Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10376


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AUNO XL. HOMERO 120.
Per tres ezes adiaiiUtJos 58000
Por Ires nezs lencido* 6JU00
Porle ao torreio por tres nezes. 751)
*/-
i*i
SEXTA FEHtA 27 DE 1410 DE 1864.
Por auo ad solado. 191008.
Porte 3o corre por nn aia 3$$0U
NCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO NORTB
Parahyba, e Sr. Antonio Alexandrino de Lima'
Natal, o Sr. Amonio Marines da Silva; Araratv,
Sr.A. deLemos Brasa; Cear, o Sr. J. Jos de
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
tnazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARRBGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SL
Alagas, o Sr. dandi no Falco Dias; Baha, o I
T. Jos Marlins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
eira Martins & Gasparino. I
KPHEM BRIDES DO MEZ DE MA10.
PARTIDA DOS ESTAPETAS.
Olinda, Cabo e Encada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e.
sextas-feiras. I 5 Loa nova as 9 h., 54 m. e i s. da I.
Santo Antao Gravat, Bezerros, Bonito, Caruaru', 13 Quario crese. as 4 h. e 61 m. da t
Altinbo e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Breje,. Pesqueira
Ingazeira, Flores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob'
Boa Vista, Ouricury e Exu1 as ouartas feiras. '
Sennbaem,.Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
nha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao Vi da.
21 La cbeia as 11 h., 4 m. e 20<& da m.
28 Quartoaing. as 7 h. e 56 m. da Oh
PREAMAR DE HOB.
Primeira as 8 horas a 30 minutos da manhaa.
Segunda as 8 horas e Si minutos da urde.
PARTIDA DOS VAPORKS COSTEIROo.
*4 sal at Alagois a 5 e 25; para o norte at
5-^ffl? decadamez; para Fernando nos
das |dos nrnes dejan, marg., maiorjul. sel enov.
PARTIDA DOS OM1UBPS.
,"** Recrfe : *> Apipucos as 6/,,', 7 Va, 8 e
A da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as >/i da m.; do Caxanga-e Varzea as 7
da m.; de Betica s 8 da m.
K W^U ^a0 APP.UC0S 3 *fhh *' 4 Vi,
o, 7j, Vi a 6 da tarde; para Olinda as 7 da
manhaa e 4 '/i da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
AUDffiNClA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal Ao commercio: segundas e quintas.
Relagao: torgas e sabbados s 10 horas.
Fajeada.: quinta s O horas.
Juixo do commercio: segundas s 11 horas.
Ditt- da orphaos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
da.
PARTE GFFICIAL.
GO .ER.W DA PROYOCIA.
Expediento de da 23 de main de 1861.
Offlcie ao brigadeiro commandante das armas.
Queira V. Exc. informar acerca do que pondera o
nspeclor da thcsonraria de fazenda uo oracio in-'
cluso que me ser devolvido.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. expedir as suas
ordens para que a guarda do arsenal de marioha
seja fe i i a por pracas d.) 1" linha.Communicou-se
ao inspector do arsenal de marinha.
Dito ao mesmo.Ao gerente da companhia Pcr-
nambucaoa otllcio nesia data para mandar trans-
portar para Alagas no pruneiro vapor destinado !
ao sul, nao s os dous caixes com fardamento de
que trata o offlcio de V. Exc. n. 929 de 20 do cor-
rente, raais taiubein dous ditos com medicamentos,
os quaes devem ser conduzidos para Tacaral sob
a guarda das pracas incumbidas da condueg'o do
predlto forneci monto.Fez-se o necessario expe-
diente.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. por em liberda-
de, dando-lhe baixa se ja esliver com praga, o re-
cruta Heorique Luiz de Araujo Dias, que teni isen-',
cao do recrutamento.Communicon-se ao com-
mandante superior da guarda nacional do Re-
cife.
Dilo ao cnsul inglez.Respondendo ao offlcio
do Sr. G. I.>'iiion Hunt, cnsul do S. M. Britannica
nesta provincia, datado de 18 do corrente, trans-
muto por copia a inormago ministrada pelo com-
mandante da corveta de guerra vapor Partiente,
da qual ver o mesmo Sr. cnsul o como se deu o
facto sobre que versa a queixa do carvoeiro
daquella corveta William Marries, a que allude o
citado ofllcio.Renov ao mesmo Sr. cnsul os
protestos de minha perfeita estima e deslinda con-
siderago.
Dito ao inspector da thesouraria de fazendaEra
resposta ao seu offlcio desta data sob n. 190, ca-
be-me dizer-ihe que para execugo da ordem con-
tida no que Irte dirig em 17 do corrente, deve V.
S. coma regular, exigir do engenhoiro Paulo Jos
-de Oliveira, provas de ter estado no effectivo exer-
cicio da commisso, de que se acha incumbido,
alim de que possa ter lugar o pagamento dos ven-
mentes que tiver direito.
Dito ao mesmo.Inleirado do conteddo do seu
oflicio de 21 do corrente, sob n. 258, tenho a
dizer em resposta que porte V. S. mandar des-
pender sob minha responsabilidade nos termos do
decreto n. 2,884 do de fevarero de 1862 at a
quanta de 16:9794264. com a eontiouago das
despezas por coola da rubrica -gratilicaeoes, di-
versas ajudas de custo etc. do ministerio da guerra
no corrente exercicio, visto acliar-se exlincto o cr-
dito votado para esse flm, e nao ter sido ainda con-
cedido o augmento para elle pedido, segundo
consta de seu citado offlcio.
Dito ao mesmo.Communico V. S., que o ba-
cliarel Emigdio Marques Saotiago, assomip em 14
do correte, o exercicio do cargo de jjtriz municipal
e de orphaos do termo do Limoeiro para onde foi
removido.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.Au-
toriso V. S. nos termos de sua informagao de 21 do
corrente, sob n. 188, dada com referencia a da
ouladoria dessa thesouraria, a mandar pagar ao
professor de instruegao elementar da villa de Io-
gaiein, Marcolino Antonio Xavier, a quantia de
784945, que deixou de receber de seus vencimen-
tos, relativamente ao lempo decorrido de 8 de de-
zeinbro do anno prximo passado, at 7 de Janeiro
ultimo.
Dito ao desembargador da Santa Casa da Miseri-
cordia.En vista do disposio no aviso da reparti-
gao de marinha de 29 de abril ultimo, constante da
copia inclusa, o menor Francisco de Oliveira Gal-
van, spde seradmittido na companhia de aprea-
dizes mariuheiros.
Pica assim respondido o offlcio de V. S. firmado
em 21 do crrenle.
Dito ao commandante do corno de polica.-Con-
cedo a autorisacao que V. S. solicitou em seu olli-
c.io n. 231 de 19 do corrente, para excluir da sec-
^ao urbana do corpo sob >eu commandante Jacin-
tho de Barros (Jorrea, e Ernesto"Isidoro Casado
Lima, por seren de mo comporta ment, e recom-
mendo-lhe que os man.le apresentar ao brigadeiro
commandante das armas para serem alistados no
exereito, como recrutas, sanio tiverem isencio le-
gal. Oliiciou se nesle sentido ao brigadeiro com-
mantes das arma?.
Dito ao mesmo.Pode V. S. mandar dar baixa
ao guarda da secgo urbana do carpo seu commau-
do Manoel Luiz de Smiza, visto que em inspeegao
de sade foi considerado incapaz do servigo, como
consta do seu olllco n. 234 de 21 do corrente.
Dito ao capilao do porto.Fago apresentar V.
S., o recrula de marinha Manoel Antonio de Alinei-
da, para que llie d o conveniente destino de|K)is
de inspeccionado.Communicou-se ao Dr. chele
de polica.
Dilo ao commandante do presidio de Fernan-
do. Sciente pelo nffieio desse commando sob n. 39
v data de 29 de margo ultimo, de ter sido entregue
nesse presidio, com falta de 44'j alqueires a far-
nha de mandioca remetlida pelo blata Artista, de
as providencias necessarias nao s para que o do-
no ou mestre do referido hiate seja resiwnsabilisa-
do por cssa falta, mais tambem para que o conse-
Iho administrativo compre igual numero de al-
queires de farinha para completar os 8UO de que
constava a remessa : o que communico V. S. para
seu conhecimento. Ofllriou-se nesto sentido the-
souraria de fazenda e ao conselho administra-
tivo.
Circular todos os conimandantes superiores da
guarda nacional da provincia.Remello V. S.
liara seu conhecimento e execugo copias do aviso
expedido pelo ministerio da justiga em 21 de abril
prximo lindo, relativamente guardas que teem
de responder a conselho de disciplina, e outro em
23 do mesmo mez, em solugao consultase os
capitaes designados para exercerem os postos de
majores de eorpos da guarda nacional devem soli-
citar patente considerando-se vago o que anterior-
mente exercia.
Dito ao juiz municipal do termo do Limoeiro
Informando o Dr chefe de polica em offlcio n. 572
de 16 deste mez que o renuta Manoel l'ereira da
Silva apurado nesse termo nao tem isencao do re-
crutamenio, nao pode por isso ser posto in liber-
dade. O que declaro a Vine, em resposta ao offlcio
desse jnizo Armado em 9 do corrente.
Dito ao delegado de polica do termo lo Ex.
Para que se possa solicitar do governo imperial a
creacode urna col lectora de rendas na villa do
Ex como V. S. propoz em seu offlcio de 18 de
abril ultimo a que respondo, faz-se necessario
<|ui) informe com preciso quanlas lojas lia na mes-
na villa e res|>ectivo termo, que pos^am pagar o
imposto annual, quantos escravos sujeitos a taxa e
cuanto finalmente portero produzir em um anno
a siza dos bens de raz, o sello e os demais impos-
tos nacionaes.
Portara.O presidente da provincia tendo em
vista o resultado do concurso, a que se. procedeu
para preeochiinento da vaga de 2 escriturario da
thesouraria provincial, resolve nomear para esse
lugar a Jos Piretu SeveFizeram-se as necessa-
rias communicagdes.
D.ia.O presidente da provincia conformndo-
se "com a propona do leenle-coronel commandante
do corpo de polica, em data de hoje, sob n. 237,
resolve demittir a Manoel Fernandes de Albuquer-
iiue Mello do posto de tene-nle da 2* companhia da
de; para Cachaag e Varzea s 4 /i da tarde; para Segunda vara 4o civel: quartas a sabbados a 1 hora
fiemflcas4datarde. i da tarde.
companhia da secgao volante do mesmo. corpo por
assim convir ao servigo publico.Communicou-se
ao predito commandante.
Dita.O presidente da provincia conformndo-
se com a proposta apresentada pelo teen te-coro-
nel commandante do corpo de polica em offlcio
desta data, sob n. 237, resolve nomear para offl-
DIAS DA SEMANA.
23. Segunda. S. Basilio are.; S. Desiderio b. m.
24. Tcrga. &. Antonio b.; S. Vicente de Ifeirins.
25. Quarla. S. Gregorio Vil p.; S. Urbano p. m.
26. Quinta. ^ Pesia do Cor|>o de Deus.
27. Sexta. S. oSo p. m.: S. Ranulfo m.
28. Sabbado. Ss. Senador, Podio e Justo bb.
29. Domingo. S. Maximiano b.; S. Mximo m.
A3SIGNA-8E
no Recife, em a. livraria da praca da Independencia
ns. 6 a 8, dos propietarios Manoel Figueiroa de
Paria & frito o.
^o Ctitm procedeu-se, no da 15, eletcao de tratada; 2o:OtX>5 para a dePirapa-
membros assembla provincial, sendo j conhe- ma dem ; 8:0004 para construc-
CHiI ii 1'i'^llJ t idil iln c,tllit cido o resultado dos collegios da capital, Maran
guape, Aquiraz e Cascavel que formava assim a
lista : Dr. Augusto Barbosa, Dr. Padua Pacheco,
Dr. Marcos Theophilo, Jos Flaminio, padre An-
tonino, Dr. Raymundo Theodorico, padre Pinheiro,
gao de casas para barreiras
40:0004000 para eonlinuago das
obras da casa de detengo que de-
ver ser tamhcm previamente con-
tratada; 12.0004 para coostruego
ctaes asecgo volante do mesmo corpo ose cidados Dr. Joo Pinto, tenente-coronel Paiva, Dr. Domm- de duas cadeias no centro da pro-
gos Alves, major Juca, padre Saraiva, Dr. Justa i vinca, sendo a metade da verba
Araujo, padre Rravesa, Gustavo, padres Sarment para a da cidade de Nazarelh :
Francisco da e Diogo, Drs. Paurillo, Soares, Franco, Alcofora- 5:0004 para a canalisaco d'agua.
do, Paua, a Arstides, Maximiano. poUvel para a cidade da Victoria ;
Altores, o cidadao Joaquim Militao Uves-Lima. Na Parahyba tomou posse da adminstrago da 5:000* para contnuagaoda abertu-
T,.nanta n m .' UmPanma- provinea, no da 18, o Exm. Sr. Dr. Sinval Odo- ra da serra Mascarcnhas pelo lado
Tenente, o alferes da mesma, Manoel Germano de rico de Moura. do nascente ; 6:0004 para acaba-
iirr^;:u.m. w~ v nJ j Soicidon-se hontem, por voa de 8 horas da ment da casa dacamarado Bonito,
Alferes, o cidadao, Francisco Xavier Rodrigues de maolwa, na ra das Aguas-Verdes, Militio Jos ; de modo a sefvirde casa de jury
Miranda. de Miranda, pardo, msico do 2 batalhAo de in-
tommunicoa-se ao commandante do respectivo ranlaria, com um liro de pistola que deu sobre o
COt>0' n P6^0 es uita.o presidente da provincia altendendo que deu s deligeocias necessanas, assistindo os Srs.
nao se acha organisadoo esquadrao n. 8 de caval- Dr. Ignacio Firmo e Dr. delegado
seguinles :
2* Companhia.
Tenente, o alferes da mesma, Joao
Cunha.
luosos o vinagre com os vencimen-
los supra...........
ras
laria da guarda nacional mandado crear no muni-
cipio de Santo Anto por decreto n. 3,225 de 24 de
fevereiro utimo, resolve de cobformidade com os
avisos da repartigao da justiga de 4 de Janeiro do
1853 e 15 de fevereiro de 1860 nomear offlciaes
do dilo esquadrao os cidados seguintes :
Eslado-maior.
Alferes porta-estandarie, Joo de Deus Mello.
Alferes cirurgiao, Jos Marcellino de Mello.
1* Companhia.
Capilao, Manoel Gomes do Reg.
Tenente, Christovo Alvares dos Prazeres.
Alferes, Jos Vicente da Silva.
2* Companhia.
Capitn, o lente do batalho n. 23 de infamara,
Joaquim Pessoa Cesar da Cunha.
Tenente,
audiencias a adea ; 3:5004 para
a compra da casa que serve de ca-
deia em Buique; 3:0004 para
construccao de um agude eiSal-
gueiro ; 6:0QG& para melhoramen-
Em 13 de maio corrente foi sanecionada, sob to da estrada da povoago de Bai-
o n. 596, a seguinte lei do orgaraento provincial
titulo i
Despeza
Art. I." A despeza provincial no exercicio de
1864 1865 ser de 1,547:8614248, effecluada pelo
presidente da provincia de conforraidade com as
disposiges seguintes :
xa-Verde al a villa de" Flores in-
clusive o lugar denominado Broco-
ts ; 2:0004 para reparos da es-
trada de Buique Garanhuns no
lofar denominado Serra d&S. Jos ;
2:JQ04 para a construccao de um
agude em Flores; 21.30U4 para a
estrada contratada de Bujary a
Capitulo I
Assembla provincial e secretaria da presidencia da j Goianna; 6:0004 para a construc"
provincia.
Art. 2.* Assembla provincial
| 1.* Subsidio dos' raetnbros
em 3 mezes de sessao...........
< S 2.* Ajuda ae custo dos mes-
mos...........................
| 3.* Empregados da secreta-
ria ............................
{ 4.* Expediente e asselo da
I cae de urna ponte sobre o rio Mun-
da na povoacaode Corrente da co-
o alferes do mesmo batalho, Antonio
Gongalvcs da Silva.
Alferes, Jos de Barros Correa de Queiroz
Communicou-se ao respectivo commandante su- casa "inclusive a diaria do srvenle
Peror- __,. ,' paga mensalmente como os empre-
Dita.o presidente da provincia attendendo ao gados da secretaria-
que requereu o professor publico de instruegao ele-
mentar da povoago de Nossa Senhora do O' de
Ipojuca, Vicente do Moraes Mello Jnior, a tendo
em vista a informaco do director geral interino
da instruegao publica, datada de hoje, sob o. 92,
resolve conceder-lhe tres mezes de licenga com
venciinenlos.Communicou-se ao director eral.
Dita.0_ presidente da provincia lomando em
consderago o que expoz o director da repartigao
das obras publicas, em sua informago de 23 de
abril ultimo, sob n. 110, resolve nos termos do art.
32 da lei provincial n. 286, de 17 de maio de 1851,
nao s encampar a obra dos reparos da estrada de
Pod'Alho, de que arrematante Antonio Mala-
quiasde Macado Lima, visto nao ter sido ella con-
cluida dentro dos prasos concedidos para esse flm,
mas tambern multar o mencionado arrematante e
seus fiadores na 10* parle do valor daquella obra,
a qual devora ser acabada ou por admioislragao ou
por meio de novo contrato, como r mais conve-
niente.Fizeram-se as necessanas cemmunicagoes.
Dita.O presidente da provincia conformando-se
com a propasta do Dr. chefe de polica desta data
resolve nomear o teuenle Jos Antonio de Albu-
Suerque para o lugar vago de subdelegado do 1
islricto da freguezia de S. Leurengo da Malta.
Communicou-se ao Dr. chefe de polica.
Dila.O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Mauoel Jos de Souza Nunes, resol-
ve conceder-lhe licenga para ir ao presidio de Fer-
nando no hiale Sergipano, que para all tem do se- casa
guir, levando coinsigo os gneros constantes da < j 3.
relagao jaula, assignada pelo secretario do governo, servente
nao podando, porin, effecluar o desemjarque dos
referidos gneros, sem que por parte do comman-
dante do mesmo presidio se proceda exame para
se verificar se ha agurdenle ou outra qualquer
bebida espirituosa, sendo alm disto obrigado a
apresentar ao predito commaudante a factura dos
referidos gneros attestada quanto aos pregos pelo I
presidente da junta dos corretores.
marca deGaranhuns; 3:0004 Pra
l construccao da pequea ponte do
Fontal na ilha de Itamarac ; e
5004 para reparo da capella de
Ant. 34. Alnguel de barrei-
CapituJo XI
Aposentadoras e /NOttafSM.
Art. 35. Aposentadoras. .
t Art. 37. Jubilados.....
Capitulo XII
Divida provincia}.
* Art. 37. Resgate das apolices
da lerccira serie emittidas em vir-
tudo da lei n. 488.......
* Art. 38. Juros das mesmas..
Arl. 39. Exercicios lindos con-
forme o quadro que acompaoha a
presente lei .'.........
Art. 40. Para pagar o que se
deve da ponte da ra da A urora
unlo fundico de Starr A (',....
Capitulo XIII
Publicacoes e impresses
Art. 41. Imprcssoes dos ira-
aallios das repartigoes provincaes,
publicagdes do expediente e ou-
iros servigos..........
Capitulo XIV.
Despezas diversas.
* Art. 42. IIestililicoes ....
Art. 43. Bventaacs.....
1:1454000
18:9774000
3364000
15:5564485
16:9174600
60:0004000
7:4024500
65:3774255
4:5004000
3:6624240
1:2094000
10:0004000
I 3.* Reforma da mobilia da
casa.........................
S 6.* Publicago dos debtese-
oulras impressoes...............
Art. 3. Secretara da presi-
dencia :
I !. Empregados, inclusive
2004 de gratificago do continuo
que serve no archivo............
< 5 2. Expediente a asseio da
I casa inclusive a quota de 0004 pa-
ra um collaborador encarregado
de copiar os livros antigos do ar-
chivo cuja letra comega a apa-
ngarse.........................
< l 3.* Diaria de dous serventes
Capitulo II
nstrucciio publica.
Art. 4. Directora geral :
< I 1." Empregados, inclusive a
gratiticaco mensal de 604 ao ac-
tual secretario, e igualada a grati-
licacao do professor addido Jos
Faustino Mannho Falco dos pro-
fessores do Gymnasio............
I 2 Expediente e asseio da
Diaria de 1460O um
17:9404000
1:0844000
! Tamamdar...'..........'....... 186:8004000
6:1604000; < 7.- Matrizes, sendo 6:0004
para a de S. Jos desta cidade, c
1:0004 para cada urna das seguin-
! le : Goianna, Nazaretb, Limoei-
1:1504000 ro, Cabo, Una, Ingazeira, Buique,
_wnnil' Papacaga, Jaboatao. Ouricury, Ga-
1:50f4000 ranhuns, B. Rento, Senhor Bo'm Je-
. -a* : sus da ^Tei i>iova. Caruaru', Ser-
7:5t0400t ra Talhada e Igreja de Santo Auto-
Is^Wde mn dl! Fo8........... _LJ^^
Art. 44. Para
titulo antecedente.
1,547:8614248
TITULO I!
Receita.
effecluar a despeza tizada no
, (lea o presidente da provincia
auiorisado a determinar a arrecadagao da renda
consignada nos paragraphos seguintes :
I 1. 90 ris por arroba de assucar expor-
tado.
2. 20 ris por caada de agurdente expor-
tado,
j 3. 30 rs. por caada de alcool exportada.
I 4. Cinco por cenlo do algodo exportado.
i 5. Sele por canto do inel de furo expor-
tado.
6. Oito por cenlo dos couros exportados.
S 7. Cinco
5 W- Divida activa e saldo da do exercicio
anterior. .
46. Produelo do Imposto estabelecido pela
le n. 350.
1 47. Cinco- por cento sobre a renda dos bens
de raz perlencentes corporagoes de rao-roorta,
com excepg^ das que manteem estabelecimentos
pios.
48. Produeto das loteras do Gymnasio Pro-
vincial e do theatro de Santa Isabel.
49. Saldo dos premios das loteras, proscrip-
tos conforme oarl. 39 da lei n. 473.
50. Cotilas arrecadadas pelo juizo dos feitos
da fazenda.
51. Juro de nove por cenlo pela ndvida de-
tengo da renda.
titulo 111.
Disposirdes geraes.
* Art. 45. Os estudos graphicos serao feitos por
coma da verba da obra a que elles dlsserem res-
peito, e quando nao seja aquella votada pela verba
eventtiaes.
t Arl. 46. Para execugo da 2" parle do $ 12
do arl. 44 da presente lei.'ficao presidente da pro-
vincia auiorisado mandar proceder liquldago
e indemiiisagao, que fr devida, do imposto de....
245u0 j arrematado do consumo privado do gado
vaceum e dos creadores do mesmo gado as co-
marcas mencionadas no mesmo paragrapho.
Art. 47. Fiea o presidente da provincia auto-
risado a reslabelecer as amigas agencias para a
arrecadagao do imposto sobre os diversos gneros
da provincia, que nao sao conduzidos ao mercado
: desta capital, bem como crear novas, se jnlgar
conveniente, medanle urna porcentagem nunca
superior a cinco por cenlo concedida aos respecti-
vos agentes.
Arl. 48. Fiea o mesmo presidente da provincia
novamente auiorisado se entender com o gover-
! no geral para regular o pagamento da divida con-
traliida pela provincia com aquetle governo pelo
adiamntenlo dos juros addicionaes de dous por
! cento concedidos a estrada de ferro do Recife a S.
Francisco.
Art. 49. Para execugo do I 33 do art. 44 o
presidente da provincia mandar sugeitar a matri-
cula na repartigao competente todos os escravos
empregados no servigo de transportes de que traa
o referido artigo.
Art. 50. A mulla de Ires por cento que es-
1S: 4804000
2:9524000
1:4604000
23:8924000
Capitulo V
Theatro de Santa Isabel.
c ArL 15. Admioislragao o sub-
rengao :
1.* Ordenado do adminis-
trador.........................
i 2.- Concert e pintura inle-
riar e ezterior do Ihealro........
i 3." Subvengo actual em-
preza dramtica................
2:1604000
por cento dos demais gneros ex-
466:4664668 portados excepluando-se palhas de coquero, fruc-1 ^ ^X^^&Jm im-
A'nl ,-e 1ua,:s dosnavms e al.mentag.^ da tr.polagao e passa- cenlo qnando a emisso nao exceder ao segundo
"o ka semestre do exercicio e a nove por cenlo d'ahi por
8. 504 por cada escravo exportado, guarda-
da a disposigo do | 7 do art. 41 da lei n. 431.
9. 100 ris por libra de tabaco fabricado,
600 ris por arroba de nao fabricado, 24 por mi-
4:0004000 Iheiro de charutos e 14500 por cigarros ; 800 rs.
1 por arroba de sabo, 50 res por caada de bebi-
8:0004000 das espirituosas, resiitumdo-se o imposto quando
--------------; o genero fr reexportado; 80 rs. por caada de
res
Art. 5." Gymnasio provincial:
I 1." Empregados e professo-
c.spar Ims do di a 23 de maio de 1801.
Requertinentos.
Augusto Cesar Fernandes Eiras-.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Antonio Malaquias de Macedo Lima.Nao tem
lugar, e nesta data se expede ordem para ser en-
campada a obra de que se trata.
Alexandre Xavier da Silva.O supplicante nao
provou isengao legal.
Eduardo Calisto Bezerra.Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
Honorato Ferreira Maciel.Informe o Sr. Dr.
juiz municipal da I* vara desta cidade.
Jos Alves da Cruz.Informe o Sr. nspeclor da
thesouraria de fazenda.
Engenheiro Joao Luiz Vctor Liethier.Prove o
supplicante com documentos o tempe de servigo
Aluguel de casa............
3." Expediente, movis e as-
seio da casa, inclusive a diaria de
14 a um servente...............
< { 4. Mensalidade dos alumnos
pobres existentes...............
S 5. Museu...............
Art. 6. Escola de commercio:
$ !. Professores...........
1 2. Porleiro servindo de con-
tinuo
I 3. Expediento............
Art. 7. Aulas de latm :
| 1 Professores, inclusive o
de Ouricury...................
{ 2 luguel da casa do pro-
fessor deS. Jos, inclusive 4004 de
que allega. j dous anuos que deixou de receber.
Jos Francisco Marinho.Por ora nao pode ter
lugar o que requer o supplicante. ;
Joaquim Fernandes do llego. Informe o Sr. Dr. Art. 8.* Escolas primarias :
juiz municipal da 1* vara desta cidade. S 1" Professores inclusive os
Jos Joaquim dos Santos. Requelra ao governo demais 15 cadeiras, sendo 10 do
imperial. sexo masculino e 5 do sexo femi-
Manoel Antonio de Almeida Minan.Assignado, nio.......................... 105:5944165
volte queren'do. f 2. Ordenado do professor
Manoel de Souza Nunes.Passe portara na fr- de Ponta de Pedra Liberato Tibur-
ma das ordens em vigor. tino de Miranda Maciel, relativo ao
Marcolino Antonio Xavier.Dirija-se lliesou- anno de 1861 era que o era de
raria provincial. Aguas-Bellas e que nao recebeu... 9704000
Manoel Nunes Vianna.Por ora nao pode ser: J 3. Adantamento de cinco
attendido. mezes ao professor de Aguas-Bellas
Tenente Pedro Bezerra Cavalcanti Maciel. Passe t | 4. Aluguel de casa, movis
portara prorogando a licenga por 6 mezes. e expediente...................
Vicente de Moraes Mello Jnior.Passe portara
concedendo a licenga na forma requerida.
Captulo Vi
Seguranca publica.
Art. 16. Forga policial.......
* Art. 17. Casa de deteocao :
!_!. Empregados inclusive ci-
rurgiao, barbeiro e cabellereiro...
2.* Enfermeiro com a diaria
de 14600......................
i 3.# Expediente...........
3:6804000 < j, 4.* Illumioago...........
2OO4OO0!
: Arl. 18. Alugueis de casas para
&844OOO eadeias e quarleis fra da cidade
---------------do Recife......................
4:4*44000 Arl. 19. Conducgao de presos..
Capitulo Vil
._______ tluminacio publica.
3i )i04000 Art. 20. Com 1,100 lampeoes
2:0004000 de gaz nacidade do Recife, ficando
I a inspeegao desle servigo cargo
da repartigao das obras publicas,
4004000 ndependenle de maior estipendio..
_ mivin: Arl. 21. Com 101 ditos de azei-
2:7004000 te na cidade de Olinda..........
4004000 Art. 22. Com 30 ditos na cda-
---------------de de Goianna.................
39:9404000 Art. 23. Com 30 ditos na cida-
de do Rio-Formoso..............
5:1004000 Capitulo VIH
^^ I Soccorros de beneficencia.
52l5ft; Art- 2i- HosP',al Pedro II e
604000 dos Lazaros, e casa dos ex pos tos da
~Z~~~~ cidade do Recife, inclusive o dol
o:6604000 das expostas....................
1 l. Para collocago de vidra-
_ _..- 815 uas galeras do raio terminado
5:31o4000 du hospital Pedro II.........___
2.' Para conclusaodo hospi-
lal da Misericordia em Olinda, alim
6004000 de servir de hospicio dos alienados
TT.T1^ nue devm" ser Para la lra"sfe-
5:91o4000 ndos..........................
diante.
Art. 51. Fiea concedido ao presidente da pro-
vincia a aolorisago, para realisar denlro do exer-
cicio da presente lei, alguma operago de crdito
nunca superior a 100:0004000 para a acqusigo
de terrenos e instrumentos agrcolas desuados a
fazenda modelo de que trata o art. 12 desta lei,
1 se fr isto indispensavel a semelhanteflm, devendo
14.1604000 genebra e licores dem ; 20 rs. por caada de vi-1 dar coma dft seu act0 na oxjma reuiSo da as.
nafre, ficando isenlas as fabricas da provincia sembla, e ficarem perlencendo os oblectos adqu-
o, fiKftt0nA I I P0r C^t0 da aSuardenle d Produc-1 ridos a fazenda provincial.
237:6594800 gao do paz consumida na provincia, cebrados por Arl. 52. A metade das loteras que tiv-rem
admini>tracao. I de correr no exercicio da presente le perlencer
__________1 J Pr cada alqueire de sal no mu-1 de preferencia a quaesquer outros estabelecimen-
13:5254600 mciplo do Rec.fo los ao Gymnasio Provincial, Ihealro de Santa Isa-
S 12. 24o00 por cabega de gado vaceum, con- bel e hospital de Misericordia,
sumido na proviucia, com excepgao dos criadores Arl. 53. A preferencia da outra metade das
as comarcas do Bonito, Garanhuns, Brejo, Flores- loteras que lemde correr dentro do exercicio da
Tacaratu Cabrobo e Boa-Vista, que continuam a \ presente lei ser regulada pela forma seguinte :
pagar o d.zimo, e dos que talhalharem a carne; i. Cma parte da lotera concedida favor
para sen uso particular as mesmas comarcas. das obras do convento de S. Francisco de Sen-
I 13. Dcima de predios urbanos. | nbaem.
i 14. 204 por venda de escravos maiores de 1 |l*UlM dila da concedida em favor das
dous anuos de .dade. obras da matriz do Limoeiro.
18. Dez jior cento do sello de legados, he- 3.0 L-ma di|a da C0ncedjda a matriz de Ou-
rangas e doacoes de qualquer especie na forma do ricury.
Ui?.,do arL il da lei >. 553, de 4 de maio de I ^ 4o lTma dila da concedida a greja de Sania
-' .,. ^ Ki,a d" Oks*.
16. Cinco por cento sobre os premios de lo-
5845000
2004000
8964000
15:2035600
2:9385000
1:1364000
c
terias maiores de 4004000.
17. Dez por cento de novos e velhos direi-
71:6704000 tos pela nomeago dos empregados, e vinte por
cento pela aposentadora e jubilagao dos mesmos.
9:5484035! 18. Quatro por cento sobre a renda das ca-
sas em que se acharem os stabelecimentos de
3:1865450 commercio fra da cidade do Recife, e as prensas
1 de algodo, typographias, cocheiras, botequins, ho-
3:1864450 leis, casas de pasto, cavallariccs de aluguel e fa-
bricas, exceptuadas as ruraes em toda a provin-
. ca.
19. Oito por cenlo sobre as rendas das casas
em que se acharem os consultorios mdicos e ci-
' rurgicos, os cartorios e outros escriplorios nao de-1
30:0004000 nominados.
i f 20. Vinte por cento sobre as rendas das casas '
I em que se acharem os estabelecimentos de com-'
2:0004000 mercio em grosso e a relalho, os armazens de re-
colher e de deposito, o os trapiches.
21. 504OOO por cada casa de bilhar e modas.
22. 1004000 por cada casa que vender roipa ,
3." dem, idem a irinandade
Bom Jess da Va-Sacra da igreja de
2:0005000
Art. 23. Sustento o curativos
dos presos pobres
Art.
S 1.
I -'
|3.
26. Recolhimentos
De Goianna.
De Iguarassu
De Olinda. .
34:0004000
504OOO
1:0004000
1:0004000
3004000
do Bom
18:0004000
Miseri-
2:5004000
4:0004000
1:01)04000
PERiAMBCO
REYISTA DIARIA.
Art.
listas___
Art.
cal:
t I (
2.
diente.
9." Associagao dos Ar-
l. Bibliotheca Provin-
Bbliothecarie.........
Aluguel da casa e expe-
Renne-se hoje em sessao ordinaria o Instituto
Archeologico e Geographico Pernnmbucano.
Na quarta-feira ultima reunise numero le-
gal de jurados, mas deixou de funecionar o tribu-
nal, em consequencia do reo que tioha de entrar
em julgamento, requerer adiamento por molestia.
Agitase, neste foro umaqueslo de liberdade
de Luzla Maria do Carmo, nascida no Limoeiro e
casada na Es.cada com Manoel Bezerra Jacob, que | lulo Agrcola..........".........
ah falleceu, sendo enterrado no lugar Aranda.
Depois de enviuvar, mudou-se a referida Luza
para Sibir, d'onde veio para esta praca. sendo aqu
vendida, comojotinha sido antes mais de ama
pessoa ; de sort" que sendo ella encontrada por
pessoa conhecida e disto sabendo, foi denunciar o
facto polica ; a qual deu para logo as compe-
tentes providencias, remetiendo o conhecimento
ulterior delle ao Sr. Dr. juiz municipal da primei-
ra vara. Arl. 14. Obras :
Foi designado para servir interinamente o 1." Reparse conservagao de
cargo de auditor de guerra o Sr. Dr. Manoel Jos; estradas e pontos alm do produc-
da silva Nevas; juiz de direito da segunda vara lo dopedagio
Captulo III
Auxilio industrial.
< Art. II. Subvengo Compa-
nhia Pernambucana.............
Art. 12. Auxilio a Fazenda
modelo que fr fundada pelo Insti-
Capitulo IV
Obras publicas
Art. 13. Repartigao :
I 1." Empregados...........
I 2. Expediento e serventes.
Art. 27. Coliegio
4005000 (Conselho em Papacaga .
Art. 28. Hospital de
! cordia de Goianna......
Capitulo IX
Culto publico.
Art. 29. Coadjutores .... 12:0004000
< Art. 30. Religiosos Capuclu-
nhos............. 8645000
Capitulo X.
Arrecadariio e fiscalttacao das rendas.
t Art. 31. Thesouraria provin-
cial :
1. Empregados inclusive
2005 do continuo Jos Luiz Salga-
do Accioli, pelos serviros presla-
dos.alheos a seu emprego. 32:3214000
i 2. Seis por cento da co-
branca judicial........ 3:9475000
3. Despezas judiciaes. 1:9535000
8 4. Bxpedente e asseio da
casa............. 1:4005000
c 5. Diaria de 25 um ser-
vente e gratificago de 4804000
um carte ro..........
124:9644165
2:0005000
1:0804000
5444000
1:6245000
40:0004000
25:0004000
65:0004000
21:1885000
2:1854000
criminal.
Hoje se extrahir a primeira parte da pri-
meira lotera da igreja da Capunga.
Do Io de junho vindouro em diante comegam
a contar-se os trinla das para o pagamento dos
impostes da decima, 5 e 20 0/0.
O vapor costeiro Persinmnga, chegado hon-
tem do6 porlos de sua escola do norte, trouxe jor-
naes do Cear at 20 e- da Parahyba at 23 do
corrente.
S 2." Conservagao e reparos
de caes........................
i 3.* Dita e dilo de edificios.
jj 4." Calgamenlo da cidade do
Recife.......................
J 5 Obras contratadas, sendo
16:6&5668 para a 0:0004000 para
reparos da ponte do Cachang;
31*0004 para a de Molecolombo,
que deviet ser previamente con-
23:3735000
50:0005000
5:00040001
6:0004000
1
120:0004000
t Art. 32. Consulado provin-
cial :
t 1. Empregados......
2. Expediente e asseio da
casa.............
< 3. Diaria de 25 a um ser-
vente nos dias uteis......
t Art. 33. Collectorias e agen-
cias :
1. Promotores fiscaes. .
f 2. Collectores......
< $ 3. Escrives dos ditos. .
c I 4. Agente do fumo, tabaco,
sabao, ele, sendo seus venc men^
tos de cinco por cento. .....
t 3. Dito de lquidos .espiri-
1:2104000
40:8314000
38:5054000
1:4004000
6OO4OOO
feita no eslrangieiro.
. g 23. 1:0005000
do Senhor
Santa Cruz
desta capital.
$ 6U dem, idem a matriz de Caruar.
7. dem, idem a matriz de Flores.
i 8.* Idem, idem a matriz de Goianna.
|$ 9. dem, idem a matriz de [tamb.
10. Urna lotera concedida a matriz do San-
tsimo Sacramento da Ba-Vista desta cidade do
Recife.
11. Urna parte da lotera concedida a favor
das obras do convenio de S. Francisco desla cida-
de do Recife.
t S 12. dem, idem ao patrimonio dos orphfios.
< 5' l-'. dem, idem a igreja do Amparo de
Olinda.
14. dem, idem as obras da igreja do Am-
paro de Goianna.
t j 15. Idem, dem a matriz de Nazaretb.
116. dem, idem, a matriz do Bonito.
Sj 17. dem, idem as obras da i greja de Nossa
Senhora da BoaViagem.
^ 18. dem, idem da igreja d3 Livramento
por cada casa de operagoes! Varzea.
da
banearias com emisso e outros privilegios; e
6004000 por cada urna dita com emisso sem ou-
tros privilegios.
24. 4005OOO por cada dita sem emisso,
bem como por cada companhia anonyma e agen-
cia.
t 8 25. 2OO5OOO por cada casa de cambio.
t 26. 1005000 por cada casa de compra e
venda de escravos.
t 27. 1005000 por cada
cial ou agente de leilo.
28. I ni por cento do producto de cada lei-
lo pago pelo comprador, com excepgao dos judi-
ciaes.
t 29. 305OOO por cada escravo empregado no
servigo das alvarengas e canoas abertas de que
trata o paragrapho seguinte :
f 30. 15OOO por tonelada das alvarengas e
canoas abenas empregadas no trafego da carga e
descarga.
t 31. 204000 por cada bote, 011 savero em-
pregado no trafego do porto e 304000 por cada
balieira.
5 32. 104000 por cada escravo ganhador ou
19.dem, dem da matriz de S. Pedro Mar-
tyr de Olinda.
' 20. dem, idem da matriz de Agua-Preta.
1 21. dem, idem da matriz da cidade da Vic-
toria.
22. dem, idem da dita de Muribeca.
t 23. dem. dem da dita de Jaboatao.
< s. 24. dem, idem da dila de l'ao d'Alho.
f $ 25. dem, idem da freguezia do Rosario da
corrector comraer- Boa-Vista.
26. Idem, dem s obras do recolhimento
de Iguarassu.
t 27. dem, dem da mairiz de Salgueiro.
1 28. Idem, idem da greja de Livramento do
1 Recife.
29. Idem, dem dita de Nossa Senhora do
i Guadelupe de Olinda.
t 30. dem, idem, matriz de S. Jos do Recife.
31. dem, idem dita de Serra Talhada.
t 32. dem, idem greja de S. Gongalo da Boa-
Vista.
t Art. 54. Continua em vigor a disposigo do
art. 43 da lei n. 544 de 2 de junho de 1862.
Art. 55. Fiea o presidente da provincia autori-
empregado no servigo dos transporte e armazens sado a rescindir ikonirato celebrado com Maximino
40:5054000
4:2284000
, 6:9194000
4:6135Q 2:0724000
na cidade do Recito, exceptuadas as escravas.
t 33. 164000 por cada carro particular de
quatro rodas c eixo lixo, 105000 por dito de duas
rodas dem; 205i>00 por dito de aluguel de qua-
tro rodas idem; 124000 por dito do duas rodas
dem; 234000 por cada mnibus ; 64000 por cada
carroga e carro nao comprehondido as designa-
gdes antecedentes, exceptuados os vehculos em-
pr- gados na agriculiura.
S 34. 104000 por cada cavallo de sella de
aluguel na cidade do Recife c 64000 por dito par-
ticular, e destes, exceptuados os dos suburbios.
< 35. Matriculas e emolumentos do Corso
Commercial.
36. Dous por cento do valor das fiangas cri-
mes com excepgao das que houverem de prestar
os senhores pelos seus escravos.
% 37. Cinco por cenlo sobre a venda do capim
na cidade do Recife.
38. Pedagio das pontos e estradas, cobrado
pela tarifa existente.
t 39. Bens do evenlo.
t 40. Emolumentos e apprchenses pela po-
lica.
c S 41. Multa por infraegoes.
t 8 42. Rotilnigoes e reposiedes.
1 % 43. Producto da venda de gneros, ulenss
a proprios provincaes.
t 44. Metade da divida (interior do i4 de ju-
iho d* *836\
da Silva Gusmao acerca do Imposto de 24500 por
cabega de gado-vaecum para o consumo do muni-
cipo'de Iuuarass.
t Art. 56. Fiea approvado o contrato celebrad!:
com Manoel Gongalves Nunes Machado, -para o
factura da estrada de Bujary a Goianna, devendo o
prazo estipulado para a sua execugo comegar da
data da publicago da presente lei.
t Arl. 57. Fiea o presidente da provincia auio-
risado a arrecadar mais quinze por cento sobre a
renda dos predios urbanos e pagos em duas pres-
tagoes. para a construegio dos passeios dos mesnos
predios, sem prejuizo da actual contribuigao de
quinze por cento para o calgamento das ras.
1. Ficam dispensados da nova contribnicao
os proprietarios cujas casas ja tiverem os passeios
feitos pela forma exigida no contrato do calgamen-
to, ou os que fizerem ditos passeios a sua" cusa,
pela forma mencionada e na mesma occasio. em
que se fizar o calgamento da respectiva ra.
Art. 58. Fiea o presidente da provincia antor-
sado a contratar a confecgo, elassifleagao e publi-
cago do ndice alphabetico das leis provinciaos.
t Art. 59. Fiea igualmente aotorisado o presi-
dente da provincia a mandar fazer os estudos gra-
phicos necessarios a factura das estradas de Trom-
petas a Bonito e de Chixaim a Frechelras.
f ArL 60. Fiea tambera o presidente da provin-
cia aotorisado a fechar o contrato que fez cora o
barao do Livramento, Dr. Jos Bernardo Galvo




Mari* d* (?***>** .- Mexttt felra t *e Malo 4* n4
S
Aleoforado c Antonio Luiz dos Sanio, para acons-
truecan de trimos urbanos, ca despender asquan-
tjas Mcesssiras rom as desapropriaces para aber-
tura forma ltimamente probos pelos empresarios ou
pelo modo que julgar mais conveniente a realisa-
cao do dito ronirato.
Art. 61. Fica o presidente da provincia atito-
ri-a.l.. a rever novamentea tabella que regula o
pagamento dos empreados do consulado provin-
cial, de modo que'peroeba o porteiro do consalado
veneimentos iguaes aofi dos terceiros escriplura-
rios.
t Art. 61 Fica o presidente da provincia aulo-
risado a contratar com a companhia Pernambuca-
na mediante quota nunca superior a 12:000# an-
noaes a eonstrucco de trilitos de ferro entre o
porto de Japomin e a cidade deGoianna.
Art. 63. Fica igualmente autorizado o presi-
scravo, J. Maegem, J. A. Pama, Pumo Feliciano
de Souza e Ma mi Mari.i Francisca de Jess,
4w Jannario Aratihas. Adriano dos Santos Pe-
reira, Antonio Malino, Bonifacio Pe re ira da Costa,
Amaro Brrelo de Albuquerque, Joaquim Fran-
cisco da Silva, Rosa Francisca da Conceico, Jos
Paulino de Castro, Francisco Candido das Chagas,
Nieolu Cont, Nicolu Leonardo, Prospero Amo-
rim, Pedro Brrelo, Maaoel C. B. Cordeiro, Joao
Lourenco, Pedro V. de Almeida, R-. Pagano, Anto-
nio Jos Bessa,
Passageiros da escuna dinamarqueza Adonis,
sabida para o Canal : Carlos H. Frese, sua se-
nhora e 1 filho menor.
- Passageiros da barca portugueza ympaitoa,
vloda do Porto :
Joo da Costa, Miguel Soares de Azevedo, Joa-
quim da Cosa Vieira, D. Barbara Josepha do Li-
vramento, D. Josepha Maria Vieira, Antonio Pinto,
Hoje tnsle, arrepenjido
Do paaso errado que dei,
Dos nieus distante perdido
Choro as trras que derwi;
Choro o lar doce e querido
Que com peito empedernido
Em m hora abandonei;
Choro ludo o que adorei,
Tudo o pie hei estremecido,
Choro as trras que deixei.
Oliveira, Manoel Jos de Aginar, Antonio Jos,
Antonio Jos Filho, Antonio da Silva Marina, Jos
Goncalves Nogueira, Jos Joaquim.de Oliveira,
Jos Rodrigues Come.-, Manoel de Azevedo fiamos,
Manoel Goncalves t;azeiro, Jos Joaquim de Arau-
jo. Alfredo Al ves M., Bernardo Lopes Ferreira,
Miguel de Souza, Joaquim da Costa flibeiro, An-
tonio Marques de Oliveira, Antonio Rodrigues da
dente da provincia a contratar com a mesma com-! Francisco ^Goncal ves A le uw^ Jos Irrigues de
panliia a abe/tura da barra do Rio Fornioso do
modo a que os vapores da misma companhia pos-
sam entrar al o lugar denominado Pedra, ficando
- Arl. 64. Fica o presidente da proviucia autori-
sado mandar pagar a Antonio Rodrigues de Al-
buqnerqne, 3 uscripturario do consulado, a grati-
fleaco de dez por cento sobre o capital por elle co-
brado do imposto de 25300 sobre a rabera de gado Costa, Jos Antonio Goncalves, Manoel Jos Ri
vacrnm para o consumodesla capital, abatido desla beiro.
Passageiro da barca nacional Amisade, salu-
da para o Rio Grande do Sul :Jos de Faria Ma-
chado.
- Passageiros do vapor nacional Mamangnape,
saludo para Macei e porlos intermedies :
Joo Paulo Moreira Temporal, Dr. Ambrosio Ma-
e pascuoa e chado da Cunha Cavalcanti, sua senhora e 2 es-
cravos, Jos Francisco dos Santos. Jos Joaquim
graiiiicacao, o ordenado dos dias que estovo om-
pregado nesta rotnmisso,
Art. 65 Fica o presidente da provincia auto-
risailo a reformar o regulamenlo do thcalro de
Santa Isabel, c a conceder a Miguel Candido de Me-
deiros Piulo, o mesmo Iheatro para nelle dar bai-
les de mascaras nos dias de carnaval
isso por esparo de qualro annos.
Art. 66. Fica o presidente da provincia igual-! da Rocha, Antonio Joaquim Mello, Guflhrme
mente aulorisado a reformar os regulamentos dos Baptista dos Santos, Antonio Joaquim Maria Ale-
orphos t rphas tob as seguintes bases :. luia, padre Antonio Jos Pinto, vigario Sebaslio
1." A enfermara, rouparia e concert da Jos Moraes Mello e l.criada, Ignacio Alvaro da
roupa dos orphos icar cargo de irmas de ca- Silva, primeiro sargento Francisco Airolo Car-
ridade. I neiro Rocha Menezes, primeirosargenlo Trasibulo
t | 2.* Nao peder serautorisada a remessa dos' Damasio Botelho, 1 cabo, 2 anspecadas e 1 praca.
orphaos do collegio para osarsenaes senocomo! Obituario do oa 24 dk maio, no cemitekio
incorrigiveis ou aos que nao i publico :
ultimo castigo aos
aproveitam as aulas.
Elida, Pernambnco, i annos, Boa-Vista ; febre ma
70 annos, Boa-
$ 3.* As orphaas sero logo que tiveremcom-i ligna.
plelado a idade de vinlo annos restituidas quem! Urna preta (eujo nomo se ignora),
liouv.r requerido sua admisse. Visla ; desarranjo mental.
| V" Nao sera concedido dote e enxoval para : Jos Maria das Neves, Bahia, 58 annos, soltoiro,
casamento, seno como recompensa as orphaas que Boa-Vista ; phtysica pulmonar. #
se houveiem distinguido por sua conduca e apro-' Zolmira, Pernambnco, 27 mezes,' Santo Antonle
eita ment. calarrho pulmonar.
3. Ser inalteravel o numero liso dos or- Antonio; Pernambuco, 18 mezes, S. Jos ; conges-
phos c. orphaas, que segundo as capacidades dos to cerebral,
referidos eslabdecimentos, poder ser admittido em Joanna Pessoa de Lacorda, Pernambuco, 72 annos,
cada un dos collegios. i solteira, Santo Antonio ; gastro intente.
Ait. 67. Ficam approvados os compromissos
das iruiandades do Santissimo Sacramento da fre-
gmzia de S. Caelauo da Raposa ; de Nossa Senho- m pniifn np Tina
ra da Conceico de Aguas-Bellas; do Senhor Bom I vm rwi'" Ufi ,LUU-
Jesns dos Pobres Afilelos de Nazareth ; de Nossa Do Ttntamarre tradujimos os seguintes pensa-
Senhora do Amparo de Goianna, supprimidos em montos de um vaudeeUlisla reformado :
ambos os ltimos, os arligus que nao merecern) a' A casaca serve a muila ente de gazua para in-
approvaclo do prelado diocesano. troduzirse no mundo. Da mesiua srte, no thea-
Arl. 68. Ficam igualmente approvados os es-Uro, os bellos effeilos trazem o bom xito,
tatutos da ordem terecira de Nossa Senhora do j O theatro deveria ser urna escola de costuroes.
Carmo desla cidade o Recife, e os dar associaeo j Mas qual a razo de fazerem ahios coslumes ho-
das Dores do Nossa Senhora, cuja imagen) se ve- je lio triste figura ?
era no recolliimento de Iguarassu, alterando ape-1 Nao tero achado para obriyar 7
ras ne;tes ltimos o art. 6 do capitulo 3", que o I As pecas formigam... como as raparigas casa-
viee-director ser igualmente norueado por S. Exc. i detrs.
Rvnia., sob proposla do director, e o mais como no
sesmo ariKo.
Art. 59. Fica o presidente da provincia aulo-
risado a remover a profrssora da cidade de Carua-
r, Joaquina das Morree Ferreira, para a cadeira
da fregueiia da Ba-Vista desla cidade e a proles-
sora publica de Nossa Senhora do O' de lpojuca
para nina oulra radeira nesta cidade.
Art. 70. Ficam revogadas as disposigoes em
contrario.
nr.l'AItTICAO da polica.
Extracto das parles do dia 2o de maio de 1864.
Foram recolliidos casa de detenco no dia 24
de maio,
A'ordem do Dr. delegado da capital, Joao.es-
cravp de Alexandrino de tal, como fgido.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio,
Leonardo Jos Gomes, Francisco Daniel Secundi-
no, p.irbriga; Manoel Raposo dos Santos, Bene-
dicta Maria dos Prazeres, por disturbios e insul-
tos ; e Amando Jos dos Santos, sem deciaraco
de motivo.
A' ordem do de S. Jos, Francisco Xavier Viei-
ra, para correceo; Mauoel Ferreira Leile, para
averiguaeoes polieiaes.
A' orden) do da Boo-Visla, Cosario Joo da Silva
Pinto, e Tbeodora Masia do Espirito Santo, ambos
por briga e desorden).
O chefe da 2J seceo,
J. G. de Mesquita.
S
>
a.
3
m
-
Mas entre ellas quantas ha que presten) ?
V-se-as urna vez... quando se as v.,
ellas nao lem o attractivode prender I
mas
1 1 - P3 3 -< I T i
S i i i 1 ^ * Masculino. il
14. |- i ,, i -1 N- y F>iH,nino. t
li. - 1 1 ** 1 - s Masculino. 1 n v> 4 so
* 1 Feminino. a ?3
m 1 1 . Masculino. n > 3 f > < o
a* 1 * - Feminino.
c; - 1 1 1 - 1 m ^ Masculino. 1 5? 2
. . m Feminino. i 5 >
. i 1 i 1 li 1 Masculino. 1 V. o 1 >
-I 4 m 1 30 Feminino. '
B\
TOTAL.
Grande numero de mulheres, que tem feito a
volla... do meio mundo (em bello volumedeA,
Domas Filho) serve-se do Hieatro como de um de-
gro I...
Sobre tres que chegam ao cimo, qunhentas e
vinle sete nao sahem do topo.
Urna repetieo mal -succedida, porm montada
com luxo, tem-me sempre produzido o elfeito de
urna mulher contrafeita, que procura disfarear, a
forca de arte e d'ornatos, as defeituosidades de sua
pessoa.
Eu preliro urna boa camponeza urna bicha af-
fectada.
*
Certos autores, cuja fecundidade proverbial,
poem actos como os notarlos... minutas I Mas
desses quo poucos sao dignos de ser appro-
vados 1
O theatro urna escada.
Se nao queris caliir, segurai-vos no corrimo.
Entre os artistas, rriuitos queiniam oscenano...
o maior numero, porm, contenta-se de alisa-lo.
A fama ligada algunsdosnossos autores, cujas
pegas servem de premio no mercado, cousiste em
saber fazer passar rodas por linhas.
Nesle mundo ludo nao lioha 1
Ah I eu conheco mais de um collega, que nao
est muito amarrado !
L-se na Cruz :
So na religio que se encontra grandeza na
simplcidade, s em seu seio que o homem acha
o remedio para seus males.
Nos vimos no dia 21 do corrente, s 9 e meia
horas da mantia, om desses momentos que arre-
balara o corago humno, e que fazem calar lodos
os sentimentos mos ; vimos duzenlos Irlandezes
catholicos ajoeJIudos sobre o cenvez da galera
Warrcn, fondeada em nosso porto, no maior si-
lencio e com os coracSes voltados para Deus, offe-
receram as suas oracoes, nico tributo que a alma horas da tarde,
bem formada pode dar seu Deus. Seus olhos
- ___
Azejredo I.asiro; recorrida, a compaulua de segu-
I ros Feliz Lembcanca.'
DisTKiBi:u;ons.
Appellanle, Manoel Jos de Siqueira l'itanga ;
appellados, o presidente e directores dacaixa Hlial
do banco do Brasil nesta cidade.
Ao Sr. desembargarior Peretti.
Appellanle, Francisco Jos da Silva Ralis ; ap-
pellado, Jos Rodrigues Farrefra.
Ao Sr. desembargador Silva GoimarSes.
ACGRAVOS.
Agarabantes, Balur & Oliveira; aggravado, Ma-
noel Lopes Machado.
Aggrarantes, os administradores da maesa falli-
da de Siqueira & Pereira ; aygravados, osadminis-
traderes da massa fallida de Guiraaraes & Irmo.
Aggrarante, Jos Francisco Barrote ; aggrava-
dos, os administradores da massa fallida de Amo-
rim, Fragoso, Santos & C
O Exm. Sr. conselheiro presidente negou pro-
vimenlo.
Nada mais houve, e encerrou-se a sessao IX
ires rettcoiv.-
b'enhores redddoi'v.R' preciso nio conhecer-se
! de perto o carcter nobre e ra valheiro *io Mm. Sr.
1 coronel Antonio Gomes Leal oara julga-lo capaz de
proceder pelo modo porque fallou o Sr. deputado
Godoy na cmara, com relacao ao castigo feito no
sentenciado Calisto na ilha de Femando.
Qoem o confiere, quem tiver ido ilha de Fer-
nando, como eu, lia de conv
' ronel Leal, dotado como de
c caridoso, trata dos sentenciados com demasiada
humanidades soavisa-0 nos seus soffrimoiitos ; ja
com a sua custumada benevolencia, j ministian-
: do-lhes meios de diyertimentos nos dias santinca-
I dos etc. etc. Obrigado lancar mo do castigo
> corporal, para manler a disciplina na ilha, elle o
faz, tendo em visla o estado miserando daqueiles
infelizes, e com aquella docilidade propria do seu*
coraco. E, senhores redactores, qual ser o com-
40 barris oleo; aos consignaia-
farinha de trigo,
ros.
Hiate nacional Arthur, entrado do Rio Grande
do Sul, consignado a Amorim Irmos, maoifestou
o segrate: .
7,846 arrobas de charque, 200 ditas de grana em
irquTc mVZ' ^'^.-o couros vaceuns, -fl barris rainhasTsoO
JLq.. t3m" #' ?" aiquaires de farinha vg/aael: a ordem.
^dos SemaSa0 ^ ""T1 e"ldo de Penedo- co-
CI!:.!Sr.de.m.asiada signado a Bem viudo Jos Rodrigues Pinheiro
signado a Bemvindo
mamfeslou o seguate:
2 sacias algodo; a Jos Goncalves Torres.
120 saceos arroz pilado, 50 rebollos e 132 saceos
miltio; ordem.
10 saceos millio, 40 ditos arroz com casca ; a
Amona & Saraiva.
Barca nacioaal .\onna. entrada do Rio-Grande
do bul.
maadante que para manler a orden e disciplina, fe^Im^"^,?^ Ma'a EsPirit-SaI10' n,a-
precnda do castigo ccfrporal ? nenhum llavera inifiq amih h
nao se vollavam para parte algmna, todos tinham
seus livros abortos, sem excepcao de ama s pes-
TRI Ilt \ A I, 1 4 HELADO.
SESSAO EM 24 DE MAIO.
PRESIDENCIA DO EXH. Sil. CONSELHEIBO
SILVEIRA.
As 9}( horas da manha, presentes os senhores
desembargadores Gitirana, Lourenco Santiago, Reis
e Silva, Almeida e Albuquerque, Molla, Accioli,
Ucha Cavalcanti, Assis, Doria, e Guerra, procu-
rador da cora, faltando cora participaco o Sr.
desembargador Caetano Santiago abrio-se a ses-
sao.
Passados os feitos e entregues os distribuidos,
deram-se os seguintes
JL'LGAMENTOS
Appellacoes crimes.
Appellanle, o juizo ;" appellado, Jos Brilhante
de Alencar.
Anoullaram o processo da pronuncia em diante.
Appellanle, o juizo ; appellado, Manoel Jeronymo
soa.e nesse estado arrebatador esperavara a hora
solemne em que deviam receber o' sagrado corpo
de Jess Christo.
O ,-aoto sacrificio comecou, e nos os oovimos
acompnhar todas as oraces, at queaQoal distri-
buimos o corpo de Deus vivo com oitenta pessoas,
de.ixandoo resto de o fazer, porque quando che-
gou o aviso que no dia seguinte havia a commu-
nho, j tinham quebrado o jejum natural. Esses
choraram sinceramente, porque viam-se privados
dfe chegarem mesa dos anjos 1
Que dilfereuca desses horaens para os nossos !
Elles procurara .a vida, e os nossos a morte. E'
uraa verdad (pie ninguera negar, porque a nossa
educacao pessima e horrivel, e em vez de um
bem que nos do, nos legara um flagello, e o des-
conhecimento de todas as verdades.
Esses hmeos sao colonos que se destinara para j,*4gf.y'
o cultivo das ierras da Australia, que vo alugar
seus servcos para beueQciar esse paiz, que tanto
os precisa e os reclama no entonto que nos em
vez de mandarinos vir gente igual para rotear as
nossas ierras, contraamos pela maior parte os ex-
patriados, a gente da ultima carnada da sociedade
para viverera enlre nos, que nada fazem, antes
pelo contrario os vemos entregues indolencia,
inaeco e mendigagem de porta em porta.
E porque nao lancar modessa medida o nosso
governo ? Nao trara vantagens futuras para o nos- rv ,sta M Sr- desembargador promotor da
so imperio, to vasto e to novo 1 E' dessa forma UbUca
que o veremos progredir, que teremos um povo li- i iMiia, As.aPPfUa'\crinus.
vree amante do trabaiho fugiudo-se destV prin-! (lo ^S" p\tJU'Z0; WWlMo, Bernardo Candi-
Appellantes, Alexandre Ferreira Gomes e outros;
appellados, Francisco Manoel Fernandes de Moura
e outros.
PASSAOBNS.
O Sr. desembargador Gitirana passou ao Sr.
".ourenco Santiago
alguem que o fai> com mais docilidade que o lllra.
Sr. coronel Leal ? certamente que nao.
Senhores redactores, o que cima levo dito a
pura verdade lilha de minha consciencia, e como
testemunlia oceular dos castigos feitos em senten-
ciados da ilha, durante o commando do Sr. coronel,
com loda a equidade, e hrandura; nao posso dei-
xar de alear a minha fraca voz para'restabelecer
a verdade "dos fados, asseverando ao publico que 2i0 dilos d(1 vacca 500 resleas Mto| 115 barris
os nicos favores que devo ao Illm.Sr. coronel peixe, e 17 meias pipas peixe tambera ; a ordem.
Leal sao dev.dos ao Iratamento pol.do nur- se, Hiate nacional Nicolu 1, entrado do Aracalv,
d.gnava prodigal.sar-me quando 1a aquella ilha, o COIlsinado a Parente Viann C, manifetou o
que faz com todos que lera a fortuna de commun- sepilite
car-lhe. Queiram publicar estas toscas linhas com 38 saccas com 199 arrobas e 19 ,ibras de
o que farao summo favor ao seu consiaute leitor e dr,0) 2()7 dj(os com 828 arrobaste cera de carnai-
10,469 arrobas do charque, 16 arrobas de sebo
em rama, 50 couros vaceuns, 158)i arrobas de
graxa era bexigas e 83 rollos cora 120 arrobas de
fumo de mina; a ordem.
Barca nacional Laura, entrada do Rio-Grande
do Sul, consignada a Bailar i livtira, raanifestou
o seguinte:
10:616 arrobas de charque, 30 volumes graxa,
178 barricas sebo coado, 1,364 chifres de novillio,
assignante.
Recife, 20 de maio de 1864.
/. F. 5.
A^nvo jury, e mandaran) responsabilisar o cs-
crivao.
HKS1.,N Ai, \. 1 DE DIA.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
feitos :
AppeUacao civel.
Appellaote, Jos Gabriel de Mello ; appellado,
francisco Jos Pinto.
DILIGENCIAS CRIMES.
PUBLICARES 1 PEDIDO.
ba, 80 meios de sola, 80 molhos, 2,000 pelles do
cabra, e 131 caixas com 157 arrobas e 14 libras
de vedas de carnauba ; aos mesmos.
2o saceos com 100 arrobas de cera de carnauba,
16 mullios com 400 esleirs pequeas, 1 dito com 7
ditas grandes; a Antonia Joaquim Goncalves
Fraga.
102 couros salgados a Francisco Gomes de
Mallos Jnior.
1 caito mercadoria estrageira; a Parente Vian-
Illm. Sr.Lendo as noticias tradas pelo ulti-
mo vapor do sul, li a de ter o governo de S. M. o
Imperador resol vido nomear V. S. chefe do estado na*^"
maior da guarda nacional dos municipios de Olin- A a'rca porIU}tue2a Sympaihia, entrada do Por-
da e Iguarassu, nomeacao esta que demonstra o l0> rna0lfesl0u 0 quinte :
alto apreco e considerac.io com que e V. S. devi-1 Para A|f|.eJo Jog Alones Guimares, 1 barril
damente ttdo e apreciado pelo- mesmo governo de coni 34 |nrasde presunlos e salpicSes.
S. M. 1.; ainda mesmo retirado do servico do ba-
Angelino Js dos Santos Andrade 12 barris com
2,089 libras do pregos e 8. caixas com albo.
Antonio Barbosa de Barros 4 caixes com 4 du-
zias de garrafas com vinlio e 1 dito cora 1 arroba
cipio, Iludir ao povo, engaar aquellos que
procurara melhorar a lavoura cora todas as, suas
vistas.
O temor de Deus o principio de todas as cou-1
sas, e essa gente o tem, porque nos o conhecemos |
de perto ; nao nos Iludirn), estamos certos, visto y _?* ">einu
h.ur emre. n,w nAr> TIl'^u, desembargador L
amparados. sao catholicos de convieco, e, n i'PPd'Wo c niesi.iwi u mimAm appellados, Francisco Joaquim Dantas e ou-
tros ,
i tros.
que nao vinham habitar entre nos, para d'esl'arte
serem amparado
incontestavel, que nutridos desses puros senti
montos nao podero deixar de ser bons paes de
familia, e verdadeiros homens do trabaiho.
Que diro a isso os nossos catholicos l que esses! ,.YL* ^"jWiirMt
homens sao fanticos, creados nos campos e ira- de*embargador Reis e Silva
zem o espirito imbuido as superslicoes : que sao. j,,,^,,..... As appellacoes acets.
intelligencias fracas para conhecerem as impos.-' f^S^ juizo e Jos Peres Campello ap-
coes da igreja T Que allegar o protestantismo,
esse corpo envelhecklonapresumpco e sera vida?
Aos primeiros nos diremos, que elles nos envergo
O Sr. desembargador Lourenco Santiago aa Sr.
pellados, Gaspar de Menezes Vasconcellos de Drura-
inond e o juizo.
Appellanle, D. Aona Maria daConceic ; appel-
nham e nos ensinama sermos liis ap nosso Deus; 'adosrrannsco Joaquim Dantas e outros.
que saliera guardar fielmente quillo que seus paes Ao br desembargador Molla
Ihe ensinaram : ao segundo, que elle desapparece- M....... Asapneiiaroesciceis.
na ainda urna vez, confuso e alordoado, rompera noA^ell:lnteVao Tava,"es de Mel, Jun,or '
seus livros adulterados, o entrara cheio de com- f
ap-
puncao para o gremio da igreja que elle aban-' .Att"!0'- MJU10el '^'[o da Cunha Oliveira ;
donuU b e j 1 appellado, Joao Evangelista Bello.
Esses catholicos Irlandezes nos encheram dei1I,Ap')!,'an,,e' a escrava Hermojones ; appellado,
alegra, j pela gravidade de seus passos. e j pelos! Ma'"ieJ *"" de A/a"J^ ***, e
meios que mosi.aram, tendo seus livros abertos' ? Sr- desembargador Res e Silva passou ao Sr.
para melhor pensaren) nos mavsterios da re|, desembargador Almeida e Albuquerque
.10 As appellacoes aceis.
Enlre nos, s dado o uso de livros de oracoes'. Al1l,e'lane> A"^' Goncalves Ferreira Casco ;
s senhoras, quando vo a igreja, e se algum ho- < *p4H!1,^na,,lu"? d,> ^P1* JT0".
mem as imita, logo apuntado, e pela maior parle Appellanle, Jos.- Joaquim Carueiro ; appellado,
alcunhado de l.ypocrita. Mas isso demonstra igno-,V 'fg? ?erre'ra Long""*..,
hypocrila. Mas isso demonstra igno-
rancia, douco sizo e falta do educacac religiosa.
E' preciso, pos, que o nosso governo mande vir
dessa gente, e estaraos crentes que uo se arre-
pender.
CIIKOMU JtH.iRU
O Sr. desembargador Almeida o Albuquerque ao
Sr. desembargador Molla
A appellaqao cied.
Appellanle, Felippe Gomes da Frota Jnior ap-
| pellado, Domingos Gomes da Frota.
O Sr. desembargador Motta passou ao Sr. des-
embargador Accioli
A appellacoes civeis.
Appellanle, a marqueza do Recife ;
Jos Carlos Paes Brrelo e outro.
Appellante, Flix Soares da Costa
Manoel Alves Brrelo.
Appellanle, Ernesto Augusto Manguaba e Silva:
appcllada, D. Mara Joaquina Accioli Wanderley.
O Sr. desembargador Accioli ao Sr. desembar-
appellanle
appellado,
V

2
ADVERTENCIA.
Na totalidade dos doentes exislem 180, sendo
alienados 8 homens e 27 mulheres.
Foram visiladadas as enfermaras estes dias :
Pelo Dr. Ramos as 7 1|4, 6 3|4,6 3*4,71|4, 6 3i4,
6 1|2.
Pelo Dr. Sarment s 8 li4, 8 3i4, 8 Irf, 8 Ii2,
8,8 l|2,8 1|4. '
Falleceram :
Anna Liberta dos Anjos, phtysica pulmonar.
Suzana Mara Manzella, larengite chronica ulce-
rosa.
Francisco Antonio Goncalves, gastro hepatile
chronica.
Lourenco Custodio Jos Alves, phtysica pulmonar.
Movimento da casa de detenco, nodia 24 de
maio de 1864.
Existiam...... 362 presos
Entraran!..... 12 >
Saliiraiu...... 17
Existcm....... 3S7
A saber:
Nacionaes..... 248
Estrangeiros... 37
Mulheres...... 4
Estrangeiras... 1
Escravos...... 62
Escra\as...... o
357
Alimentados a custa dos cofres pblicos___ 142
Movimento da enfermara do dia 85 de maio
de 1864.
Tivram baixa :
Antonio Jos de Freitas, endigesto.
Severino Jos de Franca, colile.
Tiveram alta.
Manoel Jos ov Lira.
Jos Rodrigues da Silva.
Jos, esciavo de Manoel Antonio Trixelra.
Passag< iros do hiate nacii nal Santa Anna,
vinrto do Aracaty : Francisco Luiz de Franca,
Camilo Rodrigues da Silva e 1 libo menor, Jos
Franci-ro de O iv< ra e 1 escravo.
Passageiros do vapor nacional Persinunga,
vindo de Granja e portes intermedios : Fran-
cisco Gurgel de Oliveira, Joo Maria Julio, Vicen-
10 Augusto da Fonceca, Sabino Jos de Almeida,
Manoel Ribeiro de Oliveira, D. Francisca Teixeira'
Machado, Jos Lourenco do Amaraljos Francisco
de Oliveira, Dr. Luiz Emigdio Rodrigues Vianna e 11
No theatro, como na cidade, urna boa situaeao
salva muitas reos de um mo passo.
Qualidades indspensaveis para fazer um bom
vaudevillista :
Paciencia, pernas e a columna vertebral tao fle-
xvel... como a vriude de madameeella C. das
Delas'-Com'.
Quanio ao que concerne ao espirito, pde-se em
caso de necessidade dispensa-la
Os Srs. directores sao tao pouco conhecedores I
Ah I elles nao sao como madamesella C... Elle
recusara sempre. .
O autor dramtico o obreiro do pensamento I
Quanto mais elle trabalba, mais ganha... por-
que o faz em suas pecas 1
Do Journal Amusant traduzimos :
Nao val a pena por a sella do senhor ?
Porque, patfe t
Vmc. estar to pouco lempo sobre ella !
Vmc. cabe sempre do cavallo.
l'remiopara os ravallosque nunca corrern)!
O que quer isto dizer, minha chara ?
E muito simples... nunca ter corrido I E'
o premio da rosa e dote do casamento para os ca-
vallos.

Onde est essa permissao, que o Sr. conde Ihe
deu pira cacar em suas trras?
J Ihe disse que urna permissao verbal.
Verbal ou nao, quero v-la I
E' do Sr. Cyrillo de Lemos esta poesa :
11ECORDACE*.
Meisa la, os leus segredos
Onde os deixaste tirar ?
Deixaste o* nos arvoredos
Das' praias de alm do mar?
Joao de Lntos.
Ao contemplar esta la
Nao pode est'alma olvjdar-se
Das Ierras onde nasceu ;
Vendo alm o mar, que estua
At o co levantar-se.
Cora furibundo escarceu,
Para depois aplacar-se
Deixando esguia fala
Desusar no dorso su, '
-Vio pode est'alma olvidar-se
ttas trras onde nasceu.
14 tambem a la bella
Quando em noites de vero,
Qual solitaria donzella
Com luminosa capella,
Derrama vivo claro
Que mil amores assella.
Que ateia ardente paixao.
Tambem nos mares dormentss
Indolente vaga ala
Ligeira e linda canoa,
D"onde partem mais cadentes
Os sons do canto, que enta
Aquel le que a tina proa
Por sobre as aguas silentes
Ao lugar diloso aproa I
Entretanto pnde um dia,
Esquecendo berco, amor,
Tomar a vida erradia
De vagabundo cantor;
Banhado em prantos de dor
Ver a patria que fugia,
E sobre o mar, que bramia,
Acceso em lonco furor,
Buscar matar a agona
Com extenso e longo error I 1
TKI !<[' VI l< OO CO.IIMERCIO.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 23 DE
MAIO DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
SOUZA. __ v 01. ucM-niud Kauui ACCtlMI
As 10 horas da manhaa, reunidos os Srs. depu- desembargador Ucha Cavalcanti
tados Reg, Lemos, Aleoforado e Rosa, o Sr. pre-
sidente deelarou aberta a sessao.
Lida, fui approvada a acta da ultima.
EXPEDIENTE.
Um ofllcio do secretario do mertissimo tribunal
do commercio da capital do imperio, de 12 do abril
do corrente anno, acompanhando urna relaeo dos' Mello"; appellado", Francisco Jos Vianna"
commerciantes matriculados all durante o tnez de _44 appellacoes crimes.
narco.AccoSMe a recepcao e archive-so. Appellanle, 'joao Gomes ; appellada, a justica.
Uutro do mesmo, de 6 do corrente, acompanlian- [ Appellante, o promotor ; appellado, o escravo
do outra relacao de commerciantes matriculados' Florencio.
A appellacoes civeis.
Appellante, Gabriel Antonio ; appellado, Fran-
cisco Santiago Ramos.
Appellanle, o juizo ; appellado, Jos Tenorio de
Albuquerque.
Appellanle, Francisco Marinho de Albuquerque
no mes de abril prximo passado.Accuse-se a re-
cepcao e archive-se.
Outro do secretario do meritissimo tribunal do
commercio da provincia do Maranho, incluindo
urna relacao dos commerciantes e agentes auxilia-
res do commercio matriculados no mesmo tribu-
nal, nos mezes de Janeiro, fevereiro e marco do
corrente anuo.O mesmo destino.
Foi presente a cotaee ollicial dos precos cor-
remos da praca, relativa ultima semana.
Archivc-se.
DESPACHOS.
No requerimentos de Brander a Brandis J C,
pedindo que se facam na sua matricula a declara-
do de que Pedro Gcrnelio Von Solislen deixou de
ser gerente da mesma firma desde o Io de Janeiro
do corrente anno, continuando na qualidad? de
commanditarioeom o capital de 2O:OOO50OO.Jun-
te proeuraco.
No de
enmantad
O Sr. desembargador Ucha Cavalcanti ao Sr.
desembargador Assis
As appellaces civeis.
Appellante, o juizo ; appellado, Joo Chrysosto-
mode Oliveira.
Appellante, D. Emilia Cordeiro Cavalcanti de
Albuquerque ; appellado, o curador do preto Jos.
Appellante, Jos Gabriel Pereira de Lyra; ap-
pellado, Antero Vieira da Cunha.
Appellante, Camillo Augusto Ferreira da Silva;
appellado, Bernardo Norat & Irmo.
Appellante, Antonio Climaco Moreira Temporal;
appellado, Dr. Manoel Gentil da Costa Alves.
.4 appellacdo crime.
Appellante, Joao Francisco Mendes ; appellada,
a justica.
Ao Sr. desembargador Gitirana
A appellaco civel.
Appellante, Antonio Virissimo da Silva ; appel-
Noma Pompllio Passos. visto pelo Sr. des- lado, padre Joaquim Xavier Prtella
. Jor fiscal, pedindo a nomeacao do olfiYiO; Appellante, Lourenco Jos das Ne
de agente de leiloes da praca de Macuo :-Presto- do, Jos da Rocha Paranho<
da a flanea perante o juizo commereial de Macei, o Sr. desembargador Assis passou aoSr. desem-
"W. bargador Doria
No de Valentim do Valle Lobo, pedindo o regis- Appellacoes civeis.
tro do contrato que fez com Antonio Joaquim do Appellanle, bacuarel Bernardo Duarte Brando ;
NascimenloBarros, tambem vistoRegistre-se. !appellado, Mauoel Francisco Ribeiro.
No de Joaquim Francisco da Cruz, pedindo o re- [ Appellanle, Jos Gomes dos Santos Pereira de
gistro do distrato da sociedade do supphcante com. Bastos ; appellado, Dr. Francisco Elias do Reg
Jos de Paiva Ferreira Jnior.Ajunte proeuraco Dantas.
queautorisou o distrato da parte de ura dos so-j Appellanle, o tenente-coronel Gaspar Cavalcanti
cioA- ...... de Albuquerque Ucha : appellado, Joo de S Al-
No de Antonio Antunes Lobo, pedindo saber por buquerque.
cerlido se ou nao commerciante matriculado. j q r. desembargador Doria ao Sr. desembarga-
Como requer. 'dor Caetano Santiago
No (Je Ges, Bastos & C, pedindo o registro do. A (W,,., civel.
seo contrato de sociedade.Vista aoSr. destrabar- Appellante, Jos Fructuoso Dias ; appellado, Fe-
Neves; appella-
alho, eu faltara a um sagrado dever se por se-
melhanle occasio nao me dirigisse V. S. felis-
citando-o e dando os devidos parabens por to a-
... ii *' fe**' oiuj cenada nomeacao, anda que com ella julgue, que e j; libras de salpices
o 9" btolho_ da fuaWa nai|ionaI_ dcsta_ cidade, Antonio Jos Coimbra,Gui.nares 1 caixo com
fazendas de linho.
Antonio Lopes Pereira
que V. S. tem de deixaro commando, por muito
lempo se resintirfda sua ausencia, por que em
meu conceito dinlcilmenle ser preenchida a vaga
por V. S. deixada, atienta as maneiras urbanas e
cavalleirosas, e trato delicado, por V. S. libera-
lisados com to b-s os seus subordinados.
Aceitando V. S. meus sinceros parabens, peco
e rogo, me desculpe a maneira por que apreciei
semellianto nomeacao, leudo offendido a modestia
de V. S. as poucas palavras que licam expendidas,
as quaes sao as expresses dos meus sinceros
sentimentos e gralido.
Dos guarde V. S. Quartel de minha resi-
dencia em 1 Huida, 20 de maio de 1864.
Ilim. Sr. lente coronel Manoel Antonio dos
Passos e Silva, dignissimo chefe do estado maior
da guarda nacional dos municipios de Olinda e
Iguarassu.
Joao Goncalves Rodrigues Franca,
Capilo.
Alte

Xarope alchoolico de veame, .preparado pelo
pharraaceulico Jos da Rocha Prannos, esiabele-
cido cora botica na ra Direita n. 88 em Pernam-
buco.
Este xarope incontestavelmente superior a to-
dos os xaropes depurativos, de cuja eomposicao
o seu maior elemunto a salsa parrilha, pois que se
tem contiendo ser o veame mais enrgico para a
prompta cura das molestias, cuja base essencial
^ pende da purificaco do sangue : assim pois se
tem verificado por muitos |essoas que se achavam
desengaadas, as quaes acham-se hoje restabeleci-
das com o referido xarope alchoolico de veame ;
entretanto que alguns, tendo usado do xarope de
Curinier, de Larrey, de salsa parrilha, de sapona-
ria, oleo de ligado de hacalho, e outros agentes
desta ordem nada conseguiram. elle de fcil
di^estao, agradavel ao paladar e ao olfato. Alguns
mdicos desta cidade e da de Macei o teem re-
commendado para a cura das
Impigens, tinlia, escrophulas,
Tumores, ulceras, escorbuto,
Cancros, sarna degenerada, lluxo alvo.
' Todas estas afleccoes provena de urna causa in-
terna ; nao ha p;iis razo alguma em crer que el-
las se podem curar com remedios externos. Tam-
bem se prescreve o xarope alchoolico oe veame
para o tratamento das alfecces do systema nervo-
so e fibroso, taes como :
Golla, rheumatismo, paralysia,
Dores, impotencia, esterilidade,
Marasmo, hypocondria, emmagrecimenlo
O xarope alchoolico de veame sobretudo, da
maior utilidade para curar radicalmente, e em
pouco tempo o rheumatismo.
Adverle-se que o verdadeiro xarope s se vende
nesta cidade na botica cima indicada do abaixo
assignado ; e em outra qualquer parte que se tem
annunciado nao da mesma eomposicao, e nem o
abaixo assignado se respousabilisa.
Jos da Rocha Prannos.
A naca Imita pe tora l de Keinp.
Alegrem-se todos aquellos quo por espaeo de an-
nos inleiros teem vivido agoniados e afilelos pelos
soffrimentos da asthma o dos bronchios. Este ex-
cellente e inolTensivo remedio vegetal atlaca promp-
tamente e com invariavel seguranca essas moles-
lias mesmo as suas peiores formas. A arvore
d'onde o rico balsamo exirahido tem ido verda-
deramente a arvore da vida para militares de pes-
soas que pereciam das afteccSes dos pulmdes e da
garganla. Limpa e faz remover todas as mucosi-
dades acumuladas nos vasos bronchios, fortifica a
membrana da traca-arteria e do delicado tecido
dos pulinocs e imparte um vigor verdaderamente
maravilhoso todo o apparelho da respiraco. En-
contrare as drogaras de Caors & Barbosa e de
Bravo COMMERCIO.
gador fiscal.
No de Mauoel Jos de Souza Nones, pedindo que
se mande a junta dos corretores altestar sobre o
preco dos gneros de que consta urna relacao que
ajunta.Como requer.
No de Jos Rodrigues da Costa e Francisco Jos
Martins, pedindo o registro de seu contrato social.
Vista ao Sr. desembargador fiscal.
No de Antonio Francisco Martins de Miranda,
pedindo cerlido dos registros das nomeacoes e des-
oneracoes de seus ca xeiros.Como requer.
No de Joaquim Manoel Ferreira de Souza, pe-
dindo o registro de urna escriptura que ajunta.
Reaistre-se.
Sendo conclusos os autos de rehabililaco de C.
J. Aslley & <:.Visto ao Sr. desembargador fiscal.
o do Costa Souto.
Sr. desembargador Peretli entregou as se-
guintes
Appellacoes cioeis.
Appellante, Joao Cleophas de Lemos Vasconcel-
los ; appellado, Simplicio Jos de Andrade.
Appellanle, Antonio Torqualo Felippe Maia; ap-
pellado, Manoel Rodrigues dos Santos.
Appellantes, os herdeiros de D. Jacintha Maria
de Abreu ; appellado, Jos Peres da Cruz.
Appellante, o viseonde de Suassuna; appellados,
a viuva e herdeiros de Sebastio Antonio Paes
Brrelo.
Appellacdo crime.
Appellante. Luiz Gonzaga dos Santos ; appella-
do, Joo de Siqueira Pernio.
Foram convidados os srs. desembargador Pe-
No de Jos Antonio da Silva Martins e Joaquim,
Antonio da Silva Martins & Irmo, pedindo o re-! MiU^iuaeTdec^toNem e Freitas Henriques
gistro de seu distrajo social.Como requer. I no dia 31 do corrente tomarem parte no jul-
No de Bailar & Oliveira, pedindo que se facam iMMli) da revista crime :
annotacoes precisas na carta de registrada bar- nrrenle Prudencio
as
SESSAO JUDICIARIA EM 23 DE MAIO
DE 1864.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHBIRO
asma.
Secretario, Julio Guimaraes.
Ao mcio-dia, o Sr. presidente abri a ses-
sao, estando reunidos os Srs. desembargadores Sil- sidades; mas, s se assignar o seu aome, pois
a Guimaraes e PereUi, e os Srs. deputados Reg, que nao desejo responder a encapotados.
eraos, Rosa, e C. Aleoforado. Felizmente, a nossa trra pequea e todos nos
Lida, foi approvada a acta da sessao antece- conltecemos.
Ao meio-dia encerrou-se a sessao.
registro da bar-;" Recrreme, Prudencio Rodrigues de Almeida
ca nacional Recife, que acabara de comprar, como recorrida a justica
consto da escriplura junta.Visto ao Sr. desembar- ao meio-dia ence
gador fiscal.
No da viuva de Manoel Goncalves da Silva, pe-
dindo desoneraco da responsabilidade peto brigue
Recife, que vender a Bailar & Oliveira.-O mesmo
despacho.
CORRESPONDENCIAS.
Srs. redactores.Todo quanto disse em seu Da-
ario o Pc/-(un6iicimo,eom referencia ao muu nim-
io especial amigo o Eira. Sr. Dr. Joaquim Sal-
danha Marinho, calumnioso; e um calculo para
certa fim, que mais ou menos se comprehende.
Nao duvidarei mesmo refutar tudo quanto di-se
o tal Perwtmhucano, por ser um composto de fal-
dete
PASSAGBH6.
Recrreme, o commendador Joo Paulino de
Recife, 25 de maio de 1864.
Decio de Aquino Fonceca.
SIIIVO BtJifiO Be PEilMBlIX
O nevo banco de Parnarabuco paga o 12 div
dendo a razo de 9 por aeco.
EM 24 DE MAIO DE 1864.
O banco descoma na presente semana aoito por
cento ao anno at o praso de quatro mezes.e a nove
por cento at o de seis mezes, e faz emprestimos
sobre ttulos commerciaes, e toma saques sobre as
pracas do Rio de Janeiro e Bahia.
Alfandega
Rendimenio do dia 1 a 24........ 362:0995960
dem do dia 25................. 25:7165916
587:8165-'76
noviuiculo da alfandega
Volumen entrados com fazendas...
t coto gneros... 328
Volumes sahidos
cora
com
fazendas...
gneros...
-----328
126
498
624
Descarregam no dia 27 de maio.
Barca inglezaJnw Ule -farinha de trigo.
Barca InglezaL'nioufarinha de trigo.
Barca inglezaNWArfonbaralha
Brigue dinamarquezFortunafarinha de trigo.
Polaca hespanholaVigilantevinho.
Sumaca has'panhola taitavinhos.
Barca por ugueza Sympiithia -gneros de estiva.
Galera francezaSolpherino merradorias.
Barca francezaSum Den'isidem.
iHiportaco.
Sumaca hespanhola Talia, entrada de Barcelona,
consignada a Johnston Pater & C, mauifestou o
segrate:
150 pipas 120 barris de quinto e 130 ditos de
dcimo vinho tinto; aos mesmos.
4 caixas papel para cigarros; aTasso Irmos.
3 ditos dito dito; ao capitn.
Barca americana Hazard, entrada de Boston,
consignada a H. Foster & C, manifestou o se-
guinte :
1 caixa; i machina para costura e 1 embrnlbo
pertences da dita, 3,308 barricas e 194 meias ditas
ILEGVEL
de Mello 1 caixote com
0 magens.
Antonio Luiz de Oliveira Azevcdo & C, 130 cai-
xoes com 130 duzias de garrafas com vinho.
Antonio da Silva Campos 20 volumes cora 10
restoas de ceblas, 23 molhos de alhos e 29,300
rolhas, 13 canastras com 1,740 molhos de alhos, e
30 resteas com cabecas de ditos, 2 saceos com 10
alqueires de milho, 1 caixo com 87 arralis de
bacalho, 1 barril de qqarto com vinho, 30 caixes
com 30 dorias de garrafas com dito e 2 fardos
com 230 capadlos.
Antonio Valentim da Silva Barroca 26 barris
com 338 milhciros de pregos e 600 enchada*, 4
eunheies com 642 machados e fechduras, 3 ditos
com 100 macos de linha, 166 dilos de palitos e
210 duzias de pentes, 4 caixoes com 520 fechdu-
ras e seus pertences.
Augusto Maria Machado 2 barris de quarto e 2
dilos de oitavo com vinho.
Aocarregador (Joaquim de Castro Vieira) 4 cai-
xas com 7 imagens e 3 duzias de garrafas com
vinho.
A' ordem 20 barris com pregos, 2 caixes com
caxemilhos e linha, e 1 saccocom muinha.
Bailar A Oliveira 6 meias pipas com vinho, 12
saceos com 118,000 rolhas, 26 barris com 534 cu-
chadas e 423,000 pregos.
Baro do Livramento 26 caixes com asulejos.
Bastos & Magalhes 1 caixa oom castanhas, 1
barril com vinho e 1 dito geropiga.
Campos & Lima 6 barris com asulejos.
Carvalho & Nogueira 1 caixo com 200 duzias
de pentes, 2 ditos cora 100 macos de linha e 2 pe-
cas de panno de linho.
Cunha Irmos C, 23 saceos com feijo e 330
rodas de arcos de pao.
Custodio Jos Alves Guimaraes, 6 caixas aotn
72 e meia duzias de escovas e lousas, 149 macos
de linha, 28 arralis do rolroz, 62 pecas de tra-
moia e obras de palhela, 1 grosa de peonas de
lousa, 200 duzias de pentes e 1848 rasas de sal, 6
caixes com 37 duzias de pedras de lousa e de
aliar, 121 pecas de obra de palheta, 29 pares de
cbinellas, 40 duzias de escovas, 300 ditos de rosa-
rios, 1640 macos de missanga, 483 duzias de bor-
dees e pentes, 80 grosas do botes.
David Ferreira Bailar 300 rodas de arcos de
pu.
Domingos Rodrigues do Andrade 2 caixoes com
69 duzias de escovas, 1 barril com vinho e 3 cai-
xes com 400 massos de linh'a.
Eslevo da Cunha Medeiros 1 caixo com 50
resmas de papel.
Fernandes & Araujo 2 caixes com 100 massos
de linhas, 2 arralis de relroz e 200 duzias de
pentes.
Francisco tioncalves Netto 1 caixo com obra de
prata e imagens de madeira.
Francisco Joo de Barros 1 caixo com 2 duzias
de garrafas com vinho.
Francisco Moreira Pinto Barbosa 1 barril cora S
e meia arrobas de salpicos.
Gama >\ Silva 1 caixa com peixc, 1 barril do
quinto e 1 dito de oitavo com vinho.
Joo Alves de Moura 1 barril cora 4 e meia du-
zias de salpices e 1 presunto.
Joo da Cunha Magalhes 1 barril com presuntos.
Joo Pereira*Moutinho 6 saceos com 60 alqueires
de muinha o I caixo com amostras de azulejos.
Joaquim Ferreira de Araujo Guimaraes 10 bar-
ris com 624 enchadas e 117,500 pregos, 3 caixes
com 240 lousas e 100 brides, 1 fardo com 4 arro-
bas de linha barquinha, 3 dilos com 230 capachos,
1 barril com 4 presuntos e 6 caixes com 100 pe-
Cas de tramoia e 23 arralis de retroz.
Joaquim Francisco da Silva Jnior 4 caixes
com 200 pares de cbinellas, 287 duzias de pentes
e diversos arligos.
Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior 7 caixes com 7
figuras.
Joaquini Jos de Azevcdo 1 lata com 20 arralis
de salpices.
Joaquim Pereira R. Reg 1 pipa, 44 barris de
quarto e 21 ditos de quinto com vinho.
Joaquim da Silva Castro 1 cunhete com obras de
prata.
Joaquim de Souza Maia 2 barris de quarto com
vinho.
Jos Antonio Fernandes Fradique 10 ancoras com
azeitonas.
Jos Alves da Silva Guimaraes Lcaixo com 26
massos le linha, 10 duzias de faccas e garfos e 2
cartes de ll)e>ouras e 1 caixo cora 59 pecas de
obras de palhela.
Jos de Azevedo Andrade 2 caixes cora 10 latos
com salpices.
Jos Baptista Fonseca Jnior 4 pacotes com ca-
nda.
Jos Bento de Souza 1 barril de quarto com vi-
nho e 1 lata com 14 arralis de salpices.
Jos Conceico Oliveira Figueiredo 1 caixa com
cadinhos
Jos Goncalves de Oliveira Maia 1 lato cora sal-
pices.
Jos Joaquim de Castro Moura, 13 eunheies com
chumbo de munico.
Jos Joaquim de Lima Bairo 15 eunheies com
fechduras, machados, fouces,paiilos, 50 massos de
linha, 30 duzias de escovas, e 24 caixes com 24
duzias de garrafas com viuho.
Johnston Pater & <-" 50 caixes com 30 duzias
de garrafas cora vinho.
Luiz Antonia Goncalves Pereira 1 lata com chol-
ricas.
Luiz Antonio da Siva 6 rolos com 80 meios de
sola e 1 pacote com 12 duzias de cordovo e pe-
Iicas.
Manoel Azevedo Andrade 1 caixo cora 40 varas
de burel, 2 arrobas de cera, 1 imagem e 2 para-
mentos para padre.
Manod Duarte Rodrigues 10 barris com 53 ar-
robas e 26 arrateis de presunto e 146 canastras
com 21,620 mauncas de alhos.
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho 30 caixes
com 30 duzias de garrafas com vinho.
Manoel Jos Antunes Guimarest 1 barril o 1 la-
to cora 30 arrateis de presuntos e lingaas.
Manoel Jos de Souza 1 lata com paios.
M. Jos da Silva Felgueiras 4 caixoes com 424
pares de chinellas
Manoel Joaquim Gomes 1 caixo com bacalho.
Manoel Joaquim Ramos Silva & Genro 8 meias
pipas e 30 barris de dcimo com viobo, e 60.cai-
xes com 60 duzias de garrafas com dito, e 42 eu-
nheies com '2982 duzias de pomada.
Manoel Joaquim da Rocha 1 sanctoario e seus
pertences.
Marques Barros & C* 1 barril de quarto com


Diario fe Pewa*mhu*H Sexta fe-Ir* %9 de Valo le l<4.
vinlio c 2 raies com i dalias
dito.
Marcelino Jos Goocalves da Funle 8 barris de
quarto com vinHo, 2 caitas com 121) kilogrammas
de bacalho, 1 (rote eom 3 meios de sola, 1 caixa
com satokdes e i caixoes corn lisura*.
Mawtei A Coelho 71 caixoes com 71 donas de
garrafas com vinho. .
Prenle Vianna C' 6 caixoes com 2% relclios,
160 massos de linha, 30 dttiias de escovas e J cai-
xoes com fechaduras e peale*.
Panio Ferreira da Silva 8 barns com painco.
Porceaoo dos Santos Silvall cana com fruola e
roupa. .. m .
Scraphim Teixeira Bastos i barril de quarto
com vinho.
O. Theodolinda Bailar Oliveira 1 eaixaocom car-
ne de poreo e 1 dito eom urna imagem.
Thomat de Aquii Fonseca Jnior 20 duzias de
vassouras e 500 arenles e 2 caixoes com 50 mas-
sos de renda de ouro falso.
Thomat Fernandos d Cunha 4 caixas com 259
massos de linha, 400 dorias de puntes e 300 dilas
ile linha, 400 duzias de pentes e 300 ditas de bor-
does, 12 raixoVs com 1670 machados, fticos, en-
is e fechadnras, 6 caixoes com 580 dutias de
pentes, !70 freios e pieadeiras, 52 pares de sapa-
tos e chinell is, 11 contatos com 1442 fechaduras
e -nxs, e 408 dutias de pentes, 6 barris com 750
enchadas, 44 ditos rom 784 milheiros de pregos, 7
caixoes eom iti\ feix.s, 1 dito 38 e meia dunas
do escovas, 1 cunheto eom 348 feixes pedrezes, 2
ditos com 48 massos de linha e 271 e meia dunas de
pentes, e 1 barril com 23 meio arralis de pre-
suntos e salpicos, e 30 caixoes com 30 quintaes
de chumbo.
Thomaz Hiywooi 3 caixoes com 3 duzas de
garrafas com vi uno.
Brigue nacional Mrquez de Olinda, entrado 00
Rio Grande do Sul, consignado a Manoel Ignacio de
Oliveira j.V Filhos, manifeslou o seguinie : l
11,688 arrobas de carne de charque, 50 couros
vaceuns de refugo e 1,000 resteas de ceblas ; a
ordem. !
'alacho nacional Salcipuedes, entrado ao io
Grande do Sul, consignado a Maia & Espirito Sanio,
manifeslou o seguinie :
12,390 arrobas de charque, 278 ditas de graxa
em beiigas, 48 dilas de sebo em rama, 50 saceos
com 100 alqueires de cevada o 12 barris tainhas ;
a urdem. I
Hiate nacional Jorge, entrado do Rio Grande do
Sul, consignaJo a Tasso Irinos, manifestou o se->
guinda :
,o8l arrobas de charque, 118 ditas de sebo em |
rama. 50 couros vaceuns seceos do refugo, 35 cai-
tas cha preto ; a ordem.
Brigue nacional Olinda, entrado do Rio. Grande
do Sul, consignado a Hallar & Oliveira, manifeslou
o seguinte :
10,036 arrobas de charque, 60 couros vaceuns
de refugo ; a ordem.
!; vpoii :t cao.
Briguo hollandez John Jacob, carregou para o
Rio da Pratt : 1,360 barricas com 10,033 arrobas
o 4 libras de assncar branco, 300 ditas com 2,166
ditas e 20 libras de dito mascavado, 100 pipas, 1
barril, l caixa o 2 garrafoes com 1,892 medidas
de caxaca.
Escuna dinamarqurza Thnrn, carregou para o
Canal : 2,303 saceos com 11,500 arrobas de assu-
car mascavado.
lecelietlorla ile remlas internas
gi'ivie* le PernamlHieo.
lleudimenio do .lia 1 a 2i........ 24:426*855
dem do da 23................. 1:108820
de "arrafas com N. 80 dito e 131 dilo, dous andares.
410400
19*000-
201*000
23:535*675
Consulado provincial.
ttendimentodo dia 1 a 24......... 68:3535132
Idem.do dia 25................. 2:2683)56
70:623*288
MOVIMENTO SO PORTO.
Navios entrados no da 25.
Rio tiando do Sol16 dias, palhabote brasileiro
Jo ije.de 149 toneladasrapilo Antonio Goncalves
Tcrres, equipaaem 10, carga 6081 arrobas de
carne secca, a Tasso Irmao.
fl.ivie 31 das, alera franceza Solferino, de 376
tu teladas, capitn Laisne, equinagem 16, carga
fa andas, e outros gneros ; a Tisset-Frre.
Port130 di as, barca portugueza Sympathia, de
2t I toneladas, capitao Amonio Nogoeira dos Su*
to>, eqnipagem, 19 carga vano*gneros : a Bal-
la* & Oliveira.
Sitio sabido no uirsmo da.
Rio Grande do SolBarca nacional Amizade, ca-
p lao Jos Ferreira Pinto, carga awoear e sal.
Mar:io e portos intermediosVapor nacional Ma-
manguape, coininandante Manoel R. dos Santos
31 oura.
Navios entrados no da 26.
Ara aty14 da, hiato nacional Santa Auna, de
4' toneladas, capilo Antonio Joaquim Alves,
c nipagem 6, carga couros e oulros gneros; a
Btmvindo Gurgcl do Amaral.
Granja e portos intermedios8 das, vapor nacio-
nal Persinunii, de 422 toneladas, commandanle
FraaeiSCO Jos da Silva Ralis, equipagem 20.
Natos saludos no mesino da.
le Janeiro barca americana Hazard, capillo
A. Varstons, carga parle da que trouxe de
i> iston. ,
Liverpool escuna ingleza Zampa, capitao Wake-
h:im, carga assucar e algodao.
Canalescuna dinamarqtieza Adonis, capitao Bre-
cl.wolds, carga assncar.
Ri i da Pratabrigue hollandez John Jurob, capi-
tao \V. Leeglieck. carga assucar.
Rio
G
B
SDITAES.
O Dr. Joao Antonio de Araujo Freilas .Hennqiies,
juiz de direito da primeira vara criminal e suhs-
tilulo do juiz especial do cnmmercio n'esta cida-
de dn Recife de Pernambuco e sen lermo por
sna magostado imperial que Dos guarde etc.
Faco saber aos que a presente caria de edilal vi-
rom, "o d'elle noticia tiverem, que no dia 6 do fu-
turo mez de junho. teri lugar a arrematacao dos
ezuintes bens : 2 sofas de aento de palinha ava-
hado em 30*000 cada um, 60*000 ; 12 cadeiras a
5*000 cada urna, 60*000 4 cadeiras de bracos a
S.JtV.V) 32500H ; nma mesa redonda, por 10*000,
o* qoaes sao de Jacaranda; 1 secretaria de amarello
foleada em mo estado 10*000 ; 1 guardaronpa.se-
mullante a eommoda de amarello, 13*000 ; 1 tor-
neir de louro por 2 J000; 1 relogio de parede por
155000 ; 1 banquinha de amarello por 2*000 ; 2
marquesas sein palha em mo estado ; 12 cadeiras
americanas em man estado a 500 reis rada urna,
65000; os quaes sao pertencentes a viuva e her-
deiros de Joaquim Flix Machado, c vao praca
por execucao que lhes movem Moreira & Duarte ;
<> caso no'appareca lancador que cubra o preco da
avaliagao. ser a arrematacao feita pelo valor da
adjudicacao com o abate da le.
E para que o presenta chegue ao conhecimento
na forma do estylo.
Recif.", 24 de maio de 1864.
En Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
rivo o subscrevi
Joao Antonio de Araujo Freitas Henriques.
DEGLAAACOES.
santa Casa da Misericordia do
Recite.
A Illm.'junta administrativa da Santa Casa da
Misericordia do Recife manda fazer publico, que
no dia 27 do correte pelas 4 horas da tarde na
sala de suas sessoes tem de ir praca as rendas
das casas abaixo declaradas, os licitante^ devein
comparecer arompanhados de seus fiadores ou
munidos de carias destes.
Palrimoi de orpuos.
Ra do Imperador.
f. i particular e 81 publico, dous an-
dares..........1:202:000
Largo do Paraizo
S. 4 dito e 29 dito, dous andares .. 902,-5000
Ba das Larangeirs.
N 5 dito e 17 dito, casa terrea .. 205*000
Itua Velha.
X. 8 dito o 32 dito, casa terrea.. .. 204*000
RuadeS. Goncalo.
>'. 10 dito e 22 Oito, casa t'Trea .. 183*000
Una do Pires.
N. 13 dito e 39 dilo. casa terrea .. 104*000
Rna da Lapa.
X. 40 dito e 11 dito, casa terrea.. .. 160*000
Ra do Vigario.
V. 72 dito o 27 dito, dous andaros .. 603*000
Una da Senzala Velha.
X. 78 dito e 136 dito, dous andares.. 651*000
N. 81 dito e 18 dito, casa terrea..
N. 82 diu e 16 dito, casa Wrrea.
Ra do Pilar.
X. 91 dito o 103 dito, casa terrea .. 163*fy)0
X. 92dilo c 104 dito, casa terrea.. .. 163*000
X. 94 dte e 99 dito, casa terrea.. .. 234*100
X. 97 ditoe 10 dito, casa terrea.. .. 162*O0
X. 100 dito e 104 dito, casa terrea. .. 163*00
X. 105 dito e 94 dilo, casa terrea.. .. 173*000
Rosarinho.
X. 3 particular, casa e sitio...... *
Mirueira.
N. 4 dito, sitio.......... *
Estabelceimentos de earidade.
IlhdeXogueira......580*000
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do Re-
cife, 20 de maio de 1864.
O escrivo,
f. A. Cavalcanti Cousseiro.
Pela secretaria do tribunal do comraercio se
faz constar que acbam-se parausados os fritos a-
baixo mencionados, por falta dos respectivos pre-
paros.
Agijravos.
Aggravante, Luiz Francisco de Macedo ; aggra-
vado, Antonio Joaquim Salgado. >
Aggravantes, os curadores fiscaas da massa fal-
lida deAmorim, Fragoso, Santos & C; aggravados,
os administradores da massa fallida de Ciqueira &
Pereira.
Aggravante, Francisco Luiz Paes Barreta ; ag-
gravado, Herculano de Andrade Fortuna Pes-
soa.
Aggravante, Antonio da Rocha Accioly Lins ;
aggravado, Lucidato Pereira Lima.
Aggravante, Antonio Jos Alves de Brito ; ag-
gravado, Jos Joaquim Barboza da Silva.
Aggravante, Henrique Luiz de Barros Wander-
ley ; aggravado, Gabriel Antonio.
Aggravantes, Manoel Alves Guerra e Brito Quei-
rs & C.; aggravados, o presidente e directores
da caixa filial do banco do Brasil.
Aggravante, Antonio Joaquim Vinhas por seu
curador in litem ; aggravados, Molla & lrmo-, e
Joo Luiz Viauna.
Appeilaroes.
Appellante, Antonio Jos Conrado, successor
de Julio & Conrado; appellados, Antonio Francis-
co das Neyes, Lourenco Luiz das Xeves e Banedic-
lo Jos Duarte Cedrim.
Appellanle, Siiverio Joaquim Martins dos San-
tos ; appellado, Domingos da Costa Maia.
Appellantes, Manoel Alves Guerra, Francisco
Antonio de Brito, e Francisco de Paula Queirz
Fonceca, socios da firma de Brito & Queirz ; ap-
pellado, David William Bowmam.
Appellantes, os curadores tiscaes da massa fal-
lida de alartiuhe de Oliveira Borges; appellodo,
Francisco Pereira Borges.
Appellante, Miguel Jos do Abreu; appellado,
Hondo Tiburcio da Cruz Muniz.
Appellanle, Felippe da Silva Pimentel; appella-
dos, os curadores liscaes da massa fallida de Fa,,
ras & C.
Appellante, Francisco Antonio de Brito; appella-
di, Galdino Toemistocles Cabra! de Vascon-
celos.
Appellante, Jos Francisco de Barros Reg ap-
pellado, Octaviano de Souta Franca.
Appollante, Jos Narciso Camello; appellado,
os administradores da massa fallida de Se ve Fi-
Ihos & C. ]
Appeilantos, os administradores da massa fall- j
da de Mariinho de Oliveira Borges, e Bento Jos
Ramos de Oliveira; appellado, Francisco Ferreira,
Borges. |
Appeilantos, os administradores da massa fall-
da de Pacheco & Mendos ; appellados, Francisco
Jos da Casta Barros, e sua mulher.
Appellante, Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior ;
appellado, os curadores liscaes da massa fallida de
Seve Filhos & C, hoje os seus administradores.
Appellautes, os administradores da massa falli-
da de Bastos & Lemos; appellados, D. Dellina
Marinha Dias Cordeiro, por si, como meeira do
scu casal, e como lulora de seus filhos, e o Dr.
curador geral
Appellantes, o Dr. Ignacio Xery da Fonceca, e
sua mulher ; appellados, os administradores da
massa fallida de Slqoeira k Pereira.
Appellanle, Joo Antonio Goncalves; appellado
os administradores da massa fallida de Autonio
Carneiro Pinto.
Appellantes, os adminsitradoies da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Sanios i\ C.; appellado,
Francisco Jos Cyrillo Leal.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Sautos 4 C; appellada,
. Binta Maria de Jess.
Appellantes. os administradores da massa falli-
da de Amorim, Fragoso, Santos & C; appeIJado,
Joaquim Jos de Aoreu Jnior.
Appellanle, Joo Nicolao de Lira Cavalcante ;
appellado, Manoel JJ^ da Silva Grillo.
Appellante, Antonio Joaquim de Vasconcelos ;
appellado, Jos Joaquim Lopes de Almeida.
Appellanle, Vicente Alves Machado ; appella-
dos. Parele Vianna & (-.-
Appellante, Joo de Faria Ferreira Jnior como
curador de Antonio Casemlro de Gouveia ; ap-
pellado, Antonio Ferreira Leal.
Appellantes, os administradores da massa falli-
da de Guimares & Irmo : appollado, o bacharel
Joao Francisco Teixeira.
Appellante, Ignacio Pereira do Valle ; appella-
dos, os curadores liscaes da massa fallida da so-
ciedade em commandita Amorim, Fragoso. Santos
4C. .
Appellante, Francisco Antonio de Brito; appel-
lado, Antonio Jos de Castro.
Anpellaiite.Jo'u) GuilhernH Guimares; appel-
lada, D. Maria Venancia de Abreu Lima Bas-
tos-
Appellente, Candido Moreira da Costa i appel
lado, Antonio Guedes Gondim.
Appellanle, Brito Queirz & C; appellado, Ma-
theus Ausliu & C.
Appellaule,Joao Martins Alves da Cruz; appel-
lado. Jos Antonio Gonealves Pires.
Appellanle, Tliooloxio da Silva Vieira ; appella-
do, Joaquim El viro Alves da Silva.
Appellante, o presidente e directores da caixa
lili al do banco do Brasil; appellado, Joaquim Ju-
vencio da Silva.
Appellanle, Domingos Jos da Cunha Lages ; ap-
pellada, D. Maria Francisca da Conceiew Silva
e oulros.
Appellante, Pedro Cavalranlc de Albuquerque
Ucha : appellado Manoel Alves Ferreira.
Appellante, Joo Hypolito de Meira Lima ; ap-
pellado, Chrisanto Daro Nobre de Almeida.
Appellante, Francisco Antonio dos Chagas ; ap-
pellado, Claudio Dubeux.
Appellanle, Antonio Germano Alves da Silva ;
appellado, Domingos Nogueira dos Santos Ca-
bril.
Appellante, Joaquim Jos dos Sanios Andrade -
appellado* Antonio da. Silva Puntes Guimares.
Appellante, Bento Jos da Costa; appellado Joo
Frederico de Abreu Reg.
Appellante, Joaquim Francisco Duarte; appel-
lados, Manoel Joaquim do Reg Albuquerque, e
Joaquim Pedro do Reg Brrelo.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco, 23 de maio de 1864.
iulio Guimares,
Secretar o.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar es objectos se-
guintes :
Para o arsenal de guerra.
Brim branco 3,000 varas, bnm da Russia 1,000
varas, amarello francez 3 arrobas, secante 1 arro-
ba, pennas calygraphicas 20 caixas, fio de vela fiuo
5 arrobas, rame de lato grosso 2 arrobas, ferro
sueco em barra de 2 polegadas de largara 4 quin-
taes.
Para o presidio de Fernando.
Familia de mandioca 44 1|3 alqueires.
Quem quizer vender taes objectos, apresentem
as suas propastas em carta fechada na secretaria
do conselho, s 10 floras da manha .do dia Io do
junho prximo vindouro.
Safa das sesses do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra 23 de maio de
1864.
Antonio Pedro de Sa Barreto,
Coronel presidente.
Sebustio Jos Basilio Pyrrho.
Vegal secretario.
Consulado provincial.
Pela mesa db consulado provincial sefaz publi-
co, que os trinla dias litis para pagamento boca
do cofre do segundo semestre do auno financeiro
vigente de 186* a 1864 dos imposto? da dcima dos
predios urbanos das freguezias ilesta cidade, e da
dos Al'uados, do 20 por rento do consumo de
agurdenle, e de 5 por cento sobre a renda dos bens
de raz perlencentes a eorporaeoes de mo morta,
so principian) a coniar do Io de junho vindouro.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco, 25
de maio de 1864.
Anlonio Carneiro Machado Rios.
Administrador.
COMPANHIA
Nocsi,r|'UM0(l.i1iu,sm.) coni|8iihi.i cl's-
tribue-se cora us Sr. ic:musas u Melos
impressos conlendo os irabalhos decorridos
no semestre do Io de novembro do armo
prximo findo 30 de abril do correnle, e
que foram lidos e approvados na sejsSo da
assemblageral de 20 do crtente.
AVISOS MARTIMOS.
COMPAJTHIA BRA.SILEIBA
DE
PAQUETES A VAPOR.
jLEIIAO
DA
leja de calcado da roa do Livramenl
t.33.
Torfa-fcira ai 11 horas.
, O agente Miranda vai proceder leilo no estabe-
D cimento de calcado sito ra do Livramenlo n.
33, pertencente ao Sr. Antonio Pinto Bezerra de
Azevedo, por ordwn do mesmo Sr.
Assim, pois, ser objecto da venda um completo
sertimento de borzegins, sapates e sapatos de cou-
ro de lustre, de marroquim, de panno, de tranca,
at o dia 2 de junho e vapor
Paran, commandanle capitao
de fragata Santa Barbara, o qual
depos da demora do costume se-
portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros
Escripto-fioda Companhia do Beberibe. "^agjJJrW^n^
1 de maio de z86i. ISSK'SSeiS i Jo dWilMdffi "maSo env,dracada, e um cand.eiro de gaz com
O escriplurario,
Marcolino Jos Pupe.
horas, agencia ra da Crui n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo di C
' _. ., Tln Para o Rio Crande do nl
O caixa da Companhia commendadorThO- pretende seguir eom muila brevWade o patacho
maz de Aquino Fonseca aclia-se aulorisado uacionai Carolina, tem parte do seu carregamento
apagar no seu escriptorio ra do Vicario prorapto : para o resto que Ihe falta, trata-se com
n. 19, das iO horas em diante o 32 divi- i^S^SSiSS^ ""^ ^
dendo desta companhia na propor?3o de Jp
por cada apolice, adverie-se aos Sis. accio-:
nistas que este pagamento deve ser em moe-
da de cobre, visto ser na especi que o
mesmo Sr. caixa tem recebido dos arrema-
tantes dos chafarizes desla companhia.
Escriptorio da Companhia de Beberibe, 21
de maio de 1861,
O escriplurario,
Marcolino Jos Pupe,
Comi geral.
COMPANHIA BRA3ILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
Dos portos do sul espera-
do at o dia 30 do crreme o va-
por Oyupock, commandanle o
primeiro tenente Anlenio Maree
_, lino Pontes Riberoo qnal depos
da demora do costume seguir para os portos do
1 norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
o respectivo registro.
predios na povoaeao do Montei-
ro, todo* em chao* proprlog.
O agente SimSes far leilo reqnerimenlo dos Kovos arranji>s.
administradores da massa fallida de Joaquim Viei- No vos arranjos.
ra Celho Si C, e por mandado do lllm. Sr. Dr. Novos arranjos.
juiz do direilo especial do commercio dos predios Novos arranjos.
seguimos situados na povoaeo do Monteiro. como Novos arranjos.
Noticias!
noticias!,
Noticias!
\olicias!
Aolicias!
sejam :
Urna casa terrea sem muro, com 29 palmos de
frente e 71 de fundo, com duas salas, 4 quarlos,
cosinha, I quarto externo, quintal em aberlo, ter-
raco na frenie com grade de ferro.
Tres ditas na mesma conformidadecima, e jun-
to s mesmas.
Urna dila margem do rio Capibaribe na mes-
ma povoaeo com 55 palmos de frente e 42 de
Pela administracao do correio desta cidade se ser embarcada no dia de sua chegada, encommen- i fundo>2 salas, 4 quartos, cosinha exlerna, quintal
faz publico, que em virtude da convenco postal, das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho- e,n aberto, pequea baixa para capim, com caes e
celebrada pelos governes brasileiro e francez, se- ras : agencia', ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-! esrada de fijlo e cal, margem do rio.
rao expedidas malas para a Europa no dia 30 do tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C Uma dita com renle Para a margem cima,
com 20 palmos de frente e 24 de fundo, 2 salas, 1
correte mez pelo vapor francez Guyenne. As car-
las sero recebidas at 3 horas antes da que for
Para a tnhia
marcada para a sahida do vapor, e ^s jornes at pretende seguir com muitabrevidade a escuna na-
4 horas antes. cional Carlota, tem parle de seu carregamento
Administracao do correio de Pernambuco 23 de prompto : para o resto que Ihe falta, trata-se com
mato de 1864.O admlnittrador, os seus consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Domiugo; dosPassos Mir anda. Azevedo & no seu escriptorio ra da Cruz nu-
Deltgicia de pelicia do \" dislriels do termo da mero 1.
cidade do Recife, 21 de maio de 18&.
arranjos.
Retratos de "$ por i500.
Retratos de 3 por 15500.
Retratos de 3J> por 1300.
Retratos de 3JJ por 1*500.
Retratos de 3 por 1=5500.
H-irat-s de M por 1500.
Re ratos de 3 |ior 15500.
Retratos de 35 por 15500.
Retratos de 35 por 15500.
Retratos de 35 por 15500.
200 retratos tirados por dia.
200 retratos tirados por dia.
200 retratos tirados por dia.
200 retratos tirados por dia.
quarto e e cosinha externa, com oilo de taipa, e 200 retratos liradus por dia.
raca i y
O hiate Sania Rita segu nesles dias : a tratar
De ordem do delegado do 1* districto acha-sc re-
colhido casa do detenco, o escravo de nome Joo,
que representa ter 14 anuos pouco mais ou menos,
o qual diz ser escravo de Alexandrino de tal, e
acha-se fgido, sendo preso em trras da provin-
cia das Alagoas. e irasido para ser entregue a seu com o Sr. Quintal, no trapiche do algodao,
senhor, por dous horneas de dita provincia, os ] tt
quaes nao encontrando o senhor do dito escravo o 1 OTili '
apreseniaram dita autondade...... Va d
- A Ihesourana prov.ncal contrau no da 9 de capil5o j^ ^^ Lim;4> tem .o carregamento
junho prximo vindouro <> fornecimento dos objec-
tos precisos para- o eipediente das diversas repar-
liccs provinciaes no exercicio de 1864 a 1865.
Sexlafeira 27 do eorreno mez de maio, d'
pois da audiencia do lllm. Sr. Dr juiz de orphos,
se ha de arrematar, por ser a ultima praca, um
sitio na freguezia da Vanea, o qual pertencente
quasi completo, para o pouco que lhes falla trata-se
rom os consignatarios Palmeira do Corno Santo n. 4, primeiro andar.
Vende-se o patacho brasileiro Thereza, de
lote de 175 toneladas, prompto a navegar para
qualqucr parte : os pretendentes podem-se dirigir
a"hraja de Luiz Firmino' Goncalves'da Silva, e a bordo para o examinar, que se acha fondeado
va praca por execucao de Eufrozina Mana das em frenie do trapiche do Exm. Baro do Livra-
quintal em aberto.
Uma dita em ludo igual ultima c junto
mesma.
Casas terreas de talpa.
Uma dita com 25 palmos de frente e 44 de
fundo.
Uma dila com 26 palmos de frenie e 31 de fun-
do, com 2 salas e 2 quartos, cosinha externa, quin-
tal em aberlo.
Uma dita com 19 palmos de frente e 31 de fun-
do, 1 sala, 1 quarto, cosinha externa, quintal em
aberlo.
Uma dila com 22 palmos de frente e 42 de fun-
do, 1 sala, 2 quartos, cosinha e 1 quarto externo,
quintal em aberto.
Uma dita rom 19 palmos de frenie e 42 de fun-
do, 2 salas, 2 quarlos, quintal em aberto, cosinha
externa.
Os pretendentes desde j podero examinar os\
I referidos predios, e querendo qualqucr inlorinaco
podero enlender-se com o referido agente em seu
I escriptorio ra da Cadeia n. 3, Io aildar, aonde
i ser effectuado o leilo.
Quinta-feira 2 de junho s 10 horas da manha.'
ment, e para tratar, com os consignatarios Pal"
meira & Beltro, largo do Corpo Santo n. 4, pri-
meiro andar.
LEILOES.
Dores.
O engenho Bruno, com suas trras de planta-
cao de cannas, matas, edificios e utencilios, perten-
cente aos herdeiros do fallecido Joaquim Jos de
Miranda, vai ser arrematado em praca publica do
juizo de orphos desla cidade, por ires anuos, con
a base da renda annual de 5:2005; e o escrivo do
respectivo inventario daquelle tinado o Sr. r'lo-
riano Correia de Brito : os pretendentes que qui-
zerem concorrer arrematacao desse arrendamen-:
to, com sciencia das condicoes que devem procc-'
der, e habilitacoes que sao necessarias para (fue
possam tancar nessa praca ; podero ler o escripia Movis e Olltros inultos objectos
que j se acha em mo do porteiro do juizo Ama- ; HO*JB''
ro Antonio de Faria. Seita-feira 27 do torrente.
LEISIO
DE
Conselho adniiuislralivo.
O conselho administrativo para fornecimento do
arsenal de guerra tem de comprar os objectos
No AHMAZEM H.\ BOA l'A CaEIjL N. 48.
(Sem limite.)
O agente Olimpio far leilo de diversos movis
I novos e usados, pelo maior prego ao correr do
4 *Kft i martello para fechar contas de vendas.
*,*w I Dar principij s 11 horas em (tonto.
^cgucauca.
HOJE.
O agente Pinto far leilo por conta e risco de
quem pertencer da todos os objectos cima men-
cionados, existentes no arniazeiii da ra do Tra-
piche n. 40, onde se efectuar o leilo s 10 horas
do dia supradito.
LEIL4
DE
seguinte
Para o 7o batalho de infantaria.
Brim branco 1,250 varas, algodozmho
varas.
Para o 9* batalho de infantaria.
Cordao preto de retrae 117 varas e meia.
Para o 7o batalho de infantaria.
Bonelsjredondos para reclutas 90.
Quem quizer vender taes objectos apresentem as
suas propostas em carta fechada na secretaria do
conselho, s 10 horas da manha do dia 27 do cor-
rente.
Sala das sessoes do conselho administrativo para
fornecimento do arsenal de guerra, 20 de maio
de 1864.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente
Sebastiilo Jos Basilio Pyrrho,
Vogal secretario.
Correio geral.
Pela administracao do correio desta cidade se
faz publico, para lins convenientes, que em virtude
do disposte no arl. 138 do reglamelo geral dos
crrelos do 21 de dezembro de 1844, e arl. 9 do
decreto n. 185 de 15 de maio de 1851, se procede-
r o consumo das cartas existentes na administra-
cao, pertencentes ao mez de maio de 1863, no dia
4 de junho prximo, s 11 horas da manha, na
porta do mesmo correio, e a respectiva lista se acha lia ral 110 St'DO.
desde j exposta aos interessados. 110*112
Administracao do correio de Pernambuco 23 de; o agente Pinto far leilo com autorisaco dos
mato de 1864.O administrador, Srs. Meuron & C, do seu terreno da ra do Sebo
Domingos dos Passos Miranga. j juul0 a cas;i (|lie fu d(J joamia d,)S passos hoje de
*nPlll P Q Al 'Bartholoineu Lourenco, s 11 1|2 horas do dia aci-
^UI'k-LlU utnltLi .i ma dito em seu escriptorio ra da Un n. 38, on-
R. .__ ,.(.. de podero os pretendentes obler qualquer infor-
laca ls carias seguras existentes maJ5oa respe;to. _______
na a'lminislracao di cormo desta
i ciImIc paraos senhores titila de-
clarados.
| Augusto Franklin Moreira da Silva.
\ Alexandre Lnande.
Braga i\; Anlunes.
i Carlos Augusto de Faria Veiga.
! Daniel Guimares C.
Elias Jos dos Santos.
I Francisco Luiz de Oliveira Azevedo.
Francisco Moreda da Costa.
Guilherme Carvalho & C.
Henrique Pedro da Silva.
i Joaquim da Silva Reg.
, Dr Jos Bento da Cunha Figueiredo.
; Jos Joaquim Alves de Amorim (2).
Manoel Alves Guerra.
AVISOS DIYEBSOS.
Instituto Arclieologico e Geo-
grapkico Pernambucaiio.
llavera scssfio ordinaria sexla-fi'ira 27 do
correnle, $ i I horas da inanha,
Secretaria do Instituto, 23 de maio de
18G4-
J. Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
l_l.il. AO
DE
8 caixas de Hlr.is era Bovelos, 2 ditas
de ditas em etrtM* tiO tarloes de
litas de seda lisas e lavradas, 11 du- prompto ti Qlialquer IiOra pa-
zias de mo.ias f*n homens e senho-
ras, botes, ainllias e pJiosphoros de
0 cirurgio Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Oruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o ackarao como sempre
Retratos de '>_ |tor 'i5-
Retratos de 55 por 44.
Retratos de 53 por 4_.
Retratos de 5_ por 4JJi.
Retratos de 55 por '_.
Retratos de 5 por 4.
Retratos de 55 por 45.
ctralos de 55 por 45.
Retratos de 55 por 45.
Retratos de 55 |>ur 45-
Na galena americana.
Na galeria americana.
Na galeria americana.
Na geleria americana.
Na galeria americana.
Ra do Imperador n. 38.
Roa do Imperador ti. 38.
Ra do Imperador n. 38.
Ra do Imperador n. 38.
Ra do Imperador n. 38.
Destes precos s nos dias otis.
Destes procos s nos dias uleis.
Guarda livros.
Um guarda livros que dispon de algumas horas
enca rega-se de qualquer escripia. i|iie nao seja
demasiadamente grande : a tratar na livraria des
Srs. Guimares Olivi'ira.rua do Imperador n. 54.
Ama
ra o exercicio de sua pro-
fissio, chamado por escripia.
yj C
Aos H.tOOSOO.
Corre hoje.
Sexta-feira 27 do correnle;mez se ex
trahir a primeira parte da primeira lotera
da igreja da Gapanga, no consistorio da
igreja.de N. S. do Rosario da freguezia de
Uiu terreno com 37 palmos de frente Santo Antonio.
Os btlhetes, metos e quintos acnam-se a
venda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 13.
Os premios de 5:000#000 at 100000
serao pagos uma hora depois da extraeco
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuico das listas.
0 thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
THEATRO
DE
S. ISABEL.
EHPRE1A
GEMINO & COMIMU.
IIa Reelta da asslgnatara.
SABBADO, 28 DE MAIO. ;
Representar*se-ha o muito apparatoso drama, em
cinco actos,
LEILO
DE
Um escravo robusto de 20 i 30 annos
de idade e diversos pasaros canta-
dores cora habilidades.
iio.ii:
Sexla-feira 27 do corrente s 12 horas do dia.
No AltMAZKM DA RA DA C.ADEIA N. 48.
O agento Olimpio vender em leilo um escravo
moco de 20 a 30 annos de idade pouco mais ou
menos, figura robusta e de bons cosiumes, e de
diversos passaros comedores em gaiola de papagaio.
1MIM
Dar fim ao espectculo com a comedia em um
acto,
IA esposa deve acompanhar
seu marido.
Toruam parte os Srs.-Pinto, Guimares e Victo-
rino, e i Sras. DD. Camilla e Virginia.
Comecar s 8 horas.

Grande galeria de vistas mo-
dernas.
Kua da Impeatri7. n. 53.
On agora on mais manca.
Todas ns noiics pfleetiVM se fiz mudanca de
Vistas. O director dfcie salS" durante sna demora
! de poucos dias doliberou a entrada a HJ0 rs.
Sahliailo 28 do torrente.
O agente Miranda levar a leilo pela ultima
vez por delerminacao do Sr. Dr. juiz especial do
commercio as dividas activas do fallido Antonio
Carneiro Pinto na importancia de 7:8!)t><87!)j rs.,
a saber 3:014*918 rs. em letras e 4:281*877 rs.,
em conlas: no dia cima dito em seu armazem
da ra da Cruz n. 57.
DE
124 meios de &ola.
Sabbad 2$ do carrete.
O agente Almeida fara leilo de 124 meios de
sola de superior qnalidade.
o armazem do Sr. Avila, no Porte do Mallos,
s il horas do dia acuna.
Consulado de l'.n-tus;il.
Por ordem deste consulado o agente Pestaa
far leilo no dia 31 do corrente porra da Aso-
ciacoCommercial do seguinte pertencente ao es-
polio do finado Joo Baptista da Rocha : urna casa
de pedra e cal com cosinha fra, coc-ieya, estri-
bara, sitaem Santo Amaro de Jaboito, margem
da estrada para Santo Anto,avahada por 2:5004;
diversos movis se'acham na mesma casa cons-
tantes da relacao em mo do dito agente avahados
em 111*701' rs.; uma casa na ponte dos < arvalhos
avahada por 90* ; uma dita na Gameleira fregu
zia de Serinliem avahada por i30*
CASA II.V FOI
Precisa-se de uma ama que saiba bem cosinhar
e enifommar para casa de pouca familia : na ra.
do Queimado 11. 51.__________^_
Nao so sabendo a resideoeta do Sr.
Finncjcii Xavier Mcmles Jnior, e preci-
saudo-se lallar-lhe a negocio de seu inleres-
se, pede-sf-lhe que comparece ra do
Crespo toja n. 18. ________
Haymundo Mge, cidado francez, retirase
para Europa. ___________________
Poupando lempo, trabalho, passienria e di-
nheiro com a compra dos chamins a nova inven-
cao do Sr. Hrowm, vende-se em casa dos Srs. Os-
borne ra do Imperador n. 78."______________
Diiilieiro a premio.
D-se a quantia de 800* pelo lempo que se con-
cordar a um e meio por cento ao mez recebendo
se por seguranca pendrares u tirina a contento^
pode ser procurado a pessoa que faz este negocio)
na leja da calrado na (iraca da Independencia do
Sr. Porto n. 39.
*"M) Precisa-se de una ama de boa eonduc-
B ta, para ama casa de pequea familia,
4(5 6 principalmente para andar eom urna
^t enanca : na ra do ltangel 11. 25, segn- j
y do andar. |
Itoga-se ao Sr. Luiz Gomes. Siiverio que diri-
ja-se ra do Livramento n. 2'J. aliin.de receber
o mez de sua casa sita nos Afogados, em que mo-
ra Dionizio Clemonle da Cruz, pois do contrario
nao me responsabiliso mais pelos aluguris, 6 Aca-
ra sem vigor a carta que existe em sen poder,
visto seu inquilino ter sabido fra do trato._____
Domingos Antonio das Nevos vai a Europa.
B_
AOS 5:000.000
Itilhetes garantidos
A' roa do Crespo o, 23 e casas do costme
O abaixo assignado tendo vendido nos seus mui
to felizes bilhete garantidos os tres quintos ns.
3353 com a sortede 1:200* e dous ditos ns. 487
com a sorte de 000* e o de n.4317 com os 300*
e outras sorles de 100*, 40* e 20*, da lotera que
se acabou de extrahir a beneficio da Santa Casa,
convida aos possudores de ditos bilhetes a virem
receber seus respectivos premios sernos descontos
das leis em seu estabelecimento ra do Crespo
n. 23.
O mesmo tem exposto venda os novos e felizes
bilhetes garantidos da primeira parte da primeira
lotera de.N. S.da tirara da apunga que se ex
trahir sexta-feira27 do corrente.
Precos.
Bilhetes inteiros..... 6*000
Meios......... 3*000
Quintos.........1*500
Para as pessoas que comprarem
de 100* para cima.
Bilhetes........ 5*500
Meios......... 2*750
Quintos......, 1*100
Manoel Martins Fiuza
activas do mesmo finado na iniportanrw de......! terao de ser entregues os mesmos a ara proenra-
R-70MOB6 n sondo em lonas a quantia de. .. dor para os cobrar jud'cialmente. Kecife 15-de
6-312*280 rs.,'e em coalas 2:380*740 rs., acljan-1 maio de 1864.
.1.',.., ..i.,,,,.'rfaaias dividas Kirantidas com hy-' Jo3o Carlos Bastos Oliveira.
6:312*280 rs., e em ce
do-se alguma destas dividas R.irantidas com
pnllieca : a relacao deslas dividas esta em
dito agi-nie Pesua para ser examinada
l\ir ordem do consulado do Portugal o agen-
to Pestaa, far leilo no da 88 do correnle glor-
ia da Associa^o Oimmercial de Dina esenva de
nome Loba, de 30 annos de idade. avaliada \>r
800*, pertencente ao casal da fallecida D. Anua
Francisca da Cosa Cuimares.
Francisco Pinto Ozono contina a col-
locar dentes artificiaos tanto |or meio de
molas como pela presso do ar, nao re- *
cebe paga alguma sem que as obras nao
fiquem a volitado de seus donos, tem pos
e outras preparacoes as mais acreditadas
para conservacao da bocea.
O SACROSANTO E ECUMNICO
CONCILIO DE TUENTO
l: na latiui e portiiguez
DEDICADO E COXSACH\DO
Vos llluslrissiinos c Hevcrendissiinos Scahores
ARGEBISFOS BISPOS
DA
I I. II I .1 \ UNITI\1.
NOVA EDigAo
2 volnmesenca'crnailos.
Esl nos prelos da casa dos Srs. Antonio Gon-
calves Gaimares & C do Hio de Janeiro, e as-
signa se em Pernambua na livraria deGuimanu?
& Oliveira, ra do Imperador n. 54._________^
PARA ALIGAR.
Aluga-se por prego commodo a i^isa da ra im-
perial n. 213, com boas aeommodacSes para gran-
do familia tratar na padaria da ra Direila
e. 84._______________________________
A pessoa que annunciou no Diario n. 105 de
9 de maio de 1864. querer comprar duas casas em
Beberibe, pude dirigr-se ra do Santa Rita nu-
mero 11.
Aluga-se aloja de'urna porta s na
ra do Crespo n. 4 com armaco ou sem
ella, para tratar em casa de J. Falque na
mesma ra n. 4. ____
Os administradores da massa fall Ja de Seve
Filhos & O., avisam aos deWfl tf* mesma mas-
sa que hajam de liquidar M seus dbitos al o
fim do presente mez, devendo para isso enr-ndiT-
! se corn o Sr. rVanelsitt J li AKe; de Carvalli> no
ateo de S. Pedro n. I. TOW senhor se acha anto-
lempo se assiKiiou huiz enlomo *>s Santos, porem I ...__' ___:_.___ .
reir de Brito o Dr. Cosme de S Pereira
far suas vezes na qualidade de medico
a pedido do mesmo ^ seus clientes |>ode-
ro dirigir seus convites ra da Cruz
n. 53, Io e 2" andar no bairro do Reci-
fe, e para as consultas todos os dias das
6 as 9 da manha ah o encontranio
sempre prompto.
O Dr. S Pereira empregar todos os
seus esforcos para satsfazer a conlianca
do seu collega e amigo ausente.
mmm
mm atiendo
O abaixo assipoado, liquidatario da extincta fir-
ma de Vidal A Bastos, peda ultima vez avisa aos
devedores da mesma firma, que venham pagar seus
as divTdas dbitos at o dia 15 de junho, depois desta data
Jos Joaquim de Pinlio Mendonra vai Eu-
ropa.
O abaixo assignado declara que em alifiiiii i
que por apparecer oulro de igual notae, se assig-
nard'ora em diante
Luiz Aj\towo dos SantosPereira.
risado o com os poderes necossarios para esse
fmr____________________________________
Gregorio Paes do Amaral vai Lisboa.


m^'
- .
r Largo- da
Saata Cruz
numero
12 e 84.
Esquinada;
ra do
Sebo n. 2;
e84.
GRANDE FABKIGA
lHILIJiMK VLlOltA
B3
IIA\TE
Precisa-so Je una ama para casa de
jma familia : a tratar na rua Nova n. 23
indar.
segundo
DE SOL
Falque.
4-RA DO CRESPO-4
O IVt l
GRANDES ARMAZENS DE MOLHADOS.
Franeisco Jos Fernandas Pires.proprielario dos armaaens de molhados denomina-
dos Brilliaute Aurora e Aurora firilhante, ao largona Santa Cruz ns. H .o 84 (esauina
da ra do Sebo), faz sciente ao rapeita-uel publico desta oidadc e do interior que nos
seos importantes estabelccimeatos vender scmpre gneros nevos e de .primeira auali-
dade e vender a lodos pelo me*nio preco. '
O completo soriimento de todos os cueros finos e grossos que costumam ter outros
cstabelecimeirtos desia ordem se enconlrarao setnpre nos armaaens da Urilbanle Aurnn
e Aurora Bridante e sempre em grande escala a vontade dos Srs. compradores
O prepnetrio dos armazens Brilhante Aurora e Aurora Brilhante pede a toditos
senhores eseuboras que quando Civerem de mandar saasrelacoes a estes eotabeltrimen-
tos por seus crudos seja em carta fechada i com grande recuwmendacao a .estes arma-
zens, cerlos de M serio lao bem servidos oomo se viessem penalmente
Esta fabrica, a -mais amiga e acreditada d'esta capital, aclia-se de novo montada com un
variado sortmiendo de-napos de sol ingieres e rancezes, assim como de ludo quanto diz respeile r Precisase de um caixeiro com nratici
nJrL ? a' COm wja suPenores sedas, alpacas e panno de todas as cores e qualidades, ar- molhados, ou que tenha sido caixeiro de alenm
SSHJKS^SSS^aprompur chap6os de s !vo gue"s que se gnarem St^eni iSTIS' 5^S
Cobre-se e concerta-se toda e qualqueiujualidadc d'estes arligos com a maior perfeicao e pres- fienzala .Nova n 4 anO0!>'" a lriVdr na rua da
teza, e lada por-precos maito rasoareis. >
Bonito sonimonto.de bengalas preces cemmodos.
4 Rua do Crespo 4
Kua do Queimado n. 49 e So est
acallando a pccliincka.
Pe^as de bico com 10 varas
a 200 rs.
mm
wm>

A Itrilhante Aurora e Aurora Brilhante troca qualquer um genero que por acaso
tsaraattAT. M. "ig?ss!& >
ri ,r". 1)it0 Madoira seca caada 105 e carrafa 25
SkSSZX. .T"0 "T a,200 a ,,bra- DiU) era cai"s d WM US o or o ds
Uhr 1^ f qiW 1U (e red0Dd0) a : m('lhorcs ntoroi a US e 1G5.
! Garrafas com licor lino francez e porluguez
I 15-
I Dilas com vinhb de caj muito claro a 15.
. Ditas com mel de abelha puro a 15.
| Frascos com genebra de Hollanda de 2 gar-
! rafas a 13-
I Dilo de urna garrafa a 560 rs.
Dito dito mais abaixo a 25300 o 25800.
Dito uxim muito fino a 25800 e 35.
Dito bysson superior a 256(10 e 25800.
Dito mais abaixo a 25 e 25500.
Dito preto muito fino a 25500.
Dito em massos a 25
Dilo do Rio em latas de 4, 2 c 1 libra a
15500.
Caf de moca superior arroba 105500 e li-
bra 400 rs.
Dito do Hio e do Cear arroba 95500 c libra
320 rs.
Dito mais abaixo arroba 85300 e libra 280.
Barricas com bolachina ingleza ingleza nova
a 35.
Latas com bolachinha de
a 25500.
Ditas com ditas sorlidas de 2 libras a 15400.
Frascos com ameixas francezas s o frasco
val o dinheiro a 25800 < 35.
Latas com dilas a 15 00, 2500 e 45.
Ditas com figos de comadre a 15500.
Caixinhas hermticamente lacradas eproprias
para mimo a 25 e 25800.
Caixinhas com ditas a
O administrador da massa fallida do finado l Luiz Pereira, convida aos credores do mesmo fina-
do, para que, dentro de oito dtts, a contar da data
desle, aprsente ao mesmo administrador, em a
sua lojan. 5, na rua do Cabug, os seus ttulos de
divida, aflm de serem competentemente verificados,
sob pena de, lindo aquelle praso, nao serem aten-
didos na classifieaeao dos credores, quelles qoe
deixarem de apreseotar taes tituls. Recife 24 de
maio de 1864.
Da cocheira de Claudio Dubetx furtaram do
sabbado para o domingo um par de lanternas de
carro, com o n. 63 : roga-se a quem for offereci-
das, ou mesmo as ti ver comprado, de leva-las ao
cscriptoriotlo mesmo Claudio Dubetra, que se pa-
gar a importancia por quanto as ti ver comprado,
nena se proceder contra a dita pessoa, urna vez
que declare a quem as comprou. Alem da paga se
recompensar a quem as levar ou souber a quem
foram offerecidas.
Aluga-se o primeiro segundo andares da
casa n. 193 da rua Imperial; na rua da Aurora
numero 36.
Antonio Luiz de Olivara
bre Lisboa.
Azevedo saca so-
DENTISTA DE PARS
i9Rua Nova-19
Frederico Gautier, clrurgiao dentista,
faz todas as operacoes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaes, ludo com 6uperio-
ridade e perfeico, que as pessoa* enten-
didas lhe recounecem.
Tem agua e pos denuncio.
N
Andrade & Reg, recebem constante- S
mente e tem venda no seu armazem n. w|
34 da rua do Imperador, algodao d'aquel- ^S
la fabrica, proprio para saceos de assu- H
car, embalar aljodo em pluma etc., etc., J?
}af, |wlo preco mais razoavcl.
mmmmmm wm mmmmm
Precisa-se de um bom cozinheiro, e de urna
ama para engommar e lavar: no sobrado n. 32
rua da Aurora.
Est para alugar-se a casa terrea n. 39 da
rua da Unio : quem a pretender, dirija-se rua
da Aurora n. 10, que achara com qnem Iratar.
soda de 5 libras
Dito de laranja verdadeira a 15200.
Duzia de graxa latas grandes a 15.
Caixas com 25 massos de velas de sperma-
cele a libra 540 e 560 rs.
Dilas maiores a 600, 640 e 720 rs. a libra.
Caixas com urna arroba de velas do Araca-
ly 105500 e libra 200 rs.
Dila* de composcao arroba 105e libra360
Saceos grandes com farinha de Goiannamui-
to boa a 555OO.
Dilo de Porto Alegre melhor que de Muri-
beca a 65.
Ditos com milito novo com 24cuias a 35800
Dito com farello de Lisboa 120 libras a
35500.
Dito eom arroz de casca a 55300.
Duzia de parraras de serveja branca e prcta
a 55800 e em barricas a 55500.
Arroz do Maranho em sacecs arroba 25600
e libra 100 rs.
libra 120.
libra 320
15, 25500 e 35 de
arroba.
Presunto de Lamego muilo novo a libra 5 0 i Dito da India e Java arroba !
rs. luteiro e a realho 600 rs. Aramia verdadeira arroba 85
Lhouncas e paios uovos a libra 800 n. rs., malarana.
Laiascom cburicase linguicas novas vin-' Gomma do Aracaty cara engommar arroba
das ueste vapor com 9 libras por 65500. 55 e libra ICO rs.
biuis com |,eixe ensopado de muitas quali- Tapioca ou farinha do Maranho nova libra
nades a 15. 160 rS)
_oom crvilhas francezas e portuguezas Ervilhas seccas muilo novas libra 200 rs.
Sag e sevadinha a 240 rs.
WV
a 880 rs.
Dilas com feijo verde francez a 800 rs.
Dilas com massa de tomate novo libra
560 rs.
Ditas com oslras a 720 rs.
uas com mai melada dos melhores autores
de Lisboa a libra 640 rs.
Potes com inu.-tarda franceza preparada a
^ libra 480 rs.
Frascos com conservas de pepinos, mexides
e tueitonas verde a 15-
Dila dita franceza a 800 rs.
Gigos com trinta e tantas libras do btalas
novas a 35500.
Queijos novos do vapor a 35200.
Ditos de pralo enplieado a 15.
Dilo suisso.
Dilo de manleiga do Scrid aSOOrs.
Caixas com passas novas do 1 arroba 75,
meia 3-3500 c quarto 25 e libra 480 e
OiO rs.
-um/ndoas com casca a libra 240 rs. e arro-
ba 66.
Notes libra 180 e arroba 55.
Charata linos de Simas e dos melhores fa-
bricantes da Babia de 25 e 85 caixas de
100 e 50.
Crozas de caixinhas de palitos do
25200 e 200 rs. a duzia.
Barra com azeitonas novas a 3, 4 e 55 bar-
ris grandes.
Vassoaraa do Pono piassava muito securas
a 400 rs.
zeiteuoc.! francez dos melhores fabrican-
tes caixa lOe garrafa 15.
Caixas com vinh.j Bordeaux branco e linio
S. Julien, S. Esiife e ouiros a 75300 e85.
\inho do Porto linoem barris de 3" que ra-
ras vezes apparece pnr 805 e em caada a
55300 e garrafa a 800 rs.
Dito da Pigot-ira puro caada 4-> e
garrafa a 480 e 580 rs.
gaz a
Sevada arroba 352t0 e libra 120 rs.
Graxa de boiao 97 a 280 rs.
Sabo massa a 200, 240 e 280 rs. a libra.
Dilo hespanhol verdadeiro a 400 rs. a libra.
Balaios do Porto diversos tamanhos de 320
a 25-
Capachos para ponas de varias cores a 600,
700 c 800 rs.
Grao de bico arroba 15500 e libra 160 rs.
Painco arroba 35500 e libra 200 rs.
, Milha aloisia arroba 45800 e libra 160 rs.
Azeile doce de Lisboa garrafa a 640 rs.
Vinagre de Lisboa caada 15500 e garrafa
I 200, 240 e 320 rs.
I Massos de palitos de entes eom 20 massi-
n liosa 160 rs.
; Tijolos de limpar facas a 160 rs.
i Caixas com 40 cartas de traques a 85300 e
a carta 280 rs.
Resmas de papel almaco pautado a 35.
Ditogreve liso o melhor que ha a 45300.
Dilo de |iso c paulado a 25300 e 25800.
Garrafoes com 25 garrafas de verdadeira
genebra de Hollanda por 85500.
Azeile de coco garrafa 560 rs. e carrapato
300 e caada 25360.
Caixes com doce de goiaba a 640 rs.
Toucinho de Lisboa arroba 85500 e libra
320 rs.
Dito de Santos arroba 75 e libra 280 rs.
Molhos com grandes ceblas a 15600.
Cento de dita solta a 15300.
Mauncos de alhos a 240 rs.
Esleirs de vanas qualidades.
Curdas de postar e de andaime.
Pavas da ilha de S. Miguel arroba 35200 e
libra 120 rs.
Sociedade dramtica Recrelo c
Unio Familiar.
De ordem do Illm. Sr. director faco sciente aos
senhores socios, que sabbado 28 do crreme ur
lugar o espectculo mcnsal.
Sociedade dramtica Recreio e Uniao Familiar
25 de maio de 1864.
Vicente Ferreira da Silva.
__^_____________Io secretario.______
Antonio Jos Gomes faz sciente a qualquer
pessoa que lhe quizer fallar, que negocio urgente
o chama Porto Calvo, d'onde pretende voltar bre-
ve, razo jusiamente por que se nao despedio das
Exmas. familias e amigos que o honram com suas
benevolencias, e quando voltar far o competente
aviso por este Diario.
Precisase de urna prela moca que cozinhe e
engomme : quem a tiver e queira'alugar, dirija-se
rua da Cadeia n. 53, primeiro andar, que acha-
r com quem Iratar.
~ Gralifica-se a quem achar um relogio com
correntio e duas chaves, de Apipucos al Sani'An-
na ; a enlregar na estrada do Manguinho n. 25.
Aluga-se o sobradinho n. 1 da rua dos Copia-
res : a tratar na rua do Imperador n. 2. Na mes-
macasa se aluga um mulato cozinheiro e trabaja-
dor em padaria, ou mesmo para fabrica de velas
011 armazens. ___________
Na rua do Queimado n. 33 A precisase de
urna ama para fazer o servico de cozinha da casa
de um lioiiun solteiro.
= Os administradores da massa fallida de Seve,
Filhos&C. fazcm publico que, aulorisados por* des-
pacho do Sr. Dr. juiz do commercio, com data de
boje, a principiar do dia 25 do crreme, pagaro
no escriplorio de Augusto F. de Oliveira, praca do
Corno Santo 11. 17. todos os das uteis do mei dia
s 2 horas da tarde, o primeiro divideudo de 10
0|0 sobre os crditos approvados.
0 abaixo assi^nado declara em tempo, que
tendo fgido os escravos Paulo e Emiliano para o
O Vigilante esl alerta, nao lhe era permetiido
I deixar passar desapercebido em que nao dsse o
sen canto aflm de annunciar ao resmilavcl publico
o grande soriimento de galaniarias do melhor gosto
H.1 mam<$*m* m*m>m unrece-se a qualquer pessoa que quizer come- propriamenle para qualquer mimo nue acaba dn
iS^*^"*?* 5r umnegoco com poucos fundos, urna taberna chegar neste u timo' paquete asm como muilo!
:- Precisa-se fallar ao Sr. Antonio Jos Dlreita n. 50, a jual est Uem afregnezada, ootros objectos que recebe por diverso" navios
Teixetra de Mendonfa Belm, nesta typo- .,; ,para-a ler,a C0,H" pa,'a in' = Qem a lano de sua contt como de consionaro que esla*
BSkteE a meS,"a' Dde encGll,rara lodos s resovido a !*** por precos muito 'baratos para
vender muilo e ganhar poueo, e dar extracrao ao
graphta.
Odvogdo Eduardo de Barros "pode"
ser procurado para os misteres de sua
proflss5o,das7 s9 horas da manhaa e
das 3 da tarde em diante na casa de sua
residencia rua da Saudade n. 15.
Bom nejun-io.
Offerece-se qualquer pessoa que quizer come-
car um negocio com poucos fundos, urna laberna
na pun Mip..,*., .. KA ........1 _..;
Precisase de um caixeiro com pralica de ta-
berna para padaria : a tratar na rua do Queima-
do n. 18 A.
peque-
138, se-
A pessoa que. annunciou querer alugar um
andar para escriptorio, na rua do Queimado, Ro-
sario, etc., appareca na rua do Cabug n. 9, pri-
Precisa-se de nina ama para casa de
na familia : na rua da Senzala Velha u
guodo andar.
Precisa-se de dous feitores Portiiguezes para
todo o servico de campo : trat-so na rua da Moe-
da n 10, das 9 horas da manhaa s 2 da tarde.
meiro andar. 1 Precisa-se comprar ,
-Esl para se vender urna mula.inba de boni- Sjj lffSflUS 36 C5'ad ^ ""^ I StiSS SSSnSK
la figura, de 15 annos, que sabe coser, engommar ,Sb __________
e cozinha alguma cousa : quem a pretender com- ~ Compra-se urna mala de viagem de bom la
grande deposito que tem, que espera merecer a
proteccao dorespeitavel publico, empregando para
isso todas e as melhores diligencias para que fi-
quem satisfeitos: isto s no Gallo Vigilante, rua
do Crespo u. 7.
Ricas porla-juias.
Cofre de muito gosto por 165000
Cestinhas transparenles, forradas de madre-
pcrola'por 185000
Lindas jardmeiras 105000
una mobilia de jara- l{lC0S cofres com camapheu 105000
105U0O
prar, dirija-se rua do Imperador, segundo andar man,'o e em bom estado,
n. 79, de manhaa das 7 s 9 horas, e a tarde das 3
s 6 horas.
Ha ra\ eslreila do Itosai io u. 34
Advogado Atonso de Albu-
querque Mello,
pode ser procurado a qualquer hora ; as sextas-
feiras, porm, na villa do Cabo.
Jos Joaquim Pereira de Mcndonca vai Eu-
ropa.
Aluga-se a casa da rua do Hospicio n. 28,
esquina da rua do Deslino, prop a para negocio,
com commodos para familia : a tratar na rua do
Mondego n. 47, padaria.
COMPRAS.
i CICERO PEREGRINO
Rua do Livrameiito n. 19
Primeiro andar.
Comprase efectiva-
mente
ouro e prata em obras velha?, pagandtj-se bem
na rua larga do osario n. -24, loja de ourives.
Compra-se
constntcmenle ouro c prata em obras velhas : na
anliga e feliz loja de bilheles da lotera da praca
da Independencia n 22.
Fabrica de licores c perfumaras.
Nste eslabelecimenlo compra-se effectivamente
garrafas, botijas e frascos de genebra vastas, assim
toda a especie de frascos de perfumaras : na rua
do Amorim n. 12.
Compra-se urna negra de meia idade, que
saiba cozinhar e seja sada : na rua larga do Ro-
sario, no Bazar Pernambucano, se dir quem
quer.
Precisa-se de urna criada livre ou escrava.
engenho do Sr. Pedro Francisco -de Albuquerque,' oue ^SSS e om "r: na rua" de San o'
all seacham, e bem assim os escravos Germanoe mnro /vinndo \ovoi sohndn nnd ml7
Joo fgidos lambem desde c anno passado, procu- o? Si iro
raram o Sr. Feliciano Joaquim dos Sanios, em cu- \ --------:---------------___________________
ja casa eslao, sendo-depositario delles o Sr. Anto- '< ~ Arrenda-sc o engenho Jangadinha, distante
nio Mai-
to, sem
senhore:
VENDAS.
Vende-se um preto moco bom pedreiro e oleiro,
sem vicios : na Boa-Vista n. 6.
16,5000
9-3000
63000
65000
65000
0S
iria de Araujo, que j deve ter sciencia dU-1 desta praca duas legoas, bom moedor de agua e com v ,
i duvida, porque muito para crer que esses proporcoes para fazer-se 2,000 paes de assucar an- i .Yen,1fS um.
es lhe tenham communicado Estes escra- nualmente : a tratar no engenho Cavalleiro conli- ',0 ae m,,1.0> 5|
Copos lapidados para agua e vnho a 33500,
_ 55800, 65 e 75.
*5300 e Ditos lisos para varios precos.
.,> Calix lapidados grandes e'pequenos duzia
43 o a gStfa UO ."mdTi 35 e L 11 400 e 50,) rs. cada um.
mtSZZ* CSS ^nadn 45800! "^ VSK C' M
1 Cogf-^'iro a garrara ,5 e ,52,, K^Ye t*1 ^ *
t^Vinho muscatel duzia 105 e garrafa 15. I 50 rs
X E muitos outros ^eneros que nao possivel men-k
cona-los todos de primeira qiialidade. 1
m to, mal aaDNIlEIKO. ^^^ ^^ e Aurora Brilhan,e vender mail emb'
e ale- xj
nacionacs a garrafa embora bara-
CvA

guo ao mesmo engenho, ou na rua de Santa The-
reza n. 38.
Rudolph Leuiwritsin, subdito dinamarquez,
relira-se para fra da provincia.
11'ecisa-se de urna ama que cozinhe e saiba
engommar : a iratar na rua da Lingoela n. 10.
^ Precisase de nina ama de leite : a tratar na
Capunga, rua da Amizade, casa com porto de Ier-
ro ao lado.
Precisa-se de urna ama que saiba engommar
e cozinhar. e paga-se bem : no becco da Buia n.
2, primeiro andar,
Deseja-se fallar rom o Sr. Joaquim da Fon-
seca e Silva, na rua do Imperador n. 46, armazem.
Est para .lugar-se a casa terrea da rua dos
Guararapcs n. 67, com 2 salas, 2 quarlos, cozinha
fra e sola,) : os pretendentes dirijam-se rua do
Crespo n. 25, loja da esquina.
Aula particular.
Rua \ova .*. terceiro andar
O abaixo assignado provi.-iondo pela directora
geral da iostruccao publica para ensinar primeiras
letras, latim e francez, contina a leccionar as
BUpraditas materias, e anda adinitte pensionistas
de menor idade.
A pratica de 18 annos consecutivos no exercicio
passou ao Sr.Joo de Souza Oliveira ficar de hoje do magisterio, sua intera dedicacio e o aproveita-
mentode seus discpulos sao garantas para aquel-
vos fazem parle da fabrica do engenho Frescondiin.
______________Manoel Barbosa da Silva.
O abaixo asignado avisa jo Sr. Feliciano
Joaquim dos Santos que pode ir tomar cont at o
fin do correnle, das bests e bois que tem o mes-
mo abaixo assignado obrgacao de entregar, con-
forme recebeu naeccasao do arrendamento do en-
genho Frescodim, e se o nao fizer declara que se-
ro depositados em juico, assim como j o fez o
anno passado com a fabrica, e o mesmo engenho
por se ter negado Smc. a receber tudo calculada-
mente, e com o fim de receber renda ampia.
________Manoel Bai bosa da Silva.
Desde o dia 15 do crreme contina fgido
da casa de seu senhor o moleque crioulo, Francisco
(mais conbecido por Xlc), com os signaes seguin-
tes: 19 annos de idade, alio, magro, oilios vivos e
pequeos, beicos grossos, bocea pequea, dentes
largos, pernas longas, ps grandes e largos, com
algumas marcas de bicho, levou vestido paletot de
panno preto velho, calca tambem prcta, e collete ou
camisa de algodao : roga-se, portanto, aos senho-
res capites de campo e mais agentes polieaes, de
o apprehenderem e levaren a seu senhor, na tra-
vessa do Paraizo, sobrado n. 18, segundo andar,
que sero generosamente recompensados.
Anna Francisca do Sacramento declara ao
respeitavel publico, que a precuracao bstanle que
passou ao Sr. Joo de Souza Oliveira Picar de hoje
em diante sem neohum elTeito para qualquer fim
que seja. A' rogo de Auna Francisca do Sacra-
mento, Joao Ferreira da Silva ; como testemunhas
Rudolph Launtjen, Jos Campos Pinheiro.
Offerece-se por arrendamento ao engenho
Cajabnssuzinbo a quanlia de 1:4005, e d-sc fia-
dor idneo e a contento : a iratar com o procura-
dor do mosteiro de S. Rento da Parahiba nesta pro-
vincia, ou em caria fechada com as iniciaes F. X.
nesta typographia.
Terreno.
terreno com 30 palmos de frente e
to na rua da Eperanea : a tratar
na rua Direita n. 106.
Minia altenco.
Vende-se a taberna da rua do Itangel n. 22 com
poucos gneros, c bem afregaetada para a trra ;
e lambem se vende s a armacao, no caso dos pre-
tendentes Din quererein lic'ar com os gneros; es-
te negocio fai-se por causa d) dono ter de se reti-
rar muito breve para Europa : a tratar na mesma.
0 preoo convida.
Grvalas de seda prela e de cores a 320 res: na
loja da rua da Madre de Dos n. 16.
ATTENQAO.
Roga-se ao Sr. Jos Joaquim de Lima, morador
em Oiinda o favor de vir tirar o seu penhor que ~~ Frec,sasti alugar urna prela escrava para
ha mais de dous annos tem em poder do abaixo comprar cozinhar para urna familia pequea
asignado ; na rua de delraz da matriz da Boa-Vis- "JLP1-31?* da Boa-Vista, botica n. 6.
tan. 10, al o prazode8di.s da data deste do con-
trario sera vendido para pagamento do principal
J"Recife 25 de maio de IM1 : 2ZE T iev" iran^cC^s de negocio, que jul
itecue, zj ue maio de 18oj nada dever nesta pra?a, porm so algum desses
Antonio Mana da Silva. Srs. se julgar credor, pode presentar oTseo" !,-
------r-=-----------------------;________I,u,os nas Cinco Ponas n. 16, no praso de 8dias
ancisco de Azevedo e sua senhora re- ao Sr. Joao Jos de Camino. Dtogo Henriaue d
Offerece-se para administrador de engenho
urna pessoa que tem para isto as precisas habilita-
coes, j pela atvidade e boa disposicao para o ira-
' balbo, j pela pratica que tem deste servico : quem
Jos Gonealves dos Santos retira-senara fra !Preclsar- dirija-se rua das Cruzes n.'7, ou an-
da provincia. nuncie para ser procurado.
O abaixo assignado faz sciente ao respeita-
e vel publico e principalmente aos Srs. negociantes
com quem teve.transaccocsde negocio, quejul'
les que lhe
Pililos.
Jos
juizerem confiar a educacao de seui
Mana Machado de Fgueiredo.
Rua
O bacharel
da Costa
adeogado
do Imperador n. 69.
Francisco Augusto
tiram-se para Europa.
Souza.
- Precwa-se de urna ama para easa de nomem
solteiro : a tratar na rua das Cruzes n. 23.
Aviuvado Jacintho Silveste Vicente, com-'
nua rnoi o mesmo eslabelecimt-nto de seu finado
marido, dando jamares para fora por preco com-
modo, na rua da Cruz n 26 ; assim como propoe-
se apre-entar ma de vacca de manhaa nos domin-
gos dia santos, com todero asselo.
Na meswa rasa precisa-s de criadas, on escra-'
vas que saibam coinhar e engommar e todo o mais
servico de casa e rua.
Pn-ci de urna casa de familia, forra ou eserava : na ra
do Araglo n. .'i.
Precisa-se de
um moco que saiba
i. enle escrmiurar por partidas dobradaw
do Crespo loja n. 17.
perfeila-
na rua
nneiArJT' nnW Merm 0U I"880 forra '|Ue '
qneira dar algumas vezes no dia lete a urna me-
iiimtteponeos das: trate na rua Direita lojS n. 47.
RELOGIOg/ |
Vende-se em casa de Johnston Pater d'
G roa do Vicario, n. 3. um bello sorti-
menlo de relopios de nuro patente in-
glez, de tm dos mais afamados fabricantes
de Liverpool, e tambem urna variedade de
bonitos iraucellins para os mesmos -
ATTEJ!TA
Ad'ocacia.
O bacharel Louronco Avellino de
Albuquerque Mello, antigo advoga-
do desta cidade, tendo regressado
ella, tem aberto o seu escriptorio
rua do Imperador n. 40, onde pode
, ser procurado para os misteres de
M sua profissao todos os dias uteis
5 das 9 da manliaa s 3 horas da
| tarde, e olTerece" como garante a
seus eonslituintes a n5o interrompi-
da pratica de 25 annos de advoea-
cia. O mesmo aceita partidos e
tambem causas nos lermos do in-
terior onde tocar a estrada de ferro.
Offerece-se para ajgnma casa de homem sol-
teiro urna pessoa de idade e capaz para tomar con-
t do servico interno e tame da regencia de
casa : a tratar no becco tapado da rua do Padre
Florlano n. 16.
Precisase de urna ai?ia para o servico inter-
no de nma casa de pequea familia : a Iratar na
TUS Direita n. 47 loja.
AMA.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca fa-
milia : na praca do Corpo Santo n. 17, terceiro
andar.
Na praca da Independencia, loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como se faz qualquer obra de en-
commenda, e todo e qualquer concert, e igual-
mente se dir quem d dinheiro a premio.
Aloga-se um sitio na estrada da Ponte de
Lchoa e a marg-m do rio, pouco adianto do Illm.
Sr. commendador Nery Ferreira, lendo banheiro
palanque, galiuheiro e outras acommodacoes: e
outro dito no Monteiro, era frente ao oitao da igre-
ja : a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Sou
za, rua do Crespo n. 15, ou estreita do Rosario nu-
mero 32.
Madama Ferro,
proprietaria do botel italiano sito ha rua d Trapi-
che n. 44, tem a honra de participar ao respeitavel
publico desta capital, e em particular aos senhores
empregados do commercio que acharao todas as
segundas e quintas-feiras a afamada sopa de ra-
viule, como assim lodos os outros dias outras et-
eo Indas sopas italianas ; isto estar prompto das
10 horas da manhaa s 4 da tarde, horas muito
proprias para lanche ; allancandolhes que os pre-
cos serio os mais nzoaveis possiveis, e de que es-
pera toda a concurrencia._______________
Precisa-so de um caixeiro que lenha alguma
pratica-de botica : a tratar na rua da Cruz n. 66.
Car) H. Prese retira-se com sua mulher para
a Europa.
Caixeiro
Precisa-se de un]caixeiro pratico cm taberna : !
no largo da Santa Cruz d. 12.
Precisa-se alugar urna prcta que saiba cozi-
nhar e engommar : quem a tiver, dirija-se rua i
do TrapichH n. 4, que achara com quern tratar.
Precisase alugar una escrava que saiba
bem engommar e cozinhar : a tratar na praca da
Independencia ns. 37 e 39.
Torna-se a prevenir ao Sr. Paulino
Manoel de Souza Oliveira morador no en-
genho Caxoeira villa da freguezia de Seri-
nliem que nao pode vender a escravaFran-
celina, e a todos os escriviies e tabellies
para que nao passem escriptura da mesma.
Aluga-se o segundo andar e soiao dn sobra- i
do sito na rua da Imperatriz n. 36 : a fallar no
primeiro andar do mesmo.
-O abaixo assignado roga a pessoa que lhe ti-
rou da agencia particular do Sr. Joao Jos da Silva
Lagos, na rua do Vigarin, uina carta vinda de Ma-
manguape, na qual coniinha um saque do Sr. Joao
Vieira de Azevdo contra os Srs. Marques Rarros & I
C. a'esta praca, da quanlia de 6055800, restiluir
na casa da residencia do abaixo assignado, no pa-
teo da ribeira de S. Jos n. 25, ou na loja da rua
do Livramenlo n. 23. Por esta vez perdoa-lhe a
graca com tanto que nao haja repeligo. Recife
23 de maio de 1854.
OH fln a vontade do comprador
t ~- --' ^BP r* "- = ====" a
1 r fjtimf ~ '"'^ TTMIfil1 -- T - =^^-- ^
e - ifB*' "" "rdaiTT^^^JTT i i ^-^^ K
ti W .-_ -%* vC^V.'-"^ ~ _= *
1-1 __-------; 9t
e j^^tulBflKh'.KWj.^ r=r-s
JZ ' k \' wh ,f i i e
r^a f -\' *^
/. ,, 9!
1 $fa " &"'
a H i *
s ,. ... i\'i ' a

^-^^ ^^* t
a RI'A DO BRUM R? 34. i
* ^
-es "BU" PE OSTIRjt 1'VirpB - e 9
b .. W!^
Lindo balo com caluoga deulro tambem
para joias
i Tambalicr para dilas
Cestinhas idem dem
I Cosinorama dem dem
i i'rnazinha
S no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos porla-bouqueles de diversos gostos e pre-
5 : s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos siutos
com bjlcnhas ao lado a 10, 12 e 155, ditos sern
bolea, porm do mesmo gosto, a 23300, 35, 3530f>
e 43, ricas livelas avulsas para sintos, o melhor
que se pode encomiar, a 15500, 25, 25500 e 3 :
s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Cataos on cestinhas.
At que chegaram as desejadas cestinhas ou ca-
bazes para as meninas trazerein no braco, o mais
rico possivel, a iJSOO, 35500, 4, 5, 7 e 105 : s
no Vigilante, raa do Crespo n. 7.
feotes.
Xeste artigo tem um grande soriimento, tanto
para alisar como para alar cabello, o mais lindo
que se pode des.-jar, assim como de arregaear ca-
bello, tanto de borracha como de tartaruga, com
eofeite e sem elle para meninas : s no Vigilante
rua do Crespo n. 7.
Pentes
Tambem chegaram os riquissimos pentes de
concha de tartaruga e de massa lina, que se vende
por 25, 3 e 5-3 : s uo Vigilante, rua do Crespo
numero 7.
Leques.
Riquissimos leques de madreperola, tanto para
senhora como para mocinhas, pelo barato preco do
12 e 5 : s no Vigilante, rua do Crespo u. 7.
IS leques.
Com pequeo defeito, leques de sndalo, por ba-
rato preco, a 85 e 10-5, chineze, muito bonitos,
lambem por barato preco de i e 55, bentarallas
muilo bonitas lambem por barato preco de 4 e 55,
leques de charo tambem por 15, ludo isto para
acabar, perdendo-se talTez 80 0|0 : s no Vigilan-
te, rua do Crespo n. 7.
Pu'seiras.
Lindas polseiras de contas e de missanga, cores
muilo lindase de muito gosto a 15 e 15200.
Jlf ACIHi\AS IIEPATEi\TE
de trahalliar ;: mo para
dcscarocar algodao
KABItICADAS
Per Plaiit Brothers & C.
OLDAI
Estas machinas
podcmdcscaro^ar
qualquer especie
de algodao sem
eslragar o fio,
sendo baslanle
duaspessoas para
o trabalho; pode
descarla r urna
arroba de algo-
dao em caroco
em 40 minutos,
ou 18 arrobas
por dia ou 5 ar-
robas de algodao
limpo.
Esta machina
c a nica que
possue as vantagens de nao destruir o fio do al-
godao e de fazer render o dobro de qualquer ou-
tra com menos trabalho, a sua introdueco para
as provincias desle imperio ser de muito valor
Jos Vicente Godinho.
-----., ,, .-------t-------------;----------t para lodos os mteressados na lavoura do naiz
-No caf Restaurant do commercio, rua do Aim ., mah>:,s m nnntn "L1aI,
Trapiche Novo n. 22, tem quarlos mobilhados para
alugar por mez.
Toda alt en cao
Perderam-se na noile de sabbado, 21 do corren-
te, desde a roa do Crespo at o armazem do sal, na
Boa-Vista, diversas cartas dirigidas a diferentes
negociantes da villa da Independida, (Guarabi-
ra), cnnlendo urna deltas duas letras sacadas por
Izidoro Netto & C. em 26 de abril prximo passa-
do contra o Sr. Candido de Albuquerque Montene-
gro; sendo urna dellas do 1:3993120 j aceit por
aquHle senhor e ainda por sellar; oulra de rs.
1:3785440, sellada, porm sem aceite : qnem as
tifer achado e as queira restituir, o poder fazer
na loja do Gallo Vigilante, rua do Crespo n. 7, vis-
to que a mais ninguem nodem servir.
Assim como machinas em ponto grande do mes-
mo systema, para seren movidas por animaes,
agua ou vapor, as quaes podem descarocar 18 ar-
robas de algodao limpo por dia.
O algodao descarocado por estas machinas tem
muito mais estimacao nos mercados de Europa e
vende-se por maior prec-J.
As machinas se acuain venda unicamenie em
casa de
Sauuders Brollicrs k C.
!V. II, praca do Corpo anto
RECIPE.
Os nicos agentes nesle paiz.
Funulia de mandioca saperior
em saceos grandes: vende Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C, no seu escriptorio rua da Cruz
numero 1.
VfpW.
Na fabrica d>> sabo na roa do Rangel n, 34se
contina a vender sabio amare.'to massa, tanto em'com muito pouco u
caixas como a retalho a 800 rs. libra. i mado n. 71.
Urna pessoa que so retira para fra vende
urna cama de armacao com lastro de palhinha,
o ; a tratar na rua do Quei-
Para segurar manpitos.
Tambem chegaram as Ifgninhas estraitinluu de
borracha que as setihoras lano precisam para se-
gurar os man zoilos por ser muilo commodo e mui-
lo barato, a 320 o par: s no Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
Sapaliulios c nwias de seda.
Riquissimos sapatinhos de seda e de merino en-
feitados, assim como meiaszinhas de seda, gorra-
zinhas e touquinhas para as criancinhas s bapti-
sarem : s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Cariotas.
Riquissimas carrelas de madreperola proprias
para qualquer presente, pelo baratissimo preco de
I5o00e -.'-3.
Yolliiilias.
Lindas vollinhas deparlas falsas com cruzinbas
fingindo brllhantes, assim como cruzinhas avulsas
e vollinhas, pelo barato preco de l-J e 15200, as
cruzes avulsas a 100 rs. : s no Vigilante, rua do
Crespo n. 7.
fiolilllliIS.
Riquissimas goiinhas e maogailos, o melhor gos-
to possivel, a 25, 2-J500 e 35: s uo Vigilante,
rua do Crespo n. 7.
Enfeites para senhora.
Riquissimos enfeites com laeo o sem laco e de
outros muitos gostos a 15. 15500 e 35 : so no V-
gialnte, rua do Crespo n. 7.
Traiicclios.
Lindos irancelins de cabello para relogio ou lu-
netas, pelo baratissimo preco de 15500, ditos de
relroz a 200 rs.
Babadiiilios ntremelos.
Riquissimos babadinhos eutremeios com lindos
desenos tapados e transparentes, pelo harat ssimo
preco de 15200, 15500, 23 e 33: s no Vigilante
rua do Crespo n. 7.
Cascarrilhas.
Grande sortimento de casca rilhas de diversas
larguras, assim como galaozinho e trancinhas pro-
prias para enfeites: s no Vigilante, rua do Cres-
po n. 7.
Ufas,
Grande sortimento de fitas de diversas larguras
e qualidade, por precos que admiran! aos compra-
dores, Iwvendo litas largas proprias para sinteiros
que se pode vender a 300 rs. a vara, e peca de 9
varas a 25: s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Pitas de la
Fitas de la de todas as qualidades, proprias pa-
ra debrum de vestido a 700 rs. a peca : s no Vi-
gilante, rua do Crespo n. 7.
Ricos cspelhos.
Riquissimos cspelhos com moldura dourada e
sem ella de 83, 10,12 e 143, assim como coa co-
lumnas de diferentes tamanhos a 23, 3, 4, 5e63-
s no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Lindos jarros e figuras.
Riquissimos jarros e figuras de porcelana fina
para enfeite de sala, sendo o melhor gosto que atrai
lem apparecido : s no Vigilante.
Para pos de arroz.
Riquissimos vasos com bonera para pos de ar-
roz, cousa de muito gosto a 15500 e 25, assim co-
mo pacoles so com os pos a 320 rs. cada mu : s
no Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Perfumarlas.
Grande sortimento de extractos e banhas. poma-
das, assim como os lindos copos ou vasos com dis-
tinctivos e offerccimcnlos s sinuazmhas, dos me-
mores e mais afamados autores de Paris o Ingla-
terra, assim como os grandes copos de banha japo-
nesa a 25 e a 15 ; assim como outros objectos que
nao possivel por hoje annunciar, e vista dos
fregueze se far todo negocio : na loja do Gallo
Vigilante, rua do Crespo n. 7.


.
Grande liquidadlo
de lateadas na loja do Pavio, ra da lmperatriz i.
SO, de Gama & Silva.
AcOa-se este eslabelecituoolo completamente sor-
tido de fazendas inglezas, francezas, allemes e
suissas, rugras lauto para a praca como para o
mato, prometiendo vender-se mais barato do que
em uuira juaiquer parte principalmente sendo em
porfi e de todas as fazendas do-se as amostras
deiando flcar penlior ou mandam-se levar em ca-
sa pete* catauros da loja do Pavao.
As chitas do Pavo.
Vendem-se superiores chitas claras e escuras pe-
lo barato preco de 2M) e 280 rs. sendo tintas s*gu-
rs, ditas francezas linas a 320, 340, 360, 400 e .
500 rs., o covado, ditas pretas largas e esireitas, i
riscados escocezcs finos a 240 rs. o covado, islo na
loja do Pavo ra da lmperatriz n. 60 de Gama &
Silva.
As cassas do Pavioa 210, 280, 300 e 320 rs.
Veodem-se linissimas cassas persianas cores fi-
xas a.'lO rs. o covado, ditas francezas muito finas
a 240 e 280 rs., ditas ingzezaa a 240 e 280 rs. o
covado, finissimo organdy matisado cora descnhos i
miudinhos a 320 rs. o covado, cassas garibaldinas
muito linas a J20 rs., isto na loja do Pavao ra da
lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As laaiinhas da eiposiro do Pavo.
Vendem-se as mais modernas lazinhas mossan-
bique chcgadas pelo ultime vapor franctz sendo
de urna s cor ou de listas miudinhas com 4 pni;
mos do largara, proprias para vestido de senhora,
roupa para meninos e capas, e pelo baratissimo
preco de00 rs. o covado, ditas cofestadas trans-
parentes de quadrinhos a 300, 400 e 360 rs. o co-
vado, ditas matisadas muito finas a 500 e 400 rs.,
ditas mis baratas do que chita tambem matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Maria Pia com palma
e seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,
e ditas de urna s cor parda, azul, cor de Ivrio e
peroU proprias para vestidos, sautembarqes e
BarKialdes.a720rs. o covado, ditas escocezas a
806 e 400 rs., isto son loja da Pavao, ra da Im-
J>eratriz n. 60, de Grana 4 Silva.
Os ka les do Paw*.
Vendem-se inos chales de cropon estampadas
'pelo barato preco de 64, 74, 84, ditos de ponta re-
donda a 74 e $4, ditos pretos ricamente bordador
a relroz eom vidrilho a 124, ditos pretos lisos a
54, ditos de cenes a 44500e $1, ditos de merm
estampares a ~i& c 34, ditos de laa a 16280 e 94,
ditos de relroz preto para luto a 6,5, isto na leja
do Pari ra da Imperatr o. 60, de Gao &
Silva.
FazerfesfKtas para quarrsma vende o fterao.
Vede*se grosdenapte prevo muilo superior a
i&m, dte a 1800, 25, 33800, 24801 e 34, mo-
remiiquc preto muito >upoi iaprele. hcspanliola rauito worpada a 24, ieo na
kjjn do'Pavo ra da Imneratriz n. 60, de'Gama
4$ilva.
0 Pava M-cd*- para lulo.
Veefie-se superior setim-da China fatenfit toda
'Je lia sem lustra tondo<6 ipalmos de largura pro-
'prio para vestidos, paletots, rapas etc., pelo bara-
to pre^o de 24, 2*200, 24500 o covado, cassas
pretas lisas, chitas .pretas largas e estreKas,chales
-de-merin lisosiiordedes a vidrilho, Winguitos
'CORvgollinhas e don por procos naoavtis : na loja do P7&3 ra
daifonperatriz a. 60, deGama & Silva.
Os rurpmbos do Pavo
Vende-se os nais mudemos rorpinhes de cam-
fcnia ricamese 'bopdaSos e eiifeitados *7 e 84;
na loja do Paria, ras. a lmperatriz n.<60, de Ga-
ma & Silva.
G Vende-se rices vestidos de grosdeitt.pteipreto ri-
camente bordados a< vahdo pelo baratci preco de
405, sendo Cuendu ; e lu04 ; ditos de cambraia brancos ricamente bor-
dados a croch, sendo proprios para liarte e rasa
ment a 10, 15, 20 e 385; ditos de lia com lindas
barras a 18 c 154-; isto na loja do -levo ra
da Imperatr a. 60, de Gama 4 Silva.
Os uauiis do Pavo.
Vende-se panno prota muilo superior palo barato
S'go de 24, 2J>3e;34 e39300, ditosmui.o tinosa
, 54 e 64,cortes de casemira preta ecfeslada a
45, 45300 e 65, casemira prela fina largura muito tina aUfgOO, 25. 25500 e 4, cor-
tes de casenw'ra de cor a 55, 55300 e 64, casemi-
ras entestada* de uma-e cor proprias para calca,
paletots, colkles, ca{ias para senhora, poupas para
meninos a 35 e SJtOd.e covado, isto na uja do
Pavao, rua da mperainie n. 60, de Ga*na.& Silva.
A roana do l'avo.
Vendem-se paletels de panno preto setrecasa-
cos fazenda muilo boa a 125, ditos muito linos p
164, 20?, 254 e 305, calcas de.casemira prola boa
fazenda a 44500,34, 4, 74 e 84, paleloie saceos
de panno preto a 74, ditas de casemira de cor a
64 e 74, ditos de alpaca prela, ditos de merino
preto, ditos delirim de cores, calcas de casemira
Sscossia a 34, ditos de brm pardo a 25500, -ditos
de cor a 25 e 25500, ditos brancos muito .fiaos,
sto na loja do Pavao, ruada lmperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Os cortinado* do pavo..
Vendem-se ricos cortinados proprios para jmi-
la e camas pelo barato preco de 95 o par, sendo o
in-lhor que bao mercado": na ra da Impera;,-;*
n. 60, de Gama & Silva.
As eafchas do Pavo.
Vendem-se colcha* de linh: alcochoadas pro-
prias para cama pelo barato preco de 54 cada orna
un ra da lmperatriz u. 00, de As precalas do Pavo.
'Vendem-se as ntais Jindas procalas que tem rin-
do ao mercado ehegadas pelo ultimo vapor fran-
-',;, |.. :n li.ir.M' Trc-M ,v li(H) i'-, o covado, dua
de Uatrinha muito mudiahas proprias para vestidos
e tongas de meninos e neatoas pelo birato precx
de 50tj rs. ; s o Pavao ra da litperatriz n. GO,
loja de Gama 4 Silva.
Os so(itcanl>ar<|ies do Pavo
lOg c i 5s o Pavo.
Veadem-se os mais lindos souteanbarques que
tem viudo ltimamente de lazinha e caciriira ri-
camente bordados e enfeitados, cores muito delica-
das pela barato preco de 105 o 155 ; fazenda esta
gue em ontras tejas se veodetn por 204 c 235,
s para liquidar : na loja e armazem do Pavo
ra da lmperatriz n. 60 de li.una 4 Silva.
As chfas do Pavo a 9|(400 e
*#800oeorte.
Vendem-se cortes de chita, com dozc covados
cada corte, ditos com dez corados a 25400, fazen-
da muito boa, e que nao desbota, s na loja do Pa-
vao tem esta peefaincha ; a ra da lmperatriz n.
60 de Gama A Silva.
Las de tima s cor.
Diario de Peroitnthwcq ex letra 3 dclfio H> afrfivd
DARTE & C.
Participam aos seus numerosos freguezes e ao publico em geral que acaham de
receber de suapropria encommenda, o mis lindo e completo sortimento de molhados,
os quaes vendem por grosso e a retalo por menos 10 por cenlo do que outro qualquer
anaunciante, como vero pela seguinte tabella que abaixo notamos, garanlindo os mes-
mos proprietarios nao s o peso como a qualidade de seus gneros.
Acaba de receber de sua propria encommenda um grande e variado sortimento M "W"B"Mdft
de molhados todos primorosamente escoIMtos, por isso apressa-se o proprietario em tm^^oc^k AI IBU
offerecer aos seus freguezes ao publico e geral a segrale tabella dos seus gneros e t 2?seores que comprarem para negocio ou casa particular de I00 para
resumidos *kcos, afianganio todo e qualtjaer genero vendido neste bem conhecido ar- i 5!a iera0-.mais 5 a 10_Por cent? de abatimento, os proprietarios scientilicam mais que
mazein.
pode
Pede-se toan atten$lo.
O nwoprietario pede a todos os soahores chefes de familia eao publico em ceral ,dem fraf?ceza amais nova do mercado a 6oo
que nao fiftxem passar esapercebida a seguinte tabete:
AVISO.
odos os seus gneros s3o recebidos de suapropria encommenda, razao esta para
veuder por muito menos do que outro qualquer estabelecimento.
Manieiga tngleza flor a 8oo e l rs. a fibra. | Vellas de carnauba e composico de 32o a
36o rs. a libra e de lo,ooo a li.ooo rs. a
arroba.
fteste armazem no largo do Carato n. 9, annazem Progrcssivo, recebem-se
libras qua vulgarmente correm no comaiercio por5!890 a 9&, proprietario -emseu
armaxens da-liiee este vdor, sendo em .pagamento, e-isto para evita* confuses em Irocos
Manteiga ingleza perfettamente flor, a 8oo rs,
c li ;i libra.
dem ranceza a 6io seado em barril.
Gb usim a 2,7oo rs. a libra, e de libras
pav5 cima a 2,6oo.
rs.-a duzia i.ooors. a garrafa, garante-se
que os melhores que temos tide m mer-
cado.
Passes em caixas de i arroba '/i e '/< a 7,5oo,
3/Goo e i,9oo rs.a caixa, e ioors. a libra
gacante-se serem muito novas, e graudas.
Idem.perola a 2,8ocirs. e de 8 liteis para dem corinthias pr^rias para podim a 8oo
cima a 2,7oo, rs. a libra,
dem hysson o mais-superior que ^e pode Marmeladas dos meis afamados fabricaates de
desejar a 2,6oo c a 2,5oo rs. Ervilhas secas muHo novas a 16o rs. a libra,
dem menos superior a 2,4oo e de ^ libras Grao de bico muito novo a I6o rs. a Jibra.
pai-a cima a 2,3oo'rs. irvillias francezas -em latas a 6oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3og, de 8 li-: Potes com sal reTraado a 48o rs.
bras para cima a 2,2oo. i Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
dem do Rio em latas de 2, 4,6 -c -6 libras i fazenda especial.
cada urna a 2, 3, 8,too e 4,8oo r6. a lata.; Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
dem preto o melhor que se pinte desejar I rs. a libra.
neste genero a 2,*oo rs. "Cinturicas e paiocomito novoe a 64o a libra.
dem menos superior a esse que se vende Caixas de traque .n. 1 a 8->5O0 cada urna.
rs. a libra, e 58o rs. em barril,
dem de porco refinada muito alva 46o rs.
a libra.
| Preziinto para flanbre a 8oo rs. a libra.
': Cha uxim miudinho vindo de conta propria,
o melhor do mercado a 2,8oo rs. a libra,
dem hyson de superior qualidade a 2,6oors.
a libra,
dem perola o melhor que se pode desejar a
2,7oo rs. a libra,
dem preto muito fino a 2,5oo rs. a libra,
dem mais baixo pouco a 2,ooo rs. a libra,
dem mais baixo a l,8oo rs. a libra.
Genebra de Kollanda em botijas de conta a
440 rs. a botija, e em duzia ou em barrica
ter abatimento.
Massas para sopa macarro, talharim e aletria
a 48o rs. a libra e era caixa ter abati-
mento.
dem estrellinha, rodinha e pevide em caixi-
nhas de 8 libras, muito bem enfeitadas de
2,oooa 3,5oo rs. a caixinha e a 6oo rs.a
hora.
Booe de goiaba em caixas de diversos taa-
nnos de 6oo a I.ooo rs.-o caixao.
Caslanhas muito novas a 2,ooo rs. a caixa, e Erva dooe a 64o rs. a libra.
fs. a libra.
dem miudinho proprio para negocie a i,5oo
fs. a libra.
Queijos do reino ebegados neste uKimo va-
por a 3, loo.
dem mais seceos vindospor navio* I,7oo. 'Gaarutosem grandequanlidadee de todos os
Cognac verdadeiro inglez a 8,5oo rs. a caixa
e 8oo rs. a garufa,
dem francez a .T^coo rs. a duzia e 7oo r&. a
garrafa.
a i6o rs. a hbra.
BoHnho francez e em caixinhas de 7oo a
i,5oo rs. ada urna.
Vrnho do Alto Douro vindo do Porto engar-
rafado garante-se a superioridadedeste vi-
nho, das seguintes marcas : Duque, Ge-
nuino, vetho secco, especial lagrimas do-
Traques a 2io rs. a carta eS> n caixo.
Peixe em latas muito novo; savel, pescada,
corvina, salmao e nutras militas qualidades
preparada de escabeche 2 a arte de cosi-
nha de l,2oo a I,8oo rs. a lata.
Figos em caixas de arroba, lf% e 8 libras
a 8,ooo 4,ooo e 2,ooo rs. a caixinha.
oes de 1819, vinho especial D. Pedro V., 'Barris de vinho branco de quinto, marca B
vraho velho, Nctar superior de 1833, Du- i d Filho a 60,ooo rs. o barril,
me do Porto de 1834, vinho do Porto ve-, Marmelada imperial dos m lhores conservei-
lho superior, madeira secca de superior ros de Lisboa a 6<- rs. a 1 tinhade 1 libra,
fabricantes mat creditadosa l,5oo,
2,ooo, 2,doo, 8.;ooo e 4,ooo rs. a carxa,
os mais baixos sao dos que por ubi se vea
dema 2,ooo e,Soo rs.
Caf de premeira qualidade a 8,ooo rs. a ar-
roba e 28o rs. ufara,
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo- dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
ria, Pec-nic, Fance, Machinee outras mui-, roba e 26o rs. a"hra.
dem prato es melhores e mais frescos do
mercado a 76o rs.e libra,
dem iondrino a 6oo rs., e sendo iateiro a
5oo rs. a libra, vende-se por este preco
pelajwrco que temos em ser.
Biscoites em latas de libras das seguintes

Vendem-se laziakis de urna s cor, sendo en-
camada, azul, ciuzeKta, cor de caf, lirio claro, li-
rio roxo cor de perola pelo baratissimo preco de
6M -o covado, fazenda euita lina s o PavOo, ra
da lmperatriz n. 60 loja e armazem de Gama &
Silva.
Pailita de liuho.
Vende-se panno de linho com i palmos de lar-
gura proprio para lences.loalhas e ceroulas pelo
barato preeo de 6U) rs. a vara, bramante de linho
com 10 palmos de la/pura a 25500, algodaozinho
mofistro cora 8 palmos de largura a 15, pecas de
llamburgo coa 20 varas a 94, 104 e 114, pecas de
madapolao fino a 74500, 84, 94 e 105, ditas de
algodaozinho a 64, 64500 e 74, e nutras multas
fazendas brancas aue se vendem muito baratas
alim de apurar dinueiro : na loja do Pavo ra da
jmperatriz n. 60, de Gama & Silva,
O bramante do Pavo com doze
palmes de largura.
Vende-se bramante de linho puro, muito lino com
doze palmos de largura o melhor e mais largo que
tem vindo ao mercado pelo barato preco de 24800
rs.a vara s na loja do Pavo de Gama & Silva,
aua da lmperatriz n. 60.
A preealas do Pavo.
Vendem-se as mais lindas preealas qus tem vin-
do ao mercado chegadas pelo ultimo vapor francez,
pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas de lis-
trinha muito miudinhas proprias para vestidos e
e roupas de meninos e meninas pelo barato preco
de 300 rs.: s o Pavao ra da Imperatrii-n. 60,
lojc de Gama v Silva.
Os bales do Pavo.
Vendem-se crinolinas ou bales de 30 arcos tan-
brancos como de cores, sendo americanos que
s3o os melhores por se nao quebraren) a 34300 e
de 35 reos a 15, ditos de mosselina com babados
45, ditos para menina a 24 e 34 : na loja do Pa-
vo ra da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
O hwo ventea 8*
Vendem-se os mais lindes cortes de vestidos a
Maria Pia, com linda* harpas de seda, sendo che-
Mdofl pelo ultimo vapor francez pelo barato preco
de 8| cada um : s na loja do Pavlo ra da Irape-
ralri D, 60, tas a 4,300 e 1 4oore.
Polvos ci'egados ltimamente do Porto a 32o
rs. a libra.
dem ematas grandes e.'2,ooo rs. a lata.
Balacliinha de Craknel esi latas de o libras
bruto a 4,ooo rs.
dem ingle/as em barriese a mais nova o
mercado a 2,5oo rs. a barrica c 24o rs. a
libra.
Carines com bolas fcaneegw proprios para
mimos oupara arijos que fo as procis-
ses a 6o rs. cada um.
Reras seccas u mais noas do aereado a 4o
r. a libra.
Higos de comare em htas tie 4 e 8 libras
lacradas henaeticamente a l,4oo e 2,2oo
r. a lata.
dem em caixinhas de 8 libras a l,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muilo novas a 140 rs. a libra., e 4,ooo
re. a arroba.
Amendoa confeitadas a 9oo rs. a libra.
dem de asea mole a 32o rs.
Vinhos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, velho
secco especial, lagrimas doces, vinho es-
pecial D. Pedro V. nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, madeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo,ooo e
9oo rs. a garrafa.
dem branco de uva pura a 64o re. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a ooo rs. a garrafa e 3,2oo rs.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e ooe rs, a garrafa.
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a Canad.
Especial vinho Lavradio sem a mais pequea
composico a 560 a garrafa e 4,ooo rs. a
caada.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no-
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo a arroba.
Garrames com 4 '/ garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs. com o garrafo.
dem com 4 '/i ditas de venagre al.ooo rs.o
garrafo.
Vinagre PRR em apcoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com aancoreta
dem em pipa puro sem o batisme a 2oo rs.
a garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8oo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
Licores francezes e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, lim5o, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, ortel pimenta a l.ooo
Arroz do Maranho* loors. a libra, S^ooo re.
a arroba.
dem da India muito superior a 2,9oo rs. a
arroba, e loo rs. libra.
dem mais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India comprido a 2,4oo rs. a ai-ro-
ba, 8o rs. a libra.
Vellas.de carnauba do iracaty a 9,5oo rs. ar-
roba, e 3o rs. a libia.
Idemde6ebo muito dura ftngindo esparmace-
te 36o rs. a libra.
dem de esparmacete a Ste rs. a libra, e em
caixa a io rs.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. empregados pblicos a o,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem amaco pautado e liso a 3.ooors. a resma.
dem de peso paulada e liso a 3,ooo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueleiroa 2,2oo rs.
a resma.
demembiulhode 1,2ooa 1,4oors, a resma.
libra a
qualidade, vinho do Porto superior D. Lu-
iz i.de 1847, lagrimas do Douro espe-
cial, vinho do Porto de l.oooa l,2oo rs.
a garrafa e de lo.ooo a !4,ooo rs. a caixa
com urna duzia.
Bolachinha de soda especial encommenda e a
mais nova que ha no mercado a 2,2oors. a
lata.
Biscoitos inglezes das melhores marcas em
latinhasde 2 libras a l,3oo rs. a lata.
dem inglezes crakoel em latas de 5 e 7 libras
de 5,ooo a 6,ooo rs. a lata, e em libra a
8oo rs.
Queijos do reino chegados pelo ultimo vapor
a 3,ooo rs. cada um.
dem prato a 9oo re. a libra.
Vinho em pipa das mais acreditadas marcas
como sejamBdc F., PRR, JAA, outras
muilas marcas, Porto, Lisboa e Figueira ;
de 48o, 5oo, 56o, 64o e 8oo, re., e o do
Porto fino em garrafa, e em caada a
2,ooo, 3,500, 4,ooo e 6,5oo rs. o melhor
do Porto.
dem Bordoaux das mais acreditadas marcas
a Too rs. a garrafa, e a 8,ooo rs. a caixa.
Garrames com 5 garrafas de superior vinho
do Porto a 2,2oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafa de rinho da Figueira mais
proprio para a nossaestaco por ser mais
fresco a 2,4oo rs. com o garrafo.
dem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
com o garrafo.
Vinho branco o mais superior que vem ao
Vi a 6 li-
na latas de 1 '4 e 2 libras.
Massa de tomate em latas douradas de 1 libra
a 64o rs. a lata.
Ameixas francezas em caixinhas elegante-
mente enfeitadas de l,5oo a 3,ooo rs. a
caixinha, tamban ha latas de 1
bras de l,2oo a 4,5oo rs. a lata.
dem em frascos com tampa de rosca a l,6oo
rs. o frasco.
Chocolate portuguez, hespanhol, francez e
suisso a l,2oo rs. a libra.
Conservas inglezas das segnintfs marcase
Mixde-Picles e cebollas simples a 75o rs
o frasco.
Ancoretas de vinho colares a 5o,ooo re., e
a 72o re. a garra f
Sardinhas de Nantes a 32o rs. a latinha.
Charutos das mais acreditadas marcas de
a 16oo, 2,ooo, 2.5oo e 3,5oo rs. a caixa.
dem suspiros de Jos G. P. a2,4oo a meia
caixa.
Champagnhe a melhor do mercado de 12.ooo
a 24,ooo rs. o gigo, e de 1,2oo a 2,ooo rs. a
garrafa.
Papel greve pautado ou liso a 3,5oo rs. a res-
ma.
dem de peso pautado ou lizo de 3,5oo a
4,ooo rs. a resma.
Matarana a 32o rs. a libra.
Milho alpista e painso de IGo a 2oo rs. a li-
bra.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a grosa e 2oo rs. a
duzia.
Ameixas francezas em latas de 1
l,2oo e8oors. a libra.
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle l.ooo rs. tambem temo6 em
frascos para 1,4oo rs.
Conservas inglezas a 7oo rs. 0 frasco.
Molbos inglezes a 8oo e l.ooo rs. o frasco.
Moslarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais
bem arranjado possivel a l,8oo e 2,8oo
rs. a lata.
ServejaBon. Tenente verdadeira a6,8oo rs.
a duzia.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
e 6,ooo rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muito novas a 8oors. o molho e 5oo
rs. ocento.
Chocolate portuguez hespanhol e francez de
8oo a l,ooo rs. a libra.
Genebra de Hollonda em frasqueiras a 6,ooo
e 56o rs. o frasco,
dem em botijas a 4oo rs.
dem em garrafoes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixades em macos grandes
com 2o rs. o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos muito novos a 32o rs. a libra e
lo,ooo a arroba.
Sag muito novo a 24o rs. a libra.
Cevadinha de Franca a 18o rs. a libra.
Milho alpista a 14o rs. a libra e 4,5oo rs. a
arroba.
Gomma a 2oo rs a libra e 2,4oo a arroba.
Peixes em latas a l,ooo rs. a lata j prompto
a comer-se.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo rs.
nosso mercado a 56o rs. agarrafa, e a Vasos inglezes de i a 16libras vasios, muito
4,3oo rs. a caada. proprio para deposito de doce manteiga
Velas deesparmacate as melhores neste ge-I ou outro qualqer liquido de l,ooo a
ero de 56o a 64o rs. o maco, eem ca-| 3,ooo rs. cada um.
xa ter grande abatimento por haver Licores das melhores marcas e mais finos
grande porcao. ja l.poors. a garrafa e em caixa ter abati-
Azeite doce em barril muito fino a 64o rs. ment.
a garrafa e 4,8oo a caada. Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
dem francez refinado a 8oo rs. a garrafa. I e lo,5oo rs. a caixa.
Ervilhas francezas epurtuguezas a 64o rs. a'.Chouricas asmis frescas do mercado a 8oo
lata- rs. a libra.
Bocetas eom doces seceos de Lisboa de 3oo Genebra de laranja em frascos grandes a
a 3,5oors. cada urna. l,2oo rs. o frasco.
Toucinho deLisboa a 3oq rs. a libra, e a Serveja das mais acreditadas marcas a
9,ooo js. a arroba. 6,5oo a duzia e de mais a Son rs a garrafa
Botijoes com 10 garrafas de azeite doce a dem embotijas e meias, sendo preta da
535oo. j muit0 creditada marca T de 6,5oo a 7,8oo
Caf de 1.', 2.1 e 3. qualidade de 26o, 3oo' rs. a duzia.
e 38o rs. a libra; doCear de8,3oo, 8,7oo, Pimenta do reino a 34o rs. a libra.
e 9.000 rs. a arroba do melhor. Farinha do Maranhao a 14o rs. a libra.
Arroz da India, Java e Maranhao de 2,8oo a Tijolo para limpar facas a 16o rs. cada um.
3,ooo a arroba, e de 8o a loo rs. a libra. Cominho a 4no rs. a libra.
Passas muito novas a 8,5oo a caixa e 5oo Erva doce a libra.
Canalla a 1 .ooo rs. a libra.
Vassouras de piassaba de dous arcos de fer
liua Direin 45
Oioam! oiam !!!
CALCADO
Bom e novo, a primara ueaessidade para a sau-
de e aforiiinseaineiilo do individuo I
Meu bens I... que ps de pavo ;e Mirigam por
essas ras inie figura horreuda e nauseante a
de um paleto! bem talludo sobranciio a ura
tjueilrt ruido em duas solas I um balan bem tor-
neado e bambalc anle dcM-tihrimlo urna ixnila de
bolina salara c carcomida I !
Santa Barbara! I Corrain ra Dlreita, bellas e
rai'azesl sacuam na praia esses malditos quedes
e compren) :
Borz<-fuas .le Xaies 8400O.
Dito Iranir7.es de bezerro 74-
Ditos fiaiM'ezes do lustre para lumun : Ditos para senhora, de lustre, enfeitadns, ,*4500.
Ditos para senhora, Raspia alia, iifUJO.
Botinada menina 24^00.
Ditas ile cure.- pata menina 200\
Sapates de Na-nles de duas solas '4-
Diios de sola e vira i.'>00.
Sa|iatos de borracha para senboras 14400
Ditos para ineiiiiiosl000.
Sapatos de lustre para senhora \,Z.
Ditos de tapete para homcm e senhora 800 ri.
Ditos da lipa constitucional .'iOO 1 >.
Chineles rasos do Porto a 14600.
E um sortimento comple.o em sola, vaquetas,
couros, bezerro francez como nenhom, eoiiro de
lustre muito graode, e tudoquanio pertence a ai la
de S. Cbrispim.
de ocn ecom pedms.
Nao eslava bem a aguia branca deixar llcar 1A0
grande parle de sua boa frrgneiia sem cs>as
apreiiadas fvi'las de ai;o e eom pedias, epor isso
apressou-se em mandar buscar o b*Ho sunimento
que acaba de receber ; e bem assim as necessarias
litas, cujos novos e bonitos padrfies astornam agr-
daveis aos olhos de todos ; resta, poi?, que os pre-
tendentes, miiuidi'S de dinheiro. dirani-se rua
do Qowmado, loja d'aguia branca n X, onde tam-
bem ha bonitos cintos bordados eom borlas, etc..
Extraordinario sortimento
de perfumaras.
A snperioridarie das re fumarias une a agua
branca vende est iiicontestavilinriitenronheculn,
e isto confirma a prande exiraccio que Ihe vio
dando os apreciadores do bem. A apuia branca,
porm, leudo sempreem vistas o bem servir a sua
boa frepuezia, tanto da ridade romo 1I0 interior,
mandou vero extraordinario sortimento que aca-
ba de receber, vindo conforme snas recnmmenda-
Cdes, sempre da melhor qualidade, sendo :
Agua de Colonia em garrafas de diversos lmannos
e moldes.
Dita dita em frascos redondos e qeadrados.
Dita dita ambreada em frascos verdes.
Agua ambreada para bauhos.
Dita balsmica e deulrifiee para conservadlo das
penpivase dentes e Lom balito da hueca.
Dila de flor de laranja.
Dila de rosa e dita de Florida.
Dita de lavauder e toilet.
Dita de alhense para alisar e segurar os ca-
bellos depois de alado.
Dita de Mallabar e Hoide para Ungir os cabellos
liaulia transparente e lafornesa.
Ditas linas em frascos de diversos moldes.
Dita dita em bonitos vasos de porcelana.
Dila dila em latas.
Dita dita em copinos, sendo creme, duqueza e po-
mada imperial.
Bahuzinhos de vidro com perfumaras.
Caixinhas com G frasquiilms de ebeiros.
Cosnietique (ou pomada) snperOna.
Extractos linos c de agradareis ebeiros em bonitos
frascos.
Dito franpipane, cheiro novo e mui agradavel.
Di lo de sndalo.
Kssencias concentradas, com diTerenles e finissi-
mos ebeiros.
Leite virginal para tirar sarjas.
Dito de cacao para aroaeiar a cutis e cor.c"rvar-
Ihe o lustre.
Macassar perola.
Oleo philocome superfino.
Dito de babosa.
Opiata inglesa e franeeza.
Pos de coral e de Lubin para dentes.
Saboneles finos quadrados e redondos.
Ditos finos em caixinhas de tres.
Ditos muilo linos para barba.
Ditos creme de amendoa em vasos de vidro e por-
celana.
Tnico oriental de Kemp.
Vinagre aromtico.
Dito ou leite (Tires para acabar as espinbas do
rosto.
E assim muilos oulros objectos de posto que r.a
compra dos quaes o pretndeme sera sasfeiio
por deixar os cobres na luja d'aguia branca, rua
do Queimado n 8.
Objecfos de pZiaufasla v.iodns
para a ngula branca.
bonitos
o.'ijec-
a libra, ha caixas meias e quartos.
Sevadinha de Franca a 24o rs. a libra.
Sag muito novo a28o.rs. a libra.
Meslarda ingleza em p a 1$ o frasco.
Cebollas a 8# a caixa e 1,2oo rs. o molho.
ro a 32o rs. cada tima.
I Latas com banha refinada com 10 libras a
1 4#5oo.
Farinha. farelo e milho
No grande armazem de molhados denominado
Brilhaute Aurora, no largo da Sania Cruz n. 12, ha
grande quautidade de saceos, grandes com farinha
de Goianua, muito nova a o4o00, ditos corn farelo
de Lisboa com 120 libras a 54300, ditos com mi-
lho novo (21 cuias) a 34800, e em porcao se far
abatimento.
Cal de Lisboa e potassa da
Rnssla.
Vende-se na rua da Cadeia do Recife n. 26, para
onde se mudou o amigo e acreditado deposito da
mesma rua n. 12, ambos os genero sao novos e
legtimos, e se vender a preco mais barato do que
aro. tqua!querparte.
Farinha de mandioca
de Santa Camarina, e da mais nova que ha, em
muilos.bons saceos e-a preco commodo : no ar-
mazem do Annes defronte da alfandega.
Vendem-se arcos de pao para uso de pipas
Vende-se ou aluga-se a casa terrea sita na
rua da Casa Forte, era que o Sr. Antonio Bao leve
padaria, a contar de 15 de jnnho vindonro *>m di-
anlo : a tra|ar no Campo Verde, na do Socego n.
.. 27
ltimamente llegados do Porto < a tratar na rua I do Sr. Antonio Bao, naquelle lugar, para examina
da Senzala Nova n. i. m asa.
AljH da Baha
para saceos de assucar e roupa de escravo; tere
para vender Antonio Luiz de Oliveira Azevedo A
C, no seu escriptorlo rua da Cruz n. 1.
Vende-se alpaca prela a 300 rs. o covado.
Vende-se alpaca preta para vestidos a 600, 600,
700 e 800 rs., fina de cordao a 800 rs para pal-
tot, princeza prela a 800 e 640 o covado, bombazi-
na preta lina a 14iO0 o covado, laazinbas preta
para senhora que estao de luto a 720 o covado :
na ruada lmperatriz n. 06. A loja est abena at
s 9 horas da noite.
Liiilia.
Na loja da Aurora, rua larpa do Rosario n. 38,
vende-se linha de carretel azul ferrete a 20 rs. o
carretel, e sendo em duzia a 20o rs, dita de dita
branca de n! 80 120 com 100 jardas a 20 rs. o
carretel, e a duzia a 2'K) rs., poi* muito propria
para as costureiras alindaren) qualquen costura
qne seja fina, assim como tambem tem grande sor-
timento de qualquer qualidade.
'ara algod.
Vende-se por "preco commodo urna encllente
machina americana que trahalha com um cavallo
para fazer mover qualquer machina pequea de
Os pretenden tes podem ver a chave em poder | descarocar algodao, teudo a vantagem de ser mui-
to simples e economisar muito o trabalho bracal:
a tratar ua padaria da rua Direita n. 84.
Machinas inglezas
para descarocar algodao as melhores que
tem vindo a este mercado : rua da Senzala
Nova n. 42, em' casa de S. P. Johnston
AC, _________________________
VINHO PURO.
Chegou nova remessa de anchetas com supe-
rio vinho puro : vndese no escriptorio de E. R.
Rabello, rua da Cadeia n. 55.__________^^^
Vinlio do Porto superior
em caixas de urna e duas dozias : tem para ven-
der Antonio Luiz do Oliveira Azevedo & C, no seu
escriptorio rua da 1 ruz n. 1. ____________
A aguia branca receben novos e
tos de phanlasia, alguns dos quaes nunca vistos
aqni, sendo :
Bonitos adereeos completos feitos de nerolasfalsas.
Ditos dilos de pedias, por cuja pcrfeirSo e bota
posto quasi se nawdistinpiicm das verdadeiras.
Lindas pulseiras de mosaico.
Dita dita de perolas falsas tanto para senboras
como para meninas.
Dita de enana de crysial com listas donada*.
Dita de cornalina branca, azul etc., etc.
Bonitas alfinetes e annets para grvalas.
Bonitos pontee de concha, obra de apuradogosto.
Outros travessos eom pedias para meninas.
Bellas goarniedes de punes doorados, ornados
com eaixos de uvas, feos de aljfar, obra su-
blime.
Ouiras igualmente bellas, todas de fino dourado e
com pedras.
Outras a tarlarngadaa, nada inferior a aquella.
Vollinhas de aljfar branco e de cores com rruzes
de pedras.'
Esses e outros muitos objectos acbam-se a venda
11a rua do Queimado. loja da agina brama, n. 8.
GUftDES E BQMiTQS
e.spUi*i& dpuraitos
A aimia branca em rcntinoaclo de snas encom-
mendas mandn vir, e acaba de rereln r BTandfS
espeihos doorados eom mui bonitas e modernns
molduras, e vidros de primeira qnabdade, avista
d'i que o pretendente que saliir de casa'munido >,
dinheiro e com disposi^lo de o gastar r.a compra "
de um desf 1.- bonitos espedios, dirigir-se na
do Queimado, loja d'aguia branca n. R, que era
tiein servido. Tambem ha asnelitos quadrados '?
lides em tamaiihos, a eom moldaras duaradas.
JARROS
de porcelana e escaria-
deiras de vhro
A aguia branca tambem manden rir bonitos jar-
ros de porcellana dourada e de differentes tama-
nhos ; assim como escanadeiras de vidro, objectos
esses'sempre necesjanos para o b."in aeeio das sa-
las ; resla somi'iite que o comprador dirija-te rom
dinheiro loja d'aguia branca, na rua do Queima-
do n. 8, onde ser servido com agrado e sineeri-
dade.

de ii; para bomem e s iiIdiim.
A apuia branca, na rua do Queimado n. 8, ven-
de mui boas meias de 15a para homem e senhora,
e pretas de laia e de seda para padres.
Feijlo.
Vende-se superior feijao mulalinho novo, rn
grandes e pequeas poredes : na rua do Vigario
numero 26.
StiMi/o Antonio
Aeha-se venda na lynograpniada rnadolmpe
radorn. 15 a trezena do glorioso Santo Antoiiio.niti
damente impresso, era um folheto, obra ladiininn
vel para os devotos do mesmo santo.
Vende-se

a loja de calcados da rua d^ 'ruz n 41, sen^o
esta bem afreguezada e em bom local : a tratar
na mesma loja com o proprio dono pois nstt tem
de relirar-se a tratar de sua sade.


i lar lo de rcmamMieo *e*fa felra l de Malo de l4.
FAZEWU1S BARITAS
FAZG^DA^ BARATAN
nu mu*, m mu m umfmm
Ricos vestidos brancos bordados a 105 e 12,5.
Balites inglezes de arcos e croch a 35, 45 fi i5.
Cami'inhas e manguitos muito bem enfeitados a 33.
Grande sortimento de laazinhas muio boas a 360 o 400 rs.
Soutcmbarques e capas de seda, merino e cambraia bordana.
Bramante de linlio muito largo a i*>.
Organdvs e cassas francczas finas a 480 rs.
Canbraias lisas, fil de linho liso, rambraia de salpicos.
Lindos cortes de l.ii Maria Pia de 80 a 1S0.
Mimosos vestidos japonezes a lil.
Variado sortimento de chales cm realidades c precos.
Musselioas brancas com pinta de cor.
Grosdcnaplcs prctos de 13600, 800 e 2.
Lencos de camhraia bordados a capricho a 1,5.
Madapolo barato a *#SOO.
Vndese inadapolao bom e pe feto a 580 a pega com 20 varas.
Todos estes artigo e outros muitos se vendem por precos que admiram na ra do Crespo
numero i. t
Defronte do arco de Santo Antonio.
Hna da Semita l\ova i. 42.
Neste eatabelccimenlo vepriem-se: tachas di
ferro coado libra a i 40 rs., idemdeLow
Moor libra a iaO r. _
l'm Deacobriaent? EspajH.ru!
Mundo Scirntifito nmilimmente o approva.
NO
Armazem de fazendas
DE
Custodio, Carvalho & Companhia.
33 HU HO QUEOIA1IO 99
Pagas de panno de linho fino com 20 varas pelo baratissimo preeo de 105 a peca.
Cambraia adamascada branca prca 30.
Leneiuh >s para meninos e meninas a 100 rs.
Lineo brancos para algibeira a 25 a duzia.
Toalnas de fuslio de linho duzia 43-
Tijilhas adamascadas do lihho pelo barato proco de 3.V>00 e 40 cada urna.
L.iazinhas de urna t cor para roupa de meninos e sculiora.
CL.A.RI11
4 VEHA ENCICLOPDICA
Respeitavel estabelecimento de fazendas ra do
Crespo iiuuiero 13.
DE
JOS GOMES VILLAR.
Tendo merecido a prolerro das
EXCELLENTISSIMAS SENHORAS,
e do publico eni geral.
O'proprietario nao desesnea um s momento para bem servir aos sens freguezes, fa-
zendo eiicoiniiieudas para
Inglaterra, Franca, Snissa e Aemanha
das melhores fazendas para
Scnhoras e para homens
evende-as por precos que admiran.
luiporlante eslalielecimento
DF.
FaZondas
DF.
Seda, la, linho e algodao.
de
Sbiia RECIPE.
Vepitlf liaialissimo.
hinorlanle rstohelpcimcuto
DE
Fazendas
DE
Seda. la. linho e algodao
JM>8!8 JH03 TTMiMU
Ru.t du> Crespo numero 19
RECIFE.
Vende baratissimo.
MBMBB!--'^iSaSfr!
OS PARA
Acaba desnegar casa de J. Falque, um completo sortimento dos melhores albuns para retra-
tos que se r>issa encontrar, e por precos eommodos, sendo para 30 ;i 100 retratos.
A-.-im como albuns para desenlio, escripia e msica, muito ricos e por i-ito muito propri os para
prsenles.
4HUA DO CRESPO41
em resmas para cigarros, do verdadeiro : na ra da Cadeia do Recite n. 13 e rna do CsJwg n. 2 B.
:' n i .' H"L'- OBllecI lasala hl |l onlni U Conorrhf M Ble u E 11 pira f itoi:ij.:o. sern nausea*, nm colitis, nein tremor. Kinii. a lomv < ma.
njecco curativa e preserva Iva
S.iMMv-!.. ,,.,,/....., .,- lagtoao la .. floras brancas. -- Astriiente
<" :' i tm cmmtUtMmit. fbrtl mUnaoaprt i i i .-,,, Cfllljl 1. im it HinaM gftfwnial
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros 4 Barboza
.
Grande pechincha.
A 200 r. otovatb.
Canbraiaa oaenras finas a 2(K) rs. o eovado para
acabar; nao m dio amostras para que se acaben
lugo : qnein quizar, venha comprar no armazem
dn fatendas 0> Hledio, Carvalho & C, ra do
Queimado n. 27.
Vendase no aimazem da na do Trapiche
n. iS, de Mo'i'iard t C_ vinho superior de Bor-
dean* encarado ultimanrente.
GAZ GAZ GAZ
por |revo rediizldo.
Vende-se gaz da mellior qtialidtde pelo
pre o de 105 por lata de 5 gales : no ar-
mazem do Caes do Ramos n. 18 e ra do
Trapiche .Novo n. 8.
CriRGABO PELO VAPOR.
S para o vigilante.
Grande sortimento de livelas pretas e com pe-
drinhas d" muito lindo posto assim como litas pa-
ra sinlis pratas e de cores para as asesinas five-
la< que se vende pelo barato preco de ti500 e 25 :
sno vigilante rua do Crespo n. 7.
?Ha da Senzalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston 4 C,
sellins e silhes inglezes, candieiros e casti-
?aes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
ctii.otes para carros e montana, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez.
Emprcza da illuminacrio
gaz.
Todas as vendas do apparelhr.s e reelamaees
fl^or e.-rripto dando o nome, morada, dala, etc.),
d'V.-m ser hilas M armazem da rua do Imperador
n. 91. Os mai'hitiitaK mandados para MMUdeTI
Rta*,-apra#ft*irao'oni livra.ana os redanantos
ileverfin assignar lofRJ dejiois de prompto (1 seiviro
rWlawadn ; isto para que a emprer.a Botn scipntp
rl ti;tv,rcni us mesmoB seiitwros gido devidamen-
te atten.liilos.
Vende-se urna cnieira nova, propria para
latorio : trata-? m entrar da rua dos Plate-
ras a quarta casa.
coo
re tu
< g-o
= 3 = i
as?"
S E.
as-
09 I-
re
a.
a =
s> **
re a>
!l
3 re
* 3
g-F
re
~
j a.
2,0 0> m
a. o. 2> K a:o
a =; o- 3 a a-
cu os c cr a. a-
- o a. =" 3
re 2. j- a S
a x g re __
g c o o
K 9 1
a: Ti
o o
as
-1
a. ^i
3 3
Q.T3
re a
5"
a o re
a o> a.
3 i re _
3 B.S
SU
-I -o
3
ws re
3-se
re
as
3 3 3
B re
2. as
"o"
re
re
-
i
n
as
j.
as
a.
S
o_
a.
re
Vt

i
H
- 55
3 S-ro*
M 1 S i
a, a a
a "i re
as ti,
i
oo a
. as
3
a.
-i
3
o
o
O.
re
re*
O
o-
aa
a. as
re
a.
re-s;
z
s
as as
I
"3 re
a> "i
a 5J
3
o 5'
3 os
as. .
cr
as
5 3
w a.
Cl as
re
=3 3
o re
3
o g
SU
M
re as
o ">
as
a.
O
9
a
o
Machinas para algodiio.
Vende-se urna machina para desrarocar algodao
e um motor com todos os pertences para trabalhar
com 2on 4 cavallos; a qual descarla 120 arro-
bas de algodao por dia, sendo muito maneira no
trabalho e de mu fcil transporte para o centro :
ella acha-sc montada e o comprador pode vor o
sen trahalho,.fnji) resultado se garante.
Tambem vemiam-se machinas para deseorocar
algodao movidas a braco, do diversos lmannos
tanto americanas como inglcias, as qnaes dcscaro-
g;nn de SO .i 60 arrobas ds algodao por dia con-
forme lamanlid da mar-hinn, caraiilindo-se tara-
bcit o reMiltado de cada nina. Todas ellas sencham
rnaatadas na Minea da travesa do Carioca n. 2,
raes 4o Ramos, onde o compradores podera se
dirigir par ->v o sen trabalho e tratar sobre seu
A < omposiffio Aacahiiita
IVitoral de keiiijh
l'or espaqo de muito tempo se ha usado ex-
tensamente cm Tampico para a eura de
TSICA PULMONAR,'
CATAERHO, ASTHMA,
BSONCHITE, TOSSE CONVULSA,
CHUPO 60 GABROTILHO, e
Inflamma9de3 da Garganta e do Pelto,
c isto com um resultado to feliz e verdade-
ramente aaaombroao o po ou madeiaa d'uma
aoro i que chamio A.vacahuita, c tjue s
se cncontra no Mxico.
A Composico Anacahuita Peito
ral d Kemp um Xmope delicioso, intei-
rnnientc dilfiTcnte na son composico de
toJos os mais Pcitoraes c Expectorantes ma-
iitfactnrados do frnctos astringentes, cascas
c railes, te., o nicsnio n Jo conten nenhun
Acido J'russico ou outros quaesqner ingre-
dientes venenosos.
. Todas as molestias o nffecc^oee da garganta
c dos pulmes desappareccm como por um
mastico encanto, mediante a aceiio deste in
eionparavcl c irresistivcl remedio.
A renda as boticas de Caors A Barboza,
rua da Cruz, e Jo5o da C. Bravo 4 C, rua
da Madre de Dos.
RIVAL SEIY1 SEGUNDO
Rua do Queimado ns. 49 e io, loja de miudezas
de Jos de Azevedo Maia e Silva, est continuando
no sea progresso de vender baratissimo :
Caixas de superiores obreias de cola e massa a
40 rs.
Cordao branco psra vestido e espartilho, rara 20
ris.
Linhas de carretel (150 jarda?) de superior quali-
dade a 60 rs. |
Cartoes de linlta Pedro V (200 jardas) j muito
. conhecida a 40 rs. |
I Grozas de peonas de ac de muitas qualidades e
superiores a 500 rs.
I Caivetes de duas folhas porm finos a 500 rs.
i Caixas com calungas muito bonitas para rap a
100 rs.
Franja branca e de cores para toalhas a 160.
Pares de botoes para punho moito bonitos a 120. j
Caixas com soldados de chumbo mnito bonitos a '
120 rs.
Tinteiros de vidro com superior tinta a 160.
Ditos de barro eoin superior tinta a 100 rs.
Groza de botoes de louca praliados, .o mellior, a
160 rs.
Tesouras para costura, o mais superior, a 400 rs.
' Ditas para unhas muo finas a 400 rs.
Escovas para limnar dentes muito superiores a
200 rs.
Libras de laa do todas as cores (pesada) a 7.
Caixas de phosphoros de seguranra a 160.
: Ditas de papel amizao pautado e liso a t>90rs.
Ditas com 100 anvelopes muito soperiorea a 800
! ris.
Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
Carlas e taboadas par.- meninos a 80 rs.
Caixas rom superiores iscas de acender charutos
a40rs.
i Carrete de linha Alexasdre (200 jardas) de cores
a !Or5.
Baralhos para voltarete muito Ibos a 240.
! Cartas de allinetes franceses muito linos a 40 rs.
Meadas de linha Txa para bordar a 20 rs.
Pares de sapatos de tranca multo superiores a
1 15600.
Papis de agulha com um pequeo toque a 10 r*.
Groza de betes de madreperola muito finos a
560 rs.
Cartoes e catata de clcheles Prancezes superiores
; a 40 rs.
! Bonets para meninos muito finos a 1,1300 e 2>.
Macos de grampos superiores- e limpos a 30 rs.
: Croza de phosphoros do gaz maito uovos a 25200.
! Areia preta muito superior a 100 rs.
Caixas de rap com espelho a KX) rs.
Realejos para entreter meninos a 80 rs.
i Pecas de fita de linho'muilo boas a 40 rs.
; Pentes de la^o milito bonitos a 13-
j Enfeites de laco de todas as cores a 1300.
Rodas com allinetes francezes 4 20 rs.
Caixas com quatro papis de agulhas imperiacs^ a
240 rs.
Sabonetes de familia a 80, 160 a 320.
Caivetes de duas folhas muito linos a 320.
Pares de sapatos de laa para meninos a 400 rs.
Sapatos de tranca para senhora. e para homemy os
i melhores que tem vindo, e por pree muito barato:
q 91 e 53, e ver ludo como bom e barato.
AnracAO
Salitre refinado, superior tpialidade, vinho-Bor-
j deaux, -dilTerentes qualidades, mais barato que cm
(Hialquer parte : no armazem de E. A. Rurle &
C, rua da Cruz n. 48._____________________
A 2$500 o cento.
Charutos francezes : no bazar pernamtucano,
na larga do Rosario, n. 30. _____-
Ko rma/en de faaeml s baratas de
Santos i orino, rea do Que nina o, u.
19, >ende seo seguinle*
AUfito.
Peehincha
Pecas de algodao com urna-pequea avaria pelo
baratissimo preco de 8$.
Coberias de chita da India pelo barattssimo preco
de 2ji e *S5W).
I^enijoes de linho pelo baratissimo preco de ti.
I.i'ncoes de bramante do linlie fino plo baratissino
preeo de 3^200.
Lencos de cambraia brancos proprio para algibei-
ra pelo baratissimo preco de 23 a duzia.
Algodao enfeslado com 8 palmos de largura pelo
baratissimo preco de 13 a vara,
liramante de linho fino com 10 palmos de largura
a 23500 a vara.
Atoalbado adamascado proprio para toalhade mesa
pelo baratissimo preco de 13000 a vara.
Peeas de cambraia de forro a 23600 < 3320Q.
Toalhas alcochoadas propias para maos a 53 a
duzia.
Esleirs da India, proprias para forro de sala.
de 4,5 e 6 palmos de largura.
Corles de calca de ganga amarella de listras e i
de quadros, pelo baralissiroo preco de 15200 o !
corle. !
Cambraia adamascada com 20 varas, propria
para corlinado, pelo baratissimo preco do lOtOOO
a peca.
Bitas laazinhas para vestido, fazenda a mellior
que tem vindo ao mercado, tanto cm gosto como
cm qnalidade da fazenda, pelo baratissimo preco
de 560 rs. o eovado.
Ricos cortes de laa de barra Maria Pia a l'3-
Pecas do cambraia de salpicos p^lo baralis>mo
pri;c,o de 45-
RUA DO QtEIJIlHO IV. 15
Pa.ssando o becco da Congregaco segunda casa.
I8H5 mmM Di
NOV1DADE.
Pereira bocha A C. acabam de abrir na rua do Queimado r. 4o um armazem de molbados denominado Clarim Commercial,
onde o respeitavel publico encontrar aempre um completo sortimento dos melhores gneros que vem ao nosso mercado, os quaes
aero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garante-se o bom peso
e boa qualidade dos geacros comprados neste armazem.
Arroz do MaranMo, da India e Java a 60, 80 Chcpricas e patos murto novos a 800 rs. a. Palitos do gaz a 220 rs. a grosa.
e 100 rs. a libra e .800 a 2*5000 e 3;> Ubra.
a arroba. Cevadinha de Franca muio superior a 220
Ameixas francezas em latas e em frascos a rs. a libra.
10200 e 1)3600 em fuscos grandes aCevadaa 80 rs. a libra.
20500. Ervilbas portugtiezas a 640 rs. a lata,
dem em caixinhas elegantemente enfeitadas dem seccas muito novas a200rs. a libra.
com rtcas estampas no interior das caixas Figos de comadre e do Douro em caixinhas
a 120000,10400, 13600 e 20. de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
Amendoas com casca muito novas a 280 rs.! 10800, 50500 e 280 rs. a libra.
a libra. Farinha do Maranho a 160 rs. a libra.
Alpista a 160 rs. a libra e a 40600 a arroba. Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
Azeite doce francez muito fino em garrafas Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
grandes a 960 rs. a garrafa,
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de malarana a 320 rs. a
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
Biscoutos inglezes do diversas marcas a
10300 ris.
a 560 rs. o frasco e 60200 a frasqueira.
Passas muito novas a 480 rs. a libra.
Peras seccas muito novas a 600 rs. ?. libra.
Painco a 200 rs. a Hbra.
Polvo secco muito novla 400 rs. a libra.
Presuntos de Laroego em calda de azeite c
muito novo a 640rs.
Oueijos flamengos do ultimo vapor a 30100
dem prato.
Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 360 rs.
Sag muito alvo e novo a 260 rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Bolachinhas de soda, latas grandes, a 20 rs. ;Idem, garrafa forma de pera e rolha de vt-
Idem em garrafoes de 3 e 5 gales a 50500 Tijolos de limpar facas a 140 rs.
e 70500 cada um com o garraao. Vellas de carnauba pura a 360 rs. a libra.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 rs. a duzia. dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
Licores muilo finos a 700 rs. a garrafa. libra,
dem, qualidade especial e garrafas muito Figos em caixinhas ermelicamenle lacradas
grandes, a 10800rs. agarrafa. j a 10600.
dem garrafas mais pequeas a 800 rs. i Vinho do Porto engarrafado o melhpr que
a lata.
Ditas inglezas muito novas a 30000 a barri-
quinha e a 200 rs. a libra.
Banha de porcor efinada a 440 rs. a libra e
eembarriia 4-10 rs.
Cha hysson, huchin e petla a 10600, ,
20500, 20800 e 30000 a libra.
dro, a 10000 rs., s a garrafa vale o di-
nheiro.
Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
barcada de pouco a 960 rs. a libra, e da
de segunda qualidade a 800 rs.
dem franceza muito nova a 640 rs. a libra. dem em pipa, Porto, Lisboa e Figueira a
dem de tempero a 400 rs. ; 480, 500 e 560 rs. a garrafa e 30, 30500
e 40 a caada.
ha neste genero e de varias marcas, como
sejam : Velho de 1815, Duque do Porto,
Madeira, D.Pedro, D. Luiz I, Maria Pia,
Bocage, Chamisso e outros a 800, 900 e
10000 a garrafa, e em caixa com urna du-
zia a 90000 e 100000.
dem preto muito superior a 20000 a libra. Massa de tomates em barril a 480 rs. a libra.
Cerveja preta e branca-, das melhores marcas ] dem cm lata a 640 rs.
que vem ao mereado, a 500 rs. a garrafa Marmclada imperial dos melhores conservei-
e 50800 a duzia.
Cognac inglez fino a 900 rs. a garrafa.
Conservas a 720 rs. o frasco.
dem, s de pepino, a 720 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia
e especialmente da fabrica imperial de
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 10800,
ros de Lisboa a 600 rs. a lata.
I Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
800 rs.
, dem regular a 500 rs.
:Massas linas para sopa : estrellinha, pevide,
rodinhas e letrianhas a 600 rs. a libra e a
40 a caixinha com 12 libras.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e, Peixe em latas preparad pela primeira arte
30500 a caixa.
Caf do Bio muito superior a 280 e 320
rs. a libra e 80500 c 80800 rs. a arroba,
dem londrino chegado no ullimo vapor a
900 rs. a libra.
de co/.inha a 10 rs. a lata.
Palitos de dentes a 160 rs. o masso.
Palitos de dentes a 120 rs.
dem de flor a 200 rs.
Amendoas confeitadas a 900 rs. a libra.
Carles de bolinhos francezes muito novos e Doce de goiaba em latas o mellior possivel a
muito bem enfeitados a 700 e OOOJrs.
20 e em caixio a 64U rs.
dem branco de Lisboa .muito fino a 500 rs.
a garrafa,
dem de Bordeaux, Medoc e S. Julien a 700
e 800 rs. a garrafa, e 70000 e 70500 rs.
a duzia.
.IdemMorgaux eChateauluminide 1854, a 10
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs, a garrafa e
10200 rs. a caada.
Kirsk garrafas muito grandes a 10800 rs.
Alm dos gneros cima mencionados te-
mos grande porco de outros que deixamos
de mencionar, e que tudo ser vendido por
pecas e carnadas, tanto em porces como
retalho.
Qnem comprar de 1000000 para cima te-
r o abate de 5 por cento.
RA n nn nn< f
FAZEI FAVOR DE LR ESTE ANNUNCIO
da economa domestica que se vai tratar.
0 assumpto importante.
]>E$01H*IO-SE AFIXAL
0 verdadeiro e principal armazem de molhados o do
a
Xingiiem contestar esta verdade.
A fama far correr esta noticia.
A posteridade beiudir o nomo do Baliza.
Actualidade Batei palmas de eontentamento!
&w*
Sem mitra nem canias para ornar a fachada de scus annuncios, e as portas do edificio em que habita, o-Baliza se
contenta em tomar o seu lugar de honra na vanguarda de lodos os homens do progresso.
Sopre embora o maldito Clarim, o seu loque de retirada a marrhe-marche do desacreditado Progresso ; arme a toada
dos falsos apostlos da sincei idade no tralro, da realidade na pralica dos negocios commerciaes. revele finalmente a soa
grande insobordinacTio fmgindo desconhecer os seus superiores, deixando-se ficar sentado, em vez de perfilar-se e fazer a
continencia doestylo, porque o incansavel Baliza sempre fiel ao seu juramento lera continuamente na mellior ordena lodo o
seutrem de guerra e no mais complecto movimento, o seu presumo pata bem servir, desde o mais simples cantarada at
o mais alto general da primeira classe do exercito dos seus constantes freguezes.
Entremos na materia :
SENTIDO!
ORDE DO III %.
Desde a l.1 publicacHo deste annuncio al segundo aviso Manoel Pedro de Melle, proprietario do-grande armazem
do Baliza estabelecido rua do Livramento ns. 38 e 38 A vender a todos os seus freguezes.
Cinco por cento menos
que qualquer dos seus amaveis collegas que por menos annuuciar. Qualquer objecto que nao chegue a contento dos se-
nhores compradores, pode ser devolvido ainda mesmo pelas pessoas que moraran no centro da provincia.
0 dinheiro recebado pelo gener0 que nao agradar ser restituido sem constiaiigimenlo algum.
Beclaraco Importante.
falso o boato que tom feito espalhar o soldado soprador da rna do Queimado de que se acha p Baliza associado
ao armazem Uni'io Mercantil aborto a rua da edeia do bairro do Uecife.
A liga entre os coegas ntn crime de lesa-povo.
E entre tanto o Baliza ligueiro. ....
Ligueiro sim das ideas liberaos dos progresistas de todo o universo aos senlunento mais tutanos da seu coraco.
Deste modo de pensar ser o Baliza -eternamente conservador.

rSa^C^g


niarlo de
*erta fetra ftt de Hato de !
0 PRINCIPAL
DE
SILVA & SOZA
Ra do Crespo n. 9, esquina da ra do Imperador.
Tendo-se o proprietario d'este armazem associado com o Sr. Paulo Ferreira da Silva, resolver dar-llie o titulo de principal,
por ser o mais bem localisado desta cidade, e como um dos socios tenha de partir para a Europa, afim de all escollier os melhores
gneros, desde j se pede ao respeitavcl publico toda a attenco, nao s para este armazem, mas tambem para o grande armazem Alian-
Ca, da ra do Imperador n. 57 c para o bem sortido armazem Progrcssista da ra das Cruzes n. 36, sertas todas as pessoas que fre-
quentarem estas casas de que aro urna economa de 10 a 20 por Moto do preco que possam comprar em outra. parte, porque nin-
guem melhor do que nos pode offerecer tantas vantagens como as que se observam nos armazens:
ALLIANCA! ra do imperador n. &.
PROGRESSISTA roa das Crnzes .. SU.
PRINCIPAL-'rMa do Crespo
O YEH*tDI IltO
PRINCIPAL
GRANDE ARiMAZEU
DE
Vinho do Porto em barril muito especial a
64o rs. a garrafa, e 5,ooo rs. a caada.
Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e
i,4oo rs. a caada.
dem em garrafoes com 5 garrafas.
Farinha de araruta verdadeira a.32o rs. a Ib.
Phosphoros do gaz a 2oo rs. a duzia e
2,2oo rs. a groza*
Bolachinha americana em barrica a 3,ooo
rs., e em libra a 2oo rs.
Manteiga ingleza a mais nova e fina chegada
neste ultimo vapor a 10 rs.a libra,
dem franceza, a melhor e mais superior do
nosso mercado a 64o rs. a libra e 6uo rs
em barril ou meio.
Bauha de porco refinada e muito alva a 4 lo
rs. a libra, eem barril a 4oo rs.
Cha hysson, o melhor neste genero especial
encommenda do proprietario a 2,7oo a Ib.
dem idem menos superior e que em outras rs. a frasqueira e 56o rs. o frasco. casa a 32o rs.
casas se vende a 2,6oo rs., custa neste ar- dem em garrafoes com 25 garrafas a 8,ooo rs., Sardinhas de Nantes muito novas a 32o rs.
mazem2,2o rs. a libra. Ceneja das melhores marcas de 5,ooo a| a lata,
dem uxim, o melhor que'pode haver neste' 5,5oo a duzia e 5oo rs. a garrafa, Peixe em lata muito bem preparado: savel,
genero a2,6oo alb. garante-seaqualidade.: Cognac superior a 8oo e l,ooo rs. a garrafa, corvina, pescada e outros a I.ooo rs. a
dem preto muito especial a 2,ooo rs. a li-1 e em caixa ter abatimento. lata..
bra, e mais baixo, porem muito soffrivel a Marmellada imperial dos melhores e mais Ervilhas portuguezas e francesas j prepa-
I ,9oo a Ib., vende-se por estes precos em I afamados conserveiros de Lisboa em latas radas a 64o e 72o rs. a lata.
razio denestes ltimos navios ter-se rece- j de libra, libra emeiae 2 libras a6oo rs. Caf lavado de primeira sorte a 32o rs. a
bido grande porcao deste genero, a diffe-, Conservas inglezas em frascos grandes a
i'tra de preco de 6oo a 8oo rs. a libra 75o rs. cada um.
do que se vende em outra qualquer parte. dem franceza de todas as qualidades de
-=8aE
i o. o n'a> itS
S -e -o 9 -a P -o ,<>
L 5, S to a> BSn|
>>f>> Or*-*l|
rcooo'o
MOLHADOS
RA DO IMPERADOR
Outr'ora ra do CoIIegio
DE
Cfaa
<>' = = c
8115} AA
ac. a. a. a. Jo. |
SlS2S2?|
$ DUARTE ALMEIDA $ C. I
,J) ra M X 5 = %
-poco
dem do Rio emlata de 1 at 6 Ib. a l,4oors.
a Ib., ueste genero o melhor possivel.
Biscoiits inglezes en latas com differerftes
qualidades como sejam craknel, vorcitia
pic-nie, soda, captain. sced, osborne e ou-
tras muitas marcas a 1,35o rs. a lata.
Bolachinha de soda em latas grandes a 2,ooo
rs. cada urna.
Figos ena caixinhas hermticamente lacradas
e muito proprias para mimo a l.Goo e
3,600 rs. cada una.
dem em caixinhas de 8 Ib. a 2$ rs. cada urna
Passas novas a 8,ooo rs. a caixa c 48o a Ib.
Ameixas francezas m latas de libra e meia e
3 libras a l,2oo, 2,ooo e 8oo rs. a libra.
Caixinhas com ricas estampas a I,4oo rs.
cada urna, frascos de vidro com rolha do
mesmo moteado libra e meia de ameixas.
Champagne da marea mais superior que tem
virulo ao nosso mercado a 18.ooo rs. o gi-
go, e l,8oo rs. a garrafa; garante-se a su-
perior qualidade.
Vinho Bordeam das melhores qualidades que
se pode desojar a 7,ooo e 7,5oo rs. a cai-
xa c <4o rs. a garrafa.
Caixas com Vinho do Porto superior de 9,ooo
e 10,000 rs. a duzia, e 9oo e 4,00o rs. a
garrafa; nesle genero ha grande porcoe de
diferentes marcas muito acreditadas que
j se venderam por 14,000 e 15,ooo a cai-
xa como sejam: Duque do Porto, Lagrimas
do Douro, I). Luiz, Camocs, Madeira sec-
ca, Nctar, Genuino e Malvasia fino e ou-
tros como Cherry e Madeira para 12,000 e
13,ooo rs. a caixa.
Vinho de pipa: Porto, Lisboa, Figueira a 4oo,
480 e 56o rs. a garrafa, 3,ooo, 3,2oo e
3,5oo rs. a caada.
dem branco o melhor neste genero vindo de
Antonio Fernandes Duarte Almeida, dono dos acreditados armazens l'rogfcsivo
Azeite doce de Lisboa superior qualidade a lijlo para hmpar facas a 42o rs. cada om. e Uniao e Commercto, e ex-socio do ProgressoProgressista acaba de abrir boje um ou-
64o rs. a garrafa c 4,8oo rs. a caada. Vassouras de piassava com dous arcos de tro na ra do Imperador n. 40, junto ao sobrado em que mora o retratista o Sr. Osboi n.
Batatas em gigos de trinta a trintae tantas li-; ferro prendendo o cabo a 32o rs. cada o proprietario deste importante estabelecimento, conhecendo que o-mais rico e espacoso
bra a 2,5oo rs. o gigo e 80 rs. a libra. urna. armazem que presentemente se tem aberto nesia praca, deliberou denomina-lo VERDAOEI-
Genebra de Hollanda a mais superior a 6,000 Escovas de piassava proprias para esfregar! RO PRINCIPAL ; sem duvida pode dizer, j pela pratica e conheimento que tem desias
casas, que este um estabelecimento que nada deixa a desejar, j pelo esmerado aceio
quenelle preside, .como no completo toramente que effetivamente recebe de sua propria
emeommenda.
O proprietario do grande armazem VERDADEIRO PRINCIPAL gloria-se em ser o
primciro a acabar com o grande segredo e abuso que reina va nos precos dos gneros de
estiva, adoptando desde a sua primeira casa, em publicar todos os precos de seus gene-
ros, por onde via e v o publico que nunca mais pode ser Iludido como dizem esses. .
que, mordidos e queimados pela inveja, dizem nao viola!... Illudc!... desenganem-se
esses maldizentes, que emquanto andar no trilito que pisa, nunca mais consentir que se
venda um objecto de U por 10,5!. O systema do Verdadeiro Principal vender muito
dmheiro e ganhar pouco, com elle que sem medo diz, que bailas de papel o vento as
carrega.
Pede-se a malor attenco.
O proprietario pede aos seus amigos e freguezes, e ao publico em geral protec-
co para o novo estabelecimento, garantindo aos mesmos que ninguem mais pode offerecer
as vantagens que se presta a offerecer este importante estabelecimento. O PRINCIPAL tam-
bem pede a todcs os Exms. Srs. o favor de mandaren! seus pedidos ao novo estabeleci-
mento, certos de nao terem occasiao de se arrependerem.
lala attenco.
O VERDADEIRO PRINCIPAL pede, em particular lodos os Srs. de ongenho e
mais Srs. do centro, queiram .mandar suas encommendas este estabelecimento, garatin-
do-lhes o proprietario que tanto elle como os seus fmulos nao pouparao esforcos para
fielmente cumprirem os pedidos que vieron inderessados.
AO publico.
. Oincansavel proprielario pede a todos os Srs. eSras. que, quaiidoteuham deman-
dar seus pedidos seja em carta fechada ou com grande recommendaco ao VERDADEI-
RO PRINCIPAL na ra do Imperador n. 40, junto ao sobrado em que mora o retratista
americano o Sr. Osborn, e para mais certeza dos portadores tem este sobrado urna botica
franceza, no pavimento terreo. O VERDADEIRO PRINCIPAL, tem 5 portas de frente pin-
tadas de verde, as hombreiras -Duarte Almeida A C. e por cima o VERDADEIRn
PRINCIPAL.
legtimes e fructasa 5oors.
libra, e 9,ooo a arroba.
i dem do Rio muito bom a 28o a libra e
8,5oo rs. a arroba.
! Arroz do Maranho a loo e 120 rs. a libra.
Mostarda franceza em pote preparada a 4oors dem de Java a loo rs. a libra.
Palitos para dentes 12o rs. o maco. j Amendoas de casca mole a 4oo rs. a libra,
dem lixados muito finos a 44o rs. Avelaas muito novas a 2oo rs. a libra.
Velas stearinas a 56o rs. a libra e em caixa Nozes muito novas a 2oo rs. a libra.
encommenda a 600 rs.
rs. a caada.
a 54o rs.
dem de carnauba pura e refinada a 360 rs.
a libra e I0,ooo a arroba,
dem de composicao emmacadas a 32o rs.
o maco e 9,ooo rs. a arroba.
Massa de tomates em latas a 600 rs. a libra.
Doce em calda das mais especiaes fructas da
Europa a 600 rs. a lata.
Ostras em latas muito bem preparadas a
l.ooo rs.
Massa para sopa estrellinha muito novaem
caixas de 8 libras a 3,oooe 5oors. a libra,
dem talharim, macarrao e aletria a 4oo rs.
dem macarr3o mais baixo a 24o rs. a libra.
Cevadinha muito nova de Franca a 2oo rs. a
libra.
Sag o melhor que possivel a 24o rs. alb.
Farinha de Maranho a melhor que presen-
temente tem vindo ao nosso mercado a
14o rs. a libra.
Gomma do Aracaty muito alva a 80 rs. alb.
Licores muito linos de Bordeaux c todas as
marcas que ha neste genero a 800, 4,000
e l,2oo rs. a garrafa.
Genebra de laranja em frascos grandes a
1.2oo rs. cada um.
Tmaras do Egypto a 800 rs._ a libra e em
caixinhas de 5 libras a 3,5oo rs.
Papel almaco paulado o melhor que ha nes-
te genero a 4,5oo rs. a resma.
Sal refinado em lindos poles de vidro a 5oo
rs. cada um.
Mlhos inglezes em garrafinhas com rolha de
vidro a 64o rs. cada urna.
a garrafa, e 4,5oo | Queijos flamengos chegados no
por e muito frescos.
Chouricas e paios a 7oo rs. a libra.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra ou a
8,5oo rs. a arroba.
Presuntos de Lamego de superior qualidade
chegados neste ultimo vapor a 56o rs.a Ib.
Alpista muito novo e limpo a 16o rs. a li-
bra e 4,6oo a arroba.
Painco novo a 18o alb. e 5,ooors. a arroba.
Sab5o massa, amarello e castanho a 22o e
24o rs. a libra.
dem mais baixo um pouco a 16o, 180e2oo
rs. a libra.
Castanhas pelladas a 24o rs. a libra.
Chocolate francez de primeira qualidade a
l,2oo rs. a libra.
dem de Sant muKo superior e medicinal a
l,3oo rs.
Copos lapidados proprios para agua a 5,ooo
rs. a duzia, que em outra qualquer parte
7 e 8,000 rs.
Charutos dqs melhores e mais afamados fa-
bricantes de S. Flix e do Rio de Janeiro,
de l.ooo a 5,ooo a caixa.
Cebollas novas a l.ooo rs. os molhos gran-
des e 800 rs. o cento.
Doce de goiaba a 64o rs. o caixo.
Lentilhas, excedente legume para sopa e gui-
sado, a 24o rs. a libra.
Ervilhas seccas j descascadas a 2oo rs.a
libra.
Pimentado reino muito nova a 36ors. alibra.
Cominhos e erva doce a 32o e 4oo rs. a Ib.
Grava da India a 600 rs. a libra.
Canella muito nova a l,ooo rs. a libra,
ultimo va-! Alfazema a2oo rs. a libra e 6,000 a arroba.
iGraixa a loo rs. a lata e l,loo rs.a duzia"
m DO BEIJ& FLOR.
([ta Ciavatiuhas para seabora.
Vendem-M travatinhu de'diversos gostos mais
odertios a 70 e 800 rs. : na ra do Queimado,
loja do neija-tlor n. 63.
tilas para debrum de vestidos.
Vendem-se flus para debrum de vestido de linho
com I i varas a 400 rs. a peca : na ra do Quei-
mado, luja do beija-flor n. 63.
Pentes traiMMf.
Vendem-se penles traveseos de caracol na
frente de borracha a 500 rs.: na ra do Queima-
do, luja do beija-flor n. 63.
Papel Itcua dourada.
Vende-se papel beira dourada a IJ200 e 14300,
dito de cor de beira dourada a i100 : na ra do
Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Antlopes.
Vendem-se anvelopes de diversas qualidades
branco a 800 rs. e de cor a 640 rs., para cartas de
visita a 100 rs., preto a 720 rs. : na loja do beija-
flor na ra do Queimado n. 63.
tullas de aljfar.
Tendo recebido voltas de aljfar com cruzes de
pedrA imitando a brliante vende-se a \& cada
urna : na ra do Queimado loja do beija-flor n. 63.
Camisas de meias.
Vendem-se camisas de meias muito linas a
15200 e 15300 : na ra do Queimado, loja do bei-
ja-flor n. 63.
Enfi'itps de lila.
Tendo recebido enfeites de lita pretes e de co-
res mais modernas gue se esto usando a 15 cada
um : na ra do Queimado, loja do beija-flor n. tt3.
Fila de laa pela para dehrum.
Vende-se fita de laa prela para debrum com 16
varas a 900 rs. a peca : na loja do beija-flor ra
do Queimado n 63.
Filas de nlio para bordar vestido.
Vendem-se litas de liuho para bordar vestido
on roupinho de meninas com 40 varas a 640 e
800 rs. a poce so qnem tem loja do beija-flor
ra do Queimado numero 63.
Botoes de madreperola.
Vendem-se botes de madreperola mais moder-
nos que tem vindo para panhos de senhora a 320
rs. o par : s quem vende por este preco na
ra do Queimado, loja do beija-flor numero 63.
Fita de velludo para bordar vestido.
Vende-se fila de velludo prete com 10 varas a
900 rs. a peca : s quem tem por este preco a
loja do beija-flor da na do Queimado n. 63.
Fita de velludo bordada.
Vende-se fita de velludo preto bordada de di-
versos gustos e mais modernos proprios para qaa-
resma : so quem tem a loja de beija-flor ra do
Queimado n. 63.
Franja prela.
Vende-se franja preta de diversas larguras para
enfeitar capas ou manteletes os mais lindos Ros-
to* que se pode encontrar : na oja do beija-flor
ra do Queimado n. 63.
Facas e garfos.
Vendem-se facas e garfos de balanco de 1 bo-
tio a 355OO a duzia, ditas de 2 botes a 65400:
a roa do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Vis por as.
Vendem-se visporas muito finas a 800 rs. : na
roa do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Dminos.
Vendem-se dminos muito finos a 15200 e -
I54OO : na loja d beija-flor da rea do Queimado Charutos em majos de 50 a
n. 03. I 640 rs. o cento.
OVIMENTO
Amendoas confeiladas com bonitas cores
a lOOO.
Manteiga ingleza propiamente flor a 800 rs.
< 1 ) a libra.
Dita franceza muito nova a 600 rs a libra
sendo em barril 580 rs.
Cha uchim o melhor que se pode desejar, e
que outro quahjuer nao vende por menos Dito em garrafoes a I>000 cada nm.
BA1RR0 DO RECIFE, RA DA CADEIA N 50
O mais novo e o melhor
iKXIXIlll DE ]f IOI aU A ll.S
Esquina defronte da ra da Madre de Dos
Antonio da Silva Campos, successor do antigo Nascimcnto defronle do becco Largo, bem cb-
nhecido j nesla praca, acaba de transferir o seu estabelecimento para a casa cima indicada, onde
os seus benvolos amigos e freguezes, bem como o respeilavel publico em geral encontrarao o mais
variado, escolhido e melhor sortimento de molhados, a par do aceio, elegancia e bom rgimen do esta-
belecimento.
O annunciante, lendo fcito urna completa reforma no locante a casa e gneros, possnindo bons
correspondentes na Enropa para remessas de conla propria, acha-se convencido que merecer a pro-
teccao de lodos os amigos do bom e barato, a qual desde j reclama, asseverando-lhes que jamis des-
merecer a confianca coro que se dignarem de o honrar.
Em resumo, visite o respeitavel publico o novo e superior armazem Movimento, compre-lhe al-
guns gneros, e entao ficar convencido da realidade do presente aviso, verificando por si mesmo que
nenhum outro estabelecimento o serve melhor que este, seja em commodidade de precos, agrado e
delicadeza, ou legalidade de pesos e medidas.
Finalmente, todas e quaesquer garantas que estabelecimentos idnticos teera offerecido aos
concorrentes, serao manlidas neste em grao maior.
LIQUIDACAO
r
M CONSERVATIVO
23Largo do Terco-23.
Joaquim Simao dos Santos tendo de se retirar est resolvido a liquidar e fazer urna grande
vantagem a quem seu armazem frequentar, e vender por menos do que outro qualquer annunciante,
para isso tem um vantajoso sortimento tanto neste armazem como fra e para melhor servir o publico
o annunciante scientiflea aos seus freguezes que tem frecuentado esto estabelecimento que de
hora em diante lerao a vantagem de 10 a 20 por cento menos que compraram era outra poca pelo
seu prompto pagamento.
Attenco.
Caf do Rio de primeira e segunda sorte a 270 e- Dilo em caia da Baha dos melhores fabricantes
35
300 rs.
Arrox pilado a 80 e 100 rs. a libra e 25400 e
a arroba
Milho alpista limpo a 170 rs. a libra e 45800 a
arroba.
Tooeinho de Santos e Lisboa a 2W) e 280 rs. a libra.
Passas de carnada a 500 rs. a libra e 105 a cana.
Azeite doce de Lisboa fino a 640 rs. a
45800 a caada.
Dito de carrapato a 320 rs. a garran e 25240 a
caada.
Massas para sopa aletria, macarrao e talharim a
480 rs. a libra- e 105araiia.
Chouricas as mais novas a 800 rs. a libra.
- 65 o milheiro e
de 15200, 25400 35 e 45.
Phosphoros do gaz viudo de ronta groza 25300.
Manteiga franceza a 600 e 640rs. a libra.
Dita ingleza flor a 800 e 900 rs. a libra.
Biscontos e bolachinlus de soda a 15300 e 25.
Vinho do Porto engarrafado a 800 rs., garante-se a
superior qualidade.
garrafa e | Dito em pipa Figueira das marcas mais bem co-
nhecidas a 500 rs. a garrafa e caada 35800
e35500.
D to de Lisboa especial para negocio a 360, 400 e
440 a garrafa e em caada faz-so abatimento.
Dito branco proprio para missa a- 640 e 500 a gar-
rafa e em caada a 55 e 35500.
Bolachinha americana a 200 rs. a libra e em bar-
rica ha grande abatimento.
I
de 3# a 2700 rs.
Dito perola .especial qualidade a 2#600
c 25800 rs.
Dilo hysson o melhor que se pode desejar
a2i00 e 2600 a libra.
Dito hysson e da India muito superior a
2,$2<"0 e 2/400.
Dito do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8, libras
a i000 e JjtiOOa libia.
Dito preto muito especial a 25800 a libra.
Dito mais baixo a 1300 e 15600 a libra.
Queijos chegados no ultimo vapor a 3#000.
Queijo prato chegado nesle ultimo vapor a
800 rs. a libra.
Ditosuisso Parmezo o melhor' e mais
fresco que se pode desejar a 800 rs. a li-
bra, sendo de 4 libras para cima a 780 rs.
Dito londrino um pouco duro por viren)
em navio a OO a libra, e sendo inteiro
400 rs.
Bolachinhas em latas de 2 libras de todas as
qualidades que se procura a 15300 rs.
Ditas em latas grandes a 25000 rs.
Ditas em latas de 5 libras de Craknel a
45000 a lata.
Bolachinha ingleza desembarcada ltimamen-
te muito nova a 25200 a barrica e 160
a libra.
Cartes com bolachinhas francezas de diver-
sas qualidades a 600, 800 e 15200 cada
um.
Peras seccas em caixinhas de 4 libras as
mais delicadas que se pode desejar a
25500.
Bocetascom doces de Portugal ricamente
enfeiladas a 25500, contendo: peras, pe-
cegos, rainhas Claudia, ameixas, alperch
e outras muitas fructas.
Passas muito novas a 480 a libra e 75500 a
caixa: tambem tem meias e quartos.
Amendoas de casca molle a 260 a libra e
240 de casca dura, nozes 140 a libra e
45000 a arroba.
Figos em caixinhas e latas hermticamente la-
cradas a 15500 e 25500, de 4 e 8 libras.
Vinhos em caixas de duzia vindos do Porto*
e das seguintes marcas: Duque do Porto,
Duque Genuino, Madeira secca, Chamisso,
Velho secco, Victor Emmanuel, D. Pedro
V, D Luiz, especial vinho velho do Porto
e outros muitos a 95, 105, 125 e 145 a
duzia e 15 a 15200 a garrafa.
Vinhos em pipa Porto, Lisboa e Figueira
das melhores marcas a 35800 a caada e
500 a garrafa.
Ditos do Porto, Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 400 a garrafa e 25800
a caada.
Dito Colares especial vinho a 800 a garrafa.
Dito Lavradio muito fresco, no levando com-
posicao, a 560 a garrafa e 45000 a caada.
Vinho branco de uva fina a 600 a garrafa e
45500 a caada.
Dito mais baixo a 400 a garrafa e 25800 a
caada.
Vinho Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a 65500 e 75000
a caixa.
Dito muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 15200 a garrafa, garan-
te-se que por este mesmo preco d pre-
juizo, e s se eeontra nicamente neste
armazem.
Licores francezes e portuguezes dos melho-
res autores a 800, 15000 e 15500 a gar-
rafa.
Cervejasdas melhores marcas a 55500 e
65 rs. a duzia; tambem temos ordinaria
por muito fnenos.
Marmelada de todos es fabricantes de Lisboa
em latas de 1 libra a 600 e 640.
Mamas para sopa muito novas, foi desembar-
cada ltimamente pevide: rodinha e es-
trellinha a 00.rs. a libra e 35 a caixa com
8 libras.
Macarrao,Aletria e Talharim a 400 rs. a libra.
Vinagre fresco a 200 rs. a garrafa e 15400
a caada.
Botijes com 8a9 garrafas de azeite, o me-
lhor que se pode desejar, a 55 cada um.
Palitos de dentes em macos
nhos a 120 rs. cada um.
Palitos do gaz a 25200 a groza, 20 rs. a
caixinha e 200 rs. a duzia.
Graixa em latas muito novas a 100 rs. a lata
el5000 a duzia.
Ceblas muito novas a 540 rs. o cento e
800 o molho.
Traques de primeira qualidade a 85500 a
caixa e 240 rs a carta.
Charutos Ipyrangas em meias caixinhas a
25000.
Ditos Suspiros de Thom Pinto a 15600.
Ditos Avaneiros do mesmo a 15600.
Ditos Regala Imperial a 15600, garante-se
que sao charutos que j se venderam por
2-S600 e 2;>80O, alin destas marcas tem de
todas as mais que costumam vir nosso
mercado.
Geabra de Hollanda em frasqueiras a 65000
e 560 rs. o frasco.
Dila de laranja a l->200 o frasco e 125000 a
caixa.
Dita embotijas de Hollanda a 440rs.
Cominhos muilo novos a 400 rs. a libra e
sendo cm arroba ter abatimento.
Erva-doce muito nova a 400 rs. a libra.
Canella muito nova a 15000 a libra.
Pimenia muito nova e limpa a 340 rs. a libra.
Gravo muito novo a 640 rs. a libra.
Alfazema nova a 400 rs. a libra.
Toucinho muito novo de Lisboa a 280 rs. a
libra e 85000 a arroba.
Chouricas e paios a 640 rs. a libra.
Banhaa mais nova e alva que se pode dese-
jar em latas de 10 libras a 45000 a lata.
Dita propria para banha de cabello por ser
alva e dura a 400 rs. a libra.
Copos lapidados a 45800 a duiia e 55500.
Ameixas em frascos grandes a 25500.
Ditas em frascos-mais pequeos a 15400.
Ditas em latas de urna e meia libra a 6 libras
a 15200 e 45000 a lata.
Mlho toglex rolha de vidro a 800 rs. .
Prezuntos inglezes para fiambres muito no-
vos a 800 rs. a libra.
Mostarda preparada a 200 rs. o pote.
Conservas inglezas a 640 e 800 rs. o frasco.
Cognac inglez a 105000 a duzia e 15000 a
garrafa.
Dilo francez a 85800 a duzia e 800 rs. a
garrafa.
Palle Brandy a 25000 a garrafa e 325000 a
duzia.
Sabao massa a 140 e 240 rs. a libra o melhor.
Polvo a 320 rs. a libra e 95000 a arroba.
Vassouras do Porto com arcos de ferro a
320 cada urna.
Ditas americanas a 640 rs.
Papel almaco pautado e lizo a 25400 a resma.
Dito de peso pautado e lizo a 35 a resma.
Dito azul proprio para botica a 25 a resma.
Velas de spermcete a 560 rs. a libra,e sendo
em caixa a 520.
Ditas de carnauba do Aracaty a 95000 a arro-
ba e 320 rs. a libra.
Farello de Lisboa marca N a 45000 a sacca.
Tijollos para limpar facas a 160 rs. cada um.
Peixe em latas j preparado a 15000 a lata.
Chocolate hespanhol efrancez a 15000 a libra.
Caf do Rio' primeira sorte a 85700 a arroba
e 300 rs.a libra.
Dito de s"gnnda a 85400 e 280 rs. a libra.
Arroz do Maranho, Java e India de 25600 a
35 a armba e 100 rs. a libra.
Alpista muito novo e limpo a 140 rs. a li-
bra e 45500 a arroba.
Cevada muito nova a 25500 a arroba e 100
rs. a libra.
Nova expsito de fizendas
baratissimas.
Lojadii .rarH-r.ii I Hiiprr triz n.;"(.
Uprupriolario deste grandeest.ibeh'Cin.cnifi, Lnu-
renro I'.reira Mendos GuiHiarfus. prometi iftu-
pru vender barato pura apurar dintinro.
Grande peehlneha, cortes de eas-
sa a <*<>oo.
Vende-se cortes d> cas>a franceza para vestidos
a 25, unos a 25300, cortes de rambraia ile palmas
solas coin 1 vara de largura a 25, titos c..m ha-
banos a 35 : na ra da Imperainz n. 56, It ja da
Arara. '
llrauantc de llnuo a 2'QO.
Vende-se bramante de |i,|l0 de 10 palmus le
argura, proprio para lences, a 25200 a rara,
panno de linho de 4 palmos de largura 1 GVO a va-
ra, hainburgo de linho a 4iO, 54o o (iOii rs. a va-
ra, bri-ianlia de linho fino a G'0 r Koo r*. a tara,
brim de linho braneo a l2UO, I'i00, 15600 e -i
;\ vara : na loja da Arara, ra da Impaaim n.ii
rilo de liuho a NOO rs.
Vende-se lil de linho muito lino a 800 rs. a va-
ra, dito de cor e hrauco a ICO t. o rotado, tarta-
lana de cor a 640 a vara : na roa da Imperan iz
n. 56.
Cortes de easemira a 3#.
Vende-so cortes de easemira de Cor a 25. ditos
finos a :t5, cortes de gMgi franceza a I5t00, dito
do hrim pardo .1 45800a 25 : na da Imperadz
n. 36, loja da Arara, de .Vendes ('iiiiinaia.s.
Chitas da Arara a 3S40 rs. o co-
vado.
Vende-se chitas escuras ociaras a 210 e 280
rs. o covado, ditas francezas a 320. ."160, 400 e MO
rs., riscados fnnrezesa 180 r*. o rovatfo, gergu-
rao de linho para vestidos a 280 n>. o rovad>, fes-
fio de cores a 300 rs gangas para cairas t 1 ali-
tots a 440e 300 rs. o covado : na ra da Imptia-
triz n. 56.
A Arara vende bales a 35.
Vende-se bales ile 15, 20, 23 e 30 arcos, dos
melhores que tem vindo ao mercado, a :(5. :I5'0
e 45, o ditos de brilhaniina a 45. Wriei para le-
nhoras muito finas a 500, 400 e 320 rs. o par. di-
tos para meninos a I$280, para acabar, na lijada
rna da Imperairiz n. 56.
A Arara recebeu novos soulemhanpies pretos
de grosdenaple ricamente enfeiliolos, e os veinte
por 225 e 235, capas pretas muito b'iii enfeiladas
e manteletes de grosdenaple de superior qualida-
de : na loja da rna da Imperatriz n 56.
Cassa onjanilvs a 210 o rnvailo.
Vende-se cassa orgamlys para ve-nde a 240.
280 e 320 ris o covado, cortes de dita com 1 i cu-
vados a 35, ditos de laa cum barra a 85 : na ra
da Imperalriz n. 36 deMendes Gnimaiia.
I Arara vende madapolao francez enfostadn a 15-
Vende-se pecas de madapolao framv7. enfestado
a 45, dilolaglez com 24 jardas a 65500. 76, 85,
05 e 105, pocas de lgoilao encurpadu a 5.3, e^l>5
75 : na ra da Imperalriz n. 36, l ja da Ai ara!
Cirande sortimento de roupa
feita.
Vende-se palitots de panno preto a 123. U'3, 8-3
a 65, ditos de meia easemira a 35500, 13500 e i 3
dilos de brim tino a 65, 25500 e 113. ralea de brim
a 25500 e 25, ditas linas de brim pardo a 35, di-
tas de brim branco a 35300 e 15. mola* n> li-
nho a 15800 e 23, camisas franceza> linas a 25200
e 25500. dilas de lint a 35, pares de meias a 200
240 e 320 rs., grvalas linas preta* e escuras bor-
dadas as ponas a 15, ditas para meos aMO e
500 rs., rolannhos de linho a 100 r. : s na loja
da .Arara, ra da Imperalriz n. 56, loja de Mondes
liuimaraes.
Ciraode peehlneha de lazlnhas
a aJ rs.
VeDde.se laazinhas para vesiides a 210, 320,
4' 0 e 500 rs. o covado, ditas muito finas de retes
lizas, proprias para capas e vestidos de senhera a
650 rs. o covado, ditas escuras muito linas a 610
rs. o covado, ditas de 4 palmos de largura com
palmas de seda a 720 o covadf), popelina muito li-
na do ricas palmas a 15200 o covado na ra da
Imperalriz 11. 56, loja da Arara n. .'>i.
Fazcmlas para scnhor.ts. golll-
nhas a IO e Std.
Vende-se golinhas para seohora a 200. 320 e500
rs. cada urna, enmisinhas para senhoiasa 15.15280
e 25. ditas muito linas com gollinhas a 13500 : na
COm 0 maci- r"a tla Imperalriz n. 56, loja da Arara.
A Arara vende inzruilas para
luto, cassas a 3tM rs.
Vende-se cassa preta lina a 320 rs. o covado,
laa preta para luto a 610 rs. o rovado, alnaka
prela a 300, 640 e 800 rs., bombazina 1 I5'.(10 o
covado': na ruada Imperalriz n.56, loja o aima-
zein da Arara, de Luurenco Pereira Mendos Gui-
maraes.
Cortes de chita a ?$ lito.
Vende-se corles de chitas de pnrw linas rom 10
covados a 25400, ditos finos a 23800. ditos ne ris-
cado francezes com 14 covados a 15 na ra da
Imperalriz n. 56, loja da Arara.
0 0 0 g fe-g O GO w 0 Pipo Pw O O P P- i-3-p g" GO 1*i 0 2 GO PO O P" 1' P
fcd Od r"i O P
0 0 g P- t> P /1
3 td F CD ca-
3 ja p i O ?Ha <- er) 3
B SP ~ -i GO T3
P Cf O Q
O p P O cx> p PLi 5 GO -t
CO te P-ce O"
p- r-K *
.O a>
AGENCIA
DA
rNDICAO DE LOW-MQOR.
Ra da Se aulla nova n. 42.
Neste estabelecimento contina a haver
um completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenbo, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos 01
tamanhos para ditos.__________________
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. Johnston & C
rna da Senzalla Nova n. 42.
Vende-se urna taberna e junto a mesma lem
casa de morada, no lugar do Cachang.
ESCRAVOS FGIDOS.
Fugio da casa do abaixoassiirnado, no (lia 20
do corrente mez, um escravo de-n.une Luiz, enou-
lo, idade de 25 annos, enlatura tegular, ;ecco do
corpo, levando roupa de algodo meM-lado e um
benet de panno de linho ; julga-s ter ido para o
lugar de Panellas, c por esse.- lunares mais prxi-
mos, cujo escravo foi do Sr. Man .el o Souza Si-
dorio : quem o pegar leve-o ra di Corrolor do
Bispo n. 8, que ser generosamente recompen-
sado.
Antonio Feitosa de Melle.
bscroTO fogiilt.
Fngio da ra das Cruzes n. 30, no dia 22 do
corrento o mulato Aristides, escravo da Sr. Mari-
nha Amalia da Silva ; o escravo de estatura bai-
la, magro, e tem 19 annos, tem urna queimadura
no lado direito do rosto, levou calca e camisa hran-.
ca, ojaquela preta : gratiflea-se a quem o for le-
var sua senhora, prole>tando-se de>de j rom
lodo o rigor da lei contra quem o livor occultado.
Airoa
Acha-se fgido o escravo de w me Faustino, de
idade 40 annos, pouco mais ou im-nus, cor fula, at-
ura regular, grosso do corno, bem espadado, bar-
hado, e J com alguna cabellos bram-iM- na barba,
bracos e ueroas grossas e bastante cabelludas, len-
do as pernas arqueadas, porm nao muuo, cosiu-
ma andar em sambas, e as vezes embriga-se bas-
tele por gosur muilo de befar portento roga-
se s autoridades policiaes desta e las provincias
limitrophes, que o tacara apprehen seu senhor o major Antonio da Silva Gumao, na
ra Imperial, assim como roga-se aus caftiles de
campo a aporeheoeao do dito ecrvo, it/m serao
bem gratificados.


UH *e HtwiibMi... tarta letrm tt efe Malo V 144141.
-..
LifTRfURA.
uiMV.io i-i \i:hiii:
Dtl ESM. E RvM. SR. B1SP0 OH PRimMBUCO.
DA PlRIFICACAO Marois Perdicao, recitada
AS OLMKES KXEQI'IAS, QUE OS IIEI.IGIOSOS CAR-
MRLIfvS DKSI'A CIDADE CEI.EBRAUAM NO 12 DE
# gos regranle de Portugal; e lano assiro, que o Sr. fQJ3 mrle profundamente sentimos; P
D JoXo 1 VI d,e S?aMl memoria' *nf da Pureza co, dafo, leve-loe um servieo immensne
apcrfeigoou-se sobremaneira na pratica das mais ado, uai pastor verdadeiro, compassivo e cari-
1 bellas virtudes e soube bem imitar a tantas raz5es doso.
maram o crdito e honra dos cone- pernaa>buco, aenhores, deve ao nclito prelado-
Pernambu
3^4 de impor
dos seos costumes da sinceridade de sea carcter tanea surama.
o escomer do claustro para ir orcupar a cadeira
. de onego thesonre.ro-mr da calhedral do Rio de Quan(, e*u Provincia gemia, no anno de 183o
mmo i>: -1 k an.no, km boa ECREJA, imci.o pare Janeiro, cuja noroeago recebera no anno de 1806. sob P^0 de uma 6uerra civil, guerra que tantos
!m lL!?^i ,'"KGAD0R DA O disvelo e solici.ude com que promoveu os inte- >ales nusra e ia ufanaassolando familias, c des-
041 XA WIMM, na, Rl, ktc. resses do muMrocabjdo a aa^ eieollenlei(m. iruindo bens o foranas, o Exm. Sr. D. Joo daPu-
----- ; lidades de que era ornado, ludo concorreu para r,ficaCao> penas de ludo tem (ciencia, sen coracao
(Condumio.) qoe ''se depois elevado dignidade de monse- conlrista-se por extremo, lamenta o sangue j der-
Scntinetla vigilante do rchanho que Ihe designa- nnor da m,,sma calhedral e capella real, nodia 13 rama<> de suas oveihas, quer remediar tantas des-
U a Providencia, elle soube apascenta-lo com a do mai d 1809- gracas' dec,de-se> e. orogoado qual outro guer-
maiur solicilude c amabilidade, recommodando, Constituido o Sr. D. Joo da Purilicago em lo m mipo> nao olha f Peri8s a 1uc se vac
como Pedro, aos pastores secundarios, a sol.riodado importante cargo, a soberba nao chegoa ao sen co- af"'' 'embra'Se 16 m qM ^^ ?"
e vigilancia, para que o lobo carneceiro nao assal- raeo, e nem a vaidade dominou o seu espirito 5ar Parf os sens fllnos- Armado com as armas de
tas* a pane da grei que Ihe conlira aos seus cui- com as honras qus acabava de receber do monar- EvanGelno> corre Pressuroso Panellas de Miran-
jado*. tl,a da, tbeatro de Untas atrocidades; e com a sua pre"
. O mesmo porte, a mesma linha de conducta, a senca'pom a sua voz brisada, com a pratica de
mesma medesl.a e humildadc, que aproentava na suas V,^,ud('S ,udo'tudo muda de face-
is lagrimas da orfandad e mitigar a dor da huma- clausura. nelle permaneceram inaiteravois. A can- Elle falla, move os coragdes, convence os insor-
nidade allhcta. |H>r quo nunca ncusou sua mao em "ura c a alTabilidade, com que tratava aos compa- gentes, e pode felizmente, com os seus saudaveis
ministrar a indigencia o balsamo de eonolacao. I "heiruS em egual dl8n'dade eram documentos vi- conselhos, com os auxilios da religio, chamar ao
\ vos, provas inconcussas da ingenuidade de sua al- gremio da egreja e da sociedade os revoltosos, des-
" na, e da ternura de seu coracao. araigar os odios ncarnicados, fralernisar os esp.ri-
A diocese de Pcrnambuco, acaba enlao de rece- ,os exallado! restaurar o imperio da ordem publi-
ber um golpe fatal de ver o pastor sagrado resignar |ca' cercear germen de uma lo fune?la- 1uao
a cadeira episcopal. A cathedral de Olinda senta sanguinolenta lula! A paz do Senhor reinou logo
dr do ver o Exm. Sr. D. Thomaz de Noronha, i nos coracoes de todos, lodos felicitaram-se recipro-
largar o bculo, deixar o solio o seguir para Por- camente. O pastor sagrado com a palavra doEvan-
tugal. Eslava a egreja de Pernambuco sem pastor. Kelho conse8uiu Iriiyjopho glorioso, alcancou n'um
As oveihas erranies trilhavam senda sem direccao. dia 1ue n3 P^eram, em muitos mezes, obter
Foi este o pensamento quo sempre dominou a
vontade do eximio bispo ; foi esta a tanda abre
que trilhou na carreira de sua vida.
Seu coracao compassivo, sua alma cheia de ter-
nura e de caridade, seu maior prazer, sua mais
doce complacencia er sem duvjda, qoanao te Ihe
Coracao generoso, temo, e sobremodo compassi-
vo flU- s.iliia crixngar o pranto da viuvez, suavi>ar
eoraios aohomein em quanto vi/o para que se n:io
iislumbre, se possua de soberba com o louvor que
so llio Iriliuta ou que esse louvor pussa dirigir os
seus passos borda do precipicio ou da imperfeicao;
mas a inesoia jutica .quer, e rcommenda que se
nao negu essa oblata sincera de louvor depois da
morte ao hoinem, que pelo seu porte honesto, pela
pureza de seu costumes, pela moralidadedesua vi-
da i.oiiquiitou estima c veneracao deixando os seus 0s n)ioistros ds alures estavam privados de oscu- hibeis eneraes com a forga das bayonetas e ca-
vesiigios na trra marcado por aegoes meritorias. ,ar anne' do sagrado Amstete. A mitra e o ba- nh*es '
As lagrimal sao o lestemunho pleno da saudosa I culoJ na0 ostentavam no solio sua magnificencia' Foi na verdade, um servico grandioso, imporlan-
recorda^ao e o tributo de amor que so deve me-! e esP!t'ndor: ludo era saudade, tudo desprazer, des- te e transcendente. O governo o reconheceu, e o
Os jesutas, os laxaristas e as iraias de cariadc
defendidos por al mtsm* m arihml da raan
e da hageria.
' VI
(Conlmua^o.)
Desta vez nao poderam escapar aos golpes da im-
ofTerecia occas.o de loccorrer a humanidade.des-' piedada o venerandos capchinhos. No foi pos-
valida e perseguida de fome. Seu palacio podia-jo sivel. E se assim nao osse a obra ficaria incom-
dizer que era seinpre o asylo seguro aonde a indi-' piola ; so a onda podesse passar, deixando iatacta a
gencia encontrava o soccorro e vida. Que alDueneia pureza do seu l.iirel, so Ibes fosse dado cantar vic-
diariamente de oveihas decadentes cercava ao pas- {tora no libello da ini(|udnde, haveria fraqueza no ,e e nao merece lim Pena pelas suas ms acedes,
lor sagrado I Lns estendem mao trmula e desear- ataque, e a impledade nao costuma dar treguas. otI esla sojoito a essa pena, c enlao pode ser cnsi-
nada ni*i*r> ni^.-_. _n __
A existencia da pena implica da pane do agen-
te criminojl a etfstencia da responsabilidade, qnc
assenta no principio da liberdade moral do indivi-
duo. Sem liberdade nao pode haver responsabili-
dade, porque a responsabilidade o reconheci-
mento implcito da personalidade humana, e a li-
berdade o principal elemento desla
lidade
Umadeduas: on o homem obra machinalmen-
persoua'
outros lilamem silencio os olhos aonde esto
pintados os horrores da penuria; e todos abaixam !
o macilento rosto aonde falla a ome
derado um mero instrumento
felizmente, porem, nao sahiram-se inelhor neste na moio lerm
i ponto os .-ophismas e os subterfugios do erro; gra-! rttn,.i__
e erita al j j ,* j .1 rePel|e necessanainen e o outro.
8ni' i ?as ao poder e a forca da verdade anda des a vez!
miseria, einiim, todos olham ao pre ado ilustre1 ..,-, i
como astro fnionrint,, i"" "msirt 0 espirito anti-cathohco nao alcancou a victoria, que'
como astro fulgurante que esparge scentelhas de ..irilp,v1
brilhante luz sobre as nuvens de suas penalidades; *,"uejava-
ah senhores, ah que o venerando bispo com Nao na nada 1uc ,an, assuste e atemorise ao
gosto estende mao caridosa, reparte um um a l)r0lestaotismo como sejam os grandes e valiosos
servidos prestados i humandade pelas commodida-
des religiosas ; por isso que elle pe em jogo to-
dos os seus recursos para ver se os consegue ames-
quinhar, por isso que elle emprega lodos os meios
moeda de beneficencia. Eu appello, sim, eu appel-
lo para lanas familias, victimas da indigencia, e
cultoras da houestidado, as quaes recebam de sua
mao a caridade. Fallem ellas e confessem
mona do pastor sagrado a quem boje lamentamos.
Filnos da egreja pernambucana chorae a falta de
tiio disvelado pae ; sobie as azas do amor queima-
llie incens ; no templo da saudade erigi-lhe al-
tares.
Se d lempo senhores, de suspender o pranto para
inelhor contemplardes as virtudes eminentes de
animo tudo.
poropreconisava o virtuoso Amstete, que acabava
Entretanto que na corte do Rio de Janeiro trata- de prodigalisar-lhe beneficios ingentes,
va-se com affinco da escolha do sacerdote beneme- Senhores, nao me demorarei em azer mnucio-
rio para successor da cadeira episcopal. Era islo smenle o histrico da vida do eximio prelado da
o ohjerto de "todas as conversares. Muitos eram e8reJa pernambucana, e nem entrarei na aprecia-
aponlados, porm, poucos designados para oceupa- Cao de outros servicos valiosos prestados por elle
la. O monarcha via-so cercado de serios embara- ao estado e egreja, direi de passagem que o Exrn
lid esclarecido vario escutao as vozes da religio;' eos ; vacillav'a na realisa^ao da escolha. Olhava Sr. D. Joao da Purificado Marques Perdgo sagra-
dla nos diz que o Exm. Sr. D. Joao da Purificaeao Pai*a um sacerdote dcscobra bices; via oulro en- I a egreja da Ordem Terceira do Carmo desta ci-
Harqoes Perdigao, morreu para o mundo, mas que contrava dilculdades; refletia nos que Ihe apon- dade no da 13 de oulubro de 1837; qne deixra
nao morreu para Ueus ; que conserva a sua alma lavam senta um impulso, urna repugnancia em fir-l no anno de 1841, a cadeira episcopal para parti-
em doce paz na nunso Celestial.
Delle pode affirmar-se o que diz o livro da sabe-
mar o decreto de nomeaeo. Era com effeto, as- Ihar do grandioso prazer de assistir na corte ao
saz melindroso o estado de conjectura. Nesse tro- pomposo acto da sagracao do Sr. D. Pedro II; que
doria : as almas dos justos esto na mao de Deus,e i ue' confuso de cogitacao, uma idea de sbito des- comprara, e fizera doacao do terreno paraser edi"
ja mais pode locar nellas os tormento da morte'; I Per,a ao n,ooarcha, e o nioDarcha abra?a e decide-1 ficada a matriz de S. Jos ; que benzera, e colloc-
parece aos olhos dos ignorantes morra1; porem se : amanha (dza elle) amanliaa notneio o bispo
Mas esto em paz do Seuhor.
A religio nos diz, que o Exm. Sr. D. Joao, per-
de Pernambuco. Apenas a aurora rompia as par-
das nuvens do horisonte, e es que o Sr. D. Joo da
den uma vida temporal, ede pouca duraco, porm I Purilicacao, que se diriga a capella imperial, pas-
iift in, omri.. n-., ..j sa Pe, immortal fundador do imperio do cruzeiro
queroientrai n uma vida eterna para sempre, e c n nj .
o s>r. Podro*, e e por elle saudado como bispo,
o designado para receber a mitra da egreja de
Pernambuco tt
Conidcrae bem, senhores, qual nao seria a ad-
miracao o abalo, e sorpreza do modesto monsenhor
Perdgao.
Nao pode obter triumpho a dispensa qne elle
reiteradas vezes ppdra ao imperante de aceitar tao
sublime, quo melindrosa dignidade superior sua
capacidade.
A nomeae,o eslava feila, e elle devia receber o
sacrificio!
para sempre duradoura que foi gozar da vista de
Deus ; que foi receber na bemaventuranca a co-
ra immarcessivel de justica, que o supremo jniz
ihe liavia destinado como devida reccm|>ensa, glo-
rioso premio de suas esclarecidas virtudes. Com-
templemos, noi-;, o acervo das virtudes do eximio
prelado na brilhante senda do seu episcopado, e ve-
remos que ellas flrmaram o carcter, a modestia
invejavel, a gloria de sua vida.
Nao sao os grandes feilos d'armas com que qua-
si sempre uma vaidade barbara arrastra ao altar
do taeriSclo milhoes de victimas ; n o s 'O a no-
broia do sangue, os lilulos e as condecoragoes, qne
a sociodade Mulo aprecia, que o orgulho do secuto
ostenta, applaude, e respeita, nao soemfiui.o faus-
to, a grandeza as riquezas collossaes, que quasi
sempre, por urna cegueira lainentavel, serven para
fomeular pandea, porigusas, panods que trazein
com sigo a dosnoiira, aperda da fortuua.a periuba-
eao do espirito, os pa lecimentos do corpo, o o op-
proio das [aminas; nao tudo islo o que consti-
tue a verdadera gloria, e um nome inmaculado.
O verdadeiro mrito no coohcimento e pralica das
virtudes da religio sacrosanta ; tem sua base no
fiel e iiileuo cuuiprimento dos variados deveres da
reiiglo e da sociedade : da religio, temendo-se a
Deus, desempenhando-se cobalmenle as mxima-
do Evangellio, e satisfazendo a< obriga^es d* ver-
dadeiro catholico : da sociedade, compadecendo-
S8 do seu prximo, dando-lhe liees da saa moral,
e con--ideraii(lo todos como irmaoa, quer as pros-
peridades e venturas, quer nos infortunos e des-
granas. \i' esta a gloria que o homem pole consi-
derar solida, e que jamis ser eclipsada pela
diuturnidade dos lempos, pela vicessitude da po-
ltica, pela flaqueza e ambico dos horneas. Ella
uma etaaoacao da Divindade, um favor concedi-
do aquelle que reconliecendo o seu nada, conhe-
ce pe fetameute a sabedona, e omnipotencia de
Ueu*, que sustenta o universo, que prescruta o
mais recndito de nossos coracoes.
Neste bello quadro, que as paginas sagradas tra-
caiam ao vario virtuoso,.ao homem, que teme a
eus, paiece-iiie, senhores, que vejo representado
o aneio reSpeitavel, cuja perda prolundamenle
Liiiiinos. Suas viriudes cvicas, moiaes e religio-
j tao lanas e to contiendas, que anda mesmo
expostas em eslylo simples, por si mesmas brilham
e fulguran) aos olhos de lodos, e sempre sero es-
culadas com avidez entre applau-os o louvores
E-ta"s viriudes, digo, comeando desde seu nasci-
mento, foram se multiplicando progressivamente
al que sellado o tmulo que encerra os seos res-
tos sem vida, foi sea espirito galardoado com a co-
ra de inimoitalidade.
A cidade de Vianna no Minho em Portugal, foi
ijcreoem que o Sr. D. Joo da Purificaeao Marques
Perdgao, viu a luz do cea no dia de' mai cu de
177.
O major cuidado e diligencias foram carinhosa"
mente empregdas por seus progenitores em aper-
fecoar esse mimoso frueto no recato de su fami-
lia. Elles o ensaiam no espirito da religio sem o
qual sao infrueiiferos tolos os esforcos. Cohhe-
ciam que a educaeo religiosa era a mais forte e
im|ienetravel egido contra osasaltos dos inimigos
que se tem do eucontrar na vida social; conhe-
ciam anda que uma educa^u apurada era a mais
solida e duradoura legitima, que Ihe podiam dei-
xar ; e assim, ajiarlando do filho todas as ideas
falsas dessas grandezas ephemeras com que de or-
dinario os homens se illttdem, apphcaram elles a
maior sollicitude em infiltrar no curasao infantil, o
amor da jusilla, o desejo dos verdadeiros o eternos
beus e o temor de Deus. E' assim que o Sr. D.
Joao da Puriraco, apparece na sociedade, at-
trahiudo as altences de seus cuucidados, adqtu-
rindo pelo seu porte o maneiras affaveis, os mais
bellos eucouiios e sympalhias.
Destinado ao estado ecclesiaslico para o qual
senlia verdadeira vocayo.escolheraelle de preferen-
cia o claustro e recebeu o habitoernar? de conego
regranto de Santo Agostinho no dia 9 de Janeiro
de 1796 ahi, passado o tenipo destinado aosexer-
cicios espirituaes, professou o instituto do grande
patriarcha, obrigando-se por solemnes votos a ob-
servar com a maior ponlualidade os conselhos e
mximas evanglicas.
Nao entrarei, senhores, na apreriaco de sua vi-
da religiosa, e nem farei uma analyse do porte e
conducta que elle apresentara nesse claustro aon-
de as sciencias e virtudes dispulavam primazia;
direi smente que o Sr. D Joo da Purilicacao no
exercicio de uma vida edificante toda exemplar,
ra a primeira pedra deste magestaso templo no dia
8 de setembro de 1845 ; que .com o maior prazer
e jubilo presidiu ao acto da reconciliado da egre-
ja do collegio dos Jesutas, hoje da irmandade do
Espirito Sanie, no dia 8 de setembro de 18o5', e
cujo templo achava-se infelizmente profanado cer-
ca de 37 annos ; que ao seu zelo pastoral se deve
a restauraeo do seminario episcopal de Olinda,
obtendo elle do governo imperial subvencoes e
quotas para a sua reedificaco, dando incremento
e animacao aquelle utilissimo eslabelecimento
que ao seu cuidado e solicilude pastoral devem os
recolhinfentos da Gloria desta cidade, o da Concei-
. que a i
caridade silenciosa do nclito prelado, poupando-'a0 seu alcance Para supplanu-los com o peso enor-
Ihes o peijo da publicidade Ihes conservara a exis-me de suas invcc,ivas- Vaa tentativa, baldados
tencia. Fallem dos sagrados claustros essas mulhe- i esfor50S' A v,ctoria onlra a verdade impossi-
res sepultadas para o mundo'R vivas para Deus (4) Ve1, Pr,|ue seria a victoria do lempo sobre a eter-
eaviem ellas as suas bencos sobre a memoria do I n'dade' d ho,nem sobre Ueus" Pode a torrente
bemfeilor solicito; levanlera as miios.ante os alta- d err Correr veloz no ts)ac0 e no ,einP0. Poique
res de eus vivo, dirijam preces ardentes pulo re- SeU CUrso esta delen"ina(,0"osnfallveis designios
pouso de sua alma, por que elle sempre ministrou AU.iiSmo : Jamais el|e conseguir ultrapassar
o linilivo aos seus queixumes prodigalisou o balsa- 3S l,alisas' ^ue ",e fram assigualadas na ecouomia
mo consolador da mais santa, da mais aceila das da Provident'a-
esmolas- I Es*es incansaveis apostlos da verdade evangeli-
Fallem tambem as paredes do seminario episco- ca, que Untos e lo preciosos servicos teem pres-
pal de Olinda em favor de um coracao to genero- t^o humandade, esses sacerdotes exemplares,
que quotidiaoameute nos tem dado provas da mais
so, sensivel e sobremaneira caridoso.
Ser na trra a imagem de Deus das misericor-
dias, o ministro da Providencia, sao ttulos assaz
valiosos que a caridade une aos do nascimento a
que dao ao homem tanta gloria por serem mritos
pessoaes.
Um nome augusto o elogio de seus maiores,
porm os beneficios sao o elogio do sea coracao.
verdadeira abnegago e da mais acrisolada carida
de, que tudo sacrificara no altar do dever para pro-
dlgalisarem o maior bem possivel ao aprisco catho-
lico, que passam as noutes em constantes vigilias e
os dias em continuadas predicas ou no cosfessiona-
rio, acabara de ter seus transes de amarguras, aca-
ban) de sorver o calix de M, que Ihe fra apresen-
tado por um representante da nacao. Infeliz Bra-
eis as consequencias do votolivre
O Exm. Sr. D. Joo da Purificaeao recebeu estas
honras, a as mereca verdaderamente ; eram sin- sil, infeliz povo
ceros prcitos de veneracao publica que a gralido : que te dao...
ingenua consagrava mais a pessoa do que a digni- Os mesmos. inimigos do ratholicismo nao lera po-
dade- j dido deixar de reconhecer a gravidade e importan
Senhores. o venerando bispo de Pernambuco era cia dos capchinhos em face des mentosos benefi-
tao excessivo na caridade que os proprios emolu-1 cios por elles derramados as diBrentes classes so-
mentos, os fructos que Ihe dava a mitra nwo era! ciaes.
para elle viver no fausto e na ostentacao j dava
Ihes, sim, uma applicaco nobre, nlil e proficua:
soccorrer a indigencia I Oque recebia desua-
ovelhas, com suas oveihas despenda, a maior pres
rogativa de sen nascimento, o que mais o mo-,
va, era o de poder fazer bem; em summa, elle fot i
grande sem apparato, humilde sem baixeza, mo-!
desto sem fingiraenlo, religioso sem hypocrisa, ca-
ritativo sem vangloria, virtuoso sem affectaco.
Senhores, o homem nao se eleva ao apogea de
gloria smeote pelos talentos ; a nobreza de carc-
ter, reconhecida honradez, conducta illibada, vida
austera, virtudes edificantes, sao outros lanos ti-
Sem duviiln. senhores, qne vos ignoraes essa par-
tcularidade I Eu nao exagero. Na cadeira da ver-
dade em que me acho, a adulncao nao chega ao
mena laidos; so devo fallar a linguagem da verda-
de. Se assim fallo porqufijWe occasides de com-
mnncar ao piediso bispo c elle com lagrimas me
referir a maneira por que fora elevado ao epis-
copado.
Efectivamente, nao foram, senhores, as solicita-
coes do favor, e nem as baixezas da artulacao quem
enllocara o Exm. Sr. D. Joo da Purificaeao no so-
lio episcopal de Pernambuco. Foram suas virtu-
des cvicas e religiosas; sua vida pautada por ac-
coes de piedad?, a pureza de seus costumes, lado
concorreu para que elle recebesse tao alta'dignida-
de ou para melhor dizer aquelle Senhor, que d
impulso a sorie, que na eleieo de um novo apos-
tlo fez recahir sobre Mathias, a escolha com pre-
tergao do justo Jos.; aquelle Deus que penetra o
intimo dos coraqoes dos homen=, e os move a pra-! modesto, humilde e extremadamente caridoso.
cao d'Olinda, o de Iguarass e o de Goyanna, lodo, tulos que o recommendam sociedade. O Exm.
seu melhoramento e prosperidades : e deixando Sr. D. Joo da Purificaeao Marques Perdgao, tor-
no silencio outros lanos, actos meritorios e benefi- i ca confessar, nao dispunha e uma intelligencia
cenes do venerando prelado, que foi sempre acer- esclarecida, e nem gosava desses foros de illustra-
rimo defensor dos direitos da egreja, referirei uma co, porm possuia um cararter probo, uma hou-
accao piedosa, que bem revetou a humildade e radez a toda prova; era dolado de nm eoraco ge-
candnra de sua alma. Quando por occasiao de uma' neroso e compassivo, de um alma eandida, exces-
terrivcl secca, que soffreu esta provincia no anno sivameute caridosa: tinha finalmente virtudes, e
de 1846, se fizeram missdes em diversas egrejas virtudes eminerites que o tornaram digno de ser
da capital, dirigidas pelos incansaveis e candosos j collocado na galera dos homens benemritos,
padres capchinhos, visles sabir no ultimo dia a
grande proffisso de penitencia ; e nessa mesma
occasiao, em que todos os coragSes se penetraran)
de dor e compungi, o virtuoso diocesano, confun-
dido na massa do povo, percorria as ras da cida-
de descaigo, coberto de sacco e de cilicio, dirigindo'
com os fiis preces ao Altissimo; e rendo desean-
gado poucos minuto.- no hospicio da Penha, segui-
Um escriptor bastante heterodoxo, o autor da ca-
lumniosa brochura intitulada Tttttatica de ponti-
ficio, assim se expressa a respeitodelles, no obs-
tante a sua incredulidade :
t Se havia ewtre as corporagoes- religiosas uma
que merecer podesse o respeito e a venerago de
toda a humanidad-, a compaixo a mais cordial de
todos os homens, eva sem duvida a ordem dos ca
puchmhos I De fato : a sua humilde abnegago
& todas as cousas- mundanas ; a sua vida de aua-
horetas, os seus hbitos grossos e pesados, de as-
pera lia tecidos, sbre os hombros ; os si-us ps
quasi descalgos e com os quaes affrontam todas as
intemperies do ar, e todas as vicissitudas da frgida
e invernosa estago d Europa ; as sum physiono-
mias paludas e macilentas occasionadas por taas
privaedes os torna respeita veis aos olhos- do vulgo.
Accposce tudo isso que elles sao pobrissimos e
que a sua iustituigo nao Ihes permute sno o pe-
regrinar e com cujo producto, das caritativas es-
molas- dos liis, uo s6 vivera elles, mas anda as-
sim meamos fazem esmolas todos os outros po-
bres que aos seus eonvanios concorrem alternativa-
E o que mais poderei dizer do venerando Antis- nieul I
tete ? direi em concluso que a fama de sua honda-1 ...
. ., ,. Eiitnetanto esses frades. respetados pela mesma
de, de seu zelo, de sua candad e eckreantes vir-i ..,.., ,- ., ; *~ "
incredulidade, sao boj violentamente atacados por,
I um catholico porque nao doutrinam, nao ensinam
1 nao aamaltem o povo Ento o que fazem elles
ludes tinha chegado ao vaticano, eslava canonisada
pelo chele supremo da egreja Sim, o santissimo
padre Pi IX, actual vigario de Jess Cbristo na
ierra, vendo, nao ha muitos mezes aos seus ps o
, prestimos missionariocapuchinho Fr. Seraflm de
ra assim descaigo para seu palacio, dando as suas Ca|aniai e apenas ouvira de ^ bocca. que eHc
emplos de humildade Viera de Pernambuco, disse: sim, Pernamhuco tem
bom bepo I! Basta, senhores,com istotem se da-
do o ulamo trago ao quadro hLsloriro da sua vida.
oveihas
christa t
Entregare! anda ao olvido outros rasgos de ter-
nura e piedade evanglica, para mostrar vos que o
Exm. Sr. D. Joao da Purilicago era um prelado
tica do justo e do honesto foi quem tocara o cora-
cao do Sr. D. Pedro I, insprou-lhe a que nomeasse
hispo monsenhor Perdigan; direi em summa, foi a
mo da Providencia quem Ihe dirigiu seas passos
para n?ssa occasiao encaminhar-se diante d mo-
narcha e receber delle a escolha do episcopado.
Esta singularidade constitua por sem duvida, a'
sua maior gloria; era o verdadeiro galardo que
em sua vida contava o caridoso diocesano, e nao o
commemorava sem que de seus olhos se deslisas-
sem ferveutes lagrimas reconhecendo a graga e o
'avor da Providencia.
O Sr. D. Joao da Purilicago recebeu no dia 18
de outubrode 1829, ararla imperial que o nomea-
va bispo de Pernambuco e impetrara da Santa S
a sua confirmago que Ihe fra concedida pelo SS.
padre Leo XII por bulas firmadas 28 de feve-
reiro de 1831.
E qual nao foi, senhores, o prazer que senliram
os habitantes de Pernambuco, quando viram no
dia 9 de agosto de KM aportar as plagas da an-
tiga Maunca o Exm. Sr. D. Joo da Purificagao>
que, bispo nomeado, vinha governar a diocese n i
qualidade de vigario capitular, encargo este que
Ihe commettra a santa s, e elle por obediencia
acceitara ?!
Durante o lempo que dirigir o bispado, deu pro-
ternal, caridoso e extremamente benvolo.
Faltava-lhe, porm, a un ceo sagrada devida ao
episcopado, e por isso foi elle coagido a deixar Per-
nambuco, seguir para a corte do Rio de Janeiro,
e effeclivamente a recebeu no dia 25 de mato de
1833.
Se os habitantes de Pernambuco se repassaram
de jubilo grandioso, quando viram o Exm. Sr. D.
Joo da Purilicago como vigario capitular, esse
prazpr, esse jubilo, sublu de. ponto, expandanse em
lodos os corag5es, quando, no dia 14 de setembro
do mesmo anno, fez elle sua pnlrada solemne na
cidade do Recife em qualidade de supremo pastor
desto grande reanho de Jess Christo, e tomou
nessoalmenle posso da importante diocese que Ihe
havia confiado a Providencia I
Foi na verdade grande o contentamente, e maior
a esperanr.a que lodos nutrirn) de que fruclos in-
i-ffaveis, melhoramentos grandiosos promovera o
sagrado prelado da egreja pernambucana.
E com effeto, o Exm. Sr. D. Joo da Purilicago
nao desmentiu ao boin conceito, fama das virtu-
des que lodos Ihe reconheciam. Seu primeiro cui-
dado foi o de fazer a visita episcopal, de percor-
ror todos os lugares de sua vasta diocese, de co-
nheccr de perio as necesidades espirituaes de suas
oveihas, para derramar-lhes efluvios da mais pura
e acrisolada beneficencia. Em todo esse penoso
trajelo de sua visita pastoral, mo>trou-se elle ac-
cessivel s supplicas da viuvez, aos carpidos da or-
phandade, e s lagrimas da indigencia soffredora.
No seio de lodos derramava o bolo da caridade ;
suavisava as suas amarguras e tormentos. A po-
breza reconhecia nelle um pae carinhoso e disvel-
Mas, quo inexcrutaveis sao os designios da Pro-
videncia I Oulr'ora, senhores, este templo- em que
nos acharaos, como que sorriiidb abnu suas portas
ao virtuoso hispo de Pernambuco. Os religiosos
Carmelitas, com o prazer no coraeo e ris nos la-
bios, reecbiam e osculavam eiannel do. seu pastor
sagrado; esla mesma egreja slenla va a maior
pompa o magnificencia, e o Ewn. Sr. D. Joo da
vas irrefragaveis de que seu governo seria lodo pa- -centava com carinho, a todas amava cora amor
Sim, o piedoso diocesano foi modesto, foi humil-
de entre a maior effuso da opulencia e grandeza.
Oihava as grandezas mundanas como chimericas
osteutages, quo o vento agita e o lempo deslroe
e consom. Sua dignidade realgava-se mais pela
pratica continua de suas edificantes virtudes, do Pur,Rcaao no mp'o de lano jubilo que tambem o
que mesmo por esse fausto exterior que pedia o Penc,rava mmlstrava a sagrago nm filho do
eminente cargo que ruia. I c*rmeo "iue acabava de ser escomido para rece-
ber a mitra da diocese do Maranho, o sempre
h para cabal conhec.mento desta verdade basta |eiriD,adoSl, D. Fr. Car|os de Jos e Soaa (5)
lembrar-vos senhores, que, sendo o Exm. Sr. D. hoje, prm, es.?mesmo templo trajand* luto, pen-
Joao da Purilicago honrado pelo monarcha brasi- e(Me de seus a|t)r(JS Q ^ ^ c|)ora
leiro com a digoitana da imperial ordem da Rosa, a nMle deste venerand(> pre|ado os fi|||os do Car.
com a commenda de Christo, e pelo da l.usitania mel,0( entoand a< ,amtMlla 5es ^ ^^^ acom.
com a commenda da d.st.ncla ordem da Conceicao panhadas de saudoso; (|> ^^ a ^
de\.lla.V,cosa, nunca estas condecoragoes orna- tia immaculaili ao Deus das misericordias, pelo
ram o seu peito, e nunca elle declarou em seus sea eterno re()0US0 ,
ttulos, porque o titulo de hispo era o que justa-
mente mais Ihe agradava, porque elle era verda- E na verdade, nesle mundo caduco nada per-
dero pastor de uma importante parte da grey de manente. O varo Ilustre que asstgnalou sua vi-
da por continuos actos de piedade e beneficencia ;
o sacerdote que collocado na suprema dignidade
do episcopado vveu na mais profunda humildade,
no retiro da modestia e no recolhimento da orago;
o prelado piedoso que trilhou sempre a senda no-
bre das mais edificantes virtudes, tinha effecliva-
mente de pagar o tributo nevitavel da fragilidade
humana. Sua existencia havia locado j a extrema
do fio da vida, e a paluda morte com mirrados Ihe
cavava o sepulchro.
Jesns Christo.
Aprendeu a ser modesto, a ser humilde, a ser
fiel, a ser homem. Era egual com os grandes, egual
com os pequeos; era homem sem apparato, sem
oslcntagao. A soberba e vaidade nao enconlraram
apoto nem em seu gesto, nem em suas paiavras ;
todos eram seus filhos, suas oveihas, a todas apas-
acrisolado.
Foi excessivamente caridoso; ouviu a lei.e abra-
gnu o Evangelho. Condecen bem a ndole da bene-
ficencia. Elle foi em extremo caritativo, e como?
como manda c recommenda a sania religio : uo
saiba la mao esquerda, o que prodigalisou a di-
reita (1).
Sim, a esmola, como aflirmam os livros santos,
a esmola que satisfaz pelos peccados, e quo livra
da eterna morle (2) deve estar escondida no seio
do pobre. Se ella apparalosa, nada tem de bene-
ficencia ; vaidade : dar uma esmola para ser vis-
ta dos homens e no aceita de Deus, um crime,
uma hypocrisa, um acto vo e infructfero. O
virluoso prelado diocesano comprehendeu bem o
preceito da caridade, e a desempenhou sem vaida-
de, sem oslcntagao e sem o intento de adquirir es-
ses louros e ovagoes da sociedade dos homens ;
pralicou o bem, t'-i caridoso para receber de Deus
a recompensa condigna (3).
Aggravados seus amigos e chronicos padecimen-
tos, inesperadamente houve uma pausa em todas
as .suas aegoes, e elle deixon de existir no dia 30
de abril do anno que corre.
J nao existe senhores, o Exm. I\vm. Sr. D. Joo
da Purilicago Marques Perdgao ; morreu, deixou
a regiio dos vivos, e entrn no imperio dos finados.
Foi uma existencia preciosa que se feneceu, foi
uma alma caridosa e bemfaseja quo transpondo os
umbraes da eternidade voou mitra rego para
receber do seu Creador o premio, a recompensa
devida s suas obras. Morreu o virtuoso bispo de
Pernambuco.
Portas da eternidade abri-vns. Anjea do Senhor
correi a receber sua alma. Egreja Pernambucana
trajae o crep da dor, o luto da vossa viuvez. Mi-
nistros dos altares entoac as preces, as lamenta-
Oh I o Sr. deputado no-lo disse bem terminaute-
ineute : dizem cousas- que fazem corar um
cometo de batalho ; dizem indecencias e barbari-
dades na. sita mcia lingiia porque nao sabera uera
o italiano nem o portuguez. .E'peiia-quc o Sr.
deputado nao tenha tratado de dar-lhes a parte da
Ungua, que Ihes falla, abrindo um curso-de Italiano
e portaguez para assim. restabelecer o. verdadeiro
reinado do Evangelho- praticando uma das obras de
misericordia... Talvez que assim fizosse um ser-
vgo aes cornetas de batalhao... O quo, porm, po-
demos alarmar ao Sr. deputado que se as paia-
vras des oapuchinhoa-fazem cmar tun. someta de
batalho, a* theorias de S. S. nao fazem corar aos
cornetas'da impiedade...
Sobre tudo de notar a faclidade com que o Sr.
do fatalismo. Nao
a verdade de um desses principios
Nao aos consta
mesmo que at boje philosopho algora os tenha
procurado conciliar.
Reconhece-se, portante, prima facie, o gratuito
de semelhante aecusago. Nao era mesmo moral-
mente possivol que os capchinhos cahissem om
uma conlradicgo lo absurda.
E qual vem ser a ultima consequencia de um
tal principio ? a negago da diviudade. l'ui Deus
que punisse o homem innocente, (porque o homem
sem conseiencia de suas aegoes, o homem irres-
ponsavet o homem innocente,) poderia ser tudo
menos Deus. Seus atlributos seriam incompletos
e a divindade. no comporta idea de imperfei-
e,ao. Teriamos em ultimo resultado- o npuchi-
nho pregando a nao existencia de Deo. Seme'
Ihanle aecusago nem merece as honra de uma
resposta.
Mas deixemos a aguia nessa pequea queda ; va-
mos enconlra-la em seu lotal naufragio.
t Os capchinhos o homens, diz o Sr. deputa-
do que tratara de inocular o phanatismo pelo para.
Quero admittir que haja entre elles homens infel-
ligeoles e virtuosos ; mas devo olhar para os fins
da corporagao e evidentemente essa grande tari-
fa dos frades italianos. Proclamam-se beneficios
que devemos aos capchinhos; tem levantado
egrejas, abrem estradas e fazem pontes.
Um presidente de provincia chama um capu-
chinho e o encarrega de fazer orna egreja em enr-
a lugar. Sahe o capuchmho, levando comsigo to-
da a ferramenla do inferno... Comer a pregar
ao pov, fa-lo chorar, ordena-lite que se nagelle
com disciplinas de ferro, ameaea lodos com a
eolera de Deus, manda carregar pu, manda car-
regar pedra, e levanta-se a egreja. E vae dizer :
c A egreja est feila. > Bem ; mas por meto de
uma extorso que eu repute immoral.
Isto o imposte da saperstiritv, a contribui-
eo forgada do phanalismo I
Deixam os templos assim eonstTnrdbs, mas
deixam os templos, para que ? Dentro desse tem-
plos ha um altar e sobre o altar a imagem de um
Dteus; mas que Deus ? Um Deus que elles pinta-
ran) cheio de-colera, de rancor e a respirar vin-
gangas.
* Mas em fae desse altar, era faee desse- Deus
ha um povo, que vera orar ; mas que povo ? um
povooujo espirito minado de crendices-e supers-
liges-, amedrentado com o fogo do- lofferno, est
muite' longe de Ueus; um povoem cuja-alma a pa-
lavra nao planto a f, mas o medo de ter un dia
as carnes assadas no inferno. Islo nanea- foi'der-
ramar enanas, ietomanter terror, celebre **-
ror bronco.
Essa-egreja nao a considero um beneficio, en
dgo-o bem alio, para que o paiz intein e-ouoa.
Eis teda-a aecusago, que aos capuohmhos pi-
de fazer o Sr. deputado. Mas o que-se v ahi?
um elogio bem cabido, posto que involuntario i
essa ordem veneranda, e depois uma. grande im-
piedade.
Demonstremos- para nao sermos lirados de vi*
zionarios.
O Sr. deputado^ fez involuntariamente um gran-
de elogio .ordem-dos capchinhos.
Na impossibilidade de negar plena> luz da ver-
dade a exislencia-de factes quotidiaaamente repe-
lidos e conhecidos por todos os represntenles da
nago, o Sr. Pedro Luiz viu-se obrigado confes-
sar que osoapuchinhos tem levantado egrejas, te;*
aberto estvaJutyem frito pontes. Ora,para um es-
pirito desprevenido e desejoso do progresso moral
e materia!! de seu paiz, era isso MihOJM sufn.ier.-
te para que olles merecessem o respeito e venera
gao de todos os estadistas c devessem ser abraca-
dos por todos os Brasileiros.
Essa cofiuVsao nao importa outra. cousa senao-o
reconhecimenl dos grandes beneficios, que ao
Brasil tert'proslado o pessoal dessa ordem. Se os
capchinhos tem levantado egrejas, aberto estradas
e feito pontes-, torga concluir que elles tem eoi>
deputado. usa de evasivas e escapatorias bascando' corrWo em n^0 Para o melhcramenlo'moral-e
toda aecusago na honradez de sua. palavra. Con-
trariado pelo Ilustrado Sr. Dr. Upes Netto, que
declarara ter ouvido um semina magnifico de um
delles, responde no maior sangue fri :Pois V.
Exc. foi em bont tka !
Na verdade ojee dessa maaeira pde-se fazer
militares de aecusagoes... O mesmo Sr. deputado
nao est livre deltas...
5Ias ser verdade que os capchinhos nao dou-
trinam.noensinam.no moralisam o povo? quaes
sao esses fados que alliidki o Sr. defutado e que
Do. referiu ? No nos dama* ao trabalho de con-
testar essa proposieo, appellamos para o bom sen-
so e para a conseiencia da todos.
O Bvm. Fr. Caetano que se acha no Rio de Ja-
neiro acaba agora mesmo. de dar ao Sr. depulado o
mais solemne desmentido com a festividade do
Mez de Mariacelebrado no morro do Castello. E
por toda a parte assim.
Ide qualqner hora e em qualquer dia aos hos-
picios dos capchinhos; ahi os encontrareis no rc-
ponsar de suas fadigas, ou em oraco, ou hehendo
na fonte pura dos livros evanglicos a doutrina,
que devem transnitir da e.tdeira sagrada. E' o
estudo a distraceio, que elles procuram para des-
cangarem de seu insano trabalho de todos os dias.
Nos, que isto dizemos, temos sido testemunhas oc-
culares.
Collorados Da eadeira do ensino elles expenden)
as mvulveraveis dontrinas da mais perfeita mo-
ral, desenvolvem as questSes com toda a clareza,
que exige o espirito daquelles quem se dirigen)
e assim recolhem mmensos fructos para compen-
ga-los de sua activa energa no desempenho de
suas penosas obrigages.
No forte do ataque, na sofreguido que alimen-
lava de deilar por trra o castello da egreja, o Sr.
Pedro Luiz nao viu que apontava a tanca contra
seu proprio peito, que defenda os capchinhos re-
futando as aecusages por si mesmo apresentadas.
Nao lia virtude (j disse um orador sagrado) no goes de Jeremas. Christos, perdestes o vosso
ha virtude que mais eleve c engrandega o ser hu- pastor carinhoso, o bispo sobremaneira bemfasejo. K' incrivel que o genio em to pouca cousa se
mano, que a beneficencia. Nao so deve chamar Cheguem vossas lagrimas aos degrus daquelle alropelle. Ao mesrao lempo que o Sr. deputadoac-
grande o homem seuo aquelle que estende mao cenotafio erguido pela gratdao a sua memoria,
benfica ao outro hornera. Levem esses famosos Oremos todos pelo repouso eterno de sua alma,
hroes da guerra seu preconsado nome aos contins Meu Deus! sede propicio; roncedei-lhe o descanso
do globo, o mundo pasma, o mundo admira, e o sempiterno. Requicscat in pace.
mundo exalta. Salvar porra um homem envolto --------------------__------------------------------_
na penuria e na miseria mais que destruir muir j. (i) os rerolhimentos da Gloria, do Olinda, Igua-
los ; conservar uma vida, derramar no seto da in- rassn' e Golanna.
ditiencia o bolo consolador, aceo mais gloriosa (o) O primeiroVto da sagrago de bip* que
viu Pernambuco, o qual leve lunar na egreja do
ligencia
que acabar infinitas.
(1) S. Math. c. 6 v. 3.
(2) Petr. Epist. c. 4 v. 8.
(3) S. Math. c. 6 v. 4.
Carmo no dia 2 de julho de 1844.
cusa os capchinhos de transformaran o homem
em simples machina e mero autoraato, e por con-
segrante, de tirar d cima da sua cabega a respon-
sabilidade moral, que elle deve carregar pela pra-
tica de suas aegoes, increpa-lhes tambera o crime
de ameaga los com as penas eternas.
Se o capuchinho prega do alto da tribuna sagra-
da que a magestade infinita de um Deus offendido
reclama era satisfagan da olTensa uraa pena tam-
bem infinita, uma pena eterna, claro que elle no
podo considerar o hornera como uma machina, co-
mo um autoraato.
material do paiz, que elles tem prestado um ira-
menso auxiliar publica admir.istrago.
Mas, diz o Sr. o deputado, tesse um beneflcio
puramente material. E' e que negamos e cor aos-
co todo o. observador bem intencionado
O deseavolvimento material de um povonjo-p-
de deixar de marchar de aceordo com o sen des-
envolvimento moral. Quando o espirito se fcm.di-
laiado na esphera de seus conhecimentos uteis, a
materia necessariameute paicipa dos eueitefrdesas
progreaain. E' esta a consequencia inevitavel da
bella harmona quo reina catre o mundo material
e o mando moral.
Esses dous elementos, qae, reunidos, constrtuem
o todo da creago, nao uodem prescindir da in-
fluencia que reciprocamente se exercero. As im-
mensas grandezas do mundo moral rbfietfem e
produzem seus effeitos no lado material da nalu-
reaa.
A industria, as artes- e a scicncia, que nao sao
outra cousa mais do o/so a franqua da, Inteligen-
cia as alias regioes dos conheimentes passivos, e
que aitestara a tendencia do hornera, para a con-
quista da verdade, manifestara seus soberbos pro-
digios as baixas organisages da reino material,
ahi que ellas apresentara suas victorias, por ahi
que se tornam conheeidas.
A miseria physiea,diz Cherbubez em seu bello
artigo sobre o ptmperismo, a miseria physica, se ,
em cerlos limites, o resultada quasi inevitavel de
uma organisaeo social fundada sobre o direilo da-
propriedade e o desenvolvinwolo econmico da*
sociedades assim organisadas nao excede esses li-
mites, e smenle se toma iva agello social pto
effeito da miseria moral.
Por consequencia, esta a concluso a quo pre-
tendemos chegar, todos c*> avancos de um povo as
vias de seu desenvolvimento material serla a for-
ma exterior de seu adiantamenio moral ; e ento
o liielhoramenlo material se manifestando de ac-
eordo com o melhoramento moral exerce, e nao po-
de deixar de exereer uma certa influenoia sobre os
destinos das sociedades.
A' vista da que levamos dito, evidente que
quando mesmo os beneficios operados pelos cap-
chinhos se revestissem de um carcter exclusiva-
mente material, parecendo nada ter de moral, as-
signalariam a realisago de uma idea, e essa idea
denotara a victoria de um principio moral. Mas os
servigos, que o Brasil devo aos capchinhos, e quo
o Sr. deputado foi obrigado a reconhecer, sao do
uma outra ordem mu difireme, e deixam ver lo-
go pima facie a lado moral, que os aoompanha,
constituind uraa estreita relagao, urna bella con-
nexao entre os dous elementos da' humandade.
fConliiuKir-ie-Aij
PERNAMBUCO.- TYP. US M. F. P. a rU

>
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHR8T0HA6_EPKVO3 INGEST_TIME 2013-08-28T02:55:45Z PACKAGE AA00011611_10376
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES