Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10409


This item is only available as the following downloads:


Full Text
(i
AUNO XI. flOMESQ 153.
Por tres mezes adiantados SgOOO
Por tres mezes vencidos 6$00
Porte ae correio por tres mezes. 0780
---------- efgfrTi'TTV''"-"" T.-..L 1
.*m
ia,ai-}f "*k >.*Hf
QUINTA FEIRA 7 D JOLHO DE K64.
iun
Por auno adiaotado.....49S00O
Porte ao correio por um aono 3$Q0U
RNCARREGADOS DA SUbSCRlPyO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima
Natal, o Sr. Antonio Maraas da Silva; Aracatv,
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; MaranJjo, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
1NCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL-
Alagas, o Sr. Claudino Falcao Dias; Bahia, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins PARTIDA DOS E3TAPETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarass', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Anto, Gravat, Beierros, Bonito, Caruarn',
Altinho e Garanhuns as tercas eiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Liraoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu*, Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas eiras.
Serinhm, Rio Formoso, Tarnandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Piraenteiras as quintas eiras.
Una de Fernando todas as vcz.es que para ali sabir
navio.
Todos os estafetas partero ao V dia.
--------------------------------------------------------------i.
EPHEMEH1DES DO MEZ DE JILHO.
3 La nova as 10 h., 5 m. e 13 s. da m.
12 Quarto cresc. a 1 h., 26 m. e 14 s. da ni.
19 La cheia as 4 b-, 13 m. e 14 s. da m.
20 Quarto ming. as 6 h., 26 m. e 8 s. da t.
PREAMAR DE BOJE
Primeira as 6 horas a 6 minutos da manh&a.
Segunda as 6 boras e 30 minutos da tarde.
i PARTIDA DOS VAPORES COSTSIRO.i.
[ Para o sal at Alagas a t e 28; p.- o norte at
* *ft a de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes de jan. marc., maio, jul, set. enov.
n PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Rcife : do Apipucos s 6 Vi, 7, 7 >/2, 8 e
8 *]t da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6 /, dam.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bernfica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 /i, i 4 A, 4 Vi,
o, o Vj, Vi e 6 da tarde; para Olinda s 7 da
manhaa e 4 '/, da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Lachang e Varzea s 4 Vi da tarde; para
Be mflca as 4 da tarde.
AiSNCiA DOS TRiHUNABS DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relago: tergas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta^ s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tergas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
DAS DA SkM.-vNA.
4. Segunda. S. Isabel rainlia de Portugal viuv. *
5. Terca. S. Pliilomena v.; S. Trilina m.
6. Quarta. S. Domingas v. n.: S. Isaas prof.
7. Quinta. S. Pulcheria v. imperatriz.
8. Sexta. Ss. Procopio e Pnscilla raro.
9. Sabbado. Ss. Cyrille e Brido bb.
10. Domingo. S. Silvano m.; S. Bianor b.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE OFFIGIAL
WBM DA PROVINCIA.
Oontinuaco do Expediente do dia 2 de jnlho
de 1861.
OfDcio ao inspector da thesouraria de fazenda.
Remello inclusos para copia os avisos da repart-
cao da guerra datados de 20 de abril e 20 de ja-
ndo ltimos, para que V. S. em vista das respec-
tivas disposiges mande fazer carga ao capitao do
corpo de engenlieiros Domingos Jos Rodrigues
dos vencimenlos de commisso activa que llie fo-
ram abonados estando elle empregador;em servido
do ministerio da agricultura, commercio e obras
publicas, alim de seren os cofres pblicos indem-
nizados da respectiva importancia na forma da
lei.
Portara.O presidente da provincia attendendo
ao que requereu o professor publico de instruegao
primaria-do collego dos orphos Joo Jos Rodri-
gues, e tendo em vista a informacao do director
goral interino da instruegao publica datada de 2
do correte sob n. 122, resol ve de conformidad
com o art. 23 da lei n. 598 de 13 de maio ultimo,
remover o referido professor d'aquella cadeira
para a 2.a da freguezia de Santo Autonio do Re-
cife. Fizeram-se as necessanas communica-
dcs.
Dia 4.
Ollcio ao Exm. presidente da provincia da
Babia.Censtando-me de participaco da directo-
ra geral interina da secretaria de "estado dos ne-
gocios da jusiga, que S. M. q Imperador por de-
creto de 8 de junho find^hatfve por bem remover
la comarca de .Tacaratu nesta provincia para a de
S. Matheus na do Espirito Santo, o juiz de direito
Francisco Goncalves Lima por assim o haver pe-
dido; rogo V. Exc. que se sirva de fazer-lhe
chegar as maos a inclusa participaco, marcando-
lhe prazo para apresentar titulo e entrar em exer-
cicio na sua nova comarca.Communicou-se ao
Exm. presidente da provincia do Espirito Santo
e a thesouraria de fazenda.
Dito ao Exm. Sr. Dr. Francklim Araerico de
Menezes Doria, presidente da provincia do Piau-
hy.Picando inteirado pelo sen offlcio de 28 de'
niaio prximo lindo de haver V. Exc. prestado ju-
ramento e tomado posse da administrago dessa
provincia para a qual fra nomeado por carta im-
perial de 20 de fevereiro ultimo, tenho a satisfa-1
gao de assegurar V. Exc. que me achara sempre
prompto a cumprir suas ordens qur tendam
ao servigo publico, quer ao particular de V.
Exc.
Dito ao brigadeiro commandanie das armas.
Para que se possa autorisar o pagamento da gra-
tilicago que compele ao apprchensor do soldado
desertor do 4." batalhao de artilharia a p Manoel
Francisco Jos Barbosa, faz-so necessario que
V. Exc. me declare o nome do individuo que fez
essa apprehense.
Dito ao mesmo. Communico V. Exc. para
sen conhecimento que por aviso da reparlieao da
guerra de 10 de junho ultimo, foi approvada a
mmieac/io, que iiz k> Dr. juiz de direito da 2.' vara
Manoel Jos da Silva Neiva para servir interina-
mente de auditor de guerra nesta provincia.
Igual i-ommunicago se fez ao inspector da thesou-
raria de fazenda.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de informar
sobre o que solicita o director do arsenal de guer-
ra no incluso 'iili ''i.
Dito ao Dr. vigario capitular desla diocese.
Cinmunico V. Exc. que em aviso de 9 de junho
prximo lindo declarou-me o Exm. Sr. ministro do
imperio ter-se concedido nessa data, pelo crdito
du obras publicas do exercicio de 1864 1863,
a quantia de 11:0035800 rs. para ser applicada,
conforme o orgamento a que se procede!], s obras
<; reparos de que carece a cobarla da cathedral de
Olinda.Communicou-se tambem ao inspector da
thesouraria de fazenda.
Dito ao desembargador Anselmo Francisco Pi-
rette.A bem do servigo publico julgo conveniente
desanojar V S. alim de que continu no exerci-
cio das funegoes de presidente do tribunal do com-
mercio.
Dito ao Dr. chefe de polica.Approvo a delibe-
rago que tomou o delegado do 3. districto do |
termo do Recife, como V. S. me commuiiicou em
seti officio de 3 de junho ultimo, n. 634, de alugar
urna casa pelo prego de 73000 rs. mensaes para
servir de priso no mesmo districto, visto achar-se
deteriorada a que estava alogada para semelhante
tim.Communicou-se ao inspector da thesouraria
provincial.
Dito ao Dr. Abilio Jos Tavares da Silva.A
bem do servigo publico julgo conveniente desano-
jar V. S. alim de que continuo no exercicio das
funegoes do seu cargo de rhefe de polica.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
A'vi>la da guia inclusa mande V. S. ajustar contas
conforme delerminou o Exm. Sr. ministro da
guerra em aviso de 22 de junho ultimo, ao 2." l-
ente do 4." batalhao de artilharia a p Antonio
I.uiz Teixeira Campos, e pagar o que se Ihe estiver
devendo pertencente ao exercicio de 1863 1864,
liquidando-se a divida anterior nos termos do
aviso circular do thesouro nacional de 6 de agosto
de 1847.
Dito ao mesmo,Ao cabo de esquadra do coepo
de polica Edemundo Carlos Vital mande V. S.
abonar a gratilicago que Ihe compelo por ter ap-
prebendido na freguezia do Puco da Panella, como
consta do attestado incluso em duplicata, o soldado
desertor do 4. batalhao de artilharia a p Tho-
inaz Antonio de Farias.Communicou-se ao com-
mandante do corpo de policia.
Dito ao mesmo.Declaro V. S. para scu co-
nhecimento que cm oflicio n. 1168 de 2 do corren-
te, participou-me o brigadeiro commandanie ds
armas terem sido entregues collecloria da villa
lo Brtjo os 20050U0 rs. que essa thesouraria re-
metteu pelo furriel Lzaro Franco do Amaral, para
pagamento dos vencirnentos das pracas de 1." I-
nha destacadas na mesma villa.
Dito ao mesmo.A'vista da sua informagao n.
334 de 30 de junho ultimo, autoriso V. S. a man-
dar creditar o ministerio da guerra e debitar o do
imperio, pela quantia de 485300 rs. em que, se-
gundo o oflicio e conta inclusos importam varios
objectos fornecidos pelo arsenal de guerra para
asseio do palacio da presidencia.Communicou-se
ao director do arsenal de guerra.
Dito ao mesmo. Remello V. S. para os fins
convenientes o niappa do movimento bavido no i
pessoal das enfermaras do hospital militar na se-
guada quinzena do mez de junho prximo lindo.
Dito ao mesmo Remetiendo V S. as inclusas
primeiras vas de cinco conlas das despezas na im-
portancia de 196*180 rs., feitas com o tratamento
no hospital militar, do alienado Joaquim Antonio
Seve, que se achava desvalido, tenho a declarar-
Ihe que em aviso de 9 de junho ultimo, communi-
cou-me o Exm. Sr. ministro do imperio haver sido
approvada essa despeza, que deve ser levada a ver-
ba de soi-corros pblicos do exercicio prximo
indo. l
Dito ao mesmo.Em visla dos inclusas papis,
e nao havendo inconveniente, mande V. S. pagar
a Jos Pereira de Alcntara do O' a quanlia de----
;;005000 rs. a que lem direito por haver concluido
de conformidade com o respectivo contrato, o cala-
fecto que se obrigou a fazer do andar superior do
hospital militar, segundo consta de offlcio do direc-
tor das obras militares datado de 21 de jnoho ulti-1
mo sob n. 69, a que vieram a^nexos os menciona-
PERHAMBGO.
_ '- _________________
ASSEHBLEA PROVINCIAL.
ESSO ORDINARIA EM 3 DE MAIO DE 1864.
dos papis.Communicou-se ao director das obras
militares.
Dito ao inspeclor da thesouraria provincial.
Em additameulo ao meu oflicio de 27 de junho ul-
timo, transmuto V. S. para o flm conveniente a
lodosa copia do termo de contrato, celebrado pelo
director da repartico das obras publicas com o
emprezario do tbeatro de Santa Isabel, Antonio Jo-,
s Duarte Coimbra, para a execugao dos reparos e presidencia do sr. co.nselheiro trigo de
pintura de que precisa o mesmo tbeatro na impor- loureiro.
tancia de 5:6.305000 rs, segundo consta de odelo j Ao meio dia feita a chamada e achando-se nu-
d'aquelle director datado de 2 do corrente e sob n. mero legal de Srs. depulados abre-se a sesso e
172. Communicou-se ao director das obras pu- 'ida a acta da antecedente approvada.
hlicas. O Sr. Io Secretario d conta do seguinte
Dito.ao mesmo. Annuindo ao que solicitou o EXPEDIENTE:
director da reparligao das obras publicas em offlcio Um oflicio do vigario capitular da diocese con-
de 2 do crreme, sob n. 171, recommendo V. S.
Emenda.
Ao art. 21 supprimara-se as seguintes palavras
ou precedendo proposta do conselho director at
. o fim do artigo.-Buarque.
Sexo feminiao do Io grao :
Urna cadeira em S Lourengo de Tejucupapo.
S. R.Arminio.-Nabor.
Ao art. 19 accrescenle-se :
Urna cadeira de instruegao primaria para o sexo
masculino na povoagao de Una, outra em Goianna
e outra para o sexo feminino na povoagao de Ipo-
juca.S. R. Lopes. Silva Ramos. Camino
i Moura.Silva Burgos.
a presente lei. Araujo
data em que for publicada
Barros.
Fica o presidente da provincia autorisado a re-
ver novamente a tabella que regula o pagamento
dos empregados do consulado provincial, de modo
que o porteiro do mesmo consulado nao perceben-
do maiores vencirnentos que os de 3U escripturario e
em caso algum os possa receber inferiores.
O mesmo presidente fica autorisado a mandar
pagar ao mesmo porteiro as quantias que indevida-
mente tem sido liradas deseus vencirnentos.Car-
valho Moura.
Ficam approvados os estatutos da associagao das
que mande adiantar ao thesoureiro pagador da
quella reparligao a quantia de 5:1405000 rs. cons-
tante do incluso pedido para occorrer as despezas
com as obras por admiuistragao neste mez.Com-
municou-se ao predito director,
Dito ao mesmo.AttenJeodo ao que no incluso
requenmento solicitou o continuo dessa thesoura-
ria Jos Luiz Salgado Accioli, recommendo V. S.
que se nao houver inconveniente mande pagar-lhe
a gratilicago de 2005000 rs. votada no paragrapho
primeiro do artigo 31 da lei do orgameuto vigente,
como paga dos servigos por elle prestados na se
impressao o seguinte
vidando esta assembla para assistir ao enterra
ment de S. Exc. Revm. o prelado diocesano. -In-;
teirada.
E' lido e dispensado da
projecto :
A assembla legislativa de Pernambuco resolve :
Art. nico. A freguezia do Divino Espirito San-
to de Pao d'Alho fica devidida em dous districtos
de paz, pela maneira seguinte :
% 1." O primeiro districto compreheoder todo o
territorio que tica do lado direito do rio Capibari-
be a partir de sua nascente..
2 O segundo districto comprehenler todo o
Ao art 19, depois das palavras urna era Afoga- ; Dores de N. Senhora, cuja imagem se venera no
gados na Ingazeira, accrescente-se : -urna na po
voagao de Palmeira de Garanhuns.J. Reg Bar
ros.Teixeira de Mello.
Sexo feminino.
Urna em Cabrob.-Silva Barros.
Sendo removida a de Petrolina para a povoagao
de Cabrob.Francisco Pedro.
Ao art. 19 do projecto n. 55 accrescente-se no
lugar competente
altar do Senhor Bom Jess dos Atllictos na igreja
do recolhiraento do SS. Corago de Jess da villa
de Iguarass com as seguintes alterages:
Fica o presidente da provincia autorisado a res-
cindir o contrato acerca do imposto de 25300 por
cabega de gado morto para consumo do municipio
de Iguarass celebrado com Maximino da Silva
| Gusmiio.Araujo Barros.
Artigo additivo : Ficam approvados os compro-
cretaria da raesma thesouraria alheios ao seu em- ] territorio da margem esquerda do mesmo rio Ca
prego. i pibaribe.
Dito ao commandante do presidio de Fernando, j 3. Fica o termo de Ipojuca dividido em dous
Lma cadeira do sexo masculino na povoagao de tnissos das rmandades do Senhor Bom Jess dos
Pobres Alllicios da cidade de Nazareth, e de N. S.
do Amparo da cidade de Goyanna, supprimido
em ambas os artigos que nao mereceram a'pprova-
gao do prelado diocesano.-Araujo Barros.Mara-
nho.
Fica
Malhadiaha, comarca do Limoeiro, e outra do se-
xo femioino na povoagao de Bom-Jardim da mes-
ma comarca.
Pago da assembla, aos 30 de abril de 1864.
Araujo Barros.Nabor.
Artigo additivo.
o governo autorisado a concluir o contrato
Os professores nomeados para lugares distantes que fez com o barodoLivramento, Dr. JosBernar-
y.iu ..u .uiiiuidiiudiiie uo presiuio ae reruanuo. s rica u wrmu ue ipojuca uiviuiuo em aous Hessa cauital tO no mU leonas irin direito ao dn C Ai.nr,>r,rt, i c appnca :uuui para concert da ponte do C.axn-
rJ^^Lll: L Cidade cinco **! SfiateU* CS,rada ^ Va' d ** ; SUS fe %So00 Sserm aed'Ss de tS^^?ri^ Kffi l W I* de Motoco.omho" 25:00, para
para concert da capella situada na povoagao de
Tarnandar.Silva llamos.-Gongalves da Silva.
Andrade Lima.LopesFrancisco Pedro.Silva
Burgos.-carvalho Moura.
Para melhorar a estrada do Buiqne Garanhons
no lugar Serra de S. Jos 2:00t>5. Silveira
Lobo.
Con o contrato celebrado para a estrada de Bu-
jary a Goyanna 21:3005000 ou preco do contrato.
Araujo Barros.
Sendo metade da verba destinada cooslrncgo
da cada da cidade de Nazareth.Andrade Lima.
E 3:0005 para a construego de um agude em
Salgueiro.-Silva Barros.Silva Burgos.-Pranca.
1:0005000 para a matriz de Agua-Preta. Silva
Ramos.
Accrescente-se 20:0005 para a continuagao das
obras do Gymnasio Provincial.Silva Ramos.
Ao 6- do art. 14 accrescente-se6.0005 para
urna ponte sobre o rio Mundah na povoagao de
Corrente, comarca de Garanhuns.Teixeira de
Mello.J. Reg Barros.Silva Burgos.
I ?' dgasesendo 1:0005 para a matriz de
Barreiros.S Pereira.
Para melhorar a estrada do Buique Garanhuns
no lugar Serra de S. Jos 2:0005000.-Silveira
Lobo.
Encerrada a discusso o artigo approvado com
as seguintes emendas : Ia a que concede sahven-
go s dillerentes matrizes da provincia ; 2" a que
applica 8:0005 para concert da ponte do Caxan-
testemunhas para deporem no summario a que se [ do meio Serinhem.
tem de proceder contra o sentenciado Manoel An- i *- 0 primeiro districto ficar comprehendido
Ionio Carneiro pelo brbaro assassinato perpetra- do lado do poste da mesma estrada, o o segundo
do na infeliz menor Luiaa Mara da Conceico.
Dito ao commandaute do corpo de policia.Vis-
to que em inspeegao de sade foi considerado apto
para o servigo do corpo sob seu commando o pa-'
sano Firmino Cavaleanti de Mello, pode V. S. con-i
trata-lo no termo do respectivo regulamenlo.Fica
deste modo respondido o seu oflicio n. 37 do Io do
corrente.
Dito ao mesmo. Contrate V. S. para o servigo
do corpo sob seu commando o paisano Pedro Gon-
galves de Carvalho Ferraz, visto que foi conside-
rado apto para isso em inspeegao de sade, segun-
do V. S. declarou em seu ollicio n. 309 de 2 do cor-
rente a que respondo.
Dito ao inspeclor do arsenal de marinha.Man-
de V. S. substituir por outro o Africano livre Jos
primeiro, que estando ao servigo da thesouraria de
fazenda oble ve carta de emaucipagao.
Dito ao mesmo.Remello por copia V. S. para
ter a devida execugao na parte que Ihe toca o avi-
so da reparligao da marinha de 6 de junho ultimo,
declarando o modo porque deve ser acautelado o
prejuizo da fazenda nacional com as subslituiges
dos guardas das companhias de aprendizes artll-
eos dos arsenaes de mariuha depois de terem re-
cebido o fardamento de que trata o artigo 42 do
decreto n. 2615 de 21 de julho de 1860.-Remet-
teu-se copia do aviso thesouraria de fazenda.
Diio ao director do arsenal de guerra.Constan-
do de aviso da repartigo da guerra datado de 14
de junho ultimo, que na remessa dos artigos de
fardamento mandados fornecer ao corpo de guar-
mgo da Parahyba por outro aviso de 6 de junho
do anno passado, dixaram de seguir dezesete ban-
das de lia para inferiores, recommendo V. S.
que s remetta quanlo antes para all se ainda o
nao liver feto.
Dito ao mesmo.Em observancia do disposto no
aviso da reparligao da guerra de 17 de junho ulti-
mo, recommendo V. S. que foroega a enfermara
militar da provincia das Alagas, os artigos cons-
tantes da ola por copia inclusa.
Dito ao director da colonia militar de Pimentei-
ras.Em vista do que Vine, expz em sua infor-
macao datada de 13 de junho ultimo, com referen-
cia ao requerimento de Jos Gomes do Nascimento,
tenho resolvido que se lho nunde enlregar as la-
vonras que pl.intou nessa colonia, (cando assim re-
levado da falta que cnnmelleu em razao do que
\ me. mandou cnibargar-lhe
declaro para ter execugao.
Dito cmara municipal do Recife.-Declaro
cmara municipal do Recife para seu conhecimen-
to, que segundo constou de oflicio do Dr. chefe de
policia de 28 de junho ultimo, sob n. 761, loma-
ram-se as providencias solicitadas pela mesma c-
mara em oflleio de 4 d'aquelle mez sob u. 22.
Despachos do dia i de jnlho de SI!.
Requerimentos.
Antonio Tavcda do Espirito-Santo.Informe o Sr.
tenente-coronel recrutador.
Francisco de Sales Principe.-Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
Dr. Jeronymo Marlinano Figueira de Mello.Em
vista da informacSo nao lem lugar o que requer o
supplicante.
Junta administrativa da Santa Casa da Misericor-
dia.Infirme o Sr. inspector da thesouraria de
fazenda.
Bacharel padre Joaquim Graciano de Araujo.
Em vista do disposto no art. 274 dos estatutos da-
dos pelo decreto n. 1,134 de 30 de margo de 1853
e nojrt. l^do regulamento appnmdo pelo decreto
n. 1,568 de 24 de fevereiro de 1853, nao tem lugar
o que requer o supplicante.
Capitao Joao Jos Rodrigues. Passe ponaria
noineando o supplicante para a 2' cadeira de fre-
guezia de Sanio Antonio do Recife.
Ji s Gomes do Nascimento.Informe o Sr. Dr.
chefe de policia.
Joao Patricio de Oliveira. Informe o Sr. lenle
coronel recrutador.
Jos Francisco de Sales Baviera.Informe o Sr.
inspector da thesooraria de fazenda.
Leandra Thereza de Jess Barros.Informe o Sr.
desembargador provedor da Sania Casa da Miseri-
cordia.
Prxedes da Silva Gusmao. Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
O mesmo.-dem.
Theodoro Rampck.Informe o Sr. director das
obras publicas.
do lado do nascente.
Pago da assembla, 3 de maio de 1864.Carva-
lho Moura.Araujo Barros. Rochael.Ayres Ga-
ma.
E' lido e mandado a imprimir o seguinte pare-
cer com projecto :
A commisso de ordenados examinando atienta-
mente a petigo e mais papis de Francisco Anto-
nio Cavalcante de Albuquerque porteiro do consu-
lado provincial, era a qual pede que sejam seus
vencirnentos igualados aos de 3. escripturario, vis-
to ter a mesma cathegoria em virtude da le n.
510.
E de feito attendendo a commisso que pela ci-
tada le, licou o supplicante na cathegoria de 3."
escripturario para o im de perceber os mesmos
vencirnentos. Attendendo mais que em cumpri-
mento desla lei, sendo alterada a tabella pela qual
se faziam os pagamentos n'aquella repartigo licou
o supplicante com vencirnentos superiores ao de
3." escripturario, pelo que a lei provincial n. 544
em seu art. 47 1 mandou suspender a execugao
da referida tabella autonsando o presidente da
provincia a reconsidera-la em vista do que o presi-
dente da provincia delerminou por ponaria de 28
de junho de 1863 que o supplicante nunca livesse
vencirnentos superiores aos de 3." escripturario;
Attendendo ainda que nao obstante ludo isto ter
o supplicante receido sempre vencirnentos infe-
riores aos de 3." escripturario, j porque os seus
vencirnentos taes como se acbam regulados pela
actual tabella sao quasi sempre menores, como
alm disto sao umitas vezes indebitamente diminui-
dos pela thesouraria como claramente se evidencia
do mappa apresentado pelo supplicante ;
E' a mesma commisso de parecer que em vista
dos tao justos motivos allegados, seja adoptado o
seguinte projecto :
A assembla legislativa de Pernambuco resolve :
Art. 1 Fica o presidente da provincia autorisa-
do a rever novamente a tabella pela qual se fazem
os pagamentos dos empregados do consulado pro-
vincial de modo que o porteiro do mesmo nao per-
eebendo maiores vencirnentos do que os de 3. es-
cripturarlo, em caso algum os possa perceber in-
feriores. !
Art. 2. O mesmo presidente da provincia lica
autorisado a mandar pagar ao dito porteiro as
quanlias que indevidamente tem sido abatidas em
as planiages : o que i S,'11S vencirnentos.
Arl. 3." Revogadas as disposigoes em contrario.
Sala das commisses, 3 de maio de 1864.Car-
valho Moura.Arminio.
Sao lidas e approvadas a* redaegoes dos projec-
tos nmeros I de 1860-18,20,74 e 91 deste
anno.
Para a commisso que tem de assistir o f'inoral
do Exm. Sr. bispo, sao nomeados os Srs. Mara-
nbao, Silva Burgos, G. Campello. Jos Maria e
Nabor.
primeira parte da orem oo da.
Contina a segunda discusso do projecto do or-
gamento provincial no arl. 43.
Depois de breves considerages que fazem o Sr.
Nabor, S Pereira, G. Campello e Buarque, o
artigo approvado
Vai mesa e apoiase a seguinte emenda ao art.
44:
Supprima-se o arl. 44.Ayres Gama.
Fazem algumas considerages sobre o artigo os
Srs. Nabor, G. Campello, Ramos, Buarque, S Pe-
reira e fica a discusso adiada para se passar
SECUNDA PAUTE DA OUDEM DO DIA.
Terceira discusso do projecto que crea nesla
cidade nina escola normal.
O S. G. Camcem.o manifesla-se contra o pro-
jecto.
Vo mesa e apoiafn-se as seguintes emendas :
Aa art. 19 accrescente-seurna do sexo femini-
no em Boa Viagem (freguezia dos AITogados); urna
do mesmo sexo em Cravat.Arminio. -Jos do
Reg Barros.
Art. Substitutivo ao art. 23.A lei n. 362 de 14
de maio de 1833 contina em seu vigor com as al-
terages seguintes :
1." Na parte concernenle ao Gymnazio Provin-
cial sero as sciencias mathematicas lecionadas cm
duas cadeiras, pertencendo primeira o ensino de
arithmetira e geometra plana, e a segunda o de
geometra solida, algebra e trignometria rectelinea.
2. Na parte relativa ao programma das esco-
las de instruegao primaria de toda a provincia in-
clusive a que se liver de crear no Gymnazio, ser
augmentado o ensino das noges constitucionaes e
adiantamento de 4005000 para seren deduzidos de
seus vencimenlos na razo de 20 / em cada men-
salidade at completar a quantia adianlada, pres-
tada (langa idnea.Silveira Lobo.Araujo Bar-
ros.Ayres Gama.
O Sr. Paila Baptista :(Nao devolveu seu dis-
curso.)
O Su. Jacobima faz algumas considerages contra
o projecto.
construego de trilhos urbanos e a despender a
quantia necessaria com as desapropriages da aber-
tura da ra que ca entre a ra Formosa e da Es-
peranga ua rorma ultimameute proposta pelos em-
preiteiros, ou pelo modo que julgar mais conve-
niente para realisago dodilo contrato.S. R.
Carvalho Moura.
Artigo additivo A preferencia da outra metade
das loteras que tiverem de correr dentro do exer-
Encerrada a discusso o projecto approvado cico da presente le, Ver" regulada pela forma se-
coni as emendas, sendo regeitadas as do Sr. Nabor guinte :
e Francisco Pedro.
Primeira discusso do orgamento municipal.
E' approvado, sendo o intersticio dispensado.
Terceira do de n. 93 que rene ao oflicio de es-
crivo do jury de Limoeiro aode tabellio de notas.
Tendo dado a hora esta prorogada a requeri-
mento dos Srs. Araujo Barros e Buarque.
Terceira discusso do projecto que reforma a re-
parligao de obras publicas
Vo mesa e apoiam-se as seguintes emendas :
Um secretario com 1:0005 de ordenado. Soa-
res Urando.
Accrescente-se um agente fiel com ordenado de
1:200-5.Soares Brandao.
"No lioal do art. 6 accrescente-se :salvo aquel-
les que contendo mais de 10 annos de pratica apre-
sentarem certificados de aptdo, ou j tiverem si-
do encarregados de obras importantes.Buarque.
Soares Brando.Araujo Barros.
Encerrada a discusso o projecto approvado
com as emendas de ns. 1,2 e 3 sendo os outros re-
geitados.
Segunda diseusso do projecto substitutivo ao de
n. 41.
No art-,8 em vez das palavrasdo engenheiro
cargo re quem estiver o servigo que reclamar, di-
ga-se: do agento fiel. -Buarque.Soares Bran-
do. Araujo Barros.
Artigo substitutivo ao art. 3.
O pessoal da repartigo nao exceder do se-
guinte :
1. O engenheiro em chefe com o ordenado
annual de 2:2005000 e 6005000 de gratiflcaco.
2." Quatro engenheiros de sercao com o or-
denado annual de 2:0005000 e 4005000 de gratili-
cago cada um.
3." Quatro conductores servindo um de secre-
tario da repartico, com o ordenado aunual de
1:0005000 e 2005000 de gratilicago.
_4.u Praticantes de obras publicas com gratifi-
caco de 6005 cada um.
S 5." Um ageute fiel de deposito e pagador com
a de Pirapama, 8:0005 para a construego de casas
para barreiras, etc., ele.; 3 a que manda fazer um
agude em Salgueiro ; 4* a que manda fazer ootro
em Flores ; 5* a que manda applicar a factura da
cada do Nazareth metade da verba ; 6* a que
manda canalisar agua poiavel cidade da Victo-
ria ; 7' a que subvenciona com 8:0805 a empreza
dramtica ; 8 a que concede 4:000* para dous
agudes em Buique ; 9* a que manda fazer nma
ponte sobre o rio Mundah ; 10- a que concede...
6:0005 para acabamento da casa da cmara do Bo-
nito e 3:5005 para a compra da casa que serve de
cadea em Buique ; 11' a que da 1:0005 para a
matriz de Serra Talhada ; li a que roncede.....
20:0005 para continuagao das obras do Gymnasio,
1." Urna parte da lotera concedida a favor das
obras do convento de S. Francisco da villa de Se-
rinhem.
2.' lma dita da concedida a favor da matriz do
Limoeiro. assjm como as S(J ach b 3 i. i t
Lma dita da concedida a matriz de Ouri- 13> ,4, l5> 16> ,9 e 2, sendo as
geiladas
igrea*sX. Blde CaSia" faVr daSOb"S "* -Dad,a a bora Sr, presidente designa a ordemdo
g>: nf J a a 1 c k da e levanta a sesso.
o." dem dem a favor da irmandade do Senhor
Bom Jess da Via Sacra da Santa Cruz da Boa-
Vista.
6." dem dem a favor da matriz de Caruar.
dem idem a favor da matriz de Flores,
dem idem a favor da matriz de Goyanna.
dem idem a favor da matriz de Itamb.
dem dem a favor da igreja da Boa-Via-
REVISTA DIARIA.
7.
; 8.
9.'
10.
gem.
I 11.' dem dem a favor das obras do convento de
S. Francisco desla cidade.
12.* Idem idem concedida a favor do patrimonio
l dos orphos.
IdeOUnda6"1 '^ "" ^ ** ^ d Apar ; ?-inda naoe^xe'cuTaram
14.* dem idem em favor das obras do Amparo
de Goyanna.
15.' dem idem a favor das obras da matriz de
Nazareth.
16.' dem idem a favor da matriz do Bonito.
17.' dem dem a favor da matriz do SS. Sacra-
mento da Boa-Vista.
18.' dem idem a favor da igreja do Livramento
da Varzea.
19.* dem dem a favor da igreja de S. Frei Pe-
dro Martyr de pirada. : Herderos do marquez do Recife
.dem dem a favor da matriz de Agua-1 ^^ Joaqaim/Emilia VH&
dem dem a favor da matriz da Victoria.
dem dem a favor da matriz de Muribeca.
idem idem a favor da matriz de Jaboatao.
dem dem a favor da matriz de Pao d'Alho.
dem idem a favor das obras de N. S. do
Honlem tomou posse interina do commando
; das armas o Sr. coronel Loiz Jos Ferreira, com-
i mandante do 2 batalhao de infamara de linha.
por ter de seguir para a corte o Exm. Sr. general
; Solidonio Jos Antonio Pereira do Lago.
Hoje ter lugar a intimago por parte da re-
partigo das obras publicas aos proprietarios do
quarteiro da ra do Imperador, comprehendido
entre ra do Crespo e o Campo das Princezas,
9s passeios de seus pre-
dios, para que na forma do artigo 5* do regula-
mento de 27 do passado, deem coinoro dentro de
I lo dias construego dos mesmos passeios, sob
pena de serem estes eitos segundo o disposto no
1 arl. 57 da lei n. 536 de 10 de maio.
Os proprietarios a que se referem essa intima-
gao sao os seguintes:
Joo da Cumia Magalhes.
Manoel Gongalves Ferreira e Silva.
Antonio Carneiro Guimares.
Manoel Alves Ferreira,
Preta.
21."
22.*
23'
24.'
23.'
COMMANDO DAS ARMAS.
Quarlel general do commando das armas de Per-
nambuco, na cidade do Recife, 5 de jnlho de
1861.
Ordem do dia n. 335.
O general commandanie das armas, exoneran-
do nesla data o Sr. major do 4a batalhao de arti-
lharia a p, <'arlos Felippe da Silva Muniz e Abreu,
da commisso dos trabalhos de defesa das fortn-
cages deste porto, conforme pedio, por ter de oc-
cupar-so de outros trabalhos de importancia; lou-
va e agradece ao mesmo Sr. major pela intelligen-
c.ia, zlo, e dedicago com que se houve no des-
empenho da referida commisso, justificando as-
sim o conceitogue sempre formou de lo hbil e
digno olHciarT^
Approveta o mesmo general a opptrtunidade
para lonvar o Sr. 2 tenente Jos Antonio Riheiro
de Tristao, pela maneira satisfactoria com quo tem
dirigido a instruegao da linha de tiro estabelecida
na cidade de Olinda, provando os bons resultados
que se bao colhido.
Assignado.Solidonio Jos Antonio Pereira do
Lago.
Conforme.Jos Ignacio de Medeiros Reg Mon-
tero, capitao encarregado do detalhe.
o ordenado annual de 8005000 e 4005000 de gra-! Rosario dos Horneas Prelos desla cidade.
tificagao. 26.' dem dem a favor das obras do Recolhimen-
6." Dous desenhstas com a gratilicago de to do SS. Corago de Jess da villa de lauarass.
8005000 annuaes cada um. | 27.* dem idem a favor das obras da matriz de
Artigo additivo. Os lugares de que trata o art. 3 Sanio Antonio de Salgueiro.
28.* Klein idem a favor da obra do Livramento
sero preenchidos segundo as necessidados recla-
madas pelas obras provinciaes. Buarque.S.
Brando.Araujo Barros.
Emenda ao art. 3.
S 1 l'm engenheiro em chefe 4:0005-
2 Tres engenheiros de seceo 3:0005000 ca-
da um.Silva llamos. .
Artigo substitutivo ao art. 1 do projecto n. 41.
Os vencirnentos dos professores o professoras I
providas antes da lei n. 369 de 14 de maio de 1835
ilcam igualadas aos dos que o foram depois desta
le, indepeodente da habihtago exigida pela 2*
parte do art. 26 da citada lei J. Reg Barros.
Silveira Lobo.
E' approvado com o projecto.
1* discusso do projecto n. 24 que desmembra
.. e outros.
Francisca Thomazia da Conctigo Cunta.
Guilherme PurcelL
Jos dos Sanios Naves.
Anna Joaquina da i.onceigo Teixeira.
Manoel de Azevedo Andrade e outros
Joaquim Jos da Costa Pinheiro.
Joaquim da Silva Castro.
, Manoel Custodio P. Soares.
Antonio Luiz dos Santos.
Antonio J. Magalhes Bastos.
Igual intimago lem de ser feita aos proprietarios
da ra da Aurora, que ainda nao construirn) os
n. 11 j respectivos passeios, em vista do oue dispe o art.
G?dterbOM 'greja 12 d e''ad 'egulamento ^SS
uaduupe deuimdj Acaba de ser transferido para a segundaca-
a. joso lista ca. ae. collegio dos orphos Joo Jos Rodrigues.
Pago da asseinble: aos 30 de abril de 18b4.- Po| eonl/rmada a nomea(.ao do*Sr Dr Ma.
tuarque.-J Reg Barros n0L>| ]oi da Si|va Xtivas|(ara auditor de guerra
desla proviueia.
dem a favor da matriz de Serra Talhada.
Franca.
Encerrada a discusso sao approvados os auditi-
vos 1" que autorisa a mandar fazer a abertura da
barra do Rio Formoso, com a emenda ; 2o o que
approva o contrato feito com Manoel Gongalves Nu-
nes Machado; 3 o que autorisa o governo a regu-
ar a lahella para pagamento dos empregados do
da freguezia de FazenJa-Grande, em Tacaratu, e r,onSuiado provincial ; 4" o que approva o compro-
annexa a de Serra Talhada, os terrenos compre
hendidos no sitio Lagoa.
Vai mesa e apoia-se a seguinte emenda :
Supprima-se as palavrasfreguezia de Fazenda
Grande; e as palavras deSerra Talhada.
As palavras linaes do referido Martinho, accres-
cenle-se a palavraMendes.Franca.
2* discusso do projecto n. 44 que crea o lugar
de contador do juizo dos feitos da fazenda provin-
cial.
E' rejeitado.
3o do de n. 16 que autorisa o governo a contratar
o fazimento da estrada do (Iba Bujary na co-
marca de Goyanna.
E' approvado com a seguinte emenda :
Accrescente-selicando o respectivo contrato
dependente da approvago da assembla.Buar-
que
Tendo a barca ingleza Bemj, que se acbava
no lamaro, pedido pratico para entrar anle-non-
lem, foi-lhe enviado o Sr. Porfirio Jeremas da Sil-
va, segundo pratico da barra, que Irouxe o navio
na larde de?se dia para o porto com vento fresco
at a altura da fortaleza do Brum, quando, esca-
ceanao o vento, vio cahir o navio r de tal sorte
que nao pode laucar f.-rro, sendo forgado a fazer-
se de novo vela," alim de bordejar no lamaro e
de Iguarass; o que manda rescindir o contra- d |S eIllrar dl Toraaodo-se
lo feito com Maximino da ailva Gusmao ; b" o que
approva os compromissos das irmandades
misso da irmandade de Nossa Senhora das Dores
nhor Bom Jesus dos Pobres Afilelos de Nazareth
e Amparo de Goianna ; 7' o que refere ao contrato
para estabelecimento de trilhos urbanos nesla cida-
de; 8 o que regula a preferencia das loteras, sen-
do regeilada a segunda parte da do Sr. Amyntas.
Volla-se discusso do art. 14 que liera adiada.
Vo mesa as seguintes emendas:
No 6 do art. 14em vez de 50 0005 para a
nova ponte do Caxang, dgase 10:0005 para re-
paros da mesma.Silva Barros.Soares Brando.
Amyntas.
Snb-emenda ao 6o do art. 14Em vez de
5:0005, djjza-se55:0005, sendo 40:0005000 com a
estrada de Goyanna Pedras de Fogo, 10:0005 com
O Sr. AbaDIO Bauros requer urgencia para se I o melhoramenlo da actual de Nazareth a povoagao
continuar na 2" discusso do projecto do orgamento de Alaga-Secca. O mais como na emenda.S.
das noges Criminaes. Para o estudo das noges arl- **
provincial.
Votada a urgencia
contina em o projeclo n.
Posto a votos o artigo rejeitado sendo approva-
constituciooaes, adoutar-se-ha um cathecismo po-
utico, no qual se dever resumidamente expr as ; da> emenda suppressiva.
excelencias da nossa forma de governo, o modo I Era seguida sao approvados
de organisago e a natureza das funegoes dos di- Passando-se ao art.
versos poderes polticos, as vantagens, que, alm segrale emenda :
47,
os arts. 43 e 46.
vae a mesa e apoia-se e
da bailesa, resultam da diviso e harmona destes;
e finalmente o dever, que a todo o cidado incum-
be de defender e guardar a constitugao do impe-
rio.
Para o esludo das noges criminaes adoptar-se-
ha um manual contendo a somma das deferentes
especies de crimes, a cujas penalidades est sujei-
to o cidado pela oflensa que por ventura faga
moral e a ordem publica e aos direitos individuaes
de todo e qualquer cidado, ou estrangeiro abriga-
do sob a protecgo das nossa les.S. R.Nabor.
Artigo additivo.Nos pontos da provincia onde
nao existirem estabelecmentos pblicos de instrue-
gao primaria ou secundaria ser permittdo a qoal-
quer individuo abrir esses estabelecimentos, prece-
dendo autorsago do delegado Iliterario da locali-
dade.Silva Burgos.Buarque.
Artigo additivo ao projecto n. 53.
Art. 26. As cadeiras primarias da povoagao de
Taquaretinga, e da extincta villa de Petrelina, se-
ro transferidas, a primeira para a villa de Sania
Mara da Boa-vista.
Pago da assembla, aos 30 de maio de 1864.
Araujo Barros.
Accrescente-se ao srt. 22 :
Se convier ao servigo publico.Buarque.
Supprima-se o art. 47.Silveira Lobo.
E' approvado o artigo sendo a emenda rejetada
R.Souto Lima.
Emenda ao cap. 4o art. 14 6oE 2:3005 para
a coutinuago de um agude em Flores.Silva Bur-
gos.Silva Barros.Teixeira de Mello.J. Reg
Barros. Francisco Pedro.Buarque.Benedicto
Franca.
Com urna ponte sobre o ro Jaboatao na estrada
de Muribeca 2:0005.-Soares Brando.
Emenda ao 7- do art. 14Sendo 1:0005 para
a matriz da Peona de Serra-Talhada.E. B. Fran-
e volando a favor delle os Srs. Silveira Lobo, Jaco- ca. Francisco Pedro. Silva Burgos. Silva
bina, Souto Lima, Goncalves da Silva, G. Campel- Barros.
lo, e a favor Lopes, Teixeira de Mello, B. Franca, Accrescente-se 6:0005 para eanalisagao d'agua
Silva Barros, Silva Burgos. Francisco Pedro, Joa- potavel para a cidade da Victoria.S. R. -Carva-
quim Reg Barros, Ramos, Rochael, Ayres, Amyn- lho Moura.
tas, Jos Ignacio, Arminio, Araujo Barros, Soares Supprima-se o 8 do art. 14.Sa Pereira.
Brando e Buarque. Emenda ao art. 14-6:0005 com o melhoramen-
So approvados os arls. 48, 49, 50, 51 e 52. ; to da estrada de Baixa-Verde a partir da povoagao
Vo a mesa e appoiam-se os seguintes addi- daquelle^nome villa de Flores ate o lu
ti vos
vez. Tornando-se entao o
vento muito forte, foi elle obngado a por o navio
um largo tal que at honlem s 6 horas da tarde
nao e.-tava de volta.
Depois de amanha se extrahir a 2* parte da
1* lotera da igreja da Boa-Viagem, sendo o maior
! premio 10:0005
Acha-se encarregado da secretaria da Escola
Normal o Sr. Dr. Maximiano Lopes Machado.
Funeciona hoje, em sesso ordinaria, o frw'i-
| tuto Archeuloqico e GiO'jmpluco.
Comegaram hontem as novenas de Nossa Se-
nhora do Carmo, no seu convento.
REPARTIQAO DA POLICA.
Extracto das parles do da 6 de julho de 1864.
Foram recolhidos casa de detengo no dia 5
do corrente :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de policia. Ama-
ro Jos do Nascimento, Caelano Chaves Xavier,
Pedro Jos Goncalves e Joao Francisco da Silva.
para recrutas; Jos Barboza Carneiro, como con-
demnado.
A' ordem do subdelegado de S. Jos, Francisco
Lopes da Silva, para averiguacoes policiaes.
A' ordem do da Boa-Visia, Juliana Marcolraa da
Conceigo e Florinda Mara da Conceico, por in-
sultos : Loiz Antonio Joaquim de Azevedo e Mana
Thereza de Jesus, por briga e offensas moral pu-
til l("l *
O chefe da 2* seceo,
J. G. de Jtesquita.
Movimento da casa de detengo no da 5
de julho de 1864.
Existiam....... 357 presos.
Entraran)....... 11
Sahirara....... 3
-Fran-
Fica o presidente da provincia autorisado a con-
tratar com a cempanhia Pernambucana a abertura
da barra do Rio Formoso, de modo que os vapores
da mesma companhia naveguem ou enfrem livre-
mente a barra at o lugar da Pedra.Silva Ramos.
Ayres Gama.Arminio Tavares.Gongalves da
Silva.J. Reg Barros.-Nabor.Araujo Barros.
Ficando o respectivo contrato dependente da ap-
mlnado Bracals inclusive.Silva Burgos,
ga.Francisco PedroSilva Barro?.
No 4 art. 14Em lugar de 120:0005, dga-se
100:0005.Carvalho Moura.
Ao art. 14 6o4:0005000 para dous agudes no
termo do Buique comarca de Garanhuns nos luga-
res em que a cmara designar.S. R. Teixeira
de Mello.J. Reg Barros.Silva Burgos.
Para continuacao da abertura da SerraMascare
provaco da assembla.Buarque. : nhas pelo lado do nascente 5:0005-Andrade Li-
Fica approvado o contrato celebrado pelo presi-' ma.MaranhoArminio Tavares.Gongalves da
dente da provincia com o cidado Manoel Gongal- Silva. Rochael.Silva Barros.Seares Brando.
ves Nunes Machado para a factura da estrada do Araujo Barros.Nabor.Teixeira de Mello.
Bujary a cidade de Goyanna, devendo o praso es- Souto Lima,
tipulado para execucao desse contrato comegar da \ Ao art. iA accresceote-se o seguinte3005000
Existem ....... 355 >
A saber :
Nacionaes...... 243
Estrangeiros 43
Mulheres....... 11 .
Estrangeira..... 1 >
Escravos........ 61
Escravas....... 6
365
Alimentados a cusa dos cofres pblicos. 125
Movimento da enfermara no dia 6 de julho
de 1864.
Tiveram baixa:
Jos Barboza Carneiro, anemia.
Antonio Soares de Queiroz, rheumatismo.



*
1 "*
Alarla de rernnmkweo Quinta letra I de nllio *r. 14.
COBBESPOiyDENCIAS.
Resposta ao Sr. Antonio Barbo-
sa de Barros.
Sem necessidade de riso, o que fica a quem toca, po-
rm tara que o publico possa ser juiz.
Nao pretenda voltar imprensa sobre o assump-
to de que ora me occupo, porque nelle ao nome do
Eis a razao do mea protesto, que fui motivado
pelo prejuizo que sentia nos venc.imentos arbitra-
dos no anno de 1862, Urmaudo-ine uos documentos
ns. 1 e 2.
Ora, o mea protesto foi simples ; com elle a nin-
guem ofTendi e nein a direitos de tereciro, e ape-
nas as circumsiancias dadas, e emquanto devia-
mos por de intelligencia, fz uso de um direito pe-
la cocsciencia que que tenho da razao queme as-
sisle, e resolvido a recorrer aos tribunaes quando
Sr. Antonio Barbosa de Barros (barbeiro tiesta ci- a0 podesse conseguir um accordo particular, o
Simoes, est ligado outro nome, ao qual devo toda pugnaeao de meus direitos qaalquer inculcada ri-
deferencia, estima, consideracao e respeilo; mas, Man do Sr. Barlwsa de Barros para sustentar
Sirovocado por aquelie seohor era sua resposta que pleitos caprichosos contra o direito de alguem. _A
ti-se no Diario de Pernambuco de 5 do correle, pedido de amigos e por deferencia a meu irmo,
smente por deferencia ao publico, e guardando as tenho disto desistido. Assim, tendo respondido ao
conveniencias sociaes, mesmo a despeito da subli- annuncio do Sr. Barbosa de Barros, estou resolv-
midade do estylo dessa resposta alludidat son for- joa ,ne nao oceupar maisde semelhante assump-
cado a escrever ainda estas linlias para o prlo so- t0. Seja, pois, o publico juiz enlre mim e aquello
bre tal materia. senhor; c quanto a. este simplesmente direi em
O meu protesto no Diario de Pernambuco de 4 conelusoque no tinal da conta n. 2aclia-seaqu-
do torrente, a razao dclle, e a resposta do Sr. Bar- ocao, tendo podido de prompto obte-la como o fiz
bosa de Barros, que motiva esta. cm aquellas outras occasioes referidas em sua res-
Fui empregado como primeiro caixeiro da firma p0S|a) e sein mister de imitar cousa que equiva-
acima desde abril de 1860 margo de 1863, quan- |e a morissoca e gomma.
do relrei-me, e dediquei-me ao servico de agente
de leudes nesta praca, o que nem deslustra-me, e
nem a minha descendencia ; um emprego licito
e honroso, Sr. Barbosa de Barros, e assim fica res-
pondida esta parle da allusao de sua resposta, que
nem sei ao que vei sobre o ponto da uessa disi-
dencia.
Quando no carcter de primeiro caixeiro entrei
para a referida casa, linha outras arrumaroes na
Recife, o de julho de 1864.
Antonio Jos Cordn Simoes.
DOCUMENTOS.
N. 1.
Illm. Sr.Diz Antonio JosCordeiro Simoes, que
a bem de seu direito precisa que V. S. se digne
por seu respeitavel despacho mandar ojie o escri-
vao Manoel Mara Ihe passe |ior certidao o theor
de um altestado dos commerciantes Barboza & S
mesma qualidade e boas, entre estas na casa dos mgeSi noje em liquidadlo do qual foi o supplican-
Srs. Almeida Gomes Alves & C.; prefer aquella te caixeiro, cujo documento se acha junto aos au-
por deferencia a meu irmo, e sem sciencia minha, tos de habilitarlo do supplicante para o cargo de
afirma no limdo anno fez-me o ordenado de 5005, agentes de leiloes que exerce, assim: pede an
e depois se me disse, que seria augmentado gra- i||m. Sr. Dr. juiz de direito espeeial do commercio
dualmente em cada anno :Em 1861, no fim do defirimento.E R. M.Antonio Jos Cordeiro Si-
anno, foi-me o ordenado feto na razao de 6005, moas.
sendo miabas obrigaeoes aquellas propriamente do I Sim. Recifc, 5 de julho de 1861.Alencar Ara-
meu cargo na casa ; em 1862, quando nao smen- rpe.
te liavia a promessa de augmento successivo de Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, serven-
tuario vitalicio do officio de escrivao do juizo es
pecial do commercio desla cidade do Recife de
Pernambuco o seu termo por Sua Magestade Im-
perial que Dos guarde, etc.
Certifico ser o theor do documento pelo suppli-
cante pedida por certidao o seguate :
Barbn & Simoes, commerciantes desta praca
vencimento, como mais fui tarefadocom oulros tra-
balhos que nao eram de mioha obrigacao, os quaes I
desempenhei satisfactoriamente e o atiesta o mes- j
ido Sr. Barbosa de Barros no documento abaixoj
transcripto sob 1, documento que firmado pelo po- i
nlin do dito seuhor, arbitra-se-me no fim do anno o
mesmo ordenado de 6005, que com menos funecoes
merec cm 1861! documento abaixo n. 2; final- je gneros de estiva em grosso trato, atiestan) em
nienle, em 1863, quando voltei ininhas funecoes aliono da verdade e juraro se preciso for, em co-
de caixeiro propriamente pela chegada do Sr. Bar-, mo o Sr. Antonio Jos Cordeiro Simoes, servio por
bosa de Barros, julguu-se, que mcus serviros me-, espaco de tres annos em nossa. casa de commer-
reeiam o ordenado de 7005, e assim foi feito, igno- cio como guarda livros e primeiro caixeiro ou
ramio eu (bem como minha familia, que nada tinha agente, substituindo lambeta no servico o lugar do
own Mo) quando retirei-me da casa quaes os ven- ( nosso socio Barbosa na ausencia desle, gerindo
cimrnios, que me cstavam ou me seriain marcados por conseguinte com o nosso socio Simoes a refe-
pelos meus servicos nos annos de 1862 e 1863 ; e rda nossa casa, e quer quanto a sua vida particu-
e salinlo que os donos de qaalquer estabelecimento ar rommercial, sempre gosando de estima e coa-
sao guardas de seas livros e os tem em seus es-
criptorios, e os caixeiros de armazem, sobretudo
((iiatiilo depositam confianca em seus palroes, nem
teem esses livros debaixo de suas vistas para a
investigado sobre vencimentos, e nem mesmo ds-
sem a essas minudienrias, salvo se procede des-
confianca, sobretudo quando eslylo fzer-se os
ordenados, ou serum estes melhorados no lien de
cada .nio.
De minha sabida a entrada da dita casa em liqui-
dariio pouro distou, ficando encarregado desta o Sr.
Barbosa de Barros.
J v, pois, o publico, que eu tinha um titulo de
crdito pelos meus vencimentos na casa, como ti-
nha um de debito pelas minhas despezas e recebi-
meatos feitos por conta daquelle credilo ; que des-
de a minha retirada era dever tirar-se minha con-
ta em forma, m'a entregar, aflm de a liquidarme*
e sem mlster de ser preciso que eu a pedisse: nao
tendo-se feito isto, quiz por delicadeza guardar de-
ferencia, e assim esperei que o liquidante, quando
julgasse conveniente, cumprisse este dever, ao
qual para comigo eslava, on eu o solicitara, logo
que vissa o livro da liquidacao passiva para com a
praca, pois nao ignora oSr. Barbosa de Barros, que
eu alguma cousa sabia de suas difflculdades, que
fossetn devidas a iguaes pelos recebimentos dos d-
bitos da firma.
Ora, se eu era credor da casa e ao mesmo lem-
po devedor ; se esses dous ttulos, que nella tinha,
dependala de liquidacao; se por iste nem poda
ter rerleza de saldo i porque tambem nao tinha a
dos nlrnos vencimentos), como nao poda t-la do
alcance; se o liquidanteti I vez mesmo por altazo
de escripia ou por qualquer outra razonao ti-
nha apresado se em cumprir aquello dever do pa-
trio para com o caixeiro, que retira-se de sua casa
tirar sua conta com o crdito e debito para ser
liquidada ; se me tinha retirado conservando as
devidas attencoes e consideracoos para com un, e
na melhor utelligenca e harmona para com o ou-
tro, e por sto suslentava a deferencia exposta,
visto, por ludo islo, que emquanto nao se operasse \
sideracao, e procedeu com muta circumspeccao,
como tambem dirigi com certeza e bastante tino
os negocios da nossa precitada casa.
Recife, 28 de abril de 1863. Barbosa & Simoes.
-Sello n. 5, rs. 200.
Recife, 29 de abril de 1863.Camino Sena.
E mais se nao continha no theor de dito docu-
mento cujos autos me reporto, e vai a present
por mim cscrivo subscripta e assignada nesta ci-
dade do Recife de Pernambuco aos 3 de julho de
1864.Fiz escrever e assignu em fe de verdade
Manoel Maria Rodrigues do Nascimento.
N. 2.
As diversas adres do debito do Sr. Simoes nes-
ta semmam 1:90555380 rs.
E' o crdito do mesmo o seguinte :
1860Dezembro 31. Importancia
de seu ordenado desde I" de abril
al boje, 9 mezes a razo de 5005000
1861.Dezembro 31.Seu ordena-
do no correnle anno...............
1862.Dezembro 31.-Seu ordena-
do no corrente anno...............
1863.Margo 31.Seu ordenado de
tres mezes a razao de 7005000......
3755000
6005000
6005000
1775500
1:7525500
Recebemos o saldo desta conta. Recife, 5 de
julho de 1864. Rrs. 1525880. Barbosa i Simoes.
Em liquidacao.
N. 3.
Asadi'coesde debito do mesmo Simoes nesta
coma somuiam 695000, e quanto ac crdito o
que se segu:
Dnheiroquererebeu por adantamento de seu
ordenado, quando caixeiro da extincta firma de
Barbosa Simoes 835880.
Somma 1525880.
Srs. redactores do Diario de Pernambuco.(*)Em
o Diario de 22 do correnle deram Vilics. espaco
i a una publicacao pedida, assignadaO me de
a liquidacao do meui crdito a debito, nao cab.a-me familia*_ a ,,,, tendo por (m molestar ao Sr.
nada pedfr ao Sr. Barbosa de Barros a ttulos de
meus vencimentos depois de minha retirada, e que
antes nesse meu proceder foi mantida nao smente, _
una certa corlezia -orno minha propria dignidade. I'.
Marcolino Antonio Xavier, professor publico da
cadeira de primeiras letlras da villa de Ingazeira,
arguindo-lbe fallas de cumprimento de deveres do
magisterio, nosditerminou, alenla a ausencia do
Assim. pois prefer, por urna nica vez, oceupar
ao dito Sr. Barbosa de Barros, tomando Ihe em-
presumo a quanlia de 505, que promptamente pa-
guei-lhe, como sei que por diversas vezes esse se-
nhor t< ni pedido a oulros oinheiro por emprestimo
para occorrer algamas de suas precisos de mo-
memo, e bem sabe o Sr. Barbosa de Barros que
islo nao por mim ignorado, romo que semelhan- ,ua| ,-, aD',es |ilha do odjo |U K ^^
tes actos nem em m,n.,nemem S. 5. revelam des- viveu 0 Sr d familia com o nosso amigo, do
nosso amigo distante desta capital 92 leguas, a en-
carregarmo-nos landiein da larefa de mostrar aos
Exins. Srs. presidente da provincia e direetor ge-
ral da iusti uccao publica, que nao esse o pro-
fessor que o Sr. pae de familia pretende fazer
crer : pelo que contrariaremos urna urna as ar-
uJcoee concelta, como succede com oulros, antes demns-
tralo merecida confianca e crdito, e sao cousas
que naturalmente se dao entre pessoas que teem
relaeoes.
Nao menos disto succede quanto ao fado dessa
letra de meu aceile e por S. S. referida ; porque
foi ella por mim paga no dia de seu vencimento, e
S. S. igualmente, c todos na praca, as aceilam e
com prazos : desejarei mnilo, que o Sr. Barbosa de
Barros coniinue a ser feliz para poder pagar nos
vencimentos aquellas de seu aceile, que existem
na praca em poder dos seus eredores, como pude
fazer com esta referida em dita sua resposta.J
v o Sr. Barbosa de Barros, que at aqui, nada
conseguio do que teve em vistaferir-me-em
dita sua resposta ao meu protesto.A razao desle.
Mandou-me o mesmo seohor a conta abaixo em
extracto sob n. 3, que julguei incompleta, porque
por ella nao poda entrar no conhecimenlo c apre-
ciar/to dos meus vencimentos, sobre tudo no anno
de 1862, quando prestei ca*a servicos de outra
ordem e que por elles parecame dever ser me-
Ihormente gratificado; ped, por tanto, ao Sr. Bar-
bosa de Barros urna ronta em forma coustando
com clareza o meu titulo de crdito e de debito;
porm S. S., que j em sua infancia, por ama
admoesiacao de seu pae, julgou-se to offendido,
que prelendeu suicidar-se com urna navalha, co-
mo em publico tem a muilos revelado fazendo tim-
bre disto Ique em 1862 por um simples gracejo
de um de seus eredores, quando a este communi-
cra a neces.idade de fazer sua viagem Europa,
e referida no decumento abaixo sob n. 1, igual-
mente consideron-se offendido em sua alta suscep-
tibilidud; e a ponto de si proprio applicar urna
dse de veneno, como publico nesta cidade, fac-
i este qo nao deixou de ter influencia sobre os
negocios da casa em dito anno, nao menos julgou-
se offendido com aquella natural exigencia de mi-
nha parle, e d'aqui a principal causa de nossa de-
sintelhgencia, descendo S. S. a todas essas banali-
dades e picardas s proprias de um coracao ran-
coroso e de urna alma pequenina.Depois de al-
gum tempo deu-me afina! o Sr. Barbosa de Barros
a conta n. 2. S depois della pude ver, qae nao
houve urna justa proporcao em meas vencimentos
entre os annos de 1861, 1862 e 1863; porque, se
sem as attribuicVs qne exerci em 1862, durante a
ausencia do dito Sr. Barbosa, fiz jts a um ordena-
do de 6005000, se em 1863 igualmente sem este
excesso de servico merec o ordenado de 7005000,
e mareados nao por mim, fora de duvida, que
m 1862 tinha direito a melhor vencimento, ten-
do-se em consideracao servicos prestados, a con-
tento da lirai, e que nao entravam na ordem de
minhas obrigardes.
Deixo queopabhco julgue sobre esse ponto de
minha dissidencia com S. S., e qnetenha em con-
sideracao os documentos abaixos ns. 1, 2 e 3.
Foi por semelhante forma que o Sr. Barbosa de
Barros formulon na conta n. 2 um saldo a favor.
Contra isto fiz urna justa reclamaco e aguardei
a resposta della para coneluso de minha conta
com a firma em liquidacao. Entretanto no Otario
de Pernambuco de 1 on 2 do corrente o Sr. Bar-
bosa de Barros fez poblico, qae o passivo da fir-
ma referida eslava liquidado, e ella quites com a
praca : senti nfsto prazer j pelo interesse que te-
nho no futuro de meu rmio. e j mesmo por ver
que dito 8r. Barbosa podia prosegoir no mesmo
genero de negocio. No dia 3* dia daquelle annun-
cio recebi um recado do dito Sr. Barbosa nos se-
guales termes :
Que aquclle era o ultimo dia no qualsabia o
seu annuncio, e como nao attendia a minha recla-
maco fizesse o uso de meus direitos dentro dos
tres das e recorresseaos tribunaes, porque o mes-
roo rana quanto ao saldo de sua conta f
que do zelo que tem pelo melhoramcnto luterano
da villa de Ingazeira. Se outro totee o nosso fim,
mostraramos quem o Sr. pae de familia, ou antes
o Sr. Vicente Ferreira Lima, conhecido na comar-
ca de Paje de Flores, por lenle Vicente II
Asjm, pois, entramos na materia que nos
propomos.
Consiste lelamente toda a arguico ao nosso
amigo em ler elle advogado e algumas vezes oe<;u-
pado o cargo de curador geral, contador e parti-
dor naquelle juizo, e finalmente ter sido urna vez
interinamente promotor publico, e distrahir-se al-
gumas horas na cara.
Se considerar-se que a villa de Ingazeira se r-
sente de individuos habilitados, e que nos peque-
nos e rarssimos feitos que apparecem no foro nao
ha de quem se lance mo, nao para estranhar
que alguma vez o nosso amigo fosse oceupante de
alguns desses cargos, o que na verdade nao Ihe
roubaria o tempo do magisterio, e tanto mais
quanto todo o mundo sabe que os professores tem
ferias, laes como as de Natal, Paschoa, Carnaval,
os dias de festa nacional, os domingos, dias sanios,
os de luto publico, e as quintas-fuiras, durando o
expediente nos outros dias cinco horas to s-
menle I
Portanto, nesses lempos seria mesmo os em que
o nosso amigo mais por satisfazer as necessidades
de sua villa, do que por exercer outra prolissao,
aceilasse alternadamente um desses cargos, e se
diverlisse na caca, o que nao prohibido qual-
quer cidado.
E o que enxerga o Sr. pae de familia em ter o
nosso amigo oceupado esses cargos, seno que os
seus conheclmentos nao se limitam uoicamente
a saber onsinar abe?
Quanto dizer-se, qae o Sr. Marrolno tem
commetlido a dirercao de sua aula outras pes-
soas, nao vemos nisto um arto digno de censura, e
ao contrario proprio de encomios; pois que deso-
jando elle cumprir com os seus deveres, e achan-
do-se a sua saude em estada assaz melindroso,
conforme fura aqui reconhecido por habis facul-
tativos, para que nao deixasse de dar aula, tivesse
algum individuo titulo de decurio, mas sempre
debaixo de sua immediaia disciplina.
E' tambem censurado o nosso amigo pela falta
de alumnos, como se isto fosse um acto dependente
de sua vontade. Nao, Sr. pan de familia, a falta de
alumnos procede do numero limitadissimo de al-
mas que ha na villa de Ingazeira. Nao esqueca,
que no lempo em que foi ahi assassinado o infeliz
delegado Joo do Prado Ferreira, os nicos hab-
;antes dessa villa eram o referido proressor, o es-
crivo Jeronymo, o destacamento que guardava a
cada e urna sobrinha daquelle delegado em cuja
casa elle eslava en to, e os demais residiam lon-
go distancia em suas fazendas de gados, d'onde
nao podiam, ou nt queram mandar seus fillos.
Nos, que ahi tambem estivemos, conhecemos
perfetamente esse torrao, e o proprio Sr. Jerony-
mo, ejnais aquelles que quzerem fallar a verda-
de, nao nos conlestarao o que acabamos de
dizer.
Dizer um dos que faz causa commum com o Sr.
pai de familia, que o Sr. Marcolino estove suspen-
so dos seus ordenados, ignorar o que seja sus-
penso.
Pois 6 suspenso o nao ter um professor queri-
do pedir atlestados para receber seus vencimen-
tos?
Onde na esta doulrina ? S na cartilha do Sr.
padre Jos Antonia Alves de Brilo, que desojando
satisfazer por demais o pedido do Sr. pae de fami-
() Por ter sabido com alguns errosrepetimo& a
prsenle correspondencia.
(A redacco.)
lia, levou alm o seu zelo. Esle pedio qae Ihe at-
lestassc, qual tem sido o modo pof que se lem por-
tado desde 1853 para c etc. ele, hqaelle diz que
desdo 1852. Por caridade, responda-nos onde ao-
dou o tempo anterior sua posse de coadjutor da
villa de Ingazeira, a qual leve lugar em 2 de fe-
vereiro de i860 ? Estara em Ingazeira ? Estamos
autorizados para Ihe dizer qae nao.
E como atiesta qae desde 1852 t Sentimos pro-
fuodamente ter de contrariar um sacerdote; mas
bem do nosso amigo e da verdade, permitta-nos
que assim o facamos, applicando-lhe as seguintes
palavras -.Quodlibe non vis fien alteri ne {acias.
Saibam todos os atlestantes qae o Sr. Marcolino
Antonio Xavier nanea foi suspenso do exercieio
das funeedes do magisterio, e que tem sido sem-
pre pago de lodos o% seus vencimeotos, sem falta
que o desabone em sua conduca. (Documento
n.l.)
Chamar o nosso amigo meio-livre em materia de
religio, desconhecer qual a nossa e nao co-
nhecer de perto ao Sr Marcolino. i'ximo meio-livre
em materia de religio aquello, que recebeu diao-
le do altar da nossa santa religio, com as neces-
sarias formalidades, a esposa com quem casa-
do ? quem tem tilhos baptisados, ouve missas e
coufessa-se I Livres ioteiramente em materia de
religio sao aquelles que maocham as mos no
sangue humano, que delapidam a fazenda alheia, e
que nao trepidan) ante consideracocs honestas,
para chegar satisfacao de caprichos brutaes. Fe-
lizmente lodo o defeto do nosso amigo, no espaco
de tempo em que reside na villa de Ingazeira, o
apontado na mencionada correspondencia afira de
desconceitua-lo da estima que all gosa de seus
concidados, nao s por suas maneras joviaes, co-
mo tambem pela influencia da numerosa familia
com quem est ligado em parentesco, a qual ja-
mis poder ser desprestigiada pelo Sr. pae i* fa-
milia.
Duas palavras agora ao Sr. Dr. Vicente Ja usen
e ao Sr. Laurenlino.
Nao nos sorprendeu a sua denuncia, visto co-
mo estamos inleirados da desharmooa que nutre
com o nosso amigo; o que porm estranhamos
que aproveilasse o ensejo do cargo de delegado
Iliterario, de que se acha revestido, para exercer
assim urna vinganca com e'le, vinganca que a toda
a prova, nao s menos valiosa, por panir de um
desafecto, como menos digna de S. S. em quem de-
va sobrar delicadeza, para saber guardar essa
conveniencia no cargo que Ihe foi confiado.
O Sr. Laurenlino de Vasconcellos Callara Bri-
to, cm outro tempo ja reoonheceu, que o Sr. Mar-
colino Antonio Xavier sofTria bstanle em sua sa-
de, pelo que Ihe aeonselhou que viesse iralar-sc, |
como se mostra do attestado adiante copiado fiel-
mente, sob n. 2, e se agora o nota tao cheio de fal-
tas,.sem duvida foram ellas dadas na occasio, em
que eftectivamente elle veio esta praca, para o
fim indicado em dito attestado, ou entao contra i
nando-se, presiou-se ao servico do Sr. pae de fami-,
lia, eomo verdadeira machina, attestaodo no senli-
do que Ihe pedio, o que nos parece mais possivel.''
Parecendo-nos ter destruido os fundamentos da
aecusagao feita ao nosso amigo, visto como ella
Blba da intriga poltica, que infelizmente tem o po-
der de fazer de um innocenteum culpado, e sendo
o desabafo de todas as paixoes, mxime nos luga-
rea pequeos, como Ingazeira; cumpre-nos dizer
tambem aos Exms. Srs. presidente da provincia e
director geral da nstruecao publica, como dizemos,
que o Sr. Marcolino Antonio Xavier nao em nada
hostil ao pensamento do governo ; sendo antes um
dos que milito concorreu para que a situacao pol-
tica se ache na marcha do progresso, em que vai,
nao contando porm que viesse a ser guerreado
por aquelles, que antes de abracarem a bandeira
progressisla, jo encontraram nella veterano.
Recife, 27 de junho de 1864.
Outro imparctal.
N. 1.
Illm. Sr. inspector da Ihesouraria provincial.
Marcolino Antonio Xavier, a bem de seu direito
precisa que V. S. Ihe mande dar por certidao duas
cerlidoes, urna do secretario da directora geral da
instrueco publica, e outra do cartorio desta ihe-
souraria, as quaes se acham unidas a una puticao
do supplicante, dirigida ao Exm. Sr. presidente da
provincia, e actualmente em poder da contadoria
da mesma ihesouraria, pelo que pede a V. S. defe-
rimenlo. E R. M.Como procurador, Antonio J.da
Fonseca.
Certifique. Thesouraria provincial de Pernam-
buco, 30 de junho de 1804.Silva.
Certifico que as cerlidoes a que se refere o sup-
plicante em seu requerimento suppra sao do theor
seguinte : certifico, em virtude do despacho retro,
3ue o supplicante foi prvido em 29 de novembro
e 1851, entrando no exercieio das funecoes do
seu magisterio 2 de Janeiro de 1852 que nao
lem ola alguma, no livro de matricula geral dos
professores, .po o desabooe ; o finalmente .que as [
licencas oblidas pelo mesmo durante o tonino que
lia servido, foram todas com vencimentos. E' o
que consta do referido livro folhas 32, em rea-
Cao ao que requer o supplicante.
Secretaria da instrueco publica de Pernambuco,
3 de marco de 1864.O secretario, Salvador llen-
rique de Albuquerqtte. (Gratis.)
Em cumprimento do despacho retro do Illm. Sr.
inspector, cei tfico que revendo as folhas de paga-
mentos existentes no cartorio desta thesouraria,
achei na lolha do exercieio de 1851 1852, que o
supplicanie principiou a receber seus vencimentos
do dia 2 de fevereiro, tendo lomado posse em 2 de
Janeiro do dilo anno de 1852, achando-se pago des-
de enlo at o fim de junho de 1862 a 1863, sendo
que as licencas que obteve foram todas com venc-
menlos, nao exisiindo nota alguma contra o suppli-
cante. E' e que consta das respectivas folhas s
quaes me reporto.
Cartorio da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 3 de marco de 1864. O amanuense servin-
do de cartorario, Ignacio bento de Louola Jnior.
(Gratis.)
Etavam selladas.
E nada mais se continha em ditas cerlidoes, s
quaes me reporto, e esta passe em virtude do des-.
pacho dojllm. Sr. inspector.
3" seccao da contadoria provincial de Pernam-
buco, em o 1" de julho de 1864.
O Io esenpturario, Alexanre Americo de Caldas
bramido.
O contador, Antonio Cardoso de Quetroz Fonseca.
N. 2.
Illm. Sr. delegado de polica.Marcolino Amo-
nio Xavier, professor publico de primeiras letras
desla villa, requer que V. S. se digne aitestar-lhe
se o supplicante acha-se ou nao bastante doente, e
se exislem nesle termo facultativos, a quem possa
elle consultar a respeilo de seus padecimentos
physicos. Nestes termos o supplicanie pede V.
S. se sirva dar-lhe o altestado requerido, E R. M.
Marcolino Antonio Xavier.
Atiesto que o supplicanie acha-sc muito doente,
e que eu mesmo Ihe tenho aconselhado qje se v
tariar, por nao haver um medico neste termo.
Villa da Ingazeira, 2 de junho de 1863.
O delegado
Laurintino de Vasconcellos Callaca brilo.
PUBLICARES A PEDIDO.
O *r. deputado i rbano Sabino
Pessoa de Mello.
.Sao pretenda apresentar-me candidato na pr-
xima eleico de senador pela provincia de Per-
namboco, porque observando que depois da morte
do con se l he i ro Paes Brrelo, e quando j se espe*-
rava essa eleico, se uomeou de proposito, com ge-
ral reprovacao, para presidente da mesma provin-
cia o mais proprio e empenhado, como partidista e
como individuo, em impr provincia ama chapa,
comprehendi que se quera levar de vencida a elei-
co, e contava com a intervenro do governo a
mais franca c decidida no pleito eleitoral, e com
toda a sorte de hostilidades contra a minha pobre
pessoa, juizo em que mais me confirmaran) todas
as noticias que ia recebendo da provincia ; pelo
que assenlei de absler-me para nao renovar- a tre-
menda lula do anno passado, e nao exnr meus
amigos a novas violencias e perseguiedes, em urna
poca anormal em que a eleico, desde a promul-
garn da le de 3 de dezembro de 1841, com ra-
ris'simas excepeoes, sempre do governo e nao do
povo. Persisto na minha resolucao, e por estas ra-
zoes nao dirig circulares, nem escrevi ama s car-
ta solicitando vol.
Entretanto, vendo que os meas amigos delibera-
ran) organisar urna cbapa, e se dignaran! de incluir
nella o meu nome, obedeco sua delilieraco, que
muito me bonra, e aceitarei com o maior prazer e
reconbecimento os votos que os seohores eleitores
exponianeamente me quzerem dar.
Nunca perderei da memoria tantas provas de
confianca, que em diversas pocas tenho receido
de minha provincia natal, principalmente a ultima
manifestaco do oitocentos e tantos votos em o anno
passado, que mais me penboraram do que se obti-
vesse a quasi unaoimidade em circumsiancias nor-
maes.
Estou, portaato, satsfeito e assegaro aos meas
amigos pela minha honra que quaesquer que se-
jam as injusticas dos homens, sempre me conser-
vare! firme e leal aos principios liberaes que tenho
sustentado.
Seo meu ron se I lio tem algum valor, peco 1 i cen-
ca aos Srs. eleitores para Ihes lembrar o nome do
nosso distincto e fiel correligionario e Sr. conselhei-
ro Antonio Pinto Chichorro da Gama. Este nome
venerando nao precisa de minha fraca reeommen-
daco, mas emendo cumprir um dever lembrando-o
aos Srs. eleitores.
Urbano Sabino Pessoa de Mello.
Rio de Janeiro, 21 de jiioho de 1864.
(Jornal do Commercio, do Rio.)
Vraos, Bernardino de Vasconcellos, Joo de Frei-
tas Barbosa, Joo dos Santos Porto, Francisco de
Paula Goncalves da Silva, Antonio Pinto de Barros.
Ao distincto e especial earpo eleitoral desta
provincia.
Candidato senatoria o Dr. Joaquim SaManba
Marinho, dirigi cada um dos dignos eleitores es-
peraes desta provincia, a circular abaixo trans-
ci pa ; mas iwdendo acontecer que, muitas das
mesmas circulares, por circumsiancias quo se nao
pude prevenir, nao tenham chegado, e que agora
mesmo nao cheguem ainda a seus destinos, por
isso faz-se a prsenle declaracao, pedindo-se ao
mesmo tempo desculpa de faltas que possam appa-
recer e nolar-se, c de que jamis deve ser respon-
savel o mesmo Dr. Saldanha Marinho, que s tem
motivo para confessar-se eternamente grato, ao
distincto e especial corpo eleitoral desla provincia,
que ja urna vez o acolheu benigno.
Illm. Sr.Tendo solicitado do corpo eleitoral de
nossa briosa provincia a admisso de meu obscuro
nome na lista trplice que foi offerecida ccroa na
ultima eleico, consegu islo, e do modo o mais im-
ito e lisongeiro mim, que por to grande consi-
deracao me confesso eternamente agradecido. Da
tribuna parlamentar eu me dirig aos eleitores de
minha provincia, e Ihes tribule ahemenagem devi-
da pelo titulo de suprema honra que me haviam
concedido.
Pela lamentavel morte do Sr. consclheiro Fran-
cisco Xavier Paes Brrelo d-se nova vaga no se-
nado, e nova eleico vai proceder Pernambuco.
Apresento-me novamente ; reputando de minha
dignidade consultar ao mesmo corpo eleiloral se
nos poucos mezes decorridos da eleico em que fui
considerado tenbo em alguma cousa desmerecido
do conceito em que se dignaran) ter-me os eleito-
res per n a i ii bu ran os.
E porque tenho conseiencia de mim, como lenho
intima conviceo da dignidade, independencia e
firmeza de carcter de V. S., nao duvido contar
com a sua valiosa ccadjuvaeo em prl de minha
candidatura na eleico que se vai agora proceder.
Ausente do campo onde a eleico vai ser dispu-
tada eu nao cont seno com a bondade e honra
de V. S., em cujas qualidades confio plenamente.
Sempre firme nos principios liberaes, para trium-
pho dos quaes nenhum esforco e sacrificio tenho
poupado, me reputo no caso de merecer a conli-
nuaao de seu apoio.
Fica as suas ordens o de V. S. amigo, patricio,
criado obrigado
Joaquim Saldanha Marinho.
Rio de Janeiro, 7 de abril de 1864.
Srs. redactores.Apresentando-me candidato
um dos lugares da lista trplice na eleico de se-
nador, a que se tem de proceder nessa provincia,
rogo-Ibes o obsequio de fazeretn publicar as co-
lumnas do seu jornal a circular que dirijo aos elei-
tores especiaes da mesma provincia.
Sou com particular estima, etc.
Antonio Coelho de S e Albuquerque.
Rio, 4 de maio de 1864.
Illm. Sr.A lamentavel morte do benemrito
Pernambucano, o conselheiro Francisco Xavier
Paes Brrelo, deu lugar a urna vaga senatorial por
essa nossa provincia.
Animado pelas repetidas provas de estima e con-
fianca, cora que tenho sido distinguido pelos meus
concidados, onso pedir minha provincia a honra
de ser contemplado na lista trplice, que lem de
ser apresentada escolha imperial,
f A minha vida publica n breve, e, com a mao
em minha conseienciacreio poder dizer a V. S. que
s o bem do mea paiz me ha guiado cm todos os
meus aelos.
Se, pois, V. S. entender que o meu nome no
deslustrar a sua lista, digne-se de acolhe-lo com
benevolencia, amparando-o cora o seu voto e com
o seu prestigio e relac5es.
Terei sempre vivo em minha memoria, e ser
sempre objecto de meu sincero reconhecimenlo, o
obsequio que peco V. S.
Desejo V. S. muitas prosperidades, c rogo-lhe
que transmita as suas ordens quem se prza ser
de V. S. amigo e criado, ltenlo e obricadissimo
Antonio Coelho de S e Albuquerque.
Ao met amigo Raymiindo
de Castro Valente pela la-
fausta noticia *a morte
de sua ehara ini, a quem
Dos conceda o reino da
gloria.
Noticia infausta, golpe cruel !
Perdeste tua mai,que tanto amavas,
E a quem entregar j medlavas
Da victoria cientfica o laurel.
Sorveste a taca de amargo fel,
Consola-te amigo, Dos a amava,
Chamou a filha, qu'o adorava,
A ini carinhosa, esposa fiel.
Amigo desdiloso allende, escuta I
Anglica voz do co cerleo
Diste; da dor a oraco metigaa lua.
Rasga da tristeza o espesso veo ;
Se da trra a morte rouba a justa,
Dos ella recebe c no co.
P. Oeltrao Jnior.
Tem esta bella e rica provincia de eleger no da
10 de julho tres nomes, que sero apresentados ao
nosso Augusto Monarcba para a nomescao de um
senador, que preencha a vaga, que no senado dei-
xra a mu sentida morte do nosso distincto patri-
cio, o Exm. conselheiro Francisco Xavier Paes
Brrelo.
Alguns candidatos j se tm apresentado, e, -
songeando-me com o reconhecer em todos elles
grande merecimento pelos seus talentos, illustra-
co, servicos e dedicaco causa publica, anim-
me a solicitar igualmente a subida honra de ser
eleiio.
Nao encareco meus servicos, e digo apenas, que
elles sao poucs em relaco aos muilos, que tenho
desejado e desejo prestar.
as luctas polticas o raciocinio tem sido minha
nica arma, os bons principios minha religio poli-
tica, a exaltaro o inimigo que aborreco, as recr-
mnacoes pessoaes o objecto de meus desgostos.
Amo a liberdade e a ordem, e desle duplo amor
tem resultado o nao poder simular-me, nem comer-
me sempre que se abusa de qualquer destes dous
principios : este tributo pesado e difficil ea o te-
nho pago ao mea paiz.
Talvez nao me seja possivel dingir-me particu-
larmente cada um dos Srs. eleitores ; nao pen-
sem por isso que, as occasies de dar evidentes
provas de vivo reconhecimento, o meu coracao se-
r menos expansivo do que o de outro qualquer.
Digne-se V. S. de acceitar os votos de sincera
eslima e consideracao do que de V. S. patricio,
venerador, servo e criado.
Recife, 10 de junho de 1864.
Francisco de Paula baptista.
Ao poblico.
Silvno Guilherme de Barros, sendo boje o porta-
dor de quasi todas as letras aceitas por Francisco
Antonio de Oliveira pela importancia da compra
do engenho Guerra, sito no termo de Ipejuca, pro-
movendo j execucao contra o mesmo Oliveira por
algumas dessas letras de quantia superior vnte
o sete contos de res, e que a respeilo de algumas
outras que se vencern, de importancia maior de
48:0005, trata de promover a sua cobranca pelos
meios judiciaes, para o que j foi citado, previne
que nmgucm faca negocio ou outra qualquer iran-
saeco com o referido engenho Guerra, escravos,
animaes, utensis para o fabrico de assucar, safra,
que tudo est hypothecado para garanta do paga-
mento das letras aceitas pelo dito Oliveira pela
compra do referido engenho na importancia de
245:5005, afim de que qualquer fique logo certo
que algum negocio ou transarcSo que lizer. ser
nullo. Recife, 25 de abril de 1864.
Os abaixo assignados, tendo funecionado como
juzes de facto na sesso do tribunal do jury que
se findou hoje, nao podem deixar de dirigir pela
imprensa um voto de gralido e respeilo ao Ilus-
trado juiz de direito presidente do tribunal o Sr.
Dr. Joao Antonio de Araujo Freitas Heoriques -, de
gratdo pelo modo delicado com que tratou a ca-
da um dos abaixo assignados mostrando assim a
sua polica educacao ; de respeilo pela integridade
cora que se houve em todas as decisoes qae teve
occasio de proferir confirmando mais urna vez a
bem merecida repulacao de integro magistrado.
Recife, 13 de junho de 1864.Manoel Polycarpo
Moraes de Azevedo, Miguel Jos de Almeida Per-
nambuco Fil 110, A. Witruvio Pinto Bandeira e Ac-
cieli de Vasconcellos, Caetano Jos Mendos, Miguel
da Purificacao Gomes, Joo Pedro da Jess da
Matia, Francisco de Paula Baptista, Bernardino de
Sena Puntual, Joo Gregorio dos Santos, Francisco
Leonardo de Souz Miranda Couto, Thomaz Anto-
nio Maciel Monteiro. Francisco deJPanla do Bego
Barros, Luiz de Franca de Oliveira Lima, Francis-
co Araynthas de Carvaiho Moura, visconde de Ca-
maragibe, baro de Muribeca, Francisco do Reg
Barros de Lacerda, Joaquim da Costa Donrado,
Francisco Joaquim Pereira Lobo, Joo Baptista Ce
sar, Simplicio da Cruz Ribeiro, Tiburcio Valeriano
Baptista, Jos Candido Veiga, Fortunato da Silva
Neves, Luiz Antonio Siqueira, Manoel Joaquim da
Sflveira, Jos Zacharias de Carvaiho, Francisco
Borges Leal, Jos Xavier Faustino Ramos, Cosme
das Trevas Teixeira, Joaquim Carneiro Ayres, Sa-
tyro Serafim da Silva, Antonio Maria de Paria Ne-
ves Emilio Xavier Sobreira de Mello, Manoel Luiz
Eleirn dos devotos que trra de festejar a Nossa Se-
nhora das Prazeres erecta na matriz de S. Frri
Pedro onralvcs, no anno de 18(11 186o.
Juiz perpeluo.
O Illm. e Rvm. Sr. padre Antonio Manoel de As-
sumpeo.
Juiza perpetua.
A Exma. Sra. D. Annunciada Camilla Alves da
Silva.
Juizes protectores.
Os Illms. Srs. :
Capito de fragata Hermenegildo Antonio Barbosa
de Almeida.
Pnmeiro tenente Ernesto Ignacio Cardim.
Manoel Coelho Pinheiro.
Jos Paulo da Fonceca.
Juizas protectoras.
As Exmas. Sras. :
D. Joanna da Cruz Mesqnita, esposa do Illm. Sr.
Antonio Botelho Pinto de Mesquita.
. Joaquina Francisca de Oliveira, esposa do Illm.
Sr. Jos Esteves de Oliveira.
D. Emilia Candida de Mello Luna, esposa do Illm.
Sr. Antonio Rufino de Andrade Luna.
D. Thereza de Jess Moreira.
Juizes por devoco.
Os Illms. Srs.:
Dr. Manoel Francisco Teixeira.
Capilo Jos loaquim Lopes de Almeida.
Joaquim Cardoso de Almeida.
Decio de Aqnino Fonceca.
Juizas por devoco.
As Exmas. Sras. :
D. Eugenia da Costa Mendes, esposa do Illm. Sr.
Joo Jos Rodrigues Mendes.
D. Guilhermina Borges dos Santos Moura, esposa
do Illm. Sr. Manoel Rodrigues dos Santos Moura.
D. urea Brasilina de Mello Ribeiro, esposa do Illm.
Sr. Antonio Jos de Abreu Ribeiro.
D. Maria Francisca Bezerra de Mello.
Escrives por devoco.
Os Illms. Srs. :
AntoHo Marques Correa.
Joo Nepomuceno Alves Maciel.
Manoel Jos da Fonceca Mariz.
Jos Goncalves Beltrao.
Escrivas por devoco.
As Exmas. Sras.:
D. Constancia Perpetua Machado Beltrao, esposa do
Illm. Sr. Antonio Goncalves Beltrao.
. Isabel Maria da Concccao Costa, esposa do Illm.
Sr. Joaquim Jos da Costa.
D. Julia Halliday Garca, esposa do Illm. Sr. Alfre-
do Henrique Garca.
D. Josepha Mara Souto.
Juiz por eleico.
O Illm. Sr. Francisco Jos dos Passos Guimares.
Joza por eleico.
A Illma. e Exma. Sra.Baroneza do Livramento.
Escrivo por eleico.
O Illm. Sr. Maximiano Jos da Costa.
Escrivaa por elego.
A F.xma. Sra. D. Rosa Goncalves Pcnna, filha do
Illm. Sr. Luiz Antonio Goncalves Peona.
Thesoureiro.
O Illm. Sr. Joao Gomes de Oliveira.
Procurador geral.
O Illm. Sr. Bernardo Ferreira Loureiro.
Procuradores.
Os Illms. Srs.:
Jos Soares Pinto Correa Jnior.
Manoel Marcelino Montciro.
Francisco Jos Carneiro.
Salvador Estevo de Oliveira.
Joo da Cunta Lobo.
Joo Macedo do Amaral.
Antonio Jos Rodrigues Pinheiro.
Lourenco Alves Salazar Jnior.
Ifatheas Jos de Souza Guimares.
Jos Thales de Mello.
Secundino Fedriliano Gomes de Oliveira.
Auspicio de Abreu Guimares.
Mesarios.
Os Illms. Srs. :
Jos Rodrigues de Souza.
Francisco Pedro das Neves.
Luiz Antonio da Silva Pereira.
Antonio Goncalves Torres.
Manoel Francisco dos Reis.
Jos Antonio Moreira.
Ballhazar Jos dos Reis.
Jos da Cunta.
Francisco Joo de Barros Jnior.
Joo Licio Marques Jnior.
Manoel Francisco Marques.
Manoel do Nascimento Araujo.
Jeronymo Emiliano de Miranda Castro.
Miguel Jos Alve?.
Domingos Joaquim Ferreira.
Marcelino Jos Goncalves da Fonte.
Joo Antonio da Costa Moreira.
Antonio Jos de Pinho.
Manoel Alves Barbosa Sobrinho.
Autonio Marques de Amorim.
Herculano Rodrigues Pinheiro.
Jos Adriano d Costa Moreira.
Goncalo Joo da Silva Fortes.
Francisco de Paula Silva Lins.
Antonio Henrique Mafra.
Domingos Henrique Mafra.
Rvm. padre Primo Feliciano Tavares.
Rvm. fre Jorge de Sanl'Anna Locio.
Administrador do altar.
O Illm. Sr. Jos Fernandes da Silva Teixeira e
Mello.
Assignado pelo arcidiago vigario, Placido Antonio
da Silva Santos.
Salsa de Brlstol.
K salsa parrilha de Bristol exerce suas proprie-
dades purificantes por todo o systema nervoso,
neutralisando o virus produzdo e accumulado pe-
las ulceras, escrophulas. abscessos e tumores, o es-
corbuto, assim como todas as mais molestias das
glndulas, da carne e da pelie.
A historia desla preparacao tem sido pelo espaco
de trinta annos urna serle nao interrompida de cu-
ras as mais admlraveis e felizes. Todo o mando
medico admiti qae o melhor antisptico vegetal
e anti-escorbulico at hoje conhecido, e pdese
com toda a certeza afanrar que um remedio es-
pecial para a cura do i heumatismo e de todas as
affeccoes dos msculos, tendees e conjuncturas.
Encootra-se venda na botica de Bravo & C, e
Caors & Barboza.
O ex-presidente do Cear.
Sob esta epigraphe publicou o Exm. Sr. Jos
Benlo da Cunha Figueiredo Jnior, no Diario de
Pernambuco, um extenso communicado em qae,
defendendo-se de algumas censuras feitas na c-
mara dos Sr. deputados, explica de um modo fiel
a sua administradlo, e justifica o seu procedimen-
to durante a quadra eltitoral.
Transcrevendo para as nossas columnas esse
communicado, que os leitores encontrarao no lu-
gar competente, rumprimos um dever de gratdo
para com o ex-presidente, que tantos beneficios fez
a nossa provincia na sua glorio administracao ;
e ao mesmo lempo o dever de escriptor publico,
que nao pode ser indiferente verdade.
, J dissemos, e repelimos agora : somos liberaes
e sempre o fomos ; mas daqaelles que saben .dnr
i a Deus o qae de Deas, e a Cesar o que d
' Cesar.
A nossa longa vida na arena jornalislca atiesta
bem as nossas ideas polticas.
Nao sabemos, porm, sacrificar a verdade por
amor deltas, ou de consideracao qualquer.
Tambem nao sabemos deixar de applaudr e
louvar aquelles que amam a verdade e se sacrifi-
can) por amor della.
Eis ahi porque nao podemos furtar-nos de Irans-
crever o communicado a qne alludimos.
Os leitores sensatos sabe rao aprecalo.
(Da Gazeta O/final do Cear).
Srs. redactores.A immoralidade da faccaopoliii-
ca que domina nao respeitaaos direitosdeinguein;
oseu fim galgar posicoes,ainda mesmoque sejam
estas cxlorqnidas aos ridados honestos e pre>*i-
mosos. Nunca se vio cruzada mais desabrida con-
tra a gente morigerada, e sizuda do patz I Os Ik ns
perseguidos, exautorados de honras e direitos : e
, os mos, os criminosos, os pievaricadores, os cor-
rompidos emfim, chamados aos empregos pblicos
com escndalo da moral e dajustica !
Aonde iremos ter assim, seuhores redactores '
Agora mesmo sou informado que um dos mao-
res malvados que ha no termo de Ingazeira, ins-
trumento all da liga, e do famigerado hroe i"
abyssimo de 1842, procura embar a boa f do go-
verno imperial, fazendo acreditar qae o mea ami-
go Isidro da Cruz Siqueira morava no MfHma
da Parahyba, ao lempo em que foi nomeado len-
te-coronel, e por esle ardil conseguir a sua iesti-
luico.
, pois, para evitar que o tigre de Ingazeira,
iot seu agente na corte, nao consiga seos las,
apresso me em Iranscrever as duas certidVs jun-
I tas, que provam que o meu amigo cm lempo al-
gum residi na comarca do Villa Real de S. Joo-
Sou, Srs. redactores, seu constante leilor.
.V. .1. de barros.
Eu abaixo assignado certifico que revendo as
livros qae servem para a qualificaco dos vetaaNes
desla freguezia, driles nao consla que fosse o sup-
plicanie qualificado votante em tempo algum. S--
cretaria da cmara muniripal da villa de S. Joo,
17 de junho de 1864.O secretario da cmara mu-
nicipal, Flix Jos Pereira.
Atiesto, que o Sr. t( nente-coronel Isidro da Cruz
Siqueira, morador na freguezia de S. Jos de In-
gazeira, provincia de Pernambuco, nunca foi con-
siderado parochiano desla freguezia de S. Joao de
| Carri, onde tem urna fazenda de gado no lagar
denominado Boi Velho, qual costumava vir de
annos, nem tambem tive de ouvir em cooGsso ao
supplicante c a sua familia, pelo preceito eccle-
siaslico. Passo o presente por me ser pedido, e
aflirmo em f do meu cargo. Villa de S. Joo, 17
de junho de 1864.O vigario, Jos de Sonsa Maga-
lltaes.
Errata.
No communicado publicado hornera relativamen-
te ao presidio de Fernando, em logar de 4 a mil
alqueires demilho, diga-se 4 a 5 mil alqoeires de
farioha, 500 a 600 alqueires de milho, feijn. et.,
nao indurado o resultado das lavouras pariica-
lares.
COMMERCIO.
Alfandega
Rendimento do dia 1 a 5.......
dem do dia 6................
M:M0#U
M:nfajm
1J7:7:7:177
Movlraento da .i I f and cea
Volumes entrados com fazendas... 234
t cora gneros... 413
Volumes saludos com fazeodas... 132
t com gneros... 762
6i7
*>4
Oescarrrgam no dia 7 de julho.
Barca portugueza Corsa mereadorias.
Brigue portuguez Cotifianra dem.
Brigue nacionalNovo Almirante diversos g-
neros.
Polaca italianaAmassionedem.
Brigue inglezIrisvinhos.
Barca inglezaDiana o resto do carr<"gamenti.
Patacho inglezEmma locomotiva para a eslra -
ajda de ferro.
Importaeo.
Barca nacional brrelo, entrada do Rio de Ja-
uciro, consignada a Palmrira & Beltrao. aaaafr
lou o seguinte :
Gneros estrangeiros ja despachados para con-
sumo.
150 saceos farello, 10 duzas de pranchoe.- !
pinho, 5 pipas vinagre, 35 barricas e focarlas eei
veja, 60 caitas massas. 1 quartota vinho, 8 caiv.-
generos, 100 caixas passas, 5 balas papel, 14 eai-
xas ditoe ranella, 15 barricas azarco, 15 dita.-
cante, 50 balas sal de enrome, 1 dita cinta asul.
45 canastras e 18 barricas albos, MO meias baru-
cas vasias, 754 alqueires de sal e 1 caitie
una estatua de marmore; a ordem.
Gneros naconaes.
1,000 caixas sabio, 12 caxotes rap, 50 barricas
vasias, 10 pipas vinagre, 70 saceos fejo, 1.336 di-
tos e I barrica cafe, 104 rolos e 55 latas fumo : a
ordem.
Barca nacional Ugeira, entrada do Bio Grande
do Sul, consignada a Amorim Irmos, nawtfnUin
o seguinte :
i 4,000 arrobas de carne serca de charque, 70
ditas de sebo cm rama, 300 ditas de graxa era be-
xigas e 2,000 lnguas seccas; a ordem.
Kxportaco.
Escuna ingleza Tiara, carregou para o llanal :
3,360 saceos com 16,800 arrobas de assucar ma<-
cavado.
Reccbedorla de rendas Interna*
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 5........ 6:0530i>2
dem do da 6------............ 2.28IJ6*!
8:3310083
Consulado provincial.
Rendimento do dia I a 5......... 2I:472077
dem do dia 6................. 7:621J.'{'.H!
28:493*407
MOVIMENTO DO PORTO.
Navio entrado no dia 6.
Rio de Janeiro17 dias, barca nacional brrelo.
de 320 toneladas, capilo Antonio Pedro do-
Santos, equipagem 11, carga varios gneros : a
Palmera e Beltrao.
Navio sahido no mesmo dia.
ParalabaBrigue sueco Emil, capilo G. F. Gad-
da ; em lastro.
EDIT1ES.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, offlcial da impe-
rial ordem da Rosa e juiz de direito especial do
commercio por S. M. Imperial e constitucional o
Sr. D. Pedro II a quem Deas guarde, ele.
Faco saber aos que o presente edilal virem e del-
le noticia liverem, que por parle de Aranaga Hijo
& C. me foi dirigida a petico do theor seguinlt:
Illm. Sr. Dr. juiz especial do commercio.Di-
zera Aranaga Hijo & C, commerciantes desla pra-
ca, que tendo na escuna hespanbota Prisea, entra-
da do Rio de Janeiro no dia 3 de jnnlio prximo
lindo, cora 1,756 barricas de farinha de trigo Phi-
ladelphia-extra a consignaco dos sopplicantes.
achando-se de laes barricas 40 com a farinha bas-
tante arruinada e os cascos lamben) deteriorado*,
alera de terera ellas marca distiocta das demais re-
quereram os suppiicantes o deposito das menciona-
das 40 barricas de farinha de trigo par nao ser a
farinha de qualidade igual a das demais barricas,
embarcadas a consignaco dos supplieanies, reve-
lando smente facto, que houve por ma f,oa qaal-
quer outra coosa troca de 40 barricas de fariab
boa pelas ditas 40 barricas de farinha arruinada
Pelo que, requeren) os suppiicantes para consena-
Co e resalva de seos direitos protestar cocn
quem de direito for por tal facto, afim de haverem
o valor das preditas 40 barricas, que fallara para
completar o numero das 1,756, alm da indeiM
sacao das despezas, perdas e damnoa rnenUatn
ao mesmo facto e requerem os suppiicantes V. S.
se sirva de mandar lomar por termo o sen protes-
to, passando-se carta de editos afim de ser o mes-
mo intimado aos interessados aumentes.
Pede a V. S. deferimento e recebera meree.O
advogado, Mariins Ribeiro.
E mais se nao conlinjia em dita peticao aqui co-
piada, na qual dei o despaono do theor seguinte :


:~^
I


Diarlo de ernaml>ueo lutota felra de Jull.* de 1S*4
pretende seguir eom muita brevidade a escuna na-
cional Carlota, tem parle de sea earregamento
prompto : para o resto que Ibe falta, trata-se com
es seus consignatarios Antonio Lnii de Oliveira |
Azevedo A C., no seu escripiorio ra da Cruz nu-
mero 1.
mm
Tomo-se e intime-so o protesto, e como reque-
ren!.
Recite, 2 de jumo de 1864.
Alencar Aranpe.
E mis se nao continha em dito despacho aqu
copiado, em virtude do qual o esr.rivo lavrou o se-
gumte termo:
Termo de protesto.Aos 4 de jtrtho de 1864, na
cidade do Recif perante rmm e as testemunhas
infra assignadas, em meu carloriodisseram ossup-
plicantes por seu bastante procurador o solicitador
Rodolpho Joao Barata de Almeida, que reduzam
a protesto o contedo de sua petizo retro, o qual
otTereceram como parte do presente termo, e de
como assim o disseraui e protestarain lavret este
termo no qual depois de lido se firmaram com as
ditas testemunhas.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimento es-
crivo o escrevi.Rodolpha Joao Barata de Al-
meida, Joao da Sil veira Borges Tavora, Francisco
"lf32lL*mmMm*m Asl1 orSnoarmafea,d,irn,d.Cadei. do Re-
to aqui copiado.
Para a Baha
LEILO
K
Movis, crystaes e outros mul-
los arVgos
ran 4
fe i. 48.
O agente Olimpio vender em leilio urna mobi-
lia de Jacaranda, 1 guarda roupa de magno,
1 la-
vatorio com pedra, 1 cama ranceza de Jacaranda,
11 guarda vestido, 1 secretaria, 1 santuario de ja-
Pelo theor do qual intimo a presente a quem
interessar possa, para o que ser publicado pela
imprensa e aliado nos lugares do costme.
Recife, 5 de julho de 1864.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es- caranda, 1 banca para advogado, 1 apparelho de
crivo o escrevi. louca para jantar, 1 dito dourado para almoco, ta-
Trtitao de Alentar Araripe. [petes, 1 apparador, camas para menino, tercos,
O Dr. Manoel Antonio dos Passos e Silva Jnior, candelabros, serpentinas, lanteraas, quadres, es-
juiz municipal, de orphSos e ausentes supplento pelhos, toucadores, marquezas, cabides, quarli-
em exercicio do termo de Oiinda, em virtude da nheiras e outros muitos artigosde .gosto que en-
lei etc. contrario os pretendentes na vespera e da do
Faco saber aos que o presente viren, que no' leilao.
dia 7 do corrente mz, depois da audiencia deste.'
juizo, de ba de arrematar em praca publica, por,
venda, a quem maior lanco offerecer os bens se- j
ruin tes: 1 r.:logio de preta galvaoisado o 1 ca-
noa de um s pao, de amareilo, com 20 palmos de |
comprimento e 27 pollegadas de bocea, pertencen;
tes ditos bens heranca do finado Bernardo Jos
de Sena, os quaes vau praca requerimento do
LEIL4
DE
.novis e obras de praa.
E para que chegue a noticia de todos mandei[ torre, camas francezas de amareilo cadeiras,da
eadeiras, lavatorios, commodas,
^^fS&O^S0 ^'^"'VlS'Edecosinha, bids, cadeiras priva
^U^pSdTeila'cidTV Olinda.sob n,eu;das, bacas de nandres, -ic^com mangas, e,
ic
horas do
' tttiS?J2S!Z do Trapiche
aos 2 de julho de 1864.
Eu, Francisco das Chagas Cavalcanti Pessoa, es-
crivao de orphSos e ausentes o escrevi. Manoel
Antonio dos Passos e Silva Jnior. Ao sello 300
rs. Valha sem sello ex-causa.- Passos Jnior.
n. 40, aonde se etfecluar o leilao s 10
dia supradilo.
DECLARARES.
O abaixo asignado, laacador do consulado
provincial, avisa aos senhores proprietarios de pre
dios urbanos e dono de estabelecifuenlos das fre-
guezias do Recife, Santo Antonio e Boa-Vista, que
sendo nomeado por portara do Sr. administrador
do mesmo consulado, datada de 20 do correte
mz, par proceder aosdifferentes lancamentos dos
impostas ja creados, e ltimamente outros creados
pela assembla legisMrva provincial, e que dando
principio ao&seos trabalhos no dia 22 pola fregu -
Ufado Recife, pede aos mesmos senhores que te-
nham promptos os seus recibos, e mais documen-
tos inherentes ao que diz respeito, alim de que
possa proceder com regularldade e sem vexame
das parles, o referido laneamenlo.
Mesa do consulado provincial 25 de junho de
1864. -Joao Pedro de Jess da Matta.
Consulado |iiovinlial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publico
que no dia 7 de julho corrente findam-se os 30
dias uleis marcados para a cohranca bocea do
cofre do 2- semestre do anno financeiro lindo de
1863 i 1864 dos impostos da dcima urbana, do
con.-umo de agurdenle, e de o 0|0 sobre os bens
de raz pertencemes corporacoes de mao mora,
licando sujeitos a multa de 3 0|0 sobre os seus d-
bitos todos os que pagaren depois daquelle dia.
Mesa do consulado provincial de Peroanibuco
1- de julho de 1864.
Antonio Carneiro Machado Ros,
Administrador.
Consulado de Portugal.
Sao chamados os (-redores do ausente Manoel
Correiade Souza apresentarem dentro do praso
<]e 15 dias us seus ttulos de crdito para serem
verificados. Recife 27 de junho de 1864.
C'oasellio administrativo.
o conselno administrativo para forneeimenio do
arsenal de guerra lera de comprar os objectos se-
guintes:
Para o 9o batalhao de infantana.
Espadas com bainhas de ac 2, fiadores de couro
preto envernisado 2, talhins de dito 2, cananas de
lito 2.
Para a enfermara do corpo da guarnido
da Parahiba.
Jarras de barro o, copos de vidro para agua 6,
copos pequeos para remedio l, calis 3, comeres
de sopa 48, colheres de cha 20, castigaos de latao
2, escarradeiras de latao 64, espaleila de ossn I, ta-
lieres 36, caearolas 2. chicaras de louca 20, pires
10, ourins d'e louga 21. praios de louga 80, cha-
laras 2, manteigueira 1, bule 1, caldeiroes 2, han-
deija 1, cobertores de 13a 34, barretes de la 118,
camisas de llauella 6, metas de laa 8 pares, col-
choes 52, Iravesseiros i>7, oleados para camas 2,
pedra de aliar 1, chinellas 7'J pares, cilhas 2, ba-
cas de rame 1, rede de tpoarana 1, bro blan-
co 409 1|2 varas, algodozinho 391 l|2 varas, chi-
ta 810 covados.
Quem quizer vender laes objectos aprsenle a
sua proposta em carta fechada na secretaria do
onselho s 10 horas da manhaa do dia 8 do cor-
rente. .
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 27 de junho
de 186i- r.
Antonio Pedio de Sa Barreto,
Coronel, presidente.
Sebastio Jos Buzio Pyrrho.
Vogal secretario.
Crrelo geral.
Pela administracao docorreio se faz publico que
hoje 7) do corrente lelas 3 horas da larde em
ponto fechar-sc-ho as malas que tem de conduzir
o vapor costeiro Jatjitaribe com deslio. aos portos
do norte at o Granja somonte. Os jomaos serao
recibidos al 1 hora, e as cartas admettidas a se-
guro at 1 1|2 hora.
No dia 8 de julho, depois da audiencia do
Sr Dr. juiz municipal da 1" vara, vai a praca de
venda o escravo Romualdo com 27 annos, avahado
em 5004, pertencenle ao inventario de Jos Anto-
nio de Souza Queiroz vai praga requerimento
do inventariante.
BE
Urna tscrava com cria.
ttexta-feira 8 de julho.
O agente Pinio far leilao por despacho do Illm.
Sr. Dr. juiz de direito especial do commercio da
escrava Florentina e am filho de 5 mezes, p.-rten-
cenies a massa fallida de Jos Marques dos Santos
Aguiar & C. isto 1 hora da tarde do dia cima
d lo na ra do Trapiche armazem n. 40._________
SAMO 4 LUZ
B EST A VKS0A NA LIVRAKiA DO Sr. GERALDO
BA ESTBKITA DO ROSARIO N. 12 AS
NOCES
n
DE
PARTIDAS DOBRADAS
OKKERECIOAS
A Associacao Commer.-i^l Renefieente
Olimpio Ferreira in Silva
AGENTE DE I.KII.OES
Ra da Cadeia do Recife
Pi i metro andar.
11.
DE
IMIKMHIUI
POR
M Fonseca de Medeiros
Aos 10:0008000.
Corre depois d'anianlia.
Sabbado 9 do corrate mez se extrahir
a segunda parte da prtmeira lotera da *gre-
ja de N. S da Boa-Viagem, no consistorio
da igreja de N.S.do Bosario da freguezia
de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos achm-se
venda na respectiva tbsooraria ra do
Crespo n. 15. i
Os premios de 'lO-.OCHWOOO at BlflOOO
serio pagos urna hora depois da extraocao,
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuico das-listas. .
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.! ^i"^!!^""*.
casa da m\m\
aos 10:000.000 .
BIHieloa garant lo*
A' ra da Crespo n. 23 e casas do eastome
O abaixo ;tssignado tendo vendido nos seus limi-
to felizes bilhetes garantidos o meto n. 3327 eom
a sorle de 6:0004000, e n. 928 com 1:400,5 e nu-
tras multas ib 2004, 1004, 404 e. 304 da lotera I
que se acabou de extrahir beneficio da igreja de |
Santo Amaro de Jaboatao, convida os possuidores
de ditos bilhetes a virem receber seus respectivos
premios sem os descontos da lei, em seu estabe-
lecimento ra do Crespo n. 23.
O mesmo tem exposto venda os novos e felizes
bilhetes garantidos a beneficio da igreja de N. S.
da Boa-Vigem, que se extrahir sabbado 9 do
corrente.
tr%eos.
Bilhetes inteiros..... 124000
Meios......... 4000
Quartos........ 34000
Para as pessoas que Oomprarem
de 1004 para cha.
Bilhetes........ 114000
Meios......... 54*00
Quartos........ 247S0
Maneel MartinsFiuza
Ao Sr. Hilas Cordelro Ca- l
tr preelsa-sc fallar a aegocio de
sen Interesse, na padarla da rna
RA DO QUEIMADO NUMERO 11
Loja de fazendas d- Augusto Frederici dos Sanios Porto
Chapeos para senhoras.
Chegaram de Paris as mais lindas chapelinas o chapeos de palha da Italia para senhoras.
Ricas capas.e soutembarques de seda preta e rasemira de cor para senhoras.
Cortes de superior mnrentique branro para vestidos de noivas.
Camisas inglezas mullo superiores para Imruens, peitos, punhos e colarinlu de iinbo.
Chapeos de seda para cabera e chapeos de sol de seda inglezes.
Lencos de labyrinlho francezes a 14 cada um. *
Camisas de menino muito superiores.
Cortes de la de barra para vestidos do senhoras de 134 a 184.
A mesma loja tem o maior e mais superior sorlimcnto de
listel ras para salas.
Naste estabelecimento encontrarao os senhores que precis.irem forrar suas salas eom esleirs
oda e qualquer quanlidade que desejarem de 4, o e 6 palmus de largura, sendo a qualidade muio
superior e por mdico preco.
:
85 un
Casacas de panno preto, 355 e
Sobrecasacas idem, 30?$ e .
Paletos idem e de cores, 255,
20(5, 15(9le......
Ditos de casetuira, 200, 155,
105000
DE
lina espada, dragonas, banda, fiel e
coMo objectos proprio* para olicial
0 cirurgio Leal niudou
a sua residencia da rna do
Queimado $stm a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
rni-/x r.r.rlo at. mo A\ \M He ser procurado para os negocios de ?, M; Dltos de cascraira, 200, 150,
nieiro andar, por cima ao Wsuapronssso. SI w,m armazem Progressista, aon- I^^SiiUS^I | gS^M, V, M8
de o acnarao como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fissao, chamado por esenpta.
an
[Escripiorio de advocada no Kio
Grande do Norte.
i O abaixo assignado tem aberto o seu
esenptorio de advocada na villa do Cea- ^
r-meirim no Rio Grande do Norte, onde ^ i >$*
Quem quizer alugar urna boa casa ter-
rea ra da Uniao, drija-se casa n. 10
ra da Aurora que achara com quem
miar,
%V%"to* ^%,^\vt
IKTREIRO VERDE.
Neste estabelecimento ba sempre um sortiraento completo de roupa feita de,
todas as qualidades, tambera se manda fazer por medida, vontade dos a>nc4>r-
rentes, para o que tem um dosmelhores professores, assim como tambera tem um 'j
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras.
homens e meninos.
3OjJ0O0 Ditos de setim preto. 5000*
25-5000 Ditos de ditos e seda branco,
da guarda nacional
Sexia-feira 8 de julho.
Por ntorveneao do agente Pinto no
da ra do Trapiche n. 40. _________
armazem
Antonio Joaquim de Senna Jnior tendo
receido a infausta nova do falleeimento
(em Macah) do sua presada irmaa D. Luiza
Amelia de Senna, convida a seus amigos e
collegas para assistirem urna missa que pela
alma da linaria manda celebrar amanhia 7
de julho, na matriz da Boa-Vista, s 8 horas
da manhaa. Desde j se confessa eterna-
mente grato para com aquellas pessoas, que
se dignaren! assistir a esse aclo de religiao.
Mi
LEi
DE
Fazendas avadadas.
COIPAilMA
DE
John Lilly subdito inglez relira-se para In-1
glaterra levando em sua compauhi i sua mulher,
3 fllhos menores, a (menor Mary Kraus e.umaj
criada.__________________________ j ]
SOCIEDADE
UNIAO BENEFICENTE
MARTIMA
Em consequencia da consulla que live a honra
de inderessar S. Exe. o Sr. presidente da pro-
vincia para a conttnoacao das sessoes da socieda-
de Uniao Benefieente Martima, visio que alguns
de seus socios pouco interesados, e bstanle re-
missos, nao se tem prestado aos costumados traba-
lhos sessionaes da mesma soeiedade, querendo ou
procurando, segundo, de presumir, mente ou exlinccao ; deixei de anniinciar a cha-
Sexta-feira S de julho.
Rabe Schmettau & C, farao leilao por interven-
fao do agente Pinlo, e por conla e risco de quem
pertencer, de alguns madapoloes, algodozinhos e
chitas com avaria d'agua salgada s 11 horas
da cima dito em seu armazem
n. 18.
nisadora.
do
1>K
Um cahrioleleun ptimo cavallo.
Aureliano Augusto de Oliveira, autorisado por
urna pessoa de sua anisado vender em leilao, um
cabriole! e um cavallo de carro, bon trotador,
lalvez um dos melhores que hoje existe nesla
praca.
No sabbado 9 do corrente, na pra^a do Capim,
na cocheira do Sr. Joao lienrique, s 11 horas.
mada para a reunif: dos mesmos senhores no dia
Jfo'm*fVi !\i!)ntllT104{ 111(10111"- 10deiunlio conforme marca oari. 39 dos estatu-
tos : o que agora faco. convidando a todos para o
; da 8 do correle mz, as (i 1|2 horas da tarde, no
salo do llieatro de Apollo, alim de se proceder a
nova eleicao que ha de dirigir os trabalhos futuros
! da mesma soeiedade.
Secretaria da Soeiedade Uniao Benefieente Ma-
I riliina i de julho de 18(i.
Balthazar Jos dos Res.
Io secretario. _
Arrendase, vende-se, ou mesmo troca-se por
casas na pnca um sitio na Vanea margem do
ameno Capibaribe, com duas grandes casas, com
7 qoarlos, 4 salas, 2 cozinbas u um solao, tendo a
pane cocheira, estribara, e quartos para criados,
I todo plantado de arvores de ructo, abacates, sapo-
! tis. fructa-po, limao doce, limas de umbtgo e da
i Persia, laraogeiras de nmoigo, soletas, tangerinas
DitOS ditos
54, 4e......
Ditos de brira e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. .
Ditos branco de linho, 60,50 e
Ditos de merino preto de cor-
do, 100, 70 e.....
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80e......
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de raeia casemira de co-
res, 50000 e.....
Ditas de prinecza e merino pre-
to de cordo, 40500 e. ,
Ditas de brira branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo preto e de
cores, 90 e......
Ditos de casemira preta, 50 e
Ditos de ditas de cotes 50
40 e
Os senhores accionistas desta Companhia sao
convidados para se reuniroin em assembla geral
no respectivo escripiorio, pelas 11 horas dama-
da ra da Cadeia nha do dia 8 do corrente, para Ibes ser apresen-
lado o novo projecto de eslatutos, confeccionados
--------------------- ----------------- pela commissao eleita para esse lim na ultima as-
liS^B |il(l semblageral.
Recife o de julho de 1801.-Os directores,
Joao da Silva llegadas.
Francisco Joao de Barros.
Mi'.'ih'l Jos Alves.
60 e.......
Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, 60, 50 e
Colletes de fustao e brira bran-
co, 30500, 30 e .
Seroulas de brim de linho,
30500 20400 e......
Ditas de algodao, 10600 e. .
30000 camisas de peitos de linho,
**000 y, 30 e. .....
Ditas de maJapolo, 20500,
50000 20 e........
Chapeos de massa, pretos fran-
70000 cezes, 100, 90 6. .
70000 Ditos defltro, 50, 40,30500 e
Ditos de sol, de seda, 120,
40000 110, 70 e......
Collarinhos de linho fino, tilti-
40000 ma moda duzia. .
Sortimento completo de grava-
20500 tas.
20500 Toalhas para rosto, duzia. 110.
e........
70000 Chapeos deso, dealpaca, pre-
40000 tos e de cores.....
Lences de bramante de linho.
30500 Cobertas de chita chineza.. .
m mmmmmmmmjm.
50000:
40090;
20500
2|00
10400
20500
10600
80600
20000
60000
60000
I0OOO
m
40000
30ooi m
205^0 JK
LjEILIO
PREDIOS
Um sobrado na ra Imperial n. 6i, com 40 pal-
mos de frente, 180 de fundo, tendo no andar ter-
reo duas salas, alcova, gabinete com um quarlo,
cosinha eum grande salo com 7 quartos, o pri-
meiro andar tem urna grande sala, i alcovas, 1
quarto no corredor, sala de detraz com 2 camari-
nhas. urna grande sala de jantar, cosnha e um
quarlo ao lado, um grandesotao com urna sala e
't (piarlos, grande cisterna, cacimba, estribara'
cocheira e 1 grande quarlo para guardar carro-
cas, 1 grandes quintaes tendo um delles um bello
jardim, o outro plantado com diversos ps de sa-
potizeiros e outros arvoredos, leudo ambos 200
palmos de largura e 140 de fundo.
Urna casa terrea]na mesma ra n. 66 com 2 por-
tas de frente, 2 salas, 2 grandes quartos, cosinha,
quintal, cacimba e mais 2 quartos tora.
K. 55.
DE
J. VIGNES.
ra 1>o i iIIi-:h ti>in
X. 55.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz conhecidos para que seja necessario insblir sofera
etc., m grande rafesal com fructas, jaqueiras, j sua superioridade, vantagens e garantas que eftereceo aos compradores, qualidades oslas im-ontesu-
Baymundo de G. Valenle, tendo recebidojt
infeliz noticia da mor le de sua presada mai
D. Luza Maria de Castro Valenle, convida
aos seus amigos para assistirem a urna missa,
que ser celebrada, na matriz da Boa-Vista,
sextafeira s 7 horas da manhaa, pelo repott-
so eterno de sua alma. Recife, 6 de julho
de 18i.
liadame
ropa. _____
Mina Albet, retirase para a Eu-
%m*
Precisa-se de urna ama para coziohar e comprar
em casa de homem selteiro, preferiudo-se escrava:
Um sobrado demandares na ra do Lvramento Da rua 0 Queimado n. 23.
n. 9, tendo cada um andar 2 ^las eura quarto. j Preciia.St de uina ama caM para ,0llo 0
O agente Almeida far leilao por autorisacao da servicode de pouco familia : na travessa da
caixa hlial dos predios cima mencionados, a por- matriz de Santo Antonio n. 8._________________
ta ua Associacao Commercial, s 11 horas do dia Aluga-se a casa n. i da rua dos Prazeres, nos
cima. Coelhos, com bons commodos, concertada, caiada e
: pintada com perfeicao e gosto : a tratar no segun-
! do andar do sobrado n. :M> da na do Kangel.
Precisa-sede urna ama de leite : na rua Im-
perial, sobrado a. 87.___________________
inanueiras, cotjueiros, dendezeiros, com mais no
fundo urna casa de taipa, e lien assim mais 4 ca-
sas de lijlo acabadas de pouco tempe, com frente
para o naseenle, milito frescas, tendo cada urna 2
salas, 2 quartos e cozmha fra : os pretendentes
dirijam-se rua do Queimado n. 27, loja de fazen-
das dos Srs. Custodio A Uarvalho.______________
Alu:a-se un sitio na estrada da Ponte de
Uchoa e a margem do rio, iwuco adianto do Illm.
Sr. comniendador Nery Ferreira, tendo banheiro,
palanque, gallnheiro e oulras acommodaQoes; e
outro dito no Monteiro, em frente ao oito da igre-
ja : a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Sou-
za, rua do Crespo u. 13, ou estreita do Rosario nu-
mero :2. _______________
Os Ijtraidatarios di massa de Jos An-
tonio bastos convidam os credores da mesma
a receber o segundo dividendo, rita do
Trapiche n. 34. _____1
Precisa-se alugar um escravo : quem < liver
leve rua larga do Rosario n. 10, (jue arhar^i eom
i|uem tratar.
LEILO
DE
avisos martimos.
Companhia Pernambiicana
DE
Xavega^o costclra a vapor.
Taraliiba, .Natal, Maco, Aracalj, Cear, Acaracu' e
(iranja,
O vapor iaguaribe, comman-
dante I/jtiato, segu para os por-
tos do norte no dia 7 de julho as 5
Iheras da larde. Desde j recebe
Icarga at o dia 6. Encommen-
eiros e dinheiro a frete at s 2 horas
Ja 'tarde, do diada sahda : escripiorio no Forte
do Mallos n. 1.
Predios, terrenos atterrados e ala-f
gados.
O agente Almeida legalmente autorisado pela
caixa filial, como liquidataria da massa fallida de
Manoel Dias da Silva Santos, subdito porto"
guez, retira-*!.' para Europa afim de tratar do sua
saude. edeixa por seus banlaates procuradores em
1 lugar a Joaquim Rodrigues Tavares de Mello,
Joaquim Lucio Monteiro da Franca, far leilao da cra f Joao do Amaral Raposo, e em 3" a Jos da
____?_?_--.!..-----L. <.-...,.. .Ate* f..li:.4A n.^; wimn r,-i_ f__.-______.-...______J.._J__ _.
Napragafla Independencia, loja de o irives
n. 33, compram-se obras de ouro, praia e | adras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
coramenda, e todo e eaMtouer eoncerto, e igual
mente se dir quem d dinheiro a premio.
John Lelly, socio da casa de Soutall Mellbrs &
C, lendo de retirar-se para a Inglaterra no rroxi-
mo paquete, pede todas as pessoas com que n te-
nha contas de as apresentar no prazo de aito d
para serem pagas. ___________
Arrena-se urna grande casa e sitio, nol Bar-
balho, margem do Capibarie, confronte a |o-
voado do MonUsiro, leudo grande baixa de ca| im e
bastante trra para plautaQo : os prelendenl is i
rijam-se rua do Apollo i segundo andar.
------COMPANHIA PERNAMBUCANA
DR
Wavega^ costelra a vapor.
Una de Fernanda de Varona.
No dia 11 de julho ao meio dia
segu o vapor Parahiba. comman-
daiile Mflrtins, para 0 presidio de
"Fernando de Noronha. Recebe j
Pcarga at o dia 13. Encommen-
jiros e dinheiro a rete at o dia da
ahidVaslT horas escripiorio no Forte de Mat-
eos n. 1. ^___________________________
Para o Rio de Janeiro
retende se -tiem conhecllo palhabotc nacional Piedade, tem
arle do seu cMTegamentolngajado : para o res-
io que Ihe falta- e escraws, a frete, para os quaes
tem excellentes commodos, trata-se eom os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo,
la da Croz n. 1. ____________
" r-ara o Arcaty c Cear
pretende seguir com muita brevidade o hiato na-
cional Doas Amigos, tem parle de seu rregamen-
,o prompto ; para o resto que Ihe falla trata-se
com os seus consignatarios Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, no seu escripiorio roa da
Cruz n. 1, ou com o capito no trapiche do algodao.
propriedade onde morava o dito fallido, cuja pro-
priedade tem muitos commodos para moradia,
grande armazem, urna magnilica cisterna que de-
posita duzenlas pipas d'agua e multas outras com-
modidades, que a torna urna habitarn deleitavel,
assim como urna fabrica de sabao com alguns per-
tences existentes na mesma propriedade, um bello
terreno murado e eom caes annexo mesma fa-
brica, e outros terrenos alagados juntos fabrica.
Terca-teira l do corrente porta da Associa-
cao Commercial as 11 horas do dia.
O mesmo agente se presta qualquer informa-
cao exigida pelos pretendentes._________________
Silva Santos para trataren de todos os seus nego-
cios. Recife 4 de julho de 136V
Alugam-se mei-aguas no becco das Barrei-
ras : a tratar no mesmo becco n. i._____________
Quem tiver um sitio grande com bastantes
arvoredo, que queira arrendar, dirija-se ao pateo
deS. Pedro n. 24, ou annuncie.
Methodo Castilho.
Manoel Jos de Faria Simoes, professor particu-
lar de iustrucco elementar pelo methodo Castilho,
participa aos pas de seus alumnos e ao publico,
' que minina a sua aula da rua da Penha para o pa-
teo do Livramento, sobrado n. 20, segundo andar.
1 a jTj I I_ miw
Hetaiede urna casa terrea, no becre K FNTISTA DE PARS
do lki, -uigaBieiite Joao Per-iH"?? JSStfcS?^
liandes. Frederico Gautier, cirurgio dentista,
O agente Almeida, autorisado competentemente,! i faz todas as operacSes de sua arte, e col-
far leilao da parte da casa terrea n. 1 no becco i 8 loca denles artificiaos, tudo eom supeno-
d0 Bo. ridade e perei^o, que a* pessoas eaten-
Terca-feira do correte porta da Associa- | | didas Ihe reconhecem.
cao Commereial s oras do dia. Tem agua e pos denuncio.
HM^BMTH........I-JJ..... I III.JU ~
veis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem appareeido nesla praca pos-
suindo um teclado e machinismo que obedeceni todas as vontades e caprichos das pianistas, sem
nunca falhar, por seren fabricados de proposito, e terse feito ltimamente melhoramentos ini|H)rtan-
tissimos para o clima deste paiz ; quanlo s vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto niuit" a^'rada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as eneommendas, lano nesta fabrica como nado Sr. Bloodel, de Paris. socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as exp-sicoo.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de mu.-ii-as dos-
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo veadido por
preces commodos e razoaveis.

Aluga-se o mnM da casa sita na rna de
Apollo n. M, eo primeiro da casa sita na na da
Senzala Velha n. ti : a tratar na rua da QNMa
n. 44.___________ _________
A pessoa que achou urna carta do cpitie
Francisco Horges Leal para o Sr. coronel Domin-
gos Alfonso Nery Ferreira, quereudo restiji-la,
ser recompensado.
lo cpit
el 11 Jim
islitui
SM)AiiitLEOiiBFlGADOur.'BACALHAO
XAROPE DE RBANO IODADO
Segundo os attestados dos medico des hospiUes de Pariz, consignados no IMM SJJSStm
de ario* Acadmicos, este Xarope empreg-se com o maior successo, em lugar do OLEO Db l twAUu um
BACALHAO, aoquil rile realmente superior. Cura as molestias de peito, as escrfulas, e ympnausmo a
pallidez e molleza das carnes, as perdas d' appetite, e regenera a constituicao purificando o sangue. f.m
summa o mais poderoso depurativo conhecido. Elle nunca eanc.a o estmago ou o intestinos con o
ioduro de potassium e o loduro de ferro e admtnistra-se com a maior efllcacidade jos meninos fujtos
aos humores ou ao entupimento das glndulas. 0 d. t.r Cen..f, do hop.tal de San Loii de Paro.
o recommenda d'um modo intelrameate parUcnlar as moleatlas da pelle, conjunctaninte com as pimas
que teem seu nome._____________^ mu ^____m ^,rmMrantirnt 7 rua de U FeuUUde
ean Litboa, en casa de R*4rln
rarrelra; em o Rio-de-Janeiro
tmm Caetaw Ferrrlr-Elirl
Mo, en casa de Ferreira e C-; em
pharmacias do llraiil.
el J *t
Depsito geral: em Prw, en eaaa d MM. Orlaaaalt e c-, pharmaceutico. 7,
x Lboa. en casa de n.ari.. aa caata c.rv.ih. no Porlo.^n ou de Mi
, lava rdxaia a nial, na do Sabio, 11; em Baha, en eaaa
aelra: em IUo-Grand, en casa de Jaaajala ele Geaey; enimm
i Pernambuco, afeam* a O, roa da Crui, M; aa, e na princii
principa*.
Deposito geral em Pernambucx rua da Cruz n. 22 emeasa de Caros A Barboz
\mmu
Precisa-se de um caixeiro'que tenha pratica de
taberna, ou admitle-se algum que queira entrar
para socio : os pretendentes dtrijam-se em caria
fechada com as inicias S. P., entregando-a na rua
do Vigaro uo primeiro andar da casa n. "g>.
Oaixeir.
Na taberna da rua do Vigario n. 8, precisa-se de
um pequeo de 11 16 annos, com boa conducta
e habiliUQoes precisas para taes estabelecunentos.
Aluga-se o primeiro andar da casa da ru3
- Antonio Jos Gou?alves Pereira, subdita por- da Cruz n. 59, tendo a preferencia para escripto-
tugiHZ, n-lirase para o Kio de Janeiro.
Precisa-se de dous caixeiros portuguees de
12 annos para cima, que lenhan pralica de taber-
na, que para fra da cidad : a tratar a rua da
Praia n. 4:1.
Preesa-se de urna criada forra ou escrava,
que sirva para todo o servico interno e exterho de
urna casa : a tratar na rua do Queimado, loja nu-
mero 71.
rio, por preco tnuito em conta :
da mesma casa, no Recife.
a tratar na loja
Bmi ebarato
L'm relogio de ouro patente inglez do inrlh.r fa-
bricante de Liverpool : para ver, na rua do C:e*po
n. 2, livrana.
AVISOS DIVERSOS. Casas.para alugar-se,
. i i n Alugam-se o 3o e 4o andares do sobrado da rua
lUStltutO ArCheOlOglCO e (eO- Brum n W, e 2 andar do sobrado decaes ...
i t\ -i Apollo n. 17 : a tratar na rua larga do Rosanode
grapliico Pernambueano.
Haver sesslo ordiuaria quiuta-feira 7 do
corrente, s i i iioras da manhaa.
Secretaria do Instituto, 4 de junho de
1864-
J. Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
- Os senhores que tem le-
vado por emprestimocolleQoes
deste Diario, queiram man-
da-las restituir com brevida-
de pois so precisas.
34, botica.
Al fui "te
Precisa-se de um afllcial de alfaiate que
tenha pralica de cortar ; na rua da Ca-
deia do Recife n. 38, primeiro andar.
m
m
m
A. J. Stern vai
pa
ra o Rio Grande
Precisa-se de dous amassadores que enten-
dam ^o trafego de nadara : na rua larga do Rosa-
no n
46.
Precisa se de um primeiro andar para esenp-
torio na rua do Imperador ou pateo do Collegio
quem o quizer alugar dirija-se rua estreita
Rosario n. 28.
do
- O'Dr. Joao Ferreira da Silva seguindo neta
data para a provineia do Cear, aonde pretende, para tratar a
pouco demorar-se, deixa ineumtdos de sna clini-
ca os seus distinctos collegas os Drs. Pereira de
Carmo. Aqnino, Soriano de Swza e-Leal, aos quaes |
segundo as atei^oes ou faeilidade de occasio, po-
dorio dirigirse s pessoas que costumam occu j
pa-lo. Para os seus negocios partieuiares tlcam
Perlence ao Sr. Jo da MaUa Rezende, do \ encarregados sua mulher e seu mano o hachare!
Para, o meio hilhele n. 1182 da parla-da lo- : Manoel Ferreira da Silva. Recife 7 de julho de
1864. _il
Precisa-se alugar um moleqne para o servido
de urna casa : na rua estreita do Rosario n. 24. _
Mansueto Prsico. Biaggio Prsico. Faverio
Prsico, Biaggio Janino, suhililo italianos, reiir.im-
se para Europa.______________________________
Precisa-se de una ama para lodo servico
de duas pessoas : na rua estreita do Rosario n. 18,
primeiro andar.____________________________
Precisa-so em um engenho a pouca distancia
da viaferrea. de um homem para ensinir laiim e
rancez: quem estiver hab'litado, queira dirigir *e
rua do Imperado,- n. 73, primeiro
andar.
A. Narcyrare retirarse para Inglaterra.
G. O. Mann retira-se para Inglaterra.
ZTpreclsode urna ama forra ggggj;
casade pouca familia : na rua da CSdoia do Recu
fen.48. _______________
teria a beneflcio da igreja de 'N S. da Boa-V.
(5)8") cuja extrac^ao ter lugar no prximo
do, 9 de julho corrente.__________________
Engomma-se
com todo o aceio e prumatido : na rua de S. Frau-,
cisco n. 68, segundo andar. aecps'excepciooftes. HOSPITAL
Miguel Jos Barbosa Guimares declara ao anjaj*lllguer de BeOtel eaj
commerc desta cidade e a--* publico em geral, |ern:intt>uc4>-
iue havendo-sefinado Jos do Almeida: mms Li- Do ordem d0|||,n. Sr. provedor convido a todos
ma, que era s*u socio de .industria por coatrato os sennores socios do Hospital Portuguez a reuni-
soeial, tem o-raesmo, owne socio eapilaUsta ajue rem.se no mpsmn Hispital s 10 horas da manhaa
era, e por forcado mesmo aontrato, a proce ler a dQ domingo {0 do corrente, para em assembla ge-
- 1 do art. 17 dos
iqidao deuia sociWoV, sendo que prevldmen-
te'fez inventariar o ooe exist.a na presenta cn-
sul .Kirtugucz. E assim lera de continuar a mes-
ma tirina social de Gnimaraes & Lima em l.qi.da-
ejo na forma da le.
"^"Quem precisar de urna ama para casa (e ra-
paz sotteiro, dirijas ao pateo do Carmo n. 11___
__Precisa-se de una aun de lefio : na ru> Au-
gusta n. primeiro andar.
Precisa-se de um criado <>. idade de lli an-
nos, pouco mais ou menos, sendo Portuguez ta
bem serve : na rua Direita n. 21,
ral ser cumprido o disposto no 8
eslatutos.
Recife 6de julho de 1864.
Joaquim Ferreira Mendes Guimaraes.
p secretario.
Precisa-se de um menino para
Aviso
Livio de Souza e silva, eslabelecido com refina-
cao na rua da Concordia n. 8, avisa a, seus fregue-
zes que mandan buscar assncar por seus eseravos,
que quando acharem alguma falta no peso do dito
assncar, o manden voltar da mesma forma ; este
Joao da Silva Hamos, medico pela l ni
versidade de Coimbra. d consultas em
ua casa das 9 s 11 horas da mantiaa. e
as4s6da tarde. VisHn os doentcs
asi suas casas regularmente as horas
para isso-decignadas, salvo os casos ur-
gentes, fue serao soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos MaWM
que o procuraren no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da mauna.
Tem sua rasa de sade resularmniie
montada para receber qualquer docntc.
ajnda mesmo os alienados, paja o que
tem commodos apropriados e nella pra-
lica qualquer ojieracao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira elass .34000 diarios.
Segunda dita.... S33U0
Terreira dita.... 200 >
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servicos que tem pres-
tado.
0 proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianza de que sem-
pre tem gozado.
primeiro andar.
caixeiro de' aviso tem por fin evitar a ladroeira dos ditos cs-
TINTURARU.
Tinge-se com perfeicSo para
cor, e o mais barato possivel:
a^iw trangelro : as Cinco Pontas n. 98. | fama praca conveniente. ngel n. *, segunao aeaar.
qualquer
na rua do


mm
VMCWVM*V
IBMHMVBHHBMHMmhMp
Diario de I'ernambuco --- QuImU felra 9 de Julho de 184.
Grammatica iugleza e portagueza.
D. Appleton & C livreiros.editores e importado-
res em New-York, Estados Unidos da America,
acabara de publicar um novo methodo para os in-
glezes aprcnderem a lingua portuguesa por E. F.
Granen, i rol. 12 rno. .
Este livro, o melhor at boje publicado e ex-
pressamente impresso para supprir a imraensa fal-
ta que ha de urna grammatica ingleza e portu-
gueza, para aquelles <|ue fallam o inglez e que de-
sejam aprender a lingua portugueza.
D. Appleton & C. sao os editores das obras em
hespauhol para educacao muitissimo usadas po
sul da America. Tambem publicara os melhores
albuns para candes de visita. ____________
Grande
I
fabrica
de fogos de artificio, da viuva Rufino, situada na
estrada de Joo de Barros; nesta fabrica apromp-
ta-se toda e qualquer encommenda destes artigos
com o maior esmero e presteza, seja para dentro
oo fra da provincia : recebera-se as encommen-
das no armazem da bola amarella, no oito da se-
cretaria de polica.__________________
Revista do Instituto Archeolo-
gleo e eographico Pernain-
bncano.
Acham-se venda os 3 primeiros nmeros, na
livraria Econmica de Jos Nogueira de Souza,
junto ao arco de Santo Antonio, onde se subscre-
ve para esta Revista :
Poranno.....55000
Nmeros avulso. 15500
3--RLA ESTREITA DO ROSARIO-3
Francisco Pinto Ozorio contina a col-
locar dentes artificiaes tanto por meio de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sera que as obras nao
fiquem a vontade de seus donos, tem pos'
e outras preparares as mais acreditadas
para conservacao da bocea.
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo dt C
Agfjitc* do Banco Inio do Porto.
Cempetentemente autorisados sacam por todos
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto e
Lisboa, e para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
I tos, contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17,2 andar, onde pode ser pro-
curado a qualquer hora do diae da noite
para o excrcicio de sua prolssao de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia al 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias de interior, prosegue, com o
maior afQnco, uo das mais diifieeise deli-
cada
ourii
lior alnco, no oas mais nimce e oeu- jjx
das operages. como sejam dos orgos JM
rinarios.ds olhos, partos, etc. ig
.jommi Wmsmm *
Precisase de caixeiro que tenha pratica de
taberna e d fiador a sua conducta : na ra das
Cruzes n. 39.____________________________
sociedade Phllartlstfca.
De ordem do Sr. director sao convidados todos
os socios a comparecerem no dia 8 do correte, as
6 horas da tarde, na casa da sociedade, ra do
Rangel n 13, primeira andar, afim de se proceder
a eleicao do novo thesoureiro.
Secretaria da Sociedade Philartisttca 5 de julho
de 1864. .
Thom Joaqnira Mascarenhas Ros.
1 secretario._________
Aluga-se o sitio dos Burytis na estrada do
Arraial, aonde foi a empreza de lavagem de roupa:
a tratar na ra Nova n. 50._________________
Uma excellente ama de
leite.
Na terceira casa (toja) do pateo do Terco, alm
do boceo dos Martvrios. existe urna pessoa muito
capaz, e com todas as condigoes de bem servir,
que deseja empregar-se como ama de leite-em casa
honesta. Nao faz questao de prego, consentindo-se
que a deixem ir com seu filho ; nao obstante, d
todas as garantas de zelo pelo bom trataraento do
que se encarregar para amamenlar.__________
Desappareceu ha quatro dias um cavallo cas-
tanho, que ha pouro fez a uliiuia muda, e anda
nao est bem manso, nem ferrado ; tem a barriga
um pouco grande e cahida, a cabega muito acar-
nerada, e da testa para o focinho tem urna risca
brama i|uc o faz parecer com o focinho torto : se
quem o tiver achado ou apprehendido quzer lva-
lo ao engenho Algodoaes, ou annunciar por este
jimio, poder sor recompensado.
Pars
Hamburgo
Barcellona
Madrid
Cdiz
Sevilha
Valencia
Amarantes.
Arcos de Val de
Vez.
Aveiro.
Barcellos.
Bastos.
Beja.
Braga.
Braganca.
Faro.
Oliveira
meis.
Pena fiel.
Tavira.
Villa do
d'Aze-
Frederic S. Balln & C.
Joo Gabe & Filho.
Francisco Rahoba & Ballista.
Jaime Meric.
Crdito commercial.
Gonzalo Segoria.
M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Figueira.
Madapolo burato m
5,5 varas.
Na loja do barateiro na ra do Crespo
n. 1. __,__
Sal do Assif
Vende Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
no sea escriptorio roa da Cruz n-1.____________
Sant'Aana.
Acba-se venda a novena da gloriosa Sant'An-
na, bem impressa, e em brochura : na ra do Im-
perador n. lo.______________________
Euzebio Raphael Rabello tem para vender
em seu escriptorio, ra da Cadeia n. 55, os seguin-
tes gneros
Cera era velas.
Cal em pedra de Lisboa.
Vinho puro em ancoretas.__________________
Esleirs do Aracaty.
Vende-se na travessa da Madre do Dos nume-
iro 10. i______________________
Farfulla de mandioca
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
Alves no seu escriptorio, casa n. 19 da ra da
juz________________________________
Vende-se
a machina a vapor da forca de 10 cavallos que
servio na empreza de lavagem de roupa : a tratar
na ra Nova n. 50._______________________
Vende-se a taberna da ra das Cruzes n. 1,
bem afregoezada para a trra e bons commodos
para familia i vende-se pelo dono ler de ir tratar
de sua saude.
Angra Terceira.
Caminha.
i '.asi. lio Urlico.
Chaves.
Coimbra.
Cnvilhaa.
Elvas.
Extremos.
Evora.
Fafe.
Pinhal.
Porto-alegre.
Thomar.
Villa Nova do
Portimao.
Guarda.
Guimaraes.
Lagoa.
Lagos.
Lamego.
Leiria.
Moncao.
Moncorva.
Regoa.
Setubal.
Vianna do
tello.
Villa Real.
Madeira.
S. Miguel.
Cas-
Conde.
Villa Real de Vizeu.
S. Antonio. Faial.
No IMPEHIO.
Baha. Maranhao.
Bio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista.podendo logo
os saques prazo serem descontados no mesmo
Banco a razao de 4 por cento ao anno : a tratar
na ra da Cruz n. 1.
COMPRAS.
Comprase
cobre e latao : no armazem da bola amarella no
oitao da secretaria de polica.
Compra-se urna casa terrea sita na freguezia
de Santo Antonio ou S. Jos : a tratar na ra das
Larangeiras n. 1.
Compra-se urna barcaca de 400 saceos, em
estado de navegar, e que seja de boa consiruccao,
tambem aluga-se no caso de convir : a tratar na
ra do Trapiche n. 17, primeiro andar.
D-se a quantia de 1 2:0005 de rs. a pre-
mio sobre hypotheca em predios : na ra do Cres-
po n. 16 segundo andar.___________________
Quem tiver achado um papagaio amarello
com encootrosencrnalos, queira leva-lo Ponte
d Uehon, sitio do conselheiro Jos Bento ou ra
estreita do Rosario n. 28, que ser recompensado.
Precisa-fe de urna ama forra ou captiva pa-
ra todo o servico de uma casa e compra de ra
sendo il Concordia n. 2.________^_________
Joo Hyi'polito di; Muir Lima avisa a todos
que ningucm'contrate compra da propriedade Duas
Iriiiias sita na freguezia de Santo Amaro de Ja-
boalo que esta no dominio do Sr. capilo Manoel
Joaquim Ferreira Esleves, visto que pretende pro-
pr a este aecao recsoria para o qual j tem fei-
to o acto conciliatorio com o dito Esteves.______
Jos Alves da Cruz, subdito portuguez, vai
ao Cear._______________________________
Joseph Escugnamilo, Italiano, vai para Ma
cao do Ass.
A pessoa que. pretende alugar um bom sitio
decapim e com boa casa a beira do rio Capibaribe'
procure na loja do Passeio numere 7, que se dir
quem. _____________^___________
Atteucao
Lava-se e cngimma-se com asseio e promplidao:
a tratar na travessa do Carioca n. 9.__________
O procurador fiscal da thesouraria da fazen-
da faz sciente s pessoas jue liverem negocios ten-
dentes mesma procuradoria, que dirijam-se
the?ouraria da fazenda das 9 horas era diante.
" Precisase de um criado escravo, de 12
16 annos : na ra do Corredor do Bispo n. 24.
Precisa-se de urna ama para cozinhar o en-
gommar para pequea familia : na ra da Senzala
Nova n. 38.
\a ni i estrella do llosario n. 34
Advocado Affonso de Albu-
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
feiras, porm, na villa do Cali.______________
Cavallo fgido
Fugio ou furtaram de um dos sitios da estrada
dos Afflirtos um quarto alaso, castrado : quem
o pegar, leve-o ao quarto sitio depois da capella,
que ser recompensado.
Precisase de um oflicial de funileiro ta ra
estreita do Rosario n. 29.
Aluga-se para criado de homem solteiro um rao-
latinho de 12 13 annos, muito hbil para copeiro
e muito fiel: no escriptorio do tabelliSo S, ra
estreita do Rosario. _______________
A praga das casas de Rozendo Alves da Sil-
va, que tem de serem arrematadas de venda, por
execucao do cirorgiao Francisco Jos da Silva pelo
joizo municipal da 1* vara, ficou transferida para
sexta-feira 8 do corrente, depois da audiencia.
AtUnCGLO
Precisa-sede muito boas costureiras para fazer
eotletes : na ra da Cadeia do Recife n. 38, pri-
meirn andar.
Precisa-se alugar uma preta que saiba cozi-
nhar h engommar : quem a tiver, dirija-se ra
do Trapiche n. 4, que achara com quem tratar.
'
Precisa-se aliar com ko r.
I ir. Joao Henriques Nafra antes
de retirar-sc para o sul : na
ra da Gneh do Recife u. 38,
prini'iro audar.
Precisase de uma criada livre ou escrava
que saiba cozinhar e comprar : na ra de Santo
Amaro (Hondo Novo), sobrado onde moruu o Sr,
Dr. Sabino.________
*uga-se o terceiro andar da casa n. 48 na
roa do Trapiche : a tratar no armazem da mesma
casa.
Compra-se ouio e prata em obras velhas
daga-se bem: na luja de bilhetes da praca da lude
pendencia n. 22.
SALSAPARRILHA
ATTENQAO.
Quem tiver uma nogrinha deo 8 annos e quei-
ra vender, apparera no largo do Livramenlo ns.
38 e 38 .___________________________
Comprase uma escrava de meia idade que
nao tenha vicio nem achaque, e que nao exceda
de 3005 : quem tiver annuncie.
Compra-se uma negriulu de 8 10 annos :
na ra da Imperatriz n. 80.__________________
Compra-se um registro e um candieiro de
alumiar a gaz.ou mesmo arendella que seja propria
para taberna : quem tiver, dirija-se ra da Sen-
zala Neva n. 2.
YENDAS.
VBNM. SE
DE BRISTOL
As curas milagrosas de
JESCROFUJIS,
CHA AS ARTIGAS,
ENFERMIDADES SYPHILITICA8,
Erysipelas, Rheumatismo,
Nevralgias, Essorbuto,
etc., ele, etc.,
que tem grangeado u dado o alto re
noinc ;i
Salsaparrilha de Bristol
por todas partes do universo, siio tao
gmente devidas
nica Legitima e Original
SALSAPAEEILHA DE BEISTOL,
PRKPARAUA KXCI.l-SIVAMKNTK POR
LW1I.W &, KEMP Uli XOVA YORK,
Mvd'niiiti a reeeitadu Dr. C. V. BrixtoL
venda as boticas de Caors A Barbn,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo &[C, ra
da Madre de Dos.
Guia Lnso-Brasileiro por I. M. de Lemos por
SfOOO; Revista Contempornea de Portugal e Bra-
sil anno de 1859 por 5^000; Obras completas de
Alvares de Azrvedo por 8,5000; Poesas de Costa e
Silva por 2'00 : na ra do Cabug loja n. 2 A.
Vendem-e caixes vastos a 1:760
cada um : na ra das Cruzes n. 44.
Vende-se o engenho Diamante sito na
comarca de Goyanna, uma legua distante
da cidade, com excellentos trras de plan-
tario e muito boas obras : quem o quizer
comprar, dirija-se ao Recife casa dos
Srs. Joao Pereira Moutinho ou Rocha & Li-
ma, na ra da Cadeia do Recife, e em
Goyanna ao Sr. Trajano da Cosa Ribeiro.
Qualquer desses senhores, poder dar in-
formacoes sobre o engenho e indicar a pes-
soa com quem se dever tratar.
Vende-se
1 moleque peca de idade 22 annos, 1 escravo para
todo o servico |ior 4505, i negra excellente cozi;
nheira, de meia idade por 550,5, 1 dita dita de 30
anuos de idade por 750,5 : na travessa do Carmo
numero l._______________________________
lucos albuus para emeoenta
relral"S.
Chegaram para a loja do Gallo Vigilante os ri-
quissimos albuns para cincoenta retratos, os quaes
vendem-se pelo baratissimo preco de (55, 75 e 85,
que sempre se venderam por 125 r isto s na loja
do Gallo Vigilante, ra do Crespo n. 7.________
Charutos de Havana de su-
perior qualidade e pelo pre-
co seguiute:
Eldorado 125000.
La flor de Albuerne 105000.
Regala britnica 115000.
La flor de morales 95-
La circassiaoa imperial 145-
L.i negra non idus ultra 185.
La negra mulata regala imperial em caixa de 100
e 50 135 : no Bazar Pernambucano, ra larga do
Rosario n. 30.
Vende-se uma preta de meia idade, propria i
para todo o servico : a tratar na ra Augusta no-
mero 59.
BOTICA BAKTIIOLOIE # IL
Ra larga do Rosario n. 3i
Vende:
Todos os remedios do Dr. Cbable.
Capsulas e injec^ao ao malico.
Injeccao Faug;i3
Pilulas do Dr. Alian.
Pilulas do Dr. Laville.
Pilulas do pobre-homem, excellentes contra rheu-
matismo.
Pilulas para sezos."
Pilulas e ungento Hollovay.
Phosphato ferro de Lerrs.
Todos os remedios de Kemp: pastilhas, pilulas,
an ahuita.e salsa de Bristol, etc. etc.
Eacuitos joutros medicamentos e especialidades
que sempre se encontrarao em dita botica.______
\OVA FABRICA
DE
LICORES E PERFUMARAS
A' roa do Amorim, n. 12.
Por viirejo e atacado.
N'este novo estabelecimento encontrarao sempre
os freguezes todas as qualidades de bebidas espiri-
tuosas, fabricadas com todas as regras d'arbi, e
por isso livre? de ser nocivas ; o que nao acontece
com as que sao fabricadas sem methodo e pelas
receitas que os charlatles annunciam vender, pois,
como j temos tido occasiao de ver, venden) lico-
res coloridos com substancias venenosas, como se-
ja o licor de rosa colorido com vermelho (Bi-oxi-
do de chumbo) e o de amendoas colorido com ama-
relio francez (bi-cliroma\o de chumbo) Encontra-
rao algumas perfumaras de superior qualidade e
commodas em preco. Tudo se vender por precos
muito razoaveis, trazendo os freguezes os meios
que a todos habilitam a comprarem barato.
Apromptam-se encommendas com brevidade e
rigorosamente bem acondicionadas, tanto para den-
tro da provincia, como para fra della.
Bebidas espirituosas.
Licores de todas as qoalidades em garrafas pretas.
Dito, dito, em garrafas brancas.
Genebra igual a hollandeza.
Dita de laranja superior.
Agurdente d'aniz.
Dita de hortela pimenta.
Dita do reino superior.
Dita de flor de laranja, recommendavel por ser es-
tomachica.
Dita de canella.
Alcool de 35 a 38Cartier.
Perfumaras.
Agna de Colonia comraum.
Dita ambreada.
Dita almscarada.
Dita das Nymphas.
Banha era latinhas de quatro oncas proprias para
as familias econmicas.
Banha para tingir de preto os cabellos, e que nao
suja os lencos brancos.
Leite virginal em garr. barbeiros e cabellereiros e uso domestico. Be-
neficia a cutis e tira as manchas da pello.
Extractos variados; banha em vasos dourados, e
extractos Unos em frasqninbos ricos.
45 Ra Direita 45
Oigam! oi<;am !!!
CALCADO
Bom e novo, a primeira necessidade para a sao-
de e aformoseameoto do individuo I
Meo Dos I... qoe ps de pavo se lobrigam por
essas ras I que figura horrenda e nauseante a
de um palctot bem talhado sobranceiro a um
guedes rodo em duas solas I um balu bem tor-,
neado e bambaleante dcscubrindo uma ponta de i
botina safara e carcomida 1 I
Santa Barbara 11 Corram ra Direita, bellas e |
rapaies I sacudara na praia esses malditos guedes |
e comprem :
Borzeguins de Nantcs 85000.
Ditos franetzes de bezerrd 75-
Ditos francezes de lustre para homem 55-
Ditos para senhora, de lustre, enfeilados, 55500.
Ditos para senhora, gaspia alta, 45800.
Botinas de menina 25500.
Ditas de cores para menina 25000.
Sapatoes de Nantes de duas solas 55-
Ditos de sola vira 45300.
Sapatos de borracha para senhoras 15SO0
Ditos para meninosl5000.
Sapatos de lustre para senhora 15-
Ditos de tapete para homem e senhora 800 rs.
Ditos da liga constitucional 500>rs.
Chineloes rasos do Porto a 15600.
E um sortimento comple.o era sola, vaquetas,
couros, bezerro francez como nenhum, couro de
lustre muito grande, e tudo quanto pertence arta
de S. Chrispim.___________________________
GRANDE
sortimento de Tazendas aovas liara-
lissimas na loja e armazem de fa-
zendas baratas na ra da Imperatriz
n. 56, loja da Arar, de Lourenco
Pereira Hendes Guimaraes.
Cortes de chita a 25100.
Vende-se cortes de chitas para vestidos a 25!00:
ditas de dita franceza com 10 covados a 35200,
cortes' de cassa francezes a 25 e 25o00 : na ra
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende a 160 rs.
Vende-se fil de linho de cores a 160 rs. o co-
vado, dito branco para forro a 320 rs. a vara, tar-
latana de cores a 640 rs. a vara, lengos brancos a
200 e 240 cada um : na loja da Arara ra da Im-
peratriz n. 06.
As laziiibas da Arara a 320 rs. o mado.
Vendem-se laazinbas para vestidos a 280, 320,
400, 500 e (510 o covado, ditas lisas proprias para
apas e vestidos de senhoras a 400 e 600 rs. b co-
vado : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende as chitas paracoberla a 320 rs.
Vendem-se chitas para cobertas a 320, 360, 400
e 500 rs. o covado, dita encarnada adamascada a
500 rs. o covado: na ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Cassa orgaiidys da Arara a 2 50 rs
Vendem-se cassas organdys para vestidos a 240,
280 e 320 rs. o covado, riscado francez para ves-
tidos a 280 rs. o covado, gurgurao de linho para \
vestidos a 280 rs. o covado : na ra da Impera- i
triz n. 06, loja da Arara.
As chitas da Arara a 210 rs. o covado.
Vendem-se chitas para vestidos de cores fixas a
240c 280 o covado, ditas francezas largas a 320,
360, 400, 440 e 500 rs. o covado na loja da Ara-
ra ra da Imperatriz n. 56.
Lencos de seda da Arara a 800 e I .->.
Vendem-se lencos de seda para algibeira de
homem a 800 e 15, lencos de cassa a 200 e 240
rs. : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende os veos prelos c de cores a 1^000.
Vendem-se veos pretos e de cores para chape-
linas de senhoras pelo preco de 15 cada um, go-
linhas para senhoras a 240 e 320 rs., manguitos a
15, camisinhas para senhoras a 25, ditas linas
com gravatinha e punhos bordados os mais mo-
dernos que tem vindo a 45500 : na loja da Ara-
ra ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende os baldes a 2.'i08.
Vendem-se baldes de 20, 25, 30 e 35 arcos a
25500,35, 35500, 45, 45500, ditos de brilhantina
a 45 : na ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Cortes de la a Mara Piaa 8# e 18*.
Vendem-se cortes de laa a Mara Pa a R&e t85,
pecas de cambraia lisa fina a 35, 35500 e 45 : na
ra da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Corles de i|anyaa lotiitii
Vendem-se cortes de ganga franceza para calca
a 15600, ditas de casemira a 35, ditas linas a 55
e 55500 : na ra da Imperatriz n. 56.
Roupa feita da Arara.
Vendem-se paletots pretos de panno fino a 165-
li-3 e 125, ditos saceos de panno fino preto e azul
debrnados de fita a 95 e 105. ditos de casemira a
65, 85 e 55, ditos de brim a 25500 c 3g, ditos de
alpaca preta a 35 e 25500, camisas francezas bran-
cas a 25 e 25500, ditas de linho de pregas largas
a 25800 e35, seroulas de algodio a 15600, ditas
de linho a 25, caigas de brim e gangas de cores a
25, ditas de brim pardo a 25500 e 35, ditas bran-
cas a 355OO : na ra da Imperatriz n. 56 loja da
Arara.
Colchas da Arara a ;5
Vendem-se colchas do damasco para cama a
45, ditas de fustao a 55, ditas de chita a 25 : na
ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Vendem-se gangas para calcas e paletots.
Vendem-se gangas para paletots e calcas a 440
e 500 rs. o covado, futo para caiga a 500 rs. o
covado : na ra da Imperatriz n. 06, loja da Arara.
Madapolo francez a 4#.
Vendem-se pecas de madapolo enfestado com
12 jardas a 45 e 45500, ditas de 24 jardas ns. RG
a 75, ditas n. 60 a 65500, dito moca a 75500, dita
n. 40 a 85, dita n. 50 a85500, dita n. 7 a 105, di-
la SS 95, dita XX 85500, algodo muito encorpado
a 55500 e 65, dito carne de vacca a 75: na ra
da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Uriiude liuuo a i->80.
Vende-se brim de linho para calca a 15280,
15400, 15800 e 15600 a vara, brim liso para se-
roulas e lences a 500, 560 e 640 a vara, braman-
te de linho a 25200 a vara tem 10 palmos de lar-
gura,'bretanha de linho a 640 e 800 rs. a vara,
brim pardo a 800, 640 e 15 a vara : na roa da Im-
peratriz n. 56 loja e armazem da Arara, a loja es-
t aberta at s 9 horasjda noite.______________
Trina, volantes e ples.
Vende-se trina, volantes e galoes de todas ae
larguras por precos muito barato: s no vigilants
ra do Crespo n. 7._______________________
Espantosa peehlneha.
Chapeos de palha do Chile a 320 rs., e em du-
zia a 35, pode-se asseverar que pechincha vis-
ta da qualidade, e para o que venham ver e com
prar : na loja da ra da Madre de Dos n. 16.
LUZIMUS BARITAS. HOTIC\ E DROGARA
Vendem-se laazinhas de cores Micas e de boa qua-
lidade para vestidos de senhora a pataca o cavado,
e outras minias fazendas que o dono esta resolvido
a vender muito barato afim de apurar os cobres :
na ra da Imperatriz n. 20, outr'ora aterro da Boa-
Vista.
Veudi-se urna preU c->m uma cria de 5 me-
zes, a preta sabe engommar perf.-itamente, cose e
cozinlia soffrivelmente, e muito boa vendedeira :
a tratar na ra da Imperatriz n. 20.
Prensas de algodao.
Os senhores prensarlos e plantadores de algodao
sao convidados a examinar as excellentes prensas
americanas de apertar algodo, que se acham
venda no armazem dos Srs. Henry Porster & C,
na ra do Imperador n. 5, por baiio do Gabinete i
Portuguez de Leilura. i
BARTHOLOMEU & c.
Rua Larga do Rosarlo n. 84.
Vende:
Ventosas de gomma elstica.
Esmaltes para ourives.
Pundas inglezas.
Vidros de bocea larga com rolha.
Tinta branca em massa para pintura fina a 200 rs.
a libra.
Vende-se um escravo, moco, crioulo
de 17 t 18 annos de idade, bonita figura,
sadio, proprio para criado ; tratar no largo
do Paraizo n. 18 segundo andar.________
Bichas hamburguezas
Vendem-se bichas do qualidade : na rua Nova
d. 61, defronte da Illma. cmara municipal.

GAZ.
Vende-se gaz liquido americano da melhor
qualidade em lat por menos que em oulra qualquer parte : no ar-
mazem do caes do Ramos n. 16.
Vende-se um cabriolet: no pateo do Parai-
zo n. 26.
LUAi DE PELLICA
Para horneas, mnlheres e meninas.
A Agnia-branca, na rua do Queimado n. 8 rece-
beu luvas de pellica, para homeus, mulheres e
en i n mas
Vende-se o sitio da travessa dos Remedios,
freguezia dos Afogados n. 21, no estado era que se
acha : quem o pretender, entenda-se com o seu
propietario Caetano Pinto de Veras, na rua de S.
Francisco, sobrado n. 10,como quem vai para a rua
Bella.
A4$0Q0apeca.
Vendem-se pecas de algodozinho com pequeo
toque de avaria, proprio para roupa de eseravos e
toalhas, pelo barato preco de 45 a peca : rua do
Queimado n. 14.______________________
Vende-se
latas com 3 1|2 caadas de alcatrao do gaz por
2520O: no armazem da bola amarella oito da se-
cretaria da polica
Achacados.
Quera os possuir e os quizer curar perfeitamen-
te recorra ao afaraadissimo oleo do Merchant, que
se vende no armazem da bola amarella, oito da
secretaria da polica.
OT1IGM
O Vigilante est alerta, nao Ibe era permettido
deixar passar desapercibido sem que nao dsse o
seu canto afim de annnnciar ao respeitavel publico
o grande sortimento degalantarias do melhor gosto
propriamente para qualqner mimo, que acaba de
chegar nesle ultimo paquete, assim como muitos
outros objectos que recebe por diversos navios,
tanto de sua coma como de ronsign.icao, que est
resolvido a vender por precos muito baratos para
vender muito e ganhar poco, e dar extrarcao ao
grande deposito que tem, que espera merecer a
proteccao do respeitavel publico, empregando para
isso todas e as melhores diligencias para qu fi-
quem satisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, rua
do Crespo n. 7.
Ricas porta -joias.
Cofre de muito goslo por 165000
Cestinbas transparentes, forradas de madre-
pero i a por 185000
Lindas jardineiras 105000
Ricos eofres com camapheu 105000
Lindas ca\olas com pedras brancas 105000
Lindo balo com calunga dentro tambem
para joias 165000
Tambalier para ditas 95000
Cestinhas dem idem 65000
Cosmorama idem dem 65000
Urnazinha 65000
S no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos siutos
com lolcinhas ao lado a 10, 12 e 155, ditos sern
bolea, porm do mesmo gosto, a 255"00, 35, 35'i00
e 45, ricas fivelas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 35 :
s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Cabazcs on cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as menin:is trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 25500, 35500, 4, o, 7 e 105 : s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alisar como para atar cabello, o mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sem elle para meninas : s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
fentes
Tambum chegaram os riquissimos pentes de
concha de tartaruga e de massa fina, que se vende
por 25, 3 e 55 : s no Vigilante, rua do Crespo
numero 7.
Leques.
Riquissimos leques de madreperola, tanto para
senhora como para mocinhas, pelo barato preco de
12 e 145 : s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Mais leques.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ha-
rato preco, a 85 e 105, chinezes, muito bonitos,
tambem por barato prego de 4 c 55, bentarallas
muito bonitas tambem por barato preco de 4 e 55,
leques de charao tambem por 45, ludo isto para
acabar, perdendo-se taivez 80 0|0 : s no Vigilan-
te, rua do Crespo n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de contas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto a 15 e 15-00.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha que as senhoras tanto precisan) para se-
gurar os mannuitos por ser muito commodo e mui-
to barato, a 320 o par: s no Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
Sapalinbos emeias de seda.
Riquissimos sapalinbos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorra-
zinhas e touquinhas para as crianrinhas se bapti-
sarem : s no Vigilante, rua do Crespo 11. 7.
YoUiulias.
Lindas vnltinhas deperolas falsas com cruzinbas
fingindo luilhantes, assim como cruzinbas avulsas
e voltinha?, pelo barato preco de 15 e 15200, as
cruzes avulsas a 400 rs. : s no Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
Carretas.
Riquissimas carretas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baratissimo preco de
I50OO e 25-
GnlinliPS.
Riquissimas gotinhas t manguitos, o melhor gos-
to possivpl, a 25. 25500 e 35: s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Riquissimos enfeiles com lago e sem lago e de
outros muitos gostos a 15, 15500 e 35 so no VI-
gialnle, rua do Crespo n. 7.
Trancelins.
Lindos trancelins de cabello pan relogio 011 lu-
netas, pelo baratissimo preco de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
Iitl>nuil los entremeios.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
prego de 15200, 15500, 25 e 35 : s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Osearrilhas.
Grande sortimento de rasrarrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites : s no Vigilante, rua do Cres-
po n. 7.
Vitas.
Grande sortimento de fitas de diversas larguras
e qualidade, por pregos que admiram aos compra-
dores, havendo filas largas proprias para sinteiros
que se pode vender a 300 rs. a vara, e pega de 3
varas a 25 : s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Fitas de la.
Pitas de la de todas as qualidades, proprias para
debrum de vestido a 700 rs. a pega : s no Vigi-
lante, rua do Crespo n. 7.
Ricos cspelhos,
Riquissimos espelhos com moldura dourada e
sem ella de 85, 10,12 e 145, assim como cora co-
lumnas de differentes tamanhos a 25, 3, 4, Ce65:
s noVigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos Jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui
tem apparecido : s no Vigilante.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com noneca para pos de ar-
roz, cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim co-
mo pacotes s com os pos a 320 rs. cada um : s
no Vig lante, rua do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimento de extractos e banbas, poma-
das, assim como os lindos copos oa vasos cora dis-
tinctivs e offerecimentos s sinhazinhas, dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Ingla-
terra, assim como os grandes copos de banha japo-
neza a 25 e a 15 ; assim como outros objectos que
nao possivel por. hoje annunciar, a vista dos
freguezes se far todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, rua do Crespo o. 7.
Arroz eom casca.
Vende-se arroz com casca em sacros, chegado
ltimamente do Pcncdo: na rua Direita n. 69, pa-
daria de Antonio Alves do Miranda Guimaraes.
Vinho de Porte superior
em caitas de uma e duas duzias : tem para ven-
der Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu
oscriptorio rua da 1 ruz n. 1.
tariuba de mandioca superior
em saceos grandes : vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, no seu escriptorio rua ,da Cruz
numero 1.
Vende-se uma negrinha de 7 8 annos de
idade, com principio de costura : na rua da Cada
do Recife n. 50.
Atteucao
O dono da loja do Beija-flor, na roa do Qoeiaado
n. 63, acaba de abrir um outro espacoso eslabeie-
cimento de mudezas na mesma rua n. 69, por isso
avisa aos seus freguezes e amigos, que aesles doos
estabelecimentos encontrarao sempre grande sorti-
mento de mudezas, perfumaras e objectos de jos-
tos ; e vender sempre mais barato que outro qual-
quer, como abaixo se ver.
Peules dourados de travessa.
Delicados pentes dourados de travessa para me-
ninas a 155OO cada um, ditos sem ser doorados a
500 rs. cada um : as lojas do Beija-rlor, roa do
Queimado ns. 63 e 69.
Vollinhas de aljfar rs.
Lindas voltinbas de aljofares com cruzes de pe-
drinhas imitando a brilhantes a 15 cada orna: as
lojas do Reija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Luvas de Jmi\ 11
Chegaram pelo ultimo vapor as desejadas luva-i
de Jouvin de todas as cores, tanto para homens
como para senhoras : nas lojas do Iicija-flor, roa
do Queimado ns. 63 e 69.
fallieres para meninos.
Vendem-se lalheres de cabo de balanCo para me-
ninos a 280 rs. o talher : nas lojas do lieija-flor,
rua do Queimado ns. 63 e 69.
Colberes de sietal principe.
Vendem-se rolheres de metal principe muito fi-
nas para sopa a 35600 e 45400 a dozia, dius para
cha a 25 e 25400 a duzia, ditas para assocar a
500 rs. cada uma, ditas para terrina a 25 cada
uma, e s quem vende por estes precos as lojas
do Reija-flor, rua do Queimado us. 6.1 e 69.
Facas e garfts.
Vendem-se facas e garios oitavados a 25800 a
duzia, ditas cravadas, cabo preto e branco a 35 a
duzia, ditas de balango de 1 botio finas a 55200
ditas de 2 botoes muito finas a 65300 a duzia, ditas
de 1 botao para doces e Inicias a 55 a duzia, ditas
de 2 botdes a 35200 a duzia : nas lojas do Beija-
flor, rua do Qneimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas, a pega a 15100, 15200
e 15300 : nas lojas do Beija-flor, rua do Queimado
ns. 63 e 69.
Babados bordados.
Vendem-se babados bordados de varias larforas
a pega a 15C00, 15800, 25, 25200 e 25400 : nas
lojas do Beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Lindos sapatinfcos.
Vendem-se lindos sapaiiubos para bapti-aoVx de
criangas a 15500 e 25 o par : nas lujas do Beija-
flor, rua do Queimado ns. 63 e *9.
Bolees para punhos.
Vendem-se botezinhos de madreperolaedemar-
fim para punhos a 320 rs. o par, dilns enrarnadi-
nhos a 120 rs. o par : nas lojas do Beija-flor, rua
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas para debrum de vestidos.
Vendem-se Cas de la de todas as cores para
debrum de vestido a 900 rs. a pega, ditas nttn
de seda a 15100 a pera : M lojas do Beija-flor,
rua do Queimado ns. 63 e 69.
Filas brancas para dehrum.
Vendem-se pecas de lita branca de linho para
debrum a 400 rs. a pega : nas lojas do Biija-flor
na rua do Queimado ns. 63 e 69.
Ricas litas lavradas.
Vendem-se muito ricas fitas lavradas para simo
de senhora e meninas : na,- lojas do Beija-flor, rua
do Queimado ns. 63 e 69.
Kspelhos de Jacaranda.
Vendem-se espelhos de columnas, de Jacaranda,
a 35 e (5300 cada um. ditos de ma. ira amarella
a 25400 e 25800 : nas lojas do Beija-flor, na rua
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas de velludo rslmias.
Vendem se fitinhas esireitas de velludo para en-
feite de vestido a OO, 15 e 15200 a pega: nas lo-
jas do Beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Trancas de la para bordar.
Vendem-se trancinhas de la pretts para bor-
dar camisinhas e vestidos a 80 e 160 rs. a pvinha,
ditas brancas com 40 varas a 600 rs a pega, e ou-
tras muilas cousas que setornarao enfadonho men-
ciona-las, pois s coma vista se poder vero gran-
de sortimento das lojas do Beija-flor, na rua 4o
Queimado ns. 63 o 69.______________________
RIVAL SEM SEGUNDO
Rua do Queimado ns. 49 e 55, loja de miudeza?
de Jos de Azevedo Maia e Silva, eM continuando
I no seu progresso de vender barasaw :
Capachos grandes e superiores a .> 1 Calas de superiores obreias de rola e massa a
I 40 rs.
Cordao branco para vestido e espartilbo, vara 20
ris.
Linhas de carretel (150 jardas) de superior quali-
dade .1 60 rs.
Candes de linda Pedro V (-00 jardas) j muito
conhecida a 40 rs.
Grozas de peonas de ac de muitas qualidades -
superiores 3 500 rs. '
Caivetes de duas folhas porm tinosa 500 rs.
Caixas com calungas muilo bonitas para rap a
100 rs.
Franja branca e de cores para toalhas a 160.
Pares de botoes para pQObO muito bonitos a 120.
Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a
120 rs.
Tinteiros de vdro com superior tinta a 160.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Croza de botoes de louca pratiados, o melhor, a
160 rs.
Tesouras para costura, o mais superior, a 400 rs.
Ditas para unhas muilo finas a 400 rs.
Escovas para limpar dentes muito superiores a
200 rs.
i Libras de laa de todas as cores (pesada) a 75.
, Caixas de phosphoros de seguranca a 160.
Ditas de papel arnizade pautado e liso a <00 rs.
Ditas com 100 anvelopes muito superiores a 800
ri.
Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
Cartas e taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas com superiores iscas de acender charutos
a 40 rs.
Carreteis de linha Alexandre (200 jardas) de cores
a ;0 rs.
Baralhos para voltarete muito finos a 240.
Cartas de alfinetes francezes muito finos a 40 rs.
Meadas de linha f xa para bordar a 20 rs.
Pares de sapatos de tranca muito superiores a
15600.
Papis de agnlha com um pequeo toque a 10 rs.
Croza de botos de madreperola muito finos a
560 rs.
Cartoes e caixas de clcheles francezes superiores
a40rs.
Bonets para meninos muito finos a 15500 e 25.
Magos de grampos superiores e limpos a 40 rs.
Croza de phosphoros do gaz muito novos a 25200.
Areia preta muito superior a 100 rs.
Caixas de rap com espelho a 100 rs.
Realejos para entreter meninos a 80 rs.
Pegas de fita de linho muilo boas a 40 rs.
Pentes de lago muito bonitos a 15-
Enfeites de lago de todas as cores a 15300.
Rodas com altinetes francezes a 20 rs.
Caixas com quatro papis de agolhas imperaes a
1 240 rs.
1 Sabonetes de familia a 80,160 e 390.
I Caivetes de duas folhas muilo finos a 320.
Pares de sapatos de la para meninos a 400 rs.
Sapatos de tranga para senhora e para homem. os
melhores que tem vindo, e por prego muito barato:
quem quizer ver, venha rua do Queimado ns.
49 e 53, e ver tudo como bom e barato.
BARlTO
; LITO BARATO
BAKATIS.
A' 240 rs. ocovadoderiscadinhos fran-
cezes, muito bonitos e de cores seguras;
vende-se s na rua do Crespo n. 1.
Loja do Barateiro.
Aor Srs. edificadores de pre-
dios.
Vendem-se diversos terrenos dentro da praca :
a tratar com o agente de Iciles Olvmpic, em sen
escriptorio na rua da Cadeia do Rccle a 48, pri-
meiro andar.



PMMBHaWi
Ul&rio de I'eroaaibaco quinta eira e Juiho c i 84.
Grande liquida^ao
de fazeadas na loja do Pavao, ra da Imperalriz h
60, de Gama A Silva.
AcOa-se este estabeleci ruerno completamente sor-
lid de fazendas ingleas, fraacezas, allems e
sutesas, proprias tanto para praca como para o
mato, prometiendo vender-se mais barato do qa<-
em outra qualquer parle principalmente sendo em
porcao e de todas as fazeodas dao-se as amostras
deixando flcar penhor ou maodam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavao. -,
As chitas da Pavao.
Vendem-se superiores chitas claras e escuras pe-
lo barato preco de 240 e 280 rs. sendo tintas segu-
ro, ditas francezas finas a 320, 340, 360, 400 e
500 rs., o covado, ditas pretas largas e estreitas,
riscados escocezes finos a 240 rs. o covado, isto na
loja do Pavao ra da lmperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Aseassas do Pavao a 240, 280,.300 e 320 rs.
Vendem-se nissimas eassas persianas cores fi-
tas a 320 rs. o covado, ditas francezas muito finas
a 240 e 280 rs., ditas ingzezas a 240 e 280 rs. o
covado, finissimo organdy matisado com descuhos
miudinhos a 320 rs. o covado, cassas garibaldioa?
muito finas a 320 rs., isto na loja do Pavao rita da
lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As laazinhas da eiposifio do Pavo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas mossan-
bique chegadas pelo ultime vapor francez sendo
de urna s cor ou de listas miudinhas com 4 pal)
mos de largura, proprias para vestido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baratissimo
preco de 580 rs. o covado, ditas entestadas trans-
parentes de quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas matisadas muito finas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita tambem matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Mara Pia com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de urna s cor parda, azul, cor de lyrio e
pemla proprias para vestidos, saulembarques e
garibaldes a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
800 e 400 rs isto s na loja do Pavao, ra da lm-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os chales do Pavo.
Vendem-se finos chales de crepon estampados
pelo barato preco de 65, 75, 8, ditos de ponta re-
donda a 75 e 85, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidrilho a 125, ditos pretos lisos a
55, ditos de cores a 45300 e 55, ditos de merm
estampados a 25 e 35, ditos de laa a 15280 e 25,
ditos de retroz preto para luto a 65, isto na loja
do Pavao ra da lmperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 Pavo vende para luto.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de laa secn lustro tendo 6 palmos de largura pro-
firi para vestidos, paletots, capas etc., pelo bara-
to preco de 25, 25200, 25300 o covado, cassas
pretas lisas, chitas pretas largas e estrellas, chales
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
comgolhnhas eoutros muitos artigos que_se ven-
dem por precos razoaveis : na loja do Pavao ra
da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
camente bordados a veludo pelo barato preco de
405, sendo fazenda que sempre se vendeu a 1005
e i-05 i ditos de cambraia brancos ricamente bor-
dados a croch, sendo proprios para baile e casa-
mento a 10, 13, 20 e 305; ditos de laa com lindas
barras a 18 e 155 ; isto na loja do Pavao ra
da lmperatriz n. 60, de (ama & Silva.
Os pannos do Pavo.
Vende-se panno preto muito superior pelo barato
preco de 25, 25300,35 e38800, ditos muito tinosa
45, 35 e 65, cortes de casemira preta enfeslada a
45, 45500 e 65, casemira preta fina de urna s
largura muito fina a 15800, 25, 25500 e 35, Por-
tes de casemira de cor a 55, 55300 e 65, casemi-
ras enfestadas de urna s cor proprias para calca,
paletots, colletes, capas para senhora, roupas para
meninos a 35 e 3-5500 o covado, isto na loja do
Pavao, ra da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A roupa do Pavo.
Vendem-se paletots de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muito boa a 135, ditos muito linos a
165. 20?. 235 e 305, caigas de casemira preta boa
fazenda a 45300,5-3, 65, "5 e 85, paletots saceos
de panno preto a 75. ditos de casemira de cor a
65 e "5, ditos de alpaca preta, ditos de merino
preto, ditos de brim de cores, calcas de casemira
de cor a 45, 55,65, 75, ditos de oaxemira da
Escossia a 35, ditos de brim pardo a 2530., ditos
de cor a 25 e 25500, ditos brancos muito finos,
;to na loja do Pavao, ra da lmperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Os cortinados do pavo.
Vendem-se ricos cortinados proprios para janel-
la e camas pelo barato preco de 95 o par, sendo o
melhor que bao mercado: na ra da lmperatriz
n. G0; de Gama & Silva.
As colchas do Pavo.
Vendem-se colchas de linho alcochoadas pro-
prias para cama pelo barato preco de 55 cada nina
na ra da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva
As | reca as do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas que lem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor fran-
cez, pelo barato prego de 600 rs. o covado, ditas
de listrinha muito miudinhas proprias para vestidos
e roupas de meninos e meninas pelo barato preco
de 300 rs.; s o Pavao ra da lmperatriz n. 60,
loja de Gama & Silva.
Os sotiteanbarqucs do Pavo
10# e 15$ so o Pavo.
Vendem-se os mais lindos soaieanbarqo.es que
tem vindo ltimamente de laazinha e caxemira ri-
camente bordados e enfeitados, cores muito delica-
das pelo barato preco de 105 e 155 ; hienda esta
que em outras tojas se vendem por 205 e 255,
s para liquidar : na loja e armazem do Pavao
ra da lmperatriz n. 60 de Gama & Silva.
As chitas do Pavo *#4O c
3#800 o corte.
Vendem-se cortes de chita com doze covados
cada corte, ditos com dez covados a 25400, fazen-
da muito ba( e que nao desbota, s na loja do Pa-
vao tem esta peclnncha ; a ra da lmperatriz n.
60 de Gama A Silva.
Las de una sO cor.
Vendem-se laazinhas de urna s cor, sendo en-
carnada,'azul, cinzenta, cor de caf, lirio claro, li-
rio roxo cor de perola pelo baratissimo preco de
640 o covado, fazenda muito fina s o Pavao, ra
da lmperatriz a 60 loja e armazem de Gama 4
Silva.
Panno de linho.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences, toalhas e ceroulas pelo
barato preco de 640 rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 25500, algodozinho
monstro com 8 palmos de largura a 15, pecas de
Hamhurgo com 20 varas a 95, 105 e 115, pecas de
madapolo fino a 75500. 85, 95 e 105, ditas de
algodozinho a 65, 65500 e 75, e outras multas
fazendas brancas que se vendem muito baratas
atim de apurar dinheiro : na loja do Pavo ra da
lmperatriz n. 60, de Gama & Silva,
O bramante do Pavo com doze
palmes de largara.
Vende-se bramante de linho puro, muito fino com
doze palmos de largura o melhor e mais largo que
tem vindo ao mercado pelo barato prego de 25800
rs.a vara ; s na loja do Pavio de Gama & Silva,
aua da Imperalriz n. 60.
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
pelo barato prego de 600 rs. o covado, ditas de lis-
trinha muito miudinhas proprias para vestidos e
roupas de meninos e meoiaas pelo barato prego
de 500 rs.: s o Pavo ra da lmperatriz n. 60,
loje de Gama A Silva.
Os bales do Pavao.
Vendem-se crinolinas ou bales de 30 arcos tan-
brancos como de cores, sendo americanos que
sao os melhores por se nao qaebrarem a 35500. e
de 33 arcos a 45, ditos de mnsselina rom bandos
45 ditos para menina a 25 e 35: na loja do Pa-
vao roa da lmperatriz n. 60, de Gama 4 Silva.
O Pavo vende 8#.
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos a
Maria Pia, com lindas harpas de seda, sendo ene-
jados pelo ultimo vapor francez pelo barato prego
de 85 cada ora: s na loja do Pavo ra da lmpe-
ratriz n. 60, .de Gama & Silva.
Os baldes do Pavo. ^ ,
A 2)5oOO s o Pavo.
Vende-se bales com 20, 25 e 30 arcos pelo ba-
ratissimo prego de 25300, assira como tem um
completo sortimenlo de bales para meninas de to-
dos os lmannos pelo baratissimo preto de 25500,
notando que sao bales de arcos os melbores que
tem vindo da America Ingleza, vendem-se por este
nrecoDara liquidar : s na loja e armazem do
KS a ra da lmperatriz n.60, de Gama & Silva.
ESPLENDIDO SORTIMENTO DE IY10LHAD0S
IX. 9 RITA O CRESPO I*. 9
Esquina que volta para a ra do Imperador
PRINCIPAL
DE



(\;io se enganein com a mitra)
<

'



AMIGOS
Nao leiam esle annuncio com precipitacao.
Confronten) os precos dos oulros annunciantes.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
A vista faz f.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao. nos encolcamos 0 primiro recebedor de conta propria.
N30 desacreditamos ao collega porque nao quiz ser nosso socio.
Val a qnem toca.
Para abastecer a lodos os habitantes desta bella provincia anda nao sao sufficien-
tes as casas que actualmente oxistem abertas com grandes proporcoes para terem um
magnifico sortimenlo de molhados; assim, pois, os propietarios do Armazem Principal
nao invejam a sorle dos seus collegas.
Habitantes de Pernambuco.
Nos temos um excellente sortimento dos melhores gneros que se pode acbar
em nosso mercado. Vinde ao nosso estabelecimento, e se a vossa boa f fr Iludida
urna s vez ao menos, castigai-nos nao voltando mais a nossa casa.
Amendoas confeitadas de bonitas cores a dem de Hollanda em garrafoes com 24
i ,ooo rs. a libra. | garrafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
Avellas a 2oo rs. a libra. | zados a 2oors. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a l,2oo, l,4oo e i,6oo rs. cada 8oo e t.ooo rs. as garrafas grandes.
urna. Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo e
dem em frasco de vidro com rolha do mes-; 96o rs. a libra.
mo ou'de metal, a l,2oo e 14oo rs. ca- dem franceza nova j deste anno a 6oo rs.
da um. a libra, e 56o rs. em barris inteiros.
dem em frasco grandes 2,5oo rs. cada um. Marmelada especial dos melhores fabricantes
dem em latas de i */j e 3 libras a t,2oo e de Lisboa a 6oo e 64o rs. a libra,lia latas
2,ooo rs. de differentes tamaitos.
Arroz da India e Maranho o melhor que se Massa de tomate em latas de i libra 56o rs.
ple desejar a loo e 12o rs. a libra e cada urna.
2,8oo e 3,4oo rs. a arroba. dem para soda estrelinha, pevide e rodinha
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa, em caixinhas surtidas a 3,ooo e 3,5oo rs.
e 4,8oo rs. a caada. cada urna e 5oo rs. a libra,
dem francez clarificado em garrafas bran-, dem macarro, talerim e aletria a 4oo rs.
cas a 9oo rs. cada urna, e lo,ooo rs. a a libra.
caixa com i duzia. Mostarda franceza preparada cm frasco a 4oo
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li- rs. cada um.
bra.
Alpista a 16o a libra, e 4,6oo rs. a arroba.
Bolacbitihas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 li-
bras a 3,ooo rs. e de 3 '/a libras a l,5oo
rs. eemlibraa 64ors., estas bolachinbas
torna-se muito recommendavel com es-
pecialidade para os doentes.
Biscoilos e Bolachinbas de soda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bollos francezes em cartoes e de diversas
qualidades a 6o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4ooJ
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batutas novas a 160 rs. a libra.
Bolachinbas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
al boje tem vindo a nosso mercado a
l8,ooo rs. o gigo, t.uoo rs. a garrafa in-
teira, e 8oo rs. as meias
Cha. uxim o melhor que se pode desejar e
que outro qualquer tuto vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
dem perola especial qnalidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garante-se a qualidade
d'este cha
dem hysson o melhor que possivel en-
contrarle a 2.4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a I,2oo e l,4oo rs. a libra.
dem preto muito lino a I,(loo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanbol e suisso a l.ooo, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em '/a caixas das seguin-
tes marcas Pariziences, Suspiros, Dili-
cias, Napolees e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muitos fabricantes e de
differentes marcas para l,5oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a i,6oo, 2,ooo e
3,ooo rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melbores marcas a l.ooo
rs. a garrafa e lo.ooo rs. a duzia.
dem francez suporior qualidade 8oo rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 32o rs. a li-
bra, e 8,8oo e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 6oo rs. o caixao.
Ervilbas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a l,ooo rs. cada urna.
dem em latas ermiticamente lacradas a
l,5oo e 2,5'M) rs. cada orna,
dem em caixas de f/i arroba a 2,5co rs. ca-
da orna, e2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e l.ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em rasqueiras com 12
frascos por 6,ooo rs. e 56o rs. o frasco.
dem de laranjaa l,ooo rs. os frascos gran-
des e 11,000 rs. a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da urna.
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com a garrafao.
Molho inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro 64o rs. cada urna.
Marrasquino verdadeiro de Zara a l,ooors.
a garrafa, lo.ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Prezunto de fiambre superior a 6oo rs.
dem do Porto para pancha a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savcl, corvina, govas, pescadinhae
oulros a l.ooo rs. a latas.
Palitos para denles a 14o e 16o rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs. a libra.
e 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a groza, 2oo rs. a
duzia, e 2o rs. a caixinhas.
Queijos flamcngos chegados neste ultimo va-
por, a
dem pralo nuiilo fresco a 8oo e 9oo rs.
a libra.
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je lem viudo ao nosso mercado a 8oo rs.
a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Serveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
duzia, e 56o rs. a garrafa.
Sardinba de Lisboa c Nantes cm quartos e
moia latas a 38o 88o rs. cada nma.
Sag mnito novo c alvo a 2o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevadaa loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a arroba.
Traques de 1.a qualidade a 8,5oo rjc a cai-
xa, e22o rs. a carta.
Toucinho novo de Lisboa a 24o e 3?o rs. a
libra.
Tijollo paralimpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho empipa Porto, Lisboa e FigQpira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs. a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 6oo rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco nao levando com-
posigo a 56o rs. a garrafa, e 4,ooo rs. a
caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a gar-
rafa, e 4,5oo rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
rs. a caada.
dem Bsrdeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes ven ao
nosso mercado a 1,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d pre-
juizo e s se encontra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguntes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu-
lar, malvasio fino, D. Pedro V, D. Lniz
I, Nctar e outros a 9,ooo e lo.ooo rs.
a caixa e 9oo a 1 ,ooo rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a 1,ooors. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oo rs. a caada,
dem em garrames com 5 garrafas a l,ooo
rs. com o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna
dem de escova para esfregar casa 36o rs.
cada urna.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composico a
36o rs. a libra, e de 1o,ooo a ll.ooo rs. a
arroba.
l^'^esSis
PARA BEM DE
FAZEI FAVOR DE LR ESTE ANNUNCIO
da economa domes-
0 assuinpto
DESCOBMO-
0 verdadeiro e principal r-
tica que se vai trat
4. -
importante.
tb. ->

SE AFiaMklj
mazem de molhados o do

Xlnguem contestar esta verdade.
A fama far correr esta noticia.
A posteridade beindir o nonie do Baliza.
Actualldade Batei palmas de contcntaincuto!

Sem mitras nem coreas para ornar a fachada de seus annuncios, e as portas do edificio em que habita, o Baliza se
contenta em tomar o seu lugar de honra na vanguarda de todos os homens do piogresso.
Sopre embora o maldito Clarim, o seu toque de retirada a marche-marche do desacreditado Progresso ; arme a tenda
dos falsos apostlos da sinceridade no tratro, da realidade na pralica dos negocios commerciaes. revele finalmente a sua
grande insobordi
continencia do est
seu trem de guerra e no mais complecto movimento, o seu preslimo para
o mais alto general da primeira classe do exercito dos seus constanles freguezes.
Entremos na materia:
SENTIDO!
ORDEHI DO 1)11.
Desde a 1.a publicaco deste annuncio at segundo aviso Manool Pedro de Mello, pruprielario do grande armazem
do Baliza estabelecido ra do Livramento ns. 38 e 38 A vender a todos os seus freguezes.
Cinco por cento menos
que qualquer dos seus amareis collegas que por menos annunciar. Qualquer objecto que nao chegue a contento dos se-
nhores compradores, pode ser devolvido ainda mesmo pelas pessoas que moraren no centro da provincia.
O dinheiro recebido pelo gener0 que nao agradar ser restituido sem constrangimonto algum.
Declaraco importante.
falso o boato que tem feito espalhar o soldado soprador da ra do Queimado do que se ada o Baliza associado
ao armazem Unie Mercantil aberto a ra da Cadeia do bairro do Recife.
A liga entre os collegas um crime de lesa-povo.
E entre-tanto o Baliza ligueiro. i r -
Ligueiro sim das ideas liberaes dos progressistas de todo o universo aos sentimento mais ntimos de seu corac5o.
Deste modo de pensar ser o Baliza eternamente conservador.
LIQUIDAC
MACHINAS DEMENT
de trabathiir a mito pata
descarocar algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
0LD.4I
Eslasmatl na;
poden de-car* car
Largo do Terco
Joaquim Simao do? Santo?, tendo de se retirar esl resolvido a liquidar e fazer tima
vantagem a quem seu armazem 'requemar, e vender por menos do que outro qualquer annu
para tsso tem um vantajoso sortimento tanto neste armazem como fra e tara melhor servir o
o annuneiante scienlika aos seus freguezes que tem 'requemado esle estabelecimento
hora em diante terao a vantagem de 10 a 20 por cento menos que compraran em outra t-jK
seu prompto pagamemo.
Attencao.
n
Caf do Rio de primeira e segunda sorte a
300 rs.
Arroz pilado a 80 e 100 rs. a libra e 2^400 e
a arroba.
Milho alpista limpo a 170 rs. a libra e 4800 a
arroba.
Toucinho de Santos e Lisboa a 240 e 280 rs. a libra.
Passas de carnada a 300 rs. a libra e 105 a caixa.
Azeite doce de Lisboa fino a 640 rs. a garrafa e
4800 a caada.
Dito de carrapalo a 320 rs. a garrafa e 2#240 a
caada.
Massas para sopa aletria, macarro e talharim a
480 rs. a libra e 105 a caixa.
ChouriQasas mais novas a 800 rs. a libra.
Charutos em macos de 50 a 65 o milheiro e a
640 rs. o cont.
270 e Dito em caixa da Babia dos melhores fabricantes
de 15200, 25400 35 e 45.
Phosphoros do gaz vindo de conta groza 25300.
Manteiga franceza a 600 c640r=. a libia.
Dita ingleza flor a 800 c 000 rs. a libra.
Biscoutos e bolachinbas de soda a 15300 e
Vinho do Porto engarrafado a 800 rs., garanle-se a
superior qualidade.
Dito em pipa Figueira das marcas mais bem co-
nhecidas a 500 rs. a garrafa e caada 35800
e 35500.
Dito de Lisboa especial para negocio a 360, 400 c
440 a garrafao em caada faz-se abatiment.
Dito branco proprio para missa a 640 e 5 00 a gar-
rafa e em caada a 55 e 35300.
Bolachinha americana a 200 rs. a libra e e m bar-
rica ha grande abatimento.
iH'S V .. nialqu'T '
.- : : de algodao em
grande
ociante,
publico
que de
ca pelo

V
A
ARMAZEM DE FAZENDAS
DE
Custodio, Carvalho & Companhia.
V UUA HO (fCEIMADO 9
Superiores satas de fustao para senhoras a 55-
Toalhas de linho para mesa a 35500 e i.
Lencinhos para meninos um 100 rs.
Lencos brancos para algibeira a 25 a duzia.
Toalhas para mao duzia 45.
Bramante de linho vara 25-
Fil de linho liso vara 300 rs.
-rande pechlucha.
Pecas de entremeios bordados a 15-
Tiras bordadas a peca 5-
Gollinhas de cambraiaa 600 e 800 rs.
AGENCIA
DA
FUNDICAO DE L0W-M00B.
Roa da Sennlla nova a. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meiai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos.
-----------,-------------------------------------------;
Arados americanos e machinas pan
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston 4 C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
Enipreza daiUumina$io
gaz.
Todas as vendas de apparelbos e reclamacoes
(por cscripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem da ra do Imperador
n. 31. Os machinistas mandados para attender a
estas, apresentarao uro livro que os reclamantes
deverao asignar logo depois de promptoo servlg
reclamado ; isto para que a empreza fique scronw
de haverem os raesmos senhores sido devidamen-
te attendidos.
GRANDE LIQUIDACAO
Na loja da ra do Crespo numero 17.
Aproveitem todos.
Oproprietariodesteimporunteesub^
apurados gostos para melhor fervir as Eimas.t#iinora., i^u h'4"
zendasbaralissimas. nsamento a 90*. soutembarques pretos mnito importante
a ^^^aSS^S^^e^^^ importantes a 355 li*
a ft.W^ajg; j a 23 soutemtarques de casemira a 105, chapeos de pa-
KnareXnZ v* br^cost 55, cortes de laa muito apurado gosto a 7# corte*.de
-,^ fn Mrra a 05 125, 135 e 205, cortes de^eambraia brancos bordados a 2o5 e 305,
ih1t eods as qu'a ida'd's francefs e ingle a 320, 360, 440 c 500 rs., bramante de
linhl muito fino Jejas de 23 varas a 205, 245 e 55, bretanha de linho muito fino a 185
e 205 pecas de 23 varas.
Madapoles finos a 85.95,105, 115 e 125- ^vnn
Cambraias lisas com 9 palmos de largura a 25300 a vara, pecas de 8 12 varas a
55, 65, 75, 85,95 e 105. \_J^_____
Para o club Pernananncano.
Filinete circassiano fazenda de muito apurado gosto para vestidos, proprios de parti-
das e de bailes, e muito recommendavel por ser muilo apreciada em Constantinopla.. E'
admiravel o seo bom gosto.
Ferros para onrlves.
Na ra larga do Rosario n. 24, loja de ounves,
vendem-se todos os ferres e utencilios de ounves.
\\\' ^.estragar o \\r..
, sendo bstanle
"~v" dua: i.c.voa- para
u :i abat o ; i arfe
iK scaro^ar ima
.
>'.:.'] em caroti
ca 10 minutos,
mi 18 amatas
por dia na 3 r>
rol ;c> de algodo
limpo.
E.-ta maehiu
>' a tnica qn.-
possue as vantagens de no destruir o fio A" -.'
godao e de fazer render o dobro de qualqi: r < i-
tra com meno irabalho, a sua introdcelo j ira
as provincia des!;' imperio ?er de moto valor
para todos os interessados i:a lavvura du i>aiz.
Assim com machinas em poni .-rande do tos-
mo systema.oraql serem movidas por anirr.v.
agua ou vapor, pas naes pcJem de>raro(ar if* ar-
robas de algodo anifo por dia.
O algodo descarocado por estas machina- tem
muito mais estimacao nos mercados de Europa c
vende-se por maiorpreco.
As machinas se acham venda unicamenie em
casa de
Saurtdci's Brothers k C.
N. II. praca do Corpo Santo
RECIFE.
Os nicos agentes neste pak.
ou flna a vontade Na ra do Rangel n. i vende-se o verdadei.
ro papel de linho hespanhol, e de palha de milho-
lanto em porcao como a relalho, e de todas as msis
qualidades para o fabrico de cigarros; chanilo< da
3ahia muito bons a 25 a caia ; a elles, qne eslao
a acabarse._____ _______________
Vende-se ou permutase por duas crias de 3
a 4 annos de id.mle urna negra de meia Jadt.
sem vicios nenhuns, mnito boa qnitandeirae ram-
io fiel : no paleo do Terco n. 141.______
Farinha de mtthu a ffl
rs. a libra

A mais fina e nova do mercado : vrtide-a r.a
padaria de A. F. da Silva Reiris, ra dos Pin s nu-
mero 42.
lima jmenla.
Vende-se urna jumenta mnito mansa, e por pre-
co commodo: ra do Qnlmhdo n. tV,
Vendem-se pos de craveiro branco .
na rud do Principe (Campo Verde) n. 6.
Vende-se a taberna sita no lugar di Benfira
n. 64, com poucos fundos e armacao, que lira no
correr dascasinhas junto ao sobrad) grande o
Sr. major Rollarmino, principio da Estrada Nova :
a fallar com o dono na niesma taberna.________
Vende-se a taberna da ra Direita n 33, mm
poucos fundos ; o tambem se vende a ariMco yx
a tratar na mesma._______' ___________
Veudem-se o brigue hacietul Aere Aimq^iH-
U, prompto navegar, construido de linas mil.
ras, e forrado de cobre : trma-se cn c.-->
tarios Marques, barros i ('.., lar".-1
numero 6.
ILEGVEL




Mario *e r
eo tilinta felra 7 de fnlho e Hl.

*2*
S$ Largo da
\Santa Cruz
numero
12 e 84.
Esquina da
ra do
Sebo n. 121
e84.
BBRHANTE alrom
GRANDE ALLIANQA
57 RA DO IMPERADOR 57
Pauto Ferreira da Silra \ Companhia
Grande sortimeoto. de molliados em grosso e a retalho. nico armazem que mais
vantagens olTerece ao publico.

JES
Deseiiiauem-se todos.
AURORA RIMASTE
GRANDES ARMAZENS DE MOLHADOS.
Francisco Jos Fernandes Pires proprietario dos armazens de molhados denomina-
dos Brilhante Aurora e Aurora Brilhante, ao largo da Santa Cruz ns. 12 e -84 (esquina
da ra do Sebo), faz sciente ao respeitavel publico desta eidade e do interior que nos
seus importantes estabelecimentos vender sempre gneros novos e de primeira quali-
dade e vender a todos pelo raesmo preco.
O completo sortimcnto de lodos os gneros anos e grossos que costumam ter outros
estabelecimentos desta ordem se encontrarao sempre nos armazens da Brilhante Aurora
e Aurora Brilhante e sempre em grande escala a vontade dos Srs. compradores.
O proprietario dos rmateos Brilhante Aurora e Aurora Brilhante pede a todos os
senliores esenhoras que quamlo tiverem de mandar suas relacoes a estes estabelecimen-
tos por seus criados seja em carta fechada ou com grande reeoiwnendaco a estes arma-
zens, certos de que serao tao bera servidos como se viessem pessoalmente.
K
K
H
K
K
o Alllanca o verdadeiro homem do progressso.
o Alllanca o verdadeiro e principal armazem de molhados.
o 4 llianea o armazem que vende mais barato.
o AII tanca o arma/.em que vende os mclhores gneros.
Allian^a o armazem onde preside o melhor aceio.






Fiquem todos sabedores desta verdade,
Venham todos ra do Imperador n. 57.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
PARA AS FESTAS
DE
S. JOKO ES. PEDRO.
Ataendoa* confeitadas de bonitas cor Klem de Hollanda em garrafes com 24 ar-
feo rs. a libra,
dem de casca mtiito nova a 3oo rs. a libra.
AfifltM a'
NEM COROAS NEM MITRAS
0
GRANDE
ARMJJKGH
DE

A Brilhante Aurora e Aurora Brilhante troca qualquer um genero que por acaso
nao atrrade erecebe as libras esterlinas a 9,sendo por compra: a tabella de se> s gneros
ser mudada todas as semanas.
Amcndoas confeitadas para ortos a libra 1$. Vinho muscatel duzia 105 e garrafa I i.
Mauleiga ingleza flor a 800, e 960 rs. Dito branco proprio de Lisboa caada 4#800
Dita mais abaixo a 640 e 720 rs. e garrafa 640 rs'.
Dita franceza nova libra 840ee barril a Vinho branco de muito boa qualidade cana-
600 rs da 45 e garrafa 480 rs.
Chocolate sant muito novo a 13200 a libra., Dito Xerez lino a caada 7300 e garrafa a
Cha perola o melhor que ha ( redondo) a i 15200.
libra 35200.
Dito dito mais abaixo a 25500 e 25800.
Dito uxim muito lino a 25800 e 35.
Dito hysson superior a 25600 e 25800.
Dito mais abaixo a 25 e 25500.
Dito prcto muito fino a 25500.
Dito em massos a 25-
Diio do Rio era latas de 4, i e I libra a
15500.
Caf de moca superior arroba 105500 e li-
bra 400 rs.
Dito do Hio e do Cear arroba 95500 e libra
320 rs.
Dito mais abaixo arroba 85500 e libra 280.
Barricas com bolachina maleza ingleza nova
a 35.
Latas com bolachinha de soda de 5 libras
a 25500.
Ditas com ditas sortidas de 2 libras a 15400.
Frascos com ameixas francezas s o frasco
val o dinheiro a 25800 e 35-
Latas com ditas a 13400. 23200 e 45. *-*
Ditas com figos de comadre a 15500.
Caixinhas hermticamente lacradas c proarias
- para mimo a 23 e 25800.
Caixinhas com ditas a 15, 25500 e 55 de
arroba.
Presunto de Lamcgo muito novo a.libra 50
Dito Madeira seca caada 105.e garrafa 25.
i Dito em caixas de urna duzia do Porto dos
I nieihores autores a 125, 145 e 165.
i Garrafas com licor fino francez e porluguez
I a 15-
Ditas com vmho de caj muito claro a 15.
Ditas com mel de abelha puro a 13.
Frascos com genebra de Hollanda de i gar-
rafijf-a 15-
Dito dpiuia garrafa a 560 rs.
I Dito de hranja verdadeira a 15200.
Duzia dagraxa latas grandes a 15.
Caixas -e$m 25 massos de velas de sperma-
cetea 560 rs. a libra.
Ditas miores a 600, 640 o 720 rs. a libra.
Caixas com urna arroba de velas do Araca-
tj I03S00 e libra -400 rs.
Ditas de composicao arroba 105 e libra 360
Saceos grandes com fariuha de Goiannamui-
to boa a 53300.
Djto de l'orto Alegre melhor que de Mari-
beca a 65.
Ditos com milito novo com 24cuias a 45000
Dito com farello de Lisboa 120 libras a
53500.
Dito com arriaz de casca a 55500.
Duzia de garrafas de serveja branca c prcta
a 35800 e em barricas a 35300.
rs. inteiro e a retalho 600 rs. J Arroz do Maranho em sacecs arroba 25600
Chouricas e paios novos a libra 800 rs. e libra 100 rs.
Latas com chouricas e linguicas novas vio- Dito da. India e Java arroba 33 c libra 120.
das ueste vapor com 9 libras por 65500. Ararula verdadeira arroba 8 e libra 320
Hitas com peixe ensopado de muitas rjuali- rs., mnlarana.
dados a 15. : Gomma do Ararat) para engommar arroba
Ditas rom orvUhas francezas e portuguezas, 53 o libra 160 rs.
a 880 rs. Tapioca ou farinha do Maranho nova libra
Ditas com ferjid verde francez a 800 rs. 160 rs.
Ditas rom massa do tomate novo libra
Emilias seccas muito novas libra 200 rs.
I Sag e sevadinha a 240 rs.
ISevada arroba 352(10 e libra 120 rs.
Graxa de boio 97 a 280 rs.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito hespaobol verdadeiro a 400 rs. a libra.
Balaios do Porto diversos lmannos de 320
a 25.
Capachos para portas de varias cores a 600,
700 e 800 rs.
Grao Je bico arroba 45500 e libra 160 rs.
Paineo arroba 53500 o libra 200 rs.
Milho alpiste arroba 45800 o libra 100 rs.
Azeite doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 15500 e garrafa
200. 240 e 320 rs.
Massos de palitos do dentes com 20 massi-
nbosa 160 rs.
Tijolos de limpar facas a 160 e 120 rs.
Caixas com 40 cartas de traques a 93500 e
a carta 280 rs.
Besmas de papel almaco pautado a 5'5.
Dilogre ve liso o melhor que ha a 43300.
Dito ile peso e pautado a 25300 e 23800.
Garrafes 00111 23 garrafas do verdadoira
geni bra de Hollanda por 85500.
Azeite do coco garrafa 560 rs. e carrapato
360 e caada 25560.
Caixoes com doce de goiaba a 640,800 e 15,
Toucinbo de Lisboa arroba 85500 c libra
I 320 rs.
Dito de Santos arroba 75 e libra 280 rs.
Molhos com grandes ceblas a 15600.
1'.onlo de dita solta a 15500.
Mauncos de alhos a 240, 320 e 400 rs.
Vassouras do Porto piassava muito seguras Esleirs de vanas qualidades.
a 400 rs. Cordas de postare de andaime.
izeite doce francez dos melhores fabrican- Favas da ilna de S. Miguel arroba 35200 e
tes caixa 105e agarrafa 15- i libra 120 rs.
Caixas com vinho Bordeaux branco e tinto Copos lapidados para agua e vinho a 35500,
S. Julien, S. Estife e ontros a 75500 e 85.: 55800, 65 e "5-
Vinho do Porto fino em barris de 5o que ra- Ditos lisos para varios precos.
500 rs.
Ditas com ostras a 720 rs.
pilas rom marmelada dos melhores autores
de Lisboa a libra 640 rs.
Potes com mustarda franceza proparada a
libra 480 rs.
Frascos com conservas de pepinos, mexides
e azoitonas verde a 13.
Dita dita franceza a 800 rs.
Gigos com trinta e tantas libras de batatas
novas a 35500.
Queijos novos do vapor a 35200 e 35500.
Ditos de prato enplicado a 15-
Dito suisso a 800 rs.
Dito de manteiga do Serid a 800 rs.
Caixas com passas novas de 1 arroba 75,
meia 3-3300 e quarto 25 e libra 480 e
640 rs.
ivmcndoas com casca a libra 240 rs. e arro-
ba 63.
N'ozes libra 160 e arroba 55-
Caixas e meias ditas com charutos finos da
Babia dos melhores tabricanlcs do Jos
Furtado de Simas. Beis e outros, sendo
Suspiros, Parisienses suspiros, Delicias,
Normas de llavana, Exposicao, Almiran-
tes, Barateiros, varetas, Guanabaras, Re-
gala imperial, Acadmicos de Olinda, Se-
nadores e Apraziveis de 15500 a 85 a cai-
xa do 90 a 100 charutos.
Grozas de caixinhas de palitos do gaz a
252OO e 200 rs. a duzia.
Barris com azeitonas novas a 3, e 45 bar-
ris grandes.
ras vezes apparece por 805 e em caada a
555OO e garrafa a 800 rs.
Dito da Figurn puro casada 45 e 45500 e
garrafa a 480 e 560 rs.
Dito de Lisboa de boas marcas a 35500 e
45 e a garrafa a 440 e-480 rs.
Cognac wfdarletro a garrafa 15 e 15380.
Calix lapidados grandes e pequeos duzia
3,4 e 55 ; e 400 e 50n rs. cada um.
Massas para sopa macarrao, talliarim e ale-
tria a 480 rs.
Estrelinha e pevide libra 560 rs.
Xaropes de fructas nacionaes a garrafa
500 rs.
E muitos ostros gneros que nto possivel mea-
rimnijg odos de primeira qualidade.
A saiistacjeda BriMuite Aurora e Aurora Brilhante vender muito embora bara-
to, mas a DlflWraO.

\i) armazeui tic fazendas baratas de
Suatos < orH, raa d Queimado, n
19, vende-*** egniote
Attcnce.
,aazihas.
Ricas laazinhas para vestido, fazenda a melhor
que tem indo ao mercado, tanto em Rosto como
em qualidade da fazenda, pelo baratissimo preco
de 560 rs. o covado.
Laazinhas miudinhas carmezins, proprias para
vestidos de meninas, e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de la com lo covados pelo baratissimo
prego de 68.
Cobertas de chita da India pelo baratissimo preco
de 255OO.
Lencoes de panno de linho a 25-
Lengoes de bramante de linlie fino pelo baratissimo
prego de 35200.
Bramante de linho fino com 10 palmos de largura
pelo baratissimo preco de 25500 a vara.
Atoalhado adamascado proprio para toalhade mesa
a 25OOO a vara.
Cambraia de forro a 25600 o 35200.
Guardanapos adamascados a 35800 a duaia.
Toalhas alcochoadas proprias para ruaos a 55 a
duzia.
Cortes de caiga de ganga amarella de llstras e
de quadros, pelo baratissimo prego de 15200 e
-.xSrte.
Cambraia adamascada com 20 varas, propria
para cortinado, pelo baratissimo prego de 10*000
a pega.
Ricos cortes de la Maria Pa pelo baratissimo
prego de 185.
Pegas de cambraia de salpicos com 8 1|2 varas
pelo baratissimo prego de 45-
Pegas de platilla de algodo com 10 varas, pro-
pria para saia a 45200.
Esteiras da India, proprias para forro de sala,
de 4,5 e 6 palmos de largura, por menos prego do
que em outra qualquer parte.
Reste armazem tambem se encontrar um glan-
de iortimciito de ronpas feilas, e por medida.


aj 5' a. 3 e
C O 5 -^ ? = *! Q
J3 ^ D5C"
H
Qft
3 X ^


o ct>
Cb op
S.8
a> 3
o
o
-a a
3 "2.
aj
-
a,

n
= s3 a._s -
~".o =3 _. E. a,

en w a < H
O. O
t ir o
H S H
p" en
O. *
ese <
2 3 =
cu
-!
SU
m
-i
S
o
o.
2.
i
2
f fia
o w-2
00 as "O 5.
22S o
m
lw Cu ^
sea!
A.
h
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo, i,4oo e l,6oo rs. cada
' urna.
:Idn em frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a l,2oo e l,4oo rs. cada
um.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada
! um.
dem em latas de I */j e 3 libras a 1,2oo e
I .5,ooo rs.
Arroz da India c Maraohao o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,400 rs. a arroba.
Azeite doce de-Lisboa a-lioo rs. a garrafa, e
! 4,800 rs. a cuitada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
| cas a !)oo rs. cada urna, e lo.ooo rs. a
caixa com I duzia.
Alfazema muito nova e tinap a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o rs. a libra e 4,600 rs. a ar-
roba .
liolachinltas de Lisboa da iabrica do Ileato
Antonio das seguintes ijualtdades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e de 3 '/a libras a l,5oo rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinhas
torna-se muilo recommendavel com espe-
cialidade para os doentes.
Biscoitos e Bolachinbas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,36o rs. a lata.
Bolos franceses em caries e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
jBanlia de poico verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
[Batatas novas a I6o rs. a libra.
Bolachinhas mglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem rinde ao nosso mercado a
18,000 rs. o gigo e l,5oo rs. a garrafa
inteira, e 800 rs. as mefas.
Cha uxim o melhor que se pode desejar, e
que oulro qualquer nao vende por menos
de 3.000 a-,7oo rs. a libra.
dem perola de esp cial qualidade a 2,600 e
2,800 rs. a libra, garante-se a qualidade
d'este cha.
dem hysson o melhor que possivel encon-
trar-so a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2ooe l,4oors. a libra.
dem prelo muilo fino a l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores. qualidades, francez,
hespaobol e suisso a i,000, l,2oo e I,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em 'i caixas das seguin-
tes marcas: Parizienses, Suspiros,- Dili-
cias, Napoleoes e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 8,000
rs. cada urna.
dem de outros muitos fabricantes e de dif-
fereutes marcas para l.Soo rs. as meias
caixas, de suspiros a 1,600, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 000 rs.
Cognac mglez das melhores marcas a 1,00o
rs. a garrafa e 10,000 rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho o erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canellaa l,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Hio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e ,80o e 0,Seo a arroba.
Doce fino de goiab. a6oors. ocaiso.
Ervillas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
1,000 rs. cada urna.
dem em Irlas ermiticamente lacradas a
1,5oo e 2,5oo rs. cada urna.
dem em caixas de V* arroba a 2,ooo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e l.ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 560 rs. o frasco
lanteiga ingleza
da safra nova vinda neste vapor de 28 de
maio a 600 rs. a libra.
Manteiga franceza
da safra noTa a 560 rs. alibra, e em barril
a 500 rs.
ratas a 7,2oo rs. com o garralao. ArnaTiInnc
Lentilhas excellente legme para sopa e gui-1 AmCHClOaS
zados a 2oo rs. a libra. confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
Licores francezes de todas as qualidades a libra.
800 e l,ooo rs. as garrafas grandes. AmeixflS
Manteiga ingleza peritamente flor a 800 _. ,_____*.~r ^^T,-u .,- -A
e-96o rs a libra frascos de vidro com 3 libras liquido a
dem franceza nova j deste anno a 600 rs.! 2*400, muito propios para mimos.
a libra, e 58o rs. em barris inteiros. UfllTtwS
Marmelada especial dos melhores fabrican- com bolos francezes a 500 rs. cada um.
tes de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, ha | TifttlS
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1300.
Chocolates
de todas as qualidades a I1000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velbos para 500 rs.
Queijos flamengos
RIJA DO IMPERADOR 9i 11
Junio m srbrade envine era e Sr. fefctrae,
Para a festa de Santo Antonio, S. Jofto eS. Pedro.
Dnarte Alnieida <& C, receberam de saa propria---------nnitn
da o nial* lindo e variado sortintento de molhados, proprio
da preaene estaca o.
56o
P T3 e>
" S S 2
&
$?
o 5
a> -i
ii
latas de differertte tamanhos.
Massa de tomate em latas de 1 libra a
rs. cada urna,
dem para soda estrellinba, pevide e rodinha
em caixinhas sorlidasa 3,ooo 3,5oo rs. cada
urna e 5oo rs. alibra.
dem macarrao, talharim ealetria a 4oo rs. a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a ioo
rs. cada um
Molho inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafa, lo,ooo rs. a caixa com 1 du-
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Preznnto de fiambre superior a 6oo e 8oo
rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. i libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co- j
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
outros a l,ooo rs. a latas.
Palitos para dentes a lio e a 16o rs. o mas-
so dos melhores.
Paineo o mais novo e limpo a 16o rs, a li-;
bra, e a 4,5oo rs.
chegados neste ultimo vapor a 2$6oo.
Queijos
chegados no ultimo vapor a 2#600 cada um. ]
Queij
londrino o mais fresco que se pode esperar
e de oxcellante maree a 800 rs. a libra
sendo inteiro e a 900 rs, a retalho.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
ioo^a grosa, e2oo rs. melor que-se 1? d**r- out!
a duzia, e 20 rs. a caixinba i ^^Lff pode vender por m6nos de'
Queijos flamengos chegados neste ultimo1 ;> a ": ,
vapor, a 3,ooo .. dcm Prola ,
Idom prato muito fresco a 8oo e Ooo rs. a e*ecwI 1ual,dIa,de a ^m ,-s- a M>-
libra. 'C"1 hysson
dem suisso a melhor qualidade que al ho- mais aromtico que tem vindo ao nosso
je tem vindo ao nosso mercado a 8no rs.' mer "w a 2f?600.
I1alibia1. n Massas amarellas
dem londr.no a Ooo rs. para sopa> macarr-t0) talh.(|.im e
480rs. alibra. .
a aletria
Sal retinado em potes de vidro a 5oo rs,
cada um.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
duzia, e 50o rs, a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em quartos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
roba. PAPEL
Traques de 1.a qualidade a 9,5oo rs. a cai- almaco, grave, peso e deoutras muitas qua-,
Macas brancas
para sopa a melhor que se pode desejar,
macarrao, talharim ealeira a 400 rs. a
libra e 40500 a caixa.
Yinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2A8O0 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da eidade do Porto a 13 e 13200
a garrafa e de 100 a 12/1 a caixa, as nar-
cas sso as seguintes: Cbamisso A Fimo.
F. & M., Nctar ou vinho dos Iterases,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Lates
com 10 libras de banha a 44000.
Bolachinha ingleza
a 1#800 a barrica da mesma que por ahi
vendem a 24000 e 24400.
Nozes
as mais novas do mercado a 12U rs.a libra.
Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mar-
cas de 450O a 63500 a duzia.
C2ARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Res e Miro] em
meias caixinhas a 13500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 23500 a 33000 a ar-
roba desses que vendem |Kr 3#400.
CAF
de 1.a e 2.2 sorte do Hio de Janeiro a 83500
e 8f?8O0 a arroba, e 280 a 300 rs. a libra.
(arrafes
com 4 '/s garrafas com vinagre a 1-sooOrom
o garra fo.
GENEUitA DE LARA.NJA
verdadeira a 10000 o frasco, ede 11*000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de'Hollanda a 54800 com
12 frascos.
GENEKItA
de Hollanda verdadeira em frasqueira a 8oo
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeirospalilos do gaz a 2,Soo a groza
C1M\AC e 2o rs. cada raixinlia.
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo| LICORES
rs. a garrafa e de outras muitas qualida- finos de todas as qualidades, a lo.ooo acixa
des a l,ooo e 8oo rs. a garrafa. com urna duzia e a l.ooo a garrafa.
copo* Mannelada
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a ^-m^^i K ,- ..
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um. dos "**" fabricat"les (,e '/'sb-.;. c..m.. se-
jam Abreu e outros muitos a Ooo rs. a
libra.
prejuizo e so se encontra n este arma-
zem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do-Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luizl, Nctar e outros a 9,ooo e lo,ooo
rs. a caixae Ooo e l.ooo rs. a garrafa,
dem Muscatel superior a 1 ,ooo rs. a garra-
fa, e io,ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
Idemem garrafes com 5 garrafas a l.ooo
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
j dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran- cada urna.
des e H,ooo rs. a caixa com 12 frascos. Velas de espermacete superiores a 56o rs.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada a libra, e 52o em caixa.
uraa- dem de carnauba refinada e de composicao
Tdem em garrafes de t re. cora o garraf3o. a arroba.
xa, e 2o rs. a caria.
Toucinbo novo de Liiba a 2io e 32o rs. a
libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a
5oo rs a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas'
menos condecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a Ooo rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muilo fresco no levando com-
composicao a 56o rs. a garrafa, e 4,ooo
rs a caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. agarrafa, a3,ooo
rs. a canada.
dem Oordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1.2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo prego d
Pregunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
lida' ?s de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me-
Iboi.
Papel de botica
de excellente qualidade a 23200 a resma,
PAPEL
ranada, e azu| c p;irci0 para embrulho del, oo a 2,2oo' VELAS
rs. a resma. ^ de espermacete de diversas marcas a 56o r*.
CorlthiaS a libra e em caixa terii ebflc>lo.
passas corinthias muito novas proprias para' ,, n,n,. m .- .
podim a 8oo rs. a libra. de carnauba em ca.xas de arroba a OJoo c
1 p caixa e 34o rs. a libra.
I' liliK Batatas oras
o verdadeiro fumo americano em chapa a eni caixas de 2 arrobas a 53 a caixa e 60 rs.
l,4oo rs. alibra a libra.
VliafiTP Passas muiU novas
nDD "s em quartos e inteiros a 23 o quarto e 6*500
PRR em aneorefas de 9 caadas a lo,ooo rs. a ^^ e 400 rs a m,ra
cada urna. Choeolate
OebOllaS portuguez o mais especial que se pode de-
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa seJar a rs- a li,,ra e **9 rs. o pao.
e l,ooo rs. o molho. Frutas em ealda
lttM P PnTiPn i chegadas ltimamente, pera, pecego, ginja e
iiipiui v rjuiivu outros militos a wo rs a ,aU
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,' Dsce i casca da Miaba
e 4*400 a arroba. a 600 e 13 o caixe.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram ans seos
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
liiio e (iommercie roa do Qneimarfo n. 7
____________O Verdadeiro Principal ra do Impender a. 40


.
Algodo da Bahia
para saceos de assucar e roupa de eteravo; lui ouro i>atente inglez.
[ra vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, no sea escripiorio ra da Cruz n. 1.
Kna da Senzalla Nova u. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idem de Lor
Moor libra a 120 rs.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualidde a 12*
a lata e em lotes de 10 latas para cima se
far abatimento. no armazem do Caes do
Ramos n. 18 e ra do Trapiche Novo nu-
mero 8.
da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston A C.,
sellins e silhes inglezes, candieiros e casti-
ces bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cava los, e relogios de
Na ra de Apollo n. 32 ha um grande sorti-
mento de marmore para ladrilho, sacadas, linm-
hreiras e degros de 8, 9 e 10 palmos do oompri-
do e 2 112 de largo, fainas do marmore proprias
para lampos de mesas c para tmulos, vasos gran-
des para jardim. ou para ornar tmulos, por pre-
cos muito razoa\eis
Charutos de Habana
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schafleitlin C, ra da Cruz n. 42.
At que chegou
um grande sortimenio de bico e renda preta de
novo modelo chamado (guip) o melhor que se
pode desejar neste artigo e que se vende muito ba-
rato : na loja do gallo vigilante ra de Crespo
D. 7.
21 Fabnca~Conceicao da j
Bahia.
Andrade 4 Reg, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ruado Imperador, algedo U'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar algodo empluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
MOVIMENTO
BAIRRO DO RECIFE, RA DA CADEIA N. 50.
0 mais novo e o melhor
ARMI/IM 1IK nOJLll JLIMS
Esquina defronte da ra da Madre de Deo^
ATT
Antonio da Silva Campos, successor do antigo Nascimento defronte do becco Lar brat co
nhecido ja nesla praca, araba de transferir o seu estabeleermento para a casa cima radicada onde
os seus benvolos amigos e freguezes,bem como o respeitavel publico em geral enpwitrarao o' nato
variado, escolhido e melhor sortimentode molhados, a par do aceio, elegancia e bom reaimen do estt-
belecimento. ~
O annunciante, tendo frito urna completa reforma no tocante a casa e ganeros, poanindo bous
correspondentes nalEuropa para renwfsss to eont proaria, acha-se civanoid que eraem a r-
teccao de todos os amigos do bom e'barato, a qual desde j reclama, assererando-lhes qoe iaoaw n-
merecer a confianca com que se dignarem de o honrar.
Em resumo, visite o respeitavel publico o novo e snperior armazem Movimeoto, compre-lbr al-
guns gneros, e entao Acara convencido da realidade do presente aviso, verificando por si mewrw qoe
nenhum outro estabeleoimenlo o serve melh'or que este, seja em commodidade de precos, agrado e
delicadeza, ou legalidadade pesos e medidas. ^^
Finalmente, todas e quaesqner garantas que estabelecimentos idnticos teeaa off*recido aos
concorrenlos, serao manlidas neste em grao maior.
Farello e milho.
Nos armazens da brilhante aurora e aurora bri-
lhante, ha saccas grandes com farello com 130 li-
bras a ui, e de milho 4, arroz de casca Si, e
i farinha de Goianna a ii'j e C> : no largo da Santa
: Cruz ns. 12 e 84.
Vende-se ou permuta-se por urna negrinha
de 4 annos urna negra de meia idade, boa quitan-
deira, lava, cozinha o diario, fiel e sera vicios
nenhuns.
Vende-se ou aluga-se urna excedente
de carreira.muito maneira para familia, Jusuole
estangue que carrega 250 ou 300 feixes de capim;
o pretendente dirija-se cocheira do Tbomaz, aa
praca do capim, que ahi far todo o negocio.
Vende-se nm sitio com boa casa, OMoa i
voredos, duas cacimbas com boa agua que i
para se beber, com bastante terreno para se plaa-
tar : na ra da Esperanca n. 74, tratar ao sitio
seguinte que faz esquina para o Manguinho.


'



m
io *
felra f dtr
o de tft4.
I
'

i
RA DACA1IEIA DO UECIFE tf. &3.
NOVO E
GHANDI. AEMAZSM DE MOLEADOS
RA DA C VIIKIA DO BIECIFE X. 53.
Francisco Fernandes Duarte acaba de abrir na roa da Cadeia do Uecifen. 53, um grande e sortuo armazin de molliados de-
nominado Unid Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeitavel inbiieo ura c< rojileto EOiJienlo des melhore
ceneros que vem ao mercado, tanto esirangeiros, como nacionaes, os qoaes serao vendidos em porfes cu a retallo jor preta assi
gommodos. .......
Manteiga ingleza especialmente escolbida Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
de primeira qualidadea 900 rs. a libra, 10200 a caada.
em barril se faz abatimento. j Azeite doce refinado em garrafas brancas a
Manteiga fraoceza a mais superior do mer-1 800 rs.
cado a 6oo rs. a libra, e 580 rs. em barril Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
oa nieio. 40800 a caada.
Prezuntes inglezes para fiambre, de superior Geneora de Hollanda a 500 rs. o frascos
qualidade, chegados neste ultimo vapor, a 5,5800 a frasqueira.
720 rs. a libra. Caixinhas com ameixas francezas, ornadas
Queijos flamengos chegados oeste ultimo
vapor a 40000.
Queijo prato muito fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Castanbas muito novas a 120 rs. a libra e
e 30000 a arroba.
Cha uxin o melhor que ha neste genero,
mandado vir de conta propria a 20800
rs. a libra.
Cha hyson maito superior a 20560 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio para negocio a
10500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 20 a libra.
com ricas estampas na caixa exterior,
muito proprias para mimo, a 1020o, 10500
e20.
Frasco de vidro com tampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a
10200.
Marmelada imperial, dos melhores conser
veiros de Lisboa, em latas de 1 e meia a
2 libras a 600 rs a libra.
Fructas em calda das melhores qualidades
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Biscoutos inglezes em latas com dEferentes Nozes mujt0 novas a l60 rs. a |ibra.
qualidades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
outras muitas marcas a 10350.
Bolachiuha de soda em latas grandes a 20.
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 14 e 20 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 50 > rs. a libra e 30 um quarto;
e em cana se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem vindo ao nosso mercado a r80o gigo;
garanle-se a superior qualidade.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 70500 a 80000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 90
a 10 a doria, e 900 a 10 s garrafa; deste
genero ha grande porcSo e de difterentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 14 e 150 a caixa, como sejam: Duque
do Forto, Lagrimas do Douro, D. Luiz,
Camoes, Madeira secco, Carcavellos, Nc-
tar de 1833, Duque Genuino.
Vinho de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 30, 30200
e 30508 a caada.
Vinho branco de superior qualidade, vindo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
rs. de barril.
Amendoas de casca molle a 400 rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs. a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 re. a libra.
Macaas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, so vista se faz o preco.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Ervilhasfrancezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 10200 a libra.
Chocolate hespanbol a 10200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 19.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
5*800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
e 10200 a garrafa.
Licores francezes das seguintes qualidades:
Sardinhas de Nantesa 340 rs. oquartoe S6(
rs. meia lata. fBh"-
Latas com peixe em posta : savel, corvina,
vezogo, cherne, linguado, lagoslinba, i
10300rs.
Sainlo em latas, preparado pela nova aru
de cozinha, a 800 rs.
Macaa de tomtes em latas de 1 libra a 60(
ris.
Chouricas e paios em latas de 8 e meia hbr
por 70.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra t
80600 a arroba.
Bolaxinha ingleza a 320 rs a libra e 40
barrica.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 200 rs. a libra.
Farinha do MaranbSo a 120 rs. a libra.
Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Cevada a 120 rs. a libra e 30 a arroba.
Alpistaa 160 rs. a libra e 40800 a arroba-
Batatas muito novas em gigos com 40 libra
por 10500.
Cebollas a 10 o molbo com mais de 100 ca-
da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 n,
a libra e 90 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 rs. a li-
bra e 80400 a arroba.
Caf do Bio, proprie para negocio, a 80.
Arroz do MaranhJoa 100 rs. a libra e208O
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 2*400
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e
540 re. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o M*
so e a 90 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caix Macarrao, talharim e aletria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz abatimento.
Estrellinha, pevide e arroz demassa para sop
a 600 rs. a libra e 30 a caixa com 6 libras
Palitos de dente lixados com flor a 209 re
o masso, ditos lixados sem flor a 160 r*
o masso com 20 massinhos.
Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames Gomma de engommar muito fina a 180 rs.
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra t
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inteiras ou em meias, de
10600, 20 e 30.
Presuntos do reino, viudos de conta propr
de casa particular,a 4100 rs. a libra; intei-
rose faz abatimento.
Ossenhore que comprarera de 1000000 para cima, terao o descont de 5 por cento, pelo prompto pagamento.
e de outras muitas marcas a 10 a garrafa
e 100 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
90 a duzia.
Mostarda ingleza em potes j preparada a
400 rs.
Mostarda ingleza em p, em frascos grandes,
a 10 cada um.
Sal refinado a 500 rs. o pote.
CL
RA DO 0LEIMAIIO W. 43*
Passando o becco da Congregacjo segunda casa.
aioiaZep]
NOV1DADE.
Pereira Rocha 4 C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commercial,
onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
aero vendidos porprecos muito resumidos coi lo o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se obom peso
por precos
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao,da India e Java a 60, 80 Cevadinha de Franca muito superior a 220
e 100 rs. a libra e 10800 a 20600 e 30 rs. a libra.
Cevada a 80 rs.
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
10200 e 10600 emfrascos grandes a
20500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
i libra.
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata,
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas
de cito libras e canastrinhas de 1 arroba a
com ricas estampas no interior das caixas I 10800, 50500 e 280 rs. a libra,
a 120000,10400, 10600 e 20. \ Farinha do Maranbo a 160 rs. a libra.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs. Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
a litara. Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba. a 560 rs. o frase e 60200 a frasqueira.
Azeite doce francez muito fino em garrafas dem em garrafoes de 3 e 5 gales a 50500
grandes a 960 rs. a garrafa. i e 70500 cada um com o garrafo.
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa. Graixa a 100 rs. a lata e 10100 rs. a duzia.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, qualidade especial e garrafas muito
grandes, a 10800 rs. a garrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolba de vi-
dro, a 10000 re., so a garrafa vale o di-
nbeiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barrada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. alibra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
Marrasquinbo de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Massas finas para sopa : estrellinha, pevide,
rndinhas e letrianhas a 600 rs. a libra e a
40 a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra,
e especialmente da fabrica imperial de! Peixe em latas preparado pela primeira arte
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 ris.
Bolachilias de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor einada a 440 rs. a libra e
e em barril a 4C0 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 10600, ,
20500, 20800 e 30000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melbores marcas
que vem ao mercado, a 500 re. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melbores fabricantes da Babia
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 10800,
20000, 20200, 2500, 20800. 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Bio muito superior a 280 e 320
rs. libra e805OO e 80800 re. a arroba.
Cartes de bolinhos francezes muito novos e
muito bem enfeiudos a 700 e 600 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a
libra.
de cozinha a 10 rs. a lata.
Palitos de den tes a 160 rs. o masso.
Palitos de den tes a 120rs.
dem de flr a 200 rs.
Amendoas confeitadas a 900 rs, a libra.
Doce de goiaba em latas o melhor possivel
20 e em caixo a 640 rs.
Palitos do gaz a 20200 rs. a grosa.
Passas muito novas a 480 rs. a libra,
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor e
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 600 re. a
libra.
Figos em caixinhas emticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam: Velbo de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Mara Pia,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna ra-
zia a 90000 e100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 re.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs.
a duzia.
dem Morgaux eCbateauluminide 1854, a 10
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
10200 rs. a caada.
Ktrsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porcSo de outros que deixaroos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porcSes como *
retalhe. _
Qoem comprar de 1000000 par cima ta-
ra o abate de 5 por cento.
Acaba de receber de sua propria enouiufnenaa um grande e variado sortimento
I de molhados todos primorosamente escomidos, por isso apressa-se o proprietario em
j offereceraos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, afiancando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
PARA A FESTA
DE
S. JOAQ
Amendoas confeitadas de 8oo rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 8oo rs,
libra,
dem franceza a 36o rs. a libra,, e 5oo rs.
sendo em baiT.il.
Cha uxim a 2,7mi rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,600.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para'
cima a 2,7oo,
E S. PEDRO
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gui-
ja, canella, cravo, rlela pimenta a l.ooo
rs. a duzia l'.ooo rs. a garrafa, garaote-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
dem hysson o mais superior que se pode PSsas muito novas em (piarlos e inteiros a
desejar a 2,600 e de 8 libras para cima
a 2.5oo rs.
dem menos superior a 24oo ede 8 libras
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e-4,806 rs. a lata..
dem preto o melhor que se pode desejar
neste genero a 2,8oo re.,
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra,
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo Presunto para fiambre inglezes a 7oo e
rs. a libra. re. a libra,
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
rs. a libra. j Caixas de traque n. 1 a 80500 cada urna.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-. Massas para sopa macarrao, talharim aletria
por a 2,600. a 4oo rs. a libra.
Queijos chegados no ultimo vapor a 2,600 rs Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
dem londrino o mais fresco que se pode i e8oors. a garrafa.
esperar e de excellente marca a 800 rs. a dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
libra sendo inteiro, e a 9oo rs. a retalho. i garrafa,
dem prato es melhores emais frescos do; charutos em grande quantidade e de todos os
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro. fabricantes mais a creditados a l,5oo,
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes 2,ooo, 2.5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
2,ooo rs o quarto, a 6,5do a caixa e 4oo
rs. a libra,
dem corinthias proprias para podim a 9oo
rs. a libra.
ffilIridiadas dos mais afamados fabricantes de
Lisboa a 64o rs. a libra
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grito de-Meo muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 600 rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
fazenda especial.
800
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
tas a l,3oo e 1 4oo rs.
Polvos chegados ltimamente do Porto a 32o
rs. a libra.
Batatas novas em caixas de 2 arrobas a 5?> a
caixa e 60 rs. a libra-
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
'bruto a 4 ooo rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 2,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Chocolate portuguez o mais especial que se
pode desejar a 800 rs. a libra e 14o rs. o
pao.
Cartes com bolas francezas proprios para
mimos ou para aojos que vao as procis-
ses a 600 rs. cada um.
Papel de botica de excellente qnalidade a
22ere. a resma.
Peras seccas as mais novas do mercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em latas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. "a lata.
Frutas em calda chegadas ltimamente, pera,
pecego, ginja e outros muitos a 64o rs. a
lata.
^em em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes milito novas a 120 rs. a libra, e 4,000
re. a arroba.
Amendoas confeitadas a 800 rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca, Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo,ooo e
l,ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditada a 3,8oo a- caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a'4oo rs.
a garrafa e 3,oeo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composicSo a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha do MaranbSo a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a 1,000 rs. cada urna.
Ricos livros com figos 1,00o rs.
Pomada a 200 rs. afluzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafoes com 4 '/* garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafo.
dem com 4 |l ditas de venagre a 1,00o re.o
garrafo.
Vinagre PRR em anceretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com a ancoreta
dem em pipa puro sem o batisme a 2oo re.
a garrafa e 4,4oo rs- a caad.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazead* muito especkrt a> 6,8*0' rs.
os mais baixos s5o dos que por ahi se ven
dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.800 e 9,000
rs. a arroba.
dem de segunda qualidade a 8,000 rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranhao a 12o rs. a libra, 3,ooo rs.
a arroba,
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,600 rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,ooo rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, e em
caixa a 52e rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almacopautadoelisoa3,000rs. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem zul de botica ou fugueteiro a 2,2oo rs.
a resma.
Idemembrulho de 1,280 a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 /> libra a
l,2ooe8oors. a libra.
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l,ooo rs. tambem temos em
frascos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Molhos inglezes a 800 e 1,000 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo re.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
bem arranjado possivel a l,8oo e 2,8oo
re. a lata.
Cerveja Tenente verdadeira a 6,800 rs. a
duzia.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
CbolTas maito novas a l,ooo rs. o molbo e
800 rs. o cento.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o re. a
eaisa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cemmhos muito novos a 32o rs. a libra e
lo,eoo a arroba.
Sag* amito-novo a 24o rs. a libra.
Cowdmha de Franca a 18o rs. a libra.
Mimo-alista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba. ,
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Pees-em latas al,000 rs. a lata j prompto
a eeaier-se.
FanrHto- de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,000 rs.
Doee d* casca da goiaba a 600 e l.ooo rs. o
caixao.
\ovos eufoites para senhora.
A agaia-branca acaba do receber um belln e i
riado sorlimento de eofeiies dcdivi-rs.is <|tia!dad$,
e -o que do mais moderno possivel roroaUw-w
aqu, fazendo-se notaveis por suns novdade 6 ele-
gancia ubs, cuja grade- de um Uno e delirado le-
cido a que apropriadamente ?e enana invisto!
Assim, vista desse completo sortimento, qualquer
cidado munido de dinheiro esla hai.ilii.ido a rom-
pra-los : na ra do Queimado, loja d'aguia-branca
D. o.
Bonitas nonecas.
Com rosto de cen, massa e porcfllaoa.
Acha-se na loja d'aguia-bmnca ra do Qurima-
ao n. o, um grande- sortimento de bmarw Ae di-
versos lamanhos, com rosto de cera, ana p.*-
cellana os pretendentes munido* de iannre
acharao boa disposicao para os vender.
IBofes de eornalft?
e ontras qualidades pui rolet'-s
A Aguia branca acaba de receber um novo t-
variado sortimento daqudles apreciados bMM a
cornalina branros e encarnados, chatoi c resan-
aos para coletes, cujas abotuaduras eontrnaan a
ser vendidas pelo commodo e inaltcravel preco n.-
i-'j cada urna.
Alm desses recebeu tambem outros de madre-
perla, massa e osso, com difieren/es moldes i-ara
o mesmo lim.
J se v, pois, que o pretndeme munido do di
nheiro achara sortimento vontade na roa do
Queimado loja d'Aguia branca n. 8.
lIMMloS LULUMIAS
com perfumarlas.
Na ra do Queimado n. 8 loja d'Agun-Brar-a, os
freguezes munidos de dinheiro eneeolrarao, boni-
tos bausinhos cobertos de couro e com O fi a.-qui-
tihos de extractos por 1500 cada um, e outros
cobertoi de papelo com 9 frasquinhos por ,J00U
um; caixinhas com 6 frasquinhos de dhm por
1,5000 urna, outras com 12 diius por Zf008 urna.
outr.-is cora 3 ditos, cuja coberta pan i e .... tanga,
a I5*i00 cada nma, e outras com paslilhas de ht-i-
ra a 500, 1,5000 e $000.
Enveiopes bordados e carles com titi-
ras dnnrada?.
Xa loja da aguia branca, ra do Queimado n. 8.
aebavam-se venda bonitos envolopes bordados a
cartes com beiras douradas, teno de ua* e uv
outros, maiores e menores, proprios para partiet-
pacoes de casamenlos, bailes itc
Completo sortimento de fltas
finas, lisas e larvradas.
A aguia branca recebeu um grande e completo
fortjmento de fitas de diversas larguras u qnada-
des, tanto lisas como lavradas, e em todas ellas co-
nhece-se a superioridade da lazenda, notando-st-
as lavradas o bom gosto dos novos e lindos dese-
nhos, isso tanto as matisadas como as brancas,
e pela commodidade dos precos o pretndeme que
se dirigir munido de dinheiro a ra do Queimado
loja da aguia branca n. 8, ser bem servido.
Capachos inglezes.
Na loja da aguia branca, roa do Queimado n. 8
vendem-se bons capachos inglezes. os quaes alera
de bonitos sao de immensa durarn, pelo que se
toraam baratos peles precos de 43, :>d. <'3 '3
cada um.
Cartas francezas.
A aguia branca, na ra do Queimado n. 8, rece-
beu um novo sortimento de linas cartas franceza>
com beiras douradas e brancas, e as esla venden-
do baratamente a dinheiro vista.
SAPA IOS DE BLBltAt IIA
a I0OOO, 105OO e *. na ra do Queimado toja d'Aguia-Rranca n. 8.
Laas com banha fina.
J por diversas vezes a aguia branca ii-:n rete-
nido dessa banha fina em latas, e tal tem sido ;i
prompta e rpida extraccao delta, que nao tea da-
do lugar a aguia branca avisar a sua lio fregne-
zia, pelo que talvez a maior parte della f agora
saber da viuda dessa boa banha. Ella ven em
latas de 1|2 e 1 libra, e contina a ser vendida pe-
los baralissimos precos de |f e :i,$000. Apar da
superioridade da qualidade della esto os agrada-
veis e Gnos cheiros de rosa, jasmim, larania, bou-
quet, e flor de Italia. A boa freguezia assia scien-
te dirigir-se com dinheiro ra do Queimado.
loja d'aguia branca n. 8.
Banha fina era copos de por-
celana dourada com ins-
cripcoes.
j bem conhecida pela boa freguezia d'aguia
branca a superioridade da banha que vem nos co-
pos de porcelana dourada com maviosas e jocose-
rias inscripcoes, as quaes agora vieram de novo
gosto, pelo que essa fina banha pode anda ser
mais conhecida por aquelles que quizerem fazer
um bom presente, com tanto que comparecam mu-
nidos de dinheiro na ra do Queimado. loja d'aguia
branca n. 8.
O >- o h-2 P S s
w P & a C6 5
8* Pd O CO SB P- o P- P P-5 00 P -
w P- se o
1 O i I P- 9 p-
1 p i S tlm <
p Jo p- >i QQ "
I o | O 9 P P- -i
00 ir (/J o et- P P- P i.
eV CD
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor-
deaux, diflerentes qualidades, mais barato que em
qualquer parte : no armazem de E. A. Burle &
C, ra da Cruz n. 48.______________________
Vende-se alpaca preta a 500 rs. ovado.
Vende-se alpaca preta para vestidos a 500, 600.
700 e 800 rs., fina de cordo a 800 rs para pale-
tot, princeza preta a 800 e 640 o covado, bombazi-
na preta fina a 1400 o covado, lazinhas preta
para senhora que estao de luto a 720 o covado :
na ra da Imperatriz n. 86. A loja est aberta at
s 9 horas da noite.
Collecco do Diarlo \ov.
Vende-se a collecco do Diario Noto desde o
seu comeco em 29 de julho do 1842 at o seo ult-
mate em lo de novembro de 1840, constando de
9 volumes encadernados, os quaes se franqueiam
ao comprador para examina-los : na ra do Impe-
rador B. 15._____________________________
Vende-se a taberna n. 149 na roa Imperial,
bastante afreguezada, (nao tem fundos) e o motivo
da venda se dir : a tratar na mesma.
ESClllVOS FGIDOS.
a caixa'a7e>T. agarrafa.
O- proprietario do grande armazem Umo eCormaercio declara aos seos fregu
zes e amigos e ao publico em geral, que-pmi faciKter a commodidade de todos estipulou
os mesmos precos nos secuintes lugares:
Unifto e Commefrcio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
escravo gramo
SOO0 de grailfleaeao.
Continua fgido desde Janeiro o mulato de no-
me Raymundo, natural do Ico, esUlura regular,
idade de 18 anuos, cabeca chata, cabellos carapi-
nhos, testa grande, rosto oval e com nma fistola
na face esquerda, macSas salientes, dentes limados
pontudos, bocea regular, e principio de hoco, ps
e maos pequeos, costumava andar calcado, e m-
titulava-se bvre com o nome de Manoel Raymun-
do : atiera o apprehender, dirija-se ra da Ca-
deia do Becife n. 21, Luiz Antonio Siqneira. que
entregar a referida graUficacao.
Fugio de casa de seas senhores, no da 14 do
corrate, o escravo Izidro, crioulo, de idade 25 an-
nos, pouco mais ou menos, estatura regalar, cheio
do corpo, cor nm pouco fula, cabellos carapinhos,
olhos pardos, beios uro pouco grossos, nariz rega-
lar, ps grandes e grossos, bem desembarazado no
fallar, nao malcriado, levou calca de bnm bran-
co, camisa de madapolao, chapeo de feltro ja usa-
do ; cojo escravo filho de Calista Hara da Coo>
ceicao, do Brejo de Bananeiras, provincia da Para-
hyba do Norte ; veio em 1861 em pagamento para
o Srs. Guimaraes & Alcoforado desta cldade, sop-
poe-se ter seguido para aquelle lagar : roga-se a
tedas as autoridades e eapitaes de campo a sua ap-
prehenso e lvalo ao pateo da Sania Cruz n. 6,
que serao recompensados com 1004.


BNam
wm
*
Diario de Pernamlmeo Quinta lelra f de Jnlho dr !!.
JURISPRUDENCIA

Comarca do Pao d'Alho, i>rovl-
mcnio geral de correero.
Sarvem com ltalos regulares os empregados.que
wioram correcgo, vi porm dos livros, autos e
papis, que me forara apresentados, e de infornia-
ges :
Que alguns juizes lera ido fra da villa inven-
tinos de pequeo monte, levando com sigo pes-
soas particulares, que pretexto de irem servir
de avaliadores, saliem logo de casa vencendo ca-
minho, cooducco e estada, como se fossom ava-
liadores do juizo, havendo por isto inventario,
cujas despezas absorvem grande parte de sua im-
portancia, como succedeu com o que no anno pas-
sado procedeu o Dr. ex-juiz municipal Emigdio
Marques emos bens deixalos por Joaquim Jos de
Menezcs, da freguezia da Gloria, no qual inventa-
rio somando a fazenda 9183000, chegaram as
costas 1651464.
Que muitos orphos ah esto sem tutor (fallo
dos que tem alguma cousa, j que dos desvalidos
ninguem se lembra) pois nem Ihes sao dados, logo
que ficam orphaos, como de le, nem depois do
inventario, para quando sempre se guardamos
juizes, por nao cumprir o escrivao quasi nunca o
determinado na seotenga das partillias, quanto a
indicado por elle de pessoas idneas para esse en-
cargo ; e Pica assim em esquecmento urna das me-
lhores e mais importantes obngages dos juizes de
orphos 11
Que nao ha aqu o cofre de orphe e nem os
livros de cscripturaco dos dinhoiros, que devem
entrar para o cofre, e sair depois por empresli-
mo ao thesouro, resultando de semelhante falta
a diDcuIJade, ou antes direi, a impossibilidade
de saber-se o quantum de cada orphos est na
thesouraria, nao s por que as quantias vo para
ali cnglobadamente, e sem declarago dos indivi-
duos a que pertencem, art. 8- da proviso de 12 rem paes, porque estes sao tutores natos de seus
lecer a competencia da justiga, porque smente
esse termo quo prova, oa nao, a existeocia-do fla-
grante, e assim incumbe promover em certos cri-
mes a aecusago, se o promotor publico, ou o pro-
prio (Tendido. Alm de ludo sempre a occasiao
em que se acaba de corametter um delicio, a me-
Ihor e mais asada para se conseguir a prova dflle
de quem seja o autor, porque, nao haveudo ainda a
refltfiao e o conselho, quasi sempre confessa o
delnqueme seu crime; que mesmo nao pode ser
fcilmente negado em presenta daquelles, que o
presenciaram.
Portanto, de ora em diante em todos os proces
sos de rus presos se juntar o termo da, interro-
gatorio, que se lhes bouver feito na forma do que
vae dito multa de 20,5 para o juiz e para o es-
crivao, que nao juntar, havendo, tal termo.
6
O carcereiro.Jsob responsabilidade nao recolha
ninguem cadeia sem ordem por escripia, e aos
que forem presos em flagrante, sem que tenham
sido primeiro levados presenca da autoiidade,
em cujo nome se houver feito a prsau, nao sendo
noute, ou nao se achando presente a mesma au-
toridade.
7
Pdem prestar flanea sollos os rus de crimes,
em que fr ella admissivel, urna vez que nao se
achem presos, quando a reqneiram. Arts. 179 9
da const., 106' e 133 do cod. do proc.; 39 da lei de
3 de dezembro de 18il, 302 do reg. n. 120 de 31
de Janeiro de 1842 nao obstante o aviso de 28
de setembro de 1860, que nao pode ir de encontr
as leis citadas, e leis como a constituicao. que se
exprime de um modo to terminante : Ninguem
ser conduzido cada, _e |nel!a conservado, se
prestar Ganga idnea.
8
O juiz de orphaos, pena de responsabelidade,
dar tutor a todos os orphaos e menores, que o nao
tiverem. dentro de um mez, contado do dia, em
que licarem orphos, (nao me refiro aos que tive-
de 1830, para a arrecadago dos bens de defuntos e
ausentes. Escriturados, segundo os arls. 14, 1L
16 e 17 do mencionado regulamento.
20
Devero ter tambera os escrivaes do delegado e
subdelegado, livros para termo ,de seguranca e
bem viver; e o labelliao desla villa.-que faz de es-
crivao de protestos fisto nao o uaver aqui privati-
vo-art. 40o do cod. comtoercalm dos livros de
seu cartorio.ter mais dous para o apontamentos e
protestos de letras -arls. 408 e 410 do mesmo
I cod.rubricados, abertos o encerrados pelo juiz
municipal.
de maio de 1842, mas tambem, por que os livros
dos collectores sao era todos os semestres recomi-
dos mesma thesouraria.
Que as contas de tutores e tesiamenteiros estao
por tomar, o que tambem nao se achavam em
dias as das capellas e irmandades.
Que nao tem o escrivao de orphaos os livros de
escripturago dos bens de defuntos e ausentes, c
outros de termos de bem viver e seguranca.
Que os escrivaes, deixando o expediente de seus
sartorios, que nunca pouco, vo fazer fra da
villa citagoes, e outras deligencias em prejuiso das
partes, que as tem de pagar, visto que taes deli-
genrias por elles ficam mais caras, e em detri-
mento dos officiaes de justiga, que por este abuso
nao ganham com que se manterem ; pois s lhes
cabem trahalbos a ex-offkio, ou os que pouco ren-
dem.
fllhos, e nem precisam de noraeaglo do juiz, mes-
mo a tutella s se exerce sobre os orphos de
paes) os quaes tutores prestaro (langa, excepto se
forem abonados, ou jurarem que nao acharam fia-
dor, e assignaro termo de recebiraento das pes-
soas e bens dos orphos, e, tralando-se de mes e
avs (que daro em todo o caso Sanca) alm dos
mais jurarao tambera, que havendo de casar, pedi-
ro antes que se nomeie novo tutor aos orphos e
renunciaro expressamente o beneficio da lei do
Vellciauno, e todos os outros direitos e previlegios
introluzidos em favor das mulheres. Ord. liv. 4
tit. 102 in-princip. e i 3 e 5.
9
Nos termos de recebimento se obrigaro os tuto-
res a nao entregar os bens dos seus tutelados sem
ordem expressa do juiz.
10
Nomear tambem, sob a mesma pena, aos or-
phos pobres tutores, que tomem seu cargo a
D'aqu. a defflcenciade quera que.ra ser offlc.al ^^ dog rae.mo3 ^^ obrigando.os com
de justiea ; por que nao vale a pena pagar direi- aulordade do juiz aprenderem o offlcio, para que
tos, e servir um lugar em taes condigoes. ^ mais mc|nac50 tlVerem
Que nos inventarios especialmente os que cor-. H*
rem pelo carlorio de orphos se reproduzem cita- Far cessar a pralica de se justificar nos in-
co's, e termos desnecossarios; c que s lera fun
damento no interesse do escrivao, exemplo erlre
outros: as notiflcagoes aos particulares do juizo
para fazerem as partilhas no dia marcado, e a cer-
tido que passa sempre o escrivao, de que as par-
tes lhe declararam estar conforme com as avalia-
coes.
Que o delegado, subdelegados, e juizes de paz,
nao do audiencia regularmente.
Que se nao tem feito as visitas da cada.
Que se demora muito a formago da culpa dos
pretos.
Que finalmente o delegado, e subdelegados, es-
pecialmente estes, prendem antes da culpa forma
ventanos dividas constantes de escriptura publi-
ca, ou de instrumento como tal considerado ; por
ser semelhante pratica contraria lei, e dar em
resultado smente o augmento de custas.
12
Mi ir fazer inventarios fra da villa nao ser
requerimento dos herdeiros, ou quando bouver
nisso reconhecida vantagem para os orphaos, cu-
jos ioteresses lhe cumpre zelar ; e ainda assim,
nao Ihe licito conduzir em sua companhia pessoa
alguma para servir de avaliador, por ser isto gra-
voso s partes, e porque deste modo se lira as
mesmas partes a liberdade, que a lei lhes d na
escolha dos louvados, que devem ser os visinhos e
entendidos as causas, que vo avahar. Ord. do
13-
Quando a heranga for muito pequea, nao far
inventario, e apenas o arrolamento dos bens
della. E, havendo mais de um herdeiro, far com
o escrivao urna avaliago e partilhas, tudo em um
termo, e sem mais formalidades ; porque, seudo o
da rus de erimes afflangaveis, e at de crimes, |v. 3 tit. 17 c alv. de 21 de junho de 1759.
em que os rus se livram sollos.
E para que nao continuem estas faltas e abusos
apuntados, e outros que menciooei em provimen-
tos especiaos, mando que d'ora em diante se ob-
serve nesta comarca o seguinte :
1
O delegado, subdelegados, e juizes de paz, daro inventario, para beneficio dos herdeiros, fica indu-
ao menos urna audiencia por semana art. |58 do hitavol, que nao deve have-lo, quando a heranga
cod. do proc, e 19: do reg. n. 120 de 31 de janei- r insignificante. Pereira de Carvalho, orf. nol. 16
ro de 1842, multa de 10000 por cada audiencia,! ao !"
a que fallaron sem motivo justilicado; devendo 14
os escrivaes sob a mesma pena declarar no pro- j Nao consentir quenos inventarios se multiplique
toclo esses motivos, e o nome da autoridade em sem necessidade certidoes, notiflcagoes e termos.
21
Os tabellies e escrivaes de paz, envietn nos
devidos lempos thesouraria de fazenda as certi-
does das escripturas de compra e venda celebra-
dos em seus respectivos carinos, cumprindo-lhes
declarar em taes certidoes a estaeo em que foi
> paga a sita de cada urna escriptura, pena de sus-
i penso,art. 16 da le de 6 de setembro de 1854
| e, para prova de que curaprirarn esse dever, Acara
: obrigados apresentarem os offlcios, com que a
thesouraria aecusar o recebimento dessas certi-
does.
22
Alm dos livros referidos harer ainda em cada
juizo, um, para juramento e posse de seus empre-
i gados e tero os administradores de capellas, e ir-
I mandades, outro rubricado pelo juiz municipal
para os recibos das despezas, que izerem. Todos
esses.livros eslaro promplos no praso de dons
'mezes, multa de 205000 por cada um que
i fallar.
23
Os escrivaes nao saiam de seus cartorios para
citagoes e outras deligencias em virtude de manda-
dos por elles mesmos passados para os officiaes de
justiea, nao lhes serem por necessidade commet-
tidas essas deligencias pelos juizes, que como dis-
tribuidores do servico dos seus officiaes de justiga,
-arts. 17, 51 e 52 do regul. n. 120 de 31 de Janeiro
de 1842e mesmo como primeiros flseaes dosem-
pregados, que antes elles servem, nao devem con-
sentir na continuago de semelhante abuso; certos
os mesmos escrivaes, de que na futnra corrego)
ou em qualquer tempo, em que me vierem queixas
nao descolparei faltas daquelles, que, trocando o
sen lugar, pelo de meirinho, nao duvidam ecu-
par-se em misteres propriamente deste, em prejui-
zo dos verdadeiros trabalhos do seu offlcio, que
por estas e outras causas andam sempre atrazados,
e das partes que os procuran) e os nao encontrara
nos cartorios, aonde constantemente devme
estar.
24
Nao cabe ao juiz municipal rubricar os livros
que tem os escrivaes de paz, como tabellies, que
sao em seus istricios ; mas sim a um dos verea-
dores, e devem ditos escrivaes remetter taes livros,
depois de lindos, ao secretario da cmara munici-
pal, para os guardar no archivoLei de 30 de ou-
tubro de 1830, multa de 50J000 para o escrivao,
que nao cumprir essa obrigago. e para o juiz, que
incompetentemente rubricar o livro.
25
O contador nao cont caminho, estado e conduc-
go s pessoas que coslumam sahir em companhia
dos juizes para avaliadores de inventarios fra da
villa, porque a esses proes s (em direito os ava-
liadores do juizo, onde os ha, e os que j tendo si-
do escolhidos e juramentados, forera fazer avaha-
gao em lugares distantes, e nem d custas aos es-
crivaes pelas citagoes, que escusadamente fazem
| aos partidores, noliQcando-lhes o dia das partilhas,
porque como empregados do juizo nao precisam de
! taes notiflcagoes, e pelas certidoes, que em princi-
! pi notei, do escrivao de orphosde que as partes
lite declararam estarem conformes com as avalla-
roes.
26
Os escrivaes flnda a correegao. (ario conclusos
aos juizes, os autos o livros em que houver despa-
chos e provimentos, para que os mesmos juizes os
fagam cumprir.
27
Deste provimento, quesera transcripto em todos
os protocolos de audiencia, extraa o escrivao da
correcgo copias para serem remedidas secrea-
ria de estado dos negocios da justiga, e aos em-
pregados, a quem necessario frseu conhecimen-
to e execugao. Tire o mesmo escrivao urna rela-
ciio das multas que impuz para ser enviada c-
mara municipal. Est encerrada a correcgo.
Pao d'Alho, 18 de junho de 1864.O juiz de di-
reilo Delfino Augusto Cavalcanti de Albuquerque.
exercicio, sendo as audiencias dos empregados
desta villa em dias desencontrados, e na sala da
cmara, onde j as fazem
municipal.
2
O delegado visitar no principio de cada mez a
cada desta villa, acompanhando-o nessa visita o
promotor publico art. 130 do reg. de 31 de Ja-
neiro, multa de 203000 por cada visita, a que fal-
tarem sem motivo justo.
3
A formago da culpa dos rus presos nao exce-
der o termo de oito das, depois da entrada na
15
Tomar contas tod"S os tutores e curadores,
is juizes de direito, e que cstiverem no tempo de as prestar, excepto,
quando o rendimenlo dos bens fr to diminuto
que a frequencia das contas seja antes onerosa
que de proveilo dos orphos, e nesta hypothese
bastar vir o tutor juizo declarar que existem os
bens de seu tutellado; ecoino juiz municipal toma-
r conta tambem aos testamentemos, e administra-
dores de capellas e irmandades.
16
No praso de dous mezes, contados do encerra-
menlo da corrego mandar sob responsabilidade
prisao arl. 148 do cod. do proc. E quando, por si, taxxt o cofre, de que Irataa ord. do liv. 1 tit. 88
verificar excepgo do citado artigo, deve os jui- 31, e av. n. 277 de 21 de outubro de 1857 -de-
ze* processantes na forma do decreto n. 2,429 de duzindo-se para essa despeza %% das quantias>
23 de maio de 1839 dar a razo da demora do pro- que nelle se recolhereraav. n. 176 de 11 de outu-
cesso;dirao especificadamente quaes os negocios pu-, bro de 1854.Para esse cofre entrar todo o di-
blicos, ou as difficuldadi'S, que nao puderam ven- nheiro em ouro, prata, pedras e joias, que aos or
cer, c deram causa a tal demora; e nao, como phos pertenceremdita ord. e citado av. de 21 de
geralmente costumam. Este processo nao foi con-' outubrosendo as joias e metaes preciosos reduzi-
cluido em lempo por afluencia de trabalho. Isto Icos dinheir. Para cm <* valores em moeda cor-
muito vago, nao satisfaz as vistas salulares do
referido decreto, e nem pode excusar da respon-
sabilidade o infractor da lei.
4
Nao podem as autoridades prender a rus de
crimes aliangaveis, se nao depois de culpa formada
arl. 173 do cod. do proc. salvo o flagrante
delicio, que s se d quando alguem for encontra-
do eommellendo algura delicio, ou quando fr sen-
do perseguido por clamor publico, art. 131 do
cod. cilado.
Afora destes casos, que estao bem claros e defi-
nidos, nao ha flagrante, nem mesmo nos crimes de
furto, como alguns erradamente pensam ; pois a
ninguem dado ampliar as disposigoes da lei, prin-
cipalmente as disposigoes odiosas, que pelo contra-
rio se devem restringir, como correnle em direi-
to odiosa restringenda.
5
Logo que qnalquer individuo fr preso em fla-
grante, ser lvalo presenga do juiz, que o inter-
rogar sobre as arguigoes, que Ihe forem feitas
pelo conductor e testemunhas, do que tud se la-
vrar termo asstgnado por todos. So do interro-
catorio resultarem suspeitas contra o conduzido, o
juiz o
rente cutrarem para os cofres do estado. Decret.
de 13 de novembro de 1841 e prov. de 12 de maio
de 1842.
17
Quando nao apparega quem queira servir com
Sanca o lugar de Ihesoureiro de orphaos, ser a
guarda do cofre confiado ao collector, independen-
te de nova fianga. -Av. n. 23 de 15 de agoslo de
circ. e ord. de 20 de julho e 11 de setembro de
1857. -E nessa qualidade nao confundir o col-
lector sua escripturago com a da collectona, e
se dirigir sobre qualquer duvlda ao juiz de or-
phaos. Ord. n. 303 de 4 de setembro de 1857.
16*
Observar e far observar na intrega dos dinhei-
ros de orphos ao collector as instrueges, que
baixaram do ministerio da fazenda em 30 de abril
de 1855, e n d*xar de remetter no fun de cada
trimestre thesouraria de fazenda a relago de-
monslrativa dos dinheiros de orphos e ausentes
que houver recibido o collector. Arls. 20 das
mesmas insirueges e 72 do reg. n. 2,437 de lo de
junho de 1859.
19*
Ter o escrivao de orphos dous livros intitula-
dos de receita e desposa, -citada ord. do til. 88
que eutrarem, e salinera do cofre; e as
despezas de taes livros, serio, como se pratica com
a compra do cofre, cusa dos orphos.Av. de
15 de julho de 1863. Tera anida, como escrivao
de auseotes, um jgo de quatro livros, que se deno-
minaro : -livro de registro dos inventarios,li.
vro de termos de leilo,-livro de receita e despe-
zas rubricado gratuitamente pelo inspector da the-
souraria.Arl. 13 do regulamento de 15 de junho
salvo se requerer fianga, sendo caso della, ou, se obj~ecio7
for o crime dos em que os rus se livram sollos.
Art. 132 e 133 do cod. do proc
O que estaluem estes dous arligos tem por fim :
inutilisar as prisoes injustas, muitas vezes lhas
de despeitos e -vingangas dos offlciaes de justiga,
soldados, inspectores de quarleiro e pessoas do
povo, e pretextos de desordens, provocadas por
quelles mesmos, que as prisSes.fazem ; e estabe-
LITTERATURA.
A I"!I.IIA DO DOl'TOII NEGRO
Romance original de Cantillo Castello Braneo.
XXIII
(Continuago).
Caminhou vagarosamente Joao Chrysostomo para
Caetano Alves, c disse-lhe :
Creio que o Sr/Agoslinho Jos Chaves me v
sem oceulos, e me ouve sera corneta acstica. Fe-
licilo-o da feliz cura de olhos e de ouvidos.
Entao o senhor que me quer ?! atalhou^
com sobrancena, o negreiro, mediodo com olhar
despresador o franzino e descarnado vulto do cai-
xeiro.
Saldar contas respondeu com gravidade o
outro.
Eslou pago e satisfeilo.
Eu que nao.
Que Ihe devo eu a voss ?replicou Caetano
Alves, tregeitando carranca ameacadora.
A honra.
Qual honra, nem meia honra V-se com
Deus ou com o diabo, e deixe-me, se nao quer que
eu lhe pega contas a voss.
Pega, que eu dou-as leaes ao Sr. Agostinho
Jos Chaves, ou como que se chama. Vamos ver
quem deve.
Joao Chrysostomo tirou da carteira dous papis-
e continuou, lendo meia folha, que desdobrou :
Ficam depositadas duzenlas raoedas de ouro,
as quaes o Sr. Antonio da Silveira, por ordem de
Joao Chrysostomo, residente na Gorunha, entre-
para serem dadas a Caetano Alves de Carvalho
logo que se liquide ser este o Agostinho Jos
Chaves, que as mprestou a Joao Chrysostomo-
< Porto, 12 de marco de 1815. O corregedor do
t crime, Mouro Mosqueira.
Recebeu o Sr. Agostinho, ou Caetano, este di"
nheiro t
Recebi; e d'ahi t
E d'aqui est o senhor pago.
J disse que eslava... Nao me tire o lem-
po I
Serei breve. Est aqni o titulo da divida de
que sou credor.
Credor o Sr. Joao T Ora essa 1 Vejamos I
A letra sua?-perguntou Chrysostomo, vol-
tande para Caetano ft face da carta que desdo-
brra.
Parece-o, se nao fr letra falsa.
Pode ser. Quem falsiflcou a escriptura, com
menos engenho falsificara a carta. Leia o se-
nhor.
Nao quero. Leia, se quizer.
Da melhor vontaderespondeu Joao Chry-
sostomo, sorrindo, e leu :
Illm. Sr. corregedor do crime.
t Devo participar V. S. para que a justiga se
c nao engae com os criminosos ladinos, que Jlo
Chrysostomo, actualmente residente na Comuna,
foi quem deu a nota do cartorio do labelliao Fer-
reir, sabendo o fim para que a dava, assistindo
falsiflcago da escriptura, e recebendo em paga
d'isso muito bom dinheiro. As cento e cinroen-
ta moedas a quantia que elle depois me pediu
t emprestada ; e o pagamento d'este dinheiro nao
c prova nada para a innocencia de Joao Chrysos-
tomo. Eu provarci em occasiao propria a ver-
dade do que levo exposto. Cadeias da Relago,
15 de fevereiro de 1816.Caetano Alves de Car-
valho.
Agora reconhego e texto e a assigoatura da
sua caria, Sr. Caetano.
J vi ; fui eu quem escreveu isso, disse deno-
dadamente o homem. E ento que quer ? A villo
villao e meio, o ditado. Voc perdeu-me, eu
quiz pagar-lhe na mesma moeda. Deixase-se l
eslar onde eslava, que ninguem bolia com o Sr-
Joo.
Mas a minha honra, Sr. Caetano t
E a dar-lhe com a sua honra! E a minha ?
A sua? I perguntou Joao,espirrando um ira-
pulso de riso feroz.
Sim, a minha! e a minha fortuna de mais
de cera contos que perdi por sua causa?
O Sr. Caetano prodigiosamente infame I re-
plicou tranquillamente o marido de Albertina.
0 que ? voc vem insultar-me ainda por ci-
ma ? I bradou Caetano, sacud ndo os nervudos
bragos.
O senhor nao homem que se insulte ; um
scelerado sem pejo e sem cara para o vergo do
azorrague.
Fra d'aqui, patife I ululou Caetano.
Pois cuida o miseravel que eu vim aqui para
me retirar pacificamente com mais urna injuria da
sua bocea ?
Ento que quer?
Quasi nada. Obriga-lo a engolir e.-ia carta.
E dizendo, metteu bocea, e estringou-a e hume-
deceu-a com os dentes at a reduzir ao tamanho de
urna bala de onga. Caetano Alves observa va per-
plexo a operago, sera atinar com o desfecho.
Sbitamente, Joo Chrysostomo arrancou da al-
gibera urna pistola.
Que isto ? exclamou Caetano; e, de um
salto, eoireu no quarto mais prximo, que devia
ser o do socio, o sahiu com urna brilhante faca de
mallo em punho.
Chrysostomo tinha ajustado ao bordo do cano da
pistola o globozinho formado da caria, e ao tempo
que o adversario o atacava corajosamente disparou
o tiro no rosto em cheio, e subtrahiu o peito a fa-
cada que descia.
Caetano Alves rugiu uns grunhidos formidaves,
e baqueou de encontr a um trem, e d'ahi ao pa-
vimento com grande estrupido.
O homicida cruzou os bragos, e esperou. No es"
gazeado da vista, aquella infeliz alma pareca acor-
dar de um sonho dilacerante e horribilissimo.
Entrarara, a um tempo, alguns pretos por dife-
rentes portas da sala.
Caetano estrebuchava as ultimas vascas.
A negraria grtou, sem ousar acercar-se do des-
conhecido, que figurava um morto em p.
A vizinhanga acudiu de tropel aos brados. O
dono da casa entrou neste conflicto. Joo Chrysos-
tomo nao respondeu pergunta alguma. eixou-
se agarrar dos bragos trementes de susto, que o
cingiram brutalmente.
(Continuar-se-ha.)
UM POUCO DE TUDO.
Transcrevemos o que segu :
Tinha urna senhora virtuosa um filho, a quem
mandou instruir e educar com o maior desvelo.
Deus abengoou seus esforgos, e a piedade do fl-
1 Iho igualou logo a piedade da me : e chegando o
! dia em que este menino devia fazer a sua primei-
ra commnnho, todos o viram approximar-se do
altar com o recolhimento dos Mijos.
A doce alegra do cu irradiava sobre sua fron-
, le e dos olhos lhe corriam lagrimas de feliridade.
Desde esse dia se lhe foi augmentando cada vez
mais o fervor; mas na idade pouco mais ou menos
de 17 annos comegou a relaxar-se, e logo cessou
ao todo de frequentar os Sacramentos.
A pobre me disso se apercebeu e ficou sobre-
saltada. Velou sobre elle e procurou descobrir a
causa, mas inuteis foram suas pesquizas. No en-
tretanto seu filho nao frequentava ms companhias;
nao se dava leituras perigosas !...
Cortada de magua, entrou um dia no quarto do
filho e ali, debulhando-se em lagrimas, pede-lhe
que lhe declare a causa de semelhante mudanga
em seu proced ment.
Mas, mame, responde o joven atnito, sem
razao se affiige, eu a amo sempre com a mesma
ternura.
Filho meu, responde ella solugando, finges
me nao entender; nao, nao me queixo de desamor
leu para comigo... Mas Deus nao ter de que se
queixar ? Ah I supplico-te dize-me por que tens
mudado a seu respeito ?
Mas, mamae...
Meu filho, nsto me nao podes engaar a mim
nem te engaar a ti proprio : por favor, em nome
de toda a minha ternura e tua, dize-me o segredo
do leu corago.
O joven abaixa a cabega e guarda silencio.
Dobra a me os pedidos e as lagrimas, emfim o
filho se enlerneceu.
J que minha me o exig*, nada lhe oceulta-1
re; lhe direi ludo. Confesso-lhe que instruido j
por suas boas liges e exemplos, amei a principio
a religio, e pratiquei os deveres della com fran- >
queza, com gosto, e nsto achava minha ventura.
Feliz sobretudo, oh I sim, bem feliz fui na poca
de minha prmeira commuoho e as que se foram
logo seguindo; mas depois... reflecli... Mame, amo
de lodo corago, mas j nao a tenlio por meu mo-
delo....; quero imitar meu pae... todo o mundo o
honra, o eslima, o procura... eu quizera parecer-
me com elle... e eu sei que elle nao pratica a reli-1
gio como minha me... Tal voz elle nao gostasse de \
mim se eu... Alera disto, meu pai instruido, I
incapaz de ir contra a sua consciencia: eis- por-
que eu quizera, sem affligi-la, lornar-me serae-1
Ihante a meu pae.
Ah I filho I... exclamou a me, que revela- [
gao... nao, eu nada le direi, mas pego-te que li- '
ques no leu quarto.
Depois destas palavras inlrecortadas entra na sala
em que eslava o esposo, quem espanta com seus
gritos de dr ; este procura acalma-la e saber a
causa de suas lagrimas...
Ella s lhe pode dizer :
Ah I senhor I... seu filho I... e desmaia em
seus bragos.
Soccorros proraptos lhe sao dados ; ella recupe-
ra um pouco de Torga, e conta chorando a scena
que lhe acaba de dilacerar o corago.
A' esta narrago Oca o marido immovel de at-
nito. .. e logo as lagrimas lhe correm em abun-
dancia.
(
Oh I minha esposa exclama elle, onda est
meo filho ?
Eu o deixei no qnarto.
Vem, segue-me.
Vo juntos cmara do mancebo ; o pae para
no limiar.
Meu filho, diz elle commovido, quanto duro
a um pae aceusar-se perante seu filho eu sou o
culpado, sim, meu amigo; tua me me contou tu-
do. Mas nao aecuses minha fe, que inteira e pura
(lcou ella em meu corago. Um desgragado res-
peilo humano, ou acanhamento insensato rae tem
impedido de conformar meu procedimento com mi-
nha f. Ah I eu nao peusei, que meu exemplo te
viesse a ser to funesjar- -Mas a licao, filho meu,
me de sobejo amarga. Tu me fazes voltar vir-
tude e a religio ; me alumiaste e dste animo..
vem, eu te darei o bom exemplo dora em diante...
abraga-mec perda...
No Jornal do Commercio de Lisboa l-se o se-
guinte :
O tribunal de assisses do Alto Rheno acaba de
oceuparse de um drama lgubre c horrivel.
Urna mulher septuagenaria foi assassinada por
seu filho, Jos Sleinkampf, conjuntamente com An-
ua Maria Steinkampf e Carlos Haas ; a primeira,
mulher do assassino e o segundo, seu amigo e co-
mensal.
Sao horriveis as circumstaocias deste crime, que
se descobriram durante o processo.
A pobre velha atacada de improviso na sua re-
sidencia por Carlos Hass, foi langada na centina,
onde se aecuraulam todas as imraundicies do pre-
dio -, foi seu proprio filho quem lhe mergulhou a
cabega naquelle horrivel deposito de dejeccoes im-
mundas, carregando com um p sobre a nuca da
victima at a sua completa asphyxia.
Anna Maria era a parte principal desta incrivel
conspiracao.
Tralava-se de anlecipar o recebimento de urna
heranga.
A deciso dojury confirmou todos os quesitos,
admittindo circunstancias attenuantes a respeito
de cada um dos tres aecusados; Jos e Maria An-
na Steinkampf foram condemnados trabalhos
forgados perpetuamente e Carlos Haas 20 annos
da mesma pena.
Durante a audiencia nolava-se urna grande agi-
tarlo no publico, o qual, segundo a Gazeta dos Tri-
bunaes s se retirou da sala das audiencias depois
de urna expressiva manifeslago contra os tres
grandes criminosos, que a justiga acabavade con-
demnar.
V. do Sr. C.>rillo de Lemos esta poesa :
SEIS OLHOS.
Nao sao asues os seus olhos
Nem da noite as cores tem,
Entretanto sao escolhos
De que nao foge ninguem.
Sao dous fanaes que luzindo
Vo todos attrahindo
Com sen brilho seductor,
Porm ai de quem se fia !
A sua luz luzidia
Tem a morte, tem amor.
Elles tem a cor saudosa
Do manto crepuscular,
Essa luz doce e mimosa
Que inspira amor n'um olhar;
Porra nada ha de perfeito,
Elles tem o seu defeito,
Tem tambem o seu seno ;
E' que ninguem pode v-Ios,
. Porque sendo assim to bellos
Matam todos de paixo.
O Commercio do Porto publica :
O leilo das joias, qne ltimamente se fez em
Pars, na casa da prnceza Czartoriska, das joias
offerecidas pelas senhoras polacas em favor dos
seus compatriotas, excilou vivas sympathias, por
que failava mais ao corago que as olhos.
Entre estas joias viam-se os anneis nupciaes e
os dos nascimentas dos filhos.
Pode julgar-se da forga do senlimento que inspi-
rou estes donativos, sabendo-se que na Polonia se
acredita que cada mez tem urna influencia oceulta
no destino do menino que nasce, e que urna pedra
preciosa symbolisa esta influencia.
D'aqui vem a ser costume, que o prente mais
chegado da mae, d a esta no dia do nasciraento do
menino ou menina um annel com urna pedra pre-
ciosa de bom agouro.

A subcripgo aberta na Dinamarca, em favor
dos feridos, viuvas e orphos dos mortos na
guerra actual, produziu em um sdia, em Cope-
nhague, mais de 300:000 francos (54 contos de
ris).
O re subscreveu com 12.000 francos por anno,
durante 10 annos.
>
O alcaide da villa de Beniel, na provincia, de
Mu cia dirigiu ao governador da provincia a se-
guinte participago, que literalmente traduzimos
da poca :
Nesla villa ha urna infeliz mulher virtuosa, chi-
mada Josepha Martine; Iliquena, que com a meda-
Iha milagrosa chamada de Paris, est fazendo mi-
niares de curas prodigiosas, vista de todos, e di-
zendo aos enfermos esla orago :
Oh, Maria, sem peccado concebida, rogo pelos
que a vos recorremos :amen. E passando a re-
liquia pelo enfermo se ho dado muitos e repetidos
casos que se teem apresentado ^baldados, e outras
enfermidades, que seria dilficil enumerar, e ins-
tantneamente se pozeram bons de suas doengas.
Por este motivo se aprsenla diariamente nesta
povoaco urna concorrencia extraordinaria de fo-
rasteros, tendo eu por isso quo adoptar medidas
serias, pedir protecgo da guarda civil, e empre-
gar muita vigilancia, pois que n'uraa ermlda que
ha na villa oude se posta aquella mulher para
realisar as curas dos enfermos ; porm tal a af-
fluencia que possivel chegue a poler-so alterar
a ordem ; pelo que elevo V. S. esla parle, para
que se considerasse justo augmentar a forga ou as
medidas de precaugao, sem ler dado antes conta
deste successo, pois que esta alcaideria quera
convencer-se de nao ser urna farga e j seguro
pelos muitos casos prodiosos que a cada instante
se esto vendo e occorrendo minha vista, sem
que a referida mulher queira nem receba nada :
portanto V. S. resolver, etc.Alcaide, Antonio
Martnez.
A' conia deste Sr. Martnez atiramos a respon-
sabilidade da historia. I
.. .
No dia 21 de maio, houve em Glasgow um in-
cendio que devorou urna grande quantidade de fa-
zendas de algodo e chitas.
- A perda calculada em 100:0001ibras (900 con-
tos de ris).

A torre de S. Lamben de Munsier (eidade prus-
siana)vae ser demolida, porque depois de minucio-
so exame provou-se que em consequencia de defei-
tos de conslrucgao, sao impossiveis os meies de
reparagio para impedir que desabe.
E' celebre esta torre, porque tem na parte supe-
rior a gaiola de ferro em que o re dos anabaptis-
tas Joo de Leyde, e os seus dous partidarios Kuy-
perdolling e Krechliog Jbram conduzdos per lodo
o paiz antes da sua execugao.
.
A fortuna que deixoa o clebre compositor
Meyeerber monta 11 milhoes de francos (1:980
contos de ris).
Esta fortuna foi adquirida nao s pelas ^uas
coraposigoes musicacs, mas tambem por heranra
de seu pae.
A Estrella do Norte, extrahindo da' ViUr do*
padres do desertos, publica o seguinle sob o titu-
lo de
K PENITENTE DO DESERTO.
Nos nao podemos lembrar neste mez de beoe>>
um exemplo mais consolador que o de Sania Ma-
ria do Egypto. Elle nos moslra desde os primei-
ros seculos do cristianismo a confianga da egreja
na Me de Deus, e a bondade de Maria para eom
os pobre pecadores. Eis em que termos esta Ilus-
tre penitente contou por sua propria bocea a ora
sanio religiosos, chamado Zozimo, a historia de sna
converso :
Eu deveria morrer de vergonha dizendo-vos o
que eu sou. A historia s de minha vida ros cau-
sar tanto horror que fugireis de diante de mim
como vista de urna serpente. Eu rola costar",
entretanto, depois de vos ter pedido o soccorro de
vossas orar5es,alim de que Deus me seja misericor
diosa no dia de juizo.
Eu nasci no Egypto. Na edade de doze annos,
deixei meu pae e minha me, e me retire! contra
sua vontade para a eidade de Alexandria. onde nvi
dezesete annos abysmada em todas as sortes de
crimes. Um dia de vero, vendo um grande nu
mero de pessoas que iam Jerusalern para ah ce-
lebrar a exaltago da Santa Cruz, me embarquei
com elles e me abysmei as mais horrorosas de-
sordens durante a viagem. Quando chegou o dia
da fusta eu fui com os oulros para a egreja ,n I
se expunha a cruz -do Savaldor reneracao dos
fiis. Mas nao rae foi possivel la entrar, e quaol
toquei o limiar, senti-me repelida por ama forga
secreta e invencivel. Isto tendo me acontecido tre
ou quatro vezes, eu nao duvidei que nao tosse ai
minago de minha vida que me fechasse a porta
do templo. Esta reflexo me tocou e me fez der
ramar lagrimas. Em quanto bata no peito. dan-
do profundos suspiros, descobri em cim de mim
urna imagem da Me de Deus. Eotao dirigindo-
me a Ella, pedilhe que por sua incomparavel pu
reza lvesse compaixo de urna infeliz peccalora,
e que fizesse com que os meus gemidos e arrepen-
dimento agradassem a Deus. Pedilhe ainda que
me obtivesse a graga de entrar na egreja para rer
o lenho sagrado que foi instrumento de nos .-al
vago. Prometli ao mesmo tempo consagrarme
ao Senhor por urna vida penitente, e tomei a San-
tsima Virgem por caugo da sinceriJade de mi-
nha promessa.
Tendo acabado minha orag.io, senli umagr^n
de consolaran. Tendo-me depois apresentado a
porta da egreja, eutrei fcilmente, e penetre! mes-
mo at o coro. Ahi tive a felicidade de ador ir es-
ta cruz preciosa que deu a vida aos homens To-
cada daincoraparavel misericordia de Deus, e da
bondade com que recebe os pecadores peniten-
tia, prostei-rae contra a trra, e banhei o chao
cora as rainhas lagrimas. Depois de sahir da egreja
vollei-me para a imagem a quem tinha lomado por
garanta de minhaslvivas promessas, ajoelnei-me,
e lhe disse : Misericordiosissima Me de Deas.
tendes-me bem feilo ver os effeitos de vos*; bon-
dade ouvindo minha orago, apezar de minha in
dignidad:'. E' tempo, Virgem Santa, qne eu com-
pra, com vosso auxilio, oque vos tenhopromettid>.
Mandae-me aonde vos agradar, s le minha guia
no caminho da salvago e penitencia. Enio ouri
urna voz que me disse : -Se passares o Jordu
acharas descango. Tomei estas patarras para
mim, e exclamei chorando e olhando a imagem
Virgem, que ajudaes os homens a alcancar a sal-
vago, nao me abandonis. A estas palavras, par-
t toda pressa tendo comprado tres paes, cami-
nhei todo o resto do dia, derramando torrentes d.-
lagrimas. Chegando egreja de S. Joao Baplisla,
edificada sobre a barra do rio, tire a felicidade ie
receber o corpo de meu Salvador. Depois pas,^i
o Jordo, e lendo-me reconvnendado Sanlissima
Virgem, enlrei neste deserto, onde estou a quaren-
ta e sete annos. Tremj anda ao lembrar me di*
tentagoes que tive a sustentar. Durante lasa >-
annos combat contra mil des<-j is violentos e ama
uriosa iuclinagoa) mal. No meio destes as-al-
tos punha-me a chorar e bater no peito; recor-
darme de minha promessa solemne, e da MMRtai
da Santa Me de Deus, que me tinha lomad., de-
bati de sua prolecgo; pedia-lh.fioe afasia
de mim esses pensaraentos que affligia minha al-
ma. Ento eu via urna luz resplandecente que m
rodea va de todas as pirtes, e meu espirito acalm i-
va-se. E' assimqu'i era tolos os meus combattes
eu elevava constantemente meu corago a esta
Virgem Iramaculada. que tinha respondida por
mim e nunca Ella m ten deixadode ajular.
No Commercio do Porto, l-se o que segu :
Falleceu em Paris M. Bewer, edictor e redactor
do jornal Galignams Mrssenger, que ha quarenla
annos diriga. Tinha 75 annos.
Os representantes da franc-magonaria italiana,
reunidos em assembla constituinle, em Floren.;.-,
no dia 23 de maio, elegoram gran-mestre o gene-
ral Garibaldi.

L-se n'uma correspondencia dirigida de lan-
dres ao International:
Os officiaes de jusliga, desde que os ha, leem pe-
nhorado um grande numero de cousas differenles.
porm nenhuraa como a que ltimamente penho-
raram na eslago de Jedburgh, no Nurih-lintish
ralwy.
A companhia nao tinha pago a laxa para os po-
bres. Escreveram-lhe e nao respondeu. Envu-
rara-lhe urna intimago e tambem nao responden.
No dia li, no momento em que o tren ch.gava
Jedburgh, apresentou-se um sheriff eom seu BMT-
rant e em nome da lei fez penhora na locomo-
tiva.
O offlcial de justiea triumphou do vapor.
A companhia, enve'gonhada de ser apanhada
em flagrante delicio de falta de pagamento, satis-
fez inmediatamente.

No tribunal de jurados de Bolonha julgou-se l-
timamente um processo era que os rus assistiam
audiencia encerrados em urna grande jaula de
ferro. Erara uns 105 dos principaes membros de
urna sociedade de malfeitures que, entre outros
giandes roubos, fizeram, luz do da, um de
800:000 francos (I4i:000A00O) no Banco Parodi,
de Genova.

A exposigo internacional de caes em Islington,
este anno, foi aberta no dia 26 de maio, e asesar
das corridas de Epsom, airahio ama mullidlo nu-
merosa e elegante a Agricaltaral Hall.
Na classe dos caes de Terra Nora que ohftre-
ram premios, noUra-se o Colof, que foi onVrerido
ao principe de Galles pelos habitantes de S. Joo
da Terra Nova, quando S. A. R. visitn a Am-
rica.
Na classe dos caes de caca obtireram premios
dous magnficos caes enviados i exposigo peto
principe Napolea.
PERNAMBCO.-TYP. DE M. F. DE P. & FILHO





*-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2S2F1T62_MQ2I76 INGEST_TIME 2013-08-27T22:20:28Z PACKAGE AA00011611_10409
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES