Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10395


This item is only available as the following downloads:


Full Text
h
ffl
AlfJIO U. flPMEBO 139.
Por tres uezes adiantados ftfOOO
Por (res mezes vencidos 6$000
Porte ao correio por tres mezes. 7511
i <
119 i '*: iir-i SABBADO 18 D JOMO DE 1864.
Por aiM aflautada.....i9|00O
Porte ao correio por um amo. 3$000
ENCARREGAD03 DA SUBSCRIPgO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva Aracaty,
Sr. A. de Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranho, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pioheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL.
Alagas, o Sr. Claudico Faleo Dias; Baha, o
rr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
riera Martins di Gasparino.
EPHKMERJDES DO MEZ DE JUNHO.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas el
mJSEt&Fn n n 4 La nova as 9 h., 20 m. e 20 s. da m.
San o Antao Grvala, Bezerros, Bonito, Caruaru'J l Quarto cresc. as 9 h. 27 ni e *6 s da
Altinhp e Garanhuns as tercas eiras. jo Lua fhfti. as
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Breio, Pesqueira l.
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob'l Quar' ming.
. Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas eiras 'I
Serinhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-I
,,J0S1 Aua ^ eP'menteiras as quintas feiras. PREAMAR DE HOJB.
una de femando todas as vezes que para ali sahir
T nav,- Primeira as 2 horas e 54 minutos da tarde.
Todos os estafetas parten ao /, dia. (segunda as 3 horas e 18 minutos da manha.
m.
8 h., 34 m. e 20 s. da t.
as 11 h., 53 m. e3s. da m.
i partida dos vapores costejros.
I. ri?, ?ul at Al3*6is e 2; para o norte at
S .7\ a e 22 de cada mez i Para Fernando nos
das 14 dos mezes dejan, mar?., maio, jal. set enov.
_ n PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recife : do Apipucos s 6 Vi, 7, 7 >/,, 8 e
8 V, da m.; de-Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6 Vi da m.; do Caiang e Varzea as 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 /*, 4, 4 A, 4 %
' i'-*' '* e 6 da tarde: Para Olinda s 7 da
manhaa e 4 /2 da tarde; para Jaboatao as 4 da tar-
de para Cachang e Vanea s 4 >/i da tarde; para
Ii3emncaas4datarde.
I AUDIENCIA DOS TRBUNAES DA CAPITAL
l Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s iO horas.
Fazenda: quintas s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde
PARTE QFFIC1AL
GOYKRKO DA PROVINCIA.
Eipediente do dia 15 de junho de 1861.
Oflicio ao brigadeiro cominandaate das armas.
Sirva-sc V. Exc. de mandar por em berdade, dan-
do-lhe baixa se j esliver coni praca, o recrula Pe- i
dro Francisco deBrito, que lem isencao dorecrut-1
nienlo.Cominunicou-se ao tenente-coronel recru-!
tador.
Dito ao mesrao.Queira V. Exe. expedir as suas
ordens para que seja recolhido quanto antes ao hos-
pltl militar, afim de ser tratado, o alferes Joaquim '
Alves Fcitosa que enlouqueceu bordo do
Oyapock, vindo do Maranho com sua
DAS DA SEMANA.
13. Segunda. S. Antonio f., padr. da provincia
14. Terca. S. Basilio Magno b. dout. da egr.
IV Ouarta. Ss. Modesto, Crescencio e Vito mm.
1<. Quinta. S. Joo Francisco Regs.
17. Sexta. S. Tbereta rainlia de Uo.
18. Sabbado. Ss. Leoncio e Tribuno mm.
19. Domingo. S. Juliana de Falcouieri v.
ASSHJNA-SE
no Recife, em a livraria da praca da Independencia
ns. 6 e 8, dos proprietarios Manoel Figueiroa de
Fana 4 Filho.
Diio ao inspector da thesouraria de fazenda.=
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda trans-
mittir a V. S.as 2 inclusas ordens em duplicata,
expedidas pela reparticao do ajudante-general, sob
ns. 401 e 402.
meiro e mais poderoso motivo da decadencia de
nossa lavoura ; comprehende ella tambem que eu
pens, e desejo que o nosso governo trate de pro-
ver a essa necessidade, mas avaliando sua diflicul-
dade, vejo que o governo nao pode de prompio
lancar mi desia medida, sem que primeiro tenha
preparado o terreno, para que ella se nao torne
intil, como por mais de urna vez tem acontecido
entre nos respeito de emprezas de inconiestavel
utilidade que se tem tornado improflcuas e at pre-
judiciaespor seretn montadas sem a devida pru-
dencia e reflexao.
DkruiMn m*aiWJa n VWGWM prOICl IdO pelO Sr. deputadO Obler centenas de contos para
PERRAMBGO.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
bareos para sua realisacao.
Um Sr. Depitado :Entodevenios deixar mor-
rer tudo ao desamparo ?
OSr. Silva Ramos :Tal se nao deduz do que
acabo de dizer; est modn in rebus, nao deve o go-
verno entregar este objecto ao despreso, mas tam-
bem nao deve sacrificar um recurso taoutil para a
nossa lavoura, por nao haver disposto convenien-
temente as cousas.
definha.nento,e sobr eii"tVlimas redexOes" .J^S? dispax a en,rar era- ,5 minuciosas con'
o-' e vou oceupar-me deste lSSTSSTSi S"* =" "ft Um P0UC0
proposito, mas todava para aclarar
rei mais alguma cousa respeito.
fra do
questo di-
-------r montar bancos ru-
oilva Hamos na sessao de 9 de abril ae.6 iypof>nos ; mas iuu eiie com a dinicui-
0 Sr. Silva Ramos :-Sr. presidente vou occu- l^tt d,'.s'nbuir no actual de nossa lavou-
rdo do vapor P?r a altencao da casa, fazeodo alguma's considera- "^ ^fAX ~roh d-,T,da ga-raDt'a ; e "f
. ua familia goes acerca do projecto, que se acha em discussao SfiyMfS! S'd? a TUM*porque ale
Lommunicou-se ao agente da companhia brasileira iwrque quero tornar bem saliente a importancia da TLC, r siJo monlado,s-
de paquetes vapor. instituido, de que elle trata L es,a a, l,D8ua8era. que devenios fallar aos nos-
Dito ao desembargador provedor da Santa Casa Sempre pensei que ninguem se nronunciasse lS a8ncuIlores. de modo que elles se convengam
de M.sericordia.-Pde V. S. mandar entregar de contra urna idea de 15o manS utilidade qual a vlS^'"'" dfejam *"*** es"
onformidade com a sua informado de 13 do cor- da creacao de urna escola agrcola, mas o orador C' raas que luUm com senos e,u"
rente, a Apolinaria Mara da Conceicao, o seu so- Que me precedeu acaba de sorpreender-me cora a
Annho de nomo Lauriano Jos Joaquim de SanU opposico que fez ao mesmo projecto, sem que pa-
Anna, educando do collegio dos orphaos. I ra isto llie descubra o menor fundamento.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda | Sr. presidente, o estado de nossa agricultura
Communico a V. S. que os desembargadores Fran- por de mais lamenlavel, e nem precisarei demons-
cisco Domingues da Silva e Jos Ignacio Accioli de trar esta asserjo porque ella existe plantada no
Vasconcellos, entraram em 13 do corrente, no espirito de lodos; e para nao cansar a attenco de
^'xercicio dos cargos de adjuntos do tribunal do meus Ilustres collegas, tratarei apenas de apresen-
commercio desta provincia, para os quaes foram 'ar resumidamente quaes as causas de seu notorio
interinamente nomeados por esta presidencia.
Dito ao mesmo. Declaro V. S. para seu co- e vou oceupar-me deste assumpto, porque eu mo
nhecimento e Um conveniente, que, com aviso do alfasto muito do modo geral de considerar este ob-
nnnisterio da fazenda de 4 do corrente mez, me jecto.
foram remedidos os ttulos de nomeacoes dos pra- Eu reputo como primeira causa do mo estado
tirantes dessa thesouraria Antonio Leonardo de de nossa agricultura a falla de recursos pecunia-
-Menezes Amorim e Francisco Lauro do Silva Costa ros por parte denossos agricultorese como segun-
par 3" esenpturarios dessa reparticao. da o estado de ignorancia em que vivem esses lio- r
Dito ao capitao do porto.Fago apresentar V. mens, que nada conhecem do que a scienca tem nrUitt?^ a>' q a rendem a seus Pr- ISa0> sem duvida, mas o empregado do mesmo
lorecruta de mannha Vicente Alves da Cost, descoberto, e contra a opniao geral deixo de con- ?,m h pr.eclS.' [>0IS' ,9.a*68168 se conven-1 laboratorio sem conhecimentos theoricos vai facil-
alim de que Ihe d o conveniente destino depois de siderar a falta de bracos como urna das causas ou ?,n i SS ,err(enos lhe devem produzr al- mente fazer o que o meu collega nao conseguio. A
inspdccionado.-Communcou-se ao Dr. obele de ento lhe dou muito pouca importaucia norauc te- f.\ f^ P?r afoi;amento ou aluguel, e. que theona Ilustra a pratica, mas, melhor dispensa es-
polica, nho para mim, que Msfeits aquellas duas pr- ?,an g e a,guma med,da nes,e sen' ta a aquella- do (>ue conirario?
Dito ao director das obras militares.De confor- meiras necessidades, os nossos agricultores podem n o D n Q"al o estudante de medicina ijue tendo decora-
midade com o offlcio do brigadeiro commandante fcilmente encontrar os bracos necessarios para a h, 1L ^RD'ctoI-ranca :-Os poderes do esta- do bem qnalquer tratado de pathologia, sem ter
das armas, n. 1,065 datado de 14 do corrente, re- lavoura da canna e fabrico do assucar, porqueTom ,L^n J,Ut 1 m .conC('rrer' creando, por exem- visto um s doente, possa ir diagnosticar qnalquer
commendo V. S., que entendendose com os gereu- o diolieiro elles podero chamar para o servico P'o V, '? ffijtai. .- tn(?rn?,dade ?
tes da companhia d/tlluminaco gaz faga eolio- bracos livres, de que boje se nao aproveitam por- i *,*, ?, Ai-i^? '. a k ^enh.ua?'sem duvida-
car ura lampeao no bico de gaz que Ilumina o cor- que nao Ibes podem pagar, e com os melborameu-' \. tH5Z P V providencia, que acabei Depois de ser montado o instituto pratico como
poda guarda do quartel da companhia de cavalla- tos introduzidos pela scienca elles terao de occu- -r T t Te"' 0S sen,10res d? ejigenho adque-1 indica o projecto, ento a obra flear incompleta
ria.-Communicou-se ao brigadeiro commandante par menor numero de bracos, do que hoie carecem hJn*?;t! .,adofes proporcionando-lhes melliores sem a creacao de una escola para a lico das theo-
das armas. | para satisfazer as necessiddes o se fiar ao s?" ^SStJS^ gaT'as de,establl,dadt rias Para iue a mocidaje, que se quizer dedicar a
Dito ao director do arsenal de guerra.Partid- tema rotineiro porque fazem as cousas y 8 pesado imposto que os lavrado-, vida de agricultor seja Ilustrada pelas theorias e
redme o brigadeiro commandante das armas em E|sabido que geralmenle se considera a falt MZrAtKif10 do engenho pelo ierre-, amestrada pela pratica.
olllcio de 14 do corrente, que maudou dar em con- de bracos como a causa do deOnhamento de nossa ELLMSiP ,Quem na0 sabaue Qu^lquer; Os nossos agricultores vivera afferrados aos sys-
sumo 7 reparos de artilharia de calibre 12, do agricultura, mas tenho razao de oppr-me a esta "Jf-r au.5 _pr.azcr' sem. dar satisacoes temas rolineiros, e mu penoso arrancar amigos
sirva-me uto deprava para mostrar a preferencia
que actualmente nos deve merecer o ensino prati-
co das hecoes theoricas nesto objecto de que nos
oceupamos.
Pelo que respaila ao fabrico do assucar, sbese
que pelos processo* modernos a rooagem mui
bGM 1*' aProveilando-se o mais que pode ser do
caldo da canna sabe-se que se consegue obter
de una igual porcao de suco, urna maior quanti-
dade de substancia saccharina e conhece-se a
rapidez do processo para a preparaco do as-
Theoricamenle explicados estes processos, nao
creem nossos agricultores era to maravilhosos re-
sultados, tanto mais quando const que algumas
tentativas que entre nos se tem ensinado para che-'.
garmos pouco pouco a esses melhoramentos, tem
sido infructferas: mas se elles vireii pralicamen-
t estas cousas, nao podero mais contestar sua
iwssibilidade, e animados pelas vantgens procu-
rarlo adoptar as novas praticas.
Entre nos a mesma porcao de canna em tudo
gual produz um equiva, .^ de assucar mui difi-
reme em quantidade e em qualidade.
Nossos mestres de assucar dizem que ser o assu-
car bora ou mo obra do acaso ; e nao de la-
mentar que o ramo mais importante de nossas la-
vouras esteja deste modo confiado ao acaso ?
Por estas consideracoes que acabo de fazer, re-
provo a idea da creacao de urna escola theorica,
como propoz o Ilustre collega pelo terceiro dis-
tricto.
Sabe o meu nobre collega que notavel dilTeren-
ea existe entre a theoria e a pratica no maior nu-
mero dos ramos dos conhecimentos humanos ?
Tendo o Ilustre collega estudado chimica pelos
A ordem do de Santo Antonio, Theodoro Vaz
de Jess, por embriaguez ; Alexandrino Mauri-
cio do Espirito Sauto, por offensas moral publi-
ca ; Guilherme, escravo de Jos Francisco do Pau-
la Correia de Arauja, requerimenlo do respec-'
tivo senhor.
A' ordem do da Boa-vista, Joaquim Ferreira
Pinto, disposico do recrulador.
^ A' ordem do da Capunga, Ignez Francisca da
Conceifo, para correccao.
O chefe da 2* secgao,
J. G. de Mesquita.
Movimento da casa de detencaono dia lo de
junho de 1864.
Existiam..... 346
Entraram..... 27
Sahirara...... 5
presos.
Existcm...... 368 ,
A saber :
Nacionaes..... 269
Estrangeiros... 37 i
12 i
Estrangeiras .. 1 >
Escravos...... 56
Escravas...... 3
urna das pnmeiras necessiddes que temos para livros, sem jamis ter entrado em um laboratorio,: de junho de 1861.
Existiam
368
Alimentados a custa dos cofres pblicos 126.
Movimento da enfernuria no dia 16 de iunho
de 1864.
Teve baixa :
Luiz Baplista da Silva ; intermitiente.
Teve alia :
Joo Canella de Namb.
Movimento da casa de detencao no dia 16
o desenvolvimento do crdito territorial, sem du- \ julga-se habilitado a montar qualquer apparelhoi'
vida a divisao do terreno. Todos nos sabemos que empregar os reagentes, e obter o resultado, que es-
os engennos tem em geral leguas de trra, que pera pelos seus conhecimentos theoricos ?
nao sao cultivada?, e que nada rendem a seus pro
prietanos, preciso, pois, que estes
Entraram.
saliiram ..
368 presos.
9 >
19
Existem ....... 359
A saber :
Nacionaes...... 251
Estrangeiros___ 36
Mulheres....... 12
Estrangeiro..... 1 >
Escravos........ 55
Escravas....... 4
359
Alimentados a cusa dos cofres pblicos 124.
Movimento da enfermara no dia 17 de junho de
1864.
Teve baixa :
Ignacio (escravo) sentenciado; rheumatismo.
Luiz (escravo) sentenciado ; contus5es.
Teve alt :
Luiz Baplista da Silva.
Passageiros do vapor nacional Oyapock. sa-
va Guimaraes, Accioli e Domingues da Silva, ede-
putados Lemos, Rosa e C. Alcoforado.
Lida, foi approvada a acia da sessao antece-
dente.
O Sr. desembargador Silva Guimaraes ponderou
que a revis.lo dos fetos em que elle relator, s
deve ser feita pelo Sr. desembargador que lhe
mmediato em antiguidade, como prescreve o arti-
RJ? do regulamento n. 1597 do Io de maio de
. 1855, e por i-so achava que a revisao desses fei-
. tos, feita tambem pelo Sr. desembargador Domin-
gues da Silva era irregular e deveria trazer nulli-
dade no julga ment.
i Sendo reconhecida a procedencia desta observa-
| Qao, o Sr. presidente ordenou que esses fettos ja
| revistos e apresentados pelo dito Sr. desembarga-
dor Domingues da Silva para julgaraento, e os que
anda esliverem em seu poder fossem de novo en-
; treges ao relator o Sr. desembargador Silva Gui-
maraes. afim de seguirem a revisao com o imme-
diato o Sr. desembargador Accioli.
JILGAMENTOS.
Appellantes, os curadores liscaes de Amorim,
Fragoso, Sanios 4 C.; appellados, a viuva Neves
i & Lardoso.
Sorteados os Srs. Lemos c C Alcoforado, jurou
: este sospetaio, e foi sorteado o Sr. Rosa.
Designado o dia de hoje
Relatado o feito pelo Sr. desembargador Silva
Guimaraes.
Foi confirmada a sentenca appellada.
Appellante, Francisco de Paula Carneiro Leo ;
appellado, Manoel Amonio de Camino.
Designado o dia de boje
Sorteados os Srs. C. Alcoforado e Lemos
Relatado o feito pelo Sr. desembargador Silva
Guimaraes.
Foi confirmada a sentenca appellada.
Appellantes, os curadores liscaes de Amorim,
Fragoso, Santos 4 C. : appellados, Daniel 4 Gui-
maraes, liquidatarios da firma Ramos, Duprat & C.
e Caetano Pereira Goncalves da Cuuha.
Designado o dia de hoje
Sorteados os Srs. Lemos e C. Alcoforado ; jurou
esto suspeicao, e foi sorteado o Sr. Rosa.
Relatado o feito pelo Sr. desembargador Silva
Guimaraes.
Foi confirmada a sentenca appellada.
Appellante, o brigadeiro Gaspar de Menezes Vas-
concellos de Drummond; appellado, Antonio Alves
de Carvalho Veras.
Designado o dia de hoje
Sorteados os Srs. Lemos e Rosa.
Relatado o feilo pelo Sr. desembargador Silva
Guimaraes.
Foi confirmada a sentenca appellada.
DESIGNACAO DE DIA.
Appellante, D. Leonor Clara Eugenia de Lima ;
appellado, Bernardo Jos de Barros.
Appellante, Luiz Antonio Goncalves Ferreira;
e u
forte do Buraco, que existem nono aTsa, "al'sim opiniao,"lio"rq"qando 'entre nos "^"raonta qual- S.^^u-SK 9"'" seabr absoluto> azer ,,1U" Preconceitos, sera que se veja logo a prava do me-
e communico a V. S. para seu conhecimento. quer empreza que tem necessidade de oceupar bra- o ~ ~3V. ^ A a i lhoraraento que se apregea.
Dito ao mesmo.-De confermidade com o aviso eos livres, tendo dinlieiro para remunera-los '.,.1.1..\ P^g maiS '.ne Product?,da O Sr. Costa Ribbiiio :Esta proposico contra hido no dia 16 para os portos do sul : Alfonso ,
-do ministerio da guerra de 25 de maio ultimo, for- grande su afluencia. P remunera ios, canna que plant ao propr.etno do engenh. Com prodceme. Arthur Cysneiro de Albuquerque, Dr. Paulo Jos w"gSa2TS VTt v =^, _________
eca V. S. ao corpo de guarnicao do Cear os*arli- A prava disto tomo-la nos em que a estrada de d" r'Tni S S2S *f Da Pde jam*,S ^ I L'M Sl1- Bmn,M :_E* mui,0> e muil produ-:de 0liveira' sua se,,hora* l escrava- maJor Joio de Sfaoel Jomim I i-, Sm^Sfiu'
I drar, era obter meios de dar incremento as suas, ceote. Fernandes de M. Jnior, Clemente Jos de Oliveira, 2LWp r |U,.n,- aPDellad"^
Ribeiro :Acho a idea incompleta desembargador D.Francisco Ballhazar da Silveira.D.' Aq"mi,'. wr,a,a^,a,-,x C:U nc. ,
Braz de Soan da S.iveira, D. Jos de S ma da I nI^^Zv rr >, P"
Ramos :-Uuando um agricultoc vir Silveira e 1 escravo, Manoel Antonio ti.uS, D.' Pn,tn^ gJ?e\Krrei?-
engenho a planlaco de um certo nu- Cecilia B. deAssis, su filho menor e 3 escravas, 'tP Df" g"Av d!a de ho ""I^^X
Dito ao inspector do arsenal de marrana. De servico. r '""" I "" meios ae memorarem sua stuacao, mas ape- mero de carros de canna produz 10 pes de assu- Camillo Joaquim da Rocha.africano (liberto) Ama-1 SiSPJL??0^??? da_dovida propost pelo1 Si.
Dformidade com o aviso da repartido da mari- Tive conhecimento com um senhor de engenho, mentocSo**8*"0 ^^ "*"* ''*"* mesquin a 'car' ? que era terrenoig-ua1, mas devidamenle Pre"
nha de 17 de maio ultimo, autorso V. S. a nomear
.^iao podendo elles ter a certeza da estabilidade : r adoptar os processos, que dao to vaotajoso
foram encampadas, relativas ao3 anfo da
do Pao d'Alho, e de (iue era arremanlante
estrada pendeu, para organisar cempanhiasde colonisacao, amn'i" 1mjS2
Antonio que maudassem v.r para o nosso paiz homens, que lZ\l,ltV. Til a
leVinc. yiessem prestar serviros a agricultura; nao se lenles as mlliculda
no para a creacao de bancos riiraes hypothecarios, tal mellioramento, que
que para mim, de novo o digo, sao a primeira ne- simplicidade, e que lhe
cessidade, que se deve satisfazer, para tirar nossa' Iho? Respondeu-me qu
que inpregava no lempo da lavoura diariamente
urna pessoa para o lugar de 2 enfermeiro da en- de oitent cem trabalhadorss livres, e sei que
formara desse arsenal era substituicao de Joaquim nunca lhe faltarao bracos
Ferreira Lima, que naquella data 'teve demisso, que elle quizesse emprehed
Sr. minstro da mannha a nomea;o que lizur. | pois a falla de dinheiro que
Dito ao director das obras publicas.-Inteirado eos.
e quanto Vrac. me expz en. seu oflicio de 11 do ; Pensando dVste modo, sempre considere pouco tSSSSXS^SSXTi &SSS?
corrente mez, sob n. 152, tenho a dizer em resposla acertada a medida tomada pelo governo geral, quan- SS^SS^SSS^ ^
que em vista das razoes nelle apresentadas o auto- do em l.eueticio da agricultura, elle se disuoz a ^ n ^^ >r I 1
,r por .,,l,1,ini,ra,a obras lispeoder enormes ,Las, como infezmen^di, n^SS^t^JS^TS
viraenlo, raas eu os deixo, porque
Malaquias de Macedo Lima, cumprindo que Vmc. riessem prestar serviros" a"agrictura'ra''e Z indique a quantia necessari para a concluso de lembrando o nosso governo, que os nossos agricul-, L'en_leias d"D(:-uldade5'com que lula nosso r
taes obras, aliin de que se possa abrir o necessario tores nao linbam dinheiro para contratar esses lio-'
crdito supplumenlar como solicita no seu citado ratus.
offlcio para pagamento das respectivas despezas. A medida foi pouco acertada, e de passagem seja
Quanto as obras do 5o lanro da mesma estrada dito, que sua realisacao fr eivada de vicios, per-
aguardo a remessa do competente ornamento para que sem o menor estudo acerca da escolba dos co-
manda-las por era basta publica.Co'mmunicou-se lonos, elles foram mandados vir sem que mereces-
no inspector da thesouraria provincial. se a importancia devida a igualdade do clima, a
Dita cmara municipal do Itio-Formoso.De- semelhanca maior ou menor nos hbitos da vida,
claro cmara municipal do Rio-Forraoso em addi- o carcter, os costumes, e em ludo o mais que de-
lamento a minha circular de 11 do corrente, que vera ter sido bem aval.ado.lpara que a colonisacao I TSSulSSSTSStL^JSSZ V
pendendo anda de decisao da cmara dos deputa- podesse ser-nos realmente proveitosa. Tudo K "ggg KK SJftiliT .I--
dos as duas eleiees de eleilores que se izeram na se esqueceu, ou antes tudo se despresou, e para se- sAf'!.^L PJ1,?, X Pa>S a ^,wr a|Butna.C0U-
freguezia de Una,per.encenlea esse mumcipio.deve rem erapregados na nossa lavoura vieran, horaens S rdcu| aJ tfl?T^u^ SE?
ser essa paroclua considerada como se nao tivesse que alera de seren naturaes de climas fros, ISiRSSttJSJS dtsCOahecem completa-
elei.ores, cm vista do que determina o aviso de 20 ca se trabara emprendo em servico de campo : e ^?BSariKS2 XS?EX2?VL
de abril de 1849 i 5" e uarl. 2'das nslruccoes que sera crivel que um individuo habituado um ol- ?f u h ", z. neslc ramo de iniluslr,a' e 1ue
Jiaixaram com o decreto n. 2,621 de 22 de agosto ma fro, tendo sempre tratamdo^ ll^rZT^J.T^0
de 1860 cumprindo por tanto, que para a organisa- o devido agasalho, e debaixo de coberta enchuta, denU\1L ",nna efJdb"c" /s"cna .rihnni
o da mesa paroclual daquella rremada na ele- nnssa tnhSlhar 1 nm ,.o, r^niA.i anMtn .' collega, que me precedeu 11a tribuna
jio que se tem de fazer
iimo vindouro, se proceda
dispoeto no art. 6o da le
ro Joaquim da Costa.Leocadio Manoel Ribeiro, Joao I ^^!^.f^J0^^^^!0
I parado, elle produz 15 pes ou mais, elle procura- Jos Correia, Camillo de Mendonca Furtado e 2 =r-. P'8*d_ente. t foram por isto ditos.autos aprese
lavoura do estado de abatimento em que se acha.
I'm Sr. Dki-itado :Ha mutos annos, que se
Irabalha para isto.
Oltro Sr. Depilado :O governo j tem dado
passos.
O Sr. Silva Ramos : Por ter em consideracao
estas difllruldades. que nosso governo nao lem
porque
lano depois de terem visto.
Eu cont ao Ilustre collega o que se deu entre
mim e um senhor de engenho.
Estando eu de passagem em um engenho vi um
livro de agricultura, e nelle a estampa de urna ma-
china muito simples para arrancar raizes de ar-
vores.
Perguntei a este meu amigo porque nao admittia
a machina era de grande
econoraisaria muito traba-
Respondeu-me que tudo isto sera muito van-
tajoso em outros paizes, mas nao no nosso. Con-
sista a machina em urna irapeca de raadeira com
um grande parafuso, que depois do descido era pre-
so ao tronco da arvore, e dando-se-lhe o raovmen-
Jos Flix da Cunha Santos e 4 escra-
e sua
0 sar-
Manoel
Jos
Joaquina da Concoico, Jos
Mendes de Lima, Manoel Baslos de Abreu Luna e
1 escravo, duas praras da guarda uacional c 18
escravos a entregar."
Passageiros da barca hamburgaeza Sc/10 sa-
bida para New-York : Meycr Rollislein e sua
familia.
OllTL'ARIODO DIA 15 DO CORRENTE NOCEMITEIUO
ITHI.ICO :
Fr. Manoel de S. Felippe Reg, Pernarabuco, 72
annos, Santo Antonio :congeslao cerebral.
Victorino Gomes Barboza, Pernambuco, 37 an-
nos. Boa-vista ; varilas.
Mana, Pernambuco, 7 dias, S. Jos; convul-
soes.
Paula Francisca dos Reis, Pernambuco, 15 au-
la de rotaro por meio de um braco de pao ao qual nos, solteira, Sanio Antonio ; darrha.
se prenda um ou mais bois, pouco a pouco se ele-
: va va levando corasigo a raz, por mais presa que
! estivesse.
Manoel Jos de Amorim, Portugal, 37 annos,
solteira, Recife ; tubrculos pulmonares.
art das ins.ruccoes de *3denost de 1856, islo a medida do nosso goverao q'uerendo" supprira'faT ^H^eSLSS Wtt" d bjeCt8 Pfa'
- os oito cidadaos que licarem im- ta de bracos de nossa agricultura, como sendo sua 1
, convocando-si
mediatos em votos ao juiz de paz na respectiva mais palpitante necessidade, e que o meio de col-
lista, e residirein na parochia, e na falla de compa- nisacao a que elle recorreu
recimento deles ou de todos elles se observe as despresaram-se
disposicoes dos arts. 13 e 14 dasj citadas instruc- riamente attend
O Su. Jos Mara
O Si\. Silva Ramos
E* urna vordade
Para mim nao e.
Esta machina era muito simples, c mesmo muito
barata, produzia urna cousideravel economa de
tempo, era fcil perceber-se os beneficios que ella
poda trazer, mesmo assira achei diHlculdade era
fazer crer estas cousas.
I'mSh. Dei'ltado :Mas esse homem nao vio?
O Sr. Silva Ramos : Vio no livro, mas nao
acreditou: mas como nao crer se elle no campo
a vsse arrancar em pouco lempo urna enorme raz
com que elle teria de despender muitas enchadas e .
muitos dias?
Tudo isto confirma a proposico que avance i, e
justifica o autor do projecto, que pretorio ser mon-
tada urna escola pratica, do que urna insliluco
para o ensno theorico. o estado em que nos
cOes de 23 de agosto de 1856.Igual a cmara
municipal de Barreiros sobre as duas eleicoes de
eliilores da freguezia desse nomo.
Dito ao Ihesoureiro das loteras.Tendo ncsla
data approvadoo plano que Vmc. meenvou com
Feitas eslas consideracoes sem duvida mui va
liosas, esta assembla deve ver que tenho razao de
pensar que a falta de dinheiro c a causa primaria
e a mais poderosa da decadencia de nossa agricultu-
ra, e desejando nosso governo remover os einbara-
o seu ollicio de 1.1 do crreme para a extravio das eos, que lolhem a marcha progressiva do mais im-
loterias desla provincia : assm Ufo communco' portante ramo das industrias de nosso paiz, elle de-
para seu conhecimento, remettendo-lhe copia do ;e esforcar-se na realisacao de meios que tendam
referido planoIgual copia remetleu-se ao ins- a prestar nos-os agricultores os recursos pecu-
toSraT KnrZl^nX ,0S1"' SlLVA ?2? : "1>ara mira nSo Eu "ara ensino theorico- eslado em 1ue os
so ctreumstanrias ..KSw^ de8ClJlp0 nobre ^ollesa pela Pr"P08ao 'lue avan" acharaos, c projecto est mui bem concebido, e eu
ndida cou, bem como deixo sem resposta o aparte cora acorapanho o seu autor, certo de que os agnculto-
s consideracoes sera duvida mui va- JM5E? ^Jl"ra!:r. ?.'*" deputado pelo res cedo bemdiro esta nossa deliberacao.
districto, porque ambos sao hachareis emdireito,
como taes nao podem bem avahar quanto a theo- cu renovara a idea que ha annos foi discutida nes-
ia nesta sciencia diversifica da pralc, e limitar-' ta casa, da creacao ^le ensenhos centraes, para se- ,
me he. a demonstar a utilidade do" engenho modelo \ parar o servico da plantado da canna, ao do fabri- !^^!^*!!!!^!5!!?5.r,H5P^, J^A^'iir
CllliOMQ JlimiiKli
tiii ai 1 \ % 1. DO (niHIIKIO.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 16 DE
JUNHO DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. UESEMBARGADOIt
r-KRETTI.
s 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. depu-
tados Lemos, Alcoforado e_ Rosa, o Sr. pre-
sidente declarou aberta a sessao.
Lida, foi approvada a acia da ultima.
EXPEDIENTE.
Foi lido um oflicio do secretario do tribunal do
commercio da corte, ajuntando a relacao dos com-
merciantes matriculados no mesmo tribunal no
mez de maio. Accuse-se a recepeo e archi-
ve-se.
Outre do presidente do tribunal do commercio
pector da thesouraria provincial. nirios, de que tanto carecem para satisfazerem as
Portara.O presidente da provincia, conforman- exigencias do planto da canna e fabrico do assu-; qualquer genero
do-se com a proposta do Dr. chefe de polica n. car, para darem desenvolvimento a seus trabalhos,
689 de 10 deste mez, e a bem do servico publico, e para se liberlarem do pesado jugo da agiotagem,
resolve demiltir a Francisco Xavier Carneiro da que actualmente os opprime de modo a nao Ibes
Cunha Miranda, do cargo de terceiro supplente do perraillir o menor incremento,
subdelegado da freguezia da Varzea, e para o subs-: Meus senhores, nada ha mais fcil de se dizer,
tituir nomeia a Henrique da Fonseca Coulnho.. nada ha mesmo mais agradavel de se ouvir, do
Communirou-se ao Dr. chefe de polica. qUe a declaracao de que o governo deve procurar
Dita.O presidente da provincia, attendendo a 0s meios de fornecer dinheiro aos agricultores :
legado da freguezia de Nossa Senhora do O de res esperam do governo actual como dos antepas-
como escola pratica para os agricultores aprende- co do assucar.
rem fcilmente e pela simplesinluicaoo modo mais Com esta bem entendida divso do trabalho, tor-
perfeito de plantar a canna. eos processos mais nando-se o agricultor meramente agricultor, elle
simples a mais econmicos de fabricar o assucar, I poderia fazer muito maiores plantacoes, e lucrar
adquerindo ao mesmo tempo nocoes de muita uli- consideravelmente mais do que hoje o faz; mas a
' I lidade acerca do modo de prepararcm a trra para' idea sendo de summa vantgem, sendo a preferivel
de lavoura, e de tratar dos ani-; a todas, que se podem enuociar, de impossivel
Goianna, Antonio Gomes de Albuquerque, como
declarou o Dr. chefe de polica em oflicio n. 698
de 14 do corrente, resolve que ao referido o" sup-
plente se passe novo titulo.-Remetleu-se o novo
titulo ao Dr. chefe de polica.
Dit.Os Srs. agentes da companhia brasileira
sados a rcalsagao de de vos deixar de comprehender e avahar devida-
menle quo difllcil ao governo a satisfacao desla
exigencia ?
Estar porventura a solucao deste importante
problema em se obter dinheiro dos capitalistas es
de paquetes a vapor facam transportar para a trangeiros ou mesmo nacionaes para se organisa-
Bahia,por conta do ministerio da guerra no vapor
Oyapock, o primeiro sargento Victorino dos San-
tos Silva, que teve passagem para um dos corpos
em guarnido naquella provincia.Communicou-
se ao brigadeiro commandante das armas.
Dita.Os Srs. agentes da companhia brasileira
de paquetes vapor mandem dar transporte para
o Rio de Janeiro, no vapor que segu amanha
para o sol, era lugar de r destinado passagero
de estado ao major Joo Fernandes de Moraes J-
nior.
Expediente do secretario de governo.
Offlcio ao brigadeiro commandante das armas.
Por despacho desta data autorisou-se o director do
arsenal de guerra a satisfazer com urgencia o pe-
dido do commandante doS batalhao de infantaria,
a que alludo o oflicio de V. Exc. n. 1,07S, a que
respondo de ordem de S Exc. o Sr. presidente da
provincia.
rem bancos ruraes hypothecarios ?
Nao por certo : se assm fra, tudo estarla fei-
to, porque fcil sera ao governo obter os capitaes
necessarios para tal instituico.
Antes de tudo deve cuidar-se dos meios de se
dar valor aos predios ruraes, que boje cstao
completamente depreciados, pois do contrario a ins-
titu^ao dos bancos ruraes hypothecarios, que mon-
tados em boas condiccoes seriam de um proveito
real para a lavoura, ter de se tornar urna cousa
intil, pois no estado de descrdito era que esto
boje os cngenhos.e individados como se acham qua-
si todos os seus proprietarios, diflicilmente esses
predios poderiam obter por hypotheca nos bancos
um valor sufllciente para se liberlarem das divi-
das, (cando um excedente com que podessem os
senhores dos engenhos dar maior desenvolvimento
a seus trabalhos.
V, pois, esta Ilustrada assembla que eu con-
sidero a falt dos recursos pecuniarios como o pri-
maes, objectos estes que sao totalmente ignorados'
pelos nossos lavradores.
Nao precisarei demonstrar que todos os proces-
sos de nossa lavoura sao iraperfeitos e rotmeiros,
realisacao por falt de meios pecuniarios.
Nesta conviccao voto pelo projecto, porque confio
em suautildade, mrmente quando vejo na admi-
nistracao da provincia ura nosso comprovinciano
cousa em prl da agricultura, lerabrou a essa as-
sembla em seu relalorio a creacao da escola quo
ora se discute. (Muito bem, muitos apoiados.)
porque todos nos os rahecemos a fundoe haver honesto e intelligente, que desejando fazer alguma
quem ignore quo um terrenoconvenientemente pre-
parado, que urna plantacao tratada debaixo de cer-
tos precoitos, podem dar um resultado duplo, tri-
plo, ou quadruplo do que se obtom na ausencia
destas condicSes ?
O Sr. Gervasio : Pdenos dizer os processos
que produzem o quadruplo ?
O Sn. Silva Ramos : O nobre depuiado sabe
tambem como eu, que o trato do terreno augmenta
de urna maneira consderavel produeco da se-
raeute : experimente, e conhecer a dilereuQa.
Os nossos agricultores nao sabem o modo de os-
irumar a trra, nao sabem a preferencia que llies
deve merecer este ou aquelle estrutne, segundo a
natureza da lavoura; se Ibes ensinarmos estas cou
sas theoricamenle, elles nao admittiro a possibili-1
dade de taes vantgens, mas se elles por si mes-
mos as observarcm, sera duvida, sero promptos'
em adoptar esses melhoramentos.
REVISTA DIARIA.
Hoje lem lugar a partida mensal da sociedade
recreativa Corybantina.
O concurso de habilitaco para o magisterio recer fiscal.
rigido por este tribunal, participando a nomea^o
e posse do Exm. Sr. desembargador Peretti para
presidente.Arehive-se.
Outro, na mema conforuiidade, do inspector do
arsenal de marraba.O mesmo.
Outro do ajudante do inspector da alfandega da
Parahiba, servindo de conservador do commercio.
Igual desuno.
Foi presente a cotaco ofllcial dos precos cor-
rentes da praca, relativa ultima semana.
Archive-se.
DESPACHOS.
No requerimento de Brander a Brands 4 C, re-
plicando do despacho de 13 do corrente, para ser
annotada na sua matricula a declaracao de ter o
socio Pedro C. von Sobnston se constituido socio
commanditario com o capital de 20:000i500t)>em
lugar de gerente e responsavel.Volle ao Sr. des-
embargador fiscal.
No de Joaquim Antonio de Oliveira, pedindo oar-
1 ta de matricula de commerciante. Satisfaga o pa-
sexo mascolino effectua-sc depois de
primario do
amanha.
Foi approvado provisoriamente pela presi-
dencia a labclla da etape e forragens, que deve
perceber a tropa de lioha no semestre do jullw
dezerabro prximo vradouro.
J foram expedidas ordens s caaras mu-
nicipaes aura de darem suas providencias, no sen-
tido dos juizes de paz mais votados das matrizes
dos respectivos municipios procedifem eleieao
Um Sr. Deimtado :Sao theorias. i da juizes de paz e vereadores no dia 7 de selem-
OSr. Silva Ramos : Autorisadas pela pratica. bro futuro.
Nao ha quera nao admita os beneficios prestados rkpartico da polica.
peta sciencia agronmica, pois os fados ahi esto Extracto das partes do d.a 17 de junho de 186V
ao alcance dos que quizerem estuda los; e nese I Foram recolhidos casa 4e detencao no da 16.
pode crer o contrario, pois seria comiaranar todos do corrente. .,,.,. .. ,
esses homens Ilustrados, que tem ompregauo por; A ordem do Dr. delegue da capital. Manoel
tantos annos, suas vigilias e locuhracSes em prol Marques da Silva, eJose do Monte rerreira, o
desse importantissimo ramo de industria, para elle primeiro para correccao, o o ultimo sem declara-
se achar ainda hoje no estado primitivo. | cao do motivo.
Se os nobres depntados nao admitiem esta pro- A ordem do subdelegado do Reelfe, Rutina,
posico, como ser ella ae^Ra pelos agricultores, o escrava de Jos; Fernandos de Mello, por insultos,
No de Antonio Candido Antunes de Oliveira, pe-
dindo igualmente ser matriculado.O mesmo des-
No de Jos Joaquim Das Fernandes Jnior, pe-
dindo o registro de urna procurado. Begis-
' trese. __ ...
No de Joio Baplista Telles, pecando que se junte
' aos autos de sua rchabilitaco o documento que
ajunta. Junto aos autos faca-se com vista ao Sr.
desembargador fiscal.
N* do Jos Pereira da Cunha, recolhendo a caria
de registro do brigue Principe D. A/fonso, que por
innavegavel foi desmanchado: nesta cidade em maio
do corrente anno.Como requer.
SESSAO JLDICIARIA EM 16 DE JUNHO
DE 1864.
PRESIDENCIA 00 EXM. SR. DESEMBARGADO^
A. F. PERETTI.
Secretario, Julio Gumudes.
As 11 '/3 da manhaa, o Srj|msidente abri a ses-
sao, estando reunidos os 8^Hkem.bajgadoresSh
tados ao Sr. desembargador Silva Guimaraes, que
como juiz relator os passou ao Sr. desembargador
Accioli.
DISTRIBnr.KS.
Appellante, Virgilio de Castro Oliveira e Joo
Mara de Oliveira ; appellado, Jos Alves da Silva
I Guimaraes.
Appellante, o vsconde de Suassuna ; appellados,
, Patn Nash C.
Appellantes, Joo Caetano de Magalhes e outro;
appellados, os administradores da massa fallida de
Jos Antonio da Silva Araujo.
Appellantes, os curadores liscaes da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos 4 C.; appellados.
Daniel & Guimaraes.
Appellante. Manoel Gouvcia de Souza ; appella-
dos, os administradores da massa fallida de Amo-
rim, Fragoso, Santos & C
Appellante, Antonio Jos de Siqueira ; appella-
dos, os administradores da massa fallida de Joao
Jos de Fgueiredo.
Appellante, Francisco Antonio de Brito ; appel-
lados, Rocha Miranda Fillios & C.
Appellante, Jos Joaquim da Silva Gomes ; ap-
pellado, Jos Dias da Silva,
Appellantes, Guimaraes & Oliveira ; appellados.
o presidente e directores da caica filial do banco
do Brasil nesta cidade.
Appellantes, Jos Jeronymo Monteiroe Jos Can-
I dido de Barros, na qualidade de rredores da massa
fallida de N'uno Mara de Seixas; appellados, X.
O. Bieber & C.. successores, e oulros. como admi-
nistradores da lqudaro da casa do fallecido Mar-
colino de Borja Geraliles.
Appellante, Vicente Alves Machado ; appellado,
Jos llaptista da Fouscca Jnior.
Appellante, Joaquim Antonio Rodrigues ; appel-
lados, os curadores liscaes de Joaquim Francisco
de Mello Santos.
Appellantes, Jos Goncalves Malveira e outros ;
appellados, James Crabtree & C.
Appellantes, Christiani & Irmo ; appellados, os
curadores, da massa fallida de Joaquim da Costa
Maia, os da massa fallida de Jos Luiz Pereira e
Manoel Sebastio da Rocha Lins.
Appellantes, Sam Mendel, de Manchester, e os
curadores liscaes da massa fallida de Roslron Roo-
ker ,\ ('..; appellados, Kalkman & Irmos.
AoSr. desembargador Silva Guimaraes.
Appellante, Joaquim Jos Ferreira ; appellado.
Joaquim Elvira Alves da Silva.
Appellante, Antonio Vicente de Magalhes ; ap-
pellado, Joo Paulo de Oliveira.
Appellante, os curadores liscaes da massa fallida
de Amorim Fragoso Santos & C.; appellados. Ra-
mos Duprat & u, representados por Daniel & Gui-
maraes.
Appellante,. Antonio Jos de Azevedo ; appella-
do, Joo Henrique Denker.
Appellantes, Guimaraes & Oliveira; appellados,
Silvino Guilherme de Barros e outros.
Appellante, Jos Moreira dabilva ; appellado,
Joaquim da Silva Lopes.
AppeUanle, Manoel Alves Ferreira; appellados,
Manoel Antonio Soares da Fonseca o Belaimino
Antonio Soares da Fonseca.
AppellaDles, Domingos Jos de Amorim o Victo-
rino Luiz dos Santos ; appellados, os curadores As-
caes de Guilherme Carvalho S C.
Appellante, D. Mara Rita da Cruz Neves; ap-
pellados, os curadores fiscaes da massa fallida de
C. J. Astley&C
Appellante, Antonio Goncalves da Silva 5 appel-
lados, Mello, Lobo & C.
Appellante. Manoel Goncalves da Silva ; appel-
dos, os curadores liscaes de Amorim, Fragoso, San-
tos & C.
Appellantes, os curadores fiscaes da massa (alu-
da do Sove, Filhos & C.; appellado, Bernhard
Spiro.
AppellaaR, Luiz Caetno da Silva Campos; ap-
pellado, Joao de Almeida Montoiro.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Pacheco 4 Mendes ; appellado, Manoel Viei-
ra Sampaio.
Appellantes, Biancone Klee 4 C.; appellado, os
curadores fiscaes de Carlos J. Astley 4 C e CU-
ITO*.
Ao Sr. desembargador Accioli.
Appellante, Jos Rodrigues Ferreira 1 appellado.
Antonio Jos de Castro,
.-^


"?**-
~T
-*-
*-
* i i*
Alarlo de Peraanfeneo Sabbado I 8 de Jucho de 11C4.

1 caixa livros
1 caixa bijouterias ; a Dentar & Barroso.
1 caixa perfumarla e luvas; a Viiwa Lecomte.
1 cana merecaria ; a A. J. Faria Jnior.
1 caixa amostras de cuteleria ; a J. Manoel & C
1 caixa miudezas e albuns; a Yaz 4 Leal'
lxpnriaco.
Patacho brasilairo Beberibe, carregou para o Ca-
sal : 4,000 saceos com 20,000 arrobas de assucar
mascavado.
Apnellante loaquim Jj venci da Silva; appelU- Luna o Candido Ferreira da Cunha agradecem cor-
do* os curadores tscacs da massa fallida de Amo- dialmento o especial favor; o primeiro de prestar-
riin, Fragoso, Santos & <:. f6 fratoiameute e.n faatr a oraco fnebre do il-
Apnellante Salvador Leile Vidigal ; appellado, lustre fmado,e o seguido pelo bom desempenho da
H Georire Di'niz orcheslra qne regen.
Apnellante D Mara .imelia Constancia de Fre- Sobremaneira gratos se eGnfessam aos seus ir-
tas aooellado o cnsul portuguez. raaos confrades Antonio Bernardo Quiuteiro, Mi-
ADuellanti' Francisco Antonio de Brito ; appel-' guel Bernardo Qumteiro e Manoel Goncalves Agr,
lado David NVilliam Bowman. jo soa generoso favoi, lberalsando todo o necessa-
Appellante, J. F. Cox, gerente da casa comtner- no para o bom desempenho da armaco da igreja,
cial de Itostron Rook i C.; appellado, Joo de temo mas pequeo interesse senao a vontade de Hrigoe portuguez Florinla, carregou nara Lis-
Sa Cavalcante. | concorrerem para a pompa do acto fnebre ; tor- fcoa : ( barrica com 4 arrobas e1o libras de a Appellante, Basilio Al ves de Miranda Varejao ;; nando-se digno de encomio o Sr. Agr, que incan- -
appellado, Antonio Goncalves de Oliveira. savel se moslrou na execuco da obra, nada pon-
Appellante, Vicente Alves Machado ; appellado, pando para a sua perfectibihdade.
Prente Vanua A C. | Uo sincero agradeciniento dirigen* aos Srs. Ze-
Appellante, Virfioio Barbosa da Silva ; appel- bedeu Martius de Almeida, Miguel Estoves Alves,
lados. Cantosa Ji Souzx I Agoslinho Jacome Bezcrra Pessoa, Landeiiuo Ti-
Appellante, Antonio Goncalves da Silva ; appel- xeira Lima e Pedro Advincula de Almeida, que of-
tieiaes e ompregados na execucae da obra, gratui-,
recorr- lamente se prestaram, concorrendo asslm com o Rendimento do da 1 a
sen labor para o bom xito da armacao. A todos *
' e a cada um de per si dirigem um sincero voto de
sua acrisolada gratido.
ao Hvm. padre Rgt6fo de Gazze. tros ohjertos de difTerenles quahdades, assro como
o atabelecimanto de padaria sito na roa do Vara-
douro na mesma cidade cnios valores constato
do edital qoe foi afflxado, cuio estabelecimento e
mais obyectos foram penhorados a vinva e herdei-
ros do tinado Manoel Joaquim Soares por execa-
Para o Klo Grande do *nl
pretende seguir com uiuiu brevidade o patacho
nacional Carolina, tem parte do seu carregamento
prompto : para o resto que Me falta, trata-se com
o capitao Bearmino dos Santos Pinlielro a bordo,
(ao do orpho Jos Frawim Gallares para paga
ment de sua legitima paterna que ex istia em po-
der o mesmo Soares como seu tutor : ultima
praca.
Conselho administrativo.
Oceoselho administrativo para fornetimento do
car tiraneo, J,()8 saceos e 30 barricas com 15,650 arsenal de guerra tem de comprar os objecios se-
irrobas e 23 libras de assucar mascavado, 3011 cou- guintes :
ou na praca do couimercio.
lados, Vianna & Guimaraes.
Rerorrente, Jos Tiburcio dos Santos
do, Antonio de Souza Ribciro.
Appellantes, 1). Josepha Justina de Jesuson-
{alves e outros ; appellados, Isaac L no & C.
Appellantes, os curadores da fallencia de Amo-
rim, Fragoso. > autos & C ; appellados, Costa c
Filhos, por seu procurador.
Appellantes, os administradores da tallencia ue
Bastos 4 Lomos ; appellados, Itozano lnno.
Apiiellantc, Manuel Jos de Siquera Pitanga ;
appellados, o presidente e directores da caixa pial
do banco do Brasil.
Appellantes, Itabe Sehmettean 4 C ; appellado
o Dr. Manoel Buarque de Macedo Lima.
Ao Sr. deseinbargador Doniiugues da Silva.
Ai;i;u\vos.
Aggravantes, Francisco Antonio de lveira e
Manoel Camillo Pires Falcao ; aggravado, Silvino
Guilherme de Barros.
Aggravante, Francisco Antonio de liveira e Ma-
noel Camillo Pires Falcao; aggravado, Silvino Gui-
lherme de Barros.
O Exm. Sr. presidente jurou suspeico e ordenou
que fosseiu presentados os autos aoSr. desembar-
gador adjunto a quetn competir na forma da lei.
Aggravantes, os directores da companba L'tili-
dade Publica ; aggravado, Francisco Jos da Costa
Araujo. .. ii
Aggravantes, os administradores da massa falli-
da de Francisco Mureira Dias; aggravados, Ma-
noel Joaquim Rodrigues de Souza, Joao Baptista
Rodrigues de Souza e Jos Rodrigues de Souza.
O Exin. Sr. presidente negou provimenlo.
Aggravante, Miguel Jos Barbosa Guimaraes ;
agravado, J. F. G. Kladt.
O Exm. Sr. presidente negou provimenlo.
.Nada mais houve.
Fr. Jorge de Sant'Anna Locio.
Provincial.
O perfume do hemlspherio oc-
cidental.
(Extracto do jornal.4 Chronica 23 de junho)
do 1858.
Agua florida : no meio do oppressivo calor que
i nos cerca e debilita, e de que nos todos mais ou
menos soffremos, consideramos aquello que nos
pode proporcionar qualquer um meio de allivio
consolador e de mitigaco suave para nossos sof-
frmentos como um g'rande bemfeitor. Os Srs.
Lanman & Kemp residentes em Water Street, n.
69, fabricantes da agua florida, tornam-se pois
com justa razao, em summo grao dignos deste
i louvor, e o seu annunco pode ser visto em urna
outra columna desta edicao de neje. Esta excel-
lentc agua ou admiravel liquido usado para os
i usos ordinarios de banlios, e por sem duvida um
, dos cosmticos o mais agradavel, assim como o
! mais delicado e delicioso perfume que jamis te
rnos usado.
A' venda as boticas e lojas de perfumaras.
PUBLICARES A PEDIDO-
Ao distinti e especial carpo eleiloral desta
proviueia.
Candidato senatoria o Dr. Joaquim Saldanha
Marinho, dirigi cada um dos dignos eleitores es-
peciaes desta provincia, a circular abaixo trans-
cripta ; mas podendo acontecer que, muitas das
mesnias circulares, por circunstancias que se nao
pode prevenir, nfio tenham chegado, e que agora
cheRueni ainda a seus destinos, por
COMMEBGIO.
FILIAL
DO
li\('0 DO BRASIL
EM PERNAMBUGO.
A directora da caixa filial do banco do Brasil
nesta cidade, administradora da massa fallida de
: Joaquim Francisco de Mello Santos, convida es ere-
. dores da mesma massa para apresentarem seus ti-
: lulos at o fim do corrente mez, afim de serem
i convenientemente examinados e proeeder-se-ha ao
' primeiro dividendo da referida massa.
Recife 1 de junho de 1864.
Jos Mamedc Alves Ferrera.
Secretario
Alfandega
Rendimento do da 1 a lo'........
.Hovimcnto da alfandega
Volumes entrados com fazendas...
i com gneros... 42
Volumes saludos
f <
com
cora
fazendas...
gneros...
KM
442
~ Ta prsenle declame, pedindo-se ao ZTJTSfif* 3 '"........ ^
mesmo tempo desculpa de faltas que possam appa-
recer e notarse, c de i|Ue jamis deve ser respon-
savel o mesmo Dr. Saldanha Marinho, que s tem
motivo para confessar-se eternamente grato, ao
distinelo e especial corpo eletoral desla provincia,
|ue ja urna vez o acolheu benigno.
Illm. Sr.Tendo solicitado do corpo eleiloral de
nossa briosa provincia a admissfio de meu obscuro
nome na lista trplice que foi offerecida ccra na
ultima eleico, consegu islo, e do modo o mais no-
bre e lisongeiro mim, que por lio grande consi-
deracao me confesso elernainente agradecido. Da
tribuna parlamentar eu me dirig aos elelores de
minha provincia, e Ibes tributei ahomenagem devi-
da pelo titulo de suprema honra que me haviam
concedido.
Pela lamentavel morte do Sr. couselheiro Fran-
cisco Xavier Paes Brrelo da-se nova vaga no se-
nado, e nova eloeao vai proceder Pcrnainbuco.
Apresento-me novamente ; reputando de minha
dgnidade consultar ao mesmo corpo eletoral se
nos pouros mezes decorridos da eleieao em que fui
considerado tenho em alguma cousa desmerecido
do conceito em que se diguaram ter-ine os eleito-
res peruambucaiios.
3o2:507580o
46359H
384:'J71716
ros salgados e seceos com 8,724 libras, 1 caco
cora 20 caadas de agurdente, 260 meios de sola
e 10 pranrhOes de vinhatico.
Iteccbedorf i de rcudu, lueruas
ger?es de Pernambueo.
16........ 19:S2832i">
.......... 926*752
20:4015997
Coasnlado provloelal.
Rendimento do da 1 a 16......... 57312562G
Idem.do da 17................. 6:4083240
LEILES.
Para o 2" batalhao de infantaria.
Bonets redondos 31, ditos de panno azul 450
ditos de panno verde 12, ditos para msicos 27,
charlateiras, jures 27, inanias de liia 550, platinas,
pares 4."i0, sapatoes, pares "21, panno azul, cova-1
do_s 2,250, panno alvadio para capotes, covados!
2,700, panno cor de rap, covados 135, casemira
encarnada, covados 60, casemira amarella, covados'
31, hollanda de forro, covados 1,833, brim branco, i
varas 4,223, algodozinho, varas 3,300, aniagem, I
varas 242, galao de prata de 1 polegada de largu- j
ra, varas 54, dito de dita de meia polegada de lar-
gura 40 varas e meia, bot8es grandes de metal
LEILAO
DE
TERRENOS
Como seja :
1 terreno aterrado sito na do Alecrim, com 110
palmos de frente o 130 de fundo.
1 dilo com 140 palmos de frente e 130 de fundo.
na ra da Concordia.
1 dilo por beneliciar, com 140 palmos de frente e
200 de fundo, na ra de Detenco.
1 dito com 140 palmos de frente, 200 de fundo,
sito na ra do Gaz.
Cordeiro Simoes far leilo por conta e risco de
IjOIKKIA
AOS IO:OOOSOIO.
Na vespera da niiagrtso S. JoaoBap-
Usa a extraeca.
Tem mais duas srtes de
2^)00,^000.
O abaixo assignado avisn ao nspltavel
HMo que m qriata feira 23 do corrente
iniv., andarSo as rodas da 3.a paite da 1.a
lotera a beneficio da igreja de Nossa Senbo-
ra do Rosario ta fifgnezia de Santo JtaAtmio
pelo cMollt'iite plano approvado, e abaixo
M07IMENT0 DO PORTO.
Nonios entrados no d*a 17. : aOBU
New-York40 dias, barca hamburgueta Schon,
de 206 toneladas, capillo H. Heim, equipagem
11, carga 1,737 barricas com farinha de trigo ;
Henry Foster 6 C. Seguio para o Rio de Ja-
neiro.
Rio de Janeiro24 dias, briguo sueco hlimvet, de
341 toneladas, capitao L. P. Engstron, equipa-
gem 9, carga 2,000 barricas com farinha de
trigo ; a Johnsten Pater & C.
Liverpool-51 dias, patacho inglez Tiara, de 148
toueladas, capitao Joseph Colyn, equipagem 8,
carga fazendas e outros gneros ; a Millos La-
llian & C.
.Vatio Mttto no mesmo din.
i6% ditos pequeos de meul bronzeado
chetes, pares 489.
Para a companhia de artifices.
Bonets para recrutas 25, mantas de laa 25.
Para o corpo da guarnieao.
Cornetas com bocaes, pontas e volta 5.
Quem quizer vender taes objectos, apreseutem
as suas propostas em carta fechada na secretaria
do conselho,as 10 horas da manbia do dia 20 do
corrente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 13 de junho de
1864. 6
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente.
SebastiSo Jos Basilio Pyrrho.
Vogal secretario.
Arseaal > guerra.
Por ordem do Sr. major, director do arsenal de
Rio de Janeirobrigue nacional Beluario, capitao
Manoel Marciano Ferreira,carga di.Terentes ge- guerra, se faz publico, que se precisa comprar pa-
neros.
leilao ser effectuado
Terea-feira 21 do correte s iU 1 2
horas da nianha
porta do armazem dos Srs. Palmeira & Beltrao,
largo do Corpo Sanio.
I)B
4 casas terreas edilicidas pouco lem-
po, em local Yautajoto, na Capaaga
ra da Amizade.
Cordeiro Simoes far leilao por conta de urna
pessoa que se retira para fura, dos predios cima
mencionados os quaes tornam-se recommendaveis
pelas suas bemfeitorias, cojas dimensoes sao as
seguinles:
DECL1R1C0ES.
O conselho de qualificacao da freguezia de
S. Jos faz constara quem convier, que ficou trans-
ferida a junta medica para o dia 20 do corrente
mez, de vendo comparecer todos os udividuos que
requereram ao referido conselho.
Joaquim Januario Poreira de Brito.
Tenente-secretario.
Nol;dia 21 do crreme, depois da audiencia
do lllm. Sr. Dr. juiz municipal da 1* vara, tem de
ser arrematado um terreno de marinha na ra dos
Guararapcs, com frente tambera para a ra do
Brum, todo murado, com duas mei-aguas na frente
da mesma ra dos Guararapes ns. 8 e 10, com um
Z2S&^.**^'mmm domesmo ^SSSff1X3.5 SU
117 covX de riscado para 100 travesseiros,8015.tJgg'aM"g& ?&**" e mais l
varas de hrim hranm HN tnalhas q Iad desla> tendo Slt, murado em pon-
l do dia .8 do crreme, com sna pronta em | ^zelrofeTuS mu^s STS.^enS
t
547
Oescarregam no dia 18 de junho.
Brigue inglezJoseph Copemercadorias.
Barca hollandezaScAeniij/ii- farinha de trigo.
Barca portugueza-=/-7or da Maiadem.
Patacho inglezTiaramercadorias.
luiportaco.
Vapor francez Bearn, entrado de Bordame, ma-
nifestou o segninte :
1 caixa fazendas e mercearia ; a Alves Hambur-
ger & C.
100 barricas farinha de trigo, 1 caixa calcado,
16 ditas e -4 barris vinho ; a Tisset fieros.
2 caixas conservas; a Mederie.
3 barris vinho, 1 volume amostras, 7 caixas fa-
inl
firm
com
candid
Ause:ile do campo onde a eleico vai ser dispu-
tada eu nao cont senao com a boudade c honra
de V. S., em cujas qualidades confio plenamente.
Sempre firme nos principios liberaes, para trium-
pho dos quaes nenhum esforco e sacrificio tenho
poupado, me repulo uo caso de merecer a conti-
nuaaao de seu apoio.
Fica as suas ordens o de V. S. amigo, patricio,
criado obligado
Joai/uim Saldanha Marinho.
Rio de Janeiro, 7 de abril de 1864.
Srs. reductores Apreseniando-me candidato
um dos lugares da lista trplice na eleieao de se-
nador, a que se tem de proceder nessa provincia,
rogo-lhes o obsequio de fazerera publicar uas co-
lumnas do seu jornal a circular que dirijo aos ele-
lores especiaes da mesma provincia.
Sou com particular estima, ete.
Antonio Coelho de S e Albuquerque.
Ro, 4 de maio de 1864.
lllm. Sr.A lamentavel morte do benemrito
Pernambucano, o couselheiro Francisco Xavier
Paes Brrelo, deu lugar a urna vaga senatorial por
essa nossa provincia.
Animado pelas repelidas provas de estima e con-
fianza, cora que tenho sido distinguido pelos meus
concidados, ouso pedir minha provincia a honra
de ser contemplado na lista triplico, que tem de
.ser apresentada a escolha imperial.
A minha vida publica nao breve, e, com a mao
em nimia conscicncia creio poder dizer V. S. que
s o bem do meu paiz me ha guiado em todos os
meus actos.
Se, pois, V. S. entender que o meu nome nao |
deslustrar a sua lisia, digne-se de acolhelo com |
benevolencia, amparando-o com o seu
o seu prestigio e relacoes.
Terei sempre vivo em minha memoria, e ser
sompre objecto de meu sincero reconhecimenio, o
obsequio que peco V. S.
Desejo V. S. muilas prosperidades, e rogo-lhe
que transmita as snas ordeus quem se prza ser
de V. S. amigo e criado, atiento e obrgadissimo
Antonio CoWAo de S e Albuquerque.
Tem esta bella e rica provincia de eleger no dia
10 de julno tres nomes, que sero apreseutados ao
nosso Augusto Monarcha para a nomeacao de um
senador, que preencha a vaga, que no senado dei-
xra a mu sentida morte do nosso distincto patri-
cio, o Exm. conselheiro Francisco Xavier Paes
Brrelo.
Alguns candidatos j se lm apresentado, e, II-
songeando-me com o recouhecer em todos elles
grande merecimento pelos seus talentos, illusira-
co, ser vicos e dedicaco causa publica, anim-
me a solicitar igualmente a subida honra de ser
eleilo.
Nao encareco meus servicos, e digo apenas, que
elles sao poneos em relacao aos mullos, que tenho
desejado e desejo prestar.
as ludas polticas o raciocinio tem sido minha
nica arma, os boas principios minha religio pol-
tica, a exaltaco o inimigo qoe aborreeo, as recri-
mnacoes pessoaes o objecto de meus desgostos.
Amo a llberdade e a ordem, e deste duplo amor
tem resultado o nao poder simular-me, nem comer-
me sempre que se abusa de qualquer destes dous
principios : este tributo pesado e difti.-.il eu o te-
nho pago ao meu paiz.
Talvez nao me seja possivel dirlgir-me particu-
larmente cada um dos Srs. eleitores ; nao pen-
sem por isso que, as occasies de dar evidentes
provas de vivo reconhecimento, o meo coraco se-
r menos expansivo do que o de outro qualquer.
itrae-se V. S. de acceitar os votos de sincera
estima e considerar do qae de V. S. patricio,
venerador, servo e criado.
Recite, 10 de junho de 1864.
Francisco de Paula Baptista.
?oto de gratldfe.
O provincial e mais religiosos do convento do
Carrao desta cidade, conhecendo que a gratido
um dos primeiros deveres do horaem, vem solem-
nemente dar ura pleno testemunho de sinceroagra-
deermento aos seos rmos sacerdotes seculares, e
aos religiosos capuchinhos e franciscanos pela na-
neira bondadosa com que se prestaram em ajuda-
los a celebrar as exequias do saudoso bispo de
Chrysopoles D. Pr.Pe gioso que foi do mesmo convento.
Aos reverendos padres Lino do Monte Carmello
tos, 4 ditas queijos, 1 dita presuntos; a L Cahors.
2 caixas chocolate, 40 ditas raoslarda, 10 ditas
conservas, 25 ditas vinho ; a Lasserre & C.
3 caixas fazendas de laa, 1 dita chitas, 1 dita
pannos, 1 dita luvas de pellica, 5 ditas roupa e cha-
peos de Jila, 1 dila chapeos enfeitados, 1 dita fazen-
das de laa c algodao ; a Ferreira & Araujo.
1 caixa calcado, 1 dila fazenda de laa, 1 dila
amostras, 1 dita fazendas para vestidos, 4 ditas cha-
les, 4 ditas couros para chapeos, camisas c fazen-
das ; aHenrique & Azevedo.
1 caixa livros ; a Felippe Merl.
1 volume medicamentos: a Jacoby Des Marteau.
1 volume luvas e chapeos ; a Souza Leal.
1 volume objectos de borracha ; a Th Benkin
Jving.
1 volume amostras ; a Soeur Dubost.
1 volume papel equiuquilharia ; a E. Bourgeois.
4 caixas fazendas, chapeos, modas e roupa, 2
volumes amostras, fumo e caximbos a E. A. Bur-
le & C.
1 volume calcado ; a Ch Leclere.
30 volumes passas; a Marques Barros & C
1 caixa fazendas de seda, 1 dila fazendas de al-
godao, 1 dita perfumaras, 1 "dita bijouterias, 1 vo-
lume amostras; a Flix Souvage & C.
25 caixas ceblas ; a E. Raphael Rabello.
6 caixas conservas; a F. Fonseca.
1 volume hvro ; a Manoel T. Tavarcs.
1 volume carne secca ; a Luiz Ferreira Luna
4C
1 volume sedas ; a Marcelino & C
1 volume cartas geographicas, 65 caixas queijos;
a Tasso Irmos.
1 volume cera ; a R. Carlos Leitc.
1 caixa livros e objectos de escriplorio ; a Jos
voto e com jjogueira de Souza.
1 caixa livros e candes, 1 dita fazendas de laa e
roupa, 25 ditas queijos -. a ordem.
1 caixa livros; a Segismundo Goncalves.
1 caixa bixas; a Jos A. de Serodio.
2 caixas chapeos de sol, 3 ditas fazendas de laa
e seda, 2 Jilas roupas e fazendas de seda ; a Th A.
Damraayer.
16 caixas chitas, fazendas de laa e seda ; a Car-
neiro & Nogueira.
1 caixa trastes, 1 dita roupa, 2 ditas luvas, 1 di-
ta cuteleria, 3 ditas pregos, 1 dita bengallas, 1 di-
ta fazendas de laa e seda ; a Linden Wild & C.
3 caixas chapeos, oonets e objectos para chapel-
leiro ; a Christiani Irmaos.
1 caixa roupas e toucas, 1 dita chapeos de palha,
1 dita bijouteria e pentes ; a Monteiro Lopes & C.
1 caixa quadros doorados; as irmas de can-
dade.
I cala papel de phatographia ; a Eugene Mau-
rice.
4 caixas calcados; a J. P. Arantes.
1 caixa pellos de camisas ; a A. C. de Abreu.
1 caixa papel para cigarros, 1 dita bijouteria e
oculos, 1 dita instrumentos de msica; a Delouche.
1 caixa fazendas de laa ; a Schafletter & C.
1 caixa pedras ; a Therubino Bandeira.
3 caixas ferro balido, 4 ditas ferragens, 2 ditas
mninhos, 1 dita porcelana, 2 ditas ameixas ; a F.
Dubarry.
6 caixas queijos; a Th Christiausen.
2 caixas queijos; a P. Rocha & C.
7 ditas queijos ; a Duarte & C
11 ditas ditos ; a Ferreira da Costa <& Filhos.
2o ditas ditos; a N. 0. Bieber & C.
2 barris vinho, 1 caixa conservas, 1 dila amei-
xas; a Vignes.
3 caixas fazendas de algod* ; a Saunders Bro-
thers Ai C.
1 caixa chocolate ; a Joao da Silva Faria.
1 barril vinho, 1 caixa fazendas e camisas; a
Maestraly.
1 caixa roupas, 1 dita fazendas de laa ; a A. A.
Gomes.
1 caixa instrumento de msica ; a H. Dumont.
8 caixas ameixas, 60 ditas queijos i a T. T.
Bastos.
1 caixa filas de seda ; Schapheitlin & C.
2 caixas couros, 1 dita modas ; a J. Moreira Dias
&C.
3 caixas bixas-, a Ramos e Silva & Genros.
1 caixa bijouterias; a Lehmans Irmaos.
1 caixa drogas; a P. Maurer & C.
1 caixa livros; a M. Vasconcellos de Drummond.
1 caixa modas e calcados ; a A. L. dos Sanios.
1 dita modas e nercaarias: a B. Millocbau.
1 cala roupa ; a A. Rufino de Mello.
1 caixa um reloglo; a Delouche Gadault.
carta fechada.
Arsenal de guerra de Pernambueo 14 de junho
de 1864.O amanuense,
Joao Ricardo da Silva.
Pelo consulado de Portugal publica-se o snjuiute
aviso aos navegan tes.
Pharol da guia junto villa de Cascaes na dis-
tancia de 11 kilmetros a O. N. O. da torre de Sm.
Julio, situada na z do rio Tejo.
Em referencia ao aviso de 10 de levereiro pro-
limo passado, publicado no Otario de Usboa n. 31,
sao prevenidos os navegantes de que o pharol pro-
quarto ao lado, com porlao no meio, tendo mais visorio, eslabelecido na juella localidade, continua-
duas rasas dentro do dito terreno, e oulra mais ] r a servir at a noite de 31 de julho prximo fu-
comfornode padaria, com mais dous lelheiros ser- tro, devendo da noite de 1 de agosto em diante,
viudo um de ferrara, ludo de pedra e cal, sendo funccionar como dantos o antigo pharol da guia,
toda esta propriedade avaliada em 10:5005000; e! Pelo consulado de Portugal sao prevenidas as
sero tambera arrematados nessa occasio os uten- pessoas a quem pertencerera diversos objectos de
cilios de padaria, constante de 2 masseiras, balan-!ouro e prata que se encontraran) no espolio do Ti-
ca, correntes, braco, 1 peso de 2 arrobas, e cylin- natl subdito portuguez Manoel Jos da Cunha Fa-
dro, avahados ditos utencilios em 613500, como ras. para reclama-Tos dentro do praso de 15 dias,
melhor constar do escripto era mao do porleiro 5 o da data deste, findo os quaes, sero os mesmos pos-
vai praca por execuco de Joaquim Lopes de Al-1 tos em leilo por conta do mesmo espolio. Recife,
meida contra Domingos Jos Pereira da Costa e
sua mulher, para pagamento de hypotheca, eseri-
vo Cunta. Recife 17 de juuho de 1864.
i'ouscllio administrativo.
O cooselno administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos se-
Ruintes:
Para a fortaleza do Cabedello da provincia da Pa-
rahiba do norte.
1 bandeira azul para signacs.
1 dila branca para dito.
1 dita encarnada para dito.
1 galhardete azul.
2 barris de dous fundos.
1 drica de bandeira.
Quem quizer vender taes objectos aprsente a
sua proposla em caria fechada na secretaria do
conselho s 10 horas da manha do dia 27 do cor-
rente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 17 de junho
de 1864.
Antoiito Pedro de S Barreto,
Coronel, presidente.
Sebasttao Jos Bazilio Pyrrho.
Vogal secretario.
Conselho de compras nuvaes.
Contraa o conselho era 18 do corrente mez, alera
da compra que promove uo mesmo dia de objectos
do material da armada, j annunciada, o segrate:
Por tempo de 12 mezes lindos era junho do
anno prximamente vindour.
Os servicos de barbeiro s enfermaras de mari-
nha c dos africanos livres.
Por tres mezes at setembro do corrente anuo.
A lavagem de roupa dos estabelecimentos de
marinha, e o fornecimento de cobertores do laa,
colchas de algodao, saceos de guardar roupa e de
sapatos feitos no paiz, para completo do de farda-
meatos aos imperiaes raarinheiros e aprendizes di-
los, aprendizes artfices e fuzileiros navaes.
Sao sujeilos estes contratos a approvacao do
Exm. Sr. presidente da provincia, bem como os |
contratamos por elles responsaveis a multa de 10
0|0 no caso de nao serera os servicos de que se m-
cumbirem feitos no devido tempo, ou da demora
na entrega dos objectos do fornecimentj ; e de 20
0|0 pela falta de suppriinento desles, serem de m
qualidade, ou nao forem os ditos servicos presta-
dos, ou feitos convenientemente ; acresceodo para
o contratante da lavagem de roupa ser tambera res-
ponsavel pela importancia das pecas que se extra-
viaren).
O conselho em todas as suas sessoes contina a
receber propostas cerca da compra que precisa
fazer de madeiras curvas para a construccao de
um transporte de guerra.
Sala do conselho de compras navaes 15 de junho
de 1864.
Alexandre Rodrigues dos Aojos.
Secretario.
Hoje depois da audiencia do lllm. Sr. Dr.
juiz municipal da segunda vara, tem de ser arre-
matado um sitio de trras em Santo Amaro fre-
guezia da Boa-Vista, com frente para o pateo da
igreja e fundos at a raar, cujo sitio tem coquei-
ros, um viveiro e duas meias aguas em rao esta-
do, vai praca por 2:400 preco porque tem de
16 de junho de 1864.
Consulado de Portugal.
Sao chamados os credores do finado Manoel Mar-
tins Carneiro a virem receber o que Ihcs toca em
rateio no liquido do seu espolio.
AVISOS MARTIMOS.
Companhia Pernambucana
M
Vives;;co eosteira a vapor.
Paraltiba, .Natal, Maco, Araeaty, Cear e Acaracu'.
No dia 22 do corrente s 5
rf\ horas da tarde, segu o vapor
Mamanguape, commandante Mou-
ra. Receber carga at o dia 21.
Encommcndas, passageiros e di-
a frete at as 2 horas da tarde do dia da
: escriptorio no Forte do Mallos n. 1.
nbo mencionar.
3 ditas junto a mesma cima de ns. 23, 24 e 25
tendo cada urna 22 palmos de frente c 48 de fun-
do pouco mais ou menos, 2 salas, 2 quartos, cosi-
nha lora, quintal cora cacimba etc.
Terca-feira21 do corrale s 10 i|2
horas da manha
portado armazem dos Srs. Palmeira & Beltrao
largo do Corpo Santo.
LEILAO
en-
KMIUION
Sendo :
Luiza, crioula, idade 26 annos, cose chan,
gomma, cosinha com perfeicao.
Marcelina, crioula, 12 airaos, com algumas habi-
lidades.
2escravos crioulos, de bonitas figuras, sendo um
de 20 annos e outro de 26, todos sadios.
Cordeiro Simoes, legalmente aulorisado far
leilo dos cscravos cima mencionados.
Terca-feira 21 do corrente s 10 1|2 ho-
ras da manha,
porta do armazem dos Srs. Palmeira & Beltrao,
largo do Corpo Sanio.
desdi* j;'i expostosos inteiros, meios e quar-
tos, da mencionada lotera na respeetiva|tlii'-
souraria ra do Cicsjm) n. lo.
Os pagamentos das sortea de 10:000)5000
at 20-SOOO sero feitos, como iU; costuiiu',
una hora depois da extraeco at 4 da tar-
de, e os outros depois da destribuicao das
listas.
O tHesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza
PLANO
PAIIA AH PARTES
loteras
APPROVADO PELO EXM. SR. PRESDEME
n,500 bilhetes a 105000......... 33:000#0(H>
Beneficio, sello e commissao 20 / 7:000*000
28:000*000
Premio de.
Ditos
Ditos
Ditos
10 Ditos
25 Ditos
45 Ditos
910 Ditos
2:000*000
.51X1*000
200*000
100*000
40*000
20*000
10*000
1,000 Premios
2,500 Brancos.
10:000*000
4:000*000
1.000*000
1:000*000
1:000*000
1-.000*000
900*000
9:100*000
28:000*000
I
mm
nheiro
sahida
COMPANHIA BRASLLEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
E' esperado dos porlos do sul
at o da 30 do corrente o vapor
Apa, o ijual depois da demora do
coslume seguir para os portos
do norte.
Desde ja recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: encom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, agencia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
COMPANHIA BRASLLEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do norte esperado
at o dia Io de julho, o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante
Alcanforado, o qual depois da de-
mora de coslume seguir para os
portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C
Para o Rio de Janeiro
o novo e veleiro patacho Polycena, capitao Cypria-
no ^ntonio de Quadros, segu com brevidade ; re-
cebe carga a frete e escravos, para os quaes tem
excellentes commedos : lrata-se com Miguel Jos
Alves, ra da Cruz n. 19._________________
Para Lisboa e Porto
Sahir com brevidade a barca nacional Marian-
na ; recebe carga a frete, e tem excellentes com-
modos para passageiros : tratase no escriptorio
ser adjudicado a D. Margarida Emilia" da Eucar- ^^LK0.e0Iiveira & F,lho' no larG
uaco e D. Jos Margarida caso nao haja lancador, C
Quarta-feira 22 de juuho s 11 horas
ra da Cadeia n. 53
DE
I ma casa terrea i. 1 sita ra de
Aguas Verdes, chao foreiro a S. Pe-
dro, rende 3001
E duas meias aguas de 21 c 23 na ra
das Calcadas, chin foreiro, patrimo-
nio de orphns, rende 84>' por anno
c:tda urna.
Pelo agente Eiueblo se vender em leilo pelo
maior preco que se acliar a casa terrea n. 1 sita
ra de Aguas Verdes, 2 salas, 3 quartos, cosinha
fora, cacimba e porto para a ra da Viracao, e
mais duas meias aguas na na das Calcadas de ns.
21 e 23, se acham todas em bom estado; os pre-
tendentes sao convidados ao previo exame afim de
aproveitar a pechincha.
AVISOS DIVERSOS.
0 cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acbarao como sempre
prompto a qualquer bora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fissao, chamado por escripia.
3,500 Bilbetes.
N. B.Os premios raaiores de 400*000 estao-
sujeitos ao descont da lei provincial, e os maiores
de 1:000*000 ao da lei geral.
Thesouraria das loteras, 17 de junho de 1864.
O tbesonreiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza,
Kugio de casa de seus senhores, no dia 14 do
corrente, o escravo Izidro, crionlo, de idade 25 an-
nos, pouco mais ou menos, estatura regular, cheio
do corpo, cor um pouco fula, cabellos carapinhos,
olhos pardos, beicos um poqco grossos, nariz regu-
lar, ps grandes e grossos bem desembaracado no
fallar, nao malcriado, levou calca de brim bran-
co, camisa de madapolo, chapeo de feltro j usa-
do ; cujo escravo filho de Calista Mana da Con-
ceicao, do Brejode Bananeiras, provincia da Para-
hiba do Norte ; veio em 1861 em pagamento para
os Srs. Guimaraes & Alcoforado desla cidade, sup-
pe-se ter seguido para aquelle lugar : roga-sc a
todas as autoridades e eapitaes de campo a sua
apprehenso e lvalo ao pateo da Santa Cruz n.
6, que sero generosamente recompensados.
Aluga-se o primeiro andar da casa da ra de
Apollo n. 41 por 16* por mez : a tratar na taber-
na parede-meia.
Precisase
abundante leile,
l'nio n. 50.
de uina ama
paga-se bem :
que ten ha bom o
a tratar na ra da
Na ra do Imperador n. 46, primeiro andar,
precisa-se de duas amas, sendo urna para cozinhar,
e oulra para o mais servico da casa, quesejamdei-
pachadas e que cumpram suas ohrigacoes.
Quem precisar de una ama de leile, dirija-
se ao Caniinlio Novo n. 54. ,
Lava-se e en^omma-se roupa por menos 60
rs. era peca : na ra do Bangel n. 15.
Manoel Joaquim do llego Barreto e sua mu-
Iher se servem da publicidade deste jornal para
dar um testemunho de sua gratido devida ao Sr.
Jos Flix Ilibeiro de Carvalho pelos importantes
servicos ha pouco prestados a nos; e em reconhe-
cimento nosso, aceite o Sr. Ribeiro este voto espon-
taneo_____________
(I eserivo da irraandade do Senlior Bom Je-
ss das Chagas, erecta na igreja de N. S. do Pa-
raizo, S. Joao de Dos desta cidade, pelo presen-
te convida a todos os rmos da mesma irmandade
para que, pelas 8 horas da manha do dia 19 do
corrente, comparecam no consistorio daqnella igre-
ja, alien de em mesa geral proceder-se a eleico da
nova mesa que tem defunecionar no anno d 1864
1865._________________________________
= Precisa-se de um amassador e um preto : na
padaria, em Sanio Amaro, atraz da fundico do Sr
Starr.
Precisa-se de nma criada
que saiba cezinhar e comprar :
Amaro (Mundo Novo), sobrado
Dr. Sabino.
hvre ou escrava
na ra de Santo
onde morou o Sr,
por execuco que movera a Leonardo Goncalves
da Silva e outros.
Consulado de Portugal.
Sao chamados os credores do finado Manoel Mar-
tins Carneiro a virem receber o qae lhes toca em
rateio no liquidado do sen espolio.
Conselho de compras navaes.
O conselho promove em 18 do corrente mez a
compra dos objectos do material da armada abaixo
declarados, e convida os pretendentes venda del-
les a apresentarem suas propostas em cartas fe-
chadas nesse dia al as II horas da manha.
Objectos.
16 barris de alcatrao, 4 arrobas de agua-raz, 20
ditas de almagre, 2 bombas de Japy n. 1, 1 balde
de ferro para trazer agua do fundo. 10 barris de
breu, 80 camisas de bata azul, 50 chapeos de
oleado, 80 arrobas de cabo de linho velho, 50 va-
roes de cobre de 3|8, 100 ditos de dito de 4|8, 100
ditos de dito de 5|8, 50 esgunchos, 200 covados de
Glele azul, 1,000 femeas de rede, 600 folhas de co-
bre de 28|, 20 lanternas de patente, 2 macacos de
patente de Holeys para 20 toneladas cada um, 4
ditos para 12 ditas cada um, 2 ditos para 2 ditas
cada nm, 200 molhos de piassava, 100 paos de la-
cre, 600 libras de pregadura de cobro, 100 paes
de obreias, 600 sapatilnos diversos, 10 duzias de
taboas de pao carga de 2 polegada?, 10 ditas de
dita de louro para forro e 2 arrobas de taixas de
cobre.
Sao sujeilos os que contratarem venda destes
objectos molla de 10 OjO, no caso de demora na
entrega del les, e de 20 OjO pela falla de suppriinen-
to, ou forem de m qualidade.
Sala do conselho de compras navaes 14 de junho
de 1864. O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Aojos.
No dia 18 do corrente pelas 3 horas da tar-
de, porta da residencia do lllm. Sr. Dr. juiz de
orphos da comarca de Olinda, se ha de arrema-
tar por venda algumas pesas de urna mobilia de
Jacaranda e ontras ditas de faia e madeira de ama-
relio, urna porcao de louca de aso de casa e ou-
Rlo Grande do \orle e Asmi
Sahe com brevidade a barcaca Nova Esperanza,
recebe carga a frete para os portos aeima : a tra-
' lar na ra da Madre de Dos n. 2, ou na Escadi-
nha com o mestre.
Para Lisboa
sahir com brevidade o brigue portuguez Constan-
te, recebe ainda alguma carga a frete e passagei-
ros, para os quaes tem excellentes commodos: tra-
ta-se com Manoel Ignacio de Oliveira & Filho, lar-
go do Corpo Santo, escriptorio n. 19.__________
Para Lisboa
O brigue portuguez Ijiia II, capitao Antonio
Francisco Vieira vai sabir por estes dias por ter a
mior parte do carregamento prompto : para car-
ga e passageiros, trata-se com E. R. Rabello, ra
da Cadeia n. 55._______
Maranho.
O palhabote Garibaldi tem j parte da carga en-
gajada, e para o restante trata-se com Tasso Ir-
maos.
Para Penedo.
O hiato Amelia, segu por estes das : a tratar
com o capitao na ra do Vigario a. 5.
Para a Bahia
pretende segnir com muita brevidade a escuna na-
cional Carlota, tem parte de sea carregamento
prompto : para o resto que Ihe falta, trata-se com
os seas consignatarios Antonio Lniz de Oliveira
Azevedo & C, no sea escriptorio ra da Cruz nu-
mero I.
Para ofiio de Janeiro
pretende seguir com muita brevidade o veleiro e
bem conhecido palhabote nacional Piedade, tem
parle do seu carregamento engajado : para o res-
to que lhe falla e escravos a frete, para os qoaes
tem excellentes commodos, trata-se com os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo,
ra da Cruz n. 1.
Joao Jos Lins Wanderley, Americo Jos
Lins Wanderley e o capilo-tenente Jos
Avelino da Silva Jacques, marido, filho e
genro da fallecida D. Anna Joaquina Lins
Bnarque, cordialmente agradecem a todas as
pessoas que se digoaram acompanhar o seu
corpo ao ultimo jazigo, e de novo convidam
para assistir missa do stimo dia que se
tem de celebrar no da 20 do corrente mez
pelas 7 horas da manha no cemlterio pu-
blico.
Pede-se ao Sr. Joo Germano de Paula, quei-
ra vir declarar nesta lypographia onde residem
Jos Feliciano de Araujo PinheiroeD. Mara Fran-
cisca, que pelo mesmo senhor foram incluidos no
numero dos assignantes deste Otario, sendo a fo-
lha recebida por elle, e nao paga.
Aluguel.
Aluga-se o segando andar do sobrado da
Velha n. 26 : a tratar na ra do Sebo n. 24.
ra
Arrenda-se urna casa e sitio no Barbalho
margem do rio Capibaribe, confronte a povoaco
do Monteiro, com 6 salas, 8 quartos, estribara, sen-
zala para escravos, quintal murado, baixa para ca-
pim, e bastante terreno para plantaco, e sitio com
fructeiras : a tratar na ra de Apollo n. 1, segun-
do andar.______________________________________
A luga-se
O sobrado de um andar da ra dos Burgos n.
29 no bairro do Recife : a tratar na ra da Cadeia
numero 35.
Santa Hita.
Tendo participado nao aceitaren) os irmos no-
vamente eleitos para os cargos de juiz e eserivo,
para o anno de 1864 1868, caja eleico teve la-
gar em mesa geral do 1 de maio do corrente, de
novo sao convidados todos os charissimos irmos
para que comparecam no domingo 12 do corrente,
pelas 9 1|2 horas da manha, afim de proceder-s
nova eleico.
Consistorio da contraria de Santa Rila de Cassia
6 de junho de 1864.
Angelo Custodio Rodrigues Franca.
Eserivo.
Est justa e contratada vender a casa ter-
rea da ra do Arago n. 5 ; se alguem se julgar
cora direito, ou hypotheca nella, annuncie por tres
dias.
Desappareceti hontem 17 do corrente, da co-
cheira do Sr. Ignacio, no caes 22 de Novembro,
urna burra rxa com listras pretas as ps, fer-
rada cora as letras J. M. e F. : quem a pegar oa
der noticia certa na mesma cocheira, ser recom-
pensado.
Saiilissimo Sacramento do Kecife.
De ordem do irmo juiz desta irmandade sao
convidados os irmos da mesa actual e os da no-
vamente eleita comparecerem no consistorio do-
mingo 19 do corrente, pelas 11 horas da manha,
alim de se dar posse dos respectivos cargos.
Esl para se desvaziar o primeiro andar do
sobrado n. 24 da roa do Hospicio, com muitos
bons commodos para familia : a tratar no mesmo.
Precisa-se de una ama para casa de ho-
mem solteiro que saiba engommar com perfeicao
paga-se bem : na ra da Cadeia n. 18.
DO ROSARIO-3
Francisco Pinto Ozono continua a col-
locar dentes artiflciaes tanto por meio de
molas como pela pressao do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
quein a vontade de seus donos, tem pos
e outras preparacoes as mais acreditadas
para conservaco da bocea.
Na ma eslreita do Rosario n. 34
Advogado Affonso de Albu-
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
feiras, porm, na villa do Cabo.



Diarlo de fraambur- *.i7u 4.
Grande
fabrica
de feos do artificio, da viuva Rufino, situada na
irada do Je5o de Barros; ncsta fahrica apromp-
t'a se toda e qualquer encommenda dusles artigo*
con o maior esmero e presteza, soja para dentro
ou fura da provincia : recebem-se as encommen-
das no armazn da bola amarella, no oitao da se-
cretaria de polica.
Fazem-se bolos de bacia de todas as cualida-
des e armam-se bandeijas com a maior prompti-
dao e aceio a contento das cncommendas, por pro-
cos muito em conta : na ra de Santa Rita n. iO.
Maques sobre Portugal.
O abaixo assignado, autorizado pelo
Banco Mercantil Portuense. e na ausencia
do Sr. Joaquim da Silva Castro, saca cf-
feclivamenle por todos os paquetes sobre
as pravas de Lisboa e Porto, e mais luga-
res do reino, por qualquer soturna vis-
ta, e a praso ; podendo, os que tomarem
saques a praso.receberem avista, no mes-
mo Banco, descontando 4 0|0 ao anno: na
loja de chapos da ra do Crespo n. 6, ou
na ra do Imperador n. 63, segundo an-
dar.Jos Joaquim da Costa Maia.
Attenco
Precisa-se de um eseravo para o serrino interno
e externo, ou de uro criado para o mesino iim :
na ra do Queimado n. 29.
~_ precisa-se alugar urna preta que saiba cozi-
nhar e engommar : qaem a tiver, dirija-se ra
po Trapiche n. 4, que achara com qaem tratar.
mmmmmmmmmwm U
JORGE VCTOR JNIOR ||
Professor de pian
RuaXova u. *5.
wjmm
mmuaoM
Aviso importante.
Os administradores da massa fallida de Francis-
co Gomes Castelo, estabelecido que foi com loja
de louca e loja de calcado na ra do Rosario, fazem
saber aos senhores dvedores da mesma massa,
que vo proceder a cobranca amigavel das dividas
at o fin do frrente mez, depois do que procede-
rn judicialmente ; por isso rogain aos mesmos se-
nhores dvedores de virem pagar seos dbitos na
ra da Cadeia n. 37. Outro sim, constando ad-
miuislraciio que o Sr. Antonio Jos Moreira Pon-
tes que f"> caixeiro do fallid?, se dl amia cobran-
do dividas pertencentes loja de calcados (da qual
os livros nuuca appareceram no escriptorio e casa
do fallido) previnem aos respectivos dvedores de
nao pagaren) por ser o mesmo Sr. Ponas incom-
petente para reeeber dividas de urna luja (|ue Ihe
nao perlencia, prometlem continuar na indaga-
cao do lugar onde se occultam taes livros, para
procederem cuino de le, e nao deixarem passar
um al.uso, oujo exemplo unestissimo pelas cir-
camstaneias mysleriosas em que se acha e tem es-
tado envolto ; at (|ue talvez um dia se descubra a
subtraceo Ilegal, punindo se o procedimento de
quem guarda em seu poder a escripluraro de dita
loja de calcados._______________________________
Precisa-se de um caixeiro para taberna com
alguma pratica, de 12 a 14 annos: na ra da Guia
nu mero 42. _____________
- Roga-se ao capilo Estevao Jus Paes Bar-
reto de mandar pagar 03 alaguis da casa da ra
da Palma, onde morou, e nao pagon um s vin-
tem, embora a mais de G metes licasse de pagar
ditos alugueres, afim de evitar a continuado do
exceptivo contra o mesmo requerido._____________
Precisa-se alugar una preta de meia idade
para vender na ra e fazer algum servir-o de casa,
na ra do Pilar em Fura do Portas n. 00.
l'ode-se ao digno juiz de capellas, que na visto-
ria requerida sobre as obras da i^reja de N. S. da
Jloa-Viagem faca rtescriminar bem a paite deltas,
que ja existia antes da commissao para contina-
las, da que se tentia feito posUriurmente, dndose
valor i esta para se conhceer se ja havia carencia
dos 2 contos e tanto; e lambem examinara acta do
ajuste da obra em Janeiro do crrente anno ; e
saber da cansa, porque se quer excluir o thesou-
rciro, tendo sido elle Horneado un dus dous nieiii-
bros da commissao para gerencia das obras.
I'in irmo.
O abaixo assignado ruga au Sr. Joo Flix
da Rosa de ir buscar una carta que est DO cor-
reio geral de Lisboa de sen subrinho Firmino Jo-
s Flix da llosa.
Miguel Archaojo dos Santos._____
A pessoa que encoromendou tiesta typogra-
nhia uns recibes para o thesotireiro do'.I" batalho
de infantaria da guarda naciooal de Olinda, quei-
ra manda-Ios buscar, visto ignorar-se sua residen-
cia para se lites mandar entregar.
Precisa-se de urna ama para cozinhar : na ra
da Cadeia do Recife n. 50.
Precisase de urna ama para todo sen ico de
urna casa de pouea familia; tratar na ruadas
Larangeiras n. 5 primeiro andar._________________
" Precisa-se de uina ama de leite: na ra Im-
perial, sobrado n. 87.____________________________
A pessoa que annunciou comprar urna casa
no Manguinho ou Capunga, dirija-se ao pateo da
matriz de Santo Antonio n. 8.
Joaquim Ferrcira de Araujo Guimaraes faz
sciente ao respeitavel publico e principalmente ao
corpe do coinmercio, que o activo e passivo da sua
ioja ftcou a seu cargo.____________________
Precisa-se de um negro para ajndante de co-
zinha : no hotel Trovador, na larga do Rosario
iumero 44.
Joao da Si|ya Hamos, medico pela Cni
versidade de Coiinbra, d consultas em
sua casa das 9 s 11 horas da manhaa, e
das 4 s 6 da urde. Visita os doentes
em suas casas regularmente cas horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentes, que sero socrorridos era qual-
quer occasio. D consullas aos pobres
que o procurarem no hospital Pedro II,
aonde encontrado diariamente das 6
s 8 horas da manhaa.
Tem soa casa de sade regularmente
montada para reeeber qualquer doente,
anda mesmo os alienados, para o que
tem cominodee apropriados e nella pra-
tica qualquer operaoao cirurgica.
Para a rasa de sade.
Primeira classe 35000diarios.
Segunda dita.... 15500 >
Terceira dita.... 25000 >
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bous servicos que tem pres-
tado.
O proprietario espera que elle conti-
nu a merecer a confianca de que sem-
nre tem gozado.
4TTE\ \0.
Muita atlenco.
O abaiso assignado avisa a todos os seus dve-
dores ero geral, de maiores e menores quantias,
.wsimeomo de letras ha muilo vencidas, que ve-
nham no praso de 15 das pagarotn ra Direita
n. 91 os seus dbitos, e se assiffl nao o flzerem se-
rao seus nomes publicados por este Diario, e de-
ioi8 executados sea distinecoos de pessoas ; fa^o
ti presente anquncio para que depois nao so quei-
xem do-Jos Martins da Silva Borhes.___________
Precisa-se de 2:S905 a juros dando-se por
bypoteca nina boa propriedade : quem quizer fa-
zcr este negocio dirija-se rita do Vigano n. 27,
armazten, que l se Ihe- dir quem precisa.
A higa-seo tereciro andar da casa n. 48 na
ra do Trapiche : a tratar no armazem da mesma.
casa.
C'hih Penianibiirnuo.
A reunido familiar do corrente mez, ter
lugar na norte- do dia 2*. !
Monte Pi Portuguer.
A directora provisoria, tendo j confiado a urna I
commissao o trabalho da organisacao dos estatutos
julga todava conveniente scieniiticar desde logo a
todos os seus compatriotas o seguinte :
l. So sero socios effectivos os cidadaos portu-
guezes.
2. A joia ser de 105 e a mensaldade de
300 rs.
3. s socios lero direilo aos beneficios da so-
ciedade quaodo 'achando-se desprovidos de re-
cursos) estiverejn desempregados, doentes ou
presos. |
4. Aquelles que, por motivos graves ou moles-
tia Dengosa, tiverem necessdade de se ausentar,
sero pagas as despezas de transporte com com-
modidade e decencia, ou para outras provincias do
imperio, ou para paiz estrangeiro.
5. Fallecendo qualquer socio, far-se-lhe-ba um
enterro decente, se elle nao deixar meos para
isso.
6. A sociedade prestar igualmente soccorros,
em quanto o necessitarem, s viuvas e filhos me-
nores dos socios que falleeerem em penuria.
Apresentaudo esta idea gerai dos ns que a so-
ciedade tem em vista, e navendo offlciado s com-
mssoes Humeadas nos diversos bairros desta cida-
de para Ibes pedir o seu valioso auxilio na acqui-
cicao de socios, a directora tudo espera da leal
condjuvaco e do acrisolado patriotismo dos Ilus-
tres cavaheiros a quem se dirigi, e de todos os
seus compatriotas em geral.
Alm das pessoas noineadas, qualquer cidado
portuguez que pretender contribuir para o de- i
senvolvimento de tao til associacao angariando '
assignaturas e demonstrando assim o interesse
que Ihe merecem as cousas da nossa chara patria,
poder para esse fim obter listas impressas, diri-
gtndo-se ao Gabinete Portugnez de Leitura, ou a
casa da secretario, ra da Cruz n. 23, primeiro
andar.
A todos, em geral, que receberem listas, roga a
directora o especial obsequio de as devolverem
opportunamente, ou acompanhadas de cilicio, ou j
simplesmente assignadas, para a directora ter
sciencia dos cavaheiros a quera Ihe cumpre tribu-
tar os seus agradecimentos.
Recife, 3 de junho de 1864.
Jos da Silva Loyo,
Presidente.
Jotrqarm Gerardo de Bastes,
_________________2 secretario.__________
O r. Ponce de i-ron.
O Sr. Antonio Carlos Pereira de Burgos Poncc
de Len insiste em fazer persuadir ao publico, que
en me separei de sua compaohia e Ihe propuz ac-
co de divorcio, sem que para isso livesse motivo
algiim fundado, mas arrastada tao smentc por
movimento estranho, chegando sua velleidade ao
ponto de inculcar, que cu vivo sob a presso da .
vonlade de meus [iais, e que s pelo invencivel'
temor que estes rae inspirara que ainda nao me
reconciliei ostensivamente com elle, quando alias,
em particular, vivemos na melhor intellgencia.
E de tudo isto tira elle motivo para me incommo-
dar de novo, propondo-me urna accao rescisoria do
divorcio, na qual allegou as mais revoltantes falsi-
dades.
Pedia o decoro que eu me abstivesse de trazer
luz publica esta desgranada questo, que o Sr.
Burgos tem procurado dar urna triste celebridade.
Entretanto, forrada pelo indigno e insidioso pro-
cediraeuio do Sr. Burgos, venho, bem mou pe-
zar, fazer perante o publico as seguintes solemnes
declararles, que sero repetidas sem in errupgao, i
emquanlo o Sr. Burgos nao se convencer de que
deve deivnr-me vver tranquilla e soregada. Nao
quero, commeu silencio, dar urna apparenria de ,
verdade ao romance que o Sr. Burgos inventou e
espalba, e favorecer assim os seus tenebrosos pla-
nos.
Eis aqu as mnhas declaracSes :
Sahi da eompanhia do Sr. Burgos e refugei-me
na casa paterna para Ihe propor a aeco de divor-
cio, nao porijue fosse isso movida por vonlade
estranha, mas sim em razo dos inromportaveis
martyrios porque me fez passar o Sr. Burgos, du-
rante dez longos annos que vivemos juntos. Sahi
de sua eompanhia por causa de suas repetidas e
escandalosas infidelidades; sahi porque j eslava
caneada de solTrer toda a sorte de mos Infmen-
los ; sahi porque a niinba vida corra inminente
perigo ; sahi porque nem o meu corno, nem o
meu espirito tintura mais forcaspara supportar to
longo e insolfrivel tormento ; sahi, linalmente,
porque j litilia pago com usura o passo impru-
dentsimo, que dra, e de que muito me tenbo ar-
rependido, em casar-me, contra a vonlade de meus
prenles, com o horaem mais refalsado que o cu
cobre.
Em tudo quanto tenho feito este respeito, meus
pais nao figuraran! seno como meus naturaes pro-
tectores. Quem sabe que tive firmeza e resoluc,ao
bastante, para casarme, ainda menor, contra a
vontade de meus pais, nao acreditar cortamente,
que boje, viute annos depois de meu casamento,
seja constrangida. por vontade de meus pas, a vi-
ver separada do Sr. Burgos. Elles, pois, nao exer-
ceram e nem exercem a menor violencia sobre a
miulia vontade, a qual nunca foi mais livre do
que na resoluco que toine e conservo de viver
completa e perpetuamente separada do Sr. Burgos
Vivo tao satisfeita e feliz em eompanhia del les.
quanto possivel urna pessoa, que tem muitos
e grandes motivos de desgosto, e em todo o caso
infinitamente mais satisfeita e feliz do que viva na
eompanhia do Sr. Burgos.
Faca, portanto, o Sr. Burgos, o que Ihe suggerir
a sua al boje nao igualada malicia. Finja a uiinha
letra e assignatura, para inculcar qut; Ihe escrevo
cartas ; diga que vivo opprimida por meus pais,
mas que entretanto o estimo e almejo pela nossa
reconciliaco ; compre teslcmunhas para irem de-
pr aquillo que ibes d a esludar por escripto ;
pri ve-rae da doce salisfaco de ver meus tilhos e
de os ter em mnha eompanhia; invente finalmen-
te quanto sua frtil imaginario parecer conve-
niente para attingir o fim que se propoe. Com
tudo isso, e concedendo mesmo que nao houvesse
juslra na trra, s poeria lograr o seu fim prin-
cipal', que annullar a seuten^a de divorcio, c res-
tablecer a eommunho de bens, para ter o direi-
to de participar da pequea heranca. que me ha
de vir por monede meus pais, qnem Dos, por
isso mesmo, para martyrio do Sr. Burgos, ha de
conservar a vida por muitos annos.
E nao conseguira senao isso, pois que nao ba-
vera poder algum sobre a trra que meobrigasse
a viver mais com um ente, quem, por tantos e
to justos motivos, do fundo d'alma aborrego e des-
i preso.
Tliereza Adebitie de Siiura Caralranti.
v a quem locar.
Nao nos negocios do Estado, mas nos da fami-
lia, que a mulher deve mostrar o seu juizo e a sua
prudencia, ella se torna mais interessante pelo seu
pudor, modestia e candura, se amavd e virtuosa
ella, o objecto o mais encantador da natureza.
Se quando a mulher se irrita, muda de sexo,
perde lambem a estima das pessoas sensatas, quan-
do faz fallar de si, na razo do bulicio que ella faz
no mundo.' Ella bnlha quando recatada, mas,
desde que trata de se deixar ver e conhecer por
actos dignos de censura, despreza-se, e nao se re-
para seno em seus defeitos.
(Mximas do C. Bastos.)
Grammatica ingleza r portugueza.
D. Appleton & C. livreiros.editores e importado-
res em New-York, Estados Unidos da Amerira,
acabara de publicar um novo methodo para os in-
glezes aprenderem a lingua portugueza por F.
Granen, 1 vol. 12 mo.
Este livro, o melhor at hoje publicado ex-
prestamente impresso para sopprir a immensa fal-
ta que ha de urna grammatica ingleza e portu-
gueza, para aquelles que fallam o inglez e que de-'
seiara aprender a lingua portugueza. ,
v. Appleton & C. sao os editores das obras em
bespanhol para cducagao muitissimo usadas no
sul da America. Tambera publicara os mclhores
albuns para cartfies de visita.____________________ !
Antonio Jos Leal Ko vai Europa, e deixa
encarregado aos Srs. Leal 4 lrmao a gerencia da
sua casa comraercial.

INJECTION BROU
PERFUMERA MDICO-HYGINICA
De J.-P. LAROZE, Qulnito, Farmacutico de la Escuela especial k Pars
Estos productos son el resultado de la aplicacin de las leyes de la higiene i la per-
fumera, que se eleva y convierte en farmacia de la belleza, encargada de atender i la hi-
giene del cutis, cabellos y dientes, que todosson rganos tan importantes; sirven"parevi-
ttr y destruir las causas de las enfermedades que su hermana primognita, la farmacia
propiamente dicha, est llamada curar.
lixih dentfrico para curar inmediatamente
los dolores de muelas ; el frasco 1 fr. 25
polvos iwirrrnucos ROSADOS, ron bate .de
magnesia, pau i'mblamyeier y conservar lo*
ein>; d frasco........1 fr. S*
OPIATA dititric a para fortificar las encas y
eritar las nevralgias dentales 1 fr. 50
OWRATITO dental para curar los dientes ca-
riados antes Ue la emploiuadura, y evitar los abee-
sos y dolores; el fiasco con el inttument, t fr.
AOVA UDCODBRMWA, para conservar la her-
mosura de la le y las funciones de la piel; el
frasco.............} fr.
pinito oa ans Rrcnricado complemento
del tocador de la boca despus de cada comida;
el frasco...........1 fr. 25
jabn unitivo MZDICDIAL, pira el locador ;
4 la vilela, almendras amargas, ramillete, etc.,
el Jabn............i fr. 50
jabn unitivo mbdicmal, con yemas de
huevo, para evitar las grietas en el cutis, hendiduras
y aatermedades de la piel; I* vilela, ramil-
fet* etc.; el jabn.........2 fr.
BOJ JABN LBNITTVO MTDIC1NAI. n
Es espacial para la barba, como tambin
el locador ea laa iBBaeres y nios; el
............ fr.
aova fcCBTKAt. para conservar y embellecer los
cabellos, fortificando sos raices; el frasco I fr.
Aforra oa avillanas HB-rBMADO, para re-
mediar i la sequedad y atunia de los cbenos; el
Irasco.............I fr.
?UaRB db tocado suPKRruso, renom-
brado por su suavidad I aci iou refrescante; el
fiasco.............1 fr.
COLD ckeam SUPERIOR, para conse var el culis
blanco, fresco, difano, y evitar las consecuencias
del uso de los afeites; el bote. 1 fr. 50
AOA DB COLONIA SDPBRIOR con iulbar 6 sis
l. I^i estabilidad de su pe fume la hace buscar
Para el tocador, baflos locales y generales; el
'*.............I fr.
pastillas oouentaixs del doctor Paul CWment,
para quitar C| oor del tabaco y neutralizar los hli-
tos ruertes; al caja........1 y 2 fr.
AGDA DB PLORBS DB ALHUCEMA, cosmtico
muy buscado par destruir las comezones, forlale-
eer y refiescar ciertos rgann* ; el frasco, i fr. 50
BSriRiTu DB menta scPERriNO. Es el mas
perfecto indispensabks complemento del toca-
dor de la boca despus de la comida; el
frasco............i fr. 29
POBLADA conservadora SM asinina para, para
fortificar los cabellos, hermosearlos y evitar que
se pongan canos antes de tiempo; el bote. S fr.
Depsito en todas las ciudades en casa de los farmacuticos, perfumistas, peluqueros,
mercaderes de modas y novedades. Venta por menor : En la rarmanU x*roze, ru
Neuve-des-Pels-Champs, 46.
Expediciones: en casa de J.-P. LAROZE, ru de la Fontaine-Molire, 39 bis, en Pars.
Vesgnest enqtu lenfu deben estar lai instrucciones que acompaan cada produelo.
JARABE DE CORTEZAS DE NARANJAS AMARGAS
De J.-P. LAROZE, Qumico, Farmacutico de la Escocia looorior de Pao
Este Jarabe, al regularizar las funciones del estmago e* intestinos, destruye esas
indisposiciones proteiformes, y hace abortar las enfermedades de que son signos precur-
sores. Mdicos y enfermos han reconocido que restablece la digestin, haciendo desa-
parecer las pesadeces de estmago; que calma las jaquecas, pasmos, y calambres, que
son el resultado de digestiones penosas. Su gusto agradable, v la facilidad con que se
soporta, lo han hecho adoptar como el espccUicco infalible de las enfermedades nervio-
sas, gastritis, gastralgias, clicos de estmago y entraas, palpitaciones, males de co-
razn vmitos nerviosos. Su accin sobre las funciones asimiladoras es tal, que los
mdicos mas ilustres lo han adoptado por excipiente real de los dos primeros agentes
teraputicos : el Ioduro de potasio y el Proto-Ioduro de hierro, habiendo
observado que bajo su indujo, el primero pierde su accin irritante, y el segundo
su efeelo astringente.
JARABE DEPURATIVO JARABE FERRUGINOSO
DE COBTtZAS DE NARANJAS ABARCAS
con PROTO-IODURO de HIERRO
la asociacin de U sal frrea con el Jarabe
de cortezas du itarani is es tanlo mas racional
cuanto que este Jarabe, empleado solo para
estimular el apetito, activar la secrecin del
jugo gstrico, \ por consiguiente, regularizar
las funcionea abdominales, neutraliza los tristes
efectos de los ferruginosos y de los loduros (pe-
sadez de cabeza, constipacin, dolores epigs-
tricos), al paso que facilita su absorcin. 1)1-
suelto en el Jarabe, se toma y soporta fcil-
mente por hallarse en el estado puro mu
asimilado'; y asipuede seguirte la cura de los
colures plidos, prdidas blancas, anemia,
afecciones escrofulosas v raquitismo. El frasco:
4 fr. 50.
Los Jambes de J.-P. LAROZE estn siempre en frascos especiales 'jamasen medias
botellas ni frascos redondos Expediciones: eu casa J.-P. LAROZE, ru de la Fontaine-
Molire, 396t>. Depsito general: farmacia Laro/.e. ru Neuve-des-Petits-Champs, 26,
y en casa de todos los farmacuticos antiguos de Francia y del Estrangero.
Desgnete en que lengua deben estar las instrucciones que atompaon caifa producto.
DE CORTESAS DE aARAMOS ABARCAS
CON IODURO DE POTASIO
El Ioduro de potaio, administrado en solu-
cin bajo furnia slida, causa al enfermo una
gran repugnancia, determina accidentes qu
lo obligan renunciar este elicat remedio.
Unido al Jarai-e de omtimo de naranjas, no
cauca ni gastralgia ni desarreglo del estmago
intestinos, y gracias este salvoconducto,
las curas depuradas pueden seguirse sin inter-
rupcin en las afecciones escrofulosas, tuber-
culosas, cancerosas, y en las segundarias ter-
ciana-, inclusas las reumticas, de que es su
mas seguro especulen, la dosis esl definida de
tal manera que el mdico la varia cotus quiere,
r.l frasco : 4 fr. 50
33 GJ
33 d
Yende-se na rita do Imperador botica franceza n. ns.
..liHII AVISO AOS SRS. MDICOS,
abnca Conceicao da &<
Babia. S
Sirop du
Andrade et Refo, rece bem constante-
mente e tem venda no seu armazcm n.
34 da ruada Imperador, algodo d'uimel-
la fabrica, propri para saceos de as sa-
car, embalar aIgodo-empluma etc., etc.,
pelo prego mais razoavel.
*
al
Cura ca'arrho*, tost*
cojnehtches, irritace*
rnosos sos dos bron-
chios e todas as doen-
cas do peito; basta ao
aoenla urna colas renaea deste xarope D* Furor.
Dr. CUBU.K. ao*Paria, ra vi. ieaiase, M.
Pars, 36,RuaVivienne, D'
CHABLE MDECIN
Arrendase, vende-se, ou mesmo trocase por
casas na praca um sitio na Vanea margem do
ameno. Capiharibe, com duas grandes casas, com
7 quarlos, 4 satas, 2 cozinhas e um solao, tendo a
parte cocheira, estribara, e quartos para criados,
lodo plantado de arvores de fructo, abacates, sapo-
tis, fructa-pao, limo doce, limas de umbigo e da
Persia, larangeiras de umbigo, sclelas, tangeci^as,
etc., um grande caesal com fruclas, jaqueiras,
mangue'ras, coijuelros, dendezeiros, com mais no
fundo uma casa de taipa, e bem assim mais 4 ca-
sas de fijlo acabadas de pouco tempo, com frente
para o nascente, multo frescas, tendo cada urna i
salas, i quartos e cozmha (ora : os pretendenles
dirijam-se ra do Queimado n. 27, loja de fazen-
das dos Srs. Custodio & Carvalho.
i DENTISTA DE PARS 1
19Raa Nova -i9
Frederico autier. eirurgiao dentista, IR
faz todas as operaroes de sua arte, e col-
loca denles artfciaes, tudo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas Ihe reronnecem.
Tem agua e pos dentiflcio.
DEPUBATIF
dr SAVG
PLUS DE
COPAHU
No da 23 de malo deste nnn 8aMo da casa
de sen sentwr o escravn Jacob, pedindo hcenca ao
senhor para ir ao Recife ver o que Ihe tiulia rabi-
do em uns billiates de lotera que tinha comprado
e ate boje au apparecen, e nunca fugio em poder
deste senhor o nem de outros, e por isso supp5e- que esteja preso ou doente, e nao poa dar noticia
de si. O senhor morador nesta villa, e o eseravo
tem os signaes sejuintes : pret'>, de idade WJ'an-
nos, altura regular, pernas luas, pt'-j seceos, j i.-oi
pnooBS denles, testa larga,, qu.-m nlha para o
olhos delle parce-lhe que elle pouca vista lera
porm ve mu t. bem : quem o pegar e levar ao
abaixo assignado, sera recompensado.
Villa do Limoeiro 14 de junho de 1864.
Antonio Leandro do Amara!.
COMPEAS.
Comprase ouro c prata em obras Ceibas
paga-sebero: na loja de bilhetcs dapraeada Inde
I pendeneia n. 22.
!
Compram-se
AITflli'ISifi
as seguiules cadernetas do Archivo
Lisboa :
5 anno, de 18G2
Ns.3,4, 6, 8, 9 ol2.
6 auno, de 18(i;i
Ns 7, 8 e 10.
I O Vigilante est alerta, nao Ihe era permeltido
Pittorneo de ^'i:>r l'as*ar desapercebido sem que nao dsse o
seu canto atim de annunciar ao respeitavel publico
o grande sortimento degalanlarias do melhor gosto
propriamente para qualquer mimo, que acaba de
chegar nesle ultimo paquete, assim como muitos
outros objectos que recetie por diversos navios,
birigir-sc ra Bella n 37, sobrado de 2 anda- Iam? d? sua co"la como ile ''onsgnaao, que est
res, a qualquer hora da tarde. resolvido a vender por precns muito baratos para
--------------------------------------------------------- vender muito e ganhar pouco, e dar extrarcao ao
- Compra-se um moxo para piano : na ra do grande deposito que tem, que espera merecer a
Cabng n. 11, botica. __ proteccao do respeitavel publico, empregando para
Compra-se uma escrava que tenha de 25 '* 'das e as melhores diligencias para que fi-
30 annos, que coznhe c engonime com alguma
perfeicao : a tratar na ra da Senzala Yelha nu-
mero 94.
VENDAS.
Vcndem-sc caixies vasios a 1:760
cada un: rja ra das Cruzes n. 44.
quem satistiios : isto s no Gallo Vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Uicas porta-jotas.
Cofre de muito gosto por 16,5000
Cestinhas transparentes, forradas de madre-
Bperola por 18*000
Lindas jardineiras I0*V)0l)
Ricos cofres com camapheu injinxi
Lindas caixinhas com pedias brancas 10Vj00
Lindo balo com calunga dentro tambem
para joias
Tambaberpara ditas
Cestinhas idein dem
FeijSo a
Vendem-se saceos com 22 cuias de feijao mua- (>)smorama dem dem
. tinlio e rajado, pele barato pret;o de 65, peeliincha i'mazinha
! igual tempos niio apparece este mercado, por- So n vigilante, ra do Crespo n. 7.
tanto eheguem ao barato antes que se acabe : na Ricos porta-bouquetes de diversos go>tos e pre-
rua da Madre de Dos ns. 5 e 0._________________ Os : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
- Vende-sc a taberna sita na ra de Hurtas n. i Ricos sintos
MIMO
tfiOOO
&SUU0
65000
6*000
106 : a tratar na mesma.
S/ do ass
A' bordo da patacho Andir, defronte do Forte
do Mallo ancorado: tratar bordo ou na ra do
Vigario armaiem .Naval n. 1.
com bolcinhas ao lado a 10. 12 e 15*, ditos sem
bolea, porm do mesmo gosto, a 2*300, 3*, 3*500
| e 4*, ricas flvelas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encontrar, a 15500, 25, 25500 e 3* :
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
i.aliiucs nu i'i'stiiilm.
At fjpe chegaram as desejadas cestiuhas ou ea-
bazes para as meninas trazeiem no Iriaeo, o mais
rico possivel, a 2*o00, ?,&)0, 4, 5, 7 e 10* : s
FARKLO
WVWMM i: PELLICA
Para homcus, mulhercs c meninas.
A Agua-branca, na ra do Queimado n. 8 rece- Vigilante,' rna'do Crespo n.' 7.'
i beu luvas de pellica, para homens, mulheres a' Ponfot
! meninas. itiiit.
------r.i-----------------r---------------------- i ^este artigo tem um grande ?ortimento, tanto
| Vende-se o deposito de charutos da ra do para a|isar (.011l p.t|.., aIar C!ihl}Ul> 0 majs ||ndo
I rogo "- lo: a tratar nu niesnio._________________ que M (!odo desejar, assim como de arregacar ca-
' bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
! enfeite e sem elle para meninas : s no Vigilante,
i ra do Crespo n. 7.
I'cntcs
Tambem chegaram os riquissimos penles de
concha de tartaruga e de massa fina, que se vende
: por 2* 3 a 5-5 : s no Vigilante, ra do Crespo
| numero 7.
Loi|a('S.
Hiquissinios loques de madreperla, tanto para
senhora como para mocinhas, pelo barato preco da
12 e 145 : s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
IaS ll'lJUCS.
Com pequeo defeitn, leques de sndalo, por ba-
a 3*800 o sacco : s no armazem da Estrella, lar-
! ge do Paraizo n. 14.
Vende-se uma escrava de 13 16 annos, de boa
figura, engomma e roznha com perfeicao : na ra
> Livramenlo n. 38.
^^^.^^-.^^
Vende-se una mulata de meia idade, ptima
costureira : na ra de S. Gonzalo n. 19.
- \ cnde-.se o engeuho Brej;io, sito na freguezia rat0 a g ,w ioCE-, muito bonitos,
de lkzerros. sendo d agua, e toda a obra de pedra, ,ambem por barato preco de i e 3*, bentarallas
com mullas terrenos .ara todas as plantajes: |nu|0 ,)0uilas lan)|)em -or ,ia|.aI() de 4 e 5*.
quem o pretender dirija-se W mesmo, ou nesta |t,|llis de ebarao lambem por'.5. ludo isto para
traca as (.meo l'ontas n. 9o.___________________ aCabar ptM t)ondo-s.> falve 88 (>|0 : s no Visilan-
Lqiii'lacao.
de *
/Jicos pretos
Na ra do Queimado n. 47, aonde se vende por
todo o prer;o ; assim como botoes de seda e vellu-
do para casavetjue.
i
KAPE. IIAPE.
H Duarte Pereira iV C. com armazem
^ de liui',1--. vidros, ele. ele, na ra do 3
^ Crespo n. 16, acaham de reeeber pelo ul- JW
"SS& timo vapor a rostuniada e fresca [litada ^
^ do princeza de Petropolis, em libra ueste j3
llB eslabelecimenlo e a retalbo : na ra lar- |
K ga do Rosario n. 38, loja da Aurora. M
Trina, volantes c galoes.
Vende-se trina, volantes e gales di todas as
largaras por preeos muito barato: s no vigilante
ra do Crespo n.'7.
BASENFI.RMUiAAS DKSStXtAKS, AS AKFEO
gOF.S CUTNEAS. E ALTERAQOSDOSANGUE.
llOOOOcurasdastm/Jtnjen
Diislii/aj. herpes, sana
:omixoes,acrimonia,e al-
'eYcoes, viciosas do san-
jue; virnt, e atteracoet
do semant. (Xarepu vegetal sera mercuris) axipa.
rali>M vccetaiea BANHOOi MIMIlils
toraao-se dous por semana, seguindoo traelaaiento
Hunrotivo : t etopiegada as mesraas molesiias.
Este Xarope Citracto da
ferro de CtiABLE. cara
immediaUmenieqaalqear
purottcno, relaxacao,
e debvlidade, e igual-
osate os fluxo* e flores brancas das mulheres.
Esta injeccao benigna emprega-se com o Xarope da
Cifrado de Ferro.
HesnarraaMM, Pomada que as cura eos tras das.
POMADA ANTIHERPETICA
Contra: ais Jccoeo cutnea e comixoM-
PILULAS VEGETAES DEPURATIVAS
do av CksMe, cada frasco vai accoaipahado da
follieto.
Vende-Je na ra do Imperador botica
franceza n. 38.
i \)mmu
MONTE PO ACADMICO.
Por ordem do Sr. Dr. presidente eonvido a to-
dos os Srs. acattemico en geral que comparetjam
domingo (19 do corrente) no consistorio do con-
vento de S. Francisco areoniioque dave terlugar.
0 1* secretario,
Amancio C. de Cantalici.
Xa praya da Independencia, loja do ourives
n. 33, compram-se obras de ouro, prala e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en- j
commenda, e todo e qualquer concert, e igual-
mente se dir quem d dinheiro a premio.______
' Precisa-se de urna ama de leito ; ra de!
Hortas n. 130,
Aluga-se um sitio na estrada da Ponto de
Uchoa e a marg.'m do ro, pouco adiante do lUin
Sr. commendader Nery Kerreira, lendo banhoiro,
palampie, gatinheiro e outras acomnMxlae/>es ; e
outro dito no Muuleiro, em frente ao oiliio tlaigre-
ja : a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Sou-
za, ra do Crespo n. lo, ou estreita d Ib ario nu-
mero 'i. ^^^_______________
"ATTEgAO.
Precisa-so de 6005 a premio com hypotbeca
em uma parto de nm sobrado : quem pretender,
dirjase ra Nova n. 30, offleina do maracure,
que se dir quem f o Jilo negocio.
liAfiTHOLnMKl' na Larga Vende:
Ventosas de ?omma elstica.
Esmaltes para ourives.
Fundai inglezas.
Vidrosde bocea larga rom rollia.
Tinta branca em ma a libra._______________________________________
Precisa-se de uma ama qoeeozinhe, para ca-
sa de homem solteiro : na roa Direita n. 7H, red-
naco.
Aluga-so uma escrava de meia Jado para
vender na ra e fazer algum servias de essa ; na
roa do Pilar n. 90, em Fra de Portas.
Alliuus mea vinle retratos.
Vende-se os lindos albuns para vinle retratos pe-
I lo barato preco de 25 cada um : s no vigilante
ra do Crespo n. 7.
RIVAL SEM SEGUNDO
Ilua do 0"''imado ns. 49 e 35, loja de miudezas
de Jos de Azevedo Maia e Silva, est continuando
no sen progresso de vender baratissimo :
Caixas de superiores obreias de cola e massa a
40 rs.
Cordao branco para vestido e esparlilho, vara 20
ris.
Lulias de carretel (130 jardas) de superior quali-
dade a 60 rs.
Carios de linha Pedro V (200 jardas) j muilo
conhecida a 40 rs.
Crozas de pennas de ac de muitas qualidades e
superiores a 300 rs.
Caivetes de duas folhas porm finos a 500 rs.
Caixas com calungas muito bonitas para rap a
100 rs.
Franja branca e de cores para toalhas a 160.
Pares de botoes para punbo muito bonitos a 120.
Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a
120 rs.
Tinteiros de vdro com superior tinta a 160.
Dilos de barro com superior tinta a 100 rs.
Groza de botoes de louca pratiados, o melhor, a
160 rs.
Tesouras para costura, o mais superior, a 400 rs.
Ditas para unhas muito finas a 400 rs.
Escovas para limpar denles muito superiores a
200 rs.
Libras de lia de todas as cores (pesada) a 73.
Caixas de phosphoros de segnranca a 160.
Ditas de papel amizade pautado e liso a MO rs.
Ditas com 100 anvelopes muilo superiores a 800
ris.
! Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
; Carlas e taboadas para meninos & 80 rs.
Caixas com superiores iscas de acender charutos
a 40 rs.
Carreteis de lnha Alexandre (200 jardas) decores
| a SO rs.
Ilaralhos para vollarete muito finos a 240.
! Cartas de alfinetes franceses muito finos a 40 rs.
Meadas de linha fixa para bardar a 20 rs.
Pares de sapalos de tranca, muito superiores a
15600.
Papis de agulha com um pequeo toque a l r.
Groza de botoes de madrepcrola muito linos a
560 rs.
CartSes e caixas de celchetes francezes superiores
a 40 rs.
Roners para meninos muito finos a 15300 e 25-
i Macos de grampos superiores e limos a 30 rs.
' Groza de phosphoros do gaz muito novos a 25o0.
Arcia preta muilo superior a 100 rs.
I Caixas de" rap com espclho a 100 rs.
1 Realejos para entreter meninos a 80 rs.
Pecas de fila de linho muilo boas a 40 rs.
Pentes de lago muito bonitos a 15-
Eufetes de laeo de todas as cores a 15300.
Wodas com alfinetes franceies a 20 rs.
Caixas com quatro papis de aguihas imperiaes a
940 rs.
Sabonetes de familia a 80, 160 o 320.
Caivetes do duas folhas muito linos a 320.
. Pares de sapalos de laa para meninfls a 400 rs.
; Sapatoe de tranca para senhora e para homem, os
melhores que tem vindo, e por prer;o muito barato:
le, ra do Crespo n. 7.
1'u'siMlilS.
Lindas pulseiras de comas e de missanga, cores
muito lindase de milito gosto a 15 e 150O.
Para segurar aanfldlM.
Tambem chegaram as liguinbas eslreiiinlias de
borracha que as senhuras lauto precisam para se-
gurar os manuitos por ser muilo commodo e mui-
to barato, a 320 o par: s no Vigilante', ra do
Crespo n. 7.
Sa|iaiinl]s e rafias ilr seda.
Riquissimos sapalinhos de seda e de merino en-
feilados, assim como meiasziuhas de seda, gorra-
zinlias e touquinhas para as criancinhas se bapti-
) snem : s no Vigilante, ra do Capo n. 7.
Caricias.
Riquissimas carretas de madreperola proprias
I para jualqucr presente, pelo baratissimo preco de
115300 e 25-
Vollinlias.
Lindas voltinhas de perolas falsas com cruzinhas
tingindo brilhant-s, assim como cruzinhas avulsas
e voltinhas, pelo barato pree de ['i e 15200. as
cruzes avulsas a 400 rs. : so no Vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Golinliiis.
Riquissimas goiinhas e manguitos, o melhor gos-
to possivel, a 25. 25500 e 35: s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
r'nfeitrs para senhora.
Riquissimos enft-iles com laco e sem laco e de
outros muitos gostos a 15, 15500 e 35 : s no Vi-
gialnte, ra do Crespo n. 7.
Trancelins.
Lindos trancelins de cabello para relogio on lu-
netas, pelo baratissimo preco de 15500, ditos de
retroz a 200 rs.
Bubadinhos nilmiirinv
Riquissimos babadinhos entremeios com lindos
desenlies tapados e transparentes, pelo baratissimr
pre?o de 15200, 15500. 25 e 35 : s no Vigilante,
ra do Crespo n. 7.
CHseairilhas.
Grande sortimento de cascarrilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites : s no Vigilante, ra do Cres-
po n. 7.
Fitas.
Grande sortimento de fitas de diversas larguras
e qualidade, por preeos que admiram aos compra-
dores, havendo fitas largas proprias para sinieiros
que se pode vender a :mii rs. a vara, e pera de 3
varas a 5 s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
l'ias de la.
Fitas de laa de todas as qualidades. proprias para
dehrum de vestido a 700 rs. a peca : s no Vigi-
lante, ra do Crespo n. 7.
Ricos esprlhos.
Riquissimos espelhos com moldura dourada e
sem ella de 85, 10. 12 e 145. assim como coa co-
lumnas de diferentes tamanlios a 25, 3, i, 5e 65:
s no Vigilante, ra do Crespo n. 7.
1.1 orlos jarros c flgnrax.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana tina
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que aqoi
tem apparecide : s no Vigilante.
ai-:i pos le arroz.
Riquissimos vasos com bonera para pos de ar-
roz, cousa de muito gosto a 15500 e 25. assim co-
mo paroles s com os pos a 320 rs. cada um : so-
n Vig lante, ra do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimento de extractos c banha-, poma-
das, assim como os lindos copos ou v,-s ,.,in ffls-
tinctivos e offereeimentos as sinhazinhas, dos me-
lbores e mais afamados autores de Caris e Ingla-
terra, assim como os graudes copo* de bania japo-
neza a 25 e a 15 ; assim como outros obiccios que
nao possivel por hoje annunciar, e avistados
fi eguezes se far todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, ra do Crespo n. 7.
Vende-se urna parle do engaito S. Joao na
freguezia de Serinhaem, distante duas legoas da
e-i.iean da Gamclleira : os pretendenles dirijam-
se ra do Caldeireiro u. 43, ou na estac.ao da
Trombela, a fallar com Francisco de Assis Vascon-
celos, que se explicara o negocio, e as vairtayens
que se olerece, nao deixaro os pretendenles de
fazer negocio.
Cal de Lisboa c potassa da
Rnssla.
Vende-se na ra da Cadeia do Recife n. 26, para
onde se mudou o antigo e acreditado deposito da
. mesma ra n. 12, ambos os eneros sao novos e
quom quiwr ver, venha ra do Queimado ns. i legtimos, e se vendem a preco mais barato do que
49 e 55, t> ver tudo carao botn s barato.
1 ara tqualquerparte.


f
Diario de FernamSmeo abhado 18 de Juitho de 18 4.
COMMER
v
RA DO QUEIMADO V. 45.
Eassando o becco da Congregado segunla casa.
PARA BEM DE TODOS
FAZEI FAVOR DE LR ESTE ANNUNCIO
da economia domestica que se vai tratar. .
0 assumpto importante.
iii;m oi*itio-sti Al I Vil,
0 verdadeiro b principal armazem de molhados o do

NOFIDADE
Pereira Rocha 4 C. acabam de abrir na ra do Queimado n. 45 om armazem de molhados denominado Clarim Commercial,
onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sormento dos melhores generos-que vem ao nosso mercado, os quaes
aero vendidos por procos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se o bom peso
e boa qualidade dos gneros comprados neste armazem.
Arroz do Maranho, da India e Java a60, 80
e 100 rs. a libra e i 800 a 200 e 3j
a arroba.
Ameixas francezas em latas e em frascos a
16200 e 1^(500 em fiascos grandes a
20500.
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas
com ricas estampas no interior das caixas
a 12,5000,1^400, 10600 e 20.
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.
a libra.
Alpista a ICO rs. a libra e a 40GOO a arroba.
Azeite doce francez muito uno em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa.
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes de diversas marcas a
10300 ris.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs.
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinlia e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor einada a 440 rs. a libra e
eembarrila 410 rs.
Cha hvsson, huchin e perola a 10600,
20500, 20800 e 30000 a libra.
dem preto muito superior a 20000 a libra.
Cerveja preta e branca, das melhores marcas
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco,
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 10800,
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e
30500 a caixa.
Caf do Bio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 e 80800 rs. a arroba.
dem londrino chegado no ultimo vapor a
900 rs. a libra.
Carios de bolinhos francezes muito novos e
muito bem enfeilados a 700 e 600;rs.
Chouricas e paios muito novos a 800 rs. a
libra.
Cevadinha de Franca muito superior a 220
rs. a libra.
Cevadaa 80 rs. a libra.
Ervilhas portuguezas a 640 rs. a lata.
dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
Figos de comadre e do Douro em caixinhas
de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
10800, 50500 e 280 rs. a libra.
Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
Gcnebra de Hollanda verdadeira marca VD
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
dem em garrafes de 3 e 5 gales a 50500
e 70500 cada um com o garraao.
Graixa a 100 rs. a lata e 101OO rs. a duzia.
Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
dem, qualidade especial e garrafas muito
grandes, a 10800 rs. a garrafa.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
dem, garrafa forma de pera e rolha de vi-
dro, a 10000 rs., s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 960 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a libra.
dem de tempero a 400 rs.
Massa de tomates em barril a 480 rs. a libra.
dem em lata a 640 rs.
Marmelada imperial dos melhores conserva-
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
dem regular a 500 rs.
Massas finas para sopa ; estrcllinha, pevide,
rodinhas e letrianhas a 600 rs. a libra e a
40 a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Peixe em latas preparado pela primeira arte
de cozinha a 10 rs. a lata.
Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
Palitos de dentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas confeitadas a 900 rs. a libra.
Doce de goiaba em latas o melhor possivel a
20 e em caixo a 640 rs.
Palitos do gaz a 20200 rs. a grosa.
Passas muito novas a 480 rs. a libra
Peras seccas muito novas a 600 rs. a libra.
Painfo a 200 rs. a libra.
Polvo secco muito novo_a 400 rs. a libra.
Presuntos de Lamego em calda de azeite e
muito novo a 640rs.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 30100
dem prato.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nante* a 3e0 re.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toutnho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Tijoos de limpar facas a 140 rs.
, Vell>s de carnauba pura a 360 rs. a libra,
dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
libra.
Figos em caixinhas emticamente lacradas
a 10600.
Vinho do Porto engarrafado o melhor que
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam: Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D. Pedro, D. Luiz I, Maria Pia,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada,
dem branco de Lisboa muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 00 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs.
a duzia.
IdemMorgaux eChateauluminide 1854, a 10
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
40200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porcao de outros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porces como a
retalho.
Quom comprar de 1000000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
BAL
IZA.
UNIAO MERCANTIL
RIJA BACAIMBIA DO RECIFE IX. 53.
NOVO E
OEAWDH SMZEM DE MOLHADOS
RIJA DA CAREIA DO RECIFE W. 53.
Francisco Fernandes Duarte acaba de abrir na ra da Cadeia do Becifen. 53, um grande esortido armazem de molhados de-
nominado Una Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeitavel publico um completo sortimento dos melhore
ceneros que vem ao mercado, tanto esirangeiros, como nacionaes, os quaes serSo vendidos em porces ou a retalho por precos assi
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
10200 a caada.
Manteiga ingleza especialmente escolhida
de primeira qualidade a 900 rs. a libra,
em barril se faz abatimento.
Manteiga franceza a mais superior do mer-
cado a 6oo rs. a libra, e 580 rs. em barril
ou meio.
Prezuntes inglezes para fiambre, de superior
qualidade, chegados neste ultimo vapor, a
720 rs. a libra.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor a 40000.
Queijo pralo muito fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Castanbas muito novas a 120 rs. a libra e
e 30000 a arroba.
Cha uxin o melhor que ha neste genero,
mandado vir de coota propria a 20800
rs. a libra.
Cha hyson muito superior a 20560 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio para negocio a
10500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 20 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com differentes
qualidades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
outras muitas marcas a 10350.
Bolachinha de soda em latas grandes a 20.
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 10 e 20 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 500 rs. a libra e 30 um quarto ;
e em caixa se faz abatimento.
Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem vmdo ao nosso mercado a 180 o gigo,
garante-se a superior qualidade.
Vinho Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 70500 a 80000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Caixas com vinho do Porto superior de 90
a 109 a duzia, e 900 a 10 a garrafa; deste
genero ha grande porcao e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 149 e 150 a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do Douro, D. Luiz,
Cames, Madeira secco, Carcarellos, Nc-
tar de 1833, Duque Genuino.
Vinho de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 30, 30200
e 30500 a caada.
Vinho branco de superior qualidade, vindo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
rs. de barril.
Sardinhas de Nantesa 340 rs. o quarto e 560
rs. meia lata.
Latas com peixe em posta : savel, corvina,
vezugo, cherne, linguado, lagosiioba, a
10300rs.
Salmo em latas, preparado pela nova arte
de cozinha, a 800 rs.
Macaa de tomtes em latas de 1 libra a 600
ris.
Chouricas e paios em latas de 8 e meia libra
por .70.
ToQCnho de Lisboa a 320 rs. a libra e
80600 a arroba.
Bolaxinba ingleza a 320 rs. a libra e
barrica.
40a
_ a .
Azeite doce retinado em garrafas brancas a
800 rs.
Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
40800 a caada.
Geneora de Hollanda a 500 rs. o frasco e
50800 a frasqueira.
Caixinhas com ameixas francezas, ornadas
com ricas estampas na caixa exterior,
muito proprias paramimo,a 10200,10500
e20.
Frasco de vidro com lampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a
10200
.. ... ,. iSac muito novo a 240 rs. a libra.
Marmelada imperial, dos melhores conser-, | d p 200 m
veiros de Lisboa, em latas de 1 e meia a d ^^ i20 rs a ,ibra
2 libras a 600 re a libra. A verdade|ra a 320 rs. a libra.
Fructas em calda das melhores quahd des ,ibra ^ ^
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoas de casca molle a 400 rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs. a libra.
Amendoas confeitadas de diversas cores a
800 rs. a libra.
Macaas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, s vista se faz o prego.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. eaa um.
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 10200 a libra.
Chocolate hespanhol a 10200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 19.! Macarrao, talbarim e aletria a 480 rs. a
Cerveja branca e preta das melbores marcas bra; em caixa se faz abatinwnto.
qne ha no mercado a 500 rs. a garrafa e Eslrellinba, pevide e arroz emassa para sopa
59800 a duzia. a 600 rs. a fibra e 30 a caixa com 6 horas.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
e 10200 a garrafa.
Licores francezes das seguintes qualidades:
Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames Gomma de engommar muito fina a 180 rs.a
Alpista a 160 rs. a libra e 40800 a arrebt-
Batatas muito novas em gigos com 40 libra
por 10500.
Cebollas a 10 o molho com mais de 100 ca-
da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 rs.
a libra e 90 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 rs, a li-
bra e 80400 a arroba.
Caf do Rio, proprie para negocio, a 80.
Arroz do Maranho a 100 rs. a libra e 20800
a'arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 2940Q a
afroba.
Vellas de spermaceti a We rs. a libra e
540 rs. se for em caixa., .
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o ma-
soe a 90 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caixo.
b-
Palitos de dente lixados com flor a 200 rs.
o masso, ditos lixados sem flor a 160 rs
o masso com 20 massinhos.
e de outras muitas marcas a 10 a garrafa
e 100 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
90 a duzia.
Mostarda ingleza em potes j preparada a
400 rs.
Mestarda ingleza em p, em frascos grandes,
a 10 cada um.
Sal refinado a 500 rs. o pote.
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a libra e
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inteiras ou em meias, de
10600, 20 e 30.
Presuntos do reino, viudos de conta propria
de casa particular,a 400 rs. a libra; inte)-
ro se faz abatimento.
Mngueni contestar esta verdade.
Afama tara correr esta noticia.
A posteridade bemdir o nome do Baliza.
Actualidade Batel palmas de contentamento!
Sem mitras ncm corai para ornar a fachada de seus annuncios, e as portas do edificio cm que habita, o Baliza se
contenta em tomar, o seu lugar de honra na vanguarda do todos os homens do progresso.
Sopre embora o maldito Clarim, o seu toque de retirada a marche-marche do desacreditado Progresso; arme a tonda
dos falsos apostlos da sinceridade no tratro, da realidade na pratica dos- negocios commorciaes. revele finalmente a sua
grande insobordinaco fingindo desconhecer os seus superiores, deixando-se ficar sentado, om vez de perfilar-se c fazer a
continencia do estylo, porque o incansavcl Baliza sompre fiel ao seu juramento ter continuamente na melhor ordem todo o
seu trem de guerra e no mais complecto movimento, o seu prestimo para bem servir, desde o mais simples camarada at
o mais alto general da primeira classe do exercito dos seus constantes freguezes.
Entremos na materia :
SENTIDO!
ORDEH DO DA.
Desde a 1.a publicado dosle annuncio at segundo aviso Manoel Pedro de Mello, propietario do grande armazem
do Baliza estabelecido ra do Livramcnto ns. 38 o 38 A vender a todos os seus freguezes.
Cinco por cento menos
que qualquer dos seus amaveis collegas que por menos annunciar. Qualquer objecto que nao chegue a contento dos se-
nhores compradores, pode ser devolvido ainda mesmo pelas pessoas que morarem no centro da provincia.
O dinheiro recebido pelo gener0 que niio agradar ser restituido sem constrangimenlo algum.
Beclaraeo importante.
falso o boato que tem feito espalhar o soldado soprador da ra do Queimado de que se acha o Baliza associado
ao armazem Uniao Mercantil aberto a ra da Cadeia do bairro do Becife.
A liga entre os collegas um crime de lesa-povo.
E entre-tanto o Baliza liguciro. ,
Ligueiro sim das ideas liberaos dos progressistas de todo o universo aos sentimiento mais ntimos de seu coracao.
Deste modo de pensar ser o Baliza eternamente conservador.
>S? 'ss w^ tur -^db3 w^ss sr^ ^^Sggr
MOVIMENTO
BAIRRO DO RECITE, RA DA CADEIA N 50
O mais novo e o melhor
ARMAZEM HE MOCHADOS
Esquina defronte da ra da Madre de Dos
Antonio da Silva Campos, suceessor do amigo Xascimento defronte do becco Largo, bem co-
nhecidoj nesta praca, acaba de transferir o seu estabelecinienlo para a casa cima indicada, onde
os seus benvolos amigo a-freguezes, bem como o respeitavel publico em peral encontrarao o mais
variado, escolhido e melhor soitSnento de molhados, a par do aeeio, elegancia e bom rgimen do esta-
belecimento. .
O annunciante, tendo fcito nma completa reforma no tocante a casa e peero?, possuindo Dons
correspondentes na Europa para remessas de conta propria, acha-se convencido que merecer a pro-
teccao de todos os amigos do bom e barato, a qual desde j reclama, asseverando-lhes que jamis des-
merecer a confianca com que se dignaren) de o honrar.
Em resumo, visito o respeitavel publico o novo e superior armazem Movimento, eompre-lhe al-
guns gneros, e entao flear convencido da realidade do presente aviso, verificando por si mesmo que
nenhum outro estabeleciaiento o lerve melhor que este, seja em commodidade de precos, agrado e
delicadeza, ou legalidades* pesse medidas.
Finalmente, todas e quaesquer garantas que estabelecimentos idnticos teem olterecido aos
concurrentes, sero mantidas neste em grao maior. _______^____
LIQUIDACAO
ARMAZEM CONSERVATIVO
23Largo do Terco-23.
Joanuim Simo dos Santos tendo de se retirar est resolvido a liquidar e fazer urna grande
vantagem a emTeu armazem frequenlar, e vender por menos do que ^JB*g"mg&
para io tem um vantajoso sortimento unto neste armazem como (ora e para melhor servir o publico
oPannunciame ^cientfica aos seus freguezes cge le 'rW*o* J^^tT
hora em diante terao a vantagem de 10 a 20 por Cento menos que compraram em outra poca pelo
seu prompto pagamento.
Attencao.
Ossenbore que compraren ck 4000000 puicM, tero o descont de 5 por cento, pelo prompto pagamento.
Caf do Rio de primeira e segunda sorte a 270 e
300 rs.
Arroz miado a 80 e 100 rs. a libra e 2*400 e 3*
a arroba. mon.
Milho alpista limpo a 170 rs. a libra e 4#800 a
arroba.
Toucinho de Santos e Lisboa a 240 e 280 rs. a libra.
Passas de carnada a 500 rs. a libra e 10 a caixa.
Azeite doce de Lisboa uno a 640 rs. a garrafa e
4*800 a caada.
Dito de carrapato a 320 rs. a garrafa e 'ifitw a
caada. .
Massas para sopa aletria, macarrao e Ulnanm a
480 rs. a libra e lOJa caixa.
Chouricas as mais novas a 800 rs. a libra.
Charutos em macos de 50 a 6$ o milheiro e a
640 rs. o cento.
PLVORA.
Vende-se em barril por menos do que em outra
qualqner parte, para fechar conta : no armazem
de J. A. Moreira Dias, ra da Cruz n. 26, onde en-
contrarao as amostras.
S. Joio, S. Pedro e Nant'Aona.
Sorles avulsas em meias folhas e folhas de pa-
pel, contendo am grande numero de sortes pro-
prias para cortarem-se, livros e cadernos contendo
differentes maneiras de tirar as sortes, tudo pelo
preco mais commodo possivel : na ra do Impera-
dor n. 15.
Folha de ferro jplvamsado para telhado :
na ra da Cadeia do Recife n. 56 A, toja de ferra-
gens de Bastos.
Dito em raixa da Bahia dos melhores fabricantes
de 1*200, 2*400 35 e 4.
Phosphoros do gaz vindo de conta groza 2*300.
Manteiga ftanceza a 600 e 640rs. a libra.
Dita ingleza flor a 800 e 900 rs. a libra.
Riscoutos e bolachinhas de soda a 1*300 e 2*.
Vinho do Porto eagarrafado a 800 rs., garante-se a
superior qualidade.
Dito om pipa Figueira das marcas mais bem co-
nhecidas a 500 rs. a garrafa e caada 3*800
e 3*500.
Dito de Lisboa especial para negocio a 360, 400 e
440 a girrafaeem caada faz-se abatimento.
Dito branco proprio para missa a 640 e 500 a gar-
rafa e em caada a 5* e 3*500.
Bolachinha americana a 200 rs. a libra e em bar-
rica ha grande abatimento.
Ferros para onrlves.
Na ra larga do Rosario n. 24, loja de ourves,
vendem-se lodos os ferres e otencihos de ounves.
Alg<
ndo da Bahia
para saceos de assucar e roupa de escravo; tem
para vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo &
C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1._______
Para
ATTENCAO.
Pedro
a Testa de Santo Antonio, S. Joao, S.
e Sal'Auna.
Para fazer bolos, vende-se massa com toda lira-
peza e perfeicao : na abobada da Penha, janella
que tem tres frascos de vidro n. 37 -, e igualmente
tem mandioca, e vende-se Unto em porcao como a
retalho.
Attencao
O dono da loja do Beija-flor, na na do Queimado
n. t>:i, acaba de abrir um outro espacoso estabcle-
cimenlo de miudezas na niesma ra 69, por isso
avisa aos seus freguezes o amigos, que oestes dous
estabelecimentos encontrarlo sempre grande sorti-
mento de miudezas, perfumarlas e objeelos de gos-
tos; e vender sempre mais barato que outro qual-
quer, como abaixo se ver.
Pentes delirados de Iravessa.
Delicados pentes dourados de travessa para me-
ninas a 1*500 cada um, ditos sem ser dourados a
500 rs. cada um : as lojas do Beija-Oor, ra do
Queimado ns. 63 e G9.
Voltinhag de aljofares.
Lindas voltinhas de aljofares com cuzes de pe-
drinhas imitando a brilhantes a I* cada urna : as
lojas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Luvas de Jouvin
Chegaram pelo ultimo vapor as desejadas luvas
de Jouvin de todas as cores, tanto para homens
como para senhoras : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 c 69.
Talhercs para meninos.
Vendem-se talheres de cabo de halanco para me-
ninos a 280 rs. o talher : as lojas do Beija-flor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Collieres de metal principe.
Vendem-se collieres de metal principe muito fi-
nas para sopa a 3,5600 e 4*400 a duzia, ditas para
cha a 2* e 2*400 a duzia, ditas para assucar a
500 rs. cada urna, ditas para terrina a 2* cada
urna, e s quem vendo por estes precos as lojas
do Beija-flor, ra do Queimado us. 63 e 69.
Facas e garfos.
Vendem-se facas e garfos oitavados a 2*800 a
duzia, ditas cravadas, cabo preto e branco a 3* a
duzia, ditas de balanco de 1 botao tinas a 5*200
ditas de 2 botoes muito finas a 6*500 a duzia, ditas
de 1 boln para doces e fructas a 5* a duzia, ditas
de 2 botoes a 5*200 a duzia : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e 69..-
I ii as bordadas.
Vendem-se tiras bordadas, a peca a 1*100, 1*200
e 1*300 : as lojas do Beija-flor, ra do Queimado
ns. 63e69. v
Baludos bordados.
Vendem-se babados bordados de varias larguras
a peca a 1*600, 1*800, 2*. 2*200 e 2*400 : as
lojas do Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Lindes sapalinbts.
Vendem-se lindos sapaiinhos para tiaptisados de
enancas a 15500 e i o par : as lojas do Beija-
flor, ra do Queimado ns. 63 e >9.
Bolees para punios.
Vendem-se botoezinhos de madreperolaede mar-
tira para punhos a 320 rs. o par, ditos encarnadi-
nhos a 120 rs. o par : as lojas do Beija-flor, ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas para debruin de vestidos. -
Vendem-se fitas de lita de todas as cores para
debrum de vestido a 900 rs. a peca, ditas preta*
de seda a 1*100 a peca : as lojas do Beija-Oor,
ra do Queimado ns. 63 e 69.
Fitas brancas para delira.
Vendem-se peca- de lita branca de linho para
debrum a 400 rs. a peca : as lojas do Be i ja flor
na rna do Queimado ns. 63 e 69.
Ritas Gtas tarradas.
Vendem-se muito ricas fitas lavradas para sinto
de sentiora e meninas : as lojas do Beija-flor, roa
do Queimado ns. 63 e 69.
Kspelbes de Jacaranda.
Vendem-se espelhos de columnas, de Jacaranda,
a 3* e 4*500 cada um, ditos de madeira amarella
a 2*400 e 2*800: as lojas do Beija-flor, na ra
do Queimado ns. 63 e 69.
Filas de velludo estrellas.
Vendem-se filinhas estrenas de velludo para en-
feite de vestido a 900,1* e 1*200 a pe?a: as lo-
jas d Beija-flor, ra do Queimado ns. 63 e 69.
Vendem-se trancinhas de laa pretas para bor-
dar camisinhas e vestidos a 80 e 160 rs. a pecinha,
ditas brancas com 40 varas a 600 rs. a peca, e ou-
tras muitas cousas que setornarao enfadonho men-
ciona-las, pois s com a vista se poder vero gran-
de sortimento das lojas do Beija-flor, na rna do
Queimado ns. 63 e 69.


Diarlo de I'crnamburo Sabbado 18 de Jim lio de 1S4.
GRANDE
sorlimcnto de fazendas novas vindas
pelo vapor inlez para o propriela-
rio do grande araaiem e leja de fa-
zendas da Aran, roa da Impera ti-iz
d. H>, de Loureuco fereifa Heuies
/ o
(iu i maraes
I'edncka, a 3200.
Vende-se baralissimo para apurar dinheiro, a
saber : cortes de chitas francezas de cores escuras
e claras com 10 covados por 33200, ditos de chitas
inglezas a 23400, ditos de cassas francezas a 23 e
23500, ditos de cambraia de salpicos a 23500 e 33:
s na Arara, ra da Imperatriz o. 56.
.1 Arara vende a 2-10 rs.
Vende-se orgaudys tino para vestido a 240, 280
e 320 rs. o covado, casta franceza tina a 320 o co-
vado, gorgur.o de linho para vestido a ;S0 o cova-
do : toja da Arara, ra da Imperatriz n. 56.
A Arara vende liaziuhas de urna s cor
a 610 rs.
Yendem-se ricas laazinhas lisas proprias para
ramas e vestidos, os melhores gostos possiveis, a
640 o covado, ditas Maria Pia muilo fina com pal-
mas a 640 o covado : ra da Imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Cores de cascmlra a S#.
Vende-se cortes de meia casemira para caiga a
23, ditos melhores a 25500 e 35, ganga para caifa
a 440 o covado, brim de linho preto a 500 rs. o
covado : ra da lni|ralriz n. 50.
Fil de i ilio a 82o rs. a vara
Vende-se tilo de linho branco proprio para forro
de vestido a 320 rs. a vara,' larlatana de cores
a C40 a vara, fil de linho fino a 800 rs. a vara :
na ra da imperatriz n. 56.
Veo para senhoras a l.OOO rs.
Vendem-se os mais modernos veos para chapeos
de senhoras a 15 um, de todas as cores, manguitos
de l e bordados a 500 rs., manguitos e gola a
15, golinhas para senhoras c meninas a 240 e 320
rada urna, camisinhas linas para senhoras a 25 e
45500 : s na Arara, ra da Imperatriz n. 56.
Arara vende es caries de la Maria l'ia a -18<>.
Vendem-se ricos cortes de la de barra os me-
lhores (|ue tem vindo, pelo prego de 185 o corte,
ditos a 85, vende laazinhas em covado a 240, 280,
320, 400, 500 e 640 o covado, dtas lisas de cores a
640, casemiras para capas de senhoras a 25 o co-
vado : ruada Imperatriz n 56, loja e armazem da
Arara, de Mendes Guimaraes.
(tramante da Arara a 2$200 a vara.
Vende-se bramante de linho de 10 palmos a
252OO a vara, panno de linho para saceos e cerou-
las a 640 a vara, haraburgo de linho a 440, 560 e
000 rs. a vara, brim de linho branco lino a 15200,
15400 e 15600 a vara, dito pardo a 800, 040,15 e
1 200 a vara : ra da Imperatriz n. 50.
Chitas da Arara a 210 rs.
Vendem-se chitas finas a 240 c 280, ditas largas
a 320, 360 c 400 rs. o covado, de cores fixas : ra
da Imperalriz n. 56, loja da .iran, de Mendes Gui-
1naraes.
diales da Arara a 30800.
Vendem-se chales da merino eslampados a 25,
25500, 45500 e 55. tilos de laa e seda a 15 : ra
da Imperatriz n. 56, loja da Arara.
Oh que pechincha. a 1-5000.
Vendern se lencos de seda grandes a 15, ditos
pequeos a 800 rs., grvalas de seda de cores a 500
rs., ditas pretas de laa e largas a 800 rs., rollan-
nho para homem a 400 rs., meias cruas a 200, 240,
300 e 500 rs. o par : ra da imperatriz n. 56, loja
da Arara.
Fazendas prelas para luto, cassas, a 320 rs.
Vendem-se cassas pretas para lulo a 320 o cova-
do, veos prelos para chapeos do senhoras a 15,
luvas de seda pretas a 15: princeza prela entesta-
da a 640, 800 e 15 o covado, alpaca preta a 500,
640 e 800 rs. o covado, lazinha prela a 640. mo-
rim e bombazina : ra da Imperatriz, loja da Ara-
ra n. 56.
Grande soriiinentode roupa
folia.
Vende-se palotots de panno prelo a 165. 145,
125, 105, 85 e 65, ditos de brim de cor a 35500,
35e 25500, ditos de meia casemira a 45500 e35500
calcas de brim a 35 e 25500, ditas de brim bran-
co a 45500 e 355OO, ceroulas de linho a 25000 e
15800, camisas franceas de linho a 35, ditas de
algodao a 25500 c 25300 : na ra da Imperatriz,
loja Arara n. 56.
.Nao fsqiiecan os bales da Arara.
Vendem-se baldes do 15, 2(1, 30 e 40 arcos a 35,
355OO, 45 e 45500, ditos de brillantina a 45, co-
larlas de chita a 25, ditas de damasco a 45, ditas
de fustao a 55 : ra da Imperatriz n. 50, loja da
Arara.
Siiiitamliai ipn' da Arara a 20 e '->'\
Vende-se soutainbarque muito liem enfeitadoa20
e 255 cada un, veos pretos e de cores para senho-
ras a 15 cada um, ciscados francezos a 280 o co-
vado. Todas as fazendas existentes neste estabe-
lecimento vendem-se por proco baralissimo, e do-
se amostras com penhor. 011 manda-se levar as fa-
zendas casa das familias pelo caixeiro da loja da
Arara, ra da Imperalriz n. 56.
Corles de MSN da Arara a 2&000
Vendem-se cortes de cassa a 25, ditos de dita a
25400, cortes de hadados a 35 : ra da Impera-
triz n. 56, lo a da Arara.
Grande liquidado
de fazendas na leja do Pavio, na da Imperatriz b. '
00, de Uama k Silva.
AcOa-se este estabelecimeato completamentesor-
tido do fazendas inglezas, francezas, allemes e
suissas, proprias tanto para a praca como para o
malo, prpmettendo vender-se mais barato do que
em outra qualquer parle principalnarnie sendo em
porfi e (fe todas as fazendas do-sj as amostras
deixando ficar penhor ou mandam-se levar em ca-
sa peles caixeiros da loja do Pavo.
As cuitas de Pavo.
Vendem-se superiores chitas claras e escuras pe-
le barato preco de 240 e 280 rs. sendo tintas segu-
res, ditas francezas linas a 320, 340, 360, 400 e
500 rs., o covado, ditas pretas largas e estreitas,
riscados escocezes finos a 240 rs. o covado, isto na
loja do Pavao ra da Imperatriz n. 00 de Gama &
Silva.
As castas do Pavao a 2 40, 280, 300 e 320 rs.
Vendem-se flnissimas cassas persianas cores fi-
las a 320 rs. o covado, ditas francezas muito finas
a 240 e 280 rs., ditas tarazas a 240 e 280 rs. o
covado, linissimo organd mateado com desenlio?
raiudinhos a 320 rs. o covado, cassas garibaldinas
muito finas a 320 rs., isto na loja do Pavo ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As laaziouas da eiposieo do Pavo.
Vendem-se as mais modernas laazinhas mossan-
bique chegadas pelo ultime vapor francez sendo
de urna s cor ou de listas miodinhas com 4 pal*
mos de largura, proprias para vestido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baratsimo
pre^o deSSO rs. o covado,. ditas entestadas trans-
parentes de quadrinlios a 500, 400 e 3G0 rs. o co-
vado, ditas matisadas muito finas a 500 e 400 rs.,
ditas mais baratas do que chita tambem matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Maria Pia com palma
de soda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de una s cor parda, azul, cor de lyrio e
perola proprias para vestidos; saucmbarques e
paribaldes a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
800 e 400 rs isto s na loja do Pavo, ra da Im-
peratriz n. 60, de Gama & Silva.
Os chales do Pavo.
Vendem-se finos chales de crepon estampados
pelo barato preco de 65, "5, 85, ditos de pona re-
donda a 75 e 85, ditos pretos ricamente bordados
a retroz com vidrilho a 125, ditos pretos lisos a
55, ditos de cores a 45500 e 55, ditos de merm
estampados a 25 e 35, ditos de la a 15280 e 25,
ditos de retroz preto para luto a 65, isto na loja
do Pavo ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Fazendas pretas para a qHaresraa vende o Pavo.
Vande-se grosdenaple preto muilo superior a
15000, dito a 15800, 25, 25500, 25801 e 35, 1110-
reantique preto muito superior a 85 e 25800, sar-
ja prela hespanhola muito encorpada a 25, isto na
leja do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
0 Pavo vende para lulo.
Vende-se superior setim da China fazenda toda
de la sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
prio para vestidos, paletols, capas etc., pelo bara-
to preco de 25, 25200, 25500 o covado, cassas
pretas lisas, chitas prelas largas e estreitas, chales
de merino lisos e bordados a vidrilho, manguitos
comgollinhas e outros muitos artigos que se ven-
dern por preoos razoaveis : na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os enrpinhos do Pavo
ESPLENDIDO SORTIMENTO DE MOLHADOS
M. 9 RIJA 1IO CRESPO J. 9
EsquiDa qne volta para a roa do Imperador
(>o se eogaucm com a mitra)
AMIGOS!
Nao leiam osle annuncio com precipitarlo.
Confronten) os "preces dosoalros annunciantes.
Venham ver os gneros que temos expostos a venda.
A vista faz f.
No temos palavras bombsticas.
Nao nos enculcamos o primeiro recebedor de conta propria.
Nao desacreditamos ao collega porque nao quiz ser nosso socio.
Val a quem toca.
Para abastecer a todos os habitantes desta bella provincia ainda nao sao suficien-
jtes as casas que actualmente oxistem abortas com grandes proponaos para terem um
magnifico sorlimenlo demolliados; assim, pois, os pi-oprietai ios do Armazem Principal
nao invejam a sorte dos seus collogas.
Habitantes de Pernamlmco.
Nos temos um excellente sori
so
f
excellente sorlimcnto dos melhores gneros que
em nosso mercado. Vindo ao nosso estabclecimento, e se a vossa boa
urna s vez ao menos, castigarnos nao rollando mais a nossa casa.
Acaba de receber de sua propria eiicommenda nm grande e variado sortimenlo' Amendoas confeitadas de bonitas cores a dem de Hollanda em garrafoes com
de molhados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em! i* rs- a ''^r.a* ,., garrafas a 7,2oo rs. com o garrafo.
1 de actor
fi Iludida
24
offerecer 3os seus freguezes e ao publico em geral a seguinte tabella dos seus gneros e ldem_de casca muito novas a 3oo rs. a libra. Lentilhas excellente lgame para sopa e gui-
resumidos precos, afianzando todo e qualquer genero vendido neste bem conbecido ar-. A^ellas a 2oo rs. a libra. zados a 2oors. a libra.
I Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
nina I?E^T A. estampas a l,2oo, l,4oo e l,6oo rs. cada | __ 800 o 1,000 rs. as garrafas grandes.
mazem.
DE
S. J0&0
Amendoas confeitadas de 800 rs. a libra.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, a lloo rs,
libra.
dem franceza a Goo rs. a libra, e 58o rs.
sendo em barril.
Cha uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras
para cima a 2,6oo.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para
cima a 2,7oo,
E S. PEDRO
uma- Manleiga ingleza perfeilamente flor a 800 e
dem em frasco de vidro com rolha do mes-| 96o rs. a libra,
mo ou de metal, a I,2oo e loo rs. ca- dem franceza nova j dese anr.o a Goo rs.
"m- a libra, e 060 rs. em barra inleiros.
da
ja, mella, cravo, rlela pntenla a l.ooolldem em frasco grandes 2,5oors.cada um. Marmeada especial' dos niel Lores fabricantes
rs. a duza l,ooo rs. a garrafa, garante-se dem em latas de i a e 3 libras a i,2oo e de Lisboa a Goo e 64o rs. a libia,ha latas
que e os melhores que temos tido no mer-
cado.
Passas em caixas de 1 arroba */i e '/* a 8,5oo,
1,5oo e 2,5oo rs. a caixa, e 000 rs. a libra
garante-se seren muito novas, e graudas.
dem corinthias proprias para podim a 9oo
rs. a libra.
dem hysson o mais superior que se pode, Marmeladas dos mais afamados fabricantes de
desejar a 2,6oo e de 8 libras para cima Lisboa a 64o rs. a libra.
Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra.
Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
Ervilhas francezas eco, latas a 600 rs.
Potes com sal refinado a 48o rs.
Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
fazenda especial.
cada uma a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata.' Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 800
! dem preto o melhor que se pode desejar rs. a libra.
neste genero a 2,8oo rs. Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
preco de 25, 23500,33 e 3&500, ditos muito linos a! p0r a 3,000.
, o'5 e 05. corles de casemira prela entestada a ,. ', Asmplhorps e mais frescos do
: 45, 4*300 e 63, casemira preta lina de uma s lem Prai memores e mais iresu uo
largura muito lina a 13800. 23. 23500 e 33,
cor-
tes "de casemira de cor a 5*, 53500 e 63, casemi-
ras enfestadas de uma s cor proprias para caifa,
palelots, colletcs, capas para senhora, ronpas para
meninos a :3 c .'1>'00 o covado, isto na loja do
Pavao, rua-da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A roupa do l'avo.
Vendem-se palotots de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muito boa a 123, ditos muito finos a
mercado a 76o rs. a libra sendo inteiro.
dem londrino a 600 rs., e sendo inteiro a
5oo rs. a libra, vende-se por este preco
pela porco que temos em ser.
Biscoits em latas de 2 libras das seguintes
marcas : Osborne, Crakntl, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine eoutras mu-
tas a l,3ooe 1 4oo rs.
163, 20, 253 e H03, calcas de casemira preta boa: pnivn< /.hpa-ulos nltimampritp do Porto a 3^0
fazenda a 43500,55, 63, 73 e 83, paletots saceos F0I\0S egaos ltimamente uo ro 10 a -o
de panno preto a 73, ditos de casemira de cor a >'s- a libra.
i 63 e 73, ditos de alpaca preta. ditos de merino' Balachinha de Craknel em latas de 5 libras
de trabalhar mo para
descaroear algodo
FABRICADAS
Por Plant Brothers & C.
OLDAM
Estas machinas
podem descaroear
uualqner especie
' ie algodao sem
eslragar o fio,
'sendo bastante
duaspessoas para
o tiabalh; pode
descaroear uma
arroba de algo-
dao em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 3 ar-
robas de algodao
limpo.
Esta machina
a nica que
possne as vantagens de nao destruir o fio do al-
godao e de fazer render o dobrode qualquer ou-
tra com menos trabalho, a sua introduccao para
as provincias deste imperio ser de muito valor
para todos os interessados na lavoura do pas.
Assim com machinas em ponto grande do mes-
mo systema.oraql serem movidas por animaes,
agua ou vapor, pas uaes podem descaroear 18 ar-
robas de algodo ampo por dia.
O algodo descampado por estas machinas tem
muito mais estimarn nos mercados de Europa e
vende-se por maiorpreco.
As machinas se achan venda unicamenie em
casa de ,
Saunders Brothers C.
IV. II, praca do Corno Manto
RECIFE.
Os nicos agentes neste paiz.
m s
Na fabrica de sabao da ra do Rangel n. 34 con-
tinua-se a vender sabao amarello raassa, tanto em
caixa eomoaretalho, M0 rs. a libra.
a2,5oo rs.
dem menos superior a 2,4oo ede 8 libras
para cima a 2,3oo rs.
! dem proprio para necocio a 2,3oo, de 8 l-
Vende-se os mais modernos corpinhos de cam- 1 jr braia ricamente bordados e enfeitados a 7 e 83 ;! &ras Para c,ma a 2>Z0-
na loja do l'avo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-1 dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
ma Silva.
Os vestidos do Pavo
Vende-se ricos vestidos de grosdenaple preto ri-
W^SS?S^^m^!^^^^^^ suPerior aesse ^ sevende Caias deifiquen. I a 8,5300 cada um..
e U031 ditos de cambraia brancosricamente bor-1 por, 2 e 2,-ioo, a 4,8oo rs. a libra. Massas para sopa macarrao, talharim aletria
dados a croch, sendo proprios para baile e casa-1 itiera mais baixo bom para negocio a 1,500 a 400 rs. a libra,
ment a 101 15, 20 e 303; ditos de laa com lindas | rs a ^ Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
Srmperariz Vft iASJt! V0 I^m miudinho proprio para negocio a l,5oo e 800 rs. a garrafa.
Os pannos do Pavio. rs. a libra. j dem francez a 7,ooo rs. a duza e 7oo rs. a
Vende-se panno prelo muito superior pelo barato | Queijos do reino chegados neste ultimo va-; garrafa.
Charutos em grande quantidade e de todos os
fabricantes mais a creditados a l.Soo,
2,ooo, 2,000, 3,ooo e 4,000 rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por ahi se ven
dema 2,ooo c2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8.800 e 9,500
rs. ajarroba.
dem de segunda qualidade a 8,000 rs. a ar-
roba e 26o rs. a iibra.
Arroz do Maranho a 12ors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. a libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a arro-
ba, e 80 rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaly a 9,000 rs. ar-
roba, e 32o rs. a libra.
dem de sebo muito dura (ingindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, <
caixa a 52e rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a 0,000 rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.000 rs.
Idemaimaco pautadoelisoa3,ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a2,5oors. a
resma.
dem aTat de botica ou fugueteiro a 2,2oo rs.
a resma,
dem embrulho de 1,2oo a i,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/i libra a
l,2oo e 800 rs. a libra,
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle i,000 rs. tambem temos em
frascos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.
Molhos inglezes a 800 e l.ooo rs. o frasco.
Moslarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
bem arranjado possivel a l,8oo e 2,8oo
rs. a lata.
Cerveja Tenente verdadeira a 6,800 rs. a
duzia.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,000 rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a l,ooo rs. o molhoe
800 rs. o cento..
Chocolate portuguez hespanhol e francez de
1,000 a l,2oors. a libra.
Geoebra de Hollonda em frasqueiras a 6,000
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garramesde 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de denles lixados em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a 32o rs. a libra e
lo.ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arneba.
Gomma a 28o rs. a libra e 5,4oo a arroba.
Peixcs em latas al,000 rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N, e Biato saceos
grandes a 4,000 rs.
preto, ditos de brim de cores, caigas de casemira
de cor a 43, i>^- <-3, 73, ditos de caxemira da
Escossia a 33, ditos de brim pardo a 2350.), ditos
de cor a 23 e 250O, ditos brancos muito finos,
sto na loja do l'avo, ra da Imperalriz n. 60, de
Gama & Silva.
Os cortinados do pavo.
Vendem-se ricos cortinados proprios para janel-
la e camas pelo barato preco do 93 o par, sendo o i
melhor que ha no mercado": na ra da Imperatriz
0. 60, de Gama A Silva.
As colchas do Pavo.
Vendem-se colchas de linho alcochoadas pro-1
prias para cama pelo barato prego de 53 cada nma
na ra da Imperalriz n. 60, de Gama & Silva
As precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas que tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor fran-
cez, pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas
de lislrinha muito nuudinhas proprias para vestidos
e ronpas de meninos e meninas pelo birato preco
de 500 rs.; s o Pavo ra da Imperatriz n. 60,
loja de Gama & Silva.
Os souteanbarqiies do Pavo
ion e l .* so o Pavo.
Vendem-se os mais lindos souteanbarques que
tem vimiIh ltimamente de lazinha e caxemira ri-
camente bordados e enfeitados, cores muito delica-
das pelo barato preco de 103 e 153 i fazenda esta
que em outras lojas se vendern por 203 e 253, i
s para liquidar : na loja e armazem do Pavo
ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
As chitas do Pavo UOO e
80SOO o corte.
Vendem-se cortes de chita com dozc covados
cada corte, ditos com dez covados a 23400, fazen-
da multo boa, e que nao desbota, s na loja do Pa-
vas tem esta pechinelm ; a ra da Imperatriz n.
60 de Gama & Silva.
Las de nma so cor.
Vendem-se laazinhas de uma s cor, sendo en-
carnada, azul, cinzenta, cor de caf, lirio claro, li-
rio roxo cor de perola pelo baralissimo prego de
iio o covado, fazenda muito lina s o Pavo, ra
da Imperatriz n. 60 loja e armazem de Gama &
Silva.
Panno de linho.
Vnde-se panto de linho com 4 palmos de lar-
gura proprio para lences, toalhas e ceroulas pelo
barato preco de 640 rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de largura a 23500, algodozinho
monstro com 8 palmos de largara a 13, pecas de
Hamburoo eora 20 varas a 93. 103 e 113, pegas de
madapolao fino a 73500, 83, 9* e 103, ditas de
73,
bruto a 4,000 rs.
dem inglezas em barricas a mais nova do
morcado a 2,5oo rs. a barrica e 24o rs. a
libra.
Cartoes com bolas francezas proprios para
mimos ou para anjos que v3o as procis-
soes a 600 rs. cada um.
Peras seccas as mais novas do mercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em htas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a l,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 120 rs. a libra, e 4,000
rs. a arroba.
Amendoas confeitadas a 800 rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de uma duzia a lo,ooo e
l.ooo rs. a garrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 000 rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 5oo rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,oeo rs. a caada.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composicSo a 560 a garrafa e 4,000 rs. a
caada.
Farinha do Maranho a 240 rs. a libra.
Ricas caixas com figos a 1,000 rs. cada uma.
Ricos livros com figos l,ooo rs.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrafoes'com 4 '/ garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. cora o garralao.
algodozinho a 63, 63500 e 73, e outras muitas
fazendas brancas que se vendern muito baratas I(jem ^^^'4 11 ,jtas e venagre a 1,000 rs. O
mheiro : na loja do Pavao ruadap __(*
alim de apurar d
imperatriz n. 60, de Gama & Silva,
O bramante do Pavo com doze
palmos de largara.
Vende-se bramante de linho puro, muito fino com
doze palmos de largura o melhor e mais largo qne
tem vindo ao mercado pelo barato prego de 25800
rs.a vara *, s na loja do Pavo de Gama & Silva,
aua da Imperalriz n. 60.
A precalas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
pelo barato prego de 600 rs. o covado, ditas de lis-
trinha muito miudinhas proprias para vestidos e
roupas de meninos e meninas pelo barato prego
de 500 rs.: s o Pavjo ra da Imperatriz n. 60,
luje de Gama & Silva.
Os bales do Pavo.
Vendem-se crinolinas ou bales de 30 arcos tan-
brancos como de cores, sendo americanos qiy
sao os melhoros por se nao qHebrarem a 33500 e
de 35 arces a 43, ditos de musselina com babados
43, ditos para menina a 23 e 33 : na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
O Pavo vende 80.
Vendem-se os mais lindos cortes de vestidos a
Maria Pia, com lindas barpas de seda, sendo che-
gados pelo ultimo vapor francez pelo barato prego
de 83 cada um : s na loja do Pavao ra da Impe-
ratriz n. 60, de Gama & Silva.
garrafo.
Vinagre PRR em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com a ancoreta
dem em pipa puro sem o batism a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8oo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de furin, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gin-
0 proprietario do grande armazem Unio e Commeicio dedara aos seus fregu
zes o amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos estipulen
os mesmos procos nos seguintes lugares: ^
Unifto e Commercio ra do Queimado n. 7.
0 Verdadeiro Principal ra do Imperador n. 40,
Fogoes econmicos
americanos.
Movimento.
Neste novo armazem vende-se o verdadeiro vi-
nho verde da provincia do Minti a 33800 a cana-
Vendem-se na fondigao da ra do Brnra n. 8i, da e garrafa a 500 rs.: na ra da Gadeia do Reci-
a 10,15, 20 25 e 303 cada um; baralissimo. fe n. 30.
2,ooo rs.
Arroz da India e Maranho o melhor que se
plc desejar a loo e 12o rs. a libra e
2,8oo e 3, loo rs. a arroba.
Azcile doce de Lisboa a 6oo rs. a garrafa,
e 4,8oo rs. a caada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada uma, c lo,ooo rs. a
caixa com i duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o a libra, e 4,6oo rs. a arroba.
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Reato
Antonio das seguintes qualidades: aguae
sal doces, e mperiacs em latas de 6 li-
bras a 3,ooo rs. e de 3 l% libras a l,5oo
rs. eemlibraa 6iors., estas bolachinhas
torna-se muito recommendavel com es-
pecialidade para os doentes.
Biscoilos e Bolachinhas de soda em latas, de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o rs. a lata.
Bollos francezos em cartees c de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Hlalas novas a 160 rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 2io rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
al boje tem vindo a nosso mercado a
l8,ooo rs. o gigo, l.ooo rs. a garrafa in-
teira, e 8oo rs. as meias
Cha uxim o melbor que se podo desojar e
que mitro qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2,7oo rs. a libra
dem perola especial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garante-se a qualidade
d'este cha
dem hysson o melhor que possivel en-
contrarle a 2. loo e 2,6oo rs. a libra.
dem do Rio em talas de 2, 4, 6 e 8 libras
a 1,200 e l,4oo rs. a libra.
dem preto muito lino a l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suisso a l,ooo, l,2oo e l,4oo
rs. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Josa Kur-
lado de Simas em caixas das seguin-
tes marcas Parizicnces, Suspiros, Dili-
cias, Napoleoese (uanabaras a 2,3oo rs.,
eem caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada uma.
dem de outros muitos fabricantes e de
dilferentes marcas para l,5oo rs. as mei-
as caixas de suspiros a l,6oo, 2,ooo e
3,ooo rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 8oo rs. o frasco.
dem franceza a 5oo rs.
Cognac inglez das melhores marcas a l,ooo
rs. a garrafa c lo,ooo rs. a duzia.
dem francez suporior qualidade 8oo rs. a
garrafa e 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e Lrva-doce a 4oo rs. a libra.
Cravo da India a 6oo rs. a libra.
Canella a l.ooo rs. a libra.
(Jopos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
5oo rs. cada um.
Caf do Rio superior a 28o e 32o rs. a li-
bra, e 8,8oo e 9,5oo a arroba.
Doce fino de goiaba a 6oo rs. o caixo.
Ervilhas porluguezas ltimamente chegadas
a 7oo rs. a lata.
dem seccas a 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs. a libra.
Farinha de araruta verdadeira a 32o rs. a
lbra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
a l,ooo rs. cada uma.
dem em latas ermilicamente lacradas a
l,5oo e 2,5)0 rs. cada uma,
dem em caixas de i arroba a 2,5oo rs. ea-
da uma, e 2oo rs. a libra.
Graixa muilo nova a loo rs. a lata e l.ooo
rs. a duzia.
Gencbra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6,ooo rs. e 56o rs. o frasco.
dem de laranja a l,ooo rs. os frascos gran-
des e U,ooo rs. a caixa com 12 frascos.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. ca-
da uma.
dem em garrafoes de iG garrafas a 4,800
rs. com a garrafo.
de differentes lmannos.
Massa de tomate em latas de i libra 56o rs.
cada uma.
dem para soda eslrelinha. pevide e rodinha
em caixinhas surtidas a 3,ooo e 3,5oo rs.
cada uma e 5oo rs. a libra,
dem macan o, taleiim e aletria a4oo re.
a libra.
Mostarda franceza preparada i m frasco a loo
rs. cada um.
Molho inglez em garra fu ihas com rolhas de
vidro 64o rs. cada uma.
Marrasquino verdadeiro do Zara a l.ooors.
a garrafa, io,ooo rs. a caixa com i duzia.
Nozes muilo novas a 16o rs. a libra.
Prczunlo de fiambre suporior a co rs.
dem do Porto para paridla a 5oo rs. a libra.
Passas novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de differentes qualidades co-
mo, savt'l, corvina, govas, pescadinhae
outros a l,ooo rs. a alas.
Palitos para denlos a 14o e 16o rs. o masso
dos melhores.
Painco o mais novo e limpo a 16o rs. a libra.
6 l,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2, loo rs. a gTOM, oo rs. a
duzia, e 2o rs. a caixinhas.
Queijos flamengos chegados neste ultimo va-
por, a
dem prato muito fresco a 8oo c 9oo rs.
a libra.
dem suisso a melhor qualidade que al ho-
je tem viudo ao nosso mercado a 8co rs.
a libra.
Sal refinado em potes de vidro a 'ioo rs. ca-
da um.
Serveja das melhores marcas a 6.000 rs. a
duzia, e 560 rs. a garrafa.
Sardinha de Lisboa e Nantes em qunrtos e
meia latas a 38o 98o rs. cada nma.
Sag niiiilii novo calvo a 2o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a liBn.
Sevadaa loo rs. a libra, e 2,8oors. a arroba.
Traques de 1.a qualidade a 8,5oo rs. a cai-
xa, e22o rs. a carta.
Toucinho novo de Lisboa a 2io c 32o rs. a
libra.
Tijollo para limpar facas a 15o rs. cada um.
Vinho empipa Porto, Lisboa o Figueira Iris
melhores marcas a 3,8oo rs. a caada, e
5oo rs. a garrafa.
Idem'do Porto Lisboa e Figueira do marcas
menos conhecidas a 4oo rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a caada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
dem Lavradio muilo fresco nao levando com-
posico a 56o re. a garrafa, e 4,ooo rs. a
caada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a par-
rafa, e 4,5oo rs. a caada.
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, e 3. i
rs. a caada.
dem Bsrdeaux em caixas de 12 garrafas iA
marcas mais acreditadas a 6,5oo c 7,000
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezos vem ao
nosso mercado a I,2oo rs. a garrafa, ga-
rante-se que por este mesmo prero d pre-
juizo e s se encontra n'esto. armazem.
dem do Porto em caixas com 12 garrafas
das seguintes marcas Lagrimas do Domo,
Duque do Porto, Genuino, Velho Particu-
lar, malvasio fino, D. Pedro V, D. Luiz
I, Nctar e outros a 9,ooo c 10,000 rs.
a caixa e 9oo a 1.000 rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a l.ooors. a garra-
fa, e lo,ooo rs. a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa
e 2,4oo rs. a caada,
dem em garrafoes com 5 garrafas a 1,000
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de ferro a 32o
rs. cada uma
dem de escova para esfregar casa Jbo i-s.
cada uma.
Vellas de espermacete superiores a 0C0 rsv
a libra, e 52o rs. em caixa.
dem de carnauba refinada e de composico a
36o rs. a libra, e de 10,000 a 11,000 rs. a
arroba.
Empreza da iUumina$to
a gaz.
Todas as vendas de apparclhos e reclamacoes
(por escripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser fritas no armazem da ra do Imperador
o. 31. Os machinisUs mandados para atlendera
estas, apreseniaro um livro que os reclamantes
devero assignar logo depois de prompto o ser vico
reclamado ; isto para que a empreza fique sciente
de haverem os mesmos senhores sido devidamen-
te attendidos.
AGENCIA
DA
FONDICO DE LOW-MOH.
Rna da Senzalla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de sapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos os
tamanhos para ditos.
S.Joo eSant'Anna.
Novenas proprias para S. Joo e Sant'Anna
venda na ra do Imperador n. 15.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston ct C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
*****


Alarte c rrr.hnr ... ibbado 19 e Jniiho le i l
Largo da
Santa Cruz
numero
12 eM
Esquina da{
ra do
Sebo n. 12-
e84.
BRILHANTE AUI0I4
AURORA BKILHANTE
GRANDES ARMAZENS DE MOLHADOS.
Francisco Jos Fernandes Pires proprietario dos armazens de molhados denomina-
dos Brilhante Aurora e Aurora l'rilhante. ao largo da Santa Cruz os. 12 e 84 (esqoina
da ra do Sebo), faz sciente ao respeavel publico desta eidade e do interior que nos
seus importantes estabelecimentos Tender sempre gneros novos e de primeira quali-
dade e vender a todos pelo mesrno preco.
O completo sonimento de todos os gneros Anos e grossos que costumam ter outros
estabelecimentos desta ordera se eneontraro sempre nos armazens da Brilhante Aurora
e Aurora Brilhante e sempre era grande escala a vontade dos Srs. compradores.
O proprietario dos armazens Brilhante Aurora e Aurora Brilhante pede a todos os
senhores esenhoras que qoando tiverem de mandar suas retaques a estes estabelecimen-
tos por seus criados seja em carta fechada ou com grande recoramendacao a estes arma-
zens, cerlos de que sero lao bem servidos como se viessem pessoalmente.
A Brilhante Aurora e Aurora Brilhante troca qualquer um genero qae por acaso
nao asrrade erecebe as libras esterlinas a 94,sendo por compra: a tabella de seus gneros
ser mudada todas as semanas.
Amendoas confeiudas parasortes a libra 1 Vinho branco de muito boa qualidade eana-
Mauteiga ingleza flor a 800, e 960 rs.
Dita mais abaixo a 640 e 720 rs.
Dita franceza nova libra 640 e en barril a
600 rs
Chocolate sant muito novo a!4400 a libra.
Cha perola o melhor que ha ( redondo) a
libra 35200.
Dito dito mais abaixo a 2*500 e 2*800.
Dilu uxim muito fino a 2*800 e 3*.
Dito hysson superior a 2*600 e 2*800.
Dito mais abaixo a 2* e 2*500.
Dito preto mnito fino a 2*500.
Dito cm massos a 2*.
Dito do Rio em latas de 4, 2 c i libra a
1*500.
da 4* e garrafa 480 rs.
' Dito Xerez tino a caada 7*500 e garrafa a
14200.
Dito Madeira seca caada 10* e garrafa 2*.
Dito em caixas de urna duzia do Porto dos
Delirares autores a 12*, 14* e 16*.
Garrafas com licor fino francez e portnguez
a 1*.
Ditas com vinho de caj muito claro a 1*.
Ditas cora mel de abelha puro a 1*.
Frascos com genebra de Hollanda de 3 gar-
rafas a 1*.
Dito de nina garrafa a 560 rs.
Dito de laranja verdadeira a 1*200. (
Duzia de graxa latas grandes a 1*.
Caf de moca superior arroba 10*500 e II- Caixas com 25 massos de velas de sperma-
bra 400 rs. cele a 560 rs. a libra.
Dito do Rio e do Cear arroba 9*500 e libra Ditas maiores a 600, 640 c 720 rs. a libra.
320 rs. i Caixas com urna arroba de velas do Araca-
Ditu mais abaixo arroba 8*500 e libra 280. ty 10*500 e libra 400 rs.
Barricas com bolachina ingleza ingleza nova Ditas da composicao arroba 10* e libra 360
a 3*. Saceos grandes rom farinha de Goiannamui-
Latas rom bolachinha de soda de 5 libras tu boa a 5*500.
a 2*500. Dito de Porto Alegre melhor que de Muri-
Ditas com ditas sortidas de 2 libras a 1*400. beca a 63.
Frascos com anuixas francezas s o frasco
val o dinheiro a 2*800 e 3*.
Latas com ditas a 1*400, 2*200 e 4*.
Ditas com figos de comadre a 1*500.
Ditos com milho novo com 2icuias a 4*000
Dito com farello de Lisboa 120 libras a
5*500.
Dito com arroz de casca a 5*500.
Caixinhas hermticamente lacradas eproprias Duzia de garrafas de serveja branca e preta
para mimo a 2* e 2*800. a 5*800 a em barricas a 5*500.
Caixinhas com ditas a 1*, 2*500 e 5* de Arroz do Maranho em sacecs arroba 2*600
arroba. e libra 100 rs.
Presunto de Lamego muito novo a libra 560 Dito da India o Java arroba 3* e libra 120.
rs. inteiro e a retallio 600 rs. Amula verdadeira arroba 8* e libra 320
Chouricas e paios novos a libra 800 rs. rs., < inalarana.
Latas cm chouricas e linguicas novas vin- Gommado Aracaty para engommar arroba
das nesle vapor com 9 libras por 6*500. 55 e libra 160'rs.
Hilas com peixe ensopado de muilas quali-
dades a 1*.
Ditas com ervilhas francezas e nortuguezas
a 880 rs.
Ditas com fWjo verde francez a 800 rs.
Ditas rom massa de tmale novo libra
560 rs.
Ditas com ostras a 720 rs.
uitas com marnielada dos melhores autores
de Lisboa a libra >40 rs.
Potes com mustarda franceza preparada a
libra 480 rs.
Tapioca ou farinha do Maranho nova libra
160 rs.
Ervilhas seeras muito novas libra 200 rs.
Sag e sevadinha a 2i0 rs.
Sevada arroba 3*2i'0 e libra 120 rs.
Grata de hoo 97 a 280 rs.
Saba.) massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dito hospanhol verdadeira a 400 rs. a libra.
Balaios do Porto diversgs tamaitos de 320
a 2*.
Capachos para portas de varias cores a 600,
708 e SO rs.
r Frascos com conservas de pepinos, mexides (Jrao de Meo arroba 4*500 o libra 160 rs.
e azeitonas verde a 1*. Painco arruba 5*500 e libra 200 rs.
Dita dita franceza a 800 rs.
Gigos com trinta e tantas libras de btalas
novas a 3*500.
Queijos novos do vapor a 3*200 e 3*500.
Ditos de prato enplicado a 1*.
Dito suisso a 800 rs.
Dito de manteiga do Serid a800rs.
Caixa* com passas novas de 1 arroba 7*.
meia 3-3500 c quarto 2* e lifira 480 e
610 rs.
amendoas com casca a libra 240 rs. e arro-
ba 6 V
Nozes libra 160 e arroba 5*.
Charutos finos de Simas e dos melhores fa-
bricantes da Babia de 2* a 8* caixas de
10U e 50.
Crozas de caixinhas de palitos do gaz a
2*200 e 200 rs. a duzia.
Barra com azeitonas novas a 3, e 45 bar-
ris grandes.
Vasaoorea do Porto piassava muito seguras
a 400 rs.
Milbo alpista arroba 4*800 e libra 160 rs.
Azeite doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 1*500 e garrafa
200, 240 o 320 rs.
Massos de palitos de dentes com 20 massi-
nhosa 160 rs.
Tijolos de limpar facas a 160 e 120 rs.
Calas com 40 cartas de traques a 9*399 e
a carta 280 rs.
Resma.- de papel almaco pautado a 5*.
Dito giwe liso o melhor que ha a 4*500.
Dito de peso e pautado a 2*500 e 2*800.
Carrafoes com 25 garrafas de verdadeira
genebra de Hollanda por 8*500.
Azeile de coco garrafa 560 rs. e carrapato
| 360 e canada 2*560.
Caixoe- cora doce de goiaba a 640,800 e 1*,
i Toucir.hu de Lisboa arroba 8*500 e libra
320 rs.
i Dito de Santos arroba 7* e libra 280 rs.
1 Molho.; com grandes ceblas a 1*600.
i Cento de dita sola a 1*500.
izeite iioce francez dos melhores fabrican- Marneos de alhos a 240, 320 e 400 rs.
tes caixa 10*e agarrafa 1*. I Esleirs de varias qualidades.
Caixas com vinho Bordeaux branco e tinto Gordas de postar e de andaime.
S. Julien, S. Eslife e outros a 7*500 e8*. Favas da illia de S. Miguel arroba 3*200 e
Vinho do Porto fino em barris de 5" que ra- libra 120 rs.
ras vena apparece por 80* e em canada a Copos lapidados para agua c vinho a 3*500,
5*500 e garrafa a 800 rs.
Dito da Figueira puro canada 4* e 4*500 e
garrafa a 480 e 560 rs.
Dito de Lisboa de boas marcas a 3*500 e
4* c a garrafa a 440 e 480 rs.
Dito branco proprio de Lisboa canada 4*800
e garrafa 640 rs.
Cognac verdadeiro a garrafa 1* e 15280.
Vinho muscatel duzia 10* e garrafa 1*.
5*800. 6* e 7*.
Ditos lisos para varios precos.
Calix lapidados grandes e pequeos duzia
3,4 e 5* ; e 400 e 500 rs. cada um.
Massa- para sopa macarrao, talharim e ale-
l.. a 480 rs.
Estrelinha e pevide libra 560 rs.
Xaropes de fructas nacionaes a garrafa
500 rs.
tE muitos outros gneros que nao possiyel mea-,
ciona-los todos de primeira qualidade.
A satisfacao da Brilhante Aurora e Aurora Brilhante vender muito embora bara-
to, mas a DINHEIRO.
No armazem de fazendas baratas de
Santos .orino, roa do Queiniado, u.
19, vende seo seguate'
AMencae.
Llazinhas.
Ricas lazinhas para vestido, fazenda a melhor
que tem vindo ao mercado, tanto em gosto como.
em qualidade da fazenda, pelo baratissimo preco
de 560 rt.'oro vado.
Laaxinbas miudinbas carmezins, proprias para
vestidos de meninas, e camisinhas a 640 o covado.
Cortes de la com 15 covados pelo baratissimo
prego de 6*.
Cobertaa de chita da India pelo baratissimo preco
de 2*500.
i .incoes de panno de linlio a 2*.
Lcncoes de bramante de linhe fino pelo baratissimo
preso de 3*200.
Bramante de linho fino com 10 palmos de largura
pelo baratissimo prer.ode 2*500 a vara.
Aioalhado adamascado proprio para toalha de mesa
.i 2*000 a vara.
Cambraia de forro a 2*600 a 3*200.
Coardauapos adamascados a 3*800 a duzia.
Toalhas alcochoadas proprias para ruaos a 5* a
duzia.
Cortes de calca de ganga amarella de listras e :
de quadros, pelo baratissimo preco de 1*200 o '
lorie.
Cambraia adamascada com 20 varas, propria
para cortinado, pelo baratissimo preco de IOjOOO
a pera.
Ricos cortes de la. Hara Pa pelo baratissimo :
preco de 18*.
Peca-; de cambraia desalpicos com 8 I 2 vara?
pelo baratissimo preco de 4*.
Pecas de platilha de algodao com 10 varas, pro-1
I Ta paaa saia a 4*200.
Estofa* da India, proprias para forro de sala,
de 4,5 e 6 palmos de largura, por menos preco do j
que em outra qualquer parte.
m.^
'-rf-'.j
B> fe
o.M gw.ss = cw es. a" w o
GRANDE
57 RA DO IMPERADOR 57
BE
Paula Ferrera da Silca S Campan/da
Grandinjrtn*nto de motilados a gfosso e a retaw. tico armaaem quemis
vantagens oflfctece ao publico.
Desenganeni-se todos.
l o Alllanca o Terdaderro liomem do progresso*. .*~
K o Alltaofa o werdaikir e principal armaum d -reamad os.
K %Han^a O armaa qw *nd* ** barato. >*\
K o AlNanc oafraazem que vende os mefoores gneros.
i: e illla\a o wnaira oode preside o melluu- aceio.
Frriuem todo$ saf)edores ctesa vrdade, x ^>
VVnhari WiuV* ra do- hperador u. 37, \ *
Venham ver m gneros que tenint ejpdstos a venda.
3&


.
MM COROAS NEM MITRAS
0
GRA1DE AlUil/KH
DE

IUA DO I ttl'l IC VIMHC W. 40
Junto ao sobrad* em que mora o Sr. 0>bernt\
Para a festa de Santo Antonio, S. Jofto e S. Pedro.
PARA AS FJESTAS
S. JOO E S. PEDRO.
Amendoas confea*i de- hmurs e*ros a Ido (krHdwha em garrafies com
800 rs. a libra. a 7,2uo rs. com o garrafal 1.
dem de case muito nova a 3oo rs. a libra.' Lentilhas excellente legume para sopa e gui-'
AveBas a 2oo rs. a libra. \ .'idos a 2oo rs. a libra.
Ameixas francezas em caixinhas com lindas Licores francezes de todas as qualidades a
m
gar-
imarle \lmel.ln c., reeekeram le ma propria encaminen
da o mais lindo e variado sortlmento de molhados,
da presente estacao.
Manteiga ingleza
proprlos
Macas brancas
da safra nova vinda nesle vapor de 28 de para sopa a melhor que se pode deseiar
miln 1 lilil pj > III.r-, ., ,1 ____r.. ..__ ___J '
ti
Sflllllfifilfi

a o "2
SUS.
a>
S-|||
3 a-<*
=S. !
tu
rs as es.
O -J CD _
5l
8
oit
ce i 2
3 f 8
3 3 g
aa -
1
i
os
O)'
a
9.
5 B
B
I
fll
O -1 re ir
os o: en p
H
5
si
O
6
I
I
%
9
sis
O *1 os
|g-P
*o
03 3
n
3 er
3 ai
03 .
n
80o e l.ooo rs. a garrafas gratules.
Manteiga iAglexa perfetiamente flor 800
e 96o rs. a libra.
dem franceza nova j deste anno a 600 rs.'
a libra, e 58o rs. em barris inteiros.
Marraelada especial dos melhores fabrican-
tes de Lisboa a 600 e 64o rs. a libra, ha
latas de differentes tamanhos.
Massa de tomate em latas de 1 libra a 56o
rs. cada urna.
dem para soda estrellinlia, pevide e rodinlia
em calimbas sorttasa 3,ooo 3,5oo rs. cada
urna e 5oo rs. a libra.
dem macarrao, talharim ealetria a too rs. a
libra.
Mostarda franceza preparada em frasco a 4oo
rs. cada um
Molho inglez em garrafinhas com rol has de
vidro a 6io rs. cada urna.
Marrasquinho verdadeiro de Zara a l.ooo rs.
agarrafd, lo,ooo rs. a caixa com 1 du-
zia.
Nozes muito novas a 16o rs a libra.
Prezunto de hambre superior a 600 e 800
rs.
dem do Porto para panella a Boa rs. a libra.
Passns novas a 48o rs. a libra.
Peixe em latas de dilTerenles qualidades co-,
mo, savel, corvina, govas, pescadinha e
outros a .ooo rs. a latas.
Palitos para dentes a i 4o e a 16o rs. o mas-
so dos melhores.
Painco o mais novo e iimpo a 16o rs, a li-
bra, e a 4,5oo rs. a arroba.
Palitos do gaz a 2,loo rs. a grosa, e2oo rs.
a duzia, e 20 rs. a caixinha.
Queijos flamengos rliegados neste ultimo
vapor, a 3,ooo
dem prato muito fresco a 800 e 9oo rs. a
libra. 1
dem suisso a melhor qualidade que at bo-
je tem vindo ao nosso mercado a 800 rs.
a libra.
dem londrino a Qoo rs.
Sal refinado em polea de vidro a 5oo rs,
cada um.
Cerveja das melhores manas a 6,000 rs. a'
duzia, e 56o ra, a garrafa.
Sardinha de Lisboa e .Nantes em quartos e
meias latas a 38o e 58o rs. cada urna.
Sag muito novo e alvo a 24o rs. a libra.
Sevadinha de Franca 18o rs. a libra.
Sevada a loo rs. a libra, e 2,8oo rs. a ar-
roba.
Traques de I.' qualidade a 9,5oo rs. a cai- i
xa, e 24o rs. a carta.
Toucinho novo de Liiboa a 24o e 32o rs. ai
libra.
Tijolo para limpar facas a 15o ra cada um.
Vinho em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
melhores marcas a 3,8oo rs. 1 canada, e
5oo rs a garrafa.
dem do Porto Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a toa rs. a garrafa, e
2,8oo rs. a canada.
dem Colares especial vinho a 600 rs. a gar-
rafa.
IdemLavradio muito fresco nao levando com-
composican a 56o rs. a garrafa, e 4,000
rs a canada.
dem branco de uva pura a 56o rs. a garra-
fa, e 4,5oo rs. a canada,
dem mais baixo a 4oo rs. a garrafa, a3,ooo
rs. a canada.
dem Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 6,5oo e 7,ooo
rs. a caixa.
dem muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1.2oo rs a garrafa, ga-
raute-se que por este mesmo preco d
prejuizo e s se encontra n'este arma-
zem.
dem do Porto em "caitas com 12 garrafas
das seguintrs marcas Lagrimas do Dou-
ro, Duque do Porto, Genuino, Velho Par-
ticular, Malvasio fino, t. Pedro V, D.
Luiz I, Nctar e outros a 9,ooo e 10,000
rs. a caixa e 9oo e 1,00o rs. a garrafa.
dem Muscatel superior a 1 .oao rs. a garra-
fa, e lo.ooo a caixa com 1 duzia.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo a garrafa e
2,4oo rs. a caada.
dem em garrafoes com 5 garrafas a 1.000
rs. com o garrafo.
Vassouras do Porto de arcos de ierro a 32o
rs. cada urna.
dem de eseova para esfregar casa a 36o rs.
cada urna,
des e H,ooo rs. a caixa com 12 frascos, i Velas de espermacete superiores a 56o rs.
dem de Hollanda em botijas a 4oo rs. cada a libra, e 52o em caixa.
urna. dem de carnauba retinada e de coraposico
dem em garrafocs de 16 garrafas a i,8oo' a 36o rs. a libra, e de lo.ooo a H.ooors.
rs. com o gat rafo. a arroba.
eslampas a l,2oo, l,km e f,6eor. cada
urna.
dem em frasco de vidro com rolha do mes-
mo ou de metal, a l,2oo e I.ioo rs. cada
um.
dem em frasco grandes a 2,5oo rs. cada
um.
dem em latas de I i c 3 limas a 1.2oo e
2,000 rs.
Arroz da India e Maranho o melhor que se
pode desojar a loo e 12o rs a libra e
2,8oo a 3,4oo rs. a arroba.
Azeite doce de Lisboa a 600 rs. a garrafa, e
4,800 rs. a canada.
dem francez clarificado em garrafas bran-
cas a 9oo rs. cada urna, e lo.ooo rs. a
caixa com I duzia.
Alfazema muito nova e limpa a 32o rs. a li-
bra.
Alpista a 16o rs. a libra e 4,6oo rs. a ar-
roba
Bolachinhas de Lisboa da fabrica do Beato
Antonio dasseguintes qualidades: agua e
sal doces, e imperiaes em latas de 6 libras
a 3,000 rs. e de 3 */i libras a 1.5oo re.
e em libra a 64o nL estas bolachinhas
torna-se muito recommendavel com espe-
cialidadc para os doentes.
Biscoitos e Bolachinhas de soda em latas de
todas as qualidades e marcas que se pro-
curar a 1,35o ra. a lata.
Bolos francezes em carios e de diversas
qualidades a 64o rs. cada um.
Banha de porco verdadeira refinada a 4oo
rs. a libra e em barril a 38o rs.
Batatas novas a 16o rs. a libra.
Bolachinhas inglezas ltimamente desembar-
cadas a 24o rs. a libra e 2,ooo rs. a bar-
rica.
Champagne das marcas mais superiores que
at boje tem vindo ao nosso mercado a
18,000 rs. o gigo e l,5oo rs. a garrafa
inteira, e 800 rs. as meias.
Cha uxim o nielhor que se pode desejar, e
que nutra qualquer nao vende por menos
de 3,ooo a 2.7oo rs. a libra.
dem pe ola de esp cial qualidade a 2,6oo e
2,8oo rs. a libra, garante-se a qualidade
d'este cha.
dem hysson o melhor que possivel encon-
liar-sc a 2.4oo c 2,6oo rs. a libra.
dem do Bio em latas de 2, 4, 6 e8 libras
a I,2ooc l,4oo rs. a libra.
dem [Helo muito fino a l,6oo rs. a libra.
Chocolate das melhores qualidades, francez,
hespanhol e suissu a 1,000, l,2oo c l,4oo
ra. a libra.
Charutos do acreditado fabricante Jos Fur-
tado de Simas em 2 caixas das seguin-
tes marcas: Paruienses, Suspiros, Dili-
cias, Napoleoes e Guanbana a 2,3oo rs.,
e em caixas inteiras Trovadores a 3,ooo
rs. cada urna.
dem de outros muitos fabricantes c de dif-
ferentes marcas para 1,5oo rs. as meias
canas, de suspiros a 1,600, 2,000 e3,ooo
rs. as caixas inteiras.
Conservas inglezas a 800 rs. o frasco.*
dem franceza a 5oo rs.
Cognac ingle/, das melhores marcas a 1,000
rs. a garrafa e 10,000 rs. a duzia.
dem francez superior qualidade a 800 rs.
a garrafa c 9,ooo rs. a duzia.
Cominho e erva-doee a loo rs. a libra.
Cravo ra India a 600 rs. a libra.
Cancha a l.ooo rs. a libra.
Copos finos para agua a 5,ooo rs. a duzia, e
MO rs. cada um.
Caf do Rio superior a 280 e 320 rs. a libra,
e 8,800 e 9.5oo a arroba.
Doce fino de goiabr. atioors. ocaixao.
Emilias portuguezas ltimamente chegadas
a 7oors. a lata.
dem ceceas 1 16o rs. a libra.
dem j descascadas a 2oo rs-. a libra.
Farinha de arar uta verdadeira a 320 rs. a
libra.
Figos em caixinhas muito bem enfeitadas a
l,ooo rs. cada urna.
dem em litas ermiticamente lacradas a
l,5oo e2,5oo rs. cada urna.
dem em caixas de '/* arroba a 2,5oo rs.
cada urna, e 2oo rs. a libra.
Graixa muito nova a loo rs. a lata e l,ooo
rs. a duzia.
Genebra de Hollanda em frasqueiras com 12
frascos por 6.000 rs. e 560 rs. o frasco
dem de laranja a 1,00o rs. os frascos gran
rmio a 900 rs. a libra e da velha a 800 e
850 rs. a libra.
Hantelga franeeza
da safra nova a 600 rs. atibra.
Amendoas
confeitadas de lindissimas cores a 800 rs. a
libra.
Traques
de n. 1 os mais superiores do mercado a
8^500 a caixa e 220 rs. a carta
Ameixas
em frascos de vidro com 3 libras liquido a
2r5400, muito propios para mimos.
Cartees
com bolos francezes a 500 rs. cada um.
Latas
com bolachinhas de soda de todas as qua-
lidades a 10300.
Chocolates
de todas as qualidades a t#000 a libra.
Presuntos inglezes
dos melhores fabricantes a 800 rs., tambem
temos velhos para 500 rs.
Queijos flamengos
chegados neste ultimo vapor a 3ooo.
dem prato
o melhor que se pode desejar a I ->000.
Conservas inglezas
as mais novas que se pode esperar a 760 rs.
o frasco.
Figos
em libras e caixinhas ricamente douradas,
proprias para mimos a 900 e 15200.
Cha uxim
o melhor que se pode desejar, que ouiro
qualquer nao pode vender por menos de
3S a 2;>600.
dem perola
especial qualidade a 2;>700 rs. a libra.
dem hvsson
o mais aromtico que tem viudo ao nosso
mercado a 2^600.
Massas amarellas
para sopa, macarrao, talharim e aletria a
480 rs. a libra.
COGV.4C
o muito afamado eovnae Pal Brandv a
macarrao, talharim e aleiria a 400 rs. a
libra e 4->500 a caixa.
Vinlio
Figueira J A A e ontras muitas marcas acre-
ditadas a 500 rs. a garrafa.
dem de Lisboa
e do ontras marcas a 400 rs. a garrafa, e
2rS800 a canada.
dem o Porto
generosos engarrafado des melhores fabri-
cantes da eidade do Porto a 1* e liJ200
a garrafa e de 105 a 125 a caixa, as mar-
cas sao as seguintes: Chamisso AFilho,
F. d M., Nctar ou vinho dos Deuzes,
lagrimas do Douro e outros muitos.
Latas
com 10 Hbras de banha a 4$0OO.
Bolachinha ingleza
a 1^800 a barra da mesma que por ahi
vendem a 20000 e 20400.
Alpista e Painco
o mais novo do mercado a 140 rs. a libra,
e 40400 a arroba.
Nozes
as mais novas do mercado a 120 rs.a libra.
Cervejas
dos melhores fabricantesje de todas as mar-
cas de 40500 a 60500 a duzia.
CHARUTOS
Charutos Thom Pinto,. Res e outros em
meias caixinhas a 1A500.
Arroz
do Maranho a 100 rs. a libra, e da India
a 80 rs. a libra, e 20500 a 30000 a ar-
reba desses que vendem por 30400.
CAF
de 1.a e 2.a sorte do Bio de Janeiro a 8-S500
e 80800 a arroba, e 280 a 300 rs. a libra.
Ciarrafes
com 4 garrafas com vinagre a l.SOOOcom
o garraflo.
GENEBRA DE LARANJA
verdadeira a 10000 o frasco, e de 110000
a caixa.
DEM
em frasqueras de Hollanda a 50800 com
12 frascos.
GENEBRA
'de Hollanda verdadeira em frasqueira a 600
l,8oo rs. cada urna,
rs. a garrafa e de outras muitas qualida- PALITOS
des a l.ooo e 800 rs. a garrafa. os verdadeiros palitos do gaz a 2,2oo a groza
COPN e 2o rs. cada caixinha.
lapidados para agua a 4,5oo e 5,ooo rs. a LICORES
duzia, e a 440 e 5oo rs. cada um. finos de todas as qualidades, a lo.ooo a caixa
PAPEL com urna duzia e a 1.000 a garrafa,
almaco, greve, peso e de outras muitas qua- PASSAS
iidades de 2,2oo, a 4,5oo a resma do me- as mais novas do mercado a 9,5oors. a cai-
lhor. xa e 5oo rs a libra.
azul e pardo para embrulho de 1. loo a 2,2oo
rs. a resma.
on una a vontade do comprador
=
Ailenco
.j
Vos fundos do Pregulca
Genero* proprios para a presente festa de S.
este armazem tambem se encontrar um gtan-, :a? &leza flor a.M)0(,e m 2 a ,ibra'
^Himi. .1----------:... __j:j. 1 frescos a 640 o 300 a libra, doce de guiaba o mais
fino que pode liaver, e lainbein se
por ter.grande porco : na laten
Qii?0)ado n. 1.
di' sortimento de roiinas feilas. e por medida.
Vende-seuma urna de, Jacaranda para depo-
sito de ossn : r.j ra da oiperatrlz, loja de mar-
cineiro 11. Vi.
BOTIBlRTHttlIW: K
lina larga do Rosario n. 3i
Vende:
Todos os remedios do Dr. Chable
Capsulas e injeceo ao matico.
Injecoao Fauga
Pilulas do Dr. Alian.
Pilulas do Dr. Lavillc.
Pilulas do pobre-homem, eicellente? contra rheu-
matismo.
Pilulas para seze*.
Pilulas e ungento Hollovay.
Phosphato ferro de Lerrs.
Todos os remedios de Kemp : pastilhaf, pilulas,
anacahaita, alsa de Bristol, etc. etc.
E muitos outros medicamentos e especialidades
que sempre se eneontraro em dita botica.
Follia de landres.
Geand .tiiniei,:> f ilba de Fiaadrea: na ra
io ReW? n. -j'C A. loja de ferragens de
SBBOWS
solas a 15 o cento, e cm mollios 1 15200 : no
caes da alfandega, armazem n. 3.
Corinthias
passas corinthias limito novas proprias para
podim a 800 rs. a libra.
Fumo
o verdadeiro fumo americano em chapa a
l,4oors. a libra
Vinagre
PIlRem ancorlas de 9 caadas a 15,ooo rs.
cada urna.
Cebollas
as mais novasdo mercado a 7,ooo rs. a caixa
e 1,000 rs. o molho.
dos melhores fabricantes de Lisboa, como se-
jam Abren e outeos muitos a Ooo rs. a
libra.
Prezunto
o verdadeiro prezunto de Lamego a 52o rs.
a libra.
ARItOZ
Maranho, Java e ludia, a loo rs. a libra e
de 3,ooo, a 3,2oo rs. a arroba.
VELAS
de espermacete de diversas marcas a 56o rs.
a libra e em caixa ter abatimento.
VELAS
de carnauba em caixas de arroba a 9,3oo e
caixa e 34o rs. a libra.
Os proprietarios do grande armazem o Verdadeiro Principal declarara aos seus
freguezes e amigos e ao publico em geral, que para facilitar a commodidade de todos es-
tipularam os mesmos precos nos seguintes lugares:
l'iiio o Gonnercio ra do Queima'n o. 7
0 Verdadeiro Principal ra do Imperador 1. 40

m
GRANDE LIQUIDACAO
1;
DE
filil %VI!li^M
Na loja da na do Crespo numero 17.
Aproveitem todos.
O proprietario deste importante estabeieeimenio vai Europa comprar fazendas de'
apurados gostos para mellwr tervtr as ICxmas. senhoras, razao porque est vendendo fa
zendas baratsimas.
Corles do rico blonda pr* casamento a 904, sontembarques pretos muito importante
a 05, i.">e85. mauteleies prelos a z(> o ai>, capas pretas importantes a 3o> e 40,
capas de casomira de cor a 185 e io, soutembarques de casimira a lOf, cliapotde pa-
tita copa redonda, vc*-brancos a 15, cortes de laa muito apurado gosto a 7, corte de
lia com barra a 10& 12, loa e iOA, cortes de cambraia brancas bordados a 453 o 304,
chitas de todas as qnalidades francezas e inglezas a 340, 360, 440 e 900 rs., bramante de
Imito amito lino pecjay de 25 varas a 204, 24J 454, bretanha de linho maito fino a 184
e 204 peca c 45 varas.
Sfadapoloes fln= a 83,94, 103, 114 e 124-
Cambraias lisas com 9 palmos de largura a 44500 a vara, pecas de 8 1|2 faras a
54, 64, 74, 84, 94 e 103.
Para o Club Pcrnambiicaaio.
Flmete circassiano fazenda de muilo apurado posto para vestidos, proprios de parti-
das a de bailas ,0 nmilo recommenda*-el por ser muito apreciada em Lonstantinopla. K
admiravel o seu bora goslo.
Charutos de Havaua
de superior qualidade vendem-se em casa
de Schalleitlin 4 C, ra da Cruz n. 42.
*T Ra da Senzaila IVova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a i 10 rs., idem de Lo*
Mnor libra a 120 rs.
At que chegou
um grande sortimento de bico e renda prcla de
novo modelo chamado (guip) o melhor qua se
pode desejar neste artigo e que se vende muito ba-
rato : na loja do gallo vigila*'* ra do Crespo
a. 7.
GAZ GAZ GAZ
Vende-se gaz da melhor qualid: de a 124>
a lata e em lotes de 10 latas para cima se
far abatimento. no armasem do Caes do
Ramos n. 18 e ra do Trapiche Novo nu-
mero 8._____________________________
Kea da Senzaila n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston C,
sellins e silbos inglezes, caadieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglesas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios do
ouro patente inglez.


GRANDE ARMAZEM
DA
1
60 Ra da Cadeia do Itecife 60
Thnmaz Telxeira Bastos, tendo de partir para a Europa no da 30 de junho, afim de tratar de
sua sande tem resolvido a vender barato e mais barato do que na Europa para liquidar todos os ar-
tices inolp'ios fraocezes e allemfies existonles em seu armazem, como sejam : fazendas, miudezas, per-
fumarias dos mais acreditados fabricantes, relogos inglezes, escolenles correntes e crranteos para
rolocio aneis e botoes para punhos com brilhantes, braceletes, oculos, face mam e muitas outras obras,
cutileria fina como talheres para mesa e para sobre-mesa com cabos de metal fino, ditos do marflm e
deoutras qualidades, tesouras finas e caivetes, tesouras modernas para alfaiates, navalhas finas, lan-
cetas c outros artigos, sortimento de bacias de metal para lavar o rosto e outros artigo?, um rico cha-
fariz de crystal para jardim ou meio de mesa de jantar, ricos quadros para saldes, um excedente co-
fre de ferr bastante grande, crystaes finos como lustres, candelabros, lanternas cora pingeotes, copos,
garrafas e muitas outras pecas de gosto para adorno de consolos, porcelanas finas, como ricos jarros
para flores, apparelhos doorados para cha e caf, ditos para jantar, e muitas pecas para enfeitar mesas,
grande sortimento de estampas de santos e vistas de differentes cidades da Europa e outros proprios
para sala de jantar, realejos grandes e pequeos, caixas com msica, ricas pecas com machinismo
para salas, instrumentos de mgicas muito bem feitos, machinas de pholographia para retratos de dif-
ferentes taannos, machinas para fazer caf, machinas para limpar tapetes e varrer o chao, bombas
para jardim, pianos de trescordasdo afamado fabricante Peyel, camas de ferro com colchao elstico,
grande sortimento de brinquedos linos para meninos, baloes de papel transparente e lanternas colori-
das para illumioacoos a moda de Pars, salva vidas para homens e senhoras eitas de borracha, pro-
prias para qoem toma banho em lugares fundos e rouitos outros artigos e tudo ser vendido muitissi-
mo barato am de liquidar-se inteiramente.
ARMAZEfl DE UZEMIAS
DE
Custodio, Carvalho & Companhia,
45 rEua Direrte 45
Oi^am! ovamll
, CALCADO
Bom e novo, a primeira necessidade para a sau-
de e aormoseainento do individuo I
Heu Dos I... que ps de pavo se lobrigam por
essas ras! que figura horrenda e nauseante a
de um paletol bem talhado sobranceiro a um
quedes roido em duas solas I um balao bem tor-
neado e bambaleante dcscubrindo urna ponta de
botina safara e carcomida I I
Santa Barbara 11 Corram ra Direita, bellas e
rapazes I sacudam na praia esses malditos guedes
e compren:
Borzeguins de Nantes 85000.
Ditos francezes debezerro 75.
Ditos francezes de lustre para homem 55.
Ditos para senhora, de lustre, enfeiudos, 35500.
Ditos para senhora, gaspia alta, 45800.
Botinas de menina 25500.
Ditas de cores para menina 25000.
Sapatoes de Nantes de duas solas 55.
Ditos de sola e vira 45500.
Sapatos de borracha para senhoras 15500
Ditos para memnosljjOOO.
Sapatos de lustre para senhora 15-
Ditos de tapete para homem e senhora 800 rs.
Ditos da liga constitucional 500 rs.
Chineldes rasos do Porto a 15G00.
E um sortimento comple.o em sola, vaquetas,
couros, bezerro francec como nenhum, conro de
lustre muito grande, e tudo quanto pertence arta
de S. Chrispim.
S* RA DO QUEIJJI Vil O
Superiores salas de fustao para senhoras a 55-
Toalhas de linho para mesa a 35500 e 15-
Lencinhos para meninos um 100 rs.
Lencos brancos para algibeira a 25 a duzia.
Toalhas para mao duzia 45-
Bramante de linho vara 2$.
Fil de linho liso vara 500 rs.
tiran le pechlncka.
Peras de entremeios bordados a 15-
Tiras bordadas a peca 25-
Gollinhas de rambraiaa |600 e 800 rs.

Perfume da Moda.
XAROPE TNICO REGENERADOR
DE QUINA E DE FERRO
Preparado por tBlMili.T e &, pharmaceuticos deS. A. I. o Prncipe NapoleSo, laureados
da Escola de pharmacia de Pars, ra de la Feuillade, 7.
Esta nova comblnac&o rene debalxo de um pequeo volme orna forma agradavel e um gosto ellcioio.
Ha muito ^ue os mdicos desejavo ardentemente a reuniio destes doui medicamentos, e todava, apexar
toa maiores esforQos, nem a iciencia medica, nem os qumicos os mals dlstlnctos o podero conseguir
at aqu; grabas porm i perseveran^ humana ach&o-se hoje associadas estas dnas poderosis substan-
cias, a quisa, o tnico, restaurador por exaellencia, o fon-*, a base de nosso sangue, e consegulnle-
mente o reparador dos forcas e da saude alterada ou perdida.
As molestias contra as quaes o Xaropc tnico regenerador se tem mostrado multo efflca sao : as ame-
norrheias, faltas de menstruaco, dores d'cstomago, (utio, digestes penosas e tardas, Odres branca,
mentruac&es difflceis, o tymphatismo, o empobrecimento do sangue, as escrfulas, os estragos produiido
pelas molestias syphiliticas.
Ha apenas um anno que o Xarope de quina e de ferro fol applicado nos hospitaes de Paria, e elle
hoje o medicamento mais em vuga, substituindo, por assim diter, os medicamentos ferruginosos conheeidos.
O prospecto encerra numerosos certificados de muito* membros da Academia de Medicina e profatsorea
da faculdade que attestao que este precioso medicamento o conservador da saude por excellencia,
o reconstituinte da economa animal, Indispensavel s pessoas que habito os paites quelites, como
preservativo das epidemias.
Acha-se venda no deposito gerel, em Pai, na pharmacia Grlmault c, ra de la Feuillade, 7;
em Lisboa, em caa do Sur Rodriga m CoMa-Carvalha, Barrai e Oj no Porto, na pharmacia do
Sr miku<'|-Jm<- 4r Saina Ferrelra; no Hio-dt-Janeiro, em casa da vlava Pclxota e Blnls, ra de
Sitl.au. II; na Baha, em casa do Sr Joa-CaetanaFerrelra-BipInkelra; no Ato-Grande, em caa do
Sfir Joaqun do Sr iiarthoiom<-u-Fran<-iaro de soasa| em casa dos Srs shoum e o, e bem assim as prin-
cipaes pliarmacias do Brasil e de Portugal.
AGUA FLORIDA
De Murray < Lanman.
Este raro quilo delicado perfume
quasi que inextinguivel e to cheio de
mimosa fragrancia e frescura como o
delicado eheiro das proprias verdecen-
tes flores. Durante os mezes caloren-
tos do verao o gen uzo torna-se iminen-
teinentc aprazivel e deeejavel em eon-
sequencia da influencia refrigirante c
Buavc que ella produz sobre a pelle:
em quauto que tizada no banho ella
imparte o corpo lnguido e candado
una certa elasticidnde de vigor e forja.
Ella imparte transparencia as feigoes,
e remove pannos, sardas e hertoejas (h
ubre apelle.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 emeasa de Caros & Barboza
Salitre refinado, superior qualidade, vinho Bor-
deaux, differentes qualidades, mais barato que em
qualquer parte : no armazem de E. A. Burle &
L., ra da Cruz n. 48.
I'.itiiali;i de mandioca
ensacada e da melhor que ha : vende Miguel Jos
Alves no seu escriptorie, casa n. 19 da ra da
.JUZ
linho do Parlo superior
em caixas de una e duas duzias : tem para ven-
der Antonio I.uiz de Oliveira Azevedo& C, no seu
ascriptorio ra da Cruz n. 1.
Na ra do Vicario n. 11, escriptorio de M. J.
llamos e Silva & Genros, tem para vender o se-
gunlfl
Superior vinho do Porto em barris de 10.
dem idem idem em caixas.
Cera de Lisboa em velas.
Bicos e elegantes pianos.
Balancas decimaes.
Algodao da Baliia'para saceos e roupa de cscravos.'
Vende-se alpaca tirela a 500 rs. o corado.
Vende-se alpaca prcta para vestidos a 500, 600,
700 e 800 rs., fina de cordao a 800 rs para pale-
tot, princeza preta a 800 e 640 o covado, bombazi-
na preta fina a 15400 o covado, laazinhas preta
para senhora que esto de luto a 726 o covado :
na ruada Imperatriz n. 56. A loja est abertaat
s 9 horas da noite.
0 TOXICO ORIENTAL DE KEMP
PARA 08 CABELLOS,
E tima preparaeo admiravel para lim-
par, aformosear, conservar e restabele-
cer os cabellos.
A venda as boticas de Caors A Barboza,
ra da Cruz, e Joo da C. Bravo & C, ra
da Madre de Dos.
Pellcas de cores.
A loja da Aurora na ra larga do Rosario n.
38, recebeu sortimento de luvas de Jouvin de co-
res chegadas pelo ultimo vapor as mais frescas
que tem chegado, tanto para homem como para
senhora, digo, muito proprias para o baile que
tem de haver vespera de S. Joao; assim cerno tam-
bem renda lisa pecas de 10 varas a 400, 500 e
600 rs.
raa alo (feuef-
W rMMBw6l S
Talagarca, seda frouxa, e troco para bardar.
Liabas e gulbas para crochet.
As afamadas agulhas parisiense), imperial e
Victsria.
Carteiras com agulhas de goal superioridade.
Agulueiros e dedaes de rnarfim e madreperola.
Betroz em carriteis.
Alfinetes brancos e pretos em caixlnhas.
Tesouras finas de ac pollido para unbas e cos-
tura.
Caivetes com lima, e folha pequea para lira-
par unbas.
Pinceis Gnos cabo de osso e rnarfim para
barba.
Escovas finas dito dito dito e madreperola para
linipar dentes.
Ditas ditas dito de madreperola para limpar
Peales de rnarfim para alisar e tirar piolhos.
Ditos de dito com chapa de metal para limpar
os mesmos.
Facas de marflm para papel.
Raspadeiras com molla e cabo de marflm.
Pastas pretas e coloridas para papis.
Lmhas pretas lustrosas, a melhor que se pode
ncontrar para machinas, em carreteis de 200
jardas.
Papel para folhas. e rosas, tendo alguna ra-
fa do.
Folhas avelludadas e de panno para dita.
llotes de cornalina
e outras qualidades para coletes
A Aguia branca acaba de receber nm novo e
variado sortimento daquelles apreciados botoes de
cornalina brancos e encarnados, chatos e redon-
dos para colotes, cujas abotoadaras continuam a
ser vendidas pelo cotnmodo e inalteravel preco de
25 cada urna.
Alm desses receben tambem ontros de madre-
perola, massa e osso, cora differentes moldes pana
o mesmo fim.
J se ve, pois, que o pretndeme munido do di.
nheiro achara sortimento vontade na ra do
Qaeimado loja d'Aguia branca n. 8.
SAPATOS DE BlRfilCUA
a iooo. I ..OO e ..OO o par
na ra do Queimado loja d'Aguia-Branca n. 8.
BASWHOS E CAIX1NUAS
com perfumarlas.
Xa ra do Queimado n. 8 loja d'Agua-Branca, os
freguezes munidos de dinheiro enconlrarao, boni-
tos bausinhos cobertos de couro e com 6 frasqui-
nhos de extractos por 15500 cada um, e outros
cobertoi de papelo com 9 frasquinhos por 5000
um; caixinhas com 6 frasquinhos de ditos por
15000 urna, outras com 12 ditos por 25000 urna,
outras com 3 ditos, cuja coberta parece tartaruga,
a 15500 cada urna, e outras com pastilhas de ehei-
ro a 500, 15000 e 25000.
Caivetes linos de cabo de Madrepero-
la duas folhas.
Por estarem tocados de ferrugem vendem-se a
500 rs. caivetes finos com cabo de madreperola e
dnas folhas : na roa do Queimado, loja d agoia
branca n. 8.
Envelopes bordados e carles com lid-
ras (Inoradas,
Na loja da aguia branca, ra do Queimado n. 8,
achavam-se venda bonitos envolopes bordados e
cartoes com beiras douradas, tendo de uns e de
outros, maiores e menores, proprios para partici-
paedes de casamentos, bailes etc.
Completo sortimento de Utas
Anas, lisas e tarradas.
A aguia branca recebeu um grande e completo
sortimento de fitas de diversas larguras e qnalida-
des, tanto lisas como lavradas, e cm todas ellas co-
nheee-se a superioridade da fazenda, notando-so
as lavradas o bom gosto dos nevos e lindos dese-
nhos, isso tanto as matisadas como as brancas,
e pela commodidade dos precos o pretndeme que
se dirigir munido de dinheiro ra do Queimad o
loja da aguia branca n. 8, ser bem servido.
Capachos Inglezes.
Na loja da aguia branca, ra do Queimado n. 8
vendem-se bons capachos inglezes, os quaes alera
de bonitos sao d immensa duraco, pelo que se
tornam baratos pelos precos de 4'5, 55, 65 e 75
cada um.
Cartas francezas.
A aguia branca, na ra do Queimado n. 8, rece-
beu um novo sortimento de linas cartas francezas
com beiras douradas e brancas, e as est venden-
do baratamente a dinheiro vista.
Objectos de phantasla viudos
para a aguia branca.
A aguia branca receben novos e bonitos objec-
tos de phantasia, alguns dos quaes nunca vistos
aqui, sendo :
Bonitos aderecos completos feitos de perolas^falsas
Ditos ditos de pedras, por cuja perfeicao e bom
gosto quasi se nao distinguem das vrdadeiras.
Lindas pulseiras de mosaico.
OtU dita de perolas falsas tanto para senhoras
como para meninas.
Dita de chapa de crystal com listas douradas.
Dita de cornalina branca, azul etc., etc.
Bonitos alfinetes e armis para grvalas.
Bonitos pentes de concha, obra de apurado gasta.
Outros traversos cora pedras para meninas.
Bellas guarnirles de pentes dourados, ornados
com eaiios de ovas, feitos de aljfar, obra su-
blime.
Outras igualmente bellas, todas de fino dourado e
com pedras.
Outras a tartarngadas, nada inferior a aquella.
Voltrahas de aljfar branco ede cores com ernzes
de pedras.
Esses e outros muitos objectos acham-se a venda
na roa do Queimado, loja da agnia branca, n. 8
Botica e armazem de
drogas
Ra do Cabng n. II.
DE
Joaqnim Marliuho da Crui Correia.
Vende-se o segu nte :
Salsa parrilba de Bristol.
Pastilhas assucaradas de Kemp.
Pastilhas vermfugas de Kemp.
Elixir de citro lactato de ferro do Dr. Thermes.
Bob dd Lafecteur.
Xarope depurativo d'odoreto de ferro de Guy.
Xarope peitoral sedativo de Guy.
Pastilhas peiloraes balsmicas de Guy.
Pilulas da vida.
Burel franciscano (mesclado) para imagens.
Injeccao Brow.
Xarope de citrato de ferro de Chable.
Pilulas contra sesdes.
Salsa parrilla de Sands.
Extracto fluido de salsa parrilha de Bailys.
Xarope alcoolico de vellame.
Alcm tiestas drogas na constantemente um com-
pleto sortimento de tintas, verniz, ouro para dou-
rar, preparados chimicos e pharmaceuticos que se
vendem por commodos precos.
o manual do plantador do algo-
lo. por Tnrner, eontendo os
segnlntes captulos :
1 Methodos ordinarios da cultura do algodo.
2o Systema aperfeicoado da cultura do algodao
pelo Dr N. B. Clond.
3* Historia natural do algodao, suas especies, e
variedades.
4* Molestia e insectos destruidores do algodo.
3 Analyse da planta de algodo com relaco a
applicacao dos estrumes, etc.
6 Consumo do algodao e trafico do algodo.
7 Historia do algodo e do engenho de algo-
do.
E esta obra urna compilaco dos artigos de jor-
naes de agricultura, e em geral dos melhores es-
cripias que nestes ltimos anuos tem sahido luz
nos Estados do Sul da 1,'nio Americana acerca da
cultura, produccao, comraercio, historia natural,
analyse cnimica, e tudo mais quanto diz respelto
este importante genero de produccao agrcola.
Pede-se diier que este Manual a obra mais com-
pleta que existe sobre a materia, sendo ao mesmo
lempo thetirico e pratico, e encerrando todas as no-
ticias relativas semelhante assnmpto.
Vende-se a 65 o exemplar, na livraria de M. F.
de Paria & Fillio, praca da Independencia nume-
ras 6 .e 8.
O Livro do lovo.
obra adoptada para o uso das escolas primarias da
provincia, eontendo : vida de Nosso Senhor Jess
Christo, o vigario, fbulas, o bom homem Bcardo,
quadrupedes uteis, moral platica, o professor pri-
mario, Simo de Nanlua, mximas e pensaraentos,
da hygiene, receilas necessarias, o Brasil: vende-
se noRecife, na livraria de M. Pigueiroa de Faria
& Filho, praca da Independencia ns. 6 e 8.
BOTICA E DROGARA
DE
Francelino Ferreira Crespo,
C.OIA.WA.
Vende-se:
Salsa parrilha de Bristol.
Pilulas assucaradas de Kemp.
Pastilhas assucaradas de Kemp.
Agua florida de Murray & C.
Peitoral de anacahuita.
Xarope de curato de ferro de Chable.
Elixir citro lactato de ferro.
Injeccao de Brow.
Pilulas americanas contra sardas.
Pilulas purgativas de Dehant.
Pilulas do Dr. Alern.
Pilulas da vida.
Xarope vegetal de Penedo.
Prompto alivio.
Pilulas reguladoras.
Xarope alcoolico de veame._________________
Vende-se doce de caj secco por preco com-
modo : na ra dos Pires n. 22.
O IVAJL
si wm
Hua do Qaeimado n. 49 e do esta
acabando a pechiueha.
Pecas debico com 10 varas
a 200 rs.
PIRA S. JOAO.
Machinas de differentes tamanhos de papel de
seda coloridas e transparentes e lanternas eotoaf-
das de varias formas, proprias para os festejos de
S. Joao: no armazem da Exposigo de Londres u.
60, na ra da Cadeia do R cife._______
Faria* de mandioca superior
em saceos grandes: vende Antonio Luiz de livei-
ra Azevedo & C, no seu escriptorio ra da Cru
numero 1.
Vende-se doce de caj, mangaba e limioTan-
to seco como de calda, e de oulra qualquer qua-
lidade : na ra de Mathias Ferreira em Olinda n.
12, assim como se preparam bonitos doces para
encommendas e se enfeitam bandeijas.
ESCBAYOS FUGAOS.
Pedido 1 polica,
Acha-se fgido desde o dia lo de junho o cabra
escravo de nome Seraphim, com os signaes segum-
tes: corpo reforcado, ahora regular, o rosto com
marcas de bexigas, o tem o pe esquerdo de fe idio-
so, levou chapeo de couro e diversas roupas de 1ra-
balho. A senhora do escravo moradora na Sole-
dade n. 22. e pede polica e a todos os capites
de campo lodo o interesse, que promette boa gra-
tificaco.
Isabel Gongalves do Bego Barros.
Fugio do abaixo assignado urna escrava cri-
oula, de nome Balbina, idade de 30 annos, cor futa
c feia, o beico inferior mais cahido, pernas finas,
tem o andar apressado : roga-se as autoridades
policiaes e capites de campo que a pegarem, le-
vem-na ra da Gloria, na Boa-Vista, casa n. 51.
Joaquim Trajano da Silva.
Fugio no dia Io do correnle o escravo Marli-
nho, com os signaes seguimos: altura regular,
bastante fulo, rosto comprido, ponca barba, e so-
menle na ponta do queixo, falla brando, levou ves-
tido paletol velho de alpaca do cordao preta, cha-
peo de palha, levou urna pequea trouxa de.roupa,
natural da matriz da Varzea, porum ha lempos
que tinha sido vendido para um engenho da co-
marca de Santo Anto, e a pouco mais de tres me-
zes foi vendido nesta cidade pelo Sr. Jos Patricio
de Moura Cazel da mesma comarca: roga-se a
quem o pegar, de o levar ra do Queimado n
77, que ser bem recompensado.
F
ligio
hontem 6 do corrente, da casa de seu senhor, o
cabra de nome Paulino, marcado de bexigas, bai-
xo, corpo regular, vistas baixas, sabio de manha,
levando comsigo camisa de riscado e caiga escura
pede-se aos senhores capites de campo eu qual-
quer pessoa que o pegar, leva-lo ra do Crespo
D. 5, loja de Marcelino & C, que se gratificara.
ATTENCO
Acha-se fgido o escravo de nome Faustino, de
idade 40 annos, pouco mais ou menos, cor fula, at-
ura regular, grosso do corpo, bem espadado, bar-
bado, e j com alguns cabellos brancos na barba,
I.reos e pernas grossas e bastante cabelludas, leu-
do as pernas arqueadas, porm nao muito, eos tu-
rna andar cm sambas, e as yetes embriaga-se bas-
tante por gostar muito de beber : portanto roga-
se s autoridades policiaes desta e das provincias
limitrophes, que o facam apprehender e leva-lo a
sen senhor o major Antonio da Silva Gusmo, na
ra Imperial, assim como roga-se aos capites de
campo a apprehensao do dito escravo, que scro
bem gratificados.
LISTA GERAL.
d:;;
r

1' 'DOS PREMIOS DA 1 PARTE DA 1. a LOTERA, CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 402 DE 6 DE ARRIL DE 1857 , A BENEFICIO DAS OBRAS DA IGREJA DE N SENHORA DA BOA VIAGEM. EXTRAHIDA EM 17 DE JUNHO
DE 1864.
KS. PREMS. NS. PRFMS. .NS. PREMS. -NS. PREMS. PREMS . N8 NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. INS. PREMS. INS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS NS. PREMS.
3 65 147 65 325 65 519 65 696 65 856 65 1023 65 1198 65 1361 65 1343 6* 1094 125 1890 6| 2069 125 2212 65 2393 65 2619 65 2782 65 2961 3159 6 13341 65
i 48 26 27 98 205 64 31 1208 63 44 95 125 93 73 65 14 125 2402 25 84 64 62 6:000,5 42
> 49 28 28 99 o5 70 34 15 65 50 _ 96 65 94 73 18 65 8 29 86 __ 65 68 65 48 __
54 32 m 700 72 36 19 67 53 1702 99 77 19 125 16 _ 33 405 90 __ 72 74 50 __
7 55 34 30 6 73 50 20 74 II 8 205 1903 83 27 65 20 405 37 65 92 __ 74 78 54
10 38 33 31 9 n 51 21 125 78 57 11 65 4 84 28 23 65 39 93 __ 76 80 _ 57 _
11 65 38 33 125 10 76 56 22 65 85 60 16 7 87 29 ^^ 24 47 94 __ 79 83 _ 59
13 69 41 34 65 13 78 63 205 23 89 62 17 9 89 30 ^_ 28 __ 48 95 _ 81 90 __ 62
15 71 205 47 36 16 205 82 63 65 24 90 63 20 10 91 125 39 205 33 H 51 98 __ 84 92 H 65
17 7J 65 II 37 125 17 65 83 67 23 95 69 70 73 76 77 81 82 88 89 22 13 93 65 47 65 36 __ 54 99 __ 92 93 70 125
19 "7 50 39 65 21 88 69 _ 27 97 23 125 15 94 49 ^^ 37 _ 59 2803 ^^ 94 96 __ 72 6*
20 90 51 43 22 93 70 28 99 25 65 22 M 98 S 39 ^_ 60 10 __ % 97 _ 74
27 95 53 43 24 95 71 205 29 1400 26 28 --- 2103 6 7 11 13 18 54 41 __ 62 2005 12 __ 3002 99 75
28 125 201 62 49 25 96 72 65 37 3 28 125 31 56 ^^ 43 __ 65 125 15 . 7 3200 77
30 65 * 64 51 26 903 ^_ 73 40 4 34 65 33 57 _ 45 M 74 65 23 M. 9 2 125 87
31 32 "~ 3 10 66 68 52 53 27 30 ^~ 5 6 205 75 80 ^ 42 43 " 7 10 35 36 ^~ 35 37 --- 60 II 47 54 77 88 24 26 12 15 3 4 65 89 90
33 11 70 405 56 31 18 65 81 48 2005 11 37 205 41 66 205 60 _ 89 41 18 14 91
36 205 12 78 65 60 205 32 21 82 51 65 13 95 1604 39 65 44 205 19 69 65 61 92 _ 47 28 15 94
37 65 15 84 63 65 34 27 _ 89 36 22 42 49 65 20 74 63 93 49 29 17 125 97
42 22 92 66 35 34 90 59 23 7 12* 6* 43 _ 52 22 12* 76 _ 64 96 125 50 _ 37 18 6* 98
47 125 23 93 --- 71 39 35 92 --- 60 28 10 45 54 27 405 80 69 --- 2703 65 67 mm 42 20 3401
52 65 26 95 72 44 39 125 1100 _ 61 31 14 55 59 28 65 82 73 --- 6 72 ^^ 44 2005 22 125 2
H 28 400 73 50 40 65 2 _ 63 33 405 15 59 63 29 89 77 11 73 _ 47 65 25 65 4
54 38 11 125 76 51 43 11 64 36 65 16 61 m^m 68 205 33 90 79 18 7fi 1:4001 51 30 5
as 41 17 65 78 58 46 125 13 _ 68 40 125 18 62 ^_. 76 65 35 ^^ 91 80 20 81 65 53 32 6
59 43 18 83 59 47 65 14 _ 76 44 65 25 64 mm 80 36 93 83 - 21 125 83 54 33 . 10
63 6005 47 tt 84 72 49 19 205 84 46 26 1005 65 mm 82 125 37 ^^ 97 90 --- 23 65 86 55 39 13 _
64 65 48 25 85 73 52 jo 65 88 49 29 65 66 __ 83 6* 38 w* 99 92 --- 24 88 36 41 15 HA
66 12* M 30 86 75 12* 54 25 92 50 32 69 _ 85 40 _ 2302 ^^ 2502 12* 25 89 62 43 20
68 65 57 36 88 81 65 61 26 93 51 33 70 _ 87 41 mm 10 ^^ 5 6* 26 92 63 44 23 ---
71 62 38 94 82 66 405 33 94 55 35 i 72 _ 91 44 ^m 11 _ 11 28 93 67 _ 45 26
74 64 125 42 99 84 68 65 36 __ 96 56 36 ^_ 87 405 93 m^ 48 ^^ 12 14 30 H 96 68 47 30
W 69 125 53 125 601 85 9 38 __ 99 62 38 wm 88 65 94 _ 6< .^^ 16 20 _ 31 MM 98 72 _ 59 31
77 71 65 54 65 6 86 70 39 a* 1300 63 45 _ 91 125 % __ 64 ^ 18 ^^ 22 33 _ 2901 73 60 33
78 72 ~ S7 7 89 405 72 125 40 3 _ 64 46 MM 92 65 97 _ 66 ^ tt 27 35 ^_ 2 _ 74 __ 65 41
64 73 " 59 ; 12 95 65 74 65 41 4 66 12* 51 _ 93 99 125 72 ^^ 23 40* 65 19 39 HH 4 ^t 79 125 67 42 ---
86 125 74 61 1085 (6 125 802 75 46 205 8 67 65 53 wJ 1806 _ 2001 65 74 _ Vi' 31 43 6 _ 80 65 68 53 ---
88 65 78 66 65 17 65 6 77 48 65 11 68 54 405 10 _ 2 75 _ 28 33 45 7 _ 82 - 69 60 mm
94 79 67 18 10 78 52 __ 16 __ 69 55 65 15 __ 18 76 30 35 36 _ 46 _ 8 85 71 71 "
97 205 80 9 19 11 80 60 _ 17 75 37 405 22 .. 21 20* 65 77 51 48 11 86 205 73 73 ---
101 65 M 71 23 M 81 64 20 87 n 6* 28 _ tt 78 205 65 41 12* 55 49 14 89 65 74 ^ 75 ---
1 82 75 30 18 62 65 21 __ 92 62 43 __ t4 81 48 65 66 205 31 21 --- 94 125 80 *" 76
22 84 77 1005 31 26 89 20* 66 _ 24 _ 94 63 45 ^^ 27 83 51 59 6* 53 22 20* 5101 6* 82 ~" 77
2J 89 79 65 36 _ 27 91 6* 67 _ 25 _ 1504 125 70 49 _ 29 86 ^m * _ 62 " 55 32 6* 1 83 82
J6 Vi 12* 80 38 _ 28 94 68 __ 26 <2* 3 65 73 63 ,, 30 91 . 00 66 ^ 37 34 7 84 * 83 ---
se w 6* 84 44 _ 36 96 69 100* 28 6* 9 74 12* 6* 64 _ 31 ^m 92 62 74 * 58 --- 37 11 88 * 84
29 'MU 88 45 _ 41 _ 98 _ 70 I** 32 11 78 70 __ 32 94 61 77 59 39 13 98 88
30 4 ' M 47 L_ 42 _ 1000 _ 77 V 13 81 73 12* 35 __ ""98 70 20* 95 ^~ 60 42 17 3304 89
31 5 03 48 __ 46 _ 8 _ 80 _ 39 17 100* 82 75 6* 42 2201 71 6* 2603 61 49 21 . 13 90
35 8 94 55 | 47 _ 17 MB 83 _ 49 18 6* 88 ^_ 78 48 3 73 4 63 50 25 IV 91
36 1005 10 95 _ 57 49 __ 18 20* 87 -- 83 26 89 __ 80 49 4 81 3 64 34 34 n "* 93 ~
39 65 11 510 ~ 79 _ 50 M 19 6* 89 12* 6* 54 _ 33 12* 90 84 52 5 8t 10 71 55 41 17 * 94 "*
12 13 12* 11 84 gp 52 _ 10 90 58 34 6* 91 88 60 9 84 11 77 87 45 34 95 ^
44 14 6* 13 89 .^ 53 205 n 93 60 41 9S ^ 88 62 11 * 91 13 80 -Typ. 60 -de M. F. d 36 37 e Faria & Filho 40* 186* 98
Serv indo de oseriflo, Luiz Epiphanic Mawicea.


Diarlo de Permaabnco Nabbad fl s e Jnnho de 194.
LITTERATORA.
0 QUE VAE PELO MUNDO.
Damos em seguida os termos euique a assembla
mal Jos Principados Danubiana censnrou o
ministerio moldo-valaquio :
A assembla nacional, dcpois do sem numero
de provas, que na presente sessao lem dado da sua
dedicagS pelo bera publico ; depois das grandes
atsSes que tem feito ao ministerio actual, que
lio sahiu do seu seio; depois da longanimidade
qne tem mostrado a respeito do* actos arbitrarios,
obra muitas vezes do presidente do conselho, tinha
pelo menos o direilo de esperar que o ministerio
ebrassc do boa fi na quesio rural;
i Mas, considerando que este ministerio, j
criminoso por muitas provocares, se serve actual-
mente da questiio rural, como arma de vinganra
de discordia entre as classes agrcolas e os
l.roprietarios;
Considerando que antes de submetter esta
importante queslao social aos debales da cmara,
que representa legaimeute toda a nacao, o presidente
do conselho quiz exercer sobre a cmara urna
m rdadeira pre-so, dando antecipadamente publi-
caglo oflkial e ampia ao projecto que, segando a
opino da commissao da assembla legislativa,
urna pura ckimera ;
Considerando que por este procedimento, o mi-
nisterio colloca os mandatarios da nago em luta
com o poder execotivo, semeia a desconfianga e o
f-usto em todas as classes da sociedade, arruina o
crdito publico, excita ao odio e vinganra, a ponto
tal que se tem visto publicar e espalhar as aldeas,
oragoes a Deus, afim de que se digne nivelar a so-
ciedad?, bailando os que se encontram em postmo
elevada, e exaltando os que se acham em situacao
inferior ;
Considerando que, qualquer que seja a solucao
que possa ter a questiio rural, impossivel debtela
em presenca de semelhante ministerio.
t A cmara julgeu do seu dever nao complicar
com o seu silencio as desordens, cujosignaes pre-
cursores j se tem manifestado ; e na sesso de 10
e 22 de abril, declarou, por urna grande maioria e
le urna maneira suficientemente comprehensivel,
que nao tinha confianza alguma no ministerio.
Hoje, porm, vendo que o gabinete se nao re-
tirou em consequencia da precedente votago, a
assembla declara que n3o pode continuar tra-
halhar com este ministerio, que merece toda a saa
desapprovago.
De urna correspondencia de Aapa, exlrahi-
mos o segrate :
A Russia acaba de alcancar o lm a que se ti-
nha proposto ha tantos annos na Circassia, simada
ao norte do mar Negro. Todo aquelle paiz, habita-
do por tribus de grandes c pequeos chapsonghs e
ouhekhs, est a ponto de ser conquistado, em con-
seqaencia das operarles militares preparadas de
ha muito, e ejecutadas com um grande desenvolv-
ment de torgas, de tal maneira imponentes, que
se torna impossivel qualquer resistencia da parte
daquelles povos entre si, com falta de chefes e en-
fraquecidos pelas defeceos successivas.
No actual invern a tribu dos chapsonghs mos-
trou um grande ardor bellico, e os guerreiros, de-
pois de terem jurado defender o seu paiz al ul-
tima extremidade, formaram dous corpos de obser-
vado, um em frente de Zipsich e outro as mar-
geos de Nicopson.
t Excitados, em parte por muitos offlciaes da ex-
pedigo polaca, e em parle por Ismail Bey, os Cir-
cassianos deviam reunirse para combinar um pla-
no de campanba, e obrar o mais proraptamento
possivel. Mas ja tinham comeeado as defeegoes.
entre os povos que compunham a nacao circassiana
daquelie paiz. Hady-Kerandonk, chefe dos oubekhs.
um dos beys mais influentes, tinha partido para
Soukoum-Keleh para entre os Rosaos. Todava
advertiu os seus compatriotas dos designios que
estes ltimos tinham formado de atacar Vardan no
mez de fevereiro.
Os Circassianos, em vez de estabelecer obras
dj defeza, abandonaran) as suas posigoes ayanca-
das, perderam um lempo precioso em deliberar,
querendo uns defenderse, em quanto outros que-
riatn emigrar para a Turqua antes da chegada do
inimigo : os Russos estavam jem marcha quando
ainda se nao tinha tomado resolugo alguma. Pelo
contrario os Rosaos estavam promptos para obrar
logo no principio da primavera.
Em Kulais e as iinmediacoes eslava concen-
trado um corpo de 38,000 homens ; este corpo de-
vi a penetrar na Circassia por Soukoum-Kalch e
Jagry outro corpo de 33,000 homens, estabeiecido
principalmente em Zipsich, Touby, e em Kamich-
keui, devia descer as monlanhas para cahir sobre
* ponte, independente do paiz oceupado por um
grande numero, mas desordenado. Emfim 12,000
homens, que oceupavam o paiz, outr'ora habitado
pelos chapsonghs, dirigiam-se sobre Nicopsik. Por
meio dcsla enorme concentrado de tropas, a
bkhasia, conquistada ltimamente, eslava des-
guarnecida ; mas os Russos tinham ali deixado
para aguardar os stanitzas, ou colonos militares
composlos de cossacos, cujo numero e importancia
augmenta todos os dias.
As tropas russascsiavam acantonadas ao longo
da costa, em Soudjonk-Kalch, Abrib, Guelendjik,
e no entrincheiramento que se estabelecera no ul-
timo outono.
A' leste, eslava Jagry, guardado por urna guar-
nicao sullciente, e em muitos outros pontos tinham-
se estabeiecido destacamentos. Alm disso, levan-
taram-se entrincheiramentos e fortes ao longo dos
afilucntes do Kuiiban, os primeiros em numero de
quarenta e um, e os segundos em numero de dez.
os primeiros dias da primavera, deviam os Russos
encerrar a Circassia n'um formidavel circulo, re-
pellir os habitantes at ao mar, e reunir-se n'um
ponto nico, Vardan ou Sotcha. Pela sua frente,
os Circassianos tinham em seu poder os fortes si-
tuados ao longo das costas do mar Negro, desde
Tonabo at Ardlcr, e que estavam abandonados
pelos Russos desde a guerra da Crimea.
O terreno era favoravel a urna guerra defensi-
va e s emboscadas; ainda que faltos de vveres
em quantidade suficiente para supportar sitios
prolongados, os Circassianos tinham monigdes e
artilharia, e podiam tornar a victoria dos Russos,
senao duvidosa, pelo menos muito difflcil. Mas a
falta de accordo, e a desanimacao causada pela
combinacao sempre malograda de soccorros da
parte da Turqua, facilitaran! a tarefa do exer-
cito russo, e a carapanha devia terminar sem sa-
crificio.
As tropas russas pozeram-se em movlmento de
Nicopsik no fim de fevereiro, e no principio de
marco o forte Tonabo eslava em seu poder ; mas
reuniram-se para devastar o paiz; os Circassianos
nao oppozeram resistencia, e os seus principaes
chefes foram os proprios que procuraram fazer-so
encontrados dos Russos para lhes prestar homena-
gem. A' 15 de marco avancaram os Russos para
Goliekh oa Gonaia, saqueando todo o paiz, Un-
tando fogo s casas, e levando os habitantes dante
de si.
'
Urna tentativa de Circassios contra Gouaia,
d'onde os Russos se havam retirado, ro logo de-
pois reprimida. Estes facis resultados determina-
ran! os Russos suspender a marcha dos destaca-
mentos qae deviam reforjar as tropas ja em ope-
rages, e o general Hoymann pode conseguir a
completa submissao do paiz fazendo avancar tres
columnas, urna pela costa, a segunda pelos valles, e
a terceira por Touby eKamiechkeur.
Todo o paiz atravessado pelos Russos foi, se-
gundo o costurae, completamente devastado, as ca-
sas incendiadas e os habitantes repellidos at ao
mar. No Io de abril os Russos estavam senhores
de Vardan, e no dia 5 de Sotcha. Os Circassianos
pediram urna tregua de seis mezes para emigrar
tranquilamente para a Turqua ; mas o comman-
dante em chefe russo recusou concede-la, e inti-
mou-os para se renderem discripcao. Seja como
for, os povos da Circassia continuam a emigrar
para a Turqua. Assegura-se que perto de 300,000
iudividuos acampam em torno de Trebizonda, e
muito provavcl que 40,000 pelo menos abandona"
rao o seu paiz natal para se transportarem ao ter-
ritorio oltomano, emigrara em massa, qual a
Russia se nao oppoe.
t Demais, para se assegurar de urna maneira
certa a posse daquelles paizes conquistados com
tanta facilidade, os Russos estabelecem em todas
as direccOes estradas estratgicas, que permittem
que as suas guarnicoes das costas estejam em com-
municagao fcil com as pracas fortes da Georgia e
com a linha de Kouban. >


O Invalido Russo pnblicou o seguinte :
c Comerou o anno de 1861 debaixo dos mais
favoraveis auspicios para o desenvolvimento inter-
no da Russia. Annunciamos aos nossos leilores a
nota do secretario de estado, relativa aos melhora-
mentos que se devem introduzir na administracao
da justica. Depos appareceu um ukase dirigido ao
senado, ordenando a creacao das administrares
locaes em todos os governos e districtos, excepto os
nove governos occidentaes, os de Archangel, Astra-
kan, Ressarabia, e em geral todos os que gozam de
privilegios. Ainda que circunscripto a limites pu-
ramente agrcolas, o circulo de aegao das adminis-
trares locaes porm muito ampio.
< Os deputados de todas as classes que habitam
ascommunas ruraes e as cidades, e possuem bens
immoveis de urna determinada extensao, ou que
tenham usufrutos perpetuos como os outr'ora ser
vos, estao de futuro encarregados de todos os inte-
resses locaes dos seus canloes e departamentos, da
nspecgo geral das prlsoes, da administracao hy-
gienica, e tambem da instruego publica al um
certo gru determinado por lei. S resta tempora-
riamente aos governadores o direito da distribu-
cao dos impostos.
< A torga das novas insliluigoes augmenta mui-
to com o direito de votago que se ha de verificar
por maioria simples de votos, c nao pela de dous
tercos, como de principio se pretenda Deste modo,
por urna simples maioria de votos ho de futuro
decidirse os mais graves negocios do governo lo-
cal, como:
Io Augmento de impostos para occorrer s ne-
cessidades dos departamentos e districtos;
f 2" Venda eu acquisicao dos bens immoveis;
3o Emprestimos ; e
4o Transformado de impostos em especie ou
em dinheiro.
t As sessoes dos deputados de districtos il uranio
dez das, e as da assembla dos deputados do go-
verno vinte dias.
c Aos deputados ser permittdo pedir ao minis-
tro do interior a prorogago das sessoes por inter-
medio do governador. Tambem depende do minis-
tro permitlir as reunioes extraordinarias.
c O direito eleitoral Dea reservado aos negocian-
tes, habitantes das cidades, e aos proprietarios que
tenham, termo medio, em toda a Russia 230 desta-
tines, (o numero varia segundo os governos, sendo
por exemplo de 200 no governo de Moscow, e de
800 no districto de Oustsisolsx). Os proprietarios
ruraes menos abastados e os campenezes, s tero
o direito eleitoral no segundo gru.
c Aquelles eleitores sao divididos segando as
suas classes, em tres cathegorias, das quaes cada
um etege os seus deputados. Os proprietarios nao
sao forcados a escolher, como de principio se tinha
proposto, os nobres hereditarios; aos camponezes
fica a faculdade de escolher proprietarios ou pa-
dres da egreja grego-russa.
O numero dos representantes de cada distric-
to est em relago com o numero das communas,
extensao de territorio e numero de habitantes. Mas
em nenhum caso, o numero dos representantes de
urna classe pode exceder o numero dos represen-
tantes dos outros dous.
Os marechaes de nobreza de districto e de go-
verno, conservam os seus direitos, os primeiros de
presidir e de reunir as assemblas dos deputados
proprietarios, e a presidencia das assemblas dos
seus districtos, os segundos, de presidir as assem-
blas dos deputados do governo, se por ventura os
presidentes nao tiverem sido indicados directamen-
te pelo imperador.
t As assemblas de governo sero compostas de
delegados das assemblas de districto.
Em S. Petcrsburgo, Odessa e Moscow, os ne-
gocios internos serio tratados pela douma (admi-
nistrado da cidade.) Fcar com tudo aos distric-
tos a faculdade de se reunirem e de formarem as-
semblas communs sob a presidencia do chefe e da
douma.
c Esta medida legislativa da mais alta impor-
tancia poltica, por isso que, pela primeira vez crea
assemblas representativas para vastas regioes,
chamadas governos, e suas subdivisoes, chamadas
districtos.
a Rene nestas ass emblas representantes de
todas as classes da sociedade, interessados as con-
tribuigoes directas, dando-lhe urna grande impor-
tancia e um grande circulo de actividade. Ao
mesmo tempo rene as cidades e as cmaras ru-
raes, segundo as relacoes dos seus interesses male-
raes e moraes. E' um importante passo na estra-
da do progresso.
Eis a carta do gra visir Aali-Pach ao prin-
cipe Couza:
t 11 de Janeiro de 1864.Meu principe :S. A.
deve recordarse que os regulamentos orgnicos fi-
xam o effectivo da milicia regular dos dous princi-
pados, no numero de 6,208 hemens, organisados,
e divididos da maneira seguinte:
c Para a Valacbia, 2 reglmentos de 1,552 pragas
cada um, divididos em dous batalbes de infanta-
ria, 2 esquadroes de cavaliaria, podendo ser aug-
mentados com um 3. regiment, se a conservago
da tranquillidade interna o exigirum regiment
para a Moldavia, com a mesma organisagao.
< Sabis egualmente, meu principe, que o ulti-
mo paragrapho do artigo 42, da convengo de Pa-
rs estipula, que t o numero das milicias regula-
res flxado para os regimentos orgnicos, nao po-
c der ser augmentado com mais de um terco,
t sem um accordo previo com a corle suzerana.
Ora, os boatos que ha muito tempo se espa-
'ham sobre armamentos, que V. A. tem emprehen-
dido adquirem urna tal consistencia, que obrigam
a Sublime Porta a perguntar-vos formalmente o
l que d'aqoi se devora concluir.
< Nao julgamos necessario fazer observar V.
y. S. que a convenci de 1866, a base em que
se funda o edificio do oslado das coasas actaaes
no3 Principados Unidos; qne consagra direitos e
deveres que ligam todas as partes interessadas, e
que regulara a sua posico; que debaixo dos,
auspicios benficos desse acto internacional, e res-'
peitando-se religiosamente, que a prosperidade e
bem estar dos moldo-valachos pode desenvolverse .
tranquilamente; que desconhecer e solar urna,'
parte seria o signal de complicagdes, as quaes os
principados seriam os primeiros s>soffrer.
Compreheudidos as garantas geraes da inte-
gridade do imperio oltomano, regidos por inslitui-
gdes, que se acham sob a salvaguarda dos tratados
solemnes, os principados nao podem ter receio al-
gum externo bem fundado, que os forgasse a exau-
rir os seus recursos ftnanceiros em desperas de
preparativos militares, com detrimento d'aquelles
que o melhoramento do seu estado interno exige
.mperiosamente.
c O immenso interesse que a Sublime Porta tem
em vigiar pela seguranga do vosso paiz, meu prin-
cipe, e a garanta collectiva das maiores potencias
da Europa, formam tudo um elemento de seguran-
ga bastante forte, para despensar V. A. S- dos cui-
dados externos, e para lhe dar tempo de se oceu-
par em tornar felizes os povos, cujo governo lhe
est confiado.
A sagacidade experimentada de V. A. poder
apreciar, do que nao duvido, qual a importancia
e a justiga desias observagoes, e poupar ao seu
pan difflculdades sem a menor conveniencia til
e despezas sem fructo algum.
V. A. S. ha de fcilmente conceber que impos-
sivel ao governo imperial guardar por mais tempo
o silencio sobre factos que affectam os tratados
existentes e os direitos estabelecidos. Temos a fir-
me esperanza, meu principe, de qae nao hesitareis
em reconbecer a lealdade dos sentimentos que nos
dictaram estas explicagOes, e qae a vossa resposta
ha de ser propria para disslpar qualquer mal en-
tendido sobre as intengocs que V. A- S. tem de
observar fielmente as estipulagoes internacionaes,
no que diz respeito aos Principados Unidos.
c Dignae-vos acceitar, etc.
Aali-Pach.
*
O Moniteur prussien publicou o seguinte re-
iatorio uilicj;iL datado de 19 d'abril, sobre a toma-
da de DnppeF
< Ilontem pela manbaa foram tomados de assal-
to os reductos de Duppel, e os Dinamarquezes re-
pellidos da Ierra firme do Schleswig. S. A. R. o
principe real o o feld-marechal assisliram a pri-
meira parte do assalto, na altura da bataria de
Gammelmark, e s operares ulteriores, primeiro
no Spitzberg, u, depois no caminho de Sonder-
burgo.
t As tropas destinadas ao assalto, conservavam-
se desde o romper do dia as parallelas e appro-
ches, e as reservas ao abrigo na rectaguarda, em-
quanto que todas as bateras sustentavam um vio-
lento fogo contra os reductos.
< Em Sandberg estava postada urna brigada,
para, segundo as circumstancias, passar na ilha
d'Alsea em pontoes e canoas, ou fazer demonstra-
cues que podessera atlrahir ali as torgas inimigas-
f A's dez horas precisas as bateras da frente,
d'attaque cessaram o fogo, e as seis columnas d'at'
taque sahiram simultneamente aos gritos do Uur-
rah da parallela mais avangada.
c O inmigo recebeo-os com um violento fogo
d'infantara e de obuses. Mas nada foi capaz de
suspender o impulso das tropas, que avangavam
sempre. Sem disparar um tiro de espingarda,
marcharam contra os reductos. A's dez horas e
um quarto j as bandeiras prussianas fluctuavam
nos seis baluartes que tinham sido atacados. Os
Dinaraarquezes qae se achavam encarregados de
os defender, estavam morios, feridos ou prisionei-
ros.
A's onze horas da manhaa, os baluartes n. 7'
8 e 9 estavam tambem tomados, assim como a se-
gunda linha de reductos situada na rectaguarda ;
o reducto n. 10 capitulou. Ao meio dia, o assalto
dado sobre os dous principaes baluartes tinham
egualmente produzido o seo xito. O inimigo dea-
trola urna ponte de barcos, emquanto que a outra
foi destruida pela nossa artilharia. Todas as li-
onas de reductos ainda muito solidas, fortemente
armadas dartilharia, e bem defendidas pela infan-
taria estavam tomadas.
t O RolfKrahe tentou intervir no combate
quando os seis primeiros baluartes j estavam to-
mados mas foi fonjado pelas nossas bateras a
baler-se em retirada. A nu Skiold, de 84 pegas,
estava prxima, mas nao ousou tomar frente no
combate.
< As nossas perdas sao grandes, mas nao pode-
mos ainda calcula-las aproximadamente. As do
inimigo, em mortos e feridos, parecem ser muito
maiores; no campo ficaram mortos dous ofllciaes
dinaraarquezes; 3 4000 prisioneiros. sendo mui-
tos offlciaes e dous commandantes de corpos, fo-
ram conduzidos s nossas linhas. Tomamos 50
80 pegas e muitas bandeiras dinamarquezas.
c A brigada postada em Sandberg nao poude
passar ilha d'Alsen, porque a margem opposta
estava muito fortemente oceupada, mas cumpriu
a mssao que tinha de attrahir ali torgas conside-
raveis do inimigo. A bravura que mostraram to-
das as tropas que entraram em fogo superior a
todos os elogios.
t Todas as disposigoes para o assalto tinham si-
do tomadas perfeitamente pelo principe Frederico
Carlos, e foram executadas com tanta habilidade,
que em duas horas estava consumado o mais bri-
Ihanle dos mais brilhantes feftos d'armas.
c Logo depois da tomada das principaes bate-
ras, deu-sc ordem para que a maior parte das
tropas prussianas, e o parque de sitio marchassem
para a Jutlandia, afim de oceupar toda aquella
provincia e sitiar Fredericia. Podem pois espe-
rarse dentro em poucos dias golpes decisivos no
norte.


A commissao da assembla dos membros das
dietas allemaes, que tem assento em Francfort, di-
rigiu ltimamente a Mr. de Beust, plenipotenciario
da confederagao germnica na conferencia de Lon-
dres, o seguinte protesto a favor dos direitos daAl-
lemanha, assignado por 1:349 membros das dietas
e assemblas da burguezia :
f Em presenca da reuniao da conferencia de
Londres, e falta de urna represeatagao commum
da nossa nacao, nos, membros abaixo assignados
das dietas allemaes, declaramos perante a .-\llema-
nha, e perant a Europa, que :
< 0 direito incontestavel, e a vontade manifesta
do povo,. exigem a separago da Dinamarca des
ducados de Schleswig-Holstein.
O direito incontestavel e a vontade manifesta
de povo, chamam o duque de Aagustemburgo
successo ao throno dos ducados, indissoluvelmen-
.e unidos.
c Se se contesta csse direito, nao urna confe-
rencia das potencias que ha de decidir a questiio,
mas slm a nacao s, e os seus representantes.
Protestamos, em nome da nago, conlra qaal-
qaer decisao que possa dispor da rte dos duca-
dos, contra e sem a sua vontade, e nos entende-
mos garantir polo presente e futuro o direito que
a Allemanha tem e o poro do Schleswig-Hols-
tein. >
*

Segundo escrevem do Francfort a dieta to-
mou as seguintes resolug5es a respeito das confe-
rencias :
1.' Acceitar o convite para a conferencia pro-
posta pelo gabinete britannico, e pedir ao presiden-
te que dsso s notas do plenipotenciario da
Gr Bretanha datadas de 23 e 26 do mez passado,
urna resposta conforme com o projecto apresenta-
do pelas commissoes reunidas ;
< 2.a Mandar conferencia um repesentante da
confederacao, e escolher para esse fim um homem
de estado, que nao pertenga aos estados allemaes
j representados na conferencia ;
3. Proceder inmediatamente, votando por
meio de lulas, a eloigo d'esse plenipotenciario ;
4. Pedir ao presidente da dieta, que adopte
todas as medidas, cuja utlidade se demonstrar ul-
teriormente.
O plenipotenciario da conferencia ha de rece-
ber as seguintes instrucgfas:
1." Empregar todos os esforgos para assegu-
rar o reconhecimento dos direitos da confedera-
cao germnica, e dos ducados do llolstein, Schles-
wig e Lanenboarg, c especialmente obter a maior
independencia possivel para estes ltimos;
2. Para evitar, quanto for possivel, qualquer
desintellgencia entre os plenipotenciarios allemaes
na conferencia, combinar previamente com os re-
presentantes da Austria e Prussia todas as vezes
que houver de se tomar alguma deliberago impor-
tante, tendo os representantes das ditas potencias
sido egualmente convidados a seguir o mesmo
exemplo em circumstancias anlogas.
< O represen tante da Baviera tinha proposto
para se substituir aos termos : tObter a maior
independencia possivel para os ducados, os se-
guintes : Diligenciar e fazer com que fossem reco-
nhecidos os direitos do principe hereditario de
t Augustembourg, como duque do Schloswig-Hols-
tem, e por consequencia a completa separago
dos ducados da Dinamarca. >
De Hoerup-IIav escrevem o seguinte depois
do assalto de Duppel :
Contra a espectativa geral aqui, a noute pas-
sou-se tranquilamente ; o nossos offlciaes, o exer-
cito e finalmente todos nos eslavamos persuadidos
de que os Prussianos fariam alguma tentativa con-
tra a ilha d'Alsen ; mas nao aconteceu assim De-
pois de haverem estabeiecido um solido cordo de
sentinellas na margem do Sunda, o inmigo fez os
seus quarteis de noute ; algumas pegas de campa-
nha que se tinham estabeiecido em varios pontos
a meia distancia de Duppel, langavam muitos pro-
jectis, aos quaes responda a batera Kirclo e a is-
te se resumiu tudo.
Esta nactividade inconcebivel da parte do ini-
migo, fazia acreditar que as suas perdas haviam
sido consideraveis, e que elle quera empregar a
noute para desembarazar o campo de batalha dos
mortos que o juncavam.
t Os Prussianos precplaram-se como urna tor-
rente ; calcula-se em dez mil o numero de homens
que penetraram pela brechadas dez horas e meia
at ao meio dia. Foi contra esta massa compacta
que o val ente Rolf Krake fez fogo. Julgae portan-
te do effeito que isto produzu. O audacioso navio
sahiu sao e salvo d'esta luta, mas nao se pode di-
zer entre tanto a respeito da equipagem ; as per-
das porm limitam-se um tenente morto, um of-
ficial inferior, e meia duzia de marinheiros que fi-
caram fora do combate.-
i Hontem deram-se alguns episodios dignos de
se reproduzirem ; os pontoneros lancaram-se a
nado no Sunda, completamente vestidos ; para fa-
cilitar a soltura dos barcos, um d'elles ferido por
muitas bailas, e nao podendo j conservar na mo
o seu machado, agarrou se s amarras, que come-
gou a roer com os denles. Quando, tendo empre-
gado esforgos sobre-humanos, conseguir quebrar
urna das amarras, duas bailas lhe quebraram o
crneo. Dous dos seus camaradas tomaram' conta
do cadver ; foi euterrado esta manhaa ; o corpo
sumiu-se debaixo de urna carnada de verdura e
flores,
Quem nao presenciou nao poderia imaginar o
respeito que os Dinamarquezes tem pelos mortos,
sejam elles quaes forem. Em Dinamarca e aqui
mesmo, no campo da batalha o homem mais hu-
milde, o ultimo soldado tem um esquife piutado de
preto e com um certo feitlo, que faz recordar os
tmulos da Grecia. Aqui mioguem se recorda que
um soldado teuha sido enterrado de outra manei-
ra. Os caixoes cujo prego relativamente muito
elevado, sao pagos pelos fundos geraes do exer-
cito.

O Daybladel, que se publica em Copenhague,
exprime-se d'e-te modo a respeito da tomada de
Duppel :
< A noticia da per Ja da posigo de Duppel, ha
de causar urna grande dr era lodo o paiz. A me-
diagao ingleza, produziu de novo funestos fructos
Dinamarca. Se a conferencia se tivesse aberto
em 12 de abril, ter-se-hia podido concluir um ar-
misticio, antes que os Prussianos houvessem alean-
gado urna nica vantagera no Schleswig ; mas a
conferencia foi addiada sem que mesmo se espe-
rasse o consentimento da Dinamarca, e o nosso
mais perigoso iuimigo vira apresentar-se na sala
das conferencias com a atlitude arrogante, e com
as orgulhosas prelengoes de um vencedor.
Nao para admittir que Duppel se tenha per-
dido ; era antes para admirar que a posigao se po-
desse sustentar por mais tempo. Se os Francezes
ou os Austracos estivessem em frente de Duppel,
nao teria sido necessario um combate de artilharia
de cinco semanas para preparar o assalto, quo o
magnifico exercito do re Guilherme nao poude
fazer se nao depois das bombas e dos obuses terem
aberto o terreno, e de ter recebido, no ultimo mo-
mento, novos reforgos. Os reductos de Duppel j
nao tinham se nao restos de muralhas informes e
destroces, a artilharia estava destruida, os soldados
exhaustos, etc. A valenta e a constancia do pe-
queo exercito dinamarquez, sao 'ante mais admi-
ravels.
A retirada de Duppel nao despertar na na-
gao, os sinstros pensamentos, que se despertaram
com o abandono de Danewerke. O exercito cum-
priu o seu dever at ultima extremidade ; o povo
ha de tambem cumprir o seu, mostrando resigna-
gao e coragem ; a honra da Dinamarca estava na
mo do exercito, e foi atravez das mais rudes pro-
vas que a histeria j mais esquecer.

t Esperamos que na conferencia a corajosa re-
sistencia, que regou de torrentes de sangue, o solo
de Schleswig far dar ao direito a victoria sobre
a forga. Ento o sangue que custou o combate,
nao lera sido derramado intilmente, mas salvar
a patria, que se ha de lembrar dos seus valentes
soldados, com orgulho e reconhecimento.
y
Urna reuniao popular de urnas 1,200 pessoas,
adoptou uliimamenle em Copenhague, urna men-
sagem ao povo italiano, a qual concebida n'estes
termos : i 11
i Irmos Italianos '. Poucos annos teem de-
corrido desde que bavels dado um passo gigan-
tesco para a santa cansa da unidade e da llberda-
de. Eis-vos agora armados, fortes pela unidado e
liberdade, e pela livre disposigao de um grande
paiz; podis avancar com cwfianca para ara futu-
ro que vos ha de conduzir, tal vez dentro em pou-
co, a novos combales o a novas victorias. Quando
ltimamente lataveis heroicamente ao lado dos
Francezes, lataveis ao mesmo tempo pela liberda-
de, pela civilisagao e pela humauidade, a favor de
todo o povo que tem sollrdo, como vos, sob a op-
pressao da arrogancia e do despotismo das poten-
cias allemaes.
Mas, Italianos, um grande numero dos vossos
compatriotas servem nos regimentos austracos, a
par dos Polacos, dos Magyares e dos Tcheques,
combatendo por urna causa que vos odiaes. E
isto que enche o nosso coragao de tristeza. Cente-
nas de Venezianos lecm perecido no campo da ba-
talha, ou suecumbido as fadgas de urna campanha
de invern n'um clima rudo, e todava nos nao es-
tamos em desaccordo comvosco, mas sim com o
povo anti-liberal e vido de conquistas, que est
entre nos, e que cerlamenle vosso inimigo, assim
como nosso.
Recentemente eris vos que combatieis esse po-
ve para libertar do seu dominio urna parte do vos-
so paiz. Ali, foi o seu orgulho anniquillado ; viu-
se repellido em limites mais estreitos, e constrang-
do a fazer urna paz humilhanle.
Hoje somos nos urna nago pequea, um tergo
apenas da vossa populago, que nos vemos obriga-
dos a fazer urna guerra de morle contra esse mes-
mo inimigo. Euvia contra nos as suas bordes,
que nos saqueiam, e apoando-se na circumslancia
de que Allemaes teem emigrado, e teem sido hospi-
taleramenle acolhdos no Schleswig, recorre a ten-
tativa de se apoderar d'aquelle antigo paiz da coroa
dinamarquuza.
Pretende arrancarnos a nossa liberdade civil
e a nossa nacionalidade, que fazem o nosso orgu-
lho e a nossa forga. Procura na pequea Dina-
marca urna indemnisagao as humilhages que lhe
haveis feito soTrer, e^quer colher os louros que lhe
haveis destruido. E' urna amarga experiencia, que
os povos da Europa exhauram sem fructo as suas
forras, qae lutem contra a oppressao isoladamente
e cada um por si; as poteacias hostis liberdade
sabera mui hbilmente esmagar o seu inimigo um
a um, e servem-se de um povo sujeto para sujei
lar outro.
c Italianos A vossa causa sagrada, e ha de
vencer um dia ; vos dispondesjde recursos que se
podem medir coin os do inimigo. A nossa causa
egualmente sagrada ; nos combalemos pela nossa
vida e pelos nossos lares, e ainda que, nao obstan
te as forgas superiores do inimigo, estejamos ainda
longe de ser subjugados, um pesado fardo existe
sobre nossos hombros.
c A parte do nosso paiz contigua Allemanha
est inundada pelo iminigo, e achando-nos s con-
tra as duas maiores potencias militares da Europa.
Nao podemos repell-los da Pennsula. E' verdade
que por em quanto somos superiores ao inimigo
por mar, e que sobre este elemento lhe podemos
causar perdas sensiveis; mas estes mesmos recur
sos hao de enfraquecer se a Austria conseguir
mandar das vossas paragens para as nossas costas
urna grande divsao da sua esquadra tripulada com
os vossos marinheiros.
Os nossos imingos bao de comprar cara a sua
victoria : muitos seguiro ainda aquelles que teem
encontrado a morir nos campos da batalha do
Schleswig e da Jutlandia septentrional. Mas, ir-
mos italianos, se se consentir que a Allemanha
nos subjugue, perderieis um alliado que trabalha
para o mesmo fim que tendes em vista ; a liber-
dade e o direito pela patria e honra.
c Aceilae as nossas saudages c os nossos teste-
munhos de affeigo fraternal.

Da Datavia escrevem o seguinte :
A autoridade neerlandeza verificou ama pri-
so importante, e que assegura o restabelecimento
da tranquillidade as possessoes da Holianda ao
sul e a ste de Borneo.
< Demang Lehman, principal instigador da su
blevagao que, em 1859, rebentava em Bander-
marn, com o massacre dos habitantes europeus
daquella localiJade, foi preso no dia 4 de fevereiro
na parte oriental da ilha, depois de ter conseguido
al agora escapar mais activa perseguicao.
Muitas vezes, por falsos indicios, se annunciou
a priso deste chefe dos rebeldes, que, ha algum
tempo, perseguido de perto pelas torcas neerlan-
dezas, se achava reduzido ultima extremidade.
Forgado pela fome a procurar refugio c alimentos
n'um ponto habitado por um bando de forgados f-
gidos, foi reconhecido e preso por aquelles homens
que sabiam que urna forte recompensa, e talvez o
seu perdo fosse o premio desta captura.
O preso com as suas tres mulhes, e mais qua-
renta individuos, foram conduzidos Bandjermas-
sin pelo Pangheran Cherf Hamid, chefe do distric-
to de Baten Lidjin, o entregues s autoridades
neerlandezas.
Apresentado perante o conselho de guerra,
que durou tres dias, Demang Lehman foi condem-
nado ao supplco ; cumpriu a sentenga com gran
de firmeza, em presenga de um grande concurso
de povo, no da 27 de fevereiro, em Matapoura.
c Espera-se que este aooutecimento ponha ter
mo lucta, que cada momento tem renascido ha
cinco annos no sultanado de Bandjermassin. A cap-
tura produziu na Batavia a mais viva sensagao.

Em seguida damos o programma do novo mi-
nisterio hellenico :
Concidados I
Chamados por S. M. el-rei ao governo do esta-
do, nao dissimulamos a gravidade do mandato que
nos foi confiado, e empregaremos todos os nossos
esforgos para corresponder confianca do nosso
augusto soberano.
Consideramos a nossa realeza constitucional
como urna condigo indispensavel do nosso born-
es tar e da grandeza da nossa chara patria e cora a
mais completa confianga as intengoes sinceras do
nosso joven monarcha, marcharemos com a cora-
gem que inspira a conviego de urna perfeita con-
fianca entre o povo e o seu soberano. E' por meio
desta confianga, concidados, que as nagoes fazem
progressos e sao felizes.
Para conduzir bom termo a nossa tarefa.
consideramos indispensavel a cooperago da assem-
bla nacional. Estamos certos de que teremos o
apoio, e de que haremos de servir sinceramente
os verdadeiros interesses da patria.
< Julgamos nao s como desejo geral, mas tam-
bem como urna necessidade da patria, a reuniao
das sete ilhas nossa me commum o mais breve
possivel. Nao cessaremos de cooperar para isto
com zelo, e empregaremos todos os raeios possiveis
para approximar esse dia feliz, em que os repre-
sentantes dos nossos irmos jonios ho de temar
assento na assembla nacional.
A censoidago da ordenv o respeito das leis, a
saa fiel imparcial eiecugao, a boa organisaco
Ji guarda nacional e do-'ejercit, e o desenvolvi-
mento do trabelho e do espirito emprehendedor
) paiz, por meios efflcases, serio o principal ob-
jecto dos nossos cuidado?.
t Alhenas 17, 29 de abril de 1864.
Z. I. Bfclh, presidente ; P. Cailigas, J. Papa-
zafiropoulos, A. D. Avguerinos, C. Zirabracaki, M.
C. La na lis.
l'll POICO DE TUDO.
TiaJiizmosdo Pilit Journal:
Foi ha pouco corlada na California urna arvore
com 90 ps de crcumferencia e 323 de altura. De-
pois de cortada produzio 250,000 ps de taboas,
todas sas e solidas- Avalia-se em 3,100 annos a
edade desta collossal arvore.

Um menino de 9 para 10 annos tendo Picado a
dormir sobre um banco dentro da egreja de S. Es-
tevao, em Elbeuf, e acordando quando j estavain
as portas fechadas, subi torre as 11 horas da
noute, e poz-se a repicar os sinos, o que chamou a
attengo publica, e -lo sahr de sua pristo.

Um velho de 81 annos, que habita no departa-
meaio da Charente, deu todas as providencias para
que seus herdeiros nao fossem incommodados
quando elle morresse.
Cora-o maior sangue fro, mandou preparar seu
tmulo, pagou todas as despezas do funeral e fez
imprimir os billietes de convite que devem ser ex-
pedidos quando morrer, a cincoenta pessoas que
elle desiguou, deixando apenas em branco o 'u
de sua morte e o lugar do enterro.

Nasceu ltimamente era Granville e morreu pou-
cas horas depois, um gato com oite paitas. O ani-
mal cor de bano, lem urna uuica cabega e as
quatrj paltas dianteiras voltadas em sentido inver-
so, isto duas naturalmente e duas sobre as cos-
tas. Tem 25 centmetros de comprimente, e divde-
se em duas partes distnctas das costellas al as
nadegas, onde ha de novo quairo paltas e duas
candas, e reunidos os dous sexos, sendo o inferior
gato e o superior gata.
Do Brasil transcrevemos o seguinte :
OS I.AZARISTAS K A ASSEMBLA DA BARIA.
O grito de liberalismo bastardo, que foi levanta-
do na cmara temporaria, por occasio da preten-
go do Sr. padre Janrard, foi vigorosamente repe-
tido na assembla provincial da Baha a proposito
da verba dos missionarios iazaristas.
As invectivas contra esses padres conlra as ir-
mas de caridade, capuchinhos, jesuilas e ultra-
montanos foram impertinentemente repelidas ; e
geralmente applaudidas.
Mas aos Srs. deputado Cato Goerreiro e Souza
Barbosa devemos um publico reconhecimento de
applauso pela dedicagao e energa, com que de-
fenderam a causa catholica em urna assembla
que nao pareca de catholicos.
Nunca tememos o protestantismo estrangeiro,
que entre nos pretende propagar o escossez Ricar-
do Holden ; mas tememos, e omito, esse protestan-
tismo, que com o nome de catholicismo combinado
com a razao alardeam muitos dos nossos homens
pblicos; amalgama religioso esse que nao mais
do que o desmo puro filho mais velho do protestan-
tismo, propriamenle dito.
nicamente um reparo da nossa parte.
Emquanto se tira aos missionarios Iazaristas o
subsidio de um dous contos de ris, vota-se o
subsidio de 12:0003 para auxiliar a representara i
de dramas perigosos moral, como sao quasi todos
os da escola chamada moderna.
Nao somos conlra o theatro, que pode ser urna
escola de civilisaco e regeneragio ; mas preferi-
mos antes a civilisagao regenerago evanglica des-
siminada entre o povo : queremos antes o pulpito
do que o palco; precisamos antes do missonario.
do que do artista dramtico.
O Brasil nao est ainda as condiges de gozar
de todos os beneficios de urna adiantada civilisa-
gao ; tenhamos, pois, o que necessario, e dcixe-
mos para mais tarde o que apenas de pura ulili
dade.
A educagao religiosa do povo a primeira ne-
cessidade da verdadeira civilisagao ; e esla edu-
cagao nao possivel fazer-se entre nos sement
pelo nico ministerio do parochiado, cujas circuns-
tancias sao excepcionaes. Urge, portanto, o recurso
dos missionarios, u quem preciso auxiliar com
algum subsidio para suas viagens, para suas esta-
das e mesmo para fazerem esmolas como geral-
mente succede.
A guerra aos jesutas, aos Iazaristas, capuchi-
nhos e irmaas de caridade a luta disfargaJa e so-
lapada ao catholicismo ; e consequentemente o
triumpho ao protestantismo.
Ai do paiz quando a theora protestante fr appli-
cada ao dogma poltico, como apretendem appli-
car ao dogma catholico.
O SR. FR. JOAQIIM DO ESPIRITO SANTO.
Lemos com lodo o interesse a oragao fnebre,
que as exequias celebradas em Pernambuco pelo
repouso eterno do finado senador Paes Brrelo, re-
citou urna das glorias e das esperancas da ordem
franciscana no Brasil, e dislincto bahiano Fr. Joa-
quim do Espirito Santo.
O applaudido orador tornon-se recommendavel
pela delicadeza com que estabeleceu as differcnles
phases polticas, em que havia servido ao paiz o
benemrito finado.
No fundo e na forma a oragao do Ilustre orador
um escriplo digno de considerarao ; e pode ser
considerado como una das brilhantes paginas da
sua vida de oralor sagrado.
A Naf&o publica o que segu :
A Franga tem no mar e nos estaleiros 43 bar-
cos encouragados. de lodos os lotes, com urna
forga total de 4 mil cavallos e 1356 bocas de
fogo.
Entre estas, 24 navios, 19 fragatas, 19 canhoei-
ras e 1 barco com esporo.
Alm destas, conta a Franca 245 barcos de hli-
ce, que teem ama forga total de 63,830 cavallos, e
monlam 5,528 bocas de fogo.
Tambem conta 83 vapores de rodas, e 103 bar- *
eos de vela, que levam 2,344 pegas.
Total 478 barcos, 9,766 pegas, e forra de 107,075
cavallos.
A marraba mercante compoe-se de 15 mil
barcos de vela, 500 vapores, e 9 mil barcos de
pesca.

A casa d'Austria conta actualmente 3 impera-
dores, i." o imperador reinante Francisco Jos ;
2. o imperador abdicatario em 1848 Fernando;
3. Maximiliano Jos 1 imperador do Mxico.
Imperatrizes, 1.' a imperatriz Isabel esposa de
Francisco Jos; 2.a a imperatriz Mara esposa
de Fernando ; 3.a a imperatriz Carolina Augusta
esposa de Francisco 1; 4.* a imperatriz do Mxico
Carlota.
ERNAMim TYP. Dg H. F. F. 4 FILHO



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9F2OQI2W_BBJVRL INGEST_TIME 2013-08-27T23:56:17Z PACKAGE AA00011611_10395
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES