Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10410


This item is only available as the following downloads:


Full Text
M
AMO XI. HOMERO 154.
Per tres Mezes adiantados ftgOOO
Per tres mezes vencidos 68000
Porte ao correio por tres mezes. $7o
'

SEXTA FEIRA 8 DE JLHO DE 1864.
Por amo adiantao.....i98000
Porte ao correio por um auno. 3J000
tNCARREGADOS BA SUBSCRIPCAO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty,
Sr.A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
1NCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL-
Alagas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Babia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
fiera Martins di Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as* tercas reiras.
EPHBMERIDES DO MEZ DE JULHO.
3 La nova as 10 h., o m. e 13 s. da m.
12 Quarto cresc. a 1 b., 26 m. e 14 s. da ni.
d 2 !;na ?heia M b;,K13.f9 V n1'
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob, 2o Quarj min*- M 6 b-> 26 m- e 8 s- da '
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras. I
Sennhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-I
ros, Agua Preta e Piraenteiras as quintas feiras.j PREAMAR DE HOJK.
Uha de Fernando todas as vezes que para ali sahir __. .
navio. I Primeira as 6 horas e 54 minutos da manhaa.
Todos os estafetas partem ao ','j dia. | Segunda as 7 horas e 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS.
Para.osu! at Alagas a5 e 25; para o norte at
a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, marc., maio, jal, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipucos s 6 A, 7, 7 Vi, 8 e
8 i/i da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6 y, da m.; do Caxang e Vanea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 Vi. 4, V, 4 Vi,
-, 5 V. "Vi e 6 da Urde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 Vi da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cachang.e Varzea s 4 Vi da tarde; para
Bemfica as 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relaclo: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orpbios: tercas sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas sabbados a 1 hora
da tarde
DIAS DA SEMANA.
4. Segunda. S. Isabel rainha de Portugal viuv.
5. Terca. S. Philomena v.; S. Trilina m.
6. Quarta. S. Uomingas v. m.; S. Isaas pro.
7. Quinta. 5. Pulcheria v. imperatriz.
8. Sexta. Ss. Procopo e Pnscilla inm.
9. Sabbado. Ss. Cyrillee Bricio bb.
10. Dumingo. S. Silvano ni.; S. Bianor b.
ASSHJNA-SB
no Recife, em a livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE OFFICIAL
GOYERNO DA PROVINCIA.
Contnuaco do expediente de dia i de julho
de 1864.
Officio ao juiz municipal do Limoeiro.Por de-
creto de 4 de junho prximo Ando S. M. o Impera-
dor houve por bem declarar vagos os officios de
partidor e contador desse termo, por ter Jos An-
tonio Pestaa deixado de apresentar titulo dentro
do prazo legal: o que cominunico Vine, para seu
conhecimento e para fazer constar ao mesmo Pes-
taa.
Dito ao Dr. Viriato Aurelio da Cunha Gouveia.
Constando de particpaco que recebi da directo-
ra gural interina da secretaria de estado dos ne-
gocios da justiga o da que inclusa Ihe envi, que
S. M. o Imperador por decreto de 8 de junho lindo
houve por bem nomear Vine, juiz de direito da
comarca de Tacaratu : assira Ih'o communico para
seu conhecimento e afim de que aprsente titulo e
entre em exercicio no prazo de 3 mezes, contados
desta data.Fizerarase as outras communica-
cj5es.
Dito ao gerente da companhia Pernambucana.
Com copia do officio do Eim. presidente do Piau-
fcy, datado do 1" de junho ultimo, remello inclusa
a coma do que est devendo a companhia Pernara-
iraeana pelos servigos prestados ao. seu vapor 31a-
mtmguape as barras da Parnahyba em junho do
anno passado, afm de que Vmc. providencie con-
venientemente no sentido de ser paga a respectiva
importancia.
Portara.-O presidente da provincia resolve no-
mear o r. Alexandre de Souza Pereira do Cuino
para substituir ao Dr. Joo Ferreira da Silva, ins-
pector da sade do porto, durante o lempo em que
stiver de licenga.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Manoel Caetano Nunes Pinto, resol-
ve conceder-lhe licenga para r ao presidio de Fer-
nando no primeiro navio que para all seguir, le-
vando comsigo os gneros constantes da relacao
junta, assignada pelo secretario do governo, nao
podendo porm effectuar o desembarque dos ditos
gneros sera que por parte do commandante do re-
ferido presidio se proceda exame para se verifi-
car se ha agurdenle, ou outra qualquer bebida
espirituosa, e sendo alm disso obrigado a apre-
sentar ao predito commandante a factura de taes
gneros, altestada quanto aos precos pelo presiden-
te da junta dos correctores.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
<|ue requereu o inspector da sade do porto desta
cidade, Dr. Joo Ferreira da Silva, resolve conce-
der 3 mezes de licenga sem vencimenlos para tra-
tar de sua sade fra da provincia.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernambu-
cana mande dar urna passagem de estado a r at
a Granja no vapor Jaguaribe ao Dr.-Joo Ferreira
da Silva e de proa a un seu criado.
Dita.OSr. gerente da companhia Pernambu-
cana mande transportar at Peneilo no vapor Per-
smunga, em lugares de proa destinados passa-!
geros de estado aliento da Silva Muniz Manjumm
Francisco Pereira.
o
Officio ao brigadeiro commandante das armas.
Queira V. Exc. mandar retirar para esta capital o
atieres Francisco de Freilas Moreno, visto que naoi
seguio para o termo do Ouricury como se havia'
determinado.
Dito ao mesmo.Deferindo o requerimento do'
1" cadete do 4a batalhao de artilharia a p Trsto!
Franklin de Alencar, sobre que versa a informa-
gao de V. Exc. n. 1155 de :0 de junho ultimo, re-
solv nesta data conceder-lhe :t mezes de lcenga
com vencimentos para tratar de sua sade nesta
provincia : o que communico V. Exc. para ter
execugo.
Dito ao mesmo.Devolvo inclusos os termos de
exame e julgamento dos objectos cargo do bata-
llio "- de infamara e companhia de cavallaria,
os quaes acompauharam os officios de V. Exc. ns.
349 de 2i de fevereiro ultimo, e 787 de 30 de abril
subsequenle, para que V. Exc. haja de mandar sa-
tisfazer o que acerca desses lerrnos determina o
Exm. Sr. miuisiro da guerra no aviso de 17 de ju-
nho prximo fiado, de que Ihe remeti copia.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar
alistar nos corpos em guarnigao nesta provincia,
os recrutas Antonio Jos de Carvalho, Joo Evan-
gelista de Mendonca, Manoel Rodrigues Campello e
Antonio Francisco de Paula, que foram considera-
dos aptos para o servgo do exercilo em inspecgo
d>: sade, como V. Exc. declarou em seu officio n.
1.171 de 4 do corrente.Communicou-se ao leen- j
te-coronel recruiador.
Dito ao mesmo. Transmiti incluso por copia o
aviso da reparlgo da guerra de 11 de junho ulti-
mo, para que V. Exc. se sirva de providenciar no
sentido de sor executado literalmente o que acerca t
de exercicos dos corpos do exercito se acha deter-
minado na ordem do dia n. 260 de 22 de maio de
18t>l, como se determina em dito aviso.
Dito ao mesmo.Determinando o Exm. Sr. mi-
mistro da guerra em aviso de 16 de junho, que se
de novo titulo de engajamento aq soldado do 2o ba-
talho do infamara Antonio Jos de Sant'Anna : ;
assim o communico V. Exc. para ter o conve-
nente destino, a certido de assentamentos do te-
nente Severiano Rabello da Silva Pereira, o qual
sendo do 5o batalhao de infamara fui promovido
lente por decreto de 28 de novembro do anno pro-1
ximo passado e classificado nj 9* batalhao da mes-
ma arma.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. mandar postar
em frente do convenio do Carmo, hoje, s 4 horas
da larde, a forra que for necessaria para fazer as
honras fnebres do estylo ao finado major da ex-
tincta 2' lnha, Jes Jacilho da Silveira.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Devolvendo V. S. as propostas que vieram anne-
xas ao seu officio de hoje sob n. 331) para fornec-,
melos de objeclos precisos alfandega desta ca- .
pilal para o seu expediente no corrente exercicio,
tenho adizer em resposta, que pode V. S. de con-1
formidade com o sen citado officio contratar esse
fornecimento com Manoel Cardoso Ayres e Jos
Luiz de Azevedo Maia.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Transmuto V. S. a inclusa conla em duplicata,
afim de que nao havendo inconveniente, mande
pagar a Manoel Francisco da Cruz a quanta de
30jE proveniente do aluguel de 6 mezes, vencidos
em junho deste anno, da casa que serve de priso
no districto de S. Lourenco, como se v da raen-
donada coma, que para esse fim foi remetlda pelo
chefe de polica com offlcio de hoitem sob n. 789.
__Communicou se ao Dr. chefe de polica.
Dite ao mesmo.Se nao honver inconveniente,'
mande V. S. pagar a Antoaio Augusto Maciel, con-!
forme solicitou o chefe de polica em offlcio de hon-
tem, sob n. 794, a quantia de 1005, em que segn-'
o conta junta em duplicata, importa o aluguel |
de um semestre, vencido em junho ultimo, da casa
que no termo de Baefeiros serve de cadeia.Com-
municou-se ao Dr. cttfe de polica.
Dito ao mesmo. Em vista da inclusa folha,
mande V. S. pagar ao tenente quartel-mestre do
corno de polica, Luiz de Franca Mello Jnior, con-
forme solicitou o chefe de polica em officio de 2 do
corrente, sob n. 786, a quantia de 7*280, despen-
dida durante e semestre de Janeiro junho deste j
ann, com o fornecimento de agua aos presos re-
colhiilos ao quartel d'aquelle corpo. Corarauni-
cou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao capitao do porto. Mande V. S. por era
liberdade o recruta Lucio Roberto Florencio de
Sant'Anna, que tem isenco do recrutamento.
Dito ao commandante do corpo de polica. -Cora
a copia da inforraago ministrada pelo administra-
dor da casa de detenco, respondo ao offlcio de V.
S. n. 286 de 18 de junho lindo com referencia ao
armamento existente naquelle estabelecimento.
Dito ao director do arsenal de guerra. Mande
V. S. adrailtir na companhia de aprendizes desse
arsenal, havendo vaga, o menor Ladislao de Paula
Rosas, filho de Mana do Carmo de Oliveira Lima,
por assim o ter requisilado o juiz de orphos desle
termo, em offlcio de 4 de junho ultimo. Coramu-
nicou-sc ao Dr. juiz de orphos desta capital.
Circular todos os juizes de direito.Para cum-
primento do aviso circular do ministerio da justi-
ga de 23 de margo de 1838, informe Vmc. com ur-
gencia : Io em que termos presidio a revso da
lista dos jurados ; 2* a que sessoes do jury e que
correiges abri ; 3 de que licengas gosou e por
que tempo ; 4o se teve outras ioterrupgoes e quaes
no exercicio de suas funegees com declaraco dos
motivos que a ellas deram lugar, tudo no semestre
decorrido de Janeiro junho prximo lindo : de-
vendo ministrar iguaes informagoes no lim de cada
semestre independentemente de nova exigencia,
como se ha recommendado em observancia daquelle
aviso.No mesmo sentido aos juizes de direito,
ao juiz de orphos deste termo, aos juizes munici-
paes e promotores pblicos.
Offlcio ao juiz de direito da Boa-Vista.Recebi
o seu offlcio do Io de junho ultimo a que vieram
annexos os documentos e conta das despezas fe'as
com os reparos de que necessitava a cadeia do Ou-
ricury, e em resposta tenho a dzer a Vmc, que
deve mandar recolher ao cofre da thesouraria pro-
vincial o saldo de 1:0775 que Ihe Ihe foi abonado
para occorrer a semelhante despeza.
Dito ao juiz de direito do Brejo. Em vista do
que expoz Vmc. em offlcio de 18 de maio ultimo
com referencia a cadeia da villa de Cimbros, teaho
a dizer-lhe que opportunamente tomarei a resolu-
gao que for mais conveniente aos interesses pbli-
cos, segundo as informagoes que tenho de exigir
de pessoa professional.
Dita cmara municipal desta cidade.Remetto
cmara municipal desta cidade para seu conhe-
cimento copia do aviso do ministerio da justiga de
14 de junho lindo approvando a deciso que deu
esta presidencia por occasiao do fallecimento do
juiz de paz mais volado da freguezia de S. Fr. Pe-
dro Gongalves.
Portara.Os Srs. agentes da companhia Brasi-
leira de paquetes, mandem dar transporte para o
Maranhao, por conta do ministerio da marinha,
no primeiro vapor qne passar do sul, ao pratico
da costa Joao Anlunes da Silveira, que se acha
servndo na estago do 3o districto naval. Com-
municou-se ao commandante do vapor Beberibe.
Dita.O presidente da provincia conformando-se
com a proposla do Dr. chefe de polica n. 791 de 4
desle mez, resolve conceder a Bellarmino Ferreira
Padilhaa exonerago qne pedio do cargo de l* sup-
plente do subdelegado da freguezia de Cabrob.
Communicou-se ao Dr. chefe du pojicia.
Dita.O presidente da provincia conformndose
com a proposta do Dr. chefe de polica n. 787 de
2 deste mez, resolve considerar vago o lugar de 3"
supplente do subdelegado do 1" districto da fregue-
zia de Santo Antao por se ter mudado o cdado
que o oceupava, e para o preencher nomea o cida-
do Antonio Francisco Xavier. Communicou-se
ao Dr. chefe de policia.
Dita.Opresidenteda provincia conformando-se
com a proposla do Dr. chefe de polica n. 787 de
2 do corrente, resolve nomear a Herculano de Bar-
ros Lima para 1" supplente do subdelegado do dis-
tricto de Tabocas, 2" da freguezia de Santo Autao.
Gommunicou-se ao Dr. chefii de policia.
uita.O presidente da provincia conformando-se
com a proposta do Dr. chefe de policia n. 790 de
4 do eorrente, resolve nomear o 5" supplente do
subdelegado do districto de Petrolina, Miguel Gon-
galves Barbosa, para o lugar de Io supplente do
mesmo subdelegado por ter fallecido o cdado que
o oceupava Egydio Martiniano de Alencar. Com-
municou-se ao Dr. chef de policia.
Dita. -O presidente da provincia conformndose
com o que propoz o Dr. chefe de policia em offlcio
n. 787 de 2 do corrente, resolve considerar vagos
os lugares de 2. 4" e 6* supplentes do delegado do
termo de Sanio Antao, o2e 4 porseterem muda-
do os cidados que os oceupavam, e o 6" por ter o
nomeado para elle deixado de prestar juramento
e para os preencher nomea: 2 major Jos Gomes
da Silva, i Jos Speridio Xavier Lima c 6 Joa-
quim Pessoa Cesar da Cunha.Communicou-se ao
Dr. chefe de policia.
Continuaran do expediente do secretario do governo
do dia I ib- julho de 1S6I.
Offlcio ao juiz dos fetos da fazenda, Dr. Jos Ni-
colao Regueira Costa.-De ordem de S. Exc. oSr.
presidente da provincia, communico V. S. que se
acha nesta secretara a copia do decreto que o re-
moveu de Olinda para a vara dos feilos da fazenda.
-----
Despachos do dia o de julho de 1861.
Requcrimrntos.
Alfonso Alves do Reg Villela. Em yista das
informagoes, nao tem lugar o quo requer o sup-
plirante.
Antonio Pereira da Silva. Informe o Sr. Dr.
chefe de policia.
Aristides Barbosa Kordeiro Feitosa. Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Domingos Antonio Manoel.Informe oSr. tenen-
te-coronel recrutador.
Francisco Manoel da Fonseca Rosado. Informe
o Sr. director do arsenal de guerra.
Irmandade de Nossa Senhora do Livramento
desta cidade. Em occasiao opportuna de confor-
midade com a le ser attendida a supplicante.
Irmandade do Senhor Bom Jess dos Martyrios
da freguezia de S. Jos dla cidade. Informe o
Sr. Ihesourero das loteras.
Jos Feliciano Machado.Remettido ao Sr. com-
mandante do presidio de Fernando, para atleoder
ao supplicante como julgar conveniente.
Joao Pedro.Informe o Sr. juiz muoicipal da l'
vara desta cidade.
Joo Carlos Cavalcant de Albuquerque. Passe
portara concedendo a licenga requerida.
Joaquim Jos de Santa Anna.Tendo sido posto
em liberdade o filho do supplicante, segundo infor-
roou o Sr. general commandante das armas, nada
ha que deferir.
Marcolina Francisca Gumaraes.Informe o Sr.
desembargador provedor da Santa Casa da Mise-
ricordia.
Manoel Carneiro Cavalcant de Albuquerque La-
cerda.Informe o Sr. inspector do arsenal de ma-
rinha.
Prxedes da Silva Gusmo. Informe o Sr. di-
rector das obras publicas.
Rosendo Alves da Silva. Nao tem lugar o que
requer.
Sociedade Monte Po Popular Pernambucano.
Passe portarla approvando.
cado na ordem do dia do exercito n. 40i de 20 do
mesmo mez, exonerar-me do coinmando das armas
desta provincia.
Nao estando presente o film. Sr. coronel Joaquim
Jos Gongalves Fontes, nomeado por decreto de
igual data para substituir-me, acabo de devolver o
commando ao Illra. Sr. coronel Luiz Jos Ferreira,
que sendo o mais amigo, pela le chamado a
exerce-lo interinamente.
No periodo de 2 annos, 6 mezes e 2o das, que
| permanec no referido commando, encaminhei, cora
especialidade, os meus actos de raanter a dscipli-
! na na tropa sob minha jursdiccao, e a imprimir no
| servgo, era seus diversos e importantes ramos
; regularidade que era de mister para que se tor-
: nasse proficuo aos interesses do estado, era bem do
I paz. Procure serapre que a tropa fosse provida
da necessaria aliraentago e vestuario, tendo em
rauita considerago os servigos que prestara, mr-
mente as quadras calamitosas por que infeliz-
mente passou a provincia com a invaso do chole-
j ra-morbus.
Fra meu desejo e tambora muito me esforcei,
; para dar aos corpos era raalor escala a nstrucgo
! de que tanto carecen), mas este meu desejo e es-
; forgas quasi que se neutralisaram ante as emer-
j gencias do servico policial no interior da provincia,
j para onde destacou a mxima forga dos mesmos
' corpos, sendo que por este motivo a forga restante
i existente na cidade, mal se poda prestar ao serv-
go de sua guarnigao, que foi feito e anda o com
atropello : nao obstante, estes mesmos corpos rece-
berara aquella instruegao que era compalivel com
ura semelhante estado de cousas, que deve cessar,
| a menos que se nao queira que o exercito seja
' aquillo que deve ser.
Nos Srs. comraandantes de corpos encontrei a
! necessaria coadjuvago para levara effeito os meus
, actos : elles sao dignos de louvor pelo interesse
que toraaram no cumprimento de seus deveres ;
com particulardade os Srs. commandantes do 2 e
9* de infamara, do corpo de guarnigao, compa-
nhias de cavallaria e artfices desta provincia.
Apraz-me fazer esta ingenua declarago, em tes-
temunho da considerago em que os tenho, e do
aprego que ligo aos seus servigos.
Tambem recebi dos Srs. commandantes de for-
talezas e chfes das estages militares a necessa-
ria coa.duvago, mxime na questo anglo-brasi-
leira, nao podendo exmr-me de, neste momento,
consignar aqui os valiosos auxilios que me prestou
o Sr. capito de fragata Hermenegildo Antonio
Barbosa de Almeida, digno inspector do arsenal de
marinha, quo de boa mente satisfez a todas as mi-
nhas requisigoes tendentes ao servgo ; pelo que
a todos dou os meus agradecimentos.
Fui feliz com os empregados do quartel general:
dalles recebi em todo o tempo as maiores provasde
fldelidade, dedicago, intelligencia e amor pelo ser-
viga ; e porlanto, devo-lhes a promptido com que
as minhas ordens foram fielmente expedidas para
que tivessem a devida execugo.
Sao elles, o dstmeto Sr. tenente-coronel secreta-
rio Francisco Camello Pessoa de Lacerda, e os Srs.
capitao aj ociante de ordens do commando Jos Igna-
cio de Medeiros Reg Monteiro e tenente ajudante
de ordens da pessoa Antonio Cardoso Pereira de
Mello, nesta data exonerado, que me merecem to-
do o conceito e confianga, e aos quaes reconheci-
do, voto-lhes a minha amizade e os meus elo-
gios.
Dos Srs. ofliciaes do corpo de sade existentes
nesta guarnigao, e do seu digno chefe o Sr. cirur-
giao-mr de brigada Dr Jos Sergio Ferreira, de-
legado do cirurgio-mr do exercito, s tenho mo-
tivo para lisongear-me pela maneira porque se
houveram no desempenho de suas funegoes, em-
quanto commandei as armas nesta provincia. Seus
servigos foram proveitosos causa da humanda-
de, e sobresahiram durante a epidemia de que
cima fallei, sendo quasi todos empregados em im-
portantes commissoes eivis e militares, dentro e
fra da capital, patenteando a maior abnegaco de
seus commodospessoaes para se oceuparem de dar
indigente populaco confiada aos seus cuidados,
os soccorros mdicos que reclamava. Aceitem,
porlanto, esta manfestago da seutimento que nu-
tro seu respeito.
Tambem me applaudo de ter encontrado nos
Srs. capellaus militares, sacerdotes dignos do sa- [
grado ministerio que exercem.
E' igualmente merecedor dos meus elogios o
Sr. tenente-coronel Jos Lucas Soares Raposo da
Cmara, director do hospital militar desta provin-
cia, pela sua probidade e interesse que toma pelo
servico de to importante estabelecimento.
Apartando-me desla heroica provincia, levo as
mais vivas recordagoes c saudades, nem s dos
meus bons cantaradas d*armas, como de seus hon-
rados habitantes, aos quaes me confesso nimiamente
agradecido pelas attengoes com que em todo tempo
me trataram. Destes e daquelles fago as minhas
despedidas, desejando-Ihes um porvir venturoso.
Assgnado. Solidonio Jos Antonio Pereira do
Lago.
Conforme.Jos Ignacio de Medeiros Reg Ufan-
leo, capito encarregado do detalhe.
Quartel do commando das armas de Pernambuco, I
6 de julho de I Mi i.
ORDEM DO DIA R. 337.
Chamado por forga da le para exercer interina-
mente o commando das armas desta provincia que [
acabo de recebar do Sr. general Solidonio Jos An-
tonio Pereira do Lago, por nao estar presente o
seu successor, nomeado pelo governo por decreto
de 3 de junho; assim o fago constar s tropas da
guarnigao para seu conhecimento.
Amestrado como na marcha do servgo era seus
differentes ramos, o Ilustre edstincto general que
fica mencionado, suas ordens continuaro a ter
perfeito vigor.
Cont que nos poucos das em que me achar na ,
direceo da forga armada da mesma guarnigao,
encomrare o apoio dos Srs. commandantes de cor-
pos, de fortalezas c dos Srs. cheles das estagoes
militares. E' este apoio tanto mais necessario quan-
to sem elle dfficil fazer com que o servgo se!
pratique com a devida regularidade, e que a dis-
eiplina se mantinha convenientemente : a este fim |
devem convergir todos os nossos esforgos.
Assgnado.Luiz Jos Ferreira, coronel com-'
mandante das armas interino.
Conforme.Jos Ignacio de Medeiros Reg Mon-
teiro, capitao encarregado do detalhe.
I ximo finda, foi a causa das recentes diabruras to-
; las ou criminosas dos estudantes.
O decreto de amnista diz assira no seu artigo
nico:
t Sao amnistiados para todos os effeitos os factos
praticados era contravengo das referidas leis, nos
ltimos dias do mez de abril pelos estudantes da
L'nversidade.
Sao to graves e significativos os mencionados,
que esses, por grandes que sejam, encobrem-se na
inagnitudc daquelles.
Senhor I A experiencia de todos os lempos,
uniformemente, convence quo facilimo seja fazer
entrar na ordem, e manter na disciplina a mocida-
de acadmica ; por isso mesmo que (conforme este
conselho tem significado a Vossa Magestade) os do-
As leis a que se refere este artigo e vera apona-! ceis e bons constituem setnpre urna immensa maio-
das nos considerandos que o precedem, sao o cdigo [ ria ; nem ha que recelar seno dos poucos, e s-
penal e o regulamento de Polica acadmica, etc. j mente quando as autoridades, confundindo estes
| Ora os lentes da faculdade de direito philosophca com aquelles, prestam aos mos as attengoes que
entendern que a letra do decreto nao poda ir. nao merecem senao os bons.
alm do dia 30 de abril, e por isso marcaram as O conselho geral das faculdades nao pede a
faltas dos dias immediatos, eliminando os nomesde Vossa Magestade e ao corpo legislativo novas pro-
0 cabido da dioce.se de Pernambuco, tendo vagado
a s e dentro dos oito dias marcados pelo concilio
tridemino, nomeou um vigario e dous ecnomos
na forma prescripta pelos caones ; feito o que,
proceden, o mesmo cabido nomeago de tres ou-
tros officiaes.que devam servir com o referido viga-
ro capitular na administrago espiritual dadioca-
se, lavrandose depois a actadessas nomeagoes, e
impossando-se os nomeados, que comegarara e tem
continuado a servir juntamente. Move-se agora a
questo sobre a validade destas ultimas nomeagoes
fetas pelo cabido depois de eleito o vigario capitu-
lar, e pergunta-se quid juris t
< A principal razo de duvidar qua feita a so-
lemne nomeago do vigario capitular, a antes mes
rauitosacaaemicos; o vice.reiior.porra, quera que videncias e leis ; as vigentes, intera e pontual-! mo de ,. d
^SSS^s^J^Jrs^ss^t 5SMH*fe.w dd.'bastantes risdoaepaoP\rque %^*J2\k
ao cabido, se transfunde no supramencionado ti-
: Deste modo de entender a amnista resultou o vice-; necesidades polieiaes da Unversidade.
j reitor pedir pelo telegrapho a demisso do seu Menos supplica a Vossa Magestade que se dg-
i cargo. ne conceder as autoridades administrativas, a quera
Isto aconteca no dia o do corrente, e na noite incumbe a policia da cidade, augmento de forga
deste mesmo dia tentou-se langar fogo s casas de militar : tem-na de sobra para se fazerem respe-
habitagao dos|l)rs. Jos Das Ferreira e Saccadura. tar, e garantirem a seguranea.
Impressionado por este acontecimenlo, o corpo ; Este conselho anhela Vivamente continuar o
docente reuni em claustro na manhaa do da 6, e exercicio das funegoes acadmicas, mas com a se-
decidio que se suspendessem os actos at se darem riedade, justiga, e conscienciosa exactido, que de-
as providencias que as clrcumstancias exigiam. I ve Vossa Magestade, patria, Universidade e
Transmitida telegraphicamente ao governo esta si proprio ; o que, na falta de garantas seras e
resolugo do claustro, mandou aquclle continuar verdadeiras, seria to inconveniente tentar, como
todos os actos acadmicos, abonando-se asfaltas aos absolutamente mpossivel levar a effeito. E firtne-
estudantes. ment espera que Vossa Magestade, pesando na
No da 8 tarnou a reunir-se o claustro, e decidin- \ sua alta sabedoria todo o exposto, se digne prover
do continuar na suspenso de actos dirigi a el-rei, a que esses, muito leaes e sinceros desejos, possam
a representago que abaixo copiamos. promptamente cumprir-se.
Deus guarde, etc.
Um peridico de Coimbra, fallando des desacatos
que teem sido commettdos naquella cidade diz:
c A cidade de Coimbra tem presenciado, que se
quebram candieros, que se arrombam os canos da
canalisago do gaz, que se sujam com piche as
fronteiras de rauitas casas, que se arrancam as ar-
gas de "mas portas, que se estragara mutas ar-
vores plantadas na cidade, que se convertem os es-
i pectaculos pblicos em reunies de barulho e al-
gazarra, que se repetem varias assuadas a um c-
dado, que mora mesmo defronte do governo ci-
vil, que no chafara do largo da feira mulheres, ho-
mens e rapazes proferem em altas vozes palavras
indecentes, e que emfim para tornar mais repug-
nante a serie de tamos escndalos j at houve
quera tivesse a audacia do rnegar a urna das porti-
nholas da carroagem do Sr. Bispo Conde para em
termos indecentes insultar a pessoa respeitavel do
prelado da igreja combricence.
A representago a que nos referimos, dispnsa-
nos de mais detidos pormenores. Por ella ver o
letor o estado anormal em que se acha o primeiro
estabelecimento scientfico do paz.
Eis a representago:
Senhor.O attentado commetido em a noite de
o para 6 do corrente contra dous lentes desta Uni-
versidade, e que esteve a ponto de reduzir a cinzas
as suas pessoas, familias e visinhanga, sendo incon-
testavelmente a conlinuago dos actos de immora-
iidade a plena* indisciplina, com que desde longo
tempo tem impunemente, perturbado Htt cidade e
L'nversidade urna parte (a menor e menos digna
de considerago) da mocidade acadmicalevou o
consemo geral das faculdades, em sesso do mes- ,
mo dia 6, a suspender todo"o exercicio dos actos e ia *ua [ePresentagao
(Continuar-se-ha.)
gano, pois e o proprio da nomeago solemne, oa
que se faz em escrutinio; que tendo cada um dado
0 sen voto e publicado o escrutinio, logo a jurisdi-
go se devolve ao nomeado, nem podem mais os
eleitores variar, como se v do cap. Publiclo 58
De electione el elech mtestate. Ora igualmente
certo, que essa jursdiccao passa toda inteira ao vi-
gario capitular, nem pode o cabido para si reler a
menor parte della, como hoje senlenra commum
dos doutores, entre os quaes Fgnano, Geraldo,
Schmalzgmeber, Garcas, e o mesmo Benedicto
XIV, que a confirma com a jurisprudencia ltima-
mente adoptada pela sagrada congregago do con-
cilio ; logo nao poda o cabido proceder a nomea-
go dos ditos ofliciaes, depois de eleito o vigario
capitular. Logo millas sao aquellas nomeagoes.
Nao obstante, porm, o que primeira vista
aprsenla de plausivel este raciocinio, me parece
que bem considerada a especie e applicandcse
rigorosamente os principios de direito nao se acha
base asss solida para assentai a nullidade. Com
effeito nestas materias, como odiosas, se deve em-
pregar a interpretagao mais restricta, segundo a
mxima do direito Ora restringenda ; a pre-
sumpgo est pela validade, e nao se deve pro-
nunciar a nullidade, seno vista de provas jur-
dicas deirresislivel evidencia. Ora o que me
quer parecer que nao se d aqu. 1. Toda a tor-
ga dos que impugnara a validade esta em dizerem,
que a jurisdiego passa toda ao vigario capitular, a
em nao poder o cabido fazer restriego alguma
essa jurisdiego, nem conservar a mnima parte
d'ella. Isto era si exacto. Mas aprofundemos
ura pouco o espirito da legislago ecclesiastica
sobre a jurisdiego dos cabidos era s vaga, e logo
do primeiro lance descobriremos, que o principio
allegado nao tem rigorosa applicagao ao caso ver-
tente.
Sabe-se_ que por morte do bispo succede-lhe
na jurisdiego o cabido, e pode fazer ludo o que
se ata com a jurisdiego ordinaria, excepto os ca-
sos exceptuados no direito. Elle que overo a
diocese durante a vacancia da s (cap. Si eptsco-
ms De Supplenda negligentia Prolatorum m 6")
Mas nao podendo o mesmo cabido reunir-se a cada
passo para decidir os negocios da administraco,
ordenou sapienlissimamente o conc. de Trento sess.
24 cap. 16 de Reform. que dentro de oito das da no-
iges, at que as autoridades, por V. M. constituidas,
usando dos amplissimos raeos sua disposgo,
garantissem a ordem e seguranea, sem as quas ne-
nhum juiz pode satisfazer com a devida imparcia-
lidade, as suas obngagoes.
Quando o mesmo conselho, novamente reunido
era sesso de hontem foi informado de que era de-
sejo de V. M. que os exercicos acadmicos volves
sem a continuar, por isso que o governo de V. M. .
havia sido informado de que estavam tomadas to- i Sne *C,,narquaM PromP' calgamento da ra do Ira-
das as providencias e affiancada a tranqu.llidade P^**; brtve se tem de Jazer os passe.os do
publca-sento o mesmo cons'elho a penosa naces-; Miff!J a T3' lembra",os ao emPr";'-
sidade de representar respeitesamente V. Wco- ~f3W que' "aa 1afor'noStar a dlta
mo Ihe era impossvel conformar-se desde logo com a'ncnhmeCt ?tsde J? C?m 2 planl, de 8anlle1,r
esse to natural e justo desejo, atientas as podero- 2"SVA xu d },asse,-,fUtr do.lado
m.m.i., ,ij,, :. ,\a r. *,,-, "," flue *0"na fallamos, ijuer do opposto em frente
da cadeia velha.
7, e de que V. M. nao poda anda ter sido infor-
mado.
E' certo que a forga armada appareceu n'al-
gumas das ras da cidade, trans tai ido-as em [nu-
mero con:>ideravel, s horas em que os cidados
COMMANDO DAS ARMAS.
Quartel general do commando das armas de Per-
nambuco, na cidade da Recife, o de julao de
ISfti.
Ordem do dia n. 336.
Houve o governo de S. M. o Imperador por bem,
por decreto de 15 de junho prximo Ando, publi-
Se esta nossa lembranga vigorar, lemos certe-
za de que a ra do Imperador ficar das mais bel-
las desia cidade.
Lembramos tambem que estas arvores devera
pacficos anda velara, para, em seguida se reco- ?** *" de ferro de *"! Pf
Iher a miarle na parle mais adiantada da noite, I ?e a ira' e '-ue en,re ellas se "'Nuera bancos de
em que se apagam e quebrara os candeiros, rom-
pem os canos do gaz, assustam-se e escandalisam-
se as familias com algazarras deshonestas, ese p>a-
tcam outros actos de revoltante selvageria !
Mas nao foi menos patente, e attestado de vis-
ta e ouvdo proprio, at mesmo por a'guns dos
membros do conselho naquella sesso do dia de
hontem, que este puro apparato da forga publica
foi novamente e serapre impunemente escarnecido
pelos magotes dos dscolos; os quaes, reunndo na
feira e n'oulros pontos, chegaram ao excesso de
nurcharum na retaguarda da mesma torga, mar-
cando com ella o passo, e soltando vozes deacudam
ao fogo na proximidade do urna das casas, que por
ventura haviam tentado incendiar na noite prece-
dente ; e sem que se fizesse a menor tentativa,
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
Reunlo-se hontem o Instituto Archeologico e Geo-
graphico Pernambucano com assistencia do Exm.
monsenhor Muniz Tavares, e dos Srs. Drs. Joaquim
Portella, Aprigio Guimares, Rodrigues Campello,
Witruvo Pinto Bandeira, Nascimento Feitosa, Tor-
res Bandeira, padre mestre Lino e major Salvador
Ilenriques
Lida a acta da sesso anterior, approvada.
O Sr. secretario perpetuo participa por officio nao
poder comparecer, em consequencia de achar-se
doente.loteirado.
Recebe-se um numero do jornal Brasil, da Ba-
ha.-E' mandado archivar.
Entra em discusso, e approva-se seguidamente
o parecer da commissao de Revista sobre a proposta
do Sr. Dr. Joaquim Portella com relago a dever
o novo socio admittdo recitar um discurso por
occasiao da posse, ao qual responder o orador.
O Sr. Dr. Witruvo Pinto Bandeira relatando a
commissao de atimtssao de socios, aprsenla um pa-
recer sobre differentes propostas; e sendo a mes-
ma lida, adiada a volago para a prxima
sesso.
Km seguida o Sr. presidente levanta a sesso.
A sociedade iheatral Melpomene d amanha licia na se vaga nomeasse elle ou conirmasse um
i representago. u m*"s vigarios (l'abb Andr Cours de Droit.
canon) os quaes em lugar delle expedissem esses
negocios e isto para evitar as delongas e embarazos
de umaadmnstracocolleclivaneplunbns rom-
missa negotia segnius et difficihus expetlumtur, diz
Devoti.
Vigario outr'ora a opinio autorisada como tes-
lemunho de Barbosa, e outros insignes canonistas,
que no transmitir essajurisdiegao aoseu vigario po-
da o cabido fazer alguma excepgoou restriego
reservando-se cerla classe de negocios, e no senti-
do destes autores se decidiu a jurisprudencia da
sagrada congregago. Outros exiiositores porm
negaram esta faculdade ao cabido e a razo que
allega vara que se podesse o cabido fazer taes ras*
Iricges reappareceriam os inconvenientes, que o
conc. de Trento quiz evitar com a nomeago do vi-
gario capitular, opinio, que foi ganhando terreno
a ponto de ser hoje unis'ersalmente recebida, emito
cima fica dito, Em todo caso, o que resabe cla-
rssimamenle de ludo isto que o que prohibido
ao cabido vem a ser coarctar a jurisdiego do viga-
rio capitular, restring-la ou limita-la, 'reservando
para si certa qualidade de negocios, de modo que
ferro ou madera, como na ra Dreita do Ro de o mesmo vigario nao exerce>se urna jurisdiego
Janeiro, no lugar vulgarmente conhecido sob o privativa, mas cumulativa com o cabido, entorpe-
nome deBoulecard Carceller. cendo-se assim a marcha da administraga dioce-
Amanha se extrahir a segunda parte da sana durante a vacancia. Ora slo nao se d na
primeira lotera da igreja da Boa Viagem, sendo especie. O cabido de Pernambuco fez apenas no-
o maior premio 10:000-5000. nieages dentro do prazn dos oito dias, nem pfa
No dia 2i do passado, no lugar Terra-N'ova reserva ou restriego alguma na< faculdades do
do termo de Nazareth, foi morto, em conflicto com vigario capitular para todo o tempo da s vaga,
a palrulha que o ia prender, o criminoso de roubo Logo asdecises da sagrada congregago, me pa-
Bearmino Pereira de Lyra, evadido em 11 de julho rece, nao tem aqui rigorosa applicagao, e nao Ir.
Al o fim do corrente est aberla a matrcula
do 1 anno da Escola Normal.
Os matrculandos devem ser maiores de 18 an-
nos, saber lr, escrever e conlar; estar isentos de
crmes e ter boa conducta ; e ter pago a primeira
prestago da laxa da matricula.
Um nosso assgnante remette-nos as seguntes
liohas:
Senhores redactores da Revista Diana.Como
do anno passado da cadeia de Nazareth, ficando
paisano Manoel da Silva.
Pelo delegado de Pao d'Alho foi preso, em
Ierras do engenho Camilla, Polycarpo Pereira da
Luz Silveira, como autor de diversos roubos.
Foi assassinado, em 17 de maio ultimo, na
dente; e sem que se lizesse a menor >". povoago de Pedra, do termo de Cimbres, o escra-
quer para dispensar os magotes, quer para prender vo pejjj d \
em flagrante aos criminosos I
E em a noute de hontem para hoje renovaram-
se os mesmos actos de insulto autoridade e
forga publica, e de nenhum correctivo, da parte s proprjelarios- da rua a Aurora> a que
dc:S,a- jm ; hontem nos referimos, e que lem de ser intimados
toma' Por execu,arem P**eios seus predios, sao os
de Jos Alves de Albuquerque, por dous
companheiros seus Jos Bode e Leonardo, com o
fim de roubarem seus poucos haveres, como fize-
ram ; pondo-se em seguida em fuga.
disciplina acadmica cresce a olhos vistos, e
segrales
as mais assustadoras proporgoes. Francisco Sergio de Mallos.
- No bimestre dos exames, em 1862, foi descon- Administradores do templo ingle,
siderado a insultado no lyceu um lente da Lniver- Cusl0uJ0 A)ves Hodriguesda Costa,
sidade, no exercicio das funegoes dejulgador. Re- Vicente de Paula O. Villas Boas,
petirara-se factos anlogas centra alguns des pro- Marja PareDle da ^^
fessores do raesrao lyceu em julho de anno pro- Dr jcaquim Francisco de Miranda e outros.
X01O.
Estes crmes ficaram impunes.
. Era 8 de dezerabro de 1862, na sala regia da Herdeiros de Jos Jacimho da Silveira.
Universidade, diante das imagens, sempre veneran-, los de Joaquim j Lourenco Cavalcante.
das de Vossa Magestade a de seus augusto proge- Ditos de Bernardo Duarte Brandan,
nitores, em presenga do corpo cathedral.ee e na Mariana Joaquina da Trindade.
occasiao da mais solemne fasta escolar foj desai.a- Joanna Mar/a das D
tado e escarnecido o proprio prelado da Ln.versi- Manoe, Goncalv da Silva
dade '
Mara Theodora d Assumpgo.
Antonio de Azevedo Villarouco.
EXTERIOR.
CORRESPOMBEIVCIAS DO Mi
RIO DE PERNAMBUCO.
PORTO.
Porto, 41 dcjunlio.
Navas e deploraveis oceurrencias se ho dado
ltimamente em Coimbra. Sao como urna conse-
quencia do indeferimento do perdo de acto pedido
pelos estudantes.
Despresam-se as leis porque se confia na imponi-
dade, u se conta com proteeges que nunca falham;
escarnecem-se os regulamentos de polica acadmi-
ca porque se sabe que elles sao em cerlos casos
urna letra mora I
A desinteiligeaeia havida entre o vice-reitor a
alguns lanos da Universidade sobre o modo de
execuiax o decreto que amnistiou os estudantes
ipapbeados nos aconteciutentos do mez de abril pro
E este attentado, inaudito e por ventura nom
suspeilado de possivel at aquella hora, ficou igual-
mente impune I
i Mais prximamente a primeira autoridade ad-
ministrativa, e a forga s suas ordens, teve que
soflrer, pela irriso e desprezo, as legitimas conse
Caelano da Silva Azevedo.
Dr. Liz Felippe de Souza Leo.
Mara das Neves Carneiro da Cunha.
Durante a ausencia do Sr. I)r. Joao Ferreira
da Silva, fica encarregado da inspectora da sada
do porto o Sr. Dr. Alexandre de Souza Pereira do
Carmo.
quenclas e os desastrosos effeitos da anterior irapu- j p0| exonerado Beiarmno Ferreira Padilha,
hidade. de 4." suoniente do subdelegado de Cabrob.
Mais anda queiraou-se em efflgie. a sua UB_1 p^TonfeadM '
vista, o presidente do conselho de Vossa Magestade Anmlo Francisco Xavier, 3. supplente do sub-
a ouviramse cora horror palavras blasphemas de de| Jo do dis,riel0 de.Santo Aoto ;
muito superior gravidade.
a Senhor I Quando a grande raaioria dos alum- gado de Petrolina ;
.. /.. nS< Aovo imais rnnfnndir-se crin a mi- Herculano de Bal
Miguel Gongalves Barbosa, 1." dito do subdele-
nos (que nao deve jamis confundir-se cem a mi
noria dos dscolos) voltou, ha pouco, obediente
voz paternal de Vossa Magestade, a arrependida da
sua allucinago, nao contava certamente qne o es-
pirito da anarchia e da perversidade, empunhando
o lacho dos incendiarios e renovando os insultos
contra a forga publica, viesse tao depressa compro-
metter a marcha regular dos exercicos acadmi-
cos, como que em ludibrio da generosa amnista,
por Vossa Magestade a todos benignamente outor-
gada t
Senhor t Escusado individuar este conselho
a nao inlerrompida serie de desacatos, menos im-
portantes, contra a ordem e seguranga, que tem
acompanhado quotidianamente aquelles outros maio-
res ; e todos com a mesma perseverante mpuni-
dade.

Herculano de Barros Lima, l." dito do subdelega-
do de Tabocas ;
Jos Gomes da Silva, Jos Speridio Xavier Li-
ma e Joaquim Pessoa Cesar da Cunha, 2., i. e 6.
supplentes do delegado de Santo Anto.
Damos em seguida a resposta do Exm. e
Rvm. Sr. D. Antonio de Macdo Costa, Ilustrado
bispo do Para consulta do Rvm. conego da s de
Olinda Marcelino Antonio Dornollas, sobre a elei-
go de provisor, vigario geral e promotor pelo ca-
bido respectivo sile episcopali vacante :
t Pago episcopal da cidade de Belm 23 de ju-
nho de 1864.Illm. Rvm. Sr. conego Marcellina
Antonia DornellasEra sua mu presada carta de
2,3 de malo proxim,a passado quix Y. S. noarar-ine.
com orna consg^a. Passo a responder wm a. sin>
pUoidade, q<# devo. Eis a. especie d* que s tfata
razao decisiva para nao se poder abracar como
provavel, dentro destes limites, a opinio dos an-
tigos canonistas. Mas eis aqui outras razoes, que
me pareceni dealgum peso.
2. Diz o conc. no supracitado cap. que o bispo
promovido s vacante pode tomar contas ao eco-
nomo, ao vigario capitular, e outros quaesquer ofli-
ciaes, e administradores, que em s vaga foram
constituidos pelo cabido ou por outros em lugar
dellea capitulo vel abaliis in ejus loaim consti-
tu!. A disjuntiva velparece indicar claro a
possiblidade de ser a nomeago dos ditos ofliciaes
feita pelo cabido, como aquelle em quera revive
primeiro a autoridade episcopal. Nem obsta ter
o de Pernambuco nomeado primeiro o vigario ca-
pital, antes se contormou as boas regras cannicas
elegendo primeiro o mais digno: Prinvi nomnatus
censcatur ceeterii dignior, diz Reiffenstuel.
f 3. Inda dado, nao concedido, que nenhuma
jurisdiego tivesse o cabido para fazer a nomeago
daquelles ofliciaes secundarios, o acto de arhar-se
presente o vigario capitular membro do mesmo ca-
bido, de ter annuido a estas nomeagoes, aceite, e
approvado os nomeados e se utilisado dos seus ser-
vigos, seria no meu ver sufficiente para tirar toda
a duvida acerca da validade das ditas oomeagoVs,
porque neste caso os votos inuleis dos outros mem-
bros do cabido nao poderiam ter torga de aonullar
o do vigario capitulra,que por hypothese.se suppoe
nico competente.
t 4. A praxe de muitas igrejas, se nao. estou
mal informado, vem era abono deste mea pare-
cer. Todava eu o expendo com summo acann.v-
ment, e sujeitando-o ao criterio dos peritos na
sciencia cannica. T me faltara aqu livros, que me
nao tem consentido a pobreza episcopal prover-me
dos mais necessarios.
f Desculpe me pois V. S., por quera o Imper-
feito desta minha resposta, de que usar i segundo
sua prudencia. Queira V. S. aceitar a expressao
de minha religiosa dedicago e pertoita estima,
como quem senhor conego.De V. S. amigo e
servo obediente.+ Antoxio, bispo do Para.
Movimento da casa do detenco no dia 6 do
julho de 1864.
Existan..... 360 presos.
-. Entraram..... 10
23 |
Existem...... 352
A saber :
232 |
Estrangeiros... 44 I
Mulheres...... 8
Estrangeras .. 1
Escravos...... 61 1
6 t
352
Alimentados a custa rjos cofres pblicos... |36


im*
mm*0*0m^
-
filarlo de rernaaafcneo Sexta lelra 8 de Julho de 1R4.



Movmcnto
de 1861.
Teve baxa
da enfermarlo no
Manoel Teixeira dos Santos Tocos, erysipla
da 7 d julho sinceras como sao, nao deixarao de ser aceitas por
1S. Rvn de quem somos ha muito dedicados ad-
miradores.
tlIR0MC4__JCDlCUK1.4
TRIBUNAL DO COH91ERCIO.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 7 DE
JULHO DE 1864.
Nao tendo comparecido o Exm. Sr. desembarga-
dor Perelti por se achar aoojado, loiuou a presi-
dencia o Sr. desembargador Accioli.
As 10 horas da manha, reunidos os Srs. depu-
tados Rogo, Lemos, Alcoforado e Rosa, o Sr. presi-
dente declarou iberia a sessio.
Lida, foi approvada a acu da ultima.
EXPEDIENTE
(Do Constitucional.)
Ao disneto e especial oorpo eleitoral desta
provincia.
Candidato senatorl o Dr. Joaquim Saldanha
Marinho, dirigi cada um dos dignos eleilores es
peciaes desia provincia, a circular abaixo trans-
cripta ; mas podendo acontecer que, muitas das
mesmas circulares, por circumstancias qne se nao
pode prevenir, nao tenham chegado, c que agora
mesino nao cheguem ainda a seus destinos, por
isso fazse a presente^ derlaragao, pediodo-se ao
mesmo tempo desculpa de faltas que possam appa-
rocer e notar-se, e de t|ue jamis deve ser respon-
Palacho inglezEroma locomotiva para a estra-
da de ierro.
Importado.
flarca inglexa Diana, entrada de Liverpool, ma.
nifestou o seguinte :
60 toneladas de pedra de lastro, 703 saceos* v
rinha de trigo, 113 barricas cerveja ; Saunders
Brolhers & C.
230 caixas sabo ; J. Pater & C.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, ofllcial da impe-
rial ordem da Rosa e juiz do direito especial do
commercio desta cidade do Itecife capital da pro-
vincia dePeinambuco eseu termo por S. M. Im-
perial e constitucional o Sr. D. Pedro II a quera
Deas guarde etc.
Faeo saber aos que a presento eilital virom e
delle noticia tiverem que nodia 25 de jullio do cor-
rente auno, se ha de arremalar por venda qoem
33 fardse 21 caixas tecido de algodao. cober- mais der em praga publica d'esto juizo, un sobra-
lores e baetas de 13a ; Theodoro Chri9tiansen. do de daos andares, sito roa do Crespo n. 7, ten-
28 caixas e 31 fardos cassa e tecidos de algo- do a frente para a ra do Imperador e oitao para a
dao; Phpps Brothers & C, e mais 6" caixas com do Crespe com varandas de ferro era ambos os la-
as mecos cor- sawl mesmo Dr- Saldanha Marinho, que so tem
Foi presente a cotagao oOcWl aos pie osi cor- ^^ oonfessar-se eternamente grato, ao
rentes da praca, relativa a ultima semana. dslDCl0 e especial corpo eleitoral desla provincia,
Arcliive-se. _;___c,nelr,i An ira- que ja urna vez o acolheu benigno.
Foi tambera presente o mappa semestral ao ira ^ Sr _Tendo so,ioi,auo dd corpo eleitoral de
piche Pelourraho.O mesmo despacito. nossa brjosa 1)rovinc)a a aams#ao de roeu obscuro
despachos. nome na ,js,a lrjp|ice que f0 offerecda ccroa na
O requerimento de Eugenio Jos ruesi wnao- eleigo, consegu isto, e do modo o mais no-
drade, pedindo registrar a nomeacao de seu caixei ^ ^ |ison^ej0 j ^^ qae po(. ,5o ^^^ C0BS.
ro.Como requer. j,in n rpuistro deracao me confesso eternamente agradecido. Da
O de Ma.a & Espirito San o, pediadoOHgVO ^.^ ,amenlar eu m(J dlrigi aos e|eilores de
de urna escriptura de hypolheca que apresen mnha provjnciaj c )es lrj|)Utei a homenagem devi-
0 mesmo despacho _. nnin ,je 01. da pelo titulo de suprema honra que me haviam
O do agente de leiloes Francisco Gomes ae um conedd(?
veira, apresentando o conhecimento do imposto ot, pe|a |amentaTO| mom do Sr conse|heiro Fran-
scuofficio.-egi-tre-se. ,~aind 0 de Antonio ose ^S^StSSKSi "do, e nova eleigo va. proceder Pernambuco.
bem o registro do conhecimento do imposto ae sea ApreStnl0.me novamente ; reputando de minha
officio.-Sellado, ve lie. rt m Dro. dignidade consultar ao mesmo corpo eleitoral se
O de John Gat.s, ped.ndo o registro de urna pro | ^ ^^ decorridos da elec5o em que fui
curasao que ajuina-Hegiire-se. oore.| considerado tenho em alguna cousa desmerecido
O de Beroard.no *?*^Jtf& do conceilo era que se dignaram ter-me os eieito-
do conhecimento de haver pago o imposto. ni>rn '
fiistro
do seu officio.Como requer.
SESSO
JUDICIARIA EM
DE 1864.
7 DE JULHO
res pernambucanos.
E porque tenho consciencia de mim, como tenho
intima conviecao da di^nidade, independencia e
firmeza de carcter de V. S., nao duvido contar
a sua valiosa coadjuvacao em prl de minna
i- o j^lmhannitnr I I Ac- cm a sua valiosa coaajuvacao em proi ae miuua
Presidencia do Exm. Sr. desembargador J. i. ac canjdatura na eleigaoa que se vai agora proceder.
cioh de );conce"^ Ausente do campo onde a eleic> vai ser dispu-
Serretario, Julio Guimaraes
cont seniio com a bondade e honra
manhaa.assumjo ^^"T i de vfs.Iem cujas qualidades CMfio plenamente.
cia o Exm. Sr. desembargado!- AceWij j- -- i
se annojado o Exm Sr. presidente Pm es,l.D pho do quaes nenhum esforgo e
o Sr. deserabargador Silvaaimarae ( h h v
do prsenles
eosS.
forado,
Li
0 Sr. desembargador Domingues da Silva com-
municou que por doente nao poda comparecer.
O Sr. deputa.lo supplente A. J. de ( astro com-
municou em officio de 6 do corrente, que por in-
commodo de sade nao pode tomar parte no jui-
gamento em que juraram suspeicao tres senhores
deputados. .
O Sr. deputado supplente Jos Antonio Basto ju-
rou impedimento na mesma causa em que juraram
suspeicao tres senhores deputado?, entre partes :
Appellante, Vicente Alves Machado ; appellado,
Prenle Vianna C.
E o Exm. Sr. presidente ordenou que se ofucias-
se a dous senhores immediatos em votos aos senho-
res supplentes. .
Assignaram-se os accordaos proferidos na ultima
sessio, entre partes :
Appellante, Jos Joaquim da Silva Gomes ap-
pellado, Jos Dias da Silva.
DISTIlIIHigOES.
Appellantes, Moreira & Duarte
lo Jos Gomes.
Sempre firme nos principios liberaes, paratrinm-
;n e sacrificio tenho
no caso de merecer a conti-
apoio.
ordens o de V. S. amigo, patricio,
Joaquim SaUlanJia Marinho.
Rio de Janeiro, 7 de abril de 1864.
barras de ferro.
29 caixas e 28 fardos tecidos de algodao ;
Adamson Howie & C.
3 caixas cofres de ferro ; A. M. Machado.
Hrfardus e rO" cairas tectdo de algodo, tSw
lumes lamllia ; Th. Jefferies.
16 caixas vinho *, Rothe 4 caixas folhas de cobre ; i Patn Nash & C.
12 barricas bren, 30 ditas barrilha caustica ;
Tasso Irmaos.
lo caixas e 1 fardo tecidos de algodao de linho,
toalbas, lencos e brim ; Augusto Cesar de Abren.
58 caixas miudeza?, i barricas barras de chum-
bo, 6 rolos dito em folha, 18 fardos e 13 caixas te-
cido de algodao de dito e lila, c de dita e algodao ;
Izidoro elto & C.
41 caixase 46 faidos tecido de algodao, brim e
cobertores de dito alcochoado ; Ferreira &
Araujo.
14 fardos e 120 caixas tecido de algodao;
Ferreira & Mathens.
1 caixa phosphoros ; E. da C. Medeiros.
40 caixas machinisrao ; R. Lightbovon & C._
5 caixas tecido de linho, dito de la e algodao,
tapetes de algodao e lia para sof 5 Joao Keller
&C.
1 caixa brim de linho 5 E. Fenton.
6 barricas pregos, 1 caixa loros de algodao ; i
Yaz & Leal.
1 caixa pregos, 1 dita biscoutos; L. A.Siqueira.
32 caixas e 116 fardos tecido de algodao ; a Bra-
ga Son & C.
10 caixas e 9 fardos tecidos do algodao, 10 cai-
xas cha; J. A. de Araujo.
8 barricas ferragens ; Brander Brandis.
1 barril vinho Sherey, 1 dito cerveja e 1 caixa
ignora-se ; a E. Starr & C.
5 barricas e 2 caixas candieiros de vidro, 2 di-
tas lampeoes, 1 barrica roscas para ditos, 2 ditas
castigaes de vldro, 71 barricas cerveja,
t.lara, 1 dita e 1 caixa miudezas, 60
dos, e um solao com janellas para as mesinas nas.
com salas- e quartos, avahado em 2*:u00a080, o
qual foi penhorado por execuoao de Joao Prederieo
Jorge Kadts contra Miguel Uosd
raes.
E nao havendo lancador que cubra o proco da
avaliacao a arremataeao ser feila pelo valor da ad-
judicacao com o abatimento da lei.
E ser o presente publicado na forma do cstylo.
Recife,2I de junho do 1864.
Eu Manoel Hara Rodrigues do Nascimenlo,
escrivo o subscrevi.
'fiistao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, offieial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Hecife de Pernambu-
co e seu lerme, por S. M. Imperial e Constitucio-
nal o Sr. D. Pedro II, quem Dos guarde, etc.
Faco saber aos que o prsenle edita! virem e del-
le noticia tiverem, que no da 25' do mez de julho
do corrente anno se ha de arrematar por venda
quem mais der, em praca publica, depois da au-
diencia respectiva, a casa terrea n. 6, sita rita da
Florentina da freguezia de Santo Antonio, com 2
portas com rotulas na frente, 2 sala?, 2 quartos,
cozinha fra, quintal munido e cacimba meeira,
avahada em 1:6005, a qual pertencpnte ao ausen-
te Servnlo Pereira da Silva, e sua mnlher, o vai
praca por execugao que contra os mesmos inovein
Rabe Schametau & C.
E na falta de licitantes ser a arremataeao feita
pelo prego da adjudicaoao com o abatimnto res-
pectivo da lei.
E para que chegoe ao conheetmento de todos
; mandei fazer o presente edital, que- ser afflxado
nos lugares do costume, er publicados pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do -Itecife dePer-
Tditas*c- i Bambuco, aos 2 de julho de 1864.
fardos e 47 -Eu !"*noel ae Carvalho Paes de Andrade, escri*
caxas' tecido dVate^lO fjnreiros, 22 barri- vao> subscrevi. _____tM cas enxadas, 1 dita ferragens, 2 caixas biscoutos, | Tnstao de Alencar Araripe
600 ditas sabao, 3 barris vinho Sherey, 2 barricas 0 Dr Tristao de Alencar Araripe, officiai da im-
O abaixo assignado, lancador do consulado
provincial, avisa aos senhores proprletarios de pre-
dios urbanos e donos de estabelecimentos das fre-
guezias do Recifc, Santo Antonio e Boa-Vista, que
sendo nomeado por portara do Sr. administrador
do mesmo consulado, datada de 20 do corrente
mez, par? proceder aos dilTerentes laneamento dos
impostas ja creados, e ltimamente outros creados
pela assembla legislativa provincial, e que dando
principio aos seus trabalhos no dia 22 pela fregue-
zia do Recife, pede aos mesmos senhores qne te-
nham promptos os seus recibos, e mais documen-
tos inherentes ao ipio diz respeilo, aftm de que
BarJjosa- ual-P-0Ssa Proceder com reguiaridade e sem voxatno
das partes; o referido lancamenlo.
Mesa do consulado provincial 23 de junho de
1864. -Joao Pedro de Jess da Malta.
Tribunal do commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico, que nesta data fica I
registrado o contrato de sociedade de Manoel des
Santos Ferreira Guimaraes, Jos Joaquim de^Fi-
gueiredo e Joaquim Ferreira de Araujo Guimaraes,
Portuguezes, estabelecidos nesta cidade, sob a fir-
ma social de Ferreira Guimaraes & C. com o ca-
pital de 13:0005000, fornec.dos 4:3005 pelo socio
Ferreira Guimaraos, 2:3005 peto socio Figueiredo,
e 6:0005 em commandila pelo socio Araujo Gui-
mares; devendo a im-sma sociedade durar por
tempo de 4 annos, conlados do 1 de junho cr-
reme.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 25 de junho de 1864.
Julio Guimaraes,
Oflicial-maior
Srs. redactores.Apresentando-me candidato ;
um dos lugares da lista trplice na eleico de se-1
nador, a que se tem de proceder nessa provincia, j
rogo-lhes o obsequio de fazerem publicar as co-1
lumdas do seu jornal a circular que dirijo aos elei-
tores espociaes da mesma provincia.
Sou com particular estima, etc.
Antonio Coelho Ae S e Aibuqwqne.
Rio, 4 de maio de 1864.
Illm. Sr.A lamentavel morte do benemrito
Pernambucano, o conselheiro Francisco Xavier
Paes Barreta, den lugar a urna vaga senatorial por
essa nossa provincia.
Animado pelas repetidas provas de estima e con-
fiancar, cora que tenho sido distinguido pelos metts
i concidadaos, otiso pedir minha provincia a honra
appellado, Pau-. de ser contemplado na lista trplice, que tem de
j ser apresentada escolha imperial.
oSr. desembargador Silva Guimaraes. ggA minha vida publica no breve, e, com a mao
Nada mais havendo a tratar-se o Sr. presidente em minha consciencia creio poder dizer \. S. que
cncerrou a sesso a meia hora depois do meio- s o bem do meu paiz me ha guiado em todos os
ja mens actas.
. 1 '____mata Se, pois, V. S. entender que o meu nome nao
deslustrar a sua lista, digne-se de acolhe-lo com
benevolencia, amparando-o com o seu voto e com
o seu prestigio e relagoes.
Terei sempre vivo em minha memoria, e ser
sempre objecto de meu sincero reconhecimento, o
obsequio que pego V. S.
Desejo V. S. muilas prosperidades, e rogo-lhe
que transmita as suas ordens quem se preza ser |
de V. S. amigo e criado, aliento e obriyadissimo
Antonio Coelho de S e Albuquerque.
PUBLICARES 1 PEDIDO.
Kio de Janeiro.
Pareca depois das eloquentes refulagoes,
conservas; ordem.
30 saceos arroz, 30 caixas conservas, 20 ditas ;
cha, 2 ditas tintas e objectos de escriptorio, 1 dita |
leite, 24 ditas linhade algodao, 15 ditas e 21 fardos
tecidos de dito, 2 ditas e 3 fardos dito de laa e al-
godao 5 Southal Mellors & C.
16 barras de ferro ; D. \V. Bowman.
6 barricas cerveja j Wilson & Hette.
Escuna italiana Amessione, entrada de Genova e
de Cette, consignada Amorim Irmaos, manifestou
o seguinte.:
De Ccttc.
80 pipas, 20 meias e 50 barris viflho tinto, 100
ditas dito branco ; ordem.
De Genova.
150 barricas farinha de trigo, 23 barris alpista,
perial ordem da-Rosa>e juiz de direito especial
do commercio desla cidade do Recita, capital da
provincia de Pernambuco e seu termo, por S.
M. I. e Co Sr. D. Pedro II, a quem Dos guar-
de etc.
Fago saber aos que o presente edlal virem e
delle noticia tiverem que por parte de D. Claudina
Senhornha Vieira de Carvalho me foi dirigida a
petigao do theor, forma, modo e maneira seguinte:
Illm. e Exm. Sr. Dr. juiz especial do commer-
cie.D. Claudina Senhornha Vieira de Carvalho,
vem requerer a V. Exc. se sirva de mandar citar
a D. Clementina Theodora da Silva, viuva do com-
mendador Manoel Gongalves da Silva, e os mais
herdeiros do mesmo finado, que sao Joao Gardozo
17 caixas marmore trabalhado, 37 degros de dita, Ayres como administrador de sua mulher D. |Ma-
1,842 ladrilhos quadrados, 650 caixas massas, 6 ra Rosa Ayres, Joaquim Juvencio da Silva como
saceos sene, 6 barris com 6 ps, 2 caixas chapeos administrador de sua mulher D. Henriqueta da
de palba, 127 ditas man, 71 ditas papel, 15 fardos Silva, Dr. Jos Antonio de Figueiredo como admi-
dito pardo. nistrador de sua mulher U. Claudina de Figueire-
Brigue inglez iris, entrado de Cette, consignado I do da Silva, Eduardo Burle como administrador
N. O. Bieber & C, manifestou o seguinte : : de sua mulher D. Carolina Burle da Silva, D.
115 pipas, 42 meias e 625 barris vinho, 300 ditos Clementina Theodora Vieira da Silva Jnior, de
dito branco e 145,000 kilogrammos de sal granel; maior idade, Manoel Gongalves da Silva.LuizG.da
ordem. j Silva menor de 21 annos, e seu tutor Joao Cardozo
Recebedoria de rendas Internas Ayres, todos em suas propras pessoas e ao Dr.
de Pernambuco. 1 ''ura,|or -"''ral Pr lK'rt" 1- menor para fallaren)
8 1345683 aos ,ermns de urna acoo ordinaria que Ihe vai
eraos
Rend ment do dia
1 a6
que
de todos os pontos do imperio, surgiram contra as
opiniSes do Sr. Dr. Pedro Luiz na questao Jan-
rard, qae nada mais se poderia dizer de interes-
sante c curioso sobre assumpto de tanla magni-
tude
Todos, porm, esperavam anciosos por urna voz
autorisa-la, luzeiro e honra da igreja brasileira, Tem esta bella c rica provincia de eleger no dia
que directamente fra chamada autora na su- \ 10 de julho tres nomes, que serao apresentados ao
pracitada quesio. Essa voz fez-se ltimamente nosso Augusto Monarcha para a nomeacao do um
ouvir as columnas do Diario de Pern-unbuco, e senador, que preencha a vaga, que no senado dei-
digamo-lo francamente, o mrito dos artigo? do Sr. xra a mu sentida morte conego Joaquim Pinta de Campos nao pode ser ex- ci, o Exm. conselheiro Francisco Xavier Paes
cedido. Barreta.
Esse mesmo assumpto, que pareca J gasto, elle Alguns candidatos j se tem aprescnlado, e, li-
om o talento de sua penna, com a solidez de seus songeando-me com o reconhecer em todos elles
conhecimentos, soube tarna-lo novo e attrahente. grande merecimento pelos seus talentos, llu>!ra-
A pureza e elegancia da linguagem, a forga da i cao, servicos e dedicacao causa publica, animo-
dialctica, a energa de conv.cgoes bascada em fac- ne a solicitar igualmente a subida honra de ser
dem do da 7
10:0105117
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 6......... 28:413*467
dem do da 7................. 7:11251*4
33:5251651
tos irrecasaveis, tornara os artigos do douto sacer-
dote recommeudave?, niio s aos que se interes-
eleilo.
Nao encareco meus seryigos, e digo apenas, que
san pelas cousas d Igreja, mas 'ainda mesmo elles sao poucs em relagao aos muitos, que tenho
M07IMENTQ 10 PORTO.
Navios entrados no dia 7.
Rio Grande do Sul-21, dias, brigue portuguez 3.;
Georije de Aveiro, de 286 toneladas, capitao Car-
los Jos dos Santos, equipagem 9, carga 14,000 ar-
rollas de carne a Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C.
Rio Grande do Sol26 dias, patacho nacional Ar-
aos iridifferenles, que nlles enconlrarao as dou-
trinas evanglicas expendidas cora clareza c ver-
dade.
Urna coasa admravel, e nunca asss louvavel,
m urna polmica, o tom de dignidade e mode-
ragao, que respiram lodos esses artigos. Tratan-
do do seu adversario, o Sr. conego Pinto de Cam-
pos usa da diferencia e consideracao, que llie me-
recen] os talentos do Sr. Dr. Pedro Luiz, e a este
respeito nao nos parece fra de proposito transcrc-
ver aqu os tpicos em que S. Rvma. toca no ponto
m qne a questao Ihe pessoal.
t Se certa que o nosso obscuro nome foi por
S. S. trazido ao debate, aeompanhado de ironias,
nem reciprocaremos, nem desejamos repelli-las.
Aquellas provocac^es a um ausente assemelbam-se
algum tanta ao brigar de phantasmas, de que nos
falla Milln. A consciencia de nossa dignidade
segreda-nos que, .c no parlamento brasileiro del-
irramos recordarios, cssas nao codem ser se niio
onstnianeas com'os deveres do deputado e do pa-
dre.
E a que proposito viria o nosso insignificante
nome, elevado s honras de signatario nico do
projecto em questao? Em ponto de facto era esta
assergao inexacta, pois relatorio e projecto tarara
obra commum de todas os membros da commisso
ccclesiastica, todos ali assignados I
Isto prova que os mais improprios meios se
onsideravamadmissiveis.atmesmooda excita- a'gunias dtssas letras de quant.a superior a v.nte
rao de hilaridades I Ora como nao suspeitamos o sete contos de reiste que a respeito de algumas
que no espirito do talentoso depulado actuasse im- tpa* O sf v?BCerao. e importancia ma.or de
pulso de ma vontade contra nos, que suppomos W:0005, trata de promover a sua cc-branga pelos
nao Ih'a merecer, afigura-se-nos que essa disposi- meios Jdiaw, para o que ja foi citado, previne
lo hostil sobe muito mais alto, dir.gindo-se contra 'lue nmguem faca negocio 00 011 ira qualquer iran-
s ideas que inalteravelmente manifestamos no I sa^ comt refer,do encnno 'fuerra- 'rayos,
animaes, utcnsis para o fahrico de assucar, safra,
que ludo est hypothccado para garanta do paga-
mento das letras aceitas pelo dito Oliveira pela
compra do referido cnpenho na importancia de
245:5005, afim de que qualquer fique logo certa
que algum negocio ou transaego que uzer, ser
nullo. Recife, 25 de abril de 1864.
desejado e desejo prestar.
as ludas polticas o raciocinio tem sido minha
nica arma, os bons principios minha religiao poli-'
lica, a exaltacfio o inimigo que aborrego, as recri-;
minacoes pessoaes o objecto de meus desgostos.
Amo a liberdade e a ordem, e deste duplo amor
tem resultado o nao poder simular-me, nem conter-'
me sempre que se abusa de qualquer destes dous!
principios : este tributo pesado e diflicil eu o te-
nho pago ao meu paiz.
Talvez nao me seja possivel dingir-me particu-
larmente cada um dos Srs. eleitores ; nao pen-
sem por isso que. as occasies de dar evidenles
provas de vivo reconhecimento, o meu coracao se-
r menos expansivo do que o de oulro qualquer.
Digne-sc V. S. de accoitar os votos de sincera
estima e consideragao do que de V. S. patricio,
venerador, servo e criado.
Recife, 10 de junho de 1864.
Francisco de Paula Baptista.
o publico.
Silvino Guilherme de Barros, sendo boje o porta-
dor de quasi todas as letras aceitas por Francisco
Antonio de Oliveira pela importancia da compra
do engenho Guerra, sito no termo de Ipojuca, pro-'
movendn j execugo contra o mesmo Oliveira por
de carne ; a Maia ck Espirito Santo.
NavifS saludos no mesmo dia.
Bahaescuna nacional Carlota, capitao Antonio
da Cruz Baptista, carga dilTerentes gneros.
Parahihabrigue inglez Ebe of the Ex, capitao J.
H. A. Schrader, em lastro.
Rio de Janeirocurveta vapor nacional Beberibe,
commandante capitao tenenle Ludgerio de Salles
Oliveira.
Granja e portos intermediosvapor brasileiro Ja-
guaribe, commandante Manoel Joaquim Lobato.
'j propor, para ajuste de coutas havidas entre o dito
commendador e a supplicante, ludo como melhor
expressar em dito libcllo, ficando logo citados os
mesmos supplicados para todos os termos da mes-
ma acgo e sua execugo, sob pena de suas reve-
lias e custas. E como ipier que os supplicados Dr.
Jos Antonio de Fiqueiredo e sua mulher D. Clau-
dina sejam residentes na corte do imperio, a sup-
! plicante requer mais a V. Exc. se digne de man-
i dar expedir carta precalorie citatam para as justi-
I gas commerciaes do sobredito lugar, afim de se-
rem citados para tode o expendido, nomeando V.
! Exc. um curador ad libilum, para que, por parle
do menor tome defeza da causa. Nestes termos
1 pede a V. Exc assim Ihe delira.Espera recebor
merc.Dr. Drummond.
E mais nada se via em dita petigao aqu trans-
cripta, na qual dei e profer o despacho que do
theor, forma, modo e maneira seguinte :
Citem-se, como requer. Recife 3 de maio de
1864.Alencar Araripe.
E mais nada va- se em dito despacho aqu mu
bem e fielmente copiado e 'transcripto, depois do
distribuigao do theor,
roio Grande, de 206 toneladas, capitao Antonio
Alves Das, equipagem 12, carga 11,000 arrobas nUe se via que sefizesse a
parlamento, de firmeza em principios polticos e
religiosos, nunca sacrificada a conveniencias parti-
darias, ou a transaegoes interesseiras.
Tregoas, porm, de questdes indivduaes. Para
<]ue presta um individuo, quando se traa da reli-
giao ? que vale a gota d'agua, quando se contem-
pla o occeano ?...
Eis ce mo se exprime o honrado Pernambucano
conscio de sua dignidade e de sua forga, e nin-
uem contestara, que era urna questao incandes-
cente, em que urna personalidade achava-se em
jogo, a prudenoia e a circumspecgo manifestadas,
sao credoras dos maiores encomios.
fJm pezar nos acompanha e nao podermos
transcrever na sua integra, em virtude de suas ex-
traordinarias dimenses, os primorosos artigos do
Sr. .com-go Pinto de Campos ; mas, ao mesmo tem-
po cao podemos derxar de convlr que imperfeito
eria o trabalho se S. Rvma. Ihe dsse proporcoes
mais maguadas.
Em nina palavra, refutagao jnals completa do
ue esla itnpossivel pnoduzir-se ; todas as propo-
-sicSes do deputado pela provincia do Ro de Janei-
ro forain c.-meriMiadas com urna sagacidad incri-
vel, e reduzidas ao que eUas realmente valem, a
zero 5 a improcedencia de sua argumentacao exu-
lieraotomente provada ; as sanias irmas de cari-
dade, a companhia de Jesu^ os venerandos capu-
thinhos, os frades lazanstas defenriidos, nao com
palavras vas ou meras declamagoes, mas com fac-
tos reaes, palpareis, racontesmeis, com a autori-
dade de propiios ulversarios e intmigos da igreja.
Por ultimo o Rvm. Sr. conego Pinto d Campos
estabelece um paraltelo entre as mesraas expres-
soes do Sr. Dr. Pedro Luiz as de Ernesto Renn
e Vctor Hugo, e s um espirito demasiadamente
prevenido deixar de recusar f s afllnulades de
linguagem entre o deputado brasileiro e os dos es-
criptores francezes, resultando de semelbante con-
frontagao a naturez* da foate era que S. Exc. foi
haurir as suas inspiragoes.
Esta (.olemica religiosa trooxe um resultado du-
plamente vantajoso : pz em evidencia aos olhos
dos philosophantes o espirita eminentemente catho-
lico da populago brasileira ; cercou de luminosa
aureola talentos reaes, quer profanos quer eccle-
sianticos, eobrindo de gloria aquello d'enlre estes
ltimos, que com unto denodo, pericia e Ilustra-
cao, soube defender causa da igreja.
Ao Sr. conego Joaquim Pint de Campos dirigi-
mos as nossas respeitosas e cordiaes felicitago'es;
Anacahnita peitoral de Kemp.
A celebre anacahuiu peitoral de Kemp, de cu-
jas virtudes especificas tantos annuncios apparece-
ram em nossos jornaes urna composigio de ve-
getaes peitoraes e nao conlm nenhum astringente
venenoso ou mortalmcnte narctico. E' preparada
em forma de um tarop delicioso, e um podero-
so e efficaz remedio para irritagaodos pulraes, an-
ginas, catarrho, tosse, resfriamenlo, rouquido af-
fecc6es catarrhaes, escarros de sangue, e todas as
inuumeraveis molestias que affeclam os orgos da
respiraco.
Cuidadosa e scentilicamente preparada por La-
man i Kemp era Nova-York, acha-se a venda as
lujas d Caors A Barbosa, ra da Cruz, e Joao da
C. Bravo&C. ; ra da Madre de Deas.
O Illm. Sr. director da escola normal manda
fazer publico, que desta data at o fim do corrente
mez se acham abenas as matriculas do 1" anno
da referida escola, devendo para isso os preten-
dentes provar peraote o mesmo director :
Io Que sao maiores de 18 annos.
2o Que sabem ler, escrever e contar.
3o Que estao isentos de crimes e tem boa con-
ducta, civil e moral.
4o Finalmente, que satislizeram a primeira pres-
tacao da matricula na repart gao competente.
E para chegar ao conhecimento de quera inte-
ressar, mandou-se publicar o presente pela im-
prensa.
Secretaria da escola normal de Pernambuco, 7
de julho de 1864.
O secretario,
Maximiuno Lopes .Machado.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, ofllcial da impe-
da Rosa e juiz de direito especial
perial ordem
do commercio desla cidade do Itecife, capital da justificaran! a ausencia do supplieado,
forma, modo e maneira seguinte.A Manoel Ma-
ra.Oliveira.
Em seguimento dos propros autos mu bem e
fielmente se via e mestrava do que se Diera a se-
guinte petgo :
Illm. Sr. juiz de direito substituto do commercio.
D. Claudina Sehhorinha Vieira de Carvalho ten-
do feito citar a D. Clementina Theodora da Silva e
a outros, viuva e herdeiros do finado commenda-
dor Manoel Gongalves da Silva, para fallarem aos
termos de urna acgo ordinaria, sobre ajuste du
contas havidas entre o dito finado commendador
e a supplicante, acontece que Guilherme Frederi-
co de Souza Carvalho, casado com D. Maria da
Silva, tambern Iierdeiro do supradto finado, se
achem ausentes em lugar nao sabido, pelo que a
supplicante na coiiforinidade do artigo 45 do re-
gulamento n. 737 de 25 de novembro de 1830,
quer justificar a ausencia dos supplicados e a incer-
teza do lugar de suas residencias, a que provado e
julgado, se passe carta de editas na forma do es-
tylo. aliin de que sejam citados sobre todo o con-
tedo cima referido, sob pena de suas revelias.
Nestes termos.Escrivo Nasciment. Pede a V.
S. assim Ihe delira, designando o- da para a inqui-
rigao das testemunhas, pelo que espera 1 eceber
merc.O procurador, Macario de Luna Freir.
E mais se nao continha em dita petigao aqu
transcripta, na qual eslava o despacho do theor se
guinte:
Como pede e designe o escrivo diae hura. Re-
cife 24 de maio de 1864.Freitas Henriques.
E mais se nao continha em dito despacho aqui
mu bem e fielmente copiado e transcripto e tendo
a supplicante produzido suas testemunhas, que
sellados e
DECLARARES.
provincia de Pernambuco e seu termo, por S.! preparados os autos, subiram a minha conclusao e
M. Imperial e constitucional o Sr. D. Pedro II, j nelles dei a sentenca que do theor, forma, modo
a queih Dcus guarde, etc. 1 e maneira seguinte :
Fago saber aos que o presente edital virem que Hei por justificada a ausencia de Guilherme
no dia 11 de julho de corrente anno, se ha de arre- Frederiro de Souza Carvalho, que se provoa estar
matar por venda a quem mais der, em praga pu- em lugar incerto, pelo que seja citado por editas
blica destejuizo, urna parte do engenho Collegio, no de 30 dias para o fim requerido. Pague a justifi-
COMMERCIO.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 6.......
tdem do dia 7 ................
137:7375377
50:8565623
188:5945000
ifovlmcno da affandega
Volme entrados com fazendas...
< < cora gneros...
Volomes saludos
< c
com
com
fazendas..
gneros...
711
----- 1:573
Descarregam no dia 8 de julho.
Brigue nacionalNovo Almirante diversos g-
neros.
Barca portuguesa- Corsa -dem.
Polaca italiana Amassionedem.
Brigue portuguez Con flanea dem.
Brigue inglez-Tra-vinnos e sal.

valor de 1:2035005 rs. penhorado por execugo
de Manoel Pereira Lemos Braz Ferreira de Al-
buquerque, como herdeiroe testamenteiro do fina-
do Jos de Espinla Bitiancourt, sendo o valor to-
tal do mesmo engenho 40:0005-
E nao havendo langador que cubra o prego da
avaliago a arremago ser feita pelo valor da ad-
judicacao com o abatimnto da le.
E para qne chegue ao conhecimento de todos
mandei fazer editaes qne sero publicados pela ira-
prensa e affixados nos lugares do costume.
Recife, 8 de junho de 1864.Eu Manoel Mara
Rodrigues do Nascimento, escrivo o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, officiai da impe-
rial ordem da Rosa e juiz de direito especial do
commercio desta cidade do Recife capital da pro-
vincia de Pernambuco e seu termo por S. M. Im-
perial e constitucional o Sr. D. Pedro II a quem
Deus guarde etc. etc.
Fago saber aos que o presente edital virem e delle
noticia tiverem que no dia 18 de julho do corrente
anno, se ha de arrematar por venda a quem mais
der em praga publica deste juizo, na sala dos audi-
torios um sobrado de dous andares sito na ra da
Aurora, freguezia da Ba-Vista, tendo varanda de
ferro o primeiro andar tanto na frente como no oi-
to fazendo fronte para a ra da Unio, tendo gran-
des quartos, salas, cosraha e um pequeo quintal,
I avahado em 25:0005000, o qual foi penhorado por
1 execugo de Jos Pereira Bastos Francisco Anto-
' nio de Oliveira. E nao havendo langador que cu-
bra o prego da avaliacao, a arremataeao ser feita
pelo valor da adjudicagao com o abatimnto da
lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandei passar editaes que serao publicados pela
imprensa e affixados nos lugares do costume.
Recife, 15 Je junho de 1864,43o da independencia
e do imperio de Brasil.
Eu Manoel Marta Rodrigues do Nascimento,
escrivo o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
cante as custas. Recif.i 9 de junho de 1864.
Tristao de Alencar Araripe.
E mais se nao continha e nem alguma outra
cousa mais se declarava e mostrava era dita sen-
tenga e em cumpriraento passou-se o presente pe-
lo qual chamo, cito e hi por citado o supplieado
para o lira cima expendido ; portanto qualquer
pessoa a poder scientificar.
E para que chegue ao conhecimento de todos
ser o presente publicado na farma do estylo.
Recife 10 de junho de 1864, 43 da independen-
cia e do imperio do Brasil.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivo o subscrevi.
Tristao de Alencar Araripe.
O Dr. Tristao de Alencar Araripe, ofllcial da impe-
rial ordem da Rosa, juiz de direito especial do
commercio, desta eidade do Recife de Pernam-
buco, e seu termo por S. M. I. e Constitucional o
Sr. D. Pedro II, a apera Dos guarde etc.
1
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, ijuo no d onze do mez- de
julho do corrente anno su ha de arroma lar a- quem
mas der o aluguel mensa! da casa terrea, sita no
largo de Nossa Senhora da- Paz da freguezia dos
Afogados, a contar de nove de maio do corrente
anno a lindar em nove d junho de 186o, na razo
de IOS mil rcis mensaes, cojos aluguein foram pe-
nhorados a Paulino Rodrigues de Oliveira-, por'
execugo de Agostinho Tavares Peres, para paga-
mento de custas judiciaes como autor vencido. E
na falta de licitante ser a arremaiacao feita pelo
prego da adjudicagao cora o abatimnto respectivo
da lei.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei fazer o presente, que ser afflxado nos lu-
gares do costume e publicado pela imprensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 27 de junho de 1864.
Bu, Manoel de Carvalho Paes de Andrade, es-
crivo o subscrevi.
Pela mesma secretaria se faz publico que nesta
data lica registrado o distrato da sociedade de Jos
Rodrigues Tavares de Mello e Agostinho Gomes da
Cosa, que na villa do Porta Calvo gyrava sob a
firma de Rodrigues & Gomes; em virtudB do qual
lica Tavares de Mello de posse de todo o activo, e
responsavel pelo passivo, e Gomes desonerado de
toda responsabildade.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 5 de julho de 1864.
Julio Guimaraes,
OUlcial-maior.
A nn 11 a I nato
No dia 9 do porrenie julho* linda a audiencia do
juizo municipal da 2' vara, escrivo Baptista, ser
arrematada em hasta publica desse juizo, a mei-
agua n. 33, sita na ra de Hurtas freguezia de
Sauto Antonio, perlencenle Andr de Abreu Por-
to esua mulher, em virtude da execugo que Ihes
nove aSauta Casa da Misericordia desta cidade.
InspeoGo do arsenal de mariulia.
Faz-se publico que a commisso de peritos exa-
minando, na forma determinada no regulamento
annexo ao decreto n. 1,324 de 3 de fevereiro de
1854, o casco, machina, caldeiras, apparelho. mas-
treago, veame, amarras e ancoras do vapor Ja-
guaribe, da companhia Pernambucana de navega-
gao costeira, achoutudo em regular estado.
Inspecco do arsenal de inarinha de Pernambu-
co, 6 de julho de 1864.
O inspector,
H. A. Barbosa de Almeida.
O primeiro secretario da assembla provin-
cial recebe propostas para o fornecmento de urna
mobilia de jararand Luiz XV, composta de 40
cadeiras de bracos,e destinada mesma assembla.
As proposlas deverao ser apresentadas at o dia
20 do corrente, na roa Augusta n. 114, e satsfa-
zer as segrales condigoes :
!. A mobilia nao sera de valor superior a ris
1:3005 ;
2.' As propostas serao acompanhadas do desc-
nbo ou modelo das.cadeiras que tem de ser for-
necdas;
3.* O prazo para a entrega da obra nao excede-
r a Janeiro do anno fuluro.
Recife, 2 de julho de 1864.O official-maior in-
terino. Francisco Xavier Carneiro l.ins.
Fazenda nacional.
Tendo a caixa filial, como liquidataria da massa |
de Joaquim Lucio Monteiro da Franca, anuunciado
vender era leilatt diversos bens dita massa per-
tencentes, o abaixo assignado declara que os terre-
nos de marinha ns. 213, 262, 278, 287 e 289, sitos
na praia de Santa Rita, se acham penhurados para
(tagamento do que deve o mesmo Franca fazenda
nacional. Hecife, 7 de julho de 1864.O solicitador
da fazenda, F. X. P. d<: Brillo.
C.tiusiila.lo |int\inliinl.
Pela mesa do consulado provincial se faz publico
que no dia 7 de julho corrente findam-se os 30
dias uleis marcados para a cobranga bocea do
cofre do 2o semestre do anno flnaneeiro lindo de
1863 1864 dos impostas da dcima urbana, do
consumo de agurdente, e do 5 0|0 sobre os bens
de raiz pertencenies corporacoes de mao mora,
ficando sujeitos a mulla de 3 0|0 sobre os seus d-
bitos lodosos que pagaren depois daqaHIe dia.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco
1 de julho de 1864.
Antonio Carneiro Machado Ros,
administrador.
Consulado de Portugal.
Sao chamados os credores do ausente Manoel
Correia de Souza apresentarem dentro do praso
de 15 das os seus ttulos de crdito para serem
verificados. Recife 27 de junho de 1864.
Couselho administrativo.
O conselho admini.-tralivo para fornecmento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
guales :
Para o 9o batalhao de infamara
Espadas com bambas de ac 2, fiadores de rouro
preto envernisado 2, talhins de dilo i, cananas de
dito 2.
Para a enfermara do corpo da guarnigao
da Parahiha.
Jarras de barro o, copos de vidro para agua C,
copos pequeos para remedio 4, calix 3, colheres
de sopa 48, colheres de cha 20, casticaes de latao
2, escarradeiras de latao 64, espaleita de ossn i, ta-
Iheres 36, cagarolas 2. chicaras de louca 20, pires
10, ourns de louga 21. pratos de louca 80, cha-
leiras 2, manteigueira 1, hule 1, caldeirfles 2, ban-
deija 1, cobertores de laa 34, barretes de la 118,
camisas de fianella 6, meias de laa 8 pares, col-
choes 52, travesseiros 57, oleados para camas 2,
pedra de afiar 1. chinellas 79 pares, cilhas 2, ba-
cas de rame 1, rede de tapoarana 1, brim bran-
co 409 1|2 varas, algodozinhd*:tI l|2 varas, chi-
ta 810 covados.
Quem quzer vender taes objectos aprsente a
sua propqsta em caria fechada na secretaria do
conselho as 10 horas da manha do dia 8 do cor-
rente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecmento do arsenal de guerra 27 de junho
de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel, presidente.
Sebattto Jos Baztlio Pyrrho.
Vogal secrelario.
No dia 8 de julho, depois da audiencia do
Sr. Dr. juiz municipal da vara, vai praga de
venda o escravo Romualdo com 27 annos, avahado
em 5005, perlencenle ao inventario de Jos Anto-
nio de Souza Queiror; vai praga requerimento
do Hiventanaiiie.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecmento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos
seguintes :
Para o presidio de Fernando.
Capa-rosa 5 libras, linhas pardas 1|2 arroba, re-
tragos de vidro 1 caixa, taixas para saltos 1 quin-
tal, laixas d encestar 1 quintal, taixas de palrai-
Ihar i arrobas, cera do abelhas 2 gamellas.
Quem quzer vender taes objectos, aprsente a
sua proposta em carta fechada na secretara do
conselho, s 10 horas da manha do dia H do
crtente'.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
forneciraenlo do arseoal de guerra, 1 de julho de
1864.
Anfonto Pedro de S Barreto,
Coronel-presidente.
Sebasttao dose Basilio Pyrrho,
VogaKsecretario.
m ______ ----- -......w?
Em seguida a Sra. D. Julia e o Sr. LJorge, por
favor cantarao o duetto
O MEIRINHO E A POBRE
Terminar com a prmeirarepresentacoda co-
meda em 1 acto *
MA CHAVENA DE CHA
O resto des bilhetes achanMe no escriptorio do
theatro.
Principiar s 8 l|2.
~ "'IroOS MARTIMOS.
Um|Mliia Pernambiraea
DE
\avegaco costeira a vapor.
Paralaba, Natal, Uaco, Araeat?, Cear, Acarad' e
Granja,
O vapor iaguartbr, comman-
dante Lobato, segu para os per-
tos do norte no dia 7 de julho as."
.horas da larde. Desde j recebe
__ 'carga at o da 6. Encwmmen-
das, passageiros e dioheiro a frete at s I kora-
da tarde, do diada saluda : escriptorio ao Forte
do Mallos n. 1._______________________
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
Xavegaco costeira a vapor.
Hha de Fernando de Norata.
No dia 14 de julho ao meio da
segu o vapor Parahtba, comman-
dante Martins, para o presidio de
Fernando de Noronha. Recebe ja
_ Varga al o dia 13. Encomnvn-
das, passageiros e dinheiro a frete at o dia da
sahida as 11 horas escriptorio no Forte de Mal-
tas n. 1.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com omita brevidade o veleiro e
bem mohecido palhabote nacional Piedaite, tem
parte do seu carregamentolengajado : para o res-
to que Ihe falla e escravos, a frete, para os quae-
lera excellentcs commodos, trala-se com os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Aievedo,
la da Cruz n. 1.
r*ara i Aracatye Cear
pretendo seguir com muita brevidade o hiite na-
cional Dous Amigos, tem parle de seu carrezamen-
10 prompto ; para o resto que Ihe falla, trata-s-;
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1, ou com o capitao no trapiche do algodao
Rio Grande do Mu.
Sahc na seguinte semana o brigue nacional
Mrquez de Olinda, recebe earga a frete commo-
do : a tratar no escriptorio de Manoel Ignacio de
Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo n. 19.
Para a Bahia
pretende seguir com muita brevidade a esetnu na-
cional Carlota, tem parte de sen earregamentc
prompto : para o resto que Ihe falta, trata-se com
os seus consignatarios Antonio Lniz de Oliveira
Azevedo & C, no seu escriptorio roa da Cruz nu-
mero 1.
LEILOES.
LEIL40
DE
Fazendas avariadas.
Rabe Schmettau $ C, farSo leilo por alaran-
gao do agente Pmto, e por cpnta e risco de qoen;
pertencer, de'alguns madapoloeX algodozinhos t
chitas com avaria'd'agua salgada as 11 horas do
dia cima dito em sea armazem da ra da Cadea
n. 18. ;
iKIl.tO
D*;
1.111 c.iliri(.'l'l cum ptimo avallo.
Aureliano Augusto de Oliveira, autorizado por
urna pessoa de sua amisade vender em leilao, um
rabriolet e um cavall de carro, bom trotador,
talvez um dos medrares que hoje existe nesia
praga.
No sabbado 9 do corrente, na praga do Capim.
na coehoira do Sr. Joao Uenriqne, :i 11 horas.
LEILAO
DE
Brigue nacional Algrete.
Segunda-fe ira 11 d julho $ 11 horas n
porta da associaco commercial.
O agente Pinto far leilo rcquennuolo de
Joaquim Juvencio da Silva e por despacho do Illm.
Sr. Dr. juiz de orphos do brigue nacional Ale.
grete ancorado neste porto, com todos seus per-
tences de conformidade com um inventario exi-
tenle em poder do mesmo agente, o leilo ser
effectuado no dia, hora e lugar cima dito poden-
do os prcteudentcs examinaren! desde j o mesmo
brigue.
LEILO
DE
VIII ESCftlVA
0 agente Almeida far leilo requerimento dos
administradores da massa fallida.de Faria $ C. e
por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do
commercio de urna escrava de nome Benedicta,
aprehendida ao socio fugitivo da mesma firma
Juvino Carneiro Machado Kios.
Se^utttla-feica II do corrente.
O leilo ser effectuado no armazem da ra da
Cadea do Recife n. 48, s 11 horas.
LEILAO
DE
DOUS ESCRAVOS
O agente Almeida far leilao por conta e risco
de quem pertencer de dous escravos sendo um
mulatinhe de 14 annos e um negro de nagao de
40 annus pouco mais ou menos e de banita figura.
Segnnda-feira II do corrate.
As 11 horas do dia no armazem da ra da Ca-
deia do Recife n. 48.
THE 1 rito
DE
6
Domingo, 10 de julho de 1861
BENEFICIO DO ACTOR
fise Carlos Gongalves.
.
Primeira representaelo da comedia drama em 3
actos
OS AMORES DE CLEOPATRA
LEILAO
PREDIOS
Um sobrado na ra Imperial n. 64, com 40 pal-
mos de frente, 180 de fundo, tendo no andar ter-
reo duas salas, alcova, gabinete com um quarto.
cosinha eura grande salo com 7 quartos, o pri-
meiro andar tem urna grande sala, 2 alcovas, I
quarto no corredor, sala de detraz com 2 camari-
nhas, urna grande sala de jamar, cosinha e nm
quarto ao lado, um grande solio com urna sala e
4 quartos, grande cisterna, cacimba, estribara'
cocheira e 1 grande quarto para guardar carro-
gas, 2 grandes quiBtaes tendo um dellcs um bello
jardim, o outro plantado com diversos ps de sa-
potizeiros e outros arvoredos, tendo ambos 200
palmos de largura e 140 de fundo.
Urna casa terrea na mesma roa n. 66 com 2 por-
tas de frente, 2 salas, 2 grandes quartos, cosinha,
quintal, cacimba e mais 2 quartos fra'.
Um sobrado de 2 andares na ra do Livramento
n. 9, tendo cada um andar 2 Salas e nm quarto.
Terga-feira lt de julho.
O agente Almeida far leilo por autorisacao da
caixa filial dos predios cima mencionado?, por-
ta ua Associagao Commercial, s 11 horas do dia
cima.
LEILAO
DE
Predios, terrenos alterrados e ala-
grits
0 agente Almeida legalmente antorisado pela
caixa tilia), como liquidataria da massa fallida de
Joa.iuira Ludo Monteiro da Franca, far leilo da
proprienade onde morara o dito fallido, coja pro-
priedade tem muitos commodos para moradia.
grande armazem, nma magnifica cisterna qae de-
posita duzenlas pipas d'agua e multas ooiras com-

'


!_1
l>lrlo de fer^mlmeo 'Aeitfa letra S de Julhe de tS*4.

modidades, que a torna urna habllaco deleilavel,
assiiu como urna fabrica de sabo coiu alguns per-
tences existentes na mesma propriedade, um bello
terreno murado e com caes annexo mesma fa-
brica, e oulros terrenos alagados juntos fabrica.
Terca-telra l do corrente porta da Associa-
cao Commercial as 14 horas do da.
O mesmo.agente se presta qoalquer informa-
cao exigida pelos pretendcntes.
LLIO
DE
Melade de urna casa terrea, no becre
do ttei, amigamente Joao Fer-
uandes.
O agente Almeida, aulonsado competentemente,
far le Lio da parte da casa terrea n. 1 no becco
doBoi.
Terca reir 12 do corrente porta da Associa-
cao Commercial as 11 horas do dia.
AVISOS IBBBIg-
- Os seatkores que tem le-
vado por emprestimocolleQ5es
deste Diario, queiram man-
da-las restituir com brevida-
de pois sao precisas.
Juvencio Aureliano da Cunta Cesar con-
vida aos seus prenles e amigos e aos do
seu Qnado irmao, o Dr. Pedro Antonio Ce-
sar, a ouvirem urna missa pelo eterno re-
pouso da alma do mesmo finado, na igreja
de Nossa Sanhora do Terco, s 7 horas da
manhaa do dia ) do corrente segundo ani-
versario de seu passamento.
SAH10 V LUZ
F. EST A VENDA NA LIVKAHIA DO Sl\. GERALDO
RA ESTREITA. DO ROSARIO K. 12 AS
NOCOES
o
DE
PARTIDAS DOBRADAS
OFFERECIDAS
A Assoeiacao CouiiBerci! Beneicenle
DE
l>i:\.lHRl'('0
POR
M Fonseca de Medeiros
Aos 10:0008001).
Corre amanha.
Sabbado 0 do correte mez se extrahir
a segunda parte da primeira lotera da igre-
ja de N. S da Boa-Viagem, no consistorio
da igreja de N. S do Rosario da freguezia
de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quarlos acham-se
venda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15.
Os premios de 0:0005000 at 203000
serSo pagos urna hora depois da extraeco
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguate depois da distribuicao das listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
0 cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da ra do
ueimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharao como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sna pro-
fissao, chamado por escripia.
.o _> a -5
3 3 S*
S c S
O I '

I
--
w
= E
o
2 -
P 2.
c_ as
3
o
i
"_
u
o
-.
"6 2.
rll ,
o a a o >
*.
DE
Seguros Martimos Indem-
nisadora.
Os senhores accionistas desta Companhia sao
convidados para se reunirom em assembia geral
no respectivo escriptorio, pelas II horas da ma-
nhaa do dia 8 do corrente, para Ihes ser apresen-
tado o novo projecto de estatutos, confeccionados
pela eommissao eleOa para esse fim na ultima as-
sembia geral.
Recife 5 de julho de 1861.Os directores,
Joao da Silva Regadas.
Francisco Joao de Rarros.
Miguel Jos Alves. ^_____
Casas para alitgar-se,
Alugam-se o 3o e 4o andares do sobrado da ra
do Rrum n. 70, e 2o andar do sobrado do caes n.
Apollo n. 17 : a tratar na ra larga do Rosariede
34, botica.
Alfai"te
Precisa-se de um (Acial de alfaiate que
tenha pralica de cortar; na ra da Ca-
deia do Recife n. 38, primeiro anear.
*''-
_ Precisa se da um primeiro amar para escrip-
torio na ruado Imperador ou paleo do Collegio :
quertioqoiaeralugafdirija.se ra estreta do
Rosario n. 18.________________
CavalU) /'u(/irf'p
Fugio-db faruram nm dos sirte *a estrada
dos Afflictos um quarto casunho claro, castrado :
quem o pegar, leve-o ao quarto sitio depois da
^apella._wie_ser recompensado._____________
eiedade dramtica Hclpome-
nc Prtamhn('a
Convido os senhorea socios que estiverem quites
com a cala da sociedade, a procurarem jia ra
Nova n 9 as partes de bilhetes que Ihes toca, em
vista da distnbuico fuita om observancia do arti-
go 36 dos estatutos.
Recife 7 de julho de iw.
n Luii Fredcrico Gil?.
Thesoureiro.
"" Precisase de um caixeiro 1 na ra Uireita
o. 30, deposito.
INJECTION BROU
K CORTEZAS DE NARANJAS AMARGAS
St4L4P. li'MtOZE, ftiiuca, hnueilk* h la EmI nperiw h Paria
Esa iwate., 4 agnlariur las funciones del estmago intestinos, destruye eaas
indiajBBicianes'protaiformcs, y hace abortar las enfermedades de que son signos precur-
sores, dieps y ^enfermos han reconocido que restablece la digestin, haciendo desa-
parecar ta^pesadace* de estmago; que calma fas jaquecas, pasmos, y calambres, que
son el resultado de digestiones penosas. Su gusto agradable, y la facilidad con que se
soporta, lo han hecho adoptar como el cspccifeco infalible de las enfermedades nervio-
sas, gastritis, gastralgias, clicos de estmago y entraas, palpitaciones, males de co-
razn vmitos nerviosos. Su accin sobre las funciones asimiladoras es tal, que los
mdicos mas ilustres lo han adoptado por escipiente real de los dos primeros agentes
teraputicos : el Ioduro de potasio y el Proto-Ioduro de hierro, habiendo
observado que bajo su influjo, el primera pierde su accin irritante, y I tegundo
su efecto astringente.
JARABE DEPURATIVO JARABE FERRUGINOSO
DE CORTEZAS DI NAIUMiS 1MAXCAS
CON IODTJRO DE POTASIO
1 lo Juro de potMio. administra Jo en iolu-
eion bajo forma olida, causa al enfermo una
gran repugnancia, determina accidentes que
lojtbligan i renunciar este eficaz remedid,
l'nid al Jarabe de cortezas de naranjas, no
cau.-a ni gattralgia. ni desarreglo del estmago
Intestinos, y gracias este salvo-conducto,
las curas depuradas pueden seguirse sin inter-
rupcin en la* afecciones escrofulosas, tuber-
culosas, cancerosas, y en las segundarias ter-
ciarias, inclusas las reumticas, de ue es so
mas seguro especifico. La dosis esl definida de
tal manera qm- el mdico la varia come quiere.
Kl frasco : i fr. 50
DE COITUAS DE NARIKIAS AXABGIS
con PROTO-IODURO de HIERRO
La asociacin de la sal frrea coa i a rab
de eartezas de naranjas es tanto mas racional
cuanto que este Jarabe, empleado solo para
estimular el apetito, activar la secrecin del
jugo gstrico, y per consiguiente, regularizar
las funcione* abdominales, neutraliza los triste*
efectos deles ferruginosas y de los loduroe Ipe-
fn'.n de cabeza, constipacin, daleres epigs-
tricos), al paso que facilita su absorcin. Di-
suelto en al Jarabe, se toma y soporta fcil-
mente por tallarse a el estado puro mas
asimilable; y ssIpueBe segeirse la cura de los
colores plidos, prdida* Mancas, anemia,
afecciones eserofuloas y raquitismo. El Trasco:
4 fr. 50.
Los Jarabes de J.-P. L AROZE estn siempre en ftascos especiales (jamas en medias
botellas ni frascos redondos}. Expediciones: en caa 3.-P. LAROZE, rpe de laFontaine-
Molire, 39bis. Depsito general: farmacia Laroze. rae Neuve-des-PeUts-Cnamss,86,
y en casa de todos los farmacuticos antiguos de Francia y del Estrangero.
Desgnese en que lengua deben ettwr las instrucciones que acompaan cada producto.
PERFUMERA mdico-hyginica
Pe J.-P. LAROZE, Qumico, larsueitict de la Esciela npecial e Para
Estos productos son el resultado de la aplicacin dlas leyes de la higiene le per-
fumera, que se eleva y convierte en farmacia de la belleza, encargada de tender i la hi-
giene del culis, cabellos y dientes, que todos son rganos tan importantes; sirven para evi-
tar y destruir las causas de las enfermedades que su hermana primognita, la farmacia
propiamente dicha, est llamada curar.
luir deutitrico para curar ioinnliaumenie
los dolores de muras ; el trasco 1 fr. S
rOLVOS DEirnriucos rosados, ron base de
magnesia, para emblanquecer y conservar los
dieuut; I frasco. ....... 1 fr. SS
OPIATA mcimnuc*, para fortificar Usencias y
evitar las nevralgias dentales 1 fr. 5#
curiaTrvo dental para curar los dientes ca-
riados antes de la emploinailura, y evitar los abee-
sos y dolores; el frasco con el instrumento. A fr.
agua lbocoderdwa para conservar la her-
mosura de la le y las funciones de la piel; al
frasco.............S fr.
srauTU M ajos naonriQADO, complemento
del lacador de la boca despus de cada comida;
el frasco...........1 fr. 25
jabn LSJrrnvo medcihai., para el tocador ;
la violeta, almendras amarga, ramillete, etc.,
el jabn............1 fr. SS
JABN lenitivo medicinal con yemas de
huevo, para evitar las grietas en el cutis, hendiduras
i enfermedades de la piel; la violeta, ramil-
ete, etc.; el jabn.........2 fr.
CHIMA DI JABN LENTTTVO MEDICINAL en
polvos. Es especial para la barba, como tambin
ira el tocador de las mageres y nifios; el
seo ..,..,,,,.,.. 2 fr.
aooa lStkal para conservar y embellecer los
cabellos, tonificando sus raices ; el frasco a fr.
aceite di avellanas rcaurDMADO, para re-
mediar i la sequedad y atona de les cabellos; el
frasco.............3 fr.
VTNAOru: na too Ann lonanso renom-
brado por su suavidad y accin refrescante; el
frasco.............1 fr.
COLD CRBAM SUTMIOK, para conservar el culis
blanco, fresco, difano, y evitar las consecuencia!
del uso de los afeites; el bote. 1 fr. SO
AOVA DE COLONIA SUPERIOR, con mbar 6 sin
el. La estabilidad de su perfume la hace buscar
para el tocador, baos locales y generales; el
frasco..............1 fr.
PASTILLAS ORIENTALES del doctor Taul Clment,
para quitar el olor del tabaco y neutralizar los hli-
tos fuertes; al caja........t y 2 fr.
agoa na rxORBS DE alhucema, cosmtico
muy buscado par destruir Us comezones, fortale-
cer y refiescar ciertos rganos ; el frasco. 1 fr. 50
ESPIRITO DE MENTA SUPERFINO. Es el mas
perfecto indispensable complemento del toca-
dor de la boca despus de la comida; el
frasco............ 1 fr. 25
POMADA CONSERVADORA con quinina pora,para
fortificar los cabellos, hermosearlos y evitar que
se pongan ranos antes de tiempo; el foole. 5 fr.
para
Ira
Depsito en todas las ciudades en casa de los farmacuticos, perfumistas, peluqueros,
mercaderes de modas y novedades. Venta por menor : En la Farmacia taroie, ru
Neuve-de's-Petits-Champs, 26.
Expediciones: en casa de J.-P. LAROZE, ru de la Fontaine-Molire, 39 Ws,enPars.
Desgnese en que engua deben estar las instrucciones que acompaan cada producto.
P3 oc
r.i UJ
t u_
1
11
ti
H
i
fi-
es
rys
ra
|
a
I
T
I1"
5 sr
. s:
H
ii
si. 5"
3. =" _i
i 69
7|f
Pffi
* s a
C
*
C
i
a;
=
S
1
8
2
-i o
a- 9.
1-1
Z
8.
t)2^
S
o
>
O
M

O
3)
P1
s
3

E9
i
m
t
K
fs3


lo
*V
m
o
a
O "
O pe
m m g .,
_ o n i
a.S2.;:T.= =
Ifi Un
!S|fel|*
jfl*ftl|
T.-c3rSio>
O
Vende-se na ra do Imperador botica franceza n. 38.
Bum e barato
Um relOgio de ouro patente inglez do melhor fa-
bricante de Liverpool : para ver, na ra do Crespo
o. 2, livrana.
Pret-isa-se alugar um moleque para o servido
de urna casa : na na estreita do Rosario n. 24.
Mansueto Prsico, Hiagpio Prsico, Faverio
Prsico, Biajgio J.mino, suliditos italianos, relirani-
se para Europa.
Precisa-se de urna ama para lodo o servico
de duas pessoas : na ra c.ireita do Rosario n. 18,
primeiro andar.
Precis.i-se em um encorio pouca distancia
da via-ferrea. de um hnmem para ensinar latim e
francez : quem estiverhabilitado, querr dirigirse
para tratar ra do Imperador n. 73, primeiro
andar.__________________________________
A. Narcyrare retira-se para Inglaterra.
Joao xta Silva Ramos, medica pela Uni
versidade de Coimfcra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 as 6 da larde. Visita os doentes
em suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo o casos ur-
gentes que sero soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos iiobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
aimla mesmo os alienados, para o que
tem commodos aprouriados e nella pra-
lica qualquer operaran cirurgica.
Para a casa de sade.
Primen-a classe 3000diarios.
Segunda dita.... 2500
Terceira dita.... 2000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos boas servioos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti*
nue a merecer a conflanca de que sem-
pre tem gozado.
ATTPCAO
Olimpio Ferrha flt Silva
AGENTE DE LEII.ES
Ra da Cadeia do Recife n. 48,
Primeiro mular.
AOS 10*JOOO.OOO
llllhetes garaatidos
i' tu d Cifspo d. 33 e casas do eostume
0 abaixo assignado tendo vendido nos seos mni-
to felizes bilhetes garantidos o meio n. 337 eom
a serte de 6:0005000, e n. 928 com 1:400$ e ou-
trtts miutas de 2DU, 100*, 40 e 20* da lotera
que se acabou de extrahir beneficio da igreja de
Santo Amaro de Jaboatao, convida os possuidores
de ditos bilhetes a virem receber seus respectivos
I premios sem os descontos da le, em seu estabe-
lecimento -rna do Crespo n. 23.
O mesmo tem exposto venda os no vos e felizes
bilhetes garantidos a beneficio da igreja de N. S.
da Roa-vigem, que se extrahir sabbado 9 do
corrente.
i Presos
Bittietes inteiros..... 12g000
Meios......... 6*000
Qaartos........ 3*000
Para as pessoas que oomprarem
de 190* para cima.
Bilhetes........ 11*000
Meios......... *600
Quartos........ 2*750
Manad Martin* Fiuza
Ao Sv. Ellas Cordelro < iu
tvii preelsa-se fallar a negocio de
sen iiieeresse. na padarla da rua
i i-cita n. SI.
mw^mmmm mmmmmm
Escriplorio de advocacia no Hio]
Grande do Korte.
0 abaixo assignado tem aberto o seu SS
C^ esenptorio de advocacia na villa do Cea- ^
jv rmeirim no Rio Grande do Norte, onde sR$
vgj pode ser procurado para os negocias de *j
S sua profisso. S
35? Manoel Ferreira Nobre Jnior. gR
mmmmmmmmmm-mmmm
Arrenda-se, vende-se, ou mesmo troca-se por
casas na praga um sitio na Vanea margem do
ameno Capibaribe, com duas grandes casas, com
7 ifoartos, 4 salas, i cozinhas e um sotao, tendo a
parte cocheira, estribarla, e quartos para criados,
lodo plantado de arvores de frijcto, abacates, sapo-
tis, frucla-pao, limao doce, limas de umbigo e da
i Persia, larangeiras de umbigo, soletas, tangerinas,
etc., nm grande eafesal com fruclas, jaqueiras,
niangueiras, coqueiros, dendezeiros, com mais no
fundo urna casa de taipa, e bem assim mais 4 ca-
sas de tijolo acabadas de pouco lempo, com frente
para o nascente, muilo frescas, tendo cada urna 2
salas, 2 quartos e cozmha fra : os pretendentes
dirijam-se rua do Qucimado n. 27, luja de bien-
das dos Srs. Custodio & Carvalho.____________
Aluga-se um sitio na estrada da Ponte de
Cchoa e a niarg.m do rio, pouco adiante do Hita.
Sr. commendador Nery Ferreira, tendo banheiro,
palanque, galinheiro e outras acommodagoes; e
outro diio no Monteiro, em frente ao oilao da igre-
ja : a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Sou-
za, rua do Crespo n. lo, ou estreita do Rosario nu-
mero 32.
Os liquidatarios da m&ssa de Jos An-
j ionio Bastos convidam os credores da mesma
a receber o segundo dividendo, rua do
Trapiche n. 3 i.
Precisa-se alujar um escravo : quem o tiver
leve rua larga do Rosario n. 10, que achara com
quem traiar. _____________________
Na praca da Independencia, loja de ourive?
n. 33, compram-se obras de ouro, prata e podras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert, e igual-
mente se dir quem da dinheiro a premio.
Aluga-se o armazem da casa sita na rua de
Apollo n. 17, eo primeiro da casa sita na rua da
Seur.a+n~Y';ltta n. 22 : a tratar na rua da Cadeia
n. 44.__________________________________
Precisa-se de urna criada forra ou escrava,
que sirva para todo o servico interno e externo de
urna casa : a tratar na rua do Queimado, loja nu-
mero 71.
RUA DO QUEIMA0 NUMERO II
Laja de fazendas d- Augusto Frederico dos Santos Porto
Chapeos paca senhoras.
Chegaram de Pars as mais lindas rhapelinas e chapeos de palha da Italia para senhoras.
Ricas capas e soutembarques de seda preta e casemira de cor para senhoras.
Cortes de superior morentique branco pera vestidos de noivas.
Camisas nglezas muito superiores para homens, peitos, punhos e colarinhos de linho.
Chapeos de seda para cabera e chapos de sol de seda inglezes.
Leos de labyrintho franeezes a i* cada um.
Camisas de menino muito superiores.
Cortes de la de barra para vestidos de senhoras de 13* a 18*.
A mesma loja tem o maior e mais superior sortimento de
Esteiras para sala*.
Neste estabelccimento encontrario os senhores que preetsarem forrar suas salas com esleirs
otda e qualquer quantidade que desejarem de 4, 3 e 6 palmos de largura, sendo a qualidade muio
superior e por mdico preco.
CONSULTORIO NEDICO-CIRIIRGICO
DO
DR. PEDRO DE ATTAHYDE LORO MOSGOSO,
HBaMC O. PARTEIRO i: OPKK.tnOH.
3 Rua da Gloria, casa do Fundao 3
0 Dr. LoboMoscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 ;b i
horas da manhaa, e das 6 e meia s 8 horas da noite, excepee dos dias santificados
Pharmacia especial homeopatilica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado soriimento de caravas
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisac5es-e pe!o preces seguales
Carteiras de 42 tubos grandes. 120000
> de 24 tubos grandes. 48*000 i
de 36 tubos grandes. 24,5000
de 48 tubos grandes. 300000
de 60 tubos grandes. 35fJOOO
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tintura de meia onca \fi' 00.
Sende para cima de 12, custaro os precos establecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada nm a 500 ris.
LITROS.
A mellior obra da homcopathia, o Manual de Medicina Homeopathico do Dr. Jahr,
dons grandes volumes cera diccionario............ 20*000
Medicina domestica do Dr. Ilering,........... If>d000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. IWWOO
Diccionario de termos de medicina ........... 35000
Os remedios deste eslabeleeiment sao por demais conhecidos e dispensam >ortan-
to de serem novamente recommendados as pessoas que qnizerem osar de remedios ver-
daderos, enrgicos e duradores : ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assocar deleite, Bota veis pela sua boa conservaran, tinturados mais acreditado*
estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada prepararan, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de safde para escraros.
Rccebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operacao, para o que o annunciante julga-se snflBcientemente habilitado.
O tratamento. o melhor DOSsivei, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatro annns, ha muitas pessoas de rujo concee se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquellos que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 25000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante l*>00.
As operacoes sero previamente ajustadas, se nao se qnizerem sujeitar aos prefos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
J, VIGNES.
m m
Eiiioiimia-se
X. 55. RA DO niPEHlAlIQR W. **
Os pianos desta antica fabrica sao boje assaz conhecidos para que seja necessario insistir sobre >
sua superioridad!;, vantagens e garantas que olTerecem aos compradores, qualidades estas inrontesO-
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pot-
suindoum teclado e machinismo que obedeeem todas as vontadcs e caprichos das pianistas, sem
nunca falnar, por serem fabricados de proposito, e ler-se feiio ltimamente melhoramentos imiHirun-
tissimos para o clima deste paiz ; quanto s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto muito .^rada-
veis aos ouvdos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as cncommendas, tanto nesta fabrica romo na do Sr. Blondel, de Parte, socio
correspondente de J. Vlgnes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exposicoes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendide por
precos commodos e razoaveis.
Precisa-se de um caixeiro que tenha pratica de
taberna, ou admitte-se algum que queira entrar
para socio : os pretendentes dirijam-se em carta
fechada com as nicias S. P., entregando-a na rua
do Vigario uo primeiro andar da casa n. W.
Caixeiro.
Na taberna da rua do Vigario n 8, precisase de
um pequeuo de 14 16 annos, com boa conducta
e habilitacoes precisas para taes estabelecimentos.
Aluga-se o primeiro andar da casa da rua
da Cruz n. 59, tendo a preferencia tiara escripto-
rio, por preco muito em conta : a tratar na loja
da mesma casa, no Recife.______________^__
O Dr. Joao Ferreira da Silva seguindo nesta
dala para a provincia do Gear. aonde pretende
pouco demorarse, deixa Incumbidos de sua clni-
ca os eus distinclos colferas s Brs. Pe+eira da
Carino. A.jiiino, Soria no de S >n?.a e Leal, aos quaes
segundo as affeicoes ou facilidade de occasio, po-
dero dirigirse s pessoas que costumam oceu-
pa-lo. Para os seus negocios partienlares man
enCarregados sua mulher e seu mano o tachare!
Manoel Ferreira da Silva. Recite 7 de julho de
1864.
G. O. Mann retira-se para Inglaterra.______
Precisa-sede urna ama forra ou captiva para
casa de pouca familia : na na da Cadeia do Reci-
fe ^48^^_________________________
HOSPITAL
Porlngnez le Beneflcencia em
aPernambnco.
De ordem do Hlm. Sr. provedor convido a todos
os senhores socios do Hospital Porluguer a reuni-
rem-se no mesmo Hospital s 10 horas da manhaa
do domingo 10 do corrente, para em assembla ge-
ral sercumprido o disposlo no % 1 do art. 17 dos
estatutos.
Recife 6 de julho de 1864.
Joaquim Ferreira Reales Guimaraes.
1* secretario.
com todo o accip e -promptido : na roa Je S. Fran-
cisco n. 68, segundo andar, l'recos excepcionaes.
Miguel Jos Barbosa Guimaraes declara ao
commereio desta cidade e ao publico em geral,
que havendo-se linndo Jos de Alnvida Nunes Li-
ma, ipie era seu socio de industria por contrato
social, tem o mesmo,. como socio capitalista que
era, e por forra do mesmo contrato, a pi oceder a
liquidarlo de dita seciedade, sendo que previamen-
te fez inventariar oque existia na presenca do cn-
sul portuguez. E assim tem de continuar a mes-
ma firma social de (.nimaraes & Lima em liquida
co na forma da le-_____________
Quem precisar de urna ama para casa de ra-
paz solteiro, dirija-se ao paleo do Carino n. 10.__
Precisa-se de urna criada livre ou escrava
que sai! cezinhnr e comprar : na rua de Santo
Amaro (Mundo Sovo), sobrado onde niorou o Sr,
, Dr. Sabino. ____________
Precisase de um criado de idade de 16 an-
j nos, pouco mais ou menos, sendo Portuguez tam-
'bem serve : na rua Direita n. 21, primeiro andar.
mmmmmmmmmmmmmm
0 Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
Io e andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profis-
so medica, e com especial idade
sobre seguiute
1 molestias
2
3o
INJECCAO E CAPSULAS
VEGETAES ao MATICO.
GRIMAULT E C'f PHARMACEUTICOS EMPAI IS
Novo tintamente, preparado com as MkM le Mutico.ar, ore re,W a cura rapUa l_H*d
da Gonorrhea .=em recelo algum da contraeco do canal ou da tanammaja los intesl nos 0 WM.
doutor Rlcord. de Pars, ter renonciado. desde eua apnarHao. ao empreg de qwlf-tf Ot- UalMill.
Fmprcga-fe injerro no comco do tluxo. as capsulas em todos os casos chronicos e Inveterado, que
resistirn s preparaces do copahu, cubeba e s injeecoes com base metallica. Fmm,a#-
Depsito eral : em Porta, em casa de MM. Grlm.ult e C, pharmaceuticos 7 rua de F'"i
em Lisboa, .o.-Ao.llnha d. Co.a-Carvlho Jnior; no Porto, MUtael ln de 8- Fer-
relra; em o fio-de-Janeiro, Ge.t.., .02, rua 8. Pedro; em Baha '-^H.n. MMMg
heira-, em Mo-Grande, Joaqun de G.doy; cm Maranhao, rWtW e C- em Pernamtmfo.
shouna e C, rua da Crui. 22; Bauaa, e as principaea pharmacias do Brazil.
Deposito geral em Pernambuc rua da Cruz n. 22 emeasa de Caros & Barboz?.
Ao publico.
O abaixo assignado declara a quera interessar
possa que elle nem urna letra assignou quer seja
como saccador, aceitante ou endossante, e ncm
mesmo carta de li.nir.i de alugueis de casa, ou ou-
tro negocio de qualquer natureza que seja em fa-
vor ao Sr. Joao Germano de Paula, seja qual fr a
transace_ao em que por ventura se ache o nome
deste senhor e do abaixo assignado, contra o que
protesta. Recife, 7 de julho de 1864.
Joaquim Francisco Franco.
de olhos;
de peito:
dos orgos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d s|
%ns 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
?o que julgar conveniente para o
prompto resUtbeleci ment dos seus.
doentes.
Aluga-se a casa n. 4 da ron dos rtazfes, nos
Coelhos, com bons comraodos, concertada, caiada e
pintida com perfeicao e (tost : a tratar no segun-
do andar do sobrado n. 36 da rua do Rangel.
Precisa-se de urna ama de leite : na rua Im-
perial, sobrado n. 87.
Aviso
tinturara.
Tinge-se com perfeico para qualquer
cor, e o mais barato possivel: na rua do
Rangel n. 38. segundo andar.
Livio de Smiza e silva, estabelecido com refina-
cao na rua da Concordia n. 8, avisa a mu frerue-
zes, a quem manda assocar por seus scravr,
que qnando acharero abjuras falta no peso do dito
assucar, o mandem voltar da mesma forma;, etW
aviso tem por flm evitar a ladroeira dos ditos es-
cravos, c ao mesmo tempo livrar seu crdito ae
fama pouca conveniente.
1 DENTISTA DE PARS
ttRua Nm~4*
Frederico Gautier, cirurgiao detitisu,
faz todas as operares de sua arte, e col- i
loca deates arliikiaes, tudo com superio-1
ridade perleicao, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos denuncio.
Precisa-se de urna ama para cozinhar e comprar
em casa de homem solteiro, preferindo-se escrava:
na rua do Queimado n. 23,_________________
Precisa-te de urna ama capaz para tolo o
servico de oasa de pouco familia : na Iravessa da
matriz de Santo Antonio n. 8.________________
Madame Nina Albet, retira-se para a Eu-
ropa.
- Aluga-se uraa mulata escrava, que cozmha
lava e engomm, isto com alguma perfeico : a
tratar na rua do Apollo n. 35, lerceiro andar.
Precisa-se de urna ama forra ou escrava que
compre, cozinhe e engomme para casa de pouca
familia : na rua de Santa Itita n. 40, primeiro an-
dar^________________________________^_
TiiH.vriio di: apollo.
Mocledade dramtica Melpome-
nc Pernambacana.
De ordem do Sr. director faco sciente aos Srs.
socios, que sabbado 9 do corrente, subir scena
oexcell.'iiie drama era 3 actosO. Rapkael ou os
mos conseihos ; a comeda em um actoo Hol-
landez ou pagar o mal que nao fez, e a scena c-
mica Benlo dos Ponlinhos..
Ge<;ua a 8 heras da Doiie.
Secretaria da sociedad* Mo limeo Per n Mal u-
caaa, 7 de julho de 1861
Jtwe fv. n-.'^ftCll,
aj1*-*^"1"'*"" -- '-
Ttttos entendidos naplemica iuridica com une oceupa-
ram a impraisa ts 8rs. Ors. Buanjue.a Feneion,
e como nal Mis se leaba u_li_aO iobre este
assunapte, perguntamos aquelMs eenhare se oop-
pelloqnefizerarn aos ditos homeos, e a promassa
de qws08.a9parM*riM MMM pw.* **>n-
das grefas.
O hintm rnts
%lt
MHiwsr protldencts eni urna rtsa
sita trt 1TfO *> IVastj, que tarde da norte se
ajuntam certos individuos que com seu pagode
prejudioam o silencio dos laydow.
Lava-se com toda a Pjerfoicao e preslesa, tan-
to de varrela como de saba >, e por menos do fie
ontra qaalquer, Oo Poco da t'anella ; quem arri-
sar aiiUMoie, ou rruude ao mesmo Poco da Panel
la, rua da Po ira
Deseja-se fallar com urgeneia ao Sr. Jos Pe-
reira,, morador em Salgadinbo, a negocio que lhe
diz r^speito, ni rua de Agnas-Verdes, primeiro
andar do sobrado n SO, das 4 horas da tarde em
di ante.________ _________
"" ':Na rua da Concordia n. 2 faz-se toda a qua'
lidado de roini *s e vestidos para senbora e meni-
nas, etc., tudo com aceo e perfbicSo, e prero com-
modo.
Attencr.o
.s
O abaixo assignado declara que havendo inrum-
bido a Manoel de Rezende Re^-o Barn a cobran-
ca de dividas fra desta cidak, pascando lite para
isso urna procuracao bastante em o mez de mak>
de 1861, tem revogado o poderes des a procara-
gao, sendo que por isso nao dito Rezeivt ia_i>
seu procurador, nem pode mais, em seu norm\ U-
zer qualquer transaren), nem figurar em juizo. -
Recife 7 de julho de 186V.
Manoel Alves Ferreira.
LE Ul TODOS.
O abaixo assignado ansa ao resneitavel publico,
e com especi ilidade ans seus frepuezes e amigo,
que se acha na rua d.i Cruz do Recife n. \\, pri-
meiro andar, prompto para eveutar todas as func-
eo-'s de sua arte de barbeiro. como sejim .-angrar.
tirar, abrir, calcar e limp.tr denles, applkar ven-
tosas e bichas, tudo sem o menor risco e dr, para
o que pode ser procurado na casa acama a qaal-
quer hora do dia ou da noite.
Joao Salustiano Coelhn.
Carros funehres, lar^o- t) hmiz*
niimcio 10.
Neste estabelecimento enrontram-se carros la-
nebres ricamente ornados, primeira ordem para m-
funtos ou anjos, o bem assim dn segunda brea-
ra ordera. O proprietario encarrera-se de rorae-
oer todo o necessario para qualquer acto ronnferc,
0 melhor que for possivei a coobxihj das partea
tudo com nrestew e precos commoJo, a ooafcp-
h.>ra do dia ou da noite : na oesina casa ariian,
ou nos fundos desta, rua de S. Francisco uuinero.
8 eo IR. ^_______________________
Bnm para rscriptorio
Aluga-se o primeiro andar da rua da Cruz a.
S4 : a tratar na rua da Cadeia n. 57.
Ao publico
O bacharcl Jerooymo Salgado de Castro Arrioly,
antigo advocado do tribunal da retaro e m tis au-
ditorias da cidade do Recife, ntiidou seu asrriplo-
rio para a rua das Cruzas n. 21, ond> i>ode ar
procurado para os misteres de sua proA>-o.
Aniouio Jos Rodrigues e Antonio Ferreira
Maia, subditos de S. M. Fidelissina, reliraia-sa
desta provincia.
Jos Antonio Pereira da Silra, profesar par-
ticnlar de instruceo elementar e grammatiea la-
lina, mndou a sua residencia do pateo da Riheira
para o largo do Terco n. 33, onde os pais de f ina-
lia o acharo como sempre prompto a qualquer ha-
ra para o exercicio de sua pnflssao.__________
Offerece-se tima mulher para coziqhar e eo-
gommar : na rua do Hospicio n. 58.
ILEGVEL


, i pi i ^vp
M

Diarlo de Peraambuco Sexta felra 8 de Julho de 18*4.
Grammatica ingleza e portagueza.
D. Appleton & C. livreiros,ediiore8 e importado-
res em New-York, Estados Uoidos da America,
acabara d publicar nm doto methodo para os in-
glezes aprenderera a lingua portugueza por E. F.
Granen, 1 vol. 12 mo.
Esle livro, o melbor at hoje publicado ex-
pressameote impresso para supprr a immensa fal-
ta que ha de ama grammatica ingleza e porlu-
gueza, para aquelles que fallam o inglez e que de-
sejam aprender a lingua portugueza.
D. Appleton A C sao os editores das obras era
hespanhol para educado muitissirao usadas no
sol da America. Tambem publicam os melhores
albuns para cartoes de visita.________________
Revistado Instituto Areheoio-
gleo e Geographico Pernam-
bncano.
Acham-se venda os 3 primeiros nmeros, na
livraria Econmica de Jos Nogueira de Souza,
junto ao arco de Santo Antonio, onde se subscre-
ve para esta Revista :
Por anno.....YX
Nmeros avulso. ii550
m
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do diae da noile
para o exercicio de sua proisso de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia at 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias de interior, urosegue, com o
maior afflnco, no das mais difflceis e deli-
cadas operages. como sejam dos orgos
i ourinarios, dos olhos, partos, etc.
C/>
R>
3--IU.A ESTUEITA DO ROSARIO -3
Francisco Pinto Oiorio contina a col-
locar dentes artiflciaestanto por meio de
molas como pela presso do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
fiquem a vontade de seus denos, tem pos
e outras preparacoes as mais acreditadas
para conservacao da bocea.
isa
adapolo barato a\
5,500 a pecade2Q\
varas
Na loja do barateiro na ra do Crespo
n. 1.
Sal do Assu'
Vende Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C,
no seu escriptorio ra da Cruz n. i.
Mant'Atina.
Acha-se a venda a novena da gloriosa Sant'An-
na, bem impressa, e em broebura : na ra do lin-
perador n. lo.____________
- Euzebio Raphael Rabello tem para vender Ditos para senhora, de lustre, enfeitados, 55500
era seu escriptorio, ra da Cadeia n. 55, os seguin- Ditos, nara senhcA ama alta Un
tes gneros i
45 Ra Direita 45;
Oigam! mcam! 11
CALCADO
Bom e novo, a prlmelra necessidade para a sau-
de e afurmoseamento do individuo I
Meu Dos I... que ps de pavo se lobrigaa por
essas ras I que figura horrenda e nauseante a
de um paletot bem talhado sobranceiro a um
gueies roido em duas solas I um balo bem tor-
neado e bambaleante dcscubrindo urna ponta de
botina safara e carcomida 11
Santa Barbara 11 Corram ra Direita, bellas e
rapazes! sacudara na praia esses malditos guedes
e comprem :
Borzeguins de Nantes 80000.
Ditos francezes de bezerro 75.
Ditos francezes de lustre para homem 55-
Cera em velas.
Cal em pedra de Lisboa.
Vinho puro em ancoretas.
Esleirs do Araeaty.
Vndese na travessa da Madre do Dos nume
ro 10.
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo Sl C
Agente* do Banco Iniao do Porto.
Competentemente autorisados sacam por todos
os paquetes sobre o roesrao Banco para o Porto e
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
Dito para senhora, gaspia alta, 40800.
Botinas de menina 20500.
Ditas de cores para menina 20000.
Sapatoes de Nantes de duas solas 50.
Ditos de sola e vira 40500.
Sapatos de borracha para senhoras 10500
Ditos para meninos!0OOO.
Sapatos de lustre para senhora 10.
Ditos de tapete para homem e senhora 800 rs.
Ditos da liga constitucional 500 rs.
Farlnha de mandioca Chineloes rasos do Porto a 0600.
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos e um sortimento comple.o em sola, vaquetas,
Alves no seu escriptorio, casa n. 19 da ra da j couros, bezerro francez como nenhnm, couro de
juz_____________________________| lustre muito grande, e tndo quanto pertence arla
de S. Chrispim. _____________
Vende-se a taberna da ra das Cruzes n. 1,
bem afreguezada para a trra e bons commodos
para familia ; vende-se pelo dono ter de ir tratar
de sua saude.
Precisase de caixeiro que tenha pratica de
taberna e d fiador a sua conducta : na ra das
Cruzes n. 39.________
Mocledade Phllartistiea.
De ordem do Sr. director sao convidados todos
os socios a comparecerem no dia 8 do corrente, as
6 horas da tarde, na casa da sociedade, ra do
Rangel n 43, primeiro andar, afim de se proceder
a cleigo do novo thesoureiro.
Secretaria da Sociedade Philartistica 5 de julno
de 1864. w .
Thom Joaquina Mascarenhas Ros.
1 secret.irio.___________
Aluga-se o sitio dos Burytis na estrada do
Arraial, aonde foi a empreza dc lavagem de roupa:
a tratar na ra Nova n. 50.____________________
Urna excellente ama de
leite.
Na terceira casa (loja) do pateo do Terco, alm
dobeccodos Marlyrios, existe urna pessoa muito
capaz, e com todas as condigoes de bem servir,
que deseja empregar-se como ama de leite em casa
honesta. Nao faz questao de prego, consentindo-se
que a dcixem ir com seu fllho ; nao obstante, da
todas as garantas de zelo pelo bom tratamento do
que se encarregar para amamentar.____________
Desapparoceu ha quatro dias um cavallo cas-
tanho, que ha pouco fez a ultima muda, e ainda
nao esta bem manso, nem ferrado ; tem a barriga
um pouco grande e cahida, a cabega muito acar-
nerada, e da testa para o focinho lem urna risca
branca que o faz parecer com o focinho torio : se
quem o tiver achado ou apprehendido quizer lva-
lo ao engenho Algodoaes, ou annunciar por este
Diario, peder ser recompensado.________________
Qaem tiver achado um papagaio amarello
com encontros encarnados, queira leva-lo a Ponte
d l'choa, sitio do conselheiro Jos Bento, ou a ra
estreita do Rosario n. 28, que ser recompensado.
~^~Prcci>a-e de urna ama forra ou captiva pa-
ra todo o servico de urna casa e compra de ra
sendo de muito' pouca familia : a tratar na ra da
Concordia n. 2.______________
Joao Hyppolito de Meira Lima avisa a todos
que ninguem contrate compra dapropriedade Duas
Irinas sita na freguezia de Santo Amaro de Ja-
boato que est no dominio do Sr. capilao Manoel
Joaquim Ferreira Esleves, visto que pretende pro-
por a este accao recisoria para o qual j tem fei-
to o acto conciliatorio com o dito Esteves.________
O procurador fiscal da thesouraria da fazen-
da faz seientes pessoas que nverem negocios ten-
dentes mesma procuradoria, que dirijam-se a
thetouraria da fazenda das 9 horas em diante.
"lia ra estreita do Rosario n. 34
FredericS. Ballin&C.
Joao Cabe & Filho.
Francisco Rahoba & Ballista.
Jaime Meric
Crdito commercial.
Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Paris
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Em Portugal.
Amarantes. Angra Terceira. Figueira.
Arcos de Val de Caminha. Guarda.^
Vez. Castello Branco. Guimaraes.
Aveiro. Chaves. Lagoa.
Barcellos. Coimbra. Lagos.
Bastos. Covilhaa. Lamego.
Deja. Elvas. Leiria.
Braga. Extremos. M 5o
Braganca. Evora. ^
Faro. Fafe. Moncorva.
Oliveira d'Aze- Pinhal. Regoa.
meis. Porto-alegre. Setubal.
Penafiel. Thomar. Vianna do Cas-
Tavira. Villa Nova do tello.
Villa do Conde. Porlimo. Villa Real.
Villa Real de Vizen. Madeira.
S. Antonio. Faial. |S. Miguel.
No IMPERIO.
Baha. Maranhao.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somraa prazo ou vista.podendo logo
os saques prazo seren descontados no mesara
Banco a razo de 4 por cento ao anno : a tratar
na ra da Cruz n. 1.
Advogado Alfonso de Albu-
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
feiras, porra, na villa do Cabo._________________
Aluga-se para criado de homem solteiro um rau-
latinho de 12 13 annos, muito hbil para copeiro
e muito fiel: no escriptorio do tabellio S, ra
estreita do Rosario.
COMPRAS.
Comprase
cobre e lato : no armazem da bola amarella no
oitao da secretaria de polica.
Compra-se urna casa terrea sita na freguezia
de Santo Antonio ou S. Jos : a tratar na ra das
Larangeiras n. 1. ____________________________
Compra-se urna barcaca de 400 saceos, em
estado de navegar, e que seja de boa construccao,
tambem aluga-se no caso de ron vi r : a tratar na
ra do Trapiche n. 17, primeiro andar.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
daga-se bem: na loja de bilheles da praga da Inde
pendencia'n. S.
Compra-se nina negrinlia de 8 10 annos :
na ra da Imperatriz n. -20._____________________
Compra-se um registro e um candieiro de
alumiara gaz.ou mesmo arendella que seja propria
para taberna : quem tiver, dirija-se ra da Sen-
zala Neva n. 2.___________________________
Compram-se Diarios para embrulho, sendo o
papel alvo a 45 a arroba : na ra do Queimado
ns. 15 e 17 junto ao quartel.
YENDAS.
VKNDE SE
A praga das casas de Rozendo Alves da Sil-
va, que lem de serem arrematadas de venda, por
execugo do cirurgio Francisco Jos da Silva pelo
juizo municipal da Ia vara, ficou transferida para
sexta-feira 8 do corrente, depois da audiencia.
Attenco.
Precisa-sede muito boas costureiras para fazer
colletes : na ra da Cadeia do Recife n. 38, pri-
meiro andar. ______
Precisa-se alugar urna preta que saiba cozi-
nhar e engommar : quera a tiver, dirija-se ra
do Trapiche n. 4, que achara com quem tratar.
Precisa-se tallar com 10 sr.
Dr. Joo HCHriqnes Mafra antes
de retirarse para o sal: na
_ roa da Gadeia do Recife a. 38,
H primeiro audar.
Precisa-se de um menino para caixeiro de
padaria, de 14 15 anuos de idade, prefere-se es-
trangein: as Cinco. Ponas n. 98.____________
Alujase o terceiro andar da casa n. 48 na
ra do Trapiche : a tratar no armazem da mesma
casa.______________________________
Precisa-se de urna ama de leite : na ra Au-
gusta n. 2, primeiro andar.
mpauliia fldelidade de
seguros martimos e ter-
restres estabeleclda no
Rio de Janeiro.
AGENTES EMPEPNAMBUCO
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo k C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida-
de, tomam seguros de navios, mercade-
ras e predios no seu escriptorio ra da
Cruz n .1.
Guia Luso-Brasileiro |Kr I. M. de Lemos por
25000; Revista Contempornea de Portugal e Bra-
sil anno de 1859 por 5,5000; Obras completas de
Alvares de Azevedo por 85000; Poesas de Costa e
Silva por 255OO : na ra do Cabug loja n. 2 A.
Vendem-se caixoes vasios a 1:760
cada um : na ra das Cruzes n. 44.
Vende-se o engenlio Diamante sito na
comarca de Goyanna, urna legua distante
da cidade, com excellentos trras de plan-
taco e muito boas obras : quem 0 quizer
comprar, dirija-se ao Recife casa dos
Srs. Joao Pereira Moutinho ou Rocha & Li-
ma, na ra da Cadeia do Recife, e em
Goyanna ao Sr. Trajano da Cosa Ribeiro.
Qualquer desses senhores, poder dar in-
formaces sobre o engenho e indicar a pes-
soa com quem se devora tratar.
Vende-se
1 moleque peca de idade 22 annos, 1 escravo para
todo o servico por 4505, 1 negra excellente cozi.
nheira, de meia idade por 5505, 1 dita dita de 30
annos de idade por 7505 : na travessa do Carmo
numero 1.
Kicos albuas para cincuenta
retratos.
Chegaram para a loja do Gallo Vigilante os ri-
quissimos albuns para cincoenla retratos, os quaes
vendem-se pelo baratsimo preco de 65, 75 e 85,
que sempre se vendern) por 125 : isto s na loja
do Gallo Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Vende-se urna preta de meia idade, propria
para todo o servico : a tratar na ra Augusta nu-
mero 59.
ttoeledade de seguros mutnos
de vida Installada pelo Banco
1 niu na cidade do Porto.
Os agentes nesta cidade e provincia Antonio
Luiz de Oliveira Azevede & C escriptorio na ra
da Cruz do Recife n. 1, eslao autorisados desde j
a tomar assignatnras e prestar todos os esclarec
mentos que forem necessarios, as pessoas que de
sejarem concorrer para tao til e benfica empre
as, egurando um futuro lisongeiro aos associade-
Sirop du
D'FORGET
Maques' sobre Portugal.
O abaixo assignado, autorizado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
ectivamente por todos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa o Porto, e mais loga-
res do reino, por qualquer semma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que temarem
saques a praso.receberem avista, no mes-
fmo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na
loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
| dar.Jus Joaquim da Costa Maia.
litan MMBtt ttMHK
Vende-se urna mesa grande envernisada, do
duas gavetas, propria para escriptorio j na ra do
Livramento n. 32, padaria.
AVISO AOS SRS. MDICOS.
Cara ca'arrhoi, tossti
coqueluches, irritac6e$
nervotat o* do bron-
chios 1 toda* at doen-
' (as do peito; basta a*
donU um eolh rchdem esle rop D' Fo*OR.
Dr. CHtILK. em Park. na ?iewie, .
Pars, 36,RuaVivienne, D*
CHABLEmdccin
DASENFERJUDADAS DESSEXUAES, AS AFFEO
COKS CUTNEAS, E ALTERAgOESPO SANGE.
|M>000curaidmpn7n
pstulas, herpes, sarna
comixoes,acrxmonia,e ai
llercoes, viciosas do um-
__________________tgut virus, e alteracoes
do sangue. (Xarope vegetal sem mercurio).|m-
ratifu ir(cu bamuos jinriuM
tonao-se dons por umana, seguindo o traelamento
Der'iirniiro : empregado as mesmas molestias.
Este Xarope Citraclo de
ferro de CHABLB. cara.
immeiiatamenie qualquer
purgaqao, relaxacao >
* aebtlidade, e igual-
mente os /luios flores brancas das mulheres.
Esta injeccao benigna emprega-e cota o Xarope d
Citracte de Ferro.
HarraMaa. Pomada que as cara em tras dia.
POMADA ANTIHERPETtCA
Contra: as affeccoes cutneos cornizo*.
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
do Chable, cada frasco vai accop*hdo *t
folheto.
DEPURATIF
dn SAIVG
PLUS de
COPAHU
Um Deseobrimcnto Espantoso!
0 Mundo SciuitifiM uuauinaaiente o approra.
A (omjiosii ao Aiiaraluiila
Peitoral de Kemp.
Tor espaco de muito tempo se ha nzado ex-
tensamente cin Tampico para a cura TSICA pulmonar,
CATARRHO, ASTH1LL
BRONCHITE, TOSSE CONVULSA,
CRPO OU GARROTILKO, e
Inflamma9oes da Garganta e do Pelto,
c isto com um resultado to feliz e verdadei-
ramente assombroso o pao ou madeira d'uma
arvorc que cliamao Anacauuit.a, c que s
se encontra no Mxico.
A Compos9o Anacahuita Peito-
ral de Kemp um Xarope delicioso, intei-
amente differento na sua composicao de
tcxlos os mais Pcitoracs e Expectorantes ma-
nufaetnrados de fiuctos astringentes, cascas
c raizes, fcc, o mcsino itao conten nenhnm
Acido Prussico ou outros quaesquer ingre-
dientes venenosos.
Todas as molestias c affeccoes da garganta
c los pulmocfl dcsappareccm como por um
mgico encanto, mediarte a accao dcste in
roirtparavel c irrcsistivcl remodio.
venda as boticas e Caors & Barboza,
GRANDE
sortimento de fazendas aovas bara-
tissimas na loja e armazem de fa-
zendas baratas na ra da Imperatriz
d. 56, loja da Arara, de Lonreuco
Pereira Hiendes Guimaraes.
Coi tes de chita a 2;>i0(i.
Vende-se cortes de chitas para vestidos a 25 00,
ditas de dita franceza cora 10 covados a 35200,
cortes de cassa francezes a 25 e 15-500 : na ra
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara rnde a IfO rs.
Vende-se fil de linho de cores a 160 rs. o co-
vado, dito branco para forro a 320 rs. a vara, tar-
latana de cores a 640 rs. a vara, lencos brancos a
200 e 210 cada um : na loja da Arara ra da lm-
1 peratriz n. 06.
As laziulias da Arara a 320 rs. o eovado.
Vendem-se laazinbas para vestidos a 280, 320,
400, 500 e 610 o covado, ditas lisas proprias para
capas e vestidos de senhoras a 400 e 600 rs. o co-
vado: na ra da Imperatriz n. 56, loja d.f Arara.
Arara vende as chitas para robera a 320 rs.
Vendem-se chitas para cobertas a 320, 360, 400
e 500 rs. o covado, dita encarnada adamascada a
500 rs. o covado: na ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara. -^
Cassa organdvs da Arara a 21(1 rs
Vendem-se cassas organdvs para vestidos a 210,
280 e 320 rs. o covado, risca'do francez para ves-
tidos a 280 rs. o covado, gurgurao de linho
vestidos a 280 rs. o covado : na ra
triz n. 56, loja da Arara.
As chitas da Arara a 2-iO rs. o covado.
Vendem-se chitas para vestidos de cores fixas a
240e 280 o covado, ditas francezas largas a 320,
360, 400, 440 e 500 rs. o covado : na loja da Ara-
ra ra da Imperatriz n. 56.
Lencos de seda da Arara a 800 e 1$.
Vendem-se lencos de seda para algibeira de
homem a 800 e 15, lencos de cassa a 200 e 240
, rs. : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
! Arara vende os veos prclos c de cores a 15(100.
Vendem-se veos pretos e de cores para chape-
! linas de senhoras pelo prego de 15 cada um, go-
! linlias para senhoras a 240 e 320 rs., manguitos a
115, camisinhas para senhoras a 25, ditas finas
O Vigilante est alerta, nao Ihe era permettido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto afim de annuuciar ao respeitavel publico
o grande sortimento de galantarias do melbor gosto
propiamente para qualquer raimo, que acaba de
chegar nesle ultimo paquete, assim como mutos
outros objectos que recebe por diversos navios,
tanto de sua conta como de consignacao, que est
resolvido a vender por precos muito baratos para
vender muito e ganhar pouco, e dar extraccao ao
grande deposito que tem, que espera merecer a
proteccao do respeitavel publico, empregando para
isso todas e as melhores diligencias para que fi-
quem satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
lucas porta-joias.
Cofre de muito gosto por 165000
Cestnhas transparentes, forradas de madre-
perla por 185000
Lindas jardineras 105000
Ricos cofres com camaphcu 105000
Lindas raixinhas com pedras brancas IO50OO
Lindo balao com calunga dentro tambem
para jotas 165000
Tambalicr para ditas 95000
Cestnhas dem dem 65000
Cosmorama dem dem 65000
maznha 65OOO
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos si 11 tos
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e I5'5, ditos sern
bolga, porm do mesmo gosto, a 25500, 35, 35500
e 15, ricas (velas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 :
s no V igilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazes on cestnhas.
At que chegaram as desejadas cestnhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 25500, 35500, 4, 5, 7 e 105 : s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Pentes.
Nesle artigo tem um grande sortimento, tanto
para alisar como para atar cabello, o mais lindo
I que se pode desejar, assiin como de arregacar ca-
da imnc'ra- be"0'lant0 (le Dorracha como de tartaruga, com
pt enfeite e sem elle para meninas : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Pentes
Tambem chegaram os riqusimos pentes de
concha de tartaruga e de massa fina, que se vende
por 25, 3 e 55 : s no Vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Leques.
Riqutssmos leques de madreperola, tanto para
senhora como para mocinhas, pelo barato prego de
12 e 145 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Milis leques.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ba-
rato preco, a 85 e 105, chinezes, muito bonitos,
tambem'por barato preco de 4 e 55, bentarallas
com gravatinha e punhos bordados os mais mo- muito bonitas tambem por barato prego de 4 e o,
; demos que tem vindo a 45500 : na loja da Ara-: |eques de cbarao tambem por 45, ludo isto para
ra ra da Imperatriz n. 56. | acabar, perdendo-se talvez 80 0|0 : s no Vigilan-
Arara vende os baloes a 2&500. te, ra do Crespo n. 7.
Vendem-se baloes de 20, 25, 30 e 3o arcos a Pulseiras.
25500,35, 35500 45, 45500 ditos de brilhantina Lndas pulseiras dc contas e de misS3LBg;t> COres
a 45 : na ra da Imperatriz loja da Arara n. ol>. I mut0 |n(]as e de muj,0 (0 {& e {>m
Cortes de la a Maria Pa a 85 e 18S.
Vendem-se cortes de laa a Maria Pia a 85e 185,
pegas de cambraia lisa fina a 35, 35500 e 45 : na
ra da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Cortes dc ganga a I -><>oo
Vendem-se cortes de ganga franceza para calca
a 15600, ditas de casemira a 35, ditas finas a 55
roa da Cruz, e Joo da C. Bravo d|C, na e 55500 : na ra da imperatriz n. 56.
da Madre de Dos.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as lguinhas estreitinhas de
borracha que as senhoras tanto precisara para se-
gurar os man trilitos por ser minio commodo e mui-
to barato, a 320 o par : s no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Sapatinhos e meias dc seda.
Attenco
O dono da loja do Beija-flor, na ra do Queimado
n. 63, acaba de abrir um oulro espagost esUbele-
ciment de miudezas na mesma ra n. 69, por isso
avisa aos seas freguezss e amigos, que uestes dous
estabelecimentos encontrarSo sempre grande sorti-
mento de miudezas, perfumaras e oLjertos de gos-
tos; e vender sempre mais barato que ootro qual-
quer, como abaixo se ver.
Pentrs douradosde travessa.
Delicados pentes dourados de travessa para me-
ninas a 15500 cada um, ditos sem ser dourados a
506 rs. cada um : as lujas do Beija-flor, rna do
Queimado ns. 63 e 69.
Volliuhas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com crnxes de pe-
drinhas imitando a brilhantes a 15 cada urna: as
lojas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Lavas de Janvii
Chegaram pelo ultimo vapor as desejadas lovas
de Jouvin de todas as cores, tanto para homens
como para senhoras: as lojas do Beija-flor, rna
do Queimado ns. 63 e 69.
Talleres para me sinos.
Vendem-se talheres de cabo de bataneo para me-
ninos a 280 rs. e talher : as lojas do Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Colberes de bmUI priscpe.
Vendem-se colheres de metal principe muito fi-
nas para sopa a 35600 e 45400 a duza, ditas para
cha a 25 e 25400 a duza, ditas para assurar a
500 rs. cada nma, ditas para terrina a 25 cada
urna, e s quem vende por estes precos as lojas
do Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e C9.
Facas e garios.
Vendem-se facas e garios oilavados a 25809 a
duza, ditas cravadas, cabo preto e branco a 35 a
duzia, ditas de bataneo de 1 botao finas a 55200
ditas de 2 botoes muito finas a 65500 a duzia. dita-
de 1 botao para doces e fructas a 55 a duzia, ditas
de 2 botoes a 55200 a duzia : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas, a pega a 15100, 15200
e 15300 : as lojas do Beija-flor, rna do Queimado
as. 63 e 69.
Kaliados bordados.
Vendem-se babados bordados de varias larguras
a pega a 15600, 15800, 25, 25200 e 25400 : as
lojas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Lindos sapatinhos.
Vendem-se lindos sapatinhos para baptisado- de
mangas a 15500 e 25 o par : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e 9.
Botoes para punhos.
Vendem-se botdezinhos de madreperola e de mar-
fim para punhos a 320 rs. o par, ditos eorarnadi-
nhos a 120 rs. o par : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas para debrum de vestidos.
Vendem-se\ fitas de la de todas as cores para
debrum de vestido a 900 rs. a pega, ditas pr. tas
de seda a 151K) a pega : as lojas do Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Filas brancas para drbrnu.
Vendem-se pegas de lila branca d& linho para
debrum a 400 rs. a pega : as lojas do Btija-ri'.r
na ra do Queimado ns. 63 e 69.
lucas lilas lavradas.
Vcndem-se muito ricas fitas lavradas para sinto
de senhora e meninas : as lojas do Beija-flor, rna
do Queimado ns. 63 e 69.
Espclhus de Jacaranda.
Vendem-se espelhos de columnas, de Jacaranda,
a 35 c 'i5">00 cada um, ditos de madeira amarella
a 254OO c 25800 : as lojas do Beija-flor, na ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas de velludo estreilas.
Vendem-se fitinhas estrellas de velludo para en-
feite de vestido a 900, 15 e 15200 a pega: as lo-
jas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Trangas de la para bordar.
Vendem-se traneinhas de la pretas para bor-
dar camisinhas e vestidos a 80 e 160 rs. a pc-inha,
ditas brancas com 40 varas a 600 rs. a pega, e ou-
tras muitas cousas que setornarao enfadonho men-
ciona-las. pois s com a vista sepodera vero gran-
de sortimento das lojas do Beija-llor, na ra do
Queimado ns. 63 e 69.________________
RIVAL SEM SEGUNDO
Itua do Queimado ns. 49 e 55, loja de miaArt**
de Jos de Azevedo Maia e Silva, esl continuando
i no seu progresso de vender baralisMmo :
I Capachos grandes e superiores a 500 rs. rada um.
I Caixas de superiores obreias de cola e ma-, a
miiiciiiAiiTimtiJiE-vi:.
Rna larga do Rosario n. 31
Vende:
Todos os remedios do Dr. Chable.
Capsulas c injeceo ao matico.
Injecgao Faugs "
Pilulas do Dr. Alian.
Pilulas do Br. Laville.
Filulas do pobre-homem, excellentes contra rheu-
matsmo.
Pilulas para sezos.1
Pilulas e ungento Hollovay.
Phosphato ferro de Lerrs.
Todos os remedios de Kemp : pastilhas, pilulas,
an ahuita.e salsa de Bristol, etc. etc.
Eacuitos outros medicamentos e especialidades
que sempre se encontrarao era dita botica.
RELOGIOS,
Vende-se ero casa de Johnston Pater A
Roupa frita da Arara.
Vendem-se paletots pretos de panno fino a 165-
145 e 125, ditos saceos de panno fino preto e azul
debruados de fita a 95 e 105, ditos de casemira a
65, 85 e 55, ditos de brim a 25500 e 3jt, ditos de
alpaca preta a 35 e 25500, camisas francezas bran-
cas a 25 e 25500, ditas de linho de pregas largas
a 25800 e 35, seroulas de algodo a 15600, '
Rquissimos sapatinhos de seda e de merino en- j 49 rs.
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorra- Cordao branco para vestido e espartilho, vara 20
zinhas e touquinhas para as crianrinhas se bapti-; rtis.
surera : s no Vigilante, na do Crespo n. 7.
Vol lin lias.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fingindo brilhantes, assiin como cruzinhas avulsas
e voltinhas, pelo barato prego de 15 e 15200, as
de nho a 25, caigas de brim e gangas de cores a avulsas a 400 rs. : so no Vigilante, ra do
vx liisc da hrm nardo a 2-X.tiO p. 35. ditas bran- crespo n. /.
Carretas.
Riquissimas carretas de madreperola
ditas
_J, ditas de brim pardo a 25500 e 35, ditas bran
cas a 35500 : na ra da Imperatriz n. 56 loja da
Arara. i
Colchas da Arara a i.->
Vendem-se colchas de damasco para cama a
45, ditas de fusto a 55, ditas de chita a 25: na
ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Vendem-se gangas para calcas e palelols.
Vendem-se gangas para paletots e caigas a 440
e 500 rs. o covado, fusto para caiga a 500 rs. o
covado : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Madapolo francez a ;\
proprias
para qualquer presente, pelo baratissimo prego de
15500 e 25-
Golinhas.
Riquissimas gotinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e 35: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Rquissimos enfeites com lago e sem lago e de
outros muitos gostos a 15, 15500 e 35 s no Vi-
Vendem-se pegas de madapolo entestado com gialnte, ra do Crespo n. 7.
C ruado Vigario, n. 3, um bello sorti- 12 jardas a 45 e 45500, ditas de 24 jardas ns. RG TrailCCnS.
mpnln t\p rplneios de ouro Dtente in- a 7*. ditas,n. 60 a 65500, ton?* a/eaOO, dita Lindos traneclns de cabello para relogio ou lu-
^1 1 .SaI L thnlL* fSin m a ** dita m 30M|tan: 7 a 10- netas, pelo baratissimo prego de 15500, ditos de
glez, de um dos mais afamados fabricantes la ss 95) dila xx s&m a|g0do muito cncorpado reiroza200r
de Liverpool, e tambem urna variedade de a 55500 e 65, dito carne de vacea a 75: na ra BllHJilhtO Cltif CJtfl.
bonitos trancellins para os mesmos
INJECCAO BROW.
Remedio infallivel contra as gnorrheas
antigs e recentes, nico deposito na bo-1
tica franceza, ra da Cruz n. 22, pre-
co 3_____________________________
BOTICt E DROGARA
BARTHOLOMEU di c.
Ra Larga do Rosarlo n. 34.
Vende:
Ventosas de gomma elstica.
Esmaltes para ourives.
Fundas nglezas.
Srnera Sa^Sura fina a 200 rs. por menos que era
Rquissimos babadnhos entremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Brim de linho a 1,4280,
Vende-se brim de linho para caiga a 15280,
15400,15800 e 15600 a vara, brim liso para se- ^tel*>, *>>. -5 s" Vigilante,
roulas e lenges a 500, 560 e 640 a vara, braman-, d0 Lr*0 n-- _.:,,,
te de linho a 25200 a vara tem 10 palmos de lar-: L*SLdl rilllrfS.
gura, bretanha de linho a 640 e 800 rs. a vara, Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
brim pardo a 800, 640 e 15 a vara : na ra da Im- larguras, assim como galaozinho e traneinhas pro-
peratriz n. 56 loja e armazem da Arara, a loja es- prias para enfeites : s no Vigilante, ra do Cres-
ta aberta ate s 9 horasjda noile.
Trina, volantes e gales.
Vende-se trina, volantes e galoes de todas ae
larguras por pregos muito barato: s no vigilants
ra do Crespo n.'".
GAZ.
Vende-se gaz liquido americano da melhor
qualidade em lat's de um. dous e cinco galoes,
no ar-
a libra.
Bichas
Vendem-se bichas de qualidade : na ra
n. 61, defronte da Illma. cmara municipal.
mazem do caes do Ramos n. 16.
hamburguezas.
Nova
Vende-se um cabriolet
zo n. 26.
no pateo do Parai-
II V A DE PELLICA
Charutos de Havaiia de SU- Para homens, mnlheres e meninas.
^ ^i:j^rtn.rtlrt tya_ A Aguia-branca, na ra do Queimado n. 8 rece-
periOr qualidade e pelO pre- beu luvas depeUm, para homens, malneres e
o seguinte:

Vende-se na roa do Imperador botici
franceza n. 38.
Eldorado 125000.
La flor de Albuerne 105600.
Regala britnica 115000.
La flor de morales 95-
La circassiana imperial 145.
La negra non plus ultra 185- .
La negra mulata regala imperial era caixa de 100
e 50 135 : no Bazar Pernambucano, ra larga do
Rosario n. 30.
LA\Tl\IUS BARITAS.
Vendera-se lazinhas de cores fixas e de boa qua-
lidade para vestidos de senhora a pataca o covado,
o outras multas fazendas que o dono sta resolvido
a vender muito barato afim de apurar os cobres :
na ra da Imperatriz n. 20, outr'ora aterro da Boa-
Vista.
Vende-se o sitio da travessa dos Remedios,
freguezia dos Afogados n. 21, no estado em que se
I acha : quem o pretender, entenda-se com o seu
po n. 7.
Fitas.
Grande sortimento de fitas de diversas larguras
e qualidade, por pregos que admiram aos compra-
dores, havendo fitas larcas proprias para sinteiros
que se pode vender a 300 rs. a vara, e pega de 3
, varas a SJt : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Fitas de la.
Fitas de laa de todas as qualidades, proprias para
debrum de vestido a 700 rs. a pega : s no Vigi-
lante, roa do Crespo n. 7.
Ricos espelhos,
Rquissimos espelhos com moldura dourada e
sem ella de 85, 10,12 e 145. assim como coa co-
lumnas de dilferentes lmannos a 25, 3, 4, 5e65:
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Liados jarros c figuras.
Rquissimos jarros e figuras de porcelana fina
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqu
tem apparecido : s no Vigilante.
Para pos de arroz.
Rquissimos vasos com boneca para pos de ar-
roz, cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim co-
rno pacotes s com os pos a 320 rs. cada um : s
I proprietro Caelano Pinto de Veras, na ra de S., no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
: Francisco, sobrado n. lO.como quem vai para a ra Perfumarlas.
Bella.__________________________________j Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
; das, assim como os lindos copos en vasos com dis-
! tinctivos e offerecimentos s sinhozinhas, dos me-
. Ihores e mais afamados autores de Pars e Ingla-
terra, assim como os grandes copos de banha japo-
A 4$000 a peca.
Vendem-se pegas de algodaoznho com
toque de avaria, proprio para roupa de escravos e
toalhas, pelo barato prego de 45 a pega : ra do
Queimado n. 14. _____________________^_
Vndese
Vende-se urna preta com urna cria de 5 me-
zes a preta sabe engommar perfeitamente, cose e
cozinha soffrivelmente, e muito boa vendedeira :
a tratar na ra da Imperatriz n. 20.
latas cora 3 1|2 caadas de alcatrao do gaz por
25200: no armazem da bola amarella oitao da se-
cretaria da polica
Prensas de algodao.
Os senhores prensarios e plantadores de algodao I
sao convidados a examinar as excellentes prensas
americanas de apertar algodo, que se acham |
venda no armazem dos Srs. Henry Forster & C,
na roa do Imperador n. 5, por baixo do Gabinete
Portuguez de Leitura.
Achacados.
Quem os possuir e os quizer curar perfeitamen-
ta recorra ao afamadssimo oleo de Merchant, que
se vendo no armazem da bola amarella, oitao da
secretaria da polica. ______________________
Vende-se
a machina a vapor da forga ae 10 cavallos que
servio na empreza de lavagem de roupa : a tratar
n arua Nova n. 60.
neza a 25 e a 15 ; assim como outros objectos que
nao possivel por boje annunciar, e vista dos
freguezes se far todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Arroz con casca.
Vende-se arroz com casca era saceos, chegado
ltimamente do Penedo : na ra Direita n. 69, pa-
daria de Antonio Alves dc Miranda Guimaraes.
Vinho do Porto superior
em caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
der Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no sen
escriptorio ra da Cruz n. 1.
Farinha de mandioca superior
em saceos grandes : vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C., no sen escriptorio rna .da Cruz
numero 1.
Vende-se urna negrinha
idade, com principio de costura
do Recife n. 50.
Linhas de carretel (ISO jardas) de superior quali-
dade a 60 rs.
Cartoes de linlia Podro V (200 jardas) j muito
conhecida a 40 rs.
Grozas de pennas de aro de muitas qualidades ti
superiores a 500 rs.
Caivetes de duas folhas porm fino? a 500 rs.
Caixas com caluugas muito bonitas para rap a
100 rs.
Franja branca e de cores para toalhas a 160.
Pares de botoes para punho muito bonitos a 120.
Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a
120 rs."
Tintnos de vidro com superior tinta a 160.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Groza de botoes de louca pratiados, o melhor, a
160 rs.
Tesouras para costura, o mais superior, a 400 rs.
Ditas para unhas muito finas a 400 rs.
Esrovas para limpar dentes muito superiores a
200 rs.
Libras de la de todas as cores '(pesada) a 75-
Caixas de phosphoros de seguranga a 160.
Ditas de papel amizade pautado e liso a .00 rs.
Ditas com 100 anvelopes muito superiores a 800
ris.
Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
Cartas e taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas com superiores iscas de acender charutos
a 40 rs.
Carreteis de lnha Alexandre (200 jardas) de cores
a SO rs.
Baralhos para voltarete muito finos a 240.
Cartas de alfinetes francezes muito finos a 40 rs.
Meadas de lnha f'xa para bordar a 20 rs.
Pares de sapa'os de tranga muito superiores a
15600.
Papis de agulha com um pequeo toque a 10 rs.
Groza de botoes de madreperola muito finos a
560 rs.
Cartoes e caixas de clcheles francezes superiores
a 40 rs.
Bonets para meninos muito finos a 15500 e 25.
Macos de grampos superiores e limos a 40 rs.
Groza de phosphoros do gaz muito novos a 25200.
Area preta muito superior a 100 rs.
Caixas de rap com espelho a 100 rs.
Realejos para entreter meninos a 80 rs.
Pegas de fila de linho muito boas a 40 rs.
Pentes de lago muito bonitos a 15-
Enfeites de lago de todas as cores a 15300.
Rodas com alfinetes francezes a 20 rs.
Caixas com qoatro papis de agulhas imperiaes a
240 rs.
Sabonetes de familia a 80,160 e 390.
Caivetes de duas folhas muito finos a 320.
Pares de sapatos de la para meninos a 400 rs.
Sapatos de tranca para senhora e para homem, 09
melhores que tem vindo, e por prego muito barato:
quem quizer ver, venha ra de Queimado ns.
49 e 55, e ver tudo como bom e barato.
t BARATO
MIJITO RARATO
BARATISSIMO.
A' 240 rs. o covado de riscadinhos fran-
cezes, muito bonitos e de cores seguras;
yende-se s na ra do Crespo n. 1.
Loja do Barateiro.
CX%-
i
Aor Srs. edificadores de pre-
dios.
Vendem-se diversos terrenos dentro da praga :
de 7 8 annos de a tratar com o agente de leiloes Olympio, esa sen
na ra da Cadea escriptorio na rna da Cadeia do Recife a 48, pri-
Imeiro andar.
^

-


Diario 4c Fernambueo Sexta feira S de iulho de 184.

I
I
Grande liquidado
de hiendas ni toja do Parto, roa da Imperatriz i.
60, de Gama 4 Sra.
AcOa-se este estabelecimento completamente sor-
tidode fazendas inglezas, fraocezas, allemes e
suissas, propria taqto para a praca como para o
mato, prometiendo vender-se mais barato do que
era outra qualquer parte principalmente sendo em
porcao e de todas as fazendas dio-se as amostra?
deixando ficar penhor ou mandam-se levar em ca-
sa peles caiieiros da loja do Pavo.
As eliitai o Pavat.
Vendem-se superiores chitas claras e escuras per
lo barato preco de 240 e 880 rs. sendo tintas segu-
res, ditas francezas finas a 320, 340, 360, 400 e
500 rs., o covado, ditas pretas largas e estreitas,
riscados escocezes finos a 240 rs. o covado, isto na
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Ascassas do Pavita 240, 280, 300 e 320 rs.
Vendem-se finissinvas cassas persianas cores fi-
las a 320 rs. o covado,ditas francezas omito finas
a 240 e 280 rs., ditas ingzezas a 240 e 280 rs. o
covado, finissimo organdy matisado com desenos
miudinhos a 320 rs. o covado, cassas garibaldinas
muito finas a 320 rs., isto na loja do Pavao ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As laiinuas da expsita do Pavo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas mossan-
bique chegadas pelo ultime vapor francez sendo
de urna s cor ou de listas miudinbas com 4 pal.
mos de largura, proprias para vestido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baratissimo
preco de 580 rs. o covado, ditas enfestadas trans-
parentes de quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas matisadas muito finas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita tambem matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Maria Pia com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de urna s cor parda, azul, cor de lyrio e
perola proprias para vestidos, sautembarques e
garibaldes a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
800 e 400 rs isto s na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os chales do Pavio.
Vendem-se finos chales de crepon estampados
peio barato preco de 65, 75, 84, ditos de ponta re-
donda a 74 e 84, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidrilho a 124, ditos pretos lisos a
54, ditos de cores a 44500 e 54, ditos de mermo
estampados a 24 e 34, ditos de laa a 14280 e 24,
ditos de retroz preto para luto a 64, isto na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 Pavo vende para luto.
Vende-se superier setim da China fazenda toda
de la sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, paletots, capas etc., pelo bara-
to preco de 24, 24200, 24500 o covado, cassas
pretas lisas, chitas pretas largas e estrenas, chales
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
comgollmhas eoutros muitos artigos que se ven-
dem por precos razoaveis : na loja do Pavao a ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
camente bordados a veludo pelo barato preco de
405, sendo fazenda que sempre se vendeu a 1004
e 1*04 ; ditos de cambraia brancos ricamente bor-
dados a croehe, sendo proprios para baile e casa-
mento a 10, 15, 20 e 304; ditos de laa com lindas
barras a 18 e 155; isto na loja do Pavao n
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Pavo.
Vende-se panno preto muito superior pelo barato
preco de 24, 25500,35 e3500, ditos muito tinosa
45, 55 e 65, cortes de casemira preta enfestada a
45, 45500 e 65, casemira preta fina de urna so
largura muito una a .14800, 25, 25500 e 35, cor-
tes de casemira de cor a 55, 55500 e 65, casem-
ras enfestadas de urna s cor proprias para calca,
paletots, colletes, capas para senhora, roupas para
meninos a 35 e 3500 o covado, isto na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Suva.
A roupa do Pari.
Vendem-se paletots de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muito boa a 125, ditos muito linos a
165. 20\ 255 e 305, raleas de casemira preta boa
fazenda a 45500,55, 65,""5 e 5, paletots saceos
de panno preto a 75, ditos de casemira de cor a
65 e 75, ditos de alpaca preta, ditos de merino
preto, ditos de brim de cores, calcas de casemira
de cor a 45, 55,65,75, ditos de casemira da
Escossia a 35, ditos de brim pardo a -25500, ditos
de cor a 25 e 25500, ditos brancos muito finos,
sto na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Os cortinados do pavao.
Vemlem-se ricos coriinados proprios para janel-
la e camas pelo barato preco de 95 o par, sendo o
melhor que ha no mercado: na ra da Imperatriz
d. 60, de Gama & Silva.
As colchas do Pavo.
Vendem-se colchas de linho alcoehoadas pro-
prias para cama pelo barato preco de 55 cada nma
na ra da Imperatriz n.60, de Gama k Silva
As recalas do Pavo.
Vendem-se as triis lindas precalas que tem vm-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor fran-
cez, pelo barato preco de 600 rs. o covado, alias
de listrinha muito miudinhas proprias para vestidos
e roupas de meninos e meninas pelo birato preco
de 500 rs. ; so Pavo ra da Imperatriz n. 00,
loja de Gama A Silva.
Os soiiteanfoarques do Pavo
lO c i & s o Pavo.
Vendem-se os mais lindos souteanbarques que
tem vindo ltimamente de lazinha e caxemira ri-
camente bordados e enfeitados, cores muito delica-
das pelo barato preco de 105 e 155 5 *"* ft.
ESPLENDIDO SORTIMENTO DE MOLHADOS
IV. RIJA I CRESPO S. O
Esquina que volla para a ra do Imperador
PARA BEM DE TODOS
FAZEI FAVOR DE LR ESTE ANNUNCIO


(\o se CDgauem com a mitra)
Antees.
Nao leiam este annuncio com precipilaco.
Confronten! os precos dos oulros annunciantes.
Veuham ver os gneros que temos expostos a venda.
A vista faz t.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao nos enculcamos o primeiro recebedor de conta propria.
Nao desacreditamos ao collega porque nao quiz ser nosso socio
Tai a i ne m toca.
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia anda nao sao sufficien-
tes as casas que actualmente oxistem abenas com grandes proporcoes para terem um
magnifico sortimento de molbados; assim, pois, os propietarios do Armazem Principal
nao invejam a sorte dos seus collegas.
Habitantes de Pemambuco.
Nos temos um exccllente sortimento dos melhores gneros que se pode acbar
em nosso mercado. Vinde ao nosso estabelecimento, e se a vossa boa fe fr illudida
urna s vez ao menos, castigai-nos nao voltando mais a nossa casa.
Amendoas confeitadas de bonitas cores a dem de Hollanda em garrafoes com 24
l,ooo rs. a libra. garrafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
Avellas a 2oo rs. a libra. I eados a 2oors. a libra.
\mei\as francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a l,2oo, i ,4oo c i,6oo rs. cada 8oo e l,ooo rs. as garrafas grandes.
uma. Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e
dem em frasco de vidro com rolha do mes- 96o rs. a libra.
mo ou de metal, a l,2oo e !4oo rs. ca- dem franceza nova j deste anno a 6oo rs.
da Um. a libra, e 56o rs. em barris inteiros.
dem em frasco grandes 2,5oors. cada um. \ Marmelada especial dos melhores fabricantes
dem em latas de 1 '/ e 3 libras a 1,2o e de Lisboa a 6o e 64 rs- a Iibra'l,a latas
2,ooo rs. de differentes tamanhos.
Arroz da India e Maranho o melhor que se Massa de tomate em latas de i libra 56o rs.
p ie deseiar a loo e 12o rs. a libra e cada uma.
2 8oo e 3,4oo rs. a arroba. dem para soda estrelinha, pevide e rodinna
em caixinhas surtidas a 3,ooo e 3,5oo rs.
cada uma e 5oo rs. a libra,
dem macarro, talerim e aletria a 4oo rs.
a libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um.
Molho inglez em garrainhas com rolhas de
vidro 64o rs. cada uma.
Marrasquino verdadeiro de Zara a l,ooors.
a garrafa, lo.ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Prezunto de fiambre superior a 6oo rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
da economa domes-
0 assumpto

HIXOIUUO-

0 verdadeiro e principal ar-
que
se vai tratar.

tica
importante.
SE AFItf Ali
mazem de molhados o do
Mngucni contestar esta verdade.
A fama far correr esta noticia. ,.
A posterldade bemdir o nomc do Kaliza.
Actnalidadc Batel palmas de contcntanicnto!
6oo rs. a garrafa,
baratas
ra da
que em outras lojas se venden por 23 e 2a5,
s para liquidar : na loja e armazem do Pavao a
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
As chitas do Pavo a 104OO c
'#Mo o corte.
Vendem-se cortes de chita com doze covados
cada corte, ditos com dez covados a 25WO fazen-
da muito boa, e que nao desbota, s na loja do Pa-
vao tem esta pechincba ; a ra da Imperatriz n.
60 de Gama A Silva.
i.'iiis d una s cor.
Vendem-se laazinhas de uma s cor, sendo en-
carnada, azul, cimenta, cor de caf.'-, lino claro, li-
rio roxo cor de perola pelo baratissimo preco de
i;iu o covado, fazenda muito lina s o Pavao, a ra
da Imperatriz n. 60 loja e armazem de Gama &
Silva.
Panno de, linho.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
cura proprio para lences, toalhas e ceroulas pelo
barato preco de 640 rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 25500, algodaozmho
monstro com 8 palmos de largura a 15, pecas de
Hamburgo com 20 varas l,95, 105 e !, pecas de
madapolao fino a 75500, 85, 95 e 105, ditas de
algodaozinho a 65, 6*500 e 75, e outras mu.tas
fazendas brancas que se vendem muito
alim de apurar dinheiro : na loja do Pavao
imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
O bramante do Pavo eom doze
palmos de largura.
Vende-se bramante de linho puro, muito fino com
doze palmos de largura o melhor e mais Urgeque
tem vindo ao mercado pelo barato preco de 25800
rs.a vara ; s na loja do Pavao de Gama & Silva,
aua da Imperatriz n. 60.
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor rrancez,
nelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas de lis-
ffnta muito miudinhas proP' P"? vertidos e
roupas de meninos e meninas pelo barato pre?o
e 500 rs.: s e Pavo ra da Imperatriz n. 60,
loie de Gama A Silva.
' Os bales do Pavao.
Vendem-se crinolinas ou bales de 30 arcos tan-
brancos como de cores, sendo amencanosqu
sao os melhores por se nao quebraren a 3JW00
STB arcos a 45, ditos de musselma com babados
ol para menina a 25 e 35 : na loja do Pa-
vio ra da Imperatriz n. 60, de Gama A Silra.
O Pavo vende 80.
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos a
MrtT Pia com lindas Iwrpas de seda, sendo che-
* os pelo ultimo vapor francez pelo barato preco
&M Xa um s na loja do Pavao ra da fmpe-
ratrizn.60>deGama4SUva.
do Pavo.
Azeite doce de Lisboa a
e 4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a Doo rs. cada uma, e 10,000 rs. a
caixa com 1 duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o a libra, o 4,6oo rs. a arroba.
Bolachinlias de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: aguae
sal doces, e imperiaes em latas de 6 li-
bras a 3,ooo rs. e de 3 '/ lil,ras a l'5o
rs. eem libra a 64ors., estas bolachinhas
lorna-se muito recommendavel com es-
pecialidade para os docntes.
Biscoitos e Bolachinhas de soda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bollos francezes em carloes e de diversas
qualidades a 6io rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Halatas novas a 160 rs. a libra.
Bolachinbas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem vindo a nosso mercado a
l8,ooo rs. o gigo, l.Soo rs. a garrafa in-
teira, e 800 rs. as meias
Cha uxim o melhor que se pode desejar e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
dem petla especial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
d'este cha
dem bvsson o melhor que 6 possivel en-
contrarle a 2.4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2oo e l,4oo rs. a libra.
dem preto muito lino a l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a l.ooo, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fal-
tado de Simas em 'i caixas das seguin-
tes marcas l'ariziences. Suspiros, Dili-
cias, Napoleoes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada uma.
dem de oulros muitos fabricantes e de
differentes marcas para l,5oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a l,6oo, 2,ooo e
3,000 rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a l,ooo
rs. a garrafa e lo.ooo rs. a duzia.
dem francez suporior qualidade 800 rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Erva-doce a 4oo rs. a
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,000 rs
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 32o rs. a li-
bra, e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caixao.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra. .
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a l,ooo rs. cada uma.
dem em latas ermiticamente lacradas a
1,5oo e 2,5 x) rs. cada orna,
dem em caixas de V* arroba a'2,5oo rs. ca-
da uma, e2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a looYs. a lata e 1,000
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 56o rs. o frasco.
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran-
des e 41.000 rs. a caixa com 42 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da uma.
dem em garrames de 46 garrafas a 4,8oo
rs. com a garrafo.
Sem mitras nem coreas para ornar a fachada de seus annuncios, e as portas do edificio cm que habita, o Baliza se
contenta em tomar o seu lugar de honra na vanguarda de todos os_ hornera do P^resso. ^^ ^^ ^ ^ ^
sua
deixando-se ficar sentado, em vez de pe lilar-se e fazer a
Ihor
TK
m em tomar o seu lugar ue iionia na vuigunitM u* iuuvo m ...,......* r.-P------- ,,,, .
Sopre embora o maldito Clarim, o seu toque de retirada a marche-marche do desacreditado Prog^.
dos falsos apostlos da sinceridade no tratro, da realidade na pratica dos negocios commerc.aes. revele I
Desde a 1
do Baliza estabelecido ra do Livramento
proprietario do grande armazem
uezes.
libra.
a duzia, e
Os
bales
A 2^500 s Patio.
Vende-se ba!5es cora 20,25 o 30 arcos pelo b*.
J2a preco de 25500, ass.m como tem um
Seto sortimento de bales para meninas de to-
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, cortina, govas, pescadinhae
outros a l.ooo rs. a latas.
Palitos para denlos a 14o e 16o rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs. a libra,
c 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2, loo rs. a groza. 2oo rs. a
duzia, e 2o rs. a caixinhas.
Queijos lamengos chegados neste ultimo va-
por, a
dem pralo muito fresco a 800 e 9oo rs.
a libra.
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Serveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia. e 56o rs. a garrafa.
Sard'mha de Lisboa e Nantes em quarts e
meia latas a 38o 58o rs. cada nma.
Sag mnito novo c alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca i80 rs. a libra.
Sevadaa loo rs. a libra, e 2,8oors. a arroba.
Traques de 1.a qualidade a 8,5oo rs. a cai-
xa, e22o rs. a caita.
Toucinho novo de Lisboa a 24o e 32o rs. a
libra.
Tijollo paralimpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa c Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs. a garrafa.
Idem'do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada,
dem Colares especial vinho a T5oo rs. a gar-
rafa,
dem Lavradio muito fresco nao levando com-
posico a 56o rs. a garrafa, e 4,ooo rs. a
caada,
dem branco de uva pura a 56o rs. a gar-
rafa, e 4,5oo rs. a caada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
rs. a caada,
dem Bsrdeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas m3is acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes ven ao
nosso mercado a 1,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo pr.eco d pre-
juizo e so se encontra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu-
lar, malvaste fino, D. Pedro V, D. Luiz
I, Nctar e outros a 9,000 e lo.ooo rs.
a caixa e 9oo a 1,00o rs. a garrafa,
dem Muscatel superior a l^oors. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oo rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a 4,000
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de. ferro a 32o
rs. cada uma
dem de escova para esfregar casa 36o rs.
cada uma.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composicjio a
36o rs. a libraTe de 4o,ooo a 41,ooo rs. a
arroba.
erande insobordinaco fingindo desconbecer os seus superiores, u.........
coTnencia do estylo, porque o incansavel Baliza sempre fiel ao seu juramento ter continuamente na metoor **
seutrem de guerra e no mais complecto movimento, o seu presumo para bem servir, desde o mais simples camarada ate
o mais alto general da primeira classe do exercito dos seus constantes freguezes.
Entremos na materia :
SENTIDO!
OKDIvU DO DA.
a Dublicaco deste annuncio at segundo aviso Manocl Pedro de Mello,
ecido ra do Livramento ns. 38 c 38 A vender a todos os seus fregu
Cinco por cento menos
aue aualquer dos seus amaveis collegas que por menos annunciar. Qualquer objecto que nao chegne a contento
Er compradores, pode ser devolvido inda mesmo pelas pessoas que moraran no centro da provincia.
O dirEro recibido pelo gener0 que nao agradar ser restituido sem constrang.mento algum.
Dcclaraeo Importante.
falso o boato que tem feito pairar o soldado soprador da ra do Queimado de que se acha o Baliza associado
ao armazem Uniae Mercantil aberto a ra da Cadeia do bauro do Recife.
A liga entre os collegas um crime de lesa-povo.
LiS'S toS uiSS1 dos progresistas de K*> o Diverso aos senUmeoCo mais ioUo,s de seu eo,a,.
Deste modo de pensar ser o Baliza eternamente conservador.
dos
LIQUIDACAO
AZEM Ciio.
23Largo do Terco23.
Joaauim Simao dos Santos tendo de se retirar est resolvido a liquidar e fazer uma
m vMtiosolortiinnto tanto neste armazem como fra e para meliior servir o publico
o annunriame Si sos seus freguezes que tem freqoentado este estabelec ment que de
b^T^^^^meiO^iOifmcetom^q^comftinm em outra poca pelo
seu prompto pagamento.
AttenQio.
a 270 e
Caf do Rio de primeira e segunda sorte
Arroz pilado a 80 e 100 rs. a libra e #400 e
Milho alpista limpo a 170 rs. a libra e 4800 a
arroba. ^nn
Toncinho de Santos e Lisboa a 240 e 280 rs. a libra.
Passas de carnada a 500 rs. a libra c 105 a caixa.
Azeite doce de Lisboa fino a 640 rs. a garrafa e
4^800a caada. mmMk
Dito de carrapato a 320 rs. a garrafa e 20240 a
caada.
Massas para sopa aletria, macarro e talbanm a
480 rs. a libra e 105 a caixa.
Chouricasas mais novas a 800 rs. a libra.
Charutos em ma^os de 50 a 65 o milheiro
640 rs. o cento.
Dito em caixa da Babia dos melhores fabricantes
de 15200, 25400 35 e 45-
35' Phosphoros do gaz vindo de conla groza 25300.
I Manteiga franceza a G00 e640r?. a libra.
Dita ingleza flor a 800 e 900 rs. a libra.
Uiscoutos e bolachinhas de soda a 15300 e 25.
Vinho do Torto er.garrafado a 800 rs., garante-se a
superior qualidade.
Dito em pipa Figueira das marcas mais bem co-
nhecidas a 500 rs. a garrafa e caada 35800
Dito de Lisboa especial para negocio a 360, 400 e
440 a garrafa e em caada faz-se abati ment.
Dito branco proprio paramissa a 640 e 500 a gar-
rafa e em caada a 55 e 35500.
Bolachinha americana a 200 rs. a libra eem bar-
rica ha grande abatimento.
e a
ARMAZEM DE FAZENDAS
DE
Custodio, Carvalho & Companhia.
7 RA DO QUEIMADO
Superiores saias de fustao para senhoras a 55-
Toalhas de linho para mesa a 35o00 e !#.
Lencinhos para meninos um 100 rs.
Lencos brancos para algibeira a 25 a duzia.
Toalhas para mo duzia 45.
Bramante de linho vara 25-
Fil de linho liso vara 500 rs.^^ ^^^
Pecas de entremeios bordados a 15-
Tiras bordadas a peca 25-
Gollinhas de cambraiaa 600 e SCO rs.
MACHINAS DEPATEVTE
de traba I liar a mo para
descaroca- algodo
FABRICADAS
Per Plant Brothers & C.
Estas machinas
I' I
^ qualqoer ('-,< i-
g^de algodao 'ni
estragar o !:o.
!'ffl!,"*J7 sendo bastante
l@|s@M "* dua>'(.->soa< par..
otrabalho; jt.K
di'M-.n -r ..tii.i
arroba de ;i ;.v-
dao om c
em 10 minutos,
ou 18 arrotas
por dia ou 5 ar-
robas de algodj
limpa
Ela mar h i na
a nica que
possue as vanlagens de nao destruir o lio do al-
Sodao e de fazer render o dobro de qualquer r,n-
"tra com menos trabalho, a sua otrodueeao para
as provincias deste imperio ser de muito valor
para todos os interessados na lavoura do pail.
Assim com machinas em ponto grande do mes-
mo systema.oraql crem movidas por Miau**,
agua ou vapor, pos uaes podem descansar 18 ar-
robas de algodo ampo por dia.
O algodo descarocado por estas machinas (em
muito mais estimaco nos mercados de Europa t
vende-se por maiorpreco.
As machinas se acham a venda unicamenie em
casa de
Saunders Brothers k C.
X. II, praca do Corpo Manto
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
^
ou flna a vontade do comprador
GRANDE LIQUIDACAO
DE
Na loja da ra do Crespo numero 17.
Aproveitem todos.
O proprietario deste imprtente estabelecimento vai g'2*0g,gSR*'
apurados gostos para melhorVervir as Exmas. sennoras, razao porque est venoenao
zendas baratsimas. miembaraues pretos muito importante
Cortes derico blonde para casamento \^k!^V^SimarUate a 355 e 405,
AGENCIi.
DA
FUNDICAO DE L0W-M001.
Roa a Senxalla ora a. 42.
Neste estabelecimento contina a have
om completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos.
Empreza da iUuminacao m Arados americanos e machinas par
lavar ronpa: em asa de S. P. Johnston 4 C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamacoes
(por escripto dando o nome, morada, dala, etc.),
devem ser feitas no armazem da ra do Imperador
n. 31. Os machinistas mandados para attender a
estas, apresentarao um livro que os reclamantes
deverao assignar logo depois de prompto o servigo
reclamado ; isto para que a empreza flan
de haverem os mesmos senhores
te attendidos.
1
sido devidamen-
Ferros para onrivei.
Na rna ifrw do Rosarlo n. 24, loja de ourives,
veSem seX'os ferres e utencilios de ounves.
ywfcsuc .jw i f, "Sii" _k P-nas cretas imporianies a jk <= -^v,
a 205 255 e285, manteletesJj^^*SSg dPe casemira a 105, chapeos de pa-
capas de casemira de cor a ^^/.^nnesdHia muito apurado gosto a 75, cortes de
lhacopa redonda veos brancos a 153, cortes de wam ^^ ^^ ^
la com barra a 105, */MJ*. dieras a 320, 360, 440 e 500 rs., bram
chits de todas as V^AtojhiMMMie in^ie ^^ ^ ^^ ^^ flno a m
linho muito flno pecas de 25 varas a *w*, ~w
SEfl^S^!fc**TOWIM"4'8 W varas a
lhacopa redonda, veos brancos a Wi, cones ae bordados a 235 e 303,
gjra.'SSi'i.^iS.'ffiSA m, 360, im ,m ,,,ba. u
linho muito flno pecas de 25 varas a .
Cambraias lisas com 9 palmos d<
55, 63, 75, 85,95 e 105^ o cInfc pepnam|>llcano.
Filinete circassiano fazenda de muito apurado gosto para ,fJ93^MfaS
das e d bailes ,e muito recommendavel por ser muito apreciada em Constant.nopla. E
admiravclo sen bom gosto.
Na ra do Rangel n. t vende-se o verdadei.
ro papel de linho hespanhol, e de palha 6% mitho-
lanto em porcao como a retalho, ede todas as nuis
qualidades para o fabrico de cigarros; charutos da
Bahia muito bons a 23 a caixa ; a elles, qoo esio
a acabar-se.____________________________
Vende-se ou permutase por duas crias de .
4 annos de idade uma negra de meia MMr.
sem vicios nenhuns, mnito boa qoiUndeira o mw-
tofiel : no paleo do Terco n. 141.____________
Farw/iade milho a IDO
rs. a libra
..A mais flna e nova do mercado : vende-se na
padaria de A. F. da Silva Beiris, ra dos Pires nu-
mero 42.
Ima jumenta.
Vende-se uma jumenta muito mansa, e por pre-
co comniodo: ra do Queimado n. 14._________
Vende-se a taberna sita no lugar de Bemfira
D. 64, com poucos fundos e armaco, que Ika no
correr das casinhas junto ao sobrado grande do
Sr. major kllannino, principio da Estrada Xova
a fallar com o dono na mesma taberna.
Vendem-se o brigue nacional iYoro Almiran-
te, prompto navegar, construido de boas mata-
ras, e forrado de cobre : trata-se com os consigna-
tarios Marques, Barros & C, largo do Ccrpo Sanie
numero 6.___________________
Vende-se um escravo, moco, crioulo
de 17 18 annos de idade, bonita figura,
sadio, proprio para criado ; tratar no lai\M
Ido Paraizo n. 18 segundo andar.


m


Alarlo le Pero&abneo Sexta felra 8 de Jiilho e 1S04.

, Largo da jL
Santa Craz ||
numero
12 e 84.
Esquinada
roa do d
Sebo n. 12V
e84.
RUHANTE AURO
GRANDE ALL1ANCA
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
MmIo Ferreira da Silva k Companhia
Grnde sortimento de moldados em grosso e a retalho. nico armazem que mais
vantagens ofierece ao publico.
0
NEM COROAS NEM MITRAS

AURORA BRILH4NTE
w GRANDES ARMAZENS DE MOLHADOS.
Francisco Jos Femandes Pires proprietario dos armazens de molhados denomina-
dos Brilhante Aurora e Aurora Brilhante, ao largo da Santa Cruz ns. 12 e 84 (esquina
da ra do Sebo), faz sciente ao reapeilavel publico desla eidade e do interior qne nos
seus importantes estabelecimentos vender sernpre gneros novos e de priraeira quali-
dade e vender a todos pelo mesmo prego.
O completo sortimento de todos os gneros finos e grossos que costumam ter outros
estabelecimentos desta ordem se encontrado sempre nos armazens da Brilhante Aurora
e Aurora Brilhante e sempre em grande escala a vontade dos Srs. compradores.
O proprietario dos armaaens Brilhante Aurora e Aurora Brilhante pede a todos os
senhores e senhoras que quando tiverem de mandar suas relacoes a estes estabelecimen-
tos por seus criados seja em carta fechada ou com grande recommendacao a estes arma-
zens, certos de que serio tao bem servidos como se viessem pessoalmente.
A Brilhante Aurora e Aurora Brilhante troca qualquer um genero que por acaso
nao aerade erecebe as libras esterlinas a 9$,sendo por compra: atabella de seus gneros
ser mudada todas as semanas.
Amendoas confeiudas parasortes a libra 15- Vinho muscatel duzia 105 e garrafa 1$.
Mauteiga ingleza flor a 800, e 9C0 rs. Dito branco proprio de Lisboa caada 45800
lina maisabaixoa 640 e 720 rs. e garrafa 640 rs.
Dita franceza nova libra 640 e ei barril a Vinho branco de muito boa qualidade cana-
600 rs i da 45 e garrafa 480 rs.
Chocolate sant mullo novo alfi200 a libra. Dito Xerez tino a caada 75500 e garrafa a
Cha perola o melhor que ha ( redondo) a 13200.
Desenganem-se todos.

K o Alliauca o verdadeiro homem o progressso.
K o Allianca o verdadeiro e principal armazem de molhados.
K .41 liapra o armazem que vende mais barato.
H o Allianva o armazem que vende os melhores gneros.
K o Aiiianca o armazem onde preside o melhor aceio.




Fiquem todos sabedores desta verdade,
Venham todos ra do Imperador n. 37.
Venhara ver os gneros que temos expostos a venda.
PARAAS FESTAS
DE
S. JORO E S. PEDRO.
Amendoas confeitadas de bonitas cor Tdem de Hollanda em garrafoes com 24 gar-
8oo rs. a libra. | rafas a 7,2oo rs. com o garraao.
dem de casca muito nova a 3oo rs. a libra. (Lentilhas excellente legume para sopa e gui-1
AvRfes a 9e rs. a-libra. zados a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em catatabas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a I
GRAA'DE
AltHiZJKJI
DE
RIJA DO IMPERADOR *. 40
Junio ao sfbrado em qnc mora Sr. Osbarne,
Para a festa de Santo Antonio, S. Joo e S. Pedro.
Dnarte Almeida C. receberan* de na propria rartaan
da o mais liado e variado sortimento de mol hados, proprio*
da presente estaeo. "r"
Manteiga ingleza | Mapas brancas
da safra nova vinda neste vapor de 28 de para sope a melhor que se pode desejar.
macarrao, tawarim ealetria a 480 rs. a
/i e 3
ibras a 1,200 e
libra 30200.
Dito dito ruis abaixo a 25300 e 25800.
Dito uxim muito lino a 23800 e3.
Dito hysson superior a fi e 2800.
Dito mais abaixo a 2-j c 23300.
Dito preto muito fino a 25500.
Dito em massos a 5.
Dito do Rio em latas de 4, 2 e 1 libra a
15500.
Caf de moca superior arroba 105500 e li-
bra 400 rs.
Dito do Rio e do Cear arroba 95500 e libra
320 rs.
Dito mais abaixo arroba 85500 e libra 280.
Barricas com bolachina ingleza ingleza nova
a 35-
Latas com bolachinha de soda de 5 libras
a 25500.
Ditas com ditas sortijas de 2 libras a 15400.
Frascos com ameixas francezas s o frasco
val o dinheiro a 25800 e 35-
Latas com ditas a 15400, 25200 e 45.
Ditas com figos de comadre a 15500.
Dito Madeira seca caada 105 e garrafa 25.
1 Dito em caixas de urna duzia do Porto dos
melhores autores a 125, i45 e 165.
i Carrafas com licor fino francez c porluguez
a 15-
Ditas com vinho de caj muito claro a 15.
Ditas com mel de abelha puro a 15.
Frascos com genebra de Hollanda de 2 gar-
rafas a 15.
Dito de urna garrafa a 360 rs.
Dito de laranja verdadeira a 15200.
Duzia de grasa latas grandes a 15.
Caixas com 25 massos de velas de sperma-
cete a 560 rs. a libra.
Dilas maiores a 600, 640 e 720 rs. a libra.
Caixas com urna arroba de velas do Araca-
ty 105500 e libra 400 rs.
Ditas de composicao arroba 105e libra 360
Saceos grandes com farinha de Uoiauna mui-
to boa a 55500.
Dito de Porto Alegre melhor que de Muri-
beca a 65-
Ditos com milho novo com 24 cuias a 45000
Caixinhas hermeticamenti-lacradas cproaFlas Dito com fa re I lo de Lisboa 120 libras a
fe
para mimo a 25 e 25800.
Caixinhas com ditas a 15, 25500 e 55 de
arroba.
Presunto de La mego muito novo a libra 5.0
rs. inteiro e a retalho 600 rs.
C.h'iuricas e patos novos a libra 800 rs.
Latas com chouricas e linguicas novas viu-
das neste vapor com 9 libras por 65500.
Pitas com peixe ensopado de multas quali-
dades a 15.
Dilas com ervilhas francezas c portusuezas
a 880 rs.
Ditas com feijao verde francez a 800 rs.
Ditas rom massa de tomate novo libra
560 rs.
Ditas com ostras a 72(1 rs.
uiiascom marmelada dos melhores autores'
de Lisboa a libra 610 rs.
'. les com mustarda franceza preparada a
libra 480 rs.
Frascos com conservas de pepinos, mexides
e azeitonas verde a 15.
Dita dita franceza a 800 rs.
Cil'os com trinta e tantas libras de batatas
novas a 35500.
Queijos novos do vapor a 35290 e 35"00.
Ditos de prato enplicado a 15-
Dito suisso a 800 rs.
Dito de manteiga rto Serld a 800 rs.
Caixas com passas novas de 1 arroba 7-3.. Mas?
nieia3}50(> c quarto 25 e libra 480 e
OiO rs.
amendoas com casca a libra 240 rs. e arro-
1 a 6 5.
Nozes libra !G0e arroba 55.
1 Caixas c meias ditas com charutos finos da
Baha dos melhores labricantes de Jos
5*300.
Dito com arroz de casca a 55500.
Duzia de garrafas de serveja branca e preta
a 55800 e em barricas a 55500.
Arroz do Maranho em sacecs arroba 25600
e libra 100 rs.
Dito da India o Java arroba 35 e libra 120.
Ararula verdadeira arroba 85 e libra 320
rs.. matarana. M
Gomma do Aracaty para emiommar arroba Qt
55 e libra 160'rs.
Ta[ii".-a ou farinha do Maranho nova libia
160 rs,
Ervilhas senas muito novas libra 200 rs.
Sag e sevadinha a 240 rs.
Sevada arroba 35200 o libra 120 rs.
Graxa de boiao 97 a 280 rs.
Sabao massa a 200, 210 e 280 rs. a libra.
Dito he.-pauhol verdadeiro a 400 rs. a libra.
Balaios do Porto diversos tamaitos de 320
a 2-5.
Capachos para portas do varias cores a 600,
700 e 800 rs.
Grao de bico arroba 45500 e libra 160 rs.
Bainro ancha 55500 e libra 200 r?.

Furtado de Simas, Reis e outros, sendo
Suspiros, PariMenscs suspiros, Delicias,
Normas de Havana, ExposIcSo, Almiran-
tes. Barate!ros, varetas, Gnanabaras, Ite-
galia imperial, Acadmicos de. Olind, Se-
nadores e Apraziveis de 15500 a 85 a cai-
xa de 50 a 100 charutos.
Grozas de caixinhas de palitos do gaz a
2-3200 e 200 rs. a duzia.
Barris com azeitonas novas a 3, e 45 bar-
ris grandes.
Milho :.i| --la arroba 15800 e libra 160 rs.
Azeite doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre di> Lisboa caada 15500 c garrafa
200, 240 e 320 rs.
alitos de dentes com 20 masst-
: a ICOrs.
i" ..- 'i" limpar facas a ICO c 120 rs.
o 40 carias de traques a 95500 o
ta 280 rs.
Resmas de papvl almaco paulado a 55.
I I ,.': vo liso o melhor que ha a 45500.
Dil piso e pautado a 25500 e 25800.
Garrafoes com 25 garrafas de verdadeira
gen- 'bra de Hollanda por 85500.
Azeite de coco garrafa 560 rs. e carrapato
.60 e caada 25560.
Caixoes com doce de goiaba a 640,800 o 15,
Toucinho de Lisboa arroba 85500 e libra
320 rs.
Dito de Saltos arroba 75 e libra 280 rs.
Molhos rom grandes ceblas a 15600.
Cento de dita sola a 15500.
Maocos de alhos a 240, 320 e 400 rs.
Vassouras do Porto piassava muito seguras Esteirasde varias qualidades.
a 400 rs. Cordas de postar e de andaime.
4zeite iioco francez dos melhores fabrican- Favas da illia de S. Miguel arroba 35200 e
tes caixa 105c agarrafa 15v libra 120 rs.
Caixas com vinho Rordeaux branco e tinto Copos lapidados para agua e vinho a 35500,
S. Julien, S. Eslifc e outros a 75500 e 85. 55800, 65 e "5.
Vinho do Porto finoem barris de 5o que ra- Ditos lisos para varios precos.
ras vezes apparece por 805 e em caada a Calix lapidados grandes e'pequenos dazia
55500 e garrafa a 800 rs. 3,4 e 55 ; e 400 e 500 rs. cada um.
Dito da Figueira puro caada 45 e 45500 e Massas para sopa macarrao, talharim e ale-
garrafa a 480 e 560 rs. tria a 480 rs.
Dito de Lisboa de boas marcas a 35500 e Estrelinha e pevide libra 560 rs.
45 e a garrafa a 440 e 480 rs. Xaropes de fructas nacionaes a garrafa
Cognac verdadeiro a garrafa 13 e 45280. 500 rs.
'E muitos onros gneros que nao possivel nien-1
fetal todos de primeira qualidade.
A satisfaro da Brilhante Aurora e Aurora Brilhante vender muito embora bara-
to, mas a DWffl9R0.
->-atj
%^i


1 o

;"
's.
P X
3>

O
'SI
m
s

a." 25 _
S Tz 3 -.Sg-"
cb e."l i? m o &u
8 i B | o | M i &
o| B 3-3
en
i i 2
v v,

,3Q W
ui a C
No armazem de fareHdas barulas de %gQ<-2g>>:g =
Sanies Corita, rn 4* Queimado, n 21 "
\ 9, veede-se sepiate' i
Attcnce. "i 11 -o ^. *
Lazinhas.
Ricas ISazinhas para vestido, fazenda a melhor
que tem vindo ao mercado, tanto em gosto como
em qualidade da fazenda, pelo baratissimo preco
de 560 rs. o covado.
Lazinhas rniudinhas carmezins, proprias para
vestidos de meninas, e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de la com 15 covados pelo baratissimo
prego de 65.
Cobertas de chita da India pelo baratissimo prego
de 25500.
Lengoes de panno de linlio a 25.
Lencoes de bramante de linhe fino pelo baratissimo
prego de 35200.
Bramante de linho fino com 10 palmos de largura
pelo baratissimo preco de 25500 a vara.
Atoalhado adamascado proprio para toalhade mesa
a 25000 a vara.
Carabraia de forro a 25600 e 35200.
Guardanapos adamascados a 35800 a duzia.
Toalhas alcochoadas proprias para maos a 55 a
duzia.
Cortes de caiga de ganga amarella de listras e
de quadros, pelo baratissimo preco de 15200 o
arte.
Carabraia adamascada com 20 varas, propria
para cortinado, pelo baratissimo preco de 100000
a pega.
Ricos cortes de la Maria Pia pelo baratissimo I
prego de 185-
03
O.
j.
VI
a
it"2B
^38
M
5

"i
o
=k3s|g
o H co
:.- /-
O
H
"1
n
O
o
BJ
Ir
o
o "1
u
t
estampas a l,2oo, l,4oo e l.Ooors. cada
aima.
fleni em frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a l,2oo e -i,loo rs. cada
um.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada
um.
dem em latas de I
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranho o melhor que se
pode desejar a .loo e 12o .rs a libra e
2,8oo a 3, loo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, e
i 4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e Io,ooo rs. a
caixa com I duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
,'Alpista a IGo rs. a libra e 4,Goo rs. a ar-
roba
I Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
.Antonio dasseguintes qualidades: agua e
sal doces, e mperiaes em latas de (i libras
a 3,000 rs. e de 3 '/s libras a l,oo rs.
e em libra a Gio rs., estas bolachinhas
torna-se muito recommendavel com espe-
cialidade para os doentes.
Discoitos e Bolachinbas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
'Bolos francezes em cartes c de diversas
qualidades a G4o rs. cada um.
'Barrita de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a IGo rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 2io rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at hoje tem vindo aomosso mercado a
18,000 rs. o gigo e l,5oo rs. a garrafa
inteira, c 800 rs. as meias.
Cha uxim o melhor que se pode desejar, e
que otttro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2.Too rs. a libra,
dem perola de esp cial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
d'estc cha.
dem hysson o melhor que possivel encon-
trar-se a 2,loo e 2,6oo rs. a libra,
dem do Bio em latas de 2, 4, G e 8 libras
a l,2ooe l.loo rs. a libra,
dem preto muito inoa i.Goo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol c suisso a l.ooo, l,2oo e I,loo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
lado de Simas em 3 caixas das seguin-
tes marcas: Parizienses, Suspiros, Dili-
cias, Napoleoes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inleiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna,
dem de outros muitos fabricantes e de dif-
ferentes marcas para 1.5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a 1,600, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inleiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco,
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a 1,000
rs. a garrafa e 10,000 rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho o erva-doce a 4oo rs. a
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canellaa l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 0,000 rs.
5oo rs. cada um.
Caf do Bio superior a 280 e 320 rs. a
e 8,800 e 9,f>oo a arroba.
Doce lino de goiaba aGoors. ocaixSo.
Ervilhas porluguezas ltimamente anegadas
a 7oo rs. a lata,
dem ceceas a IGo rs. a libra.
dem j desaseadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
1,000 rs. cada urna,
idem em totas ermiticamente lacradas a
1,5oo e 2,5oo rs. cada urna,
dem em caixas de y arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e l,ooo
rs. a duzia..
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
800 e l,ooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800
e 9Go rs. a libra,
dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
a libra, e 080 rs. em barris inteiros.
maio a 800 rs. a libra.
Manteiga franeeza
da safra nova a 560 rs. alibra, e em barril
a 500 rs.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2)>400, muito propios para mimos.
Cartoes
Marmelada especial dos melhores fabrican- com bolos francezes a 500 rs. cada um.
les de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, ha f -+
latas de differentes tamaitos. JwWlo
Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o com bolachinhas"" de soda de todas as qua-
rs. cada urna. lidades a 1(1300.
dem para soda estrellinha, pevide e rodinha Chocolates
SaMJX^!7K.,3,O0O3,5OOr8,Cada ^'das as qualidades a 1^000 a libra,
dem macarrao."talharim e aletria a 4oo rs. a i PreSUlltOS inglezeS
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um
Molho inglez em garraQnhas com rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafa, 10,000 rs. a caixa com 1 du-
zia.
Nozes muito novas a IGo rs a libra.
Prczunto de fiambre superior a Goo e 800
rs.
dem do Porto para panella a 000 rs. a libra.
ssss: suusvhm. as0^rs,ue' >-
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e -p-
outros a 1,00o rs. a latas. XlgOS
Palitos para dentes a lio e a IGo rs. o mas- em libras e caixinhas ricamente dottradas,
so dos melhores. proprias para mimos a 900 e 1020o! ^ [,' br3'
Painco o mais novo e limpo a IGo rs, a li- Hli nvim YMrr.eH
bra, e a 4,5oo rs. a arroba. L VjlLd llXim com 4 Wrafascom vinagre a lAOOOrom
Palitos do gaz a 2,100 rs. a "rosa e*oo rs melhor que se Pde desear- que outro! ogarrafao.
a duzia e 20 rs a caixinhi qualquer nao pode vender por menos de! : laranja
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos vellios para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 2Goo.
Queijos
chegados no ultimo vapor ai600 cadaum.
ueijo
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de excellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro c a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
libra e 40500 a caixa.
Viaho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garra/a e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-
cantes da eidade do Portea 10 c 10200
a garrafa e de 100 a 120 a caixa, as mar-
cas s5o as seguintes: Cbamisso AFilho.
F. M., Nctar ou vinho dos Detraes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
Ja 10800 a barrica damesma que por ahi
vendem a 20000 e 20400.
Nozes
as mais novas do mercado a 120 rs.a libra.
Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas- as mar-
cas de 40500 a 60500 a duzia.
C^ABTOS
Charutos Thom Pinto,. Beis e outros em
meias caixinhas a 10500.
Arroz *-_
do Maranho a 100 rs. a libra, e da Inrlra
a 80 rs. a libra, c 250O a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30100.
CAFK
de 1.ae 2.a sorte-do Rio de Janeiro a 8>50O
Queijos flamengos chegados neste ultimo ^ a *^*Sl
vapor, a 3,ooo ., dem perola
dem prato muito fresco a 8oo c 9oo rs. a especial libelado a 2;)700 rs. a libra.
libra. dem hysson
dem suisso a melhor qualidade que at ho- mais aromtico que tem vindo ao nosso
je tem viudo ao nosso mercado a 8oo rs.. mercado a 2s>G0.
, a lJ/a". Massas amarellas
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs,
cada um.
Cerveja das melhores marcas a G,ooo rs. a
duzia, e56o rs, a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos c
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muito novo e alvo a 21o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
roba.
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 5>800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em fiasqueia a Goo
rs. cada urna.
PALITOS
i os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixitiha.
para sopa, macarrao, talharim e aletria a
480rs. alibra.
COCJV4C
o muito afamado cognac Pal Brandy a 1.8001 LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas qualida- finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
des a 1,000 e 800 rs. a garrafa. com urna duzia c a 1,000 a garrafa.
COPO* Marmelada
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
Fraques de 1.a qualidade a 9,3oo rs. a ca- almaco, greve, peso e de outras muitas qua-
lidades ile 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
lhor.
Papel de botica
de encllenle qualidade a 20200 a resma, j
PlPUIi
melhores marcas a 3,800
000 rs a garrafa.
dos melhores fabricantes de Lisboa, ci ao se-
jam Abreu e outros muitos a Gnu rs. a
libra.
Prezunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ABBOZ
Maranho, Java e India, a luo rs. a libra e
de 3.000, a 3,2oo rs. a arroba.
libra.
a duzia, e
libra,
xa, e 24o rs. a caria.
Toucinho novo de Liiboa a 21o e 32o rs. a
libra.
lijlo para [impar facas a 18o rs. cadaum.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
Jda, e azu| e p.ir(]0 para cmbrulhode l.loo a 2,2oo'
rs. a resma. | de espermacete de diversas nucas a Mo rs.
(jOrinthiaS | a libra e em teta afcatimeoto.
passas enrinthias muito novas proprias para VKLAS
podim a 800 rs. a libra. de ""*" em de arroba a 9,3oo e
n caixa e 31o rs. a libra.
h ume
dem do Porto Lisboa
e Figueira
de marcas
garrafa, e
menos condecidas a loo rs. a
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a Goo rs. a gar-
rafa.
IdemLavtadio muito fresco nao levando com-
es, a garrafa, e 4,000
frascos por 6,006 rs. e 560 rs. o frasco
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran-
des e H,ooo rs. a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada
urna.
Iflem em garrafoes de garrafas a 4,800
rs. com o garrttfSo.
cotnposicao-a 5Go
rs a caada.
dem branco de uva pura a 0G0 rs. a garra-
fa, e 4,5no rs. a caada,
dem mais baixo a 400 rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,coo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1.2oo rs a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Yelho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo c 10,000
rs. a caixa e 9oo e 1,000 rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a 1,000 rs. a garra-
fa, e lo,ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
dem em garrafoes com 5 garrafas a 1.000
rs. com o garrafan.
i Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
fs. cada urna.
Idem.de escova para esfregar casa a 36o rs.
cada urna.
Velas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o em caixa.
dem de carnauba refinada e de composico
a 3^0 rs. a libra, e de lo,ooo a 11,00o rs.
a arroba.
Batata novas
o verdadeiro fumo americano em chapa a em caixas de 2 arrobas a S$ a caixa e 60 rs.
l,4oo rs. alibra a libra.
Vinafire '>assas muil'BOm
nt>n 1 ix j .f em quartos e inteiros a 20 o qnarto e 605OH
PBB em ancorelas de 9 caadas a 15,ooo rs., a caixa e 400 re a libra
cada urna. .~.----..'.
/> 1 li Chocolate
IjeDOllaS portuguez o mais especial que se pode de-
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa seJar a 8^0" rs. a libra e 140 rs. o pao.
e l,ooo rs. o molho. Frntas em calda
Alnfatfl P Pqiripn chegadas ltimamente, pera, pecego, gima e
Aipiairt c XdllIV i outros muitos a 610 rs. a lata
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra, nsce da easm da ociaba
e 40400 a arroba. a GOO e 10 o caixfie.
Os proprtetarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaran aos ^us
rreguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipuiaram os mesmos precos nos seguintes lugares:
llnie e Commercio ra do Queima<*o n. 7
___________0 Verdadeiro Principal roa do Imperador n. 40
OVIMENTO
GAZ GAZ GAZ
Charutos de Havana
5
>
Vende-se gaz da melhor qualidsde a 120!de suPerior qualidade vendem-se em casa
a lata e em lotes de 10 latas para cima Se de Schafleitlm 4 C, ra da Cruz n. 42
far abatimento. no armazem da ra do Im-
perador n. 16 e ra do Trapiche Novo n. 8.
Pecas de cambraia de salpicos com 8 1.2 varas! ,, f'R"*0 ^a ^a^'a
u C.jc.imr, HMM..U ulv | Para de assncar e roupa de escravo; tem
para veoer Antonio Luiz de Olivcira Azevedo &
; C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
pelo baratissimo preco de 45v
Pecas de platilha o"e algodao com 10 varas, pro
pna para saia a 40200.
E-teiras da India, proprias para forro de sala,
de 4,5 e 6 palmos de largura, por menos preco do!
que em outra qualquer parte.
- Ra da Senzalla Aova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
Neste armazem umbem se encontrar um gran-! [rro ^"O libra a 110 rs., idem de Low
d sortimento de roupas feitas, e por medida. Moor libra a 120 rs.
KHa da Senzalla 42.
Vende-se, em casa de S. P.JohnstonC,
sellins e silhes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, o de vela
chicotes para carros e montara, arreios para I
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Na ra de Apollo n. 32 ha um grande sorti-
mento de marmore para ladrilho, sacadas, hom-
lireiras e de*gros de 8, 9 e 10 palmos de compri-
do e 2 112 de largo, folhas de marmore proprias
para lampos de mesas e para tmulos, vasos gran-
des para jardim, ou para ornar tmulos, por pre-
cos mito razoa\ eis
At que chegoii
um grande sortimento de bico e renda preta de
novo modelo chamado (guip) o melhor que se
pode desejar neste artigo e que se vende muito ba-
rato : na loja do gallo vigilante ra de Crespo
; igmmnw mmm.wm
m rabnca Concerno
Bahia.
Audrade & Reg, recebom constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algedao d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar atgodo em pluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
BAIRRO DO RECIFE, RA DA CADEA N. 50-
0 mais novo e o melhor
AMmAmwm iie^i oiiH a dos
Esquina defronte da ra da Madre de Dos
Antonio da Silva Campos, successor do aotigo Nascimento defronte do becco Lii*, bm
nhecido ja nesu praca, acaba de transferir o seu estabelecimento para a casa cima iwcida, i
os seus benvolos amigos e fregueses, bem cerno o respeitavel publico em geral encontrara |__
vanado, escolhido e melhor sorlimento^e molhados, a par do aceio, elegancia e bom rgimen do esta-
belecimento.
O annunciante, tendo feito urna completa reforma no locante a casa e gneros, pesswndo baau
correspondentes na Europa para remessas ao cotila propria, acha-se convencido que merecer a prt-
teccao de lodosos amigos do bom e barato, a qual desde j reclama, asseverando-lhes que jamis des-
merecer a conflanca com que se dignarem de o honrar.
Em resumo, visite o rcspeitavel publico o novo e superior armazem Movimento, compre-Hte al-
guns gneros, e entao flear convencido da realidade do presente aviso, verificando por si mesmo que
nenhum outro estabelecimento o serve melhor que este, seja em commodidade de precos, agrado e
delicadeza, ou legalidade de pesos e medidas.
Finalmente, todas e quaesquer garantas que estabelecimentos idnticos teera offereride SM
concorrentes, serio man idas neste em grao maior.
co
Farello e milho.
Nos armazens da brilhante aurora e aurora bri-
lhante, ha saccas grandes com farello com 120 li-
bras 5J>, e de milho 44, arroz de casca 8, e
farinha de Goianna a 53 e 65 : no largo da Sania
Cruz ns. 12 e 84.
Vende-se ou permutase por urna nqgrinha
de 4 annos urna negra de meia idade, boa quitan-
deira, lava, cozinha o diarlo, fiel e sem vicios
nenhuns.
Vende-se ou aluga-se urna eieeHetite tan
de carreira muito maneara para familia, bastante
estanzue que carrega 230 ou 300 lees de cauim:
o pretndeme dtrija-se cochelra do Thomaz na
praca do capira, qne ahi far todo e egoei '
Vende-se um sitio com boa casa, mito* ar-
voredos, dnas cacimbas com boa agaa oie sene
para se beber, com bastante terreno para se plan-
tar : na na da E^peranca n. 74, 4tratar m"
seguirte que faz esquina pan o Mangoiaoo.
"
i
JILEGfVELr




MaMHMB
ti* de P
Sexta te** -9 de #nlho de IM4.
NIAO
RIJA DACA1NHIA DO RECIFE 31'. 53.
NOVO E
GRANDE ASK2S1C DE MOLHADOS
RA DA CADKIA DO RECIFE IV. 53.
Francisco Fernandes Duarte acaba de abrir na ra da Cadeia do Kecifen. 53, um grande e sorlido arinazem de molbados de-
nominado Unida.Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeitavel publico um completo sorlimei.to des me!bore>
ceneros que vem ao mercado, tanto estraogeiros, como nacionaes, os quaes serao vendidos em pereces ou a retallo ror preces assat
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
10200 a caada.
Azeite doce refinado em garrafas brancas a
cado a 6oo rs. a libra, e 580 rs. em barril i Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
ou meio. I &&8O0 a caada.
Prezuntes inglezes para fiambre, de superior Geneora de Hollanda a 500 rs. o frascos
qualidade, ebegados nesle ultimo vapor, a 50800 a frasqueira.
720 rs. a libra. _, Caixinhas com ameixas francezas, ornadas
exterior,
Manteiga ingleza especialmente escolhida
de primeira qualidade a 900 rs. a libra,
em barril se faz abatimento.
Manteiga franceza a mais superior do mer-
Qoejos flamengos chegados neste ultimo
vapor a 40000.
Queijo prato muito fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Castanhas muito novas a 120 rs. a libra e
e 3^000 a arrobat
Cha uxin o melhor que ha neste genero,
mandado vir de conta propria a 2)5800
rs. a libra.
Cha hyson maito superior a 20560 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio para negocio a
10500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 20 a libra.
Biscoutos iDglezes em latas com differentea
qualidades, como sejam craknel, victorUi
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
outras muitas marcas a 10350.
Bolachinha de soda em latas grandes a 20.
Figos era caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 10 e 20 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 50-J rs. a libra e 30 um quarto ;
e em caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem viudo ao nosso mercado a 180 o gigo,
garante-sea superim- qualidade.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 70500 a 80000 a
caixa e 720 a 800 rs; a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de
com ricas estampas na caixa
muito proprias para mimo, a 10200,10500
e20.
Frasco de vidro com tampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a
10200.
Marmelada imperial, dos melhores conser-
veiros de Lisboa, em latas de 1 e meia a
2 libras a 600 rs. a libra.
Fructas em calda das melhores qualidades
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoas de casca molle a 400 rs. a libra.
Aveaas muito novas a 200 rs a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 rs. a libra.
Macaas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, s vista se faz o preco.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 10200 a libra.
Chocolate bespanbol a 10200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 19.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
5(800 a duzia.
aSCOmvinOUU runo suueriui uo ot, ij.j. onn
a 10 a duzia, e 900 a 10 a garrafa; deste i Cognac inglez de superior qualidade a 800
genero ha grande porco e de differentes ** agarrafa.
marcas acreditadas que j se vendern! Licores francezes das seguintes qualidades:
i t ..;.. ,,mn rnioiw r\nnno K.n'vio\a i\i> It/inloiiiY Plaiir di><; rinnips
Sardinhas de Nantesa 340 rs. o quarto e 56(
rs. meia lata.
Latas com peixe em posta: savel, corvina,
vezngo, cherne, linguado, lagostiba, *
10300 rs.
Salmao em latas, preparado pela nova artt
de cozinha, a 800 rs.
Macaa de tomtes em latas de 1 libra a 60
ris.
Chouricase paios em latas de 8 e meia libra
por 70.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra t
80600 a arroba.
Bolaxinha ingleza a 320 rs. a libra e 40
barrica.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 200 rs.. a libra.
Farinba do Maranho a 120 rs. a libra.
Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Cevada a 120 rs. a libra e 30 a arroba.
Alpista a 160 rs. a libra e 40800 a arroba-
Batatas muito novas em gigos com 40 libras
por 10500.
Cebollas a 10 o molho com mais de 100 ca-
da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 rs.
a libra e 90 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 rs. a li-
bra e 80400 a arroba.
Caf do Rio, proprio para negocio, a 80.
Arroz do Maranhoa lOOrs. a libra e 208O>
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 24O0a
arroba.
Vellas de spermaceti a 56 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas-
so e a 90 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixSo.
Macarr5o, talharim e aletria a 480 rs: a li-
bra ; em caixa se faz abatimento.
Estrellinha,pevide earroz demassa para sopa
a 600 rs. a libra e 30 a caixa com 6 libras
Palitos de dente lixados com flor a 208r8:
omasso, ditos lixados sem flor a 160 rs
o masso com 20 massinhos.
Acaba de receber de sua propria encommenda um grande e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
ofl'erocer aos seus fregueees e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, amaneando todo e qualquer genero vendido neste bem conliecido ar-
maeem.
PARA A FESTA
n
S. JQAO
Amendoas confeitadas de 8bo rs. a libra;
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 8oo rs,
libra,
dem franceza a 56o rs. a libra, e 5oo rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras parai
cima a 2,7oo,
E S. PEDRO
; Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes mar cas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limo, caf, laraDJa, cidra, gin-
ja, canella, cravo, ortela pimenta a l.ooo
rs. a duzia l,ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
dem hysson o mais superior que se pod Pssas muito novas em quartos e inteiros a
Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames Gomma de eogommar muito fina a 180 l* a
e de outras muitas marcas a 10 a garrafa libra.
e 100 a caixa. Banba de porco refinada a 480 rs. a libra*
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e 400 rs. em barril pequeo.
90 a duzia. Charutos dos melhores fabricantes de S. Fe*
Mostarda ingleza em potes j preparada a lix, em caixas inleiras ou em meias,
400 rs. 10600, 20 e 30.
Mostarda ingleza em p, em frascos grandes,; Presuntos do reino, viBdos de conta propria
a 10 cada um. de casa particular, a 400 rs. a libra; iotei-
Sal refinado a 500 rs. o pote. I rose faz abatimento.
por 1 e 150 a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do Douro, D. Luiz,
Cambes, Madeira secco, Carcavellos, Nc-
tar de 1833, Duque Genuino.
Vinho de pina: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e560 rs. a garrafa, e 30, 30200
e 30500 a caada.
Vinho branco de superior qualidade, vindo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
rs. de barril.
Ossenhore que comprarem de 1000000 para cima, tero o descont de 5 por cento, pelo prompto pagamento.
RA DO QUEIMA0 W. 45,
Passando o becco da Congregacao segunda casa.
MNDASl.....
Jjj
NOV1DADE.
Pereira Rocha 4 C acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commercial,
onde o resneitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vera ao nosso mercado, os quaes
aero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico vea pela tabella abaixo mencionada ; garante-se obom peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Cevadinha de Franca muito superior a 220, Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra-
rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
com ricas estampas no interior das caixas 10800, 50500 e 280 rs. a libra.
a 120000 10400, 10600 e 20. Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Amendoas cm casca muito novas a 280 rs. Farinha de trigo a 120 rs. a lihra.
a |Dra Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
desejar a 2,6o e de 8 libras para ctraa
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,40o e d 8 libras
para cima a 2,3oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4,6 e 8libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a ldt.
dem preto o-melhor que se pode desejar
neste genero a 2,800 rsv
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,800 rs. a libra;
dem mais baixobom para negocio a l,5oo Presunto para fiambre inglezes a "00 e
rs. a libra. | rs. a libra,
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
rs. a libra. Caixas de traque n. 1 a 850O cada urna.
Qneijos do reino chegados neste ultimo va- Massas para sopa macarro, talharim aletria
por a 2,600. a 4oo rs. a libra.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,6oo rs Cognac verdadeiro iuglez a 8,5oo rs. a caixa
dem londrino o mais fresco que se pode j e 800 rs. a garrafa.
esperar o de exceltente marca a 800 rs. a dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
2,ooo rs o quarto, a 6,5oo a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 9oo
rs. a libra.
Marnieladas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao debico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 600 rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
fazenda especial.
800
Arroz do Maranho, da India e Java a 60, 80
e 100 rs. a libra e 10800 a 20600 e 30
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
10200 e 10600 em frascos grandes a
20500.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
Azeite doce francez muito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa.
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos glezes de diversas marcas a
10300 ris.
Bolachinhasde soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor efinada a 440 rs. a libra e
e em barril a 410 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, ,
20500, 20800 e 30000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao aereado, a 500 re. a garrafa
e 55800 a dnzia.
Cognac inglez fina a 900-rs. a-garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, sede pepino, a 720 rs.
dem, 9 de azeitonas, a 760 rs.
Charutos dos melbores fabricantes da Bahia
e especiataeiit de- febrier mperial de
Gandido FerrerraJorge daCnsta, a 10800,
20000, 20200, 20500, 20*00, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Rio nwit superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 e 80800 rs. a arroba.
Cartes de bolinhos francezes muito novos e
muito bem enfeitados a 700 e 600 rs.
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
dem em garraoes de 3 e 5 galoes a 50500
e 70500 cada um com o garrafo.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 rs. a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa,
dem, qualidade especial e garrafas muito
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor 1
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 3C0 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140rs.
I Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearina8 muito superiores a 600rs. a
grandeSj a 10800 rs. a garrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi-
dro, a 10000 rs., s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de poned a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. alibra.
dem em lata a 040 rs.
Marmelada imperial dos melbores conservei-
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Massas finas para sopa : estfellinha, pevide,
rodinhas e letrianhas a 600 rs. a libra e a
40 a caixraha'cdm f2 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Peixe em latas preparado pela primeira arte
de corinba a f#tf* a lata.
Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
Palitos de dentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas confeitadas a 900 rs, a libra.
Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
20 e em ciXSo a 640 rs.
Chouricase patos BWtte botos 800 rs. a Palitos do gaz a 2#200 rs. a gosa.
JibraV Ipassas muit0 noW a 4S0 a m>I'a'
libra.
Figos em caixinhas ermetienmente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam: Velbo de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Mria Pa,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000 e100000.
dem em pipa, Porto, Lisba e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem oranco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Jalien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs.
a duzia.
dem Morgaux eChateaulumini de 4854, a 10
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
10200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porcao de outros que deiunos
de mencionar, e que todo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em prcbes como i
Quem comprar de 1000000' para cima le-
ra o abate de 5 por cent.
libra sendo inteiro, e a 9oo rs. a reteUio.
dem prato s melhores e mais frescos do
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
tas-a l,3oo e 1.4oo rs.
Polvos chegados ltimamente do Porto a 32o
rs. a libra.
Balatas novas em caixas de 2 arrobas a 50 a
caixa e 60 rs. a libra'
Balachioha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,000 rs.
dem ingieras em barricas a mais nova do
mercado a 2,ooo rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Cartes com bolas francezas proprios para
mimos ou para anjos que vSo as procis-
ses a 600 rs. cada um.
Papel de botica de excellente qnalidade a
22oors. a resma.
Peras seccas as mais novas do mercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em litas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muilos a 64o rs. a
lata.
^em em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
"24ors. alibra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 800 rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a 10,000 e
1,00o rs. a garrafa.
dem branco de uva pura a 64o re. a garra-
fa e 4,000 a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2o rs.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa c Figueira das-
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
Iden de mareas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio serrf a milis pequea'1
composico a 560 a garrafa e 4,000 re: a
caada.
Farinha do Maranho a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a l.ooars. cada urna.
Ricos livros com figos l,ooo rs.
Pomada a 200 rs. afdzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafoes com 4 '/* garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo re. com o garrafo.
dem com 4 l/t ditas de venagre a l,ooo riko
garrafo. ,
Vinagre PRR em ancorets de 9 caadas a
15,ooo rs. coma ancoreta
dem em pipa' puro sem o batism a 200 re.
a garrafa f,4oo rs. i caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinfio Bor-
deaux fazenda multo'especial a 6,800 re.
a caixa e 7oors. a garrafa.
garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
4,non. 2.500, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven
dem a 2,000 e 2,5oo rs.
Caf de preraeira qualidade a 8.800 e 9,5oo
rs. a arroba.
dem de segunda qualidade a 8,5oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranho a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,600 rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,ooo rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. alibra.
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, e em
caixa a 52ers.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaco pautadoe Iiso a 3.ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,8o rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiroa 2,2oo rs.
a resma,
demembruluo de 1,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 V* 1Dra a
l,2ooe8oors. a libra.
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle 1,00o rs. tambem temos em
frasos para 1,4oo rs.
Conservas'inglezas a 800-re. o frasco.
Momos inglezes a 800 e 1,000 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
bem arranjado possivel a l,8oo e 2,8oo
re. a lata.
Cerveja Tenente verdadeira a 6,800 rs. a
duzia;
Wem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia inteiras.
V*s6onras de piassava com 2 arcos de ferro
rindas do Porto a 32o rs.
GeboHas muito novas a l,ooo rs. o molho e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000
e 56c rs; o fraseo.
Idemem botijas a 4oo rs.
Idemem garrames de 14 garrafas a 5,2oo rs.
PaUtttsdo gaz a2,200 re. a grozae 2ore. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o re o macinhos a 12o rs. o masso.
CominOS muito novos a32ors. aDrae
!&;<*> a arroba.
SiWr multo novo a 24o re. a libra.
GeVWMfia de Franca a 18o re. a hbfct.
Mflb'arprst a 14b rs. a libra e *,5oo rs. a
arroba1.
GorflWa a 28o re. a libra e 5,4oo a arroba,
peixes em latas ar.ooo rs. a lata j prompto
acdmw^se.
Fanetto de Lisboa marca N. eBiato saceos
grandes a 4,d rs.
Doce da casa da goiaba a 600 e 1,000 re: o
aten*
Xovos enfeites para seuhora.
A agiiia-branca acaba de recelter um bello e va
rindo sortimento de enfeiles de diverjas nulidades,
e o (jue de mais moderno pos.-ivel encontrar-*;
arjni, farendo-se notareis por suas novidade e ele-
gancia uns, cuja grade de um Gao e dcliido in-
cido a que apropriadamente se chairn inriiyeL
Asim, vista desse completo sortimerN, quakiuer
cidado munido de dinheiro est habilitado a com-
pra-Ios : na ra do Queimado, loja d'agnia-braucu
n. 8.
Bonita* bonecaa.
Com rosta de cera, massa e porfrilana.
Acha-se na loja d'aguia-uranca ra d> Queima-
do n. 8, um grande sortimento de boaeru de h-
versos tamanhos, com rosto de cara, masna 1 .. r-
cellana os prntendcnles manidos de diufk-ir
acharao boa disposicao para os vender.
Hotoes de cornalina
e outras qualidades para catata
A Aguia branca acaba de recebar um novo >
variado sortimento daquelles apreciados tablea a>
cornalina brancos e encarnados, chata a redon-
dos para coletos, cujas aboluaduias cottinoam a
ser vendidas pelo commodo c inalterarei [rr.;o jy
i cada urna.
Alrn desses recebeu tambem outros de iMre-
perola, massa e osso, com dilTerenlcs moldes para
0 mesmo fim.
J se v. pois, que o pretndeme mnnid'-. do di.
nbeiro achara sortimento vontade na roa do
Queimado loja d'Aguia branca n. 8.
1I.UM\KIS b (lAlXIMIAS
com perfumarlas.
1 Na ra do Queimado n. 8 loja d'Agua-Branca. 05
freguezes munidos de dinheiro encutraio, beni-
tos bausinhos cobertos de cooro c com 6 rrasqnn
nhos de extractos por IfMMD cada um, e outrps
cobertos de papelo com 9 frasquinhos por 2-3000
um; caixinhas com 6 frasquinhos de ditns por
15000 urna, outras com 12 ditos por 2JQ0U urna.
outras com 3 ditos, cuja coberta pan ce tartaruga
a IfaOO cada urna, e outras com pastilhas de chei-
ro a 500, 1000 e 200.
Envclopes bordados e carifs com bei-
ras Na loja da agota branca, ra do Queimado n. 8.
achavam-se venda bonitos envolopes bordados <
cartes com beiras douradas, tendo de uns e oV-
outros, maiores e menores, proprios para partitt-
pacoes de casamentos, bailes etc.
Completo sortimento de Atas
Unas, lisas e labradas.
A aguia branca recebeu um grande e completa
sortimento de Gtas de diversas larguras < qnalida-
des, tanto lisas como lavradas, e em todas ellas co-
nbece-se a superioridade da fazenda, notando-si
as lavradas o bom gusto dos novos e lindos dese-
nlies, isso tanto as matisadas como as brancas,
c pela commodidade dos precos o pretendente '; w
se dirigir munido de dinheiro ra do Queimado
loja- da aguia branca n. 8,- ser bem servido.
Capachos inglezes.
Na loja da aguia branca, ra do Queimado n. 8
vendem-se bons capachos inglezes, os quaes alui
de bonitos sao de immensa dnraco, pelo que se
tornam baratos pelos precos de 4, o, G e 7
cada. uro.
Cartas francezas.
A aguia branca, na ra do Queimado n. 8. rece-
beu um novo sortimento de finas cartas francez.1*
com beiras douradas e brancas, e as est venden-
do baratamente a dinheiro vista.
SAPATOS DE BURRUIU
a I0OOO, 1#500 e 95ttO o par
na ra do Queimado lojad'Aguia-Brauca n. 8.
Latas com banha fina.
J por diversas vezes a agnia branca tem rere-
bido dessa banha fina em latas, e tal tem -ido a
prompta e rpida extracto della, que nao tem da-
do lugar a aguia branca avisar a sua Loa frente-
da, pelo que lalvez a maior parte della >o agora
saliera da vinda dessa boa banha. Ella vem em
latas de 1|2 e l libra, e contina a ser vendida te-
jos baratissimos precos de 2$ e :i,5000. Apar superioridade da qualidade della esto os agrada-
veis e finos cheiros de rosa, jasmim, laranja, bou-
quet, e flor de Italia. A boa freguczia assim te dirigirse com dinheiro ra do Queimado.
loja d'aguia branca n. 8.
Banha fina em copos de por-
celana dourada com ins-
cripcoes.
K j bem conhecida pela boa freguezia d'aguia
branca a superioridade da banha que vem nos ro-
pos de porcelana dourada com maviosas e jocose-
rias inscripcoes, as quaes agora vieram de novo
gosto, pelo que essa fina banha p le anda ser
mais conhecida por aquelles que qnizerem fazer
um bom presente, com tanto que eomparecam mu-
nidos de dinheiro na roa do Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
O > W 13 1^ "i-
-e < O ^*- q A*
0 0 g 9 O a 0 l-" X - -=3
bd P-- ~ =i
0 0 s ete p- ^D M
i s g < ce --<
= B so 0 P-* r. --"3
p 0 i c a 3
00 co Hta 1 'ja P 5-ga 0 p-
O- e-K
?' S D
Salitre refinado, superior qualidade, vinuo Bor-
deaux, differentes qualidades, mais barato que em
qualquer parte : no armazem de E. A. Burle 4
C., ra da Cruz n. 48._________________^_^
Vende-se alpaca preta a 500 rs. a cavada.
Vende-se alpaca preta para vestidos a 500, 600.
700 e 800 rs., fina de rordo a 800 rs. para pale-
tot, princeza preta a 800 e 640 o covado, bombazi-
na preta fina a 1J1400 o covado, laazmhas preta
para senhora qne est5o de luto a 720 o covaiio :
na ra da Imperatriz n. 56. A loja est aberta at
as 9 horas da noite.
Collecco do Mario \ Vende-se a collecco do Diario Novo desda o
seu comeco em 29 de julho do 1842 at o >eu ult-
malo em 15 de novembro de 1849, constando de
9 volumes encadernados, os quaes so franqneiam
ao comprador |ni a examina-los : na ra do impe-
rador n. 15.______________________________
Vende-se a taberna n. 149 na ra Imperial,
bastante afrejroezada, (nao tem fundos) e o motivo
da venda se dir : a tratar na mesma.
ESCBAVOS rCDJCS.
O proprietario do gnnde ameW UHi}1 e f^nimcrdo declara aos seus fregoe
zes e amigos e ao publico em geral, tras para facilitar a commodidade de todos esrFpnKm
os mesmosnrecosnossegtrmtes lugares:
Uniao e Commercio u& do^ Qtteimaaa'H. 7.
O Verdadeiro Principal ra'do Imperador n. 40:
ESCRAVOPGIDO
9990 d fratMrcacao.
Continua rgido desde Janeiro o mulato de ne-
me Raymondo, natural do Ic, estatura refn'ar.
idade de 18 anuos, cabe? cnala, caiellos carap-
nhos, testa grande, rosto oval e com urna Btala
na face esquerta, maeas salientes, dentes limados
pontudos, bocea regular, e principio de buco, psr
e roaos pequeos, coslumava andar calcado, e in-
titulava-se livre com o nome de Manoel Ravmnn-
do : quem o apprehender, dirija-se ra da Ca-
deia do Recie n. 21, Luiz Antonio Siqueira, qne
entregar a referida gratificarlo.
Fugio de casa de seus senhores, no dia 14 do
crrente, o eseravo liidro, crkmlo, de idade 25 an-
nos, pouco mais ou menos, estatura regular, che
do corno, cor uro, pouco fula, cabellos carapinhos,
olhos pardos, beieps um pouco grossos, narii regu-
lar, ps grandes e grossos, bem desembarazado no
fallar, nao maferiad, levon calca de bnm bran-
co, camisa de madapolao, eaapo de feltro j* na-
de; cujooacravoe nio de. Caben aUria da Co.
ceicao, do Brejo de Bananeiras, piaviacuda Para-
hyba do Norte ; veio em 1861 em pagamento para
os Srs. Guimares & Alcoforado desu cidaoV, sap-
,p3e-se ter'aagnid para aqule lugar : roga-se a
todas as autoridades e capaea de campo a soa ap-
prehenso e leva lo ao pateo da Santa Cruz o, 6,
que sero recompensados com 100,5.


i-1
*
Diarlo de Peraambneo Sexta le Ira 8 de fnllio de !!.
LTTRATRA.
A FU.UA DO DOUTOR MECJR
llomance original de Canillo Castello Branco.
XXIII
fContinuago).
O- eircum-tantes rctiraram-se a pedido da es-
posa do Hcspanhoi, a qual, com suas Dinas, acom-
panhara Albertina.
Era urna esmola do cu deixarcni-nos chorar a
bA filha dodoutor Negro encarou a Oto dos olhos | !h.a.nlM.!f.0JdaJav,e nocUirna' ritos 1ue ali cna-
do marido, e exclamou :
tanto a face para Albertina, e desprenden, um tr-
mulo e profundo solugo.
Morreo.
Esta palavra atroz, quando o sacerdote a profe-
ria, com as maos erguidas e a cruz entre ellas,
oi o ultimo spro na razao de Albertina.
Nao me respondes?exclamou ella, abra-
cando-Re ao peito do cadver.Nao me respon-
des ?.. .Pois tu estte morto T
Ergueu-se de golpe, e contemplou-lhe a face ;
vergou-se outra vez, e bejou-lhe os labios.
Depois, levou as maos nos cabellos, repuchou-
I os com pavoroso phrenesi; arrancou uns gritos se
Como ests desfigurado !... Tu morres I tu
morras I filtio de minha alma I
Quem sabe?! aecudiu elle, contrafazendo
jovialidade. Estou anda na edade da torca e dos
magres, minha Albertina Esperancemo-nos,
lilba...
x Santo Deus t tornou ella em clamor.. Virgem
mae de Jess Clirislo I... pois eu Itei de Picar sem
mea marido !... Eu hei de velo morrer, oh se-
nhor I
E, soltando-se dos bragos do esposo, cahiu de
joelhos com as maos postas e os olhos lanzados ao
cu, atravez das grades.
Albertina I disse Joo Chrysostomo em afflic-
tivas ancias. Tem pena de mim e de ti... Vem c,
(Continuacao,)
Os abitantes : Turcos, Gregos e Sfakiotas.A ilha
depois da guerra da independencia.
I
Os Gregos cretenses julgavara que, abracando o
islamismo, nao eram obrigados a renunciar aos
pohresinha.. Deus hade operar em ti um prodi- I hbitos que proscrevia a sua nova religiao : suas
gio de valor, porque tens sido urna alma forte e \ paixes aproveitaram-se da tolerancia que o Alco-
mavam a risada da loucura.
O frade e o commerciante retiraram-na, leva-
ram-na do quarto, e reclamaran os soccorros de
um medico.
Onde est a medicina daquellas demencias?
(Continuar-se-ha.)
A ILHA DE CRETA.
Iteeordaees de viagem.
ii

nunca dexaste de o crer c chamar nos grandes
trances de nossa vida. D-me a mira o exemplo da
coragem, Albertina I
Ergueu-se ella com transporte, e estreitou o ma-
rido ao seio, e disse solucante :
Pode ser, pode ser que tu nao morras I
Estas esperanzas eram relmpagos. Assim que
ella titava olhar atiento no semblante do marido,
cortava-se o coragao, e cedia ao alto gemer da sua
inconsolavel dr.
O medico observou que a presenga de Albertina
a nao se comedir em sua affliccao, apressaria a
morte do preso.
E que lucra elle em vivor ? I reflecliam as
mais condoidas testemunhas do espectculo.
Seguiram-se as quotidianas visitas de Albertina.
Pizera espanto a inesperada mudanza que se ope-
rara na miseranda senhora, passada a terceira vi-
sita. Viam-a chegar cabeceira do enfermo a quem
o facultativo chamava moribundo, e sentar-se, sem
lagrimas, n*um sereno quietismo e introverso que
incua maior piedade no animo dos assistentes.
Joo Chrysostomo dissimulava os empuchoes que
lhe iam no peito, ao desatar-se a vida libra por fi-
bra. A cada contorcimento e estridor de dentes,
ergma-se ella, punha-Ihe a mo na face, e pergun-
tava :
Sentes a morte, filho?
Esta perguala repetida infundiu no espirito de
Joao Chrysostomo receio que lhe dobrou as penas.
Previu que Albertina lhe esperava o alent final
para suicidar-se. Revelou a suspeita ao commer-
ciante, pedindo que a salvassem da fraqueza e do
crime.
Quem pode salvar a alma forte, que se despren-
de dos supplicios que esmagam os fraeos?
0 Hespanhol tinha ideas, sobre o suicidio, aves-
sas religiao santa da paciencia, e da esperanza
n'outro mundo.
Joao Chrysostomo, o homicida quem o dira ?
combateu o materialismo de seu patrao; c, como
sua mulher chegasse a lempo em que discutiam, o
enfermo, acalorou-se, quanto as forjas lhe deixa-
vam, e fallou na immortalidade da alma com tanta
elevago, subtileza e compungimento, que arran-
cava prantos e calava no animo obdurado do argu-
mentador philosopho.
Albertina ouvira-o attenta, e sorria quando Joao
Chrysostomo disse:
Nao estao estas verdades no teu coragao.
anjo?
E como ella permanecesse silenciosa, o marido
sontou-se de violento impeto, e disse :
Nao permita Deus que eu seja causa a que
tn d'*s ao mundo um quadro de miseravel fraque
za, Albertina Nao permita Deus que tu me fagas
dar contas ao Supremo Juiz da perdgo da la al-
ma !...
E limpava um suor, que pareca sro do ultimo
sangue, que vinha arreferido das arterias moras.
Albertina ajoelhou, e disse :
Perda-me, que eu sou mulher. e nao sei o
que viver sem ti! Perda-me, que eu, se nao
morrer, enlouquecerei, e depois o fim da minha
vida ser horrendo...
Que seja I.. .que o mundo te lastime perdida
para a luz do entendimento...O Senhor te dar
luz, martyr!...Jura, jura ao teu pobre marido
agonlsante que nao tentars contra tua vida !
Albertina beijou a mo, que o esposo lhe estn"
dera a solemnisar o juramento, e balbuciou :
Nao me matarei!
Rem hajas Itornou Joao Chrysostomo com
repetidas intermittencias de abafacao. Dem hajas!
Fica pedindo por mim...Rem sabes que cu nao
deixo quem reze urna Ave Mara por minha alma.
Tu irs patria, e dirs aos diffamadores do mcu
nome, que eu... nao roubci um ccitil a homem
nenhum.. .Irs ajoelhar sepultura de teu pae, e
pedirs perdo para os delictos da minha alma...
K i matei um homem; levo a Deus este sangue
que me resaltou face; mas.. .quem sondou, se-
nao Elle, as minhas angustias ?.. .E tu has de vi-
ver, Albertina, para eu ouvir na eternidade as
tuas preces I...
Cahira sobre os travesseiros extenuado. Alber-
tina solucava de joelhos.
rao concede a alguns de nossos ppetites, sem se
sujeitarem aos sacrificios cora os quaes elle pre-
tende reprimir outres. Dest'arte conseguiram reu-
nir os vicios dos christos aos dos Mahometanos, a
embriguez a polygamia.
Todos os Mulsumanos da ilha tinhara conservado
o costume de fazer e beber, publicamente, o vinho,
como os ghiaours, costume que escandalisava mui-
to os seus correligionarios de trra firme. O Tur-
co candiota, diz um viajante, muito pouco estima-
do as outras partes do imperio. Essa ma reputa-
cao, entre os Mulsumanos, fundada na falta de
observancia de certos preceitos do Alcorao (I).
Essa impresso ainda nao se desvaneceu. Em
1837, um Turco de Constantinopla, distincto offl-
cial, fallava com menospreco dos Mulsumanos de
Creta, com os qoaes o seu posto militar o pozra
em contacto immediato durante alguns mezes.
c Nao sabem, dizia elle, senao embebedar-se, e
cantar em altos berros, em pessimo grego, toda a
sorte de asneiras. Nao ha um delles que tenha
viajado, nao ha um que saiba a sua lingoa nemque
tenha desejo de sabe-la. Quem quizer conversar
seriamente, quem quizer fallar turco, tem de diri-
gir-se a um Grego.
Com quanto os verdadeiros Turcos recusassem
reconhecer como irmaos esses Mulsumanos impro-
visados, que assim barateavam o Alcorao, com
quanto o sangue grego gyrasse as veas do maior
numero desses que, ha 100 annos, blasonavam de
ter o nome de Turcos, nunca em parte alguma os
dominadores Mulsumanos foram mais insolentes e
crueis para os christos o que na ilha de Creta.
Nenhum christao era senhor, nem das suas trras,
nem da sua casa, nem de sua molher ou de suas fi-
Ihas.
Basura o capricho de qualquer Mahometano para
roubar-lhe tudo quanto faz prezar a vida. Todos
os Turcos que baviam na ilha achavam-se alistados
em um dos quatro regimentos de janisaros que re-
sidan) em Creta, e, revestidos desse titulo, calca-
vam aos ps toda a justca e todo o direito, zomba-
vam atrevidamente de toda a autordade.
No decurso do secuto passado, quando em toda
a parte se desobedeca ao snltao, nao havia lugar
onde elle fosso menos respeitado do que na ilha de
Creta. Mais de urna vez, revoltando-se contra o
pacha, que Ibes mandava a Porta, os Tarcos can-
diotas obrigaram Constantinopla a reconhecer o
chec que ellcs queram, e a sanecionar por um
decreto a eleicao dos rebeldes.
Era, pois, impossivel aos governadores tentarem
com bom xito qualquer meto de se defender des"
sas aggressoes, que cada da se tornavam mais
brutaes, a vida e as propiedades dos christos,
para sustentar a agricultura e o commercio, qne a
falta de ordem e de seguranza faza decahir e atra-
sarse sensivelmente de anno em anno.
Na crueldade com que os novos Musulmanos co-
megaram, logo no principio, a tratar esses que, ain-
da na vespera, eram seus irmaos, havia sem duvida
grande parle desse odio, que os renegados votam
quasi sempre religiao, que abandonam e quelles
que continuam a professa-la.
A perseveranra de tantos christos em conserva-
rem-se firmes na sua crenca, apezar de todos os
soffrimentos que dahi Ihes resultava, era para os
transfugas urna continua e acerba censura. Vin-
No caminho encentra o noivo, que ignorando
tudo o que se '.aassara, voltava muito tranquillo
com os presentes destinados a sua futnra. Arre-
mete sobre elle, e puxando por urna pistola, des-
carrega-a a queima roupa no moco, que cahe mor-
to a seus ps. Taes criraes, ser necessario di-
ze-lo ? liiaram impunes ; eram dlvertimentos do
Cullen falla da outra dama que permaceceu seis caixo, 7 por demoras nao calculadas na ceremo-
dias em estado da morte apparente.
Liceto falla de outra que s revlveu ao cabo de
dez das.
Todos os autores citaram o facte de Francisco
Civille, fidalgo do tempo de Caries IX, que, em
seus contratos e escripturas, se qualificava como
bey, e os senhores da trra, em cujas maos esta-: tres vezes morto, tres enterrado e tres resi
vam os tribunaes c a justiga, nao se indignavam do pela graga de Deus.
por to pouco. Esse miseravel toi morto d'ahi a
mutos annos, na guerra da independencia.
Eis urna outra ancdota, quo ouvi de muito boa
fontc. Existem anda na ilha de Creta alguns ve-
Ihos, que presenciaram essas cousas, e que, como
natural, nunca seesqueceram, nem perdoaram.
Havia em Canea, no comego deste secuto, um
christao, padeiro de profissao, afamado pela peri-
cia com que faza nao sei que bulo da sua trra.
Tambem se fallava muito na belleza de sua mu-
lher, que era muito gabada entre os Gregos -, mas
nenhum Turco tinha podido ve-la. Por prudencia,
como quasi todas as mulheres gregas daqaella ci-
daJe, ella nunca sabia de casa.
Uma manhaa, ambeyfo Canea, desses a quem
nnguem ousava desobedecer, entrou em casa do
padeiro.
Faze-me um bolo para esta noute, disse elle
ao pobre homem ; eu virei com alguns amigos co-
me-Io aqui mesmo em tua casa ; a mesa deve es-
tar posta as 2 horas da madrugada ; d-nos bom
vinho e agurdente bem forte. Sers bem pago.
O padeiro desfez-se em agradecimentos : con-
fundia-o a honra que lhe fazia sua senhoria, sua
senhoria seria satisfeilo. O facto, alias, causava-
lhe mais incommodo do que receio.
Alguns beys, que nao tinham ainda perdido de
todo o respeito humano, e que nao gostavam de
violar a le do propheta em presenga de suas mu-
lheres e de seus fmulos, faziam multas vezes des-
sas patascadas, de noute, dentro do alpendre bem
fechado dealgum caf solitario ; o padeiro s po-
da receiar ser mal pago ou mesmo nao ser pago
do seu traba! ho. Sem grandes inquietagoes, o nos
O celebre anatmico Winlow, professor de Pars,
fra duas vezes sepultado vivo, e por isso publicou
urna these importante a este respeite. Nesse
escripto, menciona ello urna senhora de Orlcans
enterrada com um annel precioso e que voltou
si quando um criado, nao podendo arrancar-llie o
annel, corlou-lhe o dedo. Seis annos depois ainda
ella viva.
Felippe Peo, parleiro de Paris, hundo a ope-
rago cessariana em urna mulher
nia das exequias. E o bito dessas pessoas tinha
sido ollicialmente asseverado I
E* bem conhocida a historia do coronel Fowns-
heim referida por Cheyne no sea tratado das mo-
lestias britannicas. O coronel, enfermo havia mui-
to tempo, mandn um da chamar a Cheyne e Bey-
nard que o tratavam e ao seu boticario Strine para
os fazor testemunhar urna singular experiencia,
que quera repetir em presenga delles : consista
em deixar-so morrer e ressuscilar.
E' fcil julgar da sorpreza que causou esta pro-
Se a mim fosse dado lembrar-te ditoso,
O anjo formse, que tens coragao,
Veras qae a vida tem doces anhelos
Que podem os glos mudar em volead.
suas fallas, gozar de bom senso ( Nao seanimavam
a aceita-la com receio que a experiencia fosse fatal
ao enfermo no estado de fraqueza em que se acha-
va. Por fim cederam, por curiosidade e por com-
que se sup- [ prazCr ao doente. Elle detou-se de costas : Chev-
punha morta, viu-a tornar a si com os golpes do
bistoii.
Na Estrella do Norte l-se o que segu :
AON DE CONOC O PnOTESTAgTISMO 1
Que o principio fundamental do protestantismo,
que estabelece comoregra nnica da f a Biblia (in-
terpretada por cada um como bem lhe parece i
irte de um homem que parec.a, por ^uz em ultima analyse ao racionalismo, isto .
negagao de todos os dogmas revelados, verdade
esta que nao s se pode demonstrar a priori, mas
que j passou de ha muito no dominio dos /ac-
tos.
I ?JIrS PUlS' "' i'?' "T '6 i ES a"U Um qUe Prva <>ue os *"
R.gaudeau, parteiro de Douai, con.a de urna se. i LE ^ ang,icanos n5 crcera mais D0 lamento do bap-
nhora que expirou de parto. Tirada a
Logo aps lra momento nao se sentiu mais pul-
sagao na arteria, nem movimento no coragao, e o
bato nao embaciava o espclho. Convenceram-se
os tres praticos de cessaco total destes tres movi-
mentos.
do coronel,
creanga!
anda viva, o parteiro retirou-se. No da soguinte
pela manilla, indo ver a creanga, enconlrou-a nos
bragos da me resuscitada.
Lancisi, medico principal do papa Clemente XI,
refere de urna matrona de distiocgo que recobrou
os sentidos na egreja, quando se oficava em torno
de seu caixo. Santo Agostinho e S. Cyrillo ci-
tam dous factos semelhantes acontecidos no seu I
lempo.
Peclin narra a historia de um jardiueiro que es-! Pfrsaadiram-se que o enfermo tinha de facto mor-
teve dentro d'agua, coberto pelo gelo, por 16 horas,'rido' inando este comecoo a vollar vida, o pulso
e que se pode revocar vida. a ag'lar-se, o coragao a bater e a respragao a sen-
Diz Amato Luzitano que urna dama de Ferrara,. ,,r'so-
extremamente amorosa da filha, nao quz deixar
enterra-la, porque ouvira que pessoas moras Assim que elles sahiram do quarto o coronel
de apoplexia luham tornado si. Ao cabo de' niandou chamar um tabelliao, ajuntou um codi-
tres dias teve a fortuna de ver a filha fazer alguns c'" a seu testamento, recebeu os ltimos soccor-
movmentos e pouco tempo depois a de v-la resta- ros e e*Piru sem violencia pelas cinco ou seis
belecida. I da noute, oito horas depois da experiencia mencio-
0 padre Prvos, autor de Manon hetcamt, su-'nada-
cumbiu de apoplexia atravessando a matta del
so homem preparou o boto, e assim que anouteceu, I an.' Jj ; preza, em pessoas enfermas, como que aniquilados
dispoz tudo para agradar ao paladar dos convivas.' A* juaneas mandaram-no abrir para se conhecer os movmen,os do coragao e da respiracao e an-
A" hora indicada, chegam os 6/,sentam.sc nota- Positivamente so a morte tora resultado natural ou; nunciando uma raorle proxima> e deperresiabe-
pete, e comecam a beber. D'abi a pouco, sahn- de ura crime- ^ma incisao elliptica, no peito e; lecidos insensiveimente de modo a permitiir-lhes
do o dono da casa para ir ver os seus tornos, dis- no ventre.ez Jorrar uma onda de sangue e o des- ainda muitos annos de vjda VaUer cu em suJ
se-lhe imperiosamente o chefe do bando chama "ado, soltando um grito profundo, expirou s i physiologia, historias anlogas do coronel. Fonta-
tua mulher para servir-nos.. O desgragado co- ** ^ medico "V**. | M bava.5c tambem de def acce,erar
No ultimo de outubro de 1806, o Sr. Deschamps ^ |so a vontadc
de la Guillotiere, morreu as cercanas de Lyon, I
e o seu enterro, por circunstancias que occorr-1 Os autores que estudaram os signaes caracleris-
ram, toi adiado para d'ahi dous dias. Na occa-1 ticos da morte reconheceram, todos a uma, que o
sio de sabir o prestito, os assistentes, tomados de aspecto cadavrico da face, o resfriamento e livi-
pavor, viram o corpo levantar-se no sudario e pe-
diu que lhe dessem de comer.
Dous factos desta ordem esto consignados no
Suele de 23 de dezembro de 1842 e na Presse do
1. de Janeiro de 1843.
O Sr. professor Frangois, da academia de medi-
cina da Blgica, cita na Imprensa medica belga um
caso de morte apparente, simulado por um ac-
cesso de febre intermitiente perniciosa, bem raro
e bem curioso, que concorre para o ensino da
questao das mortes apparentes e dos sgnaes certos
da morte.
Em 1822 (diz elle) no furor da epidemia das fe-
bres intermitientes de toda a casta, que reinavam
na cidade de Mons, fui chamado para ver uma
dama Lemoine, de 40 annos de edade, acommetlida
tismo, nem na divindade de Jesas-Christo.
*
Em 1847 nomeou o governo inglez cura de ama
freguezia anglicana um sociniano chamado Gor-
hara.
mega a comprehender entito, recusa, jura aos gran-
des deuses que impossivel obedecer s suas se-
nhorias, e que sua mulher nao est em casa. Nao
o attendem : se nao obedecer immediatamente
ser morto, e dar-se-ha busca na casa: se pelo
contrario fr submisso, nao se far mal a nn-
guem. Atordoaao por essas ameagas, o padeiro
cede e vae buscar a mulher ; apenas ella chega
mais morta que viva, batem na porta da ra. Vae
abrir, dizem ao marido, um conviva que espe-
ravaraos. Corre o homem pressuroso, para voltar
mais dep'ressa e velar quanto fosse possivel pela
seguranga de sua mulher.
Apenas abre a porta, langam-se sobre elle uns
poucos de assassinos, que o apnnhalam e deixam
o seu cadver estendido na ra. Feito isso, tor-
nan) a fechar a porta. Comega entao a orgia, que
dura at de manhaa. Quanto a pobre moga, en-
tregue sem defeza a esses malvados, imagine-se
como passaria a noote e os insultos que soffreria.
Sabe-se que os socininos sao ariaoos modernos
que, como o protestante Fausto socno, negara a
D.ssertaram entre s a respeito do phenomeno, e: divndade de Jess Christoea necessidade do bap-
I vendo que elle se demorava alm de meia hora, tismo.
O bispo anglicano de Exeter, em cuja diocese
se achava a parochia, recusou instituir cura o cha-
mado Gorham ; e isso por causa de heresia mani-
festa, appella Gorham para um tribunal de pri-
raeira instancia, qae se pronuncia em favor do
bispo. Mas um tribunal superior composto de
ministros da rainha declara : l'que o sapradito
bispo nao tem nem a jurisdiegao, nem a autorda-
de necessaria para definir qual a doutrina da
egreja anglicana ; 2 que a doutrina de Gorham
ier assevera ter visto sor- sobre baptismo nao contraria doutrina da
egreja anglicana,
Esta declarago que patenta a contradicao e a
apstasia do episcopado anglicano, foi redigida, di-
zem, pelo arcebispo anglicano de Cantuaria. u de
Exeter protestou contra, mas foi condemnado por
um terceiro tribunal secular, e acabou vergonho-
samente por assignar a nomeacao do herege Gor-
ham, que foi instituido cura por um funecionario
civil.
dez da pelle, a flexe dos dedos, a insensibilidade,
s queimaduras e incisoes, o obscurecimenlo dos
olhos, a ausencia da respragao e do vapor da boc-
ea, etc. etc., nao bastam para estabelecer a real-
dade do bito ; porquanto, nao s alguns desses
signaes nao se encontram sempre no cadver, como
tambem as vezes foram observados em individuos
que os esforgos e soccorros da arte chegaram a
reanimar.
Com estas tristes narracoes, procurames dar a;,
. L m "e om primeiro accesso de febre, mas pouco pro-
conhecer o carcter os costumes dos Turcos ere- > ...
. j f.u. a nunciado e sem carcter particu ar que dissipou-se
tenses antes de fallarmos dos crueis castigos que H v
promptamente.
castigos que
recahiram sobre elles, primeramente durante o
governo de Hadji-Osman-Pach, cujo nome ficou
sempre temido na ilha, e mais tarde, as latas da
revolugo grega. Para que a expiagao nao pare-
ga muito severa, era preciso mostrar quanto os
crimes foram Brandes, insupporUveis. inauditos.
Foi a mao de um Turco que descarregou os pri-
meiros golpes sobre esse sanguinario despotismo.
Osbeys cretenses, fiados na impunidade, torna-1
vam-se cada vez mais indisciplinados e insolentes; i
Vicraro, dous dias depois, buscar-me a toda a
pressa com a noticia de que a doente estava expi-
rando. Tinha tido um novo accesso duas horas
mais cedo do que o da antevespera, alguns arrepios
de fro, alguns hocejos, e perder os sentidos quasi
Instantneamente.
i A' minha chegada, estava a Sra. Lemoine sem
pulsago em qualquer das arterias que eu cxplo-
rasse : tinha os olhos cerrados, as pupillas immo-
Outros sgnaes, em numero de cinco, conside-
ram-se como caracteristicos, e sao : a ausencia de
pulsacoes do coragao, a rigidez dos Miembros, a
putrefacgao,a colorago verde das paredes abdomi-
naes, a ausencia de contraegao dos msculos sob a
influencia do galvanismo.
c O exame pelo galvanismo, diz o Sr. Marc, raem-
bro da academia de medicina, de aecrdo nesse
ponto com o Sr. Nysten, o mais seguro meio de
se reconhecer a morte real: os corpos nao deviam
ser enterrados senao quando a pilha de Volta nao
tvesse mais aegao sobre elles.
Viva a reforma.'
Com effoito raro em extremo que em 24 ho-
ras depois da cessagao da vida a pilha produza
contraegoes. Ora como a lei nao permitte os enter-
. veis, insensiveis aegao da luz; o rosto e os la- ros seno 24 horas depois do fallecmento. a expe-
suas exacgoes,suas crueldades e os males que pro-! bios pa|IjdoS; bem como ,oda a pe||e fra e secca rjencaj d(J que se emprehendida 4 ou 6 ho-
d.galisavam aos christos faz.amcom que pouco a:, respira5a0 suspeilsa um |ho ch do aos ras antesdo enler acabaria lenamente com 0
1 labios nao embaciou : o ouvdo applicado reg.ao j perigo de ser alguem enterrado vivo. Se nessa oc-
do coragao nao percebeu o menor movimento, o casiao, o corpo moslrasse ainda excitabilidade,
menor ruido. O lcali voltil chegado ao nariz, ou
em frieges, os mais enrgicos sinapismos, nada
pude dar a suspeilar que restasse signal de vida
nesse corpo glido.
Querendo esgotar as experiencias, appliquei
O divn decidiu-se em 13 a mandar para a uma larga chapa de ferro incandescido na parte
com inquietago chegar a hora em que, dessa bella
ilha to rica e to fecunda, nao tirara por assim
dizerrendimento algum. Quatro pachas, nomea-
dos pelo sullao, foram successivamente demttdos
pelos janisaros candiotas e reenviados para Stam-
boul.
gavam-se, opprmindo os christos com humilha-
ges e injurias. E'verdade que esses remorsos j |l3es remeilio5'e n5 era homem que hesitasse na
nao atormentavam os filhos dos que renegaran! ; eiolha dos metos. A principal difrlculdade era
Canda com o titulo de governador geral, Hadji- interna das pernas, infructiferante.
Osman-Pach, que nos empregos, que at ento ti- S ao cabo de quatro horas, o Dr. Frangois viu
nha exercido, se distinguir pela energa do seu na testa da paciente algumas goiinhas de suor.
carcter, e por uma firmeza que em caso de ne- Continuou no emprego dos excitantes e pouco
cessidade elle levava al crueldade. Acostuma- pouco a vida reappareceu. No dia seguinte houve
do a fazer-se obedecer, bem depressa Hadji-Os- um novo accesso, mas foi vencido e aquella senho-
man estudou a situagao e tomou o seu partido. Sa-; ra viveu ainda mais de 30 annos.
bia que para os grandes males sao precisos gran-
dever-se-hia recorrer tentativas de reanima-lo,
nao ter tropas sua disposigao : os beys eos agas
turcos, esses mesmos que elle quera abater e cas-
tigar, eram os que compunham a milicia-da ilha ;
quanto a mandar vir de fra da trra albanezes
ou outros soldados, era cousa em que nem devia
pensar.
(Continuar-se-ha)
O moribundo pediu a presenga de um sacerdote.
Confessado e ungido, chamou para junto de si a
esposa, que o esteve contemplando com uma para-
Iysia de gestos, indicativa das trvas que se esta-
vam carregando em volta de seu espirito.
Conseguiu a piedade dos amigos, contrahidos
nos ltimos dias de inexcedivel desgraga, que Al-
bertina e o frade carmelitano pernoutassem no
quarto dq agonisante.
Ao repontar do sol da seguinte manhaa, o com-
merciante entrou no quarto, e disse :
Todos os seus inimigos, Sr. Joao Chrysosto-
mo, apregoam a sua innocencia, e juram que o se-
nhor padeceu os effeitos da calumnia, e est limpo
de toda a macula.
Joo Chrysostomo relanceou os olhos a Alberti-
na, e disse-lhe:
Minha mulher, j vs que te deixo a nica
heranga que poda deixar : ura nome sem o ferre-
te de ladro. A sociedade perdoar ao homi-
cida...
Estas derradeiras palavras foram exprimidas
com tanto desafogo e serenidade que os assistentes
julgaram muito alliviado o moribundo.
Albertina viu que o sacerdote e o commerciante
confirmavam as suas esperangas della; e logo, ar-
rebatada de alegra, abracou-se ao esposo, excla-
mando :
Tu estaes muito melhor, mea filho !
Estou...disse Joao Chrysostomo; e, desea-
hindo lentamente as palpebras, inclinou algum
mas era um habito adquirido, e o habito do mal
adqure-se mais depressa, assim como se perde me-
nos fcilmente, do que o do bem.
E' ditlicl imaginar-se os excessos a que chegava
s vezes essa extravagante e violenta tyrannia nos
lugares onde, como nos montanhosos districtos do
interior, nao a reprima o temor das emboscadas e
das vingangas nocturnas. Pdese fazer idea do
que era, vista de algumas ancdotas que eu ouvi
contar por uma familia franceza residente em Cre-
ta, ha muito tempo, e que conhecia mui curiosos
pormenores da guerra da independencia e dos tris-
tes annos que precederam insurreicao.
A casa de campo em Kbalepa, perto da Canea,
onde morava essa familia, pertencra, uns cincuen-
ta annos antes, a um bey muito rico, verdadeiro
senhor daquella trra.
Como quasi todos os Turcos cretenses, Deba elle
muito vinho, e s vezes, para embriagarse mais
depressa, beba agurdente. Sendo, segundo di- ,
zem, um bom diabo quando estava em jejum, naol Se" SOmno le,harico antes de serem sepii"a
CU POUCO DE TUDO.
Mr. Rambosson escreve no jornal La Science Po-
pulaire o seguate artigo sobre :
OS ENTEROS PRECIPITADOS.
Os enterros precipitados tem sido
Ura notavel exemplo de lethargia deu-se em Mos-1
cou ha pouco tempo. A mulher de um rico nego-
ciante, depois de uma curta molestia, foi tida por
morta e seu corpo transportado ao cemitero. Quan-
do os coveiros faziam descer o caixo, este escorre-
gou e ticou maltratado da queda. Tratando-se de
indireita-lo. a supposta defunta moveu os olhos e
os bragos. O marido alirou-se na cova e d'al ar-
rancou a sua querida esposa. Chamou-se um me-
dico e em poucos dias estava ella restablecida.
Referu entao que se recordava das circumstancias
que a tinham mais impressonado, como quando a
metteram no caixo, quando o prestito entrou na
egreja e quando finalmente a desciam para a cova.
c Os solugos de meu marido (disse ella) me cau- j trida. Na obra de Lanormand se l que no espa-
savam a mais viva dr, porm todos os meus es- ge de dous annos e meto, 10 pessoas reputadas
mortas vottaram vida por este meio na cidade
O fluido elctrico tem tal anologia com o fluido
nervoso, que estes dous principios teem sido consi-
derados como idnticos por muitos physiologistas.
As correntes galvnicas e magnticas, como esti-
mulantes especiaes do systema nervoso, teem ain-
da a immensa vantagem de revocar vida, mais
do que qualquer outro meio, os individuos toma-
dos de somno lethargico.
Empregando-as nos que morrem de morte sbi-
ta, nos afogados, nos asphixiados por fumaga de
carvo, por chloroformio, etc., muitas vezes se
despertar um resto de vida que se extinguira
completamente, ou, cousa mais medonha, se mani-
festara smente quando as victimas j estivessem
na cova.
O emprego do galvanismo deve substituir com
vantagem as casas mortuarias que muitos gover-
nos estabeleceram nos cemiteros. A primeira casa
desta ordem foi fundada em Wemar, pelo celebre
Hufsland, medico do re da Prussa com este ds-
tico : Vitai asylum dubice. Nelles se guardam os
cadveres at que se manifest a decomposico pu-
forgos para mover-mo ou fallar eram ineflea-i
L-se na Gazeta dos Tribunaes, de 15 de novem-
bro de 1843:
havia nada a que nao se atrevesse quando eslava
embriagado. Um dia, depois de embebedar-se, ou-
viu dizer que uma christaa, uma das mais lindas
raparigas de lugar, devia casarse no di seguinte
com um joven Grego, o mancebo mais gil, mais
yalente e mais elegante daquella aldea. Manda
immediatamente dous dos seus servos bascar a
noiva e o pae para felicita-los, dizia elle. Nao ha-
via remedio, era preciso obedecer ; o noivo, que
talvez se tivesse opposio isso, tinha ido cidade
comprar os presentes de noivado. Esses infelizes
causa de
crues engaos: nao se pode ler sem grande abalo' zes-
a obra de Bruhier, escripia em 1840, a respeito da
incerteza dos signaes da morte. Conta elle por
miudo 181 factos ; de 32 pessoas enterradas vi-
vas, de 53 que voltaram vida depois de fechadas
no caixo.de 75 reputadas mortas e que despertaram | do morto de bebedeira, ha dias, na estrada de Nan-1
tes a Vannes. Na manhaa seguinte quando o iam
das, de 4 em fim, que morreram realmente, I enterrar, elle agta-se, questiona as pessoas que
mas quando o cirurgio as estavam abrindo com estavam roda, levanta-se e deita a fugir a bom.
correr.
Conta Lenormand de um prncipe L***, que
tendo fallecido perto de Florenga, foi posto em cai-
de Berln.
A electrcidade apresentaria vantagens tanto
maiores, quanto certo que ella pode nao s veri-
Perregaud, mendigo de profissao, foi encentra- ficar a morte de modo indub.avel, como chamar
vida no caso de morte recente.
o scalpello.
Valerio Mximo e Plinto (o naturalista) refercm
que o cnsul Avila recobrou o uso dos sentidos,
quando j estava na fogueira que o devia consumir, I xao aberto em uma capella fnebre de familia, on-
coino era o uso dos Romanos; mas nao podendo de os corpos se conservavam sem putrefaegao. Um
ser arrancado cora presteza, pereceu as cham- j mez depois, seu filho, vindo resar neste asylo, qur
maf' .. ,. abrir a porta e sent um obstculo: este obstacu-
O celebre medico de Carlos Vaievc duas vezes to era o cadver do infeliz principe, o qual, com as
a desgraga, ao fazer autopsia, de reconhecer que feg5es convulsas e as maos despedagadas de bate-
apresentam se todos trmulos; o bey manda que,o coragao palpitava ainda. Uma mulher, tomada Vem, viera morrer de encontr aquella porta que
se aproximem, e dirige moga grosseiros curopri-,de syncope e reputada mor, poz-se a gritar ao na0 deva mais abrir-se para elle,
mentos, dos quaes cada palavra era nm insulto. I Primeiro 8olPe do scalpello, e Vesale foi obrigado, i
Desgragadamente para ella, o medo, a vergonha, o para eX|)lar esla fal,a nvolun,aria, a ir de roma- O Sr. Le Guern, requerendo que as pessoas re-
rubor, que lhe sobe s faces, tudo concorre para ria a Terra **an,a em 156i- j Patadas mor,as *o faCam experiencias mais rigoro-
torna-la ainda mais bella ardendo em luxuria, o! Em Clonia. o Dr. Joao Scott, celebridade as, sas 0 W* do costume, provon que em 144, s
senhor ordena aos bandidos seus vassallos que le- sublilezas da escholastica, despertando dentro de,de factos que chegaram a seu conhecimento, houve
vem d'ali o pae, deixem-o a sos com a filha. Ar- 8eu tmulo, roeu as maos e quebrou o crneo. |em meD08 de 8ele meMS> I08""0 pessoas, cojo obi-
raslam o pobre velho, que em vao se debate entre] ADert0 caixao de Zenen Isaurio, imperador do, to tinha sido verificado e que foram restltaidas
os robustos bracos de meia duzia de Turcos ; i Oriente, conheceu-se que elle havia comido os pro- vida no momento de se Ihes dar sepultura j e qae
corrido pancadas, e sae -mais morto do que Prios bragos. em 1843, em menos de oito mezes, deram-se 6 res
vivo. I O cardeal Spinosa, ministro de Felippe II, rei de
O bey, depois de ler satisfeilo o seu capricho e Hespanha, cobrando-se de uma syncope, arrancou
deshonrado a joven grega, mon a cavalip para ir das maos do cirurgio a navalha com que o abria houve (conhecides e contados por elle) 46 casos de
tomar fresco e dissipar os vapores do vinho ; acom- na supposigao de j ser cadver. enterro impedidos pelo acaso quasi sempre : 21 In-
panhado de seus guarda-costas, galopa pela estra- Terelli falla de uma nobre dama hespanhola, dividuos despertaram por si mesmos quando iam
da que de Kbalepa vae ler Canea. j____ morta de convulsSes, que, ao segundo golpe do ser dados sepultura; 9 em consequencia de cui-
dados prodigalsdos pela ternnra dos prenles; 4
I por queda do caixo; 3 pelos pregos OU alUmetes do
Basta um minuto para fazer-se a experiencia nos
msculos de um cadver, qur com uma pilha
qur com um apparelho magneto-elctrico.
do Sr. Cyrillo de Lemos esta poesa :

Sao negros teus olhos brilhando no rosto
Formoso composto de gragas de amor;
Sao meigos, fagueiros, sao bellos, sao vivos
Se voivera-se esquivos com brando langor.
surreigoes da mesma ordem.
Accrescenta aquello autor que a datar de 1833
(1) Tancoigne, viagem no Archipelago e na ilha sca'pello, dea um grito e expirou realmente
de Canda, tit. pag. 99.
'
Ambrosio Par cita um facto idntico.
Tem fallido rosto de marmore feito i
To puro e perfeilo no nobre perfil,
Parece lalhado com terno disvello
No molde do bello por hbil buril.
.
Invejam-te as Gracas o talhe divino,
O olhar peregrino qae inspira a paixo ;
Contemplam-te os anjos com santo ciume
Que em ti se resume de amor a feicao.
De marmore feita no mundo perdida
Tu passas a vida n'um tongo dormir,
Nem pode tua alma despir-se da veste
Que o fogo celeste po deiw lazir.
MA.NSIDAO DIGNA DE IMITAIt-SE.
Um amigo de S. Francisco de Salles lhe pergun-
tou um dia como que elle tinha podido, sem rom-
per o silencio, ouvir as injurias que um joven fi-'
dalgo irado lhe tinha dito :
Eis aqui, respondeu elle ; nos fizemos um
pacto inviolavel, eu e a minha lingua, e conven-
canamos que, em quanto o coracao estivesse no
calor da ira a lingua nao dssesse palavra ; e que
logo que elle nao sentisse mais semelhante movi-
mento ento dizesse ella tudo o que quizesse.
O santo ajuntou :
Em poucas horas este mogo se arrependera do
que me disse e me pedir perdo ; se elle nao
ufo pedir, irei Ih'o pedir eu mesmo e de todo o
meu coragao.
De Marselha escrevem :
Algumas cartas de Roma de 27 analysam a aiio-
cucao improvisada pelo pa|a no ultimo consistorio.
Por toda a parte, alegra e dores para a egreja,
exclamou com torga o santo pidre. Mas impos-
sivel guardar silencio perante atroz persegnigo
que tem lugar na grande imperio do Norte. Depois
de ter excitado seas vassallos ;i ravottt, o sobera-
no deste paiz, sob pretexto de reprimir a insurrei-
cao, extirpa o catholicismo, deporta para regies
glaciaes as populages, onde sao desprovidas de to-
da a consolago religiosa, exila os bispos, e caso
estupendo, privaos da jurisdceo que Ihes tenho
conferido. E ninguem se atreve a dizer que eo fo-
mento a revolugo por protestagoes necessarias.
Sei distinguir a revolugo moderna e a liberdade
razoavel. Mas se protesto contra esse potentado,
para desaggravar minha consciencia, enoovir
um dia o [soberano juiz dizer-me : Porque guar-
daste o silencio?
O archiduque, irmo do imperador de Austria.
a infanta de Portugal, e quatorze cardeaes estavam
presentes.
A attitude inspirada e indignada do sanio padr
proJuziu uma immensa sensago.
O marechal Saxe as suas Memorias (obra mili-
tar apreciada pelos homens entendidos), disse que
para matar um soldado na guerra, peto menos se
necessita gastar tanto chumbo como o seu peso
Este dito sempre se considerou como uma exagera-
gao ; mas agora pode assegurar-se que o mare-
chal nada exagerava.
Um escriptor competente fez o calculo seguinte
Em Solferino, dous exercitos numerosos, com en-
carngaraento, combateram durante um dia. Con-
ta vam os Austracos com perto de 200^00 homens.
e entre elles, ao menos, 140:000 infantes. Admittin-
do que em to longo tempo as munices nao tossem
renovadas, e que os soldados sconsumissem os seus
60 cartuxos, chega-se ao prodigioso consummo de
8:400,000 tiros de espingarda. E, todava, qne re-
sultado se obteve ? Os documentos dignos de ere-
dito fazem subir a perda do exercito alliado a
18:000 homens, cuja sexta parte foi de morios no
campo da batalha.
Os damnos cansados pela artilheria e pela arma
branca, foram grandes n'uma lucia em que tuto
se empregaram estas armas. Nao moli soppor
fosse menor de nma terca parte ; Ocariam anda
2:000 homens morios e 10:000 feridos para a in-
fantera. Cada soldado ferido costn 700 tiros e
cada morto 4200 ; logo como o peso medio das ba-
las de 30 gramraas, foram necessarias 138 kiio-
gramamas de chombo para cada homem morto ;
de sorte que ainda sem ler em conta os qne depois
morreram em resollado dos seus ferimenlos, cae-
ga-se ao calculo do marechal de Saxe.
PERNAMBUCO.-TYP. DE M. F. F. & FILHO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EO1Y9TAJN_301JM7 INGEST_TIME 2013-08-27T22:33:50Z PACKAGE AA00011611_10410
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES