Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10407


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AMO II. HOMERO 151
Por tres mezes adiantados 5$O00
Per tres mezes vencidas 6$000
Porte ao corrcio por tres mezes. 5>7oO
.IM) ^ ft
! TERCA FEIRA 5 DE JLHO DE 1864.
Por aano ad'antado.....i9$03O
Porte ao correi por om auno 3$0(H)


EIS'CARREGAD03 DA SUBSCRPgO NO NORTE
Paranyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracatv,
Sr.A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaqoim Marques Ro*
flrignes; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARRKGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SL-
AlagSas, o Sr. Claudino Falco Das; Baha, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Maruns & Gasparino.
. PARTIDA DOS ESTAFETAS. EPHEMERIDES DO MEZ DE JILHO.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Paranyba as segundas el .
sexus-feiras. 3 Lna noT1 *s 10 >> 5 m. e 13 s. da m.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',112 Quarto cresc. a 1 h., 26 m. e 14 s. da m.
-Altinho e Garanhuns as tercas feiras 19 La cheia as 4 h., 13 ffl. e 14 s. da m.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Sennhaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
liba de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/ dia.
2a Quarto ming. as 6 b., 26 m. e 8 s. da I.
PREAMAR DE BOJE
Primeira as 4 horas e 30 minutos da tarde.
Segunda as 4 horas e "i i minutos da manha.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROs.
Para o MU at Alagas a 5 e 23; para o norte at
a Granja a 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dias 14 dos mezes dejan, marc.,-maio, jul, set. enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipucos s 6 A, 7, 7 /j, 8 e
8 /i da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao s 6 '/i da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 '/i, 4. V* %
8, 8 Vi Vi e 6 da tarde -t para Olinda s 7 da
manha e 4 /i da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cachang e Varzea s 4/. da tarde; para
Bemfica as 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRffiUNAB DA CAPITAL
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relaco: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a t hora
da tarde
DIAS DA SEMANA.
4. Segunda. S. Isabel rainba de Portugal vmv.
5. Terca. S. Philomena v.; S. Trilina m.
6. Qusrta. S. Uoiningas r. m.; S. Isaas prof.
7. Quinta. S. Pulcheria v. imperatriz.
8. Sexta. Ss. Procopio e Priscilla mm.
9. Sabbado. Ss. Cyrillec Bricio bb.
10. Domingo. S. Silvano ni.; S. Bianor b.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da. praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Filho.
PARTE OFFIGIAL
governo da provincia.
Expediente do dia 1 de julho de 1801.
Remetteai-nos a segumte-noticia :
a A bem da moralidade publica chamamos a at-
tos que Vine, pagou na repartigao competente, aim O Sn. Jos Mama remelle tambera mesa o se-
de ser expedido o titulo de sua remocao. [ guite requerimento que apoiado.
Dito a cmara municipal de Olinda.Respon | Requeiro que em signal de d pela sentida mor- tengo de quem compete pora o sobrado da ra
dendo ao officio da cmara municipal da cidade de te do Exm. prelado desta diocese, a assombla dei-j larga do Rosario, em que ha um sortimenlo de
Olinda, datado de 25 do corrente, tenho a dizer-lho xa de funecionar em quanto esliver o seu corpo camelias, alira de fazer cessar essa renhida batalha
que nao existe declarado por lei ou decisao do go-! sem ser sepultado.S. R.Jos Mara. j de indecencias, que muito olTendem o pudor das
verno incompatibilidade entre o cargo de vereador O Sb. Jacobina manda mesa e apoiado o se- familias honestas da visinhanca, sendo isso mais
e o emprego de continuo da faculdade de direito, guinte requerimento, urna prova da inconveniencia de morar gente des-
nm c.m racHflnia d, nmvinoia ,, rlf Zutf p,nnu rt iraLlamTnto ,endo em vis,a as disposicoes do seu regiment je.-Jacobina. 1 na visinhanca de certos estabelecimentos, que, como
T^AZl!!SSSSSSS.rSSR DmtOinnnn^eonnnan*lf. OSa. Francisco Pedro :-Sr. presidente, sou os hoteis, sao ordinariamente frequentodos por
^^gSK^J^^J^S^Z quetes vapor.-Pdem Vmcs. fazer seguir para sacerdote, e vigano; por conseguinte supponho que mocos ociosos e inconsiderados, para os quaes de-
'Tl-i ir consume uo seu uiulio uc ^ porlos o &M deg,jno 0 vapor Cruzeiro do Sul sere msuspeito para emitlir meu juizo acerca da ve haver um correctivo em sua leviandade e falta
ib de abril ultimo. ,nmm .,, ... ,rm,e_ amanh.a a hora indicada em seu offlcio de hoje. materia dos requermentos, que se discutem, o de decoro.
Tranimilto V Exc pan!m5o le d nw. mesmos.-Declaro Vmcs. em addita- primeiro do nobre depulado pelo 3 dislricta, pe-1 Foram nomeados para o ofllciaes do 6 bata
nie
ao
irn...
Dito ao mesmo. Anno a nomeacao que V.
Exc. conferio ao tenente reformado do exercito,
Joo de Siqueira Campello, para o emprego de aju-
danle interino da fortaleza do Brum ; e de c'onfor-
midade com o seu otlicio n. 1134 de 30 de junho
prximo fiado, que estou respondendo, exped
ordem ao director do arsenal de guerra para des-
luedo6?bmThao'de'infantaria! Francso^da Pr.procedente do norte ao alfares do' exercito Ao- Jar, visto como era amigo devotdo do Exm. fi-1no, verificando i
gueira de Souza e Henriqueta Villar Noguetra de
Souza.
Casamenta :
Antonio Joaqoim dos Passos Oliveira, com Joanna
Leopoldina Lages.
O vigario,
V. M. de Resear-.
Movimento da casa de detencao no dia 2 de
julho de 1804.
Dito ao gerente da companhia Pernambucana. funecionar por tres dias pelo luctode que justamen-
Pde Vmcs. fazer seguir para os porta de seus te se acha possuida.
destinos os vapores Persinunga, Jaguaribe e Para-1 A perda, Sr. porque, que acaba de soffrer a igre-
Ai6a nos dias indicados em seu otQcio de hoje. ja pernambucana dolorosa, e cobre de lucio, e
Portara.Os senhores agentes da companhia pranto a nossa popalacao. Foi-me profundamente
Brasileira de paquetes mandem dar transporte para sensivel o passamento do nosso virtuoso prelado
nono.
6' companhia.Tenente, Antonio Luciano de
Moraes da Mesquita Pimentel.
No sabbado s oito horas da noite, estando
o Sr. Francisco Ignacio Pinto n'uma janella do
oito da casa em que reside na roa da Cruz, des
a B:iha, por conta do ministerio da guerra, no va- diocesano, e tenho justos motivos para me contris- cobrio quehavia urna pessoa que sondava oterre-
niroan-rnmmnnicnii ""X"^ ; dar, pela sombra que se projectava na parede de
H^2LSSS*Tfa1^2XefJ^X* Km naquella provincia, bem como a sua mulher e um O Sb. Abacio Barros :-Tratava-o com umita face; e, tendo enviado um moleque para verificar
do ina d mrra!Srf disSSr o" servicos do filho de se.s mezes.-Commuuicou-se ao brigadeiro distincao quem era, Ihe foi respondido por duas pessoas que
,?r a a8i?M^ lsar os ^ '5S commandante das armas. i O S. Fbancisco PEDRO.-Sim, sempre metra- ahi estavam que procuravam um tal Sr. Aze-
nSf ,;ql pw > ,, .r ? Sa nh ni.imn ^ enncTdtt ..nr ^f* de paquetes mandem dar transporte para a cia. (Nao apoiados). Sua boa alma, seu coragao condea-se n'om vao da escada, e vendo alguns
IwI^Jr.rti^'rfnB^r^teiM^n^a' Bahia, por coma do ministerio da marinha.no vapor ^emfazejo, e caridoso ; a honradez, e probidade minutos depois chegar um individuo que procu-
E, H?nr m.n Tiu*L (Udmnidle w achanreso Procedente do norte ao capitao tenente da armada com que regeu esta deocese, eram Ututos mais su-' rava apagar a luz da escada, gritou e elle poz-se
,. Jos Avelino da Silva Jacques, que vai servir na ; ficientes para despertar de seus diocesanos a dor e em fuga,| sendo preso, depois de correr por di-
provincia de Sergipe na qualidade de capitao do! justo sentimento de que se acham possuidos por seu versas ras, na do Torres. A polica conheee
porto. passaraeBto, e esta casa cheia de serios sentimen- do facto, e de suppor que descubra algum fio dos
ao' Dita.Os senhores agentes da eompanhia Brasi- tos como se mostra, e eu pamente o creio, devia muitos roubos que se tem dado entre nos.
respondendo consclho de guerra. O que commu-
nico V.--Exc. para seu conhecimento e devida al-
tengo.
Dito ao mesmo.Em cumprimento
,.:. h, ,.,, leira de paquetes mandem dar duas passagens de por tres dias deixar de funecionar, e mandar de seu Pelo tribunal do jury de Serinhaem, na ses-
isterio da guerra de b_de J^J^SS estado a V al a corle no vapor fr.ize.ro do Sul ao seio urna commssao "'' '' -~- *- *-
V. Exc. a sua opini.o sobre o que pede no incluso
Tequerimento Manoel Joaquim do Nascimento Ro-
cha.
Dito ao mesmo. Remello por copia V. Exc,
para seu conhecimento e da guarnijao desta pro-
vincia o aviso circular da repartieo da guerra de
3 de junho prximo lindo, fixando regras_ sobre o
modo de abonar vencimentos aos crurgioes e ca-
penses que sao nomeados para o servico do exer-
ito, e mandando applcarlhes inteiramente, nos
casos de promoo, as disposigdes comidas no de-
creto de 12 de abril de 1821, relativamente aos of-
ficiees do exercito em geral. -Rometteu-se tambem
para assistir ao funeral, se sao de 9 23 de abril ultimo, foram julgados 13
Dr. Joao Heorique Mafra. ella estivesse nos dous mezes que oos d o acto processos abrangendo 15 reos aecusados : 4 por
Dita.O presidente da provincia, altendendo ao addiconal para suas funccSos, e nao eslivesseinos' homicidio, 2 por tentativa de dito, 5 por densas I
que requereu Jos Feliciano Machado, resolve con-: nos sete dias de prorogacao, que nos foi concedido physicas, 3 por stellionato e 1 por estupro. Fo I
ceder-lhe licen^a para embarcar para o presidio de pelo administrador da provincia, paraul timar-' ram absolvidos 10, appellando o juiz de quatro, e
Fernanda os gneros constantes da retacao junta mos trabalhos indispensavis.
assignada pelo secretario do governo, nao podendo Os Shs. Ramos k Aradm Babbos :Muito bem,
porm eectuar o desembarque dos referidos gene-1 muito bem.
ros sem que por parle do commandante do mesmo | 0 Sr. Francisco Pedro .Entretanto, nao tem
presidio se proceda a exame afim de se verificar-! paridade, e nem pode proceder a argumentaco dos
se-tia agurdente ou outra qualquer bebida espiri- nobre depulados que me precederam, trazendo o
tuosa, sendo alm disto obrigado a apresentar ao precedente, de ter esta casa por tres dias tomado
predito commandante a factura de taes gneros at- lucio, logo, que aqu cheou a noticia do fallec-
rosuv.
Sahiram...... 20
Existcm...... 345 1
A sabes :
Nacionaes..... 228
Estrangeiros... 42 1
1
Estrangeiras ... 1 i
Escravos...... 49

347
Alimentados a custa dos cofre. pblicos......
Movimento da eaerm.ira no dia 4 de julho
de 1864.
Teve alta. ',
Candido Maximiano dos Santos.
Movimento da casa de detencao no dia 3
de julho de 1864.
Existam....... 343 presos.
Entraram....... 17 i
Sahiram....... 8 i
>
A saber :
i
Estrangeiros----- 44 i

i
Escravos........ 60

^MTST2-*TSsnrfc-^
zenda.
dos correctores.
Dita.O presidente da provincia, altendendo ao
Dito ao mesmo. Por aviso do ministerio da que requereu o capitao Jos de terquera Lima,
guerra de 9 de junho ultimo, o major do 4o bata- resolve conceder-lhe licenca para poder levar para
o conselhelro Francisco Xavier Paes Barrete.
O Sr. Ramos :Vai muito bem.
O Su. Francisco Pbdro :Porque estavam en-
to nos dous mezes que nos d o acto addiconal, c
condemnados cinco, sendo: 2 no grao mnimo do
art. 201 do cod. cnm., 2 no grao mximo do art.
205, e 1 no grao medio do art. 219. A sesso fui
presidida pelo Dr. Manoel Clementino Carneiro da
Cunha.
RKPARTig.VO DA POLICA.
Extracto das partes dos dias 3 e 4 de julho de
1864.
Foram recolhidos casa de detengao no dia 2
do correte :
354
Alimentados a cusa dos cofres pblicos..-----
Passageiro da sumaca hespanhola Taita sa-
luda para Barcelona : Jos Joaquim da Costa
Pereira.
CMARA MIMCIIML
Aos 8 de junho de 1864, nesta cidade do Recife, I
no paro da cmara municipal da mesma compare-:
cendo (ornete os Srs. Henriques da Silva, Gustavo :
ihao de artilharia' p, Cirios Felipp da Silva Mu- o presidio de Fernando no primeiro navio que para hoje estamos nos sete dias de prorogacao, e apenas Betctch, por embriaguez.
niz e Abreu, foi dispensado de repor as forragens ali seguir os gneros constantes da relaco junta (nos restam cinco, e creio, que naoserao suficientes I a" ordem do de S. Jos, Francisco da Silva, para
de que Ihe fez carga a ihesouraria de fazenda, em assignada pelo secretario do governo.
-virtude das observares da reparlicao de contabi- Dita.O presidente da provincia, altendendo ao
lidade do mesmo ministerio, visto tr-sc verificado que requereu Claudino Jos Correa, resolve conce-
que esse offlcial desempenhou satisfactoriamente a der-lhe licenca para embarcar no primeiro trans-
commissao de exame das fortilicagoes sem prejui- porte que seguir para o presidjo de Fernando
os
I para disssucoes de materias importantes, para' averiguares policiaes.
confeccionarem-se as leis indispensaveis para a A' ordem do da Boa-vista, Joo Jos Marques,
provincia. por embriaguez.
Um Sb. Deputado :E' urna verdade. 3
OSr. Fhancisco Pedro -.Por tanto entendoque A' ordem do Ulna. Sr. Dr. chefe de polica, Her-
20 do servido do fiscal do corpo, e so accnmulou gneros constantes da relaco junta assignada pelo ficarao concilladas ambas as conveniencias com a culano Jos Victorino, para recruta.
aquella vantagem, e nao a gratlficacao dos dous secretarlo do governo nao podendo porm eflectuar commissao, que eu nome desta casa v assistir ao i A'ordem do Dr. delegado da capital, Manoel
exercicios : o que communico V. Exc. para seu o desembarque dos referidos gneros, sem que por funeral do nosso virtuoso prelado, e, continuando o Estoves do Nascimento, como desertor,
conhecimento. Ofiiciou-se nesie sentido ao nspec- parte do commandante do mesmo presidio se pro- trabalho, teremos a final cumprdo os nossos deve- A'ordem do subdelegado de Recife, Thereza
tor da thesouraria de fazenda. ceda a exame afim de se verificar se ha aguarden- res, por conseguinte voto pelo primeiro requer- j Mara de Jess, por desobediencia ; Umbelina da
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Joa- 'do Reg, Gameiro e Mello, nao houve sesso por
qtiim Gomes da Silva, e Josepha, escrava de um ,' falta de numero.
Eu Francisco Canuto da Boa-Viagem, secreta-
rio a escrevi. Henriques da Silva.Reg.Ga-,
meiro.Mello.
tal Mendon^a por disturbios; o inglez Germe
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. te ou outra qualquer bebida espirituosa, sendo alm ment. (Muito bem, muito bem)
De conformidade com o aviso da reparlicao da disto obrigado a apresentar ao predito commandan- Depois de urna discussao em que anda tomou : Jos Pionio, por briga ; Porfirio, escravo de Au-
guerra ele 20 de junho ultimo constante da copia te a factura de taes gneros altestada quanto aos parte o Srs. G. Campello, e Araujo Barros a dis- gusto Muniz Machado, para averignagoes policiaes,
inclusa, mande V. S. abonar ao major do corpo de precos pelo presidente da junta dos correctores. cussao encerrada eapprovados os requerimenlos I A. ordem do de Santo Antonio, Bento da Silva
en?enhiros, Sebastio Jos Basilio Pyrrho, os ven- ----- j doSr. Jacobina, e Rouhael, sendo os domis rejei-1 Muniz Mangueira, para averiguares policiaes.
SEXTA SESSO ORDINARIA AOS 7 DE JUNHO
DE 1864.
Presidencia do Sr. Henriques da Silva.
Presentes os Srs. Barata de Almeida, Gustavo do j
Reg, Reg, Maa e Mello, abre-se a sesso e lida |
e approvada a acta da antecedente.
Leu-sc o seguinto
EXPEDIENTA:
Um officio do Exm. presidente da provincia de 7
lados.
cuemos de commissao de resideoci, a contar do Expediente do secretario do governo do dia 1 de ju-
dia em que entrou no exercicio de director do ar-. |ho je jggj
seal de guerra desta provincia | 0ffi(.0 ao briiradero commandante das armas.-- i
Dito ao mesmo. Declaro a V. S. que em aviso Sua Exc Sr iresjl](.nte da provnca manda com-!
de 10 dv. junho prximo findo communicou-me o municar a v. Exc. que por officio desta data aulo-
Exm. Sr. ministro da guerra ler-se concedido na- ^ inclQf JQ J^, d(J a M,s.
.mella data a essa thesouraria por conla do exer- fazer Q di(]odo eoiumandanle do 2. natalho de
cicio corrente, um augmento de crdito de
74:6183402, nos tormos da tabella p
sa, para occorrer ao pagamento das
tivas s rubricas, de que trata a.m^ ~ Sua Exc. o Sn presidente da provincia manda trans- ca|camel0 .
5 miltr V. S. a inclusa ordem do da em duplica-1 Joiiv0 na Cunna Magalhaes............
Em seguida suspende o Sr. presidente
REVISTA DIARIA.
Pela thesouraria provincial foi marcado o
prazo de 30 das, que se findam 9 do corrente,
i or copia inclu- "l,antam a 1ue al,u,3e oni(:, de v- Exc- n" lloS aos seguintes Srs. proprietarios na ra do Impera*
a< dnsiMoas rea- desta data. dor, para enlrarem para o cofre-respectivo com as
*",V-ii.-il-t Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. quantias abaixo mencionadas em que mporlou o
ie.->ma lautiid. o.w o- ..-..; i..i ,1. .,.,.;nnn m.n,i,inn. ,
Dito ao mesmo.
transmiti V. S. as inclusas copias das actas do
onselho administrativo do arsenal de guerra, da-
tadas de 15 17 de junho prximo findo.
Dito ao mesmo. Em observancia do disposto no
aviso do ministerio da guerra de 20 de junho pr-
ximo findo, transmuto V. S. incluso por copia
o relalono sob n. 134, versando sobre as irregula
ridades encontradas pela reparlicao de contabilida
ta sob n. 403 expedida pela reparlicao do ajudante
general.
Dito ao mesmo.Sua Exc. o Sr. presidente da
provincia manda transmittir V. S. a inclusa
dem do thesouro nacional, sob n. 76.
Dito ao mesmo.Sua Exc. o Sr. presidente da
provincia manda transmittir V. S. a inclusa or-
dem do thesouro nacional sob n. 77.
de do mesmo ministerio, no exame de despezas pa- Dj|(J aQ de d|rcl0 Df Manoe, r,|emenlino
gas nesta provincia, para que essa thesourana se Carnejro da CuDha _Dt. ordem de S. Exc. o Sn
conforme com as obserracoes felfas por aquella re- presidenle da |irovinPia accU0 a reCepcao do ofli-
.. .. = ,r c ci de 27 do mez findo, em que V. S. declarouacei-
tar o lugar de juz de direito da comarca do Cabo
Dilt) ao mt'smo. Transmillo por copia V. S.,
para ter a derida execucao, o aviso de 3 ta junho | f rJemovido da do Rio Formoso
lindo, pelo qual o Exm. Sr. ministro da r ___
prximo lindo.
guerra manda ficar sem effeito o de 2 de maio all- n?nrhft dad! d* iulhn ile ISfil
no, .pie havia julgado procedente o recurso nter- Despachos do da 1 de jiilno de 1M>t.
posto por essa the-ouraria sobre o pagamento de Hequenmentos.
deneta com luzes na guarda da cadeia da villa de Major Antonio dos Santos Souza Loao.Informe
Barreiros, nos mezes de julho dezembro do anno o Sn inspector da thesouraria de fazenda
prximo passado. I Antonio Malaquias de Macedo L.na.-Dir.ja-se a
Dito ao mesmo. Communico V. S. que, em thesouraria provincial
aviso de 10 de junho prximo lindo, declarou-me o Antonio Rodrigues de Albuquerque.-Informe
Exm. Sr. ministro do imperio ter sido approvada a, Sr. inspector da ihesourar.a provincial,
despexa de 600r3(>00, importancia da ajada de eos-
to, por mdemoisae^o das despezas de ida e volta
na sesso do anno corrente, paga ao depulado Cae-
(ano Xavier Pereira de Arito.
Dito ao mesmo. Rccommendo V. S. que, em ,
vista da folha junta em duplcala, e nao havendo
inconveniente, mande pagar os vencimentos relati-
vos aos mezes de junho ultimo, dos ofllciaes empre-l
Manoel G. Ferreira e Silva.
Amonio Jos C. Gumaraes...........
Manoel Alves Ferreira...............
or' O mesmo........................
Viuva e herdeirosdo marquez do Recife
Orphaos, Joaquim, Emilia, Maria e ou-
tros........................... 2555900
Os mesmos..............-........... 240*000
; Francisca T. da C. Cunha............ 90,5000 i
: Jos dos Santos Neves................ 825500
Anna J. daCTeiaeira............... 26255001
Hospital de Caridade.................
, Guilherme Purcell..................
i Manoel de Azevedo Andrade e outros..
i O mesmos........................
: Os mesmos.........................
A' ordem- do de S. Jos, Manoel, africano livre,
a sesso.' por disturbios.
A' ordem do da Boa-vista, Cosme Jos da Cruz,
por furto.
A' ordem do do Poco, Theophilo Alves da Silva,
sem deelaracao do motivo.
A' ordem do da Capunga, Severino, escravo de
Camillo & Andrade, requerimento tiestos.
O chefe da 2* secgao,
/. G. de, Mesquila.
Hospital Portiguez de Beneficencia em
Pkrnambico :
Movimento clnico do mez de junho de 1864, aos
cuidados do Dr. Pitanga.
Existam em tralamento. 30 doentes
Entraram............. 18
1365200
905000
"35000
755000
755000
3005000
48
Sahiram curados....... 14
Falleceram............ 4
Existem............... 30
;Os mesmos......................... 305000
Jos Moreira Lopes..................
\ Viuva e herdeiros de Joo Henriques da|
Silva ...........................
Jos Nogueira de Souza...............
o Francolna M. de O. Tinne...........
gados no recrulamento nesle municipio e no de
Olinda. .
Dito ao inspector da thesouraria provincial.pi-
cando inteirado pelo seu officio de 30 de junho ul-
timo, sob n. 242, de haver Antonio Joaquim de
Mello, dando por fiador o commendador Antonio
Augusto Cesar Fernandes Eiras.Informe oSr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Domingos Ribeiro da Cunha Oliveira.Remetti
do aoSr. inspector da tliejouraria de fazenda para
mandar passar o titulo que pede o supplicante.
Heorique los Vieira da Silva.Informe o Sr.
inpeclor da thesouraria de fazenda.
Tenente-cjronel Joo Vieira de Mello e Silva.
informe o Sr. inspector da thesouraria provincial.
D. Joaquina das Mercas Ferreira. Opportuna-
menlc ser attendida a supplicante.
Jorquina Maria Franc sea.Informe o Sr. teen-
te-coronel recruiador.
Luiz Margel.Informe o Sr. director geral da

pode
vrar o respectivo termo de contrato.
Dito ao mesmo.Transmiti V. S. as duas in-
clusas conlas afim de que, nao havendo inconve-
niente mande pagar a Francisco Canuto da Boa-
Viagem, conforme solicitou o chefe de polica em
officio de bontem, sob n. 774, a quantia de 835400
reis, despendida durante os mezes de abril e maio
dest'e anno, com o sustento dos presos pobres da
radeia do termo de Tacarat, como se v das pre-
ditas conlas.Communicou-se ao Dr. chefe de po-
Dito ao capitao do porto.A' V. S. ser apresen-
268,5500
I Dr. Jos B. G. Alcoforado............ 2475500
Jos Feliciano Portella............... 1505000
! Manoel Luiz Goncalves.............. 1855000
| Francisco Tasares Lima............. 2105000
Hospital de caridade................. 5
Domingos Jos da Costa e outros...... 3755000
Dr. Jos J de M. Sarment........... 5255000
E 5 baro do Livramento............ 2255000
O mesmo........................... 4355000
Jos Joaquim da Silva Maa........... 755000
O mesmo.......................... 755000
O mesmo.......................... 545000
O menor filho do mesmo............. 605000
Francisca T. da C. Cunha............. 1955000
Joaquim Lopes de Almeida......... 1505000
mesmo.......................... 16 5000
rcellino Jeronvmo de Azevedo e ou-
tros.........*.................... 1205000
48
Dos fallecidos foram 2 de diarrhea, 1 de pulmo-
na e 1 de febre perniciosa.
Relaco dos baptisados do mez de junho d
1864:
Martiniano, branco, filho legitimo de Vicente
Ferreira Neves e Maria Joaquina das Neves.
Jos, branco, filho legitimo de Antonio Prieto e
Juvelina Bapista de Souza.
Mara, branca, ilha legitima de Francisco Ri-
2105000 bero da Silva e Clara Francisca Maria dos Pra-
1205000
90-5000
1205000
755000
905000
4055000
Herdeiros de Henry Gibson........... 1955000
ta da Informadlo nao tem lugar o que requero sup- Ignacio Luiz de tirito Taborda e ou-
plicante. iros............................. 1655000
Fre Pedro da Purificacao Paes e Paiva.-Iofor- Francisca T. da C. Cunha............. 1805000
me o Sr. desembargador provedor da Santa Casa da Emilia C. de M. Ferreira............. 2705000
Misericordia.
PERHAMBUGO.
ASSEBLEA PROVINCIAL
tado o recruta de marioba Joao tranciara para que nRni\ARii FM < nF Mam ns- tftfii
Ihe d o conveniente destino depois de inspecciona-: SESSO ORDINARIA EM 2 DE MAIO DE 1864.
no -Communicou-se ao Dr. chefe de polica. presidencia ijo sr. conselhbiro trigo dk
Dito ao mesmo.Mando V. S. por em liberdade loureiro.
-f.s recrutas Miguel Gomes da Silva, Flix Baplisla,! A's 11 1/2 horas da manhaa verificado numero
1 eonardo Jos de Medeiros Lins e Maneel Candido, legal de Srs. depulados e aberta a
4tm inspceo de saude como V. S. declarou em seu. O Sr. Secretario, declara nao haver
flict EXPEDIENTE:
Dito ao director das obras militares.Mande V. | Vae mesa e apoiam-sc os seguintes requeri-
S com urgencia reparar as paredes e terreno do mentos. ..., ,
nuartel do 2." batalho de infantaria que ficaram I Requeiro qoc em signal de do pela sentida mor-
arruinados por occasio de serem concertados o te do Exm. prelado diocesano deixe de funecionar
.mcanamento e lampeSes da illuminago do mesma esta assemblapor 3 dia^.-Aator.
nuartel segundo declarou o brigadeiro comman- j O Sr. Rochakl justifica e manda mesa o se-
danta das armas em ofllcio n. 1148 de 28 de junho guinte requerimento :
prximo findo.Communicou-se ao brigadeiro com- \ Requeiro que seja nomeada urna commissao para
m nlm lo iuir de direito Dr. Jos Bandeira de Mel- tocomo no possivel esta easa deixar de funraio. .
por se acharem os seus trabalhos em goaode Francisca Thomazia fe Gonceiclo Cu-
\ mesma.......................... 2255000
A mesma........................... 1445000
A mesma.......................... 1335500
A mesma.......................... 1115000
A mesma.......................... 1485000
Joaquim Jos da C. Pinheiro.......... 2255000
Joaquim da Silva Castro............. 3005000
Manoel C. Peixoto Soares............ 965000
O mesmo.......................... 1955000
O mesmo.......................... 1505000
Fazenda nacional................... 5
Antonio Luiz dos Santos-............. 2405000
Antonio Jos de M. Bastos............ 2555000
sesso lida e Guilherme da S. Guimares........... 1805 00
I Marianna da C. Pereira.............. 1445000
Jos Joaquim da Costa Maia.......... 4505000
Antonio Francisco Pereira........... 1775000
Herdeiros de Joaquim Viegas......... 2105000
Manoel Antonio Ramos.............. 1355000
Dr. Joaquim P. M. Portella..........- 2405000
Thomaz Cordeiro Soares Bra'ndao e ou- ___
tros.............................- 3605000
Antonia Luiz dos Santos............... 240*000
Goncalves
nar
lo Nesta data remello a secretaria de estado dos
negocios da justica o conhecimento dos emolumen- atrasoS. R.RocbaeL
Heideiros de Antonio Luiz .
Ferreira........................ 2&S
assistir ao funeral do Exm. prelado diocesano vis Antonio Jes R. de Souza............... ju/#ow
Patrimonio dos orphaos................. #
Gonceico Cu-
nha.......................-.............. 4055000
Conceigo, e AnnaRosalina da Silva, por insultos ; do corrente, declarando a camarade haver na mes-
ma data se dirigido ao Dr. chefe de polica, afim
de providenciar no senlido solicitado pela mesma
em seu oflicio de 4 deste mez sob n. 22. lntei-
rada.
Outro do engenheiro cordeador, dizendo ter-lhe
sido apresenlado um requerimento de Jos Caetano
de Carvalho com despacho para Ihe ser dada a
cordeaejio as ediraeoes que pretende fazer em
setenta e dous palmos de terreno que possue em
principio da ra da Concordia, lado do poente, nao
o quiz elle fazer por isso que dito terreno se acha
incluido em urna praca projectada naquelle lugar,
pra?a que a cmara declarara nao ser necessaria,
visto que j conceder a Evaristo Mendes da Cu-
! nha Azevedo, fazer nella um telheiro, mas como a
i respectiva planta nao foi anda alterada regular-
! mente; traz esta circumslancia ao conheciinonlo
ida cmara, pois que parece-lhe que emquanto isto
! nao tiver lugar, nao se deve permittir a ninguem
1 edificar no terreno da praca em queslo.Que o
I engenheiro declare se o lugar requerido para nel-
; le se dar a eordeacao, est dentro da praca desig-
nada, ou se est em lugar que a cmara linha de-
signado para seu pago, porque se estiver neste, de-
ve-se dar a cordeafo requerida por Jos Caeano
de Carvalho.
Outro do fiscal da freguezia do Poco da Panella,
fazendo a exposicao dos melhoramentos que repu-
ta mais urgentes as estradas da mesma freguezia,
pelas quaes hoje na estago invernosa, bem dilll-
cil o transito. Que se levasse ao conhecimento
da presidencia, visto que as estradas sao provin-
ciaes.
Tendo Vieira & Netto, proprietarios de um so-
brado em frente do becco largo ra da Cadeia
da freguezia do Recife, requerido para que se Ibes
concedesse a continuaco da obra dos coucertos do
mesmo sobrado, visto haver o fiscal respectivo, de
ordem da cmara, sobr'eslado a sua execucao, em
consequencia de pretender a mesma cmara de-
sapropria-lo; allegam em favor de sua pretencao
diversas consideracoes que foram julgadas valiosas,
sendo por so deliberado que se nao proseguisse
mais na pretencao de desapropriaco, e neste sen-
lido se mandaram fazer as communicaedes conve-
nientes, ao fiscal e ao procurador.
Havendo diversos douos de cocheiras existentes
nesta cidade, requerido permisso para usarem de
tres cavallos em seus carros, quando tivessem de
sahir para tora da mesma cidade, allegando a in-
conveniencia que enconlravam de viajar a dous
animaes no lempo invernoso, alm da difBculdade
de todos os bolieiros nao governarem bem quatro
animaes.Concedeu-se a licenca requerida com a
condicao de ser somente para f ira da cidade o uso
de tres animaes nos carros, e neste sentido se de-
liberan communicar ao Dr. chefe de polica, e aos
fiscaes.
O Sr. Gustavo do Reg deelarou votar contra a
concesso, e bem assiin que protestava contra a
mesma.
Despacharam-se as petlc/5es de Antonio Bernar-
do Quinteiro e oulros, Andr de Abreu Porto, An-
tonio Miguel, Francisco Jos da Silva Maia, irman-
dade de Nossa Senhora Mae dos Homcns na igreja
da Madre de Deus, Jos Patricio de Siqueira Vare-
jo, Jos Goncalves Ferreira Costa, Manoel Ferrei-
ra Lima, Manoel Pereira da Cruz, Vieira & Netto,
G EuaFranc1scoS Canuto da Boa-Viagem, secretorio
a subscrevi.Barros Reg, presidente.Henriques
da Silva.Reg MaiaBarata de Almeida.Reg.
Mello.-Gameiro.
zeres.
Venceslao, branco, filho legitimo de Belarmino
Pinto de Paiva e Senhorinha Maria de Lemos.
Clementino, branco, filho legitimo de Joaquim
Elvira Alves da Silva e Rosa Leopoldina Alves da
Silva.
Maria, branca, filha legitima do Dr. Jos Soares
de Azevedo e Emilia Bibiana Tavares.
Manoel. branco, filho legitimo de Francisco do
Prado e Maria Francisca de Oliveira e Silva.
Antonio, branco, filho legitimo de Salvador Co-
Iho Drummond Cavalcante de Albuquerque e Jacin-
tha Saturnina da Silva Albuquerque.
Manoel, pardo, filho legitimo de Balbino Jos dos
Santos e Mara Ermina d'O'.
Thomaz, pardo, filho natural de Francisca Maria
do Livramento.
Manoel, pardo, filho de Elisia, escrava do Dr.
Domingos de Souza Leo.
Manoel, pardo, filho de Rosaura, escrava de Tho-
maz de Figueiredo.
Eduardo, branco, filho legitimo de Valentim dos
Santos e Maria Joaquina do Espirito Santo.
Jorge, pardo, filho de Lino Flix dos Santos e
Josepha Maria d'Assumpco.
Manoel, brance, filho legitimo de Manoel Ferrei-
ra Pinto e Joanna Villar Ferreira Pinto.
Jos, branco, filho legitimo de Jos da Silva
Oliveira e Henriqueta Alexandrina da Silva.
Jorge, branco, filho de Francisco Antonio da Ro-
cha e Francisca Aurora da Silva.
Theodora, branca, filha legitima de Joo Gonral-
calves Lucas Lisboa e Maria Josepha da Silva
Lisboa.
Benta, branca, ilha legitima dos mesmos.
Francisca, branca, filha natural de Luduvina
Francisca Ayres de Almeida.
Eduardo, branco, filho natural da mesma.
Joo, branco, filho legitimo de Joao Baplisla Al-
ves e Tranquilina Mara do Livramento.
Maria, branca, filha legitima de Custodio Jos
Alves Guimares e Maria da Silva Campos Gui-
m Francisco, branco, filho legitimo de Guilbermino
Rodrigues Monte Lima e Maria Candida de Figuei-
redo Lima.
Estevo, branco.filho de Frederico Carneiro Leao
e Damiana.
Manoel, branco, filho legitimo de- Manoel Jos da
Motta Jnior e Candida Clara Ferreira da Mona.
Cee*ano, pardo, filho legitimo de Candido Fran-
cisco Gomes o Joaquina Igoacia de Olive*.
. Henriqwta, branca, Ufi* legitima. d> Jos Po-
carta de registro do hiato Dous Amigos, na forma
do artigo 2* do decreto n. 864 de 17 de novembro
de 1851.Registre-se, aecusando-se a recepeao.
DESPACHOS.
No requerimento de Joaquim da Cuaha Meirel-
les, pedindo o registro da nomeacao de seu caixei-
ro.Registre-se.
No de Leal & Irmos, pedindo o registro de nina
procuracao.O mesmo despacho.
No de Joaquim Juvenrlio da Silva, pedindo certi-
do do theor da procurado da viuva e herdeiros
de Manoel Goncalves da silva Luiz Antonio Viei-
ra.Do se.
No do mesmo, pedindo tambem certidodo theor
de um contrato enire a viuva de Manoel Goncalves
da Silva e Manoel Jos Carneiro ltimamente re-
gistrado neste tribunal.Como requer.
No do mesmo e em igual sentido. O mesmo
despacho.
No de Francisco Ignacio Pinto, pedindo o regis-
tro do conhecimento de haver pago o imposto do
seu officio.Registre-se.
No de Jos Ridrigues Tavares de Mello e Agos-
tioho Gomes da Costa, pedindo o registro do sen
distralo social.O mesmo.
No de Joo Baptista Telles pedindo que seja jun-
to um documento aos autos de sua rehabilitarlo.
Como requer.
Sendo conclusos os autos de rehabilitarlo de Mo-
reira & Codeceira, o tribunal deu o seguinte des-
pacho : Sem preslacao de conlas da admini.-lra-
co, dada em juizo, e sem approvacao e posterior
quitaco dos credores, nao pode ter lugar.
Sendo igualmente conclusos os autos de rehabili-
tar j de Machado Santos O tribunal deu o
mesmo despacho.
O tribunal resolveu que o ofiicial da secretoria,
que oceupa o lugar de thesoureiro da mesma pres-
te a (langa conforme Ihe foi determinado por or-
dem superior.
SESSO JUDICIARIA EM I DE JL'LHO
DE 1864.
PRESIDENCIA do exm. sr. desembargador
A. F. PEIIETTI.
Secretario, Julio Guimares.
As 11 Vs da manha, o Sr. presidente abri ases-
sao, estando reunidos os Srs. desembargadores Sil-
va Guimares, Accioli e Domingues da Silva, e de-
pulados Reg, Lemos, Rosa e C Alcoforado.
Lida, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
Foi apresenlado um oflicio do Exm. Sr. coose-
Iheiro presidente do supremo tribunal de justica,
remetiendo copia da lista dos desembargadores das
relacfcs do imperio pela ordem de suas antigui-
dades.
JILCAMENTOS.
Appellanles, os administradores da massa falli-
da de Pacheco & Mendes ; appellado, Manoel Viei-
ra Sampaio.
Foi confirmada a sentenca appellada.
Appellante, Jos Joaquim da Silva Gomes ; ap-
pellado, Jos Dias da Silva.
Reformou-se a sentenca, julgando-se procedente
a prescripeo,
Appellantes, es curadores fiscaes da massa fal-
lida de Amorim, Fragoso, Santos & C.; appellados,
Cals Irmos.
Desprezaram-se os embargos.
PASSAGENS.
Appellantes, D. Josepha Justina de Jess Gon-
calves e outros; appellados, Isaac Curio A C.
Appellante, Virginio Barbosa da Silva ; apel-
lados, Cardoso & Souza.
Do Sn desembargador Domingues da Silva ao Sr
desembargador Silva Guimares.
Appellante, Joaquim Antonio Rodrigues ; appel-
lados, os curadores fiscaes de Joaquim Francisco
de Mello Santos.
Appellantes, Jos Jeronymo Monteiro e oolros ;
appellados, N. O. Bieber t C. successores e oulros.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembargador Accioli
DISTRIBUIQOES.
Appellante, Simplicio Tavares de Mello ; appel-
lado, o commendador Antonio Francisco Pereira.
AoSr. desembargador Silva Guimares.
Appellante, Jos Cesarlo de Mella ; appellado, o
Dr. Joaquim Antonio Carneiro da Cunha Miranda.
Ao Sr. desembargador Accioli.
Appellante, Joaquim Gongalves Ferreira ; ap-
pellado, Pedro Cavalcante de Albuquerque L'choa.
Ao Sn desembirgador Domingues da Silva.
Appellante, Miguel Jos Barbosa Guimares; ap-
pellado, J. F. G. Kladl.
Ao mesmo.
Appellante, Antonio Jos Alves Souto appella-
dos, Silva Leo & C.
Ao mesmo.
AGGRAVOS.
Aggravantes, o presdeme e directores da caixa
filial do Banco do Brasil nesla cidade ; aggravado,
Frederico Augusto du Oliveira.
O Exm. Sr. presidente deu provimento.
Por engao diese na puldiracao da acta de 30
do mez prximo passado que o Exm. Sr. presiden-
te nao tomou conhecimento da caria teslemunha-
vel vinda do juizo especial entre parles : Agra-
vante, Francisco Gomes de Oliveira ;- aggravadns,
os administradores da massa fallida deSeve, Filhos
C- O Sn presidente tomou conhecimento e de-
negou provimento.
London A Brasllian Bank ( Li-
mited).
Capital do banco 15,000 aocoes
a 100.......13,333:3335330
Accoes emiltidas 13,000 a 100 11.555:555f 550
Capital pago a S 40 por accao. 4,622:2225220
BALANCO DA CAIXA FILIAL EM PERXAMBUCO,
' EM 30 DE JUNHO DE 1854.
ACTIVO.
Letras descontadas ....
Crditos sobre diversos oulros
bancos e caixas filiaes, .
Caixa :
Em moeda corrente.
1,292:0685160
1,989:6935440
215:4065730
~397:170533O
CHKDMCA JLIHillH
TBIBUNAL DO COM1HEBCIO.
SESSO ADMINISTRATIVA EM 4 DE
JLHO DE 4864.
PRRSIDENCIA DO EXM. SR. MtSEMB.VRGADOR
PBRETT.
As 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. depu-
lados Reg, Lemos, Alcoforado e Rosa, o Sr. presi-
dente declarou aberta a sesso.
Lida, foi approvada a acta da ultima.
EXPSBIBNTB.
Um oflicio da conservatoria de Macei, de 18 de
junte ptoximo passado, acompanjiado da copia da
PASSIVO.
Capital fornecido pela caixa ma-
triz ........
Depsitos.......
Crditos diversos, outros ban-
cos e caixas filiaes. .
888:8885890
1,665:0955030
943:1865410
3,497:1705330
Recife, 4 de julho de 1864.
W. J. Haynes,
Accouant.
COMMNICiOS.
Clnica medica clrurglea do Dr.
Cosme de 9k Pereira, na capi-
tal da provincia de Pernam-
buco.
CATARATAS LKNTICUIARKS DURAS E MADURAS KM AM-
BOS OS OLHOS : OfBRAQAO POR BXTRACcSo PRACTI-
CADA PBLO DU. S PBRBIRA '. FELIZ RESULTADO.
Obsernacao n. 226 do anno passado.
Continuaco do Diario n. 71.
A listpr-ia medica que vamos referir tem muia


._
-------



Diario ie Percanfeaeo Terca letra 5 de Juiho de 1S4.
importancia ; de om lado temos a considerar ura
doente de alia posicao social, velho, |wbre e reg,
e por maior rafelicidade sua privado ex-olllcio do
nico meio que tinha para procurar sua subsisten-
cia ; de ouii' lado temos a expr ama operaco
trabalhosissima, cheia de accidentes imprevistos,
e que me obrigava a cada instante a empregar no-
vos recursos de engenho e arte para ven-
c-los.
O nosso doente um sacerdote septuagenario,
caneado da idade, seiu fortuna alguma, suspenso
de ordens nos ltimos lempos de sua vida, e j
quando para elle as portas do mundo se havia fe-
chado.....
Os accidentes graves, imprevistos c imperiosos
que occorreram durante este trabalho operatorio
sao mais que sufilcientcs para demonstrar a in-
mensa difficuldade que lia as vezes na extraceao
das cataratas; e vcw-la con feliz resultado dar
urna prova bastante positiva de grande paciencia o
de nina tal ou qual destreza na execuco de tra-
halhos dcsta ordem ; e para fazer-se urna idea
desta grande difllculdade basta dizer que eu jamis
Eraliquei operaco alguma em que gastasse duas
oras coudas ; entreunto que no caso presente
foi o que succedeu.
O Rvm. Sr. Jos Fernandes de Bulhoes, septua-
genario, residente na capital das Alagoas, vi^ra ex-
pressamente Pernambuco consultar-me sobre os
seus soffrimentos de olhos. A 30 de agosto do an-
uo passado aqu chegra, e a 3 de selembro fui
chamado para observar sua molestia e dar-lhe meu
parecer.
Feitos os prlmeiros cumprimentos de respeito e
civilidade, o Sr. Rvd. Bulhoes lacnicamente ex-
pressou-se assim : Sou sacerdote... velho....
doente... pobre... cgo... e suspenso de ordens
pelo muilo poderoso Rvd...... Vim com lodo o
sacrificio a esta cidade ver se oblnha minha vista
para poder apreciar ainda com ella as obras de
Deus, e bemdizer a medicina, e fazer urna visita de
respeito a S. Exc. Rvm.........de quem espero
justica.
E' s isto o que deseja, meu padre ? Ihe per-
guntei eu.
Sim, respondeu-me elle, por ora mais nada
quero, s isto o que mais hoje ambiciono.
Pois bem, ser servido com todo o prazer em
tudo quaoto couber em miBhas fe-reas.
Observacao presencial.
O Sr. Rvd. Bulhoes, nao obstante sua avancada
idade, gosa ainda de (odas as faculdades intellec-
tuaes; conserva boa reminiscencia; tern urna con-
versaco agradavel, instructiva e chistosa, pela
qual mostra que dispoe e ainda conserva nao vul-
gar conhecimento das lettras e sciencias.
Seu moral se acha irritavel, e todas as vezes que
falla no motivo de sua suspenso (ao que attribuo
esu irriUbilidade) desenvolv urna serie de provas
concludentes e documentadas, que faz crer na in-
justica do castigo que Ihe foi imposto, e sobretodo
na imparcialidadc do juiz que o condemnou.
O phisico do Sr. Rvd. Bulhoes se acha mais de-
teriorado pela idade, e todava mostra anda bas-
Unte forca e boa construccao predominam deste
lado alm dos estragos da idade, incommodos her-
niados duplos c sobretudo sua cegueira.
Em quanto aos sens olhos observamos o seguin-
te :Palpebras superiores de ambos os olhos ligei-
ramente cabidas, nao por falw de aeco dos mus-
culos levantadores, mas sim pela distendi da pcl-
le, tendo desapparecido o tecldo gorduroso que as
dobrava; o globo dos olhos nao tem aquella resis-
tencia normal, esto amolecidos, principalmente o
direito, nenhuma injeceo se not as conjuncti-
vas, ou as esclerticas : corneas transparentes ;
cmaras anteriores pequeas ; iris sem alteraco ;
pupilas movis ; crystalinos opacos; das imagens
de PurkBjc s se observa aanterior; nenhuma das
phosfenas apparecem, e os olhos aecusam sensaco
dolorosa em suas indagaces. A luz viva o incom-
moda ; o doente sent com facilidade e distingue
bem a sombra da clandade.
Em vista disto, o meu parecer dado ao Sr. Rvd
Bulhoes foi o seguinte :Que esteva elle sotrrendo
de calaraus maduras operaveis, complicadas de
amolecimento dos olhos (synehisis). Meu parecer
foi acceito, e por isso comecamos logo a preparar-
nos para este trabalho.
Era esta a primeira vez que tinha de operar
olhos cataratados complicados de synehisis, e j
esuva prevenido pela leitura, de que se devia des-
confiar dos olhos ou mui duros, ou mui moles.
A falt da manifestedlo das phosfenas j me nao
admirava, pois que a lenho por vezes encontrado,
em doentes que foram operados com bom resulta-
do ; embora, pois, o amolecimento dos olhos. e a
falta das phosfenas permanecendo a sensibibihdade
para a luz, e as sombras, movimentos rpidos da
iris, boa constituico, e falta absoluta de qualquer
outra complicacao oceular, cerebral, ou geral, nu-
tria a esperanca de que o nosso doente seria
feliz.
Ancioso para ser operado icou logo o Sr. reve-
rendo, e pouco me demorara em satisfazer um tal
desejo, se urna grave complicacao se nao mauifes-
tasse entiio.
No mesmo da de sua chegada Pernambuco, o
Rvd. Sr. Bulhoes sentio grande coceira as costas;
attribuio isto ao calor da viagetn, e nao Ihe deu Im-
portancia alguma. No da seguinte no lugar da
coedra j haviam bullas que se extendiam pelo
ladu esquerdo ; tudo isto augmentava, e era sem-
pre altiibuido ao calor. No dia quiuto fui eu con-
sultado sobre estas bullas que se tornavam cada
vez mais iiieoimnodas, e reconheci um grande
cobreiro (zona) ao qual appliqoei logo remedios
apropriados para sua extineco. Este mal durou
vinte dias; e 25 todas as feridas estando cicatri-
zadas, a operffco das cataratas foi etito marcada
para o dia 29, e convidados para assistirem ella
os Srs. Drs. Joao Honorio, Moraes, Galdino, Pilanga,
e o pharmaceutico do hospital militar Benjamn)
Cinciuato, sobrinho do doente.
Estando lodos reunidos, e tudo preparado no dia
c hora marrado, dirig a palavra ao Sr. Rvd. Bu-
lhoes, pcrgunlando Me se eslava disposlo a fazer a
operaco que Ihe havia aconselhado ; respondeu-
me que sim : ento, meu padre, leudo eu uecessi-
dade para e.\ecuta-la de cortar suas carnes, e cau-
sar-ilie una pequea dr, sem intenco alguma de I
elfende-lo, e antes, ao contrario, profundamente'.
!>ossuido do desojo de prestar-Ihe um servico va-
ioso, peco-lho toda a licenca, e com antecipaco
perdo se Ihe causar algum damno involuntaria-!
mente, nao sahindo meu trabalho medida dos
seu e meus desejos; e responde-me o Sr. Rvd. Bu-
lhoes,|que de bom grado permiltia que eu exercesse
em seu corpo a miaba profissao, e que me perdoa-
ria de bom coraco qualquer incommodo que sof-
fresse, ou qualquer risco que corresse sua ope-
raco.
Foi elle ento collocado em frente de urna ja-
nella, e em allitude de ser operado, lendo por aju-
danle o Sr. Dr. Francisco Goncalves de Moraes, c
como espectadores os otilros collegas e senhores.
Assim, pois, teudo os collegas tomado suas posi-
efes, ollereci-lhes- o instrumento proprio para a ex-
linccao das cataratas (cutello de Beer), e sendo re-
cusado este meu ofTerecimento por bondade e cor-
lezania dos meus coJiegas, passei a operar o olho
direito.
O leitor nao imagina que de angustias soffri nes-
te trabalho, que de embaracos se me apresentaram;
acabei-o satisfeito, verdade, porm fatigadissimo
e doente ; o incommodo do doente era nenhum em
j vista das torturas por que eu ia passando como ope-
"1 rador, que tinha garantir minha responsabilidade
em presenca de uin caso gravissirao, cujos embara-
cos surgiam a cada passo, uns do animo do doente,
outros do olho que eslava operando; e sobretudo
em presenca dos collegas Ilustrados, e j operado-
res., que lela primeira vez me viatn operar na ca-
tarata.
Contemos por alto o que se passou, pois que miu-
damente impossivel; servir isto de exemplo aos
que duera que o medico operando nada sent, ou
que a operaco de catarata urna operacao trivial,
simples e fcil.
Na minha observacao havia eu notado, e exposlo
depois aos collegas que, os olhos do doente estvam
amolecidos e j disse que era esta a primeira vez
que opera va em semelhantes olhos.
Implantado o esteio de Pamard no lugar em que
costamo (da test para o olho em direceo obliqua
de dentro para fra) fui fazer a puneco" com o cu-
lelo de Beer, o olho amolgou-se, como urna esfera
de borracha mole, lodos os collegas presenciaram
este accidente; o Sr. Dr. Joao Honorio attribui-o a
detono da ponta do ctelo, fecbei o olho do doente,
depositei o instrumento na mo do Dr. Honorio li-
rei um outro do meu estojo e um pedaco de pe le
una, e ped aos collegas que eaamioassem a ponta
do pruneiro entelo, o que sende por todos feito, foi
adiada aguda com precisas.
J sabendo de que devia prevenir-rae, implaatei
o esteio de Pamard, quasi em direceo opposta ao
ponto em qae devia fazer a panocao, o qoe feito
fcil me foi abrir a caara anterior, desos de qu
pedi ao Sr. Rv., que conservasse os olhos fechados,
<: neta posicao eslava elle quando vi, pender sua
cabera para um dos lados e seu rosto empalidecer,
urna syncope ia manifestar se; e estando por isso
u e os meus collegas j prevenidos deste acciden-
te, evitamos urna grande queda do deente; o con-
luzraios para um sof, onde o deitamos por alguns
mina tos em posicao borisonlal.
Pouco tardn em rollar si, e pergnnlando-lhe
o que sentir, respondeume que nada, apenas a
visia escura.
Dr. S Pereira.
( Continuarse-ka.)
O Sr. lose Teixeira.
L-se no escripto do Sr. Jos Teixeira, quando
trat de responder alluso que flz as palavras por
S. S. proferidas na assembla provincial com rela-
co a importancia do projeclo dos caixelros, o se-
guinte : E' assim que para alguns peder ser
honrado o poltico qoe, vendo eslranhado por ami-
gos o tomar parle em conferencias com adversarios
dos mesmos, se desculpa, allegando sob palavra
honrada, pioceder assim para poder n-ferir-llies o
que em tes conferencias for tratado. >
Nao tendo por habito assistir conferencias po-
lticas, principalmente do adversarios, sorprendem-
me aquellas palavras, em que parece querer o Sr.
Teixeira alludir ao meu carcter; eno asdevendo
considerar ; se assim tur, seno como filhas da ca-
lumnia, e com o m de injuriar-me, provoco ao Sr.
Jos Teixeira para que de urna maneira clara e
positiva atliruie se as citadas palavras do seu es-
cripto se referem minha pessoa, porquanto a allu-
sao pode ser muitas vezes desviada perante os tri-
bunaes por aquelle que a lanca e que por ella de-
ve responder.
Acredito que a coragem do Sr. Teixeira, post a
prova por tantas vezes, o nao desamparar nest
occasio.
Recife, 4dejulhodel804.
Buarque de Maccdo.
CORRESPONDENCIAS.
Sr*. redactores.Havendo recebido ltimamente
de um amigo da Bahia, pessoa de alta jerarchia so-
cial, e subida illustraco, a carta inclusa, em que
justa e judlciosament aprecia os nossos sentimen-
tos religiosos, peco-lhes o especial obsequio do man-
da-la publicar no'seu bom conceituado Diario, sem
mencionar a assignatura do autor dessa carta, por
que nao posso, de outra forma dar-lhe publcidade,
segundo as nossas leis ; nem tambem o meu hu-
milde nome, porque Bada augment ao valor e m-
rito desse documento, e mesmo nao ha para isso
necessidado alguma.
Entretanto, para desengao dos que duvidarem
da authenticidade dessa carta, ou a julgarem apo-
chrypha, poder ella ficar em mos deVV. SS., que
nesta hypothese franquearo a leilura do seu con-
tcdo com as precisas cautellas. Por estas fine-
zas, licar-lhes-ha muito agradecido o seu constante
leitor.
D.D.
Recife, 3 de juiho de 186i.
lllm. Sr. doutor.Bahia, 23 de junhode 1864.
Recubi com a mais viva satisfaco as estimaveis
lettras de V. S. de 16 do correte, e com ellas o ar-
tigo extrahido da folha de Frankfort, que contra o
actual summo pontfice publicou o Diario do Rio
de Janeiro, e foi aqu transcripto no da Baha, o
que se encarregou de disseminar as doutrinas pro-
testantes nest capital. Com effeito estamos com
o protestantismo de vizeira levantada na nossa tr-
ra, na ierra da Santa Cruz, na trra, que tem sido
por excellencia catholica, em a qual se,est sup-
portando, que tentem contra a nossa f os que seus
antigos lilhos della expulsaran), nao se tendo que-
rido sujeitar sua domnaco por um sentimento
de independencia, e do amor de patria, que sempre
os ha de exaltar e gloriar Aqu na Bahiajiveram
os protestantes cstrangeiros sua disposic.ao as co-
lumnas do Diario, folha em que se publicam os ac-
tos ofliciaes do governo da provincia, na corte tem
as do Mercantil para combater a rcligo do impe-
rio, a sania religiao catholica apostlica romana.
Pois bem, nao permitta Deus, que se reaWsem as
previses que manifestou o Exm. Sr arcebispo na
sua pastoral de 29 de setembro de 18C2, e que o
nosso governo e todos os Brasileiros, nao tenham
de chorar muitas lagrimas : sim, nao o permitta
Deus por sua misericordia, e livre o Brasil da rea-
lisaco do que na Allemanha cscreveu um viajor,
que*por aqu passou, nao ha muito; mais trinta
anuos, disse elle, e o Brasil estar protestanlisado I
Apezar de j ler lido o artigo, que V. S. leve a
bondade de enviar-me, o li segunda vez, e como
antidoto aguardo os artigos, que V. S ainda tem
de publicar. Oh como pulverison o conego Pinto
de Campos ao Dr. Pedro Luiz Tenho-me regala-
do de ler os sens bellos artigos no Diario de Per-
nambuco. Emlim, eslava reservado nobre e va-
lente Vneta Brasileira sustentar a f dos seus
maiores com o maior denodo, essa t qae encora-
jan o seu patriotismo em pocas ainda nao muito
remotas, para quebrar cern valor as algemas es-
trangeiras e reconquistar a autonoma, que Ihes
haviam roubado usurpadores estrangeiros.
O Diaria de Pernambuco faz as publicacoes em
favor da religiao gratuitamente I Aqu pagase
peso de ouro tudo quauto manda-se imprensa a
tal respeito !
Desculpe algumas emendas, que ter esta carta,
que escrevo, depois de muita fadiga no silencio da
noite ; e receba a seguranca da mais particular
estima, com que me honro ser De V. S.
Sr*. redactores do Diario tic Pernambuco.Em
o Diario de 22 do corrente deram Vmcs. espaeo
urna publicaco pedido, assignada^O pae de
familia, a qual lendo por lini molestar ao Sr.
Marcolino Antonio Xavier, professor publico da
cadeira de primeiras lettras da villa de Ingazeira,
argnindo-lhe faltas de cumprimento de deveres do
magisterio, nos delerminou, atienta a ausencia do
nosso amigo distante desta capital 9 leguas, a en-
carregarmo-nos tambem da larefa de mostrar aos
Exms. Srs. presdeme da provincia e director ge-
ral da instruccao publica, que nao esse o pro-
fessor que o Sr. pae de familia pretende fazer
crer : pelo que contrariaremos urna una as ar-
guices que Ihe assaca a referida publicaco, a
qual antes filha do odio poltico, em que sempre
viven o Sr. pae de familia com o nosso amigo, do
que do zelo que tem pelo melhoramento luterano
da villa de Ingazeira. Se outro fosse o nosso fim,
mostraramos queni o Sr. pae de familia, ou antes
o Sr. Vicente Ferreira Lima, contiendo na comar-
ca de Pajeii de Flores, por lente Vicente !l
Assim, pois, entramos na materia que nos
propomos.
Consiste felizmente toda a arguico ao nosso
amigo em ter elle advogado e algumas vezes oceu-
pado o cargo de curador geral, contador e parti-
dor naqnelle juizo, c finalmente ter sido urna vez
interinamente promotor publico, e distrahir-se al-
gumas horas na caca.
Se considerar-se que a villa de Ingazeira se r-
sente de individuos habilitados, e que nos peque-
nos e rarissimos feitos que apparecem no foro nao
ha de quem se Jlance mo, nao para estranhar
que alguma vez o nosso amigo fosse oceupante de
alguns desses cargos, o que na verdade nao Ihe
roubaria o tempo do magisterio, e tanto mais
quanto todo o mundo sabe que os professores lem (
ferias, taes como as de Natal, Paschoa, carnaval,
os dias de fest nacional, os domingos, dias santos,
os de luto publico, e as quints-feiras, durando o
expediente nos oulros dias cinco horas lio se-
ment I
Portanto, nesses tempos seria mesmo os era que
o nosso amigo mais por saiisfazer as necessidades
de sua villa, do que por exercer outra profissao,
acelasse alternadamente um desses cargos, e se
diverlsse na caca, o que nao prohibido qual-
quer cidado.
E o que enxerga o Sr. pai de familia em ter o
nosso amigo oceupado esses cargos, senao que os
seus conhecimentos nao se limitam nicamente
a saber ensnar abe?
Quanto dizer-se, que o Sr. Marcolino tem
commettido a direceo de sua aula outras pes-
soas, nao vemos aislo um acto digno de censara, e
ao contrario proprio de encomios; pois que dese-
jando elle cumprir com os seus deveres, e achao-
do-se a sua saude em estada assaz melindroso,
conforme fra aqu reconhecido por habis facul-
tativos, para que ao deixasse de dar aula, tivesse
algurn individuo titulo de decuriSo, mas sempre
debeixo de sua immediata disciplina.
E' tambem censurado o nosso amigo pela falta
de alumnos, como se isto fosse um acto dependente
de sua vontde. Nao, Sr. pai de familia, a falt de
alumnos procede do numero limiudissimo de al-
mas que ha na villa de Ingazeira. Nao esqueca,
que no tempo em que foi ahi assassinado o infeliz
delegado Joao do Prado Ferreira, os nicos habi-
entes dessa villa eram o referido professor, o es-
crivao Jerooymo, o destacamento que guardava a
cada e urna sobrinha daquelle delegado em cuja
casa elle eslava ento, e os demais residan) lon-
go distancia em suas fazendas de gados, d'onde
naopodiam, ouna^ queriam mandar seus lilhos.
Nos, que abi tambem esti vemos, conhecemos
perfeitamente esse torro, e o proprio Sr. Jerony-
mo, e mais aquellos que quizerera fallar a verda-
de, nao nos conlestaro o que acabamos de
direr.
Dizer nm dos que faz causa cotnmum com o Sr.'
pai de familia, que o Sr. Marcolino estove suspen-
so dos seus ordenados, ignorar o que seja sus-
pensao.
Pois snspeasao o nao ter um professor queri-1
do pedir atlestados para receber seus vencimen-
tos?
Onde ha esta doutrlna ? S na cartilha do Sr.
padre Jos Antonio Alves de Brilo, que desejando
satisfazer por demais o pedido do Sr. pai de fami-
lia, levou alm o seu zelo. Este pedio que Ibe at-
testasse, qual tem sido o modo por que se tem por-
tado desde 18o3 para c ele. etc., aquelle dii que
desde 1834. Por caridade, responda-nos onde an-
dou o tempo anterior sua posse de coadjutor da
villa de Ingazeira, a qual tove logar em 2o de fe-
vereiro de i860 ? Estarla em Ingazeira ? Estamos
autorisados para Ihe dizer que nao.
E como atiesta qu desde 1852 1 Sentimos pro-
fundamente ter de contrariar um sacerdote; mas
bem do nosso amigo e da verdade, permitt-nos
que assim o Tacamos, applicando-Ihe as seguimos
palavras .Quodlibe non os fien alteri ne facias.
Sainam todos os atlestanlea que o Sr. Marcolino
Antonio "Xavier nunca foi suspenso do exercicio
das funecoes do magisterio, e que tem sido sem-
pre pago de todos es seus vencimentos, sem falta
que o desabone, em sua conducta. (Documento
n. 1.)
Chamar o nosso amigo mcio-livre em materia de
religiao, desconhecer qual a nossa; e nao co-
nhecer de perto ao Sr Marcolino. Como meio-livre
era materia de religiao aquelle, que recebeu dian-
te do altar da nossa santa religiao, com as neces-
sarias formalidades, a esposa com quem casa-
do 1 quem lem lilhos baptisados, ouve missas, e
confessa-se I Livres inleiramente em materia de
religiao sao aquellos que manrbam as mos no
sangue humano, que delapidam a fazenda alheia, c
que nao trepidan) ante considerantes honestas,
para chegar satisfaco de caprichos brutaes. Fe-
lizmente todo o defeito do nosso amigo, no espaeo
de tempo em que reside na villa de Ingazeira, o
apontado na mencionada correspondencia alim de
desconceitua-lo da estima que all goza de seus
concidados, nao s por suas maneiras joviaes, co-
mo tambem pela influencia da numerosa familia
com quem est ligado em parentesco, a qual ja-
mis poder ser desprestigiada pelo Sr. pai de fa-
milia.
Duas palavras agora ao Sr. Dr. Vicente Jansen
e ao Sr. Laurentino.
Nao nos sorprehendeu a sua denuncia, visto
como estamos interados da desharmonia que nu-
tre com o nosso amigo; o que porm estranhamos
que aproveitasse o ensejo do cargo de delegado
Iliterario, de que se acha revestido, para exercer
assim urna vinganca com e'le, vinganca que a toda
a prova, nao s menos valiosa, por partir de um
desafecto, como menos digna de S. S. em quem de-
via sobrar delicadeza, para saber guardar essa
conveniencia no cargo que Ihe foi confiado.
O Sr. Laurentino de Vasconcellos Cailaca e Bri-
lo, em outro tempo j reconheceu, que o Sr. Mar-
colino Antonio Xavier soffria bastante em sua sau-
de, pelo que Ihe aconselhou que viesse Iratr-se,
como se mostra do attestado adianto copiado fiel-
mente, sob n. i e se agora o not to cheio de fal-
las, sem duvida foram ellas dadas na occasio, em
que efectivamente elle veio a esta praca, para o
Gm indicado em dito atteslado, ou ento contra
riando-se, prestou lia,como verdad, ira machina, attestando no senti-
do que Ihe pedio, o que nos parece mais possivel.
Parecendo-nos ter destruido os fundamentos da
aecusacao feita ao nosso amigo, visto como ella
filha da intriga poltica, que infelizmente tem o po-
der de fazer de um innocente um culpado, e sendo
o desabafo de todas as paixoes, mxime nos luga-
res pequeos, como Ingazeira; cumpre-nos dizer
tambem aos Exms. Srs. presidente da provincia e
director geral da instruccao publica, como dizemos,
que o Sr. Marcolino Antonio Xavier no em nada
hostil ao pensamento do governo ; sendo antes um
dos que muito concorreu para que a situacao pol-
tica se ache na marcha de progresso, era "que vai,
nao conUndo porm que viesse a ser guerreado
por aquelles, que antes de abracarem a bandtira
progressista, io encontraram nella veterano.
Recife, 27 de junho de 1864.
Outro imparcial.
N. 1.
Illm. Sr. inspector da thesouraria provincial.
Marcolino Antonio Xavier, a bem de seu direito
precisa que V. S. Ihe mando dar por certido duas
certidocs, urna do secretario da directora geral da
instruccao publica, e outra do cartorio desta the-
souraria, as quaes se acham unidas a urna petico
do supplicantc, dirigida ao Exm. Sr. presidente da
provincia, e actualmente ero poder da contadoria
da mesma thesouraria, pelo que pede V. S. defe-
rimenlo. E R. M.Como procurador, Antonio J.da
Fonseca.
Certifique. Thesouraria provincial de Pernam-
buco, 30 de junho de 1864.-Silva: .
Certifico que as certidoes ;i que se refere o sup-
plicantc em seu requerimento suppra sao do theor
seguinte : certifico, em vi rinde do despacho retro,
que o supplicante foi prvido em 29 de novembro
de 1851, entrando no exercicio das funecoes do
seu magisterio 2 de Janeiro de 1852 ; que nao
tem nota alguma, no livro de matricula geral dos
professores, que o desabone e finalmente que as
liccncas obtidas pelo mesmo durante o tempo que
ha servido, foram todas com vencimentos. E' o
que consta do referido livro folhas 32, em rela-
co ao que requer o supplicante.
Secretaria da instruccao publica de Pernambuco,
3 de marco de 1864.O secretario, Salvador lien-
rique de AUniquerque. (Gratis.^
Em cumprimento do despacho retro do Illm. Sr.
inspector, certifico que revendo as folhas de paga-
mentos existentes no cartorio desta thesouraria,
acliei na folha do exercicio de 1851 1832, que o
supplicante principiou a receber seus vencimentos
do dia 2 de fevereiro, tendo lomado posse em 2 de
Janeiro do ditoanno de 1852, achando-se pago des-
de ento at o fim de junho de 1862 1863, sendo
que as licencas que obteve foram todas com venci-
mentos, nao existindo uota alguma contra o suppli-
cante. E' o que consta das respectivas folhas as
quaes me reporto.
Cartorio da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 3 de margo ile lsti'i. O amanuense servio-
do du cartorario, Ignacio Benlo de Lujla Juntar.
(Gratis.)
Estvam selladas.
E nada mais se continua em ditas certidoes, as
quaes me reporto, e esta passei em virtude do des-
pacho do lllm. Sr. inspector.
3-' seceo da contadoria provincial de Pernam-
buco, em o Io de jullto de 1865.
O Io esenpturario, Alexandre Americo de Caldas
BrandSo.
O contador, Antonio Cantoso de Quetroz Fonseca.
N. 2.
Illm. Sr. delegado de polica.Marcolino Anto-
nio Xavier, professor publico de primeiras letras
desta villa, requer que V. S. so digne attestar-lhe
se o supplicante acha-se ou nao bastante doente, e
se existem nesle termo facultativos, a quem possa
elle consultar a respeito de seus padecimentos
physieos. Nestes termos o supplicante pede V.
S. se sirva dar-lhe o attestdo requerido, E R. M.
Marcolino Antonio Xavier.
Atiesto que o supplicante acha-se muito doente,
e que eu mesmo Ihe tenho aconselhado que se v
tratar, por nao haver um medico neste termo.
Villa da Ingazeira, 2 de junho de 1863.
O delegado,
Laurentino de Vasconcellos Cailaca Brilo.
E porque lenho conscieuca de mim, como tenho
intima couvieco da dignidade, independencia e
firmeza de carcter de V. S., nio duvido contar
com a sua valiosa coadjuvacao em prl de minha
candidatura na eleico que se vai agora proceder.
Ausente do campo onde a eleicao vai ser dispu-
tada eu nao cont seno com a bondade e honra
de V. S., em cujas qualidades confio plenamente.
Sempre firme nos principios liberaos, para trium-
pho dos quaes nenhum esforco e sacrificio tenho
poupado, me reputo no caso de merecer a conti-
i uuaao de seu apoio.
Fica as suas ordens o de V. S. amigo, patricio,
criado obrigado
Joaquim Saldanha Marinko.
Ro de Janeiro, 7 de abril de 1864.
Srs. redactores.Apresentando-me candidato
| um dos lugares da lista trplice na eleico de se-
\ nador, a que se tem de proceder nessa provincia,
rogo-lhes o obsequio de fazerem publicar as co-
lumnas do seu jornal a circular que dirijo aos elei-
i tores especiaes da mesma provincia.
Sou com particular estima, etc.
Antonio Coelho de Se Albuquerque.
Rio, 4 de maio de 1864.
I Illm. Sr.A lamentvel morte do benemrito
Pernambucano, o conselheiro Francisco Xavier
; Paes Brrelo, deu lugar a urna vaga senatorial por
essa nossa provincia.
Animado pelas repetidas provas de estima e con-
fian ca, com que tenho sido distinguido pelos meus
: concidados, ouse pedir minha provincia a honra
de ser contemplado na list trplice, que tem de
ser apreseniada escolha imperial.
A minha vida publica nao breve, e, com a mao
em minha consciencia creio poder dizer V. S. que
s o bem do meu paiz me ha guiado em todos os
meus actos.
Se, pois, V. S. entender que o meu nome nao
deslustrar a sua list, digne-se de acolhe-lo com
I benevolencia, amparando-o com o seu voto e com
o seu prestigio e relacoes.
Terei sempre vivo em minha memoria, e ser
sempre objecto de meu sincero reconheciraento, o
obsequio que peco V. S.
Desejo V. S. muitas prosperidades, e rogo-lhe
que transmuta as suas ordens quem se prza ser
de V. S. amigo e criado, aliento e obrigadissimo
Antonio Coelho de S e Albuquerque.
Tem esta bella e rica provincia de eleger no dia
10 de juiho tres nomes, que serao apresentdos ao
j nosso Augusto Monarcha para a nomeacao de um
' senador, que preencha a vaga, que no senado dei-
xra a mu sentida morte do nosso distincto patri-
cio, o Exm. conselheiro Francisco Xavier Paes
Barrete.
Alguns eandidatos j se tm apresentado, e, li-
songeando-me com o reconhecer em todos elles
grande merecimento pelos seus talentos, illustra-
co, ser vicos e dedicacao causa publica, anim-
me a solicitar igualmente a subida honra de ser
\ eleito.
Nao encareco meus servicos, e digo apenas, que
. elles sao poucos em relacao aos multes, que tenho
desejado e desejo prestar.
as ludas polticas o raciocinio tem sido minha
i nica arma, os bons principios minha religiao poli-
tica, a exaltaco o inimgo que aborreco, as recri-
minacoes pessoaes o objecto de meus desgostos.
Amo a liberdade c a ordem, e deste duplo amor
tem resultado o nao poder simular-nie, nem comer-
me sempre que se abusa de qualquer destes dous
principios : este tributo pesado e difficil eu o te-
nho pago ao meu paiz.
Talvez nao me seja possivel dingir-me particu-
larmente cada um dos Srs. eleitores; nao pen-
sem por isso que, as occasides de dar evidentes
provas de vivo reconhecimento, o mea coraco se-
r menos expansivo do que o de outro qualquer.
Digne-se V. S. de acceitar os votos de sincera
estima e considerado do que de V. S. patricio,
venerador, servo e criado.
Recife, 10 de junho de 1864.
Francisco de Paula Baptista.
Ao piitilico.
Silvino Guilherme de Barros, sendo hoje o porta-
dor de quasi todas as letras aceitas por Francisco
Antonio de Oliveira pela importancia da compra
do engenho Guerra, sito no termo de Ipejuca, pro-
movendo j execuco contra o mesmo Oliveira por
algumas dessas letras de quantia superior vinte
c sete contos de ris, e que a respeito de algumas
outras que se vencerlo, de importancia maior de
48:0005, trata de promover a sua cobranca pelos
mcios judicaes, para o que j foi citado, previne
que ninguem faca negocio ou outra qualquer tran-
saeco com o referido engenho Guerra, escravos,
animaes, utensis para o fabrico de assucar, safra,
que tudo est hypothcoado para garanta do paga-
mento das letras aceitas pelo dito Oliveira pela
cornpra do referido engenho na importancia de
245:5005, afim de que qualquer fique logo certo
que algum negocio ou transaeco que fizer, ser
nullo. Recife, 25 de abril de 1864.
PUBLICARES 1 PEDIDO.
Ao distincto e especial corpo eleiloral desta
provincia.
Candidato senatoria o Dr. J nquim Saldanha
Marinho, dirigi cada um dos dignos eleitores es-
peciaes deste provincia, a circular abaixo trans-
cripta ; mas podendo acontecer que, muitas das
mesmas circulares, por circumstancias que se nao
pode prevenir, nao tenham chegado, e que agora
mesmo nao cheguem' ainda a seus destinos, por
isso faz-se a presento declaracao, pediado-se ao
mesmo tempo desculpa de faltas que possam appa-
recer e notr-se, e de que jamis deve ser respon-
savel o mesmo Dr. Saldanha Marinho, que s tem
motivo para confessar-se eternamente grato, ao
distincto e especial corpo eleitoral desta provincia,
que j urna vez o acolheu benigno.
Illm. Sr.Tendo solicitado do corpo eleitoral de
nossa briosa provincia a admisso de meu obscuro
nome na list trplice que foi olieron Ja ce roa na
ultima eleicao, consegu isto, e do modo o mais no-
bre c lisongeiro mim, que por tao grande consi-
deraco me confesso eternamente agradecido. Da
tribuna parlamentar eu me dirig aos eleitores de
minha provincia, e Ihes tributei ahomenagem devi-
da pelo titulo de suprema honra que me haviam
concedido.
Pela lamentvel morte do Sr. conselheiro Fran-
cisco Xavier Paes Brrelo d-se nova vaga no se-
nado, e nova eleicao vai proceder Pernambuco.
Apresento-me novamente ; reputando de minha
dignidade consulUr ao mesmo corpo eleitoral se
nos poucos metes decorridos da elei.;o em que fui
considerado tenho em alguma cousa desmerecido
do conceite em que se dignaran) ter-me os eleito-
res pernambucanos.
Declaracao.
L'm sujeito, residente em Valenca do Piauliy,
julgando-se injuriado por algumas palavras inser-
tas em urna correspondencia d'alli remettida sobre
o processo eleitoral de 9 de agosto de 64 e publi-
cada em outubro no Diario de.Pernambuco, intenta
accao de responsabilidade contra o seu autor.
Tendo a ella prestado a minha assignatura, em
cumprimento do preceilo da le, para abreviar a
sua publicaco, foreoso me foi aceitar a responsa-
bilidade della, e portanto sofTrer todas as conso-
quencias desse acto pouco reflectido talvez, mas
que era de minha honra, dignidade e (10 sagrado
dever da amisade nao recusa-lo depois.
Os juizes, que conheceram do processo por um
apego talvez excessivo ao que entenderam allega-
do e provado, e nada obstante a convceo de mi-
nha innocencia na causa, porque mesmo dos pro-
prios autos se evidencia que ahi me acho como
Poncio Pilotos no Credo, decretaran) minha con-
demnacao, mas, logo, pressuroso interpe o quei-
xoso o seu perdo.
Devo, porm, declarar do alto deste tribunal,
que se por torca dos principios e da lei nao me
permiltido recusa-lo. recuso-o morlmente e em
consciencia : portanto, recuso-o. O perdo suppoe
crime, e, merc de Deus, a consciencia ainda me
nao aecusou de haver commettido nenhum dentro
dos meus vinte e quatro annos.
E para que pela ventura ninguem isso se pos-
sa aecudir la para os recondidos recessos do futu-
ro, devo anda accrescenlar que nem directa nem
indirectamente pedi esse pedaco de perdo.
Se vai nisto a offleosidade de prestantes amigos,
pertnittam-me que Ihes agradecendo do fundo
d'alma a boa intenco, nao o aceite.
Recife, 28 de junho de 1864.
F. Licinio da S. Soares.
Pastllhas vermfugas de Kemp.
Todos os mdicos que especialmente se tem de-
dicado a cura das molestias das enancas, asseve-
ram que as pastilhas vermfugas de Kemp o re-
medio mais escolente e eflicaz que at hoje tem
sido conhecido. Acham-se ellas exclusivamente pre-
paradas com as substancias vegetes as mais salu-
tferas. O sea sabor delicioso, nao causam nau-
seas nem dores, etc., produzem o seu effeito com-
pletamente sem que seja preciso logo immediat-
mente usar de nenhuma especie de purgantes. Tan-
to as mais como os proprios filhinhos nunca des-
esperara deltas, porque se as primeiras tem com-
pleta confianca as pastilhas, estes ltimos as to-
mam com o maior prazer possivel. Desde que estas
admiraveis e ncomparaveis pastilhas foram des-
cobertas, todos os demais vermfugos asquerosos
tem sido qnasi inleiramente abandonados e dester-
rados por todos. As pastilhas vermfugas de Kemp
se acham lindamente acondicionadas dentro de
frasquinhos de crystal, nao s para sua boa expor-
taco como para sua conservacao contra todas as
vicissitudes dos tempos.
venda as tojas de Bravo & C. e de Caors &
Barbosa.
COMMERCIO.
tifandega
Rendimento do dia 1 a 3........ 54:389,1612
dem do da 4................. 21:857JJ05
76:2475117
.Hovlmento da alfandega
Yol ornea entrados com fazendas...
c com gneros...
Voluntes sabidos com fazendas...
t c com gneros...
Patacho inglez W. Af. Dodgefarinha de trigo e
kerosene.
Brigue inglezHebe of lite Exekrro.
Patacho hamburguezPctorfarinha de trig-o
Galera inglezaapliaelcarvo.
Barca inglezaDiana mercadorias.
Patacho inglezEmma locomotiva para a estra-
da de ferro.
Brigue nacionalNovo Almirante diversos g-
neros.
iniportacao.
Continuaco do carregamenlo da vapor inglez
Magdalena:
1 caxa ferragens; a J. I. Moutinho.
5 ditas fazenda de algodo, 2 volumes amos-
tras, 50 barris manleiga; a Saunders Brothers
& C.
50 fardos fazenda de algodo e madapolo, 2
volumes amostras ; a Patn Nash.
5 ca xas e 13 fardos fazeuda de algodo e chitas,
50 barris mantega, 1 embrulho amostras; a Mills
Lalham & C.
t caxa lencos de hnho, 1 dila baldes, 1 volume
anostras; aD.P.Wild&C.
23 caixas e 15 fardos fazenda de algodo, de la,
madapolo e chitas, 1 embrulho amostras; a Fer-
reira Matheus.
1 caxa ferragens; a C. Walter.
1 dila queijos 1 dita biscoutos -. a Pereira & C
46 caixas e 5 fardos fazenda de algodo; a J.
Ryder Si C.
1 dita ignora-se; a Pafechett.
1 embrulho fazenda; ,a J. M. Creath.
2 centos plantas; a G. F. Neeaham.
i volume papis; a Antonio Luz de Oliveira
Azevedo.
50 barris mantega; a L. Jos da Costa Aroorim.
50 ditos dita; Palmeira & Beltro.
100 ditos dit, 55 caixas queijos, 1 dita arreios
para cavados; a Tasso Irmos.
30 ditos dita; a Jos M. da Roza.
13 ditos dila, 2 ditos presuntos e 2 caixas quei-
jos; a M. Jos G. da Fonte.
50 ditos dita, 30 caixas queijos, 1 volume amos-
tras ; a J. Pater & C.
1 caxa livros; a II. Forster.
2 embrulhos amostras; a Antonio V. da Silva
Barroca.
1 caxa roupa; a S. Sherrng.
1} ^ volume amostras; a Adanson Howre & C.
1 embrulho impressos; a C. L. P. Roeck.
i caixa relogios; L. A. Siqueira.
1 embrulho livros ; a London & B. Bank.
1 caixa diversos objectos; a Manuel M. de Arau-
jo Castro.
1 caixa livros; a A. M. C. Soares.
1 embrulho amostras; a Sempson & C
3 volumes amostras; a T. Jefferies.
1 dito ditas; a J. Gaeroby.
i embrulho amostras; a Naef Nadls.
1 dito ditas; a Greennup Scnwind.
1 dito ditas; a J. Ryder.
1 dito ditas; a Schafheitlim l C
1 volume amostras; a J. de Araujo.
1 dito ditas; a Moohard.
i dito ditas; a R. Lighlbovon C.
1 caixa dinheiro; a Maooel J. de Oliveira &
Santos.
1 embrulho galoes; a Gabriel Antonio C
Brigue nacional Amelia, entrado do Ass, consig-
nado a Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C,
manifestou o seguinte:
30 molhos depalha e 2,149 alqueiresde sai; a
ordem.
ExporttacS*.
Barca ingleza Citij of the Sultn, carregon para
Liverpool, 3,300 saceos com 16,500 % de assucar
mascavado e 1,217 saceos com 6,454 $ e 21 Y de
algodo.
Brigue hespanhol Vigilante, carregou para o Rio
da Prala, 700 barr cas com 5,362 (B e 7 A> as-
sucar bianco, 430 ditas com 3,364 % e 29 de
dito mascavado.
Brigue portuguez Constante, carregou para Lis-
boa, 9 barricas com 2 i) e 4 x de assucar braceo,
3,367 saceos e 2 barricas com 16,853 "a de Uto
mascavado, 328 couros salgados cum 7,978 a :t
cascos com 6 medidas de agurdente e 301/ i de
ossos.
Polaca hespanhola Taha, carregou para Barce-
lona, 258 saceos com 1,325 $ e II de algodo,
2,000 couros salgados com 58:305 .
Polaca hespanhola Hermelinda, carregon para
Barcelona 550 saceos com 3,023 ; c 23 \

TABELLA DO RENDIMENTO DA ALFANDEGA DE PERNAMBUCO NO MEZ DE Jl'NHO DO
CORRENTE ANXOFIXANCEIRO, COMPARADO COM O DE IGL'AES MEZES DOS DCX'S ANNOS
LTIMOS.
ImporliUMO.
Direitos de mporteco para consumo. .
Ditos addicionaes d 5 %......
Ditos addicionaes de 2 /o......
Ditos de baldeaco e reexportcao .
Ditos de ditos e reexportacao para a Cost
d'Africa...........
1863 1864
Expediente dos gneros estrangeiros nave
gados por cabetageui.......,
Ditos dos gneros do paiz......
Ditos dos gneros livres.......
Arinazenagens..........
Premio dos assignados ..-..,.,
Despach martimo.
Ancoragem............
Ditos de 15 % das embarcacoes estrangeiras
que passaui a nacionaes......
Ditos de 3 % na compra e venda das embar
caces ............
Exportacao.
Direitos de 13 % do pao Brasil ....
Direitos de 5 % de exportacao .....
Ditos de 2 /o addicionaes.......
Ditos de 2 % de exportacao......
Ditos de 1 % de ouro era barra.....
Ditos de V2 % dos diamantes......
Expediente das capatzias.......
Interior.
Multas..............
Sello do papel lixo........,
Dito do papel proporcional.......
Emolumentos..........
Imposto dos despachantes......
Extraordinaria.
Receita eventual.........
Dzinios da provincia das Alagas. .
Ditos da provincia da Parahyba ....
Ditos da provincia do Rio Grande do Norte.
Contribuido de caridade.......
429:3375407
58:5105662
865370
75857
5
1:4965734
9945572
45266
1:4795420
5
1:7025650
5
45000
5
81:1445308
32:4575558
15216
5
5
1:3935180
5285961
4315820
12o5580
365000
6315250
610:9365341
1.539525'.
7:0265361
3485921
2985365
620:1495442
1X02 1863
225:4745253
26:8975893
345536
2755:124
2995672
7175372
2955158
3:158*068
~5 ^
1:4225300
7505000
5
24:0965983
9:6385880
5
145472
5
6365O00
3045647
4115200
1145X811
505000
1755000
5
1861 IM2
270:2835157
31:597562.:
2455:'
295:100
61351D-
1:17959.2
4095275
1:7785115
5945:f9'.'
296:76656:18
1:5005660
2:0385556
4795783
2385975
301.0245614
10H3f>
I
:I805 5
:157JMS
15 6'.25'1>
5
o
5
602526.-.
4685-Mil
1755K40
5185750
4752 K
385960
366:60758:17
l:C3S539U
lV5: ''
1:45*5701
4375600
:t70-.3l*x.>
Alfandega de Pernambuco, 30 de junho de 1864.
O 3 escrtMararie,
J7<> Bernardo Diniz Prsxm.
Reeebedoria de rendas internas
gerae9 de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 3........ 2:7895448
dem do da 4................. 2:1145769
4:9045217
Consulado provincial.
Rendimento do da 1 a 3......... 7:6115262
dem do dia i................. 7:9245883
15:5365147
800
722
Descarregam no dia 5 de juiho.
Barca portugueza- Corsa -diversos gneros.
Brigue portuguez Confianca diversos gneros.
MQYIMENTQ DO PORTO.
-Vacos entrados no da 4.
Ass 12 dias, brigue nacional Amelia, de 228 to-
neladas, capito Joaquim Antonio do Soccorro,
equipagem 13, carga sal; a Antonio Luiz de oli-
veira Azevedo & C.
Nuw Zewland73 dias, barca inglez Napier, de
687 toneladas, capito C. Pherbridge, equipa-
gem 17, carga la ; ao capito. Veio refrescar.
New Zewland90 dias, tendo sahido de New Ber-
ford a 49 mezes, palera americana Daniel Wood,
de 345 tonelada.-, capito G. Richmond, equipa-
gem 25, carga azeite de peixe ; ao capito. Veio
refrescar c seguio para New Bedford.
Ro de Janeiro 14 dias.Barca ingleza Bleng, de
215 toneladas, capito Charles Christeson, equi-
pagem 9, em lastro; a Southall Mellors Cette 102 dias, brigue inglez Iris, de 199 tonela-
das, capito John Corren, equipagem 8, carga
sal e vinho ; a N. O. Bieber & C.
Navios saludos no mesmo dia.
Barcelona.Sumaca hespanhola Talia, capito Jay-
me Mass, carga assucar e algodo.
Lisboa.Brigue portuguez Constante, capito Sil-
verio Manuel dos Res, carga assucar, couros c
outros generoe.
Observacao.
Suspenderam do lamaro para o Rio de Janeiro
o brigue brasileiro Guilhermina, capito Joo Cor-
rea dos Santos com a mesma carga que trouxe do
Ass.
dem para a Parahyba barca ingleza Zeletla, ca-
pito F. W. Priesl, com o mesmo lastro que trou-
xe do Rio de Janeiro.
EDITAES.
0 lllm. sr. inspector da thesouraria provin-
cial manda fazer publico que o thesoureiro da mes-
ma thesouraria est autorisado a pagar, do da 8
do corrente por diante, os juros das apolices da
divida publica provincial, vencidos ateo ultimo de
junho prximo lindo.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco Io de juiho de 1854.O secretario,
A. F. d'Annunciaco.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial manda fazer publico, que o thesoureiro da
mesma thesouraria esta autorisado a pagar do dia
8 do corrente por diante as apolices da 3* serie da
divida publica provincial.
E para constar se mandou publicar pelo jornal
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 1 de juiho de 1864.
0 secretario,
A. F. d'Annunciaco.
DECLARARES.
B Acha-se nest subdelegada um caixo com
sabo qae nm preto andava offerecendo i venda e
por se presumir furtado, e se pedir explicacoes, o
dito preto o abandonara : quem for seu dono com-
pareca, que provando, Ihe ser entregue.
Subdelegada da freguezia de Santo Antonio do
Recife Io de juiho de 1864.
. O subdelegado,
Manoel Antonio de Jess Jnior.
Consolado |iio\iiilmil.
Pela mesa do consulado provincial se faz pnfcliti
que no dia 7 de juiho corrente tindam-se o- :;>>
dias uteis marcados para a cobranca a bocea do
! cofre do 2" semestre do anno fioanreiro lindo c
! 1863 1864 dos impostos da dcima urbana, o.-
consumo de agurdenle, e de 5 0|0 sobre os ben-
' de raz pertencentes corporacoes de mo ni irla
I licando sujeitos a mulla de 3 O'jO sobre os seus de-
1 hilos lodosos que pagarem depois daquelle dia.
Mesa do consulado provincial de Pernacibu.
> 1 de juiho de 1864.
Antouio Carneiro Machado Fos,
administrador.
O abaixo assignado, lancador da receliedoii..
de rendas internas geraes, pelo prsenle faz s rt
aos donos dos diversos estabelernnentos do burro
do Recife, que no dia 4 do correle da principio
lancamento do imposto de 20 por cento, seguin:
pel caes da Alfandega, ras da Cadea, Cruz, Lio
goela, Tanoeiros, Torre, tueco do Abren, fraytebe,
praca do Commercio, Vigario, Encantamento. Ca-
cimba, Madre de Deus, travessa da mesma, ra !.
Burgos, Codorniz, Lapa, Moeda, Araoriro, largo d..
Assembla, ra do Costa, e que devem ter promp-
tos os seus recibos ou papis de Iratos para taran
apresenlados, e em vista dclles ser feito o orneen
do mesmo lancamento, como dispe o artigo 37
seus paragraphos, do ivgulamento de 17 de marco
de 1860. .
O lancador,
Jos Jeronymo de Souza Limoeiro.
O abaixo assignado lancador do coosuUdo
provincial, avisa aos senhores proprietnos de pre-
dios urbanos, e donos de esta bolee mentos da fre-
guezia de S. Jos, que sendo nonieado por portara
do administrador do mesmo consulado, datada de
20 do corrente mez para proceder aos tlinVr-nt. -
lancamentos dos impostos ja criados, e ltimamen-
te outros pela assembla legislativa provincial, qae
tendo de dar principio aos seus Irabalhos do dia 27
por diante, pede aos mesmos senhores que tenham
promptos os seus recibos, e mais documentos in
herentes ao que diz respeito, afim de que possa o
mesmo lancador proceder com regularidade, igual-
dade e sem veame das partes, os referidos lanca-
mentos; assim como para garanta dos mesmos se-
nhores deitar o seu visto nos recibos e mais docu-
mentos que Ibes forem apresentdos, segundo de-
termina o regulamenfo.
Mesa do consulado provincial 25 de iuobo do
1864.Ulisses Cockles Cavalcanli de Mello.
Arrematact.
Anda em praca para ser arrematada pelo juizo
municipal da 2' vara, escrivo Baplista,a mei-agua
n. 33, sita na ra de Hortas, freguezia de Santo
Antonio, pertencenle Andrde Abren Porto e sua
mulher, em virtude da execuco qoe Ihes move a
Santa Casa da Misericordia desta cidade.
Consulade de Pertnfal.
Sao chamados os credores do ausente Manoel
Crrela de Souza apresentrero dentro do praso
de 15 dias os seos ttulos de crdito para ser
verificados. Recife 27 de junho de 1864.
Conselho administrativo.
O conseibo administrativo para fornecimemo do
arsenal de gaerra tem de comprar os objectos
seguintes :
Para o presidio de Fernando.
Capa-rosa 5 libras, linhas pardas 1|2 arroba, re-
traeos de vidro 1 caixa, laixas para saltos 1 qam-
Ul, laixas de encoslar 1 quintal, taixas de palrm-
ihar 2 arrobas, cera do abelbas 2 gamellas.
Uuem quizer vender tes objectos, aprawte a
sua proposta em carta fechada na secretaria o-
conselho, as 10 horas da manhaa do dn 11 do
corrente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 1* de jalao de
1864.
Antonio Pedro de Si Barrito,
Coronel-presidente.
Sebasltao dote Basilio Pyrrko,
Vogal-secretario.
Hoje tem de ser arrematado de venda, depois
de meio dia, na porta da casa aa roa de Heras a
22, o espolio de Carolina Mara da Conceicao,
assistencia do Dr. juiz de ausentes.


W
l
M
HHMMMP
Diarto de >eraambneo Tere lelra & de Jnlh de i4.
Conselho administrativo.
0 couselbo administrativo para forneciment do
arsenal de guerra tem de comprar os objeclos se-
guintes:
Para o 9 batalho de Infantera.
Espadas com hainhas de ac 2, fiadores de eouro
preto eovernisado 2, talhins de dito I, cananas de
dito 2.
Para a enfermara do corpo da guarnicao
da Parahiba.
Jarras de barro 3, copos de vidro para agua 6,
copos pequeos para remedio 4, cali* 3, comeres
de sopa 48, colhens de cha JO, casticaes de lateo
2, escarradeirasde latao64, espaleta de osan 1, ta-
lheres 36, eacarolns 2, chicaras de louca 20 pires
10, oorins de loaca 2!, pratos de 1005a 80, da-
leiras 2, manteigueira I, bule 1, caldeir5es 2, ban-
deija 1, cobertores de la 34, brreles de la 118,
camisas de ilanella C, meias de 13 8 pares, col-
indes 52, travesseiros 57, oleados para camas 2,
pedra de afiar 1, chinellas 79 pares, cilhas 2, ba-
cas de rame i, rede de tapoarana 1, brim tran-
co 409 1|2 varas, algodotinbo 391 1|2 varas, chi-
ta 810 co vados.
Quera quizer vender taes objectos aprsente a
sua proposta em carta fechada na secretaria do
conselho as 10 horas da manhaa do dia 8 do cor
rente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
3furnoeiment do arsenal de guerra 27 de junho
de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel, presidente.
Setmttao Jos Baztlio Pyrrho.
Vogal secretario.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tena de comprar os objectos se-
guintes :
Para o 9' batalho de infantera.
Panno verde fino covados 10$.
Para o 4* batalho de artilharia.
Bonets para soldados 56, mantas de la 41, pla-
tinas para soldadas pares 12, platinas de msicos
pares 2, bonets de dito 2, panno azul fino covados
10, galio de prata de urna polegada varas 4, galao
de dita de 1|2 dita varas 3, botes grandes pratia-
dos com bomba 28, botSes pequenos ditas com
dita 12.
Para o corpo de guarnicao do Ceara.^
Botoes grandes de metal amarello lisos 2313.
Para o hospital militar.
Cobertores de la 50, camisas de meia 24, panno
murmurio 1, calix de vidro 24, copos 12, chicaras
2i, pires 24, cassarollas de ferro forrada de por-
celana para 8 libras 2, cassarollas de dito dita di-
ta para 6 libras 4, cassarollas de dito dita dita pa-1
ra 4 libras 4, cassarollas de dito dita dita para 3
libras 2, facas de mesa duzias 6, garfos de dita du-1
zias 6. colheres para soupa duzias 6, brim branco
varas 2418, chita de coberta covados 108.
Quem quizer vender taes objectos aprsente a
sua proposta em carta fechada na secretaria do
conselho, s 10 horas da manhaa do dia 13 do cor-
rente mez.
Sala das sessoes do conselho administrativo para ;
fornecimento do arsenal de guerra, 4 de julho
de 1864.
Antonio Pedro de St Barreto,
Coronel presidente.
Stbastio Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
laspecce do arsenal de ruarinha.
Faz-se publico que a commisso de peritos exa-
Cemianhia PernambHcana
M
.^avegacao costelra a vapor.
Paribiea, Natal, Mac o, Aratatv, Cetra, Aearaeu' e
franja,
O vaeor iat*mibe, comman-
dante Lobato, segu para os por-
4o nono no dia 7 de julho as 5
da tarde. Desde j recebe
M e' dia 6. Encommen-
das, passageiM *t*M* a (tete at s 2 horas
da tarde, do *** saWd*: escriptorio no Forte
do Mattos n. 1. _______
e ao leste com trras do S Aadr. O leilo ser
effectuado no escriptorio do referido agente ra
da Croa n. 38, p ideado os pretenden tes desde j
examinarem o raesrao engenho._____________
LE1XA
DE
Novis, 1 mulatinho de 16 a 17 anuos
de idade, 1 reltgtt de uro patente
Rfki, 1 tranceln de aro com cas-
soleta, diversos ntcncilios de casa
etc.. etc.
Quarta-fcira* de jalo* as 11 bores da manhaa
m armaien 4a roa da Cadeia da Recife
amero 48.
O agente Olimpio far leilo dos objectos cima

Olimpio Ferreira da
AGKNTE DE LEII.0KS
Ra da Carleo do Recife
Primeiro andar.
Silva
CASA D4 FORTUNA
alienada Carolina
Correia Duarte de Albuquerque e mandado do
Illm. Sr. Dr. juiz dos orphos, bem como trocar
particularmente diversas iinagens de madeira per
tencentes a mesma alienada.
C0MPANH1A PKRNAMBUCANA
i
Navegacao caatalca vapor.
Maceio e escato.% rene* e Aracaj.
O vapor Persinunga, comman-1 reqerimento do curador da
dante Ratis, segu para os portos
do sal no dia 5 de julho s 5 horas
da tarde. Desde ja recebe carga
'at o dia 4. Encoramendas, pas-
sageiros e dinheiro a frete ^at s 3 horas da
tarde do dia da sahida : escriptorio no Forte do
Mattos n. 1._________________Jip__________
COMPANHIA PERNAMBU6ANA
DE
NavegaeSa casteira a vapor.
Ilha de Feraaodo de Naronba.
No da 14 de julho ao meto dia
segu o vapor Parahiba, com man-
dante Martins, para o presidio de
Fernando de Noronha. Recebe j
_ 'carga at o dia 13.
das, passageiros e dinheiro a frete at o
sahida as 11 horas escriptorio no Forte do Mat-
tos n. 1.
LEILO
DE
Urna caa na povoaco da Varzea.
QuarU-feira 6 de julho.
O agente Pinto tari leilo precedida a compe-
tente autorisaco de urna rasa de tapa coberta de
tena sita na povoarSo da Varzea. ctrn a frente pa-
ra a ra do Fogo, com 2 salas, i qaartos e cosi-
nna fra, assm como o terreno em que est a dita
EncoTnrnen-1 casa com 18 palmos de frente e 280 de fundo com
at o dia da alguns arvoredos, s 10 horas do dia cima dito
em seo escriptorio roa da Cruz n. 38. ^^^
Para.
Segu por estes dias para o indicado porto, em
direitura, o bem conhecido brigue escuna nacional
Graciosa; anda pode receber alguma carga : a
tratao com Antonio de Almeida Gomes, na ra da
Cruz n. 23. primero andar.
SaOTftSaft^
Urna vacca
DE
Urina com
cria.
AOS 10:000.000
Bilhetes garantidos
A' roa do Crespo n. 23 e casas do eostume
O abaixo assgnado tendo vendido nos seas mul-
to felzes bilhete garantidos o meio n. 3327 com
a sor te de 6:000*000, e n. 928 com 1:400* e nu-
tras multas de 200*, 1005, 40* e 205 da lotera
* que se acabou de extrahir a beneficio da igreja de
Santo Amaro de Jaboatao, convida os possuidores
de ditos bilhetes a virem receber seus respectivos
premios sem os descont* da le, em MU ostabe-
lecmento ra do Crespo n. 23.
O raesmo tem exposto venda os novos e felizes
bilhetes garantidos a beneficio da igreja de N. S.
I da Boa-Viagera, que se extrahir sabbado 9 do
correte.
Procos.
Bilhetes inteiros..... 125000
Heios......... 6*000
Quartos........ 3*000
Para as pessoas que compraren)
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 11*000
Meios......... 5*500
Quartos........ 2*750
Mantel Martins Piuza
Precisa-se de urna ama que saiba coznhar e
engommar, para casa de ponca familia : na ra
do Ranget n 33.
RA DO QUEIMADO NUMERO 11
Luja de fazendas d' Augusto Frederic) dos Santos Porto
Chapeos para senhoras.
Chegaram de Pars as mais lindas chapelinas e chapeos de palha da Italia para senhoras.
Ricas capas e sootembarques de seda preta e casemira de cor para senhoras.
Cortes de superior morentique branco para vestidos de noivas.
Camisas inglesas multo superiores para homens, pellos, punlis e colarinhos de inho.
Chapeos de seda para cabera e chapeos de sol de seda inglezes.
Leucos de labyrinlho francezes a 1-5 cada un.
Camisas de menino muito superiores.
Cortes de la de barra para vestidos de senhoras de 13* a 18*.
A mesma loja tem o maior e mas superior sortintento de
Estotras para salas.
Neste estabelcci ment encontraroos senhores que precisaren! forrar suas
otda e qualquer quantidade que desejarem de 4, a e 6 palmos de largura, sendo
superior e por mdico preco.
salas com esleirs
a qualidade nimio
ROUPA FEITA

Para a Baha
do Recife n. 48.
O agente Olimpio no dia, hora
Precisa-se de urna pessoa para en-,
Quarta-feira 6 do corrente s 11 horas, carregar-se de cobrancas miudas nesta c-
Nafortado abmazem barca da Cadeia fafat marcndose ordenado ou porcenta-!
e lugar cima gem, devendo prestar fianca: pode dirigir-} |
linda vacca turina se livraria ns. 6 e 8 da praca da Indepen-,
^XE^WZSSZ tt3tt&72s5S rtencia,ern carta fabada'com sUbscriPro |
prompto : para o resto que Ihe falta, trata-se com acostumada ao pasto e da grande quantidade
os seus consignatrios Antonio Lniz de Oliveira '(
Azevedo & C, no seu escriptorio ra da Cruz nu-
mero 1.
NO
ARflAZEH
DE
LETREIRO VERDE.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa ei de
toda as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para s nboras,
homens e meninos.
Casacas de panno preto, 35 e 30/1000 Ditos de setira preto. .
Sobrecasacas idem, 305 e 25,5000 Ditos de ditos e seda branco,
5,5000;
ile
LEILOES.
LEIL.JLO
DA
lletade do sobrado de 2 andares sito
ra do Padre Mariano n. 21.
iso.fi;
Terca-feira o de jultn sll horas.
O agento Olimpio acha-se autorisado a vender
em leilo a metade do sobrado de 2 andares na
ra do Padro Florianon. 21, chaos proprios e ren-
de mensamente 42*.
Os pretendentes podero entender-se
com o re-
o casco, machina, caldeiras. apparelho. mastrea- metade do referido predio.__________________
cao. veame, amarras e ancoras do vapor Peesmiin- p i i
y(i,dacompanhialVrnambucanadenavegaraocos- LLlLllU
teira, achou tudo em regular estado.
Inspeccao do arsenal de marinlia de Pemambu-
co, 2 de junho de 1864.
DE
O inspector,
11. A. Barbosa de Almeida.
Correio eral
Fazendas avadadas.
IIO JE.
Hobert Llghtbownn & C. farao leilo por inter-
vengo do agente Pinto e por conta e risco de
1 quem pertencer da alguns madapoloes, chitas c
Pela administraoao do correio so faz publico que jjrias com avaria (Tagua salgada, s 10 horas do
ho|e C) pelas 3 horas da tarde em ponto fechar- da acma di0 em sen armazem da ra da Cadeia
se-haoas malas que tem de conduzr o vapor eos- n 35
teiro Persinmvjn com destino aos portos do sul ato
Aracaj. 0< jornaes serio recetados at 1 hora
de referido ca, e as cartas admettidas seguro
at i l|2 hora.
Arremalaca:.
No dia 6 do corrente julho, linda a audiencia do lies efll CliaOS propriOS.
juizo municipal d.% 2* vara, escrivao Baptista, ser | Cordeiro Simocs levar pela terceira vez lei-
arrematada a m.'i-agua u 33. sita na ra de Hor- |ao por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do
tas, fregoezia de Santo Antonio, pertencente a An- commercio, os predios situados na povoa5.I1 do
dr de Abren Parto e sua mulher, em virtude da Monteiro pertencenles a massa fallida de Joaqulm
Vieira Coelho & C, reqerimento dos adminis-
tradores de dita massa, servindo d>? base a maior
offerta oblida em leilo no dia 2 do corrente mez.
Terga-feira 5 do corrente s 10 1|2 horas, por-
ta da Associagao Commcrcial.
LElLftO
IETIAO
DK
Predios na povoaciM do Slonleiro e to-
etecucSo que Ihe move a Santa Casa da Misericor-
dia desta cidade.
I
COHAEIO GIRaL.
Relaco das carias seguras existentes
na adrainistracao d correio desta
cidade para os senhores abaUn de-
clarados
f)r. Antonio Jansom da Malta Pereira.
Dr. Antonio Joaquina Rodrigues Jnior.
Braga & Antunes.
Francisco de Mello Barreto.
Coronel Francisco de Paula Souza Lf-o,
Francisco Moreira da Costa.
Joaqiiim da Bocha Freir (2).
Dr. Joao Ferreira de Oliveira e Silva.
Jos Joaquim Alves de Amorim (2).
Mara da Conceigao dos Santos.
Pela ihesooraria provincial se fai publico
.me arremataco dos reparos do embarreamento
da estrada do sul, entre os marcos de 2,000 a
8,000 bracas, foi transferida para o dia 7 de julho
prximo vindouro. .
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nanibuco, 30 de junho de 1864.
O secri-tar'o
A. F. da Annunciagao.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que arremataco dos impostos do dizimo do ga-
do vaceum as comarcas do Bonito, Brejo, Garan-
liuns, Flores, Boa-vista, Tacarat e Cabrobo, fot
transferida para o dia 7 de julho prximo vin-
douro. .' _
Secretaria da thesonrana provincial de Fer-
nambuco, 30 de junho de 1864.
O secretario
A. F. da Annunciaco.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesouraria
de fazenda de Pernambuco se faz publico que a
mesma thesouraria, em virtude das ordens do
thesouro ns. 69 e 82 do 7 e 18 de junho ultimo,
rha-se autorisada a pagar diversos credores de
dividas de exercicios nudos. As pessoas inte-
ressadas devero reqnerer essa thesouraria o
pagamento de suas dividas.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 1" de julho de 1864.
Servindo de offlcial maior
Maaoel Jos Pinto.
Arremataco de predios.
No da o do corrente, pelas 12 horas da manhaa,
na sala publica das audiencias e depois da audi-
encia do Sr. Dr. jniz municipal da 1 rara tem
de ser arreraada por venda urna casa pequea de
ra
Movis, crystaes e outros ?/i-
los art gos
As 11 horas no armazem da ra da Cadeia do Itr-
rife n. 18.
O agente Olimpio vender en leilo urna mobi-
lia de Jacaranda, 1 guarda roupa de mogno, 1 la-
vatorio com pedra, 1 cama franceza de Jacaranda,
1 guarda vestido, 1 secretaria, 1 santuario de Ja-
caranda, 1 banca para advogado, 1 apparelho de
louga para jantar, 1 dito dourado para almoco, ta-
petes, 1 apparador, camas para menino, barcos,
candelabros, serpentinas, lanteroas, djnadras, es-
pelhos, toucadores, marquezas, cabides, quarti-
nheiras e outros muitos artigos de gosto que en-
contrarao os pretendentes na vespera e da do
leilo. _________^__________________
LE LIO
PREDIOS
Um sobrado na ra Imperial n. 64, com 40 pal-
mos de frente, 180 de fondo, tendo no andar ter-
reo duas salas, alcova, gabinete com um quario,
cosinna e um grande salo com 7 quartos, o pri-
mero andar tem urna grande sala, 2 alcovas, 1
quarto no corredor, sala de detraz com 2 enmari-
nlias, urna grande sala de jantar, cosinlia e um
quarto ao lado, um grande sotan com urna sala e
4 quartos, grande cisterna, cacimba, estribara'
cocheira e grande quarto para guardar carro-
gas, 2 grandes quintaes tendo um delles um bcilo
jardim, o outro plantado com diversos pes de ?a-
potizeiros e outros arvoredos, tendo ambos 200
palmos de largura e 140 de fundo.
Uina casa terrea na mesma ra n. 66 com 2 par-
tas de frente, 2 salas, 2 grandes quartos, cosinna,
quintal, cacimba e mais 2 quartos fra.
Um sobrado de 2 andares na ra do Livramento
n. 9, tendo cada um andar 2 salas e um quarto.
Qntnta-felra 9 do corrente.
O agente Almeida far leilo por autorisacao da
caixa filial dos predios cima mencionados, a por-
ta oa Associagao Commcrcial, s 11 horas do dia
cima.
F. F. M.
- Ao Mr. Elias Cordeiro CJln-
trpreeisa-se fallar a negocio de
sen interesse, na padarla da ra
xHrelta n. 84.
Escriptorio de advocara no Kio
Grande do Norte.
O abaixo assignado tem aherto o seu 3jK
escriptorio de advoracia na villa do Cea- S
r-meirim no Bio Grande do Norte, onde jP?
pode ser procurado para os negocios de |S|
sua profissao. y
Manoel Ferreira Nobre Jnior. 2B?
mmmmmmmm-mmmm
Quem quizer alugar urna boa casa ter-
rea ra da Uniao. dirija-se casa n. 10
ra da Aurora que achara com quem
traiar.
Paletos idem e de cores, 250,
200, 150 e......100000
Ditos de casemira, 200, 150,
120, 100 e...... 70000
Ditos de alpaca, 50, 40 e .
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50, 40 e......
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 6.
0R Ditos branco de linbo, 60,50 e
60 e.......50000;
Ditos de gorgario de seda
pretos e de cores, 60, 50 e 40000}
Colletes de fusto e brim bran-
co, 30500, 30 e 20500
Seroulas de brim de linbo,
20400 e......25000
Ditas de algodo, 10600 e. 10400
30000 Camisas de peitos de linho,
40000 40, 30 e......20500
30500
30500
Ditos de merino preto de cor- Ditas de madapolSo, 20500,
d5o, 100, 70 e..... 50000 20 e........
Calcas de casemira preta, 120, Cbapos de massa, pretos fran-
100, 80 e...... 70000' cezes, 100, 90 e .
Ditas de cores, 90, 80 e.
John Lilly subdito inglez retira-se para In-
glaterra levando em sua companhia sua mulher,
3 lilhos menores, a menor Mary Kraus e urna
criada.
a
Ditas de meia casemira de co-
res, 50000 e.....
Ditas de princesa e merino pre-
to de cordo, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Colletes de velludo preto e de
70000 Ditos de filtro, 50, 40,30500 e
Ditos de sol, de seda, 120,
40000 110, 70 e......
Collarinhos de linho flno, ulti-
40000 ma moda du/.ia. .
Sortimento completo de grava-
20500 tas.
20500 Toalhas para rosto, duzia, 110,
1 e........
ores, 90e. ..*... 70000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
Ditos de casemira preta, 50 e 40000 tos e de cores.....
Ditos de ditas de cores 50 Lences de bramante de linho.
4,5 e........30500 Cobertas de chita chineza.. .
10OO
80500
20000
60000
60OCO
0
60000
40000
30000
20500
11 o ai:
Terca-feira 5 do corrate ao meio dia
na escriptorio do agente Olimpio na ra da
Cadeia do Recife 11. 48, 1" andar.
O agente Olimpio vender em leilo sem mni-
ma reserva de prego urna porgao de mindezas.
LEILO
DE
Boje, 5 de julho, primeiro anniversario do
fallecimento de Miguel de Almeida (Jomes,
manda Amonio de Almeida Gomes celebrar
una missa s 8 horas e meia da manhaa,
na igreja de S. Francisco, pelo eterno repon-
so da alma daquelle seu chorado imio, e
pede aos amigos deste e aos seu?, que hon-
rem com sua presenca este acto religioso, o
qoe aniecipadament Ihes agradece._______
Cansa riso.
O protesto do Sr. Antonio Jos Cordeiro Simoes
(agente de leilSes) contra o liquidalario da tirina
de Barbosa & Simoes, sobre aprestos de seus or-
denados como ex-caixeiro da dita firma, tenho a
responder ao mesmo senhor que seus ordenados
foram feitosporseu mano e mcu ex-socio, ordena-
dos que me parece serem mais que suflicientes ;
emquanto ao mesmo senhor dizer que ignorara o
quanto ganhava, nao posso acreditar, pois seus or-
denados eram todos os annos fechados, e os li vros
! estavam disposicao pera os ver; mas, o mesmo
senhor nunca se lmbrou de seus ordenados senao
no fim de quinze mezes. isto depois que o socio
Altenco.
Precisa-se de um moleque para todo o servigo :
quem o tiver para alugar dirjase ra da Cruz
n. 11 loja.
Movis e obras de prata.
Quinta-feira 7 de julho.
O agente Pinto far leilo por conta de diversos
e sem reserva depregos de urna mnbilia de ama-
rolln 9 nuraiiMM ranrf.eirns de fraz camas de ItQUldatario Ihe mandou pedir a quantia de......
mesas,
ss^s 8SSSr5SSS3
DE
UM ESCRAVO
Aureliano Augusto de Oliveira autorisado_ por
urna pessoa de sua amisade, vender em leilo no
da cima indicado um cscravo ptimo marioheiro
de 30 a 40 annos de idade, na porta dos Srs. Pal-
meara 4 Beltrao.s 11 horas.
LEiLJkO
DE
Sapatos de borracha para hemem e
senhora.
Qnarta-feira.
O agente Pestaa vender em leilo por conta e
risco de quem pertencer 47 caixas com sapatos de
borracha para homem e senhora parte com defeito,
os quaes sero vendidos sem a menor reserva de
prego para fechar factura : quarta-feira 6 do cor-
rente pelas 10 horas no armazem do Annes defron-
te da alfandega.
LEILA
DE
40 barricas com farinha de trigo
Quarta.feira 0 do corrente.
O agente Pinto, far leilo reqerimento do
depositario geral e por despacho do Illm. Sr. Dr.
juiz especial do commercio, de 40 barricas com
farinha de trigo existentes no deposito geral, as
quaes verara do Rio de Janeiro ignorndose a
quem dirigidas: o leilo ser effectuado s 10 ho-
das, bacas de (landres, castigaos rom mangas, es
cadas de mo, salvas, hacase jarros de prata do
Porto, existentes no armazem da ra do Trapiche
n. 40, aonde se effectuar o leilo s 10 horas do
dia supradito.
GR4NDE
sorlimcio de faz-entias aovas baca-
Ussimasna leja c armazem le fa-
zendas baratas na ru n. 56, loja da Arara, de Loutenco
Pereira Heniles uimares.
Cortes de chita a 20100.
Vende se cortes de chitas para vestidos a i& 100,
ditas de dila franceza com II) covados a :z00,
cortes de cassa francezes a 25 e 23-j'OO : na ra
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende a 1(10 rs.
Vende-sefil de linho decores a 160 rs. o co-
vado, dito branco para forro a :t20 rs. a vara, tar-
latana de cores a 640 rs. a vara, longos brancos a
200 e 240 cada um 1 na loja da Arara ra da Im-
peratriz n 66.
As lazinhas da Arara a 321) rs. o cavado.
Vendem-se lazinhas para vestidos a 280, 320,! parte da mesa regedora linda a
400, 500 e 640 o -ovado, ditas lisas pronrias para nosso consistorio qu;
capas e vestidos de senhoras a 400 e 600 rs. o co-
vado : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Arara vende as chitas para coberta a 320 rs.
Vendem-se chitas para cobertas a 320, 360, 400
Johnl.elly, socio da casa de SoutallMellorsdi
C tendo de reirar-se para a Inglaterra no prxi-
mo paquete, pede todas as pessoas com quem te-
nha conta* de as apresentar no prazo de oito das
para serem pagas._________________________
Domingo perden-se um carneiro malhado de
preto : quem o achou, querendo restitui-lo leve ao
quartel de polica a entregar ao sargento Siqueira,
que roconi|>mi-=ar*._________________________
rim a edo Divjuj hs-
i.i^ti Santo.
Nao se tendo reunido numero legal de mem-
bros do conselho fiscal no dia 3 do corrente, sao
novamente convocados aquelles que nao lizi-ram
reonirem-se em
do corrente mei
as 5 horas da tarde.
Consistorio da irtnandade, 4 de julho de 1864.
Antonio ttnmos, procurailor-geral.
Arrenda-se urna grande casa e sitio, no Bar-
AVISOS DIVERSOS.
pagar, nao se lembra, por vezes me mandou bilhe
tes pedindo aos 505 emprestados para pagar alu
guel do escriptorio e occorrer mais despezas 1|!
Nao se lembra que Ihe endosse urna letra para o
senhor pagar o imposto de agente de le loes ; pois,
quem tem ordenados as mos do seus patroes, co-
mo o senhor diz, pede para Ihes fazercm contas,
1 c nao Ihes pede dinheiro emprestado e nem incora-
! moda outras pessoas : o mesmo pal do senhor me
I disse em um domingo, conversando com elle a seu
T .... 1 -i 1 /- respeito, que valia mais peona o senhor estar cm
IllStltutO ArCneOlOfflCO e breO- nossa casa ganhando 600* por anno, do que ser
I -|-| 1 leiloeiro : mesmo sua familia naoignorava os seus
tfrapniCO I roaTODllCailO. ordenados, e o mesmo senhor ah tem os tribunaes
Haver sesso ordinaria quinta-frita 7 do ^^dSSSao'Sutel publico a
corrente, s i 1 horas da manhaa. conla em resumo, que Ihe foi forneeida de seus
Secretaria do Instituto, 4 de junho de ordenados, para bem poder avaliar de que lado
I gg4 pende a razo. A saber :
J. Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
RUCHO.
1860.Dezembro3l.Dinhei-
ro aue pedio no corrente
anno.......420*630
1861.Dezembro 31.dem,
idem ....... 94*000
1862.Dezembro 31.-dem,
,dem......661*230
1863. Marco 31. dem,
dem .....160*300
Dezembro 31. Importancia
de urna conta proveniente
de charutos que comprou 60*000
pedra e cal no lugar da Cabanga, rreguezia oe o. ras do da cjraa jilo no mesmo deposito, casa em
Jos, avahada por 200*000; outra casa no mes- freme g da secreUria
mo lugar, sendo tambem de pedra e cal, avallada
em 200*090, e outra casa tambem de pedra e cal
e no referido lugar, avaliadaem 600*000 cujas
.'asas vio prag por execucao que move Manoet
Dias da Silva Santos pelo juizo municipal da pri-
meira rara, escrivao Cunta, contra Jacob Joaqmm
Ad. Silva.
de polica.
LEIO

DE
Conselho de compras nnvoes.
Tendo o conselho de contratar os servio de
barneiro s enfnnrias de mavtaha y dos frica-
nos livres. durante corrente eleroico, bem como |
. iavaicem d.- roupa dos esubelecimentos de ma-;
-inha at setembre: do Corrate atino; os contratos; oceupado em refinado.
S do estjlo: convida ao pretenden- Calhar.i.a, negra, boa
,esaprcsenV*Bi suas propostas em cartas fc-:deLrada
< liadas no da 5 do corrente mez at as 11 horas
da manhaa, em que terne tugaros ditos contratos
Sala do conselho de compras navaes 1 de julho
. lg64 O secretarle,
Alexandrc Rodrigues dos Anjos.
Diversos escravos.
QuarU-felra 6 do corrente.
O agente Pestaa legalmente autorisado vender
por coou de quem pertencer diversos escravos
de ambos os sexos e habilidades a saber:
Damiao, mulato, perito copeiro.
Benedicto, idade trinta e Untos annos, lem-se
Aos 10:0O$O0.
Sabbado 9 do corrente mez se extrabir
a segunda parte Ha primeira lotera da igre-'
ja de N. S da Boa-Viagem, no consistorio
da igreja de N. S. do Rosario da freguezia.
de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quartos acham-se o mesmo sknhorhavbb
venda na respectiva thesouraria m^m^^Jgg
Crespo n. 15. jan(|0 desde o Io de abril
Os premios de 10:000,5000 at 20^000 \ al hoje a razio oe 500* 375*000
ser3o pagos urna hora depois da extracto ;i8*i.=Dezembro 31.-dem
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia I "*-
seguinte depois da distribuicao das listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
1:905*380
e 500 rs. o covado, dita encarnada adamascada a I balho, a margen do Lapibaribe, confronte aojpo-
500 rs. o covado: na ra da Imperatriz 56, loja
da Arara.
Cassa onjanilvs da Arara a 210 rs
Vendem-se cassasorgandys para vestidos a 240,
280 e320 rs. o covado, rscado francez para ves-
tidos a 280 rs. o covado, gurguro de linho para
vestidos a 280 rs o covado : na ra da Impera-
triz n. 56, loja da Arara.
As chitas da Arara a 210 rs. o covado.
Vendem-se chitas para vestidos de cores fixas a
240e 280 o covado, ditas francezas largas a 320,
360, 400, 440 e 500 rs. o covado : na loja da Ara-
ra ra da Imperatriz n. 56.
Lencos de seda da Arara a 800 e 1.
Vendem-se lencos de seda para algibeira de.
homem a 800 e 1*, lencos de cassa a 200 e 240
rs. : na ra da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
trara vende os veas pretos e de cores a 10009.
Vemm-sevos pre'tos e de cores para etape- Ij&iZXStoW&t*
linas de senhoras pelo preco jMLR! 5 GanreNaJcSiV^mo da Si.veira.
mhas para senhoras a 240 e 320 rs., manguitos a inannim Rotelho
15, camis.nhas para senhoras a 2*, ditas {BEKftSil
com gravatinhaepunhos bordados os mats mo- Jg+*g 2*^
demos que tem vindo a 4oOO na toja
ra ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende os bales a 2)4o00.
voado do Monteiro, tendo grande baixa de capm e
bastante trra para plantaco : os pretendentes di-
rija m-seruailoApolloirls^g^^
A mesa regedora da innandade do glorioso
S. Benedicto, erecto na igreja de N. S. do Kosario
da Boa-Vista faz sciente aos irmos e fiis que es-
tando o altar do padroero em mo estado, a ponto
de se nao poder celebrar o sacricio da missa, e
nao podendo esta innandade efiectuar a tal obra
sem coadjuvaco dos fiis, a mesa deliberou qoe
agenciassemos esmolas para tal fim, sendo eompas-
ta urna commisso dos irmos abaixo declarado*.
Consistorio da mesma aos 4 de julho de 1864.
Eu Jii^ino Manoel de Sant'Anoa, secretario da
commisso.
Eufrozino 0 lilon da Circunclsao.
Presidente.
Innocencio Jos de Sant'Anna.
Paulo Manoel do Nascimento.
AVISOS MARTIMOS.
DE
Um engenho com bom cercado e matas, com
casasde tnoerula para caldeiras e de pur-
gar todas de pedra e cal.
Qoarta-feira 6 de julho.
O agente Pinto autorsadu pela commisso en-
carregada de liquidar os bens do Joaquim Elvirio
de Moraes Carvalho levar a leilo s li horas
he'falta e escravos, a .fretu, para os quaes do dia cima dito o engenho S. Juai|uiiem Mun-
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo,
a da Cruz a. I.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir un ***toteovdn6
hem conhedio pilhaboto nacional Ptedade, tem
cosinheira e engomma-
msma idade.
E mais outros que se acharo patentes quarta-
feira 6 do corrente pelas 10 li2 horas da manhaa
na ra doVigario n. 13, primeiro andar.
0 drurgio Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharao como sempre
prompto a qualquer hora pa-
sesDezembro 31. dem
idem.......600*000
1863.Marco 31. dem por
3 mezes a razio de 700*000 177*500
1:752*500


152*880
LEILO
bem
oarte do sen carregamentojengajado : para
'"* .... ..i.. .^.,.,1 ftn. nara os
O res-
beca.o qual limita ao mirle o ao oeste com trras
do engenho Suassuna, ao sul com ierras do enge-
nho Muribequlnha e tetras chamadas Mungongos.
Como liotridatario da (Irma de Barbosa & SimSes,
Antonio Barbota de Barros.
SOCIEDADE
UNIAO BENEFICENTE
MARTIMA
Em conseqrtencia da consulta qtlc tive a honra
de inderessar S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia para a conttnuacao das sessoes da socieda-
de Unio Beneficente Martima, visto que alguns
de seus socios pouco interessados, e bastante ro-
ra 10 de sua pro- tssS^sSSXSSTm^
de prtwuinir, seu aniquila-
ment ou ext.n.caoj deixe de I."" cha-
-Pede-Se ao r. Joo er-m- J^JffS^SSTlPtSS^
no de Paula, queira vlr declarar ^ e0qae agora faci>. Bottvldaliilo a vidos para o
UCSta typsgrapllia omlq residen dia'8 do corrente mez, as 6 1|2 horas da tarde, no
n F I los sessionaes da m
fissao, cnamaao por escripia. \>*m**iwg!.
'_______________i___________*L ment ou extimcao ;
Jos Feliciano de Aranjo Pl-
nheiro e Jlari Francisca,
lie pelo mesan senhor foram
incluidos no aianicro do asslg-
nantes dese Diarlo, aendo a fo-
laa receblda por elke, e nao naga.
sa do theatro de Apollo, allm de se proceder a
nova elelcaoque ha do dirigir os trabalhos futuros
da mesma sociedade.
Secretaria da Sociedade. CoiSo Bencucente Ma-
rtima 4 de julho de ISG't.
Balthazar Jos dos Res.
! secretario.
a
Vendem-se bal5es de 20, 25, 30 e 35 arcos a
2*500,3*, 3*500, 4*. 4*500, ditos de brilhantina
a 4* : na ra da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Cortes de la a Mara Piaa H e IW.
Vendem-se cortes de la a Mara Pia a 8*e 18*,
pecas de cambraia lisa fina a 35, 3*500 e 4* : na
ra da Imperatriz n. 56 loja da Arara.
Cortes de tjanya a 15600
Vendem-se cortes de ganga franceza para calca
a 1*400, ditas de casemira a .'!*, ditas finas a 5*
e 5*500 : na ra da Imperatriz n. 56.
Roupa frita da Arara.
Vendem-se paletots pretos de panno fino a 16*.
14* e 12*, ditos sarcos de panno fino preto e azul
debruados de lita a 9* e 10*, ditos de casemira a
6*, 8* e 5*, ditos de brim a 2*500 e 3$, ditos de
alpaca preta a 3* e 2*500, camisas francezas bran-
cas a 2* e 2*500, ditas de linho de pregas largas
a 2*800 e 3*, seroulas de algodo a 1*600, duas
de linho a 2*, calcas de brim e gangas de cores a
2*, ditas de brim pardo 8*500 e 3*. ditas bran-
cas a 3*500 : na ra da Imperatriz n. 56 loja da
Arara.
Colchas da Arara a 4)9
Vendem-se col-has de damasco para cama a
4*. ditas de fusto a 5*, ditas de chita a *#: na
ra da Imperatriz n. 80, loja da Arara.
Vendem-se gangas para caifas e palelots.
Veedem-se gangas para paletots e calcas a 440
e 500 rs. o covado, bsla pera ealca a oOO rs. o
cavado : narna da Imperar n. 56 loja da Arara.
Madapoln francez a \&.
Vendem se pecas de ;madapolao enfestado com
12 lardas a 4* e 4*500. ditas de 24 jardas ns. Ri.
a 7* dita* n. 60 a 6*500, dito moca a 7*500, dita
n. 40 a 8*, dita n. 50 a*500, ditan. 7 a 10*, di-
ta S8 9*, dita XX 8*500, algodo mnilo encornado
a 5*500 e 6*, dilo carne de vacca a 7*: na ra
da Imperatriz n. 5> loja da Arara.
Brim de linbo a 1#K0,
Vende-se brim de linho para calca a 1*280,
1*400, 1*800 e 1*600 a vara, brim liso para se-
roulas e lences a 500, 560 e 6*0 a vara, braman-
te de linho a 2*200 a vara tem 10 palmos de lar-
"ura, bretanha de linho a 610 e 800 rs. a vara,
brim pardo a 800, 6'i0 e l*a vara : na ra da Im-
peratriz n. 58 loja e armazedt da Arara, a loja es-
t aberta aJ s 9 horasjla noite.
Luno Vieira de Oliveira, thesoureiro da commisao.
tluga-se o armazem da casa sita na ra de
Apollo n. 47, eo primeiro da casa sita na ra da
Senzala Velha n. 22 : a tratar na ra da Cadeia
n.44.________
A pessoa que achou urna carta do cauite
Francisco Borges Leal para o Sr. coronel Demin-
gos AITonso Nery Ferreira, querendo restitui-la,
ser recompensado._______________________
Antonio Jos Goncalves Pereira, subdito por-
tugnez, retira-se para o Rio de Janeiro.__________
Quem annunciou precisar de um bom sitio
com baixa de capm. dirija-se na Direita n. 53.
Precisa-se de dous caixeiro* portuguezes de
12 annos para cima, que tenham pratica de taber-
na, que para fra da cidad? : a tratar na ra da
Praia n. 43. ^^^^^
Manoel Dias da Silva Santos, subdito porin-
guez, retira-se para Europa afim de traiar de soa
saude, edeixa por seas bstenles procuradores en
! lugar a Joaquim Rodrigues Tatare de MeHe.
em V Joao do Amaral Raposo, e em 3 a Josc da
Idva SuSospara traurem de lodos os seus nege-
n. Recife 4 de julho de 18b*.______________
Alogam-se mei-aguas no neceo das Barre!-
ras : a tratar no mesmo becco n. 2.____________
Quem tiver um sitio grande com bastante
arvoredo*. que queira arrendar, dirija-se ao paleo
de S. Pedro n. 24, ou annuncie.'
IHethndo Casilla.
Manoel Jos de Faria Sim>s, professor particu-
lar de instrueco elementar pelo melbodo Castilho,
participa aos {tais de sen* alumno* e ao publico,
que mudou a sua aula da rna da IVnfca r>ara o pa-
teo do Livramento, sobrado n. 20, segundo andar.
__ A pessoa que annuneion um sitio com baixa
para capim, annuncie sua morad i para ser procu-
rado.
Pede-se encarecidamente ao Sr. ex cadete
Carlos de Souto Godim, que tenlia a bon-tade de
ir restituir o cavallo que alngou na cocheira da
ru da Roda n. 45. no da 2!) do uassado, e junte-
mente os sens sdnguBis deeorridos, noi* ,,so o nao
faca passar por M onsiderar desapparecido.
Aluga-se a casa u. 4 da ra d.is Prazerns, nos
Coelhos, com brnis commodos. concertada, caiada e
pintada com perfetcao e gosto : a tratar no segun-
do andar do sobrado n. 30 da rna do Rangel.
ITLXGIVEL]


M>
Diario de Peroambuco Terca felra 5 Se lulho de 18*4.
_i;-----------------.... .----------------L-ii---------------------------------------------1_______:_______:_______________

Nao posso 'esperar
mais
0 abaixo assignado, liquidaiame da extincta fir-
ma de Barbosa d Stmes, pede a lodos os devedo-
res da mesma firma para que no .raso de oito dias
satisfagan i seus dbitos j e aqueles que o nao l-
zerem passaro pelo dissabor de ver seus nomes
por extenso neste Diario, sem distinccao de pessoa
alguma. Recite 1 de julho de -1664.
____________Antonio Barbota de Barros.
(irammatica iagieea D. Applelon & C. livreiros.edilores e importado-
res ein New-York, Estados Unidos da America,
acaliam de publicar um novo methodo para os in-
glezes apronderem a lingua porug'eza por F.
Granert, 1 vol. 12 no.
Este livro, o melhor at boje publicado ex-
pressamente impresso para supprir a immensa fal-
ta que ha de urna grammatica pieza e portu-
gueza, para aquelles qoe fallam o ieglez e que de-
ejam aprender a lingua portuguoza.
O. Appleton & C. sao os editores das obras em
bespanhol para edoeaio< moilissimo usadas no
eul da America. Tamtiem publicis os melhores
albuas para car loes de vteila.
HtP
%
9 \jg ffijjf 3
"o o

ATTENCO.
Quera tiver urna negrinhadeS 8 annos e quei-
Livrame nto
| Arrendase, rende-sc, r,u mesmo troca-se por
casas na piara um sitio na Vanea margem do
ameno Capibaribe, com doas grandes casas, com
7 quartos, i salas, 2 coziohas e um solio, tendo a ra vender, appareca o largo do
Litarte cocheira, estribara, e quartos para criados,' 38 e 38 a.
'todo plantado de arvores de fructo, abacates, sapo-
tis, fructa-pao, limo doce, limas de uiabigo e da
,Persa, laraogeiras de uffibigo, soletas, tangerinas,
etc., um grande eafesal com fructas, jaqueiras,
mangueiras, coqueiros, dendezeiros, com mais no
fundo urna casa de taipa, e bem assim mais 4 ca-
sas de tijolo acabadas de-.pouco tempo, com frente
para o nascente, minio frescas, tendo cada urna 2
salas, 2 quartos e cocuma fura : os pretendentes
(lirijam-se ra do Qneimado n. 27, loja de fazen-
das do9 Srs. Custodio 4 'Garralho.
u.
Compta-e urna escrava de meia idade que
nao tenria viwe nem achaque, e'que nao exceda
de 5002 : quem tiver annuncio.


VENDAS.
VENDE SE

m
Grande
fabrica
3-RIA .ftlllSlTA DO ROSAIUO-4
Francisco Pinto Ozorio contina a cel-
toear dentes ar-tiflciaes tanto por meio de
awlas corno pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguna sem que as obras nao
qucm & vontade de seus donos, tem pos
eouas preparacoes as mais acreditadas
para conservacao da bocea.
1 Aluga-se um sitio na estrada daPonlede
Uchoa e a margem do rio, pouco adianto do Illm.
Sr. commendador Xery Kerreira, tendo banheiro,
palanque, galinheiro -mitras acommqdaedes; ^\mximas ^\o con^\he\n Bastos por 22000; Guia.
'outro dito no Monte.ro, om frente aoo.tao daigre- Lmo.Bl.asi(eiro por f M. de Lemos por 25000;
llevista Coutetnporanea de Portugal e Brasil anno
Scenas contempornea! por Cantillo Castello Bran-
co por 12*00 rs.; Samas da nnUa Ierra por Julio
Cesar Machado por 12200 ; Cantos do to Joaquim '
por Rodrigo Paganiuo por 12200 ; Pensamenlos e '
ja : a tratar com Antonia Jos Rodrigues de Sou-
za, ra do Crespo o. lo, ou estrella do Rosario nu-
mero 32.________ ^^^ __________
Os liquida Lirios da massa de .los An-
tonio Bastos convidara os-credores da mesma
; a receber o segundo dividendo, ra do
Trapiche n. 3 i.
4e fogos de artificio, da viuva Rufino, -situada na
finida de Joo de. Barros; oesta fabrica aprorop-
ta pe toda f qualqiicr encoramemda desles arligos
cerno maior esmero e presteza, seja para dentro
ou ra da provincia : recebem-se as cncommen-
das no armazem da bola amarcUa, no oilt) da se-
retara de polica.____________^_________
Revista do Instituto Arebealo-
gieo e Geograpnieo Pernau-
bneano.
Acham-se venda os 3 primeiros nmeros, na
livraria Econmica de Jos Nogueira de Soto,
junto ao arco de Santo Antonio, onde se subscrc-
ve para esta Revista :
Por anno.....54000
Nmeros avulso 12300______
Aluga-se o soto do sobrado da ra da Pe
nha, com bastantes commodos e por barato preco,
e a casa terrea na ra da Matriz da Boa-Vista n.
36 : a tratar na mesma casa.
Aluga-se no melhor local de negocio na Casa
Forte para um principiante duas casas juntasrten-
do urna armaco de uberna aonde esleve Maoecl
Caboclo, por prego oommodo : a tratar na padaa ;
do Chora-menino.
Precisa-se lugar um-escravo : quem o tiver
; leve ra larga do Rosario a. 10, que achara com
quem tratar. .. ________
Precisa-se de uro pequeo de 13 14 annos
; paracaixeiro : no beceo do Poucinho o. 33, esqui-
na da Concordia, taberna.
de 1839 por 55000; Obras completas de Alvares de
Azeevedo por 8,5000; Pociosde (k>sta e Silva por
2^500 : na ra do Cabug loja n. 2 A.
Miraste
Vendem-se caxoes vastos a
cada um : na ra das Cruzes n. 44.
Sal do Assu'
Vende Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
no seu escriplorio ra da Cruz 11 1.
& C,
Vende-se a taberna sita no lugar de Bemfica
n. 64, com pqueos fundos e armacao, que lica no
correr das casinfaas junto ao sobrado grande do
Sr. major BcUarmino, principio da Estrada Nova :
a fallar com o dono na mesma taberna.
Na praca da Independencia, loja de ourives
Precisa-se alugardousescravos, paga-se bem: in- 33 compram-se obras de ouro, prata o pedras | Vende-se a taberna da ra Direita n. 35, com
Caixeiro.
Precisa-so de um caixeiro com pratica de mo-
ntados : no armazem Clarim, ra do Queimado,
n. 43._________________________________
Precisase de urna ama para comprar e co-
sinhar : no Recife, no beceo da Boia n. 2.
mtmmmwmmmKm
ITRjSiJS,
i O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na ra do Impe-
rador n. 17,2 andar, onde pode sor pro-
curado a qualquer hora do diae da noile
para o exercicio de sua proflssao de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia at 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias de interior, prosegue, com o
maior affinco, no das mais dilllceis e deli-
cadas operacSes. como sejam dos orgiios
ourinarios, dos olhos, partos, etc.
M
mi
m
i
I
I
m
i
A pessoa que annunciou precisar de urna
armaco, dirja-se ra estreita do Rosario
n. 27." _______________________________
Ricardo Jos Gomes da Luz, subdito portu-
guez, retira-se para Europa._________________
Augusto Cesar Remandes Eiras, subdito bra-
sileiro, retira-se para Europa.
bao da Silva Ramos, medico pela L'ni
versidadede Coimbra, d consultas em
sua casa das 9 as 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os docntes
en suas casas regularmente as horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que serio socrorridos ent qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procuraren! no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manha.
i>m sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer dornte,
a tratar na ra do Hruiu, fabrica de sabo.
Precisa-se de .um
raestre de masseira, na padaria da Torre; *
fallar com o Sr. Arantes.__________________
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo A C
Agente* do Banco l'oo do Porto.
Competentemente autorisados sacam por todos
os paquetes sobre o mesmo Banco para o Porto e
Lisboa, c para as seguintes agencias.
Londres sobre Banh of London.
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
1 coramenda, e todo e qualquer concert, e igual-
DOm fotnetro e una mente se dir quem d dinhewo a premio.
Muita attenco.
Paris Frederic S. Ballin & C.
Hamburgo Joo Gabe & Filho.
Barcelona > Francisco Rahoba & Ballis
Madrid > Jaime Meric.
Cdiz Crdito commercial.
Sevilha > Gonzalo Segoria.
Valencia M. Perera Y. Hijos.
Em Portugal.
Amarantes. Angra Terceira. Figueira.
Arcos de Val de Caminha. Guarda.
Vez, Castello Branco. Guimaraes.
Aveiro. Chaves. Lagoa.
Barcellos. Coimbra. Lagos.
Bastos. Covilha. Lamego.
Beja. Elvas. Leiria.
Braga. Extremos. umca
Braganca. Evora. Moncao.
Faro. Fafe. Moncoiva.
Oliveira d'Aze- Pinlial. Regoa.
meis. Porto-alegre. Setubal.
Penafiel. Thomar. Vianna do Cas-
Tavira. Villa Nova do tello.
Villa do Conde. Porlimao. Villa Real.
Villa Real de Vizcu. Madeira.
S. Antonio. Faial. S. Miguel.
NO IMPEIUO.
Bahia. Maranho.
Rio de Janeiro. Para.
Qualquer somma prazo ou vista,podendo logo
os saques prazo serem descontados no mesmo
Banco a razo de 4 por cento ao anno : a tratar
na ra da Cruz n. 1.
<0 abaixo assignado avisa a todos os seus deve-
dsres em geral, de maiores e menores quantias,
assim como de letras ha muito vencidas, que ve-
nltam no praso de 15 dias pagarem ra Direita
n. 91 os seus dbitos, e se assim nao o flzerem se-
| rao 6eus nomes publicados por este Diario, e de-
! pois ejecutados sem distinecoes de pessoas ; faco
ta. i o presente annuncio para que depois nao se quei-
xem do-Jos Martins da Silva Bornes.
ainda mesmo os alienados, para o que
t tica qualquer operacao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeira classe 35000diarios.
Segunda dita.... 25500
Terceira dita.... 25000
Este estabelecimento j Lem acredi-
tado pelos Itons serviros que tem pres-
tado.
O proprittario espera que elle conti-
nu a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
a- H
O Dr. Cosme de S Pereira conti-
na a residir na ra da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua profls-
sao medita, e com especialidade
sobre o seguinte
Io molestias
2o
3o
de olhos;
de peito :
dos orgaos geniti
urinarios.
Em seu escriptorio os doentes se-
ro examinados na ordem de suas
entradas comecando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d s|
6 as 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
Praticar toda e qualquer opera-
cao que julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
Jos Joaquim da
Crespo, vai Europa.
Silva, morador na ra do
Furtaram do engenho Una, freguezia da Luz,
na noite de -10 de junho prximo passado, dous ca-
vados com os signaes seguales : um castanho re-
tinto, castrado, um pouco cabano, tem o olho es-
querdo mais branco que o outro, o p direito cal-
cado at o fiador, pernas cambetas, carregador bai-
xo, ardgo, idade de 7 8 annos, tem urna peque-
a relajara velha em um dos joelhos, um pouco
compride e magreirao, tem marcas de cangalha;
outro castanho cor de rato, idade de 10 annos,
sem nenhum signal branco, castrado, tem duas re-
lauras novas em ambos os joelhos, trotador, cur-
to e tem a anca larga : roga-se, portaoto, s auto-
ridades policaes a apprehenso dos ditos cavallos.
""^"Offerece-se um moco estrangeiro para cozi-
nheiro de qualquer, casa, o qual se acha com as
hablilacoes precisas de desempenhar : quem pre-
tender, dirja-se ra dos Pires n. 34, que se dir
quem .
DENTISTA DE PARS
19Ra Nova-19
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaos, tudo com superio-
ridade e perfeiro, que as pessoas enten-
didas ihe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
Precisa-se de urna criada
que saiba eezinhar e comprar :
Amaro (Mundo Novo), sobrado
Dr. Sabino.
livre ou escrava
na ra de Santo
onde morou o Sr,
Precisa-se de urna ama de lete : na ra Im-
perial, sobrado n. 87.
Aluga-se o terceiro andar da casa n. 48 na
poucos fundos; e tambem se vende a armaco s:
a tratar na mesma.
Vende-se o sitio da travessa dos Remedios,
, freguezia dos Afogados n. 21, 00 estado em que se
I acha : quem o pretender, entenda-se com o seu
proprietario Caelano Pinto de Veras, na ra de S.
Francisco, sobrado n. 10,como quem vai para a ra
Bella.
Folha de ferro galvanisado para telhado :
na raa da Cadeia do Recife n. 56 A, loja de ierra,
gens de Bastos.
Farinhade mikoa 1U
rs. a libra.
A mais fina e nova do mercado : vende-se na
padaria de A. F. da Silva Beiris, ra dos Pires nu-
mero 42. ________
lina jumenta.
Vende-se urna jumenta muito mansa, e por pre-
co commodo.
Vendem-se ps de craveiro branco :
O Vigilante est alerta, nao Ib era pcrmetlido
4-7(JO 1 de*ar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto aflm de annunciar ao respeitavel publico
o grande sortimento degalantarias do melhor gosto
propraraentc para qualquer mimo, que acaba de
chegar neste ultimo paqneie, assim como muitos
outros objeclos <|ue recebe por diversos navios,
tanto de sua conta como de consignado, que est
resolvido a vender por precos muito 'baratos para
vender muito e ganhar poco, e dar extracro ao
grande deposito que tem, que espera merecer a
proteccao do respeitavel publico, empregando para !ji
isso todas e as melhores diligencias para que ti-1 w
quem satisfeitns: isto s no Gallo Vigilante, ra
a tratar no armazem da mesma "a rud do Principe (Campo Verde) n. 6.
ra do Trapiche
Cf_____________________________A 4}0U0 a peca.
Precisa-se alugar urna preta que saiba co:i- Vendem-se pecas de algodaoziho com pequeo
nhar e engommar : quem a tiver, dirja-se ra toque de avaria, proprio para ronpa de escravos e
do Trapiche n. 4, que achara com quem tratar. toalhas, pelo barato preco de 4 a peca.
Na fabrica de sabio da ra do Raugel n. 34,
precisa-se alugar um moleque para o servico da |
mesma.
45
Aviso importante.
Para eonhecimento dos senhores devedores da
massa fallida de Francisco Gomes Castellao que IJom enovo, e a primeira necessidade para a sau
leram um annuncio que fez publicar o Sr. Antonio
Ra Direita
Oigam! oicam !!!
CALCADO
45
do Crespo n. 7.
Ricas porla-joias.
Cofre de muito gosto por
Atteiico
O dono da lojadoBeija-flor, na rita do Queimado
n. G3, acata de abrir um outro espacoso estabeie-
cimento de miudezas na mesma ra u. 69, por isso
avisa aos seus freguezes c amigos, que nesits dons
estabelecimentos eucontrarSo sempre grande sorti-
mento de miudezas, perfumaras e objectos de gos-
tos; e vender sempre mais barato que outro qual-
quer, como abaixo se ver.
Penles douridosde tratessa.
Delicados pentes duurados de travessa para me-
ninas a 1,5500 cada um, ditos sem ser dourados a
508 rs. cada um : as lojas do Biija-flor, ra n
Queimado ns. 63 e 69.
Volliiihas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com crozes de pe-
drinhas imitando a brlhantes a i rada orna : as
lojas do lleija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Luvas de Jmtd
Chegaram pelo uIiiko vapor as desejadas luvas
de Jouvm de todas as cores, tanto para homens
como para senhoras : ras lojas do iVija-flor, raa
do Queimado ns. 63 e 69.
Talheres para meninos.
Vendem-se talheres de cabo de balaneo para me-
ninos a 280 rs. o talher : as lojas do Iteija-flor
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Coleres de metal principe.
Vendem-se colheres de metal principe muito fi-
nas para sopa a 35600 e 4400 a duzia, duas para
cha a 25 e 2400 a duzia, ditas para assurar a
rs. cada urna, ditas para terrina a i-j < .1,1,1
urna, e s quem vende por estes precos as lojas
*""W2
do Beija-or, ra do Queimado us. 6.1 e 69.
Facas e garfts.
Vendem-se facas e garfos oilavados a 2$80 a
Cestinhas traospientes, forradas de madre-""" duia' ditas cravadaf' ra|JO preto branco a .12 a
pcrola por 182000 Juzia> J,Us (le balaneo de 1 botio Onas a B20O
Lindas jardineiras 102000 di,as de-^ ,K,les niuito finas a 62500 a duzia, ditas
Ricos cofres com camapheu 102000 de tl0la0 'iara doPes e Quetas a 52 a duzia, dita
'.indas camnhas com pedras brancas 102000 dej botdesa 52200 a duzia : as lojas do Beija
16,5000
S5000I
62000
t2(KKI
62000
Jos Moreira Pontes no Diario de 30 de junho, se
faz publico o documento abaixo transcripto, para
provar que a loja de calcados da ra do Rosario n.
22 era propriedade do fallido ; sendo que em tal
caso (que nao pode ser contestado) sao mesma
mesma loja perlencentcs as dividas fiadas que fo-
ram provenientes de mercadorias compradas em
de e aformoscamento do individuo I
Mea Dos I... que ps de pavo se lobrigam por
essas ras I que figura horrenda e nauseante a
de um paletot bem talhado sobranceiro a um
quedes roido em duas solas I um balo bem tor-
neado e bambaleante dcscubrindo urna ponta de sennora como para mocinhas, peb barato preco
botina safara e carcomida I 12 e l4* : S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Santa Barbara 11 Corram ra Direita, bellas e
Lindo balao com caluuga dentro tambem
para joias
Tambalier para ditas
Cestinhas dem idem
Cosmorama dem dem
Urnazinha
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porta-bouquetes de diversos gostos e pre-
cos : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sintos
com bolcinhas ao lado a 10, 12 e 152, ditos sern
bolea, porm do mesmo gosto, a 22500, 32, 32500
e 42, ricas fivelas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 12500, 22, 22500 e 32 :
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Oaliazcs on cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possvel, a 22500, 32300, 4, 5, 7 'c 102 : S
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Petes.
Neste artigo tem um grande sortimento, tanto
para alisar como para atar cabello, o mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sern elle para meninas: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Penles
Tambem chegaram os riquissimos pentes de
concha de tartaruga e de massa lina, que se vende
por 22, 3 e 52 : s no Vigilante, ra do Crespo
numero 7. ^
Lcqnes.
Riquissimos loques de madreperola, tanto para
de
nomedo fallido ao commercio desta praca, equem rapazesl sacudam na praia esses malditos guedes
for devedor e pagar a outra qualquer pessoa, su- ecomprem :
geita-se a pagar devidamente urna outra vez aos Borzeuins de Nantes 82000.
administradores da massa, que assim o fazein pu- Ditos francezes de bezerro 72.
blico para evitar questes. Ditos francezes de lustre para homem 52-
documento. Ditos para senhora, de lustre, enfeitado$, 52500.
L. l.-N. 125-Recebedoria de Pernambuco. Di'os Para senhora, gaspia alta, 42800.
Divida activa.Exercicio de 1862 1863.N. 123. Botinas de menina 22500.
Yerdadeiros cigarros de S.
Domingos.
Leite bem cotilleada fabrica de cigarros de Gi:
maraes A Continho, em S. Domingos, de
iilheroy, os quaes sempre se lem vendido
e continan) a vender-se no* seu nico depo-
sito ra Direita desla cidade n. 14, casa
dos aoQuncianies, previnem aos seus fre-
guezes e ao publico em geral. que, para evi-
tarem as muitas falsificacoes, que dos mes-
mos cigarros se tem feito; os rtulos que
acompanliam os mesmos cigarros, alm da
firma de Gaimaraes SrCoutinho, quejtra-
zem, dora avante teo tambem afirmados
annuncianles como seus successores.
Rio de Janeiro, 23 de maio de 180i.
Ditas de cores para menina 22000.
Sapatoes de Nantes de duas solas 5-3.
Ditos de sola e vira 4,5500.
Aluga-se o segando andar do sobrado do bec-
eo Largo n. 1 A, e urna das lojas do mesmo sobra-
do, que oceupava o Sr. Jos Nunes de Oliveira, da-
se por commodo preco : a tratar na loja de bar-
beiro ao p, a qualquer hora.
Por exerui'o do cirurgiao Francisco Jos da
Silva tm de serem arrematadas por venda duas
casas terreas de pedra e cal, sitas na ra da Casa
Forte, penhoradas Rozendo Alves da Silva pelo
juizo da 1* vara, escrivao Motta : a arremataeao
lera lugar no dia 5 do correte, depois da au
dencia.
Precisa-se alugar um escravo que saiba eo-
zinhar : na ra do Queimado n 44, segundo an-
dar.
Na ra da Imperatriz aluga-se a loja n. 39,
a qual j te ve cocheira, tem no quintal juuto a um
grande telheiroum quarto: a fallar na mesma ra,
casa n. 21.
40 concio
O abaixo assignado, liqudataro da extincta fir-
ma de Barbosa &Simoes,julga nada dever da dita
firma, mas se alguem se julgar credor, aprsente
suascontas no praso de tres dias para serem im-
mediatmente pagos.
Antonio Barhoza de Barros.
ifilSii
O confeiteiro Zacharias reside na rna de S. Fran-
cisco n. 25, e ah et* sempre preparado apromp-
tar qualquer quanlidade de bolos, bandeijas para
bailes e partidas, como arma-las pelo melbor gosto
que os pretendentes quizerem ; bem como, que fa-
brica toda e qualquer porcao de d(cc, e das quali-
dades que Ihes forein eacommendadas ; o que tu-
do faz com a maior presteza e aceio.
Furtaram ao dia 28 do corrente, da ra da
Praia, um relogio de prata, patente suisso, n. 5609:
roga-se a algnm senhor relojoeiro a quem for apre-
seotado, o apprehender e annunciar, ou leve-o
ra de Sania The re za n. 32.
Aluga-se urna rasa terrea na ra atraz do
1 '.ala 1.011ro n. 20 : a tratar na ra Direita n. 6.
Flix Coelno da Silva, credor do fallido Joa-
quim Jos da Silveira, tendo constituido a Jacintho
Soarps de Mentas seu procurador, veni hoje por
este Diario declarar ao publico que d'ora em dian-
te tira do mesmo Soares de Menezes os poderes
que Ihe tinha concedido. Recife 2 de julho de
1864.______________________________
PROTESTO.
O ahaixo assignado, na qualidade de caixeiro,
que foi de estabelecimento de Barbosa de Simos,
e por isto com direito ao resto de seus ordenados,
em tempo e em resalva de seus direitos contra o
annuncio feto pelo socio liquidador, protesta haver I
os mesmos ordenados.
Antonio Jos Cordeiro Si mees.
Alugam-se tres escravos, sendo dous para
qualquer servico, e um moleque de 15 annos de
idade que serve para criado de qualquer casa :
trata-se na ra dos Martyrios n. 1___________
No Instituto do Bom Conselho precisa-se de
um criado poi tuguez para copeiro.
Casas para alugar-se,
Alugam-se o 3a e 4 andares do sobrado da ra
do Brum n. 70, e 2 andar do sobrado do caes n.
Apollo n. 17 : a tratar na ra larga do Rosariode
34, botica.
PARA ALUGAR.
Aluga-se urna sala na ra do Queimado n. 39,
no primeiro andar, ptimo para um escriptorio :
quem precisar, dirija-se loja da mesma casa.
Toma-se 1:0002 sobre urna escrava, cujo ju-
ro sera o que se convencionar, ou os seryieos da
escrava, que Arar em poder de quem dr o di-
nheiro; isto por seis mezes, que flndos ser obri-
gada venda sabe engommar e coznha perfei-
tamente, e cnsaboa : a tratar na ra do Queima-
do, loja n. 9.
Rs. 802000.
A fl. 11 do respectivo livro de receita lica debi-
tado o actual thesoureiro pela quantia de oitenla
mil ris recebida do Sr. Francisco Gomes Castelo Sapa tos de borracha para senhoras 12W0
por mao dos curadores fiscaes, conforme a guia do Dos para meninosl2000.
juizo n. 101 de 7 de abril corrente, imposto de sua Sapa tos de lustre para senhora 12-
loja de calgado estrangeiro na ra larga do Rosario D''os de tapete para homem e senhora
n. 22, relativa ao exercicio de 1861 1862. Ditos da liga constitucional 500 rs.
Recebedoria, 15 de abril de 1863. O primeiro Cluneloes rasos do Porto a 12600. ,
escripturario, Joaquim Jos de Souza Serrano.O, E um sortimento comple.o em sola, vaquetas,
fiel do thesoureiro, Cantillo Litis Chaves. couros, bezerro francez como nenhum, couro de
N. 401.Rs. 42000.Pagou quatro mil ris. Re- lustre muito grande, e tudoquanto peitence arto
800 rs.
cife, 15 de abril de 1863.-Chaves.Serrano.
N. 618.Rs. 22400. Pagou dous mil e quatro
ceios ris de multa. Recife, 15 de abril de 1803.
Chaves.Serrano.
N. 152.Rs. 900. Pagou noverentos ris de
sellos nao averbados. Recife, 15 de abril de 1863.
Chaves.Senna.
de S. Chrispim.
Vende-se um piano iuglez em bqm uso, pare
quem quizer aprender, e por preco cemmodo : na
ra da Imperatriz n. 28, primeiro ardar, das II
horas at as 3 da tarde.
Affaiote
Attenco.
Vendem-se canos de barro muitol bem feitos
a 280 rs. o palmo : na ra do sol n. (29, taberna.
9H
Prccisa-se de um >fficial de alfaiate que
tenha pratica de corlar ; na ra da Ca-
deia do Recife n. 38, primeiro andar.
Vende-se urna taberna atreguo
muitos bons commodos
ra das Calcadas n. 2.
para familia
ada, e com
a tratar na
Mais lequcs.
Com pequeo deleito, loques de sndalo, por ba-
rato preco, a 82 e 102, chioezes, muito bonitos,
tambem por barato preco de i e 52, bentarallas
muito bonitas tambem por barato preco de 4 e 52,
leques de charao tambem por 42, ludo isto para
; acabar, perdendo-se talyez 0 0|0 : s no Vigilan-
te, ra do Crespo n. 7.
Pu'seiras.
Lindas pulseiras de conlas e de missanga, cores
muito lindas e de muito gosto a IJ e 12200.
Para segurar manguitos.
Tambem chegaram as llguinhas estreitinbas de
borracha que as senhoras tanto precisan) para se-
; gurar os manguitos por ser muito commodo e mui-
! to barato, a 320 o par : s no Vigilante, ra do
i Crespo 11. 7.
Sapatiiihos e netas de seda.
Riquissimos sapalinhos de seda e de merino en-
filados, assim como mciaszinhas de seda, gorra-
izinbas c touquinhas para as crianrinhas se bapti-
sarem : s no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Voltinhas.
Lindas voltinhas dcperolas falsas com cruzinltas
fingindo brlhantes, assim como cruzinltas avulsas
e voltinhas, pelo barato preco de LS e 12200, as
cruzes avulsas a 400 rs. : so no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Carretas.
Riquissimas carretas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baratissiino preco de
12o00e22.
(olinhas.
Riquissimas goiinhas e manguitos, o melhor gos-
to possvel, a 22. 2,3500 e 32: s no Vigilante,
A. J. Stern vai para o Rio Grande do Norte.
Seraphim Leite Pereira, morador nos Reme-
dios, precisa de urna pessoa para vender leite, e
que saiba tirar leite.
Precisa-se de dous amansadores que enten-
dam do trafego de padaria : na ra larga do Rosa-
rio n. 46._______________________________
D-se a quantia de 1 2:0002 de rs. a pre"
mi sobre hypotheca em predios : na ra do Cres"
po n. 16 segundo andar.
Jos
ao Cear.
Alves da Cruz, subdito portuguez,
#i
Joseph Escugnamilo, Italiano, vai para M-
to do Ass.
A pessoa que pretende alugar um bom sitio
decapim e com boa casa a beira do rio Capibaribe*
procure na loja do Passcio numere 7, que se dir
quem.
Attenco
Lava-se e engomma-se com asscio e promptidao: I
a tratar na travessa do Carioca n. 9.
O procurador fiscal da thesouraria da fazen" i
da faz scientes pessoas que tiverem negocios ten" :
dentes mesma procuradoria, que dirijam-se
thesouraria da fazenda ilas 9 horas em diante.
Precisase de um criado escravo, de 12 :
16 annos : na ra do Corredor do Bispo n. 24.
Precisa-se de ama ama para cozinhar e en- j
gommar para pequeua familia : na ra da Senzala :
Nova n. 38.
Na ra estrella do Kosario o. 34
flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordada*.
Vendem-se tiras bordadas, a peca a 12100, 123)0
e 12300 : as lojas do Beija-uor, ra do Queimado
as. 63 e 69.
Balados bordados.
Vendem-se babados bordados de varias larguras
a peca a 12600, 12800, 22, 22200 e 22400 : na-;
lojas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Lindos sapaliolMs.
Vendem-se lindos sapaiinhos para baptizados de
enancas a 12500 e 22 o par : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e <9.
Bolees para punho.s.
Vendem-se botoezinbos de madreperola e de mar-
fim para punhos a 320 rs. o par, ditos encarnadi-
nhos a 120 rs. o par : as lojas do lleija-flor. ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas para debrum de vestidos.
Venulem-se Utas de la de todas as cores para
debruin de vestido a 900 rs. a peca, ditas pntas
de sed A a 12100 a peca : as lojas do Beija-Oor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Filas brancas para drhriim.
Vendem-se pecas de lila branca de linho para
debrum a 400 rs." a peca : lias lojas- do litija flor
na ra do Queimado ns. 63 e 69.
lucas lilas latradas
Vendem-se muito ricas fitas lavradas para simo
de senhora e moninas : as lojas do Reija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Espedios de jararand.
Vendem-se espelhos de columnas, de Jacaranda,
a 32 b 42500 cada um. ditos de madeira aman Ha
a 22400 e 22800 : as lojas do Bcija-IW, na ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas de velludo eslrcilas.
Vendem-se litinhas estrellas de velludo para en-
feite de vestido a 900, 12 e 12200 a peca: as lo-
jas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Trancas de la para bordar.
Vendem-se trancinhas de la pretas para bor-
dar camisinhas e vestidos a 80 e 160 rs. a permita,
ditas brancas com 40 varas a 600 rs. a peca, e G-
iras muitas cousas que setornarao enramte men-
ciona-las, pois s com a vista se poder vero gran-
de sortimento das lojas do Beija-llor. na ra do
Queimado ns. 63 > 69. ____________________
RIVAL SEM SEGUNDO
Ra do Qm-imado ns. 49 e 55, loja de miudezas
de Jo no sen progresso de vender baratissiino :
Capachos grandes e sujieiiorcs a siior-. <-a Canas de superiores obreias de cola e massa a
40 rs.
Cordo branco para vestido e esparlilho, vara O
ris.
Linhas de carretel (150 jardas) de superior quali-
dade a 60 rs.
Carios de linho Pedro V (200 jardas) j n.uo
condecida a 40 rs.
Grozas de peonas de aro de mullas ijualidades o
superiores a 500 rs.
Caivetes de duas (oiras porm finos a 500 rs.
Caixas com calungas muito bonilas para rap a
100 rs.
Franja branca e de cores para toalhas a 160.
Pares de botos para punho muito bonitos a 120.
Caixas com soldados de chumbo muito bonito? a
wuVJ I!a' ij .o .-. Riquissimas goiinhas e manguitos, o melhor gos-, Tinteiros de vidro com superior tinta a 160.
n;mIt ",C 2 da gi0ll,OSa Sa,nt D' t0 ""i a 2'5- 23500 e 33 : s no Vigilante,! Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
ner ni"' br0Chari '' T "" d ,m' rua do CresP 7- I tiro*a dc botes louCa prat.ados, o melhor, a
perador "' u__________________^___ Enfcilcs para senhora. I 160 rs.
Vende-se a legislaco do Brasil desdo 1822 Riquissimos enfoites com laco e sem laco e de Tesouras para costura, ornis superior, a 400 rs.
at 1863 : nesta typograpbia se dir.l \ outros muitos gostos a 12, 12300 e 33 : so no Vi- DiIas para unnas muil finas a *00 rs.
- Euzebio Raphael Rabello tem para vender | g'alnlt. rua do Crespo n. 7. : Escojas para limpar dentes muito superiores a
. j ru,c?',if,s' Libras d'e laa de todas as cores (pesada) a "J.
Lindos trancehns de cabello para relogio ou lu- Caixas de pltosphoros de segnranca a 160.
imo preco de 12500, ditos de Ditas de papel amizade pautado e'liso a (00 rs.
i Ditas com 100 anvelopes muilo superiores a 800
ris.
Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
Cartas e taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas cora superiores iscas de aceader charutos
a 40 rs.
Carreteis de linha Alexandre (200 jardas) de cores
a iOrs.
Baralltos para voltarete muito finos a 240.
Carlas de alflneles francezes muilo finos a 40 rs.
Meadas de linha fxa para bordar a 20 rs.
Pares de sapalos de tranca muito superiores *
12600.
Papis de agulha com um pequeo toque a 10 rs.
Groza de botos de madreperola muito finos a
560 rs.
Cartes e caixas de celchetes francezes superiores
a 40 rs.
em seu escriptorio, rua da Cadeia n. 55, os seguin
tes gneros
Cera em velas.
Cal em pedra de Lisboa.
Vinhu puro em ancoretas.
Esleirs do Ararat*.
Vndese na travessa da Madre do Dos nume-
ro 10.
Um confeito e especifico para
expellir os Vermes.
retroz a 200 rs.
Bab din los entremetes.
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissiino
prego de 12200, 12500, 22 e 32 : s no Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
O sea rri I lias.
Grande sorlimento de_ cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites : s no Vigilante, rua do Cres-
po n. 7.
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e qualidade, por precos que admiram aos compra-
i dores, ha vendo filas largas proprias para sinteiros
, que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca de 3
, varas a 23 : s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Fitas le la.
Fitas de la de toda* as qualidades, proprias para Donets para meninos muito finos a 12500 e 22-
'asillms
DE
Vci'iiiifups
KBMP.
Advogado Affonso de Albu-
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
feiras, porm, na villa do Cabo.
COMPRAS.
Comprase ouro e prata em .obras velhas
paga-se bem: na loja de bilhetes da braca da Inde
pendencia n. 22. ______
Aluga-st um soto ein terceiro andar, com
bons commodos para grande familia, escada Ilu-
minada a gaz : quem pretender, dirija-se typo-
graphia da Ordem._____________________^^
Aluga-ss o primeiro andar do sobrado da
j rua do Ho>pitio n. 24, proprio para grande fami-
lia : a tratar no mesmo,
Compra-se urna barcaca de 400 saceos, em
estado de navegar, e que seja de boa construccao,
tambem aluga-se no caso de convir : a tratar na
rua do Trapiche n. 17, primeiro andar._________
Compra-se urna escrava de 30 annos pouco
mais ou menos, sem vicios nem achaques, e que
sirva para todo e qualquer servico : prefere-se que
entenda de cozioha e com cria : a tratar na rua
! do Pilar n. 13o._______________________
Compram-se duas escravasde 15 25 annos;
na rua Nova de Santa Rita n. 45, na casa do Sr.
Jo6 Ignacio d'Avila._______________________
Compra-se urna escrava, ou aluga-se na rua
do Queimado loja de ferragem n. 59 que ahi
achara com quem tratar.
Os ntciiinos s pedom gritoB, porque
ellas sao de eheiro, sabor e cor agrada-
reis. A clfgHiicijt, a segaridude de ac-
cao, o iiioii'ensivo das
Pastilhas Vermfugas de Kemp
A PAR DA 6UA
Compostyao exclu*h acirnte Vegetal,
sao estas pois ns suas melhores e mais
completas de todas as recomittendacoes
que 6e possa fazer e com justa razo as
colloco na categora d'uia favorito uni-
versal.
A supeiioridacle das
Pastilhas de Kemp
Bobre todas as preparaces destinadas
para o mesmo fin devido A sua sim-
ples compoBco o seu aroma agrada-
vel e rapidez o infallibilidade com
que alcanca a destruieo total das
LOMBRIGAS.
venda as boticas de Caors de Barboza,
i debrum de vestido a 700 rs. a peca : s no Vigi-
| lante, rua do Crespo n. 7.
Ricos espelhos,
Riquissimos espelhos com moldura dourada e
j sem ella de 82,10,12 e 142, assim como con co-
; lumnas de differentes tamanhos a 22, 3, 4, 5 e 62:
i s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina
i para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui'
tem apparecido : s no Vigilante.
Para pos de arroz.
vasos com noneca para pos de ar-
Macos de grampos superiores e limos a 40 rs.
Groza de pltosphoros do gaz ntnito noves a 22200.
Ama preta muito superior a 100 rs.
Caixas de rap com espelho a 100 r..
Realejos para entreter meninos a 80 rs.
Pecas de fila de linbo muilo boas a 40 rs.
Pentes de laco muito bonitos a 12
Enfeites de laco de todas .as cores a 12300.
Rodas com alnnetes francezes a 20 rs.
Caixas com quatro papis de agulhas imperiaes a
240 rs.
Sabonetes de familia a 80, 160 e 320.
Caivetes de duas folhas muilo finos a 330.
l'ares de sapatos de lia para meninos a 400 rs.
Sapatos de tranca para senhora e para homem, os
a rua do
i 49 e 53," e ver tdo como bom e barato.
Riquissimos vasos com noneca para pos
roz, Lsa de muito goste, a 12500 e 22 assim co- Ztt^G^W&BSZ
Perfumarlas.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como os lindos ropos ou vasos com dis-
tinctivos e offerecimentos s sinhazinhas, dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris e Ingla-
terra, assim como os grandes copos de banha japo-
niza a 22 e a 12 ; assim como outros objectos que
nao possvel por hoje annunciar, e vista dos
freguezes se far todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Arroz eom casca.
Vende-se arroz com casca em saceos, chegado
ltimamente do Pcnedo : na rua Direita n. 69, pa-
daria de Antonio Alves de Miranda Guimaraes.
Queijos e vinho.
Queijos frescos de 4 libras a 22700, vinho de
Lisboa a 22600 a caada e 360 rs. a garrafa, F-
gueira a 32200 e 440 a garrafa, manteiga ingleza
muito boa a 800 rs., ranceza a 600 rs., cha miudo
a 22600 e 22400, caf 300 rs., chouncos novos a
640, toucinho alvo e alto a 280, arroz a 80 e 100
rs.. espermaceti: a 560, carnauba a 320, alpista a
-Coiftpra.se um fila para cima de bakao, TS_T~ TfWfl Pravo Af rna l40, TMg? f.,L8,,boa a 200,rs- "J*8 doce at^
com Hfwitm, que seja jterjueno; na praca da I" d? Cz' e Jo5 da L< BraV0 L' ra8 I a garrafa ditg de carrapato a 260, gaz a 480:
Boa-vSa a. a j da Madre de Dos. no armazem da Estrella, largo do Paraizo n. i4.
BAR\T0
fi MIJITO BARATO
BARAT1SSIM0.
A' 240 rs. o covado de riscadinbos fran-
cezes, muito bonitos e de cores seguras;
vende-se s na rua do Crespo n. 1.
Loja do Barateiro.
Aor Srs. edificadores le pre-
dios.
Vendem-se diversos terrenos dentro da praca :
a tratar com o agente.de leiles dympio, rm sea
escriptorio na rua da Cadeia do Recife n. 48, pri-
meiro andar.
i


,1
Diarlo de Pernambuco Terca l'eira 5 de luluo e 184.
I
Grande liquidado
de fazendas na loja do ravie, toa da taperatfh i.
60, de Gama k Silva.
AcOa-se este estabelecinienlo completamente sor-
tidode fazendas jnglezas, francezas, allomaos e
suissas, proprias tanto ca- a praca como para o
mato, promettedo vender-se raais iarato 4o que
em outra qualquer parte principalmente senda em
por$ao e de todas as fazendas ao-se as amostras
deixande flcar penhor ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavow
As chitas do Pa?5o.
Vendem-se superiores chitas claras e escuras pe-
lo barato prego de 240 e 280 rs. sendo tintas se u-
res, ditas francezas finas a 320, 340, 360, '400 e
500 rs., o covado, ditas pretas largas e estreitas,
riscados escocezes finos a 240 "rs. o covado, isto na-
loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
Aseassas do Pavio a 240, 280, 300 e 320 rs.
Vendem-se finissimas cassas persianas cores ti-
zas a 320 rs. o covado, ditas francezas muito finas
a 240 e 280 rs., ditas ingzezas a 240 e 280 rs. o
covado, finissimo organdy matisado com desenhos
iniudinhos a 320 rs. o covado, cassas garibaldinas
muito finas,a 320 rs., Isto na loja do Pavao ruada
Imperatriz n. 60, de Gama dt Silva.
As lazinhas da eiposico do Pavo.
Vendem-se as mais mode'rnas lazinhas mossan-
bique chegadas pelo ultime vapor francez sendo
de urna s cor ou de listas miudinhas com 4 pal)
mos de largura, proprias para vestido de senhora.
roupa para meninos e capas, e pelo baratlssimo
preco de 530 rs. o covado, ditas entestadas trans-
parentes de quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas raatisadas muito finas a 500 e 400 rs..
ditas mais baratas do que chita tambem matisada*
a 320 rs. o covado, ditas a Mara Pia com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de urna s cor parda, azul, cor de I y rio e
perola proprias para vestidos, sautembarques e
garibaldes a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
800 e 400 rs,, isto s na loja do Pavao, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os chales do PavSo.
Vendem-se finos chales de crepon estampados
Solo barato preco de 64, 75, 5- ditos de poota re-
onda i 75 e 85, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidrilho a 125, ditos pretos lisos a
54, ditos de cores a 45500 e 55, ditos de merm
estampados a 25 e 35, ditos de lia a 15-80 e 25,
ditos de retroz preto para luto a 65, isto na loja
do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Sirva.
0 Pavio vende para luto.
Vende-so superior setim da China fazenda teda
de lia sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, paletots, capas etc., pelo bara-
to prego de 25, 25200, 25300 o covado, cassas
retas lisas, chitas pretas largas e estreitas, chales
e merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
cemgollmhas eoutros muitos artigos que se ven-
dem por precos razn veis: aa loja do Pavae ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavio
Vende-sc ricos vestidos de grosdenapts preto ri-
camente bordados a veihido pelo barato prego de
405, sendo fazenda que sempre se vendeu a 1005
e uQJ; ditos de camtraia brancos ricamente bor-
dados a croch, sendo croprios para baile e casa-
mento a 10, 15, 20 e *J5; ditos de lia com lindas
arras a 18 e 453 s isto na loja o Pavao ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os paauos do Pavio.
Vende-se panno preto muito superior pelo barato
prego de 25, 2530Qj'$5 e3500, ditas muito linos a
45, 55 e 65, cortes de casemira prcla enfestada a
45, 45500 e 65, casemira preta fina de urna s
largura muito fina a 15800, 25, 2S500 e 35, cor-
tes de casemira de cor a 55, 55500 e 65, casemi-
ras enfestadas de ama s cor proprias para caiga,
paletots, colletes, capas para senhora, roupas para
meninos a 35 e 39500 o covado, isto na loja do
Pavao, ra dalmperati iz n. 60, de Gama & Silva.
A roupa do Cao.
Vendem-se peletois de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muko boa a 125,'fritos muito finos a
165, 20?, 255 e 305, caigas de casemira preta boa
fazenda a 4S06, 55, 65, 75 e 5, paletots saceos
de panno preto a 75 ditos de casemira de cor t
65 e 75, ditos de alpaca preUi, ditos de merino
preto, ditos de-brim de cores, -caigas de casemire
de cor a 44, 55,65, 75, ditos de casemira da
Escossia a 35, ditos de brimpardo a 24500, ditos
de cor a 25 6:23500, ditos 'brancos muito fin*,,
sto na loja doPavo, ra da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Os cortinados do pavo.
Vendem-se-ricos cortinados proprios para jaa&!-
la e camas pele barato preco de 95 o par, sendo o
melhor que teo mercado : D. 60, de Gama j Silva.
fcs colchas do Pavio.
Vendem-se-celchas de linho alcochoadas pro-
prias para eanaa pelo baratotprego de 55 cada rasa
na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas que tem va-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor fran-
cez, pelo barate prego de 606 rs. o covado, ditas
de listrinha muito miudinhas proprias para vestidas
e roupas de meninos e meninas pelo birato pr ero
de 500 rs.; s-c Pavao ra da Imperatriz n.'69,
loja de Gama &-Gilva.
Os sonteaobarqnes do Pavo a
iO# c 15,1 s o Pavo.
Vendem-se os-mais lindos souteanbarques (fue
em vindo ultiraaaieote deJiazinha e caxemira ri-
camente bordados e enfeitades, cores muito delica-
das pelo barato jweg de 10J e 155 ; fazendaests
fine em outras lojas se vendem por 205 e 255, -t
3 para liquidar : na rna da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
:*s chitas o Pavo 400 e
'ft'OO -corte.
Vendem-se cortes de chita com dozc covados
tue. corte, ditos com dez covados a 25400, fazen-
da. muito boa, e que nao desbata, s na loja do Pa-
vao;tem esta pecluwJia.; a.ra da Imperatriz n.
eO-te Gama A Silva.
i-aas de nw cor.
Vendem-se laatiatat de urna s cor, sendo en-
carnada, azul, cinzenta, ir de caf, lirio claro, li-
o roes cor de perola jnio bacatissimo prego de
64W o.covado, fazenda mo fina s o Pavao, ra
da Wnperatriz n 60 toja e &rmaaem de Gama &
Silva.
Pana*
f
ESPLENDIDO SORTIMENTO DE MOLHADOS
1. 9 RA IIO CHESPO w. o
l Esquina qae vIU para a roa do Imperador
'



DE
(\o se enganein coua a mitra)
. AUlCiOS!
Nao leiam este annuncio com precipitacao.
Confronten! os precos dos oulros annunciantes.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
A vista faz f.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao -nos encnlcamos o primeiro recebedor de conta propria.
Nao desacreditamos ao collega porque nao quiz ser nosso socio.
Val a quem toca.
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia ainda nao sao sufficien-.
tes as casas que actualmente oxistem abenas com gi andes proporfoes para lerem um
magnifico sortimento de molhados; assim, pois, os propietarios do Armazem Principal
nao invejam a sor le dos seus collegas.
Habitantes de Pernambuco.
Nos temos um excellente sortimento dos melhores gneros que se pode acbar
em nosso mercado. Vinde ao nosso establecimento, e se a vossa boa f i'r illudida
urna s vez ao menos, casligai-nos nao voltando mais a nossa casa.
Amendoas confeitadas de bonitas cores a dem de Hollanda em garrafoes com 24
l,ooo rs. a libra. garrafas a 7,2oo rs\ com o garrafao.
dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra. Lentilbas excellente legume para sopa e gui-
Avellaas a 2oo rs. a libra. zados a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a l,2oo, 1,(90 e 1,600 rs. cada 8oo e i.ooo rs. as garrafas grandes.
urna. Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo e
dem em frasco de vidro com rolha do mes-1 96o rs. a libra.
mo ou de metal, a l,2oo e iioo rs. ca- dem franceza nova j deste anno a Coo rs.
da um. a libra, e 56o rs. em barris inteiros.
dem em frasco grandes 2,5oo rs, cada um. Marmelada especial dos melhores fabricantes
dem em latas de i '/a e 3 libras a 4,2oo e de Lisboa a 6oo e Ci rs. a libra, ba latas

PARA BEM DE
FAZEI FAVOR DE LER ESTE ANNUNCIO

da economa domes-
0 assumpto
im:s< oiemo-
0 verdadeiro eprincipalar- \.\
tica que se vai tratar,
importante.
mazem de molhados o do


.
\luguem contestar esta verdade.
A fama far correr esta noticia.
A posterldade bcmdfr o nome do Baliza.
Actualldadc Ilatei palmas de contcntamento!
2,ooo rs.
de differentes tamanhos.
Arroz da India e Maranho o melhor que se Massa de tomate em latas de i libra 56o rs.
pie desejar a loo e 12o rs. a libra e, cada urna.
2,8oo e 3,4oo rs. a arroba. i dem para soda estrelinba, pevide e rodinha
Azeite doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa,
e 4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em .garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, lo,ooo rs. a
caixa com i duzia.
Alfazeisa muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a tCo a libra, e '4,6oo rs. a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Anitonio dasseguintes qualidades: agyae
sgI doces, c imperiacs em latas de 6 li-
aras a 3,ooo rs. e de 3 ','* libras a ,5oo
rs. eemlibraa 64ots., estas bolachinlias
'torna-se muito recommendavel com es-
pecialidade para os doentes.
Uiscoilos e BolachinUas de suda em .latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bollos francezes em cartocs e de diversas
qualidades a 64o rs..cada um.
em caixinbas surtidas a 3,ooo e 3,5oo rs.
cada urna e 5oo rs. a libra,
dem macarrao, talerim e aletria a 4oo rs.
a libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um.
Molbo inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro 64o rs. cadji urna.
Marrasquino verdadeiro de Zara a l,coors.
a garrafa, 10,000 rs. a caixa com 1 duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Prezuotode fiambre superior a 600 rs.
dem e Porto para panel la a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixc etn latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinhae
oulros a i ,00o rs. a latas.
Paulos para dente a lio e 16o rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a I60 rs. a libra.
Sem mitras nem coreas para ornar a fachada de seus annuncios, e as portas do edificio em que habita, o Baliza se
contenta em tomar o seu lugar de honra na vanguarda de todos os homens do progresso.
Sopre embora o maldito Clarim, o seu toque de retirada a marchc-marche do desacreditado Progresso; arme a tenda
dos falsos apostlos da sinceridade no tratro, da realidade na pratica dos negocios commcrciaes, revele finalmente a soa
grande insobordinaco fingindo desconhecer os seus superiores, deixando-se ftcar sentado, em vez de perfilar-sc e fazer a
continencia do estylo, porque o incansavelBaliza sempre fiel ao seu juramento teta continuamente na melhor ordem todo o
seutrem de guerra e no mais complecto movimento, o seu presumo para bem servir, desde o mais simples cantarada ale
o mais alto general da primeira classe do exercito dos seus constantes freguezes.
Entremos na materia :
SENTIDO!
ORDEM DO DA*
Desde a l.1 publicado deste annuncio al segundo aviso Manoel Pedro de Mello, proprietario do grande armazem
do Baliza estabelecido ra do Livramento ns. 38 e 38 A vender a todos os seus freguezes.
Cinco por cento menos
que qualquer dos seus-amaveis collegas que por menos annunciar. Qualquer objecto que nao chegue a contento dos e-
ahores compradores, pode ser devolvido ainda mesmo pelas pessoas que morarcm no centro da provincia..
0 dinheiro recebido pelo gener0 que nao agradar ser restituido sem constrangimenlo algum.
Ueclaraco importante.
falso o boato que tem feito espalhar o soldado soplador da ra do Qtteimado de que se ada o Baliza associado
ao armazem Unie Mercantil aberto a ra da Cadeia do bairro do Becife.
A liga entre os collegas um crime de lesa-povo.
E entre-tanto o Baliza ligueiro. ....
Ligueiro sim das ideas liberaos dos progressistas de todo o universo aos sentimenlu mais ntimos de seu coracao.
Deste modo de pensar ser o Baliza eternamente conservador.
Banha de porco erdadeira refinada a iooj e i,5oo rs. a arroba.
rs. a libra e em barril a 38o rs. Palitos
VeBiiG^}? panno de linfeo om i palmos de lar-
gura (rapo para lence*, Wabas cemulas pelo
barato pruoo de 640 rs. a vara, l>r*ante de linho
cora 10 palmos de largura a 25Q, algodaoiinho
monstrooaS palmos de largura a 13, pecas de
Hamhurffodem 20 varas a ffc 105 WL pecas de
madapolie Gao a 7S00, 8S. 11* iftS, diUs de
algodaoziBbo.a 6*, 6*500 e 7*, e OBtfas muitas
fazendas braacas que se vendem muito baratas
afm de apurar4inbeiro : na loja do fao ra da
imperatrii a.4e de Gama & Silva,
jO bramante do PavSo com doze
palmas de largura.
Vende-se braoiaaie de linho puro, muiofino com
, tem vindo ao~ mercado pelo barato preco de 2800
' rs,* vara ; s na loa do Pavao de Gama i Silva,
au2ia Imperatriz n.6.
As precalas do PavSo.
Xwdem-te as tnak tedas precalas qus tem in-
do aomercado chegadas pelo ultimo vapor framnez,
pelo borato prego de 600 rs. o covado, ditas de lit-
rinha ra*ilo miudinhas proprias para vestidos e
roupas de meninos e memaas pelo barato preco
4e00 rs.'. s o Pavo na da Imperatriz n. 60,
loja t (Gama di Silva.
Os bales do PavSo.
Vendem-se crinolinas ou baldes de 30 arcos tan-
braoeos como de cores, sendo americanos que
sao os melbores por se nao quebraren) a 3*500 ,e
de 35 reos a 'ti, ditos de musselioa com Lanados
4*. dito* para menina a 2* e 3*: na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
0 Pardo vende 80.
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos a
Maria Pia, cora lindas harpas de seda, sendo ebe-
Sados pelo ultimo vapor raacez pelo barato prego
e 8* cada um: s na leja do Pavo ra da Impe-
rajrii n. 60, de Gama & Silva.
Os bales do Pavo.
1 2,5500 s o Pavio.
Veuie-se bal5es com 80,23 e 30 arcos pelo ba-
ratissimo preco de 2*500, assim eomo lera um
completo sortimento de bales para meninas de lo-
dos os lmanteos pelo baratissimo preo de 2*500,
notando que sao baldes de arcos os melhores que
tem vindo da America Ingleza, vendem-se por me
preco para liquidar; s na loja e armazem do
Pail ra da lojpeffllriJiW, d fan fcgjJ.
Bal;itas novas a 100 rs. a libra. -
Bolachinhas inglesas ltimamente-desembar-
cadas a 2o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem '.indo a nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo, l,5oo rs. a garrafa in-
teira, e 8oo rs. as meias
Cha uxim o melhor que se pode dse jar e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2^?oo rs. a libra
dem perola especial qualidade -a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
d'este cha
dem hysson o 'jnellior que possivel en-
contrarle a ,ioo e ,0oo rs. a libra.
dem do Rio ere latas de .2, 4, 6-e 8 libras
a l,2oo e i,too rs. a libra.
dem prelo muito fino a -l.tioo r. a libra.
Chocolale das melhores qualidades, francez,
hespanhol esuissoa i,ooo, l,2oo e 1,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante iose Fer-
iado de Simae em !/s caixas das seguin-
tes marcas Pariziences, Suspiros, Dil-
cias, Napoleese Guaoabaras a 2,30o rs.,
eem caixas inVetras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de oulros nuilos fabricantes e de
differentes marcas para i,5oo rs.. as mei-
as caixas de suspiros a l,Goo, S.ooo e
3,ooo rs. as cax& inleiras.
Conservas inglezasa 8oo rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
!(Cognac inglez das melhores marcas a l,ooo
rs. a garrafa e io/x>o rs. a duzia.
dem francez suporior qualidade 8oo rs. z
garrafa e 9,ooo rs. 4 duzia.
Gaminho e Erva-doce s. too rs. a libra.
Gnavo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a i .ooo rs. a Itfwa.
Copos finos para agua a S,ooo rs. a duzia, e
$qo rs. cada um.
Cate do Rio superior a 28o e 32o rs. a li-
bra, e 8,8oo e 9,!joo a arroba.
Doce fino de goiaba a 6g rs. o caixao.
Ervititas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem seecas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo re. a libra.
Farinha de ararula verdadera a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a l.ooo rs. cada urna.
dem em latas ermiticamente lacradas a
I,5oo e 2,5w rs. cada orna,
dem em caixas de '/ arroba a 2,5o rs. ca-
da urna, c 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e i,ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,ooo rs. e 56o rs. o frasco.
dem de laranja a l,ooo rs. os frascos grao-
des e ll.ooo rs. a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da urna.
dem em garrafoes de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com a garrafe.
do gaz a 2,1 oo rs. a gro-za, 2oo rs. a
duzia, e 2o rs. a caixinhas.
Queyos flamengos chegados neste ullimo va-
por, a
dem prato -muito fresco a 8oo e 9oo rs.
a libra.
dem suisso a melhor qualidade que at ho-
je tem vindo ao nosso mercado a 8oo rs.
a fibra.
Sal refinado em potes de vidro a ooo rs. ca-
da um.
Serveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a
dtr/.ia, e 56o rs. a garrafa.
Sardiuha de Lisboa e Nantes m quartos e
meia latas-a 38o 58o rs. cada nma.
Sag mnito novo e alvo a 2io rs. a libra.
Sevadnha de Franca 18o rs. a libra.
Sevadaa loo rs. a libra, e 2,8oors. a arroba.
Traques de L" qualidade a 8,5oo rs. a cai-
xa, e22o rs. a carta.
Toucifiho novo 'de Lisboa a 24o e 32o rs. a
libra.
Tijollo para 1 impar facas a 15o re. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
ooo rs. a garrafa.
Idem'do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 6oo rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco nao levando com-
posico a 56o rs. a garrafa, e 4,ooo rs. a
caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a gar-
rafa, e 4,5oo rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, e 3,ooo
rs. a caada.
dem Brdeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,8oo e 7,ooo
rs. a eaixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a l,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este me6mo preco d pre-
juizo e s se encentra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu-
lar, malvasio fino, D. Pedro V, D. Luiz
I, Nctar e outros a 9,ooo e lo.ooo rs.
a caixa e 9oo a 1 ,ooo rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a l.ooors. a.garra-
fa, e lo,ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafe
e 2,4oo rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a l,ooo
rs. com o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna
dem de escova para esfregar casa 36o rs.
cada urna.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composi cao a
36o rs. a libra, e de lo,ooo a H,ooo rs. a
arroba.
CONSE
23Largo do Terco~23.
Joaquim Simao dos Santos tendo de se retirar est resolvido a liquidar e fazer nma grande
vantagem a quem seu armazem frequentar, e vender por menos do* que outro qualquer annuncante,
para teso tem um vantajoso sortimento tanto neste armazem como fra e para melhor servir o publico
o anuunriante scientilica aos seus freguezes que tem frequentado este establecimento que de
hora em diante terao a vantagem de 10 a 20 por cento menos que compraran! cm outra poca pelo
seu prompto pagamento.
Attenc&o.
Caf de Rio de primeira c segunda sorte a 270 e
300 rs.
Arroz pilado a 80 e 100 rs. a libra e 2*400 e 3*
a arroba.
Milho alpista limpo a 170 rs. a libra e 4*800 a
arroba.
Toucinha de Santos e Lisboa a 240 e 280 rs. a libra.
Passas de carnada a 500 rs. a libra c 10* a eaixa.
Azeite doce de Lisboa fino a 640 rs. a garrafa e
4*800 a caada.
Dito de carra pato a 320 rs. a garran e 2*240 a
caada.
Massas para sopa aletria, macarrfio e talharim a
480 rs. a libra e 10* a caixa.
Chouricas as mais novas a 800 rs. a libra.
Charutos em macos de 50 a 6* o milheiro e a
640 rs. o cento. i
Dito em caixa da Babia dos melhores fabricantes
de 1*200, 2*400 3* e 45-
Phosphoros do gaz vindo de conta groza 25300.
Manteiga franceza a 600 e640r?. a libra.
Dita ingleza flor i 800 e 900 rs. a libra.
Biscoutos e bolachinhas de soda a 1*300 e 2*.
Vinho do Porto engarrafado a 800 r>., garante-se a
superior qualidade.
Dito em pipa Figueira das marcas mais bem co-
ntiendas a 500 rs. a garrafa e caada 3*800
e 3*500.
Dito de Lisboa especial para negocio a 360, 400 e
440 a garrafao em caada faz-se abat ment.
Dito branco proprio para missa a 640 e 500 a gar-
rafa e em caada a 5* e 3*500.
Bolachinha americana a 200 rs. a libra e eqt bar-
rica ha grande abatimento.
AGENCIA
D
FUMCAO DE L0W-M00R.
Ra d Senxalla mu n. 42.
Neste establecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e me tai
moendas para engenho, machinas de vapor
e tacnas de ferro batido e atado, de todos o
tamanhos para ditos.
Arado americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S, P. Johnston 4c C
ra da Senzalla Nova n. 42.
Empreza dailluminacao
, gaz.
Todas as vendas de apparelhos e reclamares
(por eseripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser fui tas no armazem da ra do Imperador
n. 31. Os machinistas mandados para attender a
estas, apresentaro um livro que os reclamantes
devero assignar logo depois de prompto o seryieo
reclamado ; isto para que a empreza fique Mate
de haverem os mesmos senhores
te attendidos.
sido devidamen-
Perros para ourlves.
Na rna larga do Rosarlo n. 24, loia de ourives,
vendem-se toos os ferros e ntencilios de oonve*.
XAROPE TNICO REGENERADOR
DE QUINA E DE FERRO
Preparado por (Rih.ilxt e c, pharmaceulicos deS. A. I. o Principe NapoleSo, laureados
da Escola de pharmacia de Pars, ra de la Feuillade, 7.
Esta nova combina<&o rene debaixo de um pequeo volume urna forma agradsvet e um posto delicioso.
Ha multo que os mdicos desejavao ardentemenie a reuniio (lestes dtus medicamentos, e todava, apesar
dos maiores esto re. os, nem a ciencia medica, nem os qumicos os mais distinetos o poderfio conseguir
at aqui gracas porm perseveranca humana icb&o-se hoje associadas estas duas poderosas substan-
cias, a quina, o tnico, restaurador por excellenda, o fcrr*, a bate de nosso sangue, e conseguinte-
menie o reparador dos fareas e 4a taude alterada eu perdida.
As molestias contra as quaes o Xarope tnico regenerador se tem mostrado muito eflkai so i as ame-
norrheias, faltas de menstruaco, dores d'estomago, fastio, digestdes penosas e tardias, flores brancas,
menstruac&es didlceis, o lyinphatismo, o cmpobrecioiento de sangue, as escrfulas, os estragos produiido*
pelas molestias svphiliiicas.
Ha apenas um anno que o Xarope de quina e de ferro fot applicado nos hospitaes de Pars, e elle
hoje o medicamento mais em voga, substituindo, por assim dlier,os medicamentos ferruginosos conhecidos.
O prospecto enrerra numeroso certificados de muitos memttros da Academia de Medicina e professores
da faculdade que attestao que este precioso medicamento 6 o conservador da saude por excellencia, e
o reconstitulnte da economa animal, indispensavel s pessoas que habito o paitea quentes, como
preservativo das epidemial.
Acha-se venda no deposito geral, em Parit, na pbarmacia Grimaaii e c, ra de la Feuillade, 7
em tjfioa, em caza do Snr nadric* dm coata-carraifaa, Barrai c O) no Porlo, na pbarmacia do
Sfir Minu i- Jo.r de siuu Perrdra; no Rio-de-Janeiro, em casa da va va relate Blata, ra de
Sabio, 11; na Baha, em casa do Sr Jec-Catana Pcrrcfra-Eaalahelra; no Rio-Grande, em casa do
Sfir Joaqun de Geday; no Jfaranhdo, em casa dos Sara rerrelra O ; em Pernambuco, em casa
do Sr BarSaeleaiea-FraBelaca a> saasat em casa dos Srs sheuai c, a bem assim as prin-
cipad phanneciu do Brasil e de Portugal.
Deposito geral em Peraambuce ra da Cruz n. 22 emeasa de Caros Barboza.

.

ARMAZEM DE FAZENDAS
DE
Custodio, Carvalho & Companhia.
9 KlA DO QUEIMADO
Snpcriores- saiasde fdslo para senhoras a 3.
Toalhas de linho para mesa a 115300 e 4.
Lencinhos para meninos um 100 rs.
Len;os brancos para algibeira a 25 a duzia.
' Toalhas para mao duzia 45.
Bramante de linho vara i.
Fil de linho liso vara 300 rs. _,_..
Brande pccfclocna.
Petas de entremeios bordados a 15-
Tiras bordadas a peca 2#.
Gollinhas de cambraiaa 600 e fc< O rs.

de (raballiar a mao >>.-. \
descaro^nE' algode
FABRICADAS
Por Plant Brothers & 0.
OLDAI
Esl .- :....- ni!.:
podem
qnalqner wpeeii
de algod.to sem
estragar o !t.
sendo bstanle
dnapC^oas para
otrabalho; |de
descansar urna
arroba Je algo-
dio era raroec
ern iO n.inutos,
ou 18 arrobas
por d.a ou 3 ar-
robas de algodao
limpo.
Esta machina
a unir que
possue as vanlagens de nao destruir o fio do al-
godSo c do fazer runder o dobrode i)aai(|oer r Ira cora menos trabalho, a sua iatrodacrao par;
as provincias deste imperio ser de muito ral ;
para lodos os interessados na lavoura do pait.
Assim com machinas em ponto grande do mu
mo systema,orar|l serem movidas por atiima-
agua ou vapor, pas naca podem descarocar 18 ar-
robas de algodao ampo por da.
O algodao dcscarocado por estas machinas tem
muito mais cstimaeao nos mercados de Europa e
vende-se por maiorpreco.
As machinas se achato venda nicamente em
casa de
Sauudci's nrol'M s k C.
X. II, praca do Corp o Kattt
RECIPE.
Os nicos agentes neste paiz.
ou fina a vontade do comprador*
9


GAZ.
Vende-se gaz liquido americano da melhor
qualidade em )at por menos que em outra qualquer parte : no ar-
mazem do caes do Ramos n. 16.
Vende-se um cabriolet: no paleo do Parai-
zo n. 26.
Espantosa pechlncha.
Chapeos de palha do Chile a 320 rs., e em du-
zia a 35, pode-se asseverar que pechincha vis-
ta da qualidade, e para o que venham ver e com
prar : na loja da ra da Madre de Dos n. 16.
Vende-se urna cadeirinha com pouro uso
prompta com crrelas : a tratar na ra do Rosario
n. 56, em frente a roa do Arago.
BOTICA E DROGARA
DE
Francelino Ferreira Crespo
Golauna.
Vende-se:
Salsa parrilha de Bristol.
Pilulas assucaradas de Kemp.
Pastilbas assucaradas de Kemp.
Agua florida de Murray & C.
Peitoral de anacahuita.
Xarope de citrato de ferro de Chable.i
Elixir de citro lactato de ferro.
Inieec5o Brow.
Pilulas
. americanas contra sesoes.
Pilulas purgativas de Dehant.
Pilulas do Dr. Alison.
Pilulas da vida.
Xarope vegetal de Penedo.
Prompto alivio.
Plalas reguladoras.
Xarope alcoolico de rellame.

Na ra do Rangel n. 2 vende-se o verdadei,
ro papel de linho hespanhol, e de palha de miiho-
tanto em porcao como a relalho, ede todas as mais
qualidades para o fabrico de cigarros; charutos da
Baha muito bons a 25 a caixa; a elles, qne eslo
a acabar-se.
Albuns para vate retratos.
Vende-se os lindosalbuns para vinte retrates pe-
lo barato preco de 25 cada um : s no vigilante
ra do Crespo n. 7. _____________________
Vende-se ou permuta-se por doas crias de 3
i annos de idade urna negra de meia Jado,
sem vicios nenhuns, muito boaquiand'irae mui-
to fiel : no pateo do Terco n. 141,

m


^P
Miarlo de
eo Terca felra ." de Julho de 1ISI.
Largo da
Santa Cruz
numero
12 e 84.
Esquina da|fe
ra do 5?
Sebo n. 12^
e84.
RIMANTE AURORA
AURORA BRILHANTE
GRANDES ARMAZENS DE MOLHADOS.
Francisco Jos Fernandes Pires proprietario dos armazens de molhados denomina-
dos liriihante Aurora e Aurora Brilhante, ao largo da Santa Cruz ns. 11 e 81 (esquina
da ra do Sebo), faz sciente ao respeitavel publico desta eidade e do interior que nos
seus importantes estaijelecimentos vender sempre gneros novos e de primeira quali-
dade e vender a todos pelo mesmo prego.
O completo sortimento de todos os gneros finos e grossos que costnmam ter outros
etabelecimentos desta ordera se encontrarao sempre nos armazens da Brilhante Aurora
e Aurora Brilhante e sempre em grande escala a vontade dos Srs. compradores.
O proprietario dos armazens Brilhante Aurora e Aurora Brilhante pede a todos os
senhores e senhoras que quando tiverem de mandar suas relacSes a estes estabelecimen-
tos por seus criados seja em carta fechada on com grande recommendajae a estes arma-
zens, certos de que serao to bem servidos como se viessem pessoalmente.
.


A Brilhante Aurora e Aurora Brilhante troca qualquer um genero que por acaso
nao aprade erecdbe as libras esterlinas a 9J,sendo por compra: a tabella de seusgeneros
ser mudada todas as semanas.
Vinho muscatel duzia 105 e garrafa 1|.
Dito branco proprio de Lisboa caada 4^800
Amendoas confeitadas parasortes a libra 1.
Hanteiga ingleza flor a 800, e 960 rs.
Dita mais abaixea 640 e 720 rs.
Dita franceza nova libra 640 e e o barril a
000 rs
Chocolate sant muito novo al200 a libra.
Cha perola o melhor que ha ( redondo) a
libra 3^200.
Dito dito mais abaixo a 25500 e 25800.
Dito uxim muito fino a 25800 e 35-
Dito hysson superior a 25600 e 25800.
Dilo mais abaixo a 23 e 25500.
Dito preto muito fino a 25500.
Dito em massos a 2-3.
Dilo do Rio em latas de 4, 2 e 1 libra a
15500.
Caf de moca superior arroba 105500 e li-
bra 400 rs.
Dito do Rio e do Cear arroba 95500 e libra
320 rs.
Dito mais abaixo arroba 85500 e libra 280.
Barricas com bolachina ingleza ingleza nova
a 35-
Latas com bolachinha de soda de 5 libras
a 235O0.
Ditas com ditas sortidas de 2 luirs a 15400.
Frascos com ameixas franeczas so o frasco
val-o dinheiro a 25800 e 35.
Latas com ditas a 13400, 25200 e '5.
Ditas com figos de comadre a 13500.
Caixiuhas hermticamente lacrada; eprorias
para mimo a 25 e 25800.
Caixinhas com ditas a 13. 235(0 e 55 de
arroba.
Presunto de Lamego muito novo a libra 5-0
rs. inteiro e a retalho 600 rs.
Chouricas e patos novos a libra 800 rs.
Latas com chouricas e linguicas
das neste vapor com 9 libras
e garrafa 640 rs.
Vinho branco de muito boa qualidade cana-
da 45 e garrafa 480 rs.
Dito Xerez fino a caada 75500 o Garrafa a
15200.
Dito Madeira seca caada 105 e garrafa 25.
Dito em caixas de urna duzia do Porto dos
melhores autores a 125, 145 e 165.
Garrafas com licor tino francez e portuguez
a 15-
Ditas com vinho de caj muito claro a 15.
Ditas com mel de abelha puro a 15.
Frascos com genebra de Hollanda de 2 gar-
rafas a 1-3.
Dito de urna garrafa a 560 rs.
Dilo de laranja verdadeira a 13200
Duzia de grasa latas grandes a 13
Caixas com 25 massos de velas de sperma-
cete a 560 rs. a libra.
Ditas maiores a P00, 640 e 720 rs. a libra.
Caixas com urna arroba de velas do Araca-
ty 105500 e libra 400 r..
Ditas de composicao arreba 105e libra 300
Saceos grandes com fariuha de Goiaunamui-
to boa a 53500.
Dito de Porto Alegre melhor que de Mari-
beca a 65-
Ditos com milito novo com Slcuias a 43000
Dito com farello de Lisboa 120 libras a
I 53500.
Dito com arroz de casca a 53500.
Duzia de garrafas de serveja branca e preta
a 5800 e em barricas a 53500.
"Arroz do Maranhao em sacecs arroba 25600
e libra K.v rs.
novas vin- Dito da India e Java arroba 33 e libra 120.
por 65500. Araruta verdadeira arroba 85 e libra 320
Citas com peixe ensopado de muitas quali- rs., 1} matarana.
dades a 13- Gommao Araeaty para engommar arroba
Ditas com ervilbas francezas e portuguezas 53 e libra ICO rs.
a 880 rs. I Tapioca ou fallaba do Maranhao nova libra
Ditas com feijioverde francez a 800 rs. 160 rs,
Ditas com massa de tomate novo libra ; Ervillias seccas muito novas libra 200 rs.
560 rs.
Ditas com ostras a 720 rs.
uitas com marmelada dos melhores autores
de Lisboa a libra 640 rs.
Potes com nfustarda franceza preparada a
libra 480 rs.
Frascos com conservas de pepinos, mexides
e azeitonas verde a 15.
Dita dita franceza a 800 rs.
Gigos com trinta e tantas libras de batatas
novas a 35500.
Queijos novos do vapor a 33250 e 35500.
Ditos de prato enplicado a 1.
Dito suisso a 800 rs.
Dilo de manteiga do Sendo a 800 rs.
Caixas com passas novas de 1 arroba 73,
meia 335OO e quarto 25 e libra 480 e
640 rs.
unendnas com casca a libra 240 rs. e arro-
ba 65.
Noces libra 160 e arroba 53-
Caixas c meias ditas com charutos finos da
Babia dos melhores fabricantes de Jos
Furtado de Simas, Res e outros, sendo
Suspiros, Parisienses suspiros, Delicias,
Normas de Havana, Exposicao, Almiran-
te?, Barateiros, varetas, Guanabaras, Re-
gaba imperial, Acadmicos de Olinda, Se-
nadores e Apraziveis de 15500 a 85 a cai-
xa de SO a 100 charutos.
Grozas de caixinhas de palitos do gaz a
23200 e 200 rs. a duzia.
Barris com azeitonas novas a 3, e 45 bar-
ris grandes.
Vassouras do Porto piassava muito seguras
a 400 rs.
Azeite toce francez dos melhores fabrican-
tes caixa 105e agarrafa 15-
Sag e sevadinha a 240 rs.
Sevada arroba 332C0 e libra 120 rs.
Graxa de boio 97 a 280 rs.
Sabio massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito hespanhol verdadeiro a 400 rs a libra.
Balaios do Porto diversos lmannos de 320
a 23.
Capachos para portas de varias cores a 600,
700 e 800 rs.
Grao de bieo arroba 45500 e libra 160 rs.
Paineo arroba 55500 e libra 200 rs.
Milhi aloisia arroba 43800 e libra 160 rs.
Azeite doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 15500 e garrafa
200. 240 e 320 rs.
Massos de palitos de dentes com 20 massi-
n liosa 160 rs.
Tijolos de limpar facas a 160 e 120 rs.
Caixas com 40 cartas de traques a 95500 c
a carta 2S0 rs.
Resmas de pap*l almaco pautado a 55.
Ditogreve liso o melhor que lia a 43500.
Dito de peso e pautado a 25500 e 23800.
Garrafoes com 25 garrafas de verdadeira
genebra de Hollanda por 85500.
Azeite de coco garrafa 560 rs. e carrapato
360 e caada 26560.
Caixoes com doce de goiaba a 640,800 e 15,
Toucinho de Lisboa arroba 85500 e libra
320 rs.
Dito de Santos arroba 75 e libra 280 rs.
Molhos com grandes ceblas a 15600.
Cento da dita solta a 15500.
Mauncos de alhos a 240, 320 e 400 rs.
Esleirs de varias qualidades.
Cordas de postar e de andaime.
Favas da ilha de S. Miguel arroba 35200 e
libra 120 rs.
Caixas com vinho Bordeaux branco e tinto Copos lapidados para agua c vinho a 35500,
S. Julien, S. Eslife e outros a 75500 e 85. 55800, 65 e 73.
Vinho do Porto fino em barris de 5" que ra- Ditos lisos para varios precos.
ras vezes apparecc por 805 e em caada a Calix lapidados grandes e pequeos duzia
55500 e garrafa a 800 rs. I 3.4 e 55 ; e 400 e 500 rs. cada nm.
Dito da Figueira puro caada 45 e 45500 e Massas para sopa macarro, taftarim e ate-
garrafa a 480 e 360 rs. tria a 480 rs.
Dito de Lisboa de boas marcas a 35500 e Estrelinha e pevide libra 560 rs.
45 e a carrafa a 440 e 480 rs. Xaropes de frudas naeionaes a garrafa
Cognac, verdadeiro a garrafa 15 e 15280. 500 rs.
'E muitos outros gneros que nao possivel men-<
ciona-los todos de primeira qualidade.
A satisfacao Brilhante Aurora e Aurora Brilhante vender muito embora bara-
to, mas a DINHEIRO.
GRANDE ALLIANCA
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Paulo Ferreira da Silva & Companhia
Grande sortimento de molhados em grosso e a retalho. nico armazem que mais
vantagens offerece ao publico. 0
NEM COROAS NEM MITRAS
E
0 ItMIli PRI1PIL

Desenganem-se todos.


K o AIIhinca o verdadeiro homem do progressso.
K o Ailiaoca o verdadeiro e principal armazem de molhados.
Ufanea o armazem que vende mais barato.
l": o AI lianza o armazem que vende os melhores gneros.
e AlHanca o armazem onde preside o melhor aceio.
Fiquem todos sabedores desta verdade,
Venham todos ra do Imperador n. S7.
Venham ver os gneros que temos expostos a renda.

-
GRAIDE
ARMAZEM
DE


PARA
S. JOO
de Bonitas cor
AS
DE
FUSTAS
Amendoas confeitadas
800 rs. a libra.
dem de casca muito nova a 3oo rs. a libra.
Aveta a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l,2oo, l.loo e i,6oors. cada
urna.
dem em frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a l,2oo e l.loo rs. cada
um.
dem em frasco grandes a 2,oo rs. cada
um.
RA DO IMPERADOR Y. 40
Junta ao searado em qie ora Sr. M.torne,
Para a festa de Santo Antonio, S.J0&0 eS. Pedro.
lluarie Almelda t C. receberam de .ma proprla eneo
da o mala lindo e variado sortimento de molhados.
da presente estaeao.
Manteiga ingleza
Vo armazem de fazendas baratas de,
Santos Cocina, na a Queimado, n. j
49, veade-8e o segurte *
Attenre.
IJiazluhas.
Ricas liazinhas para vestido, Tasenda a melhor
que tem vindo ae mercado, tanto em gosto como
em qualidade da fazenda, pelo baratissimo preco
de 560 rs. o covado.
Laazmhas miudinhas carmezins proprias para
vestidos de meninas, e camisinhas a 640 o novado.
Cortes de la com lo covados pelo baratsimo
preco de 63.
obertas de chita da India pelo baratissimo preco
de 23300. *
Lencoes de panno de linho a 2.
Lencoes de bramante de linhe fino pelo baratissimo
prego de 33200.
Bramante de linho fino com 10 palmos de largura
pelo baratissimo preco de 23300 a vara.
^1!1,?.?0 a(1:imascado proprio para toalhademesa
a 23000 a vara.
Cambraia de forro a 23600 e 33200.
Guardanaoos adamascados a 33800 a duzia.
Toninas alcochoadas proprias para maos a 53 a
duzia.
Corles de caifa de Ranga amarella de listras e
>lc quadrus, pelo baratissimo preco de 13200 o
:6rte.
Cambraia adamascada eom 20 vara?, propria
para cortinado, pelo baratissimo preco de 10;000
a pe^a.
Ricos cortes de la Maria Pa pelo baratissimo
preco de 183.
ssCoo3 sr^s. S g g K o
2 s a n s-aau S ~o 2 2 f
8"S|i'2.s,8S<,g.S,6,

o
VI
ct) a>
s. s
g
"" 3
a o
3
,__2 e

o _
S^s a.1
*"3*I-g
9
lf*
a 3
O 03
dem em latas de 1 '/j e 3 libras a l,2oo e
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranhao o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,ioo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a Coo rs. a garrafa, e
4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada ama, e lo.ooo rs. a
caixa com I duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a 1-
I bra.
Alpista a 16o rs. a libra e 4,6oo rs. a ar-
roba
Bolachinlias de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e de 3 l% libras a l,5oo rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinhas
torna-se m'uilo recommendavel com espe-
cialidade para os doentes.
Biscoitos c Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a tala.
Bolos fraticezes em carios e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de poico verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 16o rs. a libra.
Bolachinhas inglezas altimamenle desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcos mais superiores que
al boje lem vindo ao nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo e l,5oo rs. a garrafa
inteira, e 8oo rs. as meias.
Cha uxim o melhor que se pode desejar, e
que otitro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra.
dem perola de esp cial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, girante-so a qualidade
d"estc cha.
dem hysson o melhor que possivel encon-
trar-so a 2, too e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a I.2ooe l,4oo rs. a libra.
dem prelo muito fino a l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol c suisso a 1,000, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em caixas das seguin-
tes marcas: Paruienses, Suspiros, Dul-
cas, Napoleocs e Guanabaras a 2,3oo rs.,
e cm caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de oulros muitos fabricantes e de dif-
ferentes marcas para 1 .ioo rs. as meias
caixas, de suspiros a l,6oo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
dem franceza a ooo rs.
Cognac ingle/, das melhores marcas a I,ooo
rs. a garrafa e lo,ooo rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 8oo rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Graw) da wd a 6oo rs. a libra.
CaTilta a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para-agua a 5,ooo rs. a duzia, e
Uoo rs. cada nm.
Caf do Rk) superior a^80 e 320 rs. a lilra,
e 8,8oo e 9,ioo a arroba.
Doce fino de goiaba a 6oors. o cal sao.
Ervilbas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem ja descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 re. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
1 .ioo rs. cada urna.
dem em l?tas ermiticamente lacradas a
l,5oo e2,5oo rs. cada urna.
dem em caixas de '/s arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Grai muito nova a loo rs. a lata e l,ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqoeiras com 12
ES. PEDRO.
lem de Hollanda em garrafoes com 24 gar-
| rafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
zados a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades a
8oo e l,ooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 8oo
e 96o rs. a libra,
dem franceza nova j deste anno a 6oo rs.
a libra, e 58o rs. em barris inteiros.
Marmelada especial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 6oo e 64o rs. a libra, ha
latas de differentes tamanhos.
Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o
rs. cada urna,
dem para soda estrellinha, pevide e rodinha
em caixinhas sortidas a 3,ooo 3,5oo rs. cada i com bolachinhas
urna e 5oo rs. a libra,
dem macarro, talharim e aletria a 4oo rs. a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um
Mplho inglez em garrafinhas com rol has de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarraf, lo.ooo rs. a caixa com 1 du-
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Presunto de fiambre superior a 6oo e 8oo
rs.
dem do Porto para panel la a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
outros a l,ooo rs. a latas.
Palitos para dentes a 14o e a 16o rs. o mas-1
so dos melhores.
Paineo o mais novo e limpo a 16o rs, a li-'
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor, a 3,ooo
dem prato muito fresco a 8oo e 9oo rs. a !
libra,
dem suisso a melhor qualidade que at lio-'

O. 03
|?3
8 8>"S
en v>
3 S
Cu

B
S
o
O
3
So
-o 03 a
OCJ 03 T3 q_
ai 03 o p
S.05 p-

n
03
-i-
.

?

9
0
i
da safra nova vinda neste vapor de 28 de
niio a 900 re. a libra e da yelha a 800 e
850 rs. a libra.
Manteiga franceza
da safra nova a 600 rs. alibi a.
Amendoas
confeitadas de Iindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Traques
de n. 1 os mais superiores do mercado a
8#&00 a caixa e 220 rs. a carta
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2^400, muito propios para mimos,
CartSes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
de soda de todas as qua-
lidades a 10300.
Chocolates
de todas as qualidades a I 5000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
je lem vindo ao nosso mercado a 8oo rs.
a libra.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs,
cada um.
Cerveja das melhores marcas a 6,ooo rs. a \
duzia, e5Gi rs, a garrafa.
Sardinba de Lisboa Nanles em quartos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca l8ois. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
roba.
Traques de 1.a qualidade a 9,5oo rs. a cai-
xa, e 24o rs. a carta.
Toucinho novo de Liiba a 2o e 32o rs. a
libra.
lijlo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e I
5oo rs a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando com-
composico a 56o rs. a garrafa, e 4,ooo
rs a caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezas vem ao
nosso mercado a l,2oo rs a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d
prejuizo e su se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, L>. Pedro V, D.
Luiz I, Neclar e outros a 9,ooo e 10,000
rs. a caixa e 9oo e l,ooo rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a 1,00o rs. a garra-
fa, e 10,000 a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
dem em garrafoes com 5 garrafas a 1.000
rs. com o garrafao.
! Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 3$ooo.
Idein prato
o melhor que se pode desejar a 1;>000.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs. Charutos Thom Pinto,,
o frasco. meias caixinhas a IJ3
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
3 a 2:600.
dem perola
especial qualidade a 2:>700 rs. a libra.
dem hysson
o mais aromtico que tem vindo ao nosso
mercado a 2#(50O.
Macas brancas
para sopa a melhor qne se pode desejar,
macarro, talharim e aleira a 400 rs. a
libra e 40500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras mnitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a garrafa, e
20800 a caada.
Idean do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-
cantes da eidade do Porto a 10 e 10200
a garrafa e de 100 124 a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisso & Filho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Deozes,
lagrimas do Douro e outros muito*.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bokcliinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que por ahi
vendem a 20000 e 20400.
Alpista e Paineo
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 40400 a arroba.
Nozes
as mais novas do mercado a 120 rs.a libra.
Cervejas
dos melhores fabricantes^ de todas as mar-
cas de 40500 a 60500 a duzia.
C2ABUT0S
Reis e outros era
#500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 3-3000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
Massas amarellas
talharim e aletria
de 1.a e 2.1 sorte do Rio de Janeiro a 80500
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libra.
tiarrafoes
com 4 1 carrafas com vinagre a 1-SOOOcom
o garrafao.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 50960 com
para sopa, macarro, talharim e aletria ai 12 frascos.
480 rs. a libra. GENEBRA
< O.VAt !de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
o muito afamado cognac Pal Brandy a l,8oo rs. cada urna.
rs. a garrafa e de outras muitas qualida- PALITOS
des a 1,000 e 800 rs. a garrafa. os verdadeiios palitos do gaz a 2,2oo a groza
COPOS e 2o rs. cada caixinha.
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a LICORES
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um. finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
PAPEI.. com urna duzia e a 1.000 a garrafa.
almaco, greve, peso e de outras muitas qua- PASSAS
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me- as mais novas do mercado a 9,5oo rs. a cai-
Ihor. xa e 5oo rs a libra.
PAPKL ^VPirTnplifln
azul e pardo para embrulho de 1,4oo a 2,2oo -uxuime urna
rs. a resma. "os melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abreu e outros muitos a 600 rs. a
Corinthias
passas corinthias muito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. a libra
Vinagre
PRR em ancoretas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e 1,00o rs. o molho.
libra.
Pregunto
o verdadeiro presunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3.000, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de .carnauba em caixas de arroba a 9.3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seos
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de lodos es-
tipularan* os meamos precos nos seguintes lugares :
Iho e Commercio raa da Queimado n. 7
0 Verdadeiro Principal roa do Imperador n. 40
'frascos por 6,000 rs. e 560 rs. o frasco dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
dem de laranja a l.ooo rs. os frascos gran- cada urna.
des e H.ooo rs. a caixa com 12 frascos. Velas de
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada a libra, e 52o em caix.
*mia- dem de carnauba refinada e de composiclo
dem m garrafoes de 16 garrafas a 4,800, a 36ors. a libra, e de 10,000 a ll,ooors.
rs. com o-garrafo. a arroba.
MOVIMIENTO
BAIRRO DO RECIFE, RA DA CADEIA N. 5ft
0 mais novo e o melhor
AR91/KJI BE JIOMI VllOfc
Esquina defronte da ra da Madre de Dos
GAZ GAZ GAZ Charutos de Havana
Vende-ae gaz da melhor quaBde a 120 de superior aiiadade vndeme em casa
de Schafleitlin A C, ra da Cruz n. 42.
Pecas de cambraia 4e salpicas.cor 8 5i2 varas1 *
lo baratissimo preco de 43 gf* "p <> assucar
Atgodo da Buhia
pulo baratissimo preco
Pecas de platilha de algroac rom 10 varas, pro-
pria para saia a 45200.
Esleirs da India, proprias para forro de sala,'
de 4, 3 e 6 p;Irnos de largara, por menos preco do'
que em oatra qualrjuor parto.
Bpste armazem tambem se encontrar um gtan
d'.1 iortirneno de rcupas Rilas, c por medida.
e roupa de enera vo; tem
para vender Antonio Luiz de Oliveira Aievedo S
C, no seu jscriptorio ra da Gru n. 1.________
Una da Senzalla Sora u. 42.
Neste eslabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idemdeLov
lUoor libra a!20rs.
a lata e em lotes de 10 latas para cima se
far abatimento no armazem do Caes do
Ramos n. 18 e ra do Trapiche Novo nu-
mero 8.
Hhi da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P.JohnstondtC.,
sellins e silhoes inglezes, candieiros e casti-
Caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Na ra de Apollo n. 32 ha um grande sorti-
mento de marmore para lailrilho, sacadas, hom-
brearas a di-graos de R, 9 e 10 palmos de rompri-
do o i 112 de largo, folhas do marmore proprias
para lampos de mesas e para tutnnlos, vaso? gran-
des para jardim. on paraornar tmulos, por pre-
cos minio razoa\eis
Antonio da Silva Campos, successor do amigo Nascimento defronte do berro Largo, bem co
nhecido j nesta praga, aeaba de transferir o sea eslabelecimento para a casa cima indicada, onda
os seas benvolos amigos e tregeles, bem como o respeitavel poMico em feral earontrarao o mais
espermacete superiores a 560 rs. cariado, escemido e melhor sortimento de molhados, a par do aceio, elegancia e bom rgimen do i
belecimenlo.
O annanciante, lendo feito ama completa reforma no tocante a casa e gneros, possnindo
correspondentes na Europa para remessas de conta propria, acha-se convencido qne merecer a pro-
tecrao de todos os amigos do bom e barato, a qnal desde j reclama, asseverando-lhes qne jamis et-
merecer a conllanca com qua se dignaren) de o honrar.
Em resumo, visite o respeitavel publico o novo e superior armazem Movimento, compn-lhe al-
guns gneros, e entao flear convencido da realidade do presente aviso, verificando por si mesmo qoe
nerrhum oufro eslabelecimento o serve rtelhor qn este, seja ra commodidade de precos, agrado e
delicadeza, ou legalidade de pesos e medidas.
Finalmente, todas e quaesquer garantas qae esubelecimentos idnticos teera offerecido aos
concurrentes, serao mantidas neste em grao maior.
At qne cliegou
um grande sortimento de bico e renda preta de
novo modelo chamado (guip) o melhor qne se
pode desejar nesie artigo e que se vende inuito ba-
rato : na loja do gallo vigilante ra de Crespo
Fabrica Conceigao da
Bahia.
Andrade & Reg, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazem n.
34 da ra do Imperador, algodao d'aquel-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar algodao em pluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
;F< m?s>
Vende-se alpaca preta a 500 rs. e corado.
Vende-se alpaca preta para vestidos a 500, 600,
700 e 800 rs., fina de cordao a 800 rs. para pale-
tot, princeza prea a 800 e 640 o covado, bombazi-
na preta On a 15100 o eowado, jaazinhas preta
para senhora fue estiio do Into a 720 o covado :
na ra da Imperatriz n. 56. A loja est aberta at
s 9 horas da nolte.
Vende-se sal do Ass a bordo do patacho
Anill, tundeado defronte do Forte do Mallos: Ira-
ta-se com o capio a bordo, ea na roa do Vigario,
armazem navaln. 1.
Follia de Flandres.
Grande sortimento de folha de Flandres: na ra
da Cadeia do Recife n. 56 A, loja de ferragens de
' Bastos.
Vinho de Porto superior
em caixas de urna e duas duzias : tem para ven-
der Antonio Luiz de Oliveira Azevedo& C. no son
escrptorio rna da Cruz n. 1.
Farinha de mandioca anterior
em saceos grandes: vende Antonio Luiz aV OHwei-
ra Azevedo & C, no sen escrptorio rna da Cmx
numero 1._________ I
Farinha de mandioca
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
Alves no sea escriplorie, casa n. 19 da roa da
Jos
Trina, volantes e jalees.
Vende-se trina, volantes e gales de todas, ae
larguras por prees muito barato: s no vigaots
ra do Crespo n. 7.


M
^Wi
1HBB0
DUrlo de P
laee Terca felra & de Julho de I 4
F-
NIAO MERCANTIL
RA DACADEIA DO RECIFE W. 53. *
NOVO E
GEA1TDE ABMAEEM DE MOLHADOS
RA DA CAD12IA DO RECIFE IV. 53.
Francisco Fernandes Duarte acaba de abrir na ra da Cadeia do Kecifen. 53, om grande e sortido armazem de molliados de-
nominado Unida Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeilavel publico um ampielo sortimct.to des melhore
ceeros que vem ao mercado, tanto esirangeiros, como nacionaes, os quaes ser5o vendidos em portees cu a ietall.0 |,or presos ass
gommodos.
Manteiga iagleza especialmente escoihida Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
de primeira qualidade a 900 rs. a libra, 10200 a caada.
em barril se faz abatimento. Azeite doce refinado em garrafas brancas a
Manteiga franceza a mais superior do mer- 800 rs.
cado a 6oo rs. a libra, e 580 rs. em barril Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
4,5800 a cariada.
on meto.
Presuntos inglezes para fiambre, de superior Geneora de Hollanda a 500 rs. o irasco e
qualidade, chegados neste ultimo vapor, a, 5800 a frasqaeira.
720 rs. a libra. Caixinbas com ameixas francezas, ornadas
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor a 40000.
Queijo prato muito fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Castanhas muito novas a 120 rs. a libra e
e 30000 a arroba.
Cb uxin o melhor que ba neste genero,
mandado vir de conta propria a 20800
rs, a libra.
Cha byson maito superior a 20560 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio para negocio a
10500 rs. a libra.
Cb preto muito superior a 20 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com differentes
qualidades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
oulras mu i tas marcas a 10350.
Bolacliinha de soda em latas grandes a 20.
Figos em caixinbas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinbas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 10 e 20 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 50u rs. a libra e 30 om quarto ;
e em caixa se faz abatimento.
Amenas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem vindo ao nosso mercado a 180 o gigo,
garanle-se a superior qualidade.
Vinbo Bordeaux das melbores qualidades
que se pode desejar de 70500 a 80000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 90
a 10 a duzia, e 900 a 10 a garrafa; deste
genero ha grande porcSo e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 149 e 150 a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do Douro, D. Luiz,
Camoes, ^Jadeira secco, Carcavellos, Nc-
tar de 1833, Duque Genuino.
Vinbo de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 30, 30200
e 30500 a caada.
Vinho branco de superior qualidade, vindo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
rs. de barril.
com ricas eslampas na caixa exterior,
muito proprias para mimo, a 102OP, 10500
c20.
Frasco de vidro com tampa do mesmo, con-
teudo meia libra de ameixas francezas, a
10200.
Marmelada imperial, dos melbores conser-
vemos de Lisboa, em latas de 1 e meia a
2 libras a 600 rs. a libra.
Fructas em calda das melhores qualidades
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoas de casca molle a 400 rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs. a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 rs. a libra.
Macas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, s vista se faz o preco.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Ervilbas francezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilbas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 10200 a libra.
Chocolate bespanbola 10200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 19.
Cerveja branca e preta das melbores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
59800 a duzia.
Cognac inglez de superior qnalidade a 800
e 10200 a garrafa.
Licores francezes das seguintes qualidades
Sardinhas de Sales a 340 rs. o quarto e 56(
rs. meia lata. fis3& B-
Latas com peixe em posta : savel, corvina,
veziiRO, eberne, linguado, lagostinba, t
10300rs.
Salmao em latas, preparado pela nova arte
de cozinba, a 800 rs.
Macaa de tomtes em latas de 1 libra a COt
ris.
Chouricase paios em latas de 8 emeia libra
por 70.
Touciiiho de Lisboa a 320 rs. a libra t
80600 a arroba.
Bolaxinha ingleza a 320 rs. a libra e 40 a
barrica.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 200 rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 120 rs. a libra.
Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Cevada a 120 rs. a libra e 30 a arroba.
Alpistaa 160 rs. a libra e 40800 a arroba-
Batatas muito novas em gigos com 40 librai
por 10500.
Cebollas a 10 o molbo com mais de 100 ca-
da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 rs.
a libra e 90 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 rs. a li-
bra e 80400 a arroba.
Caf do Rio, proprie para negocio, a 80.
Arroz do Maranhao a 100 rs. a libra e 20800
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 29400a
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas-
so e a 90 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixao.
Macarro, talharim e aletria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz abatimento.
Estrellinha,pevide earroz demassa para sopa
a 600 rs. a libra e 30 a caixa com 6 libras
Palitos de dente lixados com flor a 200 rs.
o masso, ditos lixados sem flor a 160 rs
o masso com 20 massinhos.
Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames Gomma de engommar muito fina a 180 rs. a
e de outras muilas marcas a 10 a garrafa
e 100 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
90 a duzia.
Mostarda ingleza em potes j preparada a
400 rs.
Mostarda ingleza em p, em frascos grandes,
a 10 cada um.
Sal refinado a 500 rs. o pote.
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra e
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inteiras ou em metas, de
10600, 20 e 30.
Presuntos do reino, vindos de conta propria
de casa particular, a 400 rs. a libra; intet-
ro se faz abatimento.
Ossenhore que comprarem de 1000000 para cima, terSo o descont de 5 per cento, pelo prompto pagamento.
CL
ME

&,- A.
RA DO QUEIJIADO X. 45.
Passando o becco da Congregado segunda casa.
NOV1DADE.
4 Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commercial,
onde_o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
aerao vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se o bom" peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranhao,da India e Java a 60, 80 Cevadinha de Franca muito superior a 220, Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra-
e 100 rs. a libra e 10800 a 20600 e 30
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
10200 e 10600 em frascos grandes a
20500.
Jdem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estampas no interior das caixas
a 120000,10400,10600 e 20.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpisla a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba.
rs. a libra.
Cevada a 80 rs. a libra.
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata,
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 160 rs. a libra.
Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
Azeite doce francez muito fino em garrafas dem em garrafoes de 3 e 5 gales a 50500
grandes a 960 rs. a garrafa. I e 70500 cada um com o garrafao.
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa. Graixa a 100 rs. a lata e 10100 rs. a duzia.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 ris.
Bolacliinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
Ditas inglezas maito novas a 30000 a barri-
quinlu o a 200 rs. a libra.
Banha de porcor efinada a 440 rs. a libra e
e em barril a 410 rs.
Cb hysson, huebin e perola a 10600, ,
20500, 20800 e 30000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas i
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melbores fabricantes da Babia
dem, qualidade especial e garrafas muito
grandes, a 10800 rs. a garrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi-
dro, a 10000 rs., s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barrada de pouco a 900 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melbores conservei-
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Massas finas para sopa : estrellinha, pevide,
rodinbas e letriannas a 600 rs. a libra e a
40 a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
e especialmente da fabrica imperial de Peixe em latas preparado pela primeira arte
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 10800,
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Bio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e805OO e 80800 rs. a arroba.
de cozinha a 40 rs. a lata.
Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
Palitos de dentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas confeitadas a 900 rs, a libra.
Carles de bolinho6 francezes muito novos e.Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
muito bem enfeitadosa 700 e 600 rs. 20 e em caixao a 640 rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a'Pantos do gaz a 20200 rs. agrosa.
libra | Passas muito aovas a 480 rs, a
libra,
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 20800
dem prato.
dem londrino chegado no ultimo vapor b
900 rs. a libra.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijolos de limpar facas a 140 rs.
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
libra.
Figos em caixinbas emticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam: Velbo de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Maa Pia,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs.
a duzia.
dem Morgaux eChateauluminide 1854, a 10
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
10200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima meneionados te-
mos grande porcao de outros que deixamoe
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porcoes como a
retamo.
Qoem comprar de 1000000 para cima to-
ra o abate de 5 por cento.
Acaba de reetber de sua propria encommenda um grande e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer 3os seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e
resumidos precos, afiancando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-
mazem.
PARA A FESTA
DE
S. JOtO
Amendoas confeitadas de 8oo rs. a librat
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 9oo rs,
libra.
dem franceza a 6oo rs. a bra, e 58o rs.
sendo em barril.
Cb uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
E S. PEDRO
ja, canella, cravo, rlela pimenta a l.ooo
rs. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
Passas em caixas de 1 arroba'/e '/i a 8,5oo,
l,5oo e 2,5oo rs. a caixa, e 5oo rs. a libra
garante-se seren muito novas, e graudas.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para dem corinthias proprias para podira a 9oo
cima a 2,7oo, rs. a libra,
dem hysson o mais superior que se pode Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima Lisboa a 64o rs. a libra.
a 2,5oo rs. Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra,
dem menos superior a 2.4oo e de 8 libras Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
para cima a 2,3oors. Ervilhas francezas em latas a 6oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li- Potes com sal refinado a 48o rs.
bras para cima a 2,2oo. Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
dem do Bio em latas de 2, 4,6 e 8 libras fazenda especial.
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata. Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
dem preto o melhor que se pode desejar rs. a libra.
neste genero a 2,8oo rs. Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra,
dem menos superior a e'sse que se vende Caixas de traque n. 1 a 80500 cada urna.
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra. I Massas para sopa macarro, talharim aletria
dem mais baixo bom para negocio a l,5oo a 4oo rs. a libra.
rs. a libra.
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo
rs. a libra.
Queijos do reino chegados neste ultimo va-
por a 3,ooo.
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 8oo rs. a garrafa,
dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
garrafa.
i Charutos em grande quantidade e de todos os
Idm prato as melhores emais frescos do fabricantes mais a creditados a l,5oo,
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro. 2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
dem londrino a 6oo rs., e sendo inteiro a; os mais baixos sao dos que por abi se ven
5oo rs. a libra, vende-se por este preco dem a 2,ooo e 2,5oo rs.
pela porco que temos em ser. j Caf de premeira qualidade a 8.800 e 9,5oo
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes | rs. a arroba,
marcas: Osborne, Craknel, Mixed, Victo- dem de segunda qualidade a 8,5oo rs. a ar-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui- roba e 26o rs. a fibra,
tas a l,3oo e 1 4oo rs. Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
Polvos chegados ltimamente do Porto a 32o a arroba.
rs. a libra.
Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,000 rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
mercado a 2,5oo rs, a barrica e 24o rs. a
libra.
CartSes com bolas francezas proprios para
mimos ou para anjos que vio as procis-
soes a Ooo rs. cada um.
Peras seccas as mais novas do mercado a loo
rs. a libra.
Figos de comadre em Utas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 800 rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velbo
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velbo superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a 10,000 e
l.ooo rs. agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa:
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,oeo rs. a casada.
Especial vinbo Lavradio sem a mais pequea
composicao a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Farinha do Maranhao a 240 rs. a libra.
Bicas caixas com figos a 1,000 rs. cada urna.
Bicos livros com figos 1,00o rs.
Pomada a 200 rs. ajduzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafoes com 4 l/% garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafao.
dem com 4'/ ditas de venagre a 1 ,ooo rs. o
garrafao.
Vinagre PBR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com aancoreta
dem empipa puro sem o batisme a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,800 rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerolles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Boteflm,
morangos, lrmao, caf, laranja, cidra, gio-
Idem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,600 rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,ooo rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 3fio rs. a libra.
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, e em
caixa a 52e rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 0,000 rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.000 rs.
Idemalmaco pautado e liso a 3.ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiroa 2,2oo rs.
a resma,
dem embrulho de 1,2oo a 1,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 */j fibra a
l,2ooe8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Molhos inglezes a 800 e l.ooo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
bem arranjado possivel a 1,80o e 2,8oo
rs. a lata.
Cerveja Tenente verdadeira a 6,800 rs. a
duzia.
Mem de outras marcas preta e branca a o,5oo
e 6,000 rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. o molho e
800 rs. o cento.
Chocolate portoguez hespanhol e francez de
l.ooo a l,2oo rs. a libra.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000
e 860 rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
Idemem garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a32ors. a libra e
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milbo alpiste a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba. .
Gomma ft 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixe em latas al,000 rs. a late j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,000 rs.
O proprietario do grande armazem lingo e Commercio declara aos seus fregu
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulou
os mesmosprecos nos seguintes lugares: >
Uniio e Commercio ra do Queimado n. 7.
O Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40.
Feijao a 60000.
Vendem-se saceos com ti cofas de feijao mnta-
tinho e rajado, pelo barato preco de 6a, pechincba
igual i tempos nao apparece neste mercado, por-
tanto chegoem ao barato antes que
ra da Madre de Dos ns. 6 e 9.
UVAS HE PELUCA
Para horneas, mnlheres e meninas.
A Agaia-braoca, na roa do Qoeimado n. 8 rece-
\ovos enfeies para seaJiora.
A ;.^uia-branca acaba de recebrr um bdlo e va
rudo surtimento de enfeiies dedirrr>a> i|tialKUUes
e o que de mais moderno pos&ive11 n uiiUar-sc
aqu, faieodo-se notareis por snas DoWdxfe e rte-
gancia uns, cuja grade de um lino e c'craiio te-
cido a que apropriadamente se chama iortavcl.
Assim, vista desse completo sortimcnl (|ual<|uer
cidadao munido de dinheiro est habilitado a com-
pra-Ios : na ra do Queimado, loja d'aguia-branca
D. o.
Bonitas bonecas.
Cora rost de cera, pasta t porrrlbna.
Acha-se na loja dagoia-branca roa do Q-ieima-
do n. 8. um grande sortimento de toaera* (! >!i-
versos tamanho?, com rosto de cera, cia^a o por-
cellana os pretendentes munido* de diahcn
acharo ba disposiclo para os vender.
lio toes de cornalina
e outras qualidades para roMi s
A Aguia branca acaba de receber um novo .
variado sortimento daquclles apreciad, hules dt
cornalina brancos c encarnados, chai-s e redon-
dos para coletes, cujas abotuaduias cmlinnam a
ser vendidas pelo commodo e inalteravel prejo f
25 cada urna.
Alm desses recebeu tambem outros de madre-
peroia, massa e osso, com differenes ntoUn para
o mesmo fim.
J se v, pois, que o pretendente munido do di.
nheiro achara sortimento vonlade na ra <>
Queimado loja d'Aguia branca n. 8.
Ii\l SIMIOS KCAiXINiUS
com perfumarlas.
Na ra do Queimado n. 8 loja d'Agua-Braora, m
freguezes munidos de dinheiro encoulraro, beni-
tos bausinhos cobertos de couro e com 6 frasqui-
hIos de extractos por 14500 cada um, e mitro
cobertos de papelo com 9 frasquinho* por 2JO80
um; caixinhas com 6 frasqninnos de dh<> por
looo urna, outras com 12 ditos por 2ooo una.
outras com 3 ditos, cuja coberta pane- rfcrap.
a 15.U0 cada urna, e outras com pastias de rliei-
ro a 500, luoo e 200.
Ea\elopes bordados e carles coro Ir-i-
ras d ;wradas.
Na loja da aguia branca, roa do Queimado n. P.
achavam-se venda bonitos envolopes bordados e
candes rom beiras douradas, tendo de uns e de
outros, maiores e menores, proprios para parlici-
paofes de casamento, bailes etc.
Completo sortimento de Otas
Unas, lisas e laTradas.
A aguia branca recebeu um grande e romputi
sortimento de Atas de diversas larguras e qualida-
des, tanto lisas como lavradas, e em todas ella ru-
nhece-se a superioridade da fazenda, notando-*.-
as lavradas o bom gosto dos novos e lidos de;e-
nbos, isso tanto as matizadas como as brancas,
e pela commodidade dos precos o pretend nte que
se dirigir munido de dinheiro ra do Quemad-
loja da aguia branca n. 8, ser bem servido.
Capacites inglezes.
Na loja da aguia branca, roa do Queimado n.
vendem-se bous capachos inglezes, os swm alm
de bonitos sao de inmensa durcao, pt-lo que s*
tornam baratos pelos presos de 45, 5, 6J c 7
cada um.
Cartas francezas.
A aguia branca, na ru;. do Queimado n. 8, rrc-
beu um novo sortimento de finas cartas franceza*
com beiras douradas e brancas, e as est venden
do baratamente a dinheiro vista.
SAI'AIOS DE BURRA'HA
a I0OOO, 105OO e t JfdOO o par
na ra do Queimado loja d'Aguia -Branca o 8.
Latas com banha fina.
J por diversas vezes a aguia branca tem reci-
bido dessa banha fina em latas, e tal tem sido a
prompta e rpida extraeco della, que no b*m .la-
do lugar a aguia branca avisar a sua boa fregue-
zia, pilo que lalvez a maior parte della t agora
saber da vinda dessa boa banha. Ella vem em
latas de 1|2 e 1 libra, e contina ser vendida pe-
los baratissimos precos de H t 3O00. Apar da
superioridade da qualidade della estao os agrada-
veis e finos cheiros de rosa, jasmim, laranja. boa
quet, e flor de Italia. A boa freguezia a-sim Mica-
te dirigir-se com dinheiro ra do Qaeimau
loja d'aguia branca n. 8.
Banha fina em copos de por-
celana dourada com ins-
eriptfoes.
j bem conhecida pela boa freguezia d'aguia
branca a superioridade da banha que vem HH ro-
pos de porcelana dourada com maviosas e jocose
rias nscripgcs, as quaes agora vieram de nove
gosto, pelo que essa fina banha pJe anda ser
mais conhecida por aquelles que qnizerem fa/ci
um bom presente, com tanto que compar .;.im mu-
nidos de dinheiro na ruado Queimado, loja d'aguia
branca n. 8.
^M@ia mm pp wm&m i
Queijo*
am Os verdadeiros queijos de Minas chepa- Mi
jH| dos pelo ultimo vapor : na deposito da
55 ra do Rosario da Boa-Vista n. VI cspi- 5B
W na da ra do Arago. tStf
Novidades no mercarlo!
Queijos flamengos com 10 libras cada in, fia-
dos no vapor francez, de superior alidade, -o
vendem na ra Direita n. !)1, a 750U, a 750 rs
a libra.
O
r-3
PC

S 5
p p-
Go
es
CD
i
O
B
o
P
P-

m
Salitre refinado, superior qnalidade, vinho Boi
deaux, differentes qualidades, mais baralo que em
ualquer parte : no armazem de E. A. Borle &
., ra da Cruz n. 48.
ESCRAVosruemos.
se acabe: na leu luvas de pellica, para borneas, mulheres
euincuas
ESCRAVO FGIDO
O* degratMeaeio.
Contina fgido desde Janeiro o mulato de Do-
me Raymundo, natural do Ico, estatura regular
idade de 18 annos, cabera chata, cabellos carapi-
nhos, testa grande, rosto oval e com nma fistola
na face esquerda, macaas salientes, denles limados
pontudos, bocea regular, e principio de buco, ps
e maos pequeos, costumava andar calcado, e in
titulava-se hvre com o nome de Manoel Raymun-
do : quero o apprehender, dirija-ce ra da Ca-
deia do Recife n. 21, Luiz Antonio Siqoeira, i|u>
entregar a referida gratlflcacao.
ATTKNC.40.
Acha-se fgido o escrave de nome Antonio des-
de o dia 8 do correte auno, com os signaes se-
guintes : idade 40 annos, crioolo, altura regular,
desdentado, barba feita, nariz chato, pescoco enro,
um tanto indinado para a frente, urna marca de
fenda no estomago, ps grossos, e as coalas mar-
cas de chicote, tem cicatrizes as canellas. em urna
das maos nao abre bem os dedos, levou vestido eti-
ca parda, paleto! preto j velbo, camisas brancas
duM, sendo urna de abertura bordada, l pares de
calcas, 1 branca e 1 pardo, 1 cobertor, sendo me-
tade de estopa e meado de algodt, fei encontrado
na ribelra de Santo Antonio c no Peres : por isso
roga-se s autoridades policiaes e capitaes de cam-
po que o peguem e levem-no casa de seus scnbo-
res, na roa da Imperatriz o. 80, que serio muito
bem recompensados.





m


Diarlo de Fernambaeo Terea felra & de *lnlho de !.


LITTEHATRA.
A FBLIIA DO DOUTOa .GGRO
Romance original de Cantillo Castello Branco.
XX
(Continuacao).
E' ohrigago crreme de quem f2
los esperavam a cada hora, que os netos dos In-
gleses de 1660 e 1762 os sa^ueassjmde sobre
salte.
Como dissemos, o assiduo [traba Iho de Joo
Chrysostomo escassamente facilltava as despeas
Caetano AI ves batea com a cara era cheio na sociedades bblicas, e Ihes prefereria quande se indgenas a renunciaren) vida nmade, vagaban
tampa do caixo ciotado de ferro. trat da propagaeao de christianismo, as Sociedades da, a fixar-se na Ierra e adocar seus costuraes fe-
Nao podemos calcular que infernos chammeja- Bblicas vivas dos jesutas. (30) rozes.
vam naqaella alma negra. Da mesma forma quQ M apos(0,os se espaUiarm
bem desempenhar o encargo de guarda-livros. Ig-
norava o Inglez, e escassamente escrevia e fallava
o Hespanlnl. A lingua franceza, que elle apenas
romn-1 traduzia, era a menos usual naquelle trafago de
ees ovil ir que o Icor \joUe a pagina em claro, di- grandioso commercio. la na pouco, portanlo, o es-
zenJo de st para si que a tem por supeiflua ao en- tipendio do seu traballio.
red do cont. E este cuidado importa que o nao Albi-rln fazia milagrea de economa, que, algu-
desdenhem aquelles romancistas que propiciamente mas veZts pderiam chamar-se corles nos objeetos
se abonam com dizerem que escrevem para pes- ,je prirneira necessidade. Anda assim alegrava-os
soas entendidas. Nos, os operarios dos jardn* do a pureza da conscieacia entre magoas tamanhas de
coracSo, e nao seareiros dos campos fertilisadores (-0 mmereeida expatriaco.
Jo espirito, devenios considerar que o nosso offlcio .___ _
etter os ocios das senioras e dos sujeitos que *"*Z t t ^T
.. ... i ao He.-paunoi oo K o, nem aos da C.ornnha oim f.
as eeua am em simerficialismo de intelligencia. Is- \ M b "" ,-ulunna. Ia* Ia
,o D!o 6 desfazer na inteligencia das damas: an- -* *. as curtas vagas que li-
tes significa odesapreeo em que estimamos esto f,d seu encargo de copiador, cultivava a lingua
genero de escripia. Presumimos que as senhoras, in^er;,> e desprenda a pronuncia na hespanhola.
graduadas virilmente na escala da intelligenc.a. De.xa-lo-hemos a pelejar, vestido da diamantina
desadorara romances, o gastam sen lempo em le- arinadura da |)aciencia. La temao p de si um an-
taras sumarentas, de par com as quaes esta cousa JP* eslei0 UO desfalecimentos. Albertina lhe
de folhetins um lustre de vdrilhos -era com- "Wa o seio amoroso, quando a cabera lhe
pita com a perfulgencia de brilhantes de altoqui- Pendter esvaiada detrabalho, e abraseada pelo ferro
candente da desperanza.
Voltemos a Portugal.
Ha anno e meio que Caetano Alves de Carvalho
o D. Benito de Rojas esperam julgamento.
O Castelhano sente-se confortavelmente na rela-
cao. Est mojo, segundo elle diz, e tem ante si bri-
Em 1831 to avanzada eslava a obra evanglica
O flue podemos averiguar foi qae a Sra. D. Tho-' outr-ora atravs do mundo ioleiro, ensnando e' < se fundou um (rispado em S. Salvador, e a tri-
da sua subsistencia. Faltavam-lbe elementos para I maxitha, destinada esposa do Sr. Caetano, tinha fa- ^plisando por toda a'parte, assim houve nos secu- bu catholica foi logo engrandecendo a vista d'olhos
late.
Pois que, por desfortuna, incomparavelmente
maior o numero dosespiritos incultos, devenios as-
renlar que para o maior numero escrevemos, e dar
j a razao desle cabegalho de capitulo, para se nao
ci
cuidar qae estamos legislando aos arroteadores des- mme$ ^-^ de fu(uro % Com
,as charnecas do romance porluguez. sesorane* pessoal que os homens honrados rara-
Parece que vinlia de molde n'este lugar discor-' mente gosam, tem elle engrossado os seus haveres,
rer acerca do processo judicial,que dea por culpa- extirpando as ultimas raealhas das algibeiras dos
do na cumplicidade da falsifiracao o genro do dou-' companheiros.
tor Negro. Se a costa de paciencia, o estado da j pafa en(roler a ^ ^ sQa
term.nalog.a jurdica, podessemos comporam ret- !e5[re,|a |be #em |evado caJeja re ceriid6
torio dos ponta-ps que a cega justiga levou dos e finms a fa|sjfio3r Todas a5
seus sacerdotes, mandaramos o nosso artigo a Ga- .. .. n __ .
. .. ductivas c folgadas, excepto quando dorme aue
seta dos Tnbunaes, protestando contra o despejo .____ r u'""ll l*UK
.... i : algumas vezes accorda escouceando abantesma* de
dos iu gadores de ha cincoenta annos, em nome da ^ .. uut-c,,u,,u uaniesmas ae
carrascos que lhe apertam o sparto na eareanta
morahdade dos juizes nossos contemporneos; mo- _... MZ-mn,ASl .. B-,rBania-
... i astas encommodidades nocturnas nao he amnliram
ralidade que nos faz pasmar do reviramento que, i .. ...., n "Ie amo,Ram
. i r'J e3P|ritl- O homem ergue-se, escaahoa-se,
veste com certa louc.aoia e frescura, e visita o seu
gido com D. Benito Rojas.
A Providencia d uns castigos que parecen! zom-
barias.
(Continuarse-ka.)
'
As orden* religiosas julgadas
por escrlptores protestantes.
rev resposta em favor des-
sas orden* pelo H.viu. blspo do
Para.
(Conclusao.)
II

em nielo seculo, se fez na conscicncia dos executo
amigo Caetano Al ves de Carvalho, cujo contabaraa]
Visto a esla luz, o nosso trabalho seria valioso ( de almogo e jantar. Outra fonle de riqueza
para contrastar as pocas e o progresso das almas; j Em ao
toJavia. incravado n um romance, passana desper-! cm ya'0D
cebilo, e, como tal. prego sem echo na conscien- ^^ S Skeu,3 -1".'04 1ue elle engordava na
ca da humanidade. Digamos, pois, breve e espal- JJJJJ, b,0l( Jraenc'. nigeria com
madamente que as juslicas de hoje em da, em vez f^iiSS! ST" ^ ^ ^
t ,i ta tms* concorrem convivas de esl macao na so-
de esperarem que Joao Chrysostomo se refugiasse .nil,^ ""BS H j ? -n cedade, e vc-se com frequenc a urna Thomarinha
na America para de ca o pronunciaren! por falsifi- r,nr, f '^uou ""l "-nomazinna,
.. -, rapariga fresca e secia, que d zem ser a menina
cador, o muito da crer que o mandassem avar-se .,,, _.. .' u.uma
. ... roubada aos paes, e sumida atonas mezes na nnn.
par espaco do dous annos as aguas lustraes da n d,*uus luezes na quin-
a n,, <- u a i a i t da Povoa de Varzm, donde ella vem a miuo
reia;io do Port>; e, por fun, chegado a lepra da s. """ ,0'" ""uw
deshonra e tolhido das facilidades moraes, o en-1 '
tregasseai puriflcafo do jury. Isto no caso de Consta que o raptor, assim que sahir livre casa-
elle entrar pobre nos ferros; porquanto, a entrar ra comella> em Bala'"do da lealdade com que a
rico a imitgao de Caetano Alves de Carvalho, era gentil mocoila lhe tem assistdo nos seus infortu-
mosmo o mandaram lavar na tal onda lustral, por Jnios- Pis slm- Lealdade Caetano Alvesl... E" o
ntenlerem que o sajeito mesmo encarvoado de 11ue nos f^ltva ver I C por fra corre a onda do
Slygmas, podia sahir luz do sol sem receio de que
as mitos llmpas dos tranzeuntes se esquivassem b
iminundicie das delle. At ajui parece-me que
nao estafei a paciencia do leitor. Ponto final na
philosophia. Chama-se philosophia isto, em roman-
ees. Indocti discant. (1)
Foi, portanlo, culpado Joo Chrysostomo.
Antonio da Silveira, impando c odio, procurou
Pactlo que Caetano fez jorrar das suas barras.
Nesta onda lava-se muita gente suja que o mundo
imagnava lmpa. Habilme'nte cortada em meandros
a torrente regra muitas searas. A do regedor das
juslicas passa por ser a mais absorvente as outras
proporcao; as testemunhas que vao jurar sobro
os Sahtos Evangelhos a honra inmaculada, e a
incapacidade do crime em Caetano Alves, sao mais
de trinta, afora cincoenta regeitadas que se oftere-
o corregidor do crime, e ousou abrir a repreza da i rrim _.. mot
.... ... ceram por metade do dinheiro com aue foi a usa-
Lilis na cara veneravel do.magistrado, cuja toleran- a____...,...,. ... .
ca excedeu as medidas da capacidade de umjuz.
da a consciencia das outras.
Estas noticias chegam semanalmente a Antonio
da Silveira. O desesperado amigo de Joao Chrysos-
R?plcou elle que Joo Chrysostomo seria absolv-
do CTijulgamento final, e nao passou d'aqui.
Antonio da Silveira revelou as palavrasdo cor-: ,omonaol ,em 1ue llie/azer- u,na consolacao o sal-
rege Jor aos jurisconsultos maravilhados da iniqu- Va e enlu1u,iCtr- c e A o marido de Albertina,
dade. As opmioes foram consentaneas em coejec-, ac,CQfdo no mejmo tribuaal Pr ****>, sahirab-
| solvido cora os dous laares innocentes.
Chega o da do julgamento.
Os rus nao tem parte aecusadora.
turar qae Caetano Alves de Carvalho sera absolv-
d), sombra da provada innocencia de Joo Chry-
eoslomo. Por estahypolhese gretava o paradoxo ;
mas era preciso acceita-la, mingua de outra.
Como qur que fosse, Antonio da Silveira avisou
o marido de Albertina, acautelaado-o do cumpri-
mBn'.o de ordem de prisSo ida do reino intenden-
cia do Rio de Janeiro.
Esla nova qae Joo Chrysostomo futurava,
quando chegou dePortug al a caria de Silveira.
Assim que a leu, aoscultas de Albertina, foi
moslra-la ao llespanhol com tanta angustia que os
sentidos lhe fugiam.
Aquiete o seu fraco espirito, disse o negocian-
te. Dcpois fallaremos.
Os promoto-
res da justca, que hoje chamaramos ministerio pu-
blico, chamara as testemunhas da accasaeao: urnas
ninguem sabe em que reinos esli ; outras contra-
dizem-se ; outras parece que depoem no sentido da
defeza.O tabelliao Ferreira tinha morrido ; o suc-
cessor nao sabe de nada ; a justca nao pede saber
0 que toda a outra gente ignora. A audiencia nem
mesmo leve as honras de um longo debate. O jal-
gador estava eoavencidissimo da innocencia dos
rus anda antos do defensor dize/ que o segredo
da falslicaco, se a Ii9uve, tinha cabido na sepultu-
1 ra do tabelliao Ferreira. Isto era concludentissimo
Deu Joao Chrysostomo a noticia da morte do pae a e irrespondivel. Foram os rus absolvdos : e o
sua inulher, e mostrou-lhe o traslado do perdo. lavrador, que tinha desistido de parte, nao lhe acei-
Choraram ambo?. Qniz Albertina ler a carta de taram a desistencia para o pagamento das custas.
Antonio da Silveira. Joo tergiversou, e ella com-
Em abono desta equidade, eram tantos os renico-
prehendeu-o. Seccaram-se-lhe logo as lagrimas da las que o lavrador temeu que por cima de tudo o
sau lade filial, que devia de ser medianamente mor- ; degradassem a elle !
liflcadora. Angustia mais directa lhe golpeou o
scio: a felicidade de seu marido, o cavarem-sc su-
biio as fecoes delle crestadas por labareda de af-
flicco abafada.
E a humanidade riu-se, e os corrompidos riram-
se tambem com a humanidade.
Pediu Albertina, que a considerasse animosa, e
necessaria a partilha das dores communs. Joao,
carec lo deste alent, mostrou a carta e ajuntou o
susto que tinha de ser preso, posto que o patro o
mvilava socegar. A esposa, quebrantada pelo pa-
vor do carcere, o prevsio da morte do marido en
tre ferro?, desmenta a prometlida coragem. ir-
roaipea em ais e gritos, que alvorocarain a fami-
lia. Acudiu o commerciante, consolando a desdi-
Osicom a promessa do lhe salvar o marido das
presas da justica.
E sanio a informar-se do que hava na intenden-
cia da polica por secretos canaes, cujos impedi-
mentos elle desbastou com a cerrilha de algumas
pecas.
De feto, estava na intendencia ordem de prsao
para Joo Chrysostomo, e j o primo de Cae-
,ano Alves, conscio da vnda da precaloria.
instan pela captura. Na noule deste da, JoSo
Chrysostomo e Albertina foram removidos para f-
j-a da cdade, onde esperavam ordens do patro
Cainzc diasdepois, embarcaram para Havana, en.
fiados a um irmao do Hespanh ol estabelecdo no
Ro.
A casa do commerciante fra, no emtanto, duas
vezes assaltada pelos esbirros, aculados pelo agente
Ge Caetano Alves.
Em Havana, deleriorou-se rpidamente a debi-
s'le de Joao Chrysostomo. Albertina cuidou que
ovia ir-se finando rremediavelmente. Porm,fin-
do o segundo mez de febres, o valetudinario ca-
xeiro alfez-se ao clima, e coovalesceu. A vida era-
Ihe mais penosa. Nao hoave era que oceupar-se
Albertina. As Portuguezas, em Havana, como edu-
cadoras tinham poaco qaem as prefersse as In-
glezas. As prendas de urna menina hespanhola
dispensa vam a arte do piano, e os ricassos cura vam
mediocremente da educacao das Dinas. No que
so clles esmeravam era em locupletar-se, e faze-
rem-se a vela para a metropole, como aves de arri-
Lai;o que presentem as borrascas do cu, em que
passaram a sasao temperada. As borrascas ante-
vistas des commerciantes das Antilhas anda nao
dispararam os raios que bao de fulminar a grande
ilha de Cuba, a quasi extrema reliquia das posses-
soes hespanholas. Os colonos de ha quarenta secu-
(i) Aprendam os que nao sabem. Henault.
Exceptua-se, porm, D. Benito Bojas. Este nao
rio, quando lhe disseram que estava 'absolvido do
crime imputado em Portugal ; mas, a requisicao do
cnsul, tinha de ir responder a Hespanha, d"onde
fugra.
Nao se afflija Iho dsse a purdade Caetano
Alves. Eu comprarei o cnsul, e vocemec ir para
o olho da ra.
O proprelario de Villa-Nova teve numerosos
amigos que oacompanharam a casa. Logo qae po-
de desprender-se dos bracos das testemunhas, fe-
chou-se por dentro do seu escriptoro, e meditou.
Os seus haveresestavam desfalcados emmais de
cincoenta contos de res, preco da lberdade. Bes-
tava-lhe a casa da vivenda c a quinta da Povoa de
Varzm, afora uns vinte contos em pegas de duas
caras qoe elle incofrra e esconder n"ura falso da
casadaquella quinta. Com grande pezar seu tinha
elle de tocar neste thesouro : era-lhe preciso di-
nheiro grosso para chatinar a Indifferenca do cn-
sul hespanhol liberdade do criminoso, que o
ameacava de por tudo era pratos limpos.
Foi Caetano Alves Povoa, onde estava a menina
roubada. Ajoelhou beira do cofre; tirnu urna
quarla parte das pecas, e voltou ao Porto. Com-
missionou os agentes conhecidos de mais arduas
emprezas, e ajuslou a compra do homem que nao
tinha motivo algum para ser mais incorruptivel
que os outros.
O Hespanhol sabia da cadeia e foi jantar com
Caetano Alves. Findo o gape destesdous innocen-
tes resgatados das unhas da calumnia, D. Benito
despediu-se com um temo abraco, offerecendo ao
amigo o seu prestimo na America Ingleza, para on-
de ia partir.
Decorridos dias, Caetano delberou ir repousar e
sua quinta da Povoa, e calcular os reparos indis-
pensaveis nos seus bens esbanjados. Movia-o tam-
bera a idea de ir esposar a moga que tao fielmente
o servir.
Quando ebegou ao porto da quinta, baleu tres
vezes, e ninguem lhe fallou.
Accuduam visiuhos, dizeodo que alguns das an-
tes, a Sra. D. Thumazinba havia despedido o criado
e a criada e sahira da quinta com um sujeilo.
Fez o roixo Caetano arrumbar as portas e foi di-
reiloao falso do cofre em que deixra quinze con-
tos. Achou o cofre arrumbado e vasio.
los primitivos homens que pregaram o Evangelho' A conversao dos Brasilciros nao era fcil, apezar
aos pagaos. Seus esforeos nao ficaram sem recom- dos mila8res 1ae- seeuodo dizem. "riam rindo em
pensa m) j soccorro dos jesutas. (44)
Tal vez, repele o proprio Voltaire, nada existe
maior neste mundo do que o sacrificio, que faz um
sexo delicado, da belleza, da mocdade, do nasci-
mento elevado, para ir alliviar nos hospitaes
aquelle acervo de todas as miserias humanas, cuja
vista tanto humilha o nosso orgulho, quanto repug-
na nossa delicadeza. Ospovos separados da com-
munho romana nao tem imitado senao imperfei-
tamente urna caridade tao generosa. (26)
Podemos dizer aos ecclesiasticos (protestantes)
que julgaram durante o cholera dever cuidar de
suas mulheres e seus filbos de preferencia s ove-
Ihas que lhe foram coofladas, que os outros doeo-
tes nao ficaram privados dos soccorros da religio.
As irraas ihes deram todos os soccorros possiveis
e os padres catholicos liearam da e noute junto ao
seu leito de dores para os fortificar contra as an-
gustias da morte. (27)
Um protestante, Mr. Arnold, mandado em com-
misso pelo sou governo para examinar o estado
da instruego publica em Franca, diz o seguate :
t Geralmente o povo prefere as escolas das asso-
ciacoes religiosas s dos leigos. Quaulo ao que diz
respeito ao sexo feralnino ; est fra de toda a du-
vida : a superioridade das escolas dirigidas pelas
irraas de caridade est cima de qualquer eon-
lestacao.
i Causa-me admiraco, dizia o conde de Cavcar,
|"o ver erguer-se dos bancos da esquerda protesta-
coes contra a existencia das congregacoes exclusi-
vamente dedicadas caridade...
t Mas declaro formalmente que nenhuma pres-
sao, qur veoha do parlamento, qur de fra, po-
derla resolver-me a assignar urna lei quo suppri-
msse as ordens de caridade. Eu deixaria dez ve-
zes o ministerio antes do que Cornar-me solidario
em um acloque, no meu peasar, faria um mal im-
menso ao nosso paiz aos olhos- da Europa civili-
sada.
E contina ainda Cavour :
* Sim, senhores, a suppresso dUs irmas da ca-
ridade seria o maior dos erros; ei considero esta
iostitucao como urna das qae mais- honram a reli-
gio, o catholicismo, a propria civttisaco. Viv
martes anuos nos paizes protestantes, tive relaces
cora os homens mais liberaos da religio reforma-
da, e muitas vezes ouvi ovejarem ao- catholicismo
a instlatelo das irmas de caridade-.. -
; Repito-o, pois, 'senhores, anda-que eu esteja
convencido que as necessidades da poea e o inte-
rese da civilsacaoreclamam a suppresso de cer-
tas ordens, renunciara antes a isso-do que levar
un mao sacrilega loslituicao das rmaas da ca-
ridade.
Sera pouco conveniente em matena de cari-
d:tde faner compararles o apreciar a maior ou me-
nor utilidade das pessoas que a ella se dedicara.
Invoco smente em favor da eulcacia particular da
obra das irmas da caridade nos hospitaes o teste-
munho dos Inglezes. Todos whgs, toris^ radicaes,
do testemunho dos immensos servidos qe as ir-
mas da caridade tem prestado nos hospitaes mili-
tares no Oriente : todos (lde seus jornaes), tedos
todos proclamara a immensa superioridade dos hos-
pitaes dirigidos pelas irmas da caridade em rela-
cao aos que lera sido dirigidos, cora mosto maior
despeza, pela admiotstraco ingleza.
Me parece alm diste, senhores, queas respei-
taveis irmas exercem a caridade como deve ser
exercida em nosso seculo.
Temo pouco a iuflueacia poltica, que podem
exercer as irma da caridade e oulras ordens que
se dedicara insirueco popular. Na verdade, te-
nho tido muitas relaces cora a irmas da canda-
de, e nunca vi que ellas se oceupassem. da poltica.
Nao essa ordem, senhores, que peder exercer
algum inlueneia em nossos negocios- emquanto ti-
vermos insttuigoes livres, emquante.possuirnios a
liberdade da palavra e a liberdade da imprensa.
ni
Os protestantes attribuem esettptura sagrada
demasiado poder, imaginando que ella penetra nos
coraces como a palavra fallada e assim, julgam
fazer tudo pelo christianismo, espalhando s a biblia
nos paizes mais diversos. Neste ponto estamos
muito atraz dos catholicos.
A egreja catholica enviou sacerdotes, que, como
os apostlos do Christo, annunctam em alta voz aos
pagaos a palavra de Deus. (38) Em seu po en-
tusiasmo estes fiis servos do roma se arrscaram
as florestas inhspitas da velha Allemanha, aven-
turaram-se na Gra-Bretanha, e penetrtram at as
fras regioes do Norte habitadas pelos Godos. (29)
Percorreram zonas estrangeiras, levando era suas
mosa Cruz e o Evangelho, o annuncando por to-
da a parle a paz doSenhor e suas divinas promc-s-
sas -, nos os vimos, no meio das populaces selva-
gens, penetrar temerariament-; as cabanas doan-
tropophagos, para domar os mais indomaves e eon-
quista-los para o reino dos ceas.
AITrontando a miseria, a fome, o fro, aodam va-
gando alravez de paizes inhspitos para formar
christos; abrem com o machado caminho as flo-
restas mais impenetraveis para procUmarera sobre
toda a trra a palavra da paz.
Muitos d'eutre elles suecumbera na jornada; ou-
tros sao dilacerados pelas fras ; mas outros tam-
bem triumpham, domam e trazem Deas militares
de barbaros, e passam, longe da patria terrestre,
para a do cea, sem ser chorados por seus discpu-
los sem numero.
Povos intelros de christos se tem assim formado
pela s palavra dos missionarios. Nos, temis so-
ciedades bblicas, e enviamos biblias em immensa
quanlidade para todas as partes do mundo, alini de
propagar o christianismo. Esta mifsao de lieros
sem duvida muilo mais commoda do que a misso
dos sacerdotes, mas tambem qual o fructo
della ?
Ainda nao ouvi fallar de um povo convertido
pela biblia.... A lettra, ainda quando a imagem
fiel da palavra divina, sempre morta, se nao
vivificada, animada pela palavra do missionario.
Em verdade, de minha parte, nao dou muito pelas
tersarlo a mellwr prova da juslica de iwssa cau-
sa. Os elogios que erte nos d sao tanto menos
suspetos em sua becca,. rinanto s a forcaa cons-
ciencia Ib'os pode '.'; arrancado. (52)
to ajoelhados diante do mesmo alfar. O esefavo
sent apagar-so sobre sua fronte a marca M de-
gradagao quando na egreja se assocte ao que ha
mais nobre e maior, aegualdade dante de Dm
Nos templos protestantes nao existe esta eguatdade.
Os homens de er ou nao sao nelles atfmittidos-,
ou sao encerrados em lugar separado por urna es-
pecie de grade. Das- maos dos sacerdotes^ catholi-
cos recebe o pobre escravo todas as consofacOe- da
religio; elles o ristCstm na enfermidade-, e'lhes
procuram alivio oo-infortunio ; seas labios- m)ri- i ra, objecto de urna manifjstaijo pedosa
As msses catholicas que se acham na China
desde multo tempo esto, verdade, em posico
bem critica. De lempos em lempos baixara editos
Muito reconhecidos devemos ser egreja catho-
lica por ter creado estabelecimentos to multipli-
cados para a propagaco do christianismo. Ella
fundou e fez florescer muitas colonias. (32)
A egreja catholica luz entre todos os povos con-
quistas e as tem conservado at este dia. (33)
Tenho visitado muitas misses catholicas e devo
declarar que o procedimento dos padres romanos
bem difireme do dos missionarios Ihglezes.
Aquelles sao brandos e cheios de beneficencia pa-
ra com os selvagens, poldos e obsequiosos com
seus irmaos d'Europa, e tera captado as sympathias
dos qae tem convertido. Com ser ea de t)pino
diversa em materia de religio, devo todava fa- .
zer-lhes justica sobre os felizes resultados prr elles egfreja Ca,ho,lca' m def "o ^.MS
.rn^Aw ^.ini#^i*.^*^.U___ mfernaes, un milagre da Providencia di v.na. (47)
Urna instituido religiosa, que em despeto de lo-
0 rei de Dabomey ia na frente da prirneira di-
vlsu que retirou.
O eiercito retirou am duas divisoes, perseguido
pelos Egbas, que matavam sem piedade os fugiti-
vos, e perdeu cinco pecas de artilberia. Urna d'el-
las tinha na culatra : Mxico 1815.
As muralhas que cercara Abbeolcut leem 15 mi
Ihas decircamferencia.
A populago da cidade de perto de 200:000
almas.
Abbeokuta significa debaixo da pedra. O nome
vem-lhe, parte das vinte collinas sebre as quaes a
contra a religio christac Europeus e Chius lera cidade edificada e parte em recordaco de um
de solTrer a morte. Sem embargo a religio catho-
lica se espalha mesmo no meio de todas essas per-
seguicoes. (49.)
IV
E' assim que a propagaco do christianismo mar-
cha sem cessar, apezar de todos os obstculos,
apezar de todas as borrascas dos lempos, e mar-
cha ainda boje. E como se pode fater isto sem a
assistenca de Dos, sem na activa cooperaco T
(46) E' impossivel desconliccer na- conservado da
alcancados, pois tem trazdo ao gremio de sua egre-
ja quasi toda a populaco da America do su|. (34)
O que seria mais de temer fra ver cahir ha in-
differenca os estados do Missouri, do Mississpi e
do Michigan. Nao raro, com effeito sobre as
margeos do Missouri encontrar homens que linter-
rogados sobre a religio a que perlencem, respon-
den! simplesmente: / do not know (eu nao sei.)
No enlamo laes exemplos 'ignorancia vo desap-
parecendo de dia para dra, gragas ao zlo que o
das as persegnices, se conservou dorante scalos
inteiros e que derrama ainda hojesuars bengos so-
bre numerosas populantes tem algama eou?a qae
sorprende e merece de nossa parte urna conside-
raco atienta. (48) Nao justo que aqoelles que
se gal/am de urna edacaco liberal e de lozes em
ponto de doutrina chrsta appliquem em seo juizo
sobre 9egreja me os principios de urna sefeneia
rigorosa, em escutar a voz das paixes t A lei
clero catholicodesenvolve uestes paizes. A egreja mm de toda scencia, *
que civilisou as ragas selvagens dos Germanos, pa- ,.,. ,,,, ,,Q>
rece querer preservar de un recabida os habi.; P^cura-la em tudo. (49)
tantes das margens de S. Joseph e do Mislsissi-' Toda IHna*) por mais cara que seja, toda ment-
p. (33) I ra, por mais engaosa que parega, cede emfim ao
' peso da verdade. E' a vontade de Deus; a ne
Catholicos e protestantes eslo de accordo sobre
o principio que todos os homens sao efguaes diante I
cessidade imposta pela historia. (50)< A nao se ser
de Deus; s os pnmeiros, porn, do provasl ma- i
teriaes de sua crenca. Em ama egreja ca.hoS.ca, **
o principe e o camponez, o escraro e o senhor: es- s con| m nosgo favor da parle
completamente- estranho ao desenvolv ment e a
ha progressiva do espirito humano, impos
negar o irrcsistivel prestigio da verdade. (31
Ul PMG BE TUDO.
A Revista Catholica r.arra o seguinte :
A rma Josephna, araba-de ser, depois de mor-
que tr.os-
bundos recebera db sacerdote as santas hostias, e! tr ar que ponto ella era amada e venerada,
na lutada morte, a ultima voz que ouveadb! No (Ja 23 do mez passadb,. roda a populaco de
sacerdote que murmura' estas palavras subFrmes : i Troves- assstia s exequias,.e cada umseoccupava
Parte- para o cu, afina1 chrsta I Nao nos deve-' exclusivamente da perda soffriife, com a morte de
mos pois admirar que os escravos da Luisiamvse- t5o virft*a senhora.
jam quasi todos cathotfcos- e que a vasta catbedral' Todas as familias, segundeeserevem ao mesmo
catholica- da Nova-Orleans se encha de christos de peridico;, tinham recebido os-onidados desta digna
todas as classes e de todss as cores, emquanto que irma nos-momentos difflce?, eeto tanto os ricos
a corrrmnnidade dos protestantes se compe qnnn- como P'bres.
do muito de algumas senoras assentadas na egre'-'
ja em cadeiras bem acorcttoaas. Os bons resulta- Ii,:"se nCommercio do Porf-o-qne segu :
dos colhidos pelos padre catholicos trabalhandO' Uin'recrB em silencio e em segredo na obra de Deus nao mir do ,ervit das armas. leve ada de esfregara
proclamadO'pelas fanfarras- das sociedades de Lon- *be5a com-acido sulphurico.
dres; este resultado nao da materia s declama-! Gahu-lhe a-cabello, mas ao mesmo tempo appa-
ges oratorias dos lords Rodea e Boxley, e todava- receu-lhe uraa.terrivel erupgo de-peile.
a mais pequea obra merioria desles humildes i *
servos de Deas nao cahir M olvido nao I que- Na venda de curiosidades que-frmavam a col-
notada nocen, onde os aguarda o premio. (36) leccao de lord'Eigin vendeu-se umvreliquia chioe-
m.. iik. IM.-I-. w ,- i za conhecida pelo nome de cranec-dt- Confucius.
as 111.a -Ph.,pp.nas ha ma.tos indgenas que- Esla reli,iuiaie3la cercada de a*rne da maior
adoptarais a religio catholica. Ahi se contann,
quatro rail o duzeotas paroclnas. O clero goza da-'
estima de-todas as classes da sociedade, porque-
riqueza.
O crneo em-qneslo
de 327 libras merlinas.
foi adjudicado pelo prego
cilia.
tem prestado mais relevantes oervigos que o gover-
no civifaeao do paiz. (37) Fa]leceu ulr:roamentc em m^.^ m regencia
No dcimo-quinto seculo propagou-se a religio de Tunis, Abdnl Selns Barba-Bx, ultimo descen-
na Baixa-Gain. Tem os capnchnhos estabeleci--' dente do celebre Hiriadam ltarba-IIxa, que no se-
mentos demissoes em AngolO}- Loango, Bengueta' culo XVI tanlO'deu que fazer ehrislandade nos
e Congo. (38) Elles dffundem com bom xito a i- mares africanos:
catholica, e actualmente urna grande parte dos ne- Assegura-se- que este ultimo B&rba-Rxa, pos-
gros pertenoe ao catholicismo. (39) Uuauma bandeira de S. Joo de lAitta, tomada
A egrejfv.catholica da India tao amiga como-a.' pe, seu asceRden,e aos c^alleiros- dbsta ordem,
realeza dos Hespanhes e dos Poriuguezes 30j em um terriv3li combate naval oas-aguas da S
Oriente, e bem que urna e outra tenham cabido
actualmente; nem por isso deix-a de subsistir'
egreja carblica.. .0 culto divino celebrado re-
gularmente; e as egrejas quasi sempre mu te-
quentadass A disciplina ecclesiastica se mamm
e as ceremonias sao to majestosas como na Eu-
ropa, e o povo caridoso no ultimo ponto...A"lm
destas egrejas regulares, h* ainda n'Asia grande
numero de missSes catholreas.. .Estimados pelos
indgena* por causa de seus conhecimentos med-
caos, per sua erudico e ililbado proceder, aican-
gam os missionarios um modesto patrimonio-e es-1
to em. estado de dar hospilalidade a muitos estran-
geiros. Considerando atientamente a egreja, catho-
E' de crer qoe os actuaos cava'leiros de Malla
fagam diligencias para obter esta bandeira, que
urna preciosidde histrica.
*
Segundo dtram jornal estrangeiro o cozmento
das folhas tfe-negueira um meio-seguro para afu-
gentar as moscas.
Diz que para-as afugentar dos caballos se lavan
estes com a. agua deste coziments(. e que este o
meio emprsgado com xito as saudelarias de In-
glaterra.
Se assira>,.faGil o meio.

lica, somos forgados a convir que, nao perdendo No dia 21 de maio morreu era Plorenga e quasi
de vista seu fim prncpa^que(; mamer envtoda a nonagenario o banqueiro Felippe-Matleoni.
sua pureza a f de seus membros, ella, exerce Dexoa. urna fortuna de crea- de seis milhoes,
grande influencia sobre acivlisaco d'Asia* e con- da qual sonslituiu herdeiras, emi partes eguaes as
trihue a expellir as lre\-as do paganismo. (.40) i suas duas Whas.
OS missionarios da companhia de Jess-pregaram A sou filho deUon uma renda, vitalicia de 2,000
o Evangelho as Indias, na China, no-Jtapao, na : francas-(36O000).
Caflraria, no Abyssiniav no.norte e no-sol d'Ame-i
pica, nos paizes mais inhspitos dos dous hemis-
pherios e isto nao reeuando dianto de perigo al-
gum. (41) Por seus apostlos e seus. martyres con-
quistaram para a egreja catholica, alim dos mares,
mais partidarios do que ella nerdcVa a quero. (42)
Foram os jesutas que no interior do Paraguay e
do Brasil deram aos selvagens uma consiituigo
que realsava bem alm os sonos de Plato e de
Thomaz Morus. as difTerentos populaces destes
paizes, outr'ora selvagens, se adunaram virtuosas
communidades, comparaveis s dos primeiros
christos em Jerusalm e Alexandria. (43)
Em 1349, seis jesutas, lendo sua frente Ma-
Dos. padres catholicos de Mnster (Prussia) es-
labiSeccram uma singular lotera.
Os- possuidores dos blhctas premiados, ganhavam
o diseto a urnas tantas msae pelo repouso da sua
mort8.
O procurador geral chamou os dous padres ao
tribunal por fazerem uma lotera sem autorisagao;
porm o tribunal absolveuros com quanto se pso-
vasse que o negocio lhss.rendra 4,000 thalers.......
(i2:6405000).
No Commercio de Coimbn l-se.
Uma carta que publica o Times cora a descrip-
eo do assalto dado 16 de margo pelo exercto de
noel Nobrega, se embarcaram para o Brasil. Ti- i Dahomey contra a cidade de Abbeokuta, defend
veram de hitar contra grandes obstculos era saa da pelos Egbas,. du o seguinte:
pedosa erapreza ; tinham de tratar com uma na-
gao barbara, antropophaga, quo transportiva de
um lagar a outro suas cabanas, e fallava uma lin-!
gua que Ihes era de todo era todo desconhecida.
Al amazonas Eaziam parte da columna- de ata-
que e combatiam com a intrepidez do desespero.
Um certa numero d'ellas transpea o fosso e a
muralha, mas quando chegaram i piala-forma, os
Nada podendo conseguir com os adultos, souberam
. rT .... fcgbas preci(Hiaramnas da maratoa, cavadas de
a forga do zelo, obler que Ihes desse a educagao ftrua^
dos meninos, os quaes depois muito coalribuiram
para a obra do Evangelho. Souberam tambem nos-
sos missionarios determinar avultado numero de
(31) Pfarrer Vilh. Busch, Kwzqefasste Geschi-
thte der christ. Kirche, 2* edic. 1830 p. 131.
(32) Jbi,
(33) Missionario Jowett, Christian researches m
the Mediterranean 3 edig. London 1824 p. 349.
(34) Reisebericht eins Englanders uber Nett-See-
land. Vid. Ausland 1822 n. 239.
(33) Blalter fur literarische Unterhltuno, 1834.
(36) Coronel Hamilton, Manirs el con turnes dans
le Nord de l'Amrique p. 129.
(37) Dr. Horschelmann, Stein's Hani bvch der
Geograph bearb. 1834 T. I.
(38) Ibid. T. III. p. 475.
(39) Allg. d. Real-EncyMopadie, 1824 T. II. p.
(40) Bachanan, Memoir on the expedieney of an
(26) Voltaire (Eneres.
(27) Anmerkung des Redacteurs cines nicht ka-
thol, Blattetvon Saint-Louis. (Vid. Ritter's Jahr-' ecclesiastical eslabltck mtnt in Brilish India, a*.
buch 1834. T. III p. 23.
(28) Bemerkungen eines prolestanten in Reussen
etc, 1824 p. 32.
(29) D. G. von Ekendahl, Geschichte des schwe-
dischen Volks und Reichs. T. 1.1827 pag. 342.
(30) Bemerkungen etc. ibid,
don 1812. p. 12. e 13.
(41) Dallas (Bobert-charles) jurisconsulto, Sur
tordre des jesitites, 1817, trad. do inglez 1820.
(42) Menzel Neuore Geschichte Jor Peutsctien
T. IV. 1826 p 33.
(43) Dalas l, o.
Uma amazona, a quem corlaran) a mao no mo-
mento em que ia a escalar a muralha, desparou a
espingarda com a outra mi e matou um Egba.
Becebeu depois uma terrivel eullada e cahiu no
fosso.
O exercito de Dahomey foi completamente der-
rotado e perdeu 1:000 homens, entre mortos e fe-
ridos.;
O numero dos prisoneiros excedeu a 2:000.
Todo o exercito do re montava a 10:000 comba-
temes, comprehendendo homens e mulheres.
(44) Schrokh, ckrstt Kirchengeschichte seit tor
Reformation. T. III pag. 394-706.
'45) Missiomry Register p. 43.
45) Senfft. p. 205.
47) Wolters.
48) Gymnasial prorector Steuber, io der Allg.
K. Z., 1830 n. 164-
(49) Menzel I. c. t. II. p. VII.
(50) Vater, Allgemeine Gesthicht der Christlkhen
Kvche etc.
&S\) Stoter. 1823.
rochedo de porphyro chamado Olumo, situado no
centro da cidade, e no qual os salteadores fizeram
cavernas.
Em 1825, Olumo foi abandonado petos salteado-
res e tornou-se no mesmo anno refugio de algu-
mas hordas mseraves, que fugana aos caradores
de escravos.
E' deste punhado de fugitivos que sabia gran-
de cdade de Abbeokula.
Chegaram outras hordas de todas as parres da
provincia para escaparen) s miserias do paiz. aV-
labeleceram-se sobre as collinas em pequeas
communidades separadas. Cada uma tinha soas
leis proprias, seu chefe, seu juiz, seu general e
sua casa de consefho, tomando, a principio, o no-
me da aldeia de que os fugitivos eram origina-
rios.
As montanhas mostrara ainda o sitio primitivo
de cada aldeia.
Estas aldeias sao ainda distinctas urnas das ou-
tras, mas nenhum limite natural nem legal existe
entre ellas, e toda a populago est encerrada na
muralha coramum qw poz barreira a invas de
Dahomey.
A Gazeta de Portugnt:
Temos hoje em viagem 9" navios de vela, a cor-
veta D. Joo It, as escunas Napierr, Peona Pir-
me, Bissau e S. Tirone-;'os Male S. Pedro
e 'Bestaurago ; o cahique rAlgarve e a barca
cMartinho de Mello : 6 navios-* vapor, eorvelas
Estephama, . Maa Au-
na-, e rMindello e as escunas- 'Bario de Laza-
rino e Argos.
No-Tejo armados, de vela, corveta fia, e
vaporas corvetas Bartholomeu- Das-, Sagres,
desarmados, em concert e em consti negJV: de
vela, a nn Vasco da Gama, fragata F>. Fernan-
do, corveta Damo e brgue Pedro luoes ;
vapor, fragata D. Pedro V., corvetas -infame D.
Joo, Patmella, e Duque da Trceira,e es
barcos Lvnce e D. Luiz, conneoeiras .Miiiho
um vaso destinado para Macao a construir eu Li-
verpool.
Total 3.
d'o-Sr. Cyrillo de Lemos esta poesa-
DKSKJO.
Trisfe dr me pungira
Se algum dia
Lagea fra
Sobre o meu corpo cahisse
Sera que ao menos ea sentisse
Dentro d'alma
Doce calma
Do martyrio santa palma.
Mas a palma do martyrio,
Do delirio,
Que do lyrio
O pallor me poz no rosto,
mixto horrivel composlo
De amarguras,
De venturas,
De mil horrendas torturas.
Quzera vr-te, Paulina,
To divina,
Peregrina
iSa minha campa silente
Murmurar com voz plangenle
Doce prece,
Que emmudece
A dr que o peito enlanguece.
Dra-te em troca os meus cantos.
Tristes prantos
Sem encantos
De uma alma afilela que chora.
Que o soffrimento devora,
Soirrimento
Do tormento
Que a punge todo o momento t
Ai do bardo I nao tem flores
Nem amores
Que agras dores
Desbotar ne-agam logo I
Se vive sempre no fogo
Calatrios
De atavos
Servei4he aos manes sombros
x yacao publica :
L'raa correspondencia do Schleswig refere co-
risea noticia que se segu.
Faz parta da pequea colonia es*ngoira qne
a se acha um-originalissimo inglez, sjsm quer por
todos os- modos-ser ferido em combate.
L'arooe que existe em Londres un, club, a que
nosso hroe deseja pertencer, e tm que se Do.
pode ser adaiado sem haver previamente reesbido
algum ferineoito.
O.-inglea avulnerado, que possoe cincoenta mi
francos de renda, tratou de obter ama ferida.
Neste intuito comprou o poste de rapitao-o-L-i
servir primeiro na Crimea e depoi* na India, du-
rante a gueria com o Nana-SahA,. ende eslew em
eminente perigo de ser enforcado : padeeeo. toda
a casta de solfrimentos, mas seguu-se anaJ a paz,
sem que elle fosse ferido.
Dirigiu-se ento ao Cabo da Boa-Espeaanca. Ahi
naufragou primeiro e ardeu-ihe depois. a.obuea em
que habitava.
Um dia foi preso pelos atres e sondHonado a
ser oegolado ou quelmado mas depois. db grandes,
sustos, conseguu apenas, algumas aerrireis qucir
maduras.
Alguma cousa era j, mas. nao. era o suflicieole.
Animado por este principio d ida, c ou rindo
fallar da segunda asceociio. do baao Gigante-, che-
gou a Pars esperan*), subir balo, onde lhe
sorria a meiga espesanga do quebrar a caseta.
Tomou effecti varaenie o trena, chegou ae campo
de Marte no dia I8.de oulttnn s 5 lloras menos.
20 minutos; offececeu una napoleo a nm guarda,
para que lhe levasse um rartio de visita ao capikto.
do Gigante, ma& o guarda, responden :
. impossivel, ja bao passa ninguem l para
dentro.
O balo snrou os. ares e o nosso inglez Osoa eaa
trra a seiemar cosa o ramo que lhe cusapm se-
guir em tao aftiietiva conjunetnra.
A guerra actnal offerecia-lhe' monci de conse-
guir a realisaeo dos seas desejos.
Os prusslanos ouvira elle dizer qoe tioham a
saais certeira e admiravel ponuria, e era preciso
que a Providencia de lodo em todo houvesse aban-
donado este hroe para que, expondo-se nm poure-
xinho, o nio pescase uma bala.
Taes eram as suas ideas ao ehegar ao Schleswig,
mas apezar de todos os seus renitentes esforeos as
balas fogem delle com o mesmo acinte con) que
elle as procura va,
O inglez est quasi a desenganar-se de qoe
invulneravel, e considera-se j o excntrico mais
mal tstreado e o mais infeliz homem deste mando.
i
(52) Weinmann, I, c. AUg. K.-Z, 482<5,164. | PEBNAMBUCO. -TYP. DE M. F. DE F. & FILHQ


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8V01XJ1W_E574JY INGEST_TIME 2013-08-27T21:07:37Z PACKAGE AA00011611_10407
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES