Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10417


This item is only available as the following downloads:


Full Text
..1MPP
PPP
.*#M
AMO LJIEEO 161.
Por tres Mezes adiautados 5$O00
Por tres mezes vencidos 6$000
Porte ao correio por tres mezes. 750
---- iWW" HH.I.IHI..-------


SABBADO 16 DE JULHO DE 1884.
Por auno adiantado.....19S00O
Porte ao correio por nm anno 3$Q0<)
gNCARREGADOS DA SBSCR-frAU NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty,
Sr.A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
RNCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL-
Alagas, o Sr. Claudino Falco Dias; Baha, o
rr. Jos Martilla Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins d asparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Oiinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
EPHEMERIDES DO MEZ Dts JtI.HO.
3 La nova as 10 h., 5 m. e 13 s. da m.
12 Quarto cresc. a 1 h., 26 m. e 14 s. da m.
Pao d'Alho, Nazaretl Brejo, Pesqneira L Cheia ** h'' lS m" e 14 8- ** m-
Ingazeira, Flore;, Villa Bella, Taearatu', Cabrob,'! uarto ming. as O h., 26 m. e 8 s. da t.
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras. j
Serinhaem, Rio Formoso, Tamaadar, Una, Barrei-J
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas eiras.l PREAMAR DE HOJB.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahirl
navio. I Primeira as I horas e 18 minutos da tarde.
Todos os estafetas partem ao Vi da. J Segunda as 1 horas e 42 minutos da manhaa.
PaRTIDa l-0 VAPORES COSlIROi.
Faraosul at Alagas a 3 e 2-5; psrs o norte at
a- iI^a a 7 e 22 de cada niez; para Fernando nos
das ii dos mezes dejan, maro., maio, ful, set. enov.
PARTIDA DOS MNHJl'S.
Para o Recife : do Apipuros s 6 /, 7, 7 "A, 8 e
V da m.; de Oiinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6 y, da m.; do Caxang e Vanea s 7
da ni.; de Bemfica s 8 da m.
K Ki/ReCfe.,: K* AP'P08 as 3 % *. 'A, 4 %
' Jt /l e 6 da trde; Par* Onda s 7 da
mannaa e 4 y, da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para.Cachang e Varzea s 4 y, da tarde; para
Bemflca as 4 da tarde.
AUDIENCIA DO* THDUNAJSS DA CAP.TAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Reacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
DAS DA SEMANA.
11. Segunda. S. Sabino m. ; S. Silvano m
12. Terca. S. Joao Gwalberto ob : S. Jason.
13. Quarta. S. Adelo p. ni..: S. Joel pr-.f.
li. Quinta. S. Boa ventura b. r-ard. dr. serannko
15. Sexta. S. Camlllo de Lellis fundador.
16. Sa-bbado. Nossa Senhora do Carino.
17. Domingo. O Anjo Custodio do imperio.
ASSIGNA-3E
no Recife, em a livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarioj Manoel Figoeiroa de
Fana & Filho.
PARTE GFFIGIAL
TIIMSriJtIO 1 A IAZIVBV.
Aviso directora geral da contabilidade, em 21
de miiln de 1864, communicando que havendo
S. M. o Imperador, vista de varias representa-
res, que subiram a sua augusta presenca, resolvi-
do consultar seceo de fazenda do couselho de
estado sesomenle se devera considerar juslilicaveis
as faltas motivadas pelo comparecimento dos ei>-
pregados de fazenda actos e funecoes eleitoraes,
qoando o servigo para que forem chamados for
obngatorio, e delle nao poderem legalmenle escu-
sar-se, ou consistir no exercicio de um direito po-
ltico, que tenham de comparecer como qualquer
outro cidadao, ou se igualmente se devem conside-
rar justifleaveis as faltas provenientes do servico
prestado na qualidade de juiz de paz ou vereador":
e de conformidade com o parecer da mesma sec-
eo :
Considerando que o art. 19 do decreto n. 2,343
de 29 de Janeiro de 1839 determina que as gratifi-
cares s sero devidas nos casos de impedimento
por servico gratuito que os empregados sejam
obrigados por lei ou ordem superior ;
Considerando, outrosm, que o art. 124 do regu-
lamento das alfandegas n. 2.647 de 19 de setembro
de 1860, tendo o proposito de desenvolver a prece-
dente disposico, declara que nao se justifiquen) as
fallas provenientes do servico de cargos ou empre-
gos policiaes, do ejercicio de juiz municipal, de
juiz de paz e vereador da cmara municipal e de
priso por motivo da guarda nacional ;
Considerando, Analmente, a manifesta conve-
niencia de nao privar o servico publico, como se
tem prescripto em diversas decisoes ou ordens do
thesouro nacional do trabalho dos empregados da
fazenda sempre que depender delles escusarem-se
-icgnlmente ;
Houve o mesmo augusto senhor por bem decla-
rar, por sua immediata e imperial resolucao de 18
Despachas do dia 13 de jullio de 1865.
Hequerinwntos.
Antonio Henrque de Miranda. Aprsente
imperio permisso de poder V. S. levar comsigo,
dos instrumentos perlencentes a seceo de astrono-
ma da commissao scientilica, que existem cm seu
poder, aquelles de que pode precisar.
Chegando a provincia de Pernambuco. para on-
de seguir no vapor que a 23 do corrente parte
para o norte apresentar-se-ha V. S. ao presidente,
de quem solicitar quanto seja preciso ao desem-
peo da sua commissao, e ao qual nesta data ex- havendo inconvtMi
pedem-se as convenientes ordens. Anlonio Francisco da
Dos guarde a V. S.-Franrtsco Carlos de OU- SOUraria de fazenda.
Mira Bnuque. Caetauo Chaves.-Informe
Sr. capitao tenente Giacomo Raja Gabaglia. polica
Expediram-se communicacOes
fazenda, presidencia de
arsenal da corle, quartel
cola e contadura.
exigidos pelo regula-
supplicanie os dcumeutos
ment do collegio.
Antonio Apriglo da Cnnha Maciel.Passe por-
laria concodendo tres mezes de licenga.
Antonio Malaquias de Macedo Lima.Dse nao
Cunha.Dirija-se tlie-
o Sr. Dr. ebefe de
Ogoverno lica autorisado para conceder ga-
ranta 00 juro de % % ao capital addicional da
0 companhia da estrada de ferro do Recife, o qual
que
nao pdera exceder
viaoo.
Nos ornamentos
de 4,316:1)77*777. -F. Ocia-
do ministerio da marinlia
pa, de documentos e noticias
historia e geographia do Brasil.
Ao38. Km vez de 20:000fi000
JlOOOv,
Accresccnte-so :
e ofticios da sociedade
diga-se
pro-
para os futuros exercicios devem ser especificadas pagadora das Bellas-\rtes 30001
Tr nimn,nCI,n,,nS,-egUn,K emZ^ '- a A- "l L 2 E,n v d W P oxpedien-
s mS" mun'US de boca raun.goes na-! e do consulado geral, la-se 300 (como passou
vaes muoicOes de guerra, material de construccao em 2- discussao )
el. obras cvis e obras militares. Ao art. 6 g 11 accrescente-se:-Suprimidas as
GOYERNO DA PROVINCIA.
Coii.linuaro do eipedienle do dia 12 de jnllio
de 18&i.
OHcio ao director das obras publicas.Respon-
do ao seu oflicio n. 167, de 27 de junho ultimo, de-
claraudo-llie que segundo informou o subdelegado
do I? districto da freguezia de Jaboatao, o paisano
Manoel Jos da Luz au tem isencao do recruta-
mento e por isso nao pode ser posto em liberdade.
13
Oflicio ao commandante das armas interino.
Haja V. S. de informar sobre o que pede o tenente
reformado Henrque Tiberio Capistrano nos dous
requeriuientos que aqu junto.
Dito ao inspector da tbesouraria de fazenda.
Communicando-me o brigadeiro Solidonio Jos
Anlonio Pereira do Lago em ok-io desta data, que
tem suspendido l
rh SSS Hm ,nalerial "f' esPecir,cad0 nas, g^liHcacoes doVl54"recru'tado3:.
) orcamento daijuelle ministerio As palavras acrescentadas ao art. 10 43 se-
forniarem um artigo ad-
manente.
oejam substituidos pelos se-
go>eiuo. guintes :
vada n,SH^n?^!r8- f Tbem 0bser" Arl- 17" over^ Bca autorisado a conceder
a ^iMT1* nimsteno da guerra, no isengo de direilosde importaeao para os seguintes
vi?ia da informacao. i qne Ihe for applicavel, e especialmente a respeito objectos '
Jos Leopoldo da Silva. Informe o Sr. aspee | ** seguintes despezas. 1- Cordoalha, lonas, alcatrao, ancoras e mais
sold e mais venc.mentos dos officaes-gene- arligos navaes destinados s embarcaos mercan-
r'..MI11 ,,n, ... tes- 0 governo formular urna tabella de todos es-
iawn dos ofliciaes dos diversos cornos do exer- ses artigos.
inip-inwc ia mimsierin H '" r--.- -^ jo uiv^uiemu uaipiei e minMeno t as ua avras acresceni
P rnambuco Tos.2- lo do Fr*nci5c Gasi'nir- de ,jraes- ,Qform, Sr' ? adfd,ci0ada di Pessal do' respectivos ser- jam dahi des acadas para
Sfn5EEK d'r.eel0r da Xm& Publica- I Sfj f^a^ ? scrmnacao somente as ta- ditivo rom carcter >ltm;
general, directora aa e Jacomo Geraldo Mara Lumachi de Mello.- bellas demostrativas dos crditos pedidos pelo Osarts 17 e 19 se a
Passe portara concedendo a licenca pedida com '
quatro quintas partes do respectivo ordenado.
Josefa Mara da Conceicao. N'.o tem lug
jar
lor da tbesouraria de fazenda.
Manoel Antonio da RochaInforme o Sr. Dr. nos
chefe de polica. _
Prxedes da Silva Gusmao. Tendo de ir ci,
praca novameute o imposto de que se trata, pode
a ella comparecer o supplicante.
Sabino Anizio de Faria. Passe portara na
forma requerida.
Washington Albor! Osborne.Requeira ao Dr.
chefe de polica.
INTERIOR.
RIO DE J A \KlliO.
mporaramente a inspeceo do 8 de jnllio de 1861.
arsenal de guerra por ter de seguir para a corte Continuou honlem na cmara dos deputados a
no primeiro vapor que passar do norte : assim o discussao da proposta do governo que fixa a des-
declaro a V. S. para seu conhecimenlo. peza e orea a receita geral do imperio para o anno
'ilo ao mesmo.Visto que segundo consta de tinanceiro de 1864 1863. Oraram os Srs. minis-
tinanceiro de 1864 -
do corrente, que sao somente justificaveis'as faltas sua mformacao de 9 do corrente, sob n. 349, nao tros da fazenda, Carrao e F. Octaviauo, licando a
dos mesmos empregados por servico gratuito ejexisle crdito para pagamento da quantia de 3005, discussao adiada pela hora.
tiverem lugar pelo voto!***?.tera direito o capilao Antonio Francisco da Foram offerecidas as seguintes emendas :
das Os escripturarios e amanuenses paisanos da 3'
na directora da secretaria de estado dos negocios da
de guerra tm o direito de serem aposentados nos ca-
jonno deste anno, e mediante a gratificaco diaria
mente como juizes de paz; e por ordem superior
as provenientes de outro servico que nao seja re-
munerado; sendo injustificaveis as que provierem
dos caos de que trata o referido art. 124 do regu-
lamento das alfandegas.
Consulla que se refere o aviso tupra.
Senhor.Por aviso da secretaria de estado dos
negocios da fazenda de'26 de abril prximo findo,
houve por bem V. M. Imperial determinar que a
seceo de fazenda do conselbo de estado consulte
com o seu parecer, tendo em vista os papis jun-
tos, se somente se devem considerar justifleaveis
as faltas motivadas pelo comparecimento dos em-
pr^e:i,tn< da f.'irunita actos e funecoes eleitoraes,
qnando o ser' ico para qne forem chamados for
obngatorio e delle nao poderem legalmente escu-, .
sar-se, ou consistir no exercicio de um direito po- \ u.iaa C0U1 sustento dos presos pobres da
utico que tinham de comparecer como qualquer <"* -'rmo de baranliuns, durante o mez d
outro cidadao, ou se igualmente se devem censido-1 ultimo, como se v da inclusa conta.Communi
rar jnstificaveis as faltas provenientes do servico \ cou'.se ao "r- chefe de polica,
prestado na qualidade de juiz de paz ou vereador.! UUo ao mesmo.Communic
. e mediante a
de 35 diarios, autoriso V. S. a mandar elfecluar
esse pagamento sob rninha responsabilidade, nos
termos do decreto u. 2,884 do 1" de fevereiro de
1862.
Dito ao mesmo.Mande V. S. ajustar contas at
o fim do mez corrente, e passar guia de soccorri-
mento ao brigadeiro Solidonio Jos Antonio Pereira
Lago, que lera de seguir |>ara a corte no vapor
que se espera do norte.Communicou-se ao re-
ferido brigadeiro.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
sos e pela lrma estahelecida no respectivo regula-
ment para os das e 4" directora.Vldelaro.
Moreira.Pedro Luiz. Alvim.F. Carneiro de
Campos.H. Limpode Abreu. Pamplona. 1
Emenda ao jj 12 do art. 10 :-Km lugar de
15 "/., diga-se 7 / Moreira Brando.
Os navios estrangeiros, que navegarem cm
lastro, podero tocar no porto de Maeo, da pro-
vincia do Rio Grande do Norte, para receber sal.
Moreira Brando.
Pela verbaobras publicas geraes e auxilio
s prorinciaeso governo despender a quantia
Se nao houver inconveniente, mande V. S. pagar a de 110:000-5, ou o que for necessaria para a aber-
Manoel Kibelro de Carvalho, para esse fim indica- tura e canalisaco do rio Ceara-Mirim, na provin-
do pelo .farro do (>>/,,,,,. C| ,.,m.-i.. do II do or- oia do Kio (irandr. Morelr.i liran.l!>.
22, a quantia de 168,5400, despen- Kica o governo autorizado para apphcar a so-
cadeia bra de verbas do ministerio do imperio lundaco
junho de um horto-botanico para a Faculdade de Medici-
na da Baha, o tanibem a auxiliar com a ndispen-
savel e conveniente subvenco a dous professores
da seccao de sciencias aecessorias da mesma Fa-
culdade que queiram ir a Europa aperfeicoar-se
as materias de suas cadeiras, aos quaes' ficam
concedidos seas ordenados e vencimentos, como se
em exercicio de suas respectivas cadei-
J. Madureiro. P. Honlz. Jun-
inico a V. S. que cntra-
A seceo, depois de tomar na devida considera- rain em exercicio no da 6 do corrente o director
rao os papis juntos, conformando-se com os pare- da. escola Normal conego Francisco Rochad Pe-
ceres do conselheiro procurador-fiscal proferidos! {"e,ra de_Bnto Medeiros,os professores da mesma
sobre os offieios do vice-presidente da provincia da' MfiarSf?l ximiano Lopes Machado e Jorge Dor- estivessem c
Parahvba, e do inspector da tbesouraria da pro- nellas "ibeiro Pessoa ; no dia 9 o professor Miguel ras.Soulo.
vincia'da Babia, c tambem sobre a informacao da Archanjo Mindello, e a 11 o proes>or dquelle es- queira.
directoria-geral da contabilidade relativa a pratica ttbelecimeBW Antonio do Reg Pacheco,
seguida no thesouro, entende que serao bem resol- u" ao niesmo. Attendendo ao que solicitou o
vidas as qoesloes sujeitas de accordo com a dou- ejH.. e n"llc'a cm oflicio de 8 do corrente, sob
trina dos mesmos pareceres. w-^/ecommendoa V. S., que nao havendo in-
Passando a materia do citado aviso, a respeito conteniente, mande pagar a Joo Pereira Gouveia
de qual joi especialmente consultada
Considerando que o arl. 43 do decreto n. 2343
de 29 de Janeiro de 1839 determina que as gral'U-
caefes s sero devidas no caso de impedimento
puf servico gratuito que os empregados sejam
obligado- por lei, ou ordem superior :
Considerando outrosm que .0 art. 124 do regu-
lamento das alfandegas n. 2,617 de 19 de setembro
de 1860, tendo o proposito' de desenvolver a pre-
cedeute disposico, declara que nao se justiflquem
as fallas provenientes do servico de careos ou em-
Torres Gallindo a quantia de 215 proveniente do
aluguel de sete mezes vencidos em 30 de juulio ul-
timo da casa que no termo de S. Bento serve de
cadeia. Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao juiz de dueito da 2a vara desta cidade.
Km vista do aviso de 29 de novembro de 1838
desiguei a Vmc. para servir de auditor,' no conse-
lbo de que trata o art. 4 da lei n. 338 de 14 de I art. 30. -F. Ocaviano.
agosto de 1X43 eque tem de reunirse para cum-i
primelo do disposto no artigo 113 do regulamen-
to de 19 de maio de 1816, o que communico a
Se passar o artigo impondo dez ris sobre os
gneros e mercadonas despachadas pela alfandega.
de Pernambuco, ou importadas ou exportadas ou
reexportadas, se excepten) da imposico os gene-
ros de produccao de oulras provincias.J. da Cos-
ta Machado.Henrque de Almeida.Jos Angelo.
Aristides Lobo.Fonsoca Vianna.Pamplona.
Moreira Brando.Rodrigues Jnior.Pinto de
Mendonca.Ribero.Aragao e Mello.Ratisbona.
Joo licite.Correa das Suves.
Para depois da votaco da 3" iliscusso.Se-
pare-se, para formar projecto separado, o ^ 10 do
Sold e gratificaco das praeas de pret ;
Etapas;
> Fardamento e equipamento ;
< Armamento.
O governo na distribuicao dos crditos vota-
dos nesla lei para os ministerios da marinha e da
guerra ter em attenco os preceitos deste artigo.
F. Octaviauo.Martinho Campos.
Arl. o. ministro e secretario de estado
dos negocios da marinha autorisado a dis-
pender :
Ao artigo. Era vez de 7,732:0915920diga-
se 7,032:0275072.
: Ao 2. Em vez de 42:9002000 diga-se
38:1005000.
Ao j 6. Em vez de 152:9895230 -diga-sc
117:2995000.
'. ,Ao |*" Em vez de 29:3085100-diga-se
Ao J 12. Em vez de 1,360:7835432-diga-se
1,400:0005000.
Ao 13. Em vez de 231:0925372diga-se
212:0705972.
Ao 13. Em vez de 31:6735000 -diga-sc
30.0005000.
Ao g 16. Em vez de 189:1395364-diga-se
177:7035214.
Ao 21. Emvezde21150:0005000-diga-se-
1,910:0005000.
Ao i 22. Em vez de 640:0005000-diga-se-
440.0005000 -Martinho Campos.Silvino Caval-
canti de Albuquerque. J. Felico dos Santos.
Luiz da Silva Flores.C. B. Oltoni.
Art. 6. O ministro e secretario de estado dos
negocios da guerra autorisado, etc. :
Em vez de 13,20652745349 diga-se
12,333:4105833.
No 2. Em vez de 41.7795000-diga-se-
40:8995000.
No 8 4." Em vez de 30:0005000-diga-se
23:6955000.
No 6. Em vez de 2,239:21853
1,830:0005000.
No 8 7. Em vez de 738:8H5600-diga-se
7IW:O005OOO0.
No 8. Em vez do
7,094:9635390.
No $ y. Em vez de
127:129a.
No 8 11. Em vez de 163:200.5000diga-se
109:2005.
No 8 13. Em vez de 2938545000-diga-se-
260:0005.
No 8 14. Em vez de 36O:O0O5OO0-diga-se-
400:0005
2" s animaes domsticos introduzidos no im
peno para melhoramento.da rae*.
3o Os objectos destinados pesca, tanto no al-
to mar como as costas, rios e lagoas do interior.
4o Os objectos importados directamente para
construccao e reparos de obras provinciaes e mu-
nicipaes.
Art. 19. O governo tica autorisado a conceder
isenc.o dos direilos de exportaco :
Io A lia de produccao iiacional e aos produc-
tos das fabricas de refiuacao e cry:dalsaco de as-
! sucar que o governo designar.
j 2- Ao gado em p, e s carnes salgadas em
j balsa, ou por oulra qualquer preparaco que o go-
verno julgar digna deste favor.
ie,n a prego da reeeila e despeza, afcii de que pos*a o
corpo legislativo proceder mesma approva$ao por
meio da lei de contas de cada exercicio.
2. Outro trabalho pelo qual se indique ou se
possa regular a contabilidade do material perten-
cente ao estado, em cada minislerio, afim de que
fique completamente sujeita aeco do tribunal do
thesouro, como actualmente se arha a contabilida-
de dos dinheiros pblicos.Jos Angelo.
O governo fica autorisado a rever e alterar o
vigente regulamento do corpo de sade do exerci-
to, e a conformar o plano da organisacao do referi-
do corpo com o do corpo de sade da armada.Mo-
reira.
No arl. 23 do cap. 3", onde se diz estabeleci-
mento naval do Itapura,suppiimam-se as pala-
vras restantes, a saber: -que poder ^er approvei-
tado, etc.F. Oclaviano.
As seguintes emendas sao regeitadas por votacao
nominal, pedida pelo Sr. Ferreira da Veiga :
O augmento de capital garantido au ser con-
cedido companhia de Pernambuco se esta se re-
cusar a novaco do seu contrato para o fin de por
termo garanta e ao privilegio no praso de 42
annos, contados da data da novacao, e entregar
entao a empreza ao estado, sem indemnisaciio.(1
B. OilonL .
Se nao passar a emenda suppra, declare-se que
nos % garantidos ao capital addicional se com-
prehendem quaesquer favores outorgados pela as-
semblea provincial.C. B. Ottoni.
Votaram contra os Srs. Moreira, Leilo da Cu-
nha, Raiol, Franco de Almeida, Carlos Ribeiro,
Carvalho Res, Fialho, Paranagua, Pinto de Men-
donca, Ratisbona, Moreira Brando, Henrque de
Almeida, Costa Machado, Correa das Xeves, Aragao
e Mello, Joo Leite, Pereira de Brito, Souza Carva-
Iho, Sa e Albuquerque, Souza Bandeira, Epaminon-
das, Carlos Brando,
Jo.-
Seraphico, Barros Pimentel,
suDDrimidos- e ,AnFe!0> Espwidao, Salustiano Souto, Pinto Li-
gares de con- ,13gP,ff' '--dro Muniz, C. Madureira, Fal-
sstado, e sero SSL8'^. tc"c',de MuUra' Danlas- Vascon'
cellos, I-. Oclaviano, Josc Caetano, Pedro Luiz,
do exercicio le juiz municipal, e| ,| "_|''- '""" de. 'juese entenda a semelhante respei
Communicou-se ao ca-
pregos policiaes.
de juiz de paz e vereador da cunara nacional ; c"' o rapitao do porto.
Considerando, finalmente, a manifest conve- P"j!9ao Pr,-
niencia de nao privar o servico publico, como se; l)" ao J11'7- municipal de Cabrob.Para se
lem prescripto em diversa.- de.-iso s ou ordens do poderreproduzir nesta capital o edital que acotn-
thesouro nacional, lio trabalho dos empregados da | Palhou o sen olllcio de 20 de maio ultimo, pondo
fazenda, sempre que depender delles escusarem-se: a concurso a serventa vitalicia dos offlclos de par-
iegalmentu ; a seceo de parecer que sao somen-' SJores d,!Se term2 creados pela lei provincial n.
Pelo brigne Flamengo recebemos folhas do Rio
Grande at 23 do passado.
No Commercial deste dia l-se :
Antes de hontem ficen desembaragada a bar-
ca brasileira Nom Carolina, sobre a" qual linda
viudo do Porto urna denuncia ao governo provin-
cial, de trazer este navio para esta provincia por-
co de moeda papel falsa e por contrabando.
') exame por parte da alfandega. tanto no na-
vio como na carga, foi ngorosissimo, porm, nada
se encoiitrou ; entretanto que o seu capitao ou par-
tes interessadas passaram por este vexame c in-
commo los, alm do prejuizo na demora da descar-
ga, como tambem de se revolver todo o navio e
examinar minuciosamente lodos os cantos do mes-
1110 casco a todos os eneros que conduzio.
Estamos convencidos que a denuncia nao foi
mais que um acto de malvadez para prejudicar in-
teresses de terceiro. 1
O Fhmiemjo sanio barra no dia 26 de manhaa.
At esta data nao finita all chegado o vapor (le-
vente.
No 13. Em vez de 481:617-3400 diga-se
400:000. Martinho Campos.Silvino Cavalcanti
de Albuquerque.J. Felico dos Santos.Luiz da
Silva Flores.C. li. Ottoni.
Art. As disposicoes do art. 12 8 11 da lei n-
1,114 de 27 de setembro de 1860 sao extensivas
aos crditos especiaes concedidos pela lei n. 1,177
de 9 de setembro de 1862 na parte em que Ihes
forem relativas, considerando-se permanente esta
disposico.
Art. Continua m em vigor as disposicoes dos
S I' e 3" do art. 22 da lei n. 1,177 de 9 de se-
tembro de 1862, devendo quanto ao 3o entender-
se somente na parle que faltar para preencher o
crdito volado.
Art. Fica o governo autorisado a regular o
systema dos concursos das dlTerentes reparticoes
de fazenda na conformidade do art. 18 da lei n.
Supprimam-se os arts. 22, 26 e 29.
No art. 23, em vez deFicam
diga-se: Ficam supprimidos os lugare
sultor as diversas secretarias de est.
supprimidos proporco que vagarem os seguin- v""*' /' Ycl',v.iani,> Jos Caetano, Pedro Luiz,
tes.-C. B. Ottoni.-Mart.nhoCampos.-SilvinoCa- ,^;S eMMo.reira' 'aula Sanl,). Fonseca Vianna.
valcanti de Albuquerque (com lmlacao da sup- ^arval,10.Mendjnca, barao de Prados, Lima, Duar-
presso feila nos arts. 28 e 29). Luiz da Silva ? uom|ciano, Jos Jorge, Jos Bonifacio, Martira
Flores (com as mesmas limilacoes).-J. Felicio dos r,lla"c,a,i0' J.',eodoro' s'lva Pereira, de Lamare,
Santos (com as mesmas limitaces.) : -aJcondes, Silveira de Souza, Alvim, barao de Por-
X disposico do S 1- do art. 68 do resulamen- i \?'AleS^-'< '^ry, Flores, Pinheiro Machado j e a fa-
to de 19 de setembro de 1860 tica extensiva aos !sr,s PamPl0Da> Lioerato, Rodrigues Jnior,
lugares de e 2-conferentes.Aragao o Mello. .'puu,r;d0. K'beiro Bezerra Cavalcanti, l'rbano,
Ao n. 10 4 do art. 30. Depois da palavra- i. l,n".Lara,cai,cA Bar?s Ba"eto, Godoy, Aristi-
alfandegas -diga-se- cando reduzido a 6 / o Lot>> ^opesNetto, Bitencourt bampao, Frede-
premio dos bilhetes. Suppnma-se o resto, e aceres- .'S J? ll.n,,e,da- Jaoqueira, Saldanha Marinho,
cente-se:-8 i'. Supprimir os lugares dispensa-, wade ,nI10> Xald'aro, Macedo Carneiro de
veis as alfandegas das provincias medida que -mpoV ,? Manoel Joa(iu"n. Silveira Lobo,
forem vagando.-Fabio A de Carvalho Reis. I V- ,J?n.C0< Cihafas Lobilo> Bretas> Ferreira da
Ogoverno fica autorisado.ouvlndo o tribunal do' 5',; "?f,ro da Lu: Alfonso Celso, Limpo de
thesouro, a dispensar do pagamento das dividas os l fiSfJfeJ au'a fou Varra?\ .bara0 df,s.Juao do
arrematantes de terrenos diamantinos na provincia '?, Losla lQl0' -Neb,as e Abelardo de
da Babia que mostrarem a impossibilidade em que i ..... ..,-
se acharara de cumplir os respectivos contratos' rX ?,,"?" Octay.ano foram sepa-
i em razo da crise dasecca que soffreu a provincia: i.^ ^(,arti;31, e ns- *> 8- ,0- **. l-< '- ,J. >,
e bem assim as multas que tiverem sido impostas ,' }Je-> Para serem remeltidos ao senado
_,. .. por demora de pagamentos j feitos. Xa ausencia VY tooaos separados ; e oem assim os seguintes
.tolditra-se l d0 arrematantes ns fiadores sao competentes para 1 Mmj"!! : .
requerer.-Frederico de Almeida.-Junqueira. (MUt.auIon5am a reycr o regulamento dos cor-
. Fica desde j, approvado o decreto n. 3,09. de.7 | ^^^^Umem sohT
activa dos correcto-
de directores de
v. ut'uuiiiiuuu(i,*.iiciu njiiu uc .tiiiii.i'i 1. janeo -
llrm Ul'K7lmr,iat0r2Or7'a ,!ru,df,0" Pere!Ta. ,dt refere ao monte-pio da marinha ;
T^Z.^;^T!^^i. Paque^approva cou,rato a -^" ^
rrino'T?",''.1fiH,,n1l'a0'"!F% i*1"u"!*CTT: 'ue autorisa evcrn a ron^er provincia
\T^^^^r\t!;^^:^. &!.* SuI raea ^ as -- ^i!i"-
M,'n,H^';era!0"H~ !-:"'."-u ,i;'S NeVf 7 Pv!"o de 'I,ie autor'sa :i crenr lugares de tabellio.
' o e aT, ? r"l Mac',ad--V'; ".f0- F,am aPl'rovados os seguintes requerimen.os :
-S hr..ir-i\ <^f V'~ra?u r0"^*'68^ SeM,,Ma ,ara formarprojecto separado o 10
-> Ive.r.i de Souza.-Jos Caetano.-lrandao. J. do art. 30.-F. Oclaviano.
da j Kibeiro.-Franco de Alme.- Reqaciro que " *.'".." #".''"'s geraes do orcamento o S 7". alim de ser con-
nrB.?iV- < "a a,l,01ri organisacao do corpo de saude da armada, appro- nho Campos
vado pelo decreto n. 1.981 de 30 de setembro .le ___
h2SZE. altera5e '''ie lcmp0 ".*Pf- i O vapor Gerente, entrado hontem dos porlos ,1o
rienc.a aconselhar, conservando as disposicoes do sn|, trouxe-nos datas de Porto-Alegre at I, Rio-
Grande 3 e Santa Camarina 3 do corrente.
A nossa carta de Porto-Alegre, transcripta no
art. 3." do decreto n. 607 de 23 de abril de 1849 e
dos arts. 2' e seu< paragraphos, 3o e s 1". 6" 11,
12, 14 e 38 do plano de 30 de setembro de 1837,
isto sem augmento da despeza consignada na verba
respectiva.Sil vino Cavalcanti de AlbuquerqueJ.
Felico dos Santos.Flores.
Osilhos menores dos olliciaes da armada teem
,K s.. 3o,..t..- !.,d;)n's desse termo creados .....
le jostifiraveis as fallas dos me-mos empregados1 wi.cuinpre que \'mc. informe se lia ah distri-
por servico gratuito e obrigatorio por lei, as que ti-1 !Uicao para que um delles accumulo as funecoes
verem lugar pelo voto que deverem dar as assem-!. distribuidor, como determina a mesma lei e ser
blas paroebiaes, e nos collegios eleitoraes, bem so declarado no referido edital.
como as juntas de qnaliflCaco, comtanto que nao J;"0 ao gerente da companhia Pernambucana.
sirvam nellas simplesmenle comojoizes de paz ; e Becoinmendo a Vmc que nao faga seguir para
por ordem superior, as provenientes de outro ser- Presidio de Fernando o vapor Parahyba, senao
vico que nao seja remunerado; sendo injustilica-: depois de receber os 700 saceos com farinha, que
veis as que provierem dos casos de que trata o re-!Si"? remctMuos para all pelo arsenal de guerra,
ferido art. 124 do regulamento das alfandegas. Portarla.Os Srs. agentes da companhia lirasi-
Vossa Magestade, porm, resolver o que fr lL>ira e Paiuetes a vapor expecam as suas ordens
mais justo. ; para que sejam transportados por conta do minis-
Sala das conferencias, em 7 de junho de 1864.' erio da guerra, no vapor Prmceza de Joinville, o ----------
Mrquez de branles.Candido Baptista de Oli- brigadeiro Solidonio Jos Antonio Pereira do Lago O Sr. commandante do brigue-escuna de guerra
veira.Visccnde de Itaborahy. l e sua mulher.Communicou-se ao commandante FUehdade enviou-nos a seguinte rectilicaco se-
Resolocao. : "8armasintermo. gunda parte da noticia que hontem demos com
Como parece. Rio de Janeiro 18 dp junho de; u":|<->s Srs. agentes da companhia Brasileira aquelle titulo :
1864.Com a rubrica de S. M. o Imperador.-Jo- Je paquetes facam transportar para a-corte, por Estando o brigue-escuna 12 milbas de trra,
conta do ministerio da guerra, no vapor Prmceza em perfeila calma, com lempo claro, e avistando-
, ae jotnruie, o cabo de esquadra Sabino Ferreira se dous navios um ao mar e outro prximo a trra,
j ou Aquinoe felippe Lomba, ambos do Io batalhao maudou o commandante um escaler com o imme-
de artimaa, e o soldado Joao Nepomuceno do 4- dalo o i" lenle Joaijuim Augusto da Cosa Sam-
da mesma arma.-Communicou-se ao comman- paio, a bordo de um delles. alim de lomar um pra-
te aas armas interino. tico que se quizesse obrigar a levar o brigue-escu-
Dila.-0 presidente da provincia, aitendendo ao **S" ^T i\ ,'ha",J,"aude. "d
que requeren o professor publico de instrueco P?Je^ refazer-se dagua, urna vez que o vento
primaria da villa de Cabrob. Sabino Anizio de
Faria, e tendo em vista a informacao do director
geral uterino da iustrucyo publica, datada de 12
! do corrente, sob n. 131, resolve de conformidade
1,177 de 9 de setembro de 1862, podendo para esse; .
lim alterar o decreto n. 2.519 de 14 de marco de(d're,'-.rePar" ^boiras,
1860, approvado pelo art. 12 10 da lei u. ,114 ^ZTuV'J' Pa' "'"'"a T?
de 27 d setembro do mesmo anno. n nLT h>.n 'n", JaS MServ,dores d" es,a-
c Art. Ficam desde j supprimidos na I- di- doTKiI2!2 d Alineida-
rectora da secretaria da guerra um lugar de 1- P0? ta|>s correctores const.luem
ollicial e dous de amanuense que se acham vagos, j *'* JESuSS****- e -m "-.."'j'^f
bem como um de amanuense todos os de correio' SKSSSSS {"Cfft "lSl ? S
que vagarem. por morte, demissao ou transfe- ^Vi2SUTS,*J: Titoat>Z *?& ,
rencia dos actuaos para otro qualquer emprego. i m rt,A ','-bl!,-a0,,ue.0a.Wr0 ^
Art. No caso de deficiencia de renda paa Se-1 Z,Tro J^Ju h dt J,ulho %18dl da rS r*
correr as despezas voladas para esle exercicio, o SSSTt!SS!^^ a transaccao que se flzer em
governo lica autorisado a fazer
crdito que forem necessarias
dficit.
Vrt. A presente lei vigorar lambem no exer-
Suppliinenlo distribuido boje, d noticia das ceur-
rencias de algum interesse que se deram na pro-
viiuia do S. Pedro do SuI, depois da saluda do va-
por Brasil.
Segundo as folhas do Rio-Grande, devia o presi-
dente daquella provincia chegar Jaguarao no r
do corrente. Desta localidade ficava
Itag o 4" regiment de infantaria.
Publirara-se na capital o primeiro numero de
urna follia Iliteraria, commercial e noticiosa com
o titulo Jornal do Commercio. de que redac-
tor o Sr. Luiz Francisco Cavalcanti de Albu-
querque.
De Santa Cathariua nada lemos que noticiar.
a partir para
as operaces de
para preencher o
s Pedro Das de Carvalho.
JII Ms I llt IO IDA VI % Ill.\ll \.
Rio de Janeiro.Ministerio dos negocios da ma-
rinha, em 20 de junho de 1864.
Informado o governo imperial de que o mar rom-
pera o banco do sthrao de Oiinda no porto de Per-
nambuco, e convmdo quanto antes, combater as
consequencas inherentes a esse aconlecimento e
prejudiciaes a boa conservacao e rgimen do mes- j
nio porte, cumpre que V. S. se transporte aquella
provincia e proceda ao cstudo dessa questo hy-
com o artigo 23 da lei n 398 de 13 de maio ulti-
mo, remover o referido professor daquella cadeira
para a de Tijucupapo novamente creada.Com-
municou-se ao director geral interino da instrue-
co publica.
Dita.O presidente da provincia resolve, de
conformidade com o artigo 9 do regulamento de
9 do corrente, nomear interinamente a J0S0 Joa-
quim de Siqueira Varejo e Pedro Celestino Min-
obras pu-
municacSes.
padesse refazer-se d'agua, urna vez
nao permiltisse tomar o porto do destino; horas
depois comecou a cahir alguma cerraco, o que
sendo visto pelo commandante. ordenou que se li-
zesse sigual chamando o escaler com tiros de peca,
tiros estes que continuou-se a dar durante o dia ;
as 3 horas e 30 minutos comegando o tempo a car-
regar e a ameacar do SO, reuni o commandante
couselho de olliciaes, o qual decidi uoanimente
que se devia seguir para o porto logo que cahisse
o lempo, pois o oflicial que se achava no escaler
tinha bastante intelligencia para tomar a trra,
logo que vio o lempo o ameacar; havendo mais a
I circumslanciade que o mesmo ollicial mais de urna
vez tinha cruzado naquellas parageus.
Hontem sabio s 3 horas da tarde a canhoneira
Hearim em procura do escaler em queslo, e boje
draulica, apresentando um parecer que habilite es-
te minislerio a providenciar como o caso exigir.
Parecendo preferveis na ordem dos melhora-
meulos a executarem-se no porto de Pernambuco
aquellos que resultara das ideas expendidas no re-
latoro do engenheiro Hawchsbaw, pretende o go-
verno imperial dar andamento as obras mais ur-
gentes e ndispensaveis. Assim, compenetrando-se 1H-
V. S. do que "so Ihe communica, deve tambera fa-; S^,SnSStZ!!f!Sa
zer as respectivas localidades os estudos e verifi-! ?!" M-Ia,n e f. nfessarias "
cacoes necessarias, e colner os esclarecimenlos 'f pedirnte do secretario do |Ter- reuBMa 0 oselbo de investigaco'composto ds
convenientes, para informar nesta corte sobre ai > do da 13de julho de 18G1. Srs. capitao de fragata Joaquim Rodrigues da Cos-
preferencia de execuco de qualquer daquelles me- Offico ao Dr. Jos Julio de Albuquerque Bar- ta, presidente, e 1* lenles Pedro Ferreira de Oli-
ihoramentos sobre os outros indicados, e do ayate-, ros, secretario do governo da provincia do Cear. veira e Fortunato Fosler Vidal, vogaes, aflm do ver
ma a empregar-se, se por administracao, ou por] Ficando inleirado pelo seu oflicio de 23 de ju- se ha materia para responderem conselho de
empreitada, comparada as vanlagens de um a ou- nho ultimo de h3ver V. S. prestado juramento e
tro; colhgindo. finalmente, quaesquer dados, que entrado no exercicio do cargo de secretario do
julgar apropriados a esckirecer as deliberagoes, governo desla provincia, tenho a satisfaco de asse-
que por ventura codvenlia tomar-se, quando o go- gurar-lhe que me ser sempre agradavel cumprir
verno imperial julgue opportuno desenvolver os, as suas ordens, quer se refiram ao sertico publico
trabalhos encelados naquelle porto. j quer ao particular de V. S.
E para que melhor se oriente V. S. acerca do que i __ 13
existe, e se lera estudado sobre essa importante! Dito ao Dr. juiz de direito presidente do tribu-
materia, o nao Ihe fallera os otencihos de qne ha nal do jury.-Sendo muito necessaros nesta se-
de carecer, exped ordem a esta secretaria de esta- miara os servicos do respectivo escriturario,
do para que tranquee a V. S. todas as plantas e de- Joao Manoel de Castro, solicito de V. S. se digne proposta do governo, e converla-se em addilivo a
cumenlos concernentes aos servicos de que vai dispensado de comparecer na presente sesso desse emenda sobre o capital addicional da estrada de
oceupar-se, evendo devolve-los em sua volta a tribunal, para a qual foi sorleado ferro do Recife, ficando o additivo com a seguinte
mesma reparticao; e reqaisitei do ministerio do ----- redaccao ;
guerra o commandante e ollieaes do hngoe-es
cuna.
- 9-
A cmara dos deputados adoptou hontem, depois
de orarem os srs. presidente do conselho e Carrao.
a proposta do governo que flxa a despeza e orea a
receita geral do imperio para o anno tinanceiro de
1864 1863, com os seguintes artigos additivos e
emendas na 3' discussao.
No i 10 do art. 8" reslaboleca-se a verba da
cirio de 1863 a 1866.
Arl. Continuara em vigor at o fim do anno de
1866 as disposicoes do decreto n. 2,483 de 28 de
! setembro de 1839. Martinho Campos.J. Felicio
dos Santos.C. B. Ottoni. Silvino Cavalcanti de
Albuquerque,Luiz da SilvaFlns.
Transcrcva-se o art. 2. da proposta do gover-
no tal qual foi apresentado, e mais as seguintes
emendas :
Ao 9. Em vez de 12:4005000-diga-se
11:4005000
Ao 8 10. Em vez de 170:7805O00-dga-se-
161:9805000, inclusive 10:0005000 para continuar
a reimpresso da legislacio de 1808 1837 e
1:200500o para codifleaco das decisoes acerca das
eleicoes.
Ao i 11. Em vez de 1:9005000-diga-se
2:0715428, inclusive 1715428, parle da gratifica-
co paga pelo ministerio do imperio ao encar-
regado dos trabalhos de escripia do conselho de es-
tado pleno.
Ao 14. Em vez de 275:3505000-diga-se
277:5505.
Ao 15. Em vez de 356:2305000diga-se
358:2305.
Ao & 17. Era vez de 163:5725000-diga-se-
167:3725.
Ao 23. Em vez de 55:0005000diga-se
7:0005, para conservacao dos existentes.
Ao S 26. Em vez de 191:6005000-diga-se-
130:0005, sendo :
t Com os professores dos existentes nos termos
do decreto n. 3073 de 22 deabril de 1863-81:0005.
Para mais dous que se possam ctT 18:0005-
Auxilio ao do Amazonas 6:0005-
< Obras, reparos e auxilios que forem indispen-
saveis 45:0065.
t Ao 28. Em vez de 14:1205000Jiga-se-
14:7205, inclusive 2:4005 para alugn4 de casa.
u Ao s 29. Em vez de 20:0005f*)-diga-s,
16:00005, para concluir dentro de ara prazo mar-
cado pelo governo os trabalhos encelados e para
irapressao dos mesmos trabalhos.
Ao S 32. Em vez de 18:0005000diga-se
Ao i 36 Em vez de5:0005diga-se7:0005,
inclusive 2:000|000 para acquisicao, na Euro-
omeaco formacao e doracao de suas directoras j 5outoreiem me7icio?|^f^ta*RSrae1
elos seus respectivos eslatulos.-J. Saldanha Ma- de Macedo e Manoel Alves Ferreira Serrao
Por outro decreto de igual data, na conformidade
do I" do art. 9o da lei n. 648 de 18 de agosto de
Desde algumas semanas que nos palacios rape-
hasta publica acerca dos objectos especificados no ; riaes ua Cldade e da quinla da o;i.ylsl;l 50 fom
mesmo artigo.-J. Salilanha Marinho. com aclividade e rapidez obras e concertos qqe in-
. OITereeo como additivo o segrale projecto, ja dicam bem claramente que em breve lem de che-
approvado, era 1* discussao: ; gar esla crle alguns ||uslri!S principes que sc.
' i^f'^ geral resoLve: a- a I rl hospedados por S. M. o Imperador, e recebidos
ta 1 i ., !tf,re2?g?d*? aS ? nS.S,?%df com a mais explicavel e |rofunda consideradlo por
) 11, 12 e 13 do arl. 2- da le n. 1,083 de 22 de todos os Braseiros *
agosto de 1860. "___
m,,-A!".t-ir; -AS CrtmPanl,ias sociedades anony-. Por decreto de 6 do corrente, foram nomeados
mas, assim civis como mercarais, se regularao na ^o. cirup'ioes do
.X3^"/0^-"6 du.r^de ?^.?J2S?!" I presea, medit.u
riuho.
Os mestres e contra-mestre das oflicnas dos
arsenaes de guerra e marinha que contarem mais
de Irinla annos de servigo, e por sua idade ou en-
ferraidades nao possam trabalhar, podein ser dis-
pensados de comparecimento as respectivas offici-
nas, continuando a perceber o ordenado ou diana
estabelecidos para os lugares que oceupavam. J.
Saldanha Marinho.
A divida fluctuante anterior 1827, e cojos
credores nao se apresentarem reclamando o res-
pectivo pagamento no praso de cinco annos da
dala da prsenle lei, se havero como prescripias.
J. Saldanha Marinho.
t Em vez de moeda-forle diga-se -segundo o
padro monetario da lei de 8 de oulubro de 1833.
M. Dantas.Silveira de Souza.
Sub-emenda s do art. 6" da lei. Se passar a
suppressao dos empregos vagos da 1* directora do
ministerio da guerra, reduza-se a despeza do 1
deste artigo 200:0005000.
Ficaro supprimidos, logo que vagarem os
empregos de quatro segundos escripturarios, tres
terceiros, quatro quartos escripturarios, (res prati-
cantes da 4* directora, ficando assim reduzido ao
numero de 18 empregados de escripturacao, o de
32 que ali foram creados, em quanto nao tiverem
melhor applicaco os que superabundan! nesta di-
rectora, sem prejuizos dos vencimentos que perce-
bem. Casimiro Madureira.
14^| Restabeieca-se a verba de 360:0005000
proposta pela commissao na segunda discussao, de
conformidade com o pedido do governo C. Madu-
reira. >
Q governo na prxima sesso do corpa legisla-
tivo apresentar >
< 1.* Um trabalho no qual se indique a legisla-
cao de fazenda que actualmente vigora sobre a con-
tabilidade legislativa, isto sobre a autorisacao
da receita, yoto das despezas e approva^io do em-
.. agost
1852, concedou-se reforma ao major do 2 baialhao
de Infantaria, Joaquim da Rocha Moreira, e ao ca-
pitao do corpo de guarnlco de Minas-Geraes, An-
tonio Alexandrino de Mello, visto sofrerem moles-
tias' incuraveis que os lornam incapazes do ser-
vico.
Por portara de 5 do corrente, foram Borneados
estacionarios de primeira classe da reparticao geral
dos teleifraphos Antonio Rodrigues Nunes, Fran-
cisco Jos de Faria Jnior, Joo Antonio Alves e
Leonel Caetano da Silva ; e para viga da eslago
da Babilonia Bernardo dos Sanios Coimbra.
DIARIO DE PERNAMBUCO
Pelo vapor Magdalena, recebemos jomaes do Itio
at 9 e da Bahia at 13 do corrente. Delles colhe-
mos o que va sob as rubricas Parle official e Infe-
rior, e mais o que segu : v
Ro de Janeiro.Iwam nomeados Joao Henri-
ques Ribeiro, para o lugar de agente do correio de
ltapicurumerim, vago por exoneracSo de Joo
Henriques da Luz e Luiz Miguel Ribeiro, para o de
ajudante da mesma agencia, vago por ler passado
a agente Joao Henriques Ribeiro ; Jos da Silva
Raposo, para agente do correio de Corala, vago
por demissao concedida a Fernando Henrque Gon-
calves, e Joaquim Felicio de Araujo Santos para o
de ajudante, por ter Jos da Silva Haposo passado
a agente da dita agencia, todos na provincia do Ma-
ranho.
Espirito Santo.Le se no Correio da Victoria :
No dia 3 do andante Francisca Mara das Ch 1-
ga, Maria Pinta da Hora. Joaquim Jos de Carra,-
_J


Mario

15o da sociedade CorybanUna, com
a coadjuvaco
D
Iho, e Mara, niha c Antonia Mara da Conceieu >, lao da so
foram pesca e teodo colinda urna grande porra;) de alguns dos nossos artistas.
seu iantar dalles e comeram como se costuma di- como urna artista de mrito dotada de urna voz vi-
zcr barrete fura : vieram para sua choupaua e gorosa e agradavel. Ero-tola a parte, onde mada-
ao amanhecer do dia 4, Maria, tilha de Antonia, ma Verdini tem canudo, sao plenos os elogios, pelo
principiou a ter vmitos fortes e a miado, e as 8 qoe deve-se esperar urna noite_ deleiuvel para os
horas da manhiia fatleceu.
t Em seguida desenvolverp-se os vmitos em
Francisca, Mana e Joaquim.
Avisado logo o delegado de polica do Tacto,
mandn in continenti o subdelegado tomar conhe-
cimento delle, e em seguida comparecen com oDr.
Florencio Francisco Goncalves, que applicou os ne- nha,o Ato de Janeiro,
- deHenhumerTeito"
diletantes.
O vapor inglez Magdalena trouxe a sea bordo
318 passageiro9, dos quaes tre para Pernambucoe
os restante para a Europa
Do Rio Grande do Su I sahiram para Pernara-
buco : brigaes Almeida e Mondego, barcas Pomto-
Itio de Janeiro, patachos Cyro, Arapehy
Torbeck.
Apenas tenho um.pneposito, com eslas ligeira
linlias que tunlio mandado para a impirnsa ; de-
moostrar, que o Sr. padre Frota, tem na opinio
conscienciosa do Cear, o juizo mais desfavoravel
que se pode imaginar.
Que esta breve resposta, provocada pelo Sr. Jlo
Thom, nao ofrenda a sua susceptibilidade, deseja
cordealraente.
Antonio Pinto Noguetra Acciolu.
Recife, 14 e julho de 1864.
cessarius remedios para tornar de nenhum effeito torneen. ___ i !
o veneno Seguio hontem para Europa no vapor inglez
. Consultado o Sr. Dr. chefe de polica pelo de- Magdalena, o Sr. Jos Joaquim da Silva capital.su
legado se sera conveniente remetter os enfermos desta praca. -No decorrido de 2o anuos que entre
para o hospital da Santa Casa da Misericordia, S. S. nos residi, sou be dar verdaderas provas de ami-
resolveu que fossem para alli transportados, e ao go e repelidas de seu nobre e koo^MMIw.
meio-dia ja alli se achavam Francisca e Joai|u.m. .Na carrera commercial pela que deu principio,
Ouvimos dizer aoSr Dr. Florencio que Joaquim e deixou hrmado em soas iransaccoes o typo da pon-
Francisca tstavam salvos, mas quanto a Maria que
anda era gravo seu esudo."
Baha. Suicidou-se, no dia 12, o lente da
guarda nacional da capital Jos Paulo de Athayde,
com um tiro de pistola, por desgostos em sua vida.
s I.-se no Jornal:
No dia 10 as i horas da larde, sahiramda pra-
ca da Piedade os carros triumphaes, acompanha-
tualidade, o das beni combinadas reflexoes. Em
sua ausencia ficam em primeiro lugar como pro-
curadores, a distncta firma commercial de Srs.
Andrade & Reg.
A parte do edificio da alfandega, oceupada
pelo Curso Commercial, acha-se aberla das 10 *s
2 horas da tarde de todos os das uteis aflm de ter
lugar nesse lempo as matrculas do primeiro anno
dos "pelosrbatlhes'doVcaiieiros naconaes Miner- da Escola Normal. Por tanto para ah podem di-
va o l'uio brasileira, e por um outro baulho rigr-se os qne prctenderem frequentar as aulas da-
tambem unformisado de branco, e composto de ca-1 quella escola.
deles e inferiores dos coros de linha da guarni-
lo, sob o cominando do Sr. tenente Currites. O
esquadrao de cavallaria de linha fechava a reta-
guarda, sob o rommando do Sr. cap'o Coelho, e
levando os soldados suas espadas, langas c bandei-
rolas.
Houve muita erdem, porm pouco cnthu-
siasmo.
. Ful una festa toda offlcial e toda militansada
porque mesmo frente dos batalhoes patritico:
iam os commandanes dos eorpos de linha.
S. E\c. o Sr. presidente da provincia acompa-
nhou os carros durante a maior parte do tra-
jelo.
Sf.iuhpk. No dia 27 do passado a asserablea
provincial enviou urna commisso de sen seio a fe-
licitar o Exm. Sr. Dr. Cincinato Pinto da Silva, que
Heje se exlrahir a segunda parte da lerceira
lotera da Santa Casa da Misericordia.
Passageiios do vapor inglez Magdalena, entra-
do do Rio de Janeiro : _,.,
liento Jos de Moura, Dr. C. W. Dcnnehy e Wil-
liam Sheppard.
Passageiros do vapor inglez Mafidulena, salu-
do para Solhampion e poitos intermedios :
a Mansueto Prsico Iteageo Saieoo e 1 criado, Cas-
s simiro Thomaz da Cost, Ricardo Jos Gomes da
Luz, Joo Lilly o sua familia, a ineoor Mana Krau-
se e 1 criada,' Godofredo O. Mawnc, Augusto Cesar
Fornandes Eiras, Nicolao E. Hans, Alejandrino
Gvbson e Alice Gybson, J. E. Sehenson, Agosllnho
Marques Moreira, Jos Joaquim da Silva, Joaquim
Felippe da Costa.
Passageiros do vapor brasileiro Paran, sa-
P3LIGACQES A PEDIDO.
O perfume do heantapherlo oc-
cidental.
(Extraeto do jornal A Ckrontca, de 23 de junho
de 1858.)
Agua flohida : No meio do oppressivo calor
que nos cerca e debilita, o de que nos todos mais
ou menos soffremos ; consideramos aqaelle que
nos pode proporcionar qualquer um meio de al I i
vio consolador o de mitigarlo suave para nossos
soffrimentos, como um grande bemfeilor. Os Srs.
Lanman & Kemp, residentes em Water Slreet n.
ti!', fabricantes da agua-florida, tornam-se, pois,
com justa razao, em summo grao, dignos deste
louvor: c o seu annuncio pode ser vislo em urna
outra columna desta odico de hoje. Esta oxcel-
lentc agua ou admiravel liquido empregada nos
usos ordinarios de banho c por sem duvida um
dos comeslicos o mais agradavel, assim como o
mais delicado e delicioso perfume que jamis te-
mos usado: venda as hticas e lojas de perfu-
maras.
2 caixas vjdros ; ^J. A Percra.
1 dita mannore, 1 'dito calcado o seJa ; L. A.
Siqueira.
i barril raires, 4 ditos alvaiade, 4 ditos oca, 4
ditos er, 1 caixa vidros; J. M. C. Correia.
1 caixa botdes ; J. Francisco da Silva Jnior.
i diu movis; Moreao.
1 dila cidos, 2 ditas agua de colonia, chocolate
e encerado Caors & Barbosa.
4 ditas tecido de la e saceos para viagem ; i
Darnmayer.
anno, se ha de arrematr por venda a quem mais
der em praca publica deste juizo, na sala dos audi-
torios um sobrado de dous andares sito na ra da
Aurora, freguezia da Ba-Vista, tendo varanda de
ferro o primeiro andar tanto na frente como no oi-
lo fazendo frenle para a ra da L'niao, tendo gran-
des quartos, salas, cosinha e nm pequeo quintal,
avahado em 25:0005000, o qual foi penhorado por
execucao de Jos Pereira Bastos Francisco Anto-
nio de Oliveira. E nao bavendo lancador que cu-
I bra o prego da avaliacao, a arrematgao ser feiu
tm, papel, 1 dita fuzis, 1 diu fumo ; a Manoel | pelo valor da adjudicado com o abatimento da
<5 C lei.
1 diu plumas, 1 dita barretes; A. C. de Abren. E para que chegue ao conhecimento de todos,
Barca mgleza lownof Iverpool, entrada de Li- mandei passar editaes que sero publicados pela
verpool, consignada Saunders Brothers & C, ma-: imprensa e allxados nos lugares do costunie.
nifeston o segninte : Recife, 15 de junho de 1801, 43 da independencia
100 barris banha, 260 gigos, 7 barricas e 4 ees- e do imperio de Bras4l.
tas louca, 230 barricas cerveja, l caixa e 3 fardos j Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento,
fateoda d linho, 21 ditas e 2 fardos ditas de algo-. escrivao o subscrevi.
dao, 200 saceos farinha de trigo, 200 ditos arroz, Trislao de Alencar Araripe.
100 caixas ac, t ditas ignora-se, 3 ditas machi- O Dr. Trislao de Alencar Araripe, oflcial da impe-
nas, 18 feixes arcos, 00 caixas folha de Flandres ;!
Saunders Brothers & C.
'O gigos e 1 barrica louca ; ordem.
80 barris breu, 10 caixas enxofre, 13 barris oleo,
4 barricas ferragens ; S. P. Johnston & C.
172 toneladas de carvao ; Wilson & Helte.
Recebedorla de rendas Internas
geraea de Peruambnco.
Rendimento do dia 1 a 14.......
dem do da 15................
CQMMERCIO.
acaba de ssumir as 'redeas da presidencia da pro- bido para o Para e portos intermedios :
Dr. Jos de Moraes Gomes rerreira e sua senno-
ra e 2 escravos, o soldado desertor Pedro Celislino
Pessoa, GuilherineBrennerdesembargador Antonio
de Barros Vasconcellos e 1 escravo, Flix Ranu,
Movss Braun, D. Joanna Busson, Bernh Timmer-
Vinei.t.
No termo de Simao Dias fallecen Jos de
Sjuz.i Diogo, em consoquencia de una denuda
que Ihe dera Jos Virissimo, em urna disputa que
tiveram.
\ assemUa provincial foi prorogada por 10, mam, Joanna Antunes da Silveira, Manoel Marques
dias, me se findam 13 do correte. ] Camacho, Manoel Francisco de Bnto V lanna, com-
NOTICIVSCOMMERCIAES. mendadorTrancisco Alves de bouza Camino c 1
Rio de Janeiro. 8 de jullio de W61. criado, madama Mara Oliver, Jacintho Rodrigues
Cambios.Sommamos saques fechados pelo pa- Ida Silva, J. B. Rabello Pereira, Joao Pereira da Sil-
nu-'te inglez Magdalena: va Le i te. ,
Sobre Londres, 500,000 a 27 i|2, 27 3|8 27 : Movimento da casa de detencao no da 14 de |
1|4 e 2i> i|8 d. incluindo 30,000 tomadas pete | julbo de W6*.
governo, e 150,000 pelo banco do Brasil
CAIXA FILIAL
DO
BUCO DO BRASIL
EM PERNAMBUCO.
A directora desta caixa, em virtude de ordem
da directora do Banco do Brasil, avisa aos Srs.
accionistas que o respectivo thesoureiro est auto-
risado a pagar o dividendo das accoes da meema
caixa do semestre Gndo em 30 de junho prximo
passado, na razao de 85O0 por accao.
Recife-14 de julho de 1864No impedimento do
secretario, Ignacio unes Correia.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 14........ 364:2835113
dem do dia 15................. 15:853*082
rial ordem da Rosa e juiz de direito especial do
commercio desta oidad do Recife capital da pro-
vincia de Peinambuco eseu termo por S. M. Im-
perial e constitucional o Sr. D. Pedro II a quem
Deus guarde etc.
Faco saber aos que o presento editl virem e
delle noticia tiverem que nodia 23 de julho do cor-
rate anno, se ha de arrematar por venda quem
kTXvIK&A majs dcr em Praca Pusuca 'elc Juizo' um s0''ra_
"t(irt7". * do a frente para a ra do Imperador e oitao para a
perador e oito para
erro em ambos os la-
para as mesmas ras,
. com salas e quartos, avahado em 25:0005000, o
C/Onsiliaoo provincial. ,,ua| f0 penhorado por execucao de Joao Frederico
Rendimento do di 1 a 14......... s2:2tS2 Jorge Kadts contra MgueljJos Barbosa Guima-
res.
E nao havendo lanzador que cubra o preco da
avaliacao a arrematacao ser feita pelo valor da ad-
Idem do dia 15.
I>ara
i do Crespo com varandas de .
._!_!__ dos, e um sotao com janellas
2:898*158
56:802*423 >
MOVIMENTO DO PCRTG
I l Sg judicagao com o abatiinonto da le. contrado vagando pelas
mti f, ?* 2.,,riesVl,te, pu,l,h.^t "a funna d0 CSt}l- cangalha e um caixao c
Ll. Ree,r,.)21dejunhodol8C4. com direito ao mesmo,
380:13651115
27
"i2 d. ''
Sobre Franca e Antuerpia 1,500,000 francos a
346, 47,48, 49 e 50 rs.
Sobre Hamburgo : 160,000 m. b. a 660 rs.
Sobre Lisboa e o Porto saccou-se de 100 a 102
por cenlo vista.
Descont.Nao houve alteraeao ras taxas, nem
na posicao do mercado. Conservam-se nos banros
a 8 por" cenlo. Na pra^a regulam de 8 9 por
cento.
Ouro.Exportaram-se do 1" do corrente at ho-
je (8i os valores seguintes :
P.
Sonthampton..... 35:5355680
Marselha........ 5
Lisboa............ 5
Ro da Prala...... 5
Montevideo....... 5
Babia ou Pernaiu
buco........... 5
Moeda.
5
4:9005000
1005000
355:000501 H)
4885950
Existiam..... 361 presos.
9
11
Existem...... 359
A saber :
Naconaes..... 262
Estrangeiros... 29
Mulheres------- 9
Estrangeiras .. 1
Escravos...... 53
Escravas ...... 5
Movimento da alfandega
Volomes entrados com fazendas...
t com gneros.
Volumes sabidos
C f
com
com
fazendas...
gneros...
376
-----399
82
735
----- 817
Toul..
35:835*680
355:6005000
717:4885050
Papel moeda.-No paquete inglez Magdalena re-
melle Joaquim Pereira de Faria para Pernambuco
J0:OtH>5 em notas do governo.
Caf. Nao constain vendas. O mercado con-
serva-s desanimado.
Aehava-se carga para Pernambuco o bri-
gue Urinario.
Babia, 12 de julho.
Cambios. Regulavam : sobre Londres 27 1|2
d., sobre Paris 343 rs., sobre Hamburgo 650 rs. e
sobre Portugal 96 100 por rento.
REVISTA DIAliA.
Ets o resultado dos collegios, chegados at
bontem noile, Recife, Olinda, Iguara.-s, Pao
d'Alho, Goyanna. Cabo, Escada, Serinhem, Li-
ni'.'iio, Naiarctn, Victoria, Barreiros, Bonito, Rio
Forinoso, S. liento e Garanhuns, sem inelusao das
duplcalas :
Conselheiro S e Albuqoerque. 996
Dr. Saldanha Marinho........ 855
Dr. Feilosa.................. 829
Dr. frbano................. 348
Conselheiro Chicharro........ 34G
A dilTerenea que se nota, entre o resumo cima
e o que publicamos hontem ; provem de erros que
se haviam dado as suniinas auteriores,
continuado
359
Alimentados a custa dos cofres pblicos... 139;
Movimento da enfermara no dia 15 de julho |
de 1864.
Tiveram baixa:
Manoel Severino dos Santos, ntermittente.
Ignacio Francisca, sarnas.
Teve alta :
Luciano Jos Carlos de Aguiar.
COMMNICABOS.
Oescarregam no dia 16 de julho.
Patacho portuguezJnrcomercadorias.
Barca inglezaTown of Licerpool louca.
Escuna ingleza Fortnateplvora.
Brigue lubeckense-iVaMli/ns farinha de trigo.
Barca inglezaFfetcinybaealho.
Barca portugueza Corsa sal por baldeado.
Barca inglezaOlindacarvao de pedra.
Impotaco.
Barca franceza Marie Nicols, entrada do Havre,
consignada Tisset Freres manifestou o seguin-
te :
: 3 caixas pelles preparadas ; a Brender a Bran-
dis.
100 barris e 100 meio manteiga; a Rabe Schin-
mettau & C.
60 barris e 40 meios ditos diu, 14 caixas tecido
: de seda, chales, chapeos, aIGnetes, perfumara, pa-
pel, pentes, etc.; Henrique & Azevedo.
1 caixa livros: Jos Barbosa de Mello.
Navios entrados no da 15.
Rio de Janeiro e Baha6 dias, vapor inglez Mag-
dalena, de 1617 toneladas, commandante Woole-
vard, equipagem 148, carga diferentes gneros,
Londres49 dias, escuna ingleza Fortnale, de
UO toneladas, capitao P. Ivachy, equipagem 8.
carga 1200 barris com pelvora e outros gneros:
a Rothe Bidoulac.
Navios sabidos no mesmo dia.
Southampton e porlos intermediosvapor inglez
Magdalena, commandante Woolevard.
Rio Grande do Sul polaca hespanhola Flora, capi-
tao Sensato, com a mesma carga que trouxe de
Barcelona.
Maceigalera ingleza Raphael, capitao A. John-
son, em lastro.
Para e portos intermediosvapor brasileiro Para-
n, commandante o capitao de fragata Santa
Barbara.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento,
escrivao o subscrevi.
Trislao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, olucial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Recife de Pernambu-
co e seu termo, por S. M. Imperial e Constitucio-
nal o Sr. D. Pedro II, quem Dos guarde, etc.
Fago saber aos que o presente ediial vireui e del-
le noticia tiverem, que no dia 25 do mez de julho
do correnle anno se ha de arrematr por venda
Modesto Leopoldo Bustolph, nomeac,o de caixei-
ro 15300.
Andr Branco & C, contrato de sociedade 45500.
Joao Lopes Fenreira, procuracao 4*500.
Carlos Carneiro Monteiro da Silva Sanios, do-
meaco de caixero 15300.
Augusto Cesar de Abreu, nota no reg. de urna
procuraeso 15-
Fonceca & Martins, distrato de sociedade 15500.
Souza Lea & C, cootrato de sociedade 4530.
Francisco Jos Pereira Borges, procuracao 35-
Manoel dos Anjos Torres, escriptura de compra
65000.
Jos Pereira da Cunha, notas no registro publi-
co 45000.
Manoel Leao de Castro, dem 35-
Manoel Estanislao da Cost, dem 45-
Manoel Antonio Marques e Boaventura da Silva
Vinhas, idem 45.
Secretaria do tribunal do commercio de Pernam-
buco, 15 de julho de 1864.Julio Guimaraes, eflt-
cial-maior.
Tribunal do commercio.
Por esta secretaria se faz publico que nest data
foi inscripta no registro publico a carta de registro
da barca Santa Mana, de 226 toneladas, proprie-
dade de Ainorim Irruios.
Secretaria do tribunal do commercio de Pernam-
buco, 15 de julho de 1864.J/'o Guimaraes, offl-
cial-maior.
Sabbado 16 do corrente, pelo juizo manicipal
de Olinda, tem de ser arrematada urna casa terrea
nos Arrombados, avahada por 2005 ; execucao de
Gaspar Antonio Vieira Guimaraes, eessiooaiio de
Joao Antonio da CosU Medeiros, contra Ignacio
Antonio Borges e sua mulher, para pagamento d<-
hypothcca.
Pela subdelegacia do 1* districto da fregue-
zia de S. Lourenco da Malla se faz publio que se
cha depositado m cavado castanho qoe fot en-
ruas dcsu povoaco, cota
com ovos : quem se julgar
compareca nesU subdele-
gada, fue provando Ihe ser entregue.
S. Lourenco da MalU 12 de jomo de 1864.
O subdelegado,
Jos Antonio de Albuquerque.
Tribunal do commercio.
Por esU secreUra, se declara que na data infra
foi admeltdo registro o contrato de sociedade
em commandita que para durar por esparo de
6 auno a contar de 1 de maio ultimo, flzeram em
31 de marco prximo passado, Bernardino Duarte
quem mais der, em praca publica, depois da au- Campos, Manoel Jos da CosU Pereira, gerente*,
diencia respectiva, a casa terrea n. 6, sila ra da, e Joaquim Fernandes da Silva Campos, commar-
Florentina da freguezia de Santo Antonio, com 2, ditrio, todos porluguezes, e domiciliados nesta
portas com rotulas na frente, 2 salas, 2 quartos,, cidade do Recife, para o m de commerciarera eir
cozioha fura, quintal murado e cacimba meeira,; louca fina o grossa no armazem n. 16 da ra do
avahada em 1:6005, a qual pertencenle aoausen-, Crespo, sob a firma de Duarte, Pereira & <-. de
te Servulo Pereira da Silva, e sua mulher, e vai que gmente usaro os gerentes, e com o capiU.l
praca por execucao que contra os mesmos movem.de 14:0005000 fornecidos 12.0005000 pelo socio
EDIT1ES.
Aos sobrinhos do %r. padre
Frota.
Tendo lido no Diario de 12 do corrente urna dc-
clararao que me fazem os Srs. Jos Thom da Sil-
va, Joao Thom da Silva Jnior e Antonio Augusto
da Frota Menezes, em referencia a um tpico de
urna correspondencia que ha pouco hz publicar no
Jornal do Recife, respondendo ao Sr. bacharel Jos
A. Rodrigues Lima, cabe-ine anda hoje, voltando
ao assumpto, dizer algumas palavras aquelles se-
nhores.
O pouco que vou dizer, refere-se especialmente ao
Sr. Joao Thom, e pois com S. S. que quero en-
tender-me. E' s com o Sr. Joao Thom, porque
conheeo de perto o Sr Jos Thom, e sei que seu
genio modesto e concenirado, oaconselhariam sem
duvida a Bear silencioso, sobre umaqueslao de que
nao tem conhecimento exacto, se por ventura nao
fosse levado por seu irmao a fazer a declarayao que
alludo. yuiz ser solidario com seu irmao : c o
que parece.
Ao tal Sr. Frota Menezes, .a qoem pela primeira
vez cumplimento, peco llcenca para nao dizer-lhe
O Illm. Sr. director da escola normal manda
fazer publico, que desta data al o fim do corrente
I mez se acham abenas as matriculas do Io auno
] da referida escola, devendo para isso os preten-
| deotes provar perante o mesmo director :
Io Que sao maiores de 18 annos.
2" Que sabem ler, escrever e contar.
3' Que sito de costumes puros, e qne nao teem
sido condemnados por crime ouensvo moral pu-
blica ou religiao do Ealado.
4" Finalmente, que satistizeram a primeira pres-
tcao da matricula na repart ?o competente.
E para chegar ao conhecimento de quem inte-
ressar, mandou-se publicar o presente pela im-
prensa.
Secretaria da escola normal de Pernambuco, 7
de julho de 1864.
O secretario,
Maximiano Lopes Machado.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provn-
do Exm. Sr. pre-
ultimo, manda
Rabe Schametau & C.
E na falt de licitantes ser a arrematacao feit
pelo proco da adjudicacao com o abatimento res-
pectivo da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei fazer o presente ediial, que ser afflxado
nos lugares do costume, e publicados pela imprensa.
Dado e passado nesla cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 2 de julho de 1864.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vao, o subscrevi.
Trislao de Alencar Araripe
~ 1eclS6es7
commandilario, e 2:0005000 por Bernardino Duar-
te Campos.
Secretaria do tribunal do commercio de Pernati.-
buco, 15 de julho de 1864.
Julio Guimaraes,
OfBcial-maior.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para foroecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos st -
guintes:
Para hospital militar de Alagoas.
Baca grande de rame para banhns 1, carapa-
1 yas de algodao 50, cassarollas de ferro i, chalei-
ras grandes de ferro 2, cnineUas pares 30, escar-
| radeiras de metal 50, estojo com 2 navalhas 1. fa-
i cas e garios 12, mantas de algodao 46, ditas de lia
50, ourins de louca com lampa 8, panno de mesi
- De ordem do Illm. Sr. Inspector da thesoura-11, panellas grandes de ferro 2. dita pequeas d
> dito 2. travesseiros 10, tigelUs pequeas de louya
40, chitas de coberla covados 210 brim branco va-
ras 1009, madapolo varas 96, caixio de madeira
para defunto 1.
Quem quizer vender taes ebjectos aprsente a
' sua proposta em carta fechada na secretaria do
ra de fazenda de Pernambuco se faz publico a
quem interessar possa, que no dia 18 do corrente
mez comecarao na referida thesouraria os paga-
mentos das pensocs do Monte Pi dos servidores
do estado, vencidas al o dia 30 de junho ultimo.
Secretarla da Iheseurara de fazenda de Per-
nambuco 14 de julho de 1864.Manoel Jos Pin-1 conselho s 10 horas da manha do dia 18 do cor-
to, servindo de olficial-maior. | rente.
A cmara municipal desta cidade, em cura-! Sala das sessoes do conselho administrativo para
primento do ofllclo do Exm. presidente da provin- fornecimento do arsenal de guerra, II de julho
ra chapeos de sol, calcado, chapeos,
seleiro, pelles preparadas, birlhar
crv
da
objectos para
e pertences,
ca, datado de 7 de julho do corrente anno, e de de 1864.
oulubro vindeuro, conformidade com o arl. 3o do decreto n. 333 de
perante a junta da fazenda da mesma Ihesouraria jj de julho de 1845, convida aos propietarios dos
se ha de arrematar quem por menos lizer, a caos- predios silos na ruado Trapiche, lado da mar,
de fazerem
rem neces-
menle a d-
melos para
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel, presidente.
Sebasttao Jos Bazio Pyrrho.
Vogal secretario.
ido, 1 caixa pell-
ga ; C. C. Leclere.
1 caixa couro para seleiro; R. P. Lasscrre
&C.
1 caixa chales de lia ; a Th. A. Dammayer.
1 caixa sal de soda ; E. Maurice.
2 caixas porcelana ; Th. Christiani.
1 caixa agulhas Alves Humburger & C.
28 caixas e 1 fardo tecido de algodao, de laa, de
seda e mixto, rotipa feita, etc. ; Joao Keller & C.
2i caixas e 3 fardos tecidos de laa, de dita e
algodao de dito, camisas de dito Schafheitlin
& C.
9 barricas e 1 caixa vidros para candiciros e
da referida
meio da, e
cao cemparecam na sala das sessoes
junta no da cima mencionado pelo
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
i pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 9 de julho de 1804.
O secretario
Aifoii'o Ferrara da Annunciarao.
A thesouraria de fazenda tem continuado a
substituir, sem dc-conto, todas as notas de 2005000 J. Lima, que tendo o padre Frota
reis, que se Ihe tem apresentado ; devendo come-
car o descont de dez por cenlo do 1" de agosto em
diante.
A's 2 horas da madrugada de hontem houve
um pequeo incendio na ollieina da latoeiro do Sr.
Jos Raptista Braga, na ra Nova, em nina peque-
a casa onde existe a (orja e deposito de carvao ;
suppondo-se ler sido occasionado |K>r alguma brasa res do Ico I I Podia conhecc-los, Sr. Joao
deixada por esquecimento. ; m. se porventura os typos estivessem mais
o Jamao foi pequeo e o incendio extincto pelos
Offlciaes da casa e visinhos. Compareceu o subde-
legado respectivo e alguns inspectores de quar-
teirao.
Ao chegar hontem pela manhaa aos traba-
Jhos da ponle do Recife o respectivo administra-
dor, o Sr. Guilherme Pinto, enconlrou junto aos
ama s palavra em resposta, porque julgar pe-; pertences de ditos; Delouche. _
las informacoes que tenho, creio que representa I 21 caixas tecidos de algodao, de laa e de algodao,
com sua assgnalura, o papel de um verdadeiro au- e linho ; Monhard & C.
ton,ato. 25 barris e 25 meios manteiga, 15 caixas tesou-
Est livre de toda responsabildade : a razae ras, navalhas, argolinhas de vdrn, pregos. espe-;
i' a jaslica assim o aconselham. Utos, musselina de seda, collerinhos, grvalas, es-
Agora ao Sr. Joao Thom. Pensei que dizendo. pelhos, im-rcearia, vidros, creoes e brinquedos; |
como disse,na correspondencia em resposta aoSr. ordem.
prenles nesta i caixa camas de ferro, I dita caiximbos, 1 bar-
cidade, que mais sentidos deveriam ter ficado com rica porcelana; Estcv.io da Cunha Medeiros
<> que eu disse, e que nao tendo estes increspon-j 1 caixa caximbos e caixas para rap ; Joa-
dido por se julgarem lalvez incompetentes, pensei, quim B. dos Reis.
repito, que assim me expi imiudo fazia juslica ao | l caixa chales de laa, 9 ditas tecido de algodao,
Sr. Joao Thom. : 8 ditas camisas indianas, tecido de laa e algodao,
llludi-me : o Sr. Joao Thom quer ter o pedan- panno de linho a Carneiro & Nogueira.
tismo de conhecer tambem dos negocios peculia- 400 barricas cimento, 3000 klogrammos de ges-
Tho- so, 150 barricas farinha de trigo, 130 barris c 130
der- meios ditos manteiga; a Tisset freres.
ramados pela nossa provincia : e em lal caso nao
seria diflicil ler e estudar as cousas que alli se
passam. Apenas urna ou outra correspondencia
surge de lempos a lempos, dando cont do que vai
pelos centro?. Ha, portante, negocios que sao pe-
culiares a taes e taes localidades, e que s os que
as habitam podem conhece-los, e fazer urna critica
1 caixa estatuas de madeira ; a Souer Ouint.
4 barricas porcelana, 1 caixa rap, 1 dita isca;
a Denker & Barrozo.
1 caixa ignoro, 1 dita mercearia; a D. P. Wild
&C.
1 caixa livros; a Jos Nogueira de Souza.
2 caixas calcado; a J. P. Arantes,
esletos provisjhos o cadver d'uraa erianca bran- justa e verddeira. 3 caixas chapeos de palha, ditos de feltro, bo-
ca. Sendo isso comtnunicado ao Sr. subdelegado lm disso o Sr. Joo Thom mesmo confessou'. neis, couros para ditos, pelles de carneiro; a Chris-
do Santo Antouio. fez elle proceder a exanie pelos por diversas vezes em conversas, que nao respon- tini freres.
Srs. Drs. Rocha Bastos e Ramos, que declararain da-rne porque nao estava a par dos factos para 5 caixas chales e meias de algodao, tecido de li-
ser urna erianca, nascida antes do lempo do eos- poder contestar-ine. nho ; a Fcrreira & Araujo.
turne. O cadver estava em completo estado de' Para que, pois, vem com subterfugios grosseires, 1 caixa armacoes para selim; a E. I'urpin.
putrefacto, pelo que foi mandado enlcrrar im- que mais servem para demonstrar novas contra- 3 caixas perfumaras e chapeos para homem; a
mediatamente. diccoes de seu carcter, do que para justificar a J. A. Moreira Das.
Joo Quaresma da Silva, morador em S. Lou-1 posicao de reserva que enlendeu dever tomar ?
renni da Matta, teodo recebido de Joo Manoel Ro- i Nao ser, pois, illudindo e confundindo a opi-
drigues, com armazem de molhados na ra das I niio publica com sophismas e desculpas desasa-'
Cruzes n. 39, dua> sedulas de cinco mil res cada: das, como as quo tem dado os defensores do Sr. |
urna, indo comprar fazendas loja de Gama & Sil-1 padre Frota, que as graves imputacoes que se Ihe
va. a ra da Imperatriz, foram as mesmas reco- lem feito, bao de desapparecer.
onecidas falsas por algumas pessoas prsenles, As aecusacoes permanecen! illezas : o Sr. pa-
em vii lude do que foi dito Quaresma presenta dro Frot o mesmo homem cuja vida publica
do Miodelegado do 1. districto da freguezia da' nem conhecida no Cear.
Boa-\ isla, o qual dirigise ao Dr. delegado, que, | A desculpa que d tambem S. S. de nao me ter
internado do occorrido dirigio-se dito estabeleci- j contestado, porque eu em vez de aecusacao insul-
menlo, onde ditas autoridades procedendo s de- tei ao pidre Frota, e teme entrar em urna discus-
vidas deligencas e a busca, encontraran em po- sao menos digna de caracteres que se prezam,
der da mulher de Rodrigues doze sedulas que este! banal, permitta-me a expresso.
Jhe havia passado, as quaes foram reeouhecidas ] Se S. S. tinha factos apresentr em favor de,
iguaes em sine s duas dadas Quaresma; em | seu prente, nada signilicavam os meus insultos ;
virtude do que foi preso Joo Manoel Rodrigues \ eatrasse na apreciaco dos factos, e discutisse-os ;
e reeolhido casa de detencao. j refutasse as minhas aecusacoes sem se affastr 4a
Hontem procedeu o Dr. delegado nova busca | hnguagem de cuvalhetro polido que se prezume
qo armazem da ra das Cruzes, nada mais ene..11-! ser, collocando-se distante do terreno odioso do in-
sulto, Unto qoante quizesse. Desl'arte a vanta-
CI.AfSl l.AS BSPECUES PARA A A1USF.MATAC.A0.
Ia A obra do caes a margen) do canal da ra da
Aurora, ser executada de conformidade com o or-
namento e plant respectiva apresenUdos pela di-
rectora das obras publicas ua importancia de
15:9145.
2* O empreiteiro dar execucao aos trabalhns no
prazo de 20 dias, e os terminar nos de 60 dias,
contados na forma da lei.
3a O pagamento sera clectuado em prestecOes
mensaes, de valor correspondente ao trabalho exe-
culado, em cada mez, deduzindo-se um dcimo,
que ser entregue seis mezes depois da concluso
da obra.
4" O empreiteiro nao poder sob qualquer pre-
texto exigir indemnisacao alguma que nao seja
fundada no excesso de trabalho previsto no orca-
menio.
8" O empreiteiro na execucao dos trabalhos ob-
servar as prescripgoes dadas pelo engenlieuo fis-
cal da obra.
6" Para ludo quanto nao se adiar aqui disposlo,
observar-sc.-ha o que dispoe a lei n. 286.
Conforme.Antonio Ferreira da Annunciarao.
O Dr. Trislao de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direito especial
do commercio desla cidade do Recife, capital da
provincia de Pernambuco e seu termo, por S.
M. I. e C.o Sr. D. Pedro II, a quem Dos guar- *mj*jjgmw
trando.
l'ma das sedulas foi remeltda thesouraria de
fazenda, para ser examinada convenientemente.
No exarne rpido que flzemos em urna delias,
vcriqcamos ser a effige de S. M. o Imperador
mais comprida do que as veradeiras ; a nu-
i'ie.raeao carimbada com linU mais pre.u de
que a dotlo da sdala; e o yapel mais alvo
do que o das verddeira?.
Ao depois daremos o resultado do exame feito
na thesouraria.
Foi transferido da cadeira de instruccao pri-
maria de Cabrob para a de Tejucupapo. o respec-
tivo professor Sabino Anizio de Farla.
Por proposta do Dr. chefe de polica foi no-
meado subdelegado do primeiro districto do Alti-
nbo, Rrasiliano de Barros Correa.
Para reger interinamente a cadeira de ins-
truccao primaria da S de Olinda, foi nomeado Joa-
4 barricas ferragens; a Mello Lobo & C.
5 caixas registos, msicas, encerados, crysues,
linha de rolo; a A. Robert 4 Filho.
20 caixas e 3 fardos chapeos de feltro, bonecas,
modas, chapeos, calgado, casimira, riscadilho, teci-
do de la e seda, camisas, pentes e cartees vastos,
joias falsas; a Monlero & Lopes.
1 caixa pingentes, 1 dila cartas de jogar; a S.
T. Raslos.
1 caixa livros para missa c dous vestidos; a M.
J. R. e Silva & Genro*.
2 caixas encerados e couros, 6 ditas tecido de
algodao 1 dita sedas, e 6 ditas perfumaras e cal-
gado ; a Linden Wild & C.
11 caixas e 1 fardo tintas, vidros, drogas e pao
campeche. a Joo da Silva Faria.
7 caixas vidros, drogas e accidos; a P. Maurer
& c.
3 caixas papel para cigarros; a Joaquim B. dos
Res.
1 caixa espelhos, 17 dius obras de ferro balido,
gem do fundo e da forma da argumentaco, dei-' ferragens, papel, marroqains e chapeos; a Paren-
xa-lo-hiam coberto de louros : teria defendido o te Vianna & C
seu prente, leria dadome orna lico de meslre, 5 caixas verniz, instrumentos de cirurgia, pro-
ensinando-me a ser cavalheiro e delicado ; llnal-i ductos chimicos, i caixa raizde alinea; a B. F. de
mente, tena alcancado um duplo trinmpho. | Souza.
Urna vez por todas, vou responder a esse argu- i 15 barris e 20 meios manteiga ; A. A. Gomes,
ment capcioso de que se soccorrem aquelles que 50 barris e 50 meios manteiga ; M. J. Altes,
'ditera nao cootester-me pwque em vea de discutir 17 caixas tecido de algodao, roupa, tecido de
insultei. O insulto e a lingoagem descommedida liia,pannos, tecido de linho e alp>dao; a E. A.
qoe o Sr. Joao Thom descobrio no meu commu-
nicado publicado no Cearense, tem outro nome.
Os factos deponentes qoe aponte, as irregulari-
dades de conducu, as repetidas demoostracoes de
um carcter maleavel, a desmoralisaco emfim
cansaram-lhe sorpreza e admiracao. Confunde,
pois, S. S. congas bem distinctas.
Compara com insulto e deseom med ment a fe-al-
dade que encontra na histeria de ama vida disre-
grada, e chama a minlia franqueza insulto. E".
de que coavm que se livre
quim Rabello Pessoa de lirito.
A' professora de instrucoSo primaria Alexan-! pois, urna eoafusao,
drina de Lima e Albuquerque, por contar mais de; para sempre.
25 annos de magisterio, foi eoncedtdaa gratificacao '< Fique, pois, d'ora era diante sanado este equivo-
equivalente meUde-de seus vencimentos. co em qae labora S. S.
Bntrou lioniem no exercieio de ebefe de po- i Antes de terminar, devo dizer ao Sr. Thom Ja
licia o Sr. Dr. Jos Pereira da Silva Moraes. I nior, que nenhuma magua me causamn asexpres-
O vapor Princeza de Jomville, que deve che- soes cem gar hoje dos portos do norte, seguir no mesmo dia que, como alo ignora o Sr. Thom Jnior, os ati-
para os do sal. dos do cao, as asneiras dos tolos e os disparates
Hoje d madama Verdini um concert no sa- dos loucos nunca magoam ao homem sensato.
Burle & C.
14 caixas marmore, couros, modas, crysues, 1
diu chapeos de laa, 2 dits pelles, 1 dita bengala?,
3 ditas vidros. 1 dita moinhTjs para caf, 1 dita
couro para selelro, 30 barris e 30 meios manteiga;
i Isidoro Netto & C.
9 caixas tecidos de la, chapeos, indianas, espe-
Iho, cofre ; i G. da Silva Guimaraes.
1 caixa fumo para cachimbo, 1 dita gravaUs,
cachimbos e agolheiros ; F. Maestraly.
4 caixas meias de algodao, 3 dits botos de ma-
dreperola'e fazenda para vestidos; Vaa di Leal.
180 barris e 200 meios manteiga; a R. Aaieeio
a Millo.
' 25 barris e 50 metes manteiga ; Tasso Irmaos.
2 caixas vidros; i i. Pereira Meutiobe.
18 ditas e 30 barris chapeos, papel, pentes, fon
pa, esporas, chapeos, tecidos, couros, indiana e li
nha de costura, pregos e pers de Toga ; Mello
Xobo&C.
sto ao exa-
me dos ditos propriotanos por espaco de 10 das, a
contar da dala deste, o plano do alargamento da
dita 1 ua, podendo os mesmos proprietarios fazer
as suas reclamacoes verbalmente 011 por escripto,
com tanto que nao excedam ao praso cima mar-
cado.
Paco da cmara municipal do Recife 14 de ju-
lho de 1864.
Luiz Fraecsen de Barros liego,
Presidente.
Francisco Canuto da Boaviagem,
Secretario.
Sania Casa da Hisericonlia do Hecife.
O Illm. Sr. commendador Jos Pires Ferreira chefe de polica.
SaMiaih 16 (lo corrente
Nos magestosos saloes do
Caes de Apollo.
Com toda a pompa e brilhantismo, um dos me-
Ihores professores de msica exccuUra Aversos
torces dos mais diflicultosos do nosso repertorio,
como sejam a balalha de Mourow e outra polka
Caca, a estrada de ferro, e oulras.
Ser cumprido o regulamento do Illm Sr. Dr.
de etc.
Foco saber pelo presente, que por este juizo e
cartorio do escrivao, que este subscreveu, corre
urna execucao de sentenca entre parles ; a saber :
exeqaente Antonio Luiz dos Santos, e executados
D. Joanna Maria das Dores, e Joo Fernando da
Cruz, c que tendo se feito penhora em dinlieiro
na quantia de 16:8505520, perteucenle aos exe
cutados, e existente em poder do depositario par-
ticular Jos Rufino Barboza da Silva, em audien-
cia do da lido andante, pelo solicitador Joa-
quim Jos de Abreu Jnior, procurador do exe-
quente me fra feito o requeriraento seguinte :
Aos 11 de julho de 1864, nesta cidade do Reci-
te de Pernambuco em publica audiencia que aos
feilos e as partes fazia o Dr. juiz de direito espe-
cial do commercio Tristo de Alencar Araripe,
nella pelo solicitador Joaquim Jos de Abreu J-
nior, procurador do exequente, tora aecusada a
pinhora que se segu feita em bens dos executa-
dos, requerendo que aos mesmos nao s ficassem
assignadosos seis das da lei, com dez aos credo--
res incertos, passando-se os editaes do cstylo; vis-
to como dita pinhora se effectuara em dinheire,
requerendo igualmente que se lavrasse termo de
subsUlecimento aor. Jos Bernardo GalvoAI-
coforado. O que tudo ouvido pelo juiz assim o
deferio.
Extrahi o presente do protocolo de audiencias,
c Junto o mandado que se segu:
Eu, Faustino Jos da Fonceca, escrevenic jura-
mentado, o escrevi.
Eu, Manoel de Carvalho Paes de Andrade, es-
orivo o subscrevi.
Por torca do deferimento dado a tal requeri-
mento, o escrivao respectivo fez passar o presente
ediial com o prazo de 10 dias, a fim de serem pelo
mesmo citados os credores incertos, allegando
perante este jnizo que foi a bem de seu direilo e
justica si>b pena de revelia.
E para que chegue a noticia a quem interessar
possa, mandei passar o prseme, que ser afflxa-
do nos lagares do costume, e publicado pela im-
prensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco aos 4 dias do mez de julho de 1864.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, es-
crivao o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
O Dr. lVislio de Alencar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa e juiz de direito especial do
commercio desla cidade do Recife capiul da pro-
vincia de Pernambuco e sen termo por S. M. Im-
perial e constitucional o Sr. D. Pedro II a quem
Deus guard etc. etc.
Paco saber aos que o presente ediul virem e delle
noticia tiverem que no dia 18 de julho do correnle
thesoureiro da Santa Casa da Misericordia do Ro-
ctfe, manda fazer publico que no dia 20 do cor-
rente pelas 9 horas da manha papa as amas que
romparercrem na casa dos expostos acompanha-
das da> respectivas enancas, as men.-alidades ven-
cidas at junho do correnle anno.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 13 de julho de 1864.
O escrivao,
F. A. Cavaleanli Coussciro.
Directora das obras militares.
A directora das obras militares tendo de man-
dar proceder a diversos concerlos no ladrilho de
alguns compartimentos do quartcl do 9 batalho
e fazer de novo em outros o ladrilho ; assim orno
a colloe.aco de balaustres de ferro em duas janel-
las do ijuartel do corpo de guarnicao, e collocar
quatro fechaduras em quatro portas do mesmo
quartcl; e tambem se mandar pintar todas as por-
tas, janellas e caixilhos do edificio do hospital mi-
litar, e ahi fazer alguns pequeos concerlos ; as-
sim como nos dous quarteis cima mencionados;
|ue quizerem empreitr os d-
entarem suas propostas na dita
Entrada para homem 2.
Senhora gratis.
directora nos das 18, 19 e 20 do corrente mez,
das 10 lloras ao meio dia, onde podero obter os
esclarecimentosde quenecessitartin para esse fim.
Directora das obras militares de Pernambuco
13 de julho de 1864. Luiz Francisco de Paula
de Albuquerqiie|Maraiiho, amanuense
AVISOS MARTIMOS.
l'omuaohia PernambHcana
DE
Xaveg^ao costeira a vapor.
Paradina, Natal, Maro, Aracat, Cari, e Acaran'
O vapor Mamnngiiupe, comman-
dante Moura, segu no dia 22 do
corrente s 5 horas da larde. Re-
cebe carga ale o da 21. Bacooi-
_ 'mendas, passageiros e dinheiro a
frete al o dia da sabida s 3 horas da Urde : es-
criplorio no Forte do Mallos n. 1.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte esperado
at o dia 1 7 do corrente o vapor
Pi'inceza de loinville, comman-
dante o primeiro teen le Araujc
o qual depois da demora do cos-
tume seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaia-se a
Sabbado 16 do corrente, linda a audiencia do cars,a qae 0 vapor t9^ Conduzir, a qual aWr
juiz de paz du 2 districto da freguezia de Santo
Antonio, vo a praca para serem arrematados os
objectos seguimos : 1 mesa redonda de amarello
avahada por 85, 1 cama com lastro de palhinha
idem avahada por IOS, 1 inea commoda idem ava-
hada por 105, 5 cadeiras com palhinha idem ava-
hada por 10, 21anternas de vidro avahadas por
1500, 2 redomas com jarros avahadas por a$,
1 castcal de vidro avahado por 500 rs., 1 pulseira
de coral avahada por 85, 1 par de brincos dem
avahados por 35, 1 alfincte de peilo por 35, 1 vol-
ta para pescoco idem avahada por M : cujos ob-
jeetos vo praca por execucao de D. Auna Joa-:
quina Ferreira, que move contra Francisco de Sal
les e Silva perante o mesmo juizo.
Tribunal do commercio.
. 1
ser embarcada no dia de sua chegada: encoin-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s S
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriplorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C.________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xavega^o costeira vapor.
Mcete e escalas.
Segu no dia 25 do correte a
5 horas da urde um dos vapores
da companhia, para os portos ci-
ma indicados. Recebe carga at-
_ 'o dia 23. Encommendas, passa-
geiros c dinheiro a frele at s 3 horas da tarde
do dia da sahida : escriplorio no Forte do Mal-
tes n. 1.
Para o Rio de Janeiro
Pela secretaria do tribunal do commercio, sao
chamados os abaixo mencionados, para que venham
pagar o que devem a fazenda nacional, e receber 1
os documentos que lhes perlencem : EI^ende hSef?r "HhT'U SZftm?*?. e
Joaquim Felippe da Cosa, 4 procuracoes 65. >m coahec.do P>lb>bote nacional I'vae, lea
Joaquim Juvencio da Silva, cerlido 55600. B^2ffS2aa5S T9SZLSZ S
Leandro Lopes Das, dem 55200. ,1ue lhf. '* u e *tcra> *. ,nt*< 1* os qoaes
Justino Machado Celho Soares de Moura, klem 'm ?^cfierfnf ^S^'T^ ^"S?
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo,
15300.
Joanna Mara da Concecao, idem 55800.
Pntonio Cecilio Ferreira Veracruz, idem C5200.
Jos Antonio da Silva Araujo, idem 75-
Antonio Jos de Siqueira, idem (2) 135200.
Joaquim de Azevedo Pereira, dem 25200.
Hutino Antonio de Mello, Idem 7*5800.
Antonio Valentim da Silva Barroca, idem 75.
Antonia Jesuina Berges, idem '55-
Gnimaraes & Fonseca, distracto de sociedade
15500.
Theodoro Justo, escriptura de contrato ante-nup-
cial 65.
Antonio Florano de Viveiro Sabugo, nomeaco
de caixeiro 15500.
Andr Jos Dias Pereira, esc iptura de compra
65090.
GuimarSes & Azevedo, dlstrato de sociedade
35000.
Novaos i Filho, contrato de sociedade 4S500.
Joo Pinto de Lemos Jnior, escriptura de hypo-
theca 125.
Joao Luiz da Silva C, contrato de sociedade
6S000.
la da Cruz n. 1.
tara o raeaty t Cear
pretende seguir com malta brevidade o hiate
cional Dous Amigos, tem parle de seo carregamen
to prompto ; pan o resto troe Ihe falu. trau-e
com os seas consignatarios Antonio Lmz de Oli-
veira Azevedo & C, na sen eseripterio roa da
Cruz n. 1, ou cem o capillo no trapiche do algalie.
Rio Ciraade do al.
Sabe aa segninte semana o brigaw aaeional
Mrquez de Olinda, recabe carga a frea eonwac-
do : a tratar no eseripterio de Manee! anaci a
Oliveira de Filho, largo do Corpo Saato a. M.
Segu com brevidade o trate Dous Trmaosa. teto
parte da carga, e para o resto trata-se com Tasso
Irmaos.
/




Diario de Peraambneo Sabbado l de mino de 1S4.
V
0 brizne Mro Alnurmfe segu cora brevidade,
tem part da earf a engajada : para o resto que
lhe (alta, trata-se com os consignatarios Marques,
Barros A C, largo do Corno Santo n. 6.
'Para a Rio de Janeiro pretende sabir 'com
brevidade a barca Brrelo, tem parte da carga
engajada para (. resto qoe lhe falta e escravos a
(rete, trata-se com os consignatarios Palmetea &
Beltrao, largo do Corno Santo o- 4, primero andar.
Har Lisboa.
Vae saliir em poucos das eom a carga que tiver
o brigue pertuguez Cmfuuua, quem quier car-
regar ou ir de passagen entenda-se coia os cao-
signatarios Carvalho dtjogoera na ra do Apol-
lo n. 20 ou com o capitao.

/ !<
**
4RM4ZEM M FAZEMUS
DE
Custodio, Carvalho & Companhia.
RA o inonti %no tv


LEILOES.
Superiores saias de fustao para senhoras a 5&.
Toalhas de lindo para mesa a 3a00 e 4j>.
Lencinhos para meninos m 100 rs.
Lencos raseos para algtbeira a i& a duzia.
Toalhas para mo duzia \&.
Bramante de linho vara i>.
Fil de linho liso vara 500 rs.
Cirande
Pecas de ntremelos bordados a 1.
Tiras bordadas a peca t*.
Gollinbas de cambraiaa 600 e 800 rs.
CONSULTORIO MEDICO-CIRURGICO
DO
!45
45
Ra Direita
Oigam! okarul!
DR. PEDRO DE AT1AHYDE LOBO MOSC0SO,| CALCADO
HE1IHO. PARTEIMH K PKH % OH. Rom e novo, a priiueif.i m**frto para a >au-
O 11 J m^J oa A\ '1?>m/1r> Q de e aformoseaniento do individuo:
o Kua da (nona, casa do runofo t.fa_te---s*v*Aei*v**kiHi*'vr
o frjtttottMM ta ^^?h!^;^1^J^? is jltl T^M&^t^St


pechlncba.


Barriscla m\ de
O agente Pestaa for leilo de urna porcao de
barris com cal de Lisboa em pedra em perfelto
estado sendo entre elles 100 barris com 1 arrobas
cada um, arcados de ferfo, proprios depois de va-
tios para encher de mel : soguoda fera 18 de cor-
. rente no armazem do Avill, Porte do Mano, ao
meio da em ponto. i

APROVEITEM APROVEITEM

A as



LEIL.%0
DE

10 pipas oom vinagre de
Iisboa.
SeguJa-feira 18 A$ carrate.
O agente Pestaa vender em leilae por conta c
risco de quem perleneer W pipas com vinagre
de Lisboa recenjejnente chegado t ser vendido em
um ou mais lotes .a vontade: segnuda-feira 18 do
correte pelas 10 horas da manhiia no largo da
alfandeea.
m
Viuhos (em barris e garrafas) cognac, absinth,
kirsck, licores fiaos, conservas de differentes
qualidades, rhampignons, asperges, hervilhas,
mustardas, tomates, salames, chocolates e quei-
jos de differentes qualidades, tudo ltimamente
despachado.
Quiuld-feira 21 de jullio ruada Apol*
lo nriin em H 49
Luir. Cahors far lelao para liquidacao e por
ntervencao do agente Pinto, n ao s dos artigos
cima descriplos eomo de muitos outros existentes
m sen armazem na do Apollo n. 19, aonde se
effectuar o leilo as 10 horas do dia supradito.
7,(50 COVADOS
de sedas de cores de todas as qualidades,
Na loja da ra do Crespo numero? 47.
Importante compra de 7150 covados de seda de todas as qualidades, proprias para
vestidos de seohoras e de meninas, e vende-se por preeos admiraveis.
Outros muitos objectos de apurados gostos para senhoras, vestidos de blonde para
casamento a 904 cada um, capas pretas, soutambarques decores e pretos, chapos etc.
Fazendas de linho e de algodao as melhores que existeio no mercado.
O proprietano deste importante estabeleciment vai a Europa nauito breve com-
prar faiendas de apurados gostos, presentemente vende as suas mercadorias por precos
baratissimos para liquidar.
Protejan iodos. Protejan todos a Juiporau e
LIQUIDACAO
A loja da ra do Crespo n M
>
horas da manh5a, edas 6 e-meia As 8 horas da noile, excepte dosdias santificados &uedl,s r'oid0 em dlu
Pharmacia especial homeopathica
fio mesmQ consultorio ha seraje p oais appropriado sortimento de carteiras
tubos avtilsos, assimcorno tinturas de varias dymnamisaces e pelos preces seguales
Carteiras de 12 tubos grandes. 12,5000
# de 24 tubos grandes. 18*000
de 36 tubos grandes. '. 24,5000
> de *8 tubos graades. 30^000
de^O tubos grwfles. 3o^e00
Prepararse qualquer carteira conforma pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou fiasco de tintura de meia on(,';i 1 A' 00.
Sendo para cima de 12, custaro qs prapos estabetecido pata as carteiras.
~ a tubos mais pequeos cada um a 500 ris.

LIYKO*.
AVISOS BIYEHSOS.
~ Os sniores que tem le-
vado por empr estimo eollecOes
deste Diario, queiram man-
da-las restituir com brevida-
de pois sao precisas.
0 cirm;gio Leal mudou
a sua residencia da ra do
tiueimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
d o aehirSo mmn semore
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
ssao, cliamado por escripta.
SAMO 4 LUZ
E BST K VEXOA NA LIVUAIUA DO Si!. GERALD0
RA ESTREITA DO ROSARIO N. 12 AS
. NOCOES
DE
PARTIDAS DOBRADAS
OFFRBECIDAS
k Associaco Commereial BenefieeRle
pi;h\ahbi roa
M Fonseca de Ufedeiros
^^ & m(,&
Aos 6:00$a00.
Sabbado 22 do corrate mez se extrahir
a tendr paite da segunda lotera do thea-
1ro de S. Isabel, no consistorio daigreja de
N'. S. do Rosario da freguezia de Santo An-
tonie.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de :000000 at 12$000
sero pagos urna hora depois da extracc5o
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
iseguinte depois da distribuico das listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
CASA A FOHTIM
AOS 6:000.000
Bilhetes garantido
A' ra do Crespt n. 23 e casas do costme
O abaixo assignado tendo rendido nosseus mui-
(o felizes bilhetes garantidos os dous quartos n.
10 eom a orle o> 2:1)004000, e es dous quartos
n. 1780 com a oulra 6orte de 2:0004 e outras
umitas de 2004, 1004, 404 < 204 da lotera que
so acabou de extrahir a beneficio da igreja de N.
S. da Boa-Via|^m, convida os pussujdores de ditos
liilhetes a vinm raceber seu respectivos premios
si-m os desoaatos #as leis, em seu estabclecioien-
vi a ruado Oepo b. t'->.
O tnesmo tm exposlo venda os no vos e feiizes
iiilhetes garawido* da segooa parte da terfeira
luteria a benclicio da Saula Casa da Misericordia
Preco*.
Bilhetes inteiros..... 74000
Jtoios......... 34800
Quartos........ 14900
Para as pessoas que compraran
de 1004 para cima.
Bilhetes........ 64000
*<*......... 3430
Quartos. ..,..,. 14700
__________________Manoel Martins Fiuza j
A abaixo asignada taz ver ao respeitave}
publico que qnem zer negocio ou j teoln feilo
co/u fillw Belmiro da Cbagas Uuniz Paehuco
seia quui fr, el nao. fe resuonsabilisa, po ujsia
n.io ser, obrigada seja qual fr o uegocio, e pera
/"oiecmenlo faz ver ao fespeitavel publico.
______ Maria .ibanla de Miranda.
B^njamiiB Constam 4n anijn Sales, profe?-
Tir publine da efunda caleira dw instroeffao ele-
mentar da frefuezta da S. Ins iksta eidade, avisa
a a^tem interear possa qae a sna aula estar'
aberta- oo dia 18 do corrente ra Augusta n. M. !
RA DO QUEMADO NUMERO il
Loja de fazendas d" Augusto Fredtric dos Santa* Porta
Chapeos para senhoraa.
Chegaram de Pars as mais lindas chapelinas e chapeos de paJha da Italia para sealioras.
Ricas capas e soutembarques de seda preta e casemira de cor para sennoras.
Corles de superior morentique branco para vestidos de noivas.
Camisas inglezas minio su|ieriores para hemane, paitos, punhos e colarinhos de iinho.
Chapeos de seda para cabera e chapeos de sol de seda ieglezes.
Lencos de labyrintho francezes a 15 cada um.
Camisas de menino muito superiores.
Cortes de laa de barra para vestidos de senhoras de 135 a 185-
A mesma loja tem o inaior e mais superior sortimento de
12steiras pura salas.
Nste estabelecimento encontrarao os sonhores que precisarem forrar suas salas com esleirs
otda e qualquer quantidade que desejarem de i, 5 e 6 palmos de largura, sendo a qualidade muio
superior.e por mdico prego.
A merbor obra da homeopathia, o Manual de Medicina,Homeopathicodo Dr. Jahr,
dons grandes voluanes cam diccionario ....,.,.,... 205000
Medicina domestica do Dr. Hering......,..... 104O00
Repertorio de Dr. Mejlo Moraes.............. 65000
Diccionario de termos de medicina......., 3t000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidns e dispensan portan-
to de serrn novamente recommendados aspessoai que quizerem usar de remedios ver-
dadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tinturados mais acreditados
estahelecimemos europeos, a mais exacta e aecurada preparaco, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus etfeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-sc-lhe qualquer
operacao, para o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
Otratame.nto o melhor possivel, tanto na parte ainuntar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatro annns, lia muitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvdar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
1^3-86 25000 por dia durante 60 das e d'ahi em diante 15500.
As operacoos serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis quecostuma pedir o annunciante.
0pBZ08 UJ91 OJd
-UIOS 9ni) t'p VJUBIJUua V SJtUMl E -iiuoo ,11 _* -;j.'!< ouetaudojd o
opm
-S9id ui3| nl) sooiajss suoq so|od opej
-ip.u.n: uioq r a oiueuiiaa|.>qBiS9 osg
* Sf ''"1>!P BJlo.uox
(WH ""BI!P punSog
souBipoooS': assejo ajiorauj
'a'pncs ap Bsva e bjcj
BOjSjnjia OHJBJOilo j3iib|Biib vo\\
W -B.id B||ou 8 sopBijdojdi: sopounuoa uii
HB onb o jbiI 'sop'uuoK so ouisaui epure
* 'ajuoop jonb|inb Joqaoaa bjb'I epuitioui
.']ii-hii.i':|ii:.i.i opnes ap vsk> Bns uijj,
M jH -eKiiUBUi p SBJoq 8 s?
'^ '#,' 9 sep oiuouiBUBip ojiujiuojud o .ipuou
;'; -'.-i 'n ojp.i,] |i;j|'so| ou iu>ucJ!Uoid oanb
Sji s.uqod son stupisuoo KQ OBisBOao Jllb
M: -I8"'1 "JJ sopijjowos ok.is ano 'somaS
* -jn sosea so oa|cs 'supBdjs.ipfissi Bjed
SBJOq SBO JU9UIJB|n9i SBSJ seus u:o
sjudop so qisja "aniel Bp 9 se sep
9 'eequmu epsejoq n se sbp bsbj en
uto s"i'i|iisuoj p 'ejquisoQ >p jpBpisjaA
ni.1 Bjad oaipa'ui 'sOUJBH BA|i vp oeof
mmwmmmmmm
75000
35300
35500
35000
45000
4-5000V
m
m
25500
l.TBf.XRO V1MB.
Neste estabclectmeiiio ta sempre uiu soruiuuto completo de roupa feita de --s
todas as qualidades, tambera se manda fazer por medida, vontade dos concer- yg
rentes, para o que tem um dos melhores professores. assim como tambem tem um C^
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras, j
homens e meninos. >%
305000 Ditos '^e seliul Preto. ... oyOOO^
2;35000 Ditos de dilos e seda branco, H
65 e.......550;;
105000 Dilos de gorgurode seda
pretos e de cores, 65, 55 e
Colletes de 'ust e bnm bran-
co, 35500, 35 e .
Seroulas de brim de linho,
25^00 e......25000 i
Ditas de algodao, 15600 e. .
Camisas de peilos de linho,
45, 35 e......
Ditas de madapolo, 25500,
25 e........
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 105, 95 e. .
75000 Ditos defltro, 55, 4J, 35500 e
Ditos de sol, de seda, 125,
115, 75 e......65000 *
Collarmhos de linho fino, ulti-
ma moda duzia, .
Sortimento completo de grava-
tas.
25500 Toalhas para rosto, duzia, 115,
e.......
cores, 95 e ..... 7,5000 Chapeos de sol, de alpaca, pre-
Ditos de casemira preta, 55 e 45000 tos e de cores.....
Lences de bramante de linho.
Cobertas de chita chineza.. .
O Dr. Carolino Francisco de Lima San- K
tos, contina a residir na ra do Impe- &\
rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro- ^
curado a qualquer hora do diae da noite *_"?
para o exercicio de sua profissao de rae- *
dico ; sendo que os chamados, depois de mt
meio dia at 4 huras da larde, devem ser J^f;
deixados por tscripto. O referido Dr. ^
nao abandonando uunra o esludo das %
molestias do interior, prosegue, com o S
maior alflmo, no das mais dilliceise deli- 51
cadas opera{5es. como sejam dos ergitos ^
ourinarios, dos olhos, partos, etc. j
>-/ '" .''^-Tf "i- 'Jl:*
.\;i ra estreila do llosa rio n. 34
a
Adyogado Affouso de Albu-;
Mello,
querque
pode ser procurado a qualquer hora
feiras, porm, na villa do Cabo.
as sextas-
VISO.
H Casacas de panno preto, 355 e
f^ Sobrecasacas idem, 305 e .
& Paletos idem e de cores, 255,
m 205, 155 e......
S Ditos de casemira, 205, 155,
3 125, 105 e......
sw Ditos de alpaca, 55, 45 e .
]$ Ditos ditos pretos, 95, 75,
% 55, 45 e......
^ Ditos de briin e ganga de c-
S res, 45500, 45, 35500 e. .
5 Ditos branco de linho, 65, 55 e
S Ditos de meriR preto de cor-
dao, 105, 75 e..... 55000
5$ Calcas de casemira preta, 125,
1 105, 85 e......75O00
s Ditas de cores, 95, 85 e. .
jg Ditas de meia casemira de co-
res, 55000 e. .
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 45500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 55, 45500, 45 e .
Ditas de ganga de cores, 35 e
Colletes de velludo preto e de
i
15400
25500
15600
O abaixo assignado declara pelo presente a
quem interesar possa que em is de junho prxi-
mo passado passou os poderes ronferidos em vir-
lude do arlo prvalo de !'] le outnbro de Wti ao
Sr. I.uiz Antonio Vieira para gerir os negocio da
ci>.; ( oiuiiif 11 i,il ilc ^^.'U fscttcciOo sdgru com-
mendador Manuel Couealves da Silva, e assim tam-
bem >> eunferidos na pruCtinacSo bastante deriva-
da d'aquelle acto datada de 10 de marco de 1803 :
c como possa acunieeer que ne.'ocios importantes
tendentes a dita casa sejam prejudicados pela tai-
ta de conhecimento desse laclo, e alguem os con-
siderem irreflectidamenle valiosos em razo da
itnicti tnteifenrao do sobredito Sr. Vieira, declara
o abano assignado que a datar d'aquella (''pina em
diante sao considerados millos lodos os actos, con-
tratos e transaccoi's di> quaesquer natnreza que
sejam que tenilin redneeo da mas-a inventa-!
riada ou que delles resulten a mposfibilidade da
prompta e precisa liquidacao da casa, sem o ple-
no acconlo Mi] e di.s curadores dn orplio a do
ausente herdeiro; embora sejam taes actos con-
sumiiiadns sol> a lirma de que usa o Sr. Vieira por
procuracaii da viuva e de algniis poneos herdeiros
dn casal, mciirrendii na sua responsahilidade e
em tudas as suas conseqnencias todos aipiellcs oue
assim o praticarem ou nelles IL'urarem, ainda
iiiesmo como agentes.
Itecife, 14 de julho de 1864.
Joaquim Juvencio da Silva.
45000
45000
I
255O0
85500
25000
65000
6
65000
m
Ditos de
45 e
ditas de cores 55
35500
45000
35000
25500 m
j *o 9 3 _ -r. n r,'. 3 -i
1 -i B3 - M k ~ 3 < 0 > -. S O
i 3 o n tfl v. e -

1 Q c -.i - - 5 - m. -. -1 > 4 i
' O - -i if 3 J- y.
DE
DE
J. VIGNES.
M. 5. RA DO IMPERADOR X. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao lioje assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobre o
sna superioridade, vantagens e garantas que efferecem aos compradores, qualidades estas incontestt
veis que elles tem definivajaente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesla praca ; pos-
salado um teclado e maebinismo que obedecem todas as vontades e caprichos das pianistas, sem-'
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, e Jer-se feito ltimamente mellioramentos imprtan-
lissimo para o clima deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e jr isto muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encoramendas,, tanto nesta fabrica como na do Sr. Rlondel, de Pars, socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expesleoes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de msicas do;
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodos e razoaveis.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua prolis-
so medica, e com especialidad
sobre o seguinte
Io molestias de olhos ;
2o de peito :
3o dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados ha ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d s]
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
co que julgar convenieote para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
INJECCAO E CAPSULAS
GRIMAULT E C'.A PHARMACEUTICOS EM PARS
Novo tratamento preparado mu as iikaa > Mniiro.Arvorc taarrru.para a cura rpida e lotallivel
4a Gooftrrhea aem rclo algum da i'uniraci.vo do canal ou da inflarmuacJo dos intestinon. 0 clebre
doutor Mtirt 4a Parto, ter renonclado, desde sua apparicio, ao emprge de qualquer outro tratamento.
Emprega-se a lujrrcao do comco do fluxo, as cpenlas em lodos os casos chronlco* e tnreterados, que
resistirao s preparaces do copahu, culieba esinjeceftes com base roetalliea. U,
Deplto geral: em Par, em cas de MM. firtnaaU e c, pharmacwtico, 7, roa de U rwuwae;
em Lisboa, Jo-AKoSUnho da Co.a-Cmrr.lho Janlor; no .Porto, Mlsuel *"*** *"^J
reir; em o Hio-d<-Janeiro, Gealaa, 102, ra S. Pcdr; em *^*o, *^-Ga*an* '"'" "*'*"
helra; B iio-Crmde, ****m de G.d.y; em Mnranh MWgtra C; e Pernambuco,
Sk.urn O, ra di Gru, J2; Saaaa, a* principa hwnucly do BraaU.
Deposito geral em Perrra*buc roa da Cruz n. 22 emeasa de Caros ABarbou.
(rauwatica maleza e ptrligueza.
D. Appleton & C. livreiros.editnres importado-
res em Hew-York, Estados Unidos da America,
acatmm de publicar (tleies aprenderem a kngea portuguea por E. F.
Granert. i rol. it me.
Este livro, o melhor at boje publicado ex-
pressamejjte iaipresso para *u[prir a imiuensa fal-
ta que lia de una graamulica ingleu e porta-
gue7.a, jiara at|uelles que faliam o ingjer e que de-
sejam aarender *_Mru portugiew.
. Appleton 4 C. rao os editores das obras em
hesitanhot para edticacao muisstmo usadas og
sul da America. Taomem publicam os melhores
altiuus para cariSes de visiia. i
O Dr Prxedes Gomes de Souza Pitanga
convida a seu- amigos Par" onvir-m urna missa
na matriz da Boa-Vista, pelas 8 horas da manbaa
do dia 19 pelo repoose eterno de sna eipsa D.
Leopoldina Carolina do Soma-Pitanga, falleeida na
Babia no dia 30 de juo4io, c agradece, desde ji
aquelles que se prestarem a esty acto de enrielado.
- Vincenzo Mardiglia, Jo-eph MarJiglia
Francisco Antonio Giflbni.subdiioeoftpolitanes, vio
a Europa,
f Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes artificiacs tanto por meio de
SM molas como pela pressao do ar, nao re-
y?| ceiie paga alguma sem que as obras nao
j liijuein a vontade de seus donos, tem pos
91 e outras preparaeSes as mais acreditadas
A para colservacao da liocca.
9S T5.-H5 SSe< S^sS^SiySf* >v~*^
\0 A FABH1CA
DE
LICORES PERFMABIAS
A' ra do Amorioi, n. 12.
Por vnrejo e atacado.
N'esle novo eslabelecimento encontrarao sempre
os freguezes todas as qualidades de bebidas espiri-
tuosas, fabrieadas com todas as regras d*arte, e
por icm livres de ser nocivas ; o que nao acontece
com as que sao fabricadas sem metbodo e pela?
receitas que os charlates annunciam vender, pois.
como j temos tido occasio de ver, vendeni lico-
res coloridos com substancias venenosas, como se-
ja o licor de rosa colorido com vermelhao (B't-oxi-
do de chumbo) e o de amendoas colorido com ania-
rello francez fbi-ehromuto de chumbo) Encontra-
rao algumas perfumaras de superior qualidade e
commoilas em prego. Tudo se vender por presos
muito raroaveis, t'razendo os freguezes os meios
que a todos habililam a compraren! barato.
Aproniptara-se encommendas com brevidade e
rigorosamente bem acondicionadas, tanto para den-
tro da provincia, como para fosa della.
Bebidas espirituosas.
Licores de todas as qualidades em garrafas pretas.
Dito, dito, em garrafas brancas.
Genebra igual a hollandeza.
Hila de laranja superior.
Agurdente d'aniz.
Dita de hortelaa pimenta.
Dita do reino superior.
Dita de flor de laranja, recommendavel por ser es-
tomacliica.
Dita de canda.
Alcool de 35 a 38-Cartier.
Pnmuwas.
Apna de Colonia commum.
Dita ambreada.
Dita almiscarada.
Dita das Nymphas.
Banha em latinhas de quatro oncas proprias para
as familias econmicas.
Banha para tingir de preto os cabellos, e que nao
suja os lencos brancos.
Leite virginal em garr Bebas, M-oprio para os Srs.
barbeiros e cabellereiros e uso domestico. Be-
neficia a cutis e lira as manchas da pee.
Extractos variados ; banha em vasos dourados, e
extractos Unos em frasuiohos ricos.
. solas! um balao liem tor-
neado e bambaleante dcscubrindo urna punta de
bolina safara e carcomida f t
Saula Barbara!! Corram ra Direita, bellas e
rapaze I sacudam na praia esses malditos juen
e comprem :
Borzcgnins de Nantes 8^000.
Ditos francezes de bezerro 7.
Ditos francezes de lustre para hornera 5/.
Ditas para senhora, de lustre, enlejiados, -"4"/>l
Ditos para senhora, gaspia alia, \t>M).
Botinas de menina ?^300.
Ditos de cores para menina 2^000.
Sapatoes de Nantes de duas solas 5*.
Ditos de sola e vira 4J3O0.
Snalos de borracha para senhora- 1.VW0
Ditos para ienino>lOO0.
Sapatos de lustre para senhora 1$.
Ditos de tapete para homem e senhora 800 rs.
Ditos da liga constitucional 500 rs.
Chineloes rasos do Porto a 1(600.
E um sortimento comple.o em sola, vaqueta.*,
couros, bezerro fi ancez como nciibum, rouro d>
lustre muito grande, e tudo quanto pertence arta
de S. Chrispim. ______ ________
Kua larj de Resane a. U
Vcnelr :
Todos os remedios do Dr. CUable.
Capsulas e iiijecco ao matiro.
Injeccao Fangs"
l'ilulas do Dr. Alian.
Pilulas do Dr. Laville.
Pillas do pobre-homem, excelleales contra rheu-
malismo.
Pilulas para sezos.
Pilulas e ungento IMIovay.
Pliosphato ferro de Lerrs.
Tudos os remedios de Kemp : pastilhas', pilula-.
an abuila,e salsa de Brisfol, etc. etc.
EacuUos oulros medicamentos e es|H>cialiil:i I
que sempre se encoutraro em ila liotic^_______
Precisa-se alugar negras ou egros para ven -
der verduras, fructas e leite : a tratar no -i'io do
Sr. capitao Albuquerqne, na Ca|iun;a velha.
H Ao aviso do Sr. Joaquim Juvencio di Silv.i
publicado no Difiri de hoje, responde-se que a
lirocuraco que lem o abaixo as.-iunado n~
da viuva meeira do casal, como de todos os outro*
berdeiros que estava/n no caso de faie-lo, a \-
ci!|iffio lao smente do referido ir. Jowoacie | i
por motivos que aqu nao cabe referir, a reliri>a
uliimameule. Olanlo as nullidadcs d* r.i'n-
0 abaixo assignado praticar nao o anauBoaal
quem as decreta da sna propria aalorMad-'. Re-
cife, l'i de julho de ISti'i.
I.uiz Antonio Vieira.
botica e \\mm\
BaBTUOLOMEL a >'
lCua I^nrga do Rosarlo n. 34.
Vende:
Ventosas de gomosa elstica.
Esmaltes para ourives.
I'undas inglezas.
Vidros de bocea larga rom rolba.
Tinta branca em massa para pintura fina a 2ui r-.
a libra. _____________________
Ausenton se no dia 3 do corrente mez i
sa de sen scnlior o escravo Targino, cabra. :
de 20 anuos ;>onco mais oo menos, eom offl i de
ourives, alto c seco, si*m barba e espadando. I ini-
la lisura. le\eu vendo calca de ganfa de i '
iniudos ja usada, camisa branca e rliapo d< bai*-
l.i, foi escravo do Illin. Sr. Theodozio Frenis
liniz, morador em Porto Calve, suppo -1 ter vin-
do para o Becife aonde j esteve e tem r -ib .
ment, a titulo de procurar senhor, e i.
se ausenton a escrava Graciosa, cabra, i la !
Iti annos, bonita ligara, cheia dn rori, rot i i
go, estatura baixa, bracos e iieriia< ui-- -
suppr que. seguisse o mesmo i!"-iiw dn i ri 11
cabra, e roga se a tortas a< autiridades ,
capitaes de campo e qualquer di s*oa do po
se os virem os capturar eos mandar ii ' a seu legitimo senhor Manuel de Souza Cimba re-
sidente na villa e Porto de Prdras, : :.. la
do Paco de Camaragibe a Antonio de S uta i'.i-
nha, em Rio Formoso ao Illm. Sr. Diniz n i Re-
cife aThomaz Pernandes da Cunha na ra la Ca-
deia n. 41, que sero generosamente gratific
Precisa-se alugar una ama forra o;i i aptiv t
, para todo servico de urna rasa de p.iucn familia
: a tratar na ra da Cadei;: du Recife n. 19,
io andar.
Corbeniano de Aqoino Fonseca tendo .
docomospu armazem de a nfio deve nada nesla praca on fra delta, i t i i
aceite de leira. querpor cunta livro.
Aluga-se um .-iii" na e-irada do Ro com muito boa casa de vjvenda lda en li
com muitos arvoredos de fructo, haixa para rapi o
ie trras para plantarse : a tratar na roi da Maa-
goeira n. 7, com Clnrindo Ferreira Cato, da- ti
1 horas s 10 da manha. e da- 3 .la larde em diante.
Biagio Schettiuo e seu criado Biagto Peixe,
subditos napolitanos, vo a Kuropa.
.iluga-se urna casa terrea deivni c,
lo, propria para urna familia, na ra dos Marl\-
rios n. 18 : na ra de Aguas-Verde* n. 21. achara
com quem tratar.
Precisa-.-e de mu caixeiru de 14 a M anuos
de idade : na ra da Moeda, armazem n. i7.
Precisa-sede um menino de Made de I i a
14 annos, para caixeiro : a tratar na na da in-
cordia, padaria do gaz. Na mesma prensa-s .. li-
gar um preto.
Precisase de um cozinheiro ou rocinheira
na ra do Imperador n. 27, dufronte da orden i r-
ceira de S. Fraucisco.
Ao commercio.
l'ma pessoa habilitada em qualquer dos >>-le-
mas de escripturago, itooaap de lempo, d
encontrar escripias para por cm da ou orzaais r.
bem como outro qualquer trabalho concernend- j
sua profissao : quem de seu pre-limo preci-i-. i-
de deixar carta nesta lypographia com a im.-i,; \v.
A luya-se
AaieDio AJves da Costa e Luoio Jus de Car-
vatbo, abaiao assignai, tazom acieate ao respe-
lavet putiliroecom especialidade ao corpo do com-
mercio. que nesla dala dissolveram amigavelmeR-
te a socie.dade que tiiiliam ua padaria sita na tra-
vesfa do Lima, em Santo Amaro, que gyrava sol
a razo social de Costa & Carvalho, pertncendo o
dilo estabelecimento de hojo em diante ao ex socio
Antonio Atares da Costa, a quem igualmente com-
pete a liquidacao dn activo e passivo da extmeta
Urina social. Recife 12 de julho da 1864.
Antonio Alves da Costa.
Lucio Jos do Carvalho. .
Ausentou-se da casa da abaixo assigoada, no
dia 13 do corrale, pe-las 9 hora? da noite, a criou-
linha livre, de nome Dersuiina, eom idade de 13
annos, levando alguma roupa de seu so : rogase
a qualquer pessoa quo della tiver noticia ou a te-
nha recoligi cu sua. casa, o favor de levar ou
parUcipar a mesma abaixo assignada, na ra do
Sebo u. 38, que Vnt ficar muito agradecida.
Francisca Maria da C, araujo.
um sobrado de um andar ou casa terrea, no Uirro
da Boa-Vista, que admita urna grande familia : ;i
tratar com o Sr. a momo Cameiro da Cunba. u
largo dos Coelhos, fabrica Sebaslopool.
A1ugam-se quatro casas terrea*, urna na fre-
guezia da Boa-Vista, ra dos Prazeres n. li, rom
commodos para grande familia, cacimta e quintal
murado, duas ditas na freciMtia de S. Josr. tra-
vessa do Freitas ns. t\ e JS, uta n fre^uMia do
Recife, em Fra de Portas, n do War n. 9. pro-
pria para taberna : a tratar no ftecife, irawsa Ja
Madre de Dos n. 18 : a tratar das 6 as 9 lloras
do dia._________,__________^____.
Jos Bento ae Souza, natural de Portugal,
com armazem de molhados na Capuoga.idade de 25
annos, nao o mesmo que aomiunou retirar so
da provincia.
Joo Machado Guimares, sobJilo portuguez.
vai para o Rio de Janeiro.
Precisa-se alugar uaa sino que tenba fi ucvi-
ras e algum pasto para vareas, pr-fcre-se as estra-
das dos AIIIicios. Rosarinho ou iuao de Barros : a
tratar na ra da Aurora n. 8.
.lruca
Na ra da Palma n. 41, taberna, tem pao qien-
te das o horas da tarde ei.: uuule.
Companhia Oaelidade le
seguros mavltlmos e ter-
restres estanelecida u*>
Rio de Janeiro. '
AGENTES Eli PBPNAatBUGO
Antonio Luii de Olhcira Arteda i C,
competontemenie autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fideli la-
de, tomam seguro Je navios, mercado,
rias e predios no seu escriptorio ra dj
Cruz n .!.
, ILEGfVEL
-* < f
J


ilii-io c craaiubuco ... abbado 16 de Julho de 184.
Perla8.
A loja da Aurora na ha larga do Rosario O. 38
receben los de perolas de ditereDtefctorcs, muito
proprios para fazer voltts, 4anlo para senhoras co-
mo para meninas.
Na ra on becco dos Ferrefros n. 7, se pre-
cisa de una ama forra ou escrava que corinhe e en*
gomme perfeitamente.________________________
Aluga-se armazem d ra do Imperador
n. 35: a tratar na mesma ra armazom de louga
n. 41._____________________________________
Aluga-se tneude 4o primeiro andar da ra
Direita n. 4 : a tratar na taberna._________
Prectsa-se alugar um moleque para os servi-
cos de nma casa : a tratar na ra Nova n. 58, ter-
ceiro andar.
Precisase de urna ama de leite : na ra Im-
perial, sobrado n. 87.
m\n ri nuil ; nz
Por ordem da directora provisoria sao convida-
dos todos os cidados portugueses, que pelo facto
da sua assigealura moslram ter adherido ao pen-
samento da fundadlo da sociedade beneficente, co-
nhecd* pela denominado de Monte Pi Portu-
guez, a reunirem-se em assembla geral nos sa-
ldes do Gabinete Portuguez de Leitura, domingo
17 do crrente, s 10 horas da manhaa, afim de
ser convenientemente discutido o projecto de esta-
tutos da associacao.
A directora convida igualmente todos os dig-
nos membros das commissoes que foram nomeadas
para tratarem da acquisigo de socios, e que anda
nao devolvern! as listas que lhes foram entre- do Imperador
gues, a fazcrem-no at ao da 15 do corrente. A-
quelles, que por qualquer motivo nao tiverem po-
Precisa-se alugar orna preta que saiba cozi-1
nhar e engommar f quem a tiver, dirija-so i ra 1
TINTURARA.
doT che n. 4, que achara com quem'tratar. Ttoge-se com perfeifioi jara qualquer
n----------- .--------t-F------------rs-z. cor, e o mais baralo possivel: na roa do
Aluga-se o terceiro andar da casa n. *8tta,!U i o (U,1Tni4n andar
ra do Trapiche : a tratar no armazem da meso ^V1 D- H- Sgnao andar,, i
casa. -
-
COMPRAS.
Compra-se
no armazem da bola amarella no
cobre e klo;
*octedadc de segares tantno
de vida ios tallada pelo Bauco
L nio na cldde do Porto.
Os agentes nesta cidade. provincia Antonio
Luiz de Oliveira Azevede & (L escriptorio na roa
da Cruz do Recife n. 1, esto autorisades desde ja oitao dajsgcretaria de polica.
a tomar assignaturas e prestar todos os esclarec | Compra-se urna barcaca de 400 saceos, em
mentos que forem necessarios, as pessoas que de estado de navegar, e que seja de boa construccao,
sejarem concorrer para tao til e benfica empre : lambem aluga-se no caso de cnvir : a tratar na
as, egorando um futuro lisongeiro aos associade-l ra do Trapiche n. 17, primeiro andar.
Compra-se onro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilhetes da praga da Inde
pendencia n. 22.
Na ra do Imperador n. 35, segundo andar,
compra-se um escravo moco e sadio, sendo bom
ofDcial de pedreiro.
Compra-se um selim inglez um bom uso: na
ra do Crespo loja n. 18.
Compra-se cobre velho : na ra do Brum nu-
mero 78.
Saques sobre Portugal
O aballo assignado, autorizado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
feclivanete por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer semma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que temarem
saques a praso,receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 0(0 ao anno: na
loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
- Aluga-se o 2o andar do sobrado n. 79, na ra
a tratar na ra do Crespo n 15.

VENDAS.
Vendem-se
Precisa-se de urna criada livre ou escrava
que saiba cezinhar e comprar : na ra de Santo .
dido desempenhar a missao que lhes foi confiada,, Amaro (Mundo Novo), sobrado onde morou o Sr, fevereiro de 1864, ja 1,8200 cada volume; Jornal mui, mais estimacao nos mercados de Europa e
_________________________ das Bellas Ar<" Pr %gMXX); tondas Peninsulares M
as Revue des Deux Mondes de 15 de margo, 1 de
abril, i e 15 de maio, Io de junho, Io e 15 de agos-
to, 1* e 15 de outubro, 15 de novembro, 1 e 15 de
dezembro de 1863,1 e 15 de Janeiro, 1 e 15 de
lUCIIIWSIiEPATEME
de trabalhar a mito para
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
OLDAM
Estas machinas
podem descarocar
qualquer especie
de algodao sem
estragar o fio,
sendo bastante
duas pessoas para
o trabalho; pode
descarogar urna
arroba de algo-
dao em caroeo
em 40 minutos,
ou 14 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
Esta machina
a nica que
possue as vanlagens de nao destruir o fio do t-
godaoe.de fazer remler o dobro de qualquer ou-
tra com menos trabalho, a sua introduccao para
as provincias deste imperio ser de muito valor
para todos os interessados na lavoura do paiz.
Assim com machinas em ponto grande do mes-
mo systema,oraql serem movidas por animaes,
agua ou vapor, pas naos podem descarocar 18 ar-
robas de algodo ampo por dia.
O algodao descanteado per estas machinas tem
\ovos enfeites para senhora. -
A aguia*branca acaba de receber um bello e va-
riado sortimentb de enfeites de diversas qualidades,
e o que de mais moderno possivel enrontrar-se
aqu, fazendo-se notaveis por suas novidade e ele-
gancia uns, coja grada de un fino e delicado te-
Atteueao
o
O dono da loja do Beija-flor, na ra do Queimado
cido a que apropriadamnle se chama invisivel. n. 63, eaba de abrir ubi oulro eapaeno cstabelc-
""', por isso
tes dous
grande sorfi-
D. 8. [ ment de miudezas, perfumaras e objectos de gos-
Bonitas boneeas. tos; e vender empre mais barato que outro qaal-
Com rosto de cera, massa e aorcellana. 1uer' como abaii se ver.
Acha-se na loja d'aguia-braoca ra do Queima-1 Pent" donados de travessa.
do n. 8, um grande sortimento de boneeas de di- Delicados pentes dourados de travessa para me-
versos tamanho, com rosto de cera, massa e por- n'nas a 1*800 cada oro, ditos sem ser doorados a
cellana : os pretendentes munidos de dinheiro 50 rs- cada um : Ms 'J*s do Beija-flor, roa do
achario boa disposir-ao para os vender. Queimado ns. 63 e 69.
Botes de cornalina Voliiabas de aljofares,
e outras qualidades para coletes Lindas voltiohas de aljofares com erozes de pe-
A Aguia branca acaba de receber um novo e dr.1Dna.s ,,.*an a aniantes a IJ cada orna: as
variado sortimento daquelles apreciados boloes de '. lo'as do Beua-nor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
cornalina brancos e encarnados, chatos e redon- i Lnvas de Jtuvia
dos para coletes, cujas abotuadnras conlinuam a Chegaram pelo ultimo vapor as desejadas lavas
ser vendidas pelo commodo e inalteravel prego de; de Jouvin de todas as cores, tanto para horneas
2 cada urna. como para senhoras : as lujas do Bt-ija-flor, roa.
Alm desses reeebeu tambem outros de madre-1 do Queimado ns. 63 e 69.
perola, massa e osso, com differen/es moldes para i Tameres para meaMs.
o niesmo fim. Vendem-se talneres de cabo de balanco para ne-
ja se v. pois, que o pretendente munido do di. nios a 280 rs. o Ulher : as lojas do Beija-Oor
na ra do ra do Queimado ns. 63 e 69.
roga a directora anda assim o niesmo favor, con
tente de obter ao menos as honrosas assignaturas
desses cavalheiros
As listas podem ser entregues no Gabinete Por-
tuguez de Leitura, ou ao 2 secretario, na ra da
Cruz n. 23, primeiro andar.
Secretaria do Monte Pi Portuguez 10 de julho
de 1864.
Joaquim Gerardo de Bastos.
_______________________2." secretario.________
Manoel Jos do Nascimento e Silva, que ou-
tr'ora fra estabelecido nesta cidade na ra da Ca-
deia do Recife, e de presente sendo representado
nesta mesma cidade por seu bastante procurador
Joaquim Francisco da Silva Jnior, roga a todos
os seos devedores, que no praso de 30 das do pre-
sente annunrio dirijam-se ao referido seu procura-
dor e liquiden! suas cuntas com o annunciante,
porque se no fim do dito praso o nao tiverem feito
serio notificados nos termos da lei para virem in-
terromper prescripgao em seus dbitos. Recife 11
de julho de 1864.Com procurarao,
Joaquim Francisco* da Silva Jnior
Dr. Sabino.
Vendem-se escravos pegas de ambos
xos: na ra Direita n. o i.
os se-
O juiz de paz do segundo distrcto da fre-
guesa de Santo Antonio da cidade do Recife, con-
tina a dar audiencia as quartas-teiras e sab-
bados na casa de sua residencia na roa Direita n.
10, e sendo esses das impedidos, nes antecedentes
ao meio dia.
Olimpio Ferreira da Silva
AGENTE DE I.EII.OES
Ra da Cadeia do Recife n. 48,
Primeiro andar.
s
por Jos de Torres por 2000*Flotes ten fruto por
i A. Garret por \&tiO0; Passeios e phantasins por
Julio Cezar Machado per 1*500; Vina hora de lei-
tura por S. Ribeiro de Spor 600 rs.-, Archivo Pit-
toresco do anno de 1860 por 3*000 ; Tabteaux his-
torique de la revolution de 1848 ; por 15200; O
que ha de ser o mundo no anno de tres milpor
2*000; Cancioneiro de Joo de tomos por 1^600;
A missti i especial do visconde de branles por 2* ;
i na ra do Crespo n. 4 loja.___________________
Vendem-se caixes vasios a 1:760
cada um : na ra das Cruzes n. 44.
Vio engeitem o que barato.
Na ra de Santo Amaro n. 8, no estabelecimen-
to do Sr. Domingos Jos da Cunta, vndese amei-
xa em caixinhas de 2 1|2 libras cada urna por
1*200, e a 500 rs. a libra, passas muito novas a
400 rs. a libra, figos em caixinhas de 4 e 8 libras,; p^
ameixas francezas em caixas, proprlas para mimo,'
vende-se por maiorprego.
As machinas se acham venda unicamenie
casa de
Saundcrs Brothers & G.
.V II, praca do Corpo Manto
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
em
Colheres de metal principe.
Vendem-se colheres de metal principe muito fi-
nas para sopa a 3*600 e 4*400 a duzia. ditas para
cha a 2* e 2*400 a duzia, ditas para assocar a
500 rs. cada urna, ditas para terrina a 2* cada
urna, e s quem vende por estes pregos as lojas
do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Facas e faifas.
Vendem-se facas e garfos oitavados a 2*8f>0 a
ou Una a vontade do comprador
Arrendase, vende-se, ou mesmo troca-se por
casas na praga um sitio na Varzea margem do"a 1*^0 cada urna caixinha, doce de goiaba a 600
ameno Capibaribe, com duas grandes casas, com rs- o caixao, muito superior. O mesmo Sr. Cunha
^ I II 111? Il 111 11III Tfl i \li\ I 7 quartos, 4 salas, 2 cozinhas e um sotao, tendo a no caso que nao queiram vir pode mandar, porque
i lB l'r, li \ \ II ||I 1.1 lll! parte cocheira, estribara, e quartos para criados, o dono doestabelecimento dar u.na cont impres-
M *- *JU li lll TfUlVUV 'l' v i todo plantado de arvores de fructo, abacates, sapo- sa para nao haver descontianca, e vender
A reUBIHO lamiliar do Correle UieZ i tis, fructa-po, limao doce, limas de umbigo e da menos prego que o mesmo Sr. Cunha poder.
Persia, laraogeiras de umbigo, seletas, tangerinas, | Piano e suarda-ronpa.
1 etc., um grande cafesal com fructas, jaqueiras, | Vende-se um piano
peiO
lera lugar na noile do dia 21.
! DENTISTA DE PARS
19Rita Nora-49
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operagoes de sua arte, e col-
loca denles artiiciaes, tudo com superio-
ritlade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas I he reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
ti nrtvnc nirnii AiiiiikI:i n ,i.i n..i.:.. ...: l.__. ^ ... .- L*:i.n l....... ....
nhelro achara sortimento vontade
Queimado loja d'Aguia branca n. 8.
I5\l SIMIOS i; CAi.MMIAS
com perfumarlas.
Na roa do Queimado n. 8 loja d'Agua-Branca, os
freguezes munidos de dinheiro encontraro, botu-
tos bausinhos cobei tos de couro e com 6 frasqui-
| nhos de extractos por 1*300 cada um, e outros
, cobertoi de papelo com 9 frasquinhos por 2*000
,um; caixinhas com 6 frasquinhos de ditos por
| 1.5000 urna, outras rom 12 ditos por 2*000 urna, duzia, ditas cravadas, cabo preto e branco a 3* a
I outras com 3 dilus, cuja coberta parece tartaruga, duzia, ditas de balango de i botao finas a 5*200
! a 1*500 cada urna, e outras com pastilhas de chei- ditas de 2 botoes muito finas a 6*500 a duzia, ditas
l ro a 500, 1*000 e 2*000. de 1 botao para doces e fructas a 5* a duzia, ditas
Eavelopes bordados e Cartees COm bei- e 2 ^oesa 5*200 a duzia : as lojas do Beija-
__ j ., ,i flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
ras doradas y Tiras bordadas.
,,hat.3c aRUI^a T3"?'rua d, Qae',m3 ," 8'; Vendem-se tiras bordadas, a pega a 1*100,1*200
Sv. 11 ,/ f cn(Vl0/lcs, "wrdato e e 1*300 : as lojas do Beij-ar?rna do Queimado
cartoes coro beiras douradas, tendo de uns e de ns 63 e 69
outros, maiores e menores, proprios para partici- Halado horado
pagues de casamenlos, bailes etc. ,r Dau*ao "
< <>!.i.-in sm.4isn j (ii. I Vendem-se babados bordados de vanas larguras
completo sortimento de Atas a pega a 1*600, i*800, 2*, 25200 e 2*400! as
Unas, lisas e lavradas. ; lojas do Beija-flor. rua do Queimado ns. 63 e 69.
A aguia branca reeebeu um grande e completo i Lindos sapatinhes.
i sortimento de fitas de diversas larguras e qnalida-1 Vendem-se lindos sapaiinhos para baptizado de
y des, tanto lisas como lavradas, e em todas ellas co- \ criancas a 1*500 e 2* o par : as lojas do Bvija-
I nnece-se a superiondade da fazenda, notando-se flor, rua do Queimado ns. 63 e *9.
"* as lavradas o bom gosto dos novos e lindos dse-! ->- ,.. __i,-.
g nhos, isso tanto as matisadas como as brancas,! ,._...- ca ,". .* .para. punB.0S-
.i.------- _.._.. Vendem-se botoezinhos demadreperolaedemar-
0 par, ditos encarnadi-
nas do Beija-flor, rua
Na loja SSSSSJSKSLa n. 8 I VendeJ^Y'" d^U" *2*
vendem-se bons capachos ing.ezes, os quaes alm | JSmffUS flOO r .^"d .uTpK
de seda a 1*100 a pega : as fojas do Beija-flor,
3 e pelacommodidade dos pregos o pretendente qu: fm!5? ^^hosa^O rV
se dirigir munido de dinheiro rua do Queimado 5SJ ^1 P, n Ll
B ; loja da aguia branca n. 8, sera bem servido. SXri2^ "2 i 2?
Na rua do Rangel n. 2 vende-se o verdadei,
ro papel de linho hespanhol, e de palha de millio- de bonitos sao de inmensa dtiragaoi pelo que
si novos : na rua Augusta n. 54.
3
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo A C
.^gfnlc- do Banco l'nio do Porto.
tod o
Competentemente autorisados sacam por 1
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s ?e?da,'=.e. '??_e S^SSJ^SSJ
Lisboa, e para as seguiutes agencias.
Loadles sobre Banh of London.
Pars
llaiiilnirgo
Bircellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Amarantes.
Arcos de Va
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Bra ganga.
Faro.
Oliveira
meis.
Pena fiel.
Tavira.
Villa do
Frederic S. Ballin C.
Joao Gabe A; Filho.
Francisco Rahoba ; Ballista.
1 Jaime Meric.
Crdito commercial.
Gonzalo Sogoria.
M. Perera Y. Hijos.
En Portugal.
dirijam-se rua do Queimado n. 27, loja de fazen-
das dos Srs. Custodio & Carvalho.
Aluga-se um siiio na estrada da Ponte de
Uchoa e a margem do rio, pouco adiante do Illm.
Sr. commendadnr Nery Ferreira, tendo banheiro,
palanque, galinheiro e outras acommodagoes; e
outro dito no Monteiro, em frente ao oitao da igre-
ja : a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Sou-
za, rua do Crespo n. lo, ou estreita do Rosario nu-
mero 32.
' Na praga da Independencia, loja de ourives
n. 33. compram-se obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
igual
mente se dir quem d dinheiro a premio
! fundo urna casa de taipa, e bem assim mais 4 ca-
sas de tijolo acabadas de pouco lempo, com frente
para o nascente, muito frescas, tendo cada urna 2, Sap&tOS dt borracha a 1$UU0
salas, 2 quartos e cozmha fra : os pretendentes I w
o par -
No armazem de Joaquim Francisco de Alem lar-
go da Assembla n. 1.
Fumo imperial
Cortado igual ao francez muito proprio para ca-
chimbo, em latas de 1 libra, quando nao seja me-
Ihor igual ao americano por 1*200 rs., para veri-
ficar a verdade os Srs. fumantes podem-se dirigir i
I fabrica vapor de cigarros antiga rua dos Quar-1
teis de Polica n. 21._________________________
fichas hamburguezas
Vendem-se bichas de primeira qualidade : na
rua Nova n. 61, defrente da Illma. cmara muni-
cipal.
Bahia muito bons a 1 a caixa ; a elles, que eslo
a acabarse.
de
d'Aze-
Angra Terceira.
Caminba.
Castello Branco.
Chaves.
C"imbra.
Covilha.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pitiha!.
Porto-a legre.
Thomar.
Villa Nova
Poriimao.
do
Figueira.
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Lamego.
Leiria.
Moncao.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Vianna do
le lo.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Bnm para escriptorio
Aluga-se o primeiro andar da rua da Cruz n.
24 : a tratar na rua da Cadeia n. 57.
Miguel Jos Barbosa Guimaraes socio prtn-
cipal da firma de Guimaraes & Lima, faz scienle
i a todos os devedores a esta firma que tendo falle-
' cido o sucio Jos de Almeida Nunes Lima, est
procedendo a liquidacao da mesma e por isso pe-
, de a todos os devedores o especial favor de inan-
darem saldar seus dbitos o mais breve possivel.
Recife, 9 de julho de 1864.
CfiWBE
j da Imperatriz n. 06, loja da Arara.
Arara vende a 160 rs.
Cartas francezas. v n F,Us bancas para debr.
A aguia branca, na rua do Queimado n. 8, rece- AI*Tm l^J TS U1? *?*
beuum novo sortimento de finas cartas francezas *" oSeSiS T*" NM*
com beiras douradas e brancas, e as est venden- na rua d0 Uueimado ns. 63 e 69.
do baratamente a dinheiro vista. "lfas ",,s """
\endem-se muito ricas fitas lavradas para sinto
de senhora e meninas : as lojas do Beija-flor, rua
1 do Queimado ns. 63 e 69.
Esnelhos de Jacaranda.
Vendem-se espelhos de columnas, de Jacaranda,
a 3* e 4*500 rada um, ditos de madeira amare lia
J por diversas vezes a aguia branca tem rece-! a 2*400 e 2*800 : as lojas do Beija-flor, na rua
irlo des-a banha fina em latas, e tal tem sido a do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas de velludo estreilas.
Vendcmse fitinhas estreitas de velludo para en-
MM
Cas-
Conde.
Villa Iteal de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No IMPERIO.
Baha. Maranhao.
Itio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista,podendo logo
os saques prazo serem descontados no mesmo
Banco a razao de i por cento ao anno : a tratar
na rua da Cruz 11. 1.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite, sem filho : a tra-
tar na loja de livros ao p do arco de Santo An-
jonio.
Alogam-se as casa- terreas ns. 3 e
do Hospicio : a tratar na rua do Seve n. 2.
GMhNIM
DE
Francisco Joao Carneiro da Cunha e sua mu-
llier D. Hermina Poppes da Silva Carneiro da Cu-
I nha declaram a quem possa inleressar, que tem
; constituido, como em tudo seu bastante procurador,
jnosem todos os seus negocios commernacs,
! como tambem as pendencias jusdiciaes, ao seu
! correspondente o Sr. Antonio da Rocha Accioly
Los, com o qual se podero entender os interes-
; sados.
Na rua da Gloria n. 35, d-se comida para
j fra recebendo mensal e tambem querendo pode I
; comparecer a mesma e l se servir.
Revista do Instituto Areheolo-
gieo c Cieographico Pernam-
bueano.
Acham-se venda os 3 primeiros nmeros, na
: livraria Econmica de Jos Nogueira de Souz,
junto ao arco de Santo Antonio, onde se subscre-
ve para esta Revista :
Por anno.....3*000
Nmeros avulso. 1*500
A abaixo assignada tendo obtido licenga pa-
------1 ra ensinar particularmente as materias de ins- i
7 da rua | truego primaria do segundo grao, e tendo aberto
sua aula na rua Direita primeiro andar n. 86, of-
feroce seu presumo aos pas de familias, affirman-
do-lhes todo o esforgo para o adiantamenio de suas
alumnas, tanto de leitura como de costura, laby-
rinto e de diversos bordados, podendo ser procu-

Rices cortes de cambraia de cor com barra
Maria Pia, fazenda inteiramentc nova a 4*000, s
Sara aeabar : na loja do Paredes Porto n 48. rna
a Imperatriz.
Mant'Anna.
Acha-se venda a- novena da gloriosa Sant'An-
na, bem impressa, e cm brochura : na rua do Im-
perador n. 13.
GAZ.
Vende-se gaz liquido americano da melhor
qualidade em lat'S de um, dous e cinco galoes,
por menos que em outra qualquer parte : no ar-
mazem do caes do Ramos n. 16.
AiT'iriBJSCA
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Ro
deaux, differentes qualidades, mais barato quee
qualquer parle : no armazem de E. A.
C., rua da Cruz n. 48.
Vende-se una pequea taberna na travessa
do Pombal n. 20, freguezia da Boa-Vista : quem a
pretender, dirija-se mesma, que achara com
quem tratar a dita venda._____________________
2 o a -1 -c.d." =;o o i x
7? *T~i S* *
GRANDE
sorlinifnto de fazendas novas bara-
lissimasna loja e armazem de fa- SAPA IOS DE BURRACHA
zendas baratas na rua da -mperatriz aHfS%SK?iSSS^Jr
n. 06, loja da Arara, de Louicuco, lnfn Percira Vendes Guimaraes. \taias COM OaWia Uta.
Cortes de chita a 2#400.
tem da
fregu-
parte dola s agora
! saber da viuda dessa boa banha. Ella vem em
latas de I|2 e 1 libra, c contina a ser vendida pe-1 Trine .1*. ts nn hnniir
Vende-se fil de linho de cures a ICO rs. o co- los baratsimos precos de 2* e 3*000. Apar da vui.m ,,JL' 1, h r ."
vado, dito branco para forro a 320 rs. a vara, lar-, superioridade da qdalidade della estao os agrada-! tJ'JSS!^SSmSm'.ISSE"
latana de cores a 610 rs. a vara, lencos brancos a veis e linos cheiros de rosa, jasmim, brama, bou-1 d?uSnL^lo^?tt! r'C D '
200 e 240 cada um : na loja da Arara rua da lm-! quet, e llor de Italia. A boa freguezia assim scien-1 ^ -l5" com 40 varas a IP TS ? !*V>e "-
peratriz n. 56. te '
As laazuhas da Arara a 320 rs. o covado. loja ^ ^ dQ ^^ flor ^ ^ d(>
feite de vestido a 900. 1* e 1*200 a pega: as lo-
jas do Beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
,^ tI o -1 de sortimento das loi. *- "- -
tao^SSJ!^^ em copos de paMQss=!i
capas e vestidos de senhoras a 400 e 000 rs. o co-1 cpl-in-l lnilTlfl'i Am tiO Sal
vado: na rua da Imperatriz n. 30, Lija da Arara. tClillltl UUUUlUrt LUJI1 IU3- Vende Antonio Lu;
Arara vende as chitas para eiiherta a 320 rs.
Yttiiiiern-se chitas para roberas a 320, 360, 'i00
e 300 rs. o covado, dita encarnada adamascada a
300 rs. o covado: na rua da Imperatriz n. 56, luja
da Arara.
Cassa organdvs da Arara a 2i0 rs
Vendem-se cassas organdvs para vestidos a 240,
2S0 eSSOrs. o covado, riscado francez para ves-
tidos a 280 rs. o covado, gurgurao de linho para
vestidos a 280 rs. o covado : na rua da Impera-
triz n. 56, loja da Arara.
As chitas da Arara a 2f0 rs. o covado
eripcoes.
E j bem conhecida pela boa freguezia d'aguia
branca a superioridade da banha que vem nos co-
pos de porcelana dourada com maviosas e jocose-
rias inscripres. as quaes agora rieran) de novo
gosto, pelo que essa lina banha pode anda ser
mais eonherida por aquelles que quizerem fazer
um bom presente, com tanto que comparecan mu-
nidos de dinheiro na rua do Queimado, loja'd'aguia
branca n. 8.
Vende-se alpaca prcla a 500 rs. o covado.
Vende-se alpaca preta para vestidos a 500, 600,
Vendem-se chitas para vestidos de cores lixas a | 700 e 800 rs., ,lia dl (.orj5o a 800 rs. para pale-
tot, princeza preta a 800 e 640 o covado, bombazi-
na preta fina a 1*400 o covado, laazinhas preta
para senhora que estao de luto a "20 o covado :
na ruada Imperatriz n. 56. A loja est a berta at |
s 9 horas da noite.
as "S
o" M
s? 5
*" I* I s.
= sr*
5 B S a
9-3
~- --.
* cSr
S re
O o.
iSefflirOS Martimos TlldfTma "da*nlquerhondodiaemesmo i noite at
as
z:
nisadora.
1L i milla Lidia Guedes Alroforade
VI
re as
re
.
-1
o
c/s -
A directora desta companhia convida os senho-
res accionistas para reunirem-se em assembla ge-
ral, no escriptorio da mesma companhia, uo dia 20
do corrente, pelas 11 horas da manhaa, afim de
procoder.se a discussao dos novos estatutos, j ds-
ti i buidos pelos mesmos senhores accionistas.
Becife 13 de julho de 1864.Os directores,
Joo da Silva Regadas.
Francisco Joao de Barros.
Miguel Jos Alves.
Roga-se ao Sr. Joo Paulino Marques que te-
nha a bondade de dirigir-se rua Nova de Santa
Rita n. 49, das 6 s 9 horas da manhaa, e das 3
da tarde em diante, a negocio de seu muito nte-
resse.
Aluga-se o segundo andar da rua da Moeda
n. 29, com commodos para familia: a tratar na
travessa do mesmo sobrado b. 29.
Jacintho Rodrigues
Maranhao.
da Silva retira-se para o
Aluga-se
nheiro : quem
deia do Recife
quem tratar.
um escravo, moco, perfeito cozi-
0 preb-.nder dirija-se rua da Ca-
li. 48, 1 andar, que achara com
Aluga-se urna escrava que faz todo o servigo
de urna casa : quem pretender dirjase ao Forte
do Mattos n. 20, que achara com quem tratar.
Aluga-se a casa terrea da rua do Ouro n. 22
com commodos : a tratar com Manoel Luiz da'
-5 re 5T3 a
ci-1-' 2 a ~,cLg.s1
IFI-Sllsl!
g.8 S-3 ss =rH S 8 -"a c
T3 a, D.^ I" So 2 w S.
o a re ~o 3 S-* o tf?
^ 3 .2 2 0..=? B
|f3re 0.3 g o gg.
O ,_OCI T3 g 5
< as "O 5,
2 B

as
a
-1
!'
H re
as en
p
as
Vega.
Augusto Cesar Fernandes Eiras, retirando-se
para Europa, deixa como seu procurador nesta ca-
pital o Sr. Victorino Jos de Souza Travassos J-
nior.
A ttenedo
Sr. D. A. L. S. queira vir prestar comas
na rua Nova n. 37, de um negocio que Ihe diz mal
sob pena de *er o seu nome publicado por inteiro
e declarado qual o negocio.
---------------!----------- : para ver, que no mesmo engenho lera
Precisa-se alugar urna ama que saiba cosi- torisada pelo Sr. Francisco Lins para vender
nhar e engommar com perfeicao para casa de
A pessoa que annunciou querer comprar um
alambique de cobre e seus utencis, ^apparega no i
engenho Arendepe, sito na freguezia de Ipojuca |
pessoa au-
2.
1
*3
re'v" ^^
pa
re ?C-.a W
rffrBfi
>
o
9
>
SE
9
240e 280 o covado, ditas francezas largas a 320.
360, 400, 440 e 500 rs. o covado na loja da Ara-
ra rua da Imperatriz n. 56.
Lencos de seda da Arara a 800 e 1$.
Vendem-se lencos de seda para algibeira de
homem a 800 e I*, longos de cassa a 200 e 2401
rs. : na rua da Imperatriz u. 56, loja da Arara.
Arara vende os veos pelos e de cores a 1000.
Vendem-se veos pretos e de cores para chape- j
linas de senhoras pelo prego de I* cada um, go-
linhas para senhoras a 240* e 320 rs., manguitos a i
1*, camisinhas para senhoras a 2*, ditas finas
cem gravatinha e punhos bordados os mais mo-
dernos que tem rindo a 4*500 : na loja da Ara-
ra rua da Imperatriz n. 56.
Arara vende os halos a 2.->:00.
Vendem-se ha loes de 20, 23, 30 e 35 arcosa
Sal do Assu'
z de Oliveira Azevedn &
tlti Cl u 11 1.
criu&af lia
5oju.
h '"' ; *:>- ,-f^
< "$b *rr&%
' .:< '. *<< .-

--\j3&. '... : l
\o armazem tic fazendns baratas de
Sanios 1 oc.llio, rua d Queimado, n.
1), vende-seo segninle*
Allciuao.
Ltiazlohas.
Ricas laazinhas para vestido, fazenda a melhor
que tem rindo ao mercado, tanto em gosto como
era qualidade da fazenda, pelo baratissimo prego
de 560 rs. o covado.
AGUA FLORIDA
Dr Murray & Laiimaii.
Est
1; raro
i.v'i
a
L
cr
as
3
Laziuhas miudinhas carmezins, proprias para i
2*o00,3*, 3*00, 4*, 4*500, ditos de brilhantina vestidos de meninas, e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de la com 13 covados pelo baratissimo
prego de 6*.
Cobertas de chita da India pelo baratissimo prego
de 2*500.
Lengoes de panno de linho a 2*.
Lengoes de bramante de linhe fino pelo baratissimo
prego de 3*200.
10 palmos de largura
*300 a vara.
Aloalhado adamascado proprio para toalhademesa
a 2*000 a vara.
Cambraia de forro a 2*600 e 3*200.
Cuardanapos adamascados a 3*800 a duzia.
Toalhis alcocuoadas proprias para mos a 3* a
duzia.
Cortes de caiga de ganga amarella de listras e
a 4* : na rua da Imperatriz loja da Arara n. 36.
Cortes de la a Hara Pa a S-> e |8.
Vendem-se cortes de la a Maria Pia a 8*e 18*,
pegas de cambraia lisa fina a 3*, 3*300 e 4* : na
rua da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Cortes de gauga a '$600
Vendem-se cortes de ganga francesa para calca I Prego ae Jfizw.
a. 1*600, ditas de casemira a 3*, ditas finas a 5* i Bramante de linho ktl
e 5*500 : na rua da Imperatriz n. 56. pelo baratissimo prego de 2*?
Itoupa frita da Arara.
Vendem-se paletots pretos de panno fino a 16*.
14* e 12*, ditos sarcos de panno fino preto e azul
debruados de fita a 9* e 10*. ditos de casemira a
6*, 8* e 3*, ditos de brim a 2*300 e 3$, ditos de
alpaca preta a 3*e 2*300, camisas francezasbran-
Mj ,>,, <* ?&l!E&tl&fK!TE &uadros- Pe'obaratissimo prego de 1*200 o
u %%! !&mif?RaLC,E!* Cambraia adamascada com 20 varas, propria
sai b:r )gER. s oS I aapre^r,inado- pel ,,araiis Ricos cortes de la Mara Pia pelo baratissimo
quit 1 que
mimosa fra
delicado cluiro
tos llores.
qtlsio (lolicado
incxtii]piiivcl >. :i<
rancia c
das pivprtae vcnlecon-
Durantc osj muzos c.-ilm-ii-
eriumo o
!:t.> de
frescura c'*no r
1.
tos (lo vcrSo o sen tizo torna-sc m ne::-
tenionte aprazivel o desejavel em con-
eequeticis da inllucncia rci'rgranto c
suave que ella produz sobre a |ellc:
cm qnanto que uzada 110 baulio ella
iinyaitc i> corpo lnguido e caneado
urna eerta elasticidade de vigor c forya.
Ella impart truntpartncta c* felqt*,
c remoce panno*, arda* e btrUfja* di
nobr* a pelli.
cas a 3*300
Arara.
Colchas da Arara a '5
Vendem-se colchas de damasco para cama a
4*, ditas de fusto a 5*, ditas de chita a 2*: na
rua da Imperatriz n. 56, luja da Arara.
Veudem-se gangas para caigas e paletots.
Vendem-se gangas para paletots e calcas a 4401
prego de 18*.
Pecas de cambraia de salpicos com 8 1|2 varas
pelo baratissimo prego de 4*.
Pegas de platilha de algodo com 10 varas, pro-
pria para saia a 4*200.
Esleirs da India, proprias para forro de sala,
VMtm
Vendem-se algumas vaccas boas leiteiras, por o
se retirar : no Manguinho, sitio o. 71, rua
pnura familia preferindo-se escrava : rua irei-
ta n. 78.____________________________________
Precisa-se de um pequeo para caixeiro de
taberna -. na rua da Concordia n 23.
No dia 11 do corrente, pelas 7 heras da ma-
nhaa, fugie do sobrado n. 24 do largo do Terco,
um papagaio : quem o tiver pegado, querendo
resotui-lo, pode leva-lo mesma casa, ou rua
Aluga-se a casa assobradada, z> ultima a
margem do rio que vai para a cidade de Oliuda :
a tratar na rua larga do Rosario n 10.
\ it en cao.
Aluga-se a padaria da rna Imperial n. 199 cora
todos os pertences. e vende-se urna parte dos mes-
mos : a tratar na mesma.
dono
I Real.
Queijos a U e 2#200
chegados no vapor de hontem, vinho de Lisboa a
2*60n a caada e 360 rs. a garrafa, Figueira a
3*200 a caadae 440 rs. a garrafa, batatas a I* da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
a arroba e 40 rs. a libra, lingnieas do sertao a 360 Brim de linho a l,-)-\S0
rs., e de Portugal 640 rs., arroz 80 e 100 rs., Vende-se brim de linho nara caica
manteiga ingleza flor a 800 rs., fraoceza a 600 rs., """ """ -
e 500 rs. o covado, fusto pira calca a 00 rs. o! de 4,5 e 6 palmos de largura, por menos prego do
covado : na rua da Imperatriz n. 56, loja da Arara. 1ae em outra qualquer parte.
Madapulo fraucez a 15 Neste armazem tambem se encontrar um gran-
Vendem-se pegas de madapolo entestado com ; de sortimento de roupas fritas, e por medida.
12 jardas a 4* e 4*300, ditas de 24 jardas ns. RG Z wtw^s**
a 7*, ditas 11. 60 a 6*300, dito moga a 7*300, dita IflSU
?,' n^'/'vv'^-,^*?00;-11'1" 7 a ,0*' '-1 Na fabrica de sabo da rua do Rangel n. 34 ven-,
"S21 ,., -^r> *JO, algodao muito encorpado. de-se constantemente sabao massa, Unto em caixas i
a 0*500 e 6*, dito carne de vacca a 7*: na rua como a retalho a 200 e 220 rs. a libra.
0 TOMCO ORIENTAL DE KlMP
PARA OS CABELLOS,
E urna preparaco admiravel j>ara lim-
par, aformosear, conservar e restabele-
cer os cabellos.
A venda as boticas de Caors & Barbn,
rna da Cruz, e Joao da C. Bravo d|C, roa
da Madre de Dos.
Xegoelo de grandeinteresse.
Vende-se urna fabrica de fazer colla com I
, 1*400,1*800 e 1*600 a vara, brim so para se- um laboratorio para fabricar a quantidadei
sarin ina n 94 De ordem da mesa regedora da irmandade cha m udoa 2*000 e 2*400, caf a 300 rs., banha roulas e enges a 500, 560 e 640 a vara hraman.
?"? f? **S& !Ja >2i'aonde se flra s,8nal de Nossa Senhora do Bom Parto erecta na igreja | refinada a 360 rs., toucinho a 280 rs, feijo mua- te de linho a 2*200 a vara
tinho novo a 480 rs.: no armazem da Estrella lar-
certo e se gratificar._____________________ ffle g Jos de Hjba.Mar convi)Jo de novo a todos
De bordo do brigue escuna brasileira Cisne os irmaos para mesa geral no domingo 17 do cor- go do Paraizo n. 14.
fugio o escravo Joo, mulato, de 14 anoos, banco, ron'e s 10 horas da manhaa, afim de se tratar so-
gordo, cora a marca de um golpe no rosto, claro, I bre negocies a bem da mesma irmandade.
cara redonda, e jalga-se que nao ter sahidodal Consistorio da irmandade de N. S. do Bom Parto
cidade, visto ser deseooh'eeido na trra e ter fgido i2 ** ju'h de 1864.
por vadiaeao : quem e agarrar pode dirigir-se" ao
escriptorio de Amoriin Irmaos, rua da Crnz n. 3.
Desde 12 do corrate est para ser augada
a tratar na
a casa da rua Angosta n. 112 :
Nova n. 59.
Na rua do Cahug n. 3, 2 andar, ha urna
preta escrava para alugar-*?, para comprar e cozi-
nhar.
Aluga-se a lo adacasa n. 40 da rua das Trin-
cheiras : na rua da Aurora n. 36.
O secretario,
Domingos Francisco Iluraes.

Vende
das: na rua
tem 10 palmos de lar-
gura, brelanha de linho a 640 e 800 rs. a vara,
bnm pardo a 800, 640 e i* a vara : na rua da'lm-
-se nma escrava que cosinha e faz ren- Pe'atrii n- 'la o armazem 'da Arara, a loja es-
i das Trncheiras n. 38._____________taaberu at as 9 horasda noite._____________
I1VI JtitiL.AU DllU W Vendem-se pegas de algodaoziho com peqneno
Remedio nfallivel contra as gnonbeas toque de avaria, proprio para roupa de escravos e
i Cruz, sita aotigas e recentes, nico deposito na bo- V.,IV^fiji*ll ,raraUj Pre de 4* a pee,a: rua do
Arrenda-se a propriedade ^u*, -, ------------,------------r-......-------_
roa; na comarca do Cabo, com boas matas e terreno pa- tica franceza, rua da Cruz n. 22, pre- Wueimafl0 '*
ra plantar, fica tres quartos de legoa distante da : co 3/1 Vende-se o
estagao da lina : a tratar na rua do Sebo n. 30.
o sitio da travessa dbs Remedios,
freguezia dos Afogados n. 21, no estado em que se
acba : quem o pretender, entenda-se cora o seu
preprielario Caetano Pinto de Voras, na rua de S.
rendo fgido da rua do Sebo para a banda da
I campia da cala d'agua, orna araruana (da fa-
i milia arara) de eor somente azul, com volla ama-
, relia no pescoeo, levando no pe argola de ferro :
_ i quem a pegar ou della tiver noticia, far o favor
- Precisa-se alugar um preto forro ou eseravo, de participar na mesma roa do Sebo n. M, ou no A
para o servieo de urna casa de pequea familia :, largo da Assembla n. 20, prensa de algodao, que 6 Liverpool, e tambem uma vanedade de a$ ^SJ?-?."?.^^rd.T'edn A
flaruadaAurcn.7i. .'ser gratificado. bonitos tranceilins para os mesmos *^ircTl. *
RELOGIOS,
Vende-se em casa de Jonnslon Pater 4
C, rua do Vigario, n. 3, um bello sorli- Fr,nc'sf sobrado n. 10,como quem vai para a rua
ment de relogios de ouro patente in- *Hl!--------------------------------------
glez, de um dos mais afamados fabricantes VB,W ** porto u,f"w
para ven-
C, no seo
que se qutzer, podendo ser mudada para
qualquer lugar conveniente, obrigando-se i
quem vende a ensinar todo o processo da!
fabricacao; na rua do Qteimado loja n. 43,
se dir quem vende. ______ |
Vende-se
Loja de fazendas da rua
do Crespo n 7.
Miguel Jos Barbosa Guimaraes, socio princi-
pal da firma de Guimaraes & Lima, faz sciente ao
respeitavel publico que tendo de liquidar todas as
fazendas existentes em sen estabelecimento por
ter fallecido o seu socio Jos de Almeida Nones
Lima, que consta de um grande sortimento de fa-
por precos commodos tres moradas de casas ter- zendas tinas, como sejam ricos vestidos > seda
reas ns. 48, 54 e 73, sitas na rua do Motocolomb com algura loque de mofo, capas de velludo prelo
dos Afogados : a tratar na rua do Imperador n. muito finas e outras multas fazendas que todo
57, armazem Allianga. vende por baratissimo preco.
ra^e^oTcfno ^^So^VcS ,r" = a ^ da ma,ril de
numero L
Vende-se um cabriole!
zo n. 26.
no pateo do Parai-
Algodao da Bahia Parlaba de maudloca
para saceos de assucar e roupa de escravo; tem ensacada e da melbor qne ba vende Miguel Jos
para vender Antonio Lmz de Oliveira Azevedo & Alves no sea escriptorio, casa n. 19 da roa da
C, no sea escriptorio roa da Cruz n. i. juz


-_, .
^r


>**
Miarlo de Peraambueo abliado Itt de JuIIio c 184.
4
~\



~
Grande liquidadlo
de (aieudas na loja do Pavo, ra da Iperalrii i.
60, de Gama A Silva.
AeOa-ae ete eelabeleciBiiata-qoQiptetamentaspr-
tidode fazeadas inglezas, Irancezas, ailemes e
suissas, proprias lano para a prac* *omo P*ra
mato, pfroroettendo veoder-se mais barato do que
era outfa quatauer parte principalmente 6eodo em
porcao e de todas as fazendas dao-se as amostras
deixando ficar penhor ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caiieiros da loja do Pavio.
As chitas Pn5o.
Vendem-se superiores chitas claras e escuras pe-
lo barato preco de 240 e 280 rs. sendo igas segu-
res, dius francezas finas a 320, Vi, JW), w e
500 rs.. o covado, ditas preta largas e estrenas,
riscados escocezes finos a 240 rs. o covado, isto na
loja do Pavo ra da Imperatriz a. 60 de Gama d
Silva.
As cassas do Pavio a 2-10, 280, 300 e 356 rs.
Vendem-se finissiraas casias persianas eftres fi-
xas a 320 rs. o covado, ditas francezas muito finas
a 240 e 280 rs., ditas ingzezas a 240 e 280 rs. o
covado, tiaissimo organdy matizado com desenhos
miudinhos a 320 rs. o covado, cassas garibaldinas
rauito finas a 320 rs., sto na loja do Pavao ra da
luiperatriz n. 60, de Gama A Silva.,
As laaainhu da eiposifo do Pavo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas mossan-
bique chegadas pelo ultime vapor francez sendo
de urna so cor ou de listas miudinhas com 4 par,
mos de largura, proprias para vestido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baratissimo
preco de 530 rs. o covado, ditas enfestadas trans-
parentes de quadrinoos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas matisadas muito finas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita tambem matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Maria Pia com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de urna s cor parda, azul, cor de lyrio e
perola proprias para vestidos, sautembarques e
garibatdes a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
800 e 400 rs* sto s na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama di Silva.
Os chales do Pavo.
Vendem-se finos chales de crepon estampados
pelo barato preco de 64, 74, 84, ditos de ponto re-
donda a 74 e 84, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidriiho a 124, ditos pretos lisos a
54, ditos de cores a 44500 e 54, ditos de merino
ESPLENDIDO SORTIMENIO DE MOLHJkOOS
US. RIJA I> CRESPO W. O
Esquifa qoc veUa para a roa do Imperador
*W*\a Si w-,
(\o se enganeni com a mitra)
SENTIOO!
BALIZA

VAI FALLAR
N. 38 Eua do Livramento N. 38
(Defronte da grade da i g reja)
GRANDE


'




AMIGOS!
Nao leiam este annuncio com precipitaca?.
Confrontan os precos dos oulros annunciantes.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
A vista faz t.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao nos encnlcamos o primeiro recebedor de conta propna.
Nao desacreditamos ao collega porque nao quiz ser nosso socio.
Val a qiiem toca. .
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia anda nao sao suflicien-
tes as casas que actualmente oxistem abenas com grandes proporcoes para jercm um
magnifico sortimento de molhados ; assim, po.s, os propnetanos do Armazem Pnnupal
nao invejam a sorle dos seus collegas.
Habitantes de Pernambuco.
Nos temos um excellente sortimento dos melhores gneros que se pode adiar
em nosso mercado. Vinde ao nosso estabelecimento, e se a vossa boa fe for illudida
urna s vez ao menos, castigai-nos n3o voltando mais a nossa casa.
Amendoas confeitadas do bonitas cores a dem de Hollanda em garrafes com 24
l.ooo rs. a libra. garrafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
Avellas a 2oo rs. a libra. zados a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qua laaues a
estampas a 1,2oo, 1,4oo M l,6oo rs. cada; 8oo e l.ooo rs. as garrafas grandes.
uma | Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo e
spi
estampados a 24 e 34, ditos de laa a 14280 e 24, jjem e'm frasco de vidro COm rolha do mes-1 96o rs. a libra.
ditos de retroz preto para luto a 64, isto na loja
do Pavio ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 Pavo vende para luto.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de laa sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
pno para vestidos, paletois, capas etc., pelo bara-
to preco de 1&, 25200, 24500 o covado, cassas
pretas lisas, chitas pretas largas e eslreitas, chales
de merino lisos e bordados a vidriiho, manguitos
comgollinhas eoutros muitos arligos que se ven-
dem por precos razoaveis : na loja do Pavo a ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavao
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
camente bordados a veludo pelo barato preco de
405, sendo fazenda que sempre se vendeu a 1005
e 105 ; ditos de cambra a blancos ricamente bor-
dados a croch, sendo proprios para baile e casa-
mento a 10, 15, 20 e 304; ditos de laa com lindas
barras a 18 e 154 ; isto na loja do Pavao ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Pavao.
Vende-se panno preto muito superior pelo barato
preco de 24, 24500,34 e 3500, ditos muito finos a
44, 54 e 65, cortes de casemira pela enfestada a
45, 45500 e 65, casemira preta fina de urna so
largura muito fina a 15800. 25. 25500 e 34, for-
tes de casemira de cor a 55, 55500 e 65, casemi-
ras enfestadas de uma s cor proprias para calca,
paletots, colletes, capas para senhora, roupas para
meninos a 35 e 3*500 o covado, isto na loja do
Paviio, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A roupa do Pavo.
Vendem-se paletots de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muito boa a 125, ditos muito finos a
165, 20;, 255 e 305, calcas de casemira preta boa
fazenda a 45500,55, 05, 75 e 85, paletots saceos
de panno preto a 75, ditos de casemira de cor a
65 e 75, ditos de alpaca preta, ditos de mermo
preto, ditos de brlm decores, calcas de casemira
de cor a 45, 55.65, 75, ditos de casemira da
Escossia a 35, ditos de brim pardo a 2550o, ditos
de cer a 2-5 c 25500, ditos brancos muito finos,
sto na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
""s cortinados do pavo.
Vendem-se ricos cortinados proprios para janel-
la e camas pelo barato preco de 95 o par, sendo o
melhor que ha no mercado: na ra da Imperatriz
d. 60. de Gama & Silva.
As colchas do Pavo.
Vendem-se colchas de. linho alcochoada pro-
prias para cama pelo barato preco de 55 cada nma
na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas que tem vm-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor fran-
cez, pelo barato preco de 600 rs. o covado, dias
de listrinha muito miudinhas proprias para vestidos
e roopas de meninos e meninas pelo birato preco
de 500 rs. ; s o Pavao ra da Imperatriz n. bO.
loja de Gama & Silva.
do Pavo
mo ou de metal, a l,2oo e Uoo rs. ca- dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
tla um a libra, e 56o rs. em barris inteiros.
dem em frasco grandes 2,5oo rs. cada um. 'Nlarmelada especial dos melhores fabricantes
dem em latas de 1 e 3 libras a l,2oo e' de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra,ba latas
2 000 rs. ae differentes tamanhos.
Arroz da India e Maranhao o melhor que se Massa de tomate em latas de 1 libra 56o rs.
ple desejara loo e 12o rs. a libra e! cada uma.
2,8oo e 3,400 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs.
Os sonteanbarques
lOg c 15g s o Pavo.
Vendem-se os mais lindos souteanbarques que
tem vindo ltimamente de lazinha e caxcmira ri-
camente bordados e enfeitados, cores muito delica-
das pelo barato prego de 105 e I ;5 ; fazenda esta
que em outras lojas se vendem por 205 e 2>5, e
s para liquidar : na loja e armazem do Pavao a
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
As chitas do Pavo 04OO e
.Ssoo o corte.
Vendem-se cortes de chita com doze covados
cada corte, ditos com dez covados a 25100, fazen-
da muito ba, e que nao desb'ota, s na loja do Pa-
vo tem esla pechincha ; a ra da Imperatriz n.
60 de Gama A Silva.
I,as de uma s cor.
Vendem-se laazinbas de uma s cor, sendo en-
carnada, azul, cimenta, cor de caf, lirio claro, li-
rio ro\o cor de perola pelo baratissimo preco de
640 o covado, fazenda milito fina s o Pavao, a ra
da Imperatriz n. 60 loja e armazem de Gama 4
Silva.
Panno de linho.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences, toalhas e ceroulas pelo
barato preco de 640 rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 24500, algodaozmho
monstro com 8 palmos de largura a 14, pecas de
Hamhurgo com 20 varas a 94, 104 e il, pecas de
madapolao fino a 75500, 84, 95 e 104, ditas de
algodfiozinho a 64, 64500 e 74, e outras multas
fazendas brancas que se vendem muito baratas
afim de apurar dinheiro : na loja do Pavao ra da
imperatrii n. 60, de Gama & Silva, ,
O bramante do Pavo com doze
palmes de largura.
Vende-se bramante de linho puro, muito fino com
doze palmos de largura o melhor e mais largo que
tem vindo ao mercado pelo barato preco de 24800
rs.a vara ; sp na loja do Pavao de Gama & Silva,
aua da Imperatriz n. *.
As precalas do Pavao.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
oelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas de lis-
tnnha muito miudinhas proprias para vestidos e
roupas de meninos e meninas pelo barato preco
de 500 rs.: s o Pavo ra da Imperatriz n. 60,
loje de Gama 4 Silva. _
Os bales do Pavao.
Vendem-se crinolinas ou bales de 30 arcos tan-
brancos como de cores, sendo americanos que
sao os melhores por te nao quebraren a d#30UjB
de 35 arcos a 44, ditos de muselina com tobados
44 ditos para menina a 24 e 34: na loja do Pa-
vad ra da imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
0 Pavo vende 8.
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos a
Maria Pia, com lindas barpas de seda, sendo che-
gados pelo altimo vapor francez pelo barato preco
de 85 cada um: s na loja do Pavao ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os bales do Pavio.
A 20500 s o Pavio.
Vende-se toldes com 20, 3 e 30 arcos pelo ba-
ratissimo preco de 24500, asslm como tem tira
completo sortimento de baldes para meninas de to-
dos os tamanhos pelo barilssiroo preo de 24>00,
otando que sao bales de arcos os melhores que
n>wi*>" i-- t^.i... i a garrafa,
e 4,8oo rs. a caada,
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e lo,ooo rs. a
caixa com \ duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o a libra, e i.Goo rs. a arroba.
Bolachirihas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: aguae
sal doces, e imperiacs em latas de 6 li-
bras a 3,ooo rs. e de 3 \'i libias a l,5oo
rs. eem libra a 64ors., estas bolachinhas
torna-se muito recommendavel com es-
pecialidade para os doentes.
Biscoilos e Bolachinhas de suda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bollos francezes em cartes e de diver:
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de norco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 160 rs. a libra.
Bolachinhas mglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at hoje teto vindo a nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo, l.ioo rs. a garrafa m-
leira, e ouo io. <>o mca
Cha uxim o melhor que se pode desejar e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
dem perola especial qualidade a 2,6oo c
2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
d'e-ste cha
dem hysson o melhor que 6 possivel en-
contrar-se a 2.ioo e 2,6oo rs. a libra,
dem do Rio em hilas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2oo e l,4oo rs. a libra,
dem preto muito fino a l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
"bespanhol e suisso a l.ooo, l,2oo e i,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
lado de Simas em j caixas das seguin-
tes marcas Pari/.iences, Suspiros, Dili-
cias, Napoleese Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna,
dem de outros muitos fabricantes e de
differentes marcas para l,5oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a l,6oo, 2,ooo e
3,ooo rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco,
dem franceza a ooo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a 1 ,ooo
rs. a garrafa e lo,ooo rs. a duzia.
dem francez suporior qualidade 8oo rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Erva-doce a 4oo rs. a
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a 1 ,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs
5oo rs. cada um.
Caf do Bio superior a 28o e 32o rs. a li-
bra, e 8,8oo e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 6oo rs. o caixSo.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a Too rs. a lata,
dem seccas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a l,ooo rs. cada uma.
dem em latas ermilicamente lacradas a
1,500 e 2,5 rs. cada uma,
dem em caixas de lk arroba a 2,5oo rs. ca-
da uma, e2oo rs. a libra.
Graixa rauito nova a ioors. a lata e l.ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,ooo rs. e 56o rs. o frasco,
dem de laranja a l,ooo rs. os frascos gran-
des e 11,000 rs. a caixa com 12 frascos,
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da uma.
dem em garrafes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com a garrafo.
dem para soda estrelinha, pevide e rodinha
em caixinhas sortidas a 3,ooo e 3,5oo rs.
cada uma e 5oo rs. a libra,
dem macarrao, talerim e aletria a 4oo rs.
a libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um.
Molho inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro 64o rs. cada uma.
Marrasquino verdadeiro de Zara a l,ooors.
a garrafa, lo.ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Nozes muito tovas a 16o rs. a libra.
Prezunto de fiambre superior a 6oo rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, torvina, povas, pescadinhae
outros a l.ooo rs. a latas.
Palitos para dentes a 14o e 16o rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs. a libra.
e 4,5oo rs. a arroba.
0 Vigilante est alerta, nao Ihe era permetlido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto aliui de anounciar ao respeitavel publico
o grande sortimento de galntaras do melhor gosto
propriamente para qualqner mimo, que acaba de
ebegar nesle ultimo paquete, assim como muitos
ontros objectos que recebe por diversos navios,
tanto de sua conta como de consignacao, que est
resolvido a vender por precos muito baratos para
vender muito e gauhar pouco, e dar extraccao ao
grande deposito que tem, que espera merecer a
proteccao do respeitavel publico, empregando para
isso todas e as melhores diligencias para que ti
3uem satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, ra
o Crespo n. 7.
Ricas porta-jotas.
Cofre de muito gosto por 164001
Cestinhas transparentes, forradas de madre-
perola por 185000
Lindas jardineiras 104000
Ricos cofres com camapheu 104000
Lindas caixinhas com pedras brancas 105000
Lindo bailo com calunga dentro tambem
para joias 165000
Tambalier para ditas 95000
Cestinhas idem idem 65000
Cosmorama idem idem 05000
Urnazinha 65000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre
eos : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sintos
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e 155, ditos sem
bolQa, porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35500
e 45, ricas fivelas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 14500, 25, 25500 e 35 '
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes on cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no -braco, o mais
rico possivel, a 25500, 35300, 4, 5, 7 e 105 : so
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Pentes.
Nesle artigo tem um grande sortimento, tanto
para alisar como para atar cabello, o mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tnto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sem elle para meninas: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Pentes
Tambem chegaram os riquissimos pentes de
concha de tartaruga e de massa fina, que se vende
por 25, 3 e 55 : s no Vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Lcques.
Riquissimos leques de madreperola, tanto para
senhora como paramocinhas, pelo barato preco de
12 e 145 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Mais leqocs.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ba-
rato prego, a 84 e 105, bneles, muito bonitos,
tambem por barato preco de 4 e 55, bentarallas
muito bonitas tambem por barato prego de 4 e
VERDADEIRO W PRItfCIPAIi
Ordem do dia.
Est em discussao a tabella dos procos que o BALIZA tem a honra de ofire-
cer ao respeitavel publico tanto da cidade coa o do centro.
Se por esta publicaca qualquer um dos nobres collcgas entender neccss.rt.>
fazer alguma altoracao em seus annuncios, digne-se mandar a sua emenda para o jorral.
que o incansavel Baliza nao llie pora peias nem o embancar de forma alguma a beneii-
ciar o povo.
Amigo de vender barato o Baliza nao expe a venda senao os gneros bous.
Elle sejulga no caso de vender to mdicamente como outro nao oexcedea
Soldado soprador toma o clarim
E firme como a rocha fica assim
Nao toques uesse pessimo instrumento
Do Balisa olha s o movimento.
b: t que dos mitrados cns as eoroas
De tildo vendedor de proprla eonia
^o pasmes vendo como sobraneciro
Do regresso o lialisa a ira afirona.
que lemos de vintao nos obriga a aboixar seus precos,
idores cerca de 3-*i a 40 pipas deste genero, entre pip is.
libra.
a duzia, e
Palitos do gaz a 2,loo rs. a groza, 2oo rs. a
duzia, e 2o rs. a caixinhas.
Queijos flamcngos chegados neste ultimo va-
por, a
dem pralo muito fresco a Hoo e 9oo rs.
a libra.
dem suisso a melhor qualidade que ale ho-
je tem vindo ao nosso mercado a 8oo rs.
a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Serveja das melhores marcas a 0,ooo rs. a
duzia, e 56o rs. a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e
meia latas a 38o 080 rs. cada nma.
Sag mnito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevadaa loo rs. a libra, e 2,8oors. a arroba.
Traques de 1.a qualidade a 8,5oo rs. a cai-
xa, e22o rs. a carta.
Toucinho novo de Lisboa a 24o e 32o rs. a
libra.
Tijollo paralimpar facas a 15o rs. cada um.
Vinlio em pipa Porto, Lisboa c Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
ooo rs. a gairafa.
dem"do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada,
dem Colares especial vinho a 6oo rs. a gar-
rafa,
dem Lavradio muito fresco nao levando com-
posico a u6o rs. a garrafa, e 4,ooo rs. a
caada,
dem branco de uva pura a 5Go rs. a gar-
rafa, e 4,5*00 rs. a caada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
rs. a caada,
dem Bsrdeaux ein caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo prego d pre-
juizo e s se encontra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguntes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu-
lar, malvasio fino, D. Pedro V, D. Luiz
I, Nctar e outros a 9,ooo e lo.ooo rs.
a caixa e 9oo a 1 ,ooo rs. a garrafa,
dem Moscatel superior a l.ooors. a garra-
fa, lo.ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oo rs. a caada,
dem em garrafes com 5 garrafas a l,ooo
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada uma
dem de escova para esfregar casa 36o rs.
cada uma.
Vellas de espermacete superiores a
a libra, e 52o rs. em caixa
muito bomas tambem por baraio prego ae i e o#, *" .. /.,.,., n mrrsfi e
leques de charo tambem por 45, tudo isto para dem dem em barril a 64o is. a arrala e
0 grande depesiio
achando-se vista dos comprador
barris e ancoretas.
Amendoas confeitadas em lindos frascos a 8oo Lingoas americanas muito novase mui
rs. a libra
dem com casca a 32o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas e frascos a
l,2oo, l.ooo C 2,ooo rs.
Vlpista a ICo rs. a libra e i.Coo a arroba.
Arroz do Marariho, Java e do Renedo a 8o,
loo e 12o rs. a libra, em arroba a2.ooo,
2,8oo e 3,2oo.
Azeite doce refinado a 8oo e loo rs. a gar-
rafa.
acabar, perdendo-se talvez 80 0[0 : s no Vigilan-
te, ra do Crespo n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de conlas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto a 15 e 15200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas cstreitinhas de
borracha que as senhoras tanto precisam para se-
gurar os manguitos por ser muito commodo e mui-
to barato, a 320 o par: s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Canelas.
Riquissimas carretas de madreperola proprias
4,8oors. a caada.
Ancoras com vinho do Porto, encommenda
feita pelo proprielario do Baliza a 0*0,000
rs. a ancora com 7o garrafas.
' Bokixinhas de Lisboa, ingleza e americanas
em latas a l.ioo, I,ooo, 2,ooo c 3,ooo rs. (
c americanas em barricas a 3,ooo rs. a
barrica.
Banha de porco a 4oo rs. a libra c em barril,
a 3Go rs.
Batatas em gigos a I,5ooo gigo.
para "qualquer presente, pelo baratissimo preco de Cha perola a 3,000 rs. a libra.
15500 e 25. dem uxim a 2,6oo e 2,8oo a libra.
YdUlhas. dem hysson a 2,ooo, 2,4oo e 2,8oo. a libra.
Lindas voltinhas deperolas falsas com cruzinhas j,iem (\(, R0 a {fioQ rs. a libra,
fmgindo brilhanles, assiiiicoiiiocruzinhas^ayulsasi j(jem el() a | 0Q e ^.noo rs. a libra.
"rud'o Charutos dos melhores fabricantes da Babia
eBio de Janeiro a 8oo rs. e I,uoo, 2,ooo,
'.nr, :t im> .i oo. 4,5oo e 5,000 rs. o
4HJ
rs. <
:e a
e voltinhas, pelo barato preijo de 1-5 e 15200, a
cruzes avulsas a 400 rs. : so no Vigilante,
Crespo n. 7.
Sapalinhos e mrias ilc seda.
Riquissimos sapalinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como inciaszinhas de seda, gorra-
zinhas e touquinhas para as criancinhas se bapti-
sarem : s no Vigilante, rna do Crespo o. 7.
Golinhas.
2,4oo, 3,00o, 3,;>oo,
cento. '.
Chocolate dos melhores fabricantes ie Pars,
Allemanha, Hamburgo e Lisboa
! Copos lapidados para vinho a 2,8oo a duzia.
Riquissimas soiinha's c""niancuitos, o melhor gos-! dem idem para agua a o,ooo, 5,5po e 6.000
possivel, a 25, 25500 e 35: s no Vigilante, I rs. a duzia
o .
ru do Crespo n. 7.
Eofciles para senhora.
Riquissimos enfurtes com laco e sem laco e de
outros muitos gostos a 15, 15300 e 35 s no Vi-
gatele, ra do Crespo n. 7.
Ti-ancclins.
Lindos Irancelios de cabello para relogio oa lu- [
netas, pelo baratissimo prego de 15500,
retroz a 200 rs.
liabadinlios eotrciueias.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos
desenhos tapados c transparentes, pelo baratissimo
Cerveja das melhores marcas a ,ooo, *i,ooo
e 6,ooo rs. a duzia.
Cravo canella e cominhos.
Ceblas em molbos resteas e soltas.
Conservas inglezas a Soo, Ooo e I,ooo rs. o
frasco,
ditos de Dittas francezas a ooo e 64o rs. 0 Irasco.
Cognac ingle/, e francez a l,ooo rs. a garrafa.
Caf de 1.a, 2.:l e 3 n qualidade a 8ooo 9,ooo
e 9,ooo rs.
Cevadioha de Franca a 24o rs. a libra.
S'crS.f00'2503^ snoVisilan,e' Champagne de muito boa qualidade a !2,ooo
Oscarrillias.
e 2(.i,ooo rs. a duzia.
Grande sortimmo'clscTrriihas de diversas Doces da casca da goiaba em latas preparadas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro
prias para enfeites : s no Vigilante, ra do Cres-
po n. 7.
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e qualidade, por precos que admiram aos compra-
dores, havendo fitas largas proprias para smteiros
com muito aceio, propna para memozar
algura amigo na Europa, por ser inallera-
vel por mais de um anno, a 3,ooo rs. a lata
com 7 libras.
Dittos em caixes a 56o, 64o, 8oo e I,ooo
rs. o caixao.
que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca de 31 rv|has portuguezas em latas com 1 h II-
varas a 25 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7., ^ lQQ ^
Fltas.de laa. ., franeezas em latas a 5oo rs.
Filas de laa de todas as qualidades, propr.as para ^m iraniozab em un
debrum de vestido a 700 rs. a peca : s no Vigi-: dem seccas a 200 rs. a libra,
lante, ra do Crespo n. 7. Espermacete americano pnmeira qualidade a
11 icos espeihos. l.2oors. a libra.
Riquissimos espeihos com moldura dourada e |.. ft_ncez a Rfln rs, a libra, 0 em caixas
sem ella de 85,10,12 e 145, assim como coa co- ""J a OO
lumnas de differentes tamanhos a 25, 3, 4, 5 e 65: a o20 rs.
s no Vigilante.rua do Crespo n. 7. \ \ parni,a d'araruta verdadeira a 18o rs. a libra.
Lindos jarros e figuras. Farinha de trigo a 12o, 14o e 16o rs a libra.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina j, l6o fS a ibra
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com boneca para pos de ar-
roz, cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim co-
mo pacotes s com os pos a 320 rs. cada um : s
no Viglante, ra do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimente de extractos e banhas, poma-
enfeiladas a 800 e l,ooo cada um.
Fumo americano em latas para cigarros
l,8oo rs.
dem em pacotes a 2oo rs.
dem em pasta a I,2oo rs. a libra.
Genebra de laranja a 1,000 rs. o frasco.
. das, assim como os lindos copos eu vasos cora dis- iuem ngleza marca Gato a 1,00o rs. a gair
! tinctivos e offerecimentos s sinhazinhas, dos me- i(|pm(iP Hollanda a C4o e 1,600 rs. o Ira
Ihores e mais afamados autores de Paris e Ingla-
afa.
asco
AGENCIA
, DA
FUNDIClO DE LOW-MOOR.
Ra 4a Sennlla un 42.
Neste estabelecimento contina a haver
am completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.
Empreza daiUiiminatfio
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e ruclamacoes
(por escripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem da rna do Imperador
n 31. Os machinisus mandados para atlendera
te attendidos. _______
Euzebio
cm seu escriptono, rna
tes gneros i
Cera era velas.
Cal era pedra de Lisboa.
Vinho puro em ancoretas.
I Limonadas de diversas
I.Soo
e 2,000 r* garrafas grandes e pequeas.
d dKaaSeiaT5PrSn- JS^m ^nceiesa 1,000,
o"
des a l.ooo rs. cada uma.
Lingoicaspromptasem latas a I,Soo cada lata.
Manteiga ingleza flor a 800 rs. a libra noste
genero ha mais de 10 baris abertos afim (Ir
serem satifeilos os compradores.
dem menos superior a 64o rs.
Manteiga ingleza a 000, 4oo e 32o rs. a libia.
Idem francesa a 060, 600 e 64o rs. e em I-1 -
ril por menos.
.Massa de tomate a 64o rs. a. libra.
Marmelada los melhores fabricantes a 1 '
rs. a libra.
Molliosinglezesa looeCio rs. agamfinha.
Mostarda preparada a 4oo e 64o rs. o Ira: 0.
Massas para sopa a 4oo rs. a libra das de 1-
Iharim, aletria e macarrao.
dem linas estrelnha e pevide a 3,ooo rs. a
caixa.
Milho niitido para passams a 16o rs. a .:. 1.1
c 4,800 a arroba.
MarrasquinooVzara do verdadeiro a I.
Irasco,
dem muios superior ;i 800 e 1,00o
frasco.
Nozes a 24o rs, a libra.
Prezunto portugus de superior qualida
64o rs. a libra e inleiro pfT Son rs.
dem inglez para fiambre a 64o rs. a lii rJ.
n3o agradando mesmo depoi de preparad-,
poder ser devolvido, que se trocar poi
oiitio ou ser restituido sen importe.
Passas novas a 400 rs. a libra.
Polvo a 16o rs. a libra.
Painco a 16o rs. a libra.
Pomada a 24o rs a duzia.
Pimenta do reino a 36u rs. a libra.
Peras seccas a 64o rs. a libra.
Peixe em latas a 1,000 re. a lata.
Papel al masso e de peso, de diversas qua-
lidades e precos deferentes.
Palitos do gaz a 2,2oo a groza.
dem para dentes a 80, lo e 24o rs. o ma-
co com vinte macinhos.
Gueijos ilnmengosa 2,6oo, do ultimo wjm r.
dem pralo a 64o rs. a libra.
dem londrino a 800 rs. a libra.
Rap Meuron a 1,000 rs. a libra.
Sevadinha a 24o rs. a libra. ( nova ).
Sag a 28o rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a 64o, 060 e 36o rs. a
lata.
Sabo massa a 12o, 19o, 2oo e 24o rs. a ;-
bra.
e em caixes por muito menos.
Sal retinada a 600 is. o poB de vidro.
Toucinho de Lisboa, de Santos e ameikua
a 16o. 24o e 32o rs. a libra, e em arroba
a 0,000, 7,000 e 9,ooo rs.
Tijollo para limpar facas a 16o rs. cada ura.
Vinho do PoPto em caadas a 3,Soo, 4.uoo e
5,000 rs. e em ancoras com 7o garrafas poi
3o,ooo rs.
dem de Lisboa sem confeiceo. (de eocometv-
da) por 5o,ooo rs. o barril com 17 cni-
das,
dem de Lisboa mais baixo a 43,ooo rs.
dem em pipas a 3,ooo, 3,5oo e 4,ooo rs. a
' caada.
dem em barril de Bordeaux cum 13o gar-
rafas por 50,000 rs.
dem dem de Bordeaux com 70 garrafa por
Idem'eTcaisas por 5,ooo rs. a caixa com 12
garrafas da melhor qualidade que vem ao
nosso mercado. .....
Vinho branco para missa de Lisboa e Porto
em pipa, barril e ancoras a 4,ooo c S.ooo
rs. a caada.
Vinagre de Lisboa, Porto, tinto c brando a
l,6ooe 2,ooo rs. a caada
dem em ancoras por 16,000 rs.
Velas cstearlinas a 56o rs. o maco, e era cai-
xas a 52o rs.
Vassouras americanas a 64o rs. uma.
Arados americanos e machinas para
U vindoda Amrica Ingleza vendem-se por este u 0 pa em g^ de 5. P. JohnstOD & C
Ferros pi ?
Ifarna Urea do Rosarlo n. 24, loja de ounves, 120 rs
Tendera-se todos os ferros e utencios de oortTes. MOOr UDra a 1,
Trina, volantes c salde*.
Vende-se trina, volantes e galdes de todas ae
larguras por precos muito barato: so no vigilants
ra do Crespo n. 7. ^^^^^^^^^^.^^^_
Rna da Senzalla Kova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Lo*
Achacados.
Quera os possuir e os quizer curar perfeitamen-
te recorra ao afamadissimo elo de Merchant, que
se vende no armazem da bola amarella, oitio da
secretaria da polica.________________
Hua da Cadeia n 5*.
Vende-se um balcao, 3 caixes e 3 flleiros lado
{de amarello e em muito bom estado.
Graiide pechincha.
Vende-se a 8 a peca de panno de linho puro e
limpo com 25 varas cada uma : na rna da Impera-
triz n. 20. ________________________
Vende-se nm sitio na praia do Rio Doce, di*-
taute da cidade de Olinda uma legoa, com 600 prs
de coqueiros que dao fructo, com boa casa Oe w-
venda de pedra e cal, chaos proprios, com banho
no fundo: quem pretender, dirjase a mesma c-
dade, ra do Carmo, casa do conego Sonza Gome-,
que achara com quem tratar.


*-
-a*^*-fc.
1





V
Diario e PerMHftofe .** Sabbado 1 de Jnlho de sst.
irgo
'Santa Cruz
numero
12 e 84.
Bill
Esquina d
ra do
Sebo n. 12!
e84.
GRANDE
57 RtA DO IMPERADOR 57
Pa*fe Ferreira da Silva & Companhia
!?S**$5. d(! molhados em grosso e a retalho. nico armazem qtie n
SE3
AURORA BRILHANTE jj
X GRANDES ARMAZENS DE MOLHADOS.
vantagens offerece ao publico.
tfesenganem-se todos.-.
* Alllaaea o verdadeiro.homem do progresss.
i o AIHaaca o verdadeiro e principal armazem de molbados.
Allianea o armazem que rende mais barato.
0
NEM COROAS NEM MITRAS

GRAH'Ufi


ARHJlXEM
DE
K


(esquina
que nos
primeira quali-
Francisco Jos Fernandos Pires preprietario dos armazens de molhados denomina-
dos Bnlhante Aurora e Aurora Brilhanle, ao largo da Santa Cruz ns 12 e 84
da ra do Sebo), faz sciente ao respeitavel publico desta eidade e do interior
seus importantes eslabelecimentos vender sempre gneros novos e de
dade e vender a todos pelo mesmo preco.
O completo soriimcnlo de todos os gneros Anos e grossos que eostumam ter outros
estabeleeimeutos desta ordera se encontrarao sempre nos armazens da Hrilhante Aurora
e Aurora Brilhante e sempre em grande escala a vontade dos Srs. compradores
O proprietano dos armazens Brilhante Aurora e Aurora Bnlhante pede a todos os
senhores esennoras que quando tiverem de mandar suas refa'cSes a estos eslabelecimen-
tos por seus criados seja em carta fechada ou com grande recommendacao a estes arma-
xeos, certos de que serao tao bem servidos corno se viessem pessoalraente.
A Bnlhante Aurora e Aurora Brilhante troca qualquer um genero que por acao l
nao agrade erecebe as libras esterlinas a Deseado por compra: a tabella de seos gneros SU
sera mudada todas as semanas.
Amendoas confeiudas parasortes a libra 15. Vinho musoaiel duzia 104 e garrafa 12
Manteiga ingleza flor a 800, e 960 rs. Dito branco proprio de Lisboa caada 45800
Dita mais abaixo a 640 e 720 rs. e garrafa 640 rs.
Dita franceza nova libra 640 e ex barril
600 rs
a. Vinho branco de muito boa qualidade cana-
i da 43 e garrafa 480 rs.
Chocolate sante rau.io novo al5200 a libra. DitoXerez lino a canada 74500 e carrafa a
Cha parola o melhor que ha ( redondo) a! 13200. ^ ,
Dito Madeira seca canada 103 e garrafa 23 i{}
i Ditu em caicas de urna duzia do Porto des
t melhores autores a 123, 143 e 163.
Carrafas com licor lino francez e porluguez
a 15'

o .% Illanca o armazem que vende os melhores gneros.
Allianca o armazem onde preside o melhor aceio.
Fiquem todos sabedores desta verdade,
Venham todos a ra do Imperador n. S7.
Venham ver os gneros que temos expostos a renda.
PARA AS




s. joto
de bonitas
cor
Dito dito mais abaixo a 25500 e 23800.
Dito uxim muito lino a 25800 e 33.
Dito hysson superior a 25600 e 23800.
Dito mais abaixo a 25 e 25500.
Dito preto muito fino a 25500.
Dito em massos a 23.
Ditas com vinho de caj muito claro a 15.
Ditas com mel de abelha puro a 15.
MtojtoMo em latas de 4, 2 e 1 libra a Frascos com geuebra delioanda* de
13500.
Caf de moca superior arroba 103500 e li-
bra 400 r..
Dito do Rio e do Cear arroba 95500 e libra
320 rs.
Dito mais abaixo arroba 85500 e libra 280
Barricas com bolacliina ingleza ingleza nova
a 34-
Latas com bolacliinha de soda de 5 libras
a 25500.
Ditas com ditas sordas de 2 libras a 15400.
Frascos rom aun xas francezas so o frasco
val o dinheiro a 23800 e 35.
Latas com .litas a 15400, 25200 e 45.
Hilas com figos de comadre a 13300.
iBj Caixinhas hermticamente lacradas eproarias
i.: O para mimo a 25 e 25800.
\ Caixinhas com ditas a 15, 25500 e 53 de
rifo arroba.
"'j'1 Presunto de Lamego muito novo a libra 5 0
-fir> rs" in,,,'ru ,; '' retalho 600 rs.
K Chouricas e paios novos a libra 800 rs.
Latas com chouricaseiinguicas novas vin-
\f das Desta vapor com 9 libias por 63300.
fjj Pitas com peixe ensopado de muitas uuali- '
:^< dadesaj*. !
Dit> com ervllhas francezas e portuguezas .
gar-
sfl
-i
rafas a 1.
Dito de una garrafa a 560 rs.
Dito de laranja verdadeira a 15200
Duzia de graaa latas grandes a 13.
Caixas com 2o massos de velas de sperma-
cete a 560 rs. a libra. rfrt
Ditas maiores a 600, 640 e 720 rs. a libra. g&
Caixas com una arroba de velas do Araca- -P
ty 103500 e libra 400 rs. X
Ditas de composico arroba 105u libra 360 &$)
Saceos grandes com farinha deoianuamui- Y-Iti
to boa a 55500. r?r
Dito de Porto Alegro melhor que de Muri- vS
beca a 65. *)
Ditos com milho novo com 24cuas a 43000 S
Dto com farello de Lisboa 120 libras a
55.W0.
Dito com arrnz de casca a 55500.
Duzia do garrafas de serveja branca e preta
a 54800 c em barricas a 55500.
Arroz do Maranhao em saeces arroba 25600
e libra 100 rs.
Dito da India e Java arroba 35 e libra 120
Araruta verdadeira arroba 85 e libra 320
rs., matarana.
Gomma do Aracat\
53 e libra 100 rs.
DE
i
Amendoas confeitadas
I 800 rs. a libra.
dem de casca muito nova a 3oo rs. a libra.
Avelaas a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo, i,loo e l,6oors. cada
urna.
dem em frasco de vidro com rolha do mes-
mo 011 de metal, a |,2oo e l,4oo rs. cada
um.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada
um.
dem em latas de I '/j e 3 libras a !,2oo e
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranhao o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,4oo rs. a arroba.
, Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
I 4,8oo rs. a canada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e lo,ooo rs. a
caixacom I duzia.
Alfazema muito nova e Fimpa" a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a IGo rs. a libra e 4,ot) rs. a ar-
roba
Bolachinlias de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio das seguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e de 3 '/i libras a i .5oo rs.
e em libra a G4o rs., estas bolachinhas
torna-se muilo recommendav
cialidade para os doentes.
Biscoitos e Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em carios e de diversas
I qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4oo
I rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a IGo rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
FESTAS

En S, PEDRO.
dem de Hollanda em garrafes com 24 gar-
rafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
zados a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades a
800 e I.ooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800
e 96o rs. a libra.
dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
libra, e 58o rs. em barris inteiros.

RIJA DO IMPERADOR M. 40
Junte ao sfbrado em qie mera Sr. Osberue,
Para a festa de Santo Antonio, S. Mo e S. Pedro.
Onarle Almeid.i 4 C, recebrrant de sita prrt
mais lindo e variado soitimrnlo de molhado
da preaeale estacSo.
Manteiga ingleza | Macas braneas
la neste vapor de 28 de para sopa a melhor que se pode desejar,
macarrao, talharim e aleiria a 400 rs.
lados, proprlos
maio a 800 rs. a libra.
Manteiga franceza
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril
a 500 rs.
Amendoas
confeitadas de Iindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2f5400, muito propios para mimos.
artoes
Latas
"tom^&ftti sscom boios ft-ancezes a ^rs-cada -
latas de differentes tamauhos.
Massa de tomate em latas de 1 fibra
rs. cada urna.
dem para soda estrellinha, pevide e rodinha I CllOftOlntes
Presuntos indezes
a 56o'com bo|achinhas de soda de todas as qua-
lidades a 16300.
com espe-
v
urna e 5oo rs. alibra.
dem macarrao, talharim ealetria a 4oo rs. a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um
Molho inglez em garrafinhas com rol has de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho vnrdadeirodc Zara a l.ooo rs.
a garrafa, lo,ooo rs. a caixa com 1 du-
zia.
Nozes muito novas a 16o rs alibra.
Prezunto de fiambre superior a 600 e 800
rs.
dem do Porto para paridla a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co
mo, savel, corvina, govas, pescadiaha e'
outros a l,ooo rs. a latas. ng
Palitos para denles a 14o e a IGo rs. o mas- cm libras e caixinhas ricamente douradas,
so dos memores. proprias para mimos a 900 e I20o'
Painco o mais novo e limpo a IGo rs, a li- C%& uxUn
\S ora, e a 4,5oo rs. a arroba. UUd UX1111
Paulos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs. mo,.or qne-SC ^''}]g desejar,
libra e 4A5O0 a onza.
Vinho
Figuera J A A e ootras mnitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lista
6 2ras ma,?s a 40 rs- a ****<, e
20800 a canada.
dem do Porto
generosos engarrafado Aas melhores fabri-
cantes da eidade do Porto a 1* e \jf*(H)
a garrafa e de i 00 a 120 a caixa, as mar-
cas s2o assegHintes: Chamisso AFilho,
J*'. A M., Nctar ou vinho dos Denzes,
lagrimas do Douro e outros muitoi.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a barrica da mesma que
ira engommar arroba
cadas
rica.
a 24o rs. a libra c 2,ooo rs. a bar-
r;1S80 '"r Tapioca ou farinha o Maranhao nova libra
Ditas cum fejao vnrdo francez a 800 rs. 160 rs,
D'gs rom massa de tmale novo libra Ervlha ierras muilo novas libra 200 rs
. .',,, rs- Sa?i> i; sovadinh a 240 rs.
Djias com ostra, :. 7o r. ; Suvada arroba 352/0 e libra HO rs
unas com marmelada dos melhores autores Graxadu boiao 97 a 2S0 rs
no Lisboa a libra 610 rs.
Potes rom musanla franceza preparada
libra 180 rs.
pepinos, mexides
;:
Sabao massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito hespanhol rordadeiro a 400 rs. a libra.
Balaios do Porto diversos lmannos de 320
a 25.
Capachos para portas de varias cores a G00
700 o 00 rs.
Grao do biou arroba i.'ii)0 e libra ICO rs.
Paitifo arroba S^SOO < libra 200 rs.
Milho alpista arroba 4,5800 e libra 100 rs.
Azeite dore de Lisboa garrafa a fi'0 rs.
Vinagre de Lisboa caada 15300 e carrafa
200, 210 e 320 rs. b
Massos de palitos de denles com 20 massi-
nhosa ICO rs.
Tijolos de lirnjiar facas a 100 e 12o rs.
Caixascom 'tO cartas de traques a 95300 e
a carta 280 rs.
Resmas de papvl al maco pautado a 55.
Iiitogreve liso o melber rpie ha a 45300.
Dito de peso e paulado a 25300 e 25800.
Garrafoes com 23 garrafas de verdadeira
genehra de Hollanda por 85300.
Azeite de coco garrafa 360 rs. e carrapato
360 e ranada 25360.
Caixdes com doce de colaba a 610,800 e 15,
85300 e libra
.y], Frascos com conservas de ]
/S3 c azeilonas verde a 15.
- (3 Dita dita franceza a 800 rs.
rh Gikos com trinia o tantas libras do btalas
fi 35300.
> Q ieij '- a >v s do vapor a 35290 e 35.300.
-'- Ditos de prato enplicado a 1-3.
y^ Dito snisso a 800 rs.
. Dito de manti iga do Serid a 800 rs.
r^jg Caixas com passas novas ir. 1 arroba 75,
m n.'il.'iOO o quarto 25 e libra 480
6 i o rs.
Amendoas com casca a libra 2i0 rs. c arro-
ba 65-
$5 Nozes libra 100 e arroba 35.
rfifi Caixas e meias ditas com charutos finos da
\wjh Baha dos melliores lubricantes de Jas
Pur-tado de Simas, Res e outrus, sendo
Suspiros, Parisienses suspiros, Delicias,
Normas de Havana, Exposicao, Almiran-
tes. Barateiros, varetas, Goanabaras, Re-
, Kq palia imperial, Acadmicos de Olinda, Se-
<$)$ nadores e Apraziveis de 15300 a 83 a cai- Toucinho de Lisboa "arroba
-yjp xa de 30 a 100 charutos. 320 rs.
v^ ^i ^ -*m a y '* a ,ll"-ia- Molhos com grandes ceblas a 15600
(Jp ^T18 com ton" novas a 3, e 45 bar- Cento de dita sola a 15300.
() t. r,s Kran5es-_ Mauncos de albos a 240, 320 e 400 rs.
i- iSS!** Piassava muito seguras Esteiras de vanas qualidades.
Sff' a -,t0u1 rs- Cordas de postar e de andaime.
X -(zeileiioce francez dos mellioros fabrican- Favas da ilha de S. Miguel arroba 35200 e
cfe tes caixa 105e agarrafa 15- libra 120 rs.
Caixascom vinho Bordeaux branco c tinto Copos lapidados para agua c vinho a 35500
S. Julien, S. Estife e outros a 75300 e 85- 55800, 65 e 75. '
vinho do Porto lino em barris de 3o que ra- Ditos lisos para varios preco*.
"^^"''^^nwWeein canada a Calix lapidados grandes e pequeos dazia
8#a001 e garrafa a 800 rs. i 3,4 e 55 ; e 400 e 500 rt. cada um
Dito da Figmira puro canada 45 e 45300 e Massas para sopa macarrao, talharim e ale-
garrafa a 480 e o60 rs. tria a 480 rs.
Dito de Lisboa de boas marcas a 3-3500 e Estrelinha e pevide libra 560 rs
rntlena,.CaLrHf-a i0o4?.r> ..< Xuave* de fructas nacionaes a garrafa
Cognac verdadeiro a garraa 15 e 15280. 500 rs.
^E muitos outros gneros que nao possivel men-
ciona-los todos de primeira qualidade.
e Aurora Rrilnantc 6 vender muito embora bara-
A satisfacao da Brilhante Aurora
^

POR MENOS M 20 A 30 POll CElMO

rm
23Largo do Terco23.
Joaquim Simao dos Santos, dono deste
qiiem sen armazem
dos Santos dono deste armazom de molhados, tem feito urna grande vantgem
tem frequentado, liquidou todos os seus gneros mais amigos que tinha nao
ueste armazem como fora, e tendo feito urna grande reforma neste estabelecimento tanto em tannnlm
i orno eiu geueros uue mandou vir por sua propria encommenda a maior parle, que os pode vender or
menos de que qualquer annunciante, para isso se responsabilisa pela superior qualidade.
Atten$to.
Batatas as mais novas a 15400 a arroba e 60 rs. a Queijos do vapor a 25S00.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem vindo ao nosso mercado a
18,000 rs. o gigo e l,5oo rs. a garrafa
i inteira, e 8oo rs. as meias.
Cha uxim o melhor que se pode desejar, e
que nutro qualquer nao vende por menos
de'3,000 a 2,7oo rs. a libra.
dem perola de esp cial qualidade a 2,6oo e
2.8oo rs. a libra, garante-se a qualidade
destfi cM.
dem hysson o melhor que possivel encon-
trar-sc a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra,
dem do lio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2ooe l/ioo rs. a libra.
dem prelo muilo fino a l,Goo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e snisso a 1,000, l,2oo e I,loo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em > caixas das seguin-
tes marcas: Parisienses, Suspiros, ili-
cias, Napoleoes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a !J,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muitos fabricantes e de dif-
ferentes marcas para 1,5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a I.Coo, 2,ooo e\ooD
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
dem franceza a ooo rs.
Cognac ingle/, das melhores marcas a I,ooo
rs. a garrafa e lo.ooo rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 8oo rs.
a garrafa e D.ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Gravo da India a 6oo rs. a libra.
Canellaa i,ooo rs. alibra.
Copos finos para agua a .*>,ooo rs. a duzia, e
ioo rs. cada um.
Caf do Kio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,8oo e l),3oo a arroba.
Doce tino de goiaba a 6oors. o caixao.
Emilias porluguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem ceceas a IGo rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
1,ooo rs. cada urna,
dem em l?tas emticamente lacradas a
l,5oo e 2,5oo rs. cada urna,
dem em caixas de V* arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs,. a lata
ultimo
rs.
Massas amurellas
talharim e aletria a
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos chegados neste
vapor, a 3, ooo
dem prato muito fresco a 8oo e Ooo rs.
libra,
dem suisso a melhor qualidade que at lio- mais somtico que
je tem viudo ao nosso mercado a 8oo rs. mercado a 2f00.
a libra.
dem londrino a Ooo rs.
Sal refinado em potes de vidro a
cada um.
Ceneja das melhores mareas a G,ooo rs. a
duzia, e.'ilio rs, agrrala.
Snnlinha iie Lislioa e INanles em quartos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muilo novo e-alvo a 2io rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2.8oo rs. a ar-
roba. PAPEL
Traques
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambera vendem a 2t5 e 2*400-
temos velhos para 500 rs. r0ZeS
Queijos flamengos as mas novas mer^">* *\ bra.
chegados neste ultimo vapor a 2(J6oo. OeiTejS
tneljos dos melhores fabricantes|e de todas as mai
chegados no ultimo vapor a 2^600 cada um. j cas de 46500 a 6A5O0 a duzia.
41 ii cijo CHARUTOS
londrino o mais fresco que se pode esperar rharnfn Thnm Pnrt u
e de excellante maree a 800 rs. a libra 2s' sendo inteiro e a 900 rs, a retalho. caiiumasaigOO.
CoilServaS lllglezaS 'do Maranhao a 100?libra, e da India
] as mais novas que se pode esperar a" 7G0 rs.' a 80 rs- a libra, e 2>500 a 35080 a ar-
o frasco. roba desses que vendem por 35iO0.
FiffOS CAf
| de 1.a e 2.a sorte do Itio de Janeiro a x :,f
e 8,5800 a arroba, e 280 a 300 rs. a l.t./
Ciari'afeg
I com 4 '/i garrafas com vinagre a l-SOOO.'^^
o garrafio.
GENRRRA DK LAR.ANJA
a 1^000 o frasco, e de ll00f
que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3-) a 25f600.
dem pero!
especial qualidade a 2;>700 rs. a libra.
dem bysson
tem viudo ao nosso
verdadeira
a caixa.
DEM
de Hollanda
a 5800 t m
para sopa, macarrao,
480 rs. a libia.
C'OC\AC
o nimio afamado cognac Pal Brandy a
re. a ffart^fa c ilc uiiliiis inultas l
des a l.ooo e 8oo rs. a garrafa.
'OPO
lapidados para agua a 4,ooo c
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
em frasqueiras
12 frascos.
GENEWtA
de Hollanda verdadeira em fra^u.-ira a Goo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a
e 2o rs. cada caixinha.
piaida- unos de todas as qualidades, a lo,ooo a
com nina duzia e a l.ooo a garrafa.
5,0oo rs. a Marmelada
l,8oo
a groza
*i\a
aques de- I." qualidade a !),5oo rs. aca-alinaC greve, peso c deoutras muitas qua-
xa, o 2o rs. a carta. Iidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma dome-:
Toucinho novo de Liiha a 24o e 32o rs. a 'nor-
Papel de botica
ora.
Tijolo para limpar facas a 13o rs. cada um. de excellente
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das!
melhores mareas a 3,8oo rs. a canada, e' azul e pardo para"emhru"ll.o de I.
Kio s a gnala.
dem do Porto Lisboa
e Figueira
de marcas
garrafa, e
menos conhecidas a 4oo rs. a
2,8oo rs. a canada.
dem Colares especial vinho a Goors. a,gar-
rafa.
IdemLavradio juito fresco nao levando com-
composifo a 56o rs. a garrafa, c 4,000
rs a canada.
dem branco de uva pura a 5Go rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a canada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a canada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a G,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
libra.
dem milito especial que raras veres vem ao
nosso mercado a 1,2oo rs a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d
prejuizo e so se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a ),ooo e 10,000
rs. a caixa e 9oo e l,ooo rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a 1 ,ooo rs. a garra-
fa, e lo,ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
Wem em garrafoes com 5 garrafas a 1.000
1,00o I rs. com o garrafo.
rl\3 1 f,' .. ; Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
uenebra de Hollanda em frasqueiras com 12 rs. cada urna.
frascos por-6,000 rs. e 560 rs. o frasco dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran-, cada orna.
M-deS*e i1;,000/5, a uaix-- com ,2 ""ascos- Velas de espermacete superiores a 56o rs.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada a libra, .e 52o em caixa.
ma; | dem de carnauba refinada e de composico
em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo! a 36ors. a libra, e de 10,000 a 11,00ors.
rs. com o garrafo. j a arroba.
rs. a resma.
Corinthias
passas corinthias muito
podim a 800 rs. a libra.
Fume
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra
Vinagre
PRR em aneoretas de 9 caadas a L5,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e l,ooo rs. o molho.
Alpista e Pain o mais novo do mercado a 140 rs. a libra
e 40400.a arroba.
dos melhores fabricantes ile Lisboa, coran se-
jam Abren e outros muitos a 600 rs. a
libra.
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a too rs. a libra e
1 de 3.000, a 3,2oo rs. a arroba.
4ooa2,2oo; viCLAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa tara abatimenlo.
novas proprias para: VFLAS
de carnauba em caixas de arroba 1 3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
qualidade a 2.5200 a resma,
PIPKL
arrobasa ."ir> a caixa e 60 rs.
em caixas d
a libra;
Passas muilo novas
em quartos e inteiros a 20 o quarto e 60300
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
portuguez o mais especial que se pode dn-
sejar a 80rs. a libra e 140rs. o pao.
I'iiilas en calda
chegadas ltimamente, pera, Bteego, ginja e
outros muitos a 640 rs. a lata.
llsre da casca da faiaba
a 4500 e 10 o caixe.
Os proprielarios do grande armazem o Verdadeiro' Princ
KSS VSS a ,,b,0 m "era'' '1,,e Para "te a comSidl J?M, '
tipulaiara os mesmos precos nos seguintes lugares:
8 es-
Iho c Coiiiinemo ra de Queiiua o 7
Verdadeiro Principal rm do Imperador n. 40
BAIRBO DO RECIFE, RA DA CADEIA N. 5().
i) mais,novo e o melhor
AUnAXSm DE9fOLHADO
inquina defronte da ra da Madre de Dos

dem

GAZ GAZ GAZ
Toucinho de Lisboa novo a 280 rs. a libra c 83100
a arroba.
Cal? Rio de Primei e segunda sorte a 280 e
300 rs. a libra e 84500 a arroba.
Arroz pilado a 80 e 100 rs. a
a arroba.
Sardinha d> Raotes novas a 320 rs. cada nina,
sabao massa superior a 180 e 220 a libra.
Passas as mais novas desle genero a 400 rs. a libra
Ameixas franceascQiu l c meiaiibras a 15.
Bolachinhas hfjbUt tuk a 240 rs. a libra
U'r"1 de 15200,14500, 2#, -$ e 4.5.
Phosphoros do ga groza 25200.
r-'
Vinho de Figueira, marca JAA, a 300 rs. a gar
rafa.
Dito de Lisboa a 400 rs.
Dito de outros paizes a 360 rs.
Dito para negocio a.MO.rs. agarrafa e em canada >Peiad,ir n- 1G e ra do Trapiche Novo n. 8.
--*"*! 'sefazabalimento. I _____________________________" .
Qenebra de.Hollanda cm frasqueiras a C3000 e^OO
rs. o frasco.
Tende-segazda melhor quaUdde a 12>
a lata e era lotes de 10 latas para cima se
far abatimento. no armazem .da ra doitm-
Idenvem Iwiijas de conla a 400 rs.
Azeite doce de Lisboa fino a flOO
l>tJde.j*rWioa.a20r4.aarria.
^ Ufee^a a 50 rs.
Mant
barif
a garrafa,
libra, e 54 em
Haa da Senzalla a. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston 4C,
sellins e silhes inglezes, candieiros e casti-
aes bronzeados,-lonas inglezas, fio devela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de^um ie doHS cavaJlos, erelogiosd
Dita WlMft or .a 720, 00 c 000 rs. a libra e em onro *8^1* in8|e2-
Velas do carnauba a la arroba e 30 a libra. I*^-*>' -* *bra a 600 rs. ,ada tp5 KSSEFmSSS
sia vAlem des.es gneros ha outros moite.-^ enfaAoh. Wia .encimados. Quem duvidar ve- ^v^L^^S^^So!^
Charutos de Havaua
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schafleitlin 4 C, ra da Cruz n. 42.
At que cliegon
um grande sortimento de blco e renda preta de
novo modelo chamado (guip) o melhor que se
pode dasejar neste artigo e uue se vende muito ba-
rato : na loja do gallo vigilante ra de Crespo
n. 7. r
merecer a cojanca com que se dignaren de o honrar eC'a^", ** qoc JlaMb fe*.
Em resumo, visite o respeitavel publico o novo i
1 eos mcuto razoa\eis
por nre-
Fabrica Conoecao da
Baha.'
Andrade & Rege, rocebem eonstanti--
mente e tem venda no seu armazem n.
34-da ra do Imperador, algediio d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar aigodo em pluma etc.. etc.,
pelo prag mmm
guns gneros, e entao n^'^e^o^da ^i^^*r?' -*
nenhum outro estabelecimento o serve melh'or que esle seiSIS fS '5Mn.do P* me"B0 'I
delicadeza, ou legalidaded pesos e medidas. J commoojdade d prtc<, afrado
Finalmente, todas e quaesquer garantas que eaUbaUcimenin laomu.
orrontcs, serao maniidas neste em grao maior. KW,"cu,,eBtos HI
teen ofl-rerido aw
LZIMftS BAR4T4S.
**Bd*ni-i-MiBiiias devores Bxas ede boa qua-
lidade para vertidos de enhora a nalaca o cavado
e outrae minias fatendas que o dono esta revolvido
a vender muito baratd afim de apurar os cobres
na ruada Iraperatrixn. 20, outr'ora aterro da Doa-
Vista.______________.
futrirs do Anealj.
. Vende-se aa travesa da Madre do Dos rnume.
ro 10.
Vende-se

gas com 3itt eaoMa* 4 ,^0 o* m ^
24200. nj) armazem da hola amarla oito da se-
eretana da jiolici.
Armafo
ra ra -Nova n. 50, loja, vende-se nma exat-
tente armayJo envidracada e de amareUo, ba-
rato,
-1ILGVE-





DlarU e Pera*rje SaWMido te e *nlh de t *4.
UNIO MERCANTIL
RA DACADEIA DO RECIFE & 53.
NOVO E
OEMDE ABUAZSIC DE
RA DA CADEIA DO KECIFE \. 53.
Francisco Fernandes Duarte acaba de abrir na roa da Cadeia do Reciten. 53, um graDde e sortido armazem de multados o>
nominado Vniao Mercantil. Neste graDde armazem encontrar sempre o respeita\e! publico um ampielo ewtimer.to des melhore
ceneros que vem ao mercado, tanto esiraDgeiros, como nacionaes, os quaes serao vendidos em portees ou a retallo jor piceos assai
gommodos.
Manteiga ingleza especialmente escolhida; Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
de primeira qualidade a 900 rs. a libra,; i200 a caada.
em barril se faz abatimento. Azeite doce refinado em garrafas brancas a
Manteiga franceza a mais superior do mer-1 860 rs.
cado a 6oo rs. a libra, e 580 rs. em barril, Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
oa meio. 4800 a caada.
Prezootes inglezes para fiambre, de superior Geneora de Hollanda a 500 rs. o frasco e
qualidade, chegados neste ultimo vapor, a i 5i500 a frasqueira.
720 rs. a libra. ; Caixinhas com ameixas francezas, ornadas
neste ultimo
a 640 rs.
com ricas eslampas na caixa exterior,
muilopropriasparamirao,a l#20o, 10500
e20.
Frasco de vidro com tampa do mesmo, con-
lendo meia libra de ameixas francezas, a
10200.
Sardinhas de Nantesa 340 rs. oquartoe 56(
rs. meia lata.
Latas com peixe em posta : savel, corvina,
vezrjgo, cherfie, linguado, lagostinba, a
15300rs.
Salmao em latas, preparado pela nova aru
de cozinha, a 800 rs.
Macaa de tomtes em latas de 1 libra a CCt
ris.
Chouricase paios em latas de 8 e meia libn
por 7#.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra t
85600 a arroba.
Bolaxinha ingleza a 320 rs- a libra e
barrica.
4A400 I barrica.
.. iuj -.i n. Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Marmelada imperial, dos melhores conser- ... Frarif.a 200 ut
Queijos flamengos chegados
vapor a 000.
Queijo prato muito fresco e novo
a libra.
Castanhas muito novas a 120 rs. a libra e
e 35000 a arroba.
Cha uxin o melhor que ha ueste genero,
mandado vir de conta propria a 20800
rs. a libra.
Cha hvson muito superior a 25560 rs. a li-
bra"; cha hyson proprio para negocio a
1^500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 25 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com diferentes
qualidades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
outras muitas marcas a 15350.
Bolachinha de soda em latas grandes a 20.
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 15 e 25 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 50 rs. a libra e 35 um quarto ;
e era caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem viudo ao nosso mercado a 185 o gigo,
garante-se a superior qualidade.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 75500 a 85000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 95
a 103aduzia, e 900 a 15a garrafa; deste
genero ha grande porco e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 14 e 155 a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do Donro, D. Luiz,
Cambes, Madeira secco, Carcavellos, Nc-
tar de 1833, Duqoe Geouino.
Vinho de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 35, 35200
e 35500 a caada.
Vinho braneo de superior qnadade, vindo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
rs. de barril.
osseulwre que comprarcm do i oo^ooo para fimj, lAr-fi o descont de o por cento, pelo prompto pagamento.
45>
reros de Lisboa, em latas de 1 e meia a
2 libras a 600 rs a libra.
Fruclas em calda das melhores qualidades
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoas de casca mulle a 400 rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs- a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 rs. a libra.
Macas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, s vista se faz o preco.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melbor neste
genero, a 15200 a libra.
Chocolate hespanhol a 10200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 19.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
5*800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
e 15200 a garrafa.
Licores francezes das seguintes qualidades:
Anizele de Bordeaux, Plaisir des Dames
e de outras muitas marcas a 15 a garrafa
e 105 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
95 a duzia.
Mostarda ingleza em potes j preparada a
400 rs.
Cevadinha de Franca a 200 rs. a libra.
Farinba do Maranho a 120 rs. a libra.
Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Cevada a 120 rs. a libra e 35 a arroba.
Alpistaa 160 rs. a libra e 45800 a arroba-
Batatas muito novas em gigos com 40 libra
por 10500.
Cebollas a 15 o molho com mais de 100 ca-
da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 rs.
a libra e 95 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 rs. a fi-
bra e 85400 a arroba.
Caf do Rio, proprie para negocio, a 85.
Arroz do Maranbaoa OOrs. a hbrae 208OC
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 2*400
arroba.
Vellas de spermace a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o ma*-
so e a 95 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixao.
Macarro, talharim e aletria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz abatimento.
Estrellinha.pevide e arroz demassa para sopa
a 600 rs. a libra e 35 a caixa com 6 libras
Palitos de dente lixados com flor a 200 rs
o masso, ditos lixadossem llora 160 rs
o masso com 20 massinhos.
Gomma de engommar muito fina a 180 rs. a
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra t
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix em caixas inteiras on em meias, de
15600, 25 e 35.
Mostarda ingleza cm p, em frascos grandes, Presuntos do reino, vindos de conta propr
a 10 cada um. de casa particular, a 00 rs. a libra; intei-
Sal refinado a 500 rs. o pote. ro se faz abatimento.
Oiena^
^ARTE ALMEIDAv
de
Acaba de receber de sua propria encommenda um grande e variado sortimento
o molhados todos primorosamente escolhidos, por sso apressa-se o proprietario em
offerecer aos seos freguezes e a publieo em geral a segtiinte tabella dos seas gneros e
resumidos presos, aGancando todo e qualqucr genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
PARA A FESTA
S. J0&0
Amendoas confeitadas de 8oors. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 8oo rs,
libra.
dem franceza a 56o rs. a libra, e 5oo rs.
sendo em barril.
Cb ttxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
DE
E S. PEDRO
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gui-
ja, canella, cravo, rlela pimenta a .ooo
rs. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
dem bysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quartos e tnteiros a
a 9oo
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra
Ervilhas socas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 6oo rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,oo rs. a libra
fazenda especial
e 8oo
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,ooo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo Presunto para fiambre inglezes a 7oo
rs. a libra. | rs. a libra,
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
rs. a libra. I Caixas de traque n. 1 a 85500 cada urna.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-'Massas para sopa macarro, talharim aletria
por a 2,6oo. a 4oo rs. a libra.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
dem londnno o mais fresco que se pode e 8oo rs. a garrafa.
esperar e de excellente marca a 8oo rs. a dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. n
libra sendo inleiro, e a 9oo rs. a retalbo. garrafa,
dem prato es melhores e mais frescos do; charutos em grande quantidade e de todos os
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro. fabricantes mais a creditados a i,5oo,
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes; 2.000. 2.5oo. 3.ooo e 4.ooo rs. a caixa,
marcas : sborne, Craknel, Mixed, Victo- os mas baixos sao dos que por ahi se ven
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mu- em a 2,000 e 2,5oo rs.
tas a l,3oo e 1 4oo rs. c f d prmein qualidade a 8.800 e 9,5oo
Polvos chegados ltimamente do Porto a 32o p rg a roba> '
rs. a libra. mmmlAam ,,' dem de segunda qualidade a 8,5oo rs. a ar-
Batalas novas em caixas de 2 arrobas a #> a ^ g Q rg ^
BaSmSa^CrakneUm latas de 5 libras I Anmdo^aranh3o a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
bruto a 4,ooo rs.
RIVAL SEM SEGUNDO
l'.ua do Queimailo ns. 49 e 33, luja d mindeza^
de Jos de Aze\udo Uaia c Silva, est coninuando
no.sea progresso de vender nantii-siir'O :
Capuchos grandes o superiores a 500 rs. cada um.
Caixas de superiores obreias de cola e BHM a
40 rs.
Cordo braneo para vestido e espartilbo, vara 20
res.
Linhas de carretel (130 jardas) de superior quali-
dade a 60 rs
Candes de linba Pedro V (200 jardas) ja rnuii-.
couliecida a 40 rs.
Grozas de peonas de ac de muitas qualidades ?
superiores a 300 rs.
Caivetes do dua follias porm liuus a 100 r.
Caixas com calungas muito bonitas pa-\. rapi
100 rs.
Franja branca e de cores para toalhas a 1C*.
Pares de botoes para puulw muilo Lonii' a !;i
Caixas com so!d;idos de chumbo muito boaiMM a
120 rs.
Tiiiteiros de vidro coa. superior tinta a i60.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Groza de botoes de louea pratiados, o melhor, a
160 rs.
Tesouras para costura, o mais superior, a iW) rs.
Ditas para uuhas muito finas a 400 rs.
Escoras para limpar denles muilo superi
2C0 rs.
Libras de laa de todas as cores (pesada) a ~.
Caixas de phosphoros de seguranca a 100.
Ditas de papel amizade pautado cliso a 600r.-\
Ditas com 100 auvelopcs niuito superiores ,. ^0>-
ris.
Cadernos do papel braneo e de cores, pecut-nc. a
20 rtis.
Cartas e taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas com superiores seas de acender cbarol
a 40 rs.
Carreteis de linba Alexandre (200 jardas) tV ato
a :;o rs.
Oaralhos para voltarete muilo Baos a 140.
Cartas de alunles francezes muito linos a 40 r-.
Meadas de linha fixa para bordar a 20 rs.
Pares de sapalos de tranca muito Superiores a
1*600.
Papis de agulha com um pequeo toque a 10 rs.
Groza de botos de madrcperola muiiu Cuos a
360 rs.
Candes e caixas de clcheles francezes super-ores
a 40 rs.
Bonets para meninos muilu linos a 1300 e ..
Macos de grampos superiores e limpos a 40 r>.
Groza de phosplioros do gaz muito motos a 22C0.
Areia preta muito superior a 100 rs.
Caixas de rap com espelbo a KM) rs.
Realejos para entreter meninos a 80 rs.
Pecas de fita de linho muilo boas a 40 rs.
Pentes de lago muilo bonitos a i.
Enfeites de laco de todas as cores a i&lO.
P.odas com allinetcs francezes a 20 rs.
Caixas com quatro papis de agulha imperiaes a
240 rs.
Sabonetes de familia a 80, 160 e :20.
Caivetes de duas folhas muilo finos a 320.
Pares de sapatos de laa para meninos a 400 rs.
Sapalos de tranca para senhora e para hornean, os
melhores que tem vindo, e por preco muito barato:
quero quizer ver, venha ra d Queionado ns.
40 e 63, e ver tudo como bom e barato.
O"
O
o
o

P3
P-

p-
o
c
r.
H
s-
m m
ce
O1
b 3
ce
B
p
o
<-t-
p
es
p-
a
p-
p
"/3
P-
o
~1
.
5
P
2
es
30
B
fi' J
oo *3
B P
O
os
o
nsr. :'cm'^*g' j-apess^v
ESCRITOS TCIDOS.
RUI lili QDEOIiilO W. 4&
Passando o becco da Congrega0o segunda casa.
fi
lmmm
li
N'
i.
V1DADE
Pereira Bocha & C. acabam de abrir na ra do Quemado n. 45 um armazem de molhados denominado Clanm Commeraal
nnriA n resDeitavei Dublico eucontrar aempro um completo sormeuto dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
aero vendidos por precos muito resumidos como o respe.tavel pnliKc ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se o bom peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranho, da India e Java aGO, RO
e 100 rs. a libra e I-800 a 2G00 e 3
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
0OO e i&GOO e ni frasees grandes a
20500.
em em caixinhas elegantemente enfeitadas
Cevadinha de Franca muito superior a 220
r?. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
Ervilhas portuguezas a GiO rs. a lata,
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em caixinh.'.s! Queijos flamengos do ultimo vapor
de oito libras e canastrinhas de i arroba o I dem prato.
I-lem londrino chegado no ultimo rapor b
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a uuO rs.
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra-
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
a2#800
dem, qualidade especial e garrafas muito dem stearinas muito superiores a 600 rs.
UlV^armtsSmm ^interior daVcaixs 148O0, 5^500 e 280 rs. a libra.
a 1*5000 iSiOO, 15600 e 25. Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Amendoas cm casca muito novas a 280 rs. Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
libra Genebra de Hollanda verdadeira marca VDI cada um.
a inicia a 'iOO rs a libra e a 45600 a arroba. a 560 rs. o frasco e 65200 a frasqueira Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Azeile doce francez muito fino em garrafas dem em garrafoes de 3 e 5 galoes a 55500 i Sag muito alvo e novo a 260 rs. a hbra.
irn les a 960 rs a garrafa i e 75500 cada um com o garrafo. Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
M-m ip i HdM a 640 rs a garrafa. Graixa a 100 rs. a lata e 15100 rs. a duzia. Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Aramia verdadeira de matarana a 320 rs. a Licores muito finos a 700 rs. a garrafa. Vellas de carnauba pura a
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
15300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 25 rs.
Ditas inglezas muito novas a 35000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor eflnada a 440 rs. a libra e
eem barril a 410 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 15600, ,
25500, 2580 e 35000 a libra.
dem preto muito superior a 25000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
grandes, a 15800 rs. a garrafa,
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi-1
dro, a 15000 rs., s a garrafa vale o di-
nheiro. N
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. alibra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 600 rs. a lata,
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
e 55800 a duia. 800 rs.
Coenac inglez fino a 900 rs. a garrafa. dem regular a 500 rs.
Conservas a 720 rs. o frasco. Massas finas para sopa : estrellinha, pevide,
KSd pepino, a 720 ri. rodinhas e letranhas a 600 rs. a libra e a
dem s de tonas, a 750 rs. 45 a calimba com libras.
Charutos dos memores fabricantes da Babia Nozes muito novas a 460 rs. a libra,
e especialmente da fabrica imperial de 1 Peixe em latas preparado pela primeira arte
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 15800,1 de cozinha a 15 rs. a lata.
25000 25200. 25500. 25800, 35000 e Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
35500 a caixa |palitos de dentes a rs-
Caf do Rio multo superior a 280 e 320 dem de flor a 200 rs.
rs a libra e 85500 e 85800 rs. a arroba. Amendoas confeitadas a 900 rs. a libra,
cart'es de bolinbos francezes muilo novos e Doce de goiaba em latas o melhor pbssivel a
muito bem eofeilados a 700 e 600'rs. 25 e-em caix5o a 640 rs.
Cbouricase paios multo novos a 800 rs. a Palitos do gaz a 25200 rs. a grosa.
libra passas muit0 novas a rSl a
libra.
Figos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 15600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D.Pedro, D. Luiz I, MaraPia,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
15000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 95000 e105000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 35, 35500
e 45 a caada.
dem braneo de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 75000 75500 rs.
a duzia.
dem Morgaux eChateauluminide 1864, a 15
a garrafa.
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa
15200 rs. a caada.
Kirsk garrafas mnito grandes a 1580f>rs.
Alm dos gneros cima mencionados ta-
mos grande porcio de outres que^eiamos
de mencionar, e que tudo ser veadido-por
pecas e carnadas* tanto em porooes como a
retalbo.
Quem comprar de 1005000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 2,3oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portdguez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Ca toes com bolas francezas proprios para
mimos ou para anjos que vo as procis-
ses a 600 rs. cada um.
Papel de botica de excellente qnadade a
2200 rs. a resma.
Peras seccas as mais novas do mercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em htas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
Fruas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 64o rs. a
lata.
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes-muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 800 rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das-|
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a 10,000 e
l,ooo rs. agarrafa.
dem braneo de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs. a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,oeo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composico a 560 a garrafa e 4,000 rs. a
caada.
Farinha do Maranho a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l,ooo rs. cada urna.
Ricos livros com figos 1,00o rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2.000 a arroba.
Garrafoes com 4 */ garrafas de vinho supe-
rior a 2,5eo rs. com o garrafo.
dem com 4 '/ ditas de venagre a* ,00o rs. o
garrafo.
Vinagre PRR emaucoretas de 0 canana a
i5,ooo rs.oom aancoreU *
dem em pip puro sem o basme a WM>-rs.
a garrafa e t,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 dazia da garrafas de vioho Bor-
deaux (atoada muito especial a 6,800 rs.
a caixa e7oo rs. a garrafa.
a arroba,
dem da India muito superior
a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, c 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,ooo rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
le 3Go rs. a libra.
dem de esparmacetea 54o rs. alibra, e em
caixa a 52o rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se venden por 7.ooo rs.
Idemalmaco pautadoelisoa3.ooors. aresma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,2oo rs.
a resma.
dem embrulho de 1,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/* lihra a
l,2oo e8oors. a libra.
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Molhos inglezes a 800 e 1,00o rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
bem arranjado possivel a l,8oo e 2,8oo
rs. a lata.
Cerveja Tenente verdadeira a 6,800 rs. a
duzia.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l.ooo rs. o molho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a32orf- a libra e
lo.ooo a arroba. ^
Sag muito novo a 24o rs. a Hora.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas a l,ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e 1,000 rs. o
caixao.
Desappanceu de casa dos abaixo a--
urn escravo de nome Anastacio, cabra falo, d<
anuos, altura maior que regular, este c-crav > .
pertencenle ao Sr. tpnente-eoronel Amonio Pereira
da (iraca, do Aracaty, donde veio no dia I
conenl'e no vapor Uamanguape, e foi vi>to com
calea.de castor riscado, camisa de algodlo bran a,
(! apeo de pal ha, levando um sacco de chita com
roupa sua ; tem boa presenca e com todos >s den-
les da frente : a todas as autoridades polica?? c
capitaes de campo se roga a sua captura, e enve-
gar ra ila Cadeia do Recite n 39. onde ti
generosamente recompensado quem o apresen: r
Rerife, 13 de jullio de I81U.
Viannn & Goncalves.
Fugio no dia 10 do correle o escravo por
nome Seinio, de naci Mossamuiquc, cun os sig-
naos seguintes : estatura alia, clieio do curpo,
rosto liso, nf.u lein barba, tem uns (albos no rosto
junio as duas fonles do rosto, levou calca de brim
i pardo, camisa branca de algodao, palelol de brim
pardo, e chapeo Je pallia : roga-se as autoridades
I civis e militares de o appiviiender o manda.
seu genitor, na ra Direita u. 30, que serio gene-
osameBle recompensados.__________________
0a casa do abaixo assignado aosenwa-se no
dia 13 do corrento mez a escrava Joaquina, pr-
1 tencente ao capillo Jos Antonio Pereira, morador
I no Orejo da Madre de Dos, a qual tem os sigues
' seguintes: estatura e corpo regulares, cor bastan-
te lula e muito disfarcada, quando sahio "de eaw
levou vestido de cassa azul ja desbotadi\ porm no
mesmo dia foi vista com vestido encarnad", o ;
I desuppor esta mudanza para nao ser ronherkla
! por ter levado toda roupa: e bavendo defeoflan ! de achnr-se acoutada em alguma casa, pede- a?
I autoridades policiaes e a qualquer pessoa que del-
', la souber, de participar na ra do Sebo n. 22. oo
uo largo da Assembla n. 20, prensa de algodao.
_______Jos LnizGniaco.______
Est arribada a mulata de nome Josepha, cor
parda, altura regular, cabellos caxiados e compri-
do?, no fallar morosa, tem no lado esquerdo das
cosas urna cicatriz fechada, foi vestida com urna
saia cor de caf, com piulas encarnadas e cabe-
cao : protesta-se desde j contra quem a tenha
coulada pelo tempe decorrido, quem delta sou-
ber pode leva-la ra do Arago n. 22 ou do Cal-
deireiro n. 4.____________________________
Ao amanhecer do dia 6 do corrente fugio do
engenho Penanduba, sito na freguezia de Muribe-
ca, urna escrava de uome Sabina, representa ter
23 annos de idade, cora os signaes seguintes : en-
oula, fula, cabellos carapinhos. baixa, grossa, lelos
grandes, rosto redondo e com muitas marcas de
bexiga, maos pequeas e ps, pernas arqueadas. <
mais aguns que nao se recorda ; levou comsigo
urna flllia com idade de tres mezes tambem preta :
quem a apprehender leve-a ao referido engenho,
ou ao pateo de Terco n. 44, que ser generosa-
mente recompensado.__________
Fugio de casa de seus senhores, no dia 11 do
corrente, o escravo Izidro. crioulo, de idade 2o an-
uos, pouco mais ou menos .estaturawg*^**'0
do corpo cor um pouco fula, cabellos rarapioho*
olhos ardos, be eos um pouco grossos naru rego-
Srpis grandes e grossos, tem desempacado no
a hr nao malcriade, levou caifa de brim bran-
ro camisa de madapolo, chapeo de feltro l usa-
do'- cojo escravo fllho de Cahsta Mana da Con-
ceico do Brejo de Bananeiras, provincia da Para-
hvba do Norte ; veio em 1861 em pagamento para
os Srs. Goimaraes & Alcoforado desta cldade, snp-
poe-se ter seguido para. aqnelle lugar : roga-sc a
todas as autoridades e capitaes de campo a na ap-
prehensao e leva-lo ao pateo da Santa Crox n. 6,
que serao recompensados com 1004-
O proprietario do grande armazem UniSo e Commertio dedara aos seus fregu
tes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estlpnlou
os mesmospreos nos seguintes lugares;
Uniao e Commercio ra do Queunado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
Attenco.
Acba-se fgido o escravo de nome Antonio desde
o dia 8 de junbo do corrente auno, com os signaes
seguintes : idade 40 annos, crioulo, altura regalar,
desdentado, barba feita, nariz chato, pescoco enro,
um tanto inclinado para a frente, orna marca de
ferida no estomago, ps grossos, as costas mar-
cas de chicote, tem cicalrize* as canallas, em ama
das maos nao abre bem os dedos, levou vestido cal-
ca parda, paletot preto j vetho, camisas brancas
duas, sendo urna de abertura bordada, t pares de
caicas, i branca e 1 parda, 1 cobertor, sendo me-
tade de estopa e metade de algodao, foi encontrado
na riteira de Santo Antonio e no Peres : por "so
roga-se s autoridades policiaes e capitaes de cam-
po que o peguera e levem-ne i casa de seas senbo-
res, na ma da Imperatrii n. 80, que serao mnito
bem recompensados.
_J


Diario de Pernsmbnco Ha libado I O de J ni lio de 1S4.
ITERATURA.
tama perfeigao que pareca trabalho de amphithea-d'er um pedaco, pretendo possuir nicamente este
tro anatmico! Quem podia contar os promenores ihesodro, exprimiam os seus olhos I otao pega-
--------------------------------------------------------, dC5la_ ca'astrophe era o marido de Thomazia, *que ram ao; mesmo tempo na peca de fil um par de
% FILil.%. DO MJQl'TOIl 2VUGHO cne6ara Quinze diasantes Nova-Irlanda.com luvas da Suecia e um par de luyas de pellica cor
i seis negros de sua maior confianga mas o homem ..de liaho pardo.
Romance original de Cantillo Castcllo Rranco. nao disse nada e a opiniao correte fo, que o' Se urna unica pessoa tivesse ooatro maos para
p .< ^f'Tv- a. T* Be9,an!,a Un"^iieann>a,m8Bteas lporlavas,ofora,tatlasluvasdaStteciae;fc>el-
Em 1846, um lavador de Yairao procuren Al- sassinado por enviados doCastelIa, a cumpnrem ,Ica n5o ,eria sjJo mais M ^
berlina no hospital Je S. Francisco, e disse-lhe : urna orJem da macouaria. ...,.._______*1 ... ieo M q.
A s mhora a viuva de Juiio Clirysostomo,
que Deus liajaT
Sou essa desgranada.
Ha pouco dias soube que a senhora aiuJ-i
viva. Venlio aqu restituir o que nao ronbei, e
uidei quo era mea. Eu cstou lia qulnze annos do
posse dos bous que eraai de meo parele JeSo Cliry-
sostomo. O pae delle morrea lia viole annos; ficou
um ti I lio, que Deas levou quatro annos depois, e
morrn solleiro. Soube-se logo que o irmao herdei-
ros tinha morrido no Brasil, e que a viuva tam-
urna ordem da maconaria. j que ^^^ sobre 0 0V"co'rno' para ahegar o
Mas a cabeea de D. Benito que nao eslava ao p direito de primeiro oceupante, e que voluntaria-
do cadver? A cabeea presume-se que cahira aos mente teriam feito as vezes de garras, alini de me-
ps de Tiiomaza. o d'abi passou para algum es-j lbr apoderar-se delle, eram qnatro' miios mmo-
coadouro da cidadeeai que ella viva. A gente da sas, de attractivos delicados, o que todava nao
nova Irlanda suppoz que a tal cabera custou mui- quer dizer que cada qual nao se contente com o
tos mllhares de' pesos fortes ao governo bespanhol.! que tem.
Escreve-se assim muita historia amiga n moderna. I Por oxempte, em cima das luvas de pellica tor
Nao era a primeira vez que faziarase a madama Vendo que o artista escolhra para representar
de Merande convites semelhaotes a este. Por mui- a virgem divina, verificando a fidelidade com que
to tempo ella os tinha recusado em nome da sua elle linha-se lembrado das suas feicoVs Paulina
filha, aceitando-os para si era numero muito limi- nao pdde deixar de sentir inmediatamente una
tado; ensinara a Paulina a ver no baptismo cousa1 certa satsfagao de amor proprio; depois ella disse
muito differente de confeitos e flores ; consentir comsigo, que, tendo-a apenas vista, era ex.raordi-
em ser madrmha .he dissera frequentemente, Jo que elle se tivesse 5o perfetamente lembra-
obngar-se a suppr.r o pae e a mae que a enanca do della.
Muito mais pacificamente morreu aquello Janua-
rie que cilava Cicero, c eosioava originalmente as
Binas desobedientes em materia de amor. Morreu
como pago, citando o orador romano. As suas
beiu morrera. Eu era lillio de uina irmaa da tio ultimas palavras foram : Moriendum est mnibus,
Nicolao, pae de sou marido. Tome posse dos bens "
mas agora que soube que a senhora esta viva, nao
lucro senao o que meu.
Albertina meditou alguns instables, e respon-
deu :
Aceito a esmola de ir viver na sua companhia
4m a condicao de me darem para morrer o leito
em que nasceu meu marido.
L esta ludo como eslava quando mocreu seu
cUHhado. A senhora vae para sua casa, e far o
que quizer.
A lilha do doutor N gro sahiu do hospital, c foi
para Yairao.
Nao cousentiu que se Ihe dsse posse judicial-
Tomou para si o quarto e leto de pu santo, que
tinha sido de >ua sogra. Era quasi evidente que
Joao Chrysostomo nascera naquella cama.
Reslaurou-sc-lhe completamente a razao nos l-
timos mezes da sua vida. Antonio da Silveira mos-
rou-me, e deu-me traslado da ultima carta que
Albertina Ihe oscrevou de Yairao. Aqu se da in-
tegralmente a copia :
< Do ludo me record agora : um reflexo da
eterna luz aclara a miaba razao. Vejo os seus ca-
bellos brincos da ultima vez que o vi; ouco os seus
gemidos; e o coracao abre-se-me a receber as la-
grimas, que me nao impressionaram ento. Deus
que viu tildo. Elle la est para ihe dizer: Vem
buscar o estipendio do teu trabalbo, semeador das
virtudes que eu te derramei a maos cheias no co-
rago. Agora ludo vejo ; todas as suas palavras
proferidas na sala de meu pae, e na grade do con-
vento dos Remedios, lembram-rae todas, o que foi
a miaba vida desde ento at boje ? Que desgra-
nas, Sr. Silveira que dures ha neste mundo !___
Se o senhor visse como aquello desventurado pa-
decen !.. se o visse agonisar no catre da cadeia,
o morrer na flor dos annos, pedindo-me que tives-
se animo para bsber as ullim'is fezes do meu ca-
ix!... B eu obedeci-lhe... Eilo sabe que a mi-
aba vida d
;om quiuze
me julgou morta para as recordacoes tormentosas,
quando eu senta em minha alma o que nao posso
cootar.
Nao sei quando euvelhec!... Desde o dia em
que meu marido sahiu ao amanhecer para mais
nao voltar ;is pobres alegras da modesta casinba
em que vivamos, nunca mais me vi n'um espe-
Iho. Pens que os cabellos se me braoquearam em
dous minutos de agona entre amorte de Joao.
Chrysostomo e o perditnenlo da minha razao. Te- i
cia-se urna serpente de ouro com olhos de esme-
raldas quasi to brilhantes e fascinadores como
aquelles que fazem as pambas cahirem do alto das
nveos, ao passo que o brayo que servia de conti
nuacao s luvas da Suecia nao tinha nenhum or
nato.
tstqm fifis miseria in morte. (i) E calou-se para!
sempre este seccante latino, que al na casa de j Continuando o exame das pessoas a quem per-
jantar mandara escrover estas duas mximas dei tenciam as mencionadas luvas, era fcil de notar
lacero : Este oportet ut viras, vivere non ut idas, que a mesma dfferenga se descobria no seu modo
< Come para viver, e nao vivas para comer. j de vestir, urna eslava embramada em um chale de
cachemira, a outra nicamente tinha sobre os
hombros urna modesta capa a carmelita.
Senhor, disseram ao mesmo lempo as damas
ao mercader que para ella olhava sem nadadizer.
Deronte mandou escrever est'outra : Cibi con-
dimentum esl fumes. A melhor mjstarda a
fome.
R assini proporjo,- unn sentenca, allusiva a
is da humtnidade Morreu um sabio, quero a peca toda inteira, quaes quer que sejam os
n) fosseum velhaco. Deus metros e o pre^o I
Estas poucas palavras escapas de ambas as boc-
eas pareciam ser pronunciadas por urna s, tanta
era a unanimidade do sentimento que as ditara.
Interrogando com os olhos as suas freguezas, o
mercader inclinou-se, sorriu e esperou.
Senhor, replicou a a primeira, a dama de la-
j va? de pellica, duplico o custo deste fil.
O mercador suspirou, dizendo comsigo, que elle
fra moderado acerca da marca, o que era grande
lastima I Seu pre?o de venda s Ihe dava um
que seria uai justa, se nio fosseum velhaco.
Ihe perdo?, que o leilor de corlo llie nao perda
omuito lalim, que vae neste romance conta
delle.
Antonio da Silveira, o justo, o honrado, o chrs-
tao, chegon ao< setenta annos com a alma no ple-
no fulgor de suas faculdades, e o corpo sadio e
vigoroso, exceptuado o braco que elle pendurou
entre os trophos da liberdade em Portugal.
Morreu em 1360 na tasa onde oascera, porque
seu sobrinho, remordido pela consciencia da feia
accao. um dia se ajoelhou aos pos do velho coro-
nel, supplicando-lhe que eotrasse no seio da sua fianno de cento e cincoenta por cem ; pobre mer-
familia. O anciio ergueu nos hragos o sobrinho, cador
e disse-lhe :
Dou o triplo, replicou tranquilamente a da-
- Ests perdoado pelos alTagos que me razias I ma de l0 da Suecia-
em creancinha. I O mercador, que eslava ltenlo, endireitou-se
v u ,. Por delraz do seu balcao de carvalho, conhecendo
r*;jr "da sea' 'io Aie-:^nsjsTm *. i da i.
xandre. Ao lado de Horacio eslava tambera aber- da scrpente
to o livro de Job. Em seguida versan de nmi
ole rnninndi UuMrtT?.a ., Acerescento 25 por cento offerta da senho-
ode respirando blan.iic.as de sybanla, o velho tra- ra disse a outra.
iluza urna lamentaeao do virtuoso inabalavel, en-'
ternecedora pela paciencia.e conlianca naProviden- ~ E' c,ncoen,a' replicou a cachemira,
cia. que tudo Ihe dera, e tudj Ihe tirara ao opu- Eu' cincoen,a e cinco '
lento da trra de Ilus. B eu> setenta e cinco I
n,,.A___. .. E eu, cem I retrucou a capa carmelita com
na ao Dr T.trn T i?*'** a Alberl- certa vehemencia, denotando viva commocao.
iu, ao Ur. .>egro, a Joao Chrvsostomo. Refres-
Este preco era fabuloso, despropositado, mas
para quem tem assistido venda de objectos d'arte,
nao parecer extraordinario, por mais extravagan.
te que fosse.
Esperando o sobrelan?o da sua concurrencia, a
dama de luvas de pellica teve um violento desejo
de nao lcar s nisto; o mercador suppoz que as-
sm succederia ; mas, depois de urna terrivel luta
visase a perder.
Todava, dessa vez, madama de Merande cousen-
tiu que Paulina dsse o seu nome a filha do jardi-
nero.
querida mae. Se ahi nao hourer esparo para o
meu cadver, pego que me deilem ao p dos mea-
amados Olhos, que morreram ainda mocos..
Se morrer longe da minha famihi. inm
se-hao as sobreditas dsposi$des, e don ga^r.u,
velarao junio ao meu corpo de dia e de nenie, para
que observem se em mim apparece algum signal
de vida.
Todava, nao duvidando que ama joven e bella} Se, por quaesquer circum>lancias o meu cor
berdelra o elegera para ohjecto das suas medita- po tiver de ser trapsportado algunia casa i |
riV-s, Mr. Roger tinha regressado para Pars, e ape- servagao, quero, como coslume. que me p
lembrava de raademoisella de Merande, as maos e nos ps pequeas campainha-, para
Pmlina tinhi o.ina ,. ... a "" iuii.ui.nd ue inaueraoisciia ac Merande, uas maos e nos pes pi
nao ili'a a If, 7 seusdezoito annos e au;inda |ho aconlecia f|hcar Q a||ni[)) pm Q ard;( g
nao precisava mais de comprehender a obngacao iava n que ia conlrabir : tanm mnr0h,.nH ..LL ,ava 0seu "crfil- Sl',n,re *"**> do que me enterra,- ,.
J se nnham passado muitas semanas depois des- e' t'n eslas a,Ps.Coes desejo obstar a qu.
ses differentes acontec melos, chegra o momento V
de retirarse de Auvergne, e Pauliua deixando-se
arrastar pela pbantasia, nao tinha cessado de es-
perar urna volta que eslava longe do pensamento
de Mr. Roger. Quando decididamente Ihe foi pro
ciso renunciar isto, soffreu um eootratempo de mo
ga i|ue tomou por urna verJadeira dor. Ella at
mesmo persuadiu-se de que tudo eslava acabado,
que a sua existencia despedacara-se, i|ue o nico
Dome pelo qaal teria consentido em trocar o de aPaxonada, e que podia ser inspirado por ex
Merande, era o de Mr. Roger, e que nao se Ihe o- lrtl"0Si,s saudades, por lembrani;as guardada^ n
que ia conlrabir tanto a comprehendia, que podiu
a sua mae que assegurasse recem-nascida urna
somma sobre o seu dote ; isto acerca do temporal,
quanto a sua inlelligencia e coracao, foi com fer-
vor que promelteu a Deus velar por elles.
O fado mesmo de abrir as portas da salvaco
esta pequea creatura pareceu to solemne ma-
dcmoisella de Merande, que de algnma sorte quiz
augmentar esta solemnidade, embrulhando a re-
cem-nascida no seu vu de primeira communhao.
A egroja onde devia ter lagar a ceremonia esla-
va muito distante do pa'acio, ao p da montanba ;
e o caminho que ia ter ella, segua as sinuosida
des de um ribeiro bastante fundo; demais, nao
podendo as carruagens passar por elle, todos de-
viam atravessa-lo a p.
Seja feita a vontade do Senhor, e benvb!
o seu nome no cu e na trra .
Meyerber tinha o seu testamento em Berln, ao
' cartorio de um tabellio; aquelle papel confia ,
apenas o que se devia fcmr logo iapobaMU
uiorle.
Sendo, fallando do papel de Fids, diz que i
typobem ddienado da mulher religio?a, ca-t.
ao ferecendo occasiao de eflectuar semelhante troca, intlinu do coracao.
ella nunca se casara! Demais, entretanto que a Accrescenta o (lustre critico, que oessa* pala
sua cabeea de dezoilo annos eslava de bom humor vras '"Ul'';i a mae do famoso artista, e que se nao
de viajar, Paulina, proseguindo o seu thema roma- engan:ira-
mini ... i,,' med"a!'va c enternecida, ca- nesco em nada menos cu(]ou do pm ^ Meyerbeer devia ter devia ser i,p,rado PW
i ,L,T', qi" 1 T "m ,ori:a,:^,0 Par M am 'evento contiguo pe- mais nobres seniiineotos, ,raCar nao so a.r,^i
asnera !ZZJZ!EZ!? <|UCna egreja em f'ue se achava a obra de Mr" Ro" '6 mm ""*" da "* rar,nh e,n "*
q a ao notiro. ger, e de se fechar nelle para sempre 1 i senao lambem o admiravel carcter de Alie, n
spera que
O pedaco de fino fil ao qual ella tanto mais es
timava, quanto alm da lembranca da sua primei-
ro communhao, Ihe recordara ainda mais, dentao
em diante, aquelle dia ; tinha-se desprendido da lado :
ger, e de se fechar nelle para sempre I
Quando tal projecto foi communicado madama
de Merande. ella beijou a fronte de sua filha sor-
rindo lernamente e fazendo-a assentar-se a sea
le viole e dous annos foi um sopplicio | T' TTT- f'Jas Pe' prdcess dos anno- e
t annos de demencia, em que o\Z2 P"T h,Sl0r,a-,a' quaado as "> "esgrafas
morta para as recordacoes tormentosas ""! d"^m ,regoaa para Pensar "a^ alheias.
Mal do mim se esperasse o desafogo das tre-
guas, que nunca luz dos livros, que nascem e
morremo'am dia, hia de sabir esta cousa de non-
huma serventa entre as necessidads desla vida
ZXESJZT"*0 espirila dtia ella w ou,ra dama uma coriezia ironica'e reii-
A isto respoudeu elle r0U'se aba,1Uonando-|h, m cubicado, e junta-
mente urna factura de 1,149 francos e 70 cntimos
O senhor tem escripto muitos romances sem a pagar
. ., ....... ---------.vu.va.i,pw niuiius romances sem a pagar i
nho erguido as maos ao Senhor agradecendo-lne o ; moral nenhuma que eu saiba : e desculne se isio r ,
bem de anniquillar em mim tudo que meu marido belisca a siisenniihiiM^. a, 1...... Cuidndomenos nesla somma exaggerada do
bem de anniquillar em mim tudo que meu marido
amara, no mesmo momento em que mo levou
Ignoro se a sociedade perdoou ao homicida de
turalque a sociedade o esquecesse a elle u a mim.
O meu pobre Joao parece-me que morreu coma
candura d'alma que o fez de Ihe juro, com os olhos no divino juizo que breve
me ha de julgar, que meu marido estimou, al ao
extremo anecio de um irmo, e, mais que tudo, de
um desgracado reconhecido, o Sr. Antonio da Sil-
veira. Rcm abia elle que o amparador de meu-:
paes bavia de dar o pao de todos os dias de cinco
annos sua viuva. Aqu ponho as maos reconhe-
cidas diante da sua caridade, Sr. Silveira. E adeus,
meu bemfeitor. Esta parece-me que a ultima
carta, que recebe minha. Se eu o egualasse em
merecimento, dizia-lheat ao cu '.
Da sua irmaa,
'Albertina
E foi a ultima carta.
A filha do Dr. Negro morreu em Janeiro de 1847
com cincoenta c oto annos de edade, c apparen-
clas de setenta. O seu morrer foi um cerrar de
olhos sobre os ps de Jess crucificado.
Diremos agora fugitivamente acerca de alguns
outros personagens desta historia.
Simao de Valladares, um auno depois da fuga
de Albertina, casoa com aquella sobrinha, que,,
tomou para o seio, c Ihe disse com meldicas me-
gutees urnas phrases que deram o escolente resul-
tado de se matrimoniaren]. Corridos annos mor-
rea Smao sem descendencia, e o vinculo coubc
ao irmao, e deste fllha mais velba, que passou a
segundas nupcias. Civj, que ainda vivem urnas
macrobias Valladares, que eram formosas meninas
no tempo de Albertina.
A mulher de Caelano Alvos de Carvalho. quan-
do soube da morte do marido, fez tainanha frita-
in.li^5cii..nl;i>Ti j j ------- cuwanao menos nesia somma exaggeraaa uu
ir^lT ^ se,ien8enh0- or- quenoprazer de possuir o fil quatro vezes pre
me parecer que ha por esse mundo multa desgra- coso, madama de Merande subiu para o seu coa-
., que inove a comm.seracao, e at certo ponto pe, quando urna calea conduzia a outra dama e o
nesmoralisa. Ha oiitr.w iinnMni.. .., _s_____
um homem que nos matara a pedacos. K mais na- i desmoralisa Ha ootn d tZ* Pm *"' ^^ '
tural que a sociedade o esuecesse a elle e a mim. lim ',, !. ^^ ^ 1;4 m^ra" ** d'-^to.
li^am nena entornecem. A gente nao deve sup-
por que todos os infortunios procedem de desvos bera' lsse comsi8 mercador, urna
do dever. Se assim fosse, para inferirraos que VeZ CUcluido este ^"^ neTOC'<>. eu nunca teria
nm homem delinqua, bastara v-Io desgracado acrtdilado ''ue osle f>ec^eao manto trouxesse na
Ora eu conheci, no trajelo de oilenta annos, mui- Oa al8ihtira IaDt0 dnheiro para lancar ao vento!
tos mus afortunados, e umitas almas nobres pas- Na manhaado dia irnmediato aquelle em que ti-
fa das de angustias. Se eu fizesse romances, e es- vera lugar a sceua precedente, as tesouras corta
crevesse as historias que sei, teria de me abster vam o candido estofo, e madama de Merande em
demoralisar por conta da Providencia, que im- pessoa presidia ao emprego que se ia fazer delle.
portara o mesmo po-la em duvida. E, demais so A PeCa chegou para um vestido e um vu, vestido
inferno e glora fossem neste mundo, a que vinha de dupla saia, vu bastante largo e comprido para
a superfludade do outro, em que se promettem Que quatro borlas pregadas as quatro ponas fizes-
premiose castigos?! Escriptores chrstianissimos sem-n'o tocar no chao, a.redor da joven a quem
sei eu que se affadigam em demonstrar que os destinava-se.
prevaricadores inevitavelmente pagara neste raun- Esta joven era mademoiselle Paulina de Mera,,-
do En mesmo pregue, este falso Evangelho ao de, e esse vu o da sua primeira communhao.
Dr. Negro; mas o mundo preleccionou-me ses-
senta annos, e midificou as minhas crencas dos
vinte e dou. Pois, em verdade, Ihe digo que fa-
zem am desserviro religiao de Jess os que pre-
goam que a felicidades neste mundo prova de
saa consciencia o rectidSo de vida. Nao, senhor
absolutamente nao 6. A religiao de Christo diz :'
Bemaventurados sao os que solfrem, porque estes forzosamente misturada de nquietacoes que inspi
seraoconsolados. Os errados interpretes excla- ra, coma celeste exallaeao que a primeira commu
mam : A religiao, mae de todas as virtudes, nhao faz nascerem certas almas ?
um manancial de felicidades neste mundo nara v- i > a
miem a Ati-arn i ., P ;S;"' ha duvida. 'Iue lodos os pnmeiros commun
Isto, se nao e contradictorio,
. gantes nao resentem estas commocoes no mesmo
o Divino Mestre. *
touca da crianza e fluctuava sobre a agua, leve-
mente ntumescdo como a vela de um naviosinno
de Sylpho.
Querendo apanha-lo, escorrega-lhe o p, e ella
seria arrebatada pela correnteza do rio, se da ou-
tra ribanceira um braco vigoroso nao a tivesse
agarrado na passagem e trazdo para a margem.
Tudo isto gastara pouco tempo, tanto assim que
madama de Merande e a boa gente que eslava em
torno della apenas aperceberara-no, quando ja
Paulina lhes sorria da outra banda do ribeiro.
Quanto a seu libertador, elle tinha desappare-
cido; e, quando, tendo passado o ribeiro por cima
de um tronco de arvores que era a sua mais pr-
xima ponte, madama de Merande apertou a filha
nos seus bracos e Ihe lancou um chale sobre os
hombros ; procurou ao redor de si aquelle a quem
queria naturalmente agradecer, com grande sor-
presa nao o descobriu.
A sua admiracao nao durou muito; a pessoa
que ali achava-se a tempo, senao para livrar
Paulina de urna morte certa, ao menos para pou-
par-lhe os inconvenientes de um banho intempes-
tivo, reappareceu promptamenie, trazendo na mao
o pedaco de fil apenas molhado, graeas sua fi-
neza. Por causa disto, Paulina Ihe licou muito
agradecida. Na verdade, o soccorro que este des-
conhecdo Ihe pre.-tara, enchia o seu coracao de
reconbecimento, mas o fado de readquirir um
objecto que ella julgara perdido e ao qual tanto
estiva, deu a seu reconbecimento urna vivacidade
que os seus olhos exprimiam com abandono.
O autor deste duplo salvamento era um artista
pintor, que viera as montanhas de Auvergne por
causa dos seus sitios pitorescos. Foi convidado
com instancia por madama de Merande a apresen-
tar-se no seu palacio. M. Roger nao aceitou nem
recusou este convite, nicamente nao se aprovei-
tou delle, e sem urna particularidado asss notavel,
pnder-co-hia orr, no quo ollc llvesse ulxaUO O
paiz, porque era visto muitas vezes subindo os pi-
cos encanecidos, atravessando as speras veredas,
explorando o fundo das antigs crteras, mas que
tinha esquecido nao s as damas de Merande como
o acontecimento que os puzera em relaeao por pou
eos momentos.
Minha menina, disse-lhe, que pensaras tu da-
quelle que te offerecesse una rosa pela simples ra-
zao de urna outra pessoa nao a ter querido ? Cer-
tas almas entregndose a Deus me fazem o effeito
dessa rosa recusada. Nao approvo que se entre '
com taes disposicoes na vida religiosa; sao precisos
pensamentos mais nobres, vocaco mais real; e so- ]
bretudo convem que a alma esteja livre Tens de-
zoito anuos, se conservares pelo espaco de tres an, j
nos os mesmos desejos, ajudar-te-hei a realisa-los-'
eu t'o prometi I D'aqul at la, deixaremos que a
tua existencia corra como outr'ora.
Exprimndoseassim, madama de Merande nao
dava a conhecer o seu pensamento todo; o que oc-
cullava, eram mil e mil reflexes acerca da posi-
co honrosa que os artistas oceupam no mundo,
bellas fortunas de muitos d'entre elles, c maneiras
distinctas que Ihe pareca possuir Mr. Roger ;
verdade que ella apenas o tinha entrevisto, mas
basta o nico modo de cortejar de um homem para
mostrar a sua educacao; pois bem I nenhum mar-
quez do tempo passado nao teria saudado com mais
cortezia do que Mr. Roger, trazendo o vu de Pau-
lina.
Emfim, madama de Merande ainda dizia comsigo,
abstendo-se inteiramente de despertar em saa filha
urna esperanea que podia nao reahsar-se, que se o
acaso, ao qual ella pretenda ajudar um pouco, re-
conduzisse Mr. Roger sua presenca, nfio seria
absolutamente milagre que, dessa vez, s houvesse
simples cumprimentos.
( Coninuar-se-ha.)
Roberto do Diubo.
O pensamento religioso domina em qoa-i tod i
as operas de Meyerbeer.
Remeltem-nos a seguinte poesa :
'. OS TEISOI.HOS.
Os teus olhos sao orinosos,
Tao formosos como o cu !
Tem encantos to divinos
Os leus olhos, meu amor ;
Que me matara d'improviso
Quando olbam com pudor.
Eu gosto de v-los tristes
Se litarem com ternura,
Nos meus olhos, que se curvara
Ante os teus, meu amor ;
Uuaodo se fitam ti islonbos,
Mu Irisloobos, com langor.
Quando as veies me sorriem
tom meiguice os olhos ton :
Ou mesmo quando arrogantes
Se me lilam com raneor,
Creio estar, nao na Ierra !
Mas as azas de Senhor I
Oh tPtis olhos sao formosos
Tao formosos como o cu '
Tem encantos ta divinos
Os teus olhos. meu amor;
Que me matam dimpnviso
Quando olham com langor !
E contemplando os que pela primeira vez com
A pequea egreja em quo tinha sido baplisada a
afilhada de Paulina era urna nave de puro gothico,
urna joia devida a algum senhor do secuto XIV.
Por exemplo, tanto no exterior a pedra fra exca-
vada, quanto nelle se moslrava prodiga era picos e
rendas, ao passo que no interior as paredes esta-
vam sera ornatos ; por isso, amando apaixonada-
mente a sua egreja, e nao precisando, para por em
execucao um projecto que concebra, de laucar
mao do thesouro dos pobres, logo que o cura des-
sa humilde parochia soube que um artista achava-
.-- w .------------- ------ -------------i------- ~.,uU ,luo u, ai usa aeuava-
mungam, quasi sempre se diz que o dia em que se de passagem no paiz, Ihe eocommendra uina
tem lugar acto tao sublime,e o do casamento, sao
os mais esplendidos da vida.
Ainda que se contraa o matrimonio sob os mais
favoraveis auspicios, como comparar a felicidade
a ser sea marido, e a felicidade mentirosa lhes
amaTeiTc^ embrW d "irae satisfeiio.
embarcar para o Eu morrere, sem a ter visto no ultimo degrau da
ataca a effi>aca das palavras do Divino Mestre'.
Em summa, se o senhor instasse muito comigo firau : P0niue, nesse mundo de jovens, se encontra
para Ihe eu dar o tom da phlosophica,ou da chris- os mundanos, os vaidosos, os frivolos, para quem
ta morahdade do romance da lilha do Dr. Negro, s exstem as exterioridades, apenas comprehen-
eitar-lhe-ia estas palavras : dendo as pompas da ceremonia ; ser lalvez per-
. Minha filha ha de ser muito desgraeada an m"ld & ^% "^ l0 ZnaS ,errestres'
da mesmo que o homem, que ma roubou vena mal sua al,na e um Pa" que certamente nunca
conheccrao.
Rio, na intencao pcrdoavel de levar forea i
sassino de seu esposo, ainda que houvesse de gas-
tar com a-jusiica uns cento e tantos contos liquida-
dos. Hava, porm, na casa um caixeiro discreto
que a despersuadiu de gastar viniera com a torca
visto que era do interesse da humanidade entercar-
se Joo Chrysostomo. Este caixeiro, atilado como
se v, deu prova ainda maior do seu juizo, casan-
do-se depois com a viuva, e regressando com ella
para Espozendc, trra de ambos, onde acabaram
tranquillamcnte os seus das.
'Hiomazia, em 1833, se verdade o que me as-
severaram, veio com seu marido para Portugal!
moraram un< tres annos aqu no Porto; compra-
ran! urna quinta na provincia do Minho, sobre a
margem esquerda do Lima; e, como a quinta se
denominasse Cabecndos, os propietarios fizeram-
se bares de Cabeceaos. Eu conheci ainda urna
baroneza deste titulo; mas nao sabia que ella se
bavia chamado Thomazia. Consta que esta senho-
ra acabou santamente, e deixou filhos muito ricos.
D. Benito de Rojas dava s por si que fazer a
um romancista dos que teem folego para quatro
volumes. O importante para este succinlo roman-
ce saber-se que elle abandonara Thomazia era 8.
Domingos, passou-se Amrica ingleza, onde se
intitulou marqoez de Ponte Vedra, conde Allamira,
grande de Hespanha, e prximo prente da casa
real. Gaslou a frouxo para sustentar a posicao; e
pretenden algumas das princpacs herdeiras da
Nova-Irlanda. Urna das pretendidas acceitou apai-
xonadamente o galanteio do prente de res, e
conseguin que o progenitor cedesse paixao, tn-
do de optar entre ve-la casar ou morrer. Bs an-
tes, porm, da destinada celebracao dos esposo-
nos, D. Benito de Rojas foi encontrado em sua
propria cama cortado de facadas, e degolado com

miseria : mas voc vivera para lembrar-se das
derradeiras palavras preferidas pelo velho, que
chora era suas maos.
0 vn de fil.
A alma de Paulina de Merande ticou innundada
de suprema felicidade, no dia da sua primeira com-
munhao.
Na ante-vespera, ella pode contemplar alegre-
mente o seu vestido e o seu vu ; no mesmo dia,
nao se lembrou mais delles ; e, no da seguinte,
quando guardou essas candidas insignias n'uma
boceta de cedro que de proposito mandara fazer
Quando se tirou este vu do tcar, era alvo como Para semelhante mister ; se as tocava com respei-
frocos de nev, ligeiro como o respiro de urna ,0. este respeito era inspirado muito menos pela
enanca, e diaphauo como as nuvens de que a la raridade, e poderiamos accrescentar pela caresta
se compraz algumas vezes em ornar a sua belleza, do tecido, do que pelas divinas inspiracoes que
0 mercador que o expez venda, tocava-o com les objectos evocavam.
rZnta^r ^J^^.T ? reSpe"0 que se I Madama de Merande era viuva ; .dolatrava sua
lu Ir ELTi qUe ,a fPagI quan, bell : fl'ra ella quem aamamentra e educara ser-
iSJZSL Ta" passavam a cada momento os vindo-lhe de raestra. Isto far comprehender e des-
r^ fe^D"^ ?T pa,rec!."uelc,Pa'-. o esperamos, a pertinacia que el.a
rnLT 'Ud0S esP,endid0S.'mostrara a proposito daaC1uisco do fil,
as rendas de fio mais caras do que as de prata e
ouro ; elle, que olhava com indifferenca para estas El,a Possuia urna propriedade em Auvergne.
lindas cousas, tinha particular satisfacao em do- LK 1ne chegava marco com as suas promessas
brar o desdobrar o vaporoso fil; somente, me- de reverdecimento das arvores e os seus gorgeios
dida que cresca a sua admiracao, a marea de ven- de Passaro?- madama de Merande deixava Paris,
da se Ihe afigurava indigna desta obra-prima do Paraonde s voltava em novembro. Havia regula-
trabalho humano, e elle augmentava-a proporco-'ridade neslas PereKrinaCc;es- Em summa, a sua
nalmente. Nao se pode dizer aonde iria parar es-' vida in,eira era assira dirigida, e nada tao doce
ta marcha ascendente, se duas damas nao tives- com0 essas existencias uniformes ; os que amam
sem sobrevindo, urna manhaa, em occasiao em que imprevisto, nao se conformariam cora ellas,
t ', l ia m.L. LJ ____i. I m i _-. .. a m .. a
o agll tecido se desenrolava, erguido por Urna cor-
rente de ar que nao teria agitado urna penna.
Feridas de egual surpreza, ambas as damas ap-
proximaram-se espontneamente do piaravilhoso
estofo, e, apossando-se dellas um mesmo ardonte
desejo, miraram-se repentinamente, como duas abe-
lhas encontrando-se nos petalos de um lino perfu-
mado.Eu tomo-o, eu tomo-o todo, nao quero ce-
(1) Forja morrermos todos; e no morrer est
o acabarem-se nossas miserias. I, Toscul,
:l
aquelles que horrorisam-se da falla de erdem, pro
curam-as; e alm disso, os das bem regulados
offerecem um estranho phenomeno : pafecem ao
mesmo lempo muito comprdos e muito cortos,
compridos quando se pensa de qnanlas oceupa-
cocs agradaveis e interessantes se os pode encher;
curtos, se s se attenito rapidez com que elles
correo. ,. *
Por occasiao de urna dessas assjslencias era Au-
vergne, convidaran Paulina para ser madrinha
de orna enanca.
pintura para o seu altar, e M. Roger immediata-
mente dra principio a obra. Elle tinha esbogado
urna Nossa Senhora das Montanhas, procurando ao
redor de si a forma pura sob a qual queria repre-
senta-la, quando urna manhaa, na vespera do dia
em que teve lugar a aventura do pequeo ribeiro,
M. Roger, errando da motitanha para o vale, desco-
briu de repente, sobre um alto rido e alluraiado
por um raio de sol que n&eii.madmoisella de Me-
rande que pareca contemplar com xtasis una
paizagem j cera vezes admirada.
.Nao foram as feicoes de Paulina nem a sua ex-
pressao de adoravel bondade que chamaran) a at-
tencaode M. Roger: do lugar em que eslava, elle
apenas poda distinguir urna figura; mas esta figu-
ra tinha tanta graca casta, tanta elegancia, tanta
pureza nos contornos, que elle eslava era duvida
se alguma nuvem azulada, se algum raio dourado
nao tinha collocado sobre a rocha o ser que appa-
recia assim a seus olhos.
Na manhaa seguinte, a realidade da sua appari-
C5o da vespera Ihe foi confirmada]: vendo a gente
que voltava da egreja, elle esbocava muito a seu
gosto o perfil de mademoisella de Merande, no mo-
mento da sua queda na agua em busca do seu vu
branca
De certo, a belleza nao mais rara em Auver-
gne do que em Arles ou na Normandia, posto que
seja differente. O povo de Auvergne, como todo o
povo de montanhas e valles, offerece dous caracte-
res muito distraeros: os naturaes dos valles, ba-
xos e rechonchudos, teem os tragos reforcados e a
cabeea quadrada dos Baxos Bretes, ao passo que
os mntanhezes teem o talhe alto, e grandes e no-
bres feicoes. Mas a belleza que M. Roger sonhava
para a sua Nossa Senhora das Montanhas nao era
a dessa magnificas Auvergnezas elle achava-as
muito terrestres; ellas Ihe podoriam servir para
representar Junos e Pallas, e nunca a affavel e
Santa Mae de Christo; mademoisella de Merande,
pelo contrario Ihe offerecia completamente o typo
do ideal inventado pela sua imaginagao. Por isso,
foi sob as feicoes puras e delicadas da joven; que
logo se offereceu a Nossa Senhora das Montanhas
aos olhos roaravilhados da pequea populagao de
As damas de Merande ento comprehenderam
que, se nao tinham vista nb seu palacio o artista,
nao era porque este as tivesse esqnecdo.
At mesmo Paulina, a menina innocente tirou
disso ama consequencia que a fez ficar taciturna.
E' certo que as grandes solides elevam a alma,
mas tambera predispOe para a exaltarlo a soli-
do engendra o romance, alm de que toda a moga
mostra-se sempre muito disposta a crear o seu no
iniimo do coracio.
UM POLCO DE TUDO.
A Cruz, do Rio de Janeiro, escreve o seguinte
sobre o Evangelho :
Nao tenhas medo : desla hora em diante sers
pescador de homens
E aconteceu, irmaos meus, que atrepellando a Sll, da ""'versidade de Cambridge, fu. *
geme a Jess Lnnsto, aceda a elle para ouvr a'<'''""'> """"' ra""o raro em Inglaterra. m ni;
palavra de Deus, e elle eslava borda do lago de
L-se no Jornal do Havre :
L'm dos nossos historiadores mai Amedeu Thierry, senador e membro .Jo a*titni.<
que actualmente viaja em Inglaterra com seu fith.
foi em Oxford objecto de urna disiinccao De e das mais honrosas para elle e para a frasea
Em companhia do lord arcebispo deArm,-'
primaz de Irlanda, de sir Rowland Bill, anti
nistro da cora, do sabio mathemaiico Artbur Co
y, de dous lords e de Mr. Artbur He* ,j,
Genesreth.
E viu duas barcas, que estavam borda do la-
go : e os pescadores haviam saltado em trra, c
lavavam a sua rede. E entrando em una destas
barcas, que era de Simio, Ihe rogou que o apartas-
se um pouco da trra.
E estando sentado eosioava ao povo des da bar-
ca. E logo que acabou de fallar, disse a Simao :
faze-te mais ao lago, e solta as vossas redes para
pescar.
Erespondendo Simao, Ihe disse : Mestre, depois
de trabalharmos toda a noute, nao apanhamos cou-
sa alguma : porm sobre a tua palavra soltarei a
rede.
E depois que assim o fizerara, apanharam pelxe
em tanta abundancia, que a rle se rompa.
O que os obrigou a dar signal aos cempanheiros,
ue estavam era outra barca, para que os viessem
ajudar.
E vieram, e eneheram tanto ambas as barcas,
que pouco faltava que ellas nao fossem ao fundo.
O que vendo Smao Pedro, lancou-se aos ps de
Jsus, dizendo : retira-te de mim Senhor, que sou
um homem peccador.
Porque o espanto o linnaa sembrado a ello, e a
todos os que achavam com elle, de ver a pesca de
peixe, que se haviam feito. E da mesma sorte havia
deixado attonitos a Tiago e a Jlo, filhos de Zebe-
deu. que eram companheiros de Simao.
Mas Jess disse a Simao ; nao tenhas medo
desta hora em diante seras pescador de homens.
E como chegram a trra com as barcas, dexan-
do tudo foram-no segurado.
Subindo Jess Christo de preferencia sobre a
barca de Simao, que mais tarde se chamou Pedro
quando disse : tu s Pedro, e sobre esta pedra edi-
ficarei a minha egreja, foi para provar que ella se-
ria a base dessa mesma egreja.
E nesta barca que todo o orbe ve" assentado o
divino pescador dos moraos, salvando-os|das ondas
desla vida pela sua doutrina celeste, e mostrando-
Ules o reino dos cus.
Assim, sera em vao que os homens sem missao
laucem suas redes durante a noute para apanha-
rem os incautos, porque a egreja sobre quem re-
pousa a bencao do cu nao cessa de pescar os ho-
mens em abundancia para alimentados com o bal-
sarao de sua mmensa santidade.
Esta pesca prova exuberantemente que sem o
austilio da graga nos nao poderemos vencer as lu-
las do mundo ; e para que os nossos esforgos nao
sejam improficuos e sem resultado algum, nos de-
venios recorrer Deus, e termos confianga para
que Elle nos anime e nos encha de consolagao.
se da senao em recompensa dos mais em,..
servicos scientilicos ou luteranos.
Mais de dez mil pessoas a.stiram a eereMom.
que se fez com urna solemnidade e espen:
compara veis.
Extractamos do Jourm in D \U o sefoiaie
O medico Edmundo Couty de La Pumm-r, -
executado no dia 9 em Pars pelo crirae de en i
namento, tioha .ti airaos de idade.
Era doutor em medicina e tioha naso i
Neuville-sur-Bois.
Qaando no dia 18 de maio foi ronduzido pan
prisao de la Roqnett e meiiido em ama as
do< condemnados a morte, vestiram-lhe a ran
l de forea e sobmetterara-oo vigilancia l l .
, suardas, que ficavam fechados com elle na
, Mostrou-se elle contrariado com a eamiz i I
ga, e manifestou lodo o temp. que esteva no i
sito dos condemnados nina especie de raamr r .
ira o cabo que Ufa mandou vestir e a quem r
sava fallar, vol-ando-lbe as costa, e dando-ll,.
me de-grande inquisidor. Ma-trava-.. .
communicativo e raras vezes conversara r
guardas, rompendo sempre a conversara
iulzava onvir alguma allusao i ,, ron.l-mn.--, -
Vio pareca ler nenhuma esperanea M r.,--. \
cassacio qoe dizia s assignara para aio .!-
o seu defensor.
Nos primeiros dias queixou-se repetiai
rgimen alimentar da prisao. e pediti qoe |B
sera frange e oolras comidas delicada,. ,


L-se no Jornal do Commercio de Lisboa :
Logo depois da morte do grande compositor
Meyerbeer, tralou-se de saber se porvenlura dei-
xara algumas disposiges sobre o que devia obser-
var-so no seu foneral, e em urna carteira de via-
gem se encontrou um papel lacrado, em que se
lia, na parle exlerna Para ser aberto depois da
minha morte.
O papel eslava escripto em allemo, pela propria
letra do finado, e dizia assim :
Desejo que depois da minha morte se cum-
pram estas disposiges :
Quero que me conservera no leito, em que
morrer, com a face descoberta, como estava antes
da morte, pelo espago de quatro dias, e ao quinto
dia sangrar-me-ho na arteria brachial e no p, e
feito isto, o meu corpo ser condozdo Berlin, on-
de quero que rae enierrem na sepultura de ra'inha
velho, otferecendo-se a pagar a dillerenca.
resignou-se ao regularaento e habiinou-'se a non-,
de comer sempre com apetite.
Tinha frequentes entrevistas com aeaM,
padre Croz, e com o medico da prisao. i
Deleau.
Com o primeiro discuta eertos pomos religin
como ura hornera que procura razoes p.aLv,
fuTdat ma Pna0 ',Ue ****
Cora o segundo fallava continuamenie de *o...-
cias e medicina, mas nem a um nem a ouiro con-
senta allusoes a sua condemnago.
Nos ltimos dias, continuava sempre Majnd
mas o seu somno era menos profundo e alguma-
vezes agnado.
Pela manhaa apparecia abatido e muitas veze-
manifestou o desejo de ver um prompto flm m
stuago.
A's 5 horas e mea da manhaa do dia o direc-
tor do deposito dos condemnados, o ebefe do servi-
go de seguranga e um offlcial do tribunal imperial
entrarara na celia do condemnado, que dorma
Accordaramno, e annunciaram-lhe que o penl
Ihe nao fra concedido.
La Pommerais assentou-se na cama, m pat'
rr urna s palavra. O capellao abracou-o e de.-
viou-se depois um pouco. O condemnado lancou a
roupa da cama para o lado e desceu do Jeito.
Depois disto mostrou-se sempre tranquillo e re
signado, e com uina especie de dignidade, sem jac-
tancia.
S quando um dos ajudantes do exeeutor Ibe
atava as maos atraz das costas, faz um ligeiro mo-
viraento e voltoa a caneca inclinndose como para
indlear que a pressao era mui forto. F o que *e
entendeo; porque Ihe alatgaram logo o laeo.
Quando se diriga para o lugar da exeenrio,
atravessou o pateo com passo firme, sem se alas-
trar perturbado vista do cadatalso levantado em
frente. Sobu os degrus sem proferir urna s pa-
lavra, e chegando plataforma collocou-se imme-
diatamente contra o fatal instrumento.
PERNAMBGQ.~TYP. DE M. F. DE F. & PlUlO


/


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECLEBD0HY_VTKQCL INGEST_TIME 2013-08-28T00:41:00Z PACKAGE AA00011611_10417
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES