Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10416


This item is only available as the following downloads:


Full Text

i
AMO 11. HOMERO 169.
Por tres mezes adiau lados 5$000
Por tres mezes vencidos ... 6J000
Porte ao corrcio por tres mezes. #750

SEXTA FEIRA 15 JE JLflO DE 1864.
Por auno adaatado.....19)000
Porte ao correio por nm ano. 3J000
SNCARREGADOS DA SBoCRiPQO NO NOR'IE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima
Natal, o Sr. Antonio-Marques da Silva; Aracatv,
8r.A. deLemos Braa; Cear, o Sr. J. Josede
Oliveira; Maranhao, o Sr: Joaquitn Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
niazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO NO SUL-
Alagas, o Sr. Claudino Falco ias; Bahia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Oiinda, Cabo e Escada todos os das.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextes-eiras.
Santo Anlao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tercas eiras.
Pao d'Aiho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cahrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as oiiartas feiras. I
Serrahaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-I
ros, Agua Preta e Pimeu'eiras as quintas eiras.l
Ilha de Fernando todas as vezes que para a sahirl .
navio. I mmeira as 0 horas e 30 minutos da tarde.
Todos os estafetas partem ao >/j dia. (Segunda as 0 horas a Si minutos da manha.
SPHEMERIDES O MEZ DE JLLHO.
3 Lna nova as 10 h., 5 m. e 13 s. da m.
12 Quarto cresc. a 1 h., 26 m. e 14 s. da m.
19 La cheia as i h., 1-5 m. e l i s. da m.
K Quarto ming. as 6 h., 26 m. e 8 s. da l.
PREAMAR DE HOJE.

PARTIDA DOS VAPORES COSTE1R03.
Para. o sulI at Alagas a J5 e 25; par* o norte at
a Granja a 7e22 de cada mez; paraFernando nos
das 14 dos mezes dejan, marc., maio, jul, set. enev.
PARTIDA DOS MNIBUS.
, ,Par ecife : do Apipucos s 6i/,, 7, 7 /,, 8 e
8 V a m.; de Oiinda s 8 dajn. e'6 da Urde; de
Jaboatlo as 6/ da m."; do CaxangeVarzea's 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
k DKi?eCKl; **P2. AP'P?C< 3 V4, & a;4 %
l'-' .* e 6 da tarde Para 0linda as 7 da
mannaa e 4 >/, da tarde; para Jaboato s 4 da tar-
de ; para Cachang e Varzea s 4 y. da tarde; para
Bemfica as 4 da tarde.
| AUDIENCIA DOS 1RBUNAES DA CAPITAL
I Tribunal do commorcio: segund's o quintas.
Relacao: tergas e sabbados s 10 horas.
Fazenda : quinta., s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: jergas e sexus ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da urde
LIAS OA SEM < Na.
li. Segunda. S. Sabino m.; S. Silvano m.
12. Terca. S. Joao Gualberlo ob : S. Ja>on
13. Quarta. S. Aoaclelu p. m..; S. Jml prol
li. Quinta. S. Bonventura b. card. dr. seraphtco.
15. Sexta. S. Gamillo de Lellis fundador.
10. Sabbado. Nossa Senbori d Carmo.
17. Domingo. O Aujo Custodio do im|>erio.
AsneifA-si
no Recife, em a livraria da praca da lnde*endencij
n?. 6 e 8, dos proprietario Manoel Figu-ii
Faria & Filho.
PARTE GFFIGIAL
) que requercu a profossora publica de ioslrucgo disponivel, nunca maior de um terco de seu capit
'imaria da freguezia de Santo Antonio desta cida- (1/3^, distribuido pelas caixas filiaos para fazi
GOYERKO DA PR0YINCIA.
Expediente do dia 12 de junho de 1SG1.
Offlcio ao Exm. presidente da provincia do Rio-
Grande do Norte.Annuindo ao que pede o alferes
do 9 batalliode infantera, Thomaz Pompeu Theo-
doro de Souza, no requerimenlo incluso, solicito de
V. Exc. a expediego das convenientes ordens, no
sentido de cessardo mezcorrente em diante o abo-
no da quantia mensal de 20HOOO, que deixou o
supplicante de seu sold uessa provincia, enviando .
* thesouraria de fazenda urna guia ou certido em ger interinamente e mediante a gratilicago annna
Yisl.aila. Curato da S de Oiinda.Commuiicou-so ao direc-
tor geral interino da instrueco publica.
ao
pr
de Alexandrina de Limae Albuquerque, resol ve de
acoordocom as informaeoes do director geral in-
terino da instrueco publica de 10 de junlio ultimo
sob n. 111, ouvido o consellio director e do inspec-
tor da thesouraria provincial de 12 do corrente,
sob n. 277 coDce'V a referida profesora nos ter-
mos do art. 2i d^ei n. 598 de 17 de maio do cor-
rente anno a gratificacao correspondente a m lade
de seus veueimentos visto contar mais de 2o annos
de magisterio, devendo cssa gratilicago ter prin-
cipio da dala da mencionada lei CommunicoU-se
ao director geraj interino do instrueco publica.
Dita,O presidente da provincia resolve no-
mear a Joaqulm Rabello Pessoa de Brito para re-
1
mnente de seus venciraentos nesta provincia.
Gommunicou-se ao commandante das armas inte-
rino.
Dito ao inspector
ii,-i'i0,-ivSpaec,or da ,hesourara de fazenda.- Espediente do secretario do goverou do dia 12 de
estimo a V ;>. o requerimento documentado so- h .,
bre que versa a sua informaco de lionlem, sob n.
350, aOm de que, em vista della mande pagar a
Ilenrique Jos Vieira da Silva, a quantia de 275000,
proveniente de frete e passagem dada por conta do
governo no hiato Sergipano, na viagem que fez em
junho ultimo ao presidio de Fernando.
Dito ao mesmo.Communico V. S. que em
offleio n. 1,226 de 11 do corrente parlicipou-me o
commandante das armas merino, ter oescrivodo
hospital militar Jos Marcelino Alves da Fonceca
principiado a gozar em 7 deste mez, a liceuga de
dous mezes com vencimenios, que obteve do gover-
zio imperial.
" Dito ao inspector da thesouraria provincial.Res-
tituindo V. S. as inclusas contas na importancia portara na forma requerida,
de 1885800, despendida com o sustento dos presos! Antonio Malaquias de MacedoLima.
pobres da cada de Caruar, durante os mezes de i havendo inconveniente,
margo i maio deste anno, o autoriso nos termos de : D. Clara Adelayde Paes de Andrade. -Informe
sua citada informacao, nao s a levar essa quantia .0 Sr. inspector da thesouraria provincial,
em conta dos 2255000, que por adiantamento tem Commendador Francisco Antonio Pereira da Sil-
em seu poder o delegado daquelle termo, mas tam- va.Dirija-se a thesouraria provincial,
bem adiantar-lhe por intermedio do thesoureiro da Frederico SkinerPasse portara prorogando o
repariieo da polica, Joaqun) Gilseno de Mesqu- praso de 30 das.
jiillil
Ollicio ao desembargador Antonio de Barros e
Vasconeellos.De ordem de S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia aceuss a recepeo do officio em
que V. S. communicou ter entrado' hoje no goso da
licenca qu Ihe foi concedida.Gommunicou-se ao
inspector da thesouraria de fazenda.
Despachos do dia -12 de jullio de 1861.
Requerimenlos.
Agostnho Ferreira da Silva Azevedo.Tendo o
supplicante sido nomeado pelo juiz de direilo da
comarca, a este de ve solicitar a sua exoneraco.
lexaudrina de Lima e Albuquerque.Passe
-Dse, n5o
la, conforme solicitou o respectivo chefe, em oflicio
de 17 de junho ultimo, sob n. 723, a somma de...
2005, para ir occorrendo ao pagamento de taes
de.pezas.Communicouse ao Dr. chefe de po-
lica.
Dito ao mesmo.Era vista do competente certi-
ficado, mande V. S. pagar ao empreiteiro dos con-
Jos Severino de Brito. Informe oSr. Dr. chefe
de polica.
Jos Elias Machado Freir.Informe o Sr. capi-
to do porto.
Jos Firmino de Oliveira Regis.Dirija-sc a the-
souraria provincial.
Manoel Antonio Teixeira.Passe portara proro-
al
(i/3;, distribuido pelas caixas liliaes para f'azer
cleclivo o troco do suas notas, alteradas nesta par-
te as disposicSes do art. 16 dos estatutos de 31 de
agosto de 1853.
t Art 2.a A falta de troco por moeda metallica
das notas da caixa matriz as liliaes nao importa-
r o fallimento do banco, o qual somente ser ap-
plcado no caso de falta de pagamento na caixa
matriz, mas importara immediatamente a cessacao
do recebimento das ditas notas as estaces publi-
cas da provincia, em quanto a caixa filial nao esti-
ver habilitada a fazer effectivo o troco por moeda
metallica.
Art. 3." Dada a hypothese do art. 2" as notas
que existirem as estaces publicas, serao substi-
tuidas na respectiva caixa filial, por notas da mes-
illa caixa, e qua.ndo esta o nao possa fazer, serao
inmediatamente remedidas ao thesouro com o ca-
rimbo de inulilisadas para ser cobrado o seu valor
na caixa matriz.
Art. 4." Ficam revogadas as disposiedes em
contrario.
Paco da cmara, 25 de junho de 1864. Paula
Santos.Junqueira.
O vapor Brasil, hontem cltegado de Montevideo,
Rio-Grande c Santa Camarina, f >i demorado no pri-
meiro destes portos at o dia 18 pela legacao impe-
rial. Traz-nos "elle a noticia que os negociadores
deviam ler urna conferencia com o general Flores,
no dia 17, na estancia de Santa Clara, vinte e urna
leguas distante da villa de S. Jos, tendo j aquelle
general respondido primeira nota que recebra no
sentido de urna composica.
Corra em Montevideo que o coronel Fidelis, ao
saber da existencia de propostas de paz, abandona-
ra o general Flores com as forras de seu comman-
do, protestando contra qualquer transaeco que se
lizesse.
Tambera fura apprehendida pela polica urna car-
ta em que Noi-Reys, ex-minislro da guerra, que
fez parte do governo at ao dia 1 de marco, acon-
selhava o general Moreno a oppor-se com o exerci-
to a todo e qualquer conchavo. Chamado pre-
senca do chefe poltico, foi o oflicioso conselheiro
advertido severamente.
A imprensa principia a mostrar-se desgostosa
tJEntre ellas vem urna que bastante nos alegra-
mos ao da-la publicidade.
Os Brasileiros aqui residentes, diz o nosso
communicanie, principiara a gozar da benfica in-
fluencia da misso do Sr. Saraiva 5 j nao se v
aquellas tropelas que constantemente erara prati-
cadas pelas forcas do governo. Os .Brasileiros,
portento, princpiam a erem respeitados em sua
vida, hoi/ra e propredade.
Decante Victoria ti vemos cartas at 15 do
corren-e. De maior nada consta, alera das segura-
tes nolicas que nos transmute um amigo impar-
ta! e |e inteiro crdito :
No dia 4 deu-se deste lado da linha, cerca da
casa d' niajor Jos Rodrigues Correa, um factobem
desagndavel, e que talvez nos traga algumas difli-
culdades.
Eis o facto : Um Oriental de nome Angelito
Alies, passando a este lado da linha corrido pelo
raajor florista Marcelo Lopes e outros, foi preso
pelo commandante do nosso destacamento tenente
Bernardo Rodrigues Correa ; estando, porm, pre-
sente o commandante da fronteira major Bueno, o
major florista Marcelo exigi de Bueno a entrega do
infeliz Angelito, que, sob a protecgo do territorio
brasileiro, pedia com clemencia as nossas autori-
dades que nao Ihe entregassem a Marcelo, porque
o malaria ; surdo, porm, Bueno s supplicas do
infeliz foragido, que se asylava em nosso slo, fez
delle enlrega ao seu algoz, que tao prompto pas-
sou a linha para outro lado, o inandou degolar I I 1
Isto nao tem justificagao da parte daquelle que sob
modo cooperou para o assassinato daquelle in-
feliz.
t Os msmos chefes colorados ora na linha, estao
decretandftovos tributos, fazendo os fazendeiros
brasileiros pagar a contribuidlo directa ; alm do
que, tem se recrutado Brasileiros para pegar em
armas, e tomado os cavallos gordos daquelles que
estao trabaliando em suas estancias.
Deus haja de permiltir que o nosso ministro
em Montevideo possa por termo a tantas e tao ex-
travagantes exigencias.
Era Santa Caiharina falleceu no da 7 o Sr. ca-
pitao de mar c guerra reformado Joaqun) Sabino
da Silva.
S. M. o Imperador, acompanhado dos seus sema-
Arabas as discussoes ficaram adiadas pela hora, ^o^^
A cmara dos deputados oecupou-se hontem era I?. mooiSl .u_ .____...~
ipriraeirolugar cora aconi.nuagaoda primeira ds- LmTfiSEESS. ?.ft! ,mr"/^'---'-
I cussao do projecio que revoga | 14 do art. 3' da ?.mJ '"ri?l0VJO ** ^oras menos 10 ramu: -
le provincial das Alagas n. 5 de 9 de julho de
1839, sobre a exportago de madeiras. Oraram os
Srs. Moreira Brandao e Arystides Lobo, ficaudo a
discussao adiada pela Doral
Encerrando-se era seguida a discussao da emen-
da relativa ao artigo segundo do projecto sobre a
estada de ferro de I). Pedro II, cuja votarao ficou
empatada, e pondo-se a votos, foi rejeitada" por vo-
da ooite.
1 de jolho
A cmara dos depulados approvou bont:m em
urna s discussao, sem debate, o projecto que au-
lorisa o governo a passar carta de nalorah
de cdadao brasileiro ao nortugnez Antonio Tra-
les Silva e Mello, comas seguinles emendas
Igual autorisaco a favor dos subdito* nortu-
guezes Manoel Jo.niuim da Foncera e Francisco An-
reira Brandao, Henrique de Almeida. Costa Macha-
do, Correia das Neves, Aragao e Mello, Joao Leile,
Sa e Albuquenjue, Luiz Felippe, Epaininondas, Jo-
s Angelo, Ferreira de Moura, Dantas, Frederico
de Almeida, F. Octaviano, Saldapha Marinho, Jos
Gaetano, Andrade "
Igual favor a Luiz Barbosa Leao. a Io An-
tonio Pessoa e a Manoel los Ferreira Guiraara. -.
negociantes na provincia do Espirito Santo.Pe-
reda de Vasconeellos.
Que se estenda o mesmo favor a Jos Anloni.
- Pinto, Valdelaro, Pedro Luiz, Rmpoium
Fernandes Moreira. Carnero de Carpos, Jacobina oortEes' Srn AS21vSS'M d"
Moraes Cosa, Manoel Joaqun, Paula Santos, Mel- ,r,0s An,oni X ,anl'
lo Franco, Fooseca Vianna, Martioho Cami
---------...., u....u..v hampos, Car-
valho de Mendonga, barao de Prados, C. Oltoni, Li-
ma Duarte, Domciano, Jos Jorge, Bretes. Ribeiro
da Luz, Cesar, Felicio dos Sanios, Jos Bonifacio,
Martim Francisco, Fleury, Theodoro, Limare, Mar-
condes e Abelardo de Brilo; e a favor, os Srs.:
Pamplona, Libralo, Rodrigues Jnior, FigueirJo,
Ribeiro, Bezerra Gavalcanti, Pereira de Brito, Ur-
bano, Souza Carvalho, Si I vi no Gavalcanti, Barros
Brrelo, Godoy, Brandao, Serphico, Espirdiao,
Arystides Lobo, Lopes Netlo, Bitteueourt Sampaio,
Barros Pimentel, Barbosa de Almeida, Barbosa de
Oliveira, Salustiano Soulo, Pinto Lima, Pedro Mu-
niz, G. Madureira, J. Madurera. Pedro Brandao,
Castro,
. fr.-ncez : Do-
mingos Lazary, italiano, residentes era Va^oura-
Jos Cae lao.
Gjnrcda-se igual favor ao portuguez Pran<-j*-.
Jos Cadioha, morador em Santo Antonio do-Rio-do
Peixe, era Minas-Geraes.Ratwllo.
Igual favor a Ernesto Pedro Laclaos, re-ideof.-
era MacabPedro Luiz.
Igual favor se conceda a Felippe Sommer. alh-
raao, residente na provincia de S. Pedro do Sul
Flores.
Igual favor aos senhores :
l; George Pain Jell, subdito ingtez, morador
na Ireguezia de Santa Anna de Macacu. provincia
do Rio de Janeiro.
2", Narciso Antonio Vianna. subdito porta-
Senhora d.i
>vrn-
certos e pintura do iheatro de Santa Isabel, a im- gando o praso por 3 mezes como requer o suppli-
portancia da primeira prestago do seu contrato, cante.
pois que, segundo consta de officio do director da Manoel Alves Guerra.Informe o Sr. inspector
repartigo das obras publicas, datado de hontem e da thesouraria de fazenda.
sob n. 181, j executou elle metede doservigo, a Marlcrnus Lenz.Volte aoSr. inspector da the-
que obrigado.Communicou-se ao director das sourara provincial para de ronfonnidade com o
obras publicas. i parecer fiscal a que se refere a sua nformagao de
Dito ao mesmo.Pode V. S., de conformidade j hontem sob n. 27i, mandar sobr'estar no pagamen-
com a sua informago de hontem, sob n. 276, man-, to da quantia deque se trata, al que o supplicante
dar entregar Jos Firmino de Oliveira Regis, a mostr em juizo o sen direito e requeira perante
quantia de 1:4285, que se acha em deposito nessa ehe as diligencias que Ihe (icarem a bem.
thesouraria, proveniente do beneficio da lotera ex- Ilenrique de Albuquerque.Gomo requer.
trahida favor das obras da capella de Nossa Se-! Padre Thom Narciso Pereira Almeida Coutinho.
nhora da Conceigao da Escada na igreja da Con- \ Dirja-se a thesouraria provincial,
ceico dos Militares. I____________________________________
Dito ao mesmo.Autoriso V. S., de conformida-
de com a sua informacao de honlera, sob n. 278,
mandar entregar medante lianga idnea, ao viga-
rio interino da freguezh do Bom-Conselho, padre
Thom Narciso Pereira de Almeida Coutinho, a
quantia de 2:0005000, votada para as obras da
igreja matriz daquella freguezia, a qual dever ser!
restituida a essa thesouraria, pelo negociante Dio- i
go Jos da Costa, que a recebeu c anda conserva!
em seu poder, na qualidade de procurador do res-1 culdade de medicina, oblendo carta de cirurgiao-
peclivo vigano collado, Joao Clemente da Rocha, dentista, o Sr. Joao Baplisia de Souza Lopes,
que se acha suspenso do exercicio
n.|, __ si ... a w- -" 1IIIUCI dUUl .ICOUlUUOaUU UU5 3VU3 anilla-
pela mane.ra, no sen entender, humilhante e inde- narios a dos Srs minsIros a marinha, general Ca-,
vL,n,oPeIa qUal m""S,r, nen,al l'-0 ^"W bral, inspector do arsenal de marinha e chefe do
Vasques Sagastumo, resolveu a questao suscitada i- dstricl0 nava, enibarcou honlera s 9 horas da!
t, iUiBOVierno.s"-j a a v i mawiliaa naquelle arsenal, evisitou as fortalezas de;
Foram declarados traidores e meados da lista Santa Cruz, Praia de Fra, Boa-Viagem, Gragoat !
militar o coronel Simn Magno e o major D. Gabriel 9 do mt)0 3 VluVa, e regressou ao arsenal s 2
i2r--ft.j u -a horas e 20 minulos da tarde retirndose logo.
Na confederagao Argentina nada tinha occorndo _______
portu-
h...\ --" "-', uiuiauui Hiicgwau UK9. joao ue Itebora-
7-A .... n>' d mesina provincia.
J, cer sobre a compauh.a l n.ao e Industria. Oraran) guez, morador na di|a f .2a e provincla. ^
afSzZZS?0 anC' a a Antonio Jos Gongalves, subdito portuguez,
morador na dita freguezia c provincia.
Jos Vicente Ribeiro. subdito-
de interesse para nos.
As folhas de Porto-Alegre alcancam 16, as
do Itio-Graude l'J e Santa Caiharina 23 do cor-
rente.
O presidente da provincia de S. Pedro do Sul li-
nha chegado Bag no dia 8.
Havia assumido o cominando das armas da mes-
ma provincia, em S. Gabriel, o Sr. general Mena
Brrelo.
Hontem pelas 4 horas da madrugada, tendo a
untlnetla do posto central da 1' secgo observado
um grande clarao na direcgo do morro do Valon-;
go, e suspeitando que hava incendio, deu imme-
uiatamente o slgnal de alarma ; e, seguindo ento
toda a seccao para o lugar indicado pelo clarao, lo-
go que chegou ao largo do Deposito reconheceu
que esse clarao era cora effeilo proveniente de um
Incendio, e que este se davaem duascasas terreas,
Foi olferecido o seguiute projecto como emenda:
*J^attSu!V r".rat0 ,a qU.8 105*3 moradr"na dirfrTguez'tee'provinc'ia"
S nll'^V6 2i do.d.ewn,bro de l> "fe i 7, Jos Riheiro da Silva, subdito ,
9J, governo imperial cora o presidente da moradvjr na di|;i f a provincia,
companh.a Lniao e Industria para a transferencia o,)Jos >a de A|neda n^Ci So
portuguez,
portuguez.
ao mesrao governo da estrada daquelle nome e da
colonia Pedro II.
Pago da cmara, 28 de junho de 1864.-
Franco.
-Mello
A mesa da assembla legislativa da provincia de
i RMfe hamados servic, de destacamento de duas por-[as novas sem numero de ma cons
l,b2i pracas da guarda nacional para formar qua- -----*
INTERIOR.
RIO im-: Ji\i:ino.
2o de jinili 1.
Foi examinado e approvado plenamente pela fa-
tro corpos provisorios destinados a fazerem parte
da diviso de observacao que se tem de organisar
na fronteira de Bag, publicra-se a seguate de-
signacao para os commandos :
de suas func-
COIfS.
Dito ao mesrao.Itecommendo V. S. quc.em
viste do competente certificado, mande pagar ao
commendador Francisco Antonio Pereira da Silva,
26
A cmara dos deputados approvou hontem asse-
guintes emendas ollerecdas ao projecio sobre a es-
irada de ferro de' D. Pedro II :
Ao art. 2."Se alguina companhia se conten-
n quantia de 1003000, como indemnisacao do ter- ,ar rorn a garanta de i por cenlo por 50 annos,
reno, que tem de ser uceupado pela casa destinada em compensarlo se Ihe perraittir que dsiribua em
;i barreira de Morenos era trras do engenhu Ca-' dividendos at onlros 4 por cento de renda liquida
tende.Communicou-sc ao director das obras em addicao aos i por cento pagos integralmente >
publicas. Pul thesouro. Ao governo, nesle caso, ser ere-
Dilo ao director das obtas militares.Nos termos ditada, em encontr da garanta, somente a renda
do regulamento de 18 de julho de 1836, mande V. excedente a i por c rato lquidos, de modo que o !
S. collocar os balaustres de ierra c as fechaduras thesouro nunca pague mais de 4 por cento ; mas
de que necessita o quarlel do corpo de guranigao, este contribuigao s seja reduzda depois que a ren-1
certo de que fica approvado para esse fim o orga- da liquida exceder a i por cenlo e cesse quando
ment que acompanhou o seu oflicio n. 79 de 11
do corrente. -Fizeram-se as necessarias communi-
cacSes.
Dito ao mesmo.-De conformidade com o regu-
lamento de 18 de julho de 18.'j'j, mande V. S. fazer
os concertos e obras novas de que, segundo o seu
ollicio n. 7i de 9 do corrente, necessita o quartel
do 9 batalbao de infantaria, nao excedendo a res
chegar 8 >or cenlo.
Ao art. ."I0 1Em lugar de arrendardi-
ga-sepoder arrendar.
Os arls. 8o e segrales sejam remedidos para
o senado redgidos em projecio separado.C. 1S.
Ottom.
Ao 2 do art. 2- accrescente-se :Poder fa-
zer parte desta subvengao s companhias a conces-
truegao, e estavam para alugar.
Quando chegou a secgao ja o fogo tinha destrui-
do a cobertura e abatido o soalho dessas casas ;L
conseguiu-se entretanto, garantir um quarto que
se achava ao lado de urna dellas, e bem assim lo-
i- corpo de promorn.-O tenente-coronel Ma- das as ou[ras casa sobre as as DCendJadas
noel de Uiiveira Bueno, commandante do corpo n. estavam cavalleiro
23do municipio de Cacapava. O proprietario, que chama-se Joaqum Barbosa '
r co'/--u'enente-coronel Cara.llo Merco Pe-. dos Santos h ^ d d aver.guaeoes pon-
rara, commandante do corpo n. 32 do municipio ciae5 1
de Rige. As casas estavam seguras na companhia Allian-:
Y' corpo.-O tenente-coronel joaquim Guedes da ,.a p0r 8000
Luz, commandante do corpo n. 37 do municipio da 0 fogo'fleoucompletementeextinelo s 8 1|2 ho-
Liuguajana. ... ... i ras da raanhaa, nao sedando nenhuraa desgraga
corpo. O lenente-coronel
da Costa, comraandanie do
pi do Jaguaro.
O Sr. coronel Manoel Pereira Vargas foi desig- Compaeceram diversas autoridades, cujos no-,
nado para comraandar a guarnicao e fronteira do mes e graduag0es foram Ievados ao COnhcciraento
jagu.irao. do gr ministro da agricultura pela directora do
L-se no Diario do ltio Grande de 8 : : corpo de borabeiros ; os piquetes do costume, lo-1
O Bagense, dando conta do horroroso assassi-' das as secgoes auxiliares e todos os postos da l
nato no Eslado Oriental di infeliz familia do sub- [ secgao, sendo o 5" o primeiroque compareceu.
dito brasileiro Marcelino Ferreira dos Santos, que -----------
L-so no Diarto do Uto Grande de 11 do cor-
rente :
Os cavalleiros de industria formigam, mas fe-
lizmente a nossa polica nao dorrae.
c De Pellas chegou ante-tiontem no vapor Mau
ura Sr. Dr. Antonio Requena, Hespanhol,.horaem
de 30 annos, bera parecido e regularmente (raja-
do. A polica embirroa com o Dr. Requena e o
prendeu hontem pela manha, e est sendo pro-
... ..... i ras da raanhaa, nao se dando nenhunia desgraga
onel Astrogildo l .-reir o trabalho de sua extinecao, que foi execulado
corpo n. 2/ do munici-1 pe)a t, seC(.rl0 des,e COrpo,coadjuvada pelo pessoal
. ,_ da 3- seceo auxiliar.
iquiin de Almeida Itastos >enior,
subdito portuguez, morador na ireguezia de Santa
Anna de Macac. na mesma provincia.
9, Joaquim Jos da Silva Machado Guimares.
subdito portuguez, morador na dita freguezia e
provincia.F. Garneiro de Campos
Do mesmo modo fica o governo autorisado a
mandar passar caria de nairalisagao ao subdito
britannico Araabile Mercieca.Barao de Porto-Ale-
gre.
Gomprehenda-se o subdito italiano Lourenco
(eco e ao subdito portuguez Manoel Ignacio de
Oliveira, residente era S. Paulo, e dito Jos Jonqoim
Correa ; e o prussiaoo Jos Pedro Glein.J. S. Gar-
begundo secretario, o vigario Agosiinho Francis-1 rao.
co Paraizo. | Igual lavor a Julio Haneiseen e Guilhemw E.
---------- Vittig, colonos do Mucurv. e Jos Antonio da Cu-
Temos date da provincia de Malto-Grosso, al 22 nha Braga, residente na Parahiba do Sul.Mart-
do [lassado. nho Campos.
Ficava installada a assembla legislativa provin-1 Igual favor a Manoel Mara da Silva, natural
cial. da mesma ilha do Fayal, residente nesta corir. vin-
Em Corumba fra condemnado a dous mezes de : do ha 20 annos para o Brasil, dr .'18 amos de ida-
prisao cora trabalho, pelo juiz de direilo da res- de e actualmente residente a bordo da barca aacio-
Minas, ficou assim organisada
Presidente, Dr. llygino Alvares de
Silva.
Vice-presdente, Dr. Jos de Rezende
Guimares.
Primeiro secretario, Dr. Carlos Thomaz
galhes Gomes.
Abreu e
Teixeiva
de Ma-
pectiva comarca, o collector da villa de Santo An-
tonio do Paranahvba, acensado do crime de pecu-
lato.
30 -
Por decreto de 13 do correle foi autorisado o
banco Rural c Hypolhecario para incorporar a so-
ciedade de seguros mutuos sobre vidas denomina-
daProtectora das familiase approvaram-sc os
respectivos estatutos.
j noticiamos, adianla os seguimos pormenores
Existia no lugar denominado Entre Gil e
Pontas do Cordovez, no deparlamento de Doras-
rao, uma familia brasileira, cujo chefe, o Sr. Mar-
celino Ferreira dos Santos, seus filhos e genros,
liveram que ausenlar-se a servico do campo, dei-
xando era casa sua mulher e um lilha de 16 17
annos, bem cora) seus netos de menor dade.
Ao amanhecer do da 12 de maio estas pobres
Da ordem do dia n. 40*, publicada ante-hontem
pela repariieo do ajudante general, consta o se-
grate :
Nometires.os Srs.: padre Alexandre Jacin-I
tho Memes, para capello alferes da repariieo ec-1 Rainfia. e aquelle na eidade de S. Salvador, da pi
clesiastica do exeirciio.Decreto de 18 do corrente' vincia da Bahia ; e bera assim aos portognezes M 1
mez. I noel Antonio Supardo e Jos Manoel llaptisla, re-i
Major do corpo de estado-maior de segunda classe, denles na eidade de Macei, provincia das Alagos;
nal Primeiro de Marro e de prolissao martima : e
Guilherme Bnnkmann, Chrislbva) Jos da Giraba
Guimares, Miguel Francisco da Silva i; ...
radores em Minas.Franco de Almeida.
Igual favor se conceda a Manoel Ferreira da
Silva Wanderley, cidadao portuguez, residente 1 1
villa da Januaria na provincia Minas.Limpo di
Abreu.Chagas Lobato. -
Eslenda-se a disirasicao a Jos Das Martins,
subdito poiiuguez. Joo do Nascimenlo Gaiad
Antonio Jos de Fras em Grvala. P. Muniz.
Igual autorisaco se conceda a favor dos por-
tuguezes Antonio Tasares da Silva Mello e Antonio
Cordeiro da Silva, esle residente na Villa-Nova da
enancas sahiram campo fra a procura de vizinhos, cessado por ter sido preso cora armas prohibidas.
pectiva despeza da quantia de 6305652 em j|ue foi sao gratuita da propredade de terrenos adjacentes
fizeram-se as a *a frrea, que serao para esse fim demarcados
I segundo as clausulas dos respectivos contratos.
Liberato.
Supprima-se o art. 8.Souza Carvalho.
Das seguintes, a primeira lieou empatada na vo-!
tos que segundo elle declara no oflicio e pedido tacao, e conforme o regiTiento adiada para ser no-
por copia inclusos sao precisos para levanlar una vamenle discutida, c a segunda ficou dependenie
palhoga onde deve ser recolbida a canoa comprada j da primeira.
para condueco da agua necessaria ao mesmo forte,
por V. S. oreada. Neste sentido
necessarias coinmiinicaces.
Dilo ao mesmo.Rec'ommendo V. S. qne en-
t ndendo-se cora o coinmandan'.e do forte do Bura-
co, trate quanto antes nao s de comprar os objec-
a quera deram parte de que sia tia o av durante
a noite haviam sido assas.-inadas t
Dirigem-se entao aquelles rasa do Sr. Mar-
celino, e ura lerrivel espectculo se Ibes olferece
vista. A esposa de Marcellino [muMladi por mul-
los golpes de espada e brbaramente degolada, c a
joven lilha iraspassada de muitos golpes na cabega
e igualmente de caplada.
Este individuo chamava-sc em Algrete Adol-
pho Magariuos ; em S. Gabriel Dr: Angelo Regis, e
em Bag Dr. Antonio Requena, nome este com que
se apresentou em Pelotas, onde pretendeu casar-
se cora a lilha de Mr. Rocbefort, nao obstante ser
elle casado .'
f Preso pelo Sr. Dr. Canarim, confessou o via-
jante universal que o seu verdadeiro nome An-
Jose* Ribeiro dos Santos Monleiro, para ajudante de
ordens da presidencia da provincia de Minas-Ge-
raes.
Capillo do corpo do estado maior de primeira
classe, Luiz Eduardo de Carvalho, para ficar dls-
posico da presidencia da provincia do Maranhao,
como requisitou o ministerio da agricultura, com-
e tembem a favor do francez Cario- Antonio Viard.
residente na eidade de Macei, da referida provin-
cia das Alagas.J. Angelo.
Igual favor seja concedido aos portoguezes 1 -
Joaquim Ferreira e Jos' Macnl Pires, residentes
no Rio de Janeiro.Carlos Ribeiro.
Faca-se o projecto extensivo aos subditos '"r-
mais tambera de ajustar com o capataz dos canoei
ros do Recife, o servgo de um delles para serac-
Ihanle conduego. Fizeram-se as necessarias
comroonicaedes.
iloao mesrao. Pode V. S. mandar fazer por im-
Ao art. 2a-Em vez defica o governo auto-
risado para incumbir a execuco de cada uma des-
tas linhas,diga-sefica o governo autorisado a
contratar o referido prolongamento sobre as bases
dos paragraphos seguintes, dependendo entretanto
qualquer dos contratos assim entabolados da ap-
prelada nos lermosdoregulamenlodel8de julho de ; provacao do poder legislativo, para que este possa
1836, a pinlura das portas c janellas, eos pequeos apreciar o onus do thesouro.
reparos de caixilhos de que necessita o hospital \ Depois das palavras preferindo aquella que
militar, ludo oreado na quantia de 5005000, segn-' contratar o prolongamento da linha, acerescenie-se
do V. S. deelaru em seu ollicio n. 77 de 11 do mas ludo nos termos do art. 2, na forma emen-1
corrente, que respondo.Communcou-se the- dada.I. de Barros Brrelo.-Pinto Luna.Mello
sourara de fazenda. e Alvim.Godoy e Vasconeellos.Bitlencourt Sam-
Dito ao director do arsenal de guerra Respon- pao.
do ao seu officio n. 9 desta data declarando-lhe que Occupon-se depois cora a discussao do parecer
nos termos do aviso da repartigo da justiga d 9 sobre a companhia Urno e Industria. Oraram os
de setembro de 1859 deve V. S. requintar do juiz Srs. Fonceca Vianna, C. Madureira e Lima Duarte,
de direilo presidente do jury a despensa do almo- licando a discussao adiada pela hora.
xarife desse arsenal que foi sorteado para servir: Foi apresenlado o seguote projecio :
na prsenle sessao daquelle tribunal. A assembla geral resolve :
Dito ao commandante do corpo de polica.Ex-; Art. 1." O governo autorisado, segundo o
pega V. S. suas ordens para que da amanhaa em disposto nos estatutos do banco do Brasil, e prece-
dante e em quanto durarem as sessoes do tribunal dendo proposta da assembla geral de seus accio-
doluy desla capital, nelle se aprsente a guarda nistas :
do estylo.Communicou-se ao presidente de tribu-! 1." A alterar o rgimen econmico e admi-:
nal do jury. nistrativo das caixas filaes, ora existentes, cora
Dito ao commandante superior da guarda naci- tanlo que sejam guardadas as regras prescrptas
nal do Recife.Em viste do que ponderou o Dr. para a emissao e garanta de suas notes pelas leis
etwfa de polica, em offlcio n. 759 de 28 do mez vigentes.
lindo com referencia ao do commandante interino | 2. A crear novas caixas filiaes as provin-
do 2* batalho de infantera da guarda nacional: cas onde a sua necessidade for demonstraba, po-
deste municipio junto ao desse commando superior dendo eslas abranger era seu circulo uma s ou
n 83 de 11 do mesmo mez, expega V. S. suas or-'. mais provincias.
dns para que os sargentos Jos Esteves do Nasci- 3.- A applicar as caixas filaes exisienies a 1
ment Anisio Vesluniano Ferreira, e Manoel Fer-; mesma faculdade do 2o, tornando extensivo o seu
reir da Coste, sejam despensados do servgo da circulo a mais de uma provincia, exceptuadas as
mesma guarda nacional em quanto oceuparem os (caixas filiaes de S. Paulo e Ouro-Preto, em quanto
cargos do inspectores de quarteiro.Conimuni-' conservaren) a actual organisagao no que diz res-:
cou-se ao Dr. chefe de polica. | peito s regras de sna emissao.
Dito ao thesoureiro das loteras.Attendendo ao 4. A eslabelecer agencias dependentes da cai-
ue me requereu a mesa regedora da irmandade xa filial naquellas provincias ou crculos onde as '
de N. S. da Boa-Viagem, erecla na sua igreja na reclamaren) as conveniencias do commercio, deven-
povocao do mesmo nome, autoriso Vmc. a mandar do a emissao ser nma s para toda a provincia ou
entregar a Francisco Jos de Campos Pamplona, circulo
lindo o praso da lei, e depois de haver esle presta- f 5. A permitlr que as notas da caixa matriz
do fianca idnea o beneficio da 2* parte da lotera dos valores de 505 1005 sejam recebidas as es-
uliimarente exlrahida em favor das obras daqoel- tagoes publicas daquellas provincias onde as res-
la igreja, do qual prestar contas o referido Para- pectivas caixas filiaes estejam habilitadas a troca-
ulona na estagao competente.Communcou-se las por moeda metallica.
thesouraria orovincial. 6. A permitlir que a caixa matriz do banco
Portara.-^ presidente da provincia, attendendo do Brasil possa conservar uma parte do seu fundo
Quanto as changas, segundo ellas mesmas re- tonio Requena, raas que nao era doulor ; que era
ferein, amedrentadas com a presenga dos assassi- i casado em Maldonado com uma natural do paiz, e
nos, orculterain-se em um caixd cubrndo-se com I
uma pouca de laa, e assim presenciaran) a barba-
ra carnificina, aps o que, certas da ausencia dos
assassinos, sahiram de, seu escondrijo, e junto dos
cadveres esperaran) que amanhecesse Que noi-
te nao passariam essas pobres criangas, entre o
receiode que os bandidos voltassem, e o terror que 1
deviam inspirar-Ibes os dous cadveres sem cabe-
ga, envoltos em ondas de sangras anda fume-
gante !...
Nao se sabe, poi<, quaes e quantos os perpe- peo," e nue'"primeira *vfea parecen!"ser" br-
tradores de lio atroz crime que, mais anda, foi
que por causa de amores que hava trocado o
nome.
Examinada a sua bagagem, encontrou-sc ape-
nas uma caixa de chapeo cora um velho chap*
dentro, um sobretudo tambem velho e tres livros
de medicina I
t Requena um verdadeiro cavalleiro de indus-
tria, que al aqui lera passado impunemente pela
campanha e eidade visinha, a todos cegando cm
um grande allinete de pedras falsas que traz no
mercio e obras publicas, alira de ser encarregado. tuguezes residentes em Minas-Genes, Demingos de
da medicao e demarcago de trras, Picando dspen-1 Souza Maia, Manoel Jos Ferreira Brandao e Fran-
sado do exercicio de ajudante de ordens da mesma cisco da Cunha Mendos.Ribeiro da Luz.
presidencia.Aviso de 31 de margo lindo. Igual favor se conceda aos subditos portUfue-
Segundo cirurgiao do corito de sade. Dr. Anto- zes Manoel Pereira Marques.Manoel Goncalves To*-
nio Pereira da Silva Guimares, para servir na i cano, Flavio Jos da Silva, Dernardino Jos Bor-
guarnico da provincia do Rio Grande do Sul. 1 ges, Jos Francisco de Oliveira e Silva, Domingos
Hemordo.o Sr. pharraaceutico alferes do cor- Francisco Leile Guimares, residente? na provin-
po de sade, Benjamn) Cincinato Utinguass, da ca do Rio de Janeiro.Ferreira|da Veiga. >
gnaroicao da provincia de Pernainbuco para a do t Faca-se o mesmo favor aos seguintes portu-
Paran. [guexes : Manoel Pereira Marques, Manoel Goncal-
Ucenras concedidas.Aos Srs.: major do corpo ves Toscano, Flavio Jos da Silva, Bernardina (os
de estado maior de primeira classe, Joaqum de Al- j Borges, Jos Francisco de Oliveira e Silva, e Domin-
meida Gama Lobod'Eca, Ires mezes cora sold sim-1 gos Francisco Leile Guimares, residentes na nro-
acompanhado de roubo, pois os assassinos revolve-1
ram a casa toda e levaran) com sigo prendas de
011ro, prata, roupa, ele. : mas suppoe-se que nao
alheio a tao espantosa atrocidade um soldado per-
tencente polica daquelle deparlamento, por ter
mants.
27
L-se na Revista Commercial de Santos de 21 do
corrente:
Por um ollicio do oflcal do destacamento da
fallado nessa noite na polica e apparecer somente serra do Mogy, dirigido ao Sr. delegado de polica i
no outro dia, e por ser conhecido como enle per- desta eidade, conste que no dia 19, pelas 10 horas
verso e malfeitor. da noite, foi assassinado com facadas o trabalhador
Tambera se dcsconfiava de outro individuo da eslrada de ferro Lourengo Paulo. O assassino,'
que, pouco antes do fado occorrido, appareceu a que, segundo consta, chama-se Benedicto Fernn-:
Marcellino e de motu proprio so poz a trabalhar e des, evadise. Vieram presos e recolhidos a esta I
ajudar o servgo que oceupava aquelle, desappare-: cadete dous individuos, dos quaes um suspeito de
cendo um dia antes do crime. E tanto mais grave ser cmplice nesse crime, e outro que morava jun-
a descoofianga, quanto que esse individuo era pa- 1 to com o assassino.
rente de uma mulher que vivia aggregada na casa! Consta que o criminoso morador de Mogy
de Marcellino, a qual hava lido algumas duvidas das Cruzes, onde tem familia,
com a esposa deste, e por isso tinha sido despedida
da casa.
Na mesma folha, cora dala de 16 e 19 l-se
L-se na mesma folha :
Falleceu na eidade de Braganga no da 27 do
Pel vapor Rio Gr ndense recebemos jornaes mez passado, Jos Gongalves dos Res, na idade de
de Jaguaro at 12 do corrente mez. 1114 annos, havendo constantemente habitado nessa I
Preparava-se uma brilhante recepgo para S. i localidade, gozando sempre de boa sade e de mui!
Exc. o Sr. presidente da provincia, e um baile nos boa fama.
salSes da sociedade Recreagao Familiar.
t O major brasileiro Fidelis achava-se em frente
ao Jaguaro, em Artigas, com grande reuniao de
- 28
Gontinuou hontem na cmara dos deputados a
primeira discussao do projecto que rovoga o para-
Rio-grandenses que, fugindo das lileiras da guarda! grapho 14 do artigo terceiro da Mwovmeiu aas
nacional desla provincia, preferem infelizmente as Alagas, n. 5, de 9 de Junbo de 18J9, soDre a ex-
armas ao servico de um paiz estrangeiro I I I portacao de madeiras. Oraram os Srs. Ra.ol e Es-
O 4" regiment de cavailaria e batalbao 13 de peridiao.______ __ .--
infantaria all eslacionados, linham recebido ordem Entrn depois em ftsenssao a emend1 reten va
de marchar nara Bae dvendo recolher-se Ja-; ao artigo segundo do projecto sobre a eslrada de
L^KameX do 3 ba1hao ora era ser- ferro de D. Pedro,M.cuja vuteeto flcou^ empata-
guarao
vigo naquella eidade.
O vapor de guerra Cachoeira ficava estaciona-
do no ancoradouro daqaella eidade.
c Do Estado vizioho adianta a Atalaia :
Do Eslado Oriental transmiltem-nos algumas
noticias, tendentes questao actual.
da na sessao antecedente. Oraram os Srs. Fer-
reira de Moma, Silveira Lobo e presidente do can-
seibo.
Dando a hora, o Sr. C. Ottoni 1 equereu proroga-
cao da sessao at as seis horas, da tarde para tratar-
se do mesmo objecto, e, continuando a discussao,
pies para ir a provincia de Santa Caiharina tratar
de negocios de seu interesse.
Capilo do corpo de engenheiros, ajudante da di-
rectora do arsenal de guerra, Miguel Antonio Joao
Rangel -de Vasconeellos, dous mezes de favor, para
tratar de sua sade.
Primeiro lenle do corpo de engenheiros, Jos
Cerqueira de Aquiar Lima, dous annos cora sold
e elapa, para ir Europa estudar materias de sua
prolisso.Aviso de 20 do corrente mez.
Tenente do corpo de estado-maior de segunda
classe, Pedro Gomes de Oliveira. ajudante de or-
dens do commando das armas da provincia do Pa-
ra, Ires mezes com sold simples, para iralar de
interesse de ana familia neste corte.
Menagem.Por aviso de 22 do corrente mez foi
concedida por menagem a capital da provincia de
Pernambuco ao Sr. tenente reformado Henrique
Tiberio Capistrano, que se acha respondendo a
conselho de guerra. ...
Condecorares Ordem deS. Bento deAviz : ca-
valleiro, o Sr. capitao do corpo de guarnicao do
Maranhao Manoel Alexandrino de Albuquerque
Pitia.Decreto c diploma de 7 de Janeiro do cor-
rente anno.
Ordem da Rosa.Cavalleiros, os Srs. : major do
corpo d estado maior de prineira classe, Jos
Joaquim de Lima e Silva.Decreto de 20 de abril
e dipjoma de 18 de maio do corrente anno.
Primeiro tenente do primeiro balalhao de arti-
Iharia a p, Francisco Vilella de Castro Tavares.
Decreto de 20 de abril e diploma de 18 de maio do
crreme'anno.
Dispensa do serrino para estudar.Ao Sr. se-
gundo-tenente do corpo de ariifices da corte Joao
Rodrigues Barbosa Jnior, para matncular-se na
escola milite; no anuo vindouro, alira de concluir
o curso de sua arma.
Snas. Majestades. Altezas Imperiaee,. acompa-
nhadps de seus semanarios e damas do servgo,
embarcaran hontem s 7 horas 4." minulos da
manha na ponte vincia do Ro de Janeiro ; e a Antonio de Araujo
Lima Macedo, residente na eidade de S. Paulo.A.
da Costa Pinto Silva.
Igual favor ao padre Joao Pacheco da Silveira
Netto, Izidoro Rodrigues de Andrade e Jos Mar-
tins de Souza, o primeiro residente em Sergype c
os outros na Parahiba do Sul.Jos Madureira.
M. Dantas.-Junqueira.
Igual favor se conceda a Jos Mana do Conlo
cidadao portuguez residenl* em Porlo-Alegrev pro
Vincia de S. Pedro do Sul.Flores.
1 Conceda-se o mesmo favor a Jos Xavier, l.oe-
Iho, subdito portuguez residente era Pernambuco.
Lopes Netlo.
Igual favor a Aniceto Joaqun) Barbosa, da pro-
vincia do Espirite Santo.-Pereira de Vasconcel
los.
t Igual favor so taca a Francisco Antonio Mar-
ques, residente em S. Paulo : a Antonio Luiz de Si-
queira Rezende, em S. Fidelis ; a Pedro Francisco
Fremont e a Nicolao da Silva Wemen, na villa
Christina ; e a Jos Elias Ribeiro Vianna, morador
/m Passos, da provincia de Minas.Lima Duarte.
Igual favor seja concedido a Jos de Almeida
Soares, natural de Portugal, residente no Brasil
desde 17 de dezembro de- 4849, empregado no com-
mercio, e a Maximiano krne-!o Henrique von Si
dow, allemao, residente no Ro de Janeiro.VI-
riato.
Igual favor so conceda ao subdito portuenez
Boaventura Nogueira da Silva, residente na eidade
da Barra-Mansa.Ferreira da Veiga.
A comraissao de conslitaicao e poderes olfe-
rece como additivo o projecio a 147 deste anno, e
propeque se comprehendam neMe os subditos por-
tuguezes Jos Amonio de Araujo Lima, Jo- Elias
Ribeiro Vianna, Joaquim Ribeiro, Dernardino Jos
Moreira Jos Das do Carvalho.Jos Caetano.
A. C. de S e Albuquerque.
Csatinuou depois a primeira discussao do projec-
to que revoga o.j 14 do artigo 3* da lei provincial
da& Alagas 5, de 9 ele julho di 1839, soire a
iexpor.aga>d. madeiras..

, ILEGVELj-


:
Mari* le Pra6aha --- ext felf* i5 4f Julho t ld4.

Orou o Sr. C. Miidureira, flcand a discussao ad- j
diada pela hora. s i
Approvou em seguida o parecer da commissao
de commercio, industria e artes sobre a companhia
Unio e Industria, llcando prejudcada a emenda
do Sr. Mello Franco.
Em ultimo lugar occupou-se com a primeira dis-
cusso do projectoofferecido pelo Sr. Fonceca Vian-
na. relativo a referida companhia Unio e Indus-
tria.
Oraram os Srs. Bttencourt Sampaio, Foncera
Yianna, Paula Souza, Vriato e Ratisbona, ficando
a discussao encerrada.
Por decreto de 28 de junho findo foram promovi-
dos na repartigo do ministerio da marinba os
olllciaes seguintes :
Corpo da armada.A' capito de mar e guerra,
o cauilo de fragata Fernando Lzaro de Lima.
A' capiles de fragata, oscapiles-tenenles Anto-
nio Jos Pereira Leal e Antonio Ernesto Lassance
Cunha, por anguidade, e Theotonio Raymundo de
Brito, por mereclmento.
A' capites-tenentes, os primeiros tenentes Joa-
quim Leal Ferreira, Eugenio Pedro da Rocha Pitia
Garcao e Antonio Colho Fragoso, por anliguidade,
e Aurelio Garcindo Fernandes de S, por mereci-
mento.
A' primeiros tenentes, os segundos tenentes Joa-
quim Goncalves Martins e Adriano Manoel Fernan-
dos, por mereelmento, Francisco do Paula Telles
de Menezes, Antonio Severianu Nunes, Luiz Barba-
Iho Muniz Fiusa e Eduardo Frederieo Meunier
Gongalves, por anliguidade.
Corpo de sade.A' cirurgiao de escuadra, o
cirurgiao de divisao Ur. Carlos Frederieo dos San-
tos Xavier do Azevedo, por merecimento.
A' cirurgiao de divisao, o i" cirurgiao Dr. Joo
Ribeiro do Almeida, por merecimento.
A' Io cirurgiao, o 2 cirurgiao Dr. Jos Francis-
co de Almeida, por merecimento.
Foi Borneado director geral dos telegraphos, o
Dr. Guilhernie Scbucb de Capanema, e exonerado
de director dos telegraphos areos o coronel
Gatizo.
- 2 -
A cmara dos deputados approvou hontem suc-
cessivaraente em urna s discussao, sem debate, os
projectos do senado, um relativo ao meio sold
viuva do inareclial de campo Gustavo Henrique
Brown, e outro autorisando o govern a conceder
D. Anua Regs Muniz Brrelo, tllha do tinado
ebefe de divise Joao Francisco Regis, o monte-po
que recebia sua viuva, tambem fallecida, mai da
agraciada.
Approvou em seguida, tambem em urna s dis-
cussao, o projecto que manda incluir no quadro da
primeira classe do exercitoomajor reformado Luiz
Xavier Torres.
Rejeitou em primeira discussao o projecto que
revoga o I i do art. 3u da lei provincial das Ala-
goas n. o de 9 de julho de 1839 sobre a exportagao
de madeiras.
Approvou em 3* discussao, depois de orar o Sr.
Dantas, o projecto substitutivo sobre a companhia
de navegago vapor Badiana.
Approvou tambem em 3" discussao, depois de
algumas observagoes do Sr. Barros Brrelo, a pro-
posia dogoverno abrindo um crdito supplementar
ao. ministerio do imperio.
Approvou mata em primeira discussao sem de-
bate o projecto sobre a companhia Uniao e Indus-
tria ; bem como o que crea urna freguezia em Ma
ta-Porcos.
Occupou-se em ultimo lugar com a 1* discussao
do projecto que crea um collcgio eleitoral no Codo,
provincia do Maranhao. Depois de algumas obser
vagues dos Srs. Paula Souza, C. Madureira e Car-
valho Res, ficou a discussao encerrada.
S. M. o Imperador, acompanhado dos seus sema
narios e dos Srs. inspector do arsenal de marinha,
general Cabral e chefe do Io districto naval, em-
barcn hontem s 9 horas da manhaa naquelle
arsenal e dirigio-se fortaleza de S. Joao, onde
assistio ao exercicio de arlilharia e mosquetaria ao
alvo. Regressando a 1 hora da tarde, desembar-
cou no arsenal de guerra, onde o esperava o trem
imperial.

Por decreto de 28 de junho foram transferi-
dos : o capito do 11" batalhao de infantaria Mano-
el Ferreira da Fonseca Lyra para a 2" companhia
do 10" da mesina arma ; e para a 8 companhia
daquelle batalhao omajor graduado deste Constan-
tino Jos da Costa.
O 1 tenente da armada bacharel Jos Moreira
da Costa Lima, oppositor da escola de marinha, loi
por decreto de 25do corrente reformado no mesmo
posto, como pedir, de conformidade com o que
dispoe o art. 10t do regulainento do 1" de maio de
185, e o decreto n. 2,326 datado de 2G de Janeiro
de 1800, percebendo quinze vigsimas quintas par-
tes do respectivo sold, visto conlar 15 anuos de
servigo.
Por decreto de 27 do corrente foi concedida ao Io
tenente da armada Antonio Marcellino da Ponte
Ribeiro demisso do referido posto, conforme re-
qoerra.
Na promogao dos officiaes do corpo de sade,
publicada hontem, em vez de Lr. Jos Francisco
de Almeida, promovido 1" cirurgiao, deve lr-se
Dr. Jos Francisco de Olivcira.
Por decreto de 20 do passado foi approvado o
regulamcnto para a repartigo dos telegraphos.
O amanuense da secretaria do consclho naval,
Arsenio Jos Ferreira, foi nomeado amanueuse da
secretaria de estado dos negocios da marinha, sen-
do substituido naquelle lugar por Manoel Mendes
da Costa.
O senado occupou-se hontem com trabadlos de
commissees.
Hontem nao houve sessao na cmara dos deputa-
dos por falta de numero legal.
Por decretos de 23, 2-" e 28 do mez passado, fo-
ram Horneados:
O bacharel Joaquim Jos do Amaral, juiz muni-
cipal e de orphaos do termo de Valeuca, na provin-
cia do Rio de Janeiro.
O bacharel Aurelio Ferreira Espinheira, juiz
municipal e de orphaos dos termos reunidos da
Matta-Grande e Pao d'Assucar, na provincia das
Alagoas.
Evaristo Cicero de Moraes, para capito cirnr-
giao-mr do commando superior da guarda nacio-
nal dos municipios de Oeiras e Fieos, na provincia
do Piauhy.
O capito Jos Nunes de Mello, para tenente
coronel commandante do 1* batalhao de infantaria
da guarda nacional da provincia do Cear.
O capito Antonio Barroso de Souza, para tenen-
te-coronel commandante do 4" batalhao de infanta-
ria do servigo activo da guarda nacional da mesma
provincia.
Joao Ferreira Gomes de Miranda, para major
commandante da Ia secgo do batalhao de infanta-
ria do servigo activo da guarda nacional da mesma
provincia.
O major Jos Joaqnim de Almeida Jnior, para
tenenle-coronel commandante do batalhao de infan-
taria n. 97 da guarda nacional da provincia da
Bahia.
Hermenegildo Rodrigues Prates, para tenente
coronel commandante do batalhao de infantaria
n. % da guarda nacional da provincia de Minas
Geraes.
Antonio Raphael Martins de Freitas, para tenente
coronel commandante do i batalhao de infantaria
do servigo activo da guarda nacional da mesma
provincia.
O tenenle-coronel Francisco Ribeiro de Assis
para coronel comaiandante superior da guarda na-
cional dos municipios do Rio-Preto e Parahyba, na
mesma provincia.
O alferes reformado de liona Alfonso de Almeida
e Albuquerque, para tenente-ajndante do batalhao
de infantaria n. 11 da guarda nacional da provin-
cia da Parahyba.
Foi removido a sen pedido o jniz de direito An-
tero Cicero de Assis, da comarca da Parnahyba, na
provincia de Goyaz, para a de Piracuruca, na do
Piauhy, arabas de 1* entrancia.
Foi recondozido o bacharel Joaquim Avres de
Almeida Freitas, no lugar de jniz municipal e de
orphaos do termo de Porto-Calvo, na provincia das
Alagas.
Foi declarado de nenhum effeito o decreto de 17
de setemoro do anno passado que nomeon o bacha-
rel Antonio Fernandes Moreira, jniz municipal e
de orphaos do termo de Valenca, na provincia do
Jiio de Janeiro.
Foram concedidas:
Ao bacharel Manoel do Nascimento da Fonseca
Galvo, a demlsso que pedio do lugar de juiz mu-
nicipal e de orphaos des termos reunidas de Jaca-
rehv c Santa Isabel, na provincia de S. Pauto.
Foi promovido o tenente Francisco Caetano Cor-
rea ao posto de capito quartel-mestre do comman-
do superior da guarda nacional da comarca de
Samaran, na provincia (Jo Para.
Foram reformados:
No mnsino posto, o tenente-coronol chefe do es-
tado-makr do commando snperior da guarda na-
cional dos municipios de Cururupti e Turyass,
na provincia do Maranhao, Joao Feliciano dos
Reis.
No mesmo posto, o capito quartel-mestre do
commando superior da guarda nacional da capital
da mesma provincia, Javme Candido de Freitas.
No posto de major o capito da guarda nacional
da provincia do Amazonas, Aureliano Antonio
Delgado ;
No posto de major o capito do batalhao de in-
fantaria n. 29 da guarda nacional da provincia da
Bahia, Luiz Antonio Garcei.
Tiveram merc da serventa vitalicia :
Manoel Vieira Sampaio, dos offtcios de 2._tabel-
lio do publico, judicial e notas, e escrivo das
execogSes civeis e crimes do termo da Palmeira
dos Indios, na provincia das Alagoas;
Odilon Austrichiliano Brayner, do ofllcio de de-
positario geral do termo do Bonito, na provincia
de Pcrnambuco.
Por portara de 30 do mez passado foi creada
urna agencia de crrelo no arraial do Rio do Pe-
xe, era Minas, e nomeado Luiz Fernandes Leo
para servir de agente.
Na mesma data foi concedida a demisso que
pedio Julio Cesar Teixeira Guimares, do lugar do
agente do correio da cidade de Habita.
Por aviso de 2C de maio prximo passado foi
dispensado o Sr. Julio Cesar Leal dos exames das
respectivas materias, para ensinar primeiras lct-
tras particularmente nesla corle.
4
Foi nomeado :
Joo Baptista de Carvalho Drummond, ajudante
do bibliotecario da Faculdade de Direito de S.
Paulo.
foi exonerado, a seu pedido, do lugar de ajudan-
te do bibliotecario da Faculdade de Direito de S.
Paulo, o bacharel Luiz Eugenio Hurla Barbosa.
Foi condecorado com o habito da ordem de S.
Bento de Aviz o Io lente da armada Joaquim No-
lasco da Fontoura Pereira da Cunha.
Tiveram a merc do foro de lidalgo cavalleiro da
casa imperial Albino Jos Barbosa de Oliveira J-
nior e Luiz Albino Barbosa de Oliveira.
Tiveram a merc do foro de mogo fldalgo da ca-
sa imperial o Dr. Eduardo Augusto Pereira de
Abreu, Jos Paulo de Mello Brrelo e lenonle-coro-
ntl Joo Carlos Velho da Veiga.
Foram naturalisados cidados brasileiros os por-
tuguezes padre Jos Luiz de Mello, Antonio Ma-
noel Meunier, Luiz Antonio de Macedo, Francisco
AI ves dos Santos, Gaspar Teixeira de Carvalho,
Francisco Jos Pascoal, Vicente Lopes de Oliveira,
Jos Andr da Silva, Antonio Maria de Souza Sar-
ment, Antonio Pedro dos Reis, Joaquim Pinto
Monteiro, Malinas de Souza Maciel, Joo Gongalves
de Miranda, Joaquim Antonio de Oliveira Mala e
Joaquim Domiogues de Carvalho; o hespauhol
Francisco Jos dos Santos; os itahauos padre An-
tonio Rossi e Joo Estoves Buzzo e o suisso Frede-
rieo Gaensly.
Foi apresentado na igreja parochial de Nossa Se-
nhora da Piedade da cidade de Loreua, da provin-
cia de S. Paulo, o padre Justino Jos de Lorena.
Foram condecorados com o habito da ordem de
S. Bento de Aviz o capilo-tenente Ricardo da Silva
Neves e os primeiros tenentes Antonio Luiz Tei-
xeira e Manoel Ernesto de Souza Franga.
A cmara dos deputados elegeu hontem para
membros da mesa que tem de funecionar durante
o concute mez os mesmos do mez passado.
Occupou-se depois com a 3' discusto da propos-
ta do governo que lixa a despeza e orea a receita
geral do imperio para o anno inaucciro de 1864
1863. Orou o Sr. Saldanha Mariano, ficando a dis-
cussao adiada pela hora.
Foram offerecidas as seguintes emendas : -
Sub-emenda ao art. 2odepois das palavras
9 de setembro de 1862diga-sesendo feito em
moeda forte o pagamento a que se refere o 1"
da dila lei.M. S. Dantas.Silveira de Souza.
Nos orgamentos do ministerio da marinha pa-
ra os futuros exercicios devem ser especificadas
em verbas dislinctas as seguintes despezas :
Armamento, munigoes de boca, inumgoes na-
vaes, munigoes de guerra, material de construc-
go naval, combustivel, obra civis e obras mili-
tares.
A despeza com material nao especificado as
verbas actuaes do orgamento daquelle ministerio
ser addicionada do pessoal dos respectivos ser-
vigos, fazendo-so a discriminago somente as ta-
bellas demonstratlvas dos crditos pedidos pelo go-
verno.
A disposigo deste artigo ser tambem obser-
vada nos orgamentos do ministerio da guerra, no
que Ihe fr applicavel, c especialmente a respeilo
das seguintes despezas :
Sold e mais vencimentos dos officiaes-gene-
raes;
dem dos officiaes dos diversos corpos do exer-
cito;
' Sold e gratificaco das pragas de pret;
Etapas ;
Fardamento e equipamento-,
Armamentos.
u governo na distribuieo dos crditos vota-
dos nesta lei para os ministerios da marinha e da
guerra lera em atteneao os preceitos deste artigo.
F. Octaviano.Martinho Campos.
No 10 do art. 8" restabelega-se a verba da
proposta do governo, e converta-se em. additivo a
emenda nobre o capital addicional da estrada de
ferro do Recife, ficando o additivo com a seguin-
te redaego:
O governe fica aulorisado para conceder ga-
ranta do jjro de 3 %ao capitaladdicional da com-
panhia da estrada de ferro do Recife, o qual nao
poder exceder de i:316:977,5>777.F. Octaviano.
Supprima-se o 10 do art. 8, que concede
augmento de garanta de juro estrada de ferro
de Pernambuco pelo novo capital addicional.Juu-
queira. >
t O 16 do art. 30 se redija pelo modo seguin-
te :Fica o governo aulorisado a modificar o con-
trato que tem com a'companhia da linlia interme-
diaria de vapores.Mariim Francisco. >
O augmento de capital garantido nao ser con-
cedido companhia de Pernambuco se esta se re-
cusar novago do seu contrato para o lim de por
termo a garanta e ao privilegio no prazo de 42 an-
nos, contados da data da novago, e entregar ento
a empreza ao estado, sem indemnisago.C. B.
Ottoni.
Se nao passar a emenda supra, declrense que
nos 5 % garantidos ao capital addicional se cora-
prehendem quaesquer favores outorgados pela as-
sembla provincial.C. B. Otloni. >
t A disposigo do Io do art. 68 do regulamen-
to de 19 de setembro de 1860 fica extensiva aos
lugares de l0- e 2" conferentes.Arago e Mello.
Para que perlengam os bens provir.ciaes da
provincia de S. Paulo a chcara denominada da
Gloria.Bario deS. Joo do Ro Claro.
Ao art. 17.Supprima-se :
Ao art. 19. Diga-se :Ficam isenlas de d-
reitos de exportagao por 15 anuos as carnes salga-
das em balsa ou preparadas por qualquer oulro
systema, bem como a la de produego nacional.
Ao n. 1 do art. 30.Supprma-se.
Ao n. 10 4 do art. 30. Depois da pajavra
alfandegasdiga-sellcando reduzido a 6 % o
premio dos bilhetes. Supprima-se o resto, e ac-
crescente-se : 3.* Supprima-se os lugares dis-
pensaveis as alfandegas das provincias medida
que forem vagando.
Ao art. 28. Substitna-se por este: Fica o
governo aulorisado a reorganisar o thesouro e the-
sourarias no sentido de simplificar a escripturagao
e melhorar os veucimentos dos empregados dentro
dos limites do respectivo crdito, supprhnindo os
lugares dispensaveis que estiverem -vagos e forem
vagando.Fabio A. de Carvalho Reis.
c Constiluem receila geral os emolumentos de
todos os juizes e tribunaes de justiga, devendo ser
arrecadados quando forem pagar sellos os manda-
dos e alvars antes da asslgoatura, e todos os mais
quando os autos forem repartigo do sello para
as sentencas definitivas. O governo marcar urna
gratificaco a lodos os juizes municipaes e de di-
reito, aos desembargadores e membros do supremo
tribunal, devendo ser igual entre os juizes da mes-
ma categora e entre os desembargadores, salva
urna subvengan para aluguel de casa na corte e
as cidades da Bahia, Recife e Porto-Alegre.Ca-
simiro Madureira.
Transcreva-se o art. 2o da proposta do gover-
no tal qnal foi apresentado, e mais as seguintes
emendas :
Ao 9. Em vez de 12:400,{S000-dga-se-..
11:400* -~ t,
t Ao 110. Em vez de 170:780,5000diga-se
161:980$, inclusive 10:0004 para continuar a
reimpresso da legislaco de 1808 1837 e 1:2005
para codificago das decisoes acerca das elegoes.
Ao| 11. Em vez de 1:900^000-diga-se..
2:0715428, inclusive 1715428, parte da gratifica-
gao paga pelo ministerio do imperio ao encarrega-
do dos trabalhos de escripia de cooselho de estado
pleno.
Ao 14. Em vez de 27o:o30J00diga-se-
277:5305-
c Ao i 13. Em vez de 356:2305000dlga-se
358:2305-
t Ao|17. Em vez de 163:5725000diga-se-
Ao 23. Em vez de 55:0005000diga-se
7:0005, paja consemeo dos existentes.
Ao | 26. Em vez de 191:6005000-diga-se-
150:0005, sendo :
Com os professores dos existentes nos termos
do decreto n. 3,073 de 22 de abril de 1863-......
81:0005.
Para mais dous que se possam crear 18:9005-
< Auxilio ao do Amazonas 6:0005.
t Obras, reparos e auxilios que forem indispea-
saveis 45:006.
Ao 28. Em vez de 14:1205000-dga-se-
14:7205, inclusive 2:4005 para aluguel de casa.
Ao | 29. Em vez de 20:0005000diga-sc
16:00005, para concluir dentro de um prazo mar-
cado pelo governo os trabadlos encelados e para
impresso dos mesmos trabadlos.
Ao 32. Em vez de 18:0005000diga-se
1550005.
< Ao 36 Em vez dc5:0005-diga-se-7:000,
inclusive 2:0005000 para acquisigo, na Euro-
pa, de documentos e noticias que ateressem a
historia egeographia do Brasil.
Ao i 38. Em vez de 20:0005000diga-se-
9:0005,
Accrescenle-se :
Lycu das artes e offlcios da sociedade pro-
pagadora das Bellas-Artes 3:0005
Ao artigo 4o 2. Em vez de 505000 para
expediente do consulado geral da Prussia, la-
se 5005000 (como passou em segunda discus-
sao).
Ao art. 6o 11 accrescente-se : Supprimidas
as gratificaces dos 134 recrutados.
As palavras accrescenladas ao art. 10 I 43
sejam d'ahi destacadas para formarera um artigo
additivo com carcter permanente.
Os arts. 17 e 19 sejam substituidos, pelos se-
guintes :
c Art. 17. O governo fica aulorisado" a conce-
der isengao de direitos de importago para os se-
guintes objectos 1
t i." Cordoalha, lonas, alcalro, ancoras e mais
artigos navaes destinados s embarcacSej mer-
cantes. O governo formular una tabella de to-
dos esses artigos.
2. Os aoimaes domsticos introduzidos no
imperio para melhoramento da raga.
3." Os objectos destinados pesca, tanto no
alto mar como as costas, rius e lagas do inte-
rior.
4. Os objectos importados directamente para
construego, ou conservago e reparos das obras
provinciaes e mnnicipaes.
Art. 19. O governo fica aulorisado a conce-
der isengo dos direitos de exportaco :
t 1. A la de produego nacional e aos pro-
ducios das fabricas de refinago e crystallisago
de assucar que o governo designar.
2. Ao gado em p, e as carnes salgadas em
balsa, ou por outra qualquer preparagao que o
governo julgar digna deste favor.
Supprimam-se 03 arts. 22, 26, 29 e 30 12,
No art. 23, em vez de Ficam supprimi-
dos diga-seFicam supprimidos os lugares de
consultor as diversas secretarias de oslado, e se-
ro supprimidos proporco que vagarem os se-
guintes.C. B. Oltoni. Martinho Campos.Silvi-
no Cavalcant de Alhuquerque (com limitago da
suppresso feila dos arts. 22 e 29).Luiz da Silva
Flores (com as mesmas liraitagoes).J. Feliclo dos
Santos (com as mesmas limitages.)
Art. 3. O ministro e secretario de estado dos
negocios da marinha autorisado a despen-
der :
Ao artigo. Em vez de 7,732:0915920diga-
se 7,032:0275072.
Ao 2. Em vez de 42:0005000diga-se
38:1005
Ao 6/
117:2995.
Ao 8 9.
! 28:3485.
Ao g 12. Emvezde l,360:7855132-diga-se
1,400:0005.
Ao s 13. Em vez de 231:0935572-diga-se-
212:0705972.
Ao g 13. Em vez de 51-6735000 diga-se-
. 30:0005.
Ao 8,16. Em vez de 189:1395364 diga-se
177:7055214.
Ao i 21. Em vez de 2,150:00051,910:0005-
Ao 22. Em vez de 640:0005 -440:0005:
t Martinho Campos.Silvino Civalcanl dcAl-
: buquerque.J. Feliciodos Santos. Luiz da Silva
Flores.C. B. Ottoni.
Art. 6. O ministro e secretario de estado dos
negocios da guerra aulorisado, etc.:
Em vez de 13,206:2715349 diga-se
12,333:4105835.
No 2" em vez de 41:7795000diga-se
40:8995
No 4" em vez de 30:0805 diga-se
25:6935
No 6 em vez de 2,239:2135354diga-se
1,830:0005.
No 7em vez de 738:8115600 diga-se-
700:0005
No S 8- cm vez de 7,364:6825550 diga-
se 7,094:9635390.
Em vez de 152:6895250 diga-se
Em vez de 29:3085100 -diga-se
No 9* em vez de 167:5,.'()5dga-se
127:1295.
No 11 em vez de 163:2005 diga-se
109:2005.
o No % 13 em vez de 293:8545diga-se -
260:000.
No s 14 em vez de 360:0005 diga-se -
400:0005
No 15 em vez de481:6175400 -diga-se-
400.000.-Martinho Campos.- Silvino Cavalcanti
I de Albuquerque.J. Felcio dos Santos.Luiz da
Sirva Flores.C. B. Ottoni.
* Art. As dsposigoes do art. 12 11 da lei n.
1,114 de 27 de setembro de 1860 sao extensivas
aos crditos especiaes concedidos pela lei n. 1,177
de 9 de setembro de 1862 na parte em que Ihes
forem relativas, considerando-se permanente esta
disposigo.
Art. Continuara em vigor as disposie5es dos
Si 1* e 3 do art. 22 da lei n. 1,177 de 0 de se-
\ tembro de 1862, devendo quanto ao 3 entender-
so smente na parte que faltar para preencher o
crdito votado.
Art. Fica o governo autorisado a regular o
systema dos concursos das differentes repartigSes
de fazenda na conformdad do art. 18 da lei n.
1,177 de 9 de setembro de 1862, podendo para esse
fim alterar odecrelo n. 2,519 de 14 de margo de
1860, approvado pelo art. 12 10 da le n. 1,114
j de 27 de setembro do mesmo anno.
Art. Ficam desde j supprimidos na Ia di-
rectora da secretaria da guerra um lugar de Io
official e dous de amanuense que se acham vagos,
bem como um de amanuense e todos os de correio
que vagarem, por morte, demisso ou transfe-
\ rencia dos actuaes para outro qualquer emprego.
c Art. No caso de deficiencia de renda para oc-
correr s despezas votadas para este exercicio, o
governo tica autorisado a fazer as operagdes de
crdito que forem necessarias para preencher o
I de/icU.
Art. A presente lei vigorar tambem no exer-
cicio de 1865 1866.
Art. Continam em vigor at o fim do anno de
1866 as disposicoes do decreto n. 2,485 de 28 de
setembro de 18o9. Martinho Campos.J. Felicio
j dos Santos.C. B. Ottoni. Silvino Cavalcante de
! Albuquerque,Lniz da Silva Flores.
I Estao inscriptos com a paiavra os Srs. Carvalho
Res, Moreira Brando, Franco de Almeida, Pedro
Brando, Esperidio, ArisliJes Lobo, Ratisbona,
Silva Pereira, Marcondes, Pinto Lima, Pinheiro
Machado, Oantas, Nery,Jos Angelo, Flores e Bran-
| do, a favor ; e contra os Srs. Junqueira, Carrao,
Bezerra Cavalcanti, Brtas, Paula Souza, Mariim
I Francisco, Costa Pinto, Alfonso Celso, Ribeiro da
Luz, Rodrigues, Ferreira da Veiga, Urbano, Casi-
I miro Madureira, Liberato, Barros Brrelo, baro
de S. Joo do Rio-Claro, Silvino Cavalcanti e Sil-
veira Lobo.
6
A cmara dos. deputados approvou hontem em 1'
discussao o projecto que crea um collegio eleitoral
na villa do Codo, provincia do Maranhao.
Approvou em seguida em 2* discussao, sem de-
bate, dons projectos do senado, um declarando que
a disposigo do art. 108 da lei de 19 de agesto de
1816, que manda suspender o recrutamento du-
rante a eleico, applicavel de elertores, jnizes
de paz e vereadores; e oulro autorisando o gover-
no a conceder s corporacoes de mo-raorta licen-
Si para a acquisigo de bens de raz e conversan
e seu producto em apolices da divida publica.
Approvou mais em 1' discussao, tambem sem
debate, e projecto que autorisa o governo a pro-
mover ao posto de i- tenentes aos 1* pilotos Alfon-
so Henriques de Albuquerque e Mello e Joo Jos
Lopes Ferraz.
Occupou-se depois cora a 2* discussao do projec-
to que manda pagar Manoel Jos Teixeira Bar-
bosa a quanta de 150:7325450, importancia da
seutenga que obtuve contra a fazenda publica.
Orou o Sr. Correa das Neves, ficando a ducusso
adiada pela hora.
ConUouou era ultimo lugar a 3a discussao da
proposta do governo que fxa a despeza e orga a
receila geral do imperio para o anno flnanceiro de
1864 1865. Oraram os Srs. Carvalho Reis, presi-
dente do cooselho, e Saldanha Marinlio, ficando a
discussao igualmente adiada pela hora.
Foram offerecidas as seguintes emendas :
Ficam fazendo parte dos ordenados as gratifi-
caces que ora percebem os empregados das alfan-
degas, recebedorias e mesas de rendas do imperio,
e considerada gratificago a porcentagem.
No caso de molestia devdamente justificada
perdero os mesmos empregados dous tergos da
I respectiva porcentagem at seis mezes, e toda ella
d'ahi em dianle.
I As deencas, nao sendo por motivo de sade,
so podero ser concedidas com ordenado por intei-
ro at tres mezes. De tres seis mezes s pode-
| rao ser concedidas com metade do ordenado, e
d ah por diante sem vencimento algum.
O numero dos fiis ser correspondente ao
dos armazens que estiverem funecionando ; e, se
no futuro fr mister exceder ao que se acha lixado
no quadro, se pagar aos novos nomcados venci-
mento igual ao dos actuaes.
O algarismo divisor da quota da porcentagem
sera elevado na proporgo do numero dos empre-
gados accrescdos.
Os vencimentos dos praticantes sao considera-
dos gratificaces, e sujeilos s mesmas regras aci-
ma establecidas a respeilo das porcentagens.
Os continuos e correios perdero um terco de
; seu ordenado no caso de falta por molestia devda-
mente provada at seis mezes, metade de seis do-
ze mezes, cessando todo o vencimento d'ahi em
diante.J. Saldanha Marinho.
A bibliotheca publica estar aborta todos os
das uleis das 9 horas da manhaa s 2 da tarde e
das 4 s 8 horas da tarde, c nos dias santificados
das 10 da maolia s 3 da tarde.J. Saldanha Ma-
rinho.
Nenhuma gratificago ser concedida genio
em virtude de le que a autorise, qualquer que se-
ja a natureza do servigo que-sao ellas destinadas.
O trabadlo de codificago de leis as diversas se-
cretarias de estado ser dado ao empregado que
para tal for designado, sem que por isso tenha aug-
mento de vencimentos. J. Saldanha Marinho.
Fica exmelo o sello proporcional em branco,
e d'ora em diante ser averbado as repartices
competentes, e depois de escriplo e assignado o" ti-
tulo sujeit a este imposto. O governo poder
crear estagoes de sello em todas as freguezias das
: captaes onde forem necessarias, snjeitos os res-
pectivos agentes aos regulamentos fiscaes. Conli-
, imam era vigor todas as dsposigoes que regulara
o tempo, forma e revalidago do sello. J. Salda
{nha Marinho.
t As porcentagens dos correctores constiluem
dividas privilegiadas, e devem ser consideradas
comprehendidas na disposigo do art. 876 3 do
cdigo commercial. = J. Saldanha Marinho.
t Artigo. A atlrbuigo que o art. 23 do regula-
memo n. 806 de 26 de julho de 1851 d aos cor-
rectores comprehende a transaego que se fizer em
hasta publica acerca dos objectos especificados no
mesmo artigo.J. Saldanha Marinho.
Offerego como additivo o seguinte projecto j ap-
provado em i* discussao :
I A asserabla geral resolve :
Art. 1. Ficam revogadas as dsposigoes dos
11, 12 e 13 do art. 2 da lei n. 1,083 de 22 do
agosto de 1860.
Arl. 2. s companhias e sociedades anony-
mas, assim civis, como mercarais, se regularn na
nomeago, formagao e durago de suas directoras
pelos seus respectivos estatutos.
Art. 3. Ficam revogadas as dsposigoes em
contrario. J. Saldanha Marinho.
_ t Fica restabelecido o commando das armas da
corte, supprimido o lugar de ajudante-general,e
os outros desta repartigo ; e o governo autorisado
a reorganisar a secretaria da guerra, comanlo que
; nao seja elevada a despeza que ora se faz, edimi-
nuindo a importancia que cora a suppresso dos
ditos lugares se effectuar.J. Saldanha Marinho.
A divida fluctuante anterior 1827, e cuios
credores nao se apresentarem reclamando o res-
pectivo pagamento no prazo de cinco annos da da-
ta da presente lei, se haver como prescripla. J.
Saldanha Marinho.
Os mestres e contra-mestres das officinas dos
arsenaes de guerra e marinha que contarem mais
de trinta annos de servigo, e por sua idade ou en-
fermdades nao possam' Irabalhar, podem ser dis-
pensados de comparecimento as respectivas offi-
cinas, continuando a perceber o ordenado ou dia-
ria estabelecidos para os lugares que oceupavam.
J. Saldanha Marinho.
Supprima-se o 6- do art. 3". J. Saldanha
Marinho. >
As multas que pelas leis vigentes pertencem
s cmaras municipaes passaro a fazer parte da
receila geral do imperio coraexcepgo das que sao
comminadas por infraego de posturas munici
paes.
Esta renda ser especialmente applicada ao
j pagamento do expediente de elegoes e do tribunal
do jury, salarios de escrives e olllciaes do Juizo,
e castas de processos criminaes em que a justiga
publica houver sido parte vencida, ficando por esta
;. forma isentas as municipalidades daquelles encar-
gos.Arago e Mello.
O governo fica autorisado a rever o regula-
ment n. 463 de 17 de agosto de 1846, e n. 1081
de 11 de dezembro de 1852, relativos a terrenos
diamantinos, e a fazer as altcrages que o tempo e
a experiencia houvcrem aconslhado, guardadas
todas as disposgoes das leis Vigentes. J. Felicio
dos Santos.Paula Santos.
O governo fica igualmente autorisado a rever
o plano da organisago do corpo de sade da ar-
mada, approvado pelo decreto 11. 1,981 de 30 de
setembro de 1837, e a fazer as alleragoes que o
I tempo e a experiencia aconselharem, conservando
, as dsposigoes do art. 3. do decreto n. 607 de 23
de abril de 1849 e dos arts. 2" e seus paragraphos,
3 e 8 1, 6, 11,12, 14 e 38 do plano de 30 de se-
tembro de 1837, isto sem augmento da despeza con-
; signada na verba respectiva. Silvino Cavalcanti
de Albuquerque. J. Felicio dos Santos.Flores.
: t Os filhos menores dos offioiaes da armada
tm direito, repartidamente com suas irmas sol-
teras, ao monte-po de marinha, pela mesma forma
eslabelecida no moute-pio geral dos servidores do
estado.Raiol. Franco de Almeida.
Por portara de 2 do corrente foi nomeado Jos
Joo Pmenta de Figueredo para agente de correio
da cidade de Itabira, da provincia de Minas-Ge-
raes.
Por portara de 4 do corrente foi nomeado For-
tunato Jos Soares Leite Jnior para o lugar de
agente do correio do Porto-Velho do Cunha, na
provincia do Rio de Janeiro, vago por demisso
concedida Joaquim Cordovil de Siqueira e Mello.
E foi concedida a demisso pedida por Jos Cla-
rindo Ferreira Marlins do lugar de ajudante do
correio da freguezia da Prainha, na provinciano
Continuou hontem na cmara dos deputados a 3a
discussao da proposta do governo que fixa a despe-
za e orea a receila geral do imperio para o anno
linanceiro de 1864 a 1865. Oraram os- Srs. minis-
tro do imperio, Junqueira e Moreira Brando, fi-
cando a discussao adiada pela hora.
Foram offerecidas as seguintes emendas :
Sub-emenda s do arl. 6' da le.Se passar
a suppresso dos empregos vagos da Ia directora
do ministerio da guerra, reduza-se a despeza do 8,
Io deste artigo a 200:0005000.
Ficaro supprimidos, logo que vagaremos em-
pregos de quatro 2o' escriturarios, tres 3M, qua-
tro 4o" escripturarios ; tres praticantes da 4" direc-
tora, ficando assim reduzido ao numero de 18 em-
pregados de escripturagao, o de 32 que all foram
creados, emquanlo nao liverem melhor applicago
os que superabundam nesta directora, sem pre-
juzo dos vencimentos que percebem.Casimiro
Madurera.
i 14. Restabelega-se a verba de 360:0005 pro-
posta pela commissao na 2a discussode coufor-
midade com o pedido do governo.C. Madureira. >
< Ao g 11 do ornamento da agricultura, accres-
centa-se :Inclusive 20:0005 para auxilio das
obras dos collegios das orpbas de Santa Theresa
em Olinda, e do Bom-Conselbo dePapacagade Per-
nambuco.Sil vino Cavalcanti de Albuquerque.
A. ti. de Souza Brandeira.Jacobina.Figueredo.
Silveira de Souza.Pinto de Mondonga.Ribei-
ro.Liberato.Lopes Netio.Bezerra Cavalcanti.
- Godoy.Vasconcellos.Pereira de Brito.Sal-
danha Marinho.Fonseca Vianna.
1 Ao 11 do art. 8-Ministerio da grcultura :
accrescente-se:Inclusive 10:5000 para auxiliar
as obras da casa dos alienados pertencente ao
grande hospital Pedro II, de Pernambuco.Souza
Bandeira.Figueredo.Fonceca Vianna. >
< As despezas de cusa as execugoes da fazen-
da publica sero pagas pelos exactores que por sua
negligencia e falta de cumprmento de seus deve-
res derem lugar a essas despezas.Fonceca Vi-
anna.
. O governo fica autorisado a rever e alterar o
vigente regularaento do corpo de saude do exerei-
to, e a conformar o plano da organisago do refe-
rido corpo com o do corpo de saude da armada.
Moreira.
Fica o governo autorisado a alterar a classifi-
carao das entrelas das comarcas do imperio por |
urna s vez.Carlos Ribeiro.Alvim.P. Moniz
Silveira de Souza.P. Brando.Frederieo de Al-
meida.Moreira.
Fica o governo autorisado a contratar com a
Associagao Commercial Beneficente da cidade do I
Recife a construego de um edificio onde possam
funecionar a mesma associagao, o tribunal do com-
mercio, o juizo especial, a junta dos correctores, os!
estabelecimentos naneados da provincia, assim I
como que possa accomodar os escripturios das
companhias de seguros.os dos correctores da praga, I
e ter urna caixa para o correio, a eslago lelegra-
phica da via frrea e o lelegrapho martimo, sob .
as seguintes bases :
1. Para salsfazer a despeza corresponden-
te e at que seja necessaro, se arrecadar, desde
j, pela alfandega da dita provincia, por occasio
de se pagarem os direitos de despacho, dez ris
por volume, de qualquer tamanho, peso ou nature-
za, importado, exportado ou reexportado para fra
da provincia, c a mesma quanta por cada quintal
de carne secca, meios de sola, couro, tonelada de |
carvao de podr, por dous alqueires de sal, quin-
tal de ferro em barra, arroba de cobre, vinte ps
de madeira de pinho, por pao ou taboa de qualquer
outra qualidde, e por dous alqueires de farnha
quando granel, artigos estes que tenham igual-
mente de ser importados, exportados ou reexpor-
tados na forma cima mencionada.
2. A direcgo da mesma associagao com-
mercial publicar mensalmente a importancia re-
cebida e a despeza que for azendo com a cons-
truego da obra, e far cessar a cobranga da refe-
rida imposigo logo que se tornar desnecessaria.
Silvino Cavalcanti de Albuquerque.Luiz Felippc
de Souza Leo.Caetano Xavier Pereira de Brito.
Joo Silveira de Souza.Alvim.Mariim Fran-
cisco.A. H. de Souza Bandeira.-Seraphico. A.
C. de S e Albuquerque.Lopes Netto.Liberato.
Lima Duarte.Esperidio.Souza Carvalho.
F. C. Brando.
Substitutivo do art. 20.Ficam isentos de di-
reitos de exportagao as carnes salgadas em balsa
eu preparadas por qualquer outro systema bem i
como as las e mais produelos animaes da indus-
tria agrcola, e os das fabricas de refinago e crys-1
lallisacao de assucar estabelecidas no imperio.
Sao tambem hvres de direitos de importago
os animaes introduzidos para melhoramento das
racas existentes, ou para seren beneficiados as
fabricas nacionaes.'Nery.Flores.
Substitutivo do 2" do art. 30.Fica o gover-1
110 autorisado a encampar o contrato da sociedade
Montravel Silveiro & C.,da provincia do Rio-Gran-
de do Sul, tomando si a colonia de Sauta Maria
da Soledade, e subrogando-se nos direitos da mes-
ma soeiedade sobre os seus moradores.Nery.
Flores.
Fica o governo autorisado a conceder pro-
vincia do Rio-Grande do Sul meia legua quadrada
as trras do rindi do Saicao, para formar se
nella a freguezia de Nossa Senhora do Rosario,
creada pela le provincial de i. de dezembro de t
1860.-Nery.Flores.
Para as disposicoes geraes :Os navios es-
trangeros que passarem nacionaes conservaro
sempre os nomes que Ihe foram dados nessa occa-
sio, e bem assim os navios que forem construidos |
no paiz nao podero mudar de nome, ainda que'
passem a outros donos. Junqueira.
Emenda de redaego :Ao 7o do art.30 ac-
crescente-seem conformidade da deciso do po-
der judicial.Junqueira.
A nao passar a primeira emendado Sr. C. Ot-
toni acerca da garanda ao novo capital da estrada
de ferro de Pernambuco, supprma-se o g 10 do
arl. 8. Junqueira.
Em vez de moeda fortediga-sesegundo o
padro monetario da lei de 8 de oulubro de 1833.
M. Dantas.Silveira de Souza.
Fica o goveruo aulorisado a crear mais dous
lugares detabelio do judicial e notas no munici-
pio da curte, elevando seis o numero dos exis-
tentes.
O governo na prxima sessao do corpo legis-
lativo apresentar :
1." Un trabadlo no qual se indique a legisla-
gao de fazenda que actualmente vigora sobre a
contabilidade legislativa, slo sobr a autorisa-
gao da receila, voto das despezas, e approvago do
emprego da receila e despreza, alira de que possa
o corpo legislativo proceder mesma approvago
por meio da le de conlas de cada exercicio.
2. Outro trabalho, pelo bual se indique ou se
possa regular a contabilidade do material perten-
cente ao estado, em cada ministerio, alim de que
fique completamente sujeita acgo do tribunal do
thesouro, como actualmente se acha a contabilida-
de dos dinheiros pblicos,Jos Angelo.
Por portara de o do corrente, foi creada urna
agencia de correio da freguezia do Espirito Santo
da Varginha, municipio de Tres-Poiitas, na pro-
vincia de Minas.
Por portara de 23 de junho foi demittido do car-
las obras publicas, Joo Pedro de
Fallando desta experiencia diz o Snniista de I :
Ao descer os wagons, houve um descuido na
occasio de os parar em meio do plano inclinado,
afrouxando urna volta do cabo de rame que con-
duz os wagons ao primeiro plano, saltando dos ro-
detes, apanhou II 1 raba I hadores, ficando um "-i
dous fracturados de urna nerna, e os mais bastan-
te contusos. Os mdicos que ahi se aehavam
prestaran! immediatamenle os soccorros neces-
sarios fazendo-os recolher ao hospital ahi cons-
truido. >
Tinha sido capturado no sitio da Burara, e eoo-
duzdo para a cada de 8. Sebastin o criminoso
Miguel de ul, pronunciado como um dos autores do
assassinato de Nicolao Chris.
Temos folhas de Ouro-Preto al 1 do eorrentf.
O MinasGeraes de 28 do passado d as noticias
seguintes :
No dstrcto de Santa Maria, termo da Pratt,
foi preso o individuo de nome Joao Narciso, qoe
vender a Francisco Jos da Silva Pratt, morador
na cidade de Uberaba, um menor livre, de idad-
de 7 annos mais ou menos.
< O reo, segundo o interrogatorio feito ao me-
nor, morador do lermo do Bom-Fm, provincia
de Goyaz, e viajara com o sjpposto nome de Jo?
Antonio.
O delegado de Uberaba. commnnicando este
faci ao Dr. chefe de polica, declara qoe esta
instaurado o processo, no qual depuzeram sele le-
teraunhas. >
Na note de 16 do mez passado evadiram-s<
da cada da cidade da Conceigo, por meio do ar-
rorabamento, os reos Fiancisco Jos Barbalbo, Ma-
nuel Joaquim de Macdo e Januario de Araojo Al-
ves, indiciados os dous primeiros emerime de ho-
micidio e o ultimo processado e condeninado por
crime de furto.
Foram dadas as necessarias providencias para
a captura dos mesmos reos.
Na noite do 10 de abril ultimo o espitan
Jos Francisco dos Santos e seus filhos menores,
Francisco e Jesuino, durmiain em urna casa de ro-
ga distante una legua do lugar de sua babitaoo,
que era a fazenda das Esmeraldas, no distrirto das
Salinas, quando foram assassioados por dons es-
cravos, e seus corpos levados para um paiol de mi-
di, onde foram rednzidos cintas pelo fofo toe
laucaran!.
O respectivo delegado commoni*ou ao Dr.
chefe de polica da provincia em 27 do mesmo
mez, que se acham recolhidos cadi-a daqnelia
villa cinco escravn<, dos quaes mu se acha pro-
nunciado como autor do crime eos mais como rum-
plices.
< O principal criminoso era o escravo de nome
Claudino, que foi morto em acto de resistencia,
pelo que deve ter sido instaurado o competente
processo.
Foi encontrado em um vallo da fazenda da
Vassoura, districlo da Caehoeira do Campo, Fran-
cisco Alfonso, que pelo auto de corpo de delicio
reconheceu-se ter-se precipitado nesse vallo.
Exigiram-se minuciosas informagoes a res-
peilo desse facto, que pode ser o resoltado de um
crime. >
DIARIO DE PERNAMBUCO
4
go de praticantc d...
Medinas Ccell Mariz Sarniento.
Por decreto de 2 do corrente concedeu-se refor-
ma, na forma da lei, ao brigadero Manoel Felizar-
do de Souz e Mello.
Por outro decreto de igual data foi reformado
com o respectivo sold por inleiro, na conformida-
de do !j 3. do plano que baixou com o decreto de
11 de dezembro de 1815, o soldado da companhia
de artfices da provincia de Pernambuco. Miguel
Luiz da Purlicago, visto achar-se impossibilitado
do servigo em consequencia de desastre que sollreu
em aeco do mesmo servigo.
Da ordem do da publicada ante-hontem pela
repartigo do ajudaute general consta o se-
guinte :
Nomeacoet.Dos Srs. capito do corpo de en-
genheiros Joo Marlins da Silva Coutinho, para Pi-
car disposigo do ministerio de eslrangeros,
alim de exercer o lugar de chefe da commissao
encarregada da demarcago da fronteira entre este
imperio e a repblica do Per. Aviso de 22 de
junho ultimo.
Tenentes do corpo de estado maior de 1.a clas-
se Candido Jos Coelho de Moura e Jos Pom-
peo de Albuquerque Cavalcanti, para ficarem
disposigo do ministerio da agricultura, com-
mercio e obras publicas ; devendo o segun-
do, que se acha na provincia do Piauhy, ir
servir na do Cear. Aviso de 22 de junho
ultimo.
Exonevacao.X)o Sr. capito do corpo de en-
genheiros Pedro Dias Paes Leme, da commissao
em que se acha na provincia de Mato-Grosso por
conta de ministerio da agricultura, commercio e
obras publicas.Aviso do mesmo ministerio de 21
de junho ultimo.
Transferencias. Dos Srs. major graduado
Constantino Jos da Costa, do 10." batalhao de
infantaria para a 8.a companhia do II." da mes-
ma arma, e capito Manoel Ferreira da Fon-
seca Lyra, deste batalhao para a 2.a compa-
nhia d'aquellle. Decreto de 28 de junho ul-
timo.
Alferes do corpo de guarnco de S. Paulo Anto-
nio Augusto Nogueira de Bumann, do lugar de
secretario para a Gleira, e Joao Paulo Martins Na-
ninguer, da fileira para o lugar de secretario, como
requereram.
Alferes Jeronymo da Fonseca Villa Nova, do 3.*
regiment de cavallaria ligera para o 2. da mesma
arma, e Pedro Pereira de Magalhes, deste para
aquelle regiment, como requereram.
Alferes do 3.a batalhao de infantaria Francisco
Galdiao Nepomuceno da Silva, da fileira para o
lugar de quartel-mestre; e Galdno Ramos de Jess,
do lugar de quartel-mestre para a fileira do mes-
mo batalhao.
Ordtm de S. Dent de Aviz.-Cavalleiro, o Sr.
capito do corno de estado maior da 2.a clas-
se Manoel Pacheco de Lima.Decreto de 18 e
diploma de 25 de novembro do anno prximo
passado.
Ordem de Christo.Cavalleiro, o Sr. capito do
corpo de engenheiros Francisco Carlos da Luz.
Decreto de 20 de abril e diploma de 18 de maio do
corrente anno.
Ordem da {osa.Cavadeiros, os Srs. primeiros
tenentes do corpo de engenheiros Antonio Perei-
ra Rdboucas e Andr Pinto Reboucas.Decreto
de 20 de abril e diploma de 18 de maio do corre-
te anno.
Por decreto de 3 do crrante foi removido
da presidencia da provincia de Minas-Geraes
para a do Para o Sr. Dr. Jos Vieira Cont de Ma-
galhes.
Recebemos folhas da provincia de S. Paulo al
5 do correte.
O presidente havia regressado capital de volta
da sua excurso para exame dos trabadlos da via
frrea, tendo assistido na sorra de Mogy i expe-
riencia de urna das machinas fixas.
Recebemos hontem jernaes do sul do imper io,
dos quaes foi portador o vapor Parawi, alcanzan-
do : os do Rie 7, os da Bahia 10 e os de Ala-
goas 13 do cerrente.
Rio de Janeiiio.Chegra o brigue-esenna de
guerra Fidelidade, acerca do qual diz o Cnrrnu
Mercantil:
- Ante-hontem (3) noite eavram-sc alguns ti-
ros de pega disparados do lado da barra. Partirn)
elles de bordo do brigue-escuna de guerra Ffleli-
dade, que se achava barra com falla de agua pa-
ra a guarnico, e que, receiando ser sorprendido .1
entrada pelo mo tempo, peda soccorro.
0 brigue escuna vinha de Pernambuco e tra-
za 26 dias de viagem. A' meia nuute entmu eHt,
sendo rebocado por um vapor em que fra fra da
barra a soccorro o Sr. capito do porto.
A' 28 do passado j o Fidelidade estivera nos-
sa barra; vira-se, porm, otrigado pelo mao lem-
po, a fazer-se ao mar no bordo do sol.
Alguns dias antes de ebegar a barra, o com-
mandante, avistando dous navios, mandn o imme-
diato a bordo delles, alim de ver se poda obter al-
guma porgo d agua. No navio mais prximo nada
se conseguio; ao segundo nao viram a lancha atra-
car, era consequencia da forte cerrago que ento
havia. Nao regressando o immediato, e tgfaY)
o conselho dos offlciaes, o commandante '-< e
vela para este porto. Suppoese que o immediato
ficou a bordo do segundo navio.
Acerca de cambios diz o Jornal doCommn-
cio:
Saccaram-se hoje:
Sobre Londres, cerca de 100,000 a 27 >( e 27
3/ d. e quanlia menor a 27 l/( d.
Antuerpia, 300,000 francos a 347 rs.
Paris e Havre, 100,000 francos a 348, 319 e 350
ris.
Hamburgo 150,000 m. b. a 660 rs.
LUboa e Porto tem regulado a tabella seguinte
100 7o... avisla
99"/.... a 30 das.
98 /,.. a 60 dias.
97%.... a 90 das.
Chegarara, procedentes de Pernambuco : a
2, o patacho Captiam, com 20 dias ; e 3, o brigne
Uelizario, com 15.
Espiuito-Sasto.Acbava-se no exercicio interi-
no de chefe de polica, o Dr. Thcodoro Machado
Freir Pereira da Silva.
_Haiiiv.Arribou, alimde desembarcar a tripola-
go e 7 passageiros da galera hollandeza IKew Bol-
load, incendiada na lat 2o N. a 270 long. O., a
barca da mesma naco Joan, que ia de Rotterdam
para a Asia.
Anda reinava o mo lempo na cosa, |>cIo qoe
arribaram, poucas horas derms de sahirem, 01 na
vios >'. Sebasliao da Setta, Santa Barbara vena '
rae S.Jos<; Triumphnntr.
A direcgo dos festejos do dia 2 de julho, no
anno de 1863, compoe-se dos Srs.:
Cooselheiros Joao Antonio de Vasconcellos, Joo
Antonio de Azevedo Chaves, Drs. 1. dos Reis ,,.
Souza Dantas, Adriano Jos Leal, Francisco Jo-
Pereira de Albuquerque, Anlero Cicero de fttrtr.
Francisco L. de Mallos Junbr e A. Eozebio Gon-
galves de Almeida, brigadero Manoel Moniz Ta-
vares/vigario Jos Flix Pereira de Araojn. Baro
de Cajahiba, Baro de Pass.'-, e desembargado* Ma-
noel Jos Espinla.
O Rvm. Ananias celebrava, no da 10, mhn,
na igreja do Boinlim.
O cambio regulava : sobre Londres 27 >t .,
sobre Paris 343 rs., sobre Hamburgo 650 is. e so-'
bre Portugal 96 100 /..
Achava.se carga para Pernambuco o pata-
cho D. Luiz. .
L-se no Jornal :
A's 9 horas da manba do dia 2 do corrente mar-
charan) para a Lapinha os ba talhoVs da guarda na-
cional, a tropa de liona, a polica, e o batalhao pa-
tritico dos caixeiros nacionaes, uniformisado* es-
tes de branco cora urna facha verde, e preeedidwi
pela sua cavallaria. Tomando ah os carros trium-
phaes, emblemas da nossa independencia, arompa-
nharam-nos at o Terreiro de Jesos, onde entra-
ran} 1 hora da tarde, formando os batalhoes na
praga em volta do palacete ali erguido para com-
meuiorago desse facto, e no qual se acham os re-
tratos do inmortal fundador do imperio e dos va-
roes da indepedencia.
< Depois disto celebrou-se na ealbedral o Te-
Deum, onde foi notada a ausencia d# corpo consu-
lar, a da maior parte dos vereadores, e de moiios
empregados de cathegoria, qoe elle deveriam
concurrer." Findo a Te-eum, S. Exc. o Sr. prest-
dente da provincia dirigio-se ao palacete, descer-
rou as cortinas, e apresentando ao povo a augusta
eflfigie de S. M. o Imperadordeu vivas inde-
pendencia, coosliluicao, familia imperial, ao
2 de julho, ao povo babiano.
A tropa formada em grande parada fea as
continencias, e desfilou em retirada.
< Concluida toda a cerimonia, foram os carro*
couduzidos pelo povo praca da Piedade, atada a
acham recolhidos, sob os dous caranaadsoes aii
levantados. O batalhao patritico dos 1 tmna na-
cionaes acorapanbou-os at ali, e s depois rali-
rou-se.
< A' noite S. Etc. o Sr. presidente da provincia
foi de novo ao palacete, onde deu as vina de t-
tylo.
< O espectculo no theatro de S. Joao canana de
um bello elogio dramtico, predoocao de auna
poeta o Sr. Jos Antonio da Cana*, e de dnan
Gabnm- O elogio foi milito apptadldo, a e s-
ter chamado acea.
Findo o elogio, a artista D. Minnsh talen e
hymno, precedido dos vivas dados por S. Eu. e
Sr. presidente da provincia coneliticae do iaa-
rfo, S. M. I., a aasadabia geral legislativa, a*
de julho, ao povo bahiano.
No dia 3 noite repetiu-se o mesma draau,
concluiodo o espectculo com a comedia Amor e

1


Alarlo de >tttmhneo Sexta iclr 1* de iiIik d tML.
\
Pat.li mund-ianal fui cantado ecom erando Franklin Tupinaml Maribondo da trindade, Dr. nhewdora que o mesmo seufiot teve para comigo
ddI^ regido2 bvmal C g j Manoel JosWeira Tavara^ de Mello e Albaqaer- pelos servicos que Ihe preste! no m*"*"**;
ni^nt^fno^i afm dos estabelecimentos! merque, Leoncio mon de Castro, Valerio Alves mente dorante o tempp que nene exist; itadeja
Dahlicr?5iJi?8S *e lumiuYr'm : de Sorna, o cadete Francisco Anon.o Rodrigaes me contesto assisjnte.ramente grate ern urna di
^SS^rVSSS^S^^SkU pausado de Arauj, Arthur Lonchois, Laport Henry Lucas, tincta considerado em qualquer parte que o des-
o Ku SrT>Cincina?Pinto da Silva, presi- Antonio Joaquim Teixeira Barbosa, Guilherme tino me colloco. Pernambuco IB de jiiluo de 1864.
dente da SeUSmil nomeado. I Kergle -Jos Intonio Teixeira, Pedro Bar.holomeu, i Ricardo Jo,c Gomes da Lu.
r .. .._ .(. i_____... I.iua Inr Inoir 4 soMjiln ,( oT.nro u rl las (10 eXr ------
da rna do Reguinho, na capitel.
ente da provincia uiiltmm.mie noniiwuu- *. <" >" 1 > ^-" ~ --"--' ;
Alacoas No dia 24 do corrente .teve tor lugar, i soldado,\i ex-praces da armada, 14 dita do ex.
m matriz da capital o baptismo do um hollandez ercito e 2 escravos a entregar | Anacalilllta pelioral e gaenip.
e ama belga ano* s'ua conversas. Passageiro do patacho dinamarquez Maria \ academia medica de Berln teve perfeitamen-
__i|m Incendio consumir seis casas de palha vindo do Hamburgo : Leonardo Metier Kampe. te razao, em seu judicioso julgamento, em pronun-
Passageiros do vapor nacionarPanifti/60 vin- ciar o sueco da balsmica anacabuita mejicana,
'do da ilha de Fernando :Capitao Jos Cerqueira como um especilico positivo e infallivel para todas
. Lima, o cadete Ernesto Antonio Barbosa, Jos Fe- as irritad-oes ou raflammacoes da gargant.t e dos
lieiano Machado, 17 pravas o 1 sentenciado. vasos broncnlos.
Passageiros do hiate nacional Sania Cruz Nao ha nenhum caso de rouquido, tosse, catar-
sahido para o racaty : Manoel Francisco Ta- rho, excoracao da garganta ou irritarlo dos bron-
vares e Luiz Jos Bstves. etilos, que possa resistir s suas admiraveis quali-
Obituario do da 13 de julho no ckmiteiuo dades anti-irrtantes. Ella restitue a voz quando
publico : j perdida ou enfraquecida produzido [lelas afteccoes
-1 sensacoes do aspereza no palato faz cessara
no?, vmva, necue : iwpaiiiiu;-wiiinm>a. expectorado sangunea e impede a accumulacao
HuZJTSSm arto reiieioso com a maior pom- Libante, Pernambuco, 2 annos, Santo Antonio be- de mucosidades nos orgos da respirac) que par-
--------... j, n; xigas. i tem dos pnlmSes.
Francisco, escravo, Pernambuco, 9 dias, Santo | inteiramente differente na sua composiejw de Jo-
Antonio ; espasmo.
Francisco, Pernambuco, 30 dias, S. Jos gastro
interite.
PERWAHBCO.
REVISTA MARA.
ci^^feSapUrS P** 80 -! oTSLSTSSSi
ftalSliStfin Manado a que! nos, viuva, Recite : hepalhite-chronica. I expectorado sanguln
mo. O Rvm. provincial nada tem poupauo a I p. AntonIo. be- da mupWdades nSs o.
CHROMCA JUD1C1AB1A
pae esplendor, coadjuvado poderosamente dos neis
devotos do Carmelo. ....
Alguns confrades e amigos da ordem por obse-
quio especial vao tomar parte na orchestra. A
So"'" ^&!^S*M DaS, | JoseV Pernarabuco, 30 dias, S. Jos, bydropaobia.
cantarao cada um um dos slo.
O irmao confrade Dr Pedro de Athayde Lobo
Moscoso, executar na flauta urna bella e rica va-
riacao antes do sermo. ......
O Sr. acadmico Jos Vicente da Costa Bastos
xecutar urna bella e difDcil varlacao de rabeca
em um dos intervalos da festa.
E- orador da soleranidade o Rvm. pregador da
capella imperial padre mestre Uno do Monte Car-
melo Luna. No le-Deum pregara o Rvm. padre
Lourenco de Albuquerque Loyolla.
Tocar nos intervallos da festa variadas e esco-
Ihioas pee. Pela vw prmieira. a nova banda de
msica marcialPhilarmonica Carmelitana, sob a
direceo do Sr. Manoel Pereira da Silva Serzedelo.
O vapor ioglez Magdalena devia sahir do Rio
do da 9 do corrente.
Consta-nos acharase nomeado hispo de Per-
nambuco o Exm. e Rn. Sr. senador pela provin-
cia, da. Parabyba Antonio da Cuaba Vasconcellos.
Coiiimuaicaovues o seguinte :
A familia Sawyer, primeira notabilidade eu-
ropea, nica em sea genero, conhecida sob o nome
de Camwtnokws Escossezes, acaba de chegar da
._ -_________ 1 ,s ..it niilii."
TRIBUIf Ali .COMWBBCIO.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 14 DE
JIILHO DE 1864.
PRESIDENCIA DO F.XM. SR. DESEMBARGADO!
mam.
As 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. depu-
tados Reg, Lemos, e Altolorado, oSr. presi-
dente declarou aberta a sessao.
Lida, ro approvada a acta da ultima.
EXPEDIENTE.
Foram presentes os mappas semestraes dos tra-
piches Barbosa e Cunha.
dos os mais peitoraes manufacturados de frucias
adstringeutes, cascas e raizes, etc., o mesmo nao
contcm em sua composicao nenhum ociifo prussico
ou outros quaesquer ingredientes venenosos.
Acha>sc venda as tojas de Caors ti Barbosa e
J. da C. Bravo & C.
COMMEEGIO.
Archvese.
tilIH-.'L-. j
lima carta do lostamenteiro de Henry Gitison, ae ,
12 do corrente, insistindo que nao pode abater ;
mais do que cem mil ris no aluguel do predio
que occapa o tribunal.Inteirado.
DESPACHOS. I
No reqcerimento do corrector Joao da Cruz Ma-
cedo, pedindo o registro do conhecimento do im-
posto de seu oQlcio.Registre-se.
No do corrector Francisco M. de Almcida, pedin-
conbecimento. O mesmo
Europa, e pretende dar urna serie de espectculos
no theatro de Apollo, na qual exhibir ante o pu-
blico a sua rica collecco de 130 campainhas de
diversos tamanhos e sons. Devendo seguir para
a Baha e Rio de Janeiro s se demorar ella ate o
fim do corrente mez.
Acompanlun a companhia o conhecido esenp-
tor satyrico hespanhol D. Santiago Infante de Pa-
lacios, o celebre photographo hngaro Ernest de
Poete.
Por equivoco noticiamos hontem ter sido o do o registro de igua
Sr. Antonio de Paula Mello aposentado no lugar | despacho,
de secretario, quando o foi no de amanuense.
A sociedade de seguros mutuos do vida do
banco l'mo do Porto ganha de dia em dia mais
importancia, como o demonstra o augmento pro-
gressifo de seguros que ella tem todos os annos,
devido isso s garantas que ollerece e s vanta-
gens que d aos segurados, as quaes excedem a
' Adi.ve.-no apresentou ltimamente asamblea deharer elTectoado iarn^ nara exercor o lagar
geral dossaDscriptorcs o seu relatorio, do qual se de agente de le.lao de Maeei.-A I
CA1XA FILIAL
DO
lti\(0 DO BRASIL
EM PERNAMBUCO.
A directora desla caix3, em virtude de ordem
da directora do Banco do Brasil, avisa aos Srs.
accionistas que o respectivo thesonreiro est auto-
rsado a pagar o dividendo das aceites da meema
fSSSZS?o conhecimento de ter sido caixa do semestre fmdo, em 3J deJunho prximo
recolhido na thesourara de fazenda a quant.a de passado Mbdi 8*oM por"**
574A880, saldo dos emolumentos arrecadados na! Rec.fo 14 de julbefe 1864-No impedimento do
secretaria d.;ste tribunal no decurso do anno lnan- secretario, Ignacw Nones Corma.
ceiro de 1863 1864. .BMIB^- ---------------.
Foi presente a cotac/10 offlcial dos preces cor- Rendimeoto do da 1 a 13........ J*f4*)2*02
rentes da praca, relativa ultima semana. i i4era do dia 44-................ 3t;3Bywo
COMPANHIA BRASILEIKA
DE
PAQUETES A VAPOR
Directora das obras militares.
A tflrtcteria das obras militare convida s pes-
soas que se quizerem incumbir da caiacSo e pin-
tura do quariel da companhia de artfices a apre-
gentarem suas propostas nos dias 18,19 e 20 do
corrente mea, das 10 horas ao meio dia, onde po-
derSa ebteros esclarecimentos deque necessitarem
a respeito.
Directora das obras militares de Pernambuco ,
11 de julho de 18C4.-Luiz Francisco de Paula de ame seguir para os portes do^sul.
Mhuaueroue MaranhTo Desde ja recebem-se passageiros eengaja-sea
Aiouquerqne Maran"ao'Amanuen80 carga nQ0 Tapor poder condnzir, a qual devera
- Saboado 16 do corrente, ao mel dia, depois "r embarcada no da de sua chenda: encom-
da audiencia do Sr, Dr. juz municipal da i' vara, mendas e draheiro a frete ate o da da san ua as x
val praca pela ultima vez urna eserava moca e horas, agencia ra da Cruz n. 1, esenptono ae
alguns movis por execacao de Tranquilino Soua Antonio Luiz de Oliveirn Azeveao cV i-
A C-. deGr,*. .4r<*,', Pergunta-se ao Secr.-. da L"j.-. Mh e ileiti-'-
! se em seu convite sao incluidos os innaus da La'~
' ,i- vm.m- -aquemS. S., e de mais Obr/. inda nao fixeraw
Dos por os do norte esperado, restituir a quantia de 3i;0, levados a ra do Ca-
ate o da 13 do corrente o vapor bua pnra 0 pateo do paraizo, dous annos; s-
Prmceza de JotnvtUe, commau- ,0 :ipc!ar da rqeza que protesam o* frailes Ben-
i?ante o pnmeiro tenente Araujo y.o cosmorama.
o qual depote da demora do eos-, __'.______.___________.______________________
CASA l)A FORTUNA
Sesse contra Guilherme da Costa.
Geisulade de Pertigal.
Site chamados os credores do ausente Manoel
Correia de Souza apresentarem dentro do praso
de 15 dias os seus ttulos de crdito para serera
verificados. Hseife ti de junho de 1864.
Directora das obras militares.
A directora das obras militares tendo de man-
dar proceder a diversos concert* no ladrilhn de
alpuns compartimentos do quariel do 9 batalhao
e farer de novo em outros o iadrilho; assim c jmo
a oellocaeio debalanstres de ferro em duas janel-
las do quariel do corpo de guarnicao, e collocar
qaatro fecbaduras em quatro portas do mesmo
IMar.eahi fazw abrnM nennenm concert^ as- bem cnheci', palhabote nacional Ptedadf, ten
convida s pessoas que quizerem empreilar os di-
tos servteos, a apreseniarem so proposlas na dita
directora nos dias 18, 19 e SO do corrente mez,
das 10 horas ao meio dia, onde poderao obter os
esclarecimentos de que necessitarem para esse flm.
Directora das obras militares de Pernambuce
13 de julho de 1864. Luiz Francisco de Paula
de AlbuquerquefMaranbao, amanuense.
SaMiado 16 do corrate, linda a audiencia do
juiz de paz do 2 dislrlcto da freguezia de Santo
Antonio, vao a praca para seren arrematados os
objeclos segnintes : 1 mesa redonda de amarello
avaliada por 8J>, 1 cama com lastro de palhinha
dem avallada por 10-5.1 meia commoda dem ava-
hada por 104, *> cadeiras com palhinha dem uva-
'iada por 105, i lanternas do vidro avahadas |>or
:W*:3|M3
Volumes entrados
idas... :; i
com gaawoe..
Volumes sabidos oom fazendas...
t t eom generes...
319
30
95
------1,153
AOS 6:000.000
Bllbetes garantidos
A' rna de Crespa n. 23 t casas do eestnate
O abaixo astignado tendo vendido nos seus limi-
to felizes bilhetes garantidos os dous quarios n.
i 1044 com a sorle de 2:0005008, e os dous quaric*
1 n. 1780 com a ontra sorte de 2:0004 e oatra
mam c c.. ; multas de 2005, 1004, 404 e 204 da lobria qo Segu no dia 23 do cerrente s se acabou de extrabir a benelieio da reja de N.
5 horas da tarde um dos vapores s. da Boa-Vagem, convida os pnssuid44-c de dito>
a.---------1.-.. ~. c nrio -.. |,nieies a virem reeeber seas respeetivus pn-mtes
sem os descontos das leis, em seu eslabelecinwn-
to ra do Crespo n. 23.
O mesmo tem exposto venda os novos e Moca
bilhetes garantidos da segunda parte da terceir
lotera a beneficio da Santa Casa da Misericordia
que se extranir sabbado 16 docorrenle.
Preeos.
Bilhetes inteiros..... 74000
Meios......... -asm
Quartos........ 14>
Para as pessoas que compraren
de 1004 para cima.
Bilhetes........ 64O0O
Meios......... 34*50
Quartos........ 14700
Manor.1 M/triitu Fiuza
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegado costelra vapor.
Mieri t escalas.
da companhia, para os portos aci
ma indicados. Becebe carga at
___^'0 dia 23. Encommendas, passa-
geiros e dinheiro a frete at s 3 horas da tarde
do dia da sabida : escriptorio no Forte do Mat-
tos n. 1._______________________________
Para o Rio de Janeiro
te que Ihe falta e escravos, a frete, para os quaes
tem excellentes commodos, trata-se com os seus
consignatarios Antouio Luiz de Oliveira Azevedo,
Ina da Cruz n. i.
Para o racaty e Cear
pretende seguir com muita brevidade o hiate na-
cional Uus Amigts, tem parle de seu carregamen-
to prompto ; para o resto que Ihe falta, trata-se
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C., bo seu escriptorio ra _da
Cruz n. 1, on com o capilao no trapiche do algodo.
v que s no anno de 1869 ha a realisar 5.299 s-
puros no valor de 1,911:7243000 fortes e no anno
de 1870 329 no valor de 114:2335 fortes, cifras
estas obtidas em diversos paites, onde tem sido
conhecidas as vantagens que aprsente a compa-
nhia.
Oescarregam no dia 15 de jutbo.
osinbuu. ,mi.m ii ronhe- Patacho portuguez Jareomercadoras.
No do John Gati?, pedindo tambem igual conne ^^ m^erft^_Town nf UreriH)0i mercadoras
cimento.-O mesmo. pflctfln ne- Brigue lubeckense -Nautilns farinha de trigo.
No do agente de ^*"f*L2Ss^ \ ca ingteza-f/ii-bacalho.
dindo tambem o reg.siro de igual conhecimento. |{arca in|lezr,_0/,^_Jc;irva0 de pedra.
'''v11-, a rniihm. uonntfl nedindo Bwca franceaa Mara Nicols cemente.
No do corrector H. Guilherme Steppte, pemn Dg|ez-/m-vinhos e sal.
o registro de Igual conhecimento.-! ..:J^J importaco.
Barca inglesa Olindu, entrada de Greenock, con- (
signada a Eduardo Fenten, manifestou o seguinte :
333 toneladas de carvo; a ordem.
Barca ingleza Flectiring, entrada de Terra Nova,
consignada a Saunders Brothers & C, manlestou (
o seguinte
No de Nuna Pompilio Passos, juntando certidao
de cinco conlos de ris e nao de dous.
No de Luiz A. Dubourcq, pedindo o registro do
conhecimento do imposto do seu oQficio. Begfs-
tre-se.
No de Francisco Jos Fernandes Pires e Antonio
Joaquim Fernandes, pedindo o registro de seu con-
Entre nos mullos sao j os subscriptores, e, es- trato soeial.-Na frma do parecer l'seal.
lames cerlos, crescer seu numero cada vez mais, \ No de Joaquim Felippe da Costa, e \ cente rer resma
proporcao que se terem diffundido os beneficios. reir da Costa, pedindo que re? *t e-*e a soa^peii
Na forma do parecer iiscal.
No de Duarte Pereira & C, pedindo o registro
de seu contrato social.-Registrse e pnbhque-se.
No de F. Lopes Guimaraes, corrector geral, pe-
dindo registrar o conhecimento do imposto do seu
offleo.Registre-se.
No de D. Francisca das Chagas Ferreira sarai-
autorisada a commerciar por seu marido, e
, e que cnegar a
memo de todos os lucros que ha aaufenr.
Aquellas pessoas que quizerem tomar parte nes-
sa sociedade, devem dirigirse aos agente* os Srs.
Amonio Luiz de Oliveira Azevedo A; C, distinctos
negociantes ra da Cruz n. 1.
Amaulia se extranir a 2* parte da 3J lote-
ra da Sania Casa de Misericordia.
Pelo delegado de Serinhaem foi preso, era | va,
trras do engeuho Angela, Jo'io Bomeiro, autor
dos fermentos feitos em Manoel Bernardo, no Bio
Formoso.
3,143 barricas bacalho; aos mesmos. Antonio Jos da Cosa Bego.
Brigue lubekense Nautiltts, entrado de New- Antonio do Patrocinio Araujo.
York, consignado a Saunders Brothers &. C, man-: Custodio Jos Alvos Guimaraes.
ston o seguinte : I Clemente de Oliveira Mendos.
2,300 barricas farinha de trigo; aos mesmos. Domingos Alves Cerqueira.
Vapor brasileiro Paran, entrado do ltio de Ja- Domingos Bodrigues de Andrade.
neiro e escala manifestou o seguinte :
Do Bio de Janeiro.
Gneros cstrangeiros j despachado para con-
sumo.
1 caixa chapees : a Joaquim Alves.
1 fardo sarja ; ao convento de S. Dente.
Gneros nacionaes.
1 surrao ipecacuanha; a Jos Joaquim de Lima
Rio tirando do Slil.
Sabe na seguinte semana o brigue nacional
Mrquez de Olinda, recebe carga a frete commo-
uaua pui uw, lauoiuds i|o viuiu Avauduas |>ui do : a tratar no escriptorio de Manoel Ignacio de
14300, 2 redomas com jarros avahadas por 54. Oliveira 4 Filho, largo do Corpo Sanio n. 19.
1 casti^al de vidro avahado por 500 rs., 1 pulseira i -
de coral avahada por 84, 1 par de brincos idem
avaliail'.- por 34, 1 alfinete de peilo por 34, 1 vol-1
ta para peseoco idem avahada por 4 ; cujos ob-1
jectos vao pra(ja por execucao de 1). Anoa Joa-1
quina Ferreira, que move contra Francisco de Sal- Segu com brevidade o hiate Dous Irmosa, tem
les e Silva perante o mesmo juizo. I parte da carga, c para o resto tratase com Tasso
No dia 15, depois da audiencia do Sr. Drl j Irmos.____________________________________
juiz de orphaos, vai praca por arrendamento de __ wv A
tres annos o sitio den..miado Tacaruna, nafre- %% '||jA
guezia da Boa-Vista, avahado por 3004 por anno, 0 brigue Voro Almirante seaue com brevidade,
vai praca requerimento de um dos consenhores. tem parle ua cari;il ei,giijaila : _. para o resto <|ue
/ifi'rn fo 'n-fYklin/W Ihe falta, trata-se com os consignatarios Marques,
J Uk&V UL VI JIlllVf. Barrns & c > i;irg0 do Corpo Sauto n. 6.
Sexta-feira 13 do corrente, finda a audiencia
deste juizo, tem de ir em praca de renda por 3
annos a casa terrea sita ra de Santa Bita n.
38, requerimento dos consenhores Luiz Candido
Ferreira e D. rsula Maria da Conceicao. E' a
ultima praca.
CORREIO G-RftL.
Helarn das cartas seyuras rindas du sul pela
vapor nacional al/aMi declarados:
! Antonio Lopes Bodrigues.
Para o Bio de Janeiro pretende sahir com
brevidade a barca Brrelo, tem parle da carga
engajada para o resto que Ihes falla e escravos a
frete. trata-se com os consignatarios Palmeira fc
Bellro, largo do Corpo Sanio n. 4. primeiro andar.
989
839
843
331
330
Chegou hontem de Alagoas o Sr. Dr. Jos
Pereira da Silva Moraes, cliefe de polica ultima-
monte nomeado para esta provincia.
Os precedentes do Sr. Dr. Moraes, e a maneira
porque tem sempre sabido alliar o cumprunento
da lei com a Ihaneza, destribuindo a jusiiea com
nquidade, sao garantes do bom desempenho que
S. S dar ao espinhoso encargo que Ihe foi ron-
liado.
A bordo do vapor Paran segu a lomar con-
ta da presidencia do Para, o Exm. Sr. Dr. Jos
Vteira Aiuto de Magalbaes, removido da de Goyaz.
Kis o resultado dos collegios, chegados ale
hontem tarde, na eleicao de um senador, Reci-
te, Olinda, teuarass, Pao d'Alho, Goyanna, Ca-
li, Eseada, Serinhaem, Limoeiro, Nazareth, ^ le-
tona, Barreiros, Bonito, Bio Formoso e Cmara,
sem as duplcalas de Quipap :
Conselheiro S o Albuquerque.
Dr. Saldanha Marinho........
Dr. Feitosa..................
Dr. l'rbano.................
Conselheiro Chicharro........
BBPARTIQAO 0\ POLICA.
Extracto das partes do dia de j'nlho de
1864. .. ...
Foram recolhidos casa de detencao no da i.i
do corrente: ,-
A" ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Jos
Patricio de Mendonga, vindo de Serinhaem, para
recruta. .
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Jos
Fernandes Guimaraes, por insultos c disturbios :
Antonia Francisca Maria da Conceeo, por distur-
bios ; Jo'io Olegario da Paz, pnr embriaguez.
A' ordem do de S. Jos, Idalina llosa da Silva e
lermelinda Maria da Conceicao, ambas por bnga.
A' ordem do da Boa-Vista, Luiz Francisco Pe-
reira Braga, Joaquim Jos de Santa Anna, por fe-
rimentos ; Marcollna Scnhornha de Oliveira. por
insultos; Hyppoto, escravo de Bernardo de Castro
Monteiro, por crime de furto. .
A' ordem do da 'apunga, Lourenco Antonio (
Oliveira, por insultos; Joo Baptista de Oliver
Silva, por crime de furto.
O chefe da segunda seccao,
J. G. de Mesquila.
commerciar quer fazer passar a propnedade do mor.
mesmo lugre para seu marido como cabera de seu
casal e cidadao brasileiro.Vista ao Sr. desembar-
gador Iiscal.
Nada mais houvc.
Jt'l.tlO
Oliveira e
SESSAO JL'DICIAIUA EM 14-DE
DE 18t4.
PBKSIDENCIA DO EXM. Slt. DESBMBARGADOn
A. F. PEHKTTI.
Secretario, Julio GuimarSeS.
As 11 'A da manhaa, o Sr. presidente abri a ses-
sao, estando reunidos os Srs. desembargadores Sil-
va Guimaraes, Accioli e Domingucs da Silva, c Ue-
pulados llego. Lemos, llosa e C. Alcoorado.
Lida, foi approvada a acta da sessao antece-
dente. .
Assignaram-so os accordos proferidos na ultima
sessao, entre partes : ,. .
Appellanle, Vicente Alves Machado ; appellado,
Prenle Vianna & C.
Jll.f. AMENTOS.
Appellanle, Virginio Barbosa da Silva
lados, Cardoso A Souza.
Mandou-se proceder urna diligencia.
Appellantes, os curadores da fallencia de Amo
rim. Fragoso, Santos & C.; appellados, .osla*;
Filtros, por seu procurador. !
Foi confirmada a sentenca appellada com o voto
do Exm. Sr. presidente. .
Appellanle. Miguel Jos Barbosa Guimaraes; ap-
pellado, J. F. G. Kladt.
Foi reformada a sentenca appellada com o voto
do Exm. Sr. presidente. .
Appellanle, Antonio da Cruz Bibeiro ; appellado,
Luiz Antonio da Silva.
Foi reformada a sentenca appellada.
Appellanle, Joaquim Goncalves Ferreira ; ap-
pellado, Pedro Cavalcante de Albuquerque Uchoa.
Foi confirmada a sentenca appellada.
DESIGNADO DE DIA.
Becorrente, Jos Tiburcio dos Santos ; recorri-
do, Antonio de Souza llibeiro.
Designado o dia de hoje
Foi adiado o julgamento por estara hora aaian-
tada.
PASSAGENS.
Appellanle. Miguel Jos Barbosa Guimaraes;
1 caixo fumo e cigarro;
I dos Beis.
1 dito chapeos ; a Joaquim Alves.
1 dilo charutos ; a Manoel Bastos
i Lima.
1 caixole livros impressos
Souza.
a Joa iiiiiii Bernardo
de Abreu e
Joaquim Francisco da Silva Jnior.
Joaquim Jos de Oliveira Mosquita.
Joao Paz de Carvalho Sodr.
Dr. Jos liento da Coima Figueiredo.
Jos Ferreira Dias dos Santos.
Jos Goncalves Beltrio.
Jos Jorge de Siqueira Filho.
Dr. Jos Pedro NolascoPereira da Cunha.
Dr. Prxedes Gomes de Souza Pitanga.
Dr. Tiburcio Baymuiido da Silva Tavares.
Tenente Vicente" Ferreira Lima.
Carreta*
Pela adminisiracao do crrete se faz publico que
as malas quodove condozir o paquete brasileiro
vapor Paran, chegado hontem dos portos do
i Jos No-ueira de sul, com destino aos do norte, fecham-.se boje (13)
'' pelas 3 horas da tarde em ponto. Os jornaes se
*"* ... <, m .... r-pi-h. ,i,. ir,,0 a or. rao recebidos at t hora da tarde, e as cartas ad-
1 jacaz que.jos, 2 metas farinha df trio a or m(,tlld.s _. atl ll2ll0ra, tud0 Jo referi-
lar Lisboa.
Vae sahir em poneos dias com a carga que liver
o brigue portuguez Confianca, quera qoizor car-
regar ou ir de [assagem entenda-se com os con-
signatarios Carvalho & Nogaeira na ra do Apol-
la n. 20 ou com o capillo.
O abaixo assignado pelo presente rrtira
protesto que apresentou no dia II do corrente >o-
bre a arrematado da eserava Benedicta pelos ad-
ministradores da massa fallida de Faria A; C, de-
clinando de si qualquer respon-abiliddle quy Ihe
possa caber com aquella publicaco, rontiiiuand.
sempre a afirmar que a cscriplura A", dor.i-o d
que traten foi passada por sua fallecida mai : po-
dendo os senhores administradores lomarem a ini-
ciativa que julgarern conveniente. Se Uz a pre-
sente declaraco porque achm l> se nestadad'
Alexandrino Cavalcanti de Albuqiierqoe. tio tam-
bem da possuidora da referida ejirava, mostrou-
se de tal modo esquivo para com o abaixo asig-
nado, que o faz vacilar que lim lera levadoaqueile
papel, ou se alguma intenciio malvola existe no
manejo desse negocio.
Joao C. Pacheco Soares.
Fugio no dia 10 do correlo o escravo por
nome. Semio, de naeao Mossarobi pie, eom os sig-
naes seguinles : estatura alta, cheio do r irp .
rosto liso, nao tem barba, tem mis taibos no rosto
junto as duas fontes do ro-lo, levan calca le brim
pardo, camisa branca de algoda ., patota! de brim
pardo, e chapeo de palha : roga-se s autori lailes
civis e militares de o apprehender e majida-to i
seu senhor, na ra Direita n. 30, que serio gene-
rosamente recompensados._____________
Arrenda-se a propri da I Sau'a Cruz. >it
na comarcado Cabo, com boas matas e terreno lia-
ra plantar, tica tres quartos de legos distante da
estacao da Una : a Halar ni rm I' Se'n n. ''i>
LEILOES.
to
A
dem.
Da Babia.
Genero estrangeiro j despachado para consumo.
2 fardos fazendas; a J. llyder&C. _
Esirangeiro para reexportagao.
1 caixa com 480 chales de chita ; a A. L. de
Abreu. ,
1 caixa charutos; a Joaquim Bernardo dos
Beis.
2 ditas dilus ; a P. & Bellrao.
I dita ditos ; a J. B. Goocalves Pena.
1 dita ditos ; a M. J. B. e S. & Geero.
2 barricas gomma, 13 saceos tapioca ; a Jos V.
appel- de Lima.
30 saceos fio de algodo : a ordem.
,_ aecebcdorla de rendas internas
geraes de Pernantbneo.
j. u. wwi' .Appeuaiue. .niguei ju
Movimento da casa de detencao no dia 13 de appellado, Joao da Cunha Neves.
- IL. J, IwCfc limnllinta.. hr Prflnnt ^
julho de 1864.
Exisliam..... 3*2 presos.
Entraran)..... 13
Sahiram...... 4
Existem...... 361
A saber :
Nacionaes..... 233
Eslrangeiros... 34
Mnlheres...... 10
. Estrangeiras ... 1
Escravos...... 53
Eseravas...... 6
Rendimento do dia la 13........
dem do da 14.................
22:6493744
2:77347%
361
Alimentados a cusa dos cofres pblicos... 139
Movimento da enfermara no dia 14 de julho
de 1864.
Tiverara baixa:
Joao Olegario da Paz, chajza.
Nemesio da. Incarnacao Vilella ; meoptise.
Passageiros do vapor nacional Paran, vindo
dos portos do so:Joao Egydio Castro de Jess,
Antonio Casemiro de Gouveni, Antonio Jos Gui-
maraes, Ernesto Augusto Athayde, Henrique Wer-
merate, Bernardino de Oliveira Maia, Estanishode
Zaialet, Joao Jos Correia, o chefe de polica
desta provincia Dr. Jos Pereira da Silva Moraes,
sua senhora, 6 fithos, 2 criados e 6 escravos, Jos
Lzaro Monteiro de Mello, sua senhora, l ftlhos e
t eserava, o cadete Antonio Joaquim Correia de
Moraes, Francellina Maria da Conceicao, Francisco
Ferreira Coimbra, Rodolpho Fecke, Guetavo G.
Wesckerer, Joaquim Pires Carneiro Monteiro, An- ment.
tonioJosde Almeida Costa. Pedro Nblaseo da I Nada mais houve, e encerru-se a sessao a 2X,
Motta, teneBte-coronel Antonio Jos de Medeiros, horas da tarde,
iellencoort e t escravo, Antonio da Costa Miranda,
major Azarias Carlos de Carvalho Gama, Braz:
Celestino, Braz Peixe, Antonio Chiffane. Augusto
Angelo Mer, Pedro Bertolim, Roberto Atees da
Silva, padre Jos Roberto da Suva, Francisco de
Almeida Cunha, Artheodosio Venceslao Arco e
?'lecha, Joao Nunes Trigueiro, Marcellino Antonio
Pereira. Americo Nette Firmiane de Moraes. Flix
Appellantes, o Dr. Felippe Nery Collaco & C.;
appellado, Geraldo Henrique de Mira.
Appellantes, Jos Cardoso de Queiroz Fonseca,
Antonio Cardoso de Queiroz Fonseca e D. Nimia
Senhorinha de Almeida ; appellado, David William
Bowman.
Appellantes, Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
A C, agentes da companhia Brasileira de vapores;
appellados, Joao Francisco Pardelpas e outro3.
Appellanle, Antonio Francisco Chaves ; appella-
do, Marcelino de Salles Correa.
Appollantes, a vuva e herdeiros de Manoel Luiz
Goncalves ; appellado, Joao Francisco da Silva No-
vaos. .
Appellante, Francisco Antonio de Bnto \ appel-
lados, Bocha, Miranda, Filhos & C _
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao br.
deserabargador Accioti
DISTRUMJIQOES.
Appellantes, Tasso & Irmos ; appellados, Ma-
noel Jos Salgado Couto e Francisco Luiz Salgado
e outros.
Ao Sr. desensbargadof Suva Gcimares.
AGOHAVOS
Do juizo especial do commercio.
Aggravuae* Jos Ribeiro Bastos; agg/wado,
Joaquim Luiz Vieira.
O Eira. Sr^ presidente deu provimento.
De instrumento do juizo municipal e eoromeccio
de Ipojuca. .
Aggravanle, Silhio Gcrtlberme do Barres ; ag-
gravado, Francisco Antonio de Oliveira:
O Sr. desembargador Accioli denegou provi-
metlidas seguro atJ l|2hora, tudo do referi-
dodia.
Santa Gasa da Misericordia lo Recito.
O Illm. Sr. commendador Jos Pires Ferreira
thesouroiro da Sania Casa da Misericordia lo lle-
ctfe, manda fazer publico que no dia 20 do cor-
rente pelas 9 horas da manhaa paga as amas que
comparecerem na casa dos expostos acompanha-
das das respectivas criancas, as menialidadcs ven-
cidas al junho do corrente anno.
Secretaria da Sania Casa da Misericordia do
Recite, 13 de julho de 1*64.
0 osen vao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Conselho administrativo.
O consetho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objeclos sc-
guintes:
Para hospital militar de Alagoas.
Bacia grande de rame para banhos 1, carapu-
cas de alpodo 50, cassarollas de ferro 2, chalei-
25: *2oo40 ra! gran,|,.s e ferro 2, chinellas pares 50, escar-
=====-----': radeiras de metal 30, estojo com 2 navalhas 1, fa-
Consillado provlnelal. cas e artes 12, mantas de. abjodao 46, ditas de la
Rendimento do dia 1 a 13......... 52:230*291 50, oucjns de louea com lampa 8, panno de mesa
dem do dia 14................. 1:6534974 |, panellas grandes de ferro 2, dita pequeas de
---------------; dilo 2, travesseiros 10, tigellas pequeas de lOOCa
53:884J265 40, chitas de coberta covados 210 brim branco va-
. ras 1009, madapolo varas 96, caixo de madeira
para detento 1.
Quem quizer vender taes ebjectos aprsente a
sua proposta em carta techada na secretaria do
conselho s 10 horas da manhaa do dia 18 do cor-
fPUtr* |
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, It de julho
de 186f.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel, presidente.
StbmhStr Jsi Baztto Pyrrho.
Vogal secretario.
Oa casa do abaixa a-signa'o au dia 13 do corrente mez a eserava Joaquina, pw-
tencente ao capital Jos 4nl >uo Pereira, morador
no Brejo da Madre de Dos. a qual tem os signaes
segnintes : estatura e corpo regalares, eor bastas-
te preta e innito disfarca 11, quando sahiu il" e >-a
levon vestido de cassa azul a desbota 1 porin in
mesmo da foi vista com vestido encarnado. > que
desuppor esta randanca para nao ser ronbecida
por ler levado toda roupa: e havendo desconfiaiva
de achar-se aeoutada em alguma casa, pjde.se as
autoridades policlaes e a qualquer pessoa qu
la sonlier, de participar na rna do Sebo n. 24, on
no largo da Assembla n. 20. prensa de algolo.
_______Jos Luiz (il'aio._________
r.'ndo fgido da ra do Sebo para a ban la da
campia >la caixa d'ag.ia, umi araruana ida fa-
milia araraj de cor somante azul, com voii, ama-
relia no peseoco, levando no p argola de terro :
quoin a pegar "ou della liver noticia, tira > favor
de participar na mesma rna do Sebo n. 2i. ou no
largo da Assembla n. 20, prensa de algodo. que
ser gratificado.________________________
Na ra do Cabug n. 3, 2" andar, ha urna
i preta eserava para alugar-s^, para comprar e r i-
nhar._______________________________________
Aluga-se a lo adacasa n. 4u da ru i das Tiiu-
cheiras: na ra da Aurora n. 3ti.______________
- Precisase alugar um preto forro ou escravo.
para o servico de nina casa de pequea familia :
na ra da Aurora n. 74._______________________
Altenco
A pessoa que annunciou querer comprar nm
"oetan 0 as 10 horas do dia cima dito no refe-1 alambique de cobre e seus utencis, anparoca no
rido deposito. engenho Arendepe, sito na treguezia de Ipojuca
1 para ver, que no mesmo engenho ter pessoa au-
lorsada pelo Sr. Francisco Lins para vender.
ultima a
e nnda :
DE
Movis, cryMats e de outros
muos objectos de gasto.
noe
Na araazen ma il i Cadeia do Recife numero f$.
O agente Olimpio f.r leilo de diversas obras
de raarcineria novas e usadas, crystaes, porcela-
na, nielaos, miude/.as. livros de litleralura, selu
cofres de ferro, camas de ferro, relogios,
lunetas.
Dar principio o leilo as" 11 horas.
oculos e
LlUrj
1)0
Deposito da ra ta Lingoeta n. G.
iitMi:
O agente Pinto far leilo por costa de quem
perteeer ua armarlo, ballo, balanzas, candiei-
ros de gax com o competente registro, vinhos, cer-
ejas e mais gneros do deposilo da ra da I.m-
LEIIAO
DE
20 caixas com queijos
meigos.
ol J]
Aluga-se a casa assohrulvla. a
i margem do rio que vai para a cidade i
fl,-. atralar na ra larga do Rosario n 10.
O agente Pestaa pTr conta risco de quem
pertcncer vender 20 caixas com superiores quei-
jos fiamengos milito frescaes desembarcados do
vapor e sero vendidos em lotes vontade : boje
15 do crrenle pelas 10 horas da manhaa no ar-
mazem do Annes defronte da alfandega.
MOTIMElfTO DO POETO.
iVauos entrados no da 14.
Rio de Janeiro e portos intermedios6 dias, vapor
nacional Paran, commandante o capito de fra-
gata Santa Barbara, equipagem 55, do 840 to-
neladas. .
Hamburgo-72 dias, patacho dinamarquez Marta,
de 120 toneladas, capitao 1. Slehr, equipagem
6, carga differentes gneros a Rabo Schamc-
tou & C.
New-Bedford72 dias, galera americana IMwana,
de 297 toneladas, capitao Harkins, equipagem
30, carga prelechos para a pesca.
Terra-Nova-28 dias, brigue inglez Runi/medes, de
181 toneladas, capitao Michael Doyle, equipagem
12, carga 2,500 barricas com bacalho; a Eduar-
do Fenlon.
Vicies sabidos no mesmo dia.
Ilha de FernandoVapor nacional Parahiba, cora-
mandante Martins.
AracatyHiate nacional Sania Cruz, capitao Jos
Victorino das Neves, carga differentes gneros.
mmmt
BECLiliCOES.
Barra com cal de Lisboa.
O agente Pestaa far leilo de urna porcao de
barris com cal de Lisboa em pedra em perteito
estado sendo entre elles 100 barris com 9 arrobas
cada um, arcados de ferro, proprios depois de va-
zios paraencher de mel : segunda fera 18 do cor-
rente no armazem do Avlla, Forte do Matto, ao
meio dia em ponto.
LEILO
DE
Attenco.
Aluga-se a padaria di roa Imperial n. 199 com
lodos os pertences. e vndese urna parte dos mes-
mos : a tratar na mesma.____________________
De ordem da mesa rege lora da irmanlade
de Nossa Senhora do B >m Parto erecta na iireja
de S. Jos de Riba-Mar convido de noro a tolos
os rmeos para mesa geral nj domingo 17 do cor-
rente s 10 horas da manhaa, afim de se tratar so-
bre negocios a bem da mesma irmandade.
Consistorio da irmandade de N. S. do Bom Parto
12 de julho de 1864.
O secretario,
Domingos Francisco Dures.
Aluga-se o segundo andar da ra da Moeda
n. 29, com commodos para familia: a tratar na
travessa do mesmo sobrado a. 2>.
O Sr. D. A. L. S. quaira vir prestar roma-
na ra Nova n. 37, de um negocio que Ihe diz mal
sob pena de ier o seu nome publicado por inteiro
e declarado quai o negocio.___________________
Precisa-se alugar urna ami que saibi cos-
nhare engommar com perfeico para casa de
pouca familia preferindo-s eserava : roa Direi-
ta n. 78.
PBLIGAOES i PEDIDO.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesoura-
ra de fazenda de Pernambuco se faz publico a
quem interessar possa, que no dia 18 do corrente
mez comecaro na referida thdsourarla os paga-
mentos das pensoes do Monte Pi dos servidores
do estado, vencidas at o dia 30 de junho ultimo.
Secretaria da theseoraria de fazenda de Per-
nambuco 14 de julho de 1864.Manoel Jos Pin-
to, servindo de offlcial-maior.
A cmara municipal desta cidade, em cum-r
primento do ofDcio do Exm. presidente da provin
cia, datado de 7 de julho do corrente anno, e de
conformidade cora o art. 3" do decreto n. 353 de
t de julho de 1845, convida aos propietarios dos
predios sitos na ra do Trapiche, lado da raar,
comparecerem no paco municipal, a lim de fazerom
as declaracoes e reclatnasoes qne julgarern osees
sarias a bem de seus direitos, relativamente a de
SaUbado 16 do corrate
Nos magestosos salces do
Caes de Apollo.
Com toda a pompa e brilhantismo, uro dos me-
Ihores prefessores de msica executar diversos
toques dos mais difflcultosos da nosso repertorio,
con sejam a ha tal lia de Mourow e otrtra- polka
Caca, a estrada- de ferro, e outras.
Ser, camprido o regnlamento do Illm Sr. Dr.
chefe de nfilicia.
Entrada para homem 2*.
Stabora-gratis.
aaAaaasxL
Ueconhecimeolo.
Sr. redactor: Sirva-se V. S. de collocar em
Pereira de Souza, Manoel Pinto Bacellar, Manoel coltmna competente do sea conceituadb Diana de
...'____.- n____ vin^u^. E*.,onin lime iinfioim Prmnmhufn n sesninle nrotesto de reconheci-
Torquaio Bamos. Nicolao Eugenio Hans, Joaquim
.los de Araujo Vasconcellos, Iva Tavares da Costa,
.los Joaquim Alves, JooTeixeira Machado, Silva
Leo, Francisco de Brito, 1 soldado, 2 expracas
do exereilo e 1 escravo a entregar.
Seguenr para o norte :
O Exm. Sr. presidente da proviacia do Para pr.
. .*. t% .... 1I...II.?.. n A ii.niHii.n^ rifara?
Pernambuco o seguinte protesto de reconheci-
mento.
Eu abaixo assignado venho a bem de meu do ver
e perante o publico teslemnnnar a dignidade do
Sr. Bernardino Antonio Pereira Bastos as manei-
ras delicadas e atlenciosas que tanto dalle como
de sua Exma. Sra. recebi em todo tempo que esti-
Jos Vieira Coute Magalhes e 2 escravo?, alteres ve era sua casa, assim como urna attenjao. reco
COMPANHIA PERNAItfBUCANA
OR
XxrMg*t$ costclra a vapor.
HJ it FernaiMto de Norouba.
No dia 14 de julho ao meio dia
segne o vapor Parahiba, comman-
darte Martins. para o presidio de
Fernando de Noronha. Recebe j
'Carga at o dia t3. Eucommen-
sana a nem seu oirertos, reai.va.nente aoe- da'"Sros e dlnieirw a frete at o dia da
tSSSSSUn' DW8ffl0S ed,flc,0S ^.aSClTEta.escriptorio
No mesmo pa^o municipal fica exposto ao exa- *?? n:__-----------------------------
rae dos dMos proprietarios por espaeo de 10 dias, a lOlllUitllllia Pt'riiaBlbHCaiia
contar da data deste, o plano do aargamcnto da ffK
dita ma, podendo os mesmos proprietarios fazer
as suas reclamaces verbalmente ou po escripto,
10 pipas com vinagre de
Lisboa.
Seguntla-feira 18 do corrente.
0 agente Pestaa vender em leile por conta e
risco de quera pertencer 10 pipas cora vinagre
de Lisboa recentemente chegado e sera vendido em
um en mais lotes a vontade: segunda-feira 18 do
corrente palas 10 horas da manhaa no largo da
alfandega.
AVISOS DIYEBSOS.
AVISO.
- Os senhores que tem le-
vado por emprestimoeolleo5es
deste Diario, queiram man-
da-las restituir com brevida-
de pois silo precisas.
Aos 6:0Ot)$O0'l.
Corre jal.
Sabhado i6 de corrente mez se extrahir
a segunda parte da terceira lotera da Sania
LeUkV.t a^S Casa da Misericordia, no consistorio da
igreja de N. S. do Rosario da fregaezia de
Santo Antonio.
Os bbetes, meios e quartos acham-se ;
NavecM** cotelra t vapor. Tewia na f^1 tnesonrarla a rua *
as suas rec.iainaywub vornaiineme wu w,v "' 'l". ... rVi o J^T > CreSOO B. f 5.
cora tanto que nao excedam ao praso cima mar- Parafcma, Natal, Itcao, Araesty, Ceara, e Aearaea nin>mios de 60005000 at I2JOOO
O vapor Mamanguape, comman- "* V,euu" a^c ,U Tirarn
dame Moara. segu no dia 22 do serSo pagos urna bora depois da extraccao
^.corronto s & hora da tarde. Re- ats 4 horas da tarde, e OS outros no da
ggjcebe carpa ate o dia 21. Eocora- segui!jte depois da distribuicao das listas.
emendas, passageiros e dinheiro a q thesoureiro,
i da sahida s horas da tarde : es- Antonio Jog Rodrigaes de ^m,
eado.
Paco da cmara municipal do Recife n de ju-
lho de i86t.
Luiz Fraccsco de Barros Reg,
Presidente.
Francisco Canuto da Boariagem,
Secretarlo.
frete at o _.
criptorio no Forte do Mattos n. 1.
O abaixo assignado declara pelo present.- a
quem interessar possa, que em 18 de junho pr-
ximo passado cassou os poderes conferidos em
virtude do acto privado de 13 de oulubro de I8'i
ao Sr. Luiz Antonio Vieira para genr os negocio*
aa casa commercial de seu fallecido so.aro o cin-
mendador Manoel Goncalves da Silva, e assim
tambem os conferidos na procuraco bastaute de-
rivada d'aquelle acto datada de 10 de marco de
1863; e como possa acontecer que nego-ios Im-
portantes tendentes a dita casa sejam prejudicados
pela falta de conhecimento desse facto, e algnem
os consideren) irrellectdamente valioso* em razao
da nica intervenciio do sobredilo Sr. Vieira. de-
clara o abaixo assignado que a datar d'aquella
poca em diante sao considerados nullos todos os
actos, contratos e transacedes de quaesqner nalu-
reza que sejam que tendam reduceao da massa
inventariada on qne d*Hes resulten) a impossibi-
lidadeda prompta.e precisa liquldacao da ca>.a,
sem o pleno aceordo sea e dos curadores do or-
phao e do ausente herdeiro; embora sejam taes
actos consumados sob a firma de que usa o Sr.
Vieira por procuraco da viu va e de alguns pou-
cos herdeiros do casal, incorrendo na sua respon-
sabilidade e em todas as suas conseqnencias todos
aquetles que assim o praucarem ou nelles flgura-
rem atnda mesmo como agentes
Recife, 14 de julho de 184.
Joaquim Juwncio da Silva.______
" Preeisa-se de um pequeo pra caixeiro de
taberna : na rua da Concordia n id-
No dia 11 do corrent.', pelas 7 horas da ma-
nhaa, fugio do sobrado n. 24 do largo do Toifo
um apgalo : quera o tiver pegado, qneremto
restitu pode leva-lo mesma casa ou a rua
estreita d Rosario, teja n. 24, aonde se dar signa!
certo e se gratificar._____________________
De bordo do brigue escuna brasilera Cisne
fm?io o escravo Joao, mualo, de 14 annos. baao.
gordo, com a marea deum golpe norosio, e claro,
cara redonda, ejulga-se que nao lera sabido da
cidade, visto ser desconhecido na trra e ter fugino
por vadiacSo : quem e agarrar pode dirigirse ao
escriptorio do Amorim Irmos, rua da Cruz n. 3.
Desde 12 do corrente est para ser alugada
a casa da rua Augusta n. 112 : a tratar na rua
Nova n. 89.
O
riMta


bl.i c rfc i-ernasubuce Sexta telen i. de Julho de ISCt.
ATTENQAO.
Aluga-se ou vende-se urna parle dos utencilios
da padaria da ra Imperial n. 199 : a tratar na
mesma.
Perolas.
A luja da Aurora na ra larga do Rosario n. 38
receben flos de perolas de dilTerentes cores, muito
proprios para fazer voltas, tanto para senhoras co-
mo para meninas.
Na ra oq becco dos Ferreiros n. 7, so pre-
cisa de urna ama forra ou escrava que cozinhe e en-
gomme perfeitamente.
Quem precisar de u.iia ama para cosinhar,
lavar o engommar dirija-se ao pateo de S. Pedro
n. 10.__________________________________________
Aluga-se o armazem da ra do Imperador
n. 35: a tratar na mesma ra armazem de louca
n. 41.______________________ _______________
Xa ra de Aguas-Verdes n. 14 precisa-se
fallar cora o Sr. Fernandes Jacobson a.negocio de
seu inte res se. ____________-
Offerece-se um moco portuguez de idade de
16 annos para caixeiro de padaria, deposito ou re-
Gnacao, ou mesmo taberna, o qual sabe bem 1er,
escreve e contar : quem precisar annuncie, ou
dirija-se ra Nova n. 1, que ah o encentrar.
Aluga-se melade do primeiro andar da ra
Direita n. i : a tratar na taberna.
Quera precisar de urna ama para casa de
I] niein solteiro, para cozinbar ; dirija-se ao pateo
do Carmo n. 10. |
Precisa-se de urna ama que compre e cozi-
nhe, para casa de pouea familia : na ra do Viga-
gario n. 16, segundo andar.
Para alugar.
Aluga-se urna sala na ra do Queimado n. 39 no
Io andar, ptimo para um escripiorio : quem pre-
cisar dirija-se loja da mesma casa.
Ser oonta ou eabeea.
Pergunta-se aos Srs. Prente Vianna ministradores da massa fallida de Francisco
Precisa-se de um feitor que entenda de plan- Pergunta-se aos Srs. Prente Vianna & C. ad-
tacSes, e que saina tratar de jardim : a tratar no ministradores da massa fallida de Francisco Go-
Mondegono sitio do finado commendador Luiz Go-! mes Castellao quando pretendetn fazer o rateio da
mes Ferreira. _______! mesma massa, se o prazo de mais de dous annos
Precisa-se alugar urna preta gj^ ttftTSSSMS "^ SenhrCS ***"'"
nhar e engommar : quem a tiver, dirija-se a rua.raais e ,,,2 a* "L ^ *
do Trap.Ce n. i, quedar com quem tratar ft^^^pS? % ^K'adrai-
Aluga-se o terceiro andar da casa n. 48 na (nistradores da massa de Guilhrme Luiz de Ai-
rea do Trapiche : a tratar no armazem da mesma meida, quando pretendem fazer o primeiro divi-
Msa-_______________________________________! dendo dossa massa, pois que ha mais de dous an-
oclcdaric de seguros mutuos nos> se8undo consta, quo se procedeu liquidado,
do villa Ingtfillida iipIa Rnnon sem que.at6 noJe lenha"> recebido os credores
?^7f f n-2? P "a,,co cousa alguma. Desejamos orna resposta salisfac-
l oiao na eidade do Porto. tona para nos nao vermos obrigados a roltar
Os agentes nesta cidade e provincia Antonio carga, continuando a tratar desse negocio, o que
Luiz de Oliveira Azevede & C escriptorio na ra; Taremos em caso contrario.
MACHINAS DEPATENTE
traba I lia i* mo para
descanpear algodao
de
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Um credpr.
da Cruz do Recife n. 1, estao autoridades desde j
a tomar assignaturas e prestar todos os esclarec _
mentos que forem necesarios, as pessoas qne de raTnsnarartifu rmente as materias dfins
as, egurando um futuro lisonge.ro aos associado- SQa *ulapna rua Direilae primiro 'andar n J of.
ferece seu presumo aos pais de familias, affirraan-
. do-lhes todo o esforeo para o adiantamenlo de suas
I alumnas, tanto delellura como de costura, laby-
I rinto e de diversos bordados, podendo ser procu-
rada a qualquer hora do dia e mesmo a noite at
Saques sobre Portugal.
O abalxo assignado, autorisado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamenle por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer s^mma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que temarem
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 OjO ao anno: na
loja de chapos da rua do Crespo n. 6, ou
na rua do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
Aluga-se urna casa na Capunga, rua da Ami-
zade, com 3 quartos, cozinha fra, quintal grande
e murado, com cacimba de agua de beber : quera
pretender, procure a chave na taberna da mesma
rua, e tratar na rua da Imperatriz n. 74
Precisa-se alugar um moleque para os s"ervl Deseja-se fallar com os senhores abai
sde urna casa : a tratar na rua Nova n. 58, ter- 'araT,n'.ia ado Codorniz armazem n^ 12
I Manoel Dionizio Gomes do Reg & Irmao.
, 9 horas na mesma casa cima referida.
I_______________Hermilla Lidia Guedes Alcoforado.
Jacntho Rodrigues da Silva retira-se para o
Maranhao.
Aluga-se um escravo, moco, perfeito cozi-
| nheiro : quem o pretender dirija-se rua da Ca-
deia do Recife n. 48, 1 andar, que achara com
quem tratar.
Kj Desappareceu de casa dos abaixo assignados
11 um escravo de nome Anastacio, cabra fulo, de 22
j annos, altura maior que regular, este escravo
COI
ceiro andar.
Precisa-se de urna ama de leite : na rua Im-
perial, sobrado n. 87.__________
lOlTBWOPORTCfilJfZ
Por ordem da directora provisoria 3o couvida-
dos lodos os cidadiios portuguezes, que pelo faci
dasua assignalura^ mostram ter adherido ao pen-
samento da fundacao da sociedade heneficente, co-
nhecida pela denominacao de Monte Pi Portu-
ntz, a reunirem-se eni assembla geral nos sa-
ues do Gabinete Portuguez de Leitura, domingo
17 do corrente, as 10 horas da manhaa, aiim de
ser convenientemente discutido o projecto de esta-
tutos da associacao.
A directora convida igualmente todos os dig-
A.
cose Lopes.Vianna.
Manoel Osmundo da Cmara Piraentel.
Manoel Baptista Barbosa.
Joaquim Antonio da Costa.
Antonio Francisco Domingues.
Soares de Almeida.
! Aluga-se o 2 andar do sobrado n. 79, na rua
do Imperador : a tratar na rua do Crespo n. 15.
Precisa-se na rua do Trapiche n. 44, segun-
do andar, de nm criado, preferindo-se estrangeiro
e de urna preta que seja escrava e saiba lavar e
engommar.
Aluga-se o primeiro andar da casa da rua
da Cruz n. .'9, tendo a preferencia para escripto-
rio, por preco muito em conta : a tratar na loja
nos membros das eommissoes que forara nomeadas da mesma casa, no Recife.
paralratarem da acquisieo de socios, e que anda ^luca-se o
'istas que Ihes foram entre-1 Apollo' n.
perteucente ao Sr. teen te-coronel Antonio Perera
da Graca, do Aracaty, d'oude veio no dia 10 de
. corrente no vapor Mamanguape, e foi visto com
calca de castor riscado, camisa de algodao branca,
; chapeo de palha, levando um sacco de chita com
, roupa sua ; tcm boa presenca e com todos >s den-
. tes da frente : a todas as autoridades policaes e
, capites de campo se roga a sua captura, e entre-
- gar rua da Cadeia do Recife n. 39, onde ser
generosamente recompensado quem o apresentar.
Recife, 13 de julho de 1864.
Vianna & Goncalves.
a t te ii cao
\ovos enfeftes para senhora.
A aguia-branca acaba de receber um bello e va-
riado sortimento de enfeiles de diversas qualidades
e o que de mais moderno possivel encontrar-se
aqu, fazendo-sc notareis por suas novidade e ele-
gancia uns, coja grade de nm fino e delirado te-) O dono da loii dorto nr r, a r> *
cidoa que apropriadamente se chama invisivel.' W^SXISX^IStS^SSSt
Assim, vista desse completo sortimento, qualquer LentofS mnd I1? e'Pa0^; eslabele-
akUao munido de dinheiro es. habilitado a cVm av^a ios seSl ffefue ? TT?J* D" 69, 9t}uo
flos : na rua do Quemado, loja d'aguia-branca ^2^^^*
Booitas bouecas. KUattiSaS*.?^
Com rosto de cera, matsa e poreellaua.
Acha-se na loja d'aguia-branca rua do Queima-
pra-los
n.
Estas machinas
podemdcscarocar
qualquer especie
de algodao sem
estragar o fio,' do n. 8, um grande sortimento de bonecas de di-
sendo bastante versos tamaoho, com rosto de cera, massa e por-
duaspessoas para cellana : os protendentes munidos de dinheiro
o trabalho; pode acbarao bdadispoeico para os vender.
adrSaade ffi Bt5eS de
dao em carogo
ern 40 minulos,
ou 18 arrobas
por dia ou '6 ar-
a0uerecoemnne9,-emp,'e m-S Larat0 <'ue oulro quer, como abaixo se vera.
ni \ Pe',es (,our*,,8 de Iravessa.
SSftuFSS doura!os de ,ravessa Para me-
O cada um. ditos s,m ser dourados a
Beija-flor, rua do.
m*r* efdTf.mdanm',dilos sem ser durados a
auo rs. caaa um : as loias do "
| Queimado ns. 63 e 69.
Viiliinlias de
e outras qualidades para coletes
A Aguia branca acaba de receber um novo e
variado sortimento daquelles apreciados botoes de |0J3S d<> Beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69
cornalina brancos e encarnados, chatos e redon- Luvas de Joiivd
dos para coleles, cujas abotuaduras conlinnam a; Chegaram pelo ultimo vapor as deseiadas lnv
ue aifcodao r vendl(Jas |)e|o commodo e na|ierave| preco de de Jouvin de todas as eoreTtoSoiSitaS
machina! 2^,^ada "ma- como para senhoras : as tojas do Beija flor n
Luiica oS I Alm dcsscs rcccbeu ,ambem ou,ros de madre" d0 Qa'mado ns. 63 e 69. J r' rna
possue as vantagens de nao destruir o fio do al- K'l1"^8* e oss0' com din"eren'S moldes Para Talheres para meninos,
godao e de fazer render o dobro de qualquer ou-1 i-, ,. Vendem-se talheres de cabo de bataneo nara m?
tra com menos trabalho, a sua ntroduccao para' nhltf l\ PIS' qae Prelcndenl.e ,munido *>* nios a 280 rs. o talher : as lojai doP&ffi-ior
as provmcias desle imperio sera de muito valor !Rbe,-ro *& sprmento a vonlade na rua do rua do Queimado ns. 63 e 69. ] '
para todos os interessados na lavoura do paiz. BfslrwS E CA1X1X11 AS
limpo.
Esta
aljofares.
Lmdas voltmhas.de aljofares com ernzes de De-
tea.*a ^S-r
com perfumarlas.
Coliieres de metal principe.
Vendem-se colheres de metal principe mnto fi-
nas para sopa a 35600 e 4*400 a duza, ditas para
Assim com machinas em ponto grande' do mes-
mo systcma.oraql serem movidas por animaes,
X^^ealSdaS^mM'DMa" deraroar 18 ar" Xa rua do Qem'ado n. 8 loja d'Agua-Branca, os fM*M e"*400 a duzia, ditas para assucar a
QwkuaSEEJSSSELrZi u- freguezes munidos de dinheiro encontrado, boni- rs. cada urna, ditas para terrina a i& cada
mtttomakVSfnn^Ii/ machinas tem tos bausinhos cobertos de couro e com 6 frasqui- umJ'. e so quem vende por estes precos as lojas
wX^MrS^ ^3ie Eurpa e nhos de ex,raclos Pr 1*300 cada um, e ou Iros do Beija-flor, rua do Queimado us. 63 e 69.
jTmaSX^SSS a cobertoi de papelao com 9 frasquinhos por 2*000
casa de nn'Camenie em ?5w,ca.i.XD,,as com 6 f^'l'."""05 *5Wl5
Facas e garios.
Vendem-se facas e garios oitavados a 2$800 a
Saundcrs Brothers k C.
A. II, praca do Corpo auto
RECIFE.
Os nicos agentes nesie paiz.
ou fina a vontade do comprador

nao devolvern! as
gues, a fazerem-no al ao dia 13 do corrente. A-
quedes, que por qualquer motivo nao tiverem po-
dido desempenliar a missio que Ihes foi confiada,
roga a directora anda assim o mesmo favor, con-
tente de obler ao menos as honrosas assignaturas
desses cavalbeiros
As lisias podem ser entregues no Gabinete Por-
tuguez de Leitura, ou ao 2 secretario, na rua da
Cruz u. 23, primeiro andar.
Secretaria do Monte Po Portuguez 10 de julho
de 1804. J
Joaquim Geranio de Bastos.
2." secretario.
armazem da casa sita na rua de
da casa sita na rua da
Senzala Velha n. 22 : a tratar na rua da Cadeia
n. 44.
47, eo primeiro
Precisa-se de una pessoa pora lec-
cionai' portuguez e trance/, em um enjjenho
pertoda \a frrea : a tratar na rua larga
do U'igario n. :it, segnmlo andar,________
Manoel Jos do Na.sciinenio e Silva, que ou-
tr ora fura estabelecido nesta cidade na rna da Ca-
deia do Recife, e de presente sendo represenlado
nesia mesma cidade por seu bastante procurador
Joaquim Francisco da Silva Jnior, roga a todos
os seas devedores, que no praso de :) das do pre- '
sent anntincio dirijam-se ao referido seu procura-
dor e liqnidem suas coritas cora o annunciante,
porque se no lim do dito praso o nao tiverem feito i
sero notificados nos termos da lei para viren)
lerromper prescripcao em seos dbitos.
de julho de 1864.Com piocuracao,
Joaquim Francisco' da Silra
Precisa-se de urna criada livre ou escrava
que saiba cezinhar e comprar : na rua de Santo
Amaro (Mundo .Novo), sobrado onde morou o Sr,
Dr. Sabino.
Vendem-se escravos pecas de ambos os se-
xos :.na rua Direita n. 54.
PBI
lose Joaquim da Cuuha, Jos Francisco
de Paula liamos, Emilia da Piedade Albu-
querque Ramos e Thereza Mara Pires Dows-
ley, genros e lilhos do finado Francisco de
Paula Pires llamos, vem por este meio dar
um testemunlio de sua gratidiio a todas as
pessoas que se dignaram assistir as exequias
fetas ao mesmo finado, em occasiao de se-
guir seus reslos mortaes ao ultimo jazigo,
como tambem se confessam agradecidos as
pessoas que compareceram missa do se-
tenio dia.
Aluga-se urna escrava que faz todo o servico
de urna casa : quem pretender dirija-se ao Forte
do Matlos n. 20, que achara com quem tratar.
Aluga-se a casa terrea da rua do Ouro n. 22
com commodos : a tratar com Manoel Luiz da
Vega.
Jos Benio de Souza, Portuguez, vai ao Ro
de Janeiro. ______________
Augusto Cesar Fe mandes Eiras, reiirando-se
para Europa, deixa como seu procurador nesta ca-
pital o Sr. Victorino Jos de Souza Travassos J-
nior.
Precisa-se de um criado escravo de 12 16
annos : na rua do Corredor do Bispo n. 24.
1*000 urna, outras com 12 ditos por 2,5000 urna, duzia, ditas cravadas, cabo preto e branco a
I ?ui,,am ,J dUos' cuja C,'l'lla PM larlaruga, duzia, ditas de balanco de 1 botao finas a 5*200
: LXS^S&'M'.e2"as C01" Pas,ilnas de cne- dilas de 2 bo'oes muito finas a 6*500 a duzia, ditas
ro a oOO, 15000 e 2000. de 1 bolo para deces e frucus a 5 a duzia ditas
LUVelOpcs bordados e CaiMoCS COm bei- de botoes a 0*200 a duzia : as lojas do Beija-
ras lldlirulis Qor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
cartoes com beiras douradas, tendo de uns e de K m**lojas do "^M rua do Queimado
outros, maiores e menores, proprios para partici- D ...
pacoes de casamentos, bailes etc. Baados bordados.
Completo sortimeato de Otas' l^dfi^?Abffl1Ae ?"SS!i2f
liuis lisueluiuliw a peca a tbuo, 13800, 25, 2-5200 e 2*400 : as
i ,a, r h ,avM*' lejas do Beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
A aguia branca recebeu nm grande e competo ind(1< natinhft
sortimento de fitas de diversas larguras e qnalida- wnii.m i! MPa|,,M- .
des, tamo lisas como lavradas, e era todas ella c-o- rrianras a f','^X?J?*i baP,'sadf.de
nhece-seasuperiordade da'fazenda, nolando-se Z%3[do ue?ma!fnsPfiU ?9 '0jaS d Bt''ja*
as lavradas o bom gosto dos novos e lindos dse- queimado ns. 63 e J9.
nhos, isso tanto as matisadas como 'as branca* A Boloes Para Punus-
e pela rommodidade dos precos o pretndeme que ^_V?ndem"se.1>OIoel'nlos lemadreperolaedemar-
se dirigir munido de dinheiro rua do Queimado
loja da aguia branca n. 8, ser bem servido.
Capachos iaglezes.
Na loja da aguia branca, rua do .Queimado n. 8
ro papel ae nniio nespanhol, e de palha de milbo- Hp hnnim c5 ,ia ..<. JU~_=_ J..........
COMPRAS.
Comprase
cobre e latao : no armazem da bola amarella no
oilao da secretaria de polica.
Compra-se urna barcaga de 400 saceos, em
estado de navegar, e que seja de boa construecao,
tambem aluga-se no caso de convir : a tratar na
rua do Trapiche n. 17, primeiro andar.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilheles da praca da Inde
pendencia n. 22.
se
qualidades para o fabrico de cigarros; charutos da cada um
YtSSL "nS a U "'"'" a elles' que es,01 Cart>s francezas.
A aguia branca, na rua do Queimado n. 8,'rece-
Viuho do Porto superior
em caixas de urna e duas duzias : tem para .
der Antonio Luiz de Oliveira Azevedo oscriplorio rua da Cruz n. I.
fim para punhos a 320 rs. o par, ditos encarnadi-
nhos a 120 rs. o par : as lojas do Beija-flor, rua
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas para debrum de vestidos.
Vendem-se fitas de laa de todas as cores para
debrum de vestido a 900 rs. a pega, ditas pretas
de seda a 1*100 a peca : as lojas do Beija-flor.
rua do Queimado ns. 63 e 69.
Filas brancas para debrum.
Vendem-se pecas de lila branca de linho para
m
ni
-Xo dia 29 do mez prximo passado foi alugado
ira esse dia somente, por Carlos de Souto Gondin,
Recife 11 na cavallariga da rua da Boda n. 45, um cavallo ro-
.-illio, frenteaberta, calcado de branco nos quatro
unior pos, amunhecado das mos, dinas e cauda curtas
Xa rua do Imperador n. ;5, segundo andar,
compra-se um escravo mogo e sadio, sendo bom
official de pedreiro.
ni- p
Compra-se um selim inglez em bom uso: na
rua do Crespo loja n. 18..
CLUB PERN4MBM0
A cuniai familiar tl< correte nicz
lera ogar na noite do dia 21.
Preeisa-s
se de um caixeiro portuguez de
i* annos de idade para taberna : em Olinda.
do Amparo n. -'i.
14
rua
e que parece 1er de idade 9 annos Pela demora
da restiluicao do dito cavallo suppde-se elle desen-
camiuhado, c por i,-so quem deile der noticias ou
apprehende-lo, e mesmo indicar aonde existe o
mencionado Gondim ser generosamente gratifica-
do pelo abaixo assignado, proprietario da mencio-
nada cavallarica.
Jos Duarte Pereira.
Compra-se urna casa terrea que lenha duas
salas e Ires quartos, com quintal e cacimba, no
bairro da Boa-Vista ou Santo Antonio: quem tiver
pode dirigir-se i Capunga nova, no entrar da mes-
ma, ao lado esquerdo passando o primeiro porlao
no segundo, de ferro, que achara com quem tra
tar este negocio.
YENDAS.
Aluga-se o armazem da rna do Imperador n.
lo : a tratar na mesma rna armazem de loma
n. ii.
1 DENTISTA DE PARS"!
19llua Aova-19 W
Iredenco Gautier, cirurguo dentista,
faz todas as operaeoes de sua arte, e col-
loca denles arliflciaes, tudo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
m
juiz de paz do segando distinto da fre-
gnezia de Sanio Amonio da cidade do Becife, con-
tina a dar audiencia as quartas-leiras e sab-
bados na casa de sua residencia na rua Direila n.
10, e sendo csses dias impedidos, nos antecedentes
.lo meio ilia.
KlliS HjillS MMMMmM
Olimpo Ferreira da Silva W
AGENTE DE LEII.OBS
Rua da Cadeia do Recife n. 48,
Primeiro andar.
Yemlem-se
im
wmtn
Antonio Luiz dt
Aze-
Arrendase, vende-se, ou mesmo troca-se por
1 casas na praca um sitio na Varzea margem do
| ameno Capibaribe, com duas grandes casas, com
7 quartos, 4 salas, 2 coziubas e um solao, tendo a
parle cocheira, estribara, e quartos para criadas,
todo plantado de arvores de fructo, abacates, sapo-
tis, frueU-pao, limo doce, limas de umbigo e da
as Rrrue des eux Mondes de 15 de marco, Io de
abril, Io e 15 de maio, 1- de junho, 1 e 15 de agos-
to. 1" e 15 de oulubro, 15 de novembro, Io e 15 de
dezembro de 1863,1" e 15 de Janeiro, Io e 15 de
fevereiro de 1864, a 1*200 cada volume; Histoire
populaire de la yuerre d'Italie, por 2,5000; Jornal
das Bellas Artes por 2000 ; tendal Peninsulares
por Jos de Torres por 2*000; Flores sem fruto por
A. Garret por 15000; Passeios e pliantasias por
Julio Cezar Machado per 15500; Urna hora de lei-
tura por S. Itibeiro de Spor (00 rs.; Archivo Pit-
toresco do anno de 1860 por 3t5OO0 ; Tablean*his-
torile de la reailution de 1848; por 15200; 0
que ha de ser o mundo no anno de tresmilpor
25000 ; Canrioneiro de. Joo de Le Aos por 1*600;
.4 misso especial do visconde de branles por 2,"
na rna do Crespo n. 4 loja.
A4$000apeca:
Vendem-se pegas de algodaozinho com pequeo
toque de avaha, proprio para roupa de escravos e
toalhas, pelo barato preco de 4* a pega : rua do
Queimado n. l'i. ________
Vende-se o siiio da travessa dos Remedios,
freguezia dos Afogados n. 21, no estado em que se
acha : quem o pretender, enlenda-se com o sen
proprielario Caelano Pinto de Veras, na rua de S.
Francisco, sobrado n. 10,como quem vai para a rua
Bell't
beu um novo sortimento de finas cartas francezas. brum,a P- a Peca : nas loJas do Beija-flor
. com beiras douradas e brancas, e as esta venden- na rua do Que|mado ns. 63 e 69.
Ricas lilas lavradas.
Vendem-se muito ricas fitas lavradas para sinlo
de senhora e meninas : nas lojas do Beija-flor, rua
. do Queimado ns. 63 e 69.
Espelhos de Jacaranda.
Vendem-se espelhos de columnas, de Jacaranda,
?*>; 4*."i00 cada um, dilos de madeira amarella
do Beija-flor, na rua
fazo ti ti as btalas de
rua do Queimado, n.
\o armazeiu de
Santos Coelho
19, vende-se o seguinte*
Attenco.
I.aziuhas.
Bicas laazinhas para vestido, razenda a melhor
que tem viudo ao mercado, lamo em goslo como
em anal idade da fazenda, pelo baratissimo preco
de 560 rs. o covado.
Laazinhas miudinhas carmezins, proprias para
vestidos de meninas, e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de laa cora 15 covado pelo baratissimo
prego de 65.
Cobcrtas de chitada India pelo baratissimo prego gosto, pelo que sTa^Ona' bnha
SAPA TOS DE BURRACUA
a I^OOO, 1 50 e S.'*ii o par
na ra do Queimado loja d'Aguia-Branca n. 8.
halas com banha fina.
J por diversas vezes a aguia branca lera rece- a 25400 e 25800 : nas lojas
bulo dessa banha flua em latas, e tal tem sido a ; do Queimado ns. 63 e 69.
prompta e rpida extraegao delta, que nao tem da- i Fitas de velludo istmias
aawfcr. a-tas s*ffl w. s "
los baratissiraos pregos de 25 e 35000. Apar da v ,r"UfM ^ laa l,ara bordar-
superioridade da qualdade delta eslo o a<-rada- A ~ 'endem-?e trancinhas de laa pretas para bor-
veis c finos cheiros de rosa, jasmim, laranja bou- ,ar cam'sinlli,s e vestidos a 80 e 160 rs. a pecinha,
quet, e flor de Italia. A boa freguezia assim scien- ls l"'ai"'as com 0 varas a 600 rs. a pega, e ou-
te dirigir-se cora dinheiro rua
loja d'aguia branca n. 8.
B^ XX ,~ i ae soriimento das
auna tina em copos de por-|Qeimadons.63ci
cclana dourada com ins- ^^^^"&3
crii irnos. \m .....:'
w*.
cnp^oe
E j bem conhecida pela boa freguezia d'aguia
branca a superioridade da banha que vem nos co- S*
pos de porcelana duurada com maviosas e jocose- \
rias nseripcGes, as quaes agora vieram de novo "
ciooalas, pois s coma vista se poder vero gran-
de sortimento das lojas do Beba-flor, na rua do-
69.
ende-se
em Jaboalao em una
das
lo-

pnmeiras m- ^&
calidades de negocio o bem conhecido S"
lde anda ser f^
fazer &
mais conhecida por aquelles que quizerem
um bom prsenle, com tanto que comparecam mu-
nidos dedinheiro na rua do Queimado. loja d'aguia
branca n. 8.
Vende-se alpaca pi ca a 800 rs. o covado.
_ Vende-se alpaca preta para vestidos a 500, 600,
TOO e 800 rs., fina de cordo a 800 rs. para pale-
to!, prinreza preta a 800 e 640 o covado. bombazi-
na prela fina a 1540(1 o covado, laazinhas pela
para senhora que estao de lulo a 720 o cuvado :
na rua da Imperatriz n. 56. A loja esta aberta at
s 9 horas da noile.
Vendem-se eaixoes vasios a 1:760
cada um : na rua das Cruzes n. 44.
Oliveira
vedo A C
Agente* do Banco l nio do Porto.
I lempetentemente autorisados sacam por tod o Hs' f.rucl;l-l,il0' !"nao doce limas de umbigo e da Xo engeliem O que barato.
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s l,ersia> 'arangeiras de umbigo, seletas, tangerinas, Na rua de Santo Amaro n. 8, no estabelecimen-
Usboa, e para as segointes agencias lelc'' um grrfnde cafesal com fructas, jaqneiras, to (*
Londres sobre Banh of London man8ue|ras, coqueiros, dendezeiros, com mais no
Pars
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Frederic S Ballin & C fundo uina ca"a de ui,,a' e bem a^im mais ca-
Joao Gabe & Pilho. !sas de "J0, aca,jaJas de Puco tempo, com frente
Francisco Bahoba & Ballista. uara nascenl.,nui10 frescas.
Jaime Meric.
do Sr. Domingos Jos da Cunha, vende-se amei-
xa em caixinhas de 2 I|2 libras cada urna por
15200, e a 500 rs. a libra, passas muito novas a
s. a libra, figos em caixinhas de 4 e 8 libras,
Crdito commercial.
Gonzalo Segora.
> M. Perera Y. Hijos.
El PoIlTIGAL.
Angra Terceira.
Caminha.
Castello Branco.
Chaves.
salas, 2 quartos
dirijam-sc
das dos Srs.
de 25500.
Lengoes de panno de linho a 2*.
Lengocs de bramante de linlie lino pelo baratissimo
prego de 35200.
Bramante de linho fino com 10 palmos de largura
pelo baratissimo prego de 25500 a vara.
Atoalhado adamascado proprio para toalhade mesa!
a 25000 a vara.
Cambraia de forro a 25600 a 3*200.
Guardanapos adamascados a 35800 a duzia.
Toalhas alcuchoadas proprias para maos a 5* a
duzia.
Cortes de caiga de ganga amarella de listras e
de quadros, pelo baratissimo prego de 15200 o
Jrte.
Cambraia adamascada com 20 varas, propria
para cortinado, pelo baralissimo prego de lOjOOO
a pega.
Ricos cortes de laa Mara Pa pelo baralissimo
prego de 18$.
Pegas de cambraia de salpicas com 8 1(2 varas
pelo baratissimo prego de 45-
Pegas de plalilha de algodao com 10 varas, pro-
pria para saia a 45200.
Esleirs da India, proprias para forro desala, 'r"as Pom 'tl I-caadas de alcatrao do gaz por
de 4,5 e 6 palmos de largura, por menos preco do 8*aoo,: no armazem da bola amarella oito da se-
que em oulra qualquer parte. retara da polica.
m
m
\
a^
Achacado.
Quem os possair e os quizer curar perfeitamen-
te recorra ao afamadsimo oleo de Merchant, que
se vende no armazem da bola amarella, oitio da
secretaria da polica.
Vende-se
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos. Coirabra.
/asios. Covilhaa.
Beja. Eivas.
Braga. Extremos,
tiraganca. Evora.
I" aro. Fafe.
Oliveira d'Aze- Pinhal.
meis. Porto-alegre.
Penafiel. Thomar.
Tavira. Villa Xova do
Villa do Conde.' Portimao.
Villa Beal de Viten.
S. Antonio. Faial.
No IMFEHIO.
Baha. Maranhao.
Bio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista.podendo logo'' dos Afllicios um q'o'aVTo^stanho claro
os saques a prazo serem descontados no mesmo de baixo : quem o negar, leve-o ao qarto
Banco a razao de 4 por cento ao anno : a tratar j depois da capella, que sert recompensado
na rua da Cruz n. 1. \ Miguel Jos Barbosa Guimaraes socio
Figuem.
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Lamege.
Leiria.
Mongao.
Moncorva.
Regoa.
Seiubal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madeira
S. Miguel.
o dono do estabelecimento dar urna conta impres-
"oSfdmStt P-a "ao haver desconfianga, vender Ppelo
menos prego que o mesmo Sr. Cunha poder.
Aluga-se um sitio
l'choa e a marg;-m do rio,
Sr. commendador Nery Ferreira, tendo banheiro
-Na praca da Independencia, loja de ourivs StipatOS (le borracha l 1$UU0
n. 33, compram-se obras de ouro, prata e pedras i ) rt r
No armazem de Joaquim Francisco de Alem lar-
go da Assembla n. 1.
Cas-
, preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert, e igual-
mente se dir quem d dinheiro a premio.
menos prego do
Neste armazem tambem se encontrar um gran- OhaTn+na i\n Ua-wra-nn An a"
de sortimento de roupas feilas, e por medida. OlldlUTOS (U HaVtllia (le SU"
perior qualdade e pelo pre-
estabelecimento.Progressista, de taberna
e padaria com alguns fundos, muito pro-
prio para nina pessoa que queira se de-
dicar ao negocio, servindo para solteiro
ou rasado visto a casa ter todas as com-
modidades suDlcientes e estar bem ai're-
guezada, por existir no mesmo mais ne-
gocio, pi t .ni nao convindo ao comprador
querer todo negocio, o proprietario sugei-
lase a vender o que a parle convier e a
vjta ilo pretendente se dir as circums-
cias oa venda : quem convier dirija-se
ao mesmo lugar que e pagar o trans-
porte do mnibus ou na rua Direita ca-
sa n. 76, que ahi tambem achara com
quem tratar restrictamente.
.\'a mcsina casa vende-se
um carro cora 6 ca val los cora os seus
compelemos arreios ludo em bom estado
de trabalhar, faz-so lodo negocio ou a di-
nheiro ou a prazo cora garante, os apai-
xonados aproveitem a occasio do ven-
dedor.
Sal do Assa'
Vende Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A
no seu escriptorio rua da Cruz n- I.
m
OH

T'
m
m
m
m
?
'.
AVISO
Co seguinte:
Na fabrica de sabao da rua do Rangel n. 34 ven-
de-se constantemente sabao massa, tanto em caixas Eblnraito lu
coraoa reta.ho a 200 e 220 rs. a fibra. : S fiofd'e'Srne .05000.
Xcgocio de grande iuteresse. Regala britnica 115000.
Vende-se una fabrica de fazer colla com ,La fl.or de mora,*'s !l*-
um laboratorio para fabricar a quantidade JSSrjRSSS
que se quizer, podendo ser mudada para La negra mulata regala imperial em caixa de 100'
qualquer lugar conveniente, pbrigando-se 5 ,3* : o Bazar Pernambucano, rua larga do
quem vende a ensinar todo o processo da Rosar' m
fabricago ; na rua do Qieimado loja n. 13,
se dir quem vende.
l'ui Descobriuicuto Espantoso!
0 Mundo Sfieiilifico uiiauituuuirntr o approva.
Bom para escriptorio 'ur!l0l imPer^
.,. ./ Loriado igual ao francez muilo Bronrio r
Vende-se
LAAZIMIUS BARITAS.
Vendem-se laazinhas de cores fixas e de boa qua-
ldade para vestidos de senhora a pataca 0 covado,
por pregos commodos tres moradas de casas ter- e outras mullas fazendas que o dono esta resolvido
reas ns. 48, 54 e 73, sitas na rua do Motocolomb a vender muito barato afim de apurar os cobres :
Corlado igual ao francez muito proprio para ca- r.2s A'?ados : a tratar na rua do Imperador n. na rua da Imperatriz n. 20, outr'ora aterro da Boa-
Aluga-se o primeiro andar da rua da Cruz n. chimbo, em latas de 1 libra, quando nao sea me-. 7.'aaxcm Allianga. Vista.
24 : a tratar na rua da Cadeia n. 57.
Cavallo fgido.
Fu,?|o ou furtaram de um.dos sitios da estrada
seja me
Ihor igual ao americano por 1*200 rs., para veri-
ficar a verdade os Srs. fumantes podem-se dirigir
a fabrica vapor de cigarros amiga rua dos Quar-
teis de Polica n. 21.
sitio
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite, sem Dlho : a Ira
tar na loja de lvros ao p do arco de Santo An-
ionio. .
cipal da firma de Guimaraes & Lima, faz sciente
a todos os devedores a esta firma que tendo falle-
. cido o socio Jos de Almeida Nunes Lima, est
Bichas hamburguezas.
Vendem-se bichas de primeira qualdade : na
rua Nova n. 61, defrente da Iluna. cmara muni-
cipal.
Fariuba de mandioca superior
vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, no seu escripiorio rua da Cruz !
numero 1.
Vende-se um cabriolet:
zo n. 26.
no pateo do Parai-
ttKAiYDE
Alugam-se as casas terreas ns. 3 e 7 da rua
'' Hospicio : a tratar na rnadoSeve n. 2.
mnmia
DE
Seguros Martimos Indem-
nisadora.
..A.di.'!e':toria desta companhia convida os senho-
Ricos cortes de cambraia de cor com barra
para
11,, Sf,* Glori,a n- M d-se ""'^ m
proceder-se a discussao dos novos estatutos i dk-' recebendo mensal e tambem querendo pode
tribuidos pelos mesmos senhores accionista* I comPa''ecer a mesma e I se servir.
Lima, est
procedendo a liquidagao da mesma e por isso pe-
de a todos os devedores o especial favor de man-
darem saldar seus dbitos o mais breve possivel.:
Recife, 9 de julho de 1864.
Francisco Joito Carneiro da Cunha e sua mu-1
Iher D. Hermina Poppes da Silva Carneiro da Cu- Maria Pia, fazenda inteiramentc nova" aUOo's
Sn-f6 f* a <]aem BSS* 'nleres9ar> W* m Para acabar : na loja do Paredes Porto n.4s" 'rua
constituido, como era ludo seu bastante procurador, da Imperatriz
nao s em todos os seus negocios commerciaes, ---------------pz-----------z-------------r,------=-----------------
nas pendencias Josdiciaes, ao seu UFailde peChinCa.
Vende-se a 85 a pega de panno'de linho puro e
limpo com 25 varas cada urna : na rua da Impera-
! triz D. 20.
Algodao da Cahia
para saceos de assucar e roupa de escravo; tem
para vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.
Farinha de mandioca
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
Alves no seu escriptorio, casa n. 19 da rua da
JUZ

Mant'Anna.
Acha-se venda a novena da gloriosa Sant'An-
na, bem impressa, e em brochura : na rua do Im-
perador n. 15.
GAZ.
correspondente o Sr. Amonio da Bocha Accioly
Una, com o qual se podero entender os inters-
-- accionistas.
Recife 13 de julho de 1864.Os directores,
Joo da Silva Regadas.
Francisco Joo de Barros.
Miguel Jos Alves.
Revista do Instituto Archeolo-
gieo e Geographico Pernam-
bucano.
" oga;seTo Sr. Joo Paulino Marques que te- IIiSSBE i&S**-. mTrf' n-a
nha a bondade de dirigir-se rua Nova de Santo .?"t2no.mia ,,os Nogneira de Souz,
Ritan 49, das 6 s o'hor, ULt l S ttSSSS-*?* "* SUbSCrC-
dMarde emdianto, a negocio de seu muito iole-1 P Por anD0 S5000
1 Nmeros avulso 10300
5
Hua da Cadeia n
Vende-se um balcao, 3 eaixoes o 3
de amarello e era rauito bom estado.
Vendem-se duas escravas sende urna mula-
tinbacom 16 annos e outra cora 20, bonita* figu-
ras : a traz da matriz de Sauto Antonio n. 12. '
Vende-se gaz liquido americano da melhor
qualdade em lat*s de um, dous e cinco ga!5es,
por menos que em outra qualquer parte : no ar-
mazem do caes do Ramos n. 16.
Salitre refinado, superior qualdade, vinho Bo
deaus, differentes qualidades, mais baratoquai
llteiros tudo qualquer parte : no armazem de E. A.
C., rua da Cruz n. 48.
Carne do serto.
Chegou aos armazens da Brilhante Aurora e Au-
rora Brilhante, ao largo da Sania Cruz, a verdadei-
ra carne de sol. __________________________
' Vende-se urna pequea taberna na travessa
leniSSn.iHtt VHDde'Se Una !X(Lel- do Pombal n. 20, freguezia da Boa-Vista : quema
lente armacaoenvidragadae de amarello, ba- pretender, dirija-se mesma, que achara com
quem tratar a dita venda.
rmago
rato,
Loja de fazendas da rita
do Crespo n 7.
Miguel Jos Barbosa Guimaraes, socio princi-
pal da firma de Guimaraes & Lima, faz sciente ao
rcspetavel publico que tendo de liquidar todas as
fazendas existentes em seu estabelecimento por i
ter fallecido o seu socio Jos de Almeida Nunes '
! Lima, que consta de um grande sortimento de fa-
zendas finas, como sejam ricos vestidos de seda |
com algum toque de mofo, capas de velludo preto
rauito finas e outras multas fazendas que tudo
vende por baratissimo preco.
Vende-se nm sitio na praia do Rio Doce, dis-
tante da cidade de Olinda urna legoa, com 600 ps
de coqueiros que do fructo, com boa casa de vi-
venda de pedra e cal, chaos proprios, com banho
no fundo : quem pretender, dirija-se mesma ci-
dade, rua do Carmo, casa do conego Souza Gomes,
que achara com quem tratar.
A (\m[iosioio AnacaImita
IVIoral de kenip.
Tor esparo tensaniente em Tampico ]>ara a cura de
TSICA PULMONAR,
CTARRHO, ASUMA,
BRORCHITE, TOSSE CONVULSA,
CHUPO O GARROTILIO,
Inflammaipes da Garganta e do Peito,
c isto com um resultado to feliz e verdade-
ramente assombroso o pao ou madeira d'uma.
nrvore que chamao Axacauvita, c que >
so encontra no Mxico.
A Composiipo Anacahuita Peito-
ral de Jlemp c um Xaroj* delicioso, intei-
raniente differente na sua composic>io de
todos os mais Peitornes e Expectorante ma-
nufacturados de fructos astringentes, casca
e raizes, Acido Prusxico ou outros quaesqner ingre-
dientes venenosos.
Todas as molestias c affccgocs da garganta,
e dos pulmocs desapparecem como por um
mgico encanto, mediante a accao dcste in
cnmparavel c irrcsistivel remedio.

Esleirs do Aracaty.
Vndese na travessa da
ro 10.
I i venda nas boticas de Caors & Barboza,
Madre do Dos nume-: raa da Crnz, e Jo3o da C. Bravo AIC., rna
Ida Madre de Dos.
I


HMMMMHIMBBB
Diarlo de Fernambuco Sexta lelra 15 Ue lulho de 1SSI.
i
Grande liquidado
le faz*udas na laja i Pme, ra da Imperatriz .
60, de Gam< & Silva.
AcOa-se este estabelecinieuto completamente sor-
lido de (alendas ingleza?, francezas, allemaes e
saissas, proprias tanto para a praca como para o
mato, prometiendo venderse mais barato do que
em outra qualquer parte principlmente sedo em
Sorco e de todas as fazendas dao-se as amostras
eixand car penhor ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavao.
As chitas d Pavao.
Vendem-se superiores coilas claras e escuras pe-
lo barato preco de 240 e 280 rs. sendo tintas segu-
res, ditas francezas finas a 320, 340, 360, 400 e
500 rs., o covado, ditas pretas largas e estreitas,
riscados escocezes finos a 240 rs. o covado, isto na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
As cassas do Pavi a 2 40, 280, 300 e 320 rs.
Vendem-se tlnissimas eassas persianas cores fi-
las a 320 rs. o covado, ditas francezas muito finas
a 240 e 280 rs., ditas ingzezas a 240 e 280 rs. o
covado, finissimo organdy malisado com desenhos
miudinhos a 320 rs. o covado, cassas garibaldinas
muito finas a 320 rs., isto na loja do Pavao ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As laiiulias da xposifo do Pavao.
Vendem-se as mais modernas lazinhas mossan-
bique chegadas pelo ultime vapor francez sendo
de urna so cor ou de listas miudinhas com 4 pal
mos de largura, proprias para vestido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baratissimo
preco de 530 rs. o covado, ditas entestadas trans-
parentes de quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas matisadas muito finas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita tambem matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Mara Pia com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas denmas cor parda, azul, cor de lyrio e
perola proprias para vestidos, sautembarques e
gari baldes a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
800 e 400 rs isto s na loja do Pavao, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os chales do Pavo.
Vendem-se finos chales de crepon estampados
pelo barato preco de 6, 74, 8*, ditos de ponta re-
donda a 7 e 85, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidrilho a 12$, ditos pretos lisos a
5$, ditos de cores a 45500 e 55, ditos de merm
estampados a 25 e 35, ditos de laa a 15280 e 25,
ditos de retroz preto para luto a 65, isto na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 Pavo vende para luto.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de laa sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
pno para vestidos, paletols, capas etc., pelo bara-
to preco de 25, 25200, 25500 o covado, cassas
pretas lisas, chitas pretas largas e estreitas, chales
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
cotngollinhas eoutros muitos artitios que se ven-
dem por precos razoaveis : na loja do Pavao ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo
Vende-se ricos vestidos de grosdenaplc prcto ri-
camente bordados a veludo pelo barato preco de
405, sendo fazenda que sempre se vendeu a 1005
e 1*0$ ; ditos de cambraia braneos ricamente bor-
dados a croch, sendo proprios para baile e casa-
mento a 10, lo, 20 e 305; ditos de laa com lindas
ESPLENDIDO SORTIMENTO DE MOLHADOS
W. 9 RIJA DO CRESPO V
Esquiva qne volta para a roa do Imperador

(.vio se enganem cona a mitra)
AMIGOS!





Nao leiam osle annuncio com precipitado.
Confrontem os precos dos oulros annunciantes.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
A vista faz f.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao nos encnlcamos o primeiro recebedor de conta prppria.
Nao desacreditamos ao collega porque nao quiz ser nosso socio.
Val a quena toca.
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia ainda nao sao sufficien-
les as casas que actualmente oxistem abertas com grandes proporcoes para lerem um
magnifico sorlimento de molledos ; assim, pois, os propnetanos do Armazem Principal
nao invejam a sorte dos seos collegas. _
Habitantes de Pernambuco.
Nos temos um excellcnte sorlimento dos melhores gneros que se podeadiar
em nosso mercado. Vinde ao nosso cstabelecimentp, e se a vossa boa fe for lludida
urna s vez ao menos, castigai-nos nao voltando mais a nossa casa.
Amendoas confeitadas de bonitas cores a dem de Hollanda em garrafoes com 24
l,ooo rs. a libra,
dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra.
Avellas a 2oo rs. a libra.
garrafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
Lentilhas excedente legume para sopa e gui-
zados a 2oo rs. a libra.
Azeile doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa,
e 4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e lo,ooo rs. a
caixa com i duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a ICo a libra, e 4,6oo rs. a arroba.
barras a 18 155 isto na loja do Pavo ra Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Pavo.
Vende-se panno preto muito superior pelo barato
preco de 25,' 25500,35 e 39500, ditos muito linos a
45, 55 e 65, cortes de casemira prela enfestada a
45, 45500 e 65, casemira preta fina de urna s
largura muito lina a 15800, 25. 25300 e 35, cor-
tes de casemira de cor a 55, 55500 e 65, casemi-
ras entestadas de urna s cor proprias para calca,
paletots, colletes, capas para senhora, roupas para
meninos a 35 e 3*500 o covado, isto na loja do
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A roupa do Pavo.
Vendem-se paletols de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muito boa a 125, ditos muito linos a
165, 205, 255 e 305, caigas de casemira prcla boa
fazenda a 45500,53, 03, 75 e 8-5, paletols saceos
de panno preto a 75, ditos de casemira du cor a
65 e 75, ditos de alpaca prela, ditos de merino
preto, ditos de brim de cores, caigas de casemira
de cora 45, 55,65,75, ditos de casemira da
Escossia a 35, ditos de brim pardo a 25300, ditos
de cor a 23 e 23500, ditos brancos muito finos,
sto na loja do Pavao, ra da Imperatri n. 60, de
Gama & Silva.
Os cortinados do pavao.
Vendem-se ricos cortinados proprios para janel-
la e camas pelo barato preco de '.15 o par, sendo o
mclhor que ha no mercado : na ra da Imperatriz
d. 60. de Gama & Silva.
As colchas do Pavo.
Vendem-se colchas de linho aleochoadas pro-
prias para cama pelo barato preco de 35 cada tima
na ra da Imperatriz n. 60, de Gama Silva
As precalas lo pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas que tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor fran-
rez, pelo barato prego de 600 rs. o covado, alias
de listrinha muito miudinhas proprias para vestidos
e roupas de meninos e meninas pelo barato preco
de 500 rs. ; s o Pavao ra da Imperatriz n. i>0,
loja de Gama c Silva.
Os soiateauwarques do Pavo
lO# e 15 s o Pavo.
Vendem-se os mais lindos soiiteanbanqnes que
tem viudo ltimamente de laazinba e caxemira ri-
camente bordados e enfeitados, cores muito delica-
das pelo barato prego de 103 e 155 fazenda esta
que em outras tojas se venden per i0& c -?> V
s para liquidar : na loja e armazem do Pavao a
ra da Imperatriz n. 60 de Gama c Silva.
As chitas do Pavo 400 c
*SOO o corte.
Vendem-se cortes de chita com doze covados
cada corte, ditos com dez covados a 25*00, razen- Conservas inglezas a 8oo rs. o irasco,
da muito b a, e que nao desbota, s na loja do Pa- j(jem franceza a -0o rs.
vio tem esta pechmcha ; a ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Lias de anua s cor.
Vendem-se lazinhas de urna s cor, sendo en-
carnada, azul, cinzenta, cor de car, lirio claro, li-
rio roxo cor de perola pelo baratissimo prego de
610 o covado, fazenda muito fina s o Pavao, a ra
da Imperatriz n. 60 loja e armazem de Gama c
Silva.
Panno de linho.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
cura proprio para lenges, toalhas e ceroulas pelo
barato prego de 6W rs. a vara, bramante de linho
cora 10 palmos de largura a 25500, algodaozmho
monstro com 8 palmos de largura a 15, pegas de
Hamburpo com 20 varas a 95,105 e H5, pegas de
madapolo fino a 75300, 85, 3 e 105, ditas de
algodozinho a 65, 65500 e 75, e outras multas
fazendas brancas que se vendem muito baratas
afim de apurar dinheiro : na loja do Pavao ra da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
doze
SENTIDO!
O BALIZA


VAI FALLAR
N. 38 Ra do Livranieiito N. 38
(De fronte da grade da Igreja)
GRAUDE

Ameixas francezas em caixinbas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a 1,2oo, l,4oo e 1,6oo rs. cada 800 e l.ooo rs. as garrafas grandes.
uma. i Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e
dem em frasco de vidro com rolha do mes-; 96o rs. a liUra.
mo ou de metal, .a 1,2oo e 1 loo rs. ca- dem franceza nova j deste auno a 600 rs.
(13 um. I a libra, e 56o rs. em barris inteiros.
dem em frasco grandes 2,5oo rs. cada um. Marmelada especial dos melhores fabricantes
dem em latas de I f/j e 3 libras a l,2oo c! de Lisboa a Goo e 64o rs. a libra,ba latas
2,ooo rs. de differentes tamanhos.
Arroz da India e Maranbo o melbor que se Massa de tomate em latas de I libra 5Go rs.
polo desejar a loo e 12o rs. a libra el cada uma.
2,8oo e 3,4oo rs. a arroba. dem para soda estrelinha, pevide e rodinba
em caixinbas sortidas a 3,000 e 3,5oo rs.
cada uma e 5oo rs. a libra,
dem macarrao, (alern e aletria a 4oo rs.
a libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um.
Motlio inglez em garrainhas com rolhas de
vidro G4o rs. cada uma.
Marrasquino verdadeiro de Zara a l,ooors.
a garrafa, lo,ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Nozes muito novas a IGo rs. a libra.
Prezunto de fiambre superior a 600 rs,
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinhae
outros a i.ooo rs. a latas.
Palitos para denles a 14o e ICo rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo c limpo a 16o rs. a libra,
e 4,5oo rs. a arroba.
Antonio dasseguintes qualidades: agua.e
sal doces, e imperiacs em latas de 6 li-
bras a 3,000 rs. e de 3 '/a libras a l,5oo
rs. eem libra a 64ors., estas bolachinhas
torna-se muito recommendavel com es-
pecialidade para os doenles.
Biscoilos e Bolachinhas de suda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bollos francezes em cartees e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4ooj
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 160 rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
al hoje tem vindo a nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo, l,oo rs. a garrafa in-
leira, e 800 rs. as meias
Cha uxim o melbor que se pode desejar e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
dem "petla especial qualidade a 2,6oo c
2.8oo rs. a libra, garante-so a qualidade
d'este cha
dem hysson o melbor que possivel en-
contrarle a 2.4oo c 2,6oo rs. a libra.
dem do IV10 em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2oo c l,4oo rs. a libra.
dem preto muito lino a 1,600 rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol o suisso a I.ooo, i,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos [-'or-
lado de Simas em 9 caixas das seguin-
tes marcas Pariziences, Suspiros, Dili-
cias, Napoleese Goanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada uma.
dem de outros muitos fabricantes e de
differentes marcas para l,Soo rs. as mei-
as caixas de suspiros a l,6oo, 2,ooo e
3,ooo rs. as caixas inteiras.
Vigilante est alerta, nao Ibe era permettido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto allm de annunciar ao respeitavel publico
o grande sorlimento degalantarias do melhor gosio
propriamente para qualqner mimo, que acaba de
chegar neste ultimo paquele, assim como muitos
outros objectos que recebe por diversos navios,
tanto de sua conta como de consignacao, qne est
resolvido a vender por precos muito baratos para
vender muito e ganhar pouco, e dar extraccao ao
grandedeposito que tem, que espera merecer a
proteceo do respeitavel publico, empregando para
isso todas e as melhores diligencias para que li
auem satisfeitos: isto s no Gallo Vigilante, ruf
o Crespo n. 7.
Ricas perta-joiag.
Cofre de muito gosto por 1650CK
Cestinhas transparentes, forradas de madre-
perola por 185000
Lindas jardineiras 105000
Ricos cofres com camapheu 105000
Lindas caixinhas com pedras brancas 105000
Lindo bailo com calunga dentro tambem
para joias 165000
Tambalier para ditas 95000
Cestinhas idem idem 65000
Cosmorama idem idem 65000
Urnazinha 65000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sintns
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e 155, ditos sem
bolea, porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35300
e 45, ricas (velas avulsas para sintos. o melhor
que se pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 :
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes on cestinhas.
At qne chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 25500, 35300, 4, 5, 7 e 105 : s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Peotes.
Neste artigo tem um "grande sorlimento, tanto
para alisar como para atar cabello, o mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sem elle para meninas : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Pentes
Tambem chegaram os riquissimos pentes de
concha de tartaruga e de massa Gna, que se vende
por 25, 3 e 55 : s no Vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Lcqnes.
Riquissimos leques de madreperola, tanto para
senhora como para mocinhas, pelo barato preco de
12 e 145 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Mais leques.
YERDADE1KO E PRINCIPAL
Ordem do dia.
Est em discussao a tabella dos procos que o BALIZA tem a honra de off re-
cer ao respeitavel publico tanto da cidade como do centro.
Se por esta publicacaa qualquer um dos nobres coltegas entender necessario
l'azer alguina alteracao em seus annuncios, digne-se mandara sua emenda para o jornal,
que o incansavel Baliza nao Ibe pora peias nem o embancar de forma alguma a benefi-
ciar o povo.
Amigo de vender barato o Baliza nu expe a venda seno os gneros bons.
Elle sejulga no caso de vender tan mdicamente como ouiro nao o exceder
Soldado soprador toma o claran
E firme como a rocha fica assim
Nao toques nesse pessimo instrumento
Do Bausa olha s o movimento.
E ta qne los imta'atfos eus as coroas
c tudo vendedor le propi'la couia
\\ pasmes vendo eomo sohraueeiro
lo regresso o Ralfsa a ira affronla.
abaixar
ienero,
seus preco?,
entro p -,
O grande depeso que temos de vinho nos obriga a ab
achando-se vista dos compradores cerra de 3-'i a 40 pipas deste ge
barris i? ancoretas.
Amendoas confeitadas embudos frascos a 800 Lingoas americanas muito novase muitog -
rs. a libra
dem com casca a 3o rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas c frascos a
l,2oo, i,5ooe 2,000 rs.
Alpista a IGo rs. a libra e 4,6oo a arroba.
Arroz do Maranhao, Java e do I'encdo a 8o,
loo e I2o rs. a libra, em arroba a2,ooo,
Com pequeo deleito, leques de sndalo, por ba- 2,800 C 3,2oo.
rato prego, a 85 e 105, chineze=, muilo bonitos,
tambem por barato preco de i e 55, bentarallas
muito bonitas tambem por baralo prego de 4 e 55,
Azeile doce refinado a
rafa.
800 e loo rs. a gar-
leques de cbarao tambem por 45, tudo isto para dem idem em barril a CO rs. a ganaia c
des a l.ooo rs. cada uma.
Liiiguicaspromplasen ltala 1
Man
Palitos do gaz a 2, loo rs. a groza, 2oo rs. a
duzia, e 2o rs. a caixinhas.
Qucijos flamcngos chegados ncsle ultimo va-
por, a
dem pralo muilo fresco a 800 e 9oo rs.
a libra,
dem suisso a melhor qualidade que al ho-j borracha que as senhoras lanto precisam para se-
acabar, perdendo-se talvez 80 0|0 : s no Vigilan- 4.800 rs. a caada,
te, ra do Crespo n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de conlas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto a 15 e 15300.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas eslreitinhas de
mperatnz
O bramante do Pavo coaaa
palmos de largura.
Vende-se bramante de linho puro, muilo fino com
doze palmos de largura o melhor e mais largo que
lem vindo ao mercado pelo barato preco de 25800
rs.a vara ; s na loja do Pavao de Gama & Silva,
uia da Imperatriz n. 60.
As precalas do Pavao.
Vendem-se as mais lindas precalas qus lem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
oelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas de lis-
trinha muito miudinhas proprias para vestidos e
roupas de meninos e meniaas*pelo barato preco
de 500 rs.: s e Pavo ra da Imperatriz n. o,
loie de Gama & Silva.
Os bales do Pavao.
Vendem-se crinolinas ou bales de 30 arcos lan-
brancos como de cores, sendo americanos qup
sao os melhores por se nao quebrarem a J5o0 e
de 35 arcos a 45, ditos de musselina com bapaaos
45 ditos para menina a 25e35: na loja do Pa-
vao ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
O Pavo vende 8i.
Vendem-se os mais lindes cortes de vestidos a
Maria Pia, com lindas harpas de seda, Sendo che-
cados pelo ultimo vapor francez pelo barato preco
de 85 cada um: s na loja do Pavao ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Os bales do Pavo.
1 2o00 s o Pavio.
Vende-ae baldes eom K), 25 e 30 arcos pelo ba-
ralissimo preco de 25500, assim como tem um
completo sorlimento de bales para meninas de to-
dos s tamanhos pelo baratissimo preto de 25500,
notando que sao bales de arcos os melhores que
Sf vindo da America Ingleza vendem-se por este
preco para liquidar: s na lJaJ annazem do
Pavao roa da Imperatriz n.60, de Gama & Silva.
Cognac nglez das melhores marcas a l,ooo
rs. a garrafa e lo.ooo rs. a duzia.
dem francez suporior qualidade 800 rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a Goo rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
foo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 32o rs. a li-
bra, e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a l,ooo rs. cada uma.
dem em latas ermiticamente lacradas a
l,5oo e 2,5oo rs. cada uma,
dem em caixas de ',* arroba a 2,5oo rs. ca-
da uma, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loors. a lata e l,ooc
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. 56o rs. o frasco.
dem de laranja a 1,000 rs. os frascos gran-
des e H.ooo rs. a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ea-
da uma.
dem em garrames de 16 garrafas 4,800
rs. com a garrafo.
je lem viudo ao nosso mercado a 800 rs.
" a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Serveja la? melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e olio rs. a garrafa.
Sardinha de Lisboa o Nantes em quartos e
meia latas a 38o 58o rs. cada nma.
Sag mnito novo e alvo a 2o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevadaa loo rs. a libra, e 2,8oors. a arroba.
Traques de 1.a qualidade a 8,5oo rs. a cai-
xa, e22o rs. a carta.
Toucinho novo de Lisboa a 24o e 32o rs. a
libra.
Tijollo paralimpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs. a garrafa.
dem'do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 400 rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco nao levando com-
posico a 56o rs. a garrafa, e 4,ooo rs. a
caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a gar-
rafa, e 4,5oo rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
dem Bsrdeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d pre-
juizo e s se encentra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguntes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu-
lar, malvasio fino, D. Pedro V, D. Luiz
I", Nctar e outros a 9,ooo e 10,000 rs.
a caixa e 9oo a 1,00o rs. a garrafa.
Idem Muscatel superior a l,ooors. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oo rs. a caada.
dem em garrafoes com 5 garrafas a l,ooo
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada uma
dem de escova para esfregar casa 36o rs.
cada uma.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
,. a libra, e 52o rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composico a
36o rs. a libra, e de lo,oooa H,o0o rs. a
arroba.

gurar os manguitos por ser muito commodo e mui-
to barato, a 320
Crespo n. 7.
Ancoras
feit
1
Bolaxinlias de Lisboa, ingleza c americanas
em latas a I.4oo, 1,500,2,ooo e 3,ooo rs.
c americanas em barricas a 3,ooo rs. a
barrica.
eiga ingleza flor a 800 rs. a libra :. :e
genero ba mais de 10 baris abertos afim de
seren salifeilos os compradores.
dem menos superior a 6o rs.
Manteiga ingleza a 5oo, 4oo e 32o rs. alil \
dem franceza a 5Go, oo e 64o rs. e em bar-
r I por menos.
Massa de tomate a 6io rs. a libra.
Marmelada dos melhores fabricamos a
rs. a libra.
a '.'anali- 1.
coras com vinho do Porto, enci.mmenda Mullios ingleses a 4ooe64ors. agarrafir.. 1.
eita pelo proprielario do Baliza a 3o,ooo Mostarda preparada a '.00 e 64o rs. o Ira .
s. a ancora com 7o garrafas. iMassas para sopa a 4oo rs.a libra .lasde .*.-
o par: s no Vigilante, ra do; Bjmha de poi.co a 4oors. a libra e em barril,
Carretas. a 3Co rs-
Riquissimas carretas de madreperola proprias' Batatas em gitios a
. I.oooo gigo.
para qualquer presente, pelo baratissimo preco de Cha perola a .1,000 rs. a libra.
5500e 25. dem uxim a 2,6oo e 2.800 a libra.
Yolliiihas. ; dem hysson a 2,ooo, 2,4oo o 2,8oo. a libra..
Lindas voltinhasdepcrolas falsas com cruzinhas : j(|em ,0 |{u a i .Cu>u rs. a libra,
fingindo brilhanles, assim como cruzinhas ayiilsas ,. fe rs_ a Ml.in.
e vollinhas, pelo barato preco de 1-5 e 15200, as, utl" Vw '' ,", ri.;,
cruzes avulsas a 400 rs. : so no Vigilante, ra do Charutos dnS me
iiaiiin, alubia c macarrao.
dem unas cslrellinha e pevide a 3,0" u rs. a
1 caixa.
Milho tniudo para passaros a 10" rs. a ". a
e i.800 a arroba.
Marrasquino de zara do verdmHro a I
frasco.
11 o
des da Haba
eBo de Janeiro a 800 rs. e l.ooo, 2,ooo,
2/100, 3,ooo, 3,5oo, 4,5oo c 3,ooo rs. o
cento.
S.\Chocolate dos melhores fabricanli-s Je Pars,
Allemanha, Hanihurgo < Lisboa
Copos lapidados para vinho a 2,8oo a duzia. Pi
s-1 dem dem para agua a 0,000, 0,000 e 6,000 P<
ra do
Crespo n. 7.
Sapaliuhos e meias de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinlias de seda, gorra
zinhas e looquinhas para as crianrinhas se bapli
sarem : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
(liabas.
Riquissimas goiinhas e manguitos, o melhor gos
to possivel, a 25, 25500 e 35: s no Vigilante, j rs. a duzia.
ra do Crespo n. 7. : Ceneja das melhores marcas a 4,ooo, 0,000
Enfeiles para senhora. e c 000 re. a duzia.
Riquissimos enfeiles com laco e sem laco e de'r .. mminhos
outros muitos gostos a 15, 15300 e 35 : s no Vi- l giaime, ra do Crespo n. 7. Ceblas em molhos raleas e soitas.
TrancdillS. Conservas inglezas a 800, 900 c 1,000 rs. o
Lindo? Irancelins de cabello para relogio ou lu- j Irasco,
netas, pelo baratissimo preco de 15500, ditos de! Diltas francezas a 5oo e 6*0 rs. o Irasco,
reiroz a 200 rs. I (;0gnac ingle/, e francez a 1,00o rs. a garrafa.
Caf de 1.a, 2.:1 e :i ;! qualidade a 8000 9,ooo
llali ni i nlos enlrcmcios.
Riquissimos babadinhos enlremeios com lindos
desenhos tapados c transparentes, pelo baratissimo
preco de. 15200, 15500, 25 e 35 : s no Vigilante,
rua'do Crespo n. 7.
Oscarrillias.
Grande sortimenlo de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites : s no Vigilante, ra do Cres-
po n. 7.
Fitas.
Grande sorlimento de filas de diversas larguras
e qualidade, por precos que admiram aos compra-
dores, havendo fitas largas proprias para tintara
que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca de 3
varas a 25 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Fitas de la.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias para 1 --
debrum de vestido a 700 rs. a peca : s no Vigi-1 dem SCCCas a 200 rs. a 1 a.
e 9,5oo rs.
Cevadiaha de Franca a 24o rs. a libra.
Champagne de muito boa qualidade a 12,ooo
e 2o,ooo rs. a duzia.
Doces da casca da goiaba em latas preparadas
com muito aceio, propria para memozar
algum amigo na Europa, por ser nallera-
vel por mais de um anno, a 3,ooo rs. a lata
com 7 libras.
Dittos em caixes a 56o, 64o, 800 e i,000
rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas em latas com I /s li-
bras por "00 rs.
dem francezas em latas a 5oo rs.

AGENCIA
na
PUNDICO BE L0W-M00B.
RuadaSeaaallanmB.42.
Neste estabelecimento contina a naver
um completo sortimnto de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas pan
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston 4 C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
Empreza daiUumina$o
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamacoes
(por eseripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem d ra do Imperador
D 31. Os machinistas mandados para atiender a
te aUendidos.
Ferros para ourlves.
Na ra larga do Rosario n. 24, loja de ounves,
vendem-se todos os Ierres e ntencilios de cunves.
lanle, ra do Crespo n. 7.
Ricos espelhos,
Riquissimos espelhos com moldura dourada e
sem ella de 85,10,12 e 145, assim como cora co-
lumnas de differentes tamanhos a 25, 3, I, 5 e 65:
s no Vigilante,rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui
tem apparecido : s no Vigilante.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com boneca para pos de ar-
roz, coosa de muito gosto a 15500 e 25, assim co;
mo pacoles s com os pos a 320 rs. cada um : s
no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sorlimento de extractos e banha?, poma-
das, assim como os lindos copos ou vasos com dis-
tinclivos e offerecimentos sinhaziphas, dos me-
lhores e mais animados aotores de Paris e Ingla-
terra, assim como os grandes copos de banha japo-
neza a 25 e a 15 assim como outros objectos que
nao possivel por hoje annunciar, e vista dos
freguezes se (ara todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
-Euzebio Raphael Rabello tem para vender
era seu escriplorio, roa da Cadea o. 59, o segun-
tes gneros'.
Cera em velas.
Cal em pedra de Lisboa
Vinbo paro em ancoreas. _^______
Serveja
A verdadeira serveja, marca lente, em botijas
e sempre nos armazens da Brilhanle Aurora e Au-
rora Briihante, no largo da Santo Cruz n. 12.
Trina, volantes e tfiles.
Vende-se trina, volantes el gales de todas ae
larguras por procos muito barato: s no vigilante
ra do Crespo n. 7.
Espermacete americano primeira qualidade a
1.2oors. a libra,
dem francez a 56o rs. a libra, e em caixas
a 52o rs.
Farinha d'araruta verdadeira a l8ors.abra.
Farinha de trigo a 12o, 14o e.l6o rs. a libra.
Farinha de milito a i6o rs. a libra.
Figos em caixinbas c em latas lindanmente
enfeitadas a 800 e 1,5oo cada um.
Fumo americano em latas para cigarros a
i,800 rs.
dem em pacoles a 2oo rs.
dem em pista a 1,200 rs. a libra.
Genebra de larauja a 1,000 rs. o frasco.
dem ingleza marca Gato a 1,00o rs. agarrara,
dem de HOllanda a 64o e l,6oors. o frasco
duzia.
rs. a frasqueira.
Graixaem latas a ,2oo rs. a
Limonadas de diversas fructasa I.ooo rs. a
garra*.
Licores, inglezes e francezes a 1,000, I.doo
c 2,000 rs. garrafas grandes e pequeas
dem menos superior a 800 e l/oo rs. o
frasco,
j Nozes a o rs, n libra.
Prezunto porluguoz de su pe i irqtialids a
64o rs. a libra c nteiro por ano rs.
! 1 rn i: :l". para liambr a 64o rs. a li 1,
nao agradandoni< smodi poisdepre 11
poder ser devolvido, que so trocar 1
oui.io ou.ser restituido seu imp 1 e.
Passas novas a ioo rs. a libra.
Polvo a IGo rs. a libra.
Painco a ICo rs. a libra.
imada a 24o rs a duzia.
Pimenla du reino a 'Mt rs. a ''. .
Peras seccas a 64o rs. a libra.
Peixe em latas a l.ooors. a lata.
Papel almassoe de peso, de diversas
ldadcs e precos deferentes.
Palitos do gaz a 2,2oo a groza.
dem para (lentes a 80, 16o c 24o rs. o ri-
co com vale macinhos.
Gueijos flainengosa 2,6oo, do ultimo vap. r.
dem pralo a 64o rs. a-libra,
dem londrino a 800 rs. a libra.
Rap Mcuron a 1,000 rs. a libra.
Sevadinha a 2io rs. a libra. ( nova 1.
Sag a 28o rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a 64o, 56o c 36o is. a
lata.
Sabio massa a 12o, 19o, 2ooe 24o rs. a 1-
bra.
e em caixes por muito menos.
Sai refinada a 600 rs. o pote de vidro.
Toucinho de Lisboa, de Sanios e amei na
a 16o, 24o e 32o rs. a libra, e em ai riba
a 0,000, 7,o(io c 9,000 rs.
Tijollo para limpar facas a 16o rs. cada um.
Vinho do PopIo em caadas a 3,3oo, 4.000 e
5,ooo rs. e eui ancoras com 7o garrafas | 1
3o,ooo rs.
dem de Lisboa sem confeicro, (deeikoinen-
da) por 50,000 rs. O barril com 17 capa-
das,
dem de Lisboa mais baixo a 13,000 rs.
dem em pipas a 3,ooo, 3,ooo e 4,000 r?. a
dem em barril de Bordeau* com 13o par-
rafas por So.ooo rs.
dem idem de Bordeaux com 70 garrafas per
3o,ooo .j
dem em caixas por 8,000 rs. a caixa com 12
garrafas da melhor qualidade que vem ao
nosso mercado.
Vinbo branco para missa de Lisboa e Porto
em pipa, barril e ancoras a 4,ooo e a.ooo
rs. a caada.
Vinagre de Lisboa, Porto, tinto e branco a
l,6ooe 2,000 rs. a cunada
dem em ancoras por 16,000 rs.
Velas estearlinas a 56o rs. o maro, c em cai-
xas a 52o rs.
Vassouras americanas a 64o rs. uma.
Ricos albnns para cincoenta
retratos.
Chegaram para a loja do Gallo Vigilante os n-
que sempre s -------- ,-- _
do Gallo Vigilante, rna do Crespo n. 7.__________
Dichas hamburguezas
Vendem-se bichas de qnalidade : na ra Nova
n. 61, defronte da Illma. cmara municipal.
IX'VAS E PELLICA
Para homens, mulheres c meninas.
A Asma-branca, na ra do Qoeimado n. 8 rece-
ben luvas de pellica, para homens, molheres e
eninmas_________________' _____________.___
Grande pechincha.
Ricos cortes de cambraia de cor com barra a
Maria Pia, fazenda inteiramente nova, *3w-
s para acabar; na loja de Paredes Porto n. .g,
ra da Imperatriz.
-*


/

Diario 4e Peruabneo sexta felra 15 de Julrio e 1SSJ.


, Largo da ,
Santa Cruz
numero ^[l
12 e 84.
Esquina das
ra do
Sebo n. l
e84.
HANTE AU
GRANDE ALLIANCA
57 RIJA DO IMPERADOR 57
Pauto Wwve'ra da Silva & Companhia
Grande sortimento de molhados em grosso e a retalho. nico armazera aue mais
vantagens offerece aapubHeo. '
NEM COROAS NEM MITRAS
i
ganem-se todos.
-
JH3

AURORA BKILIIA.YFE
GRANDES ARMAZENS DE MOLHADOS.
Francisco Jos Fernandes Pires proprietario dos armazens de molhados denomina-
dos Brilhante Aurora e Aurora Brilhanto, ao largo da Santa Cruz ns. 12 e 84 (esquina
da ruado Sebo),faz sciente ao respeitavel publico dcsta eidade e do interior que nos
seus importantes estabelecimeutos vender sempre gneros novos e de primeira qnali-
dade e vender a todos pelo mesmo preco.
O completo sortimento de todos os gneros finos e grossos que costumam ter outros
estabelecimentos desla ordem se encontrarao.sempre nos armazeas da Urilhante Aurora
e Aurora Brilhante e sempre em grande escala a vontade dos Srs. compradores.
O proprietario dos armazens Brilhante Aurora e Aurora Brilhante pede a todos os
senhores esenhoras que quando tiverem de mandar suas relagoes a estes estabelecimen-
tos por seus criados seja em carta fechada ou com grande recommcndacao a estes arma-
xens, certos de que serio tao bem servidos como se viessem pessoalmente.
K O
K O
U
B
Aflfanea o verdadeiro homem do progressso.
Allianca o verdadeiro e principal armazem de molhados.
Allianca o armazem que rende mais barato.
%lllanca o armazem que vende os mclhores gneros.
Allianca o armazem onde preside o melhor aceio.
Fiqoem todos sabedores desta verdade,
Venham todos ra do Imperador n. 37.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
PARA
AS
DE
FESTAS
A Brilhante Aurora e Aurora Brilhante troca qualqncr um genero que por acaso
uao agrade e recebe as libras esterlinas a 9,5,sendo por compra: a tabella de sets gneros
ser mudada todas as semanas.
Amendoas centelladas parasortes ,i libra 1>. Vinho muscatel doria t0 e garrafa 1
Manteiga ingleza flor a 800, e 960 rs. Dito braneo proprio de Lisboa caada i800
Dita mais abaixo a t e 720 rs. e garrafa 640 rs.
Dita franceza nova libra 040 e e-u barril a Vinho braneo de muito boa qualidade cana-
600 rs i da 4* e garrafa 480 rs.
Chocolate saute mu.to novo al20 a libra. DitoXercz lino a caada 7>50O e earrafa a
Cha perolao melhor que ha ( redondo) a 1*200.
j Dito Madeua seca caada 103 e garrafa 23.
: Dito em caixas de urna duzia do l'orto dos
I melhores aoiores a 123, 143 e 163.
Garrafas com licor Dno francez e porluguez
a 13.
; Ditas com vinho de caj muilo claro a 13.
i Ditas com mei de abelha puro a 13.
libra a | Frascos com genebra do Hollanda de 2 sar-
I rafas a 13.
Caf de moca superior arroba 103300 e 11- Dito de urna garrafa a 560 r*
ia loo rs. j Dito de laraoja verdadeira a 13200
Dito do liiu e do Cear arroba 93300 o libra Duzia de graxa latas grandes a 13.
Caixas com 23 massos de velas de sperma-
l S. JOAO
Amendoas confeitadas de bonitas cor
I 8oo rs. a libra.
dem de casca mnito nova a 3oo rs. a libra.
Avclas a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo, l,4oo e l,6oors. cada
urna.
dem em frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a i,2oo e l.ioo rs. cada
' um.
dem em frasco grandes a 2,500 rs. cada
um.
E S. PEDRO.
dem de Hollanda em garrafoes com 24 gar-
rafas a 7,2oo rs. com o garraiao.
Lentilhas escolente, legume para sopa e gui-
zadosa 2oo rs. a libra.
Licores francezes do todas as qualidades a
8oo e l.ooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo
e 90o rs. a libra.
1
i
e 3 libras a 1,200 e
libra 332O0.
Dito dito mais abaixo a 23300 o 23800.
Dito uxim muito fino a 23800 e 33.
Dito bysson superior a 3600 e 2380O.
Dito mais abaixo a 23 e 23300.
Dito preto muito lino a 23500.
Dito em massos a 23.
Dito do Hio em latas de 4, 2 e 1
15300.
Dito mais abaixo arroba 83500 e libra 280.
Barricas
cele a 560 rs. a libra,
com bclachina ingleza ingleza nova Ditas maiores a 600, 640 e 720 rs. a libra.
Caixas com ama arroba de velas do Araca-
ty 103500 e libra 400 rs.
Ditas de
libras
Latas com bolacliinha de soda <
a 23300. Ditas de composicao arroba 103e libra360
Ditas com ditas surtidas de 2 libras a 15400. Saceos grandes c*m farinlia duGuiannamui-
Fra.-cos cun auvixas francezas s o frasco! to boa a 53300.
val o dinheiro a 5800 e ;. i Dilo de Porto Alegre melhor que de Muri- W
Latas com ditas a 154UO, 25200 e '1,1 beca a C5.
Ditas com litros d.' comadre a 13300. i Ditos com rnilho novo com 24 cu as a 43000
Caixinhas hermticamente lacradas cproarias Djto_com farello do Lisboa 120 libras a
para mimo a 25 e 25800.
Caixinhas com ditas a 15, 25500 c 33 de
- ," Presunto d
33
Lamego muito novo a libra 5.0
rs. intuir a a retalho 600 rs.
) Chouricas o paios nuvos a libra 8I0 r?.
1 Latas com choaricas e liuguicas novas viu-
das oeste vapor com '.) lluras por 63300.
1 Hitas com peixe ensopado de muitas quali-
dades a 15.
Dilas com ervillias francezas e portuguezas
a 880 rs.
Ditas i-oin f.-ijao Vi rdi francez a 8;;o rs.
Ditas com inassa de lmale novo libra
560 1.-.
Ditas com ostras a 720 rs.
uias com marmelada dos melhores autores
de Lisboa a libra i rs.
Potos com mustarda franceza preparada a
libra i8J rs.
Frascos com conservas de pepinos, mesides
e azeitonas verde a 13.
Dita dita franceza a 800 rs.
Giros com trinta e tantas libras de batatas
novas a 33300.
Qaeijos novos do vapor a 35200 e 33500.
35300.
Dito corra arroz de casca a 55.500.
Duzia de garrafas de seroja branca e preta
a 65800 e em barricas a 55500.
Arroz do Maranho em sacecs arroba rISUOO
e libra 00 rs.
Dito da india e Java arroba 33 e libra 120.
Amula verdadeira arroba 85 e libra 320
rs., e matarana.
Gomma do Aracaiy para engommar arroba
53e libra 160 rs.
Tapioca ou farinha do Maranho nova libra
160 rs,
Ervilhas seccas muito novas libra 200 rs
Sag e sevadinha a 240 rs.
Sevada arroba 332-0 e libra 120 rs.
Graxade boio 97 a 280 rs.
Sabae massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito bcspanhol verdadeiro a 400 rs. a libra.
Balaios do Porto diversos tamaitos de 320
a 23.
Capachos para ponas de varias cores a 600,
700 o 800 rs.
Grao de bico arroba 45500 e libra 160 rs.
Paineo arroba 53500 e libra 200 rs.
Milho alpista arroba. 45800 e libra 160 rs.
Azeile doce de Lisboa garrafa a 040 rs.
Vinagre de Lisboa caada 15500 e carrafa
200, 240 e 320 rs.
Massos de palitos de dente? com 20 massi-
nhosa 160 rs.
Tijolos de limpar facas a 160 e 120 rs.
Caixas com 40 cartas de traques a 95500 e
a carta 280 rs.
Resmas de papel almaco pautado a 53.
Dito de peso e paulado a 23300 e 25800.
Garrafoes com 25 garrafas de verdadeira
genebra de Hollanda por 83500.
Azeite de coco garrafa 560 rs. c carrapato
360 e caada 23360.
Caixoes com doce de goiaba a 640,800 e 15,
83300 e libra
Ditos deprato enplicado a 3.
Dito suisso a 800 rs.
Dito de manteiga do Serid a 800 rs.
Caixas com passas novas de 1 arroba 75,
meia 33500 e quarto 25 e libra 480 e
OSO rs.
ADieodeas com casca a libra 240 rs. o arro-
ba 63.
Nozes libra 160 e arroba 55-
Caixas e meias ditas com charutos finos da Ditogreve liso o melho'r que ha a 43300.
Baha dos melhores labneantes de Jos '
Parlado de Simas, Res e outros, sendo
Suspiros, Parisienses suspiros, Delicias,
Normas de Havana, ExposicSo, Almiran-
tes, Barateiros, varetas, Goaoabaras, He-
galia imperial, Academices de Olinda, Se-
nadores e Apraziveis de 15300 a 85 a cai- Toucinho de Lisboa "arroba
xa de 50 a 100 charutos. 320 rs.
Grozas de caixinhas de palitos do gaz a Dito de Santos arroba 73 e libra 280 rs
252OO e 200 rs. a duzia. Molhos com grandes ceblas a 13600.
Barris com azeitonas novas a 3, e 45 bar- Cento de dita sola a 13500.
ns grandes. Mauncos de alhos a 240, 320 e 400 rs.
Vassouras do Porto piassava muito seguras Esteiras de varias qualidades.
a iOO rs. Cordas de postar e de andaime.
Jzeite doce francez dos melhores fabrican- Pavas da ilha de S. Miguel arroba 33200 e
tes caixa 103e agarrafa 15- i libra 120 rs.
Caixas com vinho Bordeaux braneo e tinto Copos lapidados para agua e vinho a 35300
S. Juhcn, S. Eslifu c outros a 73300 e 83. 33800, 63 e 75.
Vinho do Porto lino em barris de 3o que ra- Ditos lisos para varios preco?.
ras vezes apparece por 803 e em canada a Calix lapidados grandes e'pequeos duzia
r, f*fJ parnifa 800 rs" I 3,4 e 3 ; e 400 e 300 rs. cada um.
Dito da Figiieira puro caada 45 e 45500 e Massas para sopa macarro, talharim e ale-
garrafa a 48o e 06O rs. 1 tria a 480 rs.
Dito de Lisboa de boas marcas a 35300 e Estrelinha c pevide libra 560 rs.
43 e a carrafa a 440 e 480 rs. Xaropes de fractas nacionaes a garrafa
Cognac verdadeiro a garrafa 13 e 15280. 500 rs.
x E muitos outros gneros que hho possivel men-
ciona-los todos de primeira qualidade.
A satisfaeo da Brilhante Aurora e Aurora Brilhante vender muito embora bara-
to, mas a DINHEIRO.
POR mm DE 20 A 50 POR CENTO
CONSERVATIVO
23-Largo do Terco~23.
Joaquim Simo dos Santos, dono deste armazem de molhados, tem feito urna grande ?antageia
quera seo armazem tera frequentado, liquidou todos os seus gneros mais antigos que tinha nao so
oeste armazem como fra, e tendo feito urna grande reforma neste estabelecimento tanto em tamanho
como em generes que mandou vir por sua propria encommenda a maior parte, que os pode vender por
menos de que qualquer annunciante, para isso se resnonsabilisa pela superior qualidade.
Attendfe.
Bataus as mais novas a 15400 a arroba e 50 rs, a
libra.
Toucinho de Lisboa novo a 280 rs. a libra e 85100
a arroba.
Caf do Rio de primeira e segunda sorte a 280 e
300 rs. a libra e 83500 a arroba.
Arroz pilado a 80 e 100 rs. a libra e23500 e 23300
a arroba.
Sardinha de Nantes novas a 320 rs. cada urna.'
Sabo massa superior a 180 e 220 rs. a libra.
Passas as mais novas deste genero a 400 rs. a libra
Ameixas franceza.* com I e meia libras a 13.
Bolachinhas ingtezas novas a 240 r?. a libra.
Charutos de diversas marcas e superior nualidade
de 152OO, 13500, 25, 34 e 43.
Phosphoros do gaz groza 23200.
Velas de es|>ermacete de 5 o 6 por libra a 540 rs. a
libra, e em caixa a 320.
Velas ile carnauba a 115 a arroba e 360 a libra.
Sevadinha e sag muito novo a 240. 260 rs. a li-
bra. Garntese a superior qualidade.
Queijos do vapora 25800.
Vinho de Figueira, marca JAA, a 500 rs. a gar-
rafa.
Dito de Lisboa a 400 rs.
Dito de outros paizes a 360 rs.
Dito para negocio a 320 rs. a garrafa e em caada
I se faz abatimento.
: Genebra de Hollanda em frasqueiras a 63000 e 500
I rs. o frasco.
I dem em botijas de conta a 400 rs.
1 Azeite doce de Lisboa fino a 600 rs. a garrafa.
i Dito de carrapato a 320 rs. a garrafa.
Manteiga franceza a 560 rs. a libra, o 540 em
barril.
Dita ingleza flor a 7*}, 800 e 900 rs. a libra, e em
barril ha atatimento.
Massa de tomate em latas de libra a 600 rs. cada
urna.
dem em latas de
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranho o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,ioo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
I 4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a Doo rs. cada urna, o 10,000 rs. a
caixa com I duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
| bra.
Alpista a 16o rs. a libra e 4,600 rs. a a
roba
Bolachinlias de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e de 3 '/ libras a 1.5oo rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinhas
torna-se muilo recommendavel com espe-
cialidade para os doentes.
Biscoitos c Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em carios c de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 16o rs. a libra.
Bolachiolias inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje lem viudo aonosso mercado a
18,ooo rs. p gigo e i,Soo rs. a garrafa
inteira, e 800 rs. as meias.
Cha uxim o meHiOr que se pode desejar, e
que oulro qualquer nao vende por menos
de y,ooo a 2,7oo rs. a libra,
dem perola de esp cial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garante-s a qualidade
d'esle chi.
dem bysson o melhor que possivel encon-
trai-se a 2,4oo c 2,6oo rs. a libra,
dem ilo Bio em latas de 2, 4, 6 c 8 libras
a l.2uoe Mors. a libra,
dem prelo muilo fino 11 i,600 rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suissd a I.ooo, l,2oo e I,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em l caixas das seguin-
tes marcas: Parizienses, Suspiros, Dili-
cias, Napoleoes e Goaoabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna,
dem de outros muitos fabricantes e de dif-
f eren tes marcas para 1,5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a l,6oo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco,
dem franceza a oo rs.
Cognac ingle/, das melhores marcas a 1,00o
rs. a garrafa e lo,ooo rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 9,000 rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a loo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
oo rs. cada um.
Caf do Bio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 e ),5oo a arroba.
Doce tino de goiaba a 600 rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enlutadas a
1,000 rs. cada urna.
Mera em l?tas ermiticamente lacradas a
1,5oo e 2,5oo rs. cada urna,
dem em caixas de y arroba a 2,3oo rs.
cada lima, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e l.ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 360 rs. o frasco

GKAAIIE
AKMA2KEM
DE

RA DO IIIPFK.IDOR M. 40
Junto ao sobrado em que mora Sr. 0>bane,
Para a festa de Santo Antonio, S. Jofto e S. Pedro.
Duarte Almelda A. C, receberam de sua propria enconasen
da o mais lindo e variado sortimento de molhados. proprlos
da presente estacio.
Manteiga ingleza Macas brancas
da safra ova vinda neste*vapor de 28 de para sopa a melhor que se pode desejar.
macarro, talharim e aleiria a 100 rs. j
maio a 800 rs. a libra.
Maatetga franeza
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril
aOOrs.
Amendoas
I confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
i em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2(5400, muito propios para mimos.
Cartoes
dem franceza nova j deste auno a 600 rs.
a libra, e 58o rs. era barris inteiros.
Marmelada especial dos melhores fabrican- com bolos francezes a 500 rs cada um
tes de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, ha I faroc,
latas de diflerentes tamaitos. MMWB
Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o com ,)olachinhas de soda de todas as qua-
rs. cada urna. lidades a i300.
dem para soda estrellinlia, pevide e rodinha OhOCOlateS
a-^So^fHbr.93,03,5 re*C8da de lodasas1ual^des a 1000 a libra.
dem macarrojalharim ealetria a loo rs. a PreSUlltOS illglezeS
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos redos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 26oo.
Qneljos
chegados no ultimo vapor a 25600 cada um.
Queijo
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a loo
rs. cada um
Molho inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafa, i0,000 rs. a caixa com I du-
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Prezunto de Hambre superior a 600 e 800
rs.
dem .lo Porto para panella a 5oo rs. a libra.
ss ryv- co-r^r8""8 -**
mo, savel, corvina, govas, pescadinhae' -tv
outros a 1,000 rs. a latas. JclgOS
Palitos para denles a lio e a 160 rs. o mas- em libras e caixinhas ricamente donradas,
libra e 4)5500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e ootras muitas marcas arre-
diladas a 300 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a rraa e
2->8O0 a caada.
dem do Porte
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da eidade do Portea 1$ e l-5*i0
a garrafa ede 100 a 124a caixa, asmar-
cas sao as seguintes: Chamisso AFilho.
F. ti M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
i a l#80O a barrica da mesma que
venden a 2O0O e 24O0.
Nozes
as mais novas do mercado a ISOr- m bra.
Cervejas
dos melhores fabricantes^ de todas as mai
cas de 40500 a 6;>500 a duzia.
CJARUTOS
s em
so dos melhores.
Paineo o mais novo e limpo a 16o rs, a li-
bra, c a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor, a 3,ooo
dem prato muito fresco a 800 c 9oo rs. a
libra.
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho. meias M^'JfJ-
n -, .rroz
LOllSei'VaS lllglezaS ;do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2;>500 a 3.->00 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2. sorte do Rio de Janeiro a 8*3f
e 83800 a arroba, e 280 a 300 rs. a I ib/
Ciarrafes
com i '/a garrafas com vinagre a 1000.hi
o melhor que se pode desejar, queoutro; o garraiao.
qualquer nao pode vender por menos de ... GERgBiU de laranja
propnas para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 20700 rs. a
dem hysson
lira.
dem suisso a melhor qualidade que at ho- mais aromtico que tem vindo ao nosso
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs. 'croado a 20600.
Massas amarellas
,;i. liara S0Pa' macarro, talharim e aleiria
\idroa .joo rs, 480|.s> a|i|)i;1
_ COC sa c
marcas a 6,000 rs.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes de
cada um.
Cerveja das melhores
verdadeira
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
a 10000 o frasco, e de lld<*>f
-Skoo em
duzia, 6 50 rs, agarrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca I8ors. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a
roba.
ar-
a PALITOS
. os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
J o muito afamado cognac Pal Brandy a 1,800! LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas qualida- finos de todas as qualidades. a 10,000 a caixa
des a l,ooo e 800 rs. a garrafa. com urna duzia e a l.ooo a garrafa
COPOS Mfirmplqilq
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo is. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
Traques de 1.a qualidade a 9,5oo rs. a cai- almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
Vinho em pipa Porto, Lisba*e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs a garrafa,
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conliecidas a loo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada,
dem Colares especial vinho a 600 rs. a car-
raa.
IdemLavradio muito fresco nao levando com-
composico a 56o rs. a garrafa, e 4,000
rs a caada.
dem braneo de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada,
dem mais balso a loo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a canada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais "acreditadas a 0,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1,2oo rs a garrafa, ga-
rante-sc que por este mesmo prego d
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em'caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e lo.ooo
rs. a caixa e 9oo e l.ooo rs. a garrafa,
dem Muscatel superior a i ,00o rs. a garra-
fa, e 10,000 a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,loo rs. a canada.
Idemem garrafoes com 5 garrafas a l.ooo
rs. com o garraf3o.
Vassouras do Porto de arcos.de ferro a 32o
rs. cada urna.
I dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
dem de laranja a i,000 rs. os frascos gran-1 cada urna.
des e 11,000 rs, a caixa com 12 frascos. | Velas de espermacete superiores a 56o rs.
dem de Hollanda era botijas a loo rs. cada I a libra, e 52o era caixa.
iJlina' dem de carnauba refinada e de composico
dem em garraloes de 16 garrafas a 4,8oo; a 36o rs. a libra, e de lo/oo a 11,000 rs.
rs. com o garrafSo. a arroba.
dos melhores fabricantes le Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. 1
libra.
lidades de 2,"2oo, a i,5oo a resma do me-; A ,., WOlltO
Toucinho novo de Liiba a 2io e 32o rs. a 'hor. HMdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
libra. Papel de botica a llbra-
limpar facas a 15o rs. cada um. de excellenle nualidade a 2200 a resma, !Mararih5o> Java e J" ,00 rs a
de 3.000, a 3,2oo rs. a arroba.
xa, c 24o rs. a carta.
libra
e quain
,.,, >" oiiuau, j>.i c mua, a 100 rs. a una e
azul e pardo para embrulho de 1 .loo a 2,2oo \ VELVS
rs. a resma. de espermacete de diversas marcas a :t. rs
UOrmtniaS a llDra e em ca ter abatimento.
passas corinthias muito novas propnas para; VELAS
podim a 800 rs. a libra. i d0 'amauba em caixas de arroba a 9,5 11 e
Viiwi/ caixa e 3i rs- a libr3'
Jriumc
o verdadeiro fumo
l,4oo rs. alibra
TT"
v magre
PRR em ancorelas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Batatas novas
americano em chapa a lem caixas de 2 arrobas a :.-> a caixa e o rs
a libra.
Passas muito no>as
em quartos e inteiros a 25 o quarto e O05t>o
a caixa e 400 rs. a libra,
ni u Chocolate
IjeDOllaS j portuguez o mais especial m M p.1.' ,],>-
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa seJar a 80 rs-a libra e llOrs. o peo.
e 1,00o rs. o molho. Frats em calda
lDSta e Palim chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
iiiyioui e xdlllVU outros muitos a 640 rs. a lata
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra, n^ d. casca da ,,ba'
e 40400 a arroba. : a 000 e 10 o cante
fro,?eSapr0)r'e,ar0S Mme arra?zem Verdadeiro Principal declarara aos setis
freguezes e amigos e aopubl.co emgeral, que para facilitar a commodidad.' de todosV*
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
l'Hi'o e (lommercio roa do Queimado 1. 7
__________0 Verdadeira Principal rna do Imperador n. 40
GAZ GAZ GAZ
Veode-se gaz da melhor qualufcde a 120
a lata e em lotes de 10 latas para cima se
far abatimento. no armazem da- ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
Bu da Seazalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotepara carros e montara, arreos para
carros de um e dona carallos, o relogios de
ouro patente inglez.
Na ra do apollo n. 32 ha um grande sorti-
mento de marmore para latirilho, sacadas, hom-
conservas Dg,eZSS, bocezas por,,o. a 640 KTA^S-h-VS SSrf S&
nha vefm mi* ti***"*** qne enfadonho 'seria menciona-.o, Qaem davidar ve- dTp^&lr^a^anrJK
para lampos de mesas e para tnmolon, vasos gran-
. por pr#
ios muito razoa\eis
Charutos de Havana
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schafleitlin 4 C, ra da Cruz n. 42.
At qne chegon
um grande sortimento de btco e renda preta de
novo modelo chamado (gojp) o melhor que se
pode desejar iwste artigo e que se vende raaito la-
rato : na loja do gallo vigilante rna de Crespo
o. 7.
| Fabnca ConeeioSo
Balda.
Andrade A Reg, recebem constante-
mente e tem vetna no seu armazem n.
34 da rna do Imperador, algadao d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assn-
eer, embalar ai^odao emploma etc., etc.,
pelo preco mais raioavel.
MOVIMENTO
BAIRRO DO RECIFE, RA DA CADEIA N. 50.
U mais novo e o melhor
v ^Rff4ZPM E MOIiHABOS
tsquma defronte da ra da Madre de Dos
AVTOmffAt
O annnnciante, tendo feito nma completo reforma no tocantP a n*c*
correspondentes na Europa para remessa^ de conta nror?. m?. genero*, possmodo
teoc.ao de todos os amtgoTdo bomTbS) ISdeX^^itm/0^600'^06 merMeri a f^
mcrecer a conflanga com qne se dCde^oLr^ laiM' H*'*"-"** que jamis te-
W*JSZSS*3Z^^ s"t* "mazem Movlmento, compre-lbe al-
delicadeza, ou legalidades pwose medidas J m commoilMa 9*V*> *>
^rrX"Somui.,^Tmra,KB -*,. Idntico.
I1U1
eto-
teeaa oCarecid tm
ExINTooHOSR^VENERms^PARiR-^ premc ,354
nnerrhatinat aais intnuu*
f -. .airinor. Faceisi tomu a Mtnfe luana.
tojeccao curativa e preservativa
Deposito geral em Ptraatnbnco na da Cruz n. 22 emeasa de Caros i Barbo.


11
H

DlaHo 4e PerMiBhne* Sexta feir i* de Jnlho de f SC-f.
RIJA IIA AIIEI1 DO ItECII E HV alt.
' NOVO E
GBAHDE B1CAZS1C DE MOLHADOS
RA DA C A1IEIA DO KECJFE W. 53.
Francisco Fernandos Daarte acaba de abrir na ra da Cadeia do Recifen. 53, m grande e sorlido aimazem de molhados de
nominado Vnie Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeitavel publico un ampielo soiiimenlo dos melhore
eeoeroa qoe vena ao mercado. Unto esirangeiros, como nacionaes, os quaes serao vendidos em porcoes ou a teall.o fr presos assat |
gommodos. ^nn
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
Manteiga ingleza especialmente escolbida
de primeira qualidade a 900 rs. a libra,
em barril se faz abatimento.
Manteiga franceza a mais superior do mer-
cado a 6oo rs. a libra, e 580 rs. em barril
ou meio.
Prezuntes inglezes para fiambre, de superior, Geneora de Hollanda a 500 rs.
qualidade, chegados nesle ultimo vapor, a | 5)5800 a frasqueira.
720 rs. a libra. Caixinhas com ameixas francezas,
Queijos flamengos chegados neste ultimo
4*000.
1*200 a caada.
Azeite doce renado em garrafas brancas a
860 re,
Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
4*800 a caada.
o frasco e
vapor a
Queijo prato muito fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Castanhas muito novas a 120 rs. a libra e
e 3*000 a arroba.
Cha uxin o melhor que ha neste genero,
mandado vir de conta propria a 2*800
rs. a libra.
Cha hyson maito superior a 2*560 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio para negocio a
1*500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 2* a libra.
Biscoutos inglezes em latas com 'differentes
qualidades, como sejam craknel, victoria
piquete, soda, captain, seed, bornez e
outras muitas marcas a 1*350.
Bolachinha de soda em latas grandes a 2*.
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 1*500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 1* e 2* cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 50 rs. a libra e 3* um quarto ;
e em caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 re.
Champagne da marca mais superior que
tem vindo ao nosso mercado a 18* o gigo,
garante-se a superior qualidade.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 7*500 a 8*000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 9*
a 105 a duzia, e 900 a 1* a garrafa; deste
genero ha grande porco e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 14 e 15* a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do Douro, I). Luiz,
Cames, Madeira secco, Carcavellos, Nec-
lar de 1833, Duque Genuino.
Vinho de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 3*, 3*200
e 3*500 a caada.
Vinho branco de superior qualidade, vindo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
rs. de barril.
ornadas
com ricas estampas na caixa exterior,
muito proprias para mimo, a 1*200,1*500
e2*.
Frasco de vidro com tampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a
1*200.
Marmelada
Sardinbas de Nantesa 340 re. o quarto e 56(
rs. meia lata.
Latas com peixe em posta : savel, corvina,
vezugo, cherne, linguado, lagostinha, >
1*300 rs.
Salmo em latas, preparado pela nova artt
de cozinha, a 800 rs.
Macaa de tomtes em latas de 1 libra a 60(
ris.
Chouricas e paios em. latas de 8 e meia libra
por 7*.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra t 8*600 a arroba.
Bolaxinha ingleza a 320 rs. a libra e
4*>
barrica.
... ,, I Sag muito novo a 240 rs. a libra,
imperial, dos melhores conser-, Cefadinha de Franca a 200 rs. a libra.
veiros de Lisboa, em latas de i e meia a
2 libras a 600 rs a libra.
Fructas em calda das melhores qualidades
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoas de casca molle a 400 rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs- a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 rs. a libra.
MacSas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, s vista se faz o preco.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. ca'a um.
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 1*200 a libra.
Chocolate hespanhol a 1*200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 1*.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que ha do mercado a 500 rs. a garrafa e
59800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
e 1*200 a garrafa.
Licores francezes das seguintes qualidades:
Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames
e de outras muitas marcas a 1* a garrafa
e 10* a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
9* a duzia.
Mostarda ingleza em potes j preparada a
400 rs.
Mostarda ingleza em p, em frascos grandes,
a l*cada um.
Sal refinado a 500 rs. o pote.
Farinha do Maranho a 120 rs. a libra.
Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Cevada a 120 rs. a libra e 3* a arroba.
Alpistaa 160 rs. a libra e 4*800 a arroba-
Batatas muito novas em gigos com 40 libra*
por 1*500.
Cebollas a 1* o molho com mais de 100 ca-
da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 -rs.
a libra e 9* a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 re. a li-
bra e 8*400 a arroba.
Caf do Rio, proprio para negocio, a 8*.
Arroz do Maranho a 100 rs. 'a libra e 2*800
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 25400
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas-
so e a 9* a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixio.
Macarro, talharim e aletria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz batimento.
Estrellinha,pevide e arroz demassa para sop
a 600 rs. a libra e 3* a caixa com 6 libras
Palitos de dente lixados com flor a 200 rs.
omasso, ditos lixados sem flor a 160 rs
o masso com 20 massinhos.
Gomma de engommar muito fina a 180 rs. i
, libra.
| Banha de porco refinada a 480 rs. a libra t
400 rs. em barril peqneno.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inteiras ou em meias, df
1*600, 2* e 3*.
Presuntos do reino, viudos de conta propri
de casa particular, a 00 rs. a libra; intei-
rose faz abatimento.
Ossenhore' que comprarem de 100*000 para cima, tero o descont de 5 por cento, pelo prompto pagamento.

L
RA DO QJEIlflADO U. 45.
Passando o becco da Congregado segunda casa.
tM
NOVIDADE.
Acaba de rewjber de sua propria encomuienda um grande e variado sortimcnto
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer aos seos freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seas gneros e
resumidos precos, afiancando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
PARA A FESTA
DE
E S. PEDRO
Licores francezes e portuguezcs das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limo
ja, canella, crav
rs. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
tos e nteiros a
S. JOAO
Amendoas confeitadas de 800 re. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 rs,
libra.
dem franceza a 56o rs. a libra, e 5oo rs.;
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
dem hysson o mais superior que se pode Passas muito novas em quar
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima 2,000 rs o quarto, a 6,5c
a2,5oo rs. >"S. a "
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras
para cima a 2,3oore.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
cada urna'a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o mellior que 6e pode desejar
neste genero a 2,8oo re.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra.
RIVAL SEM SEGUNDO
liua do QueimaJo M. 49 e >'), leja donmmVzas
de Jos de Atwedo Haia e Silva, est continuando
no seu progresso de vender baratissimo :
Capacho graudes e superiores a 00 rs. cada un.
Caixas de superiores obreias de cola e massa a
40 rs.
Cordao branco para vestido e esparlbo, vara 20
ris.
Linhas de carretel (1 oO jardas) de superior quali-
dade a 60 rs.
CartSes de linba Pedro V (200 jardas) j muito
conhecida a 40 rs.
Grozas de pennas de ac de muitas qualidades *
superiores a 300 rs.
Caivetes de duas follias percn Gnosa 500 rs.
Caixas com calungas muito bonitas para rap a
i 100 rs.
Franja branca e de cores para toalhas a 166.
Pares de botoes para punbo muito bonitos a 120.
Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a
1 120 rs.
Tiateiros de vidro com superior tiuta a 160.
Ditos de barro rom superior tinta a 100 rs.
Groza de botoes de tonca pratiados, o melhor, a
I 160 rs.
' Tesouras para costura, o mais superior, a UB rs.
Ditas para unhas muilo linas a 400 rs.
Erovas para limpar denles muito superiores a
' 200 rs.
Libias de la de todas as cores (pesada) a 7#.
, Caixas de phosphoros de seguranca a 100.
Ditas de papel amizade pautado e liso a 00 rs.
Ditas cora 100 anvelopes muito superiores a f00
l ris.
Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
' Ca tas e taboadas para meninos a 80 rs.
, Caixas com superiores iseas de aceuder charalo>
a40rs.
Carreteis de linha Alexandre (200 jar jas) de cores
a !>0 rs.
Baralhos para voltarete muito Daos a 240.
Cartas de alinetes francezes muito Unos a 4( i
Meadas de linha fixa para botdar a 20 rs.
Pares de sapatos de tranca muito superior* a
1,5600.
Paj js de agulha com um pequeo toque a 10 rs.
Groza de botoes de madrtperola muito Gloi a
60 rs.
Cartoes e caixas de clcheles francezes superiores
a 40 rs.
Douets para meninos muito finos a 1500 e i.
Macos de grampos superiores e limpos a 40 rs.
Groza de phosphoros do gaz muito noves a 200.
Areia preta muito superior a 100 rs.
Caixas de rap com espelbo a 100 rs.
Realejos para entreler meninos a 80 rs.
Pecas de lila de linho muilo boas a 40 rs.
Petes de laco muilo bonitos a 1 .
1*300.
10, cafe, laranja. Cidra, gin- j Enlates de laco de todas as cores a 1
n nrlflla ninwnta a 1 non Hodas com alinetes francezes a 20 rs.
,0, orieu pimenia a 1,000 0 s de lhls
impertis a
ibra.
dem corinthias proprias para podim a 9oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de ico muilo novo a 16o rs. a libra,
rvillias francezas em latas a 6oo rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
fazenda especia
Caixas com qualro papei
240 rs.
Saboneles de familia a 80, 160 c 320.
Caivetes de duas folhas muilo finos a 320.
Pares de sapatos de lila para meninos a 400 rs.
I Sapatos de tranca para seuliura e par., non i
joo a caixa e 4oo melhores gUe tem viudo, e por preco muito bar.ro:
quem quizer ver, venha ra do Quemado as.
49 e 55, e ver tudo como bom e barato.
dem mais baixobom para negocio a i,5oo Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra. rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
rs. a libra. Caixas de traque n. 1 a 8.J500 cada urna.
Queijos do reino chegados neste ultimo va- Massas para sopa macarrao, talharim aletria
por a 2,6oo. a 4oo rs. a libra.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa!
dem londrino o mais fresco que se pode | e 8oo rs. a garrafa.
esperar o de excellente marca a 8oo rs. a, dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
libra sendo inteiro, e a 9oo rs. a retalho. garrafa,
dem prato es melhores e mais frescos do charutos em grande quantidade e de todos os
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro. fabricantes mais a creditados a l,5oo,
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes 2,000, 2.5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven
0 0 > te
;
rz? ^.
gs / p-
9? 92
Q *> ^
i te -
d H ce p
p .
p9 ta^d !-- 0
P P P
P 2
0 P
z 'Si e-J-
ce p 0
p CD
Pj -K
>1 O
O
r o

sa

&
ja
t
s
p
9 -"
f-
0
5
o-
SO
,I.
p-
O
co
o
p
p-
s
t? -o ? 3' 5" os S. 3 5' Ci 2
; 3 i i "
cr z- :
Pereira Rocha 4 C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clanm Commerctal,
nr^e o resneitavel oublico encontrar sempre um completo sorlimenlo dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
aero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se obom peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranho, da India e Java a60, 80 Cevadinha de Franca muito superior a 220, Peras seccas muito 1
e 100 rs. a libra e 1>800 a 2000 e U. rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
1200 e 1^600 emfrascos grandes a
2>500.. ,
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estampas no interior das caixas
a i2J0OO, 1(5400, 10600 e 20.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 30000 a barn-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de por cor efi nada a 440 rs. a libra e
e em barril a 4t0 rs.
Cha hysson, huehin e perola a 10600, ,
20500, 2080 e 30000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
novas a 600 rs. a libra-
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado no ullimo vapor b
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Aceite daoilrncz"muo"finVera"garrafas dem emgarrafoes de 3 e 5 galoesa 50500 Sag muito alvo e novo a 260 rs a libra.
JSu es a 960 rs a carrafa. I e 70500 cada um com o garrafo. Toucinho de Lisboa a 320 rs a libra.
Mp de Lisboa a 640 rs. a garrafa. Graixa a 100 rs. a lata e 10100 rs. a duzia. Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Arar 1 verdadeira de matarana a 320 rs. a Licores muito finos a 700 rs. a garrafa. | Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
,ih dem, qualidade especial e garrafas muito dem steannas muito superiores a600rs. a
grandes, a 10800 rs. a garrafa,
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi-
dro, a 10000 rs., s a garrafa vale o di-
nhfiko.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a libra,
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. a libra,
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Massas finas para sopa : estrellinha, pevide,
rodinhas e letr'anhas a 600 rs. a libra e a
40 a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra,
e especMamte da fabrica imperial de, Peixe em latas preparado pela primeira arte
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 10800, | de cozinha a 10 rs. a lata.
20000,2*200, 20500, 30800, 30000 e, Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
30500 a caixa. Palitos de dentes a 120 rs.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320 dem de flor a 200 rs.
rs. a libra e 80500 e 80800 rs. a arroba. Amendoas confeitadas a 900 rs. a libra.
Cartoes de bolinhos francezes muito novos e Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
muito bem enfeitados a 700 e 600.rs. 20 e em caixSo a 640 rs.
Chouricas e paios mnito novos a 800 rs. a Palitos do gaz a 20200 rs. a grosa
libra.
[Passas muito novas a 480 rs. a libra,
libra.
Figos em caixinhas emticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam: Velbo de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Maria Pia,
Bocage, Chamisso e outros a 808, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 509 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs.
a duzia.
dem Morgaux e Chateaulumini de 1854, a 10
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
10200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Atm dos gneros cima mencioaados to-
mos grande porejo de outros aue deuuuw
de mencionar, e que todo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porcoes como i
retalho.
Quem comprar de 1000000 para cuna to-
ra o abate de 5 por cento.
marcas: Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
tas a l,3ooe 1.4oo rs.
Polvos chegados ltimamente do Porto a 32o
rs. a libra.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 50 a
caixa e 6o rs. a libra-
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 2,5oo rs, a barrica c 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Cartoes com bolas francezas proprios para
mimos ou para anjos que vo as procis-
ses a 6oo rs. cada um.
Papel de botica de excellente qnalidade a
2200 rs. a resma.
Peras seccas as mais novas do mercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em Mas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muilos a 64o rs. a
lata.
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
iSozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 8oo rs. a libra,
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo.ooo e
l.ooo rs. agarrafa,
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada,
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada,
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa,
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,oeo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composicao a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha do Maranho a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l.ooo rs. cada urna.
Ricos livros com figos l,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafes com 4 V* garrafas de vinho supe*
rior a 2,5oo rs. com o garrafo.
dem com 4 '/ditas de venagre a 1 ,ooo rs. o
garrtfio. m ,
Vinagre PRRemancoretas de 9 caadas a
15,000 rs. com a aacoreta
dem em pipa puro sem o bausiu
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deara: fasenda muito especial a 6,8oo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
-
-
a es
g.8 il ^2
o u a^e"
o o a -5
-> 3 rg.8 2
3 3 s "
32 T-
2. os
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.800 e 9,5oo
rs. a.arroba.
dem de segunda qualidade a 8,000 rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranho a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba. i
dem da India muilo superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra. |
dem mais baixo redondo a 2,600 rs. a libra. \
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro- g | |
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaly a 9,ooo rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra,
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-,
te 36o rs. a libra,
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, e em
caixa a 52e rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os '
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almacopautadoelisoa 3.000rs. a resma,
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a j
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiroa 2,2oo rs.
a resma,
dem embrulho de 1,2oo a l,4oo rs. a resma.
e/2 r. r. < n -r =s > > O g; 3 h 2
n
1.4
OS % s S.B
A 'S P
.es-D
b
I -. V- >. V- w-
^a o.* &g !*
O o, 5 3 no S'O
^
:
W3
0 erg
, S w
.3 = 5 ^2 5. -S P- y-

* R' *1
=. S
Cso8
o "-. 5

-
, u U
1
-
o
3

~-
9
joro sem o basmo a 2oo rs.
Roa da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tacbf :'e
ferro coado libra a 110 rs., idemdeLc**
Moor libra a 120 rs.
ESCRAYOS FGIDOS.
Ameixas francezas em latas de 1 /> libra a
l,2ooe8oors. a libra.
Est arribada a mulata de nomeJosepha, c.'r
dem em frascos de 3 libras a z,ooo rs., so o parja, altura regular, cabellos caxiados e corapri-
dos, no fallar morosa, tem no lado esquerdo das
costas urna cicatriz fechada, oi vestida com urna
saia cor de caf, com pintas encarnadas e cabe-
cao : protesla-se desde j contra qaem a tenha
acoutada pelo tempo decorrido, quem della hw-
ber pode leva-la roa do Arago n. 2:Lou do Cal-
deireiro n. 4___________________________M
Ao amanhecer do dia 6 do corrente Ek de
engenho Penanduba, sito na fregaezia de Moriti -
ca, urna escrava de nomo Sabina, representa ter
25 annos de idade, com os signaes seguintes : cn-
oola, fula, cabellos caraptnhos. baixa, grossa, mos
grandes, rosto redondo e com muitas marcas tte
bexiga,.maos pequeas e ps, pernas arqueada.-..
mais algans que nao se record levou crtfc
urna fllha com idade de tres meies tambem preta
quem a apprehender leve-a ao referido engenho
ou ao pateo de Terco n. 44, qoo ser geoeroM-
raent recompensado.
frasco valle 1,000 rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Molhos inglezes a 800 e l,ooo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo re.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
bem arranjado possivel a l,8oo e 2,8oo
rs. a lata.
Cerveja Tenente verdadeira a 6,800 rs. a
duzia.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. o molho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollondaem frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o re. a
caixa. mnpne orandps ceic^MoBrejo d Bananeiras, provincia da Para-
Idem de dentes lixados em macos granaes (gm > ,86| em pagameDl0 ^^
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso. "
novos a32ors. a libra e
Fugio de casa de seus senbores, no dia *i do
corrente, o escravo Izidro, crioula, de idade 23 an-
nos, pouco mais ou menos, estatura regular, ehoio
do corpo, cor um pouco fula, cabellos carapintKw.
olhos pardos, beicos um pouco grossos nam regu-
lar us crandes e grossos, bem desembaragado no
fallar nao malcriad, levou caifa de bnm bran-
co camisa de madapolo, chapeo de feltro ja usa-
do'- cuio escravo nlho de Calista Maria da i
Cominhos muito
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas a 1,000 rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,000 rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e iooo rs. o
caix3o.
O proprietario do grande armazem Un5o e Commercio declara aos seus fregu
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos esupulou
os roesmosprecos nos seguintes lugares: t
TJniao e ummiercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
hyba >_.
os Srs. Guimaraes & Alcoforado desta cldade, snp-
poe-se ter seguido para aqjielle logar : roga-se a
todas as autoridades e capitaes de campo a, sna ap-
prehenso e leva-lo ao pateo da Santa Cruz n. 6,
que sero recompensados com IQf'g.___________
ttenc&o.
Acha-se fgido o escravo de noaie Antonio desde
o dia 8 de junho do corrente anno, com os signaes
seguintes : idade 40 annos, crioulo, altura regalar,
desdentado, barba feita, nariz chato, pescoeo corto,
um tanto inclinado para a rent>:, urna marca de
ferida no estomago, ps grossos, e as costas mar-
cas de chicote, tem cicatrizes as canellas, em urna
das mos nao abre bem os dedos, levon vestido cal-
ca parda, palelot preto j velho, camisas brancas
duas, sendo ama de abertura bordada, i pares de
calcas, i branca e i parda, l cobertor, sendo me-
tade de eslpa e metade da algodij, foi encontrado
na ribeira de Santo Antonio e no Peres : por isse
roga-se as autoridades polkiaes e capitaes de cam-
po que o peguem e levem-ne casa de seus senbo-
res, na ra da Imperatriz n. 80, que sero mnito
bem recompensados.


*-
-fc
*


'
Diarlo de Peraambneo Sexta felra l. de Jnlho de 1S4.
LITTERATRA.
w, da caridade, que ama; e crer o destino, caridade publica encllenle ensejo de estender mao
o papel glorioso da mulher neste mundo. E s a valedora aquella infeliz, que um exempio; masura
mnlher,e principalmente a mulher, que se vota i. exempio que enternece lagrimas.
Os jesutas, os laiaristas c as irnias de caridade
defendidas por si mesillas no tribunal da razao
c da historia.
VIH
fCanclusiio).
'as anda na dispensario, dos prodigiosos be-
: -. qu: fazem "o fundo do seus temos cora-
I i brisados no topo da caridade... ve J-as lu
tand coni a? forjas da inexoravel parca om prol
d)>- cireilo- da humanidade... que vos parece ? o
que ha de raais altraciivo e de niais encantador ?
sao os anjos de consolagao collocadas pela mao bon-
dosa do Ser dos seres nessas lerriveis habitacoes
da angustia, onde o soffrimento e a dor jogam a uV
lima carta contra a resignaco evanglica do chris
100... '
Mas o Sr. depntado desconfia dessa caridade...
por que ? por que no pode dominar seu espirito
habilitado venerar as leis de Chrislo onde sempre
imperan a humildadce a modestia... Tem razao
o Sr. depuldo em desconfiar da caridade por que
ella de maneira algnma pode servir de instrumon-
to des clculos polticos, nem favorece s ambiguos
do interesse pessoal... Em melhores bases c com
mais fortes razues pedimos licenca para desconfiar
tambem de sen pretendido zelo religioso.
l'ma das principaes razoes por que se prende ^
tai desconfianca ao meu espirito, o ver que a
caridade exercida por corlas mulheres com mili-
ta ostentagao, muia pompa, com milito Larulho de
carros, com annunclos e loque de sinos; parece-
me essa caridade anti-evangelica. Jess Chrislo
dizia : Quando derdes a esmola com a vossa
mao direila, escondei a esquerda. (li As irmas
do a esmola, sim, mas esplndidamente, muito s
claras, com grande apparato, ao contrario do que
manda o cdigo divino.
Fazemos a transcripto desse trecho somente
para que se ^que a natureza das razoes pelas
quaes o Sr. deputado ataca as irmas de canda-
de ___Nao que elle mereca as honras de urna re-
futago seria, mesmo porque nao ha na aecusago
Lases que a reclamem. Que idea (icaria fazendo
o Sr. deputado que aecusasse um representante da \
caridade, que se vota pobreza, pode substituir
ama mae, urna irmaa, nos hospitaes, as casas de
expostos e de orphos.
Recife, 10 de junho de 1801..
J. Gi'e.ves da Silva Mello.
A. FILHA I0 DOITOR XECRO
Romance original de Canillo Gaslello liranco.
XXIV
(Continuado.)
No mesmo dia em que Antonio da Silveira rece-
bu do defensor de Joao Chrysostomo a noticia de
repcllo, que atrra o malfadado ultima para-
gem do seu abysmo, foi elle procurar carta ao es-
critorio do ultimo navio r.hegado do Rio, o encon-
trou a de Joao Chrysostomo, escripta da cadeia.
Era assim breve o simples:
t Saldei as contas. Agora posso morrer. Cae-
t tao Alves deve ter empastada no sangue da ca-
- ra a denuncia, que deu ao corregedor. Como a
sociedade, em vez demevinar, me escreveu
na testa o ferrete de ladrao, vinguei-me en. Se
en nao tivesse esta martyr libada minha exis-
i tencia, morria feliz, a justiea dos homens j
nao pode cevar-se no meu sngue. Nao se le-
vanta a forca sobre urna sepultura. Morrerei
breve. Aqui fica Albertina, aquelle anjo que V.
S. amou como irmao; ella aqui esta a espera
que me enterrem, para ir podir urna esmola.
t Se ella chegar sua porta, receba-a. Ella no-
bre de condieao : aeceitara a esmola, porque ha
siluacoes em que o acceita-la fidalguia de ani-
t mo...Ouco-lhe os gemidos.. .Sei que amanhaa
parte um navio. Nao me da tempo a mais.
Meia hora depois, o coronel Silveira eslava a ca-
minho do Porto, com todo o seu cabedal, que era o
sold de om mez rebatidos por menos de me-
tade, e urna economas dos mezes anteriores,
que eram uns vlnte mil ruis, que elle araealhara
para mandar cobrir do-lelha a sua casa achoupa-


mc
Aqui esteve nove annos. As outras doudas,
quando a ouviam cantar, rodeavam-na e choravam
com ella.
Os facultativos de S. Jos e os cstudantes de ci-
rurgia, pasmavam da voz e arte com que ella re-
lembrava as antigs cangonetas. Julgavam-na bra-
silcra, e nada sabiam de sua vida.
Ao cabo dos nove annos, Albertina cessou de
cantar, e deu vislumbre de razao e esperangas de
cura, l'arecia conhecer o local em que estava, e
r
para a sua trra. Ento disse que era du Porto, e
viuva : spergunlas indagadoras de sua vida pas-
sada no responda.
Resolveu o medico deixa-la sahir, quando a viu
em riscos de tornar demencia completa, com o
supphcio da reteugo. Suppoz-se no hospital que
a mulher devia ter parentes no Porto, e delxaram-
na sahir entregue a um estafeta por conla da Mi-
sericordia.
Chgou Albertina ao Porto, e apeou a porta da
hospedara Estanislu. O conductor deixou-a ao
seu destino. A filha do Dr. Negro achou apenas
aberla urna porta, onde ella podia entrar sem re-
ceio de ser expulsa : era a egreja de Santo Ilde-
fongo.
Passou ali o restante Jo dia ajoelhada.
A' noute, como as portas do templo se fechas-
sem, foi direila ra de S. Miguel, e parou cm
frente da casa onde liaba nascido, e sentou-se com
os elhos cravados na vidraga do escrlptorio de seu
pae.
A patrulha encontrou ali s onze horas da noute
Sim... o amigo de Albertina ede Joao Chrv- a1uella rau|her. Inlerrogou-a ; e como ella res-
sostomo, e de seu pae e mae, que morreram... Pondesse com surcantes solugos, conduziu-a ca-
ada.
Assim que apeou a porta da estalagem mais eco- aflligia-se muito, supplicando quo a deixasem i
nomica, dirigiu-se calcada do Mirante.
L viu urna mendiga com a mao aberta e o bra-
go estendido, e am cao d'agua no regago. Afflrraou-
se muito tempo nella, e disse comsigo :
E' mentira! no possivel! Aqui nao lia
resto de feigo de Albertina !...
Avisinhou-sc, quasi convencido do romance do
localista, e disse:
Albertina!
A mendiga ergueu os olhos do regago, fltouo e
respondeu:
Quem me chama ?


A senhora Albertina ?
Sou Albertina.
A filha de Francisco Simoes Alpedrinha?
Qoe Deas tenha em sua santa gloria.
A mulher de Joao Chrysostomo ?
Desse anjo que espera entrar no cea.
Conheceu Antonio da Silveira ?
A mendiga baixou a fronte entre as mos e cor-
reu os dlos pela fronte, murmurando :
Antonio da Silveira? I
Em casa de Antonio da Silveira-
sa da guarda no quartel do Carmo.
ofTeego cmo Pois ? exclamou o coronel, tomamdo-lhe a Asenhorade um.ofIical, residente no quartel,
Adeus, Sr. Silveira. Nao
i exempio sua vida, que y a de um justo; po-'raa0 com venemente ardor. E' Albertina que est condoeu-se da mulher, que dava ares de turbagao
rm, aos desgracados, que encontrar, conte-lhes' a1ui Pedindo esmola ?.. E nao reconhece em mim de juizo e cborava sempre.
a minha vida e a minha morte. ^Seu do coragao
pela tternidade,
t Joao Chrysostomo.
Antonio da Silveira, confiado na beneficencia de
seu irmo Alexandre, cuidou logo em incumbir 3
um dono de navios d carreira do Brasil o trans-
nacao pelo simples fado de ,r a carro para a as-, de A,ber(ina po
semblen 1 Pois esse ju,zo sena a sua coudemnagao. v(m fc ^^ Ja mbarcac0
Depois destas providencias, o primeiro navio
chegado trotix a noticia da morte de Joao Chry-
sostomo, e da demencia de Albertina, que fra re-
colhida em casa do negociante hespanhol, onde era
vigiada e soccorrida como psssoa da familia.
As partecipacoes subsequenles davam a filha do
Dr. Negro douda incuravel, apesar dos paternaes
desvelos com que era tralada. Antonio da Silvei-
ra, sollicitando-a para sua casa, nao smente obe-
deca aos impulsos da sua bemfadada ndole, se-
nao que pareca querer mitigar assim a ferroada
pungitiva do remorso, remorso de ter afastado de
Portugal Joao Chrysostomo, quando o elle cnsul-
ton sobre a sua vinda. Nao obstante, o caridoso
patrao do homicida, que a opinao publica endeo-
sava, respondeu directamente a Silveira que Alber-
tina era sua filha.
O publico que ve e que applaude a humildade e
a modestia das vencraveis filhas de S. Vicente de!
Paula, o povo que as acata e respeita, sabt'm dar
^ palavras do Sr. Pedro F,uiz o valor, que jusla-
i: inte ellas merecem.
Mas-por entre os laivos destas triviaes banalida-
des, surge urna aecusacao sria pelo ponto que
se dirige As inna'is de caridade prctendrm minar
o alicer ce da familia para melkor a destruirn !
Oh machiavelico intento, infernal falsidade !
quaes sao as provas, que offereceis em abono de
vossa proposgao ? quaes sao mesmo as mais leves
presumpeoes que fundamentar possam semclhante
aentado, to horrivel crime ? Por ventura podem
as virtudes do calholicsmo quebrar a majestosa
grandeza que cireumda a familia? ellas que sao o
seu mais bello ornamento, o sou mais solido cs-
leio ? E nao coraes de pojo ao proferirdes um to
atroz absurdo ? nao vos sobe o rubor < faces dei-
xando cahir de vossos labios essa palavra ternvel
da mais terrivel meutira ? Oh nos, os chrislos,
pedimos ChrMo perdo para vos que nao sabis
o que fazeis: e elle que perdoou aos seus algozes
nio deixar de perdoar ai seu detractor......
A redargugo a bemfeitor tao do cu seria urna
teima de indiscreto juzo.
Cessaram as noticias do Rio para Antonio da Sil-
veira, por espago de dous annos.
Em 1828, o conjurado nos tentamens da lber-'
Antonio da Silveira ? No dia seguinte, despediram-na como insuspci-
A mendiga assestou-lhe urna vista fulgurante de :,a de cu'pa. e com o titule de Iouca, passaporte pa-
demenca, e disse com vozes interpoladas de sus- i ra morrer de fome, onde quizesse. Porm, a ca-
pensoes anciosas : rilativa dama encarregou-se de lhe arranjar um
A voz delle era assim... c os olhos... e o f rg' e Per?unlou-'l'e M qneria urna casinha, on-
olharpiedoso... Era novo ento, e gentil, o nosso 2 wver Albertina aceitn a esmola, di-
querido amigo...
E aqu estou velho, Sra. D. Albertina, e muti-
lado, e desconhecido at aos seus olhos, que viam
em mim o irmo extremoso. Nao me reconhece
ainda, desgragada senhora?
Conhego!... conhego I... exclamou ella de-
bulhada em lagrimas ;.porm, immovel como se
fosse paralytica.
Silveira aperlsa-lhe convulsivamente a mao, e
clamou embargado de solugos:
Como chegou at isto ?. E eu que a jul-
gava mona ha tantos annos?...
Morta estou eu, disse ella sem a menor agi-
tagao;
Vae sahir j d'aqui; tornou o coronel, eu vou
buscar urna sege...
Nao vi, acudiu Albertina.
Porque ?
Porque o meu posto aqui.
O seu posto o que seu marido lhe impoz
Eu conservo ainda a carta em que elle me avisa de
que sou eu o amparo da sua viuva.
Lma carta ?... bem me leuibra... Mas nao
vou... A alma de meu marido esta ganhando o
cu com a minha hamildade. A humildade da
mendiga a mais grata ao Senhor. Se o Altissimo
Commercio, Jornal das sciencias medicas, Monitor
portuguez, Nag3o, Portugal Iliterario, Portugus
Repertorio das cmaras, Revista .agronmica, Re-
vista contempornea, Revista militar, Revoluglo
de Setembro.
No Porto sao 15 os joroaes que se publicam :
Braz Tisana, Clamor militar, Commercio do Por-
to, Correio de Portugal, Diario-mercantil, Direito
Faeno Iliterario, Jornal agrcola, Jornal da associa-
go industrial portuense, Jornal do Porto, Jus-
tiga, Luiz de CamSes, Nacional, Purgatorio, Se-
culo.
Em Coimbra, j :
Commercio de Coimbra, Conimbriceuse, Institu-
to, Liberdade, Tribuno popular.
E 16 as seguinles tenas :
Regua : Douro.
Penaliel : Seculo XIX.
Braga : Bracharense, Clamor do povo, Defensor
do catbolclsmo, Progresso, Luso.
Villa Nova de Famalicao : Defensor da Cruz.
Guimaraes : Gloria. Religo e patria, Vimara-
nense.
Barcellos : Jornal do Povo.
Vianna : Aurora de Lima, Viannense.
Valenga : Correio do Norte, Voz do Muno.
Total desias publicagoes71.

A Fedcraa'io, jornal de Lisboa, diz o seguinte :
Ogoveroo russo mandou construir em urna casa
de Birraamgham, para o servico de una das maio-
res fabricas metalrgicas das cercanas de S. Pe-
tersburgo, um enorme par de tesouras ou machi-
nas-hydralicas horisontaes de cortar.
Estas tesouras
Eu seria feliz te tosmente
Toa imagem pode*e em soohos Ter,
E senlisse ao contacto vaporoso
Nos ardores d'amor meu peito arler.
Eu sera feliz se liosmente
Tivesse nm fio louro dessa tranca.
Que te beija o mimoso e casto seio
Onde vive e se oceulta minha esp'raoga...
Eu seria feliz se tosmente
Sonhesse qne em ten neo choteriam
Estes ais doloridos, meus suspiros.
Que at hoje meus labios reprimiam.
Eu seria feliz se taosmente
Nos teus labios collasse am beijo ardento.
Te dissesse os arcanos de minhaln,
O amor que por li meu peito sent.
Eu sena feliz se tosomonte
Te lembrasses de mim na vida nm dii.
Ou me dsses d'amor um terno riso.
Que exprimisse dos anjos a poesa.
Do Jornal das Familias extractamos os seguin-
les chistosos 11 :
l'ma senhora, passeiando carro com nm cava!
loiro de seu conhecimenlo, que ia saboreando o seu
llavana, dz-lhe :
O senhor fuma dentro do carro ?
E por que nao, minha senhora ?
Nao vo pensar que o carro vapor.
Eu sou urna pobre que pede. A alma de meu
marido precisa que eu seja humilde.
Confirmou com este dizer a supposigo da de-
mencia.
Arranjaram-lhe o baixo da ra de Sovela, com
um enxergo e urna manta, sobre um pavimento
de pedra.
A viuva de Joao Chrysostomo sentou-se sobre o
esmolado enxergo, e espern o d, entresonhan-
do com a alma de seu marido.
No dia seguinte, foi sentarse no cimo da calga-
da, que mais perto lhe ficava de casa.
E assim durante trezentos e tantos das at que
Antonio da Silveira a encontrou.
E assim durante cinco annos, at que eu lhe en-
treguei a avultada esmola do meu velho amigo de
Traz-os-montes.
Quando me ella disse que nao sabia de Antonio
da Silveira, havia quatro annos, desconhecia cu
ainda aquella especial loucura de alternalivas do
memoria instantnea, e longos prasos de esqueci-
mento absoluto.
Neste tempo ja ella mal podia suster-se, e levan.
dade, lomou o seu quinho no infausto arroio do: c
ceneral Saldanha E servido> acabare neste servido a alma do meu | tar-se da cama para sahir a esmolar.
anjo.
No espaco de cinco annos de expalriagao, com-; O coronel iostou ; mas o silencio de Albertina
portou pacientemente muitos dias de fome, para era urna resposta que o desesperava de move-la.
nao pedir a seu irmo excedentes s suas legiti. Penalisadra situago a do honrado homem !
| mas, que moni: vara a pouco. Que hei de eu, pois, fazer em bem desta infe-
liz ? disse elle como interrogando o seu coragao.
Temos finalizado nosso protesto contra as arro-
gantes e extemporneas invectivas do Sr. deputado
Pedro Luiz. Se algumas vezes foi forte a lingua-
ger.i da defesa, que a accusagilo exceden os limi-
tes da conveniencia social, tornndose por esse!
molo ridicula. Quando o Sr. deputado appellida | Desembarcou no Mindello com a patente de ca- ,
va o levita do Senhor de charlan* decorado rom P<- Fez a campanha a. cap.tulago de Evo-; ^ ho.rmf sereu,dade a desta mu,her! Que hei
as vestes de apostlo, subindo a um pulpito como ra"Monle- Era enent coronel por distinego, e
um arleqwm tobe para umpalanquenio era mu- lintia mi,renta e seis annos, no fim da guerra,
to que reverlessemos o impio motejo sobre o orgu- PerJtra uin lj,'at na* liu'ias de Lisboa. Pediu a
Ihoso orador, que, esquecendo-se do lugar que oc- 'sua rcfurma cm coronel, e foi procurar sua farai-
cupava, e da elevada raisso que desempenhava,' '
trahia sea juramento prestado no altar da sciencia I Alexandre da Silveira tnha morrido em 1830 D rega50' .
e abusava irreverentemente da inviolabilidade, que' Encontrou um sobrnho de vinte c quatro annos' ,.-, mU ; TT .'
ocnbria m irihuin niriimam^r i? ,. fl. wuauo anuos, L toinou urna pequea moeda de prata.
Foi o que fize-1 que o receben com fneza e menospreco. 0 ^e, fi obr;gado a aceilar 0"dQlieir0. A1.
Era um legitimista intolerante, que se espanta- berlina beijou a esmola, e orou.
. va de que podesse cahir o colosso levantado por i E noute.
Si. deputado, quo, pertencendo a classe sacerdotl, iuu ,0 marquez de Cha A m8ndiga ergneu-se; tomou o caosioho nos bra
diuamao c auxiliou os ataquas ao. catholicismo,
vendendo assim a tnica incorruptivel do sacerdo- 1>or amor dc ParIi,,' inventon que seu pae ti-! *
ci ao interesse politice da sitaacao. E nao va nna morri(l0 fl,! esgosto por ver um irmo ao ser-
Do almogo e jantar, que lhe enviava o cmara-
da do coronel, reparta ella com duas pobres vizi-
nhas, que a denominavara t a sania. Das es-
molas, nue ajunlava, mandava dizer missas por
alma do seu marido.
Um roceiro -entra em urna loja de fazendas e
pergunta ao caixeiro :
Tem chapeo que me sirva i
Tenho ltela ; responde o caixeiro com ar
gigantes pesam approxmada- meio serio, meio motejador.
mente 2,400 kilograramas. Podem cortar em pe- Deixe-me c ver.
dagos urna barra de ferro fro de lo centimetros o caixeiro mostra urna pega de tafet.
quadrados, gastando apenas 40 segundos. O cvlin-
dro de ferro lavrado em circulo para lhe aug- ~ Corte-mc um covado- diz rocciro-
mentar a lorca. O embolo, de ferro fundido, tem ca'xeiro saUsiU Ped,do- e roceiro a
W centimetros de dimetro. Um dos bracos f.xo : cabe^a C01" tafeIa- caJas Pn,as ,hc cahe,n ** '
e outro movel. Cada braco tem 33 centmetros de :uni Vl'u Pela cara aba,xo tira- *!, e e-
comprimenio, 28 de largura e 8 de grossura. A '"essa-0 sobre balca0- dizendo :
forga regulada segundo a natureza do trabalho. ~ -Nao me serve : ,cn' as abas mni, mo^-
6 .. I E poe-se ao fresco, dexando o caixeiro rmstui
b curioso o aspecto que aprsenla esta machina, cado ",}b""
seno a uaior, a mais poderosa deste genero que ,
al hoje se ha construido. Assemelha-se a um hyp-! Um mardo ma| cum
popototamo mcchan.co ou a um immenso megathe- dia na janel|a> e na0 C0Qseme [ 0^ "J
no que um processo galvnico houvesse desencan- veha ao meu0i vr passar os 0mnjbu.
lado de entre os fosseis, para o fazer trabalhar era
utilidade da presente gerago. Os queijos desta es-
pecie de elephante monstruoso esto presos nuca,
e sao formados de duas tiras de ago collocadas em
frente una da outra. Tnncam e despedagam o
ferro com a mesma facilidade que os dentes huma-
nos trluram a planta mais tcora !
Costamos ver o ferro ir-se transformando antes
Um amigo, que vae pelo outro lado da ra eom-
primenta-o simblicamente.
Eulo, pergunta elle, por qae passou de
largo ?
Porque sou amigo, responde-lhe o Inttseuale,
e VOSs a seutinella.
Pois chegue falla, brada-Ihe elle.
Mande primeiro formar a guarda, respoad
em tesouras para uso das industrias, onde lecm o amigo.
utilidade, do que em pegas de artilhara, cujo em- a sentinella faz que nao percebe, e o amigo las-
prego ordinario serve smente para dividir as na- ^ ,je |a,0.
goes e aniquilar os povos.
ElOS.
Tnha um cosnho, que levantara quasi morto
de um montura. Cuidava delle com muito zelo ;
D-me urna esmola como os outros que pas- aviventava-o, e consenta que o agradecido animal
sam, respondeu ella. I lhe lambesse as lagrimas.
Antonio da Silveira, coberto de lagrimas, tirou I Antonio da Silveira, quando me mandou entre-
da algibeira lodo o dinheiro que tnha, e depoz-lb'o gar as quatro pegas a Albertina, jsabia que o seu
amigo a convencer a entrar no hospital de S
Francisco.
Soja-nos licito estranhar aqui o procedimento do
esse Sr. deputado que se o sacerdote um arle-
quim subindo para o pulpito nao o deixa de ser su-
Linlo para a tribuna do piz ? c nu va elle que
so o sacerdocio i: urna peste, urna praga, sua digni-
dade estava compromettida ao menos para levan-
tar de sua cabeca o insulto, que lhe atirava um
sea collega ? Mas fez bem : as gragas do governo
nao sao cousas, que por tao pouco se deva perder,
nem ha nada que mais atemorise que urna colonia
ie lazaristas.
vigodo Senhor I). Pedro. Alexandre, coragao no- i
bilissimo, lamentara o irmo at ao fim, porque
morreu na certeza da infallivel victoria do Senhor
vir-
Deus sabe quantas privagoes costn ao coronel
aquella generosidade e alimentacao de cinco annos
da filha do Dr. Negro. Quando se viu de lodo re-
ducido a pedir para soccorrer a mendiga, naquel-
gos, e caminhou em direilura ra da Sovela. Sil-,les, ann0S,em que 0i on,ciaes formados reba.iam
eir acompanhou-a, e viu-a enlrar n'um baixo de DeIa luara Parlc os seus sidos, venden o piano
de Albertina, e os seus livros da mocdade. os ami-
pobrissiina apparencia, contiguo ao tabique de urna
forja.
Albertina abriu a porla, fez urna mesura a An-
Mas odia-!o nao podia o filho da Ilonio da Silveira' come "''as 1D,,a feit0 em l9ll>
Seja nossa ultima palavra contraposla aos desva-
rios do Sr. deputado Pedro Luiz eloqucnle con-
cluso do Ilustrado Sr. Dr. Figueiredo na cmara
temporaria :
Respeito ao clero, seja qual fr o seu habito
luosa, que, ao despedir-se da vida, concilira, por e disie :
juramento inviolavel, os dous irmos ~ A A ,r^m Mae de Deus ,ne J(- uma boa nou-
O coronel Silveira, ass.m que traduziu os vn- l\Sr'Sllveira'. J00^ "leu "iarido ^c
eos da fronte de seu sobrinho, sacudiu o p dos N J'a *""** S"Ve'ra f' prwarar Um Velh
camarada, contou-lhe o successo, e encarregou-o
. gos de toda a vida, e remogadores da alma que-
brada e mutilada como o corpo.
(Conlinuar-se-ha.)
IM PODCO DE TODO.
sapalos, e sahiu, dizendo :
.Procurei o cu e as arvores da minha infan-
cia r ca ento, reconhego-as, e reconhecemme: a
li, meu sobrinho, que nao conhego.
E sahiu para habitar uma casa coberta de colmo,
que se alugava na aldeia de seus avs.
Uma gazeta franceza da a seguinte nota das let-
tras de que se compSe a palavra Dens em diversas
de enviar todos os dias ao cardenho da filha do! linguas:
doutor Negro um almoco e jantar.
Foi ainda v-la em tres das successivos; porm,
o espectculo cortava-lhe o coragao. Era desgraga
irremediavel! Quando o coronel lhe pedia a hislo-
! ra de quinze annos, Albertina responda :
A mobilia, que le vou da casa onde nascera, re-' Nao sei... Lembra-me que vi morrer meu
religioso; respeito ao clero, porque seus membros duziu"se ao P'ano de Albertina, c aos seus classi- marido, e mais nada... Depois, achei-me aqui...
nos fazem, nos promettem bens, que os legislado- icos la,inos- Escreveu para o Rio de Janeiro ao ne- e estou orando, c ajudando a remir a alma do pec-
cador.
Antonio da Silveira vollou para a sua pobre ca-
sa, deixando ao camarada o prego da sustentagao
res, os poderes humanos, nao nos podem prometter,! gocianle l,esPaQl'01- Nao leve resposta.
nem dar.
Respeito ao clero, porque
nos. fallam em nome da religio.
os seus membros
que prcsla a so-
ciedade o mais til apoio, apoio indispensavcl ao
estado, porque s a religio d aos dogmas sociaes
um apoio efficaz, porque sem ella todo o poder
torna-se incerto e varillante respeito ao clero,
porque, ao passo que os legisladores da torrase j na mao :
oceupara muito dos direitos do homem, a religio
pela bocea dos seus ministros s nos impSe deve-
res ; respeito ao clero, porque, se elle ex"e de
nos deveres infinitos, tambem nos prometi recom-
pensas infinitas; respeito ao clero, porque, se para
recompensa dos servicos civis, os poderes huma-
nas lisongeiam muila vez a vaidade, excitam as
paixoes, as rivalidades, o orgulho, a religio faz o
contrario, em vez de excitar as paixaes, abate-as,
e faz com que o orgulho seja substituido pela hu-
mildade.
Pediu informagoes a commerciantes do Porto
responderam-lhe que o Hespanhol tnha morrido
em 1829, e nao sabiam mais nada. Antonio da
Silveira conjecturou que Albertina havia mor-
rido.
Em 1840, procurou-e o ancio abbade da sua
frejuezia e disse-lhe, com um peridico do Porto
Tragj-lhe uma surpreza dolorosa.
Que?... Aholiram os sidos aos coronis
de Albertina por um mez.
A filha do doutor Negro acceitava a esmola, o
pedia sempre a Deus a felicidade de quem lh'a
dava.
Contava, porm, o encarregado desta beneficen-
cia quolidiana que a mendiga, a intervallos, se es-
quecia de Antonio da Silveira; e perguntava se
elle tnha morrido pessoa que lhe fallava delle,
acrescentando que o nao vira havia muitos annos.
Portuguez.. Deus.
Latim...... Deus.
Grego...... Teos.
Francez----- Deu.
Allemo___ Gott.
Scandinavo. Odu.
Suero...... Codd.
Hebreu___ Adou.
Syno...... Abad.
V.Jaquio..

Sahiu a luz em Pars um lvro que grande no-
meada tem tido no circulo dos homens de sciencia
Persa.....Syra.
Trtaro___ Igda.
Hespanhol. Dios.
Indio.....Zini.
Turco-----. Add.
Egypcio... Zeni.
Japoncz.... Zain.
Peruviano. Lian.
Brasilico.. Tupa.
.. Zene.
Tem-se ensaado mais de uma vez prevenir a
humanidade das habilaroes terreas e sombras, que
nos grandes centros de populago se reconhecem
como causas principaes de mortalidade. Para tor-
nar salubres as casas hmidas, recommenda o Sr.
Pavosi, nos Annalt di chimica de G- Paoli, n 5 da
caderneta do mez passdo, o cobrir as paredes com
um cimento composto de
Vidro modo........... i partes
Carvo (vegetal ou fossil) 3
Pedra pomes........... 2
Alcatrao............... 3 c
Pez de navio........... 2 t
oleo de linhaga, frvido.. 1 >
Estas substancias sao laucadas n'um vaso, e aque-
cidas, em temperatura moderada, at consisten-
cia pegajosa, homognea. Desie cimento se cobrera
as paredes e se salpicam depois com areia, alim
de que melhor relenham a cal que se lhes ap-
plica.
O cimento hydrofugo recommenda-se ao mesmo
tempo pela sua efficacia, modicidade de prego e
fcil preparagao.

Sobre o Evangelho Nao matars, diz a Cric
do Rio de Janeiro :
S o cdigo emanado do seio da religio do Gol-
gotha poderia conter um mandamento tao subli-
me S essa legislacao, Irmos meus, formara
uma loi para bem dirigir os nossos deveres.I E
quem ha,que desconheca esse santo preceito, nao
mataras ? Todos sabem : porm desgragadamente
muitos o desconhecem, porque nao beberam o bal-
samo vivificante do Evangelhc.
A falta dessa luz que esclarece todas as verda-
des, a causa de vennos todos os das tantos cri-
mes perpetrados, tantas vidas c irtadas pela forca
do punhal e tantas desordens suscitadas. Uns ar-
rancara a vida de outro pelas cousas as mais sim-
ples e as mais futeis causando os maiores infortu-
nios esposa, ao orphao c ao protegido ; outros
commetlem todas as sorles de crime;. e nao te-
rnera as conseqnenciasque d'ahi poJem nascer. E
porque isso ? E' por terem o coragao vazio de
todos os senlimenlos reli -os, pelo menoscabo
que se vota s mximas divinas.
Uma Sra. Anonyma nos envia a seguinte poe?u
Nunca viste o gyra-sol
Quando o sol vae se deilar,
E que elle triste e saadoso
Inclina a fr-.ii e a scismar T
Nunca viste a avczinha,
Quando a tarde vem ponsar
No galho da larangeira ;
E triste p5e-se a scismar !
Nunca viste linia joven
Que passa o dia a cantar.
Mas que a tarde vem tristonha
Junto a um rio scismar ?
Todos esles muito soffrem
Crois tormentos d'amor
Porm sofTro mais qne todos
mais viva a minha dr !
O gyra-sol inda espera
O da que ha de surgir,
Em que de seu terno amante
Receba doce sorrir.
A avezinha scismando
No galho da larangeira
Espera, mais cedj ou tardo.
Pela sua compameira.
A linda joven quo vae
Junto a um rio scismar
Ir depois nos sales
Sua breve dr olvidar.
Mas s eu vivrei triste !...
Na miuli'i dr embebida...
Por que fui, por quetn ama va
Ingratamente esquecida
O Phre de la Manche, jornal que se publii .
Cherburgo, publica os seguinles pormenores :
Assim nos vemos a ignorancia dominando os
espiritos, aniquilando e matando os deveres sagra-
j dos que elevara o coragao do homemporque ba-
nindoas verdades da fe, s apparecem essas mons-
Iruosidades, que degradam para sempre os mais
: charos deveres sociaes.
O homem trucidando essa lei comida no o pre-
ceito do declogonio matarsnivela-se aos
mais abjeclos seres da creago, porque despreza
o homem de estado, pelo conde Solar de la Mar-'os conselhis c os dictamos da razao para praticar
veira.
Nao tanto j mas receio que lhe da mais.
Mais ? Que pode ser ?!
Tenha a coragern de ler esta local.
O coronel leu o seguinte:
Os homens do Porto que hoje teem cincoenta
annos anda se recordam do famoso doutor Negro,
Finalmente respeito ao clero, porque s elle grande jurisconsulto, e malor desgragado que ju-
em nome da religio nos pode alentar com a espe- i risconsullo. Este homem tnha uma nica filha
ranga fulura para soffrer com resignagao os males que o levou a sepultura. Casara-se ella com um
desta vida presente; s elle pode explicar os ef-
feitos funestos das desegualdades sociaes, umitas
vezes originadas pela injustiga de nossas leis.
E, quanto s irmas de caridade, respeito a
que s teem um brago? perguntou o risonho Sil- Devemos crer que interpoladamente se fazia nou-
te sem estrellas naquelle espirito ; e que as inter-
mittencias de sua razao eram como o embaciado
entrejuzir da la ennublada.
Como viera a viuva de Jlo Chrysostomo assen-
tar-se na calgada do Mirante, desamparada, esque-
cida, e mendiga ?
E' ama historia que se refere sem dvagagoes.
Albertina esteve com a familia hespanhola, at
morte do patrao de seu marido, em 1829. A viuva
liquidou os seus haveres para retirar-se para Coba,
onde linha duas filhas casadas. A douda era um es-
torvo ida da viuva, j caneada de lhe onvir os
gritos, e desesperada da cura. Os sens|amigos dis-
seram-lhe que o mais acertado era manda-la para
o hospital de S. Jos, em Lisboa, onde era frequen-
le o curativo dos doudos. A viuva acceitou o alvi-
amanuense de seu pae. Chamava-se Joao Chry-
sostomo, o qual foi um prodigio de infortunios, at
ao extremo de morrer, no Brasil, assassino de um
celebrado Caetano Alves de Carvalho.de Villa Nova
essas santas mulheres, porque ellas tm o condao"! de Gaya' seu caluraniado' Pois a filha do doutor
o segredo, que nos os homens nao podemos ler. S ?!UTa P pandonoroso homicida, uma
Na mulher est o segredo da regeneragao do lio-; mulher mei cadaver<' me idiota, que o leitor en- j 're dos seus amigos e desfez-se do encargo, man-
mem, porque, como diz o padre Lacordaire no seu'contra d'sde i839 no topo da ca'5a coragao est o sanctuario da piedade da'f nua C"1 a ma estendida a esmoIa. Posto que a nao pe- hospital, aGm de nao misturarem AlbertiBa com as
-----------------------------' j ga. Quem escreve eslas linhas nao sabe dizer que outras doudas. Viram-na embarcar sem lagrimas ;
(1) E quando derem com a esquerda ? Certa-i!desventaras anlecederara esta em que a infeliz se e e"a entrou alegre no navio, dizendo que vinha
mente esse texto da lavra do orador, porque no encontra. O que sabemos de ooavr contar a pes- juntar-se ao marido que estava a ares da patria.
^Scedo0 V? Tc-Sl tftirS "I f.T* qa8 meQdga f. "** d MU ReCebda D hoS em Particular. ahl
de caridade escondessem a mao esquerda! Sl "** M frmSa eDtre aS ma,S formosas d seu esteve seis mezes em tratamento intil. Depois,
elogiadas pelo Sr. depuldo, que forga de querer teniP0; Preda SUSlentar muita erudico dDrovas de inandila mi de OUVdos aliando tncava; fni a nrimir oanin. m, n~-,*A. i______w.i. iv.-:_. -t_____j_
deMSn?'iir^r^ad,U mA' ""i**8 qMnd l0Ca,r*S efoiaPrmelracanto- Por parte da hespanhola, Albertina foi mandada
ie, ou muo indesculpavel ignorancia. rano Porto de ha irinta annos! Aqni se presta a para a enfermara commum.
garita.
Desde-Maistre e Bonald, diz o Monde, nenhuma
obra tem sido escripia com uma tal superioridade
e ao lado destes grandes escriplores que figu-
ra o livro de la Margarita.
A Civta Catholica, assim se exprime : A appa-
rigo deste lvro como um astro luminoso no
meio de uma noute escura e tenebrosa.
O marquez de Brignolle, o historiador Cesar
Cantu, e o conde Solar de la Margarita sao os tres
sabios cathoiicos, que nestes lempos calamitosos da
bella Italia, no parlamento e ne ministerio, mais
teem trabalbado era favor da egreja.
O autor do-homem do estado um dos carac-
teres mais respeitaveis da patria do conde de Mais-
tre, e nao a primeira obra, que lem publicado
em favor da religio.

Da Semana Ilustrada extrahimos o seguinte :
ESTUDOS DE GROGRAPHIA.
Anninha, esloa procurando o rio Amor, neste
mappa, e nao e acho.
Quem sabe se seccou, Luiznha ?

Actualmente publicam-se em Lisboa 35 folhas
peridicas, com os seguinles titnlos :
lbum, litterario, Amigo da religio, Archivo
commercial, Archivo jurdico, Archivo municipal,
Archivo pilloresco, Archivo rural, Bem publico,
Bodoir, Chronica dos theatros, Commercio de Lis-
boa, Conservador, Correspondencia de Portugal,
Crenga, Defensor do trabalho, Diario commercial,
Diario de Lisboa, Doze de Agosto, Escholiasie me-
dico, Estrella d'alva, Federagao, Gazeta medica,
Gazeta de Portugal, Gazeta dos tribunaes, Jornal do
aquilloque asuaconscienca reprova, e lhe brada
constantemente que uo faga.
E que direito lem o homem para privar a outro
daquillo que efle mais aprecia A ignorancia, o
orgulho c a vaidade sao as causas que mais forte-
mente influem no animo desses entes, que mais se
assemelham a fras, do que a homensporque
esquecidos daquillo que devem observar, cega-
raente fazem o contrario.
Que infraidade de males nao acarreta a nao .ob-
servancia desse preceito Vemos o desespero con-
duzir o homem ao suicidio, julgando que faz nm
bem privndose da vida ; vemos o potentado, que
apenas dispoe de uma fortuna, ordenar qne seus
sequazes e os salariados lavem snas mos no san-
gue do vizinho, do companheiro, do amigo e maitas
vezes por urna palavra mal pronunciada, por uma
questo que a mais simples reflexo sanara lodas
as duvidas. E estes iofelizes considerando-se isen-
tos de toda a responsabilidade para com Deus, pro-
gridem em seu caminho de miserias e se tornara
os verdugos da humanidade, sem se lembrarem
que serao rus em juizo. E o homem que assim
procede, poder ter descanso e repouso ? Nao: os
remorsos o acabrunham, e a imagem daquelle que
foi victima de sua vinganga sempre o cerca, e al-
tamente clama justiga.
Sabe, pois, irmos meus, que somos obrigados
a guardar e a respeilar o que se acha escripto
nao matars-e aquelle que o infringir ser sem-
pre perseguido.

E' do Sr. H. d'Alencastro Aulran a seguinte poe-
sia :
E......-
0 navio Alabaina contava 122 humen.- ie equi-
pagem e 22 offlciaes. Era commandado por Mr.
Semmes, de edade de cincoenta e seis ames, ant:-
go command.-.nte do Sumtti.
O commandanie do Ken'sjye chama-se \Wn--
tow; do sul, mas abracou a causa do norte : Un-
to elle como Mr. Semmes, servirn ambos no ra-
mo navio.
A bordo do Kearsage morreram tres hornea ea
resultado de ferimentos; todos lies liaban s. ilr. 11
amputaco.
No hospital enlraram enze feridos. Que roast?,
s morreu um ofllcal ; era o medico Dr. UeviUin;
foi mono no momento era que acabara de cu:.ir
um homem que se linha salvado.
Outro oflicial ferido, qne tinba sido recebido n i
navio do major-general Rose morrea a bordo de-
te navio, onde, segundo se d z. se acbavan algu-
mas senhors.
O piloto Monger salvou cinco officiaes, os qua.v-
desembarcarara depois; entre ell> s enconir.
Mr. Armsirong, a quem am eslilhago de obuz rau
sou um ligeiro ferimento do lado esqoerdo.
De Urde, 52 homens do Alabama, qoe estavam
no Kearsage, forara laucados em trra.
Ignora-se o numero dos feridos que houve a bor-
do do Kearsage.
O commandante do navio federal tinba sido con-
discpulo do commandante do Alabama.

ministro da marinha de Italia annuneioa que
no prximo mez de outubro partir am navio de
guerra italiano para ama viagem de circomnave-
gago, tocando no Brasil, no Cabo da Boa E*pe-
ranga, em alguns portas do mar da China, en al-
gumas ilhas do mar Pacifico e da Australia, e na
costa occidental da America.
Esta viagem com o fim de aitender aos intere-
ses do commercio, e por isso as cmaras (awia-
g5es) italianas de commercio taran convidadas a
apresentar as snas lembrangas, com relacao s ins
truegoes qne se devem dar ao commandaate do
navio.

Acaba de fallecer em Glasgow nna velba se-
nhora chamada Betsy Mlller, a qual na sea juven-
tude, goslou de entrar em especulacoes marilima-.
e fretou um brigue j velho, do qual se tornou
mestre.
Foi to feliz na sua carreira, que coosrgin pagar
uma divida de 700 libras esterlinas 0:150*) sus-
tentar-se com decencia, e at educar deas irmas
que dependiam della. '
PERNAMBUCO.-TYP. DE Jt F. DE F. 4 FILHO
- '..' "I......
"


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E98Q0FJBY_FSIFE2 INGEST_TIME 2013-08-27T21:58:45Z PACKAGE AA00011611_10416
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES