Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10412


This item is only available as the following downloads:


Full Text

*

m o ii. maiBQ 15$.
Por tres mezes adiantados bgOOO
Por tres mezes vencidos .. 6J00
Porte ao correio per tres mezes. 0750
*** I N
FEIRA
Por aiiw adiaatadY. .... 198000
Porte ao correio por iim ano\ 3)000
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty,
8r. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
maronas, o Sr. Jeronynio da Costa.
KNCARREGADOS DA SUBSCRIPTO NO SUL-
Alagas, o Sr. Claudico Falcio Dias; Baha, o
rr. Jos Martins Al ves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruara*
Altinbo e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', CaXrob,'
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sennbaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
llha de Femando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi di*.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JULHO.
3 La nova as 10 h., 5 m. 13 s. da m.
12 Quarto cresc. a 1 h., 26 m. e 14 s. da m.
19 La cheia as 4 h., 15 m. e 14 s. da ni.
25 Qnarto ming. as 6 h., 26 m. e 8 s. da t.
PREAMAR DE HOJR.
Primeira as 9 horas e 18 minutos da manhaa.
Segunda as 9 horas a 42 minutos da tarde.
PARTIDA D03 VAPORES COS1EIRQ3.
Para o sul at Alagas a 5 e 25; -pira o uorte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, marg., maio, jul, set enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipucos as 6 V, 7, 7 >/, 8 e
8 /a da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao 6 y, da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife ; para o Apipucos s 3 % 4, 4 y4,4 /2,
5, 5A, 5 Vi e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 Vi da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cachang e Vanea s 4 y, da urde; para
Bemfica s 4 da tarde. |
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao : tercas sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juixo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao uni
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
DIAS DA SEMANA.
i 1. Segunda. S. Sabino m. ; S. Silvano ni.
12 Terca. S. Joao Gualberlo ob ; S. Jason.
13. Quarta. S. Anacleto p. m..; S. Joel pro.
14. Quinta. S. Boaventura b. card. dr. seraphico.
13. Sexta. S. Camillo de Lellis fundador.
16. Sabbado. Nossa Senhora do Carino.
17. Domingo. O Aojo Custodio do imperio.
ASSIGNA-SB
no Recife, em a livrara da praca da iadependencia
ns. 6 e 8, dos proprietaro Manoel Figueiroa de
Faria A Fho.
PARTE OFFICIAL
60YERN0 DA PROVINCIA.
Espediente do dia 7 de julho de 1861.
, 2o de junho prximo finde, tenho a dizer-lhe em
resposta que continu a exercer jurisdigo no dis-
tricto para que foi eleito at que o governo impe-
rial, a quera vou submetter o negocio, o resolva,
ficando por emquanto sem effeilo o offlcio que an-
teriormente Ihe dirig sobre este assuropto.Offl-
ciou-se a cmara municipal do Recife para fazer
constar ao juiz de paz do 2 districto da freguezia
Ofticio ao commandante das armas interino. de S.Fre Pedro Goncalves do Recife.
Maja V. S. de nomear urna commisso de tres of-, Dito ao thesoureiro das loteras.Altendendo ao
fieiaes para examinar minuciosamente como soli- que requereu a mesa regedora da irmandade de
citou o director do arsenal de guerra em offlcio de Nossa Senhora do Rosario da freguezia deSanto An-
iionteai, e estado da munigo de guerra depositada tonio do Recife, e tendo em vista a sua informa-
por parte do mesmo arsenal no paiol da fortaleza cao do 1 do corrente e do juiz de capellas de 7
do Brum, communicando-me V. S. o resultado do deste mez, autoriso Vmc. a mandar entregar ao
exarae.Communicou-se ao predito director.- thesoureiro da mesma irmandade Luiz Mihb, de-
Dito ao mesmo.Mande V. S. alistar nos corpos pois do prazo da lei e mediante (anca idnea, a
em guarnicao nesta provincia, se forem julgados importancia do beneficio da 3 parte da lotera ex-
aptos para isso em inspecgo de sade, os reerutas trahida no dia 23 de junho ultimo, em favor das
Florian Gomes dos Santos, Antonio Jos Mendes obras da mesma igreja, do qual opportunsmenle
da Silva, Francisco Pessoa da Cunha, Anastacio prestar contas o referido thesoureiro na thesou-
Ferreira de Oliveira, e Joao Dantas Ferraz que se raria provincial.Communicou-se a tbesouraria
achara deudos no quartel do segundo batalho de provincial.
infamada. Communicou-se ao tenente-coronel re-1 Portara.O presidente da provincia conforman-
erutador. | do-se com a proposta apresentada polo tenente-
Dito ao Dr. chefe de polica Concedo a autori- coronel commandante do batalho n. 16 de infau-
saco que V. S. solicitou para a factura de al- taria da guarda nacional do municipio do Pao
guias camisas de forga destinadas casa de de- d'Alho, sobre que ioformou o respectivo comman-
leocao, e de que trata o seu offlcio de 4 do cor- dante superior em offlcio de 13 de junho ultimo,
rente. (resolve nomearcapites da companhia do mes-
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. mo batalho o capito aggregado Carlos Jos Go-
Remetto por copia V. S. para os fins convenien- mes de Oliveira e da 5" o tenente da 2* companhia
tes o termo de consumo dado diversas pecas de Jos Januario Alvares Ferreira.Commuuicou-se
roupa e utencilios que estavam cargo do iospi- ao respectivo commandante superior,
tal militar. Dita.O presidente da provincia resolve privar
Dito ao mesmo.Em vista dos inclusos docu- do posto de alferes da 2* companhia da secgo de
mentos, que me foram remettidos pelo comman- reserva n. 2 da guarda nacional do municipio de
dante superior deste municipio com offlcio de hoje Pao d'Alho a Vicente Ferreira da Rocha, por nao
ob n. 97, e nao bateado inconveniente, mande ter solicitado patente no prazo da lei, e Je confor-
V. S. pagara importancia nao s dos vencimentos midade cora a proposta apresentada pelo major
relativos ao mez de junho ultimo dos cornetas, commandante da mesma secgo sobre que infor-
clarins e tambores empregados nos corpos da mou o respectivo commandante superior em offl-
guarda nacional desta capital, mas tarabem do ci de 13 de junho ultimo, promove a alferes da
aluguel de tres mezes vencidos em junho j cita- predita companhia o guarda Joaquim Barbosa do
do, da casa, que serve de secretaria daquelle Souza.Communicou-se ao respectivo commau-
ommando superior. Comraunicouso ao com danto superior,
mandante superior da guarda nacional do Re- Expediente do secretario do governo do dia 7 de
tonio Cardoso Pereira de Mello, e nomeado com-
mandante do destacamento da villa do Brejo.
Remottem-nososseguintesapontamentos, que
olTerecemos apreciarlo dos competentes para a
respectiva providencia.
Na nova collocaco dos candieiros do gaz da
Antonio Joaquim da Hora.
Manoel Francisco.
OuTl'AJUO do da 8 DR
publico :
Senhorlnha Martins Raposo,
JLLHO NO CE.MITER10
Pernambuco, 54 an-
uos, viuva. boa-Vista, absorpeo pumlenla.
parte que se faculta o calamento da ra do Impe-, Mara do Carino, Pernambuco, 30 annos, sollera,
rador, j se pode contar bem 11 em lugar de lo S. Jos, bekigas.
' que existiara ; e como se nao deva diminuir oque Gregorio Vieira, Minas, 60 anuos, solleiro, Boa
julho de ISfi.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.
O Dr.Joe Ferreira da Silva, inspector da saude
cife.
Dito ao mesmo.Communicando-me o brigadei-
ro commandante das armas em offlcio de hontem
datado, sob n. 1,200, ha ver nomeado o tenente do ,
segundo batalho de infamara Antonio Cardoso do porto desta capital por offlcio firmado boje,
Perca de Mello para commandar o destacamento communicoubajer entrado nessa data no gozo da
da villa do Brejo era substituido ao segundo te- l'cnoea qne Ihe foi concedida por portara de 4
nenie Anton.o Luiz Teixe.ra Campos, baja V. S. de.te mez o que de ordem de S Exc. o br. presi-
de mandar 'ajustar as contas daquelle offlcial dente da provincia participa a \.S. para seu co-
ate o lim do mez corrente, abonar-lhe o quantitati-. nnecimento. .
ve que tiver direito para a conduce) de sua 'toao commandante superior da guarda nacio-
bagagera, bem como fornecer-lhea competente gua nal de Cabrobo.-S. Eic. o Sr. presidente da pro-
de soccorrimento. Communicou-se ao comman- vncia,acujo conhec.mento leve o offlcio desse
dante das armas commando superior datado de 4 de margo ultimo,
'uiio ao mesnio.Ao juiz de direito Jos Ban- manda declarar a V. S. em resposta, me sendo pri-
deira de Mello e pelas razoes comidas no incluso va,l0 gororno imperial a nomeacao de majo.
Tequerimento, mande V. S. entregar sol) minha res e ajudantes dos corpos da guarda nacional, os
re*|onsablidade, nos termos do decreto n. 2,884 juaes devem ser tirados de entre os officiaes do
do prim-iro de fevereiro de 1862, a quantia de ereito, como esta de erminado ee artigo 49
400*. ud* da usto^^ arbitro para sua viagem ffto M to aelembr de.18t; P'
e de sua familia at a capital do Para, para onde nomeado tenente ajudante do batalho n
foi ltimamente removido. de "^* o c.dadao Adioilato Herculano Ro-
Dto ao inspector da thesouraria provincial.- ^vindicado pelo commandante do referido ba-
Respondendo ao offlcio que V. S. me dirigi hon-
e otil, sena conveniente o augmento dos ditos can
dieiros, que ser entre nos uus verdadeiros cabos
de polica noite.
Vai-se estabelecendo a moda de amarrarem
cavados as columnas da illuminagao particular da
ra do Crespo, hoje intitulada Bornear do Crespo.
Convira semelhante pratica ?
E' intoleravel a continuacao de lavagem de
animaes na rampa do passadico, nao obslante j
se ter fallado a este respeito. Lembramo-nos, ca-
so seja isso um previlegio dos cocheiros, remoVer
para a rampa da ponte provisoria, onde ha .supe-
rior commodidade, e juntamente urna sentinella
que nada tendo all qne fazer se prestar a nao
consentir qne se damnifique a mesma rampa.
Se continuar enlo saberemos ser previlegio
de alguem esta cousa.
No dia 18 do passado, na villa de Ingazeira,
quande iam fachina, fugiram os presos de jusliga
Pedro escravo e Manoel d'Assumpco, pronuncia-
dos o primeiro por crimes de morte e roubo, e o
segundo por ladro de cavados, tendo os signaos
seguimos : Pedro, cabra, de 18 annos, corp e es-
tatura regulares, olhos grandes, nariz grosso, rosto
redondo, denles limados e cabellos carapinhos ;
Manoel d'Assumpco, cabra, alto, secco, cabellos
carapinhos, olhos grandes, nariz afilado, pouca
, barba, rosto descarnado e ps pequeos.
No da 2o, na villa do Rom Conselho, s 10
horas do dia, foi gravemente fendo com urna faca-
da Francelina Maria, vulgo D/rfi, por Hortencio
Telles de Carvalho, que logrou fugir.
O vapor Mamanguape, chegado hontem dos
portos do norte de sua escala, foi portador de
jornaes do Cear at 3, do Rio-Grande at 7
e da Parahyba at 9 do corrente.
No Cear foi absolvido ne jury o Dr. Pedro Pe-
reira da Silva Guimaraes, no processo intentado
pela cmara municipal da capital.
Vista, diarrhea.
Pantaleo, frica, 56 annos, solleiro, Boa-Vista,
diarrhea.
Maria da Conceijao, frica, 80 annos, solteira, Boa
Vista, hydropezia.
Hilario, escravo, frica, 70 annos, solteiro, Boa
Vista, malicia.
Petronilla, Pernambuco, 8 dias, Santo Antonio,
espasmo.
Antonio Jos Antunes, Pernambuco, 50 annos, sol-
teiro, Boa-Vista, asinina.
que ousaram escrever, atacando por semelhante
modo a um juiz e a civilisacao do lempo piesenle; I
porm intactas devolvo as palavras para os mes-
mos individuos, tcando eertos que cada qual d o
que tem.
Dignos leitores, oceupai-vos um pouco com o
?|ue vos olerego em defesa da aecusacao que me
izeram n'uma das partes d'um communicado im-
presso no Jornal da Parahyba n. 205 de 18 de
majo deste anuo. Prestai attencao ao que disse-
ra m
rei
tario de sua finada mai, tinham sido victimas da I os'demaiTservicus por VS."' pVe'sta^oVnessaqua-
minha cegueira na qualidade de juiz adjunto, e' ra afilictiva, os quaes estSo cima de todo o
que, anda que juiz incompetente or ser o mais elogio
idiota dos humanos, tinha sacrificado por amor de Dos guarde V. S. Birbilha 30 de maio de
promessas illusonas, aos caprichos do Olintho a ; iS6illlm. Sr. Antonio Manoel Sampaio, divrno
le, a justica e equidade, levando o arrojo a ponto j,,^ municipal substituto do termo di Barbalha.
da curadora o Dr. promotor publico,; _r. Antonio Minoel de Mnletrot, medico em
commisso do governo no Cariri.
que o governo receben com o devido apreco a
declarago qne V. S. acaba de fazer-rae de que
renuncia indemnisago das desperas qne foram
por V. S. exclusivamente feitas com soecorros a
populaeo desta villa e seus suburbios, desde o
appareclmento do cholera raorbus at o da 15 do
corrente em que cheguei esta villa, despezas es-
tas que sogundo se verificou, orcam na atnntia
de 4343840 rs.
Agradecendo a V. S. em nome da humanidad.;
ara os aecusadores era sua aecusagao, que os di- este acto de pliilantropia e generosidade, que te-
eitos do Sr. Dr Luiz Jos Correa de Sa, no inven-1 Dhaa nitpa de Consignar, nao devo esquecer
CHRONIGA_J(IDlCIARIi
TKIHIT.WL DA HELADIO.
SESSAO EM 9 DE JULHO.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
SOUZA.
s 10 horas da manhaa, presentes os senhores
desembargadores Gitirana, Lourengo Santiago, Res
e Silva, Almeida e Albuquerque, Motla, Assis, e
L'cha Cavalcanti, e Guerra, procurador da cora,
faltando com causa o Sr. Barros Vasconcellos,
abrio-se a sesso.
Passados os feitos e entregues os distribuidos,
deram-sovos seguintes
JULGAMENTOS
Appella^o civel.
Appellante, o regente da capella dos Prazeres ;
appellado, o solicitador de residuos.
Desprezaram-se os embargos.
Habeas-corpus.
Negaram ordera de habeas-corpus pedida em pe-
tigo por Rodrigo Gongalves Bastos.
DILIGENCIAS CRIMES.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
na cmara municipal ua capuai. | iu_ h/ !!7,!r^COrn 70^annos; ,no ,0fardy?*-*-1 A, appellaroes crimes.
de, o abitado fazendeiro Alexandre Rodrigues Mo- Appellante, o juizo ; 'appellado, Jos Pedro de
re'r ... .. .Santa Anna.
buicioara-se, com nm golpe de navalha, na cida-1
de do Aracaty, Joaquim Leocadio da Costa,
causa de complicagSes em seus negocios.
(Do jornal Araripei- Grato.)
Salsaparrilha de ld-i>tol.
e nomear para este lugar o parocbo desta fregu
zia Jos Antonio Marques da Silva Guimaraes.
Avaliai bem a aecusagao de que usaram para ac-
cusar-me estes grandes perturbadores ; para ficar
nos vossos conhecimentos a inexactido desta ae-
cusagao, provoco a estes perturbadores com ener-1 iioatbs causadas por minarabs.
gia para que apparecam cora as suas provas para, Fazem-se uso de todos os venenos activos na
provarem as promessas, que eu acceitei do Exm.! medicina e todos finalmente encurtam a vida. A
Sr. Dr.Olintho, sacrificando assim a lei, a justiga e stlsapanilka de Bristol um dos poucos remedios
eqmdade ; os perturbadores nao disseram quaes verdaderamente e puramente vegetal,
foram os artigos na lei infringidos por mim; e as- Ella nao contm um s grao de mercurio, arse-
sim, alm das provas que dizem oferecer, com el- nico, strychnina, bromine, iodine ou outro qualquer
las mencionem tambera os artigos na lei, que rege
Appellante, Jos Francisco Lins; appellada, a
Pr justiga.
diligencias civeis.
Cora vista ao Dr. curador geral
A appellaeao civel.
Appellantp, Antonio dos Santos Pinheiru
pellado, Antonio Augusto Maciel.
DESIGNAgAO DE DIA.
- Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
feitos :
Appellaeao crime.
Appellante, Manoel Baptista dos Santos;
lada, a jusiiga.
sr. desembargador Gitirana passou
talho.
Qnanto, porm, ao equivoco que se deu em o
nome do cidado Satyro Rodrigues de Carvalho
Jnior, nomeado alferes para a 6* companhia do
mesmo batalho, llca sanado com a relagao que
inclusa remello a V. S. para substituir a de que
trata o meu offlcio de 3 de fevereiro do annocor*
rente.
Despachos do dia 7 de julho de 1861.
Requerimentos.
Antonio de Faria Brand.io Cordeiro. -A' vista da
informacao nao tem lugar.
Anglica Mara llosa da Conceicio. Nao tem
lugar o que requero supplicante.*
Capito Antonio Francisco da Cunha. Informe
o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Benedicta Jovelina do Espirito Santo. .Nao tem
lugar o que requer a supplicante.
Candida Maria da Conceicao. Ach indo-se o fi-
Iho da supplicante cora praga desde 8 de abril ul-
timo, a baila s pJe ser concedida pelo governo
imperial.
Eijas Anacleto dos Prazeres.Em vista da infor-
macao nao temlugar o que requer o supplicante.
Francisco das Cliagas Rodrigues de Azevedo.
Informe o Sr. cora mandante do corpo de polica.
Innandale de Nossa Senhora do Rosario '.la fre
ato ao requerimente de Lourenga Anna do guezia de Sgnto Antonio desta cidade. Dirija-se
Divino, sobre que versa o seu offlcio n. 7 ao Sr thesoureiro das loteras.
JoSo Patricio de Oliveira. Informe o Sr. Dr.
na companhia de aprendizes desse arsenal os me- chefe de polica.
ores Francisco do Carmo Colho e l.udgero Jos Caetano Teixeira da Silva Remettido ao
Tii.'o loro de Oliveira filhos da supplicante, urna Sr. comman Jante do presidio de Fernando para
wz que esta satisfaga, alm das disposigoes do ailenderao supplicante como julgar conveniente,
art. i." do regulamento de 3 de Janeiro do 1842, Lourenga Auna do Amor Divino. Dirija-se ao
as exig 'iicias constantes do seu citado offlcio. Sr. director do arsenal de guerra.
Ditoao commandante superior da guarda naci- Maria da Luz. Informe o Sr. director do arse-
nal do Recife. Em deferimento pretengao do nal de guerra.
lente Andr Guilherme Breckenfeld sobre que Rufino Manoel da Cruz Comseiro. -Em vista das
versa a sua inNrmaco n. 96 de 6 do corrente, nf jrmages nao tem lugar o que requer o sup-
autoriso V.S.a mandar passar-lhe a guia de que plicaute.
trata o art. 45 do decreto n. 113 de 12 de margo i u0sa Maria da Conccigo. Requeira aoSr. cora-
de 1853, visto que esse offlcial esta resolvido mandante das armas,
transferir a sua residencia para o Rio de Janeiro. I Rosalina Francisca de Assis.Junte certido de
tem sob n. 257, acompanhado de outro que devol-
vo do contador dessa thesouraria, tenho a dizer
<|ue deve V. S., conforme indica o respectivo pro-
curador fiscal no seu parecer, langado neste ulti-
mo offlcio, mandar extremar da quantia, consig-
nada no | 2." do art. 4 da lei do orgamento vi-
gente, a importancia das diarias do servente da
assembla provincial que continuaram a ser pagas
nessa tnesjuraria, como tem sido pratica, entre-
gando depois o restante da consignagao ao Dr.
M-i noel Buarque de Mac Jo, segundo declarou a
mesma assembla.
Dito ao mesmo.Mande V. S. fornecer ao secre-
tario da Escola Normal bacharel Maximiano Lopes
Machado, como requisitou o respectivo director
enioffljio de hontem, os objectos mencionados na
nota inclusa por copia.Communicou-se ao direc-
tor daquella escola.
Hito ao capito do porto.-A' V. S serao apre-
sentados para servirem na armada se para isso
forem considerados aptos em inspereo de sade
os remitas Pedro Jos Goncalves, Caetano Chaves
Xavier, \maro Jos do Nascnnento. Luiz Antonio
Joaquim de Azevedo e Jorio Francisco da Silva.=
Cjmmunicou-se ao Dr. chefe de polica
Dito ao director do arsenal de guerra.Em de-
ferime
Amor
de 6 do corrente, autoriso V. S. a mandar admittir
No dia 25 do passado entrou em exercicio de
secretario da presidencia o Dr. Jos Julio de Albu-
querque Barros.
L-se no Pedro II:
Consta achar-se creada nesta cidade urna agen-
cia do lianro -Allmnra do Porlo e cargo dos ,
i Srs. Jos Smith de Vasi-oncellos & Hughes.
Este estabelecimento, que tem por fin fzer j
saques directos sobre o banco e ca xas Uliaesde
diversas cidades de Portugal, sobre Londres, Pars,
Hamburgo e outras pracas da Europa, e sobre o
' Uto de 'anrirc, Baha, CurnambOco, Maiannao o j
i SiiSSS^nhS^n^aT ESS' ^^^^S^E
ragt ttsssatfvsxi' lad^TSMan^ B*s,a dos santos
de multa utilidade para o nosso commercio e in- o SrJ. desembargador Lourengo Santiago ao Sr.
du^tna, e vem preencher urna grande falta de que desembargador Beis e Silva
se resenta a nossa praca, que assim passa a ter As flwWfa(!0> erimn
vaniagens, que resultara das relagoes que va. ad- Appellante, Joaquim Ignacio da Silveira Bor-
,a'r'r101 diversos pontos da Europa e encorara, ge appellado, Francisco de Assis Cordeiro Oli-
um meio de augmentar o commercio directo com vera
Portugal, to amortecido entre nos. Appellante, o juizo ; appellado, Pedro Alves dos
.Sames.
ap-
appel-
ao Sr.
appel-
: A direegao do bancoAlhancafoi bem ins-
pirada nomeando para seus agentes os Srs. Jos
Smith de Vasconcellos & Hughes, negociantes res-
peitavuise honrados, e que tem urna casa commer-
cial importante, sem duvida a segunda casa impor-
tadora.
Appellante, o juizo
de Bulados.
Appellante, o promotor
tonio de Moraes.
Appellantes, o juizo e Jos Dias dos Santos; ap
appellado, Miguel Trigoso
appellado, Manoel An-
t Seu intelligente chefe muto se temdestinguido' pellados, o juizo e Anna Magdalena.
na profisso do commercio, ha bastantes annos,
por sua perveranga e actividade, pelo que agoura-
I mos bem a agencia do banco nesta cidade.
Na sexta-feira, aps o interrogatorio do solda-
do de cavallaria, que pz fogo ao theatro de Santa
Isabel, foi mandado recolher casa de detencaoo
appel-
A appellaeao civel.
Appellante, Vicente Ferreira de Mallos
lado, Francisco Ignacio Bochedo.
Ao Sr. desembargador Almeida e Albuquerque
A appellaeao civel.
Appellantes e appellados conjunctamente, Anto- I
I artista dramtico Luiz Candido Furtado Coe'lho ; n" Carlos Pereira de Burgos e Antonio de Siquei
sendo ao depois interrogado e confrontado e seu in-' ra Cavalcanti.
terrogatorio com o do soldado, e mandados conser-; o Sf- desembargador Res e Silva ao Sr. desem-
[ var presos ambos. A polica prosegue as pes- hargador Almeida e Albuquerque
j quizas. As appellaees crimes.
Passageiros do vapor brasileiro Mamanguape, i Appellante, o juizo ; appellado, Francisco Jos
entrado do Acarac e portos intermedios :Miguel de Souza.
| Leopoldo de Scuza Lima e i escravo, Miguel Lo- Appellante, Flix Jos de Luna ; appellada,
pes de^Araujo, Miguel Joaquim Carlos Cardoso, An-1 justiga
ta Costa, Antonio Jos de Oliveija
reir
VTi-
baptismo.
Tiburcio Valeriano Baptista.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazeuda.
Dito ao Dr. Manoel Jos di Silva Neiva, juiz de
direito da segunda vara desta capital.Tendo o :
governo imperial approvado, como me constou de '
viso da repartco da guerra de 10 de junho ulti-,
mo, a nomeacao que confer Vmc. para servir ;
interinamente de auditor de guerra, assim Ih'o'
communico para seu conhecimcnto.
Dito ao juiz de direito de Garanhuns.Tendo 1
deixail) de acompaohar ao seu offlcio de 2 do
corrente a representago que o presidente da c-
mara municipal de S. liento, o major Bento Jos
Alves de Oliveira eoutros flzeram esta presiden-
cia contra diversos vereadores da mesma cmara;
cumpre que Vine, m'a reraetta com a brevidade
possivel.
Dito aojuiz municipal da primeira vara
cidade.-Tendo designado Vmc, de conformida- vat.
de com e 5." do art. 43 do decreto n. 722 de 25
de outubro de 1850, para servir ni conselho de
revista di guarda nacional deste muni se tem de reunir no dia 17 do cerrente, assim
Ih'o communico para seu conh- cimento e execu-
ao. Communicju-se ao commandante superior. | Sobre proposta do "conselho director da ins-
Dito ao director geral da instruegao publica. truegao publica foram approvados para as escolas
Declaro a Vmc. para seu conhecimento que a Es- de primeiras lettras da provincia : o Liito dos me-
cola Normal deve, em falta de edificio, que offere- nios pelo Dr. Antonio Reg, e as NoeSes de eos-
;a melhores accommodacoes, uncrionar na casa mographin e geographia pelo padre Ignacio Fran-
in que trabalha o Curso'Commercial, visto que o cisco dos Santos.
PEMAMBDCQ.
REVISTA DIARIA.
Foram transferidas as professoras publicas
de primeiras lettras D. Maria Salom de Siqueira
Varejo s D. Guilhermina Bizilissa de Albuquer-
que Mello, aquella de Nossa Senhora do O' de Ipo-
desta juca para a Capunga, e esta da Victoria para Gra-
Em virtnde do artigo 2* da lei n. 276 de 7 de
abril de 1851, foi aposentado o engenheiro da re-
particao das obras publicas JoSo Luiz Vctor Lieu-
tier, com o ordenado correspondente 18 anuos, 6
mezes e 7 dias de servico.
; tonio Borges
Castro, 1 criado e 1 escravo, Jos de Azevedo
laronco Jnior, Jos Raymundo Borges da Costa,'
, Manoel de Oliveira Castr. Jos Francisco Ramos,
tenente-coronel Antonio Pereira da Graga e i es-1
cravo, Pedro da Bocha Freir, Francisco Joaquim
Nogueira, Lucio Bibeiro Guimaraes, Jlo Antonio
de Moura, Antonio Antunes de Mello, Jos Marques
I de Souza Castro, Manoel Lourengo, Joao Tcixeira
Bastos, padre Francisco Adelino de Brito Dantas,'
Balthazar de Moura e Silva, Antonio Agostine, Ni-1
colo Asosline, Jos Martins Ferreira da Costa, Dr. ]
; Manoel Remeterlo Ilaposo de Mello, Manoel Pinto
de Carvalho, Jos Paulino de Andrade, Manoel Ba-
j lio de Moura Rohm, Francisco Melchiades de
Cerqueira, Miguel Lucas da Costa, Esmerino Jos
de Araujo, Jos Felippe Nery da Silva, sua senho-
ra, 2 filhns e I criada, Manoel Francisco Rodrigues,
Vianna, Jos M. Antonio Leal, Jos Ramos de Car-
. ralbo, Jos Fernamles Marques Braga, Francisco
'Alves de Souza Carvalho e 1 criado, Manoel Mar-1
nes Camacho, Carlos Avelino Pires e Antonio]
Francisco Monteiro da Silva.
; REPAHTIQO DA POLICA.
Extracto das partes do dia 9 de julho de 1864.
Foram recolhidos casa de detengo no dia 8
do corrente:
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, Pedro Appellante, Agostinho Lucas Correa ; appella-
Jos Barbosa, para correcgo ; Antonio Benicio,; da, a escrava Lina,
sem declaracao de motivo. Appellante, Luiz Antonio de Souza Ribeiro f ap-
a' ordem 'do Dr. delegado da capital, Luiz Can- pellada, a viuva do coronel Bento Jcse Lemenna
dido Furtado Coelho, sem declarago de motivo. Lins.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Joao Car- O Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desem-
neiro da Silva, por disturbios ; Antonio, escravo gador Barros Vasconcellos^
As appellaroes civeis.
Appellante, Anastacio Jos da Silveira ; appella-
do, Alexandrino Martins Correa de Barros.
Appellante, Joao Paes Brrelo de Lacerda ; ap-
pellada, a baroneza de Ipojuca.
DoSr. desembargador Almeida e Albuquerque ao
Sr. desembargador Motta
As appellaroes civeis.
Appellante, o juizo ; appellado, o brigadeiro Gas-
par de Menezes Vasconcellos de Drummond.
Appellante, Joao Manoel de Barros Accioli ; ap-
iada, a preta Cypriana.
Appellante, Antonio Lopes Braga', appellado, o
menor Graciano.
Do Sr. desembargador Motta ao Sr. desembar-
gador l'cha Cavalcanti
As appellaroes crimes.
Appellante, o juizo ; appellado, Angelo Pi.
Appellante, Laurindo Francisco Brasil; appel-
lado, Faustino Jos da Costa.
Ao Sr. desembargador Reis e Silva
A appellaeao civel.
Appellante, Gaspar Cavalcanti de Albuquerque
Ucha ; appellado, Joao de S Albuquerque.
Do Sr. desembargador Ucha Cavalcanti ao Sr.
desembargador Assis
As appellaqSes civeis.
Hontem comecou o processo eleitoral para a
formacao da lista trplice. A mesa do collegio do
Recife ficou assim composta :
Presidente.
Conselheiro Trigo de Loureiro........ 165 votos.
Secretarios.
Decio de Aquino Fonceca............ 159
Floriano Correa de Brito............. 157
Escrutadores.
i que
tempo de exercicio da referida escola nao embara-
za o do curso, porque este funcciona a tarde e
aquelle de manhaa.
Dito a cmara municipal do Recife. Respon-
dendo ao offlcio da cmara monicipal do Recife de
22 de junho prximo lindo, sob n. 26. tenho a di-
zer que para a desapropriagoo que se tem de fa-
zer da parte incendiada do predio do commenda-
dor Joo Pmtd (H Lemos, da rna do Trapiehe, ne-
ressaria para a abertura de urna outra ra marca- Dr. Apriglo Justiniano da S. Guimaraes 85
da na planta respectiva, deve essa cmara proco- Emilio Americano do Reg Cazumb.. 83
der com urgencia e de cenformidade com as dis- Eis o resillado dos collegios do Recife, Cabo e
posiges dos artigos 2 a 5 do decreto n. 353 de 12 Escada. faltando apurar orna lista n'aquetle :
mentos proscriptos no referido decreto, aflm de ser Dr Saldanha Marinho M7
ludo encaminhado convenientemente ao governo Dr. Feltosa *3
imperial. Conselheiro Chichorro 148
Dito ao juiz de paz do segundo districto da fre- Dr. Urbano 124 >
guezia de Santo Antonio desta cidade.Tomando Foi exonerado de ajudante de ordens da pes-
era consideraco o qacexpoz Vmc. em offlcio de soa do commandante das armas o Sr. bmente An-

de Amaro Benedicto de Souza, requerimento do
respectivo senhor.
A' ordem do da Boa-Vista, Joao e Manoel, esrra-
vos, este de Victorino de Souza Travassos, e aquel-
le de Alfonso de Albuquerque Maranhao, o primei-
ro por fgido e o ultimo por furto.
O chefe da segnnda secgo,
/. G. de Mcsqjiita.
Movimento da casa de detengo no dia 8 de
julho de 1864. '
Existiam..... 346 presos.
8 >
12
Kxistem...... 342 >
A saber :
Nacionaes..... 227
Estrangeiros 42 .
Mulheres 5 i '
Ejtraogeiras ...
JSscravos...... .61
Ecr&vas......
!


Alimentados a custa dos cofres pblicos... 136
Movimento da enfermara no da 16 de julho
de 1864.
Tiveram alta :
As appellacoes civeis.
Appellante, a marqueza do Recife : appellado,
Joo Carlos Paes Brrelo.
Appellante, Gabriel Antonio; appellado, Fran-
cisco de Santiago Ramos.
Appellante, a viuva de Manoel de Almeida Cala-
nho ; appellada, a fazenda.
Appellante, Paulina Maria Bastos; appellado,
Antonio Gomes da Silva.
Appellante, Cosme Ferreira Lima ; appellado,
Manoel Gomes da Cunha.
Appellante, Francisco Xavier da Cunha ; appel-
lado, Antonio Damasceno Gomes.
A mela hora depois do meio-dia encerrou-se a
sesso.
COMMNICADOS.
Cidade de Souza, 14 de junhe de 1864.
Antes de entrar na analyse dessa corresponden-
cia em resposta ao que atiraram-me, envio-lhes
esta pequea advertencia. Lembrem-se que escro-
veram para o publico, e no secuto presente em
que todos devem cooeorrer para o desenvolvimien-
to das pwfeiedes, muito reprovado o modo oom
o processo dos inventarios que foram infringidos,
e se assim nao fizerem, o publico, como born julga-
dor, os julgar.
A nomeago de curador nomeado por nos, jui-
zes do sobredito inventario, recahio na pessoa do
parocho desta freguezia, foi por estar fra deste
termo o Dr. promotor publico, que estava em Pian-
c nos servigos da justiga, e o mais habilitado que
achmos no lugar, no tempo desta nomeago, foi
este clrigo; e os perlurbadores que raostrem o
contrario desta verdade.
A incompetencia que disseram os aecusadores
da minha jurisdiego no sobredito inventario urna
das maiores ignorancias em caso semelhante.
Dignos leitores, reparai bem, e com toda a alten-
cao a ignorancia destes grandes perturbadores :
Sendo posta a suspeigo ao juiz do inventario,
de rigoroso dever deste juizo suspeito chamar pa-
ra ajudar a fazer o inventario o juiz immediato ;
e assim fez aquelle juiz em vista da disposigo da
Ordenagao do livro 4, tit. 96, 5 : chamou-me pa-
ra o ajudar a fazer o inventario ; e como o accei-
tei, sou juiz competente ; e assim mostrem, Srs.
perturbadores, como sou incompetente, sob pena
de serem reconhecidos perturbadores da ordem
publica e particular, e desrespeitadores das auto-
ridades.
Disseram os aecusadores que no communicado
relativo a este termo, impresso no Despertador
de 25 de Janeiro do corrente anno, sobresaliera
a mentira, a aleivosia e a calumni.; fallem, Srs.
perturbadores, mentira que a minha casa foi
cercada no dia 15 de dezerobro do anno prximo
passado, ao meio dia em ponto pelo juiz municipal
e de orphos, 4o supplente deste termo, o Sr. Jos
Francisco de Souza, com o destacamento e todas
as suas armas e o seu offlcial que o commandra,
dous offlciaes de justiga e o escrivo de orphos ?
E' mentira que esta forga foi dada aquelle juiz
pelo ex-delegado, o Sr. Dr. Luiz Jos Correa de S
para me tomar os autos do inventario? (Era o mes-
mo ex-delegado o herdeiro inventariante do mesmo
inventario.)
E' mentira que uns 6 das antes deste lao gran-
de escndalo, praticado pela forma j dita, em ca-
sa do mesmo ex-delegado, e na casa onde estava
aboletado o seu advogad Antonio Joaquim do Cou-
to Cartacho, trabalhou-se em fazer cartuxames par-
te de um dia e urna noite inteira?
E' mentira que os soldados da guarda nacional,
habitantes nesta cidade, esliveram notificados se-
gunda ordem neste mesmo tempo ?
E' mentira que eu sendo violentado com armas,
como o fui na minha propriacasa, na qualidade de
juiz de orphos, pelo juiz a quera eu estava ajudan-
do a fazer o sobredito inventario, e nesta terrivel
occasio em que eu anda ouvi a terrivel voz d'a-
quolle juiz mandar os soldados escorvar as armas,
eis quando entrou o tal advogado, desrespeitando
em voz alta e com grande synagoga a autoridade
do digno Sr. Dr. juiz de direilo interino desta co-
marca, e de volta da minha casa, desesperado por
nao ver os seus intentos praticados, entrando na
casa das audiencias publicas, e publicamente disse
veneno.
Alm disso um antidoto contra os mesmos
e cura as molestias que estes causam. Pela maior
parte das vezes estes venenos curam urna moles-
tia substituindo-a por outra : porm a salsaparri-
lha de Bristol opera com a natureza e nao contra
removendo para sempre pelo seu poder neutrali-
sador as causas de molestias ulcerosas, cancrosas e
eruptivas, regulando o ligado, dando vigor ao es-
tomago e intestinos aliviando o systema de subs-
tancias epidmicas e dando forga aos orgios en-
fraquecidos.
As creangas e as senhoras delicadas podem to-
ma-la sem susto. E'a salvagodos doentes. Cau-
tela para as imitagdes e falslficages, das quaes
existen) tres no Brasil.
A legitima vende-se por Caors & Barbosa e Joao
da C. Bravo A C.
COMMEBCIO.
Alfandega
Rendiraento do dia 1 a 8........ 2I7:23135*
dem do dia 9 ................. 27:381*082
244:612*431
Movimento da alfandega
Volumes entrados com fazendas...
cora gneros..
Volumes sabidos
f
com
com
fazendas..
gneros...
376
195
910
376
1,105
Descarregam no dia 11 de julho.
Barca portugueza Corsa -diversos gneros.
Barca nacionalBrrelodem.
Brigue ingk-z Iris -viuhos e sal.
Importaco.
Patacho nacional .-Irroio-Grancfr, entrado do Rio
Grande do Sul, consignado a Maia & Espirito-San-
to, manifestou o seguiote:
11,410 (8 de charque, 164 ditas degraxa em be-
xi-as e !SdJ{ ditas de sebo em rama ; a ordem.
Brigue portuguez S. Jorge de Aveiro, entrado do
Rio Grande do Sul, consignado a Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo, manifestou o seguime:
14,728 @ de charque e 85 couros vaceuns de
refugo: a ordem.
Expotaco.
Brigue inglez Hebe of Ihe Kxe, carregou para
Liverpool pela Parahyba, 1,000 saceos com 5,000
C de assucar mascavado.
Brigue inglez Josepb Capa, carregou para o Ca-
nal, 4,410 saceos cora 22,050 ( de assucar masca-
vado.
ALFANDEGA DE PERNAMBUCO.
PALTA DOS PREgO DOS GNEROS Sl'lF.ITOS A DIIIEITo DE
EXPOUTACAO.SEMANA DE 11 A 16 DO MEZ DE |l -
LIIO DE 1864.
Mercaduras. Unidades. Valores
a vista do auditorio, cujos nomes smente meneio; I Abanos.........
no o do mesmo ex-delegado o Sr. Dr. Luiz Jos' Agurdente de cana.....
Correa de S, que. como juiz, estava dando audien-1 dem restilada ou do reino .
cias, o do ex-promotor publico, Claudino Francisco dem caxaca........
de Araujo Guarita, e do escrivo do crime desta' dem genebra.......
cidade, Leonardo Jos Roetes, cujas rotes brada- dem alcool ou espirito de agua-
das por aquello advogado, era que nao havia um \ ardente....., .
homem lio fraco e to covarde, como era o Jos j Algodo em carogo.....
Francisco de Souza, e este homem o juiz que cer-! dem em rama ou em lia. .
cou a minha casa ; e assim, Srs. perturbadores, I Arroz com casca......
apparecam. lembrem-se do protesto que fizeram ;: dem descascado ou pilado .
comigo nao quero condescendencias, novamente I Assucar mascavado.....
os provoco, j romo jaiz, J como quizerem ; a dem branco........
questo de honra, forga e valor ; apparegam, eu dem refinado.......
cenlo
caada
arroba
os espero mullo breve.
Cidade de Souza, 15 de junho de 1864.
Jos Olijmpio Maria de Seixas e Borges.
PUBLICARES 1 PEDIDO.
t'avalhelrism.
caada
arroba
Azeite de amendoim ou mendo-
bim.........
dem de coco.......
dem de mamona.....
Batatas alimenticias.....
Bolacha ordinaria, propria para
embarque........
dem fina......\
i Caf bom........
i dem escolha ou restolho ...
1 dem torrado....... libra
Caibros......... um
[Cal........... arroba
dem branca.......
Carne secca (xarque) ....
Carneiros........ um
Carvo vegetal...... arroba
Cavernas de sicupira .... urna
Cera de carnauba em bruto. libra
dem idem em velas ....
Cha..........
Charutos........ cent0
Cevados (porros)...... um
..... cento
..... libra
Desde o comego da epidemia na Barbalha o nos-
so amigo o Sr. A. M. Sampaio, achando-se revesti-
do do cargo de juiz municipal pela desergo dos
demais supplentes, toraou a si soccorrer a popula-
gao assaltada de todos os lados pelo terrivel fia-
gello, e carecida de tudo.
Nada absolutamente nada faltoa at onde pode
elle estender a sua mo, nao houve lugar a que
elle nao fosse, nao houve grito a que elle nao res-
pondesse.
Quando muito j havia soffrido a populago da-
quella villa, chegon o Sr. Dr. Medeiros, que se
pz a frente dos q"ue cembMiam o mal disputan-
do-lhe victima por victima, e desse dia em diante ; Cocos (seceos),
correram todas as despezas por conta da commis- Colla. .
sao de soecorros, iiue se orcanisou ; mas, muito Couros de boi, saigaaos .
era o que j se havia despendido, tudo havia sido dem dem seceos espichados,
pelo nosso amigo. | dem dem verdes .
Tratou-se pois de pedir-lhe a sua conta para dem dem cabra eortidos. .
Indemnisa-lo. Entao o Sr. Sampaio declarou que dem dem de onga.....
nada se Ihe devia, e que restava-lhe anda o pezar Doces seceos.......libra
de to pouco ter aproveitado a seus conterrneos. dem em gela on massa.
Um exemplo tal de philantropia merece o echo, dem em calda......
que tem tido; o Sr. Sampaio ha sido victoriado Espanadores grandes .... um
por todos quantos foram testerauuhas de sua de
dicacao.
Avalia-se em mais de 6004 o que despendeu o
nosso amigo, e isso ser tal vez o quinto dos prejui-
zos que Ihe causou a epidemia.
Folgamos de consignar aqui a conducta genero-
sa e humanitaria do Sr. Sampaio, e para ella cha-
mamos a attencao do governo, to indi(Terente,que
um
dem pequeos.
Esleirs para forro de estivas
de navio........cento
i Estopa nacional
i Farinha de de mandioca. .
dem de araruta.....
Feijae de qualquer qudlidade.
Frechaes M
arroba
alqueire
arroba
parece aos sacrificios, que nesta provincia, tem
feito alguns homens de fortuna e resolugo nos lu-
gares que o cholera ha devastado.
um
arroba
>
>
Fumo era tolha, bom .
dem ordinario ou restolho .
dem em rolo bom.....
dem ordinario ou restolho
Illm. Sr. Como- medico commissionado pelo Gallinhas........ urna
Exm. presidente da provinriae presidente da com- Gomma......... arroba
misse de soecorros pblicos desta freguezia, te- Ipecacuanha (raiz)......
nho a mais. viva satisfaco de accqsan lo o rece- Lenha em achas...... cento
ciment) d. oficio- dV. S. 1500
800
800
480
8H0
900
65500
2(1501)0
15500
25* h)
25700
45*00
55120
25000
yne
80
15200
35000
75000
85500
75500
440
360
280
500
35000
45000
15000
85000
300
360
15500
25501
155000
355M
500
165
S
109
350
105001)
150)
320
50)
4500)
2500)
15500)
1560)
2500)
4500
1580)
55000
145000
85500
85000
55000
600
15900
255000
2500
115000


- \ .
Mari* Je P
* arenada felra if 4e miho Je l *4



8M)
44000
i
3*560
Linhas e esfeios.......un
Mel ou mclaro.......caada
Millio..........arroba
Papagaios...... u*
Pao Brasil ........ quintal
dem de jangada......um
Pedras de amolar.....urna
dem de filtrar.......
dem de rebolo.......
Piassava.........molho
Ponas, ou chifres de vaccas ou
novilhos........cento
Pranchdcs de amarello de dous
costados........um 20*008
dem de louro....... > 10*000
Rap..........libra 1*000
Salo.......... 1
Sal..........alqueire 400
Salsa parrilha.......arroba 25*66
Sebo em rama....... -'5000
dem em velas........ 7*000
Sola em vaqueta......urna 2**00
Taboas de amarello. .... duzia 140*000
dem diversas. ....... 80*000
Tapiocas.........arroba 2*800
Tatajuba.........quintal 2*00
Travs.........urna 6*000
Unhasdebol.......Cento 200
Vassouras de piassava. ... 10*000
Citas de timb....... 5000
Ditas de carnauba..... 6,&000
Vinagre. .....caada 300
Alfandega de Pernambnco, 9 de julho de 184.
(Assignados):
1." confereute, Francisco de Paula Gomalves
da Silva.
O 2. conferente, Jos Thomaz de Aguiar.
Approvo. Alfandega de l'aernmbnco, 9 de
junho de 1864.A. Eulaho.
Conforme. O 3. escripturario. Joo dos San-
ios Porto.
Reeefeedoria le rendas Internas
ge raes de Pernambnco.
Rendimento do dia 1 a 8........ 14:344*485
dem do da 9................. 73SJ7M
8*0061 3* Qne sao de costumes poro* e que nio Mem ,
200 sido cundemnados por orime ofensivo moral pu-
900 blica ou religio do Estado.
3*>X)0 4 Finalmente, que satisfceram a primeira pres-
5*0001 uco da matricula na repart cao competente.
5*0001 E para ebegar ao conhecimenlo de quem inte
ressar, maodou-se publicar o presente pela im-
prensa.
Secretaria da escola normal de Pernambuco, 7
de )ulho de 186L
O secretorio,
Maximiano Lopes Machado.
Domingos Affonso Nery Ferreira, commendader das
ordes da Rosa e da de Christo, coronel com-
mandante do I* batalho de infamara, comman-
danle superior interino, e presidente do conselho
de revista da guarda nacional do municipio do
Recife, por S. M. o Imperador, a quem Dos
guarde etc. etc.
Faz saber que na terceira dominga do presente
mez (17 do corrente) se reunir o conselho de re-
15:280^209
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 8......... 40:623A00o
dem do dia 9................. 3:24o6o
Consulado de Portugal.
Sao chamados os i-redores do ausente Manoel
Correia de Souza a presentare ni dentro}do praso
de 15 dias os sens ttulos de crdito para seren
verificados. Recife 27 de junho de 1864. -
Conselho admioislralivo.
0 conselho administrativo para forneeimento do
arsenal de guerra em cumpnmento ao art. 22 do
regulamento de 14 de dezembro de 1852, faz pu-
blico que foram aceitas as propostas dos Srs. aba-
zo declarado.
Para o arsenal de guerra.
Joao Baplista da Malta2 arrobas de salitre a
10*240 a arroba.
Antonio dos Santos OliveiraO quintaos de fer-
ro inglez del X ["llegada de largura c 40 oitavas
de grossnra, a 6*800 o quintal, 50 resmas de pa-
pel paulado a 4*460 a resma.
Manoel Rodrigues da mas de papel almasso liso a 3*900 a resma.
fifia'fe guarda nacional, como determina a seguu-1 **???. ** Para serem re"
PRAQA DO RECIFE
9 SE JIMIO BE 1804.
AS TIIES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios........O* saques eiTeetuados durante a
semana elevaram-se a 100,000,
saccando-se sobro Londres a 27
Va, 27 V e 27 V d. por 1*000;
sobre l'aris a 345 rs. por fr. e
sobre Lisboa a 95 por cento de
prem lo.
Algodao........Odesta provincia vendeu-se a
27.3000 por arroba, o de Macei
posto a bordo, e 27*200 a
265300, e o da Parahyba, tam-
ben) posto a bordo, a 29*.
Vendeu-sc o branco de 4*400 a
oSOOO por arroba, o soincuos a
360O, o mascavado purgado de
3*000 a 3*200, e o bruto de
2*600 a 2*800.
Vendeu-se a 90*000 a pipa.
Os seceos salgados venderain-se
a 165 rs. por libra.
O pilado da India vendeu-se
de 2*550 a 2*600 por arroba, e
o do Maranho de 2*600 a ris
2*800.
O de Lisboa vendeu-se a 2*500
o galo.
Bacalho.......Vendeu-se em retalho a 185000;
licando em deposito 300 rs. bar-
ricas.
Batatas......... Venderam-sc a 800 rs. a arroba.
Bolaehinha......Veudeu-se a 25200 a barriqui-
nlia.
co de 1833, na sala das sessdes da cmara mu
cipal desta cidade, as 11 horas da manha, na cn-
formidade do art. 44 das instruccoes n. 722 de 25
de outubro de 1830, aflm de tomar conhecimento
dos recursos que versarem sobre os casos indicados
no art. 33, e que forem iulerpostos pela maneira
determinada no art. 38 das ditas instruccoes. E
para constar a quem convier, mandou publicar
pela imprensa.
Secretaria do commando superior interino da
guarda nacional 9 de julho de 1864.
Kirmino Jos de Olixeira.
Secretario.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, olncial da impe-
perial ordem da Rosa e juiz ae direito especial
do eommercio desta cidade do Recife, capital da
provincia de Pernambuco e seu termo, por S.
M. Imperial e constitucional o Sr. Pedro II,
a quem Dcus guarde, etc.
Fa^o saber aos que o presente edital virem que
no dia 11 de julho de corrente auno, se a de arre-
matar por venda a quem mais der, em praca pu-
blica destejuizo, tima parte do engenho Collegio, no
valor de 1:203*005 rs. penhorado por execucao
de Manoel Pereira Lemos Braz Ferreira de Al-
buquerque, como herdeiroe testamenteiro do ua-
do Jos-de Espinla Bittanconrt, sendo o valor to-
tal do mesmo engenho 40:0005.
E nao havendo langador que cubra o preco da
avaliacao a arremacao ser feita pelo valor da ad-
43:847*06o judicacao com o abatimenlo da lei.
E para que chegue ao conhecimento de
-300 caadas de
azeite de carrapato a 10*500 a caada.
Joao Deotado Bowman6 duzias de cedro de 1
pol legada de grossura de 8 10 de largura a ris
26*400 a duzia.
Joao Jos da Silva20 grana de parafuzos de
lato com 2 pllegadas de comprimento a 9*600 a
groza, 20 ditas de dito de ferro, surtido, de meia
pollegada a 2 dita a 1*200 a groza.
Marcou-se odia 18 do corrente para recolher-se
os objectos comprados, na secretaria do conselho s
10 horas da manha, nos referidos dias.
Secretaria do conselho administrativo para for-
necimento do arsenal de guerra, 8 de julho de
1864.
Sebasliao Jos Basilio Pyrrho,
vogal secretario.
No dia 12 depois da audiencia do Sr. Dr. jfc
de orphSoo, vai praca por arrendamenjo por tres
nnnos o sitio denominado Tacaruna na freguezia
da Ba-Vista, avaliado em 300* por anno, vai
praca requerimento de um dos consenhores.
.Na terca-feira, 12 do corrente, na sala das
audiencias, linda a do lllm. Sr. Dr. juiz de orphios,
se ho de arrematar os alugueis da casa de dous
andares e sotao, sita na ra Direila n. 79, avahados
por 480*000.
Correio.
Pela administrar do correio desta cidade se
faz publico que de conformidade com o decreto n.
187 de 13 de maio de 1861 e respectivas iostruc-
todos! coes teve hoje iugar o processo de abertura das
1 mandei fazer editaes que serao publicados pela im-! cartas atrasadas pertencentes ao mez de junho de
: prensa e afiliados nos lugares do costume. 11863, condemnadas a consumo pelo art. 138 do re-
Recife, 8 de junho de 1864.Eu Manoel Maria gulamento dos correios de 21 de dezembro de
Rodrigues do N'ascimento, escrivao o subscrevi. 1844, assistindo a esse processo o commerciante
Tristo le Alencar Araripe.
fiiionn Rr' Tri5,5 de A|encar Araripe, oflcial da impe-
la 100,000, rja| orjem i Rosa, juiz de direito especial do
Assucar...
Agurdente.....
Couros.........
Arroz..........
Azeite doce.
Manoel Jos de Souza.
Desta abertura resultou achar-so quatro cartas
com documentos que Gcam descriptos em livros
eommercio, desta cidade do Recife de Pernam-: para este tim destinados, sendo una de Jos Pinto
boco. e se termo por S. M. 1. e Constitucional o {Moreira (do Porto) para Jos Pinto Moreira, com
Sr. D. Pedro II, a quem Dos guarde etc. urna certidao de baptimo, outra de Julio Augusto
Faro saber aos que o presente edital virem e Rocha Pereira, tambem do Porto, para Abel Maria
dellc noticia tiverem, que no dia ouze do mez de da Rocha com urna certidao de idade, outra de Joo
julho do corrente anno se ha de arrematar a quem | Antonio Fernandes, tambem do Porto, para Jos
mas der o aluguel mensa I da casa terrea, sita no! Rodrigues deAndrade com um recibo, e outra fi-
largo de Nossa Senhora da Paz da freguezia dos nalmentc de Joao de tal (de Lisboa) para Lauren-
Afogados, a contar de nove de majo do corrente tino Jos de Miranda com urna certidao.
anno a flndar em nove de junho de 1863, na razao
de 10* mil ris mensaes, cujos alugueis foram pe-
nhoraoos a Paulino Rodrigues de Oliveira, por
execucao de Agostinho Tavares Peres, para paga-
mento de costas judiciaps como autor vencido. E
na falta de licitante ser a arrematacao feita pelo
Procedeu-se por ultimo ao queima de todas as
mais cartas de que se lavrou o respectivo termo
que o que se segu.
Correio de Pernambuco 4 de julho de 1864.
Domingos dos Passos Miranda,
Administrador.
preco da adjudieacao com o abatimento respectivo Termo do consumo das cartas em ser pertencentes
ao mez de junho de 1863.
Aos 4 dias do mez de julho de 1864, as 11 horas
da manha, na sala da administracao, estando pre-
sente o Sr. administrador e thesoureiro Domingos
dos Passos Miranda e mais empregados, prooedeu-
te em vista do art. 138 do regulamento do? cor-
reios de 2i de dezembro de 1844 o consumo de
224 cartas e 44 jornaes nao sellados e 68 cartas
selladas, ludo na importancia de 31*580 que tica
descarregada ao mesmo administrador e thesou-
reiro, e consta da factura abaixo. E para constar
se lavrou este termo em que assignou o mesmo
Sr. administrador e thesoureiro, e empregados
consulado abaixo declarados. Eu Eduardo Firmino da Silva,
da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei fazer o presente, que ser affixado nos lu-
gares do costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 27 de junho de 1864.
Eu, Manoel de Carvalho Paes de Andrade, es-
crivao o subscrevi.
DECLRALES.
O abaiio asignado, langador do
Carne secca..... A do Bjg&?^^!*: provincial, avisa ao"s senhores propietarios de pre- ajadate Matador, o escrevT.'
se de .1500 ) '!1'' dios urbanos e donos de estabeleeimentos das fie- o administrador,
Caf.......
Cha........
Cerveja.........
Farinha de trigo.
Picando em ser 50,000 arrobas.
Nao ha da do Rio da Prata.
Vendeu-se de 8*500 a 8*800 a
arroba.
guezias do Recife, Santo Antonio e Boa-Vista, que
sendo Romeado por portara do Sr. administrador
do mesmo consulado, datada de 20 do corrente
aaaaA ,-, .i mez, para proeeder aos difieren tes lancamentos dos
dem de 1*500 a 25200 a mira mpostos j crea(|0S) e ltimamente otros creados
dem de 05000 a ->5*w a uuza; IJe!a aSsemtila legislativa provincial, c que dando
. garJ. s; ... ,r 1 principio aos seus-.trabamos no dia 22 pela rregue-
A de Philadelphia c ew-York zja do Recife, pede aos mesmos senhores que te-
vendeu-se de 105000 a i 'oouo nhnm promptos os gea8 recibos, e mais documen-
a barrica, e a de Trieste a 235; (os inherentes ao que diz respeito, atim de que
ficandoem deposito ItyJOObar- os?a proceder com regularidade e sem vzame
ricas da pnmeira, 2,000 da se-: das les> 0 referi(io |ancamento.
un.d?.'^ *??.d?-ttlS?-ra *. I Mesa do consulado provincial 25 de junho de
1864. Joao Pedro de Jess
do 1,600 saceos do Chile, de 100
libras cada um, que se retalhou ,
de 16*000 a 175000 por dous;
saceos ou 200 libras.
Feijo.......... Vendeu-se de 85000 a 95000 o
sacco.
A ingleza ordinaria vendeu-se
com 320 por cento de premio.
A ingleza vendeu-se de 750 a!
a 780 rs. a libra, licando em de-1
posiio 300 barns; e a francesa
vendeu-se a 300 ris, ficando em
deposito 1,700 barris.
Venderam-se de 65000 a 75000
a cama.
dem de 5*000 a 5*300 a dita.
Venderam-sc a 14*000 a arroba.
Os llamengos venderam-se a
25200 rada um.
O inglez vendeu-se a 140 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a
20 rs.
Tabeado de pinho Vendeu-se a 45*000 a duzia.
Toucinho....... dem o de Lisboa a 85000 a ar-
roba.
0 de Portugal vendeu-se de 100*
a 115* a pipa.
Os de Lisboa venderam-se de
1855000 a 2005000 a pipa, e os
de outros paizes de 180*000 a
1905000
As de composicao venderam-se I
de 320 a 340 rs. o pacota de seis j
velas.
Descont*.......O rebate de lettras regulou de 8
a 10 por cento ao anno, ao prazo
de 4 mezes.
Fretes......... Para o Canal inglez a 45 por to-
Helada, para Liverpool, pelo las-1
tro, carregando aqui a 36 por
Domingos dos Passos Miranda.
Os ofllciaes papelistas.
Ismael Amavel Gomes da Silva.
Luiz de Franca de Oliveira Lima.
Vicente Ferreira da Porciuocula.
O praticante,
Agnello H. Araujo PernafStuca
O porteiro,
Manoel Marinho de Souza Pimentel.
Correio geral.
Pela administracao do correio dosta cidade se
faz publico que em virtude da convenci postal
celebrada peles governos brasileiro e franco, se-
rao expedidas malas para a Europa no dia 15 do
corrente pelo vapor inglez Magdalena. As cartas
serao reeebidas at 2 horas antes da que for mar-
or ; e os jornaes al 4
Louea..........
Manteiga ..

Massas.....
Passas......
Presuntos...
Queijos----
Sabao......
Vinagre
Vinhos
Velas.....
da Matta.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra em cumplimento ao art. 22 lo; cada para a saluda do vap
regulamento de 14 de dezembro de 1832 faz publi- i horas antes
co que foram aceitas as propostas dos Srs. abai xo de-
clarados :
Para a fortaleza do Buraco.
Jos Soares do Amaral, 1 canoa de amarello aber-
ta por. 3065-
Para o presidio de Fernando.
Joao Carlos Augusto da Silva, J,
onji
Administracao do correio de Pernambuco 11 de
julho de J86i."O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Arremalacft.
No dia 11 do corrente, linda a audiencia do juiz
Boa-Vista tem de serum
farinha de mandioca a 25430. Es
recolhidos no dia 11 do corrente.
400 alqueires de! de Paz ** u,strict0 da
tes obieclos sao arrematados os trastes seguintes : 1 sof de paltu-
nha, 1 mesa redonda, 1 par de consolos, 1 banca,
Para o 9 batalho de infamara. I ?.e? Antonio de Souza Marinho, 391 bonets a 3*430,
2 ditos para sargento ajiidanie quartel-mestrea55,
18 ditos para mosieos a 95, 2 pares de charlatei
ras para sargento ajudante quartel-mestre a 5*. 27 raetem de sercm arrematadas de venda, por ex
ditas para msicos a 10*, 1.400 varas lecordo de pu>'a0 dn cirur?iao Francisco Jos dadiva j>e\
dieiro de gaz, por execucao de Manoel Marques da
Cunha, penhorados Julia Rosa de Almeida Pinto.
- A praca das casas de Rozendo Aires da Silva
exe-
0
.a preta a 80 rs. a vara, 80 varas de cordao oM10 municlpa da i' vara, escrivao Molla, flcou
retroz preto a 120 rs. Recolhidos no dia 30 de agos- Jf^fjJSP1* terca-feira 12 do corrente, c
lo prximo vindouro.
Francisco Pereira da Silva, 308 mantas de laa a
25600 cada urna.
O administrador da casa de detencao, 336 pares, |lelt de sapatos a 25800 cada par.
Soulhall Mellors 5c C, 1,631
covados de panno
verde a 25-
Joao Baplista Vieira Ribeiro, 1,554 covados de
panno azul para capotes a 15800 o -ovado.
Custodio Carvalho & C, 24 covados de casemira
encarnada a 15800, 906 covados de bata verde a
640 rs., 1,384 covados de Hollauda de forro a 175
rs., 1,585 varas de algodosinho a 525 rs. Estes
objectos sao recolhidos no dia 11 do corrente.
Joao Antonio Machado, 2,580 varas de brim
branco a 510 rs. a vara.
da audiencia.
CORREIO GRAL
seguras \indas do
norte, e das existentes aa ;ulMinis-
traran di correio desta cidade para
os senhores abaixo declarados.
Dr. Antonio Jansen de Mallos Pereira.
Capitao Antonio Jos da Silva Brasil.
, Braga Se Antunes.
: Dr. Domingos Monteiro Peiito.
, Francisco de Mello Brrelo.
Guilherme, Carvalho & C.
Francisco Moreira da Costa.
Joao Joaquim de Souza Abreu e Lima, 36 varas Tenenle Joaquim Lopes Machado.
oblada carreando na Pardiv- dl! 8a, dt lrata de polegada de largura a800 Joaquim da Rocha Freir,
ion. lana, (arreg.muo na rardn> ,,. a, ......, j n,r" ,, ,, ,.., mc., nn. inc.v i.nnm Alimc Ao km
O-----O. LUI ie$.'UIIUU rill .illiriw -.
pelo algodao a V, por libra, e car- A *
regando aqui e na Parahvba V C o'u "* **,
eld. por libra. .. .F."ri!iC F
ba de 33 a 32 6, carregando rs" a "ava- 7 varald? !a,a() f* prala de me,apo
em Macei por 300 toneladas a le6ada de largura a 800 rs a o.tava.
32-6. carregando em Macei1 Pan o corpo de guarmeao.
Antonio de Souza Marinho, 20 bonets a 2*6o0
1 ditos redondos para recruta a 1*900.
.-1.0 Pereira da Silva, 20 mantas de laa a
_________ *_______'____________ 25600 cada um.:.
SSB*'/m'B~?m!mr?~~^^!!!!^~mmm~^se* \ O administrador da casa de detengo, 181 pares
WAtrfViivriiiA 1IA IIADVA de sapatos a 2*800 cada par. Esles objectos sao
MUlllLuil 1U SU rUfllU. recolhidos no dia 17 do corrente.
' Para a fortaleza de Itamarac.
Navios entrados no da 7. Oliveira Sampaio & C, 1 sino com 2 palmos e
Peaedo -2 dias, hiate nacional Amelia, de 36 to- meio de altura por 79* a 900 rs. a libra. No dia
nelladas, capitio Antonio Jos Rodrigues Pi- 11 do corrente.
nheiro, equipagem 6, carga milho c outros ge- O conselho avisa aos mesmos Srs. que devem Te-
neros, i colher os objectos comprados nos das cima de-
Sunlerland -45 dias, barca ingleza Dundn, de 620, clarados na secretaria do conselho as 10 horas da
tonelladas, capitao Robertsoo, equipagem 13,manhaa.
Veio refrescar e seglo 1 Secretarla do conselho administrativo para for-
jse Joaquim Alves de Amorim (2).
Manoel de Almeida Bastos.
carga carvao de pedra.
para Sioea pora.
Navios saludos no mesmo dia.
Rio Grande do SulBrigue escuna nacional Cys-
ne, eapito Jos Monteiro de Almeida, carga as-
sucar e outros gneros,
dem-Brigue tirasileiro OUnda, capitao Manoel
Pereira de S, carga assucar e outros gneros.
Canal Brigue inglez loseph Cope, capitao Wil-
liam F. Buiher, carga assucar
Navios entrados no dia 10.
Acarac e portos intermedios9 dios, vapor brasi-
leiro Mamanguape, de 337 toneladas, comman-
dante Manoel Rodrigues dos Santos. Moura.
Ilavrts40 dias, barca franceza Marie Nicols, de
237 toneladas, capitao Etcheparre. equipagem
14, carga derentes gneros ; a Tisset frres.
Observacao.
Nao houveram sahidas.
nec menta
1864.
EDITIES.
O lllm. Sr. director da escola normal manda
fazer publico, que desta data at o flm do corrente
mez se achara abenas as matriculas do anno
I referida escola, devendo para isso os preten-
dentes provar perante o mesmo director ;
I* Que sao maiores de 18 aons.
2* Que sabem 1er, escrever e contar.
do arsenal de guerra, 8 de julho de
Sebasltao Jos Basilio Pijrrho,
Vogal-secretario.
O primeiro secretario da assembla provin-
cial recebe propostas para o fornerimento de urna
mohilia de Jacaranda Luiz XV, composta de 40
cadeiras de bracos, c destinada mesma assembla.
As propostas deverao ser apresentadas al o dia
20 do corrente, na roa Augusta n. 114, e satisfa-
zer as seguintes condic5es :
1.* A mobilia nao ser de valor superior a ris
1:300* ;
2. As propostas serao acompanhadas do dese-
nlio ou modelo das.cadeiras que tem de ser for-
necidas;
3.* O prazo para a entrega da obra nao excede-
r a Janeiro do anno futuro.
Recife, 2 de julho de 1864.-0 offlcial-maior in-
terino, Frnneico Xavier Carneiro Lita.
Fazenda nacional.
Tendo a caixa filial, como liquidataria da massa
de Joaquim Lucio Monteiro da Franca, annunciado
vender em leile diversos bens dita massa per-
tencentes, o abaixo assignado declara que os terre-
nos de mariuha ns. 213, 262,278, 287 e 289, sitos
AVISOS MARTIMOS.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DR
Vavega^o costeira a vapor.
Hba de Fernando de \oronha.
No dia 14 de julho ao meio dia
segu o vapor Parahiba, comman-
dante Marti ns, para o presidio de
Fernando de Noronha. Recebe j
arca at o dia 13. Encomien-
das, passageiros e dinheiro a frete at o dia da
sahida as 11 horas escriptorio no Forte do Mat-
tosn. 1.
COMPANHIA BRAS1XEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do norte esperado
at o dia 1 7 do corrente o vapor
Princeza de loinvilte, commau-
dante o primeiro teen te Araujo
. o qnal depois da demora do eos-
'a para os portos do snl.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a jual de ver
ser embarcada no dia de sua chegaua: encom-
mendas e dinheiro a frete at e dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muila brevid'ade o veleiro e
bem conhecilo palhabote nacional Piedade, tem
parte do seu carregamenlo engajado : para o res-
to que lhe falta e escravos, a frete, para os quaes
tem excedentes comraodos, trata-se com os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo,
la da Cruz n. 1._______________
**ara o Ancaty eCear
pretende seguir com muila brevidade o hiate na-
cional Dous Amigos, tem parle de seu carregamen-
to prompto ; para o resto que lhe falta, iraia-se
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C., bo seu escriptorio ra da
Cruz n. 1, ou com o capitao no trapiche, do algodao.
Rio Cirande do Snl.
Sabe na seguinte semana o brigue nacional
Mrquez de Olinda^ recebo carga a frete cemmo-
do : a tratar no escriptorio de Manoel Ignacio de
Oliveira & Filho/largo do Corpo Santo n. 19.
SAIIIO A LUZ
E KST A VENDA NA UVRauia DO Sil. GERAI.DO
ROA ESTIUMTA DO ROSARIO N. 12 AS
NOCES
partidas Cobradas
OFFKRKCIDAS
.lAsseciaco Commercial Beseficente
DE
pi:ii\iHro
POR
M Fonseca de Medeiros.
Aluga-se o armazem da ra do Imperador n.
33 : a tratar na mesma ra armazem de louca
n. 41.
Segu com brevidade o hiate Dous Irmosa. tem
parte da carga, e para o resto trata-so com Tasso
Irmos.
LEILOES.
LE1L40
DE
Brigue nacional Algrete.
n .- ajR3
Segunda- fe ira 11 de julho s 11 horas a
porta da associaro commercial.
O agrate Pinto far leilo reqaenmento de
Joaquim Juvencio da Silva e por despacho do lllm.
Sr. Dr. juiz de orphaos do brigue nacional Ale.
grete> ancorado neste porto, com todos seus per-
tences de conformidade com um inventario exis-
tente em poder do mesmo agente, o leilao ser
effectuado no dia, hora e lugar cima dito poden-
do os pretendenies examinaran desde j o mesmo
brigue.
LEILAO
DE
DMA ESCR4VA
O agente Almeida far leilao requerimento dos
administradores da massa fallida de Paria i C. e
por mandado do lllm. Sr. Dr. juiz especial do
eommercio de urna escrava de nome Benedicta,
aprehendida ao socio fugitivo da mesma lirma
Juvioo Carneiro Machado Rios.
HOJE.
O leilao ser effeetnado no armazem da na da
Cadeia do Recife n. 48, s 11 horas.
LEILAO
DE
DOUS ESCRAVOS
O agente Almeida far leilao por conta e risco
aequem pertencer de dous escravos sendo um
mulatinhe de 14 annos e um negro de naco de
io annus pouco mais ou menos e de bonita figura.
HOJE.
As II horas do dia no armazem da ra da Ca-
deia do Recife n. 48._______________________
LEIIAO
PR l) IOS
Um sobrado na ra Imperial n. 64, com 40 pal-
mos de frente, 180 de fundo, tendo no andar ter-
reo duas salas, alcova, gabinete com um quarto,
cosinha e um grande salo com 7 juartos, o pri-
meiro andar tem urna grande sala, 2 alcovas, 1
quarto no corredor, sala de detraz com 2 camari-
nhas. uma grande sala de junar, cosinha c um
quarto ao lado, um grande soto com uma sala e
4 quartos, grande cisterna, cacimba, estribara'
cocheira e 1 grande quarto para guardar carro-
cas, 2 grandes quiBtaes tendo um delles um bello
lardim, o outro plantado com diversos ps de sa-
potizeiros e outros arvoredos, tendo ambos 200
palmos de largura e 140 de fundo.
Uma casa terrea na mesma ra n. 66 com 2 por-
tas de frente, 2 salas, 2 grandes quartos, cosinha,
quintal, cacimba e mais 2 quartos lora.
Um sobrado de 2 andares na ra do Livramento
n. 0, tendo cada um andar 2 salas e um quarto.
Terca-feira 12 de julho.
O agente Almeida far leilao por autorisa<;ao da
caixa lilial dos predios cima mencionados, a por-
ta ua Associajao Commercial, s 11 horas do dia
cima.
Aos <>:0O(i$OQ0.
Sabhado 16 do correte mez se extrahir
a segunda parte da terceira lotera da Sania
Casa da Misericordia, no consistorio da
igreja de N. S. do Rosario da freguezia de
Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
yenda na respectiva thesonraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 0:000jSOOO at 12(5000
sero pagos uma hora depois da extraeco
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuido das listas.
0 thesoureiro,
________Antonio Jos Rodrigues de Souza.
CASA A FOKTIM
AOS 6:000.000
Bilhetes garantidos
A' roa do Crespo n. 23 e casas do costume
O abaixo assignado tendo vendido nos seus mui-
to felizes bilheles garantidos os dous quartos n.
1044 com a sorte de 2:000000, c os dous quartos
n. 1780 com a outra sorte de 2:000,5 e outras
muiias de 2005, 100, 40 e 20.3 da lotera que
se acabou de extrahir a beneficio da igreja de N.
S. da Boa-Viagem, convida os pitssuidores de ditos
bilheles a virem receber seus respectivos premios
sem os descootos das leis, em seu cslabelecimen-
to ra do Crespo n. 23.
O mesmo tem exposto venda os novos e felizes
bilhetes garantidos da segunda parte da terceira
lotera a beneficio da Santa Casa da Misericordia
|ue se extrabir sabbado 16 docorrente.
Presos.
Bilbetes inteiros..... 73000
Meios......... .12500
Quartos........ 1{900
Para as pessoas que comprarem
de 100,5 para cima.
Bilhetes........ 6000
Meios......... .(230
Quartos......, 15700
Manoel Martins Fiuza
mm rio iniiitk.i ez
Por ordem da directora provisoria sao convida
dos todos os cidadaos portugueze, qne pelo (arto
da sua assignalura mostram ter adherido ao pa-
samento da fundacao da sociedade benelkent*, a>
nnecida pela deoomina$o de Monte Pi Purti-
guez, a reunirem-se em assembla geral nos sa-
mes do Gabinete Portuguez de Leitira, domingo
17 do corrente, s 10 horas da manha, aflm de
ser convenientemente discutido o projecto de ota-
lutos da associacao.
A directora couvda igualmente lodos os dig-
nos membros das commisses que foram nomeada>
para trataren) da acquisifo de socios, e que asada
nao devolveram as listas que Bies foram entre-
gues, a fazerem-no at ao da 15 do corrente. A-
quelles, que por qualquer motivo nio tiverem po-
dido desempenhar a misso que Ibes foi cantada,
roga a directora anda assim o mesmo favor, con-
tente de obter ao meos as honrosas assignaturu-
desses cavalheiros
As lisias podem ser entregues no Gabinete Por-
tuguez de Leitura, ou ao 2* secretario, na ra dr.
Cruz n. 23, primeiro andar.
Secretaria do Monte Po Portnfrez 10 de julho
de 1864.
Joaquim Gerardo de Paitos
2. secretario.
ATTMVAO
Fugio no dia 2 de junho o escravo Joaonim. de
20 annos de idade, com os signaes seguales : al-
to, magro, cara meia redonda, cor nla, com unta
queimadiira no rosto do lado direito, rendido di-
urna verilha, e cabello aparado rente leseara
pedese aos Illms. senhores subdelegados da Var-
zca, Peres, Afogados e Passageni a bondade de o
apprehender, e mandarem Fra de Portas, ra
do Pilar, sobrado n. I, primeiro andar ; ignal
menle pedese aos senhores que costumam recelxi
criados.
en
ooi
^3 us ee^ es?
tfB* W
S^3>
3-Rl'A KSTRI1TA DO KOSARM-3
Francisco Pinto Ozorio continua a col-
locar dentes aitittciaes tanto por meio de
molas como pela presso do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
fiquem a vontade de seus donos, t*m pos
e outras preparacoes as mais acreditadas
para consrvamelo da bocea.
'
Jos Joaquim da Cunha, Emilia da Pieda-
de Albu juerque Ramos, Jos Francisco de
Paula Ramos e Thereza Mana Pires Dows-
ley, genro, ora e filhos pedem a seus ami-
gos e aos do fallecido Francisco de Paula
Pires Ramos o obsequio de pela alma do
mesmo assstirem a uma missa na rapella
do cemilerio publico, no dia 12 do corrente
s 7 horas da manha.
O Sr. Julio Cesar Pereira da Rocha,
que foi ponto do theatro, tetn uma carta na
livraria n. 6 e 8 da praca da Independencia.
Precisase alngar
urna rapariga de cor ou preta para tratar de uma
crianra ds 2 annos: a tratar na ra da [mperatrU
u. 47, segundo andar.
Precisa-se alngar
urna cosinheira que saiba lavar bem : para tratar
na ra da Imperatriz n. 47, segundo andar.
Miguel Jos Barbosa Guiraares socio prin-
cipal da firma de Guimares St Lima, faz sciente
a lodos os devedores a esta firma que tendo falle-
cido o socio Jos de Almeida Nones Lima, est
procedendo a liquidaco da mesma e por isso pe-
de todos os devedores o especial favor de man-
darem saldar seus dbitos o mais breve possivel.
Recife, 9 de julho de 1864.
Desappareceu no da 8 do a rrenle o escravo
Joao que representa ter 40 annos, com falta de
quasi todos os denles superiores, levando vestido
calca e camisa novas, de algodao de listra aznl, al-
tura regular, cheio do corpo, cabra escoro, tem
as nadegas signaes de abites e sarnas pelo cor-
po : quem o apprehender leve-o seo seobor o
capitao Franchco Manoel de Souza Oiiveira, no
engenho Jacir, e do Recife Leal & Irmo, qn<
pratilicaio.
Urna pes.-oa com bastante pratica de estabe-
lecimento de moldados, offerece-se para raixeiro
na ra das Flores, casa terrea n. 29.
Al
LEILAO
A viso
0 abaixo assignado. organisador
e afinador de pianos, faz sciente ao
respeitavel publico qoe se acha es-
labelecdo na rita da Imperatriz n.
47, para toda e ijualquer pessoa
que por elle qufeer mandar afinar e
concertar pianos,assim como tambem
contrata-se annualmente pela iiuau-
tia de ;16;5000, piestando-se asafi-
naroes que forem precisas.
Joo de Barros Netto.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
NavegatcSo coste-Ira a vapor.
Parabvha, Natal, Maco, Aracaly, C(ara e
Acarac.
No da 22 do* corrente seguir
para os portos cima indicados um
dos vapores da companhia Pernam-
bucana. Recebe carga at o dia
'21. Encommendas, passageiros e
dinheiro a frete at o dia da sahida s 2 horas da
tarde: escriptorio no Forte do Mattos n. 1.
COMPANHIA BRASILEIBA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sol esperado
at o da 14 do corrente o vapor
Paran, commandante o capitao
de fragata Santa Barbara, o qual
desos da demora do costume se-
guir para os portos do norte.
Desde ji recebem-se passageiros e engaja-se a
carga qne o vapor poder conduzir, a qual deveri
na praia de Santa Rita, se acnam penhorados para ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
pagamento do que deve o mesmo Franca fazenda das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho
nacional. Renfe, 7 de jolhode 1864.O solicitador ras : agencia, roa da Croz n. 1, escriptorio de An>
da fazenda, F. X. P. de Britto. i tnoLio uiz de Oliveira Azevedo & C
Predios, terrenos Herrados e ala-
gadas
O agente Almeida legalmenle autorisado pela
caixa lilial, como liquidataria da massa fallida de
Joaquim Lucio Monteiro da Franca, far leilao da
propreade onde morava o dito fallido, cuja pro-
priedade tem muitos commodos para moradia,
grande armazem, uma magnifica cisterna que de-
posita duzentas pipas d'agua e muilas outras com- i
modidades, que a toma uma habitaco deleitavel, I
assim como uma fabrica de sabo com alguns per-
tences existentes na mesma propriedade, um bello
terreno murado e com caes annexo mesma fa-
brica, e outros terrenos alagados juntos fabrica.'
Terca-teira 12 do correle porta da Associa-;
cao Commercial s 11 horas do dia.
O mesmo agente se presta qualquer informa-
rlo exigida pelos pretendentes.
nLEILAO
DE
Wctade de uma casa terrea, no liceo
do Boi, amigamente Joao Fer
nandes.
O agente Almeida, autorisado competentemente,
far leilao da parte da casa terrea n. i no becco
do Boi.
Terca-feira 12 do corrente porta da Associa-
cao Commercial s 11 horas do dia.
AVISOS DIVERSOS.
Em referencia ao annuncio publicado ueste
Diario, o abaixo assignado, tio da possuidora da
escrava Benedicta, annunciada para ser vendida
em leilao, como pertencente massa de Faria &
C, vem protestar para que ninguem a arremate,
visto que foi doada pela av da mesma sua refe-
rida sobrinha com onus, mais de 10 anuos, de
nao Mear sujeita di-idas futuras de pas ou mari-
da ; documento este que ser apreseiilado ao res-
pectivo juizo afim de a rehaver, fleando sujeito
quem a arrematar a perder a posse.
Joao C. Pacheco Soares.
Casemiro Thomaz da Cosa, retira-se para
Portugal, tratar de sua sade.
No dia 9 do corrente, pelas o e meia horas
da tarde, sahio da casa de seu pai, morador na ira-
vessa do Costa n. 26, ao p da fundi;o de Santo
Amaro, uma menina domella, rom idade de 15
16 annos, tendo o nome de Joanna Mana de Amo-
rim, e com os signaes seguintes : de cor parda fe-
chada, cabellos bous porm curtos, tem dous den-
tes grandes na frente, no meio dos quaes com prin-
cipio de podre ; sahio com vestido de chita usado
e sem sapatos, com argolas pequeas as orelhas,
levando um lenco na cabeca, cuja menina se acha
assistida : quem por caridade a liver recolhido,
mande levar na inesma Iravessa cima dita, casa
de Antonio Flix de Amorim, que ficar obngado
pessoa que a levar.
Na ra ao Crespo n. 20 esquina, aluga-se
um molequo bom copeiro, soffrivel cozinheiro
prefere-se alguma casa estrangeira.
= Joo Baptista (tabello Pereira, subdito porlu-
guez, retirase para fra da provincia.________
- Antonio da Silva Ferreira vai Europa tra-
tar de sua saude, e deixa por seu procurador seu
mano e socio Jos da Silva Ferreira e Jos Joa-
quim da Silva.___________________________
De bordo do brigue escuna brasileiro Cyrne
fugio o escravo Joo, mulato, de li- annos, baxo,
gordo, com a marca de um golpe no rosto, cla-
ro, cara redonda, e jnlga-se nao lera s dade, visto ser desconhecido na ierra e ter fgido
por vadiaeo : quem o agarrar, pode dirigir-so ao
escriptorio de Amorim Irmos, roa da Cruz nu-
mero :t._____________________________
A barca ingleza Gstate Adolph precisa para
a viagem hia de dous marinheiros : a tratar
na ra do Trapiche n. 14, primeiro andar.
Manoel de Rezende Reg Barros, sciente pelo-
annuncio publicado neste jornal de haver o Sr.
Manoel Alves Ferreira revogando os poderes .
.-.-a procuracao quu dera em mam de I"'. I ar
annunciante para cobranza de dividas pelo mi.
rior desta provincia, previne a qu*m possa mi'
n'ssar, que a suspen^o dos referidos nnieri
explica por motivos que, nao offendendo se qur
de leve a moralidade do procurador, nao podem
ser declinados pelo outorgante.
Em lempo eoccasio opporluna protesta oan-
nuncianle fazer valer os seus direi os contra o Sr
Manoel Alves Ferreira a quem julga nada nter,
convindo declarar que desde 1862 tem sido o an-
nunciante quasi constrangido a continuar em ser-
vico do Sr. Manoel Alves, lmalo j a receii- d
que em ajuste de comas lhe sobreviesse o que -
outros tem acontecido de duvidas, hesila;iies a
mais alguma cousa.
\OVl FABRICA
DE
LICORES E PERFUMARAS
A' ra do Amorim, a. 12.
Por varejo e atacado.
(Teste novo eslabelt.'cimento encontrarn sempr--
os freguezes tixlas as qualidades de bebidas espiri-
tuosas, fabricadas com todas as regras d'arte, e
por isso livres de ser nocivas ; o qne nao acontv
com as qne sao fabricadas sem methodo e [!.-
receilas que os charlates annunciam vender, poi-.
como j temos lulo ocrasao de ver. ventkm li-
res coloridos com substancias venenosas, romo te-
ja o licor de rosa colorido com vermelho ( Kntri
do de chumbo) e o de amendoas colorido com ama-
rello francez (bi-ehromato de chumbo) Encontra-
rao algumas perfumaras de superior qoalidade c
commodas em preeo. Tudo se vender por prec.-
muito razoaveis, trazendo os freguezes os meio
que a todos habilitan! a compraren) barata
Apromptam-se encommendas com brevidade
rigorosamente bem acondicionadas, Unto para den-
tro da provincia, como para fra della.
Bebidas espiritcos*.
Licores de todas as qualidades em garrafas pretas
Dito, dito, em garrafas brancas.
Geuebra igual a hollandeza.
Dita de laranja superior.
Agurdente d'aniz.
Dita de hortela pimenta.
Dita do reino superior.
Dita de flor de laranja, recommendavel por ser m>
tomachica.
Dita de canda.
Alcool de 3o" a 38oCartier.
Perfumaras.
Agua de Colonia commum.
Dita amurcada.
Dita almiscarada.
Dita das Nyinphas.
Banha em lalinhas de quatro oncas preprias para
as familias econmicas.
Banha para tngir de preto os cabellos, e que nao
su ja os lencos b raucos.
Lcite virginal em garr linhas, proprio para os Srs.
barbeiros e cahellcreiros e uso domestico. Be-
neficia a cutis e tira as manchas da pelle.
Extractos variados ; banha em vasos dourad- -. e
extractos tinos em frasquiohos ricos.
Numeado tiara substilnir ao Sr. profesor
Mndello na 2* cadeira da freguezia de Santo An-
tonio, faz ver o ahaixo assignado aos pas de fa-
milia que all tinham seus pequeos, qne em con
sequencia de falta de casa apropriada. dar tempo-
rariamente aula na rna da Palma o. 23.
Joao Jos Rodrigues.
- Os seBhores que tem le-
vado por emprestimocolle#)es
deste Diario, queiram man-
da-las restituir com brevida-
de pois s5o precisas.
Na ra da Cruz n. 3, esenptorio de Amorim
Irmos, desoja se fallar com os Srs. Manoel Jos
de Souza e Caetano da Silva Presado, por se igno-
rar as suas residencias.
\I0I\ZEII DE FaZENDAS
DE
Custodio, Carvalho & Companhia.
9 RA DO Ol i:MI t IIO ti
Superiores saias de fustao para sentaras a S
Toalhas de linho para mesa a 34500 e 4J>.
Lencinhos para meninos um 109 rs.
Leos brancos para algibeira a 24 a duzia.
Toalhas para mao duzia 44.
Bramante de Moho vara 24
Fil de linho liso vara 500 rs.
Cirande pechlncha.
Pecas de ntremelos bordados a 14
Tiras bordadas a peca 24.
Gollinhas de cambraiaa 600 e 800 rs.
-

'
i




Otarte te 'eraaaibneo
_
- egnnd* lelra 11 rfe *nJh e 1S#4.
mmmmwwm
0 Dr. Carolino Francisco de Lima San-
ios, contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do diae da noite
K para o exercicio de sua proflssao de me-
ra dico ; sendo que os chamados, depois de
m mcio da ate 4 horas da larde, deyem ser
m deixados por escripto. O referido Dr.
Sx nao abandonando nunca o estodo das
molestias d interior, prosegue, com o
maior afflnco, no das maisdirJkeise deli-
cadas operagoos. como sejam dos orgos
M ourinarios, des olhos, partos, ele.
Olimpo Ferreira la Silva
AGENTE DE LUIMOS
Jtua da Cadeia do ilecire n.
Primeiro andar.
M>.
Akiga-se o sitio dos Burytis na estrada do
Arraial, aonde foi a empreza de lavagem de roupa:
a tratar na ra Nova n. 50.
Desapparecea ha quatro das um cavado cas-
tanho, que ha pouco fez a ultima muda, e ainda
nao est bem manso, nem ferrado ; tem a barriga
um pouco grande e cahida, a rabera muito acar-
neirada, e da testa para o focinho tem urna risca
branca que o faz parecer com o focinho torta : se
quem o livor adiado ou appreheodido quizer lva-
lo ao engenho Algodoaes, ou annunciar por este
Dtario, poderi ser recompensado._________
O procurador fiscal da thesouraria da fazen-
da faz scienle as pessoas que uverem negocios ten-
dentes i mosma procuradoria, que dirijam-se a
thtf.'onraria da fazenda das, 9 huras em diante.
Na ra estrella do Rosario u. 34
Advogado Alfonso de Albu-
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
eiras, porm, na villa do Cabo.________________
A praca das casas de Rozeudo A Ivs da Sil-
va, que tem de serein arrematadas de venda, por
execugo do cirurgio Francisco Jos da Silva pelo
juizo municipal da 1" vara, ficou transferida para
sexta-eira 8 o crreme, depois da audiencia.
Atlencao.

Precisa-sede muilo boas costureiras para fazer
colletes : na ra da Cadeia do Recife u. 38, pri-
meiro andar. _______________
Precisa-se atugar urna preta que saina eozi-
nhar e engommar : quem a tiver, dirija-se ra
do Trapiche n. 4, que achara com quem tratar.
Aluga-se o lerceiro andar da casa n. 48 na
ra do Trapiche : a tratar no armazem da mesma
casa.
1g C'ompanhla Odeltdade de
seguros martimos e ter-
S restres estahelecida no
m Rio de Janeiro.
fffj AGENTES EM PEPNAMBICO
ma Antonio Luiz de Olive ira Azevedo k C,
S competentemente autorisados pela direc-
gg toria da companhia de seguros Fidelida-
des de, tomam seguros de navios, mercado-
Jg rias e predios no seu escriptorio ra da
^8 Cruz n .1.
awmM
o aviso importante dos Srs. Paren-
te Vianda & C.
Era virtude do que ja fez publico nesto coacei-
toado Diario de 30 de junho e 1 do corrente, tize-
ram os Srs. administradores da massa fallida de
meu cunhado o Sr. Francisco Gomes Castellao,
iranscrever o ttaeor de um conhecimento de topos- j A*tr. lillas Cordelr CJln- aoras da raanhSa, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepto dos das santificados
t* da Inja decalcado na na larga do Rusario a. 21 r.\ urerl+A-i' fallar a necoda df i.i / / ti .
aereado com w.nelbante publicagao vt* se des ^i^eres HL na padaria d rua rnamUlCta e$peCMi flOmeOp0tllCd
Sba"htvTS roma T'S^JaX^tS^S- IHUelU, p. 5 4.__________________| No raesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimeato de carteiras
ment se ajguma cousa prova ( m favor de miuha j Arroia-se vemie-se, ou mesno troca-s por tubos avulsos, assim como tinturas de varias dvmnamisacSes e pelos preces seguintes
Carteiras de 12 tubos grandes. 12*000
SSiiSSai asa* anas M^MMWi
A~r. lillas Cordrlro CJln-
CONSULTORIO niCO-ClBURGHO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
UKDICO. PAUTE IRO E PUHADOH.
3 Rua da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lebo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os das das 7 s i
. 1 1 VI a_.LV J % _____ i 1 I.___._ *- ___a__^ .. T i^ 1>A* lllll.' fltntl
franca ewdadeira exposicao, e quem- ignorara casns M a-, um st0 na Vara* nargeci do
que deveria ser meu cuchado o condado, mas vai xmeno Capiharbef com duas grandes asas,'com
muita differspca de figurar o estaueleciwento^m 7 qaarlat A aias, 2 cuw e wa sotao, laido a
nome desU ou3aijella oessoa, a ser sua proprie-, m caebira, wtr*ana, e quartos pan ciados,
dade o que-feam sabhlo ortos Sfs,adO)iMBirao- wU*ptaado de atv0n5a.de frtete, ahacaes^iapo-
res. f tis/fnirta-e, limao doce.LHmas de uialiR* e da
Prtanlo, reaito, posso ser repulido llevador a 1 PeM|. iwartj^iras de uiobtgp, seletas, Uterinas,
massa, logo que se verifique o que esta yagoa por j ^ amjtBlnde cafesa.apm frucias, tlUiras,
debito relativo ao estabelecimenlo ^e calcado, le- maBJWjraS, coquciraiHJwneeiros, comai^s no
nndo em conta o que o mesmo4iroduzio peUacas- _nii0 uma cal ^ laj^a, e bem assim uuis A ca-
to que recahio em favor osfiiiasjnos enhoras-ad- \ sas ^e-4ijofct> actMUa deronco tempo, om frente
ministradores!! mas jamis se o oartencer massa as dividas qe amioj pr- #a|aS| fanos e cauaba.(ra : os pretrtdentes
priedade.
E a prova se os senhores administradoras ti
ham conviejaequea loja de calcado erapcoprie-
dade de meu cuneado, para que
dirijam-se 4 ruado Queimad"-.. 27, loja de Pen-
das Jos Sr.-. Custodio i flarvalho.
cur.so da fallencia a erhiicfc da escripia estt I I \f^S3^tn%X\
so nada disso w fez nem a requiscao dos stnfcores .
de 24 tubos grandes. 184000
de 36 tubos grandes. 24*000
de 48 tubos grandes. :i03000
de60 tubos grandes. 3S,5000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca l&' 00.
Sendo para cima de 12. aislara os preeos eslabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LIV ROS.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina .Homeopatlco do Dr. Jahr,
dons grandes volumes c>m diccionario............ 205000
Medicina domestica do Dr. Hering,........... 100000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. 65000
Diccionario de termos de medicina........... 35000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
to de serem novamente recommendados aspessoa* que quizerem usar de remedios ver-
". dadeiros, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
iVAII-i aan AUiga-*e un *iu ju Irada daPgste de
mco adiante duJIlm.
rieira, tefldtffcaifleiro,'
ct.c.Imv~^-~"~ | galnheiro e outr. acotnm miradores bscaesnem mesmo domu WJ, ^ ^ Monteiro> em freDte ao 0535pre.
pois do interrogatorio e declancao Ng-lS a trater com-AtoBos Rodrigue#>dft.Sou-
provados por cinco testemunn *^2?SSSSTz*, roa do Crespo n. lo, ou estreila do ttamio nu-
cerara que esse estabelecimento nao era proprwda-; "''" ^ '
de de meu cunhado, e se foi envolvido na massa mero oz-___.________________________
porque liaba sido penborad* por debito a te re- Os l^atatatf^ma&sad^ ah- dadeir0 ^^ de ^ notavcs pela sua boa conservado, tintura dos" mas acreditados
Nao vem os senhores administradores quom I "JJJe""!! SgaSTSSett^rua do i estabelecimentos europeos,-aWs exacta e aocurada preparado, e portanto a maior ener
semelhante procedimenlo irrogam urna censura
nao s aos senhores curadores H'scaes como ao pro-. Trapiche n. o.
prio juizo que s depois de ^oexjweo Na praca da Independencia, toja de ourives
de inteira conviccao de seu acto e que proferto sua : '5** obras de ouro, prlla e pedras
sentenca dejando de examinar miabalJ Por J^SI assim como se faz quaqiler obra dTen-
reconhecer que a declaracao de meu cunhado pro- = oualmier concert e icual-
"dmeumd,rSeito.StemUnhaS "***"' "^ I meTe^ dirl qtm dflB5ro^pSn g
No entretanto os senhores administradores fa-1 rtluga-se o armazem da casa sita na rua de
zem-se desconhecidos de todas estas circurastancias Apollo n. 47, e o primeiro da casa sita na rua da
de que elles tem a maior sciencia, s com o fim de Senzala Velha n. ti
poder desconceituar o homeui que elles j o tem n. 4i.
feito passar pelas maioresdecepcoes, e istodevido | precisa.se e ama crada
a'
a tratar na rua da Cadeia
ttocledade de seguros mutuos
de Tlda Insinuada pelo Banco
Unio na cldade do Porto.
Os agentes nesta cidade e provincia Antonio
Luiz de Oliveira Azevede- & C es da Cruz do Recife n. 1, eslao autorisados desde j
a tomar asignaturas e prestar todos os esclarec
meatos que forem necessarios, as pessoas que de
sejarem concorrer para tao til e benfica empre
as, egurando um futuro lisongeiro aos associado-
m Maques'sobre Portugal. ^
O aballo assignado, autori>ado pelo a
sa lanco Mercantil Portuense. e na ausencia jgj
^ do Sr. Joaqun) da Silva Castro, saca ef- jjg
a fectivamente por todos os paquetes sobre a
^ as pravas de Lisboa e Porto, e mais luga- g
33 res do reino, por qualquer s-nima vis- g
la, c a praso ; podendo, os que tomaren) r
saques a praso,receberem visla. no mes- o
jB ino Banco, descontando i U('J ao auno: na Jg[
5 Iojh (l: chaiioos da rua do Crespo n. 6, ou
a na rua do Imperador n. 63, segundo au- g
H dar.Jos Joaquim da Co>ta lala.
-MiM WSMMm MWtVL'Mm
Ao publico.
O abaixo assignado declara a quem interessar
possa que elle nem urna letra assignou quer seja
01110 saccador, Rceitanlc ou endossante, e nem
mesmo carta de Ranga de alugueis de casa, ou 0:1
tro negocio de qualquer nalureza que seja em fa-
vor ao Sr. Joo Cennano de Paula, sej i|ual fr a
transaeco em que por ventura se ache o nome
deste senhor e do ahaixo assignado, contra o que
protesta. Recife, 7 de julho de 1864.
Joaquim Francisco Franco.
Aluga-se uma mulata escrava, que rozuilia
lava e engomm i, i>to com alguma perfeicao : a
tratar na rua do Apollo n. 3-'. lerceiro andar.
Prccisa-se de urna ama forra ou escrava que
compre, coznhe e. en'.'oinme para casa de pouca
familia : na rua de Santa Hila n. 40, primeiro an-
dar^________________________________________
Cavalh) fuifid
Fugio ou furtaram de um dos sitios da estrada
;los Afllictos um quarto castanho claro, castrado :
quem o pegar, leveo ao quarto sitio depois da
capella, que ser recompensado.
Precisase de um caixeiro
u. 30, deposito.
11.--.-. ... u..... ..... livri- ou escrava
ntluencia de um cominercianle a quem mais o-, saiba cezinhar e comprar : na rua de Santo
go tambem o sacrificar se cahir no seu desagrado. Amaro (Mund0 ^ovo) sobrado onde morn o Sr,
Felizmente se hoje lido com o rigor do infortu- D(. j,0
nio leaho a devida coragem e resiguago de olhar"
com Hidilferenga para os meus perseguidores.
Sabem os senhores administradores que erraran)
quando enteoderam ine poder desconceituar tor-
nndole meus encarnicados inimigos, pols que os
senhores administradores nao ignoravam que tudo
liz para dar soluco de meus deveres a pontos taes
de me sacriticar. mas quizeram ter mais esta glo-
ria I I e a nao ser assim outro deveria ser o pro-,
cedimento, porquanto nao ignoram que direito al-
gum tem as minhas dividas a nao ser o crear-me
embarazos a alguns fracos recebimentos que po-
desse ir fazendo. Felizmente est hoje o seu pro-
cedimento no conhecimento publico que ainda es-
pera pela rcalidade desse annuncio todo pejado
de injurias lile que al boje ainda nada prova-
ram.
Portanto est inteiramenle provado que nao foi o
inleresse da massa que os obrigou a desacreditar-
me, antes se pode ajuzar que foi esse o meio que
procuraram para prolongar por mais tempo o divi-
dendo I mas a verdade ha de sempre sobresahir
a mentira e a calumnia embora esta se atlavie
com os brilhantes ornatos da riqueza e aquella an-
de coberta com os andrajos da miseria
Protestando nenhuma respo>ta mais dar aos se-
nhores administradores, que se tem consciencia do
que com tanto afn fizeram punlico ah eslao os tri-
bunaes do paiz para onde os desalio.
Recile, f de julho de 1864.
Antonio Jos Morena Ponte*.
gia e certeza em seus effeitos.
Casa de sade para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciante julga-se suficientemente habilitado.
0 tratamento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que poden) ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 25000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 1)5500.
As operacoes scro previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos preeos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
llamos, medico pela (ni
versidadede Coimbra, d consultas em
sua cata das s I i horas da manha, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
|-gentes, que serao soccorridos em qual-
quer occasio. D consullas aos pobres
que o procuraren) no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem soa casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doeote,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem eommodos apropriados e nella pra-
tica qualquer operago cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira dasse *000diar8.
Segunda dita.... tiSUQ >
Terceira dita.... 2*000 >
Este estabelecimento ja bem acredi-
tado polos bons serrlpos que tem pres-
tado.
O proprietaro espera que elle onti-
aue a merecer a eoBanca de que sem-j
pre tem gozado.
Aluga-se o primeiro andar da casa da rua
da Cruz n.!, tendo a preferencia para wcripto-
rio, por prego muito em conta : a tratar na loja.
da mesma casa, no Recife.
Precsa-s^de una ama forra ou captiva par
casa de pouca (amiba : na rua da Cadeia do Reci-
fe n. 48.____________________________________
Alugaoi-se as casa terreas as. t e 2 da roa
do Hospicio : a tratar na rua do Seve n,
Precisase fallar com os Srs. Jos Manoel da
Costa Ferreira e Manoel de Barros Wanderley, a-
ma dos Pires n. 34.
Precisa-se d^ urna criada portugueza ou es-
crava, para cuidar de meninos em uma casa in-
glezade pequea familia: a tratar na rua do Tra-
piche n. 17, lerceiro escriptorio.
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua prois-
so medica, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias
2o
3o
DE

_) 73 rs
= 2 =.
c

S. g
9 5
o
a.
es V
E3 "
a.;
_ c a
n ap M ~*
& S a
0=0
.0 >
9L E 1
a. = <
o
a ^ r
a. a _
Z 3 3.
de olhos;
de peito :
dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
rao examinados na ordem de suas
entradas coinecando o traballio pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d s
6 as 10 da manha, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
Mj doentes.
Precisa-se de urna ama de leite : na rua Im-
perial, sobrado u. 87.
CS
\. &h.
DE
J. VIGNES.
IUM DO IMPERADOR
AM.I.
Precisa-se de uma ama para cozinhar
larga do Rosario n. I i, segundo andar.
na rua
Aluga-se a casa n. 4 da rua dos Prazeres, no*
Coelhos, com bons eommodos, concertada, raiada e
pintada rom perfeicao e gosto : a tratar no segun-
do andar do sobrad n. :M> da-rua do Rangel.
A1TENQA0.
Na rua da Cadeia do Recife n 3, primeiro an-
dar, tira-se passaporte de esrangeiros para o es-
trangeiro, e de escravos para o Kio de Janeiro,
tudo por prego comwodo e promptidao, das 9 ho-
ras da manliaa ,i< 3 ila larde.__________________
Aluga-M- a ca>a do Caininho Novo n. 2. rom
quatro quartos, duas salas, corredor soparado, co-
zinha lora e quintal murado com cacimba : na rua
do Canog n. II. botica.
N. .
Ao amanhi'Ccr do dia
engenho Penanduba, sito na
do corrente rajio d
fn-gnezia de M oribe-
Os pianos desta antica fabrica sao boje assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobre o ca. uma escrava de uome Sabina, repre-enla ter
*,-------------_-!..........im.j. em 23 annos de dade, com os signara segbales : cri-
oula. fula, cabellos earapinhos naisa, gfwM, 'ios
grandes, rosto redondo e com muitas marras de
bexiga, maos pequeas c ps, peroas arqueadas, e
mais alguns que nao se recorda ; li-vnu rornsigo
Uma lllha com idade de tres metes tambem preta :
quem a apprehender leve-a ao referido en>renho,
ou ao pateo de Tercj n. 44, que ser generosa-
mente recompensado.
nunca falhar, jwr serem fabricados lie proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importan-
tissimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores. ,
Fazem-se conforme as encommendas. tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars, soci-
correspondente de J. Viunes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expesigdes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de msicas do>
melhores autores da Europa, assim como harmonices e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
pregos eommodos e razoaveis.
\ Ai ^E- ^ W. yM SSI %# WS&
ts,
i DENTISTA DE PARS
19Rua Nova -19
|H Fredenco Cautier, cirurgio dentista,
i faz todas as omrao8ae do-sua arle, c col-
HS loca dentes artiliciaes, tudo com superio-
SS ridade e |ierfeigo, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
,IRAZE3I
DE
Vende-se o engenho Diamante sito na
cominea de Guyanna. uma legua distante
da cidade, com excedentes tetras de plan- ropa.
taco e muilo hoas obras : quem o quizer ~ZT
comprar, dirija-se ao Recife casa dos
Hdame Nina Albet,
retira-se para
Na rua da Concordia n. 2 fai-se toda a qua-
idade de roupfles e vestidos para senhora e meni-
Sre7o Pereira "Moutiriho oi Rocha. Li- na?, ele., ludo com aceto e perfeicao, e prego mi-
ma, na rua da Cadeia do Recife, e em '
Goyanna ao Sr. Trujano da Cosa Ribeiro.
-ui'ir\ si) (yimmDD
LETR2RO 'EROE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazeodas de todas as qualidades, para senhoras,
M homens e meninos.
COMPRAS.
Qualquer desses senhores, poder dar in-
formaces sobre o engenho e indicar a pes-
soa com quem se devora tratar.
A 'To Uvtrt aR^S^Tll- 1 asacas de panno preto, 355 e 3050001 Ditos de setim preto .
A rua larga UOltOSailU mi- t Sbrecasac lm 30?5 e 2550OO1 Ditos de ditos e seda
mero
pal ha, balaios
na rua Direila
Antonio Luiz de Oiioeira Aze-
vedu & C
A|ftte> do Banco l'nio do Potlo.
Competentemente autorisados sacam por todo
js paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto s
Lisboa, c para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
Bercos de palha, balaios de meninos i
- Madama Nina Albet, uao se pode retirar para aprender a ailar, eondeeas altas e baixas de i
a Europa, como annuncia, antes de pagar o aluguel n_ | at,'. JO. balaios para roupa soja n. 1 a,'
da casan 11 que orcupou na na das Cruzes e g azafates braiiros e pintaflos ll. I a 12, ni- i
para-esse tim dirija-se a rua nova de Santa Rita "."V"1^- :
jh nhos para vvenos de canarios do impeuo, ;
.balaios para cuslura cha e outras muitas
obras de vime aqoi se aobam o ludo vend'-'
4:500$.
Por um sitio no lugar da Capunga, com boa ca-
sa de pedra e cal para familia, tendo 3 salas c 8
quartos, cosinba fra, casa para feitor, dita para
escravos tanque para banho.dito para lavar roupa.
terreno proprio, vivero i-rio c militas fructeiras
le fructos, com duas cacimbas com boa agua, em-
lim que se acha livre e desembaragada : os pre-
se a pregos razoaveis.
Precisa-se de urna ama que compre e cos-.
nhe para casa de pouca familia : na rua de Hurlas
sobrado de um andar n. 30.
35500
44000
Precisa-se em um engenho pouca distancia;
da via-ferrea. de um homem para ensillar latim 0
tendentes queiram dirigr-se Caimnga Nova' ao francez : quem estiver habilitado, queint dirigir-se j
Paris
Hainburgo
JJarcelli.ua
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Frvderic S BalHn i C.
Joao Cabe & Filho.
Francisco Rahoba & Ballista.
Jaime Meric.
Crdito commercial.
Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
Em Porttcai..
Angra Terceira.
Caininha.
Taslello Branco.
Chaves.
Ciimhra.
Cnvilha.
Elvas.
Etoemos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa Nova
Porlimao.
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganca.
Faro.
Oliveira d'Aze-
meis.
Pena fiel.
Tavira.
Villa do Conde.
Villa Real de \izeu.
S. Antonio. Faial.
No IMFF.KIO.
Bahia. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista.podendo logo
os saques prazo serem descontados no mesmo
Hanco a razo de 4 por cento ao anuo : a tratar
;ia rua da Cruz n. 1.
do
Figueira.
Guarda.^
Giiimariies.
Lagoa.
Lagos.
La mego.
Leiria.
Menguo.
Mon corva.
Regoa.
beiubal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madeira.
5. Miguel.
Cas-
enlrar da mesmapassanlo o primeiro porlao no
segundo que achara com quem tratar este negocio
e tambem para examinar o mesmo ; meus senho- I
res ehegliem a. barato.
CiABIMKTI.
POliTlhl I/- iB Lhlltii-. 11 rH-
,\AH|illiO.
Por ordem do Illm. Sr. presidente do conselho
deliberativo convido os senhores conselheiros para
se reunirem em sessao ordinaria lerga-feira l do
corrente, pulas 6 horas da tarde.
Secretaria do Gabinete Portuguez de Leilura
em Pernamluico aos 8 de julho de 1864.
Domingos Jos de Anwrim.
2. secretario.
para tratar a
andar.
rua do Imperador n. 73, primeiro ]
ene
el O
Para aluarar.
O alaixo assignado declara que ha vendo Incum-
bido a Manoel de Rezende Rejio Barros a robran-
c.a de dividas fra desta cidade, passando-lhe para {;
i'sso urna procuraeao bastante em o mez de maio '
de 1881, tem revogado os poderes des a procura-
gao, sendo que por isso nao dito Roseado mais
seu procurador, nem pode mais, em seu nome, fa-
zer qualquer transaego. nem figurar em juizo.
Recife 7 de julho de, 1864.
Mauoel Alves Ferr.eira.
Paletos idem e de cores, 255,
205, 130 e......
Dilos de casemira, 205, 155,
125, 105 e......
Ditos de alpaca, 55, 45 e .
Ditos ditos pretos, 95, 75.
55. 45 e......
Ditos de brim e ganga de co-
res, 45500, 45, 35500 e. .
Ditos branco de linho, 65, 55 e
Ditos de merino preto de cor-
do, 105, 75 e.....
Caigas de casemira preta, 125.
105, 85 e......75000
Ditas de cores, 95, 85 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 55000 e.....
Ditas de princeza e mei in pre-
to de cordo, 4550) e. .
Ditas de brim branco i de co-
res, 55, 45500, 45 e .
Ditas de ganga de core s, 35 e
Colletes de velludo pi eto e de
cores, 95 e......
Ditos de casemira pre a, 55 e
Ditos de ditas de cores 55
45 e........
Comprase
cobre e lalSo : no armazem di bola amarella no
ditao da secretaria de ["'liria. ______
Compra-se urna barcaga de 400 saceos, era
estado de navegar, e que seja de boa coiistriiero,
tambem aluga-se no caso de ronvir : a iratar na
rua do Trapiche n. 17, primeiro andar.
Compra-se ouro e trata em "dirs velbas
daga-se bem: na loja de tiilnctes da praca da Inda
pendencia n. 21_____________________________
Comprase uma negrinha de 8 a 10 annos :
na rua da Imp.-rairiz n. 20.
Compram-se Diarios para embrulno, sendo o
papel alvo a 45 a arroba : ni rua do Quciuud*
ns. 15 e 17 junto ao guarid. __________^____
Xa rua do Imperador
a. 12, casa de relojoeiro, com-
pram-se relogjos vellios de
todas as qualidades.
branco, fx
65 e....... 55000$
105000: Ditos de gorgurao de seda S
pretos e de cores, 05, 55 e 45000^
75000 Colletes de fustao e brim bran-
35500 co, 35500, 35 e 25500
Seroulas de brim de linho,
25400 e......25000
Ditas de algodao, 15000 e. 15400 |.
35000 Camisas de peitos de linho,
45, 35 e......25500 3
Ditas de madapolSo, 25500, S
55000'; 25 e........15600
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 105, 95 e. W500 M
75OOO Ditos de fltro, 55, 45,35500 e 25000 Jj
: Ditos de sol, de seda, 125,
450001 115, 75 e......65000
Collarinhos de linho fino, ulti-
45000 ma moda duzia. 65000
; Sortimento completo de grava-
25500 tas. 5
25500 Toalhas para rosto, duzia, 115,
! e........65000 g
750OO Chapeos deso, de alpaca, pre- ^
450OO tos e de cores.....45000 M
Lenc4es de bramante de linho. 35000 W
Cobertas de chita chineza.. 25500 0
YENDAS.
um se
Revista ContfWtortmt de Poriug..l e Bra>il anno
de 1859 pnr 55000; Porsins de Costa e Silva por
255OO : na rua do Cabug loja n. 2 A.
Vendem-se caixoes vasios a 1:760
cada um : na rua das Crtizes n. 44.
35500
I El AII TODOS.
Aluga-se urna sala na rua do Queimado n. 30 no
1 andar, ptimo para um escriptorio : quem .re- Q abaM assii,ni4ll0 avia ao respeitavel publico,
cisar dirija-se a loja da mesma casa.___________ e com eS|W,.4|i(Ja(ie 0s seus freguezes e amigos,
Precisa-se de um feitor que emenda de plan- que se acha na rua da Cruz do Recife u. 44, pri-
tagoes, e que saiba tratar de jardim : a tratar no meiro andar, prompto para secular todas as fue-
Mondego no sitio do finado commendador Luiz Go- g5es de sua arte de barbeiro, como sejam sangrar.
Vende-se a taberna da rua do Padre Klori.mo
n. 41, propria para um principianta, com eommo-
dos para muradla ; a tratar na mesma.
UAZIMI'.S lt\R\T4S.
Vendem-se laazinha.s de cores lisas ede boa qu..-
lidade para vestidos de snlmra a pataca o vado,
e outras minias fazendas que o dono esia molvido
a vender muito barato alim de aparar ns colina :
na rua da Emperatriz n. 20, oufr'i ra aterro da Boa-
Vista.______________________________________
Vende-se um cal.riol. t o pateo do Parai-
zo n. 26.
Vende-se urna mesa grande envernisada. de
duas gavetas, propria para escriptorio 1 na rua do
Livramenlo n. 32, padaria.
Farfulla de luamlfoca
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
Alves no seu escriptorio, casa 11. 19 da rua da
juz
POR MENOS DE 20 4 30 POR CENTO

r
mes Ferreira.
&VVU. Quem precisar de utn pequeo de 1., a 1 an-
nos para criado de uma casa, dirija-se a
Aguas-Verdes o. 37. ______________
rna de
Preci^a-Ms de um menino para raixPiro de
padaria, de 14 i o annos de idade, prefefindo-se
..strangeiro
as Cinco Puntas n. 98.
AO publico.
Manoel de Hollanda CavaleaiiU, agente do cr-
relo da cidade da Vierta, declara ^*g
diante se ass.gnara por Manoel Mana de Holanda
Cavalcanti. Cidade da > ictona de wlho de 18b4.
"_ Precis-se de urna ama qae" cozinhe e faga o
mais ervico interno de uma casa de familia : na
airada de J-ao de Barros, sitio em frente ao beeco
do E-t>lnhelro.
"_1 Oaem precisar de uma ama de teite, dirija-
se rua Imperial n. 20, que achara com quem
iratar.
lu-aiumalica ingleza e portugueza.
D. Applelon S C livreiros.edilures e importado-
res em New-Yurk, Estados Unidos da America,
acabam de publicar um novo methodo para os in-
glezes aprenderera a llogua portugueza por E. F.
Granert, i vol. 12 me.
Este livro, o melhor at hoje publicado cx-
pressamente impresso para supprir a inmensa fal-
ta que ha de ama grammatica ingina e portu-
tirar, abrir, calgare limpar dentes. applicar ven-
tosas e biehas. tudo sem o menor risco e dr, para
o que pode ser procurado na casa cima a qual-
quer hora do dia ou da noite.
Joo Salustiano Coelho.
_________ ,
Carrus ftiaehres, largo do Paraii*
IlllIllel'O 10.
Nesle estabelecimento encodtram-se carros f-
nebres ricamente ornados, primeira ordem para de-
la AmVriea. Tambem uUiram os melhores tudo com presteza e preeos cutnmodos, a qualquer
albunsparaeartSes de visita. hora do dia ou da noite : na mesma casa acuna,
Arreiida-se o engenho
ou nos fundos desta, rua de
6 ou 18.
S. Francisco numero
Pedreiras sito na comarca de Santo Ant5o Q sfH pa/*H CSL'nptoriO
dlstht deta praca 12 leguas a tratar uo
mesmo engenli/i, tiu pateo doCarrao n, 1,
se dar3o infnrmacSeS-.
Aluga-se o primeiro andar da rua da Cruz n.
24 : a tratar na rua da Cadeia n. S7.
!
11
Ao publico
O hacharel Jeranymo Salgado de Castro Aceioly, KJ^^^'rtT^r^s'marcas esc
iligo advogado do Inbunal da relaeuo e mais au- ^ ^ t^SQ0 M QS eiW
torios da cidade do Rncife, madon seu fsrjtpto- p,^^'^ g groia 2*t00.
23Largo do Terco23.
joaquim Simio dos Sanios, dono deste armazem de molhado, tem feito ama grande vanttgem
quem seu armazem tem frequentado, liquiduu todos os seus gneros mais antigos que tinha nao so
neste armazem como fra, e tendo feito urna grande reforma neste estabelecimento tanto em tamantu.
como em gneros que mandou vir por sua propria encommenda a maior parte, que os pode vender por
menos de que qualquer annunciante, para isso se responsabilisa pela superior quaHdade.
Attencrw).
Btalas as mais novas a 1#400 a arroba e SO rs. a ^^p^,*JS&i>JUi aSdOrs. a gar-
Toucnho de Lisboa novo a 280 rs. a libra e 800' njWto. LHbM a w fS
a arroba. .. _!_.!. ^"fa?Xm^ ^Stera.ncgo;oa320r,agarrafaemcauada
ArS^o ab80eK.Vlilra e2*5O0et*30O
SafdlK Nan.es "vas a 3^ rs.Vada urna.
Sabio massa superior a ifO*Jr; n?,;*'. iibra
Pa.*as as mais Bovas deste genero, aL*00 r^a libra
Precisa-se de urna ama forra ou captiva : na
Rua do Rsario'Estr'eil n.'S, Io andar. ____
Precisa-se da quanlia de 300, pelo meno^, dibirios -.
a juro que se convencionar, dndose para garan- rio par a rua das i.ruz-s n. ^v
lia am bom escravo liypoth-ea t assim como alu- pi^nrad nara os misteres d. sua pr.w
gain-se escravos; e ofT-rece-se para caix-iro um
menino do mato de 13 a 14 annos de idade : a
quem tudo Ou arte eonvier, quelri annneiaf a
sna morada. .
Precisa-se de um cnado lmvo de 12 a lo
annos : na rua do Corredor do Bispo n. 24.
Amelias franceza- com 1 e meia.libras al*.
Bolacbinhasinglezas novas a 240^.br,. jdade
T^Tis Atilaniu P*reira d,a Silva, professor par-
ticular d* in-tru<^io elemenur e grammaHca la
lina.
pA
lia l,
ra para o exercicio de sua protusao.
ser Pbosphoros do gaz groza
Velas deespermacete de 5 e 6 por libra a 540 rs. a
libra, e era raixa a !>20.
Velas de carnadba a 113 a arroba e 3W) a libra.
Genebra de Hollanda em frasqoeiras a 64000 e 500
rs. o frasco,
dem em botijas de conta a 400 rs.
Azeite doce de Lisboa fino a 600 rs. a garrafa.
Dito de carrapato a 320 rs. a garrafa.
Manteista ftancora a 360 rs. a libra, e 540 em
barril.
Dita ingleza flor a 720, 800 e 900 rs. a libra, e em
barril ba abatimento.
Massa de tomate em latas de libra a 600 rs. cada
orna.
e portuguezas a 640
ftSJW^SS* do paTeo da Ribe7a Sevad.uha e sag muito .novo a 240 260 rs. a li-. Conservas inglezas, francezas
t.ara o exercicio dt: sua profisso. Inha ver.
Quera duvidar ve-
Loja de fazendas da rua
do Cresp > n 7.
Miguel Jos Barbosa fiuimaraes, socio princi-
pal da firma de Guimares a Lima, faz seienle ao
vitav| mibhco que tono de liquidar Mas as
fazendas existentes em seu estabelecimento por
ter fallecido o seu socio Jos de Almeida Nones
Lima, que consta de um grande sortimento de fa-
zendas tinas, como sejam ricos vestMos de seda
com algnm loque de mofo, capas de velludo preto
muito finas e outras multas (atondas que ludo-
vende por baratissimo prego.__________________
Vende-se uma mobilia deamarellu rom pou-
co uso, coiistaado de licadeira*. 1 sof, 2 conso-
Ins, 1 mesa de mel de sala e uma rama franceza.
por nrego commooo : na na do Queimado lo a
de ferragens n. 14.__________________________
Vende-se um Itio na praia do Rio Dore, dis-
tante da ci lade de Olinda uma legoa, com 600 pc
de coqneiros qne dao frncto, com boa caw de vi-
venda de pedra e cal, ch-s pr.iprms, com banho
no fundo : qnem pretender, dirija-se mesma ci-
dade, rua do Carm >. casa do conego Souza Goales,
que achara comqoem tratar.
Feleja.
. Tendo se extinguido a edicao &*Pelrja tnirt o
rffdbo, uma atina e S Miguel -acha-se reimpressa,
eorrilda e Mnsidertvelihen'te angnvniada. ven-
de-se pelo mesmo preco: na rua do Imperador
numero 15.
Vendem se terrenos com 30 palmos de frente
e 60 de fundo, sitos n i tiu da extincta haco de
Iteridos : a tratar us mesmos.

f
ILEGfVELL


f


Diarlo de Peraauubueo guada letra ti de Juiko de 18CI.

KdMJ
f!
i

RA DACADEf A DO BECIFE M.: 53.
NOVO E
GK2.NDE ARMASBKE DE MOLHEJOS
RA DA CADEL1 RO RE IFK W, 53.
Francisco Femandes Dnarte acaba de abrir na roa da Cadeia do Recifen. 53, ora graDde e sortido armazem de mellados de-
nominado l/nia Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeitavel publico im ampielo soilimeMo des melbere
. ceneros que vem ao mercado, tanto esifngeiros, como nacionaes, os quaes ser5o vendidos em porpes cu a retall.o jor picaos ass
ommodos. ,,
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
Manteiga ingleza especialmente escolhida
de primeira qualidade a 900 rs. a libra,
' em barril se faz abatimento.
Manteiga franceza a mais superior do mer-
& cado a 6oo rs. a libra, e_580 rs. em barril
00. meio..
Trezuotes inglezes para fiambre, d'snperior
qualidade, chegados neste ultimo vapor, a
720 rs. a libra.
Queijos flamengos ebegados neste ultimo
vapora 40000.
Queijo prato muito fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Gastanhas muito novas a 120 rs. a libra e
e 3^000 a arroba.
Cha uxin o melbor qoe ha neste genero,
mandado vir de conta propria a 20800
rs, a libra.
Cha hyson maito superior a 20560 rs. a li-
bra ; cb hyson proprio para negocio a
10500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 20 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com differentes
qualidades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
ootras muitas marcas a 10350.
Bolacbinba de soda em latas grandes a 20.
Figos em caixinbas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinbas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 10 e 20 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 500 rs. a libra e 30 um quarto ;
e em caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem vindo ao nosso mercado a 180 o gigo,
garante-se a superior qualidade.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 70500 a 80000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 90
a 109 a duzia, e 900 a 10 a garrafa; deste
genero ha grande porcao e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 145> e 150 a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do Douro, D. Luiz,
Camoes, Madeira secco, Carcavellos, Nc-
tar de 1833, Duque Genuino.
Vinho de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 30, 30200
e 30500 a caada.
Vinho branco de superior qualidade, vindo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
rs. de barril.
Osscnhore que compraren! de 1000000 para cima, terao o descont de 5 por cento, pelo prompto pagamento.
a 200 rs. a
10200 a caada.
Azeite doce refinado em garrafas brancas a
800 rs.
Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafae
40800 a caada.
Geneora de Hollanda a 500 rs. o frasco e
50800 a frasqueira.
Caixinbas com ameixas francezas, ornadas
com ricas estampas na caixa exterior,
muito proprias para mirao.a 1020o, 10500
v 20.
Frasco de vidro com tampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a
10200.
Marmelada imperial, dos melhores conser-
veiros de Lisboa, em latas de 1 e meia a
2 libras a 600 rs a libra.
Fructas em calda das melhores qualidades:
qne ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes maito novas a 160 rs. a libra.
Amendoas de casca molle a 400 rs. a libra.
Avelaas muito novas a 200 rs- a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 rs. a libra.
Macaas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, s vista se faz o preco.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Ervilhas francezas e portuguesas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a <02OO a libra.
Chocolate hespanhol a 10200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 19.
Cerveja branca e preta das melhoreymarcas
que ha no mercado a 500 rs. a'garrafa e
5*800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
e 10200 a garrafa.
Licores francezes das seguintes qualidades:
Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames
e de outras muitas marcas a 10 a garrafa
e 100 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
90 a duzia.
Mostarda ingleza em potes j preparada a
Sardinhas de Van tes a 340 rs. o quarto e 56(;
rs. meia lata.
Latas com peixe em posta: savel, corvina,
vezngo, eberne, linguado, lagestinha, i
10300 rs.
Salmo em latas, preparado pela nova arte
de cozinba, a 800 rs.
Macaa de tomtes em latas de 1 libra a 60t
ris.
Chouricas e paios em latas de 8 e meia libn
por 70.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra t
80600 a arroba.'
Bolaxinha ingleza a 320 rs. a libra e 40 >
barrica.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 200 rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 120 rs. libra.
Arar uta verdadeira a 320 rs. a libra.
Cevada a 120 rs. a libra e 30 a arroba.
Alpistaa 160 rs. a libra e 40800a arroba-
Batatas muito novas em gigos com 40 libra
por 10500.
Cebollas a 10 o molbo com mais de 100 ca-
da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 te.
a libra e 90 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 rs. a li-
bra e 80400 a arroba.
Caf do Bio, proprio para negocio, a 80.
Arroz do Maranhaoa 100rs. a librae 20800
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 28400
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas-
so e a 90 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixao.
Macarrao, talharim e aletria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz abatimento.
Eslrellinha,pevide e arroz demassa para sop;
a 600 rs. a libra e 30 a caixa com 6 libras
Palitos de dente lixados com flor a 200 rs.
o masso, ditos lixados sem flor a 160 rs
o masso com 20 massinbos.
Gomma de engommar muito fina a 180 rs. a
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra t
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inteiras ou em meias, t
Acaba de feetber de sua propria encotnuienda iiin giane e vanado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos s'eus gneros e
resumidos precos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
PARA A FESTA
400 rs. | |.06OO, 20 e 30.
Mostarda ingleza era p, em frascos grandes, | Presuntos do reino, vindos de conta propria
a 10 cada um. | de casa particular, a 400 rs. a libra; intei-
Sal refinado a 500 rs. o pote. ro se faz abatimento.
S. JOAO
Amendoas confeitadas de8oors. a libra.
Manteiga ingleza perleitamente tlr. a 8oo rs, j
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e Soo rs. j
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo, i
dem hysson o mais superior que se pode
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Bio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,loo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo
rs. a libra.
DE
E S. PEDRO
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limao, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, rlela pimenta a 1 ,ooo
rs. a duzia l,ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
Passas muito novas em croarlos e inteiros a
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra.
dem corinthias proprias para podim a 9oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 6oo rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
fazentla especial.
Presunto para 'ambre inglezes a 7oo e 8oo
r
L
RUA DO tf LEOJLIDO W. 45,
Passando o becco da Congregado segunda casa.
uDnu j
NOF1DADE.

Pereira Rocha & C. acabara de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commcrcial,
onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vena ao nosso mercado, os quaes
aer5o vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se o bom peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
muito superior a 220, Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra-
Painco a 200 rs. libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
rs. a lata. Presuntos de Lamego em calda de azeite e
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra. muito novo a 640rs.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranhaoa 160 rs. a libra.
Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
3 e 5 galSes a 50500
Arroz do Maranhao, da India e Java a 60, 80 Cevadinha de Franca
e 100 rs. a libra e 10800 a 20600 e 30. rs. a libra.
a arroba. : Cevada a 80 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas e em frascos a [ Ervilhas portuguezas a 640
10200 e 10600 emraseos grandes a
20500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estampas no interior das caixas
a 120000,10400, 10600 e 20.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez muito fino em garrafas dem em garrafoes de
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Ara ruta verdadeira de mata rana a 320 rs. a
libra.
A vellas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor efinada a 440 rs. a libra e
e em barril a 410 rs.
Cha hysson. huchin e perola a 10600, ,
20500, 2080 e 30000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa I Marrasquinho
e 50800 a duzia. 800 rs.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, so de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Baha
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor e
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barrada de pouco a 900 rs. a libra, e da
da segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. alibra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
de Zara, frascos grandes, a
dem regular a 500 rs.
Massas finas para sopa: estrellinha, pevide,
rodinhas e letrianbas a 600 rs. a libra e a
40 a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
e especialmente da fabrica imperial de I Peixe em latas preparado pela primara arte
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 10800, de cozinba a 10 rs. a lata.
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e Palitos de dantes a 160 rs. o masso.
30500 a caixa. \ Palitos de (lentes a 120 rs.
Caf do Bio muito superior a 280 e 320 dem de flor a 200 rs.
e 70500 cada um com o garrafo. Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 rs. a duzia. Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa. Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem, qualidade especial e garrafas muito dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
grandes, a 10800 rs. a garrafa. | libra,
dem garrafas mais pequeas a 800 rs. Figos em caixinhas ermelicamente lacradas
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi-1 a 10600.
dro, a 10000 rs., s a garrafa vale o di- Vinho do Porto engarrafado o melhor que
rs. a libra e 80500 e 80800 rs. a arroba.
Cartees de bolinhos francezes muito novos e
muito bem enfeitados a 700 e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a
libra.
Amendoas confeitadas a 900 rs. a libra.
Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
20 e em caixao a 64U rs.
Palitos do gaz a 20200 rs. a grosa.
Passas muito novas a 480 rs. a libra,
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Mara Pia,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, eem caixa com urna du-
zia a 90000 e100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 506 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs.
a duzia.
dem Morgaux eChateauluminide 1854, a 10
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
10200 rs. a casada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porco de outros que deixamo*
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porces como s
retalho.
Quem comprar de 1000000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
rs. a libra,
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
rs. a libra. Caixas de traque n. 1 a 8500 cada urna.
Queijos do reino chegados neste ultimo va- Massas para sopa macarrao, talharim aletria
por a 2,6oo. a 4oo rs. a libra.
Queijos ebegados no ultimo vapor a 2,0oo rs Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
dem londrino o mais fresco que se pode! e8oors. a garrafa.
esperar e de excedente marca a 8oo rs. a dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
libra sendo inteiro, e a 9oo rs. a retalho. i garrafa,
dem prato os melhores e mais frescos do charutos em grande quantidade e de todos os
mercado a /bo rs. a libra sendo mto.ro. aricantes mais a creditados a 1
Biso 'itns em latas de 2 libras das seguintes
marcas :. Osborne, Crakntl, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machinee outras mui-
tas a l,3oo e 1 4oo rs.
Polvos ebegados ltimamente do Porto a 32o
rs. a libra.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 50 a
caixa e 6o rs. a libra*
Balachinha de Craknel era latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
dem ingle/as em barricas a mais nova do
mercado a 2,5oo rs, a barrica e 2lo rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Cartocs com bolas francezas proprios para
mimos ou para anjos que vio as procis-
soes a 6oo rs. cada um.
Papel de botica de excellente qnalidade a
22oo rs. a resma.
Peras seccas as mais novas do mercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em litas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
Frutas era calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros inuitos a 6o rs. a
lata,
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 8oo rs. a libra,
dem de casca mole a 32o rs.
Vnoos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo.ooo e
l,ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs. a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,oeo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composicao a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha do Maranhao a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l,ooo rs. cada urna.
Bicos livros com figos l,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafoes com 4 */* garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafo.
dem cora 4 4/i ditas de venagre a 1 ,ooo rs. o
garrafo.
Vinagre PBB em ancorelas de 9 caadas a
15,ooo rs. com aancoreta "
dem em pipa puro sem o batismo a 2oo rs.
a garrafa e l,4oors. a caada.
Caixas com 1 duna da garrafas d vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8oo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
,5oo,
2,000, 2.00, 3,000 e 4,000 rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven
dema 2,ooo e2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.800 e 9,5oo
rs. a arroba.
dem de segunda qualidade a 8,5oo rs. a ar-
roba e 2to rs. a iibra.
1 Arroz do .Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, c 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,ooo rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 5io rs. a libra, -e em
caixa a 52e rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.000 rs.
dem arnaco pautadoe liso a 3.000 rs. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiroa 2,2oo rs.
a resma,
dem embrulho de 1,2oo a 1,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/* ,iDra a
l,2oo e8oors. a libra.
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frase valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Molhos inglezes a 800 e l.ooo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
bem arranjado possivel a 1,800 e 2,8oo
rs. a lata.
Cerveja Tenente verdadeira a 6,800 rs. a
duzia.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
c 6,000 rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. o molbo e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominbos muito novos a 32o rs. a libra e
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixcs em latas a 1 ,ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato s
grandes a 4,000 rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e 1,00o rs. o
caixao.
Novo eafekes para senhora.
A agai-braoea acaba de receber um beilo t Ta-
ado sortimento de eoteiics de diversas quaHaoV--,
e o qoe de mais moderno pouivel rm-oainr-$
aqu, fazendo-se octavis normas novida.le e ele-
gancia un?, cuja grade de um Uno e delirado le-
cido a que apropiadamente se chama iotisivel.
Assim, vista desse completo sortimento, quahiuer
cidado munido de dinheiro esl habilitado a com-
pra-Ios : oa ra do Queimado, luja d'aguia-branca
n. 8.
Bonitas bonecas.
Coro rosto de cera, mh e ortrlbas.
Acna-se na toja d'aguia-raoca roa do Qoeima-
do n. 8, um grande sortimento de txmeras de di-
versos tamanho*, com rosto de cera, nias pnr-
celiana os preieodcales manido* do dioheiro
acharao boa disposiro para os vender.
Koloes de cornalina
o outras qualidades para roleles
A Aguia branca acaba de receber um oovo e
variado sortimento daquelles apreciados botoes d*
cornalina brancos e encarnados, chalet e redon-
dos para eoletes, cujas abotoaduras continoam a
ser vendidas pelo commodo o inalterael prero de
2,3 cada urna.
Alm desses receben tambem outro de madre-
perola, massa e osso, com dineren/es moldes para
o mesmo liin.
J se ve, pois, que o pretndeme manido do di.
nheiro achara sortimento vontade u ra do
Queimado loja d'Aguia branca n 8.
BAUSIUiiS bCAXIMIAS
con perfumarla*.
Na ra do Queimado n. 8 loja d'Agua-Braora. 05
reguezes munidos de dinheiro enceotraro, boni-
tos bausinoos cobertos de couro e com 6 fras nhos de extractos por IJBOO cada um, e outros
cobertoi de papelao com 9 frasquinhos por 2*>Q0>
??,n>,A;aiXlnhas com 6 fo'quinhos de diios por
1,5000 urna, outras com 12 ditos por 20U0 urna,
j outras com 3 ditos, cuja coberta parece trtaros,
a 15500 cada urna, e outras cora paslilhas de chei-
ro a aOO, 14000 e 000.
Envclopcs brddos c car!s con bei-
ras IHoradas,
Na loja da anua branca, ra do Qaeimado n. K,
achavam-se venda huimos envotopes bordados e
cartees com Jjeiras dooradas, tendo de uns e de
outros, maiores e menores, proprios para partiei-
pacoes de casamentos, bailes etc.
Completo sortimento de ta*
Unas, lisa e tarradas.
A aguia branca recom um grande e completo
sortimento de tilas de diversas largaras e qnaiida-
des, tanto lisas como lavradas, e em todas das <-<>-
nhece-se a snperioridade da fazenda, notan
as lavradas o bom goslo dos novos e lindos tle nhos, isso tanto as matisadas como as brancas,
e pea commoilidade dos precos o pretendente ipie
se dirigir munido de dinheiro ra do Qu< iniado
loja da aguia branca n. 8, ser hem servido.
Capachos Inglezes.
Na loja da aguia branca, roa do Queimado n 8
vendem-se boos capachos inglezes, os quaes cla
de bonitos sao de mmensa durar", pelo qoe s
tornara baratos pelos precos de i, 6.5 e 7
cada um.
Cartas francezas.
A aguia branca, na ra do Queimado n. 8. rcre-
beu um novo sortimeoto de linas caria friini u
com boiras dooradas e brancas, e as esta venden-
do baratamente a dinheiro .1 viola.
sapa ros debirruiu
a l^OOO, 19500 e X..UO o par
na roa do Queimado loja d'Aguia Branca n. 8.
Latas com banha fina.
J por diversas vetea a aguia branca tem rebe-
bido dessa banha lina em latas, e tal lem sido a
prompta c rpida extracro della, que nao lem da-
do lugar a aguia branca avisar a sua boa fregne-
zia, pelo que lalvez a mf.ior parte della s agi.r
saber da viuda des>a boa banha. Ella vem em
latas de 1|2 e i libra, e contina a ser veodiila pe-
los baratissimos precos de i& e :1.500o. Apar da
superioridade da qualidade drlla esiSo os agrada-
reis e finos cheiros do risa, ja-mim, laranja. boii-
quet, e rlor de Italia. A boa freguezia a te dirigir-se com dinheiro ra do Qoeimado,
loja cTajtnia branca n. 8.
Banha fina em copos de por-
celana don rada com in.s-
cripc/jes.
K j bem Condecida p'la boa freguezia d aguia
branca a superioridade da banha que vem nos to-
pos de porcelana domada com maosas ej.
rias nseripcSes, as quaes agora vieram de nra
goslo, pelo que essa lina banha podo ain.la ier
mais condecida por aqoeHes ijue nuzeren fazer
um bom presente, com aulo que eempareean mu-
nidos de dinheiro na ruado Queimado, loja d'agnia
branca n. 8.
0 & r' -i PZ 0 p- 8 O Sf "^-> ^
0 O 00 ~- 'X. O* S y: p*
bd Pl, P 0 p
0 i O se B co 0 i P-O O X o*
i E3 i 6B 0 3> t Se 0 < S
P 0-0 0 so z
0 t B 0 CD P C-X +t
co 00 g8 0 g-p- cr -
0 CD O
e-t-
1 O O
Salitre refinado, superior qnalidade, vinho Bor-
deaux, dilTerentes qualidades, mais barato qoe em
qualquer parte : no armazem de B. A. Borle k
, ra da Cruz n. 48.___________________
Vende-se alpaca prrla a 500 rs. o covado.
Vende-se alpaca preta para vestidos a 500, 600,
7G0 e 800 rs., fina de c >rdao a 800 rs para pale-
tot, prineeza prela a 800 e 640 o covado, homtazi-
na preta fina a 15100 o covado, laazinhas preta
para senhora que estad de luto a 729 o covado :
na ruada imperatriz n. 56. A loja est abertaat
s 9 horas da noile.
na (tapo Ido barato ai
5,50 a peca de'l^
varas
Crespo 1
Na loja do baraleiro na na do
n. 1.
Sal da Assu'
Vende Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
no seu escriptorio ra da Croa n-1.
* C,
O proprietario do grande armazem UniSo e Commercio declara aos seus fregu
zes e amigos e 90 publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos eslipulou
os mesmos precos nos seguintes lugares:
TJnio e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
Mant'Anua.
Acha-se renda a novena da gloriosa Sam'An-
na, bem impressa, e em brochara : na roa do Im-
perador n115J^^^^
Euzebio Baphael Habello tem para vender
em seu escriptorio, roa da Cadeia o. 95, os segua-
les gneros\
Cera em velas.
Cal em pedra de Lisboa.
Vinho puro em ancoreos.________________
Charutos de Havana de su-
perior qualidade e pelo pre-
Co seguinte:
Eidorado 12J00O.
La flor de Albuerne lOtOO.
Regala britnica 114000.
La flor de morales 9
La circassiana imperial 141.
La negra non pas ultra 18.
La negra mulata regala imperial era caixa de 100
e 50 134 : no Bazar Pornambocaoo, roa larga do
Rosario n. 30.

Vende-se a taberna da ra das Crnzes n. I,
bem afreguezada para a trra e bons coniojodo
para familia ; vndese pelo dono ter de ir tratar
de sua saude.
_i


<
UUtlo de Feraa_ueo SeuiuU elra Al de 4ul-~ 4c 1S4.
-..-
i
"V
)
Grande liqukla^o
te fazemlis na loj do Pavo, ra da Imperalriz .
CO, ile Gama i Silva.
a-se $>le estabelecimento completamente sor-
j fazendas inglezas, francexas, ailaines e
s, proprias tanto para-a prae como para o
prometiendo,vender-* mais. barato' duque
tttra quatauer parte principal-iente sdu#o era
r.rco e de todas as fazendas dao-se as amostra?
deixando flcar penhor ou maodam-se levar em ca
sa pelos caiieiros da loja do Eavap. -
As chitas de Pavo.
Vendem-se superiores chitas claras e escuras pe-
lo barato preco de 440 e 280 rs. sendo tintas s* gu-
ra, ditas francezas linas a 320, 340, -880, 400 e
500 rs., o covado, ditas pretas largas e estrellas,
riscados escocezes finos a 240 rs. o corado, islo na
loja do Pavio ra da lmperatriz n. 60 de Gama &
Silva. -
Aseassas do Paviea 2l0, 280, 300 e 320 rs.
Vendem-se finissimas cassas persianas cres fl-
xas a 320 rs. o covado,ditas francezas muito unt
a 240 e 280 rs., ditas mgzezas a 240 e 280 rs. o
covado, aissimo organdy matisado com desenos
miudlnlios a 320 rs. covado, cassas jgaribaldina.-
maito finas a 320 rs.-, Isto na loj do Pavao'rna da
lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As laiiahas da exposiro do Pavi.
Vendem-se as mais modernas lazinhas mossan-
bique chegadas pelo ultime vapor francet sendo
de orna s cor ou de listas miudinhas com 4 pal,
mos de largura, proprias para vestido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baratissimo
preco de 580 rs. o covado ditas enfestadas trans-
parentes de quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. q co-
vado, ditas matisadas muito finas a 500 e 40, rs.,
ditas mais baratas do que chita tambem matisada;-
a 320 rs. o covado, ditas a Marta Pia com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de urna s cor parda, azul, cor de lyrio e
perol proprias para vestidos, saulmbarques e
garibalde&a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
800 e 400 rs isto s na loja do Pavo, ra da lm-
peratriz n. 60, de Gama 4 Silva.
Os chales do Pavo.
Vendem-se fines chales de crepon estampados
pelo barato preco de 6*, 75, 8$, ditos de pouta re-
donda a 75 a 85, ditos prelos ricamente bordados
a retro* com vidrilho a 12$, ditos prelos lisos a
5*, ditos de cores a 44500 e 5,5, ditos de merino
estampados a 25 e 35, ditos de la a 180 e 25,
ditos de retroz preto para luto a 65 islo na loja
do Pavio ra da lmperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 Pavo vende para luto.
V<*de-se superier setim da China, fazenda toda
4e 'Sa sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
HM para vestidos, paletols, capas et., pelo bara-
to preco de 25, 24200, 25500 o covado, cassas
retas lisas, chitas pretas largas e estrellas, chales
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
comgollmhas eoutros muitos artigos que se ven-
da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavao
Vende-se ricos vestidos de grosdcnartfe preto ri-
camente bordados a veludo pelo barato preco de
405, sendo fazenda que sempre se vendcu a 1005
e 1*05 ; ditos de cambraia brancosfioiwiente bor-
dados a croch, sendo proprios para hale e casa-
mento a 10, 20 e 305; ditos de tii* com lindas
barras a 18 e 155 isto na loja da Pavao ra
da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Pavio.
Veade-se panno preto muito superior pelo barato
preco de 25, 35300,35 e 350O, ditos muito linos a "
45,55 e 65,cortes de casemira prela entestada a,
U, 45500 c-65, casemira preta fina de urna si
lasara muito Ha a 15800, 2fl, 85500 e 35, cor-
tes de casemira de cor a 55, 55300 e 65, caseroi-
ras enfestadas de urna s cor proprias para calca,
paletols, colletes, capas para soimora, mapas para
meninos a 35 e 3&500 o covade, isto na loja do
Pavao, ruada lmperatriz n. 60, de Gama & Stta.
A roupa do Pavo.
Vendem-se paletols de panno preto sobrepasa-
dos .fazenda jnuito boa a 125, utos muito linas a
165, 203,"5o3 e 305, calcas de casemira preta boa
fazenda a 45300,55, 65, 75 e 85, paletots-seceos
de panno preto a 75, ditos de casemira de cor a
65 e 75, ditas de alpaca pnta, ditos de merino
preto, ditos de brim de cores, -calcas de casimira
de cor a 4$, 55,65, 75, ditos de caxemita da
Escossia a 35, ditos de brim pardo a 25500, ditos
de cor a 25 o 25500, ditos forneos muito finos,
sto na loja do Pavao, ra d-laipurairiz n. 30, de
Gama & Sitara, _
Os cortinados lo pavao.
Vendem-63 ricos cortinados proprios para janel-
la e-cnmas.pelo barato preeode 95 o par,-sendo o
melhor que bao mercado:-sa ra da lmperatriz
o. 60, de Gama & Silva.
As colchas VPavo.
Vendem-92 colchas de tinto alcochoada* pro-
prias para una pelo barato preco de 35 catsa urna
na ra da lmperatriz n. 60, Ai Gama & Silva
As prccalas do Pavao.
Vendem-se as mais lindas prccalas que toan vin-
-do aomercado chegadas pelo ultimo vapor fran-
cez, pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas
de lisirinha muito miudinhas proprias para-vstidos
e roiipas de meninos e meninas pelo barato preco
de 500 rs..;- o Pavao ra loja de' Gama A Silva.
tOs souieaiibarques do Pan o
10 c 15#s Pava.
Vendem-se os mais lindos cuteanbarquee que
camente bordados e enfeitados, das pelo barato preeode 105 e455 ; -faaende esta
-queem oulras.lojas se vendem 4*)r 205 e 255,
-.s .para liquidar : na loja e armazem do Pavao a
ra da lmperatriz n. 60 de Gama A Silva.
A chita* do Pavo 8#40 c
2g*iOO o corte.
Vendem-se .ortcs de chita com -doze covados
ceda corte, ditos osm dez covados .a 25400, fazen-
da muito boa, e.que nao desbota, sana loja do Pa-
vao tem esta pechwcha ; a ra da lmperatriz n.
60 de-Gama A--Silva.
1,5 as 4e uma so cor.
Vetidem-se lazinbas de uma s cor, sendo en-
carnada, azul, -cinzent, cor de caf, lirio claro, li-
rio ro*o *<>r de perala pelo baratissimo prec-o de
6W o eoAtado, fazenda mito fina s o Pavao, a ra
da lmperatriz n. .60 loja e armazem de Gama &
Silva.
Panno de linho.
Vende-se panno de gura proprio para lences, toalhas e ceroulas pelo
barato preco de 640 r. a rara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 25500, algodozinho
monstro com 8 palmos detargura a 15, pecas de
Jlaml.urgo com 20 varas a OS, 105 e 115, pecas de
,3iadapol3o fino a 75500, 85, 95 e 105, ditas de
algodozinho a 65, 5500 e 75, e ontras muitas
fazendas brancas que se vendem muito baratas
afim de apurar dinlwtro : aa loja o Pavao ra da
jtoperatriz n. 60, de Gama & Silva,
4b) bramante do Pavo com doze
palmes de largura.
V,ede-se bramante de linho puro, muitofino rom
doze palmos de largura o melbor mais largo que
tem vindo ao mercado pelo barato preco de S58W
rs.a vara lja do Pavio de Gama & Silva,
aua da mperalriz n. 60.
.%# prccalas do Pavio.
Vendem-e as mais lindas precalas qus tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimai vapor francs,
pelo barato preeo de 600 rs. o covado, ditas de lis-
trioha muito Sdinhas proprias para vestidos e
" roupas de raenioos e meninas pelo barato preco
,500 rs.: s o Pavo roa da lmperatriz n. 60,
toe de Gama A Silva.
Os balOes do PavSo.
Vendem-se crinolinas ou balos de 30 arcos tan-
braneos como de cores, sendo americanos que
sao os memores por se nao quebraren) a WWe
de 35 arcos a 45, ditos de muselina com babados
45, ditos para menina a 25 e 35: na loja do Pa-
vao ra da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
0 Pavo vende 8.
Vendem-se os mais lindes cortea de vestidos a
Maria Pia, com lindas barpas de seda, sendo che-
gados pelo ultimo vapor rancez pelo barato preco
de 85 cada um: s na loia do Pavio ra da lmpe-
ratriz n. 60, de Gama k Silva.
Os balees do Pavo.
k 2,5500 se e Pavio.
Vende-se baldes com 20, 25 e 30 arcos pelo ba-
ratissimo preco de 25500, assim como tem um
completo sortimenlo de baloes para meninas de to-
dos os lamanhos pelo baratissimo preo de 25500,
potando que sao baloes de arcos os melhores que
tem vindo da America Ingleza, vendem-se por este
preco para liquidar: s na loja e armazem do
pavao 4tim da lmperatriz n. 60, de Gama <& Silva,
.OESPLEUDIDO SORTIMENTO DE IKOLHADOS
r BT. 9 BA 1M> CRESPO 1T. 9 |
fsquina pe volta para a ra do Imperador

i

_ __ fc ^%a%
(\o se eoganem com a mitra)
,r AMICiOS!
Nao leiam ste annuncio com precipitacao.
Confroiitem es procos dos oulros annunciantes.
Venhajn ver o ceneros qvie temos expostos a venda.
. ^ .vista faz f.
Nb temos palavras.pjnibasUca.
Nao nos eneocamos o primeiro recebedor de conta propria.
ITOo desacreditarnos'to collega porque nao quiz ser nosso socio.
Tal a qneni toca.
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia anda nao sao sufficien-
tes as casw que actualmente islem aherlas com grandes progofeoes para lerem um
magnifico sortimenlo de molhados ; assim, pois, os preprietarios do Armazem Principal
nao invejam a sorte dos seus collegas.
Habitantes de Pemambueo.
Nos temos um excellente sorlimento dos melhores gneros que se pode adiar
em nosso mercado. Vjpde ao nosso estabelecimento, e se a vossa boa fe fr
uma s vez ao menos, isligai-nos nao voltando mais a nossacasa.
Amendoas confeitadas de bonitas cores a dem de Hollanda em garraffies com 24
i.ooo rs. a libra. | garrafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
dem de casca muito dotas a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
Avellaas a 2oo rs. a libra. I zados a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
eslampas a 1,200, ,4oo e l,6oo rs. cada i 8oo e l.ooo rs. as garrafas grandes.
uma. Manteiga ingleza perfeitamentc flor a 8oo e
dem em frasco de vidro com rolh.i do mes-1 98o rs. a libra.
mo ou de metal, a l,2do e lloo rs. ca- dem franceza nova j deste anno a Coo rs.
da um. I a libra, e 86o rs. em barris inteiros.
dem m frasco grandes 2,5oo rs. cada um. Marmelada especial dos melhores fabricantes


PARA BEM DE
" FAZEI FAVOR DE LR ESTE ANNUNCIO
I
da economa domes-

0 assumpto
n


IMX OICitKl-
f
0 verdadeiro e principal r-
tica que se vai tratar,
importante. \
mazem de molhados 4 o do
%



do Baliza.
Batel palmas de coatentameoto!
i-
dem em latas de l */a e 3 lioras a 12o e
2,ooo rs
Arroz da India e Maranlio o melhor que se
pledesejara loo e 12o rs. a libra o
2,8oo c 3,4oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa,
e iSoo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a Ooo rs. cada uma, e 10,000 rs. a
caixa com 1 duna.
Alfzema muito nova e limpa a 32c rs. a li-
144*3
.Vlpista a 16o a "libra, e 4,Goo rs, a arroba.
'Bolachinlias de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: aguae
sal doces, e imperiaes em latas de G li-
bras a 3,009 rs. e de 3 V* Wosas a 1,5oo
rs. eem libra a 64ors., estss bolachinhas
toraa-se touio recommendavel com es-
pecia Iidade para os doeoes.
Biscoilos e Bolachinhas de soda em latas, de
todas as-Qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bollos franoezes em cartes e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porco verdadera refinada a loo)
rs. a libra c em barril a 38o rs.
Batatas oesas a 160 rs. a'libra.
Bolachinlms inglezas ltimamente desembar-
cadas c/2 4o rs. a libra-e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
al hoje tem vindo a nosso mercado a
i8,so"rs. o gigo, I.1SM rs. a garrafa irt-
leira,>e 800 rs. as meias.
Cha uxim o melhor que se pode desejare:
que outro qualquer n&o vende por menos
de 3,000 a 2,7oo rs. a libra
dem parola especial gaalidade a 2,600 e
2,8eo rs. a libra, garsnle-se a-qualidade
d'estech.i
dem bwson o melhor <$ue possivel en-
contrr-se a 2.4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2oa e l,4oo rs. a Jibia.
dem preto muito lino a l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores cualidades, kancez,
hesparrliol e suisso a 1,000, l,2oo-e 1,4oo
rs. a-libra.
Charutos-do acreditado fabricante Jo* Fur-
tado de Simas em 'a -caixas das eguin-
tes marcas Pariziences, Suspiros, Dili-
cias, lajioleoese Guanabaras a 2,3oo rs.,.
eem caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de -oulros muitos fabricantes e de
dilererrtes marcas para t,5oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a -l,6oo, 2,ooo e
3,ooo rs. as caixas inteirae.
Conservas inglezas a 800 rs.o frasco.
dem franceza a aoo rs.
Cognac inglezdas melhores marcas a l,ooo
rs. a garrafa e lo,ooo rs. a duzia.
dem francez suporior qualidade 800 rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libia.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 32o rs. a li-
bra, e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caix5o.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a Too rs. a ala.
dem secas a 160 rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farioha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a l,ooo rs. cada uma.
dem em latas ermiticamente lacradas a
l,5oo e 2,5)0 rs. cada uma.
dem em caixas de '/* arroba a 2,5co rs. ca-
da uma, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e l.ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueira6 com 12
'frascos por 6,000 rs. e 56o rs. o frasco.
dem de laranjaa 1,000 rs. os frascos gran-
des e. 11,000 rs. a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. a-
da uma.
dem em garrames de 16 garrafas a 4,800
rs, com a garrafSo.
de Lisboa a 600 e64o rs. a libra, ba latas
de differentes tamanhos.
Massa de tomate em latas de 1 libra 56o rs.
cada uma.
dem para soda estrelinha, pevde e rodinha
em caixinlias sortidas a 3,000 e 3,3oo rs.
cada uma o 5oo rs. a libra,
dem macarro, talerim e aletria a 4oo rs.
a libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oc
rs. oada um.
Motlio ngtez em garrafmhas com rolhas de
vidro "64o rs. cada urna.
Marrasquino verdadeiro de Zara a l,ooors.
agarrafa, 10,000 rs. a caixa com 1 duzia.
Neses muilo novas a Wo rs. a libra.
Prezu Idom do Porto para pancha a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48? rs. a libra.
Perxc em latas dediflcrenles qualidades co-
mo, savel, corana, govas, pescadinhae
oulros a l.ooo rs. a latas.
Vafitos para denV. a 14o e IGo rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo e limpoa 16o rs. a libra.
e 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2, loo rs.a groza.^oo rs. a
duzia, e 2ots. a caixinhss.
'Queijos llamcngos chegades neste ultimo va-
por, a
dem prato muito fresco a 800 e-800 rs.
a libra.
dem suisso a melhor qnadade'qucal bo-
je tem vindo ao nosso mercado a 00 rs.
a libra.
Sal refinado om potes de vidro a Sos rs. ca-
da um.
Serveja das 'Kielhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, e iiGo rs. a garrafa.
Sardinha deS-isboa e Nantes em qtartos e
meia latas a 38o 58o rs. cada-nina.
Sag mnitonovo calvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevadaa loo-re. a libra, e 2,800 rs. a arroba.
Traques de L* (jualidado a 8,000 Jfi. a cai-
xa, e 22o .rs. a carta.
Toucinho novo de LiSbia a 24o e ^2o rs. a
libra.
Trullo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa Porto, 'Lisboa e Figoesra das
melhores marcas a 3y8oo rs. a canaa. e
^00 rs. a garrafa.
Idem'do Porto Lisboa e Figueira de mancas
menos conhecdas a 4oo rs. a ganrafa, e
2j6oo rs. a caada.
dem Colares especial -vmho a 600 rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio mutto frosco nao levando eom-
posico a 5Go re. a garrafa, e 4,000 rs. a
caada.
dem 'branco de uva pura a 56o rs. a gar-
rafa, e 4,ooo rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
rs. a caada.
dem Bsrdeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,600 e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vena ao
nosso mercado a l,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesrao preco d pre-
juizo e s se encontra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguntes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu-
lar, malvasio fino, D. Pedro V. O. Luiz
I, Nctar e outros a D.ooo e 10,000 rs.
a caixa e Ooo a 1.000 rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a l.ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oo rs. a caada.
dem em garraf5es com 5 garrafas a 1,000
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada uma
dem de escova para esfregar casa 36o rs.
cada uma.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composicao a
3Go rs. a libra, e de lo,oooa H.ooo rs. a
arroba.
AGENCIA
FUNDICiO DE LOW-MOOR.'
Rna 4a Senialla nova n. 12.
Neste estabelecimento contina a hayer
om completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas do ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.
Arado americanos e machinas par
lavar roupa: em casa de S. P. Johmton C.
ro da Seutalla Nova 0. 42.
Empreza da iUumina$Lo
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamagoes
(por escripto dando o nome, morada, data, etc.),
devera Ser feilas no armazem da ra doIm|ierador
n. 31. Os raachinists maodados para atusndera
estas, apresentarao um livro que os reclamaotes
deverao assiguar logo depo8;de prompt o ser^o
te attendidos.
\ioftHcni contestarft esta rerdade.
A. fama far correr esta noticia.
A nostcrldadc bemdlrft o nomc
Actualidade '

Sem mitras nemcoraos p^a ornar fachada de seus annuncios, e as portas do edificio em que habita, o Baliza s
contenta em tomar o seu lugar de bonra na vanguarda de todos os homens do progresso.
Sop
dos falsos
?nutencnirdoe^7oTpo7^ sempre teao seu'Tramento lert continuamente na *^*****>
seu trem de gwerra e no mais complecto movimento, o seu presumo para bem servir, desde o mais simples emana ate
o mais alto general da prmeira classe do exercito dos seus constantes freguezes.
Entremos na materia:
SENTIDO!
I

ORWFH DO DA.
puMicacao deste annuncio at segundo aviso Manoel Pedro de Mello,
eddAi ma doLivramento ns. 38e38 A vender a todos os seus freguc
Cinco por cento menos
Desde a 1
do Baliza estabelecido ra do Livramento
proprietario do grande armazem
uezes.
que xiualquer dos -seus amaros collegas que por menos anunciar. Qualquer objecto que nao chegne a contento dos se-
2bores compradores, pode ser devolvido ainda mesmo pelas pessoas que moraren no centro da provincia.
0 dinheii-e recebido pelo gener0 que nao agradar sei restituido sem constrangimonto algum.
Dcclaraco importante.
falso o boato que tem feito espalhar o soldado sop. ador da ra do Queimado de que se ocha o Baliza associado
m armazem Dm'o Mercantil aborto a ra da Cadea do bairro do Recite.
A liga entre os collegas um crime de lesa-povo.
L^^^m^SS'oivrogceB^ioU^omixmo aos senti.nento mais Mimos de seucoracSo.
Deste nodo de.censar ser o Baliza eternamente conservador.
Deste nodo de pensar sera

^-. -;

^wmmmwmmn
GRANDE LIQUIDACAO
DE
Na loja da rna do Crespo numero 17.
A prove tem todos.
0 proprietario desle importante esla-belecimento vai Europa comprar fazendas de
apurados gestos para meMior tervir as Exnias. senhora?, razao purijiie est vendendo fa-
zendas baratissima?. [
Cortes de rico blonde para casamento a90, soutembaniues [.retos muito importante
a 20-5. 255-e285, manteletes pretos a 205 c 255, capas pretas importantes a 3o e i05,
rapas de casemira de cor a 185 e 235, soutembarqus de casemira a 105, chapeos de pa<
Ihacopa redonda, veos branms a 135, cortos de lia muito aparado gosto a 75, forte do (
laa com barra a 105, 123, 135 e 205, cortes de cambraia braneos bordados a 2o> e .05,
chitas de todas as qualidades francezas e inglezas a 320, 3(30, O e 300 rs., bramante de
linho muito fino pecas de 23 varas a 205, 2'*5 e 235, bretanlia de linho muito Tino a 185
e 205 peca* de 23 varas. i
Madapotoes finos a5,95,105, 115 25- a $
Cambraias lisas comO palmos de largura a 25300 a vara, pecas de 8 1|2 varas a j(
55, C5, 75,5,J5eW5. rt
Para o Club Pernambiicano. (>
Filinete^ircassiano fazenda de muito apurado gosto para vestidos, proprios de part- n
das c de bailes e muito recommendavel por ser muilo apreciada em Constantinopla. E'
Admiravol o-seu bom gosto.
de trabalhar niao para
descarocar algodo
FABHICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
-^?
Eslas martimas
podeniili'-c.
qoalqnrr <;
de lfodao m
. estragar o lio,
. sendo I as! n i
^ doas pessoas para
ol ikalho; i '!
F1^ desearocw v.:,-.&
GRAN&EIASaktiblennorrhagigas de DUNAND
dEIPARI8^?PREIVII0.'I854
18MM
lis inier.s&s e rebeldes.
Superiores a todas ns pn-pr:it6es conhecidaf t hoj contra s Oonorh e BUnnorrhajIas as mais int
Bffeito itfuro romrito, sem nauseas, nem clicas, "em tremor. Facis a tomar cm segredo sem tisana.
Injecgo curativa e preservativa
Inftlllnl.cura com rapidez HW lora o. escorrimentos conlairiosos le ambos s.sos. Florbrancas. Astringente e
llarehe-Sl-H-nar.
balsmica ttm cautn'cidade. orliBca os ucutnoniaa e os preserva de i|oah|ur alleraco. l'AKIS. 5, r ...
Deposito geral em Pernambucs ra da Cruz n. 22 emeasa de Caros A Barboza.
RA DO QUEIMADO NUMERO 11
Loja de fazendas d" Augusto Frederic dos Santos Porto
Cbapeos para senhoras.
Chegaram de Paris as mais lindas chapelinas e chapeos de palha da Italia para senhoras.
Ricas canas e soutemnarqu.es de seda preta e casemira de cor para senhoras.
Corles de superior morentique branco para vestidos de noivas.
Camisas inglezas muito superiores para homens, peitos, punhos e colarinhos de imno.
Chapeos de seda para caneca e chapeos de sol de seda inglezes.
Lencos delabyriniho francezes a 15 cada um.
Camisas de menino muito superiores.
Cortes de la de barra para vestidos de senhorts de 135 a 185-
A uiesnia loja tera o maior e mais superior sortimuto de
Esteiras para salas.
Neste estabelecimento encontrarao os senhora que precisarem forrar saas salas com esteiras
otila e qualquer quantidade que desejarem de 4, $ e 6 palmos de largura, sendo a qualidade muito
superior e por mdico preco.
Ricos al bu ns para cuicoenla
retratos.
Chegaram para a loja do Gallo Vigilante os ri-
quissimos albuns para (-incenla retratos, os quaes
vendem-se pelo baratissimo preco de 65, ?# e 85,
que sempre se venderam por 125 : isto s na loja
do Gallo Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Bichas hambunjuezas.
Vendem-se bichas de qualidade : na ra Nova
n. 61, defronte da Illma. ramara municipal.
ossa Senhora d lami.
Est a venda a novena de Nossa S
Sanlssima do Carmo, impressa
TriBa, volantes e jaldes.
Vende-se trina, volantes e gales de todas ae
larguras por precos muito barato: s no vigilants
roa do Crespo n. 7.
GAZ.
Mil
em mui bom pa-
em um volume, e um
Vende-se gaz liquido amerieaoo a, "*"
em lat-s de um, dous e cinco gales,
outra qualquer parte no ar-
qualidade
por menos qu em
maie
m do caes do Ramos n. 16.
pe, completa,em hrornra, -. v ,.
bara a Salve Bainlu e versos em: ouiro e enin(ua
ltimamente a explicacao do Sanio Escapulario
poHrSo commodo : na roa do Imperador n. 1,
IaUVAS DE PELLICA _
Para homens, niulliercs e meninas.
A Agnia-branca, najua do Queimado n. 8 rece-
Ferros para ourlves.
a ra laraa do Rosarlo n. 24, loja de ounves, I
vende-* lodoi o ferros e utencios de ounve.
Prensas de algodflo.
s senhores prensarios e plaotadores de algodo
sao convidados a examinar as excellentes prensas
americanas de aportar algodo, que se acham
venda no armazem dos Srs. Henry Forster & C,
na ra do Imperador n. 5, por bauo do Gabinete
Portuguei de Leitura.______________________
Vende-se doce de caj secco muito bom e
por preep commodo na ra dos Pires n- 22.
beu lovas
s
de pellica, para homens, mulheres e
Vende-se o sitio da travessa dos Remedios,
freguezia dos Alogados n. 21, no estado em que se
acha : quem o pretender, entenda-se com o sea
proprielario Caelano Pinto de Veras, na ra de S.
Francisco, sobrado n. iO.como quem vai para a ra
Bella.________
A4$0Q0apeca.
Vendem-se pecas de algodozinho com pequeo
toque de avaria, proprio para roupa de escravos e
toalhas, pelo barato preco de 45 a peca: ruado
Queimado o. 1'..
irroba de
do em
etn i" minu' -^.
ou IK arnl
por dia i "> -i -
robas de algodo
linopo.
ta machina
a nica qn
possue as vanlagens de nao destruir o lio du al-
godo e de fazer render o dobra de qualquer i u-
tra com menos trabalho, a sua olrodar^o para
as provinci&s deste imperio ser (!* nuto
para todos os interessados na lavoura du pas.
Assim com machinas em ponto grande >io mc--
mo syslema.oraql serem movidas pur anima->.
agua ou vapor, pas uae podem de>carocsr 18 ar-
robas de algodo ampo por dia.
O algodo descarocado por estas Machinas tem
muito mais cstimarao nos mercados de Europa e
vende-se por maior p reg.
As machinas se acham venda ur.icamenie cm
casa de
Saonders Brothers &C.
.V II, praca do Corpo Manto
RECIFE.
Os aicos agentes nesie pas.
ou Una a vontade do comprador
Na ra do ltangel a. 2 vende-se o verdade,
ro papel de linho hespanhol, e de palha de milbo-
lanto em porco como a retalho, e de todas as nws
qualidades para o fabrico de cigarros; charutos da
Baha muito bons a 25 a caixa ; a elies, que esli
a acabarse.
Farinhade milho a 1U0
rs. a libra.
A mais fina e nova do mercado : vende-se na
padaria de A. F. da Silva Beiris, ra dos Pires nu-
mero 42.
I ma jmenla.
Vende-se uma jumenta muito mansa, e por pre-
co commodo: ra do Queimado n. 14-
Vende-se a taberna sita no lugar de Ikmica
n. 6i, com poucos fundos e armaco, que fica no
correr das casinhas-jonto ao sobrad grande do
Sr. major Bcllarmino, principio da Estrada Nova :
a fallar com o dono na mesma taberna.
Vendem-se o brigue nacional A'oro Almmtn-
U, prompto navegar, construido de boas madel-
ras, e forrado de cobre : tratase cora os consigna-
tarios Marques, Barros i C, largo do Cerpo Santo
numero 6.__________________________
Vinhe o Porto saperier
em caixas de uma e duas duzias: tera para ven-
der Antonio Luiz de Oliveira Azevcdo C., no sta
oscriptorio rna da Cruz n. 1.________________
Farinha de mandioca superier
em saceos grandes : vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, no seu escriplorio ra ^da Cruz
numero 1.


Mario de
Hegnmda tetra 11 de Jiilho e lf4.
Largo da
'Santa Cruz
numero
12 e 84.
Esquina dai
raa do i
Sebo n. 13V
e84.
miwm amo

AURORA BRILHANTE
GRANDES ARMAZENS DE MOLHADOS.
Francisco Jos Fernandos Pires proprielario dos armazens de molhados denomina-
dos Brilhante Airara e Aurora BrHnante, ao largo da Santa Cruz ns. ii e 84 (esquina
da roa do Sebofc fax sciente ao respeiiavel publico tiesta eidadc e do interior que nos
seus importantes estabeleciroento veader sempre gneros novos e de phmeira quali-
dade e vender a todos pelo mesan prego.
O completo sortimento de todos os gneros finos e grossos que costamam ter outros
estabeleciinenios desta ordem se,encontrarlo sempre nos armazens da Urilhante Aurora
e Aurora Urilhante e sempre em grande escala a vontade dos Srs. compradores.
O proprielario dos arnaazens Brilhante Aurora e Aurora Brilhante pede a lodosos
senhores e seahoras que quando tiwm de maadar suas relacdes a estes estabelecimen-
tos por seus Fiados seja era carta fechada ou cem grande recommendacao a estes arma-
zens, certos deque serio tao bem servidos como se viessem pessoalnaenle.
A Brilhante Aurora e Aurora Brilhante troca qualquer um genero que por acaso
nao aerado-ereebe as libras esterlinas a OJ.sendu por compra: a tabella de ses gneros
ser mudada todas as semanas.
Amendoas confeiudas parasortes a libra 15 Viobo muscatel duzia 10 e garrafa 1$.
Maoteiga ingleza flor a 800, e 960 rs. I Dito braoco proprio de Lisboa caada 4*800
Dita mais abaixo a 640 e 730 rs. e garrafa 640 rs.
Dita franceza nova libra 640 e e o barril a Vinhu branco de muito boa qualidade cana-
600 rs i da 44 e garrafa 480 rs.
Chocolate saot muilo novo ali a libra, i Dito Xerez Dqo a caada 7500 e garrafa a
Cha perola o melhor que ha ( redondo) a 1*200.
libra 3**00. | Dito Madeira seca caada 10* e garrafa 2*. :
Dito dito mais abaixo a 2*500 e 2*800.
Dito uxun muilo lino a 2*800 e 3*.
Di lo liyssoo superior a 2*600 e 2*800.
Dito mais abaixo a 2* e 2*500.
Dito preto muito fino a 2*500.
Dito em massos a 2*.
Dito do Rio em latas de 4, 2 e 1 libra a
1*500.
Caf de moca superior arroba 10*500 e li-
bra 400 rs.
Dito do Rio e do Cear arroba 9*500 e libra
320 rs.
Dito mais abaixo arroba 8*500 e libra 280.
Barricas com bolachina ingleza ingleza nova
a 3*.
Latas com bolachinha de soda de 5 libras
a 2*500.
Ditas com ditas sortidas de 2 libras a 1*400.
Frascos com ameixas francezas s o frasco
val o dinheiro a 2*800 e 3*.
Latas com ditas a 1*400, 2*200 e 4*.
Ditas com figos de comadre a 1*500.
Caixinhas hermticamente lacradas u proarias
para mimo a e 2*800.
Caixinhas com ditas a t*, 2*500 e 5* de
arroba.
Presunto de Lamego muito novo a ltira 5:0
rs. inteiro e a relalho 600 rs.
Chouricas e patas novos a libra 800 rs.
Latas com chouricas e linguicas novas vin- Dito da Inilia e Java arroba 3* e
das nesle vapor com 9 libras por 6*500. Aramia verdadeira arroba 8* e
Dito em caixas de urna duzia do Porto des
meihores autores a 12*, 5 e 16*.
Garrafas com licor fino francez e porluguez
Dilas com vinho de caj muilo claro a 15.
Ditas com niel de abelha puro a 1*.
Frascos com genebra dellollanda de 2 gar-
rafas a d*.
Dito de urna garrafa a 560 rs.
Dito du laranja verdadeira a 1*200
Duzia de graxa latas grandes a 1*.
Caixas com 25 massos de velas de sperraa-
cete a 560 rs. a libra.
Ditas matares a 600, 640 e 720 rs. a libra.
Caixas com urna arroba de velas do Araca-
ty 10*300 e libra 400 rs.
Ditas de composicao arroba 10* e libra 360
Saceos grandes com farinha de Goiannamui-
to boa a 5*500.
Dito de Porto Alegre melhor que de Muri-
beca a 6*.
Ditos com milhonovo com 24euas a 4*000
Dito com farello do Lisboa 420 libras a
5*500.
Dito com arroz de casca a 5*500.
Duzia de garrafas de seroja branca e prela
a 5*800 e em barricas a 5*500.
Arroz do Maranho em saeecs arroba 2*000
e libra 100 rs.
lira 120.
libra 320
Ditas com peixe ensopado de maitas quali- i rs., matarana.
dadis a 1*. Gommado Aracaty para engommar
Ditas com ervilhas francezas e portuguezas! 5*c libra 160 'rs.
a 880 rs. Tapioca oo. farinha do Maranho nova
Ditas com fejao verde francez a 800 rs. 160 rs.
arroba
libra
Ditas com utassa do tomate novo libra
360 rs.
Dilas com ostras a 720 rs.
uias com marniela.la dos meihores autores
de Lisboa a libra 640 rs.
Potes com mustarda franceza preparada a
libra 480 rs.
Frascos com conservas de pepinos, mexides
e azeitonas verde a 1*.
Dita dita franceza a 800 rs.
Gigos com trinta e tantas libras de batatas
novas a 3*500.
Queijos novos do vapor a 3*200 e 3*300.
Ditos deprato enplicado a i*.
Dito suisso a 800 rs.
Dito de manteiga do Serid a 800 rs.
Caixas com passas novas de 1 arroba 7*,
mcia 35300 e quarlo 2* e libra 480 e
6i0 rs.
Amendoas com casca a libra 240 rs. e arro-
ba 6*.
Notes libia 160 e arroba 55-
Caixas e metas ditas com charutos finos da
Babia dos meihores fabricantes de Jos
Furlado de Simas, Reis e outros, sendo
Suspiros, Parisienses suspiros, Delicias,
Normas de Havana, Exposico. Almirau-
Ervilhas seccas muilo novas libra 200 rs.
Sag e sevadinha a 240 rs.
Sevada arroba 352;:0 e libra 120 rs.
Graxa de boiao 97 a 280 rs.
Sabio massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito hespanbol verdadeira a 400 rs a libra.
Balaios do Porto diversos tamanhos de 330
a 2*.
Capachos >ara portas de varias cores a 600
700 e 800 rs.
Grao de bico arroba 45500 e libra 160 rs.
Painco arroba 5*300 e libra 200 rs.
Milho alpista ai roba 15300 e libra 160 rs.
AzeitO dore de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 1*300 e garrafa
200. 2'i0 e 320 rs.
Massos de palitos de denles com 20 massi-
nhoss 1601?.
Tijolos de limpar facas a 160 e 120 rs.
Caixas com 40 cartas de traques a 9*500 e
a carta 280 rs.
Resmas de papel alinnro paulado a 5*.
Ditogr.ve liso o melhor que ha a 4*500.
Dito de peso e pautado a 2*500 e 2*800.
Garrafoes com 25 garrafas de verdadeira
genebra de Holianda por 85500.
Azeitc de i-Oco garrafa 560 rs. c carrapato
360 e caada 2*560.
Caixoes com doce de goiaba a 640,800 e 1*,
" 8*500 e libra
tes, Barateiros, varetas, Guanabaras, Re-
gala imperial, Acadmicos de Chinda, Se-
nadores e Apraziveis de 1*300 a 8* a cai- Toucinho de Lisboa arroba
xa de 50 a 100 charutos. 320 rs.
Gr2asnnde *Mtu de palilos do A* a Dito de San,GS arroba 75 e libra 280 rs.
25200 e 200 rs. a duzia. i Molhos com grandes ceblas a 1*600.
Bamscom azeitonas novas a 3, e 4* bar- Cento de dita solta a 1*500.
ris grandes Mauncos de alhos a 240, 320 e 400 rs.
\assouras do Porlo piassava muito seguras Esleirs de varias qnalidades.
a 400 rs. Curdas de postar e de andaime.
zeite "oce francez dos meihores fabrican- Fa vas da i lija de S. Miguel arroba 3*200 e
tes caixa 10*e agarrafa 1*. libra 120 rs.
Caixas com vinhn Bordeaux branco c tinto Copos lapidados para agua e vinho a 35500
S. Julien, S. Estifu e outros a 7*500 c 8*. 5*800, 6* o 7*.
Vinho do Porto fino em barris de S que ra- Ditos lisos para varios precos.
S?-!?68 apparece por 805 e em cauada a Calix lapidados grandes e"pequeos duzia
5*300 e garrafa a 800 rs.
Dito da Fi-ueira puro caada 4* e 4*500 e
garrafa a 480 e 560 rs.
Dito de Lisboa de boas marcas a 3*300 e
4* e a garrafa a 440 e 480 rs.
Cognac verdadeiro a garrafa 1* e 1*280.
?E muitos outros gneros que nfto possivel men-]
dona-Ios todas de primeira qualidade.
A safisfacaoda Brilhante Aurora e Aurora Brilhante vender muito embora bara-
o. mas 2 LHdvfnufiO.
3,4 e 5* ; c 400 e 50o rs. cada um.
Massas para sopa macarrao, talharim e ale-
tria a 480 rs.
Estrelinha e pevide. libra 560 rs.
Xaropes de fructas nacionaes a garrafa
500 rs.
3$
Ka armazem de fazeadas baratas de
Santos < ocia, na Queimado, u
19, vende-m sepia te
iUteaeae.
Lazinhas.
Ricas lazinhas para vestido, fazenda a melhor
que tem vindo ao mercado, tanto em gosto como
em qualidade da fazenda, pelo baratissimo preco
de 560 rs. o covado.
Lazinhas miudinhas carmezins, proprias para
vestidos de meninas, e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de lia com 15 covadus pel baratissimo
preco de 65.
Cuberas de chita da India pelo baratissimo preco
de 2*500.
i.encoi de panno de linho a 2*.
4-e.ncoes de bramante delinhefino pelo baratissimo
preco de 3*200.
Hrama'nte de linho Uno com 10 palmos de largura
pelo baratissimo prec de 2*500 a vara.
Amainado adamascado proprio para toalhade mesa
A 2*000 a vara.
Cambraia de forro a 2*600 E 3*200.
TJpardanapos adamascadas a 3*800 a dn,
TWtm alrochoadas proprias para mosa.'i*a'
Cortes de calca de ganga amarella de litra= e:
de quadros, pelo baratissimo preco de 1*200 e '
aorte.
Cambraia damasrnda com 20 varas, pronria
para cortinado, pelo baratissimo preco de lOaOOO
pca. ^*
Reos cortes de la Maria Pa pelo baratissimo
preco de 18*.
Pecas de cambraia de salpicos com 8 Ij2 varas
l)elo baratissimo prego de 4*.
Pecas de platilha de algodo com 10 varas, pro-
fra para saia a 4*200.
) EstHiras da India, .proprias para forro desala,
f-e 4,5 e 6 palmos de largura, por menos preco Jo
que em oulra quaWjuer parte.
ii~ 3 S ajas
09
Q, O
O.CB

S S 5" s
5 = 8 g a
GRANDE ALLIANGA
57 UA DO IMPERADOR 57
DE
Paulo Ferreira da Silva & Companhia
liande sortimento de molliados em grosso c a retalho. tnico armazm que mais
vantagens orterce ao publico.
Desenganem-se todos,

K
i:
Alllunr-a o rerdadeiro bomem do progressso
Alllan^a o verdadeiro e principal armazem de moldados.
Alllan^a o armazem que rende mais barato.
o Vllinnpa o armazem que vende os meihores gneros.
Alllaa^a o armazem onde preside o mellior aceio.
Fiqueta todos |^>e Venham todos ra do Imperador n. 57.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
PARA AS FESTAS
t S. JOSO E S.
Amendoas confeitadas



.

de bonitas cor
! 800 rs. a libra.
dem de casca muito aova a 3oo rs. a libra.
AveJis a 2oo es. a libra.
: Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a 1,200, l,4oo e t,6oors. cada
i urna. j_
kleui am.frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a I,2oo e 1.4oo rs. cada
um.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada
1 um.
dem em latas de I '/* e 3 libras a t,2oo e
2,000 rs.
Arroz da India e Maranho o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3, too rs. a arroba.
! Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada,
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e 10,000 rs. a
caixacom I duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o rs. a libra e 4,6oo rs. a ar-
roba
Belachjahas de Lisboa da fabrica do Beato
Anlonio das seguinles qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libnas
a 3,ooo rs. e de 3 '/j libras a 1.5oo rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinhas
torna-se muito recommendavel com espe-
cialidade para os doentes.
Biscoitos e Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em carlees e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de poico verdadeira renadn a ioo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 16o rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2.000 rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje lem vindo ao nosso mercado a
IS.ooo rs. o gigo e l,5oo rs. a garrafa
oteara, e 800 rs. as nieias.
Cha mira o melhor que se pode desejar, e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra,
dem perola de espacial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garante-se a qualidade
d'esle cha.
dem hysson o melhor que possivel encon-
trarle a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra,
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2ooe l,4oo rs. a libra,
dem prelo muito lino a I.600 rs. a libra.
Chocolate das meihores qualidades. francez,
hespanhot e suisso a l.ooo, l,2oo e 1/too
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
lado de Simas em '-j caixas das seguin-
les marcas: Parizienses. Suspiros, Dili-
cias, Napolees o Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna,
dem de outros muitos fabricantes e de dif-
ferentes marcas para 1.5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a l,6oo, 2.000 e 3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o Irasco,
dem franceza a 5oo rs.
Cognac ingle/, das meihores marcas a l,ooo
rs. a garrafa e 10,000 rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280e 320 rs. a libra,
e 8,800 e 9,oo a arroba.
Doce lino de goiaba a 600 rs. o caitao.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata,
dem ceceas a 16o rs. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos m caixinhas muito bem enfeitadas a
1,000 rs. cada urna,
dem em litas ermiticamente lacradas a
l,5oo e 2,5oo rs. cada urna,
dem em caixas de \ arroba a jioo rs,
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e 1,000
rs. a duzia.
Genebra de Holianda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 560 rs. o frasee
PEDRO.

NEM COROAS NEM MITRAS
0

GRAMUE
ARHAZEJII
DE

'
RA 110 mpi:k a non *. 40
Junto ao sf brado en qne mra Sr. (fc-barae,
Para a festa de Santo Antonio, S. Joo e S. Pedro.
Huarte Almelda 6l C, rectfceram de *ua proprla e;
a o mala lindo e variado artlmrulo de molhados
da presente estaeio.
Manteiga ingleza | Macas brancas
da safra nova viada nesle vapor de 28 |de, para sopa a melhor que se pode deseiar
macarrao, talharim ealeiria a 40>rY ,
laem de Holianda em garrafoes com 24 gar-'
rafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
Lentilhas excellenle lgame para sopa e gui-
zados a 2oo rs. d libra.
Licores francezes de todas as qualidades a
800 e l.ooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitaraente flor a 800
e 96o rs. a libra,
dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
a libra, e 58o rs. em barris inteiros.
Marmelada especial dos meihores fabrican-
tes de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, ha
latas de differentes tamanhos.
Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o
rs. cada urna,
dem para soda estrellinha, pevide e rodinha
em caixinhas sorlidasa 3,ooo 3,5oo rs. cada' de lodas as mi.
urna e 5oo rs. alibra. waasasqualidades a 10OOO a libra.
maio a 800 rs. a libra.
Manteiga franceza
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril
a500rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2|$400, muito propios para mimos.
CartSes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 11.100.
Chocolates
dem macarrao, talharim e aietria a 4oo rs. a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um >
Molho inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdaJeiro de Zara a l.ooo rs.
a garrai, lo,ooo rs. a caixa cora 1 du-
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Prezunto de fiambre superior a 600 e 800
rs.
dem do Porto para panel la a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
outros a l,ooo rs. a latas.
Palilos para denles a 14o e a lo rs. o mas-
so dos meihores.
Pamco o mais novo e Ijmpo a lo rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palilos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos llamengos chegados oeste ultimo
vapor, a ,ooo
dem prato muilo fresco a 800 e 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je tem viudo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em poies de vidro a 5oo rs,
cada um.
Cerveja das melliores marcas a C,ooo rs. a
duzia, e50o rs, a garrafa.
Sardiba de Lisboa e Nanles em (piarlos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muilo novo e alvo a 2'o rs. a libra.
Sevadinha de Franca ISors. a libra.
Presuntos inglezes
dos meihores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 26oo.
Queijos
chegados do ultimo vapor a 2600 cada um.
libra e 500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e ontras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa
laen it Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa e
24800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des meihores fabri-
cantes da cidade do Porto a 1S e 14900
a garrafa e de lo* a 12,5 a caixa, as mar-
cas sao asseguintes: Chamisso dFilbo,
F. M., Nctar ou vinho dos l)i7s.'
lagrimas do Douro e outros muilo*.
Latas
com 10 libras de banba a 4000.
Bolachinha ingleza
a 1)5800 a barrica da mesma que por ah<
vendem a 2*000 e 2400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120 rs.a libra.
Cervejas
I dos meihores fabricantesje de todas a* mar-
cas de 4*500 a 6*500 a duzia.
aueljo CHARUTOS
lofr issJzzsr. sw ?%%\q>*<** *<** K. Beis
meias caixinhas a 1*500.
libra
e de excellante maree a 800 rs. a
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 1*200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3* a 2*600.
dem perola
especial quaiidade a 2*700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 2*600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aietria a
e outros em
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2*500 a 3*000 a ar-
roba desses que vendem por 3*400.
CAF
de 1.a e 2.1 aorta do Rio de Janeiro a 8500
e 8*800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libra.
Garrafies
com 4 V garrafas com vinagre a 1*000 com
o garrafo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 1*000 o frasco, e de 11*000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Holianda a 5*060 com
12 frascos.
GENEBRA
I de Holianda verdadeira em frasqudra a 600
rs. cada urna. ^
PALITOS
l os verdadeiros palilos do gaz a 2,2on a groza
e 2o rs. cat/a caixinha.
Sevada a
roba.
Traques de 1/ qualidade a 9,5oo rs. a cai-
xa, e 24o rs. a carta.
Toucinho novo de Liiba a 2io e 32o rs. a
libra.
Tijolo para limpar facas a
Vinho em pipa Porto, LisU
* *n ss.* '*rs-a """"e p-* i Si.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos couliccidas a
480rs. alibra.
COC VA C
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo! LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas qualida- finos de todas as qualidades. a lo.ooo acrisa
. des a l,ooo e 800 rs. a garrafa. com urna duzia e a l.ooo a garrafa
COPOS soco rs a; Marmelada
dos meihores fabricanies de Lisboa, como >e-
jam Abren e oulros muilos a 600 rs. a
libra.
I lapidados para agua a 4,5oo e
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
PAPEL
almaco, greve, peso e de outras muitas qua- [
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-'
Ihor.
Papel de botica
a 15o rs. cada um. de excellenle qualidade a 2*200 a resma
sboa c Figueira das; -,.
Prezunto
4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a Ooo rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando com-
composico a 56o rs. a gnala, e 4,000
rs a caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada,
dem mais baixo a 00 rs. a garrafa, a 3.000
rs. a caada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,000 e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muilo especial que raras vezes ven ao
nosso mercado a 1.2oo rs a garrafa, ga-
ranle-se que por este mesmo preco d
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto 'em caixas com 12 garrafas
das seguinles marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porlo, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, l).
Luizl, Nctar e outros a 9,ooo e 10,000
. rs. a caixa e 9oo e l,ooo rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a 1,00o rs. agarra-
fa, e lo,ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisl>a a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
dem em garrafoes com 5 garrafas a l.ooo
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porlo de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
I dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
l,4ooa2,2oo
Corinthias
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs
a libra.
j ARROZ
'Maranho, Java e India, a loo rs. a
de 3,ooo. a 3.200 rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 50o r*.
a libra e em caixa ter abatimento.
libra
passas corinthias muilo novas proprias para' VELAS
podim a 800 rs. a libra.
Fume
o verdadeiro fumo americano em chapa
l,4oo rs. alibra
Vinagre
dem de laranja a 1,000 rs. os frascos gran-1 cada urna.
des e H,ooo rs. a caixa com 12 frascos. | Velas de espe-macete superiores a 56o rs.
dem de Holianda em botijas a 4oo rs. cada i a libra, e 52o em caixa.
.,uma' : dem de carnauba refinada e de romposicao
dem em garrafies de 16 garrafas a 4,800: a 36ors. alibra, e de lo,ooo a H,ooors.
rs. com o garrafSo. a arroba.
Aifvdaa
para sacos de assocar o ronpa de escravo; tem
para venrf(r Xntonio Lun de Oliveira Azevedo &
G, no seu escriptorio raa da Cruz n. t.
Kaa da Senzalla \ova u. 42.
Neste estabelecimento vendem-se:Uchasde'do e 2 ll2 deJlar0' fe'has
K*e armazem laubnin se oneontrar um can-; I* cnado libra a 110 rs., dem de Loo ^n!?'?sJl* IDesas para tomulof. va* gn-
:e sortinieno d, roapas feilas e por medida.* Moor l*ra a 120 rs. i S KZ^c "*" rDar tUma'0S' Pr ^
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qalldi'de a .12*
a lata e em lotes de 10 latas para cima se
far abatimento. no armazem da ra do Im-
perador n. 16 e ra do TMpiche Novo n. 8.
Mea da Senzalla o. 42.
Vende-se, em casa de S. P.JohnstondtC,
ellins e silhoes ingleses, candieirose casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, flo devela,
chicotes para carros e montara, arre ios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Na rua de Apollo n. 32 ha um grande sortl-
mmto de marmnre para laflfilho, sacadas, hom-
tirefrasy^dpgros de 8, 9 e !0 palmos de compri
de marmore proprias
Charutos de Havana
de superior qualidade vendem-se en casa
de Schafleitlin C, rua da Cruz a. 42.
At que ebegon
um grande sortimento de hjco e renda preta de
novo.modeto chamado (gui|i) o welhsr qtie s
pode desejar neste artigo e que se vend muito ba-
rato : na loja do gallo vigilante rn de Crespo
IkMW W< #JR m&
Fabrica Conoeioao da I
Bahia.
Andrade A Reg, rerehem ronslante-
roente eem venda no seu armazem n.
34 da ruado Imperador, algodao d'aquel-
4a. fabrica, proprio para saceos, de assa-
car, embalar algodiia em pluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
em caixas de arroba a 9.3oo e
! caixa e 34o rs. a libra.
Batatas oras
a em caixas de 2 arrobas a 5j a caixa e 00 1
1 a libra.
Passas muilo novas
PRR em ancorelas de 9 caadas a 5,ooo rs.! ma *2" eJf*" Jf *"* p cada urna. a ***** e 40 rs- a "*
fi/vlwvii Chocolate
VjeOiaS portuguez o mais especial que se oaoa d^--
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa seJar a &*>r*- a libra e 140rs. o pao.
e l,ooo rs. o molho. Frats oui calda
Aloista e PlillfO i chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja ,
m **lr** c W' outros muitos a 640 rs. a lata
aS! T'^0 a 'i0 rS' a libra': aba
e 4,5400 a arroba. a 600 e 16 o caixe.
fr0m,0,?cS PrPr,elanos do grande armazem o Verdadeiro Principal declarara ata seus
iSSm La""gS 3U pUb ,0 em ^eral' que pa,a facili,ar a commodidade de Mea es-
tipularam os meamos precos nos seguinles lugares:
Unio e (lemnercio rua do Qaeima' ___________ Vw4aticlra Principal roa do Imperador n. 40__________
MOVIMENTO
BAIRRO DO RECIFE, RUA DA CADEIA N. 50.
0 mais novo e o melhor
AUJIAZKM HE TIOIJIVIION
Esquina defronte da rua da Madre de Vm


ATT
ijos muito razoa\e!s
o!.lhf^ P r*P,**>lA* transferir o seu estabelecimenlo para a casa cima airada, Mee
L-uSn 221K "g?u e "^^e-Sbem como o respeiiavel publico era geral eoportraro o aai
Smenlo C sortimento de nwlhados, a par do aceio, elegancia e bom rgimen do e*ia-
O annunciante, tendo feko ama completa reforma no locante a casa e gneros, possuindo boa>
rorrespondentes na Europa jura remessas de conta propria, acha-se convencido que merecer a m.
teccao oe todos os amigos do bom e barato, a qual desde j reclama, asseverando-tbes qneiaroai S.
merecer a conllanca rom qne se dignarem de o honrar.
Em resumo, visite o respeiiavel publico o novo e superior armazem Movlmeato, compre-Uie *-
Kiins gneros, e enlao ticara ronvencido da realidade do prenote Aviso, verifiVan por si nWmo qw
nenhum outro estabplecm.nto o serve melh'or que esle, seja em commodidade de precos, asradoT
ieheadeza, ou legalidadede pesse medidas. *
_ ^""g. fpaafcefiuaesqutrpaiaailOi qne estabeieciaenlos Idnticos teem ofterecido aos
Farello e nnlho.

Nos armazeos da brilhante aurora e aurora bri-
lhante, ha sacras grandes com farello com 120 li-
bras 55, e rfe mlltio a 4. arrot farinha de Goianna a 3 e 61: oolargo da SMa
Cruz us. 12 e 84.
VendH-w Um* preta com lima cria de S me-
zes, a prewsahe enpnmmar perfeiamente. rmt>e
cnzinha soffrivelmente, p ( muito boa vendedeira :
a tratar na rua da Imperatrlz n.10.
Venderse ou aluga-se una excellenle caaos
de rarreim moli maneira pom fmM> bastant
eslanifue que carrega 130 ou 300 faites de capini-
0 pretenden te dirija- rorbeira do Tin mu, na'
araca do capim, que ahi far todo o negocio. '
Vende-se um sitio com boa casa," muilos ar"
voredos, dnas cacimbas r-om boa agaa que serve
para se beber, rom bastante terreno para se plan-
tar : na raa da E-peranca n. 74, .1 tratar no sitio
segulnte que faz esquina para o Manguinho.


BBHB


Dlarl* r
Hegnmda Mr f I de iilho de IM4.
GRANDE
sortiaieato de faxeaas botos AehYeados.
lissimas BS lja e amaZCm de fa- Qucm 0i possuir e os quizar curar perfeiumen-
ipiiiIaa hinata uruadl >mBeratrZ recorra aoafamadissimo oleo de Merchant, que
ZenUaS DaMias la NM aa "r*^"" vende Boarmwem dala amarella, oitiw da
a. 56, lija Ai Arar, #e Loarear_e s^creuna da polica.
Pereira Meados liuim*iaes.
(*to.*eekitta2100.
Vende se cortes de chitas para vestidos a 2*Utt,
ditas de dita frauceza com 10 covados a 3*200,
cortes de cassa francezes a 24 e 25500 : na ra
da Imperatriz n. 56, teja da Arara.
Arar vende a 160 rs.
Vende-se fil de linho de cores a 160 rs. o co-
vado, dito branco para forro a 320 rs. a vara, tar-
latana de cores a 640 rs. a vara, loncos trancos a
208 e 2i0 cada um: naloja da Arara ra da Im-
peratriz n. 56.
As laziuhas da Arara a 320 rs. o ewafe.
Vendem-se lazinhas para vestidos a 280, 320,
400, 500 e 610 o covado, ditas lisas pronrias para
capas e vestidos de senhoras a 400 e 600 rs. o co-
vado : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende as chitas paraeeberta a 320 rs.
Vendera-se chitas para eobertas a 320, 360, 400
e 500 rs. o covado, dita encarnada adamascada a
300 rs. o covado: na ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Cassa organdys da Arara a 210 rs
Vendem-se cassas organdys para vestidas a 240,
280 e 320 rs. o covado, riscado fraucez para ves-
tidos a 280 rs. o covado, gurguro de linho para
vestidos a 280 rs. o covado : na ra da Impera-
triz d. 56, loja da Arara.
As chitas da Arara a 210 rs. o eevadf.
Vendem-se chitas para vestidos de cores fius
240 e 280 o covado, ditas francezas largas a 320,
360, 400, 440 e 500 rs. o covado na loja da Ara-
ra raa da Imperatriz n. 56.
Leaeos de seda da Arar a 800 e 1*.
Vendera-se lencos de eda para aJcibem de
baen a 800 e 15, lencos de cassa a 200 e 240
rs. : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara rende os ves pretos e de cores a 1)5000.
Vendem-se veos pretos e de cores para chape-
linas de senhoras pelo preco de 15 cada um, go-
linhas para senhoras a 240 e 320 rs., manguitos a
15, camisinhas para senhoras a 25, ditas unas
com gravatinha e punhos tardados os mais mo-
dernos que tem vindo a 45500 : na loja da Ara-
ra ra da Imperatriz n. 56.
lrara vende os balSes a 2|4500.
Vendem-se balees de 20, 25, 30 e 35 arcos a
25500,35, 35500, 45, 45500, ditos de brilhantina
a 45 : na ra da rmperatriz loja da Arara n. 56.
Cortes de la a Mara Piaa 8 e I8#.
Vendem-se cortes de la a Maria Pia a 85e 185,
pecas de cambraia lisa fina a 35, 35500 e 45 : na
ra da Imperatriz n. 56 luja da Arara.
Cortes de ganga a 16*00
Vendem-se cortes de ganga franceza para calca
a 15600, ditas de casemira a 35, ditas finas a 55
e 55500 : na ra da Imperatriz n. 56.
Ronaa frita d Arara.
Vendem-se patetots pretos de panno fino a 165-
145 e 125, ditos sai-eos de panno lino preto e azul
dehriados de fita a 95 e 105. ditos de casemira a
65, 85 e 55, ditos de brim a 25500 e 3$, ditos de
alpaca prea a 35 e 25500, camisas francezas bran-
cas a 25 e 25500, ditas de linho de pregas largas
a 25800 e 35, seroulas de algodao a 15600, ditas
de linho a 25, calcas de brim o gangas de cores a
25, ditas de brim pardo a 24500 c 35, ditas bran-
cas a 35500 : na ra da Imperatriz n. 56 loja da
Arara.
Colchas da Arara a 13
Vendem-se colchas de damasco para cama a
45, ditas de fusto a 55, ditas de chita a 25 na
ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Vendem-se gangas para calcas e paletots.
Vendem-se gangas para paletots e calcas a 440
e 500rs. o covado, fust.o para caiga a 500 rs. o
covado : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Madapolo fame / a 5 \
Vendem-se pecas de madapolo enfestado com
12 jardas a 45 e'45500, ditas de 24 jardas ns. R6
a 75, ditas n. 60 a 65500, dito moca a "5500, dita
n. 40 a 85, dita n. 50 a84300, dita n. 7 a 105, di-
ta SS 95, dita XX 85500, algodao muito encorpado
a 55500 e 65, dito carne de vacca a 75: na ra
la Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Brim de linho a 1 :>280,
Vende-se brim de linho para calca a 15280,
15400, 15800 e 5600 a vara, brim liso para s-
molas e lentes a 300, 560 e M> a vara, braman-
te de linho a 25200 a vara tem 10 palmos de lar-
gura, bretanha de linho a 640 e 800 rs. a vara,
brim pardo a 800, 640 e 15 a vara : na ra da Im-
peratriz n. 56 loja e armazem da Arara, a loja es-
t aberta at as 9 horasda noite.
Vende-se
Os tasos
OS MAIS A66RAVANTH
D'uma pertinaz duroca
ESCRFULAS,
00 EROPCOES ESCROFULOSAS,
lonas de teda especie.
BYPHILIS, OU MAL VENREO,
TUMORES,
Elnilli<*oe*,
BERTOEJAS,
OPHTHALMIA,
Ilydropisia,
SotpHgefts,
HERPES,
MPartros,
ERISIPELAS
ESCORBUTO,
Tlnlia,
GHAGS ANTIGS,
DEBILIDADE ttERAL,
Nervosidade, Nevraliias,
FALTA DE APPETI1, FASTH,
SUPPRESSO DAS REGRAS, ou
AMENORRHEA,
inun. as m brabcas,
Rctcneao das Iriiias,
EMACIAgAO,
Ou emmagrecimetit feral do carpo, prove-
nientedd estado vicioso do sanyue,
INFLAMMACOES GHRONCAS,
Affec9bes Chronicas do Pigado,
ASSIM COMO lODAS AS MAIS SlMII.IIANTES MO-
LESTIAS, l'RIXUIl'ALMKWTK Ql'ANDO SAO
l'A ISA HAS, OU PKOttUZlDAfl PELO MU
i.ivnK i-o do Mbkcukio 01"
Qcixino,
Aw.lm romo tnmbrin pelo frequcnle mho ilo AK-
SKNIC'O e oulrnN prcpnrn^Vc* Mliit-mr* i
Todas estas Eiifermidades prompta e efQcaz.
mente cedan benfica, poderoza e
purificantes quididades da mui
justamente afamada
luarmiui he wsssl
venda as boticas de Caors & Barboza,
rna da Cruz, e Joo da C. Bravo dfC., rna
da Madre de Dos.________________________
Vende-se
a machina a vapor da torea do 10
O Vigilante est alerta, nao loe era permettido
deixar passar desaneFcebido sem que nao dsse o
seu canto aflm de annunciar ao respeitavel publico
e grande sortment de galntarias do melbor gusto
propriamenle para qualquer mimo, que acaba de
chegar ueste ultimo paquete, assim como muitos
outros objectos que recebe por diversos navios,
tanto de sua coma como de consignagao, que est
resolvido a vender por precos muito baratos para
vender muito o ganhar pouco, e dar extraegao ao
grande deposito que tem, que espera merecer a
proteccao do respeitavel publico, empregando para
isso todas e as melhores diligencias para que -
quem satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, ra
do Crespa n. 7.
Ricas perla-joias.
Sapalrahos e neias de seda.
Rieniisinies sapatlnmw de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorra-
zinbas e touquinhas para as eriaminbas se bapii-
sarero : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Gaita bao.
Rlquisslmas goiinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e 35 : s no Vigilante,
roa do Crespo n. 7.
Enfeites para sentara.
Riquissimos enfeites com laco e sem lago e de
outros muitos gostos a 15, 15500 e 35 : s no Vi-
gialnte, ra do Crespo n. 7.
Trancelias.
Lindos trancelins de cabello para relogio oo lu-
netas, pelo baraOssimo preco de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadiahos ntremelos.
Riqusimos babadinhos entremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
preco de 15200, 151500, 25 e 35 : s no Vigilante,
ra'do Crespo n. 7.
Oscarrilhas.
Grande sortimento de eascarrilbas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinlias pro-
prias para enfeites : s no Vigilante, ra do Cres-
po n. 7.
Fitas.
Grande sortimento de tilas de diversas largaras
e qualidade, por precos que admirar aos compra-
dores, bavendo Atas largas proprias para sinteiros
que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca de 3
varas a 25 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Fita de la.
Fitas de laa de todas as qaalidades, proprias para
debrum de vestido a 700 rs. a peca : s no Vigi-
lante, ra do Crespo n. 7.
Ricos espelhos,
^*
Cofre de muito gosto por 165000
Cestinhas transparentes, forradas de madre-
perola por 185000
Lindas jardineiras 105000
Ricos cofres com camaphen 105000
Lindas caixinhas com pedras brancas 105000
Lindo halan com calunga dentro tambera
para joias 165000
Tambalier para ditas 95000
Cestinhas idem idem 65000
Cosmorama idem idem 65000
Urnazinha 65000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no -Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Ricas sioles
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e lo5, ditos sem
bolga, porm do raesmo goslo, a 25500, 35, 35500
e 45, ricas velas avulsas para sintos, o melbor
que se pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 :
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes ou cestinhas.
At que chegaram as de se jadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no brac,o, o mais
rico possivel, a 25300, 35300, 4, 3, 7 e 105 : s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
ratea.
Neste artigo tera um grande sortimento, tanto
para alisar como para atar cabello, o mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sem elle para meninas: s no Vigilante,
roa do Crespo n. 7.
Peales
Tambem chegaram os riquissimos pentes de
concha de tartaruga e de massa fina, que se vende
por 25, 3 e 35 : s no Vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Lcqnes.
Riquissimos leques de madreperola, tanto para
senhora como para mocinhas, pelo barato preco de
12 e 145 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Mis lnpies.
Cora pequeo deleito, leques de sndalo, por ba-
rato prego, a 85 e 105, cbineic
Riquissimos espelhos com moldura dourada e
sem ella de 85,10,12 e 145, assim como con co-
lumnas de differentes lmannos a 25, 3, 4, 5 e t>5:
s noVigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu
tem apparecido : s no Vigilante.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com noneca para pos de ar-
roz, cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim co-
mo pacotes s com os pos a 320 rs. cada um ; s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como os lindos copos ou vasos cora dis-
tinctivos e offerecimentos as sinhazinbas, dos. me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Ingla-
terra, assim como os grandes copos de banna japo-
neza a 25 e a 15 ; assim como outros objectos que
nao possivel por boje annnnciar, e vista dos
freguezes se far todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Attenco
Tiras bardadas.
Vendem-so tiras bordadas, a pega a 15100, 15200
e 15300 : as tojas do Beija-Oor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Bailados bordados.
Vendem-se babados bordados de varias larguras
a peca a 15600, 15800, 25, 25300 e 25400 : as
tojas do Beija-flor. ra do Queiraado ns. 63 e 69.
Ludas saaatMhoi.
Vendem-se lindos sapaiinhos para baptisados de
crianzas a 15300 e 25 o par : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e 9.
Botocs para punhos.
Vendem-se botezinhos de madreperola ede mar-
tlm para punhos a 320 rs. o par, ditos encarnadi-
nhos a 120 rs. o par : as lojas do Beija-flor, rna
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas para debrum de vestidos.
Vendem-se fitas de la de todas as cores para
debrum de vestido a 900 rs. a pega, ditas prelas
de seda a 15100 a peca : as fojas do Beija-flor,
rna do Qneimado ns. 63 e 69.
Filas brancas para debrum.
Vendem-se pegas de fita branca de linho para
debrum a 4O0 rs. a pega : as lojas do Beija-llor
na ra do Qneimado ns. 63 e 69.
Ricas litas lavradas.
Vendem-se muito ricas fitas lavradas para sinto
de senhora e meninas : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Espelhos de Jacaranda.
Vendem-se espelhos de columnas, de Jacaranda,
a 35 e 45500 rada um, ditos de madeira amarella
a 25400 e 25800 : as lojas do Beija-flor, na ra
do Queimado ns. 63 c 69.
Fitas de velludo estrellas.
Vendem-se fitinhas estrenas de velludo para en-
feite d vestido a 900, 15 e 15200 a peca: as lo-
jas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
' Trancas de la para bordar.
Vendem-se trancinhas de laa pretas para bor-
dar camisinhas e vestidos a 80 e 160 rs. a pecinha,
ditas brancas com 40 varas a 600 rs. a pega, e ou
tras militas, consas que setornaro enfadonho men-
ciona-lasj.pois s com a vista se poder ver o gran-
de sortimento das lojas do Beija-llor, na ra do
Qaeimado ns. 63 e 69.
Caixas cora quatro papis de agulhas mpcr..*s a
240 rs.
Sabonetes de familia a 80, 160 e 320.
Caivetes de duas folhas muito linos a 320.
Pares de sapatos de la para meninos a 400 rv
Sapaios de tranca para senhora e para humeo*, os
melhores que tem vindo, e por prego muito barato:
nem quizer ver, venha rna do Queimado ns
8 e 63, e ver todo como bou e barato.
Vende-se
em Jahoato em urna das primeiras (o- JpQ
calidades de negocio o bem conherido >_
estabelecimento Progressista, de tanerru >"-p
e padaria com alguns fundos, muito pro- ..-'
prio para urna pessoa que qoeira s dicar ao negocio, serviodo para solteiro *%j
ou casado visto a casa ler todas as com- .*,'
modhlades sufllcientes e estar bem afre- Vv
guezada, por exi.-tir no mesmo mais ne- J"~
gocio, porm nao corvindo ao comprador # .'
querer todo negocio, o propietario sugei- >
tase a vender o que a parte convier eaj*
..:.. i- .a..JimA Alm mm prcnmc. JvJ
m
m
m
i
m
vista do pretndeme se dir as rirrums-
cias da venda : quem convier dirija-se
ao mesmo logar que se pagar o trans-
porte do mnibus ou na rna Direita ca-
sa n. 76, que ah. tambem achara com
quem tratar restrictamente.
X* inesnia cana vende-se
um carro com 6 cavados com os sem
competentes arreos rodo em bom estido
de trabalhar, faz-se todo negocio on a di-
nbeiro ou a prazo confaranti os apai-
xonados aproveitera a occasiao do ven-
dedor.
T
%
Esleirs d Ararat).
Vndese na travessa da Madre do Dos nume-
ro 10.
O dono da loja do Beija-flor, na ra do Queimado
n. 63, acaba de abrir um outro espagoso estabele-
cimento de miudezas na mesma ra n. 69-, por isso
avisa aos seus freguexes e amigos, que nestes dous
estabelecimentos encontrarao sempre grande sorti-
mento de miudezas, perfumaras e objectos de gos-
tos ; e vender sempre mais barato que outro qual-
quer, como abaixo se ver.
Pentes douradosde travessa.
Delicados pentes dourados de travessa parame-
ninas a 15500 cada um, ditos sem ser dourados a
500 rs. cada nm : as lojas do Beija-flor, ra de
Queimado ns. 63 e 69.
Veitinhas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com ernzes de pe-
drinhas imitando a brillantes a 15 cada urna : as
muito bonitos,' )oas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
tambem por barato prego de 4 e 55, bentarallas Luvas de Jouvin
muito bonitas tambem por barato prego de 4 e 55,; Ch as desejadas iavas
leques de charao tambera por 45, ludo> isto para de7^gvin7eptoaas as cores, tanto para homens
acabar, perdendo-se tatvez 80 0|0 : so no Vigilan-
te, ra do Crespo n. 7.
Pu'seiras.
Lindas pulseiras de conlas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto a 15 e 15200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha que as senhoras tanto precisam para se-
gurar os man nilos por ser muilo commodo a mui-
to barato, a 320 o par: s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Carretas.
Riqnissimis carretas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baratissimo preco de
15500 e 25.
Yoltiurias.
como para senhoras : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Talheres para meninos.
Vendem-se talheres de cabo de balango para me-
, nios a 280 rs. o talher : as lojas do Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Colheres de metal principe.
Vendem-se colheres de metal principe muito fi-
nas para sopa a 3fiOOO e 4#WO a datia, das para
cha a 25 e 25400 a duzia, ditas para assucar a
500 rs. cada urna, ditas para terrina a 25 cada
urna, e s quem vende por estes pregos as lojas
do Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e 69.
Facas e garfas.
Vendem-se facas e garfos oitavados a 25800 a
duzia, ditas cravada?, cabo preto e branco a 35 a
duzia, ditas de balango de 1 botao finas a 55200
ditas de 2 botoes muito finas a 65500 a duzia, ditas
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado ns. 49 e 33, loja de miudezas
de Jos de Azevedo Haia e Silva, est continuando
no seu progresso de vender baratissimo :
Capachos grandes e superiores a 500 rs. cada um.
Caisas de superiores obreias de cola e massa a
40 rs.
Cordao branco para vestido e espartilbo, vara 20
ris.
Linnas de carretel (130 jardas) de superior quali-
dade a 60 rs.
Cartoes de linba Pedro V (200 jardas) j muito
condecida a 40 rs.
Gaozas de pennas de ago de muitas qualidades a
superiores a 500 rs.
Caivetes de duas folhas porm finos a 500 rs.
Caixas com calungas muito bonitas para rap a
100 rs.
Fraaja branca e de cores para toalhas a 160.
Pares de botoes para punho muito bonitos a 120.
Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a
120 rs.
Tinteiros de vidro com superior tinta a 160.
Ditos de barro rom superior tinta a 100 rs.
Groza de botoes de lonca prattados, o melhor, a
160 rs.
Tesonras para costura, o mais superior, a 400 rs.
Ditas para nnhas muito finas a 400 rs.
Escovas para limpar denles muito superiores a
200 rs- .__ *1 M
Libras de laa de todas as cores (pesada) a 75.
Caixas de phosphoros de seguranga a 160.
Ditas de papel amizade pautado e liso a 600.rs.
Ditas com 100 anvelopes muilo superiores a 800
ris.
Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
Cartas e taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas com superiores iscas de acender charutos
a 40 rs.
Carreteis de linha Alexandre (200 jardas) de cores
a SO rs.
Baralbos para voltarete muito finos a 240.
Cartas de alfinetes francezes muito linos a 40 rs.
Meadas de linha fixa para bordar a 20 rs.
Pares de sapatos de tranga muito superiores a
15600.
jjjttJTO FGIDOS.
ESCRAVO FGIDO
SOO de gratlfieaco.
Contina fgido desde Janeiro o mulato de nv
me Ravmundo, natural do Ic, estatura regular,
idade de 18 annos, cabee ctata, cabellos carapi-
nhos, testa grande, rosto oval e com urna btefa
na face esquerda, magias saltales, denles limada
pontudos, bocea regular, e principio de bugo, p#-;
e roaos pequeos, coslumava. andar raleado, e iu
titulava-se livre com o noroe de Manuel Raymi"
do : quem o apprehender, dirija-se na da Ca-
deia do Recife n. 21, Loii Aotonio Siqueira, que
entregar a referida grattflracao._____________
Fugio de casa de seus senhores, no da I'
correnle, o escravo Izidro, criouio, de idade 25 an-
nos, pouco mais ou menos, estatura regular, chel
do corno, edrum pouco fula, cabellos caraprancr
olhos pardos, beigos um pooco grossos, nariz regu
lar, ps grandes e grossos, bem desembaragado no
fallar, nao malcriad-, levoa calca de brim bran-
co, camisa de madapolo, chapeo de feltro ji usa-
do ; enjo escravo lllho de Cateto Maria da Con
eeicao, do Brejo de Hanaoeiras, provincia da Para
byba do Norte; veio em 1804 em pagamento para
os Srs. Guimaraes & Ataofasado-desta cidade, sop-
poe-se ter seguido para aquello lugar : Mfa-M a
todas as autoridades e e a pitaes de campo a sua a p
prehenso e lvalo ao pateo da Santa Cruz n. 'o.
que sero recompensados con________________
Desde o dia 24 do mez de junho acha-se f1!-
gitivo o escravo Ambrosio, com os signaes segnnv
les : estatura regular, cor preto, magro, bem feto,
ps Brandes, barba snisa, falto rom muita hurr-1-
Ihaeao (de muito velhaco qoe ), muilo conhee-
do na cidade de Olioda e Rife, onde por multes
annos exerceu a profisso de ganhador : pede-se
todas as autoridades, capilaes de campo, pessoaj,
e a cada um de per si, a captura de dito escravo,
que poder ser entregue ra do Apollo n. 39, JO
Sr. Antonio da Rocha Accioli Lins, ou no engenta
Ouleiro de Pedro, na Luz. O senhor do mesmo es-
cravo protesta desde j contra quem o tenha acmr
tado, e igualmente pagar comgenerosidadeaqoem
o apprehender.
Attenco.
Acha-e fgido o escravo de nome Antonio <'- 5*
o dia 8 de junho do correnle anno, cor
latas rom 3 1|2 caadas da alcatrao do gaz por
5200- no armazem da bula amarella oit.io da se-' servio na empreza de lavagem de roupa
crelaria a polica. I arua Nova n. 50.
cavallos que
a tralar
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
I fineindo brilhantes, assim como cruzinhas avulsas .
i e voltinhas, pelo barato prego de 15 e 15200, as de 1 botao para dores e. fructas a 55 ?."'* "f
cruzes avulsas a 400 rs. : so no Vigilante, ra do de 2 botoes a 55200 a duzia: as lojas do Beija-
: crespo n. 7. flor, ra do Queimado ns. 63 e 89.
intes : idade 40 annos, erioulo, altura refabr
I desdentado, barba feita, nari
um tanto inclinado para a treme,
Candes e caixas de celchetes francezes superiores
a 40 rs.
Bonets para meninos muilo finos a 15500 e 25-
Magos de grampos superiores e limos a 40 rs.
Groza de phosphoros do gaz muito novo? a 25200.
Areia preta muito superior a 100 rs.
Caixas de rap com espelho a 100 rs.
Realejos para entreter meninos a 80 r?.
Pegas de fita de linho muilo boas a 40 r?.
Pentes de lago muilo bonitos a 15-
Enfeites de lago de todas as cores a 15300.
Rodas com alhnetes francezes a 20 rs.
ferida no estomago, ps grossos, e as costa? m?r
cas de chicle, tem cicatrizes as canellas, em urir
das maos nao abre bem os dedos, letn vestida rai-
ga parda, paletot preto ja velbo, camisas brancas
duas, sendo urna de abertura bordada, i pares d.;
calcas, 1 branca e 1 parda, I cobertor, sendo me-
tade de estopa e metade de algodao. fot eiiniraaT>
na ribeira de Santo Antonio e no Peres : por i?s
roga-se s autoridades policiaes e capilaes de cara
po que o peguem e levemno 4 casa de seos sent >
res, na ra da Imperatriz n. 80, que serao malte
bem recompensados.
LISTA GERAL.
98.!
DOS PREMIOS
DA M.
PAKTE DA
K LOTERA CONCEDIDA POK LE PB0V1NCLAL N. 402 DE 0 DE ABR.L DE 1857, A BENEFICIO DA IGRE1A DE NOSSA SENHORA DA BOA VIAGEM, EXTRAMPA EM DE JBU HE 180!.
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PBEMS. NS. PREMS. NS- PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
3
4
o
ti
13
23
23
32'
33
38
39
VS
50
34
57
38
39
70
73
74
T,
S
91
to
97
112
13
18
24
36
39
4
44
47
48
32
34
57
67
78
04
m
90
91
93
2015
7
405
105
405
105
205
105
S. PH E.MS. NS. PR BUS. NS. PF EMS.
210 105 387 105 594 105
12 95 99
13 - 402 __ 600
lo ti - 3
16 12 _._ i 405
17 18 _ 1 105
21 18 _, 18
23 27 _ 19 1005
M 30 20 105
26 34 22
il 35 __ 23
28 36 _-__ 24
29 37 _ 26
39 38 __ 35
36 - 40 38
17 42 39 1005
55 44 44 205
61 46 ^^ 55 105
62 47 _r 60
66 50 _ 64
71 205 51 ^B 66
78 105 54 _ 67
82 67 205 73
83 71 105 76
86 88 80
89 91 405 81
91 94 105 88
93 97 _ 93.
95 503 93
97 7 706
302 12 7
4 405 13 11
0 105 21 19
9 205 27 205 27
12 105 40 105 28
iS 205 41 31
18 *o 43 34
30 48 205 41
35 51 i5 42
37 56 43
45 M Jfc 45
46 63 _ 48 20J
51 74 51 10J
54 75 52
50 77 40J 56
61 79 10J .57
8 82 58
71 84 62 -
81 . 90 63
M . 02 66
770
76
77
83
M
91
94
97
808
17
20
23
29
31
34
42
50 10
57
67
74
76
81
84
91
9o
902
6
15
17
18
22
23
23
26
37
44
50
51
54
57
60
67
68
74
75
76
78
82
84
91
205
105
2005
105
:0005
105
405
205
105
205
105
998
99
1006
9
16
20
21
22
27
28
29
35
37
39
41
44
49
52
53
55
58
61
63
67
68
83
85
92
99
1102
5
7
14
15
31
42
46
48
52
55
59
67
69
72
77
83
85
96
87
88
105
105
205
105
2:0005
105
1196
1203
4
">'
9
10
26
27
29
31
35
36
37
38
39
105
405
105
105
205
105

205
105
2005
105
41
49
45
48
51
68
87
62
63
68
69
72
76
81
82
83
85
88
95
97
98
1301
4
6
7
8
9
11
14
16
17
19
22
29
34
205
1335
40
43
i9
56
33
o
56
88
59
65
67
68
79
83
85
92
95
96
97
1401
4
6
8
9
10
11
12
21
26
30
31
38
40
41
42
43
44
46
52
57
59
64
75
77
82
83
105| 85
l 89
105
405
105
205
105
NS. PREMS.
405
105
405
105
205
205
105
1005
105
1005
105
-98
1501
16
17
27
32
35
38
41
44
53
62
63
69
70
71
86
91
97
1600
2
5
6
9
13
16
17
18
20
21
25
29
30
33
35
37
42
44
47
57
58
59
61
63
72
74
78
79
82
88
92
105
405
105
205
105
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
1693
96
1702
.'i
li
23
2o
:
36
38
39
40
43
44
47
50
53
62
65
69
73
75
80
85
86
89
92
%
98
99
205
105
1005
105
205
105
405
105
405
105
2:0005
105
405
105
03 2
4 m. 4
8 7
11 8
13 -_. 9
18 _-, 10
20 sa 11
21 __, 14
30 __. 18
31 _ 23
33 -_, 27
39 _ 30
42 35
45 __ 37
46 40
48 405 46
49 10 49
53 57
66 60
7S 67
1889
91
92
94
95
1902
11
12
15
20
22
31
33
39
41
42
16
49
80
60
62
6
67
72
75
91
95
97
2000
1
105
205
105
2069
72
73
79
80
82
84
85
105
205
105
90
98 -
2101 2005
2 105
9
16 -
26
32
35
36
43
44
45
48
53
57
63
68
72
73
74
75
77
83
84
86
405
105
205
105
93
96
98
2201
5
NS. PREMS. NS. PREMS.
1005 7
105 12
14
16
24
1005 26
oj 27
1 35
2237
38
40
41
15
47
48
51
52
56
58
66
75
76
77
79
85
88
90
97
2309
11
13
14
16
17
18
21
24
29
33
35
40
41
44
51
56
57
59
66
67
71
72
77
79
83
84
88
90
93
105
205
105
205
105
2398
-99
2403
5
10
11
12
16
20
31
37
39
40
42
43
46
47
48
50
54
56
57
58
59
62
63
66
60
69
74
75
79
80
91
92
97
2502
4
14
15
16
22
24
25
26
31
32
33
105
205
105
405
105
205
105
NS. PREMS. INS. PREMS.
2005
105
205
105
25M)
41
42
47
48
51
56
58
60
61
64
68
76
81
83
85
86
88
91
94
96
2600
4
9
11
14
30
36
37
39
43
52
55
56
63
69
72
74
77
85
88
92
93
2706
7
205
105
-34 -
-| 36
13
15
17
18
19
1052721
25
20
28
31
34
35
37
40
43
44
80
51
89
62
64
66
69
70
72
81
82
93
95
99
2802
3
7
11
20
24
27
28
30
31
37
39
42
43
46
60
61
62
65
66
68
75
81
84
86
105
205
105
5005
105
1005
105
205
105
405
105
NS. PREMS.
2904
10
24
26
28
30
31
33
34
40
y
46
47
51
56
57
88
89
62
65
66
67
71
72
76
77
78
84
82
90
92
93
99
3001
2
3
4
6
7
11
12
14
15
17
25
26
29
30
31
33
105
205
105
1005
105
205
105
2005
105
-
205
105
NS. PREMS.
3034 106
35
38
M
l
43
44
45
48
50
83
56
58
62
70
71
73
75
77
79
81
87
88
92
3101
3
7
8
11
14
18
19
22
26
28
34
43
47
48
49
52
58
61
68
70
72
79
81
82
85
5005
105
NS. PREMS. NS. PREMS
3188
93
96
97
98
3204
9
10
11
14
21
23
31
34
42
43
45
53
55
58
60
66
69
70
73
74
75
77
80
82
86
88
94
90
3300
1
3
4
O
9
10
23
W
10
i?
20"
29
30,
31
37
205 3338 105
105
405
405
1005
105
205
105
43
52
53
5\
59
60
63
65
66
68
70
7t
76
78
79
81
83
84
85
87
93
97
3400
1
6
9
12
14
16
31
38
39
42
49
50
50
A62
63
r4
6T
00
1/170"
' 71
OO
78r
80
9
205
105
405
105
405
105
20*
105
105
405
105
'
W5
M
40*

O escmSo, Jos Pedro ttas Neves.
Pem.=Typ. de Manul Figuroa tk Paria _?*18W.'


!

p
^^^^^
Diarlo de Pernamboeo -. Mtgiiuda lelra II de Jiilho de lSd.


LTTERTRA.
0 QUE VAE PELO MUNDO
Urna carta de Tunis, publicada no Moniteur
de l'Arme, conim as segumtes noticias :
t Os in5urgmes acabam de eseolher para seu
r.ii-fe a Mondoah, sherHB do Kef, pequea cidadi*
sitoad a 82 milhas de Tunis, ao sul da MeJjer-
dan, rio que lera, a sua origem na provincia de
Cnstanlioa. Este personagem 0 ta'nbem condec
1)0 com o nomo Je bey da nioutanhi. A forga que
tem saa disposgo sobe a 14,000 oti 15,000 ho-
mens, sendo esta forcea raais que sullicionte para
lhe pormtir apoderar-se da capital da regencia, a
rp:il s se acha defendida por 700 ou 800 soldadoa
recalares. Mondouh nao est, comtudo, inclinas
do a lomar a capital forja, com receio da inter-
vencao europea, e parece ter adoptad) o plano de
a obrigar a capitular, pela fome.
Este chefe acaba de mandar um parlamenta-
rio Bardo, residencia do boy reinante, signiuYan-
do-lhe o seu ultimtum, -sondo os" seus pontos prin-
cipaes os seguintes: que o kasnadar (ministro)
sera inmediatamente deraittido ; que no futuro nao
llavera outra lei, ou outra constituigo na regencia,
senao o Alcorao; que nao llavera tributos senao
o> que determina o Alcorao, isto disimos; que
s; publique urna conta do estado da fazenda do
paii, e que nao seja augmentada a actual divida
publica. O bey deve dar resposta a este ultim-
tum, at ao da 22 do corrente.
No ancoradouro de Tunis acha-se reunida urna
consideravel forga naval. A Franca tem aqui 3
nus de linha, 1 corveta e 1 aviso vapor; a la-
gl iterra 1 nu de linba, 1 fragata couragada, i
corveta e 1 pequeo vapor; a Italia 4 fragata? c 2
vapores; a Turqua 1 fragata e 2 corvetas; Portu-
gal 1 corveta vapor. A bandeira tunesina nao
S3 v no aocoradoaro, mas ha doas bellas fraga-
tas no porto, desarmadas e completamente desmas
treadas, e estragadas com o sol.
gabinete, para o qual nao erara duvidosas as mi-
nhas sympathias.
O congresso deve saber que, se apezar das ben-
volas relaedes que me unem com algum dos ac-
tuaes ministros, e o respeito que me merecem os
preclarsimos talentos dos outros, me declarasse
de radical opposigo, neni as ac!uaes circums-
tancias o faria, nem elegeria como camiM), o da
nossa poltica na Italia ; porque aoaconsclhar qual
leva ser, por forca se ho de tocar questes que
implicara com todas as quesloes de partido, e as
quaes nao pode applicar-se o mesquinho criterio
que applicamos as nossas divergencias domes-
ticas.
Quiz fallar della quandose discutiram os orca-
mentos, onde se me offerecia urna occasiao oppor-
tuna para expor as minhas deas, causas que al-
guns Srs. deputados conhecem se oppozeram a
isso.
Chegou por flm o da em que se cumpra o meu
proposito, e posto que careca de autoridade e no
me bastante para iniciar to grave empreza, ao
commeite-la, me anima, almda sua justica, a con-
viego de que a maioria da cmara pensa nella co-
mo eu pens ; e ainda me atreva a dizer que tam-
bem tem influido na minha a esperanza de encon-
trar o ministerio nao mui distante das minhas
apreciacoes em algons pontos, e era outros integ-
ramente conforme.
Parece primera vista, Srs. deputados, que fal-
lar a pro de urna causa que, segundo a minha
propria confissao, a creio to aceitavel para o mi-
nisterio e para a maioria como para rnim, descul-
pe-se-me, pois, a fadiga e entretimento pueril e
pueril vangloria, e nao o certamente, porque jul-
go que, se em ter por bom o meu intento, na sua
cssencia temos de estar todos conformes, nao ser
tanto assim em se opporluno, em se conforme
a prudencia manifestar aqui, sera rebujo, face
da Europa, o nosso pensamento poltico a respeito
de nacoes estrangeiras.
Presumo que ha de haver mutos que julguem
hroes; em quanto aos Napolitanos, perseguem-os. Diziara os fundadores da sociedade liespanhola
em todas as parles e por tojos os governos, e at os ferozes godos : A lei para demonstrar as
os prendera nos territorios neotraes, e os arrancara cousas de Deus, que demonstra bem'virar e
dos navios de nacoes poderosas, violando-se todos fonte de disciplina, que mostra o direito, que
os principios do direito internacional, e se lhe ira- o faz, que erdena os bons costames que
pedem soccorros e auxilios, e se lhes chama ban- governa a cidade, e que ama a justica e a
didos.
E' isto porque ha por ventura duas justigas na
Ierra ? E" que por ventura o fermento demaggico
que entra em abundancia no kvantaraento da Polo-
nia attrahe as sympathias da revolugao cosmopolita
que se mostra na imprnosa, que cresce nos con-
raestra das virtudes, a vida do povo inteiro.,.
c devo ser honesta e digna, proveitosa e neces-
saria.
Comparae, Srs. deputados, as disposieoes con-
tra a brigandagem aceitas por ara governo culto
masque vive divorciado docatliolocismo, como
gressos, que se senta nos conselhos de ministros '|l10 enlcl"liam Por ,ei os nossos autepassados, ru-
in. nt Amc w .! .w. '. des e ijnorautes, porm em cujo peto gerroinava
Vossa costclla est mcozinhada, mea charo. Eu rioeo mundo diz :como ditoso
que cega os olbos dos monarchas, que extravia o
animo das turbas ? E' que o realismo dos valentes
Napolitanos se considera tao imperdoavel crime
que os torna incapazes do sagrado direito de pelo-
jar pela sua independencia ?
Se ali se combate contra um governo scismatico,
aqui contra um governo atheu.
Se ali ha um Mourswieff, aqui ha um Caldini,
om Fumel, um Pianelli, deshonra da humanidade,'
vergonha da llalla.
Se ali se enforca aos cheles dos partidos, e se de-
porta aos prisioneros, aqui fusila-se aos chefes, aos
prisioneros, at aos sespeitos.
Se ali se queimam nlgumas casas de campo, aqui,
alm disto, incendeiam-se 27 povos.
E nao obstante, clama a Europa pela Polonia, e
ja o espirito de Christo, e dizei-me se andando
por estas vas adiantaremos moralmente ao pas-
so dos adiaotamentos physicos, ou se ndo
de recear que debaixo das formas de una refi-
nada e sybaritica civilisacao retrogrademos ao
mais espantoso barbansmo.
O direito da defeza, o direito sacratissimo da de-
feza, nao negado nem pelos povos mais selvagens,
sem o qual, como na Turqua, nao lia bens, nao ha
vida, nao honra que possam considerar-se segu-
ras, se desconheco pelo governo do Piemonte, pelo
espelho das modernas lberdades. E' dever de to-
das as nages civlisadas opporem-se a este escan-
daloso abuso da forca, a esta embriaguez da injus-
tica, a esta completa subversao de todas as ideas
Incoznhaia .'.. O que quer isto dizer ?
Met charo, quer dizer o contrario de cozi-
nliada.
Ah bem... Ento, urna supposicao, como
quem dissesse, para expressar que tendes espirito,
que vos sois inbestalhao.

F. acha va-se apaixonado por urna meo-mundana.
Apaixonado ao ponto de fazer a mais suprema
das loucuras.
Ao ponto de esposa-la* !
E como um de seus amigos lhe perguntasse se
elle liavia renunciado a esse projecto insensato,
respondea-Ihe :
Jamis. Esse casamento nao me sahe da ca-
beea.
Isto vira com mais vagar, replicn o amigo
calada e impassivel, de bracos cruzados v asoi- ?5' ,a esle desprezo absoluI. n5 Sl> dil le8is-
sar lentamente nos tormentos ao infeliz reino rapo-1 ^ 'Ul'ana <1Ue abomina se'elhante "quidade,
litano. imas tamboril da lei natural, do direito publico, ci-
eputados da na?5o hespanhola, fidalgos sempre mant robus,ssimo- e rmisslma base emque des-
e generosos, se alguns de vos estranhaes o acerbo ca5am af. rel^0tS sociaes das naS5es eurPeas-
da minha linguagem, lancae urna visUa sobre od'an-
tes florescente reino de aples, e de certo a com-
paixao brotar no vosso peito, e as minhas Dhrases
vos parecerao justificas era vista das crueldades, lconsc,enc,a Dub"ca de abodoque ver
O supplicio de um ru a quem se tivesse nega-
do a defeza, ainda que fosse simplesmente um fac-
to'isolado, urna excepcao, um crime, revoltaria a
chefe.
mais til para a defeza dos interesses moraes e re-
O bev tem no canal da Go eta um grande hia- ;, mmA__ .
. .. i ligaos accommodarem-se as fluctuacoes da no i-
te a vapor, que poder.a prestar- he rau.to servico ,ica> ^^^ lama.|os ^L, de.
na costa, num momento de cr.se, transportando ( darar.se em cjrcums(ancia. jcjas seu ^
tropas, mas os opranos do arsenal, que o kasna-|SOrardconvmer.se nas ^^
dar conservou sem lhes pagar nos u timos doze .-, .
posa. ..us <<" silenciosissimo amigo : emanantes outros. e eu en-
mizes, recusaram apromptar este vapor, para na- .. .. 8 ^"'"* ecu eu
Vl?gar |treelles, julgam que se conseguem resultados
mais favoraveis, publtcando-os, sustentndoos e
Ninguem pode calcular o que ter lugar em defendendo-os sempre, a todas as horas, em todas
Tunis, agora que os revoltosos cscolheram s om as occasioes opportune el importune.
Applicando, pois, estes principios a questao ita-
liana, por cousa natural entendo o que, assim co-
Comer de I Algerie publica o segrate ._ .-n .
i ,ilim ,w .-.,.. 111. i j mo sem vacillagao, semduvidas, sem contempon-
bolotim das operacoes militares no sul da colonia :. c,Sjo =,,, ,, ... ,
, sajoes, e anda quando se prejudiquem alguma
O general Deligny, voltou no dia 2i de maio, | cousa os proprios interesses, se abandona o trato
para Geryvlle, conduzindo provisoes de todos os de um particular que mancha asna reputajao com
gneros, para aquelle ponto, de que fez a sua base acj5es indignas, do mesmo modo as nacoes devem
de operacoes. fugir, sem vacillar, sem contmporisar, ainda quan-
Emquanto marcha va sobre Khenegeli-Souk, as do prejudiquem alguma cousa os seus interesses,
tribus insurgentes linham-se estabelecido entre |do lrat0 das 1ue calcam aos ps as leis moraes a
Ksel e Geryville, afim de obterem agua para os 1ue todas eslao sujeitas.
seas rebanhos. Os Harrars tinhara vindo com a Nesle caso encontrase o governo piemontez
rnisma intencio para Keneg-Azir. Os povos, ven-! tem calcado aos ps o direito das gentes coma an
do o seu movimento, reuniram ao sul de Geruvil" nexacao do reino de aples, levada a cabo pela
le,-do lado de Sedi-el-Hadj-ben-Ameur, e Ain-el- forca das armas, sem previa declarado de guer-
Orak. Soffrem rau.to e a falta de agua ia forga-los ra o direito natural com as iniquas leis estbele
a d.vidirem-se.
O general Yusu, maniendo os seus deveres
com a divisao do seu commando na parte sul,
araeaca Djebel-Amour. As tribus que se haviara
affistado para se reunirem em Si-Mohararaed-ben-
Aamza, voltaram, vendo a sua columna em Ge-
que ali se comraettem. Nao quizra ser .iojusto
com ninguem ; talvez por todos se tero commetti-
do, mas pensae na barbardade desses verdugos,
que com o nome de militares esto deshonrando o
uniforme piemontez; pensae na desesperado de
am povo, que v invadido o seu territorio, expulso
ao seu rei, perseguidos aos seus bispos, entaipadas
as suas casas, confiscados os seas bens, queimados
povos inteiros, fusilados os seas Olhos, as suas mu-
Iheres mendigando pelas encruzilhadas de aples
o sustento de seus frmaos e de seus maridos prisio-
neros, sepultados materialmente em immundos ca-
laboucos, victimas da fome e das enferraidades, e
dzei-me, Srs. deputados, se o Napolitano que tenha
sangue nas veias pode transigir cora o odioso es-
que condemnassem, nao juizes, mas assassinos ;
porm o facto elevado a direito, a prohibilo da de-
feza proclamada coma idea reguladora e geradora
do processo, a aecusacao e a denuncia sem se po-
derem contestar, e por consequencia a calumnia, o
roubo, o assassinio revestidos de formas legaes e
jurdicas, autorisadas por um governo constituido
em paizes christaos, em paizes civilisados, sao a
morte social, sao os mais tremendos exemplos que
se podetn apresentar perversao da intelligencia
humana, da corrupcao dos partidos que o autori-
sam, da corrupcao dos povos qae o applaudem.
Emjnome da humanidade, em nome da civilisa-
cao, em nome da religiao, eu vos rogo, ministros
da cora, que nterpetrando o sentimento do povo
trangeiro, e com a barbara escoria da demacosia inesPannol-Pre,ensleis. e se vos dado impedi-lo pe-
europa, que tem assentadoos seus arraiaes na bel-; me'S 'DflUenC'a 8 mesm da pressAo moral
cidas para consolidar um tyrannico dominio na-
quella nagao desaventurada; seus deveres de chris-
taos com a usurpaco sacrilega das provincias per-
tencentes aos estados pontificios, e com a sua pu-
blica delerminaco de se apoderar de Roma. Jus-
tissimo, portante, me parece vituperar publica-
menda, e em Ain-Madhi. A sua cavallaria tentou mentt seu proceder, dando assim urna prova os-
algaraas excur.-oes para o lado de este. I lens'va e solemne, de que a Hespanha nao pensa
. A 27 de maio, em numero de 400 pouco raais\Z,T!TZ T """* re'aC,5eS de ne"huraa
menos, atacaram prximo de Ain-Madhi um | lasse1coin f^no que tem faltado a todos os
. a -n '."' |seus devircs internacionaes, como potencia eur<>-
testacamento de oO spahis, e de 50 atiradores in-
ou
digenas, mindado para recebar n'aquella cidade o
material qun ali deixra o general Yusuf. O ca-
jifio Lotelher chefe do districlo rabe de Lagho-
Dit, que eolio voltra de Tadjerouna, correu em
auxilio do destacamento, e o inimigo, repellido,
fagiu, de.xando 23 prisioneiros e 133 morios. Ncs-
te conflicto, s tiremos dous morios e um ferido Irei leg|limo un^o Pr vnculos de parentesco
No dia 31, deve estar era Ammi-Unn* n"! n^sa -ha, persooificajao da nacao hespanhola,
coron
dou
pea ; a lodos os seus de veres sociaes como poder
civilizado ; a todos os seus deveres religiosos como
estado catholico.
Nao tratarei, Srs. deputados, de historiar a que-
da de Francisco II; todos nos podemos dizer que
temos presenciado o espectculo doloroso de um
. No dia 31, deve estar era Ammi-Moussa ol^lIT! \T ^ da na?.3 hcsDanho,a>
ronel I.apasset, com 2,300 horaens de infanta ia, i ?T D Pr "" ^ arabCS
us esqaadr5S de cavallaria c tres pecas. *f?> ,que a0 memo ,tmP lhe Jurava
peca
No i. de junho, marchar o general Boze, de
Rehzana cora o 12 e 81 de linha, quatro esqua-
droes do priraeiro de hussards e tres pecas de ar-
enaria, para se dirigir ao corapao dos flittas.
Contina a reinar tran |aillidade, ao este da
divisao de Argel, e na divisao de Constantino. As
tribus tunesinas nao tem tentado ataque algum
costra as nossas fronteiras. Os insurgentes da
regencia oceupam-se actualmente era sitiar Kef. .

Do Jornil do Commrcio de Lisboa transcre-
vemos o segninie:
t O telegrapho annuncoa ha dias noticias dos
Principados, das quaes constava que o principe
Ciuza traba tomado medidas que nao havam en-
contrado opposicao, e que a tranqullidade era
completa em todo o paiz.
Sabe-se que o principe submetteu ao vol do
piiz, formulado por sim ou nao, urna nova lei
elefloral. Os jornaes de Bucharest publicam o
texto dessa lei, cujos pontos principaes sao os se-
guintes :
E' eleitor primario todo o roumanholo, que
tiver vinte e cinco annos de edade, souber lr e
escrever, e que justifique o pagamento de urna
contribuirlo annual de ouatro ducados.
Poilem ser eleitores directos, sem justificar o
pagamento de una contribuido de quatro duca-
dos, os parochos, os proicssores das academias e
dos collegios, os dontores e licenciados das diver-
sas Facilidades, os>dvogados, engenheiros, archi-
ledos, munidos de diplomas dados ou reconbeci-
dos pelo governo, os instituidores das escolas pri-
marias, e os funcionarios civis e. militares que
justificarem urna penso de 3,000 piastras, pelo
menos.
f Para ser elegivel assembla geral em toda a
loumania indistinctamente, necessaro :
1 Ser roumanholo de nascimento, ou ter re-
ceblo o titulo de naturalisacao;
2.- Ser eleitor n'uraa coramuna urbana ou
rural ;
3. Ter trinta annos de edade completos;
4. Saber lr e escrever ;
o Cada urna das communas elege um eleitor di-
recto por cada cera eleitores primarios.
A eleic* para a cmara dos representantes
ter lugar em doas grus.|
BISCDR80 00 DEPUTADO D. LON GALINDO, NO CONCHES
SO I1RSPANHOL, SOBRg A POLTICA DO GOVEHNO D8
VCTOR EMMANUELNA ITALIA.
O Sh. Galimdo : Srf deputados : levanto-me
para sustentar a causa do infortunio, para defen-
der os foros da humanidade, para advogar o poder
temporal da santa s, para expor a poltica que
enri mais conveniente nos negocios da Italia, para
Conjurar o governo a que a si,fa como cumpre ao
decoro e grandeza do nome hespanhol.
Protesto boje, como protestei ha mtiito tempo
que ao aprestar est interpellacao nao me raove
espirito de hostilidade contra o ministerio; o con-
gresso sabe e anoaneiei, vivendo arada o anterior
amisade, derramava ouro para comprar esses Ju-
das napolitanos, cujos infames nomes manchariam
os meus labios se os pronunciasse ; que lhe offere-
cia auxilios ao mesmo tempo ; que ao contempla
lo vendido por seus generaes c atraicoado por seus
vis conselheiros o atacava de improviso, c o obri-
gava a encerrar-sc em Gaeta, e ali o bombardeava
e lhe arrancava a cora, espesinhando audaz o di-
reito publico e a moralidade particular.
No augusto asylo refugio dos poderes cabidos,
dos infortunios reaes, das grandezas derribadas,
em Roma, guardavanios a Francisco II a conside-
ragao devida legitlmidade e desgrana, manten-
do a seu lado um embaixador ; tinha ouvido que
se iratava de supprmir a embalsada, e tenho vis-
to agora que nao agradeco por isto ao Sr. minis-
tro, posto que entre supprmir um lugar ou nao
preenche-lo quando est vago, nao vejo muita df-
ferenca.
O nosso embaixador ao lado de Francisco II o
protesto vivo e constante contra o usurpador, di-
zer ao mundo que em nossa nobre trra s se ren-
de culto ao direito; oroclamar que estamos
promptos a favorecer todas as eventualidades que
possam produzira queda do poder violento, tran-
sitorio, Ilegitimo do aborrecido piemontez, tyran-
no do reino de aples.
Nao ter ali o nosso embaixador mostrar j es-
quivo rosto araagestade desthronada, transigir in-
directamente com a revolucao, dar um passo que
nos aparle da legitimidade desgranada, que nos
aproxime da usurpago vencedora ; c sanecionar
hypoeritamenle que nao exislem tratados, netn f
publica na Europa, perverler o sentido moral
dos povos, costumando-os a idea de que poderia re-
conhecer-se essa grande iniquidade chamada-rei-
no de Italia.
Cousa Srs. deputados, que me aturde e pasma
lissima e na infelicsima Partenope.
Estranhareis que a crueza da defeza corresponda
crueza do ataque 1 Que a humanidade que foge
chorosa dos acampamentos das tropas regulares
nao encontr abrigo nas guerrilhas dos brigantes f
E eu disse brigantes, isto bandoleiros I Bando-
leros, bandidos I Elles, os que combatem pelo seu
rei, pela sua independencia l
Valentes Montanhezes que nas Calabrias, e que
nos Abruzzos sustentaes em guerra iraplacavel ir-
ritado o branco pavilho bourbonico, symbolo da l-
berdade da vossa patria, nao vacilis na empreza.
Que importa que voschamem brigantes^ Tamben
os miquos defensores do anno VIII chamavam bri-
gantes a nossos paes, e hoje ao pronunciar os seus
nomes, a Europa inclina respetosamente a calima
.*. ***** coi ,:t3o T^L Z. XSrHWBK""dos ^
. pressao
que tem urnas nacoes sobre as out'ras, obstis a
que continu em Turin essa monstruosa lei con-
tra a brigandagem.
Apresentae vos arrogantes, cora a arrogancia
que d a defeza do direito e da justica : nao nave-
ta no mundo um coraco generoso que vos nao ap-
plauda, que nao diga que a Hespanha tem respon-
dido aos seus altos destinos de guardadora e defen-
sora de todos os interesses moraes e religiosos.
Sobresae entre estos a conservagao do poder
temporal dos summos poratiflees; ocioso sera que
neste lugar segussemos passo passo o seu de-
senvolvimento. Permitti-me pois que s em resu-
midas phrases vos record alguns de seus princi-
paes fundamentos. Nao ha realeza quo os tenha
mais augustos que a realeza do rei de Roma : as
thusiasmo ao recordaras suas incriveis proezas.
Mas nao, Srs. deputados, nao venho hoje nica-
mente a lamentar a barbardade dos partidos que
lutam com as armas na mito, e que tem, senao des-
que nos pontfi-
ces viram seus paes e seus mestres, seus defenso-
res da estupida tyrannia byzantina e seu amparo
nas invasoes assoladoras dos barbaros. Chegava
Atila, nuncio das coleras celestes, corlando e cau-
TmSTJSSST "arfadaS'n0 d,rei-losando com o fogo a iraraunda podridao do ira-
ll?f:!Z> ?S alemd0SJustos mus, i perio romano: su vista se abatiam as mura-
1 JSSHUUtS^T ddeVer; ihaSi esedrrubava' comsiusiro es.repido as
2?*.. ^n oJT, fai'au V' dfii"" ,ieU) I?* ** fcrl.l.. o incendio orecedia-o, urna tor-
me tem feuo estremecer de horror, de horror tao
profundo, que s o experimente egual quando li a
disposigao pela qual os Estados-Unidos pagam al-
guns doltars por cada cabelleira humana, que ar-
rancada com a pe le do crneo lhe apresentam os
cagadores de Indos ; que s o tenho experimenta-
do egual, ao ler as disposigoes do governo inglez,
amontoando toda a povoacao irlandeza n'am vao de
Connangth e autorisando os orangistas para matar
como lobos ferozes sem exccpgao de croangas nem
muflieres aos infelizes, que desesperados pela fome,
de que morriara aos centenares, passavam a linha
establecida para buscarem algumas raizes para se
sustentarem.
O governo piemontez, Srs. deputados, um gover-
no que forma parte no grande corpo das nages ci-
vlisadas, acceitou e apoiou no parlamento a le"
Pieca canlra o brigandismo napolitano ; lei terrivcl
lei draconica, pela qual se cria urna junta que julga'
aos defensores da legitimidade.
E como, Srs. deputados? Valendo-se de aecusa-
goes secretas, de deelarages anonymas, e oh I ig-
nominia do seculo sem permittr testeraunhas de
defeza, sera conceder um defensor aos processados,
sem ouvir sequer aos rus I
Vos parecer isto absurdo, incrivel, calumnioso
talvez... Como, diris, urna nagao Ilustrada, com
um rei, e um parlamento lberaes, com urna cons-
tituicao em que se consignam os direitos dos cda-
dos, com imprensae tribuna livres, pode retroce-
der ao tempo dos juizes francos, ser ainda nais
barbara do que a convengao franceza no periodo
lgido do terror? E sem embargo, Srs. deputados,
o facto certo, o facto indubitavel. No parla-
mento de Turin em 12 de Janeiro passado, o depu-
tado d'Ondes Reggio apresenton urna emenda para
que a junta ouvsse aos aecusados, aos defensores
por elles nomeados, e as testeraunhas que ci-
tassem.
Pisanelh, Pisanelli, e repilo este nome para que
passe execrando de geragSo em geragao, e de gen-
te em gente, Pisanelli ministro guarda sellos per-
guntado se acceitava a emenda respondeu nao
a acceito. O demcrata Brofeno defendeu-a
intilmente com lo Ja a sua eloquencia : pode estar,
est o seu entendiraento obscurecido com erros
sem medida; porm o seu nobre corago responde
a todo o sentimento generoso. Recebara o autor e
o sustentador da emenda os meus parabens, para-
bens de um inimigo, mas que folga em fazer jusli
rente de sangue o seguia, e as cabegas dos venc-
dos entrelacadas pelos cabellos, como repugnante
adorno, golpeavam os peitos dos seus indmitos ca-
vallos. Ali est Roma, o objecto da sua cobiga,
Roma, que como imperatriz destronada se encon-
tra sosinha e sera defensores \ que assustada se oc-
culta nos templos e se acoberta com a sagrada ves-
tidura do seu pontfice, anciao, sosinho, e inerme,
porm cercado da magestade divina, se aprsenla
perante o brbaro, e o brbaro pasmado vacila, se
detem e retrocede, Roma se salva e cae aos ps do
santo pontfice.
Buscae outro reino mais legitimo do que o rei-
no dos pontfices. Buscae, examinae os annaes
da historia e dize-me que estirpes soberanas rei-
nam hoje com melhor direito. De certo nao as en-
contrareis ; e sem embargo ha quem se apellida
catholico, e que ao fallar do poder temporal o olha
como Ilegitimo na sua origem. A revolugao hy-
pocrita que gira em redor do throno pontificio e
ha alguns annos pregava reformas, a mesma
que hoje grita aboligao do poder temporal; nao o
duvideis, Srs. deputados.raanhaase ascircumslan-
ciasforem favoraveis,proclaniara impamente a ne-
cessidade de riscar de sobre a face da terraa subli-
me e immorlal instituigao do pontificado.
ver que os jornaes.que se chamara liberaes, os fo- ?a a todos; parabens raerecdissimos, porque tem
gosos demcratas vao-se conjurando em p, da Po- advogado contra um governo cruel, pela causa sa-
loma e contra aples, como se a causa deste nao Krda da humanidad
deste nao grada da humanidade.
fura quando menos to justa como a causa justsi-
ma daquelle reino.
Desgrasado povo napolitano I Promelteram-ta
liberdade, seguranga para todos os direitos e para
Porque se ali pelejam por reconstituir urna na- todas as I***, quebrar as cadeias da tyranuia,
cionalidade mora ha um seculo, que necessila ras-' ""umpho jusio da le era todas as suas manifes-
gar tratados, mudar o mappa europeu, revindicar ta5e> e eis ah o que te tem dado a revolugao ;
territorios, que anteriormente nao lhe pertenceram, ""ibunaes extraordinarios, leis penaes retroactivas,
que tinha, posto que limitada a sua autonoma, e aecusagdus anonymas, teus bens, tua huura, tu
que vislumbrava nao distante o tempo em que vida merc de iufames calumniadores; nem urna
passando por um vice-reinado ticava de facto inde- testemunha, era um deffensor, nem se quer um
pendente ; aqui se peleja pela nacionalidade nao juizque te onga.
disputada de 10 seculos, por urna dynastia legitima Srs. deputados : provincias inteiras entregues
que existe, contra urna usurpago de hontem que o a um partido como um rebanho a ara carniceiro,
tem privado do seu governo proprio, da sua legis- e isto quando o odio cega os olhos da alma, e a
lagao, da fortuna publica, que estando convencida cobiga mpoo silencio Consciencia, e a vinga-
de que aples na ha de ser seo,, quer esgotlo ga feroz ferve em todos os corages... senhor
al que o dexe sem urna goita e sen um escudo em *us cofres. sdeneia da leg.slagao e na pratica dos tribunaes
li nao ob-tante, pelos Polacos se interessam os tem podido conceDer lei mais monstruosa ?
governos e directa ou indirectamente lhes subral- Lei disse eu ? Disse mal, Srs. deputados, nao
mstrn,homensearmas,dinheiroeapoio,esePer. lei : nao podo chamar-se lei a essa nogacio de
m. tem centros directores nas capitaes das grandes toda a justica, a esse escarneo de todos os direitos
potencias, e se lhes chama, o que sao, valentes e do homem, imagera da divindade.
Que nao nos digam que para a sustentagao da
egreja e do pontificado moo de absoluta iwcessi-
dwle o poder temporal, j o sabemos. Firmemen-
te estamos persuadidos de que rom o poder tem-
poral, e sem o poder lemporal c contra o pod r
temporal, favorecidos ou perseguidos, ostentndo-
se a cruz sobre imperiaes coras ou signal de in-
fame supplicio, a egreja substituir nqnebranta-
vel, e ioquebranlavel subsistir o pontificado, em
quanto em revolto turbilhao passro anle elles
os lempos e os successos, as cousas e as geragoes.
Nao, nao passaro a egreja e o pontificado, por
que nao passa a palavra de Deus que lhes promet-
'eu a perpetuidade at a consuiiunago dos secu-
tes.
Porm, ai dos thronos no da em que o do sobe-
rano pontfice, base e apoio de todos, se derrube
tombado pela ruma da egosta diplomacia I ou pelo
impulso feroz da revolugao I Ai da Europa no
dia em que completamente despojado o vgario de
Christo, fuja da escravidao disfargada dos res pro-
tectores e se aliaste de Roma I Chavo do ediGcio
magestoso da civilisago europea, com elle se der-
rubara thronos e civlisages, e sem norte e sem
doutrina, e entregues os povos ao sophisma o du-
vida, sero fac presa da forga bruta que se en-
thronisarcomo senhor ao fragor de mil canhes e
ao teir de um milho de bayonetas.
O poder temporal necessario.nao para a existen-
cia do chrstanismo.que durar tanto quanto du-
rem as edades, mas sim para a sua maier propa-
gago, para seu justo assento,fiara o harmnico con-
cert de suas jerarchias, para as ordenadas rela-
goes enire os liis, e para regular geslo dos inte-
resses catholicos, para que haja um ponto na trra,
patria commum de todos os christaos, para que o
De urna correspondencia de Pars extratamos o
que segu :
A grande noticia agora, ou melhor o grande as-
sumpto das conversacoes a admirago parva, e
as nao menos miseraveis demonstragoes da Ingla-
terra em favor de Garbaldi.
Ellas sao urna prova do abaixamento moral des-
se paiz.
Em verdadej) que Garbaldi, o que aprsenla
elle admiragao, nao digo dos catholicos, mas dos
homens cordatos e honestos ?
E' ter invadido a Sicilia c depois aples ? Em
primeiro lugar, a historia chamar essa invasao
urna injustiga clamorosa contra o direito das gentes
Mas, emflm, o proprio crime quando traz o cunho
da audacia, da dedicagao ou do genio acha mais
fcilmente escasa.
To grande capitao foi Cesar em suas guerras
das Gallias, quo quas se tem esquecdo quanto era
injusta essa guerra.
O valor d'Annibal cobria sua perfidia.
Mas que dos feitos de valer, que da magna-
nimidade, que do genio, que dos triumphos
que faro perdoar ao general de Caprera o que tem
de criminoso suas expedicoes '
A de aples, elle mesmo o declara, fra impos-
sivrl sem os inglczes; sem estes elle nao teria po-
dido atravessar o eslreito de Messtna.
tudo?
Nao.
Quando elle atacoa as tropas do infeliz rei de
aples no Garigliano, estava batido, esmagado,
se os piemontezes mais despresives anda, por que
tinham demais a hypocnsia, nao vessem bem de-
pressa preserva-lo de urna completa derrota. Esse
hroe de um geuero al a ni desconhecido, ousa
depois medir-se em Aspromonle com um exercito
regular; mas todo o mundo sabe que gloria elle
ali ceifou.
Mas Garbaldi o inimigo jurado, o inimigo bai-
xamenle insultador de lulo o que catholico.
Em suas abomlnaveis proclamagoes tem ultra-
jado o augusto Po IX! Elle langou este grito
infernal : preciso extirpar o papado; c preciso
acabar com esse padre de Roma!
Eis o seu grande titulo a admiragao dos revolu-
cionarios, dos socialistas, dos homens perdidos e
dos ioglezes. Eugano-me ; ha aiada para a Ingla-
terra outros motivos para victon'ar Garbaldi: este
um inimigo gadal da Franga ; gabou-se de ter
mergulliado seus dous brages no sangue francez a
acaba de declarar como mestre e seu amigo fiel
Mazzini, o homem das bombas e dos punhaes en-
venenados.
Fez una sade Mazzine, e os inglezes o accla-
maram.
Comprehende-se.
Eiiilim Garbaldi una das personficagoes da
revolugao cosmopolita ; e s ibe-se que a Inglaterra |
a fomentadora eterna das revolugoes nos outros
paizes. Viva pois Garbaldi I viva o homem que
sabe se glorificar de ser o discpulo, o amigo de
.Mazzini, de um assassino que nem sequer tem a
coragem de Ravaillac.
Que nagao a que ousa olTerecer um triumpdo
quasi real a seraelhante hornera I
Infelizmente o enthusiasme foi cortado pela re-
pentina partida do condoliere que nao se sabe por
que, recolheu-se soa concha de Caprera, dexan-
do os inglezes e sobre tudo as inglezas, completa-
mente desorientadas.
Parece que ia com tengao de ajuntar dinbeiro
para suas novas emprezas; mas nao sahiu o nego-
cio como desejava.
Os insulares da Gra-Bretanha foram mais prdi-
gos de apertos de mo, que de libras sterlinas.
O mal apparece de todos os lados.
O homem inimigo semeou asizania raaos cheias
no campo do pae de familia.
No entanlo boa a messe ; e mais abundante,
que nunca as bellas obras e os grandes pensa-
mentos.
pontfice pos3a exercer cora completa Independen-, ^s ?
A bandeira da religiao, da verdade e da virtude
que a mesma cousa, va sendo gloriosamente as-
teada, e muitas vezes quando os inimigos gritam
victoria que elles soffrem as mais rreparaveis der-
rotas.
Nao esqupgaes, senhor, nao esquegaes um s
instante, que seria extremamente mal julgar da si-
tuaco religiosa da Europa, em Kranga sobre tudo,
referirse aos jornaes.
O grosso da populaco nao lo jornaes, e entre os
leitores das mais folhas, avultado numero nao par-
tilba os odios impos dellas.
Em summa e apesar de ataques inauditos, o ca-
tholicismo avanga.
De todas as partes levantam-se egrejas; reappa-
recem as ordens religiosas com aquella pureza e
vigor que tinham ao nascer ; o amor Santa S
penetra os corages: o clero se multiplica e recon-
quista o sceptr da sciencia que tanto tempo em-
punhou : o episcopado torna-se um poder augusto
sobre o qual os reis se apoiam com confianga ; o
protestantismo se dissolve: o oriente se abre ao
Evangelho e orochedo tao violentamente batido vae
daqni pouco mostrar mais urna vez que inaba-
lavel.
Pena fra, se perdendo importancia entre nos as
doutrinas do racionalismo e diminuindo o espirito
de hostilidade para com a egreja, no Brasil, nacao
catholica, nago joven ainda e vigorosa, se inoca-
lassem raais e mais essas tristes paixoes que tanto
mal nos tem feito I
A egreja nao pode obrar se nao o bem e o bem
que ella far sociedade, estar sempre em rela-
go com a liberdade que ella gozar.
Que podis pois esperar desses decretos oppres-
sivos que vem obstar a liberdade do ensino eccle.
siastteo ?
A que se chegar se nao a crear um clero in-
completo, giioraute, incapaz de oceupar na socie-
dade o lugar que lhe assigna.n suas sublimes func-
Ah I que nao sabe qaanto en soffro, nao ;
Eu rio, mas que importa se o meu riso
E' Ungido, nao sae do coragao ?
E soffro tanto, e nem ao menos posso
Livre deixar a lagrima correr;
Mas.. chorar ?.. para que ? se o mando m*e
De mlln, tyranno, vinha escarnecer .'
E a amo tanto, e a sedutora virgem
Por quem de amores vivo a suspirar,
Nem ao menos se digna compassiva
Era recompensa dar-me era sea olhar '
Oh! sim um seu olhar era bastante
Para m.m que s vivo entregue a dr ;
E esse olhar a vida me iraria
Como a Lzaro a voz do Redemptor !
Ser delta e della seis meo desejo
Toda a minha ambigao, meu ideal;
Perm tudo debalde,as minhas dores
Eis somente o que encontr, o qae real!
Por ella as noites de vigilia passo
Por ella sorvo pouco pouco o fel;
E eu, ra incebo que aspirava gloria
S na campa diviso o mea laurel I
Que venha a morte e morrerei contente
Ao Creador minha alma entregare!;
E como Christo morrerei sem odio
E sua mao homicida bemdrei t!
L-se na Estrella do Norte o seguate :
OS MA10I1ES HOMENS TEM SIOO RELIGIOSOS.
Pode dizer-se que ha dezoilo sculos entre os
homens eminentes de cada am delles, nao tero ha-
vido um incrdulo era cada viole.
Entre este pequeo numero de incrdulos ainda
se pode afiirmar que a raaior parte delles nao fo-
ram constantes em sua increduldade, e se refu-
giaran antes de marrer nos bracos dessa reigio
que haviara blasphemado. ontam-se entre outros
nao poucos dos cabegas da escola vollareana no'
ultimo seculo, Montesquieu, Buffon, la Harp, etc.
O mesmo Vollaire, enfermo em Paris, mandn
chamar o cura de S. Sulpicio um mez antes de
seu fallecimenlo. O perigo passou, e com o perigo
o temor de Deus. Veiu porm urna seganda crise ;
os amigos do impo accorreram... O sea medico,
lesterauaha oceular, nos atiesta que Voiuire pe-
dia de novo os soccorros da religiao.... mas desta
vez foi em vo ; nao se consenta qae o padre pe-
netrasse at ao moribundo, o qual expirou em
horrivel desespero!
D'Alerabert quiz egualmente confessar-se, mas
foi impelldo, como o havia sido seu mestre, pelos
philosophos, que lhe cercavam o leito. Se dos
aqui nao estivessemos, dizia ara delles, ter-se-hia
retratado como os outros !
Que valor moral teem pois estes homen ? e
que prova a sua irreligi.io, principalmente se lhe
oppozermos a f esclarecida dos maiores sabios,
dos mais profundos engenhos, dos homens mais
veneraveis que ha apparecido sobre a Ierra ?
A f, notae-o bem, impunha-lhes como todo
os homens constrangimentos desagradaveis, deve-
res que era mster submetterem-se. So a eviden-
cia da verdade do christianismo pode determinar
a sua adhesao.
Nao fallaremos desses admiraveis dontores, que
a egreja chama os santos padres, e que qaasi o
ram os nicos philesophos, es nicos sabios, dos
quinze primeiros seculos, taes como Santo Athana-
sio, Santo Ambrosio, S. Gregorio o Grande, S Je-
ronymo, Santo Agostinho, S. Bernardo, S. Thomai
de Aquino (o homem mais prodigioso talvez que
jamis existi), quantos nomes magoifleos nao con-
ta a religiao na lista de seus filhos ?
Rogeri Bacon, Copernico, Desearles, Pascal.
Malebranche, d'Aguesseau, Lamognon, M.itibi-u
Mole, Cujas, Domat, de Maistre, de Bonald, ele...
entre os grandes philosophos, jurisconsultos e sa-
bios do mundo;
Bossaet, Fnelon, Bordalone, Massillon, entre o>
grandes oradores;
Corneille, Hacine, Dante, Tasso, Boileau, Cha-
te.uihriand, ele., entre os Iliteratos e poeta.
E as nossas glorias militares nao sao pela maior
parte glorias religiosas ? Carlos Magno nao era
christao? Godofredo de B milln, Tancredo, Bayard.
Du-Guesclin, Joanna d'Arc, Grillon, Vaoban. Villa-
res, Catinat, etc., nao curvaran suas frontes glo-
riosas, cingidas dos laureis de mil victorias, diante
da religiao ? Henrique IV, Luz XIV, eram chris-
t5os : Turenne era christao ; havia commungad >
mesmo no dia da sua morte. O gran le conde era
christao. E sobranceiro todos, S. La, esse ver.
dadeiro hroe, esse homem tao amavei c to p^-r
feito, a glorii da Franca, e simultneamente da
egreja.
ca o seu poder espiritual.
Continuar-se-ha)

Elle nao passar de um sal sem sabor, sem ac-
go, bom s para ser calcado aos pos, e o Brasil
aprender por urna dolorosa experiencia quanto
verdadeira esta palavra to bem citada por vosso
eloqueiite bispo: Um estado se glorifica com tudo
o que elle concede reliuta.
OH POUCO DE Tl'D.
Do Jornal Amusant traduzimos :
Se o senhor quer ter ovos todos os dias, eu o
aconselharei que nao tenha dessas gallinbas.
Por que ento ?
f Por que as gal.inhas inglesas nao poera aos K ttZSSfg"'
Sou qual estatua que embalaitea o vento
i Que no entanlo se conserva era p !
.' do Sr. C. A. Monte!ro esta poesa :
domingos.

Todos saben os sentimentos do grande Napoleo.
relativamente religiao. Nos transportes da saa
ambigao e podero, b->m sei que desviou-se muito
das regras e dos deveres pralicos, que a mesma
religiao impoe : mas conserva va a crenga e o res-
peito della.
Eu sou christao catholico romano, dzia
elle meu filho egualmente o ; grande pezar te-
ria eu se meu neto deixasse de o ser. O maior
servgo que liz Franga, accrescentava elle, foi
restabelecer nella a religiao catholica. Sem a reli-
giao ijue seriam os homens ? Dcgollar-se-hiam
uns aos outros pela mulher mais formosa ou pela
pera maior I
Quando na i I ha de Santa Helena se acha va sosi-
nho, punha-se a meditar na jem que fura instrui-
do na infancia ; e Napoleo, em seu perspicaz en-
genho.julgava a f catholica verdadeira e santa.
Elle pediu religiao as suas supremas conso-
lagoes....
Mandou chamar um padre catholico, e assistia
missa celebrada na sua residencia. Recominen-
dava ao seu cozinbeiro, que nao servisse alimentos
de carne em dias de abstinencia; fazia admirar os
companheiros do seu desterro pela energa com
queexpunha as doutrinas fuadamentaes do calho-
licismo.
Estando prximo morte, despedio os mdicos,
mandou chamar o padre Vignali, seu capello, e
lhe disse :
Eu creio em Deus; nasci na religiao catho-
lica ; quero cumprir os deveres que ella impoe e
receber os soccorros que administra....
O imperador conlessou-se, recebeu o sagrado
Viatico e a Extrema-Ungo.
Sou venturoso por haver cumphd os meas
deveres, disse elle ao general Montholon Desojo,
general, qae em vossa morte tenhaes egual ven-
tura... Durante o lempo que estiva no throno, nao
prat.quei a religiao, porque o poder deslumhra os
homens. Mas sempre conserve! a f. O loque dos
sinos alegrava-me, e a vista de am padre romtno-
via-me. Eu quera fazer "om mysterio de ludo isto.
mas seria isso fraqueza.... Quero dar gloria a
Deus ..
Elle mesmo depois ordenou que se lhe arma<-
um altar na cmara contigua, para a exposico do
Sanlssimo Sacramento, e se recitaren as preces
das Quarenla-horas.
Assim morreu Napoleo como christao.
Nao recejemos, pois enganar-nos a tal respeiio de
todos estes grandws homens, cujo numero, sciencia
religiosa principalmente valor morar, sobrepujan
mil vezes o pequeo numero de alguns que des-
prezaram o christianismo.
O orgulho, a paixao da sciencia profana que in-
teiramenle os absorvia, outras paixoes ainda mais
violentas e raais vergonhosas, sao razoes mais qne
snfflcientes para explicar a soa increduldade; ao
passo que a veracidade da religiao pode s por al
nos o re.petimos, fazer inclinar a fronte dos outros
sob o jugo sagrado do catnoliosmo.
IPERNAMBCO. -TYP. DE M. F. DE F. & FILHO




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EL000WQVF_D3N4UI INGEST_TIME 2013-08-28T03:06:23Z PACKAGE AA00011611_10412
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES