Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10411


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
^1BHMHVM
AIVUO IL H0MEB0 155.
Por tres nezes adiautados 5$00
Por tres Mezes vencidos 6J00
Porte ao correio por tres mezes. 0750
>*JI3 hil*
, oi^ifl

iT*

SABBABO 9 DE JDLHO DE 1864.
Por auno adiantado.....49S00O
Porte ao correio por om anno 3$000



NCARREGAD03 BA SUBSCRiPgAO NO NORTE
t
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrno de Lima
Nata!, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty,
3r. A. de Lemos Braga? Cear, o Sr. J. Jos de
Oiiveira; Maranhao, o Sr. Joaqun Marqnes Itc
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL-
Alagdas, o Sr. Claudico Falcao Das; Babia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino.
PARTIDA IX ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os das.
Iguaras.su', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhunas tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sennnaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
liba de Fernando todas as vezes que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi dia.
EPHEMERJDES DO MEZ DE JLHO.
3 La nova as 10 h., ."i m. e i: s. da m.
12 Quarto cresc. a 1 h., 26 m. e 14 s. da m.
19 Lna cheia as 4 h., 15 m. e 14 s. da m.
25 Quarto ming. as 6 h., 26 m. e 8 s. da t.
PREAMAR DE BOJE
Primeira as 7 horas e 42 minutos da manhaa.
| Segunda as 8 horas e 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORE COSTEIRO.
Para o sul at Alagas a 5 e 25; par* o norte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes de jan. marc., maio, jul, set enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipucos as 6 /2,7, 7 V, 8 e
8 '/i 4a m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboato s 6'/ da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemtica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 Vi *, 'A, 4 Vi,
B, 5 A- 5 Vi e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4>/,da tarde; para Jaboato s 4 da tar-
de -, para Cachang e Varzea s 4 V* da tarde; para
Bemfica s 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPTAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relaco: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
DIAS DA SEMANA.
4. Segunda. S. Isabel raiuha de Portugal vinv
5. Terca. S. Philomena v.; S. Trinaa m.
6. Quarla. S. Domingas v. m.; S. Isaas prof.
7. Quima, s. Puleheria v. imprratrh.
8. Sexta. Ss. Procopio e Priscilla mm.
9. Sabbado. Ss. Cyrille e Bricio bb.
10. Domingo. S. Silvano m.; S. Bianor b.
ASSIGNA-SB
no Recife, em a livraria da praca da ladependenc ia
ns. 6 e 8, dos proprietaros Manoel Figceiroa d-
Faria & Filho.
PARTE QFF1GIAL
govhuio da provincia.
Continnaro do eipedienle do dia o de jnlho
de 1864.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazenda.
Militando acerca dos pagamentos constantes da in-
meu offlcio do 1 do corrente tenho a declarar respeito, diz qua Ihe afflancara que nao ha inau-
V. S. que deve ser posto em liberdade o recruta guraco solemne. Parece, porm, que a imprensa
Jos Moreira da Silva, visto ter sido considerado ser convidada, em occasio opportuna, a percorrer
incapaz do servico em inspeccao de sade, segn- e examinar a liona. Nao homenagem que se
do constou do seu offlcio n. 72.
Dito ao mesmo.A, V. S. ser apresentado o re-
cruta de marinha Antonio Francisco de Paula pa-
ra que Ihe d o conveniente destino depois de ius-
ieccionado.Communicou-se ao Dr. chefe de po-
icia.
Dito ao commandante do corpo de polica.P-
lhe nao deva, e a que ella nao tenba tal oti qual
direito pelos altos servicos que tem prestado nessa
crusada doprogresso.
E como fallamos em estrada de ferro, registrare-
mos um lerrivel desastre, o de maor importancia
que se tem dado nesta parte da estrada de for-
ro. Foi na tarde do dia 3, prximo villa doPom-
bal. lima locomotiva que conduzia materiaes e
trabalhadorcs, sahio dos carris. Os trabalhadores,
assustando-sc, saltaram para fra, e cahindo al-
0 movimento do hospital desde 1 de junho de Pela resolucao tomada pelo governo de arrendar
186.1 31 de maio ultimo, foi o seguinte : o theatro, fazia crer que se havia lomado em consi-
Naquella primeira data existan) na enfermara [ deraco o theatro do Porto e remover as dilkulda-
dos hotnens 3 doentes, e na das mulheres 17. En-, des que semprco tem prejudicado, mas infelizmente
traram durante o anno 71 homens e 13b mulheres.
Dos primeircs falleceram 9 e das segundas 16.
Existiam em tratamento em31 de maio 11 homens envolveu nella todos os empregados no theatro I A
e 16 mulhere:
parece que ludo lem de caminharcomo at agora !
A empreza lyrica sumo-se! Fez bancarrota, e
Lldeiunho ultimo, de que se Ihe remenea copia ?o de sade, segundo V. S.declarou em seu offl- guns debaixo das rodas, resultou ficarem quatro
io n. 314 desta data, que fica assim respondido.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
V. S. recolher aos armazens desse arsenal afim de
terem a conveniente applicaco os artigos mencio-
nados na relaco inclusa, os quaes estavam car-
go do hospital militar e foram dados em consum-
a vez que estejara em termos nio.Communicou-se ao brigadeiro commandante
volvo elles relativos. ; das armas.
Dito ao lente coronel recrotador.Receb o
seu offlcio desta data e em resposta tenho a decla-
no 1" do corrente mez mandar que fique de ne-
niiiiin effeilb o de 18 de maio deste anno sob n.
42 i, que considerou procedente o recurso nterpos-
to por essa thesouraria sobre pagamento da des-
pesa com luses guarda da cadeia da villa de Bar-
reros, recommendo V. S. que mande effectuar
esses pagamentos urna
os documentos que de
Relaco dos pagamentos a que se refere o offlcio
do Exm. Sr. presidente da provincia dirigida nes-
ta data ao inspector da thesouraria de fazenda.
A Jos dos Santos Neves, indicado para esse din ;
pelo chefe de polica em olflcio n. 467 de 16 de
abril ultimo a quantia de 785350 ris relativa ao
correnle exercicio e proveniente do aluguel da ca-'
sa que servio de quarlel ao destacamento de 1" li-;
nha estacionado em Pedras de Fogo e com o for-
necimento de luz c gua para o mesmo quartol a
contar de 5 de abril do anno prximo passado at
mortos e tres feridos gravemente.
Segundo os jornaes de Coimbra, a voz publica
attnbuio o sinistro rudeza e incompetencia do
machinista e do conductor. As autoridades do
Pombal foram chamadas ao lugar do sinistro e fize-
ram o competente exame para averiguar se have-
ria culpabilidad'4, porm nao poderam conhecer a
causa do succedido.
Sahio da s cathedral, no dia 28 do mez passado,
pelas 5 horas da larde, a procisso do Corpo de
rar-Ihe que dos recrutas Theophilo Alves da Silva DeUS) qUe rompa como costume, com oS. Jorge,
e Antonio Francisco de Paula que V. S. poz mi- seguido de seu estado que se compunha de sete
ha disposico raandei soltar o primeira e entregar cavados, e do esquadrao de cavallaria da guarda
ao capito do porto o segundo aura de servir na municipal, que Ihe formava a guarda de honra,
marinha. De anno para anno vai decahindo mais e mais
Dito ao director da reparticao das obras publi- esta procisso, e de tal forma que urna vergonha
cas.Mande Vmc. por a disposico do capito te- para o Porto apresenta-la na ra to |K>bre das
nenie da armada Giacomo Raja Gabagli um dos suas pompas de nutro lempo I
desenhistas dessa repartico alim de copiar os Nem um cavalleiro, nem om commendador das
a de 24J836 ris per- desenhos que Ihe forem dados por aquelle offlcial differentes ordens acompanhava a procisso apesar
tencente ao exercicio ja encerrada dfi. 1862 1863 relativamente aos estudos de que se acha elle in- do vulgo Ihe chamara procisso dos fiduigosl
para ser satisfeita quaaddhovr crdito cumbido pelo governo imperial. Coinraunicou-se E as ordens terceiras e as confrarias vo-lhe
Ao lente JSTB Rmq Barros, conforme ja se ao predito caplao lente. seguindo o trilho. Este anno apenas compunha a
se reconyfSndou em offlcio de 26 do cilado mez Porlaria.-O presidenteidai provincia, altendendo procisso a confrana do bantissimo Sacramento de
de^firTta de 1205 corresnondente ao aluguel, ven- ao que reiuereu o BWriTOO de orphaos do termo da S. Nicolao, as irmandades de Santa Luza, de Nos-
Sanos mezes de dezemb?" i na?^i dile anno, Escada Joo Carlos Cavalcante de Albuquerqu* re- sa Senhora da Capa, do Terco e da Trindade, al-
da casa uue na villa do Cabo servio de quarlel ao solve conceder-lhe 6 mezes de licenea para tratar guns clrigos e professores do seminario, os meni-
resnectivo destacamento de sua s'le. nos orphaos e a cmara ecclesiastica II
Ao eaoitao'do 4" bataho de artilharia ap An- Dita.-O presidente da provincia, attendendo ao E isto no Porto, onde ha tantas irmandades e
tomo Lata Duarte Nunes a quantia de 17*200 des qoe requeren Antonio Symphronio Rodrigues Luna, confrarias !
pendida com o fornecimento de luz para o quarlel guarda da casa de detencao resolve conceder-lhe Autoridades civis, e judicianas, nem urna se
do destacamento de Trombetas desde 10 de marco 3 mezes de licenea com ordenado na forma da le quer !.....
at 29 de maio do corrente anno, e ao alferes Tibe- para tratar de sua saude onde Ihe convier. | A cmara municipal, que havia fe o o costumado
Dita. O Sr. gerente da companhia Pernambu- convite, a representada pelo presidente o br. vis-
cana faca conduzr para a capital da Parahyba por conde de Lagoaca, e pelo vereador o Sr. Raymun-
conta do ministerio da guerra no primeiro vapor do loaquim Martins e secretario e r>fflcial
3ue seguir para o norte, 17 bandas de laa que o maior I.......
rector do arsenal de guerra tem de remetler ao Levava a custodia o Exm. bispo da diocese, pre-
corpo de guamieo d'aquella provincia.-Coramu- cedido pelo cabido.
nicou-se ao director do arsenal de guerra. A tropa nao formou alas pelas ras do transito.
Dita.O presidente da provincia, resolve de con- servindo de desculpa a esta falta o ser pouco nu-
formidade com o art. 3." do regulamento da escola merosa a forca que compoe a guarnico da cida-
norinal de 28 de junho ultimo designar o mestre
da mesma escola baeharel Maximiano Lopes Ma-
chado para servir o lugar de secretario.Fizeram-
Na enfermara dos entrevados ha 10 homens e
11 mulheres.
Acham-se no hospital 28 particulares.
O Sr. Jos Januario Teixeira Leite de Castro, juiz
da relaco ao Porto, deve brevemente responder
ultima recita de assignatra' lamben) foi sumida
aos assignanles; teudo porm, estes a fortuna de
rehaverem o dinheiro correspondente a ella, por!
que parava anda na mao do camaroleiro, e este
o fez distribuir a quem ue direito pertencia.
Todos perderam, porque ficaram logrados os can
O acusado acba-se interinamente suspenso do perdeu o producto de seu trabalho mas tambem o
exercicio das suas funcebes de juiz. custo do gaz, pelo qual eslava responsavel I
No dia 4 poz-se ponto as aulas medico-cirurgi- Alguns dos cantores j se retiraram, e os poucos
ca desta cidade. Em 6 principiou o encerramen- que se acham anda por aqu tomaram a resolucao,
to das matriculas, e depois de amanha devem co- louvavel e generosa de darem tres ou quatro reci-
tas, sendo a primeira para complemento da assig-
mecar os actos do presente anno escolar as dif-
ferentes cadeiras.
O bataho de cacadores n. 1 deixou de fazer
parle da guarnigo desta cidade, embarcando para
Setubal no dia a do corrente, no vapor Ide guerra
Mindelto. A forca de linha ficou reduzida aos re-
gimentos de infantaria ns. 5 e 18, e a um desta-
camento de cavallaria.
a primeira para
natura, e o producto das outras para ser proporcio-
nalmente dividido pelos credores da empreza I
As operas escolhidas para se cantarera nestas re -
preseniacoes parece que sao o Trovador e a Lucre-
cia Borjia
E' vergonha, e nao pequea, que a empreza le- yj^
I S? ?s."2? ao Pnt0 de for?*r-OS.can^re.a.?,!; E- ido e approvado o seguinte parecer :
PERWAMBCO.
ASSEMBLEA PROVINCIAL.
SESSO ORDINARIA EM 4 DE MAIO DE 1864.
PRESIDENCIA DO SR. CO.NSELIIEIItO TRIGO DB
LOUREIRO.
As 11 ,'i horas feita a chamada e achando-se nu-
mero legal de Srs. deputados abre-se a sesso e
lida a acta da antecedente approvada.
O Su. lu Secretario d coala do seguinte
EXPEDIENTE :
Um offlcio do secretario do governo, remettendu
a nota dos proprietaros que moram em oas pro-
prias casas conectadas pela cnllectona do Ro-For-
moso.A' quem fez a requisico.
Outro do mesmo, remetiendo as informacoes mi-
nistradas pela thesouraria provincial, acerca do re-
querimento de Francisco Pereira de Carvalho.A'
commisso de obras publicas.
Urna petiyo de Alexandrno Martins (forrea de
Barros, pedrado urna indemnisaco de 5*000 por
cada braca de empedramento feito por elle na es-
trada da Victoria.A' commisso de obras pu
rio Olegario Cesar Burlamaquc a de 2980 ris
proveniente de igual fornecimento no mez de ju-
nho ultimo ao desiacamento de Nazareth. (Olflcios
ao brigadeiro commandante das armas ns. 1,116 e
1,169 de 21 de junho e 4 do corrente.
Ao capito Manoel de Azevedo do Nascimento a
quantia de 13*800, correspondente ao aluguel da
casa que servio de quarlel ao destacamento da vil-
la de Flores e ae fornecimento de luz para o mes-
mo quarlel no mez de Janeiro deste anno e bem as-
de 205200 que foi deduzida da de 40*400
Tambera fallecen as proximidades de Ponte de' cil s futuras emprezas contratarera bons artistas,
Lima, o Sr. Francisco de Abreu de S Coutinho, i porque as escripluras, pelo que se v, sao foi ha
de
sun a ue zusaiu que
que despendeu desde junho at dezembro do anno
prximo rindo, com igual fornecimento ao predito se as necessanas commumeacoes.
quart.'l. (Offlcos do brigadeiro commandante das -
armas de 27 de maio n. 961 e 963). Expediente do secretario do governo do da b
A Claudio Dubeux na qualidade de procurador de ;|h0 jt. ^S6i.
Alexandre Maria Barbosa da Silva a quantia de | 0fB(.0 ao bri(:auero commandante das armas.- Mlf de aur
60* em que imporlou o aluguel a contar de julho
dezembro ullimos, da casa que na villa do Pao comraunjco y. Exc. que "oeeta dala auiorisou-se
d'Mtio servio de quarlel ao respecliro dc.-tacamen- Q airector do arsenl de guerrla a satisfazer o pe-
to e a que Serefere a informacao da thesouraria de d(j0 Ao commandanie da fortaleza do Brnm, a que
allude o offlcio de V. Exc. n. 1179 de 5
rente.
abastado proprietario e chefe de urna das mais il
lustres familias dodistricto de Vianna.
O lempo tem corrido muilo irregular. Nestes ;
ltimos quinze dias tem havido amostras de todas
as estaces, nolando-se at n'ura mesmo dia tres e
quatro mudancas na athmosphera. Tem chovido,
ventado, feilo calor e nevoa, e era quasi todos os
dias ao anoitecer trovoada.
Na noile de 31 do mez passado cabio copiosa
chuva, que causou que causou grandes prejuizos na
ra da Biquinha. O enxurro penetrando em algu-
mas lojas, subi a altura de cinco palmos. A fa-
brica de refinaco de assucir do Sr. B.-rnardo Ro-
drigues da Silva, e os armazens de drogas dos Srs.
Jos Gomes de Araujo e Antonio da Fonseca Mou-
ra foram os que mais sofferam.
Na ra de S. Joo penetrou a agua na loja de
mercearla do Sr. Jos Pinto de AlraeiJa causando-
de I O Sr. general Ferreira, commandante da di- i llie um prejuizo de mais de 80*.
O grande volume de aguas arrastou do largo de
fazenda n. 240 de 13 de maio.
Ao capilo Antonio Cabral de Mello Leoncio a
quantia de 32*850, despendida nos mezes de julho
dezembro de 1863 com o fornecimento de luz
para guarda da cadeia de Ouricury. (Olflcio da
thesouraria de fazenda n. 243 de 14 de maio.)
A Joaquun Elviro Alves da Silva a quantia de
15*120 era que importaran) as despezas fetas
com igual fiirnecimento para a guarda da cadeia
da villa de Barreinw nos mezes de Janeiro a marco
dusle anno. (Olflcio do chefe de polica u. 472 de
18 de abril). i
A Antonio Marques Santiago, a quantia de
50*960, despendida com o fornecimento de luz e
agua a cadeia de Olinda desde novembro do anno
prximo passado at abril ullimo. (Olflcio do che-
fe de polica n. 640 de 31 de. maio subsecuente).
A Justino Eugenio Lpavenere, na qualidade de
procurador de Francisco Leiio da Silveira a quan-
tia de 13*650, -
visao, tambem nao cumpareceu. Fez as suas vezes
o coronel de infantaria 18. O general est velho S. Domingos e ra de S. Joo muito saibro e rea
e doenle, e por isso tem a sua desculpa. I que ficou agglomerado no caes da Ribeira.
Houverara as descargas e as salvas do estylo ao as Caldas de Vitalia houve na tarde do dia o
reculher da procisso, seriara 8 horas da tarde. j urna grande innundacao causada pela chuva. Ura
As ras do transito estavam cheias de verdura e cano que passa por baixo da alameda, nao poden-
v..)pavesadas de auriflamas e galhardetes, e as do dar vaso ao immenso volume de agua, arre-
Olflcio ao brigadeiro commandan e das *rmu.- janeas guarnecdas de CODer,ores a setira. bentou, innundando a alameda, os banhos, e as ca-
De onlein de S. Exc. o Sr. presidente daproviDCia As dainjs luenses vaslUm de ga|a,, jostra- sas terreas prximas a Lameira. Estas auas jun-
inico a V. Exc. que oeeta dala auionsou^o; vaaj_st raJiantes ^ vda> enchendo as sacadas | lando-se cora as que pouco depois affluiam do laJo
e vagueando pelas ras, as quaes se tornava quasi; de Guimaraes, removeram a trra de muitos cam-
do"cr- 'n,Possivel_transitar. pos, destrnindo as sementeras, e derribando arvo-
Sao to "progressivos os adianlamentos na obra j res e acudes. Quasi todos os banhos foram innun-
do palacio de crystal, parque e jardins annexos, dados, Meando impossibiltados de servir por alguns
que o visitante pasma ao contemplar aquelle gran-: dias.
fazer dea do borborinho, da con
Por sentenca do tribunal do commercio do Por-; cisao que tomaram para anganarem raeios para o t A commissao dti po|ic examinando as diver-
lo, de 2 do corrente, foi declarado em estado de seu transporte e soccorrerera aquelles a quera ella, | sas propo^as apreSentadas para a publicaco dos
quebra, desde 4 de maio ultimo, o commerciante com lao pouco escrpulo, fez victimas da sua, traba|hos desla assembla, reconheceu que a do
desta praga o Sr. Antonio Braga. bancarrota, sunegando-lbe a rerauneracao contrata- ,achvgrapno (;ar|os Ernei;l0 de Mesqui,a h[eio,
Falleceu nesta cidade, victima de urna prolon- da pelo seu trabalho e que era para todos o nico : a majs vanIaem offerece. a commisso ,
gada enfermidade, o Sr.. Joo Marinho Alves, rico recurso ceno e que tinham jus a exigir. | de parPCer que ^j, acCt.iIa a proposia do re-
e considerado capitalista que em lempo residi na : D aqu provem descredilo para o muso theatro ferjdo Fa|,.a e proadas as c|ausu|as annexas
Bahia. e para o Porto. Cora factos taes, ha de ser difB- ao conlr:ito que *,& tem de ser celebrado.
Sala das commissoes, 3 de maio de 1864.
Dr. LoureiroBuarque.Ferreira Jacobina.
Sao lidas e approvadas as redaccoes dos projei-
tos ns. 73 e 93.
E' lido o parecer da commisso de polica acerca
do contrato feito com Carlos Ernesto de Mesqnita
Falcao, para o apanhameulo e publicaco dos de-
bates da assembla.
O Sr. Nabom pede a palavra, pelo que fica
adiado.
O Su. Jacobina requer urgencia, a qual vo-
tada.
O Sr. Nabor justifica e manda mesa a segnime
emenda, que apoiada :
Requero que se eslipule no contrato urna con-
dicao de ser o contraanle obrigado a apresentar
mais um tachygrapho as sesses diarias para tra-
duzir os discursos, proporcao que forem sendo
apanhados.S. R.Nabor.
Vai mesa a seguinte emenda da commissao :
Accrescente-se as clausulas ser obrigado
mort3, que nao d solidariedade neiihuma aos
contratos I
As ultimas recitas da eompanhia lyrica foram
com a opera L baile de Mascaras, cantada pelas
damas Lafoo, Garulli e Fabrini, tenor Limberti,
bartono D'Antoni, e baxos Marinozii e Taglia-
pietra.
O desempenho desta opera, era que ha trechos
de msica repassa dos de sublime poesa, foi ma-
gistral por parte de todos os cantores, que foram
constantemente vicloriados, e com jusliga.
Deu, na noile 5 do corrente, no theatro de S.
Joo o seu concert de despedida ojoveo violinista
Francisco Pereira da Costa, que vai ao Rio de Ja-
neiro colher novos luiros para entrelazar na sua
cora de artista, j to mimosa delles.
O talento recoce do jovea violinista, qne estu-
dou no conservatorio imperial de Pars, e que cus-
tou tantos e to constantes sacrificios a seu pai o
Sr. Tliomaz Pereira da Costa revela-se por urna fornecer 40 exemplares do jornal em que se "tizer
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIAS RO DI
RIO RE PERXAHIRIJCO.
POHTO.
11 de junho de lSGi.
(Conclusao )
Os subscriptores dos seguros mutuos de vida do
banco L'nio reuniram-se em assembla geral, pela
primeira vez. no rem a eleico da junta de vigilancia, e conhecerem
proveniente de despezas feilas'cora do estado desta importante associaco._
maneira adrairavel e surprehendeate I Esperava
se muito delle, mas ninguem iraaginava que ira
to longe t
O publico victoribu-ocomentliusiasmoe phrenesi,
nao se caneando d-i o applaudir, e de o chamar ao
proscenio, onde recebeu numerosos e lindos rama-
Ihetes.
Ksta* linista devem de ser agradavis ao celebre Alard,
porque todos os mestres se regosijam e afanam
pelo adiantamenlo e aperfeicoameuto de seus dis-
cpulos.
Francisco Pereira da Costa tocou no vtolino, en-
tre outras pecas escolhidas, una pliantasia sobre
motivos da opera Norma, n'uraa s corda, que Ihe
aleu repetidos e constantes applausos.
as publicacoes. Loureiro. Buarque. Jaco-
bina.
I Encerrada a discusso o parecer approvado
com a emenda da commisso, sendo regeilada a
do Sr. Nabor.
E' lida e apoiada a seguinte indicaco :
< Proponbo que a assembla funccione amanha.
Buarque.
De|*ois de breves coasideracoes a indicaco ap-
provada.
Vai tambera meta e apoiado o seguinte re
queriment :
Requeiro que se mande mencionar na relaco
, que foi remetlida para a thesouraria, os Domes de
lodos os depulados, desde o dia em que tomaram
assento nesia casa, afim de receberem. como es
por inleiro do
Do relatorio apresentado pela direceo ve-se que
o seguro mutuo de vida conia 5,628 socios, subs-
creveram com o capital de 2,055:959*000.
Deste numero de assoeiados 5,299 subscreveram
com a eondicco de liquidar no anno de 1869 e
329 no de 1870. .
O capital subscripto pelos primeiros e de
1.941:724*000 e pelos segundos, de............
114.233*000.
A direceo lera recebido a somma de 33a contos
de ris, proveniente de priraeiras annuidades e
entradas nicas.
Esta somma tem sido emp-egada naconformi-
dade :os estatuios eminseripcoes de assentamcnlo
o fornecimento "de luz para o quarlel do deslaca-
monto da villa do Bonito a contar de 27 de Janeiro
11 de marco ltimos.
E finalmente ao comendador Joaquim Lucio Mon-
teiro da Franca a quantia de 26*838 proveniente
do aluguel da casa, que na 'tovoaco de Trombe-
tas servio de quarlel ao respectivo destacamento
desde II de marco al 30de abril diste anno. Se-
cretaria do governo do Pernambuco, 5 d--. julho de
1864.O secretario do governo, Dr. Francisco de
Paula Sutes'
Dia 6
Offlcio ao Exm. presidente da provincia das Ala-
gdas.-Tendo de segtrtf-para essa provincia no va-
por Princesa de Joinvile o alferes Felisbert
Co.-ta Correia que destaca para a villa de
acorapanhado do soldado seu caraarida,
Exc iiuese di"ne demandar dar-Ibes transporte ccssivamenle o capital dos subscriptores.
nar a cidade do Penedo em algum dos vapores Para o conselho de, vigilancia foram eleitos os
da compaobia Bah.ana.-Olliciou-se eompanhia Sr?. Roberlo Van Zeller Agosiinho Francisco Ve-
Rrasileira de na.iuetos para Ihcs dar transporte at Iho, visconde de Figueirelo, Antonio Adnao da Ro-
as Alagoas, e a thesouraria de fazenda para aras- cha, Joaquun Pinto Leite, Francisco Antonio de
tar conlas a esse offlcial, e comrnunicou-se ao bri- Lima.
eadeiro commandante das armas. | Os subst.lntos sao os Srs. Eduardo A k.nson,
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.Al-, Constantino Antonio do Valle Pereira Cabral, Janua-
tendendo ao que solicitou no incluso requerimento o rio Jos Baptisla Basto.
baeharel Manoel Clement.no Carneiro da Cunba,! A junta geral do districto do Porto reur.io exlra-
recommendo V. S, que considerando abonadas ordinariamente nos d-ras ltimos das do ir-
as faltas, que, por doente deu o supplicante, como xirao passado para dividir pelos
juiz de direito da comarca do Rio Formn*o a con-
tar de 10 de marco al o Io de abril deste anno,
mande pagar-lhe os seus vencimentos, que deixou
de receber relativamente aquelles dias.
i:o ao mesmo. Em additamento ao meu offi-
pelo queso ca'bem louvores aoscavalbeirosincum-
bidos da sua gerencia.
Priocipiou-se j a collocaco do material de
ferro que compoe a cobertura do palacio, de que
0 navio Guilherme e Maria, procedente de Ingla-
terra, conduzio parte, esperando-se mais material
por dous oulros barcos, em viagein, da mesma
procedencia.
A avenida ao poente do palacio est quasi con-
cluida, e lano em frente deste como ao poente vio
com rapidez as obras para a conclusao do parque.
Tudo faz crer que dentro em pouco vera o Por-
to concluido o seu palacio de crystal.
J eslo installados no edificio de S. Joo Novo
os tribunaes civeis e rriminaes.
A inauguraco do novo palacio de justica teve dira, onde a maior parte
luijar pelas 11 horas da manhaa do dia 28 do mez
passado, e fot urna festa expandida, a que assisti-
ram as autoridades civis e ecclesiasliea--, locando
porta a banda de msica de infantaria n. 18.
1 O edificio que esteva no interior conveniente-
mente adornado, respirava no exterior os ares de
Algumas familias que habitaran as casas que fo
ram evadidas pelas amias, rorreraui gritando, para
o meio da praca. Felizmente nao ha a lamentar
perda de vidas.
Tendo a chuva, comquanto grossa, sido de pouca
duracao, presume-se que romper as proximida-
des da villa alguma irumha de agua. O volume
de.-ia chegou a um metro de altura.
Os jornaes da provincia tem dado noticia de al-
gumas tempestades. y
l'm peridico de Coimbra conta que o dia Io do
corrente foi de vendaval legitimo. Vento e chuva
nao faltarara, e parecia que o diabo andava as sol-
las a fazer das suas.
Foram bastantes os estragos produzidos no jar-
das arvores soffreram as
Tambem livemos no sabbado 4, no mesmo thea-1 demais !>rs. depulados, o subsidio .
um outro concert, dado nelo joven pianista ; prximo passado mez de abril, e finalmente os das
isbonense Miguel Angelo Pereira, organista par-1 de prorogacao.S. R.Jos Joaquim do Reg Bar-
licular da capella de S. M. o imperador do Brasil, ros.Silveira Lobo.
e chegado ltimamente no Rio de- Janeiro, para E approvado o requerimento.
onde fra de tenra idade. O joven pianista quiz I Vai a mesa e apoia se o seguinte requer meo to_:
apresentar-se aos seus conterrneos antes da sua Requeiro que se peca ao governo loforniacao
partida para a Allemanha, e inostrar-lheso- ttulos' sobre o lempo em que lem estado servindo de dele-
com que no estrangeiro se boorou asi e a ierra .gado do Bonito o major do con de polica c se
que o fllion. ainda julga necessana a sua estada naquellc lugar.
Tomaram parte no concedo os distinctos violi- P. Raptista.
Distas Francisco Pereira da Costa e Marques Pinto,
eo pianista Soller.
Miguel Angelo foi entluisiasticamenle victoria-
do em todas as pecas que tocou, enera para menos
era a bravura e mila execuco que se Ihe nota va
era ludo o que magistralmente executou.
Parliu para Lisboa a eompanhia eque..-tre e gym-
trabalhava no Iheatro circo. Na noi-
uiui, uiiuc a Hidiui |mi ic u-i." ^"'""'" r nastica, que trabalhava n
sacudidelas do furioso Eolo. Alguns ramos ae \ (e em deu o MU u|tj|11() e!pec,a,.u|0 teve urna
choupo do Canad estelaran) como vimes; nao na ni.4,|.n!e ,, u
choupo
memoria de um temporal assim na quadra do
esli.
Nos campos o trigo que est crescido comeca a
soffrer os effeitos desla rega inesperada, iwis appa-
isberto da cujos juros do l- semestre deste auno nao tardaro va Souza, procurador regio da relaco do Porto,
1 Tacaratu, a ser receidos para seren depois empregados em peia boa disposico que fez dar ao palacio de jus-
, rogo V. novas nscnpces, que assim iro augmentar snc- tica, que em verdade, nao se podia arranjar mais.
festa, sendo muilas as bandeiras qoe tremulavam i rere Ja com a mo|eslia denominadaferrugem
as janellas. que urna crusla escura que cobre a haste e parte
Cabem louvores ao Sr. Camillo Aureliano da Sil- das r0n,as.
Esta doenca provm da humidade fra do lempo
proprio.
Desde o referido dia as trovoadas continuaran)
em Coimbra quasi lodas as tardes, acompanhadas
de fortes rajadas de vento, e bastante chuva.
Na fregnezia da Cumieira, conselho de Penella,
urna irovoada causou all grandes estragos No lu-
foram completamente
car o meu requerimento, apresenlar-vos-hei senii-
mentos e razes.
Sempre dediqnei amizade ao actual presidente, o
Exm. Sr. Dr. Domingos de Souza Leo : lenho o
seu carcter como nobre e elevado. (Apoiados.)
Eu nao nutro desejo a seu respeiio, seno, que
elle administre bem esta provincia, era que oasci,
e era que resido com os objeclos que me sao caros
nesla vida.
Para este fim era vezdepr-lhe embaracos, dese-
jana possuii forcas para arredar os que elle en-
eontrasse.
De muito lempo, desde o anno de 1862, qoe o
major do corpo de policia,o Sr. Alexandre, se acha
ci de hontem, devolvo V. S. os documentos que
vieran) annexos aos seus, datados de 2 de Janeiro,
16 e 19 de maio deste anno, sob ns. 3, 24-i e 2o6,
atim de qoe, era vista das razSes constantes do
meu citado olflcio, mande levar em conta ao col-,
lector do Serinhem a quantia de 225180 rs., PJ- i
veniente de vencimentos que pagou aos guardas;
nacionaes destacados naquella villa nos dias o e 6,
de outubro do anno prximo passado, ao de Gara-
nhuns a de 3^720, despendida com o.forneeimen-
to de luz ao quarlel do destacamento da villa de j
S. Bento era todo o mez de mareo ultimo, e final-
mente ao da cidade da Victoria a do 20J064, cor-
respndeme ao fornecimento de luz e agua, feito
ao quartel do respectivo destacamento, desde lo
de Janeiro al o ultimo de marco prximo lndo.
Dito ao mesmo.Mande V. S. entregar ao capi-
to Francisco Borges de Lima, om os devidos tem-
pos, a prestarao de 24S inensaes qne do respecti-
vo sold pretende consignar-lhe o alferes do 9 ba-
taho de infamara, Jorge Caetaoo de Sooza Gous-
seiro, a contar do mez corrente era diante, como
M v' do requerimento junto. -Communicou-se ao
brigadeiro commandante das armas.
Dito ao mesmo.Remeti V. S. para os con-
venientes exames as inclusas copias das actas do |
con-elho administrativo do argn! de guerra, da-
tadas de 20, 2t e'*7 de funho "prximo passado.
Dito ao Inspector da thesouraria provincial.
Nao havendetncveoieate mande V. S. pagara
Antonio Domiogoes de Almcida Pocas a quanua de
te os mezes de maio e junho *te anno com o sus-
tento dos Dfesos pobres da cadeia do termo de San-
to Anto como se v das duas melosas contas, que,
para esse fim, me remellen p chefe de polica com
dias do mez pro
o con-
tingente da conlribuigio predial respectiva ao
corrente anno.
A conlribuicao predial de 1864, que teem de
pagar os (jtesete disiricios administrativos do
continente do reino, foi lixada em..............
1,649:211*000.
Desta somma pertence aos districtos se-
guinte-5 :
Coimbra............ 79:5595000
Aveiro............. 64:6215000
Villa Real.......... 65 2435000
Vizeu.............. 91:1565000
Braganca........... 53:6885000
Braga.............. 107:8615000
Vianna do Castello.. 67:2275000
Porto.............. 152:3305000
A distrihuico que a junta geral do dislrlcto
do Porto acaba de fazer foi a seguinte :
Conselhos
Amarante...........
Baio.. ...........
Boucas.............
Felgueiras..........
Gaya...............
Gondomar..........
Louzada............
Maia...............
Marco de Canavezes..
Paredes........
Pacos de Ferreira----
Penaflel............
Porto......:'.>.----
Povoa de Varzim
Santo Thyrso........
Vallongo.....
Villa do Conde
!;"'
5:3785000
3:2115000
4:8285000
5:4405HO0
19:5855000
3:7125000
2:9635000
4:1235000
4:968
3:9091
1:9005000
8:1205000
67:9885000
3:6255000
5:3815000
1:5345000
5:6655000
1
conveniente nt-m com mais presteza.
A imprensa do Porto suggerio a idea da conve-
niencia que havia em se dar aos seus inembros ju-
gares reservados para assislirem s sessoes do ju-
ry, e o dignissirao procurador regio, tomando em
considerante o desejo manifestado, officiou neste
sentido a Sr. ministro da justica, aguardando-se
agora a deciso do Sr. Gaspar Pereira da Silva,
que eremos ser favoravel a pretenco dojornalis-
mo portuense.
E' de summa conveniencia, e muito para se agra-
decer esta deferencia pelo jornalismo, da parte do
Sr. Camillc Aureliano.
As disrusses do jury e suas decisoes interes-
sam sempre, porque por ellas se sabe a causa que
motivou este ou aquelle attentado, que causou esta
ou aquella questo, etc., etc.
E' louvavel, pois, repelimos a deferencia do dig-
1 nissimo procurador regio, e acertada a idea sug-
genda pela imprensa, que mostra nella a boa von-
tade e empenho de trazer o publico ao alcance de
quanto occorrer de immediato interesse.
i Effecluou-se, na tarde de domingo 30 de maio,
0 jannunciado leilao de prendas em favor do asy-
lo Portuense de Mendicidade. O local escolhido
foi o jardim de S. Lzaro, e as prendas loram dis-
postas convenientemente no bosque, tocando ao la-
do a banda de msica de cacadores n. 1.
A' porta da entrada esteva collocada urna caixa,
no centro da qual se. liara estas palavras- gene-
rosidade jntblica,onde se (ecebiam as esmolas
que voluntariamente queran) dar as pessoas que
enlravam depois das quatro horas da tarde.
O numero de prendas nao era pequeo. Fo-
ram todas arrematadas, e algumas por preco fabu-
1 loso em relaco ao seu valor.
O leilao contlnuou e concluio na noile de segn-
i da-feira 31, havendo msica e estando Iluminado
i o jardim.
O que de mais notavel se va enlre as diversas
Erendas,era a planta do edificio denominado esta-
elecmento Humanitario do baro de Nova Cintra,
que so esl construmdo prximo barrera de
l'anipanha, na ra da China, e que um edificio
' de grande extenso, nao medrado meqos de qui-
nhentos palmos.
No domingo passado 5, teve lugar a festa annual
' do ainiversaro da inauguraco e abertura do hos-
compleia endiente o amphy-lheairo, e houveram
; applausos a farlar a Iodos os artillas. Era um
1 enihusiasmo louco, em que tomavam parte lodos
1 os espectadores, e que as amazonas e e.sciuleiros
agradeciam cora o sorriso nos labios, e nao sabe-
' mos se com a gratidao no roraco.
Foi urna noite de delicias para o publico e para em Bonito como delegado,
o- artistas N;u> Juero recriminar esse ollicial : na eleicao
u-. >. ^rA (je(llllajos geraes eo me achei all, em Borato
Eslao sendo enthusiastcamenteapplaudidos,no; e> e|ie sabe de que nalureza singular foi a oost-a
theatro llaquel, os campanlogos escocezes, que lula eleitoral : acceitei o resultado da eleico, ramo
jderam quatro ou cinco espectculos, sempre se Jia em meu desfavor, e retirei-me em pacili-a
com quasi reaes endientes. E nem para menos | relacoes com aquelle offlcial, e isto o que eu coa-
a maravilha que a familia Sawyer veio mostrar mo singular.
ao Porto, que de ha muito a condeca pela tama |
que. os jornaes estrangeiros, e ultimaineiile os
da
dar urna
gar da Venda dos Moinhos .
arrazadas dus casas, e ura moinho de 4 pedras. capital, Ihe apregoavam.
Os donos das casas perderam tudo quanto nellas ti- Tudo quanto pulessemos dizer para
nnam- K j idea da raridade cora que nos estamos deleitando,
Foram levadas
carros.
As ierras prximas aos lugares de Caneve, Ven-:
da dos Moinhos, Gorcinas e Rouca, foram as que
Elle lera o meu discurso, e ser 3 pnmero a cer-
tificar a verdade, com que fallo nesla ssem-
Wa. .
Entretanto, hoje que a> eleicoes eslao fetas, eu
sera fallar a deferencia, que devo a aquelle-ufikal.
neta innundacao 63 ovelhas e 3' seria pouco, seria nada, era comparaco do muito, I e sem recriminar pessoa alguma dige, que me
do immenso que vale 1 aw parece ser de razo e conveniencia publica a
Imagine-se urna mesa sobre a qual esto eolio- eonimuaco do major de um corpo, como Majado
cadas solas 180 campainhas, perfeitaraente afina-1 em Bonito. (Apoiados.) .
mais snffrerim das desde o som mais grave ao mais agudo. Seis I Nao estamos era lempos anormaes. Bro Bono
Calculam-se os prejuizos era mais de 80:0005- tocadores, quatro homens e duas meninas tomara lem reinado contrnenle plena paz haMe
A freguezia da umicira, diz o peridico era que e largara simultneamente, as campainhas _e exe-. 0 termo de Bonito muitos c.dadao>, 11lllln, ^e
encontra.no" tes no icSs, infeliz com as tro- cutara, com a mais surprehendeate prec.sao nos prestigio, e ptimas qoal.dades pan "*
cantos! as moiulaeSes e acompanbaraon.os, di- governo provincial plena confianca para.delegado
ferentes nocas de msica 1 \ (Apoiad!..) ....
, ,.. ,^, dnE mMan.' 0 que na de mais difflcil senhot*. dntaifwr.
Parase poder formar idea real dos campanoio-1
gos, preciso ve-Ios e ouvi-los. S assim des-
app'areee a duvida, ixirque a todos cusa a accredi-
tar que com 150 campainhas se pussa tocar cora
precisao a marcha da Norma, a wajsa o Beijo, o
Drinde da opera Trariata, awalsa Auna, i Jota
da zarzuela Postilln de HiceVi, etc., etc. Pois tudo
isto teem elles exeeulado no Porto, entre geraes |
estas noticias,
voadas.
Agrande trovoada de 16 de outubre de 1861,
causou all os avullados estragos, do que nessa
poca demos noticia neste jornal; e agora, qoe
os lavradores tinham era uparle as suas propieda-
des restauradas daquellas devastacoes, vera a
trovoada do da 24 de maio causar-lhes novos pre-
juizos !
No dia 27 do mez passado, no conselho de Las-
tro aire, cahio urna trovoada sobre as freguezias
de Parada de Ester e Cabril causando grandes pra- i demonslracoes de agrado e adrararo.
152:3305000 pital da Ordem Terceira de ossa Senhora do Car
Parece fra de dnvida que toda a va frrea mo. O hospital estevo era exposlcao, e fot visita-
de Lisboa ao Porto estar em exploracao antes do do por grande numero de pessoas. Por toaa a par-
dia 20 do corrente. A '-arte que ainda falta abrir te se noiava o aceio e boa ordem.
i 'bn. 75.-Coramuricoa-sc ao ao transito publico a c'omprehendda entre SQq, O edificio eslava extenorit
i re eTaveiro, um poaco para baixo de Coimbra, A" porta principal tocara,
additamepto ao; a ftvotucao de $etembro, escreven^Q a este to n. 5.
juizes.
Um almocreve ao atravessar um njacho que en-
tra no rio Paiva, perdeu urna das melhores muas
de 18 que gniava pela arriata. O animal appare-
ceu mor no dito rio, e com elle perdeu-se a carga
que a mala conduzia.
Tambera em om dos dias do mez passado os ha-
bitantes da aldea do Souto e os de aldea do Mallo,
4 leguas ao sul da cidade da Guarda, na margem
direila do rio Zezere, soffreram os elTeitos de urna
trovoada torri vel, que os deixou consternados. A (
extensa campia que divide as dua* aldeas corla-
da por uirfTibetro, o qual encheu tanto qoe levou
todos oseados eas searas das margens era grande
distancia." Calcula-se o prejuizo am 3,:000#.
A adminlstracSo do theatro de S. Joao do Porto
represesentoo ao governo sobre a conveniencia de
que o subsidio para a empreza lyrica do mesmo
theatro fosse a lempo posto a concurso, para que o
empre-inrtQ a quem fosse concedido pudesse com a
conveniente antecedencia contratar o pessoal da
campanilla lyrica, e se nao visse obrigado a accei-
e n'alta misso de governar, apezas de toda a o0i
coldade, isto o que ha de mais aocewario.
E' preciso que se saiba, que a opinio l-aeral de
Bonito, e de todo o distrirto que represen, nao e
exagerada, e nem desptica. (A#oiadps>
O Sr. Silvkiba Louo :-Diz muito. ^ .
O Sr. Paula Baptista :-Mutos homens all
S i importante, dotados de criteio,, moderacao, e sc.en-
. tes do estado e da razo das coosas, sao hberaes.
Milita paciencia e consecutivo esludo deram a
familia Sawyer a fama de que, era verdade, sao
merecedores.
A alfandega do Porto rendeu no mez de mato
ultimo 216:5185603, a saber
Importado....... "-SSSS
Exportacao...... *EX
fKSnm....... .JiJggOO
Diversas recoites. 18.217*770
Cambios.-Sobre Londros a 90 d. d. 53 1|2 e 90
d. vTffl 5i8- Paris 100 d. S. 533.-Hamburgo
W2Era fiabru termo de carga a barca Douro
Rahia sempre restieitaram e obedmwain: nao querero,
^Fntraramoo Douro : em 31 de walo a barca rrn, ser Widos em seus direiloi, em sua estima, e
Ama-ana do Para, por Lisboa; em 1 do correte em suas aftVicdes. ...,._
ZiTventurosa% Rio de Janeiro, por Liab'i i Nao ha. sentares, verdadeira conquisU1 go-
eml barca Bedmar, do Rio Grande ; era 7 verno, quando este ommaga nn0^*^
barca S. Joao, da Baha; era 9 galwa frica, suas autoridades, estes objeclos P-^^-^drira
daos honestos e pacficos. (Apoiados.) A verdad, ira
a natas amigos, conversamos, coolidencialmen
te algomas vezes ; e poftanto. sei o que vos estdu
dizendo. ,
Mesmo nesta assembla. a representacao dp 4
dislricto confirma honrosa e dignamente as minhas
asserces: os deputados do Vdirtrielo sio liberaes
e loilos homens calmos, ivflectidos e modefado^
(Apoiados.) Elleti querera respeitar todo* o* direi-
tos, e querera que re Estes minias palavras sao a expretso viva o
sincera do ieus mui dignos amigos Hberaes do r
ilistiicio, de que eu sou um dos representantes
nesla assembla.
Elles. nu desejam bostilisar o governo, ao qoal
- po-
Dr. chefe do pjicia.
DJlo ao capilao do porto.fcm
einbandeira:o.
msica do rug-jnen-
campans a ivnca, e se nao yisse onngaw a kw- --'. :- l^_ 4i>r.j-
iar onffiqae as emprezas de ouUoihoatros ti-:do R-o d Janeiro, por Lisboa, e. a barca Mfrtto,
~*Jm J desprezado. jdo Marar
A representacao subi ha muito aos poderes pu-1
blicos,mas vai quasi passada a poca em qne en paraalJWa ein l A larca
cosluiiiam fazer as escripluras aos artistas, e arada Rio_brandy pq, J, do eort
at hoje se nao poz a concurso o theatro do Porto! para q Rlq (Jq Janein,
*
conquista conuste era apaziguar o animo, em i,-
ve^m ja desprexado.^ u_ _f ^.....^ .,.|a SahTrarn.-Em 26 de mateo patacho Marciil, sipar recelos e preocwpaces acorando os dt-
Oiirdnse, para o reitos. ,,= hs
galera Europa. ?ara M dissipar Inquietos recems e P**r
(gotos convm, wnhores, subst.to.r aclnal del-
^




_________.

Diario le PeraaaalMieo *abhado I de Julho e i4.

>
Sido.4o Honito por ontro : elle o major, o fiscal Dr. A. Rangel de Torres flandeira, director.
o corpo de polica, aonde fe laz necessario. Dr. A. Wilrovio Pinto Bandeua e Accioli de Vas-
E' poitanto islo, que entondo que de nal con- eoncello?, vlce-director.
veniencia fazer, e que merecer justa aprecacao Joo Baptista Rigueirn Costa, Io secretario,
do Ilustre e digno presidente da provincia. Jos Paulo do Reg Barreto Filho, 2* di.
O Sr. Aiuio Barbos :.(Nao devolveu seu dis- Antooio de Souza Pinto, thesoureiro.
curso.) Hoje se exlrabir a 2' parte da i' lotera da
O Sb. G. Campello responde ao precedente ora- igreja da Boa-Viagem, sendo o maior premio de
Jor, manifestando se en favor do requer ment. 10:0004000
Sb. Palla Baptista :Sr. presidente, qnanto
a primeira parte de mea requerimento, o nobre
depulado do 2 districto, o nao eombateu ; pelo que
nao devo repetir setis motivos justificativos.
Assim limito-me a fazer1 novas censideracoes em
suslentacao da 2* parte.
Nesta segunda parte o requerimento est escrip-
to em termos, qne nao exigem do Exm. presidente
da provincia declararn positiva dos motivos, pelos
% quaes conserva esse delegado em Bonito; mas se
os motivos sao de ordem publica.
Mas, anda assim, o nobre deputado achon nessa
segunda parte de meu requerimento urna censura.
O Sr. Aiiai jo Barros :E eu admiti o direito
de < -risora.
O Sn. Paca Baptista :E quando se sabe cen-
surar elle um importante e de bons resultados.
Mas, em verdade, eu nao quiz censurar e para
irrecusavel prova do que digo, pego j a retirada
dessa segunda parte do requerimento.
Senhores, eu sou liberal, e conheco a opiniao li
rkparoico da polica.
Extracto das partes do dia 7 de jolhode 1864.
Foram recolhidos a casa de detencio no dia o
do rorrete:
A' ordem do Dr. delegado da capital, Joaquim
Lessa de Brito, para avcrlguacoes.
A' ordem do subdelegado do Recite, Joao Anto-
nio de Vasconcellos e Antonio Francisco de Plnt/b,
por biiga.
A' ordem do de Santo Antonio, Gabriel Jos da
Natividade, por disturbios ; Mana Felicia da Con-
ceico, por briga ; Jos Pereira da Silva, por em-
briaguez ; Jos, escravo de Agostinho de tal, por
fgido.
A' ordem do de S. Jos, Joao Luz da Costa Lei-
te, por disturbios.
A ordem do da Vanea Ceciliano Lopes Ribeiro,
disposico do Dr. delegado da capital.
trafico do mar c obrigada a presttr servicos gra- Escrivaa por devoco.
tuitos por occasio de incendios etc. etc." fcdos A Ksrn. Sr. D. Idalina de Souza Moutnho
sabern quo opescaleres da alfandega, do arsenal i lbr do Sr. Joo Pereira Moutnho.
de marinha, dos navios de guerra e da repartico I Escrivo protector.
da saude concorrem poderosamente para qoe os. O Illm. Sr. Joo Vicente de Torres Bandeira
particulares que se dedicam a esse meio de vida, Escrivaa protectora.
mu
soffram cousideravelmente eai seus lucros ; mas,
nao era isso bastante ; havia anda a necessidade
de novos impostos para prosperidade da classe
martima e para todas ou quasi todas as ootras,
nao para i felicidade publica, e sim de alguos di-
Ums.
E' pena que nao appareca urna disposico que
mande erguer em cada canto orna forc, para ter
applicacio a este infeliz pevo 1 E' so o qoe nos
resta v'r para prova do progresso promettidto no
thcfltro de Santa Isabel.
EspeTem que para o armo virio novos Impostos,
e as consequencias daquelles que tratamos nao se
faro esperar, pois haver ate quem por nao poder
fazer face ao respectivo pagamento preferir en-
tregar o saveiro que possulr, procurando outro
meio de vida.
A Exma. Sra. D. Anna, mulher do Illm. Sr. cot-
mendador Manol Carneiro de Souza Lacerda.
Procurador geraL
Onosso irmo o Sr. capito Miguel Bernardo Qota-
teiro.
Thesoureiro.
O nosso irmao o Sr. Antonio Das da Silva Car-
deal.
Procuradores.
Os nossos irmaos os Srs. :
Maximino da Silva Gusmo.
Francisco Jos Carneiro.
Mesarios.
Os nossos irmaos os Srs. :
Domingos Jos Ferreira.
Jos Joaquim de Azevedo.
Angelo Custodio Rodrigues Franca.
Joaquim Antonio de Oliveira.
Marcolino Ferreira da Luz.
A' ordem do Dr. delegado da capital, Maurino
Francisco Xisto, para averiguagoes.
A' ordem do subdelegado do Recife, Miguel, es-
Francisca Mara de Jess, para cor-
e conheco a opiniao
toeral de men districto. Sou liberal do numero dos
que desejando a reforma de certas leis, entendem,' cravo de
que a moderago dos partidos, a calma dos espiri- receo.
tus deverb antes de tudo preparar a sociedade A' ordem do de Santo Antonio, Anastacio Jos
para essas reformas, sem o que quaesquer reformas i de Azevedo, Maxmano Ribeiro da Costa e Manoel
pdetn cotnprometter o paiz. Marqoesda Silva, por briga; Antonio, escravo de
Quando encararmos o futuro com f na bellas Jos Rodrigues Ferreira, para correecao.
instituicors, que temos, a moderaco apparecer A' ordem do da Boa-vista, Marianna, escrava
como precursora. Se esta f nos falta, o defeito do commendador Jos Pires Ferreira, requer-
est nos horneas. ment deste.
Esse projecte de reforma do senado no sentido j
de dever ser temporario, apresentado na cmara
dos Srs. diputados geraes, aonde cahira immedia-
mente, um dos documentos dessa falta de f, de
de certos homens as nossas instituicoes ; nao
tal projecto a exprosso verdadeira da opiniao li-
beral do Brasil : nao, nao .
Apartei-mc da materia eiu dscussao, e vim ter
a um assumpto, que nao pode nessa occasio rece-
ber o desenvolvimento que Ihe poderia dar.
O chefe da segnnda seeco,
J. G. de Mesquita.
Passgeiros do vapor Jayuaribe. sahidos para
os portos do norte :
Dr. Joo Ferreira da Silva e 1 escravo, Adolpho
Eugenio Soares, Francisco Ferreira Novaes, Anto-
nio Alexandrino de Lima, Prnesto Angosto Paulo,
Antonio Jos Stern, Jos Joaquim Pereira c 1 -cra-
do, Jesuino Gomes da Silva e 1 criado, Braz de
Zepario, Jos Eseuoha Mello, Fabrlcio Gomes Pe-
Tennino, pedindo a retirada da 2" parle do meu drosa, 1 filho e 1 criado, Jeronymo Ribeiro Rosado,
requerimento.
Encerrada a dscussao approvada a 1* parte
do requerimento, sendo retirada a 2* requeri-
mento do seu autor.
Vai mesa e apoia-se o seguinte requerimento
que approvado :
Roque] ro com toda urgencia que se peca pelos
canaes competentes ioiormacoes acerca dos moti-
vos que aulorisarain a demsso de alguns empre-
gado> da estrada de ferro, com a desiguaco dos
nomos dos demittidos e dos lugares que oceupa-
vam.S Pereira.
O Sr. S Pkbeira justifica o seu requerimento.
O Sr. Jacobina diz que com quanlo nao ponha
duvida em volar pelas informacoes pedidas, toda-
va julga do seu dever protestar desde j em fa-
vor do procedimento do ajudante de engenheiro
fiscal o Sr. Carueiro da Rocha cujo zelo e dedica-
cao pelo servico e intelligencia o pe acoberto de
qualquer censura.
O Su. Bcarque manifesta-se no sentido de pre-
cedente orador.
O Su. Araujo Barros diz que estaudo vacillante
acerca do direito que possa ter a assembla de pe-
dir acompanhia da estrada de ferro informacoes
dos motivos por que demitto taes e laes emprega-
dos, pede ao Sr. Io secretario se digne declarar :
1* fe os empregados demittidos sao empregados da
companl. Au do governo; 2o se esses empregados
no exercicio ,' j>uas aUribuieScs esto subordina-
dos aos agentes fiscaes do governo, ou simplesmen-1
te companhia.
O Sr. Bl'arqug :-(No devolveu seu discurso.) |
A dscussao lica adiada pela hora.
(Continuar-se-lia.)
RSYISTA MAMA.
Francisco Jorge Martins Botelho, Joo Baptista de
Albuquerque, Miguel Joaquim Lobo, Joo Carlos
Cavalcante e 1 filho, Jos Alves da Croz, Antonio
Jos de Mello Souza, Manoel de Oliveira Souza
Jnior, Luiz Antonio Pereira da Silva, Antonio
Camino de Almeida, D. Constantina Jacintha da
Matta, Antonio Rodrigues da Costa, Antonio Candi-
do Antunes de Oliveira, 1 escrava do Dr. Manoel
C. Cintra, 2 criados do Sr. Antonio CarvaUwTd
Alboquerque.
Movimento da casa de deteneao no da 7 de
julho de 1W64.
Existiam..... 3o2 presos.
Entraram..... 7
Sahiram...... 13
Existcm...... 346
A saber :
229
Estrangeiros... 41 1
Mulheres..... 6 t
Estrangeiras ... 1 >
Es(!ravos...... 63 1
Escravas...... t
A Escola Normal vai fum-cionar no edificio eai
que se acha o Curio Commercial, por nao naver
um edilicio apropriado*.
A rondicode csar isentosdecrimes, as es-
tahelicidas |iafa a matrcula na Escola Normal, j
deve ser assim entendida : provar que sao de
coslumcs puros, c que nao tem sido condemnades
por crime oftensivo moral publica ou religio
do estado.
Por haver transferido sua residencia para o i r
Rio de Janeiro, mandou-se passar a guia respectiva Lypriana Joaquina Mara da Lonceicao, Pernambu
346
Alimentados a custa dos cofres pblicos... 132
Movimento da enfermara no dia 7 de julho
de 1864.
Tiveram alta :
Antonio Soares de Queiroz.
FJancisco Thomaz de Assis.
Tiveram baixa:
Manoel Candido de Souza, intermitiente.
Manoel Francisco, epilipecia.
OBTAIIIO DO DIA 6 DE JCI.HO NO CKMITERIO
PUBLICO :
Antonia Mara da Conceico, frica, 44 annos, sol-
teira, Boa-Vista, ttano.
Anna Carneiro do Rosario, Pernambuco, 20 annos,
solleira, Santo Antonio, tubrculos pulmonar.
Maria, escrava, frica, 44 annos, solteira, S.Jos,
anemia.
Maria, escrava, Pernambuco, 1 hora, Santo Antonio,
congestao cerebral.
Francisco de Paula Peres Ramos, Portugal, 70 an-
nos, viuvo, Boa-Vista, anazarca.
Maria, Pernambuco, 18 mezes, Boa-Vista, inflama-
cao.
nacional Andr Guilherme
6 de infamara de Pao
ao lente da guarda
Breck< nlicld.
Para o batalhao n.
d'Alho, foram Romeados
Capilex da e 5o companhias Jos Gomes de
Oliveira e Jos Janoario Alvos Ferreira.
floi nomeado alferes da 2* companhia da sec-
?o de reserva n. 2 de Pao d'Alho, Joaquim Bar-1
bosa de Senna, |tor haver sido privado do posto Vi-
cente Pereira da Rocha.
A companhia de grgoros Fulelidude, do Ro
de Janpro, realisou no anno ultimo de 186364
cenio e noventa e seis seguro?, no valor de ris,
1,470:66115780, os quaes deixaram de premio
companhia U:l42$24o. Comparando-se estes re-!
sudados com os do anno anterior, v se que houve
o augmento no crreme de 41 seguros no valor de
297:0315380 rs., que deram de premio 1:2040311.!
Do expendido se deprohende qnal a importancia
crescenie que tem tido esta companhia, de presen-
te urna das mais acreditadas e procuradas, nao so
pelas vantagens qoe aprsenla, como pelo crdito
de que gozan Os seos agentes nesta cidade os Srs.
Antonio Luizd'Oliveira Azevedo & C.
Kntrou hontem abarra ingleza Bleng, que
noticiamos haver seguido para o norte com o pra-
tico bordo, depois de j se aonar entrada da
barra.
Segundo nos informam, o pratico, quando senlio
o vento escaeear-lhe entrada da barra, pretendeu
fondear: mas Dio achando bordo ancoras fortes
para agnentar o navio, preferio demandar de novo
o lamaro liara, voltar ao depois de bordejar. Ao
chegar, porto, no lamaro cncontrou vento largo,
que Ihe nao permiltio voltar, pelo que foi obligado
a fazer-se de vela, navegando at a altura da p'raia
Concnrao, alm de Pao Amarello, de onde voltou
ao anoitecer de ante-honlem, por amainar o vento,
fondeando hontem s nove e meia da manha,sem
nenhuma avara soffrer o navio.
E por sem duvida merecedor de encomios opra-
tico, porqnanto preferio passar tres das fra de
sua familia, a arriscar o navio que Ihe havia sido
destinado para trazer para o porto.
Temos qneixas de que um subalterno da ca-
pitana do porto, depois de conservar por mutos
dias aguas servidas, as vai vasar na rampa de em-
barque junto reparticao, tornando assim immun-
do aquelle lugar. Convm, pois, que nao continu
em seniemante pratica.
As 2 horas da madrugada de hontem foi
acordada a populaco com o signal de incendio qne
se aieava no andar terreo do scenario do theatro
de Santa Isabel; o qnal, felizmente, foi extinclo
pelo digno emprezario o Sr. Coimbra, ajudado de
um empregado seu e de una praca de urbanos
que, morando na vizinhan^a, acudi.
O fogo foi posto por um dos vidros quebrados,
qoe existe na vidraca do lado do srrt, por meio de
ama vara, lendo n'oma extremidade algodo enso-
pado em gas.
Poneos foram os estragos, pela promptido por-
que foi o incendio atacado. Comparecern) diver-
sas autoridades policiaes e algomas bombas.
A puHcia prende hontem um soldado de caval-
laria, nao s por ser reconheeida como sua a vara,
como por ter sido encontrado, poucos minulos an-
tes de atear-se o fogo, passeiando no Campo das
Princezas, todo envollo no capote.
Dos qnerra que a polica chegoe at o verda-
deiro mandante de semelhante alternado.
Informam-nos que o subdelegado do Allinho,
Jos da SiKa Souza fura morto, no satroado ultimo,
por occasio de ir prender na mesma povoaco a
Faria Leito. com quem travra ento om
S pedimos ao Sr. Buarquc que se nao esqueca
de que se verdade que S. S. quando embarcava
para a Europa pagava 100 por urna baleeira, tam- Hemeterio Maciel da Silva",
bem verdade que esse producto se divida por tan- Laurenlino Teixeira da Silva,
tos quantos se davam ao irabalho de leva-lo
bordo.
Cont sempre com o
Patoteiro progressila.


Eleice ds develes qoe leen de festejar a Nossa
Seuhora das Dores oeste amo de 1864 no coa-
vento de S. Francisco.
Juizes por ereico.
Os films. Srs. :
Joo Emiliano da Costa Amquerque.
Francisco de Paula Gouveia.
Juizes por devoco.
Os Illius. Srs. :
Major Jos Ignacio Ferreira.
Jos Nogueira da Costa Soares.
Juizas por eleico.
As Exmas. Sras. :
l). Maria Leopoldina da Costa Albuquerque.
D. Josepha, filha do Sr. capito Joaquim Jos Coim-
bra de Andrade.
Juizas por devogao.
As Exmas. Sras. :
D. Leodora Pereira do Couto, esposa do Sr. Anto-
nio dos Res.
D. Maria Francisca da Rocha Feio.
Escrives por eleico.
OsIllms.Srs. :
Dr. Manoel Barbosa de Araujo.
Alferes A odias Bibiano da Cunha Salles.
Escrives por devoco.
Os lllms. Srs. :
Francisco Manoel da Rosa.
Antonio da Silva Reg.
As Exmas. Sras.:
D. Thereza Josephina da Cunha Salios.
D. Jesuina Evarista Dornellas Pessoa.
Escrivas por devoco.
As Exmas. Sras. :
D. Claudina Nativa de Oliveira Santos.
D. Anglica, tllha do Sr. -Joo Antonio Lopes Cha-
ves.
Juizes protectores.
Os lllms. Srs.:
D. Antonio dos Santos Lessa.
Rvd. conego Joaquim Ferreira dos Santos.
Dr. Rufino Augusto de Almeida.
Capito Miguel Jos de Almeida Pernambuco.
Juizas protectoras.
As Exmas. Sras. :
Miguel Jos da Silva Jnior.
Jos Lopes da Silva Guimares.
Ismael Amavel Gomes da Silva.
Francisco Jos de Freilas Guimares.
Francisco da Silva Saraiva.
Mordomos.
Os lllms. Srs. :
| Major Jos Theodoro de Senna.
Capito Olympo Goncalves Bosa.
Dito Thomaz Francisco de Salles Rosa.
Tenente loaquim Lopes Machado.
Alferes Joaquim Sil ver jo de Souza Jnior.
Dito Francisco Faustino de Brito.
Dito Manoel Luiz de Mello.
Francisco Augusto do Almeida.
Dr. Miguel Fgueira de Faria.
Capito Francisco Antonio de Assis Ges.
Antonio Augusto de Moura Novaes.
Capito Francisco das Chagas Salgueiro.
Joaquim Custodio de oliveira.
Francisco Ribeiro Brito.
Jos Joaquim da Cunha.
Jos Domingues Maia.
Florencio Tertuliano do Reg Costa.
Francisco do Reg Baptista,
Mordomas.
As Exmas. Sras.:
D. Francisca de Paula Correia de Araujo.
D. Maria Marcionilla da Matta Beltro.
D. Maria da Costa Pires Ferreira.
D. Carolina Sezafredo Vlella Tavares, mulher do
Sr. tenente Antonio Vilella de Castro Tavares.
D. Anna dos Santos Viegas, mulher do Sr. tenente
Manoel Antonio Viegas Jnior.
D. Claudina da Costa Galvo cha.
D. Ephigena Marcionilla Lobo Reg Monteiro, mu-
lher do Sr. Joo da Costa Reg Monteiro.
D. Joanna Josephina de Oliveira.
D. Maria Philomena de Moura Novaes Cardeal.
D. Mara Barbara Ferreira Lobo.
D. Leopoldina de Siqueira Cavalcaoti, filha do Sr.
Sevcriaoo de Siqueira Cavalcanti.
D. Philomena Candida de Novaes Annunciaco,
mulher do Sr. Joo Ferreira Baptista Annun-
ciaco.
D. Franclina de Mello Oliveira, mulher do nosso
irmao Lourcnco Ribeiro da Cunha Oliveira.
D. Anna de Mello Oliveira, mulher do Sr. Domin-
gos Ribeiro da Cunha Oliveira.
D. Amelia do Nascimento Dantas, filha de nosso
irmo Manoel Jos Dantas.
D. Carolina de Oliveira Lopes, filha de nosso ir-
mao Dionisio Hilario Lopes.
An
Rccebetlorta de rendas Internas
geraes de Peroambaco.
Rendimento do dia 1 a 7........ 10:0104117
dem do da 8................. 4:534*368
14:544*485
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 7......... 36:813*364
dem do dia 8................. 3:743*498
40:556*862
MOYIMENTG DO POBTO.
Nnao houveram
Dia 8
entradas
nem sabidas.
EDIT1ES.
Consellio admiuislralivs.
O conselho administrativo para forner.imento do
arsenal de guerra em cumprimento ao art. 22 do
regulameoto de 14 de dezembro de 18)2, faz pu-
blico que foram aceitas as propostas dos Srs. abai-
to declarado.
Para o arsenal de guerra.
Joio Bapiisla da Malla-t arrobas de salitre a
10*240 a arroba.
Antonio dos Santos Oliveira50quintaes de fer-
ro iogez del W poOngada de lanrnra e 40 oilavas
de grossura, 6*800 o quintal, 50 resmas de pa-
pel pautado a 4*400 a resma.
Manoel Rodrigues da i osta Magalhes50 res-
mas de papel almasso Hso a 3*900 a resma.
Marcou-se o dia 16 do corrate para seren rc-
rorhntos os objenos aeran.
Joo do Couto Alves da Silva500 taidhi de
azeite de carrapato a 10*500 a caada.
Joo Deotado Bowman6 duzias de redro de i
pollegada de grossura de 8 10 de largura a ris
26*400 a dozia.
Joo Jos da Silva20 grozas de parafuaos e
lato com 2 pllegadas de comprimento a 9*600 a
groza, 20 ditas de dito de ferro, sortido, de meia
pollegada a 2 \ dita a 1*200 a groza.
Marcou-so odia 18 do corrente para recolher-se
os objectos comprados, na secretaria do conselho s
10 horas da manha, nos referidos dias.
Secretaria do conselho administrativo para for-
necimento do arsenal de guerra. 8 de jalho de
1864.
Sfhaslmo Jote Basilio Pyrrko,
vogl secretario.
No dia 12 depois da audiencia do Sr. Dr. juiz
de orphos, vai praca por arrendamento por tres
annos o sitio denominado Tacaruna na fregoezia
da Boa-Vista, avahado em 300* por anno, vai a
praca requerimento de um dos consenhores.
Na terca-feira, 12 do correnle, na sala m
audiencias, linda a do Illm. Sr. Dr. juiz de orphos,
se ho de arrematar os .tinguis da casa de fan
andares e soto, sita na ra Direila n. 79, avahados
por 480*000.
COmman- 'iiukpIIia iJuiial.^rtl I,.
daute superior interino, e presidente do conselho r> !! **-**.
de revista da guarda nacional do municipio do STSf i1*1""-"*1! *S fornec.meo de
Recife, por S. M. o Imperador, a quem Dos 2S.* ^^ '"" de Cmpr,r ***"
guarde etc. etc. seguimes .
Faz saber que na terceira dominga do presente I r Para. f*^^ de Fwnando.
O Illm. Sr. director da escola normal manda
fazer publico, que desta data al o im do corrente
mez se acham abertas as matriculas do 1 anno
da referida escola, devendo para isso os preten-
deres provar perante o mesmo director :
Io Que sao maiores de 18 annos.
2o Que sabem ler, escrever e contar.
3o Que sao de coslumes puros, e qne nao teem
sido condemnados por crime olleiisvo moral pu-
blica ou religio do Estado.
4 Finalmente, que salisfizeram a primeira pres-
tarlo da matricula na repart gao competente.
E para chegar ao cotihecimento de quem inte-
ressar, mandou-se publicar o presente pela im-
prensa.
Secretaria da escola normal de Pernambuco, 7
de julho de 1864.
O secretario,
hlaximiano Lopes Machado.
Domingos Alfonso Nery Ferreira, commendador das i
ordeus da Rosa e da de Christo, coronel com-
mandante do 1" batalhao de infamara
D. Francisca Arcelina de Souu Leo, esposa do i
Illm. Sr. coronel Joaquim de Souza Leo. D. Lina Augusta da Silva Ramos, filha do Sr.
D. Maria Carolina Ribeiro da Silva, esposa do Illm. touio da Silva Ramos.
Sr Dr. Abilio Jos Tavares da Silva. Consistorio da veneravel contraria de Santa Rita
D. Mara Viegas de Britto, esposa do Illm. Sr. Adria-1 de Cassia, 3 de junho de 1864.O vigario interino,
no Xavier Pereira de Britto.
D. Claudina Martinha do Sacramento.
Juizes bemfeitores.
O nosso Rvd. padre guardio frei Joao Baptista.
0 Rvd. frei Antonio de Santa Anglica Pmentel.
Mordomos.
Os lllms. Srs. :
Padre Joao Gomes de Oliveira.
Joaquim de Albuquerque Mello.
Antonio Macario da Silva.
Manoel Norberto de Mello.
Manoel Jos dos Santos.
Antonio Francisco das Chagas.
Manoel Geraldes.
Jos da Silva Neves.
Jos Ges de Miranda.
Jos de Andrade Lima.
Mordomas.
As Exmas. Sras. :
D. Amelia Paula Teixeira dos Santos.
D. Maria Leopoldina da Cunha Lagos.
Fr. Antonio de Santa Rita,
co, 11 annos, S. Jos, comer t^rra.
Mana, escrava, Pernambuco, 57 annos, solteira,
Boa-Vista, repentinamente.
Julia, Pernambuco, 8 mez>?s, S. Jos, convulsoes.
Lniza, Pernambuco, 4 annos, Boa-Vista, minengeite D. Anna Florentina de Souza.
aguda. D. Maria Ignacia da Conceico.
7 D. Maria Bandeira.
Laurendo Alves da Silva, Pernambuco, 26 annos, D. Luiza Peres da Cruz.
Roltelro, Boa-Vista, tubrculos pulmonar. D. Candida Maria da Conceico.
Maria, Pernambuco, 1 hora, Boa-Vista, conlusoes D. Amelia Marinha da Silva.
no acto do parto.
PUBLICARES 1 PEDIDO.
Srs. redactores.Lendo o seu eoneeiluado Dia-
rio, deparamos no de sabbado 2 do corrente, cora
um discurso proferido pelo Sr. deputado Buarque,
em sustentacao de varios impostos, e como nao
nos permittisse a paciencia soffrer calados o que
disse elle a respelo do imposto sobre saveiros e
baleeiras, recorremos hoje s columnas de seu
Diario para apresentar algomas eonsideracSes.
iNesse discurso se encontra o seguinte trecho :
O nobre deputado fallou ainda do imposto so-
bre os saveiros (referndo-se ao Sr. conselheiro
Paula Baptista) dsse que esse imposto nao era
justihcavel, e a nica razao que deu para nos con-
vencer disto, foi que os individuos que possniam
esses botes on saveiros, e que contentavam-se com
o lucro de 1* oa 2* por da, eram homens pobres,
etc., etc.
Primeramente eu nao sei seos saveiros em
sua grande parlo pertencerri a semelhantes proprie-
larios ; pelo contrario, as informacoes que tenho
sao que cssas baleeiras e scenos se propriedade
de individuos abastados, que delles avferem grandes
lucros etc. etc.
Devia causar-nos estranheza essa asseveraco,
se nao tivessemos scenca do modo fcil porqu
entre nos se tratara todos ou quasi todos os nego-
cios, mas nao podemos deixar de notar que parts-
se tal assercode quem aspira os foros de pruden-
te, experimentado, grave, etc. ; e, pois, nao dei-
xamos passar desapercebida essa leviandade.
Quem pedera informar ao Sr. Buarque que os
saveiros e baleeiras que fazem o servico de nosso
porto sao propriedade de individuos abastados ?
Ninguem que tivesse bom senso etivesse conbeci-
mento dos factos to sabidos, que bem nos pareca
que o Sr. Dr. Buarque poda dispensar taes infor-
macoes, principalmente leudoalgura conheciraento
proprio. Verdade que por parte de alguns patri-
cios nossos, que vo a Europa ha mana de se mos-
traren] desconhecedores das cousas de sua patria I
Pois devemos dizer ao Sr. Buarque que S. S.
est muito mal informado ; que os propietarios
desses botes ou saveiros sao era geral mui pobres,
e que do gracas Deus quando tiram com que
possain subsistir, occorrendo at que em alguns
mezes do anno nem para unto chegam os seos lu-
cros. Procure o Sr. Buarque os dados precisos'
para fallar acerca de tal assumpto, e ha de reco-
nhecer que avancou orna proposicao inexacta O
commercio Ihe dir se Ihe assiste"razo.
Ignora o Sr. Buarque que o numero dos saveiros
Tem esta bella e rica provincia de eleger no dia
10 de julno tres nomes, que sero apresentados ao
! nosso Augusto Monarcha para a nomeacao de um
senador, que preencha a vaga, que no senado dei-
xra a mu sentida morto do nosso distincto patri-
cio, o Exm. conselheiro Francisco Xavier Paes
Barreto.
Alguns candidatos j se tm apresentado, e, li-
songeando-me com o reconhecer em todos elles
grande mereemento pelos seus talentos, illustra-
l cao, servicos e dedicado causa publica, anim-
me a solicitar igualmente a subida honra de ser
eleilo.
Nao 4>ncJtrw$o meas firvos, e Hipo apenas, quo
elles sao poucos em rela^ao aos muitos, que tenho
desejado e desejo prestar.
as lucias polticas o raciocinio tem sido minha
nica arma, os bons principios minha religio pol-
tica, a exaitaco o inimigo que aborreco, as recri-
minacoes pessoaes o objeeto de meus esgostos.
Amo a liherdade e a ordem, e deste duplo amor
1 tem resultado o nao poder simular-me, nem comer-
me sempre que se abusa de qualquer destes dous
principios : este tributo pesado e diflicil eu o te-
nho pago ao meu paiz.
Talvez nao me seja possvel dingir-me particu-
larmente cada um dos Srs. eleitores nao pen-
sem por isso que, as occasioes de dar evidentes
provas de vivo reconhecimento, o meu coraco se-
r menos expansivo do que o de outro qualquer.
Diguc-se V. S. de acceitar os votos de sincera
estima e consideraco do que de V. S. patricio,
venerador, servo e criado.
Recife, 10 de junho de 1864.
Francisco de Paula Baptista.
Ao |iiitilico.
Sil vino Guilherme de Barros, sendo hoje o porta-
dor de quasi todas as letras aceitas por Francisco
Antonio de Oliveira pela importancia da compra
por Pedro, e tem de remetter o producto para seu do engenho Guerra, sito no termo de Ipnjuca, pro-
paiz. Pergunta : Aos lhos de Pedro ser dado movendo j execuco contra o inesmo Oliveira por
tutor, ou licarao entregues ao cnsul ? Tendo-se de alguraas dessas letras de quantia superior vinte
dar tutor, quem o nomeia, o cnsul ou o juiz de e sete contos de ris, e que a respeito de algumas
| orphos ? Estes orphos axompanham a heranca outras que se veacero, de importancia maior de
remettida para o paiz de que seu pai era cidado, *8:000*, trata de promover a sua cobranza pelos
ou devem ficar no Brasil, sua patria ? Nesta ulti- "icios judiciaes, para o que j foi citado, previne
ma hypothese, a custa de quem serao alimentados, Qe ninguem faca negocio ou outra qualquer tran-
e educados, quando j se tenia feta remessa da saccao com o referido engenho Guerra, escravos,
heranca para aquelle paiz ? Quem quer que deva ; animaes, utensis para o fabrico de assucar, safra,
prestar-se aos alimentos, quando dever exigir o! 1ue tad0 esta hypothecado para garanta do paga-
pagamento das despezas, se quando lornarem-se' roento das letras aceitas pelo dito Oliveira pela
aquelles emancipados, ou em cada bennio, e se as compra do referido engenho na importancia de
cootas dellas devem ser justificadas no Brasil ou! 24o':o00*. afim de que qualquer fique logo certo
perante a justica, ou governo da naco que Pe- 1ue algum negocio ou transaccao que fizer, ser
dro pertenca ? Pede-se aos Srs. jurisconsultos se nullo. Recife, 2o de abril de 1864.
dignem dar solugoas presentes duvidas.
D. Mathildes Marcelina dos Passos.
Procurador
Manoel Pedro de Alcntara.
Thesoureiro.
O Rvd. padre mostr frei Antonio de Santa Rila.
O guardio,
Fr. Joao Baptista do Espirito Santo.!
Proposta.
Pedro, subdito estrangeiro de naco, em que o
direito publico ne reconhece como cidados della
os filhos de seus subditos, uascidos em paiz estran-
geiro, rasou-se no Brasil e ah veio a fallecer dei-
xando filhos menores, que pela nossa constiluico
sao brasileiros : o cnsul respectivo, em vista do
novo tratado consular, arrecada os bens deixados
50 de 1853, na sala das sessoes da cmara muni-
cipal desta cidade, as II horas da manha, na esn-
formdade do art. 44 das instruc(des n. 722 de 25
de outubro de 1850, aiim de tomar conheciraento
dos recursos que versarem sobre os casos indicados
no art. 33, e que forera interpostos pela maneira
determinada no art. 38 das ditas insiruccoes. E,
para constar a quem convier, mandou publicar |
pela imprensa.
Secretara do comraando superior interino da
guarda nacional 9 de julho de 1864.
Firmino Jos de Oliveira.
Secretario.
DEGLAR1C0ES.
Eleico da mesa regedora e dos devotos qae teem
de concorrer para a testa de Sania Itita de Cas-
sia, no anno de 1861 1863.
Juiz por eleifo.
O nosso irmo o Illm. Sr. Jos Norberto Castello
Branco.
Juiza por eleicao.
A Esma. Sra. D. Annunciada Camilla Alves da
Silva.
Juiz por devoco.
O Ilhn. Sr. Francisco Magarinos de Souza Leo, fi-
lho do Illm. e Exm. Sr. commondador Dr. Do-
mingos de Souza Leo.
Joiza por devoco.
A Exma. Sra. D. Maria das Dores de Souza Leo,
filha do Illm. e Exm. Sr. Dr. Luiz Felippe de
Souza Leo.
Jotaes
Jos
conflicto. Al* da morte do subdelegado, sahiram
ferios dous filhos delle e om Joaquim ftibero, lo-
grando LeiiSo evadirse.
ET noiavel, porm, segundo as tnesmas InfOrma-
floes a qne nos referimos, qne esse teluWseja um
nomem idoso, religfem e de bons preeedi(|entos.
Amanhaa reunem-se os collegios ehsfloraes da
provincia para elegerem os 3 membros qae devem
compr a hsta triphee, que ha de ser apresentada
aeseetha o S. M. houerador, para preenebimen-
to da vaga deixada no senado peto Sr. conselheiro
Paes Brrelo.
Segusda-feir* abre-se a seese jtid*ehwia
do jury desia capital.
Preside a mesma sessio o Sn. Dr. MaMM Jos da
Silva Neivas, miz de direito da 2* vara criminal.
A Associacao Bibtiotttecana Pernambucana,
insudada nesta cidade ha pouco, e cujo im dar
a estompa obras 00 liiieralura, procedaudo a elei-
<;ao da sua mena administrativa, foram eJets os
tenhores;
protectores,
nao diminuto, e que em cada um delles sao em- ,1,m- e E*m. Sr. Barao de Utinga.
pregados de 2 a 6 pas de familia, pelo que nao! E os Blras. Srs. : '
pode ser fabuloso o lucro que a cada um cabe t \ Dr. Alexandre de Souza Pereira do CarrOo
Nao sabe tatnbem que para a conservacao desses Dr. Pelippe de Souza Leo
pequeos barcos se tornara necessarias certas Jos Maximiano Pereira Vianna
despezas 7 Sem dovida I E, como, pois, pode se
avancar taes proposicoes ?
Infelizmente nisso mesmo que consiste o pro-
gresso qoe se prometteu ao paiz, illudindo-se a boa
f de qoe se deixeu possuir a populaco. Impostos
sobre impostes, vechames sobre vechames I O que
se quer e dinheiro e mais dinheiro.
Airtda se vissnios em pratica uma conveniente
applicacio desses impo9tos, soffFeriamos calados:
o bem publico nao aconselharia a 'isso, e o nosso
dever de cidadio amante de sua patria nos levara

doSr.
Manoel Custodio Peixoto Soares.
Major Joaquim de Souza Leo.
Juizas protectoras.
As Exmas. Srs. :
D. Maria Amelia de Pinho Borges, mulher
commendador Antonio de Souza Leo
D. Francisca Carolina de Pontes Tasso, mulher do
Sr. Jorge Tasso.
D. Maria Joaquina Raza de Souza, esposa do nosso
irrrrao o Sr. capito Antonio Jos Rodrigues de
Souza.
a prfsi*JL!odo a|)OI a taes medi<} ; mas, o que D. Helena Joaqoina de Castro Mello, mulher do Sr
ye v ? Emquanto se fazem extorsoes em rrome da Antonio de Paula Mello,
le e a titulo de beneficio para a sociedade, esbn- D. Margarida Maria Rodrigues do Nascimento' mu-
jatn-se os dirmeiros pblicos por todos os meios e Iher do Sr Manoel Maria Rodrigues do Nasci-
modos 1 ment.
Quo importa que o pobre seja reduzido mise-
ria e ao desespero t
Que importa que a nova era comece por se ma-
ifnstar tio assutudoM ?
Nada por certo.
Rodem algunas ricas berlindas e est felfa a
felicidade do povo e est salva a patria.
Ninguem ignora que a classe empregada no
D. Joaquina Baptista de Souza, mulher do Jos An-
tonio de Souza.
Escrivo por elei ci.
O nosso irm3o o Sr. Joo da Mattn Beltro. /
Escrivaa por lelco. <,
A Exm. Sra. D. Maria Valeria Maciel da Silva. .
Escrivo por devoco.
0 Illm. Sr. Jos Joaquim Gomes de Abreu.
O perfume do hemispherlo oe
eidental.
O perfume o mais balsmico e aromtico de
fuantos se eonhecem por sem duvida a agua de
lorda de Murray & Lanman. E* o verdadeiro
espirito, a verdadeira essencia das Adres encerra-
das, qual asmodeo em uma garrafinha de crysUl.
O seu aroma fresco qual o de um ramalhctere-
cem colhido e composto de odorferas flores, e
mesmo depois que este murcia e perde seu chei-
ro, este perfume indestructivel permanece no ob-
jeeto que ha tocado to puro e delicioso como no
firincipio. No salo calido, no banho, como en-
ogualorio aromtico, como aroma fino e delicado
para o lenco, vestidos e a pede, ou diluido como
meio anti-irriUnte para depois de se ter feito a
barba, sobrepuja e excede a todas as mais aguas
aromticas para o toucador, inclundo at mesmo
essa to afamada agua da Colonia, de Joao Maria
de Faria.
Acha-se venda em todas as principaes droga-
ras e iojas de perfumaras.
COMMERCIO.
Alfandega
Rendimento do dia la 7 ........
dem do dia 8 .............
188:594*000
28:637*352
217:234*352
Movimento da alfandega
Vol umes entrados com fazendas...
c com gneros... 432
Vbluraes sahidos cont
c com
432
c
1:460
fazendas... 102
gneros... 1:388
Descarregam no dia 9 de julho.
Polaca italianamassidne o resto do carrega-
mento.
Brigue nacionalNove Almirante diversos g-
neros.
arca portogueza- Corsodem.
Brigue inglez- fri's vinhos e sal.
Barca liogleza0maresto de pedre do calca-
mente.
O abaixo assignado, lancador do consulado
provincial, avisa aos senhores proprleurios de pre-
dios urbanos e donos de estabelecimentos das fre-
guezias do Recife, Santo Antonio e Boa-VisU, que
sendo nomeado por porUria do Sr. administrador
do mesmo consulado, dauda de 20 do corrente
mez, par? proceder aos differentes lancamenlos dos
Impostos j creados, e ltimamente outros creados
pela assembla legislativa provincial, e que dando
principio aos seus trabalhos no da 22 pela fregue-
zia do Recife, pede aos mesmos senhores que te-
nham promptos os seus recibos, e mais documen-
tos inherentes ao que diz respeito, afim de qoe
possa proceder cora regularidade e sera vexarae
das parles, o referido laucamente.
Mesa do consulado provincial 25 de junho de
1864.Joo Pedro de Jess da Matta.
Arrecia lacao
No dia 9 do porrente julho, linda a audiencia do
juizo municipal da 2* vara, escrivo Baptista, ser
arrematada em hasta publica desse juizo, a mei-
agua n. 33, siu na ra de llorUs, fregueza de
Santo Antonio, pertencente Andr de Abreu Por-
to esua mulher, em virtude da execuco que Ihes
move a Santa Casa da Misericordia desta cidade.
O primeiro secretario da assembla provin-
cial recete propos^* para o fornecimento de uma
motiilia de Jacaranda Lat XV, coinposta de 40
cadeiras de bracos, e destinada mesma assembla.
As propostas deverao ser apresentadas at o dia
20 do corrente, na ra Augusto n. 114, e satisfa-
zer as seguntes condicoes :
1.a A mobilia nao ser de valor superior a ris
1:500*;
2." As propostas sern acompanhadas do dese-
nlio ou modelo das.cadeiras que tem de ser for-
necidas;
3." O prazo para a entrega da obra nao excede-
r a Janeiro do anno futuro.
Recife, 2 de julho de 1864.O offlcial-maior in-
terino. Francisco Xavier Carneiro Lins.
razo ma nacional.
Tendo a caixa filial, como liquidataria da massa
de Joaquim Lucio Monteiro da Franca, annunciado
vender em leile diversos bens dita massa per-
tencentes, o abaixo assignado declara que os terre-
nos de marinha ns. 213, 262, 278, 287 e 28, silos
na praia de Santo Hita, se acham penhorados para
pagamento do que deve o mesmo Franca fazenda
nacional. Recife, 7 de julho de 1864.0 solicitador
da fazenda, F. .V. P. de Britto.
Coiisiil;i 1I0 provinbial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publico
que no dia 7 de julho corrente (indam-se os 30
dias uteis marcados para a cohranea bocea do
cofre do 2" semestre do auno Onaneeiro (indo de
1863 1864 dos impostos da dcima urbana, do
consumo de agurdente, e de o 0|0 sobre os bens
de raz pertenecntes corporacoes de mo mora,
ficando snjetos a multo de 3 0|0 sobre os seus d-
bitos lodosos que pagarem depois daquelle dia.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco
1 de julho de 1864.
Antouio Carneiro Machado Rios,
Administrador.
Consulado de Portugal.
Sao chamados os credores do ausente Manoel
Correia de Souza apresentarem dentro do praso
de 15 dias os seus ttulos de crdito para serem
verificados. Recife 27 de junho de 1864.
Conselho administrativo.
0 conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra lera de comprar os objectos se-
guntes:
Para o 9 batalhao de lnfantaria.
Espadas com baiuhas de ac 2, fiadores de couro
preto envernisado 2, talhins de dito 2, cananas de
dito 2.
Para a enfermara do corpo da guarncao
da Parahiba.
Jarras de barro 5, copos de vidro para agua 6,
copos pequeos para remedio 4, calix 3, colheres
de sopa 48, colberes de cha 20, casticaes de lato
2, escarradeiras de lato 64, espaleita de osso 1, ta-
Hieres 36, cacarolas 2, chicaras de louca 20, pires
10, ournos de louca 21, pratos de louca 80, cha-
leiras 2, manteigueira 1, bule 1, caldeirdes 2, bao-
deija 1, cobertores de la 34, barretes de la 118,
camisas de flanella 6, meias de la 8 pares, col-
chos 52, travesseiros 57, oleados para camas 2.
pedra de aar 1. cliuellas 79 pares, cubas 2, ba-
cas de rame 1, rede de topoarana 1, brim bran-
co 409 1)2 varas, algodozinho 391' lj2 varas, chi-
to 810 covados.
Quem quzer vender toes objectos aprsente a
sua proposla em carta fechada na secretoria do
conselho s 10 horas da manha do dia 8 do cor-
rente. .
Sata das sessdes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 27de iunho
de 1864.
Antonio Pedra de S Barreto,
Coronel, presidente.
Sebaslio Jos Bazdio Pyrrho.
Vogal secretario.
Arrematado.
No dia 9 do corrente julho, linda a audiencia do
juizo municipal da segunda vara, escnvjo Cunha,
sero arrematados em hasta publica desse juizo, va-
rios movis, penhorados Caelano Aureliano de
Carvalha Couto, na execugao que Ihe move Jos
Caetono de Albuquerque. os quaes ovis vo
praca com o abate da lei.
O juiz de paz do segundo districto da Jregqe-
zia de Santo Antonio da cidade do Recife, continua
a dar audiencia as quartas-feiras e sachados : na
casa de sua residencia, na ra Direila n. 10, e sen-
do esses dias Impedidos, nos antecedentes ao meio
dia.
Quem quzer vender toes objectos, aprsenle a
sua proposto em carta fechada na secretoria d'
conselho, s 10 horas da manha do da II d
corrente.
Sala das sessdes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 1 de julho de
1864.
Antonto Pedro de S Barreto,
Coronel-presidente.
SebmttiSo dose Basilio Pyrrho,
Vogal-secretano.
O
Por motivos imperiosos deixa de ler ru-
gar o espectculo annunciado para dorniogo.
0 qne lera lugar para quando de novo se
annunciar.
atoos mam.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegaco costeira a vapor.
Hita de Fernando de .Weaha.
No dia 14 de julbe ao meio da
segu o vapor Varakiba, roraman-
dante Martins, para o presidio de
Fernando de Noronha. Recebe ja
_ 'carga at o dia 13. Encommi-n-
das, passgeiros e dinheiro a frete at o dia da
saluda as i 1 horas escriptoro no Forte do Mal-
los n. 1.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Mavega^o costeira a vapor.
Parahvha, Natal, Mario. Aracalj, Oara e
Acaraei.
No da 22 do corrente seguir..
para os portos cima indicados un<
dos vaporesda companhia Per na m
bncana. Recebe carga at o dia
21. Eucommendas, passgeiros e-
dinheiro a frete at o dia da saluda as 2 horas da
larde: escriptorio no Forte do Maltes n. 1.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul esperad-
at o dia 14 do corrente o vapor
Paran, commandante o rpita'
de fragata Santa Harlara. o qua:
depois da demora do cesturoe se-
guir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passgeiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever-
ser embarcada no da de sua chegda, encoranvr
das e dinheiro a frete al o dia da sabida as 2 ho
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tnoLio uiz de Oliveira Azevedo & C
5
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte esperai'c
at o dia 1 7 do correnle o vapor
Princeza de iotnrilte, cororaau-
danle o primeiro tenente Aranjc
o qual depois da demora do ros -
turne seguir para os portos do sol.
Desde j recebem-se passgeiros e eagaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever..
ser embarcada no dia de soja ebegada: eacom-
mendas e dinheiro a frete at dia da sabida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muito brevdade o veleiro e
bem conheciJo palhabote nacional Piedaie, tem
parte do seu carregamento engajado : para o res-
to que Ihe falto e escravos, a frete, para os quae-
leni excellentes commodos, tratase com os seu<
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
la da Cruz n. I.
fara o Aneaty t Ceart
pretende seguir cora muita brevdade o hiate na-
cional Dous Amigos, tem parte de seu carregamen-
to promplo ; para o resto que Ihe falla, trata-?
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio roa da
Cruz n. 1, ou cora o capito no trapiche do algodo.
itlo Craatde dio ni.
Sabe na seguinte semana o brigne aaeiona!
Mrquez de Olinda, recebe carga a frete enano-
do : a tratar no escriptorio de Manoel Ignacio de
Oliveira & Filho.'largo do Corpo Santo n. 19.
Segu com brevdade o hiato &mf Hit*, letn
parte da carga, e para o resto trato-*, em Tajeo
Irmaos.
-----
LEIL5ES.
.K
IdKlULO
. UncabrinleteanoatiMeavalIt.
Aureliano Augusto de Oliveira, autorisado por
uma pessoa de sua amisade vender n Miad, om
cabriolet e um cavaMo de Carro, bom tratador,
talvez um dos melboses que beye listo neata
praca.
lo sabbado 9 do correte, na praca da Capim,
na cocheira do Sr. Joo Henriqoe, s 11"

ILEGVELi
--------------------~-



\
Diario 4f HfMhHf Mfchad* luln* de !*
S>
LSILAJ
DE

Brigue nacional Algrete.
Styaadar />orfa da associapio wmmercial.
0 agente Pinto far lio requer ment de
Joaquim Juvencio da Silva e por despacho do Illra.
Sr. Dr. jali de orphos do brigue nacional Ale.
grete ancorado neste porto, coin todos seus per-
tences de confonnidade cora um inventario exis-
tente em poder do raesmo ageate, o leilao ser
effectuado no dia, hora e lugar aciraa dito poden-
do os pretendentes examinaren) desde ja o mesmo
brigue.
LEILAO
DR
IHV ESCRITA
O agente Almeida far leiliio requerimento dos
administradores da rnassa fallida de Paria 4 G. e
por mandado do Illm. Sr. Dr. jniz especial do
commercio de urna escrava de nome Benedicta,
aprehendida ao socio fugitivo da mesma Arma
Juvioo Carneiro Machado Rios.
Segenda-feira H 4* crrenle.
O leilao ser effectuado no armazem da ra da
Cadeia do Reeife n. 48, s 41 horas.
LEILAO
DE
BOUS K(AVOS
O agente Almeida far leilao por eonta e risco
de quera pertenner de dous escravos sendo ura
niulatinhe de 14 anuos e um negro de naeao de
40 annos pouco mais ou menos e de bonita figura.
*egiintl:-felra II do corrate.
As 11 horas do dia no armazem da ra da Ca-
deia do Reeife n. 48.
Eeilao
PR EDIOS
Um sobrado na ra Imperial n. 64, com 40 pal-
mos de frente, 180 de fundo, tendo no andar ter-
reo liis salas, alcovn, gabinete rom ura quarto,
cosinha e um grande salao cora 7 ruartos, o pri-
meiro andar (em urna grande sala} 2 alcovas, 1
quarto no corredor, sala de detrazcom 2 eamari-
nhas, urna grande sala de jantar, i cosinha e um
quarto ao lado, nm grande soto cam urna sala e
4 quartos, grande cisterna, carinaba, estribara'
cocheira e i grande quarto para guardar carro-
cas, 2 grandes quintaes tendo um (fifelles um bello
jardim, o nutro plantado com diversos ps de sa-
potizeiros e outros arvoredos, tiendo ambos 200
palmos de largura e 140 de fujirao.
Lua casa terrea ftCmsa ra n. G6 cora 2 por-
tas de frentez'2's'las, 2 grandes quartos, cosinha,
quintaji.'ccimha e mais 2 quartos tora.
--"Wn sobrado de 2 andares na ra do Livramento
n. 9, teudo cada un andar 2 salas e um quarto.
Terca-feira 12 de julho.
O agente Almeida far leilao por autorisacao da
caixa filial dos predios cima mencionados, por-
ta ua Associacao Coinmercial, s 11 horas do dia
cima.
LEILAO
DE
Predios, terrenos alternados e ala-
gados
O agente Almeida legalmenle autorisado pela
caixa tilia!, romo liquidataria da massa fallida de
Joaquim Lucio Monteiro da Franca, far leilao da
propriedade onde morava o dito fallido, cuja pro-
priedade tem rauitos commodos para moradia,
grande armazem, urna magnifica cisterna que de-
posita duzenlas pipas d'agua c militas outras com-
modidades, que a torna uina habitacao deleitavel,
assim como urna fabrica de sabio com alguns per-
tences existentes na mesma propriedade, um bello
terreno murado e com caes annexo mesma fa-
brica, e outros trrenos alagados juntos fabrica.
Terca-feira 12 do correte porta da Associa-
cao Coramercial s 11 horas do dia.
U wesino aguate se presta qualiuer informa-
cao exigida pelos pretendentes.
LOLAO
DE
Mclatle de urna casa terrea, no neceo
do Boi, amigamente Joo Fer
n a mies.
O agente Almeida, autorisado competentemente,
far leilao da parte da casa terrea n. 1 no boceo
do Boi.
Terca-feira 12 do corrente porta da Associa-
cao Coinmercial s 11 horas do dia.
AYISQS DIVERSOS.
- Os senhores que tem le-
vado por emprestimocollecoes
deste Diario, queiram man-
da-las restituir com brevida-
de pois silo precisas.
SAMO 4 LUZ
E EST A VENDA NA LIVBAtUA DO Slt. GEltAI.DO
RL'A ESTItF.ITA DO ROSARIO N. 12 AS
NOCES
DE
PARTIDAS DOBRADAS
OFFERECIDAS
A Associacao Coinmercial Beneliceale
DE
i>i:h\imiii(0
POR
ftl Fonseca de Medeiros.
Aos 10:0O$OQ0.
Corre hoje.
Sabbado 9 do corrente mez se extrahir
a segunda parte da primeira lotera da igre-
ja de N. S da Boa-Viagem, no consistorio
da igreja de N. S. do Rosario da freguezia
de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se
venda na respectiva thesonraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 10:0000000 at 20,5000
serio pagos una hora depois da extraego
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distrihuico das listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
numu" "^ nuui iSuw n sw--.
0 cirurgio Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queiraade para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazein Progressista, aon-
de o aehiM&o como sempre
prompto a qnalquer hora pa-
ra o Keroieio^de swhfe-
fisso, chamfc por escripta.
Aluga-se o armazem da ra do Imperador n.
)3 a tratar na mesma ra armazem de louca
0.41.
Ao aviso importante dos Srs. Paren-
te V'iamu k C.
Em vjrlude do que j fez publico oeste concei-
tuado Diarto de 30 de juoho e t do corrente, Oze-
rara os Srs. administradores da massa fallida de
meu eunhado Sr. Fraariaco Gomes Castellao,
transcrever o theor de ata cbatimento de impos-
to da loja de cateado na rtaa tespa do Rosario n. 24
querendo con MKlfcuv pablicarao ver se des-
truan) a verdad do que expuz, quando disse que
trabalhava em bou de meu eunhado, esse docu-
mento su aiguraa eousa prova em favor de minlia
franca e verdadeira ei|iosieo. e quem inorar
que deveria ser meu cimbado o'conectado, ma= vai
muita differenca de figurar o estabelecimento em
nome desta ou daqoella pessoa, a ser sua proprie-
dade o que bem sabido pelos Srs. administrado-
res.
Portanto, repito, posso ser reputado devedor
massa, logo que se verifique o que esta pagou por
debito relativo ao estabelecintento decalcado, le-
vando em conta o que o mesmo produzio pelo ares-
to que recahio em favor dos mesraos senhores ad-
ministradores mas jamis se pdem reputar
perteneer massa as dividas que ininha pro-
priedadi'.
E a prova se os senhores administradores ti-
nham conviego que a loja de calcado era proprie-
dade de meu eunhado, para que nao exigirn) do
curso da fallencia a exhibilo da escripia desta I I
se nada disso se fez nem a reqnisicao dos senhores
curadores liscaesnem raesmo do mu i ;':gno juizo de-
pois do interrogatorio e declararn do fallido, com-
provados por cinco testemunhas porque reconhe-
ceram que esse estabelecimento nao era proprieda-
de de meu eunhado, e se foi envolvido na massa
porque tinlia sido penhorado por debito a elle re-
lativo.
Nao vem os senhores administradores que com
semelhante procediraento irrogara urna censura
nao so aos senhores curadores fiscaes como ao pro-
prio juizo que s depois de um rigoroso exame o
de inteira conviego de seu acto que prolerio sua
sentenca deixando de examinar minha escripia por
reconhecer que a declaraco de raeu eunhado pro-
vado com as testemunhas lizeram sufHciente prova
ao nieu direito.
No entretanto os senhores administradores fa-
zem-se desconhecidos de todas estas circunstancias
de que elles tem a maior sciencia, s com o lira de
poder desconceituar o homem que elles j o tem
feito passar pelas maiores decepg5es, e isto devido
a influencia de um commerciante a quem mais lo-
go tambem o sacrificar se cahir no seu desagrado.
Felizmente se hoje lido cora o rigor do infortu-
nio tenho a devida coragem e resiguaco de olhar
com ii.differenca para os nieus perseguidores.
Sabem os senhores administradores que erraram
quando cntenderam me poder desconceituar tor-
nando-se meus encarnizados inimigos, pois que os
seuhores administradores nao ignoravam qne tudo
fiz para dar solucao de meus deveres a pontos taes
de me sacrificar, mas qulzeram ter mais esta glo-
ria I e a nao ser assim outro deveria ser o pro-
cedimento, porquanto nao ignoram que direito al-
gum tem us minhas dividas a nao ser o crear-mc
embaracos a alguns fracos recebimenlos que po-
desse irfazeudo. Felizmente est hoje o seu pro-
cedimento no conhecimento publico que anda es-
pera pela rcalidade desse annuncio todo pejado
de injurias lile que at hoje anda nada prova-
rara.
Portanto est intoiramente provado que nao foi o
interesse da massa que os obrigou a desacreditar-
me, antes se pode ajuizar que foi esse o meio que
proeuraram para prolongar por mais tempo o divi-
dendo 1 mas a verdade ha de sempre sobresahir
a mentira I e a calumnia embora esta se attavie
com os brilhantes ornatos da riqueza e aquella an-
de coberta com os andrajos da miseria
Protestando nenhuma resposta mais dar aos se-
nhores administradores, que se tem consciencia do
que com tanto afn lizeram publico ah estao os tri-
bunaes do paiz para onde os desafio.
Recite, 6 de julho de 1864.
Antonio Jos Morara Ponte*.

Olimpio Ferreira 4a SHva
AGKXI DE LEII.5KS
Ra da Cadeia do Recite n. 48,
Primeiro andar.
CASA DA FORTUNA.
AOS 10:000,000
Bilhetes garantidos
A' roa 4o Crespo 23 e casas do tostume
O abaixo assignado tendo vendido nos sens rnui-
to felizes bilhetes garantidos o meio n. ;i327 eom
a sorte de lOOOjOOO, e n. 928 com i:400 e ou-
tras muitas de 200*. 100, 4 e 20* da lotera
' que se acabou de exlrahir beneficio da nrreja de
Santo Amaro de Jaboalo, convida os possuidores
de-ditos bilhetes a viren) recener seus respectivos
premios sera os descontos da le, era seu estabe-
leci meato ra do Crespo n. 23.
1 O raesmo tem exposto venda os no vos e felizes
bilhetes garantidos a beneficio da groja de N. S.
i da Boa-Viagem, que se extrahir sabbado 9 4o
corrente.
Freeoa.
Bilhetes inteiros..... 12*000
Meios......... 6*000
Qaartos........ ;*080
Para as pessoas que compraren)
de 100* para cima.
Bilhetes ....... 11*000
Meios. ........ 5*500
Quartos........ 2*750
Mantel Martin Fivza
Ao Sr. Ellas Cordelro Cin-
tra preelsa-se fallar a negocio de
seu interesse, na padarla da ra
Direlta n. gf.__________________
Arrenda-se, vende-se, ou raesmo troca-so por
casas na praca um sitio aa Varzea margera do
ameno Capibaribe, com duas grandes casas, com
7 quartos, 4 salas, 2 cozinhas e ura sol ai, tendo a
parte cocheira, estribara, e quartos para criados,
todo plantado de arvores de fructo, abacates, sapo-
tis, fructa-po, limao doce, limas de umbigo e da
Persia, larangeiras de umbigo, seletas, tangerinas,
etc., um grande cafesal com fruetas, jaqueiras,
mangueiras, coqueiros, dendezeiros, com mais no
fundo urna casa de taipa, e bem assim mais 4 ca-
sas de lijlo acabadas de pouco tempo, com frente
para o nascente, muito frescas, tendo cada lima 2
salas, 2 quartos e cozmhn fra : os pretendentes
dirijam-se ra do Queimado n. 27, loja de fazen-
das dos Srs. Custodio & Carvalho.
Aluga-se um sitio na estrada da Ponte de
Uchoa e a margem do rio, pouco adiante do Illm.
Sr. commendador Nery Ferreira, tendo banheiro,
palanque, galinheiro e outras acommodacSes; e
outro dito no Monteiro, em frente ao oitao da igre-
ja : a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Sou-
za, ra do Crespo n. 15, ou estreita do Rosario nu-
mero 32.
Os liquidalarios la massa do Jos An-
tonio Bastos convidam os credores da mesmn
a receber o segundo dividendo, ra do
Trapiche n. 34.
Na praca da Independencia, loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commeuda, e todo e qualquer coucerlo, e igual-
mente se dir quem d dinheiro a premio.
.-\luga-se o armazem da casa sita na i ua de
Apollo n. 47, eo primeiro da casa sita na ra da
Senzala Velha n. 22 : a tratar na ra da Cadeia
n. 44.
ILTQRI0 MEDICO-CIRLTRGICO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSCOSO,
9IED1CO. PARTB1RO E OPERADOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundo 3
0 l)r. Lobo Hoscosa d consultas gratuitas aos pobres todos os dias das 7 s i
horas da manhSa, e das 6 e meia s 8 horas da noile, excepeo dos dias santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precas seguintes
Carteirasjle 12 tubos grandes. I2i5000
* de 24 tubos grandes. 18000
de 36 tubos grandes. 240OQO
de 48 tubos grandes. 30^000
de 60 tubos grandes. 350000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fker, e cora os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meta onca 10' 00.
Senda para cima de 12, custaro os procos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LIVROSo
A methor obra da homeopathra, o Manual de Medicina .Homeopathico do Dr. Jahr,
dons grandes volumes com diccionario............ 20H)00
Medicina domestica do Dr. Hering,........... 100000
Repertorio da Dr. Mello Moraes............. 65000
Diccionario de termos de medicina ........... 30000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
to de serem novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios ver-
daderos, enrgicos e duradores: ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadero assucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparacao, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de saiide para escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
! operaco, para o que o annunciante julga-se sufficientemente habilitada.
I O trataraento o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 20000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 10500.
As operaces seo previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
DE
DE
J. VIGNES.
X. 55. RA DO IMPERADOR IV. 5.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobre o
sua supe oridade, vantagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas incontesta-
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos
suindo um teclado e machinismo que obedecem todas as voatades e caprichos das pianistas, sem
nunca falhar, por seren fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhoramentos importan-
tissimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito agrada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fnzem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Paris, socio
correspondente de J. Vignes em Coja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido e variado sortimento de msicas doi
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendido por
precos commodos e razoaveis.
Btm e barato
Um relogio de oaro patente inglez do melhor fa-
bricante de Liverpool : para ver, m na do C:espo
n. 2, livrana.
Precisa-se alugar um moleque para o enico
de urna casa : na ra estreita do Rosario n. M.
Mansueto Prsico, Iagi:io Prsico. Faver
Prsico, Biaggio Janino, subditos italianos, reliram-
se para Europa.
Precisa-se de ama ama para todo o serrino
de duas pessoas : na ra estreita do Rosario n. 18,
primeiro andar.
frccis.i-i-' era um engenlm poacft disuada
da va frrea, de um hornera para *Boar Utim e
francez : quem estiverhabilitado, quena dirigirse
para tratar ra do Imperador n. 73, primeiro
andar._______________
A. Narcyrare retira-se para Inglaterra.
Joo da Silva Ramos, medico pela l'ni
versidade de Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhia, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentrs
ea suas casas regularmente as horas
para isss designadas, salvo os cases ar-
gentes, que serio soccorridos em qual-
quer occasio. D consallas aos pobres
que o procuraren) no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhia.
Trra sna casa de sade regularmente
montada para receber qualquer toeote,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodos apropriados e nella or-
tica qualquer operaeau cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe .15000 diarios.
Segunda dita.... 2*500
Terceira dita.... 20000 >
R*te estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle c*ti-
nue a merecer a confianza de que sem-
pre tem gozado.
Eii

-a -3 =
Si S
n w> ^
1 J* g
O V d
s s ? a
' a. o
S g, _
1111 *
o 2.
> *
{'.
Veniie-se o engenho Diamanle sito na
comarca de Goyanna, urna legua distante
da cidade, com excetlentes trras de plan-
tacao e muilo boas obras : quem o quizer
comprar, dirija-se ao Kecife casa dos!
Srs. Joao Pereira Moutinho ou Rocha & Li-
ma, na ra da Cadeia do Reeife, e em
Goyanna ao Sr. Trajano da Cosa Ribeiro.
Qualquer desses senhores, poder dar in-
formapes sobre o engenho e indicar a pes-
soa com quem se dever tratar.
Desde o dia 24 do mez de junho acha-se fu-
gitivo o escravo Ambrosio, com os signaos seguin-
tes : estatura regular, cor preta, magro, bem feito,
ps grandes, barba suissa, falla com muita bumi-
haeo (de muilo velhaco que ), muitc conheci-
do na cidade de Olinda e Reeife, onde por muitos
annos exerceu a protissao de ganbador : pede-se
todas as autoridades, capiles de campo, pessoas,
e a cada um de per si, a captura de dito escravo, I
que poder ser entregue ra do Apollo n. 39, ao
Sr. Antonio da Rocha Aceioli Lins, ou no engenho
Outeiro de Pedro, na Luz. 0 senhor do mesmo es-
cravo protesta desde j contra quem o lenlia acou-
tado, e igualmente pagar cora generosidade a quem
o apprehender.
gomma-se
com todo o aeeio e premptidan : na ra de S. Fran-
cisco n. 68, segundo andar. Precos excepcionaes.
Miguel Jos Barbosa Guimares declara ao
commercio desta cidade e ao publico em geral,
que havendo-se finado Jos de Almeida Nones Li-
ma, que era seu socio de industria por contrato
social, tem o mesmo, como socio capitalista que
era, o.por forra do menio contrato, n prorivliT a
liipiiilarao de dita seciedade, sendo quo previamen-
te Jez inventariar o que existia na presonea do cn-
sul portuguez. E assim tem de continuar a mes-
ma firma social de <>uimarcs & Lima em liquida-
go na forma da le.
Quem precisar de urna ama para rasa de ra-
paz solteiro, dirija-so ao pateo do (-armo n. l.
Precisa-se de urna criada livre ou escrava
que saibacezinhar e comprar : na ra de Santo
Amaro (Mundo .Novo), sobrado onde niorou o Sr,
Dr. Sabino.
Precisa-se de um criado de idade de 16 an-
nos, pouco mais ou menos, sendo Portuguez tam-
bem serve : na ra Direita n. 21, primeiro andar.
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratiea de
taberna, ou admitte-se algum que qneira entrar
para socio : os pretendentes dirijam-se em carta
fechada com as inicias S. P., entregando-a na roa
do Vigario uo primeiro andar da casa n. 21
Caixeiro.
Na taberna da ra do flgario n 8, precisase de
um pequeo de 14 16 anno<, rom loa conducta
e hahilitacoes precisas para tafs estalielecimentos.
Aluga-se o primeiro andar da casa da ra
da Cruz n. 59, tendo a preferencia para escrioto-
rio, por preco muito em conta : a tratar na loja
da mesma casa, no Reeife.
0 Dr. Joao Ferreira da Silva t-eguindo nesta
data para a provnola do Cear, aonde pretende
pouco demorar-se, deixa incumbidos de sua clni-
ca os seus distinclos collejas os Drs. Pereira de
Carino, Aquino, Suriano de S >uza e Leal, aos |uaes
segundo asaffeicoes ou facilidade de occasio, po-
dero dirigir se s pessoas que eostumam jccu-
pa-lo. Para os seus negocios particulares licam
encarregados sua niulher c seu mano o bai-harel
Hanoel Ferreira da Silva. Reeife 7 de julho de
1864.
G. 0. Mann retira-se para Inglaterra
Precisa-sede urna ama forra on captiva prra
casa de pouca familia : na ra da Cadeia do [ri-
fe n. 48.
X.STREXRO V2U0).
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de |
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
Io molestias
2o
3o
Madama Nina Albet, nao se pode retirar para i
a Europa, como annuncia, antes de pagar o aluguel i
da casa n. 11, que oceupou na ra das Cruzes, e i
para esse fim dirija-se ra nova de Santa Rita
n. 19. i
AtteuQfio.
0 Dr. Cosme de S Pereira conti- M
na a residir na ra da Cruz n. 53, 158
Io e 2o andar, onde pode ser proco- )jj|
rado para o exercicio de sua profis- |3
sao medica, e com especialidade a
sobre o seguinte
de olhos;
de peito :
dos orgos geniti |l|
urinarios. j3
Em seu escriptorio os doentes se- g
rao examinados na ordem de suas ?s
entradas comecando o trabalho pelos g
doentes de olhos. iSB
Dar consultas todos os dias d s)
6 as tOda manh3a, menos nos do-{^
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
homens e meninos.
Casacas de panno preto, 355 e 300000 j Ditos de setim preto. .
Sobrecasacas idem, 305 e 250000 Ditos de ditos e seda branco,
Paletos idem e de cores, 255, 05 e.......
205, 155 e...... 105000 Ditos de gorguro de seda
155,
75,
Ditos de casemira, 205,
125, 105 e -
Ditos de alpaca, 55, 45 e
Ditos ditos pretos, 95,
55. 45 e......
Ditos de brim e ganga de co-
res, 45500, 45, 35500 e. .
Ditos branco de linho, 65,55 e
Ditos de merino preto de cor-
d3o, 105, 75 e..... 55000
Calcas de casemira preta, 125,
pretos e de cores, (5, 55 e
75000 Colletes de fustao e brim bran-
35500; co, 35500, 35 e ....
Seroulas de brim de linho,
35500 25-400 e......
Ditas de algodo, 15600 e. .
35000 Camisas de peitos de linho,
45, 35 e......
Ditas de madapolo, 25500,
25e...... .
I Chapeos de massa, pretos fran-
45000
105, 85 e.....- 75000- cezes, 105, 95 e .
Acha-se fgido o escravo de nome Antonio desde
o dia 8 de junho do corrente auno, com os signaes
seguintes : idade 40 annos, crioulo, altura regular,'
desdentado, barba feita, nariz chato, pescoco curto, I
um tanto inclinado para a frente, urna marca de
ferida no estomago, ps grossos, e as costas mar-
cas de chicote, tem cicatrizes as canellas, em urna
das mos nao abre bem os dedos, levou vestido cal-
ca parda, paletot preto ja velho, camisas brancas
duas, sendo urna de abertura bordada, 2 pares de
calcas, 1 branca e 1 parda, 1 cobertor, sendo me-
tade de estopa e metade de algodo, foi encontrado
na nbeira de Santo Antonio e no Peres : por isso-
roga-se s autoridades poliches e capiles de cam-
po que-o peguera e levem-no casa de seos senho-
res, na ra da Imperatriz n. 80, que sero multo
bem recompensados.
500$;
Por ura sitio no lugar da Capunga, com boa ca-
sa de pedra e cal para familia, tendo 3 salas e 8
quartos, cosinha fra, casa para fcitar, dita para
escravos tanque para hanho.dite para lavar roupa.
terreno propro, vveiro e rio e muitas fructeiras
de fructos, eom duas cacimbas com boa agua, em-
fim que se acha livre e desembarazada : os pre-
tendentes queiram diriglr-se Capunga Nova ao
entrar da mesma passando o primeiro porto no
segundo que achara eom quem tratar este negocio
e tambem para examinar o mesmo ; meus senho-
res chegucm ao barato.
Precisa-se de urna ama de leite : na ra I ni
perial, sobrado n. 87.
DENTISTA DE PARS
19Ra Nova-19/
Frederico Gautier, cirurgio dentista,
faz todas as operacSes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaes, tudo com superio-
ridade e pereijao, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
(.\ltlMI
PORTUGUEZ iit LMItilt EM PEIt-
MUBfJiO.
Por ordem do Illm. Sr. presidente do conselho
deliberativo convido os senhores conselheiros para
se reunirem em sesso ordinaria terca-feira l do
corrente, pelas 6 horas da tarde.
Secretaria do Gabinete Portuguez de Leitura
em Pernambnco aos 8 de julho de 1864.
Domingos Jos de Amerita.
____________________1.* secretario.
Para alugar.
Aluga-se urna sala na rda do Ojieimado n. 30 no
Io andar, ptimo para um escriptorio : quem pre-
cisar dirija-se toja da mesma -rawi.________*"
Prerisa-se de um feitor que enlenda do plaii-
tacoes, e que saiba tratar de jardlm : a tratar no
Mondego no sitio do flnado commendador Lttlz Go-
mes Ferreira.
Madame Nina Albet, retira-se para a Eu-
ropa.________________^^
Deseja-se fallar com urgencia ao Sr. Jos Pe-
reira, morador em Salgadinho, a negocio que lhe
diz respeito, na ra de Aguas-Verdes, primeiro
andar do sobrado n. 50, das 4 horas da (arde era
diante.
Na ra da Concordia n. 2 faz-sa loda a qua]
lidade de roupoes e vestidos para senhora e roeni"
as, etc., tudo com aceio e perfeicao, e preco com"
modo.__________________________________
Soeledade dramtica Uelpomi'-
ne Peraambneana
Convido os senhores socios que estiverem quites
com a caixa da sociedade, a procurarem na ra
Nova n. 9 as partes de bilhetes que Ihes toca, em
vists da distribuicao feita era observancia do ar i-
go 36 dos estatutos.
Reeife 7 de julho de 1864.
Luiz Frederico Gilly.
____________________Thesoureiro. ______
A'ra larga do Rosario nu-
'"nwfro 86.
Bercos de palha, balaios de meninos aprender
a andar, condecas altas e balsas e n. t at i0,
balaios para roupa suja n. t a 5, acafates brancos
e pintados n. 1 a 12, ninhos para vivetrbs de ca-
narios do impero^blaias-para costura chaa e ou-
tras muitas obras de vio aqui se achara e tudo
vende-sc a precos razoaveis: I
Precisa-se de Urna ama que compre e cosi-,
nhe para casa de pouca familia: na roa de Horlis
sobrado de um andar n. 30, I
Ditas de cores, 95, 85 e.
Ditas de meia casemira de co-
res, 55000 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 45500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 55, 45500, 45 e .
Ditas de ganga de cores* 35 e
Colletes de velludo preto e de
75000! Ditos defltro, 55, 45,35500 e
Ditos de sol, de seda, 125,
45000' 115, 75 e......
Collarinhos de linho fino, ulti-
450OO ma moda duzia. .
i Sortimento completo de grava-
25500 tas.
25500 Toalhas para rosto, duzia, 115,
i e........
cores, 95 e. ..*... 75000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
Ditos de casemira preta, 55 e 45000 tos e de cores.....
Ditos de ditas de cores 55 Lences de bramante de linho.
45 e........355OO Cobertas de chita chineza.. .
55000$
35000

45000 25
H
25500 m
25000 m
15400 m
25500 I
15600 m
85500
25000 a
65000
65000
5
65000
45000
35000
25500
HOSPITAL
Portuguez de Benefleencln em
l'rrnamliiicn.
De ordem do Illm. Sr. provedor convido a todos
os senhores socios do Hospital Portuguez a reuoi-
rem-se no mesmo H)spital s 10 horas da manha
do domingo 10 do corrente. para em assemhla ge-
ral ser cumprido o disposto no S Io do art. 17 dos
estatuios.
Reeife 6 de julho de 1864.
J 1 ;niin Ferreira Mondes Gaimares.
1 secretario.
Aviso
Livio de Souza e Silva, eslabelecido rom r-'flna-
co na ra da Concordia n. 8,avisa a seus fr.gue-
zes. a quem manda assucar por seus escravo.
que quando acharen) alguma falta no peso do dito
assucar, o mandem voltar da mesma forma : este
aviso tem por fim evitar a ladroeira dos ditos es-
cravos, e ao mesmo tempo livrar seu crdito de
fama pouca conveniente.
Franrisco Jos Siivcira, Joaquim Jos Sil-
veira, Manuel de S c Souza, e Manoel J a-
quim Silveira agradecen) cordealmente a
todas as pessoas que se dignaram de astis*
tir as exequias celebradas na igreja de N.
S. do Carmo pelo seu Uado pae, sogro e
av o Sr. Jos Jacintho Silveira, e convi-
da-as ouvir a missa do stimo dia, mu se
celebrar na capella do cemilerio publico,
segunda-feira (II) pelas 8 horas da mtnna
nrote 5s:
4TTB
lOI( MENOS l)E '20 A 30 POR CE\T0
mwm gnsekvah
23-Largo do Terco--23.
Joaquim Simao dos Santos, dooo deste armazem de molhados, tem feito urna grande vantagem
qnem seu armazem tem freqnentado, lquidou todos os seus gneros mais antigos que linha nao s
neste armazem como fra, e leodo feito urna grande reforma neste estabelecimento tanto em tamanho
como em gneros que mandn ir por sua propra encommenda a maior parte, qae os pode vender por
menos de que qualquer annunciante, para Isso se responsabilisa pela superior flualidade.
Atten^o.
Batatas as mais novas a 1#400 a arroba e 50 re. a
libra.
Toucinho de Lisboa noro a 280 rs. a libra e &MK)
a arroba.
Caf do Rio de primeira e segunda sorte a w e
300 rs. a libra e 8#M a arroba. ^^
Arroz pilado a 80 e WO rs. a libra e*#*00 e 1*300
Sardinha de Nantes novas a 320 rs. cada ama.
Sabao massa supenor a 180 e 1*0 rs. a libra.
Passas as mais novas deste genero a 400 rs. a libra
Ameixas franceza- com 1 e meia libras a \&.
letachinhas Ingieras novas a 240 rs. a libra.
Charutos de diversas marcas e superior qualidade
de 1*200, 14500, 25, .35 e 45.
Phespheros do gar. gWia 2**.
Velas de espermacete de 5 e 6 por libra a 540 re.
libra, e em caixa a 520.
Velas de carnauba a US a arroba e 300 a libra.
Setadinha e sag muito novo a 240. 260 rs. a li-
bra. Garante-se a suiierior qualidade.
Queijos do vapora 23300.
Vmho de Figueira, marca JAA, a oOO rs. a gar-
D" de Lisboa a 400 rs.
Dito de outros paizes a 360 rs.
Dito para negocio a 320 rs. a garrafa e em caada
se faz ahalimi'iito.
(euebra de llollaaua em frasqueiras a 6*000 500
rs. o frasca
Idem em botijas de conta a 400 rs.
Ateite doce de Lisboa fino a 600 rs. a garrafa.
Dito de carrapato a 320 rs. a garrafa.
Manteiga franceza a 560 re. a libra, e 540 em
barril.
Dita ingleza flor a 720, 800 o 900 rs. a libra, e em
barril ha abatimento.
Massa de tomate em latas de libra a 600 rs. cada
urna.
Conservas inglezas, francezas e portugaezas a 640
o frasco.
sha ver,
Alm destes gneros bu outros mullos que enfadonho seria menciona-los, Quem duvidar ve-
Alto l, meu basbaque, nem mais um passo, dei-
xe de ser carola Coreado, nao persigas a inn-cei-
cia com nojenta e miseravel gura de orangnango.
sempre envolto em um velho rasaco preto e calcas
do mesmo gosto, sendo tudo cor de burro quando
foge, e o importante chapeo de pello das heires-
quebradas, e eoberto de bodum. e sempre exalan-
do mo cheiro por onde transita esta horrenda fi-
gura, finalmente compra um espelho e mira esl
caraca que encontrars traeos do Dos Bacco.
Belga dos meus peccados, dz-me, pm fa-
zer fortuna a troco de tua nauseabunda individua-
lidade, propria s para adorno de rocheiras f Vai
plantar batatas j que nao podes com as raannas.
Avaliador da casa infernal, sabes o que peregri-
nar ? estaes habilitado a fazeres romances ? nao
conheces que em tua grande t monstruosa rabeca
de meu Juca nao sahe nada que se aproveitc? N-
jenlo e conquistador das arabias, nao era melhor
morreres afogad .> no rio de Jaboalo por canda-
de diz-me, nao vs a tua figura que causa nojo em
vez de compaixao ? Volta, desventurado Mga! I
pega na rbica do arado, vai trabalhar, KM vivas
enchendo as mas desta cidade rom a tua horrenda
figura, oceulta-te as matas de Jalwato, vai car-
pir a tua infeliz e desventurada sorte, tem com-
paixode teu velho e pobre pai. Cratinatr-se-ha.
Alugam-se as casas terreas ns. I e da ra
do Hospicio : a tratar na ra do Seve n, 2.______
Precisase fallar com os Srs. Jos Manoel da
Costa Ferreira e Manoel de Barros Wanderley, na
ra dos Pires n. 34.
Precisa-ae de um criada portagoeza m es-
crava, para cuidar de iumoos em urna casa in-
gleza de pequea familia: a tratar na ra do Tra-
piche n. 17, terceiro escriptorio.
AMA.
Precisa-se de urna ama para cozinhar : na ra
larga do Rosario n. 12, segundo andar. __^
Aluga-se a casa n. 4 da ra dos Prazeres, bm
Coelhos, cora bons commodos, cooeerlada, caiada e
pintada com perfeicao e gosto : a tratar n > seguo-
do andar do sobrado n. 36 da roa do llang-'i.
ATTEOAO
Na ra da Cadeia do Reeife n 4, pri*iro a-
dar, lira-se passaporte de esinangeros par o es-
trangeiro, e e'escratdB para o Rio de Janeiro,
tudo por preco commodo e promptidao, das 9 to-
ras da manha s 3 da Urde.________________
Aluga-se a casa do Caminho Novo n. 2, com
qualro quartos, duas satas, corredor separado, co-
zinha fra e quintal morado cora cacimba ; na roa.
do Cabug n. 11, botica.





Otarlo.
PeriabM ojbbado de Julho de i S4

Grammatica ingleza e portHgueza.
D Appleton & C. livreiros.editores e importado-
res em New-York, Estados Unidos da America,
acabara de publicar um novo roettiodo para os in-
glezes aprenderem a lingua porluguea por E. F.
Granert, i vol. 12 mo.
Antonio Luiz de piiveira At-
vedo 4*
Agente- do Banca l'nio do Porto.
Competehlemente amansados sacam p*r_ tt
os paquetes sobre o mesmo Banco para o
Porto e
Londres
Paris
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
sobre Banh o( London.
> FrederieS. Ballin&C.
Joao Gabe & Filbo.
Francisco Bahoba & Ballista.
Jaime Meric.
Este livro, o melhor at hoje publicado ex- Ijlsboa e para as sogttintes agencias
pressamente impresso para supprir a immeosa fal-
ta que ha de urna grammatica ingleza e portu-
gueza, para aqaelles qu fallam o inglez e que de-
sejam aprender a lingua portngueza.
D. Appleton & C sao os editores das obras em
hespanhol para educa cao muitissmo usadas no
snl da America. Tambero pablicam os melhores
albuns para carloes de visita. _________
Revista do instituto Areneolo-
glco e Geographlce Pernam-
hucano.
Acham-se venda os 3 primeiros nmeros, na
livraria Econmica de Jos Nogueira de Souza,
mwmm
Htmpoiao barato am
5,50o.a pecade%%
varas%
Na loja do barateiro na ra do Crespo g
n.
1.

junto &o arco de Santo Antonio, onde se subscre- Bastos.
__ ____ -"- Dnvicl lt i..
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.

para esta Bevista
Por anno-.
Nmeros avulso
54600
15500
O Dr. Carolino Francisco de Lima San- j
tos, contina a residir na roa do Impe-
rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro- ,
curado a qualquerhora do diao da noite ;
para o exercicio de sua profissao de me- |
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia at 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
I nao abandonando nunca o estudo das
> molestias de interior, proseRue, com o
; maior affinco, no das mais diOiceis e tteli-
j cadas operagoes. eomo sejam dos orgos
! ourinarios, dos olhos, partos, etc.
Beja.
Braga.
Braganga.
Faro.
Oliveira
meis.
Penaflel.
Tavira.
Villa do
d'Aze-
jGredito coramercial.
Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Angra Terceira.
Caminha.
Castelto B raneo.
Chaves.
\\

Coimbra.
Covlhaa.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa Nova
Portimao.
do
Figueira.
Guarda.
Gumares.
Lagoa.
Lagos.
Lamego.
Leiria.
Moncao.
Moncorva.
Begoa.
Setubal.
Vianna do
tello.
VMa"Real.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
Sal do AssiT
Luiz de Oliveira
no seu escriptorio ra da Cruz n?!
Vende Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
& C,
Conde.
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No IMPEHIO.
Bahia. Maranhao.
Bio de Janeiro. Para.
Qualquer somraa prazo ou vista.podendo logo
os saques a prazo serem descontados no mesi
Banco a razao de 4 por cento ao
na ra da Cruz n. 1. _____'
anno : a tratar
ttant'Aona.
Acha-se venda a novena da gloriosa Sant'An-
ua, bem impressa, e em brochura : na ra do Im-
perador n.lo\_____________________________
""Tuzebio Baphael Babello tem para vender
em seu escriptorio, ra da Cadeia n. 33, os seguin-
tes gneros i
Cera em velas.
Cal em pedra de Lisboa.
Vinho puro em ancoretas.____________________
Farinha de maudioca
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
Alves no seu escriptorio, casa n. 19 da ra da
juz
Vende-se doce de caj secco muito bom e
por prego commodo : na ra dos Pires n. 22.
0 Vritiaie da Moda.
iwiiiiiiiiii %ttencao
- Aluga-se o sitio dos Burylis na estrada do -* ^ ** A
Arraial, aonde foi a empreza de lavagem de roupa:
a tratar na ra Nova n. 50.__________________
de maio
__Desappareceu ha quatro dias um cavallo cas-
tanho, que ha pouco fez a ultima muda e anda
nao est bem manso, nem ferrado ; tem a aiga de lg6, (em revogado ^ poderes des:a procura-
um pouco grande e cahida, a cabeca muito acar- d jss0 n5o iiu Rezendo mais
__t__^ ^ _.. *-(. .i.,ro n f/unnhfk ipm urna nsra t \ -._________-_. #
O abaixo assignado declara qne havendo incum-
bido a Manoel de Bezende llego Barros a cobran-
za de dividas fra desta cidade, passando-lhe para
isso urna procuracao bastante em o mez
neirada, e da testa para o focinho tem nma nsca
branca que o faz parecer com o focinho torto : se
qoem o ti ver achado ou apprehendido quizer lva-
lo ao engenho Algodoaes, ou annunciar por este
Diario, poder ser recompensado.
O procurador fiscal da thesouraria da fazen-
da faz sciente s pessoas que tiverem negocios ten-
dentes mesma procuradoria, que dinjam-se a
thesouraria da fazenda das 9 horas em diante.____
Na na estreila do Kosario n. 34
Advogado Alfonso de Albu-
perque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas*
feiras, porm, na villa do Cabo. ____________
A praga das casas de Rozendo Alves da Sil-
va, que tem de serem arrematadas de venda, por
execucao do cirurgiao Francisco Jos da Silva pelo
juizo municipal da 1' vara, ficou transferida para
sexta-feira 8 do correte, depois da audiencia.
Attencdo
Precisa-sede moito boas costureiras para fazer
colletes : na ra da Cadeia do Recite n. 38, pri-
meiro andar._________. _______________
Precisase alugar urna prett que saina cozi-
nhar e engommar : quem a tiver, dirija-se ra
do Trapiche n. 4, que achara com quem tratar.
__ |>recisa-se de um menino para caixeiro de
padaria, de 14 lo annos de idade, prefere-se es-
trangeiro : as Cinco Pon tas n. 98.
cao.
seu procurador, nem pode mais, em seu nome,
zer qualquer transaeco, nem figurar em juizo.
Recite 7 de julho de 1864.
Manoel Alves Ferreira.
fa-
LEI4H TODOS.
O abaixo assignado avisa ao respeitavel publico,
e com especialidade aos seus freguezes e amigos,
que se acha na ra da Cruz do Recife n. 44, pn-
meiro andar, prompto para executar todas as func-
goes de sua arte de barbeiro. como sejam sangrar,
tirar, abrir, calcar e limpar denles, applicar ven-
tosas e bichas, tudo sem o menor risco e dor, para
o que pode ser procurado na casa cima a qual-
quer hora do dia ou da noite.
Joo Salustiano Coelho.
Aluga-se o terreiro andar da casa n. 48 na
ra do Trapiche : a tratar no armazern da mesma
casa.____________________________________
Precisa-se de urna ama de leite : na ra Au-
gusta n. 2, primeiro andar.
mxm mmmm mm wmwm
'M C'oinpaahia OdelIdade de
seguros martimos e ter-
restres estabelecida no
j|| llio de Janeiro.
AGESTES EM PEPNAMBUCO
S Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da compauhia de seguros Fidelida-
3S de, tomam seguros de navios, mercado-
Si rias e predios uo seu escriptorio ra da
m Cruz n I.
AGrUA FLORIDA
De Murray Carros fnebres, largo do Paraizo
numero 10.
Neste estabelecimento encontram-se carros f-
nebres ricamente ornados, primeira ordem para de-
cantes ou anjos, e bem assim de segunda e tercei-
ra ordem. O proprietario oncarrega-se de forne-
cer todo o necessario para qualquer acto fnebre,
o melhor que for possivel a contento das parles, |
tudo com presteza e precos commodos, a qualquer
hora do dia ou da noite : na mesma casa cima,
ou nos fundos desta, ra de S. Francisco numero
6 ou 18.
Bom para escriptorio
Aluga-se o primeiro andar da ra da Cruz n.
24 : a tratar na ra da Cadeia n. 57.
o publico.
O bacharel Jeronymo Salgado de Castro Accioly,
amigo advogado do tribunal da relacao e mais au-
ditorios da cidade do Recife, mudou seu escripto-
rio para a ra das Cruzos n. 21, onde pode ser
procurado para os misteres de sua profissao.
Anioiiio Jos Rodrgaos e Antonio Ferreira
Maia, subditos de S. M. Fidelissima, retiram-se
desia provincia.
E6te raro qofia delicado perfume 6
quasi que ine.xtinguivel e to cheio de
mimosa fragrancia e frescura como o
delicado cheiro das proprias verdecen-
tes flores. Durante os meces caloren-
tos do vero o seu uzo torna-sc iminen-
temente aprazivel e desejavel em con-
6equencia da influencia refrigirante e
suave qne ella produz sobre a pelle:
em quanto que uzada no banho ella
imparte o corpo lnguido e caneado
nma certa elasticidade de vigor e lorca.
Etta imparte transparencia as feigoe.*,
e remoce pannos, sardas e hertoejas di
sobre apelle-
45 Ra Direitn 45
Oigam! okaml ti
CALCADO
Bom e novo, a primeira necessidade para a sau-
de e aformoseamento do individuo I
Meu Dos I... que ps de pavo se lobrigam por
essas ras I que figura horrenda e nauseante i a
de um paletol bem talhado sobranceiro a um
quedes rodo em duas solas un balan bem tor-
neado e bambaleante dcscnbrindo urna ponta de
botina safara e carcomida I !
Santa Barbara 11 Cerram ra Direita, bellas e
rapazes I sacudaui na praia esses malditos quede
e comprcm :
Borzeguins de Nantes 8#000.
Ditos francezes de bezerro 7J.
Ditos francezes de lustre para homem 5.
Ditos para senhora, de lustre, enfeitados, 5500.
Ditos para senhora, gaspia alta, 4$800.
Botinas de menina 25500.
Ditas de cores para menina 25000.
Sapatoes de Nantes de duas solas 55-
Ditos de sola e vira 45300.
Sapatos de borracha para senhoras 15500
Ditos para meninosl5000.
Sapatos de lustre para setihora 15-
Ditos de tapete para homem e senhora 800 rs.
| Ditos da liga constitucional 500 rs.
Coincides rasos do Porto a 15600.
E um sortimento comple.o em sola, vaquetas,
couros, bezerro francez como nenhum, couro de
lustre muito grande, e tudo quanto pertence arta
de S. Chrispim.
GRANDE
sortimento de fazendas novas bara-
lissimas Ra loja e arraazera de fa-
zendas baratas na roa da Imperatriz
n. 56, loja da Aran, de Lourenco
Pereira lleudes Gninwes.
Coi tes de chita a 20400.
Vndese cortes de chitas para vestidos a 25<00
ditas de dita franceza com 10 covados a 35*00,
cortes de cassa francezes-a 25 e 25500 : na ra
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende a JfiO rs.
Vende-se fil de linho de cores a 160 rs. o co-
vado, dito branco para forro a 320 rs. a vara, tar-
latana de cores a 640 rs. a vara, lencos brancos a
200 e 240 cada um : na loja da Arara ra da Im-
peratriz n. 36.
As laziulias da Arara a 320 rs. o covado.
Vendem-se laazinhas para vestidos a 280, 320,
400, 300 e 640 o covado, ditas lisas proprias para
capas e vestidos de senhoras a 400 e 600 rs. o co-
vado : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende as cuitas para eoberta a 320 rs.
Vendem-se chitas para cobertas a 320, 360, 400
e 500 rs. o covado, dita encarnada adamascada a
500 rs. o covado: na ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Cassa organdys da Arara a 240 rs
Vendem-se cassas"organdys para vestidos a 240,
280 e 320 rs. o covado, riscado francez para ves-
tidos a 280 rs. o covado, gurgurao de linho para
vestidos a 280 rs. o covado : na ra da Impera-
triz n. 56, loja da Arara.
As chitas da Arara a 20 rs. o covado
Vendem-se chitas para vestidos de cores fixas a
240e 280 o covado, ditas francezas largas a 320,

O Vigilante est alerta, nao Ihe era permettido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto afim de annnnciar ao respeitavel publico
o grande sortimento degalantarias do melhor gosto
propriamente para qnalquer mimo, que acaba de
chegar nesle ultimo paquete, assim como mnitos
outros objectos que recebe por diversos navios,
tanto de sua conta como de consignacao, que esta
resolvido a vender por prcros muito baratos para
vender muito e ganhar pocu, e dar eitracco ao
grande deposito que tem, que espera merecer a
proteccao do respeitavel publico, empregando para
isso todas e as melhores diligencias para que fi-
quem satisfeitos : istu s no Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Ricas porta-joias.
Cofre de muito gosto por 165000
Cestinhas transparentes, forradas de madre-
perola por 185000
Lindas jardineiras
Bicos cofres com camapheo
Lindas eaininhas com pedras brancas 105U00
Lindo balan com calunga dentro tambem
para joias 165000
Tambalier para ditas 5000
Cestinhas dem idem 65000
Cosmorma idem idem 65000
Urnazinha 65000
So no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta-bonquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sintos
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e 155, ditos sern
bolea, porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35500
e 45, ricas fivelas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 15300, 25, 25500 e 35 :
so no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes on cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no brago, o mais
rico possivel, a 25500, 35500, 4, 5, 7 e 105 : s
no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alisar como para atar cabello, o mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sem elle para meninas : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Pentes
Tambem chegaram os riquissimos pentes de
ifin Iflfl un p mu rs o cvdo na loia da Ara- concha de tartaruga e de massa fina, que se vende
,60, 400, 440 e MM*. o >vaa | pQr ^ 3 e 3^ so no Vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Jos Antonio Pereira da Silva, professor par-
ticular de intruccao elementar e grammatica la
lina, mudou a sua residencia do pateo da Bibeira
para o larao di) Terco n. 33, onde os pas de fami-
lia o acharo como sempre prompto a qualquer ho-
ra para o exercicio de sua profissao.
' Offerece-se urna mulher para coziobar e en-
gommar : na.rua do Hospicio n. 58.____________
Precisa-se de urna ama forra ou captiva : na
ttocieriade de seguros mutuos Ru;( do Rosario Estreita n. 23,1 andar._________
de vida insiallada pelo Banco
Unlo na cidade do Porto.
Os agentes nesla cidade e provincia Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C escriptorio na ra
da Cruz do Recite n. 1, esto autorisados desde ja
a tomar assignaturas e prestar todos os esclarec
Quem precisar de um pequeo de 13 a
nos para criado de urna casa, dirija-s3
Aguas-Verdes n. 37.
14 an-
rua de
Precisa-se de um menino para caixeiro de
miltoqv^*^"^*^* de padaria.de 14 15 annos de idade preferindo-se
sejarem concorrer para tao til e benfica empre estrangeiro : as Cinco Ponas n. a.
as, egurando um futuro lisongeiro aos associado-
ttaqiics' sobre Portugal.
O abaixo assignado, autori>ado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer s-mma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que temarem
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na
loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
Pede-=e ao Sr. cadete (arlos deSoutoGon-
din que tenha a bindade de chegar ra de Santo
Amaro (conlinuacao da ra da Aurora), nos bai-
xosda casa .lo Exw. Sr. presidente do banco, pata
receber urna carta de seu irmao que est actual-
mente em fioyaz.
0 TOMCO (ITOT1L DE REMP
PARA 08 CABELLOS,
urna preparao admiravel para lim-
par, atbrmosear, conservar e reetabele-
cer os cabellos.
A venda as boticas de Caors & Barboza,
ra da Cruz, e Joao da C. Bravo *IC., ra
da Madre de Des._________ ;
B0TI1A BARTOLOM #fi
Ra larga do Rosario n. 34
Vende:
Todos os remedios do Dr. Chable.
Capsulas e injeccao ao matico.
Injeccao Faug3
Piluls do Dr. Alian.
Pilulas do Dr. Lavillo.
Pilulas do pobre-homem, excellentes contra rneu-
matismo.
Pilulas para sezos.
Pilulas e ungento Hollovay.
Phosphato ferro de Letras.
Todos os remedios de Kemp : pastilhas, pilulas,
an ahuita.e salsa de Bristol, etc. etc.
Eacuitos outros medicamentos e especialidades
que sempre se encontrarlo em dita botica.______
RELOGIOS,
Vende-se em casa de Johnston Pater A
C ra do Vigario, n. 3. um bello sorti-
mento de relogios de ouro patente in-
glez, de um dos mais afamados fabricantes
de Liverpool, e tambem urna variedade de
bonitos trancellins para os mesmos
ra ra da Imperatriz n. 56.
Lencos de seda da Arara a 800 e i&.
Vendem-se lencos de seda para algibeira de
homem a 800 e 15, lencos de cassa a 200 e 240
rs. : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende os veos pretos e de cores a 1#000.
Vendem-se veos pretos e de cores para chape-
I linas de senhoras pelo preso de 15 cada um, go-
I linhas para senhoras a 240 e 320 rs., manguitos a
1, camisinhas para senhoras a 25, ditas
Loques.
Biquissimos leques de madreperola, tanto para
senhora como para mocinhas, pelo barato prego de
12 e 145 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
31" is leques.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ba-
rato prego, a 85 e 105. chinezes, muito bonitos,
tambem por barato prego de 4 e 55, bentarallas
com gravatinha e punhos bordados os mais mo- muji0 bonitas tambem por barato prego de 4 e 55,
pernos que tem vindo a 45500 : na loja da Ara-, leques de charao tambem por '5, tudo isto para
ra ra da Imperatriz n. 56. | acabar, perdendo-se taivez 80 0|0 : s no Vigilan-
Arara vende os balees a 2&>00. ; te, ra do Crespo n. 7.
Vendem-se bales de 20, 25, 30 e 35 arcosa PulSPraS.
25300,35, 35500, 45, 45500, ditos de bnlhantina ; Lndas pu|seiras de conlas e de mSsanga, cores
a 45 : na ra da Imperatriz loja da Arara n. oO.' muj(0 |Qdas e de mu,,0 gos|0 a j e 1520O.
Cortes de lia a Mara Piaa 8,0 e 180. | para w,rar manguitos.
Vendem-se cortes de laa a Mana l'iaa 85e 185, Tambem chegaram as ligninbas estreilinhas de
pecas de cambraia lisa fina a 35, 3500 e 15 ; na jjorrac|,a ,|Ue as senhoras tanto precisam para se-
ru da Imperatriz n. 56 loja da Arara. gurar os man uitos por ser muito commodo e mui-
Corles de ganga a i#600 to barato, a 320 o par: s no Vigilante, ruado
Vendem-se cortes de ganga franceza para caiga Crespo n. 7.
a 15S0O, ditas de casemira a 35, ditas finas a <>51 Sapalinhos c mcias de seda,
e 55500 : na ra da Imperatriz n. 56. Riquissimos sapalinhos de seda e de merino en-
Itotipa fcita da Arara. feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorra-
Vendem-se paletots pretos de panno fino a 165- zinhas e touquinhas para as criancinhas se bapti-
145 e 125, ditos sarcos de panno fino preto e azul sarem : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
(lebrnados'defitaa95e 105, ditos de casemira a \oMillhaS.
I 65, 85 e 55, ditos de brim a 255W e 3S, ditos de vn,,nhas do pPr|as fa|sas com cruz.inhas
alpaca preta a 35e25o00, f^f^ fingiu.lo brilbaules, assim como cruziohas avulsas
^JS'IP^^SSSit^SE.^! 'Oltinhas, pelo barato preco de 14 e 15200,
a 2500 e 35, seroulas do algodao a 15600, ditas h i ^ Vigilante,
de linho a 25, caigas de brim e gangas de cores a gSLy'P" WU rs" g'^
25, ditas de brim pardo a 25500 e 35, Has bran- wespo n. /.
cas a 35500 : na ra da Imperatriz 56 loja da ^^ carresrrdelamadreperoIa proprias
Colchas da Arara a 45 ?raJ"aiquer prescnte' ,,el bara,issimo pre^ de
1 O-'-'' '' -'
Attencao
O dono da lojadoBeija-flor, na roa do Quehnado
n. 63, acaba de abrir um ouiro esparoso rtabefe-
cimento de miudezas na mesma ra n. 69, por isso
avisa aos seus freguezes c amigos, que uestes dous
estabeleeimentos encontrario sempre grande sorti-
mento de miudezas, perfumarias e oljcctos de gos-
tos-, e vender sempre mais barato que ouiro qual-
quer, como abaixo se ver.
Peites dourados de travesa.
Delicados pentes dourados de travessa para Be-
ninas a 15600 cada um, ditos sen ser dourados a
500 rs. cada um : as lojas do Beija-Oor, roa do
Queimado ns. 63 e 69.
Volitabas de aljebrts.
Lindas volitabas de aljofares com ernzes de pe-
drinhas imitando a brilhantes a 15 cada orna : as
lojas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Lavas de Jwniu
Chegaram pelo ultimo vapor as desejadas tovas
de Jouvin de todas as cores. Unto para horneas
como para senhoras : as lojas do Bcija-nor, roa
do Queimado ns. 63 e 69.
Talhcres para meaints.
Vendem-se talheres de cabo de balance para me-
ninos a 280 rs. o talher : as lojas do beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Colberes de setal principe.
Vendem-se colheres de metal principe moito fi-
nas para sopa a 35600 e 45400 a duzia, ditas para
cha a 25 e 25400 a duzia, ditas para assocar a
500 rs. cada urna, ditas para terrina a 25 cada
urna, e s qnein vende por estes pregas as lojas
do Beija-flor, ra do Queimado us. 63 c 69.
Facas e garfss.
Vendem-se facas e garios oilavados a 85800 a
duzia, ditas cravadas, cabo preto e branco a 3 a
duzia, ditas de balango de 1 bolio finas a SpSOO
rx 1 ditas de 2 bot5es muito finas a 65500 a dnzia, ditas
mSSm de 1 botao para doces e fructas a 55 a duzia. ditas
1 de 2 botoes a 55200 a duzia : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas, a pega a 15100, 15200
e 15300 : as lojas do Beija-flor, ra do Queimado
ns. 63 e 69.
Hadados bordadas.
Vendem-se babados bordados de varias larguras
a pega a 15600, 15800, 25, 25200 e 25400 : as
lojas do Beija-flor. ra do Queimado os. 63 e 69.
Lindes sapalinbes.
Vendem-se lindos sapaiinhcs para baptisados de
criangas a 153W) e 25 o par : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e -9.
Bolees para puihes.
Vendem-se hotezinhos de madreperolaede mar-
fim para punhos a 320 rs. o par, ditos encanudi-
nhos a 120 rs. o^par : as lojas do Beija-fier, rna
do Queimado ns. \63 e 69.
Filas parta debroa de vestidos.
Vendem-se fitas de laa de Modas as cores para
debrum de vestido a 900 rs. a pegx ditas pretas
de seda a 15100 a pega : as lojas do Be^ajlor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas brancas para debran.
Vendem-se pegas de fita branca de linho para
debrum a 400 rs. a pega : as lojas do Beija-nVr
na ra do Queimado ns. 63 e 69.
Ricas lilas lavradas.
Vendem-se nuiiiu ricas fitas lavradas para sinto
de senhora e meninas : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Espclbos de Jacaranda.
Vendem-se espclbos de columnas, de Jacaranda,
a 35 e 45300 cada um, ditos de matleira amarelia
a 25400 e 25800 : as lojas do Beija-flor, na ra
do Queimado ns. 63 e 69.
lilas de velludo estreitas.
Vendem-se fitinhas estreitas de velludo para en-
feite de vestido a 900, 15 e 15200 a peea: as lo-
jas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Trancas de laa para berdar.
Vendem-se traurinhas de laa pretas pan bor-
dar camisinhas e vestidos a 80 e 160 rs. a pf'taha,
ditas brancas com 40 varas a 600 rs. a pera, e ou-
tras muitas rousas que se ternario enfad<>nho men-
ciona-las, pois s coma vista se podera vero gran-
de sortimento das lojas do Beija-flor, aa ra do
Queimado ns. 63 e 69.____________^______

as
ra do
Ao publico.
O abaixo assignado declara a quem interessar
possa que elle nem urna letra assignou quer seja
como saccador, aceitante ou endossante, e nem
mesmo carta de fianga de alugueis de casa, ou ou-
iro negocio de qualquer natureza que seja em fa-
vor ao Sr. Joo Germano de Paula, seja qual fr a
transaegao em que por ventura se ache o nome
deste senhor e do abaixo assignado, contra o que
protesta. Becife, 7 de julho de 1864. '
___________ Joaquim Francisco Franco.
Aluga-se urna mulata escrava, que cozmha
lava e eugomma, isto com alguina perfeicao : a
tratar na ra do Apollo n. 35, terceiro andar.
Precisa-se de urna ama forra ou escrava que
compre, cozinhe e engomme para casa de poucaj
familia : na ra de Santa Bita n. 40, primeiro an
dar.
Arrenda-se o engeaho
Pedreiras sito na comarca de Sanio Anto
distante desta praca 12 leguas a tratar uo
mesmo engenho, no pateo do Catmo n, 1,
se daro informaces.__________________
Domingos Gomes, subdito de S. M. Fidelissi-
ma, retira-separaoPar._________________
TINTURAKIA.
Tinge-se com perfeicao para qualquer
tr, e o mais barato possivel: na ra do
Rangel n. 3. segundo andar.
COMPRAS.
Comprase
cobre e lalao: no armazern da bola amarella no
oitao da secretaria de polica.
Compra-se urna barcaga de 400 saceos, em
estado de navegar, e que seja de boa construccao,
tambem aluga-se no caso de convir : a tratar na
roa do Trapiche n. 17, primeiro andar.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilhetes da praca da Inde
pendencia n. 22.____________________^^^^
Vendem-se colchas de damasco para cama a
45, ditas de fustao a 55, ditas de chita a 25: na
ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Vendem-se gangas para caigas e paletots.
Vendem-se gangas para paletots e caigas a 440
e 500 rs. o covado, fustao para caiga a 500 rs. o
covado : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Madapolo francez a \
Golinlias.
Biquisslmas goiinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25-500 e 35: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Biquissimos enfeites com lago e sem lago e de
i outros muitos gostos a 15, 15500 e 35 "- s no Vi-
e
tica franceza,
co 30
ra da Cruz n.
na bo-
22, pre-
Vendem-se pegas de madapolo enfestado com gialnle, ra do Crespo n. /.
f N Er.fi 4 O BROW. 2 jardas a 45 e 45500, ditas de 24 jardas ns. RG | laiiCellRS.
n ? -VV 1 .i onnrrhPiw a 7& ditas n. 60 a 65300, dito moga a 75300 dita Lindos lrance|ins de cabello para relogio ou lu-
Remedto tnfalhvel contra as gnorrneas; n M a djta n ^ a85300) dita n. 7 a 105, di- neta! pe|0 baratissimo prego de 15500, ditos de
antigs e recentes, nico deposito na do- ; la ss 95j dita xx 85500, algodo muito encorpado relroz a 200 .
a 55300 e 65, dito carne de vacca a 75: na ra Bab'dinllOS entrClcioS.
da Imperatriz n. 06 loja da Arara.
- Brim de linho a i#280,
Vendc-se brim de linho para calca a 15280,
15400,15800 e 15600 a vara, brim liso para se-
J 1. roulas e lenges a 500, 560 e 640 a vara, braman-
DeriOr Qlialldade e DelO Dre- te de l.nhoa 252OO a vara tem 10 palmos
gura, bretanha de linho a 640 e 800 rs.
Charutos de Havana de su-
co seguate:
Eldorado 125000.
La flor de Albuerne 105000.
Regala britnica 115000.
La flor de morales 95.
La circassiana imperial 145.
La negra non plus ultra 185- -
La negra mulata regala imperial em caixa de 100
e 50 135 : no Bazar Pernambucano, ra larga do
Rosario n. 30.
de lar-
a vara,
Riquissimos babadinhos ntremelos com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15500, 25 e 35: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Oscarrilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
TIIi;ATltO DE APOLLO.
ttociedade dramtica Helpomc-
ne Pernambucana.
De ordem do Sr. director fago sciente aos Srs.
socios, quesabbado 9 do corrente, subir scena Compram-se Diarios para embrulho, sendo o
o'excelleule drama em 3 actosD. Raphael ou os'papel alvo a 45 a arroba : na ra do Queimado
Compra-se urna negrnha de 8 10 annos :
na ra da Imperatriz n. 20.
tos conselitos; a comedia em um actoo Hol
nudez ou pagar o mal que nao fez, e a scena c-
mica Benio do Pontinhoi.
Comegar as 8 beras da noite.
Secretaria da sociedade Melpomene Pernambu-
-cana, 7 de julho de 1064.
Joao N. A. Macil,
1* secretario.
Os Srs. Drs. Buai-que e Fe-
aeloa.
Temos esperade al boje pelo juizo dos homens
entendidos na polmica jurdica com que oceupa-
ram a imprensa os Srs. Drs. Buarque e Fenelon,
e eomo nada mais se teatia publicado sobre este
assuinpto, perguotamos quelies seohares se o ap-
pello que flzeram aos ditos homens, e a promessa
de que estes appareceriam learam para, as kaleo-
das gregas.
O homem dat noticia do momento.
Ateaciu.
Pedimos que naja providencias era urna easa
cita no largo do Paraso, que tarde da noite e
ajuntam certos individuos que rom seu pagote
jMVJudiean) o siteneio dos moradores.___________
Cavallo fgido
Fugio ou furtaram de um dos sitios da estrada
dos Afilelos um quarto eastaoho claro, castrado :
quem o pegar, leve-o ao quarto sitio depois da
capella, que fr recompensado.
ns. 15 e 17 junto ao quartel.
VENDAS.
mm se
Guia Luso-Brasileiro por I. M. de Lemos por
25000: Revista Contempornea de Portugal e Bra-
sil anno de 1859 por 55000; Obra completas de
Altare de Azevedo por 85000; Poesas te Costa e
Silva por 25500 : narua do Cahug loja n. 2 A. .
- Vendem-se caixes vasios a 1:760
cada um: na ra das Cruzes n. 44.
LAMINAS B4RVTAS.
Vendem-se laazinhas de cores Axas e de boa qua-
I idade para vestidos de senhora a pataca e esvado,
e outras muitas fazendas que o dono esta resolvido
a vender muito barato aura de apurar os cobres :
na ruada Imperatriz n. 20, outr'ora aterro da Boa-
Vista.
Vende-se a taberna da ra das Cruzes n. 1
bea afreguezada para a trra e boos commodos
para amilia i vende-se pelo dono ter de ir tratar
de sua gande.
"Vende-se a taberna da ra do Padre Floriwo
Precisa-se de um caixeiro 1
o. 30, deposito.
na roa Direita n. 41, propria para um priaripiaote, com commo-
dos para moradia; a tratar na mesma.
i-.,....,,. venoe-se gax uquiuu americano
WOSSa Seilhora fl< tarn. I qaalidade em lat Est a venda a novena de Nossa Senhora Mai pQp menos qUe ein outra qualquer parte : no ar-
Santissima do Carmo, impressa em moi bom pa- j mazem do caes do Ramos n. 16.
em mm
pe, completa, em broxura, em um volume, e tam-
bem a Salve Rainha e versos em outro volume, e
ltimamente a explicagao do Santo Escapulario ;
por prego commodo : na roa do Imperador n. 15.
algodao.
Preusas de
Os senhores prnsanos e plantadores de algodao
sao convidados a examinar as excellentes prensas
americanas de aportar algodao, que se acnam a
venda no armazern dos Srs. Henry Forster & t.,
na ra do Imperador n. 5, por baixo do Gabim
Portnguez de Leitura.
mmmmaam wmm
M Vende-se
9| em Jaboato em urna das primeiras Io-
t|| calidades de negocio o bem conhecido
a estabelecimento Progressista, de taberna
jjR e padaria com alguns fundos, muito pro-
m prio para urna pessoa que queira se de-
^ dicar ao negocio, servindo para solteiro
Wk ou casado visto a casa ter todas as com-
* modidades suficientes e estar bem afre-
guezada, por oxistir no mesmo mais ne-
gocio, porm nao convindo ao comprador
querer todo negocio, o proprietario sugei-
ta-se a vender o que a parte convier e a
vista do pretndeme se dir as circums-
cas da venda : quem convier dirija-se
ao mesmo lugar que se pagara o trans-
porte do mnibus ou na ra Direita ca-
sa n. 76, que ahi tambem achara com
quem tratar restrictamente. ,
Na mesma easa vcude-se
um carro com 6 cava los com os seus
competentes arreios tudo em bom estado
de trabalhar, f iz-se lodo negocio ou a di -
alieiro ou a prazo com garante, os apa i-
xooados aproveitem a occasio do
brim'pardo a 800, 640 e 15 a vara : na ra da Im- larguras, assim como galozmho e trancinhas pro-
peratriz n. 56 loja e armazern da Arara, a loja es-; prias para enfeites : s no Vigilante, ra do Cres-
t aberta at s 9 horasjda noite._______________ P *
Trina, VOlanteS e galoeS. Grande sortimento de lilas de diversas larguras
Vende-se trina, volantes e galoes de todas ae e qaa|jdade; por pr(.?0s que admiram aos compra-
larguras por pregos muito barato: so no vigilants doreSj havendo nas largas proprias para sinteiros
ra do Crespo n. 7.____________________ i qUe M pode vender a 300 rs. a vara, e pega de 3
n I 7 varas a 25 : s no Vigilante, na do Crespo n. 7.
u AL. i Fitas de la.
Vende-se gaz liquido americano da nie'hor f Fitas de laa de todas as qualidades, proprias para
debrum de vestido a 700 rs. a pega : s no Vigi-
lante, ra do Crespo n. 7.
Ricos espelhos,
no pateo do Parai-1 Riquissimos espelhos com moldura dourada e
sem ella de 85,10,12 e 145, assim como con co-
________________ : lumnas de differenles tamanhos a 25, 3, 4, 5 e 65:
. s noVigilante, ra do Crespo n. 7.
Lindos Jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina
Vende-se um cabriolet
zo n. 26.
Lili DE PELLICA
Para homens, niulheres e mentas.
A Aguia-branca, na ra do Queimado n. 8 rece-'paraWeite de sala,sendo'o melhor gosto que aqu
beu luvas de pellica, para homens, mulheres e tem apparecido : s no Vigilante.
eninmas___________________________________ Para pos de arroz.
Vende-se o sitio da travessa dos Remedios,; Riquissimos vasos com noneca para pos de ar-
freguezia dos Afogados n. 21, no estado em que se roz, cousa de muito gosto a 15500 e V, j
ach quem o pretender, entenda-se com o seu I mo pacotes s com os pos a 320 rs. cada um
proprietario Caetano Pinto de Veras, na roa de S. no Vig lante, ra do Crespo n. 7.
Francisco, sobrado n. lO.como quem vai para a ra
Bella.
s
A 4$0Q0 a peca.
Vendem-se pegas de algoaoztaho com pequeo
toque de avaria, proprio para roupa de escravos e I |errsij assm como os grandes copos de banha japo-
l'erfiimarlas.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como os lindos copos ou vasos com dis-
tinctivos e offerecimentos s sinhazinbas, dos me-
lhores e mais afamados autores de Pars e logia
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Queimado ns. 49 e 35, loj de miud- z.v
de Jos de Azevedo Maia e Silva, est continuando
( no seu progresso de vender baralis^imo":
\ Capachos grandes e superiores a ."ixirs. ra_ un.
; Caixas de superiores obreias de rola e mas-a a
40 rs.
I Cordao branco para ve.-lido e espartilho, vara 20
ris.
Linhas de carretel (150 jardas) de superior qnali-
dade a 60 rs.
Cartoes de linha Pedro V (200 jardas) j muito
eonhecida a 40 rs.
Grozas de peonas de aro de muitas qualidades n
superiores a 500 rs.
Caivetes de duas folhas porm finos a 500 r?.
Caixas com calungas muito bonitas para rap a
100 rs.
Franja branca e de cores para toalha- a 160.
Pares de botoes para punho muito bonitos a 120.
Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a
120 rs.
Tinteiros de vidro com superior tinta a 160.
Ditos de barro rom superior tinta a 100 rs.
Groza de botoes de louga pratiados. o melhor, a
160 rs.
Tesouras para costura, o mais superior, a 400 rs.
Ditas para unhas muito linas a 400 rs.
Escovas para limpar denles muito superiores a
200 rs.
Libras de laa de todas as cores (pesada) a 75.
Caixas de phosphoros de seguranga a 160.
Ditas de papel amizade pautado e liso a 100 rs.
Ditos com 100 anvelopes muito superiores a 80O
ris.
Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
Cartas e taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas com superiores iscas de acender charutos
a 40 rs.
Carreteis de linha Alexandre (200 jardas) de cores
a O rs.
Baralhos para voltarete muito finos a 240.
Cartas de allinetes francezes muito finos a 40 rs.
Meadas de linba f'xa para bordar a 20 ra.
Pares de sapatos de tranga muito superiores a
15600.
Papis de apulha com um pequeo toque a 10 rs.
Groza de botoes de madreperola moito finos a
560 rs.
Cartoes e caixas de celchetes francezes superiores
a40rs.
Bonets para meninos muito finos a 15500 e 25-
Magos de grampos superiores e limos a 40 rs.
Groza de phosphoros do gaz moito novos a 25200.
Areia preta muito superior a 100 rs.
Caixas de rap com espelho a 100 rs.
Realejos para entreter meninos a 80 rs.
Pegas de Ola de linho muito boas a 40 rs.
Pentes de lago muito bonitos a 15-
Enfeites de lago de todas as cores a 15300.
Rodas com alneles francezes a 20 rs.
Caixas com quatro papis de agulhas imperiaes a
240 rs.
Sabonetes de familia a 80, 160 e 320.
Caivetes de duas folhas muito finos a 320.
Pares de sapatos de laa para meninos a 400 rs.
Sapatos de tranga para senhora e para borneas, os
melhores que tem vindo, e por prego moito barato:
quem quizer ver, venha ra do QaeiaMdo ns.
49 e 55, e ver tudo como boa e barato.

1 toalhas, pelo barato prego de 45 a pega : ra do
. Queimado n. 14.___________________^_
Vende-se
latas com 3 1)2 caadas de alcatro do gaz por
25200: no armazern da bola amarella oito da se-
cretaria da polica
Achacados.
Quem os possuir e os quizer curar peritamen-
te recorra ao afamadsimo oleo de Merchant, que
se vende no armazern da bola amarella, oitao da
secretaria da polica. __________ .
Vndese
neza a 25 e a 15 ; assim como outros objectos que
nao possivel por hoje annunciar, e vista dos
freguezes se far tolo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, ra do Crespo D. 7.
Arroz com casca.
Vende-se arroz com casca em saceos, chegado
ltimamente do Penedo : na ra Direita n. 69, pa-
daria de Antonio Alves de Miranda GuimarSes.
Vinho do Porto superior
em caixas de urna e duas duzias: tem para ven-
der Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seo
escriptorio ra da Cruz n. 1.
a machina a vapor da forca de 10 cavallos que
servio na empreza de lavagem de roupa : a tratar
i n aroa Nova n. 50.
Farinha de mandioca superior
em saceos grandes: vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, no seu escriptorio roa .da Cruz
numero 1.
Vende-se urna mesa grande envernisada, do
duas gavetas, propria para escriptorio j na ra do
Livrameto n. 32, padaria.
BAR.TO
MUITO BARATO;
BAKATISSHO.
A' 240 rs. oeovafoderisea4i_bolraav
cezes, moito bonitos e de cores segaras-,
vende-se so na roa do Crespo n. L
Loja do Barateiro.
iiamHiWHHHMM
Aor r. educadores d* pre-
dios.
Vendem-se diversos terreos dentro da praea :
a tratar com o agente de letloes Oiynpio, e sen
escriptorio na ra da Cadeia do Recife a 48, afi-
meiro andar.


. .

Diario de FenMUBbneo -- Safcbado O de Jullio 4e 18*4.
___________ .______
_Z2_ijL.

Grandq liquj Jas na luja do Pavao, rita da Imperatrit .

'
de faieodas
60,' de Gama & Silva.
Aada-ie esto estabelecimento completamente sor-
lido de fazendas inglezas, franoeas, allemaes e
suiss, proprfcs4tanlo fjara a pric como para o
mato> prometlfcdo venderse mais bar alo do qoe
era outr* qualquer p*rte principalmente send* em
porfo e de todas as fazendas-flao-se *as amostrad
deiando ficar penhor ou mandam-se levar em ca-
sa peles caixeiros da toja do -fivk jr flj
As chitas a Pivaa.
Vendem-se superiores chit claras e escuras pe-
lo barato preco de 240 e 280 rs. sendo tintas segu-
res, ditas franceas finas a 320, 340, 360, 400 e
800 rs., o covado, ditas pretas largas e estrenas,
riscados escocezes finos a 140 rs. o covado, isto "n*
loia do Pavo ra da lmperalriz n. 60 de Gama &
Silva.
Ascassts do Pavio a 2-, 280, 300 e 3*0 rs.
Vendem-se fiuissimas caasas persianas cores fl-
xas a 3S0 rs. o covado, dita francezas muito finas
a 240 e 280 rs., ditas ingieras a 240 e 280 rs. o
covado, linissirao organdy mateado com desenlias
miudinhos a 320 rs. o covado, cassas garibaldina*
muit finas 320 rs., isto na loja do Pavao ra da
Imperatrit n. 60, de Gama & Silva.
As lazinhas da eiposicao da Pavo.
Vendem-se as mais modernas lazinhas mossan-
blque chegadas pelo ultime vapor francez sendo
de urna s cor ou de listas miudfnhas com 4 pal,
mos de largura, proprias para vestido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baratissimo
preco de 580 rs. o covado, ditas enfestadas trans-
parentes de quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas matisadas muito finas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita tmbem matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Mara Pia com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de urna s cor parda, azul, cor de I y rio e
perola proprias para vestidos, sautembarques e
garibaldes a 720 rs. o covado, ditas escomas a
800 e 400 rs isto s na loja do Pavao, ra da lm-
peralriz n. 60, de Gama & Silva.
Os chales do Pa\io.
Vendem-se finos chales de crepon estampados
pelo barato preco de 6, 7#, 8#, ditos de ponta re-
donda a 7J> e 85, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidrUho a 12*, ditos pretos lisos a
5*, ditos de cores a 4,5500 e 55, ditos de merino
estampados a 23 e 35, ditos de lia a 15280 e 25,
ditos de retroz preto para luto a 63, isto na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 Pari vende para lato.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de lia sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, paletols, capas etc., pelo bara-
to preco de 25, 25200, 25500 o covado, cassas
pretas lisas, chitas pretas largas e estreits, chales
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
comgollmhas eoutros muitos artigos que se ven-
dein por precos razoaveis : Ha loja do Pavao ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos do Paio
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri
.cntente bordados a veludo pelo barato preco de
405, sendo fazenda que sempre se vendeu a 1005
e 1*05 ; ditos de cambraia brancos ricamente bor-
dados a croch, sendo proprios para baile e casa-
mento a iO, 15, 20 e 305; ditos de laa com lindas
barras a 18 e 155 sto na loja do Pavao ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Pavao.
Vende-se panno preto muito superior pelo barato
preco de 25, 23500,35 e 3&500, ditos muito finos a
45, 55 e 65, cortes de casemira preta enfeslada a
45, 45500 e 65, casemira preta fina de urna s
largura muito fina a 15800, 25. 25300 e 35, cor-
tes de casemira de cor a 55, 55500 e 65, casemi-
ras enfestadas de urna s cor proprias para calca,
paletots, colletes, capas para senhora, roupas para
meninos a 35 e 3J900 o covado, isto na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A roupa do Pavo.
Vendem-se paletols de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muito boa a 125. ditos muito linos a
163, 205, 253 e 303, calcas de casemira preta boa
fazenda a 43500,55, 63, 75 e 85, paletots saceos
de panno preto a 75 ditos de casemira de cor a
65 e 75, ditos de alpaca preta, ditos de merino
preto, ditos de brim de cores, calcas de casemira
de cor a 45, 55,63,73, dilos de casemira da
Escossia a 33, ditos de brim pardo a 23500, ditos
de cor a 25 e 25500, ditos brancos muito finos,
sto na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Os cortinados do pavao.
Vendem-se ricos cortinados proprios para janel-
la e camas pelo barato preco de 95 o par, sendo o
melhor que ha no mercado : na ra da Imperatriz
n. 60, de Gama & Silva.
As colchas do Pavo.
Vendem-se colchas de linho ak-oehoadas pro-
prias para cama pelo barato preco de 55 cada tima
na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas que tem viu-
do ao mercado chegadas pelo ullimo vapor fran-
cez, pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas
de listrinha muito miudinhas proprias para vestidos
e roupas de meninos e meninas pelo luralo preco
de 500 rs. ; seo Pavo ra da Imperatriz n. 60,
loja de Gama & Silva.
Os souieanbarques do Pavo
10 e 1 5.*J s o Pavo.
Vendem-se os mais lindos souieanbarques que
tem viudo ltimamente de lazinha e caxemira ri-
camente bordados e enfeitados, cores muito delica-
das pelo barato prego de 105 e 155 ; fazendaesta
que em outras lejas se vendem por 205 e 255,
s para liquidar : na loja e armazem do Pavao
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
As chitas do Pavo '#400 e
2800 o corte.
Vendem-se cortes de chita com doze covados
cada corte, ditos com dez covados a 25W0, fazen-
da muito boa, e que nao desbota, s na loja do Pa-
vo tem esta pecnincha ; a ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Las de urna sO edr.
Vndeme lazinhas de urna s cor, sendo en-
carnada, azul, cinzenta, cor de caf, lirio claro, li-
x rio roso cor de perola pelo baratissimo preco de
640 o covado, fazenda muito fina s o Pavo, ra
da Imperatriz n. 60 loja e armazem de Gama &
Silva.
Panno de linho.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences, toalhas e ceroulas pelo
barato preco de 640 rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 25500, algodozinho
monstro com 8 palmos de largura a 15, pecas de
Hamburgo com 20 varas a 95,105 e 115, pecas de
madapolao fino a 75500, 85, 95 e 105, ditas de
algodozinho a 65, 65300 e 75, e outras muits
fazendas brancas que se vendem muito baratas
afim de apurar dinheiro : na loja do Pavao ra da
imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
O bramante do Pavo com doze
palmos de largura.
Vnde-se bramante de linho puro, muito fino com
doze palmos de largura o melhor e mais larga. eme
tem viudo ao mercado pelo barato preco de 25800
rs.a vara ; s na loja do Pavo de Gama & Silva,
aua da Imperatriz n. 60.
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
4o ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas de lis-
troha mafia miudinhas proprias para vestidos e
roupas de meninos e meninas pelo barato prego
deaOO rs.; seo Pavo .rua da Imperatriz n. 60,
loje de Gama 6 Silva. -
Os balees do Pavao.
Vendem-se crinolinas ou baldes de 30 arcos tan-
braneos como de cores, sendo americanos que
sao os melhores por se nao qyebrarem a 35500 e
ESPLENDIDO SOBTINIENTO DE MOLHADOS
IV, 9 RITA DO UEl0 W. J
Esquina que volla para a ra do Imperador
(\o se enganem com a mitra)
PARA BEM DE TODOS

-

.
AMIGOS!
N3o leiam este annuncio com precipitado.
Confronten os precos dos oulros annunciantes.
Venhajn ver os gneros que temos expostos a venda.
A vista faz f.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao nos enculcamos o primeiro recebedor de conta propria.
Nao desacreditamos ao coflega porque nao quiz ser nosso socio.
Val a quena toca.
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia ainda nao s3o suflicien-
tes as casas que actualmente oxistem'aherlas com grandes proporcoes para terera um
magnifico sortimento de molhados; assim., pois, os proprietarios do Armazem Principal
nao invejam a sorte dos seus collegas.
Habitantes de Pernambuco.
Nos temos um excellente sortirnto dos melhores gneros que se pode adiar
em nosso mercado. Vinde ao nosso estabelecimento, e se a vossa boa f fr illudida
urna s vez ao menos, castigai-nos nao voltando mais a nossa casa.
Amendoas confeitadas de bonitas cores a dem de Hollanda em garpafoes com 24
l,ooo rs. a libra. garrafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra., Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
Avellas a 2oo rs. a libra. zados a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a l,2oo, l,4oo e i.oo rs. cada! 8oo e l,ooo rs. as garrafas grandes.
urna. Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo e
dem em frasco de vidro com rolha do mes- 96o rs. a libra.
mo ou de metal, a l,2oo e 14oo rs. ca- dem franceza nova j deste anno a 6oo rs.
da um. a libra, e 56o rs. em barris inteiros.
dem em frasco grandes 2,5oo rs. cada um. Marmelada especial dos melhores fabricantes
dem em latas de 1 /> e IDras a *'~00 e de asofia a 6oo e 64o rs. a libra, lia latas
2,ooo rs. de differentes tamanhos.
Arroz da India e Maranbao o melhor que se Massa de tomate em latas de 1 libra 56o rs.
p le desejar a loo e 12o rs. a libra e cada urna.
2,8oae 3,4oo rs. a arroba. dem para soda estrelinha, pevide e rodinha
depreos a *5, ditos de musselina com babados
U ditos para meniaa a 25 e 35 : na loja do Pa-
vao ra da Imperatriz o. 60, de Gama & Silva.
0 Pavo vende 8*.
Vendem-se os mais lindes cortes de vestidos a
Mara Pia, com lindas harpas de seda, sendo ene-
jados pelo ultimo vapor franeez pelo barajo preco
de 85 cada um : s na loja do Pavao ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama A Silva.
Os baldes do Pavo.
i 2Jo00 s P5o. t
'Vende-te baldes com 20, 28 e 30 arco pelo ba-
raUaaimo preco de 25500, asslm como tem nm
completo sortimento" de nalS para meninas de to-
doaos taraanhoa pelo baratissiroo prefo de 5500,
notando qoe sio balees de arcos os melhores que
tem vindoda America Ingleza, vendem-se por este
preco para liquidar : s na toja e armazem do
Parto a ra da Imperatrix n. 60, de Gama & Silva.
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa,
e 4,8oo rs. a caada,
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e lo,ooo rs. a
caixa com i duzia.
Alfazema muilo nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o a libra, e 4,6oo rs. a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: aguae
sal doces, e imperiaes em latas de 6 li-
bras a 3,ooo rs. e de 3 '/libras a l,5oo
rs. eem libra a 64ors., estas bolachinhas
torna-se muilo recommendavel com es-
pecialidade para os doentes.
Biscoilos e Bolachinhas de soda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bollos francezes em cartes e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4ooj
rs. a libra e em barril a 38o rs.
atalas novas a 160 rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at hoje tem vindo a nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo, l,5oors. a garrafa in-
- tena, e 8oo rs. as meias
Cha uxim o melhor que se pode desejar e
que nutro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
dem perola especial qnalidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
deste cha
dem hysson o melhor que possivel en-
contrarle a 2,oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2oo e l,4oo rs. a libra.
dem preto muito fino a -1,600 rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a l,ooo, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos bur-
lado de Simas em '/a caixas das seguin-
tes marcas Pariziences, Suspiros, ili-
cias, Napoleoese Guauabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muitos fabricantes e de
differentes marcas para l,5oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a l,6oo, 2,oco e
3,ooo rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a l,ooo
rs. a garrafa e lo,ooo rs. a duzia.
dem francez suporior qualidade 8oo rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 32o rs. a li-
bra, e 8,8oo e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 6oo rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a "oo rs. a lata.
dem secos a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bera enfeitadas a
a l,ooo rs. cada urna.
dem em latas ermiticamente lacradas a
l,5oo e 2,3 mi rs. cada urna,
dem em caixas de *% arroba a 2,5co rs. ca-
da urna, e oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loors. a lata e l,ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,ooo rs. e 56o rs. o frasco.
dem de laranja a 1 ,ooo rs. os frascos gran-
des e 11,000 rs. a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da orna.
dem em garrames de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com a garrafao.

---------
em caixinhas sortidas a 3,ooo e 3,5oo rs.
cada urna e 5oo rs. a libra,
dem macarr5o, talerim e aletria a 4oo rs.
a libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um.
Mollio inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro 64o rs. cada urna.
Marrasquino verdadeiro de Zara a l,ooors.
a garrafa, lo,ooo rs.a caixa com 1 duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Prezunto de fiambre superior a 6oo rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corrina, govas, pescadinhae
outros a l.ooo rs. a latas.
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs. a libra.
e 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a groza, 2oo rs. a
duzia, c 2o rs. a caixinhas.
Queijos flamengos ebegados neste ultimo va-
por, a
dem prato muilo fresco a 8oo e 9oo rs.
a libra,
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je tem vindo ao nosso mercado a 8oo rs.
a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 5*oo rs. ca-
da um.
Serveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
duzia, e 56o rs. a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e
meia latas a 38o 58o rs. cada nma.
Sag mnito novo e alvo a 2lo rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Scvadaa loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a arroba.
Traques de 1.a qualidade a 8,ooo rs. a cai-
xa, e22o rs. a carta.
Toucinho novo de Lisboa a 24o e 32o rs. a
libra.
Tijollo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs. a garrafa.
dem'do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 6oo rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco nao levando com-
posicTto a 56o rs. a garrafa, e 4,ooo rs. a
caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a gar-
rafa, e 4,5oo rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
rs. a caada.
dem Bsrdeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,000
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vena ao
nosso mercado a 1,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d pre-
juizo e s se encontra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguntes marcas Lagrimas do Donro,
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu-
lar, malvasio fino, D. Pedro V, D. Luiz
I, Nctar e outros a 9,ooo e lo.ooo rs.
a caixa e 9oo a 1 ,ooo rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a l,ooors. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oo rs. a caada,
dem em garraf5es cora 5 garrafas a l,ooo
rs. -com o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna
dem de escova para esfregar casa 36o rs.
cada urna.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composic5o a
36o rs. a libra, e de lo,ooo a ll,ooo rs. a
arroba.
xt____
'
FAZEI FAVOR DE' LR ESTE ANNUNCIO
f da economa domes-
0 assumpto

DESCOBMO-
O verdadeiro e principal r-
tica que se vai tratar*,
importante.


SE AFIXA1.
mazem de molhados o do
IZA.

Mnsiicni contestar esta verdade.
A fama far eorrer esta noticia.
Jk posterldade beuidlr o nome do Baliza.
Actualidade Batel palmas de contentanscuto!


Sem muras nem coreas para ornar a fachada de seus annuncios, e as portas do edificio em que habita, c Bauza se
contenta em tomar o seu lugar de honra na vanguarda de todos os homens do progresso. ^
Sopre embora o maldito Clarim, o seu toque de retirada a marche-marche do desacreditado Trogresso; arme a tenda rj^
dos falsos apostlos da sinceridade no tratro, da realidade na pratica dos negocios commerciaes, revele finalmente a sna $>_,
grande insubordinado lingindo desconhecer os seus superiores, deixando-se ficar sentado, em vez de perfilarle e Bcer a rf
continencia do estylo, porque o incansavel Baliza sempre fiel ao seu juramento lera continuamente na melhor ordena todo o
seu trem de guerra e no mais complecto movimento, o seu presumo para bem servir, desde o mais simples camarada ate
o mais alto general da primeira classe do exercito dos seus constantes freguezes.
Entremos na materia :
SENTIDO!
OIU1EU DO DA.
Desde a 1 a publicado deste annuncio at segundo aviso Manoel Pedro de Mello, propietario do grande armazem
do Baliza establecido ra do Livramento ns. 38 e 38 A vender a todos os seus freguezes.
Cinco por cento menos
que qualquer dos seus amaveis collegas que por menos annunciar. Qualquer objecto que nao chegne a comento dos se-
nhores compradores, pode ser devolvido ainda mesmo pelas pessoas que morarem no centro da provincia.
O dinheiro recebido pelo gener0 que nao agradar ser restituido sem constrangimento algum.
Beclaraco importante.
falso o boato que tem feito espalbar o soldado soprador da ra do Queimado de que se ada o Baliza ass dado j .
ao armazem Unio Mercantil aberto a ra da Cadera do bairro do Recife.
A liga entre os collegas um crime de lesa-povo.
E entre-tanto o Baliza ligueiro. ,
Ligueiro sim das ideas liberaes dos progressistas de todo o universo aos sentimento mais ntimos de sed coia^o. %
Deste modo de pensar ser o Baliza eternamente conservador.
GRANDE LIQUIDACAO
DE
Na loja da ra do Crespo numero 17.
Aproveiem todos.
de trabalhar st nswo pnv.
descarocak* algwlo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDW
O proprietario deste importante estabelecimento vai :i Europa comprar fazendas de'i
apurados gostos para melhor servir as Exmas. senhoras, razao porque est veudendo fa-
zendas baralissimas.
Corles de rico blonde para casamento a 903, outembarques pretos muito imporlantc
a 205. 255 e 283, manteletes pretos a 203 e 2o3, capas pretas importantes a :io-5 c^ 403,
capas de casemira de cCr a 183 e 253, soutembarques de casemira a 103, chapeos de pa-
lhacopa redonda, veos brancos a 153, cortes de laa muito aparado costo a 7f,. ""te* de
laa com barra a 103, 123, 133 e 203, cortes de cambraia brancos bordados a 2j,j e .03,
chitas de todas as qualidades francezas e inglezas a :2, 360, MO e 500 rs., bramante de
linho muito lino pecas de 23 varas a 203, 213 e 233, bretanha de hubo muito lino a 183
e 203 pegas de 23 varas.
Madapoloes finos a 83,93, 103, 113 c 123.
Cambraias lisas com 9 palmos de largura a 23300 a vara, pecas de 8 1(2 varas a
53, 63, 73, 83,93 e 103.
Para o Club Pernambucano.
Filinete circassiano fazenda de muito apurado gosto para vestidos, proprios de parti-
das e de bailes c muito recommendavel por ser muito apreciada em Constanlmopla. E
admiravcl o seu bom gosto.
H
......ri
i--- -~
'A
Estas nacfainas
podemdexa
. ner -,
'.< a'odao sena
.estragar o 6a,
?eudo b.v ,i.'-!
u traba 1. y<
dercaro<;ar nm
rroba
en ..
.... U) 1
cu 18 arroban
1 ...r dia ou > ar-
I ti
limpo.
E>!
XAROPE TNICO REGENERADOR
DE QUINA E DE FERRO
Preparado por GBIHAUI.T e C% pharmacenticos de S. A. I. o Principe Napoleao, laureados
da Escola de pharmacia de Pars, ra de la Feuillade, 7.
Esta nova combinado rene debalxo de um pequeo volume ama forma agradavel e um gosto delicioso.
Ha muito que os mdicos desejavo ardentemente a reuniao de?tes dus medicamentos, e todava, apeiar
dos malores eforcos, nem a ciencia medica, nem os qumicos os mais distinctos o podero conseguir
at aqu; gracas porm perseverarles humana achSo-se hoje asociadas estas duas poderosas substan-
cias, a quina, o tnico, restaurador por excelencia, ferr, a baze de nosso sangue, e conseguinte-
mente o reparador dos forcas e da saude alterada ou perdida.
As molestias contra as quars o Xarope tnico regenerador se tem mostrado muito efllcax sao i as ame-
norrbeias, (altas de menstruac9o, dores d'cstomago, (astio, digestSes penosas e tardas, flores brancas,
menstruacoes difllceis, o ymphatismo, o empobrecimento do sangue, as escrfulas, os estragos produxidos
pelas molestias syphlliticas.
Ha apenas um anno que o Xarope de quina e de ferro foi applicado nos hosoitaes de Paris, e elle
hoje o medicamento mais em voga, substituindo, por assim der, os medicamentos ferruginosos conbecidos.
O prospecto encerra numerosos certificados de mullos membros da Academia de Medicina e professores
da faculdade qne attestfio que este precioso medicamento o conservador da saude por excellencia, e
o reconstituinte da economa animal, Indispensavel as pessoas que habltio os paites quemes, como
preservativo das epidemias.
Acha-se venda no deposito geral, em Paru, na pharmacia Grlmault e o, ra de la Feuillade, Tj
em Lisboa, em cata do Snt nodricn 4m cania-Canalho, Carral e c! no Porto, na pharmacia do
Sr MlRiirl tone de Sansa Frrrelra; no Rio-de-Jantiro, em casa da vlsrra rrlxala e lnl, ra do
Sabio, 11, na Baha, em casa do Sr aaa-Cataaa rerrelra-Esalnbelra) no Ato-Grande, em casa do
Sfir Jaanuln a> Gaday; no Maranho, em easa dos Srs Ferrelra e O; em Pernambuco, em casa
do Sr aartbalamen-Fraarlaea ae Baanai em casa dos Snrs sboam e O, e bem assim as prin-
cipa pharmacias do Braxil e de Portugal.
machina
a nica f|u-
possue as vaniagens de nao dostruir o So do al-
godao e de fazer render o dobro d> qualquer ca-
ira enm menos trabalho. a sua introdocrj i
as provincias dtsie imperio ser de muilo v.ijr
para todos os interessados ta lavoura do paic.
Assim com macbinasem ponto {.-rande do Hu-
no systema,oraql serem movidas por ann>i -,
agua ou vapor, pas uae.< podtin dtXaro{ir 18 ar-
robas de algodo ampo por da.
O algodio descarojado por estas machinas tea
muito mais estin.ac.au nos mercados ;!o earopa ?
vende-se por maiorpreco.
As machinas se achaiu a venda unicameoie ei3
casa de
Saunders Brotheis i C.
X. II, praea do rorpo Mani
re:ikk.
Os nicos agentes neste paiz.
Deposito giral em Pernambac* ra da Cruz n. 22 emeasa de Caros & Barboza.

________
AGENCIA
na
FUNDICO DE L0W-M00B.
Roa da Senialla aova n. 42.
Neste estabelecimento contina a hayer
um completo sortimeoto de moendas e meias
moendas para engenho, machinaa de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos.
Arados americano! e machina pan
lavar roapa: em casa de S. P. Johnston & C,
roa da Senzalla Nova a. 42.
Empreza dailluminacito
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclaaiacoes
(por eseripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armaiem da ra do Imperador
n. 31. Os mchinistas mandados para attender a
estas apresentaro un livro que os reclamantes
deverao assignar logo depols de prompto o servico
reclamado ; Isto para que a empreza que setente
de haverem os mesmos senhores
te attendidos.
_^_______________
RA DO QUEMADO NUMERO 11
Loja de fazendas d> Augusto Frederico dos Santos Porto
Chapeos para senhora*.
Chegaram de Paris as mais lidas chapelinas e chapeos de palha da Italia para senhoras.
Ricas capas e soutembarques de seda preta e casemira de cor para senhoras.
Cortes de superior morentique branco para vestidos de noivas.
Camisas inglezas muito superiores para homens, peitos, punbos e colarinhos de iinho.
Chapeos de seda para eabeca o chapeos de sol de seda inglezes.
Lencos de labyrintho franceies a l cada um.
Camisas de menino muito superiores.
Cortes de lia de barra para veslidos de senhoras de 135 a 18.
A mesma loja tem o maior e mais superior sortimento de
Efltetras para salas.
est estabelecimento encontrarao os senhores que precisarem forrar suas salas com esleirs
otda e qualquer quantidade que desejarem de 4, 5 e 6 palmos de largura, sendo a qualidade muijo
superior e por mdico pre$o.
------r^
B0TIC4 E DROGARA
sido devidamen-
BARTHOLOME & C.
Ra Larga do Rosarlo n.
Vende:
Ventosas de gomma elstica.
Esmaltes para ourives.
Fundas inglezas.
Vidros de bocea larga rom rolha.
34.
Na ra lrgf Jasarlo n. 24, loja d ourivea, i Tinta branca em ma'ssa para pintura fina & OO rs.
veiiuem-se todos os ierres e utencilios de ourives. a libra.
Ricos albuns para ciocoenla
retraes.
Chegaram para a loja do Gallo Vigilante os ri-
quissimos albuns para cincoenta retratos, os quaes
vendem-se pelo baratissimo preco de 6& 7J e 8,
3ue sempre se venderam por 12l: isto s na loja
o Gallo Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Bichas hamburauezas.
Vendem-se bichas de qualidade : na ra Nova
n. 6!, defronte da Illma. cmara municipal.
ou flna a vonfaoc do comprador
Na ra do Rangel d. 2 vende-se o verdadei.
ro papel de linho hespanhol, e de palha de milh*-
lanto em porcao como a retaiho, e de toda as ms:
Sualidades para o fabrico de cigarros; charuto.- m
ahia multo bons a 2$ a caia ; a elles, que esli
a acabar-se._____________________________
Farinha de multo a l
rs. a libra.
A mais fina e nova do mercado : vende-se na
padaria de A. F. da Silva Beiris, ra dos Pires nu-
mero 42.
Urna jumenta.
Vende-se urna jumenta muito mansa, e por pre-
co commodo: ra do Queimado n. 14-
Vende-se a taberna sita no lugar de teml-a
n. 64, com poucos fundos c armario, qoe fira no
correr das casinhas junto ao sobrado grande dn
Sr. major Bellarmino, principio da Estrada Nova :
a fallar com o dono na mesma taberna.
Vendem-se o brigue nacional .Vero Almna*-
U, prompto navegar, construido de boas m a det-
rs, e forrado de cobre ; trata-se com os consigna-
tarios Marques, Barros A C, largo do Cerpo San!
numero 6.
Vende-se um escravo, moco, erioulo
de 47 18 annosde idatie, bonita (ignra,
sadio, proprio para criado ; tratar no largo
do Paraizo n. 18 segundo andar.
Esleirs do 4ricatv.
Vende-se na travessa da Madre do Dos
ro 10.


Olarle 4> frr.a.hnr,, ... Sftabbado de 4nlho r 14




.
Largo da
Santa Cruz
numero
12 e 84.
Esquina d
ra do
Sebo n. 12
e84.
BRILHANTE AUftO
GRANDE
NEM COROAS NEM MITRAS
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Paulo Ferretra da Silva s Campan/lia
Grande softimento de molhados m grosso e a fetalfto. TJnico armazem aue mais
vantagens offerece ao publico. 4
Desenganein-se todos.
AURORA BRILH4NTE
GRANDES ARMAZENS DE MOLHADOS.
Francisco Jos Feroandes Pires proprietario dos armazens de molhados denomina-
dos Brilhante Aurora e Aurora Brilhante, ao brgo da Santa Cruz ns. 12 e 84 (esquina
da ra do Sebo), faz sciente ao respeiiavel publico desta eidade e do interior que nos
seus importantes estabelecimentos Tender sempre gneros novos e de primeira quali-
dade e vender a todos pelo meso preco.
O completo sortimento de totes os gneros finos e grossos que costumam ter outros
estabelecimentos desta ordem se eacontrarao sempre nos armazens da Brilhante Aurora
e Aurora Brilhante e sempre ero graade escala a vonlade dos Srs. compradores.
O proprietario dos armazens Brilhante Aurora e Aurora Brilhante pede a todos os
senhores esenhoras que quando tiverem de mandar suas relacoes a estes estabelecimen-
tos por seos criados seja em carta fechada ou com grande rccoruroendacao a estes arma-
zens, certos de que sero tao bem servidos como se viessem pessoalraente.
A Brilbaote Aurora e Aurora Brilhante troca qualquer ura genero que por acaso
nao azrade erecebe as libras esterlinas a 95,sendo por compra: a tabella de seos gneros
ser mudada todas as semanas.
K o Allian^a o verdadeiro homem do progressso.
o AI lianza o verdadeiro e principal armazem de molhados.
K AMIan$a o armazem que rende mais barato.
K o Al llanca o armazem que vende os.melhores gneros.
K o A i llanca o armazem onde preside o melhor aceio.



Fiquem todos sabedores desla verdade,
Venham todos ra do Imperador n. 57.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.



v-
.
proprio*

PARA
S. JOAO
de bonitas cor
AS
DK
FESTAS

Amendoas confeiudas parasortes a libra 1,3.
Manteiga ingleza flor a 800, e 960 rs.
Dita maisabaixoa 640 e 720 rs.
Dita franceza nova libra 640 e e n barril a
600 rs
Chocolate sant nimio novo ai200 a libra.
Cli perola omelhor que ba ( redondo) a
libra 30200.
Dito dito mais abaixo a 25500 e 20800.
Dito uxim muito lino a 20800 e 30.
Dito bysson superior a 20600 e 20800.
Dito mais abaixo a 20 e 20300.
Dito preto rauito fino a 20500.
Dito em massos a 20.
Dito do Rio em latas de 4, 2 e 1 libra a
f500.
Caf de moca superior arroba 100500 e li-
bra 400 rs.
Dito do Bio e do Cear arroba 90500 e libra
320 rs.
Dito mais abaixo arroba 80500 e libra 280.
Barricas com bolachina ingleza ingleza nova
a 30.
Latas com bolachinha de soda de 5 libras
a 20500.
Ditas com ditas sordas de 2 libras a 10400.
Frascos com ameixss francezas s a frasco
val o dioheiro a 20800 e 30.
Latas com ditas a 15400, 20200 e 40.
Ditas coni figos do comadre a 10500.
Caixinhas hermticamente lacradas eproarias
liara mimo a 20 e 25800.
Caixinhas com ditas a 10, 20500 e 50 de
arroba.
Vinho rauscatel duzia 100 e garrafa 10.
Dito braneo proprio de Lisboa caada 40800
e garrafa 640 rs.
Vinho braneo de muito boa qualidade cana-
da 4 e garrafa 480 rs.
Dito Xerez lino a caada 70500 e garrafa a
10200.
; Dito Madeira seca caada 100 e garrafa 20.
Dito em caixas de nma duzia do Porto dos
melhores autores a 120, 140 e 160.
Garrafas com licor fino trances e porluguez
a 10.
Ditas com vinho de caj muito claro a 10.
Ditas com mel de abelba puro a 10.
Frascos com genebra de Hollanda de 2 gar-
rafas a 10.
Dito de urna garrafa a 500 rs.
Dito de laranja verdadeira a 10200.
Duzia de graxa latas grandes a 13.
Caixas com 25 massos de velas de sperma-
cete a 560 rs. a libra.
Ditas maiores a 600, 640 e 720 rs. a libra.
Caixas com urna arroba de velas do Araca-
ty 100500 e libra 400 rs.
Ditas de coniposigo arroba 100 e libra 360
Sacco* grandes com farinha deGoiaiina mui-
to boa a 50500.
Dito de Porto Alegre melhor que de Mari-
beca a 6.
Ditos com rnilhonovo com 2'icuias a 40000
Dito com farello de Lisboa 120 libras a
I 80500.
Dito com arroz de casca a 50300.
Duzia do garrafas de serveja branca c preta
Presunto de Lamego muito novo a libra o0 a 30800 e em han ras a 50500.
rs. inteiro e a retalho 600 rs. Arroz do Mannhu em sacres arroba 20600
Cnouricas e paios novos a libra 800 rs. e libra KM) rs.
Latas com chouricase linguicas novas vin- Dito da India e Java arroba 30 e libra 120
das oeste vapor rom 9 libras por 60500.: Ararula verdadeira arroba 8j e libra 320
Hitas com peixe ensopado de militas quali- j rs., mataran.
dades a 10. Geminado Aracaty para engommar arroba
Dnascom eivilhas francezas e portuguezas 50 e libra 160 rs.
Tapioca ou farinha do Haranho nova libra
Ditas com feijaoverde francez a 800 rs.
Ditas com massa de tmale novo libra
560 rs.
Ditas com ostras a 720 rs.
nias com marmelada dos melhores autores
de Lisboa a libra 640 rs.
Potes com mustarda franceza preparada a
libra 480 rs. -
Frascos com conservas de pepinos, raexides
e azritonas verde a 10.
Dita dita franceza a 800 rs.
Gigos com trinta e tautas libras de batatas
novas a 30500.
Qoeijos novos do vapor a 30200 e 30500.
Ditos de prato cnplicado a 10.
Dilo suisso a 800 rs.
Dito de manteiga do Serid a 800 rs.
Caixas com passas novas de 1 arroba 70,
meia 3-3500 c quarto 20 e libra 480 e
60 rs.
Amendoas com casca a libra 240 rs. e arro-
(.,-,-, ha 60.
gjj Nozes libra 160 e arroba 50.
rf|i Caixas e meias ditas com charutos finos da
Cfiflj Bahia dos melhores labricantes de Jos
Feriado de Simas, lteis e outros, sendo
Suspiros, Parisienses suspiros, Delicias,
Normas de Havana, Exposicao, Almiran-
tes, Baratciros, varetas, Guanabaras, Re-
gala imperial. Acadmicos de Olinda, Se-
160 rs,
Ervillias seccas muito novas libra 200 rs.
Sag e sevadinli.-i a 240 rs.
Sevada arroba 302i:O e libra 120ts.
Graxa de boiao 97 a 280 rs.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito hespanhol verdadeiro a 400 rs a libra.
Balaios do Porto diversos taannos de 320
a 20
Capachos para portas de varias cores a 600.
700 e 800 rs.
Grao de bico arrola 40500 e libra 160 rs.
Painco arroba 50500 e libra 200 rs.
Milito alpista arroba 40800 e libra 160 rs.
' Azeite doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 10500 e garrafa'
aOO, 240 e 320 rs.
Massos de palitos de denles com 20
nhos a 160 rs.
lijlos de limpar facas a 160 e 120 rs.
Caixas com 40 cartas de traques a 90500 o
a caria 280 rs.
Resmas de papel almaco pautado a 30.
Djtogreve liso o melhor que ha a 4-3300.
inassi-
Dito de peso e pautado a 20500 e 20800.
Garrafoes com 'i garrafas de verdadeira
gen bra de Hollanda por 80500.
Azeite de coco garrafa 560 rs. e carrapato
300 e caada 20360.
Caixoes com doce de goiaba a 640.800 e 10,
nadores e Apraziveis de 10500 a 80 a cai- Toucinho de Lisboa arroba 80300 e libra
xa de 50 a 100 charutos. i 320 rs.
Grozas de caixinhas de palitos do gaz a Dilo de Santos arroba 70 e libra 280 r
-'0200 e 200 rs. a duzia. i Molhos com grandes ceblas a 10600.
Barris com azeitonas novas a 3, e 40 bar- Cento de dita solta a 15500.
ris grandes. Mauneos de alhos a 240, 320 e 400 rs.
Vassouras do Porto piassava muito seguras Esteirasde varias qualidades.
a iOO rs. Cordas de postar e de andaime.
zeite doce francez dos melhores fabrican- Favas da ilha de S. Miguel arroba 30200 e
tes caixa 100e agarrafa 10. libra 120 rs.
Caixas com vinho Bordeaui braneo e tinto Copos lapidados para agua e vinho a 30500
S. Julien, S. Estifo e outros a 70500 e 80. 50800, 60 e 70.
Vinho do Porto fino em barris de 5 que ra- Ditos lisos para varios precos.
ras yezes apparece por 800 e em caada a Calix lapidados grandes e* pequeos dazia
50oOO e garrafa a 800 rs. i 3,4 e 50 ; e 400 e 300 rs. cada um.
Dito da F.gueira puro caada 40 e 40500 e Massas para sopa roacarro, talharim e ale-
garrafa a 480 e o60 rs. tria a 480 rs.
Dito de Lisboa de boa* marcas a 30300 e Estrelinha e pevide libra 560 rs.
40 e a garrafa a 440 e 480 rs. Xaropes de frnctas nacionaes a garrafa
Cogoae verdadeiro a garrafa 10 e 10280. 500 rs.
E muitos outros gneros que nao possivel men-'
ciona-los todos de primeira qualidade.
A saiisfaeo da Brilhante Aurora e Aurora Brilhante vender muito embora bara-
to, mas a DIXHEIRO.
as
O M
a
oono->nscs^H2
? a-o.ca.gJ =g.8 3 2 g
5 5'?3 S
!*
"3
03
5. S_
O d. T* as


SlrM
W
1.3
I la i
o) g K S.o
B M 1'
|flM
<
I "
a. o
c
en CD
0)
a.
y *
3 3
Q. -
s B 2 2.
.
BalS
Oaa o ^ O B
3
m
j
-i
c
a:
Xo armazem e fazeadas baratas de
Santos oclho, ra d Queimado, n.
49, veade-se segainte *
Attenri.
Lazlnhas.
Ricas laazinhas para vestido, fazenda a melhor
que tem vindo ae mercado, tanto em gosto como
em qualidade da fazenda, pelo baratissimo preco
de 560 rs. o rovado.
Laazinhas miudinhas carmezins, proprias para
vestidos de meninas, e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de laa com 15 covados pelo baratissimo
preco de 60.
Cobertas de chita da India pelo baratissimo preco
de 20500.
Lencoes de panno de linho a 20.
Lencoes de bramante de linhe fino pelo baratissimo
preco de 30200.
Bramante de linho Gno com 10 palmos de largura
pelo baratissimo preco de 20500 a vara.
Atoalhado adamascado proprio para toalhade mesa
a 20000 a vara.
Cambraia de forro a 20600 e 30200.
Toalhas alcochoadas proprias para mos a 50 a
duzia.
Cortes de calca de ganga amareHa de h'stras e
de quadros, pelo baratissimo preco de 10200 e
orte.
Cambrala adamascada cora 20 varas, propria
para cortinado, pelo baratissimo preco' de lOsOOO
a peca.
Ricos cortes de la Mara Pa pelo baratissimo
' Pecas de cambraia de salpicos com 8 Ii2 varas n, fj^* Baha
peld baratissimo preco de 40. | 2 Si nfica e !?UF de cscravo; em
Pecas de platilha de algodao com 10 varas, pro-,' ? *".eL *2!L ^niz depliveira Azeredo &
pna para sai a a 40900. I
Esleirs da India, proprias para forro de sala,
de 4,3 e 6 palmos de largara, por menos preco do i..:-...,.
qae em outra qualquer parte. v L Seste estaijelecimento vendem-se: tachas de
Neste armazem tambem se encontrar nm gran-' rerro COaao libra a 110 rs., dem de Low
de sortimento de reupas feilas, e por medida. Moor libra a 120 rs.
-i
Si
o 2.S
B.
-1



I'
o fi o
0J oj T3 S
o -i ro ^
O W tn p
3

K s.
o S??
s
"O CD
03 "I

Amendoas confeitadas
8oo rs. a libra,
dem de casca muito nova a 3oo rs. a libra.
Afel&M a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a I,2oo, I,4oo e I,6oors. cada
tima,
dem em frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a 1,200 e I,loo rs. cada
nm.
dem cm frasco grandes a 2,5oo rs. cada
' um.
dem em latas de I /i e 3 libras a I.2oo e
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranho o melbor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,4oo rs. a arroba.
(Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e'
4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e lo.ooo rs. a
caixa com I duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a IGo rs. a libra e 4,6oo rs. a ar-
roba
Bolacliinitas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e de 3 l/% libras a I.Soo rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinhas
torna-se muilo recommendavel com espe-
cialiilade para os doentes.
Biscoilos e olachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em cartoes e de diversas
qualidades a G4o rs. cada nm.
jBanlia de poico verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a IGo rs. a libra.
[Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 2 lo rs. a libra e 2, rica.
Champagne das marcas, mais superiores que
at hoje tem vindo ao nosso mercado a
IM.ooo rs. o gigo e l,ooo rs. a garrafa
inteia, e 8oo rs. as meias.
Cha uxim o melhor que se pode desejar, e
que oulro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a ,~oo rs. a libra.
dem perola de esp cial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garatite-se a qualidade
d'este cha.
dem bysson o melhor que possivel encon-
trar-se a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, G e 8 libras
a l.2ooe I,4oo rs. a libra.
dem preto muilo fino :i l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a I.ooo, I,2oo e I,ioo
rs. a libra ^
Charutos do acreditado fabricante Jos Por-
tado de Simas em caixas das segur-
les marcas: Parizienses, Suspiros, ili-
cias, Napoleoes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muilos fabricantes e de dif-
ferentes mareas para i.Seo rs. as meias
caixas, de suspiros a I.Goo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco,
dem franceza a 5oo rs.
Cognac ingle/, das melhores marcas a I.ooo
rs. a garrafa e to.ooo rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 8oo rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Comnbo e erva-duce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canellaa 1,000 rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,8oo e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a Goors. o caixao.
Ervilhas porluguezas ltimamente chegadas
a Too rs. a lata,
dem ceceas a IGors. a libra,
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdaeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
I.ooo rs. cada urna,
dem em litas ermiticamente lacradas a
1,5oo e 2,5oo rs. cada urna,
dem era caixas de '/* arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e I,ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
i
RA DO IHPEKAJIOK ff. 40
Junto ao obrado em qoe mora o Sr. Ofboroe,
Para a festa de Santo Antonio, S. Joo e S. Pedro.
Uarte Alnelda A ., reeeberaH de ana propria encoaa
da o mala lindo e variado sortimento de mol hados.
da presente estaeo.
Manteiga ingleza
da safra nova vinda neste vapor de 28 de
maio a 800 rs. a libra.
Manteiga francesa
da safra nova a 560 rs. alibra, o em barril
a500rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
l S. PEDBO.
rdem de Hollanda em garrames com 24 gar-
rafas a 7,2oo rs. com o garraao.
LentiJhas excel lente legume para sopa e gui-
zados a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades a' libra.
8oo e l.ooo rs. as garrafas grandes. Ampivis
Manteiga ingleza peritamente flor a 8oo! ammmm
e 96o rs. a Jibra. em frascos de. v'dro com 3 libras liquido a
dem franceza nova j deste anno a 6oo rs. 2l400' muito propios para mimos,
a libra, e 38o rs. em barris inteiros. CartoeS
Marmelada especial dos melhores fabrican- com bolos francezes a 500 rs. cada um.
tes de Lisboa a 6oo e 64o rs. a libra, ha! y j.no
latas de differentes tamanhos. .LaiaS
Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a I300.
Chocolates
rs. cada urna,
dem para soda estrellinba, pevide e rodinha
dem macarro, tallarim e aletria a 4oo rs. a I xTeSUntOS inglezeS
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um
Molho inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro a 64o re. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafa, lo,ooo rs. a caixa com 1 du-
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Prezunto de fiambre superior a Goo e 8oo
rs.
dem do Porto para paaella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. i libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-.
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
outros a l,ooo rs. a latas.
Palitos para denles a 14o e a IGo rs. o mas-
so dos memores.
Paingo o mais novo e limpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs. i
a duzia, e 20 rs. a caixinha. ,
Queijos flamengos chegados neste ultimo'
vapor, a 3,ooo
dem pialo muito fresco a 8oo e 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que al ho-
je tem viudo ao nosso mercado a 8oo rs.
a libra.
dem londrino a Ooo rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs,
eada um.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a'
duzia, eoGo rs, a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velbos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2i$6oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 2#600 cada um.
Queljo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra!
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 7G0 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas, |
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro |
qualquer nao pode vender por menos de
3 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 2:>700 rs. a libra.
Iilcm hyssoD
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 2S600.
Massas amarellas
para sopa, macarro, talharim e aletria a
480 rs. alibra.
COC xa c
o muilo afamado cognac Pal Brandy a 1,8oo
Macas brancas
para sopa a melhor que se pode desejar,
macarro, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 4,5500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garraa.
Wf de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a carrafa e
28O0 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-
cantes da eidade do Porto a 1 e 15200
a garrafa e de 10 a I2d a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisso A Filho,
F. M., Nctar ou vinho dos eazes,
lagrimas do Douro e outros milito*.
Latas
com 10 libras de banha a 4)5000.
Bolachinha ingleza
j a 1)5800 a barrica da mesma que por ah
vendem a 2000 e 2400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120 rs.a libra.
Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mar-
cas de 4500 a 6,5500 a duzia.
CHARUTOS ~^
Charutos Thom Pinto,. Reis e outros eot -
meias caixinhas a 1;>500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2-^500 a 3,4000 a ar-
roba desses que vendem por 3(5400.
CAFK
de I. e 2.a sorte do Rio de Janeiro a 8*500
e 8,5800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libra.
Ciarrafea
com 4 /i garrafas com vinagre a 1 $000 cora
o garrafao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a lO00 o frasco, e de 114000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 5*800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a Goo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas qualida- finos de todas as qualidades. a lo,ooo a caixa
muito novo e alvo a 2io rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
roba.
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa.
COPOS
! lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
Papel de botica
libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada um. de excellenle qualidade a 2"00~a resma
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
- melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs. a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.-
dem Colares especial vinho a Goo rs. a car-
rafa. b
com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
Marmelada
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a Goo rs. a
PAPEL libra.
Pregunto
dadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
. .. de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba
azul e pardo para embrulhode 1.4oo a 2,2oo VELAS
de espermacete de diversas marcas a Mo rs.
Traques de 1.a qualidade a 9,5oo rs. a cai- almaco, grave, peso e de outras muitas qua-l
xa, e 24e rs. a carta. lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-!
loucinho novo de Liiba a 24o e 32o rs. a Ihor. i verd
rs. a resma.
garra-
IdemLavradio muito fresco nao levando com-
composico a 5Go rs. a garrafa, e 4,ooo
rs a caada.
dem braneo de uva pura a 56o rs. a
fa, e 4,5oo rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a canada.
dem Bordeausem caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1.2oo rs a garrafa, ga-
ranle-se que por este mesmo preco d
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem. *
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Vellio Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, .
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e lo.ooo
rs. a caixa e 9oo e l.ooo rs. a garrafa.
dem Moscatel superior a I ,ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
Idemem garrafoes com 5 garrafas a l.ooo
rs.com o garrafao.
I Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para: Aa
podim a 8oo rs. a libra.
Fume
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra
Vinagre
PRR em aneoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e 1 ,ooo rs. o molho.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 4,5400 a arroba.
a libra e em caixa ter abaiimenlo.
VELAS
carnauba em caixas. de arroba a 0,3oo c
caixa e 34o rs. a libra.
Batatas novas
em caixas de 2 arrobas a 5-> a aixa e (0 rs.
a libra.
Passas muilo novas
em quartos e inteiros a 23 o quarto e 63500
a caixa e 400 rs. a libra.
Chocolate
porfuguez o mais especial qu se pode de-
sejar a 800 rs. a libra e 140 rs. o pao.
Frntas em calda
chegadas ltimamente, pera, pecego, gima e
i outros muitos a 6-40 rs. a lata.
Osee i casca da goiaba
a 600 e 13 o cable.
V es-
frascos por 6,ooo rs. e 560 rs. o frasco dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran-. cada urna.
des e *I>"oo rs. a caixa com 12 frascos. | Velas de espermacete superiores a 56o rs.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada a libra, e 52o em caixa.
orna. uem de carnauba refinada e de composicao
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo a 36o rs. a libra, e de lo.ooo a U,ooors.
rs. com o garrafao. a arroba.



2.
s
,. -------............ uuu ue uureira
L, no seu esertptorio rna da Gnu n. 1.
Kua da Senzalla Nova n. 42.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidade a 123
a lata e em lotes de 10 latas para cima se
fara nbatimento. no armazem da ra do Im-
perador n. 16 e roa do Trapiche Novo n. 8.
lina da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P.JohnstonC,
selliDS e siihes inglezes, candieiros e casti-
I caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
I chicotes para carros e montara, arreios para
1 carros de um e dous cavallos, e relogios de
! ouro patente Ingle!
--------------------------------_________________
Na ra de Apollo o. 3i ha um grande sorti-
mento de inarmore para ladrilho, sacadas, hom-
breiras e degros de 8, 9 e 10 palman de compri-
do e 2 112 de largo, rolhas de marmure proprias
Sara lampos de mesas e para turnlos, vasos gran-
es para jardim, ou para ornar tmulos, por pre-
sos muito razoa\eis
Charutos de Havana
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schafleitlin & C, ra da Cruz n. 42.
At que eliegou
um grande sortimento de bico e renda preta de
novo modelo chamado (guip) o melhor que se
pode desejar neste artigo e que se vende mnlte ba-
rato : na luja do gallo vigilante ra de Crespo
n. 7.
Os propnelanos do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos setw
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de lodn
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
Iniao e Commercio ra do Queima^o o. 7
_____________j Verdadeiro Principal rna do Imperador n. 40

OVIMENTO
BAIRRO DO RECIFE, RA DA GADEU N 50.
0 mais novo e o melhor
AR9IAZG1YI DE MOLHADOS
Esquina defronte da ra da Madre de Dos
Antonio da Silva Campos, successor do amigo Nascimento defronte do becco Laran i*m ,
nhecidoia nesto praca, acaba de transferir o seu estabelee.mento patV" .HSiJ fSlJT"1 (
os seos benvolos amigos e freguezes, bem como o respeitavel publico en
vanado, escomido e melhor sortimento de molhados, a par do aceio, elegancia
a casa cima iadicada. oot
ico em geral enoontrarao o maif
rgimen do esu-
e bom
Tahrca CdcITaT*S
Bahia.
Andrade & Reg, recebem coostante-
mente e tem venda no sea armazem n.
34 da ra do Imperador, algodao d'aquel-
la fabrica, proprio paca saceos de assu-
car, embalar ugodao empluma etc., te,
pelo prejo mais razoavel.
O annunciante, tendo fcito urna completa reforma no locante a casa e mur. ..;, u_
correspondentes na Europa para remessas do conta propria, acha-se iSZSCSS^SSS^ ^
teccao de todos os amigos do bom e barato, a nual desde i reclama 222j?2S a C"
merecer a conflanca com que se dignaren) de o honra? ^ec'a,na, aerando-Ibes qoe )aiiis der-
Em resumo, visite o respeitavel publico o novo e superior armaiem Movimnfn ,- u~ j_
guns gneros, e entao Acara convencido da realidade do nresaate ^^a!2!!^ C(*>Pr<,-,*e *-
nenhum outro estabelecimento o serve melhVraue te sPif !S^^JT5c*.do m mmw qoe
delicadeza, ou legalidadede pesse medidasq'Jem commodlaad<' Pre?oS, agrado e
Fiualmente, todas e quaesquer garantas que
concorrente, serio man idas nesle era grao matar.
esttbelecimentos idnticos teem olerecid

Farello e milho.
Nos armazens da brilhante attrora e aurora bri-
lhante, ha saeeas grandes eom farello on 180 li-
bras 64, e de mho a 4^, arroz ile casca a 8*. e
farinha de Goianna S& e 6 j : no largo da Santa
Cruz ns. 12 e 84.^
Vende-se urna preta com nina cm de 5 me-
zes. a preta sabe engommar perfeitamente, cose e
cozinha soffrivelmente, e muito boa vendedeira :
a tratar na ra da Imperatrir n. V).

*
- Vende-se on alaga-se urna etcellente cano
ae carreira amito aira para ailia, tastao
estanque quecarrega fcO ou 300 TeTjesMe eatfm;
o pretendente dirlja-se i cocheira de Thonuz, na
praca do capim, qne ahi far todo o negocio.
Vende-se tini sitte con boa casa,
voredos, dM eactmbar co boaagaa qoe serve
para se beber, com basante terreno para se pna>
tar : na rna da Bsperanca o. 74, i tratar no sitio
seguate que faz esquina para o anguiobo.


'Inri* 4e Perdaos eme* *al>baU de Julho de I 4.


m

\
HIJA HAA1IEIA DO 1IECIFE W. 5.
NOVO E
GHAWDB lttAZSlC DE MOLHADOS
RA DA CABE2IA DO IlEilFE *. 53.
francisco Fernandes Daarte acaba de abrir na na da Cadeia do Recifen. 53, nm grande e sortido aimazem de mediados de-
nominado Unido Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeilavel publico um ampielo soriimei.io dos melliore
ceneros que- vem ao mercado, tanto esirangeiros, como nacionaes, os qnaes serSo vendidos em porefies ou a tea-ll.o for piejos 8S?i
gommodos.
Manteiga ngleza especialmente escolhida Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
de primeira qualidade a 900 rs. a libra, | 1)5200 a caada.
em barril se faz abatimento. Azeite doce refinado em garrafas brancas a
Manteiga franceza a mais superior do mer- 860 rs.
cado a 6oo rs. a libra, e S80 rs. em barril Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
oq meio. I 4)5800 a caada.
Prezontesinglezespara fiambre, de superior Geneora de Hollanda a 500 rs. o frasco
qualidade, chegados neste ultimo vapor, a 50800 a frasqueira.
720 rs. a libra. Caixinbas com ameixas francezas, ornadas
Queijos flamengos ebegados neste ultimo
vapor a i/1000.
Queijo prato muito fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Castanhas muito novas a 120 rs. a libra e
e 39000 a arroba.
Cha uxin o raelhor que ha neste genero,
mandado vir de conta propria a 26800
rs. a libra.
Cha hyson maito superior a 2/1560 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio para negocio a
1/1500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 2/1 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com difieren tes
qotfidades, como sejam craknel, victoria,
pi'jiielez, soda, captain, seed, bornez e
ootras muitas marcas a 15350.
Boiachinha de soda em latas grandes a 2/t.
Figos era caixinbas hermticamente lacra-
das, milito proprias para mimo a 1500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 1 e 2i5 cada ama.
Passas muito novas, ebegadas neste ultimo
vapor a 50 J rs. a libra e 3/1 um quarto ;
e em caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem viudo ao nosso mercado a 18ogigo,
garante-se a superior qualidade.
Vinho ordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 74500 a 8,5000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 9/1
a 10* a duzia, e 900 a 15 a garrafa; deste
genero lia grande porco e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 49 e 155 a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas d Douro, D. Luiz,
Cames, Madeira secco, Carcavellos, Nc-
tar de 1833, Duque Genuino.
Vinho de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 35, 35200
e 35500 a caada.
Vinho branco de superior qualidade, vindo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
rs. de barril.
s
com ricas eslampas na caixa exterior,
muito proprias para mimo, a 10200,15500
e 25-
Frasco de vidro com lampa do mesm, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a
15200.
Marmelada imperial, dos melhores conser-
ve i ros de Lisboa, em latas de 1 e meia a
2 libras a 600 rs. a libra.
Fructas em calda das melhores qualidades
que La em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoas de casca molle a 400 rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs- a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 rs. a libra.
Maclas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, s vista se faz o preco.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada nm.
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melbor neste
genero, a 15200 a libra.
Chocolate hespanbola 15200 a libra.
Genebra de laranja era frascos grandes a 19.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que na no mercado a 500 rs. a garrafa e
5800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
e 15200 a garrafa.
Licores francezes das seguintes qualidades:
Sardinhas de Nantes a 340 rs. o qoartoe 56(
rs. meia lata.
Latas com peixe em posta: savel, corvina,
vezogo, cherne, linguado, lagostinba,
300 r*.
Salmao em latas, preparado pela nova arfe ;
de cozinha, a 800 rs.
Macaa de tomtes em latas de 1 libra a 60<
ris.
Chouricas e palos em latas de 8 emeia libr*
por 75.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra t
85600 a arroba.
Bolaxinha i ngleza a 320 rs. a libra e 45 a
barrica.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 200 rs. a libra.
Farinha do MaranhSo a 120 rs. a libra. Acaba de receber d sua propria encomuienda um grande e variado sortimento
Araruta verdadeira a 320 rs. a libra. de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
Cevada a 120 rs. a libra e 35 a arroba. lofferecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
Alpstaa 160 rs. a libra e 45800 a arroba- \ resumidos precos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
Batatas muito novas em gigos com 40 libra mazem.
por 15500.
Cebollas a 15 o molho com mais de 100 ca-
da tim.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 rs.
a libra e 95 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 rs. a li-
bra e 85400 a arroba.
Caf do Rio, proprie para negocio, a 85.
Arroz do Maranho a 100 rs. a libra 25800
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 294001
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas-
so e a 95 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixo.
MacarrSo, talharim e aletria a 480 re. a li-
bra ; em caixa se faz abatimento.
Estrellinha.pevide arroz demassa para sopj
a 600 rs. a libra e 35 a caixa com 6 libras
Palitos de dente lixados com flor a 200 re.
o masso, ditos lixados sem flor a 160 n
o masso com 20 massinhos.
PARA A FESTA
Anisete de Bordeaux, Plaisir des Dames Gomma de engommar muito fina a 180 rs. a
15 a garrafa
e de outras muitas marcas a
e 105 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
95 a duzia.
Mostarda ingleza em potes j preparada a
400 rs.
Mostarda ingleza em p, em frascos grandes,
a 15 cada um.
Sal refinado a 500 rs. o.pote.
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a librat
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inteiras ou em meias, de
15600, 25 e 35.
Presuntos do reino, vindos de corta propri
de casa particular, a 100 rs. a libra; inte-
ro se faz abatimento.
DE
S. JOAO
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 800 rs,
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e 5oo rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
dem hysson o mais superior que se pode
desejar a. 2,6oo e de 8 libras para cima
a2,5oo rs.
dem menos superior a2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8 fibras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra.
E S. PEDRO
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, rlela pimenta a i,000
rs. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
Passas muito novas em quartos e inteiros a
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra.
dem corinthias proprias para podim a 9oo
rs. a libra.
Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 6io rs. a libra
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 600 rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
fazenda especial.
e 800
Ossenhore que comprarera de 1005000 para cima, ter5o o descont de 5 per cento, pelo prompto pagamento.
por, 2 e 2,400, a
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo Presunto para fiambre inglezes a 7oo
rs. a libra. rs. a libra,
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo Chouricas e paios ranito novos a 64o a libra.
rs. a libra. j Caixas de traque n. 1 a 85500 cada urna.
Queijos do reino chegados neste ultimo va- (Massas para sopa macarrao, talharim aletria
por a 2,6oo. a 4oo rs. a libra.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,600 rs Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
dem londrino o mais fresco que se pode e 800 rs. a garrafa.
esperar e de excellente marca a 800 rs. a, dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
libra sendo inteiro, e a 9oo rs. a rctalho. j garrafa.
dem prato es melhores e mais frescos do charutos em grande quantidade e de todos os
mercado a /Go rs. a libra sendo mtoiro.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Crakntl, Mixed, Victo-

L
RA DO QUEIMADO *. 43,
Passando o becco da Congregado segunda casa.
NO FII) ABE
mmt
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarhn Commercial,
onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
aero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se o bom peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranho, da India e Java a 60, 80 Cevadinha de Franca
e 100 rs. a libra e 15800 a 2G00 e 3 rs. a libra.
a arroba. Cevada a 80 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas e em frascos a Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
15200 e 15600 emfrascos grandes a dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
25500. Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas' de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
com ricas estampas no interior das caixas i 15800, 55500 e 280 rs. a libra.
a 125000,15400, 15600 e 25. Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs. Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
a libra. Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
Alpista a 160 rs. a libra e a 45600 a arroba. a 560 rs. o frasco e 65200 a frasqueira.
Azeite doce francez muito fino em garrafas dem emgarrafoes de 3 e 5 ga!5es a 55500
grandes a 960 rs. a garrafa. I e 75500 cada um com o garrafao.
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa. Graixa a 100 rs. a lata e 15100 rs. a duzia.
Araruta verdadeira de mataraha a 320 rs. a Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
libra.
Avelaas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
15300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 25 rs.
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 35000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcer efinada a 440 rs. a libra e
e em barril a 410 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 15600, ,
25500, 25800 e 35000 a libra,
dem preto muito superior a 25000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 55800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, so de pepino, a 720 rs. ..
dem, s de azUonas, a. 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da
especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 15800,
25000, 2*200, SJBdb. 24800, 35000 e
35500 a caixa.
Caf do Rio muta superior a 280 e 990
rs. a libra e 85500 e 85&0O rs. a mtoba.
dem, qualidade especial e garrafas muito
grandes, a 15800 rs. a garrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi-
dro, a 15000 rs., s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. alibra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melbores conservei-
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Massas finas para sopa : estrellinha, pevide,
rodinhas e letrianhas a 600 rs. a libra e a
45 a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. libra,
Peixe em latas preparado pela primeira arte
de cozinha a 15 rs. a lata.
Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
Palitos de dentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas confeitadas a 900 rs, a fibra.
Cartoes de Dolinos fraoceze muito botos e Doce de goiaba em latas o mmor possivel a
muito bem enfeitaio a 700 e 600 n. 25 e em caixSo a 64o rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a Patitos do gaz a 25200 rs. a grosa.
lifera. I Passas muito novas a 480 rs. a libra.
muito superior a 220, Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra-
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de *zeite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 25800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor e
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a fibra.
lijlos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
libra.
Figos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 15600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Mara Pia,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900
15000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 95000 e105000.
dem em pipa, Porto, Lisba e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa $35, 35500
e 45 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordame, Medoc e S. JtrHen a 700
e 800 rs. a garrafe, e 75000 e 75500 rs,
a duzia.
dem Mergaux eChateaulnmini de 1854, a 15
a garrafa,
dem moscatel a 860 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
15300 rs. a caada.
Kirsk garrafas multo grandes a 15800 rs,
Alm dos gneros 'cima mencionados te-
mos grande porcSo de outros oue deixamo
de mencionar, e que tudo sera vendido por
pecas e carnadas, tanto em pofcces como i
retamo.
Qoem comprar de 1605O00 para cima te-
r o abate de 5 por cento.

ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
tas a l,3oo e 1 4oo rs.
Polvos chegados ltimamente do Porto a 32o
rs. a libra.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 5,5 a
caixa e Oo rs. a libra-
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 2,5oo rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 8oo rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Cartoes com bolas francezas proprios para
mimos ou para anjos que vo as procis-
ses a (oo rs. cada um.
Papel de botica de excellente qnalidade a
22oo rs. a resma.
Peras seccas as mais novas do mercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em Utas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muilos a 64o rs. a
lata.
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libia.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 8oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs. *
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca, Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo.ooo e
l,ooo rs. a garrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco condecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,oeo rs. a canada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composico a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
canada.
Farinha do MaranhSo a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l,ooo rs. cada urna.
Ricos livros com figos l,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e2,5oo a arroba.
GarrafSes com 4 M garrafas de vinho supe-
rior a f ,5oo rsVeom o garrafao.
dem com 4 */* ditas de venagre a 1 ,ooo re. O
garrafao.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
40,eoo rs. com a ancoreta
dem empipa puro eme batisme 2oo rs.
a garrafa e 4,4eo re. a canada.
Caixas com ? duriada garrafas de vinho Bor-
dMu ftzenda maito especial a 6,8oo re.
a caia Toe re. a-garrafa.
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.800 e 9,5oo
rs. a.arroba.
! dem de segunda qualidade a 8,5oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranho a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,600 rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,ooo rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, e em
caixa a 52o rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaco pautadoe Iiso a 3.000rs. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueleiro a 2,2oo rs.
a resma,
dem embrulho de 1,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/a libra a
l,2oo e8oors. a libra.
dem em frascos de 3 libras a 2,000 rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Molhos inglezes a 800 e l.ooo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
bem arranjado possivel a l,8oo e 2,8oo
rs. a lata.
Cenreja Tenente verdadeira a 6,800 re. a
duzia.
Mem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a 1,000 rs. o molho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqaeiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Patitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 120 rs. o masso.
Cominhos muito novos a32ors. a libra e
I o,000 a arroba.
Sag muHo novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a fibra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixes em latas a l.ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
Doce da casca da goiaba a 600 e l,ooo rs. o
(bi
\ovos enicites para enhora.
A agnia-branca aeaha de reccher um btHo e
riado sortimento de cnfeiius de divenai .|ualdades,
eoque do mais moderno pouivel ci! qni, fazendo-se notaveis |Kir teas novidarie ele-
gaucia uns, cuja grade de un. inu e delirado le-
cido a que apropiadamente se chama inrisivel.
Assim, a vista desse completo sortimento. qualquer
cidadao munido de dinheiro est habilitado a com-
pra-ios : na ra do Queimado, loja daguia-branca
Bonitas bonecas.
Cora rosto de cera, massa r portrllana.
Acna-se na loja d'aguia-branca ra do Qneima-
ao n. 8, um grande sortimento de nonecas de di-
versos lmannos, com rosto de cera, mm e por-
cellana os pretendentes munido* de dinheiro
acharao boa disposi^ao para os vender.
loles de cornalina
e outras qualidades para eotale
A Aguia branca acaba de raeebar um novo e
variado sortimento daquclles apreciados Mdes o>
rornalina bramos o encarnados. Chalos redon-
j dos para coleles, cujas abotuaduras coniinuam a
ser vendidas pelo commodo e inalteravel preco de
. -j cada urna.
Alm desses receben tambem outros de madre-
perla, massa e osso, com differen/es moldes para
o mesmo fim.
Ja se v. pois, que o pretndeme muid., do di.
nneiro achara sortimento vontade na ra do
Queimado loja d'Aguia branca n. 8.
BAUSINIIUS K CAiXI\HAS
com perfumarlas.
Xa ra do Queimado n. 8 loja dAgua-Dranra. o
freguezes munidos de dinheiro encanlrarao. gni-
tos bausinhos eobertos de couro e com 6 u;-inn-
nhos de extractos por 1*500 cada um, a muros
cobertoo de papelo com 9 frasquinhos por i&D*i\
um; caixinhas com 6 frasquinhos de rtiios por
15000 urna, outras com 12 ditos por A9tmo urna.
(tras com 3 dito?, cuja coberta parece \m ,.. >,
a 1*300 cada urna, e outras com paslilhas de cbe>-
ro a 500, 1*000 e 2*000.
Eovelopes bordados e carlees can ti-
cas doui-ailas.
Na loja da aguia branca, roa do Qoeimado n. f.
achavam-se venda bonitos envolopes bordados e
cartoes com beiras donradas, tendo de ons e de
outro, maiores e menores, proprios para parliei-
pacoes de casamenlos, bailes etc.
Completo sortimento de Otas
unas, Usase lavradas.
A aguia branca recebeu um grande e eomolelc
sortimento de fitas de diversas larguras < qnaliaV
des, tanto lisas como lavradas. e em todas ella cr-
nhece-se a superioridade da fazenda, MMBM
as lavradas o bom gosto dos novos e lindos d< -.-
nhos, isso tanto as matisadas como as brancas,
e pela commodidade dos precos o pretenderte qoe
se dirigir munido de dinheiro rna do Queimado
loja da aguia branca n. 8, ser bem servido.
Capucho inglezes.
Na loja da aguia branca, roa do Queimado n 8
vendem-se bons capachos inglezes, os qoaei a.t
de bonitos sao de Immensa dnraco, pelo qne =*
tornam baratos pelos precos de 4*, ;>*, 6* e 7*
cada um.
Cartas francezas.
A aguia branca, na ra do Queimado n. 8, rece-
ben nm novo sortimento de finas cartas Iraeeta
com beiras douradas e brancas, e as est venden-
do baratamente a dinheiro vista.
SAPA TOS HE BlUKAl HA
a iSiHiO. 10&OO e #.<><> o par
na ra do Queimado loja d'Agnia-Dranca n. 8.
Luas com banha fina.
J por diversas vezes a aguia branca tem rece-
bido dessa banha fina cm latas, e tal tem sidi. .1
prompta e rpida exlraccao delta, que nao tem da-
do lugar a aguia branca avisar a sna lioa fregae-
zia, pelo que talvez a maior parle uVIla t agora
saliera da vinda dessa boa banha. Ella vem em
latas de 1|2 e 1 libra,> contina a ser vendida pe-
los baratsimos precos de 2* e :i*000. Apar da
superioridade da qualidade della estao os agrada-
veis e finos cheiros de rosa, jasmim, laranja, bou-
quet, e flor de Italia. A boa freguezia assim scien-
te dirigir-se com dinheiro ra do Queimado
loja d'aguia branca n. 8.
Baiiia fina em copos de por-
celana domada com im--
cripcoes.
K j bem conhecida pela boa freguezia trapoia
branca a superioridade da banha que vem nos co-
pos de porcelana dourada com maviosas e jocose-
rias inscripcoes, as qnaes agora vir rain de novo
gosto, pelo que essa lina banha pode anda ser
mais conhecida por aquelles que quizerem fazer
um bom presente, com tanto que comprela m mu-
nidos de dinheiro na ra do Queimado, loja d'agu.a
branca n.8.
0 p-0 fe* 3 0 00 g P- b p- ps I' Es p
b 9f C5 0 f. zz
0 O i O | P- 0 /-
ge p i 9 -1 p < 23
P Se P- *3 ao a
C3 (V 0 ~
O P P <
GO 0 O p s
f r-t- pe P-O p P-y:
S 1 Ct>
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor-
deaux, difJerentes qualidades, mais barato qne em
qualquer parte : no armazem de E. A. Borle &
C., ra da Cruz n. 48.
Vcndf-sf alpaca preta a 500 rs. eevafa.
Vende-se alpaca preta para vestidos a 900, 600.
700 e 800 rs., fina de cordo a 800 rs. para pale-
to!, princeza preta a 800 e 640 o covado, bombazi-
na preta fina a 1*400 o covado, laazioha* preta
para senhora qne estao de luto a 720 o covado :
na rna da Imperatriz n. 56. A loja est aborta at
as 9 borasda noite.
Vende-se
1 moleque peca de idade 22 annos, 1 escravo para
todo o servico por 430*, 1 negra excellente coxi;
nheira, de meia idade por 530*, 1 dia dita de 30
annos de idade por 730* : na travs do Carino
numero 1.
Vende-se ama preta de meia idade, propria
para todo o servico : a tratar na ra Augusta nu-
mero 59.
O proprietario do grande armazem Uno e Conimercio declara aos sens fregu
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulou
os meemos precos no seguintes logares:
Uni&o e Commercio rna d neimado n. 7.
0 Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
ESCRITOS FCIDOS.
ESCRAVO FGIDO
tOQ$ de ratificar*.
Continua fgido desde Janeiro o mulato de ne-
me Raymundo, natural do Ico, estatura regular,
idade de 18 annos, cabeca chata, cabellos carapi-
nhos, testa grande, roo oval e com ama fistola
na face eeqnerda, maesas salientes, denles limados
pontudos, bocea regular, e principio de buco, ps
e maos pequeos, costumava andar calcado, e in
ttulava-se livre com o nome de Manoel Raymon
do : quem o apprehender, dirija-so rna da Ca-
deia do Recife n. SI, Lniz Antonio Siqueira. qne
entregar a referida grallflcaeio.____________
Fugio de casa de sens uare, no da 44 do
correte, o escravo Izidro, emulo, de idade 25 an-
nos, pouco mais oo menos, estatura regalar, cheio
do corpo, cor um pouco fula, cabellos rarapionos,
olhos pardos, bucos nm pouco grasos, nnrfi regu-
lar, ps grandes e grossos, bem desembaracado no
fallar, nao malcriada, levon calca de bnm bran-
co, camisa de madapoTao, chapeo de feltro j asa-
do ; cajo escravo lino de Cahstt Mara da Coo-
cei;ao, do Brejo de Bananeiras, provincia da Para-
hylia do Norte ; veio em 1861 ero pagamento para
os Srs. Goimares & Aleoforado desta cidade, snp-
poe-se ter seguido para aoneite logar : roga-se a
todas as autoridades e capites de campo a sna ap-
prehensao e lvalo ao pateo da Santa Croi n. 6,
que serio recompensados com 100*.


1
s
Diarlo de Pernambneo Sabbad* de Jnllio de 1S4.
AF1L1ODOITOBXEBO
Romance onS1aUe CMnillo Casleo Braneo^)
(Conlinuagao).
Arparecerara o inyector de quarteirao e chus-
,..,/ e pelees. Levaram.no escada aba.xo,qua.
riXTa compro ^JJ
c cerruvam de perla Ao fin da oseada Joao CM
^torao olhou .mu redor de b, e ressumou^d as
grimas, c proferia esta palavra que era etn 5. urna
trrida e infinita agonia :
- Albertina !.. _
Condoriram-o ao primeiro interrogatorio. D.sse
ae matara Caetano Alves. Pediram-lhe a causa do
rime. Respoodeu:
o mundo a saber. Nao
dilferenca entre a importancia paga e a correspon-
dente a este novo despacho.
c Temos previsto todo isto, e temos empregado
lodos os esforgos para o cortar. Lord Rassell, eom
Arl. 9. Qnando 'um expedidor quizer certift- urna grande bonestidade do menguo, empregou to-
car a transmissao de algum telegramma, empre- dos os argumentos possiveis para mostrar aos per-
gara para este fim, alem do sello ou sellos-ordina-' turbadores da paz quaes eram os perigos em que
rios correspondentes ao texto, o sello especial d se achavam. Mas os habis homens de estado de
certificado telegraphico. A estaco expedidora fl- Berln nao cesaaram de avancar com leviandade.
ca obrigada a ter a d.sposico do signatario de ca- Teem-nos Iludid, j; P^ com enn*,a B
da telegramma certificado a historia eirenmstancia-
da do curso do despacho at chogar ao seu destino,
p recibo de entrega.
Os certificados nao preferem para a trans-
missao.
Art. 10. As reclamaroes provenientes de de
seus planos de ha muio premeditados. A sua vic-
toria por agora completa. A Dinamarca batida
e esmagada ; s Ihe restam algans fragmentos pa- trahiu pelo artigo 12 da convenci ass.gnada em
em Alhenas, pelo governo grego, com o concurso
das cmaras, no mez de junho de 1860.
c Fica expressamente entendido que aquellas
tres sommas, que formam uno total de libras 12,000
annualmente, srao destinadas a constituir urna do-
tacao pessoal de sua magestade el-rei, alm da lis-
ta civil flxada pela lei do estado.
c Art. 11. A exaltagao do principe Guilherme
ao throno helnico, nao produzir mudanga alguma
nos compromissos financeiros que a Grecia con-
Sabe-a Deus; sei-a eu;
me deendo.
Conduziram-no correcto
E Albertina?...
Quando deu lento da falla do marido, ergueu-se
zceelerada. Rascou-o no escritorio, sahiu a pro-
c-.vloemcasa do patrao ; voltou a sua casa e
sahiu outra vez ao escritorio do negociante.
A As senhoras tenlaram pacifcala, nao vendo causa
a inmanho alvorofo. D'ah a urna hora ergueu-se
mado rumor na casa, e chegou aos ouvidos de
Albertina que Joao Chrysostomo matara Caetano
Alves O espanhol tinha j sabido para o carcere.
A d.lacerada mulher, sem dar lempo que a seguis-
M foi tambem. Gritou por seu marido as portas
da correcto. l\odeavam-na centenares de pessoas.
Era-lhe vedado o accesso ao recinto do preso, e dis-
sarain-lhe, para a consolarem que elle eslava cs-
crevendo tranquiliamente.
Consentira.n-ll.e que esperasse na saleta docar-
cereirc, medanle os rogos do negociante, e cntre-
caram-lho um bilhele do marido, que dizia :
Apalpo a fronte ejanaoacho o frrete. La-
TOU-m'o o sangue do assassino da minha honra,
leu marido nao poda morrer infamado. Tu me
jwidoais, se o mundo me nao perdoar. Albertina,
ss eu morrer aqu, ao mundo que lire urna vida
e dei outra. para nao te denar atada ao poste do
mea veUpendio. Vou escrever ao Silveira. Espe-
ro que vas refugiar-te e orar por mim, na casa do
dosso amigo. Alguma hora me vers. Reanima-te,
pobre mulher. Deixa-me morrer primeiro.
Albertina, lido este bilhete, perdeu o sentimento
da sua desgrana. Foi levada em bragos a um pa-
lanquim, e transportada a casa do Hespanhol.
Entretanto Joao Chrysostomo escreveu a Antonio
da SHveira. Mandn a carta aberta ao patrao, e
recostou-se soi,re urna tarima de taboas nuas, gol-
phando sangue. O commerciante eoviou-lhe col-
chao e roupas. Chrysostomo acceitou indifferente-
mcnle o hendido. Ageitaram-lhe a cama, e elle dei-
tou-se, tlzendo:
- O leito da morte I...
Avisado o negociante do estado doentio do preso,
enviou-Ihe o seu medico. F.m resultado da auscul-
tara o, o medico deelarou a phtysica tuberculosa do
enfermo, e assovcrou a brevidade da vida, com a
oceurrenda da enorme tribnlagao em que o vira.
Escoaderam de Albertina o resultado deste exa-
me.
Divulgou-?e a noticia do prximo trespasse do
homicida. A justiga relaxou as suas algemas, pnr
entender que a lei nao vampiro que sugue cada-
ver?. Concedern! iicenca a Albertina de visitar o
marido, e deter-se al noute no seu quarto.
Pode a phantasia conceber o quadro da aproxi-
madlo dcstes ilou*, a que ce, uo m dar nome na
escala da desgraca : eu tambem nao me atrevo
gloria de pintar eflieazmente o relanco da primei-
ra entrada de Albertina ao crgastulo do marido.
Ahiladle os bragos, e ella atirou-se-lhe ao seio,
.-e::i articular urna palavra. Eram gritos lancinan-
es para as almas que preseneiaram o lance, gritos
roal abafados pelo peilo do esposo, onde o corago,
escaldado pelo bafejo febril de Albertina, se estor-
cia em morlaes couvulsoes.
(Continuar-se-hai
ra impedir que o seu ame perca. A Europa reu-
nida hesita e anda as apalpadellas em volts" de una
mesa.em Downiug Street, e os Allemaes imaginam
mora ou descaminho dos" telegrammas s darao We Pode,n< luando lnes approuver, fazer retirar
lugar no successivo para a averiguagao das causas!o* seUS plenipotenciarios, e absorver traoquilla-
que hajam podido produzir a irregularidade no mente um paiz livre.
serviro, para conheciment do interessado e casti-1 Ass.m como a Austria encontrou a sua torga
go do' funecionario ou funecionarios culpados. nos hussards hngaros e nos cacadores italiano,
t Art. 11. Nao se toma conhecimento da idenli- tambem a Prussia conta adquirir nova vitalidaae
dade do expedidor, ainda que este o offcreca ou n'uma marioha construida e abrigada i
outro o reclame.
o Art. 12. As administracSes de correios as
povoagoes onde haja estafos de camlnho de ferro
projectos de lei com urna altitude e procedimento | Feliz a ovelha que tiver o cuidado de sen pastar
insultante para esta assambla que representa le- porque ser sempre acolhida com jubilo,
galmente o paiz ;
Considerando que a assembla ao pisso que
Em 1640, emquanto nos restauravamos a patria.
trau de r'espe.tar os direitos o as prerogativas do ,a Frtna preparava pela ambico cega das espe-
poder execut.vo, nao tem menos por dever susten- cPla?5cs Pro,00 da famosa e loaca ***** *
tar na sua integ idade os direitos e prerogativas do Law.
poder egislativo O desejo de ser riquisslmo intadia todas mo-
Attendendo a que s este respeito reciproco eQas, a* as dos *lue eram ricos' Pr1ae ny**
pode p oduzir o equilibrio dos poderes, e realisar se contentava com a fortuna da sua posi.;;.<.
portos dinamarquezes, e manobrada por marinhei-
ros dinamarquezes.
i Mas nao ha de ser assim ; a hora de desper-
e do telegrapho, aparlarao as cartas para o servi- tar chegou, e um castigo severo espera aquelles
co telegraphico, de maneira que estas sejam rece-que nao tiverem cautella. Nao queremos obrar,
bidas sem demora pelas estaces telegraphicas de-1 Somos demorados em nos envolver, mas afinal a
pois da chegada de cada trem. | torga do paiz p5e-se em movimento. Ainda boje a
Art. 13. A mesma tabella telegraphica regu-! nossa acgo circunspecta, mas s precisa urna
lara a correspondencia do interior do reino e a | ultima provocado para que se torne decidida e ra-
deste com as illias Raleares. pida.
Art. 14. A direcgo geral dos telegraphos far! Se os gabinetes de Berln e Rheno nao aban-
conhecer s adminiStragoes dos demais estados, li- 'donara as suas pretenges extravagantes, se conti-
gadas com as de Hespanha por tratados telegraphi-! nuam a tornar o armisticio impossivel e a paz de-
eos, aparte das disposiges precedentes, que ba! sesperada, tero de certo de contar com adversarios
de produzir alteragao na actual forma da corres- \ que Importara torga no campo da defeza do direito
pondencia entre diversos paizes, e procurar pelos publico e da ordem europea,
ineios que julgar convenientes que se harmonise o

servigo telegraphico internacional.
< Art. 15. A mesma direcgo entender-se-ha
com a administragao de Portugal para o estabele-
cimento de urna tabella uniforme entre as duas na-
goes, e convidar as dos outros estados para a sup"
presso de zonas telegraphicas.
t Art. 16. As contas pela correspondencia in-
ternacional seguirlo a forma at hoje seguida
porm das liquidages e dos saldos que resultarem
dar a direcgo geral conhecimento ao ministro da
fazenda para que este faga os giros ou pagamentos
opportunos.
< .lr(. 17. Emquanto nao se haja conseguido a
uniformidade de tabellas para a correspondencia
telegraphica entre os diversos estados ligados, a
que se expedir em Hespanha para as nages que
conservem as tarifas por zonas, cobrar-se-ha se-
gundo a importancia convencionada, porm em
sellos de franqua, apreciando por um real toda a
fraego de real contada no despacho.
O Moniteur da tarde publicou o seguinte:
c Assegura-se que actualmente reina grande
agitacao em Copenhague, e que a opiniao publica,
naquella capital, excitada pelo que se tem sabido
sobre as exigencias da Allemanha, reclama energl,
caraente que recomecem as hostilidades quando-
expirar o prazo da actual susponso de hostilidades
urna vez que o governo dinaraarquez nao consiga
obter condigoes mas favoraveis em troca da sua
annuencia a um armisticio.
t Assegura-se que proporgao que decorre a
eslagao do verlo, perdem os Dinamarquezes sen-
slvelmente as suas vantagens; a sua posigao prin-
cipalmente forte no mar, e era consequencia das
novas demoras, poderia o seu poder martimo neu-
tralsar-se com a aproxiraago da estagao inver-
nosa. >
Londres a 7 de mato de 1832, para com as poten-
cias garaBtes do emprestimo.
, pica cgualmente entendido que as potencias
vgiarao de commum accordo, pela execugao dos
compromissos tomados pelo governo helnico, no
mez de junho de 1860, em virtude de representa-
cao das tres cortes.
Art. 12. As tres cortes empregarao desde j
todos os meios para fazer reconhecer o principe
Guilherme de Dinamarca na qualdade de rei dos
Gregos, por todos os soberanos e estados com os
quaes se acham em relages.
Art. 13. Sua magestade el-rei de Dinamarca
reserva-sc tomar as mais convenientes medidas
para facilitar a chegada do rei Jorge I aos seus es-
lados o mais breve que fr possivel.
< Art. 14. As tres cortes levarao o presente tra-
tado ao conhecimento do governo grego, e Ihe pres-
tarao todo o apoio, que d'ellas possa depender,
quanto prxima chegada de sua magestade el-
rei.
e Art. lo. O presente tratado ser ratificado, e
as ratifleagoes sero trocadas em Londres, no praso
de seis semanas, ou antes, se fr possivel.
t Em f do que os-plenipotenciarios respectivos
o as*ignaram, e sellaram com o sello das suas
armas.
i Feto em Londres aos 13 de julho, do anno da
graga de 1863.
c Este tratado foi assignado, por parte da Fran-
ca pelo barao Gros, pela Inglaterra por lord Rus-
sell, pela Russia pelo barao de Brunnow, e pela
Dinamarca por Mr. Turben de Bill, ministro ple-
nipotenciario.
e o
homem que poda prestar valiosos servigos pela
sua vocago natural, contrariava todos os seus in-
tuitos para se deixar arraslar pela desmedida am-
biguo do ouro ganlio tora do assiduo. roa* abeogoa-
do, e.-f.;reo do trabalho, que era a sua roisso, e
chegava assm at s humilnantes e desesperadas
circumstancias do fallido.
Foi o que aconteceu a Octavio Mey, negociante
asenta paraba ("onlervagao da7lbcrdades e fabricante, o qual no anno que j refenrow, -
.... tando na vespera de fallir por causa de nao se ler
PU Considerando que os mandatarios do paiz teem contentado com a_ modesta, mas segura, fortuna
pormissoexpressa rpelo respeito doregi- que tinha obldo, nao sabia como hav,a de ver rar
roen constitucional, e jamis tolerar actos que o lia, que Ihe devia estampar no rosto a vergooha
de pela primeira vez faltar a sua palavra, deixan
do de cumprir os seus compromissos romnwr
o governo constitucional -,
Attendendo a que destruido esse equilibrio, e
atacando o poder executivo os direitos do poder le-
gislativo, e quaudo um ministerio quer impor-se
ao paiz contra os votos da assembla, e sem atten-
go a um voto de censura da parle dessa assembla,
o rgimen constitucional deixa de existir de facto,
e desapparecem todas as garantas que esse reg
neo
mascando
ora mettia na
bocea.
Urna das vezes que tirou os los de seda da boc
ca, fieou sorprendido e admirado do brlbo que a
seda tinha adquirido, e ese primeiro reparo ovo
luntario chamou outras reflexes.

Os jornaes inglezes publicaran a seguinte
correspondencia trocada entre o ministro de Dina-
< Art. 18. O ministro do reino concordar com : marca em Londres e lord Russcll.
o da fazenda para determinar a fabricago e expe-! 23 ce maio de 1864.Mylord.Tenho a honra
dicao conveniente de sellos especiaos de telegra- j de informar o governo de S. M. B. de qne o blo-
phos, e adoptar outras medidas que se tornem queio dos portos de Cammin, Swinemunde, Wol-
necessarias para levar a effeito o disposto nos arti- gast, Greiffswald, Stralsund, Barth, Dantzig e Pil
gos anteriores. lan, no Bltico, e o bloqueio dos portos e ilhas nos
t Art. 19. A direcgo geral dos telegraphos pro- ducados de Schleswig e Holstein, que tinham sido
pora com urgencia as medidas necessarias para levantados a 12 deste mez, na conforraidade das
que desde o dia primeiro de julho se levem a effei- estipulagoes da suspensao de hostilidades, serao
to as precedentes disposieoes. immediatamente restabelecidos a 12 de junho pro-
t Art. 20. Ficam revogadas todas as disposigSes xmo, data em que cessa a suspensao das hostilida-
em contrario. des, a menos que as negociagdes seguidas na con-
Dada em Aranguez, aos 22 de maio de 1861.' ferencia nao tenham primeramente chegado a um
(Com a rubrica da rainha) O ministro da go- accordo preliminar,
vemagae, Antonio Cnovas del Castillo.
O meu governo julgou que era de nteresse do
mundo commercial fazer um aviso opportuno do
Pouco antes do combate naval entre as for-restabelecimento do bloqueio. Tenho tambem or-
0 QUE VAE PELO MUNDO
A Gazeta oflcial, de Madrid, publica o se-
guinte decreto, reformando o regulamento dos tc-
legraphos:
c De accordo com a proposta do ministro da go-
vernagao, hci por bem decretar o seguinte :
Artigo i." O- pagamento da correspondencia
telegraphica, tanto do interior como do etrangei-
ro, far-se-ha por mcio de sellos de franqua, cuja
form i c custo se annuuclarao opportunamoote.
c Art. 2. Os despachos podero ser escriptos
cm qualqner qualidade. de papel e apresontados
por qualquer pessoa, ou remettidos pelo correio
ou por outro meio de pontos distantes, sempre que
est-'jam de accordo com as prescripgoes vigentes,
relativas ao contedo e redaegao, e tragara o sello
ou sellos correspondentes a sua extensao, segundo
a tarifa.
Art. 3. Nao ser entregue despacho algum
fra do limito da localidade em que se acha esta-
belecida a estacao.destinatara, por ouiro meto
que nao seja o u"'; crrelo, e para que se effectue a
exuedigao, devera accompanhar o texio que naja
de ;er expedido, alera dos sellos correspondentes
a fmquia telegraphica, os de franqua c seguro
do correio.
Art. 4. Os telegrammas destinados a pontos
onde nao haja estagao, serlo entregues pela ultima
eslagao telegraphica ao correio, que os far chegar
ao seu destino como cartas seguras, sem exigen-
cia dos sellos postaos. E llan as admnistraces correspondentes soh factu-
gas dinamarquezas e allemaas, escrevia o Morning
Pvst, o seguinte :
t A fragata que foi mandada para o mar do nor-
te tem um nome de bom agouro; ha de ser man-
dada pelos Dinamarquezes como urna mensagem
de esperangas. A Aurora parta, sendo acompanha-
da pelo Black Eagle. A sua missao vigiar a es-
quadra austraca, e no caso desta se dirigir para o
Raltico, a esquadra do canal deve fazer-se de vela,
alim de impedir que os Dinamarquezes sejam es-
nogados no mar.
< A Inglaterra nao pode soffrer que urna nova
esquadra saia daquella costa com urna missao de
distmcgV, nao pode permttr que a melhor es-
quadra do mundo permanega fundeada quando
urna esquadra aggressiva passa as Dunas. A nos-
sa diplomacia tem sido seduzida; tem-se mofado de
nos. Mas resta ver se pode tolerar-se um semelhan-
te insulto feito a nossa honra nacional.
As potencias allemaas raarcham n*um terreno
pengoso com ligeireza e insolencia ; eslao entona-
das Ue orgulho pelas suas pequenas victorias con-
siderara as potencias neutraes como incapazes de
ubrar de accordo, e temendo de obrar sos. Pensam
que a Suissa tmida, que a Russia se oceupa do
si, a Franca indifferente e a Inglaterra desejosa de
sur sempre em paz com o mundo em geral e com
a Allemanha em particular. Julgam-sesenhores da
siluagao, e usara e abusara da sua posigao.
t Na conferencia temos a chave do seu proced-
monto. Nao teem tengo de fazer a paz sobre as
dera para annunciar que qualquer navio neutro
que, depois de se coraegar a guerra tentasse entrar
n'um dos portos bloqueados, fica sujeito a ser cap-
turado, urna vez que tenha sido previamente avi-
sado do resUbelecimonto do bloqueio pelos maios
ordinarios ou pelos proprios navios da esquadra do
bloqueio.
Tenho a honra etc. ( assignado ), Torben Bill.
Ao inuito honrado conde Russell.
f Senhor ministro.Tenho a honra do aecusar
a recepgao da sua nota de 23 do crrente, que an.
nuncia a intengao que o governo dinamarquez tem
de restabelecer em, 12 de junho, os bloqetos le-
vantados a 12 do corrente, salvo se as negociages
da conferencia tiverem antes chegado a algum ac
cordo preliminar.
t Tenho a honra etc. ( assignado ), RussellA
Mr. Torben Bill.
Es o tratado relativo a cora da Grecia, as-
signado em Londres 13 de julho do anno pas-
sado :
t Arl. 1. Sua magestade el-rei de Dinamarca,
de accordo com o principe Cliristierno de Dinamar-
ca, na qualidade de tutor de seu filho mas novo
o principe Clinslierno Guilherme Fernando Adol-
.pho Jorge, aceita para este principe, ainda menor,
a soberana hereditaria da Grecia, que Ihe offere-
cido pelo senado e pela assembla nacional da
em nome da naci helnica.
t Arl. 2. O principe Guilherme de Dinamarca
O Moniteur da tarde publica o seguinte :
Um jornal de Christiania, o Norsk Rigstidemle,
ao qual se d um carcter offlcioso, publicou urna
correspondencia de Copenhague, em que se trata
de um pretendido projeclo de unao dos tres rei-
nos scandinavos ; o que produziu no norte urna
certa sensago.
c Es a correspondencia, que datada de Cope-
nhague, a 4 de maio de 1864 :
A 24 de abril chegou aqu um individuo de
Stockholrao, e queja n'outra occasiao veiu a Cope-'
nhague, cuja presenga attrahe toda a attengo
mais pela sua posigao pessoal junto de Carlos XV,
do que em consequencia do seu carcter official '
o bibliotRecario do rei, Mr. de Qyanten. Era
portador de duas cartas authographas do rei Car-
los : urna para o rei Christiano, e outra para o pre-
sidente do conselho o hispo Monrad. Nao julgo en
ganar-me em nenhum ponto essencial, indicando
o contedo d'essas cartas nos seguintes termos :
< Prope-se Dinamarca, no caso de se formar
um congresso europeu, se a conferencia se malo-
grar, a apresentago de um projeclo da reuniao do
estado entre a Sueca, Noruega e a Dinamarca
este ultimo reino comprehenderia entao os paizes
que a conferencia Ihe tivesse designado.
As dymnastias reinantes conservariam os seus
respectivos poderes, mas devena crear-se um par-
lamento de unao para os tres reinos, investido de
urna autoridade scandinava commam e constitu-
cional nos negocios externos, da guerra e da ma-
rinha. Se a Dinamarca apresentasse urna proposta
n'este sentido ao congresso, seria apoiado pelo en-
viado da Suecia e Noruega.
Indica-se tambem que alliangas de familia ( o
prncipe real Frederico e a pnnceza Luza, os fi-
Ihos do prncipe Osear, e os filhos futuros do prin-
cipe real Frederico ) poderiam preparar a reuniao
ulterior do reino sob a mesma dymnastia.
t Vou agora, apontar o pensaraento geral dos
Dinamarquezes, segundo creio a respeito deste pro-
jeclo : Nos temos, dzem elles, necessidade de
pao (soccorro armado), e vindes offerecer-nos pe-
dras ( projectos polticos ). E' possivel que sejam
podras preciosas, mas sempre sao pedras.
t Nao pens que este projeclo tenha effeitos im-
mediatos, e nao duvido mesmo que essa tenha sido
a idea do rei Carlos. Mas o simples facto de urna
proposta de uniao entre os tres reinos (por mais
mperfeto que elle seja ), apresentada por um dos
ieis ao outro, um acontecimento histrico que ha
de ter certaraente o seu alcance no futuro.
t Quanto resposta do governo dinamarquez,
expedida cm 28 de abril, exprima, creio eu, a sa"
tsfagao que o governo experimentara em encetar
negociages sobre o plano proposto as duas cartas
e que a este respeito esperava que as negociages
officiaes fossem abertas da parte da Suecia e No-
ruega.
possam offender;
a Considerando que o procedimento do rains
terio Cogolnicheano, no da 15 de abril, foi um ala- caos.
que directo feito ao rgimen constitucional | Fechado no seu quarto. Octavio. Mev passeoo ,n-
Considerando que o manto da popularidade quieto e desesperado por mutas horas,
com que o ministerio quer cobrir a sua illegalida- P"
de, fazendo soar alto os projectos de le rural e de
lei eluitorl, smente urna veste de apparato, cu-
ja falsidadc toda a nagio conhece; porque a assem-
bla nao chegou a ter tempo para discutir o projec-
lo de lei rural, afim de manifestar a sua opiniao ;
t Attendendo a que a imposigao feta assem- j Julgou que o brilho poda ter tres cansas : pri-
bla na mensagem de lo de abril, de nao ter que- meira, ter sido a seda aperlada entre os denles, se-
ndo entrar na discussao da lei rural tanto mais gunda molhada pela salha, terceira aqnecida.
injusta, quanto que se nao deixou maoria o tem- 0^.q ,raduzia technologicaroenle esles
no preciso para se pronunciar entre as duas emen-factos ^mfm da sua descoberta do segUni-
das propostas pela coramisso, c que todas as ficou nven|ado 0 ** .
secges se pronunciaran a favor do principio das
concess5es de trra que se deveni fazer aos cara- Depois da seda muilo bem fiada e torcida, lecero-
ponezes, mas a respeito da base de urna justa e na e passara-na por agua, e, tendo-a estendido da-
real indemnsagao, c nao a respeito da base propos-' ra este effeito correm por cima e a poura d.stanm
ta pelo projeclo do governo que se apoia n'uraa in-1 do tecido um brazeiro, o qnal vae fazendo evaporar
demnisacao Ilusoria, n'uma verdadeira espo- a agua, e o tafela fica feito.
Ilacao ; O processo tem sido alterado e modificado, roa-
Considerando que no projeclo de lei eleitoral; as phases princpaes sao sempre as mesmas.
existe urna reforma que a propria assembla tem j Octavio Mey, fallido, sem meios alguns, foi mais
muitas vezes exigido, c que actualmente est' til sociedade do que na poca em qne tinha for-
prompta a discutir e a resolver logo que lenha tuna, e talvez do que seria se cliegasse a ve-la t*--
sua freute um ministerio constitucional, mas que o crescida como elle ambicionava.
projeclo apresentado pelo actual ministerio, quu -----
nos ferimos com umi censura, nos apresentado K- Jo Sr cyr||g je i^mos esta poesa :
de urna maneira tao viciosa e lio Ilegal que no Infeliz !
da dignidade da cmara pronunciarse a seu res-1 porqUC) meu Dos, gravaste-me na fronte
peito ; I o ferrete indelevel da desgraga?
Considerando que, quando mesmo o ministe-1 p.ra lodos raa 0 ^ aJm do n,onie.
ro tenha julgado, debaxo do ponto de vista abs-1 Traz a Ms3 perfuraes l)uando passa,
tracto, e sera esperar o nosso voto, que as ideas E a man|la;l qUe desponU no honsonu-
bases do traalo de 1832; d'aqui que provena to- tomar o titulo de Jorge I, rei dos Gregos.
das as suas demoras relativamente ao armisticio
preliminar. ,
t Mr. de Bismark pretende bem affectar formu-
las polidas, mas s se serve dellas para oceultar os
seus designios secretos. Fundam-se em que a In-
glaterra nunca inlervem contra os factos consuma-
dos ; deste modo poe cm execugao os seus desig-
nios, um depois do outro, at que afinal ha de che-
gar ao desmembramento da Dinamarca ; consta
que, mesmo nessa hora suprema, a Inglaterra,
ha de dizer :
t A cousaesl feita, no podemos desfaz-la; re-
t gMemos o facto as nossas novas cartas da Eu-
ropa. Mas o seu xito admiravel e fcil torna-o
muilo audacioso. Depois de urna tonga e trium-
phante asgressao, as cousas ho de chegar ao seu
ras, c depois de carimbados nos presos e termos; t,,rm. o brago da Inglaterra varre o camnho do
que as direcgOes geracs de um e outro ramo fixem
de commum accordo.
Art. ";. Os sellos de qualquer epecie que
acompanhem os despachos como pagamento do
servigo de transmissao e de entrega, s*ro carim-
bados na estagao expedidora na occasiao em que
forera nella depositados.
Art. 6." Quando haja de ser expedido nm tex-
da cmara acerca do mencionado projeclo nao sao
idnticas s suas, o que poda ser para elle urna
razo de sahir do camnho legal ; e que elle tinha
por dever dissolver a assembla, alira de convocar
outra em virtude das leis existentes, ou dar a sua
demisso para se deixar substituir por um minis-
terio constitucional ;
> Considerando que nao por meto de promes-
sas, por mais liberal e popular que elle seja, que
pode justificar e cobrir a culpabilidade de um gol-
pe dado no rgimen constitucional, equeanagao
roumana cangada do systema absoluto do passado,
sem conflanga as excellentes promessas que ama-
nhaa pdetn ceder o lugar s crueis realidades de
um despotismo desenfreado, quer assegurar o
seu futuro, consolidar a sua autonoraia, e realisar
as reformas socaes de que carece pelos meios le-
gaes, e pela garanta de um rgimen liberal que
um acto internacional consagrou com a assignatu-
ra das grandes potencias da Europa > ;
i Considerando' que no caso prsenlo, o podar
legislativo, mantendo-se no campo legal que Ihe
abre a convengo, tem o dreito e dever de deixar
de reconhecer um ministerio que nao merece a
sua confianga, e principalmente de nao reconhecer
o procedimento e os actos desse ministerio que ata-
cara o rgimen constitucional ;
t Por estas raides, e com a reserva de qualquer
outro direito, que a cmara queira exercer contra
o ministerio Cogolnicheano,
i A assembla electiva da Roumana resolve :
Art. Io A assembla trabalhar smente as
suas sessoes no da em que terminar, de urna ma-
neira constitucional, o conflicto suscitado pelo voto
de desconfianga, que ella inflmgiu ao ministerio
Cogolnicheano.
Art. 2o A assembla nomear urna commssao
de cinco mcrabros para preparar urna resposta
mensagem do tiirono de lo de abril.
Esta mogo foi votada pela assembla moldo-va-
laclua por unaiiimdade, menos sete votos.
Bltico, e os seus navios couragados esto promp-
tos a salvar Copenhague e as ilhas.
t E' um grande erro suppor quo a Inglaterra
nao ha de obrar sera a Franga.Esta potencia hesita
naturalmente em se envolver sem forte provoca-
gao n'uma grande guerra continental, que pelo me-
nos costara 100 milhoes e faria perecer 100,000
homens, e a sua aegao no Bltico implica neetssa-
lo s para diversos destinatarios na mesma novoa- menle a sua aegao no Rheno. .
gao, o pagamento ser feito pelo numero de des- j Quanto a nos, nao assim. Se fizermos a guer-
pachos. ra, s teremo necessidade das nossas esquadras
Art. 7. Quando se accucar a recepgao de um ,j0 l;1|ia| t do Mediterrneo.
telegramma, pagar-se-ha como qualquer outro des- q Allemaes nao podem esperar-nos em quan-
pacho. |o qU(> podemos bloquear os seus portos, e um
t Ait. 8. Admttir-se-ha o pagamento previo .,|0 .!,> n9 \drtico traza provavelmente a revo-
das rseoslas aos telegrammas em sellos de fran- |u -Q i.(liejjata ura Veneza e na Hungra.
quia de accordo com o typo que se marqu* para i t 0. rt!V )IU(.,narios eslao mu tranquillos nes-
resposia. Estes sellos sero carimbados como os ^ HiHUJ,,., Ks()er;un qae |hes chegue a occasiao.
demais pela estagao expedidora. Se nao So der a ^ ~0|0 ^^ para com os conspiradores ac- nia* das ilhas Jonias ao reino da Grecia, na eofifor
resposta, ou se se der por menor numero de pala- ..., lU;IJ.ir suppftr (,ue elles nao teem plano. Tu-; midade do artigo 4." do presente tratado, sua ma-
vras do que houver pago, a parte nao lera direito (lu ^ (.a|Cu|aj0 e prompto ; nao podemos duvi-1 gestade britaunica recoraraendari ao governo dos
Art. 3. A Grecia, soo a sobi-rania do principe
Guilherme de Dinamarca e debaixo da garanta das
tres cortes, forma um estado monarchico, indepen-
Grecia, dente e constitucional.
t Art. 4. Os limites do territorio grego, deter-
minados pelo accordo concluido em Constantinopla
entre as tres cortes e a Porta Ottomana, em 21 de
julho de 1832, tornar-se-hao mais extensos com a
reuniao das ilhas Jonias ao reino helnico, na po-
ca em que essa reuniao proposla pelo governo de
sua magestade brtannica, estiver de accordo com
os votos do parlamento jonio, e cm que houver oh-
tdo o assentimento das corles de Franga, Austria,
Prussia e Russia.
i Art. 5. As ilhas Jonias, quando se tver effec-
tuado a sua reuniao ao reino da Grecia, flearap
comprehendidas as garantas estipuladas pelo ar-
tigo 3." do presente tratado.
Art. 6. Em nenhum caso, a cor&ada Grecia e
a cora da Dinamarca poderao pertencer ao mesmo
soberano
Art. 7. Na conformidade do principio da cons.
tituigo helnica, reconhecido pelo tratado assigna-
do em Londres a 20 de novembro de 1838, e pro-
clamado pelo decreto da assembla nacional da
Grecia de 30 de margo de 1863, os successores le-
gtimos do re Jorge I deverao professar os dogmas
da egreja orthodoxa do Oriente.
t Art. 8. A maiorldade do principe Guilherme
de Dioamarca, lixada pela lei da familia real em
dezoito annos, isto a 24 de dezembro de 1863,
considerar-se-ha completa antes d'essa poca, se um
decreto da assembla nacional reconhecer a sua
necessidade.
t Arl. 9. Na poca em que tiver lugar a ren-
Segundo escrevera da Valachia, a cmara rouma-
na nao foi sorprendida com as ultimas medidas do
governo, com o qual esta em hostilidade. Alguns
dias antes da poca usada para se encetarem as
sessoes, a cunara havia sido adiada, mas Mr. Ro-
zereseo submetteu a urna reuniao particular de 108
deputados um projeclo de resolugo, o qual foi
adoptado em segredo.
IIU POICO OE TODO.
a reclamar. Se a resposta fr mais extensa, a.es-
da-lo.
tagao expedidora da resposta cobrara til .-.ras a f R, msUfmM de estado insensatos que *
() Publicamos hoje uma.parto do capUifeb *.....nto tem enToItldo s forg; ******
esta epigraphe, que haveudosido pailido ou / io um camnho de annexacao iHegal, que comptw
de ante-hontem, devia ser o coniego do Je hi.-Hcm, aponalo di e i hora da grande explosao. A Fran-
que por descuido involuntario da paginar: (Jend ,.a ,.., |la|ia vrg0 denoj a seu turno. E' entoque
de ser collocadoem seu lugar corapeteyu ,, ^d fe i945 a Dlnamar-
assim pois, este pequeo pedaco peptoncenup o K nr.nU, .
a. 133 do nosso bia,w. ra livre, Vneta ser libertada, o Oriente e a
seguimento do n.

A reoWfJ). Eop ia reconstituido, e o Rheno reivindicado.
Estados Unidas das ilhas Jonias, qu< fixe annual-
mente urna somraa de 10,000 libras para augmen-
tar a lista civil de sua magestade Jorge I, rei dos
Gregos.
> Art. 10. Cada um dos tres governos ceder,
em favor do principe Guilherme de Dinamarca, a
quantia de 4,000 libras por anno, das sommas que
o thesouro grego se obriga a pagar annualmente a
cada um d'elles, em virtude de ajustes concluidos
Sobre o evangellio de S. Lucas, grande jubilo lla-
vera no cu,subre umpeccador que fizer peirtencia,
escreve a Cruz o que segu :
Chegavain-se pois a Jess os publcanos rmos
mous, e os peccadores para oouvirc.u. E os Fari-
seus e os Escribas murmuravam, duendo :
E>te recebe os peccadores, e come com elles.
E elle Ibes propoz esta parbola, dizendo :
Qual de vos outros o homem, que tem cem
[ovelhas : e se perde urna dellas, nao assim que
No dia em que reromeraram as sessoes, o presi- j deM a. m^m e UVe 0 Jeser[0) e vae bu .,ar
dente do conselho, Mr. C isnloicheano pedio a pa- a que Su |iavja p(.rJido> alo i|ue a ac|uJ? E que de.
lavra para dar conhecim >.ito de urna communica- po|s de a a,.h.u. a |l5e sobrt seus |lom3ros cheo
gao do governo, isto para lro decreto da disso- de gQSt0 e viu| a r;isa cnarna MS seuj amjgSi
. lucao ; mas o presidente da cmara recusou-se a e vlsinhS> dlzendolues:
!conceder-lhe a palavra em nome do regulamento. i _. _
.,... .- Connratulae-vos, amigo, porque achei a minna
Mr. Cogolnicheano deixou entao a sala para procu-! B ,..
, i. ovelha que se havia perdido r
rar apoio na torga ; mas quando voltou com tropa, ^ r
j a cmara tinha votado a resolucao projectada, | Digo-vos que assim haver maior jubilo no ceu,
cojo theor o seguinte : sobre um peer ador que fizer penitencia, que sobre
noventa e nove justos, que nao hao de mister peni-
t Considerando que a assembla electiva da
Roumania, desde o principio da actual sessao, tem Deye en,en(ier.se d'aquelles que se tem por jus-
por todos os meios procurado estabelecer a conci- % naQ cujdam de fazer penennia dos sens de-
lagao com um ministerio, quo nao sahiu do seu QU Qs naQ connecem> ou os nao que.
seio, e tem ao mesmo tempo trabalhado em nume- '^.
... .... ... rem conneter.
rosos projectos de le, cora o nico fim de estabele-
cer a harmona entre os poderes do estado no cam-
po dos actos, de tranquillisar os nimos, e de rea-
lisar as reformas mais urgentes e mais uteis para
o paiz ;
t Considerando que depois da cmara ter ulti-
mado e votado projectos de lei importantes, o pro- perdido T
cedimento do ministerio Cogolnicheano, foi de tal | ^^ yoS dg0 eu> que navera jubi|o enlre 0$
natnreza, que a maioria dessa assembla, usando de Deus ^ am mcidor qad faz penlten.
do seu direito constitucional, entendeu dever appli-, .
.. ca.
car-lhe urna consura motivada ; ...
Considerando que semelhante voto, em todos As dez drachmas vahara oitenta res, dmheiro,
os estados constitucionaes, e segundo os direitos e Q s nSo era *''"n, P"a 1'wm nao tra|ia se-
os usos parlamentares, constitue ura conflicto entre nao dez. E sendo cada um de nos a fftpeito de
os poderes executivo e legislativo, e carece ou da I>eus 'to menos, do quo umadrachma a res-
dssolugo da cmara ou da demisso do minia- Pto le um hornera rico; Deus cora ludo estima
. j | tanto a conversagao de urna alma, como esta pobre
. Considerando, que se nao conseguiu nenhum mulher estimava urna drachma.
Ou que mulher ha, que tendo dez drachmas, e
perdendo urna, nao accenda a candea, e nao varra
a casa, e nao na busque com multo sentido, at
que a ade E que depois de a adiar, nao convo-
1 que as suas amigas, e visinhas para Ibes dizer :
Congratulae-vos comigo, porque achei a drachma
destes dous meios; que o ministerio, que o pro-
Trabalhoraos portadlo para a nossa conversao,
prio que reconhece o conflicto, e que havia formal- Pis Pr nia,ores 'le seJa(n os nossos V****' *
mente declarado em face da cmara, que depois de '^rmos conlianca e proposito de emenda havemos
ura voto de censura se retirara ou dissolveria a de ser Perdoados-
cmara veio pelo contraro/no dia 15 de abril Nao confiando smente era Jess Christo, como
com de^prezo do texto da convengo, dos usps par-; dizem os protestantes ou esses mestres sem missao
lamentares e do rgimen constitucional adiar o : que espalham os seus tolhetos-mas sim obedecen-
conflicto, prorogar a assembla e apresenlar outros do c curapriado os seus raandamentos.
E' pura e clieia de indisivel graga
Mas eu peno sem ter um s momento
D'este mal que me punge o esqnecimento I
Nao vejo a luz do dia; em noute escara
Vivo sempre torcerme dolorido;
Nunca aspiro os odores da ventara,
Nem tenho quem suffoque-ra? o gemido;
At mesmo em meus sonhos nao fulgura
Um futuro de males desprovido!
Minha dr mortal; se nao deliro
A vida exhalo em trmulo snspiro.
Porque tao infeliz viver me deixas
No mundo que s quer escarnecerme
Quando digo sentido as minhas qneixas ?
Sem deixar um instante s de verme
Desprezado ao soltar tristes endeixas
Que exprimem o que todo? veem dizer-me
Que nao devo turbar os seus tolgares
Porm sim solTrer mudo os meus pezares t'
Compadece-te, ens; tira-me a vida:
Que eu repousc na campa socegado.
J minh'alma de ha muito arrepcndida
Desprenderse da trra tem tentado.
Mas a dr a pungir-me tao renhida
Suas azas no vo tem cortado;
Hoje porm a ti, Senhor, imploro
Um termo emlim as lagrimas que choro.
L-se na Estrella do .Vor/ UM SACRIFICIO DEM RKO iMl'K >- U"'.
Eslava um mancebo em um navio, com um Lon
religioso e outros passageiros, para fazer umacri
vagem nos arredores e Genova.
E>te mancebo tinha as raaos um deste- livr
licenciosos, que sao muilo conimuns ne>b- desgra-
gado secuto. Elle o lia de leroiws em lampas
dizia em voz alta aos companheiros com una es-
pecie de basla :
Bis um livro encantador, cheio de espinl>
eu fago delle as minhas delicias, desejava safee-lo
de cor, nao o trocara por um thesouro.
Depois dirigindose ao religioso Ihe dis>e :
Meu padre, tereis a curiosidade de v-lo '
Se visseis vos convenceneis de que eu nao vus
engao.
O religioso pega o lino, e apenas leu algum -
lnhas logo recooheceu a natureza da obra: le
xou-o e entregou imraediatameole a seu dono -
tendo-lhe que se admira va de velo fazer >ua- de-
licias de cousa lo enfadonha; e como elle 0
|iio como sabio, fez recahir a conversagao Hfere
pomos de religio.
Comegou a louvar os encantos da virtude, e se
applicou sobre tudo a pintar a felirida*1e de um m-
racaopoffO e innocente. Fe-lo cora tanta unrrio
torga que o nosso joven, que tinha recel.id.. imu
educago muto chrisla, e nao tinha perdido a f.
nao pode deixar de dar alguns suspiros. Fmgiu o
piedoso padre nao observar o effeito de seu< mear-
sos; porm, continuando no mesmo lom, lamen; i
os delirios eas desgragas dos mancebos que se dei-
xam arrastar pela torrente dos vicio*.
Oh louco mercado! exclamou elle, em me
um christo entrega sua alma ao demonio Da
tudo e nada recebe. Engano-me, arrresrenlou.
recebe como um penhor do inferno: porque b i
cousa mais approximada ao estado de nm reprova
do que o de urna alma entregue tyranma de siu-
paixes ? Alt I se ao menos ella recorres** a Hot-
sa Senhora.....
Ah I replicn o mancebo suspirando, en a
amava tanto em nutro lempo 1 No i-ollegio onde en
estudei tinha-lhe promettido ser fiel sen culi i .
eu tinha al durante algum tempo vestido NM li-
bres; mas abandonei tudo, e lenho lido verf<>oh..
de perlencer-lhe : posso eu anda ter e*p.-r m .
de recobrar a materna affeigo de*u Virgem puru-
sima ?
Sim, meu filho, Ihe responde o religkwo.e veo
custar pouco. Onde esta o livro que vos ebigia-
veis neste instante ?
Air I meu padre, nao fallemos mais delU>.
Polo contrario de vemos fallar : dyaejae. 4i-
zei-me, ganhar a amisade de Mara; pois bem'. U-
zei-lhe nm saerilicio desee livro lio caro ao v*o
coraco.
Affiancaes-me que isto Ihe ser agradawi:
que ella se tomar anda minha roaa?
Sim, mea IHho, eu vos asseguro-----
Elle nao delibera mais :
Aqu o leudes... disse, e no mesmo instan-
te o langa no mar....
Ah I quanto Mana sabe pagar generosamente o
que se faz por amor della I Esle saerilicio lio pou-
co digno por si mesmo de ser avaliado a al-
guma cousa, foi para este meco ua aunan
cial de favores celeste, que Ihe procuraram delu-
de urna vida santa, una morte de predestina.\<>.
porque na volta sua patria, mudon mteiramenie
de vida. Desengaado de mando e ae seos taho>
prazeres, deixou seu* beas sua familia e eairou
em urna ordem religiosa de quem foi al o m da
vida o ornamento e edincacao.
Quando a vos, fiis ervos de Mana, nia vos
proponlio quo Ihe fagaes o sacrificio de aigua mau
livro ; pois (andes sem duvia a essa* abommave
obras todo o horror que ellas merecem. Ma* vede
o que podis fazer para Ihe agradar, e que sacri-
ficio queris ofTereeer-lhe para merecer o soeeorro
de sua poderosa proteccao.
PERNAMBL'Ca-TYP. DE M. F. DE F. HUtO
.
ILEGVE
4


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIFE3FT46_28T3P2 INGEST_TIME 2013-08-28T01:13:48Z PACKAGE AA00011611_10411
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES