dito Madeira seca caada 103 eWrrara "*
Di dito ma.sabano a.25500 e 25800. I Dito em caixas de urna duzia d/ Fono d C
l melhores autores a 125, 145 e 163 fi
barrajas com licor fino francez e pariaguez
' a 15-
| Ditas com vinho de caj muito claro a. 15.
>itas com rnel de abelha puro a 15.
Dito uxim muito fino a 25800 e 35.
Dito hysson superior a 25600 e 25800.
Dito mais ahaixo a 25 e 25500.
Dito preto muito fino a 25500.
Dito em massos a 25.
DinnR0 em 'ataS de 4' 2 C ,ibra a Frascos com S^ebra de HoiandV d-2 ear-
iouu. rafas a 15. *
Caf de mora superior arroba 105500 e 11- Dito de orna garrafa a 560 rs
DiSdo nJTdo Ce.ro arroba 95500 e libra H^t-!* !****. ***>
20 rs.
Dito mais abaixo arroba 85500 e lil-ra 280.
Barricas com bolachina ingleza ingleza nova
Latas com bolachinha de soda de 5 libra
a 25500.
Ditas com ditas sortijas de 2 libras a 1.5400.
^ Frascos com ameixas francezas so o frasco
fe val o dinheiro a 25800 e 35.
^& Latas com ditas a 15400, 25200 e 45.
^pk i,as com Ggos do comadre a 15500.
cAJo Caixinhas hermticamente lacradas e trorias

^ Caixinhas com ditas a 1-5,25.500 c 53 de
rS> arrODa.
-f7&) Presunto de Lame?) muito novo a libra
vfr rs. inteiro e a retalho 600 rs.
9R Choorieas e paios novos a libra 8iK rs.
*fj Latas coi
*?
Duzia de grasa latas grandes a 15.
Caixas com 25 massos de velas de sperraa-
cete a 560 rs. a libra.
Ditas maiores a 600, 640 e 720 rs. a libra
Caixas com urna arroba de velas do Araca-
ty 105500 e libra 400 rs.
Ditas de composieao arroba 105e libra 360
Saceos grandes com farinha de Goianna mui-
to boa a 535OO.
I Dito de l'orto Alegre melhor que de Mari-
beca a 63.
Ditos com milhonovo com 24cuias a 45000
"L."?' farellode Lisboa 120 libras a
55500.
Dito com arroz de casca a 55500.
Duzia de garrafas de serveja branca e preta
a 35800 e em lia nicas a 55500.
Arroz do Maranho em sacecs arroba 23600
e libra 100 rs.
mguicas novas vin- Dito da India e Java arroba 35 e libra 1*0
s neste vapor com i) libras por 6,5500. Ararula verdadeira arroba 83 e libra '20
fijjtcom peixe ensopado de omitas quali-1 rs., 6 matarana. *
Gomma do
0
das
>;n chouricas e li
has francezas e portuguezas
dades a 1-3.
1 Ditas com ervi
a 880 rs.
1 Ditas com fWjiiov rdo francez a 800 rs.
Ditas com massa d 1 1 .mate novo i libra
, 06O rs.
1 Hitas cm ostras a 720 rs.
nitts com inarmeladn ilos melhores autores
de Lisboa a libra 640 rs.
Potes com mustarda franceza preparada a
libra 480 rs.
p Frascos com conservas de pepinos, mexides
e azeitonas verde a 13.
Dita dita franceza 800 rs.
Cipos com trinfa e tantas libras de batatas
novas a 35500.
Qneijos novos do vapor a 3-5290 e 33500.
Ditos de prato enplicado a 13.
Hito suisso a son rs.
Dito de manteiga do Serid a800rs.
Caixas com passas novas de 1 arroba 73
moja 3-5500 e quarto 2-5 c libra 480
640 rs.
Amendoas com casca a libra 240 rs. e arro-
ba 6-5.
Pfozes libra ICO e anoba 55-
Caixas e meias ditas com charutos finos da
i'iliia dos melhores fabricantes de Jos
Follado do Simas. liis e outros, sendo
Suspiros, Parisienses suspiros, Delicias,
Normas de Havana, Esposicao, Almiran-
tes, Daratoiros, varetas, Guanabaras, Re-
gala Imperial, Acadmicos de Olinda, Se-
nadores e Apraziveis de 13-500 a 8 a cai-
xa de 50 a 100 charutos.
Crozas de caixinhas de palitos do
Araraiy para engommar arroba
55 e libra 160 rs.
Tapioca 011 farinha do Maranho nova libra
160 rs,
Ervilhas sercas muito novas libra 200 rs
Sag e seva^inlia a 240 rs.
Sevada arroba 332C0 e libra 120 rs.
Graxade boio 97 a 280 rs.
Sahae massa a 200, 240 e 280 rs. a libra
Dito bespanhol verdadeiro a 400 rs. a libra
Balaios do Porto diversos tamanhos de 320
a 23.
Capachos para portas do varias cores a 600
700 e 800 rs.
Grito de bico arroba 43500 e libra 160 r<
Painco arroba 55500 e libra 200 r.
Milho Alfilsta arroba 45800 e libra 160 rs.
Azeite doce de Lisboa garrafa a 640 rs
V'SE*M8L,s3) Canad* l*B 6 Rarrafa '
Massos de palitos de denles com 20 nias*i-
iiliosa ICOrs.
Tijolos de limpar facas a 160 e 12o rs.
Caixascom 40 cartas de traques a 95500 e
a carta 280 rs.
Bosnias de papel almaco pautado a 53.
Dilogre ve liso o melhe'r que ha a 43500.
Dito de peso e paulado a 25500 e 23800.
GarrafSes com 25 garrofas do verdadeira
genebra de Hollanda por 85500.
Azeite de coco garrafa 560 rs. e carrapato
360 e ranada 23560.
Caixoes com doce de goiaba a 640,800 e 15,
Toucinho de Lisboa arroba 83500 e libia
320 rs.
gaz a Dito de Santos arroba 72 e libra 280 r*
,, c -,J,rs- a duzia- Molhos com grandes ceblas a 15600
Barns com azeitonas novas a 3, e 43 bar- Cento de dita solta a 15500.
v "s f aD,'Sn Mauncos de alhos a 240, 320 e 400 rs.
\ assonros do Porto piassava muito seguras Esteras de varias qualidades.
,a., ".r"- Cordas de postar e de andaime.
zeite rfoce francez dos melhores fabrican- Favas da iha de S Mi
tes cana 105o agarrafa 13- libra 120 rs. '
Uixas com vinho Bordeaux branco o tinto Copos lapidados para agua e vinho a 35500
S. Jalien, S. Estira e outros a 75500 e 85. 55800, 63 e 75.
ri-l0i m0Pm lVI- de 5" 'I"" ra- Ditos "w P^a varios procos.
VuK?23S5F5S& S0CGmcrt* Calix lapidados grandes e'pe.
D4Xd0e''e.:,,;\rl'J-A "85** a 3500e Kstrelinha e pevi'de libra 560 rs.
Xaropes de fruclas nacionaes a garrafa
500 rs.
juel arroba 33200 e
grandes e' pequeos dazia
POR MENOS DE 20 A 30 POR CENTO
MO

mu h _
23Largo do Terco23.
Joaquim Simio dos Santos, dono deste armazem de molhados, tem feito urna grande TanrfaiU
n seu armazem tem frequentado, liqtudou todos os seus gneros mais antros nue tinha nS 2
ueste armazem como fra, e tendo feito urna grande reforma neste estabelecimento' tanto em taniantm
como em gneros que mandou vir por sua propria escommenda a maior parle, que os pode vender or
meaos de que qualqitcr annunciante, para is.-o se responsabilisa pela superior qualidade.
Attencao.
a quem
confeitadas
libra,
dem de casca muito nova
Avelaas a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinkas com lindas
estampas a i,2oo, l,4oo e-l,6oors. cada
urna.
Hem em frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a i,2oo e I,feo rs. cada
I um.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada
I tim.
dem em latas de I '/j e 3 libras a !,2oo e
2ooo rs.
Arroz d3 India e MaranhSo o melbor que se
pode desejar a loo e I2o rs a libra e
2,8oo a 3,4oo rs. a arreba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,800 rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e lo,ooo rs. a
caixa com t duzia.
Alfazema muito nova e lirapa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a IGo rs. a libra e 4,600 rs. a ar-
roba .
Bolachinlias de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguinles qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,000 rs. e de 3 /* libras a I.5oo rs.
o em libra a G4o rs., estas bolachinhas
torna-se muilo recomraendavel com espe-
cialidade pata os doentes.
Biscoilos e Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a tala.
Bolos francezes em cartoes e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banba de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 160 rs. a libra.
Bslachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at hoje tem vindo ao nosso mercado a
I8,ooo rs. o gigo e -l,5oo rs. a garrafa
inteira, e 800 rs. as meias.
Cha uxim o melhor que se pode desejar, e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra,
dem perola de esp cial qualidade a 2,6oo e
2,800 rs. a libra, garanle-se a qualidade
d'este cha.
dem hysson o melhor que possivel encon-
trar-sc a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra,
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2ooe I,4oo rs. a libra,
dem preto muilo fino a !,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a 1,000, l,2oo c 1,100'
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Par-
lado de Simas em li caixas das seguin-
tes marcas: Parizienses, Suspiros, Dili-
cias, Napoleoes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muitos fabricantes c de dif-
ferentcs marcas para t,800 rs. as meias
caixas, de suspiros a 1,600, 2,ooo e3,ooo
_ rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac ingle/, das melhores marcas a 1,000
rs. a garrafa e 10,000 rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canellaa i,000 rs. a libra.
Copos finos para agua a *i,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 e 9,3oo a arroba.
Doce tino de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a Too rs. a lata.
dem ceceas a ito rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muilo bem enfeitadas a
l.ooo rs. cada urna,
dem em litas ermitteamente lacradas a
l,5oo e2,5oo rs. cada urna,
dem era caixas de /* arroba a 2.5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e l.ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12;
dem de Hollanda em garrafies com 21 gar-
rafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
Lentilhas excedente legume para sopa e gui-
pados a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades a
800 e 1,000 rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfectamente flor a 800
e 96o rs. a libra.
dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
a: libra, e 58o rs. em barris inteiros.
Marmelada especial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, ha
latas de differentes tamanhos.

GRANDE
ARMAZEM
DE


RA DO IMPERADOR \. 4a
Junto ao sebrado em que mora Sr. 0btrnf,
Para a festa de Santo Antonio, S. Joo e S. Pedro
Dimrte Almeida fc C, recebrram de tilia propria rncomm
a o mais liado e variado s da presente esta^So. r
Manteiga ingleza | Macas brancas
!2? v,nda1.,nesle vaPr de28 de para sopa a melhor que se pode deso*-
mio a 800 rs. a libra. micsn-aa. ti.lh.riJ a ,1^ 400 rs i
:
.Manteisa franeexa
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril
a 500 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20100, muito propios para mimos.
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o 'com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1^300.
Chocolates
de todas as qualidades a 1^000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velbos para 500 rs.
Queijos flaniengos
chegados neste ultimo vapor a 26oo.
Qneijos
chegados no ultimo vapor a 2600 cada um.
iiirijo
lonarno o mais
libra.
rs. cada urna,
dem para soda estrellinha, pevide e rodinha
em caixinhas sortidasa 3,ooo 3,5oo rs. cada
urna e 5oo rs. alibra.
dem macai-ro, talharim o aletria a 4oo rs a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a loo
rs. cada um
Molho inglez em garraflnhas com rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a t.ooo rs.
agarrafa, 10,000 rs. a caixa com 1 du-
zia.
Nasos muito novas a 16o rs a libra.
Prezunto de fiambre superior a 600 e 800
rs.
dem do Porto para panella a oo rs. a
Passas novas a 48o rs. 1 libra.
Peixe ern latas de differentes qualidades
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
outros a l,ooo rs. a latas.
Palitos para denles a lio e a 16o rs. o mas-
so dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 160 rs, a li-
bra, e a l,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos chegados tiesto ultimo
vapor, a 3,oo
dem prato muito fresco a 800 e loo i", a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que at ho-
je tfm vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
dem londrino a Ooo rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs,
cada un.
Ceneja das melliores manas a C.ooo rs. a
duzia, e 56o rs, a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em qaartos e
meias latas a 38o c *>8o rs. cada urna.
macarrao, talharim ealeiria
libra e 40500 toita.
Vinho
Figueira J A A e ontras muitas marcas *-re-
ditadas a 500 rs. a garra/a
dem de Lisboa'
e de outras marcas a 400 rs. a {rarrafa e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-
cantes da ctdade do Portea 10 e 10200
a garrafa e de 100 a 120 a cala, as mar-
cas sao asseguintes: Chamisso Filho,
*.&M., Nctar 011 vinho dos Dmhvs.
lagrimas do Douro e outros muilo.
Latas
com 10 libras de banba a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica damesmaaue
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a Mfti ^i bra.
Cervejas
I dos melhores fabricantr-sje de todas as mai
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho. | e as ca,x,nhas *JW-
Conservas inglezas do Maranho a iooPi
e outros em
; as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o fraseo.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
1 proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nio pode vender por menos de'
30 a 20600.
dem perol
especial qualidade a 20700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que "tem vindo ao nosso ;
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aletria
180rs. alibra.
COSAC
o muito afamado cognac Pal Brandy a 1,
rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2*500 a 3-5000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 85i
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a lib,
Ciarrafes
com i i garrafas com vinagre a 1-sooO*
o garrafao.
GENEBRA DE 1.AHa\J\
, verdadeira a 10000 o frasco, e de II0OOC
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50060 tm
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a Goo
rs. cada urna.
PALITOS
I os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo .1 groza
e 2o rs. caJa cnixinlia.
LICORES
Sag muito 11
ovo e alvo a 2o rs. a libia.
rs. a
a ar-
Sevadinha de Franca [fiors. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs.
roba.
Traques de i.* qualidade a
xa, e 24o rs. a caria. lidades de 2,"2oo, a i,5oo a resma do mc-
lotictnho novo de Liiba a 2o e 32o rs. a I'101'-
T.Ui?va. Papel de botica
lijlo para hmpar facas a 15o rs. cadaum. de excellenle qualidade a 20200 a resma
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das %-RI '
Z1 Srnf." 3'8 "' canada'e azu' e pa,do Para eibrulhode I,4ooa 2,2oo
rs. a resma.
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-' finos de todas as qualidades, a lo.ooo acixa
des a l,ooo e ^oora^garrafe. com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
COPOS
lapidados para agua a i,5oo e 5,ooo
duzia, e a 110 e 000 rs. cada um.
PAPEL
9,5oo rs. a cai- a'ma,co gi'eye, peso c de outras muitas qua-
a garrafa,
dem do Porto Lisboa c Figueira de manas
loo rs. a garrafa, e
menos conheeidas a
2,8oo rs. a cunada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a car-
rafe.
IdemLavradio muilo fresco nao levando com-
composico a 56o rs. a garrafa, e .ooo
rs a cariada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a canada.
dem mais baixo a loo rs. a garrafa, a 3,000
rs. a canada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,000 c ",00o
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vera ao
t nosso mercado a l,2oo rs a garrafa, ga-
rantirse que por este mesmo proco da
prejuizo e s se encentra n'estc arma-
zem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porlo, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino. I). Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e 10,000
rs. a caixa e 9oo e I.ooors.
Coriiithias
passas corinthis muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l.loors. alibra
Vinagre
PRRem ancorelas de 9 caadas a i 0,000 rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e 1,00o rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra
e 40400 a arroba.
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abren e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o r>
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,000, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
I de espermarete de diversas mareas a 56o rs
1 a libra e em caixa teta batimento.
VELAS
j de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Btalas novas
' em caixas de 2 arrobas a 30 a caixa e C0 rs
a libra.
Passas ribId iwtjs
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pide de-
sejar a 800 rs. a libra e UOrs. o pao
Frntas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, gima e
outros muitos a 640 re. a lata.
Ilscc da cnsra da goiaba
a 600 e 10 o caixe.
US propnetarios do grande armazem o Verdadeiro
te rE s* -ffi-==s
tipularam os mesmos precos nos seguintes lu
a garrafa.
IdemMuscatel superior a l.ooors. agarra-
fa, e Io,ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a canada.
dem em garraroes com 5 garrafas a 1.000
rs. com o garrafao.
Vassouras do Porlo de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
couiua [iicyis nos segmnies lugares:
Inio e Cemmercio roa do Queima'io 0.
O Verdadeiro Principal ra do Imneradnr
Principal declaram a<>> seus
de lodos es-
pal ra do Imperador n. 40
frascos por 6,ooo rs. e 560 rs. o frasco I dem de escova para esfregar casa a 36o rs
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran- cada urna.
LWS 2* a fx-- com l2 frasc06-'VeIas de espemucete superiores a 56o rs.
tima ^ JaS 4 f&" Cada *,ibra* c U2 m caixa-
dem em garrafbes de
rs. com o garrafio.
, ; dem de carnauba Refinada e de composico
Ib garrafas a 4,800; a 36o rs. a libra, e de 10,000 a H.ooo rs.
a arroba.
BAIRRO DO RECIFE, RA DA CADEIA N. SO.
O mais novo e o melhor
AR^UB^ :ilE]fiOLHAHON
equina defronte da ra da Madre de Dos

a 1*400 a arroba e 30 rs. a Queijos do vapor a 2.5300.
I Vinho de Figueira, marca MA a 500 rs.
rafa.
Dito de Lisboa a 400 rs.
Dito de outros paizes a 360 rs.
agar-
Batatas as mais novas
libra.
Toucinho de Lisboa novo a 280 rs. a libra e 85;00
a arroba.
r'al^ Rio de Primelra e segunda sorte a 280 e
J00 rs. a libra e 8S300 a arroba.
Arroz pilado a 80 e 100 rs. a libra e 20 e 23300
a arroba.
Sardinha de Sanies novas a 320 rs. cada urna,
bahao massa superior a 180 e 220 rs. a libra
Passas as mais novas deste genero a 400 rs a libra m en> h,0t,jas dc coma a *>
Ameixas franceza-* com t e meia libras a l&. AKte oce Li*ha> tino a 600 rs. a carra
iJlachinhas inglezas novas a 240 rs. a libra. Dito .te eacrapal 320 rs a. arrafs
Pliophoros do gaz groza 2,5200. .
Velas deespermaceto de 5 e 6 por libra a o 10 r. a
libra, e em raixa a 320.
Volas de carnauba a 115 a arroba o 360 a libra.
Sovadiiiha e sag muito novo a 240. 260 r>. a li-
bra. (arante-su asunerhr qualidade.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidsde a 120
a lata e em lotes de 10 latas para cima se-
far abatimento. no armazem da ra do Im-
Dilo para negoeio a :0 rs. agarrafa e em canada Perador D- 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
sefazabatimento. ._____________________________,
*2!!__ o'Ua,Kla e, fras^ueirasa 6*)(w e 500 Ra da Senzalla a. 42.
Vende-se, em casa de S. P. JohnstondtC,
sellins e silhSes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros da um e dous cavallos, e relogios de
o uro patente inglez.
barril.
DiW mc-te^a flor a 720, 800 e 900 rs. a libra, e em
barril ha abatimento.
rs. cada
Massa de tomate em latas de libra a 600
urna.
Conservas inglezas, francezas
o frasco.
nhaver *!9leS SenCfS liaolItr5 muito; vu enfa*no seria meneiona-to?. Qnm
Na ra de Apollo n. 32 ha urn grande sorti-
mentod marnwre para ladrilho, sacadas, hom-
breiras e degros de 8, 9 e 10 palmos de comori-
e portuguezas a 6(0 do e 2 112 de largo, fom de marmore proprias
para lampos de mesas c para lmalos, vasos gran-
davidar ve-' des para jardim, oo para ornar rtaiuls, "por nre-
' qos muilo razoaveis
Charutos de Havana
de sperior qualidade vendem-se em casa
de Schafleitlin d C, ra da Cruz n. 42.
At que chegon
um grande sortimento de bico e renda preta de
novo modelo chamado (guip) o melhor nue se
pode desear oeste artigo e uue se vendo muito ba-
rato : na toja do gallo vigilante ra de Crespo
_S_ilS_i_BM ____ .
rabnca Conceieao da
Baha.
Andradc & Neg, recebern constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algedao d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar aigodai em pluma etc., etc.,
pelo prec mais razoavel.
*_?__w k s_s?____s, *sr: *_^b v .
Slf *? "'0* e barato, a ooal SSL &SiSt __.
onde
mais
ota-
jir-
gna JSTSStXsSSUSSStSri _e* -
Finalmente, todas e quaesquer garantas ane estahplrimt~. .^
concurrentes, serao mantfdas neste em grao maior 5tai,eiecin^ntos idnticos
---------------------- **f-----Ti .------r~---------r-__________ .
precos, agrado
teem offerecido
aos
u\mm BAR\TAS.
Vendem-se laazinhas deoorts fixasedeboa qua-
lidade para vestidos de seahora a pataca o cavado
e outras modas fazendas que o dono esta revolvido
a vender muito barato afim de apurar os cobres
na ra da Imperatriz n. 20, outr*ora aterro da Boal
Vista.
Esteiraa do Araran.
Vndese na toaras* da Madre do Dos hume-
ro 10.
Vende-se
b.tas com 3 l,2.ca_das de ai_rao do |M por
cSia daaSam da ^ amarelU i,i di s*"
Armaeo
iJH* rua NSva w l0a- ende-se orna e\eti-
lenre armacaoenvidrafada ? de amareMo, ha-
rato,
_-





Diario c FerMBr>neo Ncgnnda felra 18 de tfnlho de 184.
V.
.\ovos enfeltes para senhora.
A aguia-branca acaba de receber un bello e Ta-
llado sortimento de enfeiles de diversas qualidades,
e o que do mais moderno possivl encontrar-se
aqui, fazendo-se notaveis por suas novidade e ele-
gancia un?, cuja grade de un fino e delicado te-
cido a que apropiadamente se chama rovisivel.
Assim, vista desse completo sortimento, qualquer
cidadao munido de dinheiro est habilitado a com-
pra-Ios : ua roa do Queimado, loja d'aguia-branca
n. 8.
Bonitas bonecas.
Com rosto de cera, massa e poreellana.
Acha-se na loja d'aguia-branca ra do Queima-
do n. 8, um grande sortimento de bonecas de di-
versos tamanbos com rosto de cera, massa e por-
celana : os pretndanles munidos de dinheiro
acharao boa disposicao para os vender.
itoies de cornalina
e outras qualidades para eoletes
A Aguia branca acaba de receber um novo e
variado sortimento daquelles apreciados botOes de
cornalina brancos e encarnados, chatos e redon-
dos para eoletes, cujas abotuaduras continnam a
ser vendidas pelo commodo e inalteravel preco de
25 cada urna.
Alm desses receben tambem. outros de madre-
perola, massa e osso, com differenfes moldes para
o menas fim.
J se ve. pois, que o pretndeme munido do di.
nheiro achara sortimento vontade na ra do
Queimado loja d'Aguia branca n. 8.
BAl'SINHOS E CAlXIMIAS
com perfumarlas.
Na roa do Queimado n. 8 loja d'Agua-Branca, os
freguezes munidos de dinheiro encontraro, boni-
tos bausinhos coberlos de couro e com 6 l'rasqui-
nlins de extractos por 1J(SOO cada um, e outros
cobertos de papelao com 9 frasquinhos por 25000
um; caixinhas com 6 frasquinhos de diios por
15000 urna, outras com 12 ditos por 25000 urna,
outras com 3 ditos, cuja coberta parece tartaruga,
a 15500 cada urna, e outras com pastilhas de chei-
ro a 500, 1*000 e 5*000.
Envclopes bordados e carlees com boi-
ras douradas.
Na loja da aguia branca, ra.do Queimado n. 8,
achavam-se venda bonitos envolopes bordados e
cartoes com beiras douradas, tendo de uns e de
outros, maiores e menores, proprios para partici-
pacfos de casamentos, bailes etc.
Completo sortimento de litas
finas, lisas e lavratlas.
A aguia branca recebeu um grande e completo
sortimento de fitas de diversas larguras e qnalida-
des, tamo lisas como lavradas, e em todas ellas co-
nhece-se a superioridade da fazenda, notando-se
as lavradas o bom gosto dos novos e lindos dese-
nhos, isso tanto nas matisadas como as brancas,
e pela commodidade dos precos o pretndeme que
so dirigir munido de dinheiro ra do Queimado
loja da aguia branca n. 8, ser bem servido.
Capachos inglezes.
Na loja da aguia branca, ra do Queimado n. 8
vendem-se bons capachos inglezes, os quaes alm
de bonitos sao de immensa dnracao, pelo que se
loinam baratos pelos precos de 4*, 55, 65 e 75
cada um.
Cartas francezas.
A aguia branca, na ruado Queimado n. 8, rece-
ben um novo sortimento de finas cartas francezas
com beiras douradas e brancas, e as est venden-
do baratamente a dinheiro vista.
SAPATOS DE BURRAfHA
algOOO, l5OOe05OOopar
na ra do Queimado loja d'Aguia-Branca n. 8.
Latas com banha fina.
J por diversas vezes a aguia branca tem rece-
lado dessa banha Una em latas, e tal tem sido a
prompta e rpida extraerlo della, que uo tem da-
do lugar a aguia branca avisar a sua boa fregue-
zia, pelo que lalvez a maior parte della s agora
saber da viuda des>a boa banha. Ella vem em J
latas de 1|2 e 1 libra, e contina a ser vendida pe-
los baratissimos precos de 2* e 35000. Apar da
superioridade da qalidade della estiio os agrada-
reis c finos cheiros de rosa, jasmim, laranja, bou-
quet, e flor de Iialia. A boa freguczia assim seien-
te dirigir-se com dinheiro ra do Queimado,
loja d'aguia branca n. 8.
Banha fina em copos de por-j
colana dourada coin ins-j
cripcoes.
K j bero condecida pela boa freguezia d'aguia '
branca a superioridade da banha que vem nos co-
pos de porcelana domada com maviosas e jocose-,
lias insc.ripcoes, as quaes agora vieran) de novo
gosto, pelo qit essa lina banha pode anda ser
mais coubecida por aquelles que quizerem fazer
um bom presente, com auto que compaivcam mu-,
nidos de dinheiro a ra do Queimado, loja d'aguia j
qraosa n. 8. '
Vende-se alpaca preta a 800 rs. o covado.
Vende-se alpaca preta para vestidos a 500, 600,
700 e 800 rs., fina de cordao a 800 rs. para pale-
tot, princeza preta a 800 e 640 o covado, bombazi-
na preta fina a 1*400 o covado, lazinhas preta
para senhora que estao de luto a 720 o covado :
na ruada Imperatriz n. 56. A loja est a berta at
as 9 tioras da noite.
Os (lasos
OS MAIS AGRAVANTES
1:
IKlima pertinaz umacao
ESCRFULAS,
O ERUPCOES ESCROFULOSAS,
IJlffpns de toda a especie.
SYPHILIS, O MAL VENREO,
TVMORES,
i;bulliin's,
BERTOEJAS,
OPHTHALMIA,
lvdfopisia,
Eropigert*,.
HERPES,
IPti''0\
ElISlPELiS
ESCORBUTO,
Til ha.
CHAGAS AHTGAS,
Rheumatismo Chronc,
DEBILIDADE GERAL,
Ncrvosidade, Ncrralgas,
PALT K .TBBTE. FASTO,
SUrPRESSO DAS REGRAS, ou
AMENORRKEA,
. i flores mm,
Retentan tas I linas.
EMACIACAO,
Oh eiitnitigrechnentogertil tiiente do estado vicioso do sanyw,
fflTLHIACES CHaOKIGAS,
Affec9oes Chronicas do Figado,
.WlM COMO TODAS A? MAlft SIMII.IIANIKS :->-
LEKTIAS, 1'lilS II'AI MENT (jlAXDO SAO
CAUSADAS, 01' l'HODl'/.IDAS l'H.O MU
i.ivkk i>o i>o Mercurio ou
QCINIMO,
AshIui como lamb. ni pilo frrquriiK' no iln AR-
SNICO c anima preparare* Mlaerarsi
"'odas estas Eiifermid.-ides prompta e efca^
mente ceiiem a benfica, poderosa e
purificantes cualidades da mui
justamente afamada
SUMPRRIIiHl m BRKTOL
venda nas boticas de Caors A Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo \C, ra
da Madre de Dos.
MARINAS DEPATENTE
de trabalhar rao para
desearocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAN
GRANDE
sortimento de fazendas aovas bara-
lissimas na loja e armazem de fa-
zendas baratas na ra da imperatriz
n. 56, loja da Arar, Pereira alendes Guimares.
Coi les de chita a 2(>00.
Vndese cortes de chitas para vestidos a 25 00,
ditas de dita franceza com 10 covados a 35200,
cortes de cassa francezes a 25 e 2o00 : na ra
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende a 160 rs.
Vende-se fil de linho de cores a 160 rs. o co-
vado, dito branco para forro a 320 rs. a vara, lar-
latana de cores a 610 rs. a vara, lencos brancos a
200 e 240 cada um : na loja da Arara" ra da Im-
peratriz n. 56.
As laziuas da Arara a 320 rs. o covado.
Vendem-se lazinhas para vestidos a 280, 320,
4O0, 500 e 640 o covado, ditas lisas proprias para
impo
Esta machina
a nica que
possue as vanlagens de nao destruir o fio do al-
godo e de fazer render o dobro de qualquer ou-
tra com menos trabalho, a sua introdcelo para
as provincias deste imperio ser de muito valor
para todos os interessados na lavoura do paiz.
Assim com machinas em ponto grande do mes-
mo systcma,oraql serem movidas por animaes,
agua ou vapor, pas uac poden desearocar 18 ar-
robas de algodo ampo por dia.
O algodo desenrocado por estas machinas tem
muito mais estimac'o nos mercados de Europa e
vende-se por maior preco.
As machinas se achain venda unicamenie em
casa de
Sanndcrs Brothers & C.
X. II. praea do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Estas machinas
podem desearocar
qualquer especie
ise algodo sem
' estragar o fio,
sendo bastante
duaspessoas para
o trabalho; pode
.desearocar urna
arroba du algo-
do em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia on 5 ar-1 c' e vestd0s de senh'oras a 400 e 600 rs. o co-
f*M de algodo vado. na raa ja imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende as chitas para coberta a 320 rs.
Vendem-se chitas para cobertas a 320, 300, 400
e 500 rs. o covado, dita encarnada adamascada a
500 rs. o covado: na ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Cassa organdys da Arara a 210 rs.
V
280 e 320 rs. o covado, riscado francez para ves
tidos a 280 rs. o covado, gurguro de linho para
vestidos a 280 rs. o covado : na ra da Impera-
triz n. 56, loja da Arara.
As chitas da Arara a 210 rs. o covado.
Vendem-se chitas para vestidos de cores fixas a
240e 280 o covado, ditas francezas largas a 320,
360, 400, 440 e 500 rs. o covado na loja da Ara-
ra ra da Imperatriz n. 56.
Lencos de seda da Arara a 800 e 16.
algibeira de
\\!>u, ou-;oi,kF1(;.\i>Om i;a(;\lh \o
XAROPE DE RABA1VO IODADO
lo 08 attestados dos mdicos dos hospitaea de Pariz, consignados no Prospecto, e a app
de vriot Acadmicos, este Xarope emprega-se com o maior successo, cm lugar do OLEO DE F1Q
Segundo
provacSo
ADO DE
BACALHAO, aoquallle realmente superior. Cura as molestias de pelto, as escrfulas, e lympaatismo, a
pallidez e mollera das carnes, as perdas d' appetite, e regenera a ronsUtnlcSo parificando o s.mgne. Em
tnmma o mais poderoso depurativo eonhecido. Elle nunca cancel o est&mago ou os intestinos como o
ioduro de potassium e o ioduro de ferro j e dministra-se com a maior emeacidada aos meninos sujeitos
aos humores ou ao entupimento das glndulas. O noutar r.ievr, do hospital de San' l.ui;. de Pars,
o recommenda d'um modo inteiramente particular nas molestias da pelle, conjuntamente com as pilulas
que teem seu nome. ,,..
Depsito geral: em Pon, en casa de MM. Grlmanlt e C, pharmaceuticos, 7, ra de la Feuillade
em Lisboa, en casa de Rodrigo da Co.U Crlho no Porto, en casa de Miguel Jo. e soui-
rerrcir.; em o Rio-de-Janeiro, feSM Mto e Dll, roa do Sabio, 11; em Rohia, 60 casa de
Jo.- nclnno Frrrclrn-E.plehrlrn; em Ri9-Grande, en casa de JoMialn de Gadoy em Karan-
hio, en casa de FerrelraeC"; em Pernambuco, sh.am e O, ra da Cru, 22; 8s, e nas principaes
pharmacias do Uratil. ^_________________
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 emeasa de Caros 4 Barboza.
011 fina a vontade do comprador
Xo armazem de fazendas baratas de' Pariafca demaiieei superior
0 ,, 1 A ___1 ern saceos grandes: vende Antonio Luiz de ui.h-i-
Santos i oelho, ra do Queimado, .|?S3oac! no seaescripwrio
19, veede-se o seguinte numero i.
ra da Cruz
Altencao.
Lazlhas.
Ricas lazinhas para vestido, fazenda a melhor i
'ond^T/raT^'oroTnrt'vVaM wstidn a "40 *lue tem vindo ao mercadn. ^Mo em gosto como i
\?^%!&V?U?m2'. ,m qalidade da fazenda, pelo baratissimo preco!
de 560 rs. o covado.
Lazinhas miudinlias carmezins, proprias para
vestidos de meninas, e camisinhas a 64 o covado.
ESCRAVOS FGIDOS.
Vendem-se lencos de seda para
homem a 800 e 1&, lencos de cassa a 200 e 240 pelo baratissimo precede 25500 a vara.
rs. : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara. Atoalhado adamascado proprio para toalhademesa
Arara vende os veos pretos c de cores a 15000. a 2*000 a vara.
Vendem-se veos pretos e de cores para chape-
linas de senhoras pelo preco de 15 cada um, go-
linhas para senhoras a 240 e 320 rs., manguitos a
15, camisinhas para senhoras a 23, ditas finas
cem gravatinha e punhos berdados os mais mo-
dernos que tem vindo a 45500 : na loja da Ara-
ra ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende os bales a 2&>00.
Vendem-se baloes de 20, 25, 30 e 35 arcos a
Fugio no dia 10 do crreme o escravo |>or
nome Semillo, de naco Mossambiqne, com os >ig-
naes seguintes : estatura alta, cheio do ei rpo,
roto liso, nao tem barba, tem uns tullios no rosto
suaosuc meninas, e camiMiiuas a uw u fuvauu. :" "' i..,, ,.,1,.., ,1., hrun
Dr6,aaC0n 13C0VadS ^Cl0 baratSm tt&^J&ftSB Jo ES
BSJ* da India pelo baratissimo preco &,tt*f%3SA *2SSi
Len?0ef(IV panno de linho a 23. ^'ZEJSZSi "" ^ "^ ^'
Leueoes de bramante de linhe lino pelo baratissimo sanente recompensados._______________________
pre^o de 35200. [ Da casa do abaixo assigoado aosenton-i
Bramante de linho fino com 10 palmos de largura dia 13 do crrenlo mez a escrava Joaquina, per-
tenrente ao capitao Jos Antonio Pereira, mirador
ni) 1 trejo da Madre do Dos, a qual tem os siguacs
seguintes : estatura e corpo regulares, cor bastan-
Carabraia de forro a 25600 e 35200.
Guardanapos adamascados a 35800 a duzia.
Toalhas alcochoadas proprias para mos a 53 a
duzia.
f Cortes de calca de ganga amarella de listra? e
delquadros, pelo baratissimo prego de 15200 o
orte.
Cambraia adamascada com 20 varas, propna
para cortinado, pelo baratissimo prego de 1 O000
te lula e muito disfareada, quando sabio 'de t-.;:a
levou vestido de cassa azul ja desbotade, porm no
mesmo dia foi vista com vestido encarnad"'. r< um
r de suppor esta mudenca para nao ser conh' ida
por ter levado toda roupa; o havendodes
deachar-se acoutada em alguma casa, !"-:i f
autoridades policiacs c a qualquer |iessi ; : I-
lasouber, de participar na na do Sebo 11. 2, cu
no largo da Assembla n. 2"). prensa de algo '
Jo.- Luiz Guiaco.
N'a roa do Rangel n. 2 vndese o verdadei,
ro papel de linho hespanhol, e de palha de milho-
tanto em porco como a retalho, e de todas as mais
Cualidades para o fabrico de cigarros; eharutos da
ahia muilo bons a 25 a caisa ; a elles, que eslao
a acabar-se.
VSSSS^SS^SfSi S,de"" s,"ia Pla "* h"a''ssl,:
Vendem-se cortes de laa a Mana Pa a 85e 13, pelo baratissimo preco de 45- 3 annos de idide com os ienaes segninles -
pegas de cambraia lisa fina a 33, 33500 c 45 : na Pe(.as de platilha de algodo com 10 varas, pro- f (.al)ilo; carapinhos, baixa, grosa,
ra da Imperatriz n. 56 loja da Arara. pna para saia a 45200.
Cortes de ganga a 1-5600 | Estei ras da India, proprias para forro desala.
Vendem-se cortes de ganga franceza para calca de 4,5 e 6 palmos de largura, por menos prego do
a 15600, ditas de casemira a 35, ditas finas a 55 que em outra qualquer parte,
e 55500 : na ra da Imperatriz n. 56. Xeste armazem tambem se encontrara um gian-
Itoupa feita da Arara. de sortimento de roupas felas, e por medida.
Vendem-se paletots pretos de panno fino a 165-
145 e 125, ditos saceos de panno fino preto e azul
/200-C15533S- > ,Q S ES *$ <-i S
Srrwucoo-i &", & o o o
a
cSl
CB B
r --
1*2 o. S.S
en > ce _u g
B % s- s C? 3 O o os
c
o p.
es
VI
a a
a o
c ~
3

O
s i
ro -r, o
. S
" cu '
Cft -r.
debruados de fita a 95 e 105, ditos de casemira a
65, 85 e 55, ditos de brim a 25500 e 3, ditos de
alpaca preta a 35 e 25500, camisas francezas bran-
cas a 25 e 25500, ditas de linho de pregas largas
a 25800 e 35, seroulas de algodo a 15600, ditas, ~-
de linho a 23, calcas de brim e gangas de cores a fi JfT C lUZCHltS CL TW*
25, ditas de brim pardo a 25500 e 35, ditas bran- \ J I
cas a 355OO : na ra da Imperatriz n. 50 loja da sJq (VP^D't fl /.
Colchas da Arara a 4,3 Miguel Jos Barbosa Guimares, socio princi-
Vendem-se colchas de damasco para cama a pal da firma deGuimaresi Lima, faz sciente> ao
45, ditas de fusto a 5#, ditas de chita a 25 : na respetevepubico que teodo t h^Mlar^adas^
ra da Imperatriz n. 5b, loja da Arara.
Vendem-se gangas para calcas e paletots.
Vendem-se gangas para paletots e calcas a
nos.
grandes, rosto redondo e com muitas 1
bexiga, mos pequeas e pe?, pernas arquead \
maisaguns que nao se recorda; levou con--"
urna lllha com idade de tres mezes tambem prct.i
quem a apprehender leve-a ao referido eng^nlio.
ou ao paleo de Tergo n. 44, que ser generosa-
mente recompensado.
fazendas existentes em seu estabelecimento por
ter fallecido o seu socio Jos de Almeida Nones
Fugio de casa de scu< senhores, no da 14 d"
corrente, o escravo izidro, crioulo, de idade 25 an-
uos, pouco mais ou menos, estatura regular, rheio
do corpo, cor um pouco fula, cabellos carapinho*.
olhus pardos, beigos um pouco grossos, nariz regu-
lar, ps grandes e grossos. bem desembaragado no
fallar, nao malcriada, levou caiga de brim bran-
co. camisa de madapoln, chapeo de feltro j u-a-
do ; cujo escravo filho de Cahsta Hara da Con-
ceico, do Itrejo de Bananeiras, provincia da Para-
hyba do Norte ; veio em 1861 em pagamento para
os Srs. Guimares & Alcoforado desta cidade, mp-
poe-se ter seguido para aquelle lugar : roga-" a
todas as autoridades e rapitaes de campo a su p-
440 Lima, que consta de um grande sortimento de fa- ] prehensao c lvalo ao pateo da Santa Cruz n. v
r. n zondas finas, como sejam ricos vestidos de seda qUe Sero recompensados com 1005.
e oOOrs. o covado, fuslao paracalga_a aOO i. o mm ^om ^ dc mofo> capas de vc,|udo pret0
fazendas que tudo
covado : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Madapolo francez a ->.
Vendem-se pegas de 'madapolo enfestado com
12 jardas a 45 e 45500, ditas de 24 jardas ns. RG
a "5, ditas n. 60 a 65500, dito moga a 75500, dita
V n. 40 a 85, dita n. 50 a 85500, ditan. 7 a 105, di-
^* I ta SS !>5, dita XX 85500. algodo muito cncorpado
0 a 55300 e C5, dito carne dc vacca a 75:
muito linas e outras muitas
vende por baratissimo preco.
AVISO
Ausentou-se no dia 3 do corrente mez da ca-
sa de seu senhor o escravo Targino, cabra, de ida-
de iOannos pouco mais ou menos, com offlcio de
ourives, alto e seco, sem barba e espadado, booi-
, ta figura, levou vestido caiga de ganga de qnadros
Xa fabrica de sabo da ra do Rangel n. 34yen- miudos j usada, camisa branca e ebapeo de b-
Vendem-se ditas escravas send urna mula-
linha com 16 anuos c outra com 20, bonitas figu-
ras : a traz da matriz de Sanio Antonio n. 12.
i
s
va
ce
m
i
na ra
da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
P.riin de liuho a 1 :<280,
Vende-se brim de linho para caiga a 15280,
15400, 15800 e 15OOO a vara, brim liso para se-
I roulas e lenges a 500, 560 e 640 a vara, braman-
te de linho 25200 a vara tem 10 palmos de lar-
' gura*, brelanha de linho a 640 c 800 rs. a vara,
brim pardo a 800, 640 e 15 a vara : na ra da Im-
peratriz n. 56 loja e armazem da Arara, a loja es-
! t aberta al s 9 horasjda noite.
de-se constantemente sabo massa, tanto em eaixas
como a retaiho a 200 e 220 rs. a libra._________
negocio le grand* Interesa*.
Vende-se una fabrica de fazer colla com
um laboratorio para fabricar a quanlidade
que se quizer, podendo ser mudada para
qualquer logar conveniente, obrigando-se
quem vende a ensinar todo o processo ta
fabricaco : na ra do Qteimado loja n. 13,
se ilir quem vende. __________
Algodo
'da
Dichas hamburguezas
_____________i Vendem-se bichas de primeira qalidade : na para saceos de assucar e .
- Vender nma escrava que corintia e faz ren-' ra Xova n. 61, defronte da Illma. cmara muni- para vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & cife a 1 iio.naz Fernandes da Guolia ua roa da a-
s : na ra das TrincherasT 38 | cipal. C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1. I dea n. 44, que serao generosamente graUcaJo,
da Baha
roupa de escravo; tem
ta, foi escravo do lllm. Sr. Theodozio Francisco
Diniz, morador em Porto Calvo, suppSe-se ter fin-
I do para o Recife aonde j esteve c tem couheci-
niiiilo, a titulo de procurar senhor, e igualmente
se auseniou a escrava Graciosa, cabra, de
116 annos, bonita figura, cheia do corpo, rosto lar-
go, estatura baixa, bracos e persas grossas, dc
' suppr que seguisse o mesmo deslino do relerido
1 cabra, o rogase a tojas as autoridades policiacs.
rapitaes decampo e qualquer pessoa do po*
jsc os virein os capturar eos mandar roudunr
a seu legitimo senlior Mano-I deSouza Cunh 1 -
sidente na villa de Porto de Pedras, ou na villa
do Paco de Camararibe a Antonio de Souza t^u-
nlia, em Rio Foj;moso ao lllm. Sr. Diniz e no Ht>.
da Cunha ua ra d
-
GERAL.
00.n
DOS PREMIOS D
V "2' P\RTF DA 3 LOTERA ^ BENEFiaO DA SANTA CASA DA MISERICORDIA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 537 DE 21 DE JUNHO DE 1802, PARA PAGAMENTO DE DESPEZAS J FEITAS COM O
A U. PARTE DA O. LOTLRIA, A ^^Ll {u VTASi I:N l O DK ENFERMOS POBRES REMETTIDOS PELA POLICA, EXTRAHIDA EM IG DE JLHO DE 1864.
-
SS. PREMS. NS. PREMS. XS. PREMS. XS. PREMS. NS. PREMS."! XS. PREMS. XS. PREMS.INS. PIUs
l 65 173 65 352 0,3 506 65 722 65 870 65 1046 205 1208
j 74 __ 53 8 23 73 49 6-5 12
3 _ 77 __ 60 11 25 73 30 13
i __ 78 ._ 61 125 l'i 26 77 51 1
6 __ 80 --- 63 65 15 28 79 54 22
' --- 81 --- 64 - 19 205 30 su 55 25
11 83 -- 65 __ 20 05 36 86 ' 57 - 26
13 : 125 07 24 37 S7 61 il
14 _ 84 65 68 27 38 [ 89 _: 68 31
20 _ 88 69 31 39 1251 M 1251 70 - 32
23 __ 96 73 33 42 651 98 65 73 - :i;'
23 , , 99 82 36 48 000 _ 74 _ 10
31 __ 200 84 10O 37 49 1 125 78 0005 43
:;i _. 3 90 65 38 50 125 4 65 79 65 45
37 __ 5 (12 1005 49 _ 55 65 .'i __ 84 47
42 _ 10 93 65, 51 61 7 __ 89 i 8
43 __.- 11 94 53 _ 68 9 __ 93 49
44 16 98 - 59 69- 205 11 __ 96 50
17 _ 17 400 60 __ 72 65 12 __ 98 56
18 _ 23 1 61 . 73 15 1100 _ 60
50 . 29 3 71 77 23 . 1 ~~ 61
54 __ 31 0 74 80 29 7 62
61 __ 32 l 7 79 205 81 31 9 63
66 __ 40 205 11 205 90 65 85 34 405 14 64
67 41 0,3 12 125 91 86 37 0 16 74
73 43 13 05 95 90 39 24 81
77 46 125 14 97 205 95 41 27 83
84' 48 65 23 99 125 97 405 44 35 85
M 50 24 601 65 800 65 46 38 86
yo 51 29 4 4 52 41 89
91 95 97 101 * 52 55 59 30 32 33 5 8 13 5 8 9 54 58 63 43 4i 48 90 91 96
64 37 15 10 205 64 52 1301
68 38 23 11 65 66 1005 55 7
6 125 69 40 2o 17 67 65 57 17
10 65 71 46 30 18 70 62 18
13 73 47 34 22 71 64 19
21 74 M 52 37 27 125 72 205 65 125 23
26 75 _ 53 42 28 65 76 65 66 05 27
30 76 __ 54 -t- 47 __ 33 80 67 28
31 79 _ 58 205 50 34 82 68 33
35 _ 86 01 65 59 37 88 69 37
37 2005 90 64 60 44 92 73 40
38 65 93 65 69 47 125 1000 74 52
39 2005 312 67 77 50 65 2 75 58
42 65 *13 __ 68 84 al -i 6 125 78 125 60
43 14 _ 69 85 20# 53 10 65 83 65 63
46 24 --- 73 86 65 54 14 84 64
51 __ 25 --- 80 88 55 125 23 89 66
54 28 82 90 __ 57 65 28 92 69
60 30 88 99 mu 59 34 1200 72
64 38 89 1005 702 mm 65 36 1 73
67 40 502 6* 10 66 37 i3 76
68 47 4 18 68 39 6 77
*125
125
65
125
65
205
M
-! *6
205
0-3
XS. PREMS.
1380 65
81
85
86
87
88
94
97
99
1404
5
9
11
15
15
17
18
19
22
20
27
28
20
30
39
40
13
44
49
50
59
64
71
73
75
76
78
79
80
81
83
88
89
92
94
96
97
1501
3
6
9
14
125
125
125
65
125
65
XS. PREMS.
1517 65
20 -
23
24 -
26
39
30
32
33
38
43
15
49
01
00
68
70
78
70
8(1
81
83
84
80
7
80
M
97
08
99
1601
9
12
18
23
24
31
39
43
u
48
50
51
56
57
58
64
68
69
74
405 78
125
05
125
65
125
205
65
205
79
84 l
XS. PREMS. XS. PREMS. XS. PREMS. XS. PREMS. XS; PREMS.
1687 6-3 1859 65 2021 0-3 2216 65 2395 .-3
89 60 25 17 99
02 62 27 20 2400
OG 63 39 32 5
1702 __ 66 42 1005 37 9
3 70 205 43 65 38 10
1 __ 71 65 44 405 4o 13 205
5 __ 75 46 65 49 18 125
0 77 - 47 30 19 65
11 _ 82 50 53 ^20
13 __ 83 51 51 22 -
18 __ 88 53 58 23
22 __ 92 50 62 28 405
29 __ 96 57 63 33 65
51 1 99 00 05 36
34 1907 __ 03 66 42
58 8 __ 67 71 125 43 125
15 9 ^_ 70 71 05 46 65
48 __ 10 _ 74 75 205 48
49 11 84 78 65 49
51 __ 14 __ 96 81 50
N 20 . 2102 84 64
39 21 _ 12 86 66
61 26 16 88 69
63 27 17 95 70
67 125 29 . 19 96 71
70 65 35 __ 23 97 72 125
74 38 24 2304 __ 81 65
76 125 39 405 27 7 __ 83
83 65 40 125 29 9 ^_ 93
85 41 65 34 12 __ 96
91 42 35 15 _ 97 -
98 46 405 36 16 2501 __
99 49 125 40 125 18 2 __
1801 __ 53 65 44 65 19 3
^ _ 65 125 45 21 _ 6
3 66 205 46 22 8
5 69 65 47 27 __ 10
10 __ 71 48 29 _ 13
11 __ 74 50 30 __ 14
15 73 _ 52 31 __ 23 125
17 205 76 57 - 38 _ 30 65
19 65 80 60 41 32 ^
21 81 67 * 43 33 ---
28 405 82 m 60 " 44 3o "
30 65 86 65 79 ~" 32 36
34 405 91 80 * 56 40 405
35 65 97 82 "^ 68 46 65
38 3003 83 86 89 "" 75 50
45 5 _ 82 205 59
47 205 6 _ "* 83 65 60
51 6ff 7 M. 94 84 61
53 8 95 85 62
34 _ 14 _ 2214 91 68 205
57 . 19 _ 15 93 70 65
XS. PREMS.
2571 65
72
73
75
76
79
92
94
95
97
99
2600
4
12
14
20
20
30
10
41
y
44
10
18
125
65
58
60
63
71
72
74
75
78
82
86
87
88
90
99
2704
5
10
11
12
15 6:0005
17 65
23
30
33
35
36
42
46
2005 '
65
125
125
65
405
05
NS. PREMS.
2756 65
59
64
67 -
70
71
76
82
83
8t,
88
08
2803
4
10
15
18
23
28
39
12
13
40
51
53
50
63
67
08
71
70
78
70
82
83
85
88
90
92
94
97
2904
9
13
17
24
26
28
31
32
40
41
43
44
47
XS.
2018
50
62
63
64
67
71
PREMS.INS. PREMS.XS. PREMS'
65
125
05
70
77
78
si
84
85
80
95
97
3000
6
7
8
21
28
31
34
30
41
18
50
51
5o
58
63
65
67
88
70
80
85
87
05
3101
5
8
11
14
17
21
22
23
24
26
27
28
29
125
125
65
125
65
1005
65
125
205
65

3131
32
35
37
45
49
51
57
-58
63
70
71
72
70
80
88
01
05
00
97
98
3201
5
0
8
13
19
21
23
24
29
31
37
45
46
48
10
50
52
54
62
63
64
69
87
89
94
95
3300
1
I
5
8
10
22
205
65
1:4005
65
65 3324
- 25
-I 29
38
13
li,
4s
51
56
:.7
50
63
08
70
71
70
81
83
8 i
80
01
02
93
w
W
3404
9
11
11
M
20
21
24
25
27
35
10
42
43
44
49
57
58
60
67
69
71
72
78
87
88
90
93
96
98
0,-3
125
65
405
65
2il5
65
125
65
125
65

O escrivo, Jos Pedro das Neves.
Pem.-Typ. de M. F. d Faria & Filhoim
W*


Diarlo de Feraambnco Segnnda felra 18 de Jnlho de 19*4.

UTTERATRA.
0 QUE VAE PELO MUNDO
_ o jornal de Stockholmo Nya Dagliat Ali.
'; |)u!)licou a seguinte caria do ministro dos
npgocros estraogeiros de Suecia, dirigida ao chan-
a | isga, .'. -erca da violagao de nma parte
,1a-.; mandadas por aqoelle mir
',) sueco na conferencia de Lon-
dp :
c No dia 27 de abril expadiu-se do ministerio
dos negocios cstrangeiros um grande maro conten-'
ro pois devo ter siJo mandado 2*, de manhaa,
pelo camioho de ferro para Gothemburgo, afim de
.v.t enriado, na lardo de 29, daquelle ponto pelo
vapor que se dosliava llull.
i Mas, segando annuncia o conde Wachtmeis-
ler, em data de 3 de malo, e como se prova pela
remessa do sobrescripto que continha os despachos,
aquella carta fui mandada, como se v dos sello;
do correo, pela aiministrago dos correios de Stu-
ekholmo por Hambnrgo para Londres. Principal-
mente em tempo de guerra, nao de maneira al-
guma iudifierente para o serviro de S. M o meio
por que chegam ao estrangeiro os olficios expedi-
dos ao ministro dd S. M
i O que pode ser mandado sem prejuiso por Go.
lioiburgo para Inglaterra, nao pode ir com a mes-
an seguranca pela Allemanha. N > caso de que se
trata, os despachos connbam in=trurroes e com-
manicacSes secretas que nanea se podiam deslinar
para screm expedidas pelo corrcio ordinario, pelo
erritorio allemao.
t conde Wachtmeister annuncia tamliem que
e sobrescripto do despacho estava roto sna rhc-
gada, e que ha todo o motivo para acreditar que
o seu cometido foi, na sua passagem, objecto de
ura'examo illicilo. Como por este acontec monto,
era. consequeneia de im erro grave, qu' se nao
devia dar com os offleios d'aqii expedidos, se qui-
zesse suscitar um accidente real, cujos se poden)
tornar muito desagradareis, julgo dever convidar
o chanceller da justica, para tomar as medidas
que as circunstancias exigem.
t Stockholmo, 10 de maio de 18Gi.Por ordem
d'el-reiL ttanderslrom.%
- O Monileur, da tarde, publica o seguale : Aqu protesta-se com extraordioaria vehemen-
Assegura-se que prevendo os acontecmentos, ca contra a noticia espalhada pelos despachos te-
o imperador da Russia cedeu, ha algum lempo, ao legraphicos de Vienna.que annunciam que as dnas
seu agnat, o grao-duque de Oldemburgo, os direi- grandes potencias esto promptas a abandonar a
tos evenluaes que na qualidade de cnefe do ramo liona de Assenrade, e a concentrarem-se na de
de Holstein Gottorp, S. M. I. pode prevalecer auma Flensbonrg-Tondern.
parte de Schleswig-Hols.eln. j Assegura-se finalmente ^Que a Prussia est
Nao se ignora que a renuncia da Russia, con- resolvida a manter a primeira d'aquellas lnhas,
tida no protocolo assignado em Yarsovia no anno assim como a reserva feita pelo conde Bernslorff
de 1801, leve por motivo consagrar o principio da em 2 de junlio no seio da conferencia; isto que
integrdade da monarchia dinamarqueza. I os povos do Schleswig septentrional sejam previa-
Hojo porm, que. ja ca lucou o principio pelo meQ,e CODSUltaJos *rca da sua incorporacao a
de S. Petersburgo sacrificouos scus nionarehla dinamarqueza .

Do Jornal do Commercio, de Lisboa transcreve-
mos o seguinte artigo, ali publicado sob o ttulo
A levla cao de Tunis :
o ultimo representante, reverter para o ramo de' "T" ha poaco uma reTO,B^ em Tu"S- A
liottorp, de que o imperador Alexandre li actual- '"*% q",e pam"ia cf umscrever-sc apenas
mente o mais velho. ,a0S ?* d,r,slaos- l>*> generalisar-se no
mundo e a passeiar o seu estandarte vencedor
t O grao-duque de Oldemburgo poderia pela sua alravez das propras tribus musulmanas, ltimos
parle, em virlude de uma cessao da Russia, nter- herdeiros do velho governo patriarchal, o menos
vir no conflicto actual, como pretendente a nma ^ paternal e affectuoso de todos os governos antigos
parle da successo, que hoje disputara entre si os c modernos.
ramos rivaes de Glucksbourg e Augustemburgo ; j Parecen ao Sr. ministro da marinha que as
e aspossessoes que assim fossem revindicadas em agitarnos dos rabes edos mamelucos podiam of-
nome do ramo Gottorpiano, constitnem precisamen-; fender em seu trafico pacifico as pessoas estran-
te a parte mais contestada do Schleswig-Holstein.' geras, que habitam na cidade, e determnou com
porque comprehendem o posto Kiel. {j0Uvavel diligencia, que um vaso de guerra portu-
O grao-duque actual de Oldemburgo nao guez largasse ferro para as velhas praias de Car-
como se sabe-, mais n que o cliefe da ultima ra. thago e ali podesse proteger com a bandeira nacio-
milicaco do ramo Gottorp, e de toia a casa de 01- 'nal os nossoscompatriotas naquella rego.
embargo. j ,p00 Mindello o navio encarregado desta hon-
Esta casa, que a maior do norte, e a mais il- fosa commissiio. Vollou o navio, e n'um elegante
Km seguida, publicamos o texto de uma
r.iensagem que o rei da Dinamarca receben dos
habitantes de Kolding, o pnmeiro ponto que foi
o:cupado pelos aintro-prussianos na Jutlanlia :
Gracioso soberano.E' as circunstancias
graves, e quando todos os coracoes esta; cheios de
inquietago pelo futuro da nossa cara patria, que
nos aproximamos do throno de V. M.Concluiu-se
uma suspenso d'arma*, e rom ella cessou a ellu-
slo de sanptue, que at agora tem envolvido tantas
familias na dor e no luto. Possa V. M. fazer se-
guir esta tregua de uma paz duradoura !
< Gracioso soberano.E' verdade que para to-
dos nos se demora o prazer de g*sarmos os bene-
ficios da paz sob o governo paternal de Y. M.; mas
ligamos ainda um grande valor em ver assegurar
o futuro da nossa patria o a independencia de V.
M., como rei de Dinamarca, llvrando-nos da op-
pressio, que momentneamente pesa sobre todos
nos.
V. M. appellou para a energa da nacao, afim
de'sustentar a lata desogaal em que a Dinamarca
est envolvida, c esta palavra real encontrou echo
em todos os coracSes. Vimos de um paiz, que
soffreu, mais do que qualquer outro. os males da
guerra, mas nao vimos queixar-nos. Pedimos,
l>elo contrario, ao Tolo Poderosa, que nos d a
coragem e firmesa necessarias para supportar to-
dos os sacrificios que ainda se p)s ra a defosa da nossa justa causa.
Entregamc-nos chelos de confianga Y. M, c
aos scus conselheiros respoosaveis, persuadidos
como estamos de que o governo de Y. M. saber
defender egualmente a nossa liberdade interna,
que j tem creado profunlas raizes no coracao da
liara), o nosso bom direito e a nossa independen-
cia nacional.
Deus proteja V. M. c a nossa cara patria.
Kolding e suas immediagdes, 19 de maio do
1364.

Segundo os jornaes que temos presentes, pu-
lseamos o projecto de conciliario, aposentado
l'Cla Inglaterra 28 de maio.
Os plenipotenciarios da Gra-Bretaiiha viram,
com grande sentlmeule, que na ultima sessao da
conferencia se nao podo conseguir eslabelecer as
Lases de um accordo entre a Allemanha e a Dina-
marca. Xa nossa opiolao, nao 6 nos compromis-
sjs de 183132, que s provocaran! desntelligen-
cas e complicacoes, nem na analyse de um direi-
to obscuro e complicado, que se devem encontrar
as bases de nma paz solida e duradoura.
Mas, para poder eslabelecer as bases dessa
paz, as potencias nao leem o direito de renunciar
ao tratado solemne pelo qual reconheceram a in-
tegridade da monarchia dinamarqueza, e tambem
nao podem coacorrer para um ajuste, que seria
insnfOciente para a Allemanha, ou humilhante pa-
ra a Dinamarca.
E" pois necessaro procurar n'outra parte ele-
mentos de una paz solida c duradoura. De ha
roitos annos que os Allemaes da coofederacSo
germnica nutrem vivas sympathias pelos seos ir-
mos, que sao subditos do rei do Dinamarca; pe-
la sua parte, os Dinamarquezes amam a sua inde-
pendencia e desejam conservar a sua antiga mo-
narchia. Estes sentimentos. de urna c outra parte
merecem respelto da Europa.
< Para previnir uma luta que d'aqo se seguisse'
e satisfazer a Allemanha, seria necessaro, na nos-
sa maneira de ver, separar completamente da Di-
namarca, o Holstein, o Lauenburg, e a parte me-
ridional do Schleswig. Para exigir um lao grande
sacrificio da parte da Dinamarca, e manter a inde-
pendencia da monarchia dinamarqueza, para de-
sejar que a linha de divisas nao seja tracada alm
da embocadura do Schley e do Dannewerke.
osota taaa, i|uu l" a III 11 II U IlOItC, a lliaiS II" v"" w,...--.-... v..wu v nu.it/, c u u... w :- m l
lustrada pelo numero dos thronos que tem oceupa- e sisudo relatorio, em que seu benemrito com-
do, comprehende, alm do ramo mais velho e real, mandante atiesta os seus exrellentes predicados
que ltimamente se extingui em Copenhague!; o ntellectuaes, descreveu o estado presente da si-
de Augustemburgo, representado pelo juiz do du- tuacao turiesina.
que Frederico, actual pretendente ; o de Glucks-1 Nao podemos vencer o desejo de copiar aqu
burgo, de que o re Chrsliano IX. chefe, e o de os trechos que nos parecem mais significativos do
Gottorp, ao qual pertence a familia imperial da Rus- bem escriplo relatorio, publicado boje no Diario.
sa, a familia dos principes de Wasa, que ha muito | As causas diz o Sr. capitao lente commandan
lempo reina na Suecia, e finalmente a familia graa
ducale de Oldemburgo.

De Yienna escrevem o seguinte ao jornal alle-
mao Ost-Dcutsche-Post :
te do Mindello, que principalmente deram aquella
rcvolta, foram as seguntes :
1.a O augmento do imposto de capitacao, que
se clevoude36 piastras 72.
c 2.' A demora na decsao das suas causas (as
dos rabes) julgadas perante os tribunaes estabe-
lecidos por uma constituicao promulgada ha poa-
co tempo.
t 3.' A desconfianca bem ou mal fundada que
elles tem do governo actual e principalmente do
Corre boje (9> como certo que o barao de
Brussnow iratou sobre os direitos de successo da
rasa de Gottorp a Kiel, etc., conseguindoos a favor
do ramo de Oldemburgo.
| VHWO *VNi *- pw-ww lilil O M
fcste acto da parle da Russia abre a Mr. de kasnadar ou ministro da fazenda.
Rismark um novo meio de realisar a antiga idea _
de engrandecer a Prussia, obleado, em relaco ao : 4' serem mamelacos e n5 puramente ara-
dugue de Oldemburgo, a cessao de uma boa parte S ovi!rnadhres "frentes provincias da
do territorio immedia.o ao golpho de Jahde, que o, T"?' *"5" naoPodla,n ne,n am 1U
Hohenzollern compraram ao grao-duque, afim de < ey'osse deposto... Oprimeiro ministro... ho-
ali eslabelecer uma estacan para a sua esquadra I mem den]asiadamen,e orgulhoso e obstinado, bus-
ca por todos os meios esquivar-se a largar o go-
E sabida a combinarao, que consista em dar verno, principal exigencia dos revoltosos, sem re-
os ducados ao grao-duque dOldemburgo, o qual cuar se quer diante da idea de uma guerra civil
em troca cedera a Prussia todo ou parte do seu sede tanto precisar para conservar-se no poder!
propno grao-ducado. Como o Holstein e o Lauen- At aqu o relatorio do commandante do Min-
burgo tem so por si mais do dobrd da populacao Mo. Agora as reflexoes a que no; induzem as
do grao-ducado d-Oldemburgo, o grao-duque nao torbagoes civis na velha Tngitania, outrora berro
far.a um mi negocio. Mas convm notar que 'e thcatro de tao graves acontecmentos na h.storia
esta so uma posicao de reserva para Mr. de Bis- da antiguidade.
mark. .
t Ate em trra de monros se tem por cousa fe-
- Depois doler evacuado a primeira linha da ; issima e ardua do levar que osmpostos se aggra-
sua ordem debatalha diplomtica a Incorporarlo vem sobremaneira.e que para acudir s prodiga-
directa do Schleswig-Holstein Prussia, conserva lidades dos poderosos se dexe exhausta a bolsa do
ainda entre aquella linha, e o projecto d"01dembur- povo e famintas as boceas dos que trabalham.
go um segundo ntrincheiramento, para traz do Quera est acostumado a suppor que tudo se tole-
qual se retirou por agora; e a segunda alternativa ra e se dissimula na mourisma aos governos mais
da mensagem Arnin, o protectorado. tyrann.cos e impopulares ha de espantar-sede que
A Correspondencia Provincial de Berln, nos os arabC:S> mamelucos e berberes sejam menos
diz boje expressamente que indspensavel crear lonSanimes do que ceos poros, que para c do
nos ducados uma forea de trra e de mar sufll- estreil0> Pst0 1ue ainda \enham no sanguo al
cente para deffender a Alleminha do Norte,' e que
esteja inteirameote I gada as foreas militares da
Prussia, nao no interesse da Prussia, mas uoica-
mente no da propria Allemanha.
A mesma correspondencia ministerial teve sua
"uvda o pesar de mostrar a desagradavel irapres-
guns clobulos arbigos, deixara impunemente su-
gar a substancia de seus ha veres c menoscabar a
sua dignidade e os seus foros, sem que onsem ape-
nas protestar contra a arrogancia dos seus beys e
hasnadares. Tao infeslos e bostis aos cidadaos
tem por ndole o tornarem-se os kasnadares e mi-
nistros da fazenda em todo o orbe, que at em Tu-
da que ao encerrar-se o bazar legislativo, das maos
dadivosas do ministro escorregne para as do sup-
plicante o diploma, com que o Mameluco ha de ir
assoberbar n'um alto emprego os dicterios da opi-
niao, a que elle surdo. O Mameluco o que
manda fuzilar os cidadaos na urna, quando radi
ou chefe n'um districlo de chrstSos e que suspen-
so por alguns das do seu cargo, para dar satisfa-
cao opiniao publica, volia pouco depofc ao sen
lugar entre impotentes mprecaroes dos scus admi-
nistrados. O Mameluco domina em Tunis. Mas
consolem-se c desentristecam-se os bronz-ados fi-
Ihos de Ismael, porque nao siio menos quinhoados
que os bomens livres e independenles de Portugal.
E cousa muito para notar e digna de grandes e
philoephicos reparos, que o bey deTunis, a manei-
ra do todos os beys da ftdondeza, queira dar ouvi-
dos e fazer justica aos povos, e que o nao consinta
o pnmeiro ministro. O primeiro ministro, diz o
relatorio, homem orgulhoso e obstinado, busca por
todos os meios esquivar-sc a largar o governo,
nem sequer recua diante da idea de uma guerra
civil, se de tanto precisar para conservar-se no
poder.
Que progressos nao tem feto a sciencia do
governo, anda nos paizes que nao illumnou a mo-
derna civilisaco! At em ierra de Monros os pri-
meiros ministros se apegam ao mando e ao poder,
como se fosse morgado e peculio proprio At na-
quellas regios, onde nao ha prebendas grossas a
distribuir, nem embaixadas sumptosas que enviar
Roma, nem carta de conselho que distribuir pe-
los mamelucos mais officiosos, nem baronatos, nem
ducados, nem rommendas, nem grla-crnzes, do-
ce e lisongeiro o governar e ter dominio sobro os
demais! Ah! bom primeiro ministro; Querem-
vos deslhronar, esses arabesilos de somenos valia
esses rabes mais plebeus que os vossos cavallos
defidalga genealoga, querem que o bey abdique da
prerogativa de nomear e demittir livremenle os
seus ministros, elle que nao precisa para tal do
art. 73 5 da carta constitucional, elle que vo< faz
muito favor em vos deixar a cabeca em cima dos
hombros, que para sso que Allah mandou a este
mundo os beys, os kalifas e os sulloes; e vs, pri-
meiro ministro, havels de largar no chao as insig-
nias do poder, dar as costas affrontosamente e per-
der a sinecura, com que estaes antegostando o pa-
raizo do vosso Mahomet, o primeiro prncipe ver-
daderamente constitucional que houve nesle mun-
do I Bom sois vos para cederdes a estes feros e a
ameacas das carrancas rabes! Reclamam ? Re-
sists. Iosurgem-se ? Espingardeaes I Ateiam a
guerra ? Aceitaes a guerra. Assim que fazem
os primeros ministros, que comprehendem a sua
dignidade e o que devem ao seu cargo, ao seu bey
e ao seu partido. Arda Tunis em guerra, como
ardeu a visinha Carthago e como ardeu Portugal,
a Tunis da Europa, ha dezoilo annos. Mas o pri-
meiro ministro nao desee. O primeiro ministro como
CambronneHorre, mas nao se rende.O primeiro
ministro c necessaro felicidade publica. E' a
Providencia, e aTrovidencla nao abdica. Os primei-
ro ministros a dormir a bocejar velam, por um pa-
radoxo ncomprehensivel, pela prosperidade do paiz.
Estejam os rabes quietos, que o primeiro ministro
promette accrescentar mais duas almofadas aoscu
preguiceiro immemorial e pedir ao seu collega
kasnadar que lance mais dez piastras de capitacao
ou que faca um novo emprestimo em Londres.
Depois d'isto, a revolugao de Tunis uma ini
dos remendos, desde a sua fundacao, e Paulina nao
era a menos hbil das remendeiras.
Comtudo, hava uma cuja habilidade era ainda
mais notavel. Os remendos de Alico Renaud nao
tinham rivaes.
Alice, joven da mesma edade de Paulina de Me-
rande, era nao so uma perita remendeira, como
uma ranllier completa a tolos os respeitos ; bella
e encantadora, affavel e modesta, era impossivel
que se a visse urna vez, sem que agradasse extra-
ordinariamente ; e que se trabalhasse perto della,
sem que se acabasse por so lbe tributar uma ami-
zade solida e sincera.
Paulina sentir os eleitos desta attraccao.
De lodos os doeoles qae forara atacados da b\ -
drophobia, uns morreram no primeiro da, outr -
em maior numero, no tercero, alguns do qoarto.
poucos no quinto, c s um do doudccioto dia ; lotef
trinta e nove.
Quatro homens e oito mnlhcres mord; l
lobo nao tiveram ataque algum de raiva.
Os que escaparam foram trata I >s d,
mo modo porque o tinham sido os sjm nvr-
reram.
Das sete mulhrres que amamentavain os filh.-
qnatro morreram e tres ruraram-se.
Os filhos de todas ellas n.lo foram nt.ira*-i-
Uma coincidencia de pouco valor em 'si, porm e amda vive'"' assim como nlh, *" w"rn T'
mordaz, talvez tambem livesse contribuido de sua par,ra dous dias an,es da manifeslario da hydr
parle para o comee*) de amade, entre as senhoras; P'100'3-
de Merande c Renaud ; madama de Merande no- n, nm, ,p "
i,. i Ulz uma carta de Alhenas
iara no braro de madama Renaud certa serpente ;^ i .
rt.rtii, j < I A Clda,je esta assustada pe o audactoso arto d
ae olhos de esmeraldas de que conservara a em- mk h ~.___. .. .. ,.
h.. .i roubos de pessoas pra irado ha : das (il d^ m
brag; em uma palavra, estas damas liuliam-sc nnr nn. ; hn An '' ,
,.., P0' UDS iJ "omens dos bandos de Ruos e reconheeido pelas teimosas rivaes que, rom gran- Lncos
de contentamente do mercaior, zeram montar i I n,ia .i^__^_____^ ....
tao alto prego o vaporoso fil destinado para vu vam ST J CsPfa m,,,,ar ****
de primeira communba, das suas lilhas, e rindo : Tj?i?X^"*' ^ fcUmml l
um pouco de si raesmas, ellas estenderara as maos < Te\\vrl,' ??! ? f?P ""
por cima das pequeas muias-curtas nue Alice o 1 *ff *?"_*.*+^ furara > 5 ^ rJ. atar-
d...............ui........ _______ lrados e conduzdos a um lugar isolaio, a pown
quidade.
lucos!
Abaixo os rabes I Yivam os Mame-
sao que produz.u na corle de IWlin a attitude do I 7 qe a'e em T
duuueFreWiro ,.. ZZZSL! l "IS' COm ^r trra de cega obediencia mussulma
duque Frelerico, que sufflcentemente nescio para
nao comprehender que nao poderia prestar a Alle-
manha um maior servico do que assignando, antes
da sua installagao em Kiel, uma convengao que o
torne medio em proveito da Prussia.
t No entretanto Mr. de Bismirk nao renuncou
a esperanca de reduzir o principe a melhores sen-
tmenlos, por occasao de uma segunda visita
lierlio.
E' s no caso de S. A. insistir em recusar a
obediencia que deve na sua qualidade de majorda
na e de cerrado fatalismo, as turbas inquietaspas-
sam da desconfianga agitagao, da agitarao
crescente e manfesta nsurreigao.
O que faria aquelle malaventurado kasnadar
para concitar sobre a sua cabega o furor das mul-
tjdes ? Elevou os tributos? E ainda os rabes de
Tunis e de Goletta estao por tal maneira incultos,
despoliciados e selvagens, que nao hajam por no-
tavel beneficio o augmento das suas alcavalas e
capltaroes ? Pois ha que annos, que na Europa, e
, na pennsula que mais visinha fica da Barbaria, j
guarda real da Prussia, que Mr. de Bismark se ha ninguem se preoecupa com elevacoes de gabellas e
de resolver a jjgar (erceira carta, o projecto d'OI- ,riDU,05> 1ac os parlamentos doces chanrellam
demburgo. obedientes as imposigoes propostas pelos ministros
O principe d'Augustemburgo est prevenido ; da fazeQda, e o povo, ainaa mais dcil que os par-
se presiste na sua tlamentavel idea o grao-duque 'amentos, olTerece o dorso humilde carga dos im-
iVOldcmburgo mostrar provavelmente a sua ra-; Postes i Faria o kasnadar algum emprestimo avul-
za0- tado, e seria reraisso e mysterioso em prestar a
A candidatura de um foi primeiramente apre- conta do producto e da applicaeo ? Gratificara o
sentada pela Austria, a segunda por parte da Rus- estadista musulmano a algum capitalista de Lon-
sia; a Prussia pode apoiar um ou outro segundo dres ou Amslerdam com alguns mimares de pias-
as conveniencias, e sem pensamento algum de tras, e o povo escandalisado vera neste innocente
efe'l!,m0' ; donativo a infraeg^o escandalosa de alguma sura,
Todo este calculo deve falhar se a Austria e a das mais conslitucionaes do Alcurao ? Nomeana
confederago germnica proclamaren! com egual exactor das rendas publicas naquella regiao do
resolugao o dujue d'Augustemburgo. Contraran- j Al Gliarb mussulmano a algum seu adversario da
do assim os projertos de Mr. de Bismark, podem ves-Dera'e oompnriA com pouco edificante munifi-
seguramente contar com o apoio de todas as outras! ceocia a adhesa0 e a silencio do amigo partidario
-- -- '- da opposigo ? Ter-se-lna o ministro da fazenda tu-'
Alm disso, a seguranga da Dinamarca exige
que a confederago germnica nao levante nem
conserve fortiflcagoes no terreno que a Dinamarca
tem de ceder, e que nao conslrua nesse terreno
postos fortificados.
Dm accordo equitativo relativamente divida
do estado e renuncia da Austria, Prussia e con-
federago germnica, em se envolverem nos neg-
eos internos da Dinamarca, poderia tornar Tao
am.gave.s quanto fosse possivel as relagoes entre
a Dinamarca e a Allemanha.
t Resta examinar outra questao que, sem poder
ser objecto do tratado de paz, nao delta de ter in-
teresse para a Inglaterra, e nao se poderia passar
em silencio. Segundo a opino dos plenipotencia-
rios da Gra-Bretaoha, isto a sorte futura da
parte meridional do Schleswig que deve ser reuni-
da ao Holstein, nao pode ser regulada sem o as-
senlimenlo dos povos interessados. Se o rei de
Dinamarca consom em sacrificar a parte do ter-
ritorio qoe delle se exige, em nome da paz, seria
justo pedir que a independencia do seu reino fosse
garantida pelas grandes potencias europeas.
potencias da confederago, e ser fcil ao duque
Frederico mostrar-se corajoso para com as exigen-
cias da corte de Berln.

De Berlin escrevem o seguinte Correspon
dencia Havas:
nesno declarado nimigo jurado dos camellos, one-
rando-lhcs as gibas naturaes com o peso de novas
contribuigoes, ao revz do que succede para quem
do cstreito, onde aquellos tao uteis animaes, os na-
vios do deserto, sahindo aos povoados polticos, go-
. Oacontecimentododano a prolongago "mda ;imi;ada Pro^o dos potentados e esta-
do armisticio, mas sim a pretenc do imperador !? ? ^ *",e e cert0> Porn, .^ae os
e da imperatriz da Russia. Suas mageslade, che- ttlT 'TJ' > "* "^ a ra"
garam hontem 9, a noute Berilo^ onde el-rei 1?^^" "^' "** n?penden,e'
tambora linha chezado nara n< nUJi dI a ra5a '""osa, a raga l.vre, que estes foram sem-
tambora tinha chegado para os conduzir P-
tsdam.
Todos os principes e prncezas da familia
real, officiaes generaes, as princpaes autoridades
civs, estavam reunidas na gara do caminho de
ferro de Potsdam. Os prncipes vestiam assim
como el-rei, os uniformes russos. A princeza real
e a sua comitiva trajavam as cores russas, braceo
e azul.
t Esta manhaa houve uma grande revista nos
campos de TemjJelhof, que atlrahiu uma grande
concorrencia.
A revista da esquadra, que o rei acaba de
passar era Swnemunde, considerada como uma
promessa de que a marinha ha do ser para o fu-
turo objecto de nova sollicitude especial, e de que
ella effectivamente carece muilo. Espalhou se o
boato de haver o ministerio da marinha comprado
tres canhoneiras conragadas.
t Palla-se agora muilo de urna entrevista en-
tre o rei da Prussia acompanhado de Mr. de Bis-
mark, e o imperador de Austria, acompanhado do
conde de Rechberg: dever verifiear-se 20
d'este mez, era Carlsbad, para onde el-rei se deve
dirigir prximamente. No entretanto o accordo
entre os gabinetes de Berlin e de Vienna nao dei-
xa de ser satisfactorio.
0 vu de filo.
(Conclusao )
O acaso, que madama de Merande consenta em
ajudar, apresentou-se no fim desse mesmo invern
e s-m que ella tivesse concorrido para elle. No ul-
timo baile de M. o prefeito do Sena, as damas de
Menrade e Mr. Roger encontraram-se cara cara.
Urna quadrilha danrada com Paulina, em que ds-
cutiram largamente acerca do bello paiz de Auver-
gne, seus ardentes regalinhos e escarpadas mar-
geos; deu lugar a Mr. Roger explicar madama
de Merande como um negocio imprevisto tendo-o
chamado repestinamente Pars, impedira-o de
aproveitar-se da graciosa liberdade que lhe fra
permiltida, de frequenlar o seu palacio, mas que,
se ella dava o seu consenliraento, elle teria em Pa-
rs a honra de lhe ir exprimir o seu pozar, natu-
ralmente madama de Merande nao recusou-se a se-
melhante pedido. Por causa delle foi que a phanta-
sa fez das suas na cabega de mademoisella de
Merande.
Sesse tempo, formava-se em Paris uma socic-
dade, a que todas as jovens ardentemenle desoja-
ran) pertencer. A da.era de uma dama, que a
puzera em execugo. Esta dama, madama de Les-
tng, notara por militas vezes a repugnancia das
raparigas pela costura propriaraente dita, e pelo
modesto concert; linha visto maravilhas de ta-
pegaria desabrocharem sob lindos dedos; mas se
fallava acerca de remcndost riam-se muito e di-
ziara que sto cheirava criada grave; entao ma-
dama de Lestang concebera o projecto de dirigir
todas essas raparigas sua vontade, de obriga-las
a implorar, como um supremo favor, a grapa de
fazer caraisinhas de menino com camisas velhas
de mulher, e de concertar meas!
Madama de Lestang habitava, junto de Luxem.
burg, um pequeo palacio entre pateo ejardim.
cujo salao era vasto e alegre : ella reuniu nrlle
todos esses lvros amaveis que deleitara a juventu-
de, e bem assim um sortimento completo de de-
daes e tesouras com linha e algodao de concertar,
com que poderia entreter, durante um lempo inde-
terminado, as mais activas criadas de Paris. Pre-
parado islo, a seguinte circular foi dirigida a todas
as mogas do seu conhecimento :
Quinla-fera, do meio-dia s quatro horas da
tarde, madama Lestang estar em casa.
Ah se poriio remendos e naver leitura.
t m prestidigitador, e na sua falta, uma dansa,
terminar a sessao.
Convidar de manhaa para remendar foi cousa que
excitou em toda a parte uma viva alegra, tanto
mais isto pareceu original, quanto, desde o pri-
meiro dia, houve concurrencia. Todos os dedaes e
tesouras foram empregados.
Como principiou madama de Lestang ?
Vieram nessa primeira manhaa, e isto se com-
Pauliua endireitavara com egual ardor, e promet-
terain visilar-se reciprocamente.
Este reconhecimenlo uvera lugar na primeira
quinla-fera inmediata ao baile da Casa de Cma-
ra, onde as damas de Merande encontraran) a Mr.
Roger, e alguns das depois, Mr. Roger, pressuroso
em reparar uma verdadeira incivilidade, apresen-
tou-se no palacio de Merande.
Era o da de recepgo de madama de Merande ;
as senhoras Renaud estavam no salao, quando an-
nunciou-se Mr. Roger.
sua entrada, as damas Renaud olharara-se
com uma ligeira adrairacao, pois que tinham sor-
rido e pareciam dlspostas a gozar de alguma sor-
preza. Nao se eoganaram : vendo-as, Mr. Roger
mostron-se tao admirado quanto encantado, e foi
sanda-las com essa familiaridade araavel que per-
mittem relagoes de uma certa intimidade.
Paulina que tinha seguido toda esta scena com
os olhos, resentu no eorago alguma cousa de pe-
distancia do palacio do rei.
l'm dellcs foi sollo, porra o seguudo, lilrrn 1
paes abastados, foi constrangido a wnm i .
pae, M. Pelrolokkinos, residente na capital tan
do-lhe que a sua vida corriapengo, dependa de um
resgaste de 3:000 drachmas, e que, se fosse demo
rado, tanto o captivo como a sua familia eram ir
revogavelmente conderanados morte.
L'm dos bandidos, disfargado era verdader
genlleman, mas com o seu yatagem na rintora
apresentou-se s 10 horas da noute .;m rasa do pa^,
que aiuda ignorava a sorte do filho.
O bandido contentou-se rom um regate *
2:000 drachmas e o mancebo M reMitnido *5a
salvo liberdade, cora uma libra turca, que foi a
fraego que nao enlrou na partlha entre o bao
didos.
O fado mais curioso e bem averiguado i q .
Kiss, chefe dos bandidos, e os seus assoriados, an
dam munidos de photographias da* pessoas p*>Ia-
neiranie que a fez empalidecer; uma intuirao ra- j quaes podem alcangar resgale sendo-lhes assim
pida mostrou-ll.e que os seus castellos no ar des-. fcil verificar a dentidade quando o, interesado
moronavam-se, e que os scus sonhos desvanecan)- 'a negam.
se como as visos de um cerebro enfermo, e pelo '
pre e sao hoje os rabes em toda a parle, v cora
raus olhos que as boas gragas do ministro da fa-
zedoa cahiram somente os Mamelucos. E o que
silo, o que foram, o que bao de ser para sempre os
Mamelucos? O que sao em Tunis e em Marrocos, o
que foram no Egypto anda ha poucos annos ? Uma
raga vil e mercenaria, uma raga sem patria e sem prehende, bastando a cunosidade para explicar o
lar, uma raga que vende o yatagn em vez de eon-1 agodamento ; mas vieram as outras com furor, e
sagrar as brlhantes faganhas dos rabes guerrei-' em tao grande numero, que madama de Lestang
ros, que pelejam pela sua f e liberdade. Ha em viu-se obrgada a nao permttir novas adrass5es.
toda a parte Mamelucos, ha-es na christandade E, comtudo, eram verdaderas meias velhas que
como em redor das mesqulas do Islam. Ha-os em remendavam-se na sua casa, e sobre camisas ve-
Portugal, d'onde parece qoe mais extrema a ra- Ihas queesgrimia-se o talento das remendeiras 1 A
espago de um segundo ella experimentou por sua
nova amiga quasi um sentimento de odio.
Conheceis a Mr. Roger, perguntou ella em
voz baixa Alice dequem aproxiraou-se.
E' meu desposado, respondeu Alice com
un bello olhar impido e terno que fez logo inlro-
duzir-se no coracao de Paulina o mu seulimento
que tentava nelle germinar.
Desde quando ? perguntou ainda Paulina,
nao sem um pouco de hesilagao e de pudor.
Ha dous annos.
Ha dous annos pensou Paulina. Assim, quan-
do eu tinha a ioucura c a meninice de perder-me
om toda a sorte de supposigOes e de projectos, elle
era seu desposado ?
, Durante alguns instantes, Paulina guardou um
silencio, que constrangia mademoisella Renaud,
consents que eu vos offereca, para o dia das vos-
sas nupcias, este vu que deixou de ser o de vossa
primeira communho ?
.Nao ha sobrelanro ? perguntou sorrndo ma-
dama Itenaud madama de Merande, que appro-
vava sua lilha abragando-a com effuso.
Nao ha, respondeu madama de Merande com
um sorriso nos labios e ao mesmo tempo uma la-
grima rebelde nos olhos.
E' que madama de Merande nao podia ser indif
ferenle ao contra-golpe da decepgo que feria a
sua filha, e ella a si exprobrava-se de ter, nestes
ltimos lempos, lalvez entretido e tomado parte no
seu erro.
O famoso vu de fil cobriu, portanlo, a fronte
da encantadora Alice Renaud, no dia do seu casa-
mento com Mr. Roger.
Arcrescentemos que um anno depois, elle appa-
recende novo em uma outra funcclo, no casamen-
to do bario Edrae e de mademoisella Paulina de
Merande, inteiramnte curada da sua mana.
Madama A. Boisgosier.
CJournaldes Demoiselles.lrad. de A. de MenJonra.j
UM POLCO E TUBO.
L-se na Gazeta Medica o seguinte :
Lina mulher entrou no hospital de Odessa em
dezerabro do anno passado, dizendo que estava
prxima a cahir em um somno peridico que lhe
costumava durar muito lempo.
Com effeto pouco depois de entrar no hospital
adormeceu profundamente, c assim esteve durante
seis dias sem interrupeo.
Durante este tempo nao romeu cousa alguma,
conservando-se sem sentidos, quasi sem dar sig-
nal algum de vida.
Todo o alimento que tenlou dar-se-lhe, engasga-
va-a sem que ella pndesse engulir.
Para a fazer acordar foi picada com um alfinete,
approximaram-se do nariz espiritos mullos fortes
que lhe rausassem comicho, sem que se conse-
guirse desperta-la.
nicamente os movimentos forrados do corpo
pela influencia elctrica que demonstravam que
a vida ainda exista.
No nono dia desta lethargia recorreii-sc applica
gao dos anches de agua fria.
Este meio enrgico teve um effeito momentneo,
porque a doente, tendo acordado por um momento,
fez comprehender por signaes, porque nao podia
fallar, que desejava que a deixassem socegada.
Depois d'isto ainda dormiu por mais sete das,
at que finalmente acordou de todo, tendo dormido
durante quinze das.
Foi por causa de um grande susto que esta cu-
riosa doenra se manifestou n'esta senhora pela pn-
meira vez.

Na noute de 27 de Janeiro de 1864, nm lobo
damnado entrou em Ewangelezenvic c mordeu
sessenla e tres pessoas.
O proprietario desta aldeia,o Sr. Resen, reco-
lheu todos estes desgragados no seu castello. Os
mais atacados oceupavam uma sala es que o fo-
ram menos, estavam n'uraa segunda, e as mulhe-
res foram meildas n'outra reservada.
Entre estas havia sete que davam de mamar aos
filhos, e duas que estavam para parir.
Os Drs. Obdowier, Srabafflshi e Machiviez encar-
regaram-se de iratar de lodos os feridos.
Um camponez, chamado Rocko, quando o lobo,
o'fagaraem trra" de mouros, quando em remos de jaremos, mas a idaos velhos e mangas, a S "Tli sua cabana-lne mordeu a mu.-
christos tomaram de monopolio lodos os lugares, 1uem eJ ,rabalho era destinado, deve sobretodo ''tso ?&*+" S2T ?" S
i?,^o ser levada em conta. mai "1^,os<,. melteu-lhe a mao pela goela abano,
e agarrando-o pela cauda, Impediu-o que elle con-
ga, pelos prximos que flcamos da Mauritania.
t Quexam-se os rabes de qoe os Mamelucos se ju<..uiu i
apossam dos cargos princpaes. Que muito que ,i,rel ? <*ae ist0 servisse para alguma cousa, nio o
o fagara em trra de mouros, quando em reinos de ne8aremos> mas a idea des velhos e criangas, a
dansa ou as ligeirezas de Mr. Robn tinham feito o
milagro de dar aos remendos um encanto rress-
offleios e prebendas ? O Mameluco em toda a
parte o que se insina nos gabinetes e antesalas I Como quer que fosse, a sociedade nao tardou em
dos kasnadares da Europa e de Portugal. O Ma- ser definitivamente constituida.
meluco o que, falta de yatagn, ofierece aos | Por exemplo, ali nao se tirou nenhuma somma
kasnadares a p*noa dos libellistas, mais perigosa sob qualquer titulo ; reservou-se o dnheiro para
do que o famgerado Cris nervado dos malaios. O as oecasiSes que nao deixam de offerecer-se a cada
Mameluco o que passa o dia encostado banque- um de nos; o trabalho, tal era a nica esraola que
la dos kasnadares christaos, as casas do parlamen- consenta madama de Lestang.
to, era lausperenne de adulagSes banaes, espera As damas de Merande faziam parte da sociedade
tinuasse a fazer mal.
Outros campunezes, acudinde aos gritos dados
pelo seu visinho, conseguirn) matar o lobo.
Rocko, apesar das feridas serem muito ligei-
ras, morreu cinco semanas depois, e a pobre mu-
lher que estava pejada tambem, quatro mezes de-
pois deatrozes soffrimentos, deixandoum filho que
anda vive.
L-se na Correspondencia :
O Sr. Monjarrs, autor do projerio de crearo d
um monumento Colombo no eslreite de (iibraJ-
tar, mandou fazer um modelo que reprsenla o iro.
mortal genovez sobre uma esfdiera cotossai. in 1
cando o caminho que elle abru civili-agio.
Esta obra foi execulada pelo esculplor Yallmi;
xana, debaixo da iniciativa do autor da idea.
O Sr. Monjarrs vae bremenle Sevilha e Cali
para Gibraltar, onde marcar o local em me ie%
ser levantada a grandiosa estatua.
E' do Sr. Jefferson Mirabeau e-ta poesa
o BEUO.
Donzellinha, o meu desejo
K om beijo
Na tua face pousar.
l'm beijo... sabes, amor *
D calor,
E tambem pode matar.
Se aquece o glo da vida.
Ai, querida.
Move a lyra o trovador ;
E se o beijo traz a morte,
Oh : que sorte !
Feliz quera morre de amor.
O Commercio do Porto narra o seguinte
A' 30 de maio ultimo morrea em Rimes o poeta
mais eminente do meio diada Franca, JoioReboal
a qoem chamavam o padeiro inspirado, porqu
padeiro de proissao.
Coala va 6i annos de edade. e, tao modesto com
grande, recebia na sua humilde loja os mais illu-
tres viajantes, aos quaes, no meio de nma coover-
sarao moral ou Iliteraria, pedia licenga tara ir :.
rar o pao do forno.
Lamartine dirigiu ao poeta padeiro un,
suas harmonas, com o titulo O genio na
ridade.
O poeta Reboul publicou em 1836 as suas poes .
que tiveram cinco ediedes.
Em 1810 publicou o |K)ema bblico O ali,:,.
dia.
Escrevru depois tres tragedias, sendo uma della-
o Martijno de Vicia, representada em 1850 em Pi
ris com grande xito.
A sea ultima obra uma collccgo de r
com o Ululo Tradits, qne foi publicada
1837.
Reboul foi em 1818 representante de Gard u..
assembla constiiuinte.
L-se no Saint pnblic :
No dia 30 da abril, s 5 horas da mandria.}
empregados do caminho de ferro da esta
Villa-franca enrontraram na va, a dous fcilwuioi
da estagao, o cadver de um mancebo, que pareci.i
ter de 25 30 annos.
Este infeliz tinlu aspereas corladas p
Irem.
Era de narionalidade ngleza, e nao tinha as al
gbeiras seno um guia indicador inglez u a mdica
quantia de 16 francos.
Depois do exame feto pelo medico de Villafran
ca, suppoz-se que o joven nglez se suicidarac qu>
durante a noute se precipitara do wagn, quand
trem corra.
Foi enterrado no ccmilerio da iocalidade em qu
appareceu, porm algnns boatos sinislros d>$perta-
ram as suspeitas da justiga. que desatienden*, m
declaragoes do doutor, mandou deseaterrar o cada-
ver e procedeu a um exame minucioso.
O seu primeiro cuidado foi fazer photographar
as feigdes do viajante, morto to miseravelmrniv
Trando-se-lhe a gravau, vrara-se-Ihe sgnate
azulados, que indicavam estrangulagao. Os ,>
mos signaes nos pulsos flzeram suppor que se tra-
vara luta entre o joven inglez e o assassino, qw
depois de lhe ter comprimido os movimentos. o es-
trangulara, roubara e lngara pela portiahola do
wagn.
Este horrivel drama devia passar-se ao rom-
per do dia entre a estacao de BellevilJe e a de Vil-
lafranca.
Uma ultima particularidade tiroa todas as du
vidas.
Nao se lhe encontrn o mnete que tinha tomado
era Paris directamente para Marselhae a so nma
de 16 francos que continha o seu port-moooaie Bao
estava em proporcao com o estado de fortuna que
o vestuario do infeliz iocalcava.
Se sao certas as mais recentes noticias, o bilhr
te do caminho de ferro guin a justica as suas
buscas, e por isso devemos esperar de nm momen-
to para outro a noticia da prisao do festino
PERiNAMBl'CO.-TYP. DE M. F DE F. 4 FILHO
<


i ILEGiVELr


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELKJKQ84Q_SF9KBN INGEST_TIME 2013-08-28T03:24:25Z PACKAGE AA00011611_10418
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES