Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10413


This item is only available as the following downloads:


Full Text
<
Alfil O L. HOMERO 157.
Por tres Mezes adiaitados 5fO00
Per tres nezes vencidos 6JJ000
Porte ao corrcio por tres mezes. 3750
.*-.
- *
ijj
imf**t 9% H

TERCA FEIRA 12 DE JDLHO DE 1864.
Por amo adiantado......9J00O
Porte aocorreio por um anno 3$Q0O
DIARIO DE PERNAMBUGO.
BNCARRSGADOS DA SUBSCRIPQAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracatv,
8r. A. de Lemos Braga-, Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SL-
Alagoas, o Sr. Claudino Falco Das; Babia, o
rr. Jos Martina Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino. I
- ,. n f AR^EPA D03 ESTAFETAS. EPHKMKRIDES DO MKZ DE LHO.
Olinda, Cabo e Esc?.da todos os das.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e ., ,
sexus-feiras. 3 La nova as 10 h., 5 m. e 13 s. m.
Santo Antao, Gravat, Beierros, Bonito, Caruarn',11 Quarto cresc. a i h., 26 m. e 14 s. v tn
^SI Garanhuns as tercas feiras. 19 Lua cbeia as 4 h., 15 m. a 14 s. d*n '
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqneira,LN ftll,,fA t"-
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob.l 25 Quart0 m,n*- M 6 h-> 26 m- e 8 s- da-
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sennbaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-f
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.1 PRBAMAR DE HOJB.
Ilha de Fernando todas as vezes qne para ali sahirf __. .
navio. J ""inieira as 10 oras e 6 minutos da manta.
Todos os estafetas partem ao Vi di*. 1 Segunda as 10 horas 30 minutos da urd
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROb.
F ira o sul at Alagas aet; par* o norte at
a Gianja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, mar?., maio, jul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Pra o Recife : do Apipucos s 6 'A, 7, 7 /i. 8 e
8 Vida m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboto s 6 Vi da m.; do Caxang e Vanea s 7
da o; de Bemfica s 8 da m.
Doaecife : para o Apipucos s 3 '/* 4, 4 Vi. 4'/.
S, 5 V 5 Vi e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manta e 4 V da tarde; para Jaboato s 4 da tar-
de ara Cachang e Vanea s 4 Vi da tarde; para
Bernia s 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
di a.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
DAS DA SEMANA.
11. Segunda. S. Sabino m. ; S. Silvano m.
12. Terca. S. Joao Gualterio ob ; S. Jason.
13. Quarta. S. Adelo p. m..; S. Joel prof.
14. Quinta. S. Boaventura b. card. dr. seraphico.
15. Sexta. S. Camillo de Lellis fundador.
16. Sabhado. Nossa Senhora do Carmo.
17. Domingo. O Aojo Custodio do imperio.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a iivraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria k Filho.
PARTE OFFIGIAL
G0VEIM DA PROVINCIA.
Continuado do expediente do dia 7 de jnlho
de 1804.
Cilicio ao brigadeiro Solidonio Jos Antonio Pe-
reira do Lago.Pelo offlcio de 6 do corrente, sob
n. 1202, flquei inteirado de haver V. Exc. entrega-
do ao coronel Luiz /os Ferreira o commando das
armas desta provincia, do qual fura exonerado pelo
governo imperial por decreto de 15 de junho.
Agradecendo a valiosa coadjuvaco que prestou
V. Exc. minha administrado, nao posso deixar
de louva-lo pelo zelo, nteiligencia e dedicacao cora
que se houve no exercicio do cargo de que acaba
de ser destituido ; cumpriodo-nie nesta occasiao
assegurar V. Exc. os meus protestos de particu-
lar estima e considerado.
Dito ao coronel Luiz Jos Ferreira.Recebi o
seu ollicio de hontem, n. 1,203, e fico sciente de ter
o brigadeiro Solidonio Jos Antonio Pereira do La-
go passado V. S. na forma da Ici o commando
das armas desta provincia, por nao se achar presen-
te o coronel Joaquim Jos Gongalves Fontes, qne
pelo governo imperial foi nomeado para substituir
o mcsmo brigadeiro.
Dia 8
Offlcio ao commandante das armas interino.
Visto que nao pode Antonio Jos de Carvalho ser
compel Mu a servir noexeFcito por ja ter tido baixa
por concluso de tempo, como V. S. declara em
seu offlcio n. 1,206, de 7 do corrente, mande V. S.
p-lo em lluerdade.
Dito ao mesmo.Haja V. S. de mandar apresen-
tar sem demora ao juiz municipal da segunda vara
desta cidade am soldado decavallaria, afim de le-
var seus destinos os ofcios e editaes para con-
vocaco do jury deste termo.Communicou-se ao
predito juiz.
Dito ao mesmo. -Mande V. S. pdr em liberdade,
dando-lhe baixa se j estiver com praca, o recruta
Luiz de Franca das Mercez, visto ter provado isen-
co do recruumento.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.Em
soluco duvida exposta por V. S. em seu offlcio
de 5 do corrente, acerca da execuco de minha
ordem de 30 de junho ultimo, tenho a dizer-lhe
que mande por em hasta publica, com o prazo de
90 dias marcado na lei, a obra do caes do canal da
ra da Aurora, a que se refere o seu citado offlcio,
para ser executado dentro de 60 dias, e em vista
do disposto na lei n. 575 deste anno, que me auto-
risa a empregar em obras publicas as sobras que
resultarem de qualquer consignado dos ornamen-
tos provinciaes ; determino V. S. que passe para
a rubricaobras publicasdo orcamento vigente,
e com applicaco especial ao referido caes, todas
as sobras condecidas das diversas verbas do que
acaba de Andar quando se encerrar a liquidaco do
sen exercicio.
Dito ao mesmo.Em vista do competente certifi-
cado, mande V. S. pagar ao arrematante da con-
servafo de terceiro termo da estrada do sul a
quantia de 3383833, que tem direito, proveniente
da primeira prestarn do seu contrato, visto haver
executado no mez de junho ultimo servidos, que
corresponden) a essa prestago, segundo consta de
ollicio do director da reparlico das obras publicas,
datado de 6 do corrente e sob n. 178.Communi-
cou-se ao director das obras publicas.
Dito ao mesmo.Accuso recebido o offlcio de
hontem, sob n. 263, em que V. S. me participou
haver Manoel Francisco de Azevcdo Lira, dando
por fiadores Jos da Fonceca e Silva e Luiz Jos
Pereira Simoes, arrematado por um triennio, e pela
quantia de 2:4105000 annuaes, o dizimo do gado
vaecum da comarca de Garanhuns, e em resposta
tenho a dizerque approvo essa arrematacao,
phia, Simples Nocdes de Physica e Simples No-1 Urna prova desta animaco acabamos de teta na | Deois de algumas consideracoes que em opposi-
coes sobre Artes e OIBcios. facanha, que agora fez aqui o negociante Fraieisco cao o requerimento, sao fetas pelos Srs. Paula
Ditoao mesmo.Devolvo Vmc. paraosfins Melcluades de Cerqueira, filho da Babia, e queaqui Baptia, G Campello, Jos Mana e Silva Ramos,
convenientes as provas escripias de Maria da As- veio vender urna massa fallida, que comproi ahi
sumpeo de Andrade Luna, que se submetteu a no Recife ou no Rio de Janeiro,
exame de verificaco de capacidade professional, Em um mez pouco mais ou menos, so poique
e tico sciente de ter sido ella julgada apta para vendeu baratas as suas fazendas, apurou em moe-
obter o competente titulo. da 23:0005000, quando alias ahi se Ihe aconselha-
Dito ao director das obras publicas.Concedo|a va que c nae viesse, porque nao vendera nem
autorisaco que Vmc. pedio em offlcio de 5 do cor- 2:0005000.
rente, sob n. 176, a que respondo, para de confor-1 Esta venda, que seria pouca cousa em urna pra-
midade com o art. 45 da lei n. 286, despender at ca opulenta como esse Recife, nesta passou, e com
a quantia de 4005 com os reparos, de que precisa toda a razan, por um phenomeno e isto indica que
o soalho da ponte da Magdalena independentemen- sangue sufflciente circula as veas deste corpo que
te de orcamento. Communicou-se thesouraria chamamos lavoura.
provincial. Assim mesmo, pelo preco exagerado, porque se
Dito ao conselho administrativo.Respondo ao vende o algodo, e o subido porque se compra o
offlcio que me dirigi oconselho administrativo em: assucar agora, devenios crer, que urna boa centena
7 do corrente, sob n. 42, declarando-lhe que appro- de cqntos de ris lquidos deve ficar na provincia
vo o ajuste feito com Joao Carlos Augusto da Silva, I depois de paga a importancia do seu consumo de
para vender a farinha de que necessita o presidio j gneros do exterior.
de Fernando, bem como que flea expedida a con-; Agora mesmo j nao urna novldade ver libras
veniente ordem para ser ella transportada no pri-; sterlinas em maos de pessoas de baixa condi-
meiro vapor que seguir para o mesmo presidio. cao.
Expediram-se as convenientes ordens. A polica acaba de fazer agora urna boa dili-
Dito ae mesmo. Para poder resolver sobre a gencia.
preteneo de Belarmino Alves de Amelia constante Fot preso pelo subdelegado da Palma, do termo
da peticao junta, que me ser devolvida, recom- da Villa do Principe, o facanhudo Jos Fernandes
mendo ao conselho administrativo do arsenal de de Lucena, branco, de 25 a 30 annos de idade.
guerra que informando-me sobre o preco do mer- Este individuo, tendo assentado praca em maio
cado por que se compra va a sacca de farinha no de 1863 nesta capital com destino a companhia ti xa
tempo a que se refere o peticionario, emita o seu de cavallaria do Recife, para onde seguio depois de
parecer acerca da indemnisacao que no seu enten- ter recebido, como voluntario, a primeira presta
der pode ser razoavelmente concedida, tendo em
vista o frete e outras despezas de transporte.
Dito ao presidente da cmara municipal do Po-
d'IAIio.Respondendo ao offlcio de 30 de junho pr-
ximo fiodo, em que Vmc. expoe os motivos pelos
quaes nao tem podido reunir a cmara municipal
do l'ao-d'Alho; tenho a dzer que deve Vmc. Bono
presidente da mesma cmara, com o respectivo se-'
cretario nos termos do aviso de 23 de junho de
1834, convocar na falta dos respectivos vereadores
cao, apenas l chegou, com pouca demora desap-
pareceu da companhia e qnando resurgi no refe-
rido districto da Palma, lugar do seu nasnimento,
foi logo com 4 ou 5 cavallos que furtou em cami-
nho.
Sendo preso na noite de 21 de setembro do anno
passado, e recolhdo cadeia da Villa do Principe
para ser processado pelo crime de furto de ani-
maes, de que fez meio de vida, conseguio arrom-
bar a mesma cadeia, e delta fugir na noite de 6 a 7
e o equerimento retirado pedido de seu
autor
Comua a discusso interrumpida do projecto
n. 17.
Vai mesa eapoiam-se as seguintes emendas :
Errugar de 2 escripturanos e um porteirodi-
ga-se n escripturario e dous marcadores e um
portal
Ao t 3oaccrescente-se os marcadores com o
ordeno de 1:2005000 o mesmo ordenado perce-
ber escripturario.S Pereira.
Ao |oj*cto n. 17.
F restabelecida a antiga capatazi com o
respeo imposto. S. R- Nabor.
O S S Peueiba : -Sr. presidente, en procurei
resporer aos pobres deputados que impugnaram
o projto que crea a inspeceo do algodo basean-
do-mena informaco da associaco commercial, e
refer t V. Exc. e a casa o que se passou nessa
associtao oanno passado, e mesmo c que se passa
agora n relacao a inspeceo do algodo.
Sr. [esidente, o anno passado essa associaco
reunioe para solicitar dos poderes competentes a
permio de crear urna inspeceo commercial,
mas ea solicitagao era apenas feita pelos negoc- D aqu v V. Exc.
antes fclezes, que dessa forma attendiam as recia mspeccao, e tambem
maco&que Ihes eram feitas pelos seus patricios
de Loires.
Os iimbros da associaco commercial que per-
tencema familia brasileira cederam a solicitacao
dos outos membros e uegociantes inglezes para
que se edisse aos poderes competentes permissao
para ciarem urna inspeceo commercial, nao en-
chergado todava o verdadeiro alcance dessa ins-
peceo. Os negociantes inglezes solicitando essa
medida queriara tambem que o inspector fosse
creatu delles; ahi que houve a luta, porque
um cadidato brasileiro se apresentava, e entao
conhecram os verdadeiros lins dos inglezes, que
nao quriam admittir o candidato brasileiro, que-
riam sil um candidato seu, e o designaram.
U* h. Deputado : Entao queria-se crear a
inspecco para crear um lugar ?
O SrS Peheira : Ou para melhor especula-
cussao, mas no dia seguinte vindo para esta casa I Inclusive a gralificaco mensal de 605000 ao
cm occasiao em que tambem se trata va desse as- actual secretario Salvador Ilenrique de Albuquer-
sumpto, elle me disse : hoje presto o meu voto em que.S. R. Rochael.
favor do projecto, porque estou convencido de que
a inspeceo necessaria em face de varias recla-
maedesque hontem recebi dos agricultores da Glo-
ria e Pao d'Alho.
Um Sr. Depltaoo -.Nao se recorda do que elle
disse em 2a discusso 1
O Sr. S Pereira :Elle nao fallou sobre o pro-
jecto.
O mesmo Sr. Deputado :Em apartes.
O Sn. S Pereira :Mas depois disso recebeu
elle as reclamacoes e mudou de pensar.
Sr. presidente, d-se ainda monopolio quanto ao
peso.
Ao art. 9o r
Em vez de um cont de ris, diga-se, dous. F.
Jacobina. Gervasio Campello.Silveira Lobo.
Additivo :
Fica autorisado o presidente a rescindir o contra-
to com Falque i Silva, para a collocacao de carros
de praca.Silva Ramos.
Additivo :
Fica o governo autorisado a mandar fazer o cal-
camento na estrada do Cabo, comecando da esta-
cao at a matriz.S. R.Reg Barros.
Ao art. 18 diga-se :
Fica o governo autorisado a comprar a casa de
Bernardo Francisco de Barros Campello, na villa
(Ha um aparte.)
0 Sn. S|Peeira :Sem querer alargar-me so- do Cabo, para quartel.S. R. Reg Barros
bre este ponto, direi apenas, que amigamente quan- Ao 5o do art. 32 :
do existia a capatazi cobrava-se 320 ris por cada Era lugar de 5 por cento, diga-se, 10 por cento.
sacca de algodo, e hoje tera-se-me informado que Soares Brando. Rochael.
os senhores prnsanos, que devem ter urna balan- Art. substitutivo ao art. 51:
ca para seu uso particular, e por consegunte nao | Durante o perodo da presente lei correro de
tem que cobrar direitos ^della cobram 500, 600 rs. i preferencia as seguintes loteras, observando-se a
e as vezes mais por sacca de algodo que pesam, | prior idade dellas pela seguinte ordem :
descontando esse dinheiro do agricultor quando re-
cebe o importe do algodo.
e a casa, que creando-se a
a capatazi, livra-se pobre
agricultor das extorcoes dos commerciantes do al-
godo. '
Tem-se trazdo como argumento muito forte con-
tra a inspeceo o facto de terem-se mostrado na
Europa saccas de algodo falsificadas, tendo passa-
do pela inspeceo das Alagoas.
matriz do S. Sacramento da
greja de Nossa Senhora do
1* A concedida a
Boa-Vista ;
2* A concedida
Livramento.
3" A de S. Goncalo da Roa-Vista.
4* A do Hospital de Misericordia.
5' A da matriz de S. Jos.
6* A 1* e 2* parte da que por esta lei foi conce
dida para coroposicao e impressao dos trabamos
I biographicos annual de seu autor o cidado An
Sr. presidente, eu sei que esses abusos se deram | n0 Joaquim de Mello, sendo o seu valor de cento
i inspeceo de Penedo; mas sabe V. Exc. e a j e vinte contos de ris, e quatro as partes em que
na mspeccao
casa que cora abusos nao
os supplcntes, deferindo juramento aos que ain-: de outubro seguinte.
da nao prestaran) afim de completar o numero pre- Constando que se fra homisiar na Serra de Tei-
ciso para que nossa haver sesslo, fazendo Vmc.: xeira da provincia da Parahyba, requisitou-se ao
multar na forma do art 28 da lei do 1 de outubro! chefe de polica respectivo a sua prisao. Feita es-
de 1828 e aviso de 11 de outubro de 1832, aquelles ta, e de marcha para o Principe, conseguio elle rem desa repulsa dos inglezes se reconhece que a
que deixarem de comparecer sem motivo justifica-1 Iludir a escolta, e fugir ao chegar Villa de Pa- mais rejuintada m f presidia ao seus clculos,
do, incorrendo tambera na mesma pena, segundo tos da mesma provincia da Parahyba. Alguis membros da associaco commercial que
declara o aviso de 2 de jnlho de 1833, aquelles dos R essuscitan do de novo no districto da Palma e pertenetn a familia brasileira, querendo harmoni-
vereadores que deixarem de justificar a falta de depois de ter malogrado todas as diligencias, que se sar os epiritos, propozeram que se crea-se a ins-
coinpareciment, embora nao tenham prestado ju- j fizerara para a sua captura, foi emfim preso na peccao, mas como dous inspectores, sendo um o
ramento, urna vez que esleja cumprida a disposi- j noite de 18 para 19 de junho ultimo. que osinglezes propunham e outro o candidato
cao do art. 16 e o eleito nao houver reclamado em No acto da prisao arrancando de um punhal que brasileiio, que seno me engao era um mano do
tempo, e se Ihe nao tenha dado a escusa na con-1 tinha comsigo, resisti e por fortuna nao ferio a Sr. teneite-coronel Seve; mas os inglezes que nao
formidade do art. 20 da citada lei. Quanto porm I nenhuma das pessoas encarregadas da diligencia, queriam na inspeceo urna pessoa que nao fosse
ao motivo allegado pelos suppfenies que tem sido | que conseguirn) nao s tomar-lhe essa arma, creatura delles, nao aceitaram o acord e oresul-
corao tambem urna faca de ponta que tinha depen- tado foi ]ue nao conseguiram a creaco da inspec-
durada no punho da rede, e de que lancou mo cao do agodo.
apenas Ihe tomaran o punhal. Lavron-se urna acta, mas essa acta nao chegou a
Este punhal apparelhado de prata, que se cal- ser assignada pela discordancia dos socios, acta es-
cula valer 205- : ta que se acha aqui (mostrando) e que foi forneci-
Dando-se busca no seu trem, para ver se se da pelo Exra. presidente da provincia a requisito
no e os seus supplentes emquanto os substituirem. achavara mais algumas armas prohibidas, encon- desta casa e a requerimento meu.
Portara.O presidente da provincia, attendendo trou-se a quantia de 2295 em moeda, a saber, 20 J v porlanto a casa que em 1863 a associaco
ao que requeren o engenheiro da reparlico das j libras sterlinas e o mais em papel. I commercial reconhecia a necessidade indeclinavel
Sendo interrogado, e dizendo que viva de seu de rrear-se a inspeceo, e se hoje pensade modo
offlcio de sapateiro, causn grande admira;ao que contrarin parque reconhece que a creacio da Ins-
um offlcio desta nnalidade, redo la naquelles poeco vai ferir seus nteresses, vai acabar com o
matto* podesse dar nm can liquidla) avuu- inuuopoiio.
do e em to pouco tempo; e esta a razo porque U* Sr. Deputado :Vai dar vida ao mono-
ainda ha pouco acabei de dizer-lhe que nao mais polio.
chamados para substituir os vereadores como cons
la do seu citado offlcio nao justificavel visto que
segundo declara o 1* do art. 15 do decreto n. 602
de 19 de setembro de 1850 esto dispensos do ser-
vico activo da guarda nacional os vereadores ctTec-
tivos das cmaras municipaes durante o quadrien-
dida a tomar era outra, era punir o empregado
que fosse reconhecido culpado, nao se podendo
desse facto tirar argumento contra a creaco da
inspeceo.
Agora me record de urna circunstancia que
me ia escapando. Sabem os nobres deputados o
que se mandou dizer de Londres para aqui, e que
os senhores inglezes aqui tem abafado e que pessoa
muito competente me revelou ? Foi qu os nego-
ciantes da Inglaterra reclamavam pela creaco da
inspeceo do algodo, mas que isso nao convem
aos negociantes inglezes dessa praca pelo monopo-
lio que exercem, e abafaram essas reclamacoes
vindas de Londres, iato me foi revelado por pessoa
muito autohsada.
Senhores, ainda se d o monopolio de urna outra
especie. Os inglezes aulorisam a dous ou tres
correctores comprar algodo por sua conta I os
correctores sahem comprar o algodo, e quando
vm com as cargas dizem ao inglez o algodo e
de 1." sorte, mas eu compre-o por 2.', e entao
reparlem a differenga do preco, sendo a metade
para o inglez, e metade para o corrector. Este
facto, Sr. presidente, eu afflango V. Exc. que se
tera dado por mais de urna vez, e nao sei como e
que vista de semelhante facto e dos outros que
tenho referido anda ha quem se atreva a erguer a
se argumenta, e a me- jeve ser extrahida.S. R.Nabor.
Approvada quanto a de S. Goncalo, e regeiUdo
ludo mais.
Emenda ao arl. 6* :
6005000 a cada um dos dons opposilores do
Curso Commercial.-S. R Ferreira Jacobina.
Emenda :
Suppnma-se a verba do 8:0005000 para auxilio
companhia dramtica.Campello.
Aos 2o e 3o diga-se percebendo os collecto-
res 12 por cento e os escrivaes 8 por cento.S. R.
Reg Barros.
Ao art. 32 4" em lugar de 5 por cento, di-
ga-se 10 por cento. -S. R. Soares Brando.
Rochael.
O | 4o do art. 2a seja substituido pelo seguinte :
Expediente e asseio da casa, inclusive a diana
do servente paga mentalmente na forma por que
sao paeos os de mais empregado da secretaria
1:1505000.S. R.Araujo Barros.
Supprimase a parte que diz 3005 rs. a cada
coadjuctor. Buarque.
Ao art. que trata do theatro diga-se :
4:0005000 para concertar e pintar externa e in-
ternamente o theatro de Santa Isabel. Silva
Ramos.
Additivo:
Fica o presidente autorisado a contratar ,com a
obras publicas Joao Luiz Vctor Lieutier, e tendo
em vista as informacoes ministradas a esse ras-
pelo pelas reparlicoe competentes, Kom como o
parecer da junta medica que o inspeccionou, re-
solve de conformidade. com o art. 2o da lei n. 276
de 7 de abril de 1851 aposenta-lo com o ordenado
o nobre de-
correspondente 18 annos, 6 mezes e 7 dias de adrairaco nenhuma nesta trra encontrar-se moe- (Ha outro aparte.)
servieo nos termos da mesma lei e ordena que das de ouro em mo de pessoas da mais baixa con- O Sr. Sa Pereira :Eu digo como
neste sentido se facam as necessaras communica- dicao. putado (para o Sr. Ramos) tenho pejo de responder
cges _Fez.se o necessario expediente. Remettido Lucena para esta capital, onde se acha | usen aparte
Dita.O presidente da provincia, atteudendo ao tem de voltar para o seu districto, afim de respon-'
que requereu o lente reformado da guarda na- der pelo cnr.ie que praticou, de resistencia a jus-
cional Joaquim Felippe da Co-ta, resolve conce- ti?a e sem duvida tambem pelos de furto de caval-
der-lhe um anno de licenca para ir Europa tra- los, para depois entao seguir para essa praca do
tar de sua sade. Recife a responder pelo de deserco.
Fui minucioso na exposico deste negocio, por
Dito ao mesmo.-Recomrnendo V. S. que em! Expediente do secretario do governo do dia 8 de que se acontecer que o Sr. commandante das ar-
vsta das duas inclusas contas, e nao havendo in-
conveniente, mande pagar companhia de Beberi-
be a quantia de 485600, proveniente d'agua forne-
cida secretaria do governo e reparlico das
obras publicas, durante os mezes de novembro do
anno prximo passado at junho ultimo.
Dito ao mesmo.Inteirado pelo offlcio que V. S.
me dirigi hontem, sob n. 262, de haver Antonio
Baptista de Mello Peixto, dando por fiadores Pedro
- de Alcntara dos Guimares Peixolo e Manoel Ri-
beiro de Carvalho, arrematado por um triennio. e
pela quantia de 2:0605000 annuaes, o dizimo do
gado vaecum na comarca do Brejo, tenho a dizer
em resposta que approvo essa arrematacao.
Dito ao mesmo.Transmiti V. S., cobertos
com urna copia do offlcio do director das obras pu-
blicas, n. 179, de 6 do corrente, as inclusas demons-
traedes relativas aos salarios pagos pelo ihesourei-
ro aquella reparlico aos presos pobres que tra-
balharam as obras da ca.-a de detenco, afim de
que proredendo-se a tomada de cuiitas dessas des-
pezas. e estando ellas cm termos, mande pagar ao
mencionado thesoureiro o saldo, que se d a seu 1
favor, na importancia de 2655345, o qual opportu-1
mente apresentar nessa thesouraria os docu-
mentos comprobatorios de taes despejas.Commu-
nicou-se ao predilo director.
Dito ao mesmo.Nos termos de sua informagao
de hontem, sob n. 258, pode V. S. mandar pagar
Antonio Domingos de Almeida Pocas, conforme so-
licitou o Dr. chefe de polica, em offlcio n. 700, de
13 de junho ultimo, a quantia de 805080, despen-
dida com o sustento dos presos pobres da cada de
Agtia-Preta, nos mezes de Janeiro marco deste
jiillio de 1861.
Offlcio ao secretario do Imperial Instituto Per-
nambucano de Agricultura.De ordem de S. Exc
o Sr. presidente da provincia remetto V. Exc.
para os Iras convenientes os dous inclusos exem-
plares do Auxiliador da Industria Ntcional e da
Monographia do Algodoeiro.Iguaes remessas se
fizeram a todas as cmaras municipaes.
Despachos do dia 8 de jullio de 186 .
Requeriinehtos.
Anna da Pnrificaco Araujo.- Remettido ao Sr.
desembargador provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia para de conformidade com a sua informa-
gao de 6 de corrente mandar nscrever no respec-
tivo quadro o filho da supplicante, afim de ser op-
portunamente admittido.
Albina Simoa da Conceicao. Informe o Sr. te-
nente-coronel recrutador.
FlausinaAniceta do Rom Parto.Nao tem lugar
o que requer.
Irina Marrano de Oiveira.Pode seguir.
irmandade do Sr. Bom Jess dos Martyrios da
freguezia de S. Jos desta cidade. = Nao tem
sido contemplada na lei provincial n. 596 de 13 de
maio ultimo a lotera de que tratara os supplican-
tes nao pode ter lugar o que requeren).
Tenente Joaquim Felippe da Costa. Passe
portara concedendo a licenca que pede.
Jos Mendes Pereira de Vasconcellos.-Informe
ao Sr. inspector da thesouraria da fazenda.
Lieutier. -Passe
mas dessa provincia leia esta missiva, fica elle ha
bilitado pelo conhecimento destas circunstancias,
O Sn. Silva Ramos :Eu nunca disse isso; a
minha educaco nao permute dar um aparte dessa
ordem.
O Su. S Pereira :Gostei da phrase ; oh I e j
se esqueceu do que disse quando ha pouco fal-
lou?!
O Sn. Silva Ramos :Mas eu nao disse seme-
lhante cousa.
O Sr. S Peheira :Ponhamos de peito essa
sua voz neste recinto para cornbater o projecto que I companhia Pernambucana, mediante a quantia de
poem termo a estes abusos. ., 12:0005000 annuaes o mximo, a consirmcao de
O Su. G. Campello :E' para ver at onde pode trilitos de ferro entre o porto de Japomnn e a ciaa-
cheitar a falta de intelligencia de seus collegas. de de Goiaooa.Silva Ramos. Armimo Tavare.
O Sr. S Pereira : Nao chamo a isso falta de; Goncalves da silva. J. do Reg Barros.-Nabor.
intelligencia ; o nobre deputado tem muua niuHrav' Araujo Barros,
cao, e eu s aceito o seu aparte como urna ironia, | >-0 art. das loteras accrescente-se :
e porque nao Ihe quero dizer era resposta que isto uma parte das loteras concedidas a favor das
prova que os inglezes aqu podein muito.. Sem obras de Nossa Senhora do Rosario da Boa-Vista.
que sao todas fundadas em autos authenlicos, para i questo incidente.
julgar do carcter do soldado de cavallaria Jos Sr pre?ideDtei vejamos os pontos sobre os quaes
Fernandes de Lucena. se baseam os nobres deputados que inpugnam o
Nao sei de mais cousa alguraa que raerla men- pro:eclo de nspeir-o do algodo, verifiquemos es-
cao, salvo dizer-lhe que vamos vivendo em paz e ^esJpontos comK ,oao 0 escrpulo, e vejamos se po-
sem maiores novidades.
PERIUMBUCO.
ASSEMBLEA PROVINCIAL.
SESSO ORDINARIA EM 4 DE MAIO DE 1864.
PRESIDENCIA DO SR. C0NSBLHE1R0 TRIGO DE DE
LOl'REIRO.
(Concluso.)
A discusso fica adiada pela hora.
PRIMEIRA PAUTE DA ORDEM DO DIA.
querer com isto ferir ao nobre deputado.
Ora, Sr. presidente, se no nosso mercado se do
constantemente fados desta ordem; como que nao
havemos de lomar uma deliberarlo em ordem a ga-
rantir os nteresses dos nossos agricultores ? Os no-
bres deputados que impugnam o projecto, j viram os
deputados do centro se levanlarem nesta casa para
impugnar o projecto ? Pelo contrario nao tem
viste os nobres deputados que os nobres deputados
do certao confessam que os agricultores reclamam
pela creaco da inspeceo? Pois, senhores, have-
mos deixr de prestar um beneficio aos nossos pa-
tricios, s porque 3 ou 4 especuladores (os ingieres
especialmente) dizem que a inspeceo ra?
tTiocam-se apartes.) '
Sr. S Pereiiia : E' esta a razao que eu
descubro.
Eu poda alargar-me ainda em outras considera-
res sobre o projecto, mas como muitos Srs. depu-
tados desejam ver a discusso concluida, eu termino
aqui as consideracoes que tenho a fazer soDre a
materia, e ento se os nobres deputados disserem
alguma cousa que eu emenda dever ter resposta,
oceupare de novo a attengo da casa ainda que
por momentos
O Sr. Gervasio Campello manifesta-se contra o
projecto.
E' remettido mesa e apoiado o seguinte reque-
rimento :
Requeiro a prorogago da hora para exclusiva-
mente tratarse da terceira discusso do orcamento
segunda do municipal. Buarque
profes-
demos provar que a inspeegao necessaria.
Sr. presidente, verdade que o imposto do algo-
do paga segundo o termo medio da pauta, ver-
dade que a inspeceo nao obrigateria para o com-
prador, mas isto nao razo para se impugnar o
projecto, pelos motivos que passo a expender.
Sr. presidente, existe um monopolio no mercado
do algodo relativamente a rlassificaco desse ge-
nero e dessa forma illudindo-se a boa f dos ven-
dedores, que quasi sempre sao pessoas ignorantes,
prejudica-se ao agricultor e prejudica-se a fazenda.
Prejudica-sc ao agricultor, porque remeneado qu
trazendo elle seu algodo ao mercado, para o ulti-
mo ponto onde tem de realisar a venda, nao tendo
mais para onde correr em procura de melhor preco ; provincial e a
ficando a discus-
Dr. chefe de polica.
Maria da Conceicao de Moura Schefter. Era
vista da informaco nao tem lugar.
Engenheiro Joo Luiz Victor
portara aposentando o supplicante.
Joaquim Raphael de Mello Jnior. Passe por-
ato de luz" para Vmesma taria.prorogando o prazo por tres mezes.
E^m^^^
de 26 de abr, prximo findo.-Comraunicou-se ao ^Jgm^mgmm.
Dr. chefe de polica. _
Dito ao commandante superior da guarda naci-. ^
nal do Recife.Deferindo o requerimento do guar-
da do 1 batalho de artilharia deste municipio,
Belmro Gomes de Oliveira, raixeiro do negociante
matriculado Domingos Teixeira Bastos, sobre que
versa a sua informaco n. 92, de 27 de junho ulti-
mo, autoriso V. S. a mandar dispensar do servico
o referido guarda, at a prxima reunio do conse-
lho de qualificaco, a quem deve elle requerer o
t,eu direito, de conformidade com o disposto no art.
18 de 12 de marco de 1883.
Dito ao mesmo.Mande V. S. dispensar do ser-
vico da guard nacional, em quanto. estiver pecu-
uando o lugar de inspector de quarteiro na fre-
guezia de S. Jos, o guarda do 2o batalho de in-
E' approvada.
Segunda da emenda apresentada em 3a ao pro-
jecto n. 16 que autorisa o governo a mandar fazer
a estrada do Ub Bujary.
E' approvada.
Segunda do projecto n. 24 que desmembra da
freguezia de Fazenda-Grande e rene de Serra
Talhada todos os termos coraprehendidos no sitio
denominado Laga.
Vai mesa e apoia-se a seguinte emenda.
Liz Antonio Joaquim de Azovedo. Informe o Artigo additivo ao projecto.
i A freguezia do Divino Espirito-Santo do Pao
d'Alho fica dividida era dous districtos de paz pela
maneira seguinte:
1." O districto comprebender todo o territorio
que fica ao lado direito do rio Capibaribe a partir
de sua nascente.
2. O 2o districto comprehender todo o territo-
rio da esquerda do mesrao rio Capibaribe.
3. Fica o termo de Ipojuca dividido era dous
COIlRlSPO^DK^CIAS ItO I A districtos de paz.
RIO 1E PI] KXA WBIICIO. 4 A diviso dos dous districtos de paz da fre-
_> I ffue ia de Ipojuca ser pela estrada real que vera
bio i.ra\; do kohtii.. i d0 ReCfPi principiando do engenho do Meio at a
Natal, 8 de jnlho de i SG ponte do engenho Trapiche e d'ahi passando pelo
O invern, se invern se pode chamar uma ou alagadico de Pindobinha chegar at o engenho
outra chuva destacada e com longo intervallo, ca- Genipapo, onde limita esta com a freguezia de Se-
da vez mais vai matando as esperanzas dos lavra-: rinhaem. Tendo assim todo o lado do norte e po-
dores. |enle da estrada real para o 1 districto e para o 2
De cereaes pouco ou nada ha de haver; do algo-! todo o lado do nascente e sul da sobredita es-
de nao se perde menos de metade do que se espe-, trada. s. R. Rochael.Araujo Barros. Silva
1 Barros.Carvalho Moura.
natural, tem-se ressentido E" approvado com a emenda o dispensado o
_mmon,ia <1p SOO oa, oruenauo corresponaenie ao aunu ue ww,
prensarlo a encommenda le aw era de ^ deixou
de l qual.dade porwemplo^maa h k ^ ^ nca
encommenda e recoramendando jna|de f ab^|vdo._Franca.
dos coadjoctores da provincia.
E' approvado rom a segninte emenda.
Em vez de 4005000, diga-se 3005000.Buar-
euezia
fantaria Joaquim Coelho da Costa, visto que assim
o requisita o Dr. chefe de polica, em offleode 11
de junho ultimo, sobre que versa a informaco de
V. S., n. 95, de 4 do corrente.Communcou-se ao
Dr- chefe de polica.
Dito ao Dr. juiz de direito da vara.-Tendo rava colher.
desianado Vmc. para servir de auditor no con-1 O commercio, como
S de aue trata o art. 40 da lei n. 358 de 14 de desta decepcao; uma nica casa, a casa Graff, nao intersticio.
oto.de? 18457 e que tem de reunirse no dia 13 ha esmorecido, sustentando* no mesmo p de for- a ^^JS^SSJtJ^ qe eleva a Congrua
do corrente como declarou-me o capito do porto ca com que principiou.
*.n rimeio de hontem, para cumpnmento do dispos- Em compensacao, porm do algodo ah vem a
tn no art 113 do regulamento de 19 de maio de safra do assucar, que prometle outro unto como o
afi- awim o communco Vmc. para seuconhe- anno atrazado : o Cear-menm pelo menos regor- que.
It nto e SS -Communicou se ao eapto gta de canna; o seu valle parece na expresso de O Sr. Nabor requereu urgencia,para se discutir
cimento e execuco. unmuum u v |oquaf||le| nra mar de f0|hagem desta especie das q_ projecto n. 17 que crea a inspeceo do algo-
tvtfi ao director geral Interino da instraccao pu- arnndmaceas.
wSi -ResDradendo aos seus offlcios de 6 do cor- Entretanto foi to grande o Impulso que deu o
Ente oh ^ 127 e 128, tenho a dizer-lhe qne algod o anno passado; fot to profunda a ant-
nnrnvo de conformidade com o p?recer do coDse- mago, que causn a toda a agricultura, e comraer-
?hPn director quesera adoptados as escolas de ci da provincia, que as rendas provinciaes em na-
toJSXri* ornato Dr. Antonio do da ho diminuido, e a divida do respectivo cofre
Reo SSuiKo-0 Livro ds Meninos-bem como est a extinguirse; ja nao serebatem ordenados,
5o rVadre Ignacio Francisco dos Santos, intitula- nem ha mais empregados que diga-u estou o fan-
oos-Siroples Noces de Cosmographia e Geogra- tos mzts sem receber vtntem.
o
do.
Votada a urgencia entra em discusso o pro
jecto.
OSr. Buarque :(Nao devolveu seu discurso.)
Vai mesa e apoia-se o seguinte requer
ment.
Requeiro que se consulte a casa se est ou nao
bastante esclarecida acerca do projecto em dis-
cusso. Sveira Lobo.
prador, "e em prejuizo do agricultor, vindo assim
tambem a ser prejuaicada a fazenda, porque o im-
posto nao pago segundo a verdadeira qualidade
do genero.
0 inglez faz ao
saccas de algodo de
quando Ihe faz a er.
Ihe que faea a compra de forma que nao pague
tanto imposto. ,
O prensarlo tendo de comprar 500 saccas de ai-
godao de 1' qualidade,tratade comprar o algodo de
V como sendo de 2' sorte, dando-se ah uma ante-
renca de preco espantosa, porque se o algodo ae
1 sorte vale por exemplo 255, o de 2' pode valer
205 e se o de 2" vale 205 o de 3* vale 155; tendo
o imposto de ser pago na razo do termo medio,
nao s prejudicam ao agricultor, como prejudieam
a fazenda, despachando algodo de 1* como d!e\W o
3" sorte sendo o imposte pago pelo termo medio da
pauta de 2* e 3* sorte devendo ser de e T. Ja
v o nobre deputado como se acha o monopolio es-
tablecido, monopolio este que ter de desappare-
cer com a creaco da inspeceo, por quanto o im-
posto ser pago, nao segundo o termo medio das
differentes qnahdades do genero, mas segundo o
termo medio do preco que tiver a sorte em que o
ali?odo for classificado.
Ainda ahi nao se acha ludo, anda os nobres de-
putados Ignorara que quando o algodo compra-
do inmediatamente carimbado settundo a sua
qualidade em presenca do vendedor, e na occasiao
em que compram pelo preco que querem, dizem
logo que preciso descontar unto do imposto, mas
ainda assim os vendedores sao lesados, porque el-
les dizem aos vondedores que o imposto pago se-
gundo o preco da primeira gualidade do genero,
allegando qu a classifteaco nao existe, que e feita
na occasiao de embarcar o genero; e assim quando
o agricultor tera por exemplo de Pagar **?I
100 saccas de algodo, paga 1305. 1405, e 15U*
porque o imposto Ihe logo descontado.
Sr. presidente, alm destas considerares que
projecto do orca-
apoiam-se as seguintes emendas :
Ao art. 4, cap 2o :
9805000 a Liberato Tiburtino de Miranda Ma-
ciel, professor de iostrurco elementar de Timbau-
ba, ordenado correspondente ao anno de 1861,
Silva Ramos.
A' emenda sobre o aluguel da rasa do
sor de latira de S. Jos accrescente-se :
Sendo 4005000 de dous annos de aluguel que nao
recebeu o professor. J. Reg Barros.
Ao Io do art. 4o do cap. 2o accrescente-se :
sendo igualada a gratificado do professor addido
Jos Faustino Marrano Falco dos professores
do Gymnasio rs. 3:6805000. S. R. Sveira
Lobo."
S 4o Era vez de o por cento, 3.
8o, 20, em vez de 30 por cento.
14 Accrescente-se licando livre de direitos
a venda de escravos at a idade de 2 annos.
13 Dgase salvo aquelles que forem oceu-
pados pelos proprios proprieUiios. Silveira
Lobo.
Regeitado quanto a primeira parte e approvado
a terceira.
Vai mesa o seguinte requerimento, que entra
em discusso com o projecto :
Requeiro o adiamento at amanha.S. R.
Ferreira Jacobina.
Encerrada a discusso o requerimento de adia-
mento regeitado, e approvadas as emendas de ns.
1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9,10, 11.16 smente na par-
te que se refere igreja de S. Goncalo da Boa-
Vista, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, e 28 quanto a ul-
tima parte smente, sendo regeitadas as de mais.
Dada a hora
O Sh. Presidente designa a ordem do da e le-
vanta a sesso.
que ro absolvido.franca
Art. 42 10 :
Em lugar das ultimas palavrascobrados por
airemataco diga-se cobrados por adminis-
tracao. -S. R.Nabor.
Art-42 :
No 19 accrescente-se depois das palavrasco-
xeiras botequins, notis e casas de pasto.
No 15 accrescente-se doaces de qualquer
especie na forma do 13 do art. 41 da lei n. 555
de 4 de maio de 1863.
g Additivo :
1005000 sobre as casas que venderem roupa fei-
ta no estrangeiro.
Suppnma-se a segunda parte do 21.
No 2o diga-se : 20 por cento era vez de 12, e
supprimam-se os cartorios e escriptorios nao deno-
minados, que formara parte do 19.Buarque.
J. Reg Barros.
Ao art. 2* 4 :
Para a mobilia desta assembla 1:5005000.
Francisco Pedro.
No s 34 accrescente-se :
Ficando isentos os escravos.Buarque. J- do
Reg Barros.
Ao art 42 I 8* :
I Era lugar de 30 por cento, diga-se 5 pof cento.
-Reg Barros.
4:5005000 para pagamento do que se esta a de-
ver da construccao da ponte da ra da Aurorajun-
to fuodico de Slarr. Buarque. J. Reg
Barros.
Em vez de ama parte da lotera da Boa-VisU,
diga-se uma loteria da matriz da Boa-Vista, que
ser collocada no lugar aonde se acha a da Boa-
tendera a de~mon"strar a existencia do monopolio ac-1 Viagera, e esta no lugar daquella.-Buarque.-Ja-
tualmente eu drei que o argumento mais poderoso ****v accre8Cente-se :
5:0005000 para caualisaco d'agua potavel para
e que deve calar no animo de todos, consiste as
reclamacoes coostant-s qne fasem os agricultores
pela creaco da inspeceo. Nestt casa, Sr. presi
dente,
acha
emdar
SESSAO ORDINARIA EM 5 DE MAIO DE 1864.
PRESIDENCIA DO SR. CONSELHEIRO TRIGO DS
LOUREIRO.
As 11 W horas feita a chamada e achando-se nu-
mero legal de Srs. deputados abre-se a sessao e
lida a acU da antecedente approvada.
O Sr. Io Secretario d conU do seguinte
EXPEDIENTE:
Uma petico de Francico Duarte Coelho offlrial
da secretaria desU assembla pedindo seis mezes
de licenca com todos os seus vencimentos. A"
commisso de polica.
Foi ldo e julga-se nao ser objecto de deliberacao
um parecer da commisso de petices acerca da
preteneo de Manoel Camillo Pires Falco, ex-lhe-
soureiro das loteras da provincia.
Sao lidas e approvadas as redaccSes dos projec-
tos ns. 16, e 48.
E' lida a redaeco do projecto n. 55 que crea a
escola normal.
Nolando-se contradicho entre a redaeco do pro-
jecto e o que havia passa na casa, vo mesa as
seguintes emendas:
Ao art. 18-Ein lugar das palavras outras de
Ouricury, diga-se ou Garanhuns.Soares ran-
Approvou-se a redaeco ticando substituido o art.
5, de conformidade com a correccao reiu na acia
de 27 do passada-Buarque. -_ _
Depois de algumas consideracoes que tazem os
Srs. Buarqoe, Francisco Pedro, Jacocina, Araujo
Barros e Rochael e Soares Brando, sao as emendas
approvadas e igualmente a redaeco do projecto.
Vai mesa e approvada a seguinte mdieaco :
Propomos que seja o secretario encarregado
de receber a quota marcada para o asseio e expe-
diente da casa, e reformada mobilia da casa. -Sil-
va Ramos.Ayres Gama.
PRIMEIRA PARTE DA ORDEM DO DIA.
Segunda discusso das emendas apresentadas
em terceira ao projecto de orcamento provincial.
O Sr. Buarque manifesu-se contra algumas
emendas de despeza, e entre ellas a que manda
enllocar trilhos de ferro entre o Japomim e a oda-
de de Goianna.
O Sr. Gomcaives da Silva : Sr. presidente,
ouco sempre com muiu atlen{o as observacoes
do nobre 1." secreUrio, e sou o primeiro a lyuvar
o seu zelo pelos nteresses da fazenda provincial.
Elle, como memoro da commisso de orcamento.
.EWvEK3TE=3ri=-S: s9&7S=SaTU2
ir o seu voto em tato* do projecto na i* ais- eente-se .
(quanto tende augmentar a
modo o nobre 1* secretario
me parece que compre



Diarlo de rerna-lwe *erea felra tt de Julho de 1SC4.
bem os sens devers nesta parte. Mas permitta-me
o nobre Io secretario que Irte liga, que cin quanto
a opposiyo que faz aos trilitos urbaos, ou como
melhor nome tenha o systema dessa estrada ao rio
Japomim, nenhuma razo lem, como passo a de-
monstrar.
Sr. presidente, o nobre deputado trouxe como
argumento muite forte em favor de sua opinio,
que esta casa ja tinha votado que se con-'luisse a
estrada ao norte desta provincia at Goianna, o que
estando essa estrada completa, nenhuma necessida-
de nos tinhamos de mais este trabalho.
O Sr. Buarque : Disse que se podia esperar.
O Sr. Goncalves da Silva -.Aceito; mas emen-
do o contrario, e vou Ihe Mostrar a razao porque
assim entendo.
De minio tempo se -entia a necessidade da es-
trada ao norte da provincia; ella foi contratada,
como ja tive occasio de dizer nesta casa, na en-
tenso de dez leguas, existe feila at este ponto, e
era de indeclinavel necessidade que se roncluisse,
o que j esta casa dclerminou; mas tambein de
muito lempo, e talvez se conhece a grande e indeclinavel necessidade da
abertura do rio Goianna, e Unto que nesta casa ha
cinco ou seis annos foi votada nma le para a aber-
tura desse mesmo rio. Essa obra foi oreada, flze-
ram-se 09 estudos necessarios, foram engenheiros
Goianna, examiuaram o rio, e creio que foi cal-
culada a despeza em 50 contos de ris; foi a pra-
ca essa obra, mas nao houve quera quizesse arre-
mata la, segunda vez foi praca e ainda nao appa-
receram licitantes, pelo que nao se poz em execu-
cao a abertura do rio.
O Sr. Buarque : A emenda nao diz urna pala-
vra acerca do rio.
O Sn. GoNgALVss da Silva :Escapou sem du-
vida ao autor da emenda.
Mas, (piando se reconheciaa necessidade da des-
obstruccao do rio Goianna ha tantos annos, quando
se orcou essa despeza em 50 contos de res, e al
hoje nada se ten feite a respeito de semelhante
obra, nao se deu um passo, para a desobstruccao
desse rio, creio que nao ha razo para o nobre de-
ninguem pela proximidade pode supportar a feden-
tina, importa pois, ou quo o mesrno cesso de assim
praticar, ou que o re*|>euiiv# liscal impoaba a mul-
la comminada taes infraccoes.
A segunda cadeira de nstrucrao elementar
do sexo mascolino desta freguezia est funecionan-
do na casa da ra da Palma n. 23 temporaria-
mente.
Est designado o dia 17 do corrate para a
reuniaodo conselho de revista da guarda Racional.
A sessio 6 no paco da cmara municipal, P elae
11 horas da manha.
Em virtude de lei da assembla provincial
deste anno. foram creadas 10 escolas de nstrucco
Exposta na igreja dos Martyrios, Pernarobuco,
mezes, S. Jos ; ttano.
Colleglo do Rcelfc
ELEICAO i'ARA UM SENADOR.
Conselheiro Antonio Colbo de S e Albu-
querque.............................
Dr. Joaquim Saldanha Marioho...........
Dr. Antonio Vicente do Naseimento Feitota.
Conselheiro Antonio Pinto Cbiehorro da Gana
Ur. Urbano Sabino Pessoa de Mello.......
Dr. padre Joaquim Francisco de Parias
primaria para o sexo mascolino e o para o sexe fe- Conselheiro Francisco de Paula Baptista
Votos.
173
161
149
106
95
40
26
mino, sendo : as primeiras, urna no Gymnasto,!
urna em cada urna das freguezias de Santo Auto-
nio, de S. Jose Boa-Vista, urna na Capunga, urna'
em Cimbre, urna na Malhadinha, urna em S. Jos
da Coroa Grande, urna em S. Lourenco de Tejucu-
papo e urna em Aogados de Ingazeira: e as ulti-
mas, na Capunga, Pedras de Fogo, Baixa-Verde,
Gravat e Escada.
Foram removidos, alm dos que hontem noti-
ciamos, mas os segointes professores : Seraflm Pe- Francisco Coelho de S e Albuquerque.
reir da Silva Monteiro, Benjamim Constan! da Cu- Antonio de S Cavalcanli de Albuquerque..
nha Salles e Belarmino Guedes Alcoforado ; o pri- Aninoio Coelho Paos Brrelo..............I
Dr. Francisco Carlos Brando..,
Dr. Jernimo Villelade Castro Tavares..
Jos Pedro da Sil va.....................
Dr. Feltppe Lopes Netto................
Viscondo de Camaragibe...............
Jos Mara Freir Gameiro-............
Jos Antonio Teixeira de Farias...........
Major Manoel dos Santos Nunes du Oliveira.
Barao de Guararapes.
meiro do A fugado para a terceira cadeira de Santo
Autonio, o segundo da S de Olinda para a terceira
cadeira de S. Jos, e o ultimo de Ipojuca para a
Capnnga.
Acaba de ser dividido o segundo districto po-
licial da Escada, crendose, sob a denominaco de
S. Jos da Extrema, o terceiro ; sendo nomeado
para subdelegado deste, Cinetoalo Velloso da Sil-
veira.
Bemettem-nos o seguinte sobre adistiocta ar-
tista rica D. Margarda Verdini :
t Acha-se entre nos a insigne cantora deste no-
me, que tantas palmas e arrebatados applausos lem
merecido do Ilustrado publico fluminense, tbeatros
de Montevideo, Buenos-Ayres e ltimamente as
provincias ao norte d'esta. Consta nos que a illus-
lissima cantora pretende dar no e&pacpso saio da
Amonio Catonh de S e Albnqjerque.....
Antonio Chichorro Pinto da Gama......../
Conselheiro Lourenco Trigo de Loureiro....
Dr. Luiz de Camino Paes de Andrade.....
I
CURONICA JIIHCIAItli
3
2
i
2
1
1
1
1
1
1
1
1
1
786
THIBIWI, IM> < ou Runfio.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM U'DE
JLHO DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. Sil. DESEJUBARCPOR
PEHETT1.
As 10 horas da manha, reunidos os Sp. depu-
tados Bego, Lemos, Alcoforado e llosa, o 8". prest- :
j^ffisfe* snva *c-; appeiiad'An_
JS*". Francisco da Bocha Passos Lins e
IrmSos ^ra^Jea da SilTa 5 appellados, Kalkman
Ao Sr. desedbargador Accioli.
Appellantes,! o Dr. Antonio Agripino Xavier de
arito e os cu.-dores tiscaes da massa fallida de
Martiobo de Oliveira Borges; appellado, Jos Go-
mes Leal.
Appellante. Manoel Gouveia de Souza ; appella-
dos, os admiiistradores da massa fallida de Anio-
rim, Fragosa Santos & C.
O Sr. desembargador Silva Guimares jureu
1 !USD*iC"* "esta, e distribuio-se ao Sr. desembarga-
dor Domngues da Silva.
AGGRAVOS.
o ^vaiue, o presidente e directores da caixa
nlial do banco do Brasil nesta cidade ; aggrava-
dos, os curadores flseaes da fallencia de Manoel Al-
ves Guerra.
Aggravjntes, os administradores da fallencia de
Amorim, Fragoso, Santos & C.; aggravado, Jos
Francisco Barrote.
O Sr. tesembargador Accioli negou provimento.
Cacta testemunhavel do juizo especial.
Aggravantes, Kelson Frilton & C. ; aggravados,
os administradores da massa fallida de Seve, F-
lhos A C.
O Exm. Sr. presidente tomou conherimento,
e deu provimento.
Sendo apreseotado o aggravo de instrumento do
juizo do Ipojuca, em que sao :
Aggravante, Sil vino Guilherme de Barros ag-
gravado, Francisco Antonio de Oliveira :
O Exm. Sr. presidente jurou suspeico, e orde-
nou que fosse apreseotado a quem competir.
Nada mais houve, e encerrou-se a sesso i}{
horas da tarde.
MOYIMElfTQ m PORTO.
putado entender que o facto da abertura da esla-, sociedade Corybantina um escolhido concert, pro- denU, *KL1 aheYta a ses'sio
dado norte, dispensa essa ou:ra obra muito til, porcionando-nos desta forma momentos deleitosos; yj. f aurova(ja .,01,"
muito vanlajosa. com o seu mavioso canto. O nome de Margarida n ___ '
vanlajosa
A casa se ha de lembrar que nos primeiros dias
em que tomei assento, pedi informagoes a presi-
Marganda
D. Verdini j conhecido do generoso e hospialei-1
ro publico pernambucano. A artista digna de pro-
reunidas
ggjjmgU A PEDIDO.
Ao Hr. Antonio Pinto Xognelra
Aeclole.
Declaramos aoSr. Antonio Pinto Nogueira Ae-
clole, que se os parales bem prximos do Sr. vi-
gario Frota conservaram-sesilenciosos a respeitode
urna catilinaria, que S. S. publirou contra o mes-
rno vigario era um dos nmeros do Ctarense, nao
da ultima.
EXPEDIENTE.
Um offlcio do inspector da thesouraris provin-
formacoes custaram a chegar, requer segunda vez! as de cantora, aTsim como por nesta provincia nao S^M^S^^STSSta
para que viessem, e effectivamente j me vieram havera muito dado um concert lyrico. pA nr(l.on,' monil ',.., ,, -*, n. '"" """ riu <"> uus """" uu w(dr, mi
s maos. Dessas informales se ollige qoe a aber-! repaktk-.ao da policu. | rao do i iv?ament^ PP Semestral d tra' como aflirma S. S. por se julgarem elles incwn-
tura do rio Goianna de necessidade indeclinavel Extracto das partes dos dias 10 11 e de julho de uwn : ptenles para urna discussao sobre negocios pecu-
para aquella cidade, dessasinformales tamliem' 1864. nrwmprim.i.m ? c 1 i a ir "ares ao Ico ; mas, sim, porque vendo em seu
se collige que a collocaco dos trilhos urbanos da Foram recolhidos caa de detencao no da 9 Sft '" '','i10 ao crrec'or uoncaiorte Aiion- communicado mais um insulto ao carcter, con-
cidade de Goianna ao rio Japomim pode muito bem; do correte : X,r C0.nhecmenJ, 10 ",osto de; ducu e honra do vigario Frota, do que urna defe-
substituir a abertura do rio Goianna, sendo que a A1 orden do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Sal-; o Aifian! A? isrSl. "t!fi* r?Ei dos actos' despeza orgada anda, me parece, (r 30 ou 30 e vador Gomes de Andrade, Antonio Jos de Santa j _j ^'^aemioes Amonio )>i>ti L^eiro bi- acharam mais prudente despreza-lo ; e admira que
poucos contos de ris : tenho o orcamente em casa, Aona, e Joo Antonio Evangelista, para recrutas.! L.,,'_: _S- IB"a connecimeDlt Para S. S. se magoasse tanto com o que Ihe disse o ba-
mas nao suppunha que hoje se agilasse ua casa A' ordera do subdelegado do Reei fe Joo Bibei-; nji-'."5'i ?' : charel Jos A. Rodrigues Lima, defendendo ao seu
ro, por insultos. I ,,ri,demhanc,sC J5e F?rnaildes Pires Antonio ?trmU e araig0 quando S- s em seu comroui).
A' ordera do de Santo Antoton.o, Floriano escra- 55"5 SS2S?' pe^ndo rS,sy "!ff" 59n-1 cado nao escolheu termos para responder ao Sr.
vo, de Manoel Jos Fereira dos Santos, por briga. JjJ?, de '"ade. Vista ao Sr. desenj-argador vigario Frota> ou antes j0 ,repi(jou em |ancar
A' ordera do da Boa- Vista, Antonio ou Amaro Go-: g^ conc|nsoJ og aulos de rehabiBa5ao de
Navios entrados no da 11.
Aracaty14 dias, hiate brasileiro Sant Atina, de
43 toneladas, capito Antonio Joaquim Alves,
equipagem 7, carga couros e outros gneros ;
B. G. do Amaral, e 1 escravo a entregar.
Barcelona, W das, polaca hespanhola Flora, de
119 toneladas, capito Juan F. Sensate, equipa-
gem 71, carga vinho e papel; Johnston Pater
&C.
! Liverpool-45 dias, barca Ingleza Town of Liver-
pool, de 336 toneladas, capito I. Boyes, equipa-
gem 13, carga fazendas e outros gneros ;
Saunders Brothers & C.
Barcelona49 dias, patacho hespanbol Themoteo
II, de rH toneladas, capito Ezeqniel Pages,
equipagem 9, carga 910 barricas, 80 meias di-
tos cora familia de trigo: ordem.
Greeoock40 diasjban-a ingleza 0/md,de 253 to-
neladas, capito Prouse, equipagem 12, carga
carvo 5 Eduardo Fenton.
Navi sahido no mesrno dia.
liba de FernandoHiate nacional Sergipano, ca-
pito Henrique Jos Vieira da Silva, carga va-
rios gneros.
EDIT1ES.
ua casa
semelhante questo, por isso nao trouxe.
O S. Buarque :Que distancia vai de Goianna
ao rio Japomim ?
O Sr. Gorqalves da Silva :Urna legua pe-
quena.
Por tanto, se, como disse, se reconhece ha muito
tempo a necessidade da desobstrui-co do rio Goian-
na, e foi essa obra orgada em 50 contos de res,
nao se (ornando effectiva por que nao houveram
licitantes, se depois disto foram engenheiros
Goianna^ observar o que se poderia gastar com a
coliocacao dosses trilhos da cidade ao rio Japomim,
sendo a despea orgada de 30 e tantos contos de
ris, eu que sou habitante de Goianna, que tenho
erguido por innmeras vezes minha voz nesta ca-
sa, propugnando pelo bem estar material e moral
daquella comarca, roe darece que um dever im-
Iierioso que me corre, quando se tratar daquella
ocabdade, empregar lodos os meus esforcos prol
s interesses ; e nestas condigSes, eu nao te-
I mui injustamente sobre seu carcter as nodoas as
mesdeLima,eSenhonnhaAnnadaConceigo,por la^J^SSS *au,os ue rfna.DI"a^" .ue, mais inaraanles. Foi porianto por ser muito in-
espaocamento, Joo Henrique de Oliveira, por desor- minirt -f r i,egu,n e de*cn sultuoso o" seu communicado, e por nao estarem os
dera e jopos prohibidos ; Candido Telles de Me- H? com a prestagao e contas, parentes do vigario FroU dispostos a acompanhar
nezes, Jos Ignacio da Rocha, Joao Francisco dos n lmmmtt...... v. -*_. rc, a urna discussao em um lerreoo menos digno de
Santos, Mara Pastora da Conceicao, e Maria Fran- SP^SJ2? A2?'J^?lS2lj2 caracteres que se prexam, que passou-lhes sera
cisca da Concelco, todos por briga ; Jos, escravo iMS**"25 ,! ?$ a' peluU.-Sla resposu o mesmo communicado.
de Maria Rita dTMello, por suscito. ^,ffi S" d"lara.n a extmetto de sua Q(je esta dedaracSo prvocada pelo Sr. Acciole,
A- ordem do da Capunca, Antonio Ferreira da a^TiuIJ?siV2 ^ desembargador Bcal. nao 0ffenda a sua susceptibilidade, o desejam cor-
Silva, para averiguagoes. tr i"e Joaf1u"n FellPPe da Costa pedida o regs- dta|mente 0s sobriahos do vigario Miguel Fraocis-
Dia 10 de 1ua,ro Procurages que ajunta.-tomo re- co da Frola
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe, de polica, Lu- ^ r'i .__ _.
cianoJos Caros de Aguiar, sera declaraco de deJoaan.m Soares Pinto Cjrrac Ju Soares
motivo nnl (j0rra Junior, informado pelo Sr. dsembar-
A' ordera do Dr. delegado da capital, Francisco gf ESff' Pedindo **$** ^ seuconrato so-
das Chagas Pereira da Silva, por suspeilo. ; ciai.-Oeclarem a naturahdade dos sociosie o mo-
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Joo S." E* ,as duvidas soenes, e refirmen o
nho cessado de pugnar pela satisfago de suas ne-i e Antonio, escravos, este do Dr. Sabine Olegario 5, g ,m a iue a firma socialseja usa-
cessidades, das quaes estou muito a par. Ludgero Pinho, e aquello de Antonio Domineues aa^r UJ? ou amos os socios sem restricoes.
tu pois, Sr. presidente, tenho procurado Infor-1 Pinto, ambos por infranecao de posturas I onteiro Lopes & C pedindn o rastro de
raarme de pessoas habilitadas, que tem c ~
mentos especiaos dessas questes, e nao ha re s | rito Santo e Francisco, escravo, dos herdoiros de
Ricardo, ambos sem declarago de mo-
Recfe, 11 de julho de 1864.
Jos Tliom da Silva.
Joao Tliom da Silva Junior.
Antonio Augusto da Frota Menezet.
das que urna pessoa muito distincla, pessoa muito i Antonio
conhecedora daquella-s localidades me informou a : |,vo.
respeito das despeas que se podem fazer, j com a
desobstruccao do rio Goianna, j com esses trilhos
at o Japomim; e me disseque concluida a estrada
at Goianna, e collocados esses trilhos at o Japo- julho de 1864.
O chefe da segunda sec^o,
J. G. de Mezquita.
Movimento da casa de detencao no da 10 de
rnim, nos nao uecesMtavamos da desobstruccao do
rio, ficando a comarca de Goianna completamente
satisfeita com essas duas obras.
O Su. Bdauqub .Quanto custar a canalisago
do rio ?
O Sit. Goncal\-es da Silaa :Anda talvez por
800 a mil contos de ris.
O Sr. Buarque :O nobre deputado nao disse
50 contos?
O Sn. Goncaltes DA Silva '. -Disse que foi or-
gada.
O Su. Buarque .Orgada em 50 contos e anda
por mit '. Que engenhelro de patente !
O Sn. GoxcAives da Silva : Desde rjne so ro-
conhece que essa obra de urna necessidade inde-
clinavel, que amaior parte das mercadorias da im-;
portanlissima e eommeroal cidade de Goianna sao j
transportadas por mar, nao comprehendo que a ca-
sa se possa negar a votar urna consignace de
12:5000....
0 Sr. Buarque :Annuaes.
O Sr. Goncalves da Silva :Annuaes; mas po-
demos limitar isso em certo uumero de annos para
que a despeza nao seja to avultada.
O Su. Buarque : Presentemente nao podemos' 3;
mais fazer isto. 5
0 Sn. Goncalves da Silva :Podemos limitar a ?
um certo numero de anuos a consignacao, al que' :
essa despeza nao seja mais necessaria.
Parece, Sr. presidente, que sendo esta necessida :
de reeonhecida de longa data, me devia admirar 1 :
que o nobre deputado a desconhecesse.
O Sr. Buarque : Nao disse que era desneces- :
sario.
O Sr. Goncalves da Silva :O nobre deputado
disse que se podia dispensar por emquanto.
Sr. presidente, feita esta obra, ella nao somon-
te em beneficio da comarca de Goianna, faz-se em
beneficio provincia, porque todos sabem, que a
comarca que durante o tempo de sadr mais gene-
ros enra para o mercado de.-ta capital, a comar-
ca de Goianna. E' grande a quantidade de assu-
car e lia que apparece no mercado de Goianna,
gneros esses que sao transportados para esta cida-
de ; e desde que o rio se acha em estado misera-
vel, dewie que na distancia quasi de urna legua da
cidade nao pode navegar urna pequea barcaga, eu
nao sei que se possa negar a quantia de 12 contos
de ris, afim de que esses eneros possam ser mais
fcilmente transportados para o mercado desta ca-
pital.
O Sr. Ahaujo Barros :Em vapores.
O Sr. Goncalves da Silva :Em vapores.
O Sr. Silva Ramos :Eu creio que tudo quanto
esta casa fizer em beneficio da companhia Pernam-
bucana, ser de grande inleresse, porque es>a com-1
panhia j presta servigos de immenso alcance.
O Su. Goncalves a Silva : -Pois nao, de muito;
que se reconhece isto.
Depois a companhia j fez um bello trapiche no;
Japomim, j fez urna grande despeza, mas a com-,
panhia nao pode levar mais vapores at alli sem I
que tenha o auxilio, que Ihe deve ser dado por es-
ta casa, afim de que se possa chegar ao resultado
de ha tanto tempo almejaao.
Portanio, entendo que-a ronsignago de 12 con-
tos de ris companhia Pernambocana por um cer-
to espago de tempo, nao petuum, mas por certo numero de annos, ser urna
despeza utilissima, que trar vantagens extraordi-
narias, nao s a comarca de Goianna, como a pro-
vmna inteira, perqoe, como j disse, a comarca
de Goianna hoje essenciatmonte productora.
O Sr. Araujo Barros : E da rrosperidade da
companhia Pernambiwana, vira a prosperidade
para as nossas ti naneas.
O Sr. Goncalves da Silva : Sem duvida ne-
nhuma.
Em consequencia destas observacoes, entendo
que deve passar e-te artigo additivo para que se
d urna subvengo de 12 contos de ris compa-
nhia Perriambucsna.
Encerrada a discussao o projecto approvado
com todas as emendas.
(Conrtfiwar--Ai.)
Chegando ao meu conhecimento que meu irmo
Antonio Primo Soares, tem acensado o meu cunha-
do o Sr. Alexandrino Cavalcanti de Albuquerque,
de haver receido 50,5 do Sr. Eustaquio Carneiro
conheci-1 A' ordem do de S. Jos, Maria Suzaua do Espi- i* e*cm,p,ura de n>Ptneca que ajuntaiL-Como de Mesqai,a) morador no Inga, por conta da casa
de que era principal agente meu marido de sempre
saudosa memoria, Francisco Cavalcanti de Albu-
querque, sem o ter entregado, nao sendo isto as-
sim visto como ful presente quando dito meu cu-
nhado fez dita quantia entregue, fago esta decla-
rago para constar onde convier, declarando mais
que tanto ha protegido nossa casa dito meu cimba-
do, que devendo-lbe meu marido urna letra de
i'iO.S, me fez entrega deste crdito, continuando
a prestar-se-me com inteira franqueza, sendo que
quem assim procede nao pode defraudar a casa de
seu irmo em o0.
Esta declaraco fago sentida por me constar o
procedimento de meu irmo, com que nao concor-
da a respeito de um prente que se nao poopa em
obsequiar-rae.
Pode dito meu cunhado servir-se desta como Ihe
convier.
Favuade*. 20 de abril de 1864.
Henriouela Claudina Cavalcanti.
(fcstava recoutieriiio).
Existan).....
Entrara m.....
Sahiram.......
Existem......
A saber :
Nacionaes.....
Estrangeiros...
Muliieres......
Estrangeiras ...
Escravos......
Eseravas......
34o
15
6
354
246
39
6
1
56

presos.
ao*
Alimentados a custa dos cofres pblicos... 136!
Movimento da enfermara no dia 12 de julho
de 1864.
Te ve alta :
Joo Dionisio.
Te ve baixa :
Vicente, escravo, de Joo de Carvalho Paes de An-
drade, opbtalmia.
O de Alves Hamburger & C, pedindo registro
do contrato de dissolugo da sociedade manto ao
socio commanditario Carlos Salomo.Via ao Sr.
desembargador fiscal.
O de Henrique de Oliveira Soares, Joaquim
Francisco da Silva Azevedo, Antonio Luz de Oli-
veira Azevedo e Joo Jos Rodrigues Meles, pe-
dindo o registro do distrato da sociedade de Hen-
rique < Azevedo em quanto ao socio Jo.c Jos Ro-
drigues Mendes. Vista ao Sr. deserrbargador
, fiscal.
O tribunal resolveu que o trabalho d. registro
rosse distribuido aos ofllciaes e amanuentes da se-
cretaria pelo official-maior sob a sua diretgo, sub-
scripcao e responsabifidade, ficando cargo do
mesmo offlcial maleros assentos de protocollo e de
todas as cerlidoes como at aqui.
Resolveu mais que se convidasse ao commer-
ciante Amonio Jos de Castro a prestar juramento
*ninn .111,1 ,i..ni.. ,1.. Hupi
O Illm. Sr. director da escola normal manda
fazer publico, que desta data at o fim do correte
mez se acham abenas as matriculas do anno
da referida escola, devendo para isso os preten-
dentes provar perante o mesmo director :
Io Que sao maiores de 18 annos.
2 Que sabem ler, escrever e contar.
3o Que sito de coslumes puros, e qne nao leem
sido condemnados |ior crime offensivo moral pu-
blica ou a religio do Estado.
4 Finalmente, que satislizeram a primeira pres-
tago da matricula na repart gao competente.
E para chegar ao coahecimento de quera inte-
ressar, mandou-se publicar o presente pela im-
prensa.
Secretaria da escola normal de Pernambuco, 7
de julho de 1864.
O secretario,
Maximiano Lopes Machado.
Domingos Affonso Nery Ferroira, coramendador das
rdeos da Rosa e da de Christo, coronel com-
maadante do 1" batalho de infamara, comman-
dante superior interino, e presidente do conselho
de revista da guarda nacional do municipio do
Recife, por S. M. o Imperador, a quem Dos
guarde etc. etc.
Faz saber que na terceira dominga do presente
mez (17 do correte) se reunir o conselho de re-
vista da guarda nacional, como determina a segun-
da parte do art. 2o do decreto 1130 de 12 de mar-
go de 185'3, na sala das sessoes da cmara muni-
cipal desta cidade, as 11 horas da manha, na cen-
formidade do art. 44 das inslrucces n. 722 de 25
de outubro de 1850, alim de tomar conhecimento
dos recursos que versarem sobre os casos indicados
no art. 33, e que forera nterpostos pela maneira
determinada no art. 38 das ditas instruegoes. E
para constar a quem convier, mandou publicar
pela imprensa.
Secretaria do commando superior interino da
guarda nacional 9 de julho de 1864.
Firmino Jos de Oliveira.
Secretario.
AfISOS MilITIMOS.
COMPANHIA PEUNAMBUCANA
DE
NTeg*fin cotttelra a vapnr.
Htia de Frriaido de Norraka.
No dia 14 de julho ao meio dia
segu o vapor faroAiba, romman-
daule Martios^para o presidio de
Fernando de Moronda. Rerebe j
'carga at o dia 13. Enconam-n-
das, passageiros e dnheiro a frete al o da da
sahidaas 11 horas escriptoro no Forte do Mal-
tos n. 1. ^_____________________
COMPANHIA PEBNAMBL'CANA
DE
Navega^So costelra avapnr.
Parahvlia, Natal, Macit, Aracaty, Ceari e
Acarar.
No da 22 do corrate seguir
para os portos arima indicado* um
dos vaporeada companhia Pernam-
bucana. Recebe carga al o dia
21. Encommendas, passageiros e
dinheiro a frete at o dia da sahida s 2 horas da
tarde: escriptoro no Forte do Matlos n. I.
COMPANHIA BEASLLEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sol esperado
at o dia i 4 do crrente o vapor
Paran, commandante o rpitas
de fragata Santa Barbara, o qual
depois da demora do oastume se-
guir para os portos do norte.
Desde j re,cebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzr, a qual devera
ser embarcada no da de sna chegada, encomm-n-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, roa da Cruz n. 1, escriptoro de An-
tnoLio uiz de Oliveira Azevedo C
DECURACOES.
SESSAO JLTDIC1ARA~EM 11 DE JULHO
DE 1864. '
PRESIDENCIA DO EXM. Sil. DESEMRARGADOR
, A. F. PERETT1.
Secretario, Julio Guimares.
"I SI 1
pj I m
118
>
z
o
Pastilhas >eimifugasde Kemp.
Chamamos a attencao de todas as maes para o
remedio mais agradavel e til que se conhece para
r expellir as lombrgas: as pastilhas vermifu- i
de Kemp. Em vez de todos esses immundos e
I
9
B

REVISTA DIARIA.
No sabbado deu a sociedade theatral Milpomtne
Pcruambucana a sua representaco, cuio deseuipe-
nbo foi satisfactorio. "m ^
i ^isresulla?:ooscoIlegios chegadohoutem
a noite, Recife, Ol.nda, Iguara^s, Pao d'Albo
Goyanna, Cabo. Escada eSerinhenT- '
Conselheiro S e Albuquerque. 633
Dr. FeitSa..............7... 563
Dr. Saldanha Mariuho........ 501
Conselheiro Chicherro........ 235
Dr. Urbano................. 224
Dr. Baptste................. 71
Dr. Brandao................ so
Inforraam-nos que ha na roa Direita um ven-
delho, que fazendo da ra o-lugardos seas despe-
jos, acontece que das 7 horas da noite em diante
- ~ 1 ti, 1 1 Masculino. 1
X CJ 1 i i 1 Femimm. 00 l& 1
1 SI . s 1 1 Masculino. Si 1 w H = 8 [ coZ
Fctninino. 1
* m . * ) Masculino. 1 1 1 O i
<* 1 Feminino. \ 1 >
Cl 1 - C5 Masculino. f :" i 3
ri . m ** Feminino.
i i i SI i 1 i 1 1 00 Masculino, j 1 .
. 4 * o Feminino,
-1 oo i 4 1 1 | TOTAL. SI
putados Reg. Lemos, e C. Alcoforado ; e o Sr. Jo-
s Jeronymo Monteiro como immediato em votos
aos supplentes.
O Sr. Hosa faltou com participago.
Lida, foi approvada a acia da sesso antece-
dente.
Foram aposentados os offlcios dos Sw. Jos'^.f *^*W**Lj.0^ I""*
Francisco deS LeiUio, Joo Cardoso Ayres e An- te "' eorao am excellent me'O de fazer remo-
perigosos remedios vermfugos compostos de toda a psrn debuto .
casta de mneraes apresentamos um delicioso con-
feito vegetal, promplo e infallvel na sua operaco,
nao causando nauseas nem incommodos de quali-
dade alguma, produzindo sempre o seu effeito de
urna maneira suave e completa, nao carecendo
Hoje vai praca de venda, na porta da casa
da ra de Hurtas a. 22, depois do meio da, o es-
polio de Carolina Mara da Conceicao.
Inspecco do arsenal de marinha.
Faz-se publico que a commisso de peritos exa-
minando na l'nia"" determinada no regulameulo
annexo ao decreto n. 1324 de 5 de fevereiro de
1854, o casco, machina, caldeiras, apparelho, as-
treago, veame, amarras e ancoras do vapor Para-
hiba da companhia Pernambucana de navegaco
costeira, achou tudo em regular estado.
Inspecco do arsenal de marinha de Pernambu-
co, 11 de julho de 1864.
O inspector,
H. A. Barbosa de Almeida.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para forneciment do
! arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
grales:
Para hospital militar de Alagoas.
Baca grande ile rame para banho* 1, rarapu-
cas de afgodo 50, cassarollas de ferro 2, chalei-
ras grandes de ferro 2, chinellas pares 50, escar-
radeiras de metal 50, estojo cora 2 navalhas- 1, fa-
cas e garfos 12, mamas de algodao 46, ditas de la
39, ourins de tonca com lampa 8, panno de mesa
t, panellas grandes de ferro 2, dita pequeas de
dito 2, travesseiros 10, tigellas pequeas de lenca
40, chitas de coberta cavados 210, brim branco va-
ras 1009, madapolo varas 96, caixo de madeira
tomo Luiz dos Santa*, communcando nao poderem
comparecer para tomar pane de om feito, como
teram convidados, por acharem-se encommoda-
dos.
JULO amentos.
Appellantes, Rabe Schmetteau & C.; appellado,
o Dr. Manoel Buarque de Macedo.
Foi confirmada a sentcnca appellada.
Appellante, Vicente Alves Machado appellado,
Prente Viauna A- C.
Adiado na sessao de 30 de junho prximo lindo.
Juizes os Srs. Reg e Jos Jeronymo Monteiro.
roi confirmada a senlenga appellada.
Appellantes, I). Josepha Justina de Jess Gon-
cah/es e outros ; appellados, Isaac Curio & C.
Foi conlirmada a senlenga appellada cora o voto
do Exm. Sr. presidente.
Appelianto, Virginio Barbosa da Silva ; appel-
lados, Cardoso A Souza.
ver as obstrueces do ventre, mesmo no caso de
nao existirem vermes alguns e finalmente tor-
nam-se ellas dignas por todos os respeilos da confi-
anga e approvaco de lodos os pais de familias os
quaes acharo estas pastilhas elegantemente acon-
dicionadas dentro de frasquinhos de crystal e
venda as boticas de Caors & Barbosa e de Joo
de C. Bravo & C.
CQMMERCIO.
Alfandega
| Rendimento do dia 1 a 9........ 244:6125434
dem do dia 11................. 28:737^528
273:3495962
Adiado a pedido do Sr. deputado Reg. Hoviuicuto da alfauriegn
c;,.; e^J}^*d..r,A?cl0,i P^0 dia e foi ?s" Volumes entrados com fazendas...
oo
2
sendo
ADVERTENCIA.
Na tetalidade dos doentes existem 182
9 homens e 26 muliieres alienados.
Foram visitadas as enfermaras estes dias :
Pelo Dr. Ramos s 7, 6 3j4.
Pelo Dr. Villas-Boas no impedimento do Dr Ra-
mos 7 1|2, 8, 7, 8, 7 3(4.
Pelo Dr. Sarment s 8, 8, 8,7 3o, 8,8,8.
Fallecern) :
Maria Rita da Cruz ; phthj sica pulmonar.
Antonia Maria da Concego; ttano.
Gregorio Vieira (5 horas depois de sua entrada);
dyarrhea.
Maria da Conceigo ; dropesia.
l'antaleo ; dyarrhea, delire tremou.
Romualdo Gomes da Costa ; astrite purulenta.
Passageiro do patacho hespanbol Ihemotko
II, vindo de Barcelona :-James Sanper y Marte.
Passageiros do hiate nacional Sergipano, sa-
hido paraallha de Fernando :Claudia Jos Gor-
rea, Manoel Caetano N. Pinto, M. Joaquim da Sil-
va Lopes, Hygino Mannho de Oliveira, e Anglica
Maria. Rosa da Conceicao.
OWTUABIO DO IA 9 DE JULHO BO CIMTTEIMO
PUBLIclO i.
Minervina, Pernambuco, 6 mezes, Boa-Vista
uamraago.
Maria, Pernambuco, 2 dias, Boa-Vista : espasraa
Jos Francisco, 45 annos, suiteiro, Boa-Vista ; ig-
nora-se a molestia. m,
Julio Jos Goianna. Rio-Grande do Norte
signado o de hoje para julgamento das appellagoes I
segrales, que ficaram adiadas por estar a hora
adiantada:
Appellantes, Jos Jeronymo Monteiro e Jos Can-
dido de Barros, na qualidade de credores da massa
fallida de Nuno Mara de Seixas appellados, N.
O. Bieber & C, successores, Domingos Alves Ma-
theus e outros.
Appellante, Jos Francisco Pinto Guimares ;
appellado, o Dr. Gabriel Soares Raposo da C-
mara, como tutor de suas enleadas.
Appellante, Joaquim Antonio Rodrigues ; appel-
lados, os curadores tiscaes de Joaquim Francisco
de Mello Santos.
PASSAGBMS.
Recorrente, Jos Tiburcio dos Santos ; recorri-
do, Antonio de Souza Ribeiro.
Do Sr. desembargador Domngues da Silva aoSr.
oesemhargador Accioli.
Appellante, Vicente Alves Machado ; appellado,
Jos Baptista da Fonsera Jnior.
Appellantes, Guiraares & Oliveira appellados,
o presidente e directores da caixa filial do banco
do Brasil nesta cidade.
AppeUanuj, Juhu Thom ; appellados, os adminis-
tradores da massa fallida de Amono, Fragoso,
Santos & C
Appellante, Simplicio Tavares de Helio ; appel-
lado, o coramendador Antonio Francisco Pereira.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembargador Accioli
Appellante, Joaqun Goncalves Ferreira ;
com gneros.
Volumes saludos
com
com
fazendas...
gneros...
132
250
223
132
473
m\
Descarregam no dia 12 de julho.
Barca francezaM. Nerolasmercadorias.
Brigue inglez-Jm-vinhos e sal.
Barca nacional -Brrelodiverses gneros.
Importado.
Hiate nacional Amelia, entrado de Penedo, con-
signado a Antonio Jos Rodrigues Pinhero capito
do mesmo, manifestou o seguinte :
900 saceos milho ; a ordem.
100 ditos arroz com casca; a Jos Augusto de
Araujo.
Vapor nacional Mamtmgnape, entrado dos portos
do norte, manifesfou o seguinte :
Do Acarac.
289 couros salgados ; a Jos de S Leitao Junior.
Do Aracaty.
3 barricas com 300 pares de sapatos ; a ordem.
Do Natal.
4 saceos com 17 e ieia arrobas de ajgodao; a
Justino Jos de Souza Campos.
100 ditos cora 577 arrobas e 8 libras de algodo;
a Sonthall Mellors & C.
De Maco.
2 surrSes com 3 arrobas de carne e ossos ; a
Gabriel S. Raposo da Cmara.
pellado, Pedro Cavateant de Albuquerque Ueha, 4 8araia,>s o"1 ,8 arrodas de carne, 1028 cou-
Appellante, Miguel Jos Barbosa Guimares r,nhft iritjne io ma;na a. oi i m j-----
pellado, J. F. G. Kladt.
ap-
Appellaote, Antonio da Cruz Ribeira ; appellado
Luiz Antonio da Silva. w"w,
Do Sr. desembargador Domingue da Silva ao Sr.
desembargador Silva Guimares.
DISTRIBUYES.
Appellante, Antonio Alves de Carvalho Vera ;
in-1 appellado, Joaquim Jos Ramos.
Appellantes. Tasso & Irmo; appellados, Fran-
cisco Luiz Salgado e Manoel Jos Salgado Couto.
AppeRantos, Barroca t Medeiros appellado,
Joo Anlunes Guimares, por seu bastante procu-
30 ao- rador.
JoSaar 'da clo^cil"***"* E^S- AoSr- ^"argador Silva Guimares.
no^v&ottXcSJ,^^^^ Appellantes, Sana Mendel, de Manobester, e os
Pedro Grad Praie PernSn rZ^l" curadores fisoaes da massa fallida de Rostroa Roo-
Recife j breitcbue'chroqica aM6' Viav' keA Si "***, KaJkraan A Irmos.
Pauhno F^ezer^d CavK- Pernambuco, 28 an-' S*' m"L
nos, solteiro, Recife ; paralysia geral. : cio
desembargador Silva Gnimares juren sus-
e distribuio-se ao Sr. desembargador Ac-
rinhos curtidos, 19 raeios de sola, 12 libras de pea-
nas ; a Jos de Sa Leitao Jnior.
1 garajo com 10 arrobas e 22 libras.de carne, 1
barril com 15 medidas de azeite ; a Manoel de
Souza Carneiro Pimpo.
130 cenros salgados; a Cunha Jrmos & C
200 molhos de palha; a Jos Pereira Guiraares
Junior.
Quera quizer vender taes ebjectos aprsente a
sua proposla em carta fechada na secretaria do
conselho s 10 horas da manha do dia 18 do cor-
rente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, lldeiulho
de 1864.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel, presidente.
Sebastiao Jos Baztlio Pyrrho.
Vogal secretario.
Consolado de Portugal.
Sao chamados os credores do ausente Manoel
Correia de Souza apresentareni dentro do praso
de 15 dias os seus ttulos de crdito para serem
verificados. Recife 27 de junho de 1864.
Conselho administrativo.
0 conselho administrativo para fornecimento dn
arsenal de guerra em cumprimento ao arl. 22 do
regulamento de 14 de deiembro de 1852, faz pu-
blico que foram aceitas as propostas dos Srs. abai-
xo declarado.
Para o arsenal de guerra.
Joao Bapiista da Malta-2 arrobas de salitre a
105240 a arroba.
Antonio dos Santos Oliveira50quintaes de fer-
ro inglez de 1 >i pollegada de largura e 40 oitavas
de grossura, a 64800 o quintal, 50 resmas de pa-
pel pautado a 4^400 a resma.
Manoel Rodrigues da l osta Magalhes50 res-
mas de papel almasso liso a 35900 a resma.
Marcea-Be o dia 16 do corrente para serem re-
colhidos os objectos cima.
Joo do Couto Alves da Silva500 caadas de
azeite de carrapato a 105500 a caada.
Joo Deotado Bowman6 duzias de cedro de 1
pollegada de grossura de 8 10 de largura a ris
265400 a duzia.
Joo Jos da Silva20 grecas de parafuzos de
latao com 2 pllegadas de comprimento a 95600 a
groza, 20 ditas de dito de ferro, surtido, de meia
pollegada a 2 j dita a 15200 a groza.
Marcon-se odia 18 do crreme para recolherse
os objectos comprados, na secretaria do conselho s
10 horas da manha, nos referidos dias.
Secretaria do conselho administrativo para for-
necimente do arsenal de guerra, 8 de julho de
1864.
Sebastiao Jos Basilio Pyrrho,
vogal secretario.
N? dia 42 depois da audiencia do Sr. Dr. juiz
de orphos, vai praga por arrendamenlo por tres
annos o sitio denominado Tacarona na freguezia
da Boa-Vista, avahado em 3005 por anno, vai
praga requerimento de um dos conseuhores.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte esperado
at o da 1 7 do correte o vapor
Princeza de lointillr, comman-
dante o primeiro lente Araujo
o qual depois da demora do na
turne seguir para os portos do sol.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-s* a
carga que o vapor poder conduzr, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada: enrora-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida a 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptoro d-
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Companhia Pernambocana
DB
Xavega^o costeira a vapor.
Paraaiba, .Natal, Maco, Aracaty, Cear, e Araran'
O va|ior Slamangunpe, comm.in-
dante Moura, segu no dia 22 dr>
correte s 5 horas da tarde. Re-
cebe carga ale o dia 21. Enroni
Hiendas, passageiros e dinheir < a
frete at o dia da sahida s 3 horas da tarde : **-
criptorio no Forte do Mattos n. I.
'" COMPAHrA~PErL\MBCANA~~
DE
NavegacSo costeira a vapor.
Maceio e escalas.
Segu no dia 25 do cerrante s
5 horas da tarde um dos Yapores
da companhia, para os portos ci-
ma indicados. Recebe carga al
'o dia 23. Encommendas. passa-
geiros e dinheiro a frete at s 3 horas da tarde
do dia da sahida : escriptorio no Forte do Mal-
los n. 1.
DAS
MESSAGERIES IMPERIALES
At o dia 14 do
correle espera-
se da Europa o
vapor tana Hb-
varre, comman-
dante de Sowr,
0 qual depois da
demora do ro-tu-
me seguir para
o Bio de Janeiro tocando na Baha, para passag'-ns
etc. trata se na agencia ra do Trapiche n 9.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o veleiro e
bem conhecilo paihabole nacional Pinladr, wm
parte do seu carregamento engajado : para o r>
to que Ihe falta e escravos, a frete, para os qua.-
tem expelientes coramodos. trata-se com o* seos
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Az.
la da Cruz n. i.
r*ara o Aracaty e Cear
pretende seguir com muita brevidade o hiate na-
cional Dous Amigos, lem parle de seu carregamen-
10 promplo ; para o reslo qoe Ihe falta, trata-se
cora os seus consignatarios Anlooio Luiz de Oli-
ven a Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1, ou com o capito no trapiche do algodo.
Rio Grande do *ul.
Sabe na seguinte semana o brigue nacional
Mrquez de Olinda, recebe carga a frele comino-
do : a tratar no escriptorio de Manoel Ignacio de
Oliveira A Filho, largo do Corpo Santo n. 19.
Na terca-felra, 12 do corrente, na sala das
audiencias, Anda ado Illm. Sr. Dr. juiz de orphos
se hao de arrematar os alugues da casa de dous
por ^mmt0'sila na raa ila n' n' avliados
Segu com brevidade o hiate Dous Irmaosa. ten;
parte da carga, e para o resto trata-se com Tasso
Irmos.
LEILOES.
LEILAO
DE
Predios, terrenos atterrados e ala-
gadas
O agente Almeida legalmente antorisado peta
cana filial, como liquidataria da massa fallida de
Joaquim Lucio Monteiro da Franca, tari leitao da
proprietiade onde morava o dito fallido, cuja pro-
priedade lem muitos commodos para moradia
grande armazem, nma magnifica cisterna qoe de-
posita duzentas pipas d'agua e muitas oolra* rom-
raodidades, que a torna urna habitaco deteitavel,
assim como orna fabrica de sabo com algn per-
tences existentes na mesma propriedade, um bello
terreno murado e com caes annexo mesma fa
brica, e outros terrenos alaeados juntos fabrica
HOdE
Terca-feira 12 do correte porta da Associa-
gao Commercial s 11 horas do dia.
O mesmo agente se presta qualiuer informa
cao exigida pelos pretendenies.
LEILAO
PREDIOS
Um sobrado na ra Imperial n. 64, con 40 pal-
mos de frente, 180 de fundo, tendo no andar ter-
reo doas salas, aicova, gabinete com om quarto,
eosinha e um grande salao com 7 quarto*, o pri-
meiro andar tem urna grande sala, i alcova>. I
quarto no corredor, sala de detras com 2 eamari-
torrea lera!. nhas, urna grande sala de jamar, eosinha e om
r-ea aaministragao do correio desta cidade se qnrto ao lado, uro grande sotio ce nma sala e
i i,C0 qae em virlU(,e d conveogo postal 4 qoartos, grande cisterna, cariaba, estribara'
celebrada peles governos brasileiro e francez, se-1 cocheira e 1 grande quarto para guardar earro-
, rao expedidas malas para a Europa no dia 15 do Ss. grandes qoimaes tendo um deiles om bello
Recebedorl do .ri,c a#-___ corrente pelo vapor inglez Magdalena. As cartas jardim, o outro piaotado com diversos ps de
ncixHcuora uc renaas internas serao recebidas at2 horas antes da que for mar- potireiros e ootros arvoredos, leodo ambos 200
gerae de Pernambuco. ^d fra a sahida do vapor ; e os jornaes at 4 palmos de largura e 140 de funda
Rendimento do dia 1 a 9........ 15-2805209 horas aates. i Urna casa terrea na mesma ra a. 66 con 2 par-
Idean do daa 11. ..*.............. 3-639A836 Administraco do correio de Pernambuco 11 de de frente, 2 salas, grandes qoartos, combIs,
^_____ julho de 1864.O administrador, quintal, cacimba e mais 2 qoartos fra.
18-8204045 Domingos dos Passos Miranda. ^m sobrado de 2andares na na do LiTrmenlo
-bmZm n- 9> tendo cada um andar 2 salas e um quarto
rnimiilidn n.o^t^-t.i ~ A Praca "s casas de Rozendo Al>es da Silva ni trm^M BFn
aendimntoTita??? P i-W..^ qa^,e? do serem m"nl de venda por ese- T7rcT"?de julho.
K oVda h ......... i 8282* CUQa C'TarF* ranCSC J?- da-Si'Va i36'0 agen,e A,me"* fart ,ei,a Por "torlMco da
toemaooia ll................. 5.o44986 juizo municipal da i* vara, escnriio Molla, ffcon caixa filial dos predios cima mencionados ano7
- transferida para terca-feira 12 do corrente, depois a a Assocacao Commercial,lu 11 horas do
49:4154346 da audiencia. cima.


da
ILEGVELl


Diarlo de i*erm**bm4 Tr<* lelra i de -iiilho de t4.
i
LE1LAO
DE
Mctade de urna casa Ierre, na becre
da Bai, aniigamenle Jala Per*
O agente Almeida, autonsado compelememente,
far leilo da parte da casa terrea n. i no becco
do Boi. .
Terca-feira 12 do correle porta da Associa-
cao Coramercial s H horas do dia._____________
S4HI0 4 LIZ
- kstA k vbhda ha. livraria do Sr. Gkraldo
rca estrkita do rosario n. 12 as
NOCOES
p
DE
PARTIDAS DOBMDAS
OFFKHF.CIDAS
A Assaeiacta Caanaerci! Beaelicenle
Olimpio Ferreira da Silva
AGENTE DE I.EII.ES
Ra da Cadeia do Recife n. 48,
Primeiro andar.
CONSULTORIO IIEIlItMIlllnT.ICO
DE
Movis, crystaes e de outros
muitos objectos de gosto.
Ajuarta-felra 13 de crrente.
Na araaua ru da Cadeia do Refe auafro 18.
O asante Olimpio far leilo de diversas obras
de raarcineina novas o usadas, crystaes, porcela-
na, metaes, miudezas, livros de litteratura, selins,
cofres de ferro, camas de ferro, relegios, oculos e
lunetas.
Dar principio o leilo s 11 horas.
DE
DR
lna laja de foaileira roa estreita
da Rasara a. 29, eenstaoila de ana
PUR\4MRIa
M Fonseca de Medeiros.
Aluga-se o armazem da ra do Imperador n.
35 : a tratar na mesma ra armazem de louca
n. 41.
Aos C.:(K)OSOtiU.
Sabbado 16 do corrente mez se extrahir
nai a segunda parte da terceira lotera da Sania
LlILAU Casa la Misericordia, no consistorio da
igreja de R, S. do Rosario da freguezia de
Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
yenda na respectiva thesouraria ra do
enorme sorimeala de abras, vera, j Cresp0 n 15^
do
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
MEDICO, PARTE1RO E OPERADOR.
3 *- Rua da Gloria, casa do Fundo
O Dr. LnboMoscoso da consultas gratuitas aos pobres lodos os das das 7 s 1
Arrenda-se, vende-se, on mesmo troca-se por f,0BS ^a manhaa, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepce dos dias sanliucaaos
SBWAS __S! Pharmacia especial homeopatilica
UgrS&laeSg^'t SS i No mesmo consultorio ba sempre o mais appropriado sortirnento da carteiras
todo plantado de arvores de (rucio, abacates, sapo- tutos avulsos, assim como tinturas de vanas dymnamtsacoes e pelos preces segotuie.
tis, fructa-pao, limo doce, limas de umhige e da Carteiras de 12 tubos grandes. 125000
Persia, larangeiras de umbigo, soletas, tangerinas, j de 24 tubos grandes. 185000
etc., oni grande cafesal cora fruetas, jaqueiras, orancles 24*000
mangueiras, coqueiros, dendezeiros, com mais no de Jt tupos graneles. .,Z^X
fundo urna casa de Uipa, e bem assim mais 4 ca-1 de 48 tubos grandes. .IU0UW
sas de tijolo acabadas de pouco temp, com frente! de 60 tubos grandes. 35(5000
^r^TS^T^SS, Prepara-sequalquercarteira conforme o pedido que se fuer, e
a. %r.. .__ rm oq pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia on?a 1$' 00.
Sende para cima de 12, custaro os precos eslabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
I/I VMM. A L
A melhor obra da horaeopathia, o Manual de Medicina .Homeopathico do Dr. Jahr,
ja: a traur com abwbio jse nuurigw ur cu- .. .... 20(5000
U ra do CresfK) n. 15, ou estreiU do Rosario na- dots grandes voumes com diccionario........... mAOOO
65000
35000
os pretendenles
dirijam-se ra do Queimado n. 27, toja de faien-
das dos Srs. Custodio & Camino.______________
Alnga-se um sitio a estrada da Ponte de
Uchoa e a margpm do rio, pouco adiante do Illm.
Sr. commeadador Nery Ferreira, tende baobeiro,
palanque, galinheiro o ootras aeommodacSes; e
outro dito no Moateiro,em freBte ao oita da igre-
a tratar com Antonio Jos Rodrigaes de Son-1
com os remedios
que se
SOCIEOADE
UNIAO BENEFICENTE
MARTIMA
Km vi ilude d nao se ter podido no dia a do-
corrente proceder as eleicoVs da nova administra-
cao, sao de novamente convidados indos os senho-
res socios n se rennirem em assembla geral, do-
mingo 17 i! > corrente, as 10 horas da manha, no
saino do llieatro de Apollo para esse flm, leinbran-
do-se aos mesmos senhores (pie se deven pr qui-
tes at esse dia, sob pena de inrorrerem no arl. 12
3 dos estatutos.
Secretaria da Socicdade Uniao B.nelkenle Ma-
rtima 11 de julho de 1864.
Baltliazar Jos dos Res.
I- secretario.
Massa
fallida ue Amor I ira.
goso, Mantos C.
mero 32.
armacaa, gaz,
bam-
fert-tinenta,
bas etc.
Cordeiro SimSes far leillo da loja cima dita,
por conta de seu proprieUrio, em um ou mais lo-
tes a vontade dos pretendentes.
Qnarta-felra 13 do corrente s
II horas da inauha.
AVISOS DIVERSOS.
- Os sabores que tem le-
vado por emprestimocolleooes
d^ste Diario, queiram man-
da-las restituir com brevida-
d^pois sao precisas.
~^"Na ra da Cruz n. 3, esenptorio de Amorim
Irmaos, deseja se fallar rom os Srs. Manoel Jos
de Souza e Caetano da Silva Presado, por se igno-
rar_assu^srestencias._______________________
5 O cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharao como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sna pro-
ftssao, chamado por escripta.
Na praca da Independencia
n. 33, compram-se obras de ouro,
Os premios de 6:0005000 ate 12j)k000
serlo pagos urna hora depois da extraccao
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribnico das listas.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Sonza.
G4SA DA FORTUNA
AOS 6:000.000
mneles garantidos
A' ra de Crespt a. 23 e casas do costme
O abaixo assignado tendo vendido nos seus mui-
to felizes bilhetes garantidos os dous quartos n.
1044 eom a sorte de 2:000*000, e os dous quartos '
n. 1780 com a outra sorte de 2:0005 e ootras
muitas de 2005, 1005, 405 e 205 da lotera que !
se acabou de extrahir a beneficio da igreja de N. I
S. da Boa-Viagem, convida os pussuidores de ditos (
bilhetes a virem receber seus respectivos premios
aen os descontos das leis, era seu estabelecimen-1
to ra do Crespo n. 23.
O mesmo tem exposto venda os novos e felizes |
bilhetes garantidos da segunda parte da terceira
lotera a beneficio da Santa Casa da Misericordia
que se extrahir sabbado 16 docorrente.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 75000
Meios......... 35300
Quartos........ 15900
Para as pessoas que comprarem
d 1005 para cima.
Bilhetes........ 65000
Meios......... 35230
Quartos........ 15700
___________Maneel Martins Fiuza
Horneado para substituir ao Sr. professor
Mindcllo na 2a cadeira da freguezia de Santo An-
tonio, faz ver o abaixo assignado aos pais de fa- penal, sobrado n.
niila que all tinham seus pequeos, que era con-
sequenca de falta de casa apropriada, dar tempo-
rariamente aula na ra da Palma n. 23.
Joao Jos Rodrigues.
Medicina domestica do Dr. Hering
Repertorio do Dr. Mello Moraes. .
Diccionario de termos de medicina
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
te de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios ver-
daderos, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadero assucar de leite, notaveis pela sua boa conservado, tintura dos mais acreditados
^r;V"'.L,_-,J^_^3^y^Sre estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparado, e portante a maior ener-
commend'a, e todo e quaJqner concert, e igual- j, e certeza em seus effeitos.
mente se dir quera d din-erro a premio^
Os liquidatarios da massa de Jos An-
tonio Rastos convidam os credores da mesma
a receber o segundo dividendo, ra do
Trapiche n. 34^________
loja de ourives
prata e pedras
Precisa-se em um engenho pouca distancia
da via-ferrea. de um homem para ensinar latim e
francez : quem estiver habilitado, queira dirigirse
para tratar rna do Imperador n. 73, primeiro |
andar.
Casa de sade para escravos
Aos senhores credores pede se pela IOtU vez,
que mandem ao escriptorio da massa fallida de
Amorim, Fragoso, Santos C, na ra do > igano
n. 21, primeiro andar, os seus titnlos para mtm
verificados, dentro de oito dias, coudos da pre-
sente data.
Tendo os administradores de lser o I- dividen-
do serte somente contemplados ua credores qne ja
apresentaram sen* titnlos, e os que o therem no
praso que ora se Ihes marca.__________________
luga-se a casa n. i da ra do Socego n
Campo Verde, com 5 quartos, 2 salas, corred.* se-
parad, cosioha fra, quintal grande e morado,
com parti ao lado e cacimba : a tratar na ra
do Rangel taberna n. 7.
RoRa-se ao Sr. atieres Secnndioo Ayres Vel-
los de M. M.queira ter a bondad de apparecer a
ra do Palacio do Rispo casa n. 40, a tratar de um
negocio.____________________________________
Precisa-se de urna ama capaz para todo ser-
vico de casa de pooca familia: na travessa da
matriz de Santo Antonio n. 8._____________
A pessoa que annuncion nm menino do mato
para caixeiro de 13 14annos queira diriir-s a
ra estrena do Rosario n. 1, taberna do P.x-a*.
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias
2o
3o
de olhos;
de peito :
dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d s
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
funecionando _
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 25000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 15500.
As operaces seo previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos presos
razoaveis que costuma pedir o annunciante._________________
DE
IOz Antonio Goncalves Penna.
5 5.
J
ri;a
DE
VIGNES.
DO I Hl'lvlt AIf*K
M. 5.
Precsase de um caixeiro
n. 30, deposito._____^_____
na ra Direita
A.-. I.'
do CJr.-. Avch.*. do
Un".'.
O secret.-. da Aug.-. Loj.-. Uniao e Benif.% Bll/.
ao San.-. Gr/. Orient.-. do Braz.-. ao val da ra dos
Benedictinos, convk a todos os M. Mac para abri-
Ihantarein com snas presmeas o solemne aclo de
Suc.-. Mag.-.de Fill-. e Juic.-. que lera lugar quin-
la-feira 14 do corrente, s 7 horas da tarde, no
TempL' da Auz.\ Loj.- Capit.-. 6 de marco de
1817 ao val da ra Direita, sobrado n. 31.________
ttenco
Precisa-se de urna ama de leite
87.
Jos Joaquim da Cunha, Emilia da Peda-
de Albu |uorque Ramos, Jos Francisco de
Paula Ramos e Thereza Mana Pires Dows-
ley, genro, ora e filhos peden) a seus ami-
gos e aos do fallecido Francisco de Paula
Pires Ramos o obsequio de pela alma do
mesmo assistirem a urna missa na capella
do ceniiterio publico, no dia 12 do corrente
as 7 horas da manha.
! DENTISTA DE PARS
19Raa Nova -19
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operagoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaos, tudo com superio-
ridad* e perfeicao, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos dentiflcio.
Os
sua superioridade
SFJK& TSZZSZ q^'obede^m- t^as vomades e ^^^^A
nunca falhar, por serem fabricados de proposito, ejer-se feto ^timainenUii*aM
Hssimoi para o clima deste paiz; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada
veis aos ouvidos dos apreciadores. -..._,.. Dric eft-;n
Fazcn.-sc conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr Blondel, de^Pans, socio
corresDond'-nte de J Vienes em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposices.
- Crr rnesmo Sabelecimento J acha sempre um explendido e variado sortirnento de msicas do
na ra Im- melhores au,ores ,ia Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendide por
precos commodos e razoaveis.
UPA FEITA
_H
NO
AHBAZFJI
Preclsa-se al ligar
urna rapariga de cor ou preta para tratar de urna
crianza de 2 annos: a traiar na ra da Imperatriz
n. 47, segundo andar.
O Mr. tinca em scena.
Nao ha nada maisoiigmal e mais burlesco c
Elle escora-se, morde os beijos, revira os olhos,
e entao l vai... um suspiro!
Suspira em casa, as calcadas, as esquinas e
nos botis, c finalmente nas cocheiras. O Sr. Juca
j um suspiro ambulante |
Suspiro de casacao. de chapeo seboso e araga-
tado ; e de tanto suspirar j licou emi-alemado.
Cuitado do Sr. Juca Elle nao come, nao bebe,
nao dorme, nao sucega.
E tem razao, porque os suspiros do Sr. Jaca sao
como as boinas de sabio, saliera azucs, encarnados,
mas logo licam espatifados.
Maldita estrella a do Sr. Juca; este n-se, aquel-
le bufa, mas este solta-lhe urna chufa ; e o homem
sempre a suspirar I cahe-lhe o moneo, sahe-lhe a
bata, l vem suspiros de chorar.
Cuitado do Sr. Juca, ninguein delle se compade-
c.:. Mais urna duza de suspiros, e adeos, senhores,
quecolouquece. .
L'm conselho ao Sr. Juca : va fazer panelas em
Jaboitao, de suspiros nao faz vida; a pateada vai
ompnda. .
Cabio o panno e acabou-se desta vez ao Sr. Juca
o entremez.
Precisa-sc alngar
una cosmheira que saiba lavar bem : para tratar
na ra da Imperatriz n. 47, segundo andar.
Bscnpiorto
Aluga-se o primeiro andar da ra da Cruz n.
24 : a traiar na ra da Cadeia n. 57.____________
Ao publico
O tachare! Jeronvmo Salgado de Castro Accioly,
antigo advogado do*tribunal da relagao e mais au-
ditorios da cidade do Recife, mudou seu escripto-
rio para a ra das Crasos n. 21, onde pode ser
procurado para os misteres de sua profissao.
i8.mmMiouH
DK
^Wm ||
s
dJ>
*dD
>M_ _D yfJiT-JA'j)!;
LETREIRO VERDE-
Neste estabelecimento lia sempre um sortirnento completo de roupa feita de
todas as dualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor- g
rentes para o que tem um dos melhores prefessores, assim como tambem t
Fadarla.
Precisa-se de urna pessoa devidamente habilita-
da para tomar conta e dirigir um estabelecimento
desta ordem, no bairro do Recife : deixe carta
nesta typOgraphia com as iniciaes D. L, indicand>
aljiem que possa informar sobre sua conducta e
habilitacoes. ____________________
Aluga-se um segundo ailar na na da Penha
e a casa terrea n. 36 na rua da Matriz da Boa-Vis-
ta jatratarnamesma._______________________
Pcrulas.
A loja da Aurora na rua larga do Ro>ario n. 38
receben (los de perolas de diuVrentes cores, moito
proprios para fazer voltas, lano para nabom co-
mo para meninas.
BOTIC \ E DKOUARIA
bahtholomei; & c
Rua I^arga do Rosario n. 34.
Vende:
Ventosas de gomma elstica.
Esmaltes para ourives.
Fundas inglezas.
Vidros de bocea larga rom rolha.
Tima branca era massa para pintura fina a 200 rs.
0a libra.
- Miguel Jos Barbosa Guiraaraes sociojrta-1 m | f, nu | un l IJUVMi M ^JI e"variado"sortiraento de fazendas"de todas as qualidades, para
cipal da urina de Guimaraes & Lima, faz ?ciente por ord(in da dJrectoria proVisoria sao convida- *f* granue >di iuw ov >w-w
a todos os devedores a esta firma que tendo falle- \ o$ (oi]os Q5 cida(|50S portuguezes, que pelo facto jgg homens e meninos,
cido o socio Jos de Almeida .Nunes Lima, esta da tM a,sgna(Ura mostrara ter adherido ao pen-
procedendo a liqoidarto da mesma e por isso pe-1 samenl0 da fundacao da sociedade benelicente, co-
de a todos os devedores o especial favor de man- nhecjda pela denoiniDacao de Monte Vio /'orill-
era' asserabla geral nos sa-
senhoras.
30(5000
25)5000
darem saldar seus dbitos o mais breve possivel.
Recife, 9 de julho de 1864.
O-l-r.
Attenco.
A abaixo assignada pelo presente faz sciente ao
i.ublico em geral que de ora em diante tica sem
elfeit.) algum a procuraco bastante que tinha ou-
thorgado a seu til lio Francisco Frederico da bilva
Pinto, pois nao se re.-ponsabilisa por qualquer ne-
gocio seja ellequal for, que dito seu hlho faca em
seu n'ome. Recife 11 de julho de 1864.
Joscpha Joaquina de Unto.
Aviso
O abaixo assignado. orgauisador
o aflnador de pianos, faz sciente ao
respeitavel publico que se acha es-
tabeleodo na rua da Imperatriz n.
47, para toda e qualquer pessoa
que por elle quizer mandar afinar e
concertar pianos.assmcomo tambem
contrata-se annualmente pela quan-
tia de 361000, prestando-se nas afi-
nacoes que forem precisas.
Joao de Barros Netto.
Casemiro Thomaz da Costa, retira-se para
Portugal, tratar de sua sade.________________
No da 9 do corrente, pelas 5 e meia horas
da tarde, sanio da casa de seu pai, morador na tra-
vessa do Costa n. 26, ao p da fundigao de Santo
Amaro, urna menina domella, com idade de 15
16 annos. tendo o nome de Joanna Maria de Amo-
qitez, a reunirem-se
ies do Gabinete Portuguez de Leitura, domingo
17 do corrente, s 10 horas da manhaa, aliin de
ser convenientemente discutido o projeelo de esta-
tutos 'laas-onaro.
A directora convida igualmente todos os dig-
nos membros dascommissoesque foram nomeadas
para trataren) da acuilisioj-g de socios, e que anda
nao devolveram as listas que lhes foram entre-;
gues, a fazerem-no at ao dia 15 do corrente. A-,
qaelles, que por qualquer motivo nao tiverem po-
dido desempenhar a missao que lhes foi confiada,;
roga a directora anda assim o mesmo favor, con-
late de obler ao menos as honrosas assignaturas
desses cavalheiros
As listas i-odem ser entregues no Gabinete Por-
tuguez de Leitura, ou ao 2o secretario, ua rua da
Cruz n. 23, primeiro andar. .
Secretaria do Monte Pi Portuguez 10 de julho |
de 1864.
Joaquim Gerardo de Bastos.
2. secretario.
-----, ,.,,,,,,, p ,,l linar 16 annos. tendo o nome de Joanna Mana de Amo-
Prmia-Se Comprar e UlUgai !rim>ecomossignaes seguintes : de cor parda fe-
Coraprase uraa ou duas vaccasde leite, paridas ,cnadai cabello* boas porm curto?, tem dous den-
de pouco, e que sejam boas e mansas na .corda, e tes gran(les na frente, no meio dos quaes com prin-
alugam-se dous escravos mocos ou de meia idade, cj de ^^ sani0 coin vestido de chita usado
idiantado, no caso que se agrade do servico : quem |evando um |enco na Cabe?a, cuja menina se acha
ti ver annnncie._______________________,________ assistida : quem por caridade a ti ver rerolhido,
" Manoel Jo^ do Naseimento e Silva, que ou- mande levar na mesma travessa cima dita, casa
tr'ora fr" estabelecido nesta cidade na rua da Ca- de Antonio Flix de Amorim, que ttcara obr.gado
de presente sendo represeniauo pessoa que a levar.
Ueia do Recife, e -
ne-ta mesma cidade por seu bastante procurador
Joaquim Francisco da Silva Jnior, roga a todos
os seus devedores, que no praso de 30 das do pre-
sente annuncio dirijam-se ao referido seu procura-
dor e liquidem suas conta* com o annunciante,
oraut se no lim do dito praso o nao tiverem feto
terao mitineados nos termos da lei para virem in-
terromper presrripco em seus dbitos. Recife 1'
ie julho de 1864.Com procuraco
Na rua do Crespo n. 20 esquina, aluga-se
um moleque bom copeiro, soffrivel cozinheiro 2
prefere-se alguina casa estrangeira._____________
= Joao Baptista Rabello Pereira, subdito portu-1
guez, retirase para fra da provincia._________
Antonio da Silva Ferreira vai Europa tra-
tar de sua saud, e deix por seu procurador seu
mano socio Jos da Silva Ferreira e Jos Joa-
Casacas de panno preto, 35)5 e
Sobrecasacas idem, 305 e .
Paletos idem e de cores, 255,
20^, 13(5 e.....
Ditos de casemira, 205, 135,
125, 105 e......
Ditos de alpaca, 55, 45 e .
Ditos ditos pretos, 95, 75.
55. 45 e .
Ditos de brira e ganga de co-
res, 45500, 45, 35500 e. .
Ditos branco de linho, 65, 55 e
5 Ditos de merino preto de cor-
Wt dao, 105, "5 e .
* Calcas de casemira preta, 125,
1 105, 85e......JIOM
- Ditas de cores, 95, 85 e.
Ditas de meia casemira de co-
Ditos de setim preto. .
Ditos de ditos e seda branco,
' 65 e.......
Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, 65, 55 e
Cohetes de fusto e brim bran-
co, 35500, 35 e .
Seroulas de brim de linho,
25490 e......
Ditas de algodo, 15600 e. .
Camisas de peitos de nho,
45, 35 e......
Ditas de madapolo, 25500,
25e......
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 105, 95 e. .
75000' Ditos defltro, 55,45,35500 e
Ditos de sol, de seda, 125,
105000
75000
35500
35500
35000
45000;
55O00
res, 55008 e.....4*000
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 45508 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 55, 4/5O0, 45 e .
Ditas de ganga de cores, 35 e
Cohetes de velludo preto e de
cores, 95 e......
Ditos de casemira preta, 55 e
Ditos de ditas de cores 55
45 e........

115, 75 e.....
Collarinhos de linho fino, ulti-
45000! ma moda duzia.
! Sortirnento completo de grava-
25508 tas.
25500 Toalhas para rosto, duzia, 115,
! O........
75000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
45000 tos e de cores. ....
Lences debramante de linho.
35500 Cobertas de chita chineza.. .
550001
55OO0
45000^
25506
250O0
15400
25500
15600
85500
25000
65000
65000!
5
65000 |
45000 %
35000
25500 f^
45 Rua Direita 45
Oicam! ouain!!!
CALCADO
Bom e novo, a primeira necessidade para a sa-
de e aforinoseainento do individuo!
Meu Dos !... que ps de pavo se lobrigam por
essas ras que finura horrenda e nauseante a
de um paletol bem talhado sobranceiro a um
aueiira rodo >m duas ola* I mn balao bem tor-
neado e bambaleante dc-ciibrindo urna punta de
botina safara e carcomida! I
Santa Barbara!' Corrara rua Direita. bellas e
rapazes! sacudam na praia esses malditos gnedes
e comprem :
Borzoguins de Nantes 85000.
Ditos francezes de bezerro 75-
Ditos francezes de lustre para homem 5.
Ditos para senhora, de lustre, enhilados, 5,3500.
Ditos para senhora, gaspia alta, 4800-
Holinas de menina 2500.
Ditas de cores para menina 2000.
Sapatoes de Nantes de duas solas 5.
Ditos de sola e vira 45300.
Sapatos de borracha para senhoras li-">00
Ditos para meninoslOOO.
Sapatos de lustre para senhora 15.
Ditos de tapete para homem e senhora 800 r>.
Dilos da liga constitucional 500 rs.
Chinemos rasos do Porto a l600.
E um sortirnento comple.o em sola, vaquetas,
couros, bezerro francez como nenhum, couro de
lustre muito grande, e tudo quanto pertence aart?
de S. Chrispim.
vf.
BOTllt B.4RTIIAI.0NE
Una larga do Rosari n. 3 i
Vende:
Todos os remedios do Dr. Chable.
Capsulas e inieccao ao malico.
Injeccao Faugi
Puulas do Dr. Alian.
Pilulas do Br. Laville.
Pilulas do pobre-homem, excellentes contra rheu-
matismo:
Pilulas para sezos.
Pilulas e ungento Hollovay.
Phosphato ferro de Lerrs.
Todos os remedios de Komp : pastilhas, pilulas.
an ahuita.e salsa de Bristol, etc. etc.
Eacuitos outros medicamentos e especialidades
que sempre se encontraro em dita botica.
ni MENOS HE 20 \ ."O POR CENTO
Joaquim Francisco da Silva Jnior, quim da Silva.______________________i
, annunciou precisar da quantia de __ _e bordo do brigue escuna brasileiro Cyrne
27, das
noite.
fugio o escravo Joao, mulato, de 14 annos, baixo,
gordo, com a marca de um golpe no rosto, cla-
ro, cara redonda, e julga-se nao ter sonido da ci-
-3-000$, appareca na rua de Santa Rita n. 27
$ as 9 horas do dia, e das 6 da tarde as 7 da
^7:_?M!^-!S^.-^JS,!2_.5?l dad;vsto-se7dscnhec.do na ierra e ter fgido
mataco de ^^M_ ";' ,( este se por vadiacao : quem o agarrar, pode dirigirse ao
.'omino negocie a propriedade-Duas-Uuas, situaea mero -----------------__-------.-------
n"i freuezia de Jabeatao, illudindo desl'arte aquel- a barca ingleza Gufoie Adolpk precisa para
l aue a pretenderem, apressa-se -jm declarar ao a viagem hia de doos marraheiros: a tratar
J.ublico que senhor e possuidor da referida pro- na rua do Trapiche n. 14, primeiro andar,
iirwdade, da qual se acha de posse por ttulos que
era tempo algum lhe podero ser contestados ; pelo
.,ue quem a pretender, pode lingir-se a rua Im-
erial n. 62. Recife 11 de julho de 1864.
3-RUA ESTRKITA
Francisco Pinto Ozono contina a col-
locar dentes artificiaos tanto por meio de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
fiuuem a vontade de seus dono, tem pos
e outras preparaedes as mais acreditadas
para conservaoio da bocea.
Precisa-se de nm caixeiro
18 annos de idade para
Jo Amparo n. 23.
abaixo de-
"__ Oeseja-se follar eom os senhores abaixo
clarados na rua do Codorniz, armazem n. 12 A.
Miimei Dionlzio Gomes do Reg & Irmao.
J.is Lope Vianoa.
Muwel Osnnndo da Cmara Pimealel.
31-iuooi Bastate Barbosa.
fnviuim Antonio da Costa.
Antonio Fraaeta Ootningnes.
Soares de Almeida.__________-------------------------
J,io Ma'ehado fluimaraes, subdito portugaez,
reiirase para a provincia do Para.
Urna pessoa com bastante pratlca de estabe-
lecimento de moldados, offerece-se para caixeiro :
na rua das Flores, casa terrean. 29.___________
Manoel de Rezende Reg Barros, sciente pelo
annuncio publicado neste jornal de haver o Sr.
Manoel Alves Ferreira revogando os poderes a
__-_ o,us no dia 8 do ^a llJ^-W^Ti
Kl' ecrronw o eseravo Joao que representa ter 40 an- annunciante para cobranza de UtasJ*fo
-e quasi todos os dentes superiores, rior desu provincia, previne a quera po>sa mte-
caleae camisa novas, de algodo ressar, que a sus.-encao dos referido Poderesse
de listra azul, allura regular, eheio do corno, ca- explica ^^^T^Sff^tSSi
bra escuro, tem nas na-tgas signaes de acuites e de leve a moralidade do prora
sarnas pelo corpo : quem o apprehender leve-o
seo senhor o capito Francisco Manoel de Souza
Oveira, no engenho Jacird, e no Recife Leal &
Inno, que itratiliiaro.
Manoel Joaquim Ferreira Esteves. Desappareceo da rua das Cruzes
levando vestido calca e camisa novas, de algodo
au C
23Largo do Terco23.
Joaquim Simao dos Santos,
quem seu armazem tem frequentado,
dono deste armazem de moldados, tem feilo urna grande vantagem
,.do, liquidou ^t^'^t^^!S^i^imtSSS
nelte armazem como fra, e leudo feito urna grande reforma ne ste es tabelee m enlo "^"X Jor
como em gneros que mandou vir por sua propr.a encoramenda jra^PjgX" "
menos de qae qualquer annunciante, para isso se responsabilisa pela superior quaiM-u--
Attentflo.
Queijos do vapora 2SJ.
Revlsia do instituto Areheolo-
gieo c Gee-graphicn Pernan"
bueano.
Acham-se venda os 3 prmeiros nmeros, na
livraria Econmica de Jos Nogneira de Souza.
junto ao arco de Santo Antonio, onde se subscre-
ve para esta Revista :
Poranno 5*W
Nmeros avulso i#ouu
(>-vallo fgido.
Fugio ou furtaram de um dos
ser deettnados [elo ontorgaote.
Km lempo eoccarto opportuna protesta o an-
nuncianle fazer valor osseusrtire os con ira o Sr.
Manuel Alves Ferreira a qimm jnlga nada dever,
Z2S declarar que desde 1862 tem sido o an-
nunciante quasi constrangido a continuar em ser-
BaUlas as mais novas a 1*400 a arroba e 50 rs. a
'bra. __ om-nn
Toucindo de Lisboa novo a 280 rs. a Ubra e 8*W
a arroba. ~pn .
Caf do Rio de primeira e segunda sorte a zoo e
300 rs. a libra e 8*508 a arroba.
Arror pilado a 80 e 108 rs. a libra e-*500 e 1*300
JS& Nantes novas a 3 rs cadama.
Sabo massa superior a 180 eMO m ilihro.
rassai as maO novas deste ''?/ "Dra
Amelxas franeeza. com 1 e f_' *
B.,lachinhas inglezas novas a 240 rJ_Mw_^
Charutos de diversas marras e superior quahdade
de 1*200,1*500, U, 3* 4*.
Phosphoros do gax groza _4w
sitios da estrada vico do Sr. Manoel Alves, tomado ja ao receto do
dos raicos um quar.o casUnho'daro^ SS& em ajuste M con.as lhe. sobreviesse. o gue.
de baixo : quem o pegar, leve-o ao quarto
depois da capella, que sera recompensado.
sitio
outros tem acontecido de duvidas, hesitaces a
mais alguma cousa.
V.nh'o de Figueira, marca JAA, a 500 rs. a gar-
rafa.
Di lo de Lisboa a 400 rs.
Dito de outros palzM a 380 rs.
Dito para negocio a 3-0 r. agarrara e em caada
se faz ahatunehto.
Genebra de tlollanda era frasqueiras a 6*000 e oOO
rs. o frasco.
dem em botijas de conta a 400 rs.
Aieite doce de Lisboa Gno a 600 rs. a garrafa.
Dito de carrapato a 320 rs. a garra'a.
Manteiga franceza a 560 rs. a Ubra, e 40 em
barril.
Com panilla Qdel Idade de
seguros martimos e ter-
restres estaneloolda no
Rio de Janeiro.
AG-KTBS EM PBI-VAM-ICO
Antonio Luis de Oliveira Aievedo 4 C,
competentemente autoriwidos pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercado-
rias e predios no seu escriptorio roa da
Cruz n .1.
INJECClO BROW.
Remedio intallivel contra as gnorrhoas
antigs e recentes, nico deposito na l
tica franceza, rua
co 35

da Cro* n. 82. pre-
veas deespermacete de 5 e 6 por libra a 540 rs. a
libra, e era eaixa a 520. Massa de tomate em lalas de libra a 600 rs. cada
Velas de carnauba a 11* a arroba e 360 a libra. uma.
Sevadinha e sag muito novo a 24<\ 260 rs. a li- Conservas inglezas, franeexas e portogneas a 640
bfL ^SSSS^SSSS^^m aue e^donhT-seria menciona-los, Quem duvidar ve-
nha ver.
RELOGIOS,
Vende-se era casa de Johnston Pater &
C, rua do Vigario, n. 3. um bello sorli-
mento de relogios de ouro patente m-
glez de um dos mais afamado* fabricante
Dirgleza flor a 720, 800 e 900 rs. a libra, e em d^Liverpool^ e tambem urna vanedade de
barril ha abatmento.
bonitosiraucellins paraos nwsmos
qu
rLNTURAiUA.
Tinge-se cora jierfeico para quaiq"r
c6r, e o mais barato pnashrel: na nw do
Rangel n. 3H. segundo andar.
i ILE6VEL r



., -
Diarla de Fernambuco --; Terea lelra It de Julho de 18*i.

4:500$
Por un sitio no lugar da Capunga, com boa ca-
sa de pedra e cal para familia, tendo 3 salas e 8
quarios, cosinha fra. casa para feitor, dita para
escravos tanque para banho.dito para lavar roupa,
terreno proprio, viveiro e rio c muitas fi ucteiras
de fructos, com duas cacimbas coni boa agua, em-
flm que se acha livre e desetubaracada : os pre-
tendentes queiram dirgir-s 4 Capunga Nova ao
entrar da raesma passando o primeiro porlo no
segundo que achara com quera tratar este negecio
e tambem para examinar o mesmo; meus senho-
res cheguem ao barato.
GABINETE
PORTUGUKZ hl LMlLil* Eli PER-
vuumo
Por ordem do Illm. Sr. presidente do conselho
deliberativo convido os senhores conselheiros para
se reunirem era sessao ordinaria lerca-feira 12 do
corrente, pelas 6 horas da tarde.
Secretaria do Gabinete Portuguez de Leitura
era Pernambuco aos 8 de julho de 1864.
Domingos Jos de Araerim.
2. secretario.
.*
;+:,
O Dr. Carolino Francisco de Lima Sao- S
los, contina a residir na ra do Iinpe- 1
rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro- mt
corado a qualguer hora do diae da noite l
para o exercieio de sua proflsso de me- SP
dico ; sendo que os chamados, depois de &|
meio dia at 4 horas da tarde, devem ser ?
deixados por escripto. O referido Dr. SR
nao abandonando nunca o estudo das M&
molestias de interior, prosegue, com o ^S
maior allinco, no das maisaneis e deli- jR
cadas oueracoes. como sejam dos orgos %,
ourinarios, dos olhos, partos, etc.
GRANDE
soitinuuto de fazendas novas tora-
lissimas na I.ja c ai mazein i fa-
zendas baratas na ra da 'uperitriz
n. 56, loja da Arar, de Laurneo
Percira Menees (iuimies.
Gm tes de chita a 23100.
Vndese cortes de chitas para vestidos a J 00,
ditas de dita franceza com 10 covados a $200
cortes de cassa francezes a 25 e 2,8500 : ni
Xovoa enfeies para senhora.
A aguia-branca acaba de receber um bello e va-
hado sorlimento de enfeiies de diversas qualidades,
e o que de mais moderno possivel enrontrar-se
aqu, faiendo-se octavis, por suas novidade e ele-
gancia uns, coja grade de um lino e delirado lu-
cido a que apropriadameote se chama invisivel.
Assim, vista desse completo sortimento, qoalqoer
cidado munido de dinheiro esl habilitado a com-
pra-Ios : ua ra do Queimado, luja d'aguia-branca
o. 8.
Bonitas honecas.
Com rosto de cera, inaisa e porcellana.
da Imperatriz o. 56, loja da Arara." Acha-se na loja d'aguia-branca ra do Queima-
Arara vende a ICO rs. I uo n- 8> um grande sortimento de nonecas de di-
Vende-se fil de linho de cores a 160 rs. co-' versos tamanho<, com rosto de cera, massa e por-
vado, dito branco para forro a 320 rs. a vara tar- celia na os prntendentes munidos de dinheiro
ra
Aluga-se o sitio dos Burytls na estrada do ,ataDa de cores a 640 rs. a vara, lencos bramos a : acharao boa disposico para os vender.
Arraial, aonde foi a empreza de lavagem de roupa: *^e ^ cada um : na loja da Arara ra d lm-
a tratar na ra Nova o. 50. peratriz o. 56.
As laziuhas da Arara a 320 rs. o covato.
Botoes de cornalina
e ootras qualidades para coletes
Aguia branca acaba de receber um novo e
Para alugar.
Aluga-se urna sala na ra do Queimado n. 39 no
1 andar, ptimo para um escriptorio : quem pre-
cisar dirija-.sc loja da mesma casa.
Precisa-se de um feitor que entenda de plan-
tacoes, e que saiba tratar de jardim : a tratar no
Moudego no sitio do finado coromendador Luiz Go-
mes Ferreira.
tiraminalica ingleza
neirada, e da testa para o foclnho lem urna risca
branca que o faz parecer com o focinho torto : se
quem o tiver achado ou apprehendido quizer lva-
lo ao engenho Aigodoaes, ou annunciar por este
Diario, poder ser recompensado.
O procurador fiscal da thesouraria da fazen-
da faz sciente s pessoas "jue tiverem negocios ten-
dentes mesma procuradura, que dirijam-se
thesouraria da fazenda das 9 horas em diante.
Na ni t estreita do Kosario n. 34
Advogado Affonso de Albu-
querque Mello,
VM
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permetlido
Alera d, iSes recebeu tambem ootros B-mMi^\tSS^^S^^rSSi^i !
e 500 rs. o covado, dita encarnada" adamascada a | ^"'J?*^e oss0' com di"erenJes moldes para grandesortimento degalantarias do melhor gosto
e portugueza.
D. Appleton c5 C. lvreiros,edtores e importado-
res em New-York, Estados Unidos da America,
acabam de publicar um novo methodo para os in-
glezes aprenderem a lingua portugueza por F.
Granert, i vol. 12 mo.
Este livro, o melhor at hoje publicado ex-
pressamente impresso para supprir a immensa fal-
ta que ha de urna grammatica ingleza e portu-
gueza, para aquelles que fallara o inglez e que de- fiE"* de T r bHoas costure.ras para fazer
Lum Lu i;.,, ,!,, colletes : na ra da Cadeia do Recifo o. 38,
Desappareceu ha quatro dias um cavallo cas-
tanho, que ha pouco fez a ultima muda, e ainda nao est bera manso, nem ferrado ; tem a barriga 400, 500 e 640 o covado, ditas lisas propria para cornalina broncos e encarnados, chatos e redon-
um pouco grande e cahida, a eabeca muito acar- caDas veslidos de senhoras a 400 e 600 rs. o co- dos para coletes cujas abotoaduras continuara a
vado: na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara, j gj venuiaas pelo commodo e inalteravel prego de
Arara vende as chitas para coberia a 320 rs. -'5 '
Vendem-se chitas para cobertas a
ranae sorumenio aegaiantarias do melhor gosto
propriamente para qualquer mimo, que acaba de
chegar nesle oltimo paquete, assim como muitos
outros objectos que recebe por diversos navios,
tanto de sua coma como de consignaco, que est
resolvido a vender por precos muito baratos para
vender muito e ganhar pouco, e dar extraccao ao
grande deposito que tem, que espera merecer a
s proteccaodorespeilavel publico, empregando para
- isso todas e as melhores diligencias para que li-
- _---------------. .._...,... quem satisfeitos : isto s no Gallo Vivifanta rria
Vendem-se chitas para vestidos de cores lias a **><* d extractos por IfSOO cada um, e outros do Crespo n. 7. '"me, ra
240e 280 o covado, ditas francezas largas a 320, cobertos de papelo com 9 frasquinhos por 3O00 i;.... ,., in,.
360, 400, 440 e 500 rs. o covado na loja da Ara- uriJcaixinhas com 6 frasquinhos de ditos por [ (vfre de mmt0 Jn^^r ,,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sexts- ra roa da Imperatriz n. 56. *i8000 urna, outras com 12 ditos por 25000 urna,! CtfnhLT,^, ? lQ*m
outras com 3 ditos, cuja coberta parece tartaruga, nem a nnr 'f
Aencao
O dono da loja do Beija-flor, na roa do Queimado
n. 63, acaba de abrir um outro espacoso estabele-
cimento de miudezas na mesma roa n. (59, por Uso
avisa aos seus fregueses e amigos, qoe oestes dous
estabelecimentos encontrarlo sempre grande sorti-
raento de miudezas, perfumaras e objectos de gos-
to>; e vender sempre mais barato que ootro qual-
quer, como abaixo se ver.
Pe ules doiradosde travesa.
Delicados pentes dourados de travessa para me-
ninas a 1500 cada um, ditos sem ser dourados a
500 rs. rada um : as lujas do Beija-flor, roa do
Queimado ns. 63 e 69.
Vollinhas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com eroxes de pe-
drinhas imitando a brilhantes a l cada orna : as
lojas do Beija-flor, tua do Queimado ns. 63 e 69.
Levas de Jeimu
Chegaram pelo oltimo vapor as desejadas lavas
de Jouvio de todas as cores, tanto para hornees
500 rs. o covado: na ra da Imperatriz n 56 loja
da Arara.
Cassa ergandys da Arara a 240 rs
Vendem-se cassas orgaodys para vestidos a 240,
280 e 320 rs. o covado, riscado fraocez para ves-
tidos a 280 rs. o covado, gurguro de linho para
vestidos a 280 rs. o covado : na ra da Impera-
triz n. 56, loja da Arara.
As chitas da Arara a 240 rs. o covado.
o mesmo iim.
J se v, pois, que o pretndeme munido do di.
nheiro achara sortimento vontade na ra do
Queimado loja d'Aguia branca n. 8.
BAUSINHOS E (MIMAS
com perfumarlas.
Na ra do Queimado o. 8 loja d'Aga-Branca, os
freguezes munidos de dinheiro eneaotrarao, boni- isso toda
tos bausinhos cobertos de couro e com 6 frasqui-
ahito i'.t ,i-1 ,x, ,,i .. .. f ",\,\ .*_ ..... .
feiras, porm, na villa do Cabo.
A Heredo
sejam aprender a lingua portugueza.
D. Appleton & C. sao os editores das obras em
hespanhol para educacao moitissimo usadas no
sul da America. Tambem publicara os raelhores
albuns para cartoes de visita.
S "5 3
o 5'
o a- a a ff O !l
1 I1
2 g
3 2
" a.
o
a
-i

c o
23 va
g. *
O*
w -
S i
a
= S
o- _
a
saga
# *
B 3 O H
11 i %
g" ? 5 5
U
meiro andar.
pn-
Precisa-se alugar urna preta que saiba cozi-
nhar e engommar : quem a tiver, dirija-se ra
do Trapiche n. 4, que achara com quem tratar.
a luga-se o terceiro andar da casa n. 48 na
ra do Trapiche : a tratar no armazera da mesma
casa.
SA EkWSL1?.* Qnei.mado n. 8, i Tambalier para ditas
Vemle-se o engenho Diamante sito na
comarca de Goyanna, tima legua distante
da cidade, com excellentt,-s tetras de plan-
laco e muito boas obras : quem o quizer
comprar, dirija-se ao Recifo casa dos
Srs. Joo Pereira Moutinlio ou Rocha & Li-
ma, na ra da Cadeia do Recife, e em
Goyanna ao Sr. Trajano da Cosa Ribeiro.
Qualquer desses senhores, poder dar in-
lurmacoes sobre o engenho e indicar a pes-
soa com quem se dever tratar.
Madama Nina Albet, nao se pode retirar para
a Europa, como annuncia, antes de pagar o alogael
da casa n. II, que oceupou na ra das Cruzes, e
para esse fim dirija-se ra nova de Santa Hita
n. 19.
Arrenda-se o engenho
Pedreiras sito na comarca de Santo Antio
distante desla praca l leguas a tratar uo
mesmo engenho, no paleo do Carino n, 1,
se darao informacoes.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva : na
Ilua do Rosario Estreita n. 85, 1 andar.
Precisa-se da quantia de 3005, pelo menos,
a juro que se convencionar, danilo-se |iara garan-
da um bom escravo hypotheca; assim como ala-
gam-se escravos; e olf^rece-se para caixt-iro um
menino do mato de 13 14 airaos de idade : a
ouein tiiilo ou pane ooavior, ^ueira auuuiiciar a
sua morada.
Precisa-se de um criado escravo de 12 1G
annos : na ra do Corredor do Bispo n. 24.
Wociedade de seguros mutuos
de vida instal lada pelo Banco
i nio na cidade do Porto.
Os agentes nesla cidade e provincia Antonio
Luiz de Oliveira Azevede & C escriptorio na ra
da Cruz do Recife n. 1, estao autorisados desde j
a tomar assignaturas e prestar todos os esclarec
mentos que forem necessarios, as pessoas que de
sejarera concorrer para tao til e benfica empre
as, egurando um futuro lisongeiro aos associado-
Saques' sobre Portugal.
O abaixo assignado, autorizado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer samma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que tomarem
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na
loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
Lencos de seda da Arara a 800 e i&.
Vendem-se lencos de seda para algibeira de t-TsK uuSFTluSSS* COm Pastill,as de che-
homem a 800 e 1, lencos de cassa a 200 e 240 ? a "P' 1*00/} e j^00-
rs. : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara. : QVelOpes bordados e (MlMes C0I11 be-
Arara vende es veos relos e de cores a 1^000. rfg tlnilradas
Vendem-se veos pretos e de cores para chape-! Na loja da aguia branca, ra do u
nhL LrC, 'rhS Pe' 85Sf &* "da um'. 6" achavam-se venda bonitos envolopes bordados
A ?2c hCnh0raS a SS e 32 i1 m?nulros a barloes com beiras douradas, tendo de uns e de
15,camisinhas para senhoras a U, ditas finas outros, maiores e menores, proprios para
com gravatraha e punhos bordados os mais mo- paC6eS de casamentos. bailes ele
demos que tem vindo a 4A5O0 : na loja da Ara-
ra ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende es bales a 2500.
Vendem-se baloes de 20, 25, 30 e 3o arcos a
25500,3, 3^500, 45, 45500, ditos de brilhantina
a 45 : na ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
. forradas de madre-
perola por
I.inda? jardineiras 105000
Ricos cofres rom camapheu 105000
Lindas ramullas com pedras brancas 105000
Lindo balo com calunga dentro tambera
para joias
de uns e de
partici-
Otas
: na
Aze-
Antonio Luiz de Oliveira
vedo & C
Ag'u(c* do Banco Inio do Porlo.
Competentemente autorisados sacara por tod o
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre llanh of London.
Pars Prederic S Ballin & C.
Haraburgo Joo Gabe v K1II10.
Harcellona > Francisco Itahoba & Ballista.
Madrid Jaime Meric.
Cdiz 1 Crdito commercial.
Sevilha Gonzalo Segoria.
Valencia M. Perera Y. Hijos.
E.M I'OnTLGAL.
Figueira.
Completo sortimento de
Anas, lisas e lavradas.
A aguia branca recebeu um grande e completo
sortimento de fitas de diversas largura.se qnalida-
des, tanto lisas como lavradas, e em todas ellas co-
nhece-se a superioridade da fazenda, notando-se
as lavradas o bom gosto dos novos e lindos dese-
nhos, isso tanto as matisadas como as brancas,
e pela commod idade dos precos o pretndeme que
se dirigir munido de dinheiro ra do Queimado
loja da aguia branca n. 8, ser bem servido.
Capachos inglezes.
Na loja da aguia branca, ra do Queimado n. 8
vendem-se bons capachos inglezes, os quaes alm
de bonitos sao de immensa duracao, pelo que se
tornara baratos pelos precos de 45, 55, 65 e 75
cada um.
Cartas francezas.
A aguia branca, na ra do Queimado n. 8, rece-
beu um novo sorlimento de finas cartas francezas
SJS ? 2e ll,nn de V&8* laf.Cas com beiras douradas e brancas, e as est venden-
a 25800 e .15, seroulas de algodao a 15600, ditas d0 baratamente a dinheiro vista.
Cestinhas dem dem
Cosmorama dem dem
Urnazinha
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
do Queimado ns. 63 e 69.
Talheres para meninas.
Vendem-se talheres de cabo de bataneo pare me-
ninos a 280 rs. e talher : as lojas do beija-flor,
ra do Qoeimado ns. 63 e 69.
Colheres de metal principe.
Vendem-se colheres de metal principe muito fi-
nas para sopa a 35600 e 45400 a duzia, ditas para
cha a 25 e 25400 a duzia, ditas para assucar a
3W) rs. cada urna, ditas para terrina a 25 cada
urna, e s quem vende por estes precos as lojas
Jo Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e 69.
Facas e aves.
Vendem-se facas e garios oitavados a l$800 a
duzia, ditas cravadas, cabo preto e branco a 35 a
185000 duzia, ditas de balanco de 1 botao linas a 55200
ditas de t botoes muito Tinas a 65500 a duzia, dras
de 1 botao para dtwes e fructas a 55 a duzia, ditas
de 2 botoes a 55200 a duzia : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas, a peca a 15100, 15900
e 15300 : as lojas do Beija-flor, ra do Qoeimado
Ds. 63 e 69.
165000
95000
65000
65000
65000
Baados bordados.
Vendem-se babados bordados de varias larguras
Cortes de la a Mara Pa a ,S,-i e J8.
Vendem-se cortes de laa a Mara Pia a 85 e
pecas de cambraia lisa fina a 35, 35500 e
ra da Imperatriz 11.5ti loja da Arara.
Cortes de ganga a 1 ->fi(l(l
Vendem-se cortes de ganga franceza para calca
a 15600, ditas de casemira a 35, ditas finas a 55
e 555OO : na ra da Imperatriz n. 56.
Roupa frita da Arara.
Vendem-se paletots pretes de panno fino a 165-
145 e 125, ditos saceos de panno fino preto e azul
debruados de fita a 95 e 105, ditos de casemira a
65, 85 e 55, ditos de brim a 25500 e 3g, ditos de
alpaca preta a 35 e 25500, camisas francezas bran-
de linho a 25, calcas de brim e gangas de cores a
25, ditas de brim pardo a 25500 e 35, ditas bran-
cas a 355OO : na ra da Imperatriz n. 56 loja da
Arara.
Colchas da Arara a 15
Vendem-se colchas de damasco para cama a
45, ditas de fusto a 55, ditas de chita a 25: na
ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Veodem-se gangas para calcas e paletots.
Vendem-se gangas para paletots e calcas a 440 do ,uRar a agia branca avisar a sua boa fregue-
e 500rs. o covado, fustao para cal?a a 500 rs. o zia, pelo que talvez a maior parte della s agora
covado : na ra da Imperatriz n.56, loja da Arara, -'aera da vrada dessa boa banha. illa vem em
SAPA TOS DE BURRUIIA
a 10OOO, l .oo e 9OO o par
na ra do Queimado loja d'Aguia-Branca n. 8.
Latas com banha fina.
J por diversas vezes a aguia branca tem rece-
: hido dessa banha fina em latas, e tal tem sido a
prompta e rpida extraccao della, que nao tem da
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre- 1 lAunn <** **
eos : s no **>*PO n?7. (loJ^B^^dft^'JSR T
corabolcinhasaoladoalO, 12 e 155, ditos sem! Vendera-se Y,^ "f1***.
bolea, porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35500
e 45, ricas (velas avulsas para sintos, o
midlior
que se pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 :
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes on cestinbas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 25-500, 35500, 4, 5, 7 e 105 : s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alisar
sapaiinhos para baptisados de
rriancas a 15500 e 25 o par : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e 9.
Bolees para ponaos.
Vendem-se botoezinhos demadreperolaed- mar-
fim para punhos a 320 rs. o par, ditos enrarnadi-
nhos a 120 rs. o par : as lojas do Beija-flor. ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas para debrnm de veslides.
frendem-se fitas de la de todas as cores para
df irum de vestido a 900 rs. a peca, ditas j-retas
d< seda a 15100 a peca : as lojas do Beija-fJofT^
como para atar cabello, o mais lindo riA do Queimado ns. 63 e 69.
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-! Filas brancas nara drbrun
Pentes
Tambem chegaram os riquissimos pentes de
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Ricas lilas lavradas.
Vendem-se muito ricas fitas lavradas para simo
I concha de tartaruga c de massa lina, que se vende de senhora e meninas : as lojas do Beija-fk>r, roa
por 25, 3 e o5 : s no Vigilaute, ra do Crespo do Queimado ns. 63 e 69.
numer0 7- Espinos dr Jacaranda.
Leones. Vendem-se espelhos de columnas, de Jacaranda,
Riquissimos leques de madrererola, tanto para a :'3 45500 rada um, ditos de madeira aaarrih
senhora como para mocinhas, pelo barato preco de !a 25400 e 25800 : as lojas do Beija-flor, na roa
12 e 145 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7. do Queimado ns. 63 e 69.

Joao da Silva Ramos, medico pela Un
versdadede Coimbra, d consullas em
sua casa das 9 s 11 horas da manha, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
en suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serao soccorridos em qual-
quer oceasio. D consultas aos pobres
que o procuraren] no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
Trm sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 25500
Terceira dita.... 25000
Este eslabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera qne elle conti-
nu a merecer a conanca de que sem-
pre tem gozado.
Amarantes. Angra Terceira.
Arcos do Val do Caminha. Guarda.
Vez. Castello Branco. Guimares.
Aveiro. Chaves. Lagoa.
Barcellos. Coimbra. Lagos.
Bastos. Covlhaa. Lamege.
Beja. Elvas. Leiria.
Braga. Extremos. i*.s.
Braganca. Evora. MonSao-
Faro. Fafe. Moncorva.
Oliveira d'Aze- Pinhal. Regoa.
meis. Porto-alegre. Setubal.
Penafiel. Thoniar. Vianna do Cas-
Tavra. Villa Nova do tello.
Villa do Conde. Portimo. Villa Real.
Villa Real de Vizeu. Madeira.
S. Antonio. Faial. S. Miguel.
No IMPERIO.
Baha. Maranhao.
Rio de Janeiro. l'ar.
Qualquer somma prazo ou vista.podendo logo
os saques prazo seren descontados no mesmo
Banco a razio de 4 por cento ao anno : a tratar
na ra da Cruz n. 1.
Madapolao francez a i$.
Vendem-se pecas de madapolao enfeslado com
12 jardas a 45 e 45500, ditas de 24 jardas ns. RG
a 75, ditae n. 60 a 65500, dito moca a 75500, dita
n. 40 a 85, dita n. 50 a 85500, ditan. 7 a 105, di-
la SS 95, dita XX 85500, algodao muito encorpado
a 55500 e 65, dito carne de vacea a 75 : na ra
da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Brim de lindo a 4 >!M).
Vtinde-so brim do linho para cal^a a i.$i80,
1-5 j'io. 1,5x1111 e 15C00 a vara, brim liso para se-
roulas e len^es a 500, 560 e 640 a vara, braman-
te de linho a 25200 a vara tem 10 palmos dclar-"
gura, bretanha de. linho a 640 e 800 rs. a vara,
brim pardo a 800, 640 e 15 a vara : na ra da Im-
peratriz n. 56 loja e armazera da Arara, a loja es-
t aberta al as 9 horas'da noile.
latas de 1|2 e 1 libra, e contina a ser vendida pe-
los baratissimos precos de 25 e 35000. Apar da
superinridaile da qualidade della estao os agrada-
vpis e finos cheiros de rosa, jasmim, laranja, bou-
quet, e llor de Italia. A boa freguezia assim scien-
te dirigirse com dinheiro ra do Queimado,
loja d'agula branca n. 8.
Banha fina em copos de por-
celana dourada com ins-
cripcoes.
E j bem conhecida pela boa freguezia d'aguia
branca a superioridade da banha que vem nos co-
pos de porcelana dourada com maviosas e jocose-
rias nscripces, as quaes agora vieram de novo
gosto, pelo que essa fina banha pode anda ser
mais conhecida por aquelles que quizerem fazer
AVVBQQVi),
Quem precisar de um pequeo de 13 14 an-
nos para criado de urna casa, dirija-se ra de
Aguas-Verdes 0. 37.
M pre tem gozado- W : Manoel de Hollanda Cavalcanli' agente do cor-
Sj^BBBaV $%Ka TumSti^T lM M iJI reio da cidade da Victoria, declara que de hoje era
li^-j-i^^?fflfe"SB8-Bi5w*S9s^?K ""ante se assignar por Manoel Mana de Hollanda
Aluga-se o primeiro andar da casa da ra Cayalcanti. Cidade da Victoria 7 de julho de 1864.
da Cruz n. 59, tendo a preferencia para escripto- i
rio, por preco muito em conta : a tratar na loja
da mesma casa, no Recife.
Alugam-se as casas terreas ns. 1 e 3 da ra
do Hospicio : a tratar na ra do Seve n, 2.
Precisa-se de urna ama que cozinhe e faca o
mais serviro interno de urna casa de familia : na
estrada de Joo de Barros, sitio em frente ao becco
do Espinheiro.
Precisare fallar com os Srs. Jos Manoel da
Cosa Ferreira e Manoel de Barros Wanderley, na
ra dos Pires n. 34.
Precisa-se de urna criada portugueza ou es-
crava, para cuidar de meninos em urna casa in-
gleza de pequea familia: a tratar na ra do Tra-
piche n. 17, terceiro escriptorio. *
A11A.
Precisa-se de ama ama para cozinhar
larga do Rosario n. 12, segundo andar.
Quem precisar do urna ama de leite,
se ra Imperial n. 20, que achara com
tralar.
dirija-
quera
Vende-se una mobilia de araarello com pou- ,
co uso, constando de 12 cadeiras, 1 sof, 2 conso- u n bon presente, com tanto que COmparecam mu-
los, 1 mesa de meio de sala e ama cama franceza, hraSafn ^ rua do Que,mado- luJa da8u,a
por preco commodo : na ra do Queimado lo a .. ".' .
de ferragens n. 14. Vende-se alpaca preta a oOO rs. o covado.
Vende-se alpaca preta para vestidos a 500, 600,
700 e 800 rs., fina de cordo a 800 rs para pal-
> fftarsM1! s&"3&ri;
para senhora que estao de luto a 720 o covado :
na ruada Imperatriz n. 56. A loja est aberta at
s 9 horas da noite.
Peleja.
diabo, urna alma e S. Miguel acha-se reimpressa,
corrigida e consideravelmente augmentada, ven-
de-se pelo mesmo preco: na ra do Imperador
numero 15.
m
m
JR
L\
Achacados.
Quem os possuir e os quizer curar perfeitamen-
te recorra ao afaraadissimo oleo de Mercnant, que
se vende no armazem da bola amarella, oitao da
secretaria da polica.
Vende-se
COMPRAS.
na
Comprase
cobre e lato : no armazem da bola amarella no
rna I oitao da secretaria de polica. _______
Compra-s urna arcana de 400 saceos, em
estado de navegar, e que seja de boa construccao,
tambem aluga-se no caso de convir : a tratar na
ra do Trapiche n. 17, primeiro andar.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilhetes daoracada Inde
pendencia n. 22.
Aluga-se a casa n. 4 da ra dos Prazeres, nos
Coelhos, com bons commodos, concertada, caiada e
pintada com perfeicio e gosto : a tratar no segun-
du andar do sobrado n. 36 da ra do Rangel.
ATTENgAO.
Na ra da Cadeia do Recife n 3, primeiro an-
dar, lira-se passaporte de estrangeiros para o es-
trangeiro, e de escravos para o Rio de Janeiro,
tudo por preco commodo e pronoptido, das 9 ho-
ras da manha s 3 da tarde.__________^^^
Aluga-se a casa do Caminho Novo n. 2, com
quatro quartos, duas salas, corredor separado, co-
zinha lora e quintal murado com cacimba : na rna
do Cabug n. 11, botica.
A' ra larga do Rosario nu-
mero 36.
Bercos dr naiha halairw Ao -*~*___ Na ra do Imperador n. 35, segundo andar,
.nrTn-w o Lu 1Tu de "en,n01! compra-se nm escravo moco e sadi, sendo boro
aprender a andar, condecas alus e baixas de oftklal de pedreiro
n. 1 at 10, balaios para roupa suja n. 1 a
5, azafates brancos e pintados n. 1 a 12, ni-
nhos para viveiros de canarios do imperio,
balaios para cuslura cMa c outras muitas
obras de vime aqui se acham e tudo vende-
se a precos razoaveis.
Vendem-se terrenos com 30 palmos de frente
e 60 de fundo, sitos.no sitio da extracta Qaco de
teeidos : a tratar nos mesmos.
Na fabrica de sabo da ra do Rangel n. 34 ven-
de-se constantemente sabo massa, tanto era caixas
como a retalho a 200 e 220 rs. a libra.
Vendem-se escravos pegas de ambos os se-
xos: na ra Direita n. 54.__________________, |aUs rom g 1|2 ^^ de ^^ do ^ ^
.Negocio de grande interesse. ; 252OO: no armazem da bola amarella oito da se-
Vende-se una fabrica de fazer colla com cr"lara da polica.________________________
um laboratorio para fabricar a quanlidade PihflnitVtt Ia rTftvorifl fia en
que se quizer, podendo ser mudada para ^tllU.TO8 0 mjM e SU-
penor qualidade e pelo pre-
co seguiute:
Eldorado 125000.
La flor de Albuerne 105000.
Regala britnica II5000.
La flor de morales 95-
La circassiana imperial 145-
La negra non plus ultra I85.
La_negra muala regala imperial em caixa de 100
i e 50 135 : no Bazar Purnambucano, ra larga do
Rosario n. 30.
qualquer lugar conveniente, obrigando-se
quem vende a ensinar todo o processo da
fabricaco ; na ra do Qieimado loja n. 13,
se dir quem vende. _________
Carne do sertio.
Chegou aos armazens da Brilhante Aurora e Au-
rora Brilhante, ao largo da Santa Cruz, a verdadei-
ra carne de sol.
Precisa-se de urna ama que compre tt cos-
nhe para casa de pouca familia : na ra de Hurtas
sobrado de um andar n. 30.
.iluga-se o armazera da casa sita na ra de
Apollo n. 47, eo primeiro da casa sita na ra da
Senzala Velha n. ti : a tralar na rna da Cadei*
n. 4iu_________
Precisa-se de nma criada livre "ou escrava
que saiba cezinhar e comprar : aa roa de Sanio
Amaro (Muudo Novo), sobrado onde morou o Sr.
Dr. Sabino.
Na ra do Imperador
n. 12, casa de relojoeiro, com-
pram-se relogios velhos de
todas as qualidades.
Compra-se urna negra moca que saiba en-
gommar e cosinhar e seja bonita' lgu ra e nao te-
nha achaques nem vicios: quem tiver annuncie
por esla fulha.
YENDAS.
VKMJK SE
Revista Contempornea de Portugal e Brasil anno
de 1859 por 55OOO; Poesas de Costa e Silva por
25500 : na ra do Cabug loja n. 2 A.
Vendem-se caixoes vasios
cada um: na ra das Cruzes n. 4 i.
dos para mora.lia ; a tratar na mesma
berveja
A verdadeira serveja, marca lenle, em botijas,'
e sempre nos armazens da Brilhante Aurora e Au- 4 1 r/I \ 11*0 I) I I) l T 4 C
rora Brilhante, no largo da Santa Cruz n. 12. i \j \\fj\ \|| IJ IVA II \ I HlJe
Vendem-se lazinhas de cores flxas e de boa qua-
lidade para vestidos de senhora a pataca o esvado,
e outras minias fazendas que o dono esta resol vido
a vender muito barato afim de apurar os cobres :
na ra da Imperatriz n. 20, outr'ora aterro da Boa-
Visla.__________________________________
no pateo do Parai-
Vende-se urna carteira grande propria para
escriptorio: na ra estreita do Rosario.n. 43, loja
de trastes.
GAZ.~
Vende-se gaz liquido americano da melhor 1
qualidade em lat s de um, dous e cinco galoes, |
por menos que em outra qualquer parte : no ar-
mazem do caes do Ramos n. 16.
Vende-se um cabriole!
zo n. 26.
Prensas de algodao.
Os senhores prnsanos e plantadores de algodao mqz
sao convidados a examinar as excedentes prensas
americanas de aportar algodao, que se acham
venda no armazem dos Srs. Henry Forster & C,
na roa do Imperador n. 5, por baixo do Gabinete
Portuguez de Leitura.
LUVAS DE PELLICA.
Para homcus, mulheres e meninas.
A Agnia-branra, na rna do Queimado n. 8 rece-
beu luvas de pellica, para horaens, mulheres e
eninutas
Farlnha de maadloea
\ ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
' Alves no seu escriptorio, casa n. 19 da ra da
Ricos alluius para cincoenta
retratos.
Chegaram para a loja do Gallo Vigilante os ri-
quissimos albuns para cincoenta retratos, os quaes
vendem-se pelo baratissimo preco de 65, 75 e 85, j zendas Anas, como sejamricos vestldosdo
que sempre se venderam por 125 : isto s na loja. com algum (oque de mofo, capas de velludo
do Gallo Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Bichas hamburauezas
Vendem-se dichas de qualidade : na ra Nova
1 1^760 p- 61 defronte da Illma. cmara municipal._____
Nossa Senhora <* Carino.
- Vendse a taberna da ra do Padre Ploriano g.S'fiV"?L de No,sa SenhoJ*a Mi
. M, propria para um principiante, cora commo- ffStffSS ,ffipress* em S bom P*'
bem a >aive Barata e versos em outro volume, e
Loja de fazendas da ra
do Crespo n 7.
Miguel Jos Barbosa Guimares, socio princi-
pal da firma de Guimares Lima, fax sciente ao
res|leitavel publico que tendo de liquidar todas as
fazendas existentes em seu eslabelecimento por
ter fallecido o seu socio Jos de Almeida Nunes
Lima, que consta de um grande sortimento de la-
seda
preta
muito Anas e outras muitas
vende por baratissimo preco.
fazendas que tudo
Vende-se um sitio na praia do Rio Doce, dis-
tante da cidade de Olinda urna legoa, com 600 ps
de coqueiros que do frurto, com boa casa de vi-
venda de pedra e cal, chaos proprios, com banho
no fundo : quera pretender, dirija-se mesma ci-
dadn, ra do Carmo, casa do conego Souza Gomes,
que achara com quem tralar.
Crespo
Mis leques.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ba-
rato preco, a 85 e 105, chinezes, muito bonitos,
tambem |ior barato preco de 4 e 55, bent'arallas
muito bonitas tambera por barato preco de4 e 55,
leques de charo tambem por 45, tudo isto para
acabar, perdendo-se talvez 80 0|0 : s no Vigilan-
te, ra do Crespo n. 7.
Pulseiras.'
Lindas pulseiras de contas e de missanga, cores
muito lindase de muito gosto a 15 e 15200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinh.is estreilinhas de
borracha que as senhoras tanto precisara para se-
gurar os man zoilos por ser muito commodo e mui-
to barato, a 320 o par: s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Cairelas.
Riquissimas carretas de madreperola propras
para qualquer presente, pulo baratissimo preco de
J5o00e25-
Volitabas.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, assim como cruzinhas avulsas
e vollinhas, pelo barato preco de 1-5 e 15200, as
cruzes avulsas a 400 rs. : s no Vigilaute, ra do
Crespo n. 7.
Sapatiuhos e ninas de seda.
Riquissimos sapaiinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiasznhas de seda, gorra-
tuinas o touquinhas para as crianrinhas se bapti-' >j,
sarem : so no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
(o lio lias.
Riquissimas goiinhas e mancuitos, o melhor gos- W
to possivel, a 25, 25500 e 35 : s no Vigilante, tf
ra do Crespo n. 7. "*
Enfeiies para senhora. H
Riquissimos enfeiies com laco e sem laco e de IS
outros muitos gostos a 15, 15500 e 35 : s no Vi- K
gialnle, ra do Crespo n. 7. j"
Trancelins.
Lindos trancelins de cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
Ilal mIiiIios enlremcios.
Riquissimos babadinhos enlremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
pre co de 15200, 15500, 25 e 35 : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Oscarrillias.
Grande sortimento de casrarrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinhas pro-
pras para enfeiies : s no Vigilante, ra do Cres-
po n. 7.
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e qualidade, por precos que admiran) aos compra-
dores, ha vendo filas largas proprias para sinteiros
que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca de 3
varas a 25 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Fitas de la.
Fitas de la de todas as qualidades, proprias para
debrum de vestido a 700 rs. a peca : s no Vigi-
lante, ra do Crespo n. 7.
Ricos espelhos,
Riquissimos espelhos com moldura dourada e
sera ella de 85, 10, 12 e 145, assim como com co-
lumnas de differentes tamanhos a 25, 3, 4, 5 e (5:
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos Jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina
para enfeile de sala, sendo o melhor gosto que aqui
tem apparecido : s no Vigilante..
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com lionera para pos de ar-
roz, cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim co-
mo paroles s com os pos a 320 rs. cada um : s
no Vig lante, ra do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimento de extractos e banha*. poma-
das, assim corno os lindos copos eu vasos com dis-
tinctivos e offereeimentos s sinhazinhas, dos me-
Ihores e mais animados autores de Pars e Ingla-
terra, assim como os grandes copos de banha japo-
nexa a 25 e a 15 ; assim como outros objectos que
nao possivel por boje annunciar, e vista dos
freguezes se far todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Filas de velludo estrellas.
Vendem se fitinhas estrenas de velludo para en-
leje de vestido a 900, 15 e 15200 a peca: as lo-
jas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Trancas de la para bardar.
Vendem-se trancinhas de la pretas para bor-
dar camisiuhas e veslidos a 80 e 160 rs. a perista,
ditas brancas com 40 varas a 600 rs. a p^ca, e ou-
tras muitas cousas que sefornaro enfadonho men-
ciona-las, pois s com a vista se poder ver o gran-
i de sortimento das lojas do Beija-flor, na roa do
, Queimado ns. 63 e 69.
V ende-se ,*
em Jaboalo em urna das primeira* l>- ;
calidades de negocio o bem conhecido JJ
eslabelecimento Pragressists, de taberna ^J
e padaria com alguns fundos, muito pro- .4$
prio para una pessoa que queira se de- *j
dicar ao negocio, servindo para sotara S
ou casado visto a casa ler todas as com- flr
modidades suflieientes e eslar bem afre- "*<
guezada, por existir no mesmo mais ne- ^
gocio, porm nao ron vindo ao comprador j0
querer todo negocio, o proprielario sugfi- g
la se a vender o que a parte convier e a J
;$% vista do pretndeme se dir as rircoms- j
mt cias da venda : quem convier dirija-se *
SR ao mesmo lugar que se pagar o Irans- 1
" porte do mnibus ou na ra Direila ra- SK
sa n. 76, que ah tambem achara com
quem tratar restrictamente.
Xa uicsiiia casa vende-se $|g
um carro com 6 mallos com os seus -a
competentes arreios tudo em bom estado *SJ
de trabalhar, faz-se lodo negocio ou a di- J^
nheiro ou a prazo com garante, os apai- |g
xonados aproveitem a oceasio do ven- I
dedor. M|
Sai do Assu'
Vende Antonio Luiz de Oliveira Azcvcdo
no seu escriptorio ra da Cruz n 1.
A C,
Um coneito c especifico para
expellir 03 Vermes.
-
PsiNtilhas V(Tiiifi.rns
DE KBMP.
Os nenino it. jkmIi'ih gritn, ]M>rrje
ellas sao do cliciro, mtbnr c cor itrnida-
veis. A oleipiiicin, n sciruncla.le de ac-
cao, o iiiort'cnsivo das
Pastilhas Vermfugas de Kemp
A PAR IiA SUA
Composicao exclusivamente Vrtrctal,
sao esta ]K)8 as suas melliores < -.nais
completas de todas as recormnendace
que se possa fazer e com justa razo as
colloco ira categora d'um smroiita uni-
versal.
A superioridade das
------------------------------------------------ Esleirs de Araeatv.
Vende-se . porSpreeo emmoAo : na ra dos Pires n. 21 por preco commodo : na rna do Imperador n. !? ro 10.
adapo/o barato a\
5,500 a pega de W{
varas
m
Na loja do barateiro na ra do Crespo
n. 1.
Enzebio Raphael Habello tem para vender
em seu escriptorio, ra da Cadeia n. 55, os seguin-
tes gneros!
Cera em velas.
Cal em pedra de Lisboa.
Vinho puro em ancoretas.
Pastilhas de Kemp
sobre todas as preparaces destinada
para o mesmo fim 6 devido ana sim-
ples composico o seu aroma agrada-
vel e rapidez e infallibilidade com
que alcanca a destruico total das
LOMBRIGA8.
A venda as boticas de Caor & Barboza,
roa da Cruz, e Jlo da C. Bravo dfC., roa
da Madre de Peo. _______________
Vende-se
a machina a vapor da forca de 10 cavados qne
servio na empreza de lavagem de roopa : a tralar
na ra Nova n. 5a
IILEGVELV
>/


*
\
'

Otarlo de reruambac Tercaeira I Ue Juliao 4c 184.
v
Grande liquidado
de fazeudas na luja do Pari, ra da Imperalru a.
60, de Gama & Silva.
AcOa-se eate estabtlecinionto completamente sor-
tido de azaodas inglezas, francezas, allemaes e
suissas, proprias tanto para a praca como para
.
mato, pjrbmetano vender-se .mais barato do que
em outra qualquer parte principalmente sendo etn
porfi e de todas as fazendas'djio-se as amostras
deixando ficar penhor ou manda m-seTevTrr--et ca
sa pelos caixeiros da loja do Pavao.
As chita h Pava. ** *
Vendem-se superiores chitas claras e escuras pe-
lo barato preco de 240 e 280 rs. sendo tintas stgu-
ra, ditas fraucezas linas a 320, 340, 360, 400 e
800 rs., o covado, ditas pretas largas e estreitas,
riscados escocezes unos a 140 rs. o covado, isto na
loja do Pavo ra da lmperatrii n. 60 de Gama &
Silva.
As castas do Parlo i 240, 280, SO e 320* rs.
Vendem-se finissimas cassas persianas cores li-
xas a 320 rs. o covado,ditas francezas milito upas
a 240 e 280 rs., ditas ingzezas a 240 e 280 rs. o
cavado, iinissimo orgaudy matisado cotn desenos
miudinhos a 320 rs. o covado, cassas garibaldinas
muito finas a 320 rs., isto na loja So Pavao ra da
Imperan iz o. 60, de Gama & Silva.
As laziulias da exposicao de Pavo.
Yendem-se as mais modernas lazinhas mossan-
bique chegadas pelo ultime vapor francez sendo
de orna s cor ou de listas miudinhas com 4 pal;
mos de largura, proprias para vestido de senhpra,
roupa para meninos e capas, e pelo baratissimo
preco de 580 rs. o covado, ditas enfestadas trans-!
parentes de quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas matisadas muito Anas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita tambem matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Mara Pia com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de urna s cor parda, azul, cor de lyrio e
perola proprias para vestidos, sautembarques e
garibaldes a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
800 e 400 rs isto s na loja do Pavo, ra da n-
peratriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Os chales d Pavao.
Vendem-se finos chales de crepon estampados
pelo barato preco de 6$, 75, 8$, ditos de ponta re-
donda a 75 e 8, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidrilho a i 5, ditos pretos lisos a
55, ditos de cores a 45500 e 55, ditos de merm
estampados a 2 e 35, ditos de la a 1 280 e 2,
ditos de retroz preto para luto a 65, isto na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 Pavio vende para luto.
Vende-se superier setim da China fazenda toda
de la sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
pno para vestidos, paletots, capas etc., pelo bara-
to preco de 25, 25200, 25300 o covado, cassas
pretas lisas, chitas pretas largas e estreitas, chales
de merino* lisos e bordados a vidrilho, manguitos
comgolhnhas e outros muitos artigos que se ven-
dem por precos razoaveis : na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
^_-0s vestidos do Pavo
Venderse ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
, c*mente bordados a veludo pelo barato preco de
* 405, sendo fazenda que sempre se vendeu a 1005
e 1*05 ; ditos de cambraia brancos ricamente bor-
dados a croch, sendo proprios para baile e casa-
meato a 10,15, 20 e 305; ditos de la com lindas
barras a 18 e 155 i isto na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Pavo.
Vende-se panno preto muilo superior pelo barato I (
preco de 25, 25500,35 e 3joOO, ditos muito tinosa Oras a .J.OOO rs. e
45. 55 e 65, cortes de casemira preta enfestada
ESPLENDIDO SORTIIKIEHTO DE MOLHADOS
\. 9 RA 1IO CRESPO M. 9
Esquiva que volta para a ra do Imperador
DE
wm % wm



.

(xo se enganem cona a mitra)
A u i;os !
N3o leiam esle annuncio com precipitaco.
Confrontem os precos dos outros annuneiantes.
Veuham ver os geueros que.temos expostos "a venda.
A vista faz f.
NSo temos palavras bombsticas.
Nao dos enculcamos o primeiro recebedor de conta propria.
Nao desacreditamos ao collega porque nao quiz ser nosso socio.
Val a quena toca.
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia ainda nao sao suficien-
tes as casas que actualmente oxistem abenas com grandes proporcoes para terera um
magnifico sortimento de molharlos; assim, pois, os proprietarios do Armazera Principal
nao invejam a sorte dos seus collegas.
Habitantes de Pernambuco.
Nos temos um excellente sortimento dos melhores gneros que se pode acuar
em nosso merecido. Vinde ao nosso estabelecimento, e se a vossa boa f fr illudida
urna s vez ao menos, castigai-nos nao voltando mais a nossa casa.
Amendoas confeitadas de bonitas cores a dem de Hollanda em garrafes com 24
l,ooo rs. a libra. garrafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
Avellas a 2oo rs. a libra. zados a 2oors. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de-todas as qualidades a
estampas a l,2oo, l,4oo e i,600 rs..cada 800 e l.ooo rs. as garrafas grandes.
urna. Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e
dem em frasco de vidro com rolha do mes- 96o rs. a libra.
mo ou de metal, a l,2oo e lioo rs. ca- dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
da um. a libra, e 56o rs. em barris inteiros.
dem em frasco grandes 2,5oo rs. cada um. Marmelada especial dos melhores fabricantes
dem em latas de I / e 3 libras a l,2oo e de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra,ba latas
2,ooo rs. de differentes tamaitos.
Arroz da India e Maranhao o melhor que se Massa de tomate em latas de 1 libra 56o rs.
pule desejar a loo e 12o rs. a libra e cada urna.
2,8oo e 3,4oo rs. a arroba. dem para soda estrelinha, pevide e rodinha
e 65, cortes de casemira preta entestaaa a
45, 45500 e 65, casemira preta fina de urna s
largura muito una a 15800,25-25500 ft 35, cor-
tes de casemira de cor a 55, 55500 e 65, casemi-
ras enfestadas de urna s cor proprias para calca,
paletots, colletes, capas para senhora, roupas para
meninos a 35 e 30500 o covado, isto na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A roupa do Pavo.
Vendem-se paletots de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muito boa a 125, ditos muito tinos a
165, 203, 255 e 305, caigas de casemira prea boa
fazenda a 45500,55, 65, "5 >- 85, paletots saceos
e panno preto a 75, ditos de casemira de cor a
65 e 75, ditos de alpaca preta, ditos de merino
preto, ditos de brm de cores, calcas de casemira
de cor a 45, 55,65, 75, ditos de caxemira da
Escossia a 35, ditos de brm pardo a 25500, ditos
de cor a 4* o S&80Q, ditos brancos mtnto finos,
sto na loja do Pavio, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama 4 Silva.
Os cortinados do pavo.
Vendem-se ricos cortinados proprios para janel-
la e camas pelo barato preco de 95 o par, sendo o
melhor que ha no mercado : na ra da Imperatriz
d. 60, de Gama & Silva.
As colchas do Pavo.
Vendem-se colchas de linho alcochoada* pro-
prias para cama pelo barato preco de 55 cada nina
na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas que tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor fran-
cez, pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas
de lisirinha muito miudinhas proprias para vestidos
e roupas de meninos e meninas pelo barato preco
de 500 rs. ; s o Pavo ra da Imperatriz n. 60,
loja de Gama & Silva.
Os sonteanbarques do Pavo a
10# e lo so o Pavo.
Vendem-se os mais lindos souteanbarques que
tem vindo ultimameute de lazinha e caxemira ri-
camente bordados e enfeitados, cores muito delica-
das pelo barato preco de 105 e 155 fazenda esta
que em outras lojas se vendem per 205 e 255,
s para liquidar : na loja e armazem do Pavo
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
As cuitas do Pavo 'jMOO e
2800 o Corte.
Vendem-se cortes de chita com doze covados
cada corte, ditos com dez covados a 25'*00, fazen-
da muito boa, e que nao desbota, s na loja do Pa-
vo tem esta pecluncha ; a ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Las de unaa sO cdr.
Vendem-se laazinhas de urna s cor, sendo en-
carnada, azul, cinzenta, cor de caf, lirio claro, li-
rio roxo cor de perola pelo baratissimo prego de
640 o covado, fazenda muito fina s o Pavao, ra
da Imperatriz n. 60 loja e armazem de Gama &
Silva.
Panno de linho.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences, toalhas e ceroulas pelo
barato preco de 640 rs. a vara, bramante de linho
cora 10 palmos de largura a 25500, algodozinho
monstro com 8 palmos de largura a 15, pecas de
Hamburgo com 20 varas a 95, 105 e 115, pecas de
madapoio fino a 75500, 85, 95 e 105, ditas de
aigodozinbo a 65, 65500 e 75, e outras muitas
fazendas brancas que se vendem muito baratas
afim de apurar dinheiro : na loja do Pavo ra da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
O bramante do Pavo com doze
palmos de largura.
Vende-se bramante de linho puro, muito fino com
doze paimos de largura o melbor e mais largo que
tem vindo ao mercado pelo barato prego de 25800
rs.a vara -, s na loja do Pavao de Gama"& Silva,
aua da Imperatriz n. 60.
As precalas do Pavao.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
oelo barato preeo de 600 rs. o covado, ditas de lis-
irinha muito miudinhas proprias para vestidos e
roupas de meninos e meninas pelo barato preco
de 500 rs. s o Pavio ra da Imperatriz n. 60,
loje de Gama A Silva.
' Os balfies do Pavao.
Vendem-se crinolinas ou bales de 30 arcos tan-
brancos como de cores, sendo americanos que
gao os melhores por se nao quebraren! a 35500 e
JVok -rc9S a i5, ditos de inusselina com baados
lx ditos nara menina a 25 e 35 : na loja do Pa-
Tao*ruaT. tapera.ru n. 60, de Gama 4 Silva.
0 Pavo vende a o*.
V-ndem-se os mais lindas cortes de vestidos a
u*rU Pia com lindas barpas de seda, sendo ene-
jados pel ultimo vapor francez pelo barato prego
Ei5 cada um : s na loja do Pavao ra da Impe-
atrreO.deGama&lva.
Os bal*e Pavio.
i 21500 s o Pavio.
Vende-oe baldes com 20,25 e 30 arcos pelo ba-
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa,
e 4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e lo,ooo rs. a
caixa com 1 duzia.
Alfazema muilo nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o a libra, e 4,6oo rs. a arroba.
Bolachinbas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguinles qualidades: aguae
sal doces, e imperiaes em latas de 6 li-
V* libras a 1,5oo
rs. eemlibraa 64ors., estas bolacbinlias
torna-se muilo recommendavel com es-
pecialidade para os doentes.
Biscoitos e Bolacbinhas de soda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bollos francezes em car loes e de diversas
qualidades a 6o rs. cada um.
Banba de porco verdadeira refinada a 4oo{
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Btalas novas a 160rs. a libra.
Bolachinbas nglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem vindo a nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo, l,5oo rs. a garrafa in-
leira, e 8oo rs. as meias
Cha uxim o melhor que se pode desejar e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
dem perola especial qualidade a 2,0oo e
2,8oo rs. a libra, garante-se a qualidade
d'este cha
dem hysson o melhor que possivel en-
contrarle a 2.4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2oo el,4oo rs. a libra.
dem preto muilo lino a I.lioo rs. a libra
Chocolate das inellwnes qualidades, francez,
hespanbol e suisso a l,ooo, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos l-'ur-
tado de Simas em 'j caixas das seguin-
les marcas Pariziences, Suspiros, Dili-
cias, Napoleese Guanabaras a 2,3oo rs.,
eem caixas inleiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muitos fabricantes e de
differentes marcas para l,5oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a l,Coo, 2,ooo e
3,ooo re. as caixas inleiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das meiores marcas a l,ooo
rs. a garrafa e lo.ooo rs. a duzia.
dem francez suporior qualidade 8oo rs. a
garrafa e 9,uno rs. a duzia.
Cominho e Erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canda a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
'ion rs. cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 32o rs. a li-
bra, e 8,8oo e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 6oo rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a Too rs. a lata.
dem se ceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinba de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em'caixtnbas muito bem enfeitadas a
a 1,000 rs. cada urna.
dem em latas ermiticamente lacradas a
1,5oo e 2,5 m) rs. cada urna.
dem em caixas de / arroba a 2>5oo rs. ca-
da urna, e2oo rs. a libra.
Graixa muilo nova a loo rs. a lata e l.ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,ooo rs. e 56o rs. o frasco.
dem de laranjaa l.ooo rs. os frascos gran-
des e 11,000 rs. a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da urna.
dem em garrafes de 16 garrafas a l,8oo
rs. com a garrafao.
em caixinhas sortidas a 3,ooo e 3,5oo rs.
cada urna e 5oo rs. a libra,
dem macarro, talerim e aletria a 4oo rs.
a libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um.
Molho inglez em garrafinhas com rolbas de
vidro G4o rs. cada urna.
Marrasquino verdadeiro de Zara a l,ooo rs.
a garrafa, lo.ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Nozes muito novas a lo rs. a libra.
Prezunto de fiambre superior a Goo rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corana, govas, pescadinhae
outros a l.ooo rs. a latas.
Paulos para dentes a 14o e 16o rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs. a libra.
e 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a groza, 2oo rs. a
duzia, e 2o rs. a caixinhas.
Queijos flamengos chegados nesle ultimo va-
por, a
dem prato muilo fresco a 8oo e Ooo rs.
a libra.
dem suisso a melhor qualidade que al bo-
je tem vindo ao nosso mercado a 8oo rs.
a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Serveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
duzia, e 5(o rs. a garrafa.
Sardinba de Lisboa e A'antes em quartos e
meia latas a 38o 58o rs. cada nma.
Sag mnito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevadaa loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a arroba.
Traques de 1.a qualidade a 8.5oo rs. a cai-
xa, e22o rs. a carta.
Toucinho novo de Lisboa a 24o e 32o rs. a
libra.
Tijolloparalimpar facas a loo rs. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs. a garrafa.
dem"do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a Goo rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco nao levando com-
posicao a 5Go rs. a garrafa, e 4,ooo rs. a
caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a.gar-
rafa, e 4.000 rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
rs. a caada.
dem Bsrdeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs- a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a l,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d pre-
juizo e s se encontra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu-
lar, malvasio fino, D. Pedro V, D. Luiz
I, Nctar e outros a 9,ooo e lo.ooo rs.
a caixa e 9oo a l.ooo rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a l.ooors. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oo rs. a caada,
dem em garrafes com 5 garrafas a l.ooo
rs. com o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna
dem de escova para esfregar casa 36o rs.
cada urna.
Ve I las de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composicao a
36o rs. a libra, e de lo.ooo a 11,ooo rs. a
arroba.
AGENCIA
DA
FUNDICAO DE L0W-M00R.
Ra a Senulla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engeoho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamaitos para ditos.
Arados americanos e machinas para
Seto ^tmenlo abalos para meninas de to-
S tamanhos pelo baratissimo prafo de 25500,
d0?*to JS a bales de arcos os melhores que
notando que w insto*. endem-se por este
d0S 2S5 ocesTearcos os melhores
Sndoda America Ingta ?ndemr'^ e0'6*,1! lavar roopl: em casa de S. P. Jotraston i C,
___.. llnniAar S na WJ O laieiu uu i___a_ a_____ _____la
Empreza da iUuminatlo
gaz.
Todas as vendas de apparelbos e reclamacoes
(por eseripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem da ra do Imperador
n. 31. Os machinistas mandados para atlender a
esta*, apresentarao um livro que os reclamantes
devero assignar logo depois de prompto o servico
reclamado ; isto para que a empreza fique sciente
de naverem os meamos sensores sido devidamn-
te aUendidos.
Ferros para oiirlves.
Na roa larga do Rosarlo n. 24, loja de ourives,
vendem-se todos os ferros o utencilios de ourives.
PARA BEM DE
FAZEI FAVOR DE LR ESTE ANNUNCIO

da economa domes-
0 assumpto
DESCOBKIO-
0 verdadeiro e principal r-
tica que se vai tintar.
-
importante.

SE \ FI.VUj
niazem de molhados o do


\ingtieni contestar esta verdade.
A fama far correr esta noticia.
A posteridade beindir o nome do Baliza.
Actualidade Batei palmas de contentamente!
TTOKf &
Sem mitras nem coras para ornar a fachada de seus annuncios, e as portas do edificio em que habita, o Baliza se
contenta em tomar o seu lugar de honra na vanguarda de todos os homens do pi ogresso.
Sopre embora o maldito Clarim, o seu toque- de retirada a marchc-marche do desacreditado Progresso; arme a tenda
dos falsos apostlos da sinceridade no tratro, da realidade na pratica dos negocios commerciaes. revele finalmente a sua
grande nsobordinacao fingindo desconhecer os seus superiores, deixando-se ficar sentado, em vez de perfilar-sc e fazer a
continencia do estylo, porque o incansavel Baliza sempre fiel ao seu juramento ter continuamente na melbor ordem todo o
seu trem de guerra e no mais complecto movimento, o seu prcslimo para bem servir, desde o mais simples cantarada al
o mais alto general da primeira classe do exercito dos seus constantes freguezes.
Entremos na materia :
SENTIDO!
OKIlin DO IIIA.
Desde a 1.a publicago deste annuncio at segundo aviso Manoel Pedro de Mello, proprielario do grande armazem
do Baliza estabelecido ra do Livramento ns. 38 e 38 A vender a todos os seus freguezes.
Cinco por cento menos
que qualquer dos seus amaveis collcgas que por menos annunciar. Qualquer objecto que nao chegue a contento dos se-
nhores compradores, pqde ser devolvido ainda mesmo pelas pessoas que morarem no centro da provincia.
0 dinheiro recebido pelo gener0 que nao agraciar ser restituido sem constrangimento algum.
Declaraco importante. X
falso o boato que tem feito espalhar o soldado soprador da ra do Queimado de que se acba o Baliza associado
ao armazem Unie Mercantil aberto a ra da Cadeia do bairro do Recife. U.)
A liga entre os collegas um crime de lesa-povo.
E entre-tanto o Baliza ligueiro.
Ligueiro sim das ideas liberaes dos progressistas de todo o universo aos sentimento mais ntimos de seu coracao.
Deste modo de pensar ser o Baliza eternamente conservador. {'
wr^2

GRANDE LIQUIDACAO
DE
Na loja da ra do Crespo numero 17..
Aproveiem todos.
O proprielario deste importante estabelecimento vai Europa comprar fazendas de
apurados goslos para melhor servir as Exmas. senhoras, razo porque est vendendo fa-
zendas baratissimas.
Cortes de rico blonde para casame'nto a 905, soutembarques pelos muito importante
a 205. 2oie285, manteletes pretos a 205 o 2S5, capas pretas importantes a 3;5 e 'i(5,
rapas de casemira de cr a 185 e 255, soulembarques de casemira a 105, chapeos de pa-
Iba copa redonda, veos brancos a 155, cortes de la muito apurado gosto a 75. corte* de
la com barra a 105, 1-5,135 e 205, cortes de cambraia brancos burilados a 25'5 e 305, r|
chitas de todas as qualidades francezas e inglezas a 320, 3G0, UO e 300 rs., bramante de w^
linho muito lino pecas de 25 varas a 205, 245 e 235, bretanha de linho muito fino a 185 1
e 205 pei'as de 2o varas.
Madapoloes linos a85,95,105, 115 c 125.
Cambraias lisas com 9 palmos.de largura a 25o00 a vara, pecas de 8 1(2 varas a
55, 05, "5, 85, 95 e 105.
Para o Club Pernanabucaao.
Filinete circassiano fazenda de muito apurado gosto para vestidos, proprios de parti-
das e de bailes e muito recommendavel por ser muito apreciada em Coustantinopla. E'
admiravel o seu bom gosto.
NADAifcOLEOntFKJ VDOokBACALHAO
XAROPE DE RBANO IODADO
Segundo os attestados dos mdicos des bospiue de Parix, cunsignados no Prospecto, e a approvacao
de ron'oi Acadmicos, ate Xarope emprega-se com o malor succesao, em lugar do OLEO PE FIGADO DE
BACALHAO. aoqual rilerealmente superior. Cura as molestias de pelto, as escrfulas, a lympbatismo, a
pallidei e mollera das carnes, as perdas d' appetite, e regenera a consUtuicno purificando o sangue. Em
tumma o mais poderoso depurativo conhecido. Elle nunca canea o estmago ou os intestinos como o
oduro de potassium e o loduro de ferro e administra-se com a malor efllcacidada aos meninos sujeitoa
aos humores ou ao entupimento das glndulas. 0 Domar curaavr, do hospital de San' Luis de Taris,
o recommrnda d'um modo inteiramente particular as molestias da pclle, conjunetamente com as pilulas
|ue teem seu nome.
Depsito geral -. em Prtx, en cata de MM. Grimaait c c, pharmaceutlco, 7, ra de la Feuillade
a> Lisboa, en casa de Radris *m Coiu cr.iii ; no Porto, en casa de Miguel Jas *e saas*-
rarrclra; em o Rio-de-Janeiro, tuva Prlxala Dll, ra do Sabio, 11; em Baha, en casa de
Jaa-Caetana Ferrrlra-Enplnbrlra; em Uio-Grande, t 0*1* de Jaa^ala ae Goaay ; cm Mara-
kio, en cata de Fcrreira e c-; em Pernambuco, shauai o, roa da Crus, 32 saa, e as principaea
harmacias do Brasil.
Deposito geral em Pernambuc ra da Cruz n. 22 emeasa de Caros & Barboza.
BA DO QUEIMADO NUMEBO 11
Loja de fazendas d' Augusto Frederict dos Santos Porto
Chapeos para senhoras.
Chegaram de Pars as mais lindas chapelinas e chapos de palha da Italia para senhoras.
Ricas capas e souteuibarques de seda preta e casemira de cor rara senhoras.
Corles de superior tnorentique branco para vestidos de noivas.
Camisas inglezas muito superiores para homens, peitos, punhos e colarinhos de iinho.
Chatios de seda para cabeca e chapeos de sol d seda inglezes.
Lencos de labyrinlho franr-7.es a 15 cada um.
Camisas de menino muito superiores.
Cortes de la de barra para vestidos de senhoras de 135 a 18-
A uiestna loja tuui o inaior e mais superior sortimento de
ISstelras para salas.
Neste estabelecimento encontrarao os senhores que precisaren) forrar suas salas nm esleirs
otda e qualquer quantidade que desejarem de 4, o e 6 palmos de largura, sendo a qualidade muito
superior e por mdico preco. i
ARMAZEM DE FAZENDAS
DE
Custodio, Garvalho & Companhia.



9 RA DO QUEIMADO 9
Superiores satos de fusto para senhoras a 55.
Toalhas de linho para mesa a 35500 e 45.
Lencinhos para meninos um 100 rs.
Lencos brancos para algibeira a 25 a duzia.
Toalhas para mo duzia 45.
Bramante de linho vara 25.
Fil de linho liso vara 500 rs.
Grande pech lucha.
Pecas de entfemeios bordados a 15.
Tiras bordadas a peca 25.
Gollinhas de cambraiaa 600 e 800 rs.
IACIIS[\VSI)EPATEME
de trabalhar ni So para
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OUttl
Estas machinas
podemricscarcpar
QualqtH>f especie
de algodao sem
H estragar o lio.
sendo bastante
duaspessoas para
otrabalho; de
descarocar urna
arroba de a!po-
da o em caroco
em 40 minntof,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodo
inpo.
Ksia machina
a nica que
possue as vaniagens de nao destruir o fio do al-
godo e de fazer render o dobrode qoalqoer ou-
tra com menos trabalho, a sua Btroooceao para
as provincias duste imperio ser de muito va!ot
para lodos os inlcressados na lavuura -i paiz.
Assim com machinas em ponto grande do mes-
mo systema.oraql serem movidas por animaos
agua ou vapor, pas uaes podem descarocar 18 ar-
robas de algodo ampo por dia.
O algodio descarocado por estas njehinaa iem
muilo mais csiiiiiacao nos mercados de Europa e
vende-se por maior*p reco.
As machinas se achara venda nnicamenie em
casa de
Sanndcrs Brothers & C.
X. II, praca do Corpo Manto
RECIFE.
Os nicos agentes neste" paiz.
ou fina a volitarte do comprador
Na ra do Rangel n. i vende-se o verdadei,
ro papel de linho hespanhol, e de palha de midi-
la nto em porcao cono a realho, e de todas as nuis
qualidades para o fabrico de cigarros; charutos da
Baha muito bons a 25 a caixa ; a elies, que eslo
a acabar-se.____________________________
Vendem-se o brigue nacional Atoro Atmsrmt--
U, prompto navegar, construido de boas madef-
ras, e forrado de cobre : trata-se com os consigna'
Urios Marques, Barros 4 C, largo do Cerno Santo
numero 6.
Vinho do Porto saperiar
em caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
der Antonio Luiz de Oliveira Azevedo& C, no seo
oscriptorio ra da Cruz n. 1._______________
Farinba de mandioca superior
em saceos grandes: vendo Antonio Luiz de OlifV-
ra Azevedo & C, no seu escriptorio ra da Cruz
numero 1.______________________________
Vende-se o sitio da travessa dos Remedios,
freguezia dos Afogados n. SI, no estado em que se
acba : qoem o pretender, entenda-se com o seo
proprielario Caelano Pinto de Voras, na ra de S.
Francisco, sobrado n. lO.como quem vai para a ra
Bella.
A 4JJ000 a peca.
Vendem-se pecas de algodozinho com pequeo
loque de avaria, proprio para roupa de escravos e
toalhas, pelo barato preco de 45 a peca : ra do
Queimado n. 14.
Trina, velantes e gales.
Vende-se trina, volantes el gnlSes de todas ae
larguras por precos muito barato: s no vigilante
ra do Crespo n. 7.


Ularl* e lera
-1>r?a
felra 1 de Jiilh e Sfl4.
k
Largo da
'Santa Cruz
numero
12 e 84.
Esquina da
ra do
Sebo n. 121
e84.
GRANDE ALLMCA
NEM COROAS NEM MITRAS
BBILU4NTE
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Paulo Ferreira da Silva & Companhia
Grande sortimento de molhados em grosso e a retalho. nico armazem que mais
vantagens offerece ao publico.
U'ROR.l BRILHANTE
GRANDES ARMAZENS DE MOLHADOS.
Francisco Jos Fernandes Pires proprietario dos armazens de molhados denomina-
dos Brilhante Aurora e Aurora Brilhante, ao largo da Santa Cruz ni. 12 e 84 (esquina
da ra do Sebo), faz siente ao respeitavel publico desta eidade e do interior que nos
seus importantes esubelecimentos vender sempre gneros novos e de primeira quali-
dade e Tender a todos pelo mesme preco.
O completo sortimento de todos os gneros finos e grossos que costumam ter outros
estabelecimentos desia ordera se eoconlraro sempre nos armazens da Brilhante Aurora
e Aurora Brilhante e sempre em grande escala a vontade dos Srs. compradores.
O proprietario dos armazens Brilhante Aurora e Aurora Brilhante pede a todos os
senhores e senhoras que quando tiverem de mandar suas relacSes a esto estabelecimen-
tos por seos criados seja em carta fechada ou com grande, recommendaco a estes arma-
zens, cortos de qne sero to bem servidos como se viessem pessoalmeote.
A Brilhante Aurora e Aurora Brilhante troca qualquer um genero qne por acaso
nao asxade recebe as libras esterlinas a 9J,sendo por compra: a tabella de sets gneros
ser mudada todas as semanas.
Amendoas confeitadas parasortes a libra 1>.
Hanteiga ingleza tlor a 800, e 960 rs.
Dita mais abaixe a 640 e 720 rs.
Dita franceza nova libra 640 e e ii barril a
600 rs
Vinbo muscatel duzia 10 e garrafa 15.
Dito brauco proprio de Lisboa caiiada 4*1800
e garufa 640 rs.
Vinbo braneo de muito boa qnalidade cana-
da 4J garrafa 480 rs.
Chocolate sant muito novo 1*200 a libra, j Dito Xerez lino a caada 7*500 e garrafa a
Cha perola o melhor que ha ( redondo) a
libra 3*200.
Dito dito mais abaiKO a 2*500 e 2*800.
Dito uxim muito fino a 2*800 e 3*.
Dito hysson superior a 2*600 e 2*800.
Dito mais abaixo a 2* e 2*500.
Dito preto muito fino a 2*300.
Dito em massos a 2*.
Dito do Rio em latas de 4, 2 e 1 libra a
1*500.
Caf de moca superior arroba 10*300 e li-
bra 400 rs.
Dito do Rio e do Cear arroba 9*500 e libra
320 rs.
Dito mais abaixo arroba 8*300 e libra 280.
Barricas com bolachina ingleza ingleza nova
a 3*.
Latas com bolachinha de soda de 5 libras
a 25300.
Ditas com ditas sortidas de 2 libras a 1*400.
Frascos com ameixas francezas s o frasco
val o dinheiro a 2*800 e 3*.
Latas com ditas a 15400, 25200 e 45.
1*200.
Dito Madeira seca caada 105 e garrafa 2*.
Dito em caixas de urna duzia do Porto dos
melhores autores a 12*, 14* e 16*.
Garrafas com licor lino fraucez e porluguez
al*.
Ditas com vinho de caj muito claro a 1*.
Ditas com inel de abelha puro a 1*.
Frascos com genebra de Hollanda de 2 gar-
rafas a i*.
Dito du una garrafa a 360 rs.
Dito de laranja verdadeira a 1*200.
Duzia de (,'raxa latas grandes a I*.
Caixas com 25 massos de velas de sperma-
cete a 560 rs. a libra.
Ditas maiores a 600, 640 e 720 rs. a libra.
Caixas com urna arroba de velas do Araca-
ty 10*300 e litira 400 rs.
Ditas de composicao arroba 10*e libra 360
Saceos grandes rom fariuha deGoiannamui-
to boa a 5*300.
Dito de l'orto Alegre melhor que de Muri-
beca a 65-
Ditos com milhonovo com 24cuias a 4*000
farello de Lisboa 120 libras a
Ditas com figos de comadre a 1*500.
Caixinhas hermticamente lacradas eproarias Dito com
liara mimo a 2* e 2*800. i 5*500.
Caixinhas com ditas a 1*, 2*500 e 5* de Dito com arraz de casca a 5*500.
arroba. Duzia de garrafas de serveja branca e prela
Presunto de La mego muito novo a libra 560' a 55800 e em barricas a 5*300.
rs. inteiro e a retalho 600 rs. Arroz du Haraauao um sacecs arroba 25600
Chouricas e paios novos a libra 800 rs. le libra 100 rs.
Latas com ehoorcase lingaicas novas vin- Dito da India e Java arroba 3* e libra 120.
das neste vapor com 9 libras por 6*500. Ararula verdadeira arroba 8 e libra 320
Pitas com |>eixe ensopado de muitas quali- rs., niatarana.
dades a 15-
Gommado Aracaly para engommar arroba
3*e libra 160 rs.
Tapioca ou farinha do Maranhao nova libra
160 rs,
Ervilhas seccas muito novas libra 200 rs.
Sag e sevadinha a 240-rs.
Sevada arroba 352;.0 e libra 120 rs.
Graxa de bocio 97 a 280 rs.
Sabao massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito hospaaaol verdadeira a 400 rs. a libra.
Balaios do Porto diversos lmannos de 320
a 2*.
Capachos para portas de varias cores a 600,
700 e 800 rs.
Grao de bien arroba 4*500 e libra 160 rs.
Paiaco arroba 55500 e. libra 200 rs.
Milho alplsta arroba 4*800 e libra 160 rs.
Azeite doce do Lisboa garrafa a 610 rs.
Vinagre de Lisboa caada 1*500 e garrafa
200, 240 e 320 rs.
Massos de palitos de dentes com 20 massi-
nhosa 160 rs.
Tijolos de limpar facas a 160 e 120 rs.
Caixas com 40 cartas de traques a 9*500 e
a carta 280 rs.
Resmas de papel al maco pautado a 5*.
Ditas com ervilhas francezas e portuguezas
a 880 rs.
Ditas com feijao verde francez a 800 rs.
Ditas com massa de tomate novo libra
560 rs.
I litas com ostras a 720 rs.
uilas com marmelada dos melhores autores
de Lisboa a libra 640 rs.
Potes com mustarda franceza preparada a
libra 480 rs.
Frascos com conservas de pepinos, mexides
e azeilonas verde a 15-
Dila dita franceza a 800 rs.
(jigos com trinta e tantas libras de batatas
novas a 3*500.
Queijos novos do vapor a 35280 e 3*300.
Ditos de pralo implicado a 1*.
Dito suisso a 800 rs.
Dito de manteiga do Serid a 800 rs.
Caixas com passas novas de 1 arroba 7*,
meia 35500 e quarlo 2* e libra 480 e
640 rs.
Amendoas com casca a libra 240 rs. c arro-
ba 6*.
Nozes libra 160 e arroba 5*.
Caixas e meias ditas com charutos finos da Dilogrere liso o melhor que ha a 45300.
Bihia dos melhores labricantes de Jos Dito de peso e pautado a 2*500 e 25800.
Furtado de Simas, Reis e outros, sendo Garrafoes com 25 parraras de verdadeira
Suspiros, Parisienses suspiros, Delicias, genebra de Hollanda por 8*500.
i Normas de Havana, Exposir^ao, Almiran- Azeite de coco carrafa 560 rs. e carrapato
tes, Ilarate.iros, varetas, Guanabaras, Re-1 360 e caada 25360.
galia imperial, Acadmicos de Olinda, Se- Caixoes com doce de goiaba a 640,800 e 1*,
nadores e Apraziveis de 1*500 a 8* a cai- Toucinho de Lisboa arroba 8*500 e libra
xa de 50 a 100 charutos.
Grozas de caixinhas de palitos do
25200 e 200 rs. a duzia.
Barris com azeitonas novas a 3, e
ris grandes.
Vassouras do Porto piassava muito seguras
a 400 rs.
4zeite toce francez dos melhores fabrican-
tes caixa 105e agarrafa 1*.
gaza
bar-
320 rs.
Dito de Santos arroba 7* e libra 280 rs.
Molhos com grandes ceblas a 1*600.
Cento de dita solta a 1*500.
Mauncos de alhos a 240, 320 e 400 rs.
Esteirasde varias qualidades.
Gordas de postar de andamie.
Favas da i I ha de S. Miguel arroba 3*109 e
libra 120 rs.
Caixas com vinho Bordeaux braneo e tinto Copos lapidados para agua e vinho a 3*500,
S. Julien, S. Eslife c outros a 7*500 e 8*.
Vinbo do Porto fino em barris de 5o que ra-
ras vezes apparece por 80* e em caada a
5*500 e garrafa a 800 rs.
Dito da Figueira puro caada 4* e 4*500 e
garrafa a 480e560rs.
Dito de Lisboa de l>oa marcas a 3*300 e
5*800, 6* e 7*.
Ditos lisos para varios precos.
Calix lapidados grandes e pequeos duzia
3,4 e 55 ; e 400 e 500 rs. cada um.
Massas para sopa ruacarrao, talbarim e ale-
tria a 480 rs.
Estrelinha e pevide libra 860 rs.
Xaropes de fractas nacionaes a garrafa
500 rs.
4* e a garrafa a 440 e 480 rs.
Cognac vi-rdadeirn a garrafa 1* e 1*280.
!E muitos outros gneros que nao possivel men
ciona-los todos de primeira qualidade.
) A satisfarn da Brilhante Aurora e Aurora Brilhante vender mnito embora bara
] to, mas a DINHEISO.
No armazem de Careads baratas de
Sanios < oela, ra d Queiruado, n
19, vende-seo seguate*
Atteaeia.
L&azinhas.
Ricas ISazinhas para vestido, fazenda a melhor
que tem viudo ao mercado, tanto em gosto como
em qualidade da fazenda, pelo baratissirao preco
de 560 rs.. o covado.
Laazinhas miudinhas carmezins, proprias para
vestidos de meninas, e camisinbas a 640 o covado.
Cortes de la com 13 covados pelo baratissirao
preco de 6*.
Gjbertas de chita da India pelo baratissimo preco
de 2*500.
I..-m;...-s de panno de linho a 2*.
Lancoes de bramante de linhe fino pelo baratissimo
preco de 3*200.
Bramante de linho fino com 10 palmos de largura
pelo baratissimo prec-> de 2*500 a vara.
Atoaihado adamascado proprio para tonina de mesa
a 2*000 a vara.
Carabraia de forro a 2*600 e 34*00.
Gnardanapos adamascados a 3*800 a duzia.
Tdalhas alcochoadas proprias para maos a 5* a j
dazia.
Cortes de calca de ganga amarella de bstras :
de quadros, pelo baratissimo preco de 1*200 #
orte.
Cambraia adamascada com 20 varas, propria
para cortinado, pelo baratissimo prego de lOfOOO
a peca.
Ricos cortes de la Mara Pia pelo baratissimo
preco de 18*.
Pecas de cambraia de salpicos com 8 1|2 varas!
pelo baratissimo preco de 4*.
Pecas de platlha de algodo com 10 varas, pro-:
pria para saia a 4*200.
Esleirs da India, proprias para forro de sala,
de 4,5 e 6 palmos de largura, por menos preco do (
que em outra quulquer parte.
Neste armazem tambera se encontrar um gian- i
de sortimento de roapas fcitas, e por medida.
Desenganem-se todos.


ii o Alllanca o verdadeiro hornero do progressso.
K o Hilanza o verdadeiro e principal armazem de molhados.
K Alllaaea o armazem trae vende mais barato.
o Alllanva o armazem que vende os melhores gneros.
K o Allianca o armazem onde preside o melhor aceio.

Fiquera todos sabedores desta vprdade,
Venham todos ra do Imperador n. S7.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
PARA AS FESTAS
DE
S. JOO
de bonitas cor
Amendoas confeitadas
8oo rs. a libra.
dem de casa muito nova a 3oo rs. a libra.
Aveia* a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a i,2oo, I,4oo e 1,600 rs. cada
urna.
dem em frasco de vitlro com rolha do mes-
mo ou de metal, a l,2oo e l,4oo rs. cada
um.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada
um.
dem em latas de I l,'t e 3 libras a l,2oo e
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranhao o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,4oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a Goo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e lo.ooo rs. a
caixa com I duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o rs. a libra e i,6uo rs. a ar-
roba
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio das seguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e de 3 '/>libras a t.Soo rs.
e em libra a 04o rs., estas bolachinhas
torna-se muito recommendavcl com espe-
cialidade para os doentes.
Biscoilos e Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em carines e' de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 16o rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem vindo ao nosso mercado a
I8,ooo rs. o gigo e t,5oo rs. a garrafa
inteira, e 8oo rs. as meias.
Cha uxim o melhor que se pode desojar, e
que oulro qualquer nlo vende por menos
de 3,ooo a 2,Too rs. a libra.
dem perola de esp eial qualidade a 2,6t>o e
2,8oo rs. a libra, garante-s a qualidade
d'este cha.
dem hysson o melhor que possivel encon-
trar-se a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a I,2ooe l,4oo rs. a libra.
dem preto muito fino a l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hspanhol e suisso a I.ooo, l,2oo e I,loo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em l caixas das seguin-
tes marcas: Parizienses, Suspiros, Dili-
cias, Napoleoes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muitos fabricantes e de dif-
lerentes marcas para 1,5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a !,6oo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac ingle/, das melhores marcas a l,ooo
rs. agarrafa e lo,ooo rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 8oo rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Oravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a I.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a u.ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,8oo c 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiabs a 6oo rs. o caiio.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
I,ooo rs. cada urna.
dem em I?tas ermiticamente lacradas a
l,5oo e2,5oo rs. cada urna.
dem em caixas de */ arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e I.ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12 j
frascos por.6,000 rs. e 560 rs. o frasco
0
GRAHIIB IRMAKElif
DE
_
E S. PEDRO.
I dem de Hollanda em garrafoes com 24 gar-
rafas a 7,2oo rs." com o garrafo.
Lentilhas excellente lgame para sopa e gui-
zados a 2oo rs. a libra. 1
Licores francezes de todas as qualidades a
800 e l.ooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800
e 96o rs. a libra.
dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
a libra, e 58o rs. em barris inteiros.
Marmelada especial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 600 e 6&0 rs. a libra, ha
latas de differentes tamanhos.
Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o
rs. cada urna.
dem para soda estrellinlia, pevide e rodinha
em caixinhas sorlidasa 3,ooo 3,5oo rs. cada
urna e 5oo rs. a libra.
dem macarro, talbarim ealetria a 4oo rs. a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a ioo
rs. cada um
Molho inglez em garrafmhas com rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafa, lo,ooo rs. a caixa com 1 du-
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Prezunto de fiambre superior a 600 e 800
rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. 1 libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
oulros a l,ooo rs. a latas.
Palitos para dentes a 14o e a 16o rs. o mas-
so dos melhores.
Patnco o mais novo e jimpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4,000 rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor, a 3,ooo
dem prato muito fresco a 800 e 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que al ho-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes de vidro a oo rs,
cada um.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e 060 rs, a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
roba.
Traques de 1.a qualidade a 9,5oo rs. a cai-
xa, e 24o rs. a carta.
Toucinho novo de Liiba a 2o e 32o rs. a
libra.
Tijolo para limpar facas a loo rs. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
RIJA DO IMPERADOR ". 411
Junto aa sobrado em qae mora a Sr. Osbarne,
Para a festa de Santo Antonio, S.J0&) eS. Pedro.
Dnarte Incida A C, receberaav ale sua propria
da o mais lindo e variado sortimento de molhados,
da presente esta?3o.
Manteiga ingleza
da safra aova vinda neste vapor de 28 de
nvaio a 800 rs. a libra.
Hanteiga franeeza
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril
a500rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas coros a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2(>400, muito propios para mimos.
Cartoes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1,5300.
Chocolates
de todas as qualidades a l#OO0 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2iJ6oo.
Qneijosj
chegados no ultimo vapor ;j 2600 cada um.
Queijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excdante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente dotiradas,
proprias para mimos a 900 e 1I200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro j
qualquer nao pode vender por menos de
! 3 a 2SG00.
Idcui perola
especial qualidade a 26700 rs. a libra.
dem tiYsson
o mais aromtico que *tem viudo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macan ao, talharim e aletria a
480 rs. alibra.
(Oi\AC
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo
Macan brancas
para sopa a melhor que se pode desojar.
macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e i 4500 a caixa.
Vinho
I Figueira J A A e outras muitas ureas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa,
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melaores fabri-
cantes da eidade do Porto a 10 e 14200
a garrafa e de 10(5 a 124 a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisso FiUtn,
F. A M., Nctar ou vinbo dos Deozes,
lagrimas do Donro e outros muito#.
Latas
com 10 libras de banha a 44000.
Bolachinha ingleza
a 15800 a barrica da mesma que por ahi
vendem a 24000 e 24400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120 rs.a libra.
Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mar-
cas de 4,5500 a 64500 a duzia.
CHARUTOS ""-v
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros er5
meias caixinhas a 15500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-
roba desses que vendem por 34400.
CAF
de 1 e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a WMI
e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libra.
--------------CUurrafSes
com 4 V* garrafas com vinagre a 15000 com
o garraf3o.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 15000 o frasco, e de 114000
a caixa.
DEM
:em frasqueiras de Hollanda a 55800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 6oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palilos Uo gaz a 4,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas quaida- unos de todas as qualidades, a lo.ooo acta
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPOS
com urna duzia e a l,oos a garrafa.
Marmelada
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a dos me|hores fabric,nles de Lisboa, como *-
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
menos condecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 6oo rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando com-
composico a 56o rs. a garrafa, e 4,ooo
rs a caada.
dem braneo de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Rordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1.2oo rs a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d
prejui/.o e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto era caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do l)ou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Vellio Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz i, Nctar e outros a 9,ooo e lo,ooo
rs. a caixae 9oo e l,ooo rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a I.ooo rs. a garra-
fa, e lo,ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lislia a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
dem em garrafoes com 5 garrafas a 1 .ooo
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
do excellente qualidade a 25200 a resma,
PAPEL
azul e pardo para embrulho de 1 ,4uo a 2,2oo
rs. a resma.
Corinthias
jam Abreu e outros muitos a Ooo rs. a
libra.
Prezunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3.000, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a P6o r>.
a libra e em caixa ter ahatimento.
VFI \S
passas corinthias muito novas proprias para de ^^ em ^^ de ^ 0 ^
podim
a 8oo rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
1,4oo rs. a libra
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran- cada urna.
des e U.ooo rs. a caixa com \i frascos. I Velas de espe-macete superiores a 56o rs.
dem d Hollanda em botijas a 4oo rs. cada a libra, e 52o em caixa.
urna. i dem de carnauba refinada e de composic3o
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo( a 36ors. alibra, e de lo,ooo a H.ooors.
rs. com o garrafo. [ a arroba.
Algoil
da Baha
para saceos de assncar e roupa de escravo; tem
para vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, no seu escrlptoljo ra da Croz n. 1._________
~~ua~da Senzalla Nava a. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 410 rs., idemdeLoi
Moor libra a 120 rs.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor q na lid de a 124
a lata e em lotes de 10 tatas para cima se
far abatimento. no armazem da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
Hhi da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P Johnston d C.,
sellns e silhes inglezes, candieiro* e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montaria, arreios para
carros de nm e dous cavallos. e relogios de
onro patente inglez.
Na ra de Apollo n. 32 ha um grande sorti-
ment de marmore para ladrilho, sacadas, hom-
ftreiras n degrao? de 8, 9 e 10 palmos de compn-
do e 2 112 do largo, folhas de marmdr proprias
para tampos de mesas e para turna los, vasos gran-
des para jardim. ou para ornar tmalos, por pre-.
to? muito measeis J
Charutos de Havana
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schafleitlin & C, ra da Cruz n. 42.
At que ehegou
um grande sortimento de bico e renda preta de
novo rnM chamado (guip) o mekW que se
pode desejar neste artigo e que se vende milito ha-
rato : na loja do galio vigilante ra do Crespo
n. 7.
_abnca Conceitfio da !_
Bahia.
Andcade 4 Rege, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algodao d'aquel-
la fabrica, proprio liara saceos. de assu- ^
car, embalar acodan empluma etc., etc., f
; pelo preco mais razoavel. |gf
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novan
em caixas de 2 arrobas a 55 a caixa e 60 r>.
a libra.
Passas muito no>a*
em quartos e inteiros a 2 o quarto e 6*500
a caixa e 400 rs. a libra,
Chocolate
portuguez o mais especial me se podo d1-
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa! seJar a ^2? rsla '**)ra e **_rs- P*-
e l,ooo rs. o molho. i Frutas eaa calda
Alnictn a PoWn chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
ilipiSUl ItllIiyU outros muitos a 640 rs. a lata,
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra, Dsce da casta i *ba
e 4)$400 a arroba. a 600 elfo caixe.
Os proprielarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaran aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos cs-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
l'iiiao e Gommercio ra do Qneima^a a. 7
0 Verdadeiro Principal roa da Imperador a. 40
MOMENTO
BAIRRO DO RECIFE, RA DA CADEIA N. 5ft
0 mais novo e o melhor
Esquina defronte da ra da Madre de Dos

&nmwm@ ?
Antonio da Silva Campos, suceessor do antigo Nascimeoto defronte do boceo Largo, bem co
nheeido j nesta praca, acaba de transferir o seu estabelecimento para a casa cima indicada, onde
os seos benvolos amigos e fregnezes, bem como o respeitavel pnblico em geral encontrara* o majs
variado, escolbde e melhor sortimento de molhados, a par do aceio, elegancia e bom rgimen do esta-
belecimento.
O annnnciante, tendo foito urna completa reform no tocante a casa e gneros, ponom boas
correspondentes na Europa para remessas de conta propria, acha-se convencido om merecer a pr-
iecf ao de todos os amigos do bom e barato, a qaal desde ja reclama, asseverando-lbe* que jnai sW-
merecer a cooflan^a com que se dignaren) de o honrar.
Em resumo, visite o respeitavel publico o novo e superior armazem Movimento, rowpre-lhe al-
guns gneros, e entao Ocar convencido da realidad? do presente aviso, verificando por si mesmo que
nenhum outro estabelecioientoo serve melh'or que este, seja em commodidade de precos, agrado e
delicadeza, ou legalidade de pesos e medidas. -
Finalmente, todas e quaesquer garaoas que estabelecimentos idntico teent oAtrtciSt n
conrorrente, erad masadas neste em grao maior.
Farello e milho.
Nos armazens da brilhante aurora e aurora bri-
lhante, ha 9cras grandes com farello com UO li-
bras aa\ e Se milho i*, arroz de casca 54, e
farinha de Goianna 5} e 6\J : no largo da Sauta
Cruz ns. 12 e 84.
Sant'Aaam.
Acha-se venda a novena da gloriosa Sant'An-
na, bem impressa, e em brochura : na ra do Im-
perador n. 15.
Salitre refinado, superior qnalidade, tMm Bor-
deaux, differentes qualidades, mais barato qne en
qualquer parte : no armazem de I. A. Borle *
C., roa da Cruz-n. 48.
Imajaneaia.
Vende-se urna jumenta mnito mansa, e por sre-
50 commodo: rna do Qaeimado n. 14,
4


I
IIACAIIEIA DO RECIPE tf. 53.
NOVO *
GEAITDB AEUAZmU DE
RA DA CADEIA DO BECIFE *. 53.
Francisco Fernandes Doarte acaba de abrir na ra da Cadeia do liecifen. 53, ddi grande e sortido aimazem de moblados de
nominado Vniae Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeitavel publico nm eiirplelo scrtimei.lo dos melhore
ceneros que vem ao mercado, tanto esirangeiros, como nacionaes, os quaes serao vendidos em portees ot a retad o icr pidos assi
gommodos.
Manteiga ingleza especialmente escolhida i Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
~C
15^00 a caada.
Azeite doce refinado em garrafas brancas a
800 rs.
de primeira qualidade a 900 rs. a libra,
em barril se faz abatimiento.
Manteiga franceza a mais superior do mer-
cado a 600 rs. a libra, e 580 rs. em barril! Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
ou meio. I 4)5S00 a caada.
Preguntes inglazes para fiambre, de superior Geneura de Hollanda a 500 rs. o frasco e
qualidade, chegados neste ultimo vapor, a j 50800 a frasqueira.
720 rs. a libra. Caixinhas com ameixas francezas, ornadas
Queijos flamengos ebegados oeste ultimo
vapor a 40000.
Queijo prato muito fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Castanhas muito novas a 120 rs. a libra e
e 30000 a arroba.
Cha uxin o melhor que ha neste genero,
mandado vir Ue centa propria a 2$800
rs, a libra.
Cha hyson maito superior a 20560 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio para negocio a
10500 rs. a libra.
Cha preto maito superior a 20 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com differenles
quadades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
011 tras muitas marcas a 10350.
Blachinha de soda em latas grandes a 20.
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 10 e 20 cada ama.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 50;> rs. a libra e 30 um quarto ;
e em caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem vindo ao nosso mercado a 180 o gigo,
garante-se a superior qualidade.
Vinho Bordeaux das melhores quadades;
que se pode desejar de 70500 a 80000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 90
a 10* a duzia, e 900 a 10 a garrafa; deste
genero ha grande porcao e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 14* e 15J a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do Douro, D. Luiz,
Cambes, Madeira secco, Carcavellos, Nc-
tar de 1833, Duque Genuino.
Vinho de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 30, 30200
e 3S500 a caada.
Vinho branco de superior qualidade, vindo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
rs. de barril.
com ricas eslampas na caixa exterior,
muito proprias para mimo, a 1020o, 10500
e20.
Frasco de vidro com tampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a
10200.
Marmelada imperial, dos melhores conser-: ?R..m"il T a 24ilS-a libr,a-
Cevadinha de Franga a 200 rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 120 rs. a libra.
veiros de Lisboa, em latas de 1 e meia a
2 libras a 600 rs a libra. ..
Fructas em calda das melhores quadades m"ta rdadeira a 320 rs. a libra.
ihm hapm Pnr,r,i am !, i.i_ Cevada a 120 rs. a libra 30 a arroba.
Sardinhas de Nantesa 340 rs. o quarto e 5tu
rs. meia lata.
Latas com peixe em posta : savel, corvina,
vezngo, eberne, linguado, lagostinba,
10300 rs.
Saimao em latas, preparado pela nova artt
de cozinha, a 800 rs.
Magaa de tomtes em latas de 1 libra a 60(
res.
Chouricas e paios em latas de 8 e meia libri
por 70.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra
80600 a arroba.
Bolaxinha ingleza a 320 rs. a iibra e 40
barrica.
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoas de casca molle a 400 rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs. a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 rs. a libra.
MacSas e peras ebegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, so vista se faz o preco.
Conservas inglezas em irascos grandes a 750
rs. cada um.
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero; a 10200 a libra.
Chocolate hespanhol a 10200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 19.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
5*800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
e 10200 a garrafa.
Licores francezes das seguintes quadades :
Alpista a 160 rs. a libra e 40800 a arroba-
Batatas muito novas em gigos com 40 librat
por 10500.
Cebollas a 10 o molbo com mais de 100 ca-
da om.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 rs.
a libra e 90 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 rs. a li-
bra e 80400 a arroba.
Caf do Bio, propriepara negocio, a 80.
Arroz do Maranhao a 100 re. a librae208OC
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 29400 a
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas-
so e a 90 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixo.
Macarrao. talharim e aletria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa "se faz abatimento.
Estrellinha,pevide earroz demassa para sop>
a 00 rs. a libra e 30 a caixa com 6 libras
Palitos de dente lixados com flor a 200 rs
o masso, ditos lixados sem flor a 160 rs
o masso com 20 massinbos.
Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames Gomma de engommar muito fina a 180 rs. a
e de outras muitas marcas a 10 a garrafa | libra.
e 100 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
90 a duzia.
Mostarda ingleza em potes j preparada a
400 rs.
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra *
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inteiras ou em meias, de
10600, 20 e 30.
Mostarda ingleza em p, em frascos grandes, Presuntos do reino, vindos deconta proprii
a 10 cada um. de casa particular, a 400 rs. a libra; intei-
Sal refinado a 500 rs. o pote. ro se faz abatimento.
RIVAL SEM SEGUNDO
itua do Queimado ns. 49 e 5o, loja do migdms
de Jos de Azevedo Maia e Silva, est continuando
no seu progresso de vender banilissimo :
Lapachos grandes e superiores a 00 rs. rada um
na* superiores obrejas d<> cola e massa a
vj rs.
Cordio branco para vestido e espartilfco, vara 20
re 18.
Ld!d! le605eteI (150jardas) to suPerior ""
Canto de linha Pedro V (200 .ardas) j muito
contienda a 40 rs.
Grozas de peonas de aro de mu.las quadades .>
superiores a 500 rs.
Caivetes de duas folhas porm finos a 500 rs
Canas com calungas mnito bonitas pura rat a
100 rs.
Franja branca e de cores para toalbas a i..\
Pares de botdes para punho mnito bonitos ,i I JO.
Caixas com soldados de chumbo muito bonito- i
126 rs.
Tinteiros de vidro com superior tinta a ICO.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Groza de bot5es de louca praliados, o melhor, a
160 rs.
Tesouras para costura, o majs rawrior, a 400 rs.
Ditas para unhas muito finas a 400 rs.
Escovas para limpar denles muito superiores a
200 rs.
Libras de la de todas as cores (pesada i.-. 75.
Caixas de phosphoros de seguranca a ItK).
Ditas de papel amizade pautado e liso a (00 r-.
Ditas com 100 anvelopes muito superiores a 600
Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
Cartas e taboadas para meninos a 80 rs
Caixas com superiores iscas de acender charutos
a 40 rs.
Carreteis de linha Alexandre (200 jardas) de r.
a SO rs.
Baralhos para voltereta muito linos a 2'i0.
Cartas de alfinetes francezes muito Daos a 40 i -.
Meadas de linha f'xa para bordar a 20 rs.
Pares de sapalos de tranca muilo su [.mores i
15600.
Papis de agulha com um pequeo toque a 10 rs
Groza de botdes de madreperola muito finos a
560 rs.
Carito e caixas de celchetes francezes superiores
a 40 rs.
Bonets para meninos muito finos a 10500 e 2,5.
Macos de grampos superiores e linipos a 40 rs.
. Groza de phosphoros do gaz muito botos a 20200
Licores francezes e portuguezes das seguin- | Areia preta muito superior a lOO rs.
tes marcas creme de violetas, gerofles ro- Caixas de rap coto espelho a lOO rs.
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-15'*E.l2!?in!re,;r me"inf a mJ'-
dua amarga, percicot. de urin, Boteflm, &VS^SSL^ "*
morangos, hmo, caf, laranja, cidra, gin- i Enfeites de laco de todas as cores a 15300.
ja, canella, cravo, ortel pimenta a 1 ,ooo Rodas com alfinetes francezes a 20 rs.
rs. a duzia l,ooo rs. a garrafa, garante-se) Caj*0srcsora quatro papeis de "has imperiaes a
Acaba de raneta* de sua propria enamuneiiua um granua e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer 3os seus freguezes e ao publico em geral a seguinle tabella dos seos gneros e
resumidos precos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem eonhecido ar-
mazem.
PARA A FESTA
E S. PEDRO
DE
S. JOAO
Amendoas confeitadas de 8oors. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 8oo rs,
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e 5oo rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras .para que os melhores que Temos tido no raer-1 Sabnetes de familia a 80,160 e
cima 3 *'7o' ir Caivetes de duas folhas muito finos a .120.
dem hysson o mais superior qne se pode Passas muito novas em quartos e inteiros a,Pares de saPalos de 'a par meninos a loo rs.
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima, 2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo i Sa,!2los de ,raDca para,senhora e P*r homem, o<
a^Soors k i lihra ka c wv melhores que tem vindo, e por preco muilo barato:
a,, a lihra. jquem quizer vr> veDha ra dn Queiniado ns
dem conminas proprias para podim a 9oo *
rs. a libra.
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
Idm do Bio em latas de 2, 4,6 e. 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata.
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra
Ervilhas secas muito novas a I6o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 6oo rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
fazenda especial.
49 c 55. e ver tudo como bom e barato.
Ossenhore que comprarera de 1005000 para cima, terao o descont de 5 por cento, pelo prompto pagamento.
dem mais baixo bom para negocio a 1,5oo Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra. rs. a libra,
dem miudinho proprio para negocio a I,5oo Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
rs- a libra. ; Caixas de traque n. 1 a 8500 cada urna.
Queijos do reino chegados neste ultimo va- Massas para sopa macarrao, talharim aletria
por a 2,6oo. a 4oo rs. a libra.
P.U^.S -h,'.8ados u,limo vaPr a 2>Go. ,rs Cognac verdadeiro inglez a 8,Soo rs. a caixa
e 8oo rs. a garrafa.


L
RA DO OXIEMIAIfO TUS. 45.
Passando o beceo da Congregacao segunda casa.
ffifOft'?!!!,
;:!:
\
# t:
mwm
NOV1DADE.
Pereira Bocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commercial,
onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
aerao vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se o bom peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
"
Arroz Jo Maranhao, da India e Java a 60, 80 Cevadinha de Franca muito superior a 220, Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra
e 100 rs. a libra e 1800 a 20600 e 3,$
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
I#200 e 1(5600 emraseos grandes a
200.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estampas no interior das caixas
a 125000,15400, 15600 e 25.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 45600 a arroba.
rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata,
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
15800, 55500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
Farinha de trigo a 120 rs. a lihra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 65200 a frasqueira.
Azeite doce francez muito fino em garrafas dem em garrafoes de 3 e 5 gales a 55500
Figos de comadre e do Douro em caixinhas Queijos flamengos do ultimo vapor a 25800
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a dem prato.
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
i*300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 25 rs.
a lata.
Bitas inglezas muito novas a 35000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor efinada a 440 rs. a libra e
eembarrila 410 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 15600, ,
25500, 25800 e 35000 a libra,
dem preto muito superior a 25000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 55800 a duzia.
Cognac inglez tino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, so de pepino, a 720 rs.
dem, sde azeitonas, 750 rs.
Charutos dos melnore* fabricantes da Babia
e 75500 cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 15100 rs. a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem londrino chegado no ultimo vapor b
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um. ^
Sardinhas de Nantes a 30 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijoos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem, qualidade especial e garrafas muito dem stearioas muito superiores a 600 rs. a
grandes, a 15800 rs. a garrafa. | libra,
dem garrafas mais pequeas a 800 rs. Figos em caixinhas emticamente lacradas
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi- i a 15600.
dro, a 15000 rs., so a garrafa vale o di- Vinho do Porto engarrafado o melhor qne
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da i
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs. -. \
Massa de tomates em barril a 480 rs. a libra. dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
ba neste genero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D.Pedro, D. Luiz I, Mara Pia.
Bocage, Cbamisso e outros a 806, 900 e
15000 a garrafa, e>m caixa com urna du-
zia a 95000 e 105000.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 60o rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
00 rs.
dem regular a 500 rs.
Massas finas para sopa : estrellinha, pevide,
rodinhas e letr anhas a 600 rs. a libra e a
45 a caixinJia com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
e especialmente da fabrica imperial de Peixe em latas preparado pela primeira arte
Candido Ferreira Jorge da Costa, a fjJfiOO,' de cozinha a 15 rs. a lata.
25000,25200, 25500, .25800,. 35OOO. e' Palitos de denles a 160 rs. o masso.
35500 a caixa. I Palitos de dentes a 120 rs.
Caf do Rio maito superior a 280 e 320 dem de flor a 200 rs.
rs. a libra e 85500 e56O0-rs. a-arroba.! Amendoas confeitadas a 900 rs. a libra.
Cartoes de bolinhos francezes muito novos e Doce de goiaba em latas o melbor possivel a
muito bem enfeitados a 700 e 600,re. | 25 e m caixo a 640 rs.
Chouricas e paios umite aovos a 800 rs. a Palitos do ga2 a 25200 rs. a grosa.
hora. fPassas mmto'novas a 480 rs. a libra.
480, 500 e 560 rs. a garrafa e35, 35500
e 45 a caada,
dem branco de Lisboa maito fino a 506 rs.
a garrafa,
dem de Bordaux,Medoc.eS..Jnlieaa700
e 800 rs. a garrafa, e 75000 e 75500 rs.
a duzia.
dem Morgaux eChateaulominide 1854, a 15
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a. garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa t
15200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 15800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porcao de outros que deixamoc
de mencionar, e que tudo sera vendido por
pecas e carnadas, tanto em porcoes como i
retalho.
Qoem comprar de 1005000 para cima to-
ra o abate de 5 por cento.
dem londrino o mais fresco que se pode
esperar e de excellente marca a 800 rs. a
libra sendo inteiro, e a 9oo rs. a retalho.
dem prato us melhores e mais frescos do
mercado a 76o rs. a libra sendo intoiro.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas: Osborne, Crakntl, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
tas a l,3oo e 1 4oo rs.
Polvos chegados ltimamente do Porto a 32o
rs. a libra.
Balatas novas em caixas de 2 arrobas a 55 a
caixa e 60 rs. a libra-
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,000 rs.
dem ingle/as em barricas a mais nova do
mercado a 2,5oo rs. a barrica c 2 lo rs. a
libra.
Chocolate portugoez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Cartoes com bolas francezas proprios para
mimos ou para anjos que vo as procis-
ses a 600 rs. cada um.
Papel de botica de excellente qnalidade a
22oo rs. a resma.
Peras seccas as mais novas do mercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em htas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 64o rs. a
lata,
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,000
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 800 rs. a libra,
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a 10,000 e
1,000rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,000 a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,oeo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composico a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada. 1
Farinha do Maranhao a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos al,000 rs. cada urna.
Ricos livros com figos 1,00o re.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada maito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafoes com 4 '/ garrafas de vinho sope-
rior a 2,5oo rs. com o garrafo.
dem cora 4 '.y ditas de venagre a.l,oo.rs.o
garrafo.
Vinagre PRR em ancoretas; de 9 aadas 1 a
15,ooo rs. com a ancoreta
dem em pipa paro sem o batisme a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com duzia da garrafas de vmho Bor-
deaux fazenda moito especial a 6,800 rs.
a canea e7oo-rs. agarrafa.
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a I,5oo,
2,ooo, 2.500, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ah se ven
dem a 2,000 e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.800 e 9,5oo
rs. a arroba.
dem de segunda qualidade a 8,5oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,000 rs.
a arroba.
dem da India muito superior a
arroba, e loo rs. a libra.
0 r Pw 0 i-p- 0 0 p- h-3 p M ?-' 5c S 0 S3 8- p
bd p- 2 0 < *t2
c 0 ero P P- a j-
- td = CD p
B g p s B -i <> es 60 -- 3 CD ce
C3 SO P P-0 O 5a -*-
0 t3 B Q ro 36 -;
ce h 0 O P-P P p 0
Pu r-K
1! 1 O
(5 Vende-se a taberna da ra das Crnzes n. 1
bem afreguezada para a trra c bons commodcs
para familia ; vende-se pelo dono ler de ir Iralar
de sua saude.
ESCRAYOS FimgS.
ATlW'CiO
Fugio no dia 2 de junho o esoravo Joaqun), de
20 annos de dade, com os signaes seguiules al-
\ to, magro, cara meia redonda, cor fula, com una
I queimadura no roslo do lado direilo, rendido 2 9oo rs. a urea ver''na> e fanello aparado rente lesoura
pede-se aos Illms. senhores subdelegados da Var-
[ zea, Teres, Afogados e Passagem a bondade de o
dem mais baixo redondo a 2,600 rs. a libra, apprehender. e mandarem Fra de Punas, riri
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-, 0 Pilari 'obrado n. ti, primeiro andar; igual-
ba e 80 rs. a libra mente pede-se aos senhores que costumam reccbei
criados.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,ooo rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra.
dem de sebo muito dura lingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, e em
caixa a 52o rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Ao amanhecer do dia 6 do correle fugio do
engenho Penanduba, sito na freguezia de Moribe-
ea, urna escrava de nomc Sabina, representa ler
2o annos de idade, com os signaes seguintes : cri-
oula, fula, cabellos carapinhos. baixa, gressa, sei
grandes, roslo redondo c com muitas manas de
bexiga, maos pequeas e ps, pernas arqueadas, e
mais alguns que nao se recorda ; levou comsigo
Srs. empregados pblicos a 5,000 rs. a res- uma fllha com idade de tres metas lambem preta :
ma, j se vendeu por 7.ooo rs. 1aem a apprehender leve-a ao referido engenho.
Idemalmacopautadoelisoa3.ooors.aresma. nlS^mtsaX"" "' q* "'* ge"erSa"
dem de peso pautada e liso a 2.5oo rs. a ____________________________________
i ESCRAVO FGIDO
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,2oo rs. JiOO^ de grat ificaco.
a resma. Contina fgido desde Janeiro o mulato de no-
idpmemhrnlhodpl 2oo a 1 4oo rs a rpsma me Ravmundo, natural do Ico, estatura regular.
laememoiaino ae i.zoo a i,oo rs. a resma. jdade e 18 anDOi ^ chaXa cabe,|os _
Ameixas francezas em latas de 1 yj libra a Dhos, testa grande, rosto oval e com urna fistola
1,200 e 800 rs. a libra. na face esquerda, macas salientes, dentes limados
pontudos, bocea regular, e principio de bn^o, ps
dem em frascos de 3 libras a 2,ooo rs., s O e maos pequeos, roslumava andar calcado, e in-
! titnlava-se livre com o nome de Manoel Raymnn
do : quem o apprehender, dirija-se ra da Ca-
deia do Recife n. 21, Luiz Antonio Siqueira, que
entregar a referida gratificado.
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
. frascos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Molhos inglezes a 800 e 1,000 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova
2oo rs.
.Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
Fugio de casa de seus senhores, no dia 14 do
corrente, o escravo Izidro, crioulo, de idade 25 an-
nos, pouco mais ou menos, estatura regular, cheiu
do corpo, edr um pouco fula, cabellos carapinhos,
olhos pardos, beicos um pouco grossos, nariz regu-
harn nrnnhdn nnssivAl al Jan p 9 ftnn 7mm F""" ue'vos UU1 Puc 8*'-
Dem arranjauo pOsMvet d 1,00 e Z,00 ]ar) ps grai,des e grossos, bem desembaracado no
rs. a lata.
Cerveja Tenante verdadeira a 6,800 rs. a
duzia.
dem de outras marcas preta e branca a 0,000
e 6,000 rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
?indas do Porto a 32o rs.
Cebollas maito novas a l,ooo rs. o molhoe
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
56o rs. o frasco.
Mera em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
xa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Gominhos maito novos a 32o rs. a libra e
10,000 a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Mitbo alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e~5,4oo a arroba.
Peixes.em latas ai,000 rs. a lata j prompto
..axomer-se.
[rEaoello 4e Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,000 rs.
Doce da casa da goiaba a 600 e l.ooo rs. o
caixo.
fallar, nao malcriada, levou calca de bnm bran-
co, camisa de madapolao, chapeo de fellro ja asa
do; cojo escravo fiiho de Calista Mara da Con
ceigao, do Brejo de Bananeiras, provincia da Para-
hyba do Norle ; veio em 1861 em pagamento para
os Srs. Guimaraes & Alcoforado desta cidade, sup-
poe-se ter seguido para aqnelle lugar : roga-se a
todas, as autoridades e eapitaes de campo a sua ap-
prehensao e lvalo ao pateo da Santa Cruz n. 6\
que serao recompensados com 100.
Desde o dia 21 do mez de junho acha-se fu-
gitivo o escravo Ambrosio, com os signaes seguin-
tes : estatura regular, cor preta, magro, bem feifo,
ps grandes, barba suissa, falla com muila iiumi-
Jhacao (de muito velhaco que ), muito conheci-
do na cidade de Olinda e Recife, onde por muitos
annos exerceu a proflssao de ganhador : pee-se
todas as autoridades, eapiaes de campo, pessoas,
e a cada nm de per si, a captara de. dito escravo,
que poder ser entregue ra do Apollo n. 39,-ao
j Sr. Antonio da Rocha Accioli Lins, ou no engenho
Outelro de Pedro, na Luz. O senhor do mesmo es-
cravo protesta desde j contra qoem o tenha acoli-
tado, e igualmente pagar com generosidade a qaem
o apprehender.
O- proprietario do grande armawm Unio e.Commercio declara aos seas frage
zes e amigos e ao pablico-em geral, que para facilitar a commodidade de todos eslipulou
os mesmospreeos-nosseguintes lugares:
Uniao e Oommercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Prinpftl rea do imperador 40
Atten^o.
Acha-sa fgido o escravo de nome Antonio desde
o Oa 8 de jnnho do corrente anuo, com os signaes
segnintes : idade 40 annos, crioulo.-aKura regalar,
desdentado, barba feita, narix chato, pescoco corto,
nm tanto inclinado para a frente, nma marra de
ferida no estomago, ps.jtrossos, e as costas mar-
cas de chicote, tem cicatrizes as canellas, ero urna
das maos nao abre bom os dedos, levou vestido tat-
ca parda, palelot preto j velho, camisas braoeas
duas, sendo ama da abertura bordada, 1 pareside
calcas, 1 branca e i parda, 1 cobertor, sendo me-
tade de estopa e metade de algodao, foi encontrado
na ribeira de Santo Antonio e no1'Peres : por Isso
roga-se s autoridades pociaes a capilaos de cam-
no que o peguem e levem-no casa de seus senho-
res, jia roa da Imperatri n. 80, qne serio mallo
bem recompensados.




Diario e Permanbaro i>r?a lelra lt de Inlho de lil.





i
la
LTTERATRA.
D.SCIHSO DO DEPUTADO D. LEOS GALINDO, NO COXGHES-
SO HESPANHOL, SOBBB A POLTICA DO GOVBBNO DK
Vir.TOR F.MMANUF.L NA ITALIA.
(Conlinuagao.)
Tirae-lhe Roma, tirac-lhe os seus estados, nem
tao grandes que causem reccios s potencias visi-
nha?, ncm to pequeos que reduzam o papa a um
mendigo coroado, e Ihe roubaes, a independencia.
Hcspanha, Franja, Austria, Ihe negnriam um asglol
Eis-aqui o chefe da christandade do povo em povo
com o bculo na uio buscando entre barbaras
gentes um sitio, que Ihe negara os scus descridos
filhos, onde possa reclinar a sita veneravel cabeca,
e durante isto os interesses catholicos confusos, re-
vollos, abandonados. E se a Franja e a Austria
(juerem renovar os lempos do scisma de Aviento
se Ihe cedessem urna cidade aonde se refugiasse,
dizei-me, nos grandes conictos, quando os interes-
as do imperio se chocasse com os nteresses das
terreno bastante para cavar a soa ntlseravel se p u
tura I
Nao, nao passar ao poder de nenbum repugnan-
e revolucionario,, com sceptro e cora, a cidade
senhora das gentes, porque o demasiado grande
para os poderes terrestre"!; porque sea! mfl tem-
plos e sua baslica laieranense, raihedral do uni-
verso, me de todas egtejas da christandade, nao
pjdi'm pertencer a nenhuin miseravel reinosito de
cem leguas de territorio; porque a immensa cupla
le S. Pedro nao se en.ctae senao com a gloria e com
ajncommensnravel magestade do pontificado.
Os estados pontilicios nao sao propriedade nem
de um hornera, nem de um povo. Nao perlencem
ao pontfice; tem-ns nicamente em deposito, que
tem jurado restituir integro aos seus successores ">
nao pertencem Italia, perlencem ao catholielsmo;
nao sao Italia, nem Franca, nem Austria, nem Bl-
gica, nem Hespanha, sao a base de todas as na-
coes caiholcas ; a pairia commum de todos os fiis;
a corte do immenso reino que eslende seus domi-
nios espirituaes pelas cinco partes do mundo ; a
se tem commettido, queso coramettem, que se pen-
ga commetter sempre na Italia ; que ser sempre
alliada daquella potencia que levante bandeira con-
tra os impos usurpadores do patrimonio da
egreja.
Falle o governo, falle o congresso hespanhol ;
saibam nacionaes e estrangeiros que as oflenas ao
Pontfice sao offensas noesas: que a usurparlo do?
estados pontificios, como a usurpado de nossos
proprios estados; que o nteresses da christauda-
de esto debaixo da salva guarda e custodia de to-
A lepra moral mais contagiosa do que a do
corpo; quando nao se inspira ao paiz altas ideas de
justiga, o palz morro corrompido: quando os go-
vernos attendem conveniencia e esquecem o di-
reito* as nacoes se raaterialisam e envllecem. Que
se nao d esse exemplo fuaestissimo nossa pa-
tria.
Declare o ministerio a sua poltica. Que diga
Hespanha leal, franca, e resolutamente que nao se
dirige apressar reconhecimentos que nao podem
fazerse, que nao se farao se a Hespanha estima em
outras naroes, nao publicariam a malevolencia, o heranca accumulada de 19 seculos pela piedade
ceg espirito de partido, o cioso amor da patria-
que as decisoes do rei espiritual nao erara as de-
cisoes do pontfice catholico, mas sim as decisoes
do papa francez ou do papa austraco?
Dizei-me, deputados hespaohes, quando urna
harpa gigantesca se levantasse entre o vosso povo
e o povo protector do pontfice, como acudirieis a
ella ? Que confianga vos mereceriam suas opi-
nias se sabieis ou presumieis, e de presumir era
sempre, que pesava sobre elle a frrea mao do
vosso poderoso nimigo !
Dizei-me ; quando suasantidade cresse injustas
as pretencoes do Cesar, e quando mandasse resis-
tencia a um preceito impo, o Cesar francez ou o
Cesar austraco, permittiriam a livre expressio do
mndalo do pontfice, e nao chamariam abuso
sua legitima sentenca, e nao obstariam que se exe-
cutasse com a torca e o escndalo, a perseguicao
e o castigo ? Quem poderia evitar que o impera-
dor ou rei que Ihe dsse asylo, se intromettesse as
atlribuicoes religiosas, ou pretenderse valerse del-
tas para seus fins polticos, ou para sustentar a sua
dymnastia ? Soffreria contradiego ? Nao : des-
de os acampamentos, com botas e esporas, cheiran-
do a plvora e coberlo de p comparecera com o
chicote na mo perante o bspo de Pars ou de
Vienna ( que outra cousa nao representara o pa.
pa ) e discutira sobre o dogma, disciplina, e mo-
ral, e, ou bem notoriamente marcara como tribu,
nal de appellagoo conselho de es'ado, ou o conse.
jho ulico, ou atraz do argumento vira a ameaca,
a colera, o resentimento, o orgulho ferido, a rebel-
lao, a perseguido o scisma, a apostasia.
Napoleao I as suas pocas de incredulidade em
que persegua o pontfice, quando nao pensava em I
que vria um lempo em que se visse sem soldados,
vendido por seus generaes, so com o seu magnani-
dos fiis o patrimonio da egreja universal.
Roma, metropole de toda a christandade, a lodos
os chrstos toca a defender que se converla 0014
patrimonio de um povo determinado; rei espiritual
de Iodos os fiis, o summo pontfice, todos temos a
obrigagao. de instar, de clamar, de procurar que
se conservem os meos necessanos para exercer
sem influencia ou coacc.no alguma externa a sua
altissima realeza.
Oh I tu varao apostlico, anciao de magestade
divina, nico rej que nao cede, que nao transige,
que despreza a torga e a violencia, e se fia so na
justica e no direito; ensino e luz da Europa, ora.
culo e norte de todos os seus filhos I A Hespa.
nha nao pode abandonar-te ; a Hespanha nao te
abandonar ; a Hespanha nao renegar ; a Hespa-
nha nao pode renegar de seus antecedentes, da sua
historia, do seu encargo providencial. A Hesp a
nha alegra-se com as tuas alegras, e geme com as
tuas dores, e em quanto tenha voz em seu peito e
torca no seu braco, te defender, com a sua voz no
conselho, com o seu braco, se possivel, nos cam.
pos da batalha.
Vejo, ou me parece ver, vagar nos labios de
algum Sr. deputado a resposta que talvez pensa
dar aos meus argumentos. Nos reconhecemos,
diz de si para s, a necessidade do poder temporal;
nos o queremos : o governo estar conforme em
principios; porm a Hespanha mantem relacoes
pacificas com as outras potencias ; sao estas ques-
tes internacionaes qus requerem grande cautella;
no discurso da cora evitou-se fallar no pontfice.
E' conveniente, de momento discutir boje o que
se calou em occasio to opportuna?
Ignoro os motivos que ento existiram para nao
mencionar a qnesto de Roma : gravissimos devo
mo coragao; quando nao pensava que aquelle ve-
nerabilissiino anciao, objecto de suas pers'eguiges,
bavla de ser o nico que Ihe abrira os bracos e o
receberia em seu seio carinhoso, Napoleao, resplan-
decente de glora, ebrio do seus triumphos, Deus
na trra, a cujo aceno tremiam os res e se pros-
travam mudas de terror as nagoes, aflirmava o que
en vos affirmo :
t O papa est tora de Paris, e est bem : nao re-
si Je era Madrid nem em Vienna, e por isso tolera-
mos a sua autoridade espiritual. O mesmo podem
dizer em Madrid e em Vienna, eris que se esti-
vera em Paris os Austracos e os Hespanhes se
sujeitariam aos seus accovdos ?
a Dita temos, verdadera dita, de que nao resida
em Franca, e de que nao residindo em Franca nao
resida lambem em trras inimigas, de que more na
anliga Roma, longe da mao dos imperadores da Al"
lemanha, longe da dos de Franca, longe da dos reis
de Hespanha, maniendo a batanea entre os sobera-
nos catholicos, inclinado sempre para o mais fone-
mas erguendo-se promptamente se o mais forte tra-
ta de converler-se era oppressor. Os seculos tem,
feito isto, e os seculos fizeram bem.
O que dizia Napoleao, isto diz o mundo catholi-
co : nao pode consentir, nao consentir que o papa
se chame francez, auslriaco ou hespanhol : neces.
sita que seja papa universal, o mesmo do branco
como do negro, do aziatico como do africano, do
que be De as aguas do dourado Tejo como do que
com o ramo fere as turvas ondas do Mississpi. E
para que assim o crea, mister, que o considere
livre e independenle ha de contmplalo soberano.
O pontfice ha de ser rei ou marlyr ; nao ha para
elle outro futuro se nao o throno ou as catacum-
bas, a corda da perseguicao ou o triple diadema ;
ou adorado ou crucificado. Nao pode o que man-
da absoluto na conscencia de duzenlos m.lhes de
catholicos espantados em lodas as parles do mun-
do ser subdito de ninguem.
Convertel o pontfice em subdito, e carece da
independencia material : sem ella, trabalhosa in-
dependencia espiritual ; o que trabalha a indepen.
dencia espiritual; diffienlta exercieio do pontifi-
cado, ataca a egreja, que aonde esta Podro ali esta
a egreja ; e o que ataca a egreja nao pode aceitar-
se, nao se aceitar nunca por nenhum catholico.
Nao dogma, se tem dito. J o sabemos : que
catholicos tem sustentado o contrario ? Porm se
bem certo que nao dogma, se tambem certo
que Jess Christo nao disse que os pontfices tos-
sera reis, nao menos certo, todava, que o poder
temporal um faeto providencial e milagroso. Ape-
nas reconhecida a religiao, no mesmo momento de
o ser, que interior violencia essa que move a
Constantino a fundar urna nova corte, a levantar
nos contins da Azia e da Earopa a sumptuosa By-
zancia, boje escrava dos Turcos, e a deixar a Roma
para os pontfices t E' que sem o saber, sem o
querer, sem o presumir se qur, por um impulso
mysterioso, sanecionava com os seus actos, que o
poder espiritual devia ser independente do tempo-
ral, que os reis nao cabem na cidade eterna, que
que aonde brlha o augusto chefe do catholicismo,
tudo escuro, tudo pequeo, tudo miseravel.
Observae-o, Srs. deputados : dos glos 4o polo
vao sahindo cnchames de barbaros; o dedo de
Deus os gua; a Roma, a sua voz de marcha e o
seu grito de guerra, e sem embargo, nao ha um s
que ao chegar ao termo da sua viagem nao a aban-
done ao pon Seo ; nao ha um s que a tenha ele-
gido para sua morada j nao ha um s que se te-
nha chamado rei de Roma. Pode isto explicar-se
com razes puramente humanas ? I Cercavam-na
ons, saqueavam-na putros, mas nenhum ousou di
ser -.Roma minha. Chegaram, e passavam ater-
rados pelo quid divinum da cidade dos pontfices.
Fcava para os nossos lempos o que conquistado-
res terriveis. Atilas das crencas religiosas, com sa-
crilega impiedade chamassera a seus descendentes
reis de Roma ; mas ai I nao gozaram por mnito
tempo do seu vao ttulo A abd(cacao, a deporta-
cao e a morte foram as encarregadas pela Provi-
dencia de mostrar s gentes attonilas que s pode
s lo o augusto representante de Deus sobre a
trra-
Ficava para nossos tempos o que ridiculos arre"
UH POUCO DE TUDO.
Extrahimos as seguintes cartas, que descrevem
o carcter dos Maranhenses em seu trato geral e
em sua reunioes inlimas. Sao ellas escripias por
um Brasilero/jue existe em S. Luiz, com enderezo
a urna senhora Parahybana, que pcrmittu a res-
dos e de cada um dos prncipes christios; que alguma cousa a sua dignidade e a sua honra,
quem pe a sacrilega mao sobre aquellos, insulta (Da Nacao.)
a todos os seus guardadores, e que a Hespanha nao j ----------
soffre insultos eraquapto tenha alent era seu
peiio. ^^
Ento, quando se oucara eslas palavras repelidas
urna e mil vezes ; quando se convengan) de que a
Hespanha primeiro do que todo calholica, e que
no da da liquidago universal, que se aproxima a
passos de gigante, estar ao lado, e testa dos de- pectiva publicaco :
fensores do Pontfice : quando aqu no coogresso Maranhao.-S. Luiz, 7 de junho de 1864.
se repita que assim pensam a rainha, o ministerio, Eima Sra. u. s _Ha muit0 que prevalecendo-rae
as cortes e a nago intelra, eu vos fio, Srs. deputa- da permssao> ,,ue me toi concedida, tenho-me oc-
dos, alguma potencia havera a qutm a nossa amt- cupado especialmente em mostrar a V. Exc. as
zade convenha, ou a nossa inimizade inquiete, e pnases do viver desse pov0i 0 seu numor e ,enden.
que para captar urna ou para evitar a outra, senos cia v3ri a socabilidade, e tenho-o feito por modo
o nao podemos, ella estender o robusto braco e ,a|; que rom bons fundamentos supp5e-me V. Exc.
deler no meio da sua carreira a usurpacao e o enfatuado, pois ha quem diga l para o sul serem
sacrilegio. as Brasileiras c do norte fetticeiras.
Ento haver alliancas verdadeiras e inquebran- J nao estou longe de tambem assim pensar,
lavis, nao fundada no torpe medo ou na comrau- V. Exc. se dignar de ver que naosei mesmo como
nhao do latrocinio de reinos qne condecoram com possa, quem tem coracao e alma, deixar de ceder
o nome hypocrita de reparticio de conquistas, mas aos feiliros danrbanidadeeda hospitalidade, aos do
sim na defeza do boro, do direito, 'dos' interesses mais sincero agrado, que encontramos no trato da
moraes, religiosos, do amparo do opprimido, de sociedade da gente limpa desta boa trra, onde s
guerra de morte a toda a casta de oppressores. | o calor nos prejudicial.
Tendo a mulher o poder da attfaccao,moraenr|nia que reinen em to largo periodo, senao fe?,*
sabido o respeito com que tratada a familia
Branle e o bom senso cora que tem sabido admittr
suas relacoes s pessoas capazes.
t O nsso amigo Sr. Abreu toi dos mordontos
cuja aonte nao ficou aqum das dos outros, por
ser elle bem estimado no Maranho, onde, minha
senhora, o hornera de bem, rico ou pobre, para lo-
go conquista a estimacap geral, e nao tnsuttaii)
nem injuriado.
Do que deixo relatado se dignar V. Exc d>
concluir que os Maranhensas sao realmente socia-
veis, urbanos e hospitaleros.
Nao recieis a Franga, nao ; a Franca sabe me-
Sabe V. Exc. que sou urna especie de cosmo-
, polita, e que por ter andado a perigrnar muitos
Ihor do que nos o que Ihe convem ; a Franca, pela K v ,T,
bocea de Napoleao III lera dito : a soberana annos, he. visto povos e cos.umes differentes ; po.s
temporal do chefe da egreja est intimamente liga- ^m:, ,na0 ****. 1uando Kd," .1ne d en,re <*
da com a liberdade o independencia da Italia.. Bras.le.ros a fara.t.a raaranhense e a ma.s soc.a-
Napoleao nao qur nma naci transalpina podero-! vel' segu.ndo-se-lbe a serg.pense e depo.s a por-
sa ; necessila um anteparo contra a Austria, e isto l lgrense, no Rio Grande do Sul.
conseguu j unindo o Pemonte com a Lombardia Podia eu *** *C0Dar a a,,enCiio da V; E*c-
mas repugna-lhe urna rival que embarace a sua li- escrevondo a grande socabilidade das provincias
vreacco contra |o centro da Europa e nao eogran- do imPerio do Brasil- temo Por^m ferir as susceP-
tibilidades, principalmente quando eu nao poderia,
sem faltar ao melindre, referir-me Parahyba.
decer mais ao Pemonte.
Se obra de outro modo, ser cortando-lhe de um
lado o que Ihe conceda pelo outro, recebendo Ge-
nova ou a Sardenha em troca de Roma, como re-
cebeu Nizza e Saboya era troca da Lombardia, e
< E' hoje um erro, um anachronismo, minha
senhora, o seggregar a mulher da sociedade, para
os encantos da qual Deus eo homem a crearam, as-
signalando-lhe o lugar mais proeminente, mais
cenca.
t Tem-se notado que onde a mulher vive em
contacto com a sociedade,'os cosumes nao sao
presumi-los, quando o cala o Sr. marqnez de Mi-
radores, apesar da sua reconhecida piedade, e dos
sentimentos catholicos daquelle ministerio; eu,
apesar de tudo, nao approvo o seu procedimento;
explcitamente o reprovo ; mas nao trato agora de
julga-lo.
Os tempos correm; os accidentes variam; as
circumstancias tornam-se urgentes; os successos
agrupam-se ; a revoluco brada impaciente s por-
tas de Roma ; o que pode ser ento um rasgo h-
bil do Sr. marquez de Miraflores, hoje seria urna
torpeza indesculpavel.
O comit garibaldino proclama que chegada a
hora de derribar o poder temporal.
Vctor Emmanuel tem declarado nos scus momen-
tos de expanso e de confidencias.que no anno de 61
Reara completamente constituida a unidado na-
cional, isto completamente expolida a egreja.
O conde Pasoline e o conde Nigra trabalham sem
descanso em Franca e em Inglaterra.
As cmaras de Turin impellem o governo a me-
didas violentas : o governo piemontez, que nao
pode toma-las porque a Franca Ih'o prohbiu, de-
clara que se acha em combinacoes diplomticas.
Falla-se da cesso de Roma aos piemontezes, de-
xando ao papa a soberana do seu territorio como
a tem o sulto no Egypto, ou para melhor dzer,
como a tinham os nossos ltimos reis sobre Chypre
e sobre Jerusalm.
Garibaldi sae de Caprera, e em Londres se com-
bina com Mazzini, e o partido de accao; c prepa-
ram, segundo se diz publicamente, urna nova in-
vaso nos estados pontificios.
A Austria accumula torcas do outro lade do
Mincio e duplica a sua artilheria no Vneto. Tu-
rin engrossa os seus exerctos : a lula vm, a
lula se aproxima, a lula est eminente, a lula
inevitavel.
Napoleao quer, e o que e mais importante, a Na-
poleao Ihe convem lisongear o sentimento catholico
dos Francezes com a defeza do poder temporal,
conservando ao mesmo tempo a posicao estratgi-
ca de Roma ; porm varilla temendo futuras even-
tualidades, e tenta a opinio das naces, propoe
conferencias e cengressos para contar os amigos e
os inimigos e muito pode influir em sua conducta
a resolucao da Hespanha Talvez seja a espada de
Breno, que incline a balanza ; necessario pois,
que a Hespanha manifest corajosamente a sua po-
ltica : cale-a quem quizer, a Hespanha nao deve
calar.
bom que saiba que no abandono de Roma re- dislnc,0 da mesma g^edade, e de que em muitas
voluco pode correr grav.ss.mos per.gos, ou alhear- partes querem privar ignorancia e a maledi-
se o animo de nao despresiveis adiados.
A Inglaterra, nao nos ameacar cora o seu des-
contentamente : os homens de estado em Inglater-
ra, disse lord Palraerston, nao aceitara nunca -o peiores do que onde ella posta banda con. in-
destronamente do papa. Eu n2o digo que o nao differenca, ou aferrolhada e escondida como mer-
aceitar era quanto nao descalholise completamen- cadoria de contrabando; ao contrario : a socieda-
te a Europa; est pois anda longe o da em que de da mulher como que pule o homem, o qual,
possa ver com indifferenga o destronamento do creado para a contemplacao e para a forga, tor-
summo pontfice. A Austria estara ao nosso lado, na-se brando, tratavel, e nao poucas vezes ca-
Temera acaso o governo as ras de Vctor Emma- ridoso, porque, tendo sido a mulher, em eonlrapo-
nuel, essebrigsnte coroado a quem rouba o anno... sicao ao homem, creada para os risos e para os
O PKKs.oENTK:-Sr. deputado, acaba V. S. de rMode aeha-lhe no eoracao e n'alma
violar os respeilos que se devem a este lugar, e aos
monarchas amigos da rainha de Hespanha. Recom-
mendo V. S. que, convencido disto se sirva reti-
rar essas palavras.
O Su. Galindo :Esto retiradas se V. S. er
que com ellas algum respeito est violado.
distincto lugar, e d'ahi esses rasgos de herolcidade,
que tantas vezes nella admiramos.
t Depois da educado moral e religiosa, pens
eu, que o trato com as senhoras urna necessida-
de para o homem, cuja misso viver em paz com
os seus semelhantes ; e ninguem ha ahi que ouse
negar o que trato com senhoras urna fonte de feli-
0 Presidente :-Creio, e como eu o er o con-1 cidade( ^ jss0 que os brios innalos ao homem se
8ress0- desenvolvem, se apuram com o desojo de agradar
O Sr. Galindo :-Suprimo, pois, a palavra. Derrame.se a boa educacao entre as mull.ei
O Presidente :E a retira V. S. fes> deem-lhes os paes bons exemplos, escolham a
O S. Galindo :-Fica suprimida e retirada. sociedadeem que devem ellas viver, e veremos em
Continuo, pois. De Vctor Emmanuel a quem rou- que base assenlarao esses escrpulos, esses sustos,
ba o somne o phantsma da restaurarlo, de Vctor que lanl0 anceam aos paes de familias., que anda
Emmanuel impotente para vencer a um punhado noje seguem o systema da segregaco, enchergan-
do urna monstruosidade no aproximar-.-e a urna
nao seja'sra
de homens que pelejam contra o seu tyrannico do-
minio ; de \ ictor Emmanuel que v suspendida
sobre a sua cabeca a espada da Austria, e sobro o
seu peito o punhal de Mazzini; de Vctor Emma-
nuel odiado pelos catholicos, odiado pelos revolu-
cionarios, maldito pelo vigario de Christo. Impos-
sivel: o crime secou o seu braco, e ao arrancar do
seu escudo a cruz de Saboia, necessita de todas as
torcas para reprimir a guerra legitimistaeas cons-
pirantes garibaldnas.
senhora um homem, que ao menos
primo.
Em V. Exc. tenho a mais exuberante prova do
acert do meu dizer. Quantas vezes nao vi V. Exc.
dominando as nossas familiares reunioes, sempre
cercada do respeito, da consideraro devida a urna
menina da posicao de V. Exc. I
t Cumprefazer-nosjustica. A sociedade actual
nao comporta sequer a idea da presenca de un
Nao vos obste ministros da coroa, o que o nosso mal criado, que desrespeite a urna senhora bem
sapientsimo companheiro, o Sr. Amador de Ros, educada, que tem na sua vrtude, nos seus senii-
. .. meatos de honestidade e no proprio pudor a sua
disse por incidente em outra discussao importan-
tissima que fallar da integridade do pontificio se-
ria urna imprudencia as cortes, porque seria im-
pr coroa o compromisso de que o seu represen-
tante fosse ao congresso europeu com um manda-
to abrigado. Nao, nao vos obste semelhante argu-
mento. Os reis sao a encarnagao viva dos seus po-
vos ou nao sao nada na ordem social nem na or-
menlos
melhor guarda.
t O que mais aprecio nos sales do Maranho
a mansido, a brandara dos chamados leoes. Ver
um mogo maranhense tratar com urna senhora,
vero cavalleiro polido e delicado al ao melindre.^
Tenho estado aqu em reunioes de homens
A poltica do silencio a peior das polticas ; a
poltica do silencio a poltica das reservas men-
taes A poltica do silencio a poltica dos gover
nos debis; a poltica do silencio a poltica das
degradages nacionaes; a poltica do silencio, por
Qm, a nada conduz ; todos os d'aqui e os dos pai-
zes estrangeiros sabem como pensara S. S. e seus
Ilustres companheiros e a Hespanha calholica : a
poltica do silencio nao o vu com que esconda-
mos nossas intenges ; seria nicamente no seu
concedo a mascara com que encobrimos o nosso
medo,
E isto nao pode ser, nao ser, ministros da co-
ra, em nome do paiz que estaes dirigindo pela
regna confianca, eu protesto contra esta injuriosa
supposigo : eu sei que vos uo succumbireis nun-
ca presso do medo, e.que hoje ao responder-me,
o annunciado congresso, sabereis valentemenle
manifestar e sustentar o que tenho manifestado e
sustentado como representante da naco.
A poltica verdadera, hespaohola, fidalga digna
graves, mesmo austeros, que se fazem notar pelo
dem providencial. Os reis sao a personifica cao dos desenVolvimenlo e grav.dade das materias que su-
sentimentos, das aspiragoes, das ideas, dos nteres- jeilam aprecaca0 dos outros, e ainda pela agudez
ses legtimos dos povos que regem. o se nao obram do espirU e gaUurdia da liuguagem, pois torga
representando estes interesses, sentimentos, eslas coufessar que yv. Excs. ignorara o quanto sao dig-
aspirages, estas ideas legitimas, nao obrara como Das de apre50 as nossas reunioes, em que doini-
verdadeiros reis e nao sao mais do que figura e nam a contemplacao e a forca do raciocinio. Mas
va sombra da autoridade. depois somos accommettidos do enfado.
As cortes esto aqui para dizer em voz alia o Estive tres horas em urna dessas reunioes, e
que pensa, o que quer e o que sent a nacaoje quando reciprocamente nos consideravamosr quando nem a religiao nem a justiga o regeitam, dos appareceu-nos, como por encanto, a digna fa-
nao ha, nao pode haver compromisso para a cora mj|ja do nosso hospede, com outras senhoras, que
em obrar conforme a nago pensa, sent e quer. a lmi,;,, vindo visitar, entraram outras e outras,
Nao reflexionou o Sr. Amador de los Ros em qne se e a transformagao toi geral!
a coroa dsse nstruegoes contrarias ao voto uni- ,
versal do paiz por ignora-lo, mudos nos seus repre-
sentantes existira o tremendo perigo de que a co-
roa o o paiz se pozessem em desaccordo? E era
Hespanha, nem reis absolutos, nem reis pela gra-
ga de Deus o pela conslituigo, tem podido nunca
obrar em poltica segundo as suas vistas pessoaes,
contra a expressa vontade dos seus povos, legitima
em seus fins e legtimamente manifestada. Se o Sr.
< E cerno nao seria assim se a mulher tem o
dom de transformar o homem de forte em brando,
de agreste em prazenteiro ?
t Para logo esquecemo-nos do dique, da lagem
grande, do caes da sagracao, do furo do Arspapa-
hy, e do rio Ail, e at da poltica que se esforga
por tornar-nos uns homens de marmore em relagao
aos que nao professam nossas ideas I Nao posso,
Amador de los Rios me ctasse algum exemplo que minha senhora, affazer-me a essa intolerancia, que
era sua vasta e opportuna erudigao nao seria ira- ha de por flm assalvajar-nos.
possivel que enrontrasse, de certo eu Ihe digo, es- A Exma Sra. D----depois de dirigir-nos os
ses reis forara engaados; esses res julgaram que mais graciosos cumprimentos, informou-nos de
obravam segundo os sent mentos de seus vassallos; que seriamos sentenciados a urna espantosa multa
esses reis estiveram rodeados de conselheiros igno- se insistiremos, daquelle momento em diante, em
rantes, Iludidos ou traidores. ter mais cuidado com a lagem grande do qne ella e
. e snas amigas, de qhem, disse, nos haviamos es-
Ministros da coroa, o pontfice espera consolagao ___ ...m K.e
quecido por tres cnmpndas horas.
de um grande povo, proclamar o que se qner em de seus leaes Hespanhes, respooda-lhe a vossa y. Exc. comprehender como recebemos tao
alta voz; protestar contra o que se aborrece em vox. Ao ver que velaes pelos seus nteresses, e que ^ qiJ0 |is0D(jpjra advertencia. O mais velho de
alta voz, e levantarse contra a torca e a tyraonia ; o nao esqueceis cora estudado silencio, como toi entnj ng respondeu com essa ga|hardia, s conhe-
declarar-se sustentador do direito e da jostiga lamentavelmento esquecido era occasio soJemnis- cWa do homem COstumado aos sales. Eo, que
em todo o lugar e em todo o tempo. Callar dar sima, vos agradecer do intimo do seu coracao e gpmpre an(Jo ni8 minh f00ff0-,S) achei logo
azas ousadia, mostrar convirgoes debis que des-: abengoar piedoso as Hespanhas. Vos os que acre- m6eg de sobra para admirar a nuUenca da mu-
aconselhara a defeza do opprimido, e que roa-, dilaes, e vos outros os que duvidaes, se ha algum iher, onde quer que ella apparega.
nifestama impotencia que veda o castigo do cri- neste recinto que tenha a desgraga de duvidar da ,. '. -, .
efcacia da bengao de um pontifico, uni-vos para .Sum.ram-se as <*J e diris que as vontades de doze homens redu-
minoso.
Falle o governo, falle o congresso hespanhol
saibam nacionaes e estrangeiros qu a naco tem o
Qrmissimo proposito de influir com o conselho e
com as armas, com a diplomacia e com os exerci-
, tos, com as.eooperaates e com as alliancas, poueo,
ruedos de conquistadores pretenden hoje usurpar ,"" ... .,_ .. ._ v_ .......
, r alguma cousa, muito, at aonde alcancen as suas
a cidade santa como nsurparam o sagrado ternto
tos depois comparecern, os leoes ; seguiu-se a
dansa, veio a alegra e assim se passaram largas
horas entre a mais apreciavel e fraternal convi-
vencia.
t Assim se vive aqui : e se nao fossera os des-
abrtmentos da politita. S. Luiz seria o paraizo
terreal de nossos das. Eu nao sou maranhense,
V. E*e. o sabe.
Depois de 13 do correte hel de descrever urna
fesla de Santo Antonio em familia, e V Exc. se
dignar de dizer-me se tenho ou nao razio de con-
siderar esta gente como a mais sociavel do nosso
Brasil.
Esta j vae longa, mesmo fra dos limites de
urna carta ; mas V. Exc. a isto me autorisa com
a nimia bondade com que l e responde judiciosa-
mente s que tenho tido a honra de enviar V.
Exc.
*
f Maranho. S. Luiz, 15 de juoho de 1864.
Exma. senhora D. S.Posso em fim cumprr a
palavra dada na de 7 e descrever urna festa de
Santo Antonio em familia, nesta cidade, cora a
qual descripgodemonslrareioque tantas vezes te-
nho dito a respeito do amor socabilidade pelos
Maranhenses.
Para nao parecer urna maravilha, um effeilo
da lampada de filpai o que tenho de dizer, decli-
nare, nome.-, obtida a permisso do festeiro : tam-
bem tomarei o testemunho do nosso amigo Sr.
Abreu, que um mogo digno da estimago era
que aqui tido.
c Ha nesta cidade, entre outras, urna familia
cuja me a Exma. senhora D. Florsbella Lucia
Braule da Silva, que nomeio por honra.
< Vtuva, cercada de filhos e de filhas do mais
tino tratar, merece esta respeitavel matrona a es-
tima de que geralmeate goza.
c Seus filhos, mogos, sisudos e trabalhadores,
applicaram-se uns ao commercio, outros magis-
tratura, e assim, posto que nao aba>tados em bens,
pelo amor ao trabadlo, nao conhecem os horrores
da miseria, a viven, mesmo com essa venerago
que o sociedade as mais das vezes s presla for-
tuna.
1 Tem a familia a vanlagem da lirapesa do nas-
cimento e a que provm da honra e da vrtude, e
porque a Exma. senhora D. Florsbella seja um
dos mais fervorosos apostlos da caridade,
gosto v-la cercada dessa estimago que todos de-
sejaro conquistar, mas que a recompensa s da-
quelles que bem tem compreltenddo a sua raissao
para com os seus semelhantes.
1 Ninguem sabe bem avadar e mx menos sei
significar amizade recipocra dos membros desta
familia, que pode ser apontada como o typo da paz
domestica : que Deus recompensa os actos de ca-
ridade da me com o respeito e ternura des fi-
lhos, e com essa paz, que torna a casa um ((tea-
tro do alegra. Conserve-os o Senhor sempre as-
sim.
Nao nos esquegamos de dizer que a senhora
Braule deu a seus filhos urna boa educago para
nao parecer exagerada esta minha carta.
i Os dous varita que aqui vivem em companhia
de sua me sao os Srs. Antonio Braule Freir da
Silva e David Freir da Silva, aquelle j casado,
este solteiro : sao dous perfetos cavalleiros no
tratar as pessoas que tem a fortuna de os conhecer.
< Concebendo V. Exc. assim a familia Braule, vou
estorgar-me por descrever
A festa de Santo Antonio.
Em das de maio, reunidos alguns amigos
familia, se procedeu eleico do juiz e da juiza, de
un. mordorao e de urna inordoma para cada noute.
Ao contrario do cominuin de taes eleiges,
nesta todos desejavam ser sorteados, mas sendo o
santo e a urna insubornaveis, o resultado da elei-
go apresentou os lgithnos e genuinos festetros :
nao toi preciso recorrer aos pltosphoros nem a du-
plicatux, fallou o santo pela urna, ludo toi legal.
L'ma das salas da casa converteu-se em capella,
onde, em mui deceule altar esta o santo ante o
qual se rezou as suas trezenas.
Em rada noute correu o festejo comento
dos respectivos mordomos e porque as amizades
da familia sejam das pessoas e familias da pri-
nieira plana, e a eleigo ambicionada, desde o pri-
meiro da de junho correu o festejo satisfactoria-
mente.
Officiavam ao altar os Srs. Braule, ao coro os
convidados e numerosa reunio de senhoras que
de noute para no uute |se lornava mais compacta.
t F.ndo o acto religioso, passava-se s dangas
at a meia noute ; comegava a ceia, terminada a
qual, ainda se daitcava, despedindo-se todos s 2 e
i horas da manhaa. E assim por diante, guarda-
da a mesma ordem e regularidade at o fim da
fesla, que teve lugar hontem li do corrente.
c Como eu nao seja filho d'aqni e gosie de estu.
dar os coslumes dos habitantes dos lugares em que
a sorte me leva, eonheci que estes treze das me
proporcionaran! os melhores meios de conseguir o
desidertum: e, com cffeito, nao perdi o tempo.
Vi comparecer a esta festwidaiie familiar pes-
soas mui gradas da capital, qur nacionaes, qur
estrangeiras, tornando-se nolaveis estes, que pare-
can! embevevidos ante a formosura das Mara-
nhenses, que, como porfa, cada noute compare-
can! mais bellas e mais altracliva.
Os taes amigos, costumados s suas taciturnas
compatriotas, realmente nao podiam deixar de ad-
mirar esta viveza de espirito, esta faceince engra-
sada, que tanto faz realgar os dotes com que a na-
tureza enriquece a mulher no Brasil.
1 Nao se offendam as demais Brasileiras (que
nao Ihes sou suspeito), mas forga confessar que
as bellas c para a noute sao cheias de vida e de
encantos, que produzem na alma meigas illusoes I
Vi na festa o Francez, o Inglez, o Dinamar-
quez, o Suisso, o Allemo, o Norte-americano e o
Portuguez, cujo consol nesta cidade um dstincto
e assaz polido cavalleiro.
t Vi o desembargador, o magistrado, o inspector
da fazenda, os diversos empregados, o capitao do
porto, o commandante da forga naval ; vi nego-
ciantes do alto commercio, enifim todos quantos
tm urna posicao compareceram ao festejo do San-
to Portuguez.
Como minha senhora, dexaria a gente de vol-
tar, tendo comparecido urna vez, se alm da boa
companhia e do verdadeiro prazer, tinha a familia
a torga mgica de prender-nos com o seu sem
egual agrado, com a sioceridade do seu convite 1
Eu que me '^z cargo de tudo descrever a V.
Exc, puz-me n'um canto e d'ahi admirava todo.
t Urna das particularidades que muito desper-
tou-rae a attengo toi o cuidado com que em urna
reunio to numerosa e tao estirada a familia pro-
cora va receber com carinhos e novos agrados cada
um dos seus convidados, de modo que ninguem po-
de dizer que em tal on ta| noute fosse recebido
com indifferenga ou desapercebdaraente. Euj
1......
Visinha linda, innocente,
Que te ris to docemenle,
Quando alm desmaia o sol,
E a tarde limpa c serena,
E a brisa, que passa- amena,
E froaxa a luz do arrebol;
Mimosa, divina fada,
Que te miras enlevada
Nos plainos azues do cu,
Onde a nuvem, que perpassa,
Como urna onda de cassa,
Simdha nm candido vu;
Viva imagera da poesa,
Que, quando desmaia o dia,
Vens inspirar-te de amor
Nos hymnos ledos, suaves.
Que alm descantan, as aves.
Era honra do Creador;
Seraphira, meigo, formoso,
Que suspiras to saudoso,
Se a brisa geme no val'
Se a vaga morre na praia
E se o azul do cu desmaia
Cu as rosas do teu rosal -,
Viso aerea e divina,
Que n'um oihar, que fascina,
Casto, meigo e seductor,
Tens dos anjos a magia
A graga, a terna poesa,
Virgneos raios de amor ;
Pergunta ao cu azulado,
A flor mimosa do prado,
A luz do sol que se esvae,
nuvemzinha, que gira,
brisa, que alm suspira,
tarde limpa, que cae ;
Pergunta as aves, que cantam,
Que mil hosannas levanlam
Ao throno excelso de Deus,
Que torga, que chamma occulla
Anima tudo o qne exulta,
Palpita nos seios tens
Ai, visinha, se soubesses,
Que esse amor, que desconheces,
Dentro d'alma a germinar,
s a minha esperanga,
A mais querida lembranca.
Que me vem n'alma pairar t....
Que elle s a ventura,
A palma mais rica e pura.
Que eu posso na vida ter,
Minha evenga estremecida,
A luz as trevas da vida
A vida do meu viver I...
Ai, doce e linda visinha,
D-me de amor tardinha,
Um sorriso s dos leus; .
lm sorriso meigo e puro.
Que me prometa o futuro,
Que falle de amor e Deus.
O padre Flix, Jesuta, pregou esta qmresnu
em Nossa Senhora de Paris, tomando por assum-
to de suas conferencias a critica moderna em
ce do chrhlittnisino. Eis o que diz o Monte da -
gunda dessas admraveis conferencias :
< Fol um dos maiores triumphos da paiavra
da verdade ; que ao red jzir a p o padre Pelix a
falsa sciencia que pretende negar a divindade de
Nosso Senhor Jess Christo e ao fallar desta di-
vindade, leve tantos rasgos incomparaveis, deu s
suas palavras tai eoovicgao, tal togo, que o ndito-
rio coraposto do mais Ilustre pela sciencia que ha
em Franca, enthusiasmado, transportado, tora- de
si, esteve ponto, durante o discurso, de prer m
per em gritos de admirago, de appl.iu-
agradecimentoV
Unta gazeta, bem inimiga da religiao. a f .
confessa o mesmo faeto e exalta o mereci ote
dessas conferencias que tem pulversado o [> I *
Itenan.
Do Jornal Ainusnnt traduzimos :
Assegura-se qne o Pemonte contando j
morte do soberano pontfice convidou o galai; :
das Tulr.erias deixar ir revelia a cansas
Roma logo que o papa morresse...
Que h*vja reben.ar urna revolugo.. 0|
romano entregue a si acabara com o poder
papas para se dar ao governo de Turin..
Era certo e infall.vvl, diziam elles.
O imperador Napoleao. que san- muito !* :.
s sao inimigos do papa em Itoma os ana.
res represt-ntados pelo comit nacional, reama
gente perdida e vendida, respondeu easkefone.
mente, dizem, que o exercilo francez di- eerapa-
go era suflh-iente para impedir toda dewrdem.
que esse exercito continuara a nVarem Bmapi-i
proteger a liberdade do conclave que tinha J
colher um novo papa.
Tanto desagradou esta resposta em Turin. qu -
to. deu prazer a todos os que nao sao cailn.l
pelo baplismo.
Abeuge Deus o soberano que assira falla.

Outra bella aego.
O imperador do Mxico S. M. Maximiliano v
lando a cora que Ihe fra offeiecidav declaruu
antes de deixar a Europa ira pedir ao sanio pa-lr
sua bencao, Lio preciosa para os reis.
E o fez l e inda mais, commungou com i
sua familia das raaos do Mnenaa ponlilire. ;i-
Ihe dirgiu por essa occasio uw.t alucuci
cante.
copiarnos o que- -,._
tirara-se a urna a de agradar as senhoras.
Sempre ambiciosos, sempre egostas, e nao disse que a familia Braule tem boa educago, mas
menos calculistas, recrirainamo-las por nosso tur- esta era sempre d o dom de bem agradar.
Do Universo Ilustrado.
sob titulo de:
ETHKOLOGU
Nestes ltimos annos o esludo da elhaologia i-
prendido a atlengo de alguns homens nMB*ns
as numerosas descobrrlas qne se lem tono en...
ferenies ponlos do globo, em carnadas geol*..
anda nao exploradas, ou exploradas rouiiu >apr-
ficialmente, tem dado causa a v, hemeaic- c
das entre alguns iheologose mnini.
Na California, o mineiro por meio de suas mi
radas descoberias, abrindn vastos campo* *.. r,
xes dos sabios, lem auxiliado maU do qae nin
gue.n pensa os progresos da scienoa.
Apesar do grande numero das descobertas el -
mineiros californienses, ellas ainda nao aitratur
a allencao que merecen).
A ignorancia dos primeiros exploradores .
por muito lempo motivo de grande pesar par -
sabios.
Com effeito quanlas observagues perdern
ellesl
Ali onde nm dente de animal antidiluviano.
urna concha fossil, um fmur, on nm libia de indi-
viduo desconhecido atlrahiria toda a soa alien
o descuidado mineiro nao va mais do que uro .
jecto informe e sem interesse.
Entretanto, nesles ltimos tempos, tem .ul '
gistradas algumas curiosidades naturacs. di:
Scientifie American.
A proposito das descobertas fosse qne se n
feito na California indicaremos o safe mqneU*
que se achuu 5 milhas ao sul da Misso de &**?-
kaman, no territorio da Misso de S. Joanoim. ^
qurlelo humano, bem entendido, qne lint aafc
menos de 11 ps de compnmenlo.
Citaremos tambem os esqueletos encontrad <*
diversos subterrneos, necropoles dos amigos ***'
rigenes.
Poucos panes teero sido tao reos em fos*is<
Ihe prestar consolacio.
A bencao de um anciao atrahir sobre as vossas
cabegsa bengo de Deus. ........---------r_.---------- ----------r--------------v D, ,,,.,.
Deputados da nago, se tenho provado que o go- no por terem ellas retardado o seu apparecraenlo, Passaram-se assim treze noutes e na dcima do to cavado e revoW.doUe "* 0Ul'0
vernodo Pemonte, governo tyranoicoe usurpa- e declaramos nossa infiellbilidade na senlnga m- quarta em que a festa lerminou rom a presenca Examinaudo-se alguns ossos mmanos ace*--
dor em aples, revolucionario em Turin, anti- fligida pelo que n3o poda o plano, continuar silen- dos mais ntimos, posso affirroar que tocou o bello, em profndelas de 16 1.000 ps, *
torcas, para defender a integridade do territorio ,^,^,00 em ioda a Italia; se tenho provado que a cioso como at ento. Nao havia ppcllacao: para por se terem reunido as senhoras vestidas familar-
"^ pontificio e alraucar a restituigo da parte que Ihe tie^h3 lmi obrigagao estreiu'ssinu de se oppfir logo as melodas de Webber, as sublimes harmo-, "mente, trangas cahidas, como'pede o'tensq~calor enMnad5? '
' toi iniquamete roubada. -__------------- t ,^ > >< m^ we a t/^pi1 cnhcNfuinm ^ ,ikii,w.p (mmu. a.-. *..n nijn.:.^ _#,,._ ... .
rio. Mas nao ser assim : por desusados modos-
por incomprehensiveis camlnhos a cidade e os
riiorios Acarara para o seu legitimo senhor. Ai en
tao daqoelles que teem vendido o berco dos seus Falle o governo, falle o congresso hespanhol;
paes para pagar o rou jo da heranca alheia 1 saibam nacionaes e estrangeiros que a naci catho- relacoes com elle era quanto persiste era suas mi- curado os melhararaeotos maieria.es da proviu
Felizes se poderem comprar em trra estranha lica nao soffrer pacientemente as iniqnidadea qne; quidades. j
a tanto excesso, mingua seria que se podosse orr niasdVerdi, substituiram s mistantes aprecia-
nem por um momento que renovaramos as nossas (5es que faziamos dos meos com que se ha pro-
curado o
I cia.....
historia dos Migantes que 'queraiii espalar
esqueletos Ix
, lem o duplo do dwsnfnli
oderiam
do clima, produzindo assim esse efToito quo vemos to do homem actual,
na mulher formosa, quando ella, despreiaudo a Que curioso a instructivo r
arte, s ostente os dotes da natureza. fuod'do m California I
t Nao me causara pouca admiracSo a hartao- PRNAMB0CO."-tVp!'I)1 M. P. DE F. rh*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPBJG7S7J_5WY6AO INGEST_TIME 2013-08-28T02:53:35Z PACKAGE AA00011611_10413
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES