Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10353


This item is only available as the following downloads:


Full Text


1
\

i
AflEO XL. HOMERO 97.
Por tres mezes adanhYs SJOOO
Por (res mezes vencidos 68000
Porte ao correio por tres mezes. 750
,* fc fii "V
.*...,n yS *>1i-Ui
OBffiTA FEIRA a DE ABRE DE 1*64.
Por amo adianto**. .... 19$00O
Porte aocorreioporoa armo 3$000
SNCARREGADOS DA SURSCRiPgO NO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrinn de Lima'
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva; Araratv.
Sr. A. de Lemos Braga; Gear, o Sr. J. Jos d
Oliveira; Maranhao, o Sr. Joaquim Marques Ro-
drigues; Para, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
INCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO NO SL
Alagas, o Sr. Claudino Falco Dias; Baha, o
Sr. Jos Martins Alves; Rio de Janeiro, os Srs. Pe-
reira Martins di Gasparino.
n|. PARTIDA DOS ESTAFETAS. EPHEMERIDES DO MEZ DE ABRIL
Olmda, Cabo e Escada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas el .
sextas-feiras. 6 Ln nova as 11 h., 29 m. e 2 s. da m.
Santo Antao, Gravat, Bezerros, Bonito, Caroarn', 13 Quarto cresc. as 9 h., 46 m. e 14 s. da t
n-A'X e varanlKnS, ?aS ter5a5,fe!'ras- 21 La cheia as 10 h., 59 m. e 2 s. da t.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pesqueira, a i ..
Ingazeira, Plores, Villa Bella, Tacaratu', Cabrob, 29 yuart0 miD- 2 h->14 ra- e 32 s. da .
Boa Vista, Ouricury e Exu' as quartas eiras.
Sennhem, Rio Formoso, Tamandar, Una, Barrei-J
ros, Agua Preta e Pimenteiras as quintas feiras.l PRKAMAR DE HOJE.
Ilha de Fernando todas as vezes que para ali sahir .
navio. I Pnmeira as 9 horas e 18 minutos da manhaa.
Todos os estafetas partem ao V dia. | Segunda as 9 horas e 42 minutos da urda
PARTIDA DOS VAPORES COSTE1R03.
Para o sulat Alagas a 5 e 25; para o norte at
*.*$*,a e 22 de cada mez; para Fernando nos
das 14 dos mezes dejan, marc., maio, jul, set enov.
n PARTIDA DOS OMNIbTS.
o "a*Recfe = do Apipucos s 6 /, 7, 7 / 8 e
8 Vi a? ni;! de Olinda as 8 da m. e 6 da tarde; de
Jaboatao as 6/ da m.; do Caxang e Varzea s 7
da m.; de Bemfica s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucos s 3 '/* A 4 A, 4 A,
5, 5'A. o 'A e 6 da tarde; para Olinda s 7da
manhaa e 4 Vi da tarde; para Jaboatao s 4 da tar-
de ; gara Gachanga e Varzea s 4 A da tarde; para
Bemfica as 4 da tarde.
AUDIENCIA DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazenda: quinta s 10 horas.
Juizo do commercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tercas e sextas s 10 horas.
Pnmeira vara do civel: tercas e sextas ao meio
dia.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a V hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
2.*i. Secunda. S. Marros cv.: S. Hrrinin o m
20. Tetra. S. P-dro 27. Quala. S. Tertuliano I..: S Turybto are.
rt. Quinta. S. Vital m.; Se, AfOBO) 4*0*1
2!. Scxl.i. S. Pedro m.; S. Tertulia v. m.
30. Sableado. S. Calharina de S.tia v.
1. Domingo. Ss. Felipi*' e Thiag apps.
ASS1GNASB
no Recife, em a livraria da praca da'
|ns. 6 e 8, dos proprietanos Manoel PigMim i*
Faria & Filho.
PARTE QFFICIAL.
GOTCRM DA PROVINCIA.
Ouliiiuaru do eiprdienlr de govcruu do dia 23
de abril de 186 i.
Ollcio ao Dr. chefe de polica.Do V. S. as pro-
videncias que julgar convenientes no sentido de
comparecerem nesta capital o capito da guarda
nacional Pedro Pinto de Miranda Fej, escrivo
Ismael Alves dos Santos, negociante Isidro Dio- \
piano Waltrudcs, proprielario Manoel da Costa Pe- aujr|e|
reir c advogado Jos Joaquim Barbosa todos mo-
radores na villa de Nossa Senhora do O' de Ipoju-
ca, aflm de deporem como testemunhas no conse- :
lio de investigado a que mandou proceder o bri-
gadeiro commandante da armas contra os soldados
do 2 batalho de infantaria Manoel Lopes Vieira
Pinto e Manoel Francisco dos Santos por crime
de insubordinaco.OBiciou-se neste sentido ao
brigadeiro cominandanu das armas.
Dito ao presidente da cmara municipal de S.
Punto.Informe Vmc. com urgencia a razo por
que nao fui ainda delerido juramento ao supplen-
te do juiz de paz do l" districto dessa freguezia,
Julio Alves da Silva Vallenca, cumprindo que o
Fr. Manuel do Amor Divino. Oportunamente
ser extrahida a lotera a que allude o suppli-
cante.
Mara da Paz.Informe o Sr. director do ar
seal de guerra.
Marcolina Francisca da Trindade. Informe o
Sr. desembargador procurador da Santa Casa da
Misericordia.
Tenante Pedro Paulo dos Santos.Informe o Sr.
coronel commandante superior da guarda nacional
do Recife.
UOIMANDB DAS ARMAS.
general do ettmmanilo das armas de Per-
nanihuen, na eidade do Recife, 26 de abril de
4801.
Ordem do dta n. 315.
Havendo no da 28 do corrente, J i edebrar-sc
na groja matriz da freguezia de Santo Antonio,
dcsta eidade, um oflicio solemne pelo repouso e-
terno do finado senador, ministro e secretario de
estado dos negocios estrangeiros, o Exm. Sr. con-
selheiro Francisco Xavier Paes Brrelo, o general
commandante das armas, em cumplimento as di-
liberagoes da presidencia que llie foram trans-
mitidas na data de 23 deste mez, determina que
sol
urna divisao composta de duas brigada*. soi< o
.faca quanto antes por si com o secretario da cama- cummando do Sr. coronel Joo .Guilherme de Bru-
ra, se Uouver difculdade em reunir-se a niesma ce, faga as honras fnebres em semelhante acto.
cmara. Communicou-sc ao predito supplente do
juiz de paz, remetteudo-.se copia deste oQco.
-25-
Offlco ao brigadeiro commandante das armas.
Queira V. Etc. mandar inspeccionar e asseutar
praea, no caso de ser considerado apto para isso o
recruta Alexandre Ignacio dos Santos.Commu-
nlcou-se ao Dr. chefe de polica.
Dito ao mesmo.Respondendo ao offlcio n. 750
que V. Exc. me dirigi em 23 do corrente decla-
rando-lhe que, nesta data offlcio ao Dr. chefe de
polica para proceder como for de le, sobre a oc-
currencia havida entre o voluntario do exercito e
algunsrstudantes da provincia do Piauhy, edeque
trata o incluso offlcio do coronel commandante do
2' batalho de infantaria.Offlciou-se neste senti-
do ao Dr. chefe de polica.
A primeira brigada que sj compon dos bata-
Ihoes da guarda nacional, 1' de artilharia, 1 o 2
de infantaria, ser commandada pelo Sr. coronel
graduado llygino Jos Cocino ; a segunda brigada
compreliendendo.os batallioes 3o de infantaria da
guarda nacional, 2 da mesma arma do exercito,
e um parque de artilharia, de 4 boceas de fogo
servidas pelas pracas da companhia de artfices,
ter por cemmandnte o Sr. lente coronel Ro-
dolpho Joo Barata de Almeida.
A divisao com frente igreja, dever as 9 ho-
ras d'amanha do indicado dia, tomar poscao em
lnlia desenvolvida no prolongamento da ra No-
va, apoiando a sua direita (junto a das Trinchei-
ras.
Os Srs. commandantes de divisao e brigadas es-
colhero os seus empregados dentre os Srs. offl-
4
Dito ao conselheiro presidente da relacao.Sir- ciaes dos cornos que arrumam.
va-se V. Exc. de emittir o seu parecer acerca do A infantaria ir municiada para dar as tres
que requisitou o cnsul d; Portugal no incluso of- descargas do estylo, e o parque urna salva de 19
icio que me ser devolvido. tiros, tomando (opportunamente) para isso posicao
Dito ao inspector da thesouraria provincial. do terreno tntermmlio entre o novo caes e o cha-
Pode V. S., nos termos de sua informaco de 21 do fariz da ponte da Boa-Vista,
orrente sob n. 152, dada acerca do requenmento Assignado.Solidonio Jos
documentado que devolvo mandar pagar a Digna de Lago.
Santa Rosa, professora publica da 2* cadeira de Conforme.Jos Ignacio de Mllenos Reg Mon
Inslruccao elementar da freguezia de S. Jos desta tetro, capitao encarregadodo detalhe.
Antonio Pereira do
idade, o que se llie estiver a dever proveniente de
' seus vencimentos a contar de 19 at o ultimo de
marco prximo findo, devando essa despeza correr
pela consignaco do | 1" artigo 8 da lei do orcameii-
to vigente.
Dito ao capilao do porto.Mande V. S. por em
liberdade'o recruta Albino Jos Teixcira, visto ter
j servido no batalho naval como afflrmou o
commandante do vapor Pararan em offlcio de 22
do corrente.Commuoicou-se ao commandante do
predito vapor.
Dito ao director das obras militares.De con for
inidade com o regulamenlo de 18 de jullio de 1856
mande V. S. calafetar o andar superior do edificio
em que acha estabelecido o hospital militar, como
solicitou o brigadeiro commandante das armas em
offlcio de n. 751 de 23 do corrente.Communicou-
se ao brigadero commandante das armas.
Dito ao director das obras publicas.Interado
de quanto Vmc. expoz em seu offlcio de 23 do cor-
rente sob n. 113, tenho a dizer em respost a que
pode mandar fazer os reparos de que necessita o
calcamento da rita da Imperatriz, correndo essa
despeza pela verba reparos de estradas e pon-
tes conforme propoz em seu citado ollcio, cum-
prindo que na mesma conformidade tambein se-
jain exeeutados os concertos que se tornarem pre-
cisos no da ra do caes do Apollo.Communicou-
se ao inspector da thesouraria provincial.
Portara. O presideute da provincia, confor-
._mando-se com as propostas do Dr. chefe de poli-
Ca, datadas de boje, e sb ns. 505 e 510, resolve
despensar o alferes Manoel Germano de Miranda
do cargo de delegado do termo do Buique, e o te-
nenie Joaquim Herculano Pereira Caldas do de
subdelegado do districto do Limoeiro, bem como
demittir a Joo Coriolano da Malta Urasileiro, de
1 supplente do subdelegado do districto de Orti'
gas, freguezia do Ouricury, noineando para o Io
d'aquelles cargos o cidado Thomaz de Aquino
Cavbante, para o3 Francisco Antonio Delmou-
des ; para subdelegado do districto de Aguas-
Bullas, que se acha vago, o mencionado teneiite
EXTERIOR
COBBESPOXUENCIAS 0 1IA
RUI DE II;K\ 1YIBI C O.
II \ IIIII 1(4.O.
S de abril de 4861.
Como os nossos leilores sabem, a Dinamarca ha-
via refutado a olferta auslro-prussiana de um ar-
misticio sob base do tttipossidetis militar, fazendo
simultneamente a contra-proposta de urna confe-
rencia, fundada as convencoes allemaa-dinamar-
quezas dos annos de 1851 e 1852 sem armisticio.
Por essas convenedes, segundo sabido, fra
restablecida a unio dos dous ducados de Schles-
wg e Holstein para com o reino da Dinamarca
em urna umo real de estado central.
A exigencia, que uina conferencia se reunisse
sob essa base, por cousequencia nao seria outra
cousa, do que entregar os ducados de novo Dina-
marca, sem condico, e nisso, mesmo com o maior
amor da paz as duas grandes potencias allemaas
nao podiam convir. Ao menos em Berlin isso se
comprehende inmediatamente, e sem dirigr-se
previamente para Vienna, a Prussia rejeitou logo a
contra proposta dinamarqueza, sem mais nem
menos.
Debaixo dessas circumstancias nada restou, pois,
Austria, do que adherir recusa prussiana, bem
que como parece, se desejasse antes urna negacao
menos absoluta.
Mas tambem por esse segundo mallogro a Ingla-
terra nao se deixou errar nos seus osforcos pacifi-
cadores, e nisso foi viva zelosamente apoiada
pela Austria.
O conde de Rechberg (isto agora se mostrava
sempre mais claramente) tinha-se' alliado com a
Prussia para urna accao commum nos negocios
ffi? ?l[- T'a?" I>suPI'e,,,e Z^'?,suLJe- de Schles\vg-IIolsten/na esperanca de pode? logo ''
legado, o cidadao Deodato Roemlieig de Albuquer- -i-;.Bi- ./
que, em subslituicao a Francisco Rodrigues Lins
Soaios, que fallcceu. Communicou-se ao Dr.
chefe de polica.
Expediente do secretario do governo.
Offlcio ao brigadeiro commandante das armas.
O Exm. Sr. presidente da provincia, manda com-

*
no principio determinar a Dinamarca a urna con-
descendencia pacifica. Desde que essa esporanea
se mostrara errnea, os estadistas de Vienna j
estavam arrependidos dessa accao, e todos os seus
esforeos erain dirigidos para poder retirar-se da j
mesma quanto antes. Por isso o desejo lrdente de
paz, ao mesmo lempo que a accao da guerra em
afitear a V. Exc. que por despacho desta data frente de Duppel, e de Fredericia apenas princi-1
aulorisou-se o director do arsenal de guerra a sa- piara verdaderamente ; e bem longe esleja de se
tisfazer o pedido do commandante do 2* batalho achar resolvida.
Tambem agora, depois de ha ver a Dinamarca j
por duas vezes rejeitado as propostas de paz ungi- j
austracas, o conde de Rechberg aceitou a nova !
proposta da Inglaterra, e a Prussia vio-se obrigada
a seguir esta vez a iniciativa da Austria.
Essa nova proposta Inglcza, verdade, que nao
foi outra do que a mesma com que o conde Russell
apparecera j em lins de fevereiro. A Dinamarca
tinha rejeitado o armisticio olTerecido pela Austria
e pela Prussia, e a Prussia a base de conferencia
exigida pela Dinamarca.
Assim, o gabinete de Londres, ladeando de am-
bas as difflculdadcs, vollra sua proposta primi-
tiva de uina conferencia sem base e sem armisticio.
A proposta de urna semelhante conferencia ver-
de infantaria a que allude o offlcio de V. Exc, n.
747 de 23 do corrente.
Dito ao mesmo.S. Exc, o Sr. presidente da
provincia, manda communicar V. Exc, que por
despacho desta data aulorisou-se o director do
arsenal de guerra a fornecer os caixoes mencio-
nados na pedido do commandante do 9" batalho
de infantaria a que se refere o offlcio de V. Esc
n. 749 de 23 do corrente.
Dito ao 1 secretario da assembla legislativa
provincial. S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia, a quem r. presente o offlcio que V. S. me di-
rigi em 22 do corrente, sob n. 89, manda decla-
rar-lhe aflm de o fazer constar assembla le-
gislativa -provincial que amanha a urna hora da

*\
tarde recebera no palacio do governo deputacao dade que era desde j confessar a completa falla
que tem de apresentar alguns actos legislativos a de fundamento da tentativa de paz. Urna vez, en-
sanecao de S. Exc. ; tretanto, (com isso lord Hussell j em fevereiro con-
Dito ao mesmo.O Exm. Sr. presidente da pro- (entra o parlamento nglez) que tenhamos as par-
vincia manda remetter V. S., para o lim con- ies litigantes reunidas ao redor da mesa verde, o
veniente os inclusos autographos dos actos de ns. resto j se arranjar.
573. 574, 575 e 576, promulgados pela assembla \ Austria e a Prussia, como dito, adheriram
legislativa provincial em sua presente^ sesso, proposta ingleza, e agora a Inglaterra dirigi o seu
deixando de ir os de ns. 567 572 por nao terem convite tambem s outras potencias do tratado de
vindo em duplicata. I Londres de 1852, Uto Russia, Franca e Sueca,
Despachos do dia 2! de abril de 4861. I e alm disso confederaco allemaa. Com prazer
Reqtterimenios. se teria desistido em Londres desse ultimo convite;
Carlos Fehppe Rabcllo de Miranda. Eutregue I mas saliendo que a Franca insista no convite da
a parle o termo de inspeccao. ; confederaco, conformarani-se com isso. Porra,
Duarte Caliste IJezerra.Concedo 15 dias. tambem neste momento a reunio da conferencia
Emilia Mara de Souza Gomes. Os menores de nao se acha ainda garantida.
jiie trata a supplicante, nao podem ser admttidos E' verdade que se diz que a Russia concordara;
no collegio por j haverem excedido idade exigi- tambem se sabe que a Franca assegurarra tomar
a pelo regulaiuento. parte na conferencia ; mas essa promessa teve lu-
F. M. Dupral. Remeltido ao Sr. director das gar sob reservas que fcilmente pdem tornar-se
obras publicas para attender ao supplicante no' perigosas realisago.
que pede, se a isto nao se oppozer o servico pu- A Franca declarou que seria mpossivel tomar o
buco. tratado de Londres de 8 de maio de 1852 por base
Francisca Rila de Barro?.A Clha da suppli- j da conferencia, e qu por contra a nica solucjio ;
cante nao pode ser admillida no collegio por ter, possivel da queslo allemaa dinamarqueza so po-
idade superior a exigida pelo regulamenlo. | dena resultar do reconhecimento do principio das j
oaona Francisca Lins. Aprsente a suppli-. nacionalidades, e que por consequencia era urna
cante certido de bito de seu marido e de bapts-: necessidade urgente ae consultar os ducados. Sob
ni do menor. sa uasc< partido nacional na Allemanha, assim
Justo Gomes de S e outrosPasse patentes.
Jos Vicaute Ferreira.Informe o Sr. coronel
rei'futador. ,
Jos Barboza dos Santos.Informe o Sr. coronel
letrutadw.
como a dieta, naturalmente nao hesitaram um mo-
mento de aceitar a conferencia ; mas est claro,
que tauto menos a Dinamarca se declarara de ac-
cordo.
At agora, por isso,' tambe. uo honre- aioda
urna approvaco definitiva do gabinete de Cope-
nhague.
I Quanto dieta, o seu pesado andamento de ne-
gocios impede toda a decisao rpida, ej passa por
certo, que o termo proposto pela Inglaterra para a
reunio odia 12 de abril tambem no mais fa-
voravel caso, dever ser de novo prolongado. En-
tretanto, o procedimento da Franca nao deixou de
influir sobre a attitude da Prussia.
Tambem de Berlin se declara agora, que a baso
j dos tratados de 1852 caducara, e que se devia sa-
tisfacer o principio das nacionalidades. Como os
orgos rninisteraes sustenlam positivamente, at
mesmo aos enviados prussianos as respectivas
cortes fra recommendado offlcialmente de decla-
rar isso como a epiniao do.'gabinele de Berlin. Tan-
to mais impaciente se est para ver, como a Austria
se haver para com essa mudanca do seu alliado,
porque bem se sabe, que em Vienna, e isso por
motivos muito comprehensiveis, nada detestara
mais do que o principio das nacionalidades. Na
realidade, seria urna irona singular, de ver urna
guerra, com que a Austria prevenira a dieta, ni-
camente para remocao desse principio, acabar com
urna paz, que fosse' um novo e decidido triumpho
do mesmo.
Emquanlo que dessa maneira a diplomacia nao
cessou as negociacoes acerca de urna conferencia
para a pacifica soluco da queslo allemaa-dina-
marqueza, continuaqam no Schleswig e Jutland as
operacoes militares.
Mais do que antes, a accao se concentrou em
: frente da posicao de Duppel, ao mesmo lempo que
> no Jutland a actividade do exercito alliado se limi-
i tou provisoriamente urna simples cercadura de
Fredericia e a oceupaco da parle sudeste do paiz,
nao muito alm do Veile.
Depois de um bombardeamento durante 36 ho-
ras que se principiara contra Fredericia. ficou-se
convencido, que tambem aqui s se obteria o tim
; desejado por meio de um verdadeiro sitio, e para
i este faltara por ora a necessaria artilharia pesada,
nao se podendo dispensar a que o exercito alliado
i at agora tinha em frente de Duppel. Xessa ultima
| posicao o combate tornou-se entretanto sempre
mais sanguinolento.
Em combates repelidos os Prussianos approxi-
maram-se sempre mais das forlflcacoes do inimi-
go, e na manhaa da segunda-feira de Paschoa, pe-
de finalmente estabelecer-so a primeira parallela.
Os Dinamarquezes, todava, nao deixaram effec-
tuar-se essa empreza sem interrupco. Elles dita-
ram-se com grande forca sobre o regimentos
I prussianos avancados para cobrir o trabalho, e
' desenvolveuse um combate de algumas horas, no
qual de ambas as partes se bateram com grande
bravura.
Os Prussianos repelliram finalmente os Dina-
marquezes, mas nessa occasio tiveram de solfrer
um fogo cruzado das triocheiras tlinamarquezas, e
do navio couracado Roef Krake^ que do lado do
mar soccorreu essas com seus canhoes, o que Ihes
causou graves perdas, e os obrigou a retirar-se.
Nao obstante fui sustentada a posicao destinada
para o eslabelecimento da parallela, a qual licou
prompta as duas noites seguintes.
Desde ento, ao menos at ante-hontem, at on-
de chegam as ultimas noticias neste momento, nao
tiveram lugar de mais combates de infantaria.
Por contra a canhonada continuou todos estes
dias sem cessar, e nao parou um momento a
chuva de granadas dinamarquezas sobre a paral-
I lela sustentada pelos Prussianos.
No da 22 de marco, seu anniversario natalicio,
i el-rci da Prussia receben um endereco de felicita-
rles das sociedades conservadoras do paiz.
Apesar de todos os esforeos e apesar de todos os
conselheiros ruraes (Landrathe) da monarchia ti-
nhain empregado toda a sua influencia official nos
seus districtos para o mesmo endereco, nao fra
: possivel assegurar a este nem ao menos 100 mil
; assignantes. O numero schegou 90 mil e tan-
: tos.
El-rei pareca sentir a (raqueta desse numero, e
na resposta que dera deputacao, que Ihe apre-
j sentara o endereco, nao oceultou a pouca esperan-
ca que conservava de um entendimento com a
maioria da naco.
O endereco de felicitaco entre outras cousas,
tambem fuera alluso pretendida verificaeo, nos
combates actuaos, da nova organisaco do exercito
arbitrariamente posta em execucao pelo rei. Res-
pondendo, el-re lembrou que a opposico difflcil-
mente se deixaria determinar por isso.
Com elfeito, a opposico contra a organisaco do
exercito acha justamente na guerra no Schleswig
as mais fortes armas para si, e mostra que em lu- i
gar de fornecer ella qualquer prova em favor do
lempo de servico durante tres annos, o ponto prin-
cipal da queslo, pelo contrario resultava da ma-
neira a mais evidente, que as tropas apenas um ou
dous annos em servico se batiam com a mesma
bravura e forra como as que j serviam no tercei-
ro anno.
A declaraco real de 22 de marco ao resto tam-
bem nao deixou perceber vonlade qualquer de con-
descendencia da parte da cora.
Xa Austria, a situacao interna escurece sempre ;
mais. Depois de que o governo se vira obrigado a
declarar o estado de cerco sobre a Galisia, para
all encontrar o levantamento do partido nacional
polouez, alimentado c animado cada vez mais pela
nsurreico na Polonia vizinha, fizeram-se de re-'
pente observar na Hungra o na Veneza sympto-
mas que nada menos deuotavam do que a ntenco
de urna tentativa combinada dos partidos da accao j
dos dous paizes contra o governo austraco.
A consequencia foram prisoes numerosissimas,!
em grande parte, e sobretudo de meinbros das pri-
meiras familias da nobreza.
As inquiricoes dos tributiaes esto ainda penden-
tes, c com muita impaciencia se espera o resultad
das nicsiuas Entretanto essas fazem em toda parte
a mais penivel impresso, e se isso accresce, que
na Italia os armamentos se fazem sempre ainda
com maior forca, e simultneamente tambem ao
longo do Danubio inferior, na Serbia c Rumania,
mais abertamente do que antes apparecera noves
esforeos, ameacaodo novas complicaces no Orien-
te, bera se comprehende o desejo arden te com que
o conde Rechberg procura todos os meios, para
quanto antes poder retirar-se do combate no Schles-
wig-Ibilstein.
Particular atlencao mereceu nos ltimos dias
urna oceurreucia em negocios da queslo do throno
mexicano. Como se sabe o archiduque Fernando
Maximiliano, o designado novo imperador do M-
xico, tinha estado em Paria, onde regulara pessoal-
meate cora o imperador Napoleo as ultimas difli-
culdades, que anda se oppunham sua aceitaco
da cora que llie fra olTerecida.
O negocio pareca regulado definitivamente, e j
se achava fixado o dia (o domiugo da paschoa> em
que a deputacao mexicana devia ser recebida pelo
archiduque no seu palacio no Miramare para rece-
ber das suas mos a cora.
De repente, depois da sua volla de Vienna apre-
sentou-se urna nova dilfleuldade. Emquanlo que o
imperador da Austria e os seus ministros exlgiam
agra do archiduque a renuncia definitiva sobre
todos os seus diroitos agnaticos sobre a Austria, o
mesmo oppoz-se a satisfazer essa exigencia.
Tiveram lugar scenas uiui violentas e o archidu-1
que parti para Miramare, sem quo floasse resolv-:
da a difculdade.
J no da seguidle seguio.-Vie o archiduque L.uiz,
em companhia de um coosclho ministerial, e as,
nogociaces rompidas em Vienna comecaram. de
novo cm Miramare.
Durante alguas dias estava-* em Vienoa espe-
rando cota grande mqnietac'v peto resultado, mu.
mente soiibe-se que. as dilculdades se achavam
| accommodadas.
A recepcao da deputacao mexicana flrou por con-
sequencia adiada c deve agora ter tugar nos pri-
meiros das. Ainda nao se sabe de que modo se ob-
teve um accordo.
O imperador Fernando, que se retirara do go-
verno desde utabro de 1848 e vivera desde esse
| tempo mu! tranquillaraente como particular em
Praga, fez entretanto ao archiduque Fernando Ma-
ximiliano o notavel presente de tres milhdes de
francos para o seu primeiro eslabelecimento no
Mxico.
O rei de Wurtemburg, gravemente adoecido l-
timamente, acha-se aioda com vida. Segundo os
ltimos boietins o seu estado melhorou, mas as for-
ras perdidas nao querem restabelecer. Como nes-
tas circumstancias nao Ihe seja possivel oceupar-se
com os trabalhos do governo, o conselho do minis-
tros sob a presidencia do principe real dirige os
negocios do governo, assignando este ultimo era
notne do rei.
Os dias da paschoa trouxeram urna demonstra-
gao imposante em favor do Schleswig-Holstein.
Sob insligaco da coramisso da a-sembla de de-
butados allemaes em Francfort, cm todos os luga-
res da Allemanha onde existem sociedades Schles-
wig-Holsteinezes foram chamadas asscmblas do
povo, aflm de manifestar de novo a vontade nacio-
j nal do povo allemao na queslo dos ducados, e essas
assemblas tiveram lugar debaixo de urna inmen-
sa concurrencia das populaces.
Foi de novo o sul da Allemanha em que sobre-
ludo essas manifestacoes tomaram as mais impo-
! sanies proporces.
Na Baviera, Wurtemberg e Badn nao houve
i nenhuma villa e nenhuma aldeia que nao tomasse
parte. No norte da Allemanha a demonstrado mos-
tron-se nomeadamente brilhante em Hessel-Cassel,
no Hanover e na Saxonia. Mas fraca foi ella na
Prussia.
6
Temos de accrescentar algumas palavras. Segun-
do parece, a Dinamarca com elTeito adherio a no-
vissima praposta de conferencia ingleza.
| E* verdade que falta ainda a conlirmaco oOleial
dessa noticia.
Nos dias 2 e 3 do corrente as redutas de Dup-
pel tiveram de soffrer urna canhonada horrivel;
mas segundo pareco nao se obteve um resultado
. i inmediato.
At agora nao se fez anda calar nenhuma das
fortillcacdes dinamarquezas, c nos casos era que
pelo momento se conseguio esse resultado, a noile
sempre servio aos Dinamarquezes, para a remocao
das destruces feitas pelas balas inimigas.
Urna nova noticia quer de novo contestar que o
conflicto entre o imperador da Austria e o archi-
duque Maximiliano se acha j aplanado. Facto
que ainda nao se acha flxado um dia para a recep-
cao da deputacao mexicana e para a aceitaco for-
mal da cora do Mxico em Miramare.
Ao resto o archiduque j desde muito se ligou do provavel dessa conferencia diplomtica? Achan-
para fyjm a Pranca. de maneira que nao pode do-se em jogo inleresses tao oppostos, difflcil an-
descnveucilhar-se. Em consequencia do conflicto ticipar um accordo a bem da conciliaco que essa
1 apparecera por isso em Miramare immediatamente reunio leva em vista, sendo para receiar que de
um agente francez, o general Froissard, o qual de- j taes discusses resulte pelo contrario maior aggra-
va determinar o archiduque a ceder, aflm de nao bracio no actual estado de cousas, comprometten-
licar mais adiada a conclusao daquestao do throno do-se uns ou outros em favor daquelles que com
mexicano. essas pensarem de modo homogneo.
Assim por exemplo a Dinamarca, Suecia e In-
glaterra, ficaro de um lado; Austria e Prussia de
outro, especialmente esta ultima potencia que am-
biciona os ducados: Russia nao admittir senao a
interpretacao restricta do tratado de Londres; die-
ta germnica querer a incorporaco dos durados
na confederaco, com quanto sob a cora do prin-
cipe d'Auguslemburg; e a Franca proclamar o
principio ampio do sulragio universal, para com
isso chamar a si 6 sympatluas nao s dos ducados
como as das outras nacionalidades opprimidas I
Deste modo reinar urna confuso de ideas lo ex-
traordinaria que difflcilraente as partes nteressa-
das podero proclamar um ponto que satisfar lo-
dos os interessados nessa faosa polmica diplo-
mtica.
Ningucm acredita pois seriamente n'ura bom
resultado dessa projeclada conferencia; e os pro-
prios goveruos que nella lguraram o senteni, com
quanto o nao confessem, quereudo ao menos tentar
esse expedieute que a prudencia aconsellia, porque
elle sempre importa urna dilaco a bem da paz ge-
ral.
Lord Russell presidir a conferencia, e por par-
te das outras potencias liguraro os seguintes ira-
nes :
O conde Appony representar a Austria e se a-
cha j aqui na qulidade de embaixador em misso
permanente.
O conde Bernstorff, embaixador da Prussia nesta
^%'^Tt&grS \ 22* -P- Sofera** os inleresses do seu
eidade de Londres prepara grandes festejos ao ge-
neral Garibaldi; e llie offerec.er o titulo de cidadao.
O patriota italiano tem significado desejos de abs-
ter-se de quaosqner demonstrares polticas, enes-
se sentido ralln a deputacao italiana que foi rece-
be-lo.
O parlamento britannico recomecou seus traba-
lhos no dia 4 do crreme. Mr. Stansfeld deu a
sua demissodo membro do cons3lho do ahniran-
tado, parecendo haver terminado assim a crise em
me se achava o ministerio |Kr causa do incidente
Stansfeld-Mazzini, de que falle! na minha antece-
dente. O duque de New-Castle conseguio final-
mente a sua exonerado por motivo de saude de
ministro das colonia-, sendo substituido por Mr.
Cardwell. Falla-se em lord Clarendon para succe-
der a este no ducado de Lancaster.
As noticias diplomticas que este gabinete tem
entretido com as potencias signatarias do tratado
de Londres que garanti a integridade do reino da
Dinamarca, chegaram ao seguinle resultado, se-
gundo aflirma a imprensa Ingleza. Tma conferen-
cia em que figuraro essas potencias e tambem
a dieta germnica, ter lugar nesta capital no dia
12 do corrente ou a mais tardar al o Io de maio
prximo, aliin de n'ella ser discutida a famosa
questao dos ducados allemes, que continua a tra-
zer em guerra o norte da Europa o que anteara a
paz geral desse continente.
A principio o gabinete de Londres propuzera aos
governos de Vienna e Berlin essa conferencia sob a
base de um armisticio e das negociacoes que pre-
cederara o tratada alludido ; mas vista da repug-
nancia que para logo mostraram esses governos em
aceilareni .semelhante expediente, n conde Russell
mudou de plano propondo a reunio da conferen-
cia sem base alguma, com quanto licasse livre a
cada um dos representantes discutir ah as diver-
sas questdes que tem relacao com esse conflicto. A
Dinamarca que no comeco insista por aquellas ba-
ses, veio alinal a concordar, redondo influenria
deste gabinete, no principio geral que foi alinal
aceito por todas as potencias menos pela dieta ger-
mnica cuja resposta ainda aguardada.
Entre tanto a Dinamarca se apresentar susten-
tando o tratado de Londres que Ihe garante a sua
integridade, embora venha a fazer concessoes ad-
ministrativas aos ducados ainda alm do que Ihes
havia outorgado pela recente constituirn de no-
vembro ultimo.
A Prussia e Austria pediram pelo menos a ex-
tenso do laco federal no Schlewisg, reclamando a
creaco Flerisburg, era fortaleza federal. A Ingla-
terra sustentar com o gabinete de Copenhague o
tratado de 1852. A dieta germnica reclamar pro-
vavelmente em favor da separaco dos ducados,
para serem regidos pelo principe de Augoustem-
burg. E a Franca advocar, segundo se depre-
hende de urna recente nota de Mr. Drouynde L'Hyus
a doutrina do sulfragio universal para resolver
essas diftieuldades I
Ora cm taes circumstancias qual ser o resulla
fetf
Londres, 8 de abril de 4861,
A noticia mais importante que nos trouxe a mala
do Brasil vinda pelo Parami, que chegou a Sou-
thanipton no dia 4 do corrente, foi a da aceitaco
pelo governo imperial da mediaco porlugueza no
conflicto anglo-hrasileiro.
Annunciaudo esta nova, as folhas nglezas nao
dissiinularain o interesse que ella Ihes causou, e
se pode dizer que o publico inglez desta capital, pu-
blico alias interessado em geral as relaces cora-
merciaes entre o Brasil e a Gr-Uretanha," receben
essa communicaco com viva salisfac.ao. A nossa
attiude naquella emergencia foi por tal modo digna
que desde o principio a propria Gr-Bretanlia, sym-
patliisou cora a nossa causa ; e se o governo deste
paiz divorciou-se do publico, adoptando una se-
quencia s medidas hostis para com o gabinete do |
Ro, nem por isso a naco ingleza tem desistido do'
seu intimo desejo de ver reatadas as relaces poli- j
ticas entre os dous paizes. Os jornaes traucezes
j derara aquella mesma noticia, c aqui como no
continente se faz votos pelo feliz successo da inedia-
cao alludida.
Nao lardar que as cmaras o governo britan-
nico seja nterpellado acerca desta aceitaco, visto
como o parlamento tem seguido de perto as diver-
sas pliases do nosso conflicto com a Inglaterra ; o
lord Russell, ou Mr.
mente habilitado pe
corte para responder allirmalivamente.
paiz.
. i fort mandar provavelmenteo baro Beusl, priinei-
commendado ao exequtur do governo imperial pelo miiiiatro do rei de Saxe
propno ministro brita nnico que vier a ser de novo, A| dos citados" appare(.ero como
acreditado no Rio de Janeiro Por em quanto nao, plenipotenciarios, llavera outros que te-
rae consta que Mr. Westwood, fallecido no Rio de & re5pecivan{eilte a missa0 de segundos plen.po-
Jane.ro haja t.de successor; e agora que se espera tenriar>'us dexo de mencionar aqui os oon.es des-
para breve o restabelec.mento das retacees entre, n5(j os se com cer.
os dous paizes, e possivel que essa nomeacao seja ,ez.( '
retardada durante algum tempo. \ a imprensa desta capital quasi unnime em acre-
cambio desla praca va. colado a 24 1|2 d. por; dj|ar ^ ^ ^^ nadaH)odt;r;i fazer em faYor
mil res ; e o do Recife sobre Londres foi aqu an- da |MS nem jS0 dejxa d(! aco|h(,r b(jm 0
nuncado a 27 3,4 d. por mil res expediente proclamando ao mesmo lempo que de
Xa Ultima quinzena chegaram do Brasil a d.ver- hoj;ra ||jn(!lc br|toni|MM suslentar os nle.
sos portes deste re.no unido os seguiiites navios : ^^ Ui(iafemarca vis|lJ que estes inpor,ain a
d; P mam' doncra du lraladu B mi el 1ue a <^' aa-Bi ela-
biba British-Queem ( 31) a Liverpool
buco Juanita ( 30 ) a Plyraouth ; de Pernambuco
The Coila ( 31 ) a Clyde ; de Pernambuco Tlte He
of the Exe ( 31 ) a Clvde; e da Baha Archibald M'
Mtllan ( 1 ) a Deal.
Os consolidados inglezes 30|oncam a 911|2, 5|8.
Fundos b'asileiros 5 0|o a 100 1|2 e 101 ; ditos 4
1|2 0|0 a 88 ex. dividendo. Portuguezes 3 0|fj49.
Hespanhes 3 Ora 52 7|8. Russos 5 0|fl 91 1|4.
Gregos 5 0|0 22. Mexicanos 3 0(0 41 M*- E ita-
lianos 5 0|0 67 114.
O nosso algodo no mercado de Liverpool tem
mostrado alguma tendencia para a baixa. 0 de
Pernambuco tem sido colado a 26 d. por libra ; o
do Maranhao a 26 1|2 d. ; e o da Baha a 25 d. por
libra. O deposito deste artigo naquelle mercado
era diminuto, apezar do que o seu preco tenda para
a baixa o que todava se pode attrbuir :
que ali reinara na ultima quinzena.
Cacao do Brasil tica cotado de 41 s. 59 s. per
cwt.
nha signataria.
Entretanto, essas folhas coofessam que salvo o
principio da integridade da Dinamarca, o rei Chris-
tiano deve fazer concessoes que satisfarn) os seus
compromisos cora a Allemanha e ao mesmo lem-
po as justas reclamaces dos ducados na parte que
se referan outorga de novas vantagens admi-
nistrativas.
S assim peder o gabinete de Copenhague mos-
trar-se conciliador, e liabilitar-se para alargar em
seu favor o campo era que especialmente a Ingla-
terra se col locara para defender os direitos que
em virtude do tratado de Londres tem aq/ieUa po-
tencia.
As hostilidades continuara todava entre osexer-
ctos prussano c austraco de uina parle e o dl-
. namarquea de ouira, parecendo que sobretude a
nac\.ao p,.ussia a,nbjc,ona ganhar gloria militar que arada
nao alcancou nesta guerra.
No dia 28 de margo ultimo as Jorcas prussi.uws
fortificaces exteriores de Duppel,
Caf primeira qualidade 72 s. 6 d. per cwl SJortS repVdas"plo"ininigo que se achava
Pao brasil 75 s. por tonelada. alertaF r
Assucar branco de Pernambuco c da Parahiba o bombardeamento dessa p*aca de guerra tem
29 s. 33 s. per cwt; dito da Parahiba 29 s. 3i s.6 C9I)lnuaa0 diariamente pelo exercito prussiano,
d. per cwl. Mascavado das tres procedencias 23 eom quant0 sem nienor damno para os sitiados.
s.|6 d. 29 s. per cwt E couros seceos do Rio de 7 ui,mamen(0 0 raareclial Wangel bombardeou du-
d. a 9 d. 1|2 por libra. I ranle tres dias Sondemburg, capital da ilha d'AI-
Garibaldi, que era esperado com anciedade nes- ggn consgguin^ distruir a terca parlo dessa pe-
te paiz, chegou a Soulhampton a bordo do vapor e|)a cidadt c matou oitenta pessoas da populacho
Ripon na manhaa de 3 do correle. Reoebido ali acica
rXfe^dra^tS^ : ^'hostilidade .rece haver do por flm obri-
oara manifestar graotte nao sua imraensa gra-' gar a guarnicao draamarqnea a denar aquello
fid3o, accedendo igualmente ao convite dos nume- ponto, que o raunigo desoja capturar para assim
rosos amigos h- aqui lem. Depois de haver Oca- tornar pela retaguarda a praca de Duppel, invencl-
do um dia r^Juella eidade, segura para a ilha de vel at boje einquanta atacada pelas suas (tfllflea-
Wight ere, tompanhia de Mx^ Seely, membro do s5es de frente.,
parai^enf, e que ltk oflereccr hospedagem, AI Mas o injijiigo reconhece a import.aacla daqueile
ponto, que est defendendo rom pan' das joa tro-
pas e da sua esquadi a.
Os Austracos que iiiavaraFrideririalMinai nn
movimento relrograilo hav.>n>V porfa atacaV or
vezes varios |>onios d.-iqnella pr
Nestas circumstancias a gueri n < I
muito progiesso, Austria ai ino-lra
anciosa de proseguir a rampanha. talvril
receie estar serviudo os MoraOBM ambirl
Prussia, alera da necessida le que teas
tancar a sua acc/io no estertor, afira ite
se a mellior defender a sua integridad-
riormente ame.icada na lallici.i na Mub
Italia.
Demais o impender Francisro Jo* arli
tente com a gloria militar exclusiva que
ercito tem obtido na guerra OMJSO a Dinas
tiendo demais ateaoradoja garantas maleri.vs *ut
I licienles pelo facto da ncruparo de t-^lo o Srhrt
wsg, nao parece insistir ramio (^r vantag^i a al-
cancar no Jutland. I
O exercito |irussiano portal teOl a peito Iptut
a praca de Duppel. porque ali baje, a nao] mt a
passagem do Schlel em Aroi. nao gauli-Ki arada
vantageui alguma sobre os Dinamarqueze- jejoe o
tem repellido era todos os enrontros lavido^^
A Gallicia, onde apparerrra m turad"
ultimo um indicio de sublevar! f>i |>"*ta
de Pouilly-MensdorlT cintilado te sMm;
verno austraco lera para all mandado cu
j veis reforros.
O partido revolucionario de Var>o?ia
\ parado os espirites naquella pane da mi
| austraca para nina rasurreiro geral, e
| ver descoberto esses manejos que o gve
daquella provincia declaruu era nouie do ii
dor o estado de sitio.
OgabiHt'le de Vionna rei-onhere 0|
corre om lado, e se Rte attribue que
I una nsurreico geral tas in-s l'olomas re
i com a Russia e Prussia um tratado secreto I
i nominado da Santa Allianr.i. para se gara
s suas nspcrlivas pBOMOMI tmlacas. A
| de que o cunde de li-raark deixou percel
tiraamenle era uim dos seus despachos a iniitae h-
facao existente entre os gautoeles de Bro e
Vienna, parecendo inculcar essa supposla virdW .
: aflm de aterrarlo partido d'accfto, que a t'jd Oosto
! quer arrancar Polonia aos seus dominadores.
! Ainda est por decidir a questao nexicaaa em*
, relabra ao archiduque Maxiinilian), visto eoaw
suscilouse entre esso e seu irm.ii o Imperad.."
' Francisco Jos urna divergencia quanto aos dWei
! tos eventuaes que fique lie tem coroa au-triara
| Afflrmam tedarta as folhas aeotriBCM que o fuSur.
m|ierador do Mxico, havodo feilocessio MfOfi
! les dreitos, termmou por esse modo a-jurlla dwt
i gencia ; c que receben no dia 9 do rorreoeJeea
Miramar a deputac.* mexicana, dcvetido srgolr a
10 de Trieste com destino ao Mxico.
A questao fraanceira daquelle estado ftrar* re-
gulada pelo novo empreslimo i|ue o governo a^rit-
cano acaba de contratar aqui e em Pars. eaiTir
lude do qual sao validados tata ttulos da*
vida que o Mxico ronlrahira na prara de Lnorr-.
A Franca recebar 200 bHMm de "franco* oV?^
empreslimo, titulo de indemnisarao pela exprdi
fao do Mxico e das des|tezas a fazer cora a* tr
pas que ainda conservar ali do decurso du*or-
rente anno.
Essa somma Ihe ser paga em titules V*h-
empreslimo, com o titulo de eraisso qoe aralO> dr
ser fixado pelos tomadon-s <- ceira ; oestes termos que Mr. Fould rooctera tal
trausaeco.
As no'licias mililares do Mxico annunriaiajojav
Ogetieral Bazaine se acha M-uhor de quasi lu-V-
o paiz havendo proclamado por parle a auloriadt'
imperial mexicana.
Jurez nao savia todava deixado aquelle estad.),
se bera que nenhuma esperanca taOJOl de refoa-
quistar sua aatortoade boje inteiranvnte annatat-
da. Doblado, que era a uuica es|>erai>ra dVsse fce-
fe repabUcrao, oeatava de fazer a sua ubt
ao general frailee/.; e por OM OJOta o ex-p
dente Jurez se vera obrig.ulo a bu-car relug
eslrangeiro, a menos que nao se BMOI re
cer o uovo rgimen que o Mxico acaba de
mar.
A grave divergencia que ti vera lugar rot^" o
arcebispo Labaslida e as autoridades eirti |Htrja-
tivo da venda dos bens ecclesaslico-, f>ra apa-i
guada pela suspenso dessa medida, havendkao
mesmo tempo o governo provisorio arbitrado pasa
somma como indeinnisaro pelas lransarre> j
realisadas. I
Este expediente causara geral satisfarn, pulque
convm as actuaes circumstancias conciliar tat-s
os elenieutus divergentes a bem da nova rausatqn*
o paiz proclamou.
As noticias dos Estados-lnidos chegam a ti do
prximo passado. O general Grant, pJHMlPl ao
posto de teiiente general pelo coogresso. e fpUo-
cado no commando era chefe dos exercito* f-defar-
assumira a direegio do exercito do Potomar o se
dispunha a marchar. Esla resolufo era talvede-
vida disposiyo que moslravam as tropas reade
deradas de invadir de novo o valle de .Shenodjao.
Lee cominandava sempre o exi-rcito d' obsdrva-
co junto de Iticlraiond, mostrando grande roeao
ja as posiges queoecupa. Tendo terminado a es
tago invernosa, elle levantara o acampamento do
Kapidan e agora pareca querer inquietar o exern -
to federal.
O presidente Lincoln proclamara um novo re-
cruiainento de duzentos mil Iwmeos ; tita, apezar
do avullado premio offerecido aos que se busca en-
gajar, era dillicil de realisar essa medida. *> g*v.-r
no federal lem recorrido ao expediente de mondar
fazer recrutamento no estrangeiro, sem que toda- t
va haja conseguido os resultados que anti-ripava.
Era Inglaterra lera isso dado lugar a reclamarde-
conta esse abuso da auloridade fed^-ral.
Os confederados antearavam Raid, n.) Kentokj
O almirante Farragut cotitinuava a operar contra
Molule, ciiinquaiMii os confederados se aviniiv-sssea
nesse ponto com seguraoca.
Em semelhante esudo de cousas ludo anooocu
que esse desgranado conflicto teca ainda oV conti-
nuar por muito lempo, tanto mais que durante a
esiaco invernosa os combatentes tiveram baape
para refazer as suas perdas. ticongresso WA-tm
votou ltimamente meios para a coottnuacoo da
guerra ah junho de 18651 ..__.
Os colonos negros que o goveroo de ^."."toi?"*
expedir para o Taiti.coin o lim de ali ejiLteos m.
haviam regressado aos Estados- l'mdo* sem tofra-
rem o intento que levavasa era vi.u.
O premio do ouro fleava ent llora ork a 61. e
o cambio sobre Loodres de 76 a 68 V
Tal em resumo o estado em que SO acha a cn-
so americana do norte, Hada anneociaado proaian
lermo a taraanhos mate, visto que *mbo* o lados
nao querem ouvir fallar de coaciliacao.
O norte quer a subinisso do sul; e este aao quer
tratar seoo sob o principio da .-eparaco.
DIARIO DE PERNAMBUCO
Tomos vista cartas e jornaos da Earapo, d
que foi portador o vapor inglez Owdda, eral dalas
de Hamburgo 5, de Londres 8, do Porto II e e
Lisboa 14 do correte.
As potencias .uinuiram proposta iocteaa.para
a reunio da conferencia em Loodres, A> **'***'
rencias vo ter lugar, mas nao sero inli11 ruMpidn
.Vi op>ncoes militares; a Austria e a Prnsoia ta-
\3>ta celebrado um conven antes da eapoetata
i Jthleswig ; convenio me tamben) du respeto} a
,;




,-

MrU f^e^.niMwe ... Qnlttt* frlrn tft Abril 4* t4.
,. 11.
AflTIlItl
T Y A f A
sna acco^lMna'tira '-ntes "dentranmi wn no-da Ifungria |wiri mvaui-m arenle ao ui .;..(-'
gociaroes. P> voluntarios.
Tiii havido aturada correspondencia entre
Vienna e Berln; e jidga-eqw <* d"u* ?'ctes
sepuzeram do accordo, pondo de jarlo a causa do
duque do Augustemburgo; o fazendo com que as
potencias secundarias da Allemanha nao lusisUm
mais |ilos seus suppostos direilos.
A Austria e a Prussia porm ji nao admitiera
para base de negociacoua as clausulas de 1831 c
1831
Secundo a opinio da imprensa austraca asduas
- Reahrio-se o parlamento bi iiaiinioo no dia i
de abril.
O lunes diz qu.- lord 'larendon ser chamado a fa-
rer parte do gabinete para fortalecer o ministerio.
Lord Sunseld pedio a sua demisso, quo fot
CollCluio que iru a ilo.na i :r..;iier i u nco do
paia, antes de partir i>ara a sua nova patria.
Uin telegramma de Mrramar 16 i I, diz que o
archiduque so acha enfermo e a sna partida para
o Mxico fra por consecuencia aliada.
O empresmo de 120 militos de francos que o ivo
soberano arranjou em Inglaterra permute o era-
aceita c dz-se que resignara o seu lugar de depu- bolso immediaio da quinta parle dos crditos da
tarto.
Lord Palmerston procurou na sessao do da \
defender lord Stansfeld, mostrando muto sent-
meato pela exooeraco que tinha pedido, e d
as pastas, j pelos conflictos do parlamento, j pela
attitude pouco benvola da Franca parece provavel
que lord Derby assnma as redeas do goveroo.
Acha-so era Pars Mr. Hennessy, -memoro da c-
mara dos communs, conliecido pela sua dedicaco
causa do papa e da Polonia, e pelos seos senti-
mentos ante-lnazzinistasha pouco desenvolvidos no
incidente Stansfeld. Diz-se que fura recebido em
rendes potencias nao querem fazer da qoestao rou que o lord do almirantado nunca entrara em
ynastica um conflicto insoluvel que s possa ser conspirarlo alguma, o que pelo contrario desejava
resolvido por mel das armas. | a vida e a .ognranca do imperador Napoleao III,
Quanto pessoa e dvoastiaqnc devem reinar alliado da Inglaterra. .
nos ducados estn disponas a ceder as convenien- Lord Derby e Mr. d'lsjaeli lencionam_ atacar o
cias e reclamacoes do resto da Europa, que pende ministerio ueste carneo, e s o voncerao porem
para manter nos durados a mesma cora que na dispostos a cetebrar com a Franca allianca offen-
Dinainaiea. Kulielanto a Austria e a Prussia nao siva o defensiva favorecendo a reuniao do congres-
pareceui dispoS&K a arredar um passo em quanto so geral europeo.
llws nao fr restituido e garantido o direito dos A rainlia Victoria declarou que esla resolvida a
ducados, e em quanto a naciunalidade alleina nao dar aos negocios pblicos toda a sua attencan, 11-
estiver ao abrigo de qualqner violencia, e em xando novameote a sna residencia no palacio de S,
quanto se nao tornar inpMMve rollar contra a Al- James onde ha muilo nao ia. Lord Palmerslon pa-
lemanha as forcas dos ducados danubianos. rece contar com o apoio da rainha para obter a
A Austria e Prussia exigen indemnsacao pe- dissoluco da cmara dos communs
los encargos da oceupacao do Schleswig, e espe- revz.
ram ser satisfeilas antes"de se retirar. As predlecees da rainha Victoria sao todas pela
O governo fraueez, segundo parece indicar um Allemanha, e pode influir muilo para que os mi-
artigo publicado ao Constitu-tunal, folha semi-ofll- nistros nao prestem demasiado apoio ao rei da Di-
al pretende apresentar a nica soluco que no namarea. Entretanto se o governo livor de largar
seu entender se torna actualmente exequivel, c
recorrer ao suffragio universal. para que as popu-
lacoes dos ducados, actualmente sem soberano e
sem governo, escullan) a forma de governo e 0 so-
berano que estao dispostos a aceitar.
Lord John Bossell propo;. que a rcunioda cou
ferencia se verifieasse a 12 de abril mas nao se es
perava que pdense estar reunida nesse da. O prin
cipe de. Latour d'Auvergne embaixador francez em audiencia particular pelo imperador o que e con-
Londres deve represeotar a Franca as couferen- siderado como um fado muilo significativo, cm
cias. i vespera da renovacao do ataque contra o ministe-
Por um despacho telegraphico de llantburgo rio britannico. Diz o Tunes de 10, que lord Ca-
consta que se vao reunir os estados do llulstein ; B rondn ir prximamente Pars encarregado de
que Kiel proclamar os direilos que liaba de regu- j urna mi-sao especial junto do imperador.
lar os seus preprlos destinos. A ordem do dia em Inglaterra a recepcao en-
0 di-curso do rei Christino por occasio do en- thusiastica fela a Garibaldi. Assim que o vapor
cerramento d
Dinamarca ori
mais do que qualqoer -.
as exigencias bellicosas dos que nao contam com municipal dirigiram-se ao caes onde eslava o 2"
os peiiuenos recursos da Dinamarca. Para nao per- batalhao de voluntarios e inmenso concurso de
der iuieiramente a contianca do povo ser o ultimo |wvo. lodosos navios mercantes icaram as res-
a ceder em presenca de irreparaveis desastres. pecinas bandeiras apenas o vaK>r entrou na duca,
Foi apreseado ao stoiihiny da Korwega um excejico dos austi iacos ; houve salvas de arti-
Iiroj-'cio de autorisacao para empregar a tropa de Iharia, e apenas Garibaldi deseinharcou, rompeu a
inha e a esqtiadrilhacosteiraem auxilio da Dina- msica com o hwnno daquelle patriota. O gene-
marca na sua lula com as potencias allemaas. Os ral e o seu squito acompanhados pelos membros
navios de guerra de alto bordo podem si^r empre- da municipalidade, por muitos Italianos e pelo lio-
gados nesse servico sem annuencia do storlliiny. vo, dirigio-seas carruagens, que o levaram ao ho-
Foi lamlicm p;dido um crdito de oitocentos mil tel do Mayor". Hecebeu as felicilacoes da cmara
Speeie-dallers, perlo de oitocentos contos de ris; dos Italianos, e depulacoes de New-Caslle, Bristol
pois que, do estado de guerra existente na Dina- e Worcesler. A' tarde houve um banquete a que
marca podem surgir acontecimenlos, e lalvez con- lambem assislio o duque de Suthei land.
vencoes com oulras potencias que colloquem os i Despachos telegraphicos de Londres do da 9
reino--unidos de Suecia e Noruega na necessidade anuuiiciam que Garibaldi all fura recebido com
de tomar providencias militares. Taes sao os fun- i extraordinarias demonstracoes de enthusiasmo. To-
damentos do relaloi io que precede a proposta. j das as associac- es de soccorros mutuos e as outras
O storlliiny votou o crdito pedido e concedeu { ojieraces operaras foram em prestito ao encontr
ao re Carlos XI o direito de empregar a esquadra de Garibaldi. Foram fetas as honras militares
noru.'giiiv.a e o exercilo para sustentar a Dinamar- por alguus corpos de voluntarios" que solicitaram
Franca e di esperancas de haver alguma regulari-
dad" a" pagamento das outras preslacoes.
Diz a Presse que cessaram as dissidencias entre
os chefe do corpo expedicionario, general Basaine
e mgr. Labastida. arcebispo do Mxico^ acerca da
applicacfio do decreto sobre as rendas dos bens ec-
clesasiicos. As vendas j efectuadas serio reco-
nhecidas pela autoridade ecclesiaslica podendo res-
gata-las com previa indemnisacio. As propieda-
des nao alienadas serao compradas pela caixa cc-
AscrtniHii> iOgi*iativas luiiiam -ido prorogadas namiiuco, l" denril d 18CT. Campeflo. Fran- A*s honra* militares sao feiu* por urna dii-.^
at II de maio. Esperava-ae nova prorogaco. I cisco Pedro.Silveira bobo. ao nwno\do Sr. Joo iliiilh^rme Bron.
Tmhi terminado a symlicancia no districlo de | A assembla legislativa provincial de Pernama- Declaramos pedido do Sr. P^treAleuMn
Villa Real, sobre os acontocimentos eleitoraes que j co, resol ve : do de C Machado, que o me me
puzeram em alarme aquellos povos. Art. nico. A preferencia entre as loteras da como que foi pubtrado nestt Um
A discusao sobre o conflicto entre o governo e' provincia ser concedida animalmente na lei do d,. um espancamento, que dense ea trras
o bispo de.Coimbra, terminara na cmara dos pa-. orgamento, e s vigorar no exercicio qne per-
res, depois de quinze dias de debate. I tencer a referida le : revogadas as disposicoes em
O discurso do par do reino Rebello da Silva foi contrario,
dos mais nolaveis. Paco da assembla provincial de Pcrnambuco, !
O ministro da marinha propoz s cortes a appro-' de abril de 1864.Buarque.
vaco de nm contrato com o projeclado banco I-- A assembla legislativa provincial de Pernam-
tra marino, devendo este ser privilegiado e subsi- buco, resol ve :
lmites da fregueza de Grvala flca-
laOM
par.
diado. Tercaias lilaes em Loaoda e Mocam-
biqne.
.Nao se verificara a sahida de el-rei D. Loiz I e
de sua esposa para Franca e Italia.
Na imprensa de Portugal moveu-se discusso
elesiasttea, no caso de Ihc conrirempelo preco da porfiada sobre a inconveniencia de delxar o paiz
avaliaco. entregue a urna regencia nesta conjunctura.
Jurez recusa-se a resignar o poder da presi- A cmara dos deputados tinha approvado o pro-
dencia.
Art. 1 O
rd estabeleijdos pelo modo seguinte : romecaro
da fazenda Velha de Podras Miudas, seguindo em
direitura ao lugar chamado Buraco, deste ao Ca-
pora, ed'alii pea estrada da Barra at Agua Com-
prida ; d'alii ao rumo de Jos Victorino, excluindo
a propriedade Brejao, de Brej > em Imha recta ao
Tipim e de Tipim ao riacho Caranguejo. Couti-
jecio do goveruo para o livre commercio e cultura | nuar-se-h.o os lmites pelo inesmo riacho al a es-
e por esta ao Balanco ;
lu-coiite at a baixa do
Os gabinetes de Londres, Roma, S. Petersburgo, do tabaco ; a cmara dos pares devia votar sobre irada que vai para o sul
Vienna, Madrid, Berln e Pars estao de accord o parecer de suas commsses, propondo que se deste em direilura para o
este at o riacho de Pedras. Do riacho de Pedras
seguiro rumo do norte ao lugar Campos de Ma-
O partido miguelista resolver ir urna, e caeos a sahir no rio Ipojuca, airavessando este ria-
cho Mutun" e seguindo este pelas testadas das tr-
ras do finado Joo da Costa, passando no acude de
> do rei Christino por occasio do en-1 thusiastica fela a Garibaldi. Assim que o vapor
Jo risgraad foi mu bellicoso. O rei da inglez Ripon tpparecou na enseada de Southamp-
triando de raca germnica, obrigado ton dentate cinco tiros Je signal comecando a re-
iiual.iuer outro a conformar-so com picar todos os sinos. Os membros da corporacao
ca. O governo sueco em virtude destes ampios po-
deres dea ordem para se formar um corpo de seis
mil homens que se reunir em Golhemburgo. Este
auxilio no raso de se tornar efectivo, insignifi-
eanlixsiffo se attendermos forca do exercito allia-
do se aleta a cent mil homens; mas um lelrgram-
nia de Stok<>lmo dalado de 6 diz que o embarque
da divisan sueca lica addiado ate se ver a deciso
da conferencia de Londres.
No discurso do encenamento do storthny ,o rei
disse mas que nao deixaria porm de sustentar a Dina,
marca em caso de necessidade.
Consta que apenas se rena o risgraad dinamar-
quez o governo pedir aulurisacii.) para convocar
um eongresso constituate para, resolver acerca do
pacto fundamental de novenibro. As elecoes para
o laco.lstliiiuj (cmara alta) mostrain-se favoraveis
ao partido ocioaal moderado
Mr. Quanse, ministro dos negocios estrangeiros,
eKrigger devia partir brevemente para Londres
como plenipotenciarios por parte da Dinamarca.
Os Dinamarquczes levantan) forliuYaccs na ilha
de Alsen, para prepararem urna tenaz resistencia
aos alli.iilos, logo que estes se te.nham assenhorea-
do dos entrinclieiramentos de Duppel. >
No ataque de :tl de marco contra Duppel foram
os Prussianos balidos, t>'iio mais de duzentos ho-
mens fra de combate. No primeiro de abril, po-
rm, abriram a primeira paratlela. no dia 8 a se-
gunda ; um despacho de QravenoteB de 11 dizque
os Prussianos abriram a terceira parallela -, e que
os Dinaiuarquezes ialentando urna surtida foram
repellidos.
Os Austracos nada tem podido emprehender
contra Kredincia, por causa da falla de trens de si-
tio, limitanilo-se a bloquear a praca, evitando as-
sim a que se conceutioin todas as loicas dinamar-
quezas para a defeza de Duppel eda ilha de Alsen.
No da i um corpo de seis mil Dniamaiquezes
derrolou na Juttandia perto de Veel una divisan
do mareelial Wrangel. O general Gabdents pede
reforcosao governo austraco porque as enfermida-
dese a perda nos combates tem reduzido bastante as
suas tropas.
O fogojiietivo do Prussianos esta cansando muitos
estragos a Saodcmburgo na ilha do Alsen, mas
pouco i'fejto lera produzido sebre as foriificacoes
de Duppel,
Disse-se que os Hngaros que eombatem Sob a
bandelra austraca hariam tentado passar para os
Dinimarquezes, mas que sendo Vscoberta essa
tentativa. :)00 offlciaes haviam sido passados polas
armas; m.w h Gazetait WennadesmoBieesta no-
liria, e assovera me as tropas hngaras rivasam
com as outras em brazoVs e Gdehdade, tend) sido
ReotDinendados varios offlciaes e soldados, mes-
mo acontecen na rampanba de 1809 na Italia; em
3ue a Pgio hngara de Vctor Emmanuel, debal-
e excit'ju os seus compatriotas a abandonar a ban-
deira austuaca; mas os Hngaros- bateram-se
como intrpidos e > se misturaran! com os sitiados
os que foram apresionados pelos Prancezes.
Ugeneral Soad, p vernador da praja de Frede-
rcia foi agraciado cum a decoraijao do Dansebrag.
pela enrgica defeza que tem feito.
Os igaos semi olllciaes de Vienna desmen-
tem o boato de que o governo austraco entregar
i Russia os refugiados Polacos que se acolheram
ao territorio austraco. Observa que sao presos 00
lalernados segando as eircums{ancia<, mas que
nem um > tem sido devolvido s autoridades mos-
covitas.
O governo turco porm, entregon ao governo de
S. Petersburgo os emigrados Polacos que se acha-
vam em territorio ottomano.
O governo nacional polaco publieou una procla-
maco acerca dos uka-es que emaucipam os cam-
ponezes e criam conselhos rurae-; diz ((uo os eani-
poui'zes nao dovoin pagar imposto* ao governo pila
acquisicao das trras que
para recoohecer o novo imperador logo que conste arrematasse por mais um anno, e vigoraste a I
a sua aceitacio. 0 governo italiano nodeixar de berdade do tabaco depois desse prazo. Parece qne
seguir o exemplo afflrmando-se que j est indi- o governo aceitara a transaeco.
gitado o representante da Italia no imperio mexi- j 0 partido miguelista resolv
cano. s as prximas eleices para deputados.
As ultimas noticias de New-York sao de 26 do \ la ser pelo governo apresenuda ao parlamento
marco. O governo americano nao annue ao pedido urna proposta de lei permanente para a admissao Juruca do mesmo finado a
o governo inglez para levantar o liloqueio dos de cereaes estrangeiros.
portosseparatislas, e favorecer aexportaco do al- Tinha-se aberto a seccao do caminho de ferro
do norte de Coimhra ao Porto.
Declarara o ministro da fazonda que se nao ti-
nha vendido o caminho de ferro do sul, como se ti-
nha afumado.
Os horrores da fome em Cabo Verde tinham
motivado urna revolla na ilha de Santo Anlo,
Fm exonerado o governador Franco e nomeado
genho S. CaeiMo,do Cali.
Na lat. 7* a I m. S. Ion W
encontrado o bogue milei Sotar etii
Baltimore com prowdnria n Wo d> hmw.
O palhauote ingtez t-lle M no rente na altura de 8" 37 m. de lat N. e 3r> W m.
de long. O visitad por um mvo .! fiftn nm
bandeira norl'americaaa, sob prvtrtfc> 4e >-vmm-
nar o rhtonmetro. Soppoe-e |>r tl4 a* n-
idee ser esse navio algon cnanwlor roaMera4>
mi o mesmo Florida
U I mi ti uto ArcktoU*ti&> 4 tittfrmfiutt tmtt
ciona hoje.
Temos nuviilo queixas de enndacura A> fp-
neros aliuienliei.K. que roMniiiam verntr-bx na n-
beira, acerca dse Ihes n-petir o pammeMa 4
imposto fela mesma carga, da qnal :ippii> fui vr-
dida a meiade no da em que enfr-xi ao mnr*>
riacho Camafongo no rio Amaragi, e seguindo por coino ge f.,5se rarga nva.
godo.
O presidente chamou s armas 200 mil homens,
o nomeou o general Granl commandaate em chefe
de todas as tropas.
Grant parti para o quartel general de Meade
para tentar om encontr sobre Richmond.
Contase que haver brevemente urna batalha
entre as tropas de Lee, e o exercito do Potomac.
Os separatistas aprisionaran! dous regimenlos
encontrar o riacho
Forno, e por este cima ao lugar Sapucaia no
meio da Serra das Itussas em liuha iro baixa
do Marongu' e fazenda Velha das Bussas, d'ahi
Serra da Jabotciba a sabir no riacho Gangorra;
d'ahi ao poenle pelo rumo do finado Jos Bonifa-
cio, desde a fazenda Velha das Pedras Miudas,
onde comecam os limites.
Art. 2o Revogadas as dis|x>sicoes em contrario.
Paco da assembla, 1" de abril de 1864. J. do
dr
da
*
federaes a alguma distancia de Wcksburg.
foi repellido em Mobile, e aquella provincia no dia 12 de abril
o capito Jos Guedes de Carvalho e Menezes, an- Reg Barros.Silveira Lobo.Teixeira de Mello.
PIOMKIIIA PAUTE DA ORUEM DO DIA.
Terceira discusso do projecto n. I!) deste anno,
que approva os crditos suppleinentares alwrtos
i pelo presidente da provincia.
E' approvado sem debate.
ligo deputado as cortes.
A corveta Estepliania sahio de Lisl)a
para
essa honra. Lord Palmerslon e Mr.Gladstone con
vidaram o illustre general para um banquete. As
associacos convidaram-o para um banquete de
operarios.
Foram poslos disposco de Garibaldi navios do
estado |iara visitar Porlsuiout, e ofereceram-lhe
om vapor hlice de 50 pecas.
N'uma reuniao que se celebrou em Londres na
Loniton Tacem, em que estavam presentes bastan-
tes membros do parlamento, com o lim de prepa-
rar a recepcao de Garibaldi, deeidio-se que assom-
inas colligidas para tal lim fossem entregues a Ga-
ribaldi para as empregar como entender.
Garibaldi quando sabir de Inglaterra, diz-se que
tenciona ir Lisboa e a Gibraltar.
O ireito de Turin allirma que Garibaldi foi a
Inglaterra coto o tnico lim de agradecer naco
ingle/a os noinerosos testeuiunhos de sympalhias
que Ihe |iro"ligalisaram, e de modo algum a cons-
pirar con Mazzini. Ellcclivameiite Mazzini sahira
de Inglaterra para Lugano, e a Italia de 24 diz
que leudo chegado Lugano lora convidado pelo
governo helvtico a sabir quanto antes do territorio
da Suissa.
Alguns jomaos italianos aggredio o governo
por ler nomeado senador o general Cialdi. A ani-
inosida.le explieou-se facilmenle pela parle que
oslo general touiou nos acoiitocimeulos de Aspro-
inonte.
O re Vctor Emmanuel parti para Genova noj
dia 7 para visilar o priucipe Oddono, que so acha
gravemente do>'ii|e.
Acba-se om Paris o conde do Vimercal ajudan-
te de campo do Victor Emmanuel. Dizem unsqu
portador de urna especie de ultimtum do gover-
no italiano, declarando que se a Franca nao prulo-
ger as deaionstraces militares contra os territorios
d'alm do Mineio, seria impossvel doler por mais
lempo impaciencia dos liberaes da peninsula e
evitar urna lula solada da Italia contra a Austria.
Dizem outros pelo contrario, que. a excurso do
conde Vimercal tem um carcter inieiramente
particular.
A primeira snppestee Inteiranwnte absurda,
pois que o gabinete iiabano nao pretende porcerlo
exeicer presso sobro ensino do imperador dos
Francezes, presso ijue de cerlo nao teria resultado
algum favoravei. Entretanto o conde Virmeeat
nao tem negocio algum particular i|uD seja conho-
oido que reebtmaaae a sua presenca em Pars. O
Ufl parece mais provavel que o governo italiano
deseja estar de accordo com o governo franco;.,
para a evenlualidade infelizmente limito possive'
do falleciiueiilo do santo padre.
As enfermidades do Pi IX tem-se aggravado
estes ltimos lempos ; a imisaopiaiicada na perna
fez sabir gran.le quantidade de malcras ptridas.
que bstanle o alliviaram, maso albvio transito
no, e a crise nao tardar em repetr-ss.
Oscardeaes leuneni-se a miado para combina
rem na eseolha do successor para a cadeira da S.
Pedro. Sao grandes as ambices, e nao menores
as influencias que se jogaui tiesta crise, (|uo de
cerk) vira decidir da questao importante do poder
temporal dos papas.
Diz-se que a maioria dos votos propende para o
eardeal Panebiancio, da ordem dos franciscanos.
Faila-se no seu carcter enrgico e resoluto capaz
do ludo intentar para sujeitar o poder civil su-
premaca espiritual, como na ida.le media. Diz->o
que sera um novo Xisto V. Tal eleicao ser una
infelici lado para a chrislandade que tora do ver
sem amargura o resoltado das lulas incruentas cu-
tre principios lio oppoatos a to contrarios ao espi-
rito evanglico.
Pubiicou-se um decreto autorisando o governo
pontificio a contralor um emprestimo do 40 milbes
de francos para oceurrer s despezas correnles.
Continan! os conflictos entre as tropas rancezas
e iKiiiulicias.
Diz-se que a.rainha Mana Sophia de aples,
prevalecendo-se da moi le do rei da Baviera, sahira
outra vez de Boma. /
A falta de seguranza em Roma muilo grande.
A princeza Corsina qoerendo ostentar n'um baile
os seus diamantes avahados em alguns milbes, pe-
0 general Farragot
obrigado a retirar. ros e vveres, e conduzia o novo governador.
Mallogrou-se a expedico de Shermon ; faltando; Da India porlugueza e du.Maco, nada ha im-
quaesquer noticias posteriores. Calcula-sc que a portante,
perda superior a io mil homens de que se falln. I Fallecer cm Lisboa o segundo duque de Pal-
Achou-se a fragata fi Gn/finfuamo que se jul- mella (D. Domingos.)
gava perdida. Havia qoeixas severas da imprensa contra a def-
0 general Beaoregard foi nomeado commandan-; ficienle poUeia de Lisboa Alguns atientados rc-
e do exercito do suduoeste. cenes as proiirias ras da capital tinham desa-
Os confederados dispoe-se a invadir inmediata- socegado o publico.
mente o Kentuchy ; ha alli grande pnico. t'ma nova corveta Duque da Terceira, tinha sido
0 presideolte dos estados do Sul da America, posta nado no dia 8, em presenca da familia real \
Jeferson Davis, dirigi ao exercito o seguinto BU- e de um concurso numerosissimo. El-rei D. Lu
nifesto : c Soldados dos estados confederados. I depois do lancar a corveta ao rio, foi baler a ca-
Na sanguinolenta e prolongada guerra que SOS-i vlha meslra da canhoneira vapor Rio Minho. A
lenta o vosso paiz tendes conseguido grandes' qiiilha da fragata D. Pedro V devia ser posta bre-
iriumphos ; tendes alcancado gloriosas victorias veniente no estaleiro.
contra exercitos superiores cm numero ; tendes
supporlado com enthusiasmo-privaees e ladigas i
que nao eslaveis coslumados ; tendes aceitado de
boa mente as restriccoes impostas vonlade do |
iudividuo, que sao convenientes para cumprir com
os deveres do soldado. A ludo isto tendes aceres-
cenlado urna nova vantagem mais formosa van-1
tagem que pode o homem obter : a victoria sobre!
os vossos desejos.
No momento em que se approximava o tempo
de terdes cumprido a obrigacao do vosso sorvigo c
de vos poderdes retirar a doscanear de vossos ru-
dos trabadlos, nao tendes pensado seno as no-
Segunda discusso do projecto n. 22, que
provado.
Primeira do de n. 41, que revoga a segunda
parte do art. 26 da lei de 185o, para efeito de le-
Parece-nos no entanto que iio iHejraJ
mais nao faitam meios de verificar 09
praca o que ficou por vender, atn de a
gar impioio em duplcala.
Carece de urna providencia em tal sentida.
O vapor inglez Itnrida Irouxe *en
Europa Ufe passageiros, dos qnaes 12 para Tn
namboco. Entre os que srgnempara o Hb de m-
' neiro acha se S. Exc. o Sr. narotM-z Micbalori, mt-
nislro ilalianoo seu secrelari.
Este vapor, em consequemia de trawr mnn.t
carga, s seguir hoje tarde para os portead
sul.
O vapor francez, portador da aula de *
deaux no corrente m. o Gmemnr.
Celebraram-se hnniem 27 cw rferenria m*
igreja do convento de Nossa Senhova do Carian.
ltimos sullragios pelo reiouso eterno de I. Miar
colina Gereina fe Gusmo Libo, lilha do WBm
! prestante amigo o Sr. coronel Francisco
Pereira Lobo.
Depois de resistir por lonrns ruen- mm gra-
\ xealTeccao no larynge, peranie a i|oal (uraan m
potentes os recur.-os da sriencia, suceaaBbra a 6-
pais r ir man, rvn-
. ""' deudo a alm* r*
meados depois da promulgaeao da referida le antecedente.
aquelles que j o erain no lempo dessa promul- ija)ie_
nada entre os bracos de seos
iguaes veocimentos aos dos profossores no- denilo alma a(( (Xr,,v|(K fa ,0 ,|4 hnnt i
Tinha |hhico mais de 16
gacao.
E' approvado sem debate.
Primeira discusso do projecto n. 37 deste anno,
que providencia acerca de animaos cavallares.
(Coiitinvar-se-ha.)
aa de
Lv
RE-VISTA MARA.
ASSEHRLEA PROVRCIAL.
SESSAO ORDINARIA EM 1 DE ABRIL DE 18G4.
PllESIDENClA DO SR. CONSKLHEIHO TRIGO DE
L0UREIR0.
As 11 i/2 horas da manha, feita a chamada e
cessidades da vossa patria desolada, e tendes nova- achando-se presente numero legal dos senhores
mente oferecdo vossos bracos para a defeza pu-1 deputados.
tilica ; oferta espontanea e livre que s pode ins-
triumpho s digno de vos, e
Ao Sr. coronel Pereira Libo e Dr. Gusano
bo, pai e irmo da finada, remtemos ->inren fe
zames pela dolorosa |ierda que acaban de soflr^r
Nao proseguio boniem o roaron* da mmm
raria provincial por terse dado ao correr d>b>
um incidente que por combinace do iaepnwr r
examinadores, foi levado ao conhecimeata da tx-
sidencia para resolver a respeilo.
Pelo delegado do termo de Bobme fui are
Na sessao de hontom, a assembla provincial oc- Antonio Antunes Barana, por se baer awr A.
cupou-se na i-parte da ordem do da, com a T aaiassiulo do mfeliz Daimao, no termo de Gaa-
discussao do projecto n. o deste anno. que crea re4-
nesta provincia urna escola normal, fallando con-1 pe|0 mesmo foi preso Militan Fenvira Cos-
tra o art. 1" o Sr. Jacobina, e a favor o Sr. Armi-1 vao, por crime de roulw.
oio, fallando anda sobre outros artigos os Srs. Sua-. Amanha se extrahira a piarla parte da pn
res Brando c J. llego Barros. | meira lotera da mairiz de Ramiros.
Entrando na 2 parte da ordem do dia, continuou ; hei-articao da muom.
na 2J discusso do orcamenlo provincial e appro- i Extracto da parte fe dia 27
18. 19.20, 21, 22,23,24, 2o, 2C, 27, 28,
pira-la patriotismo, triumpho s
da causa que defendis.
t Em vao busco expressoes" para vos testemu-
nliar o senlimento de minha alma por esta prova
de conanca.estiinaco que nos tendes dadoultima-
mento.Aos primeiros quedemim seapproximaram
pude responder-lhes ; porem evidenteque todo o
vou os arts.
29,: e 31, ficando adiado o art. 39.
Durante a discusso foram oferecidas as se-
guiotes emendas :
Ao art. 2o. i I. Em logar de 6005, dga-se
1:000.Gonealves da Silva.Araujo Barros.
MaranhCto.Souto Urna.liamos.Soares Hran-
do.ArmuUo Tatures.Reyo barros.Sabor.
Aoart. 27. Em logar de 5005,diga-se 1:000J.
Jurares. Araujo Barros.
sanego do mesmo Exm. Sr. -Inleirada.
Urna peticao do bacharel Manoel da Costa Ho-
norato, pediido que esla assembla Ihe conceda
tuna stibvenco, aliui de que possa percorrer todas
as partes da" provincia, para que possa correcta-
mente fazer de nm-o imprimir o Diccionario Topo-
grapbico Estatistico e Histrico da provincia. A'
commisso de petiges.
Outra do padre Florencio Dias de Albuqaerque,
director de urna assuciaeao de senlioras iii-i.-iur.ula
ni igreja do reeoihimeiito do Santissimu Coraco
auto lim
exercito cheio de generosidade novo se alista e sae
para o campo da batalha anda mesma os invli-
dos, que nao pdem manifestar por aeco o zelo
que tem pelo seu paiz. Assim, pois, permiti -me-
lis dingir-me vos todos, nao podendo faze-fo
individualmente, igradeco-vos todos em nome
da nossa patria commum, como no meu, aporto a
me aos veteranos e reconheco os ttulos que pos-
suem ao nosso amor, DOtsa admiraco, ao uosso
reconhecimento.
t Soldados. Por vossa vontade, porque vos e o
povo formis um s corpo, estou collocado n'uma
posicao que me nao pennitte partilhar comvosco os
perigos, us soiSrimentos e as privaees, que vos
molestam no campo da batalha ; porm coia alti-
vez vos acompantio em vossas, com terna soTicitu-
de vos ajudo e com alegra cont as vossa-. faca-
uhas, c nunca nem por vossas marchas penosas,
nem por vossas noites de fadiga, non pelo vosso
valor 00 combate, tendes verificado una obra to
grande e decisiva e to fecunda em resultados co-
mo o sacricio que tendes fetode abnegacao e de
Icaldade, que sao as qualidades mais nobres do
soldado patriota. J o povo tem igual pon-amento;
o mundo compara a vossa oferta espontanea e uni-
sona de verter o vosso sangue pela patria com as
incilacoes repugnantes dos mercenarios, que o ini-
migo compra, e s pode faz-lo por inoio de pre- \ extncto lyceu de.-u cnlade,
mios, e enjo modo uo lem exemplo tos annaes hado logar une
militares da arto.
Animados por este contraste nossos concida-
daos tem coulianca, e a sna attitude enrgica.
Os debis murmurios dos tmidos, que se nao
atrevoin a arrosiar as proras, pelas ipia.sso mar-
ca o nosso carcter, tem cessado ao contemplar o
espectculo da nossa conducta.
O vosso grito de guerra resa no paiz immi-
go, como no nosso.
Ella far desapparecer as demonstracoes ven-
cedoras do um partido corrompido e de una un-
pivnsa veual, e lara justiea as calumnias que se
invenalo pana engaar os povos vencidos, aos
quaes so no diz, que eslo prompios a comprar
urna salvaco deshonrosa por urna submisso de-
gradante.
Soldados. A campanha da primavera nao
tardar acomeoai' debaixo de prsperos auspicios,
qoe levautaro as nossas esperancas.
t A vossa ivsolucao nao precisa de fortificar-
se. As vossas tileiras est coliertas pela inlluen-
ca do vosso exemplo, e pelo cuidado dos vossos
representantes, que lem dictado todas as medidas
legislativas necessanas para augmentar as nossas
forcas; esperai os invasores ciin a seguranza e
euoaoea justificadas pela lembranca das roma
pasadas victorias.
0 nosso amigo tem grandes desgostos. A divi-
da, os impostes, o resiabelccimento de encargos
onerosos, a rivalidade ambiciosa para se apoderar
do pudor, a dstribuico dos destinos, a dilapida-
cao do erario publico, e sobretodo a consciencia
de urna m causa, sao motivos bastantes para aba-
tere i n a soa energa j> muito debilitada.
A sua campanha de 1804, attendendo sua
carencia de recursos em homens e armas sera
menos temivel do que as dos annos anteriores,
(piando com urna prodigalidade sem limites tinha
meias de aeco ; j sabis qoaes foram os seus re-
sultados.
Basta citar os nomos dis batalhas Shiloh, Per-
Manassas,
Abre-se a sessao.
Lida a acta da anterior approvada.
O Sr. Phlueiuo Secretario d conta do se
guite
EXPEDIENTE.
Um officio do secretario do governo, remetiendo i -Habot.Arminio
a informaco ministrada pelo director geral da Gonealces da Stlva.
nsirocco publica, acerca da creaco de orna ca-; o art. 2. Em vez de 2:000-5, diga-se -4:0005.
deira de primeiras lettras nafreguezia do Grvala. 'Teixeira de Mello.Dr. Uupltsta.
A' commisso de nstrucco- publica. g additivos ao art. 23 da le do orcamento :
Outro do mesmo, cominunicando a hora em qoe l Com a conclosao do hospital de Miseri-
o Exm. Sr .presidente receber a commisso qoe cordia de Olinda, alim de poderem ser para l
tem de apresentar diversos actos legislativo transportados os alienados, a quanta de 2:0005-
. I f Com a collocaco do vidracis as gale-
ras do raio terminado do hospital Pedro II 2:0005-
Agres Gama.
No art. 23. Em vez de 20:0005000, diga-se
30:0003. -Ramos.
t Ao art. 22. Com 30 ampees de azeile para o
Ro Formoso 3:1805 Ai/res Gama..Lopes.
Ao art. 28. Coadjutores leudo 3005 cada um
12:0003.Rai que.Fihincisco Pedro.
Ao art. t g 3." Ao reeolliimeuto de Olinda.
0OO5.Sabor.Souto Urna.
de Jess na villa de Iguarass, com o santo lim Faharam sobre diversos artigos os Srs. Nabor.
deservir Dous e venerar a Virgem das Dores, j. liego Bu ros, Silva Ramos. A\ res Gama, Buarquo
pedindo a approvaco dos estatutos. A' commis- e g Pureira.
sao do negocios eclesisticos. .\ ordem do dia para hoje e alm da j dada, a
Outra de Marlinho Jos de Jess, professor de [ discusso dos projectos os. 23 e 94, o 2' do de
instroceao elementar da villa de Ouricory, pedin- 73
do adiamntenlo de 0 m:zes do seus venciinentos, Acabamos de ser obsequiados pelo chefe de
alim de poder seguir com sua familia aexercer a una das mais importantes casas de commercio do
sua prolisso. A' commisso de ustrucfo pu- nossa praca, com o soguinie extracto d'uma clrcu-
bb'-a. lar dos Srs. iiicholson & Wrigley, em 8 do cor-
Horculano Julio de Albuqnerque, ex-hedel do r,.nte :
pedindo a aposentado-, o algodo do Brasil muilo procurado pelos
exerca com o ordenado propor- nossos fabricantes, mas pouco pelos exuortadores.
cional aos aoaos qje servio. .A' cjinmisso de : As chog idas nao sao grandes, mas esperam-se
petices. i 20,000 netas que j tardara, como os importado-
E' lido e approvado o segointe parecer. rtS mostrara desejos do vender, esperase qoe af-
A commisso de legislaco tendo vista a peli- fronxe 010 pmeo a firmeza do mercado.
cao do profe-sor publico de instrncej elementar As qualidades mais procuradas .o as limpas.
da villa do Cabo, Claudino dos Sanios Lopes Cas- <> ,],t Parabyba segunda lorte nao acha comprador,
tello-Branco, qne pede pagamento da gratilica?o 0 por isso colamo lo a 2o 1|2 d., apezar mesmo de
por mais de la anuos de exercico, desde 7 de do- sui'pormos nao o qnarvrein os fabricantes, anida
zembro de I8o3 (lempo era que complelou os lo mesmo co n 1 d. de diferenea para menos em li-
annos) at 5 de dezembro de I8G0, em que princi- |,ra, por cansa das sementes e nninuudicia que se
parte do dia 27 de abril de l64
Foram reculhidos a casa de deleaco m da :
do trrenle.
A' ordem do delegado de Jaboato, Manuel J-
quim do Naseimenlo, e Juo Paulo ds)
bus sem decUracaodo motivo.
A' ordem do subdelegado de Santo
Joo, escravo de Aniceto de tal, por fgido.
A' ordem do de S. Jus, Anti-ma Mara do E*f<
rito Santo Souto, |wr disturbios ; Manad Jen d
Naseimenlo, por embriaguez; Iteoedirta Mar *<
Prazeres, e Rosa Mana Joaquina. aruba-> para ave-
riguaces cm crime de fui lo.
O chefe da srrei,
1. G. dr Hnufrnt*.
Movimento da casa de delenco, aw da &> V
abril de 1804.
A sabor
Existwm. .
Kuiraram .
S.,lnram. .
Existem. .
Xacionaes .
Lsirangeiros
Mnlheres .
EslrangeiiJ .
EacravM .
Escravas .
337 pre-.
.135
220
34
6
1
(.:
I


ja possueni ha um anno
por decreto do governo'nacional: mantera oprn- ""TV1"? a,;""":i -""' oop.na uo->apo,e>. Mur,reboro, Cliickahou.inv,
cqiioda iudemnsacao dos prop.ela.ios pelo es- K1^"^^[nml Uo re' da Daviera'san,ra, Frederickshorg c Claneellorsville.
lado. if-.u, ,it ^.;___ -...'. .'. -" Soldados, lim triumpho vos est reservado na
A polica feVarsovia encontrn na l.abi.acodos K'^^f^^^^ZS^^^^ l"ila "**3? pela independencia,
Srs. Gousowik os bahs con. os archivos dacons- ^ nnT X^, t 1^1 2 V* h,du 1ue a vida deseja e ama.
piraio e os sellos do governo nacional. Alguns pa- t!S^SSSt M dSSa?MhUoa! *"**ito, vos que sois a osperanca e honra
peis imporuntes estavam cosidos nos vestidos das \&ttgL^Sttfitt **L C'n a ^mtafd" PrVd-no,a neBSTl
senhoras. volti .mosomerecnnento, os froctos deste tnoiopho nao
No dia 31 demarco hoove cm S. Petersburgo aV eaman* rancezas foram nrorot-adas al i de erao reCultidos nicamente por vos : vossos fi-
ama grande para la junto ao monumento do impe- ; ^V^^^^SST^ 1lhS c ^r^"s v.ndouras aprove.tando-se da
redor Aloxandro 1 para celebrar oaniversario da % ^J^S^^SSim ao corpo ^***"**>#*** no coraco a vossa
entrada dos alliado-em Pars em 1814. 'gislativo elevam-se a 1'iO milhes A exuedicao pre (,uer,da-
Diz-se que esta sole.nn.dade causou muita ira- meXH.ana e ainda orippm do xcesso e fi^ Cidadaos, que defendis os lares, a lberdade
presso em Franca, e que Mr Bronyn deLbay cammiesdflna do govomo abundara em proles- e os altores da confederado, permita Dos, que
chegara a queixar-se ao barao de Budbery. jtos paeiticuf no em|1(,llho r.dozir os encargos aferan.os humildemente, cobrir-vos com a egide
O Nord procura attenuar a 111a ini|.resso produ- do thesouro, porm no oreamciito nao sao aitendi- de sua proteceo, e tornar-vos ao descanso entre
zda |ior aquella solenmidade, observando que cada dos esses desejos. ,os VSS"S amigos, entre os seres que mais amis,
paiz seguo dileicnle tiMitliodo na cominemoiaeao I Tal e. a incessante oraco que dirige ao co o
das suas glorias militares; que. seem Franca e In- Suseitaram-se grandes diffieuldades para a acei- vosso general cm chefe.
flalerra se levantara monumentos, c so do as ras taco do llirono mexicano pelo archiduque Maxi- Pelas ultimas noticias de S. Domingos as cn-
e pracas os nooies dos sitios onde se obtiveram m.hauo, pois que estse obstinavaem nao presera- fermdades continuavama fazer serios estragos as
triumplios 5 na Russia se fazem paradas, sem que dir da contingencia de oceupar o throno austraco, liloiras hespanholas.
contingencia alias pouco provavel, pois o imperador O general Vargens decidi que so concentras-
Francisco Jos lem descendencia. O governo fran- sem as forcas nos pontos principaes o mais saluta-
cez licou muito afectado com o imprevisto inri- res. Sao geracs os elogios octividade e providen-
dente. O im|ierador Napoleo mandn logo o gene- cias do general Dulce que corainanda a ilha de
ral Tripoud para Vienna com o intuito de por ler- Cuba,
mo a este incidente desagradavel. O emprestimo
mexicano liaixou logo em Londres a 44 ','j.
A emisso do emprestimo nao pode porm ter
lugar antes de sahir de Trieste a fragata Novara,
piou a perceber ; considerando a commisso qoeo
supplicauti; nao pro vou ter completado o exercico
iiapiella poca ; considerando que ja foi allendido
no anno de 18(0, sem que se atteudesse desde
encontrara as saccas.
Ha mui.i anciedade pela anegada de carrega-
mentos de Macei, que estad em viagem, para ve-
rilicar-se se vera misturado com crneos, pedras
1853 ; considerando, porm, que se deve fazer jos- etc., como alguns que aqu chegaram uliimamen-
tieaa queui de direito tiver, de parecer queso- te, o qoe deram perdas flus iniporladores de 10 d.
ja ouvido o director da bmtnwain publica.Jo- por libra.
Kustaquio]Ferreira Jacobina. Costa Ribeiro.; Soria conveniente que OS exportadores exa-
Joo Francisco Teixeira. iminassemo seo algodo nos diversos port, para
Tambera lido e approvado o seguinte parecer: evitaren) que vonh un sonto um loto qu recebe-
A commis-o de agricultura, commercio e obras mos de'IVniamhiieo, que oslando bom em appa-
tuiblicas, oxamioando a peiico dos moradores do icncia, foram .recambiados por con te rom de ser
2* districlo dos Aligados o proprietanos das ira- rae io algodo por desearocar, O vendidas em lei-
raediai;es da estrada denominada Travesea di Lu- i.j ao depois ;i 17 d. por libra.
ca, de parecer que seja remeltida ao Exm. |iresi- o nosso deposito do algodo do Brasil eleva-se
denle da provincia, para (jo mando averiguar do cerca de IG,000 saccas, e o de todos os paizes a
facto allegado da abertura da earaboa dos Reine- 320,000 saccas.
los, do que rosullou licar a dita estrada uitran-
sujavel.
Sala das commisoes, 1 de abril do 184 Cam-
pello.Reg Barros.Svvira Lobo.
E' approvado o seguinto parecer :
As colacesde hoje. sao :
Macelo mediano 2'i i|2. ha pouco.. qoasi sem
procura.
Parabyba primeira sirte 96 l|4, boa procu-
ra, mas as importadores mostrea aaciedade para
m
Alimenlados costa dos eofios provinriae
Movinieoto da enerinana do dia 27 fe
de I814.
Tiveram baixa :
Jos Franrisio de Moma; eoHhi
liinocencio Francisco d"(iiiveira; dita.
Passageilos dj rapar in^l. 1 Menta.
Southanipion e polios interanMin :
Jbbn Midlon, Fiaiicisco K4x*iro de Fana. IV'-
doro K. Itaroll. Iternai dio 0.>calve- Saigadn, *
Gonealves dos Santo*, Anl'mio Nunes Fm
Coimbra, Francisco Jesc da anacen, Dohm** *
Silva Guunarae* e sen BMa, Tito da 9itv6M-
inares c Behrand.
I'assageiro da barca -auceza S^pM*, VMHa
do Havre : Antonio H.udv
l'M PIUCO Pl
Ld-se na Gran :
Se oi'spui:o di ultrainoiianisiHO, e-mu i4m
Diario do Rio, se arlia e>pal ailo em p^rte il
10 que procura incutir na m r\.\.-l-
do mais puro jesuitismo
impiedad.; se aclu HMenMdJ
|lUblC>US, .pie buscara a
mural e cavar a ruina eaad
niM.
em iMuilo dea mtmm
it a i bbm iBjiaar
A commisso de agricultura, commercio cobras vender,
publicas tomando em eonsideraco a patelo dos. dem segunda dita, 25 arrobas 25 1|2, pc-rfei-
ha hitantes do districlo do Beberibe, em que pedem lamente nominal, sendo iinpossivel obter olTrtas.
a abertura de una e-lra la, de parecer que Bom mediano (Good fair) M 3|4 boa pro-
vista da necessidade do meihorar as entradas por | cura.
onde sao transportados os gneros de BXportacao
da provincia, nico favor que esta assembla pode
fazer aos agricultores, alleudeudo mais a dcfflcien-
cia dos cofres pblicos o a ler j a povoacfu de
Beberibe um porto de embarque, pouca distan-
cia, no rio desb) nome, nao pode ser attaidida a
peMeo, devendo porianlo ser indeferida.
Sala das commsses, i" de abril de 1864.
Campello.Reg Barros.Silveira Lobo.
Sao lidos e julgados objedos de dehberacao e
vao a imprimir os segrales projectos :
pessoa alguma possa dizer que ido sigmlique ani-
mo ho.-til ou m vontade para com as oulras po-
teucias eoropna
A follia oflicial do governo russo do dia i, pu-
blicuo um artigo calcniado para acalmar o rosen-
tmenlo do governo francez, e diz que a revista
passada pelo imperador At> sandre em cousa algu-
na pode retir a suscepubilidade du povo francez.
e eutUdam as relaco* aiaigaeeii das duas poten-
cias.
Pernambuco, liom, 25 3)8, boa procura.
dem, mediano, 25 3|4 arrobas 2o\ dilllcil de
vender, seno senda bastante lirapo.
1 Maraiiho, bom, 2ti 3)4. alguma procara, ha
falta.
dem, machina, 26 3|4, boa procura.
Ceara 26 arrobas 26 1|8 dilDcil de vender,
t Aracat'y 26 l|2 idem.
As vendas de algodo ainda para chegar fo-
ram diminutsimas, haveudo vendedores de Pa-
rabyba c Pernambuco a 26 d., ede Macei 2o
A assembla legislativa provincial de Pernam-1 d., I ultima venda de algodo do Maranho foi
boco, resol ve : 26 3|4, eslaudo o navio quasi 00 lim de sua via-
Art. Io Fica extncto o Gymnasio Provincial, gem, mas agora nao se podo obter esto preco.
Art. 2o Fica restaurado o amigo Lyceu, coin as j Mandoo-se dar baixa aos soldados Belchior
modilieaces estabelecidas na presente lei. Salusliano Vieira, Manoel Al ves do Nascimeuto e
Art. 3o O Lyceu sera composto de tantas cadei-. Juslinlaoo de Souza, do corpo de polica,
ras qoantos sao oe preparatorios exigidos a malri- j Vai ser novamento posto em concurso, nos
cula as Facilidades de Direito do imperio, e mais termos da lei, es oficios do partidor, coutador e
orna cadeira de sciencias naturaes. distribuidor do termo de Cabrob.
Art. 4o As cadeiras do art. antecedente serao re-1 Estao em concorso o lugar de depositario
gidas pelos actuaes lentes do Gymnasio. geral do tenno do Ouricory, c os officiovde part-
Art. 5o O director geral- da instrcco publica dores nos do uuricury, Cimbres c Boa-Vista, bem
dirigir, tambera o Lyceu. como os de partidor e dbtribuidor do termo de
Art. 6o Haver um bedel que ser ao mesmo Serrahcm, deveudo os pretondeutes apresenta-
tempo gnarda-museu, e ter 600fl000 de ordenado rem seus requeriraentos instruiJos na forma da
e 20050iH) de gratifi.-aoo, em seu exercico. lei, e no prazo de flO das.
Art. 7 O presidente da provincia Rea autorisa- Foi nome ido Francisco Olegario de Vascon-
do a fazer a despeza indispensavel para os apres- cellos Galvo para subdelegado do districlo do Li-
tos necessarios ao edificio publico, que tiver de moeiro. primeiro da fregueza daquelle nome.
servir de museo c Lyceu. podendo servir-se de I Pelo Sr delegado deste districlo. Dr. I
museo c _
Discote-se oas cmaras hespanholas e projecto' parto de algom dos conventos desta cidade, pre- Pereira, foram prenunciados no art. 269 do cdigo
da aboheo da reforma constitu-ional. cedendo accordo com o respectivo superior. criminal Manuel Antonio da Silva Ba-tos, conheci-
0 governo vai mudando os gobernadores civis.! Art. 8* Os lentes doJGymnasio, cujas cadeiras fo- do por Manuel Cozmheiro, e Manoel Matheos nos
O Great Kastern. va|ior monstro, fui portador ram supprimi las segundo o art. 3o da presente lei, Aujos Penante, conhecido tambera por Manoel Fei-
r Mr l^l*da ITIinl Xt P. emtireTQrinc An ptYtn i>r-lrl :lll ililiK rfl:,."lrf.cN nilhlir.e nrnvinpiapc n l:e..ir,i p.nn.i Tnf .re il.i iu'elllll.1 rcallsailo na
coduzindo a seu bordo o novo imperador do Me- por Mis. Glass, Eliot & C, emprezarios'do cabo sero adlidos reia"rtic5es publicas p'rovinciaes ticiro, como'autores do incendio realisado na
Tem corrido que marchara tropas rossas aus- xico. submarino qoe pretendem estabelecer entre a Eu- nellas empregados : mas poderSo optar qualquer prensa de algodo do Sr. Manoel Antonio Ribeiro ;
triacas e turcas para as froutoira* dos principados;; Uro ielegramma de Trieste de 10 do crrenle diz ropa e a America. Os propriotanos do Great Eas- dos ordenados. | visto que das diligencias praticadas com tanta soli-
esta noticia caua serios rectios de complicaces porm iuie o archiduque Maximiliano aceitn oHJ- tern receberam 50 rail em aeco da companhia Art. 9o O Lyceu so podera funccionar at tres cito le por essa aotondade, veriticou-se ler naviao
graves; mas a folha official moscorita desmetite a cialraenle a cora e ue uo seu discurso louvra do telegrapho atlntico. Os emprezarios toraaro horas da tarde, nao podendo dous lentes funecionar arroiobaraento, sendo subtraludas l.airas e papis
noticia da marcha do xercito de 30,000 homens a magnaniraidade' do raueredor Napoleo, deca- conta do vapor no da i de maio, mas julga-se na mesma occasio : as horas em que cada um existentes naquella prensa ; assim como que foram
para a Pilandia. rando aue conservar empre a lembranca d- que s na prxima primavera podero comecar o devera funecionar serao marcadas pelo director da os referidos pronunciados os autores de tao negro
instruccao publica.
Art. 10. Cada licSo dever durar urna hora pelo
menos.
I Art. 11. Revogadas as disposicoes em contra- geni urna cupidez brutal
rio. Hoje o funeral em suffragio do Exm. Sr.
I Paco da assembla legislativa provincial de Per-' conselbeiro Paes Barrete.
rando que conservar setnpne a lembranca i*s que s na prxima primavera poder
A polica austraca fez visitas domiciliarias em seus servieos:; desoque estabeleceria o reg- sea projecto.
Pesth para capturar diversos viajantes hngaros e meu constitucional, logo que o patz estoja pacifica- E* de esperar qne agora se rnalise este formida-
estraogeiros, que ltimamente penetrarain naquel- do, que nunca deixar de respeitar a Jiberdade fa- vel e til projecto,me vera estreitar mais as nos-
la cidade. I zendo tambera respetar a ordem que para o cum- sas relaedes oom a Europa.
Suppe-se que os generaes Klapka e Torr te primento deeta exceifente, mas dirScH tarefa havia Em Lisboa era esperado Gartbakli, n sea
acham nos principados danubianos as fronteirac. de reclamar o concurso de todi os Mesjcanos. regresso de Londres para Caprera.
crime
Ainda bem que desta vez parece que nao floar
sem punico um crime horrendo, que tem por ori
Nao rec.; o futuro, neta te > '"' ?,*na! >:
trinas entinadas e pregadni pal m 'b-tvnnirn papa, Sr. do Don >; ././ R-:
Para iii'is o rei um enviado de Daen.
.\o pulpito, 11a cadena tMMneatre e >
nario, sao eslas U doiili 1111 \ fOB j.rofi
que ensiiamiis a noss So sao mas, ipi. i\eni--e || I.'.-, yntqtt
quera o diz :/..< biim rtk um >* ira.
Os factos aln eslo; com tul* a kr*loru.
Vejamos on le exist.....1 e-,,nil.> de
i|ue ijuer o Diam aaaiflir os defoi.orv4 do ra
Fo o nltrainoiilani-ino, q 1: e.u .-poras pavij*i<
laueou por lona os altar, s a-s-adtaan o-, m**
do Sennor, c levuO ao ca ui..Uj um aelo de S
Luii ?
Foi o ultramontanisnw \ io Id por tres i<-Ktai-
dar era sangue varas pr.\ mus .u, imferH* I
Foi o ullraraontani-iiio.. i.- revidai-MiQini a
lago de aples, que u-i r|ou a LuibrU t a
inania, e laucn forado 0 folio o sobrulMdja
parador do Brasil *
.Mix'iavol s\sieina, diiia nm
aquello, que prega llieoriat MOI
E o que lera feito em prl da hu
homens. que tanto fallara dorara o
precouisan a poltica niiidrrn.i f
Vede a Italia e com o pofla exi-lamai
Et crimine ab nao disce ommes.
Esta gente assim ine-ioo !
Bu>ca Mos os m.-os de illmlir o povo ; verte-
se coin apparencias do caridade, pr que nao tem, avilu >e para cuo.>e|(uir o mmrmr-
ja, mas apenas alcancado, quaes no vos SybM cal-
cara aos pi's o |kito, que os etegea e m tmtm do-
tadores |ierpeluos.
E quera mais lem protegido a verideira Kbrr-
daded que esses a quera a iba-tre retUo^u du
Diario alcunba do ultrauontan.* f
Anda ha pouco, gomia.u iTse^uiJ.>s
polacos, e nenhum dus mtitula-1.
pugnoo verdadeiramenle por mu caneo.
U clero, si 1 o clero uliraiuoniaiio marcfe>>n BaMe
deses berues. que Iwadoj por u* olia
pugna vara pela lberdade el pelas sua* rrefi.
Sira, fm o clero, e s o ratoo, o
soparavel das desgrac.., da sotta
mariyres, e que inorreu com etb-*, _
cora a Cruz foi exilado pura os iananaftevi
da fra Siberia.
E nao foi o papa qnem pedia a Deon ca prnrn
solemnes o Iriumpho do povo martyr f
E nao foram os bispos ultramontano* na rrga-
rara, que Ihe mandarain dmbeiro, que
era favor delle T
E essa vossa gente qoe se diz livre, 1
dado olTereccu para defender
cipios que professa I
Parece impossvel, diz o Diario, ane 1
America proclame era face systeraa dos ultramontano*.
Parece incrivel, direutod nos, de raciocinio claro e illosiraj nri
Felizmente, as ideas do Diarw 1
na populaco sensata d liupe.rw de SananCraa.
0 proceder da cmara da C .
sio do discur-o do Moolakaaoert hranMJ
Junqueire, ama prova 1



fblarl Je r*-*K.\>Hf* dJjiiina felra ** fe Ahrll de ifti.
Nao erramos grossc i rmente quando aUrritlmo
sur o Incremento dos E*ladusljii|dps e da Austra-
lia devido em grande parte aos randezes.
E' preciso nao se ler a mais perman noco da
historia*! Aawrica do Noria, para/norar-se, ocie
[mucos (o os eaeainhos de frro un ranaes a a-
i|ii lies (ijies. qiio nao tinliam sido feitos por ir-
I HI IrCl.
h- 9ui nao sabe que o vo iran le presta i
America man servieos ua lavoura, do que os nos-
sos escravos !
Quern ignora que qnasi lodo o cxercito do Norte
que combate os separatistas de irlandeses ?
Se isio na menie do Diaria nao servico real,
eu nao sei o que o seja.
i\o queremos revolueoes, Sr. do Diario, nem
t.) pouco queremos galgar posiedes por uteio de
leico popular.
Amamos o Brasil mais qoe ninguem, e por
ralale to
a aior nlpum lempo.
se grande beneficio ainda
1
Acredita loheis. vindouros ? I I
2i de atril de 186).
...____
lllm. Sr.Temi solicitado do corpa.eletoral (le
nossa heroica provincia a admisafio de nieu obscu-
ra nonio na lista triplico, que foi ollerecida co-
ra na rtltima elelcao, consegu isto, e do modo o
mais nobre e lisongeiro mim, que por to grande
considerarlo me confesso eternamente agradecido.
Oa tribuna parlamentar eu me dirig aos eleitores
le minha provincia, e Ibes tribute! a homenagem
devida pelo titulo de suprema honra que me haviam
cencodido.
Pela lamentavel morte do Sr. conselbeiro Fran-
cisco Xavier Paes Brrelo d-se nova vaga no se-
nado, e nova eleigo vai proceder Pernam-
4*rea le U.Jti. -dale narii\
WcIMtt.
Prt.ro* cor rentes dos gneros de importarn.
sso que con sacrificios, prestamos-Ibes este peque- buco.
oo servico, fazendo ver aos nossos patricios que1 __ Aprasento-me oovamonto,
reputando de minha
nao ha p'rogrusso onde nao lia moral e que estes digiidade consultar ao mesmo eorpo eleitoral se
existe no gremio do eatholicismo. nos poucos raezes decorridos da eleieo em que fui
lina cousa emlim nao podemos deixar passar considerado tenho em algn cousa desmerecido
eu silencio esse calculo que hi o douto redactor do amento em que se dignaram ter-me os eleito-
dos.-a folha, sobre a populacau do globo. res pernambucanos.
D alie : que cotejadas as raligies, o cathokois- E porque Umbo conciencia de mim, como lenno
tiio lica limito quem do protestantismo.
E' isio un perfeito sophisma que traz bonet
rouut.
Se oontarmoi indos os poros do globoprotes-
tantes, judeus, Molalras e indios, junios todos e
cotejados com o eatholicismo, entao sem llovida al-
guuia que seu numero excede ao dos calhoheos
intima convierto da dignidade. independencia e
firmeza do carcter de V. S., nao duvido contar
com a sua valiosa coadjuvacao em prol de minha
candidatura na eleicao que se vai agora proce-
der.
Ausente do campo onde a eleicao Tai ser dispu-
tad en nao cont senao com a hondade, e honra
porm comparado o protestantismo e suas inflni- de V. 8., em cujas qnalldades confio plenamente
tas seitas com o eatholicismo, sem duvida que o Sempre lirme nos principios bberaes, para irmm-
numero deste ultimo muilo maior. pho dos quaes nenhum esforco e sacrilicio lenno
E oque querem dizer essas palavras de S Antao poupado me reputo no caso de merecer a eonti-
a Constantino, Constancio e Constante ? ellas en- nuacao de seu aimio.
voivem um erro de critica histrica to palpavul,
que nao nos caneamos em refutar.
Nao sabe o Diario a que reio baila o facto da
Vida do lilho de Jacques I f
Leia a historia da Inglaterra e veja o que os an-
tipapistas desse i"iii|. ii"i.uii ao reiCarlos Stuard.
E entao conrlua se sao elles ou os ultramonta-
nos que querem anarenisar o Brasil.
Conrlua mais se sao elles ou os ultramontanos
os inimigos do throno.
Pede-nos esta publieacao o Sr. D. M.:
a' m ...
Eu nao venho, mulher, accender fogos,
Que os glos de meu pello amorleceram ;
Netn pedir leu amor, nem fazer rogos
A labios, quo talvez me maldisseram :
Impossigjl me isto. Hoje eu te peco
Que em aoae de leu Deus e da virtude
Me des o leu perdao, que eu bem niereco,
Pois deu causa met crime a juventude.
Nao me tornes a amar, quero esquecido,
Como hoje j son, ser d'ora em vantc I
Mas nao megodeis, nao que bei j curtido
O remorso e a dr mais que bastante I
Eu te votei o que j d'outrem era...
Fui um roubo, mulher ; mas ronviria
Que eu podenilo-o pagar nao o fizera ?
Qual seria maior a lyrannia ? I
Que o primeiro oceupante de meu peito
Ceilesse seu logar, fosse esbulbado
De minhas aITcico.s? ou a que bei feito,
Tirando-as de um senlior mal apossado!*
Qu.inlo mais que se tu denote soubesses,
Qu'este amor que eu le dava era servido,
Talvez mesmo que entao me maldissesses,
Por lef eu p'ra te artiar alguem rrahido.
Assim meu crime esl em ler te amado
Quando o meu roracaoj nao poda;
Em saber que ha ja imuto o bavia dado,
E anidado le amar ler a ousadia.
D-me pois teu perdao por piedade!
me esipieceiilo. nao me odeis, te peco !
Nao me llagelles mais por candado,
Que ja de mais. em le esquecer, padeco !
Pico as suas ordens.
De V. S. amigo, patricio, criado e obrigado.
Jo'i'itum Snldanha Marinho.
Bio de Janeiro, 7 de abril de 1861.
Salsa de Brlstol.
A salsa parrilha de Bristol. Trinta annos de
triumpbantes resultados, hio dado a este antisp-
tico vegetal urna reputacao incommensuravel-
mente superior todas quantas se conheccm para
a cura das escrfulas e de todas as mais classes
de enfermidades ulcerosas e eruptiyeis. Os m-
dicos os mais eminentes, os periodistas e os es-
criptores de medida* sao outras tantas tesiemu-
nhas de sua efcacia quasi maravilhosa. Tem sal-
vado e contina a salvar as vidas e os inembros
de militares de pessoa*. Nunca foi administrada
em vio, ainda mesmo nos casos os mais terriveis
e obstinados. E' o nico remedio pata as escr-
fulas, erysipelas,, herpes, chagas as pernas,
abscessos, tumores, molestias syphiliticas e mer-
curiacs; assim como toda a casta de molestias
de pelle. Com quanlo existam tres mitaedo-s e
falsilicac6s desta medicina, a por tanto preciso
evdar engauo, procurando a original e verdadei-
r anas lojas de Caors 4 Barboza, e de Joao da
Conceicao Bravo & C.
Algod-jo de IVrnambuco
Dito hi Maianbo e Par. .
Assucar de Pcriiamlmeo, b. -
i>ito maseavndo. .
Dito do Bio de Janeiro. .
Dito da Babia, b.......
ilo mascavado......
Dito do Maranhao b.....
Dito mascavado. .
Dito do Para, bruto .
* jo.irOrto .i- de canii Jo Brasil
Alpista............
Arrozd* M*mnhu eCoi bom.
Inglez..........
Caf do Rio primeira sorte .
Di lo dito segunda dita. .
Dito dito lerceir.i dita ....
Cacao Pura .......
Dito da Bah'.........
Gravo do Maranhao ....
Dit- de Girofe........
Caslanhasdo Maranhao
Ci-fres.....
Co -ros ieco< d Rio .
C 'oros rerdes de Para
Dito* espienado* das Muas
Diius dilea da Babia ....
Dito lido* (lo Maranhjo
Hilos dito* dK P'rnamboco
Hilos iliin'da Batiia .
De Angola.
9
J
v.iii
U950
U700
KM
23o"S0
iltmt iTr ssli'i.
Eutradas.
Abril 8, Activo, Santos, Peraambuco.
Sabidas.
Abril .l.tyreiro, Alborto, Para.
EMbttrcarSr* tuirg*.
i'ernambuco.Brii'ii l/ua II, Constante, Con-
wiS'^i^h*-)
A


a
I.
>
d

M.
A
. 1A9D0 2.5UOt>:
14700 l-5*M)
. 1*900 23100
15DO0 1.3700
13700 -5800
435000 3000
700 750
65SO0 7*>00
M0O3 6*?>00
45700 45800
43'iOO
Maranhao Brignes Anglica e Boa F.
Para.Brigue Feliz Ventura e barca Flor di
Vez.
Cear.Barca Flor do S. SimSo.
BOLETIM COMMERCIAL
Liverpool, 8 Creeos li?res de direilos para o vendedor).
Algudo, de Pernanibuco, por
direitos do a*JSaT7wW^ u,,s 4I** I'" l^""'' ""
cerca de 11,IB;0W por km* u*i lwJ aVM-at
excHaciio no mcr.-ad > e sma .''bid de Ij por
quintal. A qiianlldade cnt wr r.tuzio o as ntralas sao pequeas. A* renda* do Brasil
montam a 31790 sacre*. 474 calaas, 4t **rris
48.150 saceos em vlagem.
Balsamo de copahyba. -Com multa rwocnrt aos
procos cima notados. Ha mu pouco em ht.
Borradla.-Misrcado frouxo e os precos nova
mente declinaran) mu pouco. As vendas desde a
nossa uliimn montam a CO toneladas aos s.'goinies
precos, a saber
lela lina nova ; e 1/11|2 a i/i |'la BaVea de nr
gro. Bn 30 de man;o chegou n Hhnmbla com 10; ,,-0 (h,
toneladas. Em ser hoje flcam urnas 383 toneladas. (lv Declaro que o ulmgaAu LrofvWian A*
PoMcni, i firovi-ioaadi ft (*a> arm
fevereiro do rurwsal* avia", c 'f** <
niiincro da relarao Flix KraiH-i-r.. a>S>anfti-
ctllics. foi pioviionad- for mais *ra assaa aa
inez andante.
Becifo. S d\> abrH de 1M*4.
/>.';../'/.> .l/f<-(...i Pffi
CoBelh> alallilraila>.
O conseibo adminislratiVi'para ioraeriaaraa aTa>
Wual ile guerra lern de nmlralar ** nevo* aaV
ti v, d
23 V, d
23 d a 23 '/
6 i/, d
23 d
24 V d
(omina copal......
Dita amarelila.....
I) i trnca ....
Oita do Brasil.....
M-|HfJO.........
Ola Salsa parrilha upMor
Dila Oita reiiular.
Dita dita or linaria...... "
Topioca bo..........@
Uruc............. ''
Vacela .ir Mimitnlo. om*
Ditas do Para. ........
Ditas de Pernambuco.....
Cambios.

@
5H3
|080
5140
5110
120
100
10i
080
45800
45000
15800
15300
5
130
0S3
160
113
123
" 120
120
010
3JO-10
45300
25000
13800
3 3O00
28 d
27 d
23.'/1da2GVt d
7 Vi d
MV d
26 Vid
a 26
Londres .

Pars .
Cenova. .
Hamburgo.
Amsterdam
Madrid .
Porto
90/v
60/v
90. v
loo y1
3-/J
3-/J
8d/v
8d/v
Metnet.
83010 a
a
a
a
a
a
a
a
a
a
145880 a 145960 a
14*W0 a 145400 a
GOMMERCIO.
NOVO H\M:o l)K I>EKN\NRIC0.
O novo banco de Parnambuco paga o 12 divP
deudo a razo de 93 por aeco.
Alf.indega
Kendimento do dia 1 a 26.......
dem do dia 27................
185330 a 185600 a onro
4S490*a 45300 a prat.
23020 a our.
5950 a
5960 a
390 a
33580 a
58 3 a >
83000 marco
. 25010 a
940 a
5950 a
3930 a
. 33330 a
5875 a
. 73960 a
e acrjes.
. '. 50
465:6343443
.vloviincuto la alfaudeea
Voluntes entrados com fazeudas...
com gneros...
Voluntes sabidos
com
com
fazendas...
gneros...
431
392
------823
108
lil
Descarr.'gam no dia 28 de abril
Patacho inglez-Sagillacarvio.
Hiate inglezBWfefarlnha de trigr.
jL-se no Fiimo-Piogriiminii :
0 maestro Rossini cerlamente, una das glo-
rias mais celebres, mas, ainda assim, estranha-se-
Ihe o desden que elle mostea pela mus.ca em ge- r .^rtnguez-Coinn/.a -diversos gneros
ra e peta su., en. particular. diaBjMBBS Patacho nac.OBal-fliamp^-idem.
1 ni pal ama os mus IiIIhis por mais (lislonnes
que sejara. .
Rossini produzio tres otiras primas : U liariiin-
j de Sevilha, Moyss e Guilherme Tell. Pois,
219
ro
nao obstante issn. nao pode ouvir a mais |ieimeua
nota deslas partituras.
Chunamente foi a .-cena na Opera o iMoyses, e
Rossini nao quiz assislir a um s ensaio.
Porm o mais extraordinario no procedimentodo
grande msico que, excepeo de 600 francos
4MU recebeu das primeiras representacoesdo Bar-
b.iro nunca quiz receber um eentuno dos seos
-direilos de autor. _
Ha lempos dous membros da commissao dos au-
lores apresentaram-se em casa delle, dizendo-lhe :
Meslre. o produelo dos direitos das vossas
obras, que deixais para a nossa caixa de soccor-
ros, sao imnieii>os, e tanto que, nao ousamos conli-
oiiar a aceeita-los, se vos nao dignaos receber
200,(HK) francos como um tesiemiinho do reconhe-
cimiMito para coniVOSCO pelo passado, presente e
101 n i o.
Bossini recusou formalmente.
Mas rTonde vem a fortuna de Bossini ? me per-
yuniarao os leilores. E eu respondo : llossini ga-
nliou a sua fortuna em Italia, nos bellos lempos da
sua mocidade, com o t Barbeara de Sevilha que
elle cantava em pessoa.
lampago
Rrijiue iniflez Marmitnfazendas.
Escuna ingleza Bondiceamorcadorias.
Escuna ingleza Wo.sc carvao e ferro.
Barca inglezaTmir/crfarinha de trigo.
Patacho nacional Capitn caf.
Escuna dinamarqueza.b/omsdiversos gneros.
Barca francezaKspliereicm.
Recebedorla de reoda Internan
geraes de Pernambiico.
Rendimento do dia 1
dem do da 27------
Pecas de 85000.....
Oncas hespanholas. .
Ditas mexicanas.....
Aguias dos Eslados-ui-
dos .........
Soberanos ........
Ouro cerceado. .
Patacas hespanholas .
Ditas brasileiras.....
Ditas mexicanas.....
Vinle francos.....
Cinco francos......
Praia portuguesa.....
Fundos v
p. c. de assentamento 30 '/* a 'i0 >*
Coupons.....'. -.n,^
Banco de Portugal.....5515000 a WfOOO
. Cflmmercial lo Porto 2605000 a 21.2300.)
. Mercantil 2685000 a 2703000
O banco de Portugal c n Commcrcial do Porto e
O Mercantil Pui-
tuense com o I* semestre de 1863 pago.
Renata coHtoercial
De 28 de margo 11 de abril.
As transarcoes commerciaes durante o periodo
desta quinzena foram regulares nos nriu'lpaes ge
eros eeni quasi ludas as eotaeoes nao liveram al-
teracfM sensivel.
No mercado de fundos leniso elfectuado bstan-
les transacees. o que ro-ullou una subida as rot-
(acoes que passaram de 19 l|2 a 49 3,4 para 50 l i
a 50 Ii2.
Bom
Mediano. .
45300 Ordinario. .
3 45100 Batea:
:1330o 3#400 Uom. .
3 WO: Mediano. ." "..*".'!
200 220 Ordinario ...
3090 100 Maranhao
43000 130 0 Alcntara
95000 40300O ltapfcH .' .' \ \ \ \
Cavias ..'...
(Maquina) :
Bom..........
Mediano........
Ordinario.......
Assucar, do Bio, por III " Branco.........
Louro..........
Mascavado........
Pernaiubuco:
Branco.........29/6
Louro..........
Mascavado........
363000375000 Babia e Macelo :
163000 1830N) Branco.........
113000135000; Uuro..........
83000 95000 Mascavado........
155O0I23IO0 Melaco......." .
120 160 Agurdente cachaca, por gal :
15X00 33803 Balsamo de eopaliiba, iwr S
13800 23300 Claro..........
15800 25WK): Turvo.........
Borracha, por % :
Fina..........
Median.........
Ordinaria........
Cabera de negro.....
Do Cear, Sernamby. .
Cacao, por i 12 tf :
Para, bom.......
Babia, bom.....
(>r, por 112 Bio, sorte......68/6 a 71/0
2" .....63/0 a 67/0
Escolbldo......73/0 a 80/0
Babia, i- orto.....64/0 a 63/0
2-......60/0 a 61/0
Escollado......68/0 a 70/0
Cear........65/0 a 70/0
Sebo do Bio Grande, por 112 Ibs.
a 24 v* d
. i imuiBrain j^ara a ronipanbi.i d"S atraores
i/10 1|2 pela fina vell, \ l|i | M, e g0B^ ^ JJJ J ^^ fc M_
rente amas .
* onr;*, ,iacba, mamvifra frsarro. r*i
socar retinado il<- 2- .!, raff rm
53 '.
53 "s
53 ".
331
526
47 ,f 78
42 lh
937
Par.
85080 a ouro
29/6 a 32/0
28/6 a 29/0
23/tt a 28/6
32/0
29/0 a 29/6
26/0 a 29/0
29/6 a :2/0
28/6 a 29A>
24/6 a 18/6
11/0 a 13/0
1/6 a 5/0
1/9
1/7
i/10 a 1/10/,
1/6 a 1/8 /, .
1/4 a 1/3
1/1 Vi a I/*
1/2 a 1/3
53/0 a 56/0
41/0 a 42/0
principalmente da (na.
Cacao.A procura para este artigo contina o|
as vendas montam a 1.800 saceos do da Babia a
4I| por 113 Ibs.
Caf.Mercado lirme. As vendas sao diminutas
em razo dos possuidores exigirem preews mais
elevadas.
Cera de carnauba e rumarii.Nao ha.
Couros do BrasilTem tido mais procura, e li-
gninas parcellas do Cear e Macei realisaram an-
eas mais su jidos, as principaes iransacctfes tem
sido para os mercados do continente. A quanlidade
em ser rica reduzida a 8,900 mam.
(omina de peUe.Sem alteraciio.
Jacaranda. -Algumas vendas effectuaram-se do
! da B ilua a 9 por tonelada. Amanha ter lugar
um leilao do do Bio. -
Urucuii.Mercado muilo frouxo.
MQYIMENTO DO POETO.
Nanos entrados no da 37.
Sowlhampton e porlos inlermedios18 das, vapor
ingfez Oneca, de 2284 toneladas, commandante
T. A. Bevis, equipagem 132, carga fazendas.
Lisboa 31 dias, brigue porlnguex lieiampugo, de
235 toneladas, capilao Joo Kpi-fcioio da Silveira.
equipagem 13, carga varios gneros; a Tbomaz
de Aquino Fonseca.
Hamburgo53 das, escuna dinamapqneza Adonis,
de 1 lt) toneladas, capilao Breckwoidt, equipagem
6, carga dirterentes mercadorias; a Manoel Joa-
quim Ramos e Sils'a & Genros.
Havre 35dias, barca franceza Sphere, ^^^l^'^r^i^^raru'jii^
neladas, capitn Ribes, equipagem ifi-carga difi-
ranles mercadorias ; a Tisset Krere.
NeW-Castle45 dias, escuna ingleza Rhsr. de 104
toneladas, capito William Baslard, equipagem
6, carga carvao, e machinismo; a t)the B-
doulac.
Narios sahidus no mssmo d'nv.
carne verde, carnesecra. [.itrio. 1 4a tem,
preto ou niulatlnho, lonriajno aV 1a
Lisboa, vinagre idum, arr?. Para o arrwnal 4r farrra.
Kolli.'s de Klaodres linas I* V, fnt\ ia*i 4.
compriiiienio e 18 ditas da larawa, t** >: aV
i tas de ditas de 24 pollrg.i<1.i de rompri-n.nn r f%
ditas de largo, lOcaixa* ; dita< pawaai aa.-., W
raixas ; co?l.Kis d> amar lio de 2 aataaaa
I de comprimenh e 12 a 14 potbiaabs e haraa. ;
; costadinho de iblo de 26 .1 i* patea V ch
(nenio e 16 18 pollega-las de larr. 3.
liara o Ul>ralorio
Knxofre 2 arruten, akaai em un garr*fcV 1
caadas, panella de ferro pequea 1, "*"
mandioca I arrala, pedra liinir* 2liara, aja*
la i frasco, obreias I raixa, Kvro* de rlW (iikM aH
papel paulado, carga c descarga 2. 1 dato e 9U-
Ibas para conla cnrreni-.dilo de 50 .da-. jara re-
gisirode uleocilio I. ssalilre Oai 2H bbf.i-
Quem quizer vender !:* najrhk*. asa. 1 aavaa
as suas propostas em carra fechaila 3 serrtana.
do riMiselbo. as 10 hora da nuaha duda 39 ate
cor rente.
Sala das sasmVs docins-*Jvn i.lnum^lratfaa rfa.
forneciinento do arsenal de staerra 25 4> ;
1864.
Antonio Pfdr->' S
IUrom-l |rf
SrtHislii'm /.*- H-itilft ParraV.
Vi.j.il secrelarn'.
Hoje de|ois da aajdatte do Sr. jan e aaa
do 2" distriito, sifr.it arremal3d>M n- n natal. 1 a-
jectos: 1 mesa redonda. I par tf> ciiaatl^s. ra-
deiras de balancii, 7 ditis |-ipi'^at'. pnr r\-TWri
cunara
la Paz.
Sanl.1 Casa d> Misfrirariin ai* Rerile.
A lllat* junta adaunisiratara d. Stai Ca*a ate
Misericordia do Meafl ioib>U Ui-r puatan
precisa comprar para a aula prinaeir* krtra
do collegiode nrpli.io- os ilipt-tos alrMXn
446:0063921 ,
196273522 fom semestre de 186 i pago.
Assucar.-Desde a nossa ultima revista at ao
presente tem este genero tido algum movimento, e
com tendencia para maior desenvolvimiento f; isio
devido nao s firmeza dos possnidorp<, como s
favnraveis noticias dos mrcalos inglezes, o que a
verificar-se lero sem duvida as cotiacoi-s urna su-
bida de 50 rs. em arroba nos asalteares novos e
100 rs nos vernos.
Entre as transarcSes reaUsadas. urna das no^sas
principaes casas coinmerciaes comprou durante a
presente quinzena cerca de 5000 saceos de assucar
novo e voltio.
A procura para os mascavados contina, pula
falla que na do de-la quallade.
a 26........ 22:6333047 As entradas foram de 2 barricas do Rio de la-
1:2145199 neiro, 201 raixas. 4 barricas, 316 saceos da Babia,
------------- 4906 saceos, 2 cunbeles c 2 barricas de Pernam-
23:8463246 buco.
====== I Rtexportaram-sc 1 caixa para Liverpool, 10 bar-
Consulado provineial. fieas e 615 saeeos-paraGdarallar.
RenitimAntn.tn dia I jW 70-2083668 A existencia h(|(i de :
dem ?o dS% ......... S: 1703016 > > S *, 32 gigos. 124 paneiros,
taem.ao au -/................. z.i.wwi ^m barricas, 29 barriqninhas 5896U .-arcos.
,2-37(*368i Algodao. ISeduzimos as coltacoes, porque as
____ '"" ; transacnVs efectuadas foram pouco importantes e
i s com destino ao consumo.
Bom eduro.
Mediano.......
Escuro.......
Chifles, por 123 :
De vacca ........
De boi.........
Ditos de 43 a 30 .
Salgados de vacca, 40 a 48 R
de cavallo seceos, 10 a 13 S
salgados, 1 a 37 i
10 a 20 t
(dea) de l'ernambiicoi Babia,
Maranhao e Para. |Kir -tf :
Seceos salgados. 26 a 30 t
espichados, lila 2!) u*
dem do Cear. Paraliyba e
Macei, por i :
Seceos salgados, 30*0,32 S:
Molliados lo a 50 i :
Facililla de mandioca :
Boa. por 112 i. .Nominal
41/0 a 41/6
40/0
38/0 a 39/0
10/0 a 15/0
20/0 a 30/0
4 V d a 5 d
4 3 d a 4
5/6 a 6/0
5/6 a 9/0
4/o a 5/3
i/,d
Rio de JaneiroBrigue nacional Fluntinenef, ca- dos. As pessoa* ipie qizi rem v.-aVr atea
pito Auastacio Silveira Mondes, carga Bwtaear.
PhiladelphiaBarca ingloza John MatheiH: capito
Kerbn, carga assucar.
PeneiloHiate nacional Amelia, capilao Antonio
Jos Rodrigues Wubeiro, caiga carne secta, e ou-
tras gneros.
EDIT1ES.
Vid
/2 d a
a 6
6 /
4d a
d a 6 V i
4 >/*d
18/0 a 11/0
("omina ou bucho de peixe. por1 '-
GOMMUNISOS.
ftu:iliflf:ivfu> na freguezla lo
Poce di Panella.
Desde o dia 12 do currante concluio os seus tra-
balbos a junta da qualifieaco daquella freguezia.
junta que foi coinposla. em sua maioria, de lihe-
raes insuspeitoe e niui disiinrtos, como os Srs. Dr.
Joo Jos Pinlo Jnior, Francisco Marinho, Jos
d'Aquiuo Fonseca e Jos Lopes Carneiro da
-Cuuba.
Consta-nos que ha dous borneas na freguezia que
tem aflirmado ( na verdaJe demasiaba teine-
ri lade I) que o Exm. Sr. presidente da provin-
cia ha de annullar a qualicaco para mandar
proi-eder a nova.
E.-ses dous'homens sao os Srs. Joo Lobo,
ex-inspector da Inesouraria provincial e Arisiides
Dnarte, vulgarmeute conhecido por PadreI...
yue motivos ha ver para a annulUco?
Ignoramos. Pelo que elles apregoam temos co-
nbecimenio do que foi expendido ein urna repre-
^eutacao dirigida ao Kxiu. pitaidenle da provincia,
pelo Sr juiz de paz Duarte, que em 1860 dava ao
Sr. Aranpe entre os nomes de outros que deviam
-ser uns recrutados e nutras presos como desordei-
ros o do Sr. lenente-coronel Joo Paulo que parece
:lwje considera-lo como o seu melhor amigo; o Sr.
Ihiarte que nao duvida comproinetler os seus
amigos e dar escndalo, havendo dado parte- de
prompto eemo juiz de paz, entretanto que continua
com parte de doente em sua reparticao.
Temos conhecimento do expendido pelo Sr. Du-
arte nessa reproseniaeo, que foi mostrada a di-
vawai antes de subir a presenca do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia. Mas tomar o Exm. Sr.
presidente da provincia a responsabindade de an-
nullar os trabalhos da junta pelos motivos expen-
didos na represenlaco do Sr. Duarte? Do
facto j estavam os ex-inspector Lobo e Arislides-
Duarte (o ptulre) iniciados nos segredos da admi-
uistra^o, a imito de ja poderem alrmar o que
esta Vera de fazer ? ..
O negocio daquelles a respeito dos quaes se
de dizer : quero ver para crer.
PUBLICARES 1 PEDIDO.
llaiiiliiir(|0. 5 de abril de 1861.
Jioli'tim commercial.
O mercado conlina pouco animado, e vista a
guerra eem a Dinamarca, ludo se reduz ao suppri-
inenlo das precisoVs mais urgentes.
Caf. Na quinzena passada o caf acbou-se em \
situacao muilo tranimilla. a grande reserva dos
possiidores irapediodo todas as vendas maiores.
Os supprimentns ltimamente recebidos s foram
de cerca de 14 mil saceos, dos quaes 9 mil do Rra-
sil. As vendas andaram por cerca de 20 mil sac-
eos, e desies 9,309 de caf do Rio c de Santos a
6 7|8- 8 1|4 sclullings.
Durante o mez de marco importaram-se 20,016
saceos e venderam-se 57,800 saceos de cafe do
Brasil, dos quaes 12,"00 ftuctuantes.
Colamos o caf regular ordinario do Rio : 7 3|8
7 9,16schilings.
Importarao do caf do Io de Janeiro at pm
de maico.
1861 17,800,000 libras. '
1862 18,500,000
1863 21.500,000 *
1864 13,900,000
Em ser em lim de marco :
1861 8,500.000 libras.
1862 144)00,000
1863 14.000,000
1864 7,000.000
Guiujuba 1* qualidade
2* .
3 ...
Pescada .1*
2- ...
.3-
Pirabvba. 1* .
2' ...
3
paga. .1* .)
.3* .)
Jacaranda, por tonelada :
Rio......Nominal
Rabia........
Piassaya, por 2,240 :
Para ..*... Nominal
Rabia.....
Pixurim, por te. bom .
Salsa-parrillia. por u" :
Roa.........)
Inferior.......)
Tapioca, por 112 fi :
Rio, superior.....
ordinaria.,...,
Uruc, por tf, Para bom
Fundos e
3/3 a 3/6
2/8 a 3/0
2/6 a 2/7
4/0 a 4/3
3/8 a 0/10
3/0 a 3/0
2/9 2/10
2/3 a 2/6
llia 2/0
1/9 a 2/0
S 15 a 13
a 9 a 12
24
11
1/0
10 a l/l
. 32 0 a 36/0
. 20/0 a 25/0
. 3 d a 7 d
cambios.
Banco de
Consolidados'
Keduzidos .
Fundos Novos.
Fundos inglezes.-
Inglaterra (AccSea) % 236 a 237
Enlraram de Benguella 4 saceos e do Fayal l."iO
ditos.
Consta que estes j embarcaram para o Havre.' Belga. .
Agurdenla do Brasil. Nao houve movimento! Brasileiros
durante a (niinzena.
Dos porios do Brasil nao tivemos entrada al-
gnma, e dos porlos estrangeiros enlraram 67 cas-
cos e 38 pipas.
Cacao.Desatendido. Os embanques realisados
parece que sao de conla propria.
As entradas foram de 274 saceos da Bahia c 870
de S. Tbom, e a reexporlaeao do 30 saceos para
aples, 17 para > Havre c 337 para rtnvers.
Caf.No do Rio pouco se tem feito porque o de-
posito fraco, e ainda que os possuidores susten-
lam com firmeza a posicao deste genero, os com-
pradores s reabsam o que Ihes absolutamente
precisov para as urgencias do consuma
Do de'S. Tbom sao mais procoradas as quali-
dades bas.ealgumas vendas se tsm realisado com
melhor de preco. O suppriinent aja* hoje cliegou
pelo Hu Are de crer que na i aBecte o estado do
mereado. Sabemos de urna compra de 1,400 sac-
eos que estavam em deposito.
O* supprimenlos chegados foram de 313 saceos
do Rio, 250 da Babia, 1,685 de S. Tnome e 3 de
Cabo-Verde.
A reexporlaeao consisti era i sarco para Lon-
; dres, 37 para aples, 275 para o Havre 15 para
3
.... 3
.... 3
Estrangeiros.
. 4 Vz
%a 917
Rinamarquezos .
Hespanhes. .
afeados
l'assivos
Hollndoles. : .
....
Mexicanos ....
Portugueses. .
....
...
<
Russos
Banco de-Pranca (Aceite1*) frs
FundOb francezes.
lh
91
89 /, a 89 -'/.
89'/ja 89 Ya.
87 a 88
631/. ,34
46 '/-. a 4T
35 'A a 33.%
63 >/i a 6,4 %
43 /a a UP/i
49 40- >/,
1 a 1 /. l'rem.
91 a m
88 a 89
3293
9:1.50.
66.5
0 Dr. Tristao de Alinear Aranpe, ofllcial da im-
periai ordem di llosa e juiz de nireito especial
do coinmerrio desta cidade do Rifcife e seuiter-
mo, capital da provincia do IVrnambuco, poi
S. M. I e C. o Senlior D. Pedro II a quern Deus
guarde etc.
Faco saber pelo prsenle que Araan Hijo C.
por seu adrogadu me dirigiram a pelico do Ibeor
segninte:
lllm. Sr. Dr. juiz do commercio.Aranaga I fijo
t C. sendo credores de Ennilio Aureliano Chaves
de Sonta de urna letra na importancia de reis
4363750 saccada a 15 de marco de 1839 com o
praso de 30 lias, pretende, para que seja imer-
rompida a prescripcao da lei fazer o competente
protesto e iutima-lo ao supplicailo para lUa-SCren-
cia ; e assim reipier V. S., se digne mandar que
se lavre o respectivo termo para ser intimado ao
suppiicaio. porque este seacheausente, reonero
soppleaate V. S. que su digne adaiilli-lo a justifi-
car a ausencia do siipplicado, para que depois de
Rugada por sentenca, seja elle intimado [H>r caria
eililal com o praso da lei.
P.-dein V. S. deferhnento.E R. M.Martins
Ribeiro.
Nada mais se continha em dita petipo aqu I
transeripl, na qual dei e profer o despacho do
Iheur seguinte :
Sun. e para a ju-lilicae"io marco o dia de ama- j
nliaa a I hora la tarde. *
Recif, 13 de abril do I8i.Alenca Arai'ipe.
los, CiMliparecain com suas rrsprtttvaa
em carias lechadas, na sala da- ****%**
junta, pelas 4 horas da larde do 7 resinas de papel al maco terevi*.
2 raixas de penuasde bico de Lia^a- Hkaaaw Has-
re A C)
1 caixa de ditas ajaJyajaanMra.
1 dila de ditas ditasH. 2M.
2 duzias de l.ipi- lio -
50 creos de atan ifaluTs,
"H canelas para | una* ib- ac.
SO paiUas de n. I a 4.
3 uiappa- iinpi.'.i- iiii.i atis '- e -^aaaMasa.
1 cailerno laaaraiiiu aaia |smto diara.
20 linti-Mos de rhuuii.....m 'ampa- >l*a.
2.5 carias de abe.
.'O lal>adas.
R) reguas de inadeii.i
M Iris ;-Ussico.
10 exemplaies do M. Rm|.. f.i. iluno.
ID ilit.is ilis Di veres doluMiH-m
20 ditos do .plsenlo i! Aini.ruzht R*raf*.
2 libras > "iz em |ieka.
1 iKiiua-i^i e 2 i Ii".
i nioriugne.
I liai-i:i ile nii-lal pira Uv;r a- iu.k-.
8ecrotaria da Santa Hasa de Miscricoraa dr Pr
cife 25 de :l>ril de IW-V.
F. A. lUvib-^aii Coa -aro.
aacrivia.
Arsenal 4e f,nrm*.
Por arda* is Sr. ma>>r. VHM do a,-s guerra, s' faz publico aqucui ronvi.r. ipie M er-
mos do aviso do inuiMerio da guerra dr 17 da
marco de 1860. se tem de ni.indar marjuaraarar
o seguinte :
Para diaeraai aatan
3W mochilas .le brim da Bu--ia.
Para a rompaiibia ) I nO
14 jaquetas de lnim pirdo.
4i ealcaa de diio bnaa.
As pessoits ipie qnizeri-io arr.-m.n ir .
Nata mais se conlinha em tal despacho aqoi I g :*,riit:o>. ciimparecam na sala it.i dirertoru
Iranscriplo, por foi'ca do mesmo fra. feita a des- [ m^smo arsenal, |ielas M horas .. *
Irileiieao ao cscrivao do jnizo espacial do commer-
cio Mauoel de Carvalbo Paes de Anilr;vle, c pro-1
duzindo os suppiicantes as sus te.-teinunhas ooa j
ilcpoz-ram convenientemente acerca da au.-encia
do suppbcado Bnillio Aureliano Chaves de Sooxa, |
e sendo competentemente sella los e preparados ns
aulos, eubiram minha concluso, e nelles dei e j
profer a seulenca do theor segiiiule :
JoJgo procedente a justilicayao, pela qual se,
muir estar auzente em lugar incerlo o
justiii.ado Emilio Aureliano Chaves de Souza : as-
sim mando, que 3**ia citado por edites do 30 dias, i
para o lim requerido lulnas 2 Paguem os justi-
licanti'S as cusas.
29 do (wrente, muid
que dwatare a mk bi
d.
suas pro|n qual vu laadaV
Painbem aceilam-se pro|Mas |ara n a;.ra das
fazendas abaixo declarada-, vara BaaBjaBJlt da
aprendi-s menores |n un-iuo arscaal. :
360covados de algodao azul
360 dii'x de riveada da aaja
36 varas de panno da Caato.
40 ditas de brim lirancn li*..
Arsenal le guerra de l'ernaml. i'o --, ir aarl
de 1864.O amanuense.
Joo Ricardo da SIt
Crrelo geral.
Pela administracao do corre) de-la rula*-
Beeife, 23 de abril de 18G4.-Trislao de Aleucar ; ^ |,^'^ ;,, vi,.,,. ,,, cKivencfe, a4l.
oiaiHcar. A compleU falu de depsitos destes Lve',o| e 116 nra Gibralta.
.11.1-.,. Lim i,im...l.a,. ii.i-. .im.r trQn gneros tem impedido qualquer transaccao.
Importarao de assucar do de Janeiro at /S
de marro.
1861 9.200.000 libras.
1862 6,500.000 >
1863 13,000,000
1864 3,500,000
Em ser em fim de marco :
1861 9,000.000 libras.
1882 7,500,001)
1863 8,000,00
1864 ------------
TabaeoO morcado conlina multo firme; ven-.
derarn-se cerca do 400 bailas de tabaco da Babia,
em leilao 206 bailas de dito avariado, vindo pelo
Sfos* AJuiat 49 schil'.mgs, e mnis 287 ditas do I
Rio-Graode do Sul 5 3(8 $ch. Restara em ser
para a
Histeria.
no reinado do Sr. D.
Noanno A\ graeft lSf>4.
Pedro H endo presidente <1<* conselho o ministro
dos negocios da justica o senidor Zachanas do
iles o Vasconcellos, presidente de Pcrnambuc.o o
rommendador Domingos de Souza L-ao, e soh o
mueo das ideas polticas do partido.... (anda
nao sabemos a sua verdadera dunominacao) v
chando-se, ja ha muilo, incompleto o tribunal do
c mereioXp'ella provincia e havendo um dos
Tullimos adjunctos de.xado o exercico no da
*"* narco por l<--r sido nomeado mcinbro do
17 t .. sinlnal de justica, ficoii aquello Iribu-
supremau.. -'o absolutamente impossilnbiado
nal do commer... 'o por Upo ressadojgidmi-
de fur.ccionar*j^nv2 #"^<*,. "'' '?<*'
uisiracao da jiistica comm.
ttucta, desde aquellc dia ate Ifc^
3,000 bailas de tabaco do Brasil.
Algodao. Em situaco milito tranquilla, mani-
festando se poura vontade para comprar. Vende-
rara-se 300 bailas de algodao da Parahyba 331(8
schillings, e 123 uitas de Santos a qualidade uo
purificada 7, e a purificada 37 sen.
Couros. Continuam em boa ac-eilaco, mas sem
transarcoes maiores, sendo muito reduzida o depo-
sito. As vendas foram de 2.800 cauros da Babia,
e cerca de 4,000 do Rio-Grande, viudos por va do
Havre. ,.
Caoo. O carao do Para, de que ha pouco. '
bastante (irocurado: todas as qualidades suslenlam
os araros cen Bnneza.
Juci/rrtnki.-Venderam-se apenas 3o mil libras.
Importaram-se cerca de (W mil. e o deposito
de 1,808,000 libras.
Nao temos de noiar parlida de navios para o
Brasil. Em carga adiam-se :
Para o Rio de'Janeiro, WHIink c Portn-Bico ;
Para o Rio-Grande, fathilde, Xaria e Anna
WicfiWm/Hc
A existencia boje de 11,333 .-aeras do Brasil
e Colonias.
Couros. Afronxon a procora para reexportar, e
por isso este genero caio em apallua.
As entradas foram de 77 de Peroambuco, 1,168
de Luanda, 470 de BeniUeUa, 3,638 de Cabo-Ver-
de. 371 da Madeira, 38Dde S. Miguel, II fardos
de Tnger, 9 de Laracae, 370 do Rio e 194 da
Bahia.
Gamma Copal Frnuota.
Gomma do Brasil.A venda de maior importan-
cia fui de cerca de 200 saccas.
Alm desla transar.ao todas as mais foram muiaw.
limitaoas.
Melado.Os precos sao nominaos pela falta &
transa ces.
Entra rain de Peraambuco 141 cascos.
Salsa parrilha.Yendas multo limitadas, podien-
do dizer-se que ente genero est quasi em conipfeU
apalhia.
Nao tivemos sapprimeoto e reexprtanos 32
rollos para Garaltar.
Urzella.N mesmo estado em que dissoaaos aa
nossa anterior revista tieava este genero.
Melar >-prcciosos.
Ouro esa barra. .Par onca 77/9
iior-tuguez esa motan
> do, Brasil ......
Oncas-Iiespanliolas
americanas.
Prata em Iwrra ...
Patucas brasileiras
Pesos columnaric-hes-
Slies......
rolus.......
Ferdinand.....
Lil os das republitKis hes-
panholas e miiXK-aoa-
Motilas de 5 francos. >
Cruzado.- novo. ...
Camaiiit
.....90VLd
77/tt,
77/T
76/3 a 77/6
7V a 74*6
3/*.Vi
V" Vi
4/11 a 5/2
5/0
4/1 Vi
8/0 Va
a 5/0
Aranpe.
Nada mais se conlinha nem outra algnma cou-
sa se deetarava em dita sentenca ;'a|ui atrio ad-
f rliitm transcripta e copiada, e em observancia
da muan o respectivo escrivlo Manoel de Carvalho
Paes de Amlradi- que este subscrevou, e fez pas-
sar o presente edilal com o praso de 30 dias, pelo
(pial e seu theor chamo, cito e bei por citado o
justificado ausento Emilio Aureliano Chaves de
Souza, por lodo o coutedo na petico cima
transcripta e copiada.
Por lauto toda e qualquer pessoa, prente, ami-
go ou conhecido do referido suppbcado auzente
podcr-lhe-ha fazer sciente de todo o expendido.
E para que ebegue ao conhecimento de todos
mandei passar editaes que sero affixados nos lu-
gares do costume e publicados p-da unnrensa.
Dado e passado nesta cidade do Recite, capital
da proviucia le Peraambuco, aos dias do mez
de de 1861, quadragesimo terceiro da in-
dependencia e do imperio do Brasil.
En, 51anoel de Carvalho Paes de Andrade, es-
envo o subscrevi.
Tristao do Alencar Aranpe.
LECLABACOES.
11.18 Vi a 19. 'A
13.7 Vi a 13.8
23,53 a 25,60
23.15 a 25.23
DO HHVt.
i\ rom a mais
Para Pernambttco, Fiara o Mnry. .
Cambios. Sobre Londres 3 m u. 13 marcos
3i4 schillings bajico, prazo curto, 13 e 3 IjS. por li-
bras esierllnas. ,_
Sobre Part 3 ra. d. 193 francos por 100 mar-
ros banco, prazo curto 190.
Sobre Lisboa-45 3i\ schs. banco por 1 mil reis.
Embarcacoes despachadas.
ParLigeiro (bng. purtug.) uom 22, Larris de1
| vintio, 4 caiKits de dito do Porto, 65 batis de vina-
gre. 68 barris e 30 latas de azeiie. '45 barris d-
ioucioho, 1 de pios, 60 aucoretas e 23 barris de
chouncos, 10 barris de presuntos < chouricos, 7
barricas 28 meias ditas e 5.su,rrdi)s. de cuminhos,
61 caixas de cera em wllas, 5 l-arris de betum,
25 saceos de grao, 12 caixas doijpeiae necabeche,
60 volumos de drogas, oleo e lilas, 18 barris. de
I salitre, 138 caixas e 330 mOlioe de cebollas, 300
caixas de batatas, 18 de doce, 11 iie massa de to-
mates, 18 de cubo em volUs 6 do panella, 300 de
. figos, 10 de cha, 3 de quejjos, I barrica do cera em
Lisboa........96VL.I 52 a 52 Va
Parto ....... 58 Va a 82 V
Riode Janeirk(Xominal)61W.v 26 d a 36 /4 d
Babia e Pcenambuco. ^
Amsterdam,......3 in.d
Hamburgo.......
Pars. .......
.............. 3d.v.
MJllO CAKUA MUtA O NOKTK
f>arHhunddu i .de abrjf
MaraniaoTriawjkftt.
Peraavueo -iy of Ihe Sulla12.
IdeaJosepft Ct*peJa?.
demMargare J8.
IdwnTiara20.
Par-Sindoad-I.
NumerariuA taxa do descont continuava a 61
or ceuto. Os pedidos de descont sao grandes Josa de Borja Caiuuilia Raposo da Cmara,
laxa mencionada, e a exjwt.icSo de numerario, ,Ce'"': .
limitada. A existenj-i.meUli'ca em caixa nu ban- .Podre Joao Ferrwra Luna bieiipua.
co de Inglaterra u* semana finda em 6 do.corFem Padre Antonio Carneiro ta Silva Araujo.
era 13,716,763 libras ^presentando urna djminui- Augusto^Pontos de Aunar.
TrlbunaA da rrl;icS.
De ordem superior se faz publico para os fios
conveniente.- o .-egiante. Acham-se sem prov-
so no distncto da relaco os seguintes advoga-
dos :
Pwnninl'Mco.
francisco Jos de Figueiredo.
Joo D.iinasceno Barros.
Joo Baplisla Soases.
Manoel Gomes de Mello Rarreto.
Manoel Serapiao de Almeida Torres.
Amaro Jos Lo|>es Coulinho.
Beuto Jos de AJbuqtierque.
Eleodoro de Mello Albuquerque.
Miguel Primo. Villar do O' Barbosa.
Amonio Marqut* de Albuquerque Cavalcanti.
Pautaieo de Siqueira Cavalcanti Juuier.
Alagas.
Francisco Fernandos dos Santos.
lanoek Antonio Xavier de Frailas.
os Antonio Pe apira Guimaraes.
Joo Canudo de Araujo.
Joo Mues da Fonceca Collaco Galvo.
JiK-e Apotinario de Farias.
PianUo, das Chagas Maniz.
Joaquku, Rodrigues de4Vdeiros.
Parahi/ba.
Francisco Ignacio Peixoio Flores.
Ilio Grande do Norte.
celebrada paisa governns ataailuipi e fram-n.
rao exnedidas malas para rii.n.pa le.d-a ) *rnr-
raate pelo vapor IraneM K*r adn a- carta
ario recel'idas at 2 baraa aatai da .|av- tur atar-
cada para a sahida do aaaar, eosj.rta*satr*ba-
ras antes.
Administracao do eornM da Icnavaatajai I* ae
abril de 1864.O adnimi.-irador.
Ron.ingos dos l'a-si> Miranda.
Con su Hilo de f atvtaixal
Por esle consulado Ui se ptildiro para runbm-
meiito de quern interessar, que no dia 3 de aaaa
prximo futuro sera posto em pra* puMnm. aa
porta da associaeao coumierrial, .....i: < Ta-
m,crioulo. de 12 annos de idade. prlearrn> aa
espolio do finado suImio paataaaaaa h> B^fHi
ta da Rocha, hvpatheeade anr iiJiaiaMia niMir a
AnlonioAlb.il o de Souza Aguiar. para er arrraa
lado por piein mais der, sobre o pceo de li""*
por que foi avahado.
Cnrrria feral.
Pela adminislraco do correio destt eaaatrw
faz publico, para os'linsronveaiejars. qa eairti-
de. do dis|K>sio no art. 13 do peisolainraa peral
! dos corrcios de 21 de dezeuibr. de IM44. e art. 9
do decrelo n. 185 de 15 de maii dV 1851. r ara-
ceder o consuiniao das radas existente tan
nistraco, pertenccnles ao mu, de abril *V 1863. aa>
da 3 de maio prximo as IL bora d> dia aa aar-
ta do mesmo corre, e as rraa*etjvae tintas a
acbam desde j ex|msla> ao interB.*adMa.
Administracao do cortea de IVrnaoaear.. 35 da
abril de 1864.
O adanintstradnr,
Domiztjos dos Passm,

THEATRO
DE
S. ISABEL
1 grumo, C4 volumes de cantara, 18 barricas de
carvao animal, f caixas de fructas, 30 saceos de
ervadare, 70 de fejao, 6o raixas aneoretas de azelonas. 15 fardo de cabes de li-
nho, 100canaenog;381 volmnes teleuca, 10 cai-
xas e 40 quaftos de |ass, 1 harnea e 3 inea-
Oitas de eastanhas. Vi barrieas de erri, 1 barril de
I m*l, 75 Vi moios de Mil. 3 vare**, % (THS e oT. ro-
(umes diversos
cao re 54*.;7Sft libras da semana preoedente..
AlRodo.-~XadAtemos de mpurtan*ia u',ar
ni. niorcvid 0> ailigo. As vendas para consumo
sao avujtodas, e a aseucw da araci*a para es-
pecuho^fcizeomquaos.praos so inautenbam.
O do SumI som altrac.w noa Breans, p.roiii Su-
rales o China declioaraut 1(3 d por Ib,.cau-ato
pew geiMKles entradas. As vendas hoje sao 6,0tH)
fardos.
Assucar.Desde.a nossa ultima revista as tr$ns-.
secaos dnlra^l c 'Mwlrha tem sido mui gwvdes,
e atf'bontem subro deO da? d por 4id iftiras,
cotrro noile o mini-tro de fln-tnraa aprcsentoii o
seu relatorio ao parlamento a uroji'V Ff-ilu'ir o;
Manuel Fraoeiseo de Barros.
Solicitadores que. mo tem prorisw.
Victorino Jo.- de SoniTravassos.
Antonio pinto de Barros.
Paulino da Silva Miudello.
Fehx Francisco Magaihes.
Juveliuo Americo de Lacios Corraia.
Mauoel 1U> uiundn Peua-Forlo.
Joapiim l-'rawi-to de AHm.|uei,-pieSantiago.
Mauoel d Fiinrec-i uj Araujo Lima.
J.ia pH'.o Cuvalrnle do Aibu;.|ueruue Mello.
Rtvie. Oe abril do 1864.
f) secretario da relacao
Dominos Affonso Ferretea.
EjaWFIIKXA
GERl.^i A COI Mi
A empraza previne ao rc-peiiavel |
est preparato,ra M hE HML,
o magnifico o inlereianie drama em aj
do Exuv eoaselheiro Alencar. intitulada,
A MAL
O programla sera publicado us< xu-trira.
(jraude galera de vistas nnv
dernas, a mais olei^ante
quantas so tem visto at o pre-
sente ueste hiipero.
Hna la Impiratriz a, *a.
Hoje eataro ten M ns >c;iie
Valda !
1IIitj grande entnro nr. iaiperii) da China.
3. B.ilalhadeS.....i.s na Crimea.
<_____aa

li
ILEGIVEL




3.Cidade de Boston nos Estados-Unidas.
4.Cidadu de llumbur^u.
5.-0 interior do palaaio da industria a Italia.
6.Os defensores da Curquia.
7.Hotel de la Villeew Paris.
8.Cidade do Aure de (iraca.
9.Grande batalhadeirAlroa.
10.Dombardeamerto >das fortalezas fie Sebas-
topool.
11.0 largo do Roete e theatro de B. Mara II,
Iluminado de noite par occasio dos estejos do
casamento de D. Luiz.
Esta rao presentes ncais diversas vista* que na
occasio deixam de ser mencionadas por uceupar
niuito espago.
O salao estar .Iberto aos sabbados, domingos,
tercas e quintas-felras.
Entrada 800 ris.
i ancoravfi-s do cabra, -totrio, pixe, imias de
1 diwria^-cenos e quaMades, pi egos dVcabre, es-
I topares, fuarnigao, tahua, barricas, inacbados,
; moil.es, caderones, phar ferro, arces de ferro, gaactos de ferro, vertidores,'
I pinfeis,itanques para oleo e verniz, tinas, sapati-:
Ihos, beabas, agulUas, lastros, bitecnias, grande
le f'ermaanfMtco
'-'
AVISOS MARTIMOS.
GOMPANHIA PERNAMBUCANA
M
XavegaeSo costeira avapw^
Parahyba, Natal, Maeao, Aracatv, Cear lam t
Onuija,
No dia 7 de niaio jfroiiao _s
5 horas da tarde segu vapor
Pnsinufi, commandante Rales,
para os partos cima indicados.
Recebe caiga at odia Eaeoni-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at o dia
da sahida s 3 horas da tarde : cseriptono n.
Forte do Mallos n. '.._______________________
COMPANHIA ERASILEIRA
DE
PAQUETES A VAPOR
E' esperado des |>ortos do .-ul
at o da 30 do corrente o vapor
Apa, commandaiite o primeiro
lente Alcanforado, o qual de-
pois da demora do coslume se-
portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada, encommen-
das e dinheiro a frete at o dia da sahida as 2 ho-
ras : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C____________
COMPANHIA BRASILEIRA~
DE
PAQUETES A VAPOR.
Dos (Mirtos do norte estrado
al o dia Io de maio, o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante o
capitao de mar e guerra Gervasio
Mancebo, o qual depois da demo-
ra do costume seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de sua chegada: eucom-
mendas e dinheiro a frete at o dia da sahida s 2
horas, ageneia ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.__________
eoiriPAiHiA
porgo de pharoes de cores e vidros de cores, 3 pi
pasde-carvodepedra para fugode casa, 8 fo-
goes-de ferro grandes muitos outros objectos
que se tornam impossivel mencionar e que tudo
se acfca patente ao exame devendo ser vendido
ao correr do marlello, hojeas 10 bocas da rnanhaa
no *cesmo arniazein da ra do Yjgario n. 1, aonde
desdeii o agente espera e couta cera a concur-
rencia de seus affeigoados, regueees e amigos e
cipilaes de navios.
LEILAO
DE
Urna cama franceza de Jacaranda, 1 toillet de
mogno, 1 violo, 2 relogios americanos, 16 qua-
dres dourados com linas gravaras, 8 mesas de
raro de lo 30 palmos cada urna, l.'j bancas
de pinho, 5 camas de ferro e Ditos outros ob-
jeotos j anminciados pira
HOJE
ra da Cruz armaze n. 9.
,Por intervencao do agente Pinte.
gira para os
DAS
MESSAGERIES
IMPERIALES
No dia 30 do
corrente espera-
se dos portos do
sul o vapor fran-
ecz Ettremtalu-
re, commandante
Favier, o qual
depois da demora
do costume se-
guir para Bordeara tocando em S. Vicente e
Lisboa.
Para as condicSos. (retos e passagens trata-se
na agencia ra do Trapiche n. 9.
11 ha de *. MigneL
Sahe com a maior brevidade o patacho porta-
guez Soiizi, ainda recebe alguma carga : a tratar
com o seu consignatario, na ra de Apollo n. 4.
Para Itahia vai sabir eni poOGM dias com a
carga que tiver o veleiro patacho D. Luiz, capi-
lo Jos Teixelra de Azevedo, quem no mesmo
quizer earregar pode dirig!r-se aos consignatarios
Palmeira & Deltro, largo do L'orpo Santo n. 4,
primeiro andar.
Para o Rio de Janeiro
O patacho Beber be pretende seguir com milita
brevidade, tem parte de seu carregamento promp-
to : para o resto z cscravosa frete, para os quaes
tem excel lentes commodos : trata-se com os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
& C, no seu escriptorio ruada Cruz n. I.________
FARA LISBOA
Vai sahir com brevidade o patacho porlnguez
Marta da Gloria, capitao A. de Barros Valente :
para carga e passageiros. trata-se com E. R. Ra-
bello, ra da Cadeia n. 56,
Ke_a-feira, de abril, as II
hras,na ra da Cadeia n. 53
a ra Direita n. 88
de um obrado de 3 andares, e sot.o em chao
foreiro-, outro na mesma ra, n. 65, de um andar,
foreiro, o a casa terrea n. 37, sita na ra do A-
rago, foreira.
Polo agente Euzebio se vender en leilao pelo
maior prego os predios cima descripio$,'per con-
U e ordem, para este fim autorisado pelos res-
pectivos proprietarios; sao convidados os preten-
denies ao (irevio exame, pelo que devem apro-
veilara opportunidade.____________
Uoi sl(4 na Capunga velhc e
tres eseravos.
O agente Simoes far leilao de um sitio no lu-
gar cima ldieado, na ra da Ventura, n. 16, em
direccao ao porto Lasserre, tendo60 palmos de
frente e 700 de fundo, com casa terrea assobrada-
da de 30 palmos de frente e 73 de vao com 2 sa-
las, 4 quartos e coziiiba ; fazendo a mesma casa
2 frentes com terracos, como tambem no interior
do sitio tem 3 quartos para pretos, inclusive um
que serve de cocheira, e algumas arvores fruc-
tferas : os pretendentes que quizerem examinar o
referido sitio antes do dia, vespera do leilao, po-
dem procurar as chaves no escriptorio do dito
agente, pois que naquelle dia, das 9 as 3 da larde
elle estar exposlo aos concurrentes.
O mesmo agente por conta de urna pessoa que
se retira para fon, vender em leilao os escravos
seguales : Marianna, naeao, 40 annos, perfeila
quintandeira; Antonio, naco, idade 30 annos, e
Sebastio, crioulo, 30 annos : todos sadios.
Sexta-feira, 29 do corrente, as 101|2 horas da
rnanhaa, a porta do armazem dos Srs. Palmetra &
Heltro, largo do Corpo Santo.
LEILAO
v dia 99 do corrate.
Aureliano Augusto de Oliveira far leilao por
aulorisacao do Illm. Sr. inspector da alfandega e
por ordem do capitao da barca inglcza Mount Ver-
non, e na presenc.i do Sr. cnsul de S. M. Britan-
nica e dos Srs. Saunders Brothers & C. agentes
de Lloyde, do casco e mais objectos salvados da
dita barca, cncalhada em Ponta de Pcdras.
O leilao do casco ter lugar na porta da asso-
ciacSo Commercial Beneficente, e o dos objectos
salvados no armazem do Sr. barao do Livramento,
no caes d'Apollo.
Principiar as 11 horas da manha.
LEILAO
LEIL0ES.
DE
Wobilias, crystaes, cofres de ferro, ma-
clnaspara coslura, relogios. pia-
nos, santuario, candteiros a gaz e
uni pnrcao oe formas e mais per-
tenecs para fabrica de velas.
Kexta-fcira 39 do corrente s
Vi horas do dia.
No armazem {ra da Cadeia u. 18.
O agente Olympio far leilao de mobilias, pia-
nos e muitos outros artigos para fechar contas de
venda.
IJHSAO
DE
urna mobilia de mogno, 1 dita de amarello, 1 sof,
i cadeiras de bracos e 20 de guarnico, tudo de
Jacaranda, I commoda de Jacaranda com lampo
de marmore, 1 guarda-louca de mogno, 1 guarda-
vestido de amarello, 13 cadeiras americanas, 1
marqueza larga, 2carteiras, 1 relogio, 1 candielro
de gaz, 1 lavatorio, 1 apparelho de porcelana, di-.
versos quadros e muitos outros objectos que esta-
rao patentes,
ikiji;
0 agente Pinto lara leilao por conla de diversos
e sem reserva de preco, de todos os objectos supra
mencionados, existentes no arinazom da ra da
Cruz n. 9. Principiar as 10 horas.
LEILAO
DE
30 duzias de frascos com agua de Colonia e 7 car-
loes com pecas de frocos de differentes cores
HOJE.
a 1 hora em ponto.
O agente Pinto far leilao por conta e risco de
quem portencer, de 1 caixa com 30 duzias de fras-
cos de agua de Colonia e 7 candes com frocos, a
1 hora em ponto do dia cima dito, no armazem
do sobrado da ra da Cruz n. 9.
AYISOS DIVERSOS.
Instituto Archeologico e Geo-
graphico Pernambucano.
llavera 86888o ordinaria quinla-feira 28
do corrente ao meio dia.
Secretaria do Instituto, 25 de abril de
18GI.
J. Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo.
0 cirurgiao Leal mudou
a sua residencia da ra do
Queimado para a ra das
Cruzes sobrado n. 36, pri-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharao como sempre
prompto a qualquer hora pa-
ra o exercicio de sua pro-
fissao, chamado por escripta.
DO
do
\ gario
Antia/.i'iu de cabos da ra
numero 1.
HOJE.
Quinla-feira 38 do torrente.
A raqueriroenio de Andr de Aureu Porto, e por
despacho do Iflni. Sr. Dr. juiz especial do- cftni-
meroiO, i rio a leilao todas as morcadorias Mis-
rentea.no armaiem, consislindo em cabos de.Jinho,
gaoxo e^seo, cabo de coco, mialhar, arubei, 1-
nho. georeiw, fio de vela e "de mais qualidades,
butoes, correntes, ancora?, pos de cabra, alcatro,
pixc, tintas de diversas cores e qualidades, pre-
gos de cobr e francezes, estocares, guarnico,
talxas, machados, moitoes, cadernaes, fares, p'ias-
saba, panellas de ferro, srcos de ferr, ganchos
de ferro, vertidores, nincei?, tanques para oleo e
verniz, tinas, sapatilhos, bombas, a-rulhas, mas-
tros, bitacnlas etc., e muitos outros objeclos que se
torna impossivel enumera-los c que tudo se acha
patente ao exame, devendo tudo ser tendido ao
correr domariello : qulnta-feira 28 do corrente
(h las lOhoras da manha no mesmo armazem da
jario n. 1.
r'n i!
<-

li:ilao
DO
Armazem de caboi da na do Yigario
numero i*
_i
A' reqnerimento de Andr de Abreu Porto, co
ni > administrador damassa faJiiJa de L'rbano Ma-
mede de Almeida pr despacho do Illm. Sr. Dr.
juiz especial do commercio por intervencao do
agente Pestaa, iro leilao todas as mercaduras
existentes no armazem, consistindo em cabos de
linho grossos e finos, cabo de coco, mialbar, arn-
ein, fio de vola e de mais qualidades, correles,

A commissao que o partido progressista
nesta provincia encarregou a direccao do fu-
neral que deve celebrar-se na matriz de San-
to Antonio desta cidade, em o dia 28 do cor-
rente, as 9 horas da manha, pele finado se-
nador Francisco Xavier Paes Brrelo, ha pro-
videnciado afim de qne sejain convidados pa-
ra assi.stirem a aquelle acto todos os alliados,
amigos e apreciadores do dislincto fallecido ;
mas, como pode acontecer que, isto nao obs-
tante e por circunstancias independentes de
sua vontade, deixe o convite de chegar to-
dos os que se acham couiprehendidos em
qualquer das tres classes figuradas, roga-lhos
a mesma commissao que, dando-o como rece-
bido, dignem-se de comparecer a taes exe-
quias, significativas da veneracao, respelto e
saudade que o referido partido sabe votar a
seus membros, anda mesmo aes o passa-
mento dclfcs.
ttencao.
O abalxo assignado tendo arrematado as divi-
das aetivas do finado Manoel Joaqum Dias de
Castro e as dividas activas da massa de Castro &
Amerim compradas pelo mesmo finado, sendo-me
boje pertencentes, rogo a todos os devedores do
mesmo finado para virem pagar seus dbitos na
ra da Senzala Nova n. 9 ou na ra da Cruz n.
it. no prazo de 15 dias a contar desta data, do
contrario sero obrigados a pagar judicialmente
2rdeVbrKni86iareClamas5 ^^ ReCe
Jos Francisco Pirt
Aos ;i: Corre Maulia.
Solta-feira 29 do orreule mex se ex-
i trahir a quarU parte da priraeini lotera
da matriz de Barreiros, no consistorio da
tanja do N. S. do Rosario da freguezia
de Saoto Antonio.
Os bilhetes e metas acham-se yenda na
i respectiva thesouraria i ra doCrespo n.
i 3 e as casas coamissionadas.
Os premios de 5:0000009 at 100000
serio pagos urna hora depois da extraeco
ate s 4 horas da tarde, e os outros no dia
seguinte depois da distribuicao das listas.
0 thesoureiro,
Antonia Jos Rodrigues de Souza.
CASA l)A FORTUNA
AOS 5:000.000
Bilhetes garantidos
A' ra do Crespo n. 23 e casas do costume
O abaixo assignado tendo vendido nos seus mul-
lo elizes bilhetes garantidos os de n. S030 com a
sorte de 10:0003. n. 2973 com 3005 e outras mui-
tas sortea de 200-3, 1005, m e 20* da lotera
que se acabou de extrabir a beneficio da matriz
de S. Lourenco da Matta, convida aos possuidores
de ditos bilhetes a virem receber seus respectivos
premios sem descont em seu eslabelccimenl
ra do Crespo n. 23.
O mesmo tem exposto a venda os novos e afor-
tunados bilhetes garantidos da quarta parte da
prmeira lotera da matriz de Barreiros qoe se ex
trahir sexta-feira 29 do corrente.
Os premios serao pagos como de costume.
Preeos.
Bilhetes inteiros..... 6J000
Meios......... 3J000
Para as pessoas que comprarem
de 100 para cima.
Bilhetes........ S^oOO
Meios......... 2*730
Manoel Martins Fiuza
quinta WWiWA. Afcrll 4C l?^j
Ro-eo Sr. Francisco
Finuino Monteiro,.
cdixeiro do armazem do gax,-o fa^or appnrecer no
pateo do Canno, epioa da ra de lionas n. 2,
parase llie oatregar urna caria. _________
!ta,eiif.a>se de um antassadtir : na padaria cm ]
Santo Anuro, atraz da tundicao do Sr. Starr.
WHKVfKO
RANDE FABRICA
CHAPEOS DE SOL
-- Flix Francisco de Souza Magalhes
declara que st> por engao de composico
se aeha contemplado no numero dos solici-
tadores que se acham sem proviso, por
isso que se acha provisionado pelo Exm.
Sr. conselheiro presidente da relaco.
D-e 2:0003 sob hypolheca em predio nesta
praca : a informar-se na ra das Cruzes n. 42.
Ama.
Precisase de urna ama escYava que saiba en-
gommar e cozinhar : na ra da Cruz n. 9, tercei-
ro andar. __________________
Precisa-se tallar ao Sr. Joao Martins
Goncalves, vindo ha pouco da cidade do
Porto : na ra do Crespo loja de fazendas
n. 7._______________________________
Ainda est para se vender um carro com vi-
dracas, proprto para particular, e com arreios no-
vos de metal principe ; e tambem se vende urna
bella parelha de carados rucos, gordos e gran-
des, milito trotadores, e na sella andam de baixo
at mel, e bons no cabriolet: ver e tratar, na
ra do Cotorcllo, padaria n. 31.
Preeisa-se de urna ama para cozinhar e com-
prar : na ra de S. Francisco n. 7.__________.
ATTENCAO.
O abaixo assignado, administrador da massa fal-
lida de M. M. de Almeida, e liquidatario da firma
Mamede& Martins, pede aos devedores destasduas
firmas de pagaremos seus dbitos uo praso de olto
olas, e nao fazendo proceder a cobranca judicial-
mente. Recife 26 de abril de 186*.
Andr de Abreu Porto.
Precisa-se fallar ao Sr. Antonio Jos
Teixeira de Mendonca Belm, nesta typo-
grnphia.
Joao Ignacio Coelbo e sua mulher Marianna
Angns'a Coelho retiram-se para a Europa._______
No caf 1 estaurand do commercio, ra do
Trapiche Novo n. 22, alugam-se quartos mobilha
dos por mez.
Precisa-se comprar ou alugar una escrava
que sirva para carregar fazendas : na ra do Hos-
picio o. 62.
Joo Lelly, socio gerente da casa de Southall
Mellors & C, avisa o corpo do commercio, que du-
janle a sua ausencia o Sr. \V. G. Tonnelly fica em
primeiro lugar na gerencia da meama casa, e em
segundo lugar o Sr. Manoel Jos dos Santos.
Precisa-se alugar um moleque ou preto de
idade, que seja fiel, para comprar e fazer o mais
servicodeuma casa de pouca familia ; na ra da
Cadeia n. 62, armazem.
Aluga-se a casa terrea n. 36, na ra da Ma-
triz da Boa-Vista, o segundo andar do sobrado n. 9
na ra Pireita com fundos para a ma da Penha, e
a loja : a tratar no mesmo.
Faz-se comida, almoco e jantar, para casas
particulares, e caixeiro*, com accio e perfeico,
por barato prego : a tratar na ra da Florentina
numero 36.
D-se 10:0003 a premio sobre hypolheca em
predios nesta cidade : a faltar na ra do Crespo,
loja n, 17.
A o publico.
Silvino Guilherme de Barros, sendo hoje o por-
tador de quasi todas as letras aceitas por Francis-
co Antonio de Oliveira pela importancia da compra
do engengo Guerra, sito no termo de Ipojuca, pro-
moviendo j execuco contra o mesmo Oliveira por
algumas dessas letras deqnantia superior a vinte
sete contos de ris, e que a respeito de algumas
outras ipie se vencero, de importancia maior de
18:0005000, traa de promover a sua cobranca
pelos meios judiciaes, para o que j foi citado, pre-
vine que ninguem faca negocio ou outra qualquer
iransaceo com o sobredito engenho Guerra, escra-
vos, animaes, utencis para o fabrico de assucar,
safra, que ludo est hypothecado para garanta do
pagamento das letras aceitas pelo dito Oliveira pela
compra do referido engenho na importancia de
2i.)':'003, afim de que qualquer fique logo corto
que algum negocio ou transaeco que fizer, ser
nullo. Recife 2o de abril de 1861.
Precisa-se de urna ama para dar leite : na
ra da Santa Cruz n. 10.
Precisase dejjma ama secca para tratar de
urna enanca de um anno : na ra do Trapiche
Novo n. 42._________________________________
O abaixo assignado, tendo muito breve de se
retirar para fra do imperio, faz sciente aos pm-
prietarios que tenliam cartas de nanea de inquili-
nos por elle passadas, hajam de exigir outras no
praso de 15 dias, a contar do presente; dessa dat
em diante nao se responsabilisa por seraelhantes
cartas.Francisco Alves da Veiga.
Aluga-se a loja do sobrado da ra das Laran-
geiras n. 13, propria para qualquer estabelecimen-
to : a tratar na ra da Cadeia Velha do Recife n.
1, Io e 3o andar.
Quem precisar de urna mulher de idade pa-
ra ama de urna casa de pouca familia, dirija-se
travessa dos Expostos n. 14.
Os abaixo asignados, cstabelecidos na loja
de calcado da ra do Livramento o. 15, de baixo
da firma social de Ferreira & Gouvea, acabam
amigavelmente de dssolveradita sociedade cima,
os quaes pedem a seus credores para apresentar
suas contas at 30 de abril de 1864 para seiem
examinadas, que do 1* de malo em diante Oca gy-
rando a dita loja debaixo da firma de Ferreira &
C, os quaps nao se responsabilisam por debito al-
gum da extincta firma de Ferreira Ferreira & Gouveia.
De J. Falque.
4-RUA DO CRESPO-4
Esta fabrica, a mais amiga e acreditada d'esta capital acha-se de novo
Sociedade dramtica UelpmcM Pe-
nambucana.
O Sr.-director manda avisar aos Srs. socios-qne I
K Lde ma|sah'r scena? drama eir1 3 variado Mbwlt liMMri'him 1 iAZIiimhS l^naT'
aCtiSrf.!?,0Tderthonra.-6acnis,osa come.d,a a ProHssao, como seja superiores sedas, al|nca* e na. o^ dTt.na. as'rresVroali*
Manoel Mendes.Os ir n nn Ptlrvprem nnlM ...A. a ,,; rpnaro nars anrnmntar ^haiutAe i J ,,""a> as cores e V"-------, ar-
mis preparos para apromplar chapeos de sol a vontade dos freguezes que >* dignare d
He eslabelecimento. e
Cobre-e e concerta-se toda e qualquer qualidade d'estes aicos com a maior nerlHeio
, o todo por preeos muilo rasoaveis. r *
Bonito sortimento de bengalas preeos commodos.
1 Ra do Crespo 4
Manoel Mendes.Os socios que estrverem quites
com a-caira da sociedade podero dirigir-?e ra
Nova n.'9, para receberem seus bilhetes. Secreta-
ria da ociedade Melpomene Pernambucana. 28 de
abril de J864.
Joo N. A. Macil,
1" secretario.
Ensina-se a receita de fazer licores de todas
as qualidades. agurdente do reino, genehra de
laranja, dita de hortela pimenta, dita de Hollanda,
vinhode caj, um proresso muito fcil, por mdi-
co prego : a fallar com Firmo Antonio de Figuei-
redo, na praca da farinha.____________________
Aluga-se um moleque copeiro e que cozinha
o diario de urna casa, e tambem urna mulata boa
engooiciadeira, e urna negrnha de 12 annos para
o servieo Interno de ama casa: na ra da Concor-
dia defroote .ao n. i. Na mesiaa lava-se e engoni-
eiase.
leza,
epres-
V
Jos de Aquino Fonscca, Thomaz de Aqui-
no Foaseca e seus filhos, Goncalo Jos Af-
fonso e irmos, agradecer cordealmente a
todas as pessoas que se dignaram assistir o
funeral de sua presada esposa, ora, irma
c cunhada, convidam anda os seus bons
amigos para o caridoso e religioso acto da
missa no stimo dia, anlecipando desde j o
reconhecimento por to piedoso concurso,
s 7 horas da rnanhaa do dia 30, no cemiterio.
INJECCAO E CAPSULAS
VEGETAES ao MATICO:
GRIMAULT E C'.A PHARMACEUTICOS EM PARS
Novo tratamento preparado com as falhu de Mallc*, rvsrc ala rrra.para acora rapiaac
da Gonorrhea em reccio algum da contraccro ilo canal ou da inllammacio do* iMeftiaw. O
doutor Rlraral, de Pars, ter renonciado, desde sua apparietlo, ao aaiprgo de qualquer atr* i
Kmprcga-te lajr-reia no comido do tluxo. as capsulas em lodos os casos ebronicoa e
rfsislirfto s preparacoes do copahu, cubeba e s injeccoes com base metallica.
Depsito geral 1 em Parit, em casa de MM. Grimaut e Ca, pbarmareutJcof, 7, ra de la Fi
II Luboa, Jan-AfoaliBlia 4a Caala-Caraalha Jualar; no i'orlO, Migan I
reir; em o Rio-de-Janeiro, Ceataa, 102, roa S. Pedro; em Bahia,
hrlra, em Rio-Grande, Jaaa,ula r Caday; em Jfaran/ido, Ferreira e
shaam e c*, ra da Cruz. 22; suu, e na principaea pharmacias do Brazil.
rrrntmlun.
Deposito geral em Pernambuco ra da Cruz n. 22 em casa de Caros & Barbn
Iriaandade o Divino Es-
pirito Santo.
De ordem da mesa regedora convido a todos os ,
nossos irmos comparecerem em nosso censisto-1
rio domingo 1 de maio prximo futuro, s 9 horas
da manha, afim de que constituida a mesa geral,
proceder-te a eleico da mesa que tem de reger a !
irmandade no futuro anno de 1864 186o. O ex-:
tracto da consulla a que procedeu o conselho fiscal,'
para os differentes cargos da mesa regedora, acha-
se afiliado na porta da sachristia de nossa igreja,
como determinado pelo art. 101 dos estatutos.
Consistorio da irmandade do Divino Espirito San-
to 27 de abril de 1864.0 escrivo,
A. A. dos Santos Porto.
JkTJkB
Armazem de fazendas
ni:
Custodio, Carvallio & Compaiihia.
Jos Antunes Guimares e sua familia reti-
ra-as para Europa ; nada deve, se porm alguem
se julgar seu oredor, quera apresentar a compe-
tente conta durante estes oilo das, que prompta-
mente ser paga. Recife 27 de abril de 1804.
** ra o m i:i m ii<>
Grande pechineha.
Cambraia branca lavrada propria para vestidos e cortinados pelo barato
cada pega.
Toalhas de linho adamascada para mesas a 3-3o00 e 4 cada urna.
Guardanapos de linho franjados a .'5 a duzia.
Toalhas de linho para rosto a preco de 4, 4300 e 12-5 a duzia c urna 360, fcVO e 1-7
Outra pechineha.
i ainbraia escura verdadeira organdys a prego de 240 rs. o covadu.
Baldes para senhoras e meninas a prego de 23500 a 3,5 cada um.
Fil de linho liso vara 500 rs.
Panno de linho do Porto com 10 palmos de largo proprio para lences vara il.
SffiB-KS1
4 VELHA ENCICLOPDICA
Itespeitavei
*7
prero de 3JMO
estahelecianento de faze
Crespo numero I?.
ndas
DE
Precisa-sede um rapaz de 12 C annos, ou
um homem de 30 40 annos: na ra da Concor-
dia n. 38, das 3 hora em diantc.
Machina de vapor, propria para mover ma-
china de descarogar algodo e para padaria, ou
qualquer outro machinsmo que precise de forga
de 2 at 3 cavall&s : para ver e encommendar os
dentes, pode-se dirigir ao Sr. Antonio Maia de Bri-
lo, fabrica de cigarros vapor na ra dos Quarteis.
SOCIEDADE
Uniao Beneficente dos Ar-
tistas Selleiros em
Pernambuco.
De ordem do Sr. presidente convido aos senho-
res socios effeclivos para se reunir em assembla
geral afim de cumprir o disposto na ultima parle
do art. 32 dos estatutos, domingo l* de maio, s
11 horas do dia.
Secretaria da sociedade Unio Beneficente dos
Artistas Selleiros em Pernambuco 27 de abril de
1864.
Auspicio Antonio de Abreu Guimares.
Io secretario interino.
Por ordem da mesa regedera da irmandade
do ivino Espirito Santo, erecta no convento de
S. Francisco, convido a todos os nossos irmos
comparecerem domingo Io de maio de 1864, para,
reunidos em mesa geral, elegerem a nova mesa
para o anno de 1864 65.
Manoel Cardoso de Souza.
Escrivo.
JOS GOMES VILLAR.
Tendo merecido a prnteceo das
EXCELLENTISSIMAS SENHORAS, 1
e do publico ciu geral.
OSproprietario nao descanga um s momento para bem servir aos seos frejrovze-. fa-
zendo encommendas para
Inglaterra, Franca, Suissa eAllemanha
das melhores fazendas para
Senhoras e para homens
e vende-as por preeos que admiram.
Importante cstaliclecimcnto
DE
Fazndas
DE
Seda, la, linho c algodo.
a de
JD83 MttHifl ^aiMia*
lina do Crespo nuenero 19.
RECIFE.
Veude haiassimo.
Importante rslalirlmmrtU
F.
Fazrndas
e algodo
DE
Seda, la, linho
de
lina do Crespo numero 19
RECIFE.
tinilr liaralissiaM.

brujante
84Largo da Santa Cruz84
No grande armazem de molhados denominado Aurora Itrilhante, o respeitarrl pu-
blico encontrar sempre um completo sortimento dos melhores generas aimiul. i. > yw
vem ao mercado e por pregos sempre commodos como se ve da tabella seguirte :
James Anderson, subdito
se para Europa.
britannico, retira-
Alugam-se duas casas terreas sitas entre as
duas pontes da Passagem, com 4 quartos, cozinha
fra, cacimba, e quintal murado : quem as preten- !
der, dirija-se ao pateo do Carino, loja de tartaru-
gueiro o. 2, ou no sitio do Cajueiro junto ao (los- ]
pital Portugucz : a tratar com Manoel Antonio da
Silva Ros._________________________________
Precisa-sede urna ama que compre e cozinha j
para casa de homem soltelro, prefere-se escrava : I
na ra do Queimado n. 13._____________________
Dous typographos habilitados, naturaes desta '
provincia, se encarregam de qualquer empreza ty-
pographica fra da provincia, mediante um seguro
contrato: a tratar na ra Direita, loja de barbeiro.
Perdeu-se urna letra de 4009, aceita em 26
do corrent pelo Sr. Joo Simoes Pimenta, a ven-
cer em 26 de setembro deste anno; desconfia-se
que frausupada por algum espertalho ; por isso
se previne ao aceitante que a nao pague, e se faz
publico que ella nao pode ser negociada por o pro-
prielario a nao ter traspassado, e j ter recbalo
parte.___________________
Trocase um santuario de Jacaranda com 5
i'magens, tudo do gosto moderno e com perfeigo :
quem o pretender, dirija-se a ra do Queimado
numero 71._________________________________
Aluga-se um sitio na estrada da Ponte de
chba e marg.'m do rio, pouco adianto do Illm.
Sr. commendador Nery Ferreira, tendo banheiro,'
palanque, galinheiro e outras acommodagoes; e
ontro dito no Monteiro, em frente ao oilo da igre-
ja : a tratar com Antonio Jos Rodrigues de Sou-
za, ra do Crespo n. 15, ou estreita d,o Rosario nu-
mero 32._______________________________ j
Aluga-se um carro de 4 rodas, da alfandega,
com um bei : quem pretender, dirija-se ra da I
Florentina, casa da esquina que volta para Santa
Isabel.
720
640
360
Manteiga ingleza flor a libra a 800 e
Dita segunda sorte a 640 e
Djta franceza a 600 e .
Dita dita em barrs e meios a 550 e
Toucinhode Lisboa arroba 85800
e libra .....
Chourigas novas a libra a
Queijos do reino novos a
Cha hysson muito superior a libra
Dito dito mais abaixo a 25,2S400 e
Latas com massa de tmales nova a
-20
3-5000
35000
25560
Dito perola a libra .... 35200
Dito preto muito fino a .
Dito mais abaixo a 15600 e .
Caf de carneo primeira qualidade
arroba 95 e libra
Dito mais abaixo arroba 85300 c
libra......
Arroz do Maranhao o melhor pos-
sivel arroba 35-00 e libra .
Dito da India arroba 25800 e libra
Alpista arroba 45800 e libra .
Painco arroba 59 e libra
Familia em saceos grandes igual
a de Muribeca ....
Charutos finos caixa do 100 a 29300
39 e......
Bolachinhas de soda arroba 640 e
Latas com ditas muito novas a
Ditas pequeas de varios formatos
Latas com peixe ensopado de posta
Ditas com ostras a 720 e
Ditas com marmelada a libra .
Ditas com ameixas francezas a
19400,29200 e .
Caixinhas de ditas com bonitas es-
tampas a 15600 e .
Ditas com figos ....
Latas com fructas em calda .
721
25000
72(
15300
560
ibra
Rodos com grava 7
Duzia de lata* de grava a
Massas para sopa a .
320 Ameixas francezai libra .
Passas a ......
Figos de comadre novos a
Roces arroba 49 e libra
Amendoas a 320 e .
Vzcitonas de El vas em frascos a .
25300|Conservas francezas c inglezs
29OOO frasco a ....
Polvo do Porto libra a .
300 Sag c sevadinba nova a
Vinhos especiaos do Porto caada
28(1 5-5800 e garrafa
Dito muilo lino a caada 75 e garrafa
120 Dito da Figueira puro a garrafa
100 560 e caada .....
160 Dito de Lisboa a garrafa 480 e ea-
20t nada a 39200 e
Cognac verdadeiro a garrafa a
65OOC Serveja das verdadeiras marras a
duzia a 69 c.....
49300|Gomma de engommar nova arroba
39800 e libra a 120 c .
Farinha do Maranhao a libra .
iflOO
-Uftft)
19
15400 Verdadeira matarana para papa
15201 ^ arroba 85500 e libra .
80( Saceos com farello de Lisboa .
a
para
u>n-
35300 e .
frijoles de lirapar facas
39800 Massoscom palitos finos
les a......
I9800|Garrafas com mel de al-lha novo a
Ditas com diversos xarnpes a
Ditas com genebra de laranja a a
75000
I*'
160
4*0
:i.VW0
200
me
1520
i
i
Dinheiro vista.
Algodaozinho' com pequeo
toque de avaria a 4$000
e 4$500 a peca.
Vende-se na ra do Queimado n. 14, superior
algodaozinho com pequeo toque de avaria a 39 e
69 a pega, a elle que est se acabando.
RA DO QUEMADO MI.
Loja de fazendas de Augusto Frederico dos Santo* Fort*.
Fazendas pretas para a quaresma.
Ricas capas de seda preta bordadas c enfeitadas para senhora.
Soutembarques e manteletes de seda pretos muito superiores.
Zuavos de seda pretos ricamente enfeitados a 179.
Lavas de pellica de Jouvin para homem c senhora.
Chapeos pretos para homem e chapeos de sol de superior qualidade.
Sortimento de grosdcnaple preto, pannos finos, casemiras preta?, merino, seteria e
basina preta tudo por commodos pregos.
Camisinhas de cambraia aGaribaldi e camisinhas c manguitos braneos e de cor.
Vende-se para acabar organdys da India a 320 rs. o covado, laasmhas a 360 rs. o eovaV
cambraias de cor a 240 e 32Q o covado e muitas outras fazendas por commoos prego.
Cbegaram as muito superiores
ESTEIRAS PARA SAI.AS.


1 -,

D4*r(o e PeraMlMje^Aniqt* felr MJi-AWim mm
Deseja-sc Tallar nos Srs. Alfredo de Moraes
Figueirco e Antonio Peregrino Cataleanti de Al-
buquerque doengenlioTimbass :na ra cstrei-
ta do Rosario, taberna n. 1_______-
0 abaito signado previne ao respeitave
publico tup uiiiguein contrate negocio com Feli-
ciana delbrres Lino, viuva do fallecido Joaqun
Mondes da Cuolia Azevedo, com a preta de nome
MahandMtacao Angola, visto nao ter o dito tinado
Udu flltos Oo casa), como tambem a mobiliario Ja-
caranda, constando de 12 cad.iras, 2 banquinnas,
mesa quadrada de meio de sala, sof, lanternas,
casticaes e outros objectos, e para que nao naja
duvida faz-se o presente, protestando o abanos-
signado por si e mais herdeiros por qualquer ven-
da que por acaso possa apparecer com data ante-
rior. Recife 19 de abril de 1864.
Caetano Mondes da Lunha Azevedo.
O abaixo assignado, testaraonteiro do finado
Patricio Jas Borges de Freitas, convida os senho-
res credores do dito finado, a vir receber suas con-
tas. Recife 22 de abril de 1864.
Jos Moreira da Silva.
Mil.
*s
ama para casa de
do Corso Santo n. 17.
liouca fa-
Ureeiro
No engenho Sacco da freguezia de Ipojuca,
vndese urna distilacio completa e uiuito- bem
montada, por preco coramodo : a entender-so com
o rendeiro no mesmo engenho. __
_ DENTISTA DE PARS
19Roa Nova-19
Frederico Gautier, cirurgiao dentista, |
faz todas as operacSes de sua arte, e col-
loca dentes artificiaes, tudo com superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enl
didas lhe reconnecem.
Tem agua e pos dentificio.
s
MOVO RIVAIi
Laja de uiiudezas
Mi Un do inclinado -1
Tudo objectos de primeira qualidade e barato.
Sabonete de bola, windsor e ovaes a 400 rs.
Ditos di veros a 100, 200 e 400 rt
Pacotos com pos de arroz a 440 rs.
Caitinhas com ditos com booeca a 15680.
Frasco* com pos para dente (soekdade h|f iemca)
a 800 re. W m^.-^
Ditos com banha franceza (idem) a 800 rs.
Ditos.com oleo philocome (idem) a 800 rs.
Ditos com oleo de Babosa do Rio a 300 rs.
Ditos com agua de Colonia a 400, 800,15 e 15300.
Ditos com extractos finos a 100, 600, 800 e 15-
Ditos com palcboly a 500, 700e 15.
Ditos com banha franceza a 500,800 e 15-
Ditos com bnn.i fina Iransparcnte a 720 rs.
Garrafas de legitima agua florida 15400.
Todas as pessoas que se julgarem devedoras de g^SVSli
medicamentos botica *g*j** ^bZLT^ASi^ a 25300.
Torree ate p da 31 d dezambro **!, que ram f a
pagar no ptaso de orto di, da pul>'* rt**. I Ditas de scda e > EsCossia mu.to finas a 15-
na rua Direita n. 6, ou a pessoa que .apresentar os, mniarbi > MI r
I Chinelas de couro do Porto proprias para sitio a
1'r.ecisa-se alujar um.tjscravo para traballiar
nesta typograhia, diana, -semanal ou raensalmen-
te, conforme agradar : na livraria ns. 6 6 8 da
pracada Independencia._________________
Acha-se insta e contratada a taberna da ra
do Rangel n. 17 : mwm se adiar com direito a
ella, dirija-se mesma, dentro ao praso de tres
da.
ANA
Precisa-so de urna ama para o servico de urna
pequea familia : na ra da Santa Cruz h, 64.
Aviso.
Extraordinario sortimento BIJIL. SEM SEGUNDO.
Ia TiAT*fVlTnlT'fl* I*0*1 a Queimado ns. 49 e 5o, loja de miudezas
uo yvi i uiuoi mus. i g Jos de Aievcdo Maia o Silva, est continuando
A supehoi idade das perfumaras que a aguia uo seu progresso de vender baratissimo:
branca vende est incontestavelmentc recenhecida Caixas de superiores obreia* de cola e massa a
e isso confirma a grande extracto que lhe* vao 40 rs.
dando os apreciadores do-bom. A aguia branca Cordo branco para vestido e-espartilho, vara SO
porm leodo sempreem vistas o bem servir a sua! iis.
i boa freguezia tanto da cidade como do interior, Linhas do carretel (150 jardas) de superior quali-
mandou vero extraordinario sortimento que ac-1 dado a 60 rs.
; ba de receber, vindo conforme sitas recommenda-' Ganos de liulia Pedro V (200 jardas) j muito
i coee, sempre da melhor qualidade sendo : \ conliecid a 40 rs.
Agua de colonia em garrafas de diversos lmannos Grozas de peonas de ac du muitas qualidadcs e
su|>eriores a 500 rs.
Gauiveles de duas tullas porm finos a 500 rs. i
Caixas com caluugas inuito bonilas para rap a
100 rs.
Franja branca c de cores para toalhas a 160.
I Pares de botos para punho muito bonitos a 120.
I Caixas com soldados de chumbo muito bonitos a
120 rs.
Tinteiros de vidro com superior tinta a 160.
Ditos de barro com superior tinta a 100 rs.
Groza de boloes de louca pratiados, o melhor, a
160 rs.
documentos, e as que nocumpnrem, serao
madas a juizo som excepeo.
de
m didas lhe reconhecem.
Tem agua e pos dentificio.
Mez de Mara
Vende-se este livro confonne o uso do
hospicio da Penha a i 5 rada livrinho: na
livraria n. 6 c 8 da praca da Independencia.
Aluga-se a loja de urna porta so na
ra do Crespo n. 4 com armaco ou sem
ella, para tratar em casa de J. Falque na
mesma ra n. 4.
Andrade & Reg, recebem constante-
mente e tem venda no seu armazcm b.
34 da ra do Imperador, algod d'aqucl-
la fabrica, proprio para saceos de assu-
car, embalar aljjedao empluma etc., etc.,
pelo preco mais razoavel.
<2>
Aluga-se urna excellcnte cscrava mona e de boa
conducta a qual tem todas as habilidades precisas
para servir em urna casa de familia : quein da
mesma precisar dirija-se a ra dos Pires n. 54.
Club rrraainbucaiiA
Na noile do fia il do corrente to' lagar
a minino familiar.____________________
Empreza da illumiuaeao
Grande armazem
tintas.
Rua do imperador n. ''v
Vende-se as seguintes essencias.
Esseneia de rosa do Oriente.
> de Franca.
de Jasmim fino (espirito.)
i > limao fino.
Nerolylino.
> alfazema.
i aspic fino n. 1.
> > ordinario.
> mbar (espirito.)
> patchouly >
> mil flores
alcoraiva.
Portugal.
lima.
> > cravo da India.
bergamota superfino.
bagos de jumpiro.
> bnuquet supertlno (espirito.)
aniz superfino.
15300.
Conservadores pretos e de cores a 15-
Ditos ditos com laco a 15500.
Pentes dourados para marrafa a 15-
Ditos de borracha pararegaco a 640, 800 e 15- "
Ditos dourados para regaco a 15-
Ditos dourados com pedrinhas para regaco a 25-
Ditos de concha e de laco imitando tartaruga a
! 15280 rs.
Ditos com diadema a imperatriz a 15280.
Ditos lapidados com pedrinhas a 15600.
Ditos esmaltados a 800 rs.
Ditos e marrafas esmaltados a balo 45.
!' Aneis de vidro de todas s cores a 40 rs.
Bonitos aderecos de ouro falso altinetes e rosetas
com pedrinhas, aljfar on coral a 45.
, Fivelas com pedrinhas para cintos a 25-
! Ditas esmaltadas para ditos a l500.
1 Pentes de res faces para desembaracar a 800 rs.
I Ditos de borracha urna e duas ordens a 15-
Pulceiras de missangae contas grandes a 800 rs.
Ditas de contas grandes com pedrinhas a 15
! Voltas braucas, pretas e encarnadas a 15-
e moldes.
Dita dita em frascos redondos c quadrados.
Dita dita ambreada em frascos verdes.
Agua ambreada jora bandos.
Dita balsmica e denli fice para conservaco das
gengirase dentes e bom balito da bocea.
Dita de flor de laranja.
Dita de rosa e dita florida.
Dita de lavander e toilet
Diia de atheniense para alisar e segurar os ca-
bellos depois de atado.
Dita de Mallabar e Hoide para tingir os cabollos.
Banha transparente e lafornesa.
Ditas linas em frascos de diversos moldes.
Dita dita em bonitos vasos de porcelana.
Hila dita em latas.
Dita dita em copinos sendo creme, duqueza c po-
j Miada imperial.
Bahuzinnos de vidro com perfumaras.
Carnudas com 6 frasquinhos de cheiros.
Cosmetique (ou pomada) surfine.
Extractos finos e de agradaveis cheiros em bonitos
frascos.
Dito frangipane, cheiro novo e mui agradavel.
Dito de sndalo.
Essencias concentrada?, com differentes e flnissi-
mos cheiros.
Leile virginal para tirar sardas.
Dito de cacao para amaciar a cutis e conservar-
Ihe o lustre.
! Macassa perola.
Oleo philocome e surfino.
Dito de babosa.
Opiata ingleza e franceza.
Pos de coral e de Lubin para dentes.
Saboneles finos quadrados e redondos.
Ditos finos em caixinhas de tres.
Ditos muito finos para barba.
Uraiide ti it Tazcadas aa loja do Pavao, raa da h-prratxit _
CO, de Gana Silva.
AcOa-so este estabelocimcoio compkiin niaw-
tidode fazendas inglezas, i anecia*, allri-ia >,
suissas. proprias tanto para a praca romo para p
malo, prometiendo vendei-se mal **! JtjQr
em ontia quabpicr paite piincip-lnM-nte inrm
porcao u de todas as fazendas do-se as amvttv
deixando llcar pcnhoi i>u inaiMlani-.-e lo..: m '*-
sa pelos i aixeirns da loja do HaW.
\s chitas da Pava".
Vendem-se luperlorea chia claras r r#raVM f*
lo barato pn-ov do 210 e mi i>. seito Untas f
rts. dilas francezas linas a :I2<>. 340, 340, 'JW
500 rs.. o civadn. ditas prelas tatfM r e'UWla.-.
rucad** escorezea Bwm a 24o i loja do Pavao i ua da liaffaltii n. SO .k ijaaa .\
Silva.
Asrassas da l'avea 216, 2*0, 300 r il ra.
Vendem-si- tinissimas rassM aeratoaa^ rta
xas a 320 rs. o covad, ditas fraarn ".-
a 240 e 280 rs.. ditas ingzeza a 540 > 2>> -
covado, linissimo or^andy maiisado r<*n. .: ;..
luiudiiihosa 320 r>. o covado. i >i '*ln."
, muito liuas a J20 rs. i>lo na r ...:.
Tesouras para co.-tura, o mais superior, a 400 rs.
Ditas para unhas muito linas a 400 rs.
Escovas para limpar deules muito superiores a UnpBralria p. 10, de **aa H aya.
200 rs.
Libias de laa de todas as cores (pesada) a 75-
Caixas de phosphoios de segurauea a 160.
Ditas de papel amizade pautado e liso a fcO rs.
Ditas com 100 auvelopes muito superiores a 800
ris.
Cadernos de papel branco e de cores, pequeo, a
casa
- Quem precisar de um boleeiro para mmmn (
particular, dinja-sc ^n^*^*J^pJ^ Sapatinhos de laa diversos a 400, 600 e 800
' 5 Bonitos botoes jiara punho a 200 e 600 rs.
a
' Ditas de coral 500, 15280 e 25-
Bonitas gravatinhas de laco e com passador a ptos creme de amendoa em vasos de vidro e por-
800 rs. celana.
| Bonitas toucas de blonde de seda para baplisado xonjco oriental de Kemp.
a 15600. i Vinagre aromtico.
Bonitos sapatinhos de merino matisado dem a du0 d'ou leite d'ires para acabar as espinhas do
15600. rosto.
Bonitos sapatinhos de laa com Jacote frocos aJ5-1 e assim muitos outros objectos de gosto que na
rs.
" Albuquerque, |a| Fitas e cordoes para esparlilho a 80 rs.
5 Flix Pereira de Araujo tenham a honda-
H de de se dirigirem ra da Imperatriz
n. 40, o mais breve possivel, entende-
B r<;m-se com o solicitador Leopoldo Fer-
reir Martina Ribeiro, negocio de seus
jlS interesses que os mesmos senliores nao
2 ignoram.
Aluga-se umescravo perfeito cozlnheiro : a
tratar na ra da CadeU do Recife n. 48, primeiro
andar.
subdito italiano, vai
a
gaz.
Todas as vendas de apparelhos e retlamacoes
(por escripto dando o nome, morada, data, etc.),
devem ser feitas no armazem da ra do Imperador
n. 31. Os machinlas mandados para atlendera
estas, apreseniaro >um livro que os reclamantes
deverao assignar logo depois de prompto o servico
reclamado ; isto paraipie a empreza fique sciente
de haverem os mesmos senhores sido devidamen-
te a Hendidos. _________
Aloga-se o pr.weiro e segundo andares da
casa n. l3 da ra Imperial : na ra da Aurora
numero 36.
*a^ .f% .*V/5\..V'.. .Ti Ti'^IJM? VKs&JIK*S*?
uj Mara da Katividade Ferrcira adan- |k
^ do-se competeirtemente habilitada e au- B
H^ torisada ha aborto aula particular de en-
>< ^ ra da Soledatie n. 31, cujo edificio tem S
j^ todos o; commedos e asseio necessario Wi
J para as alumnas, sendo as maternas do %g.
^ ensino 1er. cscrever, contar, resar, gram- H
jJR matica porlugueza analisada e franceza,
B coser, bordar, tralialhar em laa e flores, ffi
*$ arte de msicanpplicada a piano. Nesta K
JR parte da educa,o do sexo feminino pre-
B tende corresponder a espectaco dos pas ^
*S* de familia que Ibe conliarem suas lilhas B
c prenles.
.%:
Na praca da Independencia, loja de ourives
a. 33, comprm-se ot>rp.s de ouro, prata e pedras
preciosas, assim como-ee faz qualquer obra de en-
'.commenda, e todo e qualquer concert, igual-
monte se dir quem d dinheiro a preniio.
**mm mm&m
Quem levou um hapo alto, novo, trocado
na partida o Club Coiumercial, no sabt:ido 23
do enrente, qoeira ter a bondade de ieva-lo ra
da Iirperatnz n. 13, ou na da Cruz n. 38, e
ajOan perdeu o seu, pode Ir procura-k),
l Oitavas de relroz preto a 140 rs.
Brincos pretos e de cores a balo a 400 rs.
Rosetas pretase de ouro falso a 240 rs.
Escrivaninhas com tinteiro e arieiro a 15200
15600.
Oculos de armacao de ac a 15 e 15280.
Mcias pretas para senhora a 320 rs.
Finissimas tesouras para unhas a 15-
Ditas ditas para costura a 900 e 15-
Ditas grandes a 500 e 640 rs.
Ditas ordinarias diITcrentes a 60 rs.
Carteiras com agulhas sortidas a 500 rs.
Calxiuhas com 100 agulhas francezas a 240 rs.
Ditas com 100 agulhas Victoria a 320 rs.
Resmas de papel almaco pautado a 35 e 45-
Resinas de papel almaco grevea 356"0 e 45400.
Pacotes de papel amisade branco e de cores a
600 rs.
Caixinhasde papel amisade paulado a 800 rs.
Caixinhas de papel de cores adamascado a 15-
Pacotes com 100 envelopes brancos e de cores a
800 rs.
, Vernicas de vidro de todos os santos e santas a
Precisa-se alosar urna casa nos Apipucos, seja do lado do rio : aem *^n*yj2E2K Estampas de todos os santos e santas a 248 rs,
lanc.as e qu.zdr alugar, annuucie ou dirjase a Escov ,ara (Wlll(!S a l6w? me 480 rs.
praca da Independencia n. 22._________________ i Es(.ovas ,,ara (.:ibello a 6Wj | j c i^.joo.
, 1H O I Escovas para roupa a 640 e 15-
Precisa-se de urna ama para o servico interne gg Jo n^nca fff^ ^ M,,
i Pecas du fita de laa e seda para debrum de ves-
Querubino Bandeira,
Macelo.
Jos Reluilc, subdiii; italiano, vai Balda,
Attencao
externo de urna casa de ponca familia
na ra da Senzala n. 22, segundo andar.
No dia 23 de abril de 18G4 furtaram do en-
genho Maraoho dous cavados com os signaos se-
guidles : um cavallo alaso tostado, com a cabeca
um tanto jielada, -com as caberas dos quadris pela-
das, tem um abeUtaho branco no p, sende as-
traao, eavalle do meio, anda de baixo a meio, tiiio
bem ardigo, ifora-se de que forma o ferro, de
idade 7 8 annes, pouco mais au menos ; o ostro
ruco, bem grande, anca larga, bastante sendeiro,
castrado, idade de 8 annos, tem um espravao de
papo quoimade em nina perita, tem um signal
branco, e tambem ignora-se o ferro: quem apnre-
hender estes dous cavallos, lera de gratifica^ao
504WO0.
compra dos quaes o pretendente ser satisfeito
por deixar os cobres na loja da aguia branca ra
do Queimado n. 8.
Objectos de phantasia viudos
para a aguia branca.
A aguia branca recebeu novos e bonitos objec-
tos de phantasia, alguns dos quaes nunca vistos
aqui, sendo :
Bonitos aderecos completos 'eitos de perolas falsas.
Ditos ditos de pedras por cuja perfeicao e bom
gosto quasi se ne distinguem das verdadeiras.
Lindas pulseiras de mosaico.
Dita dita de perolas falsas unto para senhoras
como para meninas.
Dita de chapa de crystal com listas douradas.
Dita de cornalina branca, azul etc., etc.
Bonitos altinetes e anneis para grvalas.
Bonitos pentes de conxa obra de apurado gosto.
Outros travessos com pedras para meninas.
Bellas guarnicoes de pentes dourados ornados
com caixos de uvas, feitos de aljfar, obra su-
blime.
Outras igualmente bellas, todas de fino dourado e
com pedras.
Oulras a tartarugadas, nada inferior a aquella.
, Vollinhas de aljfar branco e de cores com cruzes
de pedras.
Esses c outros muitos objectos acham-se a venda
na ra do Queimado loja da aguia branca n. 8
FIVELAS
de ac e com pedras.
Pecas de caseanil
5 400 rs.
Nao eslava bem a aguia branca deixar ficar tao
essas a-
isso a-
ressou-se em mandar buscar o bello sortimento
que acaba de receber ; c bem assim as neeessarias
Ktas.cujos novos e bonitos padroes as lornam agra-
ilaveU aos olhos de todos ; resta, pois, que os pre-
tendentes, munidos de dinheiro, dirijam-se ra
do Queimado, loja d'aguia branca n. 8, onde tam-
bem ha bonitos cintos bordados com borlas, etc.
grandes: bqmitos
espelh'is dourados.
tido a l->.
Pecas de ta de sarja e setim de ^ a ^
a eT de cmz.i e outras cores a redad five,as de ag? com pedraS) e por isso
Pegas de franja de seda preta e de cores a 25800.
Varas de clao lavrado branco e de cores a 80 rs.
Varas de arcos dilTerenies larguras para balo a
100 rs.
Varas de busos de seda brancos e pretos 240 rs.
Varas de bico de linho branca a 160 rs.
Varas de babaJinbo tranwia a 80 e 160 rs.
Varas de lucos e rendas a#0, 120 e 160 rs.
Varas de bico preto largo com mtame a 160 rs.
Varas de bicos pretos desdo um dedo at un pal-1
mo de largura a 120, 1*W, 200, 240, 320, 400,,
m.. -.i .i,, 3^TI^5wa AnUirt 640e800rs. A aguia branca em eontinuacao de suas encom-
i>OClu(la(lt
  • palmo de largura a 120.160, 200, 240, 320, 400, espelhos dourados com mui bonitas a modernas
    610 e KiKi rs. molduras, e vidros de primeira qualidade, vista
    Varas de Jilas de grosdeuapies lavradas de i e 3 do qne o pretendente que sahir de casa munido de
    dedos de largura a mais rica lita que tem vindo dtKiieiro e com dis|tosico de o gastar na compra
    a esta praca para simse lacos a 15600 e 25-
    Varas de lita de velludo (jeto de seda desde a
    mais estreitinlia al a ms larga a 120, 160,
    200, 240, 320, 400,500, .6*0 a 800 rs., de todos
    estes objectos ha livros de amostras que se-dei-
    xaiu ir a casa sendo conhecidos.e todos os objectos sao d pri-
    meira qualidade como se pude observar a vista
    das fazendas, vende mais barato do que era ou-
    tra qualquer parte, vistt faz t._________
    Pornambiicana.
    mene
    Pelo presente sao convidados todos os senhojies
    socios, que nao stiwrem quites com a caixa da
    sociedade, a comparecrem rua Nova n. 9. casa
    do Sr. Dumont, atim de pagarem +uas mensalida-
    des; outro sim, docbwa que o -eooio que nao sa-
    tislizor o que se acba a dever al o dia 30 do cor-
    rente, nao ter direito a distribaiclo de bilhetee
    para o espectculo do de maio. Recife, 27 de
    abril d* 1-864.
    O thesoureiro,
    f.uiz Frederico Gilv-
    de um desses bonitos espelhos, dirigir-se rua
    doQueimado, loja d'aguia branca n. 8, que ser
    bem servido. Tambem ha espelhos quadrados sor-
    tides em tamanhos, e com molduras douradas.
    RO!
    de porcelana e escarra>
    deiras de vidro
    DO 00MKERCIO.
    qmor parte que sajan as ditas, fazendo trates de
    vaatagem -os credores, offerecendo fiador do que
    lhe for entregue : dirijam-se rua da Imperati iz
    n. 7 Xo lim do mez tem Precisa-se de urna anta jiara cosinhar em
    casa (!' pouca familia : a tratar na loja da rua do
    Cahiig n. ii- _____________________
    Aluga-se o sitio da Pedra atolle etixApIpocoa, ^"bra! co.noionstade sua'caita de'liberdade
    com expeliente <;asa de vivenda, de 2 salas de tren- .an).ada nas noU5 dl) tabellio publico da comarca
    te, forradas, e 6 quartos, todas promptas, terraco, ^ Limwiro, Vieira de Mello, assim, pois, fear
    estribara, fructeiras bella vista magnifico banho: p,:evenida a innoceBeia.
    a tratar na rua das Crnzes n. 311, segundo amiar. q ai
    Aluga-se a casa n. 17 rua do Mondego, ,
    com 3 quarios e 2 salas, canno de egoto para a Titilara ingloza para tingir a barba e
    camboa, dando-sel cenca para o despejo pelo por- >a|,cllos instantaneameiile (Om 3 partitula- hrinca i idou vir bonitos iar-
    5iaK5a-lh5-^S*4>^^ to mat.ol.ar a pelle prepaSda rosAJS^rStSS^Td7dKW5.
    olnn-r1 J irDD0s,acbfcSeav6a na botica da nbo. ;im como escarradeiras de vidLOttsetaa
    Ian "----------------------------------------------! ra rln ImnPi/lnr n i& esses sempre necessarios jiara o bom amo das sa-
    A\ flHrlin*3bl/f"l A\ fft\ i ll0,ml'uw,<" las; resta somente que o comprador dirija-se com
    '\ Va 1 \l VV% JA \.\.JJ 'Vende-se wn escravo bom carreiro e proprio jinbeiro loja d'aguia branca, na rua do Queima-
    4*4 ^J 3L ^ ^p mJX >5ar ftca 0 servico de campo : no caes Ja alfandega n- do n. 8, oae ser servido com agrado e sinceri-
    i 11- _-.im,il 3, se dir quem vende. dado.
    Avisase aerospeitavel puWico, e principalmente1
    aos senhores compradores de escravos, que a es-
    ci ava de nome Margan da, mulata bem .clara, de
    idade de 16 18 annos, altura quasi regular, ca-
    bellos carapinhos, olhos agatados, com marcas bem
    20 ris.
    Carlas e la Loadas para meninos a 80 rs.
    Caixas com superiores iscas de acender charutos
    a 40 rs.
    Carreteis de linha Alexandrc (200 jardas) de cores
    a SO rs.
    Baralhos para voltarete muito linos a 240.
    Cartas de allinetes franrezes muilo finos a 40 rs.
    Meadas de liulia f xa para bordar a 20 rs.
    Pares de sapatos de iraoca multo supriores a
    15600. i
    Papis de agnlha com um pequeo toque a 10 rs.!
    Groza de botoes de inadreperola muito finos a
    560 rs.
    Cartoes e caixas de celchetes franceies superiores
    a 40 rs.
    Bonets para meninos muito finos a 15300 e 25. i
    Magos de grampos superiores e limpos a 30 rs.
    Groza de phosphoros do gaz muito novos a 2200.
    Areia preta muito superior a 100 rs.
    Caixas de rap com espelho a 100 rs.
    Realejos para cntreter meninos a 80 rs.
    Pecas de fita de linho muito boas a 40 rs.
    Pentes de lago muito bonitos a 15-
    Enfeites de laco de todas as cores a 15300.
    Rodas com allinetes francezesa 20 rs.
    Caixas com qualro papis de agulhas imperiaes a
    240 rs.
    Saboneles de familia a 80, 160 e 320.
    Caivetes de duas folhas muilo finos a 320.
    Pares de sapatos de laa para meninos a 400 ra.
    Sapatos de tranca para senboia e para homem, os
    melhores que tem vindo, e por preco muito baraloj
    quem quizer ver, venha rua do Queimado ns.
    41) e 55, e ver tudo como bom e barato.
    Hivalsem segundo.
    Na rua do Queimado ns. 49 e 55. loja de miude-
    zas de tres portas, est resolvido a vender tudo
    quanto tem no seu estabelecimento por precos que
    a todos adniiram, assim vejam e admirem.
    Frascos com superior bauha liara acabar a 200 rs.
    Banha transparente a melhor que ha a 600 rs.
    Banha japoneza superior e garantida a 800 rs.
    Frascos de oleo vcidadeiro babosa a 500 rs.
    Ditos de oleo verdadeiro que tem una moziuha a
    500 rs.
    Ditos de oleo superior Philocome a 800 rs,
    Saboneles pequeos e muito linos a 60 rs.
    Ditos inglezes. superior qualidade, a 160 e 320.
    Ditos de bola muito finos a 240 e 400 rs.
    Vinagre aromtico e cheirose, garantido, a 15-
    Frascos de agua de colonia muito linos a 400 rs.
    Ditos de dita verdadeira e que se garante a 600
    ris.
    Ditos grandes tambem verdadeira a 15200.
    Frascos de cheiros muilo linos a 200, 320 e 500 rs.
    Ditos de agua de colonia grandes a 610.
    Pares de ligas muito finas para senhora a 500 rs.
    Pecas de fita branca de linho, superior qualidade,
    a 100 rs.
    Grvalas de seda muito bonilas e superiores quali-
    dades a 500 rs.
    Caetas de osso lisas e torneadas muito finas a
    10 rs.
    Duza de lapis muito finos e fortes a 140.
    Tranca preta lisa o melhor que ba a 80 rs.
    Escovas para limpar dentes muito finas a 200 e
    400 rs.
    Pentes de volta para meninas rogacar cabello a
    500 rs.
    Ditos dourados para menina- regatar caballo a 15.
    Fitas para enflar espartilhoe muito tinas a lio rs.
    Varas de lila com ilhozes para vestido a 100 ra.
    Abotoaduras de milito gosto para collete a 120 rs.
    Frascos de oleo de macaca muito superior a 100
    ris.
    Agulheiros de Jacaranda
    a 200 rs.
    ; Espelhos de Jacaranda e
    25500.
    Duzia de facas e garras
    linas a 65-
    Dozia de lacas e gai fos. cabo branco, cravadas, a
    25800.
    Pegas de eiiiivmoios muilo bonitos a 700 rs.
    -
    D. Paacieea Elizia da Costa, rasileira,
    tirase para o Hio da Prata.______________
    I.iivjcs de fotivla.
    Reoebeu-se luvas de Jouvin brancas e pretas
    proprias para a quaresma : na rua do Queimado i
    , loja do beija flor n. 3.
    Aisiveis da varila, solleira, a qual se acha em Pao TranauUas de la Ika para enlutes de camisiuba
    Ld"Albo, aflu de q*e all seja vendida por algoem, \ t senhora.
    Recebeu-se, tranoiahas de diversas cores pe-
    ca de 30 varas a 640 r., e de 120 rs. pequeas :
    na rua do Queimado leja do beija flor n. 3.
    Enfeites de rediabaa com lace na frente.
    Recebeu-se, variado sortimento de enfeites de,
    diversas crcs a 154001 25: na rua do Queimado ,
    loja do beija flor n. 63.
    i amante da lilierdade.
    re-1 m,
    Contraria de Manta Rita de
    Csala.
    _ PerdeHi-se da rua do Trapiche at a rriude dQ ^ 4? do C(jm miss0 6aQ ^
    prara db COBiaerTcIO a carta de registro do ( vj avio Dglez liarntston: iptei a ti ver: ,|a j. e maio vindouro, s 9 horas da maahaa, para descaroear algodao as melhores que Beato de Barros Feij.
    adiado e entregar rua do Tr.ipklie n. JO, em mesa ccral, afim deseJjroceder^a elei^ao da. tcm vjn(j() a e$te mcrCado : rua *
    le la para lioniem e srnliora.
    A aguia brsnc, na rua do Queimado n. 8, ven-
    de mui boas meias de lia para homem e senhora,
    c |>retas de laia de seda para padres.
    Carnauba do a r acal y.
    Vende-se eonstaatemente na fu da Cadeia n.
    57, armazem de Prente, Vianna & C.________"
    .llnrhluas Cuglexas
    Vende-se urna barcaca nova de qualro via-
    gens, bem construida, de 45 caixas, boa veleira, a
    dinheiro ou mesmo a praso, assim ollerera boas
    firmas: a entenderse na rua Direita cora o Sr.
    flOri rccnuipeiisado.
    Mudanca
    D^nker & Barrozo mudaram seu tnna-
    zem 4ia rua da Cruz n. 12, para a mema
    roa n. tii.________________________
    Aviso aos f nteressados.
    No dw 29 do corrente mez, ter logara
    reunio dos credores da massa fallida de
    Afanoel Atoes Guerra, para deliberar-se so-
    bre urna outra concordata proposta ou for-
    jnacao d contrato nniiio._______________
    nova mesa para o anno de 1WJ4 1865.
    Confiislorio da contraria de Santa Rita de 6uii
    27 de abril de 1864.O eserivo.
    Angelo (Custodio Rodrigues Franca.
    Nova n. 42,
    em casa de S.
    da Senzata
    P. Johnstoo
    Vendem-se saceos com faraha a mais nova
    Riearo Martinsda Silva Borges, subdito por- que ha no mercado, e muito fina : no armazem do
    luguez, sege para o Aracaly tratar de sua sade.
    COMPRAS.
    Compra-se una casa terrea sendo era
    Auues defronte da alfandega.
    Vende-se un cabriolet inglez (l)ogcarl) em
    muito b un estado : para tratar, na rua da Cruz
    mu ero 3S.
    rua, estando em bom estado, que seja dentro da
    eidade : quem a tiver, annuncie sua morada.
    Compra-se um sobrado deuin ou mais anda-
    res, em boa rua, e que esteja em bom estado : a
    tratar na rua do Crespo, loja n. 20 B.
    - Vende-se una escrava de 2o 30 annos de
    boa ; dade, lera as habilidades seguintes : doeeira de
    Irabalhar em todas as qualidades de doce, e eazi-
    nha o diario de urna casa : na cidade de Olinda,
    rua de Mathias Ferreira n. 11
    MAXOEL JOAQLTM DO NASCIMENTO
    tem a honra de informar ao respeliavel publico,
    que seguoda-feira 2 de maio prximo vindouro, j0 pa6sio n. 7.
    vai abrir urna tenfla de alfaiate na rua da Impera-
    triz n. 17. Os trabadlos da tenda serio dirigidos
    palo ALFAIATE FR ANCEZ, o senhor
    Charles Laurait
    qirt perto de dous annos dirige os trabalhos de
    alfaiate dos Srs. BASTOS & REG. iNessa nova
    casa ha de se emprehonder qualquer trabalho, tan-
    to para o civil como para os militares, cora toda a
    perfeicao e promptidao possiveis. Encarregar-se-ha
    tambem de obras para senhoras, laes como AMA-
    ZOXAS, PALMA, MANTELETES E MANTOS, etc.
    Precisa-se de urna ama para todo o servico
    de casa de pouea familia : na travessa da matriz
    de Santo Antonio n. 8._______________________
    Compra-se um at dous bois mansos que sir-
    vam para carroca e sejam novos : na loja da rua
    Compra-se urna mobilia de amarello ou jaca-
    randa, com uso : quem a tiver e qoeira vender
    barato, dirija-te rua Augusta n. 8.
    Aluga-se urna casa nova muito fresca, feita
    moderna, no lugar da Capunga. quintal murado ;
    outra na travessa da Bomba, e um sobrado na tra-
    vessa dos Quarteis n. 35: a tratar no pateo da ma-
    triz de Santo Antonio n. 8.______
    Precisase de um caixeiro de 12 a 14 anuos
    deldadequetenhapraticade taberna e que d
    conlioeimento do sua conduca: no pateo da n-
    Deira o. I.
    I ouro e prata em obras velhas, pagande-se bem
    ! na rua larga do Rosario n. -\, loja de ourives.
    Conipram-so frascos do genebra vasias : na
    rua Direita n. 71
    VENDAS.
    IIOI
    -rf*
    Vende-simi bflr'priprio para
    Imperial n. 1.
    carroca : na rua
    Vendem-se lingua seccas muilo superiores,
    e por preco em eoBta : a bordo do palhabote Ar-
    rota Slalh'o, fundeado ao p da escadinha do Col-
    legio.
    Cuqueiros.
    Vendem-se ps de coqueiros de 600 700, pro-
    prios para mudar-se, e tambem se recebe era pa-
    | gamento um porlao de ferro usado, ou mesmo em
    lijlo : a tratar na rua da Senzala Nova n. f, ou i
    sitio do Salgadinho de Olinda com Jos Peneira.
    Vende-se urna toallia de roda, de labyrintbo
    cheio, vinla do Cear, por preco couunodo, e pro-
    pria para baptisado por ser grande : na rua das
    Cinco Ponas n. 02.
    Vendem-se duas casas terreas, nma na rua
    da Roda e outra na rua Bella, ambas com bastan-
    tes commodos : na travessa da Madre de ueos n.
    13 se dir quem vende.____
    Vendem-se dous guardas-roup de amarello,
    urna mobilia de amarello e outra de Jacaranda,
    obras de goslo e novas : na rua da Cadeia n. Si,
    armazem.
    Vendem-so saceos grandes com milho : na rua
    da Praia n. 29, em o antigo armazem de molliados
    por baixo do palacete,
    Comnra-se eflectivamente ouro e nrata m igamemo um punau uc .t-..u um, ..ic.~...u o.
    obras veinas na pra^a aa inuepenaencia n. 22 ci,n l)n sjai^artinho rt Olinda nnm inA pira
    loa de bilhetos.____________________
    Comprase efectiva-
    mente
    Na rua da Cadeia do Recife, defronte do bec-
    co Largo n. 2o, vende-se urna porcio de cadilhos
    de derreter prata e ouro, de dilTerenies tamanhos.
    por prego barato, assim como taquaris seceos para
    fo^ueteiros, de todas as grossuras, boioes que fo-.
    ram de grai\a, caixdes vasios de todos os lama-
    nlios, al de mcia caixa de assucar, caixinhas pe-
    queas que foram de cha, muito proprias para
    plantar llores por ainda terem o chumbo com que
    foram forradas, varias ferrauentas perleucente ao
    fabrico de sitio, como seja,enxadas, ciscadores. fou-
    ces, machados, escadas e ferro de limpar larangei-
    ras, a om bom caivete de podar, potes de barro
    que vieram com uvas, urna poreo de camas de
    amarello, angico e Jacaranda, que" por lhe fallar al-
    gumas pecas se vende barato, mesas compridas,
    muito proprias para casa de pasto, 18 cadeiras e3
    marquezas quasi novas, nma mesa de eserever que
    lem 8 l|2 palmos de comprido e 6 de largo as ca-
    becas e 3 no meio por ser recortada no lugar que
    se escreve, tendo duas gavetas, alguns qnadros das
    principaes batalhas dadas por Napoleo I na Euro-
    pa, e muitos caixilhos para estampas, grandes e
    pequeos, muito bem dourados, e os pequeos pin-
    tados de cores, frascos e botijas que foram de ge-
    nebra, dase uin ceato por'5, urna roda grande
    como de guindaste com os seus apparelhos, que
    servia de moer marfim, e pode servir Jioje para
    moer milho, ou para outra qualquer cousa, sapatos
    de sola e vira muito fortes.a 640 rs. o par, muito
    proprios para meninos do trent ou orphaos por nao
    serem muito grandes, um frasqueiro de amarello
    bem arqueado de ferro com boa fechadura de se-
    gredo, leva 12 frascos, em cima de dous laboleiros,
    para isso repartidos, pedra jaspe de i arrobas para
    oima vende-se a 400 rs. a libra, chumbo em len-
    col para derreter, duas grandes fechaduras para
    porta de loja, um apparelho para cha de porcelana
    dourada, e varias pecas de prata, sendo cometes,
    facas e garfias, e mais algumas pegas de valor, tudo
    contrastado.
    Algodo da Baha
    ^ra saceos de assucar e roupa de escravo; tem
    para vender Antonio Lnu de Oliveira Azevedo &
    5, no seu escriptorio rua da Cruz n. 1.

    muito bons para agnlha
    brancos de columnas a
    com dous botoes, muito
    ou fina a vonladc do comprador
    As laazinhas da f\|Mra Pa'*.
    Vendem-se as mais modfrn:.> l.i i/ialu- ram
    Lique chegadas pelo ultimo eapor fcaaaara "t'
    de Ulna su cor ou de listas un. I' "i i* '
    mus de largura, proprias para vestido de ^*aaw..
    roupa para meninos e rapas, e !!> lurjttaafar-o
    preco de 500 rs. o covado, dilas
    prenles de quadrinhos a .jOO, MU 3CM .*-
    vado, dilas malisadas muito tina. a ~*H) e
    ditas mais baratas do que chita tainhraa
    a 320 rs. o covado, ditas a Maiia 1
    de seda e 4 palmos de largura a NH rs. o nvar'..
    e ditas de nina s cor parda, azul. 'r '. \jlin*
    perola proprias para vcsinlo-, i n.l ** *
    garibaldes a 720 rs. o covado. ditas t rnrwn a
    800 e 400 rs., isto s na loja do Pavo, rua da !-
    peratriz n. 60, de Gama & Silva.
    Os chales da Pava.
    Vendem-se finos chales de rn-fon eiamfia<'
    pelo baralo pr*ro de t, 7, 8. ditos > poaKa re-
    donda a 7 e 8, ditos pelos raanirRb' b*r*ad-^
    a retroz com vidrilho a 125, ditos prrlos Itsas a
    55, dilos de cores a 45oUOc 55. d.i. > MM
    ' estampados a 25 e-35, ditos de la a 152*0 t ti
    ditos de retroz prelo para luto a 65. >> ae Nal
    do Pavo rua da llmperatriz n. Oo. de ai-.a *
    Silvx
    Fazendas prclas para a aurraau vrad' IV. ?
    Vande-se grosdenapk preto mu *
    15000, dilo a 1-5800, 25. 255>. 2> 'i "
    reantiqui' prelo muilo superior a :t5 -.'5>*a,*s -
    a preta hespanhola muilo Matfaala a 25. i^aa
    loja do Pavo rua da liiqieratrtz n. 60. I .-'.
    & Silva.
    0 PavSo irnir para lata.
    Vcnde-se sii|erwr setim da China faz"*ra aarfa
    de la sem Instro tendo 6 palmos c- iir- ra pr
    pno para vestidos, palclots, rapas :<. |*to br*
    to preco de 25, 25200, 5500 o tatlia,
    pretas lisas, chitas pretas Jargai la fa-*
    de merino lisos c liordados a vidrilh. ar.,'Bajnila~
    coingolluihas e outros muitos artigo wm -
    demporpreros i.izoaviis : na lja da Imperatriz n. tO, de (i.iina i SIm.
    Os rorpinhes do Pataa
    Vende-se os mais asdenos
    braia ricamente liordados e enii n ataa 7 *M"
    na loja do Pavo, rua d;: Imperan iz m. 6, de i*-
    ma i\ Silva.
    Os vestidas da Pam
    Vende-se ricos vestidos de grosd :ia|4epma) '<
    eanNBte bordados a veludo pt'lo barafc pr-'i* *
    405, sendo fazenda que spmpre rrndffi a IW5
    e 105 ; dilos de c.imhraia lun, .-r'-ann .
    dados a croch, leaja pauffiaa i i i
    ment a 10. 15, 20 e :M; dltw d- ad*"
    barras a 1H e 155 ; "to na
    da Imperatriz n. 60, de Cama & Salta.
    Os pannos di Nafa.
    Vende-se panno preto muito rl.,ba. .'>
    pre 45,'55 e 65, cortes de casemira pn U cffe-tjda a
    45, 4.J.">00 65. casemira prcia f.n? >V nma <
    largura muito fina a 15800, 25. 255 -*. *
    tes "de casemira de cor a 55, 555" 05. ra*a-
    ras entestadas de urna so cor prwpi *
    paletots. collcles, capas para -1
    meninos a 3-5 e .;~'U) o covado. 1 ra i
    Pavao, rua da Imperatriz n. W, d 1
    I Mapa Bafa.
    Vendem-se palelo'.s de panno prelo r
    eos fazenda minio boa a 12-3. dit inui<
    li5, 20-, I5J e 305, raleai de
    fazenda a U80I>,S5, 65, 75 e *-v. \
    de panno preto a 75. ditos de ra
    65 e 75, ditos de alpaca preta. ditos d
    prelo, ditos de brira di coi
    de cor a 45. 55,65,75, ditos do
    Escossa a :5, ditos I riui pard
    de cer a 25 e 2=i5iM)? d.: is l>i
    slo na loja do Pavo, ii'a d.i ln ,
    Gama c Silva.
    Os fortunados iapjaajvt.
    Vendem-se ricos cortinados pmi 1 pon 1
    la e camas pelo baralo proco de ;>.">.. par
    Biethor qne fia no ereatm: na raa >la han
    n. 00, de Cama <\ Silva.
    As colchas .l Pai
    Vendem-se cok-has de linho
    pnas para cama pelo barato pri
    na rua da Imperatriz 1.60, do I!
    *,s cilcinliis do l'.'\i>.
    Vendem-se calcinhas de cambr.. > bordada
    ra meninas pelo barato pro^o de 5ai < 1
    rolaoguilos paca Maaora meainas -, 5011 1
    800 rs., camisinhas rom manuitjs a I-'!*-
    oja do Pavao rua da Imperatrn 11 I
    A Jlaiia I'....
    0 Pavo vende Vi
    Vende-se para mais de 180 milheiros de te-
    Iha e lijlo de alvenaria batida, ladrilhoe tapamen-
    to da malhor qualidade que pode apparecer : quem
    quizer comiirar, pode tratar com o socio e admi-
    nistrador Zacaras dos Santos Barros, no becco
    das Uarreiras, olaria n. lo, ou com Jos Maria
    oncalves Vieira Guimaraes. na rua Nova n. 40.
    AGENCIA
    FNDICAO DE L0W-M00E.
    Rua da SeuaUa aota a. 42. ,.e> elo Larat prt>lM,,,,
    Neste estabelecimento contina a haver dolisninhamuilomudi
    Vendem-se os mais lindos em*ti -i
    Maria Pa com lindas barras '.
    gados pelo ultimo faporfraaeai 1 "te l>araio 1
    de 5 cada um : s na I >ja do l'j\ .
    peratriz n. 60. de Gama \ Silva.
    Os balfies do Paw;
    VaMem-se crinolinas n balo
    I lo brancos como de cores sendo .1. n
    I sao os melhores por se nao ajaafcrareaa a ;i5<-.
    _ de35 arcos a 45.ditos de mu**
    a 45, ditos para menina a 25 a & : na I 'p* *
    Pavao rua da Imperatii/. n. 60. de Gama >'. -
    O bramante do Pavo rom dore
    palmo de largura.
    Vende-se bramante de linho puro, mniioftaocm
    doze palmos de largura o aariaat t .ais larjt. 1
    lem vindo ao mercado pelo baralo ;
    rs. a vara ; s na laja H Pavao d> iama \ JWva
    rua da Imperan 17. n. 60.
    Jl prrrala do Patio.
    Vendem-se as mais luidas pata atea qoa m
    do ao mercado chegadas p.qo nhima vapor
    600 rs. o rov
    iiii.i- pi
    W
    um completo sortimento de moendas e meias i c roupas de meninos e meataa* 1 p'
    moendas para engenho, machinas de vapor *e: : *.?'roa ,,a ***** n
    . 1 ., i iITi.j 5.. loia de Gama A Silva.
    e tachas de ferro balido e coado, de todos os
    tamanhos para ditos.___________________
    Arados americanos e machinas para
    lavar roupa: em casa de S. P. Jobnston & C,
    rua da Senzalla Nova n. 42.
    ArilluiicUca e grammalica, ultima edi-
    toto Si*, urofessor Castro Vanes
    Primeira e segunda parles reunidas da arirhme-
    tica, primeira e segunda separadas,. e a gramma-
    tica, acham-se venda por preco mui coramodo :
    na rua do Imperador n. 15.
    ATTENQAO.
    Algodao avahado.
    Peoas de algodao com um pequeo
    avaha pelo baratissimo preco de 35300.
    toque de
    FARELO
    Vendem-se saceos com 90 libras de farelo a
    3,3800 : na rua'tla Madre de Dos ns. 5 e 9.
    Rreti
    a 280 rs. a libra e 83500 a arroba : no pateo da
    Sania Cruz n. 4.
    Sacros de arinha
    com 22 cuias a 35 ; no pateo da Santa Cruz 0. 4
    10O0OOO
    Vcnde-se por este preco a armacao <*om gaz c
    todos os mais perlcnces qnem comprar alguns
    gneros que existe na mesma casr. : a tratar na
    rua Imperial n. 139.
    loja 1
    O souteanbarquea do Patio a
    I09 e 15JJ m o Pavo.
    Vendem-se os mais lindos sonteaniarajIBl f
    tem vindo ltimamente do i"iaziul:.i eavn
    cimente Imrdados e enfeiudos, rana moito *""
    das pelo barato preco de 105 e l'-> Ui-vi XX
    queem oulras fojas aa vendt-m aaf *V$ o S-
    s para liquidar : na l-^a e armazem .!> I'
    rua da Imperalriz n. 60 de Gana A Sil...
    As chitas do Pavo a 2* r
    ffHOO oetarlr.
    Vendem-se corlea de chia -oai 'fc'/e rojad.w
    cada corte, ditos rom dei wad<* **''
    da muito boa, e que nao desbot.i
    vo tem esta pechincha ; a rua da Impriatrlz c.
    60 de Gama A Silva.
    las de uan ao cor.
    Vendem-se Iazinha de urna s.. cV. tend "
    carnada, azul, cinzenla, cor de caf, liria rlar>v l>-
    rio roxo cor de perola pelo haraliaan i-i*;. i
    640 o covado, fazenda muito lina *i o Harn, a ma
    da Imperatriz 11. 60 loja e armazn- a> : ^
    Silva.
    Panno de liaba.
    Vende-se panno de linho com 4 palaaaa la "aa-*
    gura proprio para Irnces, toalhas e ceri na-
    barato pceo de 640 rs. a vara. hran:ii '
    com 10 palmos de largar a 25S0O. alce.'" > :
    Bionstro C01118 palmo- do laigoia a 15. 1
    Hambnrgo cora 20 Varas a 9->. 105 e 115, prca Ir
    madapolo fino a 75500, 85, 95 c l.i-J. dilas m
    aliiodozinho a 65, 65500 c 75, c cun matea,
    fazendas brancas que se vender:. '..:.i:o Ideada .
    aflm de apurar dinheiro : na loja 'd Vu'Cm ra <*
    pnperalriz n. 60, de Gama & Silva,


    I tarto e
    Quinta frlr 9H <> Abril 4e flftl.

    Largo da ^|
    i* Santa Cruza
    1 19
    M 11. 12.

    Esquina da
    ' ra do
    Sebn. 12
    Ko da ScbmIU i\v u. 42.
    Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
    ferro odado ttra 41<0 rs., idem de Lo* ,,.,
    Moor Hora a i rs.
    ----------
    CL Alt I MI
    I SALSAPARRILHA
    BRUJANTE AURORA
    AOVO E
    GRANDE ARMAZEM DE MOLHADOS.
    Franriseo Jos Fernandes Pires tem a honra de participar ao respeita\el publico
    que boje abri um novo e>tabelecimento do molhadus denominado Brilhante Aurora, ao
    largo da Sania Cruz n. 12 esquina da ra do Sebo n. 12.
    O proprietano deste novo estabelecimento pede a Iodos os seus amigos e fregueies e
    ao benevulo publico desta cidade e do interior, a sua proleeeao para este aciado estabele-
    ciiniMiin, certos de que eni tein;o algum abusara da conliaoea que at hoje lites tem de-
    positado.
    No novo armazem encontrar-se-ha sempre uin grande sorlimento dos melhoresgneros
    que vem ao jiosso mercado e por presos os inais mdicos possiveis, certode que era parle
    aignma se vender mais barato e melhores gneros tanto em porcao como a retalho, do
    que no armazem da Itrilhanle Aurora.
    A salisfacao da Urilhante Aurora vender milito e muito barato, mais a dinbeiro ;
    a tabella do prego de seus gneros sero mudados todas as semanas :
    Ameixas francezas novas em latas a
    2e350 rs.
    Ditas em caixinhas muito enditadas com
    bonitas estampas a ii00. I600 e 2.
    Chocolate francez, hcspauhol, siiisso e por-
    tuguez a 13 Marmelada imperial dos melhores conser-
    veiros de Lisboa a libra 600 e 640 rs.
    Latas com diversas fructas em calda a oOQ rs.
    Ditas eom ervilhas a 700 rs.
    Ditas com massa de tomate a 600 rs. a libra.
    Ditas com igos ermelicamente fechadas a
    13600 e fioOO.
    Ditas com peixe de posta ensopado a 13.
    Ditas com ostras para frigideiras a 720 rs.
    Ditas com linguicas ftuinhas viudas ncste
    vapor a 65nO.
    Dilas eom sardinhas do Nantes a 360 e 600 rs.
    Ditas eom bolachinha de soda nova a 2*.
    Ditas com biscoutos inglezes varios ttulos
    a 13400 rs.
    Frascos eom mustarda prepprada a 460 rs.
    1*400, i chh e mniis qalllades.
    ' Cha perola a 35 e 33200.
    Dito uxim muito superior a 33.
    Dito miudinbo a 23300 e 25800.
    Dito hysson miudinhn a .'13.
    ; Dito mais graudo a 25800.
    Dito redondo muito boma 23,23300 c 23800
    Dito preto em massos envolto a 15600 e 23.
    | Espermacete lino o masso a 540, 600 e 640.
    j Velas de carnauba arroba 103 e libra 360.
    Dita de composico arroba95300e libra 320.
    Charutos nao ha quem tenha melhor sorti-
    mento em canas de 100 e 50 lodos dos
    mejhores fumos de S. Flix de 25 a 85
    a caixa de cem.
    Caf do Hlo arroba 83300 e 93 e libra a
    320 e 280 rs.
    Arroz de Java arroba .{3200 c libra a 100
    e 120 rs.
    Dito do Maranhao arroba 25300 c libra a
    80 e 100 rs.
    Grao de bico a libra 160 rs.
    DE BRISTOL.
    As curas milagrosas de
    HACAS A\l|(;vs.
    ElfFEBMIMDES SYPHITICAS,
    Erysipelas, Rhenmatismo,
    Nevralgias, Escorbuto,
    COMMERCML
    RA DO QUEOIAIM I. 45.
    Passando o becco da Congregarlo segunda casa.
    NOV1DADE
    >*! ttwuiauv. civ-auaJ de abrir na ra do Queimado n. 45 um armazem de moliiu ut
    onde o respeitavel publico enconlrar sempre um completo sortiroento dos melhores gneros que vem
    aero vendidos por precos muito resumidos como o respeitavel publico ver pela tabella abaixo menck
    ele,
    ete.i
    ttr jjn. verdadera" genebra de laranja j & S>wS a libra 200 rs.
    Ditos grandes duas garrafas de hollanda 15-' JSSilaTSi SS l8 *
    .All^ot^e libra 160 rs.
    I Painro arroba 55 e libra 200 rs.
    Sevada arroba 25500 e libra 100 rs.
    Ditos com conservas de pepinos a 800 rs.
    Diio- com ditos de metidos e oulras a 700
    800 e 15-
    Ditos com azeitonas e ervas a 15-
    Capachos para (orlas pintados de varias co
    res a 600, 700 e 800 rs.
    Manteiga ingleza flor a 800, 900 c 15.
    Dita segunda sortea 640 e 720 rs.
    Di la lerceira sorte a 400 rs.
    Dita franceza nova de 04 a libra 600 e 640.
    Dita dita de 03 a 540 e 560 rs.
    Dita ingleza em barril a 000, 720 e 800 rs.
    Di la francesa em barri . Balita de porco refinada propria para ba-
    ^! nha de cabello a 440 e em barril a 400 rs.
    -i^Vinlios flnos ha
    [1
    o melhor a
    lesejar.
    Vinbo do Porto em caixa dos melhores au-
    tores a 125. 145 e 103.
    Dito era pipa l ranada 53500, 03 e 75 e
    garrafa a 720, 800e 15.
    Dito mti'Z muito fino a 15280 a garrafa.
    Dito Madeira a 13400 a garrafa.
    Dito da Figueira puro a 45300 a caada c
    garrafa a 040, 500 e 500 rs.
    Dito de Lisboa a 35200 < 35500 a caada c1
    garrafa a 400 c 480 rs.
    Dito branco puro do uva a 640 rs.
    Dito mais baixo a 480 e 5 0 rs.
    Dibi llordeaux bronco e tinto a 75 e 83 a
    ca xa garrafa a 610, 8..J) e 15.
    Diio moscatel a 95 a duzia e 15 a garrafa.
    Dito de cajo clarificado a 15 a garrafa.
    p-gnac wrdadeiro a garrafa 13 e 15280.
    Lcitos linos em garrafas brancas a 15 e
    13280 rs,
    Sevadinlia e sag novo a libra 240 rs,
    , Passas novas caixinhas de 16 e 8 libras a
    23500 e 133.0 e libra a 360 rs.
    1 Doce da casca da gaioba caixoes grandes a
    15200 e 640 rs.
    Saceos com gomma, arroba 35300 muito
    boa e libra 180 e 200 rs.
    Dita bra 400 e 480 rs.
    Aletria e macarrao a libra a 400 rs.
    Eslrelinha muito nova a libra 480 rs.
    j Presunto novo de lamego para panella a
    500 rs. loteiro e libra 640 rs.
    Chouricas e paios noves a libra 800 rs.
    Cerveja branca e preta a duzia a 55500 c 63
    Vinagre de Lisboa puro a 15600 a caada e
    240 rs. a garrafa.
    Cartas com fugo da China a 220 o 240 rs.
    TouciiiIio de Lisboa arroba 83800 e libra
    280 rs.
    Dilo de Santos muito novo igual ao de Lis- ,
    boa arroba 73 e libra 240 rs.
    Figos de comadre a libra 280 rs.
    Queijns do reino muito novos a 33200.
    Bolaehioa ingleza nova a barriquinha 33.
    j Tijolos de limpar faoas a 160 rs.
    Massos com palitos para denles a 160 rs,
    i Crozas com palitos do gaz a 2.520lte 200 rs.
    a iluza de caixinhas.
    Latas com graxa duzia 13 e 100 rs. a lata.
    BoiSes com dita 97 a 280 rs.
    Vassouias do Porto de piassava grossa a
    00 rs.
    Morbos com soblas novas a 13.
    Sancos gran.les eom bnuba nova a .">',.
    rp Aieite refinado a garrafa a 15.
    ? Calilles de varias finetas do paiz a garrafa Drt08 com ,'",'ll 'l(' Llsboa ;l 3*800.
    JjSwj 300 rs. I Cominlios, erva doce, pimeiiUi e folha?
    5 Can-aloes rom 25 ira ira fas de genebra de loiiroa libra 400 rs.
    jiara
    de
    d-
    hollanda85300. i Balaios para costuras de meninas
    Cocos laiiidadus para vinbo e agua a duzia; V,,|S"S l""ccns.
    35500,45300 e 55500. : Caixoes vasios para plantarles de milita
    Ditos de cores a 03300 e 75. qoalldade.
    Assim como mullos outros objectos que deixa-se de mencionar, mais ludo de pri-
    meara qualidade por presos baratissimos.
    ra do Queimado n. 40.
    CSaposde sol de seda a 65, 8JB00 e- ..
    Camisas francezas urna.......
    Toalnas de fuatio La de ipiadros escoceza para vestidos corado
    Iticos chales de merino preto bordados o com vidriibo.
    53000
    13300
    300
    240
    I
    COMPLETO SORTIMENTO.
    NO
    SERVATIVO
    23Largo do Terco-23.
    Joaquim Simio dos Sanios, dono insta armazem de molhados. scientitica ao respeitavel publi-
    co que teem um completo sortimento dos mesmos os quaes offerecein mais vantagem aos Srs. compra-
    dores, do que em uulra qualquer parte, garantindo-se a superior qualidade.
    Manteiga ingleza ilor a 800 rs. a libra.
    dem franceza muito nova a 560 a libra, em li-
    bras 540.
    Caf do Rio. de | e 2' sorte .120 e 280 a libra, e
    arroba 95 e 85500.
    Arroz pilado do Maranhao de 90 rs. 100 a libra.
    Iltlno alpista a 160 rs. a libra, e arroba 43800 rs.
    iier/eja das melhores marcas a 500 a garrafa.
    rnelira verdadeira de laranja a 13100 o frasco.
    1 !em da Holanda a 400 rs. a botija de contra.
    T-ucinho de Lislxia a 320a libra, e arroba 85500
    l'assas muito novas a 480 rs. a libra, e caixa 95
    Azctc doco de Lisboa o gallao 33 e a garrafa 640.
    dem de carrapato a 280 a garrafa, e a caada 25
    AJetria M, T, a 180 rs. a libra.
    *imma de engnmmar moito alva a 100 rs. a libra.
    Wdinhas dc_ Nantes novas a 3W e 360 rs. a lata
    o em purcao se far abatimento.
    Todo
    6 por cento.
    Vellas de carnauba a 360 e 400 rs. a libra.
    dem de spermacete a 560 c 600 rs. a libra.
    Phosphoros do gaz a 25:100 a grosa.
    BiwontOfl e bolacbinlias de soda a 15400 e 23O00
    a lata.
    Chourigas novas a 720 rs. a libra.
    Hlalas a 25 o gigo.
    Itolarhinta Ingleza nova a 240 rs. a libra.
    Charutos das melhores marcas de 132O0, 15500,
    25000, 35000 e 450OO a caixa, em porcao se
    far abatimento.
    Vinho Fnmeira de SAA a 500 a garrafa, e a cana-
    da 33300.
    dem de Lisboa a 400 a garrafa, e a caada
    35000.
    dem de outras marcas a 25700 a caada,
    btem branen de Lisboa a 500 a garrafa.
    e qualquer comprador que comprar de 5030OO para cima, ter o descont de
    A 4S300.
    Vemleiu-st saceos com dous alqueiros de farinha
    Se mandioca, pelo barato preco de 45500 : na ra
    Ja Madre de Dos ns. 5 e 9.
    A ttencua do publico
    Madapoln superior a 75 a peca de 24 jardas por
    ?i um pequeo deleito : na bija da ra da Madre
    de Dos n 16, defronle da guarda da alfandegn.
    viNnn Pl'HO.
    Chcgnu nova remessa de anc cretas com supe-
    n .r vinbo puro : vndese no escriptorio de E. I\.
    t-al>e|lo. na da Cadeia n. 55.
    VKMIKSK
    ion sitio no Ingar Baixa das .Areias, estrada do
    1 irro. o 'iual tem ca di) viveuda, rancho muito
    afreguezndo, e proporces para negocio de taber-
    :i. grande baixa com capim. alguns coqueiros e
    c ais arvoies A) fractO : q'.iem pretender, dirtja-
    w ao mesrno ntio, que atnar com quem tratar.
    Xo armazem fie lazeoils baratas de
    Sanios oHho, rea il" Queimado, .
    19, vende-sf o segninlc*
    Cobertas de chita da India pelo baralissimo prece-
    de 25 e 23500
    Lencoes de linbo pelo baratissimo preco de 25-
    LeiKjoes de bramante de lirmo fino de um s panno
    pelo baratissimo preco de 35200.
    Lenis de cambraia brancos proprio para algibei-
    ra pelo baratissimo preco de 25 a duzia.
    Toalnas alcocImadas para mos pelo baratissimo
    preco de 55 a duzia.
    Cuardnapos adamascados, fazenda superior, a
    33800 a rlnzia.
    Algodoziiilio Mn 8 palmos de largura pelo bara-
    tissimo pnco de 15 a vara.
    Atualbado adamascado de algodao proprio para
    toalha de mesa pelo baratissimo preco de 25000
    a vara.
    Bramante de linbo fino com 10 palmos de largura
    a 23300 a vara.
    Esleir da India, propria para forro de sala, de 4
    ate C palmos de largura, por menos preco do que
    em oulra qnal.juer parte.
    Cortes de calca de ganga amarella de listrase qua-
    oros pclu baratissimo preco de 152O0 o crte.
    Ricos corte? de laa cem barra Mari Pia.
    ., etc.,
    que tem grangeado c dado o alto re-
    lime :i
    Salsaparrilha de Brstol
    por todas partos do universo, gao tac
    Bincntc devidas i
    Tnica Legitima o Original
    SALSAPARRILHA DE BRSTOL
    PREPAKAUA KM'Ll.SIVAMKNif l>OH
    L\\1IA\ & KE.MP Di: \OVA VORk.
    Mediante a recet'ia do Di: C. C. B,-itol.
    venda as boticas de Caors & Barboza,
    ra da Cruz, e Joo da C. Bravo d C, roa
    da Madre de Dos.
    Vende-se urna mulata cozmheira e engom-
    madeira : na ra dos Pescadores n. 43.
    Vende-se um excellenle sitio na estrada do
    Rosan nho, comprehendendo 600 palmos de frente
    e mais de 2,000 de extencao, alargando muito para
    o fundo, onde confina com o alazadico, e o sitio
    Cacunda, que hoje do Sr. Tasso.
    lontin o sitio abundantes arvores, como sejam:
    mangueiras. jaqueiras, mangabeiras, sapotiseiros,
    linterna, limoes doces, riguMiras, pinbeiras, um
    grande e ptimo pomar de excellenles laranjas,
    oitis, abarate, grande profuso de caneleiras, que
    pode suppir todas essas boticas e casas de drogas,
    'cajneiros, denriV, coqueiros, catles, jambeiros,
    goiabeiras, fructa-po, aracaes e bananeiras.
    1 No fuudo do sitio existe urna malta de grande
    I extencao e abundante de madeira de diversas qua-
    ! lidades, e d'onde se pode tirar lenha para vender
    todo o anuo, urna rica e excellente baixa para ca-
    I pin) existente nos fundos do sitio capaz de susten-
    : tar muitos cavados de verao a invern, e oulra
    I mais para cima que est plantada, pasto para 12
    115 vaccas de leile.
    Alem de oulras commodidades que offerece o si-
    1 lio, accresce a de urna bella, grande e moderna
    jcasa, construida logo na entrada, com 80 palmos
    ' de trente e W do fundo, contendo tres grandes sa-
    las na frente e diversos quartos espacosos c fres-
    cos, assim como grande estribara e grande cozi-
    nha fra.
    Os producios do sitio o constituem urna ptima
    ' projiriedade. rnjos rendimentos sao sufficientes pa-
    1 ra a susientacao de urna numerosa familia, e s a
    prxima retirada do proprietarb para outra pro-
    , vincia o onrigaria a vender urna tao til proprieda-
    I de, que muito adeqnada para algum senhor de
    'engenhoipie queira vir morar na praca, e que
    tendo alguns escravos. pode l'azer della um grande
    I patrimonio : quem yulzer.- pois, fazer urna bella
    acquisicao. dirija-se loja do Sr. Hamos na ra do
    Crespo,'fazendo quina para a do Queimado, ou a
    1 Soledade n. 70. que diro com quem se deve ea-
    ' tender.__________________________________
    Aencao
    Pre>untos inglezes ebegados no ultimo, vapor a
    G80 rs. a libra.
    Salpirdes e chouricas do melhor fabricante deste
    genero a 720 a blira.
    Cleairicas em latas de oito libras, mui superiores a
    (300 a lata.
    Ameixas em potes grandes a 35, emenores a 25500
    dem em latas ricamente enfeitadas, proprias pa-
    ra mimos a 13300, 15*00, 15600 e 25800.
    Doce de. goiaba em caixoes, o melhor que ha a
    13800.
    Queijos Ilamcngos viudas no ultimo vapor a 33.
    Licores mui finos, garrafa, a 13000,15800 e 25.
    Conservas mui novas a 800 rs. o frasco.
    Vinho do Porto o mais delicioso possivel, engarra-
    faio, ha oito anuos!!! sem exasreracao.
    Manteiga ingleza flor a 15 a libra, nao 6 sebo de
    800 rs.
    Vende-se a dinbeiro vista no anligo e mui
    acreditado armaszem ik; molhados deJoio Baptista
    Gomes Penna, successor de Francisco Jos Leite,
    na ra do Imperador n. 46.
    Vende-se o engenho Mussaiba. em Santo A-
    maro de Jaboalao, moente e crrente, cuja casa de
    vivenda 6 assohradada, e contm" sulTicientes cora-
    modos para grande familia, d'agua, e bastante
    grande, contendo. alem de um excellente cercado
    onde se pode criar e refazer gados, multas matas
    vircens ; vende.-se con juncia mente a propriedade
    Poco-preto, onde se pode levantar um outro enge-
    nho d'agua : quem pretender fazer negocio, toma-
    r o incommodo de primeiro examinar dito enge-
    nho, certo que se fara todo negocio com dinheiro
    vista, ou mesmo a praso, com garanta que con-
    venha a sen proprietario: na ra das Cruzes n. 2,
    segundo andar, se encontrar a pessoa competen-
    te para elfeetuar qualquer ajuste._____________
    Carne do sertfio
    Chegou aos grandes armazens da Brilhante Au-
    rora e Aurora Brilbante.no largo da Santa Cruz ns.
    12 e 84, esquina da ra do Sebo, a verdadeira car-
    neidoscJa^OOrs^alibra.__________________
    Vende-se caibros de muito boas qualidades :
    aa serrara de Jos Hygino de Miranda._________
    Vende-se a taberna sita na ra de Hortas n.
    106 : a tratar na mesma. _______
    Cal de LLfooai e ptaa da
    ltns*ia.
    Vende-se na ra da Cadeia do Recife n. 26, para
    onde se inudou o antigo e acreditado deposito da
    mesma ra n. 12, ambos os gneros sao novos e
    legtimos, e se vendem a prego mais barato do que
    aru tqualquer. parte.______
    Os preasos la fheres pa-
    ra criancasr.
    Cbegaram e acham-se venda na ra do Quei-
    mado, loja d'aguiabranca n. 8.
    Queijos novos
    No novo armazem da Brilhante Aurora ao largo
    da Santa Cruz n. 12, esquina da ra do Sebo, cbe-
    garam queijos do sertSo, novos, ditos de prato e do
    reino, da melhor cpiafidade.
    Pereira Bocha dC. acabam de abrir na ra do Queimado n. i; um armazem de molhados denominado Clarn Ctmmrrul.
    em ao dosso mercado, otoes
    mencionada ; garante-s o tmaj pato
    e boa qualidade dos "gneros comprados neste armazem."
    Arroz do Maranhao, da India e Java a 80 e
    100 rs. a libra e 24O0 a 2#800 rs. a ar-
    roba.
    Ameixas francezas em latas e em frascos a
    l200 e 1*600 t h frascos grandes a
    25500.
    Idom em caixinhas elegantemente enfeitadas
    com ricas estampas no interior das caixas
    a 125000,1A40O, 16C0O e 25.
    Amendoas com casca muilo novas a 280 rs.
    a libra.
    Alpista a 160 rs. a libra e a 400 rs. a ar-
    roba.
    Azeite doce francez muito fino em garrafas
    grandes a 960 rs. a garrafa.
    dem de Lisboa a 640 rs. a garrafa.
    Araruta verdadeira de matarana a 320 rs. a
    libra.
    Avelas muito grandes e novas a 180 rs. a
    libra.
    Batatas muito novas a 40 rs.
    Biscoutos inglezes de diversas marcas a
    1)5300 ris.
    Bolachinhas de soda, latas grandes, a 2?> rs.
    I a lata.
    : Ditas inglezas muito novas a 3-^000 a barri-
    quinha e a 200 rs. a libra.
    ! Banha de porco refinada a 440 rs. a libra e
    e em barril a 4t 0 rs.
    Cha hysson, huchin e perola a 1#600, ,
    20500, 2J800 e 3(000 a libra.
    dem preto muito superior a 2*000 rs a li-
    bra.
    Cerveja preta e branca, das melhores marcas
    que vem ao mercado, a 500 rs. a garrafa
    '< e 55800 a duzia.
    Cognac inglez lino a 900 rs. a garrafa.
    Conservas a 720 rs. o frasco.
    dem, s de pepino, a 720 rs.
    dem, s de azeitonas, a 750 rs.
    Charutos dos melhores fabricantes da Babia
    1 e especialmente da fabrica imperial de
    Candido Ferreira Jorge da Costa, a 15800,
    2*000, 2*200, 2*500, 2*800, 3*000 e
    ! 3*500 a caixa.
    Caf do Bio muito superior a 260, 280 c
    i 300 rs. a libra e 7*500, 8* e 8*500 rs. a
    arroba.
    Chouricas e paios muito novos
    libra.
    Cevadinha de Franca muito superior a 220
    rs. a libra.
    Cevada a 80 rs. a libra.
    Ervilhas portugtiezas a 640 rs. a lata.
    dem seccas muito novas a 200 rs. a libra.
    Figos de comadre e do Douro em caixinhas
    de oito libras e canastrinhas de 1 arroba a
    1*800, 5*500 e 280 rs. a libra.
    Farinha do Maranhao a 120 rs. a libra.
    Farmha de trigo a 120 rs. a libra.
    Genebra de Hollanda verdadeira marca VD
    a 560 rs. o frasco e 6*200 rs. a frasquei-
    ra.
    dem em garrames de 3 e 5 gales a 5*500
    e 7*500 cada um com o garrafao.
    Gomma do Ancaiy a 80 rs. a libra.
    Graixa a 100 rs. a lata e 1*100 rs. a duzia.
    Grao de bico a 150 rs. a libra.
    Licores muito finos a 700 rs. a garrafa.
    I dem, qualidade especial e garrafas muito
    grandes, a 1*800 rs. a garrafa.
    dem garrafas mais pequeas a 800 rs.
    dem, garrafa forma de pera e rolha de vi
    dro, a 1*000 rs., s a garrafa vale o di-
    nheiro.
    Manteiga ingleza perfeitamente flor, desem-
    barrada de pouco a 800 rs a libra, e de 8
    libras para cima se far urna differenca.
    dem franceza muito nova a 560 rs. a libra,
    e em barril lera abatimento.
    i Massa de tomates em barril a 480 rs. a li-
    bra.
    dem em lata a 640 rs.
    Marmelada imperial dos melhores consenti-
    ros de Lisboa a 60o rs. a lata.
    Marrasquinho de Zara, frascos grandes, a
    800 rs.
    I dem regular a 500 rs.
    Massas para sopa: macarrao, talharim e ale-
    1 tria a 480 rs.
    Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
    a 800 rs. a Palitos do gaz a 2*200 rs. a ml
    Passas muito novas a 480 rs. a libra.
    Peras seccas muilo novas a 000 rs. a
    Painco a 200 rs. a libra.
    Polvo seccomuito novoa 400rs. a libra.
    Presuntos de Lamego em rada de ut e
    muito novo a 040 rs.
    Queijos flamengos do ultimo rapor a 2M08
    ris.
    dem prato a 6(0 rs. a libra.
    Sal refinado em frascas de vidro a 600 rs.
    cada um.
    Sardinhas de Nantes a 32" rs.
    Sag muito alvo e novo a 260 rs. a liUa.
    Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
    Tijolos de limpar facas a 140.
    Vellas de carnauba pura a 360 rs. a li-
    bra.
    dem stearinas muito superiores a 600 rs. a
    libra.
    Vinho do Porlo engarrafado o mfhVr fM
    ha neste genero e de varias manas, como
    sejam : Velho de 1815, Duque do Ptwto,
    Madeira, D.Pedro, D. Luiz I. Mara Pa.
    Bocage, Cbamisso e outros a 800. 900 e
    I :>(HH) a garrafa, e em caixa com urna du-
    zia a 9*000 e 10*000.
    dem em pipa, Porlo, Lisbta e Figueira a
    480. 500 e 560 rs. a garrafa e3# 3*500
    e 4* a caada.
    dem branco de Lisboa muilo fino a 500 rs.
    a garrafa.
    dem de Berdeaux. Medoc e S.- Julieo a 700
    e 800 rs. a garrafa, e 7*000 173500 rs.
    a duzia.
    IdcmMorgaux eChatrauluminide 1851, a l#
    a garrafa.
    dem moscatel a 800 rs. a garrafa.
    Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garmfa e
    1*200 rs. a caada.
    Kirsk garrafas muilo grandi-s a UM rs.
    Alem dos gneros cima mntmammi te-
    mos grande porr3o de outros que itnxaBuc
    Peixe em latas preparado pela primeira arte de mencionar, e que ludo ser rendido por
    de cozinha a 1* rs. a lata. pecas e carnadas, tanto ero mmjmn ,..rao
    Palitos de dentes a 160 rs. o masso. retalho.
    Palitos de dentes a 120 rs.
    dem de flor a 200 rs.
    Quem comprar de 100*000 para rima le-
    ra o abate de 5 por cenlo.
    UMO MERCANTIL
    IUA 1>ACA1>jE3A IIO RECIFE M 53.
    NOVO E

    GE1TD3 AEICSSM DS
    IOLEDOS
    BA HA CAEIA IIO UECIFE S. 53.
    Francisco Fernandes Duarte acaba de abrir na ra da Cadeia do liecifen. 53, um grande esorlido armazem de HmmlH de-
    nominado Unido Mercantil. Neste grande armazem encontrar sempre o respeitavel publico um completo sortmmMt dm rotiheras
    gneros que vem ao mercado, tatito estrangeiros, como nacionaes, os quaes seriio vendidos em porcoes ou a retalho por mal a
    commodos.
    anleiga ingleza especialmente escolhida Vinagre de Lisboa a 200
    de primeira qualidade a 8u0 rs. a libra, 1*200 a caada.
    rs.
    em barril se faz abatimento.
    Manteiga franceza a mais superior do mer-
    a garrafa e I Sardinhas dr Nantes a 340 rs. oquartoe 5dO
    rs. meia lata.
    Azeite doce retinado em garrafas brancas a | Latas com peixe em posta : savel, MMflft
    vezugo, cherne, linguado, lagosiir.ha, a
    800 rs.
    ou meto.
    Prezuntos inglezes para fiambre, de superior
    qualidade, cheyados neste ultimo vapor, a
    70 rs. a libra.
    Queijos flamengos chegados neste ultimo
    vapor a 2*800.
    Queijo prato muito fresco e novo a 640 rs.
    a libra.
    Castanbas muito novas a 120 rs. a libra e
    e 3*000 a arroba.
    Cha uxin o melhor que ha neste genero,
    mandado vir de conta propria a 2*800
    * rs. a libra.
    | Cha hyson muito superior a 2*560 rs. a li-
    bra ; cha hyson proprio para negocio a
    1*500 rs. a irbra.
    Cha preto muito superior a 2* a libra.
    Biscoutos inglezes em latas com differenles
    qualidades, como sejam craknel, vicloria,
    piquelez, soda, captain, seed bornez e AyellSI WWi7S r
    oulras muitas marcas a 1*350.
    Bolachinha de soda em latas grandes a 2*.
    Figos em caixinhas hermticamente lacra
    das, muito proprias para mimo a 1*500.
    Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
    dre a 1* e 2* cada urna.
    Passas muilo novas, chegadas neste ultimo
    vapor a 50 rs. a libra e 3* um quarto ;
    e em caixa se faz abatimento.
    Ameixas francezas em latas de meia a 3 li-
    bras a 800 rs.
    Champagne da marca mais superior qne
    tem vindo ao nosso mercado a 18* o gigo,
    gafante-se a superior qualidade.
    Vinho Bordeaux das melhores qualidades
    cado a 560 rs. a libra, e 520 rs. em barril; Azeite doce de Lisboa a 640 rs. a garrafa e
    4*800 a caada.
    Geneora de Hollanda a 500 rs. o frasco e
    5*800 a frasqueira.
    Caixinhas com ameixas francezas, ornadas
    rom ricas estampas na caixa exterior,
    muilo proprias para mimo,a 1*20", 1*5U0
    l*:H0rs.
    Salmau em latas, preparado pela nota ana
    de cozinha, a 800 rs.
    Maca de tomates em latas de I Wm 60C
    ris.
    Chouricas e paios em latas de 8 e meia idtea
    -or 7*.
    e2*.
    Frasco de vidro com tampa do mesmo, con-
    tendo meia libra de ameixas francezas, a
    1*200.
    Marmelada imperial, dos melhores conser-
    vemos de Lisboa, em latas de 1 e meia a
    2 libras a 6U0 rs a libra.
    Fructas em calda das melhores qualidades
    que haem Portugal em talas hermtica-
    mente lacradas a 5U0 rs.
    Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra.
    Nozes muito novas a 160 rs. a libra.
    Amendoas de casca mulle a 400 rs. a libra.
    a libra.
    Amendoas confeitadas de diversas cores a
    800 rs. a libra.
    Macas e peras chegadas neste ultimo vapor,
    muito perfeitas, s vista se faz o preco
    Conservas inglezas em frascos grandes a 750
    rs. cada um.
    Ervilhas francezas e portngueza? em latas de
    1 libra a 640 rs.
    Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
    libra.
    Chocolate francez, o que ha de melhor neste
    genero, a 1*200 a libra.
    Chocolate hespanhol a 1*200 a libra.
    Genebra de laranja em frascos grandes a 1*.
    que se pode desejar de 7*500 a 8*000 a Cerveja branca e preta das melhores marcas
    farinha tlt vihn
    Na padara de A. F da Silva Beiriz ra dos Pi-
    res n. 42, vende-se fariuha de millio a mais lina
    que lia no mercado, propria para bolo de dilo, e
    vende-se a muito arredilada buladla de familia.
    Enturas do A racaly
    Vende-se urna esteira propria para forro de sala
    muilo bem feila, lindo 26 palmos de comprimentc
    e 22 de largura : no Forte do Mattos. ra do Co-
    dorniz n. 5, taberna.
    caixa e 70 a800 rs a garrafa.
    Caisascom vinho do Porlo superior de 9*
    a 10? a duzia, e 900 a I* a garrafa; deste
    genero ha grande puro e de differentes
    marcas acreditadas que j se venderam
    por f 5 e 15* a caixa, como sejam: finque
    do Porto, Lagrimas do Dnuro, D. Luiz,
    Camoes, Madeira secco, Carcavellos, Nc-
    tar de 1833, Duque Genuino.
    Virtho de pipa: Porto, Figneira e Lisboa, a
    que hanometcado a 5U0 rs. a garrafa e
    5800 a duzia.
    Cognac inglez de superior qualidade a 800
    e 1*200 a garrafa.
    Licores francezes das segnintes qualidades:
    Anizete de Bordeaux, Plaisir des Dames
    e de oulras muitas marcas a 1* a garrafa
    e 10* a caixa.
    Marrasquino de Zara a 800 ts. a garrafa e
    9* a duzia.
    400,480 e 560 rs. a garrafa, e 3*, 3*200 Mostarda ingleza em potes j preparada a
    e 3*500 a caada.
    Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra a
    8*600 a arroba.
    Bolaxinha ingleza a 320 rs a libra e ida
    barrica.
    Sag muito novo a 240 rs. a libra.
    Cevadinha de Franca-a 200 rs. a libra
    Farinha do Maranhao a 120 rs. a libra.
    Araruta verdadeira a 320 rs. a libra.
    Cevada a 120 rs. a libra e ?* a arrota.
    Alpislaa 160 rs. a libra e 4*fefc0a arroba-
    llatatas mnito novas em gigos com V) libras
    por 1*500.
    Cebollas a 1* o molbo com mais de 1 (Oes-
    da um.
    Caf lavado de primeira qualidade a 3"Ors.
    a libra e 9* a arroba.
    Caf do Cear muito superior a 280 r. a fc-
    bra e 8*400 a arroba.
    Caf do Bio, proprio para negocio, aHd.
    Arroz do Maranhao a 100 rs. a libra e 2dM
    a arroba.
    Arroz de Java a 80 rs. a libra e 29400 a
    arroba.
    Vellas de spermaceli a 56d rs. a libra
    540 rs. se for em caixa.
    Vellas de carnauba refinada a 320 rs. o
    so e a 9* a arroba.
    Doce de goiaba a 640 rs. o caixan.
    Macarrao. talharim e aletria a 480 rs. a fc-
    bra ; em caixa se faz abatimento.
    Esirellinba,pevide e arroz de massa pan. sosa
    a 600 rs. a libra e 3* a caixa rom 6 libras.
    Palitos de denle lixados com flor a tW rs.
    o masso, ditos lixados sem flor a 160 rs.
    o masso com 20 massinhos.
    Gomma de engommar muito fina a 80rs. a.
    libra.
    Banha de porro refinada a 480 rs. a Id-ras
    400 rs. em barril peqneno.
    Charutos dos melhores fabricantes de S. F-

    lix, em caixas inteiras ou em meias. da
    400 1 1*600, 2* e 3*.
    Mostarda ingleza em p, em frascos grandes, Presuntos do reino, vindns rironla rropria
    a 1*cada um. de casa particular, a 400 rs. a fibra: "lsv
    Sal refinado a 500 rs. o pote. rose faz abatimento.
    Vinho branco de superior qualidade, vindo
    j engarrafado a 64o rs. a garrafa e a 500
    rs. de barril.
    Os senhores que compnrem de 100*000 para cima, teo o descont de 5 por cenlo, pelo prompto pagamento.
    *


    Piarle 4*. W*mwmtmtm <|tiMia ierra
    ril W9 m cti
    SILVA & SOUZA
    Ra do Crespo u. 9, esquina da ra do Imperador.
    Tendo-so o propietario d'este armazem associado com o Sr. Paulo Ferreira da Silva, resolver dar-lhc o titulo de principal,
    por ser o mais beni localisado desta cidade, e como um dos socios tenha de partir para a Europa, aflm de alli escollier os melhores
    gneros, desde j;i se pede ao respeitavcl publico toda a attenco, nao s para este armazem, mas tambem para o grande armazem A ban-
    ca, da ra do Imperador n. 57 e para o bem sortido armazem Progresista da ra das Cruzes n. 36, sertas todas as pessoas que fre-
    quentarem estas casas de que farao urna economa de 10 a 20 por cento do preco que possam comprar em outra parte, porque nin-
    guem melhor do que nos pode oflerecer tantas vantagens como as que se observam nos armazens:
    ALLIANCA! ru* do imperador n. &9.
    PROGRESSISTA a da, Crwes
    PRINCIPAL!!!rua Crespo *
    b. :*.
    Manteiga ingleza a mais nova e lina cbegada
    neste ultimo vapor a 8oo rs. a libra e de 8
    libras para cima ter abatimento.
    dem franceza, a melhor e mais superior do
    nosso mercado a 56o rs. a libra e 52o em
    barril ou meio.
    Banha de porco retinada e muito alva a 44o
    rs. a libra, eem barril a 4oo rs.
    Cha hysson, o melbor neste genero especial
    eiicommuiida do proprietario a 2,7oo a Ib.
    dem idem menos superior e que em outras
    Vinho do Porto em barril muito especial a Farinhade ararnta verdadeira a32ors. a Ib.
    04ors. a garrafa,e 5,ooe rs.a caada. jPhosphoros do gaz a 2oo rs. a duzia e
    Vinagre puro de Lisboa a 2oo rs. a garrafa e 2,2oo rs. a greza-
    l,4oo rs. a caada. Bolachinha americana em barrica a 3,ooo
    dem em garrafes com 5 garrafas. rs., e em libra a 2oo rs.
    Azeite doce de Lisboa superior qualidade a Tijolopara limpar facas a 12o rs. cada um.
    64o rs. a garrafa e 4,8oo rs. a caada. Vassouras de piassava com dous arcos de
    Batatas em gigos detrinta a trinta e tantas li-
    bra a 2,5oors. o gigo e 8o rs. a libra.
    Genebra de Hol lauda a mais superior a 6,ooo
    rs. a frasqueira e 56o rs. o frasco.
    casas se vende a2,6oo rs., custa neste ar- dem em garrafes com 25 garrafas a 8,ooors.
    mazein 2,2oo rs. a libra.
    dem uxim, o melhor que pode haver neste
    genero a2,6oo a Ib. garante-se a qualidade.
    dem prcto muito especial a 2,ooo rs. a li-
    bra, e mais baixo, porem muito soffnvel a
    l,2o<) a Ib., vende-se por estes precos em
    razo de oestes ltimos navios ter-se rece-
    bido grande poreo desle genero, a diffe-
    renca ile preco de 6oo a 8o rs. a libra
    do que se vende em outra qualquer parte.
    dem do Rio emlata de 1 at 6 Ib. a l,4oors.
    a Ib., neste genero o melbor possivel.
    Biscuutos inglezes em latas cora differentes
    qualidades como sejam craknel, victoria
    pic-nic, soda, captain. sced, osborne e ou-
    tras muitas marcas a 1,35o rs. a lata.
    Bolachiiilia de sdaem latas grandes a 2,ooo
    rs. cada urna.
    Figos em caixinbas hermticamente lacradas
    e milito propinas para mimo a l,6oo e
    2,6oe rs. cada urna.
    Ideiuem caixinbas de 8 Ib. a 20 rs. cada urna
    I'assas novas a 8,ooo rs. a caixa e 48o a Ib.
    Ameixas francezasem latas de libra e meia e
    3 libras a l,2oo, 2,ooo e 8oo rs. a libra.
    Caixinhas com ricas eslampas a l,4oo rs.
    cada urna, fraseos de vidro com rolba do
    mesmo, utiendo libraemeia de ameixas.
    Champagne da marca mais superior que tem
    viudo ao nosso mercado a 18.000 rs. o gi-
    go, e l,8oo rs. a garrafa: garante-sc a su-
    perior qualidade.
    Vinho Beroeaux das melliores finalidades que
    se pode desfijar a 7,000 e 7,5oo rs. a cai-
    xa e 64o rs. a garrafa.
    Caix.is con Vinho do Porto superior de 9,ooo
    e lo,000 rs. a duzia, e Uoo e l.ooo rs. a
    garrafa; ueste genero ha grande poroaoede
    lilTerontes marcas muito acreditadas que
    j se renderam por 14,000 c 15,ooo a eai-
    xa como sejam: Duque do Porto, Lagrimas
    do Douro, D. Luiz, Cambes, Madeira sec-
    ca, Nctar, Genuino e Malvasia fino e ou-
    tros como Clienv e Madeira para 12,ooo e
    13,ooo rs. a caixa.
    Vinho de pipa: Porto, Lisboa, Figueira a ioo,
    48o e 56o rs. a garrafa, 3,ooo, 3,2oo e
    3,5oo rs. a caada.
    dem bronco o melhor neste genero viudo de
    enrommerula a 600 rs. a garrafa, e 4,5oo
    r s. a ranada.
    ferro prendendo o cabo a 32o rs. cada
    urna.
    Escovas de piassava proprias para esfregar
    casa a 32o rs.
    Sardinhas de Nantes muito novas a 32o rs.
    a lata.
    Peixe em lata muito bem preparado: savel,
    corvina, pescada e outros a l,ooe rs. a
    lata.
    Ervilhas portuguezas e francezas j prepa-
    radas a 64o e 72o rs. a lata.
    Caf lavado de primeira sorte a 32o rs. a
    libra, e 9,ooo a arroba,
    dem do Rio muito bom a 28o a libra e
    8,5oo rs. a arroba.
    Arroz do Maranhao a loo e 120 rs. a libra.
    Ceryeja das melhores marcas de 5,ooo a
    5,5oo a duzia e 5oo rs. a garrafa,
    Cognac superior a 800 e l.ooo rs. a garrafa,
    e em caixa ter abatimento.
    Marmellada imperial dos melhores e mais
    afamados conserveiros de Lisboa em latas
    delibra, libra e meia e 2 libras a 600 rs.
    Conservas inglezas em frascos grandes a
    75o rs. cada um.
    dem franceza de todas as qualidades de
    legumes e fructas a 5oors.
    Mostarda franceza em pote prepara da a 4oo rs dem de Jara a loo rs. a libra.
    Palitos para dentes 12o rs. o maco,
    dem lixados muito finos a 14o rs.
    Velas stearinas a 56o rs. a libra e em caixa
    a 54o rs.
    dem de carnauba pura e refinada a 360 rs.
    a libra e I ,000 a arroba,
    dem de composico emmacadas a 32o rs.
    o maco e 9,ooo rs. a arroba.
    Massa de tomates em latas a 600 rs. a libra.
    Doce em calda das mais especiaes fructas da
    Europa a 600 rs. a lata.
    Ostras em latas muito bem preparadas a
    l,ooo rs.
    Massa para sopa eslrellinha muito nova em
    ' caixas de 8 libras a 3,-oooe 5oors. a libra.
    o vi:ititii icio
    GRANDE ARMAZEM
    DE
    >j>' n 5 J? <* -, s \&
    *w- fe te >- >- 912
    3-. "_ "_ a, 3 i) ES
    '3 = "5 itS
    '0000 o
    MOLHADOS
    RUA llfl IMPERADOR
    M. 40
    Outr ora rua do Colleglo
    DE
    DUABTE ALMEIDA T ^ui. &,-
    j**C c O O o,
    ^rSt^
    dem talharini, macarrao e aletria a 4oo rs.
    dem macarrao mais baixo a 24o rs. a libra.
    Cevadinha muito nova de Franca a 2oo rs. a
    libra.
    Sag o melhor que possivel a 24o rs. alb.
    Farinha de Maranhao a melhor que presen-
    temente tem viudo ao nosso mercado a
    14o rs. a libra.
    Gomma do Aracaty muito alva a 80 rs. alb.
    Licores muito linos de Bordeara e todas as
    marras que ha neste genero a 800, l.ooo
    e l,2oo rs. a garrafa.
    Genera de laranja em frascos grandes a
    i.'200 rs. cada um.
    Tmaras do FgVpto a 800 rs. a libra e em
    caixinbas de 5 libras a 3,5oo rs.
    Papel almaco pautado o melhor que ha nes-
    te genero a 4,000 rs. a resma.
    Antonio Fernandes Duarte Almeido, dono dos acreditados armazens l'rogressico
    e Unido t Commercio, e ex-socio do l'togresso Progressista acaba de abrir hoje um en-
    tro na rua do Imperador n. 40, junto ao sobrado em que mora o retratista o Sr. Osborn.
    proprietario deste importante estabelecimento, conhecendo que o mais rico e espaeoso
    armazem que presentemente se tem aberto nesta piara, deliberou denominado VEROAEI-
    RO PRINCIPAL ; sem duvida pode dizer, j pela pratica e conheimento que tem destas
    casas, que este um estabelecimento que nada deixa a desejar, j pelo esmerado aceio
    quenelle preside, como no completo sortimeuto que efictivamente recebe de sua propria
    emeommenda.
    O proprietario do grande armazem VERDADEIRO PRINCIPAL gloria-se em ser o
    primeiro a acabar com o grande segredo c abuso que reinara nos precos dos gneros de
    estiva, adoptando desde a sua primeira casa, em publicar todos os precos de seus gene-
    ios, por onde via e v o publico que nunca mais pode ser Iludido como dizem esses. .
    que, mordidos e queimados pela inveja, dizem nao vol!... Illudel... de,seuganem-se
    esses maldizcntes, que emquanto andar no trilho que pisa, nunca mais consentir que se
    venda um objecto de 54 por 10$. O systema do Verdadeiro Principal e vender muito
    dinheiro e ganhar poueo, com elle que sem medo diz, que bailas de papel o vento as
    carrega.
    Pede-se a matar atrn^o.
    CTproprietario pede aos seus amigos e freguezes, e ao publico em geral protec-
    Amendos de casca mole a 4oo rs. a libra.; fo para o novo estabelecimento, garantindo aos mesmos que ninguem mais pode offerecer
    Avelaas muito novas a 2oo rs. a libra. as vantagens que se presta a offerea'r este importante estabelecimento. O PRINCIPAL tam-
    Nozes muito novas a 2oo rs. a libra. ijeni pede a todrs os Exms. Srs. o favor de mandarem seus pedidos ao novo estabeleci-
    Chouriras e paios a 7oo rs. a libra. ment, cortos de nao terem occasio de se arrependercm.
    Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra ou a Mais attemc/o.
    8,5oo rs. a arroba. o VERDADEIRO PRINCIPAL pede, em particular lodos os Srs. de engenho e
    Presuntos de Lamego de superior qualidade mais Srs. do centro, queiram mandar suas cncommendas este estabeleciorento, -garatin-
    chegados neste ultimo vapor a 56o rs.alb. do-lhes o proprietaiio que tanto elle como os seus fmulos nao pouparo esforcos para
    Alpista muito novo e limpo a 16o rs. a li- fielmente oumprirem os pedidos que vierem inderessados.
    AO publico.
    O incansavel proprietario pede a todos os Srs. e Sras. que, quando tenham de man-
    dar seu pedides seja em caita fechada ou com grande recommendaco ao VERDADEI-
    RO PRINCIPAL na na do Imperador n. 40, junto ao sobrado em que mora o retratista
    americano o Sr. Oshorn, c para mais certeza dos portadores tem este sobrado urna botica
    franceza, no pavimento terreo. O VERDADEIRO PRINCIPAL, tem 5 portas de fenle pin-
    tadas de verde, as hombreiras Duarte Almeida & C. e por cima o VERDADEIRo
    PRINCIPAL.
    bra e 4,600 a arroba.
    Painco novo a 18o alb. e 5,ooors. a arroba.
    Sabo massa, .amarcllo e castanho a 22o e
    24o rs. a libra.
    dem mais baixoumpouco a 16o, 180e2oo
    rs. a libra.
    Castanhas pelladas a 24o rs. a libra.
    Chocolate francez de primeira qualidade a
    l,2oors. a libra.
    dem de Sant muito superior e medicinal a
    J,3oo rs.
    Copos lapidados proprios para agua a 5,ooo
    rs. a duzia, que em outra qualquer parte
    7 e 8,000 rs.
    Charutos dos melhores c mais afamados fa-
    bricantes de S. Flix e do Rio de Janeiro,
    de l,5oo a .-',000 a cixa.
    Cebollas novas a l.ooo rs. os molhos gran-
    des e 800 rs. o cento.
    Doce de goiabn a C4o rs. o caixSo.
    Lentilhas, excellente legume pan sopa e gui-
    sado, a 24o rs. a libra.
    Ervilhas seccas j descascadas a 2oo rs. a
    libra.
    Sal refinado em lindos potes de vidro a 5oo!Pimenta do reino muito nova a 36ors.alibra.
    rs. cada um.
    Molhos inglezes emgarrafinhascom rolba de
    vidro a 64o rs. cada urna.
    Queijos lamengos chegados no ultimo va-
    por e muito frescos.
    Cominhos eerva doce a 32o e 4oo rs. a Ib.
    Gravo da India a 600 rs. a libra.
    Canella muito nova a l,ooo rs. a libra.
    Alfazema a2oo rs. a libra e f>,ooo a arroba.
    Graixa a loo rs. a lata e 1,100 rs.a duzia.
    LOJA DO BEIJA FLOR.
    Rua Ciavalinlias para smliora.
    Vendem-se pravatiohas de diversos gostos mais
    moderos a 750 e 800 rs. : ua rua do Quuimado,
    lojai!.' beija-flor n. 63.
    lilas para dcbrun de vestidos.
    Vetid- iii-s litas para debrum de vestido de linho
    com li varas a iOO rs. 1 pera ; na rua do Quei-
    mdo, luja do linija-flor h. 63.
    I'cnlt lra>css8.
    Vendom-se pentes travossos de oararol na
    frer>',< borracha a 300 rs.: iia rua do Quciina-
    do, litja do beija-flor 11. 63.
    Papel lieia domada.
    Vende-se papel boira dourada a !0 e l300,
    dito de cor de beira dourada a 15100 : na rua do
    Qaeiuiado, loja do beija-flor n. C3.
    Anvelopes.
    Vendem-se anvelopes de diversas qualidades
    branio a 800 rs. e de cor a (540 rs., para cartas de
    visita a iOO rs., prrto a 720 rs. : na loja do beija-
    flor na 1 ua do Oueimado n. 63.
    tollas de aljfar.
    Tendo recebido volias de aljfar com cruzes de
    pedra imiundo a brMiante vende-se a 15 cada
    una : na rua do Queimado loja do beija-flor n. 63.
    Camisas- de meias.
    Vendem-se camisas de meias inuilo finas a
    120 e 15300 : na rua do Queimado, loja do Lei-
    ja-llor n. 63.
    Enfeites de lila.
    Tendo recebido enfeites de fita pretas e de co-

    4LHESB0V
    Vendem-sc barris coni cal (le-
    a procedencia, ein pe da boje, e snica nova, que ha no
    mercado, narua doTrapIchen.
    13, armazem de JNanoel Teixel-
    ra Basto.
    "|8.SfE:S.fsES
    S M =? ~
    U3 B
    C 3 3
    CD n w
    r:-
    cS g _
    w
    Id.-
    sr"g S o.
    S fo _. c* a rr
    C.cT3^3 ~ o s os -
    V ce

    .=M
    ^
    TDi ATTE^AO A VlfILA\TE.
    Custodio Jos Al ves Guimariics avisa ao respei-
    tavcl publico e aos seus frognezes, que achando-se
    as obras da' loja do Vigilante concluidas, e acban-
    do-se as portas abenas a concorrencia do res-
    peilavel publico, para assim apreciar o novo palto
    que se acha no <*spaco>o e alegre campo, guarne-
    cido das lindas flores 'e muitos oulros objectos de
    bom gosto, que tanto sastisfeito se acha, aprsenla
    o novo canto, chamando pelos seus freguezes que
    venbam ver para crr, que s assim podero apre-
    ciar, e acharao um grande sortimento de fazendas
    tendentes miudezas, tanto para grosso como para
    retalho, que todos seriio sortidos a vontade, mesmo
    qualquer fre(,"Uez de fra que nao possa vir a esta
    praca e queiram dirigir-se a este estatieleeimento
    fazendo seus pedidos por meio de canas, e pde-
    os a
    es a>
    o
    a r>
    a. o
    CB 3

    -. S* 5 -= *
    CD =-3
    2 o .si
    -"- ^m
    j. wm
    O 3 "3 C.-3
    o-r5 3 o
    o. s sr v-
    2. 3 =_ 03 r _
    CB
    03
    CD
    - 3
    K-.
    21 -.m ao -
    sr-m t c =-??
    res mais modernas que se est.oo usando a Meada rao fazer que ser tudocomprido fielmente, poden-
    um : na rua do Queimado, loja do beija-flor n. C3. j do-se fazer precos muito razoaveis, nao s pelas
    Fita de la pela para delirum. 1 boas compras feitas nesta praea, como dos que
    Vndese lita de la pela para debrum com Id; recebe de sua propria conta, como dos que recebe
    varas a 900 rs. a pega : na loja do beija-flur rua de consignacoes.
    do Queimado n 63. CHEGADO PELO VAPOR.
    lilas de 1111 lio para bordar vestido S para o vigilante.
    Vendem-se fitas de linho para bordar vestido Grande sortimento de fivelas pretas e com pe-
    n ronninho de meninas com 40 varas a 640 e drinhas de mnilo lindo gosto assim como Illas pa-
    800 rs.i peci: s quern tem loja do beija-flor, ra sintos pretas e de cores para as mesmas five-
    rua do Queimado numero 63. las que se vendo pelo barato preco de 15300 e 25!
    sno vigilante roa do Crespo n. 7.
    Roloes de madreperola.
    Vendem-se botes de madreperola mais moder-
    nos que tem vindo para punhos de senhora a 320
    rs. o par : s quem vende por este preco na
    rua do Queimado, loja do beija-flor numero 63.
    na de velludo para bordar vestido.
    Vende-se fita do velludo pret com 10 varas al
    900 rs. a pnca : quem tem por este preco a
    loja do beija-flor da rua do Queimado n. 63.
    Fita de velludo bordada.
    Vende-se lita de velludo preto bordada de di-
    versos gostos e mais modernos proprios para qoa-
    resma : s quem tem a loja do beija-flor ru do
    Queimado n. 63.
    Franja preta.
    Vende-se franja preta de diversas larguras para |
    enfeitar capas ou manteletes os mais lindos gns-
    Ih qoe *e pode encontrar : na loja do beija-flor
    rua do Queimado n. 63.
    Facas e garfos.
    Vendem-se facas e garfos de bataneo de 1 bo-
    tio a 35300 a duzia. ditas de 2 botes a 6*400: -
    n7 rua do Queimado, loja do beija-flor n. 63. HU8 da SeilZalIa l. 42.
    Dminos. Vende-se, em casa de S. P. Johnston & C,
    vendem-se dminos muUo finos a 15200 e sellins e silh5es inglezes, candieiros e casti-
    15100: na loja dw beija-flor da rua do Queimado ^ bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
    * ^ r!gMrM> I chicotes para carros e montana, arreios para
    Vondom ao vifpora rnTii'" fina a 800 rs.: na Cirro& de um e dous cavallos, e relogios de
    " 3
    ^ -
    o o w
    3" se ~
    03 03
    3 3 2.
    1 2.S
    O ES S.
    O
    CO
    J-
    O
    03
    73
    1
    as
    -

    B
    ce
    I
    a. = g g* g" 3. 3 W
    o T3 _c-3^
    o o- os o 2 o a = /m,
    q.5 & S ^
    ' co a
    a o ?
    CB C 2 03 -1
    "> o 9 -
    0"3 os TT S
    O -> co S* 3 5
    os as w o as .
    c
    as
    as "

    C 3

    o
    os
    1
    2
    *
    -

    Amendoas confeitadas com bonitas cores
    a 15000.
    Manteiga ingleza propiamente flor a 800 rs.
    e sendo em bar il ter abatimento.
    Pita franceza muito nova a 560 a libra e
    sendo em barril ."20 rs.
    Cha uchim o melhor que se pode desejar, e
    que nutro qualquer n5o vende por menos
    de 3 a 20700 rs.
    Dito perola especial qualidade a 2!G00
    e 2A8Q0 rs.
    Dito hysson o melhor que se pode desejar
    a 2*0)0 e 2,5000 a libra.
    Dito hvsson e da India muito superior a
    2^2' O 2/400.
    Dito do dio em latas de 2, 4, 6 e 8, libras
    a 15000 e 15200 a libra.
    Dito preto muilo especial a 25800 a libra.
    Dito mais baixo a 15300 e 15000 a libra.
    QoeijOS chegados no ultimo vapor I 35000.
    Queijo prato chegado neste ultimo vapor a
    800 rs. a libra.
    Dito rotee Parmezo o melhor e mais
    fresco que se piule desejar a 800 rs. a li-
    bra, sendo de 4 libras para cima a 780 rs.,
    Dito londrino um pouco duro por virem
    em navio a500 a libra, e sendo inteiio
    400 rs.
    llolachinhas em latas de 2 libras de todas as
    qualidades que se procura a 15300 rs.
    Ditas em latas grandes a 2/>000 rs.
    Ditas em latas de 5 libras de Craknel a
    I4OOO a lata.
    Oulacliinha ingleza" desembarcada ltimamen-
    te muilo nova a 2S200 a barrica e 100
    a libra.
    Ca toes com holaehinhas francesas de diver-
    sas qualidades a 000, 8U e 15^00 cada
    um.
    Peras seccas em caixinbas de 4 libras as
    mais delicadas que se pdc desejar a
    -2>500.
    Bocetascom doces de Portugal ricamente
    enfeitadasa 25500, contendor peras, pe-
    cegos, rainhas Claudia, ameixas., alperch
    e outras muitas fructas.
    I'assas muito novas a 480 a libra e 75500 a
    caixa: tambem tem meias e quartos.
    Amendoas de casca mol le a 20 a libra e
    240 de casca dura, nozes 140 a libra e
    10009 a arroba.
    Figos em caixinbas e latas hermticamente la-
    cradas a I55iK) e 25500, de 4 e 8 libras.
    Vinhos em caixas de duzia vindos do Porto
    e das seRuintes marcas: Duque do Porto,
    Duque Genuino, Madeira secca, Chamisso,
    Grande pechiucba
    0111 t*qne de atarla na lj c
    armazeaa da Arara ra da ta-
    pe ra4riz 50 de l.oNira^|*.
    11. Gnliaariea.
    Veude-te coa toque de atara.
    Vende-se uiadapolao infiel ruui iv^um* ta-
    que c avaria por 64->00 7 e 8, alf>M**m-k>. a
    4A30O e 3, caubraias lisa lina >
    , na rua da Imperatnz loja da Arara 11. .">6.
    Verte-se aiendas liapas barali^iaws.
    Vende-se chitas tinas core escura* iW tVO
    f^.^do. ditas francezas lina rm *a a
    1 J20, J60 e 400 rs. o covado, BBBBtai Ai bufeo pa>
    ! ra vestidos de scnbora a acto p.ri ; ,, ri-r>io
    framaa para ve.-tido a HO aanaa n -u Ai
    Arara rua da Imperatriz n. 56.
    Fazendas proprias para raberas r adam
    S/?' Vendo-se gollinbas coui botoxintto -;.r.t -ruf .-a
    v%Ie meninas a *oo 3aY rs., aaajaAa a*
    ' cambraia cnfeilados a 300 r.-., Baaaaaa t ftt<**
    \ para senhora a \i e I280, cann>inh.i
    para senhora a i&, ditas ItordaOas mi rirfnrrA
    punhos c grvalas muito linas a tdt)U e a):
    a Arara rua da liuperalnz n. 36.
    I'riucipia a li ara vender as rlrlu.v
    Vende-se colchas aivlludadas para rama a SJ,
    ditas de linho alcochuada." a 54. ditas ri>- fuifti. a
    35, dias A) dama.-eo a 4, ditas l <''' 2 t>
    na loja da Arara rua da lniwrairiz n .",6.
    Arara vende cassas a 2W rs.
    Vende-se cassas francezas finas a 'o J|I0
    cavado, organdys linos a JtO, ii" ruvM*
    na rua da lii.p- ralriz o. 06 laja da Arara.
    Iloupa feiu da Arara.
    Vende-se palelots de brnn ib- mr a -iOO t ditos de man eaanaini a .15.100, diios n-^or> a
    44300 e 64, dilos preto de panno a ."*. r<4 r t
    ditos de casemira lina ilrlirnnria ditos oreiiKi de aliara a :t3UO e 44. aatsa* |-rrta-
    de casemira a 44300, 34, 64 e A. ititu de n ru
    casemira, ganga e brim a 4 e 24300, dia **
    a 34500, ditos de bnm braiiro a :U .\*m. r ,-
    misas baacoaat a 24, 245MO r :t, ^nata a
    14600. litas de linho a 24 e 24300. tmmtm* 2#
    e '20>H) : na rua da Imperalriz n. I
    Italoes da Arara a 3,->.
    Vende-se halos crinolinas de SO. 10 40 ar">
    a 34, .".5-'i00, 44 e 44fi()0, ditos de maaaaniai a
    :I4300, ditMs de musselina a 44 I a na Arara rwa
    da Imperatriz n. 36.
    Arara vende os cortes de riscadas fraarezes a 2.
    Vende-se cortes de ri irados frai.r. i. s nm ti
    covados a 34 o corte : na rua da ln.|-ral. u n. '.*
    Arara vende cartea de caseaira preu a JV
    Vt'iide-se cortes de ra 34, 34500, 44 e 54 : na loja da Arara n. 56.
    Arara vende oa saatrabarqar*.
    Vende-se soulembarques ptetos niinix re*, ra-
    pas rompridas e manteletes de soperior ito.>liii>at
    a 224 e 254 : s a Arara rua da laaai'iliit wa-
    mero56.
    Sediahasa 500 ra.
    Arara vende sedinhas de listrtnha< para r*fiAw
    a 500 rs. o covade, dita? tinas a 800 r< lia a Va-
    ria l'ia com 4 palmos de largue palma de >ra a
    800 rs. o covado : na rua da Imperam? o '.A.
    Arara vende cambraias de caracinbas a WSf-O
    Vende-se cambraias de carorinhos i -.ra ->i<("
    a MMIO a peca, cortes de ca
    bertores de |tl!os a 14 e 14600 : na rua 4a Ina-
    lieratnz n. 56.
    lirandc sorliiucuto de fazendas pretas para a aa*-
    rrsaa.
    Sedas, grosdenaple, pannos linos e ra Vende-se grosdenaple preto para na!
    fazenda a 14400, 14600, 24, 24400. ASCui < 34 o
    covado, sarja iicspantiola de seda, |iaiii,<> lino |>rek.
    a 14C00, 24, 24-'i00, 34 e 44 o rovart... mnih> -
    perior caseiniras preta< Anas a ti e 24MU) <> rana>
    do, merino lino a 24500 e .'14, dii" it.' ci>rAai a
    24500 o covado : na rua da Imperatriz n. 3ri.
    Arara vende, niadapel fraarea lv
    Vende-se madapoliin francez aaaVaaati a 44 e.
    44300, bretanba de liuho, h^mburve. Al Ma |i
    lenees e semillas a 440. 500 a 640 1 i ra, la
    marrte de linho de 10 palmos de bwfan 1 9 a
    vara, brim i>ardo de linho a 800 e !4. AH1 l"
    a 14, 14280 e 14400 a vara : na rua ua laaaa>
    triz n. 56.
    Arara rende Iazinhas para vestida a 210 rs. a
    corado.
    Vendiese laa/inhas para vestidos de -.n:inra a
    240, 280, 320, 400 e 500 rs. o rnaaA*. 1
    lisas proprias para capas de amumrt a 14800 o
    covado : na Arara rua da lm|ierairiz n. 06.
    Arara vende fula* a .'00 rs.
    Vende-se fuslao de rote |ara roiqa rt> meaiun'
    calcas e paleMs a 500 rs. o < ovauV
    za escura e clara para calcase paati 1 V
    o covado: na rua da Imperatriz n. 8f> 11 Ai Arara
    Massas para sopa muito novas, foi desembar-
    cada ltimamente pevide: rodinha e es-
    trellinha a 500 rs. a libra o 30 a caixa com
    8 libras.
    Maearrao,aletria e Talbarim a 400 rs. a libra
    Vinagre fresco a 200 rs. a garrafa e 10400
    a caada.
    Dito em garrafes a lf>000 cada um.
    Bolijes com 8a 0 garrafas de azeite, 0 me-
    lbor que se pude desejar, a 50 cada um.
    Palitos de dentes em macos com 20 maci-
    nhos a 120 rs. cada um.
    Palitos do gaz a 20200 a groza, 20 rs. a
    caixinba e 200 rs. a duzia.
    Graixa em latas muito novas a 100 rs. a lata
    el0000 a duzia.
    Ceblas muito novas a 540 rs. o cento e
    800 o moltio.
    Traques de i rimeira qualidade a 80500 a
    caixa e 240rs a carta.
    Charutos Ipyrangas em meias caixinbas a
    2000.
    Ditos Suspiros de Thom Pinto a 10SOO.
    Ditos Avaneiros do mesmo a 10000.
    Hitos Regala Imperial a 10600, garante-se
    ipie sao charutos queja se venderam por
    25GOO c 2->8U0, alin destas marcas tem de
    todas as mais que costumam vir nosso
    mercado. Fugio ua madrugada do dia 14 de BMkffaA)
    Genebra de Hol lamia em frasqueiras a WOOO k0^^ ajno daca A> awi seaM m
    n __ i da cidade da Parahiba, a 0S4'rava J<
    oa gagninlea slgaana : aaafa aa, rat a>
    rapinhos que se i'ieslam a ainanai i
    bocea recular, cor parda, idad>- Al *" anana:, p--
    rooiaia oa menos, aadava aaai eaai -
    levou eomsigo io macos semino para a cidaile di; (ini.iini
    tino a eiAnda Ai RavUi : Bajaca <>
    pnlii iaes, aos CapUiei de campo a I "I
    pessoas que ila n f>-rida esi-rava '"
    ment, qoeiram ler a iMHiilaile ib- f /
    iler e mandar leva-la na capital Al !'
    Norte na casa de Antonio Vicente iie V
    no Varadouro us. 1 o 23,ceiln ala I I
    agiaileciinenloque receberaotafia grarraiaaaaaaj
    ri'conqiens.'idos.
    Vende-se fean branco e amarello. de >up
    qualidade, a IO4 a saeea ile rata *
    Porto: no trapi-ho alfandegaAj 1I0 ataatlA
    vramenlo no Forte A* Mallos.
    ESCRAVOS FUHDCS.
    e 900 rs. o frasco.
    Dita de laranja a l$J00 o frasco e 120000 a
    caixa.
    Dila embotijas de Hollanda a 440rs.
    Cominbos muilo novos a 400 rs. a libra e
    sendo em arroba ter abatimento.
    ICrva-doce muito nova a 400 rs. a libra.
    Canella muito nova a 10000 a libra.
    Pntenla muito nova e limpa a 340 rs. a libra.
    Cravo muito novo a640rs. a libra.
    AH'i/.ema nova a 400 rs. a libra.
    Toucinho muito novo de Lisboa a 280 rs. a
    libra c 80000 a arroba.
    Cbouricas e paios a 040 rs. a libra.
    Banha a mais nova e alva que se pode dese-
    jar em latas de 10 libras a 40000 a lata.
    Dita propria para banha de cabello por ser 30jobos, leoo caifa de bnm, raanVa *
    ilr-i a Hura t iOO r< a libra H),a' chs,l,co rf,J Ch,le 'a m:,,u>' *',','m
    aivae UUi. a.UUr>. a lua. licudcr e leva lo a s.>u senhor Jom- Wnar,..
    Copos lapidados a 40800 a duzia e o.jUO. Torres no referido ensenh,. aavaasaaBant
    Copos lapt
    Ameixas em frascos grandes a 20-iOO.
    Ditas em frascos mais pequeos a 1041)0.
    Ditas em latas de urna e meia libra a 6 libras
    a 10OOe 4.0000 a lata.
    Mlho injjlez rolha de vidro a 800 rs.
    Prezuntos inglezes para hambres* muito no-
    vosa 800 rs. a libra.
    Velho secco, Vctor Emmanuel, D. Pedro; Mostarda preparada a 200 rs. o pote.
    V, D Luiz, especial vinho velho do Porto i Conservas inglezas a 640 e 800 rs. o frasco.
    Desappareceu de novo, do ntfi atn P--ilregu-
    Iho, o cscravii Heiicdicto, crioiile. tana, Ao
    corpo, descarnado do roslo, pes e no. araa^v c
    -i.'i'cos, com |iouea barba, reprsenla ler de 23
    di- n>a.f-
    aaa-re
    Prrnra
    Torres no referido engenho, sera matilkaUo ewa*
    504000.
    Ausenlou-se da casa de sen se nitor ha 12 AAa
    a preta Thereza, com os segiiintes saaaaaa : jm\x,
    Com falla de um denle na frente, |- gr->*, a
    \ tem marcas de escrophulas no pesetaja, lornaaa
    | se por isso conbeeida.anda nesia AABAt : ipaea a
    i pegar, leve-a casa do r. Salgado, raa A i|a>i-
    . toado, qoe agradeeera. O mesmo seaAur fFM*u
    I coutra quem a tiver oceulta.
    rua do Queimado, loja do beija-flor o. 63.
    ouro patente inglea.
    Vende-se alpaca prela a 500 rs. a corada.
    Vende-se alpaca preta para vestidos a 500, 600,
    700 e 800 rs., lina de cordao a 800 rs para pale-
    tot, prinreza preta a 800 e 640 o covado, bomnazi-
    na preta fina a 14400 o covado, laazinhas prela,
    para senhora que estao de luto a 70 o covado : Ditos do Porto, Lisboa eFigneira de marcas
    e outros muitos a 90, 100, 120 e 140 a
    duzia e 10 a 10200 a garrafa.
    Vinhos em pipa Porto, Lisboa e Figneka
    das melhores marcas a 33800 a caada e
    aOO a garrafa.
    na ruada Imperatriz n. 56.
    s 9 horas da noite.
    A loja est aberta at
    E>pecio l rap
    Sq Princeza de Petropolis j bem conhe- S
    A cido em toda a provincia do Rio- de Ja- |
    *A neiro e com preferencia ao Paulo Cor- %
    W deiro e ara preta de Meuron : vende-se
    <|( rni seu nico de|>o.-to rua do Crespo n.
    vyg 16 armazem de loucas de Duarte, IVrei-
    Wc reir & C. ou na ru larga do Rosario n.
    jf 38, loja da Aurora.
    GAZ GAZ GAZ
    per prefo reduzido.
    Vende-se gaz da melhor qualid. de pelo
    pre o de 100 por lata de 5 galSes: no ar-
    mazem do Caes do Ramos u. 18 e rua doj
    Trapiche Novo n. 8._______________^^
    Mez de Ufarla.
    O afamado mez de Mara que se venda a 34,
    24 e 44600, com estampas e ntidamente impies-
    so, aeha-se venda por acabar a 14000 o volume,
    approveitem-se da occasio, que mu poucos res-
    Um : na rua do Imperador n. 18.
    menos conhecidas a 400 a garrafa e 20800
    a caada.
    Dito Colares especial vinho a 800 a garrafa.
    Dito Lavradio muito fresco, nao levando com
    posico, a ."iOO a garrafa e 40000 a caada.
    Vinho branco de uva flna a 000 a garrafa e
    40500 a caada.
    Dito mais baixo a 400 a garrafa e 20800 a
    caada.
    Vinho Bordeaux em caixas de 12 garrafas das
    marcas mais acreditadas a 00500 e 70000
    a caixa.
    Dito muito especial que raras vezes vem ao
    nosso mercado a 10200 a gairafa, garan-
    te-se que por este mesmo proco d pre-
    juizo, e s se encontra nicamente neste
    armazem.
    Licores franceses- e portufuezes dos melho-
    res autores a 800, 10000 e 10500 a gar-
    rnfs
    Cervcjasdas melhores marcas a 50500 e
    60 rs. a duzia; tambem temos ordinaria
    por muito menos.
    Marmelada de todos os fabricantes de Lisboa
    em latas de 1 libra a 600 e 640.
    Cognac mglez a 100000 a duzia e 10000 a
    garrafa.
    Dito francez a 80900 a duzia e 800 rs. a
    garrafa.
    Palle Brandy a 2?000 a garrafa e 320000 a
    duzia.
    Sabao massa a 140 e 240 rs. a libra o melbor.
    Polvo a 320 rs. a libra e 00000 a arroba.
    Vassouras do Porto com arcos de ferro a
    320 cada urna.
    Ditas americanas a 640 rs.
    Papel almaco pautado e li/o a 20400 a resma.
    Dito de peso pautado e lizo a 30 a resma.
    Dito azul proprio para botica a 20 a resma.
    Velas de spermacete a 560 rs. a libra.e sendo
    em caixa a 520.
    Ditas de carnauba do Aracaty a 90000 a arro-
    ba e 320 rs. a libra.
    Fai-ell de Lisboa marca N a 4-5000 a sacca.
    Tplos para limpar facas a 160 rs. cada um.
    Peixe em latas j preparado a 10000 a lata.
    Chocolate hespanhol e francez a 10000 a libra.
    mtucAo
    Acha-se hipido o esrravo de n me Fau-lm, i*
    idade 40 annos, pouco mais ou aavaat, na M
    ura regular, grosso do cntML bem epai.tAi. l-ar-
    bado, e j rom algnns cabellos Itaafaa r>a l-arta
    bracos e pernas grossas e bstanle cau-limla". um-
    do as pernas arqueadas, porm na aajAkj rela-
    ma andar em sambas, e as veze embriaga na bas-
    tante por gestar muito de b. tter : |*iaiifc> raja-
    se s autoridades poliriaes desta e das |.rvimM
    lmitrophes, que o acaro appreneiMVr r leva-fc, a
    seu senhoro nujor Antonio da Silva Gusa**, aa
    rua Imperial, assim como roga-se a ea ^
    campo a apprehenso do dilo esrravo. qam aaaw
    bem gralillcados.
    EStUVO F111.IIML
    ftrelifiocM *t SOS.
    Em dias do mez de marco proaimn passaAa aa-
    gio o esrravo Vicente, de idade de 40 nno>, paro
    mais on menos, altura rpgular. serr do mrp, mr
    fula, barbado, rom nm ou Ans dea aV
    na frente, um |nro gago, com nm ak-JA* na
    inao direita, antes de ser comprado pelo sen ai
    Caf do Rio primeira sorte a 80100 a arroba senhor, passava por forro, sob o nm de Vir
    n m n 11 i m i I 1 \ f< >.n_ l^^I------ ** __la ~ ___ _
    e 300 rs.a libra.
    Dito de segunda a 80400 e 280-rs. a libra.
    Arroz do Maranhao, Java e India de 20600 a
    30 a arroba e 100 rs. a libra.
    Alpista muito novo e limpo a 140 rs. a li-
    bra e 40500 a arroba.
    Cevada muito nova a 20500 a arroba e 100
    rs. a libra.
    Campello ; fugi-' para o sal em direr^S a>
    nho Firmeza do Sr. capito Franerse*
    na freguezia da Encada, anda pela* linda A> rim
    l| juca, procurando urna ta por boom FrfcVia, mm-
    radora as trras daqnelle enfenho : qovm n pe-
    gar, 1eve-n ao Sr. ha Praaeiro Oirma A A
    da, no engenho Melanvia, rrr-anezia
    dim, comarca d\t Limoeiro, oa oM
    cscriptorio do apete Olivetra, roa da CaAea do
    Recife n. 62, primeiro andar.




    ai 'rira a.H de Abril ele I *!.
    U
    *
    L1TTERAT0RA.
    SlTUU LAUTA UIRUDA, PF.I.O KM SS. 0OKSRUM0I0
    1 BDBO ALT11AN D.V MATTA B ALBOKBOVE, A9 SU.
    DEPl'T.VbO l'EUBO LUZ.
    I.lm. Br. Pedro Luiz.Tendo mostrado na mi-
    nio antecedente curta a execllencia c utilldade da
    codgregago cj padres lazrtelas, instituida por
    & Vicente do Pauta, pasgaroi agora a tratar das
    limas da caridade, vulgarmente chamadas rindas
    e> palo mesroo santo vario. A materia por cor-
    lo digna de outra peona, que uo a minha j mas
    cor. tudo farel o que poder em defeza dBSSM apos-
    tlas da caridade. Os estreitos limites de urna car-
    ta obrigam-me a algeirar o passo na minha narra-
    g w; mas farci por nao omillir nada que fr ncees-
    sartfl M triumpho da verdade, e do calholicsmo,
    qaa felizinuuto a religio do povo brasileiro,
    por amor daqnal estarei sempre prompto a com-
    bater, assim Dos me ajude.
    Viente de Pimo e as filiis da cariilaile (vulgar-
    mente irmaas da caridade.)
    E' para notar na vida de Vicente de Paulo, que
    elle uuaca separasse os cuidados espiriiuaos dos
    eorjMlimas; o inellioramento moral e a santificaeao
    das almas, do bem estar material e alivio dos s'of-
    frimentos physicos. Teve sempre esta dupla preoc-
    cupagao : aliciir as dores do corpo e santificar as
    nbr.us, Quanto a esta segunda parte, a satisfez
    creando a eongrogagio das missoes, mijos serviros.
    Imitados primeiramente a Franca, estenderam-se
    ainda ero sua vida a paizes estrangeiros. Mas,
    quanto ao alivio das dores physicas, o que havia
    leito nao passava de ensaios. A Providencia divi-
    na porm, que so aprazia em cumprir-lhc os dse-
    jos, miuistrou-lho o instrumento de levar a obra a
    seu cftoito completo. Esse instrumento foi Luiza
    de Manllae, viuva de monsieur Legras.
    Vicenio de Paulo tinha pois urna companhia es-
    pecial de operarios evanglicos-os padres da wis-
    foi elle mesmo por toda a parte, c cada dia,
    aeor.selliava, diriga, e promova as obras de mi-
    s neordia; mas faltava-lhe urna corapanhia espe-
    cial de tovas dos pobres. Essa companhia reeru-
    tou-ln'a Luiza de Marillac, tornand-se desl'arte a
    priaelpal cooperadora dos designios do santo va-
    rio, em cujo pello ardid a mais inceodida carda-
    do : caritas domini urget me.
    Luiza du .Marillac, conhecida da posteridade pe-
    lo nomo do madcmoiselli Legras, fra ennommen-
    dada pelo hispo de Bellcy direcgo espiritual do
    Vicente de Paulo. Este bispo como que previra
    os designios de Deus acerca desta mullier : e Deus,
    que a destinara para um grande fim, permittiu
    que Vicente acceitasse o encargo, posto que lhe
    uao agradasse muito ser director especial de al--
    guem, teniendo que esse ministerio lhe roubasse o
    tempo, e as torcas, de que havia mister para evan-
    E -i-aar os poros, e exercer as obras de misericor-
    dia.
    Haderooisella Legras, quanto mais observava as
    acetes do seu santo director, tanto mais senlia-se
    animada dos exemplos. Fez pois tencao de con-
    sagrar soa vida ao servigo dos pobres, e cooperar
    eom tudas as torgas para o bom xito das grandes
    empiezas de Vicente. Quiz at obrigar-se por vo-
    to irrerogavei. Mas Vicente, que proceda com
    prudencia em todos os negocios, ueste quiz ser ain-
    da mais avisado; e, para maior seguranca, con-
    sultar a vontade de Deus. Aconselhou pois a ma-
    demoisella Legras a oracao, o retiro, a continu-
    abas frequeute, porque a santissima cucharislia
    fi orculo infailivel da nova Ici, onde o Senhor eos-
    tuma re Miar soa vontade.
    KsU dilacao foi para mademoisella Legras urna
    especie do noviciado, que servio-lhe de ainda mais
    roborar saa resoluco, e de aproveitar todas as
    OCcasSJes de exercer a caridade, que se lhe offere-
    cUffl. Sua lideliilade e perseveranea obrigaram
    Gailiin o seu director a aceeilar o oftereciiiiento,
    associando-a de alguina srte s suas missoes para
    assisttr aos pobres. Julgou-a digna, porque tinha
    a& disposicojs que o apostlo S. Paulo requer das
    v.'uvas para o ministerio da caridade.
    Ko anuo 1629 mandou-a visitar as contrarias de
    raridade, que elle instituir as aldeias, reunindo
    molheres virtuosas para soccorrerem aos pobres
    enfermos.
    Em suas jornadas mademoisella Legras solreu
    r,:uito, porque os vehculos d'ento nao eram t.o
    omuiodos como os de boje; e passava mui pobre-
    mente. Levara grande proviso de lengaria, e de
    remedios de botica, que deslribuia pelos necessita-
    dos que encontmva, e as esmolas fazia da sua bol-
    sa. Era aportada comsigo, para ser liberal com
    os pobres. Logo que chegava a urna aldea, reu-
    na as mulheres associadas contrara da carida-
    de ; dava-lhes as instruccocs necessarias para o
    liom desempenho de seus deveres; animava-as
    com o fervor dos seus discursos; trabalhava por
    augmentar-Ibes o numero; aquecia as tibias ao
    calor do seu exemple. Porque, para exercer a ca-
    ridade em toda sua plenituJe, nao se contenlava
    com mandar servir aos doeotes, e destribuir-lhes
    esmolas de seus bens; mas ella mesma os visitava,
    o com suas mos lhes ministrara os caldos eos
    remedios.
    ecupava-se nao so em acudir s enfermidades
    de corpo, como em remediar as d'alma. E, como
    ignorancia o principio das enfermidades d'a-
    i.a, trabalhava por destrui-la; j reunindo em ca-
    sas particulares as raparigas do campo para lhes
    ensinar os artigos da f e os deveres da vida
    christaa; j industriando em sua prolisso as mes-
    Iras de escolla, oudo as havia ;j procurando esta-
    belece-las, onde as nao havia.
    Os pobres de Pars nao eram menos dignos de
    lastima que os do campo, to bem soccorridos pe-
    lo zlo de mademoisella Legras. Era pois justo
    que tambom o estendesse qaelles, e com prc fe.
    leera aos da parochia de S. Nicolu do Chardo,
    net, por ser ahi o seu domicilio. Isso mesmo fe-
    a santa vluva, estabelecendo, em 1630, para elles
    urna contraria de caridade, onde seohoras parti-
    Ihavam com ella o triste, mas glorioso emprego de
    servir aos doentes. Nao tardou muito que outras
    contrarias se nao formassem if outras parochias da
    mesma capital. Emfim. mul'.iplicaram-se no cam-
    po, as cidades e em todas as diocezes de Franga
    pelo zlo e actividade de mademoisella Legras.
    Estava pois felo o seu no.iciado para entrar na
    grande obra que Deus inspirava a Vicente, e da
    qual havia ella de ser o instrumento.
    Dndose, principalmente em Paris, que mui.
    (as damas christaas, associadas s contrarias, nao
    cumprissem risca os deveres da caridade, por-
    que as ausencias toreadas, as obrigagdes imperio-
    sas do seu estado, os obstculos por parte dos ma-
    ridos as forgavara a negligeneiar as visitas aos po-
    fcres e aos doeotes, ou a interrompe-las, ou lhes
    nao deixavam tompo sufflciente para prepararem
    os objectos de que entavan incumbidas sentiu-se
    a necessidade de ter mao, e sempre s orden
    das coofranas, algumas mogas de nico, que fl-
    zessein o que as damas nao podiam fazer, ou nao
    fariam pontoal e regularmente.
    Sabendo Vicente, segundo a experiencia das snas
    missoes, que no campo hara muito boas raparigas
    avessas ao casamento, que muito estimaran) santi-
    Ucar--se pelas obras de caridade, as pnmeiras de. E ws, Ulnas de Vicente e de Luiza de Man- Depois de se 1er demorado ah muito tempo s
    missoes propoz-lhes o negocio-; e aotiou logo algu- lae, 4eeiia*o tributo de mor de todos oscatholicos com esse Oro, quando menos se esperavatiesapna-
    tholico por graca de
    mas, que se offereceram a consagrar toda sjia vida
    s obras de misericordia. '
    Desl'arte torap providas de servas dos [lres as
    contrarias das parochias de Paris. A caridiie dfu
    criadas aos pobres, qtlando at entao s os neos as
    podiam ter.
    Mas estas raparigas nao podiam desempenhar,.
    senao imperfeitamenle, o seu oficio, nao obstante
    toda sua boa vontade. Carecnm de preparacao
    para funccOes tao penosas, c de que.n as dirigisse, e
    alfeicoasse aos exercicios de piedade, tao necessarios
    para altervorar a alma no amor de Deus e do prxi-
    mo. Vicente de Paulo conheeeu o mal.e descobrio
    logo o remedio. Escollieu algumas das que se
    imwi'avaui mais dispostas, o as pz sob a direccio
    de mademoisella Legras, coja prudencia consuma-
    da, piedade cxemplar c perseverante, zelo ardente
    e infatigavcl bem conhecia. Ella tere-as de sualPau, ft(le Luiza.de larillac o meu profundo res-
    inao. em sua propria casa, na parochia de Sao Pei, l)ara com ellas-
    Nicolao doChardonnet; disciplinou-as e formou-as,
    segundo os designios da Providencia, e para os fias
    a que eram destinadas : e a humilde hattitacao de
    mademoisella Legras tornou-se pois um verdadei-
    ro santuario; um novo cenculo, onde urnas po-
    bres raparigas chamavam sobre si, pela oracao, oj
    Espirito da caridade. Cresceu o numero das disci-
    P'ilas ; outras vierara participar dos mesmos senli-
    mentos; houve em fim coMtmntdade. Foi este o
    sinceros, eni quanto vos nao chega a bora de irdes recea ** me' dos seus amigos mneOts, asJm
    ebernaratriaceiestiaiacorad^jus^a. Como cr0.m(0a/esaPI'areceu do meio dos son compa
    sois da-tandade. ae par mm ; pelos Logo que chegou
    giradores; por est i
    Inglaterra communicou o
    rio da Santa Cruz, resultado da sua viagem a M. Kinght e a um pu-
    Orae'slm or !re.habitante d? StourWidge, que detiosiiaraai nol-
    este imperio, para que o joio da beresia taphi, L^ece^ro""^ **" "" Z"M* fun"
    do nelle nao afogue as searas de Christo. Mas quando ji estar todo promplo, com gfan-
    A' vista do exuota n nnhlim. m., a i ? decel,cao de tod<>s e especialmente de Fe-
    a visia aoexpoao o publico, o mundo inteiro,' |ev. a machina de partir o ferro recasou-se \
    que ros migue, senhor, e as irniSas da caridade. O funccionar. P recusou se a
    que digo dellas pura verdade, fe que sao testemu-1 Fole>' desappareccu outra vez.
    nbasc pregoeiros essa inultid;"io de infelizes aquem v!r?0,"na e desapontamento o
    prestam servigo em todas as partes do mun-
    ellas
    do. Nao fago mais que ser o echo de suas vozes,
    orgo publico de seu reoonheciment. Agrade-
    eo-vos pois, senhor, o me haverdes proporcionado
    a occasio de exercer esse ministerio, que tanto
    me appraz, e de manifestar s filhas de Vicente de
    principio das O.has ou irmaas da caridade; foi esta ^ aSSrmST
    Recite, 26 de abril de 186i.
    ConselheiroPedro Autran da llotta AMqnenptc.
    i
    A orlgeas da nobreza ingleza.
    VICISITUDES DAS GBANDES FAMILIAS.
    (Conctisdo.)
    -A nobreza irlandeza rivalisa com a da Escos-
    sia no que diz respeito genealoga o mytliolo-
    gia, porem os descendentes dos bardes normandos
    mais authentcos do que os
    descendentes dos bardes que conquistaran) a In-
    glaterra, e isso porque elles teem menos dous ou
    tres seculos de illustracao.
    Quanto nobreza d paiz de Galles, essa qur
    por torga datar do diluvio como a familia trance
    za de
    para sempre o scu
    Suppz-se que a
    tinham levada a
    paiz. Eugana-
    abandonar
    vam-se.
    Foley fuera tengo de descobrlr o segredo dos
    rerreiros suecos, e nao renunciara ao seu pro-
    jecto. V oltou de novo Suecia com a soa fiel
    rabera, e seguiu para Damnemora. Foi acolliido
    pelos mmeiros com a maior alegra, e para que
    elle nao lhes fugisse mais, exigram que llcasse
    hospedado mesmo na ofDcina. Atora o seu t-
    lenlo musical, Foley apparenlava tanta falta de
    mlelligencia, que os mineiros nao conceberam a
    menor suspeita quanto ao menestrel inglez. Elle
    teve occasio de examinar alternamente todos os
    trabamos, e descobriu a razo porque tora mal
    succedido na sua experiencia.
    Tragou como pode um desenho da machina,
    pois o desenho era urna arte que elle desconhecia
    completamente, e tendo estado ahi o tempo neces-
    sario para convencer-se da exactido das suas
    observaroes e gravar bem na memoria o lodo do
    mecanismo, deixou outra voz os mineiros e em-
    barcou para a Inglaterra. Vollando companhia
    dos seus amigos, que se admiravam de o tornar a
    ver, completou os seus trabalhos, e o mais brilhan-
    18 resnltado veio coroar os seus esforgos. Gragas
    a sua babilidade, Foley em pouco tempo fundou
    as bases de urna immensa fortuna, fazendo ao mes-
    mo tempo renascer a industria em um considera-
    . -araaSir s ,sse!,mda
    cuja arvore heraldiea, que comega no patriarcha
    Noe, tem setenta ps de compriracnto e um pe de
    largura. '
    Ahi se admira os ramos reaes dos Mostyns b-
    blicos, primos co-irmos do rei David ou fillws
    .... as obras
    candosas daquelles arredores.
    Fundou e dotou urna escola om Stourbridge, e,
    digno herdeiro de um tal pae, seu filho Thomaz,
    que foi grande shrif do condado de Worcester no
    tempo do protectorado, instituid em Old-Swinford
    &? mThJf&r aZrreT; i"a otra escola que ainda existe para a educa-
    outro quadro da galena de urna familia gao gratuita dos meninos pobres. Esses primeiros
    pobres de todas as provincias do reino; estenderara' terri'orial da Inglaterra, vira por fim a desappare-
    cer a vista dos novos fidalgos do cormnercio e da
    a origem desta santa companhia, que se havia de
    tornar maravilha do mundo.
    Deus abengoou a obra comegada, e deu-lbe a ul-
    tima mao, preparando-lbe o cabedal para as despe-
    zas dos pobres.
    Formou-se em Paris urna assembla de senhoras
    da primeira condicao, com o fim de darem algum
    soccorro aos pobres do hospital de Deus (hotel
    Dieu). Mas a caridade 6 sempre fecunda; e, se-
    gundo a doutrina do apostlo, Deus a multiplica
    como a sement, e faz nascer delta fructos abundan- jfanceza, representando nm dos avs "do7 duques" i )ey pertnciam'"!" selte ourtana
    tes. Esta assembla, que emprehendera prestar 5!,.V,SJ que vae cumpnmenter a SanUVirgem| Parece que Ricardo Baxter entreteve intimas
    algum soccorro aos pobres doentes do hospital dej ruKt ^'."W0' t a auera a dlvioa Pau" i relagoes com diversos membros dessa familia,
    u.u ^ ^, ;, l -rr i i ^SEsffisai -^ ., i pei&ne r-sr ,s c,
    >rega;se na sua
    occasioes e Bax-
    procedi-
    ment to irreprehensirel, que todas as pessoas
    que tratavam cora elle o elogiavam pela sua inte-
    gridade, etc. A familia teve titulo de nobreza
    no reinado de Carlos II.
    Guilherme Phipps, no seu genero, nao foi me-
    nos notavel do que Ricardo Foley. Seu pae, ro-
    busto armeiro inglez, era estabelecido em Wool-
    wick, no Maine, na America.
    Guilherme nasceu em 1631 e foi um dos 26 fi-
    Ihos do armeiro, entre os quaes hartan 21 rapazes,
    cuja fortuna era nicamente o rigor e coragem de
    que eram dotados.
    Guilherme, logo em pequeo foi destinado
    tranquilidade da vida de pastor. De um carcter
    ousado e emprehendedor, elle desejava sempre se-
    guir a vida do mar e percorrer o mundo. Entrou
    como aprendiz em casa de um constructor de na-
    vios, onde, as horas de descangoy aprendeu a ler
    e escrever.
    Depois que concluiu a sua aprendizagem, par-
    t u para Boston, e ahi casou coro urna viuva que
    tinha alguma fortuna e assim teve meios para es-
    tablecer um pequeo estaleiro e construir um
    navio, no qual durante dez annos fez o com-
    mercio de transporte de madeiras de construegao.
    Um dia, atravessando as tortuosas ras do ve-
    Ibo Boston, ouviu uns marinheiros fallarem de
    um aeontecimento que Uvera logar perto das ilhas
    Bahana; era o naufragio de um navio bespanhol
    que, segundo se dizia, tinha muita prala bordo.
    Essa conversa velo despertar o genio aventureiro
    de Phipps, e, tratando inmediatamente de organi-
    sar urna equipagem composta de homens nao me
    sua caridade atora dos mares, entretendo missoes
    nos paizes inflis; derramaram seus beneficios at
    aos ltimos confins do mundo. Em quanto porm
    com suas esmolas contribuiam para o bem tempo-
    ral e espiritual da humanidade, multiplicavam-se
    os cstabelocimentos das filhas da caridade. Estas
    ao priucipio serviam aos pobres em seus domici-
    lios ; mas toram depois encarregadas dos hospitaes,
    e de instruir as meninas pobres no conhecimento
    e amor de Deus. Nao houve servigo de caridade,
    por mais baixo e repugnante que tosse, que ellas
    nao aceitassera de bom grado. E desde o principio
    at boje a vida destas servas dos pobres, tem sido
    um sacrificio perpetuo, urna immolaga* de cada
    especulagao, assim como os da pelle vermelha da
    America surairam-se no meio da populagao bran-
    ca. Estudando mais attentamente a questo, te-
    mos chegado a urna opinao diamelralmente op-
    posta.
    Em primeiro lugar amigamente as propriedades
    mudavam de praprielarios mais frequenlemente e
    com mais rapidez do que hoje.
    As guerras civis, que, por meio das confiscagoes
    completavam a ruina de tantas familias ja empo-
    brecidas pela mesma guerra, nunca mais se reno-
    varam m Inglaterra. Nao ha mais dyoastias ri-
    vaes, nao ha mais pretendentes o ainda menos re-
    volucionarios apaixonados da forma republicana.
    Outra considerago: o desenvolvimento do com-
    mercio, da especulagao e da industria britannica,
    crea sem duvida novos ricos, muito desejosos de
    instante, um herosmo perseverante, e sem termo. O seren proprietarios, e promptos a fazerem qual
    mundo as admira com justa razio A enreja se Uuer sacnficio Para obterem um amigo dominio
    ufana de possai-las para confusao dos de"tracinn>s a,,; raas ^m loda a raza0 a *"* lilu.lar
    di nns da nonato, pota que ellas sao a prora mais evi- i indirectamente desse desenvolvimentoT ao passo
    dente da virtude dessa f, e a apologa viva do 1ue alguns dos seus dominios cobicados pelos ho
    evaugelho.
    As comuiuoidades das filhas da caridade, estabe-
    lecidas regular e defrailivamente por toda a Fran-
    ca, receberam de Vicente de Paulo consltuiges,
    aprovadas polo arcebispo de Paris, s&occionadas
    por carta rega, registrada no parlamento de
    Paris.
    Mas que prodigio, que milagro nao foi essa insti-
    tuigao? A congregago das filhas da caridade era
    novidadu na egreja. At entao as mulheres, reuni-
    das em communidade, viviam sequesiradasdo mun-
    do pelas paredes dos seus mosteros, que as deffen-
    diam das distraegoes e seduecos mundanas. Mas
    mens enriquecidos no commercio"tem adquirido
    um considerarel augmento de valor. Mais de um
    nome aristocrtico figura na lista dos grandes ac-
    ciouistas dos caminhos de ferro, dos canaes, das
    graudes companhias agrcolas, etc.
    Os rendunentos de lord Bedtord, de lord Por-
    tland, de lord Grosvenor, de Portmau, de lord Ber-
    Keley, etc., etc., lem decuplicado do anno de 18J0 nos eroprehendedores do que elle, fez-se de vela
    para ca.
    Finalmente, nem s a nobreza ingleza nao se des-
    preza de escolher urna esposa entre as filhas dos
    plebeus enriquecidos, como at hoje e sempre om
    todas as elasses se recruta lioinens para |>ares,
    comanlo que elles sejam bastantes ricos oar sus-
    tenlarem a sua poscao e o seu titulo de lord.
    Para prora de que em todo o tempo e nobreza
    ingleza foi assim recrutada, vamos narrar o ori-
    gem toda
    ii industriosa de algumas das notabilidades elle formou logo o projeeto, se nao
    \ cente de Paulo conseguio crear urna congregago da cmara dos lords, e isso sernos-ha muito fcil 0 navj0) pe|0 me'nos j ^burear os tlios
    do mocas solteiras, que nao tem outros votos nue a cilando 'Juasi textualmente nm capitulo da espiri-
    sua coiisripnci-i nnim ,/., ,. ..,__a !,uosa obra publicada por M. Samuel Smiles, com o
    n? outro veu que a sua modestia, | ,ilulo de svelfhe, ue lraduzir por este
    outro claustros que as ras, aonde as cbamam os proverbio nosso : Faze da tua parte, que Deus te
    oflicios da caridade. O caso era novo, estranho e ajudar I
    at devia parecer temerario; mas deu-se. Os des- n
    rn>ntt> linham nnr f,,rn,.Hn ..;,..J *.. A INDUSTRIA E 0 l'ARIATO NA INGI.ATERBA.
    crentes t.nham por forgada a Mrtudc das freirs 5 A in(lllslria bem entendida, applicadacom pru-
    mas \ ceme os confundi com a instituigao das; dencia e perseveranga, couduz sempre fortuna e
    filhas da caridade. mostrando-lhes assim quo gran- imitas vezes s honras. Ella faz realgar o carac-
    de o poder da f, e do amor a Jess Christo nara ter da1uel,e 'iue a pratica, e estimula fortemenle
    manter a pureza aiuda no meio da corruncao e das concurso ds seus '8uatS- PNem '!Jdos se SK
    s da mesma maneira, mas emfim, cada um colhe na
    proporgo dos seus merecimentos, e, como di o
    proverbio toscano : Senoin todos podem viver
    na pisazo, todos podem ao menos gozar os raios
    do sol. >
    A maioria dos pares inglezes de origem mo-
    derna, mas por terem sido recruiados as Qleiras
    de urna industria honrosa, nem por isso elles sao
    tentages do secuto. A virgindade tornou-se pois
    um holocausto voluntario, nao de algumas, mas de
    centenares, de railhares de mogas de todas as con-
    digoes.
    O mundo inteiro v com assombro o facto, e
    admira-o; os philosophos sao confundidos; a reli-
    gio e a egreja triumpham de seus inimigos. Mas
    menos nobres.
    Assim, as dignidades do conde de Cornwalls
    nute-sc que o dedo da Providencia marcou no reto- 2?, confe,ridaf a Thomaz Cornwallis o celebre
    negociante do Cheapsidc, e as do conde Graven a
    gio do tempo a hora desta nova instiiuicao durante
    a vida de Vicente de Paulo, para que elle fosse o
    pae, o regulador, o exemplar.
    A instituigao das filhas da caridade, limitada
    primeiramente Franga, cstendeu-se ainda em vi-
    da de Vicente Polonia. Houve pausa; conti
    nuou ainda por muito tempo a ser patrimonio ex
    Guilherme Graven, o mercador de pannos e al-
    faiate.
    O actual conde de Warwick nao descende da-
    quelle que fazia os reis, mas sim de Guilherme
    Greville, mercador de las ; e como ja deixamos
    dito, os duques de Norihumberland de hoje teem
    por antepassado, nao um dos Percy, mas sim Hug-
    ! nes Smithson, respeiiavel boticario de Londres. A
    '' familia de Darmouth descende de um mercador de
    elusivo daquelle paiz. Mas Deus, que bom, quiz! pelles, a de Radnor de um fabricante de sedas, a
    que do beneficio feito por elle Franca partici-1 de Ducie de^um alfaiale, a de Pomfn^ de um ne-
    os povos da trra.
    passem todos os povos da trra. Soou em fim a P'ntc de Calais ; as familias de Tankerville,
    ., m ,. .. ,L Dormer e de Coventry tiveram
    hora, em que a mfatigavel candado das filhas de leanles, mercieiros etc.
    de
    por chefes neg
    Vicente de Paulo devia transpor os marcos da na-
    cioualidade. Ei-las pois, que se espalham p.ela Ita-
    Os avs do conde Romney e de lord Dudley e
    Ward eram ourives c joalheiros, c lord Dcres foi
    ersfone o foi no tempo da rainha Victoria.
    Eduardo Osborne, tronco dos duques de Leeds
    foi aprendiz em casa de Guilherme Hewct, rico
    fabricante de pannos, que tinha urna filha nica
    lia, pela Allemanha, pela Suissa, pela Turqua, pela JJ^W no re'nado d8
    China, pelas duas Americas. Todas as partes do
    mundo, todas as regaos habitadas as conhecem e
    vcm suas obras. Por toda a parto continuam a
    ,:<:-> j'a .ii ., -1 com a qual Osborne veiu a casar depois de lhe ler
    missaod Aquella que foi privilegiada entre todas as sa|Vado a vida precipilando-se corajosamente no
    mulheres; como ella pisam com o p a cabega da Tamisa onde ella eslava p nto de atogar-so.
    infernal serpente, e glorificam o estandarte da Entre as outras familias que devem ao comraer-
    cruz. Aqui sito ellas a consolagao e a honra dos !*^i?*^iJL2^,eaS!? liS'S'mlK
    .^-._^. ....___ v remos as dos Fitzwil ham, dos Leigh, dos Petre,
    chrislaos; al. aterram a heres.a com a sua dedica- dos nvper, dos Dornlev, dos Hill, e dos Car-
    gao sobrenatural; acola excitam a admiragao dos rington.
    inflis. O pagao o mahometano, o herege, con- O pae de Ricardo Foiey era um humilde lavra-
    nam-ines seus doentes; todos as respeitam, vene- dor que, no reinado d Carlos I, vivia as visi-
    ram e bemdizem. E quem poder dizer quantos nhangas de Stourbridge. Essa pequea cidade
    coragoes se inclinaro a f sob a influencia bene- ra enlao cen,ro do fabrico de diversas especies
    fica das filhas da caridade ? **S dc e,rro e desde a tu-
    I do aprendeu a fazer pregos. Desse modo elle po-
    0 inferno, que o presente, soscita-lhes pois de- de observar dia por dia o penoso trabalho e a
    tractores e infrenes perseguidores.
    Mas Deus as protege, porque ellas sao as filhas
    mais devotas de Mana; as que mais imitam sua
    para as ilhas Bahana.
    O navio hespanhoL lendo sossobrado nessas
    paragens, nao foi dimYil a Phipps encontrado;
    conseguiu salvar grande parte da carga, porm
    111111 lu pouca prala ; om suimiia, a viapem s lhe
    reodeu para cobrir as despezas. Comtudo, isso
    mesmo estimulou o seu ardor, e, quando lhe tal-
    laram em outro navio que com urna carga muito
    rica naufragara havia mero secuto, perto do Plata,
    de salvar
    tliosouros per-
    didos.
    Sendo pobre, c nao podendo sosinho atrar-se a
    lal empreza, parlu para a Inglaterra esperando
    encontrar ah auxilio e proteegao.
    Precedera-o a noticia do bom resultado que ti-
    vera a sua vagem costa de Bahana. Dirigiu-se
    directamente ao governo, e com o seu enthusiasmo
    conseguiu vencer a inercia dos ministros de Car-
    los II.
    Finalmente, o raonarclia poz sua disposigao
    o Rosa de Argel, raso do 18 pegas, de 95
    homes de equipagem, cuto coouBando lhe foi
    confiado.
    Phipps chegou a salvamentocosta da Hespanha,
    mas a grande difficuldade era descobrir o navio
    naufragado; para dirigirse tinha apenas algumas
    informages mais ou menos exactas, e tratava-sc
    de explorar urna immensa costa na qual nao se
    encontrava vestigio algum de um naufragio que,
    como j lisiemos, tiren lugar ciucoenta annos
    antes.
    Porm Phi>ps n3o era homem que desanimasse
    fcilmente. Fez trabalbar a sua manija, e du-
    rante semanas inteiras nao tiraram do fundo do
    mar senao hervas marrabas, pedras e conchas.
    Nao podia haver servigo mais fatigante para os
    marinheiros, que comecavam j a murmurar e a.
    dizer em voz baixa que o commandante os metie-
    ra em urna louca empreza.
    Bem depressa esses murmurios se tornaram urna
    revolla declarada. Os insurgidos precipitarara-se
    um da no lombadilho, e pediram em altas vozes
    que se renunetasse a tal expedigao. J'hipps nao
    se deixou intimidar ; prendeu os principaes amo-
    tinadores, e mandou aos outros que continuassem
    no seu trabalho.
    Pouco lempo depois, precisando o navio de ser
    calafetado, tiveram de laucar a ancora jurto de
    urna pequea iltia, onde desembarcaram grande
    parle das provises, para aliviar a carga ; os ho-
    mens que toram para a trra organisaram um no-
    vo trama.
    O sou inlenio era apoderarem-sc d Phipps, lan-
    gando-o ao mar e comecarem entao um cruzei-
    ro em regra contra os Hespanhoes nos mares do
    sul. Mas para isso era necessano podwrem contar
    com a cooperago do meslre carpinlwro, a quem
    tiveram de communicar o segredo.
    Felizmente, esse era um homem fiel, que avisou
    Phipps do perigo que corra. Reunindo immedia-
    tamente todos os homens emquom conflava, Phipps
    mandou retirar a prancha de abordagem, e carre-
    gar as pegas que dominavam a costa. Quando ap-
    pareceram os amotinados, Phipps declarou que
    fazia fogo sobre elles se tornassem as provises
    (que ainda estavam espalhadas pela praia.) Elles
    reliraram-se, e Phipps fez com que tornassem a
    embarcar os vveres sob a proteegao das pegas
    promptas a fazer fogo.
    Os revoltosos, recelando ficar abandonados em
    urna ilha deserta, largaran) as armas, e imploraram
    como um favor a permissao dc voltarem para bor-
    do. Phipps conceden-lh'a, e tomou todas as pre-
    cauges aflm de evitar urna terceira revolta, apro-
    veitando a primeira occasio que se lhe olfereceu
    para por em trra os cabegas de molim, e lomar
    outros homens em lugar dellcs. Mas quando ia
    continuar com toda a actividade a sua empreza,
    viu-se obligado a vollar Ingiaterra para concer-
    tar o navio que se achava avahado. Entretanto
    elle colhera alguns fructos da sua expedigao, e ob-
    tirera indicages mais exactas do lugar onde sosso-
    brra o navio hespanhol.
    perda de tempo que occasionava o grosseiro pro-
    cesso que entao se empregava para a preparacao
    das barras de ferro destinadas serem reduzidas
    pregos,
    . Pouco pouco, os fabricantes de presos de
    caridade para com os homens. Mana acolheas sob o Stourbridge viram decahir o seu ramo de negocio
    seu presidio; e Mara um exercito bem ordenna- em consequencia da importacao de pregos da Sue-
    do contra os inimigos do seu divino fllho, e dos que cia, que se vendiam muito jarato no mercado.
    O amam e O vrvr-m no me File msisnma n.u boube-se 8"tao que os Suecos podiam dar a sua
    U mame U senem no que Elle mais preza, que mer(.adora |K)r pre?os to moderados, por causa
    a caridade, pois que Ellee todo amor, epor amor das machinas decortar e dividir o ferro, que eram
    dos homens morreu morte de cruz. | infinitamente superiores ao laborioso syslema usa-
    Mas o certo que urna das maiores glorias do do na Inglaterra.
    mthnhrivnn er elle miem iMi^ne Ptclnsivamen-' Rlca",do Foley fez proposito de aprender o novo
    calliolictsmo e ser ellt quera possue exciustvaincn proceSO_ Desappareceu de repente de Stourbrid-! Assim que chegou Londres, communicou os re-
    te filhas da caridade; islo, tantas santas mulheres ge, e durante alguns annos nao se ouvam mais soltados da sna vagem aos lords commssarios do
    voladas s obras de misericordia as pris5es, nos fallar nelle. Ninguem sabia para onde tinha ido, almiranlado, que se mostraram satisfeitos, mas nao
    nem mesmo a sua familia, quem elle nao com- tendo os seus esforgos sido cornados do um bom
    municou os seus projectos. Pouco ou neohum di- xito, nao quizeram conliar-llie outro navio da ma-
    nheiro levou comsigo, mas conseguio chegar at rulia real.
    Hull, e ahi engajou-se como marinheiro abordo de Era Jacques II quem oceupava o throno nessa
    um navio que se fazia de vela para a Suecia. poca, e o governo, que entao lutava com serlas
    Quando desembareou em Stockolmo, o nico bem difficuldades, conservou-se surdo s solicltagoes de
    que possuia era urna rabera que o ajudou a ganhar Phipps. Repellido, mas sem desanimar, elle tralou
    a vidae lhe abri caminho at as minas do Danne- de realisar os fundos necessarios, por meio de urna
    mora, perto de Upsal. Eieellcnte msico e agrada- suhscnpcan.
    re companlieiro, elle seube ganhar a synqialhia A principio todos o escarneciam, porm as suas
    dos operarios que sem desconftanga o admiltiram constantes importonagdes acabaram por rencer at
    na sua companhia. Foi asim que elle pode on- os mais incrdulos, e depois de quairo annos de so-
    servar lado quanto ahi se passava, e tornar-se se- licitagoes, durante os quaes elle vjveo na maior po-
    nhor do segredo, cuja posse tanto ambleionava. breza, conseguiu organisar uma companhia com-
    hospitaes, as casas dos engeitados, nos hospicios
    dos doudos, e at nos acampamentos militares. On-
    de ha miserias e desgragas, ahi est a filha da ca-
    ridade, a discipula de Vicente du Paulo e de Luiza
    de Marillac, a herona do cvangelho : ahi est quem
    pensa os infelizes, quem os consola, quem os ani-
    ma com o conforto da religio, quem recebe o seu
    ultimo suspiro, e os encomraenda misericordia
    divina. O' caridade assombrosa I Louvado e bem-
    dito sejaes, meu Deus, porque nos dstes estes
    exemplos' permanentes da mais excellente vlrtu-
    posia de vinle e nove accionistas. Foi o duqae da
    Albt-marle, filho do gaeral lfpnk. qaem subsereveo
    a maior parte dos fuaos oecessaries.
    A segunda viagem 4c phipps foi mais feliz do
    que afrimflh Onfviochegou sm oBenefcon-
    tratempb ao Plata, as proximidades dos arrecifes
    onde se suppunha ter sido o theatro do naufragio.
    O primeiro cuidado de Phipp foi o de mandar
    construir urna lancha bem forte, capaz de canter
    oito ou dez remadores ; elle meSino trabalhou nes-
    sa construegio.
    Diz-se tambem que elle fez urna machina desti-
    nada a explorar o fundo do mar,, semelhanga
    i dessa que se conheru hoje com a deuouiinago de
    sino de mtrijulhar.
    Nesse lempo j alguns autores faziara mencaode
    um tal maohinismo, mas Phipps nao era dado
    1 le tura, e portauto pdese dizer que elle reinven-
    tou esse apparelho para scu propno uso. Contra-
    ' tou tambera mergulbadores indianos, celebres pela
    destreza na pesca das perolas o em outras opera-
    ! cois subniarinhas. Dirigirn) entao a chalupa ou
    a lancha para os arrecifes, deitaram ao mar o ma-
    chinismo de mergulhar, e durante algumas soma-
    ) as pozeram em pratica todos os meios conhecidos
    1 para explorar o fundo do mar, sem que oblivessem
    , o menor resultado satisfactorio. Eutretanlo Phipps
    : nao perda a esperanga.
    Finalmente, um da, um marinheiro, olhando da
    borda da chalupa para o fundo da aga que eslava
    muito transparente, avistou urna planta martima
    muito exquisita, que pareca brotar de urna tonda
    de um rochedo. Cbamou nm mergulhadur e pediu-
    Ihe que a tosse buscar. Quando o Indio, voltou com
    a planta, asseverou que tinha visto no mesmo lu-
    gar pegas de artilharia.
    A principio ninguem quera dar crdito ao que
    dizia esse homem, mas depois de novas investga-
    goes, conheceu-se que elle fallara a verdade. Con-
    linuaram a procurar, e d'ali poucos minutos, ap-
    pareceu um mergulhadur trazendonos bracos urna
    barra de prata massiga. Ao v-lo, Phipps excla-
    mou : c Louvado seja Deus est feita a nossa for-
    tuna. >
    Os Indios pozeram maos obra com todo o ar-
    dor. Era poucos dias reuniram um Ihesouro que
    montava a 300,000 libras esterlinas, e com o qual
    Phipps fez-se de vella para a Inglaterra. A' sua
    chegada, seus inimigos quizeram persuadir ao rei
    de que devia apoderar-se daquelle navio com loda
    a carga, sob pretexto de que Phipps, quando soli-
    citara a permissao de S. M., nao dra odicaees
    exactas. Mas Jacques II respondeu-lhes que sabia
    que Phipps era um homem honrado, e que lhe dte-
    xava a liberdade de repartir o seu ihesouro com os
    seus amigos, com quanto tivesse trazido o duplo do
    valor que se suppunha. O quiuho de Phipps- foi
    de 20,000 libras esterlinas, e o rei, para recompen-
    sar a sua energa e probidadp, armou o cavalleiro.
    Por essa occasifw foi nomeado grande sherif da
    Nora Inglaterra, onde prestou grandes servigos
    sua m.ie patria e s colonias ioglezas, as expedi-
    goes que emprehendeu contra Porto Real e Quebec.
    Depois de ter desempenhado o cargo do governa-
    dor da provincia de Massachuselis, regressou In-
    glaterra, e morreu em Londres em 4693.
    Chegando a ser om dos altos funceienarios de S.
    M., Phipps, longe de envergonhar-se rSa sua origem,
    peto contrario, entenda que era motivo de justo
    orgulhorepetir quede simples carpinieiro de na-
    vios, chegra s honras de cavalleiro, e de gover-
    nador dfe tima provincia.
    Quando os negocios polticos o aborreciam mui-
    to, elle exclamava s rezes : Antes quera tornar
    a pegar no machado de carpinteiro. A sua repu-
    tago de coragem, de patriotismo e de probidade
    nao por certo a menos nobre das her;ragas que
    elle legou casa de Normamby, cujo ultimo repre-
    sentante morreu neste anuo, depois de ter sido vi-
    ce-rei da Irlanda e embaixador em Fraixja e na
    Italia.
    O filho de um mediocre mercador de pannos du
    Ramscy, W. Guilherme Petly, o primeiro ante-
    passado condecido do Hhisire marquez de Lans-
    downe, que foi tres vezes ministro e morreu muito
    honrado patriarcha dos pares. Esse Guilherme
    Petty. nascido em 1623, tentara fazer fortuna por
    meio de toda aserte de profisso. Foi bofarrahei-
    ro, e com a maia s costas percorreu a Inglaterra
    durante aJgum tempo. Sentou praca de marinhei
    ro, e levou de calabrote a Bordo, o que o fez des-
    gostar da vida do mar. Foi aprendiz em urna fa-
    brica de instrumentos de ptica, e esludou a ana-
    toma ea crurgia. Sendo dotado de muita habili-
    dade, bem'depressa adquirid a pratica de certas
    operagoes-e ex*rcitou-se nos- exerctos. Physico,
    mechanico e agrimensor, iitventou urna prensa de
    copiar carias, depois um navio de duas proas, pro
    prio para navegar com ventos e n-ars contrarias :
    publicoiu tratados sobre a pintura, e, verdadeiro
    av de um chanceller do Eiegukr, imaginou um
    syslema. de arithmelia polUica, etc..
    Depo&de ter estado to perto desses resultados
    que vi vea tres semanas, comendo smente uozes
    morreu. deixando urna fortuna bastante considera-
    vel para que seu filho mais velho, alcangando o ti-
    tulo de- baro de Shelbourae, enlrasse para a c-
    mara, tanto por causa da sua riqueza, como dos
    seus merecimentos pessoaes. Seu testemunho, pre-
    cedido do resumo dos principaes factos da sua vida
    continha este legado, que -muito original e carac-
    terstico :
    /tem. Quanto aos indigentes e aos pobres, nao
    sei o qiie faca: aos mendigos de prolisso nao dei-
    xo nada, nem aos enfermos, nem impotentes pela
    mao de Deus, porque compete ao publico susten-
    ta-los.
    < Aquelles que nao aprenderam nenhum offirio,
    nem tem meio de vida, devem estar a cargo de suas
    familias.
    t O meus pareutes pobres, ajudei-os dir-Ue
    toda a minha vida, e procure! po-los em estauu de
    ganharem para comer -y as minhas invengoes nao
    Uotttffl outro fim, e recommendo aos meus herdei-
    ros que fagan) oquoeuifk. Comtudo, para con-
    toriiiar-me com o eslylo, deixo 20 libras esterlinas
    aos mais indigentes la uorochia em que cu mor-
    rer.
    Essa parochia a de Ruinsey, onde elle nascera
    e onde se v na egreja o seu tmulo com eta sim-
    ples inscripgo:
    Aqui jaz sir William Petly.
    Outra familia bem recenteinente enobreiiia pela
    industria e o genio inventivo, a dos Struit de
    Belper. Suas cartas de nobreza toram cjnquista-
    das por Jedediah Struil em W38, qu:uiuoelle in-
    venlou a machina de lecer meias, primeva base de
    urna fortuna que seus descendentes au&mentarain
    limito e empregaram noblemente. O pae, de lede-
    diah era um lavrador que venda agua du eevada e
    que bem pooco cuidara da edueacao dos nidos, e
    enlreanto todos elles prosperaran). Jedediah, o |
    segundo lilhoerapregava-se no servico da lavoura
    em Blackwell perto de Normantoo, quando ouviu
    dizer, peto ii mao de sua mulher, fabrtcanlc de ca-
    rapugas que conhecia perfeitamcnte- o mechanismo
    de fazer meias, que nao era possWel servir esse
    mechanismo para tecer cotas de meia. Natural-
    mente engenhoso, e mechanico por gosto, Jedediah
    depois de muitos sacrificios c de gastar muito tem-
    po e dinliiiro, conseguiu inventar um novo lear, ou
    aperfeigar o que j exista. Estabeleceu enlo ero
    Derby, de seledade com seu irmo, urna fabrica
    de colas de meia que Ibes deu inultos lucros. Com-
    prehendendo todo o valor da sua invengo appliea-
    da tiago do algodo, elle associou-se depois com
    Arkwnghl; o celebre mechanico, achou meios de
    obter um privilegio do invengo, e fundou diversas
    fabricas de fiar algodo om Cromtord, no condado
    de Derby.
    Eduardo Strult, dotado do genio inventivo, como
    seu irmo, imaginou, segundo dizem, urna machi-
    na que trabalha por si s, porm minio imperfeita
    ainda porque a arte roechanica dessa poca nao cor-
    responda as exigencias de urna lal construegao.
    Tendo lindado o termo da associacaocom Arkwright
    os Strult e.-dabeleceram suas fabricas de liar algo-
    do em Miltord, perlo de Belper, pequeo luga rejo
    cujo nome foi apresentado ao do actual represen-
    tante dessa familia.
    Os servigos militares em torra e no mar tem da-
    do aos pares da Bossa poca, collegas que nao tive-
    ram avs entre os capitos dos temas feudaes :
    Nelson, Saiul Vincenl, Lyons, Wellington, Hill,
    Ilarding e outros de illu'-tiaeo ainda recente, dos
    quaes o ultimo foi lord Clyde, a quem com toda a
    jusbea foi concedida a honra de terem mausoleo
    na atibadla de Wostminster. Porm na honrosa
    carreira da magistratura e da tribuna, mais do que
    em qualquer outra que o esmdo consciencioso e o
    Irabalho persovetanlu lem conseguido abrir cami-
    nho al o parate. Nao menos dc setenta pares in-
    glezes, entre elles dous duques, devem seus ttulos
    de pares a terem sido sabios legistas. E' verdade
    que Mansfleld e Erskine perteneiam a familias no-
    bres, |H>rm este ultimo tinha o costuine de agra-
    decer Deus, porque tora da sua familia nao co-
    nhecia um s toril. Os outro* eram pela maior
    parle filhos de attorveys, de espieieiros, de padres,
    de negociantes e outros laboriosos membros da clas-
    se media.
    Foi nessa profisso que se conquislaram os pa-
    ralos de llaword e de Covendisk, cujos primei-
    ros titulares toram Joizes; os Aylcsford, de Rilen-
    borongh, de Guldetord, de Shaftesbury, de Hard*
    jffy de (:*^J*ia^ de Claren*, e W+mmii i
    uK t .P ^*,>s **,*>" "" moienm
    VS1 h !-, .** E,,)o0- |,,rd n-^%
    ^ h ? -a-pbeil tod <:h.-nr-tonl.
    pae do celebre lord l.yodmir*! era
    eo de lord Samt-Leonards selkjro em
    Street.
    A origem do fallecido lord -i| min.
    a mais humilde A> k>ias as qM acaS!
    mas elle nao se enve'g .aliar. 4imn ^: "
    no tinha orgulho de devrr a si mmm.t l
    poscao que oceupava. Refere-se fn* MAa
    levou seu lilho a |arU de urna pequea |.a
    da defronte da ralhedral de Iantet1.ur\.
    apontando para essa rasa lhe disse
    Carlos, ve- e.-la pequea toja, nxm lilK;
    bem, en ironxe-ie aqm de proposito para *_
    , t'a. Era aqui que tt-u av fazia a barba uor
    penny.
    Na sua infancia lord TenterJen fora mw
    coro da rathedral e o que ha de mais 1 wiwe i mu
    provavelmente elle teria conlinoa*> a rM r
    tor de egreja, se nao fosse o .-iHjralar
    ment que modilicou os seus prujecUo e
    Quando eslava presidindo o tribuna] 9
    condado de Kunt com o juiz Richards, foi om *m
    ao offlcio divino que se cel.-brava na rnViIral
    < Que bella voz I lie disse o jniz RieturaY (ai-
    lando de um dos cantores. >
    Ohf muito linda! responden b*rd TrsterVm
    ah t o nico homem de quem en tenho tute m-
    veja! Eramos ambos candidatos ao Injrar > aa-
    Ire de rapella e elle obteve a prefereara.
    A elevacao de toril Kenvon e de tord rMmtt
    rough dignidade de tord'rhefe de jostra. a 4e
    lord Campbell, filho de um pastor probiWo a *
    chanceller da Inglaterra, nao sao nv-nos Wjtt e
    serem apontadas emubco da IritaM inftea.
    Da infancia de lord Eldon, roMa-> lraMra-
    de estndante que nao prognostiraram qae almm.
    dia elle viria a seotar-se sobre o tafxm 4t Vmsm*
    lords rhancellers. Seu pae, qoe renda rarra m\
    New-Castle, lembrou-se a principio de p-fc cmsm
    aprendiz em rasa de um especieiro. e estar ib-
    s resol vido a faze-lo ahnrar a mesan
    de seu pac, quando iluillurme. o lillw
    (que depois veta a ser lord St..*eli, tet.
    um lugar de pensionista gratuito em um eoifcfto
    de Oxford, escrereu, deado :
    Mande-me meo irmae-; posso fazer
    ma colisa inellior.
    A' rista disso Jark parti para Oiford,
    gragas influencia de sed trmao, >'i
    imelligencia, alcanrou tambem nm laxar
    rao eollegio.
    Mas, rollando a passar as ferias na casa pasar
    na, tere a desgrars oa sutes a forinna, romo e-
    pois os factos provaram. dir apaitoaar-se e ajamar
    casar. Fez a lamosa excqrsao conjugal pete C*-
    cessiacoro a sua noiva, cafoo, e annupiillon
    sempre o seu futuro, segundo diziam os ea*
    gos. Nao possuia um obo*> de seu, e o ras
    to- prirava-o da mesada deipensiuaisu da
    sidade, impossibiliando-o a mesmn lempa
    lar villa da egreja a que elle se destinara,
    dicou-se ento ao esludo do'dh>eito.
    Em ihiki carta escripia > mi dos seos
    eHe dizia .
    E verdade que fiz nm casamento 11
    mas eston na firme detemaaraw de
    atim de prover s necessidades da malaer
    amoi
    futuro lord chanceller foi estab landres, e alugoa urna ca>inh;r em iiiinan mai
    o^de se entregon sem desraoco ao estad da j
    prudencia. Levantava-se s qaatro horas da 1
    nhaa e Irabalhav al muilo unte a note,;
    na cabega urna loalha moteada em agua fra para
    conservarse acordado. Seada
    poder entrar para os cscriploriosi
    que tormam outros, copiou tr>
    urna coltocgo manuscripla de wnredenies ji
    ros. Muiros annos depois, roa oda ja era lord 1
    celler, passando om dia por rassilor-laae.
    elle ao seu secretario :
    Foi aqui minha primeira residearia ;
    tas vezes nao vim cu a esta roa ram as ma
    pence na mao, comprar sardiabos para a 1
    ceia.
    Sendo alinal admittido ao gremio dos advocados,
    esperou muito tempo para obter rlientella fh ao-
    norarios do seu primeiro aoao d tnliaoa nao ex
    cederam de nove >lullmgs I Durante quairo anuos
    elle comparecuu rom assiduidade, e rom *>em paa-
    60 proveito nos Iribunaes de justga de Lpadres, e
    iuwassize-i do norte.
    Pouco animado com mna tal matan, eMara an-
    s deliberado a ir alrir banca de adroga em
    qualquer cidade de prorineia. Sea irmo 'Hmer
    OM escreve nessa occasioe seos paes, dmndta
    Os negocios do pobre Jacfe rorrem mal, nnm
    mal, na verdade I > Mas assim romo Joan Smns-
    capon successivamente ao sea destino >te esperiei-
    ro, de carvoeiro e de vivario de aldea, do mesmo
    modo escajau de advogade.
    Chegou finalmente orna occasio em aat ma fni
    permiitido desenvolver a immensa tramean aae
    adquirir com tanto trabalho. Em ama cansa.aaa-
    elle defenda, insisliu ralorosameale sobre ca ar-
    tigo contrario s radicagoes do atloraey e te pro-
    pro cliente.
    O juiz deu a sentvnga contra elle, mas SaoU ap-
    pellou para a cmara m lords, e tere a saitarao
    de ver que lord Yhurtew revogou a deeisa dn
    primeiros tanas lund.indo-se no artigo que iaa-
    tilmenie elle citara. Nesse dia. quando elteMtv-
    lirava da cmara, um altorney batea-ILe no i
    bro i; disse :
    Tem seguro o seu pao para toda a da.
    O futuro confirmou essa preturo. bord
    ileld rostumava dizer que nao ennheenra laserral-
    lo entre a absoluta falla de trabalho e om raaaV
    inentii de it.(IU) libras. Srott poden a dizer ana
    tanto, |M>is a sua elevacao foi to rpida, ajan nm
    1789, na edade de M annos, elle era, ja memaradn
    conselho do rei, presidente do Irib-iaal do norte e membro do parlamento pato dtarntala'
    de Weolilex.
    Depois d ler servido sncressivamenie os ter
    res dc procurador geral e de presidente db wnW
    nal dos fhiiile communx. alinal fi iliama-to :w>mais
    alto tao qaa a croa pode conferir a um taaVn-
    duo, oito lord chanceller de Inglaterra, ennna ajae
    elle des?;penlttu rom honra dorante mo *c*>
    annos.
    lienrique Bckersieih era lilho da om de Kirkby Lonsdale no Wesimoreland, a tlte mes-
    mo esludou tambem a nrurgia em gmmntarg
    Quando ngressou Kirkby, lornna-s am ar#a>
    ajudante de seu pae, sem que os rmdadu-. dr diirn-
    tes o impedissem de esludar a i4<>shAiu 9ta
    pae eonsenliu em manda lo tambentfe, nade
    elle desejava alcancar um diploma' dti Amior pnra
    depois poder ir pralirar em toadles. Aehnada 1
    a sua sade. enfi aquerida pela maila apptirar- ao
    trabalho. elle decidiu-se a acoiNpaaaar aa ifaaaaa
    de do medico particular, lord Oxford aas saa m-
    gens.
    l'ma vez chegado ao continente, a liheralara n
    fez ser infiel sriencia midica, no peto menas a
    prolisso de doutor, al|>am tempo imlerm nato
    a vida medicar c a advocacta, Jernliu etenaal pe*
    estudo das leis, e enlre$ou-.>* a elle rom a maaaa
    ardor com que se dra aos s*us priaMtrns ritudn .
    cumquanlo e\|>erimenlasa da re em aanam> as-
    guns momento de de,u.o, pois Loaara*n-
    crevia a seu pae :
    < Todos me diaew. O senhor ha de eonsafaar
    que deseja.mas neessario perseveran n sa
    bem que nao vejo pu-sibilidadu di-so. procura a
    ludir-me e emprego imlos os meim paca rhign
    aos meus Uns. Quamlo reretieu o dipfoma da ad-
    vogado, tinha vinle e oilo annos. Nao am
    rain logo diento.* para o aovo adi
    os seus recursos muito limitados, vi
    ios que lhe onviavam a sua familia e
    gos. Dorante annos inteiros sodreo |
    prvagoes. Em urna carta eseripU si
    elle confossa que nao sabe comalia
    lula. Pooco pouro foi vincfo a (iinaarlh, a pria-
    cipiu, causa: nequeninas, e ik-pois as irraade. N*
    fim de alguns annos. nao sa elle pode "
    auxilio da sua familia, como aebou-se
    de pagar com juros as dividas que
    Com a fortuna vem as honra*. Iteariajas aMtnsv
    telh foi suecessivaiuenle nomeado para
    gos, e ltimamente par da inglaierra cu
    de bai o de Sangdale.
    Podenamos mullipliear as aaataamn 1
    ro, se nao estivessemos conreacato dn aae m
    edentes sao bastantes para cutarmarem ai
    these que sustonlamos.
    ia.>
    (.Ver-Jton/W*
    KKNAMbUUX si?. iB M. K. F. a. WUdQ


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID EENR2Q33U_FNJ8SN INGEST_TIME 2013-08-28T01:52:50Z PACKAGE AA00011611_10353
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES