Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10365


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XL. HOMERO 109.
> -ti mi ir
y
v ... --..?
Por tres mezes adiaotados 5$O00 %l M _,
Par (re* mezes vencidos 63OOU ,:.
Porte ao correio por tres mezes.
\
SATA FEffiA 13 DE MAIO DE 1864.
Por mu aiantado.....19J00O
Porte aoeorreioporum asno. 3$00U
SNCAMEGADOS 1>A Sl'BSCRIPgAO NO NORTE
parahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Lima'
Natal, o Sr. JAntono Marques da Silva-, Aracatv,
Sr. A. le Lemos Braga; Cear, o Sr. J. Jos d8
Oiiveira; Mranhio, o Sr. Joaqun) Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pnheiro 4 C; A-
mazonas, o Sr. Jeronyruo da Costa.
KNCARKBGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SUL
Alagas, o Sr. Claudino Falco Dias; Baha, o
Sr. Jos.- Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Mirtilos & Gaspanuo.
PARTIDA DOS ESTAFETAS.
Oiinda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyaona e Parahyba as segundas e
sextas-fei ras.
Sanio Anto, Gravat, Bezerros, Bonito, Garuara',
Altinho e Garanhuns as tercas feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira,
Ingateira, Flores.'Villa Bella, Tacaratu", Cabrob,
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas feiras.
Serrabaem, l\o Formoso, Tamandar, Una, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.
Illia de Fernando todas as vezes que para aii sahir __.
navio. I ""neira as horas e 18 minntos da manhaa
Todos os estafetas partem ao Vi dia, _________| Segunda as 9 horas e 42 mnalos da tarde.
EPHEMERIDES DO MEZ DE MAR).
5 La nova as 9 h., 54 m. e 2 s. da t.
13 Quarto cresc. as 4 h. e 61 m. da t.
21 Lna cneta as i i h., 4 m. e 20 s. da m.
2 Quarto mirjg. as 7 n. e 56 m. da m.
PREAMAR DE HOJE
PARTIDA DOS VAPORES COSTEJROS.
Para o sul at Alagas a 5 e 26; para o norte at
a Granja 7 e 22 de cada mez; para Fernando nos
dia; 14dos mezes dejan, marc.. maio,jul, set enov.
_ PARTIDA DOS OMNiBLS.
Para o Recife : do Apipucos s 6 8 /i da m.; de Oiinda s 8 da tn. e 6 da Urde; de
Jaboatao s 6 i/t da m.*; do Caxaug e Vanea s 7
da m.; de Bemnca s 8 da m.
Do Reci fe : para o Apipucos s 3 '/z, 4, V, Vi,
5, 5 'A. 5 /i e 6 da Urde; para Oiinda s 7 da
manna e 4'/da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de -, para Cachang e Vanea s 4 Vi da tarde; para
Bemnca s 4 da Urde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta* s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Primeira vara do cvel: tercas e sexus ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da urde.
DAS DA HBUfSa,
9. Segunda. 8s. Gregorio Nazianzeno -Ir. da egr
1'). Terca. Ss. Blanda i- Ifiadclpl* mm.
I!. Oparta. Se. Pablo c Anasiacio mm.
12. Quinta. S. Joauna priaeau i Seria n
13. Sexta. S. Pedro Regatada f. s Rarvaca m.
I. Saatado. S. Aihana-io i. >. M\
(5. Dmiiigo do Espirita Santo.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da pr.ua daladueandairta
ns. 6 e 8, dos proprieunos Manoel Pigaeiroa i*
Paria & Filho.
PARTE QFF1C1AL
INVERN DA PROVINCIA.
Expeliente do dia 10 de maio de 1861.
OlHcio ao vicepresidente da provincia da Para*
li\ lia.importunamente serao enviados aos Exms.
Srs. ministro da justica e do imperio os ofllcios
que para terem esses destinos V. Exc. m os remet-
teu coiii o seu oflicio de 7 dojcorrente.
Dito a. brigaJeiro commandanle das armas.
Sirva se V. Exc. to mandar por em liberdade,
laudo-lhe anisa se ja e>tivet oom praea. o recruta
Joaquina! Jos de Sania Ann i, visto' que provou
isenco do recruuinuuio. Communicou-se ao co-'
roiiel recrutador.
Dito ao mesino. Transmiti V. Exc. para o
fim conveniente, copia do ollicio do cirurgioda
colonia militar de Pimenteiras, no qual sao sals-
oias as exigencias do delegado do cirurgio-mr
do exerciio, constantes do seu ofllcm n. 108 de 1 i
de abril ultimo, anaexo em original ao de V. Exc.
da mesma daU, sob n. 63.
MlO ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de informar
acerca do que pede no incluso requerimunto Lino
Jos dfl Lyra.
Do ao mesmo. Pode V. Exc mandar abrir
assenUmeulS de pracas aos recrutas de uouies
Joio Paulo de Souza, Manuel Juliio, Jos Gomes
da Silva, visto tciem sido juigados aptos para o ser4
vico do oxercilo, segundo consta Ue oQicio de Y. i
Ese. de do crreme, sob n. 826. Commuuicou-
ge ao coronel recatador.
Dito ao mesmo. Faco apresenlar V. Exc. o
reerala Jacintho Jos do Souza, alim de que V.
Exc. I he d o conveniente deslino depois d. ins-
peecttoado. Communicou-se ao coronel rccru-1
lador.
Dito ao mesmo. Inierponlia V. Exc. o seu pa-
recer Isobre o que solicita no incluso oleio o di-1
rector da colonia militar de Pimenteiras, relativa-
mente ao engajamenlo do 2o sargeulo do 4- bala- i
.'Iliio de arlilliana ap Francelino los Rodrigues.
Dito ao inspector da tbesourara de fazenda.
Devolvo V. S. o incluso prct om duplicaU, alim
dura deesa thesouraria lancado no verso do in-
cluso ollicio do chele de polica de 20 de abril pr-
ximo ifindo, sob n. 487, ca que se refere a sua '.
nformacao de hontem, sob i'M, mande pagar a
Francisco Canuto da lioa-Viagein a quanlia de 145
rs., proveniente de etapas abouadas ao recrula Ma-
noi-l Pereira de Oiiveira, a contar de 2 do marco
at 10 de abril ultimo, o qnal veio do termo de ,
Tacaiatu e assentou praea uoexercito. Comiuu-
nicoo-se ao Dr. chefe de polica
Ditj ao mesmo. Participando o respectivo juiz i
le di|reito em 9 do corrente, que nessa dala con-
cedeu ao hacharel Joio Coimbra, a exonerajo i
que pedio do cargo de promotor publico interino :
da BODUfea do Rio Formoso, e para o substiluir
nouieou o bacharel Jos Julin Rigueira Pinto de
ouza : assira o communico V. S. para seu co- j
nln-.cmeulo.
Dito ao mesmo. Communico V. S. que tendo,
pe lindado a lic.enca de que gozava o bacharel Ha-
noel Izidoro do Miran la, reassumio este em 9 do
corronte o exoreicia do cargo de promotor publico
da comarca de Oiinda.
Dito mesmo.Participando o bacharel Francisco
le Araujo Barros, que deixando no dia 3 de mar-
co ultimo o uxercicio do cargo de juiz municipal
da i vara desla eidade, o reassumio em 8 do cor-
rentn : assun o communico V. S. para seu co-1
nk'i iinenlo.
Dito ao mesmo. Communico V. S. que o pro-
niokr [lutdico da comarca do Bonito, bacharel Joa-
|!inn do Rogo Barros, entren boje no gozo da li-
cooen de um me/, que oblivera para tratar de sua
convento de Santo Antonio desla cidade no dia l
do corrente.
Dito ao mesmo. Ficam expedidas as ordens
paraque aos presidenles dos conselhos de quali-
licaco das freguezias deste municipio sejam en-
tregues al o da 14 do corrente, as lisias de que
Iraiam os $ 2' e 4 do artigo 10 do decreto n.
H.'tOde 12 de margo de 1853, como V. S. solci-
lou cm oflieo n. 59 de 6 deste mez. Expediram-
se as ordens de que se irata.
Dilo ao capilo do porto.Mande V. S. por em
liberdade o recruta/ de marinba Maurno Anto-
nio, que provou sencao legal do recruWmenlo,
Dito ao mesmo. Faco apresentar V. S. os
reerotasde marinba Rufino Themoteo, Antonio
Severino dos Sanios e Manoel Joaquim Duarle,
alim de que V. S. Ibes d o conveniente destino
depois de inspeccionados. Communicou-se- ao
r. chefe de polica.
Dilo ao director das obras militares.Mande V.
S. com toda a urgeneia Upar um arroinbamenlo
feiio no xadrez do hospital millar pelos presos
nelle existentes, conforme sohcitou o brigadeiro
commaudante das armas em ollicio desta data sob
u. 840.
Ditoao director das obras publicas. Satisfazen-
assmo dos reductos de Dup|iel, elfectuairo hontem
de manhaa pelos Prussianos com o asis completo
successo, e a abertura das conferencias de Londres
lixadas para amanhaa.
O assalto sol>re Duppel fra precedido de urna
actividado extraordinaria dos sitiantes dorante os
ltimos quinze dias. O cslabelecimento do primei-
ro parallelo, foi seguido pelo do segundo, do tercei-
ro, e finalmente do quarto, em distancia de nao
mais de 150 passos das obras dos Dinamarque-
ses. Mu singularmente esses apenas tentavam de
inlerromper os trabalhos incessantemenle em pro-
gresso dos Prussianos. Em quanto que nos sitios '
sempre costume, e cou*a que se entende de mesmo,
que os sitiados empregam toda a sua torca para im-
pedir a edificacao dos parallelos do inlmign, em
quanto que para esse fim se trata de esclarecer de
noute o terreno por meio de balloes luientes, para
privar o inimigo do abrigo da escuridade para os
seus trabalhos, e logo que se observam as suas
obras, contra elle se dirigem fortes caahoaadas, c
sobre ludo sortidas violentas, toda a actividade dos
dinamarquezes se limitou urnas poucas sortidas
feius com algumas companhias, e os seus canhoes
ficaram calados quasi inteiramente durante a nou-
te, ao mesme tempo que de dia s entreliam um
do a requisicao cxmtida no final do seu oflicio de j fogo muito reservado e magro,
houlem, sob u. 125, devolvo Vmc. para o fim n- Tanto mais terrivel foi a canhonada sem inler-
dcado no mesmo ollicio, o orcamenlo e clausulas runcao das batterias dos Prussianos que cada vez
a que elle se refere relativamente aos reparos de i avancavam mais de porto. Em alguns dos dias an-
tes do assallado houveram canhonadas, as quaes
cada hora cahiram 2,000 tiros contra os rdalos
Dinamarquezes, e esse horrivel fogo durou sem in-
terrupeo-durante qualro at cinco horas, para
entlo comecar de novo, poucas horas mais larde. E
para dillicultar aos Dinamarquezes durante a non-
le o reparo dos damnos e sobre ludo o sopprimen-
io da artilhara desmontada por nova, o bombar-
deamento umbem era geral nao cessou durante a
noule, anda que com menos torea do que de
da. Smenle na ultima noute antes do assalto elle'
fra mais enrgico do que em todas as auterio-
res. Como diz o telegrapho foi s urna trovoada sem
inlerrupcao, na qual nao se podia mais distinguir '
um tiro do outro, to immediatamente se seguiram i
os tiros dos cerca 120 canhoes dos Prussianos. Na ;
maiiha cedo leve pois lugar o assalto. Os redutos
ns. 1 7 unidos do norte para o sul, foram loma-'
dos quasi simultneamente, uouco tempo depois os '
reductos de ns. 8 10, e ao mesmo lempo com es-,
les as communicaces levando para as pontes de
barcas, que unem o conlimente cora a ilha do Al-1
sen, separada do mesmo nicamente por um es-
trello braco do mar. Do mesmo modo, segundo ,
parece, a testa de ponte que defenda essas pontes
cahio as mos do vencedor, em quanto que as
propnas pontes foram laucadas ao ar pelos Dina-
marquezes, para cobrir a' sua retirada para Al-'
sen. A ultima noticia, da tomada da testa de pon-'
te pelos Prussianos, verdade, que ainda nao se'
acha confirmada ofllcialmente, e a esse respeito'
temos de esperar o relatoro offlcial.
Tambem sobre a tomada dos reductos de Duppel |
o relatoro um Unto incompleto, nao dando elle i
esclarecimenlo algum acerca das perdas havidas
de morios e feridos. Por contra, o mesmo certifica !
a presa de mais de 40 officiaes e cerca 2,000 sida-
dos dinamarquezes. Em consequencia dos lelegra-1
mas officiaes immediatamente publicados acerca do i
assalto realisado, honlem de noute a cidade de i
Berln foi Iluminada; el-rei dirigi ao principe
san
D
chai
lo ao mesm >. Communico V. S. que o ba-
'I lleiuique Pereira de Lucena, reassumio o
cxi-rcicio do cargo Je juiz muiiicipal e de orphaos
do tiran de Goiaona no da 1 do crreme, por ter
cess ido o impedimento do respeclvo juiz de di-
reilo.
ll(lo ao mesmo. Se nao houver inconveniente,
mande V. S. pagar Henrique Jos Vieira da Sil-
va, Como pede no incluso requermente documen-
tado, a qnaulia de 081^520, proveniente de fletes
e passagens dadas por coma do governo bordo
lo hiato Sergipma, desta capital para o presidio
de einando e d'alli para aqui.
I lo ao mesmo. Inleirado pelo oflicio que
V. >. me dirigi lioiilein. .-ob n. 241, de haver o
inspector da alfandega eto arrematar em virlude
de ordem dessa Ihesouraiia, e pela quanlia de rs.
80 JO 0, urna porcao de pedias que all liavia, pro-,
Veniente da demuheao de corlas partes do edificio ,
daquelia alfandega, lenho a dizer em resposta que
apprord esta arremaUcao.
Dttoao inesmo.Partieipaodo o bacharel Emig-
dio Marques Santiago, que por ter sJo removido
t> ir: o l.im leim. deixara e.n 21 de abril prximo
imiI o eiercicio do cargo de juiz municipal e de
orphaos do ifimo de Pao d'Alho; assim o com-
maaico V. s para sua utelligeneia.
Dilo ao mesmo. Coiniuuuico V. S. que 0 ba-
charel Paulo Martins de Aloaeida reassumio o
exercicio do cargo de promotor publico do termo
lo Rio Formoso em 29 de abril prximo findo, por
se haver terminado a licenca de que gozava.
Dito ao mesmo. Autoriso V. S., nos termos
le sua nformacao de houlem, sob n. 228, dada
com referencia'.! da contadura dessa thesouraria,
acerca do incluso requenmenlo, coberlo com ofli-
cio lio brigadero commandanle das armas, n. 654,
de II de abril ultimo, a mandar pagar aocapilao
lo 7" batalhao de uifanUria Antonio Cabral de
Mello Leoncio smente a quantia de 8iwo rs., a
jue lom dreilo, proveniente da etapa para sua fa-
milia composia de sua mullier e um lillio de nove
anuos, na vagem que fez de Piranhas Pene-
do, no seu regresso de Tacaratu' esu capital.
Coinmonieotl-se ao brigadeiro commandanle das
armas. ,
Dilo ao inspector da thesouraria provincial. ,
Tomando em cinisideracao o que exposeram o ba-'
rao de Murbeca e o major Manoel do Nascimento
da G^ia Montiro, no requerimento sobre que
versoo a nformacao ministrada a este respeito por
V. S. em ollicio de 10 de noveinbro do anno pr-
ximo passado, sob n. 558, resolv em visla do
parecer d) proenrador fiscal dessa Hie^ouraria,
com o qual concorda o dese.nbargador da cora,
soberana e blenda n n'ional, que seja aceita a
transferencia das apolices da emissao dessa thesou-
raria, sob ns. 58.1 592 e 960 974, que os sup-
plic.intes na gualidade de liquidatarios da raassa
fallida de Jos Antonio Bastos, receberam era pa-
gamento de Cosme Joaquim da Fonceca Galvo,
as quaes embora perleocam a um neto e tutelado
ilo mencionado Galvo, adiase este aulorsado
pelo juiz competente a transfer-la a outrem como
se vi dos inclusos documentos O que declaro
V. S, para seu conhecunento c devida execugao.
DIO ao mesmo.Remello por copia V. S. para
seu coiihecinieiilo e fim conveniente o contrato
.-.Mirado pela commisso de polica da assembla
legislativa provincial com o lachigrapho Carlos
Ernesto Mesqua Faleao para o apanhamento e
jiublicaco dos debates da mesma assembla nos
tlous prximos anuos.
Dito ao commandanle superior da guarda na-
cional do RecifeExpeca V. S. as suas ordens a
lini de que um batalhao da guarda nacional sob
seu commando superior acompanhe a procissao
do Divino Espirito Santo que lem de sahir do
que precisan alguns pomos da estrada do norte.
Dito ao conselho administrativo.Urna vez que
o conselho administrativo por falla de propostas
vaotajosas, segundo declara o director do arsenal
de guerra em oflicio de hontem datado, sob n.
312, ainda nao efectuou a compra de 1,600 pal*
os quaJrados de lineo em lencol, consfantes do
pedido, a que se refere a ordem do meu anteces-
sor, de 22 de oulubro do anno prximo passado,
recommendo ao mesmo conselho, que em lugar do
dilo znco, compre 150 tedias de Ierro, conforme
solicita o mesmo director no sobredito ollkio, a-
fim de seren applicadas na coberta do barracao
em que se acondiejonam as madeiras o outros de-
psitos n'aquelle arsenal, bem como na de. um ou-
tro em que se guardara as bombas de apagar
incendio o seus accessorios. Coiiimunicou-se
thesouraria de fazenda.
Dilo a cmara municipal do Recife. Recom-
mendo cmara municipal desta cidade que man-
de extrahir do livro competente, e re.netia cora a
possivel brevidade urna copia da acta da organi-
saco do collegio eleiloral do Recfe para a eleicao
de um deputado a que se procedeu no da 17 de
abril prximo findo.
Dito cmara municipal do Bonito. -Cumpre
que a cmara municipal do Bonito me declare
qual a razo por que deixou de remetler o livro
da qualilicaco dessa freguezia respectiva junta
revisora, como me foi determinado por ollicio de
17 de marco ultimo.
Dito ao presidente da cmara municipal de S.
lenlo.Os vereadores Francisco Alves Maciel, An-
tonio Vctor de Barros Teixeira e Jos Le.o Vietor
de Oiiveira Ledo, represenlaram-me em oflicio de
15 de abril ultimo, que tendo-se apresenUdo para
a segunda sessao ordinaria dessa cmara no dia 7
para isso marcado em sessao ordinaria, Vmc. nao
comparecen at aquella data na casa destinada para
aquello fim sob preuxto de se achar em minora, e
que Vmc. tenciona sem sciencia delles reunir c-
mara extraordinariamente composla de suppleutes | Frederico Carlos, commandanle em Duppel, uia :
para approvar aclos anteriores dessa presidencia, congratularlo telegraphica, manifestando abravu-'
tendo j demittido o respectivo secretario Joao Va-' ra do exertito prussiano e grato reconhecimenlo I
leriano Pessoa de Laeerda e tomando deste o ar-; do seu supremo chefe real,
chivo da cmara e o substiluio por um seu so- Um episodio do cerco deu s tolhas inglezas mo-'
brinho. | tivo para as mais violonlas declaracoes contra a
Sendo para exlranhar que taes factos possam ler gerencia da guerra prussiana. Foi isso o bombar-;
lugar em detrimento dos interesses desse mumci-1 deamento da cidade de Sonderburg, situada sobre i
pi, declaro Vmc. que nos termos do art. 28 da a ilha de Alsen, por de Iraz dos redutos de Dup-
lei ilo 1" de oulubro de 1828 s podem ser chama-1 pe. As gazelas inglezas queran) ver nisso um
dos os supplentes om fallados vereadores e quando | allenlado contrario ao direito internacional, so-
estes leudo sido regularmente convidados deixarem ; bre urna cidade fnimiga aberta. Mas Sonderburg |
de comparecer jior espaco de 15 dias, ou a urgen-1 nao lora smente o qnarlel general do eiercito di-
ca e importancia dos negocios exigir o numero nainarquez, collocado nos redulos de Dupi>el, e o
completo de vereadores, e bem assim que nao Ihc deposito para as (ropas rendidas alternadamente
permiltido por si su deuiiltir e nomear secreta-
rio para a cmara por periencer a esla semelhao-
te allribuieo, sendo os nomeados conservados em-
qnaiilo bem servirem nos termos do art. 79 da ci-
tada le: o que Vmc. observar.Remettou-se co-
pia desie ollicio aos vereadores cima indicados.
Dilo ao juiz de paz presidente da junta de qua-
lilicaco da freguezia do Bonito.Bemetta-me Vine,
com a possivel brevidada as copias das actas da
nrganisaco da junta revisora da qualilicaco dessa
freguezia no corrente anuo em suas primeira e se-
nos redutos, porm tonnavam larabem o.nucleoda
liiiha de retirada para os Dinamarquezes, sendo
para isso especialmente preparado pelo eslabeleci-
menlo "e novas comunicaciies militares lravez da
cidade e sobre ludo pela edificacao de batterias ao
en lado e as suas cosas. Em breve, Sonderburg,
na realidade era toda oulra cousa do que un lugar
pacifico, servindo para Ras de paz; era pelo con-
trario urna [iraca militar da maior importancia, e !
teria sido urna incomprehensivel falla, seos Pros-
alanos nao teulassem de privar os mimigOS das
gunda reunoes.bem como as relaces de (|ue Ira-: vanlagens que Ibes ofereria. Ecom effeilo, o bom
la o decreto n. 2,865 de 21 de dezembro de 1801, bardeamenlo de Souderburg, que obrigou o quar-1
as quaes neixaram de acompanhar a lista dos c-; le geral e as tropas de abandona-lo e colloca'-se
dad.ios qualificados votantes, auuexa ao seu officio uo interior da ilha de Alsen, fazendo nancer entre
de 19 de abril ultimo. j os Dinamarquezes os mais serios receios acerca da '
Portara.O presidente da provincia altendendo ; sua retirada, nao ter contribuido pouco para aba-
ao que requereu Anglica Mara Rosa da Concei- j lar sobre ludo a torca moral da resistencia dos Di- i
can, resolve conceder-lhe licenca para ir ao presi- namarquezes. Segundo, parece, nao smente a
Oto de Fernando no prtnwiro navio que para all, imprensa ngleza por motivo do bombardeamenlo
seguir, levando comsigo um bah do roupa e al-: de Sonderburg, pronunciar as mais odiosas aecu-
guiuas fazendas perlenceiiles a una sua irmaa que saedes contra a rrussia, mas tambem o conde Rus-
se acha cumprndo senlenca naquelle presidio I sel, esquecendo-se das barbaridades commetlidas
Dita.O presid nte da provincia tendo em vista pela esonadra ngleza durante a guerra oriental'
o que requereu o guarda da alfandega desU capilal: era 1854 e 1855, coulra aldeas russas, sem defeza, |
Francisco Rufino do Reg Brrelo, e bem asiin o no Bltico, assira como do bombardeamenlo de i
Odessa na mesma guerra, e ltimamente do bom-
bardeamenlo de Nagorioa no Japo, nao pode dei-
xar de dirigir queixas officiaes a esse respeilo ao
gabinete prussiano. O despacho respectivo ver-
dade que leve a devida resposta, e como do mesmo
que a este respeilo intorinaram as reparliQes com-
petentes, resolve conceder-lhe 3 mezes de licenca
com veucimento de sold na forma da le para
tratar de sua sade.'
Dila. O presidente da provincia, tendo em con-
siderado a proposla do director geral interino da se entende, nenhum resultado,
nslrueco publica datada de 7 do corrente sob n. I .
85, resolve nouiear Antonio Baptista de Mello Pe-1 Entretanto a grave importancia da conquista dos
xolo delegado lilterario do districto de Garanhuns. I redulos de Duppel para a conferencia, que deve
Commnnicou-so ao director geral. i comecar ainanliaa, e cousa manifest. \ enfade e,
Dila.O presidente da provincia resolve deral- i llue a l,na de Alsen sc acha a,d;i e,n raao# ds l)i-
tir o bacharel Francisco Leopoldlno de Gusniao namarquezes, e com isso urna posicao aiuda dentro
Lobo do cargo de promotor publico do termo desU Ido Schleswig. Mas como as alturas de Duppel do-
capital e para o substiluir nomea o bacharel Jos llium1 S" a (!os,a do Al*in e E?01" d1 co""'
Paulino Cmara.Fixeram-se as necessarias com- ^^ doSchleswi-, a expul.-ao dos Dinamanmezes
municacoes.
Despachos do dia 10 de maio de lSfi.
rqturimentos.
Antonio Duarle PereiraInforme o Sr. director
da colonia militar de Pimenteiras.
Augusto Cesar Fernaudes Eiras.Satisfaea o sup-
plicante a exigencia do procurador fiscal, constan-
ic do parecer, lancado no verso deste requeri-
mento.
lrmandade do Divino Espirito Santo erecta na
igreja de S. Francisco desta cidade.Dirija-se ao
Sr. eommandante superior da guarda nacional do
municipio do Recife.
Joo Ferreira de Araujo.O supplicanle nao tem
provado que casado.
Ludugerio Mnervino da Fonseca. Nao tem
lugar.
Maooel Pedro Goncalves.XesU dala se expe-
dem as convenientes ordens em deferimonto ao
que requer o supplicanle.
Manoel Alves Barbosa.Informe o Sr. inspector
da thesouraria de f:>zenda,
Marcolioa Francisca da Trindade.Prove a sup-
plicanle que indigente.
EXTERIOR.
Ollltl SI'OVIIK VI I AS 0 ll \
RIO |K IT.KV \TIKI .
i IMM RU.
Hanibnrgo, 19 de ahril de 1861.
tambem desse ultimo ponto s questao de
dias. .Nao se acha mais no poder dos Dinamarque-
zes de impedir a passagetn dos Prussianos sobre o
eslreito (Sunda) de Alsen, e a conferencia por isso
comefa sob base da exlincao de fado do governo
dinamarquez em lodooSclileswg-Holstein.
Quando escrevemos a nossa ultima, existiam
ainda duvdas acerca da realisaf-.lo da conferencia.
0 consenlimento da Dinamarca nao se achava an-
da confirmado officialmente, e tambem falUva |a
decsao da dieta allemaa. A Dinamarca, porm,
naquelle tempo tinha consentido realmente, c s o
recalo do desfavoravel acolhimento dessa determi-
uarao do gabinete de Copenhague pela populacao
dinamarqueza, tinha demorado a manifcstacfto au-
tlientica da mesma. Smente com a partida dos
dous plenipotenciarios diuamarquezes, designados
para a conferencia de Londres, do ministro dos
negocios estrangeiros, o Sr. Quaale e do conse-
Iheiro Kreger, no dia 7 do corrente, levantou-sc o
veo, e to viva desapprovacao que a participacSo
na conferencia, sem urna base previamente esta-
belecida em favor da Dinamarca, mexecesso na
imprensa ullra-dnamarqueza, noappareceram de
mus manifestacOes oppostas. Entreunto a questao
da conferencia seguio na dieta allemaa o seu anda-
mento vagaroso, e logo se tornou claro que at o
dia 12 de abril, como se sabe a data primitivamen-
te fixada para a abertura da conferencia, a dieta
nao teria ainda tomado a sua decisn. Isso foi o
1 motivo porque o termo da abertura foi adiado al
i o dia 20 do corrente. Dessa maneira a respectiva
commisso s apresenlou dieta no da 11 o *%
I relatorio," e s no dia 14 teve lugar a vot^o. A
Os dous grandes acootecimentos Jo dia, sao o I proposla da commisso foi de aceiur, 0 convite.
como urna conferencia sera base nao prejudicava
de modo algum o ponto de visla da dieta, e de es-
coltar um representante para a mesma entre os
homens de estado da Allemanha extra-auslriaca e
exlra-prussiana.
Quanto a instruccoes detalhadas para o plenipo-
tenciario federal, a proposla absteve-se provisoria-
mente, reservando as mesmas a ulteriores ponde-
races necessarias, e limilando-se instruccao ge-
ral de reservar quanto tor possivel todos os direi-
tos dos ducados.
A Ravicra tinha apresenUdo urna emenda, ns-
truindo o pleni|K)tencario desde o principio para
sustentar o direito de sficeessao do principe Fre- j
derico. A emenda, entretanto, foi regeiUda como
inopporluna actualmente, ficando approvada sem '
mudanca a proposla da commisso.
A oscolha para represntente da deU em Lon-
dres cahio sobre o ministro de estado da Saxona,
o Sr. de Beust, segundo as circumstancis a mais
feliz eseolha que a dieta poda fazer. O Sr. de
Benst parti houtera de Dresde, era prraeiro lu-
gar sob convite do duque de Coburgo para Golha,
para dall seguir para Francfort, d'onde depois de
dous das de estada all, continuar sua viagem
para Londres. Em todo o caso nao estar amanhaa
em I/ondres, mas sim alguns dias mais tarde, e
segundo se diz, o comeco da conferencia fixado
para amanhaa ser primeramente s urna discus-
sao preliminar dos assignantes do tratado de Lon-
dres de 8 de maio de 1852 ; a verdadeira confe
rencia entretanto s principiar os seus trabalhos
algoju das mais Urde.
Segundo as noticias que lemds, na conferencia
de Londres serao representados : a Russa pelo
Sr. de Rrunow e peto conselheiro Ewers, a Ingla-
terra pelo conde Russell e lord Clarendon, a Aus-
tria pelo sea enviado em Londres, o conde Appo-
nyi e pelo chefe de seccao do minUterio dos es-
trangeiros, o Sr. de Uiegeleben, a Prussia pelo seu
enviado em Londres o conde de BernslorfT e pelo
snb-stcreUrio de estado o Sr. de Balarn, a dieU
allemaa pelo Sr. de Beust, a Franca e a Suecia s-
mente pelos seus respectivos enviados, c a Dina-
marca pelos Srs. Quaade e Kreger.
No mundo commercial, aqu, reina ueste mo-
mento grande irrlacao por causa da apparico de
urna esquadra dinamanpieza de 4 navios de guer-,
ra maiores e diversos mais pequeos, as emboca-
duras dos nos Weser e Elba. Um bloqueo nao foi
declarado, e segundo praxe tambem nao se ten-
ciona. Por isso tambem nao foi impedida at ago-
ra a navegacode bandeiras estrangeiras. Por con- i
ta j foram capturados pelos dinamarquezes dous
navio.- hamburguezes e alguns hanoveriauos. En-
treanlo esf-se j desde oifo semanas, debalde, !
espera da esquadra austraca para o mar do Norte,:
promeltida de Vienna para proteger os navios al- f
leincs. No dia 7, segundo se dizia, a sua guarda
avanzada devia finalmente passar o Canal; mas j
at agora, apezar de terem j decorridos doze dias,
nada appareceu no mar do Norte.
Temos finalmente de fallar do xito das difieren-!
fas entre o imperador da Austria e o archiduque
ei n ni lo Maximiliano por motivo da aceiUco do
throno do Mxico. As noticias que na data da nossa
ultima, da va m essas diflerencas como completa- ;
mente removidas, foram errneas.
O conflicto durou ainda alguns dias. S no dia
8 teve lugar o accordo em Miramare, e sob part-
cipico telegraphca para Vienna, o imperador i
Francisco Jos, acompanhado dos ministros de Re-1
chberg e Schmerling, assim como do vce-chancel- j
ler pela Hungra, Transylvania e Croatia, appare-1
ceu pessoahnente no dia seguinte no palacio do ar-
cbiduque e all se cumprio o respectivo acto. O
contedo do mesmo ainda ldo em segredo, e so j
foi publicado officialmente que o novo imperador
do Mxico, quanlo aos seus direitos agnaticos aus-
tracos lizera urna renuncia sera reserva. No dia
10 leve lugar a reeepeo da deputaco mexicana,
e a aeeilaeao formal da cora pela mesma olfereci-
da. O imperador Maximiliano prouuociou nessa,
occasio o seguinte discurso :
O exame profundado do acto de accesso que ;
acaba de me ser apresenlado, me d a segurauca '
que a deciso dos notaves mexicanos ser confir-
mada pela imposaulc maioria dos habilanles do
Mxico, assim Sea cumprida a primeira eondieo,
que apreseniei em muba resposta de 3 de outubro. (
Desiguei ainda nutras, coudicoes relativaraenle s
garantas para csiabelecer solne bases solidas a in-
dependencia e o bem-eslar do paiz. Essas garan-
tas acham-se agora asseguradas pelo imperador
dos francezes, o qual durante as respectivas nego-
ciacoes se mostrou animado do una benevolencia
sem igual, e de urna lealdade de que a lembrain-a
ser por mira eternamente conservada.
< O augusto chefe da minha lamilla, de seu lado,
deu o seu consenlimenlo para que eu toinasse pos- i
se do throno a mim olerecido. Em consequencia
disso declaro de urna maneira solemne que aceito
a cora das raaos da naeao mexicana.
O Mxico tem o direito de se dar um governo
que corresponda aos seus desejos, elle teve confiau- j
ca n'uiu descendente da mesma casa de Habsbur-!
go, que ha tres sculos estabeleceu a monarchia
cbnsiaa sob o seu solo. Essa confianca nao ser ;
Iludida. Tomo posse do poder constitucional que
a nico me confia e consers-arei o mesmo emquan-
to fr necessario para estabelecer a ordem e orga-
usar de urna maneira completa as instituices li-
beraos. Aprcssar-me hei de por a moaarchia de-
baixo da autondade das leis conslitucionaes, logo
que a pacilicacSo do paiz so achar efcluada. A
autondade do governo mais assegurada p?la de-
terminaco exacta do que pela incerteza dos seus
limiies; esses limites eu entendo esUbelecer de
maneira a garantir a estabilidade do governo. Es-
pero provar que urna liberdade bem entendida pu-
de sempre concerur-se cora a manulenco da or-
dem. Com a mesma energa sustentarei sempre o
estandarte da independencia, como o syinboio da
futura grandeza. Reclamo a concurrencia de todos
os mexicanos para o cumprimento da minha bella
taref. A uuio nos far fortes. O meu governo
nunca esquecer o reconbecimenlo que deve ao il-
lustre principe, pelo qual a regencracao do nosso
paiz se tornou possivel, Vou partir por va de Ro-
ma para a minha nova patria, alim de receber do
santo papa a bencao, que to valiosa para cada re-
gente, me importante duplamenle, que sou cha-
mado para fundar um novo imperio. >
Urna ligeira molestia da qual fra accommettido
o novo imperador, logo depois da solemnidade foi
o motivo que a partida de Miramare primeramen-
te fixada para o da 11, nao teve lugar nesse dia.
Por contra ella se cffectura no dia 14 debaixo das
salvas de todas as bateras do porto de Trieste. O i
imperador Maximiliano tinha-se embarcado na fra-!
gata austraca Novara, a qual era acompanhada
pela fragata franceza Ihemit. O imperador vai
em priniciro lugar para Roma, e espera entrar em!
sua capital ainda no mez de maio.
- 20
Os despachos quo hoje chegaram contri os da-,
dos segu ntes acerca das perdas no assalto dos re-
ductos de Duppell. Os Prussiauos perdurara entre
morios e feridos cerca 60 officiaes e 600 soldados,
os dinamarquezes de morios, feridos e prisioneros
80 100 officiaes, entre os quaes o general Dupla
e 2 coronis morios, e 4,000 soldados. Alenii os-
lo cahiram 81 canhoes e multas bandeiras oma-
mar.iuezas as mos dos vencedores Hca ao res-
to confirmado qoe agora se achara tomado, iodo
os reductos das alturas de Duppel, assim como,
depois ic um ronhido combate, a testa de ponto. A
oKunaoao da ilha de Aleen, em consequenoia disso,
s ser questao de poucos das.
A abertura das conferencias foi da novo adiada
por alguns das, a saber at o ja 85 do corrente.
iom>ih:s.
23 de abril de I m I.
No da 20 do correule recebemos nesla capital a
mala do Rrasil viuda pelo paquete de bordos, quo
que ancorara em Ponillacna raanhadel8. En-
tre as noticias aqu publicadas acerca do imperio,
figurn ainda a da acceitaco por parte do gabine-
te do Rio de Janeiro da mediacao portugueza no
conflicto anglo brasileiro, assevrando algumas to-
lhas que por aquella mala hava receido o minis-
tro do Brasil cm Portugal instruccoes do seu go-
verno para aceitar formalmente a mediacao e to-
mar conhecimento dos termos em que o gabinete
britannico tenciona tratar com o governo imperial.
Neslas circumslancias esperase ueste paiz que era
desse conservar ainda no poder > partido liberal.
As noticias de llruxellas ale 21 de rrciU-- aflfcin-
cam, ansen, que 0 partido catn.lico conseguir
(orinar urna lisia de novo* inislren, a qtul seria
immc.luilamclite apresentada ao ra. elU liga
rara os Srs. de Ansiham, Deiiary. r. IVnri Duaaer-
ter, Kewyn, e o general Loidain,
O prncipe e a priuceza de GeJtai tinbam-se coa-
servado ausetiles de Londre- no castell; Je SMeig-
riham desde a paschoa. E.-ia demora par--.-. ler
sido motivada pela presCHCja do general Ganbeldi
nesla corte, ende tem o patriota italUuo rerebtd
ovac.Vs que ja mais foram fei las a soberano algMa.
Suas altezas reaes nao desejariam talvez arfcar-e
em concurrencia com aquello eminente palrxiU. a
supi-oe-se que por tal motivo havi.ua demorado a*r
breve estaro restibelecidas as relaces polticas agora o seu regresso a esta capital, onde aliase
entre os dous paizes, e al o Times de 20 do cor- com empenho esperadas para eeaeiaflafeae re
rente annuncou uo seu artigo monetario que o Sr. eenedes officiaes da corle em Bnem de sita angw-
Carvalho Moreira ser o diplmala brasileiro quo ladea rainha.
tera de restabelecer brevemente 8S relaces diplo- Foi no dia II de crient.' pea general tlan
mancas entre o Rrasil e a Inglaterra Esla nova baldi fez a sua entrada solemne nesta immensa -
manifestaco publica cm nosso favor me parece trojiole, cheganlo pela urna hora de tarde a estarlo
todava mal definida, porque nao creio que o go- do caminho de ferro aeaoaMaada Nine Eha. O
verno imperial estoja disposto a solver a crise cora patrila italiano seguir deS-.utb. mpioii para aju
anla Promptido, alteudendo a que como parle of- em um trein especial, acompanlud il du.pi-- de
fendida nao ser provavelinenie quera venha a Julherland, de Mr. Seely, membru do p u 1 naciato
mandar prmeiro um agento diplmala para o fim inglez, e de outras pessoas dsiineas, que haviw
de urna reconciliacao. Lord Russell ainda se nao ido ao seu encontr. Chegado a esse punto, fci Me
explicou a respeilo da nova phase em que entrou recebido por grande numero .1 corpura^otu, ruaw
essa questao, nem de presumir que o faca quau-, presidentesIne dirgirara disearsoa elegiacos allus-
lo aos termos era que se resolver esse conflicto vos aos brlhantcs Miles do notawl patriota -. eV-
at que a negOCiacSo haja sido concluida. Eutre- [ neis dessa ceremonia, tendo entrado na rarrnag^m
tanto creio que este gabinete far na actualidade do duque de Julherland, seguio para a reudeam
pelo Rrasil quanto Ihc permillir o seuorgulho, vis-' deste uobre inglez. sendo porni prifeditio por i-
tocomo busca congracar-se cora a opiuio publica, quellas corporaces que aeean anfaanni f.rm.w-
que Ihe tem sempre sido adversa na questao bra- Iho brilhante prestito. No espaco de tres a quatro
s'l'-'ira. milhas, que medeia entre .vpietJa exleas) e a re-
0 governo imperial, havendo actuado com a sidencia destinada a GaribaHi, se acharara forma-
mais prudente reserva na aceiiajao da mediacao dos em filena milhares de neeanna danta captul qu--
portugueza, manifeslou anda o seu justo pulido-1 nao cessaram de viclorar ao Incoe da Mar-ih. -en
or pela volaco da soberana nacional, e aop-; do os numerosos vivas acompanhados >n repeines
nio publica na Inglaterra assim o tem entendido ; dos sinos e das symphonias de ntnnero-n be
mas, desde que nao Ihe era mais pennettido duvi-jde msica que viam ao eucmiro dadjueUa
dar da iniciativa que para urna reconciliacao hava : popular. O general Garibal.li mnafjM > r"1
lomado o gabinete britanuco, cumpria-lhe aceitar j erauco, e pareca verdaderamente ananjanjanja]
aquella proposta de paiz, e assira fazendo obrou dos sentimentos que haviaiu doleriaiiiadw e**t i
raais urna vez de accordo com os principios que
tendera aconservar illesa a honra do nome brasi-
Ihusiasmo popular. A grande eapMai da Grl-Bre
tanba se hava convortido eai lugar de (esta para
leiro. Regeitar absolutamente quaesquer meius da i saudar aquelle, que na crenca de>te povo ten al-
uraa reconciliago honrosa seria improprio de um vado no continente italiano principio da sotera
governo civlisado, tanto mais que pela aeeilaeao na popular; a pois nada se hava poopado par
pura de urna mediacao o gabinete do Rio de Janei- tornar imponente e brilhante essa receptan, qae,
ro a nada se obriga era especial, uraa vez que confiada aos cuidados de diver>as romml-vV* an-
as condicoes do gabinete inglez nao resolvera
de algum modo o ponfo peto qual tem pugnado
com lana honra a naco brasileira. L'nia tal ru-
jeigo demas prejudicara o nosso prestigio pe-
rante a opinio publica, que nos coudemiiara de
impedirmos a tentativa de urna reconciliacao bou-
rosa que sempre desejavel e que deve ser aceita
por Iodo governo.
meadas ad hoc, foi realisada com a geral approra-
ala. As ras se achavam embandeiradas, e a con
currenca nellas era extraordinaria, figuran-to afci
todas as classes, sem excepeo da alia aristocracia
ingleza que em grande numero viera lomar parv
nos festejos elos aquelle dsiincto esirangeir. A
duqueza de Julherland receben general Garihaldi
na entrada do palacio ducal, e ah lvc lugar no
A posico pois m que se acha collocado o gabi- Oa 12 e H a reerpeao que eaaa patriota (et a bhb-
nete imperial continua a ser-lhe rouilo favoravel, I tas corporacScs t pemeaa.
existndo aqui um vehgmcnto desejo de que os es-! Nessa mesma residencia o duque de Jutberlamt
forgos de el-rei de Portugal venham a produzir o i deu no dia 1G um sumpluoso banquete, i
restabelecimento das relaces polticas entre o i de Garibaldi,convidando lord Palmer-ion,
Brasil e a Gra-Bretanha.
As tolhas inglezas annunciararo que o conflicto,
Mr. Oteas
tone, o conde Derby, Dtraeli e mitras pessoa* de
dietineeio. Deste raodo tnlos os parndns te arha-
snscilado entre a legayo franceza e o governo im- vam represeniados, querendo assim aquelle amph>
peral por motivo dapnsaod'umpassageiro abordo trio dar i ana testa um carcter verdadetraamale
do Beame tora amigavelmente resolvido entre as nacional,
parles interessadas. Nos seguntes dias foi o general Garibaldi coavi-
A cotaco dos cambios das nossas principaes dado a jamar em rasa de lord Palmersion, O Mr
pracas sobre Londres to aqui annunciada a 27 d., Gladstone e no Befen Cania, -endo ah tratado raa
i|2 e 27 d. 3|4 por mil ris. toda a dislincco, e ao memo lempo figurara as
A desta praea sobre as do Brasil tem sido reali- testas que no nataeio de rhri sada a 24 d. 1|2 e 23 d. por mil res; he haviam sido preparadas. A sua permanencia
O preco do descont manlem-se ainda elevado, f nesla capital, que durou at 22 do corrente. M
regulando de 7 tfi a 5 l|20|0, segundos prazos j pois urna neqeaeia de irinmphos, sewlo nroada
em que sao feitas as fransac-es. pela ceremonia com que foi aqoelle emineale pa-
Os consolidados ingleses 3 0(0 tem regulado a 01 trota proclamad eiddafl da Cf de Lmaira, rr-
1|2, 91 3(4. remona que foi execranda |xir um ilelegato 4r k>rl
Os fuudos pblicos do Rrasil de 5 0|0 a 101 1|2;! Maire na ra^a da municipalidade na orei*
e os de 4 1|2 0|0 de 1858 a 91, Picando os desta es
pede de I8b3 a 88, 88 l|t
Os iwrtuguezes 3 0(0 ficam a 49 1|2. Os Hespa-
nhes 3 0|053 1|2. Os sardos j0|8 a8tl|l
Italianos S 0|0 a 07 3|8. Mexicanos 3 0|0 473. E
os Turcos l|0de 18.'ji a 'JO 3|4 exdividendo.
As aecesdas nossas estradas de ferro ficam pelas
seguntes COUcSes : diUs da Rabia a 17, islo
com .3 de "descont ; dilo do Recife 17 l|2,
com a? 2 l|2de descont editas de S. Paulo a S 7
7|8, slo com 1(6 de descont, havendo smen-
te 8 de entradas. Este estado desfavoravel as
nossas emprezas torreas exclusivamente devido
a negaco por parte do governo imperial da ex-
tensa da garanta de juro e ao pouco desenvolv-
todos os vereadores, e de um concurso eitr w naro. liaribaldi fez o trajelo desde a tasa de Mr
Seel\ al a City cercado das maiores evarrs pa-
pulares.
No meto porm de una to extraordinaria to*
nacional, veio a razo de astado espaldar o *>sfe~
to, porquanloGariba|ili,eei|. inlo s-gundo e rre jr
ramenle, as Indicaeoes .leste governo. toterawana
abreviar a sua visita Meto reino, segurado para
Crapera antes mesmo de realizar HM viage a
Ririiiiiigb.'im, Manchesle, Liv.-rpool tlasgow. pa-
ra onde havia sido convidado.
Na opimo de uns foi a ga*OTH franrez pie pr-
meiro reclamou contra a exritarao apii nMnasl
em favor de liaribaldi : na opini.lo .!- .Hiir.H M
ment de trafico, que por emquanto se observa Ausiri.i, que allegando essa mesma excitar* *
as nossas linhas torreas, que ja se achara expo- clarara deferir at mais larde a sua presenra na
radas, embora tenham ellas a garanta de 7 0|0 conferencia de Londres. Mas esie* ni iivo n pa
que vira a ser reduzida na razo do capital exce-
dente ao garantido que houver de despender-se, e
na razo das despegas que a companhia houver de
fazer com o csicamente.
O algodo de Pernambuco tem sido vendido no
mercado de Liverpool de 26 d a 27 d. 1|2 por li-
bra ; o da Baha de 2o d. I|2 a 26 d. |n>rlibra j e o
do Maranho a 27 d. 1|2 por libra. O pedido des-
se artigo tem sido forte, pelo que na ultima quin-
recem ptaasitetl, sendo talvez para arr
que a verdadeira razo astaj i na temtoiKia qK
Garibaldi moslrava para enirejar-se no* braros .t>
Mazzini. que aqu Ihe preparara tambera tanlo^
festejos!
Na actualidade em que o nome densa ajaalnwm
do republicano allnente odiada era Fr.
governo britannico nao isa -jtria velo alli^aV. r a
o de Garibaldi. .piando aatS patriota se achara a^at
zena subiram os precos daquelia nossa produeco noa]iogeii da piura.
na razo de 3|4 d. a 1 d. por libra. Inierpellado na cmara dos commun*. v- r
O cacao do Rrasil tica de42 s. 60 s. per cwl, pa- re|>entina delihcraco de Garibaldi. lord Palmer -
go 1 d. de direito por libra. Caf de primeira qua- lon declaran que (.'ira ella livremenle tomada p**
lidade de 73 s. 82 s. per cwt; dilo de segunda 7o s. aquelle patrila era virtu.le do s.u e-taito a> san
6 d. 74 s. per cwj; e ordinario de 60 s. 70 s. per de, sendo que jamis o governo (ranea >Te-r
cwt. Pao Rrasil 70 s. 75 s. por tonelada. Assucar reclamado nesse sentido, ao que d.....
branco de Pernambuco e da Paradina de 30 s ('? d. le de l/indres nao daria a.-olluni-n-, ..Urani. Mt
a 34 s. per cwl; mascavado de 25 s. 6 d. 30 s. 6 d. Gladstone exprmio-se nos mesm u i n" il >
per cwl. Dito branco da Babia 30 s. 33 s. 6 d. per ramio n<> haver infinido do aninw e i^ribaldi
cwt; c mascavado 25 s. 6 d. 29 s. 6 d. Couros sec-; nesse sentido.
eos do Rio de 7 d. a 9 d. 1|2 por libra. Ditos do f anos meengs tom lulo liwrar para praiestar
Ro Grande 6 d. a 7 d. por libra; e salgado do Rio i contra a repentina partida da GaaelteJdl .Ukiantto
Grande de 4d. 1|2 a 6 |H>r libra. i que este successo tora originado por u*w pre*ao
Na ultima quinzena houve o seguinte movmento dos governos estrangeiros.
martimo entre este reino e alguns portes do norte | Espera-se, porm, ajae rene pa.rn.u -nna a*n-
do Rrasil. De Ransgate seguio (8) para a Baha o cegar a ojinio |Hiblica, deakaanagn ra n mmt-
navio Carolina ; de Liverjiool Uhomlda (19) para o \ feslo as razes que teve pan a sua me^eaena
Cear ; e de Liverpool Lityof Ihe Si*l((i (2D) para partida, razes que se Hppe anaentna dn eu-
Pernambuco. do de sua saude ainda n>l.udros*. GanbaWi >*-
Do Brasil chegaram a diversos portos oeste Re- gira de Plyraoulh aera aprcra bord doiteaa
no-Unido os seguintes : de Pernambuco The Fturist t do duque de, Julherland. Guernsey (9) a Gravesend; da Rabia Tnlbul (11)! mniher e rai o acompaarlo ali
a Liverpool; de Maceito/m MnyaH (10) a Liverpool;! No dia 20 do corren teve com eltotto '"
de Pernambuco '" ui\\* i ,,'.,n,Ai a Cmws i .i.i.riora da MnAmMla i\momj
The Art inte (I
bou!(15) a
town ; da Baha Giizean (16) a Liverpool; da Pa-
rahiba Hesolutinn (16) a Liverpool; da Paraniba
Urecian (18) a Clyde ; do Pernambuco James Scott
(19) a Gravesend ; do Cear Georgiana f W a Li-
verpool ; do Rio Grande Linda (18) a Liverpool; e
do Maranho Despique (20) a Liverpool.
Sua magestade a rainha seguio no da ao do cor-
rele cora sua real familia do Castello de W.ndsorn
para Osborne, onde vai permanecer algum tempo.
Havia das que essa augusta senhora recebera era
Londres, no palacio do Ruckingham. o corpo di-
plomtico e oulras pessoas de dislincco, u que leve
lugar em duas occasics dfferentes. Era a pri-
meira ve* que, depois do fallncimonlo do principe
cansarte, sua magestade britannica recebia em pu-
blico o corpo diplomtico o mitras personagoos da
corte, se bom que o (izesse sem o cere.munial das
grandes
corle.
senie os plenipotenciarios allemaes. pie |*r n*,
haver ainda rhegaito o baro ito B-mi>i. (epreaa
tanle da Dieta Germnica, haviam rr-cwbiaV Mttoai
de saiis respociivos governos para nao anaparwe-
rem.
Desle modo aquella reunan foi apenas urna fer
malidade, sendo reservada para o da i." !. cor
rente a. primeira sessao em quo lera lugar a prin-
cipio dos debates. Entretanto afirma e qtw I-id
lUnsell propnzera j a raafereacn um arnn*tieio.
me pravavelmenle sera accedo pela Austria e
Prussia, agora que a l'rus-ia salvou ja o sen re
nome militar com a recente tomada dr
Lord Clarendon, que hoje I iz parte leste |
| le, aoaba cto regre^sar de Pars, onde toi manda-
do era misso especial, cujo fim todava '*"***-
rocepcoes segundo o costome i**, S^a para detofiBMr o^aeavw do mp*raiV I apoi'ar a idea de um armisticio anana panadas *-
El-rei da Blgica que aqu permanece",, durante Irabalhos da conferencia, ou para .temi>r.-T
dous mezes, seguio no dia O do '- en, DineltJ das Tulherias do seo gigantesco ,afaaar
Rruxellas, onde negocios do eslni^ requerCm a sua ; voto popular apphcado a questao daw. aHeaata
presenca. contmuando a|i a ^ ministerial apezar Ninguem o sabe com certeza, menos o meada et>
do


4e rcrsaMfene* Hext* felr* 13 e Mato de 1 *4.
-
se ae.ha complelo o pessoal da coufe- freeoraraeiidado pela Franca para soluco do assump-
repria que tem de iniciar em breve importantes to. Todava nao natural que as demais potencias
trabadlos sol a presidencia de lord Russell, minis- propendam para semelhanto combinaeo.
tro a secretario de estado dos negocies estrange- A presenea do lord < larendonem Pars favorece
res de S. M. Bi itannica. as conjeeturas dos partidarios da paz. Julga-se
Acha-se finalmente resolvida a questo monar-' que conseguir restahelecer a harmona entre os
chita no Mxico, havendo o principe Maximiliano governos francez e ingles, assegurando assira a paz
d Austria aceitado no da lOdo corrente, em Mira-, europea.
mar, a cora imperial do Mxico. O Sr. Gultieres; Reunio-se a conferencia no dia 20, mas foi addia-,
de Estrada, presidente da depulaco mexicana, llie da para 25 porque se nao acliavam presentes os
dir(gio nesse memuravel da un discurso solemne representantes alleines ; mas neste da reunio-se
abusivo ao suffragio universal que proclamou segando consta das participaces telegrapbicas re-
:n|iieile principe imperador desse estado, solhcitan- cebidas em Lisboa, estando presentes por parte da
do ao mesmo lempo ile sua alteza imperial a graca Ausjria o conde Appony (embaixadorleo barao de
de acceder aos veliemeiiles desojes da naco me- Btogeleben ; pela Russia, o barae Brunnowjew-
Xicua. baixador) e Mr. d'Ewers; pela Prussia, o barao de
lrn reosla declaren SOS alteza imperial que Benistorh* (embaixador) e Mr. do Balarn ; pela
accfcitava a coroa imperial, c sendo imuiediatamen- Suecia, o conde de Wachnilistar e o barao de
te proclamado pela depulaco Imperador, foi para Adlersvvald ; pela cunfederacao germnica, o ba-
rago salva real de vinte e un tiros. Immediatamento principe Lulour d'Auvergne (embaixador) e ocon-
S M Imperial nomeou seu ministro de estado sem do Doiezae ; pela Inglaterra lord John Russell e
pa-la o Sr Velasqnes .le Len, a quem encarregnu Mr. Hammond ; pela Dinamarca, Mr. Quaad, mi-
de luolilca as potencias estrangeiras o seu acces- nistro dos negocios estrangeiros, e o conselheiro
so ao throno imperial do Mxico. Este secretario Krieger. .,,..
de wiado leve logo depois de referendar a conven-, Preside a conierencia lord John Rassell.
o pela qual o Mxico se obriga para com a Fran- O barao de Beust tem instrueco para empregar
ca k diversos compromisos pecuniarios resultan- os maiores esforcos para assegurar a autonoma e
tes la expedico francez bem como das diversas independencia do Schleswgllolsten.
reclamares pendentes entre subditos da Franca e No dia 26 foi proposto a conferencia o armsticio,
o gi ven., mexicano. A somma de dtizeutos e se- mas havendo os representantes da Prussia e Aus-
teiiia milhoes de francos estipulada para indem- tris declarado que nao tinham inslruccoes para
nisaefiojdas despexas com a dita expedico, obri- tratar deste ponto, a conferencia suspenden as snas
gando-ae o Mxico a pagar de prompto ee'm moedal sessoes, e ignora-so quamlo reunir de novo.
sessfentt milhoes as outras qaantias sero capita-1 Parece que lord Clarendon affirmara que a In-
usadas em futidos pblicos de 3 % na forma da glaterra considerava um accordo com a Franca em
convencao. todas as queslSes europeas como proprio para fa-
As (oreas franceai evacuarlo o Mxico, me-! editar soliieoes definitivas que consolidem a par e
didaj que o imperador Maximiliano organisar o I prosperidade geral.
exercito nacional, salva a permanencia ali da le- j (-orre que por um accordo entre os gabinetes de
giaoi Iranceza esirangeira durante seis a unos. O, Pars, S. Petersburgo e Londres, se dara a confe-
sold de cada praea franceza que ficar aoservieo derseao germnica o llolstein c parte do Schleswig
do Mxico, arbitrado antiualmente na razio de; situado ao sal do Danncwerk, que assignala urna
de mil francos por cabeca. especie de fronteira natural. O resto do ducado
Seas Magestade imperta. seguiram ja para \ caria sob o dominio da Dinamarca.
Vera Cruz, leudo porm i lo de caminho receber ai O principe Cousa, do Moldo- Valachia incor-
ljein-ao apostlica do santo padre Pi IX. No dia reu no desagrado da Russia, da Austria, e da Tur-
19 M achavaui ainda em Roma. 'I'!- As duas primeiras potencias accasam-no
As noticias dos Estados-luidos chegam at t do de abrigar e proteger os emigrados hngaras e
corrente. I polticos, que daquelle territorio sopram o fogo da
Alcntara dos representantes de Washington, discordia na Podoba e na Hungra.
resolver na sua sesso de 4 protestar unnime- [ A Turqua recalcitra contra a secularisaco dos
renle contra o actual estado de cousas no Mxico,, conventos, contra as reformas em que ve menos-
declarando ser contraria i doulrina de Monrc a cabado o se'u direito de seguranca.
Falla-se na existencia de um tratado, entre os
I tres governos, para oeeupar os principados Danu-
melie porm resultado serio, por quo o governo fe- j *
deral agora a bracos com a guerra do sul, nao,
(jueiera por certo lut.ir com a Franca por motivo
gueiroa, Gervasio Campeilo, Witruvio Uin
ceira, major Salvador Henrique e padre
Linoi
O Sr. secretario perpetuo da conta do segrate
expediente :
O sarcphago, que enmprehendia o espaco do
ngulos do edificio era construido sobre um cor-
nijamento, guarnecido dn dentrilhes, e perlis de
prata, e apoiado em columnas em forma sextava-
da alcanzando as extremidades outros Untos
nao melhorar de urna doenca gueira, Gervasio Campeilo, Wnruvio IJjnio" Ba-
il Oddone. ceira, major Salvador Henrique e padre mestre
Parts, iniligilado
mmaiiuul no M-
xico. Diz-se que ser substituido por Cesar Cantu,, __~
historiador bem conhecido. Umofflciodo Sr. Dr. Aprigio parlrjrado. rijio obeliscos. Sobre a superficie, em que estavam ar-
Foi eleito em aples para deputado a candidato ter podido comparecer a sesso anterior.-^toj- -dende os cirios, soerguia-se um sumntoo exaltado Cairoli, sendo vencido o candidato minis- rado. 0 c J feorior recommendarel n*0 spelos lavores dos
terial Colonna. Outro do Sr. Vriato Sergio de Honra Mattos, brocateis da scultura, como tambem pela rica co-
0 governo italiano vendeu ao bancario Roths- servindo de endereco a um compendio de Geogra- roa, .pie formava a pyramiae.
child os caminhos de ferro do esUdo por com m- phia Lniversal pelo commendador Basilio Quares- Debaixo de um balquino lgubremente enfeita-
Ihes de francos. ma Torreao, o qual olTerecia ao Instituto.-Recebi- do se achava o tmulo, que receben osTe.totnor-
O novo imperador do Mxico foi recebido em do com agrado, manda-se archivar. ues daquelle que por suas virttides, por seos con-
Roma pelo Summo Pontfice com a raaior cordiali-1 'na brochura biographica do Exm. bispo conde selhos, e por sua vida sem mancha servio de segu-!
dade. :onsU qne S. Santidade exprimir Xapo- capellao-mor, composla pelo Sr. Dr. Francisco Ma- ro norte a um povo inteiro, que em sua justa dor,
leao III a gratidao pelo felix desenlace da questo noel Ka pozo de Almeida, que a olerecia ao Institu- niio lem lagrimas basunle para chrala
mexicana, oque para propiciar ainda mals o gabi-, to.Receida com especial agrado, mandado ar- O quadro do eniabolamenio era guardado por
nete francs tenconasse elevar a rardeal, mgr. chivar urna gradara, que communicava para baixo por
Merod, fazende eom que parla para o Mxico na | E lido o segutnle parecer : | nina escadaria bem construida, facilitando, desia
qualdade de nuncio ; terminando assira as ques-, A commissao do undos e ornamentos tema arle, a subida dos liis ao tmulo do paslor. Ah
toes que por sua causa tem havido com o governo honra de apresentar apreciacn do Instituto o or- so achava, chronologcamentc, narrada a vida do
fraocez. Accrescenia-se que tambem ser nomea- jament da receita e despeza com a modilicaco vo- prelado, nestas resumidas phrases:
do cardeal oabbade Luciano Bonaparte; com esta tada na sesso ullima, aparte relativa ao saldo
Nasceu em 4 de maio de 1777.
Commendador da ordem de Christo do Brasil
Recebeu o habito de conego retirante em 9 de
Janeiro de 179G.
Professou em feverelro de 1799.
Foi ordenado presbilero em 22 de julho de 180'.
Celebrou a sua primeira missa em 12 de agosto
de 1804.
concesso o governo francez empregar todos os verificado no anno anterior, e que passa para a re-
meos para no caso do fallecimento do actual ponli- ceita do presente.
ce a eleicao do sacro collego recahir naquejlc | Sala das commissoes do Imtituto Arctmlatjico
membro da familia imperial, que conduzir a Geographiro Pernambucaiio, 27 de abril de I8t>i.
questo de Roma urna soluco fcil. Diz-se tam-1 Wi/rurw P'n/o Bandeira.Barros Fuldo.
bem que Po IX pensa em recommendar o novo' Posto em discusso o parecer e orcamento, sao
cardeal ao sufTraglo dos cardeaes -, e que a pre-' approvados.
senca dos soldados francezes favorecera a ope- L-se em seguida esle outro parecer da mesma
racao. commissao.
o dia 17 foi recebido pelo imperador em au- A commissao de fundos e orcamentos, a quem
dencia solemne, o enviado extraordinario e mi- foi presente a proposta do Sr. 2o secretario sobro
nistro plenipotenciario do Mxico, D. Jos Hidalgo, extender a porcentagem do continuo, consagrada!
encarregado de apresentar a carta pela qual o im-' no art. 3" dos addcionaes, s mensalidades dos so-1 Foi nomeado thesoureiro-mr da s do Rio de
perador Maximiliano notifica a sua accessao ao cos, entende que importando esla medida em ad- Janeiro em I80t>.
ihrono mexicano, e as suas credenciaes. ditamento aos estatutos, como tal acha-se fra da i
Um telegramma de 2o diz que o emprestimo | sua competencia o parecer a respeto. E pois de- Monsenhor da calhedral, e capella real do Ro de
mexicano se acha subscripto na sua totalidade. xa de emit-lo, declinando para a commissao de, Janeiro em 13 de mao de 1809.
Obteve fcilmente premio. i Revista.
Os ttulos sao emittidos pela companhia do ere-1 Sala das commissoes do Instituto Archeotogico
dito movel de Mr. Pereire, soudo-lhe permittido e Geograpliico PemumbucaHO, 27 de abril de 1804.
duplicar o seu capital por meio de novas obriga-.Witruvio Pinto B'indeira.liarros Fulco.
cocs com juro. Entrando em discnsso approvado sem dbale,
O imperador Maximiliano obteve permissao de sendo remettido commissao de Revista.
recrutar um corpo de cinco mil voluntarios aus- O Sr. Dr. Witruvio Pinto Bandeira relatando a
triacos destinados a servir no Mxico. commissao de admisso de socios, apreseoiou um
Os soldados e inferiores tero urna graticaco parecor_sobre propostas anteriores e era vrtude
de 23 50 florins; recebero com a sua baixa no delle, sao votaaos e approvados socios effeclivos os
lira de seis annos, trras e instrumentos agrcolas. Srs. Drs. Francisco Leopoidiao de Gusmo Lobo e i novembro de 1829.
A drecco do Lloyd austraco fez um contrato para Antonio Maria de Faria Xeves e Jos de Vaseon- i pK.> .. -- nnmn .
transportar os voluntarios de Trieste paraVera Cruz cellos ; e socios correspondentes os Srs. Drs. Ma- oSn^S v.gar.o capitular em
em cinco barcos a vapor. ._.... riano Joaquim da Silva e Manoel da Costa Hono-1 at agosl ue lBM
Confirmado na escolha de bispo em 28 de feve-
reiro de 1831.
Cavalleiro professo da ordem de Christo em 2M
de junho de 1809.
Tomou
1829.
conta do bispado era 9 de oulubro de
ingerencia que os gabinetes europeus buscam llr-
marinos-negocios da America. Este voto nao pro-
do Mxico : entretanto essa noticia causou aqui
tima certa simsaoio.
Ejtsvs destinado para lo o sorleamento em Xo-
va-\tork, onde o governador fizera reunir mas de
dez mil homens pelo receio de que exemplo dos
.iiceissosdo anno ultimo a populara busque op-
pdr-K iqneHa medida.
Um ligero combate uvera lugar entre os belli-
{eranles junto de Alexandria, na Louisiania. Os
(edenes nsvfam fette 500 prisioneiros. O general
confederado Forres! baria deixado o Kentuky, di-
rigindo se sobre Memphis quo ia atacar.
varas esnhoneiras federaes de cruzeiro no rio
Reuge, haviatn capturado grande porcao dealgo-
do.
O premio do ouro ficava em Nova-York a 7q.
DIARIO DE PERNAMBUCO
l-'elo vapor francez Guirniw, chegado hontem da
Europa recebemos carias e juinaes : de Hambur-
go a 20, de Londres at 23, do Porto at 20 e de
Lisboa al j 28 do trrenle.
O jonialisiiio europeu nao se canea de narrar o
esplendido aoolhimeoto feilo a Garibaldi em Lon-
dres e outras cidades de Inglaterra.
O enlhusUsmo e as deraonsir.icoes excedem tu-
do qpanto aule iorineule se lem feilo; al mesmo
ao recebiuienio da priaceca Alexaadra noiva do
principo de Galles.
Todas as classes da sociedade tomaram parte
aas deinonslraeoes; desde o duque e par at ao
operario; lodos os partidos desde o loiy al ao ra
dieal, lodos se laiil'undiraui no mesmo senliinenlo
de eiilbusiasmo.
(i.iribal.li foi visitado pelo principe de Galles,
Laii(|ueieado por lord Palmer.-iot, festejado por lord
tu>sill, lord Clarendon, o dut|ue dt%Welliagton,
manpiec de Shafiosbui y, e priucipaes pessoas da
lidalgia biitannica. Eui sua casa se via eoulinua-
tne.ile as deputagoes operaras e das municipalida-
des de varias cidades.
No palacio de crystal emSydenhan recebeu Gari-
il'li nina espala de honra; o comil italiano apre-
seutou ao general um chapeo armado em que esta-
vam bordados ouro os nemes de Ruina e Veae-
za; o lord mayer e os vereadoies em corporac/io
apre:eiilaiam a Gaiibaldi o di|iloma de cidadao de
Loa i 'es dentro de urna caixa de ouro As ban-
deiras, os repiques d^s sinos, os cortejos, e lodos
os signaos de ivgo.-ijo, ludo pouco para solemui-
sar a passagem de Garibaldi pela capital da Gra-
llielaulia.
Expika-se a alacridad* com que a aristocracia e
O govemo britanmco coscaran em Londres, a Ga-
ribal'li. mais pelo calculo do que pelo sentimento
de adiniraco b enthusiasmo.
bisos, e destruir a organisacao decretada pela
conferencia de Pars. AQIrraa-se que tropas aus-
tracas, moscovitas c oitomanas se concentrara as
margeos do Danubio e do Ruth com sinistras in-
tencoes; e que o predilecto da Franja e da Ingla-
terra est em risco de ser desapossado da sobera-
na. Os joruaes semi-ofHciaes dos Aslstn e Rus-
sia, comceam a preparar os nimos para um golpe
decisivo ; qaeixam-sc do principe em termos vi-
lenlos, attribuem-lhe designios revolucionarios; e
susteMsn que a questo dos principados nao tar-
dar em atirahir a exclusiva alinelo da Europa.
A Inglaterra pronneiou-se contra o arbitrio re-
lativo aos conventos dedicados, no.lardou em sus-
peilar das mlencoes do principe de Gortschakoff.
O sen embaixador sir Henry Butwer conseguio,
depois de multo lidar, reconciliar a Porla coma
reforma decretada, medianto urna inderanisajo
aos conventos do culto grego existentes em terri
torio otiomano.
O principe Cousa foi advertido para vigiar atten-
tamento os movimentos dos refugiados que se in-
trouzcm nos seus dominios ; mas, ncm a Ingla
Ierra era a Turqua pensara era mover hostilida-
des com semelbante pretexto.
A Prussia pode dar o seu apolo Russia porque
nao tem interesse directo na questo ; em quauto
se tratar so de despachos diplomalicos : entreanto
porm que se nao querer comproraelter cora a
Inglaterra ofl'erccendo auxilio material.
Tamo em Vieona como em S. Petersburgo tre-
me-sc ao peusar que Kossulh ou Mieroslawisk
escolhendo os principados para base de operacOes
obngam as duas potencias a pesados sacrificios
para comprimir novas insurrejocs.
E" possivel que alcancem garantas contra o
perico (|ue receiam, mas nao s mais do que
duvidos.-i que se liguem para aggredir os principa-
dos como provavel a recusa do governo do Bu-
oharesl a subscrever a actos dt perseguo con-
tra os emigrados politices.
Escrevem de Consiantinopla que Alli-Pach re-
clama das potencias europeas auxilio para a solu-
co da questo dos conventos moldo-valacliios.
Vo-se facer importantes inodificac,des no
corpo diplomtico prasslano. O principe de Renes,
actual ministro em Cassell transferido para Bru-
sellas, e substituido era Cassell pelo primeiro se-
crotario da embaixada da Rsela Mr. Pnch ; Mr.
Werthern, ministro residente em Lisboa, trans-
ferido para Madrid. 0 conde de Brendenburgo,
secretario da enbaixada em Londres, vera para
Lisboa.
Faileceu o re Maximiliano II da Bavinra, a
archiauqueza BIMegarda sua irmla, e a Land-
grave de Hesse, Luisa Carlota.
O re de Wurtemberg anexar dos seus oitenla e
tres anuos, parece restabelecer-se da grave enfer-
midade que Ihe sobrevida. A rainha de Hollan-
I da o sen llilio dlspdo-se a regressar de Stuttgardt
para a Haya, viudo livre de pongo.
- O re Luiz II de Baviera aelia-sc justo para
Eleito bis|K) de Pernarabuco em 18 de outubro de
1829
Foi agraciado com o titulo do conselho em 10 de
Sagrado era 2o de maio de 1833.
Concluio a guerra de Panellas.
Assistio a sagraco de S. M. 1. o Sr. D. Pedro II
em 1841.
Lancou a primeira pedia
em 7 de selembro do 1843.
na matriz de S. Jos
O imperador devia sahir de Clvita-Vechia em rato,
drecco Vera Cruz com muita brevidade. i Vera mesa duas propostas dos Srs. major Sal-
A situaco do Mxico parece nao ser to lisoii- vador Henritjue c Dr. Aprigio, indicando dillereu-
geira como a aprsenla a imprensa ministerial tes senhores para socios elieciivos e corresponden-
franceza. Xas princpaes povoaces predomina, tes.Sao mandadas a commissao respectiva,
verdade, a nterveogo franceza, mas as guerri- levantou-se a sesso.
Ihas andam sua vontade em varias provincias e Os religiosos carmelitas desta cidade celebra-
especialmente cm Jalapa. rain hontem um offlcio solemne pelo repouso do
O major Qardarin est bloqueado em Tabasco diocesano, fazendo a oracao fnebre o Rvra. padre
pelos soldados de Jurez. Diz-se que algumas cen-'' raestre Lino do Monte Carinello.
tenas de voluntarios armados por Francezes em | O templo eslava coberio de luto, concorrendo ao
Campestre, fugirara para se entregar s depreda- acto as ordens religiosas e o clero em crescido nu-
coes e roubos. mero.
As Jorcas navaes sioinsufcientespara bloquear l'm batalho da guarda nacional fez as honras
todos os portos e surgidouros, e os cutters ame- fnebres.
ricanos introduzem armas e muniedes despeito Na quarta-feira ultima teve lugar o concert
da vigilancia franceza. da menina Anglica BoUini, que efeclivainente dou
Est a morrer o padre Miranda, que tanto tra- vantajosa copia de seu aproveitamonio quer no pia-
halhou para cstabelecer um compromisso entre o no, quer na rabeca.
arcebispo eo general Neguc. Nao provavel que Neste instrumento a qne no entretanto pouca ap-
nigr. Labaltidi reprima as suas tendencias fac- plcaco tem tido, moslrou deseraharaco e urna
ciosas. execuco bem notavel, na phaniasia sobre a opera
Pelas nltimas noticias de Nova-York consla que / due Foscari, que escolheu para a sua estra. A o
a cmara dos representantes adoptou unnime- piano, porm, que ella desenvolveu sua vocaco' portas e as avenidas.
mente a mocao seguinte :que Ihe nao sao in- musical. O teclado dcil presso dos seus dedi- Xada fallava para augmentar o respeto o a de-
differentes os sac^essos do Mxico, que o povo ribos, que brincavam sobre elle coma viveza n- vogo. Por essa occasio foram preench idas todas
t dos Estados-Unidos nao adraitte o estabelecnion- fantil, soltavam sons opulentos de liarmonia e que as ceremonias rituaes.
to do seu governo monarchico sob a proleeeao arrebalavam a alma pela communicacao a esta das Xo dia segrale (6) foram envidados pelo digno
das potencias europeas. diflerentos impressoes, que eram nelles traduzidas. vigario capitular Dr. Joaquira Francisco de Faria,
O senado, porm, addiou indefinidamente o seu, x phantasia sobre motivos da opera Im Fiylia os regulares e segulares do Recifo o Olinda para
xame sobre esta mocao, mas de crer que logo ,iel Regiment, acorapanhada pela grande orcuestra celebrarera uraa missa de corpo presente por alma
que termine a guerra civil, as decisoes dos legis- revolava o seu genio, se esle j nao fosse conheci- do virtuoso prelado, mediante esmola de 35000.
laderos norte-americanos sejam ainda mais signi- ,i0 e apreciado. i Assira como por ordem do mesmo digno vigario
Hcativas ; e que todos os presidentes queteem sido o trabalho dramtico dos curiosos teve a sufll-: capitular foram distribuidas esmolas de l^OO por
expulsos do Mxico, encontrara nos Estados-Un- ciencia proprio de quero, sem escola, segu apenas; todos os pobres que comparecern! na cathedral.
dos auxilios para provocar mas de uraa reaeco 0s impulsos do goslo que tem por esle ou aquello;Este procediraento revela urna immensa juslica de
contra o novo throno. ramo da arle ; e assim fizeram completo o caval- sentimentos, e um louvavel fundo de caridade da
Diz-se quo o general Bocaina pozera fra do Me- lerismo que deseuvolveram em proleeeao aquella parte do seu autor.
nossa interessante e joven patricia. Seguio-se mais tarde o oflieio celebrado pelo vi-
Do Cear escrevem dizendo, que alli cheg- j gario capitular, leudo por dicono o conego Firini-
Nomeadop residente honorario do Instituto d'A-
frica no 1* de agosto do 1849.
Sagrou a Ordem Tecera do Carino em lo de ou-
tubro de 1858.
Dignatario da Rosa em 1860.
Natural da Vflla-Vianna no Minho em Portugal-
Faileceu era 30 de abril de 18t>4.
A calhedral Irajava pesado luto nos altares, as
Xo quero por formula abruma
dade sobre qu-in qurr que seja ;
entreter polmicas sobre-este trislisimo
ment .- antes pelo contrario s desef i
dor que me acabrualu pela norte 4* i
chorado pai.
Nao neg ao Sr. Jos.': Alm I
direito que Ihe asis te. e al ejaei n
seu pai; acho muito Mivavrt sen i
porm oque nao pos coovir ,
seja feila allando-se a verdade, UnrMeVte i
as cinzas dr- meu infeliz pai deeregraMMeMeet
nunca teve.
Os mdicos que esliveram prsenles ase
momentos uv meu lee^re eherxlo pai al
para confundir aos falsos noeeedorw de i
mea pai tinha stimimindo a um staque e .
xia, causada por urna ferie ladifealao de
que ento comia quamlo o* meeeses
verilicarara nao ter lando indigieis sflp
raeu pai ter comido melaucia. -eon es marte ef-
feito de um Maqne de a|M>plexia.
Finalmente a vista do exposiodirri per Bee
ao Sr. Jos Alves Barbosa Jnior qne calmen -
disjiosico me alimenta para com o enbnr ipai.
pelo qiial me levasse a fazr minia rrrnSracie e
leudo em vi-ia" conservar illesa a mcinons o eeen
muilo presado sempre chorado pai, se per-
suada alguem que seja lftco de i
que se n.io sou porluguez di- nasritnesjes, |
e lenbo umita lionra era ser des-end
porlanlo nao devia ser este o motivo peto qool Sr.
Jos Alves Barbosa tvesse Confiado >iia aVetta a
seu honrado liibo.
ParuMam |SN nimtis ilirbm.
lieeile de Pernarabuco. i 2 de uiaie de U*e>t
Antonio Fniniisru ilns .Srcrs.
HKPARTICSO DA l-OLICIA.
Extracto das partes do dia II de mameV IMtV
Foram cecolhidos a casa de itelencio so u I
de maio.
A ordem do lllm. Sr. Dr. ch.-i cia, Ar-n
nio Domingos Lopes, para rerrutt; Twmtmn I
vier Lopes, romo criminse na provincia da Para-
byba ; Manoel Joaquim Ferreua. romo -t>pnt de
ser sentenciado evadido ; Majel Ignacio da SHn
e Leandro, escravo do Dr. Gervasio, se *rUra-
co do motivo ; Apriirio, escravo de FraaeiM
Velloso da Silveira, como fngida
A' ordem do Dr. juiz municipal da priwwira va-
ra, Antonio da rosla da Silva Ma.ltir para com
pnr a pena de qnatro mezes n.
A' ordem do subdelegado de Sanio Antonio, fta-
inio da Costa, para averiguacVs policiaes; Man
Marcellina do Rozario. por embriaguez.
A' ordem do de S. Jsa, Paulina Mara da C*-
ceicn, para averiguacoes policiaes.
A' ordem do da Capunga, Joao Erases lem j>
Mendonca e Manoel Antonio, romo snspntos : Ju*>-
Joaquini da Silva, dispostfia do coronel reen
tador.
O chefe da 2* serce,
/. G. J eVipiiL.
O v.i|or francez Gniew, vindo da Ramea
trouxe os passageiros segrate-
Brumonr. Pietro. Brumone liiiiscppe, Mlte. J-
lienne Renaml, L Alphorae Henry KitonwiH. Lea-
7.a Josephina, l.ouis Margot, Anioine Hevnrj IsrV
Floriano C. de Alboiiuerque, Ferranli PWro. M i-
noel I. de Otiveira, Guilnerme da Silva OnssBre<
sua mulher c 2 lilhos.
Seguem para o Sal :
Dr. Pierre Dausercan. Jos. Paulino R' Barros, Antonio Alves da Silva Ferrrira. Lesa r--
reira Pinlo. Joo Baptista Bov, Car tos A. aV F
Veiga.
Movimento da casa de delenrae, no da 4.
maio de I86'i.
Existiam...... 383 presos
raonosso comprovinciano Dr. Ulysses de Barros
MendonQa, nomeado juiz municipal do termo de
Maria Percira, sendo bem recebido e acollada alli,
c havendo predisposicSvs favoraveis quauto a sua
probidade e intelligencia, do sorte que muilo es-
seu exerclo, chamando ao servido activo os gene- perava de sua judicatura o referido termo.
raes Mac Lellan e Fremont Os separatistas fize-; lu-cebendo de Oliuda agora as seguinles olas ] eterna do seu pai, do seu maior amigo,
ram um reconheciment no rio Vermelho, aoristo- descreptivas do funeral de S. Exc. Rvm.', apressa- Quando foram concluidas as ceremonias e exe-
nando 200 federaes. As tropas do norte oceuparam ,no-nos a da-las nublicidade para saiisfazer ao
U governo receta va que os radicaes, e os demo- casar com una l.ll.a do archiduque Alberto da
crals apoderando-so do hroe italiano, promoves
. Austria.
sem lertos disluibios, e collocasseiu o gabinete em
serios wnbarac.-.
Isoiar o liere popular do intluxo dos homens
turbulentos e inquietos, uduzi-lo a regular-se pe-
las aduioe.-ltco-s de pessoas circuiuspect..s o mo-
deradas, tal ioi o (im evidente do goveruo ingles.
E' Verdade que Garibaldi, raandou chamar Mazzi
ni, acliandose anda em Soulbainploii, e que na
capital visitara ostensivamente ao ex-lerd deabni-
ranlauo Slaosfeh); entreanto as suas palavras fo-
ram sempre commedidas e nao forneceu pretexto
liara tjuaesqaer interpretagdos desmedidas.
o general prometteu visitar Mancnesler.Birmio-
shaoi Seeds, Glaseo* t: outras cidades isaportaotes
de Inglaterra o de Beoossia era principios de maio,
doveudo permanecer em Londres al o fin do mez ;
mas o here italiano miidou de lencao dccidindo
regressar a Caprera no da 22, dando por motive
que .-e achava doente.
E notavel que o general habituado as rudos pe-
rpeeias d.ts eampanbas adeeoa por causa do in-
commodo de assi.-tir a apresentayo das leliciiaec.-
e a tantos banquetes.
A noiK-ta da sabida de Garibaldi causou profun-
da impendi eos Londres eatlriboe-se a Instaootas
do governo.
U/.-O que por occasio da despedida dos opera-
rios, ti gneral man lesura o sentimento de nao
poder permanecer por mais lempo em Inglaterra.
Dia-se que os tormos de i|ue usara nao agradaram
a lord Palmerston; que a couunisso dos opera-
rios responder que <> general gozava pe feila sa-
de e que sua pai n la es poda ser allribuida ao in-
tluxo do governo.
Preparavam-.-e deinonslraeoes publicas sobre o
assurapto; mas a polica teve de dispersar osajun-
taiueuios.
A subseripeo nacional para ollerccer urna pro-
priedade a Garibaldi elevou-se amis de 50 mil li-
bras.
Xo dia 18 foram lomadas de assallo as forli-
licaces de Ouppel; poniendo os Prussianos deb^-r
geneiaes, sesseuta olliciaes o seiscentos soldados;
cansa porm que os llinamarquezes tiseram qna-
tro mil hoiiieus fra de combate dorante o bom-
bardeaiiiciiio e assalto de Duppol. O general Du-
pla! Ioi mor to, e mais de eiucoeiila olDciaes. Os
Prussianos comecaram a bombardeareui Soudora-
burg no dia 20, ao sera preveino alguma com-
nieitendo a bai bandade de assassinar nulheres e
crianeas.
A cidade de Berln illuuiinou-.se espontneamen-
te em presenea da victoria de Duppel, e o re da
Prussia envin logo um telegramma agradecendo
a ded i'-,.c:oi dR tropas, pai lio era seguida para o
Setueewiji, alira de teslemunhar pessoalmeute ao
exerclo o seu jubilo.
O rei Guilherme deciarou que a causa
cades ra para elle urna causa sagrada e que
eslava senanieute terminado, nem o saogue se
dtrraniava innuiilmenlc.
Dizein una que o general Gerlach, tendo fortifi-
cado a ilha de Alsen aguarda all o inimigo coman-
do com o auxilio dos vasos de guerra para repelhr
qualquer ataque. Dizera outros que os Dmamar-
quezes nao lardara era sahir da ilha, dingindo-se
Tuaborg e Svendnorg.
Assegurase quo nu caso de se mallograr a con-
ferencia de Londres, por causa da opposicao da
Prussia ao accordo austro-franco-bntannico, a Sue-
cia entrar logo na lula em prol da Dinamarca, e
as rondicoes do conflicto mudarao inleiramente.
Pare, porm, natural que satisfeita a gloria
0 duque de Dalecarlia casou oo dia 10 em
Alleraburgo com a princesa de Saxe Aliemburgo.
O duque irnio do re da Suecia.
0senado do ducado do Nassau dscutndo o
projecto de respoela a falla dollu'ono, consigna o
desconlenlanienlo do pai/. 0 presenea dos actos do
governo. Os ministros observaramqueo duque so-
berano nao acotoeria a mensagemi Xa casa elec-
tiva reproduzrara-se as raesmas qucxas no pro-
jecto de resposla, e Mr. Warren repeli que o dn-
que nao receberia resposta alguma, i|uc com-
preheudesse censurar ao governo. Em seguida
propoz-se o requerimenlo era substituirlo :
i Augusto duquecorae o corarassario de V. A. Mr.
Warren nos prohibi a censura ao governo, e co-
mo a cmara nao acha moiivos para o louvar, s
nos resla declarar pelo theor mais respeitoso que
continuamos a ser de V. A. liis e obedientes sub-
ditos. Suppoese que a inogo seria approvada.
0 ilunitrur publica uraa carta do imperador
a Mr. Fauld, ministro da fazenda era que pondera
que o paiz se deve prevalecer das outras circums-
lancias para desenvolver a sua prosperidade.
Kntraram..... K)
Sahiram...... tt
Existem....... 352
xico o general Sant'Anna, apenas vio que o seu
proposito era semear intrigas. O general Santa
Auna retirou para Cuba e appellou para a deciso
do imperador dos Francezes.
Vidourri pronunciou-se contra Jurez, e diz-se
que esto abdicara ao general Ortegas.
O general Grant contina a reorganisar o
A saber:
Xacionaes..... 24W
Eslrang-'iros... :w
Mulheres...:..
EstrangeintN... 1
Esclavos...... 4
Escrava;...... 4
no de Mello Azedo, subdiacono e conego Antonio
Jos de Souza James, peranle o concurso das pes-
soas mais gradas da sociedade, como presidente,
chefe do polica, e de repartices, cor|>o consu-
lar, o commereial, etc., e peranle a mullido do po-
vo, que nao poda resiguar-se com a ausencia
a publicdade para
Alexandria no Mississipi. quehaviainos promeltido:
O governo de Portugal apresenlou s cortes o fnebre cortejo, disposto como j foi des-
o contrato de venda do caminho de ferro do sul cripta pelo seu Diario, .as 8 horas foi encontrado
companhia ingleza caminho de ferro de sueste n0 Varadouro, pelos seminarista-, varias rinanda-
por 224:000 libras esterlinas. des, e um crescido numero de povo, que esperava
Continuava na cmara dos pares a discusso do gggg encontr com anxedade e sollicilude de ver-
parecer sobre a questo de labaco. 0 monopolio daderos chrstos.
durara mais oito mezes, devondo llcar o fabrico jyah f0 eonduzido S pelo IIIra. cabido, de
livro desde Janeiro de 1865. cruz aleada, o padres que confundan! suas vozes
Chegra Lisboa o principe de Joinville, no pa- coul 0 lgubre sora dos sinos, e depositado em um
quete Oneida. san phago, que se erguia do centro do templo,
O governo pedio autorisaco s cortes para efTec- como um monumento de piedade e reiigio, sup-
luar una n'organisaco consular. plicando aos cos o doseanco eierno para a alma
Ainda nao eslava" cm discusso o projeelo para jaquelle que all.-.;ia.
a abolico da pena de morte ; comtudo as corarais- Ksia |,ra archiletonca, nolavel pela elegancia
sties haviam ja dado parecer, que ainda seria ap- (|0 apparato, e mas anda pelo artstico dos debu-
provado na legislatura que eslava a terminar. xados comecavs cora a circuraferencia de 7 m. er-
Tinha-se por certa uraa nova prorogacao das guendo-se al a allura de 30, e formando, no api-
Crtes. ce do fronto, a fachada do edificio, sustentada pur
Continuavam os horrores da lome a dzimar os ^ columnas, que se distinguan! j pela raagn-
insnlsnos de Cabo-Verde. ficencia do ornato, j pelos tres ricos arcos, que
A corle eslava de lulo pelo rei de Baviera. dcscancavam sobre seus capileis delirados.
A cmbaixada japoneza cncarregada de solic-
lar as modificacoes nos tratados celebrados com a Xa fronte desia peca suniptuosa sobresaluam
Franca e a Inglaterra, chegou a Marselha no vapor duas quartellas bem trabalhadas no molde e no
JVfoiisc, sendo acolhlda com una salva d- 21 tiros, goslo, em cuje centro prendiam a altencao os se-
guintes trechos latinos:
O primeiro embolso das deflpesas da guerra do
Mxico permillir supprimir a segunda dcima
imposta no registro de liypoihecas-, medida de ha
minio solieii.ida, e que anda as esnoraucas de
paz, cada da mas firmes, ha de contribuir para o
progresso material, e para a ventura do paiz.
Segundo a convencao celebrada cora o imiiera-
dor Maximiliano, os Francezes evaeuarao o terri-
torio mexicano o mais breve possivel. A legio
estrangeira em numero de oito mil homens per-
manecer seis amos. Onde quer quo haja guar-
nicao mixta, o olllcial superior francez ter o com-
mamlo. Desde julho de 1864 o governo do Mxico
As tropas formavam alas desde o o caes at o ho-
tel, preparado para alojamento dos subditos do lai
como. A mullido achava-se apinhada as ras,
nos caes, na Cannebire, e fez um acolhimento sym-
palhico aos recem-chegados.
O prefeito, o commandante militar e outras auto-
ridades foram compriinenia,-las ao hotel. O gene-
ral d'Aurelles, cm urna curta atlococao, manifes-
lou ao primeiro embaxador Ykevachi-kin-no Komi
a salisfaccio ijue Ihe causava a sua ebegada ob-
servando que ha dous anuos tivera o prazer ue tan-
dar outra embaixada japoneza era que figurava Si-
bata Sadatoro, hoje ministro dos negocios estran-
geiros era Yedddo.
O primeiro embaixador respondeu ao general,
agradecendo muilo a pompa que se osleniou na
sua reeepeo, c manifestuu o pesar que tivera o seu
governo por occasio do assassinato do um official
francez, alias pouco prudente; perguntou depois
noticias do imperador, e quando o general respon-
deu que sua magestade imperial passava muilo
bem, e teria o maior prazer era receber a emba-1
xada. todos os Japonezes se pozeram ora p indi-
nando a cabeca era testemunho de respeito. Os
ouibaxadores" sao portadores de riquissimos pre-
sentes para o imperador Napoleao e a rainha Vic-
toria.
a quesiac do canal de Suez est resetvida a
favor da empreza. O imperador designado para
servir de medianeiro entre Mr. Lesscps e o pa-
cha do Egypto annuindo a algumas reclamaQes
deste, mantcm todavax os direitos da companhia.
abonar mil fraucos anouaes a todas as pracas de:Os trabalhos da companhia proseguem regular-
pret. i|ue I)quera ao seu servico. A indemnisaco I mente. 0 canal de agua doce procedente de ls-
a Franca llxada at I8H4 om 270 milhoes de] mai|a> j hava chegado Port-Saib no Mediterra-
francos, devendo pagar -se em prestacSes annuaes ( neo, sendo completo o successo da empreza.
de 85 milhoes. Urna commissao especial regula-! Ura despacho
Sic transit gloria mundi.
Islc est qui comlempsit vitaraundi.
Fugit velut timbra.
Bealus mortus qui in domino raoriuntur.
Apoc. I v. 13.
Inore... Non est invntum mcndacum. Sine
macula cnim aut Tronum De.
Apoc. 14 v. 1.
Dispersit deditque pauperibus, justitia Ejus ma-
net in seculum.
E do lado opposto out-as nao menores edifican-
tes verdades se liara nos versos :
Vigile qui nescilis
Diem eque lioram.
Dies mei sicut unibra
Declinaverunt.
Vura voniats eleg, judica tua
Non sum oblitur.
Sal. 118 v. 30.
Rursum post tenebras
Spero lucem.
Jacob 17.
Si fuero judicalu scio
Quod juslus evenar.
Jacob XIII 18.
Melus est nomen bonura
Quam ungenta pretiosa
r a indemnisaco aos subditos francezes.
Anda dura a sensaco produzida no clero de
Lyon pelo breve pouiilicio, qne manda all inlro-
duzira hthurgia romana. O cardeal de Bonald
era esperado de Roma. Parece que os conego- e
parocbos estao dispostos a nao assistir sua re-
eepeo. E' urna pequea quebra no accordo e
disciplina que ha de cuslar alguns dissabores
curia romana. Diz-se que o governo tomar o
partido do clero contra o papa, e que esl dispos-
to aps o veto nnovaco propasta, fundndose
as leis do estado que deiermoam que nenhuraa
bulla, breve, rescripto, decreto, mandato, proviso
ou outras determinacoes da corte de Roma, mes-
mo relalvas a particulares, poderao ser receb-
et dies mortus,
ftlc natvitalis.
Eccles. VIL l.
telegraphico aflirma que o bey
de Tunes fra desthronado.
Nosso correspondente de Lisboa envia-nes,
ultima hora, os segiiintes despachos : Duas figuras ao lado das duas balaustradas, que
Madrid 26. Os progressistas de Madrid fazem communicavain com a frontaria pelo fundo, re-
preparaiivos para o banquete de maio. presentavam allegoricamenle as estatuas da triste-
t Londres 25. A conferencia va se reunir za, pranteando o funesto successo. A magnifica
hoje para tratar a questo dos ducados : esliveram pyramide, que reraatava a obra se desfazia ern ne-
presentes os representantes de todas as potencias, gra cimalha, contendo, de um e de oulro lado es-
c Os jornaes dizem que o bey de Tunes foi des- tas advertencias evanglicas :
quias a fortaleza do Brum, salvando com 19 tiros,
aniuuiciou aos fiis a sua ultima despedida dos res-
tos do Ilustre finado.
Na frente da s, commandada pelo coronel ll>-
gino Jos Coellio foi postada una brigada, que le/.
todas as continencias e manobras, devidas aquelle
lUCtUOSO SUCCCSSO.
Assim desceu campa, coberlo das heneaos dos
seus diocesanos o virtuoso prelado, que em toda
sua vida, foi ura complexo das mais esiiraaveis vir-
tudes.
(i conego Francisco Jos lavares da Gama, lo-
mando este ponto por assurapto principal do ser-
rao que pregou, desenvolveu a sua apstheosB
cora a elocuencia edificante, que tanto o distingue
como cousuinmado orador da tribuna sagrada.
Inspirado na intima amisade que tiibulava ao
seu digno prelado e sobre ludo as sublimes cua-
lidades, que o ennobreciam, o illusire sacerdote
viugou cora a uiagnilude do seu trabalho, o golpe
fatal, que ferio esle povo lio no intimo do cora-
eo.
Pelas 3 e meia horas da larde do dia lOdo
frrenle foram pastos das chammas, o' ensobras de
pallia em o lugar da Cabanga, o que foi ocoasions-
do, segundo se suppe |ior descuido da moradora
de mn de ditos casenres; sendo qne sofTreu emsau
physieo, |>or causa da marcha rpida do incendio
Mana da Conceico, que licou um lauto quoimada.
Pedeiu-iios a segrale publicaco :
TeiPlo V. S. publicado no Diaria de 7 do cor-
rente, a rainha reetiflcaeao, relaiivameule a noticia
da morte do meu sempre chorado pai o Sr. Lu/.
Pedro dasNeves, que Vv. Ss. deram na Rsesta
Uiarin de 4do concille mez, em tormos inexactos
lapparece boje o Sr. Jos Alves Barbosa Juniur com
! sua correspondencia asaltada na sua Vnsfa Uii-
iin, insistndo na e\aciido deesa priuicira noti-
cia.
Quaudo vira iterante o publico protestar con-
tra a exaclido dessa noticia, nao live era vista ga-
nad restabelecer a verdade dos factos, alira de sjde
o publico nao fosse illndiao coin nanacates falsas e
parciaes, levandu-ine hoje a crer que informante
de Vv. Ss. sobre este ltete acontecinieiilo o fez de
mansera eeomo lira reservado de fazerdesappare-
cer a responsabihdade moral de (jui; a sua propria
consciencia oarcusa de ler concorrido, quas di-
rootamenee para esse lo triste quanto -ara mim
lamentase! paseamento de raeu infeliz pai.
De novo confirmo minha recifieaeo, de que meu
fallecido pai, nao c uncu tal melaucia, nem lo
pouco mandara chamar o Sr. Jos Alves Barbosa,
conforme diz a Revista Duina de 4 do corrente,
una falsidade, que o Sr. Barbo-a Jnior quer an-
da suslenlar na sua correspondencia de hoje. em-
prestando memoria do meu sempre chorado pai
desregramenlos qu elle nunca teve, sendo muilo
acautelado era sua comida, e at bastante parco, a
ponto de nunca ceiar.
i Diz mais anda oSr. Barbosa Jnior, que meu
unan fra chamar exponlaneameule a meu pai :
falso larabera essa asserco ; o que ha e real
sobre este ponto que o Sr. Jos Alves Barbosa
352
Alimentados a custa dos cofres pblicos----- \-
Moviraento da enfermara nt da l a
de MM.
Tiveram baixa
Jos Joaquim de Fari.is : srlenite.
Salvador 1'er-ora liramlo : fcbre.
Canuto Rodrigues da Silva sarnas.
Teve alta :
Bonifacio, escravo de Manoel Jos? de iHivcira.
Movimenio da casa de deleneao, no da HreV
mao de Mi.
A saber
Exislam. Entraram Sahiram. . 3T>2 ~> 10 pre- |
Kxistem. . :i47
Xacionaes EstnBsgetroi Mnlbeies Kslrangeira Eseravos Escravas . m u i 4 t i 1 t |
thronado.
t Nova-York (sem data).-0 senado adiou inde- ,
finidaraente o seu exame sobre a resolucao da ca-
raara dos representantes relativamente ao Mxico.
t landres 26. Na conferencia que se reuni
hoja para regular a questo dos ducados, foi pro-
havendo os representantes
ira aeclarado que nao linham ins-
Diz-se que o filho do principe de Galle trncC5 Pra tratar deste ponto, a conferencia sus-
numa das maos tem s Ires dedos. K"*J ** uas i
O Summo Pontfice dispoe-se a partir para o nira "e no,ro- *
o porto d'Auzio, na esperanca de que o ar do -
campo contribua para o seu restabeleciraento. Tem i
havido em toda a pennsula italiana recrudescen- j
cia da estacao rigorosa. A nev tem augmentado ;
nao s nos Alpes, mas al mesmo nos montes pr-
ximo de aples.
Xo dia 20 rebeniaram era frente das janellas da
residencia do papa algumas bombas, que destrui-
ram as vdracas
dos du- dos, publicados, impressos ou de qualqeer modo P0*1 o armisticio, mas, haven
ue nada nosto's em execuco sem aulorisaco do governo. "a Rn-5S,a e Ausiria declarado
trneco para tratar deste pon
pendeu as suas sessdes, e ignora-se quando se rU
PERNAMBUCO
UVI8TA MAM.
Funccionou hontem o Instituto Arrheologtco e
mas nao causaram ferimentos. Georaphtco Pernamtnicano, com assistencia do
0 principe Umberto leociona visitar brevemente Exm. monsenhor Muniz Tavares edos Srs. Drs- \
Pars, Londres, e Bruxellas, mas nao sahir de I Joaquim Porlella. Aprigio, Soares de Aaevedo, F- *
ReverUlur pul ves ad tonara suam
Unde erat: et spintus redeat ad
Deum qui dedit illuin.
Eccles. il, v. 17
Ambalavit pes meus ter rectum
Ajuvenlule mea.
Eccles 51 v. 20.
sque in senectutem permanlt illis virtus.
Eccles. 46 v. 11.
Qui manet in charilate
Indes emanel et Deas inea
Joao ep. c i.
Sicut ambulavit in conspeclu
Tuo cuslodisti ei misoriconlam graudem.
, Reis. 3 c. 3.
Feverant cum omnis populus
Israel planetu magno.
Mach. c. 9.
procurara na segunda-feira 2 do corrente a raeu Leonilla Ignaca da PiirihVacao,
.47
Alimentados cusa dos cofre- puMmiri. i"
Muvimento da enfermara do da IS oV mar
de IWi
Tiveram baixa :
Joaquim Jos de Sania Anna. colite.
Joo. escravo de D. Felieians, anemia.
Jiis. escravo de Rosa Mara da ('.nceie'Mi eoMu
.-r.es.
Francisco, escravo de Antonio P<-reira da ilunh
((dito.
Teve alia :
Manoel Joaquim do K-pirito-Sanio.
Ouitiauk" no nu 10 os mvi--. so isarni<
PUBLICO .
Francisco Xavier Soares de M. He, PemamiHar..
70 annos, vnsvo, Boa-viata ; snnl]
Joo, l'ei nambnco, 8 ftss, S. Jos ; espassse.
Ignez, escrava, 3meses, Recie ; d-
Carolina Mellaniade Almeida Sania, l'ernaudwi-
co, 40 anuos, vuva. S. Jare ; ysfrfes.
i Joao Alves Kerrcira, Pe iiambuo. anno*. casa-
do, Sanio Ant'inio .'cicbrile.
Ralniundo l-mael Oierien.
Leopoldina, escrava, 4 anup-
tossn convulsa.
Carolina. I'ernambiico, 7 annos. Ra-vista : fa.-
trite ayuda.
Diait.
Sebastiana, Pernarabuco, '. annos, Boa-Vi-ta
lao.
Maria. escrava. 4 aSSasS, Sanio Antonio ; d\ar
rha.
Benedicta Maria do E>pirito-Santo, Pemamoro
48 anuos; solleira, S. Jase : di .lle.
Joaana. liberta, IVrnamhucp, -W ansof, seMeara,
Boa-V'ista ; apoplexia.
M.uia de Jess Pinto. IVrnamb'ic.i, X\ annos, ra-.
da, S.Jos : phtvsica pulmonar
Firmino Jos Coess. l'crn.mlMico. V* anarv
soltciro, IJ-ta-Vsta; snsorpeia pulmonar
Mana, IVi nambuco, 7 das, Santo Antonio
pasmo.
Bcnto Fernanbs, Portugal, annos, caeneV
Bna-Vi-ii : phtysir.i pulmonar.
Carolina. Pernambtico, 2 annos. Rea-Vista: a-
thma.
Manoel, Pernambueo, 6 oes, S Jos ; deatico
Maria, escrava. Pernambueo. i annos, Boa-Vista :
asihina.
pai ; nao o encontrando na botica dingio-su para
a botica dos Srs. Canrs & Barbosa, e ah encontran-
do meu irrno Jos pergunlou-lhepor meu pai, leu-
do em resposta de meu jrmo, que meu pai se
achava no primeiro andar : o Sr. Barbosa dissi-
Ihe v chaina-ki que preciso j fallar-lhe ; meu
irino respondeu que esperaste que o aviassera do
que tinha ido comprar, que promptamente o cha-
mara : insisti o Sr. Barbosa, j cora momodo
v chamar sou pai que lenbo mais que fazer; ago-
ra nao posso, respondeu meu rmo : enlo o Sr.
Barbosa cora a resposta de raeu irrno larga-sc
para a botica de meu pai e faz com que meu mano
Francisco mandasse-o chamar pelo prelo : meu pai
desceu e teve a conversaco cora o Sr. Jos Alves
Barbosa, que nao obstante nao haver compromisso
directo de meu pai cora o Sr. Barbosa, teve este a
imprudencia de Ihe dizer que meu pai o andava
illudtndo, e que nao lite quera pagar, purera que
elle tinha a justica por si, e que nao Ihe esperava
nem mais um s dia.
i Sendo estas ultimas palanas proferidas em
voz alta, e j na porta da bolica, que algumas pes-
soas qne pasearan! nvssa occasio as ouvrara per-
fritamente da bocea do Sr. Barbosa.
Isto a verdadeira exposicao do que se passou
entre o Sr. Barbosa e rauu tallecido pai, lcando
esle to vechado pelo procedmenlo do Sr. Barbo-
sa, que tomou lo forte paixo, da qual Ihe resul-
tou esse ataque de apoplexia, que suecumbo.
annos. casada, S. Jos ; pMyska.
UM POiCO DE TOM.
A 'roliiriio de MbbbVs esireve oejae
11- olhos ieni, cboraiii, f.-llam, ganarte,
caes e rellexiouam.
)s olhos ala a I i agua dos namerados, assssa ct-
mo o sorriso a linguagem das brutas.
As meninas enamoradas olham para o
para o lequc ; as ronuritts olham para a
despresadas olham para o eco, e as viras
ludas as portas.
O amor nao se cnmpoe seno dos elhos e des la-
bios, quer dizer, de itlhares e desorrisos.
Os amaines quando se olham conversaes smAm.
A alma tremo u'um o I bar tmido, chara a'nas
olhar triste, ama n'um oltur occns vacillaaer.
despresa n'um ulhar altivo.
Por isso se diz com freqnencia qne os eMass si
o espeltio da alma.
Os olhos azucs de urna menina innocente siece
mo os lagos que refleclein o eco. _____
Os olhos oegros de urna mulher naraondO sa>
como um poema de myslerios, de assores e de aV
lirios.
Os olhos das meninas castas sao
quando derramara lagrimas.
. m.


DI.H,. de r,r~m*m.* ftcila fetal f 3 le i 4e IM4.
Eslava um sardo a 4$batna% e vendo apnn-, roeemn*joipp' anliiatj^de quando u supplicante ser-. Catiba*,. das
mar-se um individuo preparou-se para responder ve, o so deixou algura vez de preencher os deve- Sobre Londres, 3 mezesavl<|nB*ces 15)8 sehil- e
:i estas purguntas que ealculou tile Ihe devia fa
zer : i
Salve-o teus.Teabalha tE* seu este terre-
no?E' asado ? -Onde eslao mus fliftes ?Fi-
,|ue-se coi Dos. ,
lir-rmi-sc cun cTTeito a elle o viandante, mas
ora vez de Ihe fater as penruntas que elle havia
pliantasiado, fez-lhe outras que deram em resulta-
do este equivoca dialogo :
A Pinada aire Lera a trra-?
K ao sentar tambero.
Y. um insolento I
E" o meu otfcio.
Kitto. Hatera maior bruto ?
E' heranea que o dcinen raeu pe i
E havera padre que o absolv ?
E com seis ni los.
Para te nao quesear as rostellas vou-tne em-
bara.
Com minlia mulhor qu moB nirigv.
_ O demonio tu leve.
Elle va com vossasenhoria,

Urna senhora qne anda sempre enamorada, re-
prehenda hiintcm um irmao por elle andar des-
va rado pelo maldito vicio dojogo.
Quandu deixars esse maldito vicio ?
Quando tu percas o de namorar, Ihe tornou
elle.
Kntao, coucluio ella, serenos viciosos at
morrer.
K' do Sr. Cvrilto de Lemos esta poesa :
o sm;'sorm0.
la viste na manhaa da primavera,
Deslumbrante rajando urea alvorada,
Vela trra espalhar doce alef ra?
Assim seu serriso.
Lvrio aereste algum dia observaste
Desbrochando no campo entro botanas,
Perfumando da brisa as leves azas ?
Assim seu sornso.
J notas-te no co sombro e triste
Duas nuvens, se abrindo, mil estrellas
No manto azul mostraren) refulgindo ?
Assim seu sornso.
O que ha de bello e boro, e puro e santo,
O que Dos poz no inundo para ideas
Do sublime avivar em peito humano.
Ten ella em seu sorrise.
Merecer seu sorriso d'outra vida
Prelibar as delicias ineffaveis :
E aos anjos roubar os toces xtasis
Merecer seu sorriso.
i-V'iz de mim se um dia consaguisse
Dissipar da desgraca a densa treva
Com um raio divino de ventura,
Que tera o seu sorriso.
Extrahimos o que segu :
E' um horrivel sacrilegio ir um heiuem ajoe-
lliar-se aos ps do altar, receber a beucd do sa-
cerdote, estender a mao para urna triste mulher,
com os olhos em s*u rosto, e o pensamento em seu
dinlieiro !...

Ha urna dr aguda e profunda, que punge como
ncnhuma ouira ; urna d^rpara a qual nao ha me-
dicina possivel o amor sem esperauca.
Pede-nos esta pi ihlicaco o Sr. S. J.
100 maces banco.
Sobre Lisboa, 3 maie* data. W, sehiiHngs banco
por um mil reja; descont i c 3 '/-
BOLETIM COMMERCIAL.
Liverpool, 23 de abril de 1864.
(Precos livres de direitos para o vendedor).
Algodo, de Peroanibnco, por t


res-do seu cargo, couc*rrendo assim para quo fos-
sem feriaos os interese* te dita conjpanhia, ou se
o suupUcante desempeuhott sempro as suas obri-
gacSte com o teto e ba vantade que ihe cumpria
!"r m\ sur quaUadc de agente.
O supplicante tem consciencia de haver sempne
promov io os ioturesses da cotnpanhia na quattda-
de de seu agente na cidade da Granja, e de algum
nudo al se disvanece de ter concorrido, cerno
coacorreu, perante assenibia legislativa provin-
cial do Cear, pata que fosse decretada a subven-
ca que esta cotnpanhia tem d'aquella provincia
pela navegado da linha costeira at all.
Nestes termos pede e espera o suplicante que
Vv Salseado recusaro a diferir a sua pelicao.
E. R. M.
Maaaubio, 7 de marco de 1864.
Amlomo Carrulho i Almeida.
Em vista do que pede o supplicante na peticao
tro, ftita directora desta cunipanhia, cbeme
declarar que o supplicante servio de agente da
mc-ioa coaipaahia na, Granja, desde que ella come-;
fou Ainecionar, que sempre preeneheu os deve-
res de seu cargo com zelo e boa vootade, que le-
vou sejnne em vista promover os interesses da
dita companlua, e fualmenle que sempre prestou
as suas coalas em forma; nada constando at h > '
je em contrario duque o supplicante allega e cima
deixa declarado.
E" o quaoto posso attestar.
Gerencia da compauhia do navegaeao vapor do
Maranbao, 8 de marco de 1861.
O gerente,
Jos J&to Alves dos Santos.
Illm." Srs. directores da eompenhia de navega-
cao a vapor do Maranbao.O abaixo assignado,
leudo servido de agente da mesraa compauhia na
cidade da Granja desde que ella, comegou a fazer
a navegaeo da linha costeira do sul desta capital
at a do Crara, mediante a remunerado da um
cunto de res por anno ao principio, e depois por
oilo ceios mil res at ltimamente, promoveu
sempre os intere>ses desta coinyanhia, desempe-
nhaudo as suas obrigaeoes com zelo e pontualidade,
e prestando ao suas cuntas regularmente como nao
pode ser ignorado desta meritissima direcioria.
Succedendo porin ser dispensado o abaixo assig-
nado da cuinmisso em que se achava, sem ter
praticado irregularidade alguma, como se prova
do attestado que Ihe fui dado pelo Sr. gerente desta
compauhia, e tal vez, somonte, como parece ao
abaixo assignado, por desejar esta meritissima di-
rectora cortar maiores despezas, para bem dos in-1
teresses da compauhia, nomeando, como julga o
abaixo assignado, quero sirva por menos boncra-
no do que aqoetle que o uesino abaixo assignado
eslava jiercebendo; propoe->e elle a continuar no
dito cargo de ageute n'aquella cidade, sem percep-
5o de vencimento algum, em quanlo esta compa-
nhia nao puder oocerrer maiores despezas, pa-
gando ella tito sement ao liel dos armazens, a
carp da agencia (quem quer que este for) o or- Sebo do Rio Grande, por
denado de auzentos mil risannuaes. Bom e duro......
O abaixo assignado tendo servido a companhia Mediano.......
desde o sen oomeco, e enipenhando-se sempre para Escuro.......
que ella atlinja o* grao de prosperdade que fora (V;ra de carnauba, por 112 9.
para desojar conseguirse, quizera concorrer com Qiifres. por 123 :
o seu fiaco contingente para que tanto se realisas- De vacca........
se, e dess'arte, como fcil avallar, vr tambero De boi.........
pros|ierar, o desenvolver-se o commercio coro to-1 Couros, por
de sua locali-
a quinzeu *i : 13,y0soceos e 60 canas:
saceos e lOOcaixas em riagero.
lingpor X: prasocuo 13marcos 4 7|8schillioge Borracha.-Mercado frouxo. As vendas desde a
por nossa ultima revista montam a -* toneladas aos
Sobre liarte,mezodata, 1 *? 33|i francos por ftW sefrointoa |rceev saber : de 1(10,', jtela fina;
marcos naneo; praeo curio 18f francos |l l|7.' a l|,'s mediana; e 1(0 a.l|*J abocas de
Rom
Mediano.....
Ordinario. .
Babia:
Bom.......
Mediano.....
Ordinario ....
Maranbao:
Alcntara /
Itapicur ....
Caxias.....
(Maquina) :
Rom
Mediano.
Ordinario ... -. v-
Assucar, do Rio, por 112 "S
Rranco........
Louro.........
Mascavado.......
Pernam buco :
Branco .
Louro\ .
Mascavado. .
Bahia e Macei
Branco
28/ad "
* Vd
26 d
27 d a 27
f6d
SI5i/sd
i/, d
unfro. jVquanMikc em sor hofc: amA por 52S
lont'ladafe Nao tm liavido ebegsda.
Balsamo db conaiba.-ConA anfla-muita pro-
cura. "-----
Cacaa--6em alieragao.
Caf.Mercado consorva-se firme.
Couros do Brasil,Tem asante procura e os
proco nownienti autiram.
Cumar.Xao ha.
Gomraa dopeixe.Sem alteraoao.
Jacaranda. No ultimo leilo urna pequea
quantidade do Rio realisou de t 13 1H 1*10 10|
por tonelada. Para o principio de roaio ter lugar
um leilao quando ser olfarecida urna partida che-
gada pelo Pilot fish.
29d
28 da28
27'A*
Ad
;v
28 Vi d
27 V, d
7 Vid
A luz de fogo, que
Rao era (ransella
Oue stnstaras e
oh ; n" meolhes
NV> ME OI.HF.S.
Suhs nrntmer It nome
fattt benir H taire.
St. Beuve.)
Ob nao roe olhe^ que os toan olhos rnatam
qu'll
os ineiis olhos tem
i pms, .. repara o triste.
poder contera.
ai/8 a 32/6
30/0 a 31/6
27/0 a 30/0
S/O a 32/6
ata
/0a3e/8
31/0 a|32y6
Louro. *....... 31/0
Mascavado........26/6 a 30/6
Melaco..........13/0 a 15/0
Agurdente cachaca, por gal
Balsamo de copahiba, por t
Claro..........
Turvo.........
Borracha, por 8 :
Fina..........
Mediana.........
Ordinaria........
Caneca de negro.....
Sernamby.....
Do Cear, Sernarohy. .
Cacao, por 112 :
Para, bom.......
Bahia, boro.....
Caf, por 11**:
Rio, 1* sorte. .
2' t .
. Escolhido .
Babia. 1* sorte
2- .
Escolhido .
Cara
U% a 5/0-
1/9
1/6

1/10 a 1/10
1/6 a 1/8
1/4 a l/o
1/1 V* al/ /3
W da 11 d
1/2
56/0
41/0 a 42/0
k

. .

68/6- a 70/0
66/0 a 68/0
75/0 a 80/0
66/0 a 67/0
62/0 a U/0
70><0 a 78/0
, 65/0 a 70/0
112 Ibs. :
. 41/6
41/0
39/0
65/0
10/0 a
20/0 a
15/0
30/0
Ib
que o meu peito uiorrc
Ao beijo ardente do teu puro olhar :
Oh nao me otos, que os teus olhos negras
Malam-me a alma,roe fazeudo amar I
Oh nao me olhes, eu te peco ; ouviste ?
Sim. ah donzella, n;>o roe digasnao I
E' urna palavra, dos leus lindos labios,
Pode matar-mc es e vi ver de enlao.
Oh nao me olhes. que os teus olhos malaro
A luz de fogo, que os meus olhos tem...
Bebendo a vida, qne fulgia nellos,
Matas-te o brilbo, sua luz tambero.
Em Londres araba de publicar-seo Annuario dn
imfrentaperiodioa\em laglaUrra, do qual resulta
que existem actualmente na Graa-Bretanha 1,250
peridicos de todas as elasses repartidos da se-
guinte forma :
Em Inglaterra propiamente dita pnblicam-se
919, no pail de Galles 37, na tscossia 110, ua Ir-
landa 110 e as lirias adjacentes II.
No anuo de 1854 o Aunuarto nao dava noticia
de mais de 621 leriodicos ; de sorte que em 10
ajinos duplinou o mimi-ro.
Ueste grande numero de publicarles so 72 sao
diarias.
dos os mais ramos de industria ue
dade.
Nestas circumslancias espera o abaixo assignado
a resolucSo dala meritissima directora.
Maranbao, 9 de marco de 1861.
Antonio Carvalho iTAndrade.
Recebi do Illm. Sr. major Antonio Carvalho d'AI-
meida geme que foi desta compauhia de navega-
cao vapor do Maranbao na cidade da Granja, a
quantia de oilo eentos e trala e quatro mil seis
centos noventa e dous ris, por saldo de canta
Maranbao, 10 de marco de 1864.
R." 8345692.
O gerente,
Jos Joo Alves dos Santos.
Rio,
\ii;h )hiili;i peitoral de kriiip.
A celebre auacahuita peitoral deKemj), de cujas
virtudes especificas tantos anmmcios appareceram nai, por ionelada
Seceos de 30 a 36 Ibs.
20 a 21 Ibs.
de touros, 35 a 10 Ibs.
- Rio Grande, por Ib. :
Salgados, de 65 a 70 Ibs .
Ditos de 15 a 50 9. .
Salgados de vacca, 40 a 48
de cavado seceos, 10 a 13 l
salgados, 23 a 37
. 16 a 20 <3
dem de Pernambuco, Bahia,
Maranbao e Para, jwr 'fi :
Seceos salgados. 26 a 30 ?
espichados, 16 a 20
dem do Cear. I'aialiyba e
Macei, por < :
Seceos salgados, 30 a 32 .
Molltados > 45 a 50 u? :
Farinha de mandioca :
Boa, por 112 *. .Nominal
8(Va8'/,d
7 Vj a 8 d
7 /a d a 8 d
5 Vi d a 5 Vz
5d
4 3Ad
6/0 a 7/0
7/0 a 11/0
6-0 a 71
y* *a
d a 5
6 d
Vi d
V d a 6 '/
i/ d a 4 /i
18'0a2l/0
As
t idos
em nossos jornaes. E* urna composico de vege-
taes peitoraes e nao rontm nenlium adstringenle
venenoso ou morlalintnle narctico. E preparada
em forma de um xarope delicioso e um poderoso
e efllcaz remedio para icritaeao dos pulmoes, an-
ginas, calarrho, tosse. resfriamcnto, rouquido,
affecces catarrhaes, escarros d sangue, e todas
as innumeraveis molestias que aflVctam os orgos
da respiracao. Cuidadosa o scientilieamente pre-
parada por Lanman & Kemp, em Nova-York.
Acha-se venda as tojas de Caors & Barbosa,
ra da Cruz, e de Joo da C. Bravo & C. ra da
Madre de Deus.
(Nominal)
13 a f 22
29 a 12

24 a 26
11 O/a 12 0/
1'6
i a 1/4
COMMERCIO.
ClIKOUli JMHCIiRU
THIBIAML 0 < O HfclH II.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 12 DE
MAIO DE 1804.
PRESIDENCIA 0 EXM. SU. COKSKI.HKIliO
mR'ZA.
10 horas da manhaa, reunidos os Srs. depu-
Uego, Lomos,Alcirforaloe e Rosa, o Sr. pre-
sidente declarou aberla a sesso.
Lida, foi approvada a acta da ultima.
RXKHRim.
l'm officio da conservatoria de Macei, de 30 de
nbnl prximo passado, acompanhandnuma peticao
I Nunia Pampino Passos, requerendo o lugar de
agi nte de leudes daquella praea.Arcbive-se, sen-
,l ouvido o Sr. deserobargador fiscal sobre a pe-
licao.
DESPACHOS.
No rei|ueritnenlo de C J. Astley t., pjao
que sfjain juntos aos autos de sua rehabilitaeao 06
documentos que apresentam.Como requerem.
No do T. Jefferis, pedindo que a junta de cerrec-
lores aiteste qual o uso e costume desia praca. etn
relacao ao numero de libras de aarite de palma,
me o rresponde urna caada.Atieste.
No de Datiitd Cesar Ramos- e Pedro Rodrigues
leObviira, pedindo o remstro de tres procuragoes
.me ajunta.Registrem-se.
No de Antonio entunes Lobo, pedindo o registro
danone'acaode seueflixeiro.Regstrese.
No de Antonio Jos Leal Les, pedjudo o registro
do ajuste final de coritas de sua sociedade com Joo
Pinto de leemos Jnior.Como requer.
No de Jos Antonio dos Santos Pontes. pedindo
o registro de seu c.otrato social com Joo Luiz da
Silva.Vista ao Sr. desejnbargador fiscal.
Sendo conclusos os autos de rehabilitacao de
Campos & Lima, o tribunal concedeu.
m\i) twm m mumm.
O novo banco de Parnatiibuco paga o 12 divP
dendo a razo de 9 por arcao.
Alfaodega
Rendimento do dia 1 a 11........ 275:607I56
Wem do dia 12................. 40:2075371
Mevinieato da alfamdega
Volumes entrados com fazendas...
i com gneros... 46
Rio
Bahia
Rassava, por 2.210 tf :
Para.....Nomiiuil
Bahia..... >
Pixurim, por (S. bfim .
Salsa-parrilha. por %
Boa......
Inferior ....
Tapioca, por 112 :
Rio, superior.....32/0 a 36/0
ordinaria....., 20/0 a _2a/0
Uiuc, por tt\ Para bom 3 d a 7 d
Fundos c cambios.
Fundos inglezes.
Banco de Inglaterra (Aeco.
Consolidados.....1
Redolidas......3
j Fuudos Noves. ... 3
Estrangeiros.
Belgas.......4 Vi
: Brasileiros.....f>
1 .....4
Dinamarquczes .
llespanhes.....
. DilTendos .
Passivos .
315:8145527 Hollandezes. .....
====== I ......
Mexicanos .
Portugueaea
V,
91 Vi.a Vi
89 V a 89 Va
89V89V
100 a 101
87 a 88
i/
53 a 53 Vi
46 '/ a 47
34 'A a 34 '
64 a 61 Vi
100 a 101
45/ a 46
1%
Volumes sahidos
com
com
fazendas..
gneros...
46
206
511
------717
Russos
CORRESPONDENCIAS.
Senhores redactores. A bem da ni inha inde-
pendencia moral e dignidade de empregado da
Santa Casa de Misericordia do Recife declaro, em
resposta parte que me toca, do coratnunicado pu-
blicado em seu ronceituado Diario de buje, sob a
epigraphe Attenco que por ter era poca an-
terior copiado, a pedido do Sr. Jos Theodoro Go-
mes, urna peticao aoSr. administrador do cemiterio
publico, pedindo porcertidao o tneor do a*enlo de
oliilo da Sra. D. Marianna, fui habilitado a dar o de-
poimenu) consUnte dos autos da accio, que pro-
move a mesraa Santa Casa contra os herdeiros de
Jos da Cunha Teiteira, no qual declara que nnn-
< conheci as senhoras de que ah sr trata, e onde
hienas diese que urna della* (a D. Marianna) era fal-
lecida por ouvir dizer: a vtsU do quo roe parece
que outro qualqucr prestara depoimento Idntico,
sem faltar verdade, ou massar a consciencia.
Peco aos senhores redactores que me publiquen)
esta minha declarato.
Reeife, 12 dd mam de 1864.
Francisco Gomes Castellao.
PBLICAgOES PENDO.
Descarrcgam no dia 13 de maio.
Brigue hespanhol Cienfusqovinhos.
Escuna ingleza Zampediversos genero.
Escuna nacionalCarlota gneros nacionaes.
Recebedoriit de reu'.Ias Interna?
geraes de PernaiMbiico.
Rendimento do dia 1 a 11........ 5-i*iSw! Onro em bar
da lz................. a.i2J*y.io .._,.,_
'A
frs.
4 Vi
48 /i a 48 '/,
91 a 92
88 a R9
3305
96.52
67.50
dem do
10:866*12?
Consalado provincial.
Rendimentodo dia 1 a 11......... 36:6734881
Idem.do dia 12................. 5:317*655
41:9914536
77/5
77/8
"76/6 a
74/3 a
5/4 Vi
77/0
74/9
411 V*5/2
Hambuiyo, 20 dr abril de Stti.
Relatorio commcraal.
Nao houve mudanca notavel no estado do mer-
cado ; em eonsequencia das circumstancias polti-
cas, as transaccoes reduzem-se ao suiprimento do
urgente para o consuma
CafAinda que a posi$d do mercado sejaboa
as >"endas foram limitadas. Os precos elevados
sustentados com milita firmeza c o deposito redu-
zido impedem o negocio maior. O resultado do
leilo hoUandez, de 1|2 cent, abaixo das laxas, as-
sim como as ultimas noticias do Rio, ppr isso Aca-
rara sem influencia sobre o mercad. As vendas
na quinzena foram de 7,000 saceos de caf do Rio
e de Santos a 6 3|8 8 # schs. A importado de
caf brasileiro anda per cousa de 10,500 saceos.
O caf regular ordinario do Rio colado a 7 3|8
7 9|ifi soh, .
Assucax.Vista a falla de deposito, nao temos de
notar senao a venda de 600 saceos de assucar do
Brasil a entregar; os precos sustentam-se plena-
mente. s- ...
Tabaco.Sem movimento notavel; em leilao
venderam-se 30 halas da tabaco S. Fehx da Babia
avariado a 2 3|4, 13 1|8 sch. e 139 balas de lbaro
regular da Bahia, tambem avariado, a 2 3i, 9 U\
sj'.Ii. O detiosaio 4o tabaco brasileiro nao excede de
2,000 balas.
Os couros continuara rauito Orraes.mas por falta
de genero nao tem havido transaccoes. O deposito
acha-se reduzido a 5,800 couros do Rio Grande do
Sul.
Algodo.ltimamente mais procuradoras nao
havendo escalla, o movimento rouito limitado.
Em algodao brasileiro nao houveram transac-
COi'S.
Cacao.Bastante precurado, mostrando os pre-
cos leudenoia de subida,
Jacaranda.Pouco precurado, ltimamente re-
Lceberaro-se 1,510 pecas do Rio e 451 ditas da Ba-
lllm Srs directores da companhia de navega- hia.
.io a vapo. da Maraehao. Antonio Csrvaiho de Dende o nasso uHimo. so par ,u uro nak) para
.U?neidaPaS*tei dcsu companhia na edadn da o Brasil sendo o Anja Wubdmw cora desuno
'irania o actualmente nesta cidade, precisa para para-u Rio Grapde du sul.
beBUaS Por isso retn reqr.crer a TV Ss. 1 EstSo promptos |krJrttf^os^navtoa ; Mor;
-.. u.-m de autonsar o Sr. jerentc a'ef-ta cidade para Pernarubuco
a qne declare, ou atieste era
4/H V*
4/11"
5/0
4/HV.
51 t/, a 52
51 ,/, a 52 /,
26 d a 26 Vi d
11 a 11 Vi
13.8 al3.8)2
25,41 a 28,68
24.13 a 23.25
a28'/2d
Maximiniaao Js do Incjosa, ? na cadera, e
1 na 2-.
Luiz Ayres de Alraeida Freila?, 1 na I* ca-
dera.
Ernesto Botelhe de Aidrade, 2 na 1 cadetra.
Jtie Gomes Ferroira, 2 ua 2* cadeira.
Amancio Gncalves dos Santos, 11 inclusive, 1
I snbtalina na 2* cadeira. e 5 na i\
i Antonia Dias de Pina Jumor. I na 2" ca-
deira.
Quinto anno.
Jos Henrique Cordeiro de Castro Jnior, 1 sab-
batina' na 2" cadeira.
Theodoro Thadeu da Assumpcao, 1 sabbatina na
2- cadeira.
Coriolano Augusto de Loyola. 1 na 2' cadeira.
Benio Ceciliaoo dos Santos Ramos, 2 na 2' ca-
deira.
Epiphanio Yema Domingues da Silva, 2 na i'
cadeira.
Joo Jos do Monte Jnior, 2 aa 2" cadeira.
Cedro Janswi Ferreira, I sabbatina na 2" ca-
deira, e 6 na 3-.
Antonio Pinto foelho de Barros. 1 na 2*.
Antonio Jos da Silva Nogueira, 1 sabbatina na
2* cadera o 1 dita na 3*.
Augusto Magno de Mello Mallos, 2 na i' ca-
deira.
Joaquim Germano Ramos, i na 2' cadeira.
Paulino Rodrigues Fernandos Chaves, 1 na. i'
cadeira.
Be uto Miuervino da Silva, 2 oa 2* cadeira.
Egidio Francisco das Cliagas, 1 na 2* cadeira.
Porfirio Amancio Goncalves, 2 na 3* cadeira
Secretaria da Faculdade de Direito do Reeife, 10
de maio de 1864.
O secretorio
Jds Honorio Bezerru de Menezes.
O major Francisco Duarte Ceclho, cavalleiro da or-
deni de Chrlsto e juiz de paz mais votado do 1"
dislricto da freguezia de Nossa Senhora da Sali-
do do Poco da Panella, e presidcnlo da junta de
qualilieacao da mesraa, em vrtudc da lei etc.
etc.
Faco saber que tendo o Exm. Sr. presidente
da provincia, por officio datado de 30 de abril pr-
ximo ffndo annullado a junta de qualilcaco desta
freguezia no corrente anno, pelas irregularidades
3ue vioiaram organisacjio da mesina junta, e or-
en) dos seus trabalhos; convoco para o dia 31 de
De ordera do Exm. Sr. dire-tor, visconde de Ca- junho prximo vindouro, designado pelo mesmo
maragibe, se faz publico'que em sesso da congre- Exm. Sr., de conformidade com a lei regularmen-
gaco do.7 do correaje deixaram de ser abonadas tar das elei^es o mais disposicoes em vigor, osao-
as seguales faltas : i tuaes cleitores e supplentes desta parochia abaixo
Primelro anuo. declarados por seus nonies, para que comparegam
Manoel Rodrigues- da Cunha Vianna, 2 faltos na no consistorio da igreja matriz da freguezia as 9
2* eotfair. horas da manhaa, aftn de orgauisarem a nova
Jos Pedro de Paiva Baracho, 2 faltas na 2 ea- junta qualificadora que tem de rever a qualilieacao
deira. anterior, o formar a lisia geral dos cidados que
Antonio Joaquim de Sena Jnior, 2 faltas na l1, lenbam direflo de votar na eleico de cleitores, jui-
cadeica a 3 ditas na 1*. zes de paz e vercadores da cmara municipal, tl-
Lait Vieira de Rezendee Silva, 2 na 2' cadeira. i cando scienles os referidos eleitores e supplentes
que incurren] as penas da lei os que deixarem de
comparecer sem motivo justificado.
Eleitoiiks.
Jos Antonio Pinto.
Major Jos Ignacio Pereira da Rocha.
Francisco Marinbo de Albuquerque Mttllo.
i Dr. Joo Jos Pinto Jnioc.
. Tenente-coronel Juo t'aulo Ferreira.
| Jos Pacheco de Queiroga.
'trlipf.'
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrado o da 12.
Dordeaux o portos intermedios16- das,- vapor
Irancez limenue, oV IMJHeneladas. comman-
dante Enout Hyppolile, cquipagem 116, carga
diversas mercaduras.
Marseille 52 dias, barca francaza St Denis, de
312 toneladas, capito M. Deveau, equipagem
13, carga viaa e outres gneros ; a Tisset
Frere.
Navio* saliidot no mesinp (ka.
Rio de Janeirebrigue nacienal Imperial Mari-
nkeuo, catlo Francisco dos Santos Cunha, car-
ga assucar e outras gneros, e 9 escravos a en-
tregar.
Para palhabote naejonal Lindo paqueta, capito
Antonio Maria da Costa o Silva, carga assucar e
oulros gneros.
Rio de Janeiro e Bahiavapor francez Guienne,
coraraaodante E. ilyppolite.
a
IDITiES.
Antonio Pereira de Abreu Jnior, 1 na 2* ca
deira.
Joo Baptista de Freilas, 1 na 2a cadeira.
Jerainiano Brasil de Oiiveira Ges, 1 em marco
na cadeira e 2 em abril na 2* cadeira.
Jos Antonio Ernesto Para-Ass, 1 na 2* cadeira.
Pedro Baptista de Maraes Reg, 1 na i-1 cadeira.
Manoel Varella do Nascimento Jnior, 3 na 2*
cadeira.
visto d; rehira da Rico, para o Rio de Janeirc.
o Wiltin^, D. PfHtfi^a e Porte
3
3
3
3
2
. 4
. 3
1853 3
1856 3
. 1857 3
. 1859 3
. 1860 3
. 1862 3
. 1863
Scrip (Camellas) 3
......5
......4
I Banco de Franca (Aceesi
Fundos francezes.
I ,"*,
Metaos preciosos.
. .Peronea 77/9 V-
portuguez em moeda
> do Brasil ....
Oneas hespanholas
americanas. >
Piala em barra ...
Patacas brasileiras
Pesos columnarios hes-
panhos......
tarolus.......
Ferdinand.....
Ditos das repblicas hes-
panholas e mexicanas >
Moedas de 5 francos.
Cruzados novos.
Cambios.
Lisboa........90d.d
Porto.....
Rio de Janeiro (Nominal) 60 d.v
Baha e Pernambuco.
Amsterdam......3 m.d
Hamburgo......
Pars.........-
> .............3 d.v.
NAVIOS CARGA PABA 0 NORTE DO RRASiL.
MaranhoTrnjrt-47-de abtH.
Par-*Smdoorft.
Pernambuco Tiara'
demFlorist30.
demDiana5 de maio.
Numerario.A continuada procura de especie,
te as nltimas estatisticas do banco de Inglaterra
mostrando urna redueco de cerca 1,000,000 em
ca xa, resuliou em o banco no dia II do corrente
elevar a laxa de descont' de. 6 7 por cento, e
diaria mente ospera-se urna nova eievaco.
Mercado d Manchester.Preco subiodo e mais
animaco da parte dos compradores*
AlRodo.As trasacQoes para consumo desde a
nossa ultima teem sido avultadas com urna subida
de 3u o. a 1 d. por no do Brasil e } d, no do
Egypte e esto subida manlera-se. As entradas de
Surales sao mui grandes e como sao abundante-
mente oirerecidas no mescado u podemos cotar
raellwra em prefos, e da China, as chegadas tam-
bem sao grandes, noten como osta classe de algo;
do tem sido procurad > obtove ama subida de H
d. por t. Algodao d fibra fonga bastante pro-
curado precoe vantajosos.
Arroz era cisca.Mercitdo frouxo porra Orwe.
AssucarA oscitoCirqiie asistia no mercado
desle artigo causado pela redureio nos direilos e de
que fallamos cm nossa ultima,eaiinou, e os pr-cos
baKaram ll por quintal. Os especuladores tem
operado avultadamOTte e ainda maiores seriam
suas transacoes, se o possoidorea nao estivessoin
dlspostoi a manter os precos. As existencias uo
d i Brasil na >lfone em-LWsrpofl s*> 3.000 lo-
fnilada? rr.enc qne nc^ prrlodi de 1R63, As ven-
Jos de Araujo Vianna e Almeida, 1 na Ia ca- Jos de Aquino Fonscca.
deira e i dilas na 2". \ Nicolu Machado Freir.
Luiz Antonio Moroira de Mendonca, i na 2* ca- j Antonio Jos Teixeira Bastos,
deira. | Jos Lopes Carneiro da Cunha.
Jos Jorge do SiqueiraFilho, I na 2* cadeira. Francisco dos Res Gomes.
Marcelino Piulo Cabral, 3 na i' cadeira: 'Jos Marque da Fonseca Borges.
Joaquim Newton de Carvalho, 2 sabbatinas na 2" Commeudador Manoel Camillo Pires Falco.
cadeira. Coronel Joo Baptista Pereira Lobo.
Azegilo Pereira da Silva. 1 em marco e 1 em Manoel Romeiro de Ouuveia.
abril na 1 cadeira. Arislides Duarte Carneiro da Cunha Gama.
Vicente Tararos Rodrigues Lima, 1 na ca- Amador de Araujo Pessoa.
deira, e 2 na 2*. Sci'I'i.f.ntk.
Vicente de Souza Queiroz Filho, 9 inclusive, 1 Henrique de Miranda Hi-nriques.
sabbatina na 1* cadeira, e 8 inclusive, 1 sabbatina Joo Francisco do Reg Maia.
na 2a. Francisco de Paula do Reg Barros.
Pedro de Athaydo Lobo Moscoso Jnior, 1 na 2" Joo Francisco Carneiro Monteiro.
caVira. Tenenle-coronel Jos Francisco Pires.
Ricardo Jos Teixeira Filho, 2 na l" cadeira, e 1 Dr. Antonio Joaquim de Moraes Silva.
' na 2*. Dr. Jos Bernardo Galvo Alceforado.
Samuel Henriuue Hardinan. 1 na cadena, e 1 Dr. Thoro Fernandas iadeira de Castro.
na 2a. ; Jorge Vctor Ferreira Lopes.
Feliciano Placido Pontual. i na 2a cadeira. Sebastio Antonio do Reg Barros.
Jos Jacintho de Souza Filho, 4 na 1 cadeira, e Galdino Temistocles Cabral de Vasconcelos.
5 na 2*. Jos Cezario de Mello.
Tontas Brrelo de Menezes, 1 na cadeira, e 3 Francisco Jos Vianna.
na 2a. Scbasii. Aflonso do Reg Barros.
Antonio de (astro Alves, 7 na 2a cadeira. Js Aflonso do Reg Ifarros.
Zeferrao. Botelho de Andrade. 2 na Ia cadeira. e Manoel Peres Cainpello de Almeida.
7 inclusivef, 1 sabbatina na 2. Manoel Jos Martins.
Segundo anno. Joaquini Ignacio da Costa.
Aristides Augusto Coelho de Souza, 4 faltas na Jos Francisco do Reg Barros.
2* cadeira. Jos Paulino Ribeiro de Mello.
i andida Alvos Machado, 1 sabbatina na 2' ca- E para constar niandei passar o presente edita!,
deira. allixa-lo nos lugares mais pblicos da freguezia, e
Pedro Bezerra Perreira de Araujo Beltro, 5 na publcalo pela imprensa.
I1 cadeira. I Primeiro disiriclo de paz da freguezia do Poco
Pompilio Numa Pessda, 8 inclusive, 1 sabbatina da Panella, 10 de maio de 1864.
na Ia cadeira, e 6 faltas na 2a. 1 Eu Joo Nepomnreno Ribeiro, escrivo o escrevi.
Francisco Antonio de Oliveira Sobrinbo, 2 na 2' Francisco Uarte Cecilio.
cadeira.
Candido Pinto Lobo, 1 na t- cadeira.
Terceiro anno.
Caetano Mma de Faria naves, 1 falta na 2
deira.
Hemate Jos de Miranda, 2 na 1" cadeira,
na 2-.
Pedro Ferreira Coilho, 1 sabbatina na 2a
I deira. ,
Joo Joaquim Ramos e Silva, 1 na 1" cadeira.
Joaquim Guedes Correa Gondin, 1 sabbatina na
Ia cadeira.
Jos de Barros Duarte, 1 na 1* cadena.
Joaquim Pontes de Miranda, 1 sabbatina na 1-
cadeira, e 1 dita na 2a.
Manoel Pedro Cardoso Vieira, 1 na 1
5 na 2\
Domingos da Costa Ramos. 1 na 1' cadeira, e
Coosnbif ce
for este consulado nz-s* pot-ro pst- um m-ir
i leilao do agente Almeida. m> dia quarta-faira 16
du crrenle, urna carmea de dox rolas e na ern.
perleuc.file ao espolio do liitad itattinho da SHva
Oliveira, assim cjfto se pede a. ci.-dores m Aft
artinho para apreseniar, cfenlrn In pmandn l.'i
dias, seus mulos no mesmo masillad. aJMH fe ae-
rem verificadas, Me laema >o nmvi4adfKM
herdeiros habilitados enaiattig do r*p.4ii *> i-
n.vJo subduo portuguez Anhmi.. to C^sla Panas
para vii em receber o liquido do mesmo e.-psin,
dentro de 15 dias da data de.-4>, finde o janes
ser o mesmo es|iolio remeliido ao inmt u luili
co de Lisboa. Reeife 12 de maio .), \h,\;
OIls4;;.l da fregOMia de S. J.m ib. HniU- fax
publico que amauba 13 do corrente, as I hora
da manhaa, pernlo o juii dt pac da ismki fre-
guezia, o Sr. Fiancisco Antonio dasChaga^.iem In
su proceder a arremataco di- urna ptr^k A- nar-
cos que vagavam pelas ras da mi i !.. i Mira o
que dispe o arl. 1 do til. 6 da- pusiuias nnwiei-
paes de 30 de junho de 18i9.
Fisi'alisaco da freguezia de s. Jos fe Beaa 12
de maio de* 1861.O Uscal,
Joo Xavier da Fonseca Capibarike.
No dia 13 do corrente, asenta da audicnesn
do Sr. jniz de paz do I" disiricm da Irefuezia le
Santo Antonio, leui de seren arrematado} os mo-
vis iienborados por execucao du Dr. Jos Joaqmmn
de Souza centra Antonio da Silva Gusmn : i
citanies podoro comparecer na sala das niilii mrian
as 2 horas da larde.
Se ha de arrematar pelo juiz de orpnW fes-
ta cidade, pelas 10 huras da manhaa, na easn fea
audiencias, o seguate : nina rasa terrea sa na
ra de S. Miguel, freguezia dos Afufados n. 19. pe-
la quantia de 800, no da 13 do corrente, cmfe en-
cripto se acha era mao do porleiro do ine-mo jui/o.
Censrlhe administran.
Oconselho adminislralivo. para fornecimem>> do
arsenal de guerra, lein de comprar os ubtTh se-
guintes:
Para a enfermara de Fernando de Noronha.
Farinha de trigo 6 barricas, aannanT refinaoo >
arrobas, cha hysson 20 libias, lanha de porto 1
arn ha.
Para a escripturaco do alinoxanfado do
mesmo presidio.
Tinta prela para entrever i\ gnalas, |-n^~
de ac finas 12 caixas, papel almam pautado 12
resmas, canelas de cspinlio 4e qoam I canora,
papel malla borro 6 cadernus.
Para a otliciua de sapateiro fe mesmo.
Sola 600 meios. vaquetas 100. couros d- cabra
1,000, martelos 6 duzias, limas chatos 6 dnzias,
troquezes i duzias, facas 6 duzias, cera prela 1 ga-
melas, retraeos de vitfroa 2 caixas, vasadort? MW
Para o arsenal de guerra.
Telhas de ferro 150.
Para o corpo da guanii>n.
Papel almaco 2 resmas, pennaa de am i entasn,
ditas de ave Til), tinta pnta 2 garrafas, lapis d>- nao
2 duzias, areia prela 2 libras, cartas de abe 12,
graminaticas portuguezas por Monta Verde, ultmaa
edico 3, arithmelicas por Avila 3, pautas de tras-
ladas 12, podra.-- para escripia 2, crales 6.
Para u 7" batalbo de iufaularu.
Bonets para rerruia> .">(>.
Quem quizer vender laes objeetea apr^Srntsmas
suas nrepaatns em carta fechada na s.-rn-tarm lo
conselhe s 10 horas da manhaa do dia IH dn enr-
reate.
Sala das sessoes do conselho administralivi para
fomecimeato du arsenal de guerra 11 de *.vmh
de 1864.
Anlaiiiv l'tdro ili .So mirto.
Coronid, proidentc.
Sebasti* k o lut /' Vegal secretaii.'
A requeriiinnto de Jos Joaquim da Linha.
teslamenteiro de Joo da Silv. tormn, lam de sor
arrematada era praca publica, sabnade I i do cor-
rente, linda a audiencia do Illm Sr. Dr. juiz mani-
cipal da 2" vara, urna rasa terrea n. 12 na rua ta
l'raia. freguezia de Sanio Antonio, assobradada tfe
lado de detrs, coro I palmos de frente e 63 fe
fundo, trapeare para o lado da frente, peqoean
quintal matada, cacimba meeira, clios Joreirmv
que se acha en eraaazem. avahada cm 3:.'i0P.S'JM.
K.-crivo Daetiata.
Sexla-feira, na audiencia Jo juiz de orphl
val novamente praca a cana tarros n. 32 a i
do Tambi : quem oa mesma qoizer lamj
|iare\'a as II hora* na sala das me-mas aodieocHH*
que urna boa casa, e por \te*\h asrali*SMMX
O Illm. e Rvm.Sr. Deao viga-iu camlumi da
diocese manda baar publico para ci.nb.fiou'nla
das parles inleressadas, qun p,r n d.iia ex|-
dienie eaudiencia lodosos dia> ubis no seminarie
episcopal da cidade de Olinda, das 9 hora da ma-
nhaa ale as 2 da tarde ; e fra d MH bnmn, enos
casos urgentes, era seu sirio po da rua
do Bom Successo da mesma cidade.' padre Jja-
qoira d'^ssumpcuo, estrifio da cmara erclesias-
tica.
ca-,
DECL1BAC0ES.
e 1
ca-
cadeira, e I j)ara C|"n conformhi)de dos
21 deliberar sobre as coritas do
na
Ernesto de Paiva I.eiie. 1 na t cadeira.
Autonio Alonso de Faria, 1 sabbatina na Ia ca-
deira.
Joo de Holanda Cunha, 1 na 2a cadeira.
Miguel Peixoto de Vasconcelos, i sabbatina
I na 2a.
Peliuo Francisco de Carvalho Nobre, 1 sabbatina
na 2a cadeira.
Demetrio Jos Teixeira. 5 inclusive, 1 sabbaliua
na Ia cadeira, e 6 faltas na 2a.
Ignacio Jos de Oliveira Arruda, 5 ioclusive. 1
sabbatina na Ia cadeira.
Quarto anno.
Benedicto Marques da Silva Accauaa, 2 faltas na
2* cadeira.
Jos Joaquim Ramos Ferreira, 1 na Ia cadeira, e
2 na 2a.
Fraacisco Xavier de Mattos Telles de Menezes, 1
na cadeira, e 18 na 2* e contina a fallar.
Jos Autonio Nunes, 5 na Ia cadeira.
Luiz da Silva Gusmo. 12 inclusive, 2 sabbatinas
na Ia cadeira.
Raymundo Olympio Goncalves de Freilas, 1 sab-
batina na Ia cadeira.
Antonio Borges da Fonseca Jnior, 1 na 2a ca-
deira.
Ivo Magno Borges da Fonseca, 10 incinsive, 1
sabbatina na Ia cadeira, e 8 na 2a, contina a
faltar.
Luic Caetano Menezes de Brrelo Jnior, 4 na
i* cadeira.
?tiigusti de Araujo Santos, 1 na 2* cadeira.
Bente Boiges da Vmica, 1 na l*cadeira.
Thomaz Lourenco da Silva Pinto, 1 na 2a ca-
deira.
Hermes Plinio Borba Cavalcante, 1 na 2* ca-
deira.
Victorino Antonio do Sacramento, 10 inclusive,
1 sabbatina na Ia cadeira, e 10 inclusive, 3 sab-
batinas na 2a, contina a faltar.
Antonio Jos Loiies Filho, 1 sabbatina na 1" ca-
deira e 1 falta na 2*.
TheophJlo Pereira da SjWa, 1 na 1* cadeira.
Rufiro Tavares de Alraeida. 2 inclusive, 1 sab-
batina na 2* cadeira.
Antonio de Carvalho Serra, & inclusive, 2 sabba-
tinas na 1* cadeira, e 4 inclusive, 1 sabbauna
na 2".
Mathias Rues Bandeira de Mello, 2 na 2a ca-
deira.
Jefferson Mirabean das Mercez Gordo, i na 2a
cadeira.
Luiz Ferreira Maciel Pjnheiro, 4 Inclusive, 1 sab-
batina na Ia caddlra.
Francisco d*Assis Correa Lima. 1 na 2" ca-
deira.
Francisco Goncalves da Justa, 1 na cadeira.
Joo Capisirano de Almeida, l na Ia cadeira, c l
na 3.
Leonidaa Ferreira Barbosa, 8 na Ia cadeira, o S
na 2\ comina a fallar.
Miguel Augus'o do Nasrimtlr. Feitosa, i sabba-
tina na 1' cadeira, e i falla na 2*.
Jos mneBrn de Araujo L.ma, 3 na 1 ca-
deira.
Jos Francisco de Barros Reg Jnior, W in.'
elusiva, 4sabbatit!*? n? i' cadera, 9 na t, c pon
tina a faltar
COMPANHIA
Sao convidados os Srs. accionistas desia
companhia a reuu'iiTiu-se em assembla ge-
ral hje I \ do corrente mez ao meio dia
seus estatutos
semestre lindo
e proceder a eleico da nova direccu que
deve servir al 30 de abril do anno prximo
futuro.
Escriptorio da Companhia de Beberibe, 9
de maio de 1864,
O escripturario.
Marcolino Jos Fnpe.
Tribunal de commercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico, que nesta data fica re-
gistrado o contrato te sociedade de Jo< dos San-
tos Ramos de Oliveira e Antonio Vasco Cabral,
Brasileiros, establecidos nesta cidade sob a firma
Ramos de Oliveira 4 C, devendo a mesma socie-
dade durar por tempo de dous annos, contados do
Io de Janeiro do crrante, cora ocapitalde 14:0004,
forneoidos 10:000o pelo socio Oliveira, e 4:000*
pelo socio Cabra!.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 3 de maio de 1864.
Julio Guimares.
OTicial-maior.
THEATRO
DE
S. ISABEL.
EHPRKM
GPflvN) UO.WSIU.
? Recita la asslgnatnrra.
SABBADO. 14 i>F. MAIO,
Subir scena o interessaule drama ::.. -.'.(
actos.
LUIZ DE
Luiz de Caiow"'...........
Carlos de Bandonea.......
O. Pedro de Athaydp......
Fernando de Noronba.....
Ruy da Silveira...........
D. Rudrigo...............
Amonio, escravo.........
D. Catharinade Alhayde...
Laura, criada............
Um criado...............
PERSONAGENS.
......... Germano
Til"!
Cetraaea
iasbol.
Gntnaaiiaa
Vicli mi' .
U. A Mamnelan
II. leopoldina
Leonardo
Terminar o espectculo cv. a linda ce- ted
em um acto, ornada de msica,
TrbnlaQflo eventun,
na qual tomara parle a Sra O. Antonina Marqne-
lou e os Srs. Lisboa e Teixeira.
Comeearr s 8 horas
Pela mesma secretaria se faz igualmente pulli
co que nesta data tica registrado o contrata de so-
ciedade de Jos Joaquim de Novaes e Antonio Au-
gusto de Moura Novaes, estabelecidos nesla cida-
de sob a firma de Novaes & Filho, devendo a mes-
ma sociedade durar por espago de dous annos, con-
tados de 3 de marco do corrente, com o capital de
7;427*274, fornecides pelo socio Jos Joaquim
6:427,5274 era gneros e dividas existentes no es-
tabelecimenlo, e 1:0005 pelo socio Antonio Au-
gu*W>.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 3 de maio de 1864.
Julio Guimares,
Offleial-maior
Pela mesma secretaria se fu igualmente pnbli
co que nesta data fica registrado o contrato '. so-
ciedade de Jos Lourenco da Croa e Jos Ernesto
Ayres de Souza Monteiro, estabelecidos era Maman
guape, provincia da Parahiba, sub a firma de Cruz
& Ernesto, e com o capital de 4:000,1, fornecidos
por ambos em partes iguaes ; devendo a mesma
soriedade durac por espaco de dous annos.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 3 de maio de 1864.
Julio Guimares,
Offictal-moior.
Fompprehendido c acha-se rerolhide casa
do detencao um escravo de uoine Jos, o qnal do-
clara peneoeer ao propnetarlo do engenho Mas-
sangana : quem se julger com direito ao mesrno,
dirija-so delegacia rte polica do 1 dislricto do
termo desta cidade.
Foi tomada a um menor urna tenia de prala :
quem se julgar com dirdito iitesma, procure-a o
delegacia do Io districc do termo desta cidade.
O delegado,
G. A. Martins Pereira.
Nos da 13, 17 e do crrente meZj depois
da audiencia do Illm Sr. Br. juiz dos orphos, tem
de ser arrematado por arrendamento a renda an-
nual do sitio d Imperial, serdo a ultima praca no dia 20.
ATOOS 3BAMTM0S.
COMPAIHIA
DAS
MESSASERIES IMPERIALES
Ate o da i:
do corrvnte rspe-
ra-sc da Kim r>
o vapor frawer
Guienne. rom
ni: ndanle EaooL
o qual depois da
doeicra o cen-
tume seguir pa-
ra o Rio de Janeiro tocando na Bahia, para p.v*-a-
gens etc.: a tratar na agoncia na do Trfiene
n. 9.
0< passageiros de Pernambuco para os portee
da Europa que queirara si>gurar as suas pssaaenn
a bordo dos paquetes lesta inmpauhia nos ir.eies
de maior affluencia tem a facoldade de as tomar no
dia era que os tauoivs uassaro para o sul, pagando
porcm como se fossem do Rio de Janeiro.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Xave^acio costeira a vammr.
Parahjba, Natal, lace, Aracaiy. e GearL
No dia 21 d ccrmita a *
horas da tarde Mrnir para os por-
tos cima indicados, u:n dos va-
pores da ciunpanhia. Ria^'-^r
carga at o da 20. F.ntwntn-
das, r-assageirose dinheir a Inte al I hora*
tarde do dia da sabida ; eserij-torio n F'rte
Mattos n. I.
'la
de>
v;i seeiilr com i^evldadc a barca nacional ^an-
tttie, outVora nrcifr. reccl^carga a fr,w
do, para oque trata se cm P-altbar A OP
da Cadeia n. 26.
i
1



m

rummn
ira *
I


y^yla de Pcruaaapuc* yaaaga lelr a *f ai g *****
COMPANHIA BRASELEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
ET esperado des portos do -norte
ate odia i7 do corrente o
iidaatc o
vapor
piimeiro
Apa, con u
teeente Alcfhforado, o ~quai de
pois da demora o costante se-
guir para os portos do sal.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a {rete at o dia da sabida es 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. I, escriptorio de An-
tonio Luiz de Olireira Azevedo & C
un 10
DE
2 dtmas At camisas, S ditas (le grava-
bas pretais e de coras, 3 ditas de
uicias, a ditas de teaces, 1 dita de
camisa de mcia e 4 pares de batios.
ttabbado l-t de niaio no nielo da
O agente Pinto far leilao jwr conta e risco de
quem perteacer de urna caixacornos objectos ci-
ma mencionado* com toque de avaria d'agua sal-
gada ; no dia e hora cima dito m seu escriptorio
ra da ("mu. a. :I8. .
(ilhMIE FABRICA
DE
COMPANHIA PERNAMBUCANA
M
Navcgac co&telra vapor.
acei c escalas.
No dia 2j do corrente < 3 lio
ras da tarde, segu un dos vapo-
res da companhia. A cai*ga ser
recebida at o dia 24. Enrom-
mendas, passageiros e dinheiro a
trete at o dia tlx sahida as 3 horas da ta*s : es-
criptorio no Forte do Mallos n. I._____________
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos portos do sul i esperado
t o dia 16 do corrate e vapor
Paran, commandante e eapitao
de fragata Santa Barbara, o qual
1 guir para os portos do norte.
Desde ja recebem-se passageiros eenpaia-sea
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada: enoom-
mendas e dinheiro a,rete at o dia da sabida s 2
horas, agencia -ra da Cruz n. 1. escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Para a tuhia
pretende seguir com muita brevidade a escuna na-
cional Carlota, -tem parte de seu carregamento
prompto : para o-resto que Ihe falta, trata-se com
os seus consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo t C, no-seu escriptorio ra da Cruz nu-
mero 1.____________
Vende* .a barcada Purayuasi, nova
e muito bem construida, de lutado do 26
caixas: <|iem a pretender pode ve-la no
Caes do Hamos, aoude est fondeada e i
tratar na ra do -Crespo toja de fazendas
n. 7.
. DE
UIVIIHS.
*cgnnda-feira ii O agente Miranda rcquerimeRto do adminis-
trador da-massa fallida de Antonio Garneiro Pin-
to, e por despacho do Sr. Dr. jaiz especial do
comnwAio levar a leilo as dividas activas do
mesmo fallido, na importancia de 7:8!M>i79 rs. a
saber : 3;144918 rs. em letras e 4:281*877 em
eontas :.. dia cima mencionado-om seu arma-
zem da ra da Cruz n. 57. I
Os Srs. pretendentes desde j pedem examinar
as leltras-e a relaeaodos devedores, existentes em
poder do-nenesonado agente.
CHAPEOS DE SOL
De J. Falque.
4-RA DO CRESPO-4
Esta fabrica, a mais antiga e acreditada d'esta capital, acha-se de novo montada com nm
variado sortimendo de chapeos de sol inglzes e francezes, assim romo de ludo quanto diz respeilo
i sua proflssao, como seja superiores sedas, alpacas e panno de todas as ores e qualidades, r-
mameos e mais preparos para apromptar chapeos de sol vontade dos freguezes que se dignarem da
honrar este estabelecimento.
Cobre-see concerta-se toda e qualquer qualidade d'estesartigos com a maior perfeicao e pres-
teza, c tudo por,procos muito rasoaveis.
Bonito sorimento de bengalas precos cemmodos.
4 ttaa do Crespo -- 4
O VERIIVIIEIRO
PRINCIP
grande \mm\
JL
DE
1
rmazem de fazendas
DE
Custodio, Carvalho & Companhia.
ra do 0UEIMAWO *I
pelo barate preco de 3*000
-ramio pechlncha.
Cimbris branca lavrada propria para vestidos e cortinados
llovers c objectos e elcclro piales co- cada peca.
Toalhas de Jinho adamascada para mesas a 35300 e 4* cada urna.
Guardauapos de linho franjados a 33 a duzia.
Toalhas de linho para rosto a prego de 4,5, 45500 e 125 a duzia e urna 360, 4C0 e 15-
Ontra pecliincha.
('ambraia escura verdadeira organdys a proco de 240 rs. o ovado.
ttales para senuoras e meninas a preo de 25500 o 35 cada um.
Fil de linho liso vara 500 rs.
Panno de linho do Porto com 10 palmos de largo proprio para lenres vara 25-
DE
MOLHADOS
dio sejam:
1 moblliade mogno, 2 cadeiras de balando, 3
ditas para menino, 2 mesas para jgo, 1 secreta-
ria de mogRo, 1 mesa de costura, 7 tpeles, 1 me-
sa redunda, 2 grandes espelhos, 2 relogos, 4 jar-
ros para flores, 6 frascos, 1 berco, 1 todlet de ja-
rand rom lampo de pedrae espelho com louca de
porcelana, 1 commoda de Jacaranda, 1 lavatorio,
1 toiicador, 1 guarda roupa de mogno, 1 appara-,'
dor, 1 mesa elaslifa para 20 3>i pessoas, 1 gran-
de apparador, 16 cadeiras, 2 camas de ierro; 2 di-
tas de vento, 1 apparelho de louca para jaular, 1
dito para almoco, copos, clices e garrafas de crvs-
tal, trem de Msioiui, toalhas de mesa, cobertores,
lenees e muitos outros objectos.
lima grande urna para 40 chicaras, um appare-
lho para cha .completo, colheres, garfos, facas, lu-
do deeleetfO-pUte, da mellior qualidade.
Ter^a-feira 1? de malo.
A' roa di Imperador n. 49, 2o andar.
O agente Pinto autorlsado por um estrangeiro
" de lodos os
no segundo
* I andar e solio do sobrado da ra do Imperador n.
Para o Marauhao c Para.
O patacho Beberibe a segolr com muila brevida- de recebe carga c frates para Maranhao 300 rs. objeclos cima descnplos existentes
por arroba, e para n Paca a 360 por arroba ; ira-! *" l d" sobrado da ra do Ii
Antonio Luiz de 49, onde se effoctuarao leilao no da 11 do (
ta-se com os seus consignatarios
Oliveira Azevedo & C. M seu escriptorio ra
Cruzes n 1.
das
rente, devendo comeear s 10 horas em ponto.
Para o Hio de Janeiro, a frete barato, est
rarregando o brigue brasiJeiro Imperador, de boa
marca e com cominodos para escravos : a tratar
no escriptorio Amorim Iriuaos, ra da Cruz n. 3.
ou com o capillo Jos Rodrigues Prats, na praca
do commercio.
Para o Maranhao e Para
pretende sentir com malta brevidade o patacho
nacional Bneribe, ten) parle de sen carregamento
pronpte : para o resto que Ihe falta, trata-se. com
os si'iis consignatarios Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo em sen escriptorio ra da Cruz n. 1.
rara o Hio de Janeiro
o brigue Belitario segu com brevidade, c pode
receber algonu carga : trata-se com os consigna-
larios Marqoes barros & C, largo do Corpo Santo
numero 6.
Para o Klo -ramio do Hu
pretende seguir rom muta brevidade o patacho
nacional Carolina, ten parte do seu carregamento
prompto para 0resto que lite falla, liata-se com
o capitao Belarmino dos Santos Pinhelro a bordo,
ou na praca do commercio.
Jla o.
A barcaca Mitiea Ctdade segu para Hacio com
osala por Canha, Piraogi e Rio Grande : anda
recebe alguma carga : a tratar com o mestre Mi-
guel Jos da Costa, na escadinha.
Kirltoiury llond.
Wanted on ihe sbipaud cargo of the Brisn bar-
que Coroeoro, capia. I'iios. Lamb, aboui 4:0005 mo-
LE LO
DE
Um excellente sitio.
Terca-feira ao meio dia.
O agente Miranda competentemente autorisado,
vender em leilao um excellente sitio na estrada
do Rosarinho, comprehendendo 600 palmos de
frente e mais de 2,000 de extenso, alargando
muito para o fundo,
Conten o sitio abundantes arvores como sejam :
mangueiras, jaqueiras, sapotueiros, pinheiras,
etc., etc.
Tem no fundo do sitio urna mata de grande ex-
teasao e abundantes madeiras, de diversas quali-
dades, e d'cnde se pode tirar lenha para vender
lodo o anuo.
Com duas immensas baixas de capim capazes
de sustentar muitos cavallos de verlo invern.
Alm de oulras commodidades quo offwrece o
( sitio, accresce a de urna bella, grande c moderna
casa, com salas eqnartos espagosissimos e frescos,
assim como grande estribara e grande cosinha.
O leilo ser eflectuado ao meio dia em ponto no
armazem da ra da Croi n. 57.
O mosmo agente esi prompto a dar a todos os
prelendentes as mais ampias informaces.
AVISOS DIYEBSOS.
0 ciriirgiao Leal mudou
a sua residencia da ra do
36, pn-
uieiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharao como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fissao, chamado por escripta.
Aos ii.HMISlHKI.
Segttnda-feira 16 do corrente mez ter
lugar a extraccao da torceira parte da quar-
la lotera do Gvmnasio. no consistorio da
igreja de N. S. do Rosario da freguezia
I de Santo Antonio.
Os bilhetes, meios e quintos acham-se
j venda na respectiva thesouraria ra do
Crespo n. 15 e as casas commissionadas.
Os premios de 5:000000 at 10)5000
serao pagos urna hora depois da extraccao
at s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuico das listas.
O thesoureiro,
______Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Seated tendere lo be addressed to the raotain al, nniyps snliTl/f H
the Brilish consulale, and lo be oponed in ihe pre- iL
sence of l. It. M. consol ou Hoodav next, 16 tli
Inst, ai 1 P. M. Ilecife 1". ih may I8(ii
lt mu 1U:I ilitii.
A barca ingleza Coroeoro, eapitao Thomaz Lamb,
precisa da qoantia de i (tonj pouco mais ou mc-
n is, sobre o casco c carera do dito navio, para as
deepezas feitas neste porto, de forma (|ue poss.i se-
pinr a sua viagem Valparaiao. Recebem-se pro-
ponas em caria fechada, no consulado brilannico,
dirigidas ao eapitao : cujas sero abortas na pre-
senca do consol de S. M. R., na segunda-feira 16
dj corrente, 1 hora da tarde.
________ r
LEILQES.
LE1X.A0
DE
BMMH
O agente Pestaa fara leilao por conta e risco de
quem pertencer de urna mebilia de amarello, guar-
da louca, commoda, marqueta, lavatorios, cande-
labros,'mesas etc. : sexta-f.'ira 13 do corrente jie-
las 10 hars da manhia na ra da Cadete n. 6:,
primeiro andar, confronte ao arco da Conceico
por cima do armazem do Sr. Teixeira.
LEIIiAO
no.fi:
Sexta-feira l^deraaii s 11 horas
i na da t>di ia o '>.>.
DE
Urna casa larrea r 24 sita praca da
Boa-Vis'a, que faz esquina para o
becco o Tamtti.
Por inervencao do arenle uzebio s vender
em leilao a casa terrea do n. 21 sita praga da
Boa-Vista, com 3 pm las e 30 palmos de frente, 2
salas e 6 quarlos, 80 palmos de fundo, cosinha f-
ra, cacimba, quintal e porlao para o becco do
Tambi, sao convidados os pretendentes ao previo
exame, os documentos se acham a vista, urna
bella acquisicao, porque a casa um excellente
ponto para qualquer estabelecimento.
-W
A
Respeltavcl
HA ENCVCLOPEDICA
esiabeleeiiueotfo de fazeudas ra do
Crespo numero 19.
DE
JOS GOMES VILLAR.
Tcmlo merecido a protecco das
EXCELLENTISSIMAS SENHORAS,
e do publico em geral.
OJproprietario nao descanca um s momento para bem servir aos seus freguezes, fa-
zendo cncommendas para
Inglaterra, Franca, Suissa e Allemanha
das melhores fazen das para
Senhoras e para homens
evende-as por precos que admiram.
Importante estabelecimento
DE
Fazndas
Seda, ISa,
RA DO IMPERADOR
n. 4o
Outr'ora ra do Celleglo
I)E

DE
linho e algodo.
J'D3 1KD2I33 Tila,
Ra do Crespo numero 19.
RECIFE.
Vende liatatissimo.
Importante estabelecimento
DE
Fazendas
DE
Seda, la, linho e aigodo
IKua do Crespo numero 19
RECIFE.
Vende baratissimo.
$ DUARTE ALMEIDA 4 C
Antonio Fernandes Duarte Almeida, dono dos ;uredUlosarma-n- // ,
e Unio e Commercio, e ex-socio do FrogressoProgt essi.siu acaba de al*ir lij< m n-
iro na ra do Imperador n. 40, junto ao sobrado em que mora niratista < Sr. (Mam.
0 proprietario deste importante estabelecimento, conhecend <|u> i mais r*-*> > ^pn*.-
armazem que presentemente se tem aborto nesia praca, delibrrou d^Hiima-lo \1JU>AKI-
RO PRINCIPAL ; sem duvida pode diter, j pela pratica e comVinvnt. qnr U-m *h-4w
casas, que este um estabelecimento que nada deixa a desejar, j pelo e9merl> aren
quenelle preside, como no completo sorimento que elTetivamente rerelie le *
emeommenda.
O proprietario do grande armazem YEKDADEIRO PHINCIPAL ,'b.ri:>->.'
primeiro a acabar com o grande segredo e abuso qoe reinava nos pn
estiva, adoptando desde a sua ptiineira casa, em publicar loM H pri-cos de
ros, por onde via e v o publico que nunca mais pode ser Iludido cono di/en i
que, mordidos e queimados pela inveja, dizem nao voll... Illude'... 'Wanp
esses maldizentes, que emquanto andar no Irilho que pisa, nunca mais rmela i qmi
venda um objecto de 5$ por 10r>. 0 systema do Verdadeiro Principal vender amto
dinheiro e ganhar POOCO, com elle que sem medo diz, que bailas de papH o vente at
carrega.
Pede-se a maior aUeneio.
0 proprietario pede aos seus amigos e freguezes, e ao publico em geral
cao para o novo estabelecimento, garanlindo aos mesmos que ningnem mais pode 'A
as vanlagens que se presta a offerecer este importante estabelerimonto. O PRI.NQPAL
bem pede a todcs os Exms. Srs. o favor de mandarem seus |tedid ao novo er*tj!-
ment, certos de nao terem occasio de se ariependerem.
mala attenco.
0 VERDADEIRO PRINCIPAL pede, em particular lodos os Srs. .le
mais Sis. do centro, queiram mandar suas encommendas este e.stab-le< imeni.>.
do-Ibes o proprietario que tanto elle como os seus fmulos nao pouparli H^pi
fielmente cumpriiem os pedidos que vierem inderessados.
Ao publico.
Oincansavel proprietario pede a todos os Srs. eSras. que, quamlo b-aad
dar seus pedidos seja em carta fechada ou com grande recommendaeo a.. VERI\HH
RO PRINCIPAL na ra do Imperador n. 40, junto ao sobrado em que nv.ra o ntaftnl
americano o Sr. Osborn, e para mais certeza dos portadora lea < > lomnlam
franceza, no pavimento terreo. O VERDADEIRO PRINCIPAL, tem :i |.. i
tadas de fverde, as homhi eiras Duarte Almeida dr C. e ix.r rima o VKRDAfJftJKn
PRINCIPAL.
Amendoas confeitadas com bonitas cores
a 16000.
S3'lSl
CONSULTORIO UCO-CHGICO
DO
DR PEDRO DE ATTAIIYDE LORO MOSGOSO,
MKDICO, PAkTUIKO i: opirador.
o
o
llua da Gloria, casa do Fimdao 3
O Dr. Lobo Moscoso d consultas gratuitas aos pobres lodos os das das 7 s I
horas da manhaa, edas 6 e meias 8 horas da noite, excepcae dos dias santificados
Pharmacia especial homeopatinca
No mesmo consultorio ha sempre o mais appropriado sorimento de carteiras
tubos avulsos, assim como tinturas de varias dymnamisaces e pelos preets seguales
Carteiras de 12 tubos grandes. 125000
de 24 tubos grandes. 186000
de 3(11ubos grandes. 245000
de 48 tubos grandes. 305000
deGO tubos 'Mandes.
3?6000
IHIIAo
DE
Movis, pianos, machinas para costa-
ra, perfumaras e om ros muitos
ajerias.
iio.ii:.
No AnMAZKM DA RA DA CAiMUA DO HF.CIFK N. 48.
O .iii.-iit.- Olympio Tara eilSa do diversas obras
novas c usadas de marcineiria e outros muitos ob-
jeclo.
Dar principio 11 horas era ponto.
LEILAO
Dsdividas activs de francisco Gomes
tostello-
Aiabbado 14 do corrate.
0 agente Pestaa por conta dos administradores
da massa fallida de Francisco Gomes Castellao e
doparhi. do Illm. Sr. Dr. juiz ?5Wial do com-
CASA DA ORTIM
AOS 5:000,000
Rilhetes garantidos
A' ru de Crespo n. 23 e casas do coslunte
O abaixo assignado avisa ao publico que se
acham venda om seu estabelecimento e as ou-
lras casas do costume os felizes bilhetes, meios c
quintos garantidos da terceira parte da quarta lo-
tera do Uymnasio, que se extrabjr segunda-feira
16 do corrente.
Os premios serao pagos como de costume.
frenos.
Bilhetes inttfiros..... 6*000
Meios......... 34000
Quintos. ....... 1*200
Para as pessoas que coraprarem
de 1004 para cima.
Bilhetes........ .".3->00
Meios......... 24730
Quintos......, 13100
Mantel Martins Fiuza
D-se 10:0OO a premio sob hypothcca
em predios nesta praca : a tratar na ra
do Crespo n. 17, foja.
tten$io.
Alugam-se casas terreas liajpas e fres-
cas na ra dos Prazeres, Boa-Vista : a
tratar do lado direilo quarta casa, a en-
trar.
D-se dinheiro a juros em grandes e
pequeas quantias : a fallar na botica do
Sr. (ameno.
rara* x
A ttencao
Alugase urna casa nova defronte do caes do Sr.
Prepara-se qualquer carteira conforme o pedido que se fizer, e com os remedios
que se pedir.
Um tubo avulso ou frasco de tfntura de meia onca 15' 00.
Sendo para cima de 12, custaiao os precos eslabelecdos para as carteiras.
Ha tubos mais pequeos cada um a 500 ris.
K IV ISO*.
A mellior obra da homeopathia, o Manual de Medicina jHomeopathico do Dr. Jahr,
dons grandes volumes cem diccionario............ 205000
Medicina domestica do Dr. Ilering,........... 105000
Repertorio do Dr. Mello Moi aes............. 65000
Diccionario de termos de medicina ........... 35000
Os remedios deste estabelecimento sao por demais conhecidos e dispensam portan-
Manteiga ingleza propiamente llor a 800 rs.
e 15 a libra.
Dila franceza muito nova a Goo rs a libra
sendo em barril 580 rs.
Cha nchim o mellior que se pode desejar, e
Massas para sopa muito novas, i
cada iiltimaiiii-iili' |H*vide: nulinln n
trellinba a .*>00 rs. a libra e 3-j a rjiia .
8 bras.
Macarro.Al.'liia 6 Tdlliariin a W*r*.al
Vinagra Naco a 200 ra. a garrafa
a caada.
que otttro qualquer nao vende por menos Dito emgarraflMBii l^niO.-ada
de :t5 a 25700 rs.
Dito perola especial qualidade a 25GOO
e 25800 rs.
Dito hysson o mellior que se pode desojar
a 25400 e 20600 a libra.
Dito hvsson a da India muito superior a
2420 e 2/400.
Dito do Rio em latas de 2, i, 6 e 8, libras
a 15000 e 15200 a libra.
Dito preto muito especial a 25800 a libra.
Dito mais baixo a I53UO e i GOO a libra.
Queijos chegados no ultimo vapor a 3A00O.
Queijo prato chegado neste ultimo vapor a
800 rs. a libra.
Rotijoes eom 8a9garrafas >\<- u.-
Ihor que se pode dt*s'jv. a 5-5 >ib
Palitos de dentes em macos o un 20
iihns a 120 rs. rada un.
Palitos do :-:i/;i252O0 a groza. 29 rs. ^
caixinba 2tK) rs. a duzia.
Graixa em latas muito 11'i vas a D -
e 1^000 a duzia.
Ceblas nuiln imvas 1 IH rs. o
8(K) o m.liiu.
Traques de primeira qua^nlade a -
caixa 1 Mfl I caria.
Charutos Ipvnngas em m
24000.
Ditosuisso Parmezo o mellior e mais o tos Suspiros de Tbom Pinto a tttKo.
fresco que se pode desejar a 800 rs.a li- Dt,,3 Avan.'iros do mesmo a I**..
bra, sendo de libras para cima a 780 rs. Ditos Regaba lui|i.-ial a l-^m .
to de serem novamente recommendados as pessoas epte quizerem usar de remedios ver* Rocelas com doces de Portugal ricamente
dadeiros, enrgicos e duradores : ha tudo do mellior que se pode desejar, globos de ver-
dadeiro assucar de leite, notareis pela sua boa conservacao, tintura dos mais acreditados
estabelecimentos europeos, a mais exacta e acornada preparaco, e portanto a maior ener-
ga e certeza em seus effeitos.
Casa de mude para escravos.
Reccbe-se escravos para tratar de qualquer enfermidade ou fazer-se-lhe qualquer
operaco, para o que o annunciante julga-se sufficienlemente habilitado.
O tratamento 6 o melhur possivel, tanto na parte alimentar, como na medica, e
funecionando a casa a mais de qualroannos, ha muitas pessoas de cujo conceito se nao
pode duvidar, que pdem ser consultados por aquelles que desejarem mandar seus
doentes.
Paga-se 25000 por dia durante 60 dias e d'ahi em diante 15500.
As operacoes serao previamente ajustadas, se nao se quizerem sujeitar aos precos
razoaveis que costuma pedir o annunciante.
C
li&fl^
SEGUROS DE VIDA EM MUTUAUDADE.
A direccao do BANCO UNIAO tendo ebtido do governo de S. M. F. a autorisacb para estabele
cer o seguro de vidas em mutualidades, faz jiublico que desde j toma subscripces annuaes por urna
s'vez, dtbaixo das seguintes condiedes :
Com perda de capital e lucros;
Dito capital smente;
Dito lucros smenle;
devendo a primeira liquidacao ter lugar no i de Janeiro de 1859.
As vantagens do emprego de capitaes era mutualidade, sao ohvias, porque nao smente se co-
Iheojuro de quantias.diminutas, de que avulsas se-nao poderia tirar nenhum resultado; mas alm
disso, este rendimento augmentado pelo capital ou lucros, ou ambas as cousas, conforme as condicoes
da subsenpeao, dos que falleeem. Tambem partido pelos socios obreviventes tudo qulllo que os so-
ios morosos nos seus pagamentos, sao por este motivo obrigados a pagar, bem como caducidades que
occorrerem pela falta de cumprimento do compremisso social.
As liquidaQees sao pelo systema das companhias hespanholas, Tutelar e outras; e para se poder
fazer urna idea do que pode produzir urna entrada annual de 104, publica-se a seguinte tabella basea-
da sobr a experiencia de muitos anuos de companhias desta natureza :
Em 5 anuos Em 10 annos Em 15 annos Em 20 annos Em 2o anuo.
Por um menino de 1 dia a 1 anno 1 4UUU& bl 1104 I iv iiiinun DI 4004 1 ia unm 9004
% de 1 anno a 2 > 904 3004 7804
de l > a 3 1 864 2904 7204
de 3 1 a 4 1 864 2804 7104
> de 4 a 15 > 864 704 7004
Por urna pessoa de 15 20 > 864 2704 7004
t de 20 > a 30 864 2704 7104
de 30 > a 40 > 864 27*4 7204
de 40 > a 50 > 904 3004 7804
2:0004
1:7003
1:6004
1:3604
1:8504
.-1:5404
'* ? 1.8604
1:6000
1:8064
4:708,8
3:7004
3:5004
3:4004
3:3804
3:3304
3:4004
3:7004
8:0004
Dito londriuo um pouco duro por virera
em navio a 500 a libra, e sendo inteiro
400 rs.
Bolachinhas em latas de 2 libras de todas as
qualidades que se procura a I $300 rs.
Ditas em latas grandes a 2:9000 rs.
Ditas em latas de 5 libras de Craknel a
4j$000 a lata.
Bolachinha ingleza desembarcada ltimamen-
te muito nova a 2,->2tO a barrica e 1G0:
a libra.
Ca loes com bolachinhas francezas de diver-
sas qualidades a 600, 800 e 10200 cada
um.
Peras seccas em caixinhas de 4 libras as
mais delicadas que se pode desejar a
2:>500.
Iho secco, Vctor Lmmanucl, D. Redro/Mostarda prtysq* a 11.^.0^.
D Luiz, especial vinhovel 10 .10 Porto (;ullS(,|vas mK,ezas a 6i0e 8DO n. o km.
utros muitos a-9,>, 10$, 12$ e 14$ a (;, .. ngte| a l0Mm a (luzM e ||a
mercio expor do novo em leilao as (JJvlds cti- i Go,.IU!' do Correio, a qual tem 3 quartos, 2 salas e
vas do mesmo Castellao na importancia conforma 23^2?^ WVZmIL^VJJ!?** ** M Dtradas Pruraa so ve d3 resultados muito superiores s annuaes.
a re,aaid'5 iW^We : tabeado 14 do cCrri* I >HdoPcP'1|,n |0 de ^os-0 if l863.-Os directores do Banco Unio, Jos da Silva Mathado.-F. U. van
pelas 10 horas da mnbaa na porta da associacaJ*' r- Aluga-se um criado mulato com bonita figura der Niepoort.
comraercial. eifi ; a tratar paSo|edade, casa n. U. j Agentes em Pernambuco ; Antonio Luiz de Oliveira Aievedo & C, ra da Cruz n. 1.
enlodadas a 2500, contendo: peras, pe-
cegos, rainlias Claudia, ameixas, alperch
e outras muitas fructas.
Passas muito novas a 480 a libra e 7$500 a
caixa: tambera lera meias c quartos.
Amenduas de casca moli a 2l>0 a libra e
240 de cascadura, nozes 140 a libra c
4$000 a arroba.
Figos em caixinhas e latas hermticamente la-
cradas a l$5O0 e 2*300, de 4 e 8 libras.
Vinhos em caixas de duzia vindos do Porto
e das seguintes marcas: Duque do Porto,
Duque Genuino, Madeira secca, Chamisso,
Velho
V,
e outros
duzia e.l$ a 1$200 a garrafa.
Vinhos em pipaPorto, Lisboa e Figfieira
das melhores marcas a 3 $800 a caada e
500 a garrafa.
Ditos do Porto, Lisboa e Figueira de marcas
menos conhecidas a 400 a garrafa e 2$800
a caada.
Dito Colares especial vinho a 800 a garrafa.
Dito Lavradio muito fresco, nao levando com-
posico, a 5G0 a garrafa e 45000 a caada.
Vinho hrancode uva fina a GOO a garrafa e
4$500 a caada.
Dito mais baixo a 400 a garrafa e 2$800 a
caada.
Vinho Bordeatix em caixas de 12 garrafas das
marcas mais acreditadas a C$500 e 7$000
a caixa.
Dito muito especial que raras vezes vem ao
nosso mercado a 1$200 a garrafa, garan-
tc-se que por este mesmo preco d pre-
juizo, e so se encentra unicamcnle neste
armazem.
Licores francezes" e portuguezes dos melho-
res autores a 800, I $000 e i $500 a gar-
rafa.
Cenejas das melhores marcas a 5$S00 e
6$ rs. a duzia; tambem temos ordinaria
por muito menos.
Marmelada de todos os fabricantes de Lisboa
em latas de \ libra a 600 e 640.
i|ik' sin) charutos i\\w |i M %*ihW.ii |'"i
6lM)ei>8li(. al.in dsi
tedas M mais que 'iistiawMi ir > O"'
mercado.
(ienebra dr Ifoanda em frasqiifira? )MIM
i- .'iiKi rs. o Iva
Dila de laianja a l-HiN)n frascoe ll&tk
caixa.
Dita embotijas de llollarnla a IVOi
Cominhos muito novos a %**) r- a bura t
sendo em arr> lia ter ahatimrnl.i.
I'.iva-duce muilo nova a VIH rs. a libra.
Camila muito nova a I $000 a libra.
Pmcnia minio nova e limpa a 340 rs. a libra.
Cravo muilo novo at'.Wirs. a filtra.
Alfa/.eina nota l (M)r>. l liltra.
I Toucinbo muito novo de LisInVa 3 2>*,
libra c 8ifO00 a arrota.
Cheoricaa e paioi aM0n.iBn
Banliaa mais nova e a!\a que se ple 4em-
jar em latas d.' lo libras a (JOBO a tato.
Dila propria para banba le cahHfc) por ata
alvae dura a i-Xi n. a libra.
Copos lapidados a UMO a duna e 5JWP.
Ameixas ern frascos ^'ranoVsa :
Ditas em frascos mais peqix'Ma a MMV>.
Ditas em latas deuma e nif>a libra aft Ulna
a l$200e 4$OGtaala.
Molho Bglai rnlba l vi a 80 n.
Pre/.untos infieres para liambriv aato ao-
M.sa 800r$. a libra.
garrafa.
Dito france/. a 8$d0 .1 tluza t MU) r-
garrafa.
Palle Brandv a 2*100 I garrafa e *ffww> 1
duzia.
Sabio massa a 140 e 240 rs. a liltra 1
Polvo a 320 rs. a libra e WO a;
Vassouras do Porto com arn* de fenr a
MO cada urna.
Ditas americanas a 640 rs.
Papel aimneo |iauhdoe lu<> a.->i4Na
Dito de peso paulado e lizo a 34 a
Dito azul proprio para boca a 24 a
Velas de apraacete a KM rs. a libfa.r sraat
em caixa a .*i20.
Ditas de carnauba do Ararat? ad^tlOOa aara
ba e 32t rs. a libra.
Farello de Lisboa marca N a iOOO a arca.
Tijollos para limpar fac^s a 160 rs. cada as.
Peixe em latas j preparadlo a IVMWa fcatat
Chocolate bespanhol e francez a I -WOOa I
Caf do Rio primeira sorte a 8*700 a;
e 300 rs.a libra.
Dito de segunda a 8>>4O0 e 280 rs. a
Arroz do Maranhao, Java l India de
3$ a armba e 100 rs. a liltra.
Alpista muib) novo e limpo a 140 rs. a i-
bra e 45500 a arroba.
Cevada muito nova a PH a arroba e 100
rs. a libra. a



f
*l v
i -/
l)Urlo de Paraboca Meii felfa t:i te Halo de 1H1
Ao publico.
Nao tendo viudo a esta praca desde setembro
de 1862, entend que estava honrado no seio dei
ininlia familia e do meu negocio e nao contava
que com a amizade do Sr. Jos Honorato Chaves
meu particular amigo, mas nao oi esse a quem
convide! para irao Gabinete, mais sim o meu pri-
mo Francisco Muniz Pontos pessoa muito coneei-
tu.) la, por eu ser socio do dito Gabinete, eis que
peco unta vela para ver o retrato do Sr. D. Pedro
V e S. Nf. o Imperador do Brasil, e entretanto me
negaram a vela ac esa porque nao quizeram acen-
de-lal Se assim duvida de meu crdito que ap-
pareca,poiscstouprompt a desmaserar a estes
que calumniara a verdade at dizerem que eu nao
vive bem com a n un lia companheira.
Precise que os neos oradores respondan) se tem
que dizer de mi ni, tois nao quero ir para o lugar
em que moro em duvida.
Antonio Jos Dotellio.
Recife, 12 de maio de i8Gi._______________
No dia 10'do corrente desappareceu o orphao
X soldada, Jos, ralioclo, de 13 anuos de idade, e re*
presenta ter mais, c natural da provincia do Ceara;'
fall e riso punco, c anda nao muito ladino, le-
ven caiga e camisa Lranca, costuraava andar nesta
ridade em cabriole!, com fardamento azul c Vivos
forneos : quera o apprehender leve-o ra estrei-
ta do Kosario n. 28, ou ao sitio do conselheiro Jos
Beato, na Ponte de Felina, que ser recompensado.
Na noite de terca-teira, 10 do corrente, um
ratoneiro ron boa de urna mullier que passava pelo
caes do Ramos, una caixa de pao, coutendo
dentro uifi chapeo de tilo branoa para senhora, e
bem assim os objectos seguintes : 1 traucelini de
ouro de lei, tendo de peso li oitavas, 1 caeoleta de
dito com oJetreiro amizade, 2 pulsciras tatubenvdc
ouro, sendo urna de gosto aotigo, bordada buril,
e outra do conchas com urna quebradura de um
lado, 1 vulta de coral presa na mencionada cagle
Jamos Ryder & C, administradores.
da massa fallida ile Joaquim Vieira Coelho
O Hv. ronce de l.cou.
O Sr. Antonio Carlos Pereira de Burgos Poace
, de Len insiste em fazer persuadir ao publico, que
A (.., tendo de cumpnr o disposto no art. e0 me ^^ de sua co,in|ailha e ,he propui ac.
859 do cdigo eummerci.il, conviuam aos c&> de divorcio, sem que para yssov^e motivo
Srs. credures da mesma lirma a llies entie- algum fundado, mas arrastada *lo somonte par
gareni os
de 8 dias
go, allendehd
ta e 1 par de rosetas de ouro com 3 pndulas de !annuiiciantes som esses ttulos esto Hopos-, reconciliei ostensivamente com elle, quando alias,
coral dentro de urna caixnha : roga-se, pois, s si|,i|i(los ,le rever a relaco de que trata.em Pai,cular, vivemos na melhor inlelligencia.
autoridades pohcaes e mesmo aos senhores ouri- ii-tir F de tudo isto tira elle motivo para me ncommo-
ves, a uuem for olerecidoalguns dos mencionados! aquello aiii^ti.__________________________ | propondo-meurna accSo reseisoria do
objectos, o obsequio de os apprehender e levar, Alnga-se um sitio na estrada da Ponte de! divorcio, na qual allegou as mais revelantes falsi-
CLUB PERNiMBTONO
A reunio familiar do corrente mez ter lugar
na noite do da {9.
A direccao do Clab Pernambucano pede ao?
Srs. socios que teem por costme infringir o arl.
10 dos estatutos que prohibe a entrada de meninas
menores de 12 annos, para que nao contnuem as-
sim pralicar paraban colloeara mesma direccao na
ieeess-idadc de fater respeitar as disposiroes dos
mesuras estatales cora medidas enrgicas.'
Club Pernambucano, 9demaode 1864.
R. J. Barata de Almeda,
___________________________Presiden?.________
Alfred Tiomaz Cook retirase para Ingla-
terra.________________________________________
KNGENIlO.
Arrendase o eagenho-rf'agiia, denominado us-
sara, sito naTreguezia 4e [pojara, distante legua e
meia das esiacoei da fiscada > (pojos, com torras
massap para salrejar sem grande tar-so saraa do Livrunento con o Dr. Ignacio
Serv de Fensera
(Jabea e a marg.m do ro, poueo adante do Illin.' dados.
Sr. commendador Nery Per reir, tendo banheiro, Pedia o decoro que eu me abMivesse de trater
palanque, galinhciro e outras acommodacoes c luz publica esta desgrasado questao, que o Sr.
outro dito no Alontuiro, em frente ao oitao da igre-1 Burgos tem procurado dar una triste celebridad.
ja : a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Sou-. Entretanto, toreada pelo indigno e insidioso pro-
za, ra do Crespo n. lo, ou estreita do Rosario nu- cedimento do Sr. Burgos, venho, bem meu pe-
mero 32. __ *ar> f*tef perante o publico as seguintes solemnes
- Francisco Al ves Monteiro Jnior, depositario SfSJ I1"5 ser3 repelidas e.nquanto o Sr.
da massa fallida de Jos Antonio Soares de Aze-
vodo, convida aos credores da mesma pata rece-
berer a importancia que Ihe compete era segundo ( Sde ^ Snce rme
rateio, no praso de lo dias, e (indo este, quaiquer | "JgJ c fTvm ecer as-,
quantia que deixe de pagar ser recolhida ao de- '
psito geral. Recife 27 de abril de 1864. _____,
Ovidio Ferfeira da Silva vende a atvnacSo
do estabotecimeilto de gneros de primeira neces-
idade, qce ltimamente leve na povoaco do Mon-
teiro : quem qutzer comprar, pode procurar na
mesma freguezia do Poco da Pauella, ra da Pool-
ra, na casa de sua residencia.__________________
llolcl ilaliaiif de mattoma Fen-o, ra
do Trapiche b. 44, segundo e tet-cei-
10 andares.
Neste hotel os senhores que o quizerem fre uen-
tar acharo samare por menos preep -que em ou-
tra quaiquer parte, almeno, jantar ekinchjser
vindo-se durante a semana diversas sopas italia-
nas, como sejamJraviole, ta'.harim, Otirset, lasague
c gnoceak, feite isto com tedo o aceio e asmara
,possivel.
> < senhores assignantes menos que os avplsos, pagando tanibom uns u oc-
tros muito mcr.nsdo que oi outra quxlquer parte.
E os senhores provincianos ueste hotel senario
todos os melhores commedos para assistirem du-
rante o tempo que estiver-m nesta cidade.______
Aluga-se a toja de urna .ponte s va
ra do Crespo n. 4 com armarjo ou sem
ella, para tratar emeasa de i. Falipte na
.mesma ra o. 4.
wmwm mmmmL,
p Fabrica Ooneeiem) da \
Baha.
^* Andnde & Reg, recebem constante-
Jr>,' mente e tem venda no sen armazn n. ^
w; :l't da ra do Imperador, algodSo d'aquel- W
W la fabrica, proprio para saceos Je assu-
sm l'11'- emlialar algodae ein pluma etc., etc., S8
tf Pe' PreCo mais raaaavel. '
M'MWMmm mm wmmm
Alnga-se o primeira c segunde andares da
asa d. w da ra Imperial : na ra da Aurora
auinoro 36.
ra da Concordia n. 2, ou Nova n. k-i.
0 abaixo assigoado adverte s pessoal que lera
objeelos penhorados na sua mao, que os venham
resgatar no praso de lo dias da pubheacao desle,
do contrario seriio vendidos para seu reembolso,
perdendo os seus donos todo o direito de reclama-
os em quaiquer tempo. Recife 11 de maio de 18G4.
^^^ Frederico Gaulier._______
Alnga-se ama boa sala com 2 quarlos, na
ra da Cruz : a tratar ua ra da Lingoela, taber-
na n. 3.
A pessoa que quizer comprar urna negra de
bonita figura, dirija-se ra Direitan. 21, primei-
ro andar.
Precisa-se alagar um moleqiHi para lodo o
servicp : quera o tiver drija-se ra da Cruz nu-
raero 11._______^_______^^^^ _____
Ordem tereeira do Carino.
A mesa regedora da veneravel ordem tereeira
de N. S. do Carmo,convida a lodosos seus charis-
simos rqiaoa para comparecerem no dia 13 do
corrente, pelas 2 horas da tarde, na nossa igreja,
para acmpanbar a procissao do Divino Espirito
Santo erecto no convento de S. Francisco.
Consistorio da veneravel ordem tereeira de N.
S. do Carato do Recife 10 de maio de 1864.
Francisco Jos dos Sanios Jnior.
Secretario.
Precisa-se de um criado, e prefere-se um que
seja MeSira : na ra estreita do Rosario n. 28.
Procisa-SO de um pruneiro ou segundo andar
| em nina das seguintes ras ; praca da Boa-Vista, i
Hospicio, Aurora, Concordia, ou mesmo casa le-
rea aas ras Formnsa, Dniio e Santo Amaro, de- |
i nominado Cidade Nova : qaetn tiver annuncie ou
procure na loja de (azoadas n. 71 da ra x Im-
' perftriz.
Gntnimatica c aritlimciiea pelo profes-
sop Castro Kanes.
Aeham-sc no dnminis do publico, na typagraphia
dr. roa do Imperador n. lo a grammatica e arith-
etica orgamsadas pelo :professor Castro Nunes, 'Panclla, trsvessa da Casa Forte, com 2 quartos, 2
adoptadas pelo conselho director, e approvadas pelo salas, cziatia e quittal soffrivrt, por 85 mensal:
Rurgos nao se convencer de que deve deixar-me
sem in orrup5ao,viver tranquilla e soregada. Nao
dar urna apparencia de
o Sr. Burgos inventou e
m os seus tcuebrosos pla-
no*.
PR0GRAMM1
DA
Eis aqui as rainhas declaracoes :
Alnga-se urna casa na ra Imperial muito' Sahi da companhla do Sr. Burgos e refugiei-me
propria para padaria por ser muito grande e ter na casa paterna para Ihe propor a aeeao de divor-
utn forno tambera muito grande c novo : a tratar co, nao porque fosse sso movida "por vontado
na ra estreita do Rosario n. 2 A, deposito. estracilla, mas sim em razio dos neomportaveis
\T^ ,n T\ri4-r -i iQ'r martyiios por que me fez passar o Sr. Burgos, du-
l\a Tila l/ir61ltt \\, lOU i-ante dez longos annos que vivemos juntos. Sahi
offerece-se urna pessoa para wtixeiro de pharma- (,e 5U companhia por causa de suas repetidas e
cia bastantemente habilitado. csrandalosas infidelidades ( sahi porque ja estava
-----.--------------------------------;----------------------- candada de soffrer toda a sorte de maos iratamen-
Alguma pessoa que tenha de fazer cobran- tos; ^ porque a minha vida corria imminenle
cas em Mamanguape e queira se encarregar mats urna, pude procurar na padaria da ra Di- meu espirito tinham mais torcas para pporiar tao
reila n. 8i. longo e insoffrive! tormento ; sahi, linalmenle,
porque j tirilla pago com usura o passo impru-
0 advogado Jacintho Pcreira do Reg j
contina a exereer sua profissao em o
escriplorio de sea pai o Dr. Vicente Pe-, j
reir do Reg, ra do Queimado n. 46,
primeiro andar, podendo tambera ser pro-
co rado em casa de sua nova residencia
ra estrefta do Rosario n. 41, segundo
andar, das 4 horas da tarde em diante.
dentissmo, que dra, e de que muito me tenho ar-
repentido, eiu casar-me, contra a vontade de meus
prenles, com o homcm mais refalsado que o cu
cobre.
Em tudo quanto tonho (eito este respeito, meus
pais nao Rguraram senao como meus naluraes pro-
tectores. Quero sabe que tive tiraniza e resohicao
bastante, para casar-me, anda menor, contra a
i vontade de meus pais, nao acreditar cortamente,
; que Iwje,. vinte annos depois de meu casamento,
??$SS=r5 ^S';MlSSSSliSSI 8SmJBI soja ronstrangida, por vontad'. de meus pais, a vi-
Preeisa^e de ama *ma que eqtenda de cesi-: ver separada do Sr. Burgos. Elles, pois, nao exer-
nks e seja boa engommadeira : na nta da luipe-; ceram e nem exercem a menor violencia sobre a
ralriz sobrade n. 'i7, segundo andar- miaba vontade, a qual nunca foi mais hvre do
-------r.---------:-----:-r-... ,P .__~ que na resoluco que tomei e conservo de viver
- Precisa-se de um ^a.xe.ro de 15 a 10 annos ^ perpetuamente separada do Sr. Burgos
para um arasazem de al: a tratar na ra tape- { ^ |5o ^^ fe|. J compailhia delles,
Tal n. 221.
Alnga-se urna cesa na fi-eguetia do Poca da
Bim. Sr. piesdente da provincia, para as aulas de
tnstroccjto primaria
. AMA
Precisa-se de urna ama para o servios interno
externo d urna casa de pouca familia : a tratar
na ra da Senzala a. 22, segando andar.
a tratar
Mana.
com o eaorivo do ummercio Manocl
Alga-se a casa
60 : quem pretender dirija
Na fundido da Aurora, em Santo AmaTCr
precH>a~9e de dous moldadores, paga-se l*em.
ima
Ahira-se urna escrava para todo e servido de
casa : a tratar na ra da Roda n. 17, primeiw
andar.
No deposilodo paleo do Carmes, o precisa-
se de um caixeiro de 12 14 annos, que tetina
alguma pratica, prefere-se iPortuguez : a tratar o
mesmo.
mmmmmmwmr
Frccsa-se fallar, cow urgencia,.30S Srs.
abaixo declarados, na ra de SaEta The-
reta, jnnto i casa n. ?'? :
Miguel Pinto da Cunara.
Josa-Perrain de Manes.
Manoel Jos Pina.
Joto Antonio de Paula tiodrigtios.
Belarmino Alves de Carvalho Cesar.
Miguel Pinto da Gnnlia.
Jos Antonio de Moura.
^S Aatoiiio Matoso de Andrade CaminCta.
3b! Antonio de Moura.
'J loaquim Jos Pacheco,
v.v Jai
It A \1 O I VI lO
ESTABELECIlO NAGtBADE DOPORTO
Ayeates em Periumiliuco
Aatoui* i.uiz 1 Oliveira
Acevele4 C.
Bacam por todos os paquetes sobre o
mesmo banco prazo ou vista, obre a
canta filial em Lisboa, e agencias em F-
gueira, Getnfera, Aveiw, Vizeu, Villa-
lleai, Regoa, Vianna de Caatelta, Guima-
s raes, Baroellos, Lamego, CavHhaa, Braga, gjg
|k! BPenafiel, Braganca, Amarante, Angra,
^j'HjHlia da Tereeira, liba de Faas, libada
quanto possivel a urna [tessoa, que tem muito
e grandes motivos de desgosto, e em todo o caso
infinitamente mais satisfeila e feliz do que viva na
companhia do Sr. Burgos.
Faca, portanto, o Sr. Burgos, o que lite suggerir
. i sua at boje nao igualada malicia. Finja a nimba
terrea na ra Imperial elra e asignatura, para inculcar que Ihe escrevo
iia-sei caixa nhal cartas; diga que vivo opprimida kf meus pais,
mas que entretanto o estimo e almejo pela nossa
reconciliacao ; compre testemunhas para irom de-
pr aquillo que lhes d a estudar por escrpto ;
prive-me 'da doce satisfaco de ver meus Sinos e
dos ter-em minha rom[ianhia; invente finalmen-
te i|uanto a sua frtil imaginara" parecer conve-
niente para attingir o tini a que se propoe. Com
tudo isso, e concedendo mesmo que nao houvesse
justiga na trra, s pedera lograr o seu fim prin-
,j cipal, que annullar a sentenga de divorcio, c res-
tabelecer a commuubao de bens, para ter o direi-
to de participar da pequea heranra, que rae ha
de vir por inorte de meus pas, quem Dos, por
isso mesmo, para martyrio do Sr. Burgos, ha de
conservar, a vida por mutos annos.
E nao conseguiria senao isso, pois que nao ha-
vera poder algum sobre a trra que me obrigasse
a viver mais com um ente, quera, por lanos e
lio justos.,motivos, do fundo d'alma aborreco e des-
preso.
Tkcreza AdflutAe de Siiitera Cavalcanti.
Maeira, Villa do Conde, Valonea, Bastos,
01 i ve ira de A/.enieis, Chaves e Fafe, a
oitodias vista u ao prazo que se conven-
conar, no seu escriptork) ra fia Crnz
n. 1.
v^r iraaqnim ile IlollandaCavalcante.
; ^K Recife, (i de maio de (8tii.
. ,, Aluga-se uma-escravn, a qua
~ Arrenda-se o engenlie Garra, sftooa frecne 2I|hil (, g^ feitamento, c (el
na da Escada, tem proponcyjes para dous a tres'
i mil pies, e cxeellento d'anua : a tratar no enge-
I nhoBainburral .na mesma freguezia.
Quarteisn. 21, seguudo andar.
eaf)omnia, co-
ua ra dos
Na ra Imperial n.
toas lettoires com crias.
1, vendera-ee 3 vareas
DENTISTA DE PARS
19Ra Nova-19
Frode.rico Gautier, cirurgiao dentista,
az todas as onfragoec de sua arte, e col-
toca denles artificiaos, ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
Ldas Ihe reconhecem.
Tem agua e pe dentificio.
Piviisir-iv fallar ao -Sr. Anloio jse
Teixeira de IpendonQa Belm, nesta typo-
graphia.
C seguros uiaritltuos e ter-
restres cstabeleclda no
Uto de daneiro.
Ar.ENTES EM PEI'NAMUI'CO
Aclutiio l.uiz tic Oliveira lzevedu A C,
competentemente autorisades pela direc-
tora da rompa^ibia de seguras Fidelid.v
de. to.nam seguros de navies., mercado-
rias e predios no seu escriptono ra da
Cruz a .1.

m
O advogado Eduardo de Barros pik'
ser procurado cara os miateres de sua
praflssioidas 7 s 9 horas da maniuia e
das :t da tarde em dianle na c.isa de sua
residencia ra da Saudade n. IS.
- Precisase de ama ama para iodo o servieo
a. ama casa : na ra da Concordia a. lio.______
- Na roa i o Imperador n. I i toma-so por ala-
guel urna escriva boa eogonmiadeira.
Antonio huiz de Oliveira Azevede ac so-
hri? [dsboa.
inaa^oaaa-ag^^jpfgi^
t Jiacharcl Jos Roberto da Cunba Sal- |
le uiuudoii o seu escrijMario do advogacia mt
paa a ra do Queimado a. :I2, 1." andar, rg
onde pode ser procurado das 9 horas da pEl
maokaaJs 3 da tarde. jgj
- Deseja-se saber se existe nesta cidade algum
pareule do finado Tbeotonio do liis, natural de
Nespereira de eim, freguezia de Roteas, bispado
le Av.iro (ou r'ora Vizi'itJ do reino de Portugal, o
-ual vo pera esta provincia em 17!K e oceupou
auui algans a rgos governalivos, e morara no For-
te do MaUos 10 bairro doReeife : a petwoa que
for interesa* pode dirigirse ra da Palma n.
39, afim de resonaf noticias agradaveis por seren
de'gr.indciiite|-essii._____________
- Uuem tiver um prelo e queira alugar para
mandados, dir/ja-se padaria da ra das 'Jaco
puntas n. 98. [ _____
Irma tlade do Divino Espirito S De ordem da mesa regedora convido a todos os
iiosos irmaos! para comparecerem em nos?a igreja
domingo IS do corrente, s 2 1|2 horas da tarde,
aiin de em-orporados, irmos acompanhar a procis-
sao do Divino Espirito Sanio que tem de sahir do
convento de S. Francisco, e para o que fomos con-
vidados pela respectiva irmandade. Consistorio da
h mandad* 12 de maio de 186*.
A. A. dos Santos Porto.
Escrivo.
Sils8asajaaiii:
A uyvel.
Aluga-se o segundo andar do sobrado <\*
ra Volita tt. (): a tratar na ra do Seboi
a 24.____________
Aviso aos Srs. de engafi
e chefes de amilia.
Avisa-se aos senhores cima e ao respailare) pu-
blico desia cidade, que na Jab ica do sabio da rua
do Rangel n. 34 vende-se constantemente sabio
ainarello massa de superior qualidade, tanto em
raixas. romo a retalbo. a (KI rs. a libra. Kscnsa-
do coraprarem-n'o as tabernas a 28U e 320 rs.,
quando na fabrica o podem liaver por tito mdico
prero ; portanto o propretario desta fabrica espe-
ra iio reaneitavel publico toda a coadjnvacao por
j e genero de primeira ncce?sdade.
Precisa-se alugar um escravo para Irabalhar
nesta typngrabia, diaria, semanal ou mensalmen-
te, conforme agradar : na livrana ns. 6 e 8 da
pra^ada Independencia.
Ariendim-se os engenhos Cajahuss e Caja-
bnssusinbo, sitos na (reguezia do Cabo, sendo o
.ptimeiro d'agua, e o segundo de animaea, perien-
ceates ao mosteiro de s. Bento da Paramoa : os
pivtendeiit.'s dirijaiki-se ao pateo d > Carmo n. lo,
tratar com Gabriel Aulonio.
Joao da Suva liamos, medico pela Di
vorsidade de CoiinUra, da consuluis era
sua casa das 6 as 11 luirs da maiiliaa, e
da as 6 da larde. Visita os doentes
e:n sitas casas regularmente uas horas
para isso designadas, salvo os casos ur-
gentee, que serio soccenridos em quai-
quer occasio. D consultas aos pobres
queo proenraram no hospital Pedro II,
aonde < encontrado diariamente das 6
s8 hora-? da manUaa.
Tem sua casa de sade. regularmente
montada para reeiber quaiquer doente,
ainda mesmo os alienados, para o que
tem eomraodos apropriados e nella pra-
liea quaiquer o|ieracao cirurgica.
Para a casa de sade.
Primeara classe 35000diarios.
Segunda dla.... 24300
Tereeira dita.... 24000
Este estabelecimento j bem acredi-
tado pelos bons servidos que tem pres-
tado.
O propretario espera que elle conti-
nu a merecer a confianza de que sem-
pre tem gozado.
AMA.
Prccsa-se de urna ama para casa de pouca fa-
milia : na praca do Corpo Santo n. 17, terceiro
andar.___________________________________
Aluga-se as casas da rua do Mondego ns.
69 e 71; para ver estilo as chaves no n. 73, e tra-
ta-se mm Prenle Vianna & C, rua da Cadeia,
ii. 57.________
Casa para alugar.
Aluga-se a casa da rua do Mondego n. 7, tem 4
quartos e 2 salas, cozinha fora, quintal e cacimba :
tratase na rua da Cadeia no Kerife n. 29.
Na praca da Independencia, loja de ourives
n. 33, compram-se obras de ouro, prata e podras
preciosas, Assim como se faz quaiquer obra de en-
commenda, e lodo e quaiquer concert, o igual-
mente se dir quem d dinheiro *a premio.
w.
Eu abaixo assigoado declaro que da data deste
em diante tica sem elTcito a procurado bastante
que passei ao Sr. Joaquim de Souza rne para
Halar de minha emancipacao e mais que lor nc-
cessario, assim como de nao poder roreber aluguel
de minha casa nem passar recibos por mim como
procurador, o que ser nullo quaiquer docu nf
tendente a meu respeito, assignado pelo Sr.
Villa da Escada 12 de maio de 1861.
Maria Elias Correia Peres.
Na rua do Crespo n. 16 deseja-se fall;
o Sr. commendador Manoel da Vera (
Mello, a negocio que Ihe diz respeito.
;irne.
com
ins e
Deseja-se fallar com urgencia ao x-kiatorra
la loja n. 3.'i da rua larga do Rosario, a negocio
tendente a armac o que ainda existo na mesma
loja : rogase, pois, ao mesmo, qae annuncic sua
morada, ou dirija-se dila loja, das 10 horas da
manha atao meio dia._____________^__
Manoel Martins de Freitas, subdito portuguez,
retira-se para o Rio de Janeiro.
Ama
A' niinba uiullicr Tlicrcta Adclaidc de Siqucira Ca-
valrasli, iliipia lillia do Sr. coiuiHCiidador Anto-
nio de Siqueira Cavalcanti, senhor d Marta-
pagipe.
Foi com verdadeira indignagoqaodeparei no
Diario de Pernamhuco de 30 com tima historia to-
da romntica e lgubre a meu respeito ; mas cer-
tamente de muito mau gosto, para todos aqnelles
que a leram, j saliendo dos promenores passados,
que seguiram a separaco de minha niulher, ellei-
tuada Iraicoeiramente no engenho de meu sogro,
ende com ella e meus ilhos, na mais permita har-
mona passavaraos a festa de natal ; neila. o mari-
do desditoso, regeilado com despreso, figurado
como um humera cheio de vicios e do crinies, e a
mullier que diz o ter abandonado, figura como urna
esposa virtuosa e dstincta, que smenle por nao
ter podido mais supporta-lo, com razfio e sera ser
poriUggesioes.de pessoa alguma, o aborreca o
; ietfrtzata !
Se a esposa que houvesse realisado o sen casa-
mento por amor e rnente por amor, nao abando-
narse algumas vetos o seu marido, sem que este
dsse causa,entio Jamis teamos de lamentar
, lanas desgranas que se do quasi lodos os das!
Entretanto, gneas a providencia, son um desses
borneas bem conhecido na sociedade por meu eom-
portainenlo, e assim pode-se melhor ajuizar das
! declamadles sempre vagas, (|ue partem no intuito
&<'. me ferir cruelmente do lado dessa senhora, que
coitada, j nao sabe de que mtios pdc soccerrer-
se para agora justificar a sua separaco, para
cohonestar as nerseguicoes inauditas-exercidas
! por seu pai protector I
Nao quero, eu o protesto, entrar n'uma discus:
< sao vergonhosa pela imprensa, ijue deve ser sobre-
Imaneira inconveniente a minha pr
i acerca das justas razos que actuara em meu es
pirito, para pretender annullar a celebre setttenea
! que me eondemnou, decretando o divorcio : tanto
i mais boje, que muito confio na boa organisaciu da
jnstica ecclesiastica, de cojos tribunaes s podem
j presentemente partir decisdes justas e emmente-
! mente jurdicas em favor de quem tiver de seu la-
do 0 direito e a ustica.
Para os tribunaes -ue devenios appellar de
nossas questes, elles sao os nicos eompelenles
para as decedr.
Assim posto, os fingidos proleclores de minha
mullier, devera-se convencer, que nao sao as suas
falsas e calumniosas impulacoes, e nem mesmo as
lamurias ou a vontade suprema de urna mullier,
que do o dreto de se obter urna sentenea de di-
vorcio.
O direito rma-se na lei, e pois nenhum magis-
Festa e procisslo do Di-
viuo Espirito Santo!?
erecto no convento de^
S: Francisco. $
No dia I i ao meio dia ter lugar a lien-
cao solemne do apostolado, que no dia se- &|
guite devela ser ronduzido e exposto K
vi^ta dos fiis. Nesta oc-a.-ao suiio lie- H
culadas bellas e inleressantes pecas niar-
ciaes, pela msica do 9' batalbo de ra-
anla! ia do exercito.
A' noite llavera malinas.
A alvorada o dia Id ser saudada pe-
la msica marcial acompanhada do entr-
pito dos fugeles, depois da ceiebraco
do sacriQcio incruento.
As 10 horas em ponto principiar a ^
niissa, orando ao Evangelbo o profundo e H
eloquente pregador da capella imperial ^
Fre Jmquim do Espirito Santo e execu- ui
tando a orchestra o Rvm. padre me>tre w
Fre Candido. flR
De|Kiis da festa far-se-ha distribuicjio >*jf
deesraolas pelos necessladosque seacba- ^^
rem presentes. jj|
As 4 horas da tarde sahir o Divino tj
Parclito em solemne, procissao, que, per- *S;
correr as seguintes ras : rua do Impe- fU
rador, pra^a de Pedro 11, parte da rua do m
Queimado, I.ivramento, Direila, pateo do H
Terco, Iravessa de S. Joao, rua Augusta, jj|
BK Martyrios, Uortas, pateo do Carmo, rua >*-
^R da Carabea, Flores, Nova, Cabug, larga ^g
jk do Rosario, pai le do Queimado, Cruzes, {>,
iravessa de S. Francisco recotber. A yg
mesa regedora pede aos moradores das H
referidas ras o obsequio de lmparem as J$g
testadas de suas casas, mesmo porque dei- B
xar de passar por aquellas que nao se B
achareiu preparadas para isso. gjp
A noite llavera Ti-lhttm, orando o ex- >M
'* mi plegador e Rvd. padre raestre Anto- Wi
g nio de Albiiquerque Mello. Depois se- ^|
B gnr-80-ha o acto da tirada da baudeira. J^
B O secretario, |j
*w Manoel Cardozo de Souza. jfe
llontem orna liora da tarde entraram no pri-
meiro andar do sobrado n. 53 da rua da Cruz, re-
sidencia do Dr. S Pereira, onde se achava hospe-
dado o reverendo padre Jos Pinto, que ha pouco
chegara da Haba, abrirn) um hah do dito padre
e Ihe rarlaram 37 pecas de ouro de lti-5(H!0, 124
em sedlas, e 34'OU em prata eduas lmelas, leu-
do j no sabbado passado desapparecido um relo-
gio de prata, fabrica coberta. do mesmo padre, e
urna luneta de prata do Dr. S Pereira. O Dr. S
Pereira por si e em nomc do reverendo padre Jos
Pinto, roga s autoridades poliches que facam suas
pesquizas, afim de descubrir o autor deste crime.
Precisa-se de una ama de hora comporta-
ment para urna s pessoa, que saiba coser e en-
goinmar : a tratar na rua do Imperador armazem
de louca fi. 41._________________________^^
Seguein para o Maranho no vapor nacional
Paran os francezes Joao Relian, Joao Durrieu c
Joao el Rruno.
Precisa-se de um pequeo que tenjia pratica
para caixeiro de urna padaria : a tratar na rua da
Matriz da Hoa-Vista u 33.
Quer-se sabl r quem um moco de 20 c pou-
cos annos, com o nome de Jos, um tanto pardo, e
de estatura alta, que fez um roubo, segundo dimes,
a seu pai, nao se sabe de certo onde morador,
dizeui que lilho de Pernamhuco ou do Araeaty,
trouxe dous cavallos, e ferrados : a quem perte-
cer, mande todos os documentos ao capitae Thomaz
Antoni') Pessoa de Andrade e l>r. Joaquim de An-
drade Pessoa Fortuna, na Granja. Pacatoba 13 de
abril de ISti'i._______________________________
Se a Sr. I>. Maiianna da Cunba Teixeira
viva como se diz pelo Diario de Pern/tmbHCO de 12
do corrente, pede-se a mesma senhora ou quem
della tiver noticia, que tenha a bondade de decla-
rar por este Diario a rua o o numero da casa em
que mora a mesma senhora.
\o aruiaxeui nt Uieudaa inuiss de
Santos ( orlho, rua da Queiad, n.
19, vende seo sf^oiite'
AUence.
Pcchincha.
Pecas de algodo cora urna pequea avaiu k-*
haraussimo preoja de54-
iloberas de cima da ludia nelo baraiinima arrea
de 24 e 24300.
I.encoes de libo pelo baraiissiux prero de 2
i.encocs de bramante de hubo lino ilo l-ara'iiaian
fn-efo de 34W0.
Loncos decanibraia huaros |>ropri i lara atf^--
ra pelo barali-siirto prrcu do 24 a atuia.
Alg'l.io ent'e.-t.ido com H |i:dn
baratissni i i.: eo de 14 a rara.
Rramanle de liolni fino rom 10 palm- de largara)
a 24100 a vara.
Aloalhado adamascado proprio'pora toalbadeaM-
pelo baratisimn prc;<> de 240mi
Pecas de canilraia de forro a 2t>00 .>4200.
Toalhas alciK-hoadas proprias para raaos a 5| a
dona.
Bstetras da India, prapriai para f n da ssla,
de 4, 5 e ti palmos de largura.
(borles de calca de gaap amarella de li*traf
de qiladres, pelo baiatissiino preco >le 140 a
corte.
Cainhraia adamascada rom 20 vara?, prapru
para coninailo, pelo baratssimo pre;o de !0|IM
a peca.
Ricas liazinhas rara vestido, f^zc ida a hmNh r
que tem viudo ao mercado, i.into .-ii pisto eonv
em qualidade da fa/.eiulj, pelo barat,--i:m pri,'.
de "DO rs. o covado.
RICOS cortes de la de barra Maria Pu a tSfi
Petas de eaatbraia dt salftcaa pelo laratstsaa
preco de i.
ou flna a vontade da fso
12
COMPRAS.
~ Compra-se um sobrado de um ou mais anda-
res, em boa rua, e que esteja em bom estado : a
tratar na rua do Crespo, loja n. 20 I!.
L ompra-se effectwa-
mente
ouro e prata em obras vainas, pagande-se bem
na rua larga do Itosario n. -'v. loja de ourives.
Compra-se eflcclivamente ouro e piala em
obras : na praca da Independencia n. 22.
Fabrica de licores c lerfamarias.
Neste eslabelecimenlo compra-se effectivamente
garrafas, botijas e frascos de genehra vastas, assim
toda a especie de frascos de perfumaras : na rua
do Amorim n. 2. ______________
~ Compra-se mobila usada de toda a qualida-
de : na rua Nova, armazem de mobilias do Pinto
Compram-se moedas de ouro nacionaes.com
1|2 0|0 de premio : na rua da Cadeia n. 55, ar-
mazera._________________________________
Compra-se papel de diarios a l a ai roba :
i minha propria mullier, na run uas Crazas o. 39, taberna._____________
Compra-se um preio cozinheiro, sem vicios. ix>-
nita figura e moco : na rua do S >l n. 23, sobrado.
Compra se
constantemente ouro eprata em obras velba- : na
aniiga e feliz loja de bilhetes de loteras da praca
da Independencia n. 21
0 advogado xffonso de Albu-
querque Mello,
com escriptorio na rua estreita do Rosario n. 31,
encirrega-se de quaesqner causas crimes, civeis.
que ihe forera confiadas ou a relaco e aVsribunal | to^^^J^^^.!*!!!!^
de commercio do districto, ou a relaco ecclesias-
tica. Enrarrega-se de defezas perante o jury
desta cidade, ou dos tormos prximos, dando a par
te couduco
sas por ter
-?a- I seu juizo com laes publicajcs insidiosas, outras
rem aos
i en-1 trdo ,|UB se Preza.pde a seu talante exorbitar-se,
io pro-
vadas, e em sua sentenea falsamente fiindaudo-se
era provas que nao existen) nos autos etc.
Esta minha questao de accao rescisoria da sen-
VENDAS.
o assim como de quaesquer outras cau-! ^LT^IS6 'n'l","0,lado aos n. 83, segundo
rVu. alffnna delles nrncnUdore* de eou- \^M w era aiguos oewee |irocuradores de cou e(.c|esasliC0t na0 jeveiI)0,s porianto, prevenir o ,.
i amumltaB verhae* e or ecrlnto nromette 18BB JUIZ0 co,n Ul>s PMicae8oa insidiosas,
tod^lo^urnVe^JS'Si^^-^^S^ P^ P>
urna pratica e experiencia de quasi SO airaos. : ^ffS?^ .1.^,
p/a ir nroeind ion meno is =ex-1 E Por lsl ( tai feiras Z ha? das 9 lores Ti de "s minha Parle reeolHendo a3 silencio, podero el-
H c n? v.lli ln Pnhn ItS e innha mulller dlZer lud 'I"4010 lheS SUI8-
' rir contra a minha honra e repulacao, porque na-
da drei, agiiardando-me para as ulteriores deci-
soes de nossa causa.Anlonio Carlos Pereira de
: Burgos P. de Len.
un
Precisa se de urna ama para toJo o servico in-
terno de urna casa de pouca familia : na rua da
Gloria n. 85.______________________________
Pecisa-se alugar urna ama para casa de pou- j j
co servico : na rua da Gloria n. 36.____________
0 DrTFernando de S e Al-
buqnerque
tenha a bondade do mais breve que poder, dirigir-
se ao solicitador Leopoldo Fcrreira Martins Ribei-
ro, na rua da Imperatriz n. 40, tratar deceno ne-
gocio de seu interesse, e que o mesmo nao ignora.
Farinlia de mandioca
da mais nova que ha chegado de Santa Catharina :
a bordo do patacho Poltcem, ancorado defronte do
trapiche do Barao do Livramenlo junto ao do al-
godo. ________________
AHicacia.
O bacharel Lonren^o Avellino de
Albtiquorque Mello, antigo advoga-
do desla cidade, leudo regressado
ella, tem aberto o seu escriptorio
rua do Imperador n. 40, onde'pode
ser procurado para os miateres de
sua profissao todos os dias uteis
das 9 da manha s 3 horas da
tarde, e olerece como garante a
seus consfltaintes a nao interrompi-
da pratica ile 25 annos de advoca-
da. O mesmo aceita partidos e
tamben) causas nos termos do in-
terior onde tocar a estrada de ferro.
Precisa-se de utn hora cozinheiro, e de urna
^ama para engommar e lavar : no sobrado n. 32,
rua da Aurora.
^m*
Precisa-se de um caixeiro com pratica de
molhados, ou que tenha sido caixeiro de alguma
taberna, sendo Portuguez, cora idade, piuco mais
ou menos, de 16 18 anuos,: a tratar na rua da
Senzala Nova n. 4_________.
CHAPEOS.
Iticaschapelinas de palha de Italia e chapeos a
Maria Pia, chegados no ultimo vapor : na praca
da Independencia ns. 14 c il._________________
Para familias.
chegado na nova loja (le mindezas na rua Di-
reila n. 104, um rico surlimeiito de modas, e os
muitos desejados enfetes do rede rom froco, ditos
com fitas cascarrilha, ultimo gusto, a 35 cada um,
garantindo-se as familias, o desafio de nutro quai-
quer que se aprsente do melhor nesla blonda.
' Vndese cobre de forro velbo, mas que ain-
da presta para concert de mbarcaeoes, urna pe-
quena bomba de cobre, e um sino com 20 libras :
na rua da Senzala Novf u. 37.
Salilre refinado, supi rior qualidade, vinho Uor-
denux, diftVrentes qualidades, mais barato que em
quaiquer parte : "tu armazem de E. A. Hurle*
C, rua da Cruz n. 48.
-r.Na rua da Cadeia do Recife defronte do neceo
Largo n. 23, ha para vender urna porco de metal
barriquinlias vastas que foram de bolachiuha, mui-
tos caix'S Vaiios de todos os tomanlios, um pouco
de ferro em obra, principalmente para sster caaes
nos telhados por j terem servido disso, nina iir-
co de arcos de ferro, tanto para tupas como bar-
ris, tudo era bora estado, muila lerragem velha,
que se vender a 320 rs. a arroba, pesos de batan-
ea de ferro e latan, de meia arroba at meia quar-
ta, 2 mesas comprdas, de 8 e de 11 palmos, sendo
de bora amarello, algumas cadeiras de palhinha e
quadros para sala das batalhas dadas por apo-
\luga-se por preco commodo a casa da rua Offerece-se urna pessoa competentemente leao, 3 canos de arma?o que se daro uiuito ba-
IH Precisa-se de urna ama forra ou escrava que*]
saiba engommar, cozinhar e tenha bom comporta-
ment : na rua das Cruzes n. 36, primeiro andar.
Paga-se bem.
mmmm mmm mmmmm
llego
O bacharel Jacintlio Pereira do
tem aberto em sua casa de residencia a
rua eslreita do Rosario n. 41, segundo'
andar, um curso das lingnas franceza c
inglezn. As horas sao distribuidas do ^
modo segrate : pela manhadas 8 s 9,'
e a tarde das o s8.
Vende-se. um cxcellenle pardo bem parenlo
com 28 annos de idade, perito ofti<-ial de aifiate.
bom eopeiro e ptimo para pagem : na rua do Im-
perador n. Vi, terceiro andar.
Vendem-se arcos do pao para uso de pipas
ltimamente ahogados do Porto : a tratar ua rua
da Senzala Nova n. 4.
Vende-se una barcaca que carrega 120 sae-
eos (12 caixas) : para tratar, ta rua do Imperador
andar.
Molque ou ama. WWMM:M WMMWMW&
Precsa-se de um molcque ou ama forra para o | Jos Joaquim Gomes Teixeira deixou de ser
servicode pequea familia, e <)ue faga as compras: caixeiro do abaixo assignado desde o dia 9 de maio
na rua da Palma, quarta casa sem numero, das do de 18G4.
" O padre Geovanni Frota, subdito italiano, re- Sr. A. Roberto,
lira-se para Europa.______________________
" Aluaa-so um uioleque para todo o servico : Imperial n. 213 com 7 quartos,
ffW dirija'sew da,od8pw,denciatittaw**1:a,ratar ua p KWfts&sfgi2n
2 salas, cosinha habilitada para ensinar primeiras lettras ou gram-
- fora
ratos por Ihe faltar algumas pecas, e una grade
de ferro para varanda. com 1 palmos, muito ba-
rata.
i;ti iiib.i de mandioca
de Santa Catharina. e da mais nnva pie ha, tm
muitos bons saceos e a preco rommodi' : no ar-
mazem do Anuo defronte da alland.:.>.
Nova expsito de azen
bai'jitissimas.
Loja da Arara-Hua da lniifnlri i. lif>.
'Oproprietariodeits grandeesialeU' itn^a^, 1a*-
ren^ Pereira Maules Guinwrf-.
pre vender barato para apurar dmli-ir".
brande |echistrlia, rorlr* dr
a a tJfOOO.
Vende-se corles de cassa franceza para
a 25, ditos a 2*300, cortes de rasabraia d
solas com I vara de largura a 13, l1'."-*
bados a 3.5 : na rua da mpe da
Arara.
Itr>ainan Vende-se In amante ile liulm de !
largura, proprio para lenciMs. a i
panno de liaba de |.alino> de fctrp *a
ra, lambargo de linboa 440, .:'mj i fttt n i
ra, breanba de llano lino a 640 mea,
bnm de linbo brauewa leUUO, l*W, l-5*iM >
a vara : na loja da Arara, rua da In
l'llo de iiho a JO a*.
Vende-se fil de Imho milo lino I 81) r-. I
ra, dito de cor 8 bramo a 160 i '.rU-
tana de cor a 640a vara ni iu.i
n. 30.
Coimes de easeinira -\ *j*.
Vende-se cortes de r>* i
finos a 'iiV em t.i d f i "i (i
de hriin pardo a 13800 a .'". ; rua o i \
n. .'ib, loja da Arara, de Menli
(lillas da Jurara a sado.
Vende-se chitas i-i mas cfc
rs. o covado, ditas Iraorez.. i :;.'o 3UO, 400 e *V>
rs., riscados fine a
ru de linho para volidos 280 n
lo de cores a .'(Kl rs.. gangas pura
tots a 'i'ide .Vo rs. n i'ovadu i. .
iriz u. oii.
A Arara rende hlites a
Vende-ee bsWes de 15, 2o. 23 e -i-i areae,
melhores que lera viudo ao c.-n-a i <
i y ditas i bi ilii.niiii.. ,
nhoras muiti Bi ifc-
i'.s para menino a IJ2-S0, pan ac .-.da
rua da luipe atri.- n. W.
A Alara receben novos siMilein! -.r ; i if'"
de grosdenaple ricniuente enfeiud
por --o e -''"). capa- pretis uniiui i
e inanleleies de gro>denaple de
de : na loja da roa da Impera!ra u. 36.
Gawi apadaia -W amada.
Vende-se cassa nrgand>s pai i .
280 e 320 ris o covado. em' de
vados a .',',. ditos de la coro barra a
da Imperatriz. n. 'i de MraeV* ?iui" i
A Arara reWM iiiad:i|eil"iiifi..<\n-i rttm id
Vemle-se peras de mada
a 43, diloioglqi rom -''i
ftf e lOst, pecas de Igodo enrnrpe
7 : na na da Imperatriz n. -">. I
brande sor incusolo rompa -
fCB.
Vende-se palitnts de panno pi
c 65, ditos de meia casemira a 3tV>*)
ditos do brim lioo a i->. .' 550(1 c
a i 500 "i-',, ditas linas de brim p
tas de briui bianco a :Vi0Oe '->. -
nbo a 1.SIK) e 2,j, cano.sis l'r.uiic/a- ln.ii -'X
e SdoOO, Hitas de buho a :t ,, pan
140 e 320 rs..graval i- lina- pi i
dadas as poi 'as a l-i, ibla< para n
300 rs.. coiarinhos de hnbn a WB i
da Arara, rua da Imperatriz n. i '*
Cuimaia -.
brande peeliiiieha de la/iatit*
a *40 ra.
V. Dde.se lazralu para ve?liile- a 4<
l1 0 e IM) rs. o eov..do, dit.i> muito
litas, proprias para ca ,i-
G'iO rs. o covado, dita? escarn
rs. o aovado, ditas de i palmos de l.r-in
palmas de seda a 7- e covado, popelina
na de ricas palmas a 14200 i covado : na rea da
bnperalrii a. 3i', loja da Arara n. 36.
ia/.r.H.is |)im senlioras. jrniti-.
Dlias a OO e 3*0.
Vende-se v 'ir.'ii-- para srnbora a iOO ?J0
rs. cada moa, camisinhas para
e 25, ditas muito finas com goMmli.- i '. i50>> aa
rua da linpeairlz n. ."iC, loja da Ar.r
A Arara vende fazeudas mart
III lo. iss;s a SO r*
Vende-se asan praa fina a 320 rs. i rovxfo.
la prcla para luto a 640 rs. o i. Mi
prelaaSOO, 610 e **ir<., hraibazina a 1-5400 r
cavado : na ruada Imperatriz n. 56 I
zeui da Arara, de l.onremo Pereira Mem.es ".,-,
maraes.
Cartea de ehifa a JMOd.
Vende-se corle- de rhi'as de r. i
covados a 25400, ditos fino* a 2680' dit *
cado francezes eem l io radas a 3-5 : na roa da.
Imperatriz n. "W, loja da Arara.
Santo Antonio
Aeha-se venda na lypographiada rua Impe-
rador n. 13 a irezeua d
damenle impresso, era iiji f .i.>t.. ra ri ksf
vel para os devotos do mesmo aoto. ________
Veude-se urna torrara de I* sar.-o. -i
perfelo estado, com lodos os apare Ib.- n->v
muito boa de vela, por preco onannido ram .
na rua de Apollo n. 30.
Furelu de Lisboa
da marca N, chegado ltimamente na roa do
gario n. 19, primeiro andar.


aaa
mmm-
~nr
esto letra 13 e Wala *> 4.

| Lamo da &
--Hanta Cruz
Esquina cla-j
ra do
n. 12. ^p|^ Jf ^^Sebn. 12
BKILII.WTE ALBORA
HTOVO E
GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS.
Francisco Jos Fernandos Pires lem a honra de participar ao rcsppta\el publico
que hoie abri um novo estabelecimento de molhados denominado Brititante Anrora, ao
largo da Sania Cruz n. 12 esquina da rua do Sebo n. 11
propnetano desie novo estabeler i ment pede a todos os mu amigos e freguer.es e
ao benevulo publico desta cidade e do interior, a sua proter-co para este aciado estabele-
cimento. certos de que em lempo algum abusar da conllanea que at hoie Ibes tem de-
positado.
No novo armazcm encontrar-sc-ba sempre um grande sortimento dos melhoresgeneros
que ven ao nosso mercado e por procos os mais mdicos possireis, certode que em parte
alguma se vender mais barato e memores gneros tanto em porfo como a retalho, do
que no armazem da Rrilhante Aurora.
A satisfacao da Brilhante Aurora vender mnito e muilo barato, mais a dinheiro ;
a tabella do proco de seus gneros scro mudados todas as semana.-- :
Kna da genzalla INova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado bbra a 410 re., dem de Lo*
Moor libra a 126 rs.
l'm Descohriiii^iilo EftpMlf*>!
0 MumIo Srirntififo nnunianraenlf e apprava.
C L A I.III
Ameixas francezas novas em latas a 1,8400,
2e,:i,SoOO rs.
Ditas em caixinhas mnito enfeitadas com
bonitas estam|ia
Chocolate francez.
tuguez a l2u(
a ii60. 1^600 e U-
hespanhol, suisso e por-
e. 14 a libra.
Marmolada imneri il los melhores conser-
veiros de Lis
a libra bou e iu rs.
Laiascom di versal* frurtasem calda a 506 rs.
Ditas coin erviibac a 700. re.
Ditas com massa Je tomate a 600'rs.a libra.
Ditas mrn iios drolticamente fechadas a
l&tm e "
Ditas com peixe de posta ensopado a 13.
Ditas com ostras para feigideiras a 720 rs.
Dita* com linguicas (loinhas vindas ueste
vapor a 6A.*uO.
Ditas com sardinhas doNantes a 360e 600 rs.
Ditas com bolachinaa do soda nova a 2fi.
Ditas com biseoutos inglezes varios ttulos
a 15*00 rs.
Frascos com mu.tarda prepprada a 400 rs.
Ditos rom a verdadeira genebra de iaranja
a 1*120.
Ditos grande duas gwrrsfts de hollanda 1,8.
Ditos con urna garrafa 5t>0rs.
Dito-! com conservas de pepinos a 800 rs.
Dito- com ditos de mexides o oulras a 700
800 e .
Ditos com azeitonas e ervas 1.
Capachos para tiortas pintados de varias co
re* a 000, 700 e 800 rs.
Manteiga ingleza hV a 800. 900 o 1.
Dita segunda sortea 6i0 e 720 rs.
Dita terceira sorte a 400 rs.
Dita franceza nova de 64 a libra 600 e 640.
Dita dita le 63 a 540 e 560 rs.
Dita Meza em barril a 600, 720 e 800 rs. .
Dita francesa em barra e maros a 330 e 540 i v.. t ma(-arrao a
Ilaiilia de porro refinada propria para ba- jj*,re,,nha llu"
nba de cabello a 440 e em barril a 400 rs.' PreS"to du
'Vinliosnoslia o melhoi- a
Cha de multas qnalldades.
Cha perola a 35 e 3*200.
Dito uxim muito superior a 3.
Dito miudinho a 2*500 e 2*800.
Dito hysson miudinho a 3*.
Dito mais graudo a 2*800.
Dito redondo muito boma2*, 2*500 e 2*800
Dito prcto em massos envolto a 1*600 e 2*.
Espermacete fino o masso a 540, 600 e 640.
Velas de carnauba arroba 10* e libra 360.
Dita de composicao arroba9*500e Iibra320.
Charutos nao ha quem tenha melhor sorti-
mento em caixas de 100 e 50 todos dos
melhores fatuos de S. Flix de 2* a 8*
a caixa de cem.
Cafe" do Rio arroba 8*500 e 9* e libra a
320 e 280 rs.
Arroz de Java arroba 3*200 e libra a 100
e 120 rs.
Dito do Maranhao arroba 2*500 e libra a
80 c 100 rs.
Grao de bicu a libra 160 rs.
Ervilhas secas muito novas a libra 200 rs.
Nozes arroba 4* e libra 160 rs.
Amcndoas libra 240 rs.
Alpista arroba 4*800 e libra 160 rs.
Painco arroba 5* e libra 200 rs.
Sevada arroba 2*500 e libra 100 rs.
Sevadinlia e sag novo a libra 240 rs,
I Passas novas caixinhas de 16 e 8 libias a
2*500 c l*5o0 e libra a 360 rs.
i Doce da casca da gaioba caixOes grandes a
1*200 c 640 rs.
Saceos com gomnia, arroba 5*500 mnito
boa e libra 180 e 200 rs.
Dita de araruta verdadeira arroba 8* e li-
bra 400 e 480 rs.
libra a 400 rs.
Kstrelinha muito nova a libra 480 rs.
panella a
A fomposieao Anaeahuita
Peitonil de Kemp.
l'or ospnco de muito tempo se ha tizado ex-
tensamente em Tampico para a cura de
TSICA PUIMONAB,
CATARRHO, ASTHMA,
i BRONCHITE, TOSSE CONVULSA,
CHUPO OU GARROTILHO. e
Inflammac^es da Garganta e do Feito,
o isto com ura resultado to feliz c verdndei-
rainentc assombroso o pao ou madeira d'nma
aore que charapo Anacmiuita, c que s
H eiicontra no Mxico.
A Coinpo39o Anaeahuita Peito-
ral de Kerap o' un Xttrojx delicioso, intei-
rameiitc differento na sua composiciio de
todos os mais Peitoraes e Expectorantes ma-
nufacturados do fructos astringentes, cascas
e niaesj $rc, i mesnio uo contera nenhum
Acido Pruxnicu ou outros ejuaesquer ingre-
dientes venenosos.
Todas as molestias c irTecrcs da garganta
e dos pulmocs desappareccra como por um
mgico encanto, mediante a accao deste in
cnmpanurel c irresistivcl remedio.
A venda as boticas de Caors Barboza,
rua da Cruz, e Joao da C. Bravo & C, rua
da Madre de Dos.
RIVAL SEM SEGUNDO
COMMERCIAL
rija no oninino y. **
Pagando o becco da Congregado segunda casa.
cmme mm i
NOVIDAE.
Pereira Rocha C. acabam de abrir na na do Queimado n. 4o um armazem de niulhados deiKnniriado Om$\
onde o respeitavel publico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores gneros que vea ao homo ment: m
aerao vendidos por presos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo mencionada ; garaate-M fem
e boa qualidade dos gneros-comprados neste armazem.
rroz do Maranhao, da India e Java a 80 e Chourigas e paios muito novos a 800 rs.
00 rs. a libra e 2400 a 2^800 rs. a ar-
roba,
ameixas francezas em latas e em frascos a
10200 e i G00 e ni frascos grandes a
2^500.
a Palitos do gaz a 24200 rs. a
libra. (Passas mnito novas a 4M> rs. a
Cevadinha de Franca muito superior a 220' Peras seccas muito nova % 9U
rs. a libra. | Pain^-o a 200 rs. a libra.
Cexada a 80 rs. libra. Poho serio muito novoj 4*H>r>. a
Ervilhas portuguezas i 640 rs. a lata. Presuntos de Lamn;o en raW r
idom em caixinhas elegantemente enfeitadas dem seccas muilo novas a 200 rs. a libra, i muito novo a 640 rs.
com ricas estampas no interior das caixas Figos de comadre e do Douro em caixinhas Qudjos flamengos do nltuftu upor
a 420000,10400, 10600 e 20. de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a! res.
VD
a 60 rs. o frasco e 60200 rs. a frasquei-
ra.
dem em garraloes de 3 e 5 galos a 30500 lijlos de limpar tacas a 140r*.
Amendoas com casca muilo novas a 280 rs. 40800, 50500 e 280 rs. a libra.
a libra. Fatinha do Maranhao a 120 rs. a libra.
Alpista a 460 rs. a libra e a 40GOO rs. a ar- Farinha de trigo a 120 rs. a libra.
rba. Genebra de Hollanda verdadeira marca
Azeite doce francez muito fino em garrafas
grandes a 960 rs. a garrafa.
dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
Araruta verdadeira de malarana a 320 rs. a
libra.
Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
libra.
| Batatas muito novas a 40 rs.
i Biseoutos inglezes de diversas marcas a
10300 ris.
1 Bolachinlias de soda, latas grandes, a 20 rs.: dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
1 a lata. dem, garrafa forma de pera ero I ha devt
Ditas inglezas muito novas a 30000 a barri-; dro, a 10000 rs., s a garrafa vale o di-
quinha e a 200 rs. a libra. nheiro.
dem pratoa 610 rs. a lifcra.
Sal refinado eni frasras de \mIto a Wn.
cada um.
Sardinhas de Nantes a 32" i -
Sag muito alvo e novo a iu rv a BWa.
Toiicinho de Ij*ba a 320 rs. a Mra.
e 70500 cada um com o garrafao.
Gomma do Arcaty a 80 rs. a libra.
Graixa a 100 rs. a lata e 10100 rs. a duzia.
Grao de bico a 150 rs. a libra.
Licores muito Anos a 700 rs. a garrafa.
dem, qualidade especial e garrafas muito
grandes, a 10800 rs. a garrafa.
superiores afuOn, a
Vellas de carnauba pura a JW rs. a V-
bra.
dem stearinas muito
libra.
Yinho do Porto engarrafad'
ha neste genero e ite variai
sejam : Velho de 1813. Duque 4
Madeira. D.Pedro, D. Loiz I. Mana fb
Bocage, Chamisso e outros a 800, M9 e
10000 a garrafa, e em caixa coa w 4a-
zia a !>0OOO e 104000.
Banha de por co refinada a 440 rs. a libra e Manteiga ingleza perfectamente flor, desem- dem em pipa. Porto. Usia e Fiira
e em barril a 4i 0 rs.
Cha hvsson, huchin e perola a 10600,
20500, 20800 e 30000 a libra,
dem preto muito superior a 20000 rs
bra.
barcada de pouco a 800 es a libra, e de 8
! libras para cima se far urna differenca.
! dem fianceza muilo nova a 560 rs. a libra,
ali-, e em barril lera abatimento
Massa de tomates em barril a 480 rs. a li-
Cerveja preta e branca, das melhores marcas i>ra.
que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa dem em lata a 640 rs.
desejar.
Vinlio do Porto em caixa dos
torca 125,143 e IG&.
aniego para
560 rs. inteiro e libra 010 rs.
1 Chourirns
e paios novos a libra 800 rs.
lata a 53500 e 65
1SG00 a caada e
Dito
o em pipa a caada 53500, 65 e 7&
.u r;ifa a 720, 800e 13.
garrafa.


Dito Mivz muito fino a 15280 a
Dito Marti'ira a 15400 a parrafa.
Dito da Figoelra puro a 45500 a
garrafa a C40, 560 e 500 rs.
240 rs.
e lilira
caada
Cerveja branca c preta a
melhores au- v'|13r,u Je Lisboa puro a
240 rs. a garrafa.
e lanas rom fo-io da China a 220 e
" Tounnho de Lisboa arroba 85800
i 280 rs.
: Dito de Santos muito novo igual ao de Lis-
e boa arroba 75 e libra 240 rs.
I Figos dfl comadre a libra 280 rs.
Dito de Lisboa a 35200 e 35500 a caada e Queij"s do reino muito novas a 33200.
garrafa a 400 e 480 rs. Botaehina inglesa nova a.barriquinha 35.
Dito branca puro de uva a 640 rs. Tijofc de limpar faoas a 160 rs.
Ditn mais baixo a 480 e 5 0 rs. Massos com palitos para denles a 160 rs,
Dito Bordranx branco e tinto a "3 e 85 a' Crozas com palitos do gaz a 25200 e 200 rs.
caixa e garrafa a 640. 8 0 e 13. a duzia de caixinhas.
Dito muscatel a 3 a duzia e 13 a garrafa.: '"1,as ro,n Pra^a duzia 15 e 100 rs. a lata.
Ditu de caji'i clarificado a 15 a garrafa. Boidoa com dita 97 a 280 rs.
Cognac v.-i Jadeiio a garrafa 1 a 13280. Vassouras do Porto de piassava grossa a
Li.-ores flnos em garrafas brancas a 15 c1 M rs.
14280 rs. Molhos com sebolas novas a 13.
AieitH refinado a garrafa a 15. Saceos grandes eom farinha nova a 53-
Capils de varias fruclas do paiz a garrafa t*'10* cm farello de Lisboa a 33800.
500 rs. Comtnhoa, arta doce, ptmenla c folhas de
Garrafds com 25 garrafas de genebra de lonroa libra Mfirs.
hollanda 83500. j Dalaios para costuras de meninas para di-
<;o;iis lai.idados para vinlio e agua a duzia verses presos.
335(K). 45500 e 53500. i Caixoes vasios para plantacoes de muita
Ditos de cores a 65500 e 75. qualidade.
Assim como muilos outros ohjeetos que deixa-se de mencionar.- mais tudo de nri-
meira ipialidade por procos baratissimos.
quali-
Marmelada imperial dos melhores consenti-
ros de Lisboa a 60" rs. a lata.
Marrasquinuo de Zara, frascos grandes, a
dem, s de pepino, a 720 rs. 800 rs.
dem, s de azeitonas, a 750 rs. | dem regular a 500 rs.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia Massas para sopa : macarro, talharim e ale-
e especialmente da fabrica imperial de tria a 480 rs.
Candido Ferreira Jorge da Costa, a 10800, Nozes muilo novas a 160 rs. a libra.
20000, 20200, 20500, 20800, 30000 e Pei.ve em latas preparada pela primeira arte! de mencionar, e que tudo srii y
30500 a caixa. I de coztabt a 10 rs. a lata. ipecas c carnadas, tanto om porres
Caf do Bio muito superior a 260, 280 e Palitos de dentes a 160 rs. o masso. retalho.

ltua do Queimado ns. 49 e 55, loja de miudezas e 50800 a duzia.
de Jos de Azevedo Maia e Silva, est continuando Coirmr- ind<>7 lino a ODD rs i o-imfa
; no seu progresso de vender baratissimo : r0gnac. in ,' n0 a ,rS" a Rarra,a-
Caixas de superiores obreias de cola e massa a t*011 ;rva' a '" "n*
40 rs.
% Cordao branco para vestido e espartilho, vara 2f
" ris.
'Linhas de carretel (150 jardas) de superior
dade a 60 rs.
1 Carios de linha Pedro Y (200 jardas) j muilo
\ conhecida a 40 rs.
Grozas de pennas de ac de muitas qtialidades p
' superiores a 500 rs.
' Caivetes de duas folhas porjn finos a 500 rs.
Caixas com calungas muito bonitas para rape ;v
1 100 re.
' Franja branca e de coros para toalhas a 160.
Pares de botoes para punlio muito bouitos a 120.
Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a
120 rs.
Tintciios de vidro con superior tinta a 160.
; Ditos de barro com superior linta a 100 rs.
Croza do botoes de looca pratiados, o melhor, a
160 rs.
Tesouras para costura, o mais superior, a 400 rs.
Ditas para unhas muilo tinas a 400 rs. r~ ___
Escobas para .impar dentes muito superiores a M1RH DO RECIFE, RUA DA CADEIA N- 30-
Libras ue
480. 500 e 560 rs. a garrafa e U. 3H
e 40 a caada,
dem branco de Lfcfafil muito fino a5t9 rs
a garrafa,
dem de Bordeaux. Medo. e S. Jalwii a 3
e 800 rs. a garrafa. > 70000 eTJMsVrs.
a duzia.
dem Morgaux eChateaulumiriiuV 1*51. a 14
a garrafa,
dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a prr^b t
10200 rs. araada
Kirsk garrafas miiit" i t0Wrs.
Alm dos gneros cima meneinnaslna te-
mos grande ponan de litros que
300 rs.
arroba.
a libra e 70500, 80 e 80500 rs. a palitos de (lentes a 120 rs.
: dem de flor a 200 rs.
Quem comprar de IOO0
r n abale de ;> por cenlo.
roaos
mrn-
.h
HMAKn
% i ^w^
fi*
-3D
X.RTREXRO VERDE.
; Neste esi.iLeiecimento ha sempre um sortimento completo de roupa fetla de
-. todas as qualidades, tambem se manda faier por medida, vontade dos concor-
sS rentes, para o que tem ura dos melhores professores, assim como tambem tem um
S grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senhoras.
l-*j- nomens e meninos.
Casacas de panno preto, 350 e 30000 Ditos de setim preto. .
Sobrecasacas idem, 300 e 250000! Ditos de ditos e seda branco,
Paletos idem e de aires, 250, I 63 e......
100000 Ditos de gprgurao de seda
pretos e de cores, 64, 50 e
70000 Colietes de fustao e brim bran-
30500 j co, 30500, 30 e .
Seroulas de brim de linho,
20400 e......20000
10400
200, 150 e .
Ditos de casemira, 200. 150,
120, 100 e......
Ditos de alpaca, 50, 40 e .
Ditos ditos pretos, 90. 70,
50, 40 e......30500
Ditos de brim e ganga de co-
res, 40500, 40, 30500 e.
50OOOJ
50OOO
40OOO|
20500
i nnn itas de ^godao, 10600 e.
,X^ Camisas de peitos de linho,
Ditos branco de hnho, 60, 50 e 40000, 40,30 o.
Ditos de merino preto de cor- < Ditas de madapolo.
dao, 100, 70 e..... 50000, 20 e.....
Calcas de casemira preta, 120,
100, 80e......
Ditas de cores, 90, 80 e. .
Ditas de meta casemira de co-
res, 50000 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cordao, 40500 e. ,
Dita de brim branco e de co-
res, 50, 40500, 40 e .
Ditas de ganga de cores, 30 e
Colietes de velludo preto e de
cores, 90 e......
Ditos de casemira preta, 50 e
Ditos de ditas de cores 50
40e........
20500,
; Chapeos de massa, pretos fran-
70000 cezes, 100, 94e. .
70000 Ditos defltro, 50, 40,30500 e
.Ditos de sol, de seda, 120,
40000 110,70e......
. Collarinhos de linho fino, ulti-
ma moda.......
[ Sortimento completo de grava-
tas.
20500 Toalhas parroste, duzia, 110,
le.......
70000 Chapeos deso, de alpaca, pre-
40000 tose de cores. ....
Lences de bramante de linho.
Cobertas de chita chineza.. .
r|-UB
40000;
20500
30500
20500
10600
80500
20000
60000
640
0
60000
40000
30000
20500
Para mover machina de des-
coronar algocto on dequal-
Qiier especie.
V ii'le-se um RtceMenta e novo caino para tra-
O.lnsr ruin ravaflo, servn4o de motor para ma-
rfilnn de desrarwfar slgBo nu para qtialquer ou-
If3 mister: a tratar na na Dircita n. 84, muito
ralo muito econmico pela simplicidade.
I>ras fhi laa de todas as cores (pesada) a 70.
Caixas de phosphoros de seguranga a 160.
Ditas de papel amizade pautado c liso a 600 rs.
Ditas com 100 anvelopes muito superiores a 800
ris.
Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
20 ris.
Ca tas e taboadas para meninos a 80 rs.
Caixas coni superiores seas de acender charutos
a 40 rs.
Carreteis de linha Alexandre (200 jardas) de corer.
a 0 rs.
Baralhos pata voltarete inuo finos a-2i0.
Cartas de alOnetes franceses muito finos a
Meadas de linha t-Oza para bordar a 20 rs.
Pares de sapalos de tranca muito superkro.^
15600,
Papis de agulha com um pequeo toque a 10 rs.
Groza de botoes de madreperola muito fieos a
i 560 i s.
Cartoes caixas de celchetes francezes superiores
i a 40 rs.
Booets para meninos muito finos a 10oOO c 20.
Macos de grampos superiores c liuipos a 30 rs.
! Croza de phosphoros do gaz muito novos a 2,5200.
j Areia preta muito superior a 100 rs.
Caixas de rap cora espelho a 100 rs.
Ilealejos para entreter meninos a 80 rs.
Pecas de fita de linho muito boas a 40 rs
Pentos de lago muito bonitos a 10.
Enfeites de lago de todas as cores a 10300
Rodas com alunles francezes a 20 rs.
Caixas com quatro papis de agulhas imperiaes a
240 rs.
Sabonetes de familia a 80, 160 e 320.
Caivetes de duas folhas muito fines a 320.
Pares de sapatos de laa para meuinos a 400 rs.
Sapatos de tranca para senhora e para homem. os
melhores que tem viudo, e por pregu muito barato
uem quizer ver. venha rua do Queimado B&
9 e 53, e ver tudo como bom e barato.
Hival sem segundo.
Ka rua do Queimado ns. 49 e 55. loja do miude-
zas de tres portas, est resolvido a vender tudo
quanto tem no seu estabelecimento por preces que
a todos admirara, assim vejam e admirem.
Frascos com superior hanha para acabar a 200 rs.
Banha transparente a melhor que ha a 600 rs.
Banha japoneza superior e garantida a 800 rs.
Frascos de oleo verdadeiro babosa a 500 rs.
Ditos do oleo verdadeiro que tem urna maorinha a
500 rs.
Ditos da oleo superior Philocomo a 800 rs,
Sabonetes pequeos e muito flnos a 60 rs.
Ditos inglezes, superior qualidade, a 160 e 320.
Ditos de bola muito finos a 240 e 400 re.
. Vinagre aromtico echeirose, garantido, a >.
Frascos de agua de colonia muito Anos a 400 rs.
Ditos de dita verdadeira e que se garanle a 600
ris.
Ditos grandes tamben) verdadeira a 15200.
' Frascos de cheiros muito finos a 200, 320 e 500 rs.
' Ditos de agua de colonia grandes a 640.
Pares de ligas muitn finas para senhora a 500 rs
Pecas de lita branca de linh), superior qualidade,
a 100 rs.
Grvalas de seda multo bonitas e superiores quali
. dades a 500 rs.
Caetas de osso lisas e torneadas muito finas a
i 40 rs.
Duzia de lapis muito finos e fortes a 240.
Tranja preta lisa o melhor que lia a 80 re.
Escovas para limpar dentes muito finas a 200 e
400 rs.
Pentes de volta para meninas regalar cabello a porm, tendo sempre em vistas o bonTservir a
boa freguezia, tanto da cidade romo do interior,
0 mais novo e o melkor
MU JmMKm l>K ttOJLHAIMIN
Esquina deronte da rua da Madre de Dos
Antonio da Silva Campos, successor do antigo Nascimento, defronte m becco Largo, bem co-
olieoido j Desta praoa, acaba de transferir o san estabelecimento para a casa cima nafrada, onde
| os seus benvolos amigos e fregones, bem como o res|ieitavel publico em gnral eocontrario o mais
variado, escolhido e melhor sortimento de ni' lliados, a par do aceio, eleganen e bom rgimen do esta-
| belackaola
O annunciante, tendo feito una completa reformr. no tocante a casa B gneros, possuindo bons
correspondentes na Europa para remessas de conta propria, actia-se convencido que merecer a pro-
I tecfc de lodosos amigos do bom e barato, a qual desde ja reclama, asseverando-lhes que jamis des-
merecer a cobfianca com que se dignarem de o honrar."
Em resumo, visiie o respeitavel pul>lico o nuvo e superior armazem Movimenlo, compre-lhe al-
guns gneros, e ento flcar convencido da reahdade do presente aviso, verificando por si Bjesa que
nenhum outro eslabeleciiiienlo o serve melhor que este, soja em cummodidade de precos, agrado e
delicadeza, ou legalidade de pesos e medidas.
Finalmente, todas e quaesquer garantias que estabelecimentos idnticos teem olTorecido aos
oncorrenles, serao mantidas neste em grao mamr.
' m
\M)\i:oi.KO.n ri(;\ijo..i;\c.\i.ii.\o
XAROPE DE RABAIVO IODADO
Segundo o atlesiaduK to* niMir di uuspuae de Parir, cnaignadus no PriHiueoe, e a smm.vaijSo
de varios Acadmicos, este Xaropc enipres;a-se com o maior succesao, em lugar do OLEO DE F1GAD0 DE
BACALHAO, aoqual ellereaimente uperior. Cura as molestias de peito, as escrfulas, o lyniphatismo, a
oallidei e mollea das carnes, a.- pedas d' appetlte, e regenera a constituicao puriQcando o sangue. Km
sumnia o mais poderoso depurativo conhecido. Rile nunca canea o estoniano ou os intestinos como o
ioduro de potassium e o ioduro de ferro; e admiuistra-se com a maior edicacidade aos meninos sujeltoi
aos humores ou ao entupimento da- glndulas. O Deaur cmniar, do hospital de San' Luit de Pars,
o recommenda d'um modo inteiramente particular as molestias da pelk, conjunctamente com as pitulas
que teem seu nome.
Depsito gonil: em Pars, en rasa de MM. r.rimanii c C*. pharmaceuticos, 7, rua de la Feulllade ;
san Lisboa, en casa de Rndrlg* m co>ta-Cnraiii* no Porto, en casa de Migad Jo* > sou-
Ferrelra; em o Rio-de-Janex>o, iluta rt-ioio c Dala, rua do >al>o, II em Baha, en casa de
Joat-Caetana Frrrrlra-Knplnkrlra; em ilio-Crandr, en casa de Joaqala m Gaday ; em Maran-
hao, en casa de Ferrrlra e c* era Pernambuco, Skanaa e O, rua da Crui, 22; sauza, e as princlpaes
pharmncias do Brasil.
Deposito geral em Pernambuco rua da Cruz n. 22 em casa de Caros 4 Barboza
F1VELAS
>
l'ita de Mallabar e Hoidc para tingir os ctbellos"
lianha transparente e lafurnesa
Ditas finas em frascos de diversos moldes.
Dita dita em bonitos vasos de porcelana.
Dita dita em latas.
Dita dita em copinln s, sendo creme, duqueza e po-
mada imperial.
de neo ccm fedyns.
Nc eslava bem a aguia branca deixar ficar to
grande parte de sua boa freguena sem asan
apreciadas fivelas d&aco e com pedias, c por isso
apressou-se em mandar buscar o bello sortimento J*ahu*nhos de vidro com perfumaras.
que acaba de receber ; e bem asto as neo ssarias Caixinhas com 6 frasquinhos de cheiros
fitas, cujos novos e bonitos padrdes astornam agr- posmetique (cu pomada) superfina,
daveis aos olhos de todos ; resla, pois, que os pre- E"tractos finos e de agradaveis cheires em bonitos
>< nannut..* (je dinheiro, dirijaui-se ;
OhjrctftM fie plMBaia ^
para a agnia hraait.!
A aguia branca recchvun.ro. Tmwt..
tos de phantasin. algn. i>
aqu, -elnl, .
; Itonitos aderemos i.mphti- -A.-d>pcr> U-l..-
i Ditos tlilo- de |"'ilr t i .. %rm
gosloquasi se ii".Hdi.-.img efj 4a t.fi.t'Tt
Lindas pulseiras de ux.>ac.
Dita dita de pen.Lj f.isas tanlv pan
como |ara ineniii.-.-
Dilade chapa de n\A.,\ :
Dita de cornalina branca dr
Iii)iiitC"s alfinetes i ,,.mei- para :
Booilos pentes de concha, obrad?
Outros travsnoi rom fi-/tras para
bellas guaroicoes de platos m
rr,mcaix<>s de uva- ferio* Oatynbr
hlime.
Outras igualo. :ii I Iba, toda de la
coin pedras.
Outras a lartomnd
Voltinhas de alji.far Inrra e de c
de ledras
Esses e outros mi.il a< i^au-ar a v asi-
na rua do Queimado, ka da aruu braur... a> $
mnm t oura
espelhiS do tirados
A aguia brama em r ntiniacle ib- -o*- ra*aa>-
mendao mandou vir, e u-ata de rerrbar araskdr.
espedios dourados cera mu Umita in
molduras, evidros de pnmeira unaliad:. a vasas
do que o prelendente que sabir de ras* saiia** db
dinheiro e com dispov fio de o fastar
de um desses bonitos ^nemoa, i irUbtti
do Queimad, loja d'agu.a branca r .
iieiu servido. lamLem ha espeibm qnr^m a*
Udos bbi tatr.-inho- e n ri m>>ldaras Mndaw
JAR ROS
de porcelana t escana-
(letras t riere
A aguia branca tambem m a lasa ir bnnit jt
ros de porce!lar,a d-iunda r ? ditfcr.-niix toan
nhos ; assim como cscarradwras dr Ttn. stpaaaa
esses sempre necesarios para o I aeci m sa-
las ; resla rnenle que o comprad darij--* sai
dinheiro a loja d'aguia branca, nra
do n. 8. onde sera er'idr com Sara*
dade.
de la para htnfa e filiara.
A aguia brsnca, na rua do QwimadV a i.
de mui boas meias de Ia para isosm e
e [iretas de laia e de seda para padres.
^ Vndese sai do Asm. a barda d
i' -..lina : a tratar com Palmeara 4 b*str*v>.
go do Corpo Santo u. 4. primeiro aad-r.
tendentes, munidos oe oinneiro, ainjam-se a rua
do Queimado, loja d'aguia branca n. 8, onde tam-
bem ha bonitos cintos bordados com borlas, etc.
Extraordinario sortimento
de perfumaras.
A superioridade das perfumaras que :
branca vende est incontestavelmente rcronherida,
e istd confirma a grande extrarcio que Ihe? vio
| dando os apreciadores do bom. A aguia branca.
S
- Vende- b Urna al) com Mas crian:
ti a preteuler, dirija-;o ao pateo do Paraso n.
Sberna, que ah se titiq/aem vodJo.
Ditos dourados para meninas rejacar cabello a f. mandn vero extraordinario sortim"nto q
VTA./ tf A.L Xf A.A f,,h,s lr enflar espartilhos muito finas a 60 rs ba de receber, vindo conforme suas rcTommenda-
Dr nrCCO reduzlilA ;?ras ",a .com llhozes fara ves,ld a 1(W C568- sempre da melhor qualidade, sendo :
VpndP-v M7 di mflhor rnr.lid A* r^l^ t^AaI^. nuil0 gosto par? colloU a 120 Agua de (Julona em arrfasde div ts-js tamanhos
v enue-e gaz oa meitior quaua^ae pelo Frascos de oleo de macaca mnito superior a 100 e moldes.
pre 0 de 105 por lata de 5 gales :. ao ar-! ris, I Dita dita cm frasco? redondos e (|ud.-adoJ.
mazem e Caes do Ramos n. 18 e rita do' ABnU'ros de Jacaranda muito Lons para agulha Dita dita ambreada em frascos verdes.
Tfanirhc' Novo n 8 a 200 rs. i Agua ambreada para hanhos.
Espelhns de Jacaranda e brancos de columnas a Dita balsmica e dentrifice para conservadlo dat
23500. (renciviisp dentes c bom ftalrfbda horca.
Duzia.de facas e garios com dous bctdes, muilo Dita de flor de Iaranja.
finas a 6*. 1 Dita Duzia de facas e garfes, cabo brance, cravadas, Dttadelavandore toilet.
2^00. I Ditr.de atheniense para alisrr ramf w ca
Pecas > eatrauei* mi?2 knitos a TOC rs helio* depoi* do ntade.
TABOCA
Vendem-se [abocar. : no armazem da bofa ams-
rellanc oit^c ds secretaria da polica.
Dito frangipane, cheiro novo e mui agradavel.
Dito de sndalo.
Esaeacias cooceotradas, rom differenfes e finissi-
mes cheiros.
Leite. virginal para tirar sarda1-.
Dito de cacao para atnaciar a cutis e conservar-
as o lustre.
Macassar perola.
Oleo philucome superfino.
DitC' de babusa.
Opiata ingleza e franceta.
Pos de Coral e de Lubin para denle;
Sabonelcs finos quadrados e redondos
Ditos finos em caixinhas de tres.
Dito? muito finos para baria.
Ditos creme de ameudoa em vasos de vid v, e por-
celana.
Tcnico oriental de Ketap.
Vinagre aromatice
Dito ou leitc d'ires para acabar as espate do
resto.
E assim mullos outros objpctos de posto que na
compra dos quites o prelendente ser Mmfetto
por dei*ar os cobres na Rja d*a pnia bmwa re
1i Oncfm^dc n 'a.
Vende-se urna escrava de aV
lara eogenho ou fra da pro1
Matriz da Koa-ViMa. ouradn a. 33.
aaaaa
' aa n
fiAZ A 10:0110 IS.
a lata com 5 gales : ca ro? do f^resp
mazeiu de louca de Duart<* Pereira 4 C
a 15. x
A 2.ni O rs
Continu.vse a vender sacecs de aaaa a ttBaa>
na rua Direila n. 4.________________________
Grande pechincha.
A200n.trtfa4t.
Cambrabs escuras finas a 200 rs 1 cavada io
nao se do amostras para que e
acabar
logo : quem quizer, reaha eaarar'aa
de fazendas de Custodie, Carraate 4 C,
Qupmado n. 27.
mrn
VI.NIIO PIRO
Chaaw nova maaM de aaora
rior vinho poro : vende-se a escrif*sm r E ".
l'.abedo. rua da Cadeia n. 56.
Vende-se muilo barato ana
gas, cm Lom etadc, c arrens n^
metal principe : na rv. d. ai
numero 43.
SMrai re cantona
v'm.l.-.s le Lfcaaa a au 'V Tip-ir a f9. fi-


Mari de Prwp<
*e&4a fdM UiiMo de I S4.
Grande liquidacrto
de falcadas na Inja do Pavao, ra da Iiuperalrix i.
60, do tana Silva.
AcOa-se este estabelecimento completamente sor-
ldode fazcndas inglezas, francezas, allemes e
suissas, proprias tanto para a praga como para o
mato, prometiendo veoder-se mais barato do que
em outra qualquer parte principalmente sendo em
porgao e de todas as fazcndas dao-se as amostras
deixando ficar penhor ou manda m-se levar em ca-
sa pelos caixeiros da toja do Pavita.
As fhitas do Pavao.
Vendom-se superiores chitas claras e escuras pe-
lo barato prego de 240 e 280 rs. sendo tintas s gu-
rs, ditas francezas tinas a 320, 3i0, 360, 400 c
500 rs., o covado, ditas pretas largas e estreitas,
riscados escocezes Anos a 240 rs. o covado, isto na
hija do Pavao ra da Imperatriz n. 60 de Gama i\
Silva.
As cassas do Pavo a 2f0, 280, 300 e 320 rs.
Vendem-se tinissimas cassas persianas cores Il-
las a 320 rs. o covado, ditas francezas muito Anas
a 240 e 280 rs., ditas ingzezas a 240 e 280 rs. o
covado, finissimo organdy matisado com- desenhos
miudinbos a 320 rs. o covado, cassas garibaldinas ;
muito finas a 320 rs., isto na loja do Pavao ra da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
As laauhas da cuposirn do Pava.
Veodem-se as mais modernas laazinhas mossan-
Liiiuo chegadas pelo ultimo vapor francez sendo
de urna s cor ou de listas miudinhas com 4 pal-
mos de largura, proprias para vestido de senhora, i
roupa para meninos e capas, e pelo baratissimo
prego de 500 rs. o covado, ditas enfestadas trans-
parentes de quadrinhos a 500, 400 e 360 rs. o co- .
vado, ditas matisadas muito finas a 500 e 400 rs., |
titas mais baratas do que chita tambem matisadas
a 320 rs. o covado, ditas a Mara Pia com palma I
de seda e 4 palmos de largura a 800 rs. o covado,;
dias de una s cor parda, azul, cor de lyrio e '
penda proprias para vestidos, sautembarqes e (
jraribantes a 720 rs. o covado, ditas escocezas a
800 e 400 rs.. isto s na loja do Pavao, ra da Im-
teratriz n. 0, de Gama & Silva.
Os chales do Pavo.
Vendem-se finos chales de crejion estampados
pelo barato prego de 6*, 7*, 8*, ditos de (tonta re-
huida a 75 e 8*, ditos pretos ricamente bordados
a rctroc com vidrilho a 12*, ditos pretos lisos a
>*, ditos de cores a 4*500 e 5*, ditos de merino
estampados a 2* e 3*, ditos de laa a 1280 e 25,
Utos Je retroz preto para luto a 65, isto na loja
.1 l'avao ra da Imperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Calendas pretas para a qaaresma vende o Pavio.
V.wde-se grosdenaple preto muito superior a
JtrtO, dito a 15800, 25, 2*o00, 2580 e 35, mo-
ii-eaniique preto muito superior a 35 e 25800, sar-
ja [ii tita hespanhola muito encorpada a 25, isto na
Mi do Pavio a ra da Imperatriz n. 60, de Gama
<& Silva.
0 Pavo vende para hit.
Vende-sc superier setim da China fazenda toda
de laa sem lustro tendo 6 palmos de largura pro-
prio (tara vestidos, paletols, capas etc., pelo bara-
to preco de 25, 25200, 25500 o covado, cassas
pretas lisas, chitas pretas largas e estreitas, chales
de merino lisos e bordados a vidrilho. manguitos
com polmitas eoutros muitos artigos que se ven-
dem [Kir piceos razoaveis : na loja do Pavao ra
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Os eorpinhfts do Pavo
Vende-se os mais modernos corpinhos de cam-
liraia ricamente bordados e enfeitados a 7 e 85 ;
na loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Ga-
ma & Silva.
Os vestidos do Pavo
Vndese ricos vestidos de grosdeuaple preto ri-
'..menle bordados a veludo pelo barato preco de
'"". mudo lazenda que sempre se venden a 1005
e l05 ; ditos de cambraia brancos ricamente bor-
dados a croch, Beodo proprios para baile e casa-
mento a 10, 15, 20 e 30*; ditos de laa com lindas
; larras a 18 e 155 ; isto na loja do Pavao ra
la Imperatriz n. CO, de Gama & Silva.
Os palmus do Pava*.
Vemle-se panno preto muito superior pelo barato
prego de 25, 25500,35 e 3*500. ditos muito tinosa
' '). 5* e 65, curies de casimira preta enfestada a
4*, 45500 e 65, casemira preta fina de urna s
largara muito lina a 15800, 25, 25500 e 35, cor-
les de casemira de cor a 55, 55500 c 65, casemi-
ras enfestadas de urna s cor proprias para calca,
paletols, cohete*, capas paia senhora. roitpas para
meninos a :5 e 3*500 o covado. islo na loja do
Patio, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
A milpa do l'avao.
V iidem-se paletols de panno preto sobrecasa-
cos fazenda muito boa a 12=, ditos muito finos a
165. 20?. 255 e 305, calcas de casemira preta boa
fazenda 45800,55,65, 75 e 85, paletols saceos
de panno preto a 75, ditos de casemira de cor a
>5 e 75, ditos de alpaca prela. ditos de merino
meto, ditos de brlm de cores, calcas de casemira
de cor a 45, 55,65,75, ditos de raxemira da
Sscossia a 35. ditos de brim pardo a 25500, ditos
decora NletfSOO, ditos brancos muito finos,
ste na loja do l'avao. rua da Imperatriz n. 60, de
Gama & Silva.
Os cortinados do pavo.
Vendem-se ricos cortinados proprios para janel-
la e camas pelo barato preco de 9* o par, sendo o
molhor que bao mercado': na rua da Imperatriz
u. 60, Je Gama & Silva.
As colchas de Pavo.
Vendem-se colchas de lioho aJeocboadas pro-
prias para cania pelo barato preco de 55 cada unta
na rua da Impcralriz B.60, de Gama & Silva
As ureealas do Pavo.
Vendenv-se as mais lindas precalas que tem vin-
Jo ao mercado cbegadas pelo ultimo vapor fran-
7. pelo barato preco de 600 rs. o covado, ditas
le Mstrinna mato niiiulinhas propriaspara vestidos
e ronpas do meninos e meninas pelo barato prego
ile .'<>o rs. : s o l'avao a rua da Imperatriz n. 60.
loja de Gama & Silva.
Os soiiteanbarqnes do Pavo
Ofc I 50so o Pavo. .
Viiilem-se os mais lindos souteanbarques que
rindo ultimameoie de lazinha e caxemira ri-
camente bordados e enfeitados, cores muito delica-
das pelo barato preco de 105 e 155 ; fazenda esta
que-em outras lujas se vendara por 205 o 255,
30 para liquidar : na loja e armazem do Pavo a
rua da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
As chitas do Pavo *# iO<> c
2#MOO o corte.
Vendem-se cortes de chita com doze covados
cada erte, ditos com da muito boa, c que, nao desl.ola. s na loja do Pa-
vio lem esta pccbncha ; a rua da Imperatriz n.
60 de (Jama A Silva.
t.-.xs de nina s cor.
Vendem-se laziitbas de urna s cor, sendo en-
carnada, azul, cinzenta, cor de caf, lirio claro, li-
rio roxo cor de parola peto baratissimo preco de
640 o covado, lazenda muito lina s o Pavo, rua
da Imperatriz n. 60 loja e armazem de Gama &
Silva.
Panuo de linho.
Vende-sc panno de buho com 4 palmos de lar-
gura proprio para leuces, toa Ibas e ceroulas pelo
barato preco de 640 rs. a vara, bramante de linho
coa 10 palmos de largura a 25500, algodaoznbo
moastro com 8 palmos de largura a 15, pecas de
Hamhurge com 20 varas a 95, 105 e i 15, pecas de
madapolao lino a 75500, 85, '.15 e 105, ditas de
algodfwzuiho a 65, 65500 e 75, e outras multas
(azoadas brancas (|ue se vendem muito baratas
alim de apurar dinheiro : na loja do Pavo rua da
pniteratriz n. 60, de Gama t Suva,
O brainaute do Pavo com doze
palmes de largura.
Vndese bramante de linho puro, muilo fino com
doze palmos de largura o melhor e mais largo que
lem vindo ao mercado pelo barato preco de 25800
rs.a vara ; s na loja do Pavao de Gama & Silva,
aua da Imperatriz n. 60.
As preealas do Pavao.
Vendem-se as mais lindas precalas qus tem vin-
do ao mercadacliegadas pelo ultimo vapor francez,
pelo barato preco de 600 re. o covado, ditas de lis-
trinlia muito miudinhas proprias para vestidos o
e ronpas de meninos e meninas polo barate preco
de 500 rs. : so o Pavo rua da Imperatriz fi. u,
luje de Gama .V Silva.
Os bales do Pavao.
Vendem-se crinolinas ou baldes de 30 arcos Un-
to brauco como do cores, sendo americanos que
ao os melhorcs por se nao quebrarem a 3*o00 o
de 35 arcos a 45, ditos de musselina com babados
a 45, i'i tos para menina a 25 e 35 : na loja do Pa-
vao rua da Imperatriz D. 60, de Gama & Silva.
0 Pn vo vm*e H*
Vendem-jo os mais lindos corlesde vestidos a
Mara Pia, com lindas harpas de seda, sendo che-
lta.l m pelo ultimo vapor francez pelo barato preco
de 8J cada um : sana tohr^rtawtn.rt da Impe-
ratriz n. (50, de Gama & Silva.
4Qfm*&>
iVMEID?
g*S>sg^S>^i5>gS^
NIAO MERCANTIL
RUA DACADEIA JIO HKCIFJK x. 5.
NOVO E
GEAUfDE ASMAZmU DB MOLHADOS
RUA DA CADEI t UO II EtIFE 5.
Francisco Fernandos Duarte acaba de abrir na rua da Cadeia do liecifen. 53, um grande e sortido armazem de moldad'i,
nominado Umao Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeitavel publico um completo sortimenlo d( s m 11 or
gneros que vem ao mercado, tanto estrangeiros, como nacionaes, os quaes ser5o vendidos em porfes oo a relalbo porpe^ot wmk
Acaba de receber de sna propria encommenda um grande e variado sortimento
de molbados todos primorosamente escolhidos, por isso apressa-se o proprietario em
offerecer 30s seus freguezes e ao publico om geral a seguinle tabella dos seus gneros e
resumidos precos, afiaocando todo e qualquer genero vendido nesle bem condecido ar-
mazem.
Pede-se toda atten#to.
O proprietario pede a todos os senhores chefes de familia e ao publico em geral
que nao deixem passar desapercebida a seguinle tabella:
AVINO.
Nestc armazem e no largo do Carmo n. ), armazem Progressivo, recebem-se a
libras que vulgarmente correm no commercio por 80890 a 9$, o proprietario em seo
armazens da-lbee este valor, sendo em pagamento, e isto para evitar confuses em trocos
Manteigaingieraperfeitamente flor, a 8oo rs,, rs. a duzia l.ooo rs. a garrafa, garante-se
e i i a libra. que os raelhores que temos tido no mer-
Idem franceza a 6oo rs. a libra, e 58o rs.' cado.
sendo em barril. Passas em caixas de 1 arroba '/j e */* a 7,5oo,
Cb uxim a 2,7oo rs. a libra, e de 8 libras 3,Goo e i,9oo rs. a caixa, 4oo rs. a libra
para cima a 2,6oo. garante-se serem muito novas, e graudas.
dem perola a 2,8oo rs. e de 8 libras para dem corintnias proprias para podim a 8oo
cima a 2,7oo, rs. a libra,
dem hysson o mais superior que se pode jMarmeladas dos mais afamados fabricantes de
desejar a 2,6oo c de 8 libras para cima Lisboa a 6oo rs. a libra.
a 2,5oo rs. I Ervilhas secas muito novas a 16o rs. a libra,
dem menos superior a 2,4oo e de 8 libras ] Grao de bico muito novo a 16o rs. a libra.
para cima a 2,3oo rs. Krvilhas francezas em latas a 6oo rs.
dem proprio para negocio a 2,3oo, de 8 li- Potes com sal refinado a 48o rs.
bras para cima a 2,2oo.
dem do Rio em latas de 2, 4, 6 e 8 libras
cada urna a 2, 3, 3,5oo e 4,8oo rs. a lata,
dem preto o mellior que se pode desejar
neste genero a 2,8oo rs.
dem menos superior a esse que se vende
por, 2 e 2,4oo, a 4,8oo rs. a libra.
Fumo de chapa americano a l,4oo rs. a libra
fazenda especial.
Presunto para fiambre inglezes a 7oo e 8oo
rs. a libra.
Chouricas e paios mnito novos a 64o a libra.
Batatas muito novas em gigos de 34 libra a
1 ,ooo rs. e 6o rs. a iibra.
dem mais baixo bom para negocio a I,5oo Massas para sopa macarrao, talharim aletria
rs. a libra. I a 4oo rs. a libra,
dem miudinho proprio para negocio a l,5oo Cognac verdadeirb inglez a 8,5oo rs. a caixa
rs. a libra. e 8oo rs. a garrafa.
Queijos do reino chegados nestc ultimo va- dem francez a 7,ooo rs. a duzia e 7oo rs. a
por a 3,1 oo. I garrafa,
dem mais seceos vindos por navio a 1,7oo. Charutos em grande quantidade e de todos os
Manteiga ingleza especialmente escolhida
de primeira qualidade a 800 rs. a libra,
em barril se faz abatimento.
Manteiga franceza a mais superior do mer-
cado a 560 rs. a libra, e 520 rs. em barril
oo meio.
Prezontos inglezes para fiambre, de superior
qualidade, chegados nesle ultimo vapor, a
720 rs. a libra.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor a 20800.
Queijo prato muito fresco e novo a 640 rs.
a libra.
Castanhas muito novas a 120 rs. a libra e
e 3^000 a arroba.
Cb uxin o melhor que ha neste genero,
mandado vir de corita propria a 2#808
rs. a libra.
Cha hyson muito superior a 20560 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio para negocio a
10500 rs. a libra.
Cb preto muito superior a 20 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com diterentes
qualidades, 6omo sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
outras mu i las marcas a 10350.
Bolaciiinha de soda em latas grandes a 20.
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a 10500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 10 e 20 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo,
vapor a 500 rs. a libra e 30 um quarto ;
e em caixa se faz abatimento.
meixas francezas em latas de meia a 3 li-
bras a 800 rs.
Champagne da marca mais superior que
tem vindo ao nosso mercado a 180 o gigo,
garante-se a superior qualidade.
Vinbo Bordeaux das melhores qualidades
que se pode desejar de 70500 a 80000 a
caixa e 720 a 800 rs. a garrafa.
Canas com vinho do Porto superior de 90
a 109 a duzia, o 900 a 1S a garrafa; deste
genero ha grande porejo e de differentes
marcas acreditadas que j se venderam
por 149 e 150 a caixa, como sejam: Duque
do Porto, Lagrimas do Dooro, D. Luiz,
Cames, Madeira secco, Carcavellos, Nc-
tar de 1833, Duque Genuino.
Vinbo de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
400,480 e 560 rs. a garrafa, e 30, 30200
e 30506 a caada.
Vinho branco de superior qualidade, vindo
j engarrafado a 640 rs. a garrafa e a 500
rs. de barril.
Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e
10200 a caada.
i Azeite doce refinado em garrafas brancas a
| 800 re.
Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
40800 a caada.
Geneora de Hollanda a 500 rs. o frasco e
50800 a frasqueira.
Caixinhas com ameixas francezas, ornadas
com ricas estampas na caixa exterior,
moitopropriasparamirao,a 1020o, 10500
20.
Frasco de vidro com lampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a
10200.
Marmelada imperial, dos melhores conser-
veiros de Lisboa, em latas de 1 e meia a
2 libras a 600 rs a libra.
Fructas em calda das melhores qualidades
que ha em Portugal em latas hermtica-
mente lacradas a 500 rs.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
Amendoasde casca mulle a iOO rs. a libra.
Avelas muito novas a 200 rs- a libra.
Amendoas confeiladas de diversas cores a
800 rs. a libra.
Maguas e peras chegadas neste ultimo vapor,
muito perfeitas, s vista se faz o prego.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Ervilhas francezas e portuguezas em latas de
1 libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
genero, a 10200 a libra.
Chocolate hespanhol a 10200 a libra.
Genebra de laranja em frascos grandes a 19.
Cervnja branca e preta das melhores marcas
que ha no mercado a 500 rs. a garrafa e
59800 a duzia.
Cognac inglez de superior qualidade a 800
a 10200 a garrafa.
[Licores francezs das seguintes qualidades:
Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames
e de outras muitas marcas a 10 a garrafa
e 100 a caixa.
Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
90 a duzia.
Mostarda ingleza em potes j preparada a
400 rs.
Mostarda ingleza em p, em frascos grandes,
a 10 cada um.
Sal refinado a 500 rs. o pote.
San!indas de Nantes a 340 rs. I quai toe 51>
rs. meia lata.
Latas com peixe em posta : savel, nrvn*.
vezugo, cherne, lirguado, lagos n da, j
103oOrs.
Salmo em latas, preparado pela uva arto
de cozinha, a 800 rs.
Maga de tomates em latas de 1 libra a M
ris.
Chouricas e paios em latas de 6 e neia dlca
por 70.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a l.bra t
80600 a arroba.
Bolaxinda ingleza a 320 rs a libra i*
barrica.
Sag muito novo a 240 rs. a libra.
Cevadinha de Franga-a 200 rs. a libra,
Farinha do Maranhao a 120 rs. a libra.
Aramia verdadeira a 320 rs. a libra.
Cevada a 120 rs. a libra e ?0 a arriba.
Alpistaa 160 re. a libra e HOj arroto-
Batatas muito novas em gigos cora 40 libra*
por 10500.
Cebollas a 10 o molho com mais de 100 ca-
da um.
Caf lavado de primeira qualidade a 300 rs.
a libra e 90 a arroba.
Caf do Cear muito superior a 280 rs. a li-
bra e 80400 a arroba.
Caf do Rio, proprio para negocio, a H.
Arroz do Maralo a 100 rs. a libra e?)JWr
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 29400 a
arroba.
Vellas de spermaceti a 560 r?. a libra
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a MI rs. o Me-
so e a 90 a arroba.
Doce de goiaba a 640 re. o caixo.
Macarrao, taldarim e aletria a 480 rs. a li-
bra ; em caixa se faz abatimento.
Estrellinda.pevide e arroz demassa para sof
a 600 rs. a libra e 30 a caixa tmm I tibn*.
Palitos de dente lixados com Mr a *00 r
o masso, ditos lixados sem flor a IGO r.
o masso com 20 massindos.
Gomma de engommar muito fina a 80rs. a.
libra.
Banha de porco refinada a 480 rs. a iibrae
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes de S. F-
lix, em caixas inleiras cu era meias. Je
10600, 20 e 30.
Presuntos do reino, vindos de cmti propm
de casa particulada 400 rs. a 'idra; ioiei-
ro se faz abatimento.
dem prato os melhores e mais frescos do
mercado a 76o rs. a libra.
dem londrino a 6oo rs., e sendo inteiro a
5oo rs. a libra, vende-sc por este prego
pela porgo que temos em ser.
Biscoites em latas de 2 libias das seguintes
marcas : Osborne, Craknel, Mixed, Victo-
ria, Pec-nic, Fance, Machine contras mui-
tas a l,3oo e 1 4oo rs.
Polvos chegados ltimamente do Porto a 32o
rs. a libra.
dem em latas grandes a 2,ooo rs. a lata.
Balachinha de Craknel em latas de o libras
bruto a 4,ooo rs.
dem inglesas em barricas a mais nova do
mercado a 2,5oo rs. a barrica c 24o rs. a
libra.
Cartes com bolas francezas proprios para
mimos ou para aojos que vio as procis-
ses a Ooo rs. cada um.
Peras seccas as mais novas do mercado a 4oo
rs. a libra.
Figos de comadre em litas de 4 e 8 libras
lacradas hermticamente a i,4oo e 2,2oo
rs. a lata.
dem em caixinhas de 8 lidias a I,8oo, e
24o rs. a libra.
Nozes muito novas a 140 rs. a libra, e 4,ooo
rs. a arroba.
Amendoas confortadas a Ooo rs. a libra.
dem de casca mole a 32o rs.
Viudos engarrafados no Porto e Lisboa das
seguintes marcas: duque, genuino, vcldo
secco especial, lagrimas doces, vindo es-
pecial D. Pedro V, nctar superior de
1833, duque do Porto de 1834, vinho do
Porto, velho superior, inadeira secca. Por-
to superior D. Luiz I, e outras muitas
marcas, em caixa de urna duzia a lo,ooo e
9oo rs. a garrafa.
dem branco de uva pura a 64o rs. a garra-
fa e 4,ooo a caada.
dem superior a 5oo rs, a garrafa e 3,2oors.
a caada.
dem em pipa Porto, Lisboa e Figueira das
marcas mais acreditadas a 3,8oo a caada
e 500 rs, a garrafa. *
dem de marcas pouco conhecidas a 4oo rs.
a garrafa e 3,ooo rs. a casada.
Especial vinho Lavradk sem a mais pequea
composico a 560 a garrafa e 4,ooo re. a
caada.
fabricantes mais a creditados a l,5oo,
2,ooo, 2,3oo, 3,ooo e 4,ooo rs. a caixa,
os mais baixos sao dos que por adi se ven
dema 2,ooo e2,5oo rs.
Caf de premeira qualidade a 8,5oo rs. a ar-
roba e 28o rs. a libra.
dem de segunda qualidade a 8,2oo rs. a ar-
roba e26o rs. a iibra.
Arroz do .Marando a loors. a libra, 3,ooo rs.
a arroba.
dem da india muito superior a 2,9oo re. a
arroda, e loo rs. a libra.
dem hiais baixo redondo a 2,6oo rs. a libra.
dem da India coraprido a 2,4oo rs. a airo-
ba, e 8o rs. a libra.
Vellas de carnauba do Aracaly a 9,5oo rs. ar-
roba, c 3r5o rs. a libra.
dem de selw muito dura fingindo esparmace-
te 3tio rs. a libra.
dem de esparmacete a 54o rs. a libra, e em
caixa a 52ers.
Papel o melhor que se pode desejar para os
Srs. embregados pblicos a 5,ooo rs. a res-
ma, j se vendeu por 7.ooo rs.
dem almaco pautado e liso a 3,ooors. a resma.
dem de peso pautada e liso a 3,ooo rs. a
resma.
dem a zul de botica ou fugueteiroa 2,2oo rs.
a resma.
dem embrulho de 1,2oo a i,4oo rs. a resma.
Ameixas francezas em latas de 1 '/* libra a
l,2oo e8oors. a libra.
dem em frascos de 3 libras a 2,5oo rs., s o
frasco valle I ,ooo rs. tambem temos em
frascos para l,4oo rs.
Conservas inglezas a 7oo rs. o frasco.
Molhosinglezes a 8oo c l.ooo rs. o frasco.
Moslarda preparada em potes muito nova a
2oo rs.
Latas com 2 a 4 libras de caj secco o mais;
bem arraigado possivel a l,8oo e 2,8oo!
re. a lata.
Serveja Bon. Tenente verdadeira a6,8oo rs.
a efuzia.
dem de outras marcas preta e branca a 5,5oo
c 6,ooo rs. a duzia inteiras.
Vassouras de piassava com 2 arcos de ferro
vindas do Porto a 32o rs.
Cebollas muilo novas a 8oore. o molho e 5oo
rs. o cento.
Chocolate portoguez hespanhol e francez de
8oo a l.ooo rs. a libra.
Os senhores que comprarem de 1000000 para cima, terJo o descont de 5 por cento, pelo prompto pagamento.
Pomada a 200 rs. a duzia, sevada muito no- Genebra de Hollonda.em frasqueiras a 6,ooo
va a 80 rs. a libra, e 2,5oo "a arroba.
Garrafes com 4 K[% garrafas de vinho supe-
rior a 2,5oo rs.' com o garrafSo.
dem com 4 '/a dilas do venagre a l.ooors.o
garrafo.
Vinagre PBB em ancoretas de 9 caadas a
15,ooo rs. com aancoreta
dem empipa puro sem o batismo a 2oo rs.
* garrafa e l,4oo rs. a caada.
Caixas com 1 duzia da garrafas de vinho Bor-
deaux fazenda muito especial a 6,8oo rs.
a caixa e 7oo rs. a garrafa.
Licores francezs e portuguezes das seguin-
tes marcas creme de violetas, gerofles, ro-
sa, absinto vespeiro, amor perfeito, amen-
dua amarga, percicot. de Turin, Botefim,
morangos, limo, caf, laranja, cidra, gin-
ja, canella, cravo, ortel pimenta a l,ooo
e 56o rs. o frasco.
dem em botijas a 4oo re.
dem em garrafes de 14 garrafas a 5,2oo rs.
Palitos do gaz a 2,2oo rs. a groza e 2o rs. a
caixa.
dem de dentes lixados em macos grandes
com 2o rs o macinhos a 12o rs. o masso.
Cominhos mnito novos a 32o rs. a libra e
1 o,ooo a arroba.
Sag muito nove a 24o re. a libra.
Cevadinha de Franca a, 18o rs. a libra.
Mtlho alpista a 14o rs. a libra e 4,Soo rs. a
arroba.
Gomma a 8o rs a libra e 2,4oo a arroba.
Peixcs em latas a l,ooo rs. a lata j prompto
a comer-sS.
Farello de Lisboa marca N. e Biato saceos
grandes a 4,ooo re.
-
IPixe
Vende-se pixe da Snecia mnito barato : no ar-
nrnem da bota amarclla no oito da secretaria da
polica.
O flagello
das formifas eeuwns : vondo-so do armazom da
bola amanilla no oHao da secretaria do polica, a
500 rs. acanad3. >
LOJA DO BEIJA FLOR.
Hiia do Queimailo numere 63.
Cravaliohas para seitiiora.
Vendem-se gravalinhas de^diversos ?ostos mais
modernos a 70 e 800 rs. : na rua do Queimado,
loja do beija-flor n. 63.
Fitas para deliruiu de vestidas.
Vendem-se fitas para debrum de vestido de linho
com 12 varas a 400 rs. a pega : na rua do Quei-
mado, loja do beija-flor n. 63.
Pentes Iravessos.
Vendem-se pentes travessos de caracol na
frente de borracha a 500 rs.: na rua do Queima-
do, loja do beija-flor n. 63.
Papel beira (lomada.
Vende-se papel beira dourada a 1J1200 e l^'OO,
dito de cor de beira dourada a USloO : na rua do
Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Anvcdipes.
Vendem-se anvelopes de diversas qualidades
branco a 800 rs. e de cor a 640 rs., para cartas de
visita a 400 rs., preto a 720 rs. : na loja do beija-
flor na rua do Queimado n. 63.
tollas de aljfar.
Tendo recebido voltas de aljfar com cruzes de
pedra imitando a brilbante vende-se a 13 cada
urna : na rua do Queimado loja do beija-flor n. 63.
Camisas Vendem-se camisas de meias muito finas a
1200 e 1300 : na rua do Queimado, loja do bei-
ja-flor n. 63.
Kiifi'ib-s de Gta.
Tendo recebido enfeites de fita pretas e de co-
res mais modernas que se estao usando a 1 i cada
um : na rua do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Fila de laa prela para debrum.
Vende-se fita de la preta para debrnm rom tO
varas a 900 rs. a pega : na loja do beija-flor rua
do Queimado n 63.
Fitas de lioho para bordar vestido.
Vendem-se fitas de linho para bordar vestido
ou roupinno de meninas com 40 varas a 640 e
800 rs. a pege s quem tem loja do beija-flor
rua do Queimado numere 63.
Boti's de madrrperola.
Vendem-se boles de madreperola mais moder-
nos que tem vindo para pnnhos de senhora a 320
rs. o par : s quem vende por este prego na
rua do Queimado, loja de beija-flor numero 63.
Fila de velludo para bardar vestido.
Vende-se fita de velludo prete com 10 varas a
900 rs. a pega : s qoem tem por este preco a
loja do beija-flor da rua do Queimado a. 3.
Fita de velludo bordada.
Vende-se fita de velludo preto bordada de di-
versos gostos e mais modernos proprios para qoa-
resma : s quem tem a loja do beija-flor rna do
Queimado n. 63.
franja preta.
Vende-se franja preta de diversas larguras para
enfeitar capas on manteletes os mais lindos gos-
tos que se pode encontrar : na loja do beija-flor
roa do Queimado n. 63.
Facas e garfos.
Vendem-se facas e garfos de balango de i bo-
tio a 3*300 a duzia, ditas de 2 botos a 6*400 -.
na roa do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
V taporas.
Vendem-se vsperas mnito finas a 800 rs. : Ba
rua do Queimado, loja do oerja-flor n.3.
Domines.
Vendem-se dminos muilo finos a 1*200 e
1*400: na loja de beija-flor da rua do Queimado
n. 63.___________________________________
CHEGADO PELO VAPOR.
So para o vigilante.
Grande sortimeot de fivolas pretas e com pe-
drinhas de muito lindo gesto assim como filas pa-
ra sinlos pretas e de cores para as mesmas five-
las ojoa so vende pelo barato prego de 1*500 e 3*!
jno vigilante rua de Crespo n. 7. _______
Vende-se a taberna do caos d*Apollo n. OT
que faz soflrivel negocio de bebidas, alm de aj-
gam mais de comextives, boa para am princi-
piante por ser do poneos fondos f quem pretender
dirija-se a mesraa.
Itiui dii Senzaila n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston A C,
sellins e silhes inglezes, candieiros e casti-
gaes bronzeados, lonas inglezas, fo de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavados, e relogios de
ouro patente inglez.______________^^
Machinas Inglezas
para descarocar algodo as melhores que
tem vindo a este mercado : rua da Senzala
Novan. 42, em casa de S. P. Johnston
AC,_____________________________
Cal de Lisboa e potassa da
Rsala.
Vende-se na rua da Cadeia do Recife n. 26, para
onde se mudou o antigo e acreditado deposito da
mesma rua n. 12, ambos os gneros sao novos e
legtimos, e se vendem a prego mais barato do que
aru tqualquer; parte.
fe-
to
jo
3
^ m m
O P
&
GO
P
h-1-
P
O
," o
P-
ct>
Ir
p-
B
p
P
p
p-
p
oo
s*
|
I
P-
O

GO *g
B 9
o
CD
P
&
CO
Vende-se a melade do sobrado de dous anda-
res n. 41 da rua do Padre Floriano : a tratar com
Fredenco Chaves, rua da Imperatriz n. 19.
Attcnco
Presantes inglezes chegados no ultimo vapor a
80 rs. a libra.
Salpices o chourigas do melhor fabricante deste
genero a 720 a libra.
Chonrigas em latas de oito libras, mui superiores a
6,5300 a lata.
Ameixas em potes grandes a 3*, e menores a 2*300
dem em latas ricamente enfeitadas, proprias pa-
ra mimos a 1*300, 1*400, 1*600 e 2*800.
Doce de goiaba em caixdes, o melbor que ha a
1*800.
Qwijos llamengos vindos no-ultimo vapor a J*.
Licores mui finos, garrafa, a 1*600,1*800 e 2*.
Conservas mui novas a 800 rs. o frasco.
Viafco do Porto o mais delicioso possivel, engarra-
fado, habito anuos!!! sem exageragao.
Manteiga ingleza flor a 1* a libra, nao sebo de
800 rs.
Vende-se a dinheiro vista no antigo e mni
acreditado armaszem de molbados de Joo fiaptista
Gomes Penna, successor do Francisco Jos Leite,
na rua do Imperador n. 46.
AGENCIA
Aigodo da Baha
para saceos de assucar e mapa ia ; Irm
para vender Antonio Luu de Oliveira Azevcdo 6
C, no seu escriptorio rua da Cruz n. 1._________
Vende-se o compendio de i'bosupbia ^vf G-
ruzez : na rua do Queimado n. 9. ______
Vende-se una barraca nova it qiu:ro ia-
gens, bem construida, de t caix.i->, h>, *
dinheiro ou mesmo a praso, Hria A^IMI
tirinas: a cnti-nili-r-se na rua MrvMi com n ^.
llcnli) de Harros Fe i j._____________________
Vendem-se linguas seccas muil i
e'por prego em cenia : a bordo d i : i^dM Ar-
roio Mulh'n, fundeado ao p da escadinha 6o>'M-
legio.___________________________________
Vende-se a dnbeiro ra paite uo
predio da rua da Aurora n. S. r to M
palacete do Sr. viconde da Boa-Tirt; a
tratar na loja da rua do Qnrimailo n. 31.
Vende-se alpaca preta a 500 rs. revade.
Vende-se alpaca preta para vestida I 508^ 600,
700 e 800 rs., lina de cerdao a 800 n para mJ
tot, prinreu preta a 800 e 6i0 o (tno, I mt
na preta fina a 1*400 o covado, laasntN* i r^l
para senhora que cstao de luto a "'i > uivain
na rua da Imperatriz n. 36. A loj i
;i- '.' horas da noile._______________________
Vendm-se saceos com farinh.i i .n.ti< a a
qne ha no mercado, e muito lina : M MM !
Aunes defronte da alfandc.ua.
Empreza da illumiuaco
gaz.
Todas as vendas de apparclhos e reclamadle
fpor escripto dando o nonte, inorada, dar, fr),
devem ser feitas no armazem da roa do lmpm*>r
n. 31. Us macliJnistas mandados para aiirndrr a
estas, apresentarao om livro que ee reclamantes
deverao asslgtiar logo depois de prrmpto o erre*
reclamado ; isto para qne a (MRB Imm rin ir
dii haverem os mesmos senhere- Mkj tnMMHa>
te attendidos.
ESCRAYOS FGIDOS.
DA
FITOICAO OE L0W-H001.
Raa da Senzaila nova n. 42.
Neste estabelecmento contina a hayer
om completo sortimento de moendas e meias
moendas para engenho, machinas de vapor
e tachas de ferro batido e coado, de todos o
tamanhos para ditos.
-- Atados americanos e machina para
lavar roupa: em casa de S. P. Jobuston & C,
nui'daiSeualiaovan. 42. v
Desappareceu hontem MlH ili ni i.-i
do Rosario umescravo de nome Havn ,iifi>, ^rr
tcncenle Manoel (Jomes de Man -I I >
annos de idade, mulato de cor plida) l-nos de-
corados, olhos agatados, cabellos anatoaM e
chiados, (que conservava quasi sfinprn \ato*\*
repartido), de baixa estatura e chele., prm r
feito de cor|K, sabio vestido de cal-a d afctattJ
de quadrinhos preUis a l ilaoazul. nao luvaudo comsipo nenhuma otiir n>i
pa : quem o pegar ou dello liwr inf-rma^ix t\
actas, dirija-e mesma roa n. 21. rrinv^iro av
dar, que ser bem recompeuitad.
Ausenlou-se ha 20 dias, da ra>a e rtm f-
nhor, a preta Therera, com o* aegmnu- :
baixa, com falla de um denle na frente. \pt $f*-
sos, e lem marcas de escrophulas o<> i i-co, anda
nesla cirtade, e diz ter hcencado snhi>r para itt-r
subscripcSo Dar libertar-se: mven a pf*a **-*
ao Dr. Mgado, na rua do Queimado O kI
Dr. agradecer a quera a pegar, |im(e^iando
dos recursos lgaos contra quera a onulur.
AHENCltO
Acha-se fgido o escravo de nrmn Faniin, dr
idade 40 annos, pouco mais on menos, ror Pata, at-
ora regular, grosso do corno, bem e-padad, tor
hado, e j com alguns cabellos branca na barba,
bragos e pernas grossas e bastante cabelluda., !*
do as pernas arqueadas, porem nao mmut, n*f
ma andar em sambas, e as WH eedanega->e w*-
tanto por goster muilo de bekar : fj"fia*e roga-
se s autoridades noliciaes des e das i>mirW
limitrophes, que o fagam apprfhcitder e Mva-lr> a
sea senhor o major Antonio ita SI* "'* *2! ?
rua Imperial, assim como roga-se aos rapua de
campo a apprehensao do dito escrav* v ttnc
ben^uficados. ,,

I





1



=rr
-*-
Mario e ***
>*- Site felra 19 le Malo e i t#4.
nifestado por Deus, a liberdade da conseiencia Estas analogas basiam para faier cotnpreheoder
christa e a independencia da liberdade evanglica porqae o povo romano, qur eonw memoro da so-
foram providencialmente unidas liberdade e riedade caiholica, qur como membro da sociedadc
independencia da santa s. E nao somos o nico europea, nao deve ser omnipotente sobre sea go-
polilico : os maiores poltico?, os proprios adver- verno; porque nao pode ser-lhe permittido, ao
sarios da santa s, nao pensam romo nos. Para s grado de aua phantasia, Impedir, dominar essa au-
allar destes ltimos (empog, o primeirocnsul deu loridade do sumino pontfice sem a qual idizia o tences sozeranas dos im|n nderai en
um brilhante teslemunho a este principio. O her- Sr. Thiers) a unidade caiholica dissolver-se-ha, o que obstinaram-se em considerar Rama tmm aa
deire do seu nome, e do seu poder, por soa vez so-, catholicismo perecera no meo das seilas. e o mun- modo do imperio, na pronta K-m a tm> '
k'inne e reiteradamenteprot!aniou-o (). Mas, an-' do moral, j lo abalado, seria completamente Irans- das grandes lamillas e a turbulencia ea< fcc-
tes dalles o grande fifspolc Meaux ensinava-o com tornado. > fot.-----
toda a autoridade do sen genio. Viu-se, ha pouco, D'ahi anda esse direito d'-rpterveneio, do qii.il A essa falla de garanta IC4nporacs.aaaM.e4n>
a repblica franaeza, a Inglaterra protestante, como ein tudas as pocas usaram os povos caiholica., ca- sas lyrannia* san devidas as verfah>r>:i- e-*-,a:
sua mi-; a caiholica Hespanha, decMrarem-no unnimes : oi da vez que o ataque foi dirigido ao governo funda- que em tal poca farnal a dr da egr-
i hado as autcrata scisuiafico de todas as Russias vinha, do pela catholicidade fnteira, sondo um de ver des- Xunea /diz Sr. Caillarda) a
nao ha anda .inuito tempo, trazer a sua Iwniena- te proiegi-jo pm nome dos seas mais charol inte- religiao f-> m.-.is bem oVmoestrada. (
gem a esta verdade na pessoa do vencravel (rogo- resses De feiio, manifest, qne uo mundo intei- sobrevivido aos cria* ii -ras i
rio XVI. Quem nao sabe, que mesmo prncipes in- 10, qur as nacoes lilh.is da egreja, qur as outras. eis um miiagre ao nKx
fiis lo mandado seus etnbaixadores ao papado ?, sao profundamente interessadas em conservar in- seu esteDrledmeMo par mea a terr
O qua dizer, pois, da temeridade, que conteslasse Harto o poder lmporal do papa, como urna garan- I H>
soberana temporal do papa direitos consagrado
LITTERATORA.
Theatr*.
i
VeWzniente para nos podemos dizer que o espi-
iilo publico ja tem onde se expandir c malar as fa-
digas das lutas quotidianas.
O theatro, alm de. ser urna escola de instrocge
c moraudadni|coiuo o 6, c sempre fui desdo a mais
remota aniiguiade, um motivo bem importante
de distraeco e desenfado, i
Oetr'ora, no o linhamos, o por isso o espirito
dorma c acurdava sempre caneado c doido, de con-
tinuo sonhando com as lides do trabalho.
Era urna a patina geral, e cm cada semblante
senta milito cxpressvamente, nao somenle a mais
pronunciada iiiaiiifostacaodearrefeeimcntoeinercia,
como tamben! a carencia de um balsamo aende o
confio macerado pelo bulicio diuturno se fosse re-
foscilar.
Moje, porm, gragas subida actividade c genio
tulo de ver abonada a causa caiholica no noasfJavia, pois, custado lio prodigiosa Iraniformago ?
paiz por um nome secular................... Oitocentos:aanos pacientemente pastados na josti-
a Continu a corabater o bom combate.........:.
ca. Tranquillos aa juslica de Deus, contentes com
oaeupFio.n'-bs.ses deveres de cada dia, tinham
Franca e Hespanha contempornea deram nm vivido pobres e morrido martyres por es paco de.
brillianle espoctaculo os Donoso Corts, Monta- tres secujos : lirados das catacumbas por Constan-
lembert, e tantos outros piedosos leigos, comba- tino, enriquecidos pela pledade dos fleis e.dos inv
tendo generosamente pela verdade. Um delles, I peradores, seus desejos haviam permanecido sm-
giganle dessas grandes lulas, Luiz Veuillot, me pies, sua alma humilde e forte, suas mos a bertas;
dizia ltimamente, em Roma :Suscite Deus ak i militas ve/es amearados, presos, exilados, homici-
guns seculares animados pelo amor sagrado da > dados, haviam sempre sustentado com a
egreja, e o lirasil ser salvo O que salvou a geslade a confusao do Baixo-Imperio, derru
Ti*-------
Opapai m
ftiptu na
GuMmrim
l in dupki iuimigu amra^ava
meia-edade o podr temp io em Franca foi o esforco dealguns homens
dos.......................
relgi
decid
corresse, cellos de que era por elles, porque o tem
Trabalhemos, pois; unamosnossosesfoigos. Aju- po vae da elernidade para* eternidade. At que
; heresas, cscrpto para seu seclo pagina*, que
passaram alin ; finalmenlo, deixando que o tempo
dados, nos os bispos, por essa bella
liar, que pode
tropa auxi- um dia em S. Pedro de Roma debaixo de accla- a sooerania temporal do papa direitos consagrados' ta moralmente necessara i liberdade religiosa -. < Hma
itirar p rnm i, i,.,.a,rj,r a. i '_____... --.. .. por urna accao lao visivel da Providencia, e reco-1 islo o que Ihes confer? aqu um direilo d'inler- Dizia Voltaire : > rk.nuno* .!< br* ao
atirar-se com mais livie ardor do I maces universaes noderam, sem receio e sem en- ^ccloi nav,erra ,ae. homenagen5 f | von(>rw lodo esprr;il< od S um dever, sobretu- cooq.i^Ktom, M rfg Hkatw*
no as n tas quotidianas, o nosso tnumpho me, collocar a coroa dos Cesares na fronte de um Entretanto temos disto tristes testemunhos na ;do quando nao se traa, como agora, senao de pro- Km primeare bjprmw I i n iawa i. *w i
e a regeneracomoral do paiz se- homem, a cujo nome est par-a sempre unida a hora presente.... | teger os votos reaes e a liberdade das populacoes soes subditos de un i r.imMa, n-.i< r un priBrie*
ser completo,
r o doce fruclo desse triumpho
2-
O que pretende a impiedade:
O materialismo da poca, o espirito satnico quer
empreheudedor do Sr. Coimbra, tem desapparecido
e isa quadra tediosa e repugnante, em que jior tan-; ser como Deus (Gen. III, o) e d'aqui a
to tempo permanecemos. j soberana poutfii al. Oque vemos nos presentes
Pena que a asscmbla provincial, que to sa-. tempos, senao como que dominando por toda parte
Mmeme presuma saber-se dirigir nos negocios, eS ul,Jor' Preado> l
que dissessem respelo distribuic-ao dos dinlieros
da provincia, marcasse na le do orcamento a
com que se houvcram lodos os personagens do dra-; $omos deuse5 mi ut 3.)
ma c muito ligeira e fugitkamonte iremos apon- j 1>ara mais faci mente realsarejn <
grandeza, na fronte de Carlos Magno, o primeiro
fundador, depois dos papas, da unidade occidental
e europea, porque foi o fundador da liberdade pon-
palavra de na bispo do Bra- ,ncai
. 5-
Queremos proteger a sobera-
na espirilual.
0 que serta o pontfice (ora
de Roma f
O papado exilado de Roma e da Italia O papa
em Jcrusalem, na America ou na Oceania Ah "
csse principio de
modos innoculad) uas populacoes por homens per-
do anjo descrido e rebelde ? O
trama infernal djjsses Glhos das trevas, que cora
amargo e impud me escarneo se dizem lilhos da
uz e do progress o, claramente se manifesta hoje
contra o Evauge lio, contra a egreja de Deus e o
seu supremo pas or, como outr'oragrilavam as tur
j bas nofumua ninc regnare super nos {Luc. XIX,
' ti), nao querem >s que este reine sobre nos di-
contra eslrangeiros c facciosos, que os opprmem. electivo, que I i-smihut. n> e una r
s, II. arsiocr.ttic.n. porm na amMa m
Testemunho do conde Rossi. ao KHHM tem/to mais d.-n>*rHK^ f
_ coneeber : pi-l.-s car.!.".!-*. .|uce|i
A independencia do soberano pon i fice esta ses do poro. i|n.- >at*-m do* luiiiim
sem duvida seria sempre o chefe da egreja, o so-: sob a garanta commum da oooscencia caiholica. proprk penn 1
berano espiritual das almas, o vigaro de Jess j Roma, com os seus monumentos levantados cus-, A ek-ico do papa, o rotlcgi- *>->
Christo na trra I E se os jtomanos, csse povo lao j la dos thesonros da Europa inleira, Roma, centro >|eiire>. <> pr<>pri-> papa, iodo s>> U
charo a S. Pedro e a S. Paulo, se os Romauos. aue : e cabera do catholicismo, pertence mais aos chris-1 do n.ao o me se po ios Romanos. Picae bem e mais rnioi-ratico ao ia^m<> i.-nv> '
consentiremos decapitar | Romano, nem um pa.-lur I. .nnp.mha I -
rVbruzzos, ncm um borf n#n 4o f>r*>
significante quanta de oilo contos de ris para au-
111 lio das despezas do thea'.ro. quando em pocas
transadas e mais favoraveis stuacao, marcaram-
se doze contos para o cosleio de urna companha,
talvez a quarta ou quinta parte da de hoje.
II
Sabbado eslivemos no Ihaatro e assistimos o de- rum pmnu vincula eorum et projiciamus nobis 'he a sua energa. ,., ,a .. y ba-se divna irra(jiaria scmprc p0r sobre o mundo
ompenho do drama em cinco actosA graca de jugum ipsorum, |uebremos essas les que nos go- f()' uma funesl* escravidao. Ah perdeu Po inteiro _
Deuy vernam, esses d( gmas tao oppostos aos nossos de- iK a PS!ie i,e si ProPrio 5 e ctefe da egreja con-
, sejos, paxoes e jozos ; lancemos de nos esse jugo verteu-se em prisioneiro c pupillo de Fernando.
Admiramos seriamente a pericia e desembarace da lei do Senhor ()ue nos op|,rme .
.. a S. Pedro e a S. Paulo, se os Romanos, que : e cabecado catholicismo,
Eisoquedizem os immigos do poder temporal, j muita vez bao cabido, ou antes hao sido preci- | taos do qne aos proprk
Os calholicos devem ter presentes as seguites pa- pitados na anarchia, porqtie quasi sempre sao mais scentfs de que nao vos
lavras do P. Ventura :A
. ** MpH| W lili' I" U lili" IM lilil 1.1. a V.IIH !* --* -O"* W--
queixar-se dos seus protectores, do que dos seus delidade> 0 SUPCessor Acl6 Pedro; toreandwe bis- '-pela sua liberdade.
perseguidores. po de Roma in partibus infidelium, permanecera j I*
Um papa ndependente sem e soberna tempo- sempre, em qualquer parte do globo, o pae com-1 Tntmvnko
mum dos fiis. Poderia atravessar as mai
n-n
eereia tem tido mai' a fracos d0 V u'pados, se os Ponanos chegassem I a christandade, e rednzir o papa fugitivo a proco-1 dos Al
8 J um da, o que Deus nao permita, a cahir na infi- rar um abrigo, que |>oderia ser pago muito charo Tianslenrmo. mopueni e>u iiiliitN* *t
rol I...
Eis o que cm idl escrevia Gioberti, quo nao
suspeito :
Gaeta produ/iu pouco mais ou menos para
Po IX o elfeto de Capua para Annibalroubas-
do Sr. Vilte-
mares ; e I main.
com a crat e o Evangelho as maos, transportar1 ... _,
os seus penates para uma cdade ou um deserto do! .' ,Nao sc W?* ao PaPado ,2 ,q".e ^ Ma"? r*'
novo mundo : a egreja viajara, estacionara com
elle, e nos diriamos sempre com S. Ambrozio Ubi
Petrus, ibt ecclesia. Como o sol immovel no fir-
mamento, esse homem poderia parecer mudar de
A residencia nos estados apo- jugar sobre a torra ; mas, immotavel sobre a
sua
tambem nos
Mas, veramos entilo o que seria Roma, o que
I sera a Italia, o que seria a Europa sem elle...
6.
Designios da Providencia. ()
Deus fez duas obras maiores neste mondo, a
sobreranki
Livre ensino
tewtforaL
Para nos calholicos, todos o reconhecem, o pa-
tando o bello e desagradavel de cada pape., o mais projecto> tantas ^eztS ten|adl)i surgem agora ^ ^^ ~ ^^ ^ ^fa"^:' g^gjlj SilS SffTt SS
ou menos aperfe.coamento de cada actor, no seu ba,endo a soberania temporal do romano pontfice; 1 m0 por uma intervenco e uma acgo directa de. trprete das santas escripiuras e das liefies divi-
desempenho. j contra ella, com infernal sanha, assestam as suas Seu poder soberano; mas, para perpetua-las em- Das i mas Para julgar, interpetrar, definir, appro-
O Sr. Germano, a quem devemos respeito e ad- bateras, nao poupando os meios mais torpes para' prega as suas creatoras. var> cndemnar, em urna palavra, para cumprir
miracao pelo seu genio, souhe haver-se com toda I destruida, porque em seus nefandos clculos espe-1 Assim a familia, a sociedade legitima e abenroa-1 fifate^ a'u'S, V? palavra Hm ; cmUtet'q'ue
a perfeico no desempenho do seu papel de cora-! ram que, uma vez perdendo o chefe da egreja ca-' da do homem e da mulher perpeta a creacao." : haja sempre sobre um pont da trra um centro de
mendador. tholica a sua soberania e independencia, tornando- ...._____._..-. ...I ___,________*,_ catholicidade, uma cadeira do alto da qualo ponti
Nelle notava-se a gravdade de homem de posi
Isevassallo de um outro soberano, perdida ser' Asaimuma insWaicSo regular e permanente, o Uce possa fa,ai e fazer-se ouvr, escrever e pro-
I* I nM>iirtl. cm A Culi Plli'IU llt'i>ma,__iliHul^llri^ al. 11 i>lmnr ,._- 1.111.' Hni*i-i\lrti' n oniln :iin nukuri Q CI11
cao social e de edade encanecida lutando com um
lambem sua preponderancia nos negocios espiri-
sacerdocio, e seu chefe supremodepositario, dou-
tor e ministro da verdade, da moral e do culto ca-
amor fro e ridiculo, de que se presumem l vezes I ~ "" "T1"*"""* j"-v,ra' tholico, perpcltia o ensino, os sacricfos e os bene-
tomados estes velhos, mas com anta origina.id, I ^g^J r2tS lZ?Tj oos da redempeao. Mas, nao a anjos e sim a b
de e graja, que nao podemos deixar de dar os nos-
sos emboras ao Sr. Germano.
A Chonchn e a Varia seriam
velho coquet. I nismo, alvo das suas ras,
A Sra. Marquelou soube com tanto esmero de- desapparecer de todo.
; luaes do orbe, o que sc nao sujeitarao os principes
e os governos i. interferencia de um subdito es-
trangeiro, que m|uila vez ser aecusado de obrar
sob uma influencia estranha ; e que emfim dissol- I
mens revestlu Deus deste sacerdocio e deste po-
der : sao meios humanos, simples, vulgares era ap-
clamar os seos decretos, e onde sua palavra e sua
ino sajara livres como sua consciencia.
Sem duvida o pensamento sempre livre, mas
a palavra nao : pode ser estancada nos labios do
que intenta fallar, se este se acha as mios dos
que tem inleresse em sufibca-la, se depende legal-
mente do que nao quer onvir essa palvr, ou nao
: vido por tal modo o vinculo eatholico, a causa da uei ; TZZ '.'-i u qer que ella seja vida,
atropelladas pelo mpiedade ser ganha, e pouco pouco o chrsla- parenc,a' meiu naluraeS e na0 ^f^'^ Dl!US A verdade o seguinte : para que a palavra do
, y ----------- Mimr.icvi ,.YlriorMiioil>> nara sla nhra ilivm I____.:______;. u_____________r
ira corrorapendo-se ale
sempenhar o seu papel, que nao sabemos o que di-
zer a seu respeito.
Admiramos sobre ludo o seu talento artstico, ou
Has contrariedades c lutas do amar filial, quando
teve de partir para Pars aflm de fugir s seduc-
Coes do amavel eommondador; 011 na vergonha de
que cnu corrida ao reconhcccr seu pae, que cs-
tnolava, confrontando ella asna miseria de outr'oia
com as grandezas e joias, que a vesliam, sem que
podesse dizer a seu pac donde Ihe tinham ellas vin-
do, ou no enlouquecimento, finalmente, que a sor-
prehende ao chegar ella janella, e avistar de Ion-
ge a festa do casamento, que se diz ser de An-
dr.
A Sra. Marquelou brilhou em ludo; estamos
muito satisfeitos com essa boa acquisicao do Sr.
Coimbra.
Quanto ao Sr. Lisboa, lambem folgamos annun-
car que desempenhou o seu papel, como era de
esperar, lutando contra as picardas do Sr. com-
meudador, e saliendo conservar no coracao a no-
breza de um scnlimenlo, que raramente se on-
contra nos aristcratas, o amor por moca po-
bre.
O Sr. Porto no seu papel de cura, era um cura;
nelle notava-se a prudencia, e resignaco, que sao
propriaa de um religioso.
Finalmente todos souberam satisfazer a expecta-
tiva, e sobre lodos o que mais se compenetrou de
seu papel e soube mais conveniente e satisfactoria-
mente agradar o publico, foi o Sr. Antonio Jos
Duarte Coimbra.
3.
empresa exteriormente para esla obra divina. pontifico sja livre.para que'elle seja venladeira
Sera duvida alera dos meios humanos e do mila- -g ^i\^**$SL gg
gra patente, ha sempre uma intervenjao secreta da sa, e que nenhma polica, iieiihum constrangi-
0 mundo precisa do pam. Providencia, que se occulta sob aae5a0dasr.au- ment estranho possa comprimir sua voz, ou deter
O papa precisa da indepen- saSsegundas; mas, istonao o milagre; propria- su mao, quando dicta suasleltras apostlicas, e as
., rtj| dirige a todos os bispos do mundo ; quando pro-
ano. 1 niuiga um decreto, que coudemna um livro here-
Se me pergunlassem : tico ou tal proposicao escandalosa ; quando pro-
_ .... nuncia uma dessas allocucoes, as quaes os seus
Humanamente faUando, a nao considerar se- gemidos sobre os malos da egreja advertem a to-
noas causas e probabilidades ordinarias, a egreja dos os fiis para que orem e gemam com elle.
pode subsistir? Eu rosponderianao... Ha na Sem duvida a_poltica desconfiada e os goyer-
dencia.
A parle a ambignidade de proceder de Luiz a-
po! cao, ceno que s brochuras oficiaes francezas
se deve principalmente o caminho tortuoso, que ha
tomado a questo do poder temporal.
Querem a Franca, s fallara na Franca... Pois
saibara os ignorantes de boa f, que a Franca re-1 egreja uraa especie de mi.agre latente, e incessan- %%g!*^^. *, ^SS
publicana, a Kranga de I8VJ, quando a tribuna par-! teniente renovado, mas nao esto o milagro pro- nao a suffocario em sua sede e na propria bocea
lamentar nao era um escarneo, quando a impreosa priamente dito; ejsempre verdade dizerque Deus do pontfice : a palavra uma vez pronunciada, co
era livre, quando anda
despotismo astuto, quando
nao se haviam afugentado
ao aceno da polica sabam que a Franca desse Isuas 0Dras a lei sustentada pela aeco occulta de tor sempre liberdade, importa que o pontfice nao
tempo fallava mu diversamente da de hoje. sua providencia : -Deus inlervem, eslabelece, con- R2^S^l!tariS?S
qua. de duas dar crdito? Sirva ao menos a nter- ^rva j a lei segu o seu curso ; e.le vela, e ella ^JSSSSSuSffJXi pertorbSo,
produz os seus eleitos. eomo eslveram, quando o papa eslava captivo em
Se Deus governasse a sua egreja, mesmo na or- Sarons F<"i'ai"ebleau, o que cerlamente a nn-
rogacio de aviso aos incautos, para que rellictam
sobre a questo, e nao a recebara no p, em que a
collocam os nteressados na actual impiedade des-
ptica.
Luiz Xapoleo trabalhando na liberdade da Ita-
dem espiritual, por milagres perpetuos e patentes,
auniquillaria at um certo ponto, para nos o mri-
to e para elle as homenagens da sua liberdade; o
guem aproveita.
9.
Livre governo espiritual: so-
berania tempoval.
O que o soberano pontfice ?
O que governar a egreja caiholica, e quaes sao
sao, que participara do constrangimento e que as condcoes exteriores necessaras ao pleno e II-
A assembla nacional de Franja, em 1849, assemelhar-se-hia demasiado ao movimento ceg do vre exercicio de tal governo 1
iscutindo os projectos de le sobre os crditos pe- mundo material I Gove''nar a egreja caiholica manter corresiwn-
dencia cora todas as egrejas do mundo> con perto
Deus nao quz, e (se ousassemos dize-lo) fez bem de mil bispos ou vigarios apostlicos que asre-
em nao querer tal, nao parecendo mesmo dilcil jm; instituir os bispos, velar no deposito sa-
___,.'.. ..-. i,.,.. ,i:..: a. -.- grado da verdade e doscostumes, manter a disci-
penetrar a razuodesta divina disposicao.
IIaveria, como diz S. Ambrozio, mais milagro,
porm menos misericordia. Pde-se mesmo dizer ;
que um procedimento constantemente m iraculoso
nao revelara aqu um maior poder: porque por
O Sr. Coimbra no seu papel de Antonio, pae de j necessidade de ser soberano ndependente de Roma.
Mara, a perseguida pelo commendador, brilhou e (Vid. Maiigoi.ti, Vid. de t'Eg.)
lia 1... Sena muito ridiculo, seno fosse muito ir-1 mundo moral soAVeria ento uma forca de impul
rtante.
A
discutindo
didos para a expedicao romana, debateu a queslao
capital do poder temporal dos papas. Recouheceu
abertamente a necessidade social deste poder, nao
s no ponto de vista religioso, mas tambem no po-
ltico; e vista do vacuo immenso, que havia dei-
xado a retirada de Po IX decretou solemnemente,
que o mundo para viver tem necessidade do papa,
e que o papa para ser pontfice ndependente tem
plioa,definir a doutrina, condemnar os erros, ex-
tirpar os abusos, trabalhar na propagaco da f
chnsta, enviar misionarios : tratar com as so-
beranas da trra ; entreter relaces pacificas com
todas as cortes, celebrar concordatas; e em Roma
alliviar os males do povo, fundar o desenvolver
uma parle, ainda occultand a sua accao, o mila- as instituigoes de beneficencia, conservar os tem-
plos e monumentos religiosos, proteger as artes,
de todos os
brilhou com admiracao j ao reconhecer sua filha
nos brilhos dos galles e das joias, desconhecla
ao eoBtemplar sua miseria, e confrontar a sua des-
grana com a sumptuosidade do estado de sua fi-
lha.
O Sr. Ceimbrabrilhou, quando recebendo a esmo-
a que Ihe dora Mara, sua filha, e depois reconhe-
cendo-a joga a esmoia com mpeto no chao, dizen-
de dr o desespero, que Mara nao era sua filha,
porque elle nao tinha filha que dsse esmolas a seu
pae.
Foi o maior rasgo de naturalidade, que observa-
mos nesse drama.
Alm dessas passagens inutas outras observa-
mos tambem, em que o Sr. Coimbra deu provas e
cxliuberaules provas de que ainda nao morreu pa-
ra a secna.
E' pena que o Sr. Coimbra appareca to rara-
mente, para o aprecarem to pouco.
At logo.
C. S.
Appeudice s Lites sobre a infallibidade e o
poder temporal dos papas,
Pelo Dr. Aprigto Justiniano da Silva Gumaraes.
(Conclusao.J
PODER TRMl'OlUI..
0* leigos devem sahir a com-
bate.
Como dsse nm apologista, quando a religiao
atacada cada christo um soldado.
Acbam muito natural os impos e os espiritos b-
tres entrarem olles as questes religiosas; mas
estranham que nos outros, calholicos submissos, o
fagamos com a bumildade da f, e at aliram-nos
face, que nao temos bullas..... Elles sim, teem
bullas e mais bullas para arvorarem-se em des-
aggravadores da cadeira de Pedro, para decreta-
rem que o poder temporal dos papas encontra o es-
pirito do Evangelho... Na verdade, o que nos fal-
lar para a salvaco com esses autonsados moslres
do Evangelho ?
As armas desees taes devem ser medidas por
nos leigos : ba nisto nma grande vantagem, ex-
pressa na carta com que honrou-nos um pastor da
egreja brasileira, e que passo a trauscrever na par-
te relativa a ete ponto.
Pea minha parte, ultimo dos combatentes, pode-
re chegar mais tardo; mas, ver-me-hao sempre no
eombate.
Eis a carta :
Permuta testemunhar-lhe, quanto me congra-
8 4-
gre da assislencia divina nao se faz menos sentir
aos olhos ltenlos; e por outra parte os meios que
Deus emprega, sao tao fracos, lao vulgares, tao
Traga caractersticos da so- despresives aos olhos da sabedora hnmana-iA'--
berania temporal dos papas. : ma sluna contemptibilia (Paul. I Cov. I) que o po-
E' a uniea soberania no mundo, que a ninguem der divino lira mesmo da fraqueza desse* meios a
custou urna lagrima, nem uma golta de sangue ; gloria de um perpotuo miiagre. Assim Deus em-
visto como foi gerala pela piedade dos principes prega a virtude, o genio, ao servico da sua egreja ; tem evidentemente necessidade, nao s de autori-
por meio de doacoos e da devoco c coofianga dos mas a scienca ncha, o genio desvaira-se, a vrlu- d"ade e liberdade, mas tambem de collaboradores
O papa no possue urna pollegada de torre- de tem seus desfallecrneutos, a norma, numerosos, de recursos (empanes
acolher effectuosamente os calholicos
paizes, e exercer a seu respelo a nobre e genero-
sa hospitalidade, que convm ao pac commnm da
grande familia thristaa; porquanto, todos os chris-
t.los sao cidados de Roma, como dizia Fenelon.
Eis alguma cousa doslmmensos deveres, que im-
poi- ao papado o governo da egreja.
E para o exercicio deste vasto ministerio o p3pa
^ J ,,. mesmo de aluumesplendor, nao digo parsita i>e-
bo, que nao provenha destes meios pacficos (Ven- nece. soa (l|ue estrangeiro-doxou jamis de ser tocado
tura, Gluir. nouv. du cathol.) A egreja comecou por um miiagre sanguinolento da extrema simplicidade que p circumda?) as,
,. ^ aue durou Wt) aiws Dhhs nuiz me ella come- Para seu ministerio ; e preciso que taes recursos
juno II, se me nao engaa a memoria (diz De :que aurou JW annDS -ueus 1u,z> iue ella come- S|,jain ndependeules de qua|(|llor outra soberana.
Maistre) o nico que tenha adquirido territorio ?asse a sua rea,eza P6'0 marlyno, ao contrario de Toda a posigo precaria a este respeito submolte-
pelas regras ordinarias de direilo publico, em vr-1,oda3 as stlugoes humanas. Por tres seculos sus- lo ha necessariamente mesmo quanto ao pnmio
e iuiii nao uo uuciiu |/uu io, poroadi cnm diinlice governo da egreja, a obstculos, hostilidades e ve-
tude de um tratado que terminou uma guerra ; Penf enlru a t9r e tcu' coroa,la com du.,,ce Lges que o respi'ito a lo alia di^.idade nao per-
tratado pelo qual se Ihe ceden o ducado de Parma. I d,a(,ema do apostolado e do sacrifico, a egreja ro- |mttc aos r,a,|lhros SUpp0rtar. Todaa dependencia
Mas, esta acquisigao, comquanto nao culposa (Julio mana mand" ,odos os seus nm,Mros Pontfices a no interior como no exterior, reduzi-lo-h.a nevta-
conlisso do sangue, e nenhum delles recusou este velmente ao aviltamento.
10.
Tcstemvnho do Sr. Thiers.
II reclamava direitos que Ihe haviam usurpado) rc-
pugnava ao carcter pontifical, e consegointcmentc
sabia logo da santa s. S a esta cabe a honra de
nao possuir hoje seno o que.possuia ha dez secu-
los. Aqu nao se encontrara tratados nem comba-
tes, nem intrigas, nem usurpagoes ; e, subindo-sc
origem, chega-se sempre a uma doago. Pepino,
Carlos Magno, Luiz, Lothario, Henrique, Othon, a
teslemunho ao seu ministerio e sua sede. Mas,
fijMd.
Eis palavras do eloquente Lacordalrc
1
eao;
procurardes a fonte da soberania temporal da san-
depois que por esta longa experiencia Deus mos- j A unjdade ^ ^ J,^ c 0 pon;
trou, que a sua egreja nao tinha medo nem neces- |fiCe, que seu depositario, uo fosse completa-
sdade dos homens, mudou de camuibo, e quiz que mente ndependente, se no meio do territorio que
ella tivesse uma especie de garanta temporal e de i seculos Ihe assignaram, que todas as nacoes Ihe
. .. j hao mantillo, um outro soberano, principe ou po-
seguranga exterior no meio das agilagoes da Vl% se |eVantasse para dictar-lhe leis. Para o pon-
torra, tincado nao ha ndependente senao a propria sobe-
, Assim como nao escolheu seno uma vez bar- rania. i' este um interesse de primrira ordem, que
condessa Mathilde, formaram o estado temporal quejr0s, assim como s houve um Pentecosts, e deri, ,m/)0v sill,r0 im iHleresl.s particulares, co-
dos papas, to precioso para o christanismo... depois os ministros da religiao devem estudar se- m0 em um estado o intrresse publico deve impor si-
iN'o ha em toda a Europa uma soberania tao riamenle, trahalh..r com o esforgo para a santifica- iencio aos interesses individuaes.
inrtflrarta como a divina insiificada ia tune-'' $ao- e devolar at) servigo da egreja uma sciencia e Eis o principio que ludo explica nesta questo ;
mc' urna virtude laboriosamente adquiridas, assim.de- e pde-se dizer que um principio elementar, fu*
pois de haver querido que 33 papas nao tivessera daraental, que acha incessai.temenle sua applica-
outra morada por tres seculos seno as catacum- co no direilo poltico e internacional dos jiovos,
bas, outro throoe seno o cadafalso, Ihe aprouve nao menos do que no proprio direito civil. Exem-
O que tem fundado todos os grandes impe-j emm que o chefe da sua egreja, que o pastor dos phfiquemos.
nos ? A guerra, seguida da victoria e da oceupa- pastores, que o principo de todos os bispos do mun- Os Turcos nao podem permittir a vaso algum de
sto a violencia resgatada pelo tempo. Se do calholico tivesse uma casa era Roma, no centro guerra a'passagem pelos Dardanellos : seus mais
do mundo calholico, em S. Pedro, para ah offere- (eis afilados nao podem passar armados duMedter-
cer.o sacrificio eterno, e uma sede no Vaticano raneo ao mar Negro e deste quelle : qualquer nue
ta se, acharis que esta dependeu de qualro cir- para dahi proclamar os orculos da verdade Quiz seja aqui o interesse dos Turcos, qualquer que se-
cumstancias, quo concn eram, sem que provisao que a soberania espiritual, que commanda a tantos ja 0 seu direilo territorial e martimo, nada impor-
alguma hoovesse podido reuni-las,ou alcangar orna milhes de christos, e reina pela f sobre tantas ta o interesse da Europa e o direito publico in-
sdellas salvo a ultima e sao o enfranuecimento ""'e"61. tivesse um poder temporal bastante trprete do interesse geral, assim o querem.
so ueiia, salvo a ultima, e sao o entraquec.menio mod8s(0 ^^ nao mspirar desconfiam.a as amm. E |a mesma ra),.-0 a F ^ Me ferjf de
do imperio do Oriente, que nao poda mais deten- gaes humanas, e suttieiente entretanto para asse- neutralidade certas nages, como a Blgica e a
der Roma contra os barbaros; a ambiguo dos res gurar a independencia necessaria ao Juiz Supremo Suissa. De balde, como dizia na tribuna legislativa
lombardos, que queriam sujeita-la sua,cora* a de ,anlos honipns, de tantos interesses, de tautos 0 sr. de la (tosiera, loriara essas nagos accessos
proteegao successiva de dous grandes homens- ^^Z^k^^^TfT^^'i^ tlTI'I^^^^S^3^^^
r guia universal das almas, yuiz, nao so desde Lar- polticas ou religiosas : nao farao a cuerra, nao
Pepino e Carlos Magno; finalmente o amor que lo- |os Magno, mas d'alguma sorte desde Constarilino, contrahiro alhangas que o interesse geral o nao
dos os habitantes de Roma votaram ao soberano que esie meio humano servis-e para o cumprimen- consente : a Europa fere-as de neutralidade.
pontfice, do tjual se jularam filhos, nao s por to e perpetuagao de sua divina obra ; e emquanto assra ainda que nos Estados-Unidos, no povo
causa de encargo,... taraberdoor cansa da 1. dw*gIM0 Providncial a^arec ma,s "^d ,sa b2S a 'l" ^^ ES&
.:_,.' a i viMveimonie. ao passo que todos os estados teem soa constuuirao
beneficios. Pela torga destas qnatro circumstan- j Certo, nao somos nos fimos do Evangelho e dis- particular, a Colombia d'isto privada. E (Kirque ?
cas os papas livraram Roma dos restes de um po- cipulos da Cruz, quem tinha neeessidade desse es- Porque a sede do governo federal americano,
der. que por si mesmo cahia; arrancaram-na tath-leciment. temporal dopaorto, para crer na p0.s lx-m : rom ofi.n de assegurar a paz a lber-
... egreja cartiohca apostlica romana. O papado alia* dade a d hznidade dasdoliheracoes do covamneda
tnevitavel dom.nagao dos barbaros; e fundando seu J& ^a 0 n^t0 do martyrio Peinpre hU. dad l,qJyJZ X friram dein"a,i-
proprio estado, tiveram a glora, de que s uma in- ve papas exilados, prisioneiro*, martyres. A resi- daae plitia o luriitono da Coloipbia ; e assim
lustica poderia ser-lhes argida a salvaco da d,"ncia do Vaticano nem sempre fo-
Ua. O qne Ibes havia astado lo memorvel "^ P-nmos todav. e, no
e fot para elles o que os hata^es de Washington, nosse paiz lo
odesiguio ma- |jvre, nao pdem eleger nma magistfalura muni-
imtia. uipnw..M-.~.---- ----------- ------------:---------------------------- final
acontecimento f Haviam desmembrado o imperio () Este e alguos dos subseqnewes paragraphos "V
do Oriente, chamado os Lombard- Italia, prbdtt sao exceptos da obra do Sr. bispo de Orleaos, A sq- (.foir'anda boje o mesmo o Sr. bispo d'Or' [ curso" m E^euT maior 'frga ao^mMORtM, maU
zido Pepino e Carlos Maguo T Nao, O zao das cousas. Roma nao pode tornar a ser a ca
pital poltica d'um grande estado, porque deve pre-
valecer a niplropole religiosa do mundo. No da
em que Ihe foi dado o supremo pontificado, ficou
entendido, que ella nao teria mais nem senado dic-
tatorial, nem forum. Se, ha 13 seculos, a sobera-
nia lega nao tem podido permanecer em Roma ao
lado da tiara, se nem o direito, nem a conquista
tem podido ah firma-la, se o poder imperial sem-
pre se retirou, por ou contra sua vontade, para
Constantinopla, Milao, Ravenna, para lugar onde
nao eslava o papa, o poder electivo da magistratu-
ra, esla grande parte da soberania moderna, tam-
bem nao poderia estabelecer-se, onde o papa deve
reinar.
t O soberano pontfice nao pode constituir em
Roma uma tribuna, e todo o appareino do governo
representativo .... Se uma outra vontade, que
nao a sua, podesse dispor de Roma, Roma nao se-
ra mais um asylo inviolavel e neutro. Os que
mais sustentan) a condigno indefectivel da cadeira
de S. Pedro, Mamen pre'tenderam que o pmfer tem-
porat fesse infaflivel ; mas preciso que olio seja
ndependente. Se nao pde-se conceb-lu (tendido
ae- longe, e ligando a Italia sob uma doiinago
nica, mesmo se o conceberia sujeito ao ascenden-
te d'uma assembla nacional. Nao fara o geto da
nniformidade constitucional desconhecer certas leis
da natureza humana e d.v historia. Km escripto
sceptico do ultimo seculo observara que em geral
o papa, como soberano temporal, pelas eondedes
ordinarias do sua eleico, dw sua pesnoa e de seu
poder, escapara maior parte dos inconvenientes
e dos vicios da soberania absoluta.
1 Que a este privilegio, Insufflciente boje, a olhos
mais difflceis, venham juntarse, pela ino d'um
grande pontifico, reformas diiradouras. un eaem
po immortal, que sera a tradigo- do luturoeis o
que a Europa elevo desejar para adiaatamento da
Italia.
c A tribuna mperccivel de Roma, aquella que
a espada nao derraba, que sobrevive forga bar-
bara c forga esclarecida,que-detnha Altila, e cu-
ja resistencia preparara a queda de Napoleo, a
caileira pontificia, dirigindo-se a todos do s>io da
grandeza ou do captiveiro, do Vaticano onde Fon-
tainebleau.
t Jamis ojueira, pois, o povo de Rama, pela
agitago, snjeitar a sua egreja Porque, se.trium-
phasse, perdera o seu direito mais precioso, o que
cobriu e favoreceu os pragressos mais felizes da
Italia. Cahiria na anarebia, tal como a vu o come-
go da meia edade ; ou ensaiaria ainda essa rapta
sentago republicana do 1-798, que tornara a tra-
zer-lhe Cesar, ou mesmo sem Cesar, um exercto
estrangeiroi Roma um alvo de ambigo grande
denuda para nao sen atlingido, se deixar de ser
sagrado; e nao.pode ser tal seno na pessoa do
pontfice e pela defeza daquelles que circumdam o
seu poder de um respeito religioso. Roma, a nao
ser a cidade do papa, feliz e livre por elle, passa-
r a ser uma capital sem imperio, e, como se dizia
no tempo de Alarico, a cabega corlada do anligo
mundo. Mais val, que ella seja a alma da socieda-
de moderna.
13.
Testemvnlo do Si: CuMin.
Segundo refere o Sr. bispo de Orleans, ei.i o qtie
Ihe disse o Sr. Cousiu, ao sahir da academia, e nos
degrus da eseada principal do Instituto perante
muitos confrades de ambos:
A phjlosophia materialista e athu pite MT
indifiVrente, dura mesmo applandir a dininuigo
e de.gr;vdacao do papado, porque para ella o papa-
do qu-asi nada necessaro para ensinar aos ho-
mens que a alma um resultado do corno, e qne
nao ha outro Deus seno o mundo. Mas a philoso-
pha espiritualista encara com olhes bem dfforeu-
teso que se passa. Se nao esl cega pido mais. es-
tulto orgulho, deve saber que fm da escola, no
genero humano, o esplritualismo cjmo que re-
presentado pelo christanismo; qneonMiatianiMBO
excetlontemente representado yela egreja caiholi-
ca ; o que, pois, 0 podro o represntente de toda
a ordem intelleclual e moral.
Tenho por inalacavel esta serie de pro posi-
goes, e encarregar-me-hia de sustenta-las vclo-
riosamente contra quem quer que toasts urna vez
que o adversario adraitlisse Deus, sto um Deas
verdadeiro, dotado de intelligcncia, da liberdade e
de amor.
Eis porque, senhor, preciso para o genero hu-
mano de um papado bstanle forte para ser inde-
pen,lente e para exercer efllcazmenM o seu sanio
ministerio.... Qnero-o forte, anda qne com islo
devesse soffrer um pouco o vosso hiimilssmo ser-
vo e ronfrade. Sim, inclua Roma no ndice o iiveu
livro Do verdadeirt>, do bello e do bem, nao impor-
ta ; quanto a mira permanego fiel e defendo-a a
meiimodo, em nome mesmo da phlosophia.Oque
si ria. se en vos fallasso como um liberal, tal qual
sempre fui face do meu paiz ? E o que seria ain-
da, se eu fallasse, como um velho e fiel amqjo da
llalla ?... Mas, nao quero deniorarvos nesta esco-
da ; peca-tos somonte, que quando esoreverdes
para Roma, me ponhaos aos ps do santo padre,
dizmdo-lhe : que, apezar da minha indignidade,
lomo a liberdade, nesta deploravel circunstancia,
de collocar-me entre os seus mais decididos de-
fensores.
114,
Verdadeira posir/iodo papa-
* do. -Bosiiiit.
O papado (assim devia aconteoer) appareceu M
mundo com os poderes essencaes e todos os di-
reitos que recebera do Jesus-Chrsto. A posicao,
que logo Ihe foi assigoada pela maldad dos ho-
mens, a sabera perseguigo, era evidente, injus-
ta' e anormal ; mas, comprehende-se a rato pro-
videncial disto, e Bossuet a deu admiravelmente :
A egreja comega pela luz e pelos martxrios; n-
Iha doscus, mister que pareca haver nascide li-
vre e i ndependente em seu estado essencal, e nao
dever sua existencia aos homens. Nessa situagao
irregular e iniqua o papado manteve os sous di-
reitos, e salvou a sua independencia por uraa via
extraordinariao martyrio, o por ura soceorro
passageiro e excepcionalo miiagre.
E' a edade heroica da egreja, a poca mais glo-
riosa da sua historia : entretanto, quim quereria
reconduzir-nos a essa poca ? Quem ousaria dizer,
que a egreja da Deus deve ser sempre uma estran
gira maldita neste mundo, e s foi collocada na
trra para confessar a verdade perante os tyran-
nos o morrer ?
Vencidos os lyrannos, e conquistada uma livre
existencia no mundo, uma nova era comegou para
a egreja : Constantino e os novos Cesares abrigara
sob a purpura imperial o christanismo por tanto
lempo proscripto, e perseguigo, ao cadafalso
succedo para o papado a paz, e algumas vezes o
triumpho.
t Quando, depois de 300 anuos de porseguige*.
perfeitamenie estanelecida e perfeitamente gover-
nada sem nenhum soecorro humano, parecer que
egreja em nada dependo 0 hornera : ap|>arece
agora, Cesares, tempo I
Eis como Bossuet ssfida a entrada dos principes
na egreja, e a existencia pacifica 3 honrosa que
Ihe deram ; assim que elle celebra essa con-
cordia do sacerdocio e do imperio que d* livre
ia
cardeal, grande eleilor e papa !
A i-dad- ordinarU d)M papas, a
sabedui ia, o carcter natural *> mi
mesma l>revidad>- d<> s.-u reiaa, *
aiilaitem alguma a liberdadr '. M
que ah nao se acha nenhum d^
Ilotismo nem a mocid-xle dos ttfcrran.*.
forga militar, era a duragv dos mee paixo dv nstica.
> IT.
CiHHsinsmnii MeU
Ja Mlrramta lemftr*.
ficia.
E" rigorosamente |issvel le^vie Den* ti pr
sagio : digo estas cousas trmulo e rro^Ni-
Deus baja resol vido enviar opapae a efreja
na ao novo mundo, para transportar 1 r*t a
heranca, para completar .*oa K-riuna. e dar-l
linilivamente. se as*im pw*o failat,
cartas de civHract e nnbrczn. K .
dia o amigo inundo torne-se par* d
a America o & boj em MEAi *
mbisonarios ros st-jam meada-1 '
nhas Rochosa*, e que um da
vet : Como si> brllot w p
pie vin de fe. longe evanglMat-eM a p -p>
perdemos !
Taes e lo doloro-ta* iran'formj ;*e j MB
vrto- no mundo; o f se levantara Orun ata.
o Mil sobre as no-sas 1.iW-gas ; e aayr a 1
egreja d'Alevmdn.'^ a JudV-a.
de santa, estiio na barbaria. n*
missionaros I A Europa ser. eai> para m '
dos-l'nidos o qne a Cliiaa o ip*e an- uta* i
cas lo boj. para nos. EU hvpnlVsr a-rrwl.
mas a f nao esla presa a aenhoia
a possuem, salvo se Ihe sio brmmat
e serepellimos Aquello que I
uma ino o sceptro paternal e aa ou! o
do Evangelho, quem nao iem.ria p. ret
lempo com o vigaro de Je-u i".h7iaa|
h'ico das verdadeira* luzes-, a perjimrariW m
augusta jia aulocdade e do resane. a'lar 1
doce e to forte das nac?e rnmf<
Sim, se o- papa deitasne a Europa, se a I
Roma, a Hespanha. a lt.!p.-a, a Iran aa. a
nha caiholica nao t ves sem mai n e |
este levasse comsigo a tema <>> S. Petra e ax 1
ves do reino do cu para ahrmaa
mundo-----esiremreo de susiu,
o, mas romo Prancez, enmii liiho da f 1
pea. Parece-le, que com cle UeaM
do do meio de nos ; j do seto do-rhan
como oetr'ora do seio de Jerusaiem- aaatat
gara ouvir vozos mystervwai rtaantad
mos d'aqui ( Suianun '.
E se pretendessea njnla*4ar-ia*. r*
cora um santo e illu>tre oridor (o padre !
Visto quti nao queris crer aa minea palavra. 1
de nos fados.
Considerae o destino das nae haverem conhecido o Evangt-lho. cennidr ta-
peila-lo. e perderam a te ; lanzar
olhar sobre essas outr'ora lao 1
do Oriente, onde slatam as
Epheso, d'Antiochia, de Cesara, de !f
onde reinaram jxir longo lemp:
mo as artes, as sciem'ias, as letiras, r a i
na dns costuines onde ua l.idin.', Itt
Clirysosiomos fiaeram l.nlli..
i.uUu genio e tantas virtudis Va*. aa* <
Enrosa e da .Va, Bvsaoeto, -xtiroraI
en, lo pulida, n. sabia, t pw-lHt par 1
olbad;: como urna nova Roma aa 1
at, V'oivei di pato os olho. para 1
dos Athanasio, i.ynllos aerkibaas, i
ca a Cliente escola d'Alexandr:.. I
tes e Orgenes, onde os Cyaaatts
deram tanto bi-tre as tidades de Caamsag. '
rli|i;>ona.
UNnparaeo que -V: >ipw toram >
vde-os iii'.iilto-, as mais spr-
rancia, nevados sob o ifcf d>aai
tal. avili.id -s pelo* rostuuirs mais ujT.ni.tmt> ,
tregues as snperstM- *- mais ^ra* ir a, atmeas.
em urna palavra, iHHl.dM Mto anOM-a-miaru
da sociedade !... KMro mal : av i la aix 4a-
d<< da vala, cuja fraq;*>*a Iraz na x I
creseuaento ;. esto- na incuravH
decrepitud. A vida nao csa arm aa*.
festo. que elles bulos .iratim r-* a i
religiao : sua gWtria. sua* laars. s& I
i. liwdide, e aM a ptaptla civil-* >
CiMi^o eertaiaeoi.' digna de sr ataMan > Ca
vos desafio, a qiio aponais un s paax *m -pj-
o archote do Evaagwlno se lecJ aanda. <
n3e baja a* mnm lempo
Era jnMo. *i efleit o, que susto natri'
mwlernjaw m- Naam i
do o tea tnttiga, man. i*s i
do ento neNe xlmguir-sea vida, sa tanta*.
quem MM v,l;i .-r.i prn-tipto, e m pud- da.
a cada urna deten, nagoet iaaVm aate r n>4
totan, pa sempre mauc aanrpa iraW a fc-i Ir
Dena, nao lem em coala (artui o* taats mi mms
e oid.-ns as mais venanla da na fr.re>ein
* IH
O.Si. bufim dr **-.
tugamos o suimut ptmiijk*
italianos. Eis lifomna paUvra* ana* ra IMii. rat-
logando os deatiee no qnr < Queremos ir a Roma e amsrda raen a I
ga.. Quererans ir a Ra
mas para ufirar. para frrrrtr
meio de relormor-sa a si propria : par < liberdade t initepeaaVaria, an a
< lar a rnanatraret aa purria da saanaaaan* re
< gioso, iki -iniitliotd.i-l.- das i
dade da distinlMU. em toda*
com piando honra r gloria pa> a t
f lornaram to illnslres e v^m-radm a* **m: pn-
meiros ^ecsilos ; a regemrat-t. nwaaie ai> n^..
< anana, a leal enmri*anidHen. > w* -h ,
< contrario ao grande fiea, todit
< Inshtuigo.
De joelos, calholicos Fauna Sna
Ricasoli...
Qual ser o calholin. aposiolirn n
faces nao se iiiijam rjm o manr da
-lunndo lo indolentes prnpmirrm *
Na verdade, Uluta *>u a rgrpa *.
to para ser verdadewataente d!m*
o Sr. baro Rirax4i. o pul arpa a iaijUiliilttaifc
doutrinal ponnucia, vieste rm nana de iariaadi
proclamar urna ma'iivet palavra 1011.
veneacai. da tltaja Kallava.
dad: vVio-tiariaaldi-Ra-a-oli vj,
verdade ignorada, pelo espago
|M.r lanos pipas illustres p vt amravrw i
o chnsiianismo, i>h> qne penar
contrario anlim da in-tiluirae argr^i.
Na verdade, Ua troca a 4>mp pana er Raau
pelo do Piemonte '....
R muilo fcil dizer soa ranVdc* twmzm *-
se remullereis a diviuda.te cm Jasas Cfcran*. m*>.
trocaes o ensino do suceeator
ovolucoes de um avenlnrctra selt
caminlKi para onlrna aventnram
los?
Ccn/mwr-er-n.>
() Falla o Sr. bispo da Ortoeaa.
P8RNAMBCO. TT?. V9 et f. f-k


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMME0SNWP_MN53IM INGEST_TIME 2013-08-27T21:55:21Z PACKAGE AA00011611_10365
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES