Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10398


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^

' ^>
AMO II. HOMERO 142
Por tres Mezes adiantados 58000
Por tres mezes vencidos 6$000
Porte ao correiu por tres mezes. 4750
1NCARREGAD03 DA SUBSCRiPCO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracatv,
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Marachao, o Sr. Joaquim Marques Ro"
drignes; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRfPCAO NO SUL.
Alagas, o Sr. Claudino Falcas Dias; Babia, o
TT. Jos Martins Al ves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino.
PARTIDA D03 ESTAFETAS.
Oiinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Govanna e Parahyba as segundas e
seitas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Serrahaem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
rs, Agua Preta e Piraenteiras as quintas feiras.
Una de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi dia.
OARTA FEIRA 22 DE JBHO DE 1864.
Por aaoo ad'aatado.....19$000 ,
Porte ao correio por om auno 3$00U
EPBEMERIDES DO MEZ DE JUKHO.
4 La nova as 9 h., 20 m. e 20 s. da m.
i2 Quarto cresc. as 9 b., 27 m. e 26 s. da m.
19 La cheia as 8 h., 34 m. e 20 s. da t.
26 Quarto ming. as 11 h., 53 ni. e 3 s. da m.
PREAMAR DE HOJB.
Primeira as 6 horas e 6 minutos da manhaa.
Segunda as 6 boras e 30 minutos da tarde.
partida dos vapores costeiro.
Fara o sul ata Alagas a 6 e 25; pr* o "norte at
a Gr?nja 7 e 22 de cada raez; para Fernando nos
das 1 dos mezes de jan. marc., maio, jal, set enov.
PARTIDA DOS MNIBUS,
o i, *? Recife : do Apipucos s 6 '/* 7, 7 /,, 8 e
8 V o? m.; de Oiinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6 Vi da m.; do Caxang e Vanea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 % 4, 4 A, 4 /,,
5, 5 Vj, 5 i/ e 6 da Urde; para Oiinda s 7da
manhaa e 4 y, da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; para Cachang e Varzea s 4 V da tarde; para
Bemfica s 4 da Urde.
AUDIENCIA DOS TRIbUNASS DA CAPITAL.
Tribunal docommercio: segundas e quinUs.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: urcas e sexUs ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
DIAS DA SEMANA.
20. Segunda. S. Silverio p m.; S. Sil vino m.
21. Terra. S. Luiz Gonzaga ; S. Albane m.
21 Quarta. S. Paulino b.; S. Nicas b.
23. Quinta. S. Agripina v.; S. Zi-non m.
2'. Sinta. cj: .Wrimento de S. Joo Baptista.
2o. Sabbado. S. Guilherme ab.; S. Febronia v.
26. Domingo. Ss. Joo e Paulo irs.; S. Virgilio ra.
ASS1GNA-SB
no Recife, em a liviana da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprieUrios Manoel Figueiroa de
Faria & Fimo.
PARTE QFFIGIAL
GOVERNO DA PROVINCIA.
Conlinasfi do rxpnlirnlf do dia 17 de jiintao
de 1861.
Oficie ao juiz municipal do termo do Rio-For- j
*noso.Inteirado do contedo do seu oflicio de 2 i
de maio ultimo, cabe-me dizer-lhe que tendo-se i
concluido no dia 6 desse mez os trabalhos da jun-
ta revisora da freguezia de Una, como se eviden-1
da da acta da segunda reuuio que me foi re- j
mettida por aquella junta em oflicio de 7 do ciu-
do mez de maio, cumpre que Vine guardadas as
formalidades da lei convoque o conselho munici-
pal de recurso desse termo no da 16 de jaldo
vindouro que para isso designo, allm de tomar co-
nliecimento das reclamaces que porventura te-
nham deixado de ser attendidas pela referida
junta.
Dito ao prior do convento do Carmo de Goian-
i.Informe Vine, com urgencia se effectuou-se
om Francisco de Paula Cabral o contrato de ao-
ramento perpetuo de terrenos pertencenles ao pa-
trimonio desse convento, para o que obteve i>er-
jnissSo do governo imperial por portara de 7 de
maio do anno passado ; c, no caso de aOirmativa
remetta-me o traslado desse contrato afim de
ser transmittido ao mesmo governo como exige o
art. 5* do decreto n. 635 de 28 de novembro de
1849.
Portara.O presidente da provincia, atienden-
do ao que requereu o padre Jos Procopio Pereira j
professor denslruccoelemeniarda villa do Brejo, e
tendo em vista a informaco di director geral da,
instruccao publica de 16 do corrate sob n. 110,'
resol ve prorogar por 30 dias com vencnnentos a-1!
licenca que Ihe foi concedida por portara de 31 j
de marco ultimo.
Dita.O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Miguel Archanjo Pimentel. professor
publico de instruccao elementar da villa da Esca-
da, e tendo em vista a informaco do director ge-
ral da instruccao publica dauda de 31 de maio
ultimo sob n. 101, ouvido o conselho director, re-!
solve na conformidade da primeira parte Jo art. 28
da lei n. 369 de 14 de maio de 1855 combinado
com o art. 27 da lei n. 598 de 13 de maio do cr-
reme anno conceder-lbe a gratifieaco correspon-
dente quinta parte dos seos vencimentos, visto
terso distinguido no ensino por mais de qunze
annos.
Dia 18-
Officio ao brigadeiro commandanle das armas
Srvase V. Exc. de informar acerca do que pede
o pharmaceutico Jos da Rocha Paranhos no re-
querimento que aqu ajunto com o ollicio do presi-
dente do couselho administrativo datado de 17 do
torrente.
Dito" ao mesmo.Haja V. Exc. de informar so-
bre o que pedem Caors & Barbosa no requerimen-
conselho administrativo.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar
inspeccionar e asseniar praca em um dos corpos
em guarnico nesta provincia se fr julgado apto |
para isso o soldado do corpo de polica Manoel
Severino das Noves, que pelo requerimento inclu-
so se ofTerece voluntariamente para servir no exer-
cito dando-mc V. Exc. sciencia do que occorrer
acerca desse individuo, alim de ser elle eliminado
daquelle corpo no cao de realisar-te sua praca
no exercite. OAIciou-sc neste sentido ao comman-
dantedo corpo de polica para mandar apresenlar
no quarlel general a praca deque se trata.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. informar ou-
vindo o delegado do cirurgio mor do exercito so-
tire o que pedem Caors & Barbosa no incluso re-:
qnerimeato.
Dito ao Dr. vigario capiular dcsta diocese.
Pele oflicio de V, Exc. de 16 do corrente liquei in-
teirado nao s de se achar cannicamente provida
a freguezia de Santa Mana Rainlia dos Alijos boje
denominada do Senlior Itom Jess da Igreja Nova
pela lei provincial n. 601 de 13 de maio ultimo ;
mas tambem do que V. Exc. expe relativamente ,
de Nossa Senliora da Conceicao da Pedra, creada ,
pela lei n. 561 de 6 de maio do anno passado.
Dito ao inspector da Ihesoarana provincial.
Inteirado, pelo oflicio que V. S. me dirigi liontem
sob n. 224- de haver Guimares \ Oliveira, dando
por fiador o proprieUrio Manoel Jos Guedes de
Magalhes, arrematado com o abate de 12 por
cento nos preros do respectivo orcamento o forne-
cimento dos objectos precisos no orcamento pro\i-
no vindouro para o expediente das repartieres
provnciaes; tenho a dizer em resposla que appro-
vo essa arrematadlo.
Dito ao director do arsenal de guerra.Mande
V. S.ad.mittir na companhia de aprendzes desse
arsenal se houver vaga, o menor nrphio Sebastiao
Cerinoda Luz depois de proenchidas as formalida-
des constantes do arl. 4." do regulamento de 3 de
Janeiro de 1842.t;ommunicou-se ao Dr. ebefe
de polica.
Dito ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Pao d'Alho. Tenho presente o oflicio d
13 do corrente com que V. S. trouxe ao meu co-
nhecimento o do tenonte-coronel commandante do
balalho n. 16 de infantaria da guarda nacional
sob seu commando superior da mesnia data re-
presentando contra o ebefe do estado-niaior Luiz
de Albuquerque Maranho, por o ter verbal e ofli-
cialmente ameacado com priso sua disposico
j)or nao querer o predto tenenle-roronel prescin-
dir da |iena de priso por tres dias, que impoz aos
guardas Jos Zeferno do Espirito Sanio e Bene-
dicto Manoel Carneiro di Cunha, este secretario e
aquelle fiscal d.i cmara municipal dessa villa,
por terem faltado por miis de urna vez as revistas
do loialtiiio.
Em resposta cbeme dizer V. S., que as obri-
gaces do chee de estado-maor desenptas no ca-
pitulo segundo do decreto n. 1354 de 6 de abril
de 1854, nao Ihe dao attribucao para prender ofIi:
cial oii guarda sua ordem. e no caso verlente so
Ihe competa por forca do disposto no 16 art. 6
do citado decreto participar a V. S. a prsao feita
aquelles guardas que nao poda ser considerada
Ilegal, visto que nao tinham elles despensa do
servco, concedida de conformidade com o art. 30
do mesmo decreto e deixaram de comparecer ao
servco que Ihes foi determinado. Cumpre, por-
tante, que V. S, advirta ao rhefe do estado-maior
rente sob n. 154, tenho a dizer em resposta que p- j
de autorisar o arrematante dos concertos da ponto '
de Anjo a mandar enllocar na mesma ponte mais
38 estivas novas de 33 e 38 palmos, duas contra li-
nhas de 45 palmos e 8|I0, e bem assim lavrar e
assentar 13 estivas vellias em substituigiio de
iguaes pecas que de novo foram all encontradas
en estado de ruina, podendo para esse fim des-!
pender at a quantia de 770 em que foi oreado
esas trabalho, nao contemplado nos dous primiti-'
vos orcamentos.Communicou-se ao inspoctor da
thesourana provincial.
Dito cmara municipal do Pao d'Alho.Re-
commendo cmara municipal da villa do Pao
d'Alho que designe urna das salas da casa de suas
sessoes para servir de priso dos ofliciaes da guar-
da iiaconalentendendo-se para isso com o res-
pectivo commandante superior.Communicou-se
ao predto commandante superior.
Dito ao gerente da companhia Pernambucaoa.
Pode Vmc. fazer seguir para os portes do norte o
vapor Mamamjuiipe, no dia e hora indicados em
seu oflicio de 16 do corrente.
Portara.O presidente da provincia, attendendo
aoque requereu o capitao aggregado ao Io bata-
lliao de reserva da guarda nacional do Recife, An-
tonio Jos Leal Reis, sobre que informou o respec-
tivo commandante superior em 11 do corrente, re-
solvc conceder-lhe 6 mezes de licenca para ir
Europa.
Dita.O Sr. agente da companhia Pernambucana
mande dar 2 passagens do r e 2 de proa destina-
das passageiro de estado no vapor Mam-inguape,
ao promotor publico da comarca de Souza na pro-
vincia da Parabiba bacharel Manoel Colho
Cintra.
Dita.0_ presidente da provincia, tomando em
consideraco o que expoz e director da reparticao
das obras publicas em odiaos de 11 e 17 do corren-
te mez, sob n. 152 e 159, resolve abrir um crdito
supplementar na importancia de 3:035*000 para
occorrerse as despezas com a conclusao por admi-
nistracao das obras encampadas dos reparos do 3o
lauco da estrada do Pao d'Alho, e de que era arre-
matante Antonio Malaquias de Msete Lima, visto
adiarle esgotada a consignado votada pelo Io
do art. 13 da lei do orcamento vigente, segundo
constou do 1 dos citados olHcios.Fizeram-se as
necessarias communicaeoes.
Dita. O presidente u'a provincia, attendendo ao
que expoz o inspector da thesouraria provincial em
ollicio de honlem sob n. 226, resolve abrir um cr-
dito supplementar na importancia de 4:4984364,
para se efectuar pelo art. 13 Io da lei do orca-
mento vigente os pagamentos ltimamente ordena-
dos, os quaes constam da demonstrado junta por
copia.Remettu-se copia desu portara ao inspec-
lor da thesouraria provincial.
Dita._ O presidente da provincia, tendo em con-
sideraco o que ponderou o commandante superior
da guarda nacional do municipio de Lomoeiro, em
oflicio de 27 de maio ultimo, resolve de conformi-
dade com o art. 25 da lei n. 602 de 19 de setembro
de 1830, marcar a villa do mesmo nome para ser-
vir de patada da seceo de resorva n. 4 daquelle
municipio, ficando sem effeito na pane relativa a
mesma seceo a ordem que designou para aquelle
fim a povoaco de Taquaritinga.
Expediente do secretario do goTerno do dia 18
de Jim lu de IM'..
Oflicio ao brigadeiro commandante das armas.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, manda de-
clarar V. Exc. que por despacho desta data auto-
risou-se o director do arsenal de guerra a satisfa-
zer o pedido do 9 balalho de infantaria a que
alinde o oflicio de V. Exc. n. 1,085 de 17 do
corrente.
Despachos do dia 18 de jnnho de 1861.
Requer tinentos.
Antonio Cypriano da Silva.A' vista da infor-
maco nao ten lugar o que requer osupplicante.
Alteres Clemente Francelino Tavares.informe
o Sr. director da colonia militar de Pimenteiras
acerca do objecto de que trata o supplicante dando
a certdo requerida, se nao houver inconveni-
ente.
O mesmo.Passe.
Elias Anacleto dos Prazeres.Informe o Sr. de-
sembargador provedor da Santa Casa da Miseri-
cordia.
Ignez Maria da Soledade.Para ter lugar a pre-
tendi da supplicante preciso que prove achar-se
seu lhoanda hoje nascondicoes allegadas eetten-
didas em 3 de setembro de 1862.
Jacntbo Jos de Souza.informe o Sr. Dr. che-
fe de polica.
D'sembargador Jeronymo Martiniano Figueira
de Mello.Informe o Sr. inspector da thesouraria
de fazenda acerca da pretenco do supplicante ten-
do em vista o orcamento.
fos Firmino de Oliveira Regio.Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Landelino de Luna Freir. Remedido ao Sr. di-
rector geral da instruccao publica para attender ao
supplicante nos termos de sua informaco de 27 de
do corrente sob n. 117.
Maria Amalia Carneiro da CunhaA' vista da
informaco do Exm. brigadeiro coinmandante das
armas deliro a pretenco da supplicante.
Maria Joaquina da Penha Castro.-informe o Sr.
tenente-coronel recrutador.
Marcelino Antonio Xavier.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Marcelina Maria da Conceicao Requeira ao go-
verno imperial, visto estar excedido o praso dentro
do anal poda ser altendida pela presidencia.
Manoel Egidio Alhanasio dos Santos.Nao ha
vagas em que possa ser admittidos os Qlhos do sup-
plicante.
Rufino Colho da Silva.Passe portara proro-
gando a um mez a licenca com que se acha o sup-
plicante.
Padre Thom Narciso Pereira de Alnieida Couti-
nho.Informe o Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial.
t Desde o principio do mez concorreu muita \ vapor Parahyba, trazendo noticia de que, havendo
gente, mas duplicou sem duvida do meio para o um sentenciado seduzido e violado urna menina da
un, observando-se era geral verdadeiro espirito re- 9 annos de idade, assassinou-a ao depois dando-
ligioso e amor por esses actos, e sympathir por Ihe com urna pedra na cabeca. Em consequencia!
esses religiosos, que aqu os introduziram. disso soffreu, segundo nos informara o castigo de
NoUva-se modestia no trajo e silencio comple- setecenus pancadas com raiz de gamelleira.
te, smente interrompido por alguns garolos, duas; Ante-hontem estevejem nosso porto o vapor
vezes para zombarera da raaneira de trajar das se- americano de guerra Wachussetts, seguindo pou-
nhoras. i cas horas depois a crusar.
Faia gosto ver essa igreja, anda ha pouco Hontem fundeou no lamaro, vinda da Baha,
quasi em ruinas, toda aUviada apinhada de fiis a curveta da mesma naco nward.
de todas as classes e jerarchas, ludo isso a esfor-1 Amanha se extrahir, pelo novo plano, a 3-
eos do muito digno geral dos missionanos capu-1 parte da lotera da igreja do Nosa Senhora do
chinhos no Brasil, o sempre estimado fre Cae-, Rosario, sendo o maior premio 10:000$.
,an0- Hoje ter lugar no Club Pernambucano a
t Era magestoso assistir a communho de me- reunio familiar do corrente mez.
nios e adultos, e anda mais a procssao das meni- Achandose comprehendido na parte do
as no ultimo da, em que appareceram mais de! art. 28 da lei n. 369 de 14 de maio de 1835 combi-
duas mil pessoas igreja, e ao TeDeum entoado' nado com o art. 27 da lei n. 598 de 13 de maio de
pelo Emminentisso Internuncio de S. Saotidade.
i No ultimo dia foi tanto o povo que muiUs so
nhoras ficaram de p, e muita gente ficou fra da
1864, concedeu-se a gratificaco da 5* parte de
seus vencimentos ao professor publico da Escada.
Sob propo.-ti do commandante superior de
i igreja, apezar da amplido do templo, e de todas Limoeiro, foi designada a villa de Limoeiro para
as boceas sahiam elogios esses religiosos.
Acerca do que praticaram no pateo da igreja!
aquelles garolos, segundo a phase da carta, diz o
Correio Mercantil de 27 do passado :
A Gazetilha de honlem dau-nos urna noticia
com o tituloDesacatona greja dos capucliinlios
no morro do Castello, na coraraeraoraco do mez
de Maria, dlzendo-nos que Alguns joveos pouco
avisados teem desrespeiudo o acto, a ponto de re-
ceiar-se pendencia seria. Diz-nos mais que pdem
os bons catholicos nao gostar de padres, especial-
mente de barbadinhos, lazarisias e irroas do cari-
dade, que a autoridade secular pode mesmo vedar
e pulpito aos que delle abusam, e que Ulvez os
capuchinhos estejara neste caso, por causa da Ira-
guagem e vvacidade das imagens. i Temos, mer-
c de Deus, assistido cora pequeas ioterrupedes
s ceremonias do mez de Maria, e declaramos f
de calmbeos que em todas essas ceremonias nao
parada da seccao de reserva n. 4.
rkpartiqXo da polica.
Extracto das partes do da 21 de junho de j
1864.
Foram recolhidos casa de deteneo no dia 20
do corrente :
A' ordem do Illra. Sr. Dr. chefe de polica, Ber-
nardino Jos Patricio, eomo pronunciado no artigo !
257 do cdigo criminal; Antonio Jos do Nasci-
mento, Antonio Jos de Sanl'Anna, ambos para re-
crutas; Luciano, Manoel, Pedro, o Jos, escravos i
de Francisco Antonio d'Olveira, requerimento
di respectivo senhor,
A' ordem do subdelegado do Recife, Manoel In-!
nocencio Pereira Cardozo, por desobediencia.
A' ordem do de S. Jos. Jos Rosas, por furto ;'
Antonio Jos de Medeiros, sem declaraco de mo-
tivo.
A ordem do da Boa-Vista, Miguel Gomes da Sil-
temos viste as mais edificantes praticas tendentes va, disposico do Illm. Sr. Dr. chefe de polica,
moralisacao do pov. A' ordem do da Capunga. Francisco das Chagas
Nao ceremonia nocturna ; diurna : quem Bacellar, por insultos,
l aquelle escripto julgar menos do acto, come | o chefe da 2* seceo,
quanto todo o fiel catholco saiba que o mez d- J. G. de Mosquita.
Mara em todo o mundo. Movimento da casa de deteneo no da 20
Acatamos sempre com todo o respeito as cere- de junho de 1864.
monias e actos praticados pelos membros docatho-
licismo, especialmente quando as verdades nuas e
cruas da Escriptura Sagrada nos sao explicadas
com aquella pureza de verdade como as de que
damos t. Quanto causa da linguagem e vvaci-
dade das imagens, e o mais que Ihe aprouver ao
communicaote da Gazetilha, lembramos-lhes os be-
neficios que esses bons padres presUram e esto
prestando ao paiz, e, o que de ha muilo sabido,
os eminentissimos servicos prestados patria em
Pernambuco. ntidamente bem patenteados pelos
Srs. depatadbs Junqueira e Fgueiredo em respos-
ia ao Sr. deputado Pedro Luiz. Portante, seria bom
que o communicante em lugar de adulterar ou
torcer a verdade, antes dissesse que a autoridade an-
dou mais avisada a nao tolerar perturbadores onde
s deve reinar todo o respeito e acatamento. > !
Tratando da celebracao do mez marianno na
corte diz a Cruz :
Existiam...... 333 presos.
Entraram...... 21
Sahiram...... 20
Falleceu........ 1
Existem...... 333
A saber :
Nacionaes..... 240
Estrangeiros... 39
Mulneres...... 7
Estrangeiro---- 1
Escravos....... 62
Escravas...... 4
353
dos corpos que os ofliciaes se respeitem mutua-
mente, e mantenham a maior harmona possivel.
Dito ao commandante superior da guarda na-
cional do Limoeiro. Para que eu possa solicitar
do governo imperial providencias no sentido de
ser elevado batalho a seceo de reserva da
guarda nacional desse municipio, e de crear-se
um balalho do servico activo na freguezia de
Santo Amaro de Taquaritinga, como V. S. propoz
m seu oflicio de 27 de maio ultimo que respon-
do, faz-se necessario que csse commando superior
demonstre por meio de mappas a forQa de reserva
desse municipio, bem como a do balalho n. 22
de infantaria do servico active, declarando sepa-
radamente acerca deste ultimo, o numero dos ofli-
ciaes e guardas residentes em cada urna das fre-
guezias do Bom-Jardim e de Taquaritinga.
Quanto, portm, parada da predita seceo de
reserva, fica marcada para ella a sede dess villa,
como V. S. indicou no ciudo oflicio.
Dito ao director das obras publicas.Inteirado
de quanto Vmc. expoz em seu oflicio de 15 do cor-
PERHAMBDCO.
REVISTA DIANA.
Perante a directora geral da instruccao publica,
comecou hontem o exame de capacidade professio-
nal para o m igisterio primario do sexo masculino.
Aprese.iUram-se como habilitaados os Srs. Joo
Landelino Dorncllas Cmara, Joaquim Francisco
Borges UchX Manoel Thomaz de Freitas, Austri-
clino Villarim, Jos Candido da Silva Pessoa, Clau-
dino Gomes Brrelo, Mauricio Francisco Cabral,
Manoel Jos de Campos Barbosa, Joaquim Elias
Maciel de Albuquerque Reg Barros, Adelino Ilde-
fonso de Siqueira e Albuquerque, Jos G. Landim e
Melchisedec Aaro de Albuquerque Lima.
Os dous primeiros por serem habilitados pelo
Curso Commeraal, foram julgados ipso fado habi-
litados as materias dadas naqnelleestabelecimen-
to, devendo por consegrante smente serem exa-
minados as accrescidas.
Foram dadas as provasde grammatica e anthme-
tica na parte escripia pelos demais concurrentes.
A commissao de exame compoe-se dos Srs. pro-
fessores Miguel Archanjo Mmdelo e Geminiano
Joaquim de Miranda. .
Ainda este anno realisaram os Rvms. misio-
narios capuchinhos os actos do mez marianno, pela
quarta vez, em o seu convento do Rio de Janeiro,
acerca do qual temos a segainte noticia de urna
carta de pessoa importante da edrte :
Alimentados a custa dos cofres pblicos 121.
Movimento da enfermara no dia 21 de junho de
1864.
Tiverara baixa :
A pia insttuico do mez de Maria foi celebra- Bernardino Jos Ribeiro; contuzoes.
da no mez prximo passado nesta corte, as se- Luiz Francisco do Sacramento ; chagas.
guintes capellas : no seminario de S. Jos, uo hos- Teveram alta :
pital da misericordia, no Hospicio de Pedro I, no Manoel Francisco.
Asylo de Santa Thereza, na capella de Paula Mat- Manoel Riacho Moror.
los, na igreja de S. Sebastiao do Morro do Caslello, Passageiros do vapor nacional Parahyba, vin-
e no Oratorio particular da casa de residencia da do da Ilha de Fernando de Noronha .Manoel Lo-
Exma. Sra. D. Leonarda Maria Velho da Silva. pes R. Guimares, Jos F. Machado, Claudino Jos ,
^'Sr EiSSSJESBJ2 P^j&f'ffr55%p
toda a gravidade ; no hospital da misericordia es- pranci j publico :
i Jos, Pernambuco, 2 mezes, S. Jos; espasmo.
19
como tambem da parte dos assistentes. que con-'
sistiam dos meninos orphos e dos enfermos.
t Na casa da Exma. Sra. D. Leonarda fez-so
cora toda a pompa. Via-se em um altar ricamen-
te ornado de variadas flores, desucar-se do
seu centro a bella imagem da Virgem, como
que derramando por sobre todos os liis as mais
doces consolacoes de sua immensa proteceo. Fa-
milias dislinctas concorreram a esta solemnidade,
e aos sons dos mais puros hymnos religiosos can-
tavam as glorias e as maravlhas da Me de Peas.
xal que esta devoco continu todos os
annos.
Joanna, Pernambuco, 1 mez, Santo Antonio ; es
pasmo.
Jos Joaquim Tavares, Pernambuco, 22 annos, sol-
teiro, Boa-Vista ; anemia.
Alexandrina Maria da Paixo, Pernambuco, 39 an-
nos, solteira, Recife ; tubrculos pulmonares.
ABna, Pernambuco, 9 annos, S de Oiinda \ febre
| typhoide.
Maria, Pernambuco, 9 annos, Boa-Vista ; espasmo.
Nao podemos deixarde addiconarao que temos Ant.,nrl0 Pl,rnamhlI(.0 ?2 mp?Pi ii.a.vuta den-
lito a circular dirigida pelo Rvm. missionario frei An,^ Pt-rnamDuC0- *8 "ieze?,uia \ista oen
6 annos, solteira,
annos, viuvo,
4 annos, solleiro,
mezes, Boa-Vista ; te-
riano.que no dia 31 de maio acabe! de concluir pela TL".^!'.,.
quarta vez nesta igreja dos capuchinhos da cor- y ~"g iw^mbuco 1 i
le, humilde e respetosamente animei-me de eleger >l^"'e' ler"am|JUco. "
^^^s^^x^^l^ssr^8 raezes' San,An,onio;
Victoria, escrava, Pernambuco, 12 annos, solteira,
A obrigaco, senhora, da zeladora marianna,
consiste em vir assislir com sua familia e amigas
devolas pelo menos una tarde s, durante os trin-
U e um dos exercicos mariannos, que celebram-se
nesta igreja de S. Sebastiao do Morro do' Cas-
tello.
Talvez haja quem extranhe esta minha pia
lembranca ; porin acostuma-lo a sondar o desen-
volvimento religioso do povo desta corte, que af-
fiuiudo em grande numero predica maanea,
nao dexou de confessar-se e commungar-se, nu-
tro as meihores esperancas, que com o favor de
Deus, da Virgem Santissma e a valiosa exemplar
influencia de V. Exc. hei-de alcancar o lim a que
me propuz.
c Senhora, a religio catholica, c o actual asta-
do da moderna sociedadc, precisara como nunca do
bom exemplo das mis de familia.
Cumpre por tanto sem demora sacrificar aos
ps de Maria Santissma os humanos respeitos,
Recife; febre maligna.
Adelino, escravo, Pernambuco, 10 annos, Boa-Vis-
ta ; intcrite aguda.
Joo, Pernambuco, 9 mezes, Santo Antonio ; gas-
tro interite.
Ubaldina das Dores de Souza Magalhos, Pernam-
buco, 32 annos, solteira, S. Jos ; hepalite.
CMARA MUNICIPAL.
Aos 31 de maio de 1864, comparecendo smen-
te os Srs. Mello, Gustavo do Reg, e Garaeiro, nao
houve sesso por falta de numero.
Eu, Francisco Canuto da Roa-Viagem, secretario,
a escrevi.Mello.Reg.Gameiro.
Ao Io de junho do 1864, comparecern! os Srs.
. Gusuvo do Reg, e Seve, deixando de o fazer o
pois se a mi de familia pobre, a orpha e a viuva Sr. Mello, por encommodado, e os mais Srs. sem
desvalida acham aos ps da mesma Santissma Se-; motivo participado, deixou de haver sessao.
nhora allivio ; as de po-ico social tambem s o! Eu, Francisco Canuto da Boa-Viagem, secretario,
s podero achar paz, socego de espirito e todas a escrevi.Reg.Leal Seve.
aquellas virtudes queornam a urna senhora desU' >
qualilade, a qual torna-sc digna de ser imitada SEGUNDA SESAO ORDINARIA AOS 2 DE JUNHO
quando pnicamente postra-se aos ps de Nossa DE 1864.
Me Santissma.
t Quer, Exma. Sra. aceitar esta mnha humil-
de eleico, tendo a satisfaco de participsr-lhe des-
de j, que o da que coube em sorle V. Exc. foi o
dia de maio de 1865 at 1868.
t Estou certo que nao deixar de honrar Vir-
gem, e ao Glorioso S. Sebastiao em o referido dia
com a sua respcitabilissma pessoa, parentcs c
amigas.
Deus e a Virgem Sanlissima Ihe facam expri-
mentar de antomio as doces consolacoes reserva-
das aos devotos mariannos e ahencoando-a tenho a
honra de assignar-me.Humilde servo elr.
Ao fechar este apanhado do occorrido na corte
durante o mez de Maria, nos um dever reconhe-
cer com a populaco deste calholico imperio o quan-
to somos, obrigados a esse zeloso missionario, que
nao cesssa um momento no trabalho da vinha do
Presidencia do Sr. Henriqm da Sika.
Presentes os Srs. Gustavo do Reg, Leal Seve,!
Mello e Reg Maia; abre-se a sessao, e foi lida e i
approvada a acta da antecedente-
Leu-se o seguinte
EXPEDIENTA:
Um oflicio do Exm. presidente da provincia, re-.
metiendo cmara o oflicio de 27 de maio ultimo
I sb n. 136. em que o directw da reparticao das
obras publicas pede previdencias acerca de um
cano de esgoto, pertencente a um predio do casal
"Vieira da Cunha, sito na da Aurora, afim de
que, temando em consideraco o contedo do ct-
tad oflicio. d as providencias precisas esse
respeito. Posto ero. discusso, resolveu-se orde-
nar ao fiscal respectivo que, cnlendendo-se com o
proprietario desse predio, intimasse-o de mandar
concertar dito, cano, visto que se acha elle arrui-
lilil \, V < UIll til VIIIV M*" <>V %*** ----------------i---------- .
Senhor. no qual tanto se destingoe pela sua dedi- nado, do contrario a cmara o mandara upar,
facn e mnm em resistir aos emhales dos des- Oulro dfr Dr. juiz de direito da 1' vara criminal.
cacao e coragem em resistir aos embates
carreiados que de presente pretendem ridicularl-
sar a religio santa do Calvario,
Chegon hontem de Fernando de Noronha o
juiz
Joo An*>no de Araujo Freitas Henar iues, remet-
iendo cmara urna certdo de rustas, em que-
fra a me*ma. eonAnnoada. w jnportania d
69J750, pede que Ihe mande pagar a refer Ja im-
portancia.Mandou-se passar mandado.
Outro do advogado, respondendo o que Ihe foi
dirigido, consultando-o se podia realisar com au- '
torisaco da presidencia venda em praca publi- j
ca da casa da ra da Florentina, diz que pela lei !
do lde outubro de 1828, lit. 2 42, s pode esta '
cmara vender, aforar, ou trocar qualquer bem
com aotorisaco do presidente da provincia em
quanto se nao installassem os consellios geraes,
por tanto tendo, pelo acto addicional substituido
aos conselhos geraes as assemblas provinciaes,
claro que no caso presente s ella a competen-
te para a autorisaco em questo.Resolveu-se
em vista de tal resposta, esperar que houvesse
reunio da asamblea para.se solicitar a autorisa-
co, entretanto determinou-se ao procurador que
fosse alugando a mencionada casa.
Outro do solicitador, communicando ter sido
julgado nullo o processo intentado pela cmara
por nfrarces de posturas contra Joaquim Fernan-
des da Rosa, sb o fundamento de nao ter o juiz
processante guardado todas as formulas de direito.
sendo condemnada a mesma cmara as cusas
que importara em 39J1800 ; conclue pedindo que
se Ihe mandasse entregar dita quantia, o Ihe dis-
sesse se deve intenur nova questo.Mandou-se
ordenar ao procurador para pagar a quantia pedi-
da, e o solicitador para intentar nova aeco.
Oulro do procurador, dizendo ter-lhe sido orde- '
nado para se entender com o lente cosonel Fran-:
cisco Carneiro Machado RUs, proprietario do ter-
reno ende tem de ser feita a obra da bomba na
travessa do Quiabo da povoaco des Affogados, e '
com o mesmo tratar da desapropnaeo do dito ter-1
reno, declara que enleudeu-se a respeito, mas nao
pMs levar a effeito sem que o engenheiro seja ou-
vido, e d o seu parecer. Resolveu-se que fosse
ouvido o engenheiro.
Outro do administrador do cemiterio publico da
freguezia do Poco da Panella. remetiendo o mappa
dos enterramentos feitos no mesmo estabeleci-1
mente, desdo o 1* 31 de maio prximo Gnao.
Ao procurador.
Foi approvado o seguinte requerimento :
Requeiro,que se ordene ao engenheiro cor-
deador para com a brevidade possivel levantar a
pirata da povoaco de Apipucos, viste nao existir
nesta cmara planta d'aquella povoaco. Recife,
2 do junho de 1864.Reg Maia.
O Sr. vereador Mello, um dos membros da com-
missao de edilicaces, requereu que fosse lido o
parecer por elle dado, e o oulro, erabora este nao
estivesse na casa, ponderando razes valiosas para
isto, e a cmara annuindo, foi lido dito parecer, e
adoptada a sua segunda parte, de ser reedificada
no lugar em que se acha a parte do muro do
quintal da casa da ra do Rosario da Boa-vista,
que tem de ser pela planta desapropriada, assig-
nando o seu proprietario Manoel Martins de Car-
valho, termo de nao levar em conta a despeza de
semelhante reedificaco, nao adoptando a desapro-
pnaeo por que a cmara nao podia presentemen-
te faze-la.
Despacharam-se as peticoes de Antonio Bernar-
do Qumteiro, e outros abaixo assignados, bacharel
Amerido Netlo de Mendonca, Antonio R. Cousseiro,
Alexandrina Maria do Espirito Santo, Fraucisco de
Barros Correia, (3) Fielden Brothers, Francisco de
Paula Peana, Guimares Souza & C Joo Fran-
cisco Monteiro, Luiz de Albuquerque Martins Pe-
reira, Manoel de Almeida Lopes, Manoel Ferreira
Lima, Severino Jos de Santa Anna, e levantou-se
a sesso.
Ea, Francisco Canuto da Boa-Viagem, secretario
a subscrevi.Henriques da Silva, pro-presidente.
Leal Seve.Barata de Almeida.Reg.Mello. .
CIIR0MCAJIDIC1ARIA
TRIBUS AL VA RELACAO.
SESSAO EM 21 DE JUNHO.
PllESlDKNUIA UO EXM. SU. CONSELHEIRO
SOl'ZA.
As 10 horas da manhaa, presentes os senhores
desembargadores Gitirana, Lourenco Santiago, Reis
e Silva, Almeida e Albuquerque, Motta, Uclia Ca-
valcanti, Assis, Doria, e Barros, abrio-se a
sesso.
O Sr. desembargador Guerra, procurador da co-
ta, nao compareceu.
Passados os feitos e entregues os distribuidos,
deram-se os seguintes
JULGAMENTOS
Carla testeinunliavel.
Aggravanle, Basiliano de Magalhes Castro ; ag-
gravada, D Joanna Maria das Dores.
Relator o Sr. desembargador Loureneo Santiago.
Sorteados os senhores desembargadores Assis,
e Barros.
Negou-se provimento.
Aptelkuyes aimes.
Appellante, Manoel ''euorio Brasileiro; appella-
da, a justica.
Reformada a sentenca.
Appellares civeis.
Appellante, bacharel Joaquim Francisco de Mi-
randa ; appellado, Jos Rodrigues do Passo.
Confirmada a sentenca.
Appellante, Gamillo Augusto Ferreira da Silva;
appellado, Bernardo Norat & Irmo.
A urna diligencia.
DlLHiENCIAS CHIMES.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justica
Appellante, Manoel Mendes da Silva ; appellada,
a justica.
Appellante, Antonio Loureiro de Lemos; appel-
lada, ajusiiea.
Ao curador geral.
Appellante, Claudino Francisco Soares ; appella-
do, o escravo Joaquim.
PASSAGENS.
O Sr. desembargador Gitirana passou ao Sr.
desembargador Loureneo Santiago
As appelarics civeis.
Appellante, o juizo ; ppellados, Ponciano Ro-
drigues da Silva e outros.
Appellante, Jos Fructuoso Das; appellado, Fe-
lippe da Cosa Souto.
Do Sr. desembargador Loureneo Santiago ao Sr.
desembargador Reis c Silva
A appellacao crime.
Appellante, o bacharel Jos Antonio Rodrigues ;
appellada, a justica. _, .__
O Sr. desembargador Reis e Silva aoSr. desem-
bargador Almeida e Albuquerque
As appellaces enmes.
Appellante, o juizo ; appellado, Silvestre Francis-
co do Monte.
Appellante, o juizo ; appellado, Francisco Tho-
maz de Aquino.
O Sr. desembargador Almeida c Albuquerque ae
Sr. desembargador Molla
A appellacao civel.
Appellante, D. Anna Maria da Conceicao ; p-
pellados, Francisco Joaquim Daula< e outros.
OSr. desembargador Motta passou ao Sr. des-
gador Ucha Cavalcanti
As appellares erimes.
Appellante, Manoel Antonio de Moraes; appella-
da, a justica.
Appellante, Theodoro Gomes da Silva ; appella-
do, a justica.
As appcltacoes civeis.
Appellante, Joao Gomos da Costa ; appellado,
Joaquim Joige de Mello.
Appellante. D. Joarov Maria das- Dores : appel-
lada, Dr. Augusto Carneiro Monteiro da Silva
Santos.
O Sr. desembargador Ucha Cavalcanti ao Sr.
desembargador Gitirana.
A appellacao civel.
Appellante, Jos Thomaz da Silva Jnior ; ap-
pellado, Antonio Carlos Leite.
O Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desem-
bargador Doria
A appellacao crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Sirao de Araujo
Lima.
, As appellacoes civeis.
Appellante, Domingos /os Das de Oliveira ; ap-
pellada, a cmara municipal.
Ao Sr. desembargador Gitirana
Appellantes, a preta Maria e .-eus filhos ; appel-
lado, Guilherme Augusto de Miranda.
O Sr. desembargador Doria ao Sr. desembarga-
gador Barros Vasconcellos
A appellacao crime.
Appellante, o juizo ; appellado, Vicente Soares
Ferreira da Silva.
As appellacSes civeu.
Appellante, a cmara municipal; appellado, Vi-
cente Ferreira do Reg.
Appellante, D. Maria Felicia da Conceicao Leite ;
appellado, Manoel Ferreira da Silva.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Maximino. >
Soares de Avellar.
Do Sr. desembargador Vasconcellos ao Sr. des-
embargador Gitirana
Appellante, o juizo ; appellado, Dionizio Fer-
reira Gomes.
Appellante, o juizo ; appellado, Pedro Antonio
Cordel ro.
A' 1 hora da tarde encerrou-se a sesso.
CORRESPONDENCIAS.
Srs. redactores.Victima da prepotencia, e ar-
bitrariedade do delegado 1." supplente em exerci-
cio Francisco Olegario de Vasconcellos Gaivo, pro-
curo as columnas do seu concetuado jornal para
fazer publico ss violencias que sofTri em minha li-
berdade.
At o dia 5 do corrente, conUndo j 54 annos de
idade, hava sido respeilado, e considerado, qur
nesla comarca, onde moro 33 annos, qur fra
delta por ondo tenho andado, qur mesmo nesla
capital, onde tenho minha famiiia.
Como amante da ordem, procurei sempre condu-
zr-me na sociedade, de modo recommendar-me
a estima publica, respeitando e zelando sempre as
leis do meu paiz, e acatando a autoridade, quem
quer que ella fosse.
Vi vendo smente para minha numerosa familia,
nao tenho tomado a menor parte as intrigas pol-
ticas da minha trra ; c como offlcial da guarda
nacional desde 1837, se me tem prestado sempre
urna certa consideraco, de modo, que at aquelle
dia, nao havia sido encommodado, nem ao menos
com chamadas ao servico publico : vivia retirado
da sciedade, e satisfeito no seio de minha fa-
milia.
Eslava porm reservado aoSr. Gal vozinho agio-
ra de tirar-me do lar domestico, e atirar-me na en-
chovia da cadeia publica do Limoeiro I Mas, que
crime commetti cu para assim to bruscamente
ser privado das honras e garantas, que me da-
v.iin a patente deoflicial da guarda nacional, c ser
medido na eochovia de urna cadeia ? I
Saiba-o o publico, saibam os que me conhece, e
saiba o governo do paiz.
Na noite do dia o do corrente, a urna hora da
noite, foi cercada, e varejada a minha casa por urna
escolta, que tenha a sua frente o escrivo do su-
bdelegado, e oolicial de justica Jos Francisco Fal-
co; nesta occasio tralei-o rom a urbanidade, que
pude : nada encontrando, reliraram-se as mesmas
horas. No outroldia s 8 horas da manhaa, aconteceu,
que encontrasse com os mencionados escrivo e
oficial de justica, e nesta occasio perguntei o mo-
tivo, a ordem de que autoridade, foi miuha casa
varejada. A esta simples pergunta, respondeu o
referido oficial de justica, com as maiores inso-
lencias, e iusullos, trataudo-me por patife, infame,
oflicial de m___, e outros BOOMS, que a modestia
me faz callar, e atirando-se sobre mim aggarrou-se
a minha abertura rasgando-me, com um punhal so-
bre meus pcitos, peda urna corda para amarrar-me!
Felizmente, porm, nao achou quem Ihe empres-
tasse as cordas que pedia.
Retirou-se o dito oficial de justica com o escri-
vo, nicos que restavam dos que acompanharam
a deligencia da vespera. Com a consciencia tran-
quilla liquei em minha casa, sem que me passasse
pela imaginaco, que poderia soffrer o meuor en-
coinuiodo por aquelle acontecmento.
Na madrugada do dia 6, foi novamente cercada
a mnha casa, eu preso, e escoltado conduzdo por
urna palmilla, da qual fazia parte, muito felizmente
o cabo de esquadra do corpo de polica Joo Ca-
valcante, que nao consentio, que eu fosse amarra-
do, apesar das exigencias do mencionado oflicial de
justica.
Chegando a esta villa fui ter com o delegado a
quem ponderei, que era offlcial da guarda nacio-
nal, e que nao havia commettido crime, para assim
ser conduzdo priso : mas o Sr. Galvozinho, a
nada quz attender, e ordenou que se me reco-
Ihesse cadeia. Efectivamente fui posto no se-
guro da mesnia cadeia I Tralei enlo da mnha
livranca, para o que mandei chamar a um advo-
gado, que requeren urna ordem de habas-corpus,
mostrando a violencia e illegalidade da minha prisa .
O Sr. Dr. juiz de direito mandou ouvir ae dele-
gado, cuja ordem havia sido preso : mas este
moco pratico as scenas theatraes. pretendeu de-
clinar da responsabilidade, declarando, que me
havia passad* disposico do Dr. juiz municipal
que tambem foi ouvido, e respondeu com as copias
que Ihe foi remettida pelo Sr. Galvozinho. En-
tretanto, depois que fui levado a presenca do Sr.
Dr. juiz de direito, consentio < carcereiro que eu
ticasse em um quarto da cadeia, que fica contiguo
ao corpo da guarda : mas chegando esta noticia
ao delegado o Sr. Galvozinho, sera consideraco
de ciue j nao eslava sua disposico, ordenou ao
referido carcereiro que me pozesse no seguro, e
eflectivamente fui mettido em priso segura.
Afina!, depois de tengas 60 horas de enchovia da
cadeia de Limoeiro, fui restituido minha liber-
dade, pelo integro Dr. juiz de direito Jos Quintino
de Castro Leo.
Limoeiro, 10 de juaho de 1864.
Joaquim Pereira Giraldes.
PUBLICARES A PEDIDO.
AO PUBLICO.
Neste seculo abencoado em que o espirito predo-
mina, em que por toda a parte sente-se o benfico
effeito de reformas, que vo encaminhando nossa
sociedade ao progresso, que no correr dos tempos
hade pola par dos mais cultos paizes, pobre In-
gazeira afinhas, falta desse nico meio de instruc-
cao primaria, que te concederam urna escola de
primeras letras? Parle-se-nos o coraeo ao contem-
plar-te por essa face negra que aprsenlas, e con-
fiando na accao governamental supplicamos portan-
te allivio a to grave mal.
Alguem que ignora eomo tem aqu trabalhado a
escola a ca/go do Sr. Marcelino Antonio Xavier,
talvez exija provas de que viemos de dizer ; e por
que nosso fim levar ao conhecimenlo do poder


Diarlo *e rerafcneo Qnarta felra tt e Junho de lid.
competente a dura verdade, Icsde lS." solTriday
proferndo-a bremos lenUrqaeai o professor
.Marcolino Antonio Xavier, e como lew elle so por-
tado quanto ao camprimento de seus deveres.
Prohibidos os professores de advogar, tem elle
sempre advogado, fazendo alguns vintens, no que
tem siJo protegido por autoridades que felizmente
j levar e vao levando a taboa.
Esse lucrativo meio de vida sempre o destrahio
do curnpi ment de seus deveres, por que de cer-
to melhor fazer unu queixa, nm requerimento ou
outro qualquer arranjo forense, e chupar os cobres
dos nescios, do que ter paciencia e ensinar s po-
bres enancas abe, etc.
Tambem nao podem os professores aceitar outros
empregos ele, porm tem sido curador geral, con-
tador e partidor nesle juio, promotor Interino,
agente do correio de que se acha suspenso e pro-
cessado.
Tambem nao podem deixar de dar aula sem jus-
to motivo, entreanto nada de ensinar, a escola fo-
t-hada, o nosso herede mil conquistas, a cacar-no
acude, aitrahindo a atlenco publica cora sua pro-
verbial periciade genuino atirador.
Tambem nao pdem deixar de dar aula e encar-
regar a outro individuo para ensinar, entretanto,
anda ha poucos lempos teve Izidoro Lopes de Si-
queira como seu substituto, por raorte deste suecc-
deu-lhe ab intestato Ignacio Meirelles Moura, o qual
engaitando a coiiunoda heranca, depois de auferir
magros cobres de alguns dias, deu lugar a encal-
larse na mamii escola um rapazola Chagas, que
gostou do peito e foi chupando o pouco leitinhoque
ia dando.
Quando o escndalo era de mais l corra o pro-
fessor a capital e em vez de tomar na jaca algum
processo voltava com licenca e vencimentos. O an-
uo passado teve licenca e este anno ainda est de
licenca, arre com tan licenca, a tudo isto junte-so
mais esta consideracao, elle nao tem genio para
ensinar, nao tem methodo, impaciente, incapaz de
assistir quatro minutos em um lugar, meio livre
em materias religiosas, e diga-se depois como va-
mos nesta pobre Ingazeira com semelhante mestre.
Quer a fortiori ser um facto em poltica; pobre,
alimentado pelo governo, a querer guerrear seu
pensainento e dga-se ainda como irao os deveres
seu cargo. Se elle fosse removido para outro lugar
em que por fas ou por nefas fosse obrigado a ensi-
nar, ou perdesse a cadeira e tomasse um processo
no co.-tailo, o que era justo e razoavel, e tivessemos
um professor que soubesse e quizesse ennsinar,
bem de nossa Ingazeira.
Exms. Srs. presidente da provincia e director
geral da instruc^ao publica, pelo amor de eus
(para nos nao, para nossos innocentes tilhinhos) nos
facam a caridade de remediarem semelhante mal
de que em geral nos queixamos.
O actual delegado deste circulo o Dr. Vicente
Jaosen de Castro e AILuquerque (justca Ihe seja
feila,) tem empregado os meios lcitos tendentes a
se assegurar o ensno do nossos lilhos, porm 6
preciso que sua dedcacao nao fique sem o devido
resultado.
Va Iba-nos Nossa Senhora do Amparo e do Soc-
corro, Santos Apostlos, S. Pedro, S. Paulo, e todos
os mais Santos da corte do cu. Amen.
logazeira, 28 de marco de 1864.
O pat de fumtlia.
Para os Exms. Srs. presidente
da provincia e director geral da
inslrucri'w verem.
Illm. Sr. Dr. juiz municipal.Vicente Ferreira
Lima para documentar um dreito seu, requer que
V. S. mande dar-lbe por certdo o seguinle :
1" Se o_ professor desta villa Marcolino Antonio
Xavier nao tem sido, e em que lempo, curador ge-
rvl, e contador neste termo?
2* Se nao tem sido advogado em quesldes civis
e crmes neste termo constantemente ?
3* Se tem ou nao sido avaliador e partidor em
muitos proressos do juizo divisorio, quer nesta vil-
la, quer fra della, nos seus differenles dislrielos ?
4' Finalmente, se foi ou deixou de ser, e em que
tempo, promotor interino.E. R. M Vicente Fer-
reim Lima.
Certifique.
Villa de Ingazeira, 6 de abril de 18(Vi.Ferreira
Chaves.
Certifico quanto ao Io item desta peticao supra
flue o professor publico Marcolino Antonio Xavier
tem sido curador geral, interino de orphaos por
inuitos lempos e em varias occasioes nesle termo ;
ao 2" e :u item que sim ; e ao V finalmente, foi
promotor interino em o anno de 185o.
'i referido verdade, dou fe.
Villa de Ingazeira, 8 de abril de 1864.O escri-
vaodocivel.Jeronymo Ferreira Coelho.
Para os F.rms. Srs. prt$idemU
dn provincia e director geral da
intmenlo verem.
Vicente Ferreira Lima' precisa que VV. SS. se
dignem attestar qual tem sido o moilo por que se
tem portado desde 1853 paraca o professor publi-
co desia villa Marcolino Antonio Xavier, no exer-
cicio de seu magisterio) se ten ensillado, se tem li-
do alomaos, se lern dado aula constantemente, se
estove ou niio suspenso de seus vencimentos em
18o7 por falla de esecueao no cumprimento de
seus jeveres, se tem oo nao continuadamente ad-
vogado e oceupado outros empregos. e quaes, as-
siin como senao tem deixado de ensinar, e enear-
regado a outras pessoas, e quaos, o ensino e por
quantos lempos?
Espero que VV. Ss. por amor a verdade aiies-
tem, o que souberem a respeito do que venho de
declarar.
Ingazeira, ."i de abril de 1864.Tcente Ferreira
Lima.
Atiesto em f de parodio, que desde 1852 paraca
o professor publico desta villa Marcolino Antonio
Xavier, mal se tem portado no exercicio de sea
magisterio; dei\ando de ter alumnos e cnsina-los
e dar aula, [loque tem sido geral o clamor pu-
blico contra a falla de axacco no cumprimento dos
deveres seu eargo: e foi" sobre semelhante fun-
damento (|ue em 1857 (se me nao engao) esteve
suspenso de seus ordenados, por que contra as suas
constantes faltas e irregularidades de ensino, re-
presentou a cmara municipal, em razio de diver-
sas queixas dos pas de familias.
Tem o supradito professor so entregado cons-
tantemente na alvogacia, o que de continuo o tem
destrahido de suas obrigaeGes, asslm como figu-
rado em inventarios, e oceupado os cargos de cu-
rador geral, contador, partidor, avaliador, promo-
tor interino c agento do correio, do que se acha
suspenso e processado.
Quanto ao final da petico supra, altesto que ello
tem constantemente deixado de ensinar o dar aula,
encarregado em algumas occasioes a outras pes-
soas o ensino da escola, como seja um tal Izidro
Lopes de Siqueira procurador que foi em Afogados,
o qual fallecendo, foi substituido por Ignacio Mei-
relles Moura, desta villa, que ao deixar este o en-
sino foi novamente substituido por um tal Chaves
da cidade do Ico, provincia do Cear.
Villa de Ingazeira, 8 de abril de 1864.Jos An-
tonio Alces de Brito, coadjutor pr-parocho.
Para o Exm. Sr. presidente
da provincia e director-geral da
mmenlo verem.
Illm. Sr. delegado litterrio do termo do Ingazei-
ra.Vicente Ferreira Lima, para documentar um
direito seu, precisa que V. S. se digne de attestar
c que souber a respeito do seguiute : 1", se desde
1853 para c tem o professor publico desta villa,
Marcolino Antonio Xavier, dado aula, e quantos
alumnos tem ensinado, e sabido d'aula promptos
em primeiras letras ? 2. Se j esleve ou nao sus-
penso de seus vencimentos em 1857, por falta de
execuco ao cumprimento de seus deveres, e que
meios para isso houveram ? 3. Quantos dias tem
este anno funccionado na escola desde que V. S.
comecou a exercer o cargo de delegado luterano
deste lermo ? 4." Finalmente se nao tem oceupado
outros empregos, advogado constantemente, e en-
carregado a outros o ensino e em que tempos ?
E. R. M. Vicente Ferreira Lima.
Sob a f de meu cargo altesto quanto aos apeti-
tos Io, 2 e 4o, que, residindo nesla comarca desde
1857, tive occasio de nesse anno tentar conciliar
o professor Marcelino Antonio Xavier (qne estava
malquisto, geralmente odiado, e at privado dos or-
denados ) com pessoas de consideracao deste ter-
mo, as quaes me diziamtoda a nossa queixa con-
tra o professor provm de nao cumpnr elle cem
seus deveres, nao querer dar aula, ensinar, etc.,
para empregar-se em advogacia, caca, e outros
passa-temposConsegu a conciliacao que intentei,
utilisaodo-me das promessas, que sobre ella me fez
e cumprio o tenente-coronel Joo do Prado Ferrei-
ra. Reiirando-me para Villa-Bella, onde at 1860
sempre liz miohamaicr residencia, tive muitas oc-
casioes de vollar a este termo, e de ouvir novas
queixas no sentido das j declaradas contra o mes-
rao professor, a queui muitas vezes vi oceupado
era advogacia, e outros afazeres estranhos a seu
magisterio, em horas em que devia estar dando au-
la. Ignoro, porm, se estava despensado lie ensi-
nar, Sei que tem oceupado os seguintes cargos :
eurador-geral, contador, promotor interino, agente
do correio desta villa, aseiui como que tem cons-
tantemente advogado, e sido omitas vezes avalia-
dor e partidor. Quanto aos alumnos que tem en-
sinado, etc., sei por informarnos iMedignas, que
apenas saturara promptos de 1853 al esta dala
tres um seu confiado Vicente, o fllho do escri-
vo Jeronymo, e um sobrinho do cx-vigario Felip-
pe Beoicio Moura, os quaes, como me informaram
quando foram entregues ao professor, j iam bem
adianiados. Quanto ao 4o e ultimo quesito altesto
3ue no dia 3 deste mez, estando eu nos trabadlos
a junta revisora desta freguezla de que faz o mes-
mo professor parte, recebi nm oflicio com dala de
dia anterior 2 em que me communicra, que,
teodo terminado no ultimo dia do mez passado sua
' licenca (que nao me foi apresentada, nem tem mea
visto), tinha aberto aula no dia I. Informaram-
me, porm, que nao houve um s alumno, no que
1 acredito, porque ainda nao dei guia para matricu-
las, nem sei se existe o livro dellas, visto como,
tendo eu, por offlcio de 13 de Janeiro, exigido do
professor informaedes sobre haver ou nao esse li-
vro, at hoje ainda nao tive resposta.
Villa de Ingazeira, 7 de abril de 1864.Vicente
Jamen, director Albuquerque, delegado Iliterario.
Est reconhecido.
Para o Exm. Sr. presidente
da provincia e director-geral de
imtruccao verem.
Illm. Sr. delegado de polica do termo de Inga-
zeira. Vicente Ferreira Lima, para documentar
um dreito seu, precisa que V S. Ihe atteste ao p
desta qual tem sido, desde 1853 al esla data, o
procedimenlo do professor publico desta villa, Mar-
colino Antonio Xavier, no ensino : se tem oceupa-
do outros empregos, e confiado a oulras pessoas, e
quaos, o ensino da escola. E. R. M.
Atiesto sob a f de meu cargo, quanto primei-
ra parte, que desde 1853, isto desde que aqu
chegou o professor Marcolino Amonio Xavier at
1860, pessima mente se portou a ponto de licar sus-
penso dos ordenados, em razao de queixas dirigi-
das cmara municipal, a qual contra el'e repre-
sentou ao governo; e do 1860 para c nunca o vi
dar aula, e sim por elle oulras pessoas, como se-
jam um lal Isidoro Lopes da Silva, Ignacio Meirelles
Moura e um Chagas, que eram os raestres. Quan-
lo seguuda parte, atiesto que tem aqui sido cu-
rador-geral, contador, promotor interino, tem cons-
tantemente advogado, tem figurado de avaliador e
partidor, agente do correio, de que se acha suspen-
so o processado por falta de exaeco no cumpri-
mento de seus deveres.
Villa de Ingazeira, 6 de abril de 1864.O dele-
gado, Murentino de Vasconcellos Callara Brito.
Est reconhecido.
gioes inlertropicaes. Sao as nicas plalas que se
vendein em rasquinhos do crystal e a capa as-
sucarada que as cobre conserva suas virtudes e
as torna mui agradaveis ao paladar.
Acham-se em todas as boticas do mundo e em
Pernambuco as lojas de Bravo Si C, e de Caors
4 Barboza.
Ao publico.
Silvno Guilherme de Barros, sendo hoje o porta-
dor de quasi todas as letras aceitas por Francisco
Antonio de Oliveira pda importancia da compra
do engenho Guerra, sito no termo de Ipojuca, pro-
mvendo j execuco contra o mesmo Oliveira por
algumas dessas letras de quantia superior vinle
e sete contosde ris, e que a respeito de algumas
outras que se vencerlo, de importancia maior de
48:000iS, trata de promover a sua cobranca pelos
meios judiciaes, para o que j foi citado, previne
que ninguem faca negocio ou outra qualquer tran-
saccao com o referido engenho Guerra, escravos,
animaes, utenss para o fabrico de assucar, safra,
que tudo est hypothecado para garanta do paga-
mento das letras aceitas pelo dito Oliveira pela
compra do referido engenho na importancia de
245:5005, afim de que qualquer fique logo certo
que algum negocio ou transaccao que flzer, ser
millo. Recife, 25 de abril de 1864.
tteneo
Ao distinti e especial torpe elriloral desta
provincia.
Candidato senatoria o Dr. Joaquim Saldanha
Marinho, dirigi cada um dos dignos eletores es-
1 peciaes desta provincia, a circular abaixo trans-
cripta ; mas podendo acontecer que, muitas das
mesmas circulares, por circumslancias que se nao
pode prevenir, nao tenhara chegado, e que agora
mesmo nao cheguem ainda a seus destinos, por
isso faz-sc a presente derlaraco, pedindo-se ao
mesmo tempo desculpa de faltas que possam appa-
recer e nolar-se, e de que jamis deve ser respon-
savel o mesmo Dr. Saldanha Marinho, que s tem
motivo para confessar-se eternamente grato, ao
dUlracto e especial corpo eleitoral desta provincia,
que j urna vez o acolheu benigno.
Illm. Sr.Tendo solicitado do corpo eleitoral de
nossa briosa provincia a admissao de meu obscuro
nome na lisia trplice que foi offerecida ccroa na
ultima eloico, consegu islo, e do modo o mais no-
bre e lisongeiro mim, que por to grande consi-
deracao me confesso eternamente agradecido. Da
, tribuna parlamentar cu me dirig aos eleilores de
minha provincia, e Ihes tributei a homenagem devi-
da pelo titulo de suprema honra que me baviam
concedido.
Pela lamentavel morle do Sr. conselheiro Fran-
cisco Xavier Paes Brrelo d-se nova vaga no se-
nado, e nova eleicao vai proceder Peruambuco.
Apresento-me novamente ; reputando de minha
dignidade consultar ao mesmo corgo eleitoral se
nos poucos mezes decorridos da eleicao em que fui
considerado tenho em alguma cousa desmerecido
do cooceito em que se dignaram ter-me os eleilo-
res pernambucanos.
E porque tenho conscienca de mim, como lenho
intima couvccao da dignidade, independencia e
firmeza de carcter do V. S., nao duvido contar
com a sua valiosa ecadjuvaco em prl de minha
candidatura na eleicao que se vai agora proceder.
Ausente do camp onde a eleicao vai ser dispu-
tada eu niio cont senao com a bondade e honra
de V. S.,em cujas ijnadades confio plenamente.
Sempre firme nos principios liberaos, paratrium-
pho dos quaes neiihum esforco e sacrificio tenho
poupado, me repulo no caso de merecer a conti-
uoaaao de seu apoio.
Fica as suas ordens o de V. S. amigo, patricio,
criado obrigado
Joaquim SaUlaia Marinho.
Rio de Janeiro, 7 de abril de 1864.
Srs. redactores.Apreseniando-me candidato
um dos lugares da lisia trplice na eleicao ile se-
nador, a que se tem de proceder nessa provincia,
rogo-Ibes o obsequio de fazercm publicar as co-
lumnas do son jornal a circular que dirijo aos elei-
lores especiaes da raesma provincia.
Sou com particular estima, etc.
Antonio Coelho de S< e Albuqturqne.
Itio, 4 de maiode 1864.
Illm. Sr.A lamenlavel morle do benemrito
Pernambucano, o conselheiro Francisco Xavier
Paes Brrelo, deu lugar a urna vaga senatorial por
essa nossa provincia.
Animado pelas repelidas provas de estima e con-
fianza, com que tenho sido distinguido pelos meus
concidadaos, ouso pedir minha provincia a honra
de ser contemplado na lista trplice, que tem de
ser apresentada eteolna imperial.
A minha vida publica nao breve, e, com a mao
em minha conscienca creio poder dizer V. S. que
s o bem do meu paiz me ha guiado em todos os
meus actos.
Se, pois, V. S. entender que o meu nome nao
deslustrar a sua lista, digne-se de acolhe-lo com
benevolencia, amparando-o com o seu voto e com
o seu prestigio c relacoes.
Terei sempre vivo' em minha memoria, e ser
sempre objecto de meu sincero reconhecimento, o
obsequio que peco V. S.
Desojo V. S. muitas prosperidades, e rogo-lhe
que transmita as suas ordens quem se prza ser
de V. S. amigo e criado, atiento e obriadissimo
AhoiiO CoWAo de S e Albuquerque.
Tem esla bella e rica provincia de eleger no dia
10 de julno tres nomes, que serao apreseutados ao
nosso Augusto Monarcha para a nomcaco de um
senador, que preencha a vaga, que no senado de-
xra a mu sentida morle do nosso distncto patri-
cio, o Exm. conselheiro Francisco Xavier Paes
Barreto.
Alguns candidatos j se lm apresentado, e, li-
songeado-me com o reconhecer em todos elles
grande raerecimenlo pelos seus talentos, illuslra-
$So, servicos e dedicacao causa publica, anrao-
me a solicitar igualmente a subida honra de ser
eleito.
Nao encareco meus servicos, e digo apenas, que
elles sao poucos em relaco aos muitos, que lenho
desejado e desejo prestar.
Xas lucias polilicas o raciocinio tem sido minha
nica arma, os bons principios minha religio pol-
tica, a exaltacao o inimgo que aborrego, as recri-
minacocs pessoaes o objeclo de meus desgostos.
Amo a liberdade c a ordem, e deste duplo amor
tem resultado o nao poder simular-me, nem comer-
me sempre. que so abusa de qualquer destes dous
principios : este tributo pesado e diflicil eu o te-
nho pago ao meu paiz.
Tal vez nao me seja possivcl dirigir-me particu-
larmente cada um dos Srs. eletores ; nao pen-
sem por isso que, as occa/ioes de dar evidentes
provas de vivo reconhecimento, o mea coraeao se-
r menos expansivo do que o de outro qualquer.
Dign-se V. S. de acceitar os votos de sincera
estima e consideracao do quo de V. S. patricio,
venerador, servo e criado.
Recife, 10 de junho de 1864.
Francisco de Paula Baptista.
Plalas vegetaes azucaradas de
len.
Entre as innumeraveis ^classes de pilulas que
continuadamente se annnciam, as pilulas vege-
taes assucaradas de Kemp, s que se podem con-
siderar como o prolotypo dos aperitivos cazeros,
completamente eOlcazes o absolutamente inoffensi-
vas. Na sua composicao nao entra um s nico
tomo de nenhuma substancia mineral. Consti-
tue pois o nico remedio necessario para os des-
arranjos do estomago, irregulardade do ventre,
eonstipacao habitual, affccces biliosas, dyspepsia
e todas as enfermidades dos intestinos, predomi-
nantes nos climas calidos.
Tomadas lempo evitara i n fall ve I mente os mor-
tferos flagellos epidmicos e endmicos das re-
Xarope alchoolco de veame, preparado pelo
pharmaceutico Jos da Rocha Paranhos, estable-
cido com botica na ra Direita n. 88 em Pernam-
buco.
Este xarope incontestavelmente superior a to-
dos os xaropes depurativos, de cuja composicao
o seu maior elemento a salsa parrilha, pois que se
tem conhecido ser o veame mais enrgico para a
prompta cura das molestias, cuja base essencial
.5 pende da punliracao do sangue : assim pois se
tem verificado por muitas pessoas que se acbavam
desengaadas, as quaes acham-se hoje restableci-
das com o referido xarope alchoolco de veame ;
entretanto que alguns, tendo usado do xarope de
Curinier, de Larrey, de salsa parrilha, de sapona-
ria, oleo de ligado de bacalho, e eutros agentes
desta ordem nada conseguiram. elle de fcil
digestao, agradavel ao paladar e ao olfato. Alguns
mdicos desta cidade e da de Macei o teem re-
commendado para a cura das
Impigens, tinha, escrophula?,
Tumores, ulceras, escorbuto,
Cancros, sarna degenerada, tluxo alvo.
Todas estas affecc.oes provm de urna causa in-
terna -. nao ha pois razo alguma era crer que el-
las se podem curar cora remedios externos. Tam-
bem se prescreve o xarope alchoolco de veame
para o tratamento das affecgoes do systema nervo-
so e fibroso, taes como :
Gotta, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade,
Marasmo, hypocoudra, emmagrecimento.
O xarope alchoolco de veame sebretudo, da
maior utilidade para curar radicalmente, e em
pouco tempo o rheumatismo.
Adverte-se que o verdadeiro xarope s se vende
nesta cidade na botica cima indicada do abaixo
assignado ; e em outra qualquer parte que se tem
annunciado nao da mesma composicao, e nem o
abaixo assignado se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhos.
COMMERCIO.
CAIXA FILIAL
DO
IS t *C10 DO BRASIL
EM PERNAMBUCO.
A directora da caixa filial do banco do Brasil
nesta cidade, administradora da massa fallida de
Joaquim Fraucisco de Mello Santos, convida es ere-
dores da mesma massa para apresenlarem seus t-
tulos at o lim do corrente mez, afim de serem
convenientemente examinados e proceder-se-ha ao
primeiro dividendo da referida mas?:;.
Recife 4 de junho de 1864
Jos Mamede Alves Ferreira.
Secretario.
NOVOBANCO
DE
E.M21 DE JUNHO DE 1864.
O banco dcsconta na presente semana a oito por
cento ao anno at o praso de quatro raezes,c a nove
por cont at o de seis mezes, e faz emprestiraos
sobre ttulos comraerciaes, e toma saques sobre as
pracas do Rio de Janeiro e Baha.
Alfandega
Rendiraento do dia 1 a 20........ 423:2015065
Mem do da 21................. 25:73405J
448:935*124
llovlincato da alfandega
Volumes entrados com fazendas...
t cora gneros.
Volumes saludos
com
cora
fazendas...
gneros...
254
385
92
287
639
379
dem do da 21................. 2:155366
26:9315988
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 20......... 77:0275256
Idemdodia 21................. 5:9905616
83:0175875
/Vatio entrado no da 18.
Cardiff40 dias, galera ingleza Raphael, de 300
toneladas, capitao A. Johnson, equipagem 15,
carga carvo; a Wilson Hett & C
Navio saltido no mesmo dia.
Rio da Prata brigue nacional Aureliano, capitao
Jos Estoves Vianna ; carga assucar.
Observarlo.
0 movimento de navios, publicado no numero
de segunda-feira de 19 do corrale.
Navios entrados no da 21.
IIha. de Fernando de Noronha53 horas, vapor na-
cional Parahyba, de 120 toneladas, commandaa-
te 1.1. Martins, equipagem 20.
Baha cruzando, corveta americana Onward,
commandante Clark.
Rio Grande do Sul33 das, brigue hanoverano
Amelia, de 189 toneladas, capitao J. Wilt, equi-
pagem 10, carga 14,700 arrobas de carne ; a
Maia i Espirito Santo.
Baha5 dias, polaca hespanbola Hermelinda, de
202 toneladas, capitio Jos Torres, equipagem
11, em lastro; a Nicolao O. Bieber & (i
.Vuru saludo n mesmo da.
Penedohiate nacional Amelia, capitao Jos Bo-
drgues Pinheiro, carga differentes gneros.
Observacao.
Fundeou no laraaro um brigue sueco, mas nao
teve communicacao com a trra.
Para a fortaleza do Buraco.
i canoa abena com proporedes para conduzir
12 canecos d'agua e 3 pessoas.
Para o arsenal de guerra.
Livros em branco de 16 folhas de papel de bol-
landa pautado 2.
Ditos de 40 folhas 2.
Ditos do 80 folhas 2.
Ditos de 30 folhas 4.
Dito de 60 folhas 1.
Dito de 120 folhas 1.
Para o 4 batalho de artilberia.
Bandeira imperial 1.
Bala para a dita 1.
Capa para a dita 1.
Bandeira imperial 1.
Borlla para a mesma 1.
Capa para a dita i.
Quera quizer vender taes objectos aprsente a
sua proposta era caria fechada na secretaria do
conselho, s 10 horas da manha no dia 22 do cor-
rente.
Sala das sessdes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 15 de junho
de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente-
Sebastiao Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
O conselho econmico do 7o batalho de in-
famara convida as pessoas que quzerem fornecer
para o rancho de mesmo no 2o semestre de 1864,
comparecerem com suas propostas no dia 25 do
corrente, pelas 10 horas da manbaa, no quartel e
secretaria do mesmo batalho, as Cinco Pontas,
sendo taes propotas dos seguintes gneros : pao
, de 4 e 6 oncas, caf muido, assucar refinado mas-
cavinho, mautega franceza, carne verde, dita sec-
ca, bacalho, feijo, arroz, azete doce, vinagre, le-
| nlia, toucinho, farinha e sal, sendo taes gneros de
primeira qualidade.
Pernambuco 18 de junho de 1864.
Jos Joo de Carvalho.
Tenenle agente
EDIT1ES.
Til IM TltO
Para Lisboa
O brigue portugaez ba l, capitao Antonio
Francisco Vieira vai sahr por estes dias por ter a
mior parte do carregamento prompto : para car-
ga e passageiros, tratase com E. R. Rabello, ra
da Cadeia n. 55.
Haranhio. #
O palbabote Garibaldi tem j parte da carga en-
gajada, e para o restante trata-se com Tasso Ir-
maos.__________________________________
.Para o Peaedo.
O hiate Amelia, segu por estes das : a tratar
com o capitao na ra do Vigario b. 5. ______
Para a Baha
pretende seguir com rauiu brevdade a escuna na-
cional Carlota, tem parte de sea carregamento
1 prompto : para o resto que. Ihe falta, trata-se com
1 os seus consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C, no seu escriplorio ra da Cruz nu-
raero 1.________________________________
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muta brevidade o veleiro e
bem conhecido palhabote nacional Piedade, tem
parle do seu carregamento engajado : para o res-
to que Ihe falla e escravos a frete, para os quaes
tem excelentes commodos, tratase cCm os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo,
ra da (>uz n. I._________________________
Para o Rio Cirande do Mal
pretende seguir com umita brevidade o patacho
i nacional Carolina, tem parte do seu carregamento
prompto : para o resto que Ihe falta, trata-se com
! o capitao Beiarmino dos Santos Pinheiro a bordo,
ou na praca do commercio.
Rio de Janeiro.
O patacho Polycena, capitao Cypriano Antonio
de Quadros, sane no dia 23 do corrente. Pode ain-
da receber alguma carga e escravos a frute, para
o que tratase com Miguel Jos Alves, casa n. 19
da ra da Cruz.
De ordem do Illm. Sr. inspector da alfande-
ga, se faz publico, que, no dia 23 do corrente, se'
ho de arrematar a porta desla alfandega, 8 latas
contendo, bruto, duzentas libras de chocolate, ava-
hadas por 1605000, e um bote de dous remos por
665666 rs., os quaes objectos foram aprehendidos.
Manoel Marques de Abreu Porto, Manoel Anto-
nio Moreira e Joo Ferreira de Dos, pelo guarda
desta alfandega Joo Cancio de Barros Araujo. A
arrematacao e livre de direite. 4.a seccao da alfan-
dega, 21 de junho de 1864.
O 2." escripturario.
Caetano Gomes de S.
DECLAB1C0ES.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz pul
co, que os trinta das uteis para pagamento boca
do cofre do segundo semestre do anne financeiro
vigente de 1863 1864 dofcimpostos da decima dos
predios urbanos das freguezias desta cidade, e da
dos Afogados, de 20 por cento do consumo de
agurdente, e de 5 por cento sobre a renda dos bens
de raz pertencentes a corporacoes de mao mora,
se principiam a contar do 1 de junho vindouro.
Mesa do consolado provincial de Pernambuco, 25
de maio de 1864.
Antonio Carneiro Machado Bios.
Administrador.
Companhia de oavallarla de
liona.
Precisa contratarse o fornecimento dos gneros
abaixo mencionados para o 2 semestre do corren-
te anno.
Rancho.
Arroz pilado, assucar refinado, azete doce, ba-
calho, carne verde, dita secca, caf raoido, farinha,
feijo, mautega franceza, pao de 6 oncas, touci-
nho, temperos e verduras, vinagre, e achas de
lenba.
Forragem.
Capini de planta (por arrobas), milho, farello e
rael. Todos os gneros devem ser de boa quali-
dade. As propostas devem ser entregues no da 2
do correte, na secretaria da companhia at ao
meio dia.
Quartel no Campo das Princezas 18 de junho de
1864.O capitao commandante,
Manoel Porfirio de. Castro Araujo.
Batalho de infanaria n. 9.
Conselho econmico,
O artista dramtico Fuado Coelho, cedendo ao
pedido de alguns dos seus amigos e de varias pes-
soas, demorou a sua viagem para o sul, afim de
dar tres espectculos no theatro de .-pollo, dos
quaes o primeiro ter lugar na
Quarla-feira 22 de junho de 1864,
Com o magnfico drama de Cesar de Lacerda,
CYNISMO, SCEPTICISMO
E CRENQA
no qual toma igualmente parte o artista Goncalves
IEILES.
LEILAO
Jno quai toma igualmente pane o artista oonc:
(do Rio de Janeiro) que se acha de passagem
ta cidade.
nes-
O artista Furtado Coelho desempenha o papel de
CaWos.
O artista Goncalves o papel do Dr. Alberto.
Era seguida o Sr. Goncalves recitar
O ENGEITADO.
(Poesa dramtica.)
Terminar o espectculo com a chistosa come-
dia em 1 acto
Convido o coronel!!
Na qual tomam parte os artistas Furtado Coe-
lho e Goncalves.
Os bilhetes acham-se venda no escriptorio do
theatro.
Principiar s 8 horas.
GRANDE BAILE
DE
DE
Manteiga franceza,
HOJE
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem pertencer barris com manteiga franceza de-
sembarcada ltimamente e ser vendida em lotes
vontade dos compradores : quarta-leira 22 do
corrente pelas 10 horas da manha no armazem do
Annes.
c sem inascara>; vespera t dia
de S Joo.
\os salos do Caes d'Apollo.
conseino econmico, t-i -i u ft H
O mesmo conselho contrata o fornecimento das BntraOftS \)i\YH ClVallieirOS
pracas arranchadas no segundo semestre do cr-
reme anno os seguintes gneros : arroz, Menear,
azete doce, bacalho, caf, carne verde, dita sec-
ca, farinha, feijo, leuha, manteiga, toucinho, vi-
nagre e pao de 4 e 6 oncas, os quaes sero de boa
qualidade, eos senhores proponentes devero com-
parecer na secretaria do batalho no dia 22 do
corrente mez pelas 10 horas da manha, com suas meiilO O lilll. Ol\ IJl'. ^CllG-
propostas em carta fechada.
Damas vestidas de homem 2$
Ditas a carater gratis.
Ser cumprido o regula-
do
Oescarregam no dia 22 de junho.
Brigue inglezJosepli Copemercadorias.
Patacho inglezTiaramercadorias.
Galera inglezaRaphaelcarvo.
Urigue sueco Mainelfarinha de trigo.
Importacao.
Patacho Inglez Tiara, entrado de Liverpool con-
signado a Mills Lathan & C, manifostou o se-
grate :
480 caxas sabo, 1 dita cassa de algodao; a J.
Pater & C.
22 caxas e 18 fardos tecido de algodJo, 12 ditos
dito de linho; a Simpson & C.
1 caixa lecido de algodao e la; a Joo Keller
&C.
1 caixa tecido de algodao, 2 ditas linha de dito;
a Linden WMd.
3 caxas fio, 10 ditas conservas, 1 dita miistarda,
1 dita burra de ferro, 10 ditas tecido de algodao,
i dita dito de la, 6 caxas genebra ; a Isidoro Hal-
liday A, C.
l 4 C.
2 barricas ferragens, 6 ditas louca 1 dita pregos,
4 barris ps de ferro, 6 caixas tecido de linho, 160
pesos de ferro, 40 toneladas de lastro de pedra, 6
caixas e 5 fardos tecido de algodao; a Saunders
Brothers & D.
4 caixas e 4 fardos tecido de algodao; a J. A. de
Araujo & C.
9 fardos e 44 caixas tecido de algodao, 1 dita li-
nha de dito, 25 barricas cerveja; a Ferreira &
Araujo.
8 barricas cerveja, 123 saceos arroz, 50 ditos pi-
menta, 10 fardos e 10 caixas tecido de algodao, 2
caixas cassas, 25 ditas phosphoros, 25 barricas bar-
rilha, 20 ditos dita refiuada, 150 barricas cerveja,
20 saceos cravos: a ordem.
11 caixas conservas, 5 barricas presuntos; a
Duarle & C.
4 barricas tubos de chumbo, 8 fardos tecido de
algodao, 5u'barrisinbos chumbo de munico; a P-
rente Viauua & C.
12 caxas phosphoros; a Ferreira & Martins.
2 caixas biscoitos; a Palmeira & Bellre.
1 caix colheres de lato, 1 dita cadarco de al-
godao, 2 barricas culeleria; a Henrique & Aze-
vedo.
12 caixas e 5 fardos tecido de algodao; a A. C.
d'Abrcu.
2 caixas lecido de algodao e linho, 1 caixioha
carne em conserva, 3 fardos tecido de linho, 98 di-
tos e 124 caixas tecido de algodao; a Mills Lathan
&C.
Galera ingleza Raphael, entrada de CardifT, con-
signada a Wilson Hette & C, manifestou o se-
guinle :
521 toneladas carvo de pedra; aos mesmos.
Brigue hanooveriano Amelia, entrado do Rio
Grande do Sul, consignado a Maia & Espirito San-
to, manifestou o seguinle :
14720 arrobas de charque, 87 couros vaceuns
de refugo e 1100 achas de lenha ; a ordem.
Exportaclo.
Patacho hespanhol Job, carregou para Barce-
lona.
391 saccas com 1956 arrobas e 10 libras de al-
godao.
Recebedorla de rendas Internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 20........ 24:7765622
Quartel na Soledade em Pernambuco
nho de 1864.O alferes secretario,
Francisco de Paula Barros.
Manta Casa da Misericordia
Heclfe.
A Illm." junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico, que I
no dia 23 do corrente mez pelas 4 horas da tarde
na sala de suas sessoes contina a arrematacao
das rendas das casas do patrimonio de orphaos
cujos arrendainenlos expirara no lira do presente
mez, e adverte aos respectivos inqulinos que sero I
despejados se nao renovarem os seus arrenda-;
mentos dentro do prazo de seus contratos ou nao
prestaren) fianca idnea.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 20 de junho de 1864.
O escrlvo,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
guintes :
Para a fortaleza do Cabedel lo da provincia da Pa-
rahiba do norte.
I bandeira azul para signaes.
1 dita branca para dito.
1 dita encarnada para dito.
1 galhardcte azul.
2 barris de dous fundos.
1 drica de bandeira.
Quem quizer vender taes objectos aprsente a
sua proposla em carta fechada na secretaria do
conselho s 10 horas da manha do dia 27 do cor-
rente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 17 de junho,
de 1864.'
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel, presidente.
Sebastiao Jos Bazilio Pyrrho.
Vogal secretario.
Correio geral.
x Pela administraco do correio se faz publico que
hoje (22; as 3 horas da tarde em ponto fechar-se-
ho as malas que deve conduzir o vapor costeiro
Mamanguape cora destino aos portos do norte at
o Acarac.
ii eju- fe de polica.
NB
0 agente Almeida far leilao requerimento
dos administradores da massa fallida de Joaquim
Vieira Coelho & C, e por mandado do Illm. Sr.
Dr. juiz especial do commercio, de dous relogios
de ouro patente suisso, 8 ditos de cobre dourado,
7 correntes de cobre douradas, 12 chaves de dito,
nm par de botoes para punhos, um par de malas
de viagem, um encerado, um par de bolas para
montara, diversas pe$as de roupa, urna capa de
couro para chapeo, urna rede de algodao, tudo pre-
tencente a mesma massa. O leilao ter lugar no
armazem da ra da Cadeia do Recife n. 48, s 11
horas.
AVISOS MARTIMOS.
Corapunhia Pernambucana
DE
IVavegaco costeira a vapor.
Parabiba, Natal, llaco, Araealv, Cear e Araracit'.
No dia 22" do corrente s 5
rsnil^^, horas da tarde, segu o vapor
''-'.I^ikjF^^. M"m""nul'P''' commandante Mou-
'-/5msSs'B ra- Receber carga al O dia W.
':-Es8a5nP Eucommendas, passageiros c di-
nhefro a frete at as 2 horas da tarde do dia da
gaida : escriptorio no Forte do Mallos n. 1.
COMPANHIA BRASLLEIRA |
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do sul
at o da 30 do corrente o vapor
Apa, o qual depois da demora do
coslume seguir para os portos
do norte.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qal dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2 ;
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A C.________
COMPANHIA PERNAMBUCANA ~
DE
Navcgacao costeira a vapor.
Macoi e escalas.
O vapor Parahyba, comman-
dante Martins, segu no dia 2o
as o horas da tarde. Recebe car-
ga ale o dia 23 ao meio dia. En-
commendas, passageiros e dinhei-
o da da sahida as 2 horas : es-
criptorio no Forte no Mallos n. I.___________
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos jiortos do norte esperado
at o dia i* de julho, o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante
Alcanforado, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os
portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever'
n,,n mf,n.vn?iTren,e 5" finda 5 Sf9! i ^r embarcada no dia de sua chegada, encommen-
? LTZ Tld.asegUDda -vara' escn'? Baplis-' a e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 no-
ta, sera arrematada urna meia-agua n. 33, sita na ras SSk, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
Quarta-feira 22 de junho s 11 horas
ra da Cadeia n. 53
DE
Urna casa terrea n. 1 sita ra de
Aguas Verdes, chao foreire a S. Pe-
dro, rende 300*.
Eduasiueias aguas de 21 e 23 na ra
das raleadas, cha foreiro, patrimo-
nio de o plios, rende NLs por anuo
enda una.
Pelo agente Euzeblo se vender em leilao pelo
maior prego que se acbar a casa terrea n. 1 sita
ra de Aguas Verdes, 2 salas, 3quarIos, cosinha
fora, cacimba e porto para a ra da Viracho, e
mais duas meas aguas na ra das Calcadas de ns.
21 e 23, se acham todas em bom estado; os pre-
tendentes sao convidados ao previo exame afim de
aprovetar a pechincha.
DE
700 chapeos do Chyli.
HOJE
O agenle Pestaa vender por conta de quem
pertencer 700 chapeos do Chyli em lotes a vonta-
de dos compradores: hoje s 11 horas da manha
no arma (Mi do Annes defronte da alfandega.
Por ter adoecido o agente Miranda, deixou
de eflectuar os leiloes aniiunciados, mas logo que
se reslabelecer os annunclar de novo para poder
realisar-se.
LEIIiAO
DE
lUANTEIftA
Os conservadores, progiessistas, bali-
zas, commerciaps e principaes.
O agente Pcstaua far leilao por conta de quem
pertencer de 80 barris de manteiga ingleza ultima-
mente chegada, em lotes de 5 barris : quarta-fei-
ra 22 do corrente no armazem do "Annes defronle
da alfandega.
LEIIAO
Foram aprehendidos pela subdelegada, dos
Afogados e acham-se depositados como fuados
seis cavallos : quem se julgar com direito aos mes-;
mos compareca que provando Ihe sero entregues-.
O subdelegado,
Jos Roberto de Moraes e Silva.
Arrematacao.
DE
Un engenho com bom cercado c matas, com
casas ile moenda para caldeiras e de pur-
gar todas de pedra e cal.
HOJE.
O agente Pinto autorisado pela conimsso en-
rarregada de liquidar os bens de Joaquim Elvirio
de Moraes Carvalho levar a leilao s 11 horas
do dia cima dito o engenho S. Joaquim em Muri-
beca, o qual limita ao norte e ao oeste com trras
do engenho Suassuna, ao sul com trras do enge-
nho Muribequlnhae Ierras chamadas Mungongos,
e ao leste com trras de S Andr. O leilao ser
effectuado no escriptorio do referido agente ra
da Cruz n. 38, pxlendo os pretendentes desde i
examinaren! o mesmo engenho.
LEILAO
DE
43 caitas com elia da ludia.
HOJE.
. De conta de quera pertencer o agente Pestaa
vender lo caixas com excellente cha da India em
lotes vontade dos compradores: quarla-feira 22
do corrente pelas 10 horas da manha no arma-
zem do Annes.
ra de Hortas freguezia de S. Antonio, pertencen-
te a Aodr de Abreu Porto e sua mulher, a qual
meia-agua vai praca em virtude da execuco
que contra o mesmo move a Santa Casa da Mise-
ricordia desta cidade.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos
seguintes:
Para a fortaleza do Brom.
Livro para carga do material extistente segundo
o modelo n.4, 1.
Dito para ndice dos documentos archivado, se-
gundo o modelo n. 3,1.
Dito para registro da correspondencia offlcal,
modelo n. 2, 1.
Dito para registro dos despachos das embarca-
coes, formato grande comendo 150 folhas 1.
Dito para entradas e sabidas dos presos, formato
grande cen 150 folhas 1.
Plvora grossa 40 arrobas.
LEILAO
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C
Rio de Janeiro.
O brigue frotador segu cora brevidade, recebe
carga e escravos a frete : trata-se com os consig-
natarios Marques, Barros 4 C, largo do Corpo San-
ton. 6._________________________
Para Lisboa e Porto
Saldr com brevidade a barca nacional Moran-
na ; recebe carga a frete, e tem excedentes com-
modos para passageiros: trata-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oliveira 4 Filho, no largo
do Corpo Santo n. 19._______________________
Para Lisboa
sahlr com brevidade o brigue portuguez Constan-
te, recebe anda algosa carga a frete e passagei-!
ros, paraos quaes tem excellentes commodos : tra-
ta-se com Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, lar-!
go do Corpo Santo, escriptorio n. 19.
DE
Chocolate.
HOJE.
Quarta-feira ao mtio da.
O agente Miranda vender em leilao sem a me-
nor reserva de proco, urna grande quanlidade de
superior chocolate: quarta-feira ao meio dia em
seu armazem da ra da Cruz a. 57.
LEILAO
DE
Um apparelho de prata para
cha.
HOJE
O agente Almeida far leilao por conta e risco
de quem pertencer de um apparelho de prata de
lei (gosto moderno) para cha.
No armazem da ra da Cadeia do Recife n. 48,
s 11 horas do dia cima.


Diarlo de Pernambtto luirla felra tt de Juaho de 1S4.
LEILAO
DE
Movis,quiiquilheria e tulras mnitos
artigas a> gtslt e laxo.
uiilaia-felra *a II horas.
O agente Miranda far leilao de movis, quin-
GASA 1)4 FOHf UNA.
AOS 10:000.000
Bllhetea garantidos
A' ra do Crespo n. 23 e casas do costse
O abaixo assignado tendo vendido nosseus mui-
ouihera e o litros 'muitos artigos de gosto e luxo, tofeliies bilhetes garantidos o iuteiro de n. 2876
sen a menor reserva de proco: em seu armazem com a sorte ialjWQi e outros mullos ^ de 2005,
da ra da Cruz a. 57.
LHUO
DE
la dos mtlitare* silias Quinta-feira a meio dta na porta da
Associaco Commercial.
Como nao houvessem concorrido os pretenden-
les ao sitio de Ponte de Uchoa, talvez em razo do
mo tempo, o agente Miranda tomou a deliberaeao
de transferir o leilao para o lia quinta-fera_22 do
corrente, adverlindo porin, que desta vez nao ha-
ver mativo que adi a venda deste sitio, visto o
leilao ser effecluado ao tiro de marlello.________
LEIIaAO
MOVIS
Dniata-felra tS do corrate.
No ARMAZRM A Rl'A DA CaDKIA 5. 48.
O agente Olimpio far leilao de diversas obras
de marcineiria novas e asadas e de outros muitos
objeetos.
Dar principio o leilao s 11 horas.
i:
&9 a
a
LEILIO
DE
60 saceos com arroz
Qulnta-felra 93 de jiinho.
O agente Pinto far leilao por conla e risco de
quem pertencer de 60 saceos com arroz da India
em perfeito estado, ltimamente chegado, s 11
horas em ponto do dia cima dito no armazem de
Sr. Aunes em frente alfandega. ______
LEILAO
DK
Una caleohe com lanternas e arreios, um
carro de 4 rodas com coberta e arreios, e
um cabriolet de 3 rodas com coberta.
Seita-feira Io de j ni he,
O agente Pinto autorizado por urna pessoa que
retirou-se para Europa far leilao dos carros e
cabriolet cima mencionados proprios para pas-
seios, asi i horas do dia supradito na ra do Tra-
piche em frente ao armazem n. 40.
AVISOS DIVERSOS.
Instituto Arclieologico e Geo-
grapliico Pcmambucano.
llavera sessio ordinaria quinta-lVira 23 do
corrente, s 11 horas da manlia.
Instituto, 20 de juuho de
_ s g cwS
o a, o. 5. "i

en
1005, 105 e 20, da lotera que se acaboa de ex-
trahir a beneficio de N. S. da Boa-Viagem, convida
aos possuidores de ditos bilhetes a virem rece-
ber seus respectivos premios sem os descontos das
leis em seu estabelecimento ra do Crespo
n. 23.
O mesmo tem exposto venda os novos e felizes
bilhetes garantidos a beneficio da igreja de Nossa
Seohora do Rosario que se extrahir qulota-
feira 23 do corrente pelo novo e eicellente plano
approvado.
Preeos.
Bilhetes inteiros..... 12*000
Meios......... 65000
Quartos........ 35000
Para as pessoas quj compraren!
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 11*000
Meios......... **500
Quartos......, 730
Manat Martins Ftuza
ATTEMI?40.
Mua attenedo.
O abaixo assignado avisa a todos os seus deye-
dores em geral, de maiores e menores quantias,
assim como de letras ha muito vencidas, que ve-
nham no praso de 15 dias pa^arem ra Direita
n. 91 os seus dbitos, e se assim nao o fizerem se-
rao seus nomes publicados por este Diario, e de-
pois execuiados sem dstinecoes de pessoas fago
o presente annuncio para que depois nao se quei-
xem do -Jos Martins da Silva Borhes.__________
Precisase alugar um moleque para o servi-
co de casa de pouca familia: na ra estrena do
Rosario n. 24. _______________________
Zacaras Pereira da Cruz faz ver ao publico,
e especialmente ao corpo do commercio, que ven-
deu sua taberna sita na ra do Pharol ao Sr. Anto-
nio de tal : se alguem se julgar com direito sobre pCj0"no Recite n. 24 ou em lind casa do Rvm.
= 3 = 3- 3 %
w a 5"a.f- o
1 ~
5.
e/a a
co c
00
S&i,
o c c _,
: c/> o: -
a; ce e
* B srSs >"
3
g-S.|cT
a a.= Sw-
o ^^
s5 '
o^

3
a i, va = a
3
9 B
1
B w as
I;
a 5 o a
B a i i
a o cp ce o
(/i tfi 'V- -/
i)
Novos arranjos.
Novos arranjos.
Novos arranjos.
Novos arranjos.
Novos arranjos.
Noticias!
Noticias!
Noticias!
Noticias!
Noticias!

Um filho em pr cura de sua
mdi
Roga-se a Sra. Paulina Qlha do Sr. Faustino de
Moraes e irmaa de Gertrudes mulher de um filho
doconego Gurjo, que ella por s ou algum paren-
te seu, caso ella nao exista se dirija ra do Hos-
ella, appareca no praso
de junho de 1864.
de tres das.
Secretaria do
18tH-
J. Soares dAzevedo,
Secretario perpetuo.
0 cirurgifio Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aou-
de o ackarao como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fssao, chamado por escripta.
Para bollos de M. .loa c H.
Pedro.
Manteiga inpleza 800, 720 e 640 rs. a libra,
dita franceza 640rs. a libra, faltaba de trigo a 120
rs. a libra, e tudo mais do melhor que ha no mer-
cado por preeos cmodos, no antigo e acreditado
estabelecimento junto a esta typographia n. 42.
Do engenho Giqui furtaram em dias deste
mez um burro ruco pombo, nao grande e tem al-
gumas contusies as costas, cujo ferro urna letra
dj nao nove : quem o entregar na ra No-
va n. 32, ou na ra do Crespo n. 19, sera beui re-
compensada_________________________________
Precisa-se de urna criada livre ou escravn
que saibacezinhar c comprar : na ra de Santo
Amaro (Mundo iNovo), sobrado onde morou o Sr,
Dr. Sabino.________________
A ttenco.
A abaixo assignada, moradora na ra do Viga-
rio no sobrado n. 33 em o primeiro andar, previ-
ne a polica e aos Srs. ourives que tendo sido ro-
bada de urna gaveta de sua commoda os objeetos
abaixo mencionados na noite de 19 para 20 do cor-
rente, quando se ochava ausente, pede a qualquer
pessoa que dellcs tiver noticia de Ihe participar pa-
ra dar as providencias nseessarias, bem assim aos
Srs. ourives para que nao comprem semelhantes
objeetos pela maneira que foi adquirido por quem
os roubou e gratificar a quem der noticia dellcs.
i bahuzinho de tartaruga contendo dentro as
seguintes obras de ouro ;
1 tranceln lino com passador.
1 cassolla.
1 pulceira.
1 dita de coral com frixos de ouro.
2 alfioetcs de peito esmaltados sendo 1 grande c
1 pequeo.
2 ditos de peito sem esmalte.
1 dito de dito com coral.
1 par de rozetas com pedras encarnadas.
1 dito dito esmaltado de verde e rxo.
1 dito de ditos verde.
1 dito de brincos balo.
1 dito de rozetas com coral.
1 dito de ditas sem esmalte.
1 annel de tres pedias rxas.
1 pito com um passarinho.
1 dito com diamante.
1 dito de rozetas de ouro sem esmalte.
Mara Thcreza Keciie ai i onego j0|0 Baptsta de Albuquerque a dar noli-
________, I cias suas a seu filho Joaquim, que desde menor foi
' conduzido para Pedras de Kogo por seu pai o Na galena americana.
Rvm. Joao de Franja (amera e desde entao ne- Na galera americana.
nhuma noticia leve mais de sua mai a quem an- Na galera americana.
cioso procura. A Sra. Paulina mi de Joaquim Na geleria americana.
morava no Monte e sua irmaa Gertrudes (por an- Na galera americana.
tonomazia bom gosto) morou na ra do Amparo.
Arrendase, vemle-se, ou mesmo trocase por .
casas na praca um sitio na Varzea raargem do
ameno Capibaribe, com duas grandes casas, com i
7 quartos, 4 salas, 2 cozinhas e um solao, tendo a das'meis"
parte cocheira, estribara, e quartos para criados,, gg" l'ris J 5g! J^
todo plantado de arvores de Tructo, abacates, sapo- '
tis, fructa-|ao, limao doce, limas de umbigo e da
arala, larangeiras de umbigo, seletas, tangerinas,
etc., om grande cafesal com frnctas, jaqueiras,'.
mangueiras, coqueiros, dendezeiros, com mais no ;
fundo urna casa de taipa, e Ijem assim mais 4 ca- I
sas de tijolo acabadas de pouco tempo, com frente
para o nascentc, muilo frescas, tendo cada urna 2
salas, 2 quartos e coznha fra : os pretendenles
dirijam-sc ra do Queimado n. 27, loja de fazen-
das dos Srs. Custodio Si Carvalho.
a,OTKIA
! DENTISTA DE PARS i
19Ra Nava-49
Frederico Gautier, crurgio dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artiliciaes, tudo com superio-
ridade e perfeico, que as pessoas enten-
didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos dentficio.
GRANDE FABRICA
CHAPEOS DE SOL
De J. Falque.
4-RIJA 1IO CRESPO-4
Esta fabrica, a mais antiga e acreditada desta capital, acha-se de novo montada com um
variado sortimendo de chapeos de sol inglezes e franrezes, assim como de tudo qnanto diz respeto
sua profissao, como seja superiores sedas, alpacas e panno de todas as cores e qualidades, ar-
mac5es e mais preparas para apromptar chapeos de sol vontade dos freguezes que se dignaren de
honrar este estabelecimento.
Cobre-se e roncerta-se toda e qualquer qualidad > d'estes artigos com a maior perfeicSo e pres-
teza, e tudo por (M-e^os muito rasnaveis.
Bonito sortimento de bengalas preeos cemmodos.
4 Rna do Creapo -- d
consultorio iu;iiii;ih;iii iico
k!he:>r- pedro de attahyde lobo moscoso,
Retratos de : por 15500. MKDICO, PARTEIRO I." OPERADOR.
SSSSUKriSoo:. 3 Ra da Gloria, casa do Fuudao 3
Retratos de 35 por 1&500. q Dr. Lobo Moscoso d consultis gratuitas aos pobre todos os dtas das 7 s 1
RetSos de 3$ p^r S horas da manbSa, e das 6 e meia s 8 horas la noite, excepce dos < dias santificados
Pharmacia especial homeopalrica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos precas seguimos
Carteiras de 42 tubos grandes. 12^000
de 24 tubos grandes. 18^000
de 36 tubos grandes. iidOOO
i de 48 tubos grandes. 305000
de 60 tubos grandes. 3-N&000
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizar, c com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de ifntura de meia onca 1,5' 00.
Sende para cima de 12, custarao os procos estabelecidos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
I i vitos.
A melhor obra da homoopathia, o Manual de Medicina Homeopalhicodo Dr. Jabr,
dons grandes volumes cm diccionario............ 205000
Medicina domestica do Dr. liering,.....:..... 406000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. 600O
Diccionario de termos de medicina ...,...,.- 35000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam porlan-
to de screm novamente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios ver-
! dadeiros, enrgicos e doradores : lia tudo do melhor que se piule desojar, globos de ver-
i dadeiro assucar de leite, nota veis pola sua boa conservacao, tintara dos mais acreditados
estabelocimenios europeos, a mais exacta e aecurada preparacao, e porlanto a maior ener-
ga e certeza em seus elToitos.
Casa de saude para escraros.
Recebe-se escravos para tratar le qualquer enformidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para oque o annunciante julga-se sullicientemente habilitado.
Otratamento o melhor possivel, tanto i:a parto alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cujo conreito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Retratos de 8p por 15500.
200 retratos tirados por dia.
200 retratos tirados por dia.
200 retratos tirados por dia.
200 retratos tirados por dia.
200 retratos tirados por dia.
Retratos de 55 por 45.
Retratos de 55 por 45-
Relratos de 55 por 45.
Retratos de 55 por 45-
Retratos de 55 por 45-
Retratos de 55 por 45-
Retratos de 55 por 45.
Retratos de 55 por 45-
Retratos de 55 por 45.
Retratos de 55 por 45-
Ra do Imperador n. 38.
Ra do Imperador n. 38.
Ra do Imperador n. 38.
Ra do Imperador n. 38.
Ra do Imperador n. 38.
Joao da Silva Ramos, medico pela l'ni
versidade de Combra, d consultas em
sua casa das % as 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da tarde. Visita os doentes
eai suas casas regularmente as horas
para isse designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero soccorridos em qual-
quer occasio. D consultas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem sua casa de sade regularmente
montada para receber qualquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem commodes apropiados e nella pra-
tica ualqiu.T opera^ao cirurgica.
Para a casa de saude.
Primeira classe 35000 diarios.
Segunda dita.... 25500
Terceira dita.... 25000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons serviros que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianca de que sem-
pre tem gozado.
Paga-so 25000 pordia durante 60-dias od'ahi em (liante 155QO.
As operacoes scr5o previamente ajustadas, se nao so quizerem sujeitar aos
opc
razoavois que entorna pedir o aiinnneiante
proco*
Havendo o abano assignado sido notificado
_ requerimento do Sr. Manoel Rarbosa da Silva
para que considerasse d'aquella data por diante co-
mo tendo-lhe sido entregue o engenho Frescondim
propriedade do mesmo abaixo assignado, e do
qual era arrendatario o mesmo Sr. Manoel Rar-
bosa da Silva, avisa ao mesmo Sr. Manoel Barbo-
sa da Silva que nao proprio o meio pelo qual
qoer considerar entregue ao abaixo assignado o
engenho de que se trata, e que se S. S. qner fazer
entrega do engenho de que se trata de modo a Pi-
car desonerado das obrigaces que lhe sao impos-
tas pelas respectivasescripturas pelo facto da nao
entrega do engenho e seus pertences e tudo quan-
to recebeu marque dia e hora para fazer entrega
do mesmo engenho ao abaixo assignado. e fique
Aluga-se um sitio na estrada da Ponte de
Uchoa e a margm do rio, pouco adiante Ao Illm.
Sr. commendador N'ery Ferreira, tendo baflheiro,
palanque, galinheiro e outras acommodacSes; e
outro dito no Monteiro, em frente ao otao da ^re-
ja : a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Soa-
sa, ra do Crespo n. 15, ou eslreita do Rosario nu-
mero 32.____________________________________
Na praea da Independencia, loja de ourives e^J^^^'y^^dToraBlsi^oloB estatlOB
n. 33, compram-se obras de ouro prala e pedias t0(lavj, conv0nicnte scientili.-ar desde logo a
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en- j^ os ^ comnatrio!as 0 uguiate :
os cidados portu-
a mensalidade de
Monte Pi Portuguez:
A directora provisoria, tendo j confiado a urna
commenda, e todo e qualquer concert, e igual-
mente se dir quem d dinheiro a premio.
Ao publico \
Pelo juizo do commercio devem ir praca as
arfabas eteravaa Sabina, Josepha e Bazlia, por
execuca) de Manoel de Souza Pereira contra meo
marido, nao obstante a eaeriptora de dote e arrhas
junta aos autos por occasio dos embargos de ter-
ceiro que oppnz, e que foram julgados imnrovados.
1. S serao socios elTectivos os cidados
guezes.
2. A joia ser de 105 e
500 rs.
3. Os socios terao direito aos beneficios da so-
ciedade quando (achandosc desprovidos de re-
cursos) estiverem desempregado.", doentes ou
presos.
4." Aquelles que, por motivos graves ou moles-
tia perigosa, tiverem necessidade de se ausentar,
\0S iO:OOOSOOO.
ATa vespera do milagroso S. Joao Bap-
tisla a extraeco.
Tem mais duas sortes de
2:000*000.
Corre amanha.
t) abaixo assignado avisa ao respeitavel
publico que na quinta fera 23 do corrente
aiez, andaro as rodas da 3.a parte da i.a
lotera a beneficio da igreja de Nossa Scnho-
ra do Rosario da freguezia do Santo Antonio
pelo exceente plano approvado, e abaixo
publicado para as extraeces das partes de
tolerias, quando conveniencias especiaes
venda dos buhlos o aconselharem, estando
desdo j oxpostos os inteiros, meios e quar-
tOS, da mencionada lotera na respectiva the-
souraria ra do Crespn. 15.
Os pagamentos das sortes de 10:000000
at 20-5000 sero feitos, como do costume,
urna hora depois da extraocio al i da tar-
de, e os outros depois da destribuico das
iistas.
O iHcsotireiro,
Antonio Josi' Rodrigues de Souza
9 PLANO
PARA AS PARTES
loteras
APPROVADO PELO EXM. SR. PRESIDENTE
3,500 bilhetes a 10500oT7.... 35:00W00
Beneficio, sello e coramissao 20 / 7.0005000
certo de que entao o abaixo ass.gndo tomar con-1 damente ^hr^eiu'ouhlica
ta do engenho e lhe passar a respectiva quitagao obstante venho f
de tudo quanto o Sr. Manoel Barbosa recebeu na
forma da escriptura e inventario assignado por S.
S., do contrario nao.
Feliciano Joaquim dos Santos.
Fiz protestar nos termos da lei para se nao dar ao ; despezas de transporte com com-
arrematante carta de arrematado, ***m< \ modidadfe decencia, ou para outras provincias do
^ e : .:_.i L jL imnerio. ou nara naiz estrangeiro.
para nao levantar o prec
confirmaro a meu protesto. Recite 19
de ISO'i.Anna elfma Paes Barreta.
e intimado : e nao
ac.
de junho
Club Pernambiicano.
A reunio familiar do corrente mez,
tora
Pede-se ao metamorphoseado I, que reap-, ar n;| n0t(, j0 jja 22.
pareceu no Diario de honiem cora sua cantilena,
declare quaes as provas de malversagoes do allu
dido-devolissmo irmaoquando gerente nos ne-.
gocios dairmandade.
Toeonscio estamos dos precedentes dodevo-1
lissimo irmaoque nao ser capaz o-I-de aprc- ,
sentar um s facto contra elle que o deslustre pa-
ra com a irraandade mesm para com quem te-
nha tido transacc5es commerciaes.
Tal vez que outro tanto nao possa fazer o -1,
a favor de alguem que segundo se diz, teve a ha-
bihdade de subtrahr o milo de um testamento,
em preiuizo de nossa padroera, e de outros, em
beneficio de algnns em cujo numero entrou o in-
nocente enforquilhado. E' urna bella histona
quando contada pelos meninos do trem o Ies-
t mal informado das pessoas e dos negocios da ir-
mandade, por isso que advoga urna causa ma.
Ser mais proveitoso que se divirta com aquel-
les que inorara no patrimonio e que devem tnezes
de aluguel, com outros que nao offerecem garan-1
tas ao aluguel, c que no entanto vao passando, e
at com aquelles que lera sido ajumados, e que
mostrara pouco lelo pelo augmento e prosperidade
da irmandade. .. !
O muito digno Sr. Dr. provedor de capellas ja \
teve occasio de bem apreeiar de que lado esta a
razo, e tivemos a satisfaco de ver elle approvar
as delberacoes da mesa do corrente anno, e mais
anda dizerque a mesa se tornava digna de lou-
vores. .
A mi Santissima da Boa-Viagem, dar o pre-
mio que cada um merecer, assim espera
Um irmao.
Saques sobre Portugal.
Untonio Lu/, de Oiiveira Azevedoj
&C.
Agentes do Banco Uniao do Porto.
Competentemente autorisados sacam
por todos os paquetes sobre o mesmo Ban-
co para o Porto e Lisboa e para as se-
grales agencias:
28:0005000
IPremiode..............- !"?:5552
m
m
{Amarantes.
i Arcos de Val de Ver.
BAvero.
|Barcellos.
Bastos.
iEvora.
(Fafe.
Faro.
Vianna do Castello.
iVilla do Conde.
iVlla Nova de Port-
mo.
IVilla Real.
(IVilla Nova de S. An-
tonio
Vizeu.
Beja.
[Braga.
sBraganca.
OCaminha.
^Castello Branco.
[JFigueira.
Juarda.
Qualquer somma
Lagoa.
Lagos.
Lamego.
Leilia.
Mon^o.
Mocorva.
Oliveira de Azemeio.l
Chaves.
Coimbra.
Covlhaa.
Elvas.
Extremos.
Penna Fiel.
I'inhal.l
Porto Alegre.
Regoa.
Sctubal.
Taver.
Thomar.
Ilha Terceira.
Fayal.
Madeira.
S. Miguel.
prazo ou a vista,
imperio, ou para paz estrangul
5." Fallecendo qualquer socio, far-se-Ihe-ba um
enterro decente, se elle n.io deixar meios para
i isso.
6. A sociedade prestar igualmente soccorros,
\ em quanto o necessitarein, s viuvas e filhos me-
nores dos socios que fallccerem em penuria.
A presentando esta idea geral dos tras que a so-
! ciedade tem em vista, e havendo officiado s com-
1 raissoes nomeadas nos diversos bairros desta elu-
de para lhcs pedir o seu valioso auxilio na acqui-
eijao de socios, a directora tudo espera da leal
coadjuvaco e do acrisolado patriotismo dos ilus-
tres cavaheiros a quem se dirigi, e de todos os
cus compatriotas em geral. .
Alm das pessoas nomeadas, qualquer cidadao
portuguez que pretender contribuir para o de-
senvovimento de tao all BSSOCiacSo anganando
assignaturas e demonstrando assim o interesse
que lhe merecem as cousas da nossa chara patria,
IKMler para esse fim obter listas impressas, din-
glndo-se ao (abinete Portugnez de Leitura, ou a
casa da secretario, ra da Cruz n. 23, primeiro
i andar.
A todos, em geral, que receberem listas, roga a
directora o especial obsequie de as devolveren!
opportunamente, ou acompanhadas de officio, ou
simplesmente assignadas, para a directora ter
sciencados cavaheiros a quem lhe cumpre tribu-
tar os seus agradeeimentos.
Recife,3 de junho de 1864.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.
Joaquim Gerardo de Bastes,
a* secrxtario.
cer o
mu
SEGUROS DE VIDA EM MUTUAUDADE.
A direccao do BANCO UNIAO tendo obtido do governo de S. M. F. a autorsaco para estabele
seguro de vidas em mutualidades, faz publico que desde j toma subscr^oes annuaes por urna
s vez, debaxo das seguintes condcoes :
Com iwrda de capital c lucros;
Dito capital sosente;
Bito lucros smenle;
devendo a primeira liquidacao ter lugar no t de Janeiro de 1859. __________
As vantagens do eraprego de capitaes era mutualidade, sao obvias, jmrque Dio smenle se co-
in o juro de quantias diminutas, de que avulsas se nao poderia tirar nenhum resultado; mas alm
disso este rendiraento augmentado pelo capital ou lucros, ou arabas as cousas, conforme as condcoes
da su'bscripcao, dos que fallecem. Tambem partido pelos socios sobreviventes tudo aquillo que os so-
cios morosos nos seus pagamentos, sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que
occorrerem pela falta de cumprimenta do compremsso social.
As liquidar-oes sao pelo svstema das companhias hespanholas, Tutelar e outras ; e parase poder
razer orna idea do que pode produzir urna entrada annual de 105, publica-se a segrate tabella basca-
da sobre a experiencia de muitos annos de companhias desta natureza :
Em :> annos Em 10 annos Ein 18 annos Era 20 annos Em 2o anno.
Por um menino
de 1
de 1
de 2
de 3
> de i
Por una pessoa de 15
de 20
de 30
. de 40
dia a 1 anno 1105 4005 9005 2:H005 4:7065
anno a 2 > 905 3005 7505 1:7005 3:7005
i a 3 > 865 2905 7205 1:6005 3:5005
i a 4 865 2805 7105 1:5605 3:4005
> a 15 > 865 2705 7005 1:5505 3:350|
t 20 865 2705 7005 1:5405 3:3305
i a 30 > 865 2705 7105 1.5605 3:4005
i a 40 865 2705 7205 1:6000 3:7005
a 50 905 3005 7505 1:8005 5:0005
is entradas por urna s vez do resultados muito superiores as annuaes.
orto, 10 de agosto de 1863.Os directores do Banco Uniao, losr da Silva Machado.t. M.
As
Porto,
Agentes em Pernambuco : Antonio Luiz de Olvera Azevedo & C, ra da Cruz n. I
van
Precisa-se de urna ama que saiba
muito bem cosinhar, seja aceiada e
faca as compras para casa de pouca
familia: na ra da Cadeia do Recife
n. 38, primeiro andar.
podendo logo os saques prazo serem
descontados no mesmo Banco a razao de
4 por cento ao anno; a tratar na ra da
Cruz n. I.
OO
%
m
o
Na ra estrella do Rosario n. 34
Advogado Affonso de Albu-
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sexUs-
feiras, porcm, na villa do Cabo._______________
Aluga-se um preto fiel para criado, menos
para carregar agua : a tratar na ra do Aragao
n. 43. _________,___________________
Aluguel.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
Velha n. 20 : a tratar na ra do Sebo n. 24.
2 Ditos >
2 Ditos
5 Ditos >
10 Ditos
25 Ditos
45 Ditos
910 Ditos
_
1,000 Premios
2,500 Bramos.
2:0005000
500*000
2005000
1005000
405000
205000
105000
4:0005000
1:0005000
1:0005000
1:0005000
1:0005000
9005000
9:1005000
28:0005000
3'NBn-Ose premios maiores de 4005000 estao
satenes ao descont da M provincial, e os maiores
de 1:0005000 ao da lei goral.
Xhesouraria das loteiias. 17 de |unho de 1864.
O thpsoureiro,
[ntonio Jo Rttlrwe* "Z. Pede-se ao Sr. Jo vi Qotiano do Paula, quei-
ri vir declarar nesla lypogwphia onde residem
Jos Feliciano do Araujo PmhciroaD.Man Fran-
aaa que pulo mesmo senhor foram incu4w no
nuncro Jos asignantes deste Dumo, seQdg? (o,-
j|,a recebida por ejle,e nao paga,
i Jos Joaquim da Costa Pereira, subdito bra-
sileiro, vai Europa. _________________ 1
Precisase de urna ama para cozinhar e com-
prar, para casa de pouca familia: na ra do Ran-
Manoel Tavares d'Aqnino faz ver ao publico *. \ deposit0.
e ao commercio, que vendeu a sua padana sita na ^------------------- -----------------------------____
ra do Cotovello n. 31 ao Sr. Francisco Domingos ( Precisa-se de urna ama para o servas de
Dia3, livte e desembaraijada de qualquer debito, nma ca de pouca familia : na ra da Gloria u-
o dia 19 de maio de 1864. mero 3.___________________________________
Acha-se justa e contratada por venda a cas i Precisase de urna ama que seja boa cozi-
terrea sita na cidade. de Olinda, ra do Bom-Fim nbeira, para rasa de um estrangeiro : a tratar na
n. 20 :quem fe julgar rom direito a ella, annun- |rua da Cadeia do IW-ife, loja de relojoeiro n. 40.
cic no prazo de tres dias da dala deste. | Toma-sc para casa do pouca familia nina
mulher portuguezade lns costumes : a fallar ao
sitio do Sr. Joao Pinto de Lemos na Passagem ou
no primeiro andar da ra da Cadeia do Recife nu-
mero 64.
De ordem do irmao juiz da irmandade ito
Santissimo Sacramento do bairro de Santo Amonio
^>
o o
C-D
Precisa-se de una ama para casa de pouca
familia, prefere-se escrava: na ra do Rosario n.
4, loja.______________________________________
"Monte Fio Popular l'criiambn-ano.
Por-ordein do Illm. Sr. presidente participo a
lodos os membros da directora provisoria, que,
no prximo sabbado, 25 do corrente, s 6 horas da
tarde, haver sesso para lhcs ser apresentado o
projeelo de estatutos, e tratarse de outros assump-
tos mporiantes : a reunio lera lugar no Gabine-
te Portuguez de Leitura,
Secretaria do Muate P Popular Pernambucano
21 de junho de I8Q
toaquim Gerardo de Bastos.
J." secretario.
3-RA KSTRK1TA rM) R0SARI0-3
Francisco Pinto Oorio contina a col-
tocar dentes RVtilicaes tanto (wr meio de
molas como |>ela prossao do ar, nao re-
cebe paga alguma s*ui i|ue as obras ao
liquei'.i a vontade de seus asnos, lesa pos
e outras preparaedes as mais acreditadas
para conservar da boeca.
ATTENgiO. .
Est fgida a ora de nome Mathilde, crioula,
de iaadeAouco maisou menos, 23ar.nos tenOo
vigo -U^r oe guard-a damesma j-t*>"> ^^SR^TJ^ pS ^uer-
pessoas que se Quuerom propor ao tugar | iiniiando quaim^da-^ baixa Oo porpo, c um
podem apNaealai seus-"^g^SS* Stosecca, tovou c,m,go m rHpao decarabraia
vom ser assignadoa por fiadoi loneo, ^ cQm um na ff Q ^nnQ pre,0 ,,e.
Sauto Antonto^iun^de^. ^^ ^ffffggZ S qU, sero ^V**.
Escrivao. i^^xe recompensados.
UABIMjEXiE
POHTUtiUEZ DK Lliiritt* EH PR-
\ A UBICO.
Achando-se prximo o termo da actual admi-
nislraco, por ordem da directora convido po-
retn-se era dia com a caixa do estabelecimento lo
dos os senhores associados que est. era atraso de
mensalidades ; e pe?o a quera se julgar credor do
Gabinete, que aprsente suas conlas no praso de
oito dias. .
Secretaria do Gabinete Portuguez de Leitura
em Pernambuco aos 21 de junho de 1864.
Joaquim Gerardo de Basto>.
1.- secretario._________
Vejam! vejam!
Na ra da Praia de Santa Rita Nova, deposito da
ribera do peixe, sobrado de azulejo, segundo an-
dar, preparam-se encommendas de toda a qualiaa-
de le bolos, pito-de-l, pastis de nata, bolinhos e
bandeijas para easamentos e bailes, tudo pelo mais
conimodo preeo possivel ; na mesma d-se venda
pretas por vendagem._______________
Precisa-se de um caixeiro que enlenda de
pharmacia : quem cstiver neslas circumsancias,
deixe seu nome e morada em carta fechada com
as letras O. C. nesla typographia._______________
Ama
Precisase de urna ama para casa de- pouca K
milia : a ti atar na ra da Roda n 54._________
No pateo do Livramento n. Si precisa-se de
um menino para caixeiro de loja, dando dador a
sua conducta.________________________________
Precisa-se de urna ama para, dentro de casa
de familia, que saiba engommar e coi.nhar : na
ra da Conceieao n. 31.
- AMA .k ,
Precisa-se de nma ama que sa*a lavar e en-
goramar : na ra das Criaos n. :tt>, taberna.
Do poder do abaixo assignado desappareceu
o blhete nteiro da 29- lotera a beneficio da aca-
demia de msica n. 2552, o qual na* tem assigna-
tura alguma no verso, por isso protesta o abaixo
asignado proceder contra quem se apresentar
com elle para receber qualquer sorte que no mes.
mo saa. Recife, 18 de junho de 1864.
Mathias Lopes da Costa Maia.
No sobrado defronte da igreja do Paraizo
segundo andar, apromptam-se bandeijas de bolos
para casamento e bailes, enfeitadas com todo gos-
to, com ricos boquets de flores de cera, de alfinis,
e 'de papel por preco mais commodo do que em
outra qualquer parte, e vende-se boquets para en-
feilar bolos e bandeijas muito ricos de cera a 25
e de papel mais barato, faz-se capellas de alfinins,
bolos de S Joo, assim como prepara-se flores pa-
ra enfeites de igreja e capellas de flores de laran-
ja multo ricas para noivas, faz-se toda quadade
de costuras e bordados, tudo com presteza e per-
feico e por menos do que em outra parte, veii-
de-se tambem folhas de loda qualidade de flores de
papel, finalmente faz-se toda qualidade de flores
para senhora, tocas de enanca e ti
barato.
ATTENCAO.
Pede-se ao Illm. Sr. subdelegado de Sanio Auto-
nio que lance ^^?wE? molhT ente pan acomnaahar alaaaaa familia para Bu-
co do Rosario n
res
Precisa-so de urna urna para, cwmhar e com-1
,r na ra. para casa de pouca familia : na ra |
ropa
Criada
\ criada porlugueza offcrece-se gratuija-
para aeompanhar algt
quem precisar annuncie.
prar na ra. par
do Vigario n 1. armazem de cabos.
Precisa-se de una ama para coniptar e
co-
FURTO. ,
Furtaram Jo poder do aUaixo assignad.. urna
varea rapoza, nova, sora marca de ferro, com urna
zinhar na ra do Imperador n. 69, sobrado de um (crja fc sm ann0; ))0UC0 majs 0u menos, a qual
andar. ___I foi comprada peto meemo abaixo asstaaada ao w.
, Jos Teixtra ttostos. quando ouli ora inur.:i
-- Joo Jos da Silva Villar & lanbe,"1" wESSS?m^ llanto a quem der Botida
com taberna s.la na 5*aea da Boa-Vi^ta n. 14, la- "^3" ;alTa,; anm,,PS ao sen sitio no Rosa-
tem scente ao pubJico o principalmente ^ffiSTS*!
do commercio que tem r.esta data dissolv.do a! tiato reco xra d.yi at c t .
sociedade amigavelmenle, licando responsavel peto _____________LiHi--------- ------------'
activo e passivo a socio Villar._____________| m v?^ -T? ^OA,
Aluga-se a casa terrea n. 36 na ra da Ma-. /gL J? ^'^JJ/
tria da.Bos-Visla, o segundo andar do sobrado na I botos de a Joao cangica de milho
r.n da Penha com fundos para a ma Direito u. 9. g^.%^ ,a ; tratar
e urna sala com urna alrova para homm solteiro : *frrdedm^,0pea Martvf n. 22.
a tratar no m^srno sobrado, bica qo ?: rcu.v .
em Olinda na


*
Diarlo de Pernambuco Qiiarta felra ti de Junho de 184.
Oferece-se urna mulher do idado para Jama
de casa de homem solteiro ou de pouca familia :
na ra Bella n. 26.
Subscreve-se para a tradcelo das oJes, sa-
lyras e epstolas de Horacio.
Esta traduego tem por lim aligeirar-se e facili-
tar o estado deste excellcnte e primoroso classic
da lingua latina, eslimavel nao so pelo seu estylo
brilhante, como pela profuso de conselhos e sen-
tencas moraes.
Por falta de um systema menos vexatorio se con-
som lempo immenso nossa mocidade, obrigan-
do-a a traduzir um classic de to difflcil nterpre
tago, como Horacio.
As dfflculdades que cercam um menino para
entender as lices deste e de outros classicos, mui-
tas vezes tem feto desanimar os estudantes, cau-
sando-lhes descosto e enfado a ponto de abandona-
rem o estudo do laiim, indispensavel para cursar
as aulas de estudos superiores, o qae talvez nao
aconlecesse, se houvcssem escriptos, que os guias-
sera na prompla comprehenso dos mesmos clas-
sicos.
As nages cultas da Europa possuem tradueges
de todos os classicos da lingua latina : portanto
nao ha razo plausivel para que nos Brasileiros
estejamos privados dessas vantagens.
Para um tal fim parecoi que nem convem urna
traduego servil, (|uc sera inspida e nauseaule,
se nao mais innilelligivel que o proprio texto lat-
no, nem tilo livre que cause confuso. Pareceu ao
traductor que o essencial era dar a intelligencia
mais seguida pelos commentadores, e expo-la em
linguagem mais accommodada.
Os doutos acharao muito que emendar; os disei-
pulos o que aprender em menos lempo, e os pro-
fesores o que aproveitar.
O prego da assignatura para os subscriptores
I<>5, sendo pagos 55 no acto de se iuscreverem,
e os outros 55 na entrega da obra, que ser em
um s volume com o texto latino.
Subscreve-se at o ultimo de julho do crreme
anno na loja de livros dos Srs. Guimares & Ol-
veira, ra do Imperador.
Precisa-se alagar urna escrava que saiba en-
gomraar, lavar, cozinhar e comprar para casa de
pouca familia, paga-se bem : na ra do Bangel,
sobrado n. 3.1.
m&m wmwmmmmmm
lleniy I*ostor & C. participamao SM
respeitavel publico o prneipalmen- S
te aos scus freguezes que mudaratn jjg
o seu armazem de gaz do caes do *
Hamos para a ra do Imperador H
m i<- m
mmmmm mmm iiin
Aluga-sc o primeiro andar da casa n. 33 da
ra da Praia, est arranjada de pouco, a sala da
frente e aleova est forrada de papel: a fallar no
mesmo sobrado.
Compra-se o drama (ou comedia)-Justca
de Camillo Castello Branco. gratilica-se bem : na
ra da Cruz n. 60.
Compra-so urna casa na Capunga .Nova, ra
da Amizade ou no Manguinho : a tratar este ne
gocio na Capunga Nova no entrar da mesma pas-
sando o primeiro porlao no segundo.
Na ra da Cadoia do Recife defronte do Bec-
co Largo n. 25, precisa-se comprar urna casa de
um andar com quintal e cacimba e na falta della
urna terrea que tenha bons commodos e quintal,
situada em qualquer ra dos hairros da Boa-Vs-
la, Santo Amonio e Recife mesmo at a ra do
Brum, paga-se bem agradando o lugar e os com-
modos : quem a llver e quizer vender dirija-se
casa cima mencionada no segundo andar que
achara com quem tratar.
AmedeSchaffler e sua senhora vo ao Mi
de Janeiro.
YENDAS.
VENDERSE
.4 freir enterrada em vida por Andrade Ferrei-
ra 3 vol. por 35500 ; Contos ao fogao por E. Seu-
veslre 1 vol. por 15200 rs.; Leudas Peninsulares
por Jos de Torres 2 vol. por 35000; As ruinas
do meu convento por F. de S 2 vol. por 25300 rs.;
l'in philosopho as aguas furtadas por E. Souves-
tre I vol. por 15200 rs.; O que ha de ser o mun-
do no annu tres mil 1 vol. por 25300 rs.
Vendem-c caixoes vasios a 1:760
cada um : na ra das Cruzes n. U.
LOJA DE MIUDEZAS BARATAS
no
NOVO KIM
I6--Rua do duciniado l
Est disposto a vender tudo barato como
segu.
Sabonetes de familia a 60,160, 240, 32Q e 400 rs.
Canudos de pomada a 100, 200, 300, 300, 800 e
1SO0O.
Pacotes e caixas de pos de arroz a 400 rs., 640 e
15C00,
Caixas com 6 frasquinhos de estrados finos a 15.
Ditas com 12 garralinhasde ditos 15600.
Frascos de oleo de babosa superior a 400, 500, 600
e700rs.
Ditos de oleo Philocome superior a 720 e 800 rs.
Ditos de agua de colonia a 400, 300, 800, 15 e
15500.
Ditos de sndalo 1-3.
Ditos de estrado a 400. COO, 800 e 15.
Ditos de banlia franceza a 400. 600 e 800 rs.
GRANDE ARMAZEM
60 Ra da Cadeia do Recife 60
45 Ra Direita. 45
Oicam! oitam///
CALCADO
Bom e novo, a primeira necessdade para a sau-
; de e aformoscaniento do individuo I
| Meo Dos I... que ps de pavo se lobrigam por
essas ras I que figura horrenda e nauseante a
de um palctot bem talhado sobranceiro a um
Quedes roido em duas solas! um bailo bem tor-
neado e bambaleante dcscubrindo urna ponta de
botina safara c carcomida 11
Santa Barbara! I Corram ra Direita, bellas e
rapazes I sacudam na praia csses malditos gtiedes
e comprem :
Borzeguins de Nanles 85000.
Ditos francezes de bezerro 75-
fazenda* miudezas ner C- "Ul,tesae nezerro i&.
mes i^22* J5 R!os rance"s <* l" P^a hornera 55-
c. ,ah0maz Telx.ei.rf "astos, tendo de partir para a Europa no dia 30 de junho aflm de tratar de
sua saude, tem resolvido a vender barato e mais barato do que na Europa para I ou Z lodos
2SK! franc6zes al'en.es existentes em seu armazem, como sejam : fazenda* miudez-
rumanas dos mais acreditados fabricantes, relogios nglezes, excellentes correntnle correntia
relog.o ane.s e botes para punhos com brilhantes, braceletes, eculos, face main e multas outrainnVi? R',0S para senll0ra-de lus,re- enfeitedos, 35500.
cut.leria fina como talheres para mesa e para sobre-mesa com cabos de metal fino di os do mar Me b"0S paa sennora- ***** a,,a- ****>
de outras qualidades, tesouras finas e caivetes, tesouras modernas para alfaiate* avalhas fina hn 50t,nas de menina 25500.
cetas e outros artigo?, sort.mento de bacas de metal para lavar o rosto e outros rimo* um rico cha' Pltos de cores Para menina 2*000-
fanz de crystal para jardim ou meio de mesa dejantar, ricos quadros para sales excellenie rn ?aDaloes de antes de duas solas 55-
fre de ferro bastante grande, crysUes finos como lustres, candelabros, lanternas com idente" ro,^' Pltos de sola e vlra i*300-
garrafas e mu.tas outras pecas de gosto para adorno de consolos, porcelanas finas cerno ricos iaTos naPatos de borracha para senhoras 15500 '
para flores, apparelhos dourados para cha e caf, ditos para jantar, e muitas peras oaracnfto? mta ?"os p"a meninosl5000.
grande sort.mento de estampas de santos e vistas de diferentes cidades da Europa e omros nrmafos ?.paU? de lus,re Dara seunora *
f3" Ia a d? janlar' TalTS Rrandes Pequeos, caixas com msica, ricas pecas rom. machio! no R! S ^ |apele para nomem e senhora m rs-
para salas, instrumentos de mgicas muito bem feitos, machinas de photographia para retratos de d f- ?-l .d-a IRa con,,ac'>nal 50 -
erentes tamanhos, machinas para fazer caf, machinas para hmpar tapetes e varrer o chlo bombas Lh'neloes rasos "o Porto a 15600.
para jardim, pianos de tres cordas do afmalo fabricante Peyel, camas de ferro com colchao' elstico um *ortmenlo comple.o em sola, vaqueus,
grande sor 1 ment de br.nquedos finos para meninos, baldes de papel transparente e lanternas co d- f0U.rS'
das para illummacoes a moda de Paris, salva vidas para homens e senhorasfeitas de'borracha pro- "Trl
pnas para quera toma banho em lugares fundos e muitos outros arligos e tudo ser vendido -', de s- Chnspim
mo barato afim de liquidar-se mteiramente.
5Ti
c
'iig
O Vigilante esta alerta, nao Ihe era permetlido
deixar passar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto afim de annunciar'ao ru.-peilavel publico
I o grande sortimento degalantarias do melhor gosio
: propiamente para qualquer mimo, que acaba de
chegar nesle ultimo paquete, assim como muitos
outros objectos (|ue recebe por diversos navios,
tanto de suacouta como de consignacio, que est
impe-
Aluga-sc o puarto andar com sotao da casa
da ra do Trapiche Novo n. 1S : a tratar no es-
criptorio.
G
I I
ra
fabrica
de
de fogos de artificio, da viuva Rufino, situada na
estrada de Joao de Barros; nesla fabrica apromp-
la-se toda e qualquer cncommenda dotes arligos
com o m.-iior esmero e presteza, seja para dentro
ou fra da provincia : recebem-se as encommen-
da- no armazem da bola amarclla, no oitao da se-
1 r-'laria de polieia.
Fazem-se bolos de baria de todas as qualida-
des, e armam-se bandeijas com a maior prompti-
dao e aceio a conteni das cncommendas, por pro-
cos muito em conta : na ra de Sania Rita n. 10.
Maques solu-c Poi'lu^al. g
a aballo assignado, antorisado pelo r^r
Banco Mercantil Portuense. e :ia ausencia tS
i!o Si'. Joaqoim da Silva Castro, saea el- ^j
i^-j f.'eiivameiile por lodos os paquete- sobro r^
t=i as pracas de Llboa e Porto, e mais luga- Mi
ftgj res 1I0 ivu;o. por i|ual(|uer sonima a vis-
jigjj l.i, e n praso ; podeodo, os que tomarem B
=S >aques a praso.receberem avista, no mes- itJ.
jigj '" Banco, descontando 4 OjO ao anuo: na |^
esa loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou <
gl na ra do Imperador 11. (i.'t, segundo an- K
gg dar.Jos Joaquim da Costa Mala.
Sllliillillei!! ^!}l)ll!l ^i]B5i@^
Precisa-se alugar una preta (|ue saiba cozi-
nhar e engommar : (juem a liver, dirija-se ra
po Trapiche 11. 4, que achara com quem tratar.
Precisa-so de ama ama de
perial. soluado n. 87.
leite : na ra Itn-
Aloga-se o lerceiro andar da casa n. 48 na
ra do Trapiche : a tratar no armazem da mesma
casa._____________
Precisa-se alugar dous cscravos : na ra do
Imperador n. 79.
Compra-se urna casa terrea em qualquer ra
desta ei l.i'le. com tanto que seu valor nao exceda
de 1:0005 at 1:6005 : na loja da ra da Cadeia
do Recife n. 17. _____
Compra-sc urna preta de 30 a 33 annos de
idade, nao leudo vicios nem molestia algumu, pre-
fere-se que seja de sacio : a pessoa que a tiver.
dirija-se a ra da Soledade n. 6? .para tratar.
Compram-se Diarios a 45
das Cruzes n. 39, taberna.
a arroba : na ra
Compra-se um prelo de meia idade que nao
tenha vicios nem achaques : na ra da Cruz n.
18, armazem.
Kcrfa trafciincia ?
Consta que certo negociante da villa do Serd
ha poucos dias comprou aqui fazendas em urna
loja, cujo dono se ignora quem 6, porque o lojista
teve a modestia de nao tirar a factura em nome
da casa ; e o recibo consta que passado em no-
me de urna pessoa que nao existe. O matulo que-
rendo saber o motivo de tanto segredo, e descon-
fiando ler sido engaado foi instado pelo Sr. hon-
rado lojista que se fosse embora quanto antes, e
acredita-.-e que tudo isto foi para que o publico
nao entrasse no conhecmento deste negocio. Ro-
gamos, portanto, a quem souber esclarecer-nos
mais este negocio, o favor de o fazer, afim de sa-
ber-nos quem o tal Sr. honrado lojista, que por
modestia nao quer que quem Ihe compra fazendas n 'w ,rs- ,
saiba da firma de que usa ; sto deseja saber os u,!*s ue a o
Canalhinhas.
Ama
Precisa-se de una ama que cosinhe e saiba en-
omraar "- na ra da Senzala Nova n. 39, taberna
da esquina que vol la para o Itecco Largo.
Ainda est venda o sitia no Rosarinho, j
annunciado por este Dinrio, com magnifica casa,
muitos arvoredos de varias quahdades, duas bal-
xas-, muito terreno para plantar e muita madeira:
quem quizer dirija-se ao me* o seu proprietario ou Soledade n. 70.
Ditos de banha japonesa, jamaica, duqueza,
rial, real, principes e Garibaldi a 800 rs.
Compoteiras de banha creme Isabel 15280.
frascos com banha e estrado 1-5 e 15280.
Garrafas de legitima agua de Florida 15280.
Escotas para deotes a l(0. 320 e 480.
Ditas para unha e cabello a 640, 15 e 15300.
Ditas para calcado e roupa a 240, 640 e 15.
rentes de tres faces para desembaracar a 640.
Ditos de baleia e borracha idem a 240, 320, 400,
oOO, 600,800,15. 15280 e 15500.
Ditos de matsa para atar cabello a 500, 640,800 e
15001).
Ditos de laeo e a balao e virados a 15 e 15500.
Ditos dourados para marrafa 15, 15300 e 25-
Ditos de borracha para regaco a 600, 800 e 15.
Ditos dourados para lito a 15 e 15000.
Ditos ditos com pndrinhas para dito 2-3.
Pecas de tranca preta lisae caracol a 100 rs.
Ditas de lila d seda de todas as cores a 300 rs.
Ditas de dita de 12a preta e de cores a 760 rs.
Ditas com 13 varas de franja para cortinado a 35.
Ditas de cascarrilha de seda de todas as cores a
i'iOOO.
(.uvas brancas de Jouvin a 25200 e 15.
Ditas de seda decores a 15 e 1,5500.
Ditas de montara a 500 e 800 rs.
Abafadores cun lacos pretas e de cores a 15280 e
15300.
1 Ditos sem laeo de cores e pretos a 720 e 15.
Bonitos adereces com pednnhas finas a 35500.
Pttlseiras de missanga e contas grandes a 640.
Diias de comas com pedrinhas a 15.
Bonitos >into> de gorgurao com livelas douradas a
25000.
Dilos com livelas de pedrinhas 35.
Ricas livelas de pedrinhas para sinto a 2 e 35.
Bonitas voltinbas de aljofares com erntinhas a 15.
Voltas de coral pequeas e grandes a 400 e 25.
Dilas de contas encarnadas a 400. 500 e 600 rs.
Bonitos boloes para punlioa 120, 200, 400 e 000 rs.
Riqtlissimos botdes de cornalina de um botao para
I punho de senhora (obra de gosto) 15300.
i Gravan'nhas de seda com passador a 640 e 800 rs.
Ditas de seda para laeo a 640, 800, 15 e 15280.
Tornas e sapatinhos e laa a 600 e800 rs.
Riquissimas toncas de Monde enfeiladas a 15300
e MODO.
Bonitas toncas de soda para baplisado a 2 e 35.
Capachos do Porto de 4, 4 1|2. 3,5 Ii2 e 6 palmos
^ a 400. 300, 600, 700 e 800 rs.
Finissimas tesouras para unha e cosiura a 600,
800el5-
Tesouras diversas pequeas e grandes a 80,160.
400 e 600 rs.
Filas e cordocs para esparlilhos e borzeguins
80 rs.
Passadores para paletot de velludo e cornali na
160 rs.
Brincos pretos e de cores balao a 320.
Rosetas pretas e douradas a 200 e 400 rs.
Oitavas de retroz preto a 140 rs.
Meias para senhora a 320, 400 e 300 rs.
Ditas para meninas a 220, 260, 300 e 340 rs.
Anneis do vidro de todas as cores a 40 rs.
Pacotes de papel amizade branco e de cores a
600 rs. -
Caixinhas de papel pequeo pautado em agua a
600 rs.
Ditas com 100 anvelopes brancas e de cores a
a 800 rs.
Duzias de facas e garfos a 35, 6 e 75.
Baralhos portuguezes e fiancezes a 200 e 280 rs.
Cartoes com colchetes a 40 e 80 rs.
Varas de lita de velludo d seda preto a 100, 160,
200, 240, 320,400, 500, 600, 700, 800, 900 e
15000.
Ditas de aspas para balao a 100 rs.
Ditas de galio branco lavrado a 100 rs.
Ditas de bico das llhas a 160, 200 e 240.
Dilas de bicus e rendas a 80,120, 160 e 200 rs.
Dilas de bicos prelos a 120, 200, 320 e 480.
Ditas de franja e babado do Porto a 80, 160 e
240 rs.
Dilas de grade labyrintho a 120, 300 e 400 rs.
Dilas de franja de seda prela e de cores a 400 e
500 rs.
Ditas de franja preta com vidrilho a 300, 600 a
700 rs.
e laa preta e de cores para debrum
de vestido, coliete. paletot, ele, a 120 rs.
: Dilas dita de seda preta e de cor a 120 e 200 rs.
Dilas de riquissimas fitas de sarja e grosdenaples
de todas as cores, lisas e lavradas, de 3, 4 e o
palmos, para taco, sintos, etc., a 15280, 15600
e 25 ; de tudo ha livros de amostras.
Vende-se urna armacao propria para qual-
quer negocio, na ra Direita dos Afogados, por
precc eommodo, e urna casa terrea na ra de S.
Miguel n. 44 : a tratar no mesmo lugar com Ma-
ximiauo das Chagas e Silva._____________
Vende-se urna casa na Capunga Velha com
commodos para pouca familia : a tratar na ra
das Flores n. 2, loja de sirgueiro de Libanio Lopes
Moreira.
Xovos eafeites para senhora.
A aguia-branca acaba de receber um bello e va-
nado sortimento de enfeites de diversas qualdades,
e o que de mais moderno possivel encontrar-se
aqui, fazendo-se notaveis por suas novidade e ele-
gancia uns, cuja grade de um fino e delicado te-
cido a uue apropriadamente se-chama n
Aeacao
O dono da loja do Beija-flor, na ra do Oueimado
coo a que apropriadamente se-chama nvisivel. n. 63, acaba de bnrnmmnATeSNCmaMalrifr
A sin,, a vista desse completo sortimento, qualquer cimento de miudezas na mesma ruaTeo por isso
n r^T,".! dAnhe,ro,ela !,ab1,,tad0 a com"! ""* seus freguezes e amigos, que uestes do
a-Ios : 11a ra do Queimado, loja d'aguia-branca estabelecimentos encontrarSo sempre grande sorh-
n. 8.
Bonitas bonecas.
Com rosto de cera, inassa e porcellana.
Acha-se na loja d'aguia-branca ra do Queima-
do. n. 8, um grande sortimento de bonecas de di-
versos tamanho, com rosto de cera, massa e por-
cellana os pretendenles munidos de dinheiro
acharao boa disposi'tao para os vender.
Botes de cornalina
e outras qualdades para coletes
A Aguia branca acaba de receber um novo c
variado sortimento daquelles apreciados ibotoes de
cornalina brancos e encarnados, chatos e redon-
dos para coleles, cujas abotuaduras continuara a
ser vendidas pelo eommodo c inalleravel preco de
25 cada urna.
Alm desses recebeu tambem outros de madre-
perola, inassa e osso, com dilferenfes moldes para
o mesmo fim.
J se v, pois, que o pretndeme munido do di.
nheiro achara sortimento vontade na ra do
Queunado loja d'Aguia branca n. 8.
SlPAOS DEBIRRUIIA
a IgOOO, I #.>o e 2,(;>oo o par
na ra do Queimado loja d'Aguia-Branca n. 8.
BALSIMItlS KCAi.XI.MIAS
com perfilinas'ias.
Na ra do Queimado n. 8 loja d'Agua-Branca, os
freguezes muuidos de dinheiro encoulraro, boni-
A QBaHDE URA
PARA TODAS AS MOLESTIAS DO
' I3JI1
ment de miudezas, perfumaras e objectos de gos-
tos; e vender sempre mais barato que outro qual-
quer, como abaixo so ver.
Pentes dourados de travessa.
Delicados tientes dourados de travessa para me-
ninas a 155OO cada um, ditos sem ser dourados a
oOO rs. cada um : as lojas do Beija-flor, roa do
Queimado ns. 63 e 69.
Volitabas de aljofares.
Lindas voltinbas de aljofares com cruzes de pe-
drinhas imitando a brilhantes a 15 cada urna : as
lojas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Luvas de Jouvin
Chegaram pelo ultimo vapor as desejadas luvas
de Jouvin de todas as cores, tanto para homens
como para senhoras : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Talheres para meninos.
Vendem-se talheres de cabo de balanco para me-
ninos a 280 rs. o talher : as lojas do Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Colliercs de metal principe.
Vendem-se colheres de metal principe muito fi-
nas para sopa a 35600 e 45400 a duzia, dilas para
cha a 25 e 25400 a duzia, ditas para assucar a
500 rs. cada urna, ditas para terrina a 25 cada
urna, e s quem vende por estes presos as lojas
do Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e 69.
Facas e garfos.
Vendem-se
bezerro francez'comonenhum, cnro d res0vi(3 a vender Pr piceos muito baratos para
muito grande, e tudo quanto pertence arto ven mu" ganhar pouco' e dar faccao ao
de S. Chrispim. grande deposito que tem, que apera merecer a
proteccao dorespeilavel publico, empregando para
isso todas e as melhores diligencias para que fi-
quem salsfeitos : isto s no Callo Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Ricas pnrta-joias.
Cofre de muito go>to por 165000
Cestinhas transparente?, forradas de madre-
perola por 185000
Lindas jardineiras 105000
Bicos cofres com camapheu 105000
Lindas caixinhas com pedras brancas 105000
Lindo balao com calunga dentro lambem
165000
95000
65000
64000
65000
. por 25000 urna,
outras com 3 ditos, cuja coberta parece tartaruga,
a 15300 rada urna, e outras com paslilhas de chei-
ro a oOO, 150O0 e 25000.
Envelles bordados c carlees com bei-
ras douradas.
Na loja da aguia branca, ra do Queimado n. 8, \
achavam-se venda bonitos envolopes bordados e
candes com beiras douradas. tendo de uns e de
de 2 botes a 55200 a duzia : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas, a peca a 15100, 15200
e 153OO : as lojas do Beija-flor.'rua do Queimado
ns. 63 e 09.
Hallados bordados.
Vendem-se baados bordados de varias larguras
a pe?a a 15600, 15800, 25, 25200 e 25400 : as
outros, maiores e menores, proprios para partid- 'cJas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
paces de ensarnemos, bailes ele.
Completo soi liuieuto de fitas
flaas. Usase lavradas.
A aguia branca recebeu um grande e completo
sortimento de filas de diversas larguras e qnalida-
des, tanto lisas como lavradas. e em todas ellas eo
Lindos sapatinhos.
Vendem-se lindos sapaiiuhos para baplisados de
enancas a 15300 e 25 o par : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e 9.
Botes para pimiios.
Vendem-se bolezinhos demadreperolaedemar.-
AS
Pihilas Vegetar s Assiicaradas
De Eemp
Compostas dos dois novos resinoides chama-
dos PonopiiiLiSA e Leptandrin-a, e intcira-
mente livres do Mercurio 011 outros venenos
mineracs ou ndalleos, so de grande ati'i-
hule nos pases clidos em cazos de
DYSPEPSIA, ENCHAQECA,
Con>tipacao ou Prizfto do Ventre,
PADECIMENTOS DO FIGADO,
Aflcecrjos Biliosas,
HEMORRHOIDAS, COUCA,
Ictericia,
PEBRE GASTRO-HEPATICA,
E outras enferniidailcs anlogas.
ElJiws vTo rapdanieiite Bobstitoindo os antros
purgantes drsticos.
venda as boticas de Caors t Barboza,
eos
para joias
Tambalier para ditas
Cestinhas idem idem
Cosmorama idem idem
l'rnazinha
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Bicos porla-bouqueles de diversos gostos^ pre-
s : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos Mulos
com bolcinhas ao lado a 10. 12 e 155, ditos sern
bolya, porm do mesmo goslo, a 25500, 35, 35500
e 45, ricas fivelas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 15500, 2*, 25500 e 3 :
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cabazcs on cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 25500, 35500, 4, 5, 7 e 105 : s
no Vigilante, rna do Crespo n. 7.
Pe les.
Neste artigo tem um grande sortimento. tanto
' para alisar como para alar cabello, o mais lindo
que se pode desejar, assim como de arregacar ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sem elle para meninas: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Pentes
Tamlu-m chegaram o riqussimos pentes de
concha de tartaruga e de massa lina, que se vende
por 25, ". e 55 : s no Vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Lcques.
Riqussimos loques de madreperola, lanto para
senhora como para mocinhas, pelo barato preejo da
12 e 145 s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ma'lS le.IIICS.
Com pequeo defeto, leques de sndalo, por ba-
rato prec.0, a 85 e 105, chraezes, muito bonitos,
lambem por barato preco de 4 e 55, bentarallas
muito bonitas lambem por barato preco de 4 e 5'5,
leques de charao lambem por 45, tuio isto para
ra da Cruz, e Joo da G. Bravo A C, ra acabar, peniendo-se taivez Vo 0.0 < no ViBan-
da Madre de Dos.
te, ra do Crespo n. 7.
Pulsciras.
Lindas pulseiras de conlas e de missanga, cores
muito lindase de muito gosto a 15 e 15200.
Para seprar iiiaiiqiiilos.
Tambem chegaram as lguinnas estreitinbal do
_ borracha que as senhoras lanto precisara para se-
lem de haver vespera de S. Joao; assim cerno lam- Sul"ar os manguitos por ser muilo eommodo e mui-
Pelicas de cOres.
A loja da Aurora na ra larga do Bosano n.
38, recebeu sortimento de luvas de Jouvin de co-
res chegadas pelo ultimo vapor as mais freseas
que tem chegado, tanto para homem como para
senhora, digo, muito proprias para o baile que
, -----_ wwmmmmm ...... ,,..,,,,,,,-, ^ vill l< '!' I .i W ------------- ~~ .www. w^i w > m,h 1 ( 1 1 -ni 1 i' niel
iihece-se a superioridade da fazenda, nolando-se fira para punhos a 320 rs. o par, ditos encarnadi-
nas lavradas o bom gosto dus novos e lindos dse- nl,os a '-0 rs. o par : as lojas do Beija-flor, ra
nhos, isso tanto as matisadas como as brancas, 1do Queimado ns. 63 e 69.
e pela commodidade dos presos o pretndeme que Filas para debrum de reslidos.
se dirigir munido de dinheiro ra do Queimado Vendem-se litas de la de todas as cores para
loja da aguia branca n. 8, sera bem servido, debrum de vestido a 900 rs. a pec-a, ditas pretas
Capachos ioglezes. ; de seda a 15100 a peca : as lojas do Beija-flor,
Na loja da aguia branca, ra do Queimado n. 8 rua d Queimado ns. 63 e 69.
vendem-se bons capachos inglezes, os quaes alm Filas brancas para debrum.
de bonitos sao de inmensa dnracao, pelo que se Vendem-se pecas de lila bianca de linho para
tornara baratos pelos precos de 45, 55,65 e 75 debrum a 400 rs.'a peca : as lojas do Beija-flor
bem renda
600 rs.
lisa pe^asde 10 varas a 400, 500 e
COMPRAS.
Compra-se ouro e prata em obras velhas
pagase bem: na loja de bilhetes dapracada Inde
pendencia n. 22.________________________
Compram-se
as seguintes cadernetas do Archivo Ptttoretco de
Lisboa:
_ 5 anno, de 1862
Ns. 3,4, 6, 8, 9 e 12.
-mm 6 anno, de 1863
Ns 7, 8 c 10.
Dirigir-se rua Bella n 37, sobrado de 2 anda-
ros, a qualquer hora da tarde.
cada um.
Cartas franeezas.
A aguia branca, na rua do Queimado n. 8, rece-
beu um novo soriimenlo de finas cartas franeezas
com beiras douradas e brancas, e as est venden-
do baratamente a dinheiro vista.
Objectos de phantasia vindos
para a aguia branca.
A aguia branca recebeu novos e bonitos objec-
tos de phantasia, alguns dos quaes nunca vistos
aqui, sendo :
Bonilos aderemos completos feitos de perolas'falsas
Ditos ditos de pedias, por cuja per/eicao e bom
gosto quasi se nao distinguem das vrdadeiras.
Lindas pulseiras de mosaico.
Dtia dita de perolas falsas tanto para senhoras
como para meninas.
Dita de chapa de crystal com listas douradas.
Dita de cornalina branca, azul ele, etc.
Bonitos alfioetes e aunis paca gravatas.
Bonitos pentes de concha, obra de apurado gosto.
Outros travessos com pedras para meninas.
Bellas guarnicoes de pentes dourados, ornados
com caaos de uvas, feitos de aljfar, obra su-
blime.
Outras igualmente bellas, todas de fino dourado e
com pedras.
Outras a tartarugadas, nada inferior a aquella.
Voltinbas de aljfar branco e de cores com cruzes
de pedras.
Esses e outros muitos objectos acham-se a venda
na rua do Queimado, loja da aguia branca, n. 8
na rua do Queimado ns. 63 e 69."
Ricas lilas lavradas.
Vendem-se muito ricas fitas lavradas para sinto
de senhora e meninas : as lojas do Beija-flor, rua
do Queimado ns. 63 e 69.
. Espedios de Jacaranda.
Vendem-se espelhos de columnas, de Jacaranda,
a 35 e 455OO cada um, ditos de madeira amarella
a 25400 e 25800 : as lojas do Beija-flor, na rua
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas de velludo estrellas.
Vendem-se fitinhas estreilas de velludo para en-
feite de vestido a 900, 15 e 15200 a peca: as lo-
jas do Beija-flor, rua do Queimado ns. 63 e 69.
Trancas de laa para bordar.
Vendem-se trancinbas de laa pretas para bor-
: dar camisinhas e vestidos a 80 e 160 rs. a pecinha,
ditas brancas com 40 varas a 600 rs. a peca, e ou
tras muitas cousas que setornarao enfadonho men-
ciona-las, pois s com a vista se poder ver o gran-
to barato, a 320 o par: i-o no Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
Sapaliiilms e mrias de scila.
Riqussimos sapatinhos de seda e de merino en-
reitados, assim romo meiaszinnas di' seda, gorra-
zinlias c louquinhas para as crianrinhas se bapt-
sareni : s no Vigilante, rua do Crt.-po n. 7.
Canela.-.
Riquissimas carretas de madreperola
proprias
RIVAL SEM SEGUNDO
Ba do Queimado ns. 49 e 53, loja de miudezas
de Jos de Azevedo Maia e Silva, esl continuando
no seu progresso de vender baralissimo :
Capachos grandes e superiores a 500 rs. cada um.
Caixas de superiores obreas de cola e massa a ,
40 rs. KT* 'H'.dquer presente, pelo baralissimo preco de
Cordao branco para vestido e esparlilho, vara 20 '*-'Ue-^-
res. \ 01 Hutas.
Linhas de carretel (150 jardas) de superior quali- Lindas voltinhas do perolas-falsas com erntinhas
dade a 60 rs. fingindo brilhantes, assim como cruzinhas atnlsas
Cartoes de linha Pedro V (200 jardas) j muito e voltinhas, pelo Paralo preco de 1-3 e U200 as
conhecida a 40 rs. cruzes avulsas a 400 rs. : s no Vigilante, ru do
Grozas de peonas de ac de muitas qualdades Crespo n. 7.
Golinhas.
Riquissimas goiinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 25500 e 35: s" no Vigilante,
superiores a 500 rs.
(".aniveles de duas tullas porm tinosa 500 rs.
Caixas com calungas muito bonilas para rap a
Franja branca e de cores para toalhas a 16O. I rUa do Cresr'r n; //
Pares de botes para punlio muito bonitos a 120. tu'les para sonhora.
Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a ] B|(l'ssimos enfeites com lago e sem laeo e de
120 rs. putos muitos gostos a 15, 15500 e 35 : s no Vi-
Tinleiros de vidro com superior tinta a 160. g'alnle, rua do Crespo n. 7.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs. llMIin'lills.
Groza de botes de louca praliados, o melhor, a Lindos trancelins de cabello para relocio ou lu-
1 netas, pelo baralissimo prego de 15500," dilcs de
i Tesouras para costura, o mais superior, a 400 rs.
I Ditas para unhas muito linas a 400 rs.
Escovas para limpar denles muito superiores a
200 rs.
QSadTns03dae69JaS ^"^ 0a '* d ^ de laa de todas as cores (pesada, a 7*.
i\
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor-
deaux, differentes qualdades, mais barato que em
qualquer parte : no armazem de E. A. Burle &
C, rua da Cruz n. 48.________________
Farlnha de mandioca
ou (ina a vontade do comprador e"sacada e da mel-or *!uc ha: y6n.i Mi*uel Jos
Alves no seu esenptone, casa n. 19 da rua da
.JUZ
' Na rua de Apollo n. 32 ha um grande sorti-
tnentode niarraore para ladrlho, sacadas, hom-
hreiras e degros de 8, 9 e 10 palmos de compri-
doe 2 112 de largo, fohas de marmore proprias
para lampos de mesas e para tmulos, vasos gran-
des para jardim, nu para ornar tmulos, por pre-
cos muito razoaieis
Vende-se um cabriolet
zo n. 26.
no pateo do
Folha de Flandres.
Grande sortimento de folha de Flandres: na rua
Ba-Ss ReC'fe "' ** A,luja d erra8ens de
Compra-so uui moxo para piano : na rua do
Cabuga 11. H, boliea.
wmxx wwxwmMmmm
C3^C0JIPRA-SK *
um enserado para forro ao chao de urna
sala de jantar : quemo tiver quer novo
quer usado dirija-se rua do Crespo n.
5, loja de Marcelino & C.
mmmm
Vende-se urna parle de trras da propreda-
Parai- de Bernardo do termo de Porto Calvo provincia
I das Aiagoas, a qual dista da v||a dcsie nome 5 le-
-> Vende-se um escravo de meia idade proprio g1" ef ^SUSt^T, 'T^0. "* via
p, m in n ir, nn r.oc 9* a Vnvm. i J^* *> a P?rte 1ue se v?nde sufflcienle nara
levantar-se nella um engenho :
Vigario n. 11, primeiro andar.
Quem quizer comprar urna porciio de s
lira serrada ou de qualquer moif
vessa do Pocinho n. 26, sobrado.
no caes 2 em-1 ^^^^^L*"
bro ou do Passeio loja de fazendas n. 3.
Vende-se urna cabra de Lisboa e um carnei-
r ii hespanhol muito grande
tirar raga, um quarlo bom de carga,
poinbal com poucas pombos : em Parnameirim, si-
|io do pombal._______________
Vendem-se barris de 4? e 5* de muito bom
mel de furo : no armazem da rua nova de Santa
Rita, ribeira do peixe n. 19.
Gravata de seda 320.
Preas c de core, princeza prela de 6 palmos de
largura, com um pequeo toque de mofo 360 l*.
o coyado, pecbincha para os Srs. alfaiates a roa
oa Aladre de Dos n. 16.
,.T^leir.as d,e palha I? 'arnaba ;
pa rua do Apollo n. 22,
e bonito, Proprio para pjra serra,,aou d(J qualquer moJ()- d|-rjja ,ra_
Caixas de phosphoros de sepuranca a 160.
Dilas de papel amizade paulado e'liso a 600 rs.
Ditas com 100 anvelopes muito superiores a 800
ris.
Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
Cartas e taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas com superiores iscas de acender charutos
a 40 rs.
Carreteis de linha Alexandrc (200 jardas) de cores
a 60 rs.
Baralhos para voltarete muito finos a 240.
Cartas de altinetes francezes muito finos a 40 rs.
Meadas de linha f'fixa para bordar a 20 rs.
Pares de sapalos de tranca muito superiores a
15600.
Papis de agulha com um pequeo toque a 10 rs.
Groza de botes do madreperola muito finos a
560 rs.
I' Cartoes e caixas de clcheles francezes superiores
a40rs.
I Boncts para meninos muito finos a 15500 e 25.
I Magos de grampos superiores e limpos a 30 rs.
Groza de phosphoros do gaz mniio novos a 25200.
Arcia preta muito superior a 100 rs.
Caixas de rap com espelho a 100 rs.
Realejos para entreter meninos a 80 rs.
Pegas de fila de linho muito boas a 40 rs.
| Pentes de lago muito bonitos a 15.
j Enfeites de lago de todas as cores a 15300.
! Rodas com alnetes francezes a 20 rs.
i Caixas com qoatro papis de agulhas imperiaes a
Vende-se alpaca prela a 300 rs. o eovade. | 2W> ""s-
Vende-se alpaca preta para vestidos a 500, 600, i Sabonetes de familia a 80, 160 e 320.
700 e 800 rs., fina de cordao a 800 rs. para pal- {^"'vetes de duas folhas muito finos a 320.
tot, princeza prela a 800 e 640 o covado, bombazi- i "ares de sapatos de laa para meninos a 400 rs.
Vinho do Porto superior
em caixas de urna e duas duzias : lera para ven-
der Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A; C, no seu
oscriptorio rua da Cruz n. i.
mwmwB mmmm*
RAPE, IIAP.
Duarte Pereira C. com armazem
de louca?, vidros, etc.. ele, ni rua do
Crespo n. 16, acabara de receber pelo ul-
timo vapor a costumada c fresca pitada
do princeza de Petropolis, era libra neste
estabelecimento e a relalho : na rua lar-
ga do Rosario n. 38, loja da Aurora.
Vende-se
mel de furo superior em barris e em caadas
por menos do que em outra qualquer parte
travessa dos Guararapes n. 7.
Verso?
a 80
para S. Joao
rs. a folha.
veUdlmTe1 Ka iVM.p 6 e 8 da rS ^ Ia'
,dependencia.
na preta lina a 15400 o covado, laazinhas preta
para senhora que estao de luto a 720 o covado :
na rua da Imperatriz n. 56. A loja est aberta at
s 9 horas da noite. .
Albuns para vinle retratos.
Vende-se os lindos albuns para vinle retratos pe-
lo barato prego de 25 cada ura : s no vigilante
rua do Crespo n. 7.
Vendem-se cinco volumes do Archivo Pillo-
resco, sendo quatro encadernados, e o ultimo em
cadernetas : na travessa da matriz de Santo An-
tonio, sobrado n. 14.
Vende-se um bom sitio no lugar da Capun-
na ga, com boa casa para familia, um bom tanque pa-
ra banho, dito para lavar roupa, viveiro e rio, e
muitas fructeiras com fructos: quem pretender di-
rija-se Capunga Nova no entrar da mesma pau-
sando o primeiro porlao no segundo que se dir
aos pretendentes quera trata^desse negocio._____
Vendem-se muito bons caibros de qualidade
com 35, 40 e mais palmos, em porgao e a relalho :
os prelendentes drijam-se rua Augusta n. 98.
relroz a 200 rs.
lia b din los ciilrcmeios.
Riqussimos babadinhos ntremelos com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baralissimo
prego de 15200, 15500, 25 e 35 : s no Vigilante
rua do Crespo n. 7.
O sea ni I has.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinbas pro-
prias para enfeites : s no Vigilante, rua do Cres-
po n. 7.
Fitas.
Grande sorlimento de filas de diversas larguras
e qualidade, por precos que admirara aos compra-
dores, havendo fitas largas proprias para sinteiros
que se pode vender a 300 rs. a vara, e pega de 3
varas a 25 : s no Vigilante, rua do Crespo n. 7
Fitas de la.
Fitas de la de todas as qualdades. proprias para
debrum de vestido a 700 rs. a peca : s no Vigi-
lante, rua do Crespo n. 7.
ticos espelhos,
Riquissimas espelhos com moldura dourada e
sem ella de 85, 10, 12 e 145, assim como eoni co-
lumnas de differentes tamanhos a 25,3, 4, 5e65"
s no Vi guante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros c figuras.
Riqussimos jarros e figuras de porcelana fina
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui
tem apparecida : s no Vigilante.
Fara pos de arroz.
Riqussimos vasos com boneca para pos de ar-
roz, cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim co-
mo pacotes s com os pos a 320 rs. cada um : s
no Vig lante, rua do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimento de extractos e banbas, poma-
das, assim como os lindos copos ou vasos rom dis-
tinctivos e oJerecimentos s sinhazinhas, dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris c Ingla-
terra, assim como os grandes copos de banlu Japo-
neza a 25 e a 15 ; assim como outros objectos que
nao possivel por hoje annunciar, e vista dos
freguezes se far todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Cal de Lisboa e potassa da
Rnssla.
Vende-se na rua da Cadeia do Recife n. 26, para
onde se mudou o antigo e acreditado deposito da
Madama Millocheau Buessarl recebeu pelo va- me?ma rua n. 12, ambos os gneros sao novse
por francez chapeos do ultimo gosto para senhora, 'eK"I>os, e se vendem a prego mais barato do que
corpinhos, camisinhas, romeirase zuavos, reosle- aru tgualquer^parte. ________________^^
ques para noivado, ditos pequeos de cores e pre-, Farinha de nianHim-a------
tos, as mais lindas flores finas, enfeites de cabega, em ^S rn Tff i m-
um escolhimeoto de bicos e rendas brancos e pre- l? ZTJ1"r-ndL"t?'- Lu'Z dc,0l'v-
tos, guarnigoes para vestido de seda, fitas de seda SmSol escr|Pt rua da Cruz
muito larga, ditas do algodSc muito fino, luvas do -----------'.-------_____________.___________
dous botes para senhora,ditas para homem, espar- Trina, volantes C KalCS
tilhos moda para senhora e menina, ricos louca-' Vemlp-i> inm nink.. .if* j '. ,
Sapatos de tranga para senhora e para homem, os
melhores qui tem vindo, e por prego muito barato:
quem quizer ver, venha rua do Queimado ns.
49 e 5o. e ver tudo como bom e barato.
Vende-se o engenho Brejo, sito na fregnezia
de Bezerros, sendo d'agua, e toda a obra de pedra,
com muitos terrenos, para todas as planlagoes :
quem o pretender, dirija-se ao mesmo, ou nesla I
praga as Cinco Ponas n. 95.
* >w
.


Diarlo 4c I'crnambaeo Quarta clra % de Juuho de i84.
\
*i
\
Grande liquidaco
de fucndas na loja do Pavio, ra da Imperalrii i.
60, de Gama & Silva.
GRANDE
soiliiiuiito de fazendas aovas rindas
pelo vapor iulcz para o propriela-
riu do grande armazcm e loja de fa-
zendas da Arar*, raa da iTnperatrii^ff'JJroP8.,,n,Parapfi'"mo para o
"o ai k^ mato, promettendo vender-se mais barato do que
U. 00, 0e LOUTCUCO rereira IienaeS em oulra qualquer parle principalmente sendo em
boiainres
AcOa-se este esLibelecimeoto completamente sor-
lidode fazendas iuglezas, francezas, allcmaes e
porcao e de todas as blendas dao-se as amostras
deixando flear penhor ou mandam-se levar cm ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavao.
As cliilas do Pavo.
Vendem-se superiores chitas claras e escuras pe-
Peehincha, a 3#200.
Vende-se baraiissimo para apurar dinheiro, a
saber : cortes de chitas francezas de cores escuras
fnita?. a^WoTof dK^rSa"i?! barat0 Pre ie 2i0 e 28 *scndo lintas ^
inglezas a ^iuu, ditos ae c^sas iraucezas a .* e rB ,iac frlncPT (na a io 1U1 "160 400 p
so na Arara, ra da mpeTatriz a. so. riscados cscocezes Unos a 240 rs. o covado, isto na
A Arara venae a z-iu rs. loja do Pavao ra da Imperatriz n. CO de Gama &
Vende-se organdys lino para vestido a 240, 280 Silva,
e 320 rs. o covado casia franceza Oaa a 320 o co- As do pavjo 210, 280, 300 e 320 rs.
do" loBaA^aa rdmStnzV M CVa' I Ven^m-se linissimas ca'ssas persianas cores ft-
' ti ',!L i- P.a D- .* xas a 320 rs. o covado, ditas francezas muito finas
A Arara vende laaziubas de urna so cor a 240 e 280 rs., ditas inezezas a 240 e 280 rs. o
a6i0 rs. covado, linissimo organdy matisado com desenhos
Ycndcm-se ricas laazinhas lisas proprias para \ miudinhos a 320 rs. o covado, cassas garibaldinas
ramas e vestidos, os melhores gostos possiveis, a muito finas a 320 rs., isto na loja do Pavao ra da
640 o covado, ditas Mai ia Pia muito fina com pal- '
mas a 640 o covado : ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Cortes de cascmlra a 'ti.
Vende-se cortes de meia casemira para caiga a
2, ditos melhores a 2<350O e 35, ganga para calca
a 440 o covado, brim de linho preto a 500 rs. o
covado : ra da Imperatriz n. 56.
Fil de linlio a S20 rs. a Tara
Vende-se tilo de linho branca proprio para forro
de vestido a 320 rs. a vara, tarlataua de cores
a 640 a vara, fil de linho fino a 800 rs. a vara :
na ra da Imperatriz n. 56.
Veo para senhoras a 1,000 rs.
Vendem-se os mais modernos veos para chapeos
de senhoras a Ifi um, de todas as cores, manguitos,
de fil e bordados a 500 rs., manguitos e gola a'
15, golinhas para senhoras e meninas a 240 e 320
cada urna, camisinhas finas para senhoras a 2,5 e
4&KK) : s na Arara, ra da Imperatriz n. 56.
Arara veudeos caries de laa Mara Pia a -is$.
Vendem-se ricos cortes de laa de barra os me-
lhores que tem vindo, pelo prego de 185 o corle,
ditos a 85, vende laazinhas em covado a 240, 280,
320, 400, 500 e 640 o covado, dtas lisas de cores a
640, casemiras para capas de senhoras a 25 o co-
vado : ra da Imperatriz n 56, loja e armazetn da
Arara, de Mendes Guimaraes.
Bramante da Arara a 2200 a vara.
Vende-se bramante de linho de 10 palmos a
25200 a vara, panno de linho para saceos e cerou-
las a 640 a vara, hamburgo de linho a 440, 560 e
600 rs. a vara, brim de linho branco fino a 15200,
15400 e 15600 a vara, dito pardo a 800, 640,15 e
lg200 a vara : ra da Imperatriz n. 56.
Chitas da Arara a 210 rs.
Vendem-se chitas finas a 240 e 280, ditas largas
a 320, 360 e 400 rs. o covado, de cores fixas : ra
da Imperatriz n. 56, loja da .^rara, de Mendes Gui-
maraes.
Chales da Arara a 2&>00.
Vendem-se chales da merino estampados a 25,
8*300, 45500 e 55. ditos de laa e seda a 15 : ra
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Oh que pechincha, a I $000.
Vendan se lencos de seda grandes a 15, ditos
pequeos a 800 rs., grvalas de seda de cores a5O0
rs., ditas pretas de laa e largas a 800 rs., collan-
nho para homem a 400 rs., meias cruas a 200, 240,
:MX) e 500 rs. o par.: ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Fazendas pretas para lulo, cassas, a 320 rs.
Vendem-se cassas pretas para luto a 320 o cova-
do, veos pretos para chapeos da senhoras a 15,
luvas de seda prelas a 15, princeza prcta eofesla-
da a 640, 800 e 15 o covado, alpaca preta a 500,
640 e 800 rs. o covado, laazinha preta a 640, mo-
rim e bombazina : ra da Imperatriz, loja da Ara-
ra n. 96.
Grande sortiuientode roupa
Celta.
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As laazinhas da exposiro do Pavo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas mossan-
bique chegadas pelo ultimo vapor francez sendo
de urna s cor ou de listas miudinhas com 4 pal*
mos de largura, proprias para vestido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baratsimo
proco do50 rs. o covado, dilas enfestadas trans-
parentes de quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas matisadas muito finas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita tambem matisadas
a 320 rs. o covado, dilas a Mara Pia com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de urna s cor parda, azul, cor de lyrio e
perola proprias para vestidos, sautembarqes e
garibaldes a 720 rs. o covado, ditas escoeczas a
800 e 400 rs isto s na loja do Pavao, ra da Im-
peratriz o. 60, de Gama & Silva.
Os chales do Pavo.
Vendem-se finos chales de crepon eslampados
pelo barato preco de 65, 75, 85, ditos de ponta re-
donda a 75 e 85, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidrilho a 125,jlitos pretos lisos a
55, ditos de cores a 45500 e 55, ditos de merm
estampados a 25 e 35, ditos de laa a 15280 e 25,
ditos de retroz preto para luto a 65, isto na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
0 Pavo vende para lulo.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de laa sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, paletols, capas ele, pelo bara-
to preco de 25> 25200, 2550 o covado, cassas
pretas lisas, chitas pretas largas e estreitas, chales
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
comgollinhas e outros muitos artigos que se ven-
dem por precos razoaveis : na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os vestidos do Pavo
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
camente bordados a veludo pelo barato prego de
405, sendo fazenda que sempre se venden a 1005
e 1^05 ; ditos de cambraia brancos ricamente bor-
dados a croch, sendo proprios para baile e casa-
mento a 10, 13, 20 e 305; ditos de laa com lindas
ESPLENDIDO SORTIMENTO DE IWOLHADOS
tf. 9 RA IIO CltfiSPO I. O
Esquina qoe volta para a ra do Imperador
(\:io se engaaem com a niltfra)
AMIGOS!
Nao leiam este annuncio com precipitado.
Confrontcm os procos dos outros annunciantes.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
A vista faz le.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao nos enculcamos o primeiro recebedor de conta propria.
Nao desacreditamos ao collega porque nao quiz ser nosso socio.
Val a quena toca.
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia ainda nao sao siifiicien-
tes as casas que actualmente oxistem iberias com grandes proporcoes para lerem um
magnifico soriimenlo de moldarlos; .assim, pois, os propietarios do Armazem Principal
nao tnvejam a"soile dos seuscollegas.
Habitantes de Pernambuco.
Nos temos um excedente sortimento dos melhores gneros que se pode adiar
.em nosso mercado. >mde ao nosso esiabclecimento, e se a vossa boa fe fr Iludida
urna s vez ao menos, casligai-nos nao voltar.do mais a nossa casa.
de molhados
Acaba de receber de sua propria encommenda um grande e variado sortimento'Amendoas confitadas de bonitas cores a dem de HoHanda em garrafn com 24
hados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em! l.ooo rs. a libra, garrafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e 'demude casca muito novas a 3oo rs. a libra. Lentilhas escolente legurae para sopa e gui-
resumidos precos, aancando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar- Avellaas a 2oo rs. a libra. zados a loor*, a libra.
mazem.
P Alfil A FJESTA
DE
Amendoas confitadas de 800 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 9oo rs,
libra,
dem franceza a Coo rs. a libra, e 58o rs.
sendo em barril.
S. JOAO E S. PEDRO
Ameixas francezas em caixinbas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a i.oo, l,4oo e I.Goo rs. cada 800 e t,ooo rs. as garrafas grandes.
.,uma' -Manteiga ingleza perfeitamente 116ra8coe
dem em frasco de vidro com roma do mes- 96o rs. a libra,
mo ou de metal, a l.oo e I too rs. ca- dem franceza nova j deste auno .1 Goo rs.
da um.
rs. a duzia 1,000 rs. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
I Passas emcaixasde i arroba'/e '/i a 8,5oo,
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras l,5oo e 2,5oo rs. a caixa, e 000 rs. a libra
para cima a 2,6oo. garante-se serem muito novas, e graudas.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para dem corinthias proprias para podim a 9oo
cima a 2,7oo, rs. a libra,
dem hysson o mais superior que se pode Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
desejar a 2,Goo e de 8 libras para cima I Lisboa a 64o rs. a libra,
a 2,5oo rs. ; Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra,
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras Grao de bico muito novo a I6o rs. a libra,
para cima a 2,3oo rs. j Ervilhas francezas em latas a 600 rs.
Kmperat'ri* n. 60* USSkt "" Ide,m I"** F n^ ^' ** 8 1^ T f "^ 48 PS'
Os pannos do Pavao Dras I,ara cima a .2o- Fum0 de cnaPa americano a I/100 rs. a libra
Vende-se panno preto muilo superior pelo barato Mera do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras ; fazenda especial,
preco de 25, 25500,35 e 3>500, diios muito tinosa cada urna a 2, 3, 3,oo c 4,8oo rs. a lata. Presunto para fiambre nglezes a 7oo e 800
H' L?-?u?5vc"rtes dc .casemira Pfcta enfesiada a uem ,)ret0 0 me||ior que se pode desejar rs. a libra.
ti, 45o00 e 65, casemira preta lina de urna so neb|e ener
ja, canella, cravo, orlelS pimenta a I.ooo'ldem em frasco grandes 2,5oors. cada um.
dem em latas de 1
largura muito lina a 15800, 25, 25300 e 35, cor-
renero a 2,800 rs.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
A roupa do Pavo.
Vendem-se palelotsde panno preto sobreeasa-
cos fazenda muito boa a 125, ditos muito finos a
165, 20?. 2-j5 e 305, calcas de casemira preta boa
Vende-se paletols de panno preto a 165, 145, fazenda a 45o00,55, 65, "5 e 85, paletols sarcos
12-5. 105, 85 c 05, ditos de brim de cor a 35500,! de panno preto a 75, ditos de casemira de cor a
35e25OO, ditos de meia casemira a 455OO e35')00; 65 e 75, ditos de alpaca preta, ditos de merino
calcas de brim a 35 e 25500, ditas de brim oran- PreI, ditos de brim de cores, calcas de casemira
co a 45500 e 35300, ceroulas de linho a 25000 e i do cor a 45, 35,65, 75, uiios de casemira da
15800, camisas francezas de linho a 35, ditas de Escossia | 35, ditos de brim pardo a 2530, ditos
algodao a 25500 c 25300 : na ra da Imperatriz,! de cor a 25 e 2-3500, ditos brancos muito linos,
loja Arara n. 56. >to na loja do Pavao, ra da Imperatriz u. 60, de
tes de casemira de cor a 55,55500 e 65, casemi- dem menos superior a csse que se vende Caixas de traque n. 1 a 8<)o00 cada urna,
ras enfestadas de urna s cor proprias para calca, por, 2 e 2,-loo, a 4,8oo rs. a libra. Massas para sopa macarrao, talharim aletria
paletots, colletcs, capas para senhora, roupas para iem m;is kax0 ijuni para negocio a l,5oo a 400 rs. a libra,
meninos a 35 e 3J>500 o covado, isto na loja do rc n illirr
Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
rs. a Hora. Cognac verdadeiro inglez a 8,"oo rs. a caixa
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo e 800 rs. a garrafa.
rs. a libra. dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
Queijos do reino chegados neste ultimo va-! garrafa.
por a 3,ooo. Charutos em grande quantidade e de todos os
dem prato fs melhores e mais frescos do! fabricantes mais a creditados a l,5oo,
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro. 2,ooo, 2,aoo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
dem londrino a 6oo rs., e sendo inteiro a; os mais baixos sao dos que por ahi se ven
\o esqiieran os halties da .liara.
Vendem-se baldes do 15, 20, 30 e 40 arcos a 35,
35300, 45 e 45300, ditos de brilhanlina a 45, cu-
beras de chita a 25, ditas de damasco a 45, dilas
de fustao a 35 : ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
Soiilaiultarque da Arara a 20 e '->).
Veude-se soulambaripie muito bem enfeiladoa20
Gama & Silva.
Os cortinados lo pavo.
Vendem-se ricos cortinados proprios para janel-
la e camas pelo barato preco de !)5 o par, sendo o
melhor que ha no mercado : na ra da Imperatriz
0. 60, de Gama & Silva.
As colchas do Pavo. /
Vendem-se colchas de liuho alcochoadas pro-
uoo rs. a libra, vende-se por este preco
pela poirao (pie temos em ser.
Biscoitos em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Crakntl, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fancc, .Machineeoutras mul-
tas a 1,3oo e l too rs.
Polvos chegados ltimamente do Porto a 32o
rs. a libra.
Balacliinha de Craknel em latas de 5 libras
bruto a 4,000 rs.
e I">-i cada um, voa pretos e de cores para senho- pas para cama pelo barato prego de 55 cada urna Uem ingieras em barricas a mais nova do
rasa 15 cada um, riscados francezes a 280 o cu- na ra da Imperatriz 11.60, de Gama & Silva
vado. Todas as fazendas existentes nesle eslabe-
lecimento vendem-se por preco baratissimo, e dao-
se amostras com penhor. ou mandase levar as fa-
As recalas lo Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas que tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor fran-
zendas casa das familias pelo caixeiro da loja da coz, pelo barato preco lo 600 rs. o covado, ditas
Arara, ra da Imperatriz n. 56. de lislrinha muito miudinhas proprias para vestidos
Corles de cassa da Arara a 2000
Vendem-se corles de cassa a 25, ditos de dita a
25400, cortes de babados a 35 : ra da Impera-1 loja de Gama & Silva,
triz n. 36, lo a da Arara.
e roupas delmoiiiims e meninas pelo barato preco
de 500 rs. ; so Pavao a ra da Imperatriz n. 60,
invuntau/M 1
de ta ha I liar a mo para
descaroear algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAI
mercado a 2,*ioo rs, a barrica c 24o rs. a
libra.
Cartees cora bolas francezas proprios para
mimos ou para anjos que vo as procis-
ses a 600 rs. cada um.
Peras seccas as mais novas do mercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em htas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
I,8oo, e
Os souteaubarques do Pavo a
IO c t .s,*i s o Pavo.
Vendem-se os mais lindos souloanbarques que
lem viudo ultimameute de laazinha e casemira n- dem em caixmhas de 8 libras a
camente bordados e enfeitados, cores muito delira- 24o rs. a libra.
das pelo barato prego de 105 e 155 ; fazenda esta N m ,Uo novas a 120 rs. a libra, e 4,000
i|ue em outras tojas se vendem por 205 e 2o5, e ,
s para liquidar : na loja e armazem do Pavao rs* a arrooa.
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva. Amendoas confitadas a 800 rs. a libra.
.4s chitas do Pavo *$-lOO e [ dem de casca mole a 32o rs.
jjjde algodao sem
i estragar o fio,
T sendo baslanle
duaspessoas para
otrabalho; pode
descarogar urna
arroba de algo-
dao em carneo
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou o ar-
robas de algodo
limpo.
Esta machina
a nica que
possue as vantagens de no destruir o o do al-
godo e de faicr render o dobro de qualquer ou-
tra com menos trabalho, a sua introduccao para
*800 o corte.
Vendem-se cortes de chila com doze covados
Lstas machinas: naoa erte^ ditos com dez covados a 25400, fazen-
podem descaroear ; ja muito ba, e que nao desbota, s na loja do Pa-
qualquer especie vao |em eS[a pechincha ; a ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
i.as de nina s cor.
Vendem-se laazinhas de urna s cor, sendo en-
carnada, azul, cnzenta, cor de caf, lirio claro, li-
rio roxo cor de perola pelo baratissimo preco de
640 o covado, fazenda muito Tina s o Pavao, ra
da Imperatriz n. 60 loja e armazem de Gama &
Silva.
Panno de linho.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lenges, toalhas e ceroulas pelo
barato preco de 640 rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 25500, algodoznho
monslro com 8 palmos de largura a 15, pegas de
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a i 0,000 e
l,ooo rs.agarrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 000 rs, a garrafa.
'/i libra a
Hamburgo com. 20 varas a 95,105 e 115, pegas de dem de marcas pouco condecidas a 4oo rs.
madapolao fino '.*. *, d.las de j gamfa 3 ^ rs a ^^
um wiiu ni n> Miuvuu.Miu |..n.. algodaGzmho a 65, 65500 e 75, c outras muiia.- ,, ..
as provincias deste imperio ser de muito valor fazendas brancas que se vendem muito baratas i c-speciai vmno Lavradio sem a mais pequea
para todos os interessados na lavonra do paiz. afim de apurar dinheiro : na loja do Pavo ra da
Assim com machinas em ponto grande do mes-1 imperatrii n. 60, de Gama & Silva,
mo systcma,oraql serem movidas por animaes,
agua ou vap -r, pas uaes podem descarogar 18 ar-
robas de algodo ampo por dia.
O algodo descarogado por estas machinas tem
muito mais estimago nos mercados de Europa e
vende-se por maiorprego.
As machinas se acham venda onicamenie em
casa de
Sauudcrs Brothers k C.
V II, praca do Corpo Naoto
ECIFE.
Os aicos agentes neste paii.
Na fabrica de sabio da ra do Rangel n. 34 con-
.inua-se a vender sabo amarello massa, tanto em
composigo a 560 a garrafa e i,000 rs. a
caada.
O bramante do Pavo com doze|Fa,illha.do Maranho a 240rs. a libra.
palmos de largura. '"icas ca,xa- ,uin ns a '>000 rs- cai'a ,ima-
Vende-se bramante de linho puro, muito fino com R'COS livros com figos 1,000 rs.
doze palmos de largura o melhor e mais largo que Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
tem vindo ao mercado pelo barato prego de 2580QJ va a 80 rs. a libra, e 2,500 a arroba.
r?'a dn fimf 60PaV5 de Ga,"a & Sl'Va''Garrames com 4 V* garrafas de vinho supe-
.4sPeprecalas do Pavo. |., or a 2,5oo rs com o garramo
Vendem-se s mais lindas precalas qus tem vn- i Wem com 4 '/ ditas de venagre a 1,000 rs.O
do ao mercada chegadas pelo ultimo vapor francez, | garralao.
pelo barato prego de 600 rs. o covado, ditas de lis- vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
irinha muito miudinhas proprias para vestidos e | jKnAnra ,.flI11 ., ancm-pta
roupas de meninos e meninas pelo barato prego i,,15'000 rs- com a anC0^i m a.. .
de oOO rs.: s o Pavo ra da Imperatriz n. 60,! dem em pipa puro sem 0 baUsms a 200 rs.
loje de Gama Os bales do PavSo. i Caixas com i duzia da garrafas de vinho Bor-
Vendem-se crinolinas ou bales de 30 arcos tan- deaux fazenda muito especial a 6,800 rs.
brancos como de cores, sendo americanos qqp a caxa e 700 rs. a garrafa,
sao os melhores por se nao quebraren! a 35300 e Licores francezes e portuguezes das seguin-
de 35 arcos a 45. ditos de musselina com babados
45, ditos para menina a 25 e 35: na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
O Pavo vended 8*
Vendem-se 'os mais lindos cortes de vestidos a
Mara Pia, cora lindas harpas de seda, sendo che-
gados pelo ultimo vapor francez pelo barato prego
de 85 cada um : s na loja do Pavo ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os bales do Pavo.j
\ 2500 s o Pavas.
Vende-se baldes com 20, 2o o 30 arcos pelo ba-
ratissimo preco de 25500, assim como tem om
completo sortimento de baldes para meninas de to-
dos os tamanhos pelo baratissimo preo de 25500,
notando que sao bales de arcos os melhores qne
tem viudo da America Ingleza, vendem-se por este
preco para liquidar : s na loja e armazem do
Pavo roa da Imperatriz n. 60, de .Gama & Silva.
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gin-
dera a 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.800 e 9,iioo
rs. a arroba.
dem de segunda qualidade a 8,000 rs. a ar-
roba e 20o rs. a fibra.
Arroz do Maranho a i2ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,600 rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,ooo rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra.
dem de sebo muito dura fingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, <
caixa a 52e rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 0,000 rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaco pautado e liso a 3,ooo rs. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiro a 2,2oo rs.
a resma,
dem embrulho de 1,2oo a I, ioo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1
l,2oo e8oors. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l,ooo rs. tambera temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Molhos inglezesa 800 c 1,000 rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
bem arranjado possivel a 1,80o e 2,8oo
rs. a lata.
Cerveja Tenente verdadeira a 6,800 rs. a
duzia.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
c 6,000 rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a 1,00o rs. o molhoe
800 rs. o cento.
Chocolate porluguez hespanhol e francez de
l,ooo a l,2oors. a libra.
Genebra de HoUondaera frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafesde 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a 32o rs. a libra e
io,ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a Jibra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixcs em latas a i,000 rs. a lata j prompto
.a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biate saceos
grandes a 4,000 rs..
1 i e 3 libras a t,2oo e
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranho o melhor que se
p le desejar a loo e 12o rs. a libra e
2,8oo e 3,4oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa,
e 4,800 rs. a caada.
a libra, e 060 rs. em bar is inteiros.
Marmelada especial dos melhores fabricantes
de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, lia latas
de difTercntes tamanhos.
Massa dc tomate em latas de i libra 060 rs.
cada urna,
dem para soda estrelinha, pevide e rodinha
em caixinbas surtidas a 3,ooo e 3.000 rs.
cada urna e 000 rs. a libra,
dem francez clarificado em garrafas bran-, dem macarrao, lalerim e aletria a ioo rs.
cas a 9oo rs. cada urna, e 10,000 rs. a
caixa com 1 duzia.
Alfazema muilo nova e limpa a 32 rs. a li-
bra.
Alpista a t(So a libra, e 4,6oo rs. a arroba.
Bolachinlias de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio das seguintes qualidades: aguae
sal doces, e imperiacs em latas de 6 li-
bras a 3,ooo rs. e de 3 libras a l,5oo
rs. eemlibraa (iiors., eslas bolachinhas
toma-se muito recommendavel com es-
pecialidade para os doentes.
Biscoilos e Bolachinhas de suda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a Uta.
Bollos francezes em cartocs e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de poico verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e era barril a 38o rs.
Hlalas novas a 160rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 2io rs. a libra e 2,000 rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
al boje tem vindo a nosso mercado a
t8,ooo rs. o gigo, l.uoo rs. a garrafa in-
leira, e 800 rs. as meias
Cha uxim o melhor que se pode desejar e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
dem perola especial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garante-se a qualidade
d'este cha
dem hysson o melhor que possivel en-
contrar-se a 2.4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Bio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2oo e l,4oo rs. a libra.
dem prelo muilo fino a 1,600 rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a l.ooo, l,2oo e I,ioo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
lado de Simas em '/j caixas das seguin-
tes marcas Pariziences, Suspiros, Dili-
cias, Napoleese Guanabaras a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muilos fabricantes e de
dilferentes marcas para 1,000 rs. as mei-
as caixas de suspiros a t,6op, 2,000 e
3,000 rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a 1,000
rs. a garrafa e lo.ooo rs. a duzia.
dem francez suporior qualidade 800 rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 0,000 rs. a duzia, e
5oo re. cada um.
Caf do Bio superior a 28o e 32o rs. a li-
bra, e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce tino de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas portuguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de ararula verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a 1,000 rs. cada urna.
dem em latas ermilicamenle lacradas a
1,5oo e 2,5 io rs. cada urna,
dem em caixas de ', 3 arroba a 2,5( o rs. ca-
da urna, e2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e 1,00o
rs. a duzia.
Genebra de llollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 56o rs. o frasco.
dem de laranja a 1,00o rs. os frascos gran-
des e 11,000 rs. a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da urna.
dem em garrames de 16 garrafas a 4,8oo
rs. com a garraao.
a libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um.
Molho inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro 64o rs. cada urna.
Marrasquino verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
a garrafa, lo.ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Nozes muito novas a 16o rs. a libra.
Pre/.unto de fiambre superior a 600 rs.
dem do Porto para panella a 800 rs. a libra.
Passas novas a t8o rs. a libra.
Peixe em latas de dilferentes qualidades co-
mo, savel, cortina, govas, pescadinhae
outros a 1,00o rs. a latas.
Palitos para denles a lio e 16o rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs. a libra.
e i,ooo rs. a arroba.
Paulos do gaz a 2,100 rs. a groza, 2oo rs. a
duzia, e 2o rs. a caixinhas.
Queijos flamencos chegados neste ultimo va-
por, a
dem prato muilo fresco a 800 e 9oo re.
a libra.
dem suisso a melhor qualidade qoe at ho-
ja tem viudo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
Sal refinado cm potes de vidro a 000 rs. ca-
da um.
Serveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia. e 56o rs. a garrafa.
Sardinha de Lisboa c iS'antes em quartos e
meia latas a 38o 080 rs. cada nma.
Sag mnito novo e alvo a 2o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevadaa loo rs. a libra, e 2,8oors. a arroba.
Traques de 1.a qualidade a 8,ouo rs. a cai-
xa, e 22o rs. a carta.
Toucinho novo de Lisboa a 24o e 32o rs. a
libra.
Tijollo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs. a garrafa.
dem*do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a ioo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muilo fresco nao levando com-
posicjio a 56o rs. a garrafa, e 4',000 rs. a
caada.
dem branco de uva pura a 060 rs. a gar-
rafa, e 4,."ioo rs. a caada.
dem mais baixo a ioo rs. a garrafa, e 3,000
rs. a caada.
dem Bsrdeaux emcaixasde 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,000
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes wm ao
nosso mercado a l,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se qne por este mesmo preco d pre-
juizo e s se encentra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu*
lar, malvasio lino, D. Pedro V, f). Luiz
I, Nctar e outros a 9,ooo e lo.ooo rs.
a caixa e 9oo a 1.000 rs. a garrafa.
dem Moscatel superior a l,ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,ioo rs. a caada,
dem cm garraoes com 5 garrafas a l.ooo
rs. com o garramo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna
dem de escova para esfregar casa 3Go rs,
cada tima. .
Vellas de espermacete superiores a ofo rs.
a libra, e 52o rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composico a
36o rs. a libra, e de lo,ooo a 11,00o rs. a
arroba.
O proprietario do grande armazem Unio e Commercio declara aos seus fregu
zes c amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos esiipukm
os mesuras precos nos seguintes lugares:
Uniao e Commercio roa do Queimado 11. 7.
O Verdadeiro Principal ra do jmperador n. 40.
Bichas de Hamburgo.
j\ X JL L-X *' J vtflX -' Yende-s# bichas de Hamburgo, as melhores que
Venden urna escrava de 13 i 16 anno?, de boa tem vindo este mercado, or preco multo barato :
Hgar! engomma cSlolu com perfeico > na r >a ruaNova n. 61, dtfronte da Illma. cmara mu-
do Llvramento n. 38.
. nicipal.
Empreza daiUuminatfto
a gaz.
Todas as vendas de appareihos e reclamacoes
fpor escripto dando o nome, morada, dala, etc.),
devem ser fetas no armazem da ra do Imperador
n. 31. Os machinistas mandados para atlender a
estas, apresentarao nm livro que os reclamantes
devero assignar logo depois de prompto o servigo
reclamado ; isto para que a empreza fique sciente
de haverem os mesmos senhores sido devidamen-
te attendidos.
Ferros para oiirlves.
Na ra larga do Rosario n. 2i, loja de ourives,
vendem-se lodos os ierres e utencilios de ourives.
AGENCIA
DA
FUNDICO DE LOW-MOOB.
Raa da Scualla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos ot
tamanhos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston A C.,
ra da Senzalla Nova n. 42.


-
Diarlo e Prrasahnfo 4)nnrtn felra 99.de funlio c I.IOl.
3-<
"j Largo da ^
^Sauta Cruz
numero ^
12 e 84.
Esquina da?
ra do
Sebo n. 12-
e84.
ttlHANTE AUIIOH
AURORA RRILHANTE
GRANDES ARMAZENS DE MOLHADOS.
Francisco Jos Fernandes Pires proprietario dos armazens de molhados denomina-
das Brilhante Aurora e Aurora Brilhante, ao largo da Santa Gru ns. 12 e 84 (esquina
da ra do Sebo), faz sciente ao respeitavel publico desta eidade e do interior que nos
seus importantes eslabelecimentos vender sempre gneros novos e de primeira quali-
dadc e vender a todos pelo mesmo prego.
U completo sortimento de todos os gneros finos e grossos que costumam ter outros
eslabelecimentos desta ordem se encontrarn sempre nos armazens da Brilhante Aurora
c Aurora Brilhante e sempre em grande escala a vontade dos Srs. compradores.
O proprietario dos armazens Brilhante Aurora e Aurora Brilhante pede a todos os
senhores e senhoras que quando tiverem de mandar suas relac5es a estes eslabelecimen-
tos por seus criados seja em carta fachada ou com grande recommendaco a estes arma-
zens, certQs de que scrao tao bem servidos como se viessem pessoalmentc.
mm,
A Brilhante Aurora e Aurora Brilhante troca qualquer um genero que por acaso
nao aerado e recebe as libras esterlinas a 9J,sendo por compra: a tabella de seus gneros
ser mudada todas as semanas.
Amendoas confeiladas parasortes a libra i.
Manteiga ingleza flor a 800, e 960 rs.
Dita niais abaixo a 640 e 720 rs.
Dita franceza nova libra 640 e e u barril a
600 rs
Chocolate sant muito novo ai()0 a libra.
Cha perola o melhor que ha ( redondo) a
libra 35200.
Dito dito ruis abaixo a 25500 c 24800.
Dito uxim muito lino a 25800 e 35-
Dito hysson superior a 25600 e 25800.
Dito mais abaixo a 24 e 24500.
Dito preto muito fino a 24300.
Dito em massos a 24.
Dito do Rio em latas de 4, 2 e i
14300.
Caf de moca superior arroba 104300 e li-
bra 400 rs.
Dito do Rio e do Cear arroba 94500 e libra
320 rs.
Dito mais abaixo arroba 84300 e libra 280.
Barricas com bolacliiua ingleza ingleza nova
a 34.
Latas com bolachinha de soda de 5 libras
14300.
Dilas com ditas sorlidas de 2 libras a 14400.
Frascos com ameixas francezas s o frasco
val o dinheiro a 24800 e 34.
Latas com ditas a 14400, 24200 e 44.
Hilas com figos de comadrea 14300.
A Caixinhas hermticamente lacradas eproprias
CQ3 para mimo a 24 e 24800.
Caixinhas com ditas a 14. 24300 e 34 de
arroba.
Presunto de Lamego limito novo a libra 5<0
re. inleiro e a retallio 600 rs.
Chouricas e paios novos a libra 800 rs.
Latas com cnoorieas e linguicas novas vin-
das nesie vapor com 9 libras por 64300.
Ditas com peixe ensopado do militas quali-
dades a 14.
Ditas com ervilhas francezas e iiortuguezas
a 880 rs.
Dilas com feijioverd
Ditas com inassa de
360 rs.
Ditas com ostras a "20 rs.
uilas com marinelada dos mclhores autores
de Lisboa a libra 640 rs.
Potes com mustaida franceza preparada a
libra 480 rs.
Frascos com conservas de pepinos, mexides
e azcilonas verde a J4-
Dita dita franceza a 800 rs.
(jios com trinta e tantas libras de batatas
novas a 34300.
Queijos novos do vapor a 34280 e 34300.
Ditos de prato cnplicado a 14-
Dito suisso a 800 rs.
Ditu de manteiga do Serid a 800 rs.
Caixas com passas novas de 1 arroba 74.
meia 3 3300 c quarto 23 e libra 480 e
640 rs.
Vinho muscatel duzia 104 e garrafa 14.
Dito braoco proprio de Lisboa caada 44800
e garrafa 640 rs.
Vinho branco de muito boa qualidade cana-
da 44 e garrafa 480 rs.
Dito Xerez fino a caada 74500 e garrafa a
14200. 6
Dito Madeira seca caada 104 e garrafa 24.
Dito em caixas de urna duzia do Porto dos
melhores autores a 124, 144 e 164.
Garrafas com licor fino francez e portuguez
I a 14.
' Dita> com vinho de caj muito claro a 14.
Ditas com niel de abelha puro a 14.
libra a Frascos com genebra de Hollanda de 2 gar-
rafas a 14.
' Dito de urna garrafa a 560 rs.
Dito de laranja verdadeira a 14200.
! Duzia de graxa latas grandes a 1-3.
Caixas com 25 massos de velas de sperma-
eete a 560 rs. a libra.
Ditas materos a 600, 640 e 720 rs. a libra.
Caixas com urna arroba de velas do Araca-
tv 104300 e libra 400 rs.
Ditas de composicao arroba 104 e libra 360
Saceos grandes com farinha de Coianna mui-
to boa a 54300.
Dito Je Porto Alegre melhor que de Muri-
beca a 64-
Ditos com milho novo com 24 cuias a 45OGD
Dito com farello de Lisboa 120 libras a
3-3300.
Dito com arroz de casca a 54300.
Duzia de garrafas de serveja branca e prela
a 3-5800 e em barricas a 54300.
Arroz do Maranhao em sacecs arroba 24000
e libra 100 rs.
(Dito da India e Java arroba 34 e libra 120.
Aramia verdadeira arroba 84 e libra 320
rs.. matarana.
Gommado Aracaty para enynmmar arroba
)-j a libra 160 rs.
Tapioca ou farinha do .Maranhao nova libia
francez a 800 rs. 160 rs,
tmale novo libra \ Ervilhas seccas multo novas libra 200 rs.
Sag r sevadinha a 240 rs.
pavada arroba 342c0 o libra 120 rs.
Graxa de botio 97 a 280 rs.
8abao massa a 200, 240 e 280 rs. a libra,
pito hespanhel verdadeira a 400 rs. a libra.
slalos do Porto diversos lmannos de 320
a 25.
Capachas para portas de varias cores a 600,
700 e 800 rs.
Grao de bico arroba 45500 e libra 160 rs.
Painco arroba 55500 e libra 200 rs.
Milh alpisla arroba 45800 e libra 160 rs.
Azeite doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa ranada 15300 e garrafa
JOO, 240 e 320 rs.
Massos de palitos de denles com 20 masM-
nbosa 160 rs.
Tijolos de llamar facas a 160 e 120 rs.
Amendoas com casca a libra 240 rs. e arro- Caixas com 40 cartas de traques a 95500
ba 6-3.
Nozes libra 160 e arroba 35-
Caixas e meias ditas com charutos finos da
Italiia dos melhores tabricanles de los
Furtado de Simas. Beis e outros, sendo
Suspiros, Parisienses suspiros, Delicias.
Normas de Havana, Exposicao, Almiran-
tes, Haraleiros, varetas, Guanaharas, Re-
gaba imperial, Acadmicos de linda, Se-
nadores e Apraziveis de 14500 a 84 a cai-
xa de 50 a 100 charutos.
Grozas de caixinhas de palitos do gaz a
25200 e 200 rs. a duzia.
Barris com azeitonas novas a 3, e 45 bar-
ris grandes.
Vassouras do Porto piassava muilo seguras
a 400 rs.
a caria 280 rs.
Resmas de papvl almaco pautado a 54.
Ditogieve liso o melhor que ha a 45500.
Dito de_ peso e pautado a 25500 e 24800.
GarrafdM com 25 garrafas de verdadeira
genebra de Hollanda por 84500.
Afeite do coco garrafa 560 rs. e carrapato
360 e caada 24560.
Caixoes com doce de goiaba a 640,800 e 14,
Toueinho de Lisboa arroba 84500 e libra
320 rs.
Dito de Sanios arroba 74 e libra 280 rs.
Molho.; com grandes ceblas a 15600.
Genio de dita solta a 14500.
Mauncos de alhos a 240, 320 e 400 rs.
Esleirs de varias qualidades.
Cordas de postar e de andaime.
zeite doce francez dos melhores fabrican- Favas da ilha de S. Miguel arroba 34200 e
tes caixa 104e agarrafa 14- I libra 120 rs.
Caixas com vinho Bordeaux branco e tinto Copos lapidados para agua e vinho a 35300,
S. Julien, S. Eslife e outros a 74500 e 84. 54800, 64 e 74.
Vinho do Porto fino em barris de 5o que ra- Ditos lisos para varios procos,
ras vezas apparece por 805 e em caada a Calix lapidados grandes e pequeos duzia
543OO e garrafa a 800 rs. 3,4 e 54 ; e 400 e 500 rs. cada um.
Dito da Figueira puro caada 44 e 44500 e Massas para sopa macarrao, talharim e ale-
garrafa a 480 e 560 rs. tria a 480 rs.
Dito de Lisboa de boas marcas a 35500 e Estrelinba e pevide libra 560 rs.
44 e a carrafa a 440 e 480 rs. Xaropes de fructas nacionaes a garrafa
Cognac, verdadeira a garrafa 15 e 15280. i 500 rs.
^E muitos outros gneros que nao possivel men-
ciona-los todos de primeira qualidade.
A satisfarn da Brilhante Aurora e Aurora Brilhante vender muito embora bara-
to, mas a DINHEIRO.
.\o armazeui de fazeodas baratas de
Santos 1 oclha, ra do Queimado, n.
19, vndese seguinte*
AUence.
I,azlnhas.
Ricas laaziubas para vestido, fazenda a melhor
que tem viudo ao mercado, tanto em gosto como
em qualidade da fazenda, pelo baratissimo preco
de 560 rs. o covado.
Laziohas miudinhas carmezins, proprias para
vestidos de meninas, e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de la com 15 corados pelo baratissimo
preco de 65.
Gobertas de chita da India pelo baratissimo preco
de 24500.
Lencoes de panno de linbo a 25.
Lencoes de bramante de linhe fino pelo baratissimo
preco de 34300.
Bramante de linho fino com 10 palmos de largura
pelo baratissimo preco de 24300 a vara.
Atoaihado adamascado proprio para toalha de mesa
.1 24000 a vara.
Oambraia de forro a 24600 e 34200.
Guardanapos adamascados a 34800 a duzia.
Toalhas alcochoadas proprias para maos a 55 a
duzia.
Cortes de calca do ganga amarella de listras
le quadros, pelo baratissimo preco de 152' 8
jrte.
Cambraia adamascada com 20 varas, prepria
para cortinado, pelo baratsimo prego de lOjOOO
a poca.
Picos cortes de la Mara Pia pelo baratissimo
preco do 184-
Pecas de cambraia do "lpicos com 8 l|2 .
polo baratissimo proco do 44.
Pegas de plaiilha do algodao com 10 varas, pro-.
pria para saia a 45200.
F.steiras d.i India, proprias para forro de sala.
de 4,5 e 6 palmos de largura, por meaos pn .;do
qno em outra qualquer parte.
le armazem tambem se encontrar um i de sortimento de roupas fea-, ; por mei

o s
Bff-S.8.3S'e
1
a
S
s

v>

a
o.

a
I ^
'I
5
I
ai
3 _
:-*_ T as
2 ai j g-3 3 STj.
Q. co co O cr o. = S
3 fc^ iJ "*
O. K g fi.
-. C^ -7 O
=:
o
9
cu
-i

. a>
rs
m
C/3 CF^ Q. ?
3-g
Cy- 3 5 B3
ce

> "B
CV"5-
3

* "1 -
- v>
Q.T"!
O
o.
n
&fcf
O T
CU cu
HS2
-
g"
T3 S
cu "i
i f sai
w C6 ^^
I W
? 2
-o 9
*
B B3
o
cu
"1
9
O
o
o1
3
cu_
ta-
c
er
cu
B
o
i-
3
O
4!s;iido da Kahia
(en -a eos de assocar e roupa de escravo; tem
vendo; Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
( ao seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Saldo As s
A' bordo da patacho Anir, defronle do Forte
do Mallo ancorado: tratar bordo ou na na Jo
Vi jarlo armazem Naval n. I.
GRANDE ALL1ANCA
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Paulo Ferreira da Silva & Companhia
Grande sortsJhento de molhatlos em grosso e a retalho. nico armazem que mais
vanlagens offereee ao publico.
i o AHi inca
; o Alflastca
!: o Allian^a
K o Allian^a
: o A Ulan^a
Fiquem
Venham
Veitliam
Deseng'aiiem-se todos.
o verdailciro homem do progressso
o verdailoirG e prindpal armuem de molhados.
o armazem que vende mais barato.
o armazem que vende os melhores gneros.
o armazem onde preside o melhor aceio.
todos sabedores desta verdade,
todos ra do Imperador n. 57.
ver os gneros que temos expostos a venda.
PARA AS FESTAS
NEM COROAS NEM MITRAS
o

E
C;itt\IIE AiM\EM
DE
HK
Amendoas eonfeitadas
! 800 rs. a libra.
dem de casca muito nova a 3oo rs. a libra.
' Avelas a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a I,ato, l,4oo e l,6oors. cada
urna.
4dem em frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a l.oo c l.ioo rs. cada
um.
dem em frasco grandes a 2,">oo rs. cada
um.
dem em latas de 1 Vs e 3 libras a l.2oo e
1 2,000 rs.
Arroz da India e Maranhao o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,4oo rs. a arroba.
Azeile doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
I 4,800 rs. a caada.
. dem franco/ clarificado em garrafas bran-
cas a Doo rs. cada urna, c 10,000 rs. a
caixa com I duzia.
I Alfazi'ma muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o rs. a libra c 4,600 rs. a ar-
roba
Bolachinlias de Lisboa da fabrica do lieato
Antonio dasseguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e di 3 '/ libras a t,5oo rs.
e em libra a 64o rs., estas bolachinhas
torna-se muilo recommi-ndavel com espe-
cialidadc para os doentes.
Biscoilos e Uolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a t,35o rs. a lat;i
Bolos francezes em cartoes e de diversas
qualidades a 6io rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 16o rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2.000 rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem viudo ao nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo e l,5oo rs. a garrafa
inteira, e 800 rs. as meias.
Cha uxim o melhor que se pode desejar, e
que outro qualquoi- nao vende por menos
de i.ooo a 2."00 rs. a libra.
dem perola de esp cial qualidade a 2,600 e
2,8oo rs. a libra, paranlc-se a qualidade
d'esle cha.
dem hysson o melhor que possivel encon-
trar-se a 2,4oo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l.2ooe l,4oo rs. a libra.
dem preto muilo lino a l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, franceza
hespanhol e suisso a l.ooo, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Por-
tado de Simas em caixas das seguin-
tes marcas: Parizienses, Suspiros, Dili-
cias, Napolees e (uanabaias a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muitos fabricantes e de dif-
erentes marcas para 1.5oo rs. as meias
caixas, de suspiros a l,6oo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 000 rs.
Cognac mglez das melhores marcas a 1,000
rs. a garrafa e to,ooo rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 3.000 rs. a duzia, e
3oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 c 9,5oo a arroba.
Doce Gno de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas portuynezas ltimamente chegadas
a Too rs. a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem ja descascadas a Sao.re. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muilo bem enfeiladas a
l.ooo rs. cada urna.
dem em lelas ermiticamente lacradas a
t.'ioa e 2,300 rs. cada urna.
dem em caixas de '/ arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e l.ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 560 rs. o frasco
S. J0&0 E. S. PEDRO.
de bonitas c*rs a litera de Hollanda em garrafes com 24 gar-
rafas a 7,2oo rs. com o garrafao.
Lentilhas excellcttte lgame para sopa e gui-
zados a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades a
800 e l,ooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800
e 96o rs. a libra.
dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
a libra, e 58o rs. em barris inteiros.
Marmelada especial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, ha
latas de differentes tamaitos.
Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o
rs. cada urna.
dem para soda estrellinha, pevide e rodinha
em caixinhas sortidasa 3,ooo 3,5oo rs. cada
urna e 5oors. a libra.
dem macarrao, talharim ealetria a 4oo rs. a
libra.
Mostarda franceza preparada era frasco a loo
rs. cada um
Molho inglez em gwTafinbis com rol has de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinlio vprdaJeirode Zara a l.ooo rs.
agarrafi, 10,000 rs. a caixa com 1 du-
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Prczunto de fiambre superior a 600 e 800
rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. i libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
outros a l,ooo rs. a latas.
Palitos para denles a 14o e a 16o rs. o mas-
so dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a groa, e2oo rs.
a duzia, e 20 re. a caixinha.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor, a 3,ooo
dem prato muito fresco a 800 e !)oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade que al no-'
je tem viudo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
dem londrino a Ooo rs.
Sal refinado em potes de vidro a 3oo rs,
cada um.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a'
duzia, e 56o re, a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nanles em quartos c
meias latas a 38o e 38o rs. cada urna.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libre,
Sevadinha de Franca I8o rs. a libra.
Sevada a loors. a libra, e 2.800 rs. a ar-
roba.
J'raques de 1.a qualidade a 9,5oo rs. a cai-^
xa, e 24o rs. a carta.
Toueinho novo de Liiba a 2 Jo e 32o rs. a
libra.
Tijolo para I impar facas a loors. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,800 re. a caada, e
5oo rs a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-1
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando cora-
composicin a 56o rs. a garrafa, e 4,000
rs a caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muilo especial que raras vezes vem ao
nosso mineado a 1.2oo rs a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco da
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto. Genuino. Velho Par-
ticular, Malvasio fino. D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a .ooo e 10,000
rs. a caixae Ooo e l.ooo rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a l.ooo rs. a garra-
fa, e lo.000 a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de LislxJa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
dem em garrafes com 5 garrafas a 1.000
rs. com o garrafao.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
RITA IIO IMPERADOR \. 40
Junto ao sebrado em qne mora o Sr. Osboroe,
Para a festa de Santo Antonio, S. Joao e S. Pedro.
Miarte Almeidn k C, rrreberam de sna proprla rnrommen
da o malo lindo e variado sor tinento de molhados. nroprloo
da presente esta^o.
Manteiga ingleza Macas brancas
da safra nova vrada neste vapor de 28 de para sopa a melhor que se pode desejar
maio a 900 rs. a libra e da velha a 800 e macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
850 rs. a libra.
lantelga franeeza
da safra nova a 600 rs. alibra.
Amendoas
eonfeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Traques
de n. 1 os mais superiores do mercado a
8^500 a caixa e 220 rs. a carta
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2#400, muito propios para mimos.
Cartes
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a l#KK>.
Chocolates
de todas as qualidades a I >< h 111 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 3ooo.
dem prato
o melhor que se pode desejar a IjOOO.
Conservas inglezas
libra e 4$500 a caixa.
Yinlio
Figueira J A A e outras militas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e de outras marcas a 400 rs. a carrafa, e
20800 a caada.
dem do Porto
generosos engarrafado dos melhores fabri-
cantes da eidade do Porto a i i e 10200
a garrafa e de 10,5 a 120 a caita, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisso AFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos Oeuzes,
lagrimas do Douro e outros muitoi.
Latas
com 10 libras de banha a 40000.
Bolachinha ingleza
a 10800 a barrica da mesma que por ahi
vendem a 20000 e 20400.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 40400 a arroba.
Nozes
Jas mais novas do mercado a 120 rs.a libra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mar-
cas de 40300 a 60500 a duzia.
CJARTOS
as mais novas que se pode esperar a 760 rs. Charutos Thom Pinto,. Res e outros em
o frasco.
Firos
meias caixinhas a 10500.
Arroz
do Maranhao a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 2*300 a 30000 a ar-
roba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2.a sorte do Itio de Janeiro a 8-s.'i00
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libra.
Ciarrafes
com 4 i garrafas com vinagre a 1-S000com
o garrafao.
f.ENEBIU DE LAKANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 5r>800 com
12 frascos.
GENEBRA
de Hollanda verdadeira em frasqueia a 600
rs. cada urna.
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 1)00 e 10200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
30 a 20600.
dem perola
especial qualidade a 2:S700 rs. a libra.
dem hvssou
o mais aromtico que tem viudo ao nosso
mercado a 20600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aletria a
480rs. alibra.
C'OGXAC
o muito afamado cognac Pal Brandy a 1,800.
rs. a garrafa e de outras muitas qualida- PALITOS
des a l.ooo e 800 rs. a garrafa. os verdadeiros palitos do gaz a 2 2oo a "roza
COPO e 2o re. cada caixinha.
lapidados para agua a 4,5oo c 5,000 rs. a LICORES
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um. finos de todas as qualidades. a 111,000 a caixa
PAPEL com urna duzia e a l.ooo a garrafa,
almaco, greve, peso e de outras muitas qua- PASSAS
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me- as mais novas do mercado a 0,5oo rs. a cai-
Ihor. xa e 5oo rs a libra.
PAWa Mflmiplqdq
azul e pardo para embrulho de 1.4oo a 2,2oo iu.amu,iuutt
rs a resma dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
Corinthias fe Al,reu p oulros mui,S a Oo "a
passas corinthias muito novas proprias para Pnurnnfn
podim a 800 rs. a libra. "'
dem de laranja a 1,00o rs. os frascos gran-1 cada urna.
des e H,ooo rs. a caixa com 12 frascos. Velas de espermacete superiores a 56o rs.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada a libra, e 52o em caixa.
urna. dem de carnauba retinada e de composicao
dem em garrafes de 16 garrafas a 4,800 a 36o rs. a libra, e de 10,000 a H.ooors.
rs. com o garrafao. a arroba.
Fume
o verdade.iro fumo americano em chapa a
1,4oo rs. a libra
Vinagre
PRR em ancorelas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais-novasdo mercado a 7,00o rs. a caixa
e 1,00o rs. o molho.
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranhao, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
INJECCO E CAPSULAS
VEGETAES ao MTICO.:
GRIMAULT E G'.A PHARMACEUTICOS EM PARS
Novo Iratamento preparado rom ns folln de Matleo.rvare dPrm,para a cura rpida e Infallivel
da Gonorrhea ?em recelo algiim da contracto do canal ou da Inflammacao dos Intestinos. O clebre
doutor nicord, de Pars, ter renunciado, desde sua apparico, ao emprgo de qualquer outro tratamento.
Emprega-se a injorcaa no comc,o do tuxo. as capsulas em lodos os casos chronicos e inveterados, que
resistirla il preparacocs do copahu, cubeba e s Injeceoes com base metalllca.
Depsito geral: em Parit, em casa de MM. GrlmauU e O, pharmaceutiros, 7, ra de la Feuillade;
em Lisboa, Jas-Agestlstka da Caala-Carvalha Jnalar; no Torio, Miguel Jaae deflaaaa Per-
rrtra: cm o Mo-de-Janeiro, Gratas, IOS, ra S. Pedro; em Baha, Jo*-Catana FcrrcIm-F.-pIn-
heira; em Ht'o-Crande, Joaqun de Godo); em Jaronhdo, Ferreira e C; em Prnombuco,
shoum e c, ra da Crux, 22; Sansa, e as principaes pharmacias do Brasil._______________
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos presos nos seguintes lugares:
llniao e Commercio ra do Queimaito n. 7
0 Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40
# GRANDE LIQUIDACAO
DE
Na loja da ra do Crespo numero 17.
Aproveitem todos.
O proprietario deste importante estabelecimento va Europa comprar fazendas de'
apurados goslos para melhor servir as Exmas. senhoras, razio porque est vendendo fa-
zendas baratissimas.
Cortes de rico blonde para casamento a 905, sontembarques pretos mnito importante
a 205, 2ol e28J, manteletes pretos a 20J> e 255, capas pretas importantes a X>& e 405,
capas de casemira de cor a 185 e 235, soutemharques de casemira a 105, chapeos de ka-
Iha copa redonda, veos brancos a 155, cortes de laa muilo apurado gosio a "5, cortes de
lia com barra a 105, >23,135 e 205, cortes de cambraia brancos bordados a 235 e 305,
chitas de tedas as qualidades francezas e inglezas a 320, 360, 440 e 300 rs., bramante de
linho muito lino pecas de 23 varas a 205, 245 e 255, bretanha de linho muilo fino a 185
e 205 pecas de 25 varas.
Madapoldes Anos a 85,95,105, 115 e 125.
Camhraias lisas com 9 palmos de largura a 25300 a vara, pecas de t 1(2 varas a
55, 65, 75, 85, 95 e 105.
Para o Club Pernambucano.
Filineie circasiano fazenda de mnito apurado gosM para vestidos, proprio de parti-
das e de bailes a muito reeommendave! por ser muilo apreciada em Consuntinopla. E*
adniiravel o seu bom goslO.

Charutos de Havana
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n.' 22 emeasa de Caros 6 Barboza
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schalleitlin & C, ra da Gnu n. 42.
Rea da Seuzalla ilova a. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idemdeLo*
Moor libra a 120 rs.____________
At que chcgoii
um grande sortimento de bico c renda prcta de
novo modelo chamado (guip) o melhor quo se
pode desejar nesle arligo e que se vende muito ba-
rato : na loja do gallo vigilante ra d* Crespo
D. 7.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualid.de a 125
a lata e em lotes de 10 latas para cima se
far abatimento. no armazem do Caes do
Ramos n. 18 e ra do Trapiche Novo nu-
mero 8.
Ra da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston C,
sellins e silhSes inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, aireios para
carros de um e dous cavallos, e relogios do
ouro patente inglez.



Dlart Ir Ternnmf'met QuaHa elra *t e Jimho de I84.
i
f
*
.1
CLARIM
GOimUERGIAL
RA DO QUEIMADO W. 45;
Passando o becco da Congregado segunda casa.
pfil
NOV1DADE.
Pereira Rocha & C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commercial,
onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
aero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se o bora peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do MaranMo da India e Java a 60, 80 Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a Palitos do gaz a 20200 rs. a grosa.
e 100 rs. a libra 1 800 a 2,5600 e 30 libra. Passas muito novas a 480 rs. a libra
a arroba i Cevadinha de Franca muito superior a 220 Peras seccas muito novas
Ameixas frncezas em latas e em frascos a rs. a libra. Painco a 200 rs. a libra.
15200 e i 5600 em frasee s grandes a Cevada a 80 rs. a libra. Polvo secco muito novo.a 400 rs. a libra
2^500 Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata. Presuntos de Lamego em calda de j
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estampas no interior das caixas
a 125000,15400, 15600 e 25.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 45600 a arroba.
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
15800, 55500 e 280 rs. a libra.
Farinna do MaranhSo a 160 rs. a libra.
Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
Azeite doce francez muito fino em garrafas Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 65200 a frasqueira.
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Aramia verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 re. a
libra.
Biscoutos ingleses de diversas marcas a
i 300 ris.
Bolachinhas de sOda, latas grandes, a 25 rs.
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 35000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor eflnada a 440 rs. a libra e
e em barril a 410 rs.
Cha hysson, huchin e perola a 15600,
25500, 25800 e 35000 a libra,
dem prelo muito superior a 25000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 5*800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 15800,
2000, 25200, 25500, 25800, 35000 e
35500 a caixa.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 85500 e 85800 rs. a arroba,
dem londrino chegado no ultimo vapor a
900 rs. a libra. fcr.
Candes de bolinlios francezes muito novos e
muito bem enfeitados a 700 e 600 rs.
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 35100
dem prato.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 re.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
dem em garrafoes de 3 e 5 gales a 55500 lijlos de limpar facas a 140 rs.
1
e 75500 cada um com o garrafao.
Graixa a 100 rs. a lata e 15100 rs. a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa,
dem, qualidade especial e garrafas muito
grandes. a < Aflon rs. a carrafa.
I*'
Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
libra.
Figos em caixinhas emticamente lacradas
a 15600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque d Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Mara Pia,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
15000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 95000 e105000.
dem em pipa, Porto, Lisba e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 35, 35500
e 45 a caada.
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa.
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 75000 e 75500 rs.
a duzia.
dem Morgaux eChateauluminide 1854, a 15
a garrafa.
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
15200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 15800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porc5o de outros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porcoes como
retalho.
Quem comprar de 1005000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
UNA)
RA WACJ
NTIL
'K W. 53.
<
RA DA C
Francisco Fernandes Duarte acaba de
nominado Unido Mercantil. Neste grande ar
ceneros que vem ao mercado, tanto esirangein
gommrMos. .
Vlanleiga ingleza especialmente escomida |V
de primeira qualidade a 900 rs. a libra.,
em barril se faz abatimento. A
Mantciga franceza a mais superior do mer-
cado a Cou rs. a libra, e 580 rs. em barril A
ou meio. IJ
Prezuntes inglezespara fiambre, de superior (
qualidade, chegados neste ultimo vapor, a
70 rs. a libra.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor a 45000.
Queijo prato muito fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Castanhas muito novas a 120 rs. a libra e
e 35O00 a arroba.
Cha uxin o melhor que ha neste genero,
mandado vir de conta propria a 25800
rs. a libra.
Cha hvson muito superior a 25560 rs. a li-
bra"; cha hyson proprio para negocio a
15500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 25 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com differentes
Dualidades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
outras muitas marcas a 15350.
Bolachinha de soda em latas grandes a 25.
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 15500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 15 e 25 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 50'rs. a librae 35 umquarto ;
e em caixa se faz abatimento.
Ameixas frncezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
" tem vmdo ao nosso mercado a 185 o gigo,
Karante-seaaperior qualidade.
Vinho Bordeaux das melhores quahdades
que se pode desejar de 75500 a 85000 a
caixa e T20 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 95
a i0> a duzia, e 900 a 15 a garrafa; deste
genero ha grande porcao e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 14 e 155 a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do Dooro, D. Luiz,
Camoes, Madeira seeeo, Carcavelk, Nc-
tar de 1833, Duque Genuino.
Viuno de pipa: Porto, Figueira e Lisboa a
400,480 e 580 rs. a garrafa, e 34,34200
e 35500acaoida.
Vinho braceo d soperwr qoalMWe, viade
j engarrafados 640 rs.agarrafe e a 500
rs. de barril.
Avelas muuouu.
Amendoas confeitadas de diversas crt.
800 rs. a libra.
Macaas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, s vista se faz o prego.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Ervilhas frncezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 15200 a libra.
Chocolate hespanhol a 15200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 19.
Cerveja branca e preta das melhores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
59800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
e 14200 a garrafa.
Licores francezes das seguintes qualidades:
Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames
e de outras muitas marcas a 14 a garrafa
e 105 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
95 a duzia.
Mostarda ingleza em potes j preparada a
400 rs.
Mostarda ingleza em p, em frascos grandes,
a 14 cada um.
Sal refinado a 500 rs. o pote.
MOLHADOS
FE IX. 53*
grande e sortido armazem de molhados de-
ico um completo sortimento dos melhore
em porces ou a retalho por precos ass
ardinhas de Nantes a 340 rs. o quarto e 56('
rs. meia lata.
,atas com peixe em posta : savel, corvina,
vezngo, cherne, linguado, lagosinha, a
15300rs.
->almo era latas, preparado pela nova arte
de cozinha, a 800 rs.
lagaa de tomtes em latas de 1 libra a 60<
ris.
bolinease paios em latas de 8 e meia libra
por 75. .
oucinho de Lisboa a 320 rs. a libra t
85C00 a arroba,
olaxinha ingleza a 320 rs. a libra e 45 >
barrica.
ag muito novo a 240 rs. a libra,
evadinha de Franca a 200 rs. a libra,
arinha do Maranho a 120 rs. a libra.
iraruta verdadeira a 320 rs. a libra.
levada a 120 rs. a libra e 35 a arroba.
pistaa 160 rs. a libra e 45800 a arroba-
batatas muito novas em gigos com 40 librai
por 15500.
Cebollas a 15 o molbo com mais de 100 ca-
da um.
',af lavado de primeira qualidade a 300 n,
a libra e 95 a arroba.
' do Cear muito superior a 280 rs. a li-
bra e 85i00 a arroba.'
Caf do Rio, proprio para negocio, a 85.
Arroz do Maranhoa 100rs. a librae 25800
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a 'libra e 29400 a
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o mas
so e a 95 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixo.
MacarrSo, talharim e aletria a 480 rs. a
bra; em caixa se faz abatimento.
Estrellinha,pevide e arroz demassa para sopa
a 600rs. a libra e 34 a caixa com 6 libras.
Palitos de dente lixados com flor a 200 rs.
o masso, ditos lixados sem flor a 160 rs
o masso com 20 massinbos.
Gomma de engommar muito fina a 180 rs. 1
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a librae
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inteiras ou em metas, de
15600, 24 e 34.
Presuntos do reino, viudos de conta propria
de casa particular,a 400 rs. a libra; intei*
ro se faz abatimento.
1).
Ossenbore que compraron! de 1004000 pira cima, terao o descont de 5 per cento, pelo prompto pagamento.
PARA BEM DE TODO
FAZEI FAVOR DE LR ESTE ANNUNCIO
da economa domes-
0 assumpto
DESCORRIO-
0 verdadeiro e principal ar-
BAL
tica que se vai tratar,
importante.
SK AFIMAIi
mazem de molhados o do
IZA.
Xlnguem contestar esta Verdade.
A fama far correr esta noticia.
A posterldade bemdlr o nomo do Baliza.
Actualldade Batel palmas de eontentameatof
m
ATT
Sem mitras nem coreas para ornar a fachada de seus annuncios, e as portas do edificio em que habita, o Baliza se
contenta em tomar o seu lugar de honra na vanguarda de todos os homens do progresso.
Sopre embora o maldito Clarim, o seu toque de retirada a marche-marche do desacreditado Progresso; arme a tenda
dos falsos apostlos da sinceridade no tratro, da realidade na pratica dos negocios commerciaes. revele Analmente a sua
grande insobordinacJo fingindo desconhecer os seus superiores, deixando-se flear sentado, em vez de perfilar-se e fazer a
continencia do estylo, porque o ineansavel Baliza sempre fiel ao seu juramento ter continuamente na melhor ordem todo o
seu trem de guerra e no mais complecto movtmento, o seu preslimo para bem servir, desde o mais simples camarada at
o mais alto general da primeira classe do exercito dos seus constantes freguezes.
Entremos na materia:
SENTIDO!
ORDEM DO DA.
Desde a 1/ publicacao deste annuncio at segundo aviso Manoel Pedro de Mello, proprietario do grande armazem
do Baliza estabelecido ra do Livrameitons. 38 e 38 A vender a todos os seus freguezes.
Cinco por cento menos
que qualquer dos seus amaveis collegas que por menos annunciar. Qualquer objecto que nao chegue a contento dos se-
nhores compradores, pode ser devolvido anda mesmo pelas pessoas que -moraran no centro da provincia.
O dinheiro receido pelo gener0 que nao agradar ser restituido sem constrangimento aigum.
DeelaraeSo Importante.
falso o boato que tem feito espalhar o soldado soprador da ra do Queimado de que se acha o Baliza associado
ao armazem Uniae Mercantil aberto a ra da CadeiaMo bairro do Recife.
A liga entre os collegas um crime de lesa-povo.
E entre-tanto o Baliza ligueiro.
Ligueiro sim das ideas liberaes dos progresistas de todo o universo aos senlimento mais ntimos de seu coracao.
Deste modo de pensar ser o Baliza eternamente conservador.
r -eoc- uccr ^3^ ce 00^ v-ot/ ?*-' w* vj^~
MOVIMIENTO
BAIRRO DO RECIFE, RA DA CADEIA N. 50
O mais novo e o melhor
VItITIAZEM IIE JflOIilIADOS
Jlsquina defronte da ra da Madre de Dos
* ATT
Antonio da Silva Campos, successor do amigo Nascimento defronte do becco Largo, bem co;
nhecido j nesia praca, acaba de transferir o seu eslabelecimento para a casa cima indjeada, onde
os seos benvolos amigos e freguezes, bem como o respeitavel publico em peral encontraro o mais
variado, escolhido. e melhor sortimento de molhados, a par do aceio, elegancia e bom rgimen do eta-
balecimenlo. .
O annunciante. tendo feito urna completa reforma no tocante a casa e gneros, possuinao nons
correspondentes na Europa para remessas de conta propria, acha-se convencido que merecer a pro-
tecc.ao de todos os amigo do,bom e barato, a qual desde j reclama, asseverando-lhes que jamis des-
merecer a confianta com que se dignarem de o honrar.
'~-*rv,*f
guns
nenlium
delicadeza, ou legalidade de pesos e medidas.
Finalmente, todas e quaesquer garantas que eslabelecimentos idnticos teem oflerecido aos
concorrentes, seri mantidas neste em grao maior.
LIQU1DACA0
23Largo do Terco23.
Joaquim Simao dos Santos tendo de se retirar est resolvido a liquidar e fazer urna grande
vantagem a quem seu armazem frequentar, e vender por meos do que outro qualquer annunciante.
para sso tem um vantaioso sortimento Unto neste armazem como fora e para! melhor servir o publico
o annunciante scientiui-a aos seus freguezes que tem frequentado este eslabelecimento que de
hora em diante terao a vantagem de O a 20 por cento menos que compraram em outra poca pelo
seu prompto pagamento.
Atten$Lo.
Vende-se em barril por menos do que em outra
qualquer parte, para fechar conta : no armazem
de i. A. Moreira Dias, ra da Cruz n. 2b\ onde en-
contraro as amostras.
Fulha de ferro nalvanisado para telhao
na ra da Cadeia do Recife n. 56 A, loja de ferra-
gens de Bastos.
VIMO E MtlNTEMA
Manleiga ingleza muito boa a800 rs., 720 e GiO,
franceza a 600 rs., vinho puro Figueira a 35200 a
caada, e 440 rs. a garrafa, Lisboa a 2J60O, e 360
rs. a garrafa, queijos do vapor a 2900, cha miu-
dinho a 25600, arroz a 80 e 100 rs. a libra, estea-
rinas a 560, carnauba a 320, alpista a 140, traques
a 240, bolachinha ingleza a 160, btalas novas a
100 rs., toucinho a 280, gaz a 480, azeite de car-
rapato a 260, farelo a 35800 e sacco : no armazem
da Estrella, largo do Paraizo n. 14.
Para acabar.
Os seguintes livros novos pelos precas abaixo
declarados, na ra do Imperador n. 15.
Horacios latinos em 2 voluraes 45, Virgilios ditos
em 3 vols. 55, diccionario francez do Fenseca em
1 s volme, encaderac.o rica, o, o jogo de
diccionarios francez porluguez e vice-versa por
95, selecta franceza, ediicao de Hoquel, 3500,
Mez Marianno estampado, boa impresso, 15, Di-
rector espiritual para sacerdotes e tambem secu-
lares 800 rs., do melhor e mais correcto ritual.
contendo as msicas precisas, encadrnacao uo
diferentes modelos, at o mais rico, 25, 35, 45
55 e 65, Constitui{ao do Imperio commentada 15,
cdigo criminal commentado 15, dito do processo
dito 15, a obra do sello que se venda a 55000 por
25volume, os Martyres Pernambucanos a 15,
manual da musa e da conflsso muito aogmentado
a 800 rs., Caminho do Co, rica ediccao, 15-
Ll VA* DE PULL1CA
Para homens, rauilieres e meninas.
A Agoia-branca, na ra do Queimado n. 8 rece-
beu luvas de pellica, para homens, mulheres e
meninas.
Liquidacao.
de
Bicos pretos
Na ra do Queimado n. 47, aonde se vende por
todo o preco ; assim como botoes de seda e vellu-
do para ca'saveque.
a 270 e
e 35
Caf do Rio de primeira e segunda sorte
300 rs.
Arroz pilado a 80 e 100 rs. a Jibra e 25400
a arroba.
Milho alpista tirapo a 170 rs. a libra e 45800 a
arroba.
Toucinho de Santos e Lisboa a 240 e 280 rs. a libra.
Passas de carnada a 500 rs. a libra e 105 a caixa.
Azeite doce de Lisboa fino a 640 rs. a garrafa e
45800 a caada.
Dito de carrapato a 320 rs. a garrafa e 25240 a
caada.
Massas para sopa aletria, macarrao e talharim a
480 rs. a libra e 105 a caixa.
Chouricas as mais novas a 800 rs. a libra.
Charutos em magos de 50 a 65 o milheiro e a
640 rs. o cento.
Dito em caixa da Baha dos melhores fabricantes
de 15200, 254OO 35 e 45.
Phosphoros do gaz vindo de conta groza 25300.
Manteiga franceza a 600 e640rs. a libra.
Dita ingleza flor a 800 e 900 rs. a libra.
Biscoutos e bolachinhas de soda a 15300 e 25.
Vinho do Porto engarrafado a 800 rs., garanle-se a
superior qualidade.
Dito em pipa Figueira das marcas mais bem co-
nhecidas a 500 rs. a garrafa e caada 35800
35600.
Dito da Lisboa especial para negocio a 360, 400 e
440 a garrafa e em caada faz-se abatimento.
Dito branco proprio para missa a 640 e 600 a gar-
rafa em caada a 55 e 35500.
Bolachinha americana a 200 rs. a libra e em bar-
rica ba grande abatimento.
Feijao a 6$000.
Vendem-se saceos com 22 cuias de feijao mula-
tinho e rajado, pelo barato prego de 65, pechincha
igual tempos nao apparece neste mercado, por-
tanto cheguem ao barato antes que se acabe : na
ra da Madre de Dos ns. 5 e 9.
DE
DE
J. VIGNES. 3
w &*. RA IlPBIlADtB M. .
~ T2, f.hrica sao hoie assaz conhecidos par 0s9i^^^Lem^Z^rLm aos compradores, qual idades estas incontesU-
^ !SMfeTEW^eroTconquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; p*
? i Tmachinismo quoMecem todas as vonUdes e caprichos tepu^s
^fci^T^xserm fabricados de proposito, e ter-se feito ltimamente melhorarnentos nporttD-
"Ss, pS o clima deste pa.z, quanto vozes sao melodiosas e flautadas, e por isto moito agrada-
ve%^.dc\,Se^t^endaa, tanto nesta fabrica como nadefc BlondeL deParis, Kio
.-niTfisnondente de J. Vienes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expesicoes.
"TS Sttolecimento se acba sempre um esplendido variado sortimento de mosteas do
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo todo vendido por
ec. ,s commodos e razoaveis.
ESCRITOS FGIDOS.
Fugio de casa de seus senhores, no dia14 do
corrente, o escravo Izidro, crioulo, de idade 25 an-
nos, pouco mais ou menos, estatura.regular, cheio
do corpo, cor um pouco fula, cabellos carapinhos,
olhos pardos, beicos um pouco grossos,^^nar,z0ngnn"
lar, ps grandes e grossos bem desembaracado no
fallar nao malcriado, levou calca do bnm bran-
co camisa de madapolao, chapeo de, feltro ja usa-
do cojo escravo filho de Calista Mana da Con-
ceicao, do Brejode Bananeiras, provincia da Para-
biba do Norte ; veio ero 1861 em pagamento para
os Srs. Guimares & Alcoforado desta cidade, sup-
pe-se ter seguido para aquello lugar : roga-se a
todas as autoridades e capitaes de campo a sua
apprehensao e leva-lo ao pateo da Santa Cruz n
6, que serao generosamente recompensados.
ATTMMl
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO J
Acha-se fgido o escravo de nome Faustino, de
idade 40 annos, pouco mais ou menos, cor fula, at-
ura regalar, grosso do corpo, bem espadado, bar-
bado, e j com alguns cabellos brancas na barba,
bracos e pernas grossas e bastante^cabelludas, ten-
do as pernas arqueadas, porm nao muito, costu-
ma andar om sambas, e as vezes embriagase bas-
tante por gostar muito de beber : portanto roga-
se as autoridades poUeiaes desta e das provincias
limitrophes, que o racam apprehender e lera-lo a
sen seMOTO major Antonio da Silva Gosmao, na
ra Iap W, assim como roga-se aos capilaes de
campS! prehensao do dito escravo, que sero
bem gratificados.



Diarlo de Pernambnfo linaria felra tt de innhn d tSd.
LITTERTRA.
que o convia nao faz rnengo do tratado, e d'uma
dellberago da conferencia cora as potencias que o
assignaram nao se poder tirar consequencia algu-
ma para o reconhecimento d'aquelle acto.
O restabeleciraento da paz, os ajustes proprios
para prevenir novas complicabas, para evitar no-
vo sacrificios, aflm do fundar um estado de cou-
0 QUEVAE PELO MUNDO.
O .Sr. do Itismark dirigiu a seguinte circular
aos represntatelesda Prussia na Allemanha :
Berlio, 29 de margo de IS64.
V. Re. sabe que o governo britannico mani-1sas 1u? 6aranta plenamente e assegure para o fu-
tetOU ha milito lempo, c por rateos melos, o de-:laro loi0i direitos e interesses da Alleraanha e
seio do quo os meios para aplanar as complica- dos ducados, sao lins para os quaes todas as po-
tencias, e especialmente a confederagao germni-
ca doren reconhecer que Ibes cumpre cooperar.
que os meios para applanar
(5es inti'rnacionaes dnamarquezas, (tosen debati-
dos n'unn conferencia' das potencias mais inme-
diatamente uteressadas. Dirigiu urna proposla di- overno 1ue se recusasse a um passo pacifico,
recta, para a reonio de urna conferencia desle >in o proposito de chegar qnelie resultado, lo-
genero ao governo d'el-re, por meio de urna nota maria sobre S1 uma grave responsabilidade.
do embaixador de Inglaterra, em data de 23 de Julgamos que a confederagao nao poderia ter
fevereiro, cuja copia remetto, qual respond com acceilado como nos e a Austri a, nao acceitamos,
os despachos egualmente juntos, dirigidos sir a ase proposta pela Dinamarca, mesmo como pon-
Anflr Buclianan, e ao embaixador de el-rei em 'o de partida para as del iberagoes. Mas nao du-
Londres, com dala de 24 c 23 do mesmo mez. Um vidamos que a confederacao, assim como nos e a
passo anlogo, dado em Vienna, leve uma respos- Austria, ha de considerar acceitavel o convite fe-
to pela Inglaterra, alem de uma base semelhante
para as deliberacoes fundadas nos meios do resta-
ir. conforme.
i A propos'.a do governo britannico nao ha de
encontrar o mesmo acolhimento em Copenhague.
Ali peiiu-se lempo para refleclir, e com quanlo as
djas potencias allemas eslivessem perfectamente
no direito de considerar de nenhum efferto aaccei-
tagio que ento Qzeram da proposla ingleza, de-
rain todava uma nova prova do seu amor pela paz,
declarando no seu despacho idntico, de 7 de mar-
ro, que Y. Ble. foi communicado, que estavam
sempre dispostas, ao passo que desenvolvan) as
suas operagoes militares na Jullandia, a tomar par-
te na conferencia e a consentir n'um armisticio re-
commendado pela Inglaterra.
belecmento da paz; o que nao implica delibera-
cao alguraa tonuda antecipadamente a respeito de
uma solucao positiva qualquer, e que' responder
a esse convite.
Mas nao quizemos deixar de manifestar tam-
bera especialmente esta conviccao aos nossos con-
federados, e de recomraendar um voto conforme
da dieta ; ao mesmo tempo pensamos que era do
nosso dever expr, como Qzemos no que fica dito,
as presupposiges de que estavamos possuidos
quando acceitamos a proposta ingleza.
Sea dieta federal admilte tomar parte em prin-
i cipio, e responde nota ingleza, a maneira por-
ull"* S ? SeTa T ? gabmef,e de S-'que a MS*> deve ser representada na con-
limes se v,u as circunstancias de nos fazer sa- ferenciaj ,em de ser objeclo d( ulteriores delDe.
ber definitivamente que a Dinamarca se havia re- j raCoes
solvdo a acceitar O convite apresentado no lira de Convido v. Exc. ex^r as conside ^
fevereiro em Copenhague, e que na supposigao de I contidas nesle des no ao J^ J
que a Prussia a Austria pres.stisscra tambera na;eo des a honra de estar acreditado apoiandoa
sua anterior acceitacao.e de que para nao haver verba|men.e. O vosso collega austraco jaTce-
necessidade de convite particular, ,am dirigir-se ] beu QSt 6es ana, do J J
convites aos outros signatarios do tratado de Lon- reis, quanto fOr possivel, andar de accordo com
dres e a confederacao germnica. e||e_
Este convite foi feito era duas notas, das c- Ficaes tambem autorisado a dar conhecimen-
pias juntas, do ministro da Gra Bretanha em t0 do presente despacho ao governo junto do qual
Francfort, ao reproseatante austraco presidente esUes acreditado, e a deixar-lhe uma copia comi-
da dieta, datadas de 26 de marco; foi apresentada dencial, se elle o desejar.-(Assgnado) De Bis-
dieta na sesso do mesmo da 26 de margo, e mar^- *
mandada as commiss5es reunidas. *#
. Y. Exc. ver por estes documentos que o ga-', ~ Vat\^f df A!l" publicada no Timts-coa'
binetc de Copenhague desejava que o* ajustes de 2 T escilKM Danewirke, cujo abandono
tulle 18, considerados no seu conjuncto, fos-' TJnlZT^X Tf? '"gar aos, d,islurbios de
wm fixados antecipadamente como base das del i- ^Pieuhaue- A carta e anterior a lula, mascn-
bera^es da conferencia, mas que na ,g,aerra se ZSZ^s^^^ 7 '
tinha reconhecido a impossibilidade da conferencia
s' reunir debaso d'aquella base, ou que ella mes-! Se as tropas prussianas e austracas entraren
na servsse de ponto de partida para as suas del- rea,men,e no Schleswig, e se os negocios se nao re-
beracoes. Lord Russell propoz, por consequencia Kularem, ou por um accordo secreto com o gover-
.-orno nica base e ponto de partida da conferencia,' no dinamarquez, ou pela retirada voluntaria das
o proposito expresso de encontrar os meios do res-' forSas dnamarquezas, o Danewirke, de quo se fez
tabeleciinento de uma paz duradoura. i,anla questo durante a guerra de 1848, ha de ser
. Isto est em completa conformidade com Ponl onde se da Peiro golpe,
convite primitivo de 23 de fevereiro; e tanto mais A 'ornada d'aquellas fortificagoes notaveis nao
podemos admiltir que a Dinamarca suscite qual-|na de ser agora, para as tropas allemes, t5o fcil
quer contradiccao a este respeito, quanto que o'corao enlao> Pr '*so que desde 1861 a fortaleza,
governo brilannico nos fez observar expressamen- como prevengo de futuras perturbagoes, foi con-
t que o gabinete de Copenhague estava prompto,; vertida n'uma poderosa posgo entrincheirada
so estes ajustes parecessem insufflcientes a discu- 1ue> na opiniao dos juizes competentes, poucas ha
tir outras propostas.
O governo britannico, pondo de parte a
raais forte calibre, apresentam um novo obstacu-- ram provas de grande bravura e de sangue fro.
lo a qualquer inimigo que avangasse. Os Austria- '
eos, cuja missao, se dermos crdito a certas infor-
magSes, era attacar aquella posigao, nao julgaram
o negocio fcil,, e todava as diffleul>dcs que es-
peran) os Prussanos que vem pelo caminho de
Rendsbourg, sao anda muito maiores.
t Os enlrinoheiranionlos comegam n'aquelle pon-
to, na povoagao de ^Yedelspaug; a priraeira linha
d'esses entrncheiramentos cstende-se a osle aira-
vez do Selker-Xoer at ao5chle, na direccao de
Rothen-Krug, ponto at onde se eslendem as bale-
ras que vem da dirergao opposta do Hellingstadt.
Na junegao, as defezas sao coroadas, por uma ba-
tera poderosa, armada e fortificada.
Alm eomega uma segunda linha de entrn-
O imperador da Austria, nomeando almirante o
o capitao Teggetoff, deu j uma prova de quanto
aprecia va os seus servigos.
t Emquanto a Sctiuarzemberg estava nesle esta-
do, o Radetzki fazia quanto era possivel para at-
trahir a attengao das fragatas dnamarquezas, as
quaes nao parecan) de maneira alguma dsposias
a abandonar o Schtrarzcmberg, sem ler^ompletado
a sua deslruigao. Todava em todo o combate, a
Badelzhi recebeu vinte e oito balas.
l'm joven cadete de marraba, que dirigiu o
fogo das duas pegas raiadas montadas Sobre a tol-
da, foi gravemente ferido no principio do comba-
te. Morreu desses fermenlos, honiem s 11 ho-
ras. A bomba quebrou as pernas do joven offi-
cheiramentos com um poderoso forte em .Bustorf, cial, tinha passado por entre as duas pernas de um
comparavel a uma pequea fortaleza ; esles enttin- marinheiro, que estava rectiando, a pega que ser-
cheiramentos alcangam, na direegao opposta, al va para a carregar de novo. Apczar do seu feri"
Hurbye, que, transformada tambem n'uma forte ment o valente mancebo contnuou a excitar as
praga de armas, coramunica com Hellingstadt, por pragas do seu coramando com gestos e palavras,
uma serie de pequeas obras intermedias. Esla emquanto que elle propro gemia sobre a tolda,
segunda linha domina inteiramente a priraeira e! n. .rt|,,oip ., ,.
principalmente Bustorf; parece que impossivel! '""'e,ros **'** deram provas de
oraardeassa.to,eraconsequenciqado profundo ^T^ZIS"'* 7*""-
vasto dique de Bustorf, situado entre aquella praga JJ t^L^SfJ? "! T"''
e o scblei I q caiuram sobre a tolda. Xa antecmara
j do capilo entrou uma bala e destruiu em mil pe-
t Uma terceira c quarta linha de entrnchera- dagos o retrato do manchal Uadetzk, que estava
mentos estende da cdade de Schleswig, passando pendurado.
por Erdheerberg, os Annetenhohe e o Pulverhol- -. ...
at ao Jardira Zoolgico, e esto n'este ultimo pon- U,ra bala.f!* 8randes es,raos na mfbilia da
cmara do capitao, rebentou uma bomba na c-
mara onde eslava a escripturagao de bordo, e quei-
mou tudo, causando deste medo uma perda irre-
Finalmente, para impedir a passagem do paravel. O Radetzki tem 5 homens morios e 31
Schlei, e um ataque d'aquelle lado, foi poderosa- leridos.
mente fortificado o forte de Mssunde, e constituia
to, em communicago cora as obras que pariera de
Hurbye e da povoagao de Schoubye.
eguaes.
Le vantada primeramente pelo Semlrames do
O Adier o o Blilz, gragas ao longo alcance de
um artilheiro, nao soffreram perdas as balas d-
namarquezas nao os alcangavam. O combale co-
raegou alguns minutos antes das duas horas, e ter-
minou s quatro. >
se ali uma vanguarda muito solida. Entrncheira-
mentos munidos de artilharia do mais forte cali-
bre, eslo tambem levantados em todos os pontos
onde possivel que se tentasse alguma empreza
d'aquella natureza. >
.%
De Cuxhaven escrevem o seguinte ao Times:
t O telegrapho deve le-lo informado do combate
naval que leve lugar vista de Hegoland, na se- recebeieisesereve a Cruz;
i:m poico de tudo.
Sobre o Evangelho de S. Joao, cap. XVl-Pci/7 e
gunda-feira de tarde.
E' ne.-ta recommendagao to simples, [rudos
Hontem eras o dolo dos sonhos fagueiros de al-
gnm mancebo. Hoje o gozo de todos.
Hontem lindas as lauras e ondeadas madeixas
interlagadas pelas vrenles rieres da candura. Hoje
as conservas sem mais vigo e emmurchecidas.
Hontem era tua alma um mar bonancoso. Hoje
um occeano revolto pelas vagas das paixoes.
Hontem era leu corago o sacrario da vrtude.
Hoje um higo de impureza.
Hontem o leu rir era o da cranga descuidosa do
mundo. Hoje o ten rir o de. uma criminosa, ra-
lada pelo aguilhao do remorso.
Hontem tinbas cabeceira do leu leito um anjo que
te embalava em teu scismar. Hoje tens um espec-
tro que te nao dexa gozar da paz do somno, e que
te obriga a ler as negras paginas do teu livro
d'alms.
Hontem este corpo cheo de allraiivos era seme-
Ibaule a uma Madona de Raphael. Hoje despido
de encantos e conspurcado na sensualidade, um
perfeito esqueleto.
Honiem eras a mulher que senta, quera, e pen-
sava. Hoje s uma estatua com vida, mas sem
senlir, sem pensar, nem querer.
Hontem teus ps melindrosos pisavam com o co-
ihurno da virtude era um tapete de llores. Hoje
com elle enlameado no charco da maldade, pisam
em um tapete de espinhos.
Hontem tinbas as oblages e admiragdes da so-
ciedade. Hoje tens os seus despresos e maldi-
gdes.
Hontem eras bella como a gotta de orvalho pen-
dente da corolla setinosa da flor. Hoje s uma har-
pa, um emblema de impudicicia.
Hontem finalmente, mulher, eras a virgera. Hoje
a raessalina, a mulher do prostbulo.
V quo bello era o teu passado, quo medonho
o leu presente.
Mas nao desesperes I... Xo blaspheraes, pois
anda te resta urna flor com vigo no meo de tantas
j revoltas no p do despreso.
Esta flor a da contriegao. Vae revestida de
luto, cora o corago confrangido de remorso, derra-
mar uma lagrima de arrependimento aos ps da
cruz do Regenerador de Magdalena, e ah sers
perdoada, brilhando para ti o astro da redempgo.
t A esquadrilha austro-prussiana voltou ao sea meus, que o Evangelho nos anima e nos ensiuaa
ancoradouro, na embocadura do Elba, hontem pela conhecer o nosso Deus; porque collocando-se o co-
manba, das tres para as quatro horas. V-se que rago do honiem na elevago da verdade, e no fogo
ella foi muito mal tratada. Os seguintes porme- da f, que o enche de esperanga e Ihe d todas as
ores do conflicto pdem considerar se como au- virtudes, fura de duvida, que se lomar grandio-
so aos olhos do Senhor.
E' pedindo cora crenga firme e robusta, que nos
thenticos.
c No sabbado passado, 7
de maio, as fragatas
austracas Schuarzemberg e Radetiky,acompanha-
das das canhoneiras prussianas Adler e Blilz, dei-
xaram o ancoradouro de Cuxhaven para ir cruzar
procura da esquadra dinaraarqueza.
obteremos as gragas que nosso espirito precisa para
almentar-se ; pedindo incessanternente Deus,
como o nico que nos pode attender e valer, que
nos seremos eternamente lvres; despresando esse
meio que nos faz obedientes, humildes e proraptus
O capitao Teggetoff, as ordens do qual se col- para recebermos as glorias do cu, nos nos lorna-
locou a esquadrilha austro-prussiana, indicado remos desgragados.
pelo piloto inglez que conduziu a esquadrilha ao *=. n,.ai.,a ,.nm .,____'
v .. ao e pedindo com um coragao fro, que nossos
largo, como um bom officia e a equipagem estava ^ ouvjdos_mas sm 4 "
che.a de ardor pelo combate. do ^ ora(.ao. por essa mJJ muj[3 ^^
t Comtudo, nao se encontrou esquadia dina-! nao conseguem os seus fins, ou nao veem o resul- \
marqueza, mas na segunda feira pela manha os : tado de suas supplicas, se conspram, e dizem to-
navios austracos e prussanos voltaram ao seu an- dos os improperios contra a Providencia, sera se
coradouro, na embocadura do Elba, depois de um
cruzeiro de quarenta e oito horas.
Apenas tinham langado ferro, chegou um te
lembrarem, que a sua alma gasla e consumida
pulo orgulho, o obsta de dirigirse convenientemen-'
te a Deus; assm para que o favor nos seja dado, .
legramma do cnsul' auTriaco era "cuxhave"^ in-1 n,is,cr P"'"i"os a alma no balsamo dasupplca!
proposla pela Dinamarca, apreciou a situagao cora norte' a "Inha Margarda, ou segundo o que pre-
justiga. Nos, assira como o gabinete de Vienna te"dem alguns historiadores em poca anterior, o
julgamos dever declarar-Ule da maneira mais posi- Danewirke estendia-se desde o principio de Hel-
liva, que nao podamos acceitar aquella proposla "'ngstadt at Selker. Noer de Bustorf, e consista
da Dinamarca, nem como base, nem como ponto nura simples reparo precedido de um fosso e pe-
de partida para uma conferencia, sera nos eolio- netrava, do exterior at ao interior, n'um ngulo
carmos era contradiegao comnosco mesmo. ; agudo de Thyraburg, collina que desappareceu ha
De faci, fizemos, desde o comeen das medi- T' Iemp/ C qUe Se encon,rava nas ""ediagoes
oas milures, e em multas occasies durante o Hanbbyel-
correr das operagoes, a declaragao conhecda tam- objecto d'estas fortalezas era proleger a ci-
bem de V. Exc, de que de futuro consideraramos dade de Schleswig, que est situada no alto de
como tendo caducado esses ajustes, e quecgundo Scl,le' ponlra um ataque do lado do sul. N'aquella
os sacrificios que nos mpe a resistencia da Dina- ^Poca Schlei, que forma uma lagoa absolutamen-
marca, nao podaramos tornar a considera-las. i,e impraticavel, fazia uraa parte das fortificagoes.
Pelo cumprimento simples e completo das suas' A(|Ue"aS fr,aleMS f0ram amP|iadas de maneira
anleriores obrigagoes, a Dinamarca teria iwdido
que coraprehendem toda a baha, isto mais de
mudar os passos que se tornaran) ttecossarios'e seiS milha< allemiies> em 1nanI A"0 os reparos t-
teria ento bastado um accordo sobre as garantas'nham apenas comprimento de duas milhas.
que, tambem neste caso leramos o direito de pe-! O ponto fraco d'aquella posigo ficava oeste
1lnrSrJ,0ar?erenC1a de dozeannoi> Paiao onde nao eslava fortificada do lado da trra, e po-
DinamTc; l!7>, "^ T2,U a Pr0Pr.ia da por consequencia ser atacada pela retaguarda
uinamarca, da maneira menos eauivoca aue nao j ,. ,. ....
,-ji. ..-?.______... 7 Cd'.,|UI nao : A nica defezan aquella direegao cons st a numa
poma ser constrangida senao pela coaegao e pelo
cuiprego da forga, ao cumpriment das obrigagoes
que de fado tinha constantemente violado.
Xo julgamos compativel com os nossos deve-
res para com o nosso propro paz, ou para com a
larga e lmpida, crreme de agua com um leito lo-
doso, o Treene, que apenas constituia um obsta-
culo insignificante para um inimigo resoluto.
Em 1848, o que se chamava o reparo, compu-
nha-se s de uraa elevago continuada do terreno
Allemanha, restabelecer um estado de cousas, que com uma escavago na frente formada pelo que
so provou ser insustentavel, e cuja conservago precedentemente tinha sido o fosso, e foi por esse
poderla collocar-nos a cada instante na posigao de \ motivo que as tropas allemes poderam apoderar-
f^zermos novos sacrificios, e sacrificios ainda raaio- se d'elle no prmeiro ataque,
res sem corapensaeSo alguma. E' do interesse da' .0 combate principal verficou-se nas alturas
paz europea, substituir este estado insustentavel, que cercara a cidade de Schleswig, da qual a
ao qual deviamos considerar-nos ligados anterior- povoagao de Bustorf formava uma especie de al-
inate, mas de que a propria Dinamarca nos des-; dea.
ligou agora, por um estado dilferente, sustenlavel; M ... .
e conforme com a natureza das cousas que em si' No meso? dia "0UVe Uma insi8nifitan,e esca".
tem garanta de durap Encontrar os meios de ""^ T'1""0, vau Jque aPresen,ava **M,
istoe, era Mssunde, onde algumas companhias de
formando que tres fragatas dnamarquezas estavam
a vista de Hehgoland. Este telegramma foi com-
municado ao capitao Teggetoff, o qual deu inme-
diatamente ordem para apparelhar.
t O Schwarzcmberg uraa fragata hlice de
50 pegas. *
< Na manha do combate, a sua eqaipagem era
de 540 homens. A batera est armada com pegas
de grosso calibre, pela maior parle de 60. Sobre o
tombadilho lera pegas de 24. Destas, quatro sao
raiadas ; duas prda e duas popa.
t A Radetzki tambem uma fragata vapor ar-
mada com artilharia de 30, tendo egualmente duas
pegas raiadas. uma proa e outra popa. A equi-
pagem era de 310 homens.
t As canhoneiras prussianas Adler e Blitz sao
couragadas com chapas de duas pollegadas e meia,
e armadas cada uma com quatro pegas raiadas.
Pouco antes das duas horas da larde, a es-
quadra allemaa avistou fragatas dnamarquezas
que parecan) disposlas a acceitar o combate que
se Ihes ofTerecia.
O Schuarzemberg rompeu o fogo, fazendo tres
tiros de plvora. Os Dinamarquezes nao respon-
dern).
Depois deste aviso, o capitao Teggetoff fez pas-
sar o Schuarzemberg entre as duas fragatas dna-
marquezas Niels Juel e Dagmar, manobrando o seu
navio maneira do almirante Lyons, offerecendo-
Ihes as duas bandas ao mesmo tempo.
Comquanto um ponco sorprendidas por esle
ataque audacioso, as duas fragatas dnamarquezas
nao se demoraram em responder ao fogo do seu
inrngo, e o combate tornou-se geral.
Um dos primeiros tiros disparado pelo AV/s
Juel, lea no peito o segundo commandanle do
Schuarzemberg, o qual cahiu logo morto.
t Foi enterrado honiem no cemiterio de Cu-
rao e fundar desle; s^^.^, xhaven era presenga de um consideravel concurso
: do vu, sob o comraando dos generaes Adosser e' Povo'
| von Tann, que forgavam os Dinamarquezes, a epe-1 Pouco tempo depois, duas bombas veram ca- -
rar a sua retirada mais depressa do que o fanam Iiir sobre o Schwarzemberg, quas no mesmo si
modo uma paz duradoura, tal vez a nica tarefa
da conferencia que a Inglaterra propoe, e s de-
ba! xo deste ponto de vista, e cora este fim que po-
demos acceitar aquella conferencia.
A este respeito a confederagao germnica
acha-se na mesma posico em que nos e a Austria
nos encontramos. E' verdade que ella at agora
nao tomou parte nas medidas, que, baseadas no
direito internacional, tomaran) as duas potencias,
de qualquer outra maneira.
Hoje a natureza das fortificagSes mudou com-
pletamente.
i Desde 1830, os Dinamarquezes oceupparam-se
de fortificar o Danewirke e dedicarara-se princi-
pelo que toca ao Schleswig; mas j a applicagao' plmente a fortificar o ponto fraco sobre o Treene,
da sua competencia federal no Holstein Ihe irapoe e PPr obstculos ellkazes a qualquer ataque pela
sacrificios, e ella ple, a cada momento, encon.
trar-se nas circumstancas de fazer tambem os seus
direitos nternaconaes por meio da forga. E' pois
egualmente do seu interesse afastar os perigos que, se ,anca no Eider FortiQcaram ||a
de novo podenam surgir, se a situaco actual se como se sabe, as tropas do SchleswiR-Holstein
retaguarda.
Para esse fim, tomaram os Dinamarquezes
posse da cdade de Frederickstadt, onde o Treene
e.
prolongasse, e nao dexa de ser tambem do seu
interesse que as novas relacoes que se trata de es-
tabelecer, e as garantas que se Ihe devera dar,
oblenhara uraa sanego internacional tal corao pro-
poe a conferencia projectada.
A competencia especialmente federal relativa
ao paz federal do Holstein nao poderia soffrer um
ataque, e est, ao contrario, reservada, de lodos
os modos; mas a confederagao reconhecou sempre
que os seus direitos sobre o Schleswig sao de na-
tureza internacional, nao poden) subtrabir-se a nm
procedimento internacional.
Estamos convencidos de que os nossos confe-
derados allemes se ho de compenetrar da neces-
sidade de tomar parte nas negociagoes projectadas,
c nao podemos ver o motivo porque a dieta havia
de recusar a sua cooperagao para deliberagSes
que tendem ao fim expresso pelas potencias que
fazem o convite.
< A circumstancia da confederacao nao ler ac-
cedido ao tratado de Londres de 1832, emquanto
que os outros membros da conferencia foram sig-
natarios originarlos desse tratado, nao poder for-
tropas do Schleswig-Holstein em-
pregarara, em 1830, vaos esforgos para a tomar de
assalte.
Actualmente, Frederickstadt, com a sua van-,
guarda sobre o rio Holstenez do Eider, forma, em
consequencia das suas lagoas, um ponto de uma
forca pouco commum, por isso que a passagem sa-
br o Eider est completamente dominada d'aquel-
le lado, e nao poderia ser reduzida se nao por um
sitio regular e muito dflicil.
Suppondo mesmo que o inimigo flanqneasse o
Treene, pelo lado de cima o debaixo de Frede-
rickstadt, pouco ganharia, por isso que todo o paz
at Frederickstadt, a duas milhas allemes alm
do Schleswig, est cortado por caoaes e correntes
de agua que pode ser tudo innundado por quatorze
represas para esse fim construidas sobre o Treene.
Alguns dlqnes constituem os meios de communi-
cago n'este vasto systema de trabalhos de innun-
tio, junto de uma das pegas de grosso calibre, que
eslava servida por dezesseis homens; cinco fica-
rara morios deste tiro, e nove feridos ; smente
dous escaparan) salvos.
t Mas pouco depois o navio estava araeagado de
uma completa destruigo ; as velas estavam colin-
das : por infelicidade uma bomba veio cahir no
veame, e rebentando inflamou todo o magame do
raaslro de mesena.
t Estando o navio de capa ao vento, tornou-se
necessario virar de bordo, afim de impedir qne as
chamas se communicassem ao mastro grande. De
maneira que Schwarzemberg esteve momentnea-
mente reduzida a nao se servir senao das suas
duas pegas raiadas da popa.
t Em quanto ardia a mesena, rebentou outra
bomba na cmara que precede o paiol da plvora,
pegando fogo em toda a madeira que ali havia, e
causando por um momento o pnico entre a equi-
pagem. Mas as chamas extinguram-se em pouco
tempo, e o pergo desappareceu. Para completar
as avarias da Schwarzemberg, uma bala quebrou-
Ihe o gurupez.
t Durante o combate, a Schwarzemberg levou
com 70 bombas e balas, das quaes uma de corren-
tes, que se conservava a bordo. A sua mesena
est queimada at ao extremo, e do lado do mas-
tro grande, para o lado onde romperam as cha-
mas, est tudo requeimado com o calor.
A Schwarzemberg teve 31 mortos, e 44 pragas
dago, eslo tambem, dominados, em todos os pon- ferldas gravemente, e 30 40 feridos levemente,
tos uteis, por entrncheiramentos e outras obras Comquanlo nada se saiba da perda dos Dinamar-
mais consideraveis at Hellingstadt. queies, todava deve ter sido consideravel, porque
Na entrada da cidade de Schleswig, das altu- se assim nao fosse elles naodeixariam de se apo
ras que se elevam do lado da trra firme, uma se-
derar da Schwarzemberg, em pergo como esteve.
mar um embarago para a confederagao, por isso rie de poderosas bateras, armadas de artilharia do A opiniao geral que os officiaes e pragas de-
para ento sermos ouvidos.
Foi e ser sempre sublime para o rente, que,
voltando seus olhos para o cu, nunca desanimou,
mas sempre espera e confia em Deus; mas o pee-.
cador, que julgando-se com direito de alcangar i
qualquer graga, sem para isso terapplicado os fins,:
esse em vez de merecer a compaxao, certamen-!
te repellido e considerado como louco.
Se na ordem social, para sermos queridos, nos
empregamos tudo para merecermosum fas'or qual-
quer ; da mesma sorte para que os nossos gemi-
dos cheguem Deus, c os nossos males sejam cu-
rados, convm que sejamos promptos em obedecer-
nos os seus preceitos, em conservarmos o corago
na justiga ena santidade; porque ninguem melhor |
do que Elle conhece to de peno as nossas necessi-
dades.
E para isso o Evangelho nos recommenda :Pedi
que recebereis;mas pedindo* sinceramente, com
firme, inabalavel conviegao, e se assim nao for,
ndubitavel que nao receberemos aquillo que pre-
tendemos.
Quantas vezes nao ouvimos dzer: Deus nao me
ouve, nao me attende; eu pego-lhe, (,ue me d islo
que me d aquillo, e cada vez mais sou desgragade
e perseguido I
A razo simples, porque o corago nao est
dsposto e preparado; lem vivido para o mundo, e
cercado de lodos os crimes, nao tem forgas para
bera exprimir seu desejo, e tudo quanto delle sahe
smente nocivo.
Nos devemos pedir, mas preparando nossa vi
da na vrtude, porque ella quem nos faz recebei
a felcidade e o repeuso do espirito.
Assim, irmaos meus, todas as vezes que chegar
mos a Deus para pedirmos o seu auxilio, sejamo
francos e revestidos de pureza, porque Elle s
mente quem pode abrir os nossos coragoes c en
.che-Ios de todos os bens.
Pede-nos a seguinte publicagao o Sr. Y. de-D.
A messalina.
De que cu em que baralhro cahisle,
Bella estrella de luz.
(Castilho.) (
............ Ella era NM Anjo
Um Anjo, que nos bracos da volupia i
Adormeceu----e dispcrtou demonio
(A. A. de MENDOsga.)
Fascinada pelo brilho seductor da socieda'
louca e febricitante de volupia, bebesie uma po
uma as gottas da taga dos prazeres; esperdicasie
delicias no leito da orgia ; perdeste o fogo santo de
Vestal; trocaste o perfume do lyro peloinodor da
camelia; despiste a tnica da innocencia para ves-
tir a da maldade ; enlodaste as brancas azas do
cysne no pal dos vicios; deixasle o vapor do pra-
zer murebar a cora de agucenas que te cingia a
fronte de donzella ; crystalisaste o sonho mais dou-
rado de uma virgem ; deixasle o bafo da corrup-
co embaciar a mimosa perola do teu estemma de
mulher; e hoje s te resta a nudez do corpo e da
alma!
Teus labios rubicundos outr'ora, como dous bo-
tos de rosa, que puros repetiam a prece que le ti-
nha sido ensinada ao bergo por tua me, que pro-
nunciavam com a voz doce e macia de um anjo ao
mancebo que te adorava eu te amo hoje cresta-
dos pelo vinho do deleite, smente saber pronun-
ciar phrases mentidas.
Teus sorrisos que outr'ora inhalavam n'alma
tanta poesa, que nespertavam as fibras amorteci-
das do corago, hoje s traduzem malicia, sao filhos
da perfidia e do interesse.
Tuas faces que se enrubecara outr'ora, se te
pediam um beijo, hoje com ellas descarnadas e pal-
udas, tu as vende no mercado da prostituirn.
Sira, mulher, quao difireme o teu passado, do
teu presente 1
Hontem eras a fada vaporosa de um poeta. Hoje
uma realidade sem valor.
Hontem eras a sensitiva do prado. Hoje a rosa
sera perfume.
miMMIO, 'III OS
efeilos; porem nao transigen) com a sua po-
eza.
E' esla uma verdade que nao honra muito a ge-
ragao presente ; porm, uma verdade incontes-
lavel
Em vo se afadgam os polticos e os homens de
estado por descobrir as causas do nial-estar que
afflgem as sociedades modernas.
A altura a que elevam as investigagdes, impe-
dem-lhes ver a realidade por que anhelam.
Quando sacudan) da maior parte da mocidade o
espirito mercantil que a devora ; quando deixem
cahir o eslillicidio das boas mximas no seu cora-
go enfranquecido e abrasado ; quando fagam ger-
minar nelle o que Ihe falta de illusdes, e obliterar
totalmente o que Ihe sobeja de calculo, ento mu-
dar o aspecto da sociedade.
Na metade do seculo XIX nao sao j os exerci-
los nem as conquistas os meios de civilisar as na-
ges e accrescentar a sua legitima intiuencia.
A esses meio > violentos succedeu oulro era ex-
tremo tranquillo e deleitosoa educago.
Fallar muito de uma virtude, sempre indicio
de que se pratica pouco.
O pharisaismo tem sido era todos os tempos idn-
tico.
O abuso que hoje se faz da palavra educacao,
tristssima prova do descuido deploravel que neste
ponto se observa.
Assim como as faeuldades physicas se desenvol-
vem ordinariamente a custa das intellectuaes, e vi-
ce-versa, assim, em determinados momentos, o cr-
dito da palacra s pode alcaocar-se cnsta do
crdito da obra.
Por isso, quando entre certas gentes se falla de
deucagao, entre outras de vrtude, e entre outras
de consciencia, commemoramos a felicissima ex-
presso de um grande homem, que chamava a es-
ses declamatorios t torrentes de palavras n'um
deserto de ideas.
Se boje o desinteresse e a abnegago, a genero-
sidade e o desapego que vagam por todos os labios
pagassem alguns centesimos sequer de contribu-
gao, os cofres do erario se enriqoeciam fabulosa-
mente.
Porm, se essa mesma conlrbugao se impozesse
ao desinteresse e a abaegagao, generosidade e ao
desapego, provavel que o estado nao arrecadasse
nem para o ordenado homeopathico de um mestre
de escola.
Liguemos as ideas. O systema homeopathico ap-
plicado aos mestres de escola, produz uma educa-
go homeopathica.
E o systema das dses infintissimaes, que ap-
plicado saude, dizem que nao cura, applicado
educago mata ndefeclivelmente.
Para a vida da alma, para os gozos legtimos do
homem honrado, esto mortos esses coragiles que
s pulsam ao soui do metal.
Desgragada mocidade a que resume toda a sua
sciencia na arilhmctica ; a que nicamente sabe
sommar e diminuir !
Ao fallar de uma mulher perguntavam os nossos
avs : E~ honesta f
Os nossos paes costumavam j pergunlar :
T fonnosa t
Os mancebos da actualidade perguntam simples
monte :A" rica f
Aos nossos avoengos parecia-lhes impossivel
prescindir da honradez.
Os nossos paes nao transigan) muito com a feal-
dade.
A gerarao de hoje nao concebe que possam equi-
pararse a forraosura e a pobreza.
Ao fallar de forraosura, emendase a necessaria
para levar at ao casamento.
Portanto, essa parte da mocidade nao tao rayope
da vida corporal corno da vista do corago; e sabe
muito que existem bellezas pobres em que a na-
tureza quiz exhaurir o thesouro das gragas.
Porm, esmo o thesouro da? gragas nao pode
tirar de apuros, a mocidade renuncia ao titulo de
posse legitima.
Isso nao tira para que aproveite toda a opportu-
idade de transformar as bellezas pobres em pobres
jellezas.
I *
OS URUBS.
Xo ha nada neste mundo que nao tenha algum
presumo.
Algum tempo ouvimos fallar, e at vraos censuras
pela imprensa a respeito da grande quantdade de
urubs que existan) como aquartellados entr nos.
e passeando livreraente pelas ras e pragas da
cidade; e hoje esto elles to farailiarisados com-
nosco, que as vezes preciso enxota-los do cami-
nho para n )3 dar passagem, recolhendo-sc de noule
nossas casas, com a nica dfferenga do ficarem
do lado de fra, como de sentinella aos telhados.
E c a essas aves iraraundas (que em outros pai-
zes se chamam corvos) que a populago da cidade
deve mais que a todos os empregados da cmara
municipal, porque sao elles os nicos que traba-
Iham incessanternente, e de graga, na limpeza das
nossas ras e pragas, livrando-nos da immundicia
e dos animaes mortos que por ah se langam a
qualquer hora do da.
Por sem duvida, que se nao fossem os urub*.
ha muito que nos teriamiis sido assaltados por al-
guma epidemia, desenvolvida por essas carnes po-
dres atiradas aos monturos, e que do sustento]*
tantos centenares dessas aves, j de todo domes-
ticadas.
Tal o estado em que nos achamos a respeito
da limpeza da cdade, que at essas aves, que, por
nojentas, nos devanarnos desejar qne fossem para
bem longe, sao as que mais servigos nos prestam,
e nos acautelan) da peste ; pelo menos teem feito
mais a prl da salubrdade publica do que a cma-
ra do governo no presente quatriennio ; por isso
nunca se diga que ha cousa neste mundo sera
prestimo.
Mas para remediar tudo isto ahi est o mez de
selembro quas a bater-nos porta; e entao ver-se-
ha com que acividade anda tudo para a eleigo
de uma nova cmara I Porm por causa das duvi-
das ser bom que se nao d cabo dos urubs ; Dio
dexemos o cerlo pelo duvdoso : o que elles sao
j todos sabem, e o que ser a cmara nova, nin-
guem o pode saber.
No Commercio do Porto l-se o seguinte :
Diz a Correspondencia geral que o principe Allre-
do de Inglaterra sahira no da 4 de Berln para NYi-
mar, e que depois de alguns dias de demora na
Suissa, se embarcar* para Lisboa.
O prncipe Alfredo o segundo filho da rainha
Victoria.
E' cadete de marinha, c faz 20 aunos a G de ago>-
to prximo.

Em Liverpool trata-se de offerecer um vachta Ga
ribaldi.
As classes operaras subscreveram para este pre-
sente com ISO tf. Havia na cidade 30 ou 40 gen-
lemen dispostos a prefazer a sorama.
0 proprietario de um yachl vapor que se ofle-
recia venda, e que fra construido para um per-
sonagem da nobreza, subscreveu com 30 &.

Na ultima pagina da partitura da missa que Ros-
sni escreveu ltimamente, o mmoital autor do
Guilherme Tetl c do Satubat-Mater, escreveu o se-
guinte :
Passy, 1363. Bom Deus: Ah est terminada
esta pobresinha missa. W msica sagrada (de la
musique sacre) ou musir maldita (de la sacre
musique) o que acabo de fazer ?
Eu tinha nascido para a opera buffa, tu bem o
sabes. Escassa sciencia c um pouco de corago,
tudo o que possuo. Bemdito sejaes, pois, e utor-
gae-me o Paraso. G. Rossini.
IILMAS DE CAHIDAOE.
No ultirao vapor francez chegarara de Franga
as doze irraas de caridade, que a benemrita ac-
tual adrainstrago da Santa Casa madou contra-
lar para se encarregarern do servige do hospital.
O alcance desla medida tem de. verificar-se em
breve lempo. Ha de succeder, tal vez entre nos o
que lem succedido nas demais parles do Brasil,
em que se tem preferido as irmias de caridade'
para oservgodos hospitaes, isto quexas sur-
das de descontentes; mas em compensago muito
aceio, muita disciplina, muta economa e multa
caridade pelo amor de Dens.
A respeito da medida tomada pela benemrita
admnstrago daquelle pi estabelecimento o Dia-
rio da Bakia, que uo pode ser suspeito de ullra-
monlanismo, expressa-se da seguate forma :
No intuito de melhorar o servico daquelle es-
tabelecimento, nao vacllou a mesa era admiltir,
como se pratica hoje em quasi todos os hospitaes
da Europa, corao se adoplou no Rio de Janeiro, as
irmas de caridade, que nesse misler sabora pres-
tar vahosissmos servigos pela|sua dedicagao, zelo,
e pela mais admiravel abnegago, de que tem da-
do provas, como notorio, nas qnadras mais tris-
tes de epidemia.
PERNAMBUCO.-TYP. DE U. F. DE F. i FILHO'

X
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
! MOTCado


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E78AXIWK1_WLRBC6 INGEST_TIME 2013-08-27T21:11:42Z PACKAGE AA00011611_10398
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES