Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10396


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XL. HOMERO 140.
Por tres mezes adiaofados 5$000
Por tres mezes vencidas 6$000
Porte ao carreio iop tres mezes. 9750
SNCARREGADOS DA SUBSCRLegA NO NORTE
Parahyba, o Sr. Amonio Alexandrino de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Aracaty,
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Ohvsira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro X C; A"
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagoas, o 8r. Claudino Falco Dias; Baha, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins & Gasparino.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu", Goyanna e Parahyba as segundas e
seitas-feiras.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru',
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Liraoeiro, Brejo, Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu", Cabrob,'
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Ilha de Fernando todas as vezes que pan ali sahir
I
SEGUNDA FEIRA 20 DE JiUHO DE 1864.
Par aano adiantada.....i9$00O
Parte ao correio por un anao. 3$0OU
ai
EPBEMEPdDES DO MEZ DE JIMIO.
navio.
Todos os estafetas partem ao / dia-
4 La nova as 9 h., 20 m. e 20 s. da m.
12 Quarto cresc. as 9 h., 27 m. e 26 s. da m.
l'J La cheia as 8 h., 34 m. e 20 a. da u
26 Quarto ming. as 11 h., 53 m. e 3 s. da m.
PRKAMAR DE HOJB.
Primeira as i horas e 30 minutos da tarde.
Segunda as 4 horas e 51 minutos da manhaa.
PARTIDA D03 VAPORES COSTEIRO.
iara o su! at Alagoas a 6 e 25; para o norte at
h $*! e *2 de cada me2 Para ornando nos
atas 14 dos mezes dejan, marc., maio,jul, set enov.
PARTIDA DOS MNIBUS.
a ii a ecie : do AF'Pncos s 6 Va, 7, 7 Vi, 8 e
, l m: 5 de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
A i a6'/l dam"! d0 CaxangeVarzeas 7
'da m. de Bemfka s 8 da m.
k 1m Recfe : para AP'Pueos s 3 '/,, Vi, 4 >/j,
|o> /,, 8 Vi e 6 da tarde; para Olinda s 7da
manja e 4 /, da tarde; para Jaboato s 4 da ter-
VJk"1 Gachan8 e Va"e s 4 Vi da tarde; para
Bemflca as 4 da tarde.
AUDPiNQA DOS TRLBUNAE3 DA CAPITAL
Tribunal docommercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta* s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
DIAS A SEMANA.
20. Segunda. S. Sitarte p m.; S. Bilfino m.
21. Terra. S. I.uiz Gontaga ; S. AI bao m.
22. (Juana. S. Paulino b.; S. Nicas b.
83. Quinta. S. Agripina v.: S. Zenon m.
21. Sexta. eg= Nascimento de S. Joao Baptista.
2o. Sabbado. S. Guillicrme ab.;S. Febronia v.
26. Domingo. Ss. Joao e Paulo irs.; S. Virgilio m.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a Uvraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Faria & Fimo. 6
PARTE QFFKIAL
GOYERNO DA PROVINCIA.
Eipediente do dia 16 de juiliu de 184i.
ja havia servido a que promulgara o Sr. marquez
de S da Bandeira, quando encarregado d'aquella
pasta.
Nem urna nem outra reforma conseguio captar
as sympatbias geraes do exercito.
As disposices que dizem respeito aos ofllciaes
em diversas commissoes, e mrmente as que alte-
ram as praticas at agora seguidas com os offlciaes
Ofllcio ao Exm. presidente da provincia da Bi- commisionados em servio propriamente do mi-
nia. Passo as roaos de V. Exc. o decreto pelo nis,er, gaerra mas que nao delxam vacaturas
qual S. M. o Imperador houve por bem nomea-lo n?s ledros, e os offlciaes quo estilo em commis-
presidente do imperial Instituto Bahiano de Agri- sues eslranhas quelle ministerio, sao as que le-
enviado em lugar y,antam mais fr,e opposicao novissima reforma,
do que se expedio nomeando-me para igual em- _J_ ,e_"a devein estes offlciaes sahir dos respectivos
cultura, e que por engao me foi enviado em lugar van,am mais forte opposicao
ido-me para igual em- Por .ella devem es,es offlciae:
l*ego do Instituto Pernambucano. quadros, deixando vaccaturas, porque nao pode
deesa provincia promulgad
passado.
Diloao Exm. presidente da provincia do Espirito ailmdtir-se que elles gozem custa de seus cama-
Santo.deceb com o ofllcio de V. Exc. de 19 de rada? a quem entorpecem, o accesso, em retribui-
maio ultimo dous exemplares da collecco das leis ?a de 'azerem o servico que lhes compete.
Igadas em o anno prximo JJ* commissao de guerra da cmara dos Srs. de-
I putados discule-se actualmente este importante as-
Dito ao Exm. presidente da provincia do Piauhy. sumP_'> tendo j havido debales muito animados e
Acenso recebido com o ofllcio de V. Exc, de ; Pin's muito desencontradas. Ter o Sr. gene-
23 de maio ultimo dous exemplares do relatorio i ral ass0s_de deixar a pasta da guerra como aclra-
com que V. Exc. abriu no dia 21 daquelle raez a!,eceu ao Sr marquez de S ? E' possivel que isso
sessao extraordinaria da assembla legislativa des-: acameca, porm nos persuadimo-nos de que os tra-
sa provincia. balhos de S. Exc. sero approvados com pequeas
Dito ao hrigadoiro commandante das armas.: alteracoes.
Queira V. Exc. informar sobre o que pede a mu-1 AJer% (la rt'ferma do exercito parece que ser
Iher do tenente reformado Hennque Tiberio Ca-, anda discutido na presente sessao o projecto apre-
pistrano no incluso requerimento. | senta Dito ao Pr. chefe de polica.Com copia do a-.'*aP'* Parlamentares, inhibindo o governo de des-
viso da repartico dajustica, de 10de maio pro- Pacnar deputados. Pelo menos assim foi decidido
ximo passado, transmuto V. S. a'fim de ter o em volaC- nominal na sessao de 24, por 63 votos
devido cumprimeoto, a carta rogatoria expedida con,lra 4.
pelo commandante militar de marinha de Terra-! Continuam os trabalhos para as prximas elei-
gona, no reino de Hespanha, solicitando esciare- \ 5"^ de "?PUados.
cimento relativos Francisco Mallot, assassignado'. Nesia cidade reumram-se no dia 18, em casa do
em 189 ir Salvador Genovez, ambos mannhet- r-.^mingos Freitas de Menezcs c Vasconcellos
ros da polaca Francisquete. \ in,"tos.cavalheros legitimistas para combinarem
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. na P?sica0 (Iue o partido realista deve tomar na
Do 1- do mez corrente em dianle, mande V. S. des- propina eleico.
contar measalmente 200u0 do sold do alferes Nomeou-se urna grande commissao com ampios
secretario do corno de guarnico, Polycarpo Jor-: Poder,!S Para decidir se o partido legitimista deve
ge de Campos por indemnisacao de igual quanlia Jf "solado urna ou unido a qualquer das facroes
que pedido desse ollkial se mandou abonar pela l'beraes.
pagadura das tropas da corte seus procurado- '. ?'a c'daJe insigmlicantissimo o numero dos
res Aristides Farronrh & C, como me foi com- 'ndmduos alTectos ao antigo rgimen, e por esta
tnunicado em aviso da repartico da guerra, de 2 !"azao 'eremos de \Vt ou a urna abandonada pelos
do corrente.-Communicou-se ao brigadeiro com- legitimistas, ou alguma colligacao com o partido
mandante das armas. ^eontrario ao actual ministerio."
Dito ao capito do porto
sentades os recrutas de n
noel do Nascimento, Manoel .
ceico e Francisco Borges para que lhes d o con- i 1'0i mu" concurrida,
veniente destino depois de inspeccionados.Com-' Estiveram presentes, entre outros cavalheiros
munlcou-se ao r. chefe de polica. : considerados do partido legitimista, o conde de S.
Dito ao mesmo.- Mande V. S. por em liberdade : M.ar,,no' e Sr- D- Antio, irmo do conde de
o recruta Jos Bernardo Correa que tem isenco' Almada. De Lisboa veio expressamente para as-
do recrutamento. Communicou-se ao Dr. chefe sis,ir a .esla ""eunio o Sr. Pinto (Vino, dislincto
i^ontrario ao actual ministerio."
orto. A' V. S. sero apre-! ^m.Braga tambero houve no dia lo urna grande
le marinha, Theodoro Ma- ^'uniao eleitoral do partido realista no paleo do
lanoel Felippe Nerv da Con-1 \ Jos de Vasconcellos Leite Pereira Mouro.
ioj m de polica.
Dito ao commandante do corpo de polica.Po-
de V.S. contratar para servir no corpo sb seu
commaudo o paisano Jorio Lopes de Lima que foi
julgado apto para isso como V. S. declarou em seu
ofllcio de hoje o. 281 a que responda.
Dito ao director do arsenal de guerra.Conco-
da a permissao que V. S solicitou em seu ofllcio
n. 312 de 13 do corrente, para applicar ao servi-
co do rancho da companhia de aprendizos, os ob-
jectos que pertenceram ao rancho da fortaleza do
Brum, e foram recomidos a esse arsenal em virtu-
de do meu ofllcio de 20 de maio ultimo.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.A'
| advogado, e deputado pela capital do Minho.
Houve discursos enthusiasticos e entre elles um
muito notavel proferido pelo Sr. Pinto Colho.
Para amostra da liberdade que se goza em Por-
tugal, em seguida copiamos um notavel trecho do
discurso d'aquelle formidavel caudilho do partido
realista. Vai sera commentarios :
| Reforindo-se s expressoespartido morto,
com quo os contrarios designavam o partido legiti -
mista, disse que ha 30 anuos que em verdade so-
mos um partido morto para todos os gozos e frul-
coes publicas, a que, romo Portuguezes, lindamos
dreito; mas que assim como os DOMOS dominado-
res nos davam por vivos todas as vezes que se tra-
vista da sua informaco n. 691 de 28 de maio ul- ,ava de co,)nr de ns o imposto de sangue, e o de
timo, autoriso V. S. a mandar retirar da thesoura
ria de blenda a qaantia de 337#i54, em que im-
portara as diarias vencidas por Antonio Francisco
Moreira de Carvalho Paes de AnJrade, quando a-
prendiz desse arsenal, alim de ser entregue a elle
ou a seu procurador, se esliver competentemente
antorisado para receb-la devoodo porm dedit-
2ir-se d aquella quaolia a de 42^.161, que o predi-
to l'aes de Andrade est a dever a companhia de
aprendizes de que fez parte.Cominunic ni-se -
quella thesouraria.
Dtoao mesmo.A' V. S. ser apreseniado o
menor Jos Francisco, para ser alistado na com-
panhia de aprendizes niarinheiros se estire? uas
eondieoes do respectivo regulamento.
Dito ao commandante do presidio de Fernando.
Declaro V. S. para seu conhecimento, que dos
sentenciados de justica de que trata o meu ollicio
de 13 do corrente, deixaram de seguir para esse
presidio no vapor Parahyba, como me communi-
cou o Dr chefe de polica em ofllcio de li desle
mez, os cinco mencionados na relacao junta.
Dito ao mesmo Comiiiunicaudo-me o director
do arsenal de guerra que dos objectos comprados
para forneciment do amoxarifado desse presidio,
deixaram de ser enviados no vapor Parahyba 100
vaquetas, as quaes sero remullidas para ahi na
primeira opporltinidade ; assim o declaro V. S.
para seu conhecimento.
dinheiro; convinha que nos mostrassemos vivos
tambero, e bem vivos, no uso dos nossos direitos
polticos. Que j um distinelo orador responder
nesia assembla aos que diziam que nos vivamos
s na historia : que a verdade era, que nos viva-
mos pela historia, e estavamos anda escrevendo
una pagina brilhanlissima na historia do nosso
paiz: que vivamos da historia inspirando-nos dos
grandes fejtos desses hroes que conquistaran! pa-
ra a religio e para a patria este torro abencoa-
do, e levaram a cruz e o nome portuguez aos con-
lins da ierra : que escreviamos ainda urna pagina
brilhante na historia do uosso paiz, olTerecendo
aos contemporneos e vindouros o exemplo, nun-
ca visto, d'um partido vencido, ha Irinta annos,
solfrendo, com paciencia, o exilio a que o vota-
rain, na propra trra, e maniendo sempre firme,
pura e gloriosa a bandeira que urna vez asteara,
reslsliodo igualmente s ameacas e presso do po-
der, e s lentacoes com que eem pretendido cor-
rmpalo os ulicos e poderosos.
Por ultimo resolveu a assembla por unanimida-
de, e a proposta do Sr. Pinto Colho.1. que se
dsse um voto de agradecimento commissao elei-
toral legitimista pela solicitada e aceito no desem-
penho da missio que lhe fra confiada: e a sua
reeleicao coro autorisaeo para ludo quanto con-
viesse deliberar nos assuraptos eleitoraes, e nos
casos occorrentes. sem dependencia de nova reu-
Dito ao engenheiro liscal da estrada de ferro. ma0 d0 Parlldo e 2. uro voto de louvor imprensa
Hiblite-me Vine, com sua informaco de modo ,Jb?ra-' 1 ao Jornaljnlilulado o BraeamiA que bao
poder salisfazer o que exige o Exm Sr. ministro aeie-niiiU a religiao, o papado e o sacerdocio.
da agricultura, commercio e obras publicas, em A c|-eacao do banco do Minho foi approvada pe-
aviso de 24 de maio ultimo, constante da copia in-,l0 Frlai"en!0-. A, sua sede em Braga,
clusa com referencia ao ollicio que aqui ajunlo do l> caP"al "(,'al d^ l>anco ser de 600:0005000,
superintcndenie da estrada de ferro projiondo o Poaenao este capital ser elevado com approvaco
prolongamcnlo da mesroa estrada da estacao das ao S'^erno, quando todo elle tiver elfectivamente
Cinco Ponas para o interior desla capital. entrado nos cofres do banco, e as exigencias das
Dito ao juiz municipal de Ipojuca.Rerebi o seu s!iaf 0peraC"es deraonstrarem a necessidade desla
ofllcio drf 11 do corrente, e fleo inteirado das ele\racao.
indagacoes a que Vine, proceden relativamente
Peder emittir lettras ordem ou olas pagaveis
ao portador e a vista, segundo as leis que regulam
ocurso da moeda nao podendo nunca essa emis-
so exceder tres quartas parles do fundo social
emiltido. As notas sero de 2.y00, oOO, lO^LHXi,
205000 e 30JW00.
De ver ter sempre nos seus cofres em metaes
acomphnhado a lisia dosci- dL" ouro "> praia, pelo menos uro terco do que d-
banles nessa frecezia aue ver l)or 'ettras vista, notas cm circulaco e dep-
sitos.
A duraco do banco por tempo indeterminado,
e podera estabelecer agencias e ter corresponden-
tes Bas pracas commerciaes e trras mais notaveis
aos objectos laucados pelo mar as praias do Cupe
desse termo. llemrtteu-se copias do ollicio do
juiz municipal ao Dr. chefe de polica, e ao inspec-
tor da thesouraria de fazenda.
Dito ao juiz de paz presidente e roembros da
junta revisora da quallicacao da freguezia do
Ouricury. Nao lendo
dados qualilicados votantes
Vmcs. me enviaraui com o seu ofllcio de 17 de
maio ultimo as relacoes quo trata o decreto n.
2863 de 21 dedezem'bro de 1861, curapre que
m'asrerocllain coro a possivel brevidade.
Portara.Os Srs. agentes da companhia brasi-. ao.Ce"!? .'"ia?- ,
leira de paquetes, mandem dar transporte para a d,a "01 aberto a exploracao publica mais
corte, por coma do roinisterioda guerra, no vapor um'ray d caminho de ferro de Lisboa ao Porto
OitiiiMci-, Antonio Pedro que leve baixa di ser- desde o entroncamento ate Soure, alguns kilorae-
vicodo4batathodeartilharaa p. ,'rosabaixo de Coimbra. Partem de Lisboa dous
Dita.-Os Srs. agentes da companhia braslera comDO>os diariamente,
de paquetes, mandem dar as passagens de estado .esdt a,lu9l'B d!a comecou o correio da capiU a
a r e as de proa qocexlslera vagas at o Rio de ^,r Pel caminho de ferro. As malas sao conduz-
Krir0*''*aD- EmiiiaAu8u"^Sn^TnouSeca^^^
Expedienf do secre.ario do governo do di, 1C Teta^to^ara Coimbra vero o correio em
de jiinlio de 1.S61. ; mala-posta,e parledcquellacidadenocombovodas
Ofllcio ao inspector da thesouraria de fazenda. 7 horas e 6 minutos da manhaa, chegando 'esta-
S. Exc. o Sr. presidente da provincia, manda i cao das Devezas ao meio dia e 16 minutos,
transtnitlir a V. S. as quatro inclusas ordens do i Do Pono vo as malas pelo combovo das 7 ho-
thesouro nacional sob ns. 63 e 68, e bem assim um I ras e 15 minutos da manhaa, Picando fechadas da
ollicio da directora gcral das rendas publicas da- vespera.
tado de 28 de maio ultimo.
exterior:
(OBRISPO\lK\(llS DO lili
RIO DE PERtf AHBUCO.
PSITO.
26 de maio.
No emmaranhado campo da poltica serve agora
para asevolucSes dos partidos a novissima refor-
ma do exercito apresentada na cmara electiva pe-
lo Sr. general Passo?, ministro da guerra, como
Esta alteracao na chegada e partida do correio
provisoria, e durar smente at abertura de to-
da linha circulaco, que se espera ser por to-
do o mez de junho.
A ofterta e donativos de prendas para o leilao
que no dia dos annos do principe D. Carlos deve
ter lugar no recinto do hospital da sociedde por-
tugaeza de Beneficencia no Rio de Janeiro promet-
tem ser grandes. Nao foi em vo que o Sr. com-
mendador Jos Bento Ramos Pereira appellou para
os sentimentos patriticos dos seus patricios. Res-
ta cidade, sabemos nos que sao muitos e valiosos
os donativos, e bem assim as principaes trras do
Minho.
No flm do corrente me termina o prazo a re-
cepeo das prendas destinadas ao referido leilo.
fo domingo 15 do corrate foi o primeiro dia da
romana do Senhor de Matosinhos, distancia pouco
mais de um kilmetro do Porto, a qual, como sa-
bido, dura tres dias, sendo o ultimo na terca-feira,
que e aquelle em que tem lugar a solemnidade re-
ligiosa que este anno foi pomposa, segundo se diz,
de um cavalleiro ha pouco caegado desse amigo
imperio.
E' esta urna das romarias que mais povo attrahe
tanto da cidade como das freguezias circumvisi-
nhas, e mesmo de trras muito distantes, nao s
pelos innumerosos milagres que so allribuem
aquella veneranda imagem como pelo agradavel e
pittoreseo do sitio em que est editlcado o templo.
Durante os tres dias erara mullas as pessoas
que am caminho de Matosinhos com differentes
olferendas, para cumpriraento de promessas feitas
em momento de suprema afflicao. A maior aflluen-
cia, porm, foi na terca-feira, por ser o ultimo e
verdadeiro dia da festa. Tambem eram numerosos
os ranchos de aldeoes ,com os seus classicos des-
cantes.
O fogo de artificio qne o chamariz de muita
gente a estas festas, constava de urnas dezoito pe-
cas, todas de lindissimo elTeito pelas variegadas co-
res de que eram compostas.
Ardcu na segunda feira pelas 11 horas da note,
na alameda que forma o adito da igreja, e que es-
lava apinhada de povo. A gritara do rapazio, que
nunca falta a estes divertimentos, mal deixava ou-
vir os sons dos instrumentos de urna banda mar-
cial que tocava a espacos, fazendocom que a maior
parte da gente ignorasse que all havia musical
Os dias estavam lndissimos, mas o calor que
fazia nao convidava em verdade, a to grande pas-
seo. Mas esta circumstancia nao servio de estorvo,
porque a romaria de Matosinhos foi concorridissi-
ma. De madrugada e ao entardecer dos dous pri-
meiros dias de romaria, crusava-se em todo o ca-
minho urna massa compacta de gente, porque a
amenidade da athraosphera, bafejada por urna vi-
raco suave, aconselhava os romeiros a guardaren!
para entao a sua perigrinacao, para nao se expo-
rem aos raios resplandecenies do sol.
O povo portuguez, e morraeote o dasaldeias. um
poyo eminentemente religioso, e por isso nunca
deixa de concorrer a estas festas populares, era
que os jbilos e folgares andam entrelazados sem-
pre com a crenea mais viva e a f mais acryso-
lada.
No Carvalbido e Ramada Alta flzeram-se no dia
15 os costumados arraiaes, havendo segundo o
uso, no primeiro desles locaes, um leilo, por cau-
sa do qual houve urna desordem muito seria. E o
que faz admirar ter sido o motor da desordem
um innoflensivo rato I Mas explicando o caso, va-
cilamos sobre o verdadeiro desordeiro.
Appareceu um segredo ero praca, e alguem o ar-
rematou com a condicao de que fosse aberto e of-
ferecido ao primeiro tocador de viola que passasse.
Era um gracejo innocente, que ninguem previa ti-
vesse lo raaos resultados. Mas o tocador a quera
coube o tal presente, tomando o caso em conta de
offensa, indagou quem foi o lancador e partio-lhe
a viola na cabeca.
D'aqui resultou a desordem, havendo ferimentos
e pancadaria, cuitando bstente a restabelecer-se
a ordem.
Tambem no dia 15 se festejou no caes da Ribei-
ra. na sua capclla da Lada, a imagem do Senhor
da Boa-Morte, tocando ali de tarde a banda de m-
sica de infamara n. 5, e havendo no sabbado
noite fogo de artificio, era barcos no rio. A' noute
eslava amena e agradavel, o que atlrahio ao local
da festa grandissima concurrencia de povo.
No domingo 21 leve lugar a romaria do Senhor
da Pedra, imagem collocada em urna capellinha
a beira do mar, a distancia de cerca de dous kilo-
metros desta cidade.
A empma constructora dos caminhos de ferro
resolveu, e muito acertadamente, facilitar, em cor-
ridas extraordinarias, a concurrencia do povo
aquello arraial. Por este motivo, a aflluencia de
gente foi em muito maior numero do que nos ou
tros annos.
Desde pela manhaa at noule, da Ribeira es-
tacao do caminho de ferro, as Devezas, em Villa-
Nova de Gaya, massas e massas compactas de povo
se crusavam em todas as direccoes. Nao se va, pa-
ra assim dizer, senao magotes "de aldeoes, cantan-
do, dansando, e trazendo nos chapeos a eslampa do
Senhor da Pedra, entre ramos de cumarinJws.
Os combosos lizeram quatro corridas de ida e
quatro de volta. conduzindo para cima de quatro
mil pessoas, A receita foi de cerca de um cont de
ris. Outro tanto nao aconteceu aos caleches, que
pouco gasto tiveram, sabendo-se, comtudo, os al-
quiladores tegurarm, pois exigiam precos eleva-
dos no reg_resso cidade! I
Como nao ha gosto sem desgosto, um vendeiro '
que mora no Terreiro da Alfandega preparava-se,'
no domingo, e mais a sua chara raelade, para irem
de romeiros ao Senhor da Pedra, quando esta, in-
do buscara umacaixa de lata as suas arrecadas de
ouro, deu com a caxa vasia. Lastimaram os dous
consortes a perda de todo o seu ouro, no valor de
perN de 305000, e, como de presumir, nao se
lembraram mais de romaria para s cuidarem de
descubrir quem os linha roubado, roas debalde
porque ainda o ignoram,
Segundo as noticias de varios circuios vinhatei-
ros, a terrivel molestia das vinhas vai era sensivel
declinacao. Ha tres annos que o mal comecou a ser ,
mais benigno, e no actual as cepas apresentam um
excedente aspecto. Como meio preventivo conti-
nuaro os lavradores os enxoframentos.
Conta o Vimaranen.se que houvcra um desastro-
so incendio em urna casa de campo, na freguezia
de Sande, que fica no valle entre a serra da Fal-
perra e as Caldas das Taipas. Foram baldados qua-
s todos os soccorros, sempre mal dirigidos e lar-
dios as freguezias ruraes. Parece que alguro gado
roorrera asphixiado.
Os Irabalhos de amanha as salinas da via de
Aveiro, diz um jornal da dila cidade, progridem.
com actividade, e se o tempo continuar esli e cal-
moso, como vai, devem comecar a dar sal por estes
quinze dias. A irregularidade'que se tem dado as
estardes nao permute que se facam jalaos seguros
sobre a futura prodaeco de sal; se porm o ve-
ro continuar, a abundancia d'este genero ha de
ser grande e o seu prego baixar muito y elle ten-
de para isso. O sal 6 urna excepcao a todas as
produccoes; a abundancia nao compensa a dirai-
nuico do prego do genero ; nos annos de esca-
cez que os resultados tocam o mximo.
Por sentenca do tribunal do commercio do Por-
to de 16 do corrente, foi julgado fallido, por denun-
cia dos commerciantes D M. Feuerpeerd Jnior &
C, o commerciante Francisco dos Santos.
Em quanto a theatros houve no de S Joao um
beneficio a favor dos infelizes habitantes de Cabo-
Verde, de iniciativa da prima-donna Lafon e secun-
dada por toda a companhia Ivrica, corpo de coros
e erchestra.
Urna commissao, composta de alguns cavalheiros
dislincto?, coadjuvou o pensamento da eximia can-
tora toroaudo sobre si o encargo da passagem dos
bilhetes. E madama Lafon, os secs collegas, e a
commissao, e todos os que de tao boa vontade se
associaram a sua ideia virara coroados do melhor
exito todos os seus esforcos, pois a concorrencia do
publico ao espectculo foi a mxima que a sala po-
da comportar.
O dito do theatro eslava brilhanlemente Ilumi-
nado eadornado, vendse aqui e all o nome La-
fon, seguido da palavra Caridade. A banda de lo-
fanteria n. 18 execulava all, a espacos, lindissimas
pecas de msica. I
Cantou-se o Trovador, que tevrnma execucao,
felicissima. Madama Lafon, na sua entrada no
palco, foi-receida com enthusiasticos applausos,
sem
quim Jos de Santa Anua, vindo de Caruar,
declaraco do motivo.
A" ordem do Sr. Dr. delegado da capital, Joa-
quim Severiano, por ser encontrado nos iridios da
via-ferrea.
A' ordem do subdeleuado do Recife, Francisco
Fernandesda Costa ;por briga.
A' ordem do de Santo Antonio, Maria Felicia da
Conceicao, sera declaraco do motivo.
A' ordem do de S. Jos, Lourenco Jos dos San-
tos, por infraccao de posturas.
O chefe da 2* seccao,
J. G. de Mesquita.
Movimento |da casa de detenco no dia 17
de junho de 1864.
Existam....... 359
Enlraram....... 6
Sahiram....... 18
presos.
>
que se connuavam quasi que nterrompidos e sem-
pre phreneticos no correr da opera, parlilhando
tambem d'elles a contrallo Fabrini, tenor Lirabertl,
e bartono D'Aotoni. |
onima ovacaobrillante paraaoxiraia e syrapa-
"jjacantora, querecebeu riquissimas coreas de fio- i
re artificiaos, e um sein numero de bouquetssitm-'
, ". pombas, versos, et?.,etc.
Madama Lafon cantou em portuguez, ao inter-
valos do 2o ao 3 acto, urna poesa repassada do
senllmento intitulada -A Candade-e dedicada aos
Portuenses. Foi enlo que subi de ponto o enthu-
siasmo, tocou as raias do delirio I
No lira do espectculo as chamadas succediam-
se urnas s outras, e madama Lafon era recebida
entre chuva de llores, coreas, bravos e palmas en-
tusisticas.
Deve de ser de saudosas recordagoes para a gran-
de cantora a noute era que, vendo coreado o seu
pensamento de to felizes resultados, rerebeu dos
Portuenses to subida prova da estima cm que a
teem.e que ella merece como cantorae como actriz.
O beneficio de madama Garaulli, que leve lugar
na noiie de 9 do corrente, foi tambero urna noite
de enthusiasmo, ero que esta dislincta cantora re-
cebeu merecidas demonstracOes de apreco. A con-
correncia de espectadores foi extraordinaria, ha- i
vendo entre estes muitos periencentes ao extincto
baialhao de voluntarios da rainha, vestindo o seu
antigo uniforme. Esta comparencia dos volunta-
rios foi motivada por ser uo dia 16 de maio de '
1834 qne leve lugar a batalha da Asseiceir3, diri-' 1864.
gida pelo finado duque da Terceira. Teve baixa :
N'um dos intervallos o joven estudante do lyceu Manoel Francisco de Sania Anua bronchite.
porluenso Jos iogo Souto recitou urna sentida Teve alta :
poesa em que exalta va os brios do grande maro- Manoel Gomes Neporouceno
chai a qual foi .muito applaudida eleve bis. Passageiro do palhabote nacional Arthnr,
u esta vez foi o Sr. Diogo Souto mais feliz do que sahido para o Rio Grande do Sul : -Jos da Silva
o havia sido quando no theatro Baquete recitou uns Fonseca.
venes, pouco convenientes, na presenca de el-rei! Obtuamo do da 17 do CORKBfTI nocemitkmo
o m\ u. Luiz na sua visita no anno passado a esta publico :
c,dada-. ; _. Andr Avelino de Moura, Pernambueo, 30 annos,
An e-hontem (2i), no salao do theatro de S. Joao,; casado, Santo Amonio ; um cancro,
leve lugar o concert do pianista Soller, oin que Francisco Pernambueo, 12 dias, Recife ; diarrha.
tomarara parle a dama Garsolli e teuor Liraberti,! Maria, escrava, Pernambueo, 6 meses, Santo An-
e os Srs. t. Sa Noronna e Cario* Dubin. tonio; bronchite.
Todas as pecas que se executaram foram muito Rita, liberta, frica, 50 aanos, solteira, Santo An-
Exstem .......
A saber :
Nacionaes......
Estrangeiros___
Muflieres.......
Estrangeiro.....
Escravos........
Escravas. ......
317
Sil
36
10
1
317
Alimentados a costa dos cofres pblicos 121.
Movimento da enfermara no da 19 de junho de
applaudidas e a concorrencia, apesar da terrivel
noite que esteye, orbastente regular.
Deu honktin o ultimo espectculo de despedida
a companhia equesire e gymnastica, que trabalha-
va no circo, da ra de Santo Antonio.
N"uma das nones anteriores fez o seu beneficio
madima Leopoldina Gaertner, .que a eroprezaria
e directora da companhia.
O theatro vesta de gala interiormente, o a ova-
tomo ; congesto cerebral.
Francisco, livre, frica, 70 annos, solteiro ; Bea-
Vista; gastro cneephalile.
Jos, Pernambueo, 7 mezes, Boa-Viste ;coovulsoos.
Maria, Pernambueo, 3 anuos, S. Jos ; catarro surto-
cante.
Joaquim, Pernambueo, 5 annos, S. Jos ; intente.
Antouio, escravo, Pernambueo, 62 annos, solteiro,
Recife; ulcera cancerosa.
Cao a Gaertner foi delirante, chovendo sobre ella'Jos Maria da Sil va Ferreira. Portugal, 70 annos,
constantemente llores esfolhadas e numerosos bou-,
quels. O publico afluiu ora grande numero a dar
iesterouril\o brilhante do quanto vale a excedente
ar tiste e o-apreco que merece aos Portuenses.
Com o remate quo costumamos dar s nossas
missivas terminamos as noticias da qoinzena. E'
dia da procisso de Corpus-Cbrisli e vamos v-la.
A vendas de assucar durante a quinzena fo-
ram :do de Pernambueo velho, 1550 saccas, e
llHMitas do novo; do da Babia 38 caixas, e 50 do
Hio.
Este genero conserva os precos segu ntes :
Pernambueo, brauco, 2&500 a 2o50, somenos
25430 a 2200, mascavado 13900 a 2000.
Bahia, branco, 2J150 a2A200, mascavado 830
a 13900.
Rio, mascavado, I 900 a 2>000.
Venderam-se 12,200 couros seceos, do Ro Gran-
de, sem podermos lixar os precos que talvez regu
lassem entre 140 e 155 ris o kilograma.
.vo nos consiam vendas dos suppnmentos rebe-
bidos na quinzena passada, que se elevaram a
18,8;10 couros ; nao incluindo os 1,163 couduzidos
de Pernambueo pela galera Noca-Fama e barca
Flix.
Na galera Aurora, entrada no dia 23 do Mara-
nhao, vieram 3,377 couros.
O melaco regula de 2250 a 2300 o almude.
casado, Boa-Vista; colite.
Jos escravo, Pernambueo, 21 annos, solleiro.Boa-
Viste ; urna queda.
K1P4L
AOS 25 DE MAIO
SESSAO EXTRAORDINARIA
DE 1861.
Presidencia do Sr. Barata de Almeida. continimla
pelo Sr. Henriques da Silva.
Presentes os Srs. Maia, Gustavo do llego, Mello e
Gameiro, faltando sem que partieipassem os demais
senhores, abriu-se a sessao, e foi lida e approvada
a acta da antecedente.
Leu-se o seguale
EXPEDIENTE:
Um ofllcio do Exm. presidente da provincia, res-
' i pondendo ao que lhe dirigi a cmara em 11 do
< corrente ; declara que, nao havendo verba no or-
cameiilo municipal para conslrucco d:; urna ca-
pella no cemitero publico da freguezia de S. Lou-
renco da Malta, proposta pela me?ma cmara em
seu cla-lo ollicio, convm que, opporlunamente se
solicite da assembla provincial a quote necessaria
para semelhante obra.Inteirada.
Outro do juiz de direto da segunda vara crimi-
nal, r. Manoel Jos da Silva Neiva, remetiendo
r\m ,t Z ". r"'S1'^.,, 'i,8a m7 ^rJ^-^/f ?,V^ muniriP|Wade> na importancia ditas cusas de
ligo
Abriu termo de carga em 21 a barca Xerreio
para o Ro Grande.
Entrou em 23 a galera Aurora, do Maranhao.
Sahiram :em 13 o brigue S. Manoel 1 para e
Rio de Janeiro ; ero 13 a barca Adclaide para o di-
to porto.
PERHAIBUCO.
REVISTA DIARIA.
Com relacao as eleicoes de elelores em
plicata das prochias de Cna e Barreiros, cuja
du-
de-
riso pende ainda da cmara dos Srs. deputados,; d'-Qd J "^ "" ."neiro te'v
foi recornmendado pela presidencia que, na orga- Jd tVd7CJ0rIrae'e"deV,ntava e m
?SS? AjSWftS !nesas "awcl,iaes P?ra a am a Sso u ordena? o dito Z
eleico primaria de juizes do paz e vereadores,
fossem convocados os olo cidados immediatos em
votos ao primeiro juiz de pazc residentes da mes-
ma parochia, visto deverem ser consideradas as
referidas prochias como se nao tivessem eleilores,
conforme estatu a lei.
Recommendou-se, oulrosim, que caso nao com-
parecam os oito convocados, ou algum delles, se
nbservassem os arta. 13 e 14 das instruccoes de
23 de agosto de 1836, que regem a materia."
A lotera cuja extraccao deve ler lugar no
dia 23 do corrente, j foi confeccionada conforme
o plano ltimamente approvado.
Com|K>ndo-se de 3,500 bilhetes, mil desles sao
premiados. O primeiro- destes de 10:0005, os
dous immediatos sao de 2:0003 cada um, e se-
giiem-se-lhes dous de 5003, cinco de 2003, dez de
1003, vinle e cinco de 403, quarenta e cinco de
203, e novecentos e dez de 103, Costo do bilhete.
Hoje pelo meio dia, na casa das respectivas
sessoes, procede-se a arrematacao do rendimento
dos chafarizes e Meas da Companhia do Beberibe,
Mandou-se passar mandado.
Outro do promotor publico deste termo, Dr. Jos
Paulino da Cmara, cominunicando ter sido Doea-
do por portara de 10 do corrente, para o mesmo
cargo, e entrado no exerccio delle no dia 13 do
mesmo. Que se respondesse Bear a cmara
scienle.
Outro do|procurador, informando a pelico, na
; qual denlo Joaquim Gomes, arrematante da obra
i do atierro e bomba da Iravessa do (Juiabo da fre-
! guezia dos Afogados pede providencias contra um
j embargo que lhe fra apresenlado por Francisco
i Carneiro Machado Rio* Jnior, embaraando assim
a execucao da dita obra, por estar sendo feila em
' terreno que lhe pertencente ; diz que, procuran-
do saber era que carlorio existia semelhante em-
bargo, nao lhe foi possivel encontrar, mas enten-
e a resposla
ndo esta lida
procurador que
se entendesse coro o proprietario do terreno, Fran-
cisco Carneiro Machado Ros, e delle soubesse
quanto quera de indemnisacao, afim de ser tratada
a desapropriacao.O Sr. Mello declarou-se suspeito
nesta questo.
Outro do engenheiro cordiador, informando o re-
querimento de Joao Antunes Guimares, que pede
lhe seja permillido estender a trapeira, que lem no
meio de sua casa ra do Brum, freguezia do Re-
cfe, a toda a largura da mesina casa, elevando para
este lim os respectivos oites; diz que, una vez
que o peticionario guarde nesta transformaeo as
posturas ltimamente feitas para soleas, nada ha
que oppor. Concedeu-se no sentido da infor-
maco.
Oulro do mesmo, informands o requerimento, no
qual Manoel Fernandes da Costa & C pedem para
que lhes seja permillido fazer uro encanamento de
ferro por baixa da Ierra, alim de levar urna cm-
ba prxima que vai desaguar no ro, as aguas ser-
vidas de sua fabrica de sabo, sita ra de S. Mi-
! guel na povoaco dos Afogados; diz me, sendo o
peticionario, nao acha que a obra que elle pretende
(fazer possa correr alguro risco de desmoronamento,
una vez que seja executeda como convm.Per-
inittio-se.
Outro do fiscal do Recife, informando que a cara
n. 31 da ra dos Burgos, onde pretende Justino Jos
de Souza Campos, reslabelecerapadaria d'oulr'ora,
tem as proporgoes exigidas pelas posturas para dito'
estabelecimeolo.Concedeu-se.
Oulro do mesmo, dizendo que o armazem n. 71
da ra do Brum, com frente para o caes d'Apollo, e
onde Antonio B. Cucero pretende estabelecer urna
destlacao de alcool, exlrahido do mel e sementes,
fazendo para isso um forno com a competente cha-
min, esl as eondieoes de ter o estabelecimento
para o qual pude permissao o mesmo Cucero, em
vista da localidade.Permitlio-se.
Outro do mesmo, informando o requerimento no
qual Dimz Antonio Ferreira Marques, requer li-
cenca para estabelecer urna ferrara na casa n. 62
da ra do Brum ; declara que, esta ra est mar-
, cada para estabelecimentos como o de que se trata,
e por Isso parece-lhe nao haver inconveniente em
se lhe conceder a licenca pedida.-Concedeu-se.
Outro do fiscal de Santo Antonio, informando ser
exacto o que allega Miguel Jos Rodrigues Braga,
com Joja de tamancos na casa n. 20 da roa Direita,
de nao ser obrigado ao pagamento de impostos
atrasados, por que se acha debitada a mesma casa,
onde outr'ora existram eslabelecimentos de selleiro
e de cigarros.Deferio-se no sentido da infor-
maco.
Outro do liscal do Poco, communicando que a
estrada da Cruz de Almas, at o lugar dos Apipu-
cos, acha-se em alguns pontos inlransiiavel, era
consequencia das aguas pluviaes, precisando quan-
to antes que se ceparem as escavanos nella exis-
tentes. Autorisou-se ao fiscal que mandasse abrir
regos as extremas da mesma estrada, para evacua-
co das aguas, e bem assim que mandasse deposi-
tar entulho naquellas evacuaedes, onde fosse mais
necessario.
Outro do administrador do cemitero publico da
freguezia de S. Lonrenco da MaUa, remetiendo um
mappa dos enlerramentos que se lizeram no mesmo
estabelecimento, desde 11 20 do correte.Ao
procurador.
A' requerimento do Sr. Barata de Almeida, orde-
nou-so ao fiscal da freguezia do Poco da Panella que,
na primeira sessao, apresentasse nm relatorid cir-
cunstanciado do estado em que se acham as estra-
das de sua freguezia, indicando quaes os melhora-
mentos indispensaveis e mais urgentes que cada
urna dellas precisam, para melhor commodidade do
transito publico.
A' requerimento do Sr. Henriqnes da Silva, or-
denou-se ao fiscal de S. Jos, que intimasse Jos
Elias Machado Freir, que se acha oceupando com
estaleiro o terreno de propriedade municipal, site
ra nova de Santa Rite, sem que por elle pague
nenhuma renda, para comparecer perante cma-
ra por meio de petico, e tratar quanto deve pagar
de renda pelo dito terreno, sem o que nao pode
continuar a occupa-Io.
Despacharam-se as pelices de Alexandnna Ma-
ra do'Espirilo-Santo Sove Leal, Antonio Alves da
Cosa, Amonio Jos Duarle Coimbra, Antonio de
Arroda, Augusto Genuino de Figmiredo, Andr
Alves Porto, Antonio Jos Gomes do Correio, ba-
charel Americo Netto de Mendonca, Domingos Jos
Barbosa, Damiao Jos Ferreira, Francisco Ferreira
Ramos, Francisco de Barros Correa, irmandade do
apostlo S. Pedro, Innocencio Garca Chaves, Dr.
Jos Bento da Cunta e Figueiredo, Jos Ignacio
d'Avlla (3), Jos Bernardo Galvo Alcoforado, Joa-
quim de Souza Maia, Jos Correa de Souza, Jos
Ferreira da Silva, Jos da Costa Honrado, Joo da
Silva Santos, Joao Francisco Monteiro, Jos Maria
de Souza, Joo Ignacio de Medeiros Reg, Jos
Francisco de Aguiar, Jorge Vctor Ferreira Lopes,
I.uiz de Albuqnerqne Martins Pereira, Miguel Jos
Rodrigues Braga, Manoel Francisco Correa, Thomaz
Jos da Silva, e levantuu-se a sessao.
Ea, Francisco Canuto da Boa-Viagem, secretario
a subscrevi.Ifarros Reg, presidente.Gameiro.
Barata de Almeida.Reg.Mello.
pelo espacode um anno, contado de judio prximo
junho do anno vindouro. encanamento subterrneo nada ha que oppor a pre
Pelo delegado do Bonito foi preso Manoel
Vieira da Silva, por ter assassinado Jos Cypriano
Romao em fevereiro ultimo no lugar Gruta do Mel.
tenco.Concedeu-se.
Outro do mesmo, informando sobre o requeri-
mento, que devolve, no qual o Dr. Jos Bento da
Cunha e Figueiredo, pede para que lhe seja per-
Francisco Pedro da Silva assassinou, no i mittido eiilicar urna casa no becco da rna da Con-
dia 29 do passado, Manoel Francisco da Silva, ceico para travessa do Tambi, reguezia da
com um tiro de espingarda, em Ierras do engenho' Boa-Vista, conforme a Acerca que ja oblivera; ae-
Terra Vermelha, do termo de Nazareth. I clara que, o becco que o peticionario se refere
Foi assassinado, em 2 do passado, na povoa- existe aberlo ao transito publico de tempo mraemo-
Cao de Fazenda Grande, do termo de Tacaratu, rial, sendo que nao obstante isio, a planta oaqueiie
HenriqueJos de Souza, por Manoel Candido de lugar o m-nda fechar considerando o dito terreno
Souza. que foi preso em aerante. ; como proprio para ediucacao.-espachou-se o re-
Em alguns nmeros deste Diario foi publi- querimento, mandando que o peticionario exh.bisse
cadoumanniinnionoqualsedeclaravaestarper-olituloqueprovasse o dominio do rcfor.de ler-
dido um allinelo de ouro com um brilhante de bom : reno. ____
Umanho; mas, o dono desse alflnete que quasi ti- Oulro do mesmo, informando a peticao de Joa-
nha perdido a c^peranca de rehaver essa joia de quim de Souza Maia, que pede llie seja permillido
cosi e de valor que tanto se lhe recommendava,. acabar a casa que est reedificando na ra da Cam-
por sei prenda de urna pessoa de sua eslimaco, | boa do Carmo, levantando os oites do travejamen-
rucebeu, na manhaa de 18 do corrente, na dele- to para cima com um s lijollo, para
gama do primeiro distrelo desta cidade, o brilhan-
te j descravado, qne foi reconhecido por causa de
urna pinta preta, pelo que se suppoe fra elle fur-
tado e nao perdido, segundo consta ao- annunckv
O brilhante havia aislado ao dono 6003.
REPARTICO DA POLICA.
Extracto das partes do dia 4.8 de junho de 1861.
Foram recudalos casa de detenQo no dia 17
do corrente.
cima cora um s tijoito, para assim dar
maior espaco solea que pretende fazer na mesma
casa; diz que, nao dio pareceerregular fazerem-
se os oites de urna casa como quer o peticionario,
em parte dobrados, e em parte singellos, accres-
cendo que tendo a frente da casa com a solea mais
de trinta palmos de altura, a parte singella dos
respectivos oites vira a ficar tambera muilo alta ;
todava, em abono da verdade, diz anda o enge-
nheiro que, sondo a casa muito estrella, pois quo
i crreme. i naeiro que, senao a casa muuo esire+ia, pois quo
A' ordem .do Illnv Sr. Dr chefe de'polieHf Jojh I apenas tem vinte- palmos de largura.como. alleea o
CHUNCA Jl'DICIARIA
Tlll III \ V 1 I \ It I I \ < lO.
SESSAO EM 18 DE JUNHO.
PnESIDKNCIA DO EXM. SR. C0NSELI1EIRO
SUIZA.
s 10 horas da manhaa, proseles os senhores
desemhargadores Gitirana, Lourenco Santiago, Reis
e Silva, Almeida c Albuquerque, Molla, L'cha Ca-
valcanti. Asss, Doria, e Vasconcellos, abrio-sc a
sessao.
O Sr. desembargador Guerra, procurador da co-
ra, nao eompareceu.
Passados os Caitos e entregues os distribuidos,
deram-se os seguinies
JI'LGAMENTOS
A rensta a me.
Recrreme, Prudencio Rodrigues de Almeida ;
recorrida, a justica.
Julgaram a favor do recrreme.
Appellaroes crimes.
Appellanle, o juizo ; appellado, Francisco An-
tonio Lins.
A' novo jury.
Appellante, o juizo; appellado, Antonio Jos
da Silva.
Nudo todo o proresso.
Appellante, o juizo ; appellado, Joo Baptista
Evangelista.
Confirmada a pena no grao medio do art. 193.
Appellanle, o juizo ; appellado, Manoel Leo da
Fonseca.
A' novo jury.
Appellanle, Francisco Xavier de Araujo Morga-
do ; appellado, Julio Colho da Silva Nelto.
Improcedente.
Habeus-corpHS.
Concedeu-se ordem de habeas-corpus para o dia
2 de judio futuro a Paulino Jos Bezerra, pedida
em petico.
DII.IOENCIAS CHIMES.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justica
As appellaprts crimes.
Appellante, Feliciano Jos Joaquim ; appellada,
a justica.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Martins,
Pereira.
Appellante, o juizo ; appellado, Francisco Anto-
nio de Moura.
Appellanle, ojuio; appellado, Manoel Joaqwmi
de Lima.
Appellanle, Bento Alves da Crus ; appellada, D.
Mana Jesuina Borges.
Com vista ao Dr. curador geral
.-ppellante, o promotor; appellados, os oseravos
Leandro e Alberto.
PASSAOBNS.
O Sr. desembargador Gitirana passou ao Sr.
desembargador Lourenco Santiago
A appeliacCio crime.
Appellante, o bacharel Jos Antonio Rodrigues ;
appellada, a justica.
A appellaco civel.
Appellante, Francisco Rlbeiro de Andrade ; ap-
pellado, Joo Lobo de Macedo.
Do Sr. desembargador Lourenco Santiago ao Sr.
desembargador Reis e Silva
A appellaro crinu.
Appellante, o promotor; appellado, Cordolina
Mara da Conceicao,


filarlo de pera*mfetie Segnnda felra t de fnuho de 1S4.
0 Sr. desembargador I\ci.s e Silva ai Se. desem-
bargador Almeida u Albnquerquo
A appe'.lacao crime.
Appellante; Anna Francisca de Brito ; appella-
do, Francisco Elias Fontanelle*.
Ao Sr. desembargador l'cha Cavalcanli
A a toe llardo civel
Appellanle, Jos Thoraaz da Silva Jnior ; ap-
pellailo, Amonio Carlos Leitec Albuquerque.
O Sr. desembargador Almeida o Albuquerque o
Sr. desembargador Mola
A appellaro civti.
Appellanle, Joao Gomes da Costa ; appcllado,
Joaquim Jos de Mello.
Ao Sr. desembargador Assis
Appellaro civel.
Appcllanle, Manoel Francisco das Ncves; ap-
ellado, Jos Manoel da Silva.
O Sr. desembargador Motta passou ao Sr. des-
gador l'cha Cavalcanli
.4 appellar/w crime.
Appellanle, o juizo ; appcllado, Taurino Gem-
niann de Brito.
O Sr. desembargador Ucha Cavalcanli ao Sr.
desembargador Assis
A appeUares civeis.
Appellanle, Manoel Eiias de Moura ; appella-
do, Francisco Cavalcanli de Albuquerque.
Appellanle, Manoel Patro do Nasomento ; ap-
pellado. Amonio Moreira dos Reis.
Appellanle, o regente da capella dos Prazeres ;
appcllado, o solicitador de residuos.
Appellanle, D. Anna Igacia de Araojo ; appel-
lado, Manoel Francisco Tounnho.
Appellanle, Vicente Ferreira de Maltos ; appel-
lado, Francisco Ignacio Rochedo.
O Sr. desembargador Assis passou ao Sr. desem-
bargador Doria
A appellaro crime.
Appellante, o juizo; appellado, Vicente Ferreira
da Costa.
As appellaeZes cireis.
Appellante, o bachare Joaquim Francisco de
Miranda : appellado, Jos Rodrigues do Passo.
Appellante, o juizo ; appellado, Jos Maximiano
Soares de Avellar.
Appellanle, Malinas Lopes da Costa Maia : ap-
pellada. D. Maria de Jess Cordeiro.
O Sr. desembargador Doria ao Sr. desembarga-
gador Barros Vasconcellos
Ai appellaroes crime.
Appellanle, ojulzo ; 'appellado, Dionizio Fer-
reira Cernes.
Appellante, o juizo ; appcllado, Pedro Antonio
Cordeiro.
Do Sr. desembargador Vasconcellos ao Sr. des-
embargador Gitirana
A appellaro crime. '
Appellante, Manoel Taurino Itrasileiro appel-
lada, a justic.
At appellares civeis.
Appellante, Camino Augusto Ferreira da Silva;
appellado, Bernardo Norat & Irma.
Appellante, o juizo ; appellados, Ponciano Ro-
drigues da Silva e outros.
A' 2 horas da tarde encerrou-se a sessao.
r*
PBUGAtQES A PEDIDO-
Ao ilisiiclo e especial corpo eleitural desta
provincia.
Candidato senatoria o Dr. Joaquim Saldanha
Marinho, dirigi cada um dos dignos eleitores es-
peciaes desta provincia, a circular abaixo trans-
cripta ; mas podendo acontecer que, niuilas das
mesmas circulares, por circumstancias que se nao
pode prevenir, nao tenham rhegado, c que agora
mesm > nao cheguem ainda a seus destinos, por
isso laz-se a presente declaracao, pedindo-se ao
mesmo lempo desculpa de faltas que possam appa-
reeer e notar-se, e de que jamis deve ser respon-
savel o mesmo Dr. Saldanha Marinho, que so tem
motivo para confessar-se eternamente grato, ao
distiiicto e especial corpo eleitoral desta provincia,
tpie ja una vez o acolheu benigno.
Illm. Sr.Tendo solicitado do corpo eleitoral de
nossa briosa provincia a admiss.io de meu obscuro
nome na lista trplice que foi ollerecida ccroa na
ultima eleicao, consegu isto, e do modo o mais no-
bre e lisoogeiro mira, que por to grande consi-
deraco me confesso eternamente agradecidp. Da
tribuna parlamentar eu me dirig aos eltitores de
mnlia provincia, Ihes tributei a homenagem devi-
da pelo titulo de suprema honra que me haviam
concedido.
Pela lamentavel morte do Sr. conselheiro Fran-
cisco Xavier Paes Brrelo d-se nova vaga no se-
nad'i, e nova eleicao vai proceder Pernambuco.
Apresento-me novamente ; reputando de minha
digm.iale consultar ao mesmo corpo eleitoral se
nos poneos meros decorridos da eleicao em que fui
considerado tenlio em alguina cousa desmerecido
do concert em que se dignaram ter-me os eleito-
res pe nambucanos.
E porque tenho consciencia de mim, como tenho
intima rouviccao da diirnidade, independencia e
lirmeza de carcter de V. S:, nao duyido contar
com a sua valiosa roadjuvacao em prl de minha
candielatnra na eleicao a que se vaj agora proceder.
Ausente do campo onde a eleicao vai ser dispu-
tada en nao conlu senao com a bondade e honra
de V. S., em cujas qnalidades confio plenamente.
Sempra firme nos principios liberaos, para trium-
phodus quaes nenhum esforco e sacrificio tenho
poupado, me reputo no caso de merecer a conli-
nuaaao de seu apoio.
Fica as suas ordens o de V. S. amigo, patricio,
criado obrigado
Joaquim SaUtmha Marinho.
Rio de Janeiro, 7 de abril de W.
Srs. lultwUires.Apresenlando-ine candidato
um dos tugaras da lista triplico na eleicao de se-
nador, a que su lem de proceder nessa provincia,
rogo-lhes o obseipiio do fazercm publicar as co-
lumnas do seu jornal a circular que dirijo aos elei-
tores especiaes da mesma provincia.
Sou com particular estima, ele.
Antonio Coelho de S c Albuquerque.
Rio, 4 de maio de 1864.
Illm. Sr.A lamenlavel morte do benemrito
Pernambucano, o conselheiro Francisco Xavier
Paes Brrelo, deu lugar a urna vaga senatorial por
essa nossa provincia.
Animado pelas repelidas provas de estima e cou-
flanca. com que tenho sido distinguido pelos meas
concidadaos, ouso pedir a minha provincia a honra
de ser contemplado na lisia trplice, que tem de
ser apresentada escolha imperial.
A minha vida publica nao breve, e, com a mao
em minha conscienca creio poder dizer V. S. que
so o Inin do meu paz me ha guiado em todos os
meas actos.
Se, pois, V. S. entender que o meu nome nao
deslustrar a sua lista, digne-so de acolhe-lo com
benevolencia, ainparando-o com o seu voto e com
o seu prestigio e relacoes.
Terei sempre vivo' em minha memoria, e ser
sempre objecto de meu sincero reconhecimento, o
Obsequio que peco V. S.
Desejo a V. S. muitas prosperidades, e rogo-lhe
3ue transmita as suas ordens quem se prza ser
e V. S. amigo e criado, ltenlo e obrigadissimo
Antonio Coelho de S e Albuquerque.
Xarope alchoolico de veame, preparado pelo
pharmaceutico Jos da Rocha Paranhos, estabele-
cido com botica na roa Direila n. 88 em Pernam-
buco.
Esle xarope incontestavelmenle superior a lo-
dos os xaropes depurativos, de cua composicao
o seu maior elemento a salsa parrilha, pois que se
tem conhecido ser o veame mais enrgico para a
prompla cura das molestias, cuja base essencial
-S pende da purificacao do sangue : assim pois se
lem verificado por muitas pessoas qne se achavam
desengaadas, as quaes acham-se hoje restableci-
das com o referido xarope alchoolico de veame ;
entretanto que alguns, tendo asado do xarope de
Curinier, de Larrey, de salsa parnlha, de sapona-
ria, oleo de ligado de bacalho, e eulros agentes
desta ordem nada conseguiram. elle de fcil,
digestao, agradavel ao paladar e ao olfato. Alguns
mdicos desta cidade e da de Macei o teem re-
commendado para a cura das
Impigens, tinha, escrophnlas,
Tumores, ulceras, escorbuto,
Cancros, sarna degenerada, luxo alvo.
Todas estas affeccoes provJm de urna cansa in-
terna ; nao ha pois razo alguma em crcr que el-
las se podem curar com remedios externos. Tam-
bem se prescreve o xarope alchoolico de veame
para o tratamenlo das affeccoes do systema nervo-
so e fibroso, taes como : ,
Golla, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade,
Marasmo, hypocondria, emmagrecimenlo.
O xarope alchoolico de veame sobretudo, da
maior ulilidade para curar radicalmente, e em
pouco tempo o rheumatismo.
Adverte-se que o verdadeiro xarope s se vende
nesta cidade na botica cima indicada do abaixo
assignado ; e em outra qualquer parte que se tem
annunciado nao da mesma composicao, e nem o
abaixo assignado se responsabilisa.
Jos da Rocha Paranhos.
Ao publico.
Silvino Guilherme de Barros, sendo hoje o porta-
dor de quasi lodas as letras aceitas por Francisco
Antonio de Oiiveira pela importancia da compra
do engenho Guerra, silo no termo de Ipojuca, pro-
movendo ja execucao contra o mesmo Oiiveira per
algumas dessas letras de quantia superior vinte
c sele conlosde ris, e que a respeito de algumas
outras que se vencero, de importancia maior de
48:000.5, trata de promover a sua cobranca pelos
meios judiciaes, para o que j foi citado, previne
que ninguem faca negocio ou outra qualquer tran-
saccao com o referido engenho Guerra, escravos,
animaos, ulensis para o fabrico de assucar, safra,
que ludo esl hypothccado para garanta do paga-
mento das letras aceitas pelo dito Oiiveira pela
compra do referido engenho na importancia de
245:500. alim de que qualquer fique logo certo
que alguin negocio ou transaccao que fizer, ser
nullo. Recife, 2o de abril de 1804.
Salsa de Brintol.
' ATTESTADO DO BRASIL.
CURA DE KLEPHA.NTIASES.
Esta mfenntdade horrenda lem que suecumbir
Salsa parrilha de Brislol.
Lease I I Lea-se t 1
Um preto, escravo do Illm. Sr. commendador
Dom Ildefonso Simao Lpez, proprietario de varias
fazendas na'cidade da Barra Mansa, provincia do
Rio de Janeiro, foi atacado de elephantlases, e j se
achava n'nm estado bastante avancado da enfermi-
dade, com os ligamentos dos dedos if um estado de
dissoluco, e finalmente foi abandonad pelos facul-
tativos.
Seu senhor, quiz romo um ultimo recurso expe-
rimentar a salsaparrilha de Bristol. E com ver-
dadeiro assombro e pasmo todos presenciaram e
acompanharam o progresso de urna cura completa,
effectuada tao smente por tres frascos de dita sal-
sa parrilha, na pessoa d'este escravo, o qual pode
ser a toio o tempo vislo na casa do seu senhor no
Ro de Janeiro.
11*800
8*000
200
900
3*000
5*000
5*000
840
4*000
1*200
120
5*800
20*000
10*000
1*000
120
GOMMERCIO.
CAIXA FILIAL
DO
BA^XO llO ItKASII.
EM PERNAMBUCO.
A directora da caixa filial do banco do Brasil
nesta cidade, administradora da massa fallida de
Joaquim Francisco de Mello Santos, convida es ere-
dores da mesma massa para apresenlarem seus ti-
lulos at o fim do crrante mez, allm de serem
convenientemente examinados e proceder-se-ha ao
pnmeiro dividendo da referida massa.
Recife 4 de junho do 1864
los .Mamede Alvos Ferreira.
JSecrelario.
Alfandega
Rendimentodo da 1 a 17........ 384:971*716
dem do da 18................. 24:7285488
409:7005201
lloviacato' da alfaudega
Volumes entrados com fazendas...
t t com gneros...
Volumes sabidos com fazendas...
i com gneros...
187
221
------ 408
113
42G
539
Oescarregara no dia 20 de junho.
Briguc suero Altnnetfarinha de Irigo.
Patacho nglezTiaramercaduras.
Brigue ingle*Josejm Copemercadorias.
Barca porlugueza = Flor da Maia diversos g-
neros.
ALFANDEGA DE PERXAMBl'CO.
PAUTA DOS PREfjo DOS GNEROS SUJEITOS A DinEITO DE
EXPORTACAO. SEMANA DE 20 A 25 DO MEZ DE
JUNHO DE ING'l.
Mercadorias. Unidades. Valores.
Tem esta bella e rica provincia de eleger no da
10 de julno tres nomes, que sero apreseutados ao
nosso Augusto Monarcha para a nomeacao de um
senador, que preencha a vaga, que no senado dej-
xra a mu senlida morte do nosso dislinclo patri-
cio, o Exm. conselheiro Francisco Xavier Paes
Brrelo.
Alguns candidatos j se lm apresentado, e, li-
songeando-me com o raconheeer em todos ellos
grande inerocimenlo pelos seus talentos, illustra-
co, ser vicos e dedicacao causa publica>j2mino-
fne a solicitar igualmente a subida honra de ser
eleito.
Nao encareco meus servicos, e digo apenas, pie
elles sao poucos em relaco aos mullos, que tenho
desejado e dese)e prestar.
as lucias polticas o raciocinio tem sido minha
nica arma, os boos principios minha religio poli-
tica, a exaltaco o inimigo que aborrece, as recri-
minai;es pessoaes o objecio de meus desgostos.
Amo a liberdade a a ordem, u deste duplo amor
tem resultado o nao poder sinmlar-me, nem comer-
me sempre que se abusa de qualquer desies dous
principios : este tributo pesado e dillicil eu o le-
nho pago ao mea paz.
Tal vez nao me seja possivel dirigir-me pariicu-
larmenle cada um dos Srs. eleitores ; nao pen-
sero por isso que, as occasies de dar evidentes
provas de vivo reconhecimento, o meu coraco se-
r menos expansivo do que o de ouiro qualquer.
Digne-se V. S. de acceittr os votos de sincera
estima e eoosideraeie do que de V. S. patricio,
venerador, servo e criado.
Recife, 10 de jonho de 1864.
Francisco de Paula Baptkta.
Abanos......... cento
Agurdente de cana..... caada
dem resillada ou do reino
dem caxaca.........
dem geucbra........
dem aleool ou espirito de agua-
ardeute.....,
AJgodao eiu caroco..... arroba
dem em rama iki em lia.
Arroz com casca......
dem descascado ou pilado
Assuc.u- masca vado.....
dem branco........
dem refinado....... <
Azeite de amendoim ou mondo-
bim......... caada
dem de coco........
dem de mamona..... >
Batatas alimenticias..... arroba
Bolacha o diara, propria para
embarque.......
dem fina........ >
Caf bom........
dem escolha ou rcstolhe ...
dem torrado....... libra
Caibros......... um
150XX)
800
800
480
860
900
6*375
25*500
1*500
arroba
um
arroba
urna
libra
Cal
dem branca......
Carne secca (xarque) .
Carneiros.......
Carvio vegetal.....
Cavernas de sicupira
Cera de carnauba em bruto,
dem idem em velas ....
Cha..........
Charutos........ cento
Cevados (porcos)...... um
Cocos (seceos)....... cento
Colla.......... libra
Couros de boi, salgados ...
dem idem seceos espichados. > '
dem idem verdes.....
dem idem cabra eortdos. um
dem idem de onca.....
Doces seceos....... libra
dem era gela ou massa.
dem em calda......
Espanadores grandes um
dem pequeos....... >
Esteiras para forro de estivas
de navio........ cento
Estopa nacional
Farinha de de mandioca. .
dem de aramia .
Feijae de qualquer qudlidade.
Frechaos .......
Fumo em tolha, bom .
dem ordinario ou reslolno .
dem em rolo bom.....
arroba
*MQ
4*400
5*120
2*000
1*600
800
1*200
:i*ooo
7*000
8*oXX)
7*500
440
360
280
500
3*000
-4*000
1*060
8*000
300
360
1*500
2*500
15*000
3*509
500
170
240
100
350
10*000
1*000
320
500
4*000
2*000
15*000
1*600
5*000 pelo preco da adjudcalo com o abatimenlo res-
um peclivo da lei.
i*9UU i E para que chegue ao conhecimento de lodos,
25*000! mandei passar o presente dital, que ser afiliado
1*600 nos lugares do cosame, o publicado pela im-
prensa.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 9 de junho de 1864.
Eu Manoel de Carvalho Paes de Andrade, escri-
vo o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
O Dr. Joao Antonio de Araujo Frailas Heorques,
cavalleiro da ordem de Chrslo, juiz de direilo
da 1* vara do crime, e substituto em exercicio
do juizo especial do commercio desta cidade do
Recife de Pernambuco e seu termo, por Sua Ma-
gestade Imperial e Constitucional, o Sr. D. Pe-
dro II a noem Dos guarde, etc.
Fago saber aos que o presente edital virem, e
delle noticia tiverem, qne no dia 20 de junho do
crrente anno se ha de arrematar por venda a
quem mais dr, em praca publica, depois da au-
diencia respectiva, um terreno sito entre as duas
40 pontes do Chora-menino e Magdalena, lugar deno-
25*00(j! minado Cajueiro, sendo a frente de dito terreno
5*500, loda murada, tendo oitenta palmos de frente, e
7*0001 cento e oitenta de fundo, tendo em frente urna
2*800 frente de casa, com urna porta e duas janellas,
140*000: porlo, cacimba e alguns arvoredos de fructo,
80*000 avahado em 1:000*000. Este terreno perten-
2*800 rante Jos Ribeiro de Brito e sua mulher, e ra
2*00f) praca por execucao que contra es mesmos enea-
6*000 minham Ponceca & Martins. E na falla de lci-
200 tanles ser a arrematado feila pelo prego da adju-
10*000 dicaejio com o abatimenlo respectivo da lei.
E para que chegue ao conhecimenlo de todos,
mandei fazer o prsenle edital, que ser aflixado
nos lugares do costume, e publicado pela im-
prenta.
Dado e passado nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 27 de maio de 1864. En Manoel
de Carvalho Paes de Andrade, cscrivo, o subs-
crevi.
Joo Antonio O Dr. Joao Antonio de Araujo Frailas Henriques,
juiz de direilo da primeira vara criminal e subs-
tituto da do commercio desta cidade do Recife,
capital da provincia de Pernambuco e sen ter-
mo, por S. M. Imperial e Constitucional o Sr. D. 1
Pedro II a quem Deus guarde, etc.
Paco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, que no dia zOde junho do
crrante anno, se ha de arrematar por venda
quem mais dr, em praca publica deste juizo, na
sala dos auditorios, o seguinte :
Um sitio de trras no lugar das Curcuranas, de-
nominado Miranda, freguezia de Muribeca, tendo
488 barricas farinha" de trigo, 550 meias ditas alguns coqueiros, e o raslanle cominatiassemdi-
vasias a ordem visa>terras foretras, avahado em oOO* ; um lerre-
Gneros nacionaes no na ra da Aurora com 33 palmos de frente e
" 500 saceos farinha de mandioca, 1,405 saceos 132 de fundo, oreiro i mar.nha, avahado em 9005;
caf a ordem um lerreno n rua do Seve com palmos de
i< *e hrdnr i i le rendan i al rrnai frente e 132 de fundo> foreiro marinha, avahado
Ketehedorla ne renaa* wwrnai em600*; um lerreno na rua do Seve. com 33
geraes ae reraaninue. palmos e um terco de frente e 32 de fundo, foreiro
Rendimento do dia 1 a 17........ 20:454*997 ;l marinha, avahado em 600* ; os quaes foram pe-
Idem do. da 18................. 920*681 nh0rados por execucao de Moreira & Duarte, con-
ira os herdeiros de Joaquim Flix Machado.
21:.175*678 g na0 havendo lanzador arrematacao ser fei-
===== ta pelo valor da adjudicacao com o abatimenlo da
Consulado provincial. le.
Rendimentodo dial a 17......... 63:721*833 E para que chegue ao conhecimento de todas,
Idem.do dia 18................. 4:894*044 mandei passar editaes, que sero publicados pela
------------- imprensa e afiliados nos lugares do costume.
68:315*877 i
dem ordinario ou rcstolbo
Gallinhas........"">*
Gomma.........arroba
Ipccacuanha (raiz)......
Lenha em achas......cento
Toros..........
Linhas e esteios.......um
Mel ou raelaco.......caada
Milho..........arroba
Papagaios........um
Pao Brasil........quintal
dem de jangada......um
Pedras de amolar.....urna
dem de filtrar......
dem de rebote.......
Passava.........molho
Pontas, ou chifres de vaccas ou
uovilhos........cento
Pranchoes de amarello de dous
costados........um
dem de louro.......
Rap..........libra
Sabao..........
Sal..........alqueire
Salsa parrilha.......arroba
Sebo em rama....... -
dem em velas.......
Sola em vaqueta......urna
Taboas de amarello.....duzia
dem diversas.......
Tapiocas.........arroba
Tatajaba.........quintal
Travs.........urna
Unhas de boi.......Cento
Vassouras de piassava. ...
Ditas de timb......
Ditas de carnauba.....
Vinagre.........caada
Alfandega de Pernambuco, 18 de junho de 1S64.
(Assignados):
O 1. conferente, Joaquim Aurelio Wanderley.
O 2." conferente, Arestides Barbosa Cordeiro
Feitosa.
Approvo. Alfandega de Paernmbuco, 18 de
junho de 1864.A. Eulalto.
Conforme. O 3. escripturario. Joo dos San-
tos Porto.
lmportaco.
Brigue'sueco|iWii7, entrado do Rio de Janeiro
consignado a Johnston Paler & C, manifeston o
seguinte :
2,000 barricas|de trigo ; aos mesmos.
Barca portugueza Flor da Maia, entrada do Rio
de Janeiro, consignada a Manoel Joaquim Ramos e
Silva 4 Genro, manifestou o seguinte :
Gneros estrangeiros j despachados para con-
sumo.
85000
6*000
500
ha o que dispc a lei n. 286. Conforme. A. F.
d'Annunciarao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia, de 14 do corrate, manda fa-
zer publico que no dia 30 do mesmo, perante a
junta da fazenda da mesma thesouraria, se ha de
arrematar, a qnem por menos fizer, a obra dos re-
paros geraes da estrada do sul e embarraamento
dos marcos de cinco mil a oito mil bracas, avaha-
da em 5:852* rs.
A arrematacao ser feila na forma da lei provin-
cial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as clau-
sulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao comparecam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo raeio dia,
competentemente habituadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 9 de jun"e de 1864.O secretario, Antonio
Ferreira d'Annunciaco.
Clausulas especiaos para a arrematacao
Ia Os reparos do embarreamento da estrada do
sul, entre os marcos de 5,000 8,000 bragas, na
importancia de 5:852* rs., serao feitos de con for-
mulado como respectivoorcamentoapprovado pelo
conselho da directora.
2' O arremtame dar coineco aos Irabalhos no
prazo de 20 das e os concluir no d- 5 mezes,
contados ambos da data da arrematacao.
3a Os pagamentos sero realisados em Ires pres-
laces iguaes, correspondendo a cada um terco do
servco.
4a O arremtame na execucao dos irabalhos
observar as piescrpces do engenheiro.
5a Nao ser em lempo algumaltendida qualquer
reclamacao, por paite do arremtame, tendente
indemuisaco, quaes^uer que sejam as allegaces
em qne se bascar para esse lim, ainda mesmo por
prejuizos provados.
6a Para o que nao estver prescriplo, observar-
se-la o que dispe a lei n 286.Conforme. A.
F. d'Annunciarao.
DECLARARES.
COMPANHIA
PRAQA DO KECITE
19 K II \ II I BE I Mi4.
AS TRES HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios........ Regalarara sobre Londres de 27
V a 27 '/i d. por 1*000, sobre
Recife, 24 de maio de 1864.
Eu Manoel Maria Rodrigues do i\ascimento, es-
crivao o subscrevi.
Joao A. de Araujo Frailas Henriques.
O illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 4 do crrante, manda fazer
publico, que no dia 30 do mesmo, perante junta
da fazenda da mesma thesouraria, se ha de arre-
Pars a 345 rs. por ir-, e sobre matar, quem por menos fizer, a obra dos reparos
Lisboa a 95 por cenlode premio, geraes da estrada do sul, e embarreamento, a par-
nao havendo transaeces duran- tir do marco 2,000 ao de 4,000 bracas, avahados
te a semana. em 1:705*000.
Algodao........O desta provincia vendeu-se de | a arrematacao ser feila na forma da lei pro-
26*000 a 27*000 por arroba, o, vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
de Macelo, posto a bordo, a ris clausulas especiaes abaixo mencionadas.
27*300, c o da Parahyba, iam- as pessoas que se propozerem a essa arremata-
bem posio a bordo, a 28*500. cao, comparectm na sala das sessoes da respectiva
Assucar........Os preeps foram os mesmos das Junta, no dia acuna mencionado, pelo meio dia, e
transaccSes da semana antees- competentemente habilitadas.
dente. e para constar se mandou publicar o presente
Agurdente..... Vendeu-se a 90*000 a pipa. pelo jornal.
Couros.........Os seceos salgados venderam-se Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
a 165 rs. por libra. buco 9 de junho de 1864.O secretario,
Arroz.......... 0 pilado da India vendeu-se a. F. d'Annunciaco.
de 2*S0O a 2*350 por arroba, e Clausulas especiaes da arreuiatacao.
o do Maranhao de 25800 a .'t*.' i Os reparos do embarreamento da estrada do
Azeite doce..... O de Lisboa vendeu-se de 2*650 su|, entre os marcos de 2,000 4,000 bracas, na
havendo falta importancia de 1:705*, serao feilos de conformida-
de com o respectivo orcamenlo, approvado pelo
conselho da directora.
i' O arrematante dar principio aos trahalhos
a 16*000 licando em deposito no praso de 20 dias, e os concluir no de dous me-
1,800 barricas. : zes, contados ambos da data da arrematacao.
Batatas.........Venderam-se a 2*000 por ar- 3 os pagamentos sero realisados em duas pres-
roba. tacoes iguaes, a primeira om meio do servico, e a
Bolaohinha...... Vendeu-se a 2*200 a bamqui- ultima no fim.
nha. 4 o arrematante na execucao dos irabalhos, ob-
Caf...........dem de 8*500 a 8*600 por
O
^AlvjM^o,o
No dia 20 do corrente, pelas i 2 horas
do da, ter lugar no escriplorio da Com-
panliia rua do Cabug n. 16, arrematacao
do rendimento dos chalaiizcs e bicas por
bairros 011 lolalidade e por espaco de um
anno, sob as bases abaixo transcriptas e
condices que j foram publicadas ; os se-
nhores licitantes comparecam com seus
fiadores ou declaracao dos mesmos no
mencionado dia, devendo ser as propostas
em carta fechada apresenlada na mesma oc-
casifio ou antes no escriptorio onde melhor
se deverSo esclarecer e informar.
Bases sobre as quaes se deve laucar.
Bairro do Recife.
Chafariz e bica do caes da al-
fandega.......5:400,>000
Dito da rua da Cruz. 6:3O5000
Dito da rua do Bmm. 4:100000o
Dito do Forte do Maltos e bica. 3:390)000
Conselho administrativo.
O conselno administrativo para fornecimente do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
guinles:
Pira a fortaleza do Cabedello da provincia da Pa-
ralaba do norte.
1 bandeira aznl para signan
1 dita branca para dito.
1 dita encarnada para dito.
1 galhardete azul.
2 barrs de dous fundos.
1 drica de bandeira.
Quem quizer vender taes objectos aprsente a
sua proposta em carta fechada na secretaria do
conselho s 10 horas da nunha do dia 27 do cr-
ranle.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arseual de guerra 17 de junho
de 1864.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel, presidente.
Sebastiao Jos Baztlio Pyrrho.
Vogal secretario.
No'-dia 21 do crreme, depois da audiencia
do Illm. Sr. Dr. juiz municipal da Ia vara, tem de
ser arrematado um terreno de marinha na rua dos
Guararapes, com frente lambem para a rua do
llrnin, todo murado, com duas mei-aguas na frente
da mesma rua dos Guararapes ns. 8 e 10, com um
quarto ao lado, com porlao no meio, tendo mais
duas rasas dentro do dito terreno, e outra mais
com fornode padaria, com mais dous telheiros ser-
vindo um de ferrara, tudo de pedra e cal, sendo
toda esta propriedade avahada em 10:500*000; e
serao lambem arrematados nessa occasio os uten-
clios de padaria, constante de 2 masseiras, balan-
5a. crranles, braco, 1 peso de 2 arrobas, e cylin-
dro, avahados ditos uteucilios em 61*500, como
melhor conslar do cscripto em mao do porleiro ; e
vai praca por execucao de Joaquim Lopes de Al-
meida contra Domingos Jos Pereira da Cosa e
sua mulher, para pagamento de hypotheca, escri-
vao Coiilia. Recife 17 de junho de 1864.
O conselho econmico do 7 batalbo de in-
famara convida as pessoas que quizerem fornecer
para o rancho de mesmo no 2* semestre de 1864,
comparecerem com suas proposUs no dia 25 do
corrate, pelas 10 horas da mauhaa, no quartel e
secretaria do mesmo batalbo, as Cinco Pontas,
sendo taes propoftas dos seguintes gneros : pao
de 4 e 6 oncas. cafe muido, assucar refinado mas-
cavinho, manleiga franceza, carne verde, dita sec-
ca, bacalho, feijo, arroz, azeite doce, vinagre, le-
nha, toucinho, farinha e sal, sendo taes generas de
primeira qnalidade.
Pernambuco 18 de junho de 1864.
Jos Joao de Carvalho.
Tenenle agente.
iivMeiseo
Bairro de Santo Antonio.
Chafariz do largo do Carmo. 9:6005000
I Dito do largo do Paraizo. 6:500#)00
1 Dilo do largo do Passeio Pu-
blico........ 4:2500000
Dito da rua do Sol. 3:200.-5000
Dilo da rua da Concordia. 4:1005000
a 2*000 o galo
do do Estrello.
Bacalho.......Vendeu-se em alacado a 14*000
"a barrica, e a retalhode 15*000
27:050^000
Bairro da Boa-Vista.
Chafariz e bica do Cites do Ca-
pibaribe........
Dito da rua da Aurora. .
Dito da caixa d'agtia dos Pires.
Dito da praca da Boa-Vista. .
da Soledade. .
arroba.
servar as presenpees do engenheiro.
5a Nao ser em lempo algum attendida qualquer
Cha............ dem de 1*600 a 2*200 a libra, reclamacao por parte' do arrematante tendente a
indemnsaco, quaesquer que sojam as allegaces
em que se bascar para prejuizos provados.
6a Para o que nao estver previsto observar-se-
ha o que dispoo a lei n. 286.
Conforme.A. F. d'Annunciaco.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provincial,
cm cumprimento da ordem do Exm. Sr. presidente
Carne secca..
Carreja.........
A do Rio-Grande do Sul vendeu-
se de 2*800 a 4*000 por arroba,
e a do Rio da Piala de 3*200 a
3*500 ; ficando em ser 37,000
arrobas da primeira e 5,000 da
segunda.
Vendeu-se de 5*000 a 5*200 a .
duzia do garrafas.
Farinha de Irigo. A de Philadelphia e New-York da provincia de 4 do torrente, manda fazer publico
vendeu-se de 175000 a 1'.1*000 a que no dia 30 do mesmo, peranle junta da fazen-
barrica, a de Baltimore do 17*
a 18*, e a de Trieste de 23*000
a 24*000 ; ficando em deposito
9,000 barricas da primeira, 1,600
da segunda, 1,800 da lorceirae
3,500 da quarta ; chegaram du-
rante a semana
memos, dous da
da da mesma thesouraria se ha de arrematar, a
quem por menos fizer, a obra dos reparos das pon-
tes de Santo Amaro, Tacaruna, Arrumbados e Va-
radouro, avahada cm 1:200*180.
A arrematacao ser feta na forma da lei pro-
( vincial n. 343 de 15 de maio de 1854, e sob as
tres earrega- clausulas especiaes abaixo declaradas.
America, se- As pessoas que se propozerem a essa arremata-
guindo um para o sul, e um do cao comparecam na sala das sessoes da referida
Rio de Janeiro que anda est junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia, e
por decdir-sc.
Louea..........A ingleza ordinaria vendeu-se
com 330 por cento de premio.
Manteiga....... A franceza vendeu-se a 580 rs.
a libra, e a ingleza a 700.
Venderam-se a 7*500 a caixa.
dem a 6*500 a dita.
Negociou-se a 14*000 a arroba.
Os fiamengos venderam-se a
2*500 cada nm.
Massas.........
Passas..........
Presuntos.......
Quoijos........
Sabo..........O inglez vendeu-se a 140 rs. a
libra, e o do Mediterrneo a
240 rs.
Toucinho....... Vendeu-se o de Lisboa a 8*000
a arroba.
Vinagre........O de Portugal vendeu-se de 115*
a 120* a pipa.
Vinhos.........Os de Lisboa venderam-se de
190*000 a 200*000 a pipa, e os
do outros paizes de 185*000 a
190*000.
Velas..........As de composicao venderam-se
a 520 rs.* o mas'so de seis velas.
Descomes....... O rebate de lellras foi de 8 a 10
por cento ao anno.
Frates......... Para Liverpool, pelo assucar a
45 d. por tonelada e pelo algo-
dao a 1 d. por libra.
M0YIMEWT0 DO POETO.
Nuoios sabidos no dia 18.
Rio Grande do Sul-Pal ha bote nacional Arthur,
capitao Lourenco Justiniano de Souza Lobo, car-
ga assucar.
BarcelonaPatacho hespanhol Job, capitao Miguel
Lopes, carga algodao.
Nao houve entradas.
EDITAES.
alqueire 2*000
arroba 4*00
1*800
um 5*000
arroba 14*000
8*500
> 8*060
0|Dr. Tristo de Alencar Araripe, oficial da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direilo especial
do commercio, nesta cidade do Recife de Per-
nambuco por S. M. I. e C. o Sr. D. Pedro II, a
quem Dos guarde ele.
Faco saber aos que o presente edital virem e del-
le noticia tiverem, que no dia 20 do mez de junho
do correte anno, se ha de arrematar por veada
i quem mais dr, em praca publica, depois da au-
diencia respectiva, os escravos seguintes : Sabina
de nacao, de mais de quarenta annos de idade, com
um lubiftio na cabeca, avahada em 300* ; Basilia,
I crioula de 17 annos de idade, avahada em 800* ;
as quaes sao perleocootes a Joao Marlnbo Paes Bar-
reto, evo praca por execucao de Manoel de
Souza Pereira.
i E na falla de licitantes ser a arrematacao feha
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 9 de junho de 1864.O secretario,
A. F. d'Annunciaco.
Clausulas especiaes para arrematacao.
1* Os reparos das ponles da estrada de Oliuda,
; na importancia de 1:200*180, sero feitos de con-
formidade com o respecti vo orcamento, approvado
pelo conselho da direcloria.
1 2* O arrematante dar principio aos trahalhos
no praso de 15 dias, e os concluir no de dous me-
' zes, contados da data da arrematacao.
3a O pagamento effectuar-se-ha em duas presta-
j coes iguaes, a primeira quando melade da obra es-
tver concluida, e a ultima no lim o entrega dos
irabalhos.
4a Para ludo mais que aqu nao estver dsposlo,
! seguir-se-ha o que determina a lei n. 286.
Conforme.A. F. d'Annunciaco.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 4 do crrante, manda fa-
zer publico, que no dia 30 do mesmo, perante a
junta da fazenda da mesma thesouraria, se ha de
arrematar, quem por menos fizer, a obra do em-
barreamento da estrada do sul enire os marcos de
quairo cinco mil bracas, avahada em 5:995* rs.
A arrematacao ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 843 de 15 de maio de 1854, o sob as
clausulas especiaes abaixo mencionadas.
As pessoas que se propozerem a essa arremata-
cao comparecam na sala das sessoes da referida
junta, do dia cima mencionado, pelo meio dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Per na m-
j buco, 9 de junho de 1864. 9 secretario, Amonto
Ferreira d'Annunciaco.
Clausulas especiaes para a arrematacao.
Ia Os reparos do embarreameoto da estrada do
sal, entre os marcos de 4,000 5,000 bracas, na
importancia de 5 995* rs., serao executados de
con formidade com o respectivo orcamento, appro-
vado pelo conselho da directora.
2* O arrematante dar comeco aos trabalhos no
prazo de 20 dias, e os concluir no de 5 mezes'
contados ambos da data da arrematacao.
3* Os pagamentos sero realisados em tres pres-
tacoes iguaes, correspondendo cada urna a cada
terco do servido.
4a O arrematante na execucao dos trabalhos
observar as prescripcSes do engenheiro.
5* Nao ser em tempo algum attendida qualquer
reclamacao, por parte do arrematante tendente
indemnsaco, Ijoaesquer que sejam as allegaces
em que se basear para esse fim, ainda mesmo por
prejuizos provados.
6* Para o que nao estver previsto, observar-se-
Dilo do largo
4:6005000
2:4005000
6:5005000
6:0005000
1:5205000
21:0805000
Bairro de S. Jos.
Chafariz do largo da Ilibeira. 12:0005000
Dito da roa Imperial. 8:100*000
Dilo do meio do aterro dos
Afogados.......2:0005000
2O:I00SO00
Bairro dos Afogados.
Chafariz do largo di' Nossa Se-
nhura da Paz.....4:1*900000
Cidade Nova de Santo Amaro.
Chafariz junio a rampa de Slarr
C........2:0005000
Passagem da Magdalena.
Chafariz do largo do viveiro. 5005000
Escriptorio da Companhia de Beberibe, 15
de junho de 1864.
O escriplurario,
Marcolino Jos Fupe.
Conselho administrativo.
0 conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos
seguintes:
Para a fortaleza do firnm.
Livro para carga do material exlislente segundo
o modelo n. 4, 1.
Dilo para ndice dos documentos archivado, se-
gundo o modelo n. 3, I.
Dilo para registro da correspondencia official,
modelo n. 2, 1.
Dito para registro dos despachos das embarca-
rles, formato grande contendo 150 folbas 1.
Dito para entradas e sabidas dos presos, formato
grande com 150 folhas 1.
Plvora grossa 10 arrobas.
Para a fortaleza do Duraco.
1 canoa aberta com proporcoes para conduzir
12 caneces d'agua e 3 pessoas.
Para o arsenal de guerra.
.Livros em branco de 16 folhas de papel de hol-
landa pautado 2.
Ditos ae 40 olhas 2.
Ditos de 80 folhas 2.
Dilos de 30 folhas 4.
Dilo de 60 folhas 1.
Dilo de 120 folhas 1.
Para o 4" balalho de artilheria.
Bandeira imperial 1.
Bala para a dita I.
Capa para a dita 1.
Bandeira imperial 1.
Borlla para a mesma 1.
Capa para a dila 1.
Quem quizer veoder taes objectos aprsenle a
sua proposta em carta fechada na secretaria do
conselho, s 10 horas da manha no dia 22 do cor-
rente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 15 de junho
de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente
Sebastian Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co, que os trinta dias uteis para pagamento boca
do cofre do segundo semestre do anno financeiro
vigente de 1863 1864 dos imposto.- da decima dos
predios urbanos das freguezias desta cidade, e da
dos Afogados, do 20 por cenio do consumo de
agurdente, e de 5 por cento sobre a renda dos bens
de raz pertencentes a corporacoes de mao mora,
se principiam a contar do 1 de junho vindouso.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco, 25
de maio de 1804.
Antonio Carnero Machado Ros.
Administrador. v
Consalad* de Portugal.
Sio chamados os oradores do finado Manoel Mar-
tins Carnero a virem receber o que lhes toca em
rateio no liquidado do seu espolio.
AVISOS MAMTIMOS.
Cuiupanhia Pernambucana
DE
\awiaco eoseira a vapor.
Parahiba, Natal, Maco, Aracaty, Cear e Acrate'.
No da 22' do corrente s 5
horas da tarde, segu o vapor
Mamanguape, commandante Mou-
ra. Receber carga at o dia 21.
Encommendas, passageiros e d-
nheiro a frote at as 2 horas da tarde do dia da
saluda : escriptorio no Forte do Mallos n. 1.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos portos do sul
at o da 30 do crrante o vapor
Apa, o qual depois da demora do
costume seguir para os portos
do norte.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2
horas, agencia rua da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oiiveira Azevedo & C
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQBETES A VAPOR-
Dos portos do norte esperado
at o dia Io de julho, o vapor
Cruzeiro do Sui, commandante
Alcanforado, o qual depois da de-
mora do costume seguir para os
portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no da de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, rua da Cruz u. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oiiveira Azevedo & C.
Rio de Janeiro.
O brigue Trotador segu com brevidade, recebe
carga c escravos a frete : trata-se com os consig-
natarios Marques, Barros &C, largo do Corpo San-
to n. 6.
Para o ltio de Janeiro
o novo e veleiro patacho Potyeena, capitao Cypria-
no .^ntonio de Quadros, segu com brevidade ; re-
cebe carga a frete e escravos, para os quaes tem
excedentes commodos : trata-se com Miguel Jos
Alves, rua da Cruz n. 19.
Para Lisboa e Porto
Sahir com brevidade a barca nacional Marian-
na ; recebe carga a frete, e tem cxcellentes com-
modos para passageiros : trata-se no escriptorio
de Manoel Ignacio de Oiiveira & Filho, no largo-
do Corpo Santn. 15'.
Klo Grande lo Xorfe e Ass
Sabe com brevidade a barcaca Noca Esperanra,
recebe carga a frete para os portos cima : a tra-
tar na rua da Madre de Dos n. 2, ou na Escadi-
nha com o inestre.
Para Lisboa
sahir com brevidade o brigue portuguez Constan-
fe, recebe ainda alguma carga a frete e passagei-
ros, para os quaes tem exeellentes commodos : tra-
ta-se com Manoel Ignacio de Oiiveira & Filho, lar-
go do Corpo Sanio, escriptorio n. 19.
Para l.islioa
O brigue portuguez ii //, capitao Antonio
Francisco Vieira vai sabir por estos dias por ler a
mior parte do carrcgamenlo prompto : para car-
ga e passageiros, tratase com E. R. Rabello, rua
da Cadeia n. 55.
Maranhao.
O palhabote Garibaldi tem j parte da carga en-
gajada, e para o rstame traia-se com Tasso Ir-
raaos.
ara o Penedo.
O hiato Amelia, segu por estes das : a tratar
com o capitao na rua do Vigaro n. 5.
Para a Hahia
pretende seguir com mula brevidade a escuna na-
cional Carlota, tem parle de seu carregamento
prompto : para o resto que Ihe falta, trata-se com
os seus consignatarios Antonio Luiz de Oiiveira
Azevedo & C, no seu escriplorio rua da Cruz nu-
mero 1.
Para o Rio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o veleiro e
bem conhecido palhabote nacional Piedade, lem
parte do seu carregamento engajado : para o res-
to que Ihe falta e escravos a frete, para os quaes
lem exeellentes commodos, trata-se com os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oiiveira Azevedo,
rua da Cruz n. I.
Para o Rio Grande do Sal
pretende seguir com muita brevidade o patacho
nacional Carolina, tem parte do sen carregamento
prompto : para o resto que Ibe falta, trata-se com
o capitao Beiarmino dos Santos Pinelro a bordo,
ou na praca do commercio.
Rio de Janeiro.
O patacho Polycena, capitao Cypriano Antonio
de Quadras, sabe no dia 23 do corrente. Pode ain-
da receber alguma carga e escravos a frote, para
o que trata-se cora Miguel Jos Alves, casa n. 19
da rua da Cruz.


-

/
Diarto de Per_au_bne egnada feira O de -nnhw de l*4
LEILOES.
LEL0
DE
TERRENOS
Como seja:
i terreno aterrado sito a na do Alecnm, com O
palmos de fronte e 130 de fundo.
1 dito cora 140 palmos de (note e 130 de fundo,
na ra da Concordia.
1 dito por beneficiar, com 140 palmos de frente e
200 de fundo, na ra de Detencao.
1 dito com 140 palmos de frente, 200 de fundo,
sito na roa do Caz.
Cordeiro Simes far leilo por tonta e risco de
quem pertencer, dos terrenos cima mencionados
em um ou mais lotes vontade dos pretendentes,
e sao convidados estes ao previo exame, e qual-
quer informaran o referido agento satisfar, cujo
leilo ser effectuado
Terca-feira 21 de correnlc s 10 1 [2
horas da manha
porta do armazem dos Srs. Palmeira & Beltro,
largo do Corpo Santo.
LOTERA

N
4 casas terreas edificadas ioac tem-
a, em local vantajo>o, na Capunga
r_a da Amizade.
Cordeiro Simos far leilao por ron la de urna
pessoa que se retira para fra, dos predios cima
mencionados os quaes tornam-se recommendaveis
pelas suas bemfeitorias, cojas dimensoes sao as
seguiotes:
1 casa terrea n. 26 com 32 palmos de frente e
oitenta e tantos d fundo pouco mais ou menos, 2
salas, 2 alcovas, 2 quartos, cosinha fra e mais 1
quarto ao lado desta, tendo 1 sitio murado em pon-
to pequeo, com cacimba, bamba e tanque e com
bastante arvores fructferas cerno sejam: larangei-
ras de diversas qualidades, mangueiras, jaqueiras,
sapotizeiros e outras muitas ijue se tornam enfado-
nho mencionar.
3 ditas junto a mesma cima de ns. 23, 24 e 2o
tendo cada urna 22 palmos de frente e 48 de fun-
do pouco mais ou menos, 2 salas, 2 quartos, cosi-
nha fra, quintal com cacimba etc.
Terca-feira21 d correnlc s 10 1 [2
horas da manha
portado armazem dos Srs. Palmeira 4 Beltro
largo do Corpo Santo.
LEILAO
DE
ESCRITOS
Sendo :
Luiza, cnoula. idade l annos, cose chan, en-
gomma. cosinha com perfeicao.
Marcelina, crioula, 12 annos, com algumas habi-
lidades.
2 escravos crioulos, de bonitas figuras, sendo ura
de 20 annos e outro de 26, todos sadios.
Cordeiro Simos, legalmente autorisado far
leilao dos escravos cima mencionados.
Terca-feira 21 do crreme s 10 1|2 ho-
ras da manha,
porta do armazem dos Srs. Palmeira 4 Beltro,
largo do Corpo Santo.
AOS 10:000^000.
Ka vesaera do milagrasa S. Joao Bap-
tista a extraer..
Tem mais duas srtes de
2:00$000.
O abaixo assignado avisa ao respeitavel
publico que na quinta feira 23 do corrente
mez, andaro as rodas da 3.a parte da \ .'
lotera a beneficio da igreja de ossa Senho-
ra do Rosario da freguezia de Santo Antonio
' pelo excellente plano approvado, e abaixo
publicado para as rxtraeces das partes de
loteras, quando conveniencias especiaes
j venda dos bilhetes o aconselharem, estando
i desde j expostos os inteiros, meios e quar-
I tos, da mencionada lotera na respectiva|the-
j souraria ra do Crespo n. i5.
Os pagamentos das sortes de 10:0000000
at _0;>000 sero Jeitos, como de costume,
urna hora depois da extraeco at 4 da tar-
de, e os outros depois da destribuico das
listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza
PLANO
PARA AS PARTES
DAS
LOTERAS
APPROVADO PELO EXM. SR. PRESIDENTE
MANDE FABRICA
CHAPEOS DE SOL
De J. Falque.
4-RIJA HO CRESPO-4
Esta fabrica, a mais antiga e acreditada d'esta capital, acha-se de novo montada com um
variado sortimendo de cliapos de sol inglezcs e francezes, assim como de tndo qaanto diz respete
sua profissio, como seja superiores sedas, alpacas e panno de todas as cores e qnalidades, ar-
mages e mais prepares para apromptar chapeos de sol vontade dos fregoezes que se dignarem de
honrar este estabelecimento.
Cobre-se e concerta-se toda e qualquer qualidade d'estes artigos com a maior perfeicao e pres-
teza, c tudo por precos muito rasoaveis.
Bonito sortimento de bengalas preces cemmodos.
4 Rna do Crespo 4
otda e
RA DO QUEMADO NUMERO 11
,nja d fazendas d' Augusto Frederict dos Santos Porto
Chapeo para seahrn. Chegaram de Pars as mais Ondas chapel.nas e chapeos de palha da Italia para senhoras
Ricas capas e soutembarques de seda preta e casemira de cor para senhoras
Cortes de superior morentiqie branco para vestidos de noivas
Camisas nglezas muito superiores para homens, peitos, puniros e colarinhos de iinho.
Chapeos de seda para cabrea e chapos de sol de seda inglezes.
Lencos de labyrinlho francezes a 14 rada um.
Camisas de menino muito superiores.
Cortes de la de barra para vestidos de senhoras de I3 a 184.
A mesma loja tem o maior e mais superior sortimento de
Esleirs para salas.
Neste estabelecimento encontrariio os senhores que precisarem forrar sois salas com esteiras
qualquer quantidade que desejarem de 4, 5 e 6 palmos de largura, sendo a qualidade nimio
superior e por mdico preso.
DE
i ROUPA FEITA
3,300 bilbetes a 104000.........
Beneficio, sello e commisso 20 /.
1 Premio de................
... 2:0004000
... 3005000
... 2005000
... 1005000
405000
205000
105000
33:000*000
7:0005000
28:0005000
2 Ditos
2 Ditos
3 Ditos
10 Ditos
23 Diios
43 Ditos
910 Ditos
1,000 Premios
2,300 Brancos.
10:0005000
4:0005000
1:0005000
1:0005000
1:0005000
1:0005000
9005000
9:1005000
28:000-5000
8!
,c\f
>__
Qaarla-reir 22 dejunlios H horas
ni i da Catleia n. 53
DE
lToia casa terrea n. 1 sita ra de
Aguas Veriles, chao foreiro a S. *-
dro, reutie 300>*.
Eduasmeiasagualde 21 e 23 na ra
das ('aleadas, clio foreiro, patrinio-
nio de tx plios, rende 84? por auno
rada una.
Pelo agente Euzeblo se vender em leilao pelo
maior prego que se adiar a casa terrea n. 1 sita I
ra de Aguas Verdes, 2 salas, 3 quartos, cosinha
fora, cacimba e porto para a ra da Virarao, e
mais duas meias aguas na ra das Calcadas de ns.
21 e _3,seaeham todas em bom estado; os pre-
tendentes sao convidados ao previo exame afim de
aproveitar a pechincha.
LDIL40
DE
Mauteiga franceza.
(tnarta-felra do corrate,
O agente Pestaa vender iur conta e risco de
quem pertencer barris coni imnleiga frauceza de-
sembarcada ltimamente e ser vendida em lotes
vontade dos compradores : quarta-leira 2 do
orrente pelas 10 horas da manha no armazem do
Annes.________
~~V_~V_\^
Quarla-feira 22 do correnle*
O agente AlmeiJa far leilao requerimento
dos administradores da massa fallida de Joaquim
Vieira Coelho ,& ('.., e por mandado do Illm. Sr.
Dr. juiz especial do coinmercio, de dous relogios
de ouro patente suisso, 8 ditos de cobre dourado,
7 eorrentesde cobre douradas, 12 chaves de dito,
um par de botoes para punhos, um par de malas
de viagem. um encerado, um par de botas para
montara, diversas pecas de roupa. urna capa de
ouro para chapeo, urna rede de algodo, tudo per-
leu rente a mesma massa. O leilao ter lugar no
armazem da ra da Cadeia do Recife n. 48, s 11
horas.
LE litO
DE
M VVTEIUV
Os conservad iirrs, progressislas, bali-
zas, commerciaes e principaes.
O agente Pestaa f ir leilao por conta do quem
pertencer de 80 barris de manteiga ingleza ultima-
mente chegada. em lotea de 3 barris : quarla-fei-
ra 22 do correte no armazem do "Annes defronte
da alfandega. .
3,500 Bilhetes.
N. B.Os premios maiores de 4005000 estao
sujeitos ao descomo da le provincial, e os maiores
de 1:0005000 ao da leigeral.
Thesouraria das loteras, 17 de junbo de 1864.
U thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza,
0 cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado u. 36, pri-
rueiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o achanto como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fissao, chamado por escripta.
Precisa-se do uma criada livre ou escrava
que saiba cezinhar c comprar : na ra de Santo
Amaro (Mundo .Novo;, sobrado onde morou o Sr,
Dr. Sabino.
Pede-se ao Sr. Joo Germano de Paula, quei-
ra vir declarar nesta typographia onde residem
Jos Feliciano de Araujo PinheiroeD. Mara Fran-
cisca, que pelo mesmo senhor foram incluidos no
numero dos assignantes deste Diario, sendo a fo-
llia recebida por elle, e nao paga.
cas\ D4 fortim
AOS 10:000.000
Bilhetes garantidos
A' ra do Crespo o. 23 e casas do costme
0 abaixo assignado tendo vendido nos seus mui-
to felizes bilhetes garantidos o inteiro de n 2876
com a sorte de 1:4005 e outros muilos de 2005,
1005, 405 e 205, da lotera que se acabou de ex-
trahir a beneficio de N. S. da Boa-Viagem, convida
aos possuidores de ditos bilhetes a virem rece-
ber seus respectivos premios sem os descontos das
leis em seu estabelecimento ra do Crespo
n.23.
O mesmo tem exposto venda os novos e felizes
bilhetes garantidos a beneficio da igreja de Nossa
Senhora do Rosario que se extrahir quinta-
feira 23 do corrente pelo novo e excedente plano
approvado.
Precos.
Bilbetes inteiros..... 125000
Meios......... 65000
Quartos........ 35000
Para as pessoas que compraren)
de 1005 para cima.
Bilhetes........ 115000
Meios......... 84500
Quartos......, 25750
Maneel Martins Fiuza
NO
ABHAZEI
OE
UTRHftO VEHDE.
Neste estabelecimento ha sempre nm sortimento completo de roupa feita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concur-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim como tambem tem um
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras,
bomens e meninos.
Casacas de panno preto, 350 e 3000001 Ditos de sotim preto. .
Sobrecasacas idem, 300 e 250000 Ditos de ditos e seda branco,
DE*
J. VIGNES.
M. ft&. RA DO ini-l It \lOlt m. ft.
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz condecidos para que seja necessario insistir sobre o
sua supenondade, vantagens e garantas que offerecem aos compradores, qualidades estas inc.mtestt-
res qu e.elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido nesta praca ; pos-
por
^grada-
veis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel, de Pars socio
correspondente de J. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expesicoes.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um explendido e variado sortimento de msicas dos
melhores autores da Europa, assim como harmnicos e pianos harmnicos, sendo tudo vendide por
precos commodos e razoaveis.
50OOOj
Paletos idem e de cores, 250,
200, 150 e......100000
Ditos de casemira, 200, i 50,
120, 100 e...... 70000
Ditos de alpaca, 50, 40 e 30500
Ditos ditos pretos, 90, 70,
50, 40 e......30500
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e. 30000
Ditos branco de linho, 60, 50 e 40000
Ditos de merino preto de cor-
do, 100, 70 e.....50000
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80 e......70000
Ditas de cores, 90, 80 e.
Ditas de meia casemira de co-
res, 50000 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordo, 40500 e. ,
Ditas de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Cohetes de velludo preto e de
cores, 90 e......75000
Ditos de casemira preta, 50 e 40000
Ditos de ditas de cores 50
40 e........30500
60 e.......500003
Ditos de gorguro de seda
pretos e de cores, 60, 50 e 40OOO
Cohetes de fusto e brim bran-
co, 30500, 30 e 20500
Seroulas de brim de Iinho,
20400 e ......
Ditas de algodo, 10600 e. .
Camisas de peitos de linho,
40, 30 e......20500
Ditas de madapolo, 20500,
20e........10(500 g
Chapeos de massa, pretos fran-
cezes, 100, 90 e. 80500 W
20000
20000
194001
G ra ule
fabrica
de fogos de artificio, da viuva Hufino, situada na
estrada de Jeo de Barros-, nesta fabrica apromp-
la-se toda e qualquer enrommenda destes artigos
com o maior esmero e presteza, seja para dentro
ou fra da provincia : recebem-se as encommen-
das no armazem da bola amarella, no oito da se-
cretaria de polica.
Fazem-se bolos de bacia de todas as qualida-
des, e armam-se bandeijas com a maior prompti-
dao e aceio a contento das encommendas, por pre-
cos muito em conta : na ra de Santa Rila n. 10.
Koubo.
70000 Ditos defltro, 50, 40,30500 e
Ditos de sol, de seda, 120,
110, 70 e......
Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda duna. .
Sortimento completo de grava-
tas.
20500 Toalhas para rosto, duzia, 110,
e........
Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....
Lences debramante de linho.
Cobertas de chita chineza.. .
40000
40000
20500
Maques sobre Portugal.
O ahalxo assignado. autori.-ado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca ef-
fectivamente por tudos os paquetes sobre
as pracas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer srauma vis-
ta, e a praso ; podendo, os que tomarem
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na
loja do chapos da na do Crespo n. 6, ou
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
40000 M
30000 M
20500$
Aluguel.
i.i ai %o
DE
Ho eis, t|iiuijinlitM i e outros amitos
artigos -I- gosto e lmo.
4tiata-feira s II horas.
O agente Miranda far leilo de movis, quin-
quillera e outros muitos artigos de gosto e luxo.
sem a menor reserva de preco: em sea armazem
da ra da Cruz n. 57.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
Velha n. 20 : a tratar na ra do Sebo n. 24.
Arrenda-se uma casa e sitio no BarbaIho
margara do rio Capibaribe, confronte a povoacao
do Monteiro, com 6 salas, 8 quartos, estribarla, sen-
zala para escravos, quintal murado, baixa para ca-
p m, e bastante terreno pare plantacao, e sitio com
fructeiras : a tratar na ra de Apollo n. 1, segun-
do andar.
LEILAO
DE
Un dos melhores sitios la Ponte uTchoa
Quinta-feira ao meio dia na porta da
AssnciarD Commercial.
Como nao bouvessem concorrido os pretenden-
tes %o sitio de Ponte de Uchea. tal vez em razao do
nao lempo, o ajfenip Miranda lumou a deliberago
corrente, advertindo porm, que desta vez nao ha-
ver nwlivo que adi a veo la deste sitio, visto o
leilo ser electuadu ao tiro de raartello.
AVISOS DIVERSOS.
Ao publico
Pelo joizo d i commurcio devem ir praca as
tninhas escravas Sabina, losepha e Bazilia, por
njxeeuco de Manoel de Souta Pereira contra meu
marido, nai obstante a escriptura de dote e arrhas
junta aos autos |K)r oceasiao dos embargos de ter-
ceiro (f} oppu?, e aun foram julgad. improvatlos.
Fiz protestar nos termos da li para se nao dar ao
arrematan!.' cuta dPTrrremataco, e ao exequentc
fiara nao levantar o preco. e este protesto foi devi-
ifsmente tomado por termo, e intimado :_e nao
obstante venlio fazer esta publica declaraco em
B(irmaco a mea protesto. Recife 19 de junho
de 1864.Anna Delfiua Paes Brrelo.
A luyase
O sobrado de um andar da ra dos Burgos n.
29 no bairro do Recife : a tratar na ra da Cadeia
numero 33.______________________________
Aluga-se o primeiro andar da casa da ra de
Apollo n. 41 por 16 por mez : a tratar na taber-
na parede-meia.
Precisase de uma ama que tenha bom e
abundante leite, paga-se bem : a tratar na rna da
l'nio n. 50._____________________________
Na ra do Imperador n. 46, primeiro audar>
precisa-se de duas amas, sendo utna para cozinhar.
e outra para o mais servigo da casa, que sejam des-
pachadas e que cumpram suas obrigaces.
Quem precisar de uma ama de leite, dirja-
se ao Can i nho Novo n. 54.
Lava-se e eo^omma-se roupa por menos 60
rs. em pega : na ra do Rangel n. la._________
= Precisase de um amassador e um preto : na
padaria, em Santo Amaro, atraz da fundico do Sr
Starr._________________________________
Esta justa econtratada vender a casa ter-
rea da ra do Arago n. 5 ; se alguem se julgar
com direilo, ou hypotheca nella, annuncie por tres
dias.
Esta para se desvaziar o primeiro andar do
sobrado n. 24 da ra do Hospicio, com muitos
bons commodos para familia : a tratar no mesmo.
Pre usa-se de ama ama para casa de lio-
mem solteiro que saiba engommar com perfeicao
paga-se bem : na na da Cadeia n. 18.
Club Peruambucano.
A rennio familiar do corrente mez, ter
lugar na noile do dia 22. a .__________
Aluga-se um preto nel pira criado, menos
para carregarafua : a tratar na raa do Aragao
mmmmmmmmm mmmmwmmmmnm
CONSULTORIO NEDIGO-GINIRGICO
DO
DR PEDRO DE ATTAHYDE LOBO MOSGOSO,
MEDICO, PARTtiIRO I-: OPKR.IDOR.
3 Ra da Gloria, casa do Fundao 3
O Dr. Lobo Moscoso da consultas gratuitas aos pobres lodos os dias das 7 s i
horas da manha, c das 6 e meia s 8 horas da noite, excepto dos dias santificados
Pharmacia especial homeopathica
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sortimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisafes e pelos predas seguitiles
Carteiras de 12 tubos grandes. 425000
de 2i tubos grandes. 185000
i) de 30 tubos grandes. 24OOO
i de 48 tubos grandes. 305000
de 60 tubos grandes. 3S000
Prepara-se qualquer carteita conforme o pedido que se fuer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca if^OO.
Sendo pata cima de 12, custaru os precos estabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
LlVllO.
A melhor obra da homeopathia, o Manual de Medicina .Homeopathico do Dr. Jakr,
dons grandes volumes com diccionario............ 205000
Medicina domestica do Dr. Ilering............ 105000
Repertorio do Dr. Mello Moraes............. 65000
Diccionario de termos de medicina........... 35000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
do de serem novaraente recommendados as pessoas que quizerem usar de remedios ver-
daderos, enrgicos e duradores : ha tudo do melhor que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro asaucar de leite, notaveis pela sua boa conservaco, tinturados mais acreditados
i estabelecimentos europeos, a mais exacta e aecurada preparaco, e portanto a maior ener-
' gia e certeza em seus effeitos.
Casa de sacfe pnrjn escravos.
Recebe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operac3o, para o que o annunciante jalga-se suficientemente habilitado.
O tratameoto o melhor possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de quatro annos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se _0O0 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 15500.
As operac5es serSo previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
SEGUROS DE VIDA EM MUTUALIDADE.
A direccao do BANCO UNLAO rendo obtido do governo de S. M. P. a autorisacao para estabe le
cer o seguro de vidas em mutualidades, faz publico que desde j tona subscrip^oes annuaes por orna
so vez, debaixo das seguintes condiedes :
Com erda de capital e lucros;
Dito capital smente;
Dito lucros smente;
devendo a primeira liquidacio ter lugar no 1* de Janeiro de 1859.
A vantagens d^emprego de capitaes em muiualidade, sao obvia, porque nao smente se co-
in o juro de quantias diminutas, de que avulsas se nao podera tirar nenhum resultado; mas alm
disso, este rendimento augmentado pelo capital ou lucros, ou ambas as cousas, conforme as condicSes
da subscribi, dos que fallecen). Tambem partido pelos socios sobreviveutes tudo aqullo que os so-
cios morosos ros seus pagamentos, sao por este motivo obrigado a pagar, bem como caducidades que
occorrerem pela falta de cumpriraento do comprnmisso social.
As liquidacoes sao pelo systema das companhias hespanholas, Tutelar e outras ; c para se poder
fazer uma idea do que pode produzir urna entrada annual de 104, publica-sc a segainte tabella basea-
da sobre a experiencia de muitos annos de companhias desta natureza :
Em 5 annos Em 10 annos Em lo annos Em 20 aanos Em 2o ana
Por um menino de
de
de
de
de
Por urna pe?soa de
> de
i de
> de
1
dia
1 anno
i >
3
4
15
20
30
40
1 anno 1105
i > -Mi
3 8fi*
4 S(_
15
a
a
a
a
a
_t
a :t')
a 40 >
a 30
4004
3004
-904
3804
2704
2704
2704
2704
3004
9004
7504
7204
7104
7004
7004
:i05
720,
750,5
2:0004
1:7004
1:6005
1:5604
1:5504
1:5404
1.5604
1:6000
1:8004
4:7004
3:7005
3:5005
3:4005
3:3504
3:3305
3:4004
3:7005
5:0005
Prccisa-se alugar urna preta que saiba cozi-
nhar e engommar : quem a tiver, dirija-se ra
po Trapiche n. 4, que achara com quem iratar.
Precisa-se de nina ama de leite : na ra Im-
perial, sobrado n. 87.
ATTfi_f?;_0_
Mmta allencdo.
*
O abaito assignado avisa a todos os seos deve-
dores em geral, de maiores e menores quantias,
assim como de letras ha muito vencidas, que ve-
nliam no praso de 15 dias pagarem ra Direita
n. 91 os teas debito*, e sr assim nSo o zerem se-
rio seus domes publicados por este Diario, e de-
pois ejecutados sem distinefes de pessoas : faco
o presente aniiiineo para quo depois nao se quei-
xem do -Jos Martins da Silva Horhes.________
Precisa-se de 2:5005 a juros dando-se por
hvpoteca uma boa propriedade : quem quizer fa-
zer este* ORfOeio dirija-se ruado Vigario n. 27,
armazem, que l se Ihe dir quem precisa.
Alaga-te o tercatro andar da casa n. 48 na
ra do Trapiche : a tratar no armazem da mesma
casa.
K_*&*_< X**_S_____!?_
Na noite de 14 para 15 do correnle fra rouba-
da a loja de Maximiano das Chagas e Silva sita no
pateo da Paz na freguezia dos Afogados, coni>tin-
du o mesmo roubo em diversas fazendas como ma-
dapolo, chitas, lencos, algodo, chapeos de feltro
e de sol, bem como' uma peca e mais um retalho
de panno da costa francez e outros objectos em
grande quantidade, calcas, camisas, paletots e ja-
quetas feitas, deixmdo vazia a mesma loja. por
isso rogase a todas as autoridades Boliciaes e
mesmo pessoas do povj que no caso de Ihe erein
offerecidos al;ans dos objectos cima e que te-
nham desconfianza de ipnnhn_d>lo ao individuo
\ participando autoridade competente do lugar e
narua da Imperatri/. n. 74 ou nos Afogados ao
annunciante._________________
Offerecese uma mulher de idade para ama
de casa de liomeui solteiro ou de pouca familia :
na ra Bella n. 26.
Subscreve-se para a tradueco das odes, sa-
is ras e epstolas do Horaci-i.
Isla tradueco lem por lim aligeirar-se e facili-
tar o estado deste excellente e iiriiiiorosn classico
da lingua latina, estimavel nao s pelo seu e.-tvlo
brilhante, como pela profusau do conselbos e sen-
tencas moraes.
Por falta de um systema menos vexatorio se con-
som tempo immenso nossa mocidade. obrigan-
do-a a traduzir um classico deto dillicil iuterpre-
ta^'o, como lluracio. -
As diflicnldades que cercam um menino para
entender as lices deste e de outros classiros, mui-
tas vezes tein frito desanimar os estudantes, cau-
sando-lhes disgusto e enfado a ponto de abandona-
ren! o estudo do latiin, indispensavel para cursar
as aulas de estudos superiores, o qae talvez nao
aconiecesse, se houvcssem escripto?, que os guias-
sem na proinpla comprelien_o dos mesmos clas-
sicos.
As naces cultas da Europa possuem tradurces
de todos'os classicos da lingua latina : portanto
nao ha razao plausivel para que nos Orasileiros
estojamos privados dessas vantagens.
Para um tal lim parece que nem convem uma
tradueco servil, que seria inspida e nauseante,
se nao mais innitelligivel que o proprio texto lati-
no, nem to livre que cause confusao. Parecen ao
traductor que o essencial era dar a intelligencia
mais seguida pelos commentadores, e expo-ia em
linguagem mais accommodada.
Os doutos acharo muito que emendar; os disc-
pulos o que aprender em menos tempo, e os pro-
fessores o que aproveitar.
O prego da assgnatura para os subscriptores -
105, sendo pagos 55 no acto de se nscreverem,
e os outros 55 na entrega da obra, que ser em
um s volume com o texto latino.
Subscrcve-se at o ultimo de julho do corrente
anno na loja de livros dos Srs. Guimares & Oli-
veira, ra do Imperador.
Fabrica Coucei^ao da
Babia.
^ Andrade Reg, recebem constante-
JW mente etem veudano seu armazem n.
Sis 34 da ra do Imperador, algodo d'aquel-
R la fabrica, proprio para saceos de assu-
J55 car- embalar atgodao empluma etc., etc.,
B pelo prego mais razoavel.
_h_S__f ___[.___"__'.__ ___ __ _____;_-'_
Arrendase, vende-se, ou mesmo lroca-se por
casas na praca um sitio na Varzea margem do
ameno Capibaribe, com duas grandes casas, com
7 quartos, 4 salas, 2 cozinhas e um soto, tendo a
parte cocheira, estribara, e quartos para criados,
todo plantado de arvores de truel.>, abacates, sapo-
tis, frucla-po, limo doce, limas de unibigo e da
Persia, larangeiras de umbigo, seletas, tangerinas,
etc., nm grande cafesal com fructas, jaqueiras,
mangueiras, coqueiros, dendezeiros, com mais no
fundo uma casa de taipa, e bem assim mais 4 ca-
sas de tijulo acabada* de pouco tempo, com frente
para o nascente, muito frescas, tendo cada uma 2
salas, 2 quartos e cozmha fra : os pretendentes
dirijam-se ra do Queimado n. 27, loja de fazen-
das dos Srs. Custodio _. Carvalho.
' Precisa-se alugar una escrava que saiba en-
gommar, lavar, cozinhar e comprar para casa de
punca familia, paga-se bem : na ra do Kangcl.
lleniy Foster & 0. participan! ao
respeitavel publico e principalmen-
te aos seus fregnezes que mudaram
o seu armazem de gaz do caes do
Hamos para a ra do Imperador SR
i$$i mmmm mmum
Aluga-se o primeiro andar da casa n. 33 da
ra da Praia, est arraiijada de pouco, a sala da
frente e alrova est forrada de papel: a fallar no
mesmo sobrado.
A entradas or uma s vez do resultados muito superiores s annnaes.
Porto,Wde agosto de ISM.-Os directores do Banco aiao, Jos da Silva Nachado.-F. M vm
n Agentes em Pernambuco : Antonio Lab: de Oveira Aievedo 4 C, ra da Croa n. i.
! DENTISTA DE PARS
19Kua Nava-19
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operacoes de sua arle, e col-
loca dentes artificiaes, tudo com superio-
ridade e perfeigo, que as pessoas enten-
| didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos denuncio.
Aluga-se um sitio na estrada da Ponte de
Uchoa e a margem do rio, pouco adiante do Illm.
Sr. commendador Nery Ferreira, tendo banheiro,
palanque, galinheiro e outras acommodagoes; e
outro dito no Monteiro, em frente ao oito da igre-
ja : a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Sou-
za, ra do Crespo n. 15, ou estreita do Rosario nu-
mero 32.________________________________
ATTENCAO.
Precisa-se de 6004 a premio com hypotheca
em uma parte-de um sobrado : quem pretender,
dirija-se a rna Nova n. 30, offleina de marmore,
que sfr-ir- quem faz o dito negocio.
Precisase de uma ama que cozinhe, para ca-
sa de hornero solteiro : na ra Direita n. 78, refi-
na gao__________________________________
"Kra-maiica ingleza e porlugueza.
D. Appleton & C livreiros.editores e importado-
res em New-York, Estados Unidos da America,
acabam de publicar um novo methodo para os in-
glezes aprenderem a lingua portugueza por E. F.
Granert. 1 rol. 12 mo.
Este livro, o melbor at hoje publicado ex-
pressamente impresso para supprir a immensa fal-
ta que ha de uma grammatica ingleza e portu-
gueza, para aquelles que fallam o ingle* e que de-
sejam aprender a lingua portugueza.
D. Appleton & C. sao os editores das obras em
hespanhol para edncacSo rouitissimo asadas no
sul da America. Tambem publicam os melhores
albuns para carios de visita.________________
Xa praga da IndejieBdencia, loja de ourives
n. 33, comprara-se obras de ouro, prata e pedras
preeiosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert, e igual-
mente se dir quem d dinbeiro a premio.
Amede Schaffter e sua senhora vao ao Rio
de Janeiro.
Aluga-se um preto crioulo, bonita figura pro-
prio para lodo servigo, tem liocs de cosinha e
bom copeiro e estribeiro: na ra do Queimado n.
50, loja.
Saques sobre Portugal.
ntonio Luiz de Oliveira A/.evetl
AC.
Agentes do Banco I'niao do Porto.
Competentemente autorisados sacam
por todos os paquetes sobre o mesmo Ban-
co para o Porto e Lisboa e para as se-
guintes agencias:
lAmaranies.
Arcos de Val de Vez.
ftAveiro.
Barcellos.
Lagoa.
Lagos.
La mego.
Leilia.
(Basto.-. Mongo.
lEvora. Moncorva.
|Pafe. Oliveira de Azemeio.)
iFaro. Chaves.
Vianna do Castello. Coimbra.
(Villa do Conde. Coviiha.
Villa Nova de Porti- Elvas.
mo. Extremos.
IVilla Real. Peona Fiel.
I Villa Nova de S. An- Pinhal.1
Ionio Porto Alegre,
/zeu. Kegoa.
|Beja. Setubal.
fBraga. Taver.
iBraganca. Thomar.
fCaminha. Ilha Terceira.
FCastelIo Branco. Fayal.
Figueira. Madeira.
.Guarda. S. Miguel.
Qualquer somata prazo ou i vista,
podendo logo os saques prazo serem
descontados no mesmo Banco a razao de
4 por cento ao anuo ; a tratar na ra da
Cruz n. 1.
ftrT-jffTgrr t-f
Precisase de ama ama de leite
Hortas n. 130.
Desappareceu hnntem 17 do corrente, da co-
cheira do Sr. Ignacio, no caes 22 de Novembro,
uma burra rxa com ristras pretas as ps. fer-
rada com as letras J. M. e F. : quem a pegar u
der noticia certa na mesma cocheira, ser recom-
pensado.
Na ra estreita do Itosario n. 34
w__ __*
Advogado Alfonso de Albu-
querque Mello,
a ra de hide ser procurado a rroalqner hora ; as sextas-
feiras, porm, na villa do Cabo.


litarlo 4e fcroambuco Secunda Iclra O 4c JuuIm 4c lh4
Aloga-sc o puarto andar cora sotao da casa
da ra do Trapiche Novo n. 1S : a tratar no es-
criptorio. _____________________________
Do poder do abaixo assignado desapparcceu
o bilhete inteiro da 20* lotera a beneficio da aca-
demia de msica n. 2552, o qual na a tem assigna-
tura alguna no verso, por isso protesta o abaixo
assignado proceder conira quem se apresentar
cora elle para receber qualquer sorte que no mes*
mo saia. Kecife, 18 de junho de 1854.
Mathias Lopes da Costa- Maia.
COMPliS.
Compra-se ouro c prata em obras velhas
I .i ga-se bem: na loja de bilhetes da pracada lnde
pendencia n. 22. ^^^^^
Compram-se
as segrales cadernetas do Archivo Pitoresco de
Lisboa :
5" anno, de 1862
Ns. 3,4, 6, 8, 9 e 12.
6 anno, de 1863
Ns 7, 8 e 10.
Dirigirse ra Bella n 37, sobrado de 2 anda-
res, a qualquer bora da tarde.
Compra-se uro moxo para piano : na ru do
Cabng n. 11, botica.______________________
Compra-se urna escrava que tenha de 25
30 annos, que cozmhe e engomme rom alguma
perfeicao : a tratar na ra da Senzala Velha nu-
mero 9 i.
R^T SSR SR S<
um enserado para forro ao chao de urna
sala de jamar : quem o livor quer novo
quer usado dirija-se ra do Crespo n. jH
5, loja de Marcelino & C. J.
mmmmm wmwm mmm
Compra-se o drama (ou comedia)Justica
de Cantillo Castello Itranco, gralifica-se bem : na
ra da Cruz n. 60.
VENDAS.
VIMIO E MlMEIliA
Manteiga ingleza muito boa a 800 rs., 720 e 640,
franceza a 600 ts., vinho puro Figoeira a 35200 a
caada, e 440 rs. a garrafa, Lisboa a 2*600, e 360
rs. a garrafa, queijos do vapor a 2*900, cha miu-
dinho a 2*600, arroz a 80 e 100 rs. a libra, estea-
rinas a 560, carnauba a 320, alpista a 140, traques
a 240, bolachinha ingleza a 160, batatas novas a
lOOrs., toucinhoa280, caz a 480, azeite de car-
rapato a 260, fareloa 3*800 e sacco : no armazem
da Estrella, largo do Paraizo n. 14.___________
Para acabar.
Os segnintes livros novos pelos precos abaixo
declarados, na ra do Imperador n. lo.
Horacios latinos cm 2 volumes 4*, Virgilios ditos
em 3 vols. 5*, diccionario francez de Fenseca em
1 s volunte, eucadernaco rica, o*, o jogo de
diccionarios francez portuguez e vice-versa por
!*, selecta franceza, ediccao de Roquet, 35500,
Mez Marianno estampado, boa impresso, 1*. Di-
rector espiritual para sacerdotes e tambem secu-
lares 800 rs., do melhor e mais correcto ritual,
contendo as msicas precisas, encadernacao de
differentes modelos, at o mais rico, 2*, 3*, 4*,
o* e 6*. Constituirlo do Imperio commentada 1*,
cdigo criminal cotnmentado 1*, dito do processo
dilo 1*, a obra do sello que*se venda a 5*000 por
2* o volume, os Martyres Pernambucanos a 1*,
manual da musa e da confisso mullo augmentado
a 800 rs., Caminho do Co, rica ediccao, 1*.
Bichas de Hamburgo.
Vcnde-se bichas de Hamburgo, as mclhores que
tem vmdo este mercado, por preco muito barato :
na ra Nova n. 61, defronte da lllma. cmara mu-
nicipal.________________________________
Grande pechinclia.
Vende-se borzeguins feitos na trra a 3*600 o
par: na ra do Tambi n. 1, hairro da Boa-Vista.
H
NO
GRANDE ARMAZEM
DA
60 Ra da Cadeia do llecife 60
Thomaz Telxeira Bastos, lendo de partir para a Europa no dia 30 de junho, afim de tratar de
sua saude, tem resolvido a vender barato e mais barato do que na Europa para liquidar todos os ar-
tigos inglezes, francezes e allemaes existentes em seu armazem, como sejam : fazendas, miudezas, per-
fumarias dos mais acreditados fabricantes, relogios inglezes, excelentes correntes e correntees para
relogio, aneis e botoes para puniros cora brilhantes, braceletes, oculos, face main e muitas outras obras,
cutileria lina, como talheres para mesa e para sobre-mesa cora cabos de metal fino, ditos do marfim e
de outras qualidades, tesouras finas e caivetes, tesouras modernas para alfaiates, navalhas finas, lan-
cetas e outros artigos. sortimento de bacias.de metal para lavar o rosto e outros arligos, um rico cha-
fariz de crystal para jardim ou meo de mesa de jantar, ricos qnadros para saloes, um excellente co-
fre de ferro bastante grande, crystaes linos como lustres, candelabros, lanternas com pingeotes, copos,
garrafas e muitas outras pecas de gosto para adorno de consolos, porcelanas finas, cerno ricos jai ros
para flores, apparclhos dourados para cha e caf, ditos para jantar, e mullas peras para enfeitar mesas,
grande sortimento de estampas de santos e vistas de differentes cidades da Europa e outros proprios
para sala de jantar, realejos grandes e pequeo;, caixas coro msica, ricas pecas com machinismo
para salas, instrumentos de mgicas muito bem feitos, machinas de pholographia para retratos de dif-
ferentes tamaitos, machinas para fazer caf, machinas para limpar tapetes e varrer o chao, bombas
para jardim, pianos de tres cordas do afamado fabricante Peyel, camas de ferro cora colchao elstico,
grande sortimento de brinqoedos finos para meninos, baldes de papel transparente e lanternas colori-
das para illuminacoes a moda de Paris, salva vidas para homens e senhoras feitas de borracha, pro-
prias para quem toma banho em lugares fundos e muitos outros artigos e tudo ser vendido muitissi-
mo barato afim de liquidarse inteiramente.
Vendem-se caixes vasios a 1:760
cada um: na ra das Cruzes u. 44._____
Vende-se uina arinaco nropria para qual-
quer negocio, na ra ireita dos Afogados, por
precc eommodo, e urna casa terrea na ra de S.
-Miguel n. 44 : a tratar no mesmo lugar com Ma-
ximiano das Chagas e Silva.
Vende-se urna cabra de Lisboa e um carnet-
ro hespanhol muito grande e bonito, proprio para
tirar raca, um quarlo bom de carga, e um lindo
pombal com pouces pombos : em Parnameirim, si-
lio do pombal. ____________________
Vendem-se Larris de 4o e 5" de muito bom
mel de furo : no armazem da ra nova de Santa
Hita, ribeira dopeixe it. 19.
Vendem-se muito bous caibros de qualidade,
com 3o, 40 e mais palmos, em porco e a retalho :
os prelendentes dirijam-se ra Augusta n. 98.
LOJA DE MH'DEZAS BARATAS
no
NOVO KIV\L
i<- ittit do Queimado -Itt
Esl disposto a vender tudo barato como
egoe.
Sabonetes de familia a 60,160, 210, 320 e 400 rs.
Canudos de pomada a 100, 200, 300, 500, 800 e
1S080.
Paroles e caixas de pos de arroz a 400 rs., 640 e
1*600,
Caixas com 6 frasquinhos de estrados linos a I*.
bitas cora 12 garrafinhas de ditos 1*000.
Fraseos de oleo de babosa superior a 400, 500, 600
e 700 rs.
Ditos de oleo Philocome superior a 720 e 800 rs.
Ditos de agua de colonia a 400, 500, 800, 1* e
1*500.
Ditos de sndalo 1.
Ditos de estrado a 400. 600, 800 e I*.
Dilos de banli i franceza a 400, 600 e 800 rs.
Ditos de banha japoneza,Jamaica, duqueza, impe-
rial, real, principes e Garibaldi a 800 rs.
Compoteiras de banlia creme Isabel 1*280.
Frascos com banha c estrado I* e 1*280.
Garrafas de legitima agua de Florida 1*280.
Escoras para denles a 160. 320 e 480.
Ditas para unha e cabello a 6W, 1* e 1*500.
Dilas para calcado e roupa a 210, 6i0 e I*.
Peines de tres faces para desembaraear a 640.
Ditos de baleia e borracha dem a 840, 320, 400,
500, 600,80ii, 1-5. I*89 e 1*500.
Ditos de massa para atar cabello a 500, 640, 800 e
1*00'.
Ditos de laco e a balao e virados a 1* e 1*500.
Ditos dourados para marrafa 1*, 1*500 e 2*.
Ditos de borracha para regaco a 600, 800 e 1*.
Ditos dourados para dito a 1* e 1*600.
Dilos dilos com pedrinhas para dito 2*.
Pegas de tranca preta lisae caracol a 100 rs.
Di las de fita de seda de todas as cores a 300 rs.
Ditas de dita de laa preta e de cores a 760 rs.
Ditas cora 15 varas de franja para cortinado a 3*.
Ditas de cascarrilha do seda de todas as cores a
10000,
Loras brancas de Jonvin a 2*200 e 1*.
Ditas de seda de cores a 1* e 1*500.
Dilas de montara a 500 e 800 rs.
Abafadores com Iaeos pretos c de cores a 1*280 e
1*500.
Dilos sem laco de cores e pretos a 720 e t*.
Bonitos aderceos com pedrinhas finas a 3*500.
Pulseiras de raissanga e contas grandes a 640.
Ditas de contas com pedrinhas a 1*.
Bonitos siutos degorgurao com iivelas douradas a
2*000.
Ditos com fivelas de pedrinhas 3*.
Bicas fivelas de pedrinhas para sinto a 2 e 3*.
Bonitas voltinhas de aljofares com cruzinhas a 1*.
Voltas de coral pequeas e grandes a 400 e 2*.
Ditas de contas encarnadas a 400, 500 e 600 rs.
Bonitos botoes para puuhoa 120, 200, 400 e 600 rs.
Riquissimos botoes de cornalina de um bolo para
punho de senhora (obra de gosto) 1*500.
Gravatinhas de seda com passador a 640 e 800 rs.
linas de seda para lago a 640, 800, 1* e 1*280.
Toucas e sapatinhos de la a 600 e 800 rs.
Riqassimas toucas de blonde enfeitadas a 1*500
e 2*000.
Bonitas toucas de soda para baptisado a 2 e 3*.
Capachos do Porto de 4, 4 li2.5,5 D2 e 6 palmos
a 400, 500. 600, 700 e 800 rs.
Finissimas tesouras para unha e costura a 600,
800 el*.
Tesouras diversas pequeas e grandes a 80,160,
400 e 600 rs.
Fitas e cordoes para espartilhos e borzeguins a
80 rs.
Passadores para paletot de velludo e cornalina
160 rs.
Brincos pretos e de cores balao a 320.
Rosetas pretas e douradas a 200 e 400 rs.
Oilavas de retroz preto a 140 rs.
Meias para senhora a 320, 400 e 500 rs.
Ditas para meninas a 220, 260, 300 e 340 rs.
Anneis de vidro de todas as cores a 40 rs.
Paroles de papel amizade branco e de cores a
600 rs.
Caixinhas de papel pequeo pautado em agua a
600 rs.
Ditas com 100 anvelopcs brancas e de cores a
a800rs.
Duzias de facas e garlos a 3*, 6 e 7*.
Baralhos portugueses e ftancezes a 200 e 280 rs.
Cartoes cora clcheles a 40 e 80 rs.
Varas de lita de velludo d seda preto a 100,160,
200,240,320,400, 500, 600, 700, 800, 900 e
1*000.
Ditas de aspas para balao a 100 rs.
Ditas de galo branco lavrado a 100 rs.
Ditas de bico das Hita* a 160, 200 e 240.
Ditas de hicos e rendas a 80,120, 160 e 200 rs.
Ditas de hicos pretos a 120, 200, 320 e 480.
Ditas de franja e babado do Porto a 80, 160 e
240 rs.
D,tas de grade iabyrintho a 124, 300 e 400 rs.
Ditas de franja de "seda preta e de ores a 400 e
500 rs
Di Us de franja preta com vidrilho a 500, 600 o
700 n-
Ditas de ata de laa preta e de cores para debrum
de vestido, collete, palelot, etc., a 120 rs.
Ditas dita de seda preta e de cor a 120 e 200 rs.
Ditas de riquisswtas fitas de sarja e grosdeoapies
de todas as cores, las e lavradas, de 3, 4 e 5
palmos, para laeos, otos, etc., a 10280, 10600.
e 20; de lado ha livr<* de amostra*. I
BOTIC \ E DR0GARI4
BaRTHOLOMEU & c.
Ra Larga do Rosarlo n. 34.
Vende:
Ventosas de gomma elstica.
Esmaltes para ourives.
Fundas inglezas.
Vidroe de bocea larga rom rolha.
Tinta branca em massa para pintura fina a 200 rs.
a libra.
VENDE-SE
os romances de C. Uastello-Branco As tres irmCtas
1 vol. por 1*200 rs., O que fazem mullicres 1 vol.
por 1*200 rs., Uoze camnenlos felizes 1 vol. por
1*200 rs., Amor de perdalo 1 vol. por 1*200 rs. ;
Cantos ao litar, por Julio C. Machado 1 vol. por
1*200 rs.; o Dr. Servans por Dumas filho 1 vol.
por 600 rs. ; A freir enterrada em vida por An-
drade Ferreira 3 vol. por 3*500 ; Cantos ao foijao
por E. Seuvestre 1 vol. por 1-5200 rs. -, O corsario
termelho por F. tooper 1 vol. por 1*500 rs.; Leu-
das Peninsulares por Jos de Torres 2 vol. por
3*000; A vida aas 20 annos por Dumas filho 1
vol. por 1*200 rs. : As ruinas do mea convento
por F. de S 2 vol. por 2*500 rs. ; Um pliilosopho
mis aguas [arladas por E. Souveslre 1 vol. por
1*200 rs.; O que ha de ser o mundo no anno
tres mil 1 vol. por 2*500 rs.; A cabana do pae
Thomaz 2 vol. por 3*000 ; Archivo Pitoresco 2
vol. I." e 2. tonto) por 10*000 ; na ra do Cres-
po n. 4 loja. ________
Feijao a 0^000.
Vendem-se sarcos com 22 cuias de feijao mua
tinho e rajado, pelo barato preco de 6*, pechincha
igual tempos nao apparece neste mercado, por-
lanto cheguem ao barato antes que se acabe : na
ra da Madre de Dos ns. 5 e 9.
Vende-se a taberna sita na ra de lorias n.
106 : a tratar na mesma.
UVA* ll<: l'LI.IK l
Para liomcus, inulhercs e meninas.
A Agnia-bram-a, na ra do Queimado n. 8 rece-
bcu lavas de pellica, para liomens, mulheres
meninas.
a 3*800 o sacco : s no armazem da Estrella, lar-
go do l'.ua-o n. 14.
Vende-se una mulata de meia idade, ptima
costureira : na ra de S. Goncalo n. 19._______
MuiiHac.
DE *
Hicos pretos
Na ra doQneimado n. 47, aonde se vende por
lodo o preco ; assim como botoes de seda e vellu-
do para casaveque.
UP, H4P. 1
>4g Duarte Pereira & C. com armazem SgB
M de loucas, vidros, etc.. etc., na ra do B
Crespo n. 16, acabam de receber pelo ul- B
jj? timo vapor a cosiuraada e fresca pitada 2j
^ do princeza de Pctropolis, em libra neste ^S
5S5 estabelecimento e a retalho : na ra lar- |
W ga do Rosario n. 38, loja da Aurora. 2
RIVAL SEM SEGUNDO
Ba do Queimado ns. 49 e 55, loja de miudezas
de Jos de Azevedo Maia e Silva, est continuando
no seu progresso de vender baratissimo :
Caixas de superiores obreias de cola e massa a
40 rs.
Cordao branco para vestido e espartilho, vara 20
ris.
Linhas de carretel (150 jardas) de superior quali-
dade a 60 rs.
Cartoes de liaba Pedro V (200 jardas) ja muito
conhecida a 40 rs.
Crozas de pennas de ac de muitas qualidades e
superiores a 500 rs.
Caivetes de duas folhas porm finos a 500 rs.
Caixas com calungas muito bonitas para rap a
100 rs.
Franja branca e de cores para toa I has a 160.
Pares de botoes para punho muito bonitos a 120.
Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a
120 rs.
Tinteiros de vidro com superior tinta a 160.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Groza de botoes de louca pratiados, o melhor. a
160 rs.
Tesouras para costura, o mais superior, a 400 rs.
Dilas para unhas muito linas a 400 rs.
Escovas para limpar denles muito superiores a
200 rs.
Libras de lita de todas as cores (pesada) a 70.
Caixas de phosphoros de seguranca a 160.
Ditas de papel amizade pautado e liso a 600 rs.
Ditas com 100 anvelopes muito superiores a 800
ris.
Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
Cartas e taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas com superiores iscas de acender charutos
i tora.
Carreteis de linha Alexandre (200 jardas) de cores
aSOrs.
Baralhos para voltarete muito finos a 240.
Cartas de alfinetes francezes muito finos a 40 rs.
Meadas de linha f'xa para bordar a 20 rs.
Pares de sapalos de tranca multo superiores a
1*600.
Papis de agulha com um pequeo toque a 10 rs.
Groza de botoes de madreperola muito finos a
560 rs.
CartSes e caixas de celchetes francezes superiores
a 40 rs.
Bonets para meninos muito finos a 10500 e 20.
Macos de grampos superiores e limpos a 30 rs.
Groza de phosphoros do gaz muito novos a 2*200.
Areia preta muito superior a 100 rs.
Caixas de rap com espelho a 100 rs.
Realejos para en treter meninos a 80 rs.
Pecas de fita de linbo muito boas a 40 rs.
Pentes de laco muito bonitos a 10.
Enfeites de laeo de todas as cores a 10300.
Rodas com alfinetes francezes a 20 rs.
Caixas com quatro papis de agulbas mperiaes a
240 rs.
Sabonetes de familia a 80, 160 e 320.
Caivetes de duas folhas muito finos a 320.
Pares de sapalos de la para meninos a 400 rs.
Sapatos de tranca para senhora e para homem, os
melbores que tem vindo, e por pre?o muito barato:
quem quizer ver, venba roa da Queimado na
i e 55, e ver tudo como bom e barato.
45 Ra Direita 45
Oicaml oicaml!!
CALCADO
Borne novo, a primeira necessidade para a sau-
de e aformoseantento do individuo 1
Meu Dos I... que ps de pavao se lobrigam por
essas ras I que figura horrenda e nauseante a
de um paletot bem talhado sobranceiro a um
quedes rodo em duas solas 1 um balao bem tor-
neado e bambaleante dc.-eubriiido urna punta de
botina safara e carcomida 11
Santa Barbara! I Corram ra Direita, bellas e
rapazes t sacudam na praia esses malditos guedes
e comprem :
Borzeguins de Nantes 8*000.
Ditos francezes de bezerro 7*.
Ditos francezes de lustre para homem 50.
Ditos para senhora, de lustre, enfei lados, 50500.
Ditos para senhora, gaspia alta, 40800.
Botinas de menina 2*500.
Ditas de cores para menina 2*000.
Sapatoes de Nantes de duas solas 50.
Ditos de sola e vira 4*500.
Sapatos de borracha para senhoras 1*500
Ditos para meninoslJOOO.
Sapatos de lustre para senhora 1*.
Ditos de tapete para homem e senhora 800 rs.
Ditos da liga constitucional 500 rs.
Chineloes rasos do Porto a 1*600.
E um sortimento comple.o em sola, vaquetas,
couros, bezerro francez como nenhuro, couro de
lustre muito grande, e tudo quanto pertence arta
de S. Chrispim.
ARMAZEM IIK HZEMIAS
DE
Custodio, Carvalho & Companhia.
99 IU'A llO QUEOIAUO 9
Superiores saiasde fusiao para senhoras a 5*.
Toalhas de linho para mesa a 3*500 e i*.
Lencinhns para meninos um 100 rs.
Lencos brancos para algibeira a 2* a duzia.
Toalhas para mo duzia 4*.
Bramante de linho vara 2*.
Fil de linho liso vara 500 rs.
Grande peehlncha.
Pecas de entremeios bordados- a 1*.
Tiras bordadas a peca 2*.
Gollinhas de cantbraiaa |600 e 8T0 rs.
GRANGEIASantiblennorrhagicas de DUNAND
ePREMI0l854
IIHiBBMIlM'WHiWKM
Superiores alcMas as preparares conhecida? at huj contra as Conorrheas | Ble nnorrn* fas as mais ii tensase rebeldu.
Bffeito seguro e prontpto, sem n;iu*pas,r,em clicas, iutb tremor. Facei* ;. lomar om *pfrre Injecgo curativa e preservativa
Infaltlvel, cura com rapidez km ftres o* escorrlBMMM eootagtwMM !* ambn u *. rioree brancas. AdttrinMBU
balsmica tem caustiadade, fortifica os lepMMBlM* ns preserva de i|nmiquer alemelo. PARS. 5, ru rf Wurcht^Si-H^nor.
Deposito geral em Pernambueo roa da Cruz n. 22 emeasa de Caros < Barboza
A guia branca na ra do Quei-
nirio n. 8 receben :
Talagarca, seda frouxa, c Troco para bordar.
Linhas aguihas para crochet.
As afamadas agullias parisiense, imperial e
Victoria.
Cartciras com agulhas de igual superioridade.
Agulheiros e dedaes de marlim e madreperola.
Retroz cm carriteis.
Alfinetes brancos e pretos em caixinhas.
Tesouras linas de ace pollido para unhas ecos-
tura.
Caivetes com lima, e folha pequea para lim-
par unhas.
Pinccis finos cabo de osso e marfim para
barba.
Escovas finas dito dito dito e madreperola para
limpar denles.
Dilas dilas dito de madreperola para limpar
pentes.
Pentes de marfim para alisar e tirar piolhos.
Dilos de dilo com chapa de metal para limpar
os tnesmos.
Facas de marfim para papel.
Kaspadciras com molla e cabo de marfim.
Pastas pretas e coloridas para papis.
Linhas pretas lustrosas, a melhor que se pode
encontrar para machinas, em carreteis de 200
jardas.
Papel para folhas. e rosas, tendo algum ra-
fado.
Folhas avelludadas e de panno para dita.
toioes de cornalina
e outras qualidades para coleles
A Aguia branca acaba de receber um novo e
variado sortimento daquelles apreciados botoes de
cornalina brancos c encarnados, chatos e redon-
dos para coletes, cujas abotuaduras continuam a
ser vendidas pelo eommodo e inalteravel preco de
2* cada urna.
Alm desses recebeu tambem outros de madre-
perola, massa e osso, com differenfes moldes para
o mesmo fim.
J se v, pois, que o pretndeme munido do di.
nheiro achara sortimento vontade na ra do
Queimado loja d'Aguia branca n. 8.
SAPATOS DE BIRRAtlIA
a IgOOO, 1 500 e 2*500 o par
na ra do Queimado loja d'Aguia-Branca n. 8.
KAI SIMIOS tCAiXIMIAS
com perfumarlas.
Na ra do Queimado n. 8 loja d'Agua-Branca, os
freguezes munidos de dinheiro encontrarlo, boni-
tos bausinhos cobertos de couro e com 6 frasqui-
nhos de extractos por 1*500 cada um, e outros
cobertos de papelao com 9 frasquinhos por 2*000
um; caixinhas com 6 frasquinhos de ditos por
1*000 urna, outras com 12 dilos por 2*000 urna,
outras com 3 dilos, cuja coberta parece tartaruga,
a 1*500 cada urna, e outras com pastilhas de chei-
ro a 500, 1*000 e 2*000.
Caivetes fines de cabo de madrepero-
la eduas folhas.
Por estarem tocados de ferrugem vendem-se a
500 rs. caivetes finos com cabo de madreperola e
duas folhas : na ra do Queimado, loja. da aguia
branca n. 8.
Envelopcs bordados e cartoes com bei-
ras deurada?.
Na loja da aguia branca, ra do Queimado n. 8,
achavam-se venda bonitos envolopes bordados e
cartoes com beiras douradas. tendo de uns e de
outros, maiores e menores, proprios para partici-
pares de casamenlos, bailes etc.
Completo sortimento de fitas
finas, Usas e lavradas.
A aguia branca recebeu um grande e completo
sortimento de flus de diversas larguras e qnalida-
des, tanto4isas como lavradas, e era todas ellas co-
nhece-se a superioridade da fazenda, notando-se
as lavradas o bom gosto dos novos e lindos dese-
nhos, isso tanto as matisadas como as brancas,
e pela commodidade dos precos o pretndeme que
se dirigir munido de dinheiro ra do Queimado
loja da aguia branca n. 8, ser bem servido.
Capachos Inglezes.
Na loja da aguia branca, ra do Queimado n. 8
vendem-se bons capachos inglezes, os quaes alm
de bonitos sao de immensa duracao, pelo que se
tornam baratos pelos precos de 4*, 5*, 6* e 7*
cada um.
Cartas franceza.
A aguia branca, na roa do Queimado n. 8, rece-
beu um novo sortimento de finas cartas francezas
com beiras douradas e brancas, e as est venden-
do baratamente a dinheiro vista
Objeetos de phantasla vindos
para a aguia branca.
A aguia branca recebeu novos e bonitos objee-
tos de phantasia, alguns dos quaes nunca vistos
aqui, sendo:
Bonitos aderecos completos feitos de perolas'falsas
Ditos ditos de pedras, por cuja perfeicao e bom
gosto quasi se nao distinguen! das verdadeiras.
Lindas pulseiras de mosaico.
Dtia dita de perol as falsas tanto para senhoras
como para meninas.
Dita de chapa de crystal com listas douradas.
Dita de cornalina branca, azul etc., etc.
Bonitos alfinetes e anneis para grvalas.
Bonitos pentes de concha, obra de apurado gosto.
Outros travs sos com pedras para meninas.
Bellas guarnifoes da pentes dourados, ornados
com raixos de uvas, feiioe de aljfar, obra su-
blime.
Outras igualmente bellas, todas de fino dourado e
com pedras.
Outras a tarlarugadas, nada inferior a aquella.
Voltinhas de aljfar branco e de cores com cruzes
de pedras.
Esses e outros muitos objeetos acham-se a venda
na ra do Queimado, loja da aguia branca, n. 8
OS MAIS AulJRMTES
i:
kViita pertinaz uuranio
ni
Attenco
O dono da loja do Beija-flor, na ra do Queimado
n. 63, acaba de abrir um outro espaeoso estabele-
cimento de miudezas na mesma ra n. G9, por isso
avisa aos seus freguezes e amigos, que nestes dous
estabelecimenlos encontrarao sempre grande sorti-
mento de miudezas, perfumaras e objeetos de gos-
tos; e vender sempre mais barato que outro qual-
quer, como abaixo se ver.
Peales dourados de Iravessa.
Delicados pentes dourados de travessa para me-
ninas a 1*500 cada um, ditos sem ser dourados a
500 rs. cada um : as lojas do Beija-flor, ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Voltinhas de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cruzes de pe-
drinhas imitando a brilhantes a 1* cada urna : as
lojas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Linas de Jouvin
Chegaram pelo ultimo vapor as desejadas luvas
de Jouvin de todas as cores, tanto para homens
como para senhoras : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Talheres para meninos.
Vendem-se talheres de cabo de balanco para me-
ninos a 280 rs. o talher : as lojas do Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Colheres de metal principe.
Vendem-se colheres de metal principe muito fi-
nas para sopa a 3*600 e 4*400 a duzia, ditas para
cha a 2* e 2*400 a duzia, ditas para assucar a
500 rs. cada urna, ditas para terrina a 2* cada
unta, e s quem vende por estes precos as lojas
do Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e 69.
Facas e garios.
Vendem-se facas e garios oilavados a 2*800 a
duzia, ditas rravadas, cabo preto e branco a 3* a
duzia, dilas de balanco de 1 botao finas a 5*200
dilas de 2 botoes muito finas a 6*500 a duzia, dilas
de 1 botao para doces e frucias a 5* a duzia, dilas
de 2 botdes a 5*200 a duzia : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Tiras bordadas.
Vendem-se tiras bordadas, a peca a 1*100, 1*200
e 1*300 : as lojas do Beija-flor, roa do Queimado
ns. 63 e 69.
Balados bordados.
Vendem-se babados bordados de varias larguras
a peca a 1*600, 1*800, 2*, 2*200 e 2*400 : as
lojas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Lindos sapatinhos.
Vendem-se lindos sapatinhos para baptisados de
enancas a 1*500 e 2* o par : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e t-9.
Botoes para punhos.
Vendem-se botoezinhos de madreperola e de mar-
fim para punhos a 320 rs. o par, ditos encarnadi-
nhos a 120 rs. o par : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas para debrum de vestidos.
Vendem-se fitas de la de todas as cores para
debrum de vestido a 900 rs. a peca, ditas pretas
de seda a 1*100 a peca : as lojas do Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas brancas para debrum.
Vendem-se pecas de fita branca de linho para
debrum a 400 rs. a peca : as lojas do Beija-flor
na roa do Queimado ns. 63 e 69.
Bicas fitas lavradas.
Vendem-se muito ricas Atas lavradas para sinto
de senhora e meninas : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Espelkas de Jacaranda.
Vendem-se espelhos de columnas, de Jacaranda,
a 3* e 4*500 cada nm, ditos de madeira amarella
a 2*40ffe 2*800: as lojas do Beija-flor, na ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas de velludo estrellas.
Vendem-se (Brabas estreilas de velludo para en-
feite de vestido a 900, 1* e 1*200 a peca: as lo-
jas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Trancas de la para bordar.
Vendem-se trancinhas de la pretas para bor-
dar camisinhas e vestidos a 80 e 160 rs. a pecio ha,
ditas brancas com 40 varas a 600 rs. a peca, e ou-
tras muitas cousas que se tornar.lo enfadonho men-
ciona-las, pois s com a vista se poder vero gran-
de soriimento das lojas do Beija-flor, na ra do
Queimado ns. 63 e 69.
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor-
deaux, differentes qualidades, mais barato que em
ualquer parte : no armazem de E. A. Burle &
., roa da Cruz n. 48.
ESCRFULAS,
O ERUPCOES ESCROFULOSAS,
FIccnis de leda a especie,
SYPI1ILIS. O MAL VENREO,
TUMORES,
Ebnllicoesj
BERTOEJAS,
OPHTHLMIA,
HydropiMa,
Empgens,
IIERI'KS,
iat'dos,
ItTSIfBLiS
ESCORBUTO,
linha.
CHAGAS ANTIGS,
Rheumatismo Chronco,
DEBILIDAD (ERAL
Nc rvosidade, Nci radas,
FILM BE IPPETTI!. FIS10.
SUFPRESSO DAS REGRAS, ou
AMENORRHEA,
Reomao tas Trinas,
E.MACIAc;A(),
Ou i iiiiikkjiO'iikutu ijviiIdo corpo, jirve-
i ute do enfado vicioso do tangue,
INFUMMCES CHRONICAS,
Affec9oes Chronicas do Figado,
AttlM COSO loii'S M) MAIS aiVILHANTBfl MO-
LCtrrfAS, IMNVie \l mi:xi i: QPAKDO sao
ril s mi \-, i ; i :.( DI'KIDAS i'Kl.o MI I
UVKH l>-0 DO MkkCIHIO OU
Ql IXINO,
Annlm romo litmlf-iii pelo lieqiiriifc u-o lo AH-
SKNIC'O v oiicniK |n-rprf; c* MlMMMI
Todas estas Eufermidades prompta e efilcaz.
mente cedem A benfica, poderosa e
purificantes qualidades da r.iui
justamente afamada
Sll-StPRMUN W, ISRICTOL.
A venda as boticas de Caors c Barboza,
roa da Cruz, e Jo3o da C. Bravo & C, roa
da Madre de Dos.
Pe leas de cores.
A loja da Aurora na ra larga do Rosario n.
38, recebeu sortimento de luvas de Jouvin de co-
res chegadas pelo ultimo vapor as mais frescas
que tem chegado, tanto para homem como para
senhora, digo, muito proprias para o baile que
tem de haver vespera de S. Joo; assim como tam-
bem renda lisa pecas de 10 varas a 400, 500 e
600 rs.
BOTICA E DROGARA
Farfulla de niaudloca
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
Alves no seu escriptorio, casa n. 19 da roa da
-Juz______________________________'_____________
Vinho do Porto superior
em caixas de urna e duas duzias: lem para ven-
der Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no seu
oscriptorio roa da Cruz n. 1.
DE
Francelin-i Ferreira Crespo,
.OIAV\A.
Vende-se:
Salsa parrilha de Bristol.
Pilulas assucaradas de Kemp.
Pastilhas assucaradas de Kemp.
Agua florida de Murray & C.
Peiloral de anacahuila.
Xarope de curato de ferro de Chable.
Elixir citro lclalo de ferro.
Injeccao de Brow.
Pilulas americanas contra sardas.
i Pilulas purgativas de Dehant.
I Pilulas do Dr. Alern.
i Pilulas da vida.
Xarope vegetal de Penedo.
Prompto alivio.
Pilulas reguladoras.
Xarope alcoolico de veame.
Vende-se doce de caj secco por preco eom-
modo : na ra dos Pires n. ii.
Na ra do Vigario n. 11, escriptorio de M. J.
Ramos e Silva & Genros, tem para vender o se-
grale |
Superior vinho do Porto em barris de 10.
dem dem dem em caixas.
Cera de Lisboa em velas.
Ricos e elegantes pianos.
Bataneas decimaes.
Algodao da Babiagpara saceos e roupa de escravos.
Vende-se alpaca preta a 500 rs. covado.
Vende-se alpaca preta para vestidos a 600, 600,
700 e 800 rs., una de cordao a 800 rs para pale-
tot, princeza preta a 800 e 640 o covado, bombazi-
na preta fina a 1400 o covado, lazinhas preta
para senhora que estao de luto a 720 o covado :
na roa da Imperatriz n. 56. A loja est aborta at
as 9 horas da noite.
Vende-se o engenho Brejo, sito na freguezia
de Bezerros, sendo d'agua, e toda a obra de pedra,
com muitos terrenos, para todas as plantacoes:
quem o pretender, dirjase ao mesmo, ou nosta
praca as Cinco Ponas n. 95.
O Vigilante esl alerta, nao Ihe era permettido
deixar passar desapercibido sem me nao dsse o
I seu canto afim de annunciar ao respeitavel publico
| o grande soriimento degalanlarlas do melhor gosto
propriamenlc para qualquer mimo, que acaba de
chegar ncsle ultimo paquete, assim como muitos
outros objeetos que recebe por diversos navios,
tanto de sua coma como de consignncao, que esta
resolvido a vender por precos muito baratos para
i vender muilo e ganbar poco, e dar exiraeeao ao
, grande deposito que lem, que espera merecer
proteccao do respeitavel publico, empregando para
i isso todas e as melhores diligencias para quo 11-
3uem salisfeitos : isto s no Gallo Vigilante, ra
o Crespo n. 7.
Iticas porta-joias.
Cofre de muito gosto por 16J1000
Ceetanas transparentes, forradas de madre-
perola por 185000
Lindas jardineiras 10,5000
Ricos cofres com camapheu OJOOO
Lindas caixinhas com pedras brancas 10000
Lindo balao cora calunga dentro tambem
para joias 165000
Tambalier para ditas b00O
Cestinhas idem dem 65000
Cosmorama idem idem 65000
Urnazinha 65000
S no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos porla-bouquetes de diversos gostos e pre-
ces : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Ricos sintos
com lnli'inlias ao lado a 10. 12 e lo5, ditos sem
bolea, porm do mesmo goslo. a 25500, 35, 35500
e 4, ricas fivelas avulsas para sintos, o melhor
. que se pode encontrar, a 1-5500, 25, 25500 e 35 :
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Caan on cestinhas.
Al que chegaram as desejadas cestinhas ou ca>
bazes para as meninas trazerem no braco, o mais
rico possivel, a 25500, 35500, 4, 5, 7 'c 105 : s
no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Pentes.
Neste artigo tem um grande sortimento. tanto
para alisar como para alar cabello, o mais lindo
que se pode de&ejar, assim como de arregacar ca-
bello, tatito de borracha como de tartaruga, com
enfeite e sem elle para meninas : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
I'entcs
Tambora chegaram os riqusimos pentes de
concha de tartaruga e de massa lina, que se vende
por 25, 3 e 55 : s no Vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Lcqu.es.
Itiquissimos loques de madreperola, tanto para
senhora como para mocinhas, pulo barato preco do
12 e 145 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Mais leques.
i Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ba-
rato preco, a 85 e 105, chinezes, muito bonitos,
tambem por barato preco de 4 e 55, bentarallas
muito bonitas tambera por barato preco de 4 e 55,
leques de charo tambem por 45, ludo isio para
acabar, perdendo-se tal vez 80 0|0 : s no Vigilan-
te, ra do Crespo n. 7.
Pulseiras.
Lindas pulseiras de conlas e de missanga, cores
muilo lidas e de muito goslo a 15 e 15200.
Para segurar manguilos.
Tambem chegaram as liguinhas estreitinhas de
borracha que as senhoras lanto precisan para se-
gurar os man iiitos por ser muilo eommodo e mui-
to barato, a 30 o par : s no Vigilante, roa do
' Crespo n. 7.
Sapatinhos e nirias de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
feKados, assim cado meiaszinlias de seda, gorra-
zinhas e touquinhas para as crianrinhas se bapti-
sarem : s no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Cartelas.
Riqnissimas carretas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baratissimo preco de
15500 e 25- *
Yoltiulias.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
fragindo brilhantes, assim como cruzinhas avulsas
e voltinhas, pelo barato preco de 15 e 15200, as
cruzes avulsas a 400 rs. : so no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Golinbs.
Riquissimas goiinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25: 25500 e 35: no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Riquissimos enfeites com laco e sem laco e de
outros muitos gostos a 15, 15500 e 35 : s no Vi-
gialnte, ra do Crespo n. 7.
Trunceliiis.
Lindos trancelins de cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo preco de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
Babadinhos enlrcmeios.
Riquissimos babadinhos ntremelos com lindos
desenhos tapados e transparentes, pelo baratissimo
preco de 15200, 15500, 25 o 35 : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
Oscarrilhas.
Grande sortimento de^ cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites : s no Vigilante, ra do Cres-
po n. 7.
Fitas.
Grande sortimento de filas de diversas larguras
e qualidade, por precos que admiram aos compra-
dores, havendo fitas largas proprias para sinteiros
que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca de 3
varas a 24: s no Vigilante, roa do Crespo n. 7.
Fitas de la.
Fitas de la de todas as qualidades, proprias para
debrum de vestido a 700 rs. a peca : s no Vigi-
lante, ra do Crespo n. 7.
Ricos espelhos,
Riquissimos espedios com moldura dourada e
sera ella de 85, 10,12 e 145, assim como con co-
lumnas de differentes tamanhos a 25, 3, 4, 5 e 65:
s no Vi guante, ra do Grespo n. 7.
Lindos Jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqui
tem apparecido : s no Vigilante.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com boneca para pos de ar-
roz, cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim co-
mo pacotes s com os pos a 320 rs. cada um : s
no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimento de extractos e banhas, poma-
das, assim como os lindos copos eu vasos com dis-
tinctivos e oflerecimentos s.sinn,uinhas, dos me-
lhores e mais afamados autores de Paris c Ingla-
terra, assim como os grandes copos de banha japo-
neza a 25 e a 15 ; assim como outros objeetos que
nao possivel por hoje annunciar, e vista dos
freguezes se far todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Vende-se urna parte do engenho S. Joao na
; freguezia de Serinhacm, distante duas legoas da
! estagio da Gamelleira : os prelendentes dirijam-
se roa do Caldeireiro n. 42, oa na estacao da
Trombeta, a fallar com Francisco de Assis Vascon-
celos, que se explicar o negocio, e as vantagens
que se offerece, nao deixaro os prelendentes de
fazer negocio.
Cal de Lisboa e potassa da
Rassla.
Vende-se na roa da Cadeia do Recife n. 26, para
onde se inudou o antigo e acreditado deposito da
mesma roa n. 12, ambos os gneros sao novos e
legtimos, e se vendem a prego mais barato do que
aro tqualquerparte.


Diario 4e Peruabneo Segunda felra SO de Juuho 4e 184.
GRANDE
sortimeiito de fazendas novas viodas
pelo vapor inglez para o propriela-
riodo grande armazeni e ija de fa-
zendas da Arar, rna da imperatriz
n. 56, de Lourenco Tereira Mendes
(Bimares
Pechincha, a 3^200.
Vndese baralissimo para apurar dinheiro, a
saber : cortes de chitas francesas de cores escoras
e claras com 10 covados por 34*00. ditos de chitas
inglezas a 24i00, ditos de eassas francezas a 24 e
24500, ditos de cambraia de salpico* a 24500 e 34:
s na Arara, ra da Imperalriz n. 56.
A Arara vende a 240 rs. *
Vende-se organdys lino para vestido a 240, 280
e 320 rs. o covadu, cassa franceza flna a 320 o co-
vado, gorguro de linho para vestido a 3S0 o cova-
do : loja da Arara, ra da Imperalriz n. 56.
1 Arara vende laziuhas de urna s cor
a (O rs.
Vendem-se ricas laziohas lisas proprias para
ramas e vestidos, os melhores goslos possiveis, a
6M) o covado, ditas Mara Pia nmito fina com pal-
mas a 610 o covado: ra da Imperalriz a. 56, loja
da Arara.
torios de casemlra a *#.
Vende-se cortes de meia casemira para calca a
24, ditos melhores a 24500 e 34, ganga para calca
a iiO o covado, brim de liuho preto a 500 rs. o
covado : ra da Imperalriz n. 56.
Fil de lindo a S2 rs. a vara
Vende-se fil de linho branca propro para forro
de vestido a 320 rs. a vara, tarlatana de cores
a 640 a vara, fil de linho lino a 800 rs. a vara :
na rna da Imperalriz n. 56.
veos para senhoras a i.ooo rs.
Vendem-se os mais modernos veos para chapeos
de senhoras a 14 um, de todas as cores, manguitos
de fil e bordados a 500 rs., manguitos e gola a
14, golinhas para senhoras e meninas a 240 e 320
caila urna, camisinhas linas para senhoras a 24 e
14500 : s na Arara, ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende os caries de lia Hara Pia a 1S?>.
Vendem-se ricos cortes de la de barra os me-
lhores que lem vindo, pelo prego de 184 o corte,
ditos a 4, vende laazinbas em covado a 240, 280,
320, 400, 500 e 640 o covado, das lisas de cores a
640, casemiras para capas de senhoras a 24 o co-
vado : ra da Imperatriz n 56, loja e armazem da
Arara, de Mendes Guimaraes.
Bramante da Arara a 2;>200 a vara.
Vende-se bramante de linho de 10 palmos a
24200 a vara, panno de linho para saceos e cerou-
las a 640 a vara, hamburgo de linho a 410, 560 e
600 rs. a vara, brim de linho branro lino a 14200,
14400 e 14600 a vara, dito pardo a 800, 640,14 e
1J200 a vara : ra da Imperatriz n. 56.
Chitas da Arara a 2f0 rs.
Vendem-se chitas finas a 240 e 280, ditas largas
a 320, 360 c 400 rs. o covado, de cores fixas : ra
da Imperatriz n. 56, loja da .irara, de Mendes Gui-
maraes.
Ctales da Arara a 2&00.
Vendem-se chales da merino estampados a 24,
24500, 44500 e 54, ditos de laa e seda a 14 : ra
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Oh! que pechincha, a I000.
Vendem se lencos de seda grandes a 14. ditos
pequeos a 800 rs., grvalas de seda de cores a 500
rs., ditas prelas de laa e largas a 800 rs., collari-
nho para hornera a 400 rs., meias cruas a 200, 240,
300 e 500 rs. o par : ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Fazendas pretas para lulo, eassas, a 320 rs.
Vendem-se eassas pretas para luto a 320 o cova-
do, veos pretos para chapeos da senhoras a 14,
luvas de seda pretas a 14 princeza preta enfesla-
da a 640, 800 e 14" covado, alpaca preta a 500,
640 e 800rs. o covado, laazinha preta a 640, mo-
r m e bombazina : ra da Imperatriz, loja da Ara-
ra n. 56.
Grande sortimento de roupa
felta.
Vende-se paletots de panno prelo a 164. 144,
124, 104. 84 c 64, ditos de brim de cor a 34500,
34e24500, ditos de meia casemira a 44500 e34500
calcas de brim a 34 e 24500, ditas de brim bran-
co a 44500 e 34500, ceroulas de linho a 2-3000 e
14800, camisas francezas de linho a 34, ditas de
algodao a 24500 c 24300 : na ra da Imperatriz,
loja Arara n. 56.
Xo esquecam os balees da Arara.
Vendem-se baldes do 15, 20, 30 e 40 arcos a 34,
4500, 44 e 44500, ditos de brilhantina a 44, co-
bertas de chita a 24, ditas de damasco a 44, ditas
de fuslfio a 54 : ra da Imperatriz n. 56, loja da
Arara.
Soulambarque da Arara a 20 e 25:>.
Vende-se soulambarque mutobem enfeitadoaSO
e SS4 cada um, veos pretos c de cores para senho
Grande liquida$io
de fazendas na laja do Pavo, ra da Imperalriz n.
CO, de Gama & Silva.
AcOa-se este estabeleciuiento completamentesor-
tidode fazendas inglezas, francezas, allemaes e
sufssas, proprias lano para a pra$i como para o
mato, prometiendo vender-se mais barato do que
em outra qualquer parle principalmenle sendo em
orcao e de todas as fazendas dfio-se as amostras
deixando ficar penhor ou mandam-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da loja do Pavao.
As cuitas do Pavo.
Vendem-se superiores chitas claras e escuras pe-
lo barato prego de 240 c 280 rs. sendo tintas stgu-
ra, ditas francezas finas a 320, 340, 360, 400 e
500 rs., o covado, ditas pretas largas e estreitas,
riscados escocezes finos a 240 rs. o covado, isto na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
As eassas do Pavana 210, 280. 300 e 320 rs.
Vendem-se finissmas eassas persianas cores fi-
zas a 320 rs. o covado, ditas francezas muito finas
a 240 c 280 rs., ditas ingzezas a 240 o 280 rs. o
covado, flnissimo organdy matisado cera desenhos
miudinhos a 320 rs. o covado, eassas garibaldinas
muito linas a 320 rs., isto na loja do Pavao ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As laziuhas da posico do Pavo.
Vendem-se as mais modernas laziuhas mossan-
bique ebegadas pelo ultime vapor francez sendo
de uma s cor ou de listas miudinhas com 4 pal*
mos de largura, proprias para vestido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baratsimo
prego de50 rs. o covado, ditas entestadas trans-
parentes do quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas matisadas muito finas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita tambem matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Maria Pia com palma
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de uma s cr parda, azul, cor de Ivrioe
perola proprias para vestidos, sautcinbarques e
garibaldes a 720 rs. o covado, ditas cscocezas a
800 e 400 rs isto s na loja do Pavao, ra da Im-
peratriz n. 60, de Cama & Silva.
Os chales do Pavao.
Vendem-se linos chales de crepon estampados
pelo barato preco de 64, "4, 84, ditos de pona re-
donda a 74 e 84, ditos pretos ricamente bordados
a retroz comvidrilho a 124, ditos pretos lisos a
54, ditos de cores a 44500 e 54, ditos de merm
estampados a 24 e 34, ditos de laa a 14280 e 24,
ditos de retroz prcto para luto a 64, isto na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Fazendas prelas para a quaresma vende o Pavo.
Vnnde-se grosdenaple preto muito superior a
14600, dito a 14800, 24, 24500, 2480 < e 34, mo-
reantque preto muito superior a 34 e 24800, sar-
ja prela hespanhola muito encorpada a 24, isto na
leja do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
0 Pavo vende para luto.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de la sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
pro para vestidos, paletots, capas etc., pelo bara-
to preco de 24, 24200, 24500 o covado, eassas
pretaslisas, chitas pretas largas e estreitas, chales
de merino lisos o bordados a vidrilho, manguitos
coingollinhas eoutros muitos artigos que se ven-
dem por precos razoaveis : na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os eorpinhos do Pavo
Vende-se os mais modernos eorpinhos de cam-
braia ricamente bordados e enfeitados a 7 e 84 ;
na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma \ Silva.
Os vestidos do Pavo
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
camente bordados a veludo pelo barato preco de
404, sendo fazenda que sempre se vendeu a 1004
e Ii04 ; ditos de cambraia brancosricamente bor-
dados a croch, sendo proprios para baile e casa-
mento a 10, 15, 20 e 304; ditos de la com lindas
barras a 18 e 154 ; isto na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os pannos do Pavo.
Vende-se panno preto muito superior pelo barato
preco de 24, 24500,34 e39500, ditos muito tinosa
44, 54 e 64, corles de casemira prela enfestada a
44, 44500 e 64, casemira preta lina de uma s
largura muilo lina a 14800, 24. 24500 e 34, cor-
tes de casemira de cor a 54, 54500 e 64, casemi-
ras enfestadas de uma s cor proprias para caiga,
paletots, colletes, capas para senhora, roupas para
meninos a 34 e 39500 o covado, isto na loja do
Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama A roupa do Pavo.
Vendem-se paletots de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muito boa a 124, ditos muito linos a
164, 20?, 254 e 304, caigas de casemira prela boa
fazenda a 44500,54, 64,*74 e 84, paletots saceos
de panno preto a 74, ditos de casemira de cor a
64 e 74, ditos de alpaca preta, ditos de merino
preto, ditos de brim de cores, calcas de casemira
de cor a 44, 54,64, 74, ditos de casemira da
ESPLENDIDO SORTIMENTO DE MOLHADOS
W. BA DO CRESPO IV. 9
Esquina que Villa para a roa do Imperador
MMIPAL
.Cs
DE
_ i ....
(Xo se enganew com a mitra)
AMIGOS!
Nao leiam este annuncio com precipilacao.
Confronten) os precos dos oulros annunciantes.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
A vista faz f.
Nao temos palavras bombsticas.
Nao nos .encalcamos o primeiro recebedor de conla propria.
-Nao desacreditamos ao collega porque nao quiz ser nosso socio.
Val a quena toca.
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia anda nao sao suflicien-
tcs as casas que actualmente oxistem abenas com grandes proporcoes para terem um
magnifico sorlimenlo de molleados; assim, pois, os proprietarios do Armazem Principal
nao invejam a sorle dos seuscollcgas.

Habitantes de Pernambuco.
pode adiar
fr illudida
Nos temns um cxccllente sortimentn dos melhores gneros que so
em nosso mercado. Vinde ao nosso estabelecimento, e se a vossa boa f
uma s vez ao menos, casligai-nos nao voltando mais a nossa casa.
Amendoas confeitadas de bonitas cures a dem de Holianda em garrafOes com
l.ooo rs. a libra. garrafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
PARA A FESTA
DE
S. JOaO E S. PEDRO
que os melhores que temos tido no mer-
cado.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a 9oo rs,
libra,
dem franceza a Goo rs. a libra, e 58o rs.
sendo em barril. I Passas emcaixasde I arroba '/s e '/i a 8,000,
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras| l,5oo e2,5oo rs. a caixa, e 000rs. a libra
para cima a 2,6oo. garanle-se serem muito novas, e graudas.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para; dem corinthias proprias para podim a 9oo
cima a 2,7oo, rs. a libra,
dem hysson o mais superior que se pode Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima i Lisboa a 64o rs. a libra.
a2,5oo rs. Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra,
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
ja, canella, cravo, rlela pntenla a 1,000 dem em frasco grandes 2,5oors. cada um. Marmelada especial dos melhores fabri
rs. a doria 1,000 rs. a garrafa, garante-se dem em latas de 1 *,j e 3 libras a l,2oo el de Lisboa a Goo e 64o rs. a libra li
francez clarificado em garrafas bran-
Acaba de receber de sua propria encommenda um grande e variado sortimento
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer aos seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e dem de casca muito novas a 3oo rs. a libra. Leniilhas excedente legme para sopa e gui
resumidos pregos, aliancando todo e qualquer genero vendido neste bem conhecido ar-j,*Te"*a8 a 2o ,s- a ,ll)ra- za,|oS a 2oors. a libra.
mazem. Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
estampas a l,2oo, l,4oo e i,600 rs. cada 800 o l,ooo rs. as garrafas grandes.
"ma- .Manteiga ingleza perfeitamente flor a 800 e
dem em frasco de vidro com rolha do mes- 96o rs. a libra.
I rao ou de metal, a l,2oo e lioo rs. ca- dem franceza nova j deste anno a 600 rs.
I l'a um- a libra, e 56o rs. em barris inteiros.
Amendoas confeitadas de 800rs. a libra. ja, canella, cravo, rlela pimenla a 1,000 dem em frasco grandes 2,5oo rs. cada um. Marmelada Rsnpriai rinampiimroe fabricantes
. a latas
de differentes tamaitos.
Massa de tomate em latas de i libra 56o rs.
cada uma.
dem para soda esirelinha. pevide e rodinha
em caixinhas surtidas a 3,00o e l.ooo rs.
cada uma e 000 rs. a libra.
dem macarrao, talerim e alelria a loo rs.
a libra.
; Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um.
Molho inglez em garralinhas com rolhas de
vidro 6io rs. cada uma.
.Marrasquino verdadeiro de Zara a l.ooor?.
a garrafa, Io,ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Nozes muilo novas a 16o rs. a libra.
Prezunto de Hambre superior a 600 rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em hilas de differentes qualidades co-
mo, savel, cortina, govas, pescadinhae
oulros a l.ooo rs. a hilas.
Palitos para denles a I lo e 16o rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a ICo rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas em latas a 600 rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
fazenda especial.
e 800
para cima a 2,3oors.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li-
bras para cima a 2,2o.
dem do Kio cm latas de 2, 4,6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,ooo e 4,8oo rs. a lata.! Presunto para fiambre inglezes a 7oo
dem preto o melhor que se pode desejar rs. a libra.
neste genero a 2,8oo rs. Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra,
dem menos superior a esse que se vende Caixas de traque n. I a 800OO cada uma.
por, 2 c 2,490, a 4,8oo rs. a libra. Massas para sopa macarrao, talharim aletria
i dem mais baixo bora para negocio a I,5oo a 4oo rs. a libra.
rs. a libra. Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
dem miudinho proprio para negocio a 1,5oo e 800 rs. a garrafa.
rs. a libra. ; dem francez a 7,000 rs. a duzia e 7oo rs. a
I Queijos do reino chegados neste ultimo va- garrafa.
por a 3,ooo. Charutos em grande quantidade e de todos os
ras a 14 cada um, riscados francezes a 280 o co-' Escossia a 34, ditos de brim pardo a 24500, ditos
vado. Todas as fazendas existentes neste eslabe-
lecimento vendem-se por preco baralissimo, e do-
se amostras cohi penhor, ou manda-se levar as fa-
zendas casa das familias pelo caixeiro da loja da
Arara, ra da Imperalriz n. 56.
Corles de cassa da Arara a 1->0(IO
Vendem-se cortes de cassa a 24, ditos de dita a
24400, cortes de babados a 34 ra da Impera-
triz n. 56, lo a da Arara.
de
l.Ail iriii ,1 mi'
traba I liar a 111 fio para
descarocar algodo
FAHllICADAS
Por Plant Brothers & C.
ILDAI
Estas machinas
podem descarocar
qualquer especie
Nde algodao sem
festragar o fio,
sendo bastante
duaspessoaspara
o trahalho; pode
descarogar uma
arroba de algo-
dao em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
Esta machina
a nica que
possue as vantagens de nao destruir o fio do al-
godao e de fazer render o dobro de qualquer ou-
tra com menos trabalho, a sua introduccao para
as provincias dcste imperio ser de muito valor
para lodos os inleressados na lavoura do paiz.
Assim com machinas em ponto grande do mes-
mo systcma.oraql serem movidas por animaes,
agua ou vapor, pas uaes podem descarocar 18 ar-
robas de algodo ampo por dia.
O algodo descarocado por estas machinas tero
muito mais estimaco nos mercados de Europa e
vende-se por maiorpreco.
As machinas se acham venda nnicamenie em
casa de
Sau4ers Brothers k C.
51. II, praca do Corno Santo
RECJFE.
Os nicos agentes neste paiz.
Na fabrica de sabao da roa do Rangel n. 34 con-
tinoa-se a vender sabo aroarello massa, tanto em
caixa cono a retalho, a 200 rs. a libra.
de cor a 24 e 24500, ditos brancos niuilo finos, I
sto na loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de!
Gama & Silva. g>
Os cortinados do pavo.
Vendem-se ricos cortinados proprios para janel-
la e camas pelo barato preco de !I4 o par, sendo o
melhor que ha 00 mercado : na ra da Imperalriz
n. 60, de Gama & Silva.
As colchas do Pavo.
Vendem-se colchas de liuho aleochoadas pro-1
prias para cama pelo baralo preco de 54 cada nma
na ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas que tem viu-
do ao mercado rhegadas pelo ultimo vapor fran-
cez, pelo barato prego de 600 rs. o covado, dias
de lisirinha muilo miudinhas proprias para vestidos
e roups de meninos c meninas pelo lurato preco
de 500 rs.; s o Pavo ra da Imperatriz n. 60,
loja de Gama & Silva.
Os souteaobarques do Pavo
IOH I so o Pavo.
Vendem-se os mais lindos souteanbarques que
tem vindo ltimamente de Jazinha e caxemira ri-
camente bordados e enfeitados, cores muito delica-
das pelo baralo prego de 104 e 154 i fazenda esta
que em outras tojas se vendem por 204 e 254,
s para liquidar : na loja e armazem do Pavo
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
As chitas do Pavo a '400 e
S^SOO o corte.
Vendem-se cortes de chita com doze covados
cada corte, ditos com dez covados a 24400, fazen-
da muito boa, e que nao desbota, s na loja do l'a-
vao tem esta pechincha ; a ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Las de una sO cor.
Vendem-se iazinbas de uma s cor, sendo en-
carnada, azul, cnzenta, cor de caf, lirio claro, li-
rio roxo cor de perola pelo baralissimo prego de
640 o covado, fazenda muito fina s o Pavo, rna
da Imperatriz n. 60 loja e armazem de Gama &
Silva.
Panno de linbe.
Vende-se panno de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lenges, toalhas e ceroulas pelo
baralo preco de 640 rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 24500, algodozinho
monstro com 8 palmos de largura a 14, pegas de
Hamburgo com 20 varas a 94, 104 e 114, pegas de
madapolao fino a 74500, 84, 94 e 104, ditas de
algodozinho a 64, 64500 e 74, e outras muitas
fazendas brancas que se vendem muito baratas
afim de apurar dinheiro : na loja do Pavo ra da
imperalriz n. 60, de Gama & Silva,
O bramante do Pavo com doze
palmos de largura.
Vende-se bramante de linho puro, muito fino com
doze palmos de largura o melhor e mais largo que
tem vindo ao mercado pelo barato prego de 24800
rs.a vara ; s na loja do Pavo de Gama & Silva,
aua da Imperatriz n. 60.
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas qus lem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas de lis-
trinha muilo miudinhas proprias para vestidos e
roupas de meninos o meninas pelo barato prego
de 500 rs.: s o Pavo ra da Imperalriz n. 60,
loje de Gama & Silva.
Os baldes do Pavao.
Vendem-se crinolinas ou baldes de 30 arcos tan-
brancos como de cores, sendo americanos qqf
sao os melhores por se nao qaehrarem a 34500,e
de 35 arcos a 44, ditos de mnsselina com babados
44, ditos para menina a 24 e 34 : na loja do Pa-
vo rna da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
O Pavo vende 80
Vendem-se os mats lindos cortes de vestidos a
Maria Pia, com lindas barpas de seda, sendo che-
5ados pelo ultimo vapor francez pelo barato prego
e 84 cada um : s na loja do Pavo ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
dem prato es melhores e mais frescos do
mercado a 76o rs. a libra sendo intoiro.
dem londrino a Goo rs., e sendo inteiro a
5oo rs. a libra, vende-se por este preco
pela porcSo que temos em ser.
Biscoites etn latas de 2 libias das seguintes
marcas : Osborne, Crakntl, Mixcd, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine e outras mui-
tas a 1,3oo e 1 4oo rs.
Polvos chegados ltimamente do Porto a 3o
- rs. a libra.
Balachinha de Craknel cm latas de 5 libras
bruto a 4,ooo rs.
dem ingle/as em barricas a mais nova do
mercado a 2,oo rs. a barrica e 21o rs. a
libra.
Cartoes com bolas francezas proprios para
mimos ou para aojos que vao as procis-
soes a Coo rs. cada um.
Peras seecas as mais novas do mercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em litas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a I,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
2lo rs. a libra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 8oo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinlio es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e ontras muitas
marcas, em caixa de uma duzia a lo,ooo e
l.ooo rs. agrrala.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,oeo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composic5o a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Ricas caixas com figos a l,ooo rs. cada uma.
Ricos livros com figos I ,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muilo no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafoes com 4 '/ garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafo.
dem com 4 '/ ditas de venagre a \ ,ooo rs. o
garrafo.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
i5,ooo rs. com aancoreta
dem empipa puro sem o batisme a 2oo rs.
a garrafa e 1,-ioo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8oo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limSo, caf, laranja, cidra, gin-
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ah se ven
dema 2,ooo e 2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.800 e 9,.'ioo
rs. /arroba.
dem de segunda qualidade a 8,5oo rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranhao a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,600 rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaty a 9,000 rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra.
dem de sebo muito dura lingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, e em
caixa a t>2e rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.000 rs.
dem almago pautadoe lisoa 3.ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 2,5oo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueleiro a 2,2oo rs.
a resma,
demembrulho de 1,2oo a l,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 lt libra a
l,2oo e8oors. a libra,
dem em fiascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle 1,000 rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Molhos inglezes a 800 e l.ooo rs. o frasco.
Mostarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
bem arranjado possivel a l,8oo e 2,8oo
rs. a lata.
Cerveja Tenente verdadeira a 6,800 rs. a
duzia.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito tfns a 1,000 rs. o molho e
800 rs. o cenro.
Farinha do Maranhao a 240 rs. a libra. -~ Chocolate portoguez hespanhol e francez de
l,ooo a l,2oors. a libra.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a 32o rs. a libra e
10,000 a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Mlho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 28o rs a libra e 5,4oo a arroba.
Peixcs em latas a 1,00o rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,000 rs.
O proprietario do grande armazem niio e Coramercio declara aos seus fregu
zes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos eslipuiou
os mesmos precos nos seguintes lugares: ^
Unito e Commercio ra do Queimado n. 7.
0 Verdadeiro Principal ruajojmperador n. 40.
A^F^TsMkllfP /A V I" Movimento.
/i\ H 11 3ut'lJ \lA^""^ Neste novo armazem vende-se o verdadeiro vi-
Vende-se uma escrava de 15 16 annos, de boa nho verde da provincia do Mnho a 34800 a cana-
figura engoma eTozraha com perfeieao : na ra da e garrafa a 500 rs.: na ra da Cadeta do Ren-
do Llvraraenio n. 38. n. 50.
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranhao o melhor que se
p le desejar a loo e 12o rs. a libra e
2,8oo e 3,4oo rs. a arroba.
Azeile doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa,
e 4,8oo rs. a caada.
dem
cas a 9oo rs. cada uma, e lo,ooo rs. a
caixa com i duzia.
Alfazema muito nova e linipa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o a libra, e 4,6oo rs. a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio das seguidles qualidades: agua e
sal doces, e impelaos em latas de 6 li-
bras a 3,ooo rs. e de 3 lfa libras a l,5oo
rs. eem libra a 64ors., estas bolachinhas
torna-se muito recommendavel com es-
pecialidade para os doentes.
Biscoilose Bolachinhas de soda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bollos francezes em cartoes e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a ico
rs. a libra e em barril a 38o rs.
dtalas novas a 100 rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
al boje tem vindo a nosso mercado a
18,ooo rs. o gigo, l.oors. a garrafa in-
teira, e 8oo rs. as meias
Cha uxim o melhor que se pode desejar e
que outro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
dem perola especial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
d'este cha
dem hysson o melhor que possivel en-
contrar-se a 2.loo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio cm latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2oo e l,4oo rs. a libra.
dem preto muito fino a l,6oo rs. a libra
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a l.ooo, l,2oo e l,loo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fer-
iado de Simas em 2 caixas das seguin-
tes marcas Pariziences, Suspiros, Dili-
cias, Napolebese Goanabaras a 2,3oo rs.,
c em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada uma.
dem de oulros muitos fabricantes e de
differentes marcas para l,5oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a l,6oo, 2,ooo e
3,ooo rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 000 rs.
Cognac inglez das melhores marcas a 1,000
rs. a garrafa e lo,ooo rs. a duzia.
dem francez suporior qualidade 800 rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Erva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a 1,00o rs. a libra.
Copos linos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf Jo Rio superior a 28o e 32o rs. a li-
bra, e 8,8oo e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 600 rs. o caixo.
Ervilhas porluguezas ltimamente chegadas
a Too rs. a lata.
dem seecas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de ararula verdadeira a 32o rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a l,ooo rs. cada uma.
dem em latas ermiticamenle lacradas a
l,5oo e 2,5x) rs. cada orna.
dem era caixas de '' arroba a 2,5oo rs. ca-
da uma, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e 1,000
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 56o rs. o frasco.
dem de laranja a 1,00o rs. os frascos gran-
des e ll.ooo rs. a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da uma. ,
dem em garrafoes de 16 garrafas a t,boo
rs. com a garrafo.
6 fc,8oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a groza, 2oo rs. a
duzia, e 2o rs_ caixinhas.
Queijos flamcngos chegados neste ultimo va-
por, a
dem pralo muilo fresco a 800 e 9oo rs.
a 1 i lira.
dem suisso a melhor qualidade que al bo-
je lem viudo ao nosso mercado a 800 s.
a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 5oo rs. ca-
da um.
Serveja das melhores marcas a G,ooo rs. a
duzia, e 56o rs. a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nanles cm quarlos e
meia latas a 38o :8o rs. cada nma.
Sag mnito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 180 rs. a libra.
Sevadaa loo rs. a libra, e 2,8oors. a arroba.
Traques de I.* qualidade a 8,000 rs. a cai-
xa, e22o rs. a carta.
Toucinho novo de Lisboa a 24o e 32o rs. a
libra.
Tijollo paralimpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs. a garrafa.
dem'do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 400 rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muito fresco nao levando com-
posiclio a 56o rs. a garrafa, e 4,000 rs. a
caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a gar-
rafa, e 4,5oo rs. a caada.
dem mais baixo a too rs. a garrafa, e 3,ooo
rs. a caada.
dem Rsrdeaux em caixas de 12 garrafas d.is
marcas mais acreditadas a 6,5oo c 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a l,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-sc que por estemesmo preco d pre-
juizo e s se encontra n'este armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Douro,
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu-
lar, malvasio fino, D. Pedro V, D. Luiz
I, Nctar e outros a 9,ooo e lo.ooo rs.
a caixa e 9oo a 1.000 rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a l,ooo rs. a garra-
fa, e lo.ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,ioo rs. a caada.
dem em garrafoes com 5 garrafas a l,oco
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada uma
dem de escova para esfregar casa 36o rs.
cada uma.
Vellas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composico a
36o rs. a libra, e de lo.ooo a ll.ooo rs. a
arroba.
Empreza da iuminaftlo
gaz.
Todas as vendas de apparelhos c redamagCes
(por escripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem da ra do Imperador
n. 31. Os machinislas mandados, para atlendera
estas, apresentaro um livro quB os reclamantes
deverao assgnar logo depois de prompto o servigo
reclamado ; isto para que a empreza Oque sciente
de haverem os mesmos senhores sido devidamen-
le atlendidos.
AGENCIA
Di
FUNDICAO DE LOW-MOOL
Rna da Senxalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.
S.Joo eSant'Anna.
Novenas proprias para S. Joao e Sant'Anna
venda na ra ao Imperador n. 15.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston d C,
ra da Senzalla Nova n. 42.


Diarlo c rcmsBbneo *rs;nnda felra t de dimito de lltl.
V
, Largo 4a
Santa Cruz |;
numero
12 e 84.
Esquina dag
ra do L
Sebo n. 12 #
e84.
BRILHANTE ALRORV
B2
BIHACTE
GRANDES ARMAZENS DE MOLHADOS.
Francisco Jos Fernandos Pires proprietario dos armazeos de molhados denomina-
dos Brilhante Aurora e Aurora Brilhante, ao largo da Santa Cruz ns. 12 e 84 (esquina
da ra do Sebo), faz sciente ao respeilavel publico desta cidade e do .interior que nos
seus importantes estabelecimentos vender sempre gneros novos e de primeira quali-
dade e vender a todos pelo mesmo preco.
O completo sortimento de todos os gneros finos e grossos que cestumam ter outros
estabelecimentos desta ordem se encontrarao sempre nos armazens da Brilhante Aurora
e Aurora Brilhante e sempre em grande escala a vontade dos Srs. compradores.
O proprietario dos armazens Brilhanto Aurora e Aurora Brilhante pede a todos os
senhores csenhoras que quando tiverem de mandar suas relaces a estes estabelecimen-
tos por seus criados seja em carta fechada ou com grande rccommendacao a estes arma-
zens, certos de que serao tao bem servidos como se viessem pcssoalmento.
GRANDE ALLIANCA
57 RA DO IMPERADOR 57
DE
Paulo Ferreir da Silva & Companhia
Grande sortimento de molinillos em grosso e a retalho. nico armazem ijue mais
vantagens oflferece ao pnblico.
Desenganem-se todos.
i: o \l I lauca o verdadeiro homem do progressso
o l manca o verdadeiro e principal armazem de Moldados.
o Allianca o armazem que rende mais barato.
i: o Allianca o armazem que vende os melhores gneros.
K e Allianca o armazem onde preside o melhor aceio.
Fiqttem todos sabedores desta verdade,
Wnham todos a ra do Imperador n. 57.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
NEM COROAS NEM MITRAS
0
E
GRAIDfi ARMAZEM
DE
PABA
AS
DK
FESTAS
S. JOAO E S. PEDRO.
de bonitas eAres a dem de Hollanda em garraoes com 24 gar-
rafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
dem de casca muito nova a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente legume para sopa e gui-
i Amendoas
8oo rs.
confeitadas
libra.
RA DO IMPERADOR \. 40
Junto ao st-brado en que mura o Sr. 0>barne,
Para a festa de Santo Antonio, S. Jo&o e S. Pedro.
Duarte AI incida A C, rcccbcraui de ana proprla rnconunen-
da o naals lindo e variado sortimento de molhados, proprios
da presente estatu.
Manteiga ingleza Macas brancas
da safra nova vinda neste vapor de 28 de para sopa a melhor que se pode desejar,
A Brilhante Aurora e Aurora Brilhante troca qualquer um genero que por acaso
nao aerade erecebe as libras esterlinas a 94,sendo por compra: a tabella de secs gneros
ser mudada todas as semanas.
Amendoas concitadas parasortes a libra 1>. Vioho branco de muito boa qualidade cana-
Manteiga ingleza flor a 800, e 960 rs. i da \& e garrafa 480 rs.
Dita mais abaixo a 640 e 730 rs. Dito Xcrez liuo a caada 7 500 e garrafa a
Dita franceza nova libra 640 e e barril a 14200.
600 rs Dito Madeira seca caada 103 e garrafa i&.
Chocolate sant muito novo a!4200 a libra. Dito em caixas du urna duzia do Porto dos
Cha perola o melhor que ha ( redondo) a melhores autores a 12$, 113 e 104.
e porluguez
al*.
2gar-
libra 35200.
Dito dito mais abaixo a 24500 e 24800.
Dito uxim muito lino a 24800 e 34-
Dito hvsson superior a 2*600 e 24800.
Dito mais abaixo a 2* e 2*300.
Dito preto muito fino a 25500.
Dito em massos a 24-
Dito do Rio em latas de 4, 2 e 1 libra a
1*500.
Caf de moca superior arroba 10*500 e li-
bra 400 rs.
Dito do Hiu e do Cear arroba 9*500 e libra
320 rs.
Dito mais abaixo arroba 8*500 e libra 280.
Garrafas com licor fino francez
a 1*.
Ditas com vinho de caj muito claro
Ditas com mel de abelha puro a 1*.
Frascos com genebra de Hollanda de
rafas a I -i.
Dito de una garrafa a 560 rs. ^
Dito de laranja verdadeira a 1*200.
Duzia de graxa latas grandes a 1*.
Caixas com 25 massos de velas de sperma-
i cele a 560 rs. a libra.
Ditas matares a 600, 640 c 720 rs. a libra.
Caixas com urna arroba de velas do Araca-
ly 10*500 e libra 400 rs.
Barricas com bolachiua ingleza ingleza nova Ditas de composicao arroba 10* e libra 360
a 3*.
Latas rom bolachinlia de soda de 5 libras
a 2500.
Ditas cum ditas sorlidas de 2 libras a 1*400.
Frascos com ameixas franeczas s o frasco
val o dinheiro a 2*800 e 3*.
Latas com ditas a 1*400, 2*200 e 4*.
Dilas cora ligos do comadre a 15500.
Camuas hermticamente lacradas eproprias
para mimo a 25 e 25800.
Caixinhas com ditas a 1*. 2*500 e 55 de
arroba.
Saceos grandes com fariuha de Golannamui-
to boa a 5*500.
Dito de Borlo Alegre melhor que de Muri-
beca a 65.
Ditos coni iiiillionovo com 24cuias a 4*000
Dito rom farello de Lisboa 120 libras a
55500.
Dito com arroz de casca a 55500.
Duzia de carrafas de seroja branca e prela
a 55800 e em lorricas a 55500.
Arroz do Maranho em saceos arroba 26O0
e libra 100 rs.
Presunto de Lamego muito novo a libra 5-0 Dita da India e Java arroba 3* e
rs. inliiro e a retalho 600 rs.
Chouricas e paios novos a libra 800 rs.
Latas com cbonricase lingotcas novas fia-
das neste vapor com 9 libras por 65500.
Pitas com peixe ensopado de militas quali-
dades a 15-
Ditas com ei villias francezas e portuguezas
a 880 rs.
Ditas com fi-ijan verde francez a 800 rs.
Ditas com niassa de tomate novo libra
560 rs.
Ditas com ostras a 720 rs.
Hilas com mannelada dos melhores autores
de Lisboa a libra tiiti rs.
Potes com mustarda franceza preparada a
libra 480 rs.
Frascos com conservas de pepinos, mexides
e azeitonas verde a 15-
Dita dita franceza a 800 rs.
Gigos com trinta e tantas libras de btalas
novas a 3*500.
Qui'ijos novos do vapor a 3*200 o 3*500.
Ditos deprato enplieado a 1*.
Dito suisso a 800 rs.
Dito ile manteiga do Serid a 800 rs.
Calzas com passas novas de 1 arroba 7*,
meia 33500 c quarto 2* e libra 480 e
640 rs.
.vmondoas com casca a libra 240 rs. e arro-
ba 65
Nozes libra 160 e arroba 5*.
Charutos linos de Simas e dos melhores fa-
bricantes da Baha de 2* a 8* caixas de
100 e 50.
Crozas de caixinhas de palitos do gaz a
2*200 e 200 rs. a duzia.
Barris com azeitonas novas a 3, e 4-3 bar-
ris grandes.
Vassouras do Porto piassava muito seguras
a 400 rs.
zeite rtoce francez dos melhores fabrican-
tes caixa 10*e agarrafa I*.
Caixas com vinho Bordeaux branco e tinto
S. Julicn, S. Eslifc e outros a 75500 c 85-
Vinho do Porto fino em barris de 5" que ra-
li bra 120.
libra 320
Aramia verdadeira arroba 8
rs., malarana.
Gomma do Ararais para engommar arroba
53 >' libra 160 rs.
Tapioca ou farinha do Maranho nova libra
tea rs.
Ervillias gaceta muito novas libra 200 rs.
Sag e sevadinha a 2'i0 rs.
Sevada arroba 3*2l 0 o libra 120 rs.
Graxa de boiao 97 a 280 rs.
Sabio massa a 200. 240 e 280 rs. a libra.
hito bespaohol verdadeiro a 400 rs. a libra.
Balaios do Porto diversos tamaitos de 320
ai*
Capachos para portas do varias cores a 600,
700 e 800 rs.
Grao do bico arroba 4*500 e libra 160 rs.
Painco arroba 53500 e libra 200 rs.
Hilho alpista arroba 'i5800 fl libra 160 rs.
Azeite doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 1*500 e garrafa
200, 20 e 320 rs.
Massos de palitos de dentes com 20 massi-
nhosa 160 rs.
Tijolos de limpar facas a 160 e 120 rs.
Caixas com 40 cartas de traques a 9-4500
a carta 280 rs.
Resmas de papel almaco pautado a 55.
Dito prev liso 0 melhor que ha a 4*500.
Dito do poso e pautado a 25500 c 25800.
Garrafoes com 25 garrafas de verdadeira
geifhra de Hollanda por 85500.
Azeite de coco garrafa 560 rs. e carrapalo
360 e caada 25560.
Caixoes com doce de goiaba a 640,800 e 15,
Toucinlio de Lisboa arroba 85500 e libra
320 rs.
Dito de San: js arroba 75 e libra 280 rs.
Molho.: com grandes ceblas a 1*600.
Cento de dita solta a 15500.
Mauncos do alhos a 240, 320 e 400 rs.
Esleirs de varias qualidades.
Gordas de postar e de andaime.
Favas da ilha de S. Miguel arroba 3*200 e
libra 120 rs.
ras vezes apparecc por 80* e em caada a Copos lapidados para agua c vinho a 3*500.
55500 e garrafa a 800 rs.
Dito da Figueira puro caada 4* e 4*500 e
garrafa a 480 e 860 rs.
Dito de Lisboa de boas marcas a 3*500 e
4* e a carrafa a 440 e 480 rs.
Dito branco proprio de Lisboa caada 43800
e garrafa 640 rs.
Cognac verdadeiro a garrafa 1* e 15280.
Vinho muscatel duzia 10* e garrafa 13.
55300, 65 e 75.
Ditos lisos para varios precos.
Calix lapidados grandes e pequeos duzia
3,4 e5* ; e 400 e 500 rs. cada um.
Massas para sopa macarrao, talharim e ale-
tria a 480 rs.
Estreliuha e pevide libra 560 rs.
Xaropcs de fructas nacionaes a garrafa
500 rs.
JE mnitos outros gneros que nao possivel men-(
ciona-los todos de primeira qualidade.
A satisfacao da Brilhante Aurora e Aurora Brilhante vender muito embora bara-
to, mas a DINHEIRO.
No armazem de fazendas baratas de
Santos (oelho, ra do Qocimado, n.
19, veade-seo seguiste'
Atiene*.
Lazihas.
Ricas iaazinlias para vestido, fazenda a melhor
que tem vindo ao mercado, tanto em gosto como
em qualidade da fazenda, pelo baratissimo preco
de 660 rs. o covado.
Laazinhas miudinhas carmezins, proprias (tara
Vestidos de meninas, e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de lila cora 15 covados pelo baratissimo
preco de 6*.
Cobertas de chita da India pelo baratissimo preco
de 2*500.
Leucoes de panno de linho a 2*.
Lengoes de bramante de linhe fino pelo baratissimo
preco de 3*200.
Bramante de linho fino com 10 palmos de largura
pelo baratissimo preco de 2*500 a vara.
Atoalhado adamascado proprio para toalhade mesa
a 2*000 a vara.
Cambraia de forro a 2*600 o 3*200.
'juardan.ipos adamascados a 3*800 a duzia.
Toalhas alcochoadas proprias para m.ios a o* a
duzia.
Cortes de calca de ganga amarella de listras e
de quadros, pelo baratissimo prego de 15200 o
urte.
Cambraia adamascada cora 20 varas, propria
para cortinado, pelo baratissimo preco de 10JOOO
a pega.
Ricos cortes de la i Mara Pia peto baratissimo
preco de 185-
Pegas de cambraia de salpicas com 8 1|2 varas
pelo baratissimo prego de 4*.
Ppgas de platilha de algodao com 10 varas, pro-
pria para saia a 45200.
Estejras da India, proprias para ferro de sala,
'i o 0 palmos de largura, por meat
que em oulra qualquer parte.
Neste armazem larabem se encontrara usa-fian-
de sortimento de roupas feilas, e por medida.
~ Ventosa rima urna de Jacaranda para depo-
sito de ossos : na ra da Imperatriz, loja ciaeiron. 25.
-5
-j
-i i
.8 "Si
81
B3C.i.PtrQ.rSo

C/5
Is-rs
ero.
i
S3 o
s
3
s
O.S*
o. w
_ e> s>
B>
- ai
o g


3K5
a
o
i
"9 3;
W Q
8*1 i"
3 o.-
CD -1
O. cj
O-
.2 a
2 a>
2
"2

p.
3
S
o
o-

O
?25
a -
a
i
CU
O "1 1
fu cu
-O &
O, -I
su j5
2 ="'
3 I
eu .
Avelaas a 2oo rs. a libra,
i Ameixas francezas em caixinhas com lindas
estampas a l.oo, 4,*o e!,6oors. cada
urna.
'dem em frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a i.ioo e I.ioo rs. cada
um.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada
um.
dem em latas de 1 > e 3 libras a i.ioo e
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranho o melhor que se
pode desejar a loo e 12o rs a libra e
2,800 a 3/*00 rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,800 rs. a ranada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e 10,000 rs. a
caixa com I duzia.
Allazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o ra. a libra c 4,600 rs. a ar-
roba
Bolacliinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio das seguinles qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,ooo rs. e de 3 */* libras a 1.5oo rs.
e em libra a 64o rs., estas bolacliinhas
torna-se muito reeommemlavel com espe-
cialidaile para os doentes.
Biscoilos e Bolacliinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bolos francezes em cartoes e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banlia de parco verdadeira refinada a loo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Btalas novas a 16o rs. a libra.
Bolacliinhas ingleztt ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2.000 rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem viudo ao nosso mercado a
l8,ooo rs. o gigo e 1,000 rs. a garrafa
iiileia, e 800 rs. as ineias.
Cha uxim o melhor que se pode desejar, e
que oulro qualquer uo vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra.
dem perola de esp cial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garanle-se a qualidade
desle cha.
dem byssoD o melhor que possivel encon-
trar-so a 2.460 e 2,6oo rs. a libra.
dem do Bio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
a l,2ooc I,4oo rs. a libra.
dem pelo muito lino a 1,60o rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a l.ooo, i,2oo e 1,400
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Par-
lado de Simas em i caixas das seguin-
les marcas: l'ar'uienses, Suspiros, Dili-
eias, Napoleoes e Guanabaias a 2,3oo rs.,
e em caitas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muilos fabricantes e de dif-
fereules marcas para 1,80o rs. as meias
caixas, de suspiros a l,6oo, 2,ooo e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglczas a 800 rs. o frasco.
dem franceza a 000 rs.
Cognac ingle/, das melhores marcas a l.ooo
rs. a garrafa e 10,000 rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doce a loo rs. a libra.
Gravo da India a 600 rs. a libra.
Canella a l,ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,000 rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Hio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 e 9,5oo a arroba.
Doce tino de Roate a6oors. ocaixo.
Krvilbas portuguesas irhiniamente chegadas
a 7oo rs a lata.
dem ceceas a 16o rs. a libra.
dem ja descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de acanita verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
l.ooo rs. cada urna.
dem em I? (as er mi ticamente lacradas a
I,5oo e.uno rs. caVIa urna.
dem em caixas de '/ arroba a 2,;oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e i,000
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,000 rs. e 560 rs. o frasco
dem de laranja a 1,00o rs. os frascos gran-
des e ll.ooo rs. a caixa com 12 frascos. |
dem de Hollanda em botijas a loo rs. cada
urna.
dem era garrafoes de 16 garrafas a i,8oo
rs. com o garrafo.
zados a 2oo rs. a libra.
Licores francezes de todas as qualidades a
800 e l.ooo rs. as garrafas grandes.
Manteiga ingleza perfeitamente llr a 800
e 96o rs. a libra.
dem franceza nova j deste anuo a 600 rs.
a libra, e 38o rs. em barris inteiros.
Marmelada especial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, ha
latas de differentes tamanhos.
Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o
rs. cada urna.
dem para soda estrellinha, pevide e rodinha
em caixinhas surtidas a 3,ooo 3,5oo rs. cada
urna e 5oo rs. a libra.
dem macarrao, talharim ealetria a loo rs. a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um
Molho inglez em garrafinhas com rolhas de
vidro a 64o rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafa, lo,ooo rs. a caixa com 1 du-
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Prezunto de fiambre superior a 600 e 800
rs.
dem do Porto para panella a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
outros a 1,000 rs. a latas.
Falitos para dentes a i 4o e a 16o rs. o mas-
so dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, c 20 rs. a caixinha.
Qtteijos flamengos chegados neste ultimo
vapor, a 3,ooo
dem prato muito fresco a 800 e 9oo rs. a
libra.
dem suisso a melhor qualidade. que al bo-
je tem viudo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
dem londrino a 9oo rs.
Sal refinado em potes de vidro a 3oo rs,
cada o1o.
Cerveja das melhores marcas a 6,000 rs. a
duzia, eolio rs, a garrafa.
Sardinba de Lisboa e Nantes em quartos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
maio a 900 rs. a libra e da velha a 800 e
850 rs. a libra.
Maateiga franeeza
da safra nova a 600 rs. alibra.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Traques
de n. 1 os mais superiores do mercado a
8^500 a caixa e 220 rs. a carta
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
20400, muito propios para mimos.
Cartes
com bolos francezes a 500 rs. ciida um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 1A300.
Chocolates
I de todas as qualidades a 1#000 a libra.
Presuntos inglezes
[dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 51)0 rs.
Queijos flamengos
I chegados neste ultimo vapor a 3Sooo.
dem prato
0 melhor que se pode desejar a 1A000.
Conservas inglezas
macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 4.4500 a caixa.
Vinho
Figueira J A A e outras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
c de outras marcas a 400 rs. a garrafa^ e
2*800 a caada.
dem d Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da cidade do Porto a 15 e 15200
a garrafa e de 105 a 125 a caixa, as mar-
cas sao asseguintes: Chamisso AFilho,
F. & M., Nctar ou vinho dos euzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 libras de banha a 45000.
Bolachinha ingleza
a 15800 a barrica da mesma que por ahi
vendem a 25000 e 25400.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 45400 a arroba.
Nozes
v;as mais novas do mercado a 120 rs.a libra.
Cervejas
dos melhores fabricantes|e de todas as mar-
cas de 45500 a 65500 a duzia.
CHARUTOS
as mais novas que se pode esperar a 760 rs. Charutos Thom Pinto,.^ Beis e outros em
o frasco.
Figos
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
roba.
Traques de 1/ qualidade a 9,5oo rs. a cai-
xa, e 24o rs. a caria.
Toucinho novo de Liiba a 2lo e 32o rs. a
libra.
Tijolo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos condecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando com-
composico a 56o rs. a garrafa, o 4,ooo
rs a caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a 3,ooo
rs. a caada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1.2o rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo preco d
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto. Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, D. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e 10,000
rs. a caixa e 9oo e 1,000 rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a 1.000 rs. a garra-
fa, e 10,000 a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2. loo rs. a caada.
dem em garrafoes com 5 garrafas a l.ooo
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada urna.
dem de escova para esfregar casa a 36o rs.
cada urna.
Velas de espermacete superiores a 56o rs.
a libra, e 52o em caixa.
klem de carnauba refinada e de composico
a 36o rs. a libra, e de lo.ooo a 11,00o rs.
a arroba.
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 15200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que outro
qualquer nao pode vender por menos de
35 a 25600.
dem perola
especial qualidade a 2A700 rs. a libra
dem hvsson
o mais aromtico que tem viudo ao nosso
mercado a 25600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aletria a
480 rs. alibta.
COC3MAO
o muito afamado cognac Pal Brandy a 1,800
rs. a garrafa e de outras muitas qualida-
des a l.ooo e 800 rs. a garrafa.
COPOS
lapidados para agua a 4,000 e 5,ooo rs. a
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um.
PAPEL
meias caixinhas a 15500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 25500 a 35000 a ar-
roba desses que vendem por 35400.
CAF
de 1.ae 2.a sorte do Hio de Janeiro a 8)500
e 85800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libra.
Garrafoes
com 4 i garrafas com vinagre a 15000 com
o garrafo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 15000 o frasco, e de II5000
a caixa.
DEM
em frasqueiras de Hollanda a 5->800 com
12 frascos.
1 GENEBRA
!de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
rs. cada urna.
PALITOS
os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
e 2o rs. cada caixinha.
LICORES
; finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
com tima duzia e a l,ooo a garrafa,
almaco, greve, peso e de outras muitas qua- PASSAS
lidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me- as mais novas do mercado a 9,5oo rs. a cai-
Ihor. xa e 5oo rs a libra.
azul e pardo para embrulho de 1. loo a 2,2oo a f[^e*?V?. .
rs a resma ^os me",ore:' fabricantes de Lisboa, como se-
Corinthias Abreu outros mui,os a"" *a
passas corinthias muito novas proprias para Pl'P/niito
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARROZ
Maranho, Java e India, a loo rs. a libra e
de 3.000, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo c
caixa e 31o rs. a libra.
3
Atfeoco
.\'oa fiiodos do Prego lea
Genero^ proprios para a presente festa de S.
Joao : manteiga ingleza flor a 900 e 800 rs. a lihra,
(iila franrezay-a 600. rs.. queijos do serlao muito
frescos a 640 ato a libra, doce de goiaba o mais
fino que pode haver, e tambem se vende barato
por t r grande per^ao : na taberna da Iravessa do
Queimado n t.
BftTIftl BMHOLOM Vf,
Kua larga I Itosnrio n. 3!
Vende: /
Todos os remedios do Dr. OraMe.
Capsulas e injeccao ao malico.
lujeccao Faug "
9 Pilubs do Dr. Alian.
Pillas do Dr. Lavillc.
Plalas do pobre-homem. excollentes contra rheu-
matismo.
Pilulas para sezoes.
Pilulas e ungento Holfovay.
Phosphato ferro de Lerrs.
Todos os remedios de kemu : nastilhaf, pilulas,
O i anacahuita, salsa de Rristol. etc. etc.
E muitos outros medicamentos e especialidades
' que sempre se encontrarao em dita botica. -
podim a 800 rs. a libra.
Fimo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oo rs. alibra
Vinagre
PBR em ancoretas de 9 caadas a l.ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novas do mercado a 7,ooo rs. a caixa
e 1,00o rs. o molho.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declaram aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
Unio e Commercio ra dd Queimado n. 7
0 Verdadeiro Principal roa do Imperador n. 40
GRANDE LIQUIDACAO
DE
Na loja da ra do Crespo numero 17.
Aproveitem todos.
O proprietario deste importante estabelecimento va i Europa comprar fazendas de
apurados costos para melhor servir as Ezmas. senboras, razo porque est vendendo fa-
zendas baratissimas.
Cortes de rico blondo para casamento a 90, soutembarques pretos muito importante
a 20, 2.'5t28, manteletes pretos a 204 <-' -:>&- capas pretas importantes a Sof e 405.
capas de casemira de cor a 184 e 254, soutembarques de casemira a 104, chapeos de pa-
Ihacopa redonda, veos brancos a 154, cortes de laa muito apurado gosto a 74, cortes o>
la cun barra a 104, 124,154 e 204, cortes de cambraia brancos bordados a 254 e 304.
chitas de todas as qualidades francezas e inglezas a 320, 360, 410 e 500 rs., bramante de
linho muito tino pecas de 25 varas a 204, 2*4 e 254, bretanha de linho muito fino a 184
e 204 pecas de 25 varas.
Madapoloes finos a 84, >4,104. 114 >' 12*.
Cambraias lisas com 9 palmos de largura a 24500 a vara, peca de -i lil varas a
54, 64, 74, 84,94 e 104-
Para o Club Pernaaabiieauo.
Filinete circassiaoo fazenda de muilo apurado nono para vestidos, propiio* de part-
las e de bailes, e muito recommendavel poi ser muito apreciada em Consiantinopla. E'
admiravel o seu bom gosto.
Grand" -o
da Cadvft dn
1 Bastos.
Folha Je Flandres.
folha do Flandres
' 56 A, loja de ferragens de
^^^^M folha de Flandres: na ra
- R-c* I
SEBOS
solas a 15 o cento, e em moihos a 14200 :
caes da alfandega, armazem n. 3.
noj
Charutos de Havaua
de superior qualidade vendem-se em casa
de Scafleillin & C, ra da Cruz n. 42.
Ra da Senzalla Aova o. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idemde Lo*
Moor libra a 120 rs.
.---------------------------------------------
Ate que chegon
um grande sortimento de bico e renda preta de
ovo modelo chamado (guip) o melhor que se
pode desejar neste artigo e que se vende muito ba-
rato : na loja do gallo vigilante ra do Crespo
D- 7.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qoalid.de a 12d
a lata e em lotes de 10 latas para cima se
far abatimento. no armazem do Caes do
Ramos d. 18 e ra do Trapiche Nqvo nu-
mero 8.____________________________
una da Senzalla n. 42. -
Vende-se, em casa de S. P. Johnstoft A C,
gellins e silhoes inglezes, andieiros e casti-
faes bronzeados, lonas ingleza, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavaUos, e retogios do
ouro patente inglet.


Diarlo ir r*wmnmtm ... egnada felra f e Jnnho de I ft4
CL%RI1I
COMMERGI
RA DO QI El MIDO A. 45.
Passando o becco da Congregarlo segunda casa.
mma &
NOV1DABE.
Pereira Rocha A C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de molhados denominado Clarim Commercial,
onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
aerao vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se obom peso
e boa quaiidade dos gneros comprados ueste armazem.
Arroz do Maranhao, da India e Java a 60, 80 Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a Palitos do gaz a 20200 rs. a grosa.
e 100 rs. a libra e I #800 a 2^600 e 3$ libra. Passas muito novas a 480 rs. a libra
a arroba. Cevadinha de Franca muito superior a 220 l'ras seccas muito novas a 600 rs. a libra.
Ameixas francezas em latas e em frascos a r?. a libra.
1(5200 e 10600 em frase ts grandes a Cevada a 80 rs. a libra.
2500. Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata,
idem'em caixinhas elegantemente enfeitadas dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
com ricas estampas no interior das caixas Figos de comadre e do Douro em caixinhas
a 12(5000,10400, 10600 e 20. de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
Amendoas com casca muito uovas a 280 rs. 10800, 50500 e 280 rs. a libra.
a libra. Farinha do Maranhao a 460 rs. a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba. Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
Azeite doce francez muito fino em garrafas Genebra de Hollanda verdadeira marca YD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, quaiidade especial e garrafas muito
grandes, a 10800 rs. a garrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolba de vi-
dro, a 10000 rs., s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 960 rs. a libra, e da
de segunda quaiidade a 800 rs.
dem fraoceza muito nova a 640 rs. a libra, l dem em pipa, Porto, Lisba e Figueira
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. a libra.
grandes a 960 rs. a garrafa.
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banda de porcor einada a 440 rs. a libra e
e em barril a 410 rs.
Cha hvsson, huchin e perola a 10600, ,
20500, 20800 e 30000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas' dem em lata a 640 rs.
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa Marmelada imperial dos melhores conservei-
e 55800 a duzia. ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa. Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
Conservas a 720 rs. o frasco. 800 rs.
dem, s de pepino, a 720 rs. dem regular a 500 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs. Massas finas para sopa : estrellinha, pevide,
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia rodinhas e letrianhas a 600 rs. a libra e a
e especialmente da fabrica imperial de' 40 a caixinha com 12 libras.
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 10800, Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e Peixe em latas preparado pela primeira arte
30500 a caixa. de cozinha a 10 rs. a lata.
Caf do Rio muito superior a 280 e 320 Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
rs. a libra e 80500 e 80800 rs a arroba. Palitos de dentes a 120 rs.
dem londrino ehegado no ultimo vapor a dem de flor a 200 rs.
900 rs. a libra. Amendoas confeitadas a 900 rs. a libra.
Carloes de bolinhos francezes muito novos e Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
muito bem enfeilados a 700 e 600 rs. | 20 e em caixiio a 640 rs.
Painco a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo_a 400 rs. a libra
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 30100
dem prato.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
dem em garrafoes de 3 e 5 gales a 50500 Tijolos de limpar facas a 140 rs.
e 70500 cada um com o garrafo. Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 rs. a duzia. dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
PARA BEM DE TODOS
FAZEI FAVOR DE LR ESTE ANNUNCIO
E da economia domestica que se vai tratar.
O assumpto importante.
DE$COBRIO-SE AFItfAIi
O verdadeiro e principal armazem de molhados o do
BAL
IZA.
libra.
Figos em caixinhas ermeticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D.Pedro, D. Luiz I, MariaPia,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs.
a duzia.
IdemMorgaux eChateauluminide 1854, a 10
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
10200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porc3o de outros que deixairos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porcoes como
retalho.
Quem comprar de 1000000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
Mngiirm contestar c*ta verdade.
A fama ffar correr esta noticia.
A poaterldade bendir o nome do Baliza.
Actnalldade Batel palmas de contentamento!

UNIAO
RCANTIL
RA DACADEIA IM> RECIFE X. 53.
NOVO E
Gr'
**
AHDH ZMZmC DE MOLHADOS
RLA A CAEIA O ItECIFK 53.
Francisco Fernandes Duarte acaba de abrir na ra da Cadeia do Uecifen. 53, um grande e sortiJo armazem de molbados aV
nominado Unido Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeitavel publico um completo sortimento dos melliore
certeros que vera ao mercado, tanto esirangeiros, como nacionaes, os quaes sero vendidos em porcoes ou a retalho por precos ass*
gommodos.
Manteiga ingleza especialmente escolhida Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
, de primeira quaiidade a !00 rs. a libra, j 10200 a caada,
em barril se faz abatimento. Azeite doce refinado em garrafas brancas a
manteiga franceza a mais superior do mer-
cadu a 6oo rs. a libra, e 580 rs. em barril
on meio.
Prezontes inglezes para fiambre, de superior
quaiidade, chegados neste ultimo vapor, a j
720 rs. a libra.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor a 40000.
Queijo prato muito fresco e novo a 640 rs.
a fibra.
Castanhas muito novas a 120 rs. a libra e
e 30000 a arroba.
Cha oxin o melhor que ha neste genero,
mandado vir de conta propria a 20800
rs. a libra.
Cha hyson muito superior a 20560 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio para negocio a
14500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 20 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com differenles
qnalidades, como sejam craknel, victoria,
piquete, soda, captara, seed, bornez e
oulras muitas marcas a 10350.
Bolachinha de soda em latas grandes a 20.
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 10 e 20 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 500 rs. a libra e 30 um quarto ;
e em caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem viodo ao nosso mercado a 180 o gigo,
garante-se a superior quaiidade.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 70500 a 80000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 90
a 109 a duzia, e 900 a 10 a garrafa; deste
genero ha grande porco e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 14* e 150 a caixa, como sejam: Duque
do Porto,' Lagrimas do Douro, D. Luiz,
Camoes, Madeira secco, Carcavellos, Nc-
tar de 1833, Dnque Genuino.
Vinho de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e 560 n. a garrafa, e 30, 30200
e 30500 a caada.
Vinho branco de superior quaiidade, viudo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
rs. debarriL
800 rs.
Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
40800 a caada.
Geneora de Hollanda a 500 rs. o frasco e
50800 a frasqueira.
Caixinhas com ameixas francezas, ornadas
com ricas estampas na caixa exterior,
muitopropriasparamimo,a 1020", 10500
6 20.
Frasco de vidro com tampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a Bolaxinha ingleza a 320 rs
10200. barrica.
Marmelada imperial, dos melhores conser-i ?a8u muit0 nvo a 24 rs- a libra-
Sardinhas de Nanlesa 340 rs. o quarto e 560
rs. meia lata.
Latas com peixe em posta: savel, corvina,
vezugo, cherne, linguado, lagosinha, i
10300 rs.
Salmo em latas, preparado pela nova arte
de cozinha, a 800 rs.
Macaa de tomtes em latas de 1 libra a 60C
ris.
Chouricas e paios em latas de 8 e meia libra
por 70.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra e
80GOO a arroba.
a libra e 40 >
Sem mitras nem coras para ornar a fachada de seos annuncios, e as portas do edificio em que habita, o Baliza se
contenta em tomar o seu lugar de honra na vanguarda de todos os homens do progresso.
Sopre embora o maldito Clarim, o seu toque de retirada a marche-marche do desacreditado Progresso; arme a tenda
dos falsos apostlos da sinceridade no tratro, da realidade na pratica dos negocios commerciaes. revele finalmente a MM
grande rasobordinacao fingrado desconheeer os seus superiores, deixando-se ficar sentado, em vez de perfilar-sc e fosar a \
continencia do estylo, porque o incansavel Baliza sempre fiel ao seu juramento ter continuamente na melhor orden todo o
seutrem de guerra e no mais complecto movimento, o seu presumo para bem servir, desde o mais simples camarada at
o mais alto general da primeira classe do exerrto dos seus constantes freguezes.
Entremos na materia :
SENTIDO!
orden no oa.
Desde a 1.a publicacao deste annuncio at segundo aviso Manoel Pedro de Mello, propietario do grande armazem
do Baliza estabelccido ra do Livramento ns. 38 e 38 A vender a todos os seus freguezes.
Cinco por cento menos
que qualquer dos seus amaveis collegas que por menos annunciar. Qualquer objecto que nao chegue a contento dos se-
nhores compradores, pode ser devolvido ainda mesmo pelas pessoas que morarem no centro da provincia.
O dioheiro receido pelo gener0 que nao agradar ser restituido sem constrangimenlo algum.
Declaradlo importante.
falso o boato que tem feito espalhar o soldado soprador da ra do Queimado de que se acha o Baliza associado
ao armazem Unie Mercantil aborto a ra da Cadeia do bairro do Recife.
A liga entre os collegas um crime de lesa-povo.
E entre-tanto o Baliza liguciro.
Ligueiro sim das ideas liberaes dos progressistas de todo o universo aos sentimento mais ntimos de seu coraco.
Deste modo de pensar ser o Baliza eternamente consenador.
MOVIMENTO
BAIRRO DO RECIFE, RA DA CADEIA 50
O mais novo e o mellior
A ItSI AZ12M DE RHNLEB V 1)0*
Esquina defronte da ra da Madre de Dos
att:
B$fc
O IIIVf JL
Hita do Queimado n. 49 e 55 esta
acabando a pechinclia.
Pecas debico com 10 varas
a 200 rs.
veiros de Lisboa, em latas de 1 e meia a
"abrasa 600 rs a libra.
Fructas em calda das melhores qualidades
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoas de casca molle a 400 rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 200 rs. a libra.
Farinha do Maranhao a 120 rs. a libra.
Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
Cevada a 120 rs. a libra e 3 a arroba.
Alpistaa 160 rs. a libra e 4)5800 a arroba-
batatas muito novas em gigos com 40 libra
por 1,5500.
Cebollas a 1)5 o molho com mais de. 100 ca-
da um.
Caf lavado de primeira quaiidade a 300 rs,
a libra e 9)5 a arroba.
Macas e peras chegadas neste ultimo vapor, c*f* do Cear muit0 superior a 280 rs. a li-
muito perfeitas, s vista se faz o preco. I e 8 Conservas inglezas em frascos grandes a 750 Va ,Rl0' ProPno P*ra negocio, a 84.
rs. cada um. Arroz do Maranhao a 100 rs. a libra e 2)5800
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de klt^\mm m rB i-k, qii
1 libra a 640 rs I de J a a *' rs" a llt,ra e 2**00 >
Ervilhas seccas mnito novas a 160 rs. a'vJ,r/c5a* enarmni.at; ^n m.
Ijf,ra i Vellas de spermaceti a 560 rs. a libra e
Chocolate francez, oque ha de melhor tMt* ^Jj? S-SSSSSj, genero, a 1*5200 a libra carnauba refinada a 320 rs. o mas-
Chocolate hespanhol a 1,5200 a libra.
Antonio da Silva Campo, successor do amigo Nascimeuto defronte do becco Largo, bem co"
nhecido j nepta praca, acaba de transferir o sea estabelecimento para a casa cima indicada, onde
os seus benvolos amigos e freguezes, bem como o respeitavel publico em geral encontrarao o mais
variado, escolliido e melhor sortimento de molliados, a par do acet, elegancia e bom rgimen do esta-
belecimento.
O annunc3nte, iendo fcito urna completa reforma no tocante a casa e gneros, possuindo bons
correspondentes na Europa para remessas de conta prupria, acha-se convencido que merecer a pro-
teccao de todos os amigos do bom e barato, a qual desde j reclama, asseverando-lhes que jamis des-
merecer a coi,flanea com que se dignarem de o honrar.
Em resumo, visite o respeitavel publico o novo e superior armazem Movimento, compre-lhe al-
guna gneros, e euliio ficar convencido da realidade do presente aviso, verificando por si mesmo que
nenhum outro eslabelecimento o serve melhor qne este, seja em commodidade do precos, agrado e
delicadeza, ou legalidade de pesos e medidas.
Finalmente, todas e quaesquer garantas que estabelcciuientos ideuticos teem offerecido aos
concorrenles, sero manlidas neste em grao niaior.
LIQUIDACO
IMBA ib JOAO.
Machinas de differentes tamanhos de papel .le
seda coloridas e transparentes e lanternas colori-
das de varias formas, proprias para os festejos de
S. Joo: no armazem da Eiposico do Londres u.
W, na ra da Cadeia do Recife.
t'arinlia de mandioca superior
em saceos grandes: vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo A C. no seu escriptorio ra da Cruz
numero l.
so e a 9)5 a arroba,
i Doce de goiaba a 640 rs. o caixSo.
Genebra de laranja em frascos grandes a 1. Macario, talharim e aletria a 480 rs. a li-
Cerveja branca e preta das melhores marcas | bra em caixa K fai abatmento.
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e Estrellinha, pevide e arroz de massa para sop
r, t a' v* J a 600rs. a libra e 33 a caixa com 6 libras
g?*eZ de,SDP*nor qoa>'da e 1)5200 a garrafa.
Licores francezes das segnintes qualidades:
o masso, ditos Iixados sem flr a 160 rs
o masso com 20 massinbos.
Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames Gomma de engommar muito fina a 180 rs.j
e de outras muitas marcas a 1)5 a garrafa
e 10)5 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
9)5 a duzia.
Mostarda ingleza em potes j preparada a
400 rs.
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra e
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inteiras ou em meias, de
1(5600, U e U.
Mostarda ingleza#em p, em frascos grandes,' Presuntos do reino, viudos de conta propria
a lacada um. de casa particular, a 400 rs. a libra; intei-
Sai refinado a 500 rs. o pote. i ro se faz abatimento.
Ossenhore que comprarem de 100,5000 para cima, terao o descont de 5 por cento, pelo prompto pagamento.
kMkWM CONSERVATIVO
23~Largo do Terco-23.
Joaquim Simo dos Santos tendo de se retirar est resolvido a liquidar e fazer urna grande
vanlagcm a quem seu armazem frequentar, e vender por menos do que outro qualquer annunciante,
para isso tem um vantajoso sortimento tanto neste armazem como fra e para melbor servir o publico
o annunciante scientifica aos seus freguezes que lera (requemado este estabelecimento que de
hora em diante terao a vantagem de 10 a 20 por cento menos que compraram em outra poca pelo
seu prompto pagamento.
Attencao.
Caf do Rio de primeira e segunda sorte a 270 e; Dito em caixa da Bahia dos melhores fabricantes
300 rs. de 1,9200, 2*400 3 e 4.
Arroz pilado a 80 e 100 rs. a libra e 2*400 e 3*, Phosphoros do gaz vindo de conta groza 2*300.
a arroba. Manteiga franceza a 600 e 640rs. a libra.
Milho alpista limpo a 170 rs. a libra e 4*800 a Dita ingleza flor a 800 e 900 rs. a libra,
arroba. Biscoutos e bolachinhas de soda a 1*300 e 2*.
Toucinho de Santos e Lisboa a 240 e 280 rs. a libra. Vinho do Porto engarrafado a 800 rs., garante-se a
Passas de carnada a 500 rs. a libra e 10* a caixa. superior quaiidade.
Azeit doce de Lisboa fino a 640 rs. a garrafa e Dito em pipa Figueira das marcas mais bem co-
4*800 a caada.
Dito de carrapato a 320 rs. a garrafa e 2*240 a
caada.
Massas para sopa aletria, macarrao e talharim a
480 rs. a libra e 10* a caixa.
Chouricas as mais novas a 800 rs. a libra.
Charutos em macos de SO a 6* o milheiro e a
640 rs. o cento.
nhecidas a 500 rs. a garrafa e cauada 3*800
e 3*800.
Dito de Lisboa especial para negocio a 360, 400 e
440 a garrafa e em caada faz-se abatimento.
Dito branco proprio para missa a 640 e 500 a gar-
rafa e em caada a 5* e 3*500.
Bolachinha americana a 200 rs. a libra e em bar-
rica ha grande abatimento.
Alluuis para viole retratos.
Vende-se os lindos albuns para vinte retratos pe-
lo barato preco de 2* cada um : s no vigilante
ra do Crespo n. 7.
ESCBAVOS FGIDOS.
Fugiode casa de seus senhores, no dia ti do
corrente, o escravo Izidro, crioulo, de idade 25 an-
uos, pouco mais oa menos, estatura regular, cheio
do corpo, cor um pouco fula, cabellos carapiuhos,
olhos pardos, beijos um pouco grossos, nariz regu-
lar, ps grandes e grossos bem desembarazado no
fallar, nao c malcriado, levou calca de brim bran-
co, camisa de madapolo, chapeo de feltro j usa-
do ;_cojo escravo filho de Calista Mana da Con-
ceico, do Brejo de Bananeiras, provincia da Para-
hiba do Norte ; veio em 1861 em pagamento para
os Srs. Guimares & Alcoforado desla cidade, sup-
pee-se ter seguido para aquello lugar : roga-se a
todas as autoridades e capitaes de campo a sua
apprehenso e leva-lo ao pateo da Santa Cruz n.
6, que serao generosamente recompensados.
PLVORA.
Vende-se ero barril por menos do que em outra
qualquer parte, para fechar conta : no armazem
de J. A. Moreira Dias, roa da-Cruz n. 26, onde en-
contrarao as amostras. '__________
m. Joio, m. Pedro e Sat"liM.
Sortes avulsas em meias olbas e folhas de pa-
pel, eontendo om grande numero de sorte9 pro-
Sria-para eortarem-se, livros e cadernos con tendo
iiwente maneiras de tirar as sortes, tudo pelo
preco mais commodo possivel
dor n. 15.
na ra do Impera-
Folua de ferro galvanisado p
na ra da Cadeia do Recife n. 91 A,
gens de Bastos.
para te! hado :
loja de ferra-
( Ferros para oorives.
N roa larga do Rosarlo n. 24, loja de ourives,
vendem-se todos os ferros e utencilios de ourives.
Algodo da Bahia
para saceos de assucar e ronpa de escravo; tem
para vender Antonio Lnii de Oliveira Azevedo &
C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1._________
Saldo Ass
A' bordo da patacho Andr, defronte do Forte
do Matto ancorado: tratar bordo ou na ra do
Vi gario armazem Naval n. 1.
Trina, volantes e cales.
Vende-se trina, volantes e galSes de todas as
larguras por precos muito barato: so no vigilante
ra do Crespo n. 7.
Fugio no da 10 do corrente o escravo Marti- ,
nho com os signaes seguintes: altura regular,
bastante fulo, rosto eomprido, pouca barba, e so-
mente na ponta do queixo, falla brando, levou ves-
tido paleto! velho de alpaca de eordo preta, cha-
peo de palha, levou urna pequea troxa de ronpa,
natural da matriz da Vanea, porm ha lempos
que tlnha sido vendido para om engenho da co-
marca de Santo Antao, e a pouco mais de tres me-
zes foi vendido nesta cidade pelo Sr. Jos Patricio
de Moura Cazel da mesma comarca: roga-se a
quem o pegar, de o levar roa do Queimado n. i
77, que ser bem recompensado.
ATTENCliO
Acha-se fgido o escravo de nome Faustino, de
idade 40 annos, pouco mais ou menos, cor fula, at-
ura regular, grosso do corpo, bem espadado, bar-
bado, e j com alguns cabellos brancos na barba,
bracos e pernas grossas e Bastante cabelludas, ten--
do as pernas arqueadas, porm nao muito, costu-
ma andar em sambas, e as vezes embriaga-se bas-
tante por gostar muito de saber : portanto roga-
se as autoridades policiaes desta e das provincias
limitrophes, que o facai apprebender e leva-lo a
seu seobor o major Antonio da Silva Gusmo, na
ra Imperial, assim como roga-se aos capitaes de
campo a apprehenso do dito escravo, que serio
bem gratificados.


Difiri de Pernanbaeo fteguada letra O de Jnnho de !!-
LITTERATORA.
% Os jesutas, (a)
11
Embora um pouco tarde, em razo de oousas su-
pe res i,.>.-.-a vunlado, vamos proseguir na ta-
llo (no nos incumbimos de oppr algumas con-
tcfiea as Terrinas vomitadas contra os Jesul-
lazarisUs, irmasde caridade, etc., na cmara
d >rs. deputados pelo Sr. Dr. Pedro Luir.
Aillos de tudo para nos liquido, que o Sr. Dr.
Pedro Luiz, por aquello seu procedimonto perjurou
indignamente, porquantoao tomar elle assento na
cmara temporaria jurou solemnemente mantor
a religio do Estado, ao passo que com to descom-
munal furor se prouunciou contra a edflcaeo de
um templo para propagado do respectivo culto,
bea cuino contra os seus ministros. Nunca os m-
|,ios quizeram o altar e os seus sacerdotes, para
pjr esses neios indirectos fazerem baqueara reli-
gio e os turnos, de que sao os mais rancorosos
luimigos. Assim como o Itomem, sem religio,
seria um enigma oeste mundo, segundo o bello
pensamento Je Pascal, do mesmo modo nao se po-
de comprebender urna religio sem altar, sem mys-
terios, sem dogmas e manifestares exteriores, que
a symbolisem, sem ministros que a propaguen). O
homem nao um puro espirito ; suas crencas ur-
geni essos signaos sensiveis e orgos poderosos.
Do contrario ellas licariam suscepliveis de possivel
aniquilamento,
Admiltir, pois, a religio sem os elementos, que
lite >o csseuciaes para sna manutenco, querer
o Qm rcpelhndo os meios.que Ihe sao conducentes.
Dest'arte o Sr. Dr. Pedro Luiz, revoltando-se
contra a instituioo de um templo catholico, e con-
tra os miuistros do altar, implicitamcnte rcbellou-
se coutra a respectiva religio, e por conseguinte
formalmente perjurou.
E' desculpavel aos defensores do Sr. Dr. Pedro
Luiz negarem, que aquelle seu repreliensivel pro-
cedimento importou a violado do juramento, que
elle prestara, porque s assim podero attenua-Io.
Mas, na opinio das pessuassensatas e imparciaes,
elle nao pode escapar dessa terrivel sanejo, em
que incerreu.
Tambem Cobbet diz na suaObraHistoria da
Reforma Protestante,pagina 13, que havia ro-
nhecido um desavergonhudo palife, natural de Cor-
nualhes, que tendo jurado falso (como confessara
peante casa dos communs) e, sendo increpado
d: ter dado um tal juramento, respondeu que na-
quella manliaa, antes de sabir de casa, havia jura-
do que naquelle mesmo da havia de jurar falso.
Longe de nos apropriar ao Sr. Dr. Pedro Luiz
este fado histrico, porque nao nosso proposito
irrogarllie urna injuria. Apenas, isso revocamos
memoria para demonstrar que o perjurio sem-
pre to torpe e to infame que de ordinario quem
o pratica procura juslifica-lo ou pelo menos atle-
nua-lo por algum modo decente. E' tal o perju-
rio, que ltlasktonediziaque as les na simplcida-
de dos antigos tempos nao presumiam que um ho-
mem se lizesse perjuro por todos os bens deste
mundo.
II
No nosso fraco entender o Sr. Dr. Pedro Luiz,
naquella sua narrativa ou sinistra exhumado de
um horrivel passado contra os jesutas, foi infiel
historia, adulterando a verdade dos factos, alm de
demonstrar a mais clamorosa ingratido, porque
nenhum Brasileiro deve esquecer-se dos grandes
beneGcios, que sua patria prestou aquella ordem.
Coraecande aquette nobre representante ful-
minar os jesutas disse : c que elles avassalaram o
mundo inteiro por urna poltica ousada e anttlosa,
prendendo na sua vasta rede a gentes, bracos, cons-
ciencias e pocos, donde resullou terem sido elles ex-
pdlidos por toda parte.
Para contrastar esse tpico do famoso discurso
do Sr. deputado Dr. Pedro Luiz nao iremos procu-
rar os defensores do catholicismo, para que nao
sejam logo averbados de suspeitos; invocaremos
apenas em nosso apoio autoridades superiores
aquello nobre representante da naci, o que mas
mfensas se Uvera mostrado ao mesmo catholicis-
mo, como prova mais irrecusavel da sua impar-
cialidade sobre os jesutas.
Raynal, puro philosophante, na suaHistoria
das Duas Indiasassim se exprime :
Nada iguala a pureza dos entumes, ao zelo ter-
o e amoravel, aos descelos paternaes dos jesutas
no Paraguay. Cada pastor verdaderamente o
pae e o guia dos seus paroebianos. Mi nao se sen-
t a sua autoridade, porque elle nao ordena, nao
prohibe, mo pune, seno o que pune, prohibe e or-
dena a religio, que adoram e amam, como a si
HUSMOS. Goveruo, onde ninguem est ocioso. Nin-
guem vice extenuado de trabalbo, onde o sustento
taudaoel e abundante ; egual para todos os cida-
daos, que sao commodamente vestidos, commoda-
tilinte albergados, onde osvelhos, as duras, os or-
pluios e os enfermos teem soccorros descoimecidos,
do restante da trra. E se alguem dnvidar dos fe-
lizes effeilos da beneficencia e humanidade exerc-
das com pocos selcagens, compare os progressos,
que os jesutas fizeram na America Meridional com
os que nao poderam conseguir as armas e os na-
vios da Hespanha e de Portugal no largo esporo de
diiui sccnlos.
Montesqnieu, fallando dos jesutas, disse : Ser
sempre bello governar os homens,fazendo-os felizes.
Pfjae a massa dos bons que os jesutas fizeram ;
recordae-vos dos escriptores celebres que deram
ao mundo, ou que suas escolas formaram ; os rei-
nos inteiros conquistados para o commercio por
sua habilidade, por seus labores, por sen sangue ;
os milagres de suas misses no Canad, .Paraguay
e na China, etc., e veris que S7"o pouco mal de
que os aecusam nao contrabalunra por um mo-
mento os serviros que elles fizeram sociedade.
O pantheista Buffon dizia que nada mais honra
os jesutas do que haverem cintilado as naroes bar-
baras e fundado imperios, sem outras armas que
as da virtude.
O grande Chateaubriand, no seuGenio do Chris-
lantsmocorrobcroa estas assercoes as seguintes
expressoes : A Europa sabe soffrer urna peda ir-
reparacel na extmecao dos jesvilas. Nunca mais
a educaedo kcantou-se da sua queda.
Lammencis, espirito muito independente, com-
pletou a defesa dos jesutas nos seguintes termos:
Por muito lempo anda se sentir o vacuo immen-
so que deixaram na christandaie os jesutas, esses
homens vidos de sacrificios como os outros o sao de
gozos, e por muito tempo se trabalkar por enche-lo-
Quem 01 tem substituido as eadtirasf Quem
Quem os substituir nos collegius? Quem se of-
ferecera em seu lugar para ir levar afee a civi-
saco com o amor do nome francez s florestas da
America, ou s vastas regioe* da frica, tantas ve-
zes banhadas de seu sangue ? Aecusam nos de am-
hiedo ? Elles a tinham sem duvida, que corpo a
nao tem f Mas, sua ambicao era de fazer bem ;
todo o bem, que eslava ao seu alcance ; e quem nao
sabe que as mais das vezts o que menos ot ho-
mens perdoam 1 Querem dominar em toda a parte,
(a) Dede o Diario de Pernambuco de 20 de abril
deste anno.
e onde domnavam elles senao nessas regioes do No-
vo Mundo, onde pela prmeira e ultimavez se vu rea-
Usadassobsua influencia essaschimaosdefelicidade
que se perdoava apenas imaginarn dos poetas t
fram perigosos aos soberanos, e a phtlosopltia que Uies
faz essa exprobaro f Seja como fr, eu abro a his-
toria, ah vejo accusares,\procuro as provas delltis,
e nao ocho sendo urna brilhante jiistificaedo.
III
Accresce ainda que os relevantes servicos pres-
tados no lirasil pelos respeitaveis jesutas, Padres
Antonio Pereira, Jos Anchieta, Manoel daNobrega,
Leonardo Antunes e outros verdadeiros apostlos,
protestan altamente contra a aleivosia do Sr. Dr.
Pedro Luiz, que nao parece fltho do imperio da
S.mla Cruz, por elles raesmes fundado. 0 Ilus-
trado Exm. Sr. general Abreu e Lima, na sua
Synopsis da Historia do Brasil-pagina 43, diz que
a milagrosa embaixada dos dous missionarios (No-
brega e Anchieta) foi reputada como a salvaco das
colonias portuguezas, e a fl. 46 accrescenta' que os
jesutas, sempre empregados na propagando da f,
fizeram grandes servicos cora de Portugal, tanto
na India como na America.
Emm o Plutarco brasileiro, naVida do padre
Jos de Anchietarefere que os jesutas acompa-
nhavam todas as expedicoes martimas para funda-
rem ao pe da conquistad a espada da conquista da
religio, e conclue pelo seguinte modo : Os jesutas
recrutavam para a sua companhia os maiores ta.
lentos que appareciam, abriam aulas de insti tierno
primaria, secumiaria e superior, quer para os mem-
bros da associaro, quer tambem e gratuitamente
para o povo ; soccomam a lodos os infelizes ene-
cessilados; pregavam por toda a parte obediencia
s autoridades e respeito lei, amor religio ;
apoz as affeiroes, as sympathias e as gratidoes po-
pularisava-se a reputaco da companliia e se estn-
dia a sua influencia (citada obra.)
Os jesutas viciam de esmolas, vestiam-sc de algo-
dao, amlavam descleos, trabalhavam com suas pro-
prias mos na edificacao dos seus collegios e das
suas egrejas; abriam escolas gratuitas de instruc-
ro primaria, ensinavam officios mchameos, pra-
ticavam a medicina e cirurgia, consolavame soccor-
riam os infehzes e affliclos colonos nos seus transes
amaigurados.
E para as naces indgenas os padres da compa
nina eram considerados como anjos; elles salva-
vam os gentos, quando niguas Portuguezes os pre-
tendiam maltratar; alravessavam as argens ma-
tas, onde nem o sol nrn a la advinham o canu-
tillo passavam caudalosos ros, iam pausar as
suas tabas (aldeias) serviam-se de suas inis (redes
de algodo) ; assistatn s suas festas animadas
pelos chocalhos sonoros das suas maracas (instru-
mentos usados as suas festas); praticavam com
elles e se esforcavam de arranca-Ios a seus barjba.
ros costumes, de chama-Ios ao gremio da religio
calholica e de estabelecer paz com os Portuguezes
(citada obra.)
IV
Todos esses sabios escriptores, Raynal, Montes-
auieu, Buffon, Villemain, D'Alembert, Voltaire,
Chateaubriand, Bouillet, Schoel, Muller, etc., cujas
opinioes sobre os jesutas textualmente transcreve-
mos por certo merecem maor conceito, sao vultos
mais proeminentes na repblica das letras do que
o Sr. Dr. Pedro Luiz, que apenas agora faz o seu
tirocinio na escola philosophante, em que Deus o
fade bem.
Se anda nao basta o solemne testemunho de to-
das essas autoridades para plena convieco dos
grandes servicos prestados pelos jesutas huma-
nidade intera, das suas grandes virtudes, da man-
suetude de suas raaneiras e da pureza dos seus
costumes, em completo desmentido sobreda as-
sen-ao daquelle distiocto sectario da Esquadrta e
Ilustre membro da cohorte dos solapadores do al-
tar e dos turnos, deseamos analyse dos factos
at hoje argidos aos jesutas e suas consequen-
cias. Ahi se achara a mais cabal refutaco de toda
essa aleivosia e triumpho pleno da verdade e inno-
cencia desses pobres padres acerca de taes aecusa-
coes.
Na longa demonstrarlo dessa nossathese neces-
sariamente teremos de invocar mais algumas au-
toridades, to respeitaveis como aquellas outras,
preferindo sempre os proprios inimigos dos jesu-
tas, porque enlao o seu juizo em favor delles nao
se tornar suspeito.
Isto posto, desde j pedimos toda dcsculpa ao
benvolo leitor pela multiplicidade de citasoes.
Nao nosso im nisso ostentar erudicao, mas
sim provar concludentemente as nossas assercoes
com documentos e testemunhos taes, sobremodo
autlieuticos.
Em face de to valiosas opinioes dos mais fama-
dos e nsuspeitos historiadores contemporneos
obvio que os jesutas prestaram os mais relevan-
tes e incontestaveis servicos propagaco da f,
internando-se atravs de todos os purgos e sacrifi-
cios pela Allemanha, Irlanda, pelas florestas do
Brasil, Paraguay, Canad, bem como pela Asa,
frica, em summa pelas mais remotas regies,
afnn de conquistar, civilisar e beneficiar hordas
sehagens, tribus de nmades e bravios indgenas,
nayoes barbaras, dando-lhes a educago moral e re-
ligiosa, subsistencia, sem interesse algum, com to-
do zelo apostlico e emprego nico de sua eloquen-
te palavra fortalecida com a iraagem do Senhor
Crucificado, sem outras armas emfim que as da
virtude.
Por esses exemplos de profunda edificado, por
esses valiosos servicos passaram a gozar da mais
merecida inlluencia em muitos estados, principal-
mente as cortes de Portugal, Hespanha e Italia.
Por isso mesmo, tornaram-se tambem victimas
de todas as calumnias, perfidias e injurias dos in-
vejosos cortezos e da gente perversa e desalmada,
que attribuiam-lhes ora regicidios, sacrilegios, blas-
phemas, idolatras, rreligiao ; ora homicidios, par-
ricidios, roubos, perjurios, prevaricaedo dosjuizes,
magia, impudicia e outros muitos crimes havidos e
por haver; em summa, inimigos da egreja e do
poder apostolice.
Todas estas aleivosas e torpes imputac5es foram
pulverizadas pelo sabio Saint Priest (nao partidista
catholico.)
Onde, peis, a vassallagem que os jesutas re-
duzram o mondo inteiro ?
Elles foram inculcados por alguns degenerados
catholicos como regicidas e banidos para bem da
egreja, ao passo que os protestantes Schoel e Ranke
os denomnaram sustentadores da monarchia e ba-
luartes da egreja.
Todos sabem que o baoimento dos jesutas de
Portugal procedeu de considerarse o marquez de
Pombal primeiro ministro do re D. Jos) muito
offendido em seu amor proprio por occasio da
sublevarlo do Paraguay, o que elle soube dissimu-
lar, ate que pode satisfacer a sua vioganca com a
mais horrorosa carnificina, quando rehentou a sup-
posta conspirarlo do duque de Aveiro, marquez de
Tavora, seus filhos, e conde de Athonguia, pelo que
se passa a expor.
En geral a nobreza de Portugal abominava o
marque de Pombal, como um aventureiro poltico.
Um dos Tavoras, por haver denegado a mo de
sua fllha a um fllho delle, incorreu gravemente
no odio desse ministro, que se havia tornado pode- Clemente XIV, qual novo Plalos, cedeu por fim
roso pelo abandono i que o rei D. Jos entregar necsssidaie e publican a bulla requerida' sem con-
o governo, em razao da vida licenciosa qae le- sultar os cardeaes, tendo sido essa sua condescen-
vava- dencta para com os monarchas recompensada com
Alm dlsso indgitava-se qne o thahtmo nupcial orestituirdo do principado de Benevento, e bem as-
do marquez do Tavora havia sido violado poraquel- ,im a do V*1* ** Avinhdo,\t rendendo-lhe alm dis-
le dissoluto rei. Este fidalgo, cheio de um nobre toa '<,P'afo de homem sabio e prudente. Que
orgulhojprocurra porjsuas proprias mos dcsaggra- ,niseria- qando o mesmo papa acabava de conce-
var sua honra ultrajada, atiranlo no caminho de der ''"'encias aos jesutas quem denominava
Belem, sobre o postilho, mas com tal desaso, que de fervorosos obreros do campo do Senhor Assim
a arma menta fogo, taoto assim que o rei apenas os abandonava a egreja, que elles tanto defendiam,
mu levemente foi (erido, e chegou sem outro in- na bella expresso de Chretincau Joh. na sua lns-
commodo Jun jueira, que era o seu destino. To- J01"''1 da eompanhia, li.mada com documentos irre-
das essas tres causas accumularam-se para basear raSlVl-'ls-
a atroz vinganca de Pombal. ",ro eseri^t protestante Sehielosser acere-
centou o seguinte :
O breve de suppressaoDominas ac Redemptor
noster-assignado por Clemente XIV 21 de julho
racao.um r^crtw.le passou a promover o exter- ^ 1773 wo condemna nem as doutrinas, ncm os
minio daquellas vctimas do seu implacavel odio, coslumes m a JiscpUm dos jesmlas M quel.
ex.gindo e alcangando por fim a extineco dos po- xas ^ crUs CQntra a cmpanhias s-0 os ,mjfO
VI
D'ahi Pombal phantasiou urna tremenda conspi-
bres jesutas o o sacrificio dos Tavoras. Estes in
felizes fidalgos foram logo arrastrados ao cada-
falso entro as mais ignominiosas sevicias c s
maiores torturas.
O horrivel tribunal da inconfidencia os condem-
motvos allegados para sua suppresso.
Accusaram ainda os jesutas do envenenamento
de Clemente XIV, mas o impo d'Alembert os defen-
deu dizendo : O corpo do papa foi aberto, e nao
se encontrn o menor signal de veneno. \ O papa
nou morte por urna sentenca redigida pelo pro- ] morrea em delirio implorando o perdi, como diz
prio punho de Pombal, e entre o mais brbaro tra- o historiador Cesar Cantu.
lamento, que se deu aquellas victimas as duras VIH
horas da sua agonia nao escapou lembranca de Cahiram, sm, os jesutas pelas artimanhas de um
faze-los subir mis ao cadafalso, emfim, de serem figaro poltico de Portugal, urna infame messalina
seus cadveres estrangulados e laocados os des- da Franca, de um ministro enfatuado da Hespanha,
tropa sobre urna fogueira. pela timidez de um papa, mas elles ficaram plena-
E' porm, mu digno de sera observado que os mente justificados por documentos authenticos e
jesutas houvessem soffrido a grave imputaco i nsuspeitos.
desse regicidio, quando nenhnm mal haviam rece-; 0 jesutas foram banidos, mas esses paizes teem
bdo daquelle rei, nenhum odio Ihe votavam, e por femido sob P650 das mais deploraveis desgracas:
esse crime s respondern e foram sacrificados throno de LuizlXV foi abatido, os res da Besa*
aquelles fidalgos; em summa, como elles sendo
assim considerados assassinos, alias nada hou-
nha, de Portugal, aples e o duque de Parma
foram tambem todos depostos dos seus thronos,
vessem machinado contra a existencia daquelle seu caP,v_0S erran,es' Lil XVI d* qae a des
insaciavel perseguidor o marquez de Pombal.
Era que o mar juez de Pmbal tinha nao s
fnuro dos jesutas foi urna das prmeiras causas
das suas desgracas, segundo se tem inculcado.
O proprio marquez de Pombal, principal instru-
completar sua vinganca contra aquelles fidalgos, ment0 da crae| perseguige urdida contra os jesui-
mas sm ferr a egreja naquella eompanhia, a anti- \ las> tambem encontrn severa expiaeo desse seu
these do protestantismo, como qualificou o distincto maieu^,,
escriptor D. Juan Gonzales. E tanto foi esse o
principal proposito de Pombal, que elle promoveu
No reinado de D. Mara, que succedeu quelle rei
D. Jos dirigido pelo dito marquez, passou aquelle
por todos os meios ao seu alcance separar Portugal ousado mins,ro pe|a maior desconsideracao e op-
da Santa Se, inlroduzmdo um schysma, mandando probr0 p0ssives eos mais profundos desgostos, a
escrever a-Tentativa Theologica- contra o poder pon,0 ta, de naver baixado um decre|0 da mesma
espiritual do Papa, occasionando, emfim, o mais; Rajnnai deciarando que Pombnl um cnmes ^
brutal rompimento com Clemente XIII. recia exeittplarcaslig0 corporeo> du qual ella 0 isen.
Entretanto Schoel no seuCurso de Historia dos | tava, nao s por sua clemencia, como pela edade
estados europeusfulminou contra o dito marquez avanrada delle ( 82 annos. )
do Pombal nos seguales termos : IX
Parece que o marquez de Pombal deixou-se sedu- j Se os jesutas eram tao poderosos como foram
zir das ideas dos economistas, assim como na socie- \ expulsos, presos, banidos e reduzidos morrer de
dade dos espiraos fortes havia elle bebido o sen odio tome, fogo e torturados, mostrando sempre humilde
contra os jesutas. : subjnisso, resignaco, silencio e toda paciencia
Os scalos e os pocos que temos estigmatisado evanglica, sem a mnima resistencia? D'Alembert
com o epitheto de barbaros nao deram maor exem. (autoridade ainda insuspella) dizia : O 711c me pa-
plo de deshumanidade, que o governo portuguez no rece singular que a deslruiro desses phantasmas
seu modo de tratar os jesutas. i que sejulgava tao temveis se realise com tao pouca
Villemain, autoridade ainda competente no seu difficnldade f A isto por certo se nao pode respon-
Curso de ltteratura sollou um brado de in.' der satisfactoriamenle.
dignacao contra o marquez de Pombal, dizendo : Elles eram homens e por isso susceptiveis a er
Um ministro arbitrario e cruel destrmu no Pa- rdS e defeitos. E' mesmo possivel que elles os ti-
raguay, o mais bello monumento levantado pelos je- vessem. Mas quem os nao tem ldo ? E s porisso
suitas, e Portugal, em vez de deixar subsistir essa se dever ex,ngur e condemnar urna classe ou
especie de repblica christaa, e poz em seu lugar ordem inteira, como se toda ella fosse indigna?
urna colonia pobre e devastada. Para que confundir os innocentes com os culpa-
Emfira aquelles mesmos ( como Choseul), que j dos ? (fe, houve por ventura entre os anjos um
approvaram e applaudiram esse attentado do mar-! infiel ? Entre as odorferas flores nao existe mui-
quez de Pombal, acabaram por altamente ridcu-! las vezes o toxico acerbo ? Os proprios justos tam-
iarsa-lo, por conhecerem que a mais torpe vingan-! bem tiveram taitas. Como, pois, se tem pretendido
5a tinha sido o seu tnico movel, ora qualificando-o que os pobres jesutas, a par de tantas virtudes,
de petit parven, ora dizendo que elle trazia um
jesuta cacalgdo no nariz.
Vil
Nessa fatal poca oceupava o throno da Franca
Luiz XV, que viva fascinado pela sua Messalina,
a raarqueza de PompadourCotilln I ao depois
substituida por outra prostituta de nome Dubarry,
tao desfajada, que chamava o celebre cardeal de
que possuiam, de tantos servicos que prestaram,
como tem confessado os mais ousados Impos, tam-
bem fossem purssimos t Isto urna clamorosa in-
juslica e descommunal ingratido !
Os jesutas soffreram em verdade as mais tre-
mendas imputares, de que se tornou echo o Sr.
Pedro Luiz, como de haverem concorrido para os
Bern o seu pombo calr.udo. Esta poderosa mulher j regicidios de Henrique IV, Luiz XV, e at o envene-
havendo sido repellida daquella corte depois do at-1 menlo de Clemente XIV.
tentado de Damiens, attribuiu essa sua desgraca
aos jesutas, e, sdenla de vinganca, protestou dar
cabo delles.
Depois de mil escriptos de folhetnistas, libellos
diffamatonos contra os jesutas, exame dos livros
dos jesutas, assembla de 31 bispos em Pars, etc.
Luiz XV em 1764 decretou a expulso dos jesu-
tas, constando mais que da conGscaco dos seus
bens aquella herona c um seu irmo ( o marquez
de Marigni) receberam 3136 libras.
Ento clamava Voltaire :
0 pretexto da puni-o irrogada contra osjesui-1 disse Voltaire. Assassinos os jesutas, elles que sa-
tas era o pretendido perigo de nuius livros que nin- crifieavam e morriam pela salvaco dos seus seme-
gurn leA causa era o crdito.
D'Alembert accrescenta va:
A todos os meios de accrescentar o seu crdito c
consideraaio os jesutas addickmum outro nao me-
nos efficaz, que a rtgiUaridade dos seus costumes.
Apezar de tuio quanto a calumnia ha publicado,
releva dizer que nenhuma ordem religiosa tem dado
menos razao de queixa a este respeito.
Que solemne desmentido para a imputaco feita
pelo Sr. Pedro Luiz de terem tido os jesutas urna
poltica sinistra e ardilosa !
VIII
A Hespanha tinha em seu throno Carlos III, mo-
narcha bondadoso, mas que se deixava governar
pelo seu primeiro ministro e valido Squillace, re-
formista por excesso. Por occasio de urna suble-
Pois bem, todas essas calumnias e perfidias foram
cabalmente pulverisadas, e hoje reproduzi-las s
merece riso e compaxo. E para prova desta as-
sercao oucamos ainda as proprias palavras de mo-
Ihores autoridades que, o Sr. Pedro Luiz. Bouillet-
Diccionario de Historia, etc.rerbJesuites.
Os jesutas foram implicados em algumas cons-
piraces e alternados, ainda que nada se tenha pro-
vado. Sim, os jesutas foram aecusados como as-
sassinos dos monarchas e dos Papas, quando, longe
de serem seus inimigos, os tinham por si, como
litantes
Que lynica calumnia 1
O Diccionario da conversaco assim se exprime
muito em favor dos proscriptos jesutas :
Outros jesutas nao contribmram menos para ci-
vilisar e subjugar os indgenas no Brasil. S a
frica tornou-se rebelde aos seus es forros. A cos-
ta occidental nao penetraram e a leste foram re-
: pellidos. Aos olhos dos principes catholicos, como
aos dos papas, os principes rigorosamente luerar-
I chicos da ordem, sua aclividade enthusiaslica e in-
faligavcl e suas numerosas conversoes pareciam o
1 meio mais efficaz a empregar centra os progressos
sempre desventes (fe protestantismo. Aos olhos
das massas, os jesti < nao tardaram a serem os
representantes do oco espirito do tempo, com cujo
espirito sympathisavam os proprios que aborreciam
o monarchismo. Com suas maneiras polidas, ale-
gres e octavis os jesutas eram melhor acolhidos
que os demais religiosos.
Himrque IV suecumbiu aos golpes do punhal de
! Raivaillac, mas nunca se demonstrou a verdade de
vaco popular, em razao da extineco de uns cha-
pus tradicionaes, iusulllada por aquelle ministra-
os jesutas conseguirn) suffoca-la. D'ahi procedeu
a queda do mesmo ministro e a substituirn de
Aranda. Este fervoroso adepto da escola philoso-
phante passou logo a fomentar no animo do re a
necessidade da extincro dos jesutas para sua pro-
priaseguranca, no que sendo repellido promoveu I
outro ardil, qual o de urna carta do geral dos je- ,.
.._..., ... thes aecusou.
suitas Rich, allirraando nena ter obtido as provas
de ser Carlos III filho adulterino.
Quanto ao supposto regicidio de Luiz XV, impu-
Esta calumnia sortiu o seu effeito, porque cons" do as caitas, foi outra calumnia contra os je-
irou o dito mooarcha contra os jesutas, e decre- tas, que o proprio Voltaire se fez cargo de refu-
pirou
tou a expulso dos jesutas.
Em seguida o filho desse rei, Fernando IV, que
ta-la nos seguintes termos :
Meus irmos, vas bem sabis que nao tenlio ac- j
(mperava em aples, expelliu os jesutas ds seus riciado os jesutas, mas eu sublevara a posteridade
dominios 21 de novembro de 1767, e logo depois em seu favor se os aecusasse de um crime de que a
os gros-mestres de Malta e o duque de Parma. Europa e Damiens os tem justificado. Eu nao se- i
Assim unidas aquellas tres |K>tcncias ergueu-se a jia senao um vil echo dos jansenistas, se fallasse
ntail dura perseguico contra os jesutas : Por. de outro modo.
tugal pelo orgulho offendido de um seu ministro, a
Sun, mister de quando era vez erguer-se essa
Hespanha pelas calumnias de ura outro. a Franca ^^ ^^ os ^ pelas intrigas de urna prostituta do re. Que cynis- ... ....
1 tinctos e banidos do nmndo inteiro, porquo esse
0 papa Clemente XIU nostrou-se inabalavel e' > meio para levar a guerra ao catholicismo, que
relutou contra toda essa mfernal cruzada, fuln.i- ,an,00s assnsla' 1uaodo fra elle? deP's da *
nando o rao do Vaticano contra alguns daquelle renhida luta con a forCa bruta, quem proclamou
. ._ __-_j. x. ,_ os grandes e liberaos principios, que ainda retrem
mais encarnizados impos, e nunca cedendo as in- ... ,. ^
. ?. v .,. .., a presente sociedade, que se diz do progresso e
titntdasoes e a guerra fomentadas nos seus esta- cy| -0 ?
dos por aquellas cortes colhgadas ; pelo que Choi-,
seul 0 charaou o cabrea de bronze, at que cm 1769 refalsados inimigos do catholicismo, ebeios de
seGnou. O seu successor, o cardeal Ganganell,o 0^*. J<>8a por tabella, procurando sempre
papa Clemente XIV, eleito alias pela influencia da- os jesutas, verdadeiros escudos da egreja, para
quella infernal liga, ao principio trepidon em as- alvo das suas seltas, esperando que ellas tambem
signar a bulla da extmecao dos jesutas, ora fugin-' ofrendara e derribem aquelle sublime monumen-
do de Roma, ora pretextando enfermidade, mas o. o que alias nao consegu.rao, porque porta-
afinal cedeu, embora Ihe custassem acerbos remor- W non pnrcohbuiif adversas eam.
soj al o.fira de toa curta vida, dizendo o celebre' K Revista Independente, cujos autores eram
historiador protestante, Joo de Muller, que o papa. sequazes do tal depravado pliilosophisno, clara-
mente manifestou as seguintes palavras esse mes"
mo pensamento, qne se tem procurado dissi-
mular.
0 jesuitismo nao senao urna velha\formula, que
tem o mrito de resumir os antigos odios contra o
que ha de retrogrado e aborrecido em as tendencias
de urna religio degenerada e a iespeitt de distnc-
roes, que se estabelecem entre o clero francez eos
padres da f: todo o mundo bem v o que que est
no fundo desla qnesto. Trillase de saber quem
vencer, se o catkoliettmo exclusivo, se a liber-
dade.
J o sempre fallado marquez de Pombal em sue
nota ao papa Clemente Xlll tambem chamava a
egreja officina de obrepres e subreproes.
Roda, successor de Aranda, ministro de Carlos
III, rei da Hespanha, escrevia ao seu comparsa
Choiseul : Nous avons tu es jesuites ; 1/ ne nous
reste qu'en faite aulunt la notre sainte glise ro-
maine. Em fim Freuay dizia : Une fots que nous
aurons detruit les jesuites, nous anrons beau jen
contre rnfume, querendo designar Jess Christo
por esta expresso infame, como qualificou Vol-
taire em sua carta a Helvecio.
XI
Esta intima e reciproca alhanca entre a causa
dos jesutas e a egreja nao pode pois entrar mais
em duvida, porque hoje um faci mu conhecido
no mundo inteiro e comprovado pelo testemunho
de immensos historiadores de todos os paizes e de
todas as crelas, como inui bem explicou Balms
as seguintes palavras.
Homens que se moslraram mais ou menos clara-
mente, quasi irresolutos, pouco afferoados egreja
romana, quizeram abafar a preponderancia do
principio ecclesiastco, e para isso era mister que-
brar aquelle escudo e apoio, que representavam os
jesutas contra os golpes do protestantismo.
XII
E pois se esse bando philosophante pode pros-
crever por algum tempo os jesutas, e de algum
modo abalar a egreja, cuja causa elles tanto de-
fendiam, por certo nao consummaro a sua obra
de iniquidade, nao levaro ao fim a sua infernal
empreza-. Desde 1816 os Jesutas foram restabe-
lecidos nos dominios de Fernando VII, c ulterior-
mente teem sido admittidos em outros paizes; c por
conseguinte, eis de novo era campo os extremos
defensores da nossa santa religio.
E' este um dos maiores triumphos do catholicis-
mo contra aquelles desalmados impos, fementidos
liberaes, que s consideram (seguudo Guizot) o
protestantismo como o desenvolvimenlo da civili-
saoo moderna e a liberdade do espirito hu-
mano.
Nao, por certo; esses perversos ho de ser con-
fundidos nos vrtices do seu cynsmo e desespera-
cao, sem poderem profanar a sacrosanta liberdade
consagrada no Evangelho, o mais sublime dos c-
digos, a carta magna da humanidade, substituin-
do-a pela mais torpe licenca.
Os seus malvolos designios ho de enfim ba-
quear ante a grande obra da Sabedoria Divina.
E' isto o que esperam os verdadeiros catholicos,
como o
O cente. ()
IM POUCO DE TUDO.
Sobre o evangelho de S. Matheus.Eu estarei
comvosco at a consummaro dos seculosescreve
a Cruz o seguintc :
A egreja catholica, irmos meus, o centro nico
de toda a verdade, porque Jess Christo fundan-
do-a com seu sangue divino, a tornou irresistivel a
todos os ataques do mundo, porque todo o poder
Ihe foi dado no ecu c na trra.
A' vista disto, como podero essas seitas cada-
vricas, que se espalham aqu e acola, demolirem
esse corpo luminoso, que tem sua origera no cu ?
Como podero tornar infructfero o ensino, que
foi dado por Jess Christo seus apostlos ?
Nao podero, porque o mestre, disse :
Ide e ensinae todas as gentes: baptisando-as
em nome do Padre, do Filho e do Espirito-Santo.
E elles o fizeram, nao s derramando a palavra
como tambem lavando os coragoes as aguas rege-
neradoras do baptismo e ensillando a guardar tudo
aquillo que o Salvador Ibes tinha dito.
Mas os filhos do erro se revoltam contra isto, e
cgos como os phariseus, oppoem-se ao ensino da
verdad'!, e trataiu de dizer aos seus proselvto, que
de nada mais precisara, que sufllciente crerem em
Jess Christo, e que todo aquelle que assim o lizer
ser necessariamente salvo.
Eis a cegueira e o abysmo profundo, que esse
homens cavara para sepultarem aos incautos que
os ouvem e os attendem.
Se a egreja catholica falsa; se os seus minis-
tros pregara a mentira, como que se verilicam
estas palavras: eu estarei comvosco at a consum-
maco dos seculos ?
Seria i.-to smente dito aos apostlos, ou se refe-
re a egreja c aos seus ministros'!
E' claro que sim, que se estendo, < passar a
todos os successores dos apostlos.
Ao contrario, a quem se Bp;>Heara?
Logo a egreja catholica divina; a sua seutinel-
la que o successor de S. Pedro, quem Jess
Christo disse: t s Pedro, e sobre essa pedra edi-
ficare! a ininha egreja, nao podo existir senao pro-
tegida pela forja divina, e amparada na promessa
do Salvador.
Logo o ensino dessa religio pura, quem pode
conduzir o hornera ao caminho de todas as virtu-
desporque ella tem o seu fundador, que a dirige
e a defender al a consummaro dos seculos.
AdoulrinadoCalvario nao poda ser transmttida
aos povos, seno pela forja do Espirito-Santo.que
eracheu os apostlos de todos os conheciraentos; c
sendo at hoje explicada cornos mais bellos resulta-
dos, impossivel que esse mesmo espirito nao con-
tinu a fortalecer a intellgencia dos ministros que
figurara e se ligara cadeia do apostolado.
A mentira nao se pode casar cora a verdade,
repellem-se e separara-se; assim, sendo Deus a
essencia da verdade, nao pode nem poder consen-
tir que centenares de marlyres estejam todos os
das derramaren! seu sangue por amor de urna
religio, como dizem os seus inimigos que toda
mentirosa.
A egreja catholica pois eterna, porque Jess
Christo disse:
Eu estarei coms'osco at a consumraaco dos
seculos.

O PROTESTANTISMO VEHOADGIRAME.NTF. USA
RELIGIO ?
Vou talvez causar admirac/10 a alguma boa alma
respondendo mui claramente que nao.
O que vein a ser urna religio ?
E' um lago de doulrina o de culto que rene
certo numero de homens na mesma crenca religio-
sa e n'um modo uniforme de servir Deus. Taes
sao, por exemplo, entre as religioes falsas, o judais-
mo, o mahometismo, o budhismox etc., etc.
Ora, o protestantismo conta por principio fnnda-
mental, que cada homem ten a liberdade de crer
tudo quanto quizer en materia de religio e de
servir Deus seu geno. Por conseguinte at
() Por affluencia de materia foi retarda a pu-
biicaco deste artigo.
mesmo destre a idea de religio, isto de laco,
de unio, de unidoaV. Bem sei que os protestantes
nem sempre tirara as consequencias extremas e
religiosas deste principio. Nos paizes catholicos,' e
principalmente em Franja, oslentam, tanto quanto
Ihes possivel, as apparncias de unio entre suas
differentes seitas; verbi gralia, em Allemanha, na
Suissa, na America, em summa, nos paizes em que
nao precsam guardar estas conveniencias, giori-
am-se de contar tantas crencas quantos indivi-
duos. Entre todas as religies fabricadas pela mo
do homem s o protestantismo tem o inaudito ca-
rcter de destruir o que constilue a essencia, j
nao digo da verdadeira religio, mas de toda a re-
ligio em geral. As religiSes falsas, imitacao da
verdadeira, tem um complexo de doutrinas e de
culto, fra da qual se Ihe nao pode pertencer; mas
sso que esses ministros tratam de fazer passar por
una religio nao mas que urna anarchia sem
regra e sem freo, a qual nao faz seno negar,
destruir e protestar, e que se condemna a si mesa
na dando-se o nome anti-rcligioso de protestantis-
mo. A sna religio consiste em atacar a dos ou-
tros, dizia Joo Jacques Rousseau fallando dos
calvinistas de Genebra.
Mas, dizei-me, eu conheco tal ou tal protestante
que er era Jess Christo, e em algumas outras
verdades, de urna maneira que parece mu clara e
muito precisa. Este, ao menos, parece ter urna
religio ?
Tambem nao. Esses tem conviccoes, o que em
Inglaterra se chama ersnasoes ; c cousa sem du-
vida muito louvavel, pela qual se deve dar grojas
Deus. Mas estas conviccoes pessoaes, estas persua
soes privadas, nao o protestantismo que Ih'asd;
elles podem abandona-las amanh, sern deixarem de
ser protestantes. Quantos pastores se gloriam do
titulo de protestante, sem que crean) em nenhum
dos dogmas conservados por Luthero e Calvino,
zombando da Biblia e da divindade de Jess Chris-
to, e elogiando ao mesmo lempo o christiauismo c
o puro evangelho?
O pastor Vinel declara ingenuamente em urna
de suas obras, entre milhares de confissoes do
mesmo genero, que o protestantismo nao una
religio, mas aquillo que serve de regido. ()
Bem sabida a resposla do celebre protestante e
incrdulo Bayle a urna alta personagera que o in-
terregava acerca da sua crenja :
t Vos sois protestante, M. Bayle; mas a que seita
perteuceis? Sois lutherano. calvinista, zwngbano,
anabaptista?......
Eu nao sou nada disso, respondeu impuden-
temente este protestante asss lgico. Sou protes-
tante, quero dizer, protesto... contra toda a especie
de religio.
O protestantismo, pois, apesar de todas as suas
reclainacoes, nao nem pode ser, urna religio; e
muito menos a religio verdadeira.
Transcrevemos da Estrella do Norte esta poesa
do Sr. II. Santa Helena Magno :
SURHF.XIT.
Resuscitou o Eterno! A gloria sua
Enche os mares e o cu, innunda a trra.
(ilendes Leal.)
I
Exulta humanidade 1 despe o luto
Triste emblema da dr t
Desponta o astro Eterno que irradia
O mundo em seu fulgor I
Brilhae, sol, mais fulgido no espado ;
Lindas aves trinae !
Brisas dos prados, manso arroio, agora
Alegres susurrae I
Florestas virgens, que guardaes mysterios
Da antiga crea cao,
Deserto em que se alonga o hymno immenso
Da eterna adorai^o 1
chos do valle que o trovo accorda
Cora medonho fragor,
Os cantos mil que entoam avesinhas
Repeti ao Senhor t
Reveste-te de galla, natureza,
Das cores do arrebol,
Para saudar a aurora percursora
Do sempiterno sol !
Montes, valles e trra e cus e tudo
Bemdiga a Eterna luz,
Bemdga a Deus, que fez brotar a vida
De um sepulcro e urna cruz!...
II
A promessa do Messias
E' pelo Eterno cumprida ;
A morte (loa vencida
Ante o poder divinal I
Resurge o Verbo brilhante
De gloria, de magestade,
Por altar da liberdade
Dando a lousa sepulcral!
Salve I Christo! luz do mundo I
Que do lenho sacrosanto
Formaste remedio as pranto
E taboa de salvaco !
Salve I Cordeiro sem mancha
Que naquella cruz pregado
Ao homem torpe c manchado
Co'o sangue dste o penlao !
Baixae, grandes do mundo
Essas frontes orgulhosas;
Curvae-vos, almas vaidosas,
Que o vosso esplendor p :
S grande quem resurge
D'cntre as sombras do sepulcro ;
E' astro vivido e pulcro
O SempiternoElle s !
Vinde christos, acercae-vos
Aquelle lenho sagrado.
Donde peudeu macerado
O corpo do Redemptor I
Cantae hosannas, alegres
Ao Filtra amado do Eterno,
Que as portas fechou do averno
Por prova de seu amor t
QI
A seculos dezenove a crenca augusta,
Illesa se mantera no culto seo ;
Debalde a mo mirrada da impiedade
Tenta extinguir a luz qne ella aecendeu I
Como esposa de Christo segu avante
Sem qne da norte ao grito sinta horror;
Qual o baixel que luta c'a procella
Sem se afundar no pego tragador I
Quer no palaeio esplendido do rico,
Ou quer na cboca humilde do zagal,
O lbaro de Christo sempre erguido
Da redempcao trmula por signa! I
A arvore da t que plantou Christo,
Ha de frondosa sempre virejar;
Pelo sangue dos raartyres regada
Nao poder c'o tempo definhar.
(*) Vinet, Essai sur la manifestation des convi-
ctions religieoses.
PERNAMBUCO. -TYP. DE M. F. DE F. 4 FILHO.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EH3T84OM7_AWV7GK INGEST_TIME 2013-08-27T21:34:41Z PACKAGE AA00011611_10396
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES